Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:10738


This item is only available as the following downloads:


Full Text
(
AltBO XU OMERO 1
V%r qiartel pagt dentro dem (lepis dos 1.* 10 das do cooiecoe dentro do qoartel.
Porte ao eorreo por tres mezes ..,..,,\
|000
6|000
750
QUAKTA FEIRA 9 DE AGOSTO DE 1865.
Per anno pago dentro de 10 das do 1. mez ,,,.,. 19|0M
Porte ao correio por um aono........... I|04r4
ENCARREGADOS DA SUBSCRIPgO DO NORTE
Parahyba, o *T. Antonio Alexsndrino de Lima;
Natal, o Sr. Amonio Martilles da Silva ; Aracaty, o
Sr. A. de Lomos Braga; Ceara, o Sr. J. Jos de
Oliveira; Maranho, o Sr. Joaquim Marques Ro-
drigues; p.ir, osSrs. Geraldo Antonio Aives &
Filhos; Amazonas, o Sr. Jeronymo da Costa.
ENCARREGADOS DA SUBSCRIPCAO DO SUL.
Alano.is, o Sr. Claudino Falco Uias; Babia, o
Sr. Jos Martin* Al ves; Rio de Janeiro, e Sr. Jos
Ribelro Gasparinho.
PARTIDA DOS ESTAFETAS.
Olinda, Cabo, Escada e eslacSes da via frrea at
Agoa Preta, todos us das.
Iguarass e Goyanna as segundas e saxtas feiras.
Santo Anto, Grvala, Bezerra.*, Bonilo, Caruar,
Altiuho, Garanhnns, Buique, S. Bento, liom
Conselho. Aguas Bellas e Tacarat, as tergas
feiras.
Pao d'Alho, Nazareth, Limoeiro, Brejo, Pesqueira
Ingazeira, Flores, Villa Bella, Cabrob, Boa Vis-
ta, Ouricury, Salgueiio e Ex, as quartas
feiras.
Serinhem, Rio Formoso,Tamandar, Una, Bar-
reros, Agua Preta e Pmenteiras, as quintas
feiras.
AUDIENCIAS DOS TP.IBUNAES DA CAPITAL
Tribunal do commercio : segundas e quimas.
Ilelago : tergas e sbados s 10 horas.
Fazenda : quintas s 10 horas.
Juizo do commercio: segundas as 11 horas.
Dito de orphaos: tercas e sextas s 10 horas.
Primara Tara do civel: tergas e sextas ao meio
dia.
Seguna vara do civel: quartas e sabbadas a 1
hor da tarde.
EPHHERIDES UO MEZ DE AGOSTO.
7 La ceia as 3 h., 9 m. e 34 s. da m
13 Quirto m:ng. as 7 h., 22 m. e 28 s. da t.
21 La nova as 4 h., '7 m. e 34 s. da m.
29 Quarto cresc. as 9 h., 29 m. e 46 s. da m.
DAS DA SEMANA.
7. Segunda. S. Caetano Theatjno fundador.
8. Terca. S. Cyriaco diac. m.; S Emiliano b.
9. (Juana. Ss. Secundiuiano e Veridiano mm.
10. (ulula. S. Loorenco diac. m.; S. Astheria v.
11. Sexta. S. Tiburciu e Suzauna mm.
12. Saubadu. S. Clara v. f. S. Auicelo m.
13. Domingo. Ss. Hypolilo e Cassiano mm.
PREAMAR DE HOJE.
Primeira as 6 horas e 6 m. da manha.
Segunda as 6 horas e 30 mnalos da larde.
b.
PARTIDA DOS VAPORES COSTEIROS.
Para o sn! at Alabas a H e 30; para o aorta
ala a Granja a 7 e 22 de cada maj para Peroan-
do nos dias 14 dos MM de jan.:ro, margo, mata,
julliu, seten.liio e nuvcmbro.
ASSIGNA-SS
no Recife, na livraria da prara da Indrpradcacia
ds. 6 e 8, dos propietarios Manoel Figneiroa
Faria & Filtao.
fiGYSRSO DA PROWeU
Expeditnlc do dia 3 de agosto de 1861.
Ollido ao Exm. Sr. coraineudad ir Domingos de
Soaza Leaj, presdanlo da Associacao Protectora
das Familias dos Voluntarios Ja Patria.Respon
dendo ao offieio de V. Exc. di 20 ,1e julho ultimo,
taoho a dizer-lhe que, seguudo a informago do
bngadeiro cbinmaudaote das armas do 1 do cor-
rete, sob n. 1298, liverain passageni do primeira
para o segando corpo de volntanos da patria, e
einiurcaram cora "ste ultimo para a corle no dia
22 de junho prximo Boda, os voluntarios Ociavia-
no Alfredo Gomes Padilha e Jos Nunes do Valle-
Dito ao Exi. Sr. Dr. vigario capitular.Em res-
po.ta ao offlcio de V. Exc. de 28 de juiho ultimo,
caue-me declarar-lhe que o padre AoDniod.i Cu-
nha FiguerJo, capello da repartii;o ecclesiastiea
e lente de institnices cannicas no seminario de
Olinda, nao segu por ora para a corte, visto ter si-
do considerado incapaz do servco doexi-reilo em
in.-pecgo de sade, segundo informou o brigade-
ro commandamo das armas em ollioio de 31 d'a-
queile mez.
Dito ao Hita, brigadeiro commandante das ar-
mas.Ueclare-me V Exc. com urgencia que nu-
mero de oIBciaes e cadetes (eiu de seguir para a
corte no vapor Jos S. Romao, taulo desta provin-
cia como de entras.
Dito ao mesmo.Transmuto a V. Exc. para seu
eonhecimenlo e execugo, na parle que Ihe toca,
copia do aviso circular da repartigo da guerra de
o de julho ultimo, determioaado que se reuuam
ao exercilo em operacSe contra o Paraguay, os
olliciaes do corpo de sade existentes na corte e
as provincias, excepluados os que servreni na se-
gunda direcloria daquella secretaria de estado, as
fortalezas principan*, no presidio de Fernando e
as provincias de Matlo-Grosso, Miuas Geraes e
Rio
Grande do Sul. nas Torcas que se destinan) a
operacoes de guerra, e bem assrn os delegados i ra da guarda nacional deste municipio Manoel Os
nhia do corpo do seu commando o 2o sargento da
S' companhia Arsenio ATonso Pereira Borges, que
desoja marchar para o sul, com a brea de polica,
que tem de seguir no vapor 8. Rom.
Dito ao capito do port>>.Remeito incluso o o-
licio do Dr. chefe de policia, datado de 29 de julho
uliinjo, para que Vmc. mande verilicar se o indi-
viduo de noine Manoel Antonio Barhoza, qu-, em
27 daquelle mez Ihe foi remeitido preso como di
sertor ua armada, tem os sijjnacs caracieristicos
descriptos no offlcio do cuele de policia da provin-
cia do Rio Grande do Sul, constante da copia tam-
bera inclusa,- dndome parte do resultado das ave-
riguacoes qae zerera.
Diio ao director das obras militares. Mande V.
5. fazer com urgencia os pequeos reparos de que
precisa os dous quarteis da Soledade, ondo se
achara os guardas nacionaes o o deposito de recru-
tas, como veril quel ua visita que hontem z aquel-
les estabeleciineulos militares.
Dito ao juiz municipal da 2" vara desta c lade.
Devolvo a Vine, para o lira conveniente, a iuclusa
carta rogatoria citatoria que rae foi transmitida
pelo Exm. Sr. ministro dos negocios estrangeiros,
a qual nao pode ser cumprida segundo declarou a
legaco imperial, em Portugal por falta da legali-
sagodo ageul consular daquelle reino, formalida-
de esta tambera exigida entre nos pelo aviso da
justiea do Io de oulubro de 1847.
Portara. O Sr. coramaudante do vapor los S.
Romo, trausportc a seu bordo a disposlgo do
Exm. Sr. miuisiro da guerra, os volumes que o di-
rector do arsenal de guerra. lera de remetier para
a corte contendo artigo? de fardamento pertencen-
tes ao 4o batalhao do arlilharia a p, e a companhia
de artilices.Comraunicou-se ao director do arse-
nal de guerra.
Expediente do secrelario do invern do dia ii de
agosto de 1865.
Offlcio ao cominandanie superior da guarda na-
cional .do Recife.ua ordem de S. Exc. oSr. pre- j
sidente da provincia, com mmico a V S. que por
portara de 18 de julho ultinn se coneedeu 6 inc-
zes de licenga ao lente do Io batalbb-'de arlilha-
qilell-l JlCCa No fim das ceremonias da trasladaca), e depois
de lulo adS cavalheiros que a ellas assislirara, foi
; ein*rrado no c.i"n que gnardava os restos ina-
nimados do dislinctissimo cidadio. o ultimo adeos
requisitarem os empregados tochmcos que Ih-s fo-1 revoluco do Minho denominada Mara da Fonte.
rem preciso*, e remetterem, cora a possivel brev- vice-pre>ideote da juma do Porto em 1846, eoopa-
dade ao ministerio das obras publicas, os reten Jos, rador ddmo violento uiciooal da regeaeraclo em
planos com a memoria descriptiva dalles. I 1851, B depois inliuenle em diversas situaces po
Provaveimenle para.serem archivados, e confun- j tilicas, Plssas Ij' deva ser mais lerabrdo na-
direm-se com outros planos de melhorainenios p-
blicos que era varias pocas leeiu sido mandados
confeccionar e existera esqueidos nas estantes da-
quelle ministerio I
Sao numerosas as sociedades de soccorros mu-
tuos estabelecidas nesla cidade, mas tolas ellas, a que Ihe diriga sua esposa, esenpto pela sua pro-
excepgao da Caxa de Crdito e Soccorros mutuos pri.i man. izia a>.-im :
Associacao Industrial Portuense, sao associacoes t Meo querido e adorado Jos PasstsRecebe
de classes que s aproveiiam aos individuos que da toa estremosa e seniora virtuosa mulUer as la-
exercem certos e determinados mistares. Quasi grimas nVsi momento d* meus olhos correm e o
todas estas associacoes se limitara ao soccorro pe- ultimo que sdeus.'Jasa e. quinta da Torre 22 de
cuniaro na doeuga, facultativo c botica. A nica junho de I8<5 Anna Mirgarida Soares da Silva
que admiltie no seo gremio todas as classes da so- Passos.
i ciudade a Caixa de Crdito e Soccorros mutuos Esta a imprimir n'uraa das lithographias d'e.-ta
da Associacao Industrial Portuense que, forman lo cidade urna polka composla pelo joven Hernam
diversas seccoes, um monte-po geral e o nico Braga, com n liulo do Sumlwles do Rto de. Janeiro.
cap-
d? cirurgiorar do exercilo nesla provincia e
nas da Balua e Santa Catliariua.
Dito ao inspector da ihe ouraria de fazenda.
luteirado de quanto V. S. expoz em seus offlcios
de 26 e 29 de julho ultimo, son us. oio e 342, le-
nho a dizer em resposta, que na falta de crdito
pJe mandar pagar sob minha responsabilidade a do arsenal de guerra.
mundo da Cmara Pimentel, para tratar de sua
aude.
Despachos do dia 3 de agosto de 1863.
Requerimentos.
Adriano Jos dos Santos. -lodeferido.
Amonio Jos Bezerra.Informe o Sr. director
Antonio Domingues de Al neida Pocas, nao s a
quantiade I8840 rs. que falla para completar a
de 23,5350 rs. em que importam os vencimeotos
de uina escolta de guardas nacionaes, que em fe-
vereiro deste anuo couluziorecrulas do termo de
Santo Aotao para esta capital, mas lamben) a de
iljf800 rs. proveniente dos vencimentos de outra
escolia, que ao mesraj fltn vcio daquelia cidade
para esta.
Duo ao mesmo.Visto nao haver crdito, segun-
do consta de seu offlcio datado de hontem, e seb
o. 361, para pagamento da quanlia de 47j des-
pendida com o transporte da mulher do alferes do
exercilo Pedro de Alcautara Tiberio Capistraoo,
de Tacarat para esta capital, auloriso V. S. a
mandar elfeetuar esse pagamento sob minha res-
ponsabilidade, V.audo assira respondido o seu ci-
tado offlcio.
Dito ao mesmo. Transmuto a V. S. para os
convenientes exames, as inclusas copias das actas
do conselho de compras do arsenal de guerra, da-
tadas de 12 e 13 de juluo ultimo.
Dito ao mesmo.Transmita V. 8. o pret junto !
em duplcala, dos vuucimentos relativos a primeira
Amonio Jos da Motta.Informe o Sr. coramau-
dante do corpo de policia.
Antonio Alvos Tiburcio.O supplicante est
contemplado entre as trinta pracas que devem
ficar.
Amaro Nery dos Santos.Informe o Sr. com-!
mandante superior da guarda nacional de Pal-1
mares
Aproniano da Silva.Dirija-se a' tbesouraria de
fazenda.
Irmandade do SS. Sacramento da freguezia do :
Rio-Formo.M). Informe o Sr. inspector da thesou-
raria provincial.
Jos Mara Pestaa Jnior.Informe o Sr. ios- i
peclor do arsenal de marinha.
Jos Joaquim de Sooza.Informe o Sr. Dr. chefe
de policia.
Jeronyma Mara de Oliveira.laforme o Sr. Dr.
chefe de policia.
Vigario Jos Luiz Pereira de Queiroz.Informa
o Sr. inspector da thesnuraria provincial.
Joo Baptista de ouza. Informe o Sr. comman-
dante do corpo de policia.
Joo Antouio da Silva Pessoa.Informe o Sr.
quinzena do mez de julho ultimo, do primeira ha- commandante do corpo de policia.
talho de infaula.ia de guardas nacionaes de.-ta ca- Manoel Hjgloo de ilarvalho Couto. -Passe-se.
pital, aquartellado para o servico da guarnalo, | Pedro Jorge da Silva Ramos.-Informe o Sr. Dr.
alim de que s.q.i oiim,.nda a orden da presidencia jui7. municipal da primeira vara da cidade do
comida era olficio de 29. : Recife.
Dito ao inesino.Auionso V. S., em vista de sua ________________
informadlo do lioni un, sob o. 362, dada com refe- "^^>.,.. _i msBOt------------Mi |
raneta a da contadura dessa ihesouraria, a man-
dar adiantar ao alfaiate contratado para servir no
arsenal de guerra da corte Aproniano da Silva a
quautia de 62, correspondente a um mez de seu
salario para as despezas de viagem.
Dito ao mesmo.-Transmiti a V. S. o pret junto
era duplcala, dos vencimentos relativos a segunda
qurazena do mez de julho ultimo, das pracas do
primeira batalhao de arlilharia da guarda nacio-
nal desta capital, lim de que, nao haveudo incon-
veniente, seja a sua importancia paga conformo so-
licitou o commandante superior d?ste raunicipi i
em olficio de 3 do correte, sub n. 220.
Dtono inspector da thesourara provincial.Es-
tando em termos e nao haveudo inconveniente, i
mande V. S. dar execucao a Inclusa carta precato-;
ria, que do tata)
... Junwi
Monte de Piedade que exisiem nesla cidade. da nnil o seu autor teneiooa offirecer alguns ex-
Em 31 de dezembro do anno prximo passado ampiares a ilirectona do hospital de beneficencia
havia 870 socios, sendo 603 do sexo miscolino e poriug.iezi n'aqneila cidade.
263 do femenino. O producto das joias e qujtas, \ O Sr. Francisco Jos Rateada, insigne retratista
durante o anno, foi de 3:6745160 rs, e a despera portuen-e, fxpoz ao publico um retrato, que pin-
feta com soccorros e botica foi de 2:231549o rs., tara em meio corpo, de el rei o Sr. D. Fernando,
sendo 1:6365833 rs. a 219 socios do sexo mascolino E' destinado para a capella d'esse imperio. Est
e 3945640 rs. a 124 do feminiuo, indotado na ver- muito parecido, n segundo dizera os entendedores
ba geral os funeraes feitosa nove socios. Irnballu) de elevada merecimento artstico.
O ultimo relatorio da commisso administrativa, Por seatencasdo tribunal do commercio. forara
fallando do raonte-pio diz o seguinte : julgados em estado de qtiebra os Srs. Jos Jorge,
A verba dos soccorros vei subindo considera-1 e Antoaio d-: Souta Tavares, commerciame do
velineute de anuo para anno, e cora quanto o un-; Porto.
mero de doentes diarios nunca esleve ua razio de j Os festejos do bemaventurado Baptista nao disse-
3 p. c, nao p le negar-se que o monte pi deman-1 ram este anno do esplendoi com que costumara
daosmai* serios cuidados da drecces futuras, fazer-se em Braga. Aurahidopela oomeala d-stes
pois que entra a receitae a daspeza u.io ha eqiuli-! festejos, muito pvo do alto Minho o mesmo di
b-io estabelecido ; e urna das rzoes qu< sen lo | Pon.) vai passar a vespera e o da do sanio
a receita do pre. ente anno (1864) superior a do pr-- tai daqaell i provincia.
lento em 6375993 rs, u augmento da despezicora A 'oioeiJencia de Ire dias santificados e COBse-
soccorros foi de 8155370 rs., resultando or eon- culi vos, diz o Brucarense, fez cora qu; esta cida
seguinte ura itefl-It sobre o funio do mesmo mm- de coucorresse muito povo e as ruis se achavam
te-pio de 1375373. Pode dizer-se, pois, que o au apmlialas de carros e tran-euntes que se cru graemo do pfssoal no raoule-pio nao lem trazilo vara aro differantes dlreeeSes, com especialidade
al hoja a compensaco pecuniaria iadispensavel para o Bun Jess do Minie e S. Joao da Ponte.
ao seu costea mentor No dia 23 festejou-.se a festividade do Santissim i
No auno de 1864 recebeu o Monte de Pieda le Coracao de Jess era diversas igrejas, e com os
1,136 penhores na importancia de 40:2899i3. plendor no eoHegio das Urselnas. De tarde come-'
Existiam no anuo anterior 448 no valor de rs cou a concorrencia para o apprasivel local de S.!
lo:1175065. Sendo por conseguiule o movimento Joao da Ponte, o que noite muito angraentou, nao
de penhores, no decurso daquelle auno, do 1,384, s para gozar da amena noite do santo popular,
osJRjaes fura,u resgatados 1,029 na somma de como para ver a vlsfbsa e sorprendente visla dos
34:0945435 rs., e licarara existindo em 31 da de arraiaes, do froutespicio da canellinha e do jardim,
zeml)ro353 no valor de 21:3125523. Os juros .pie se achavam lindamente Iluminados. A banda
vencidos por estas transareis, que de 8 p, c,; dos artistas toeou lindas o vanadas pecas de mus
produzirara 1:4185073 dos quaes dedunndo rs. I al depois de urna hora da noite.
8475(00 do juros vencidos pelos capiaos mutua-: Na manhaa do dia 2i saino da igreja de S. Joao
dos, lieou ura saldo do 3705973, que passou con- do Sonto a costumada dansa do re David, o o car
la de lucros da Caixa de Crdito. Notase, pois, ro com o naile dos pastores, que com alguraas pe-
que o movimento do Monte de Piedade vai sempre I quenas variantes para melhor do que o costume,
em escala ascendente, pois que elle foi superior em percorreu afs ras aonde existiam os actua-s me-
tran*ac5oes ao anno de 1863 em 11:3415830, dni- sartas porta dos quaes dansaram recolhendo de-
xando anda de fazer-so muitos empreslimos por pois das H horas.
falta de numerario. A fera de S. Joao foi este anno muito concorri-
0 seguinte balanco raostra o estado da Caixa de ; da, nao tanto pelo grande numero do gado cavallar
Crdito em 31 de dezembro ultimo : e transaccoes, que n'ouiros annos teera sido maio-
Activo. res, mas era razad dos premios que foram conferi-
Emprestimo sobre penhores........ 21:3125320 dos, em virtode do decreto de 17 de raaio ultimo,
715270 p-lo qual creado nesta cidade um concurso an-
9245'M5 nual de bjis gonlo-!, que deve ser celebrado an-
----------- nualmente no dia 24 de junho. E' urna das med-
22:3085653 das lomadas pelo actual gabinete, que deve ag-;
mentare fazer prosperar a industria de ceva neste
14:1745000 dlslricio, de que o mesmo jaufere e cada vez mais
6415795 auferir grandes interesses. De todos os ramos da
2:8495385 industrii agrcola sera duvida a industriado
2:3214000. creaco e engorda de gados a que mais lucros d,
2:319f/493 e aquella a que o lavrador mais deve altender.
Polas 10 horas da manhaa den entrada para o
ino, que de-
Movis...........................
Caixa diuheiro orrente........
Passivo.
Accionistas coma correntu.......
Ditos, juros a pagar...............
Monte Pi saldo liquido.........
Novos subscriptores..............
Depositantes.....................
EXTERIOR.
COlfcRESPOVIlEffIAS 1C !A-
Slll JK l>Kii.\AJSHI'IJ
PORTO.
12 de julho.
Chegou o dia dos desengaos.
A eleico geral de depulados venflcou-se, como
eslava decretada, no da 9 do corrente.
Quantas esperanzas perdidas, que de fadigosos'
iraalhos esperdiC/ados I
S;ria preciso que a lei nao determinasse o nu
especial do commercio obteve j mero de representantes do povo para que esta
Antonio Ferreira Lustosa, no sentido de ser rea- podesse satisfazrr a todas as candidaturas que se
xado nessa thesourara o embargo que fez Praxe-; Itie apresentaram.
des da Silva Gusinao emdinlieiios pertencentes ao Foram, pois, muitas as ambicoes que deixaram
mencionado Lustosa. ; de ser satisfeitas, e que de crer fleassem reser-
Dito ao mesmo.Accuso receido o oifl.'io de 21 j vadas para occasio opportuna, porque nas lulas
de julho ultimo, sob n. 280, era quo V. S. partid- polticas dos partidos, sejam de que naiureza forera,
pou que >or falta de licitau tas deixaram por tres load se esmorece fcilmente. Ura revez serve de,
vetes de ser arrematadas as obras da cadeia da ordinario para se redobrarem os esforgos e incita-'
Nazareth e da casa da cmara maoicipal de Sari-' rem-sc os nimos a novos commettimentos.
noem, e em resposta leoho a dizer, que mande! Por loda a parle do paiz correram regularmente
por novamenle em prac.a a primeira dai|uellas ios trabalhos nas respectivas assemblas eleito-
obras, auomentando-se o lucro do arrematante de ; raes.
15 por cenio, conforme indica o chefe da repart-' Nesla cidade ha a lamentar urna desordem, que
gao das obras publicas, em sua informacao n. 247 por motivos de partidos houve em urna tenda, pro-
de 29 do citado mez de julho, e quanto a ouira vai ximo das escadas da igreja do Bomlira, na larde do
o respectivo orearhenio ser reconsiderado por da das eleicSes. eram-se dous ferimeotos e
aquella reparlico.Commuuicou-so ao chefe da acham-se presos dous dosdesordeiros, que se sup-|
reparticao das obras publicas. pera autores dos ditos ferimeulos.
Dito ao consu.1 de Portugal. Re.-tiluindo ao Sr.' Os tres deputados pelo Parto sao os Srs. Joaquim
Dr. Claudino de Araujo Guimares, cnsul d) Por- Ribeiro de Paria Guimaraes, governaraenlal, Ja-
tujal, a representaeo do subdito de sua nnrSo nuario Correia de Almeida e o Dr. Amonio Ayres i
Diogo Pereira de Souza, aiinexa ao offlcio que ao de Uooveia, opposlciouistas. O primeiro obteve
mi-u antecessor dirigi o mesmo Sr. con ul em 19 1223 votos, e o seu competidor o Dr. Custodio Jos i
de junho ultimo, transniilo-lhe por copia a infor- Vieira 1164 ; o segundo 1133 votos, e o.Sr. Tho-
macao ministrada pelo Dr. chefe de policia, da maz Antonio de Oliveira Lobo, seu opposilor, 960 ;
qual so conhece ser exagerada semeiuaute repre- e o terceiro 1450 vutos contra 689, que leve o Sr.!
seiitaco. Antonio Gomes dos Santos que se Ine oppunha.
Dita ao Syr.NVilllamH.M.Grath.Responden lo ao Em resumo diremos que o acto eleitoral do dia ]
olflciu, que, em 3 do corremv, me dingio o Sr. Wil- 9. segundo a classifieacio que fazemjs dos eleilos,
liara II. M. Gra h, cabe-me dizer Ihe que nesta da-.deu em resultado 82 depntad s governameutaes,
le maudei cumpnr, o imperial exequtur conced-! 60 da opposico, 3 sam comproraissos e 3 realistas,
do sua Bomeaco para cnsul interino dos Esta- j leudo de proceder-se a nova eleicao em 4 circuios
dos-Unidos, no porto desta provincia. >em que n.io houve vencimeuto
Duo ao commandante do presidio de Fernando.! O vencimeato dos Srs. Faria Guimaraes e Ja-
Faca V. S. retirar para esta capital, o capello con-: nuario Correia de Almeida, foi festejado pelos seus I
tratado Joas Tertuliano Garsino de Maceta, que : amigos com muito foguetorio, a hontem pelas 10
se aclis no presidio de Fernando, visto as-im o ha- horas da noite affloio a ra do Souto um numeroso
ver pedido e seguir para all nesta occasio o ca-; grupo dando vivas ao Sr. Faria Guimaraes, e pouco
pellao do exercilo padre Manoel da Vera-Cruz. : depois appareceu oulro grupo igualmente numero-
Dito ao commandamo superior da guarda naci-; so dando vivas ao Sr. Custodio Jos Vieira.
22:3085673 reciutho da exposigio toJ > o gado bov
A eompanhia Seguranca. no anno social da 1864 ; va ser rohmeitido ao oame do jury, alim de Ihe
185, leve de lucro 76:7355993. D'e-U som- seren conferidos os respectivos premios. A's 11
ma propoz i d rectora que fosso reservada a horas com-cou o exame que acabou jielo meiodia,
quanlia de 16:7355993 para fazer face aos pre- lindo o qual a na presenta do Sr. governador civil
joizos soffndos, mas ainda nao liquidados; que se | se comtcoua satisfacer os competentes premios que
aogmootasse o fundo de re res, o que s dividan) 135000 por aeco, alm da
15500 que Ihe loca do juros das iuscripcoes per-
tencentes a parle do fundo de reserva ja real!
sado.
Os prejolzos de inaior importancia que a com-
panhia Seguranca tero asatisfjzer sao os prove-
nientes do sini.-lro do fogo ne edificio dos Pagos
da muoicipalid.ado d; Lisboa em uoveuibro de
foram conferidos o pagos aos donos das juntas de
bois premiados.
Gastn o governo pelo ministerio das obras pu-
blicas 200-5000 para o reimos, o mais 70000
para os preparativos da exposico.
Todas as jumas de bois que concorreram ex-
posico eram de raca barroza.
Da larde sabio da sua igreja a procissao de S.
Joo. indo apparalosa e cora grande numero de
piou com o alvorecer, e s leve interrupcaona ma-
drugada do da seguinte, em quo terminou o fogo.
lano este, como a illuminacao, procissao e mais
festejos de ponas a dentro do templo nao desdisse-
ram a grandaza do programraa, qoa a briosa e so-
ii-iia mesa da irmandade tiuha de ante mo publi-
cado para eonhecimenlo dos devotos. Era ludo o
maiorexplendor e grandeza, quo caractensam uina
fesla nacional, comoqua>i esta sen lo esta em culto
e inemoria ao sanio, martyr do amor da patria e
de eus.
A policia da romaria foi feita por um destaca-
mento de capito de infanria n. 8.
Dosde o principio at ao lira da romagem nao foi
a ordem alterada, conservndose sempre os nume-
rosissimos romeiros era plena paz e alegra, que
anda os acoinpanlnvam na volia para suas casas,
cantando e daugando, que era urna oveja ve-Ios, c
OUVllos.
As off'rlas depostas no templo do santo martyr
sao valiosas e variadas.
A respeo do roubo de paramentos feita na igre-
ja de S. Tluago, de Colmbra, e que raanconamo.-
em raissiva pastada, cunta mais um jornal daquel-
la cidade que se|acha preso o sacrisio da mesma
igreja Augusto Lardoso, uina sua amasia e a rai
della.
Dos objectos roubados apenas appareceu um
froutal da aliar, urna vestimenta, urnas snelas, e
outros poucos objectos, mas lodos dos de menos
valor, que o ladro linha mandado empenhar ; e
alm disso, n'um quintal do sitio de Arregaza, on-
de elle morava, foi desenterrada grande porco de
forros e outros pequeos i bjeclos que elle havia
escondido. O que, porm, causa vrdadeira indig-
uago o saber que aquello malvado queimara to-
dos os paramentos ricos, para apenas ihe aprovei-
tar a prata dourala com que elles eram lavrados, o
que Ma r<*ndeu urna insignificancia relativamente
ao valor artstico que tinham aquellas objectos.
Por esta forma foram destruidos os paramenlos,
que os antigs e ricos negociantes da outr'ora fre-
guezia da S. Thiago deram sua igreja I
Os estabelecimentos bancanos era seguida men-
, ciouados tem aberto o pagameeulo da dividendos
pertencentes ao Io semestre do correula auno :
Banco Commercial de 3 0|0 ou 65000 por ac-
go.
Banco Uuiao 3 0|0 ou 35 por aego.
Baoco Albanga 15800 correspondentes a 3 OjO
sobra o capitrl desembolsado por cada aeco.
A caixa Filial do Banco de Portugal 105 por ti-
tulo de 5 acues.
A nova companhia Ulilidade Publica 4 OO ou45
por acedo.
Os juros nos bancos de 6 a 80|0.
O marcado do assucar esleve oestes ltimos das
animado.
Realisaram-se vendas do da Parnambuco. bran-
co, de 25100 a 25400, e do mascavo de 15450 a
15600; do branco da Bahia da 15330 a 25000 e
do mascavo do Maraoho de 15230 a 15300. O
brauco soraenos de Paroarabuco regula entra 15960
a 25000, o mascavo da Bahia 15400 a 15300 e do
Rio 15500 a 15790.
Aimportago limitou-se a 1,600 saceos de Par-
nambuco pelo hngue Amelia entrado em 22 do mez
prximo passado.
iNos armazens da alfandega existiam ne dia 10
do corrente 26,893 saceos, 1,872 caixas, 1,020 cu-
meles, 367 barricas e 40 quartolas.
No mez de junho despacharam-se para consumo
2,263 saceos, 107 caixas, 13 quartolas, 113 cuuhe-
tes e 45 barricas.
O algodo uo procurado.
Vemieram-se 12 saccas do do Maranho a 280
ris.
Importaram-se de Liverpool 99 fardos, e do Per-
uamliuco pelo Amelia 32 saccas.
No mez de junho ultimo foram despachados para
exportacao na alfandega do Porto 35:0005000 em
raoeda de ouro e 4:1005l>00 em moeda de prala.
Aquella pagou de direitos 3175200 e esta 595000.
Renden a referida alfandega no oito mezalru
de 1:709583o para as obras da praga do com-
mercio :
niporiagao......
Exportago......
Reexporlacao.__
Consumo........
Tonelagem......
Diversas receitas.
175:801 006
11:1405225
715145
9:0355650
1:2835698
9:1115369
206:4435093
imagens dos santos, Joao, Isabel e Zichanas, eram
levadas pelas irman lados de Sania Cruz, Carmo o
Populo.
Fechou a procissao nina guarda de infamara 8,
e na frente la um piquete da cavaHana, e adianto
desias os bois. que foram premiados, enfaitados e
1863, sobre o qual pende pleito commercial, e o anginhos, segurado aovo gyro no sea transito. As
resultante do sinistrn acottcido galera Olinda
que na viagem de Hamburgo para Lisboa, enca-
Ibou nos mares do norte e foi desencaliiada por
ura vapor que a cooduzio do porto deGnrasby.
A companhia de seguros Garanta, no anno so-
social lindo, lave de lucros 58:6585683. A recei- .
ta prefei os 114:9325293 o os prejuizos foram de ; embandairados.
44:6905350. O jornal d'onde lomamos esla noticia louva a
Em Villa N iva de Gaya deu-se no dia 5 do cor-' lembrauca da publica exposigodos bois pelas ras
rente, pelas 7 horas da manhaa, um triste e la-' da etda-te, mas censura a sua eolloeacjta porque foi
mentavel acoatecimeato, que para uns prova da, mal escolhida. Se julgaui improprio o amigo uso
mais reliuada malvaluz e para ouiros levado a de irem na procissao ou prxima a ella a daoga do
coma da allucinaco que por um determinado1 re David a baile dos pastores, e os fagam ir pelo
seotimento de alma offusca a razao, e iranstonia | menos 50 metros da distancia, a collocagao dos bois
o uso das faculdades iutellectuaes. N'um ou n'ou- .junto procissao esl na realidade em desharmo-
tro caso o que nao solfra duvida que desinialli- uia, e pouco em proirresso.
No domingo 23 celebraram-se varias fesllvida-:
des ua cidade, Nosso Senhor da Agona na >,
Nossa Senhora do Rosarlo era Maximinos e Nosso
Seoiior das Necessidad -sera S. Vctor, aonde igual-
mente se fez una magestosa fesla ao Sacrad i Co-
ragao de Mara, por se uo ler podido fazer no seu
,' pr,il" j I dia propno, havendo exposigao, rass.i e sermo : o
rt!V"*, unho os meni-
de 60; sa-
Abranca para
ST raeSuaUKdod3 pK^SfftSC I ^f^^ Mm *" A"USlaS rai"
i^gSJtSSZra'sSbia |en t ffe '?"> ^ T,? Stf \ %
Augusto dos Santos disparan cntao em si inesmo: f^ 'SSS noM,,ul|mo l}VLTnLZ
sar^w.^srs3SS^J^SaS
Cambios: sobre Londres 90 d. de 53 1(8, 90 d.
v. 53 3|4.
Sobre Pars 542 p. 3 fr. 90 d.
Sobre Hunburgo 47 a 47 1|4 nominal.
Abriram termo de carga : era 26 de junho a
barca Claudina para o Hio de Janeiro; em 1 de ju-
lho a galera Auroro para o Maranho, por Lisboa;
em 5 a salera frica para o Rio de Janeiro e o
bngue Mrquez de Sania Cruz para o Para ; em
6 a galera liara para o Maranho ; em 7 a barca
Favorita para o Rio Grande pelo Rio da Janeiro e
o patacho Marcial para o Rio Grande.
Emrou em 1 de julho o patacho Garibaldi do Rio
Grande.
Sahio em 4 de julho a barca Corga para o Rio de
Janeiro.
genclas domesticas levaram o Sr. Augusto dosj
Sanios O.iveira a iniroduzr-so furtivamente em
casa da familia da sua esposa, da qual se achava
sepralo ha poucos das, cora o Um da alleutar
contra a sua vida.
A desventurada sennora eslava anda recolhida
no seu quarto de dormir, onde foi
mmn ouha.
A infeliz senhora ficou gravemente tarida. Re-
coiouse muito pela sua vida. A febre que Ihe1 j^lv Duro.'
nal do Recife.Logo que esteja corrigido o guarda
do Io batalhao de infantaria, Btlmiro das Chagas
Diniz pela falla de que trata o respectivo comman-
dante no offlcio, que devolvo, mande V. S apre-
senta-lo ao commandante do corpo de polica, onde
tem de servir conforme se contralau. -Gommuoi-
cou-se ao commandante do corpo de policia.
Dito ao coramandanle do corpo de polica.Man-
de V. S. assentar praga no corpo sob seu com-
mando ao paisano Joo Dorninguo;, de Assls Xa-
vier de Mello, visto que foi julgado apio para isso
em inspeegan de saude, segundo V. S. declarou em
seu cilicio desta data.
Dilo ao mesmo.Mande V. S. alistar no corpo
sob seu commando, alim de seguir para a corte
com a ala, que tem de embarcar brevemente, o vo
Amos os grupos se acompanhavam de philar-
raonicas.
Os amigos do Sr. Faria Guimaraes, tomando os
vivas ao Sr. Vieira como urna provocago, enten- \
deram dever desarontar-se, resultando disso tra- i
var-se urna desordem em que home murro bravo
e [i mead ii ia rija.
Acudirn patrulhis de infamara e cavallaria,
qua por vez 's conseguirn) dispersar os teimosos j
grupos, restabelecendo-se a ordem depois de muita
voxeria e tumulto.
O resultado da contunda foi serena bastantes pre-
sos, e Ucarein alguns contusos e outros cora peque-
nos ferimeotos.
O governo, em execugo do decreto de 31 de
dezembro do anno passado, neineou duas corarais-
luntario Martinho Birillo Bezerra de Mello, que soes para elaboraren) os planos de melboraraenios
veio da comarca do Limoeiro, soecorrido de cinco das cidades do Porto e Colmbra. Cada urna destas
dias de vencimentos pela collectoria daquelle mu-
nicipio.
Dito ao mesmo.Mande V. S. addir a 4" compa-
commissoes composta do director das obras pu-
blicas, e do delegado do coocelho de sade dos res-
pectivos districtos, devendo as mesraas commissoes
lorias. O raesmo orador sagrado toroou a pregar
de tarde, e iiualisou loda esta funeco por um so
sobreveio aggravoo bastante o seu estado geral,
porm hoja achase livra do perigo. Nos das, 23, 24 e 25 esliveram no salo do ly-
Augu-to dos Sanios Oliveira comava 30 annos ; ceu, que sa achava ricamente decorado eemhan-
era natural de Lisboa. Tiuha sido empregado na delrado, as prendas olVerecidas para oasylode Pe-
repartigo dos caminhos de ferro e intimamente I dro V, quo excederam ao numero de 300 : eulre
na secretaria do Palacio de Crystal. lia va casado estas havia muitas de lindo goslo, trabalbo e pri-
ha dous aonos com a senhora que pretender as- mor. A's 6 horas da tarda do dia 23 comegou o
sassioar, que se chama l). Clara da Silva Bran leilo que acabou por noite ; apenas se venderam '
do e lidiado fallecido Sr. Brandao facultativo ornas 40 e tantas prendas, alguraas por 305000.
de Villa Nova de Gaya. O lailn coolinuou era outros dias, colhendo-se'
Os restos mortaes lo Sr. Jos da Silva Passos i ptimos resultados,
foram trasladados do ceraiterio da Lipa, nos lias A romanados. Torqualo, a pouct distaocia da'
do mez passado, para o mazuleo mandado levantar cidade de Guimaraes, foi concorridissima. Teve
por sua esposa no cemilerio do Prado do Repouso. ella lugar nos das 1, 2 e 3 do crranle. Conta o
A' trasladaco assistio grande numero de amigos peridico Vimaranense qua numerosas caravanas
do (nado, mas muito matar devia ser a concor-; de povo da Maia, ondo o santo tem particular devo-
rencia se alten lermos a que a ossada que a lo-1 gao da goute martima, ua sua passageni por Gui-
mar o seu ultimo lugar no recinto consagrado aos : maraes deixaram tudo alegre com os seus classicos |
morios periencera ao cidado que um varias po-! descantes a sonorosos feslms. Do povo do Minho
cas da sua vida, quando balejado pela fortuna da [foi menor a affluencia esta anoo, devida ao dia
inconstante poltica, se va rodeado de cortezos' chuvoso que precedeu o da festividade, mas foi
cajo maior numero elle bem sabia, que no dia se- < muita a dos romeiros de Guimaraes, que se despo-
guma ao do seu desvalimento nos altos negocios voo para tomar parte no divertido arraial. Os nu- \
do estado, Ihe voltariam as costas. Senhor da si-! merosos carros que partiam de Guimaraes para o
tuago poltica em 1836, chefe do partido progres-1 sitio do arraial nao tinham lempo para descansos,
sista nas provincias do norie, principal fautor da principalmente no domingo, que a carreira princi-1
Reassumio ante-honlein o ex->rccio da sub-
delegada de S. Jos o Sr. Joao Pacheco Alves.
A soeiedade recreativa Cnrybantma, transfe-
rio para o dia 19 do corrente a sua partida deste
mez.
A forga do corpo de polica, que embarca
hoja para a corle, percorreu hornera noite algu-
mas ruas da cidade, lando sua frente a msica
dos menores do arsenal de mariulia, sendo bastan-
te notariada pela populago.
Manoel Joaquim de Paiva, de quera tratamos
era nosso nnmero da hontem, nao era cixeiro do
Sr. Joo de Deus da Silveira, e sim achava-se hos-
pedado na coxeira ha ires dias, emquanto nao ar-
ranjava um emprego.
Acha-so entre nos o habilissimo prestidigita-
dor Liusk, natural da Polouia, qne brevemente en-
celar ni) theatro de Santa Isabel urna serie de re-
presentacoes, que combinou cora o actual empreza-
no levar execugo.
Admirado em lodos os theatros da Europa pela
superioridadede seu trabalho artstico, e entre nos
no Maranho e Para onde causou furor, de
esperar e de desejar que no Recife seja-lbe prodi-
gallsado o concurso, que sempre em favor da arte
dispensa urna populago culta e civilisada.
Amanha 10 do corrente effeclua o agente
Pinto o ultimo leilo da movis no armazem da
ra da Cadeia n. 62.
Depois d'amanha efectuar o mesmo agente o
leilo de obras de ouro de lei, conforme se acha
annunciado.
O agente Olyrapio era sua grande agencia sita
na ra da Cadeia do ll ifa o. 36, faz leilo boje
de ni ibilia-, charutos, objoctos da ouro e prata c
muitos movis avulsos: costuma dar principio aos
seus trabalhos s 11 horas.
Hoje ir scena o novo drraa em cinco
actos,fim Guafiro da vidao o chisl >so dueloO
estudante e a lavadeiraem beneficio da Sra. D. E.
I. Cmara, que sem duvida empregar todo o es-
forgo para bem agradecer aquellos que concorre-
rem i demonstrar-lhe generosa sympathia.
Esta carta que segu eserinia por um aaeej
Parahyhano, que faz parte d i offlVi A\U>\- do bata-
lhao n. 21 da voluntarios daquella provincia eaa
operagiiu no snl :
Montevid >. 20 de junho de 1863.
Meus presadsimos pais, sua- I>engo.
Aqu cheguei no dia 17 do correata s II ha-
rs da nuile, porm demo> o d>.-efnharqna no dia
18, loado sabido da corle oo H.
< Passo agora a cootar o que pas-arnos na via-
gem, da corte at aqu.
Embarcamos no vapor 0>iapock com 1^100
pracas, 800 arrobas de plvora e OOcunbeUs (ava-
he Vmc. o risco) afora o armam-oto dess prar-as
a equpamenlos ; nao bis depois Je dias de
j viagem com muito mo lempo acabou-e a goa, e
a comida passou a ser carne do Ceara bacaibao,
e alguns soldados eat ra-sm) o3 ofBciaes bebern
agua salgada, cu nao bebi.
Arad, nao parou ah os nossos sofTnmeaios,
no da 16 as 4 horas da madrugada o vapor per-
l -u o rumo e foi dar em um banco de arei, cru-
iiiano o Banco do Inglez, 10 leguas rfisUale de
Montevideo, e foi lo grande a nanraJa, que aeur-
dou lodos os passageiros, quebrando a :i.aior parle
dos vdros de bordo. Eu eslava no meu beliebe a*
segunda cmara, avalie do meu MM correaoa
todos para o convs do navio conliuiiaram os es-
com oes, al que assentou n'aruia e foi de.xnkio
de balar.
O commandante do vapor, animando os passa-
geiros, diza iue na.la era, qiu o navio ein breve
sabia do perigo ; porm cada um anima por si a
perigo em que se achava.
Logo que am.inheceu, o va|r fez o signai da
perigo, loando a baodeira com um n o a meto pao.
Deram uiuijos tiras de pega, porm o vento euva
contra, e nao se ouvia em larra e nem va se tam-
bera o signal.
A fouie e a sJe ja lazia senr seus crois tX-
felos.
Deus proleja a santa causa e aos .eos filtras, a
offereceu nos o aojo de n--ssa guarda um pratieo
que audava ha seis das peataai* no sea barquito,
vio a fumaga da plvora, mas nao onvio os uros
dirigio-se para o lugar da fumaca e veio as 4 oras
da tarde chegar ao vap r, e ludo reammou.
< Ocommandaue do vapor perguutou-lbe quaa-
lo quena para dar noticias era trra, pedio 5Dt
patacoes, o uomrnaodanle offerecao 300, reca,
eintim licou sempre pelos 500 palagoe*.
O commaudante faz ama carta, o pratieo neo*
bordo, e raandou os companheiras levar a caru
ao cnsul brasilelro, e nos passamos a noite eaa
claro, porque a I hora da ooi'.e appareceu ora vel-
lo forte, e os nossos sustos foram augmentando ;
porm, ao amanhecer do dia melhoroii.. vento, na-
da de poder dasencalhai o vapor; passamos a bo-
lacha e rosca sera agua.
< No dia 17, sabbado, as 3 1|5 Horas Ja urde
avistou-se o fumagar de um vapor que vinba a
nosso soccorro, era vapor Imperador, aproximoa-
se de nos, porm l lisiante, i -mos para bordo
dalle em bollaudras (;:andes bles) e la loarasre-
cebidos s 5 da tarde como nufragos, e muito ben
tratados palo seu coinmaodaote, Maciel. Acharaos
logo muilo boa agua, e urna mesa, que bem ios re-
parou os dous dias da fome, a parecen ma o
vapor '. Paula que latnbem receban genie, e mais
qualros vaporas estrangeiros, que lamben iam
nosso soccorro, porm uo foi mais precis-.
Eis o meu primeiro soffninento.
Depois que sahio toda a gente, alivioa o peso
do vapor, as aguas c-asceram, o vapor desencanta
e salvou-se a bagagem.
E' muilo bonilo e bom MonieviJo, estamos
todos os olUciaes do baialho morando em um hi-
le, chamado Malakof, no paleo da Iodependeecia.
i I'i venios ordem para embarcarmo< ira dia 23
ao depois d'amanha quinla-feira. ao vapor Impe-
rador (so o nosso batalhao) para S. Francisco.
Pagamos por quarto com cama, ele, e comida,
cada pessoa 25400. Meu irmo embarca conn-s-
co, tenho promeitimeulo de no acampamento elle
passar para o meu batalhao.
A carne muilo barata, um boi 105 rs, para os
Braslletros ludo mais caro. Faz muito fri, aodo
diariameule com duas camisas de l, ciroala de
la e metas de la.
< Ja esta muito enfadonha esta minha carta.,
P. S.Estou passando muilo bem aqu em
Montevideo, o clima excellenle, melhor sem
coinpararao do que no Rio de Janeiro.*
A correspondencia da Pollo Alegre para o
Coireio Mercantil, depois de noticiar a lomada de
S. Borja pelos Paraguayos, expre>sa-se assin :
E' bem natural que lodos ao lerem e>ta noti-
cia pergunlein : mas oi tinhamos ninguem guar-
necendo essa fronteira ? Onde e>tava o brigadeiro
Canavarro com a sua diviso ? Onde eslava o coro-
nel Fernandes com sua brigada T Ninguem re-
sisti ? Niuguem se oppoz passagem desses vi-
da los ?
Eis a resposta :
O coronal Fernandes cora a sua brigada, qae
pelos mappas por eile remanidos consta de tJO
pracas, achava-se ja muitos das aulas mMBnami a
seis leguas de distancia da S. Borja no passo das
Pedras, uo Butuhy, que, como se sabe, o arroto
qua divide o municipio da Ilaqui do de S. Borja.
i Da sua brigada apenas se achavam guarne-
cen I > o passo de S. Borja 130 homens da mfanu-
ria e 60 ou 70 da cavallaria. Estes 190 ou 2UI>bo-
mens com o i" batalhao de voluntarios, q i, viedo
era marcha para se reunir ao coronel FeraaaJea,
achava-se a legua e meia de distancia do passo, a
sabendo que os paraguayos estavam passando, acu-
di logo ; foi a forga que oppoz alguma resisten-
cia. Mas, vendo o coronel Joo Manoel que o iui-
inigo destacara f .reas para passarem abano e ci-
ma do passo, e nao podeudo pela exigui Jaoe da
forga de que tlispunha, ir defender mwa ponto, o
considerando que dentro em pouco lempo se la ver
cercado pelo inimigo, fui retirando-se at a villa, o
dahi marchen a reunir-se ao coronel Feraaade,
soffreodo apenas a perda de 7 pracas de pre, see-
do a da Infamara e cavallaria da guarda nacional
de 23.
t Servio de muilo todava essa pequea resisten-
cia, porque deu lempo a retirarem se da vuU as
familias brasileiras que anda ahi existan, sen
soffrerem o menor insulto ou violencia dessa cali-
la de salteadores.
i Narrando Ihe estes fados tal qual elles se de-
ram, nao posso deixar de dizer-lhe qae oa ama,
grande falalidade peza sobre ns.ou eoto da parta
do Sr. coronel Fernandes houve muita faci lade.
< Eu que conhego a fronlrira da provincia sei
bem que era um lateral de 30 a 60 leguas, ira-
zend < os paraguayos os meios de vadearen o l'rn-
guay era qualquer poni ''esse immeaso liuorai,
nao era possivel impedir-lhas a pa dispondo da forgas laes que podessem guarnecer
toda essa exteuso em dlsiaucias da prompt.-imei-
te poderem urnas soccorrer s nutras, rootarme aa
pontos que fossem atacados, e compreliende-se pie
uo com 6, 8 ou 10.UOU homens qne isso se pJe
fazer; a queslo seria da ua > pascaren em Sao
Borja, e sim no Itaqui nu na Urugoayana, oa ana
qualquer poni intermediario dessas 50 on 60 le-
guas, e ser o eserciio paraguayo de 10, 12,
30.IXW homeus ; mas qae o Sr. coronel Fernandes
nao soubesse com alguma antecedencia da apraxi-
mago de uina forga to numerosa ao passo a> S.
Borja, tendo gente da sua brigada nasas .
estando apenas a leguas de distancia, o .
causa admiracao I
< Nao censuro a ninguem, nem quera
ninguem responsavel pelo faci; o aa
mente que, se os 3,423 homens da brigada do


Diarlo de iPernambuco QuaHa letra de Agosto de JM)ft.
Sr. coronel Fernandes, esl vessem, ou viessem ao
passo de S. Gorja, achando-se ahi o 1 batalho de
voluntarios, o que formava uma forca de perlo de
30,000 homens, os paraguayos nao lerlam pisado o
oosso territorio nesse da, irabora trouxessem om
exercito de 10,000 horneas, porque bastante con
siderar que as 20 chalanas nao couduziam em cada
anatomisa-lo, e depois de o expor a asa aprecia- t mais afflicltva do que aquella, em qae os enferre
Cao do pubco, depois de mostrar qiw o seu orgu- gados da guarda e defeza de sens assoclado- sao
liio nao est na cabera, deixa-lo-liei ento em pai. ( os mesmos que a pervertem a ponto (fazem-tf. jus-
Qoando se v derrotado, sahe-se apregoando o tica) de nao poder o rtobre administrador jctual
seu merecimento para nao voltar. Nao discute apesar de feas bous dezejos remediar em wnti-
com nicguem, nao discute COmigo, 'porque veio a nente tantos males independentes de soa voa-
saber que eu era bacharel, depois que entendeu tade ?
viagem mais de 500 ou 600 homens, e que o rio! advertir ao director interino da Escola Normal do E de como assim nao ser, se seu antecessor mon-
Uruguay e.-t asscberbando as barrancas. ] primaras letras, e iostrui-lo no cumprimento dos : tanrto o poder neste sentido creou difflculdides a
t A razo porque ahi nao se achava, nem se seus deveres. seu successor que so por longos mczes foder
achou a brigada do Sr. coronel Fernandes, so o. Esta cotretada mesmo d Sr. Silvino reivindicar o terreno perdido ?
tempo podera revelar. A deciso do governo de 21 de novcmbro do
c O brigadeirn Canavarro com o grosso da sua anno passa lo, mandou que os exames de capaeida-
divsao, no dia da invado, vinha em marcha pelo de professional fossem feilos as materias proles-
Ibirocai, distancia de tres ou quatro das de via-' sadas no Io e 2o anno da Escola Nornal. Mas o Sr.
gem de S. Borja. Silvino.que entende que o ensino da historia uoiver
Assim mesmo (sejamos justos) nem tudo se deve
attribuir ao infeliz Lafayet e ; a um governo "elap-
so da que fura delegado, e mais que tudo aspres
cripc5es que o juogira o novo Tallairaid do
Cear, sao ao ver de todos causa efllciente > pro
co convocando o conselh^ para o dia tt \ I' Sr. Jos Antonio publique quaes as transacces lirtailp p nprfpita nrpnararrt lem i.lo rW-
Quem quizer que aquilate semelhante procedimento, entre aquellos senhores, e o tal padre Camillo. "* fc PJ ,P3 5f c ",!?'J^L
Padre Antonio de Mello Albuquerque. de muitos annos- r C0nhecid por to.ins os
______ 11 membros mais distinclos do corpo aviln-al.
Agua de Florida de Murray e Lan- ?. man.
Desde o mais remotos dias das descobertas hes-
que o explique como rasoavelmente pode ser ei'
plicado----- No dia 26, em sesso do conselho
deliberativo oi acceita a demisso da illustre diree-
toria e logo eleita outra, estando presente a demis-
sionaria ; e todava ainda no dia 27 sahio o mes-
mo annuncio dalla convocando, o conselho...
11* tpico. Na sessao do conselho em 26 de
julho o Sr. primeiro secretario Santos Porto entre-
goa-me o Itvro das actas do conselho, e nao da as-
sembla peral, como insidiosamente o Sr. Francis-
co Ignacio Ferreira parece indicar, nao sel para
que fim, avancando com a malor sem-rerimonia a
falsdsdeque o Sr. Santos Porto roe recommen-
dra que nao me esqnecesse de aviar a acta da
panholas, o formoso paiz da Florida, tem sido jus-
. mente afamado pelo balsmico e odorfero aroma
de suas raras e Oorescentes flores e verdejantes
arbustos.
Aqui temus, pois, o fluctuante perfume e incens
de seus jardins agrestes e seus aromticos e refri-
gerantes bosquezinhos, harmoniosai ente concen-
lbores, menos caros e mais procurados do
que todos os remedios de seos concur-
rentes.
A Jurnbroa.
As virtudes therapeuticas da jnnihrla sao inda
milito condecidas oo s no Brasil, pois te trina
tratou Pisn tro sua exeellenle obra Htsttm ma-
turalu et medica India ocanUali*. i
ca tomando a doutrina ehrista por leiiura dos Fugindo, pois, perseguicao mais atroz, qie por i 12 e 13 tpicos. E'engracada a designacao
Evangelhos, e o curso da referida Escola por pri- poltica se tem levado a effeito contra um cidado de saturnal dada pelo Sr. Francisco sessao de 16
siluaco da meiras letras, ou se a falta de exaccao no cumpri- inerme e sem meios de reagir ; vamos pncurar de julho, quando todos sabem que elle promoveu,
ment dos seus deveres, abrindo exames sem pon- aos pea do throno a proteccaodas leis, que en nos- e foi o principal aator ostensivo das desagradaveis
tos das materias professadas na Escola Normal, sa provmeia se nos denega.sendo para sorpreender scenas que se passaram.
com infraeco da citada densiio do governo. a coaeco em que se acha a justica do paiz, negan- J Nao ha ouvida que o Sr. Francisco Ignacio Fer-
E um tal empregado, em fhgrante elido, por do-se mandar extrahir o traslado da culpa, para reir e os que o ajudaram a lancar a desorden) no
falta de observancia do devero*, ou por ignorancia nao ler o opprimido com que reqnerer o sen di- meio dos associados, foram dos primeiros a pr-se
delles, que pretende instruir aos mais no cumpri- mto, licando assim privado al do direilo de sua csulelosamente fra do estabelecimento, mas isto
i ment dos seus deveres I Se o Sr. Silvino nao sa
be ser director geral da instruce > publica, como
bavia da instruir o director merino da Escola Nor-
mal no me de sua obrigaco 1
E' paraislo que se deve rever, aprenda primeiro
1 a ser bom empregado, e t nha depoisorgulho disso,
mas nao ande ahi como o pavo a engolphar-se no
falso brilho das suas pennas, para entristecerse
1 depois ao abaixar as vistas para os ps.
Volte, pois, o Sr Silvino, venba explicar peran-
te o fiublico, que tem o direilo de saber como pro-
cedem os empregados publico-, o seu ofQcio de
seguio para S. Borja, onde talvez tambem ja se
ache.
O Mercantil descrevo assim a
provincia:
O general Caldvvell, commandante das armas,
assumio o commando das tropas.
A diviso Canavarro, com os reforcos recebidos
e em marcha, cenia ja, sem exageracao, 12.000
homens.
Por este mez crlente, contando com a diviso
Sampaio e mais alguns corpos de guarda nacional
qne eslao em movimento, tiremos naquea frontei-
ra 20,000 bomens, Oais ou menos, das tres armas
e da melhor cavallaria.
Este exercito nao s desalojar os paraguayos
de S. Borja, como transpora' o Uruguay em sua
perseguicao.
Seus movimentos serao combinados com o ex-
ercito do general Ozorio. que pisa ja o territorio de
Corrientes, como com o argentino, que ja' deve
estar em forca de fazer frente aos 10 000 homens
de Robles.
Tal em resumidos traeos, a verdade dos acon-
tecimentos.
Foram chamados a servico de destacamento mais
corpos da guarda nacional, sendo um em Bag, um
na Lagoa Vermelha e Vaccaria, o de S. Leopoldo,
o de Santa Anna do Rio dos Sinos, e o 22 do Rio
Pardo.
A forca da guarda nacional desta provincia cha-1
mada a servico de campanha por actos da presi-
dencia, e que ja' esla' em operacoes, monta cm rnn 15,i62 pracas, que com a dos corpos novamente Sis. redactores.depois de baver lido um com-
chamados, e os destacamentos que exlstem em va-.-mumcado que d'aqui Ihes loi enviado com relacio
rias cidades o povoacoes, fazendo o servico da ao julgamenlo de Benedicto Indgena de Lima, que
guarnicao e de policias locaes so eleva a quasi fura asolvido na ultima sessao do jury d'esta co-
20,000 homens. marca, lendo por advogado o meu esoecial e illus-
Alm dlsso breve estar' organisando nesta ca- irado amigo, o Sr. Dr. Francisco Leopoldino de
pital um forte balalhao de voluntarios e urna com- Gusmao Lobo, chegou ao meu conhecimento que
panhia de artilharia, e foi tambem autorisado o algumas pessoas inconsideradamente rae attnbuem
major Primordio Centeno de Azambuja para reu- a palernidade d'essa publicaeao, cujas ideas eslou
nir forca de infamara nos municipios do Trium- longo de Mibscrever.
pho.Taquary e S. Jeronymo. Com o intuito de desvanecer a desagradavel im-
Repaiiticao da polica : ^ presso que deve causar esle boato aos que nao
Extracto da? partes do ca 8 de agosto de 1863. me conhecem de perto, declaro que nao s nao
Foram recolhidos a casa de detenco no dia 7 do coopere por nenhuro modo para a referida publi-
corrente: cacao, como que, se algum intereste d'ahi me
A' ordem do Illm. Sr. Dr. rhefe de polica, Anto- poderse provir, en o resignara por atlencao s no-
dos oulros.
(E' importante e necessario que se repare para
os nomes de Murray e Lanman os quaes achar-
se-bao inscriptos e gravados, sob a capa, letrelro
e garrafa, camella esta que se torna mu essencial
cmconsequencia do ulereado se adiar inundado de
imilacoes inferiores do Agua de Florida.)
natural Jefeza I I 1
Cear, 18 de julho de 18o.
O redaclor da Ltberdade.
Srs. redactores.yo Diario de boje vera publi-
cada uma correspondencia com o nome do Sr.
Francisco Ignacio Ferreira, procurando, para di-
vers s fins, desvirtuar-me no carcter de 2. se-
cretario da assembla geral do Gabinete Portugupz
depois de terem conseguido os seus reprovados
' Ons, e ainda assim, vindo para a ra concluir a
sua saturnal, o Sr. Francisco Ignacio Ferreira, m-
teiramente fra de si, e dizendo que naquelle dia
estava destinado a tudo, vociferava e insultava os
socios que chegavam s Jmilas Jo estabelecimen-
to, e nao o acompanhavam nos seus desvarios. E
para bein prvar que estava destinado a tudo,
(julgando naturalmente prestar assim relevante
causa da directria demissionaria), com
ervico a
de Leitura ; e com qoanto eu seja inteiramente seus insultse provocaces fez quealguem, segundo 28 de Janeiro de
infenso a polmicas, especialmente jorealti- me consta, nao podendo talvez sopear justos mov- annos de idade.
advertencias em contra liecao com as palavras dos 3 cas, entendi ser do meu dever nao d'ixar passar mentos de impetuosa indignaco, vendo-se publi-
oQIi's seus, que fiz publicar no Jornal; a capa em desapercebidamenle o acervo de calumnias que caraente ultrajado, Iho applicasso um correctivo,
que procura envolver-se nao o justifica ; um ba- aquelle senhor firraou, e que vou contestar, apenas infelizmente infnictifero em bons resultados quan
charel com outro bacharel, ambos empregados pu- no carecter de fnnecionario do Gabinete, apenas, to emenda moral do Sr. Ferreira.
blicos, que se explicara e se defi-ndera perante o para que, por falta de uma resposta conveniente, i 14 ioplco. q,z 0 Sr. Francisco Ignacio Fer-
nlo se persuada alguem ser
pois que, a nao influiram no
consideragoes, julgara inulil refutar tal artigo,1!;
tribunal da opiniao, aqui nio hadesar, havemos de
ser absolvidos ou condemnados por aquelle tribu-
nal, e nao porque o Sr. Silvino se chama la uma
cousa que ninguem inveja.
M. Lopes Machado.
Recordares histricas por <
casio das blographlas
blspos braiilelros pelo Revm.
Mr. padre Lino do llonie Car-
mello Luna.
1
D. Jos Joaquim lustiniano Miscarenhas Cas-
lelo Branco, era natural da cidade de S. Sehastiao. [
Foi o 7." hispo do Rio de Janeiro desde lo de ja-
neiro de 1773, em que recebea es.-a nomeacao al ,
1803, em que falleceu com 72
Acna-se sepultado na capella de (
N. S. da Conceicao do palacio episcopal.
D. Romualdo de Souza Coelho era natural da
villa de Gameta, provincia do Para.
Foi o 8." bispo dessa diocese desde 22 de Janeiro
aquillo verdadeiro, j roira, ou alguem por elle, o seguinte : Pssan- de 1819, que mereeeu essa eleicao al 13 de feve-
u espirito estas j ,/0j p0lSi 0 2 secretario a exercer as funecoes do reiro de 1811, em que falleceu. Acha-se sepulta
assim camo o presidente----- O Sr. Francisco
pnrijuo a propria refutacaose deduzrla do facto de I Ignacio Ferreira, que deve estar bem a par dos es
estar elle assignado pelo Sr. Francisco Ignacio tatutos. sabe perfeilamente
que nao compete ao
presidente assumir o cargo de Io secretario, e
quando mesmo se dsse semelhante anomala, era
absurdo pretender que tanto o presidente como eu
passassemos ambos a exercer as fuuccoes de. 1.
secretario. Isto prova bem que o Sr. Ferreira fui
Ferreira.
Aproveitarei, para mais facllidade, a divisao
fela por tpicos na correspondencia desse senhor,
e s tocarei naquelles que exigirem contesta-
co.
2. e 3. tpicos. E' falso que na sesso da | obscuro nesta parte as it'iformacoes que den a vicos,
assembla geral do 16 de julho passado, eslivessem qUem f0 incumbido de Ihe fazer a defeza, e por subid;
nio Roberto, como criminoso de morle; Jos Fran-
cisco dos -autos, por crime de rapto; Vicente Lei-
te da Silva, Ju-liniano Fernaodes de Souza o Joa-
qun) Jos de Sant'Anna, para recrutas; Francisco
Malinas dos Anjos porsuspeito de ser escravo; An-
tonio de tal, que diz ser escravo, al que alguem
proveo dominio que sobre elle tiver.
A' ordem do subdelegado do Recife, Manoel Jo-
s Firminojpara correccao.
A' ordem do de Santo Antonio, Joao e Gregorio,
escravos, este de Jos Joaquim Dias dos Prazeres,
e aquelle de Joaquim de Araujo, ambos como f-
gido
bres qualidades do meu dislincto amigo e Cullega,
o Sr. Dr. Gusmao Lobo. Nazarelh, o de julho
de 18C3.
Jos Martimano Cavalcante de Albuqucrque.
presentes trezentos socios. A contagem a que se issorecommendo-lhe que para nutra vez seja mais
proceder)ideu em resultado acharem-se reunidos | claro para nao vir a conhecer-se aquillo, que mui-
180 a 200 socios. E' falso igualmente que hou-:to naturalmente tinha interesse em oceultar.
vesse dots grandes grupos. Hava um grande Dito isto, nolarei ainda ao Sr. Ignacio Ferreira
grupo que nao apoiava as Ilegalidades da directo- qUe, se nao foi por uma estrategia multo presum- ,
na; havia um pequeo grupo, que talvez nao ex- Vel, que diz ter tido lugar a rmnio da assembla
cedesse de oO socios, e que sustentava esta cega-: gera| ,je g de agosto do corrente com cerca de cen-
men,e- [ to e vinte socios, foi entao mal nofmado, porque
O grupo que estava disposto a fazer recitar a :a se!Sao abrio-se, estando presentes cento e trulla
le e negar o sen veredictum aos actos llegaos da e novfii entraD(j0 nesse numero alguns amigos da
directora e conselho deliberalivo, tanto nao cons- directora demissionaria, e depois anda compare-
ncia uma opposigo acintosa, que s tinha era ceram mais 19 ou 20 socios,
mira desfeiliar as duas corporales, tanto nao 1 fa. e j6o t0picos_ Seria admiravel, se nao
Ibes quena reprovar m totum os actos que mu fosse porventura bem conheculo o Sr. Francisco I.
judiciosa e cavalheiramente o provou em sessao Ferreira, que elle se oceupasse da minha indiv
do na respectiva cathelral. Uccu|i.u arada os
elevados cargos de deputado assembla cousli-
luinte, presidente da junta administrativa por oc-
casio de adherir aquella provincia independen-
cia do imperio, ale.
N. B. A historia patria comraemora em letras
doiro que estes dois bispos naturaes de suas pro-
pnas dioceses, preslaram-lhes relavantisslmos ser-
e sobremaneira di.tinguiram-se por sua
1 illustracdo, e raras virtudes, em uma pa-
ser extremamente amargo.
A jurubeba nao desronherida dos botaaisia* :
esla plaa pertcnce a familia das suiatw, trm
a denominaeo de solanum patiicnlatmm, qta* Ihe
foi dada por Lyneo.
Par> i-euil >n .s conveniente facilitar o u*o
suero dos fructos da jarnlubn, que o r.iais en>-
pregado, nos propozemos e ronsegninios frrpmnt
com elle nao s um extracto alcoolico qne pVxie M
dOS aPPlinad esa plala, mas umlem unr. r,*tto,om
1 xarepe, e uro emplastro que [i'1e sub-tilar, ro
eertOS casos, o d Vigo c 1 -tamos prr?oa com isto prestamos um servico a hnnuaulade e
therapeuiica.
Pisn, tratando da bydrupi'sia, prescrete a tt-
cocrlo das rafees da ftirwMt, t Mrai r Mu-',
em seu Diccionario de materia medien e krrmfrw-
tica, diz"tn que njs An'il'.ijs se f#x s> do >f ro
dos fruetns maduros i|e rho vesical ; e a autorizado Im comes t*tr 1
Jicos, merecidamente celebres, mi Ieta a rtrt n
suas palavras, e por isto ruidaremoa > ler fa
nosso estaheb'ciment assw raizes, para 1
ser experimentadas.
A reputaco da jurubeba tal. e os 1
llierapeuticus oblidos ultimaniente sao Ul n
tantes, que nos parece intiil di; r nui-Jofac
isto, que flea escripto.
Deposito: pharmacia de
Joaquim de Alenla Piulo.

lavra que foram verdadeiros Prophetas em suas
trras. E sero estes os nicos? Dicanl Padnani.
S a Peroambuco ainda nao coube esta subida
gloria I...
O Donato.
Sr. redactor,Perseguido al o extremo
faeco que hoje dirige os deslinos de minha pro-
vincia, ou mais claro, pelo padre PompV e sua
nascente olygarchla ; e porque 1 Para nao tomar; ambas as corporacoes contra um de uo;sos conso-
assenlo na assembla provincial, fnlmlnand i-se-nos' cios.
para isso com as penas do art. 237 3 do codlgu cri-1 4." tpico. E' falso que o Sr. Joaquim Fer-
mina! no grao medio, como vendetho do peridico reir de Araujo Guimares recusase o cargo de
Ao publico.
Constando-me que um grande numero de pes-
soas nesta provincia, e fra d'ella aflirma, e est
convencido de que a nomeacao do Revm. vigario
Gamillo de Mendunca Furtado para visitador da
provincia das Alagoas, smente se deve influen-
cia e proteceo que eu prestava aquelle senhor,
(o que me tem tornado victima, com a maior in-
juslica, de graves odiosidades, e comprometli-
mento) venho pela presente declarar da maneira
SOaHES'FO.
da assembla geral de 6 do corrente, na qual, dualidade pela forma porque o fez uestes doas to-
pela achando-si guau s em campo, approvou os to- picos do arllR0 com que m bridou. Sa.ba o Sr. a raais'explicita" e soiemne, que para tal nomeacao
^T^ZiZSlLSZ S I F6rreira ^Ue CU V W a m V** nao concorri ; vislo como' foi ei in.luenciada
para que me preste a ser vil instrumento de pal- nicamente promovida pelos Revms. con"go da
xoes alhelas ; que eu tenhovontade propria e con- capella imperial, Francisco Jos Tavares da Gama
A' ordem do de S Jos Firmino Francisco Re- Liberdade, que all redigiamos, depois de haverem membro da coiumisso de contas perante a assem
is como pronunciado no 'art 201 do Cod Crim., abortado dous processos pelo mesmo motivo e para bla geral de 7 de agosto do anno pretrito.
Jos Joquim Alves e Joanna, escrava de Theodoro
Jos Pereira Tavares, sera declaraco do motivo.
A' ordem do da Boavista, Fraucelino Braz da
Purificag'i, para recruta.
A' ordem do da Magdalena, Manoel, escravo de
Bailar & Oliveira, a requerimenio (lestes.
O chefe da 2.' secQo.
J. G. de Mesquita.
Casa df. detenco.Mov ment do dia 6 de agos-
lho de 1865 :
Exisliam 342; entraram 10; sahiran 10 ;exis-
tem 342; a saber : nacionaes 253; estrangeiros 2;
estrangeiros 23; tnuiheres 3 ; escravos 33 ; escra- j
vas 4 ; total 342.
Alimentados a custa dos cofres pblicos 176.
Movimento da enfermara 110 dia 7 de agosto de
1865.
Tiveram baixa :
Bento Jos da Silva, bronchite.
Antonio da Silveira Sa Barreto, dem.
Cemiteiuo publico. Ubtuano do da 7 de
agosto :
Francisco Goncalves do Cabo Jnior, Peroambuco,
23 annos, solleiro, Afosados; erysipela.
Fredericu Carlos de Araujo, Rio de Janeiro, 36 an-
uos, solleiro, Boa-vista; tubrculo pulmonar.
Candida Januaria Ferreira, P-rnambuco, 28annos,
solteira, Santo Aulonio; pluysica pulmonar.
Mara Tbeodora dos Prazees, 70 annos, viuva,
Boa-vista ; hydropesia.
Floretiea de Castro Rocha, Pernambuco, 48 annos,
viuva, S. Jos ; cancro no estomago.
Essa reuuiao da assembla geral constituio-e
na segunda convoeaco com cincoenta socins pouco
mais ou menos, e quando o Sr. Araujo Guimares
recusou o cargo que Ihe fra conferido estavam
apenas prsenles sete socios, incluindo nesse nu-
0 mesmo fim
Na deficiencia de todos os recursos levado o
processo para a casa da parte, para na 1 se extrahir
qualquer peca, o que fazer ? Lavrar pela impren-
sa um protesto contra isso, e contra a selvageria
de uma assembla, que sem audiencia de seu mern
bro, o expeli previamente de seu seio
le appetlado cm tempo do futal decreto de sua con- illegalidade ; e ninguem por certo dir ser um
demnaifio, s confirmado pelo juiz ad quem -por sua acto vlido a acceitaco por parte desses cinco socio
as-igoatura, e contra o estado subversivo e anar-! (pois se devem excluir o interessado e o autor
caico da provincia, por graca especial do gabinete do protesto), que nao representavam a assembla
de 31 de agosto de triste e dolorosa reminiscencia. I geral.
Foi justamente o que iizemos, depois de embar-1 3o tpico. Todos sabem que a maioria da
gado o nosso embarque, e sabe Deus se tambem o \ assembla geral em sessao de 16 de julho o>ten-
nosso fado, fugindo s garras da polica judiciaria tuti-se imponente, e s o proposito lirme de sus-
vieces profundas; que, se en nao apoio as Ilega-
lidades que praticou a directora demissionaria,
conheco bem a extensao dos deveres que me im-
p5e o cargo com que fui honrado pela assembla
geral pira delta nao abusar.
Como 2o secretario da assembla geral, servio-
do de 1, lavrei a acta fidelsima do que se passou
na sesso de 16 de julho, e se mencionei o seu no-
me como o do principal perturbador da ordem, foi
podero at-
e conego da S de Olinda, Joaquim Ferreira dos
Sautos, boje ,-ecrelario do bspado, mediante certa
transaco, que mais adiante porei em ralos lim-
pos, se tanto fr necessario. Recife, 7 de agosto
de 1863.
D. Jos Antonio dos Santos Lessj.
por ser essa a pura verdade, como o t
de seu mem-. mero o propt 10 interessado, os tres mpmbros da tesiar lodos que o presenciaram, e frem impar-
,tendoaquel-1 mesa ete um socio que protestou coptra essa ciaes, pertencam a que lado periencerem.
; e ninguem por certo dir ser um E ,ant0 egla pura verdade que, em sesspde
6 do mez vigente, tendo sido posta em discusso a
.
enea
6
t
I
9
Xarope alchoolico de veame, preparado pelo
. pharmaceutico Jos da Rocha Paranhos, estele-
TSS^^tt^WSttZ -do com botica na ra Direita n. 88 em Perbam-
adulterada, foi ella approvada por unanimiduilr.
citar embaracos marcha regular dos trahalhos
fez (|ue o Sr. Francisco Ignacio Ferreira com a
e administrativa com a roupa do corpo com que
aqui aportamos boniem em demanda da clemencia
imperial; s podendo ser aceito a bordo do vapor
Mamanguape na villa de Macao, provincia do Rio | resultado da votaco.
r;,I|de I 6o e 7o tpicos. E' falso que uo conliicto
Bem sentimos ter de dilatar as manqueiras da que se travon tomassem parte ambos os lados;
actualidade em nossa provincia; mas como nes?e prnvocou o o partido alliado da directora, tendo
acto se entrev o bem publico, e a ingenuidade de o Sr. Francisco Iguacio Ferreira frente ; e foi
nossas intences, pedimos a illustre redaccao mais esse mesmo partido que solicitou ns socios do lado
este favor, publicando o protesto que junto Ihe en- opposio a vrem engrossar as fileiras do seu, mas
nao houve uma s voz que se erguesse contra
ella ; e todava estavam presentes diversos ami-
gos declarados da directora demissionaria, e entre
estes o Sr. conselheiro Jo> Ferreira Coelho, ((pie
al servio de 2 secretario, approvou e assignou a
m1i"L|,rfr,li"!^a a(3m';Dstracao conteslasse o acia") o proprlo Sr. Antonio Joaquim Vinhas Maia,
ex 2o secretario da directora, o Sr. conselheiro
Bernardo de Cerqueira Cistr 1 Monteiro, e at dous
companheiros do propno Sr. Ignacio Ferreira alm
deoutras pes-oas mais. E' desia forma que respon-
quera lera por si a verdade ; eontundindo os
seus detractores com o proprio teslemunho dos
vamos.
Seu col lega o amigo.
O redaclor da Liberdade.
UH I'IIOTESTO PERAXTE A PROVINCIA.
nao obstante isso no passarara ma:s de tres ou
qnatro socios, o que por forma alguma poda in-
fluir no resultado da votacao. Vendo o Sr. Fran-
cisco Ignacio Ferreira qu esse diminuto reforco
nao auxiliava os seus planos, elle e os seus com-
Forcado pela segunda vez.e por um mesmo mo- panbeiros deram ao conflicto maions proporces
tivo, deixar os patrios lares, para implorar a de-'alra:idocadeiras sobre os membros do lado op-
Barbarad.iC'j>ta Monteiro,Peroambuco, 68 annos, vida clemencia do monarcha como rei juiz, jamis' Popi> e enri foi impossivel conservar a ordem,
viuva, S. Jos, hepatite ihronica. |o fariamos sem lavrar um protesto contra o estado, levantando o Sr. presidente a sessao e retirando-
Mara Joaquina Barboza,
Boa-visla; apoplexia.
Pernambuco, 75 annos,' desmoralisadur, que a poltica dominante ha le-
I vado de roldao todas as classes, sexos e idades.
Joanna Maria da Cuncecan, Pernambuco, 26 an-
nos, solteira, Boa-visa ; anazarca.
Marcelino, Pernambuco, 1 mez, Santo Antonio
pasmo.
Herculana, Pernambuco, 14 annos. solteira ;
phanliases.
es-
cle-
Mas, antes que o faca, cunipre prenotar as cau-
sas de uma subyerso' social, um cataclisma, cu-
jus 1 lfeitos s.to to sensiveis, como visiveis na su-
perficie das causas, e as feico.'s de lodo o paiz
social.
Ja nao ha hoje sophisma por mais subtil que se-
se, talvez mesmo com receio de ser atacado, nao
por aquellos que conslituiam a maioria, que se
rnantiveram calmos e soceg?dos, e s queriam
ver a le respeitada ; mas por aquelles que, vendo-1 eslava unido
se em minora, vendo que iam ser irremissivel-
mente condemnadas as Ilegalidades da directora.
talvez insufllidos per e-ta (idea autorisada pelo
facto de ser o Sr. Francisco Ignacio Ferreira rai-
correligionarios daquelle, que nao vacillou em vir
imprensa assoalhar i|uanlas calumnias c inven-
ces, parece ler-lhesuggerido a frtil fantasa, me-
nos por inleresse proprio, do que para servir do
dcil instrumento nasmos dos seus mandantes.
Se o Sr. Francisco Ignacio Ferreira pnnderasse
um pouco naquillo que diz ou assigna, bavia de
conhecer que nao elle o mais com etente para
(aliar em acta adulterada, quando em tempo, sen-
do o Sr. Ferreira, secretario do conselho delibera-
tivo, foi vez publica que S. S. fez desapparecer
uma acia do mesmo conselho, acta qno poda tal-
vez comprouielter a causada paicialidade a que
Isabel, Pernambuco, 2 annos, Boa-vista ; denllcio. ja, que possa torturara consciencia publica, e bem ; xeiro.de um de seus membros) passaram a vas
Antonio, Pernambuco, 14 iiKzes, Recife; varilas.
Sabino, frica, 50 annos, solleiro escravo, S. Jos,
ttano.
Pulicarpo, Pernambuco, 32 annos, solleiro, escra-
vo, Boa-visla; tubrculo pulmonar.
CllliOiMCA__JLDICI4KI4
Jl'lll" DO RECIFE.
8 DE AGOSTO DE 1865
PRESIOENCIA DO SR. DR. JUIZ [>E DIREITO DA 2a VARA
C11IM1NAL MANOS!. JOS DA SILVA NEIVA.
Promotor publico o Sr. Dr. Jacintlio Pereira do
llego.
Reo, Manoel Joaquim de Sant'Anna.
Advogado o Sr. Dr. Americo Mello de Mendonca.
Escivao Joaquim Francisco de Paula Esteves
t.leraenle.

rados ja multados nos anteriores dias de sesso
e mais a cada um que dos que faltaram a sessao de
hoje ; sorteado o crasellio de senlenca e deferido
ao mesmo o juramento, fui o reo interrogado, e re-
sumida a aecusaco contra o me.-mo, depois do qne
seguio a defeza, e lindos os debales, depois da re-
plica e (replica o Sr. Dr. juiz de direito resumi a
materia da aecusacao e da defeza, propoz ao jury
do sentenca os quesitos, de faci proposios e reli-
rarando-se o mencionado jury a sala secreta das
confenncias a 1 hora da tarde de onde vollou as
2 '/i fm suas respostas que foram lidas em alia
voz, em vista de cuja decisao o Sr. Dr. juiz de di
reito condemna o reo a cinco annos e quatro rae-
zesde gales e na mulla de treze e um terco por
cento do valor ruubado, levantando a sesso, que
addiou para o da seguinie pelas 10 horas da ma
obla.
Foi designado o julgaraento do processo de hoje
em que lera de serem julgados os dous co-ros Gui-
Inerme Francisco de Assiz 6 Pedro Jos dos Santos
CORRESPONDENCIAS
Srs. redactores.Nao posso, nem devo conseolir
que o Sr. Silvino Cavalcanti se v esgueirando por
entre as banalidades da sua declaraco Inserta no
Diario de 8, para oceultar-se, e eotregar-se depois
esquecido s baforadas do seu orgulho.
Nao, nao hade ser assim. Hade voltar, bom ou
mao grado seu, para dizerem patuco, aqu, onde
foi ver o direilo de dirigir chufas ao director inte-
rino da Escola Normal, e por fallas suas.
O Sr. Silvino hade esconder se, cousa que nao
padece duvidas, mas smen:e depois que eu o flzer
despir em publico as vestes com que pretenda fa-
zer viagem.
Se entende l de si para si, qne pode dizer-me o
que bem ice approver, engana-se ; porque beide
assim a perspicacia, e solercia de lodo hornera que
peusa profundamente no futuro da sua patria.
A provincia resenle-se tanto da falta de justica
absoluta e da proteceo das leis, como se v, tan-
to pelo desregramenlo de seu como legislativo, em
meuoscabo da constiiuicao e dignidade propria, co-
mo por uma serie de factos incontestaveispassa-
: remos a comprovar.
Se pelo que se passa em derredor de nos pie-se
deduzr o estado calamitoso da provincia, em to-
dos os ramos do publico servico, fcil de presu-
mir quanta falta degarauliasindividuaes nao com-
portaro os que habiiam os lugares mais longiu-
quos desta melropole.
Independente disto, se na villa do Cascavel, por
; falta de moralulade de suas justigas, o braco de um
sicario se encorajou em pleno dia, a vista de um
corpo de tropa para roubar a vida a um cidado
qualiticado ; e isto a visla e face do juiz de direilo
respectivo e do delegado do lugar ; se estes em
vez dse unirem victima para desarmar o bra-
10-
de
merecer a proteceo das leis as mos de autori-
dades semelhantes !
Se em Canind uma familia rica, e numerosa ha
: attingido ao desespero de recorrer aos meios pro-
! prios para sua defeza, ja que pretenda do direito
de peticao, nao ha esperanca alguma de salvagao I
Se a infeliz villa do Ip, braceja as vascas da
[ anarchia social por iguaes motivos, como a im-
j prensa nao tem cessado de publicar, e pelo que f-
I ra enviado pelo digno administrador o chefe de po-
lica em pessoa, sendo este o mais interessado na
: conflagrarlo dos nimos daquella infeliz localida-
Jde por actos successivos de sua tresloucada admi-
nistrarlo, quando juiz d.iqudla comarca; oque
aguardarse deve de uma tal providencia ?
Se em quasi todos os mais pontos progride a
anarchia judiciaria e administrativa, proveniente
das autoridades locaes ; que ganha a sociedade
com o restabelecimento da paz publica e domesti-
ca de uma localidade, proseguindoas mesmascau-
sas com fim de suplantar a heroica voz de alguem
que queira arrostrar com o ostracismo f
Se finalmente s barbas do governo os seus pro-
clamados amigos a defensores levam o seu vali-
mento e preponderancia ponto de expellirem do
seio da assembla provincial um seu membro pelo
facto de nao convergir para seus exeessos e esban-
jamentos da ub.-tancia da provincia T
Se
de fado, escandalizando por essa forma todos os
socios moderados, o acarreando grave descrdito
para a associaco, e mostrando que ja liana sido
de antemo combinado esse plano.
E' falso, e pasma como ha quem se arroje a
avancar uma proposicSp, que pode immedialaraen-
te ser desmentida pelo' proprio interessado ; fal-
so que o Sr. Tinoco
buco.
Este xarope incontestavelmenie superior a to-
dos os xaropes depurativos, de cuja a.mposcao
o seu maior elemento a salsa parrilha, poi> que se
tem coahecido ser o veame mais enrgico para a
prompta cura das molestias, cuja base essencial
depeude da pnrificacao do sangue ; assim pois se
tem verificado por maltas pessoas que se achavam
desengaadas, as quaes acham-se hoje, resttkeleel*
das com o referido xarope alchoolico devlame;
entretanto que alguns, teodo usado do xarope de
Curinier, de Larrey, de salsa parrilha, de sap na-
ria, oleo de ligado de bacalhau, e oulros agentes
desta ordem nada conseguirn!. E' elle de fcil
; digestao, agradavel ao paladar e aoolpbato. Al-
guns mdicos desta cidade e di de Macelo o teem
rerommendado para a cura das
Impigens, nnha, escrophulas,
Tumores, ulceras, escorbuto,
Canelos, sarna degenerada, llnxo alvo.
Todas estas affeccois proveo) de uma cau-a in-
terna ; nao ha pois razio alguma em rrer que el-
las se podera curar cora remedios externos. Tam-
bem se prescreve o xarope alchoolico de veame
para o (ratamente das alTeccoes do syslema nervo-
so e fibroso, taes como :
Gotta, rbeumatismo, paralysla,
Dores, impotencia, esterilidad*,
Marasmo, bypocondrfa, emma^recimenlo.
Cota^cs ofician.
8 de agosto.
Algodao primeira sirle I6i5*>i por arrota.
Cambio sobre Londres-2t 3|i d. por UiUOa:
de vista.
Duboureq Jnior,
Presidente.
Guimares,
Serreta, io.
Cixa filial .Ui.au 4* Brasil tm
l'ernnmbira.
A directora desta caixa saca sobro o Lauca c
Brasil no Rio de Janeiro e sobre a caixa filial 4
mesmo banco na Bahi.
Novo banco de periuabif.
Os administndores da massa fallida .le J.aia.tr
Jos Silveira pagan) o I* dividendo de dita anata
na razo de 9 U/0 sobre o valor des filase* aaV
melildos : no novo banco de P-=rn..ral i.\ a ro
do Trapiche n. 3i.
\ovo banco de l'ernam-
hnco.
O banco desconta letras na presente < emana a
9 por cento ao auno al o prazo de Mli nana,
Caixa filial do banco do itraaB
ciaa PernaMbMco.
De ordem da directora dota caixa H faz publi-
co aos senhores accioni-tir, qne o r"p*rtivo ur-
soureiro esl autorisad> a pairar o S3 4]*:4tm
do semestre (indo em 30 de junbo ultimo a razo
de 12:5 por aeco.
Caixa filial do banco do Brasil 15 tte ioloo 4e
18G.
O guarda-I''to*.
Ignacio Nunts Correia.
.FWDEGa.
Rendmento do Jia I a 7......
dem do dia 8...............
'*)*:
MOVIMENTO DA ALFADE'iA.
Volumes entrados e.vn fazendas____
c com geoer.'S..... 2.046
Volumes sahidos erra fazenda*.
cji) gener.'s.
O xarope alchoolico de veame sobre tudo, da Barca ingleza th iuncervo.
Diz o Sr. Francisco Ignacio Ferreira, que feliz-
mente me conhece bem, e por isso nao admira que
eu me prestasse a fazer o papel de instrumento pa-
ra servir aos meus amigos...
Nao, o Sr. Ferreira nao me conhece bem, se as-
sim me considera, pois j deixo provado que. la-
vrando a acta da sessao de 16 de julho, fui fiel
expositor da verdade ; nao me conhece bem, por-
que tendo eu, como todos os homens, defeitos na-
turaes, nenhum desses defeitos pode todava servir
ao Sr. Ignacio Ferreira para o proclamar pela im-!
prensa, podendo ento dar-lhe as proporces que
bem quizesse ; nao me conhece bem, alias havia
de homem que I
que eu nao tenln falti Pnrificacao a respeito de alguns dos medicamentos
im
2.6'ki
-------2,7V)
Descarrettam uo dia 9 do corrate.
Iliaie poriu.uuez/'ensimentofarinha de rrifn.
Brigu" hanpveriMio.liMfarinha V: trigo.
Lugre hollandezMU Cappemereadoriav
Encuna dinamarquezaSperadiversos gta
| Brigue porsgnezConstante diverso
i Barca inglezal.ook lintdem.
i Brigue sueco Rioidem.
Escuna portngawaaO. Jo/i ocharque.
Brigue portuguezS. Josdem.
| Barca nacional Vdlle- idem.
Polaca liespanholaElnjaneaidem.
fe*er<
maior utilidade para curar radicalmente, e em
pouco lempo o rheumatisme.
Adverle-se que o verdadeiro xarope s se vende
tiesta cidade na botica cima indicada, do abaixu
assignado; e em outra qualquer pane que se tem
annunciado nao da mesnia composicao, e nem o
abaixe assignado se responsabilsa.
Jos da Rocha Paranhos.
Sade publica.
da casa Grimault & C.
de Souza em sesso do con
seibo deliberativo em 28 de dezembro lindo (e nao j de saber que eu tenho sentimeotos
em novembro) fosse atacado, quer por palavras, j se pria> navia de saber
'|Upr,pn.15a^K. I absoluta de pundonor, de bri.r, de dignidade, para;
litante os membros opposlos a prepotencias da!pstar hoie incensando a!nem e recehendo-lhe fa-
directora e cmselho nao e.tavam resolvidos a abu- i ^^^^^^ie9^^^ 'f Jornaes publ.caram uma OrdeDa-
sar da forca numrica, e a iranspr os umbraes da i conveniente remuneraco, procurando salpicar de Cao d > conselho de sailde portuguez, que
I .... r 0'itl'#cai10 conselho delibera- \ imrauQda baba aquelles cujas plantas beijava na prescreveu OS me licameiltOS preparados lC!a
m v nude deDumZSimento d/vtetesochs'ac' Va ; 0 T COn^ ^ ',i8 "^ de S* iCasa Grimault C" dl Paris' 1 o pretex-
""ir. uMi, mlUenmenl0 a^ V1Dle sCIOS ac- ber qae nunca nouv um ac|or qe me d5Sfi uma ppoflin ln- nhnrmvnti,
f"sd d,re. f 6 feendo "essa sessao bofetada e me cuspisse em face na praca publica, ^"e CSfS acreditado, pliarmaceuticO,
traUr-se do assumpto de tal requerimento, do que e a auem depois eu fosse victoriar no thcatro ; foram condemnados pelo Irtbtinal do Sema
ci ^'"h 11 DS? ?' ola ra^mo porC|ue, i anda nao fui tambera esbordoado em neulium por terem vendido medicamentos secretos
SLSS^i >inCHC de SUZa' connecen,do a dls" monte-pio de caixeiros, estando na occasiao revs- e falsificados
%,S. JL*SL ,l HaS P3*. n?r A e Por ,j0 do carcter de presdeme ; ainda nao fui ac,
nefas apoiavam os desmandos da directora, procu- (.usado nem processado por exercer sevicias con-
ron, embora intilmente, inocular-lhes ideas de paz
e concbago.receandoque essas pessoas nao prorom-
pessem era alguma inconveniencia, que mais com-
protnettesse a situaco ; 'e apezar de tudo isso os
signatarios do requerimento de aecusacao, os que
perfilhavam as mesmas ideas, achando-se era nu-
mero de quasi duzenlos socios, limitaram-se ape-
nas a manifestar a sua desapprovacao ao procedi-
mento do Sr. presidente, que, em minha humilde
opiniao, nao foi pautado pelo que preserevem os
tra um fraco menino ; ainda contra mim nao se
ex pedio mandado de priso por ser eu depositario cumstancias :
Essa ordenado parecer bem extraordina-
ria quando se tiver lido as seguinles cir-
tnfiel; ainda nao fui (o sevandija que, ousasse em
occasioes opportunas renegar a minha nacionali-
dade para largamente poder deprimir dos meus
compatriotas ; ainda nao dei, emfim, a mais ligeira
demonstraco de ausencia absoluta de senlimentos
nobres.
E' isto o que, na qualidade de funecionario do
conselho deliberativo, entend dever manifestar
1. A sentenca de que se trata foi dada
sobre a denunciarlo de um dos concurren-
tes dos Srs. Grimault A-C, esobre as n-
forma^oes inteiramente erradas que foram
dadas ao tribunal.
2. A sentenga foi dada por um tribunal
de primeira instancia, e nao tem valor al-
gum, logo que se appellou ; foi por uma
manobra desleal e contraria a lodos os usos
SI'luSS & pelai;orduraJ e nela P- pela imprensa em refutaco s impudentes asser-
denc.a.pelo couhec.mento que tinha do estado dos ^es do Sr. Francisco Ignacio Ferreira.
espinios. p(Je g s vo)[ar a> (,arga quantas vozes fJ0Zflr.
9 e 10 tpicos. A directora pedio a sua dems- pode das calumnias, por urna traosico natural, r iip ns cnncurrpnlP a ra r.rin
sao em vista do escndalo da sesso de 16 de julho: passar aos insultos, aos doeslos proprios dos acou- ? 0S cnuii rentes Os brs. Orinault AL.,
passado ; diz muilo bem o Sr. Ferreira. A direc-1 gues e das ribeiras ; pode dizer e escrever o que uzeram Qlstl'lDUir em grande numero OS jor-
toria pediu a sua demisso porque, tendo (Icado bem Ihe aprouver, com o seu nome, ou atraz da naes judiciaes e matVJaram publicar em
desmoralisada pela odiosidade qoe em minha opi- cortina, porque a minha resposta sera' to somente Franca e nos paizes eslrangeil'OS uma deci-
mao sobre si attrahiu, e querendo fugir a maior o silencio, a compaixo pelos seus desvarios, visto san oiip milla vm npnhiim valor emmnn-
responsabihdade, nao enconlrou meio de salvaco I que o Sr. Francisco Ferreira (em por si uma in- S ld' s
sena'o demiltindo-se. Ainda assim, a data do seu reliz e triste celebridade, e eu tenho por mim a
omcio e de 20 de julho, quando o mandou entre-j eslima e as sympalhias dos homens honestos, a
gar ao Sr. presidente Tinoco de Souza ; este, que i consciencia dos meus actos, e uma reputaco pura
logo resolver n.io continuar no exercicio do cargo, le illibada, extreme da mais leve macula.
Recife, 8 de agosto de 1863.
Alfredo Carioso Pereira, 2 secretario da assem-
bla geral, servindo de 1.
Brigue inglezZoneidem.
HECEBEDOKIA DE RENDAS ((.TTERXAS GE-
RAES DE PERNAMBUCO.
Rendmento do dia 1 a 7 ...... JOrMljItl
Idem do da 8 ................ HMM
III
CONSULADO PROVINCIAL.
Rendimeniodo da 1 a 7...... i
dem do dia 8..............
73*fgn
MOYIMERTG BQ ?C1?0
Navio entrado no sa 8.
Liverpool43 dias, bngue inglez Cltarera.fS, ie
266 toneladas, eapitae llowrigan, equipageaa tt
carga carvo ; a Saonlers Rroihers A r~
llbseirarao.
Suspendeu do lamaro para o Rio de Janm
pela Baha o patacho italiano loria, capnao Btost-
calam, com a mesma carga qoe iroaxc s> Ge-
nova.
Nao houveram sabidas.
EBITiES.
nao acceitou a demisso da directora, edisse a um
dos membros della. portador do officio, que ia pas-
sar o cargo ao imraediato era votos, e que a este,
ou a quem competisse na ordem da votaco, e ac-
eites mesmos caudilhos, encorajados pela' ceilasce sendo chamado, entregasse o offlcio'da de-
impunidade levaran) um juiz timorato pela falla, missao da directora,
de consciencia de seus deveres, nao s a condem- Entretanto.sets esperar por tal resultado.dizemque
a direrloria enviounodia 22,sabbadoparao Diario
de Pernambuco nm annuucio convocando o conse-
Como fllho d provincia das Alagoas, onde o
nar, para fins polticos, um anciao respeitavel por
sua illustrago e bons servicos a causa da liberda-
de de seu paiz, e dando mao do processo da con- lho deliberativo (cousa que nao tinha jus de fazer) padre Camillo, de c
deranaeao preterem lodos os meios de defeza do annuncro esse que ella tez propalar ter sido relira-' lugar de visitador, devastando, assolando, e perse-
coudemnado, negando Ihe extrahir todo e qnalquer do por algum adversario (I) para nao sahir publi- guindo a provincia inteira, nio posso convencer-
documente, que Ihe convom para implorar da co- cado no da 24, segunda-feira, e nesse mesmo dia, me de que os Srs. conegos Gama, e Santos, conhe-
roa a devida clemencia : pode haver estado mais tendo scieocia que o Sr. conselheiro Villaverde cedores dos feitos do dito padre Camillo, e hones-
assostador e mais anarebiro do que este ? : havia acceitado a presidencia do conseibo, e que los como sao, exercessera sua Dfluencia para tal
.\este aparo desanimador se acha a sociedade este ia ser convocado para o dia 26, e haveodo en- nomeacao; e ainda mais por certas transaccoes,
cearense, por moro intercsse de quatro ou seis do- tregado ao referido Sr. Villaverde o offlcio da sua como inculca o Revd. Jos Antonio em sua publi-
minadores da siluaco.,,. Pode haver situajao demisso, mandou publicar no Diario um annun-jcajo de hontem. Convm, porm,que o mesmo
to o tribunal imperial nao a tiv. r approva-
do, e depois delle o tribunal supremo.
3." O tribunal imperial nao decidi, mas
sim, por uma sen tenga de 17 deraaio pr-
ximo pissado, ordenou nova vistori?, a que
: tinha motivado a deciso dos juizes da pri-
meira instancia Ibes tendo parecido insufli-
ciente, depois das novas experiencias intei-
ramente cohtradielorias de um chimico e
physiologista eminente, o Sr. D. Leconte,
pharmaceutico em chefe dos hospitaes, e
professor aggregado da faculdadc de medi-
cina de Paris.
4. N'essas circurastancias admira-nns
que um conselho de sade publica se tenha
decidido sem informaces mais certas, a
mandar prescrever ou mesmo a por em sus-
peic5o medicamentos, cujas excellentes qua-
O Illm. Sr In'pecior da the-oorana provin-
cial, em cumprimento da ordem do Esa. Sr. prest-
denle da provincia, manda fazer publico qoe a da
10 de agosto prximo vinlouro, peraale a jaula da
f.;z n-.ia da mesma Ihesoorarta, se ka de arrenatar
a quem por menos lizer, os reparos do fpedra-
inento de 230 bracas entre os marcos 4a 5a 8 bjsM
bracas na estrada da Victoria, avahados esa.....
3:lo7fi.
A arremataco sera eita na forma Aa le arv-
vincial n. 343 de 13 de maio de 1854 aeb aa ctaa-
sulas especiaes .ibaixo copiadas.
As pessoas que se propozereo) a essa arreoaasa-
co comparecam na sala das sessoes da rrferida
junta, no dia cima mencionado, pelo
competentemente habilitados.
E para constar se mandou publicar
pelo jornal.
Secretara da thesouraria provincial
buco, 10 de junho de 1863.
O secretario.
A F.da
Clausulas especiaes para a arre
1* Os reparos do empedrameato da estrada
Victoria, entre os marcos de 3 a 8 mil bracas seta
executadas de ronformdade con o respectivo ar-
camento na importancia de 3 I57J.
2* O arrematante comecara os inhalase 15 diaa
depois da approvac.io do conuate, e os coachaira
em 4 raezes, contados tambem da data ia,
vacio.
3' Os pagamentos sero feitos era tres l
iguaes e correspondentes a cada lauco da oar.
culada.
mas daa
o ar

x


Diarlo de erna^bwc Qar 1* Soffrera o arrematante urna multa de 1005 se
parahsar os iraualhos por miis de lo dias.
5* O arrematante cumpriri. as ordeos que relati-
vamente ao servico, Ihe forem dadas peloengenhei-
ro encarregado dos trabalhos.
6" Nao poier o arrematante pedir indemnisa-
$ao sobre qualquer pretexto.
7 Para ludo quanto aqu se previnir, se obser-
var o que determina o regulamento de 9 de julho
de 1864.
Conforme, _
A. F. da Annunciaqao.
O Illm. Sr. inspector da thesouraria provin-
cial, em cuuiprimeuto da ordem do Exm. Sr. pre-
sidenta da provincia, manda lazer publico, que no
dia 24 de agiste prximo viudouro, perante a jun-
ta da fazenda da mesma thesouria se ha de arre-
matar, a quem por menos Bzer os reparos urgen-
tes de que precisa a cadeia di villa do Lirnoeiro,
avahados esa 3:4185150 rs. -
A arrematacao sera feita aa forma da lei provin-
cial n. 3i3 de lo de mala de 1834, e sob as clau-
sulas especiaos abaixo declaradas.
As pessif que M proporem a essa arrematacao
compareeam na sala das sessoes da referida junta,
no dia cima mencionado, pelo meio da e compe-
tentemente habilitadas.
E para constar se mandou publicar o presente
pelo jornal.
Secretaria da thesouraria provincial de Pernam-
fiuco, 21 de julho de 1865.
O secretario,
A. F. i'Annunciarao.
Clausulas especiaes para a arrematacao :
1.' As obras dos reparos da cadeia da villa do
Lirnoeiro, serlo feitas de conformidade com o or-
namento respectivo na importancia de ris ......
3:4185150.
2.* O arrematante dar principio ao trabalho 15
das depois que se fizer a arrematacao e as dever
concluir uo prazo de 3 mezes.
3.* Os pagamentos serio feitos em 3 prestacoes
ignaes a cada terca parte da obra correspondente.
4.* O arrematante seguir naexccucao das obras
as instrucg's do engenheiro, que a mspeccionar.
5.* Para ludo quanto aqui nao estiver previsto
observar-selia o que dispoe a lei n. 286.
Conforme,
A. F. dAnnunciarao.
TilM'rRO
DE
Para o Porto por lJvbo!
pretende sahir com a possivel presteza <' r,--lie
Pernambucano : para carga e passageiros, a t'lue'n
offerece bons commodos, trata se com o c *siV,a"
tario Thomaz do Aquino Fonseca, ra do Vigarl^
n. 19, primeiro andar.
Missa.
Convda-se a familia e amigos
do finado Luiz
- Precisa-se de um homem que enlenda
bem de plantaclo de liorta e jardim, para
Pereira Lima, para as rnaam
bhiMlk
02$.
Convila-se as pessoas que estilo as
coniiires do servico militar, a engajarem
no corpo de polica e gozarem das vanla-
geosdi lei provincial n. 611 de 2 de maio
prximo passado, que sao as seguintes :
14'tOOrs. diarios de sollo, seren seas ri-
Ihos tnen >res recolliidos aos estabelecimen-
t03 provmcraes ra e.lueacao e o tempo que
estiverem na guerra ser contado pelo duplo
par i o caso de aposentadora, e alm destas
teta indos as m tis vantagens que sao con-
cedais aos voluntarios dt patria- O te-
neiiie-/nr mol commandante do corpo de
polieia, Alexandre de Barros e Albuquer-
quc.
O Illm. Sr. inspector da theseurarla de fazenda
desta provincia, manda fazer publico, que lera mar-
cado o dia II de setembro prximo vindouro, para
o concurso que se tem de abrir nesta mesma the-
souraria para prendimiento das vagas de prati
cantes existentes uesta reparlco, na alfandega e
na recebedoria de rendas.
Os exames versarlo sobre as materias de que
traa o % t art. Io do decreto n. 1,114 de 27 de
jonhe de I86:j, a saber: leitura, analyse gramma-
tcal e ortnographia, arithmeUea e snas applicacSes
ao eommercio, com especialidades reduego de
:u : -. |. o medidas, calcu o de descont, Juros
simples e compostos, theoria de cambios e snas
apidicacoes.
Os concurrentes deverao previamente apresen-
lar sous requerimeatos inslrudos de documentos
que provera idadecompleta de 18 aun)?, isenco
de ena e culpa e bom compcrlamente na forma
dn art. 11 do decreto n. 2,549 de 14 de marco de
181.0.
Secretaria da thesouraria de fazenda de Pcrnam-
; 8 Je ;. uto de 1865.
Servindo de ofikial-maior,
Manoel Jos Piulo.
Tribunal do coramercio
Pela secretaria do tn!>unal do eommercio de
nbaco se az publico, que n">ta data fiea
reg trado o contrato de soeiedade celebrado entre
Vi irln i Lopea da Costa, Antonio Joaquim Fer-
nn I s e I)mingos Martins de Barros Monteiro,
estabelecidos nesta colado sob a razio social de
Lo i 'S, Fernandes & C, a qual gyrara pjr temoo
indeterminado, tendo comoeo do i-de junho ulti-
mo, com o capital de 5:0003 em dioheiro, para o
anal entra cala um dos dons primeiros socios com
1:5003,8 0 ultimo com 2:00)5 postas em comman-
din.
Secretaria, do tribunal do eommercio de Per-
nantbuco 5 de acost de 1865.
O ofeial-maior,
Julio Gui maraes
Coagulado provincial
1' la mesa do consulado provincial se faz publi-
co |ue no dia 12 di corrente se ha de arrematar
em Hasta publica na porta desta reparlieao, as 12
boras da roaohaa, 13 garrafoes com 120 caadas
com g mebra 'Je prodcelo da provincia, appre-
lien I. los a Ji' Jacintho de Carvalho pelo confe-
r inte da alfaudega Alexandrino Ghrisilano de Oli-
veira, e avahados por 965000.
I isa do consulado provmcial de Pernambuco 7
de agosto de 1865.
Antonio Carneiro Machado Ros.
Pela thesouraria provincial se faz publico,
que a arrematacao do fornecimento dos medica-
mentos necessanos enfermarla da casa de deten-
cao, f i trausferida para odia 10 de agosto vin-
douro.
Secretaria da thesouraria provincial de Pernam-
buco 23 de julho de 1865.-0 secretario,
A. F. d'Atn^nciacao.
Em audiencia do Illm. Sr. Dr. juiz de or-
phaos li.-ta cidade,vai a praca a quem mais der o
arri'ii lamento por seis aunos do armazem sito no
tte* da alfandega desta cidade, sob n. 3, dislinado
at boje a receber bacallio, servindo de base o
preco por que ora est, de 250J mensaes, pagos
no Io de ca la mez, sempre adiantado: para mais
explicacoes, os pretendentes vejam o escripto em
rnao do'porteiro do juizo competente.
lusjiccco do arsenal de marinua.
O arsenal de marraha admiti carapinas, ferrei-
ros e, serventes para as obras.
[nspecelodo arsenal de marinha de Pernambu-
co 3 de agosto de 1665.
O secretarie,
Alexandre Rodrigues dos Anjos.
conselho de compras do arsenal de guerra
precisa com urgencia comprar tres mil frdelas de
briu: de linho, tres mil nalgas tarabem de brim de
linho. e tres mil camisas de panno de algodo, se-
gn! i as tres bitollas porque taes pegas sao corta-
das no mesmo arsenal.
A- propostas devem ser apreciadas at o dia 9
do c o' ule, na sala das snai sessoes.
las sessoes do conselho de. compras do ar-
senal do guerra, 4 de agosto de 1865.
O encarregado da escripturacao,
Manoel los de Aseoedo Santos.
Arsenal de guerra.
O conselho de compras do arsenal de guerr-
pr< Pisa comprar o segninte :
2o arrobas de plvora grossa.
As peasoai que quizerem vender dito artigo,
aprsenteos suas propostas na sala do consdbo, as
10 h iras da nunhaa do dia 9 do corrente.
sal do consol Id de e oras di arsenal de guer
ra, 7 de agosto de 1865.
O encarregado da escripturacao,
Manoel Jos de Azevedo santos.
EMPREZA-OOIMBRA
Reciti extr.iOiMinaria era beneficio da
prmeira dma
EUGENIA INFANTE DA CMARA.
Quarta-feira 9 de agosto de
1865.
_ Primeira representagao da magnifico drama em
S actos, origiml portugaez do distini-lo draraa-
thurgo Ernesto Biester
UM QUADRO DA VIDA.
PEKSONAGENS.
Raymundo da Costa............. Amoedo.
Gaspar da Silva................ Teixeira.
O visconde d,***............ Porto.
Jorge.......................... Lisboa.
Lnii.......................... Guimares.
Eugenio....................... Borges.
Um provinciano......-.......... Santa Rosa.
m cp'tali".................. plno.
Um negociante < ..........
Um medico.................; 11
Viscondessa....................
Laura.......................... D. Camilla.
Emilia......................... D. Jesuina.
Criados, mascaras de ambos os sexos, etc., etc.
As scenas passain-se :
Io actoEm casa do visconde.
2o dito -Em casa de Raymundo.
3o ditoNo reslaurant do Molla.
4o ditoBaile masque em casa do visconde.
5o ditoEm casa de Rtymundo.
A acco passa-se em Lisboa.
poca aetnalldade.
DE.NOMINACAO DOS ACTOS.
Io O visconde tica ministro.
2o Cvni.-mo e probidade.
3 O duello.
4o O baile masqu.
5" Casamento e mortalha.
Finalizar o espectculo com o muito applaudi-
do duelo cmico, apedido de muitas pessoas
UIL0ES.
Peixoto.
Gulmares.
beneficiada.
De mobilias completas, aparadores, guarda ves'
dos, guarda louca, toillets com podra, camas
fraucezas, objectos de oura e prala, e outros
muitos arligos.
Quarta-fei a 9 do corrente as 11 horas.
NO GRANDE ARMAZEM DE LE i LOES
DO AGENTE
OLYMPIO
36Ra da a4eia 4a Keelto6
Leilao de movis.
Cordeiro Siasi
fara leilao por rrmta e risco de qaem pertencer de
mobilias completas, commodas bercos, aparado-
res, espelhos e outros artigos de gosto.
h o di:
Quarla-feira 9 do correte as 11 horas.
No armazem a ra da Cruz n. 57.
E' a ordem do dia .' Acabar com os ftn-
.odiaWd/corren.enO^oWpassaraen.o,^ ^Er^'oZlZ ^Tnn^'va;'- *<>* a h^^' ***,$****:
matrudo^rpo Santo, pelas 7 horas da maui,aa. ^^^ ^ 'S^y rou% fulna-l08 com OS entr..irarb atM*.
Atten^O. lavada e engomnada etc.. etc.: quem a So %** ?SX raia PerguiU-sft ao Sr. redactor da Iiiustracao Com- se propozer dirija-so a ra da Gloria n. 3, "' ex'erm'nn-ios tm ^uoma a espaUt, a
mental u Recite qual o motivo de nao ter sabido fjas {o horas as 1 da inaiiha e das 4 da ao e a Prj,,al c "I"t se !:au ;
as folha?, qub' faiem tres domingos que nao sahe. ,._ j. pm ,1:,,,^ llingUt-m Se Irtnl rou ain-a ,e esaafari
. M.pr. en, s ___ __^^_^4j: P.,.f ,v, MI, as M e tai*.
Hospital Portuguc* acaba de mandar fazer penbora ^"e" O""' >m (M I Mfli e a ftttt
pela quantia de noveceutos e tamos mil ris; ao pes, para o que nfteessarin ene nrarar esta
abaixo assignado nao posslvel que a mesma ad-1 parle do BOfao corpo com os l< minislracao m sua sabedoria deixe de ser sabedo rompe-ferro, esmaifa & bra arranca U c*.
ra e reconhecer que o engonbn Santa Luza e per-li. .
querr inarmore p outraa me se venden a
45 Rt'.t IR FITA4*
obrigacoes, ao conlrJrio sn" aip^ vollara- _
- Panno de algoflij u Bani? da fabrira-To-
(Jos MSuttos -lem para raW?1" ioa:|uun Jos Gon-
calves Deltrao. no seu escripforK rua d0 '8ari
n. 17, i" andar. _______
Vende-se oaarreada-so
A chacra do ib'.wmbargador Doria, no Mangui-
aiitla-
110
IiISIfi
De nina parle de sbrai!n de 2
res da rua da Seazaia Velha .1
avaliatla em OsOOO.
(biiiiln-Hra 10 Jo corrente as 11 horas.
Na grand agencia de leilo^s do agente
OLYMPIO
e per-1
tencente a massa'da exlincla flnni social de l'er-
reira Gini, e n;io da posse nem dominio do sea
..ifived ir, contra quem a mesma adminislracao in- Borsefuins Bordfiii
nho, a qual conlm um 1 grande casa de campo ,enloU aodio judicial, e para firmeza da verdad a
com noiUs accom-nodueoei par.i numerosa fami- 'mesma admirastraco pode ir on mandar oxami-
lia, qar no andar torre., qnr no au lar de cima, Mr no cartori0 do tabelliau S a escriban do dis-1
com wrracos largos dos lados para recreio, nm iraelo social; assiaa como no cartorio do escrivo
grande jardn) com bonito desenlio, coebeira para Manoe| Marja Hodrigues d^ Vasconcellos ese acto
|3carros, estribara pira eavallos, um quarto pa- e principio da lionidacao legalmeta principiado
ra bo*p-*., w (rr-Htdes partos para smlas on I pelo Ejm. Sr. in] do v0flini(,rcr, a qual vai ser
para oatro qualquer mister, casa de banho, gran- definitivamente concluida como esla publicemente
aonunciado pelo Diario.
E como o abaixo assignado, na qualidade de li-
qoidalarlo e mejmo CesponSSvel, tanto as conlas j
que tem de prestar no m<>relis commrrcio, como na obrigacao de promover a se-
guranza dos dbitos os credores da mesma exlinc-
la lirma social : por isso protesta solemnemente
contra e*SR pedhofl porsi-r reconhecldamedte mil-
la e sem Validado alguina ; e para que este pro-
testo possa prodmir o sen devldo rfeito, Vai ser
de cacimba rom agna de beber mellior do que a
do encamnenlo, doa-< bambas delirar Bgtt, sendo
urna de r|)oeho, tanda instrmnento proprio para
tambem se lomar hanho de chuva, nma easa cora
mangedora para vaccas e bois, onde ha espacos
em que se gnanlim cabras do leile, carroga*, car-
rinho-de mi, m id-jiras o laboados, dousgaiinhei-
ros, i curial pira dormida dos aniaae*; o sitio
ou chacra tem oa f>- -ule graderii porlo de ferro,
e todo murado, excepto a parte mais curia do
] lado do iftetiU, un pomar de fructeiras de todas
as qualidades, sendo1 que s de larangeiras de1 um-
bigo, li duna, selecta, laraoja) lunas, tanjanna e
da ierra fem 130 e tantos pes, fra urna plantaco
nova de laranj is cravo, Hgoeiras, laranjas de um-
bigo. sapotis, abacaiis, macacbeira e urna grande
plantaco de capim, tanto de Angela como da Colo-
nia : franqueia-Se a casa e sitio a quem quizer
examinar e ver as snas accommolacOes.
patricios.........
pava s.'rihoras, en-
'!;i loa.......
1 I n larn ; livt'lla .
Sapatoes encourarndi>s.......
B irseguins para meninas bom
eiast co.................
Sapa los deiona, sola elstica.
avelladado?.........
de Iranra...........
econmicos para se-
nboras...........
ChinelOes do Por o..........

I
m
Intimado com as formalidades da lei a mesma ad-. Um completo sor i me Ut de nifai* ala
ministracao, e depois fer.ollido ao carlorlo para trra para liomens. enlioras e
ser junio os auts.
Reeife 4 de agosto de 186o.
Rento Alves da Cruz.
Precisase de um menino de 12 a 14 annos
de idade, para caixeiro de u-na padarla no Vara
I uro, em Olinda, n. 8 : a tratar na mesma.
Alugam-se haralas urnas mei-agnas na en-
trada do' portoes da Iravessa da Barreira, bairro
da Boa-Vista : a tratar na rua do Cotovello n. o.
i) ESTLUAiWE 4 UUBU
Cautado pelo Sr. Lisboa e a beneficiada.
Comecara' as 8 horas.
No intervallo do 2o para o 3 acto do drama a
beneficiada tera a honra de ir aos camarotes agra-
decer as pessoas que se dignarem abrilhantar este
espectculo com suas presentas.
Os liilin-ios eslao em casa da beneficiada, rua
da Florentina n. 13, onde podem ser procurados, e
no dia, no escriptorio do theatro.
.;. 1101 M11ITIM0!
COMPMHIi 3USILEIR4
DE
PAQUETES \ VAPOR,
Dos porlosdo norte espera-
do at o dia 10 do carrete o va-
por Cruzeiro do Sf, com man-
dante Alcoforado, o qual depois
da demora do costume seguir
para os portes do sul.
Desde ja recebem se passagelros e engaja-se a
carga que o vapor poder coBdnzir, a qual dever
ser embarcada 00 di?, desua ch^gada, encommen-
das dinheiro a frote at o dia d 1 ahida as 2 ho-
ras da tarde : agencia rua da Cruz n. I, escripto-
rio de Antonio Lniz de Ollveira Azevedo & C.
OOlPAfHIA BRASILERjr
DE
3fRnada cailela lo Reclfe36
Leilao de movis.
fiiiata-felra IO de agosto.
Por intervenefio do agente Pinto.
Ultimo leilao que se dever e(T-ctu>r no arma-
zem da rua da Ctela n. 6, visto tjr-se de entre-1
gar as chaves do nvsmo no dia 11 do corrente 1
mez. _________________
Leilao
le 153 barricas c>h farinha mana prmeirfv qnnliilailc.
Quinta-feira 10 do corrente as 10 horas, j
yo CAKS 00 AI'OI.IO OKFROXTK fK PONTE
OLYMPIO
AQUKS
asim como bezerro franciTr, rriurr d>
tre, marroquins, taixas 4a lelas a
dades litas para sapitein, nn:t> soras.
sola e couros que ludo visto n'-*'sariaen-
le tn cobija ao napnior r ala liarate/a.
Club l'eniambucauo
A partida do mez de agosto ter.i ogr aa
noite do dia i f.
Saca-se sobro Lisboa e Porto
n. 28.
na rua de Apollo
Caixeiro.
A M \
vender em leilao por conta e risco
tenrer 153 barricas con familia de
ra qnaltdade em um ou mais lotes
compradores.
de quem per-
trigo, (>rimei-
a voutade dos
Victorino Jos de Souza Travassos J-
nior, Marcolino de Souza Travassos, Maria
Margarida de Souza Travassos, Manoel Jos
da Silva Marques, Antonio Augusto a ara Rodrigues Seite e Francisco Deodalo
Los, agradecen de todo o coracao a toda
as pessoas que prestara'ro-lhes o caridoso ob-
sequio de assisiir e acompanhar ao cemite-
no publico n funeral iie seu presadissimo
pai e sogro Victorino Jos de Souza Tra-
vassos e de novo convidam seus amigos e
o- do finado para ouvinm no dia ti as 7
horas da manh, na eapella do cemiierio
publico a missa do 7 dia, confessando-se
desde ja ainda mais penhorados por este
pledoso concurso.
L12ILAO
e fazeadas avaiiadas.
Qufita-feira 10 de agosto.
O agente Pinto fara leiio por conta e risco d"
quem perteneer de 1(5 ecas de silesias do lia jar
das parte da eaixi XY n. 30:5. avariadi a bordo
do vapor inglez Qtaiiator, "m eonttnimcSo fenrfls-
r tambem difireme- f.-izn1 is linlfnis e avaria
das- o leiifio sera elfeetnadu as 10 Doras em pon-
to do illa aeima dito no armazem di rua da Ca-
deta n. 62.
PAQL.LTES A wAPGtt De aderecos pulceiras, brincos, halos, anneis,
correles, trancelins ochaves para relogios, lu-
do de ouro de Iti de 18 quilates cim pedras o
perolas verdadei ras, novo e de goslo.
Sexta-fei'H u) de agesto
Por intervencaodo agento Pinto, nu armazem
da ruada Gideia n. 02.
Dos portos do sul esperado
at o dia I i do corrente o vapor
Tocantins, commandante o pri-
meiro tenenle Pedro Hyppolilo
Duarte, o qual depois da demora
do costume s-gnir pora o- oorios do norte.
Desde ji recebem-se passageiros e engaja-se a
carga que o vapor poder conduzir, a qual dever
ser embarcada no dia de sua chegada, encom-
mendas o dinheiro a frete al o dia da sabida as
2 horas : agencia rua da Cruz n. i. escriptorio de
AntogioLuizde Oliveira Azevedo & C.
Vende-se a barraca Flor do Norte, prompta
navegando, de perfeita constrneco, da lotacao de
1,500 arrobas, por preco rauito commodo, fundea-
di na escadinha : a tratar nesta praca com Tho-
maz F. da Cunha na rua da Cadria n. 44 ou na
praca da Parahiba com o Illm. Sr. Antonio Tho-
maz Carneiro da Cunha.
Para.
Segu com brevidade para o indicado porto em
direitura o veleiro hiate Lindo Paquete, capilao
Francisco Itibeiro de Barros, e pode ainda admit-
tir alguma carga : a tratar com Antonio de Al-
meida Gomes, na rua da Cruz n. 23, primeiro
andar._________________
Rio da Prala
A escuna portugueza D. oao recebe passageiros,
para o que tem bons commodos : trata-se com o
capilao a bordo, ou com o consignatario JoSo Fran-
co da Silva Novaes, iravessa da Madre de Dos
numero 5.
Para a Baha
at o dia 20 do presente mez pretende sahir sem
falta o veleiro e bem conhecido patacho nacional
D. Lniz, capitn Jos Teixeira de Azevedo : para
a carpa que lhe falta trata-se no largo do Corpo
Santo n. 4, com o consignatario Jos Maria Pal-
meira.
De 2 carros com as eoapeteales !>are-
llias lo<, trastes c tnicos milito > afliges.
Scxta-feira 11 do corrente as 11 horas.
NA GRANDE AGENCIA DF. LBILOES DO AGENTE
OLY TIPIO
36--Rna da Cadeia do ftecie';
w*K t* ""Wff **c vnv^
: -vA.-wnai.- rr^-\-*r.ras y>-

CONTRA FOGO.
A Compartida Inderanisadora

los Norberto Caslello traneo, Gerirudes
Cavlcanti orbpria, Paula Joaquina de Al-
taquerque, agradecem .1 todas as pessoas
Precisarse de um menino brasileiro ou portu-
guez, de idade ie. l a 15 annos para caixeiro, na
cidade do Aracaty : quem asliver nesias circuns-
tancias, queira fallar na roa do Qiieimado n 37,
loja de ferragens.
Roga-se aos Srs. Joo Cavalcanli de Souza
Leao, Nereu do Si e Alboquerquc, Leandro Alean-
forado, Castro Vianna, eropregado no seminario de
Oilnda, Hanoel Antonio Rodrigues Samico, e Jos
Calazans Rufo Duarte, tenhain a bondade de irem
a rua do; Pires n. 16, entenderem-se com o abaixo
assignado sobre negocios qoe S. --s. n5o ignoraro.
Na rua do Xogueira prec;si-se de urna ama para
comprar e cozinhar para casa de ponca familia.
Precisa-se fallar com o Sr. Joaquina Alves
Martins, na rua da Cadeia do Itecife n. 40, primei-
ro andar; ou rrga se-llie que annunuie sua mora-,
da para ser procurado.
Um moco com as habilitacSes nece-sarias se
offer^cc para caixeiao de qualquer arma-m 011 co-'
%*
rque se
dignaran) acompanhar ao cemit-rio
brancas, e da fiador a soa conducta
sar annuneie por este jornal.
quem preci-
publico os restos mortaes de sna presada
cuchada, mana e sobriuha Francisca de
Castro Hocha, de novo convidara para a mls-
a do 7 S. Francisco, no dia 11 do corrente, as 6
horas a mei da manha.
W -. : jjiik i'rU'iFhiiiiJhae
j'iibcacao illcraiia.
Viagem pittoresca pelos rios P rana, Paraguay,
S. Lo.reneo, Cuyabae Avino, comprehondeudo a
descripeoda provincia de Matto Grosso, por '.
Bartolom Bossl.E" obra imporlantissima para
aqnelles qoedesejsrem conhecer a vordadeira si-
luacao das localidades oud; de presente se dao
acoulecimenl w qoe inleressam a iodo- os Brasilei-
ros. .V venda na I.ivraria Universal, rua do Im-
pefador-n. 51.____________________________
Preeisa-3e
di- 4:MiOo'1'i'Iom- p-.r hvp lid" o valor de 10 ou
U p mi is em li-n> : quem quizer dirija-se a rua ,
da Concordia n. 4.
Al!iga-=e a casa terrea da rua da E u. 59, propria para negocio: a tratar na mesma.
O abaixo assignado precisa relirar-se para
fra desta provincia, tratar de sua sade, e vende
o sen eslabelecimento de molbados sito na rua do
Cotnvello u. 1, que faz esquina para a de S.Gonc.v
lo, bem afregnezado, tanto para o malo romo para
a torra; os pretendentes podem dirlgir-se ao mes-
mo, para tratar com o seu dono.
Muximinio Martins da Silva Borges.
Prederic > Chave-, procurador bastante da
Sra. D. Mana da Conreicao Soares de Mendonca,
faz scienle ijue. o engenho Megaipe do Sr. lente oosiohar e que seja liel : na rua do QueimaJo n.
coronel Jos Carlos Teixeira, e-t obligado por 40, loja. ^___________
hvpotbeca, passada pelo tabelliao Jos Alexandre nTflihno Hn nplmoirn matrimnnin a
Ferreira. em 16 de malo de 1843, pela heranca da O* llIllOa do primeiro matrimonio t
quantia de i:7o3-39IO, principal de duas letras que genros do InaJo brigadeiro Gaspar de Me-
o mesmo Sr. leuenle-coronel assignou a minha oezes Vasconcellos de Drummond, CODT-
consiituinte, saldo da hypotheca a favor do seu am e peijera ecar, cidamente a todas as
mano Francisco Carlos Teixeira.
Precisa-se de dons trabalhadores para pad.i-
ria : na rna larga do Rosario n. 16.
A pessoa que precisa fallar com Jezufno Ma-
chado Malheiros llraga, dirija-se a rua da Cadeia
numero 5,
fi ABJETE
POKTCfilEZ i; LBirCRt EH fin-
NAHBCCO.
Por ordem da directora sciealiflco a todos os
senhores associados, qne, em consequencia da le-
coracao qoe se tem da proceder nos saldas do res-
pectivo Gabinete, para soiemnisjr no dia lo d i
corrente 0 seo I4anniversario, deixar de haver
expediente desde o dia 10 (inclusive); coniinnan-
do no da 18. P.-de-se aos mesmos senhores asso-
ciados, que mandem entregar os livros qua tivo-
rem em seu poder, al o dia 12
Secretaria da directora do Gabinete Portuguez
de Leitura 8 de agosto de 1863.
J. Xavier Vieira Ligo
. Io secretario interino.
Precisa-se de um sitio que seja perto da ci-
dade para urna pequ-na familia ingleza : trata-se
rua do Vigario n. 2, escriptorio. _
Precisa-sede urna cosinheira para nma casa
ingleza que apenas consta de duas pessoas (senho-
ra e marido) : tratase a rua do Vigario n. i, es-
criptorio^_____________________^_______
Precisa-se de urna ama que teoba bom leite:
a rua de Hoi tas n. 130.
Ana
Precisa-se alugar urna escrava que
l'recisa-se de nma ama para r rnn-a
de lumlia : na rua do Brum n. 53, d-froeie t>
chafariz.
Joao ilaSiivn i:;
1-y. versidadede'/imbrs, da cnncmtt:
ma cn.;a das P < II i. ra i nwnha, .
las 5 a< ;
jB i ti las casas re^ul
3 para is: idesiy
l gente.-, que "''r.: >
*v quer occasi tu. Da r .
roturare
aoade enco itrad* diar n *
s s horas da r
T'IIi Si'.A i-i-., '-
montada para re r .j
ainda ii-.e.-rn
tem eomn i *.-
tica qnalqucr operacij r>iurpie*.
Para a ca
Prmeira na o.
S '.unda dita.... .vV-.o >
Terceira dita.... iStXHi
Este cslabelecment': ja bem acredi-
tado pelos bons wrvt^w qne lera pre<.
lado.
O proprietarii. espara fm *lle eeai!-
nuea merecer a ontlan'.-a d.- qn- -
pre tem gowdo.
Copeiro
Xa roa do Livramento n. 19 ha
bom criado captivo.
i
pira alocar
I'i.i pessoa h:ii!i'i-I i se .iff pn eB-
inar pi.m'iris l--;ris o,n ,;,nn e> genno: je
precisar diriji-s- a roa '. SmM I !., n. t-">.
Precisi-'e te un, i a.o i f irra ou MfM :
rua larga dj Rosar: > :i. I'">.
Aluga-se nma mei-agua m \. rt ejaorHa,
quintal, cacimba : um> dita Mi ausaM, pura
com iodo, praoa da 12-3 rada urna : orna .tila par
8;(;00 : na rua do Gaz->rcero. a lrnr cu r.
Valeaea.
Xa rua dos Pire o -"i ha
se alaga, a qual faz todo servir/
familia, externo e inlrrnn.
jvru esrrava tam
de urna raso de
sai ha bem
pessoas que se consideraren! credores do
-Emmeunomeeemnomedoniin sreonego respectivQ casil se sirvam de apoarecer na (2;
da eapella Imperial Francisco Jo-e lavares da f, t ^n a
CASA DA FORT
Aos 6:000j$00.
"tllhrl* m z-ir.inim.
A" Rl'A DO CRESPO X. i'< F. CASAS IM) teriVE
Oabaiiosignado\'idtu i..* *es* nu:'o(
zes oilhetes narantid sda laa n; -me s arahoa
de exlrahir, a ber.ericio da Sa .; C,-a da Mi^-
ricordia para cap-ili.-ac'iod'agui e gaz no r--pii-l
Pedro II, os setrototes presam :
0 inteiro n. i6t7 com a son O0I5-
1 ,n quarlo n.2737 com aserte de l:Mn*>.
l'm meio n. 1722 coma son.' il>- l'Miim i.
E ouiras inuitas sones de Ui<>\, Vi, 20* i
lofooe.
Osiossuidore* podem vir receber *t nswm
livos premios sem os desconto. das ieis aa C**\
da Fortuna a rua do i.respo n. i-i.
Acham-se a venda os da 2* 'arte da > lotern
lile
i Gama, provoco "ao Sr. padre
,-. ) a beneficio do Ihi-alro uV S.nla Isabel,
Jo- Antonio dos San- rua da Auroran, b, dentfO de lo das COn- se extrabir .-abbado 12 lo rorrele.
PRECO.
CO.MPANIIIA PE11NA.MBUG vNA
DE
Navegaco costeira por vapor.
PABAHYBA. "NATAL, MACAL', ARACATY, CEAR E
ACARACU.
O vapor Mamanguap, commandante Souza, se-
gu para o norte at o Acaracii no dia 9 do cor- j
rente as o horas da larde. Recebe carga ho;e e ama-1
manhaa (8) ; encommendas, passageiros e dinhei-
ro a frete al o dia da sahida s 3 horas. Escrip-
torio no Forte do Mallos n. 1.
AVIS'i.
Tisset Frers previnem aos carregadores dos na-
vios da hnha do Havre a' Pernamimco, que o frete
do Guillaume Tell, esperado a cada momento, tem
sido abaixadoa 39 fs. e IO|0, o do Sphre a car-
ga no Havre a % fs. e 10 0|0, e que tal vez o dos
navios seguintes sera' ainda mais em conta, o qne
Ihes sera' avisado por vu deste jornal. Os navies
estao a uisposicao dos carregadores para as voltas
a um frete abaixo de 45 fs. e 10 "o conforme se
ajustar com os annunciantes, rua do Trapiche n. 9.
De ordem do Illm. Sr.Dr. chefe de polica.
fac> publico para conliecimento de quem interessar
possa, que segundo participou o delegado de poli-
ca do temo de Serinhem, em offlcio do Io do
corrente, acha-se recolhido cadeidaqualla villa,
como fgido, um preto de nome Damio, que de-
clarou ser escravo de Lucio de Tal, morador as
Cinco Ponas, e ah estabelecido com taberna.
O secretario,
Eduardo de Barres Falcao de Lacerda,
Para o Rio da Prata ou Rio
Grande
Freta-se a barca nacional Restauraco : a tra-
tar com os seus consignatarios Antonio Luiz de
Oliveira Azevedo & C., no seu escriptorio rua da
Cruz n. 1.
Para o Rio de Janeiro.
pretende seguir com milita brevidade o patacho
nacional Regulo, tem p-.rle de seu carregamento
engajado, e para o resto que lhe falta e escravos a
frete, trata-se com os seus consignatarios Adtonio
Luiz de Oliveira Azevedo & C, no seu escriptorio
rua da Cruz n. 1._________________________
Para o Para, com escala peio Maranhao, pre
tende sahir em poucos dias o lugre Emilia, capi-
to Bernardlno Rodrigues de Alraeuh, tem a
maior parte da carga tratada, e para o resto que
lhes falta, trata-se cora o consignatario Joaquira
Jos Goncalves Beltro, na rua do Vigario n. 17,
primeiro andar,
para o Porto
Sahe impreterivelmente o brigue i portuguez
Uniao, na quarta-feira, 9 do corrente mez de ogos-
to :para o resto da carga e passageiros trata-se
com o consignatario Tnmaz d'Aquino Fonceca na
rua do Vigario a. 1911 andar.
LOTERA
AOS 6:000/1000.
Sabbado 12 do corrente mez, se extrabi-
r a 2* parte da 5a lotera f7*) a benefi-
cio do theatro de Santa Isabel, no consisto-
rio da igreja de Nossa Senhoia do Rosario j
da fregnezia de Santo Antonio.
Os bilhetos, meios e quartos eslo a ven-
da na respecliva thesouraria a rua do Cres-
po numero i i.
Os premios de 6.-0000000 at 10^000
sero pagos unta hora depois da extraerlo
at as i horas da tarde, e os outros depois
da distribuiejo das listas.
As encommendas s rao guardadas so-
mente at a noite da vespera da extraego
como de costume.
Servindo de thesoureiro,
Jos Rodrigues de Souza.
Iasruc^o primaria
Acba-se aberta a aula publica de inslrucco pri-
maria do sexo feminino, na povoacao do Monteiro.
E. A Burle retira-se para Europa, e d-nxa
por seus procuradores na ausencia da casa com-
raercial E. A. Burle & C. em 1 lugar Henrique
Jorge Burle, 2o Felippe Necdhame 3o Jos Joaquira
de Oliveira Goncalves.
Antonio Pereira dos Santos retira-se paia
Portugal.
que iransaccao'fbl essa que S. Rvma. no Diario de do sobre OS seus pagamentos, independente Par,
' boje promelie por mais para diante em pratos lim- de ques (es ju pos. P.-nfe,8 de agosto de 1865. de 1805.
Conego, Joaquim Ferreira dos Santos.
por commodo preco
Biihetes.
Meios. .
Quartos.
aa prsseas
Lava-se e engomma-se
na rua da Matriz da Boa Vista n. 68.
Precisase alugar urna criada que saiba cozi-
nhar cengommar com perfeico, somente para
urna pessoa : na rua da Cruz n. 9, Io andar.___
Fugio na noite de 4 para 5 do corrente urna
escrava jior nomo Amelia, naefio Rengela, Idade
de 40 annos, estatura rqaular, magra, com marcas
de bexigas pelo rosto, fta de denles na frente,
com um pequeo defeito e.m um dos dedos da mao
direita, causado por um panaricio, levando comsi-
go duas (libas, urna de idade de 12 para 13 annos,
por nomeSez.-.rino, outra de 7 para 8 annos por
nome Ulina : quem apprehendelas leve-as rua
dos Marlyrios n. 14, que ser gratificado.
Permula-se urna casa terrea com 3 janellas e
urna porta e S quartos por urna mais peqoena, dan-
do-se a preferencia por perto da ribeira : quem
tiver dirija se a rua da Alegra n. 2.
Aluga-se um sitio na Capunga rua das Per-
nambucanas com boa casa de moradia, cocheira,
estribara, bonito jardira e portoes de ferro: os
pretendentes queiram dirigr-se a rua da Cadeia
n.39. ____________
Na rua do Araga n. 3 faz-se comida para fra
com todo aceio e perfeigao, por preco mais com-
modo do que em outra parle. _______
Precisa-se de umaama para todo o servico
de urna casa : na rua do Livramento n. 20, segun-
do andar._______________________________
Fazem-se capas, baiinas, capas venatorias,
chamarras e barretes : no becco Largo n. 2.
Na rua da Florentina n. 36 preparase comi-
da por cemniodo prego.
Biihetes.
Meios. .
Quartos.
Ama.
Aluga-se urna escrava para ama de nma casa de ;
: moco soltelro ou de ponca familia, boa cozinheira
Na rua da Roda n. 6, loja, eugomma-se cora e sabe comprar bem : na rua de S. Bom Jess das
toda a perfeico. _______(Crioulas-f; -u_________________
'l .
.... 3JS0
.... iajMi
que Cntrame dr II
para cima.
.... r.*.-,ix
.... 3*7.5
.... l7i)0
Ma.\oel Martiss KiriA.
mmmmmmm: *m
^ 0 Dr. Carolino Francisco de Lima I
y tos contina a morar na rua Impera-
; -; dor n. 17, segundo amUr, Wn< aii^
-r-- gabinete de consultas medica.-, Kigu ao
va; entrar, no primeiro.
g O mesmo doulor, qu*> se t^m dado ao
estudo tanto das operad-oes rom > das nw-
lestias internas, presia se a qualqne-r cha
mado, quer para denlro qoer para tora
n da cidade.
mmmM mwwmwm zmm
Aluga-se a parte da casa n. W da roa das
Aguas Verdes: a tratar na mesma.

m
i
ii
Quem precisar do urna mulher de portas pa- Precisa-se d, um criado : na rua da Impe-
ra dentro, para casa de homem solteiro, cozinha e ; ratrlz n. 40. ___________
tngomrna, dirija-se a rua do Encantamento n. 3, A|Uga.se 0 soto do sobrado n. 62 da rua da
segundo andar.____________' Guia, cora duas janellas de frente e muitos com-
Offerece-se urna boa engommadeira de toda modos : no primeiro andar._________________
qualidade de roupa, por preco commodo : quem Alugam se dos grandes sobrados com comt
quizer dirija-se a rua do Bom* Jess das Crioulas, I modos para numerosa familia, novos e aceiados
casa terrea n. 13. 'com jardim, cocheira, estribara e ouiras rommo-
didades, na Iravessa de Ji.-ao Feruaules Vieira :
Os credores Je Antonio dos Santos de Souza -
Leao sao convidados para comparecerem no es- a tratar na rua da SenzaU Nova n. i..
Lino de Faria vai ao norte do Imperio, e dei- i rripiorio do Dr. Alcoforado na rua do Crespo, e %W. 'M"%?- vv" \%J\>/'Vj'* "7^^^'"'
xa encarregados de seus negocios judiciaes duran- levarem os seus ttulos de crdito para delibera- l^^'^v^J/^.^fasaimllos, porta
te sua ausencia (que nao ser longa) aos Srs. Dr.
Joaquim Jos da Fonseca e Ignacio Barroso de
Mello ; e da cobranca do que se deve firma de
Faria & C, bem como de outros quaesquer nego-
cios ao Sr. Francisco Jos da Costa Guimares a
rua do Vigario n. 2i, Io andar; sendo que, a to-
dos bem autorisado com poderes illimitados.
A partida do Club Commercial no
corrente mez teta lugar na noite do dia 14.
O secretario,
__________Francisco Lucio de Castro.
Precisa-se fallar com os filhos do fallecido
Jos Francisco Goncalves Chaves, natural da fre-
guezia de Santa Ulaia de Palmeira, do Faro, do
conselho de Espozende, Portugal, a negocio de seu
interesse : na ma estreita do Rosario n. 5_______
E. A. Burle durante sua ausencia na Europa,
deixa encarregado de seus negocios particulares
Henrique Jorge Burle e Claudio Oubeux.
rem sobre o que lhes sera exposto,
corrente, ao meio dia.
sahbado 12 do
Alugam-se o segundo andar e lojas do sobra-
do n. 196 na rua Imperial, ambos lem bastantes
commodos e o preco baixo : quem os pretender
dirija-se a rna do Imperador n. 36, primeiro an-
dar a direila ou a loja do Sr. Antonio Crrela de
Vasconcellos & C. na rua do Crespo n. 13.
Aluga-se a loja do sobrado da rua do Cal-
deiro n. 11, pouco reedificada e propria para
qualquer estabeiecimenlo por se achar em arma-
zem : trata-se com o seu proprielario na rua do
Imperador escriptorio n. 73, ou no segundo andar
do sobrado na mesma rua n. 38.
ser procurado 110 escriptorio da rua do
Rosario estreiu u. 3i, ou era sua resi-
dencia a rua do Sol n. 9.
Precisa-se de um criado que envenda de bo-
leeiro : no pateo do Carmo, em casa de Gabriel
Antonio, se oir, ou na Passagem n. 24.
Aloga-se nma escrava para servigo interno
e externo de urna casa : na rua do Imperador nu-
mero 30, terceiro andar______________
Aluga-se o segundo andar do sobrado n. 62
da rua da Guia, pintado de novo e coc muitos
commodos : no Io andar.
IIVJECCAO JdjHOW Offerece-se um" rapaz portuguez para caixei-
Rflitiprliii infallivel contra as ffnnrrhho ro fle cobrancas, on mesmo para armazem ou ta-
Kemeaio miaiuve contra as gnorrnDo, berna bjy ter as habilllap5es precl!;aSi
antigs e recentes, nnico deposito r a pr. e da flador a sua*conducta : quem o pretender an-
ica franceza, rua da Cruz q. 22 eas! nuncie sua morada para ser procurado.
Na rua da Cruz do lente n. 30, 2* andar. *
dir quom compra duas e.-rravas moca*, i' boa
eonducla e que emendara bem d* r.,*!ura**-
gomloado : paga-se bem agradando.
Na botica do pateo do Carmo se aira a cas*
onde se nari por vendagem de bolos 10 r*. pmr
cada pataca.
*:iqnes sobre Mnfeoa
Manoel Ignacio de oliveira A Filr- aram Kifen
Lisboa : no largo do Corpo Sanio n. 19.
Precisa se alugar urna pr.ia que .-eja ana
engommadeira e cozinhe, sem ffrtal : na roa 4
Crosea n. 36, primeiro andar : \>%* -e he.
O abaixo assignado,nfOrial do registro g.ra
de hypotheca desta romana, mudoa o tta cark-
rio para a rua do Queimado n. 15.
Fulgencio Infante de Alhuqotr.me M-Ilo.
Ama
Precisare de urna ima para o seri.*e inreraa t>
urna casa de pouca ftiiiu : a tratar ca ^nn du
Corpo Santo u. 17.
AMA.
Precisase de urna pessoa qne saiba eonaar
dern, para casa de penca familia : na rna do Mw-
bicio n. 44.
Arrenda-se o grande sitio da Piedarte, aa Ta-
marineira, onde esteve o c. lleg;o da Coaceifo.
com lodos os commodos, e alera dissj proporjiaa
para grande agncnltuaa : a tratar aos C uta,
em o collegio da Comeicao
Precisa-se comprar um eofre de ferro ta 1-
gunda mao qne seja bem seguro : a tratar na pra-
ija da Independencia n. 12.




Diario de Peraambaco ... Quarta letra & Je Agosto de iSGft.
PHOTOGRAPHIA ARTSTICA
DE
25 Ra Nova (esquina da Cainboa do Carmo) 25.
Os propietarios deste estabelecimento, desejando salisfazer os numerosos pedidos de seus freguezes. acabara de receber de seus correspondentes de Pars um erande
sorUmento de ret-alos (carlSes de visita) das personagens as mais celebres da Europa, assim como receberam tambera urna quanlidade de alinetes c cassoletas para rcacios do
mais apurado gosto e por precos muito diminutos. w* ym ivumHm, uu
Os mesmos aproveit.m a occasiao para prevenir ao publico e recordar aos seus numerosos freguezes, que ellcs trabaliiam todos os dias, domingos e das cantos das 9
horas da manbaa ate as 4 di tarde e que os tem, os de chuva pSo influem era nada para o bom successo dos retratos, pelo contrario o ol entre nuvens mil ve/es prefei ve
sobre todos os pontos, tanto pela rapidez da operaco, como pela commodidade das pessoas. prwertvw
a.* on f r7n! mq":mlk!a!le.,de peS-aS T,e,leJn Visilad0 este e8tbelecimento nestes dous annos em que se achara eslabelecidos nesla cidade, e que nao ser menos de cerca
de ,900 a 7.0JO, e para tiles urna garanta futura, posto que se appliquem lodosos dias, para que todos saiam contentes esatisleitos.
oW.Ut.4^
D'IODURETO DUPLO
de FERROeQUININA
Os elementos que compoem esla prcparacSo. o
ferro, o iodo e a quina, a collocao no primeiro
grao das preparaces ferruginosas. Basta attcsiai
seus resultados obtidos pelos Mdicos dos hospi-
laes. e os relatnos dos prlicos mais eminentes
que confrmrao sua poderosa eflicacia as se
guintes affeccScs:
MltiR-oa no anuiir,
Fraqursa,
Anemia,
CIiIoi-onc ou Ictericia,
Mcnitriio,
AffccccM lo itero,
SuppreKNoe.M di re-
Rraa e dcHOnlena na
iiirnxlruuro,
AffcecHo pulnioaar e
lihlblHlea,
>[>!( si i.i~ : imkiiu-^o,
GaNti-alsliiM,
Perda t'ii|.p<-lilc,ctc,
Co n\ aleteen r:i (le lon-
r;as iuoIchIIum,
Molcwtlaa cacrortilo-
MMi|
Tape ira,
ObMti-urro Inln,
HnmoreH frin,
TtllllOrc* bninrih,
RacllItiMKIO,
AStvcvin'ti rnnrt'ro*ah
e j pliltitleas,
FelireM |> plinlilen,
Hesitan, etc., etc.
MEDICAMENTOS FRANCEZES AFAMADOS
A YSEIBA EM PEMAMBUCO
Em casa dos Srs. Caors e Barboza, ra da Cruz & 22.
mwm
nvaon
. --5-5GjarSj:^?2WWBrj|iSesS
As pastithas digestivas com a pepsina de
Wasman, emprogao se rom successo h j
alguna annos pelas celebridades medcaos de
Pars. Londres. Vienna, ele, em todas as in-
COmmodjdadcs em as quacsadigeslo 6 dilficil,
penosa, imperfeta ou mesmo impossivcl: cis
o melhor remedio para coral as.
OENCAS
DfarrftcaM e n rniiMfl-
paeo praitusldaa
pelaa 'lalmriirocfl
"!( liLHi'.ll> itltS Ull-
iicnlOK.
I ejao-s'- os bulletins de therapeutica medir
e cirurgica de 30 de novembre t 860; a Gaz-eta
dos hospilaes de 28 de< pilho 186', etc., etc.
Alcm das plalas de todureto duplo de ferro ed,
quinina de llebillon, os Mdicos aconselhao
igualmente o Xarope d'iodureto duplo de
ferro de quinina do mesmo author para as
pessoas que nao gosio de medicamentos sob fr
ma pilular e os meninos. F.stc xarope nao tem
como o xarope A'ioduretodc erro, o inconveniente
de altcrar-se e de se nao poder conservar.
Peca-se o folbeto que se d de graca em casa
dos pharmaceuticos depositarios.
Para se evilarem falsificacSes, exija o com-
prador em cada frasco de Pilulas ou Xarope a as-
signatura do inventor.
Depsilo geral em Paris, pharmacia Rebillon.
142, ru du Bac, e em todas as boas pbarmacias
de Franca e as dos paizes estrangeiros, etc.
(aiNtrai^lufi,
I)lNpc*P' Emliur.M o- gatrleaa
a a<-tiiii-,
Aa nff.*ereM orgni-
ca* lo i>(miNisa,
Sua aecao vivifica o sangue e os rgos de
tal sortc que, atli as pessoas que sem softvr
as affecedes gstricas cima mencionadas sao
nicamente iracas ou d*nm temperamento um
pouco dbil, e necessilo substancial alimento
para fortificar-sc, cimo no emprgo das pastil-
has de pepsina de Wasman, um poderoso meio
para a isso cliegar.
/Iriso importarle.Osuc^essodas pastilkas
a pepsina de Wasnumdeu causa a se fazerem
falsificacocs c milaedes d'cssc producto que os
mulos se qncrem desfazer. Pois por falla
d'uma boa ircparaco n pepsina que n'ella
entra, ja/, alterada. Seremos ao abrigo il'esto
inconveniente, cxigindo os compradores que as
pastilkis tenho as iniciaos t. P. e saiSo da
pharmacia Chevrier.
Depsito geral cm Pars, pharmacia chevrier,
2!, Panboarg-MOntmarlrc, e em todas as boas
pbarmacias Je Franca e dos paizes estrangeiros.
CURADAS PELOS
XAROPES DO D0T0R DANET
S* 1. Contra as CLICAS DOS M KM VOS ante
c iliiraiiic a tlcnllrio
;Xarope de cynoglosse e de acido succinido)
X' 2. Cunt-a a Til.-Si: CONVULSA e a TOSSE
NKUVOSA
(Xarope de cynoglosse e de leo rolatll de juccino)
N* 3. Contra
a CUM i l.i.i.s DOS
A CHOREA
MENINOS
(Xarope de cyno;loss Estes novos productos preconizados na Aca-
demia imperial de Medicina de Paris sao cm-
pregados com grandsimo successo pelos mdicos
de Franca para o tratamento das molestias do-
meninos cima indicadas, e vierao cncher um
vacuo importante na ihcrapculica, no que toca as
affecedes da infancia, para as quaes, aih boje.
anda se nao pode indicar tratamento racionnal-
nem infailivcl.
(Peca-se o prospecto em casa dos pbarmaceu,
ticos depositarios.)
Proco do frasco em Paris, 3 fr.
Para se eyitarem as falsincacoes, exija o com-
prailor que cada frasco tcnba sobre os rtulos a
assignalura Chanteaud.
Depsito geral cm Paris, pharmacia Chan-
teaud c em todas as boas pbarmacias de Franc?
e ilos paizes estrangeiros.
c f C -'s"?i >9si
BISMTH
mssss
MolrMIu de li^ailn.
A Ictericia,
Palp!luri'io do corarao
Drea noa rlna,
Os granulos de bismuth de Chevrier em supe-
riores a todas as oulras preparaces de bismuth
empregadas antes com o maior successo pelos m-
dicos de todos os paizes, para prevenir c curar as
Dlan-lteaH chronleaa,
DyKMentcriaS,
Doren il'eKlomgo,
i'ypeplu,
Depsito geral em Paris, pharmacia Chevrier,
irrttapoea de bexiga e e em todas as pharmacias de Franca e dos paizes
da matrla, etc. CStrangcirOS.
J^ia^i
Drea de rnbi-ca,
Mas dlicentoea,
Uaatrltea,
GaatraJgtna, etc.,
MASSA e XAROPE
DF. CODENA
DI
BERTH
As experiencias clnicas e comparativas
dos Snrs Magcndie, Barbier d'Amiens, Wil-
liams Gregor, Martin Soln, Aran, Viga,
C. Dumonl, etc., membros do Instituto de
Franca, mdicos dos hospilaes de Pars, tem
provado que a Massa e Xarope de Derth i
o remedio o mais seguro contra todas as
dores nervosas e tendo a propriedade de
calmar com admiravel rapidez as tosses rebel-
des e extremamente fatigantes da grippe (ca-
tarrho epidmico defluxo, coqueluche ou
tosse convulsa, bronchite e tisica pulmonar.
A Massa e Xarope de Berth, se
achio em todas as boticas.
Para evitar qualqucr
falsificacio, exigir em
cada pro,I iit,, o nome
e g firma Iterth.
&)1
Companbia lidelidae de segaros M
martimos e terrestres
estabelecida no Rio de Jaueiro.
AGENTES EM PBHNAIIBUCO
U Antonio Luix de Olireira AieTcdo& C, JM
f competentemente aatorlsados pela direc- m
5 loria da companhia de seguros Fidelida- jr
$>: de, tomam seguros de navios, mercado- g
Lff rias e predios no sea escriptorio ra da H
^MmmmmMM wMmm
O London & Brazillan Bank, saca por doo.
s paquetes,sobre
Lisboa.
Porto.
Draga.
Vianna.
Guimaraes.
Villa Real.
Aviso.
O abaizo a-iftn >di MM que AfKi-m
velmenle a socie.l.ije q>)e Uri|,4 ^ rttM d, f^m
nome^labletimet lo den, bailo- (ten-la) te*
Sr. Lu/. Manoel de Frenas Kluciro. feanaVt ata*.
zo assignado ezonerado d- qojtqavr ifi tm, e
ez-socio Lolz Mannel rom a farearia W m'--ata
casa, e res|>onsavi>i mt qnalqner oVMla nnWihiii
no lempo da mesma ezi.nc. MK-ietbV. cynaWa
nosso papel d^ di.-lral-.; e para qne io e atrgw
iiinorancia, faz-M- o Bfaafia ati*>. Tula do Ca
7 de agoste de I8fi3.
Fraocisro de Sooza Hartias.
COMPU.
Compra-se elfecTarnente rro e a*a-a
ODras ve.as, pjgrf0ilo-se bem
Rosario n. ii, loja de oariteji.
a rna bna
Adrante a ~/'l.V;;, '"",r">rrne ""- '
Amarante. i ne effertivamer.ie e*craviK .),. arnl-. r-saaM
O bacharel |R
Francisco Angnsto da Cosa fe
ADV8GAD0 "0
Ra do Imperador numero 69. Ss'
Alnga-se a loja do sobrado n. 17 da ra da
18
W
i
Ottro c prr' i
, em obras velhas : rompra-te na Mf| da
pendencia n. i, loja de liilhef^.
Compra-.-e um ellim em meio oo t* na
de Sauta Thereza n. 38.
Imperatriz, com bons commodos
gundo andar do rnesmo.
Compra-.e ouro, prata e Wttmi r*r
em obras velhas : na ra da (jd^ia o Hecifc,
a tratar n > se
leja de ourives no arco da l]r>ntr\cM
Na praca da Independencia n..):), loja de oiin
ves, rompra-se ouro, prata, pedral preciosas
(amhein f-e f;iz qnabjaer obras de eLCommenda e
odo e qtialquer concert.
Fnmcio
1)0
liWI
Deposito geral em Paris, em casa de MENIER,
Ra Ste-Croix le-la-Drclinnerie.
Pelas commissae em grosso, dirigirse aos S'" WILLAERT e BERGl, comisarios em drogara, 11, ra Saint-Lazare, Paris.
ASTHMA ASTHMA ASTHMA
Siiiicc;i"i<( nervosa e Oppresao
nico remedio eficaz para combatter estas mo-
lestias, acalmar um attaque d'asma e impedir a
volta 6 o Xarope aromtico de Succino (mbar
amarello) do Dr Danet. Descoberta inleiramente
recente, este novo producto se tem propagado
com extrema rapidez gracas aos admiraveis resul-
tados que tem sempre produzido.
Deposito geral, na botica Chauveaud, 54,
ra do Commercio, Paris-Grenelle, e em todas as
boticas de Franca e do estrangeiro.
Ra da BCru-u umaci-o
Ne.-t- eslnbelecimeoto acliam-se ronda os se-
gointes objeclos, todos da primelra qualidado, e
construidos e^pecialrnente para esla casa, pelos
mais acreditados fabricantes ogiezes :
Machinas a vapor de 2 1|2 a 8 cavallos, com
moendas, juntas e sem ellas ; e tambeni propiias
para descarocamento de algodio, afamadas pela
fortidao, simpiii idade e economa em combustlvcl,
e por nao precisar de obra qualquer para seu as-
e sota mente.
Rodas d'agua de ferro, systema mui proveitoso
da forca d agua.
Rodas de espora, e angulares, e de esquadrilha
para animaes.
Moendas e meia-moendas.
Taizas de ferro batido e fundido, e de'cobre.
.Machinas para desearocar algodao, systema
Platl, com os ltimos melhramentos.
Boceas e envos de patente para fornalhas, dimi-,
nuindu mtiiio o gasto do combusiivel.
.Machinas e machinismos para moer mandioca,
movidas a vapor, agua ou catada
Fornos e chapas de ferro batido para coser fa-
rinha.
Alambiques de ferro, e fundos.
Guindastes, fuos e poriaiils.
Prensas para copiar cartas.
Rodas para carro de engenho com eixos e man-
gas de patente.
Formas de ferro batido galvanizado para purgar.
Serras de ac e armacoes de serrara.
Arados de ferro singelos e dobrados, grades para '
cubrir canna, enzadaa a cavallo, e ouiros instru-
mentos de agriculiura.
< obre, lal e rbu&itV.
Comprase cobre, lata,, e chombo : da iimat'm
da bola amarella, no cilio da secreuria de i**.
licia. *^
Com|)ra-sem'edas de (iit-$ e |-ef;as He
Ity narua da Otm ii. W.
Compram-se moedas braTileir/V >- 3P.5
215 : na ra do Crespo o. 16, prinv-ir-j mtm.
ENDAS.
0 c.stello de Grasville.
Traduzidn do frsarrz par .4. J. C. da f^az.
Vende-se este bello roinanre en .|a^tr
tomos pelo barstissimo pre;o de 3JWIC
ua prafa da Independencia, iivraria as.
6 e 8.
AGUA FLORIDA

i--'.'*.-..-**, y
MURRAY & UNMAN
A ana ilurida de Morra A Laiivar,
olhada como um ai%< tle j.trfiinie. nao
tem pn.lidn t iu.ilai!.i r-i'l;.- 11
Fornece-se comida para casas de familia, lojas as mais cusIosps : ammn -u>r>
a offlcinas, com lodo o asseio e promnt dao, mui- mfl c rnrmn H .
to varia-a, e por eommodo preco, mandase levar ,n0 Se ""* Parlc da Pren,,a a V* *
em casa ; lambem recebe enrommenda< de boloe se aPP'lca.
doces de todas as quahdades : ra da Cada n. 70, Sua eficacia to tb-liratla rr*o rleffan-
Boa-Virta, cas, particular. tPS s3f, ses mi,|,ir,|M.ai|s n>v qniT*^,
A ttenvau.
mida para casas de
ou ofOcinas, com lodo o asseio e promptidao, mi-
Em <
-L
Companhia
geral hespanhola de seguros mutuos
sobre a vida
ATORISADA PELO REAL DECRETO bE 21 DE DEZEMBRO DE 1859
ma Banca ein dititM, ^eposilado nos cofres do estado, garaele a boa da
luiusliMCao d companhia.
JhF^Xt--
BAXQUEIROS da companhia
O Hauco (le Hespanha
DIRECCAO GERAL
Madrid : Ra do Prado n. I
Bstacompanhia liga pelo systema mutuo lodasas combinacoes de supervitncia des usa
sc-bre a vida.
Nella pode se tazer a subscripcao de maneira que em nenhum caso mt.'no ici irtritdts
gurado se perca o capital nem os juroscorrespondentes a estes.
Sao to suprehendeotes os resultados que produzem as sociedades da indole de A NACI
DAL,que ain la mesmo diminualo urna leroa parte do interesse produzido em recentes liquidai
cues eeofBbtnand-i-o .-o:n 1 in->rUli4ade da tabella de Depareieux que e adoptada pela compaob--
para xeasealnalose liqaidaeSeg, em segurados de idade de 3 a9 annos, umaimporsicoannua.
de 1005 produz em elfec.tivo metlico:
Xo lira de 5 annos.......1:1195300
de 10........3:9425600
de lo........11:2085200
- de 20........30:2565000
' de 2o .......80:3315000
as ida les menores de 3 anuos e maiores de 30, os productos sao mais consideraveis.
Prospecta e mais iuforinacoes serao prestadas pelo subdirector nesta provincia.
Joaquira Fiu/.a de Oliveira, ra da Cadeia 11. 32, ou a Boa-Vista roa da Imperatriz n.t2,estabel
ment dos Srs. Raymundo.Carlos.Leite A Irmao.
Casa dbannos
Largo do Carmo m. 26.
E--te estabelecimento tao bera moutado na sua
origem achava se de ha muito em quasi completo
abandono pelo pouco ioteresse do ^ua adminis-
Iracao.
H'ije que o boto prbpnetario enipregou todos os
meii s para rolabeletvr a grande utihdde deste
estabolreimento, pode asseyurar ao publico que
qualqoer qae seja o numero dos concorrentes
charlo desde j promptidao e aceio nos banhos
Irkw, momos 00 niedieinaes, a casa dos banhos ?e
achara abt-ru todos os dias das 6 horas da manhaa ;
as i I da noite.
Precos.
Banho de choque...... 500
uno (rio ou murrio..... 500
Dito de farello.......15000
Dito medicinal ser se-
gundo sua qualidade.
Asignatura.
Por mez banho fro ou moran... lOiOOO
25 eartdes para banho fro, mor-
no ou de chuvisco.......... 105000
12 carloes para os mesmos___ 55000
12 ditos para bauh 1 de. farello. 105000
-SlJs^
mi
m
M
m
eutista de PemambcoJ
fS Ma esli-cHa do Rosario n. 3,
ao |i da igi ej>
^FRANCISCO PINTO
3 Colloca tientes artiflciaes
pelos ayuteiuas mais mo-
fl demos
SM Emprega todos os meios seb-ntificos para
S conservar os natuiaes. PJe ser pruenra-
do em >eu gabinete das 9 horas da na-
fij| nhaa as 5 da larde.
Carleiras de 12 tubos grandes.
de 24 tubos gi andes.
de 36 tubos grandes.
de 48 tudos grandes.
de 60 tubos gran es.
0 Dr. Cosme de S Fereira conti-
na a residir na ra da Cruz n. 53,
Io e 2o andar, onde pode ser procu-
rado para o exercicio de sua prolis-
so medica, e com especialidade
sobre o eguinte
Io molestias de olhos ;
2o de peito :
3o dos igaos geni-
ti urinarios.
Em seu escriptorio os doentes se-
rao examinados na ordena de suas
entradas comeando o trabalbo pe-
los doentes de olhos.
Dar consultas todos os dias das
6 as 40 da manhaa, menos nos do-
mingos.
Praticar toda e qualquer opera-
cao que julgar conveniente para o
prompto restabelecimento dos seus
doentes.
mmmmmmwM
I
1
A tinta, o> fllhos do primeiro matrimonio
H e genros do brigadeiro Ga^jiar de Menezes
I Vaseoncellos de Druinmond, confessam-se
a inuit gratos ladas as p-ssoas, que presta-
j ram-lhps o especial obsequio de assistir s
ti missas e ao memento, que na igreja de Nos-
y sa Senhora do Carino se celebraram no da 5
do crreme toez, pelo eterno repouso do dito
f sen marido, p.ii e sogro. |'
ymtKmmmmm &^?z^: I! vfjosde-se ao- senfioref redactores da Ga-!
setilha oS>trnaldo ttafe n. 179, qne o sobrado
do pateo do Paralzo n. l*, qne llie fol dito estar em
esta l'i de desabar, j i f*ra por mandado do respec
Uto lisral deSatiO Amonio rfsioriado pe'
Firmino & Lins
S .\vo esUibelccimenio de retrt-
tosa na Xova n. 15,1an- 1
g dar, junte ao Sr. Gautier, 1
m dentista. c
Tiram retratos todos os dias, das 7 horas >*
) da manhaa. as 5 da tarde, quer chova ou M
Tambem se offe.reeem para tirai retra-
*& tos de pessoas fallecidas, dentro ou fra #
M da cidade.
Os annnnciantes desejando acreditar o
jB? seu ei--ibelecimenlo, garantem ao publico
'M- que nenhum trabalhosabira de sua offlci- |
M na, sem que nao seja pereitamete acaba flE
jj^1 do, p a voniade do fregoee. |jK
OR. PEDRO DE 1TTAHY0E LOBO HOSCOSO,
MEDICO, PARTEIKO E OPEHAIIOK.
3 Ra da Gloria, casa do Fundao 3
0 Dr. Lobo Moscoso d consultas gratuitas aos pobres todos os dias das 7 s 11
horas da manhao, edas 6 e meia s 8 horas da noite, excepcjfo dos dias santificados.
Pharmacia especial homeopuhicu
No mesmo consultorio ha sempre o mais appropriado sorlimento de carteiras
tubos avulsos, assim como tinturas de varias dyninamisaroes e pelos precos seguinlei;
. 12J0O
I8f5000
243000
30:)000
33,5000
Prepara-se qualquer carteira conforme o pedido que se lizer, e com os remedios
que se pedir.
Um tubo axulso ou frasco de tintura de meia onca I#000.
Sendo para cima de 12 custarao os precos eslabelecidos para as carteiras.
Ha tubos mais pequeos cada um a 300 ris.
LITROS*
A melhor odra da homeopathia, o Manual de Medicina Homeopathico do Dr. Jahr
dous grandes vnlumes com diccionario ........... 20^000 o Lopes tavare*.
Medicina domestica do Dr. Hering .... oO'lO Jo; Francisco Rodrigues.
Repertorio do Dr. Mel- Moraes......." OiWflO P*K B(^''^^Le,:,., lt
Diccionario de termos de medicina........ \ W* Efi*?
s remedios deste estabelecimento sao por demais conhecidos e dispensam por Manoel Franci-co Coeiho Jnior,
tanto de serem novamente recommendados as pessoas que qui/erem usar de remedios Jr' An,ODio Pereiw liamos,
verdadeiroi, enrgicos e duradores: ha todo lo melhor que se pode desejar, globos de ffio"'fttre^.,cSi%fonte!ro
verdade.ro assucar de leite, notaveis pela sua boa conservarlo, tintura drs mais acredi- SSS^A^VMSS^tuuimtA
lados estahelecimentos europeos, a mais exacta e acurada preparacao, e portante) a maior Francisco Gomes dos Santos,
energa cerieza em seus effeitos. Jo5o Gomes Pereira.
/>o A 1 lo" 'jUt Pacheco de Souza.
LaSU (te SUCl/' para eSCVVOS. SebaSiiloJos de Barros Barrete.
Recebe-se escravos para tratar de qualquer enfermidade ou fazer-se-lhe qualquer VS^uS^SSSli!'^*'
operaco, para o que o annuncianle julga-se suflicientemente habilitado. .loaqnim Francisco da Silva.
0 irahmento o melhor possivel, tanto na parte alimentar, como na medica, e oii? ibe'.de,ValT'
funccionando a casa ha mais de quatro annos, ba militas pessoas de cujo conceito se nao KalSSSPerrlS.
pode duvidar, que podera ser consultados por aquelles que desejarem mandar seus Vicente Ferreira Neves.'
doentes. Joaquim Francisco Moreira.
Paga-se 2# por dia durante GO dias e d'ahi em diante I/300. Francisco de Agolar Jnior.
Asoperacoes serao previamente ajustadas, se nao se qnizerem sujeitar aos precos ? cldan r'*" r'n''
razoaveis que costuou pedirr o annunc ante. JfiSS de olveira Maia Jnior.
Na ra do Imperador n. 83, segundo andir,
preclsa-se fallar com os segnintes senhores, para
negocio que Ibes diz respelte.
Anlonio Nunes de Azetedo Oampos.
Manoel Correa da Silva Lobato.
Joo PeMra da Silva.
empregada u mo artf* tk- tmmm, joer
no uso do banho, ou como >na\i.-ia U>r da
pelle, depois que se tenha feito a barba;
j para limpar as gensivas nn ar*,..-)tiar o
hlito.
D stiavidade, brilho c HaslkMlstle as
COmpk'inx'S. tiei os tlt> .-. Ii;m-r la\*lo: a-
livia a irritaro de 'nipniesordinaM-s: 'n
desappjrecer o riesapradavel aspoki ik
pannos, das sardas, do rosto, nmm t trida a
casta de i bulires, e d \igor > Nmbi a
parlc onde quer que se appliqn.-. Sin t^B-
ciencia c elegancia lio igualnunie indli-
veis nosca.-os em que MJa ffCM ap; lira-
la como estsmlante e tmmftk, m i re-
cursos e assearMa hMbW, na* fora-
lidades infeccionatias, na alo\a tle mn en-
fermo, assim como t- um anlid-d-. ev-rilen-
te para os desmaios tausa-lns [tr .anjaro
ou suffocaco. Preparada uiiiainrnt- j<*
Lanman & Kemp, Nova York, a ventla |*r
Caors Rarliosa.
Joo da C. Bravo A C
Vendem-se no Recile em casa de Caors
Barboza e Joo da C. Bravo d C.
Vinho do Porto superit-r em raixa dt- hnia.
| tem para vender Antonio Luiz de fMiv^ira tmm-
do A ('... no seu escn>lorio roa da Gruz n. I.
Vende-se urna ptima eserava im>a >k
figura : a tratar na ra da Csd.ia n. i". | ja de
, relujoeiro.
Colla da li.iliia superior
Tem para nadar AMmbH Luiz da Azetpd A
C, no .eu escripl'in-i roa da i'.ru; I.
Carne do serlas a iOO rs. a libra
a ella anles que se acabe : m ar;azem da e*tr. I-
la largo do Paraizo n I i,
I Vende se urna bonita escrava rri.'iiia Ir i.Ja-
de de {* a 20 annos : na ra da < jd.-ia d> Recite
D. 10.
m

Vendem-se saceos com farinna la lerrt ir ni-
! to boa, com -li cuias rada uui a ii : no arntazrm
da ra do Imperador n. W.
- Vendeja um atetava moco que ja (a *. -
genho : a tratar na ra do Haatapt '-ara n. IX
\ it-hus iio Parlo
das melhores marcas, em (aixinha-> de orna 4:izia
| de garrafas para casas paiuruhrr*. m 4a : L**n-
; mas du Ui-iiru, Duque do P,.i lo e I). I.in* : iaa4 m
| tem ancrreas de dcimo encapada* n.m arn-r
vinho, barris da o" t 10 m pipa : na roa Milho.
DE
J. VGNES.
X. 53. RA DO l.i.l*l<;EMIKIl
-.' P!?n_^ S:illlUei Power JolillStoil i. OIIipanhia j Sario o. i, primeiro andar.
Ra da Senzala Nova n. 4.
AGRNCIA DA
I-'iiutlivrio le 8.otv Moor.
Machinas a vapor de i e 6 cavallos.
Moendas e tneias moendas para engenho.
Taixas de ferro coado e batido para enge-
nho.
clima deste paiz ; quaulo s vozes, sao melodiosas e flautada, e por sso muilo agrada-
veis aos uuvidos dos apreciadores.
Fazem,> conforme as encomrnendas, tanto aesta fabrica como na do Sr. Blondel, de Paris, socio
eorr^poudenle de J V.gnes, em cuja capital (oran sempre premiados em todas as expusiees.
m*lh?r0.rn memores amores da Europa, assim como harmnicos e
presos commodos e razoavels.
X. 53. Arreios d carro para nm e dons cavallos.
oecessario insistir sobre a i Relogios de Oi.ro patente inglez.
Arados americanos.
Machinas para descarorar algodo.
' Motores para ditos.
Machinas de costura.
panos haidiuiiicus, semio ludo vendido por i
^^ A ttncito
, m> peritos
Theodoro Rampa e Ifruno Gomes da Silva na ma- turna andar cora um ccete na
No domingo 6 do presente mez, a 1 hora da
tarde, rmn do sobrado dama do Sebo n oO para
Be.Ponde.se ao menino da Cm Forte que l^ZX^^Z^^X
de mangas arrejacadas a meia noite eos- sendo leda azul somate
mao atraz em vol,a ri8S n||1os e bico
nhia do da 3 do crreme me/, .le agosto, os quaes de negras (nao sei para que fim) une oerde liv,>r,n6,ic"' diplJ* M mesmo
entre si julgaram nao ameacar rama qm- o I z-^s- ..,.,\ nAkA ..'? gratillcado.
se desabar/efazer os estragos que recela quem :seu]empo era oolho que nao e de vidro. '
Ihe den urna semelbanre Doteia, cujo termo e>i dando-Hic de conselho que acho melhor't
recolhido na secretarla da cmara municipal ; que v para o seio de tia familia d'onde los
comindo eonst que o ,-,-u proprietarfo o Sr. Inno- anda ausentado ou argentado a annos. oois! le
cenco Rodrigues Lima pro ende requercr a cama- i a miu j i V i prt""u- K ,-,
ra municipal para fazer uual per concert e repa- e mlh?,r doqtieandar fazenJo jigura Inste\*.
ro que o mesmo sobrado precisar, e que ol apon-! no Recife COllimettcndo 0 que 9 eu patrio |jaraos
lado pelos raesmos peritos. nao ignora.
Atiendo
para a graEflcav:lo ao desapparecido.
No dia 24 de julho desappareceu do pateo da Pe-
------------------------------------------- nha um cavallo rodado pedrez, inteiro, grande,
Arrendase um sitio to Jacar, estrada que '"dador de baixo a esquipar, nao sabe o Ierro
tai para Aftua-Prfa, com casa de ped'ra e cal ulti-1 ('ue lew Por eMar muil 'P*ado, dinas e cau;a
mmeme edificada, com bastantes commodos: este ifran,1(!,i. pertenceute ao Sr. Miguel Nunes Gorreia, alni de 4 em lii incipio ct-nio se BOI 1 r
**- _______ .1 ... lili' r Vendem-se Batee gran les com tai'ho novo : ta
ra da Madre de Dos n-. ~. e 9.
Para matar forminas
Vendem-se velas para malar formij: s ; tu ar-
mazem da hola amarella no oiao da srerruria es
pidiria.
Vende-se nm carro n^tu .para coadiic^o : s
tratar na ra do Sebo n. 34, taberna.
Vende-se urna taberna na roa leo-rn' n.
205 com poo&is fundos, propna para priurt ia*!-,
e bons eommodo n.ira f.n.jia, faz-se ^f -i.. ras-
mo a (ira-i.rom divo de m tender por -en 4.>oo
ter de reiirar-se.
Vendem se ba-ris de V om m i.Vlur.
bom : para ter c tratar na roa do Vifari n t
Vende-se u.na grande prapritMa
outr'ura Berensrer, coa ,i rente para a m
da riorent na e os fun.ios para o novo caes
Cipibaribe, i'orUndo 18 momias de asa.*.

iratar.
I na mesma loja.



~r- jv-
tt.arlo t!e pentaiabuco Quarta fes-a O Je Agosto de 834.
PILLAS CATHARTIC1S DE AYER.
J\ Estas pilulas vegelaes s5o a-
daptadas a todos os usos de um
^purgante as familias, pois sao
'perfeilamente innocentes, e em
quanio milhares de pessoas con-
fessam com gralidao que foram
curadas por ellas de molestias
severas e perigosas;n5o ha
um s caso em que haja suspei-
tas do mais leve resultado inju-
rioso por seu uso.
Publicamos aqu algtins dos
attestados que temos de curas
notaveis feitas ltimamente.
Um caso notavel de
Affecco rlirouiea de ligado.
Illm. Sb.
Juiz de Fra, 17 de fevereiro de 1864.
Tendo feito uso das pilulas catharticas
de Ayer, que me fez favor de dar um vi-
dro, tendo tirado um resultado n5o espera-
do ; padecendo ha mais de doze annos en-
fermidades do figado e baco, com o uso
das pilulas posso lhe assegurar que estou
bom, pois tendo desapparecido um granda
engorgilamento que soffria, muitas" dores
sobre a regiae do figado e costas, dores de
cabeca, incbago do ventre, nao podendo
deitar-me seno do lado direito, isso mes-
mo procurando posicao para ter socego, lio-
je me acho livre d'esse padecimento ; como
por aqui ainda as nao haja, eu como tenho
este proprio que de casa, lhe rogo man-
dar-me alguns vidros, e o cusi elle lhe sa-
tisfar, assim bem como do charope de
cereja, que tive occasiio de experimentar ;
em um ataque de guellas que leve urna
preta que com elle curei, fa^o uso d'elles
oas tosses em minha familia sempre em
bom resultado, e por isso que peco para
mandar alguns frasquinhos, e mesmo as pi-
lulas pode montar a doze, porque tenho
feito uso d'ellas para uso da familia e al-
gumas pessoas, ia d i ,mt c g e
resollado ; sou bldoorojeandeoda
De V. S. attensgPs.ar
Francisco FERitEArF.iiAit
Loja do gallo vjg.ianle ra o Crespo
UTIlfKIWTO
numero 7
Neste eslabelccimento encontrar
publico um grande sorlimento de
objeclos de muilo posto que icm chocado nestps
ltimos navios-e vapores de sua propria eonta, que
por isso mesmo vender pelo menos
lhe for possivel, como sejatn :
lencos.
Os lindos lencos imperiaes para senhora
inteiramente nova.
Alhurs.
Albuns mnito finos com rapa de msdrepernla e
de tartaruga com guarnico de rata para 50 e
100 retratos, assim como deoutrosmais inferiores
de 20 a 50 retratos.
leas.
o respeitavel
galanteras e
prego que
cousa
A V IMAM
GREGORIO PIES DO AMARAL & C.
que receberam pelo ultimo paquete.
O MAIS naco I
DE
manufacturado em
Grandes chale granadme
Bournus
Rotondos
Treanon
Pampadour
Wateau
\ bramo*.
oliciins de marroqu', com csea re is
e sem efs.
Na i ua do Queimado loja da Aguia Bran-
ca n. 8, venderu-se coili-jrosde mairoqoim,
pospontadas e com caseaveis, ou em eiies
proprias para caes c i utr. s biebinbof.
Peana*- ingle/as de ac e ifoaraJaa.
H-j novo orlimemo de p-nnas de ac que jan'ar de porcelana c .1 i... -,
Aguia Br-nc acaba de reeeber, vieram elaquinlias a >rs. i, .: : .
irihpm mifi--i<.- .1 .,..,tnl .I -_.i i!-.- i. I" '
tambera ostras de metal (forado e lucos
mu bem acabad-, e p .r e*sas boas e ne-
cesarias qualidmies os > bricantes Perry cV C, as recoitmeiidam a-.-s larguras a I >. ,-, .iln.l
entendedores apreciadores do bom, valen- ni ios para sen!
do mesmo a ditferenea que lia no precn de renda c Usos, os mais
urnas para outras, porque estas se tornan podem encomia,-.
mais durareis na cowinuacn de cscrever ; Vende-se la para torda- d<- *m
assim pois quera deltas se quizer ulilisar qualidade e de e
DO BEJ FLOR
\ raj i!o Quei-na-'e b.
Tendo receliido um s<>iiim.!,i ii |*M-
cas de choro, que cham. m peyei e ra intu,
com cabel'eira de cari i*s.
Tendo recebido um variado si Mimen! *
brinquedos paia mciiin <:. sendo .
espingarda*, i>iaiula>. lansbures ; d
para meninas : apinrelh .- v e ,le
_.av
do continuar, ver.de hu i.itii .i,, ijij^ rm
mitra qn;d ner paite.
Vende-se tira-* bordadas de di.'i
rw. cll i inim f j ,i-
. uordaikM i abaMa .*
compra-las a dinlieiro a vista : na ra 4|
; Quciraado loja da Aguia Branca n. 8.
Franjas com borlas c sem ellas para
('oiIu.hIos,
A Aguia.Branca receben um bello sorli-
I ment de franjas enm borlas e sera ellas
i para cortinados, todas de novos e bonitos
desenbos, cuja commodidade do i-reco esl
!em relacao a largura : acliam-St3 ellas a ven-
Lfixinhas ricamente eafeitadas tocando duas l)retos. brancos e de cores ; magnficos desenbos, de gosto modernissimo.
pecas de msica propra para mimo.
Khi'iimalisino
e ataques hcmorrhoidaes.
1l.m. Sr.
Ouro-Preto, 30 de marco de 1804.
Posso certificar-lhe que as pilulas ca-
tharticas do r. Ayer sao excellentes, pois
que soffrendo eu dores pelo corpo, e que
. assim como
caixmhas pequr-nas com msica tanto de veio co-
mo de dar corda,
*'c.suat lo s.
Riqulssimos ve-lunrios de seda para criaogasas-
sim como touquinlias, sapatinli.s e melasiahas de
seda.
empellas.
Riquissimas capelias brancas de Boros para noi-
va, assim como meias de seda brancas.
Porta hoqnet.
Iiiquissimos porta boquel com cabo de madre-
perola para llores.
Leques.
ltiquissinns lequesde nndreperola e desnda-
lo assim como de osso.
Uvriuhos.
Riquissimos livrinbos com capa de tartarura
! guarnecidos de prata para missa.
Aderemos preros.
Riqnissimos adereeos (.retos sendo pusera, ro-
I zetas, allinete e volta, assim como de cores fingin-
do perolas.
Brincos.
iUquissimos brincos e metas de todas as quali-
dades e gostos moderos.
toares.
Vestidos de GRANDE TOILETTE. Fazenda preferivel pelo brilho e gosto, a mo-
rcantique ou giosdenaples. Barras e laco bordados a fioco e vidrilhos, sem depende-
rem de modista para os fazer, visto trazerera o corte debuxado.
primoramente bordadas ou matisadas,
suppunlia ser rheumatismo, (molestia esta iH Rl1ui:!>inV1< ''onecasde porcelana e de massa e
queja havia soiTrido ha annosU som-endoi JapaTe'mam1iCm 5 que fallam chamand0 por
tambem de ataques hemorrhoidaes, e de i Pcntes.
um ouvido, pois que al j pouco ouvia, ej Rlqolsslmos pentes de tartaruga para senhora,
acorapanhado de tima dr no queixo, con- as.sim ('umo l,ara menina e de muitas outras qua-
sullei a um dos nnssos mdicos, e este me f'ff^
disse que devia fazer uso da salsa ; porm 52*5?! SS5* ClmA C n,esa'
lendo eu o almanack do mesmo doutor, mlST* "^ para aan de raesa e ,,ara
compre em sua rasa um vidrinho das mes-
mas pilulas e por minha conla principie! a
Fivelas e sin tos.
Riquissimas (helas de madreperola e de metal,
toma-las, e sem as finalisar acho-me sem as !assi,n ':ino bniu,s sinIOS-
dores pelo corpo; e sem sentir, sarci do
ouvido, e mesmo dos ataques hemorrhoi-
daes : porlanto sp para mim as taes pilu-
las as melhores que tenho experimentado;
isto em abono da ventada. Sou
De V. S.
Amigo certo, venerador e obrigado,
O brigadeiro
Joo BoniiictKs Ff.u be Cartalho.
Caslrile.
Ouro-Preto, 9 de marco de 1864.
Altesto que tendo feito us, aconselhado
por um amigo, das pillas do Dr. Ayer,
iquei perfeilamenle bom de urna gastrite
que soffria e que privava-mc Je andar aper-
tado, boje felizmente nada sinlo.
Augusto Gollatino de Mello.
Falla de apetite.
Ouro-Preto. 24 de fecereiro de 1864.
Sendo eu almelado do igado ha muitos
annos, e ltimamente soiTri falla de apelite,
hoje dou gracas a Dcus por achar-me sao
e perfeito com o uso das pilulas catharticas
do r. Ayer.
Amonio Bento Vieira.
Cnnslipacao, dores Ouro-Preto, i>8 de marco de 1864.
Atiesto que achando-me atacado de urna
forte constipadlo que trouxe-me dores por
todo o corpo e na cabeca, sofiri horrivel-
mente por espaco de quatro das; ento
um amigo aconselhou-me que tomasse pi-
lulas catharticas do Dr. Ayer: com ellas fi-
quei sao e completamente reslabelecido em
tres (lias, de sorte que eslou no firme pre-
psito de aconselhar o uso das ditas pilulas
a todas as pessoas que forem affecladas de
consti pagues.
Agostiniio Jos da Silva, negociante de fa-
zendas.
Inilffio i'o estomago.
Ouro-Preto, 29 de marco de 1864.
Atiesto e juro, se necessario fr, que. sof-
frendo ha muilo lempo excessiva irritagao
de estomago, pouco apetite e difllcil diges- Fr^",os1.
tao, d'ella tenho experimenlado sensiveis Lata's
melboras depois que tenho feito uso das pi-
lulas catharticas do Dr Ayer.
Amonio Hermogenes Perora Rosa.
Flores.
Riqiussimo sorlimento de llores o mais tino que
se pode desejar.
logo para familia.
Riquissimo jogo de vispora em caixinhas de ma-
deira eovernisada e pedras tinas proprias para en-
trelenimento de familia.
Para vlagcns.
IUquissimos estojos com tuos os pertences finos
paia tiomem.
Hiquissimo sorlimento de lilas de todas as qua
Iidades e lidos gostos.
Franja.
Biqai88iraa franja de seda do muilo lindos pa-
ciroes tanto de cores como prelos, as.-im como de
tiorlo'a e sem ella propria para cortinado.
Trancas.
Riquissimas trancas de seda preta e de cores as-
sim como de algodao e de laa.
(Perfumarlas.
Grande sorlimento de perfumaras de todas as
quahdades e dos melhores auiores al o presente
condecido e muios outros ubjectos que se tornara
enfailocho mencionar, istu s no vigilante ra
do Crespo n. 7.
Uld
man
ZC!
igodiiilio.
Caixas de papel amizade, e sem ella liso e pautado
a (00 rs.
Grozas de botos de luuca pratcados fazenda mo-
derna a l' rs.
Duzias de penna de ac fazenda boa a 40 rs.
Cecas de tranca de laa lisas e de todas cores a
40 rs.
Escovas
0 t
Palceiras de contas para senhoras a 500 rs.
Pecas de fita de eos estrellas com 10 varas a
:iO rs.
Caixas com cok heles francezes, superiores quali-
dades a 20 rs.
Tinteiros de barro, com superior tinta a 100 rs.
Pe$a de cordo para vestidos, fazenda lio
Baralhos
240 rs.
Frascos com agaa de Florida a 15 e 15280.
Frascos com superiores banhas a 500 rs. e 2$.
com banha, porm pequeos a 200,'e
Glac-royal, em pecas com listras de seda ,
fazenda inteiramente nova de bonito effeito.para partidas, soirs, thealros, passeios etc'
OBLE APA8
e SOBRETODOS de panno mesclado (imiermiavel) viudo no ultimo vapor
Dr. um, s panno
Colchas de damasco de seda portugueza, de todas as cores
- K GaVATSS, MANTAS
decores, muilo bonitos padroes a 500 ris.
BO.NETS de pa ha ricamente enfeitados para senhora
CHAPEOS
CHAPELINAS
ENFEiTES
roslumesd faslao enfeitados para crancas
E innmeros object-s de modas recebidos directamenle por todos os paquetes e
escollados caprichosamente dos mais modernos gostos da Europa.
F.tZBSXD.l* PAR IIOJIIMI.
Casimiras modernas de quadros, panno prctos e de todas as cores, brins, sobre-
casacas, paliios, calcas, colotes, camisas, ceroulas, lencos.-meias, etc.
Gregorio Paes do Amaral & Companhia.
ISl
avando.
Francrz barrica i>0'--Q
Foriland dem 83500
Em perfeito estado:
Francez barrica 10,5000
Portlaml idem 12&00
.\'o armazem de Tasso Irmos cae* do'Apollo.
/1 O
mu


Grande armazem de tintas.
ra no imperador x. 22.
O armazem de tintas um grande deposito de
productos chimicos utensis e os mais empreados
e usados na puarmacia,pintara, photorirapnia. tin-
turara, pyroteehinia(fogos de artificio) e em outras
industrias.
Montado em grande escala, e supprindo-se di-
rectamente as principaesdroganas de Paris, Lon-
dres, Hamburgo, Anvers e I-isboa, |>de oftereceer
productos de plena confianca e salisfazer qnalquer
encommenda a grosso Iratoea relalho, porprecos
razoaveis.
Prvidos de machinas appropriadas satisfar
com promplldao qualquer pedido de tintas moidas
a oleo,cuja qualidadce pureza de seos ingredien-
tes poder ser examinada pelo consumidor, o
Cni?simas para limpar denles a 240 e
feiles de mesas, tic, guarnios de'.Unifsima or-; KS?1 sT"U,h e 'M!,'",,"u ,ormal ae varias cores
celana branca donrdas o de cores para lavatorio ^ZSSffSuffl forro de casa, para desenho
s I com fundo ja feito; de papel albuminado e BrisU,
photographia e para filtrar,
e essencia para quadros, dt
".-.......- cPal Para o interior e ex-
de superior qualidade/e muos S ar. gos qe ; cuSflcado*! K. n secca,,ivo-Ho1 iiah^
seria eofadonho mencionar, tudo por precos n?ui-: 2SS em \t.l0^SeC&Un de ,,arl,m- our0
issim-.'s razoaveis. veiu.uuro m po
muilo finos para voliarete
boa a
a 200 e
La fina para bordar.
, prata, uro, e eslanlio em fo
Ibas de varias core; ; Unas vegelaes, inolfensi-
i vas proprias para confitaras ; laa de cores, e
e
o "de TttZ* f:,a d0 *'**' 2SS'~SS?Srs,p.SS*.^,,?S^:
n. lb,\ende-se laa fina, de vivase agrada-1 raaqoarella; essencjbde rosa superfina, de ne-
vis cores, tao propria para bordados como! rolv.Jasmim,bergamota, aspice, patchoulv/ambar,
para touquinhas, sapatini.os, etc. : guem!wul,uct,lilPo':ilcaraiva'lllelis5a'or,ela'pimcnial
pretender dirigir-se a dita loja na ra do ffllf^&'iSSfr I^fSS*1*^ *
daa ra doQaeimadoloja
ca n. 8.
Jogo da paeiencia menid.
Na ra do Quimadu loja da Aguia Bran-
ca n. 8, acham-se a venda por precos ra-
zoawis, caixinbas com tabolas de raadeira,
quedas diversas piolaras dellas se formara
agradaveis vis as e paisagens, cegando os
desenbos que acompanhau. Na verdade
esse um deleitavel en retenimento com o
qual se despe ta a curiosidade, e apura a in-
teligencia. Os apreeiadoies dirijam-se
ra do Queimado, a di la loja da Aguia Bran-
ca n. 8, que sei a > salisfeilos.
Tailiercs p.ii't meninos.
A loja da Aguia branca, na 1 ua do Quei-
mado n. 8, recebeu novo soi tmenlo de ta-
lherc para mtnios.
Bello soriiaieuto de la fina.
A Aguia Branca, na ra do Queimado n.
8, recebeu novamente um bello sorlimento
de la lina, de bonitas e agradaveis cores,
entre as quaes se acham aigumas que te
nao encontrara em quaiquer outra parle, e
que muitas vezes sao necess ras para os
differentes matisados que com gosto prin-
ipiam as habis p.cfesionaes; assim pi is
j se sabe que a falla cessai urna \ez que o
portador se dirija com dinheiro ra do
Caeimado; 1 ja da Aguia Branca 11. 8.
Bonitas eu fei ir 8 para stnhorig.
A Aguia Branca acaba de teceber u i. no-
vo e lindo surtimen'o de enteites ts mais
modernos e gostos inteiramente agradaveis,
e como seu louvavel costume os est ven-
dando baratamente a quem com dinheiro se
dirigir ra do Queimado, loja da Aguia
Branca n. 8.
Meias de lia para Benhtras.
Vendem-se na ra do Queimado, loja da
Aguia Branca n. 8.
Mata mosca.
Na loja da Aguia Branca acha-se a venda
o papel com compo.-irao para dar fim as
moscas, sendo o modo de usar faciliimo, e o
effeito efkaz : molba-se o papel e deixa se
ficr n'um prato, e nelle pousando as mos-
cas, entristetem e morrem. Gusta cada fa-
lla 40 ris : n ra do Queimado, loja da
Aguia Brai:ca n 8.
Meias prctas de seda para senh: ras a
5 ris o par.
_ A Aguia Branca quer acabar com a por-
eao de meias prelas de seda para senhoras,
c apesar do muito maior pre.o que lbc cus-
taram e o bom oslado em que anula estao.
comtudo esl rew.Wida a vouIe-Us a ()
ris o par, a fim de que ninguem mais calce
meias pretas de aigodo, agiia pois 6 apro-
veitarem a qu-lra e dirigirem- o ra do
Queimado, loja da Aguia Branca n 8. Tam
bem vender as brancas a o par, c des-
tas o nico defeilo estarem utn pooco tri-
gueiras,
Diversos lrinquedse enlrctenitcnto
para criancs.
A Aguia Branca na ra "do Queimado n.'
8, recebeu diversos brinquedos para crian-
Cas, sen o est-adis de ferio, barcas e patos
elctricos, appareios d>. metal, ionga pinta-'
da e porcelana dourada para alrno^ e jan-i
tar e muitos outros brinquedos de madeira, j
que se vemlem baratamente: na ruado'
Queimad >, loja da Aguia Branca n. 8.
rendara a7,>;i
I eini s de eoiamnas de jaear;:. .
ditosbrancosdediv.'is. slamanio.s. raixii
para est'jns le nava has,
*Iberc rlc w**t ilprl | ,-.
V'ende-se cdl-eres de met l :!.:
tirar soupa a 2 >, ditas para el
dil.s para soupa l$M3Q 1 '
loja e en'-' ntrart sen.<>:. ni |fral
1 iado sui lmenlo de miud/as: 1 m do >j
a /guiaBran- ma,,,) n- '''' 'ia *kij*-1k-r.
i 1 ;v
. ..- : -.
... #71

. -'
1/.' yriiuuHH '11 I
superior* a u.-..

C iievrle
-enar.-M-o- a-
(SaairHnt.
iallral^.aa, r(
bisnuOh nri|ireg;;!:.s loln rom o rr.inr m
pelos ni. linos dct<:.losos|>ai/.ps, para pr^vrr.r
curar at
l)!ni iliifi. rhr.nlr
n^nct-uH-rlua.
Dies rruffmag
1>J| c;Im.
Os primeiros sympioinas d'essu formirtj. affecc5essemanil.siaoordi::iii.'inic::[f .or ..-
toes laboriosas, aziilumc, falta rfaUMflktt, peses
d'atmago depos de cada cono..... !>,M ti.
tomacae', e, mu!;: s vezes, por tmm aan ntrm,s*
eoru vmitos.
Este estado mrtrbiilo, se o descuno, irz .a-
vuavelmcnte, que seja:
Molratlaa de O^m.
A Irleri.-la.
PalpllacB* de ronca..
Orra na* rlna.
O^rro*a.
I.ar.-. dr MdBrcav
Irrllaco. ,;r htiltn
da, aialrla. rtr.
Os granulos Chevrier sao ordenados pelas
sommidades medicaes para prevenir essas diver-
sas molestias e cural as quando sio tomados
lempo.
O preco de cada frasco de i francos.
Depsitogeral em Pars, pharmacia Chvrir,
e em todas as pbarmacias de Franca e dos
estrangeiros.
-.. .. -"
Os elementos que romfloeui esta prepararlo.
ferro, o iode e a quina, a -oPoeo .-7.-1 pr
gr*dasyreparacoe* fermyinoaaa BaMaal
seos resallados obdos )H-in< i;edie<
tacs, e os rclatorio-. dos .r:iciipus ir"s.-m:n.-!..s.
que conlirmilro sua poderosa eMi.-.-ici-lade as
seguimos afccvp.s :
Cn-ivalear<
rad.-'sa-
s'.i asa' A-'.m^.
Hnlr%ilmm e-rrsf:ila-
r*, -Ira.
i.laa.
ITtsnv- c- HM
I!. 1. : n: IMCM
'- J
AIIit-.'.... asrrrm.
r ajpbll.llrad.
F".r.- > haidVa.
Ver!.. -. <-i#., c.
Lombrigas.
Ouro-Preto, 28 demarco de 180
>4.
agua
com superior agua de Colonia a
s com superior bauha a 200 rs.
Frascos de macaca perula muilo lino a 200 rs.
! rseos e ganalinhas com agua de Colunia
4 0o r.s.
Fraseos grandes
610 rs.
Praeos com superior oleo de uaboza a 400 e
300 rs.
Caitas com 12 frascos de cheiros muilo finos a
rara empregadas com grande vantagem por L t&m-
mim em urna menina de dez annos qUe g^f Pe^ueDOS de bolla a 2^ rs. e grandes a
solTria de vermes intestinaes, notando-se Dona de saboneies pequeos cora cheiro a 700 rs.
Agua deniilice superior qualidade a 800 rs.
Canas com superior p de arroz a 800 rs.
'r>oode snp6riores cencas santal
As pilulas do Dr. Ayer (catharticas), fo-
que os symptomas que enlao apresentava
eram de molestia bstanle perigosa.
Raymlndo Nonato de S. Tiiiago, pliarma-
ceutico.
Nevralgia.
Urna carta do Illm. Sr. Francisco Alva-
renga de Azevedo.
e ..(Uros a
Fh.mos com essenelas para tirar noduas de roupa
a ooo rs. r
Frascos com hc-iros de todos ospregos a 100, 200
Frasca i.otHtos com cheiros finos a 500 rs.
Duza de meias muilo finas para senhora a
*800.
mais de sete annos que soffria dores S'1'^ """''I0, r!.nas 5ara ?enhora a 20 rs-
uma innj. u?:as.(;om 'dados de chumbo para meninos a
_. I5MIZ1 T :......'Z" ,H"V """ u~'oa iii,ias ora soldados
no hombro e as costas, tomei uma man-, ico rs.
dade de remedios sem acliar alivio algum. Duiias de colheres de melal para cha a 800 rs.
Dr, angustia, tormento sin palavras for-i p"as dl,a dl, l>ara s tes, porm nao exprimem o que tenho su/-. to%.r- oo,aapara debrum de veslid' l'om
frido: ltimamente tomci as pilulas ca-1 Ditas de "h,eos superiores, para acabar
thartteas do Dr. Ayer. S faz oito das, e es-! 80 rs.
tou completamente restabelecido ; ha tres ea"ras dc lo"sa pa" meninos a ico rs.
dias que nao sinto a mais leve dr do hom- fS^9S!tSi\7S. ^
para calca
20.
bro nem as cosas. Caixas com bonilas estampas para rap a 100 r*
Estas pilulas acham-se vei;da as prin- lapachos compridos, boa fazenda a 'OO rs.
cipaes boticas e drogaras do imperio, e no Groa)s de t,ol5l!S PeQunos pretos
Rio de Jjneiro, ra Diroila n. 18 'Frascoscom superior agua de Co'onia a
Vende-se em Pemambaco: varas de cordao de espariilho a 20 rs.
na ; Novellos francezes com 20 jardas a 40 rs.
9 Pegas de tiras bordadas a 640.
dem com recortes a l^oOO, 15800, 25 e 2>.j'00.
^> Frascos com superior oleo babosa a 320 rs.
@J ; Uuzias de meias cruas muito fortes e superiores a
IgSl 3>50O.
Kesmas de papel de peso pautado a 2>800 e 4^300
Vende-se 40 palmos de terreno na
Concordia : a tratar na ra do Alecrim u
3 horas s 5 nos dias uleis.
Queimado n. t.
Franjas largas para eortfnados
Na luja de miudezas ra do Queimado
n. 16, encontrarao os pretendentes um va-
riado sorlimento de bonitas franjas largas
para cortinados, coberlas, toalhas, etc, cu-
jos presos nao desagradarlo ao comprador
que attemier a largura e qualidade de ditas.!
Peonas donradM.
A loja de miudezas ra do Queimado j 1
n. itt, recebeu essas novissimas pennas del
metal duurado, caja oscellente qualidade e | S
perfeicao dos bicos as tornam mais durado i
ras no exercicio da escripia, pelo que os'
seus acreditados fabricantes Ierry 6; C, as
reamrncndin ; os apreciadores do bom.
Tambem se encontram outras pennas de
ac de differentes .ualidades e dos mesmos
fabricantes. tudo na ra do Queimado lo-! 5
ja de miudezas n. 16.
Jufi'ies dotos e bonitos.
A loja 'fe miudezas ra do Queimado o.
16. recebeu novos e bonitos enfeites, obra
moderna e de gosto, e os est vendando por
precos commodos, variando estes a vista
das differenles quahdades, sempre agrada-
veis aos apreciadores do bom.
.Vicias brancas cruas e de edres
para crancas de a 19 mezes
Na ra do Queimado, !"ja de miudezas n.
,16, vendem-fe por precos razoaveis avista
das quahdades, meias brancas cruas e de
cores para criancas ; assim como outras
para senhoras, e cruas para homems.
ans da flussia, canda, cravo e muitos uniros 00-
jecios que s com a vista podero ser mosirados.
Joao Pedro das Neves,
lerente.
E- 5 o. i o -: -5 > 2
IA
j= Ti, as
" S ce
-
,tq 5g" as
|.S I 9
asa?*" a a 5-o 3
si*
2^
O. us
cd as
CD
cr os
j.
0.3
% 3
as
_, o
- ts.
zp =
E =
^. = .' ST y 5. 3 "
as C o sr P o
s. O
o
2.
=. s?
ce
(t 2 i
~ i as
O s
a
BS
-i
as
B
3
o_
a.
a
Ul
.
a
op
os
3
i
a
5,S.o<
o t?
CD O
E^ CD 3"5
o o
=.0
9
as ^__ 1

o
= CD
c5 es 3 q
'2s
ZJ

u
-J
as
ro
3
os
a
2
a
50
O
Mln^on na aati^tsr.
Fi -'n.-.-ji.
Ai:cmlit.
Calaran oalrlrrlcla.
HaaaC
Atlrccbvn i!o iitpra.
^uppraaoa laa re*
(ir:,* e ft--ar-.lfa na
aWMnTVllfati
Mt-ct:>n |.iiln.nr f
|>:>(lllnli'.
MIck Saatralaiaa.
!''. '! .1 iS*up|>i-lllr, tr
Vejo se o> '. llelins de ikeruftmtkm medum
e cirunjica i/.w de mfttmkrt ISav; uatttm
dos hopiiaes de. 18 dejull.o ^00, '-., etc. '
Alem das pillas de iodmrtt dv/>de ferro te
quinina de Hrhilhm, os acn bao
iuuulni.'rne o Xarcpe d ic Ju. uplo d*
Ierro e de quinina .lo meso.o .;i!or para as
pessoas que nao goslio de nic.lifan.^nios sob fir-
ma |'ihilar e os meninos. Fsie x.-rope nv lew
como o xarO|.e A'iodure de erro, < iocomremea;r
de altcrar-se e de M nao |Kxler coii>rvar.
l'.i,a-se o folhcio tm M A dc :rafa em eaaa
dos |>harii:arcuiicos .. .o-ilr.rios.
Para-se evilarcm falsificavSes, exija o coa-
pra.lor em cada frasco de Pilulas ou Xarope a aa-
signatura do inventor.
Oe|.siio geral em Pars, pharmaciaRebilic^.
142, ru du Bao, e em todas as boas pbarmaciaj
Je Frnnca a ''os puizes esirangeiros. ele.
GRAGEAS de CUBEBINA
cmCOPABAdeLABLONTI
Estes confeitos que tem por Mae pi .
cipio activo i!a vi unir cbela jnulo com
a cupalii/ba pura, n.) nausen ..-iiin-pa.
Elles fazem pararImmedialan.'nieasmis
rebeldes gouorrbai, mesmo as qoe ressii-
ram a cubeba o a cunahyba isuladamente.
leposito ptrs! em Perrisnl vi < !
Crui a.42 em casa deCaroi A ha
ACLa-SC
PHARMACIE FRAN^AISE
DEP.MAURER&C'f
RA NOVA N.
roa da
10, das
Papel pardo t'olha graode.
Esse papel pardo que por sua boa quali-
dade e grande tamanho da folha, serve bem
para embrulhar cortes de fazend.s, corlar
moldes de vesiidos, etc. : acha-se a' venda
na ra do Queimado loja de miudezas n. 16.
Barato para acabar.
Gaixinhas com 4 papis de agulhas france-
zas, limpas a i'i ris cada uma
Paos de pomada franceza, a 80 ris um.
Duzias de saboelesde cheiro a 1 e H200
a duzia.
Cariis de li has brancas e de cores, a20
ris cada rm.
Tasso Irmnos
Vcudem 1:0 heu areazen roa do
Amorini n. 35,
Mcor fino Cnrac*o em botijas e meias botijas.
Licores linos surtidos etn garrafas cora rolhas de
vidro e em lindo frascos.
VinhosUberes.
Santernes.
, Charobenin.
Hennitage.
Borgonhe.
Champagne.
Moscatel
Reino.
Bordeaux.
Cognac.
Od Ton.
AzeitePlagniol.
MllZH
iharol docommereio
Ra do Rangel n. 73.
O proprietario desle esiabi-lecimento lem a hon-
ra de avisar aos seus freguezes que fez uma gran-
de redoccao nos prtcosde seus generts de primei-
ra qnahdade : manteisa ingiera 15 e 13280 rs. a
libra da ultima chegada ao no.-so mercado, dita
[raneen a 900 rs. e em barril se faz abatement,
qoeijos flaioengos novos a 23300, dito prato o que
se pode desojar em bouda.le a 800 rs. a libra,
ameixas franceza* caixinhas a 13200. 13500 e
13800, frascos de ditas 13400, grandes 33 i'.roprios
para mimos, marmelada das melhores marcas a
6i0 rs. a libra, amendoas confeitadas para sortes I sacan dt* dichrir. d.
ea. Joaoa6i0rs., vinho doPorto a GiO e 720rs !les. hcir.n-,is ;. r':-
a garrafa, Figueira e Lisboa 400, 0 e 500 rs., e <6 o ri-mi.-to d mUiSTi '
eu caad i st faz o ahatimcnlo, caixas de batatas
con 2 arrobas, por 3AH0 e a libra 80 rs. novas,
cafo i' son.. 73800 e 7-i0 e a libra a 40 e 260
bolaehinha mgleza a HVO rs. a libra, tominho de
Lisboa a 360 rs. a libra, velas de carnauba a 400
rs., ditas estearinas linas a tOn rs., presumo portu-
guez a 600 rs., alpista a $500 a arroba e 120 is
a libra, pamco a 45a dita e lO rs. a dita, cha fl-
vaw-f, vks arast arnwB5 ar-
roba, hollitilios inglezrs lata de 2 lil.ras a 15350,
ditos de soda grandes 23000 e outros mais gne-
ros qoe se loma enfadonho mencionar. O proprie-
tario espera a concurrencia do respeiiavei publico,
garanlindo a exaelidao o que tralar.
ia
viuda na hvraria acadeades, na ira do !'
dor r.a rio Sr. Nopu. ira. Juiu ao aren .! 9
[Aalouio ; i- na lypograpMa imparriaJ, ra rna r--
ireita do Misario a ompilacao de lo.la a !.-..>b..; .
lendenle adminislracao, arrerarl
di OLlo? I ..: -
Maaal
i fi-ral ia i-
goes, como tambem todas asorden; t Maca da
goverim, huh n indo irm c^lk-ado, Uirto a r, ,.
lo das i.i.rig;.co.-s inh. n ules ac. rmm
les empregados d>> aflieS o tnt*4, -
retios uariufiaes rmolmv.ftitM ,. >3
Este iivro cubleiuto ma.s de 700 psg uas em i
impresso ^ boni p pH e ni. >iat..<.. -.- .-> ai.ti
Fi-nnies riasses, luraavaa m- mm.
' em .'
:-
Um livio novo
RepriaorTo dj eoost'tslciti #?*>
> L--.jfer?er1oaclo !c.'k"I.
Com a citado das cis, .-.;.-;,.- a- _-, .
w principan disrwMc8< .tj rcosr a ron iil
ORSAHISADO PSLO
Dr. .!. i\ lachado ;i,
A utilid.id.: d..- oi,:a< d^sie EtWTO .' h.
i 'l'i'v ''isfosicao, 'ne se procure, nao *b ,!:. .
g.ir.iiiunuo a cxaciiao Co qu
Ven'ese uma armaclo de orna taberna cora
poucos fundos, propria para um principiante, sita
na roa da Imperalriz d. 4o : a tratar na ra da
Cruz, casa de Antonio Lopes Draga ^ C.
Vendem-se
algodo : na ra da Senzala Aova n. 42.
Atteiicao.
Vende-se o deposilo da ra Nova n. 61, bem
afreguezado e bem sonido : a tratar na ra do Li-
vrament n. 3i.
I, uvas le pelllea^
Recebeu p. lo ultimo vapor lindas levas de pelli-
ca de cores e brancas para homem e senhoras :
quem recebeu foi o beija flor, ua ra do Queimado
numero 63.
luicao calo das W[< rvsp: -'k-. i :.., i
coinmendavel e.-te repartoria :. -
de direito, funcciooarios publii-
daoao.
Acaba de chegar do Blo d-< Jan
impresM a adaVa* a venda ua litrai i
defronte do arco de Sanio Antonio, i'rec-i ..
Semeaies.
Vendem-se scmenies de h-.rla.icas rr.ao novis ;
ra da Cadea n. 50.
aflata
fm


.4kfcBh,_
mr

'-
Diario de Pernambnco joarla lelra 9 de Agosto de .8*
GEN ROS BAR1T0S A DINHEIRO
NOS
AURORA BRILHANTE
GMNDES ARMiZGNS DE MOLIhDOSiL
li
vi
j I Paleo do f,aru n. 9 macen Progresivo ra Jo Queimado n- 71 J )
llBio e Commercio ra do Imperador n. 40, 1*1'
Pi-ineipal armazem de niolhnrios. oda
OS PROPRIETARIOSU
Fazcm sciente ao respeitavel pnffrco, c cora especialidade aos senhores de en-
nen'ios, hvradores e mais pessoas do centro, que para mais facilitar suas compras deli-
beraran os proprietarios dos tres grandes arraazens, reunir todo* os seas estaneleei-
mentos ca ura s annuncio, pelo qual o preco de um ser de todos, promette-
mos que nao infringiremos a tabella que abaixo vai publicado, aanunuar os ge ros
GSU'IWES ABN4ZENS
6P0]
4DOS
k-M
VIRAOS
l&seDo.
mmwMMw
Largo da Santa'
Jruz n. 84, es-fftra.
^quina '
gsebo.
O
sero tara era servidos como viessem pessoalmente fazendo-nos o favor da mandar seas i
pedidos era carias feixadas; para evitar qualquer engaos, remoliendo nos urna conta,
pela qual se ver os precos tal qual aninmeiarmos, o que senio arrepender possoa j
alguma que i/.er saa despenca em nossos estabelecimentos; pois poupar mais de I
5 por cento na sua despeza diaria.
Manteiga ingleza perfeitamente flor chegada dem com i a o ditas a 3$200.
Diurnamente no vapor Saladim, de lj dem vasios de todos os lmannos aIfBOQ,-
a 13120 a libra e em barril lerabaii- 13300,800 e 040 rs.
ment0. Queijos d 5300 a 25300 os raais frescos.,
dem franceza rauito nova a 13 a libra, e Vinagre puro de Lisboa a 280 a garrafa e
e,n barril tora abatimeato. 2J000 a caada. |
Banha de porco relinada a GiO a libra e em dem mais baixo a 200 rs. a garrafa e ldUO;
barril lera abatimento. a caada. !
Cti uxim de superior qualidade a 23600. Aze'.te doce de Lisboa muito fino a oO) rs.
Idera pcrula miudinho a 23700 a garrafa e 13000 a caada,
dem hvsson especial qualidade de 23300 a Toucinho de Lisboa novo e muito alto a 400
23600 a libra.
prsprietario ha de fazer toda a diligencia, aim de servir bem os seuscons-
Idem prelo nuiiio especial a 23000 e 23*00
a libra.
dem libra.
Lalas com biscouto de todas as qualidades
a 13200.
dem da creditada fabrica de Biato Antonio |
da;
de 5 arrobas a
a libra, e em barril
103300 a arroba.
Cerveja Bass do fabricante Slilers & Bell a;
63300 a du/.ia e 640 a garrafa.
dem Bass do fabricante T. F. Ashe a 63000
a du/.ia e 360 a garrafa,
dem marca II Victoria Alsope e outras
muilas marcas a 33 a duzia e 300 rs. a
lM
Largo da Santa
Cruz n. 84,
quina da ra do'ag
mWMM BjB8M01AIW
rir, O novo iiroprietano do j rauito acreditado armazem deTMfh^d'oTdenminaTo'AcT
rora uninante, continua a ter o mesrao sortimento de gneros de primeira qualidade. &
a seguinto tabella sirvira" a todos de base para ajuste de contas aos portadores. %_,
noin V m *r.mnm vender' raais barato e melhores do que a Aurora Brilhante, ja" Wf
i rrn ,, orl|mento que tem, ja' mesrao porqne seu dono so deseja tirar diminuto lu- \\L
> n.. I"ani0c,,e!?l]e Para accumular as despezas do estabelecimento por isso deixe se a- 3
1 proveiiar, o prs~
lantesfreruezes.
Latas cora18 libras dechourigas muilonovas,
a /oOO.
Diusgrandes com peixe era postas inteiras,
"wo 1 es' a li000' ,1280e
Ditas cora ostras, excellente petisco para fri-
gideira, a 720 rs.
Ditas cora ervilhas novas, ensopadas, a 720 rs.
Ditas com favas, a 040 rs.
.Ditas com ameixas a 13200, 13800 e 33300.
Ditas com marmelada do afamado fabricante
Abreu, a 720 rs.
Ditascom massade tomate, a500 rs.
Ditascom firns de comadre, novos, a 13500,
-a c 23-jOO.
jDitaseombolachinha de soda milito novas, a
Ditascombiscoitinhos inglezes de militas qua-
I ida Jes, a 1*400.
Chocolata.
Caixinhas cora ameixas enfeitadas proprias
para mimo a 15200.2J300 e 3-5200.
1 Lisboa) proprias para da.* a doentes a I garrafa.
23 e 3$ a lata. Sabio primeira qualidade a 220 rs. a libra
Bolaxinha ingleza rauito nova a 33300 a bar- e 2lo era cata.
rica e a 2i0 rs. a libra. dem segunda qualidade a 200 rs. a libra e
, i;n bolaxmha de -oda e oval a 23. 180 rs em caixa.
P eunto inglez para fiambre chegado no Sabao ingle/, superior a 180 rs. a libra e
ultimo vapor a 8-.-0 rs. a libra. 16o rs. em caixa.
iricos o pama muilo oovps a 900 rs.' caf primeira e segunda sorte a 73000,
a libra. 73300 e 83 a arroba, c de 240 a 280 rs.
:.. Las com macarrSo talbarim rauito novo a. a ||)ra.
5 10 i) e 320 a libra. Arroz do Maranh5o 35200 a arroba e 100
\ ira branca e amarella a 500 a libra. rs. a ||)ra.
ffiff^* ********* Idera da India a 2*600. 3*800 e 100 rs. a
dem suisso de 800a 1*000 a libra. 'ibrf- M Aa ,,,,..,, ,jnft, <*
: hespaniol verdadeiroa lOOOalibra Charutos Normas de Havana a 5*500 a cai-
que j endemos a 13400. S'mas (Jos Fortado).
Doce da casca de goiaba em caixes de 4 e dem Londrinos a o*, dem.
m a libras seguro a 1*800, dem Paras.enses a 4*500.
Iden em caixes penuraos a 700 rs. e de Jdem Delicias a 1*.)00.
:., ........ ,.m., tn dem lraviata do Bio a 5*500.
dem S eTboceUs' ricamente enfeitadas, ***>* ^anoel Peixoto to S,lva
contendo pera, pesm ameixa, rainba. Netto a 3*.,00 e I*s00a me.a ca.xa
,tras frutasa 3*0) I cwla orna. "em suspiros do mesrao fabricante a !;>50
fChocolate superior rauito novo, a libra de
880 a 13000.
LMacarrao,talliariam e aletria araarelia, a libra
- 100 rs.
dem em calda em latas foixadas bermetica-
iii'o bem enfeitadas, contendo,
pera, pesego, ameixas e oatras frutas a
i e 700 a lata, tambera temos latas
grandes a 1*200.
Marmelada ios melbores fabricantes, emla-
tas de 23000 a 1*200.
(dem emli'.nsdc 1 l|2 libra a 15.
dem em latas de 1 libra a 840 rs.
Erfilhas em latas chegadas ueste ultimo va-
por a 700 e de 5a para cuna a 640 rs.
F ij5o verde ou carrapato era latas j pre-
parado a 640 rs.
Ameixas cm frascos de vidro a 1*300.
dem em caixinbas ricamente enfeitadas de
|200a 2*500.
Conservas Mexide muilo novas a 700 rs. o
frasco.
dem de ceblas simples a 700 rs.
M '. > inglez a 04" rs. o frasco com roa
de vidro.
Mostarda em p a 700 rs. o frasco.
m j preparada a 320 rs
Latas com in;issa de tomate de I libra a
600 rs.
!: im em latas de l 1|;2 libra a 900 rs.
Vi bus em garrafas vindos do Porto, Madei-
ra Secca, Duque do Porto, Duque Semi-
no, Cascavallas, Mara Pa, D. Luiz, Pe-
dro V, Vellio Secco, Lagrimas Doces, La-
a meia caixa e 5*200 a caixa.
dem mece tipos a 1*700 a meia caixa e
3*000 a caixa do mesmo fabricante.
dem orientaos do mesmo a 1*800 a meia
caixa e 3*400 a caixa,
dem jovens de Castanlio A Filbo a 2*400
a caixa.
dem suspiros do mesmo a 1* 500 a meia
caixa, e outras muitas marcas de fabrican-
tes.
Passas muilo n was a 13300 o quarto e 50
a caixa de urna arroba bespanbola e 320
a libra.
Vermute bebida para abrir a dsposico de
comer a 1*300 a garrafa e 14*000 a
caixa.
Alpisla muito novo a 3*800 arroba e 140
a libra.
Painco a i*000 arroba e 140 a libra.
Peixe era latas j preparado a 1*200 a lata
e era porco 1*000.
Sardinhas de Nantes a 400 a lata.
Tijollo paralimpar facas a 160 rs.
Esparmacete a 000 a libra e era caixa a
380.
Vellas de carnauba a 12 e 10*000 a arroba
e 360 a 440 rs a libra.
Azeitonas de Lisboa muito novas em anco-
retas grandes a 1*800 e a 400 rs. a gar-
rafa.
grimas do Douro, e outras muitas marcas Balaios do Porto muito grandes proprios
a 1* a garrafa e 9* a 12* a duzia. para guardar roupa suja a 23o00, 33000
(dem Palmella a 1* a garrafa e 113000 ale 4*000.
U/.|a | Batatas em gigos de 34 libras muito novas a
dem era pipa de todas as marcas Porto,! 800, ea 40 rs. a libra.
Eigoeira e Lisboa a 400 e 500 rs. a gar- Gomma em paneiros a 4*000 arroba e 140
rafa e 2*800 a 3*300 a caada.
dem em ancoretas e 8 a 9 caadas com su-
perior vinbo Lisboa e Figueira a 24* a
ancoreta.
dem branco expe:ial qualidade proprio para I
a libra.
Farinda do Maranho muito alva e nova a
240 a libra.
Savadinha de Franca para sopa a 200 a li-
bra,
missi a 560rs. "a garrafa e 4* caada, j Sevada muito nova a 140 a libra e 4*000
dem mus baiso a 400 rs a garrafa e3*500 i arroba.
a cagada. Gaixas com estrelinba, rodtnha e pevide a
dem do Porto especial"qn ilidade a 800 rs.! 400 a libra. i
a garrafa e 3*300 a caada. Alhos em canastras rauito novos e mauncas
Id m Brdeanx em caixas a 7* e 700 rs. a grandes a 180 e 200 rs. cada urna.
garrafa. :Canella muito nova a 1*000.
Cbampanha a melnor do mercado vinda de Cravo muito novo a ROO.
nossa en jommemla a 30* o gigo. Cominho dem a 320.
dem mais baixa de 18* a 20* e 1*300 e Ervadoce dem a 400.
3* a garrafa. Alfazema Hor a 240.
Li ores portugueses e francezes a 1*000 e Amendoas a 400 a libra.
I S500 a garrafa. Nozes muito novos a 160 a libra.
Marrasquino de Zara, verdadeiroa 1*500 a Papel greve a 4*200 a resma.
gairafa. dem lizo a 4*000.
115m mais abaiso a 800 rs. a garrafa. dem de pezo a 3*000.
ii nebra de laraoja ver!adcira a 11* a du- dem de embrulho marca grande a 1*200 e
zii 6 l*o frasco. 1*300.
Idera de Hollanda verdadeira a 6* a fras- dem azul para botica a 2*000.
queira e 600 o frase. Copos lapidados a 5*500 e 500 cada um.
r a ff iu'J cuuu un.
Garr'afoescom genebra de Hollanda com 24 Fumo americano de chapa, de superior
garrafas a 8*, com garraf5o. qualidade a 1 *500 a libra, em porc5o ter
dem com 14 a 13 garrafas a 6*.
Dito lito dita branca, a libra a 10.') rs.
Caixas cora ustralioha, pevide, e outras toas-
> sas, a caixa 34800.
'Ditas dita em libras a 610 rs.
'Sag, a libra a ."60 rs.
(Sevadinha para =0pa a libra, a 2i0 rs.
Emilias seccas, a libra a 160 rs.
f^Ditas descascadas, a libra a 200 rs.
iTapioca muito nova, a libra a 280 rs.
'Parlaba de aramia verdadeira, a libra a
I 500 rs.
JArroz do Maranho, em sacco, a arroba a
25400 e a libra a 80 rs.
.Dito da India e Java, a arroba a 33200 3 a li-
I bra a 100 rs.
'Toucinho de Lisboa a 9#300 a arroba i a 30
rs. a libra.
Dito de Santos, a arroba 7,5000 e a libra a
260 rs.
.Molhoscora 12'i ceblas grandes, a IJ280.
(Mostarda franceza, caixa com 2 du?.ias a'
"3000.
1 Frascos com mostarda preparada em vinagro,
I a 400 rs.
Ditos ."om conservas inglezas e. francezas, a
640 e 800 rs.
Ditoscom sa! r-nado fino, a 640 e a "00 rs.'
Ditoscima verdadeira genebra delararii, a
13000.
i Ditos de 2 garrafas de Hollanda verdadeira.a
' 640 rs.
Botijas cora dita proprla para negocio, a
j 400 rs.
>Garraf5es com 2 galoes com dita, a 6;5.
(Serveja boa, marca, a 500 rs. a garrafa, e a
) duzia a 6-jOOO.
'Vinho moscatel de Setnbal, a carrafa a i$.
Marrasipunlio verdadeiro,frascos a 80C rs. e
a 15200.
IChampagne, a duzia 20-3000, e a carrafa a
. 25000.
iAzette refinado porluguez e francez.a sarrafi
* a 15000.
Caixa de vinho Bordeanx muito superior, a
> 75,85,9-3 e 105 a caixa.
jDitas com dito branco, a 75 a cata.
. Ditas cora dito lacrimas do Douro verdadeiro,
\ a 205-
'Ditas com duque do Porto verdadeinVa
. 185000.
(Ditas com chamisso superior, a 143.
Ditas com Porto velho e outras muitas mar-
cas, a 12-3.
>Vinho do Porto da pipa, a garrafa a 640, 720
i e 800 rs.
Dito de Lisboa muito bom, a caada a 35200,
l 35500 e 45, e a garrafa a 500 e 560 rs.
Dito da Figueira, dassegnintes marcas (N.)
(J. A. A.) (J. L. G.) (0. M.) a caada a
j 45300, e a garrafa a 560 e 640 rs., deste
? que j est engarrafado e lacrado com o
' rotulo do armazem.
IDitosde marcas mais desconhecidas, a cana-
5 da a 35500 c 45000, e a garrafa a 480 e
520 rs.
.Vinho branco fino, a garrafa a 640rs.
Dito de caj muito superior, a garrafa a
) 800 rs.
Vinho verde superior.
A caada a 3$000 e a garrafa a 400 rs.
Gomma.
Saccas de 4 arrobas, a verdadeira de se
ensrommar, a arroba a 35000 c a libra
120 rs. Hj
Sabao massa, a libra a 200, 240 e 280 rs. |0
Farinha. rfj;
Saccasgrandes com farinha de Goianna mol-SSg
to nova, a 55000. <&
Caf.
Gaf do Rio muito superior, a arroba a 85, T' >
85500 e 95000. f-k
Cha. (g$
Ch.temos nestes gneros o nt ilhor possivel,
hyson, a libra a 25600.
Dito perola a 35000.
Oito uxim a 25700.
Dito hyson muilo fino a 25800.
Dito redondo a 25500.
Dito preto de primeira qualidade a 250OO.
Dito mais baixo a 25000 e 15600.
Erva mate.
Excellente cha medicinal, a libra a 240 rs.
Kspermaeele.
0 masso com 6 vellas de espermarele a 600, j/
640 e 720 rs. '^r
Caixas de 16 e 8 libras de passas novas pro-
prias para mimos a 45 e 25500.
S07.es. cm
! Nozes, a libra 160 rs. e arroba a 45000. *^
Alpisla e painfo.
Alpista e painco, a arroba 45000 e a lrbra a A
160 rs. Cartas. ^
dazia a 25500. ,
T&5
DE
AZEVEDO FLORES
Ra da Cadeia do Reeife, cstjnina da Madre de Dns.
Os ricos bales de arcos de 3*. 4* e 5*
Bales de arcos para meninas de 2 a 12 annos a 2* e 2*500.
Bales de pai.no para meninas a 3* e 3*300,
Chapeos de s<.
Os afamados e bem conhecidos chapeos de sol com 12 asteas a 8*.
Ditos maiores com 16 asteas a 12*.
Tapetes.
Grandes e pequeos tapetes co n ricas estampas para sof.
Chitas.
Chitas largas a 240 rs. o covado.
dem escuras finas a 320 rs. o covado.
Camisas.
Superiores camisas a 2*500.
Camisas com peito de rr, e todas brancas a 1*800.
Ha jnuilas outras qualidades com peito de esguio.
Casera 1 fas.
As modernas casemiras de quadros, chegarara.
llonpa ola.
Ha completo sortimento de casemiras, de brim branco c de cures.
Coilcirinhos.
Chegou nova remessa de colleirinhos de papel de cores ebrancos.
Tambem lia completo sortimento dos de esguio.
Calcas.
Calcas de superior brim pardo a 2*500.
Cambrala branca.
Superiores cambraias brancas a ,*>* c 7* a peca.
Cambraia branca para forro a 320 e 400 rs. a vara.
Laas.
Laas de bonitas cores a 4cO rs. ao covado.
dem para lulo a 560 rs, ao covado.
A iEM NOS LER
Todas as semanas reformamos o nosso annuncio, annuncianlo ao publico eras
fazendas e novos precos e nao como muitas pessoas sup, oe sempre ser as mcimas fo-
i zondas.
arro-
libra
Cartas finas para logar, a duzia a
Caslanlias. /
i Castanhas novas vindas ueste vapor,
! ba 45OOO e a libra a 200 rs.
Azeitonas.
! Barris com azeitonas novas a i J800
Manteiga.
I Kantetga superior, a lihra a 15280.
!)iia mais abaixo a 15200.
I Rila menos superior a !-">.
1 Dita franceza nova, a libra a 880
Dita dita em barris e nietos ditos, a
850 rs.
Dita para tempero a 400 rs.
Queijos.
Queijos novos vindos neste vajfror a ?"800 oc
35000.
Rito* londrinos milito novos. a libra
15000.
Papel.
Papel almaco pautado, a resma a 4-V?00.
Dito dito lizo de linho, a resma a 45500.
Dilo de peso lizo e pau'ado, a resma
25500.
Dito de embrulho, bom a 13 e 15200.
Vinho Maeira.
Garrafa* com o verdadeiro vinho Xerez e Ma- oji
deiraa 15500 e5000.
Temperos.
Folhas de louro, pimerita do reino, cominho
. e cravo, a libra a 400 rs. _
Velas de carnauba.
Massos com 6 velas de carnauba refinada a
480 rs.
Amendoas.
Amendoas com casca, a libra a 320 rs.
Doce.
Caixoes de doce de goiaba, grandes a
e pequeos a 640 rs.
Tijolos de limpar.
Tijolos de arear facas a 140 rs.
Graxa.
Duziasde boiSes de erraxa n. 97 a 25000, e
de latas a 15000, e os boioes a 240 rs. ca-
da um, e as latas a 100 rs.
Charutos linos.
Charutos finos dos melhores fabricantes da
Bahia por diversos prego?, caixas e meias
caixas.
MACHIN4SDEPATINT
de trabalhar mo para
trabalhar mao
lescaroear algodo
FABRICADAS
Por Plant Brothers &
OLDAS
c,
Estas machinas
poderadescaror.-.r
^qaalqaer especi'
Sj'de algodao sen
, estragar o fio,
~~-J sendo basta nt
duaspessoasptr;
otrabalho; podf
descarogar urna
arroba de algc-
dao era carocc
era 40 minutos,
ou 18 armbas
por dia ou ar-
robas de algodac
limpo.
Assira como machinas para serem movidas por
animaes, que descjrogara 18 arrobas de algodac
limpo, por dia; e motores para mover urna, duas,
eutrjs dessas machinas.
Os mesmos tem para vender um bellissimo va-
j por que pode fazer mover seis destas machina
rJ3 mencionadas ; para o que convida-se aos Srs.
& ; agricultore.- a virem ver. e examina-lo, no arma-
temde algodao, no largo da ponte nova n.47.
Saundei's Brothers k C.
an
^r 1
15400'fP
E grande quantidade de gneros tendentes
estes estabelecimentos, que deixam de an-
nunciar-se.
M. II, praea do Corpo Santo
BECIFE.
Os aicos agentes neste paiz.
MPfMM
\0vidade3 da loja c armazem de fa-
zendas e roapas feitas nacionaes na
da Impcratriz n. 72. de Guimaraes
k Irmo.
Aproveilem as pechinchas
que se estao liquidando por todo preco, vejam :
chitas largas a 260,280 e 300 rs., ditas percalias
a 360, 400 e 440, cambraia organdys muito Tina a
300 rs. o covado, e muito superior a 30, 360 e
400 rs.: isto s na nova loja de Guimaraes & Ir-
mao.
Esto se acabando.
Laazinhas escocezas a 240,260 e 280 o covado.
E' muito barato.
Cortes de laa muito superior com i covados
pelo barato preco de o e 55300, isto s para aca-
bar, bretanha de rolo a 35 e 35200 a pega, mada-
polo francez enfestado a 35, 35200, 350O e 45,
dito sem ser entestado com 27 jardas a 45300, 55
e 65500, dito mnitj superior marcas muito
Chitas largas a 240 rs.
Vendem-se chitas largas, padriV-s esrur coceze?, pelo barato prreo de 240 o rovaJo, ii
otearas e claras a 280, 300 e 320. prrrala* con
lindos desenhos miudiohos e grciles a V O ra. o
covado : na loja e armazem do Pavao, rna da !:-
pertnz n. 60, de Gama Silva.
Aslaaziolias do l'atj a 2;t)rs.
Vendi:in-i(! as mais modi-rrus la.izir.ha-
rentes de quadrinhes e HftttahH, e li-a-, enm as cores mais novas que \. m : i
do, pelo baratsimo prego de 2Dr rs. o r,vaj..
tas da mesma fazeoaa com pMM de .-
240 o covado, isto grande pechmrha s p ira ara-
bar o resto desla fazenda : na luja e .irr.iazeia >
l'avao na ra da laiperatriz n. i',o, e Gaa i
Silva.
As laazinhas moramhiqacs a 2-40,
loja do Pava.
Vende-se para acabar, o resto das laazinhas
(ambiques, pelo barato prego de li'.O o eovaSo. -
do fazenda que sempre se vend u por ruuito ma-
dinheiro : na loja e armazem do l'av.o, roa da
Imperatriz n. 60, de Gama A Silva.
Novas laazinhas (iaribaldias, la toja
do Pavao, a 320 rs
Vendem-se as mais moderna* laazinha* Ganhal-
draas com delicada- cores, teodo entre elas koat-
tos padroes escoro? que pf^lem ras que estao de lato a 320 r> covado : a loto 4
l'avao, ra da Imperatriz o. 60. de cisma & Vm
lsch-le> ioPao, a 2000
Vendem-'e chales de merino com '.arras d
I res a 25, ditos li>os, UzenJa mM lina, trMto de
todas as core?, sendo zuI, branco, verde, amare I-
| lo, encarnado e preto, pelo baratissimo oree de
', .'!5o00, sendo fazenda que sempre se vendr 5f :
| isto na loja e armazem do Pavo, ra da topera-
iriz n. 60, de Gama & Silva.
Bonitos corles para vestidas a 3,000
na laja do Pava.
Vendem-se os mais bonitos corles proprio? pan
vestido?, sendo transparente?, e sendo fazenda nova
abatimento.
inramii-i
N; 11Ra do QueimadoN. 11
LOJA DE FAZENDAS DE
Augusto Frederico dos Santos Porto.
Chegou a esle eitabelecimenlo ura grande sortimenio de cortinados bordados para
camas fazenda de muito gosto.
Chales de guip muito Anos para 225, 235 e 305.
Colsas de seda superiores de diversas cores para camas de noivas.
Colxas de la e seda para cama tambem de bonitas cores.
Rotondes de guip enfeilados com o melhor gosto.
Setim de Paris bella fazenda e de boni'as cores para vestido a 700 rs. o covado.
Moureaotlque branco e preto, grovieapie preto e de cores, pannos pretos de todas
as qualidade?, ditos unes.
Cisemira preta e de cores, merino preto, silistrina, bombazinas, alpacas pretas, e
la preU para lutos.
Malas, saceos e boleas de tapete, verniz e couro de 45 a 115-
Brins de liobo de cores finos a 15300 a vara.
Chapeos e chapehoas de palha do Italia para senhora, manguitos bordados, chapeos
de seda para homem, chapeos de sol de seda, esguio de linho, cambraia de linho, breta-
nbas, silesias e muitas outras fazendas que se veedora por coramodos pregos assira como
tambem ni
Esteiras da India para forrar salas
15600,
45800,
Saccas grandes cora 100 libras de farello superior a 45000 a sacca.
N0V1MDE
ATTC21fCAO '
Vende-se o verdadeiro remedio para dores de
denles ; este remedio extraordinario para fazer
passar s dores de dontes logo que se tome ; cuita
640 rs : na taberna da ra da Palma n. 41.
Potassa da Russia
muito nova e superior : veade-se no escriptorio
de Manoel Ignacio de Oliveira & Filho, largo do
Corpo Santo n. 19.
A 1$ 109OO e 105OO
Leques de osso, u.iimo gosto, a 15-
Ceroulas de meia a 15200.
Diilas muito finas a 15300.
S na ra da Cadeia do Reeife n.|3
acre-
iju% ditadas a 7^,75300,8$, 9$ o 105, algodao de to-
*^P das as marca- assim como seja marca T e carne
rr\ \ de vacca, sicupira e pao ferro tudo isto per pro
gos baratsimos s para liquidar e apurar dinhei-
ro : isto s na nova loja e armazem de Guimaraes
& Irme, ra da Imperatriz n. 72.
Grande sortimento de babadinhos
e ntremelos pelo barato prego de 800 a 15 a
pega.
Lengos de cores e braceos
muito proprios para hompns e meninos a
2?, 25500 e 35 a duzia, ditos de linho a
5-5, 5J300 e 65-
Grande sortimento
de colxas de fnstao de todas as cores a 35300 e
65, ditas de chita a 15900 e 25, ditas de la a
15600.
E' muito barato.
Grande .'ortimento de soutembarques rauito bem
enfeilados a 35 o 55300, ditos de grosdenaple a
185 e 2o5. laazinhas de urna s rr a 480 o cova-
do, ditas muito propriapara camisas sendo de lin-
dissimos padroes a 15 e 19100 o covado : s na
nova loja de Guimaraes & Irmo, roa da Impera-
triz n. 72.
Grande sortimenio
de roupas feitasquese vendem muito barato ifflan-
gando-se que se vende por menos 20 por cento que
em outra qoalquer parte, quera duvidar venha ver
Na nova lja de fazendas de Guimaraes
& Irmo.
Rna da Imperaariz n. 98.
v '
Vende-se urna borra de ferro grande
em perfeito estado e por commodo preco :
na raa do Apollo n. 20.
a 45 a sacca, das maiores que ha : na
do Rosario n. 50, taberna aa esquina.
ra larga
Lagdo para calcadas.
Vende-se muito bom lagdo para calgadas e ar-
mazens chegado agora : a tratar n ra do Apollo
n. 4.
Vende-se o engenho Jundjahy, cinco legras
distante da cidade do Natal, provincia do Rio
Grande do Norte, moeute e correte, cora 20 cap-
tivos, 20 bois e 20 bestas ; assim como diversos
lotes de ierra, propria para a cultura de algodao e
mandioca, e mars duas fazendas de gado no Poten-
gi e Cear-meirim, na mesma provincia, cujas ven-
das se effecluaro a prasos, mediante boas firma?:
quera pretender dirlja-se aquella provincia a tra-
tar com Fabricio & C.
no mercado, lendo 7 I|2 varas cada rrle. rom
muita largura e muito bonitos padroes ron liseras
e lisos, sendo fazenda que serve para a- i.-tir a
qualquer divertimenlo, e grande pernocto, peto
baratissimo prego de 3-5 cada corte : n toja do
pavo, ra da Imperalriz n. 60, de Gama A Silva.
Crinolinas ou baldes a 2 >00. 3-> e 35tt
Vendem-se os melhores bales, que sao o? aae-
rieanw, pelos baratissmos prego? de 25500 n m
20 arcos, de 35 com 25, ditos a 35500 nw 3.
dem para meninas a 25500 cada um. ditos de paa-
no para senhoras, por barato prego : a toja 4
Pavo, ra da Imperatriz n. 60. d Gama & Suva.
Os loncos do Pavo a 2o c iiyM%.
Vendem-se duzia de iHf brincos tinos a 25.
ditos finis.-imos com duas cercaduras, nato raa
branca e outra de cor, muito deli-ada, pelo ton-
lissimo preco de 25500 a duzia : isio na toja 4o
Pavo, roa da Imperalriz n. 60, de Gama A Silva,
lucos lencos toreases.
Vendem-se os mais ricos lengos de S i (inflo
[ bordados com duas palmas para ra. era, peto t-
ralo prego de 640 cada nm : na toja do Pato, raa
: da Imperalriz n. 60. de Gama A Si"a.
Panno preto a 2OOO.
Vende-se panno prelo fino moilo suiencr, pato
barato prego de 25 o covado, por ha ver jrraade ncr-
go : na loja do Pavo. rna da Imi erairiz a CO.
Carcrairas rnfcsladas a i-> crfe
Vendem-se casemiras pretas entestadas- i t|i
corte, corles de ditas da cores a 55. amito boa fa-
zenda : na loja do Pavo, roa d Imperalriz m. <>,
de Gama & Silva.
Alflodaazinto barato.
Vendem-se pegas de algoJozinh", eado marra
T com 20 vara? a 65, ditas de dilTereates marm
a 5 e 453C0, 35 e 65, garaniindo-?e aoe i fama-
da que val muilo mais dinbetro : aporaa e par
estes pregos na loja do Pavo, ra 4a Imoaralri
u. 60, de Gama & Silva.
Esprlilhas a 5s$ e a M
Vendem se espartilhos com as competente Ka*
para apenar a 5J> e 65 : na loja e armazem do Pa-
vo, ra da Imperatriz n. 60, de Gama & &l*a.
Vestidos a 2>00.
Vendem-sc cortes de cambraia r>raara rom tor-
ras e babados a 25500, dilos de cambraia braara
com salqiro? a 25500 e 35 : na Inji do Pavo, raa
da Imperatriz n. 60, de Gama A Silva.
Seuteabarqncs a .'>0OO.
Vendem-se souiembarques de laiinha oto car a
55, 65 e 75, ditos pretos de grosdenaptes capa
ricas bordadas por precos maito razoavei* : aa
loja do Pavo, ra da Imperatriz n. CO, Ce Gama
& Silva.
(alnngas fiaos e ferli
para aaenlams.
thegarara para a loja do miadmai
Queimado n. 69, os mais fiaos
tanto para bnnqaedo de meninos coa pan
de mesa : na mesma loja te encontrara
timeoto de miudeus.

-


Diarlo de Pernambnco Qnara letra 9 de Agosto de ISO*.
+
'
r\
NOVO GERENTE
AO PUBLICO
Sem o menor constran-
glmento se entregar
importe do genero que
nao agradar.
o
ATTENCAO
Os presos da
tabella para todos, po-
dendo assim servir de ba-
s para o ajuste de contas
eom os portadores.
Grande
# ^
de fa-
exposicao
zondas.
Que eslao a venda, na |. ja e arman m da Arara.
seguinte "' da toiperatriz n. 30, Luienco I .reir Jkn-
"^
*fer
; >
inin
ESTABELEOIDO A RA NOVA N. 60
mw aiDnn ios ss -DJira U'i'-u
AO
RESPEITAVEIi PCBLICO.
A apreciado dos habitantes desta heroica provincia existe no grande arma-
zem da Uga.estabelecido ra Nova n. 60 um magnifico sortimento [de molhados,
que sendo em sua maxim i parte maudados vir directamente do estrangeiro^podem ser
vendidos por precos asss razoaveis.
Senhore*
eza com que serao tra
"ra dos gneros que prec saraa
RA DA CADEIA DO RECITE N. 53
(Logo passando o areo da conceifo)
PARA BEM DE TODOS.
'?nhoras, o aceio qne presidio aos arranjos deste novo estabelecimento, e mais que tudo a promptidao e intei"
ab.1 i)^t*onvida a urna visita ao mesmo, certos de que sem duvida me daro a proleccSo e preferencia na com-
e quando nao possam vir poder5o mandar seus portadores, ainda qne estes sejam pouco praticos"
des Guimares.
LZIXIIAS A 250 I< |
LZINIIAS A KO II- | |
LAZI.MIAS A 310 li-, | .' |
Ha um grande sorlimenio de Boatos riiinfia-
jchegadas pelo ultimo Mor, wai a:, da
quaesquer loj.i vende a 400 r-., tUt .e
na loja da Arara pelo diminnio
o covado.
MADAPOLO COM 24 JARDAS A r.'i.
MADAI'OLAO COM 24 JARDAS A '
Vende-se madapnio com 24 j^ita
do se que lea 20 vara, {.-io toral l
, BHM*: OUO e 6*fiOO
M'.ETA.NIJA HE ROLO COM
A 2jV>00.
Vende-fe bretnnha de rolo a IJfcCu a a
Merides Goiroarie*. v
-MAUAl'OLAO OFEfTATMJ A 3O0Q 3X.MO
fE 45000.
ADAPOLAO ENFESTAHOA :. i 00 :,.:, i
E 4,5000.
Vndese madapoln mhriado i.elo o barate
prejo de 35. 3,5500 e 4 a m ra.
COLCHAS DAMASCADAS DE TI 5TAO
Vende-so as mais mouui:: 1 rotrl o :
leudo de Mas as corea a SjtiOO, mu prai t* a
1. ditas de damasco a 4,51.00, taat .e .rola a
- *:
'. X:
.->
pnmeiro
onhum
L" Delicadeza no trato.
2.' Fidelidade IlO peSO. MimffMicezawiiaisnova do marcado a 96o
3 a* i 4 ~~ ,..,. rs. a libra e 900 rs. em barril ou meios.
. Omcei'ldaae nOS preCOS. J Cha hysson de superior qualidade a 2,600
As pessoas que por sua posiciio social gozara de certo tratamento, acharo nesta, rs. a libra,
casa os melhores queijos londrinos, cerveja, vinhos finissimos manteiga e cha sempre de cha perola o mais superior do mercado a
primeira qualidade. etc., etc. 2,8oo rs. a libra.
Qualquer que seja a cndilo do freguez, elle deve contar que ser sempre mui-idem hysson muito superior em latas de 15
to bem servido. libras muito proprio para negocio a 2,ooo
Aquelles que sao pouco favorecidos da sorle farao mensalmente urna economa de i rs. a libra,
muitas patacas, afreguezando-se tiesta casa, onde se Ins vender o arroz, o caf, aman- dem hysson nacional em latas de 1 e 2 li-
teiga oassucar, etc., ele. de boa qualidade pelo preco que em algumas partes nSo po-j bras a l.Goors.
dem ou nao quercm vender. dem preto o que se pode desejar neste ge-
Os senhores de fura da cidade, dos arrebaldes ou centro, que comprara para ne- j ero a ,ooo e 2,2oo rs. a libra,
gociar, deveni vir, pelo seo proprio interesse, a este estabelecimento para se convence- j Linguicas muito novas a 8oo rs. a libra eem
rem do quanto se pode vender barato. barril se faz abatimento.
Para os senhores que compran) para tornar a vender existe um sortimento cspe- Chouricas e paios a 8oo rs. a libra,
cial, escoltado por pessoa entendida que certamente muito deve agradar aos senhores Costelletas inglezas a G4o rs. a libra, serve
compradores. j para temperar panella ou para fiambre.
.Nao se tem poupado sacrificios, nem se deixar de fazer a diligencia para agr- Quoijos do reino chegados neste ultimo va-
dar a todos. i por a 2,2oo rs., ditos de navio de vella a
PELOS SEG1NTES PRECOS SO SE VENDE L*^^^#ii
A DIMHEIRO A VISTA: IM qualidade a 8o a libra-.
A Graixa em latas, muito nova, a 80 rs. cada |Idem Prato a 8oo rs. a libra, e inleiro se faz
ALPISTA a 120 rs. a libra. urna,
dem e painco de oito libras para cima a K
100 rs. KIRSCH de Wasser a 2$ a garrafa.
Arroz de 90 rs. a libra a........I E,
Amendoas, casca molle, a 28 rs. a libra. LATAS com graixa a 80 rs. cada urna.
Avellas a 2i0 rs. a libra. iLetuia a 400 rs. a libra.
Ameixas francezas em latas de todos os ta- 11
MANTEIGA ingleza e franceza de piim
Massa para sopa : estrelinha, pevidc e rodi-
nha branca ouamarella a 04o rs.a libra e
3,5oo a caixa com 8 libras.
Viuho do Porto muito fino proprio para
engarrafar, em ancorelas
35,ooo rs.
Tprvftia hr, CUITAS IXGLEZAS A 2CO E 220 K- O roVAifi
gerveja branca das marcas mais acreditadas Vende-se eanbrai branca2,i,\m
que vem ao mercado, a 5oo, 5Go e 4o
a garrafa, e 5,8oo, 0,oo6 e 6,5oo a du-
zia.
a peca, laniLem ha um grande sorim m<> d rs
rr-ali.br*B'M 1,:e M v'H(ln. a :\l, 3*OO. ,
o, 6> e / a njo.
de 9 caadas a | Cevadinha de Franja muito nova, a 2oo rs. J--.2S5 5RSARB- a .
. Charutos do adamado fabricante Jos Furia- a d"''li'- ^ dita braaro a 2.- a *tf-o Tm-
Vinho em pipa: Porto, Figueira e Lisboa a do de Simas, das seguintes qualidades z,a>: "* Cnu,..-,,,, -.
Exposic3o Normal de Ha vana, Imperial; \,uc^^V'^'Ki^''
Londrinos, GuanaLaras, Parisienrs, Su^ ^^moXJ^Zo^ J
piros Delicias, a 4,ooo, 4,5oo, .t*m GonDarie.
manhos.
dem idem em potes de todos os lmannos.
dem idem em hcelas de todos os tama-
nhos.
dem idem em frascos de lodos os lama-
nhos.
Azeite doce de primeira qualidade a 560 rs.
a garrafa.
Ai.uos a 200 rs. o molho.
Aiisv.ntiio a 2500D a garrafa.
B
BOLACUIX1IAS do Beato Antonio em latas
grandes e pequeas.
dem do Principe Alberto a 2000 a lata, e
de cinco para cima a 1&80.
dem de soda em latas grandes a 2;?000 e
de cinco para cima a I #800.
Biscoitos inglezes de todas as qualidades a
1200, 10250 e 1300.
Boi.o francez em caixinhas a 300 rs. cada
urna.
Batatas inglezas.
Bamba de porco refinada.
C
CHOCOLATE francez a 700 e 800 rs. a li-
bra, e em porcao a 000 e 700 rs.
Idom suisso a I# a libra.
dem de musgo a 1;$500 a libra.
Ciiouricas muilo novas a 800 rs. a libra.
Caf a" 2 40 e 200 rs. a libra, e em porciio
se tara abatimento.
dem de primeira qualidade a 7$000 a ar-
roba.
Conservas em frascos a 320 is. cada um,
sao muilo novas
dem inglezas, frascos grandes.
Champagne de todas as marcas.
Cuarope de grosella, orchaia, etc., etc.
Chicaras e pires a 15800 a duzia.
Cerveja da superior marca Teuente a 500 rs.
a garrafa, e em duzia se faz grande aba-
timento.
dem Victoria Bas tres X e-de outras marcas.
Charutos das mais acreditadas marcas, co-
mo sejam : Normas d'llavana, Exposico,
Flor do Brasil, Parisienses., Delicias, Gua-
nabaras, Trovadores, hegalia, Mississipes,
Panetellos, Apraziveis, Varetas, Brasilei-
ros, Americanos, Fluminenses.
Cu de todas as qualidades e de todos os
presos, hysson, huxirn, aljfar, preto. e
preto ponta branca, etc., etc., a 20 0,
25200, 2;)30 e 2r)800.
Copos lisos de todos os la manhos de 120 a
320 rs.
dem lapidados de todos os tamanhos a du-
zia a 2,5500, 3;)500, 4 e 5.
Clices de lodos os tamanhos.
Cognac superior a 1?J e i #500 rs. a garrafa.
Cigarros do Rio, pardos, a 80 rs. o maco
de cinco marinos.
I>
DOCES de todas as qualidades : brasileiros, Velhosea> a'^Va garrafa!
porluguezes, .nglezes, francezes, etc. etc. Lagrimas do Douro a moo a garrafa.
E lauque do Porto verdadeiro a 2# a garrafa.
EUVILHAS seccas a 120 rs. a libra. : Duque a I# e 1#500.
ervadoce a 400 rs. a libra. .Chamisso a 1#, 1#200 e I#500
D. Luiz a i# a garrafa.
abatimento.
dem suisso o mais superior que tem vindo
ao mercado a 64o rs. a libra.
Ervilhas e favas portuguezas j preparadas
em latas hermticamente lacradas a 64o.
1 Feijo verde muilo superior a 640 rs. a lata.
Copos lapidados para agua a 5,ooo e 5,5oo
rs. a duzia. .
qualidade a I#, 15120 e 0280, em bar- Wem idem para vinho a 24o rs., e 2,4oo rs.
ril se faz grande abatimento; a que ven- a duzia.
demos por I#20 a libra, vende-se em Chocolate francez nespanhol e suisso a 9oo,
outra qualquer casa por 1(5400 e 1#500.
Marhelada dos mais acreditados fabricantes.
Macarro e TALHAiuM a 320 rs. a libra.
32o, 4oo e 5oo rs. agarrafa, e em caada
a 2,5oo, 3,ooo e 3,8oo.
Vinho branco de Lisboa de excellente quali-
dade a 4oo e 5oo rs. a garrafa e em cana-
da a 3,ooo e 3,5oo.
Vinho branco para missaemcaixas de I du-
zia a 8,ooo e 68o rs. a garrafa.
Vinho do Porto das melhores marcas que
vem ao mercado como sejam : Lagrimas
do Douro, Duque do Porto, Rainha de Por-
tugal, Duque genuino, D. Luiz 1, Madei-
raSecca, Malvazia fina a 16,ooo, 15,ooo,
I2,oooe lo,oooacaixacom 1 duzia e9oo,
l.ooo e l,5oo rs. a garrafa.
Vinho Cherexde superior qualidade a 16,ooo
a duzia e l,5oo rs. a garrafa.
Sardinhas de Nantes a 4oo rs. os quartos e
64o rs. as meias latas.
Bolachinhas inglezas muito novas a 5,ooo a
barrica e 320 rs. a libra.
Bolachinhas de soda em latas de diversas
qualidades a l,3oors.
Cartees com bolo francez muito proprios pa-
ra mimo a 64o rs.
Passas muito novas em caixinhas enfeitadas
para mimo a 3,ooors.
Passas de carnada a 8,ooo a caixa e 4oo rs.
a libra.
Figos de comadre a 24o rs. a libra.
Amendoas de casca mole a 4oo rs. a libra.
6,ooo e 7,ooo a caixa ou em ineias.
a,ooo,
--.
M'-rte^
SootoBibarqnei de rts,
ditos crisdoLaile preto,
Charutos finos de diversas marcas e'fabri- rtfSS?**
cantes, como sejam: Flor do Norte, Ma-1 PALfWS D

Massa de tomate a 6G0 rs. a lata.
Mostarda ingleza a 800 rs. o frasco.
Moliio inglez de todas as qualidades.
Marrasquino verdadeiro de Zara a.....
Massas finas para sopa branca e amarella a
60 rs. a libra, em caixas com 9 libras a
3#500.
Miuio painco e alpista, sendo mais de 8 li-
bras a 100 rs.
11
NOZES a 120 rs. a libra.
Nabos em latas a 800 rs.
O
OstitAS nlezas e americanas. Cafe do Rio de Ia qualidade a 28o rs. a li-
bra e 8,5oo rs. a arroba.
PEIXE em posta, latas grandes, a 1?C00, de Caf do Cear muito superior a 24o rs. ali-
todas as qualidades, como sejam savel,
guras, corvina, pargo, salmao, pescado e
pescadioha, linguado, sardinha. etc., etc..
Peras em latas, excellente preparaco.
Palitos para denles a 120 rs. o maco muito
grande.
Passas em quarto a I400.
dem muito novas a 400 rs. i libra.
Pomada muito nova a 280 rs. a duzia.
I
QUEIJOS flamengos.
dem prato a 800 rs. a libra,
dem suissos a 800 rs. a libra,
dem londrinos a 800 rs. a libra.
Qlartinhas ou' mordiques a 6$, 8$ e 10# o
par.
R
RAPE' Meuron a 1# a libra.
dem Princcza do Rio a 1#200 a libra,
dem francez a 2#500 a libra.
S
SARAO massa a 160 rs. a libra, em caixa se
faz abatimento.
Sal refinado em frascos a 500 rs.
Salame de Len a 25>.
l,ooo el,2oors. a libra.
Espermacete superior a 6oo e 64o rs. a li-1 Milo de amendoas a 5oo rs.
bra e em caixa se faz abatimento. | Bolachinha d'agua e sal, da fabrica de Jo5o
Peixe em posta em latas hermticamente la- i de Brito no Beato Antonio, em lata de 6 li-
cradas e das melhores qualidades de pei- i bras por 2,5oo rs.
xe a 8oo, l,ooo e l,2oo rs. \ Ameixas francezas em fiasco de vidro com
Vinho Bordeaux das marcas mais acredita-) tampa domesmo, a l5oo.
das que vem ao nosso mercado a 7,oooe Ameixas franc zas em csixinbas de diversos
8,ooo a caixa e 64o e 7oo ris agar-i tamanhos com bonitas estn pas na cai-
nilhasde Havana, intervallos, Vencedores,
Panatellas e Suspiros, a 2,ooo, 2,ooo e
3,ooo a caixa.
opnac inglez das melhores marcas, a Sooe
l,2oo a garrafa.
Doce da casca de goiaba a 2,ooo a hita com
4 libras.
Farinha de araruta verdadeira a 32o rs. a
libra.
Matte,excellente cha para os navegantes, a
2oo rs.
Sebollas de Franca muito grandes e novas
a l,8oo o cento e l,2oo soltas.
Palitos do gaz a 2,2oo a grosa.
Toucinhode Lisboa muito novo a 32o rs. a
libra e 8,5oo a arroba.
Banha de porco refinada a 65o rs. a libra.
Bolachinha Alberto, as melhores que pre-
sentementetem vindo ao mercado, a 2,ooo
a lata.
Farinha do Maranho muito alva e cheirosa
a 2oo rs. a libra.
Frascos com fructas em calda de diversas
qualidades a 2,5no e l,5oo o frasco.
Caixinhas com fructas em doce secco de di-
versos tamanhos, muilo proprias para
mimo, a l,6oo, 2,6oo e 3,5oo cada urna.
Ruibos, excellente peixe portuguez, em
barris pequeos ou a retalho, a visla se
far o preco.
Azeitonas de Riva em ancoretas grandes de
8 garrafas por 6oo e 8oo rs. a garrafa.
DE ALPACA l:HA.M \ \ ,.'.;o
PALITOS liE Itl.lM DE Ll.MIO a 5 O
ntremelos iranapareBle* a No .. ,,,,,. itc,
a l, dltosura habado a l(J(0 rMa m tira
BOCPAS PEITAS.
IIOlT'A.S FEITAS.
BOCPAS FBTAS.
Vendem-se cm sor:in:enlo de r. i.> fnia* de
todas ss qaalMadw, fue a ;;.-!;, \..i. .,ero. e
onlras muilas mais fazendas i|i.- yt ri-nani t
annunoiar, ra da Impcratr^z n. :i;, Mnn Got-
maraes.
m fumo da Babia
m
lidades, a retalho
preco commodu
Cacimba d. 1.
por alarido e
no Kecife roa
ir.r
da
rafa- xa exterior, a Moo, l,6oo, 1,8^0 e 2,ooo \ Azeitonas portuguezas a 5oo rs. a garrafa e
Genebra de Hollanda a 48o rs. a botija de j cada urna. l,5oo cada urna ancorela.
conlacerta. | Azeite doce refinado hespanholou portuguez-Champagne da meihor qualidade que vem
Frasjueirasde genebra de Hollanda a 6,800: a 9oo rs. a garrafa e 10:000 a caixa. ao mercado, a 2,ooo e 3,5oo a garrafa, e
e 64o rs. o frasco. Batatas muito novas a 80 rs. a libra e2,5oo 24,000 e 26,ooo o gigo.
Genebra de laranja verdadeira em frascos. o gigo com 36 libra-. Gomma deengommar muito alva a 12o rs.
grandes a 1,000ell,ooors.a frasqueira. Conservas inglezas a 75o rs. o frasco e; a libra.
8,5oo a duzia. Figosemsextinhas a 80 rs, cada urna e 72o
Vassouras de escova para esfregar casa a rs. a duzia.
4oo rs.
bra e 7,5oo rs. a arroba. Nozes muito novas a 16o rs. a libra.
Arroz do Maranho de Ia qualidade a loo'Molho inglez em garrafa de vidro comrolha
rs. a libra c 2,8oo a arroba. do mesmo, a 16o rs.
dem da India a loo rs. a libra e2,8oo a.Mostarda ingleza dos melhores fabricantes,
arroba. | a 800 rs. o frasco,
dem de Java a 80 rs. a libra e 2,4oo a ar-; Mostarda franceza em potes j preparada a
roba. 4.00 rs. o frasco.
Painco e alpista a lio rs. a libra e 4,oooa Lentilhas francezas, excellente legume para
arroba. sopa, a.2oo rs. a libra.
Massade tomatesde superior qualidade a 6 io Marrasquino de Zara propriamente dito a
rs. a lata de urna libra e56o rs. a reta-, 1# a garrafae II,000 a duzia.
Iho. I Palitos de dente a 14o rs. o maco.
l>ara M
charutos.
Vende-se fumo superior de todas a?qn.v *
....... m. i
Tai xa de ferro
Qaem pretender ccroprar a taixa de ferro rea*
com 6 palmos de bocea i|ue se arha na esto a :e
j Frexeiras, pode entender-se com o Sr. ^a i
no seu engenho Frextiras, 00 na ra do Impera-
dor n. 42._______
Fio lie aigudo ta U.tbia.
Vendese no escritorio de Adiodi Lu? de >,
veira Azevedo & C, ra da Cruz n. i.
Cal de Liftbea
a granel a 14006 por urna han ira : m ra .',
garion. _19, primeiro andar.
Chancos c bonc.ts pan: s< uliur*
Vendem-.-i-ncu c.'iapeo- c hoii'i.- tt..... la
ItMia, enfeitado1-- eom todo gosto 1 man "id.
na ra Nova n. 47, luja de Ju.-;o dc_Aiii.ciJc iV u
Vende-ce a ca?a n. 52 na ra de S. Jos da
mesma freguezia : a iratar ua rna do P.res c. 18.
ESCUYOS rfiDJC.
Papel azul para botica a 2,000 a resma.
Balaios para roupa suja, grandes e peque-
nos, por diversos precos.
Amendoas confeitadas a 64o rs. a libra.
Latas com fructas em calda: pera, pecego,
damasco, rainha Claudia e cereja, a 800
rs.
Vinagre de Lisboa a 2oo e 28o rs. a garra-
fa e a I,4oo e 2,000 rs. a caada.
Azeite doce de Lisboa a 4,800 rs. a caada
e 640 rs. a garrafa.
Vinagre branco j engarrafado a 5oo rs. a
garrafa.
RIVAL
BM SEGUJVDO
lina do Queimado us. 49 e Ai.
Contina a vender todas as miudezas que abaixo
declara por precos admiraveis.
Massos de palitos lixados para dentes .1 100 rs.
Espelhos de molduras douradas a 200,240 e 320 rs.
Bonels de oliado para meninos a 1 1)110.
Ditos de couro superior fazenda a i#oOO.
Frascos com superior tinta rocha a 240 rs.
Meiadas de linlia froxa para bordado a 20 e 60 rs.
Babado do Porto, fazenda boa, vara a 80, 100 e
140 rs.
Caixas com 100 envelopes, fazenda Qna a 600 rs.
Sardinhas de Nantes de todos OS fabricantes. | Grozas de peanas deago, fazenda superior aSOOrs.
dem de Setubal em latas muito grandes a
720 rs.
Stearinas a 600 rs. o maco.
T
TOUCINHO de Lisboa a 320 rs. a libra.
Tomate cm latas a 600 rs.
Tinta azul c preta para escrever.
V
VINHOS
!
Principe Alberto, de 1831, a 5000 a gar-
rafa ; d vida aos velhos.
F
Urozas de boloes madreperola linos a 000 e
e 640 rs.
Caixas com 50 novellos de ,linlia do gaz a 700 rs.
Caixas com superiores obreias de cola a 40 e 80 rs.
Pecas de fita branca elstica com 9 varas a 280 rs.
Varas de franja de la para enfeites de vestidos a
40 rs.
Baralhos dourados superiores qualidades a 400 rs.
Novellos de liuha com 400 jardas a 80 rs.
Livros para assentos de roupa lavada a 100 rs.
Pares de botoes para punho, fazenda rica a 120 rs.
Tesouras para costuras superiores qualidades a
400 e 15.
Caixas de pennas de calligraphia, fazenda boa a
1,5000.
Massos com superiores grampos a 30 rs.
Pares de sapatos de tranca e tapete a 15300.
Pares de sapatos de tranca para meninos a 1S e
14380.
Caixas cora superiores agulhas a 240 rs.
Libras de 13a sortidasde bonitas cores a 75000.
. I Caixas com superiores obreias de massa a 40 rs.
) garraia. RudUhas com alfineles francezes muito superieres
a 20 rs.
refinadoem pequeas latas a 560 rs. a garrafa : no graude armazem
Azeite doce
da Liga.
Saceos de 80,100 e 120 libras a 45,4550O e
% li
>^1
iros
5(3; no grande armazem da Liga.
M.S) vib ik.-^; Vtii
&% Madapolao muito fino cora pequeo toqn3 de avaria, por prego que admira : na
{ISKfi das colurauas na ra do Crespo n. 13, de Antonio Correa de Vasconcellos & C.
de to-
loja

SKfSt
FARINHA SSSde 8 libras para cima a 120 Carcavelos a 15
rs. a libra,
dem de araruta
Figos de comadre a 160 rs. a libra.
Fkuo verde em lalas a 600 rs.
Favas em latas a 600 rs.
Fumo do Rio a 500 rs. a libra,
dem americano em latas a 20.
Moscatel verdadeiro de Selubal a 20 a gar- Resmas de papel almaco a 25400 e 25800 rs.
_.( Escovas para roupa, fazenda boa a 720 e 15-
tesouras com toque de ferrugem a
Duzias de
600 rs.
T*n /nn kv\ Qnr\ Colares a 900 rs. a garrafa ; O nico vi- Duzias de facas e garios de cabo preto a 35000.
" nho que se pode beber por nO ter com-1 Talheres muito fino para criancas a 240 r3.
posicao alguma.
Lanlerne a 800 rs. a garrafa.
Bordeaux Medoc a 800 rs. a garrafa,
dem S. Julien a 600, 800 e 10 agarrafa.
Absynlho a 20 a garrafa.
Farello ha sempre em deposito de 500 a i Kirsch a 20 a garrafa.
800 saceos, de todas as qualidades, de to- Wermouth a 20, e a caixa a 180.
dos os tamanhos e de todos os precos. Bitter Maurer a 10 a garrafa,
Loja
das seis portas em frente do Li-
vrnmento
Grande sortimento de roupas feitas
das as qualidades,
Caigas de casemira a 65 75500, ditas pretas a
65 e 85, caigas de ganga a 25 ,15800 e 15600,
ditas brancas a 25, brimde linho a 35, 35500 e
45, petots do alpaca branca a 45500, ditos pretos 1
a 35 e 35500, ditos de alpaca de cordao a 45, e
de lislra de seda a 45500, ditos sobrecasacos a 55,
palelou de casemira a 55, 55500, 65, 85 e 95,
ditos sobrecasacos pretos a 125, 15 e 165, ditos fi-
nos a 255, de cores a i35. ditos fraques a 145,'
paletots de ganga a 35, 25500 e 25, ditos de bnra
pardo a 35, jaquetoes de brim pardo a 35, panno
preto fino a 25, 25600, 35500
covado, moreatique preto a 2,
denaple preto a 15500,15800, 25, 25200 e 25500
o covado ; e outras muitas mais fazendas que se
deixa de annunciar, e manda-se levar pelos caixei-
ros da loja da arara rasa dos pretendentes. O
e tahelecimento est aberto at as 9 horas da noite,
ra da Imperatriz n. 56, Mendes (iuimaraes.
Fazendas boas e baratas
Algodozinho bom e limpo a 50 a peca,
lazinhas de quadrinhos e llores muito
Francisco Jos Germano
Clegramossuperiores MANTAS tARA PESCOQO. S
. 1 j I Chegaram as desejadas mantas deflnissima seda 0Ulr!s fezeddas por baratissimos pregos, e dotado
COrteS (le Seda* elstica para pescogo de hornera : na esquina da,88 dao amostras; cambraia para forro a 25000 a
j Madre de Dos, loja do balao. Pe?a
Superiores cortes de seda de cor, viudos pelo ........--
ultimo vapor francez : na loja das columnas a roa : Vende-se um mulatinho de 12 annos de ida-
de Crespo n. 13, de Antonio Corroa de Vascon- de : na ruajia Grazjp. 30, escriptorio.________
cellos 4 C I Farinha de mandioca : tem para vender Au
ceneros da tnl Luir de O'iveira Azevedo & C, no seo es-
Vendem-se chitas francezas escuras e bons pan- nitas para vestidos de senhoras e meninas a j
nos a 240, 260 e 280 o covado, cassa franceza de
ons fixas a 240 o covado, nretanlia de rolo a
25'iOO a pe;a, cortes de casemira de cor escura a
baldes de arcos a 35, 35500 e 45, e muitas
RA SiOV.l X. I,
acaba de receber um lindo e magnifico sortimento
58, 45500 5 e 65 o deocnlos, lunetos, binculos, do ultimo e mais
o covado, gros- apurado gosto da Europa.
Sovcna de Xossa Senhora do
Carmo e de Maui lima
Vende-se na ra do Imperador n. 15, officina
de encadernacao : o offlrio, salve e versos, nove-
na e salve de Nossa Senhora do Carmo, tres fo-
Ihetos por 500 rs.,e a novena de Sant'Anna por
320 rs._________________________________
GAZ GAZ GAZ
Vende-se gaz da melhor qualidade a
bo-
Desappareceu
eu 3 do correle mez de agosto o mualo Ago-:i-
nho, cor clara, idade de 30 anno-. wp de un
olhu, baixo, pouca barba e um pouco ruiva, lendo
um pequeo iorhaco junto ao eston agn. 1 ruvenien-
te de orna quea que den tQbr* ii.i | ao, tioha
nesse dia vestido caiga e cami-a d risr^diiii
algodao,chapen dt palha. e lev o mai- urna ral^a
de brim de quadros : E' natural de Gararhrns, e
foi escravo do tent-nlc coronel Luiz de Aiboqner-
que Maranho, senhor do eng^nl.o AloVia, comar-
ca de l'o d'Alho, e lir.ia Milu vemndj ur>u ci-
dade na vespera do da em que de-apparrr-j.
fui visto no dia 6 e 7 do crreme na rilM-ira d* S.
Jos, por i.-to julga sr elle andar oeui cinade.
Quem o pegar, ou delle der oHcia* erlas, .juei-
ra dirigir-.-e a ra da Cruz do Itet-ife n. ", dt 9
horas da manha as 3 da tarde, e d>ra tm ho-
ras a ra do Amorira n. 50, 2* andar, que sera
gratificado.
Fugio na noite de 19 para 20 do rorrete
mez, do sitio do Sr. Pr. Augusio |'. a.' riv-ira, oa
ponte de l'rha, o seu escravo de mm Lz. qoa-
bem vlsiveis, cabello anoelado, haixo, n ltiro,
bem fallante i- de cerca de 28 mw i.i' i.l.ur, ie-
vou camisa de baeta encarnada e afeafa de ,aibj
novo, suppoe-se que vagueia ntsta cidade do Reci-
te ou pelas ras circumvisiohanen : qnem o p-
preheoder e ievar ao sobredi tu sino, cu ao escrip-
torio dar, ser penerosamenle recompensado.
Escravos fgidos.
Ao amanhecer do dia 16 do crreme mez fugi-
ram os escravos segnintes : Theodoro, preto de
nacao, alto, cheio dn corpo, maior de 30 rniK-,
barba bastante rente, falla cu-tosa, e qoaodo pro-
nuncia as palavias,os labios que sao grossos, ire-
mem alguma cousa, tem m bianco di s omos [nn-
cipios de carnasidade; Virissirr", mnlalo, bu
pouco claro e alguma cousa palirij, magro, alta-
ra regular, lem marcas de bcxigas e ispinhis 00
rosto, os dentes limados, as pernas com alpnma
e largas cicatrizes, e anda como qnm t m birbos
nos pes : quem os apprehender qoeira leva lo ao
seu senhor em a rna da Aurora n. 32. rio *
que ser bem recompensado.
Fuglo no da 16 de julh do correte anuo,
a mulata Suzana, aqual tem os signaes s.gninle* :
altura regular,corpo cheio, cor clara acab ciada,
cabellos corridos e bem aparados, rara ibata, la-
la estreila, olhos pequeos, nariz chalo, bocea
grande, beicos finos, falta de denws, mos erossas
e dedos curtos, idade pouco mais on menos 40 an-
nos, natural do sertao, levon vestido de chira
escura com palmas brancas e panno da rosta, fal-
la sempre rindo-se : pede-se as autoridades poli-
ches, capitaes de cami o ou qualquer qne del!
souber leva la ao seu senbor oa praca da Indepen-
dencia loja de chapeos o. 14 e 16, que ser gene-
rosamente gratificado, ao mesmo passo qoe protes-
ta ser contra qnalquer que o lenha acontada, pris
ha noticias que esta dentro mesmo da ndade acon-
tada e se assim esta pessoa une a va entregar
do contrario- ser ponida com todo o rigor da le.
Ausentou-se no dia 2 do correte ao meio dia,
da casa da ra do Imperador n. 16, prelo edimon-
do, crionlo, cheio do corpo, aliar.-- rgnlar, rosto
eomprido, olhos pequeos e penca barba, usa soU-
sa e bigode, bastante l..dino, representa ter 23
annos, pooco mais oa menos, e julga-se ter levado
caiga preta e camisa branca ; este e-cravo foi c>na-
Vende-se ama taberna na ra do Cordonlz n-
I 7, livre e desombaracada : quem pretender dinja-
' se a mesma, que achara com quem tratar.
Vende-se um carro de carregar
alfandega, com uso, o todos os pertences
igual, tudo por prego muito commodo
Dojpateo de S. Pedro o. 4.
de outro
a tratar
criptorie ra da Cruz u. 1.
Vende-se urna escrava crioula : nos Coelhos,
roa dos Prazeres n. 10.
Vendem-se palmeiras imperiaes, em estado
de serem trasplantadas: no sitio murado es-
querda, depois do becca do Espinbeiro, nos Af-
i Hielos.
prado ao Sr. coronel Galvo, do Limoeiro, para oa-
240 200 rs. o covado, brins de linho com!l flata :. nos armazensda ra do Im- de se jolga tenha fogido. mas ha qnem o te
algum loaue de ava ia a 320 rs.. chitas lar-' Perador n.ib e ra do Trapiche Novon. 8. visto na Passagem da Magdalena, itemeiio* r Var-
gas e escuras de cores fixas a 240 rs. o co- T?ArmiW~ ; JIStesttSTroceder'cKr qu"m "fer
v c fn.i-K n a, e Pede-se a quem delle der noticia ou o agarrar,
Vende-se farinha de mandioca muito nova, sac- que dirjase a sobredita casa, on a roa do Tro
vado e outras muitas fazendas a maior par-
te de'las do uso domestico, cujas fazendas
estaro expostas aos compradores desde as
7 horas da manhaa as 9 da noite : na ra
da Imperatriz n. 20, loja, dando-se amos-
tras de todas a quem nlo poder vir na dita
loja.
Vendse um preto crioulo, Lera mogo : no
pateo do Terco n. 141.
eos grandes a 45 : no armazem de farinha da pon- 13, que ser "recompensado.
te nova dos Srs. Tasso Irmaos, para porgoes, na --------.------.. ,------------
roa da Madre de Dos ns. 5 e 9. Luf ,0.no diaP de agosto o escravo cnoolo de
nome Tiberio, idade de 20 a 25 annos, estatura
baixa, com falta de nm dos denles de cima. Foi
escravo do Sr. Francisco de Albuquerqoe Mara-
TaSso Irmos
vendem gesso era p para estuque de casas, tijolos _
finos de feillo diversos para ladrilho, azuleijos de nho Cavalcanti : qaem o pegar oa delle der
diversos gostos, tijolos vidrados para parede de co-, cia, queira dirigir-se a roa da Cadeia do **-
zinha, canos de barro para esgolo, cemento em 33, loja de Valle Porto A C, qoe ser
barris de 10 arrobas. i sado.


Diarlo de rernamhuco Qnarfa felra O de Agosto de 1*J5.
i
JuWRUDEHCIA
ESTADOS UNIDOS.
Proeesso dos assasslaos de Lio-
cola e Neward.
CONSEUJO DEf.UERUA EM WASHINGTON"
(Conlinvacao.)
Os joroaes publicaran) o resu.no da allegscao de
Mr. Revendy Julinson, que versen priucip-linete
sobre ajarisdicco do tribunal rttll-wr.
jas Influencias em oppesigo. Nao foi permitlido
aos advogados de Davis conferenciarem com elle.
(Continuarse-la.)
IV
I POLCO DE Tl'DO.
AS
En va o o presidente clama :
Ordem I ordem I
Ninguera se sntende no meio de tanto barulfco.
O Sr. Leoncio trepa na mesa e senta-se sobre a
urna; a msica de pancadaria contina estrepitosa,
e por ama fatalidade cruel uin dos msicos enten-
de que d-ve fazer zabumba das costas do proprio
I Sr. Ambrosio, que chucha caladinho bem boas
1 pancadas de urna grossa vaqueta de pa'o,
O Sr. Ambrosio, que j tinlia sido bem enrolado
no tal rolo, trata de pr-se ao largo... e de facto
o faz indo esconder-s atraz do altar-mr. Mas
com os seus botes, porque nao os tem, mas com
os seus clcheles.
VIII
Neste interim, apreseata-se na sala um mogo
magro, de altura regular, bonilote e desembara-
zado.
Claro, paludo, tinha o rosto oval, ao qual cir-
cumdava urna barba quasi prela mas mui pouco
espessa. Seus olbos sao pardos e os seus cabellos' capenga, com um tabobro a cabega.
um modo contrario ao das esposas do mesmo ge-
nero, que no flm do mez qoando moito tratam de
desquitar-se dos seus constante.* maridos.
Quantas de.-pezas I
Quantos prejuizos I diz elle suspirando.
E logo aps accrescenta :
O jamar! venha o jantar.
inmediatamente apparece urna negra velha e
CORBS polticas.
(Coulinuago.)
V
Toca a fazer cdulas I Tuca a fazer cedulasl iquanton.io custou-lhe atravessar aquella mullida)
O juiz letrado justifirou a jurisdicciio milita^
fuudando se : diz o Sr. Leoncio eniran Jo na sala de visitas, acora-1 deseufreada ?
1. Na proclamago do presidente, de 25 de se- P**' Pelo gran e AnUfrosio, que com o ser Andou qaa| uiysses de Irambulhaes sobre aquel-
teir.bro de 186, que declama, que emquaulo du- iiral'Je uao deixa do ser pequeo. ^ las ondas tumultuosas de loucos, at que aflnal ar
rasse a revolugo, lodos us rebeldes, seus cumpl-
grande nao deixa de ser pequeo.
Toca I Toca I respomle este ultimo, servindo ril)OU a ft|izes praias, e quando deu por si viose
ceTe" M7TpNN au j, grvala lavada. esnatnt
vara sugeitos a le marcial e ao julgamenlo das ....,, sapaio i
commissoes militares. Ll'odc'0' le"'03 a1ui Q0S- Pois n'uma eleigao tambera se roubam re-
P so amavel Flonndo. Elle nos ha de ajudar na con- i0gos ? perguntou o malfadado Ambrosio todo en-
2." as leis da guerra, e na le nao escrlptrde eCl.?0 das Ctju|aj nQ0 verdade, meu migo ? furecido
todas as nadies, e as necesidades da recente | E- verda,le( res|),)n,lcil 0 Sl, F|orindo> ^^ .^ ^ ^ ^ ^ q
crise, que conferirn) ao eonselo urna jurisdlccflo Eu sei que 0 euhor nosso parlidar0) nao e|e|tora|> respQade ,ogJ ura capajoc0) que pe|a ca.
> i verdade T ra 0 parece saber ao certo e que quer dizer a pa-
E' verdade, respnndeu elle. iavra categora na lingua portugueza.
O Sr. Ambrosio nao deixa de sorprender-se com 0 ltfliil Ambrosio, vendse assira em circums-
| aquelles dous- verdade,ditos tao sans fagon ; tancias to deploraveis, entra na sacrista, bebe
mas, dando-se por vencido, cala-so e val sentar-se agua para disfargar o susto, caiga urna cbinella ve-
1 Iba que ah acba e vai pondo-se na muda sem pro-
curar chapeo queja nao sabe por onde anda, e dan-
do gragas a Ueus por nao ter fleado nos trajos de
virtual
jrma; porque os accasados esqnecendo suas qua-
lilaies civis, intrometierara-se as operages mili-
tares, pretenderlo embaragar o governo nos seus
esforeos para dtsiruir o inimg >, e assim lomarara
o carcter militar e icaram sugeitos s leis da
guerra.
Estes argumentos foram drodazidos pelo juiz le-
trada Barnett, na causa dos Estados-Unidos contra
Walsh Morris eoutros, aceusados de conspirago
para soltaren) os prisioneiros do acanipameulo
iJouglas, e foram approvados pelo juiz letrado ge-
ral e pelo secreiario de guerra.
Washington, 12 de junho.
Contina o interrogatorio das testemunhas.
Mad. Grant, da Virginia, e seu marido, John
Grant, ree.onheceram o aecusado e viran-no de-
f.-ii ii-r contra a populaga, com perigo de sua vida,
tres prisioneiros unitarios.
J. P. Patterson, guarda-marinha, depoe a favor
de O'Laohlin.
R. H. Sweeney declara, que Lloyd, testemunha
do governo, estar completamenle embriagado na
noite de 14 de abril.
Mr. Aikew, advogado de mad. Surratt, requer
para dar mais testemunhas, pois leve conhacimen-
t de factos de grande importancia n'uma digres-
sao que fez a Surrattsville c a Mariborough.
O juiz letrado Holt, nao se oppe, porque lam-
ben) lem a dar mais testemunhas importantes, que
ainda nao tinham chegado.
O L)r. Nichols, por Ihe haver morrillo sua mu-
Iher, requereu ser substituiao pelo Or. Hall para
, '-x i me da capacidade intelleclual de Payne. O
tribunal defferiu.
O nr. Hall apieseular o seu relatorio no da 13
Foi apresentada urna carta, attribuida a Clay)
datada de Santa camarina (Canad West) e do 1."
de novembro de 1864, dirigida a Mr. Benjamn,
secretario de estado confederado, fallava da incur.
sao de Saint Albans. N-o lera assigoatura, mas
urna testemunha declarou reconhecer a letra de
Clay.
Depfcm muias outras pessoas sobro a inoralila-
de e crdito das testemuuhas.
Por niuitos depoimentos dados oesta audiencia,
86 veriflcou que a explos) dos anuazeus de Cuy
Point, em 9 de agoslo, foi resultado de urna ma-
china infernal preparada por John Marwell, agente
secreto do goveroo confederado.
Na explosao liouve 38 morios, 126 feridos e per-
derain-so quatro milhoes de dollars de prorisSes.
(Juando o proeesso pareca prximo do seu ter-
mo, vai-se coniplicaudo mais. A defesa offerece
mais li testemuuhas, e o ministerio publico outras
tamas.
O incidente da destrulg.io do* armazeus e dos
fornecimentos miitares de City Point esiranho a
causa, e funda-se no dirello da guerra, tendo os
federaos ernpregado os mesmos meios. Est no
mesmo caso dos episodios das incursSes de Saint-
Albau, de Odenburg, das pirateras do lago Erie,
da fere amarolla do Dr. Blackbun, do traumen-
todos prisioneiros federaes no sul e da minada
prisao Litby.
cas) do lago Erie niuto coriosa
0; confederados trataran) de se apossar do va-
por federal Michigan, que navogava nos lagos, e
de se servrem delle para livrarem os prisioneiros
do sul detidos na ilha Johnson e uo campo Dou-
glas. E' isto que charnam as pirateras do lago
Erie. A' testa desta expedigao eslava Co!e, que
fez revelagoes importantes, dizendo que era prote-
gido por Thompson, Cleaiy e Clay, que residiam
era Toronto (Canad) cuino agentes do governo
confederado.
Col, que eslava em inteligencia cora os dous
carapos, veiu ura da dizer confidencialmente a
Cleary, que muitos offlciaes da marinha federal,
de passagem em Cataract House, prximo das cas-
calas do Nigara, estavam disposlos a tralar d
venda do Michigan por 45:000 dollars.
Cleary, para nao se arriscar na margem ameri-
cana, pronta tratar o negocio por intermediario,
comprometa se a pagar a somma pedida, sendo-
lhe o vapor eutregue no purlo canadiano, dando
urna letra da 45:000 dollars, acceila por qualquer
banco do Canad, mas descouliava de urna arma-
diiia, e nao quera ir metler-se na bocea do lobo ;
tambera se Iratou de comprar um ofllcial por
20:000 dollars, o qual estando de quarlo devia le-
var o Michigan a um porto do Canad.
Nao se sabe se isto era urna citada a Cleary, ou
urna traigo dos offlciaes, o certo que a empresa
gorou, e esta pendente um proeesso no tribunal de
Cleveland, pelas piralanas do lago Eni, e pela
tentativa de surpresa do Michigau em 1864.
Ura inc'denie, que vai tomar ura desenvolvimien-
to extraordinario, a contradicgo das testemu-
nhas suspeitas. os depoiraentos secretos, e agora
couheclJos, indignaran) o publico, que pede justi-
oa, e impossivel que o governo nao faga urna in-
vestigaran seria, sobre os perjurios, que se tem
accutnulado neste .proeesso.
Canover iuculcou-se como sendo a mesraa pes-
soa, que James Watson Wallace, que figurou no
proeesso das guerrilnas de Saint Albans. O ver-
dadeiro James Watson Wallace, reclamou no Tele-
grafo de Muntreal, contra o que se Ihe altribue,
e pubiicou um affldavii, declarando qne Conover
um impostor, que usurpou o seu nome e a sua pes-
soa; promptifleando-se a comparecer no tribunal
de Washington, se o vice-presideote Johnson Ibe
conceder ura salvo conducto.
Diz o Correio dos Estados Unidos, que se os de-
poiraentos secretos por urna Indiscnpgo nao tives
sera sido publicados, podara por elles ser applica-
da urna pena capital. Isto raostra o perigo das in-
vestigaijoes secretas, dos processos a porta fecha-
da, e dos depoiraentos mysterosos, fazem lembrar
o conselho dos dez e a iuquisigao.
Tres tribunaes dispotam a honra de julgar o ex-
presideuie Davis. O grande jury-de Colurabia, de
Maryland e da Peosylvanfa, proounciaram-n'o j.
O governo deve decidir qual delles o jalgar, esta
quesio ser difficil de resolver, porque ba podero-
mesa redonda que esla collocada no centro
sala.
Nisto foi logo imitado pelos outros dous.
Nao dos esquecamos, porra, de dizer que o tal
Sr. Ambrosio pequeaiuo, de vez em quando deita a
sua olhadella para D. Angela, que encostada ao
peitoril de urna janelia. assiste aquella scena, que
nao deixa de agradar-lhe.
Ado.
Vil
Quando o Sr. Ambrosio entrou em casa do Sr.
Leoncio j o tumulto se tinha aplacado na igreja,
e j se continuava a chamada dos volantes, quei-
0 Sr. Ambrosio nao desgosli da moga, porm el-1 mado e desapparecido o phosphoro que acendera a
la da-lho de taboa que um gosto... mas o bom exaltagao em tantos esplritos.
do hornera Dada de desanimar. Faz elle muitobem,
porque l diz o dilado: Agua molle cm pedra du-
ra tanto d at que fura.
O Sr. Florindo j tem reparado oas olhadcllas do
cabalista ; porra, como sabe e est convencido de
que D. Angela j Qzera eleigo do seu coragao, e
como nao pode acreditar que ella vira a casaca,
(termo technico) assm de pe para nao, faz caso...
e at sola urna risadioha rauto particular, que nao
passa desapercebida para D. Angela que urna
vivoria de contas com aquelles seus olhinhos de
coriseo.
Vamosl vamos! Nada de perder lempo I ex-
clama o Sr. Leoncio todo influido a remexer em
urna grande papelada que se amontoa sobre a
mesa.
D. Angela d alguns pass>sadianto, dizendo:
Com licenga, meus senhores.
Que isto, meu Deus I O Sr. Ambrosio ?...
exclama D. Rita, ao ver o pobre do boraem em lao
deploravel estado.
Ento nao estou engragado? pergunta o Sr.
Ambrosio muito ingenuamente; sem chapeo, sem
sapato, sem relogio e sem urna aba do paletot. E
vira-me safando com medo de ficar tamben) sem
cabega. Aquelles malvados sao muito capazes de
proceder a degolago dos innocentes.
E o raen marido ? Oh I meu Deus I o que Ihe
ter acontecido ? I Sabe, Sr. Ambrosio... sabe dar-
me noticia de Leoncio ?
Eu l vi Leoncios I diz o Sr. Ambrosio com
muita graga; o Leoncio que eu vi fui um bom c-
cete que contundio-me todo por delraz.
Mnha Nossa Senhora I Com que cuidado es-
tou !
Depois que D. Rila e o Sr. Ambrosio trocaram
Oh I estavas ah? ora vejara... Nao tinha re- i esias palavras, apparece D. Angela, que nao pode
parado, diz o pai lavando as mos no seu ocano de
papis.
E, ainda mais, o nosso hornera nao repara tara,
t i i. u'ura apertozinho de rao muito s claras do
Sr. Fiorindo e D. Angela, que depois delle trata lo-
go de pr-se ao fresco, por isso que o bom do Am-
brosio esta' quasi a disbaratar com um mexerico
ao velho Leoncio, pelo desembarago da sua tilha.
Elle, porm, nao pode proferir a primeira palavra,
porque oSr. Florindo corti-lhe loga a vasa, fallan-
do muito aforgurado:
Varaos, vamos,Sr. Ambrosio; tome papel, to-
me tinta, tome | puna e caeta. Trabalhemos, tra-
balitemos; onde esta' o modelo das listas?
Esperem um pouo, diz o Sr. Leoncio, que
ainda nao tem acabado de remexer a papelada, que
parece urna verdadeira panella de moxinifada.
Se dentro da sua cabega, as ideas andan) assim
naquella irapalhaia, adeos, eleigao.
O conservador esta' mesmo com urna conserva
de grelos na cachola.
Ora afinal achei o que qne quera, diz elle to-
do sati>feito mais contente mesmo do qae o Archi-
me lesqaando descobric o grande principio de phty
sica. Porm o curka do nosso Leoncio nSo foi pro-
ferido as aggravantes circunstancias do celebre
malhematico.
Dafci, distribuida a tarefa a cada um estiveram
elles al a hora do jantar era ura trabalho inces-
sante.
A essa hora disserara elles com o poeta: Cesse
ludo o que a anttiga musa cania.
Otriumvirato entrou em um novo trabalho, mais
suave e al mais pruveiloso para cada um dos
triumvirus.
O Sr. Leoncio, a'vido de honras, pode ser chama-
do P.'inpnu; o Sr. Ambrosio que pelo dinheiro
capaz de se enforcar, representa de Crasso. O Ce
sar o jeveu estudante, que s aspira ao doutorado
para possuir sua adorada Angela, brilhante aivo
das suas ambiges.
VI
O dies irie, iet Ule chegou finalmente.
N- corpo da igreja esta' urna mesa, a qual acham-
;o ecutados os secretarios e escrutadores, e a cuja
cabeceira v-se o presidente com o seu lito verde
e amarello a liracollo.
Sobre a mesa descansa o cofre ou a chamada
mais bombsticamente urna, que nao passa de urna
caixa quadrangular de maieira pintada de verde,
era cuja face superior existe praticada uraa aber-
tura estrena e oblonga, por onde sao inlroduzidas
as cdulas.
Urna massa compacta de povo se agglomera ao
redor ondulando continuamente em urna especie de
agilaco que bem, revela que comegam a superex-
ciiar-se lodos os nimos.
Sao os volantes, dos quaes uns esperan) a sua
vez de cumprir o mais sagrado dos direilos do ci-
dado, e outros velara sobre a marcha e accidentes
do proeesso ele toral.
Fura do santuario de Deus, transformando ago-
ra em santuario da nagao que infelizmente pro-
fanado pelos hmeos, vem-se aqu e all grupos es-
paihados, e diversos individuos a andarem n'uma
lida de um lado para outro com listas na mo.
suster o riso em presenga daquella figura ridicula
que parece mesmo um gallo depennado. Mas de-
pois, iembrando-se de seu pai, ella empalidece de
susto e pergunta :
Enlo o que foi, Sr. Ambrosio ?
O que foi?... E' que liraram-me a mastrea-
gao toda e al Ihes fez conta a minha bussola.
Que bussola?
A minha bussola, o meu relogio de ouro, pa-
! tente inglez. L se foram 400^1000. Nunca mais
caio o'outra. Ora vejara quanta desgraga junta I
E perdemos a eleigao, os liberaes leem'muito
dinheiro, e nos andamos pingando aos dez tus-
tes.
E papai i Eu nao disse mami ? Sabe Deus o
que aconteceu a papai.
E' o que me esu affligindo, Aogela. Aquelle
homem.. tantas vezes que Ihe disse que se dei-
xasse de eleigoes. Palavra de mulher palavra de
propheta, mas os horneas nunca fazem caso do que
nos dizemos.
Eu agora estou disposto a dar-lhe toda a ra-
zio, Rita ; diz o Sr. Ambrosio, levando a mao as
costas e mordendo o beigo inferior, como fazem os
que sentem fortes dores.
Erara elleilos da dse elevada de sulphato de
pao, remedio enrgico para debellar os accessos da
febre eltitoral.
D. Angela, que nao pode iranquillisar-se de mo-
do algura, assim falla a sua mi :
Marai, eu acho raclhor mandar urna prela
l igreja, para saber se aconteceu alguma cousa
a papai.
Lembraste bem, menina; o que eu vou
fazer.
E no mesmo intante D. Rita relira-sc, lieando D.
Angeia para fazer companbia ao desgragado Am-
brosio.
Ali 1 Angela I Tudo isto por sua causa I
Por miaba causa ? I Esta nao m I Eu
que mandei-lhe melter-se no sarilho ?
A senhora nao sane que para servir ao seu
papai que me metti nesta diablica mixordia?
Enlao diga que foi por causa de papai.
Nao. Foi por sua causa, D. Angela.
E elle a dar-lbe.
Foi pelo amor que Ihe consagro.
Ah I o senhor consagra-me amor?
Corno louco.
Cruzes I Tenho muito medo de amor de lou-
cos, sobretudo se elles sao furiosos.
Creia-me : no meu coraeo ha sempre urna
chamraa, que se eleva at as mais altas e sublimes
regioes.
Ento tem um foguete no coragao.
Nao ridicularise este senilmente to nobre.
E accrescenlou mais baixo :
Os diabos das contusOes eslao me duendo que
nao graga I
Isso I Cuide as suas cootusoes e deixe-se
de amor. Poltica e amor sao dus chimeras da f-
bula.
Eotao nao rae ama ?
Se eu o amo ?
Sim.
aburados. O seu exterior emfim inspira con-
Gauga.
Apenas entra, D. Angela corre a ella, pergun-
taulo de um modo instinctivo :
- Papai?
Elle vira d'aqui a pouco.
Succedeu-lbe alguma cousa ?
Nada, D. Angela ; pode flear descantada.
Ah I creei alma nova, diz ella tomando urna
larga inspirago.
Eslimo muiio t-lo aqui, comega o Sr. Am-
brosio, que fura seniar-se n'um canto da sala.
-- Ob I por c, meu cabalista ?
Quero que o senhor me recelte alguma cousa
para estas desgragadas costas, que sempre foram
to bem tratadas por seu dono.
Ah I bateram chapa sobre o seu dorso ? Teve
quinho na marmelada?
Bem azeda que a tal marmelada.
Cotado do Sr. Ambrosio I
Sou mesmo um ente digno de compaixo.
Mas vamos, receite-me alguma cousa.
Cozimeoto anii-phlogistico de Stoll, quatorze
sani;uesugas.
DI I que bucha I Em cima de ferro fego I
Mo basta sangue batido, preciso ainda sangue
chupado... por Isso que n3ogosto da allopaihia.
A homeopathia... a gente toma to bem aquellas
colherinbas d'agua da Carioca, que um regalo
Mas dgame : Esse cozmenlomande p'ra o dis-
tico remedio venenoso ?
Qual I Consta de rozimento de cevada, nilro
de xarope de voagrc, diz o aspirante a medico era
ura tom magistral.
Que quantidade devo maudar buscar pouco
mais ou menos ?
Urna libra basta.
Ento bebida solida f Vende se s libras...
quera quizer que emenda a tal medicina.
Pa a o senhor ella um hieroglypho indec
fravel, heim ?
Que bicho esse, Sr. Florindo?
E' um fossil que se encontrou as ruinas de
Ninive.
Cada vez Seo mais grego.
Aposto que Do sabe o que paleontogia?
De certo que nao sel.
Oh I pois nunca ouvio fallar em masto-
donte?
Ah I tenho, pois nao ? E' urna planta de que
se faz um cha muito gostoso, nao ?
E' isso mesmo, diz o estudante rindo-se.
Nao sou lao estupido tomo parego, o que
diz?
isso mesmo... e por ser isso mesmo vou-
rae embora. Tenho aula do meia dia 1 hora,
j perdi aula das 10 s 11, por consequencia,
adeus.
Aperta a mao de D. Angela, a qtial Ihe recom-
menda.
Venha logo conversar.
Com todo o prazer, minha senhora.
A estas palavras o Sr. Ambrosio bufa, e segu o
Sr. Florindo, sem despedir-se de D. Angela, e pa-
recendo disposlo a fazer alguma asoeira. Vep.do
que leva aps si um satellite, o Sr. Florindo volta-
je, e pergunta, applicando o prioce-nez :
0i) te Mari, pedes f an, qu via ducit, in
urbem
Nao Ihe quero pedir nada, nao vendo doce,
nao senhor. Tenha paciencia, desejo que nos en-
tendamos a respeito de ura negocio.
Pois bem, saiarnos ambos; Ambo florentes
cetatibus. Ar cades ambo.
E o St. Ambrosio sahe para a ra com o Sr.
Florindo sem lembrar-se mais de que nao tiuha
chapeo.
D. Angela chega a janclla e v os dous carai-
nharem juntos, reparando nos gestos exagerados
do Sr. Ambrosio, que prete eaar muilissimo iu-
sullado.
Que patela que o tal Sr. Ambrosio I diz D.
Angela, sahindo da j.mellaereiirando-se em direc-
go a seu quarlo.
IX
la o Sr. Florindo muito eovergonhado com urna
figura daquellas a sua dexlra.
Por onde passava o Sr. Ambrosio todos repara
vam e coraegavara a rir-se. Ao chegarem praga
da Constituigo, urna chusma de moleques que es-
lava reunida junto do botequim de Braguinha, deu
no Sr. Ambrosio urna vaia forraidavel, depois da
qual o Sr. Florindo nao mais disposto a aturar as
massadas do Sr. Ambrosio, que s fallava no seu
relogio patente, no seu paletot rasgado, etc., des-
pedio se delle e encaminhou-se era direcgo a ra
da Carioca, em quanio o desastrado cabalista, ten-
Ellacolloca o taboleiro sobre urna mesa de pao
que de quadrupede tinha passado a bpede (j
ama vantagem), lira de cima do taboleiro urna
toalha de cor duvidosa, e levantado o panno da
bocea, uraa vista intoressanlissiina se o;ienta aos
olhos dos espectadores que infelizmente erara s
dous uaquella occasio, e estes mesmos de casa.
Um pratinho cora salada de alface, sera cebla
era azeitonas, um pao de vinlem, dua? sardinhas
e para compensagao do tanta estreileza, urna larga
tigella d'agua... Es as iguarias e vinhos de que
se compe o janlar que elle devorou com um ap-
petite verdadeiraraenle lupino.
Nao se admiti, pois, o leilor quando ouvir con-
tar historias de gastrnomos, que eugolem ara jan-
tar em cinco minutos.
Ojantar do nosso frugal Ambrosio poda evapo-
rarse em dous instantes e meio.
a sonou de WJMO
dess mm taak-
lid.ide do testador, foi legada onu sotana de fOjH
libras.
Igualmente legou aos pobres
dades 1,500 libras.
Os'beus movis consisten) em grande parte ra
valores eslrangeiros.
M. Thornton completava 90 annos a 13 de se-
lembro prximo
------------- a, c_
Urna caravana alravessava o deserto em direrpo
a Meca, rom os camelos carregadus de provists
mercad") ias, dominando a roteen na de viejaMes,
muR'-i-jo. us h raen- da escolta ame seos cavalea
peque ios, mas infaiigave-.
Os vestuarios pill >rescos, as *rnw< > I runale
polido, tuJo se destacara era nm reo mandado
de luz e formava um quadro que eslava ramio a
pedir que o reproduzissein.
Passava um photographo,
Ou Je qae nao ha boje pholograpkm T
Dispoe couvcuieuteineute o .-eu appafesbo,* a ca-
ravana, como se quue.-se prestarse aos seas dase-
jos, parou. Mas o artista nao teve nioito laapa
para folgar tasa tanta fortuna.
Alguns hmeos da esculla, pensando que a ar-
tista maoobrava contra elles coa al#ua
prfido, deram sobre elle, toinaraui loe a
Becostado n urna cadeir.t de pao, esperava elle
pelo fabrico do chylo, que bem raiseravel havla de e "rregarara-no de bordeadas.
ser, ej iames.no pegando no sorano embalado O photographo qoeiso ao sen coasai, esse
de sardinha qne Ibe licara na bocea vend 'lne ,in,,a ** "arnado meo*, saagae da
hatera & porta. Ello da ura pulo 1ue ""** ""'' "*' **-
des do pai/. 20:000 francos para o sen patricio le-
4
as escadas da porta principal do templo esta' [l .
umsujeiloa distribuir notas de cinco e dez mil ris
aos freguezes da urna verde-
Que desgraga, mea Deas I
Que conscienclas!
Que liberdade I
Que cidados I
E esse o voto livre, esse o mais sagrado di-
reto de que gozara os representantes da grande fa-
milia brasilt ira.
Pobre patria I Como vo os teas filos I
Ahi esta' o lbaro que hasta cada um dos par-
tidos.. o lbaro da desmoralisago.
E ba quera acredite em patraohas ao voto livre
e quanta cararaichola querem impingir?
Peta tudo. Vence aquelle lado que bater mais
moedas sobre a banca eleitoral.
Ah E fallara em glorias I faliam era entusias-
mo.
Que gloria... que enthusiasmo pode resultar de
urna eleigao ganba a' forga de dinheiro-?
D. Angeia ri-se. O Sr. Ambrosio sobe a serra e
Ri-se? I
Achei graga.
Desta manera a senhora machcame o co-
ragao.
Nao Ihe machuque eu as costas.
Eu a adoro, D. Angela I Angela... oh I que
nome I Angela era latim quer dizeranjo-fe-
mea.
Ora, Sr. Ambrosio, a sua traduegao muito
prosaica.
fraduzi ao p da letra, D. Angela. Mas fallo
serio, diz elle mudando de tom e de cara, amo-a,
amo-a.
A moga solta urna garpalhada.
Asi-a, amo-a repele o Sr. Ambrosio todo
enlhusiasmado. Sers minha, s minha I... Flor
mimosa I Hei de plantar-te no meu jardim.
Onde o seu jardim ?
E' l era casa, nao pense que eu o trago co-
no gosto
quaudo de repente
sobresaltado, e perganta.
Quera .
Um seu criado, retponde de fra urna voz de
enanca.
O Sr. Ambrosio levantase, espa pelas venezia
uas da rotula e abre era seguida a porta.
Um raeuino eulrega-lhe una carta,
Faz favor de dar ao sr. Ambrosio, diz elle.
O Ambrosio sou eu mesmo.
O) I gente I o soabor lem raias cara de Bor
romeu do que de Ambrosio.
O Sr. Ambrosio, sem reparar no calembour do
rapazito, rasga .o sello da carta e procede sua
leilura. Es o seu Iheor :
Amigo Sr. Ambrosio.
E' um favor que Ihe vou pedir. A amizade
sado.
O photographo, espaorado, mas satisfeilo. decla-
rou qne aquella prora tif mnito 4oloro*a. aus
que da sua cmara escura anda nao liaaa Mado
nenliurna to boa.
----------- tm 9
Disse se que o re Vietor En maeud ia dar-sai
vida myslica e que at ja liuha tooi.do osa eaatcs-
sor de ura convento de eaporhiaho.
Confiando n'e-te boato os pos horeaiians.afSHSB)
o novo pref ito prohibir que potesseai toadas asas
ras por onde havia de pasar a proeissia do Cor-
po de Deus, foram ter ron Sua Mage-Ud*.
Vctor Emm.muel rereueu com alfar.ilida.!
delegados, e para poder dar o devuio talor ao re-
sincera que eu creio firmemente que o senhor me queiinientu, perguntun Ibes quaoio teaaaa soda
dedica, e da qual rae ufano, que leva-me a es- rja |eVar a passagem da proeissao.
crevor-ibe esta carta, por intermedio da qual ve- plie0 mais duas horas, responden aa
nho como j disse, rogar-lhe ura obsoquio, a que 'elles e durante es-e tempo as nafrarla* tes ea-
certamente o meu amigo nao se ha de recusar. negos QslAT-M exposios a na sol intider
Esse obsequio o seguiute : Deejava que o meu A esUs pa|arl< respondea o rei cota ar desasa-
amigo amanhaa, que se vai proceder segunda raa bondade :
chamada, volasse na Oossa chipa liberal e nao na por e^c e<^ lasaaa eramos amitos esa 5.
conservadora a qual o meu amigo se destina em Marlinbo e em Solferini. Que calor bata tato |
proteger. Muito afflicto e incummodaJo fiquei g assim estivemos mais de doze horas sea tan
(como sabe) com as barloadas que o meu amigo h0UVesse, que cu saiba, algura tolde soare aa aat-
levou, e corn os prejuizos que teve. Porm Atrae sas cabega#.
certo o meu amigo que eu estou promplo a fazer [
ura sacrificio, isto a off-recer-lhe cem ral ris j '" "*- *
para compensar as pardas que o meu amigo suffreu.: Esta poesa foi rntala peio Sr. Mal arrffo
Se o meu amigo accede o que espero), queira res-; de Menezes no thertro de Santa IsalH, por i
pondr-me pelo mesmo portador, porquano ama- sio do beneliio dado em favor la v uva e
nha mesmo enviar-lhe-Iie a referida quanlia> do bravo p.ruambucano lefMi PeJru Aloasa.
a qual o meu amigo considerar, nao como paga
do obsequio que o meu amigo me far, mas sim
como una prova da alta e-lma que Ihe consagra o
seu amigo venerador e criado. Florindo.
Faga o leilor idea di sorpreza que se apodera
do Sr. Ambrosio ao ler estas lindas. O seu cora-
gao palpita com vehemencia, e sem mais reflexes-
este hnralo honran se.ita-se a mesa e escreve so
bre as cosas da carta estas palavras :
Accedo do muito boa vonladc ao seu pedido,
urna vez que o meu amigo promelle mandarme
1005 para pagar-me dos prejuizos que tive. Do
seu sincero amigoAmbrosio.
Toma, menino, entrega ao Sr. Florindo, diz
elle depois de ter escripto aquellas Untas, que leu I
e releu alien de certilicar-se de que nao ia algu-
ma palavra meos propria, a qual pudesse fazer o
Sr. Florindj desistir do seu intento.
Despedido o portador, elle vai sentar-so todo;
cheio de alegra, batenJo palmas, e arrastando os ;
ps coraoquem dansa urna quadrilha de lanceiros.
To grande foi o seu jubilo, que a preta velha e
capenga que o servia recebeu nesse dia das mos
delle um vintera para comprar fumo.
Qae bom conservador que nem a sua dignidade
de animal racional capaz de conservar I
(Continuar-se-ha.)
aM.
------------
L-se no Jornal do Commercto de Lisboa o se-
grate :
Existe, em Londres, no jardim do palacio dej
cryslal de Sydenham, ura caminho de ferro pneu-
mtico que funeciona j ha lempos.
O fim desta Iinha de ensaio era apreciar o valor
pratico da invengo.
Tratase hoje de applicar em grande escala esse
systema de locomogo.
Para comecar, construir-seha urna pequea li
nha, que ligar a estago de Waterloo do caminho
de ferro de Londres, e do sudoeste em Whilehall,
do-so aproximado da estatua eqoeslre, comega a passanj0 por Daxo do Tamisa entre esses dous
contemplar as monumentaes figuras de indgenas
que ornam o pedestal, como para desfargar tantas
desgragas de que tinha sido victima
Mas os garotos nc tardara a rodea-lo, e por to-
dos os lados elle s ouve assobios, guinchos e gri-
tara.
Fra o maluco I grilavam nos.
Corlaram-lhe o rabo I grilavam outros.
Olha... esqueceu-se dacalimploria I
Veude a cbinella velha ? perguntou outro em
voz muito alta.
Diversos (raseuntes param para assistir ao es-
pcctuculo, no qual o Sr. Ambrosio representa de
graga.
A cousa vai lomando vulto.
Que aperto I
E de mais a mais o infeliz mora no Om da ra
de Matacavallos, para onde ha dias se mudara.
Ora, ter de atravessar aioda aquella immensa ex-
tenso, sujeito a novas apopadas, era expor-se a
muito.
Por felicidade passa um tilbury vasio.
O Sr. Ambrosio chama o cocheiro, vai a entrar
pontos da cidade de Londres.
O caminho de ferro pneumtico de Whilehall nao
ser um tunnel; pela sua conslrucgao ser antes
uraa poole, mas urna ponte debaixo d'agua.
Ser um verdadeiro tubo britannico coberto d'a-
gua e sustido por pilares, absolutamente como a
grande obra de Stephensoo, que alravessa o estrei-
to de Menai, com urna importante differenga, toda-
va, que os navios ho de passar por cima d'ella
emquanto que passam por baixo da outra.
Diz um jornal francez que a asa de urna borbo-
leta, que sahe dos casulos da seda, tem 400,000
peonas.
Como provavel que essa assergao encontr in-
crdulos, aconselhamos a estes que averigen) o
caso contando as pennas.
?t>--<5
Segundo umaestatistica ltimamente publicad
nos Estados-luidos, os soldados federaes que tror-
rerara ou ficaram feridos na guerra da America
no carrinho, mw nisto cabe-lhe a chlnella" do'p, i ^am 1,423:000 sendo 323:000 morios e 1,100:000
elle quer de novo calga-la sem dar-se ao trabalho reridos-
de apanba-la com a mo, neste intento o tilbary A Dcrda dos confederados muito mais conside-
anda um pouco, e eis o Sr. Ambrosio de ventas no ravfc'*
chao entre estrepitosas gargalhadas dos circums-
tantes.
Sao escravos que se comprara, nao sao homens raigo, nao. Ai I quer ddr na espiaba I Se eu me
que votam.
A chamada contina.
De repente, indo votar um sujeito que da' pelo
nome que acabam de pronunciar, levanta-se um
forraidavel tmulo, eotre gritos deE" phosphoro I
phosphoro I
E na verdade o phosphoro nao tarda a ferir
fogo.
O pa'o bate nos costados dos Srs. votantes que
um Deas aos acoda.
lembrasse que tioha espinha, nao eahia na rede
que me armaran nao.
Assim, dizera as tainhas depois de pes-
cadas.
Mas, D. Angelinha, diga que me ama ; all-
vle-me eslas dores... Olhe, eu nao sou feio, son
ama bonita figura, tenho uns bonitos olbos, e a
respeito de argent... veja como eu fallo bem
francez I
Realmente est apreciavel, diz D. Angela, nao
Acerca de um millonario de Londres, fallecido
Todo cheo de poeira, levanta-se elle no mesmo na ,)0UC0( ^.^ uo Times o segrale :
; instante, e sem mais procurar o calgado que elle Caleula-se que os bens movis de M. Richard
lvra de graga e que lao caro pagou agora, em- Tnornloo, do Lloyd's, se elevam a 3 roundes de li-
barcou-se no travesso. naviozinho e chega em. bras esterlinas (13,300 conlos de ris) das qnas le-
fltn, depois de/Procellosa tempestade, ao sea r g0U disliactamenlc coica de dous milhoes eslerli-
quissimo aposeoto. D0S a seus dous sobrnhos, M. Thoraaz Thornton
E' urna casa de porta e janelia a morada desto e M. Bichard Thorulon West, legatarios univer-
dislincto personagera, que cotado, possue apenas saes.
duzentos conlos... de ris. M. Thoraaz Tooruton herda igualmente alguns
Depois de pr-se fresca e de exhalar sentidos bens immoveis.
ais sobre os mortaes restos do seu paletot, que Varias disposigoes generosas sao feitas pelo mi-
(aqui enlre nos) j nao novo, depois de raortifi- l'nario em favor dos seus empregados e cria-
car se com a saudade do sea relogio patate in- dos-
glez, que elle adorava como a menina dos seu4 Croa somma de 90,000 libras foi legada em fa-
olhos, olha elle para seus ps... e ama lerabran- vc"" de diversos esiabeieuimenlos de caridade de
ga atroz fere-lhe a mente. Londres, a 2,000 libras cada urna, a excepgo do
Falta-lhe urna das botinas, aquella botina Bel que hospicio de Christo qae recebera 15,000.
ha mais de quatro annos tem sempre sido a assi- A cada ama das escolas de Merton (Surley) re-
dua companheira do seu D, e que proceder de, sidencla habitual e de Burton (Yarkshire), natura-
Era n'um da de gloria
Passava irisionba e bella
Cnauga de alma siagelu.
Folna de elbereo j i-inim
As multido-s estacaran;
Qne u pobre do jujii.Iiu imploae,
Em maviosu que\ume,
Passava M.a(po assim :
De minha rai os rabelius
A dor da viurez espalha,
Meu pai uiurreu na baulba,
Grandes da patria, esculai |
Nao sei quera que permute
Que se tenha om mao destn}.
Que se suffra to menino,
Que a gente que seio pai.
PJe ficar as floresta*
Passaro urpnao perdido;
Existe om desionUitido
Que nao no deixa morrer
Manda ao sol que lance ao rato
Para aquer lo noninho,
E diz: abre o teu biquinbo,
Vendo dai-le que roiner.
Dorme as tanas i irsnaj .
Que perde o seu pai vleme;
Langiiesre, definha, seole
Falta de pateruj amor
Ah quaudo as rea se a.;uccem
Pelos cuidados divinos,
K > acho bom qne os meninos
Choren de fro, Seni.or '.
O carador das montaohas
Exclamasondando o ninuo
Que bello !... meu passariabo f
E ao selo rrea-ln vai:
Nao diz o homem que aspira.
Que atraz de gloria se Uaga,
Biavjl... achei urna cnaaga
Tenra e mimosa, sem pai
Mas ei-lo era sea alto leMo
Seguro, impaviJo e forte;
Se iudago por sua morir,
Todos me dizem :Foi pai.
Foi qual aguia que morreado
Fica na altura escarpada
Pelas garras peno1 arada,
Que morre, porm nao ca!
Calou-se. U povo magoado
Ao anjo triste abragava,
E Deus atiento escutava
Os temos queixumes seos;
Porque ba lagumas lao poras
Que mal sentidas no uraudo
Fazem la dos cns no fundo
Fraozir a fronte de Deas.
E c quando em pro!, em soccorro
Do orpliao que sempre pobre
Rebenlam no peilo nobre,
Lances de iilusires argoes,
Porque sbito expandiodo-se
Um pensamento divino,
Como o frescor matuiino.
Penetra os bons corages.
^m m
L-se no Commercto-do Porto o segante:
Na casa da moeda de Madrid, diz aa
panhol, esta-se cunbando actualmente a
que por accordao do c nselliu de mlniiTM M
dada fazer para perpetuar a aemessada
mo rasgo ue S. M. a Raiaba, ea aadi
bens ao esi.u.
Nao julgando esla obra mais do qoe
ponto de vista artstico, diremos qae
medallia lem mais de.sessenU milliactrss aa
metro; no auv- rso o busto da
gravado cornial lidiTidade que imnieaaaaasate
reconbece a augusta persongea aaa i
eUCi'olta do i.u.-to lera-se as palavras Jt
/Jpanhat.
Aojeverso ha uraa corda de istbas da
miravelraente corabiuadas, cleado na
seguinte legenda :
Isabel ir
No dia 8 de leveiro de I8C5
Ceden o patriabaio real.
Para ailivio dos aacasaas
Sirva ete
Para perpetuar a
De aeco lio
PERNAMBUCO.- TYP. OS M. F.M t. A


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EQ1LLN9BD_0M0MJ3 INGEST_TIME 2013-08-28T01:29:10Z PACKAGE AA00011611_10738
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES