Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:10737


This item is only available as the following downloads:


Full Text

I------
-
\
MO 111 IDHEBO 180
Por qnartel pago dentro de 10 das do 1, mez ...::.
dem depois dos 1.' ludias do comecoe dentro do quartel. .
Porte ao correio or tres nezes
TERCA FEIBA 8 DE AGOSTO-DE 1865.
Per anno pago dentro de 10 dias do 4. mez ,,,., 191000
Porte ao correio por nm anno.......... f 000
ENCARREGADOS DA SUBSCRIPQO DO NORTE
Parahyba, o Sr. Antonio Alejandrino de Lima;
Natal, o Sr. Antonio Marque* da Silva ; Aracaty, o
Sr. A. de Lertios Draga; Cear, o Sr. J. Jos de
Oliveira ; Mtratthao, o Sr. Joaquim Marques Ro-
drigues ; Para., os Srs. Geraldo Antonio Alves Futios; Amazonas, o Sr. Jeronyino da Costa.
EXCARREGADOS DA SUBSCRIPTO DO SUL.
Alagoas, o Sr. Claudino IJalco Das; Rahia, o
Sr. Jos M.irtins Alves; Rio de Janeiro, a Sr. Jos
ilibeiro Gasparinho.
PARTIDA DOS ESTAFETAS.
Olinda, Cabo, Escada e estacSes da va frrea at
Agoa Preta, todos os das.
Iguarass o Goyanna as segundas e sextas feiras.
Santo Antao, Grvala, liezerros, Bonito, Caruar,
Allinlio, Garanhuns, Buique, S. liento, Bom
Conselho. Aguas Relias e Taearat, as tercas
feiras.
Pod'Alho, Nazareth, Limoero, Brejo, Pesqueira
Ingazeira, Flores, Villa Bella, Cabrob, Boa Vis-
ta, Ouricury, '
feiras.
Salgueito e Ex, as quartas
|Serinhem, Rio Formoso.Tamandar, Una, Bar-
reiros, Agua Preta e Pimentelras, as quintas
feiras.
AUDIENCIAS DOS TRIBUNAES DA CAPITAL.
Tribunal do commercio : segundas e quintas.
Relagao: tercas e sbados s 10 horas.
Fazenda: quintas s 10 horas.
Julzo do commercio: segundas as 11 horas.
Dito de orphaos: tercas e sextas s 10 horas.
Primeira vara do civel: tercas e sextas ao meio
dia.
Segunda vara do civel: quartas e sabbados a 1
hora da larde.
EPHEMEltIDES DO MEZ DE AGOSTO.
7 La cheia as 3 h., 9 m. e 34 s. da ra.
13 Quarlo ming. as 7 h., 22 ni. e 28 s. da t.
21 La nova as 4 h., 57 m. e 34 s. da m.
29 Quarto cresc. as 9 h., 29 m. e 46 s. da m.
DAS DA SEMANA.
7. Segunda. S. Caetano Theatino fundidor.
8. Tere. S. Cyriaco diac. m.;S Emiliano b.
9. (Juana. Ss. Sn-undiniano e Veridiano nim.
10. Quinta. S. Lourengo diac. m.; S. Astheria v.
11. Sexta. Ss. Tiburcio e Suzanna mm.
12. Satibado. S. Clara v. f.; S. Aniceto m.
13. Domingo. Ss. Hypolito e Cassiano mm.
PREAMAR DE IIOJE.
Primeira as a horas e 18 m. da manha.
Segunda as 5 horas e 54 minutos da tarde.
b.
PARTIDA DOS VAPORES COSTEIROS.
Para o snl at Alngas alie 30; para o norte
ala a Granja a 7 e 22 de cada mez-, para Fernan-
do nos dias 14 dos mezes de janeir.', margo, maK>;
julho, setembro e noverabro.
ASSIGNA-SE
no Recife, na livraria da praga da Independencia
es. 6 e 8, dos propietarios Manoel Figaetroa l
Faria & Filho.
yFFiGIAL
GGTjSKriO DA PROVLWU.
Cxpeditnle do dia-i de agosto de ISuli.
Oflcio ao brigadeiro commandante das armas.
Em additamento as ordens ja expedidas tenho a
dizer a V. Exr. que toda a tropa de linha existente
no presidio de Fernando deve recolher-se a esta
capital no regresso do vapor Persinunga, que par-
te amanhaa, devendo licar somente n'aquelle pre-
sidio trinta pracas de artilharia, sob o commando
do rapito Tiburcio Hilario da Silva Tavares, cerlo
V. Exc. de qm a forga que tem de voltar ser
substituida pelas pragas da guarda nacional, que
seguem no mesmo vapor.
Dito ao inspector da thesouraria de fazenda.
Sob minha responsabilidad*: mande V. S. levar em
conta ao major commandante do corpo de guarni-
qio desta provincia, Fernando Machado de Sonza,
a quantia de 51&5760 rs., despendida iijs mezes
do abril e niaio deste anno, sendo 458,5760 rs. com
os vencimenlos do respectivo medico oenfermei-
ros e 90^000 cora o aluguel de casas, visto nao ha-
ver crdito para ose tioi.
Dito ao nvsino.Altendendo ao que no incluso
requerimenlo pede o capitiio de engenheros Do-
mingos Jos Rodrigues, recommeitdo a V. S. que
at ulterior dehberagao do governo imperial, man-
de pagar-llie sob minha responsabilidad*, visto nao
baver crdito para esse lim, a gralicacSo que elle
venceu no corrente exercicio como encarregado
da fiscalisaco da obra da ponte de ferro, que liga
o bairro do'Santo Amonio ao do Recife.
Dito ao mesmo.Mande V. S. pagar sob minha
respoosabilidade ao capitn Francisco Luiz Vires,
commandante interino do batalhio n. 9 da guarda
nacional de Olinria, a quantia de 3223200 rs., im-
portancia do sold, etape e fardamento, constantes
do pret juntos em duplcate, que recorrern) as
113 pragas da guarda nacional U'aquelle batalhao,
desde o dia pnmelro do corrente, era que aquar-
tellaram at hoje, visto que teem ellas do embarcar
amanhaa para o presidio de Fernando, no vapor
da Companhia Pernambucana, dispensando V S.
nos referidos prels a rubrica do commandante su-
perior, e ovistodo chefe de estado maior, os
quaes por morarem longa desta capital nao po-
dem satisfazer taes formalidades, em lempo de se
poder effecluar o pagamento d'aquelles vencimen-
tos.
Dito ao mesmo.Remello inclusa por copia a re-
lago dos officiaes do corpo de polica, que tem de "para alli
embarcar para a corte em 6 do corrente, recora-
mendo a V. S. que mande passartlbe guias ds soc-
corr imentos com as convenientes declarages, de
modo que em vista dellas posean) ser pagas por
coma do ministerio da guerra d'aquella dala em
diante.
Dito ao mesmo.Ao coenmaudaute do vapor Jos
S. Romao, mande V. S. pagar o qoantitalivo a que
brou com o operarlo alfaiale Luiz de Franga Bar-
bosa, para ir servir no arsenal de guerra da corte,
cumprindo que V. S. declaro a este, bera como aos
deraais contratados quo estojan) promptos parase-
guirem no vapor Jos 8. Romao.Comunicou-se
tnesouraria de fazenda.
Dito ao consejho de compras do arsenal de
guerra.Autoriso o consellio de compras do arse-
nal de guerra a comprar, para foruecimento do
respectivo almoxarifado, a plvora constante do
pedido junto.Communicou se a thesouraria de
fazenda.
Dito ao commandante do vapor Jos S. Romao.
Autorisando nesla data o inspector da thesouraria
de fazenda a mandar abonar o quantitalivo a que
Vmc. tiver direito, nos termos do aviso do ministe-
rio da guerra de 3 de maio ultimo, para sustento
de cada um dos officiaes e cadetes, que tem de
transportar para a corte no vapor sob seu com-
mando ; assim Ih'o declaro para seu conhecimen-
to e direego.
Dito ao superintendente da estrada de ferro.
O Sr. superiulendente da estrada de ferro mande
dar transporto para esla capital aos guardas na-
cionaes destinados ao sorvigo da guerra, que na
inesma estrada e apresenlarem com guia do cora-
mandante superior dos municipios de Barraras o
Agua Preta da comarca de Palmares.Commuoi-
cou-se ao commandante superior da guarda nacio-
nal de Barreiros e Agua-Preta.
Portara.u Sr. gerente da companhia pernam
bucana mande dar urna passagem al Macelo no
vapor Paralaba, era lugar de r destinado a passa-
geiro de estado, ao padre Mauoel Anuncio das Do-
res Chaves.
Dila.O presidente da proviucia, em vista da
inforratgo do tenente coronel commandante do
corpo de polica de 2(5 de julho ultimo, resolve no-
mear o segundo tenente reformado do exercito
Epiphanio Borges de Menezcs Doria, para o posto
de lente secretario daqnolle corpo.Communi-
cou-se;ao commandante do corpo.de polica.
Dita.O presidente da provincia, attendendo ao
que requeren Francisco Pereira de Assis, resolve
conceder-lhe licenga para remelter ao presidio de
Fernando no vapor da Companhia Pernambucana
os gneros constantes da relagao junta assignada
pelo secrelario, nao podendo porra elfectuar o'
desembarque dos ditos gneros, sem que por par-
le do commandante do mesmo presidio se proceda ;
a exame, afim de verificar-so se ha agurdente ou 1
outra qualquer bebida espirituosa.
Dita.-O Sr. gerente da Companhia Pernambu-'
cana faga transportar para o presidio de Fernando
por conta do ministerio da guerra no vapor que
est destinado, os officiaes e familias
Vicente Ferreira Nanziazeno Bezerra e Josepba
Maria da Conceigao.
Alexandre Jos dos Santos Sobriulio e Francelina
Maria da Conceigao.
Theodoro Gomes da Silva e Francisca Maria de danle t a lavadeira.
Jesu
Damiao Jos do Mendonga e Clara Maria de Alba- o vapor J. S. Romao. A seu bordo vai a ala es-
querque. querda do corpo de polica desta provincia, bem
des Leal, O Hmem de Otro, leve urna traduc- ludo para reunirse, ao exe-rrlo ana i iiira \W
gao relativamente boa pelos curiosos, que alli re- levido e a flaera cajmlar Q J
K-nhiS' Tnif,nrt,-a,T0! a com,edia mes"!. Conclue-se dal.i que devemos ter no Uruguay
er a laJl n *"**' dUel "'"" I o^ |)llerbas e ",lllt0 baslaoles Para
- ih-vp tmnh-, .' ^r*8oay. sobreludo reunindo-se s da ConfWe-
1 seguir com destino ao sul rSgao Argeotioa.
Nao vendo que assim nao acontece, mas antes
repetindo-se as noticias por um e outro paquele,
Viera* maulas secinintes petirdes, concedidas na como as 80 pragas de guarda nacional que vieram de' que ellas estao BmareQs"d rMivnn72
pelo Mammyuqpe do Rio Grande do Norte. pa-s'e esta demora, aecusam" orgemeraesi ?ne?-
Sr. Thompson.
mesma dala de 21 de julho.
Jos Ignacio de Lima Jnior e Maria Joaquina da
Conceigao.
Joaquim de Souza Motta e Maria Jos de Santa
Anua.
Antonio Elias Salgado e Michaella Maria da Con-
ceigao.
Pedro* Domingos de Sant'Anna e Cecilia Maria da
Conceigao.
Francisco de Barros Reg e Florenga Maria de suas carvoeiras capacidade para receber deste
O vapor Hero, cuja entrada honlem noticia- cia, et
^nirinh"!6 i"'0 e rD0V',M a r0Jas'lend0 sd. co1?" n .timo-lo, lora Injustiga, fra iegratido.
6 anuos em Glasgow nos estale.ros do Ho.nons nao sao soldados, corpos improvisados
de paisanos nao sao exercito, e tres ou quatro me-
ipmnV-ni',",." rtll! ~"Z """""' "--"' ^'" jes pouco lempo para fazer desa|iparecer a dif-
lempo rtgular 13 milhas, demandando em plena ferenga de uina cou-^a a outra
"f" J ,"**. d'a"ua I e 11an Jo vai,.a ,od.a forca O funeral Osorio nao tem poopado seu tempe,
i de carvao por da, nao leudo e seus desvellos : nao lem sequer poupado as for-
Jesus.
Belarmino Jos de Sant'Anna e Rila Maria do Es
pirito Santo.
COHMNDO DAS ARMS.
Quarlel general do eommamlo das armas de Pcr-
iiainhucu na cidade do Recife, 7 de agosto de
IMS.
Ordem do dia n. 94.
O brigadeiro commandante das armas inlerino.de- por vapo temb
clara para os ns convenientes, que a presidencia |era 0 "^ "ma ras memores pegas que
nomeou por portara datada de 4 do corrente ao __ vn .,'. ,,, ,, ,___. ,, ij
Sr. V ,enPen.e reformado do exercito Epiphanio Dove ^ LlKKRi^TPlSfSS
Borges de Menean Doria para o posto de tenente nicipa| do Ituio da ci
as quae-
gas do seu improvisado exercito. O duro exercicio
de inslrucgao, duas vezes por dia, temse dito que
levava centenas de enfermos ao hospitaes, mas
vigorisa e adestra os militares restantes.
A organisagao dos servigos administrativos e
inateriae.- do exercito tem-e feilo cora trabalho e
r,-,"' il? ele?nnlp. e cmara de r de propor- dispendio consideravel, mas temse feilo, posto que
S ntimJ* 5 k"*i8 tornl'adllll' na Prua e so1' nada havia semio os escassos elementos, vindos in-
hiirhp Cberla ha espaco para ar,,iarem-se, foes do Rio Grande e os viudos aos poucos do
uuiuies. Rio de Janeiro.
oiieT;,'V0 machinismo toma pouco espaco,' nUJa tmos um exercito de 16,000 a 18,000
fi, 1 ih aC"na d0 l0Inb,ad,lh. ficani0 8nlre liomens capaz de entrar logo em batalhas, e eis e
""_.....at''fas eo seu molinete sendo movido resultado obtido.
Para alguns pouco, e achariam melhor saber
que j tinham combalido e triumphado do ini-
1 migo.
combusiivel mais que porrao sufflciente para onze
dias d navegacio.
Tem 20U p's inglezes de comprimento, 22
na maior largura e 13 de pontal podendo, receber
em seus pnroes 200 toneladas de caiga.
Era o melhor, por sem duvida, porm nao era
. do corpo de polica desta provincia. Carneiro" da''cufca as quaes foram "~- ^^ 6 e'D-l0d CaS aS probabilidades n:o
Janeiro, ministerio dos negocios da (erra em 22 .".. "tforntail! ^, ^ 7 .
dejulhdel86a.-lllm. e Exm. Sr.-Para poder d^caVre D i0 P aquella c.dade na bolea
2 X^tntgSuS^ desta pSSES I paDJ ** JR KSTpS K
rem PL a corte ira deslo ao exercito do su. ; gft*. BSS&TitMl &RS
conv m que V. Exc. commun.que a esta secr.ana ocasi ei ~- ;--. ---'- -
de estado quaes os art.gos de fardamenlo, equipa- hot(1 ia' J ,u ^
memo e semestres que receberem aquelles corpos Datuii com des|. M,P^gZ^ Jk H.
mencionadas na inclusa relagao.
Dita.O Sr. gerente da Companhia Pernambu-
cana faga transportar para o presidio de Fernando
por coma do ministerio da guerra no vapor Persi
uunga os officiaes o pragas da guarda nacional que
para alli destacam, e as familias dos que as tem,
u quaes constato da relagao junta.
Dita.O Sr. gerente da Companhia Pernambu-
tiver direilo, nos termos do aviso da repartigao da cana faga transportar para o presidio de Fernn-
guerra de 3 de margo ultimo, para sustento de ca- j do, por conta do ministerio da justiga, os vlnte e
da um dos offlriass e cadetes que tem de seguir um sentenciados mencionados na relagao junta,
para a curte no rresmo vapor. Dita.O Sr. commandante do vapor Jos S. Ro-
Dito ao mesmo.Mande V. S. pagar sob minha mao, receba a seu bordo e transporte para a corte ,
aqueiies corpo ; Dahli> com delj(10 % MaceJ) aonde jra el,c Hes.
P3DeuTSd:ema V. Exc.-Jos Antonio Saraiva ^Rjggii iFlESt* ca-
Sr. presidente da proviucia de Pernarabuco-Cum-! pila| eu buSCa Tahde Dominas Alves Hes-
hnnnoirn ranunanr an e da* arman. I____-._.. .
brigadeiro commandante das armas.
Est conforme.Anfonto Francisco Duarle, 2o
tenente ajudaute de ordens 1
do delalbe
possa chegar a deseobrir os autores desse roubo,
uZ^\^'rveaJo ,ue..teve lusr na nol,e de 25 Par 26 do raez de
uterino, encarregado | Junno> e obstante as diligencias para isso erapregadas.
responsabilidade, como pede o engjtiheiro Manoel
Bttarque de Macdo, no incluso requerimenlo, vis-
t) nao baver crdito para esse fim, os vencimenlos
do supplicanti', relativos ao mez de julho '.tilinto,
como cngenlteiro liscal da estrada de ferro desta
provincia.
Dito ao mesmo.D V. S. s suas orden para
que o sold do tenente do 9M,alalho de infantaria Ullo dw da d ^ ,h
oa guarda nacional de Olinda, Evaristo Vieira Llns I U|umo-
Cavalcanti de Aluquenjue, que destaca para o
os officiaes do corpo de polica mencionados na
relagao junta, bem como as pragas de pret do mes-;
rao corpo que os acompanltam."
Expediente do secretario do ijoveroo.
^ Offlcio ao inspector da thesouraria de fazenda. \
S. Exc. o Sr. presidente da provincia manda trans- ;
mittir V. S. o incluso oflicio da secretaria de es- ,
presidio de Fernaudo, seja pago nesta capital ao
seu procurador Joao Nones da Silva, como pede no
incluso requerimenlo.
Dito ao mesmo.Recoatmendo a V. S. que, em
vista da coma junta em duplcala, e nao havvndo ,.
inconveniente, mande pagar a Joaquim Jos Fer-1 'SLrA-?:
reir Penha, conforme solicilou o director das obras
militares, em officio de 21 de julhe ultimo, sob n.
38, a quantia de i9000, a que tem direilo o pre-
di lo Penha, por haver feilo em virlude de aulori-
sacao da presidencia, os coucerlos de i|ue precisa-
va* a cavallarga da casa onde presentemente so
acha o quarlel do commando das armas.
Dito ao inspector da thesouraria provincial.
Mande V. S. pagar ao alteres do corpo de guarni-
gao Jos Longuinho da Costa Leile, como pede no
incluso requerim.nto documentado, nao
de 755000. constante do citado requerimenlo,
sitn a de 6i80 em que importa a fonagem para j
bestas de bagagem as viageus, que fez do interior j
da provincia para esta capital, cjmrnaudando es-
coilas, que couduzan criminoso-;.
D110 ao mesmo.Aos officiaes do corpo de poli-
ca mencionados na relagao por copia inclusa,
mande V. S. com urgencia ajustar contas de seus.
vencimenlos al amaulia, cerlo de que tem el-,
les de embarcar para a corle no da 6 do cor-
rente.
Dito ao mesmo.Em vista das quatro inclusas
COBtas, que me remelteu o chele de pocia int-t i-
no, com ollico do 19 de julho ultimo sob n. 1002,
e quavSocobertas com a infonnagao do administra-;
dorda casa de.deiengo,mandeV. S.pagar a empre-
z:t da illuminacAc desia capital, a quantia de......I
735400 rs., proveniente do gaz consuramiJo com
a illumiuago u'aquelle estabelecimento, durante 1
os mezes de mar;o a juubo deste anno.
Dito ao mesmo.Ex pega V. S. as suas ordens \
para que, em vista do incluso pedido, seja adian-
tada em prestaco:s semanas* ao 1
Despachos do dia i de agoslo de 1863.
Reiucrimenlos.
Aureliauo Francisco Correia de Oliveira.Inde-
erido.
Antonio Jos da Motta. Indeferido em vista da
Bellarmino Liberato do Nascimenlo. Indefe-
ndo.
Padre Caetano Jos Perera Pinto de Lemos. '
D-se passagem, havendo vaga.
Dervioo Jos da Cmara.Indeferido,
Tenente Epiphanio Borges de Meneies Doria.
I'asse portara na forma requerida.
Francisco llamos da Cruz.Infederido.
Francisco Pereira de Assis. Passe portara
eoneedendo o que pede na primeira parte : quanlo |
1 iiuaita a sesunda, informe o Sr. commandante do presidio i
de Fernando.
Joao Baplistade Souza.Indeferido.
Joo Flix Nepomoceno Jnior.Indeferido.
Joaquim Jos de Oliveira.-Indeferido.
Tenente Luiz Jerouymo Ignacio dos Santos.
Como requer.
Lucinda Maria Amelia.Indeferido.
Luiz Pereira LagorIndeferido.
Manoel Antonio da Silva.Indeferido.
Maria Francisca da Conceigao.Indeferido.
Paolaleo Pereira de Assis.Indeferido.
Rosalina de Jess.-Indeferido.
encon- eram em nosso favor, se se levaste ao campo da
discipli-
mor-
en-
en-
victoria.
As conclusoes que pedera tirar do que deixo
dito sao iutuitivas, e por isso as resumirei em duas
palavras.
Nao ha moti demora uasoperagoes de guerra ; essa demora era
necessaria, indispensavel. Eu creio mesmo que
ser fecunda, pois collocou de nosso lado as proba-
bilidades de tnumpho, e o que mais do triumpho
breve e completo contra os inimigos.
Em vez de censuras, louvores que merece o
honrado brigadeiro usorio e os dignos companhei-.
ros, chefes e officiaes do exercito em operagoes.
Esbocemos agora o quadro geral que apresen-,;
ta a guerra ao Paraguay.
No Uruguay o exercito brasileiro-argentino-
orieotal deve ter hoje de 22,000 a 23,000 oracus.
Acampa em volla da Concordia.
Na fronteira de Entre-Rios, pelo lado do Para-
. na', o general Urquiza tero seus 6 a 7,000 homens
Escrevem-nos de villa Bella, era 21 do pas- de cavallaria ; e a frente delle o general Paunero
I r 4 tem 3>00^ de 'ofantaria e artilharia. Por ultimo
i ludo por aqu vai sem alterago na ordem pu- Uns 3,000 Correntinos em diversos corpos se acbam
blica ; o mesmo. nao posso dizer do termo de Fio- mais no interior da provincia.
ros, de onde reobi BOtfokw doengradavoio. I i0 hi do 00,000 a O,000 liumon.-, juo bro I
E' o caso : tendo o subdelegado Isidoro prendido veniente pdem formar um todo, um s exercito
arbitrariamente un rapaz, iillt > de urna viuva ho- para avangar sobre os Paraguavos, e dar-Ibes bata-,
Chamamos a attengo do Exm. Sr. commandan-, nesta, e o metiido na cadeia por 15 dias, sem culpa ha.
te das armas para os abusos, que se lem dado no e netn ao menos indicios de culpa, o oftendido ape- Todava es-ebrevementenao esta' bem de-1
quartel em que se guardam os presos militares \ as foi sollo, consta que protesten vingar-se da finido. Acombinagao dos varios corpos de exer-j
sentenciados. j injuria. Com efieilo, tempo depois levou Isidoro cito tem suas difficuldades, e acaso um mez nao I
Tem-se permetlido que ellos passelem sem guar- um tiro, que o ferio levemente. seja tempo sobejo para as albanar.
da pela cidade, e at pernoitem fra da priso. Ninguem deixou de aliribuir logo o facto ao Quanto aos inimigos, bem difficil calcular as i
Bento los da .Iva, militar sentenciado a 6 ao- dito rapaz, que parece nao haver disso felto gran- forcas que trazem, por que ninguem de l vera,
nos de galos linha licenga para andar era passeio de mystero. Mas, que pensa Vmc, que soceedeu T nem para la vai ; lia risco de vida em ambos os
s, e sem calcia, e dorma aonde bem lite con-: O Amaral, juiz de direito interino, sera reftexo, casos,
viesse. j nem exame, attrihuio inmediatamente o tiro aos 1 Comtudo, deve calcular-se que o exercito pa-
Este soldado, celehre pelas ladioeiras que flzera \ AthayJes, e a outras pessoas : neste errado con- raguayo que aceitar a batalha nao ser inferior em
nesta capital em 1852, foi preso em dias do mez cetlo, pz todo o termo em alvoroto, fazendo rea-
passado pelo subdelegado da freguezia da Roa-1 nir grande numero de soldados ue guarda naci-
Vista, quando alia note tenlava roubar urna casa! nal, e figurando a villa ameagada de um ataque
no beco dos Ferreiros, e remettido prisao mi-! petos Athaydes, que, sem os querer desculpar por I seu dominio tyrannico e certa" enlhusiasmo no seu
litar. j outres fados, at-yavam-se innocentes nos planos 1 povo facilitam.
Pareca que alguma providencia se leria dado, Isonhados pelo Amaral e o subdelegado Isidoro, cuja < o que todos suppoem a vista dos indicios ;
para que facto igual senao reproduzisse. j conlinuago na polica una verdadeira provoca- i que o exercito paraguayo de Corrientes espera a i
Engao perfoiio. S^o ao publico I Eulretanto, aquelles dous generaes approximagao dos alliados, ou para apresentar ba-1
No dia 3 do corrente foi alta noite preso pelo julgaram asada a occasiao de se vingarem dos tailt;i as posicoes que tiver escolhido, ou para
umn mm.
numero ao dos alliados, porque nao s Lopes tem
convertido seu paiz em um campo militar, porm
multiplica seus recursos a forca de mobilidade que
! gao ao publico I Eulretanto, aquelles dous generaes approximagao dos alliados, ou para aprese
foi alta noite preso pelo julgaram asada a occasiao de se vingarem dos, taina as posiedes que tiver escolhido,
subdelegado de Santo Antonio e recolhido a deten- j Athaydes, e sem demora Ihes instauraran) proces- retirar-se linha do Paran.
gao o mesmo soldado, Bento Jos da Silva, por I so, e se preparavam para perseguidos com a forga
crime de tentativa de furto praticado n'aquella j da guarda nacional, reunida, segundo me consta,
freguezia.
Anda o escndalo nao ficou n'islo.
No dia 4 do crreme, s 10 horas da noite, um
viandante foi assaltado no passadigo da ponte do
Recife por um h tmem em mangas de camisas,
sem a menor inlelligencia com os respectivos com-
mandantes, que licaram indignadsimos com essa
desallengo e anarchla I
a Eslavam as cousas neste estado, quando ap-
pareceu o Dr. Paula, de Pianc, que pode acalmar
Mas elle langa no jogo com singular audacia
unta uova carta : a invasodo Rio Grande. Que-
rera com ella demorar nosso exercito as proxi-
midades |do Uruguay, impossibilitando assim os
Argentinos de avangar? Ir elle levar a devasta-
gao ao iuterior da provincia, concitando a revolta
alguin elemento falal de nossa populago? Ou,
que furioso .-obre elle se lngara com o fim de jos nimos, j fazendo suspender o processo contra emlint, preparar-se-ha para invadir o Estado Orien
DE
CiOV12bl.\ I>0 1IIMPADO
1'JHlft.Vt.illUX'O.
SEDE VAGANTE.
Expediente do secretario do bispado.
Novas dispensas matriraonlaes.
Chegaram do Rio de Janeiro as peliges de dis-
pensas do Io grao igual da linha lateral e 2o grao
altingenle ao prmeiro de consanguinidade, cons-
enie liel paga- tantes da lisia abaixo publicada, e cuja concessao
tirar-ihe o relogio. os Athaydes, o j fazendo qne estes despersassem
Repellido, perseguido, e afinal preso o criminoso, alguma gente, que tinham.
depois de vigorosa resistencia, reconhec.eu-se ser o E a.-.-im se dissipou a tempesiade, que poda
soldado do 4." batalhao de artilharia, Vicente Lei- fazer estragos horriveis, se nao fosse a interveu-
zins Alves de Figueiredo, que se acltava preso gao do Dr. Paula : mas a miaba opinio que, a
cumprindo urna senleuga de 6 mezes de prisao. contiuuarem no termo de Flores as mesmas auto-
Interrogado sobre o motivo de andar fra da pri- ridades policiaes, intrigadas como se achara, mais
sao aquellas horas-, respondeu, que sahira com t dia, menos dia ha barulho, e barulho serio. Haja | Paraguayos que a invaden), e que todava podem
licenca do sargento. autoridades policiaes all, como aqu no termo de ser duplicados, triplicados, pela proxiraade em que
Cabal desempenho leve o espectculo de : Villa-Bella, que eu garanto o socego publico. s. Borja esta do Paraguay (trinta leguas). Convm
sabbado passado, no Santa Isabel. O Sr. Castello Branco, que nao desproze estes prque o Rio-Grande fica no centro dos lerrit trios
O quadro alegrico do nosso compatriota Dr. avisos... alarmados.
tal,.proraoveiidoalli tima reagodo partido blanco 1
Tudo isto possivel, e o govorno imperial acera-
ria previnindo-se coulra tudo.
No meu (talvez errneo) julgar, a provincia do
Rio-Grande deve ser convertida em um grande
campo militar.
Nao conveni isto s para resistir aos 8 ou 10,000
dor da reparlic& das obras publicas, conforme so- foi autonsada pelo Exm. e Rvm. Sr. internuncio
licitou o respectivo chefe em olllcio de 2 do cor- apostlico em data de 21 de julho corrente. Podem,
ntnle, sol) n. 253, a quaniii do 9:8905, para con
tionaeao das obras por adminslrago a cargo da-
(juella repartigao este mez. Commuuicou-se ao
chefe da reparlig.io das obras publicas.
Dito ao commandante superior da guarda nacio-
nal do Recife.Mand 1 V. S. postar na casa de de-
lengao an anhaa as 7 horas do dia urna forga de
30 pragas do prmeiro batalhao do infamara
da guarda nacional i-ommandadas por um offl-
Cial paia escol'.arem al o vapor Persmunga
21 sentenciados de justiga.Officiou se ao ins-
pector do arsenal do maitoha para prestar as em-
barcares necessarias para se elTjctuar o transpor-
te daspredias pracas o prests ate o vapor.
Dito ao commandante superior da guarda na-
cional de Oliuda e Iguarass. Expeca V. S. as
pois, ser procuradas ou em Olinda na secretaria
do bispado, ou no Recife, em casa do Illm. Sr. co-
nego da capella imperial, Francisco Jos Tavares
da Gama, ra da Cruz n. 56.
Olinda, 31 de julho de 1865.
Cooego Joaquim Ferreira dos Santos,
Secretario do bispado.
Mximo Jos Isidoro e Maria da Soledade.
Amonio Vieira de Freitas e Isabel Umbehna de
Souza.
Antonio Alves Pereira de Souza e Alexandrina Ma-
ra da Conceigao.
Joaquim Cesar de Menezes e Mara Cordclioa do
Amor Divino.
Manoel Gongalves de Souza e Antonia Mara da
Conceico.
suas ordens para que amanhaa as 7 horas do dia Antonio Teixeira de Medeiros c Josepha Maria das
esteja impreterivslinente no lugar denominado For- Candelas.
te do Mallo, afim de embarcar no vapor Persmun- i Flix Hennque da Silva e Mana Francisca da Ura-
co a forca'do r.ono batalhao de infamara no mu-1 ceigo.
idipio de Olind), que tem d des:acar para o pre- trancisco Candido dos Santos e Mana Silverla de
"DHO^rromaandante superior da guarda na-; Jos Ferreira da Silva e Claudina Mana das Vir-
tional do Breo.Respondo ao seu officio de 21 de gens.
julh prximo rindo, dizendo-lhe que faga marchar Jos Romualdo de Luna e Mana Joaquina de
cuanto antes para eta capital o contingente da Jess.
guarda nacional que a esse enramando superior ,Verissimo Jos Larangeira e Pastora Mana da Con-
oube dar para o servigo da guerra, devendo os Mlfjio.
tuardas que faltarem para compltalo ser desig- Feliciano Tavares da Silva e Donata Mana da Con-
ados pelos commandames dos corpos, guardada
a ordem estabelecida na lei, com recurso para V.
S., que nao aovara demorar a voda do mesmo
co'ntiogeute, como se ba recommendado.
Dito ao inspector do arsenal de marraba.Re-
meta V. S. para oCear, logo que esteja prompta,
Luiz Jos da Costa e Maria Francisca da Con-
ceigao.
Joao Ferreira de Aguiar e Maria Joaquina da Con-
ceigao.
Luiz Jos do Reg e Maria Thereza do Rosarlo.
nena >. 3. uara uumi, iuku 'iuo w" i,up,------- -- -.-- ... ,___._,__,. j
a boia de ferro iue se mandou fazer nesse arsenal Joaquim Rodrigues Limeira e Joanna Antonia de
com destino capitana do porto daquella pro- Mello. .
'".UCSHUU Manoel Martms de Rarros Reg e Isabel Mana da
Vi III-la. ( ,,
Dito ao director do arsenal de guerra.Fica ap- Uraceigao.
provado o contrato que V.S., segundo o termo por, Avelrao Alves da Silva e Anna Mana da Con-
cpia annexo ao seu officio de 3 do correte, cele- ceigao.
Franklin Tavora, d'esta vez exctou os nimos da
platea, que iuterrompia a representagao com pal-
mas e bravos.
O painel illuminado representou um bello ponto
de* mira ptica.
O retoque dado pelo pintor, a fiamma variada, a
presteza da mutago foi ludo executado cora
admiravel bora xito.
O drama a Filha do Lacrador aoda_ com-
moveu muilas sensibilidades cora irapressoes de!
seguro vigor.
Sr. Amodo trabalhou perfeitamenle bem.
O Sr. Combra dislinguiu-se no papel do velho
rustico.
Foi urna noite aprazivel aquella.
Por nossa parte esperamos que anda se repita
a Victoria de Riachuelo quo lem tanto patrio-
tismo, tanta poesa e expressao I
Foi assassinado no termo de Barreiros, no
engenho Camolengue, Antonio Themoteo por Fran-
cisco Antonio da Silva, vulgo Xico Sencoia; o
qual evadise, procedendo a polica no entretanto
a corpo de delicio.
Foi lirado morltt de urna alagoa, no engenho
Anjo, termo de Serinhaem, um escravo do Sr. Do-
mingos da Costa Martms; e em consecuencia do
corpe de delicio, foi verificado ter elle sido victima
de raorte violenta, cuja autora peza por indicia-
ment em Joo e Andr, escravos de Feliciano
Jos Ribeiro; os quaes foram logo presos.
At agora nao foi ainda devidamente resto*
belecido o mastro do lelegrapho, cujo servigo
por conseguidle feito de modo incompleto com
inconveniencia do commercio. Como, porra, de-
va fazer-se a subsltuigao, parece nos que seria
til empregar-se antes um mastro de ferro qne
de madeira, bem como fazer-se de igual materia
a casioha em que se abriga o telegrapbisla, urna
vez que est ella a desabar timben).
Apresentando a idea, instamos pela conclu-
so breve da substiluigao, que de urgente ne-
cessidade.
Foi encontrada a barca ingleza Jheltune,
da praga de Liverpool, na lal. N. 4." 11" e long.
O. 28. 42".
A sociedade dramtica Thalia Pernambuca-
na deu em seu theatro de Santo Antonio da Ca-
punga o espectculo deste mez com urna con-
currencia completa de espectadores de ambos os
sexos.
Foram algumas horas que se passarara entreti
das agrada veintn te, pois o drama do Sr. Men
Do Jornal do Commercio extractamos os se
guintes trechos
Com as numerosas forgas que tiver reunido pode
elle aecudir ao Estado Oriental para abafar reac-
nV"""'"0 eses; pode despejar sobre Corrientes os auxilios e
O Paraguay como pau, contprehendendo sob ) J necesSarias; pode anda, urna vez de-
esse termo o territorio,a populago,o governo eos sassombrad do |nilnig0 enviar um exercito pela
r?cursos ?fra?? del!e i J*?SL_?5JJto5 regio norte da provincia de Corrientes (as M.ssoes)
p ra tomar de Raneo a deleza que os Paraguayos
ziainos, nao pode nem por assomos aspirar ao pa-
: rllelo com o Brasil; quando muito, approxmar-
i se-hia a una de nossas grandes provincias.
1 Mas a guerra uo se faz de paiz contra paiz,
e sim de um poder militar contra outro poder mi-
litar, e nesla especialidadenao tenhamos pejo de
0 reconhecer o Paraguay nos poda bem affrontar
ha um anno, excepgo feita da parte naval.
t E' que de looga data, como hoje ninguem o ig-
nora, o governo paraguayo inverteu lodos, ou qua-
si lodos os recursos do seu paiz em desenvolver os
meios militares, melhorando-os quanto eslava em
suas maos faze-o.
Consintam-me chamar a attengo para esta se-
gunda circumstancia, altas verificada pelos fados:
1 nao smente o Paraguay accumulava em silencio
meios poderosos de guerra, mas dava-lhes nova
torga pela orgaoisago, e pela aiaplacao aos pla-
nos que tinha em menteatacar por sorpresa e
delender-se com teoacidade.
fizeram da Tranqueira de I.troto, e que pode ser
' tremenda.
E' preciso que o governo imperial tenha a cora-
gem nao s de pensa-lo, seno ainda de o dizer ao
paiz e obrar era consequencia : ca guerra com o
Paraguay tem proporgoes collossaes porque rene as
circuinslancias de defensiva e oOensiva ; proporcio-
nem-se a ella os recursos, porque os que sobejarem
para a aegao bao de servir sempre para alevantar a
importancia do Imperio e escarmentar seus ini-
migos.
O exercito do general Urquiza, que apesar de
todas as exigencias da situaco nao sahia do terri
torio entrenano, conservando-se no acampamento
de Basualdo, acaba de debandar-se e foi dissol-
vidol
O general Urquiza sanio do seu acampamento no
dia 3 do corrente, para a Concordia conferenciar
com o presidente Mure, a quem mandara pedir
Oimperio.queapreseulavaemexercitoacf/irM- que fos-u at o Basualdo, no que Mitre nao con-
sao minguada de suas necessidades de polica mi
litar, interna e de fronteira, mal poda de momento
ergue-lo altura de vencer o Paraguay, por mais
olorosa e injusta que fosse a aggresso delle.
cordou.
Poucas horas, porm, depois do general Urquiza
sahir do seu campo, foi chamado a toda a pressa
pelos generaes, que l deixara, dizendo-lhe que o
c Teve preciso de fazer meios de accao militar exercito se eslava debaodaodo por esquadroes, e
para depois fazer soldados, e anda depois fazer | regimentos, a ponto de dous tercos da forga se ter
exercito. reiirado, oo estar em disposigae de faz lo.
Que nao se improviso grandes forgas militares, O general Urquiza accudio desattentado, fazendo
declararan! a Franca, a Austria, a Prussia e a lia- doze leguas ern tres horas.
lia, consumindo o melhor da sua riqueza publica i Ao chegar ao Basualdo vio encaminhar-se para
em manter um exercito poderoso, por preveogo; elle alguns esquadroes, e parece que um momelo
e confessam o tambem a Inglaterra e Allemanha,; siipps que vinbam aggrodir sua pessoa. Valente
sujeitando-se a sofrer repulsas de diverso genero, como armou-se disposto a vender a vida cara;
todas mortificantes. | mas verificou logo que era urna simples debanda-
O governo imperial devia pois gastar tempo, da, retiraodo-se a gente batendo na boca, e fazendo
bastante tempo em proraplificar um exercito, e se chacota, balando como carnet ros, etc.
em algum caso censuravel o que fez on deixou
de realisar, no todo da sua marcha nenhum gover-
no de homens, dadas ao especialidades maleriaes e
moraes do nosso paiz, leria feilo muito mais.
< Eis, porm, que da adminslrago superior as
censuras vio descer ao proprio exercito.
f Ha mezes que vm-se embarcar as provin-
cias, e sobretudo no Rio de Janeiro, baialhoes aps
balalhoes de linha, guarda nacional e voluntarios,
Ainda o general lomou algumas providencias,
espera chamar s lileiras seus soldados. Meia
duzia voltaram, mas o grande numero l se foi, ou
conlinuou a sahir por esquadroes.
Acabou-se, pois, o exercito entreriano, e se bem
que o general Urquiza promette reun-lo de novo
em 20 das, nao se deve cootar com isso. Sua de-
dcago ser impotente contra o espirito Manco
federal, que domina era Entre-Rios, para a qual
deXe ter concorrido especialmente a presenta ali de
2,000 onentaes, emigrado? do partido blanco.
1 Se contra o que eu e amitos presumimos, o gene-
ral Lrquiza com sea carcter indomavel eo !>
i de sen prestigio pessoal, reunir de novo sen exer-
l cito, melhor, teremos tima agradavel noticia.
Entretanto at a nao haver recebido parece qne
convina acautelarse, e o governo imperial sobre
ludo deve faz-lo.
Sem as forgas entre-rianas, os exercitos alhad-is
apenas contaran), reunindo todo, com, 25,000 ho-
mens em Corrientes, e s o exercito qne os Para-
fUa-L;Uem nessa ProTnc'a chega, senao exrede
No Itio-Grande ha outros 10,000 Paraguayos para
entreter as forgas da provincia; no Eudo Orien-
lal podem apparecer roovimentos reaccionarios; em
Entre Ros montoneiras e----compre, como o itei-
xava dito, que o Bio-Grande seja um grande cam-
po militar.
Se fr possivel preparem-se ou remettam-se para
essa provincia 30,000 homens. Nao sero drenis,
o al podem ser poucos, segundo as emergencias
que apparegam.
Tem continuado a oceupar qoasi escl asi rnente
a atlengao publica o facto de dissolver-se o exercito
do general Urquiza.
O menos tolerantes deseobrem sbi d.-farcada
traigao do caudilho entre-nano, qne aggr.1 varia a
traigao com a hypoerlsia mais degradada.
Porra os que assim pensao sao poneos, muito
poucos. A grande maioria considera o geoeral
Urquiza victima da opinio desfavoravel a Knenos
Ayres e ao Brasil, que predomloa em Entre Rios, e
tal qual sympathia pelos Paraguayos.
O que ha de positivo que nehum chefe sopc-
rior daquellas forgas apparece indiciado de ter pro-
movido, ou organisado o motim. Apenas iodi-
cam-se os nomes dos officiaes superiores Dolores e
Espindola como implicados, e se assim fr, e as
disposiges em que esto os Srs. Mitre e Urquiza.
o negocio Ihes cuslar a vida, e talvez a mais alguas
de condigo mais subateroa.
Corre que o presidente dra a este general am-
pios poderes para tomar todas as medidas que lbe
parecessem convenientes para reunir de novo o
exercito no praso de quinze dias. Muita scena
deploravel vai apparecer em Entre-R s !
Ante-hontem chegaram a esta cidade o feoeral
Benjamn Virasoro, iramediato do general Urquiza,
que vai ero commisso a Santa F, e para la sefute
ja. Tambem vieram diversos coronis e outros
officiaes, todos em commisso.
Por falta de cr/mmissionados nao que a guerra
deixar de fazer-se.
O general Urquiza tinha-se retirado para o seo
estabelecimento de S. Jos para tomar providencias
particulares, e logo as officiaes que sua estranba
situaco em Entre-Rios duplamente exige.
Como que o hornera que a um aceno levantara
em peso a populago entre-riana, por seos mais
addiclos soldados abandonado e escarnecido ? Sao
mysterios destes povos que a historia desvendara
algum dia.
Embora os jornaes declaren) ane a dissoloco
aas torcas entre-rianas nao embancara, nem de-
morar a3 operag5es do exercito adiado, en errio
que por emquaoto elle nao pode marchar cootra
os Paraguayos, qne lbe sahiriam ao encontr com
forgas muito superiores em numero.
Como por outra parte nao se coma muito com a
promessa do general Urquiza de tornar a reunir o
seu exercilo, vo-se tomando medidas para sopprir
a sua falla.
Assim, o governador de Buenes-Ayres resolven
destacar toda a guarda nacional de ravallaiia do
norte da provincia, que orga por 3,0ti0 homens, os
quaes s marcharn para o exercito no casa de ss
nao reunirem as forgas de Enlre-Hios.
Tambem provavel que o general Flores fara
marchar mais alguns corpos de cavallaria do que'a
principio resolver.
Einlim a noticia que nos chega de que o imperador
vinha ao Itio-Grande faz crr que ho de roobiii-
sar-se novas forgas naquella provincia, para m
reunirem ao exercito de operag5es.
Consta que o general Canabarro, com nova
a dez mil homens, pretenda defender a passagem
de Ibicuhy.
Todava, sendo diminuta a forga de infamara
que elle tem, possivel que nao possa resistir a*
mas-as paraguayas.
De facto o general Canabarro s tem quatro
baialhdes, inclusive dous de voluntarios, e os
raesmos corpos de cavallaria nem lodos e?iao bem
armados.
Sabe-se aqui que o presidente da provincia tinha
ordenado a todas as furgas, que se achavam no
interior da provincia, que marchassem nara reu-
nr-.-e quelie brigadeiro; entranUAynonuntero
dellas a forte brigada do bario de /arahy, que
eslava em Bag.
O nosso exercito vai mnito bem eoi instrorges,
porra nao tanto era salubridade./Entre os bo*pi-
taes todos, entrando os de Montevideo e Buenos
Ayres, temos quasi 2,000 doentes.
REPAIlTigAO DA POLICA |
Extracto das partes dos dias 6 e 7 de agosto de
1865.
Foram recolbidos casa de delencjio no dia
de agosto:
A' ordem do Illm. Sr. Dr. chefe de polica, Ma-
noef Juventino de Oliveira, para a verigaace* so-
bre sua verdadeira condiegao.
A' ordem do Dr. delegado da capital, Francisco
Lopes de Souza, para a veriguages sobre crime
de furto.
A' ordem do subdelegado do Recife, Carlos Sa-
muel Rail, por desobediencia, e Cypriano, escravo
de Mara Ignacia Ferreira, para correego.
A' ordem do do S. Jos, Manoel Fernandes da
Silva, por suspeito de ser disertor, Manoel Ferreira
do Nascimentos, e Antonio de Sonza Paes Barretlo,
por disturbios.
Dia 6 -
A' ordem do subdelegado do Recife, Maria ou
Felicidade Perpetua Lima, para correceo.
A' ordem do de Sanio Antonio, Joo de Deus
Ferreira Fundador, para recruta, Manoel Pau: >
Ferreira, para ser processado pelos crime Je -
sobediencia, injurias eregistencias, Fumino dos
Santos Lima, por ferimeoto, Joo Sevallo de Esm-
deiro, por disturbios, e Vicente, escravo de Rufino
Antonio de Mello, a requerimenlo deste.
A' ordem do da Boa-Vista, Manoel Jos de San-
t'Anna, para recruta, e Pedro, escravo de Fraaee-
lino Xavier da Fonceca, por fugido-
A' ordem do dos Afogados, Antonio Claadiae de
Oliveira, para recruta.
O chefe da i.' sereno.
J. G. de Mesquita.
Lista dos baptisados e casamento haviJos na
matriz de Santo Antonio do Recife, no mez de julho
nudo:
Maria, parda, filha legitima de Joo Candido de
Almeida e Antonia Maria da Conceigao.
Joaquim, branco, filho legitimo do Dr. Amerito
Netto de Mendonga e Emilia Spencio Nelto.',
Jacintha, parda, filha natural de Maria Manaw
Jos, branco, filho legitimo do Dr. Fernando Mara-
nhense da Cunha e Anna Joaquina Doniagnes
da Silva Cunha.
Maria, branca, lilha natural de Mara Pereira a*
Costa.
Manoel, pardo, filho natural de Felicia Maria dn
Conceigao.
Artbur, branco, (Uno nataral de Anna Rita do Wtm-
Qm.
Amalia, branca, filha legitima de Alvar*
Noblato e Margarida Victoria do Na


Diarlo de Fcrnamfonco Terca lelra 8 de Agosto de 15.
Zalmira crioula fllha natural de Victallana, pretai As ppellacoes crimes. r ; tante do Gabinete)de oflonder-ma physicaruenle, da sencia e qtunJo me achava na corte, para onde tinharn tambem de embarcar naquelle lugar, onde
(orra/ I Appellante, o jnizo ; appellada, Joao Vicente de icujos iudividuos dei urna noeixa que se acha bas- pnrti no dia i\ da fevereiro do correte anno, ti- me disse o agente que sem duvida atanoilede-
Maria parda. Alba de Francena, escrava de Jos Araujo. | tante instruida com oito testemunhas de vista, pe- nha sido contemplado na respectiva lista, para o via eutrar, visto esper-lo Ja a dous dias.
Antonio da Costa e S. | Appllante, Daniel Lopes da Silva ; appellado, ranto o Dr. juiz municipal da vara, que nao concorri por nJo achar-me presente, com-1 Desengaado no dia seguiote, mandei seguir
Maria, branca, fllha legitima de Antonio Carnetro Luiz Jos Estovan. Passndo, pols, o Io secretario a exercer as func- muniquei isso mesmo ao cnmmandante, a quem barcaga para esta praca, sem me importar ;:om a
Rodrigues Campello Auna Carneiro Rodrigues Appellante, o juizo ; appllado, Jos Luiz Jorge. c5es do primeiro, assim como o presidente, foi no- anteriormente havia entregado o requerimento ja m viagera, ou afrontando rigores da e.tac3o.
Campello. A appellaeio civel. : vamente annunciada a reunio da assembla geral informado. E at quando ser bigodeada a infeliz provincia
Jos branco, filho legitimo de Joaqulm Rodrigues Appellante, Lourengo Jos das Neves; appella- para o dia 6 do crreme em que leve lugar com Se, pois, o commandante no cumprimento de das Algas em seu contrato,
lavares de Mello e Carolina Ursulina dos Santos do, Jos da Rocha Prannos, cerca de cento e vinte socios, segundo me infor- seus deveres, mandou prender o dito guarda, nao' Pergunto eu ; essas faltas sao descontadas da
Mello. lo Sr. desembargador Gitirana aoSr.desembar- mam. se pode dlzer que faltei ao proraeltido, pois que subvencao, que a mencionada provincia paga 1 E
Tendo, porim, o lado que pugnava pelos actos nao decretei priso alguma. nao sendo descontadas, quem o responsavel p- r
da administrarlo deixado de comparecer pelo tac- No firmo proposito de me doestar pensou ainda um tal prejuizo eolensa ao contrato feito pela
to da sua retirada, e compoudo se a assembla de o raeu aggressor atirar sobre mim a lama que o companhia 1
individuos do lado adverso a administrado que se cobre, lembrandome as ordens do dia que foram como quer que for, imploro a S. Exc. o Sr. pre-
exonerara, velo-aie a noticia por alguns membros publicadas quando interinamente exercia o lugar de sidente da provincia das Alagas, ileite suxs vis-
desse mesmo grupo com os quaes cooservo rea- ajudante do batalho do Recife, e urna priso que ; tas a ponto de desviar taes abuso?; ou entao vve-
les, que o tal segundo secretario, animado por' contra mim determinou naquelle tempo. Quanto as' remos nos os habitantes dali desilludidos de um
Inimigos raeus dos quaes intimo amigo e parti- ordens do dia, devo dizer-Ihe, o muita gente sabe, commodo sem eomraodo ; isto de urna pbautas-
dario p.irenetico, me col locara como perturbador que ellas foram ditadas pela ma' vontade que en- magoria a vapor.
daordem na assembla de l de julho" prximo fto se me votava, e produzirara tanto effeito que Rogo aos Srs. redactores, do muito conctituado
passado, em acta da referida sessao, o que atlribui, pouco depois fui transferido para o batalho da Diarto de Pernambuvo de inserir estas toscas
logo, ao desejo que teve esse senhor de ministrar ; Boa-vista com um posto de access. E quanto a pri-
um documento illegalissimo aos seus amigos e al- sao, ella foi to justa, que determinada por oito
1 liados, com o fim de attenuar a aecusagao que Ihes
fago em juizo, e provar abrtamente a gana de que
i se achara possuidos para com a minha individa-
Alfredo, branco, filho legitimo de Jcs Marcollno
da Cunha Rapeso e Anua Avelina da Paz Fra-
0*0.
Maximlano, pardo, filho natural de Julia Maria da
Trindade. .
Valentim, pardo, filho legitimo de Antonio Henn-
gador Lourengo Santiago
A appellagao civel.
Appollante, Jos Marcelino Alves da Fonseca ;
pellada, a fazenda.
Do Sr. desembargador Lourengo Santiago ao Sr.
desembargador Atmeida e Albuquerque
que* deMrada ePhiladelfa Maria Sebastiana.: A appellagao civel.
Franc=:o, branco, filho legitimo de Thomaz Jos Appellante, Jos Ignacio de Queiroi ; appellado,
da Cunha :5a e Anna Emilia de Lemos S. Manoel Antonio de Oliveira.
Aristides, branco, filho natural de Joanna Joaquina Do Sr. desembargador Assis aoSr. desembarga-
da Paixso. dor Doria
Carlota, semi-branca, filha legitima de Luiz de A appellacao civel.
Franca Guimiraes Pcixoto e Luiza de Franga Appellante, Francisco Barbosa de Mello; ajipel-
Caraei.o E'eixoto. 'a^> Antonio Lourngo deSouza.
Manoel."branco. fillio iegitlmo de Joaquim Jos da; Ao Sr. dcsembwgador Motta
Silva Guinares e Mirandolina Amalia da Silva A appellagao civel.
Gaimaraes. I Appellante, Jos Luiz de Andrade Lima ~, appel- lidade.
Niomegia parda fill-a legitima de Benjamn do, lado, Gabriel Antonio de Castro Quintaes. Nao me admira,
Carmo Lopes e Vicencia Joaquina da Silva Lo-' Do Sr. desembargador Boria ao Sr. desembar-
res. gador Motta
Alfredo, branco, filho natural de Marcolina XavierI As appellarpes aloes.
de Oliveira Appellante, ojuzjj appellado, Canuto Rodri-
Antooio, branco, fllho legitimo de Alfredo Ramos gucs da Silva.
Chaves e Adelavde Leopoldina do Carmo Cha- Appellante, o promotor ; appellado, Manoel Vt-
ves cente de Carvalho.
Eduardo, branca, iiho legitimo de Fetippe Fran-, As appellagoes ciyets.
cisco da Costa c Anua Borges Pereira. AppeHante, Lino terreira (U Silva ; appellados,
Felippe, branco, filho legitimo do Dr. Miguel Fi- Jos Mendes Rodrigues Campello e outros.
cueiroa dd'aria e Francisca de Paula Araujo Appellsme, Antonio Evaristo da Rocha ; appel-
Fioueiroa lada.D. Maria Magdalena de AMniquerque.
Jos branca filho legitimo de Jos Joaquim da \ Do Sr. desembargador Motta ao Sr. desembar-
Si'lva Mondonga e Amelia do Carmo Mondonga, gador Uchoa Cavalcante _
Joauua, parca, llia de Antonia, escrava do tcnente: AappeHaraoorimp.
Jos Catan da Silva. Appellante, o promotor ; appellado, Ildefonso Go-
Joo, criuulo, fiho legitimo de Francisco Jos Qua roes Soares.
resma e Julia Maria d'Assumpgao. ; Ao Sr. desembargador Domingues da Silva
Anelo, crioulo, tilho de Rosa, escrava de Jos Fe-. A_ appellacao civel.
liciano Nazaielh. Appellante, Joao Ferreira da Costa lmbuzeiro ?
Francisco* pardo, filho natural de Anna Maria. appellados, Joilo Jos da Silva e ontro.
Mano.l, pardo, lno legitimo de Manrel do Nasci- Do Sr. desembargador Domingues da Silva ao
meato Yianna e Hermina Severiana Rodri- Sr. desembargador liarros Vasconcellos
RUes ./ A appellacao civel.
Alfredo brinco filho natural de Justina Maria do Appellante, Joao Ferreira de Carvalho ; appel-
Espir'ito Santo. 'ad0> "o!te Pe''PPe da Cunta liandeira de Mello.
Joanna, braiica, filha natural de Maria Joaquina da
pois, que o Sr. Alfredo para
servir aos seus amigos m cireumstancias arrisca-
das, faltasse desse modo verdade, porque feliz-
mente o eonhego bem, o que me admira que haja
anda quem o acredite, e que sejam elevados aos
cargos da associage, individuos que para servir a
caprichos e paixoes mesquinhas so prestem a rela-
tar em urna acta, fados que se nao deram, e contra
os quaes liinilo-me desde j a protestar, at que,
com documentos "valiosos venha de novo esclare
cer a quasto como pretendo, es'.abelecendo a ver-
dade.
Inserindo estas lichas muito obrigaro Vv. Ss.
ao seu constante leitor
Francisco Ljnacio Ferreira.
>
dias, dentro de urna hora fui solt por ordena de
autoridade superior.
Opponho a aecusagao de pouco zeloso no servigo
do batalho que me feita na dita corresponden-
cia, os documentos tnfra transcriptos, que ao passo
que importan) um completo desmentido aos calum-1
niadores, do-me subida honra.
Gumpre-me ainda dizer que pelos meus servigos
ja fui honrado com urna condocorago, entretanto
que outros mais antigos do que eu, e vidos de taes
dislincg5es ainda e.>to com o peito limpo.
Com estas linhas, que ja vo alguma consa ex-
tensas, creio ter roe defendido das arguigoes que
me foram feitas. O publico proferir, eutretanto, o
seu Juizo imparcial.
nhas, como Unitivo de tanto soffrer. De V. S.
constante leitor
Um qunxoso.
Pernambuco, 7 de agosto de 1805'.
Paslilhas vfermifuias deKerap.
Chamamos a aatenqao de todas as mais para o
remedio mais agradavel, e til que se cuntiere
para fazer expellir as lombngas: AS pastii-has ver-
mfugas de kkmp. E'ii vez de todos esses inimuu-
dos e perigosos remedios vermfugos compo-tos Me
tola a casta de mineraes apresentamos um delicio-
so confcilo vegetal prompto e infallivel na sua ope-
ragao, nao causando nauseas nem mcommodos de
qualidade algara, prodtizindo
Cooceigao.
Casamentos: I
Francelino Jos Ferreira, com Adelayde Muniz de.
Faria. .
Marcolino dos ;antos Pmheiro, com Rita Mana Pe-
reira. '
Manoel Jovjo de Sant'Anna, com Anna Mana da
Conceigc.
Gentilhomem Rodrigues, com Guilbermina de Fa
ra Abreu Lima.
Antonio Francisco Jos da Cunha, com \ cenca
Joaquina do Sacramento.
JooSacerdJte da Silva, com Jospha Mana das
Neves.
Crispiniano de Souza Carreiro, com Horrada Per-
petua do; Prazeres.
O vigario V- H. de Rezende.
A appellagao exime.
Appellante, Franc seo de Paula Campos Quares-
ma ; appellada, a justica.
Ao Sr. desembargador Gitirana
As appellagoes civeit.
Appellante, Joo Tavares de Mello ; appellado,
a preta Thereza.
Do Sr. desembargador Rarros Vasconcellos ao
Sr. desembargador Santiago
A appellagao crime.
Appellante, o promotor ; appellado, Manoel An-
tonio de Moura.
Ao ineio-dia encerrou-se a sessao.
i
m ^ 1 w 1 0 w 2
X o 3- ~ & >
3 1 S 3 3 1 "i |P p 1 o > O
: 1 : : o 3
: : 1 : : - > B 9
. . a.
. o
| Masculino. > aa
rr> a ^j o 9
O * ^J 3 ~j o 99 2_
i f 5
1 Feminino. i a B
2 u -: 1 O S 1 s 5
Masculino. H =
? . 1 l(=- .2 a 71
f 1 Feminino. a.
m - 1 * - ! T u
1 Masculino. n a.
*> 1 ** - s

i er
! Feminino. 1 ai e 9S
IC * n M) O
__
1 *
J/uotn/mw.
*^ 2 C
CS i* ^4 1 s o

Feminino. i : O > A
&
o m 1 -* O co
v
- - Masculino. Cfl 9
o o o
CTi * m oc > B.

>
' C5 | Feminino.
w m fi s
1 -1 TOTAL.
xc l 1 1
ADVERTENCIA.
Na totalidade dos doentes exislem 169, sendo 106
homons e 63 mulhercs.
Foram visitadas as enfermaras estes dias :
As 6 3|i, G 3|4,6 3|4, 6 3j4, 6 3(4, 7, pelo Dr.
Ramos.
As 9, 9 3|V, 8 1|2, 8 3)4, 9 l|2a 9 1|2, 10, pelo
Dr. Sarment.
Falleceram :
Mana Joviuiana Elias da MaterliJaJe ; tubrculos
pulmonares.
Flix Jos de Oliveira ; amoleeimento cerebral.
Luiza ; gastro hepatiteclnonica.
Mana Joaquina Barbosa ; apoplexia.
Cemitehio pdbuco. Obtuario do dia o de
agosto :
Victorino Jos de Souza Travasso, Portugal, 6o an-
nos, novo. Boa-Vista ; hyDetrophia.
Flix Jos de Oliveira, Pernambuco, 42 annos, ca-
sado, Boa-Vista -, amoleeimento cerebral.
Caetana Maria da Conceico, Pernambuco, 99 an-
nos, Bolteira, Boa-Vista ; hydropezia.
Manoel, Pernambuco, 15 annos, S. Jos ; ttano.
Innocencio, Pernambuco, 8 dias, Boa-Vista; es-
pasmo.
Miguel, Pernambuco, 13 mezes, S. Jos|; eclampsia.
Porcina, Pernambuco, 4 annos, Boa-Vista ; vermes
(escrava).
Candido, Pernambuco, 30 annos, solteiro, S. Jos ;
ga.-to interite (escravo).
Dia 6
Luiza, Pernambuco, 60 annes, viuva, Boa-Vista
gastro hepatite,
(;IIR0\ICA _JIDIIAIA
TIIIIIL'WL DA RELAClO.
SESSAO DE 3 DE AG9ST0 DE 1863.
PHESIU.\-CiA DO EXM. SR. CONSELUEIRO
SOUZA.
As 10 horas da manha, presentes os Srs. des-
emargadore6 Santiago, Gitirana, Lourengo Santia-
go, Assis, Doria, Motta, Lenca Cavalcanti. Domin
gues da Silva e Barros Vasconcellos, faltando os
Srs. desembargadores Alinida Albuquerque e
Guerra procurador da cora, abrio-se a sessao.
Passados os feitos, deram-se os seguintes
JULO AMENTOS.
Recurso crime.
Recorrenle, Romo do Reg Barros ; recorrido,
o juizo.Sorteados os Srs. desembargadores Assis,
Domingues Ja Silva e Barros Vasconcellos. Im-
procedente.
DESIONACO EE DIA.
Assignou-se dia para jul.zamento das seguin-
tes :
Appellagoes elveis.
Appellants, Prudente Ribtiro Pessoa Lins e ou-
tros; appellado, Ricardo Rogers.
Appellantes, os herdeirosdeJoo Vieira da Cunha;
appellada, a fazenda.
Appellanie, Bernardino Lopes de Oliveira ; ap-
pellada, a pela Eugenia.
DILIGENCIA CRIHE.
Com vista ao Sr. desembargador promotor da
justiga
As appellagoes crimes.
Appellante, o juizo ; appe lado, Manoel da Pai-
xo Regs.
Appellante, juizo; appeilado, Francisco Jos
da Silva.
DILIGENCIA CIVEL.
Com vista ao Sr. desembargador procurador da
cora
A appellacao civel.
Appellantes, a viuva e tlhc de Luiz Gomes Fer-
reira ; appellada, a fazenda.
PASSAGBNS.
Do Sr. desembargador Santiago ao Sr. desembar-
gador Gitirana
JURY DO RECIFE.
7 DE AGOSTO DE 1865
PRESIDENCIA DO SR. DR. JL1Z DE DIRE1T0 DA 2' VARA
CIIIMINAL MA.NOZL JOS DA SILVA NEIVA.
Promotor publico o Sr. Dr. Jacintho Pereira do
Reg.
Reo, Luiz Gonzaga de Senna.
Advogado o Sr. Dr. Autouio Justino de Souza.
Escivao Joaquim Francisco de Paula Esteves
(.lemente.
A's 10 horas da manha, feita a chamada, verifi-
; cou-se acharem-se presentes 42 Srs. jurados, pelo
i que o Sr. Dr. juiz de direito declarou aberta a ses-
i sao, sorteado o conselho foi o reo interrogado, des-
| envolvendo a aecusagao, e flndos os debates depois
da replica e trephea.o -r. Dr. juiz de direito r.su-
mindo a materia da aecusagao e da def'-za piopz
ao jury os quesitos que foram entregues ao presi-
dente interino do juriy e com oprocesso, retirando-
i se este a sala secreta das conferencias pelas tres
boras da tarde de onde voltou s qualro c >m suas
respostas, que foram lidas em alta voz pelo presi-
dente do jury de senttnga, em vista de cuja deei-
so o Sr. Dr. juiz de direito absolveu o reo eon-
demnando a municipalidade as costas, o Dr. pro-
motor pedindo a palavra appellou para o tribunal
da relago.
Levautou a sessao addiando-a para o dia se-
guiote.
Foi designado para ser julgado o proeesso por
crime de roubo, em que sao reos Pedro Jos dos
damos, uuuuerraa trancisco oe Apia e Manoel
Joaquim do N scimento, pronunciados no art. 26'J
do cdigo criminal.
CORRESPONDENCIAS
Srs. redactores.No dia 16 de juliio prximo
passado, leve lugar no Gabinete Portuguez de Lei-
tura, urna reunio de accionistas, para que cousti-
tuidos em assembla geral ouvissem e apreciassem
os relatorios do conselho e directora que acaba-
vam o tempo de sua adramistragao.
Achando-se, pois, cerca de trezentos associados
alli reuDidos, o Sr. presidente Fraucisco Iguacio
Tinocj d* Souza, abrij a sessao, mandando em se-
guida proceder a leilura da acta da sessao antece-
dente depois do que a submetteu a di Os socios achavam-se divididos em dous gran-
des grupos defeudendo um a legalidaJe dos actos
com que se hotive a directora e conselho duran-
te a sua gerencia, propoudo se o uutro a reprova-
los in tolum. -
Tendo, porm, pedido a palavra um socio, |>ara
fallar sobre a recusa de um cargo que perante a
assembla de que tMlava a referida acta, fuera o
Sr. Joaquim Ferreira de Araujo Guimares, foi de-
pois de concluido o debate posta a votos, sendo que
o lado adverso a adniinistraeo se pronunciou
logocontra a sua approvago. "
Nao seudo, porm, couhecido de qual dos lados
eslava a maioria, resolveu o Sr. presidente separar
completamente os grupos para quedesse modo
podesse chegar ao fiel resultado daquelle acto,
Naoccasio em que passavam alguns socios que
se achavam sentados do lado adverso adminis-
traco para aquelle em que estavam os socios que
a defendiam, travou-se um couflict > no qual toma-
ram parte ambos os lados, declarandoaquelles, que
estavam estes tirando do seu lado aos individuos
que os haviam acompanhado na votajo.
Tomando o conflicto proporgoes maiores, oSr.
presidente levantou a sessao e retirou-se com te-
mor talvez de ser novamente atacado, como ja o
havia sido era urna sessao extraordinaria do con-
selno em novembro do auno passado, quando este
pretenda tomar conheciment do processo de um
socio do mesmo Gabinete, sendo os motores desse
ataque aquelles mesmos que firmes no seu posto
continuavam a oppor-se aos actos da adminis-
trago.
O 1 secretario, o Sr. Antonio Augusto dos San-
tos Porto, consta-me que se conservara era seu lu-
gar eonseguindo recoiher os papis e livros eon-
cernentes aquella sessao, e que se achavam dispos-
tos sobre a mesa respectiva depois do que se reti-
rara.
A directora que se achava presente em vista de
semelhante escndalo, determinou desde logo pedir
asuaexonerago ao conselho; porque diziaella que
nem queria recorrer polica, nem fazer urna sciso
entre os socios da qual poderiam resultar maiores
desgostos, seno a queda do eslabeleciraento.
O presidente, o Sr. Tinoco demittiu-se tambem,
e nenbum dos membros do conselho a quem pri-
meiro competia substitui-lo quizeram tomar coola
de tal cargo, al que foi elle recahir sobre um mem-
bro que tambem pertencia ao lado adverso adrai-
nistrago.
Em conselho, e na occasio em que a directora
foi pessoalmento pedir a sua exonerago, o Io se-
cretario, o Sr. Santo^ Porto, entregou o livro das
actas ao 2o secretario, o Sr. Alfredo Cardoso Perei-
ra, que tambero pertencia ao lado daquelles que
tioham por norma reprovar os actos administrati-
vos, dizendolhe uessa occasio que nao se esqne-
cesse lavrar a acta da assembla de 16 de julho na
qual se dera o tumulto de que ha pouco fallei.
Todos aquelles que assistirara aquella taturnal,
sabem que mal comeeou o disturbio entre os asso-
ciados que ento compunham a assembla geral,
fui eu um dos priraeiros que procurei por-me fra
de conflicto, bem como outros que nao estavam
talvez resolvidos a dar e apanhar pancadas sem
motivo cu razo alguma, acontecendo que so de-
pois e por iufonnagoes que cnegaram c fra trans-
mitidas por socios que continuavam a relirar-se,
soube terem bavido diversos ferimentos feitos por
individuos que mais calor haviam tomado em se-
melhante conflicto.
Continuando a conservar-me na ra alli mesmo
fui atacado verbalmente das janellas do Gabinete
por individuos que se haviam pronunciado contra
os actos da administraco, e que me nao poderam
perdoar o ter-me pronunciado em sentido opposto,
sendo qoe depois tiveram ainda a audacia (e j dis-
sempre o seu elTeito
llcife, 5 de agosto de 1865. -Silcino Guilherme de urna maneira suave e completa, nao carecendo
de Barros. depois a assistencia de qualquer um outro purgan-
Seguera-se os documentos. te : llt'l com uro excediente meio de fazer remover
Illm. Sr. tenente-coronel commandante do 3o ba- as obstruegoes do ventre, mesirfb no caso de nao
talho da guarda nacional do Recife-Silvino Gui- existirem vermes alguns e finalmente tornam-se
. Inerme de Barros, capito da 2' companhia do ba- ellas dignas por todos os respeitos da confi inga e
Senhores redactores (') -OSr. Flix Francisco de Ulho do digno commando de V. S., precisa a bem approvago de todos os pais de familias os quaes
Souza Magalhes, em urna correspondencia publi- do seu direito que V.S. atieste qual aconducta que acharao estas pastilhas elegantemente acondiciona-
cada era seu jorual de boje, veio oceupar-se com tem apresenlado durante o tempo era que tera V. das dentro de frasquinhos de cry>tal.
minha humilde pessoa, chamando-me para urna S. commandado o referido batalho, bem como se: Acha-se a venda as pharmacias de Caors &
discusso, ua qual entro nicamente por deferen- \ tem cumprido suas obrlgagoes na qualidade de Darbosa de J. C. Bravo k C.
ca ao publico, a quem consagro respeito, e cuja commandante daquella companhia, assim como se _______ m, r
boa opinio desejo serapre merecer. tem sido reprehendido em ordem do dia, ou se pe-
Tratarei smente do facto que se me imputa,! lo contrario tem sido elogiado petos servicos que
ha prestado, e se finalmente cumpre com as ordens
Ao publico.
Constando-me que um grande numero de pes-
procurando o mais possivel esquecer-me do quem
o trouxe a lume, e de suas faufarronices : quem
quzr que se ria do alio valimeulo que incaica ter
o meu contendor, de seu tora imponente e amea-
gador, de sua coragem e atreviraenio, e da podero-
sa infiienciaque blazona ter nesta sociedade. Pela
minha parto, isso inspira smente compaxo.
Nunca exerci perseguicao, como pretenlo mos-
trar, contra o guarda nacional do terceiro batalho
desta cidade Francisco de Souza Magalhes, cujo
parentesco assim consanguneo ou espiritual com o
raeu contendor sempre ignorei, saliendo, porm,
agora em viriude da correspondencia a que res-
pondo, que o meu contender nicamente padri- .
nho delle, a cuja circunstancia attribue a serae- pito da 2' companhia, que commanda, e tem sido' Santos, hoje secretario do hisp
a- elogiado om ordem do da pordiflerentes vetes. | transagao, que mais adiante po
Ihanjfc nos cognomes, o que entretanto nao rae pa
rece muito comroum.
Anda mesmo que soubesse que o dito guarda
era filho ou alhado do meu contendor, nao era
ssa motivo para persegui-lo, porque nunca me con-
.-iderel inimigo de seu pai ou padrinho ; e quando
o fosse, tinha muita digiudade e consciencia de
mim para nao vingar-me de um inimigo na pessoa
de outrem, que nao me tivesse offendido. Se, pois,
por algumas vezes mandei recoiher a priso o re- V. S. Ihe atieste, se as vezes que o tem comman-
ferido guarda, o fiz por motivos de servigo do ba- dado, se o srJpplicante tem cumprido com o seu
que Ihe sao transmiltidas e se subordinado: Mes-1 soas nesta provincia, e fra d'ella alllrma, e est
tes termos etc. etc. I convencido de que a nomeaeio do Revra. vigario
Recite, 5 de agosto de 1865.Silvino Guilherme r.amillo de Mendonga Furtado para visitador da
de B-irros. provincia das Alagoas, smente se deve iiilluen-
Altesto que o Sr. capito Silvino Guilherme de j ra e protecgo que eu prestava quelle senhor,
Barros, desde que commando o batalho se tem (0 quo me tem tornado victima, com a maior io-
esforgado para eumprir bem os seus deveres, jal justiga, de graves odiosidades, e comprometa-
respeitandose para com os eus commandados, e! ment) venho pela presente declarar da maneira
j concorreudo para o brilliaotismo do batalho, a mais explcita e solemne, que para tal nomeago
tendo fardado dez guardas em grande uniforme, nau concorri ; visto como foi ella influenzada, e
por occasio da visita a esta provincia de S. M. o nicamente promovida pelos Revms. conego da
Imperador. Pelo seu comportamento e inleresse capella imperial, Francisco Jos Tavares da Gama
pelo batalho, foi por este commando proposto ca-, e conego da S de Olinda, Joaquim Ferreira dos
ido, mediante certa
porei em ralos lim-
Quartel do commando do 3" batalho de infan-1 p0S) Se tanto
taria da guarda nacional do municipio do Recife, 5 de 1865.
de agosto de 1805. Leal Seve, tenente-coronel
commandante.
Illm. Sr. major fiscal do 3o batalho da gnarda
nacional do Recife.Silvino Guilherme de Barros,
capito da 2 companhia do batalho de que V.
S. digno fiscal, precisa a bem de seu direito, que
fr necessario. Recife, 7 de agosto
D. Jos Antonio dos tantos Lessa.
talho, como passo a moslrai.
Tendo sido o mesmo guarda qualificado cora a
proflsso de artista na lista do servigo activo com
destino a segunda companhia do meu commando,
e tendo expirado o prazo marcado para os recur-
sos, sem que elle apresentasse isengo alguma, foi
por mim chamado para o servigo por meio de um
aviso iinpresso assignado pelo respectivo sargento,
como se cosiuina praticar. Acontaceu, porm, que
ao primeiro aviso o dito guarda longe de reconhe-
cer os seus deveres, e de respeitar as urdens trans-
mittidas por seus superiores
dever, dando eumpriraento as ordens que Ihe sao
ordenadas, bem como se desempenhou com crite-
rio o commando de sua companhia, assim como se
subordinado : nestes termos, etc.
Recife, 5 de agosto de 1865.-Silvino Guilherme
de Barros.
Atiesto que o supplicante tera-se portado sempre
no cumprimento de seus deveres com zelo, dedica-
gao e pontualidade no servigo, nunca faltando a
subordioago necessaria ao militar que prza sua
reputago, e isto nao s quando por vezes tenho in-
Quando algum desses advogados, egostas, qni-
receueu mal o dito terinamente commandado o batalho, como tambem zer adquirir urna clientella apparente, nao neees
Declaro que respond ao eommunicado do di-
rector interino da escola normal de primeiras
letras publieado no Jornal do Recife do mez findo;
porque entend que o deva advenir, inslruindo-o
no cumprimento dos seus deveres, e que, seno
respondo ao eommunicado do Diario de Pernam-
buco de hoje, porque nao quero discutir com o
bacharel Maximiano Lopes Machado. Recife, 7 de
agosto de 1865.
Silvino Cavalcanti de Albuquerque.
Feliz descoberta !
MODO DR COLHER PAPALVOS, PARA VIR A SE LO-
CUPLETAR.
argento, maltraiando:o com tom arrogante e des- no exercico de fiscal, sendo isto confirmado com sita mais do que cercar se de e.rto numero de in-
communal, imilago do que acaba de fazer com- as diferentes ordens do da em que elogiam ao
migo o seu palnnbo cujos exemplos sabe seguir supplicante._
Fiscalsaeao do 3o batalho da guarda nacional
do municipio do Recife, 5 de agosto de 1865.An-
tonio Bernardo Qumteiro, major fiscal.
(Estavam sellados.)
ex fnictibus eorum cognoscctis eos protestando
alinal que jamis havia de servir, pois que contava
com protecgo, e poderia zombar de quaesquer or-
dens.
Deixou de comparecer primeira chamada, con-
firmando assim o seu protesto.
O une deva en fazer n.;p caso por bem da dis-
ciplina e regularidarte do servigo T Oevia, por ven
tura, tornar-me indilferenle a essa falta de to mo
eleito para a forga moral, que cumpre manler em
corpos colleclivos como os da guarda nacional ? d urna correspondencia anonyraa, que ha dias
E' minha eonvicgo que eu (icaria sugeito a censu-1 publicada em dt-feza do mesmo Sr Boa-Vista.
ra, se por ventura nao procurasse conter logo no Pols saiba oSr. credor do Sr. Boa-Vista que nao
comeco taes |actos de reluctancia e iusubordiuago. costumo escrever correspondencias ann y mas ;
Mandei, pois, recoiher priso o referido guarda, que, sera a minha assignatura. apenas me record
Nao obstante aquella punigo, eontinuou elle a de ter publieado urnas quatn linhas, ha dous an-
reincidr, pelo que, e dopois de haver eu esgotado nos; que a altadida correspondencia anonyma nao
Srs redactores.Acabo de ler, em urna corres;
pondencia deum credordo Sr. Joaquim da Sil-
va Boa-Vi>ta alguma cousa. em que transpareee
claramente o intuito de me fazer passar por autor
foi
a paciencia, e todos os meios t brandura e pru-
dencia, fui obrigado a manda-lo prender por mais
urna on 2 vezes. Era urna dellasque leve lugar nao
ha tres mezes, como diz o meu contendor, mas a
oito mezes pouco mais ou mehos, apresentou elle
um requerimento, onde allegava ser estudante do
collegio das Artes, matriculado n'auia de fraucez,
exhibindo o competeute certificado, o que me sor-
prenden, porque sabia que elle exeYcia a profisso
de S'lleiro, e nao se dedicava s leltras.
Em consegueocia deseraelliante allegago fui el-
le dispensado do servigo pelo Sr. teuente-coronel
coramandaute do corpo, o qual assim devia proce-
der era face da lei, impondo-lhe a obrigago de
apresentar-me mensalmenie um atlestado de fre
queucia e aproveitamemo.
Niiiuetn dir que semelhante deciso, toda fun-
dada na lei, seria o resultado de um pedido : im-
porta isso urna olTensa ao carcter do digno len-
le coronel commandante que sana aquilatar as con-
veniencias do servigo militar.
O meu contendor, porm, que quer alardear de
grande potentado, attntiuio a seu pedido aquelle
acto : estulla jactancia 1
Nunca, porm, o referido guarda apresen'.ou-me
atlestado algum, apezar das exigencias que por
muitas e diversas vezes Ihe fiz, algumas at ora
em casa do Sr. Flix Venancio de Cantalice onde
se achavam diversas pessoas inclusive o dono da
casa, ora em casa do Sr. major do batalho Anlo-
foi ocripta por mim, o nem foi publicada com
ciencia ou approvago minha ; que a reprovei e
reprovo, porque sempre rae parecen muto incon-
veniente deslocar as questoes do foro, onde devem
ser discutidas, para a imprensa, antes de decididas
pelos tribunaes ; e finalmente, que deixei de ser
advogado do Sr. Boa-Vista, desde o dia em que se
publicou a tal correspondencia, porque entend que
os meus servicos sao desneeessanos ao Sr. Boa-
Vista, que tem defensor to interessado nos jor-
naes.
Teuham, Srs. redactores, a boodatle de publicar
estas linhas de seu antigo colaborador e amigo.
Dr. Joaquim Jos de Sampos.
Recife, 7 de agosto de 1863.
Srs. redactores.Constand i-rae ler sido publi
cada em seu Diario de 22 do mez passado urna
correspondencia, assignada por II. contra o hacha-
re-I Autouio de Padua Pereira Paciieco ; e que este
tem querido fazer capacitar ler sido eu o autor
della cumpre-me declarar que nao fui aulor
nem sabedor de seraelhaole correspondencia ; por-
que seria para mim um motivo de grande pezar,
se algumas das pessoas de meu conhecirneulo, a
quera tributo cjusderago, chegassem a capaci-
tar-se, mesmo por um momento, que eu podesse
oceupar-me cora aquelle hachare!, que teuJ der-
dustriosos e assalariados apostlos, para pregarem
as suas falsas virtudes e alta preponderancia I E
se este meio nao for infallivel, ha outro sera envi-
da, que sguramente o sere o de fazer em um
folha publica a sua propria apologa com ostenta-
gao pedantesca, dirigindo as suas rutiladas ao ar,
qual D. Quixote, suppondo ferir aos bandalhos
que sua imaginago phanlasia, para desla surte
poder (o verdadeiro bandalko) inculcarse de gran-
de jurisperito, victima daquelles qui-, na realidad?,
Ihe coutraslem em lodo o sentido. Assim, posto,
evidente que se olferece de qualquer modo um
campo vasto para toda especie de exploraedes e
falralruas I
Dr. Muqueca.
ramado toda a sua bilis contra mira, entendo que
nio Bernardo Qumteiro na presenga do mesmo ma- deceria de minha dignidale, dando-lhe resposta,
jor e do sen irmo capito Miguel Bernardo Quin- como elle parece tanto desojar.
Aracaty, 10 de julho de 1863.
Francisco Jos da Costa Barros.
teiro.
Fiz todas as diligencias para que rae fosse apre-
senlad > o tal atlestado, empreguei todos os meios
brandos, tendo em vista pautar sempre pela pru-
dencia o meu procediinenlo ; mas ludo foi de bal-
de, sendo de notar que os meus actos de raodera-
go foram constantemente correspondidos por mo-
dos descortezes e al rudes.
Exhausta a miuha looganimidade, fui obrigado
a prend-lo novamente : ninguem dir que cora
isso Uve o proposito de perseguir o dito guarda,
quiz sun, chama-lo a obediencia e ao cumprimento
de seus deveres.
Quanto, porm, a aecusagao que me faz o meu
contendor de ler eu prendido o guarda no dia 26
do prximo passado, apezar de ter-roe antes com-
prometido para com o Sr. Mindelio de nao effec-
tuar semelhante priso, curapre-rae dizer o se-
guinte :
Electivamente o Sr. Mindelio ao apresentar-me
um requerimento do dito guarda acompanhado de
um atlestado passado pelo mesmo Sr. Mindelio,
donde se infera que elle eslava matriculado na es-
cola or nal. pedio-me que nada mais fizesse at
que fosse decidido o mesmo requerimento.
Promelti ao Sr. Mindelio, apezar de notar que
nunca poden lo o dito guarda apreseotar atlestado
de frequeocia e aproveitarnenlo quaudo eslava ma-
triculado n'auia de fraucez do collegio das Artes,
podesse entretanto faz-lo, quando passou a ser es- dirijo-me ao porto de Camaragibe nos dias consig
ldante da escola normal, da qual professor o Sr. nados de ida e volta dos vapores, e esperado sem
Mindelio, que tem sido constantemente o seu pro
teclor, indo entender-se commigo todas as vezes
que elle era preso. Emquanlo smente havia col-
legio das Artes, do qual o Sr. Mindelio nao pro-
fessor, o guarda nao linha frequencia nem apro-
veitamento ; mas apenas foi criada a escola nor-
mal, e o Sr. Mindelio nomeado professor della, ope-
rou-se urna methamorphose no dito guarda, de
quem protector o Sr. Mindelio ; passou a matri-
cularse na escola normal, tornando-se ento estu-
dante assiduo e apphcado. O Sr. Mindelio sabe
fazer milagree t
Adiando me no dia 26 de julho no quartel do
commando do corpo, e outros officiaes, tratava-se
ahi das pragas que tinharn sido designadas para o
contingente que para a guerra "actual deve dar o
meu batalho, quando entre outros appareceu o
dito guarda : e sabendo eu que elle na minha au-
Ao respeitavel publico com especialidade ao Sr.
agente da companhia Prrnanibucana de vapores
costeiros.
Esta nao a primeira vez que os habitantes dos
portos da escala dos vapores costeiros as viagens
para o sul e volta. queixam-se em vao da marcha
irregular e desviada, que praticam os Srs. com-
mandantes dos vapores costeiros, quando tera de
seguir para Macelo, a despeito de um contrato cora
o governo das Alagas, e nao pequea subvengo,
a que esto sujeitos os cofres daquella provincia.
Ja por vezes tem o inspector provincial mandado
saber ao agente das rendas da provincia na villa
de Passo, se os vapores costeiros tocavam naquel-
le porto todas as viagens pelas queixas repetidas,
e as respostas devem ler sido conseienciosas : isto
, que entrara alli, mando muito convm aos Srs.
commandantes, a ter querido fallar com sincenda-
de o supradito agente.
E qual tem sido o resultado ? Pego que respon-
dan) os referidos Srs. commandantes... Quasi sempre
(I) A prsenle correspondencia, qne se acha era
nosso ppder desde sabbado tarde, nao foi publi-
cada em nosso numero de hontem, em conseqaeo-
cia da hora adiantada em que a recebemos.
A redaccao.
proveito ; e quando desengaado, ou me vejo obri
gado a alugar jangada, ou de embarcar-me em
urna barcaga incomnioda, se quero alcangar esla
cidade de Pernambuco.
Agora mesmo chegando no porto da escala na
barra de Camaragibe, e tendo noticia de haver pas-
sado um vapor para Macei no dia 30 de julho
prximo passado as 4 horas da tarde, nao que en-
trasse na barra, sendo ptimo dia de sol; mas vis-
to em pleno mar, seotei que impreterivelmente no
dia 1 de agosto corrente tocara de volta ; mas
qual I
Esperei quanto me foi possivel, e ja impacienta-
do pelas 11 horas da manha atirei rae a urna bar-
caga, perdendo por esla razo a companhia noven-
ta mil ris, pois que vinham nesse dia cinco passa-'
geiros, os Srs. Joaquim de Souza Silva Cunha, Joao i
Vieira de Lima Francisco Jos Pires, D. Maria de I
tal e urna filha de 14 annos.
Ainda assim, infirindo a falta a algum desar
Phthysfci.
O xarope elaerio de veame por mim pre-
parado, muito tem aproveitado aos que sof-
frem desta molestia, c de lamentar-se, que
no obtuario desta cidade a maioria dos que
suecumbem de tubrculos pulmonares,
sem procuraren) o recurso do p; tico e do
expenente, que Ihes plem encaminhar o
meto de sua salvacao.
O Sr. Braga com loja d- ferragens na ra
Direila, foi desengaado por dous jjabeis
mdicos, aclia-se bom com o Iralairtelo por
mim prescripto.
A Sra. Jeronyma Alaria d i Conceico, mo-
radora na travessa io.Munteiio n 10, aclian-
do-sc desengaada, tambem mim recor-
ren e acha-se restablecida.
Um sobrinho do Sr. professor de Naza-
retli do Cabo, acha-se bom, como se v de
sua carta abati transcripta, almde outros
(actos, que poderia aqui mencionar.
A pbtbysica a destruico e a magreza
de lodo corpo, em consequencia de chagas,
tubrculos e concreccao dos bofes c de em-
pyema, atrophia nervosa, e outras molestias
que viciam os humores, como escorbuto,
alporcas, gallico, aslbma, bexigas, saram-
po, etc.
Na pblhysica, chegando ao estado de gra-
vidade, o que muito pode concorrer para a
salvaeo do doente e ajudar os medicamen-
tos o ar do campo, exercicio conveniente
e dieta, a qual nao deve ser de nenhuma
cousa quente, ou de deflicil digeslao ; e a
bebida cumpre que seja de natureza branda
e fresca.
Todo o seu alimento se ha de dirigir a
moderar a acrimonia dos humores, e a nu-
trir e suster o doente, para o que preciso
reduzi-lo ao uso de vegetaes e lei le.
Toda comida e bebida, que se tomar ha
de ser em poucas porces, para evitar que
o excesso do cbylo fresco opprima os bofes
e accelere muito a circulagao do sangue.
Muitos doentes desta molestia se teem en-
tregue ao uso do oleo de ligado de bacalho,
e outras preparaces de resinas e blsamos,
sem que dellas tenham lirado proveito ; e
alguns expositores de medicina combatem
com muita razao esse tratamento.
E' costume carregar o estomago do doen-
te com medicamentos oleosos e balsmicos ;
porm estes em vez de tirar a causa aug-
mentam-na, esquentando o sangue, ao mes-
mo tempo que tiram o apetite, relaxan os
solidos, e sao de toda sorte perniciosos.
Tudo que so zer para extinguir a tosse,
alm do exercicio e rgimen apropriado de-
vem ser remedios de natureza acida, deter-
gente e calmante.
Os cidos possuem a virtude de produzi-
rem bons elfeitos nessa enfermidade, por
que, nao s contribuem a apagar a sede
quando accommettem a febre ethica. mas
tambem a refrescar o sangue.
Aos doentes desta enfermidade, quando o
seu estado de gravidade tal que a febre
ethica os accommette, prescrevo-lb.es o su-
em urna chicara
raojo do vapor, mandei que a barcassa seguisse ^ d(J um ,mlo dlSSOlvido
para a Barra Grande, onde nao poderia deixar de \ 7,7
entrar o vapor, perdendo por essa ida um ptimo d agU> com bastante assucar em um grande
da de viagem, e achando mais tres pessoas, que copo para misturar com um papelinho dos
pos refrigerantes para tomar, con qoe at-
viam no accnnmettimento da febre, e pata
manha o xarope etherio de veame. T*nho
aconselhado, que facaro uso d' ejetafs d
natureza acida, como laranjas, I mdes, pa-
tangas, uvas, etc., e applicares de plaala*
amarg sas, que fortifican) o estomago e ser-
vem ao me>mo tempo para destruir e miti-
gar a sede.
A Sra. D. Joaquina de S Brrelo, tenk>
urna sua escrava fallecida desla molestia, miI>-
mettida ao tratamento de sea medico, resol-
veu procurar-me para tratar de nm outr>
escravo, que soffria da m-sma ufe; midade,
prescrevi-ihe o xarope la veame, tea ae-
Ihorado consideravelmrnte.
A senhora do Sr. Antonio Frami-ro Ho-
norato foi desengaada por MMi medico*
desta cidade, esleve prostrad, nos lti-
mos paroxismos da morte, fot com o lam-
pe de veame salva, como se v Ja carta
impressa no Jornal Jo Recife de 9 de feve-
reiro de 1863.
O escravo Emilio, do Sr. tenente-coronel
Rodolpho Joao Barata de Alenla, foi Uni-
ibem desengaado por habis m
Icum o xarope de vellam-; acha-se completa-
mente restablecido, como se v tamisa
. da carta impressa do mesmo Sr. tenentt'-
: coronel no mano hnmi do Hectfe.
U Sr. Antonio Christiaim Fojt, filho Ao
Sr.Cbriattano Fogt, proprietatio ? sul*.
lecido na cidade de Alai ci. o i
couhecido nesta cidade, pois que f i empre-
ado na casa do Sr. Len Uiapell:ii, relra-
tista estabelecido na ra da mpemtru, ao-
jcomniettido desta molestia, foi daqui desen-
i ganado por habis mdicos: retirou-se para
a Baha, e all eontinuou em trataraenl ate
que foi segunda vez desengauad" pd-m-
dicos dalli, chegando eu em Macei. uat
amigo pedime, que o acompanhast -le j
casa do Sr. Chrisliano, para ver um ti-ente
e prescrever-lhe algum remedio, encm '
o illio em urna cama desanimado e eu es-
lado de prosti .icio, pois que estarrava san-
gue e tinha completa in.i|eteiieia e (rique-
za, a pon'o de nao ?e po er por em pe, n-
litn de urna garrafa do xarope etbereo de
vdame j se achava elle no estado de paa-
sear em casa, desapparecida a inapeU-nea e
os escarros de sangue ; e a tosse mitiga Jos.
* No fim da segunda j achei em estado de
! faze-lo passear pelo siiio todas as manbas.
Acabada esta o aconselhei, qoe continu
no uso do mesmo xarope etherio alfert
com o xarope aicoohco de vellame, i que
usasse dos banhos salgados na pancada do
mar. Sentio elle nos primeiros banb-s al-
guns choques, mas eu o aconselbe* qne cou-
tinuase, com o que se tem dado mui'ohem
pois que tenho recebido cartas de Macei,
em que se me communica o seu bom establo.
Nesta molestia os expositores de medici-
na nao acouselham banhos salgados, aptuas
quando delles iratam, dizem ser applicauos
as Cicrophulas, liypocondria, esl.'ier sao,
amenorrhea, raetbismo, etc. ; entretanto \i
este b m resultado no tilho do Sr. Cristiano.
e outros fados iguaes teubo visto as mo-
leslias siphyliticas, e outras muitas que com
o uso do xarope alcoolico de velLnte tem-s:
obtido cura radical.
O Sr. r. Suva, medico babil de Ala-,
depois de le applicaoa um sen doeute de
rlicuinatismo o xa ope alcoolico de i&bm*,
logo que elle se poz em estado de largar as
moletas, em que amiava arrimado, o aconse-
Ihou que continuasse com o uso do mesmo
xarope conjunctamente com os banhos sal-
gailos, com qua se tem dado muito b-m, <
um dos mdicos que alli em Macei lem -
pela confianca as preparaces de ve.lame
por mim feitas, pebs bons resultados que
tem obtido em sua clnica.
Quando alguem se v com tos.-e vai ao me-
dico, este o examina e declarao senliof es-
t afectado dos pulmeso doente deaani-
ma com esta se.'ilenea. enlende estar s.-m
ntais cura, quando os fados e a experiencia
teem demonstrado que muitos tendo procu-
rado n lugar apropriaa, se teem salvado ;
e assim explicam muitos expositores l we-
d cia.
Ora, nessa provincia temos hcimlaii bo-
je e recurso do ar : por que a via ferrea
nos proporciona, pois jue era pouco tempo
urna [essoa que existe nesta cidade bol-
inele se t ansporta para as ultimas -i.i
deGamcleira e l'na, lugares perto do Beni-
to e de outros pontos que sao considerados
sertao, quanto mais que os mesin>
j nlio sao mos, segundo pens, prinripal-
menle no vero.
Alas dir-se-haurna pessoa pobre n.1o ten:
meios de se transportar e alli estara is*
se respon le, que naquelles lugares exislem
casas vasias e alugam-se jwr preco commo-
do, e mesmo muitos gneros d prime r
necessidade alli se vendem pelos mesaos
precos que aqui.
Aquelles, pois, que estiwrem nest.is cir-
curastaM'ias, eu Ibes facilito explicar os mema
pelos quaes se devem reger, e Ihes Urnere-
rei os medicamentos gratuitamente,
Nao deixarci de advertir ao publico, que
as minhas preparaces de veame si> reu-
nidas com outros ingredientes, e com elle*
tenho obtido ptimos resultadas: nao se en-
gae o mesmo publico com outros que por
ahi seannunciam, cujas preparaces ignoro.
assim como o aproveitamento aos enfermos.
quem porventura tenham sido appli.-ados:
cada um responde por si, e eu anlimocom
verdade o que non tenho relatado, cujos me-
dicamentos nesta provincia s vendo em mi-
nha botica na na Direila n. 88.
Jos da Rocha l'aramk,.
Nazrctb do Cabo, 7 de selembro de INf.
Illm. Sr. Jos da Rrcha Prannos.Ga
o maior pt-izer levo ao e .nliecimento de V.
S., que o doenle queV. S. acha-se adau-
nislrando-lhe re nedios. aclia-se no todo res-
tabelecido, portanto, nada sent, tendo des-
apparecido tu lodo a tosse, tem muitadi>pu-
stefo comida c acha-se nutrido, eiwo
tomar os ultimos remedios que V. S. recti-
tou no dia 30 do passado. resta agora a ?.
S. mandar-me dizer qual a dieta que
doente deve conservar e por quantos lem-
pos, mencionando as comidas que de*era
usar daqui em diante.
Uesta-rae agora agradecer a V. S. o cui-
dado que tomou no tratamento do meu so-
brinho, abaixo de Deus, devido o sen reatav
belecimento a pericia de V. S., e por isso
pode V. S., sempre contar com os meus di-
minuios prestimos, e desejarei esa ludo
tempo dar urna prora do meu recBUSnn-
mento.
Desejo a V. S. todas as venturas, por ser
de V. S. muito respeilador e brigadisst
criado.Francisco Bermgner Otar 4
nezes.
i


p-
Diarlo de rernambn^o Terca fcira S de Agotte de AStii.
hiruheba.
A jurubeba uraa das substancias medicamen-
tosas, que nertencem ao reiao vegetal, e perlence
a classe dos tnicos e desobstruentes, sendo eropre-
gaoa com vantagem contra as febres intermitentes
acompanhadas de engorgitamento de ligado e baco.
Ella lem sido applicada com incontestavel proveilo
eoniia a anemia on chlorosj, e hidropesa, catar-
rho da bexiga e mesmo para combater a menstrua-
cao dtffleil, resultante da mesma anemia ou chio-
rose.
Exlraioalcoolico de jurubeba.
Emplastro idem.
Oteo idem.
Tintura dem de idem.
Xarope id-m.
Vinho idem de id<=m.
Pulas oe ext. idem.
Deposito, pharnncia de Pinto, ra larga do Ro-
sario n. 10.
v^^rjn'

S&uIO.
aixa lilial dohanco do Brasil em
Pernambuco.
A directora desta caixa saca sobro o banco do
Brasil no Rio de Janeiro e sobre a caixa filial do
mesrno banco na Bahi.
O lllm. Sr. inspector da thesouraria provin-
cial, em cumprimento da ordem do Exm. Sr. pre-
sidente da provincia manda fazer publico (que no
da 17 de agosto prximo vindouro, perante a jnu-
tade fazenda damesma thesouraria, se ha de ar-
rematar a quem por menos fizer, os reparos de
2,09a bragas correntes na estrada do su!, do.mareo
8.000 bragas at o portao da barrelra da ponte
dos Carvalhos, aveliados em 5:31.'5000.
A arrematado ser feita na forma da lei pro-
vincial n. 343 de lo de maio de 18oi, e sob as
clausulas especiaes abaixo copiadas.
As pessoas que se propozerem a essa arremata-
cao, comparecam na sala das sessoes da referida
junta, no dia cima mencionado,
competentemente habilitadas.
E
pelo jornal.
Secretaria da thesouraria pro iocial de Pernam-
buco 13 de julhode 1865.
O secretario,
A. F. d'AnnunciacSo.
Clausulas especiaes para a arrematado.
1" As obras dos reparos da estrada e embarrea-
mento, entre o marco de 8,000 bracas e a barrei-
ra da ponte dos Cirvalhos na estrada do sul, sero
feitas de conformidade com o ornamento junto na
importancia de 5:31.'.5.
2* O arrematante dever principiar as mencio-
nadas obras no praso de 15 dias e conclui-las do
de 5 mezes, ambos contados da data da approva-
gados, com casa de vivenda de taipa, casa paral Para o Rio da nBra<;l II Rio
rancho, e mais quatro casas de taipa, todo avaha- CJrande
do em 800* j vai a" praca a requerimento do In-1 ^ b estauraeo a Ira.
ventrntodM^JaJnj^osepta_Duirte._ m com os ^consignatarios Antonio J.nit de
Pela thesouraria provincial se faz publico,! Oliveira Azevedo & C, no seu escriplorio ra da
que a arrematarlo do fornecimento dos medica
mentos necessarios enfermara da casa de deten-
elQi fui transferida para o dia 10 de agosto vin-
douro.
Secretaria da thesouraria provincial de Pernam-
buco 28 de julho de 1865.O secretario,
A. F. d'Aun'.'neiacao.
- Era audiencia do lllm. Sr. Dr. juiz de or-
pelo meio dia, e pnos desla cidade.vai a pnce a quem mais der o
' arrendamento por seis aunos do armazem sito no
Crui n. 1.
Para Rio de Janeiro.
pretende seguir com muita brevidado o patacho
nacion.il llgalo, tni > re. de seu carregamenlo
engajado, e para o resto que Ihe falta escravos a
frete, trata se cora os seus consignatarios Adtonio
Luiz de Oliveira Azevedo & C, no seu escriplorio
ra da Cruz n. 1.
Para o Para, com escala peio Maranhao, pre
E mm cmTim se ma^ publicar o presente caes da alfande"ga desta cidade, sob n 3, disi.nado tend* sabir em pocos dias o logre Emilia cap-
oiornal at hoje a receber hacalho, servindo de base o tao ernardino Rodrigues de Altneida, lera a
' prego por que ora esl, de 2505 menes, pagos maior parte da carga tratada, e para o resto que
no Io de cada mee, serapre adiantadu : para mais Ibes falta, tratase com o consignatario Joaiulm
explicares, os pretendentes vejam o escripto em Jos miio do porteiro do juizo competente.___________ pnmeiro andar, ___________
Inspeceo do arsenal de marmita. Para o Poro
O arsenal de marrana admiti carapinas, ferrei-' Sahe imprelerivelmeuie o briguc Jportuguoz
ros e serventes para as obras. UniCio, na quart i-feira. 9 do cor rente mez de ogot-
Inspeecao do arsenal de marraba de Pemambu- to :para o resto da carga e passageiros trata-se
co 3 de agosto de l&Ga. com consignatario Tnmaz d'Aquino Fonceca na
O secretan, ra do Vigario n. 19 |1 andar.
Alexandre Rodrigues dos Aojos.
Delegacia de polica do Io dislriclo do termo
do Recife, 3 de agosto de 1865
Acham-se nesta delegacia por serc-m apprehcn-
gao da arrematado
3a O pagamento ser rcalisado como determina
o artigo 79 do regulamento de 9 de julho de 186i, didos a um individuo os objectos segrales
' e a respoisabilidade da entrega definitiva s ser
Novo basco de pernambuco.
Os administrares da massa fallida de Joaquim applicavel aos. calcamentos e atorros dos mangues.
Jos Silveita pagara o 1 dividendo de dita massa | ** Pa ludo o mais que nao so tem especiflca-
na razio de 9 0/0 sobre o valor des ttulos
meltidos : ao novo banco
.\'ivi> banco de Pernam-
buco.
O banco descoca letras na presente semana a
9 por cent* ao anno at o prazo de seis mezes,
ad" do as presentes clausulas, seguir-se-ha o que de
de Pernambuco ra ', termina o regulamento cima citado.
ConformeA. F. d'Annunciaco.
O lllm. S*. inspector da thesouraria provin-
I cial era cumprimento da ordem do Exm. Sr. presi-
dente da provincia, manda fazer publico que no
dia 10 de agosto prximo vindouro, perante a jun-
ta da fazenda da rnesma Ihesouraria, se ha de ar-
Caixa. flliai do banco do liras!!
.esa Pernambuco.
De ordem da directora desta caixa se faz publi-
co aos senfiores accionistas, que o respectivo the-
g i.ciio esta autorizado a pagar o 23 dividendo
do semestre Qndo em 30 de junho ultimo a razau
de 25 por aeco.
Caixa filial do banco do Brasil lo de julho de
186.1
O guarda-iivros,
Ignacio Nones Correia.
y ALPAffDBGA.
Rendimento do dia 1 a 5......
Mein do dia 7 ...........*
134:887*919
27:1885837
159:776*756
I ceroula velha.
i Par de sa patos usados.
1 Jaquela de panno, usada.
1 Lenco para grvala. I
Quem for seu dono compareca que provaudo i
Ihe serao entregues.
O delegado,
L. A. Uaitins Pereira.
Para o Porto por Lisboa
pretende sabir com a possiv.-l presteza o bngue
Pernambucano : para carga e. passageiros, a quem
offerece bons commodis, trata se com o c ^n-igna-
tario Thomaz de Aqoino Fooseca, ra do Vigario
n. 19, primeiro andar.
iElLOEJ.
LEILAO
DO
O conselho de compras do arsenal de guerra
precisa com urgencia comprar tres mil fardetas de
rematar a quem por menos tizer a obra do empe-' brim de linbo, tres rail calcas tambera de brim de
dramento de 280 bragas crrenles entre os marcos j jinho, e tres mil camisas de panno de algodo, se-
de 13 a li rail bracas na estrada da Victoria, ava- gundo as tres bitollas porque taes pegas sao curta-
hada era 3:599*200. das no mesmo arsenal.
A arrematagu ser feita na frma^ da lei pro- j as propostas devein ser apreciadas al o dia 9
vincial n. 343 de 15 de malo de 1851, e sob as do corronte, na sala dassuas sess5es.
clausulas especiaos abaixo copiadas : | Sala das sessfles do conseibo de compras do ar-
As pessoa que se propozerem a essa arrematagao \ seal de guerra, 4 de agosto do 1865.
M0V1ME.STO DA ALFADEA.
Vulumes entrados cora fazendas-----
cora gneros..... 2,274
Volantes sal dos cera fazenlas------
cy.a gneros.....
-------2,274
48
1,277
-------1,325
Descarregam co dia 8 do correte.
Ili ite portuguezPensamenlpfarinha de trigo,
Escuna dinamarqoezaSperadiversos gneros
Logr hollandezJiuUih (jp,' idem.
Brigoe hanpverianoAtuutfariuia de trigo.
Bngne p>rs.iguezConstante diversos gneros.
Barca inglezaoh Oulmercadorias.
Escuna poruguezab. Jadoenarque.
Brigue portugoezS. Josidem.
Barca nacionalVdUe-idem.
Polaca hespanholaElegancia idem.
Barca ingle/a Orioncarvo.
RECEBEDOiUA Dli RENDAS INTERNAS GE-
RAES DE PERNAMBUCO.
Re.ndimento do dia 1 a 5...... 6:733*128
Idem do da 7 ................ 3:516-5363
comparegam na sala das sessoes da referida junta
no dia cima mencionado, pelo meio dia e compe-
temente habilitadas.
E para constar Se maudou publicar 0 presente .. Q.
pelo jornal. li
Secretaria da thesouraria provincial de Pernsm-
buco, 10 de jnlho de 1865.
O secretario.
A, F, da Annunciatfio.
Clausulas especiaes pura a arremalacao.
1" O erapedraiheuto entre os marcos de 13 a 14
rail bragas ser executado de conformidade cora o
respectivo orgamento na importancia de 3:599*200.
2a O arrematante comegar os trabalhos no pra-
zo de 13 dias e os concluir no de 3 mezes, arabos
contados da lah da approvago da arrematagao.
3* Os pagamientos' serio frfitos phi tres presta-
coes iguaes c corresfrindentes a cada terga parte
da cima execulada.
4" Suffrer o arrentaitinfe urna multa de 100* se
paraiysar 1 servioo por 13 das ou mais.
5a Ne podera o arrematante sob pretexto qual-
quer pedir indemnisagao alguma.
6" O engenheiro encarregado dos trabalhos dar
ao arrematante as inslrucgoes a respeito do servi-
go, as qoaes serao observadas sem a menor discre-
pancia
7* O que nao .-e acha aqui previsto ser regula-
do como se aclia deteriniuado no regulamento de
9 de julnho de 1865.
Conforme,
A. F. da Anntinciacao.
lllm. Sr. inspector da thesouraria provincial
0 encarregado da escripturacao,
Manoel Jos de Azevedo Santos.
Armazem de molliados
dcnoDiinido
PHilOL
\. -Hiia do Kangel^S. 93
BNMB
Terca-feira 8 do corrcnlcas lo horas
Cordeiro ttlrooeS
1 por ordem dos credores do coinmeiciaote Jos de
Castro Redondo, far leilo de magnifico sorti-
pertences
Finda audiencia do da 8 do correte dn jr.'me.uio de gneros de estiva, armagao e pert
ranicipal da 1* vara, tero da ger arremata- do esiabeleeimenio cima mencionado e.-n ui
eiaua ta casa terrea R, otra da de n.: mils \.jUi a VUl;:?'lc, assira como das dividas
nporlaocia de
i u.i mela
;8 no pateo do Terco, avahadas a 1* em 900*000, liras-do mesmo, todas Ba ?'-''
em 1:0005000, bem como urna parte na 4:142*233 rs., balango se ada em ^ler
referido agente a exame dos pretendentes.
ni ou
ac-
e a 2
quanlia de 400*000 d'outra casa o. 108 na ra
Imperial, por expeugo de Vicente Herculano de
Lomos Duarte contra'Herraillo Aurelianno da Cha-
ves de Sonza e soa mulher.
Arsenal de guerra.
O conselho de compras do arsenal de guerr-
precisa comprar o seguinle :
20 arrobas de plvora grossa.
As pessoas que quizerem vender dito artigo,
apresentem suas propostas na sala do conselho, as
; 10 horas da manha do dia 9 do crreme.
.-'ala do conselho de ompras d> arsenal de guer
,ra, 7 de agosto de 1865.
O eucarregado da escripturacao,
1 Manoel Jos de Azevedo santos.
Arreinatacio.
HOJE
De escravos.
Depois da audiencia do juizo municipal da Ia
. vara iro em praga 4 escravos, que por soa\avalia-
gao, convida a concorrencia dos Srs. licuantes.
nao perderem o boa occasio.
do
Leopoldina Amalla Gongalves vai a Portugal
"^CoFrliFlrmaoTem liquidagfto cors'ituem
por seus basiant(?s procuradores nesta praca em
primeir: lugar aos Srs. Crrela Poatual 4 C, em
segundo Jos Dias da Silva Guimaraes e em Hr-
ceiro Anlooio Rodrigues Pinto.
-- l>recisa--e de um liomem que eutenda
bem de plantado de liorta c jardim, para
ir para um engenho perto desta prara, d-
se-lhe bom ordenado, alm de outras van-
latfens como s ja boa alimentacao, roupa
lavada e enyommada etc.. etc.: quem a isso
se propozer dirija-se a ra da Gloria n. 3,
das 10 horas as 12 da manha c das 4 da
tarde em diante.
Club Pernambucano
A partida t? raez de aosl0 lcr *** w
noite _lo_dia i i. ^_--------
~~ Saquen obre '- ^.^m
Manoel Ignacio d* MHrln A Filli i ;*.
Lisboa : no largo do Carpa Samo n. I.'. ____
Precisase alugar nm i pru qiw *r'p kart
engommadi'ira e cu/inh sea v ..* : m r.. Crzes n. 36, p-i.neln> andar : em.
O baila asignado, "ii i etol d f/\*tro gen
de hypoiheca de>t i coroari'a, miriou > sea rrt-
rio pan I ra do Qoeimad > n. I">
_______Fulgeui-io I ni!ule de AlbuqoTf|'ie JMta.
Precisase de urna ama para oinprar reti-
) a r para casa dn orna s pea*aa : no palfe 4
A Ilustre e milito digna administragao do Paraizo, sobrado da estjuioa do i r-: > OmidW,
Hospital Portuguez acaba de mandar fazer penhora segundo andar._________________________
pela quanlia de novecentos e tantos mil ris ; ao Precisa-se de 4:U)t>iOOO a premio <**r* t-
abaixo assignado nao e possivel que a mesma ad- potheca Ue um predio de superior a:or in|>*a
ministragao era sua sabedoiia deixe de ser sabedo- fe os juro- mensalmeote : a quem r.n.'i t immmm-
ra e reconhecer que o eogenho Santa Luzia per- Cje p0r C!l(e )ia>w para sar mnmumx
(encent a massa da exlincia firma social do Fer-
reir & Ciuz, e nao da posse nem dominio do seu
devedor, contra quem a mesma administragao in-
lentou aegao judicial, e para firmeza da verdade a
mesma administragao pode ir ou mandar exami-
nar no cartorio do tabelliao S a esenplora do dls-
tracto so'ial; assim como no cartorio do osrrivao
Manoel Mara Rodrigues de Vasconcellos esse acto
e principio da liquidago iegalmenle priucipiado
pelo Bxm. Sr. juiz do comrncrcio, a qual vai ser
definitivamenii! concloida como e.-t publicamente
annunciado pelo Diario.
E como o ahaixo assignado, na qualidade de li-
qoidatario e raesmo responsavel, tanto as cuntas
que lem de prestar no meretissimo tribunal do
commrrcio, como na brigago de promover a se-
guranga dos debtos os credores da mesma exile-
la firma social : por i^so protesta solemnemente
contra essa penhora por ser recouhi cidamente ut-
a e sem validade slguma ; e para que este pro-
testo possa produzir o seu devldo effeito, vai ser
iulimado com as formalidades da lei a mesma ari-
ministncao, e depois recolhido ao cartorio para
ser junto os autos. Recife 4 de agosto de 1803.
ento Alves da Cruz.
Precisase de um m?nino de 12 a 14 annos
Peo te ao senh >r mw na norte o lii 3 k-
vuu por engao da ca-a do Sr. Cavtaa I> .l-'i ara
chapeo novo de feltro, a liondade i a.amA*r ea-
trega-lo na ra do Deslino, nal uMea 4
na frente.
Attevco

No becco Largo, no I'ecife. n. M,
pcrfeiiamente e por prego coaM
eagonma-a
A tna
de idade, para caixeiro
douro, em Olinda, n. 3
de una padaria no Yara-
a tratar na mesma.
Alugamse baratas urnas mei-aguas na en-
trada dos portoes da travessa da Barreira, bairro
da Boa-Vista : a tratar na ra do Cotovello n. 23.
Foi mulada para o salo do thealro de Sania
Isabel a sociolade Instituto Philosophico, aonde
continuar a funecionar.O presidente.
Goncalo Paes d" Azevedo Faro.
Espera-se boa concurrencia a este leilao, visto
que o estabeiecimento est p rfeiiameuie sonido
do gneros escolhidos e de pnmeira 'tualidade.
10:269*491
CONSOLADO PROVINCIAL.
R udimentodo dial aS...... I3:77.)*37l
dem do da 7.............. 4:330*303
20:1315874
aOYIMEKO 30 FGE10
Xavio entrado no da 7.
Babia3 dias, patacho nacional D. Luiz, de 138
toneladas, eapito Jos Teixeira de Azevedo,
equipagem 10,carga charutos e outros gneros;
i Maria Falmeira,
Navio sahido no mesmo dia.
Liverpool i>r MaceiBarca io^leza Vision, ca-
pito Ge irge Avery ; em lastro.
EDI
h.
LEILAO
De. urna cscrava com habilida-les.
HOJE
Osgenle Pestaa lga.nente auorcjado far
leilao de nina escrava de l annos, b."-.:a figura,
com as habilidades seguinies : cose, borda, faz la-
byriullro, marca i', engoraina milito propria para
uraa casa particular pjr ser recomida : terga-fei-
ra 8 do Corr.-nte pulas 12 horas da maobaa no
largo do Carpo -anto junto ao armazem do Sr.
Beltrao. ____________________
liLAO
Escravos de ambos os sexos cent habi-
iidailes e sem filas
HOJE
Terca-feira 8 do correnteas li horas.
NO AUMAZ'M DO AGENTE
OLYMPIO
I?L1
Saca-se sobre
n. 28.
k
i
Lisbo? e l>ort'': na rua l,e AP""
Prcri-ase de urna ;ni3 para o rr]f !nfir*> da
tima casa de poiirj fajilia : a tratar na pr.ca <
Corpo Santo n. 17.
A abaixo a.-signada \*\n presente jz
a todos em geral e cada um em pariculjr contratem a compra de sua escrava Maria,
que Ibes foi doada por seu laada pai, ct-m s^uma-
rido Joao Evangelista de An.lr-Je, t r-'t em
virtudc da moma J"i i a | % ''n-Jef p..r
toro alguma : e para que uingu-io a!i^f- !
I rancia se faz o pre-tuif, i r.iostando coalri vaal-
quer que o contrario fizer.
Kio Formoso, Io de lajaH Je 1865.
Seuli rinh i Maria de Lavor
AMA.
Precisa se de una ataan qu-:
bem, para casa de pouca familia :
Picio n. 44.
Pedente ao illostrado Eua. Sr. icario eaai-
tular que digne-se mandar cyodicar do ma-M ar-
tos praticados p* o vigario encomm-nd*da ?* aMa
d1" Stnla I.uzla 1o Norte, o reverendo di
Jos Alves da Silva, cujo- frito hfM i
em jornaes da provincia de Atojas*. mA r i
1 fiamos que S. Exc, lnstrado eaa
passar desapercebido o que ledimo- _____
-ai!, i
na iu
f>i\
Uaixeiro.
A M A
l'recisa-se de um menino brasileiro ou porlu
guez, de idade de 12 a 13 annos para caixeiro, na
cidade do Aracaiy : quem estiver nesias circuns-
tancias, queira fallar na rua do Queimado n. 37,
loja de ferranens. ____
Itoga-se ao Srs. Joo Cavalcanti de Sooza
Leao, Nereu de S e Albuquerque, Leandro Alcan-
forado, Castro Vianna, empregado no seminario de ] 3? (jas 4 -A da'tard'
Oilnda, Manoel Antonio Rodrigues Saraico, e Jos
Calazans Bufo Duarte, lenham a hondade de irem
a rua dos Pires n. 16, enlenderem-se cora o abaixo
assignado sobre negocios que Ss. Ss. nao ignoram.
AH
Na rua do Nogoeira precisa-se de um ama para
comprar e cozinhar para casa de pouca familia.
Alves
clarou ser escravo de Lu<;io de Tal, morador as
Cinco Ponas, e ah estahelecido com taberna.
O secretario,
Eduardo de Barros Falco de Lacerda.
tfISOS
A arrematagao ser feita na forma da lei pro-
vincial n. 343 de 15 de maio de 1834, e sob as
clausulas especiaes a baixo copiadas.
As pessoas que se proporem a essa arrematgaoa :
comparegam na sala das sessoes da referida junta,
no dia cima mencionado, pelo meio dia e corape-
ternemente habilitadas.
E para constar se maodou publicar o presente
pelo jornal.
Secretaria da thesouraria provincial de Pernam-
buco, 21 de julho de 1863.
O secretario,
A. F. d'Annunciualo.
Clausulas especiaes para a arrematagao:
I." Os reparos da ponte d > Bio Formoso, sero
feilos de conformidade com o orgamento juuto na
importaocia de 1:351*000.
2.- As obras devero ser principiadas no prazo
de 25 dias e concluidas no de 3 mezes, ambos
contados da data da approvago da arrematagao.
3." Os pagamentos sero reabsados em duas
preslagoes iguaes, a primeira quando liver metade
das obras, e a segunda na sua concluso e entrega
defensiva.
4.* Para tudo que nao estiver especificado as
presentes clausulas e orgamento, seguir-se ha o
que dispoe o regulamento de 9 de julho de 1863.
Conforme.
A. F. (VAnnunciarao.
O lllm. Sr. inspector da thesouraria provin- DE
cial, em cumprimento da ordem do Exm. Sr. pre- T) 1 AT^Ti^C \ VAPfi-{
sidente da provincia, manda fazer publico que no JM.\g*JMJM.MliiJ %. /VI \JLI
dia 10 de ag to prximo vindouro, perante a junta Dos portos do sul e esperado
da fazenda da mesma thesouraria se ha de arrema-' ,^SS%f3^ L,e d.ia do crreme o vapor
lar a quem por menos lizer os reparos de 88 bra- ^'fkjf%K lucanlins> commandaote o pri-
cas de empedramento, entre os marcos de 3 a 4 ^'^^ meiro lcnenle l,',lro Hyppultlo
mil bracas nos lugares denominados Aras do Gi-: 'SaaSBBa^ Duarte, o qual depois da demora
quia e iadeira do Vieira, na estrada da Victoria,! do costume stgnira pora os oortos do norte,
avallados em 1:969*000. Desde ja recebemse passageiros e (Migaja se
Precisa-se fallar com o Sr. Joaquim
Martins, na rua da Cadeia do Recife n. 40, primei-
ro andar; 011 roja se-lhe que annunuie ba mora-
da para ser procurado.
Um moco com as habililagijes necessarias se
jollerece para caixeiao dequalqaar armazem 011 co-
30--Riia da Cadeia do Itcclfe--3G brangas, e d fiador a sua conducta : quem preci-
sar annuncie por este jornal.
De mobilias completas, aparadores, guarda vesti-
dos, guarda louga, toillets cjm pedra, camas
francezas, ol.jectos de ouro e prala, e outros
muitos artigos.
Quarta-fei a 9 do crnente as 11 horas.
NO GHANDI': ARMAZEM DE LE LOES
DO AGENTE
rio de Antonio Luiz de Oliveira Azevedo & C.
COMPASHIA BRASILERA
e engaja se a
A ar7emataco7era"fita na forma da lei n. 343 i carga que o vapor poder-conduzir, a qual dever 3(J_Ra da Cadein do Recife3G
de 13 de maio'de 1854 e sob as clausulas especiaes,'ser embarcada no da de sua chegada, '
abaixo declaradas.
encoin-
raendas e dinheiro a frete al o dia da sabida as
2 horas : agencia rua da Cruz n. 1, escriptorio de
AntogioLuizde Oliveira Azevedo & C.
Vende-se a harcaga Flor do Norte, prompta
navegando, de perfeita construego, da lotacao de
2,300 arrobas, por prego inuito commodo, fondea-
da na escadinba : a tratar nesta praga cora Tho-
maz F. da Cunha na rua da Cadeia n. 44 ou na
praga da Parahiba com o lllm. Sr. Anlooio Tho-
maz Carneiro da Cunha.
Para.
Segu cora brevidade para o indicado porto em
direitura o veleiro hiate Lindo Paquete, capilao
Francisco Bibeiro de Barros, e pode ainda admit-
tir alaiima carga : a tratar rom Antonio de Al-
meida Gomes, na rua da Cruz n. 23, primeiro
andar.
O IPm. Sr. inspector d;i the-nuraria provin-
. ni comprimento da ordem do Exm. Sr. pres-
deme da provincia, manda fa?er publico que no da
10 le ag istr prximo vindouro, perante a junta da
fazenda da mesma ihesouraria, se ha de arrematar
a quem por menos lize", os reparos do empedr-
is 1 lo 250 bracas entre os marcos de 5a 8 mil
;i 1-na estrada da Victoria, avahados em.....
3:137*.
A arrematagao ser feita na ferina da lei pro-
lal D. li de 15 de maio de 1854 sob as clau-
Bulas especiaos abaixo copiadas.
As pessoas que se propozerem a essa arremata-
;;;i 1 c npiregim na sala das se-<6es da referida
1, no da cima mencionado, pelo meio diae
competentemente habilitados.
E para coustar se maodou publicar o presente
pelo jornal.
S xetaria da thesouraria provincial de Pernam-
boco, 10 de junho de 1865.
O secretario,
A F. da Annuncia^ao.
Clausulas especiaes para a arrematagao.
4- Os reparos do empedramento da estrada da
Victoria, entre os marcos de 5 a 8 mil bragas sero
escotadas de conformidade com o respectivo or-
gamento na importancia de 3-1575-
2" O irrematante cornegar os trabalhos 15 dias
dep s da approvago do contrato, eos concluir
em a metes, contadas tambera da-data da appro-
vaco.
3" Os pagamentos serao feilos em ties prestagoes
iguaes e correspondentes a cada lango da obn. exe-
eotada.
4' Soffrera o arrematante orna multa de 100J se
paraiysar os trabalhos por mais de 13 dias.
'>' 0 arrematante cumprira as ordens que relati-
vamente ao servigo, Ihe forera dadas pelo engenhei-
ro eni-arregado dos trabalhos.
6" Nao podera o arrematante per inderanisa-
cao ubre qualquer pretexto.
7' '.ira tulo quinto aqui se previnir, se obser-
vis o que determina o regulamento de 9 de julho
de 1864.
Conforme,
A. F da Annunciaqao.
O lllm. Sr. inspector da thesouraria provin-
cia, em cumprimpnto da ordem do Exm. Sr. pre-
sideni da provincia, manda fazer publico, que no
dia .'i de agosto prximo vindouro, perante a jun-
ta .11 fazenda da mesma thesnuria se ha de arre-
maiar, a quem por menos tizer os reparos urgen-
te- ie que precisa a cadeia di villa do Limoeiro,
avallad >s em 3:4185150 rs.
A ai remataco sera feita n? forma da le provin-
cial n. 313 de 15 de maio de 1854, e sob as clau-
sula especiaes abaixo declaradas.
.,- 1 c sois que se proporem a essa arrematagao
eomp*recam na sala das sessoes da referida junta,
no da cima mencionado, pelo meio dia ecompe-
tenvinenp! habilitadas.
K pura constar se mandou publicar o presente
pe; < j 11 nal.
Se retara da thesouraria provincial de Pernam-
btv o, il de julho de 1865. gen. d" lei provncia n. 611 de 2 de mato
O secretario, l ,
A. f. d'a inundarlo. prximo passado, que sao as segtiintes
t ii das especiaos para a arrematagao: 13400 rs. diarios de sold, seren seus fi-
:. As obras dos reparos di cadeia da villa do |h0S menores reculhidos aos estabelecimen-
V.-i. Iro, serlo feitas de con'ormidade com o or- t pr0vnciaes de educacao e o tempo que
5 ;|;P3CI,V0 a ,mP ...... estierem na guerra ser contado pelo duplo
0 arrematante dar principio ao trabalho 13 para 0 caso de aposentadora, e alm deslas
das depois que se fizer a arrematagao e as dever teni todas as mais vantagens que SO con-
*V+SSL*\S?M*m 3 prestacoes cedidas aos voluntarios da patria. O te- ^^^^Z^^:'^
dgue.acaaTerS par da obra correspondente. nente-COronel commandanle do corpo de SidoabaixadoaaOfs.elOVodoSpbreacar.
4/0 arrematante seguir na execuco das obras polica, Alexandre de Barros 6 Albuquer- ga noHavrea2-fs elO 0|0, eque talyez o dos
as mstrnecoes do cngcSheiro, que a inspeccionar. n\ie ?uavios sVDI?t0sera a!nd* raa's em. C0^Ia' n qae
Slue-_____________ ji.i.m.i____________ lhes sera avisado por vi i deste jornal. Os navtes
No dia 8, depois da audiencia do Dr. juiz de esto a disposigo dos carregadores para as voltas
' orphos a meio dia, vai praga por venda um s- a um frete abaixo de 45 fs, e 10 |0 conforme se
1 lio em trras oreiras, no Barro, fregaezia 4os Ato, ajastar coro os aanuociantes, rua do Trapiche a. 9.
CMFAMU BiASnEIRi
DE
PAQUETES 1 VAPOR.
Dos portos do norle espera-
do al o dia 10 do coi rente o va-
por Cruzeiro ilo Sul, comman-
danle Alcoforado, o qual depois
da demora do costume seguir
para os portos do sul.
Desdej recebem se passageiros e engaja-se a f
carga que o vapor poder conduzir. a qual dever ra^ilao por cnta e risco d
ser embarcada no da de sua chegada, encommen- mobilias completa rommodas, bercos, aparado-
das o dinheiro a frete a. o dia d. saluda as 2 ho- res.espelhos e outros art.gos de gosto
ras da tarde : agencia rua da Ciuz n. 1, escripto-: Uuatla-feira i) do correte as 1 horas.
OLYMPIO
3CRua da Cadeia do Recite36
Leilo de movis.
CordeiiN Kiuirs
far leilo por eonta e risco d-; quera pTtencer de
o armazem a rua da Crnx n. 57.
De una parle do sobrado de 2 anda-
res da rua da Seozala Vcllia n 110
avaliada en 32(M00.
Quinla-feira 10 do corrate as 11 Loras.
Na gr.'inile agencia de leiloas do agente
OLYWPIO
Precisa-se de dous Irabalhadores para palla-
rla : oa roa larga do Rosario n. 16._
A pessoa que precisa fallar cora Jezuino Ma-
chado Malheiros braga, dirlja-se a rua da Cadeia
numero o,
O abaixo asignado, contador interino do ge-
ral nesta cidade, vem declarar ao escrivo do ci-
vel Manoel Joaquim Uaplista, que quando elle cen-
ia estada aosescrivaes pelas intimagoes que fazem
fra de seus cartorios em vista do regiment de
cusas, e assim nao faz favor aos mesmos em con-
tar Ibes estadas a que tem direito. Recife 7 de
agosto de 186o.
Antonio Joaquim Pereira de Oliveira.
GABINETE
POKTUGUBZ .JE UtfUKl El lEB-
\\HBlcO.
Por ordem da dir^ctoria scientilico a todos os
senbores associados, qne, em consequeucia da df-
coracao que se tem de proceder nos salo is do res-
pectivo Gabinete, para soiemnisar no dia lo do
I correle o seu l anniversano, deixar de haver
expediente desde o dia i0 (inclusive) ; continuan-
do no dia 18. Pede-se ao* mesmos senhores aso-
ciados, que mandem entregar os livros qu tive-
rem era seu poder, at o dia l
Secretaria da directora do Gabinete Portuguez
de Leitura 8 de agosto de 1865.
Jos Xavier Vieira Ligo
Io secretario interino.
Precisa se de um >iiio que seja perto da ci-
dade para urna pequea familia iogleza : trata-se
rua do Vigario n. 2, escriplorio.
Precisa-se de :>ma ama para rozinhar
de familia : na rea do Dru::i n '->.., delreaee i
chafariz.
-^ Joao da nhra Rasaos, llo \<-' i
H versidade de Coimka, da i ras
soa casa das 9 a- 11 bonada nunn.,
v. Vi I'
K em suas casas regularmente Hfl ara#
^ ara isso dc.-igradas. >,
9 entes, qne -rao soceorruj
.^ quer occasio. r r.insultas a ,
|ue o procuraren; no hospital Mi
,V; nondi' encontrado WMBMMa i
s 8 horas da roanhaa.
1\-m wti casa de sade regala rflt
t montada para recebar fatadajaur .; i
ainda mesmo os a'ienaios, pata o !.:
W-%: tem comniodi apropriados e Bella pra-
tica qualoaer apenis eirairta.
Para a ca-.i de -ade.
Primeira cla lanos.
Segunda diU.... i;>o0
Tereeira dita.... iiutXt >
Este estabeiecimento j bem acred--
| tado pelos bons serviros que tem pres
tado.
O proprietario espera que elle e< aif-
Wk nue a merecer a confianza de que sem-
" pre tem gozado.
m
Copeiro
Xa rua do Livramcnto n. 19 I.a p ira alujar un*
bom criado captivo.
Urna pesoa habilitada m "ff-rim para *%
sinar primeiras letras em algum engenho: untrn
pri'i-isar dirija-sj a rua de Santa lim p. I".
Precisase de una ama forra ou captiva : a
rua larga do Rosario n. 3S.
Aluga-se urna mei i|SP ni |>-.r:a e arHbv-
; quinlal. cacimba ; urna dita s-n quiaUI, i >
1 com oto, preco de U'-j rada no..; nma diu por
83OOO : na rua do Ga/ometro. ., u,r Sr.
Valeuga.
Xa rua do< Pires n. ."55 ha
[ se alug;', a qual faz iodo s(rvi_
! familia, externo p interno.
onu esiTivi ort
d-- :. .1 -*d As pes.-oas que se propozerem a essa arremata-
do compareca na safa das sessoes da referida jun-
ta, no dia cima mencionado, pelo meio dia e com-
petentemente habilitadas.
; R para constar se mandou publicar o presente
pelo jornal.
Secretaria da thesouraria provincial de Pernam-
buco, 10 de julho de 186o.
O secretario,
A. F. da Annunciacao. \
Clausulas especiaes para a arrematarao.
1* Os reparos do empedramento da estrada da'
Victoria, entre os marcos de 3 a 4 mil bracas nos
lugares denominados Aras do Giqui e Iadeira do
Vieira, sero feitos de conformidade com o respec-
tivo orgamento, na importancia de 1:%1>-j.
V O arrematante dar principio aos trabalhos
no prazo de lo dias e os concluir no de 3 mezes,
ambos contados da acta da approvacao da respec-
tiva arrematacao, l 10 Oa iTtU
3* Os pagamentos sero feilos em duas presta- a escuna portugueza D. oao recebe passageiros,
coes iguaes, e correspondentes a cada metade da para o que tem bons commodos : trata-se com o
obra executada. capilao a bordo, ou cora o consignatario Joo Fran-
4* O arrematante nao poder interromper os ira- co da Silva Novaes, travessa da Madre de Dos
Leilo de movis.
Q11 inta-f eir IO le agosto.
Por ntervencao (Jo agente Pinto.
Ultimo leilo que se devera effectuar no arma-
zem di rua da Ctdiia u. 62, visto terse de entre-
gar as chaves do m.'Sin) no dia 11 do correte
mez.
Alisos fuoiT"
halhos por quiuze dias ou mais, sob pena de ser
multado na quanlia de 100$.
5 Nao poder o arrematante pedir indemnisa-
530 sobre qualquer pretexto
6' Xa execugo do servico o arrematante obser
vara
nhei
Precisa-se de uraa cosinheira para nraa casa
ingleza que apenas consta de duas pessoas (senho-
ra e marido) : tratase a rua do Vigario n. i, es-
criptorio._________________________________
Precisa-se de urna ama que teuha bora leile:
a rua de Hurtas n. 130.
Ama
numero o.
Precisa-se singar una escrava que saiba bem
cosinhar e que seja fiel : ni rua do Queimado n.
46, loja.
Os lltos do primeiro matrimonio e
genros do hado brigadeiro Gaspar de Me-
nozes Vasconcellos de Drummond, convi-
dam e pedetn encar cidamente a todas as
pessojs que se consideraren! credores do
respectivo cas 11 se sirvam de apnarecer na
rua da Aurora n. 26, dentto de 15 dias con-
tados da presente data, das G as 10 horas
da manha e das 4 as 6 da tarde, para ve-
rificacao dos seus crditos e ulterior accor-
do sobre os seus pagamentos, independente
deques esjudieiaes. R cife 8 de agosto
Para a Baha
at o dia 20 do presente raez
7' O que nesus clausulas nao se achar previsto D-Lu,z. __ ___*
K2_h- r. .....x. rnn,,iamflnin h q a carga que Ihe faUa irata-se r
observar-se ha o que dispoe o regulamento de 9
de julho de 1864.
Conforme,
A. F. da Annunciacao.
tJJ\laS
que
I Santo n. 4, cora
, meira.
pretende sahir sem
patacho nacional
de Azevedo : para
no largo do Corpo
o consignatario Jos Mana Pal -
COMPANIIIA PERNAMBC NA
DE
Navegacio costeira por vapor.
PARAIIYBA NATAL, MACAU, AUACATV, CEAI'. E
AC\RACD.
O vapor Slamanguapi, commandante Souza, se-
; MARTIMOS
CONTRA FOGO.
A Oompanliia Indemuisadora
estabelecida nesta praga, toma seguros maritimos' ^e ^1865.
sobre navios eseus campamentos e contra fogo em j '________________________
edificios, mercadorias e mobilias: no seu escripto- j Alnga-se'um sitio ua Capunga roa da Per
rio, rua do Vigario n. i, pavimento terreo.
LOTERIA
AOS 6:000.0000.
Sabhado 12 do corrale mez, se extrahi-
r a 2a parle da
, nambucanas cora boa casa de moradia, cocheira'
I estribara, bonito jardim e portSes de ferro: os
pretendentes qneiram dirigir-se a rua da Cadeia
1 o. 39.
*#*
^
5a lotera (~1V)
a benef't-
FIGAOOoe BACALHAU
Convida-se as jiessoas que estao as
condici3es do servigo militar, a engajarem j gue para o norte at 0^ Acarnc no dia 9 do cor
no corpo de polica e gozarem das vanta-
s 3 horas. Escrip-
ia
ci do_ thealro de Santa Isabel, no consisto-
rio dalgreja de Nbssa Scnhota do Rosario
da fregoezia de Santo Antonio.
Os bilhelos, motos e quartos esto a sen-
rente as~5 horas da tarde. Recebe carga hoe e ama- da na respectiva thesouraria a rua do Cres-
manha (8); encommetidas, passageiros e dinhei- p0 numero 16.
Os premios de 0:0005000 at I0i000j
serao pagos unta hora depois da extracejio'
at as i horas da tarde, e os outros depois um sabor assucarado o nico que nao tem
da As encommendas s rao guardadas so- jecto- de numerosos relatnos scienlificos e
mente at a noite da vespera da extraccSo mdicos, este mdicamente que goza eru
Tisset Frers previnem aos carregadores dos na- c nao de costume.
ro a frete at o dia da sahida
torio no Forte do Mallos n. 1.
co processo de Cberner, pbarmaceulico
Paris, rua ilo Fauliourg Monlmarte 21.
Este oleo de um chriro agradovel, e de
CASA DA FOHT
Aos 6:000>000.
Ililhetes a.-ti-aolldo-*
A' RUA DO CRESPO N. i-'- E CASAS DO f. IME
O abaixo issignado vendeu no> *^u.- .
zes bilneles garantidoda otTi3 que
de eztrahir, a beneficio da Sanu Ca>a da W-
ricordia para canalisacao d'agua e gaz o> rissptwl
Pedro II, o> seguiotes premios :
O inleiro n. 1697 com a sorte de 6:0iJi>5.
Um quario n. 2757 cora a surte de Iii)i00.
Um meion. \'itt cora a surte d,; iOniwi).
E outras mullas -orles de H>i.', 'u. i>'i *
I0000.
Ospossuidores podem vir recel.r m~ r..*jn-
livos premios sem os descooios das leis ca Vjh*
da Fortuna a rua de Crespo n. i'\.
Acham-se a venda os da i* parte da 3* lotera
(27'j a beneficio do thealro de Sinta hafc-l
se extrahira sabhado li do rm renta*.
Para
liilhetes.
Metan. .
ijuaito.-.
as pessoas
HUECO.
7JAM
'. im
m 1
de ;
que remprarc
para cima.
Bilhetes.....Mam
Meios......3*7
Quartos.....1*700
Mamoel Martis (_*>_
^ as CracoPonlas n. 89 lavas.? c enn
se com perfeigo, e por preco raanvel.____
O abaixo assigoado nao lend" f-ito ira
gao de especie algoma. nem por si. bhr pwr
procuraaores, pela qual |>os Mdirado devedor de quanlia a mais diminuta, de
clara que nao deve a pessoa algum. qu'r Bafst*
provincia, qur fra della. Aque!V>. ;> i-, ge
nesta praga se jolgarem seus credores oa em >*
cootas correales iirejndicauos por rau>a .V*ta >
ciaracio, queiram manifesu-lo pe* e*ie i-***, em
fazer as suas reclamaci">-s, no pra>" i!e M aha^ ju-
rante o.mesmo alaixo assiirnadr. a rasiari d
provincia da Parahiba, onde metta, *!> i>-na *__
ser aceita pelo abaixo assigna* ajpalajaH ^a**
depoi-v de chamadf a jnio. Rwfe i do afoe> d>
1865.Bacharel, Joao Leitp Fin
ArreniUTst o grande slt/> O Pwdai'.e. -^ T.. -
marineira, op.de e>teve o collegiu ~ Cua*a*p.
com todos vis com modos, o alera llana [rnyawcy*
para grande agricultura : a Uaur ues Ci >*(.
em o colter.ic. da Concedi.
Pwcisa-se de. nma ama para rvprr. e>H-
nhar h ongommar para punca fanrlu : qnen f-
iei; d-,ija-se a rua das Grwaa*. 9, ^gunJniaidaf.
- Na rua da KIorenlinA n. :J prepaia-se e
t por cinmodo preco.
vios da linha do Havre a' Pernamliuco, que o frete
5." Para tido qnnto aqu nao estiver previsto
observar se-h.i o que dispoe a lei n. 286.
Conforme,
A. F. a"Annunciacao.
Servindo do tbesoureiro,
Jos Rodrigues de Souza.
Franca de um successo tao raro comob-^-
merecido, receitado diariamente *t)elos
princinaes mdicos dos hospitaes d paris.
"M^ primaria ."e)de "aw ^*nr >^cta-
Acba-se aberta a aula publica de instrnegao pri- DPj FERRUGnoso emprega-se com r/^ maiores
maria do sexo feminino, na povoacao do Monteiro. successos as molestias em que cje emprega
o oleo quaudo sao acompanhad'as de debili-
Berpardino Crrela de Hiende llego vai a
Portugal,
dade e Na rua do Ara: n. 3 lai-se ruouta pM
com todo aceo e perfeicao, por pre modo do que em outra parte.
A pessoa que annuuciou querer wraprar a~
padaria no bairro da Boa-Vista, 1^ ****_*
rua do Sebo n. 54, taberna, qne chara eo aja**
tratar._________________________----------- -_-
Preci.-a-se de orna ama para mdu o sawi
na rua do Livramento n. ,
de urna casa
do andar.___________
Fazem-se capas,
chamarras e brreles
baiinas, capna vaala*)ria,
no becco Largo n. X,
M
I i-- _R^. m mmmm m


Diario de JPen.an.buco ... icr?u chta 8 ate Agosto de 1S6.
PHOTOGRAPHIA ARTSTICA
DE
25 Ra Nova (esquina da Camboa do Carrao) 25.
Os proprietarios deste estabelecimento, desejando satisfazef os numerosos pedidos de seus freguezes, acabam de feceber de seus correspondentes de Pars, um grande
sortimento de retratos (carloes de visita) das personagens as mois celebres da Europa, assim como receberam tambem urna quantidade de alfinetes e cassoletas para retractos, do
mais apurado goslo e por precos muito diminutos.
* Os mesmos aproveitam a occasiao para prevenir ao publico e recordar aos seus numerosos freguezes, que ellcs trabalham todos os das, domingos e das santos, das 9
horas da manhaa at as I da tarde e que os tem os de chuva to influem em nada para o burn successo dos retratos, pelo contrario o foi entre nuvens mil vezes preferivel
sobre todos os pontos, tanto pela rapidez da operaco, como pela commodidade das pessoas.
A grande quantidade de pessoas que tem visitado este estabelecimento nestes dous annos em que se acham eslabelecidos nesta cidade, e que nao ser menos de cerca
defi,900 a 7,000, para elles urna garanta futura, poslo que se appliqucm todus os das, para que todos saiain contentes e satisfeitos.
8f
os
jDentista de PernambucoJl
&| Ra estrella do Rosarlo n. 3, gg
W ao p da igreja B
Lia
40
m
FRANCISCO PINTO OZRIOj
Col loca dentes artiflciaes pl
pelos nyatemas uiai uio- s&
demos
Em prega todos os meios scienlificos para {H
conservar os naluraes. Pode ser procura- gp<
do em seu gabiuete das 9 horas da roa- i
nhaa a? 5 da (arde.
Arrendase um sitio no Jacar, estrada que i
val para Agoa-Fria, com casa de pedra e cal ulti-1
mmente edificada, com bstanlos commodos; e.-tei
sitio tem arvoredos de fructas de todas as qualida-1
des, bom terreno para planlaeiio, e baixa para ca-
pim. Aluga-se tambem o armazem do sol na ra |
da Concordia, proprio para qualquer estabeleci- |
ment : a fallar ao solicitador Barroso que mora
o sobrado n. 3i, onde est o dito armazem, tanto
para este, quanto para o sitio mencionado.
{? O Dr. Carolino Francisco de Lima San- H
i tos contina a inorar na ra dti Impera- ss
lor n. 17, segundo andar, leudo alias sen w
gabinete de consullas medicas, lugo ao :*&
enlrar, no pnmeiro. w
O mpsmo doutor, que se tem dado ao W |
esludo tanto das operaeoes como das mo- fl|
lesiias interna?, prestase a qualquer cha- vgj
mado, quer para dentro quer para fra 9R
da cidade. wt
w5*/K Aluga-se a parle da casa B. 92 da ra das
Aguas Verdes : a tralar na mesma.
Na ra da Cruz do Recife n. 30, 2o andar, se
dir quem compra duas escravas mocas, de boa
conducta e que entendam bem de costura a en-
gommado : paga-se bem agradando.

m
UMA GRANDE DESCOBERTA
SS*B&&
ACALMA
MEDALHA
DE
HONRA
As propiedades medcaos do oleo de figado de bacalao foro unni-
memente reconhecidas. Mas seo cliciro e seo sabor t3o desagradaveis
loruao o uso d'clle muilas vez.es impossivel, mesmo aos estmagos
os mais robustos e aos mais condescentes.
Por isso a dcscoberta do Snr. Ciibvrier que llie permetlio de
desinfectar inteiramente o oleo de figado de bacalhao sem alterar suas
propriedades tem sido um dos mais felizes problemas resolvidos pela
herapeutica moderna.
O oleo de figado de bacalhao desinfectado de Chevrier.
com um cheiro agradavel e um sabor assucarado, o nico que nao
tem ncm gosto nem cheiro de peixe.
Objccto de numerosos rclatorios scientificos elle goza em Franca
de urna fama bem merecida, e receilado por todos os mdicos em
lugar do Oleo de figado de bacalhao ordinario. Tcndo as mesmas
propriedades do oleo de figado de bacalhau ordinario, usa se d'elle
nos mesmos casos isto as :
Pobre-/. do Nancne,
ENfalfaueulo por exeeaao de
ti-ahulho ou de pnr/.tie>,
MolentiNM os fcronchlo. recen-
te* Ol clironirun,
To.aea pertinaces,
Gantritea, gastralgias.
Doren de estomaga.
0PARAGL^VOi
E' a ordem -'o dia Acabar cr>m os Para-
gu.vos a bayneta, a mini-, a revorrer;
fulmina-tos com os enauracados armados
i de espores, armslrongs e raudas de 80
i 120; extermina-los em sumira a espada, a
(iMo e a punhal c d-1 que se trata; anas
ningueni se l-mbrou ainda de esmagar os
Paraguayos con as armas que Dosnos eoft-
: cedeu ; acabar com elles
#W f$t < V-JS ceae"' 3('3Ll3r com ollPS a 'ir5 e a peni*
'^ISHSIS^^S! fij/J. %? ncccssari0 ^nracaresta
.aquetes,sobre Parte do n0SO ""PO eom os brandareis
rompe-ferro, esmaga obra, arranca Ir-eos.
! quebra marmore e ontrrs (jiio n venVss i
iS-RI'A IK!:JxTl- t
Companhia (idelidade de seguros,
martimos e terrestres
estabelecida no Rio de Janeiro.
AGENTES EM PEItNAMDCCO
AnIonio Luii de Olheira Azeredo k C,
competentemente auiorisados pela direc-
tora da companhia de seguros Fidelida-
de.tomam seguros de navios, mercado-jj
rias e predios oo seu escriptorio ra da M
Crut n. 1.
Lisboa.
Porto.
Braga.
Vianna.
Guimares.
Villa Real.
Coimbra-
Amarante.
m
T>'-~ I
m
O hachare!
Francisco Augusto da Costa
^ AOVGADO
y|| Ra do Imperador numero 09.
wmwm mmm mmmm
AlcgS-f" T. !"]a 'o sobrado n. 17 da
Imperalriz, c>m bons commodos : a tratar
gundo andar do mpsmo.
Borseguins Bordeatix.
patricio.-.........
para senhoras, er-
feitados.......
enm laco e fivella ..
Sa| atoes encourarados.......
Borseguins pan meninas ata
east co.................
Sapatoes de lona, sola elaslica.
avflludados.........
de Iranca...........
econmicos para se-
nlioras..........
8--000
35VO
i-WOO
r-%ono
.TVi.OO
2#0CO
f^Oll
iamo
MoIi-kiis eaerofuloaas,
Kiirliiliaioo,
Ubairurro dna glandea,
Tiaira pulmonar,
Noleatlna dn pelle,
Conatlluieo Ivinpliiilica,
Anemia, debllldade, tniquru.
Magrraa,
Elle convem a todas as compleicocs c a todas as idades, e 6 tomada
fcilmente pelas pessoas as mais delicadas. Elle um poderoso socorro
para a alimentaco das enancas fincas e docntes.
Um folleto accompanha cada vidro e contem as observacoes medicaes.
Deposito em Ports, na pharmacia de Chevrier, e em todas as boas pharmacias de Franca e do estrangeiro.
Deposito geral em Pernambuco ra da Cruz n. 22 em casa de Caros & Barbosa.
O Oleo de figado de bacalhau desinfectado ferruginoso de
Chevrier constitue o melhor meio de administrar o ferro. O
ioduro de ferro reunido com o oleo de figado de bacalhau,
augmenta a accao t5o efficaz d'este ultimo, se dissolve mais
fcilmente nos lquidos das vias digestivas, se assimla muito
mais bem do que quando tomado sob a forma de pilulas,
xaropes, etc., enfim perde suas propriedades irritantes e nSo
provoca a constipaco.
As pessoas as mais delicadas que nao podem supportar as
preparares ferruginosas ordinarias, asquaes, principalmente
nos paizes quentes, tem muitas vezes grandes inconvenientes,
poderao com a nova descoberta do Snr. Chevrier, usar do ferro,
um dos mais poderosos agentes therapeuticos, tomando-o unido
ao oleo de figado de bacalhau.
O oleo de figado de bacalhau desinfectado ferruginoso de
Chevrier, se emprega em todos os casos que o ferro acon-
selhado; julgamos intil de os enumerar.
* ua:
no se-' nlioras.......... 4&1O
___| Um comp'eto sonime lo de raimado da
- Na praca da Independencia n. i, loja de ouri' trra para liomen*. senlioras e Benitvts;
ves, compra-se ouro, prata, peoras preciosas e a!sm C(no bezerro francs, conro de lus-
SESf obras ^ KMamaa> e i tro, marroquins, laxas de Uta as qnali-
dades, fitas para sapateiro, muito sortida.
1 tambem se
odo e qualquer concert.
CONSULTORIO CfrCIRURGICO
FIJIDIiO
O "
69.
Ra da isrii'u uuinei'o 38.
Neste estabelecimento acham-se venda os se-
guintes objectos, todos da primeira qualidade, e
construidos especialmente para esta casa, pelos
i mais acreditados fabricantes inglezes :
Machinas a vapor de i 1|2 a 8 cavallos, com
moendas, junlas e sem ellas ; e tambeui proprias
para descarocameuto de algodao, afamadas pela
forlido, simplicidade e economia em combustivel,
e por nao precisar de obra qualquer para seu as-
esntamento.
Rodas d'agua de ferro, systema mu proveitoso
da forra d'agua.
Rodas de espora, e angulares, e de esquadnlha
para animaes.
Moendas e meia-moondas.
Taitas de ferro balido e fundido, e de cobre.
Machinas para desearocar algodito, systema
Plall, cora os ltimos mcIrToramentos.
Uoccas e crivos de patente para fornalhas, dimi-
nnindo muito o gasto do combustivel.
Machinas e machinismos para moer mandioca,
movidas a vapor, aguaou cavallo.
Fornos e chapas de ferro batido para coser fa-
rinha.
Alambiques de ferro, e fundos.
Guindastes, fuos e porttil".
Prensas para copiar cartas.
Rodas para carro de engenlio com eixos e man-
gas de patente.
Formas de ferro balido galvanizado para purgar.
Serras de ac e armacoes de serrara.
Arados de ferro singelos edobradis, grades para
cubrir canna, enxadas a cavallo, e outros instru-
mentos de agriculiura.
DE
J. Y16NES.
M. 53. RA 1> 1.11PERADOR N. 55.
Os pianos desta amiga fabrica sao boje asss conhecidos para que seja necessano insistir sobre a
sua superioridade, vantugense garandas queofferecem aos compradores, qualidades eslas incontesta-
veis que elles tem deliniliyamente conquistado sobre todos os que if.m apparecido nesla praca ; pos-
que obedecen) todas as vontades e caprichos das pianistas, sem
guindo um teclado e machinismo que obedecen) todas
nunca falhar, por serem fabricados de proposito, e ter-se feito ulUmamente melhorameutos Imporiau-
tissimos para o clima deste paiz; quanto s vozes, sao melodiosas e flautadas, e por isso muito agrada-'luuus a sua'
veis aos onvidos dos apreciadores.
Fazem-se conforme as encommendas, tanto nesta fabrica como na do Sr. Dlondel, de Paris, socio
eOrrespoadente de J. Vignes, em cuja capital foram sempre premiados em todas as exposicOes.
No mesmo estabelecimento se achara sempre um explendido a variado sortimento de "msicas dos j
melhores aulores da Europa, assim como harmnicos e pianos harmnicos, sendo ludo vendido por
precos commodos e razoavels.
DO
DR. PEDRO DE ATTAHYDE LOBO MOSCOSO,
HEU1CO, P.IKTIIKO K OPKHADOK.
3 Boa da Gloria, casa do Fundao 3
O Dr. Lobo Moscoso d consultas grainlas nos pobres todos os das das 7 s H
horas da manhao, e das G e meia s 8 horas da noite, excepgao dos das santificados.
Pharmacia especial homeopahica
No mesmo consultorio lia sempre o mais appropriado sortimento de
A tienca.
Casa debanlios
m
m*
*&w
mw&M
Largo
do Carino a. 2G.
Ete estabclt cimento to bem montado na sua
o igem achava se de ha muito em quasi completo
abandono peio pouco iuteresse de sua adininis-
tracao.
Boje que o novo propnetario empregou todos os
ni i s para restabelecer a grande utihdde deste
eslabelceinrenlo, pode assegurar ao publico que
qualquer que seja o numero dos concorrentes
acharan desde j promptido e aceio nos banhos
trios, momos oti medicinaes, a casa dos banhos se
achara aberta todos os das das G horas da manhaa
a i i da noite.
Pregos.
Hanhr-de choque,..... 500
into fri n morno..... ."00
Dito de farello.......l^UOO
Dito medicinal ser se-
gundo sua qualidade.
Assignatura.
Por mi'z binhn fri ou morno... 105000
Jo carloes para banho fri, mor-
no on de chuvisco........... 103000
12 carloes para os mesmos.... 5f50O0
12 ditos para banho de farello. 10*000
RETRATISTAS
Firmino & Lins
.\ovft eslabciecimculo de retra-
tos ra Xova to, Io an-
dar, Junto ao Sr. (antier,
dentista.
i
assirn como tinturas de varas dymnamisaces e pelos precos seguinles.
Carteiras de 12 tubos grandes. 12000
de 24 tubos grandes. 18,3000
> de 30 tubos grandes. 240*000
de 48 tudos grandes. 30I000
de GO tubos gran les. 35)9000
Prepara-se qualquer carteia conforme o pedido que se fizer, e com os remedios
que se pedir.
Um tubo avulso ou frasco de tintura de meia onca I .'000.
Sendo para cima de H custaro os precos eslabelecidos para as carteiras.
Ha tubos mais pequeos cada um a 500 ris.
rmftjraus:
Fornece-se comida para casas de familia, lojas
ou (illii'inas, com todo o asseio e promptido, mui-
to varia-a, e por eommodo proco, manda-so levar
em casa ; tambem recebe encommenda< de boloe
doces de todas as qoalidades : ra da Gaixa n. 70,
I Boa-Vista, casa particular.
Aluga-S3 o segundo andar da ra da Mairiz
; n. 3i', a segunda casa a beira do rio na ilha do
i Retiro, e o primeiro andar n. 7 da ra do Burgos:
Carteiras a tratar com Miguel Joaquim da Costa, na ra da

A melhor odrada bomeopathia, o Manual de Medicina Ilomeopatlico do Dr. Jahrj
dous grandes voluntes com diccionario............ 20#000
Medicina domestica do Ur. Hering........... 1050^0
Repertorio do Dr. Melti Moraes............ 6O0O
Diccionario de termos de medicina........... 3M)00:
*^ i Os remedios deste estabelecimento sao por demais conhecidos e dispensam por
$> tanto de serem novamente recommendados as pessoas que quizerem usar de remedios
s
s
- Prerisa-se dt
r.iriz n. 10.
um criado : na ra da Impe-
Hesponde-se ao menino da Casa Forte que
.U pUUllU. de mangas arregacadas a meia noite cos-
0 bacharel J-ronymu Salgado de Castro Accioly, turna andar com um ccete na mao atraz
advopado do tribunal da Maco e mais auditorios ] ,\p /,ras (nr.n p-. -_ mi(1 f > ,
da cidade do Recife,declara as pessoas desvalidas, ue ". ^^ ^d0 sei fu3ra ''ue l) 9" P.e Ue
cuja indigeocia nio Ibes permitta pagar seu traba- !setl tempO com O OlhO que nao e de vidro,
li. qoe elle e-iara prompto a defender no tribuoal | dando-lhe de COnselho que acho melhor
r dessas pessoas que tenham a que v para o seo de sua familia d'onde
anda ausentado ou afugentado a annos, pois
melhor do que andar fazen lo figura triste
tnbunaes desta ndade. Se tem o mesmo advoga-1 no Recfe commettendo o que o seu palro
Tiram retratos todos os dias, das 7 horas v
da manhaa as o da tarde, quer chova ou ggg verdadeiros, enrgicos e duradores: ha tudo do melhor que se pode desejar, globos de L
^g : verdadeiro assucar de leite, notaveis pela sua boa conservagao, tintura d(>s mais acredi-|
H: lados estabelecimentos europeos, a mais exacta e acurada preparacao, e portanto a maior
J energa i- cerieza em seus effeitos.
Casa de mude para, escravos.
Recebe-se escravos para tratar de qualquer enfermidade ou fazer-se-lhc qualquer
operaco, para o que o annunciante julga-se sufiicientemente habilitado.
O iratamento o melhor possivel, tanto na parte alimentar, como na medica,
funecionando a casa ha mais de quatro annos, ha muas pessoas de cujo conceito se nao
pode duvidar, qae podem ser consultados por aquelles que desejarem mandar seus
doenles.
Paga-se 25 por dia durante 60 dias e d'ahi em diante lj$!500.
Asoperaces serao previamente ajustadas, se nao se quizerem sujeitar aos presos
razoaveis que costuma pedirr o annunc ante.
nao.
Tambem
tos de pessoas fallecidas, dentro ou fra
da cidade.
Os annunciantes desejando acreditar o
seu estabelecimento, garantem ao publico
que nenhuin trabalho sahira de sua offlei-
na.sem que nao seja perfeitamente acaba
do, e a vontade do freguez.
i
**'m^
encdo
mf'licidade de Sr achar em lo triste posicao, por
mais grate que seja sen crime, prestando-se igual-
mente a reqoerer os seus direitos nos auditorios e
jnlyou conveniente fazer essa declaragao a qual-
<|aer do povo que o nao conhece de perto, offere-
ceiido-lhe seu diminuto presumo no sentido era
em pessoas, qu-j baldas do estudo de direito e sem
a necessana pratica e presenca de espirito sacrifi-
caon a dtfesa e compromettem a innocencia, s
porque o miseravel nao pode satisfazer um advo-
t:;.do de confianca, e pela necessidade somente se
v obrigad i aceitar o ofTerecimento de cm juiz,
Horneando ex-officio um advogado. Basta essa sim-
pWsircumstancia para conjecturar-se da raiser-
t rrva colliso do desgranado.
Aluga-se o solo do sobrado n. 62 da ra da
Gata, ton) duas jauellas de frente e muitos com-
mojos : no primeiro andar.
do pateo do Carmo se dir a rasa
por veudagem de bolos 100 rs. por
Beroardioo Correia Retende Reg leudo de
ir a Portugal deixa por seus procuradores ns Srs.
Joc Dias da Silva Guimares e Antonio Rodrigue*
Pinto.
V NAC
Companhia geral kespanhola de seguros mutuos
sobre a vida
AUTORISADA PELO REAL DECRETO DE 21 DE DEZEMBRO DE 1859
m.t lianca em dinieiro, depositado nos cofres do estado, garaHte a boa da
ministraco da companhia.
BANQUEIROS DA COMPANHIA
O Banco de llespanha
DIRECCAO GERAL
Katrl!: Ra do Prado n. I
A viuva, os filhos do primeiro matrimonio
e genros do brigadeiro Ga-.par de Menezes
Vasconcellos de Drummond, confessaro-se
muito gratos todas as pessoas, que presta-
ram-lhes o especial obsequio de assistir s
missas e ao memento, que na igreja de Nos-
sa Senhora do Carmo se celebraran) no dia 5
do correte mez, pelo eterno repouso do dito
seu mando, pai e sogro.
'j^memmmBmmgmammmmmmom
A logara-se dous grandes sobrados com comt
modos para numerosa familia, novos e aceiados
un jardm, cocheira, estribara e outras commo-
didades na travessa de Jao Fornandes Vieira :
atar na ra da Senzala Nova n. 11
.!. O advogado Godoy Vasconcelos, pode %M
C ser procurado no eseriptorio da ra do ^
."f.: Rosario estreita a. 31, ou e:n su) resi- P
dencia a ra do Sol n. 9. i ~ llesponde-se aos senhores redactores da Ga-
ifi^v^y-Nf^-*- ~+ %^vt-/-rfH-, ~ nrJ&i ,i,|ll!ia do Jornal ao Rectfe n. 179, que o sobrado
: > >, i'lfyW.'M ih '^M-mm }"HkJk 0 V*le" d0 Pajizo n. 18, que Ihe fol dito estar em
..-/c a ^'-^^ Sm^f* estado de desaliar, ja fora por mandado do respec-
iZ, n n," n a "r^ qe mX*?*^ ^] \"w fiscal de Sauu Antonio vidriado pelos peritos
i ? >i .r? 1 Si>' em Ca!2de Gabv ^'Theodoro Rampa e Bruno Gomes da Silva na m.v
Amonio, se dir, ou na Passagem o. 21. nna d, 3 & correnlft me de agoslo> os quaes
Aluga-se urna escrava para servico interno- entrft fi julgaram nao ameacar ruina qoe o lizes-
c externo de urna casa : na ra do Imperador nu- h** desabar, e fazer os estragos que receia que.m
mero 60, tercer j andar. | S e deu urna semelhanle noticia, cujo lermo est
- Nsabaixo assignados declaramos que Temos !r,'->,lhi,d na, se('relaria da mar municipal;
amigiTelraente dissolvido a sociedade sob a nrma:C0"'l-'Uu aonsta ^ eu Proprielano o Sr. Inno-
de Mello & irmo, licando o Sr. .lose Francisco doicenoio f^ L,.ma Prcle.nde requerer a
P.go Mello obrigado pelo activo c passivo da so-
ciedade do armazem de assucar sito na ra do
Esta companhia liga pelo systema mutuo todas as combinacoes de superviencia dos sfgu
sobre a vida.
Nella pdese tazer a subscripcao de maneira que em nenhum case ir finc [cr n un des
gurado se perca o capital nem os juroscorrespondentes a estes.
Sao to suprehendentes os resultados que produzem as sociedades da ndole de A NACI
DAL,que ainda mesmo dimlnuindo urna terca parte do interesse produzido em recentes liquidai
ces ecomuimnd.j-ocora a mortilidade da tabella de Depareieux que e adoptada pela companh-
para seus clculos e liqaidaces, em segurados de idade de 3 ai9 annos, umairaporsicaoannua.
de 100J produz em effectivo "metlico:
No flm de 5 annos.......1:1195300
i de 10........3:942^600
de 15 .......11:2085200
i de 20 .......30:2565000
de 25........80:3315000
Na? idades menores de 3 annos e maiores de 30, os productos sao mais consideraveis.
Prospectis e mais informacoes serao prestadas pelo sub-director nesta provincia.
Joaquim Fiuza de Oliveira, ru da Cadeia n. 52, ou a Boa-Vista rna da Imperatriz n.12,estabel
ment dos Srs. RaymuDdo.Carlos.Leite & Irraao.
Cadeia n. 12.
H O Dr. Cosme de S Pereira conti- j||
Sna a residir na ra da Cruz n. 53, S&
i e 2o andar, onde pode ser procu- m
I rado para o exerccio de sua prois- 5
H sao medica, e com especialidade |rj
I sobre w seguinte
JB| i molestias de olhos ; I
^| 2o > de peito:
3o dos orgos geni-
ti urinarios.
Em seu eseriptorio os doentes se-
rao examinados na ordem de suas
entradas comecando o trabalho pe-
I los doentes de olhos.
Dar consultas todos os dias das
I 6 as 10 da manhaa, menos nos do-
2 mingos.
Praticar toda e qualquer opera-
rio que julgar conveniente para o
prompto restabelecimento dos seos ]
doentes.
mmmmmmmmmmmmmm
Na ra do Imperador n. 83, segundo andar,
precisa-se fallar com os seguintes senhores, para
negocio que Ibes diz re.-peilo.
Antonio Nuues de Azevedo Campos.
Manoel Correa da Silva Lobato.
Joo Pereira da Silva.
Jos Lopes lavares.
Jos Francisco Rodrigues.
Felippe Borges Leal.
Custodio Jos de Camino.
Antonio Serafira de Dos.
Manuel Francisco Coelho Jnior.
Joiio Antonio Pereira Ramos.
loao Marinho Paes Brrelo.
Antonio Tiburcio da Costa Monteiro.
Sebastiao Antonio de Albuquerque (estudante).
Franciseo Gomes dos Santos.
Joan Gomes Pereira.
Jos Luiz Pacheco de Souza.
Sebastiao Jos de Barros Brrelo.
Francisco Antonio Vieira da Silva.
Domingos Jos Affonso Alves.
Joaquim Francisco da Silva.
Joo Ribeiro de Casiro.
Jos Francisco da Silva.
Miguel Arcanjo Ferreira.
Vicente Ferreira Neves.
Joaquim Francisco Aloreira.
Francisco de Aguiar Jnior.
Julia Rosa de Almeida Pinto.
Leopoldo Gadauit.
Joaquim de Oliveira Maia Jnior.
sida e couros que ludo visto neces.ariaeD-
te faz cobica ao comprador pela bantea.
AFV
CARLOS PLUYM.
Camo a empreza de illnminaro a gaz leste da-
do licenca nos machinistas para Iratettema par
sua propria cunta, Carlos Pluvm, macfcrarHa. efe-
rere seu presumo ao publici para encaar gaz
agua, e toda a serte de MFftf i ri.in-ernroles ao
seu eflfirio, por precos mMo tmmmtt.
Pode ser procurado a qualquer hora
17 Ra da Itaperafriz 17
N. B. LOJA.
S3^- Para prova di perfei?5o mesmo cfTerece ao poltico o Irsieraonho > im-
mensas pesoas para qoem ja trabalhoa a maofaf
di companhia do gaz.
Desappareceu
em 3 do correte mez de agosio o mualo Ago*ii-
nho, cor clara, idade de 30 MMB, e um
olho.baixo, pouca barba e um jk.iico rn ra, tete
nm pequen in. hai;o junio ao rsiomap, proveoiea-
te de urna queda que nessedia vestido caifa e cami-a d^ rix-admoo Je
algodao, cliapiMi d* palha, e lev a mais ama rata
de brim de qua.Iros : E- naural de Garanhons, e
foi eseravo do lenle coronel Laiz de Albaqaer-
que Maranh.l'i, senher do eiipenho Aldeia. comar-
ca de Pao d'Alho, e linha sido vendido nU fi-
dade na vespera de. da em que de-appareeea.
Quem o pegar, ou delle der noticias cerUs, Mi-
ra diricir-;i; i roa da Cruz do Keeife o. 57, da 9
horas da manhaa as :i da tard*, e lora di-ssas ho-
ras a ra do Amorim o. .*>0, 2 andar, irae ser
gratificado.
D-se lavas.
A quem estiver morando em ama casa terrea
as freguezias de S. Jos r o Sanio Anlooio. a qoa!
tenha pelo menos 3 quarlos e quintal fraude, ca-
cimba al o preco n 90f mensaes, oo irerar por
ontra na fregoczia de Sanio Antonio a moderna
com 3 quarlos ii), forera rom cjoinlal peqoeao'
e boa Cacimba : a quem eaanfer esfe n.-gnrio pode
dirigir se a na -> llanholi.meo n. 15, que ah acha-
ra com quem tratar.
Fugio no dia 6 de agosto o esrrav > eriotde de
nome Tiberio, idade de 20 a 3 aom, esiatnra
baixa, com falla >/. nm dos dentrs de cinu Foi
escraTo do Sr. Franclsc de Alboqu^njn Mara-
nhao Cavalcanti : quem o pegar oo delle Pr m-
eU,qoeira dirigirle a ra da Cadeia do KVriie n
33, loja de Valle Porto C, qoe sera retjfirr>*Ti-
sado.
No domingo li do presente mez, a I h ra da
tarde, voou do -obrado da roi do Seb > n. 50 para
o lado do Caminlio Nov>. ama araru.ina hu mu
mansa, rom um pedac. de cirrenls de ferro o- p.
sendo roda azol sommfc em circulo- amar.-'|.w
em volu dos olhos e l.ico : quem a p-r>r mi d-lla
tiver noticia, dirija-so ao mesmo sobrad >, r.ae *era.
gratificado. _________
Aluga-se a casa terrea sita na roa das I/T-
rangeiras o. 3i, muito propria para a-oarnv pira
o que foi ltimamente preparada, oa -pulroer oo-
tro estabelecimento : a tralar oa Bam-verde ao-
mero 12.
Aluga-se urna casa terrea em 555 Amar >
na travessa do Lima, com os commodix segoiat-* :
2 salas, i quarlos, cozioha fra, e quintal comea-
cimba : qoem a pretender dmja-se a ontra ea-a
junto, on a rna da Praia, armazem de carne nume-
ro 38. ?
Precisa-se comprar um cofre de ferro em se-
gunda mao que soja bem seguro : a traur na pra-
ca da Independencia n. 12.
es ir ns.
Comprase elTer.livamenie ouro e pra'a em
oras velhas, pagndote hem : na rna lar^a do
Rosario n. 24, loja de onrive.-.
Silvino Guilherme de bamm compra ena>
de effectivamtmie escravos de ambos os seos : a
ra do Imperador u. 79, teneiro andar.
Ama.
Aluga se urna escrava para ama de urna casa de
in co sidteiro ou do poura familia, hoa cozinheira
e sabe comprar bem : na ra de S. Bom Jess das
Crioulas n. 3.
Trapiche n. 15, lendo recebido o socio Jacintho
Jos de Mello o son capital de sua entrada.
Jacintho Jos de Mello.
Jos Francisco lo Reg Mello.
ra muiVciPal Para fazer qualpier concert b repa-
ro que o .mesmo sobrado precisar, e que foi apon
lado pelos .sesmos peritos.
Aloga-s e o segundo
da ra da Gis'i, pintado
commodos: nc .1 andar.
andar do sobrado n. 62
de jjqvo e coa muitos
' 'asa
Aluga-se a casa n. 4 da ra do Principo com 3
qnartos, 2 salas, cozinha fora e bom quintal, fre-
guezia da Boa-Vista : a tratar na ra Nova n. 3.
A luga-se
Correia Ponlual & C. successares das ex-
tractas firmas Correia & Santos'e Santos Mello A
C, fazem scientes ao respeitavel publico e com es-
pecialidade aj corpo do commercio que fleam res-
ponsaveis por todo o activo e passivo das ditas fir-
maa. Recife 4 de agosto de 1863.
Urna casa terrea no bairro do Recife no princi-
pio da ra da Senzali Nova d. 36, reedificada de
novo com 3 quarlos grandes o cosinha fora, quin-
tal grande com porlao para a roa do Apollo : quem
pretender dirija-se a ra Dlreita loja n. 47 ; na
mesma vende se urna rotula nova ja pintada, urna
commoda em bom estado, um cabide e um touca-
dor, por preco eommodo.___________________
O Sr. Jezuino Machado Malheiros Braga, por
obsequio declare por este jornal, aonde sua re-
sidencia, ou se Ihe possa fallar, porque lera de se
communicar certo negocio de seu particular inte-
resse, e isto no prazo de 8 dias, antes que se reli-
Samuel Power Johnston & Companhia
Ra da Senzala Nova n. 4.
AGENCIA DA
Fundl^o de Low Xloor.
Machinas a vapor de 4 e 6 cavallos.
Moendas e meias moendas para engenho.
Taixas de ferro coado e balido para enge-
nbo,
Arreios d carro para um e dous cavallos.
Relogios de o^ro patente inglez.
Arados americanos.
Ma< hias para desearocar algodo.
Motores para ditos.
Machinas de costura.
AtteuQilo
para a gratlQcacao de 30#OOo
ao desapparecido.
No dia 24 de julbo desappareceu do pateo da Pe-
nha um cavallo rodado pedrez, nteiro, grande,
andador de baixo a esquipar, nao ;e sabe o ferro
que tero por estar muito apagado, dinas e cauda
grandes, pertencente ao Sr. Migael Nunes Correia,
morador no engenho *. Bartholomeu : rogase a
pessoa que o tiver achado, queira lvalo ao carto-
rio do Sr. tabellio Sa', na ra estrena do Rosario,
que recebera' a gratificado cima. _______
Ouro e prata
em obras Teibna : compra-se na praca
Tendencia n. 22, loja de bilnetes.
da lade-
Comprase nm ellim em meio oso :
de Sauta Thereza n. 38.
Comprase ouro, prata e pedras precio**.,
em obras velhas : na roa da Cadeia do Recite,
leja de ourives no arco da Cooceijao.
i oh re, la lo e chumbo.
Compra-sc cobre, lao e chombo : no armase
da bola amarella, no oilo da secretaria d* no-
ticia.
Compra-se moedas de 20 e pecas de
16)5 : na ra da Cruz n. 48.
Compram-se moedas brasileas de 201~~
215 : na rna do Crespo n. 16, primeiro andar.
CARROCA.
Comprase orna carrera nova oo em meio nso,
com arreios para cavallo : na roa da Cadeia no-
mero 57.
Compra-se uina escrava de meia idade e
urna mobilia de qualquer qualidade, mas qoe es-
teja em bom estado e seja em coma : na rna do
Alecrim n. 2.
9
VENDAS.
Precisa-se de urna ama
re para Serinliaem onde mora, a pessoa que o quer I pouca familia: na ra da
coramunicar. i Goianna.
para casa de mu lio
Palma, taberna do
0 castello de Grasvile.
Traduzido do francrz per A. J. C da Crnx.
Vende-se este bello romance em quatr
tomos pelo baratissimo preco de ZOQt
ua praca da Independencia, livraria ns.
6 e8.
Vender barato
um piano de mesa atinado e sem nenhum defoile.
tambem troca-se por orna machina de eo*loraejM
esteja em perfeiio e-lado : a tratar na roa da Ca-
deia Nova o. lo, sobrado confronte ao more da
detencao.
Tai xa de ferro
Qoem pretender comprar a laixa de ferro i
com 6 palmos de bocea qoe se acba na esl*
Frexeiras, pode ^niender-se com o Sr. Sena l
no seu engenho Frezeiras, oo na roa do Imam
dor n. 42. ^
1%


Diarlo de rernanibuco Terca fclra 8 Je Agosto de 1&85,
La fina para bordar.
Na loja de miude/as a roa do Queimado
n.it., vende-se la fina, de vivas e agrada-
veis cores, to propria para bordados como
para touquinhas, sapatinLos, etc. : quera
pretender dirigir-se a dita loja na ra do
Queimado n. 16.
Franjas largas para cortinados
Na loja d<) miudezas ra do Queimado
n. i 6, encontraro os pretenden tes um va-
riado sortirnento de bon tas franjas largas
para cortinados, coberlas, toalbas, etc cu-
jos precos n3o desagradarao ao comprador
que attender a largpra e quadade de ditas.
Peanas don radas.
A loja de miudezas ra do Queimado
n. 10, recebeu essas novissimas pennas dej
metal dourado, caja excellente qualidadee
perfeicao dos bicos as tornam mnis durado-
ras no exercicio da escripia, pelo que os
seus acreditados fabricantes Perry & C, as
recommendam : os apreciadores do bom.
Tambera se encontrara outras pennas de
ac de dilTerentes cualidades e dos mesmos
fabricantes. tudo na ra do Queimado lo-
ja de miudezas n 16.
Enfeii.es novos c bonitos.
A loja de miudezas ra do Que.i:\iado n.
16, recebeu novos e bonitos enfeiles, obra
moderna e ce gesto, e os est Temiendo por
presos comraodos, variando estes a vista
das dilTerentes qualidades, sempre agrada-
veis aos apreciadores do bom.
Meias brancas ernas e de cores
para crititicas de ft a uiczcs
Na ra do Queimado, loja de miudezas n.
16, vender-.-e por precos razoaveis avista
das qualidades, raeias brancas cruas e de
cores para crianzas; assim como oulras
para senhoras, e croas pira bomens.
Papel pardo folha grande.
Esse papel pardo que por sua b'a quali-
dade e grande tamanbo da folha, serve bem
para embrulliar cortes de fazendas, cortar
moldes de vestidos, etc : acba-se a venda
na ra do Queimado loja de miudezas n. 16.
Barato para acabar.
Caixinbas com i papis de agulhas france-
zas, lirnpas a I>u ris cada urna
Paos de pomada franceza, a 80 ris um.
Duzias de sabonetes de ebeiro a 13 e loOO
a duzia.
Carices de li has brancas e de cores, a 20
ris cada rm.
AVI* A TI
GREGORIO PAES DO AMARAL & C.
que receberara pelo ultimo paquete.
O MAS JUCO SOltTI.HElIfTO
Loja do gallo violante ra 'o Crespo!manufacturado e,
numero 7.
PILIXAK
vjccH2tai-:m
DO
Neste estabeleciment) enroDlrar o respeitavel
publico ura grande sortirnento de galanteras e
onjecios de muito ro lo que lem rhegado oestes
ltimos navios e vapores de ua propria conta, que
por isso mesmo vender pelo menos prego que
llie for possivel, como sejam :
Leos.
Os lindos lencos imperiaes para senhora cousa
inteiramente nova.
Alones.
Albuns muito finos com eapa de mnilreperola e
de lariaruga cora guarnico de prata para 30 e
100 retratos, assim como de outros mais inferiores
de 20 a 50 retraa*.
Msicas. ,
Liixinhas ricamente enfeitadas tocando duas PretS> brancOS e de Cres
pecas de msica propria para mimo, assim como
caixinhas pequeas com mu>ica lano de veio co-
mo de dar corda,
Vestiarios.
Riqalssimos vestuarios de seda para crianzas as-
sim como touquinhas, sapatinhos e melasinhas de
seda.
Capel las.
Riquissimas capellas brancas de flores para noi-
va>, assim como meias de seda brancas.
Porta boque*.
Riquissimos porta boquet com cabo de madre-
perola para flores.
Lccjucs.
Riquissimjs lequesde imdreperola e de snda-
lo assim como de osso.
Uvrlnhos.
Riquissimos livrinhos com capa de tartaruga
guarnecidos de prata para missa.
Aderccos pretos.
Riquissimos aderegos pretos sendo puseira, ro-
zetas, alfinete e volta, assim como de cores Atigra-
do perolas.
Brincos.
Riquissimos brincos e rozetas de todas as quali-
dades e gostos modernos.
Boueras.
i LOJA DO BE i JA FLOR
Na roa do Queima.'o u. i.;;.
Tendo recebido um sortirnento de bone-
cas de choro, que chamara papai e
Grandes chale granadme
Bournus
Rotondos
Treanon
Panipadour
Wateau
magnficos desenhos, de gosto modernissimo.
A
ment
Agtiia
de
NT01N


Vestidos de GRANDE TOILETTE. Fazenda preferivel pelo brilho e gosto, a mo-
reantique ou grosdenaples. Barras e lago bordados a froto e vidrilhos, sem depende-
t era de modista para os fazer, visto trazerem o corte debuxado.
DR. AYER.
Nao ha necessidade mais ge-
ral em lodos os paizes do que a
jde um purgante que seja ao
"^ mesmo lempo innocente, elicaz
e digno de toda a confianca.
As pilulas que ora ollerece-
mos ao publico preenebem estas
^ condigoes ; pois pdem ser to-
madas pelas pessoas mais Iracas
sem perigo algum, nao tendo em
sua composicao mercurio nem
outro ingrediente nocivo sau-
de, mas sendo composto de a-
gentes vegeta es raui fortes, sao bastante
eflicienles e activas para purificar os corpos
mais robustos.
Estas pilulas exploram e purilicam toda
a extensao do canal alimenticio, e dao vigor
a todas as partes do organismo, corrigindo
sua acejo viciada c fazendo recuperar sua
vitalidade.
Um remedio inestimavel contra dr de
cabera nervosa, en.raqueca, prisiio do ven-
Ir, hemorrhmdas, molestias do fgadol fe-
bre gastro-hepatica, e todas as molestas,
biliosas que leetn sua origem no entorpeci-
mento do ligado que causa a escassez da
bilis na inflammace- d'esle orgo que pro-
duz derramamcnlo da bilis no estomago ou
em nm desarranjo geral dos orgaos diges-
tivos.
A ictericia
6 produzida pela absorpc3o da bilis no
sanguc, dando h pelle c aos olhos urna cor
amare I lenta ; nao somonte dolorosa por
si, pormeonduz aos mais serios soffrimen-
tos.
Para cura-la toma-se de i 5 pilulas to-
das as manhas, isto bastante pata mover-
o venlre smente al que se recupere a ac-
cfio sla do systema.
Mal do ligado, febre gastro-hepatica,
diarrhea biliosa, indigesto, a nevralgia
ou tic doulctireux, sao todas molestias que
tem sen comeen n"um desarranjo da bilis.
A observaran dos ductos da bilis faz esta
vol er ao sangue, com que circula di pois
vem todo o corpo e causa estragos desas-
trosos saude e produz urna serie inn-
mera ve I 'lmales.
Todos estes incommodos sao curados com
as pilulas do Dr. Ayer.
Uireccoes minuciosas acompanham cada
frasco.
Vende-se na pharmacia franceza deMau-
rer & C, ra Nova n. 18.
AGENCIA CENTRAL
15 Una i.relia 15
rio di: .iam:iro.
Vende-se em Pernambuco:
wmm
Glac-royal, em pecas com listras de seda primoramente bordadas ou matisadas,
fazenda inteiramente nova de bonito elfeito, para partidas, soirs, theatros, passeios, etc.
UOITBLES CAPAS
e SOBRETODOS de panno mesclado (impermiavel) viudo no ultimo vapor
De. um s patino
Colchas de damasco de seda portugueza, de todas as tres
GRAVITAS, MANTAS
Riquissimis bonecas de porcelana e de massa e decores, mu lo bonitos padroes a 500 ris.
chamando por
BONETS de pa ha ricamente enfeitados para senhora
CHAPEOS
CIIAPELINAS
ENFEITES
Cestones de fuslae enfeitados para criancas
E innmeros object-js de modas recebidos directamente por todos os paquetes e
9 para escolhidos caprichosamente dos mais modernos gostos da Europa.
FAZE3BAS PARA UOnivU.
Casimiras modernas de qmdros, panno pretos e de todas as cores, brins, sobre-
casacas, palitos, calcas, coletes, camisas, ceroulas, lencos, meias, etc.
de cera, assim como os que fallam
papai e mamai.
Pentes.
Riquissimos pentes de tartaruga para senhora,
assim como para menina e de muias outras qua-
lidades.
Eofeics para eiuia de mesa.
Riquissimos enfeites para cim de mesa
toillet.
Fivelas e sintos.
Riquissimas tirelas de madreperola e de metal,
assim como bonitos sintos.
Flores.
Riquissimo sortirnento de flores o mais fino que
se pode desejar.
loco para familia.
Riquissimo jogo de vispora em caixinhas de ma-
deira envernisada e pedras finas proprias para en- i
tretenimento de familia.
Para viageni.
Riquissimos estojos com todos os pertences finos
para homem.
Fitas,
Riquissimo sortirnento de tilas de todas as pa-
Iidades e lindos gostos.
Franja.
Riqoissinia franja de seda de muito lindos pa-
droes tanto de cores como pretos, asim como de
borlota e sem ella propria para cortinado.
Trancas.
Riquissimas trancas de seda preta e de cores as-
sim como de algodo e de laa.
Perfumarlas.
Grande sortirnento de perfumareis de todas as
qualidades e dos raelhore< autores al o presente
conliecido e muitos outros objectos que se tornara
eobdocho mencionar, isto s no vigilante ra
do Crespo n. 7.
Rival sem segundo
Ra do Queimado qs. 49 e 55, loja de
niIldf7;'S d< lt-f< Mirlas if ani. A loJa de louCa da rua 'lo CrP?P n- JC le"i Para
HUHieSttB Ut, U C. poi tas, tSld <|Uei- vender ,iU:Hlli,|aiii; dc amlejos de lindas e variadas
Dianilo l'ddo ItOIll ebaral, qUCn Ull- cores, assim como tongas de todas as qualidades,
7CV VPi- p admirar van lia m -i loi-. CI Hl i .dUIlilldl VCBUam I toja <10 |hos de porcr,|anas brancas duradas e decores,
iiiiiOilllUi. vidros de todas as qualidades, inclusive linifsimo
Caixas de papel amizade, e sem ella liso e pautado chrysial, diiicados jarros de chrystal e porcelana
a 000 rs. P?r^ flores, (guras e outros muitos objectos de 8-
Grozas de bo'.oes de louca prateados fazenda mo- D'>sima porcelana denuminada bisenito para en-
derna a 1O rs. > fe'les de mesas, etc., guarnieses de rinissima por-
Duzias de peona de ac fazenda boa a 40 rs. i ce|ana branca douradas e de cores para lavatorios
Pecas de tranca de la lisas e de todas cores a e toaieles, tudo do mellinr gosto, pinnas de louca e
Gregorio Paes do Amaral & Companhia.

a variado.
Francez barrica 5000
Portland dem 85o00
Em perfeito estado:
Francez barrica 105000
Portland dem 12,5000 -
No armazem de Tasso Irmaos caes doJApollo.
\ endenife saceos grandes oromlho novo
rua da Madre de Dos ns. ii e 9.
na
kj
JC-4S. VIDKOS
i\\\mMj\
na
5
s^
PHARMACIE FRANCAISE
deRMAURER&C1.1
RUA NOVA m
40 rs.
Escovas finissimas para limpar denles a 240 e
320 rs.
Pulceiras de comas para senhoras a 500 rs.
Pecas de fita de eos estreitas com 10 varas a
:J20 rs.
Caixas com clcheles francezes, superiores quali- Vende-se 40 palmos de terreno na rua da
dades a 20 rs. : Concordia : a tratar na rua do Alecrim n 10, das
Iinteiros de barro, com .superior tinta a 100 rs. 3 horas s S nos dias nteis.
Pegas de cordo para vestidos, fazenda boa a
10 rs.
vasos para jardim, candieiros de lamparinas para
gaz, globos e chamineis de vidro, boceles e todos
os mais sobrccelentes para os mesmos, gaz liquido
de superior qualidade, e muitos oulras artigos que
serw enfadonho mencionar, tudo por precos mui-
iSsimos razoaveis.
Baralhos muito linos para voltarele a 200 e
240 rs.
Frascos com agua de Florida a 15 e 1,5280.
Frascos com superiores banlias a 500 rs. e 2,5.
Frascos com banha, porcm pequeos a 200ei
210 rs.
Latas com superior banha a 200 rs.
Frascos de macaca perula muito tino a 200 rs.
Frascos e garratinhas com agua de Colonia a
400 rs.
Um livro novo
Repertorio da constltulco do
imperio c do acto addlelonal.
Com a citacao das leis, decretos e avisos, relativos
as principaes disposiedes da mesma constituico
0I1GANISAD0 PEI.O
Dr. J. I. Machado l'ortella.
A ulilidade de obra deste genero boje reco-
rande armazem de tintas.
RUA DO IMPERADOR N. 22.
O armazem de tintas um grande deposito de
producios ebimicos utensis e os mais empregados
e usados napharmacja, pintura, photographia, tin-
turara, pyrotechinia(fogos de artificio) e em outras
industrias.
Montado em grande escala, e supprindo-se di-
rectamente as princlpaesd rogaras de Paris, Lon-
dres, Hamburgo, Anvers e Lisboa, pode offereceer
productos de plena confianca e satlsfazer qualquer
encommenda a grosso trato e a retalho, por precos
razoaveis.
Prvidos de machinas appropriadas satisfar
com promptldao qualquer pedido de tintas moidas
a oleo,cuja qualidadee pureza de seus ingredien-
tes podera ser examinada pelo consumidor, o que
nao fcil fazer com aquellas que sao importadas,
e que se enconlram no mercado em talas fechadas.
Tem grande colleceao de vidros de dilTerentes
formatos, desde urna oitava al dezeseis oncas de
capacidade ; de vidros para vidracas e diamantes
para corta-Ios; de pinceis para fingir madeira com
propriedade e oulros; de papis dourados e pra-
teados e folhas de gelatina para ornamento; de
papel grande e pequeo formato de varias cores
para emhrulho, para forro de casa, para desenho
com fundo j feilo; de papel albuminado e Brisiol,
verdatieiro saxe para photographia e para filtrar,
e outros ; vernizes de essencia para quadros, de
espirito para madeira, copal para o interior e ex-
teiior; oleo graxo, oleo seccativo, oleo de linhaca
clarificado, oleo de toiele, secativo de Harlim, ouro
verdadeiro em p ; prata, ouro, e estanho em fo-
Ihas de varias cores ; tintas vegelaes, inoffensi-
vas proprias para confeitarias ; la de cores, e
olhos de vidros para imagens; timas em tubos e
lelas para retratos ; tintas em pastis e em p pa-
ra aquarejla ; essencia de rosa superfina, de ne-
roly, jasmim. bergamota, aspice, patchoulv, mbar,
bouquet.limo, alcaraiva, melissa, ortelaa pimenta,
louro,cereja, alfazema, juinpero, Portugal, lima,
ans da Russia, canda, cravo e muitos outros ob-
jectos que s com a vista poderao ser mostrados.
Joao Pedro das Neves, .
Gerente.
AGiu mm\.
Co!lcirs de marroquim, com cascafeis
c sem elles.
Na rua do Queimado loja da Aguia Bran- com cabel'cira de cacios.
ca n. 8, vendem-se coileiras de marroquim, Tendo recebido um varia-lo 5orUraenl*
pospontadas e com cascaveis, ou >era elles brinmicilos para meninos, sen.lo ^,,,Mia
proprias para caes e cutas biel.inhos. ospingardas, pistolas, tambores ; S
I enntis inglezas dc ac c douradas. para bmdrm : apfaraHHi ii sinoco 4e
No novo sortimcnio de pennas de afo que janur de poro lana e !<; mM, torta-icr>r
a Aguia Branca acaba de receber, rieram e faquinhas a 280 rs. o par ; r.:;, j^.-eit-
tambem outras mu bem acabados, e p >r essas boas e ne- oulr;i qualquer paite.
Cenarlas' qualidades os sgus acreditados fa- Vende-se tiras bordadas de difeeal
bricantes Perry & C, as recommeridam aos largaras a l, e babados.ciilUrinhos e po-
entendedores" apreciadores do bom, valen- nlios para senbura, bodsdos e aLert^s. ?
do mesmo a diderenga que ba no prci;o de renda e lisos, os mais modernos que m
urnas para outras, porque estas se tomara podem encontrar.
mais duraveis na cuniinuacao de escrever ; Vende-se la para bordar de d.ter.-as
assim pois quem dellas se quizer utilisar qualidades e de cores clarai a 7j .1 ....:', e-
compra-las a dinheiro a vista : na rua do pelhosde colomnas de jaetra "
Queimado loja da\guia Branca n. 8. ditosbrancosdediversaslananbos. >.\m,:.
Franjas com borlas e sem ellas para rai;l estrqos de oaTaiba,
Cortinados, :"olhcrcc dc luciaf prlacip.
Branca recebeu um bello sorli- .. ^nle-e comeres tle matil pnr,
franjas com borlas e sem ellas l'r.r'r S0"Pa a 2>' *" P3ra M i
para cortinados, todas de novos e bonitos *" P*3Pa **2W 1 m :
j.desenbos, cuja commodidade do preco esl |o';' "e en^nlrart empre un; grand
lem reiac.lo a largura: acham-se ellas a ven- l!i'1, sorlimt-ntiilcmimlo/as: roa
daa rua do Queimado oja da guia Bran- ni:il|,1n' >]' '"J3'1
ca n. 8.
Jogo da paciencia i curioso entreleni-
mciito.
Na rua do Queimado loja da Aguia Bran-
ca n. 8, acbam-se a venda por.precos ra-
zoaveis, caixinbas com tabolas de madeira,
quedas diversas pinturas dellas se formara
agradaveis vistas e paisagens, segundo os
desenhos que acompanham. Na verdade
esse um deleitavel en retenimento com o
qual se despe la a curiosidade, e apura a in-
telligencia. Os apreciadores dirijam-se
rua do Queimado, a dita loja da Aguia Bran-
ca n. 8, que seao satisfeitos.
fallieres para meninos.
A loja da Aguia Branca, na rua do Quei-
mado n. 8, recebeu novo sortirnento de ta-
lherc para meninos.
Bello sonifficuto de la lina.
A Aguia Branca, na rua do Queimado n.
8, recebu novamente um bello sortirnento
de la fina, de bonitas e agradaveis cores
entre as quaes s achara aigumas que se
nao encontrnm em qualquer outra parte, e
que muitas vezes sao necess iras para os
dlUerenles matisados que com gosto prin-
cipian! as habis professionaes; assim pois
j se sabe que a falta cessar urna vez que o
portador se dirija com dinheiro rua do
Cueimado; l ja da Aguia Branca n. 8.
Bonitos enfeites para senhoras.
A Aguia Branca acaba de receber u 11 no-
vo e lindo sortimenio de enteites os mais
modernos e gostos inteiramente agradareis,
e como seu louvavel costume os est en-
deudo baratamente a quem com dinheiro se
dirigir roa do Queimado, loja da Aguia
Branca n. 8.
Meias de la para senhoras.
Vendem-se na rua do Queimado, loja da
Aguia Branca n. 8.
Dala mosca.
Na Iota da Aguia Branca acha-se a venda
o papel cora compoM'cao para dar fim as
moscas, sendo o modo de usar facillimo, e o
elfeito efflcaz : molba-se o papel e deixa se
ficr n'omprato, e nelle pousando as mos-
cas, entristerem e morrem. Cusa cada fo-
lha 40 ris: na rua do Queimado, loja da
Aguia Branca n 8.
0$ irihiulus au bifmuth ile Chavrier bea.
ulteriora a kxtat as miir* prrpsrae&es 4
bi.-mttth cmprpga.'ltt antrs com o nuior srcua
pelos mediros dc toilo" os paizes, para nn n um a
curar as
Dlarrhi a. rbro.lr.i MAh lnrmthum.
l>!Mrnl<-rlaa. (.-i.iir.
Ddrra dr.ii,,,.,. Galiralslaa, M.
fa v 'y la.
Os primeiros symplomas d'essas formidav-.
affe-Tocs se manifesto ordinariamente por iun-
I6e laboriosas, axiitumcs, alia fmpprtiU, pnm
d'estmago depois de cada coi:iida. caimhras t*
tomacae*, e, muias vezes, por espanmit tur*st*i
com vmitos.
Este estado mrbido, se o desenidSo, ira e*-
vitavelmente, que seja:
Mi.ti-.Oii dr flgatla.
A Irieri.-I*.
Pal |i I lacas e raracma
Dira no rln
OiarrMtf.
liare Je
Irritara*- Uc
4m aaatrte.
Os granulos Chrrier sio ordenados peta
sommidades medicaes para prevenir essas dirtr-
sas molestias e cural as quando sio lomados a
lempo.
0 preco de cada frasco de i francos.
Depsito geral em Paris, pharmacia <
e em todas as pharmacias de Franca e dos 1
estrangeiros.
Chapeos ebonets para senhora.
VenJem-se ricos chapeos e boneu de palha de
Italia, enfeitados com lodo gosto e simplicidade :
na rua Nova n. 47, loja de Justo de Almeidc & C.
Vende-se 1 negro de idade 43 annos para
todo o servico por 3005, i bonita escrava com
urna linda cria com habilidades : na travesa do
Carmo n. 1-
uhecido geralmente. A facilidade com que pela
"Inri5 com superior agua de Colonia a; 0rdem alphabelica eocontra-se de promplo qual-
! quer disposicao, que se procure, nao s da consli-
a 400 e tuJQo CuQ10 (jas |e|S respectivas, torna muito re-
commendavel este repertorio aos Srs. estudantes
de direito, funccionarios pblicos e a qualquer t-
Sabonetes pequeos de bolla a 240 rs. e grandes a I aAaCa'ba de chegar
uso rs.
Sabonetes de familia a 120 e 200 rs.
640 rs.
Francos com
oOOrs.
Caias com 12 frascos de
superior oleo de baboza
cheiros mnilo Gnos a
Duzia de saboDetes pequeos com cheiro a 700 rs.
Agua deulice superior qualidade a 800 rs.
Caixas com superior p de arroz a 800 rs.
Frascos de superiores essencias santal e outros a
(200.
Frascos com essencias para tirar noduas de roupa
a 500 rs.
Frascos com cheiros de todos os precos a 160, 200,
240 e 320.
Frascos bonitos com cheiros finos a 500 rs.
Duzia de meias muito linas para senhora a
45800.
Vende-se fumo superior de lodas sqna- -v-
lidades, a retalho e por atacado e por Sg
preco coramodo : no Recite rua da S
H Cacimba n. i.
^mmmmm m mmmmmm
Colla da Baha superior
Tem para vender Antonio Luiz de Azevedo &
C, no seu escrlptono rua da Cruz n. 1.
Carne do serian a 400 rs. a libra
a ella antes que se acabe : no armazem da estrel-
la largo do l'araizo n 14.
Vende se urna bonita escrava crloula de ida-!
de de 18 a 20 anuos : na rua da Cadeia do Itecife
n. 10.
do Rio de Janeiro onde fei
impresso e acha-se a venda na livraria econmica
defronte do arco de Santo Antonio. PreQo 2.
Vende-se o engenho Jundjatiy, cinco legoas
distante da cidade do Natal, provincia do Rio
1 Grande do Norte, moente e correle, com 20 cap-
\ tivos, 20 bois e 20 bestas ; assim como diversos
lotes de trra, propria para a cultura de algodo e
mandioca, e mais duas fazendas dc gado no Poten-
1 gi e Cear-meirim, na mesma provincia, cujas vec-
] das se effectuarao a prasos, mediante boas firmas :
1 quem pretender dirija-se aquella provincia a tra-
; lar com Fabricio & C.
Vinbo do Porto snperior em caixa de duzia,
! tem para vender Antonio Luiz de Oliveira Azeve-
I do & C, no seu escriptoriorua da Cruz n. 1.
Vende-se urna ptima escrava moca de boa
figura : a tratar na rua da Cadeia n. 40, loja de
reU'joeiro.
Pecas de fita da 1:1a para debrur de vestido, com Vendem-se paimeiras imperiaes, em estado
10 varas a 600 rs. de serem transplantadas: no sitio murado es-
Ditas dc bicos supeiiores, para acabar a 600 e querda, depois do becco do Espinheiro, nos Af-
800 rs. Ciclos.
Pedras de lousa para meninos a 160 rs.
Caixas de lampar mas para 3 mezes a 50 rs.
] Bunecos d i Caixas com bonitas eslampas para rap a 100 rs.
| Capachos compridos, boa fazenda a 500 rs.
Gre-as de botoes pequeos pretos para calca a
100 r?. gario n
Todas estas fazendas para liquidar, pois tudo i--------
est em perfeito estado, isto garante o dono do es-
abelecmenlo.
o
a
ss|.g.S'-8g:|5-S8c
5T -aT aa^i-s tai D m M *-p as OT i
S||Bf,g||3 2S.i:Js-i
rt.S-!I3=;JUJra, r* TO
llilKllii sii?ft
Os elementos qe rompoent esta proparaci
ferro, o iode e a aui>a, a rolloco uo primen*
grao das preMTSrdet ferruginosas BisIj all" lar
seus resultados otttitlos p.'los Aiedicos dos bc-p-
laes. e os relaioriis dos prcticos maiseminer.Ms,
que ronlirmaYao MI poderosa eifiracidade aaa
Meias pretas de seda para senhoras a "P*-1 s ***'s:
500 ris o par. ZgZZ """*""
A Aguia Branca quer acabar com a por- **.
gao de meias pretas de seda para senhoras,
e apesar do muito maior preso que lhe cus-
taram eo bom estado em que ainda esto,
comtudo esl resolvida a vende-las a 5(0
ris o par, afim de que ninguem mais calce
meias pretas de algodo, agir pois apro-
veitarem a qnadra c dirigirem- e rua do
Queimado, loja da Aguia Branca n. 8. Tam-
bem vender as brancas a 1(5 o par, e des-
tas o nico defeito estarem um pouco tri-
gueras,
Diversos hrinqtiedose cnlretciiimento
para criancas.
A Aguia Branca na rua "do Queimado n.
8, recebeu diversos brinquedos para crian-
zas, sendo estradas de ferro, barcas e patos
elctricos, apparelhos di metal, louca pinta-
da e porcelana dourada para almoco e jan-
tar e muitos outros brinquedos de madeira,
que se vendein baralamenle : na rua do
Queimad >, loja da Aguia Branca n. 8.
C.ontalrarrara e 'aaj
ca. Mtlmliaa.
Nilrailaa e*fraT-:te
ajaja.
ru|rlra>.
Uh.IrnrrM m m\*m
dnintt.
I!i:::irrcs tr'.mm
Hiinioi-n l-rai
RataMSfaj
Affr*r.-
r .jj'hl'iH-aa.
Ir .rr. I>i ..ala>.
VartaaSi rir.. r*.
t thtrmmtmUm wutticz

Vndese a casa n. 52 na rua de S. Jos da I Gollinhas moito finas para senhora a 200 rs.
mesma freguezia : a tratar na rna dos Pires n. 18. j Caixas com soldados de chumbo para meninos a
StMSiSS ^^^aKiM'WSl I Duzias (le colheres de metal para cha a 800 r?.
% h umo dti Btli la Dar M' Bi,M dila a,l p*ra s0pa'faienda boa a |'60-
m x ujiu uu ^uiaiu yaia w Varasde cordao branco para espartilho a 40 rs.
jjg charutos.

Vendem-se saceos com farinna da trra mui-
to boa, com 22 cuias cada um a 4 : no armazem
da rua do Imperador o. 83.
Para matar formigas
Vendem-se velas para matar formigas; no ar-
mazem da bola amarella no oito da secretaria da
polica.
Vende-se um carro novo para conducho : a
' tratar na rua do Sebo n. 54, taberna.
Vio n algodo fa Babia.
Veudefse no escritorio de Antonio Luiz de Oli-
veira Azevedo & C, rua da Cruz n. 1.
Cal dc Lisboa-
a granel a 1,5500 por urna barrica: na rua do Vi-
19, primeiro andar.
llantas para pe&coco
Chegaram as desojadas mantas de finissima seda
elstica para pescego de homem : na esquina da
.Madre de Dos, loja do balo.
Vende-se um mulatlnho de 12 annos de ida-
de : na rua da Cruz n. 30, escriptorio.
-> i 5?
< 2
S8,|
g-Ss
. o
3?

tf
t3
S
s
C6
-J-.
ce
05
3
or"
05O2
I 8
eo "
u
-i
-i
o
.s
o
a
c
o


so
>
i.'- i..i... r au Irlcrlrla.
Mnirtii-uo.
ACtccci-m d ttlrrr.
Supprf- ilc rr-
art c ilri r* na
tti<-i;triir:t
-\ i '". < i -. |iiilmonhr r
|l)llltlIO.
Maleallwa fmmttmmt.
I't-rlu S'*i|tprllle, r*r.
Vejao se os : i lletnt
e cirurgica de m mi rt lllt; a tmm
des hospiUu .> dt i di j :', etc., etc.
Alei:i das furnias Je Mwvta duplo de ferro i :e
quinina de llet-loi.. os Mctlieos i'on
igualmente o Xarope diodura duplo m
Ierro e c^e quinina do n ; un m
pflSBOU tic nao gosiao dc mciliramrio* ot> Wr-
ma pilular eos mnMM*. |M xaropc Mo le
como o naropcdi dure, deferru. u ir.t on*tuiem*
de aherar-sv c i!e m- i.ao |todt'rc(irist'r-.ar.
r.'vH-s.c o fblhclo^HC \i ile rrjra em isa
liu; farmacuticos defOnilniM.
Para-se jevittrem faliifitaffci, rxlja e-
prador em cada irasco dc Pilulas on XarfC a *-
signaUtracU inventor.
Oeposlo f.en\ citt Pars, pharniaeia ReMDoc
142, ru di: Rae e em lodas as boas poarmacst:
,i.> franca a rto owv* r*tnafmuWm\ ele.
/ MASSA E^inwT^"
E R T H
COM CODEIXA
Preconizados por todos os mdicos contfa
as De/luxos, a Grippa e todas as Irrilmc^-'s
'lo peilo.
AVISO
Falsificacdc reprchensiveis excitarlas pe!'. 5
successos do Xarope c da Massa de Ber'.h-.
nos obrigo a recordar que esses prcxtnct
to justamente
nomeados nao se
cnlrcgSo se nao rm
bocetas c em fras-
cos com a a-signa-
tura aqui indicada. "',**aaiifiMu
451, ru Saint-Honor i, na pharmacia ao
LUVRE, c em todas as pharmacias.
Deposito fc-eral em Pernambuco ntt te
Tasso Irmaos
Vendem no sen armazem rua do
Amoi im n. 3o,
Licor flno CuraQo em botijas e meias botijas.
Licores linos sonidos em garrafas com rolhas de
Farinha de mandioca : tem para vender Au
tonlo Luiz de Oliveira Azevedo & C, no seu es-
criptorio rua da Cruz u. 1.
vidro e em lindos frascos.
Vinhoseneres.
Santernes.
Charaberiin.
Hermitage.
Borgonhe.
Champagne.
Musca tel.
Reino.
Bordeanx.
Cognac.
Od Ton.
AzeitePlagniol.
AMlZeM-MOLIIlDOS
f'harol do commercio
Rua do Rangel n. 73.
0 proprietario deste csiabelecimento tem a hon-
ra de avisar aos seus freguezes que fez urna gran-
de reduejao nos presos de seus generes de primei-
ra qualidade : manteiga ingleza 19 e 15280 r.s. a
libra da ultima chegada ao nosso mercado, dita
franceza a 900 rs. e em barril se faz abatement,
queijns flamengos novos a 25300, dito prato o que
se pode desejar em bondade a 800 rs. a libra,
ameixas francezas caixinhas a 15200, 15300 e
15800, frascos de ditas 15400, grandes 35 proprios
para mimos, marmelada das meiliores marcas a!
640 rs. a libra, amendoas confesadas para sortes
IB S. Joao a 640 rs., vinho do Porto a 640 e 720 rs j
a garrafa, Figueira e Lisboa 400,440 e 300 rs., e I
em caada se faz o abatimentn, raixas de batatas
com 2 arrobas por 3gfiO e a libra 80 rs. novas, I r _
caf i- son 75800 e 75200 e a bbra a 240 e 260 irMD.22 em casa de. Caro & BarbOM
bolachinha ingleza 200 rs. a libra, toncinho e \/>V.n OA '"
Lisboa a 3G0 rs. a libra, velas de carnauba a 400 I ACJ rs., ditas estearinas finas a 60" rs., presunto portu-1 venda na livraria acadiroica, na toa mtmvtn-
guez a 600 rs., alpista a 3j>o0 a arroba e 120 rs. dor; na do Sr. N.-gueira, jonio an arro de mi
a libra, painco a 45 a dita e liO rs. a dita, cha 8- Antonio ; e na tvpograpbtl imparrial, na rea t*-
no a 25S00, 25700 e 25800, frnctas em calda a treita do Hosari a compihfao de toda a Kgi
640 lata, gomma a 100 rs. a libra e 25560 a r- tendente administra^ao, a arrerarfarao e filil
roba, bollinhos inglezes lata de 2 libras a 153i0, sagao dos dtebeirs de orpbflos defoni. e r.iv
ditos de soda grandes 25000 e outros rrrais gene- tes, herancas jacentes, legados, etc., roMead
ros que se torna enfadonho mencionar. Oproprie- s o regiment do cusas e a lei geral das rier-
tario espera a concurrencia do respeitavel publioo, eSet, como tMDbem todas as orden* e avi-t i
garantindo a exaelidao do que tra'ar. governo. qne a_ ludo tem explicado, lanto a i
Ven1e-se urna armaco de urna taberna com l0 das ol"igcoes inherentes ao cargo do* din-iem-
poucos fundos, propria para um principiante, sita ,e!j emPregados de juslica e Lutada, croo ..
na rua dalmperatriz n. 4o: a tratar na rua da E?"08 >ttOna c emoluinentr.j qn,. ..t.>;
Cruz, casa do Antonio Lopes Braga C. fsle llvro -"ontendo mais de TOO pagiras em rai:-
-----------------_-------------------- impressao e Um papel, e prestndose a ct
VP1lflP11l-RP Se d,,Te,'en,ei, classes, tornase itt\aamnlsr,\
r vriucui dc SeQ CM|0 imm por Mdj fjm m ^
machinas americanas de serrote para descarocar tomos,
algodo : na rua da Sentala ova n. 42.
Atteiioao.
Vende-se o deposito da rua Nova n. 61, bem
afreguezado o bem sonido : a tratar na roa do Li-
vramento n. 3 i.
Vende-s<
%
farelo de Lisboa em saccas e barrica.-, t .-..raa*
com superior farinha de mandioca, mais k-r*>
V:are
I. uvas de pellica.
Recebeu pelo ultimo vapor lindas luvaa depelli- f riffl p,rle "' ""
ca de cores e brancas para homem e senhoras : s Primeiro andar- ...
quera recebeu foi o beija-flor, ua roa do Queimado I Vende-se um escraro mo; qa j (oi i* es-
numero 63. genbo : a tratar na rua do Mondego, Uan a. IX


Diario de Pernamhuco -- Terca felra 8 de Agosto de 18*J*

GEN R0SBAR1T0SADINHEIR0
NOS
GUINDES ARM4ZOS DE HOLIIiDGS
DE
duart:
AURORA BRUJANTE
fs Palco do fiaroio n. 9 armazera Progresivo ra do Queimado n. 7
* S laio e Conimercio ra do Imperador n. 40,
^ -jj Principal armazera de motilados.
OS PROPRIETAIIIOS
Fazem scienle ao respeitavel publico, e com especialidade aos senhores de en-
gentas, lvradorea e inais pessoas do caatro, que para mais facilitar s*uas compras deli-
beraram os proprielarios dos tres grandes armazens, reunir todos os seus estabeleci-
mentos cid um s annuncio, pelo qual o preco de um ser de todos, promette-
ro-is qae nao infringiremos a tabella que abaixo vai publicado, annunciar os geieros
por um preco, e na occasio da compra quererem por outro, como socede constante-
mate em outras muitas casas, porm nos nossos estabelecimentos nio se dar islo
ainda mesmo com prejuizo nosso, qualquer pessoa poder mandar seus fmulos que
serio tana era servidos como viessem pessoalmente fazendo-nos o favor de mandar seus
pedidos em cartas feixadas; para evitar qualquer engaos, remetiendo nos urna conta
pela qua se ver os preces tal qual annunciarmos, o que senio arrepender pessoa
alguma que fizer sua despenca em nossos estabelecimentos; pois poupar mais de
5 por ceoto na sua despeza diaria.
Manteiga iugleza perfe tatente flor chegada dem com i a 5 ditas a 3J200.
oltimameate no vapor Saladim, de 15 dem vasios de todos os tamanhos a 2000,
a 15120 a libra e em barril ter abat- 10500,800 e (540 rs.
ment. Queijos d #300 a pOO os mais frescos.
dem franceza muilo nova a 15 a libra, e Vinagre puro de Lisboa a 280 a garrafa e
em barril ter abatimento. 20000 a caada.
Banlri de porco refinada a BiO a libra e em (dem mais baixo a 201) rs. a garrafa e l>400
barril ter abatimento. a caada.
Cti uxiin de superior qualidade a 20600. j Azeite doce de Lisboa muito fino a 6O0 rs.
dem perilla miudinlio a 20700 a garrafa e 401300 a caada,
dem hvsson especial qualidade de 20500 a Toucinlio de Lisboa novo e muito alto a 400,
a libra, e em barril de 5 arrobas aj
105500 a arroba.
Ceneja Bass do fabricante Slilers & Bol a
60500 a duzia e 640 a garrafa,
dem Bass do fabricante T. F. Asbe a 60000-j
a duzia o 560 a garrafa,
dem marca II Victoria Alsope e outras j
muitas marcas a 50 a duaia e 500 rs. a |
garrata.
I Sabio primeira qualidade a 220 rs. a libra
e 210 em caixa.
dem segunda qualidade a 200 rs. a libra e
180 rs em caixa.
20600 a libra.
dem preto muilo especial a 25000 e 20100
a libra.
dem do Rio em latas de 40000 e a 800 a
libra.
Latas com biscouto de todas as qualidades
a 1000.
dem da creditada fabrica de Biato Antonio
(Lisboa) proprias para dar a doentes a
-25 e 30 a lata.
BoJaxinha ingleza muito nova a 30500 a bar-
rica e a 240 re. a libra.
o un bolaxinha de -oda e oval a 20.
mto ingtez para fiambre chegado uo Sabo ingle/, superior a 180 rs. a libra e
ltimo vapor a 8-jO rs. a libra.
arijos e paios muito no vos a 900 rs.
a libra,
Caixas com madrro Ulbarira muito novo a
50t)O6 e :i20 a libra.
\l 'ria branca e amarella a 500 a libra.
ilate portaguez de especial qualidade a
) a libra.
Id m suisso de 8.'0 a 10000 a libra.
16 rs. em caixa.
Caf primeira e segunda sorte a 70000,
70500 e 80 a arroba, e de 240 a 280 rs.
a libra.
Arroz do Maranhio 30203 a arroba e 100
rs. a libra.
dem da India a 20600, 20800 e 100 rs. a
libra.
iem nespantal verdadeiroa 1*006 a libra Charutos Normas de flama a150500 a cai-
que j vendemos a 10400. : de Simas (Jos Furtado).
Doce da casca de goiaba em caixoes de 4 e Mein Londnnos a 50,, dan.
meia libras seguro a 10800, dem Paras.enses a 4^00.
Ida em caixoes pequeos a 700 rs. e de Mem Dolicias a I*5UU.
30 para cima a 646 Mem Iraviata do Rio a 50500.
bleui secco embcelas ricamente enfeitadas, dem varetas de Manoel Peixoto da Silva
. mteodo pera, pes^go, amcixa, rainlia.
e outras fratasa 30000 cada urna.
Id a em calda em latas feixadas hermtica-
o inte muilo bem enfeitadas, contendo,
pera, pesego, ameixas e outras frutas a
I c 70 a lata, tambem temos lala
;:ides a 10200.
H; ida dos melhores fabricantes, em la-
i de 20666 a 10206.
drii em latas de I l|2 libra a 15.
i a em latas >le 1 libra a 646 rs.
Er s em latas chegada-; oeste ultimo va-
. ii ,. 700 u de 5a para i-ima a 640 rs.
Feij3i verde ou carrapalo em latas j pre-
parado a 640 rs.
Ameixas em frascos de vidro a 10500.
dem em caixinbas ricamente enfeitadas de
1*200 a 25500.
Conservas Mexide muito novas a 700 rs. o
frasco.
Id n de ceblas simples a 700 rs.
ho inglez a 640 rs. o frasco com rolha
.; vi Iro.
I i ern p a 700 rs. o frasco.
; le i j preparada a 320 rs
La! com massa de tomate de 1 libra a
irs.
: i em latas de 1 1|2 libra a 900 rs.
bosera garrafas vindos do Porto, Madei-
ra Seeea, Duque do Porto, Duque Semi-
no, Caseavallas, Maria Pia, D. Luiz, Pe-
dro V, Velho Secco, Lagrimas Doces, La-
grimas do Douro, e outras muitas marcas
a 10 a garrafa e 95 a 120 a duzia.
dem Palmella a 10 a garrafa e 110000 a
duzia.
dem em pipa de todas as marcas Porto,
Figneira e Lisboa a 400 e 500 rs. a gar-
rafa o 25800 a 30500 a caada.
Idrn em ancore! e 8 a 9 caadas com su-
perior viobo Lisboa e Figueira a 240 a
ancoris.-
dem branco especial quadade proprio para
missj a 56') rs. a garrafa e 40 a caada.
dem mais baixo a 400 rs a garrafa e 30500
a caada,
dem do .'orto especial quilidade a 800 rs.
a garrafa e 55500 a esnada.
Id m B rdeaux em caixas a 70 e 700 rs. a
garrafa.
Cuampmbaa melnor do mercado vinda de
o >sa en-.ommcnda a 300 o gigo.
Idam mais i-aixa de 180 a 200 e 10500 e
30 a garrafa.
irea portugueses e francezes a 10000 e
{; 500 a garrafa.
ttfai rasquino de Zara, verdadeiro a 10500 a
rafa,
dem mais abaiso a 800 re. a garrafa,
i i bra de laravja ver adeira a 110 a du-
\.i e > o frasco,
i Iem de HoUanda verdadeira a 60 a fras-
queira e, 6 10 o frasco.
!: n de Bambuco a 55500 a frasqueira.
i lioligas de Hollanda a 400 e 440
rs. o frasco.
( i ilbes com genebra de Hollanda com 24
rafas a 80, com parrafao.
dem com 14 a 15 garrafas a 60.
Netto a 35500 e 10SOO a meia caixa.
dem suspiros do mesmo fabricante a 10OO
a meia caixa e 50200 a caixa.
dem meceipes a 15700 a meia caixa e
30000 a caixa do mesmo fabricante,
dem orientaos do mesmo a 10800 a meia
' caixa e 3 5400 a caixa,
dem jovens de Castanho & Fdho a 20400
a caixa.
dem suspiros do mesmo a 105OD a meia,
caixa, e outras muitas marcas de fabrican- j
tes.
Passas muito n ivas a 15500 o quarto e 50
a caixa de urna arroba hespanhola e 320
a libra.
Vermute bebida para abrir a disposico de
comer a 10500 a garrafa e 140000 a
caixa.
Alpista muito novo a 30800 arroba e 140
a libra.
Painco a i5000 arroba e 1 40 a libra.
Peixe em latas j preparado a 10200 a lata
e em porco 10000.
Sardinhas de Mants a 400 a lata.
Tijollo para limpar facas a 160 rs.
Esparraacete a 600 a libra e em caixa a
580.
Vellas de carnauba a 12 e 100000 a arroba
e 360 a 440 rs a libra.
Azeitonas de Lisboa muito novas em anco-
retas grandes a 10800 e a 400 rs. a gar-
rafa.
Balaios do Porto muito grandes proprios
para guardar roupa suja a 20500, 30000
e 40000.
Batatas era gigos de 3 libras muito novas a
800, ea 40 rs. a libra.
Gorama em paneiros a 40000 arroba e 140
a libra-
Farinda do Maranhao muito alva e nova a
240 a libra.
Stjvadinha de Franca para sopa a 200 a li-
bra.
Sevada muito nova a 140 a libra e 40000
arroba.
Caixas com estrelinha, rodinba e pevide a
400 a libra. I
Albos em canastras muito novos e mauncas
grandes a 180 e 200 rs. cada urna.
Canella muito nova a 10000.
Cravo muito novo a 500.
Cominho idem a 320.
Brvadoce idem a 400.
Alfazema flor a 240.
Amendoas a 400 a libra.
Nozes muito novos a 160 a libra.
Papel greve a 40200 a resma,
dem I izo a 40000.
dem de pezo a 30000.
Idem de embnilho marca grande a 10200 e
10300.
dem azul para botica a 20000.
Copos lapidados a 50500 e 500 cada um.
Palitos de dentes, macos grandes a 120 e
160 cada um.
Fumo americano de chapa, de superior
qualidade a 10500 a libra, em porc3o ter
abatimento.
.i 40000 a sacca.
Suecas grandes com 100 libras de farello sup
VFTEIICA Potassa da Eussia
J?^tor^o?e^naffi% tef muito nova e superior : vende-se no escritorio
ra^dor"^ de Manoel Ignacio de Oliveira & Filho, largo do
p : GiO JTSSSaS ?ua da Palman. 41. Corpo Santo n. 19.
fiRAfyDES ARM4ZENS
AtOLHADOSi
Largo da Santal
Cruz n. 84, es-f
Jfquina da ra dovi
jgSebo. &
VIMOS
ESPEIA.ES
Bt Largo da Santa
JCruz n. 84, es-'
[juina da ra
cSebo.
do^i
Rri?hBi.,)rop ano dia rauit0 acreditado armazem de molhados denominado Au-
JTpSThT a ter mesrao sortimento de gneros de primeira qualidade.
\nh.? 'rvira' a todo? de base para ajuste de conia aos portadores.
nPiA', armazem vender' mais barato e melhores do que a Aurora Brilhante, ja'
pro nn,i ort,meDto 1ae 'em, ja' mesmo porque seu dono s deseja tirar diminuto lu-
nroJi.f" ?Ue para accumalar as despezas do estabelecimenio por isso deiie se a-
tantesfreffuezes'SPrieta ha de fazer loda a dili8encia'afim de servir bem os sen cons-
'Latas com 8 libras dechouricas muilo novas,
O
1
em postas inteiras,
e
Dilas grandes <*om peixe
"^lualidaden, a 1*000, 1280
Ditas com ostras, excellente petisco para fri-
.gideira, a 720 rs.
Ditas com ervhas novas, ensopadas, a 720 rs.
Ditas com favas, a 640 rs.
Ditas com ameixas a 13200, 13800 e .13500.
titas com marmelada do afamado fabricante
Abren, a 720 rs.
Ditascom massa de tmale, a 500 rs.
JDUascom figos de comadre, novos, a 13500,
'Dl2300om l)0lacl'inba de soda m,lit0 novas. a
Ditascombiscoiiinhos inglezes de muitas qua-
[ iidades, a 13'tOO.
Chocolate.
Calxtahas com ameixas enfeitadas proprias
para mimo a 13200, 2J800 e 3^200.
fChocolate superior muito novo, a libra de
000 a i 3000.
.Macarrao.ialhariam ealetria amarella, a libra
> a 400 rs.
Dito dito dita branca, a libra a 400 rs.
Caixas com estrelinha, pevide, e outras mas-
t sas, a caixa 33500.
Ditas dita em libras a 640 rs.
Sag, a libra a 360 rs.
{Sevadinha para sopa a libra, a 240 rs.
Ervilhas seccas, a libra a 160 rs.
vDitas descascadas, a libra a 200 rs.
Tapioca muito nova, a libra a 280 rs.
Farinha de araruta verdadeira, a libra a
500 rs.
^ArI2Ldo Maranhao, em sacco, a arroba a
23100 e a libra a 80 rs.
.Dito da India e Java, a arroba a 33200 e a li-
I bra a 100 rs.
Toncinho de Lisboa a 93500 a arroba o a 320! Castanhas novas vTndasnVte vapor,
>iva'hi c v ba 43000 e a libn a 200 rs.
Dl^erSantos, a arroba 730OO e a libra a *^ Azritonas.
olhos cm [25 ceblas grandes, a 1280. Barris com azeitonas n0.vas a 1530
JMostarda franceza, caixa com' 2 duzias a i Manleiqa.
7*000. i Manteiga superior, a libra a 1*280.
1 Frascos com mostarda proparada em vinagre, I Dita mais abaixo a 1*200.
a 400 rs. Dita menos superior al*.
Ditos com conservas ingleza* e franceza* a Dita franceza nova, a libra a 880
640 e 800 rs. Dita dita em barris e meios ditos,
Vinho verde superior.
A caada a 33000 e a garrafa a 400 rs.
Gomma.
Saccas de 4 arrobas, a verdadeira de se*
engommar, a arroba a 3*000 e a libra
120 rs. i
Sabao massa, a libra a 200,240 e 280 rs.
Farinha. <
Saccasgrandes com farinha de Goianna mui-(
to nova, a 5*000.
Caf.
Caf do Rio muito superior, a arroba a 8*,!
8*500 e 9*000. '
Cha. '
Ch,teraos oestes gneros o m lhor possivel,;
hyson, a libra a 2*600.
Dito perola a 33000. /
Diio uxim a 2*700. *
Dito hvson muito fino a 2*800.
Dito redondo a 2*500. j
Dito preto de primeira qualidade a 2*500. \
Dito mais baixo a 2*000 e 1*600.
F.rva mate. 1
Excellente cha medicinal, a libra a 240 rs.
Espermacete.
O masso com 6 vellas de espermacete a 600,1
640 e 720 rs.
Passas.
Caixas de 16 e 8 libras de passas no.as pro-
prias para mimos a 43 e 25500.
Nozes.
Nozes, a libra 160 rs. e arroba a 43000.
Alpista e paineo.
Alpista e paingo, a arroba 4*000 e a libra a,
160 rs.
Cartas.
Cartas finas para jogar, a duzia a 2*500.
CasJanhas.
J>
DE
AZEVEDO FLORES
Ra da fiadeia do Recife, esquina da Jhdre de Deas,
BALdES
Os ricos bales de arcos de 3, 4# e 50
Bales de arcos para meninas de 2 a l a.tinos a 2jJ e z&oQ.
Bales de panno para meninas a 3$ e 3#50G,
Chapeos de sol.
Os afamados e bem conbecdos chapeos de sol com 12 asteas a W.
Ditos maiores com 16 asteas a 1$.
Tapetes.
Grandes e pequeos tapetes con ricas estampas para sof.
Chitas.
Chitas largas a 240 rs. o covatlo.
dem escuras unas a 320 rs. o covado.
Camisas.
Superiores camisas a 2^ij00.
Camisas com peito de cor, e todas brancas a 1#800.
Ha muitas outras qualidades com peito de esguiSo.
Casemifas.
As modernas casemiras de quadros, ehegaram.
lio upa elta.
Ha completo sortimento de casemiras, de brim branco e de cores.
Colleiriohos.
Chegou nova remessa decolleirinlios de papel de cores e brancos.
Tambcm ha completo sortimento dos de esguio.
Calcas.
Caigas de superior brim pardo a 2300.
Cambraia branca.
Superiores cambraias brancas a 5S e 73 a peca.
Cambraia branca para forro a 320 e 400 rs. a vara.
Lias.
Laas de bonitas cores a 480 rs. ao covado.
dem para lulo a 560 rs, ao covado.
A OEM NOS LER
Todas as semanas reformamos o nosso annuncio, annnnciando ao publico novas
fazendas e novos precos e nao como muitas pessoas supj.Se sempre ser as mesmas b-
zendas.
arro- x
a libra
propria para negocio, a
[Ditos com sal refinado fino, a 640 c a 500 rs.
I Ditos com a verdadeira genebra delarauia. a
1*000.
[Ditos de2 garrafas de Hollanda verdadeira.a
640 rs.
Botijas cora dita
400 rs.
iGarrafoes com 2 galo"es com dita, a 6*.
iServeja boa,marca, a 500 rs. a garrafa, e al
duzia a 60000.
'Vinho moscatel de Setnbal, a garrafa a 1*.
Marrasqmnlio verdadeiro,frascos a 8GC rs. e
i a 13200.
Champagne, a duzia 20*000, e a garrafa a
, 2*000.
> Azeite refinado portuguez e franeez.a garrafa
* a 15000.
Caixa de vinho Bordeaux muito superior, a
75, 83, 93 e 103 a caixa.
[Ditas com dito branco, a 73 a caix-..
, Ditas com dito lagrimas do Douro verdadeiro,
a 203-
* Ditas com duque do Porto verdadeiro,"a
18-5000.
Ditas com chamisso superior, &li*.
f Ditas com Porto velho e outras muitas mar-
cas, a 12*.
>Vinho do Porto da pipa, a garrafa a 640, 720
( e 800 rs.
Dito de Lisboa muito bom, a caada a 33200,
l 33500 e 43, e a garrafa a 500 e 560 rs.
(Dito da Figneira, dasseguintes marcas fX.)
(J. A. A.) (J. L. G.) (O. M.) a caada a
> 43500, e a garrafa a 560 e 640 rs., deste
[ que j est engarrafado e lacrado com o
' rotulo do armazem.
Ditosde marcas mais desconhecidas, a cana-
i da a 33500 e 43000, e a garrafa a 480 e
520 rs.
sVinho branco fino, agarrafa a 640rs.
IDito de caj muito superior, a garrafa a
800 rs.
850 rs. i
Dita para tempero a 400 rs.
Queijos. ,
Oneijos novos vindos neste vapor a 2*800 c<
" 33000.
Ditos londrinos mnito novos, a libra
1*000.
Papel.
! Papel almaco paulado, a resma a 43800.
Dito dito lizo de linho, a resma a **->00.
Dito de peso lizo e pautado, a resma
23500.
Dito deembrulho.bom a 13 e 13200.
Vinho Madeira.
Garrafas com o verdadeiro vinho Xerez e Ma-1
deira a 13500 e 25000. 1
Temperos.
Folhas de louro, piraenia do reino, cominho
e cravo, a libra a 400 rs. I
Velas de carnauba.
Massos com 6 velas de carnauba refinada a,
480 rs.
Amendoas.
Amendoas cora casca, a libra a 320 rs.
Doce.
Caixoes de doce de goiaba, grandes a 1*400;
e pequeos a 640 rs.
'fijlos de limpar.
Tijolos de arear facas a 140 rs.
Graxa.
Duzas de boioes de sraxa n. 97 a 2*000, e'
de latas a 13000, e os boioes a 240 rs. ca-1
da um, e as latas a 100 rs. |
Charutos finos.
Charutos finos dos melhores fabricantes da,
Bahia por diversos precos, caixas e meias^
caitas.
a4CIIIN4SBEP4TENT
de
trabalbar mo par:
descar-ocar aigodo
FABRICADAS
Por Plant Brothers & C,
OLDAS
Estas machinas
podemdescarocar
\qualquer especi
de algodao sem
i,'estragar o fio,
ySLUr"'*"4 sendo bastante
M
l^^ duas pessoas para
o trabalbo; pode
descaro^ar urna
arroba "de algo-
dao em carocc
em 40 minutos,
ou 18 arroba
por dia ou 5 ar-
robas de algodc
tirapo.
E grande quantidade de gneros tendentes
estes estabelecimentos, que deixam de an-
mmciar-se.
N. 11Ra do QueiniadoN. 11
LOJA DE FAZENDAS DE
Augusto Frederico dos Santos Porto.
Chegou a este e?tabelecimento um grande sortimento de cortinados bordados para
camas fazenda de mnito gosto.
Chales de guip muito finos para 223, 253 e 30*.
Colxas de seda superiores de diversas cores para camas de noivas.
Colxas de lia e seda para cama tambem de bonitas cores.
Rotondes de guip enfeitados cora o melhor gosto.
Setim de Paris bella fazenda e de bonitas cores para vestido a 700 rs. o covado.
Moureaotlque branpo e preto, grosdeoaple preto e de edres, pannos pretos de todas
as qualidades, ditos azii"s.
Casemira preta e de cores, merino preto, silistrina, bombazinas, alpacas pretas, e
laa preta para lutos.
Malas, saceos e boleas de tapete, verniz e couro de 4* a 115.
Brins de linho de cores finos a 13800 a vara.
Chapeos e chapelmas de palha de Italia para senhora, manguitos bordados, chapeos
de seda para hornera, chpeos de sol de seda, esgnio de linho, cambraia de linho, breta-
nhas, silesias e muitas outras fazendas que se veadera por commodos presos assim como
tambem
Esteiras da India para forrar salas
A \$ 109OO e 10&OO.
Leqnes de osso, ultimo gosto, a 1*.
Ceroulas de meia a 1*200.
Diitas muito finas a 1*500.
S na ra da Cadeia do Recife n.ff
Vende-se urna burra de ferro
em perfeito estado e por commodo
na ra do Apollo n. 20.
grande
preco :
Farelo
a 4* a sacca, das maiores que ha : na ra larga
do Rosario n. 50, taberna da esquina.
Lagcda para calcadas.
Vende-se muito bom lagdo para calcadas ear
mazens chegado agora : a tratar n ra do Apollo
n. 4.
Assim como machinas para serem movidas por
animaes, que descansara 18 arrobas de algodao
iimpo, por dia; e motores para mover urna, duas,
eutrjs dessas machinas.
Os mesmos tem para vender um bellissimo va-
por que pode fazer mover seis destas machinai
mencionadas ; para o que convida-se aos Srs.
agricultores a virem ver e examma-lo, no arma-
zem de algodao, no largo da ponte nova n.47.
Saunders Urolhers & C.
%. II, praca lo Corpo Manto
RECIFE.
Os aicos agentes neste paiz.
Vovidadcs da leja e annazcm de fa-
zendas 6 roupas fcit;is nacionaes roa
da Imperatriz n. 72. de Guimares
k Irmo.
Aproveitem as pechinchas
que se estao liquidando por todo prego, vejam :
chitas largas a 260,280 e 300 rs., ditas percahas
a 360, 400 e 440, cambraia organdys muito floa a
300 rs. o covado, e muito superior a 320, 360 e
400 rs.: isto s na nova toja de Guimares & Ir-
DBO.
Esto se acabando.
Laazinhas-escocezas a 240,280 e 280 o covado.
E' muito barato.
Cortes de la muito superior com 15 covados
pelo barato preco de 5* e 5*500, isto s para aca-
bar, bretanha de rolo a 3* e 3*200 a peqa, mada-
polo francez enfestado a 3*, 3300, 3*500 e 43,
dito sem ser entestado com 27 jardas a 43500, 65
e 6*500, dito muito superior marcas muito acre-
ditadas a 73,7*500, 8, 9* e 10*. algodao de to-
das as marcas assim como seja marca T e carne
de vacca, sicupira e pao ferro ludo isto por pre-
cos baratsimos s para liquidar e apurar dinhei-
ro : isto s na nova loja e armazera de Guimares
& lrme, ra da Imperatriz n. 72.
Grande sortimento de babadinhos
e entremeios pelo barato prego de 800 a 1* a
peca.
Lencos de cores e brancos
muito proprios para homens e meninos a 13600,
2, 2*500 e 3* a duzia, ditos de linho a 4-3x00,
5*, 55500 e 6*.
Grande sortimento
de colxas de fuslao de todas as cores a 5*500 e
6*, ditas de chita a 1*900 e 2*, ditas de laa a
1*600.
E' muito barato.
Grande sortimento de soulembarques muito bem
enfeitados a 5* e 53500, ditos de grosdenaple a
18* e 20*. lanhaa de urna s cor a 480 o cova-
do, ditas muito propria para camisas sendo de lin-
dissimos padroesa l*e 1100 o covado : s na
nova loja de Guimares & Irmo, ra da Impera-
triz n. 72.
Grande sortimento
de roupas feitasquese vendein muito baratoafflan-
cando-se qne se vende por menos 20 por cento que
em outra qualquer parte, quem duvidar venha ver
Na nova loja de lazeodas de Guimares
k Irmo.
Rita da Imperaariz n. 99.
Piche do gaz e verniz do gaz.
Vende-se piche do gaz, verniz do gaz e estopa
da trra : no armazera da bola amarella, no oilo
da secretarla da polica.
Vendem-se seis predios para pagamento de
dividas : sendo duas casas terrreas novas na ra
da Concordia, duas.ditas na ra da Prsia do Cal-
deireiro, duas ditas na ra do Gaz: a tratar na
ra da Concordia n, 73.
Chitas largas a 240 rs.
Vendem-se chitas largas, padroes escuros es-
cocezes, pelo barato preco de 240 o covado. ditas
e-curas e claras a 2KO, 300 e 320, ptwriM cora
lindos desenlies miudinhos e grandes VDri. o
covado : na loja e armazem do Pavc, ra da Im-
peratriz n. 60, de Gama X Silva.
As laziclias do Pava a MI rs.
Vendem-se as mais modtruis lazi.v.as transpa-
rentes de quadrinhos e lislrinhas, e lisas, sendo
com as cores mais novas que tem vindo ao merca
do, pelo baratsimo preco de 200 rs. o covado. di-
las da mesma fazenda rom palminhas de seda a
240 o covado, isto i grande pechincha s para aca-
bar o resto desta fazenda : na loja e armazem do
l'avao na ra da Imperatriz n. t>'\ de Gama &
Silva.
s lazinlias mornmhiqnes a 240, ia
loja do Pav^
Vende-se para acabar, o resto da lazinbas ao-
cambiques, pelo barato ;ircco de 240 o corado, sea-
do fazenda que sempre se vendeu por muito mais
dinheiro : na loja c armazem do Pavo, ra da
Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Novas lazinbas Gariltaldias, na loja
do Pavo, a 320 rs
Vendem-se as mais modernas lazinha; Ganbal-
dmas com delicadas cores, lendo entre ellas besi-
tos padroes escuros que MM servir para sono-
ras que esto de Into a 320 o covado : aa loja do
Pavo, ra da Imperatriz n. 60, de Gama & Mlva.
Os chale> do Pava, a 2$000
e3$o00.
Vendem-se chales de merino rom barras de eo-
res a 2*, diles lisos, fazenda n,aito i.a, leudo de
todas as core?, sendo azul, branco, verde, amarrl-
lo, encarnado e preto, pelo baratsimo preco do
3*500, sendo fazenda oue sempre se venden a 5* :
isto na loja e armazem do Pavo, roa da Imoera-
triz n. 60, de Gama & Silva.
onilos cortes para vestidos a 3,000
na luja do Pava.
Vendem-se os mais bonitos cortes proprios para
vestidos, sendo transparentes, e sendo fazenda aova
no mercado, tendo 7 112 varas cada corte, coa
muita largura e muito bonitos pidroes rom hsiras
> e lisos, sendo fazenda que serve para as-btir a
' qualquer divertimento, e grande pecbocha, pelo
! baralissimo prego de 3* cada corle : na loja do
f avo, ra da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Crinolinas ou bales a 26300, 3-j t 3-5-O*
Vendem-se os melhores bales, que sao os ame-
ricanos, pelos baralissimos precos de 23500 com
20 arcos, de 33 com 25, ditos a 350ii com .
idem para meninas a 2*500 cada um, ditos de aoa-
no para senhoras, por barato preco : na loja do
Pavo, ra da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Os lencos dt Pavo a 2* e i>m.
Vendem-se duzias de lencos brancos fiaos a 2*,
ditos tinissimos com duas cercaduras, sendo ama
branca e outra de cor, muito delicadas, pelo bara-
lissimo preco de 2*500 a duzia : islo na loja do
i Pavo, ra da Imp> ralriz n. 60, de Gama A Silva.
Hicos lenca bardado*.
Vendem-se os mais ricos lencos de fil de linho
bordados com (las palmas para ca oca, pelo ba-
| rato preco de 640 cada um : aa loja do Pavo roa
da Imperatriz n. 60, de Gama A Silva.
Panno prete a 2*000.
Vende-se panno preto fino muito superior, pelo
; barato preco de 2* o covado, por baver frraade nor-
1 cao : na loja do Pavo. ra da Im|>erairiz n. 80.
Carr mi ras enfestadas a 4* corte.
Vendem-se casemiras pretas entestadas a 4* o
corle, cortes de ditas de cores a 5*. mnito boa fa-
zenda : na toja do Pavo, ra da Imperatriz o. M>,
de Gama & Silva.
Algodozinh barate.
Vendem-se pecas de algodozinho, sendo marra
T com 20 varas a 6*. ditas de differenles marcas
a 4* e 4*'C0, 5* e 6*, garantindo-se que lana-
da que val muilo mais dinbetro : apnram-se por
estes precos na loja do Pavo, roa da Itn^eraam
n. 60, de Gama & Silva.
Esparlhss a 5 e a 6-5
Vendem se espartilhos com as comneteale* Han
para apenar a 53 e 6* : na loja e armazem do Pa-
vo, ra da Impi-ratrz m.60, de Gama & Silva.
Vestidos a 2*S00.
Vendem-se cortes de cambraia branca com bar-
ras c babados a 2*500, ditos de cambraia branca
rom salqicos a 2*500 e 3* : na loja do Pavo, roa
da Imperatriz n. 60, de Gama & Silra.
Son (embarques a ;-M00.
Vendem-se soulembarques de liazinha de enr a
5*, 63 e 73, ditos pretos de grosdenaples capas
ricas bordadas f-or precos muilo razoaveis : aa
loja do Pavo, ra da Imperatriz n. 60, de Gama
& Silva.
Calungas flnos e feria
para menlnea.
Uiegaram para a loja de miudezas da roa do
Queimado n. 69, os mais flnos e liados caloagas
tanto para bnnquedo de meninos como para
de mesa : na mesma loja se eaeooirari boa
tmenlo de tniudezss.

i


QMlIMHMMHnmi
Diarlo de PernambHco rcr?a felr 8 de Agosto de 186*.
I
.

0 NOVO GERENTE
DO
&*&
AO PUBLICO
Sem o menor consli-an-
gimento se entregar o
importe do genero que
nao agradar.
ATTENCO
O presos da segninte
tabella 6 para todos, pu-
dendo asslm servir de ba-
se para o ajuste de contas
com os portadores.
RA DA CADEIA DO RECIFE N. 53
(Logo passando o areo da Concel$5o)
PARA BEM DE TODOS.
ESTABELECIDO A RA NOVA N. 60
AO
RESPEITAVEIi PUBLICO.
A apreciado dos habitantes desta heroica provincia existe no grande arma-
zrm da Liga estabelecido ra Nova n. 60 um magnifico sortimento [de molhados,
que sendo em sua maxim i parte mandados vir directamente do estrangeiro^podem ser
vendidos por precos asss razoaveis.
Sem a fatuidade de querer que este novo e interessante estabelecimento seja o >roIS sera0 tao bem servidos como se viessem pessoalmente, havendo para com estes toda recommendacao, afim
primeiro e nico em seu genero, pde-se porm .ilfiancar, com toda a seguranca de que' ,e*
Senhore?
Grande exposicao de fa-
zendas.
Que esli a venda, na laja e arroaz, n da \ra-a
ra da Imperatriz d. L-urtu'-o l\reir
I des Guimares.
LAZINHAS A 240 R^
LAZIXHAS A 20 R.. f '
LAZIXHAS A 2i0 Rs. !
Ha om grande linimento de lazulita*
rhegadas pelo ultimo vapor. tn.i
-1 quaesquer loj.i vende a 4C0 i>., i...
na toja da Arara pelo diminu i
o covado.
; MADAPOI.O COM 21 JARDAS A ',.:,
MADAFOLAO COM 24 JARDAS A J*
vende-se madapoln com 24 ,-..,.
: rio se qne lem 20 varas, ido
4,5800, sm>, 000 e 6#)00
BRETANHA DE ROM COM .. ,-';
A 2,5*00.
\ende-se bretanha de rolo a ^-oo a **. *>
Mendes Goiroaraes. ^
MADAPOLO EXFFSTADOA &>*# -o^a
E 4JU0O.
MADAPOLAO EXFESTADO A UU UM
i E 4*000.
Vndese madapolao mirlado u-;.,
preco de 3*. 3*500 e 4 a M ra
e vr
j lira*,
nenhum outro o exceder no restricto cuniprimento das seguintes promessas:
V Delicadeza no trato.
2.] Fidelidade no peso.
3.* Sinceridade nos precos.
As pessoas que por sua posico social gozara de certo tratamento, acharo nesta
casa os raelhores queijos londrinos, cerveja, vinhos inissimos manteiga e cha sempre de Cha perola o mais superior do mercado a
primeira quadade. etc., etc. 2,800 rs. a libra.
Qualquer que seja a condicao do freguez, elle deve contar que ser sempre mui-'ldem hysson muito superior em latas de lo
to bem servido. j libras muitoproprio para negocio a 2,ooo
Aquelles que sao pouco favorecidos da sorte farao mensalmente urna economa de i rs. a libra,
moitas patacas, afreguezando-se nesta casa, onde se lhes vender o arroz, o caf, a man- dem hysson nacional em latas de 1 e 2 li-
teiga oassuwr, etc., etc. de boa quadade pelo proco que em algumas partes nao po-j bras a I.Goo rs.
dem ou nao querem vender. j dem preto o que se pode desejar neste ge-
Os senhores de fra da cidade, dos arrebaldes ou centro, que compram para ne-: ero a .ooo e 2,2oo rs. a libra,
gociar, devem vir, pelo seo proprio interesse, a este estabelecimento para se convence- Linguicas milito novas a 800 rs. a libra e em
rem do quanto se pode vender barato. | barril se faz abatimento.
Para os senhorvs que compram para tornar a vender existe um sortimento pape- Chouricas e paios a 800 rs. a libra,
cial, escolhido por pessoa entendida que certameote muito deve agradar aos senhores! Costelletas inglezas a G4o rs. a libra, serve
compradores. para temperar panella ou para fiambre.
Nao se tem poupado sacrificios, nem se deixar de fazer a diligencia para agr- Queijos do reino chegados neste ultimo va-
dar a todos. por a 2,2oo rs., ditos de navio de vella a
PELOS SEGUINTES PRECOS SO SE,VENDE *
A DIMIEIRO A VISTA:
e
nhoras, o aceio qne presidio aos arranjos deste novo estabelecimento, e mais que'tudo a promptid5o e intei- v d0L,:l,AS daMasc*Da*" i
ezacom que sero tratas wnvida a urna visita ao mesmo, certos de que sem duvida me daro a protecco e preferencia na et ** ra dos gneros que prec sare e quando nao possam vir poderao mandar seus portadores, anda que estes sejam pouco praticos l]*m' di,* d dama* a kaS \
de que nao vao em ^J^S'lf-* C a '
mazem na Arara n. ali. wnu Ga 1 ..
Alema, macarro e tall.arim a 4oo rs. a li- Sal refinado em frascos devidrocom lampa! S axezaI ViVS *
bra e O.ooo a caixa. do mesmo. a Son rs H_ 3 Hs. o covado.
Minteiga ingleza especialmente escollada a
l.ooo e 800 rs. a libra e em barril se faz
abatimento.
dem franceza a mais nova do mercado a 96o
rs. a libra e 900 rs. em barril ou meios.
Cha hysson de superior qualidade a 2,600
rs. a libra.
-------------(M.or.-ti'O.
\ende-se rambruas brama? de.--, l-Jr.
35,000 rs.
Vinho em pipa : Porto, Figueira e Lisboa a
32o, 4oo e 3oo rs. a garrafa, e em caada
a 2,5oo, 3,ooo e 3,8oo.
Vinho branco de Lisboa de excedente quali-
dade a 4oo e 000 rs. a garrafa e em cana-
da a 3,000 e 3,5oo.
Vinho branco para missaemcaixas de 1 du-
zia a 8,000 e 680 rs. a garrafa.
Vinho do Porto das melhores marcas que
vem ao mercado como sejam : Lagrimas
do Douro, Duque do Porto, Rainha de Por-
tugal, Duque genuino, D. Luiz I, Madei-
raSecca, Malvazia fina a 16,ooo, lo,000,
12,ooo e lo,oooacaixacom 1 duzia e9oo,
l.ooo e l,5oo rs. a garrafa.
I Vinho Cherexile superior qualidade al 6,000
dem londrinos muito frescos e de superior a duzia e l,5oo rs. a garrafa,
qualidade a 800 rs. a libra. 'Sardinhas de Nantes a 4oo rs. os quartos e
Cerve^n^das^cas mais acreditadas | ''SSSis KT
que \em ao mercado, a 5o0, 56o e 64o'aPfCa 'ambem baum (rar.de >on
a garrafa, e 0,800, 6,000 e 6,000 a du- ^'i.1'",".03" <|ue fe V|l!l'
para zia. i'*- b e '& p'ca-
CHALES DE MERI.Xm i
Lentos de eaabraia con: l., ra di
duzia, ditos de dita branco 2 tfMt .< Je
J, i Mendes GotmataV
Massapara sopa : estrelinha, pevide e rodi-
uha branca ouamarella a 64o rs.a libra e
3,oop a caixa com 8 libras.
Vinho do Porto muitu fino proprio
engarrafar, em ancoretas de & caadas a Cevadinha de Franca muito nova, a 2oo rs. I
Charutos do affamado fabricante Jos Fui ta- a
do de Simas, das seguintes qualidades: zia
ta-
a lata, e
2i$000 e
ALPISTA a 120 rs. a libra.
dem e painco de oito libras
100 rs.
Arroz de 90 rs. a libra a......
Amendoas, casca molle, a 28o rs. a libra.
Avellas a 240 rs. a libra.
Ameixas francezas em latas de todo- os
manhos.
dem idem em potes de todos os tamanhos.
dem idem era bocetas de todos os tama-
nhos.
dem idem era frascos de todos os tama-
nhos.
Azeite doce de primeira qualidade a 560 rs,
a garrafa.
Ai.hos a 200 rs. o molho.
AiisvNTHO a 2^000 a garrafa.

BOLACUINIIAS do Beato Antonio em latas
grandes e pequeas.
dem do Principe Alberto a 2#000
de cinco para cima a 15800.
dem de so-la em latas grandes a
de cinco para cima a 15800.
Biscorros inglezes de todas as qualidades a
15200, 15230 e15300.
Bolo francez em eaixinLas a 300 rs. cada
urna.
Batatas inglezas.
Baniia de porco refinada.
C
CHOCOLATE francez a 700 e 800 rs. a li-
bra, e era porcao a 600 e 700 rs.
dem suisso a 15 a libra.
dem de musgo a 1500 a libra.
Choi'ricas muito novas a 800 rs. a libra.
Caf a 240 e 260 rs. a libra, e em porcao
se far abatimento.
dem de primeira qualidade a 75000 a ar-
roba.
Conservas em frascos a 320 rs. cada um,
sao muito novas
dem inglezas, frascos grandes.
Champagne de todas as marcas.
CiiAr.oi'E de grosella, orchaia, etc., etc.
Chicaras e pires a 15800 a duzia.
Cerveja da superior mar ja Tenente a 300 rs.
a garrafa, e em duzia se faz grande aba-
timento.
dem Victoria Bas tres X e de outras marcas.
Charutos das mais acre litadas marcas, co-
mo sejam : Normas d'Havana, ExposicSo,
Flor co Brasil, Parisienses, uelicias, Gua-
nabaras, Trovadores, Itegalia, Mississipes,
Panetellos. Apraziveis. Varetas, Brasilei-
ros. Americanos, Fluminenses.
Cn de todas as qualidades e de todos os
precos, hysson, huxim, aljfar, preto, e
preto pona branca, ote, etc., a 25000,
252')0,21560 e 5800.
Copos lisos de lodos os tamanhos de 120 a
320 rs.
dem lapidados de todos os tamanhos a du-
zia a 255'00, 35300, 45 e 35.
Clices de todos os tamanhos.
Cognac superior a 15 e 15300 rs. a garrafa.
Cigarros do Rio, pardos, a 80 rs. o maco
de cineo macinnos.
urna.
Graixa em latas, muito nova, a 80 rs. cada Idem pratoa 800 rs. a libra, e inteiro se faz
abatimento.
dem suisso o mais superior que tem vindo
ao mercado a 64o rs. a libra.
Ervilhas e favas portuguezas j preparadas
em latas hermticamente lacradas a 64o.
Feijao verde muito superior a 640 rs. a lata.
para cima a I u
i KIRSCH oe Wasser a 25 a garrafa.
64o rs. as meias latas.
Bolachinhas inglezas muito novas a 5,ooo a
barrica e 320 rs. a libra.
Bolachinhas de soda em latas de diversas
qualidades a l,3oors.
Cartoes com bolo francezmuito proprios pa-
ra mimo a 64o rs.
Copos lapidados para'agua a 5,ooo e 5,5oo Passas muito novas em caixinhas enfeitadas
_: rs.a duzia. para mimo a 3,ooo rs.
qualidade a 15, 15120 e 15280,'em bar- Wem idem para vinho a 2iors.,e 2,4oo rs. Passas de carnada a 8,000 a caixa e 4oo rs.
LATAS com graixa a 80 rs. cada urna.
Letria a 400 rs. a libra.
II
.MANTEIGA ingleza e franceza de primeira
ril se faz grande abatimento; a que ven-
demos por 45280 a libia, vende-se em
outra qualquer casa por 15400 e 15300.
Marmixada dos mais acreditados fabricantes.
Macarro e talharim a 320 rs. a libra.
Massa de tomate a 600 rs. a lata.
Mostarda ingleza a 800 rs. o frasco.
M01.no iNGi.Ez de todas as qualidades.
Marrasqci.no verdadeiro de Zara a.....
Massas finas para sopa branca e ama re la a
60 rs. a libra, em caixas com 9 libras a
35300.
Mu.no painco e alpista, sendo mais de 8 li-
bras a 100 rs.
m
NOZES a 120 rs. a libra.
rAnos cm latas a 800 rs.
O
OsutAS inglezas e americanas.
V
PEIXE em posa, latas grandes, a 15C00, de
todas as qualidades, como sejam savel,
goras, corvina, parg, salmo, pescado e
* pescadinha, linguado, sardinha. etc., etc.,
Peias em latas, excellente preparaco.
Palitos para dentes a 120 rs. o mago muito
grande.
Passas em quarto a 15400.
dem muito novas a 400 rs. a libra.
Pomada muito nova a 280 rs. a duzia.
I
QUEIJOS flamengos.
dem prato a 800 rs. a libra,
dem su'issos a 800 rs. a libra,
dem londrinos a 800 rs. a libra.
Qi'ARTiNiiAs ou MORiNQUES a 65, 85 e 105 o
par.
R
RAPE' Meuron a 15 a libra,
dem Princeza do Rio a 15200 a libra,
dem francez a 25300 a libra.
SABO massa a 160 rs. a
faz abatimento.
Sai. refinado em frascos a
Salame de Len a 29.
Sardinhas de Nantes de todos os fabricantes,
dem de Setubal em latas muito grandes a
a duzia. a libra.
Chocolate francez hespanhol e suisso a 9oo, Figos de comadre a 24o rs. a libra.
l.ooo e l,2oo rs. a libra. Amendoas de casca mole a 4oo rs. a libra.
Espermacete superior a 6oo e 64o rs. a li- Milo de amendoas a 5oo rs.
bra e em caixa se faz abatimento.
Peixe em posta em latas hermticamente la-
cradas e das melhores qualidades de pei-
xe a 8oo, l,ooo e l,2oo rs.
i Vinho Bordeaux das marcas mais acredita-
Bolachinha d'agua e sal, da fabrica de Joo
de Brito no Beato Antonio, em lata de 6 li-
bras por2,3oors.
Ameixas francezas em frasco de vidro com
tampa do mesmo, a I5ooo.
Exposigo Normal de^Havar.a JmperiaeV, i vende ?S;V! B!!,M m;l
Londrinos, Guanabaras, Parisienses, Bo^LWjWfBAftt, \
piros Delicias, ""- c.~a
. a 4,ooo, 4,5oo, o.ooo,
6,ooo e 7,ooo a caixa ou em meias.
Charutos finos de diversas marcas e fabri-
cantes, como sejam: Flor do Norte, Ma-
nilhasde Havana, intervallos. Vencedores,
Panatellas e Suspiros, a 2,ooo, 2,5oo e
3,ooo a caixa.
ognac ingle/ das melhores marcas, a 8oo e
I,2oo a garrafa.
Doce da casca de goiaba a 2,ooo a lata con
4 libras.
Farinha de araruta verdadeira a 32o rs.
libra.
Matte,excellente cha para os navegantes,
2oo rs.
Sebollas de Franca muito grandes e novas
a l,8ooo cento e l,2oo solas.
Palitos do gaz a 2,2oo a grosa.
Toucinho de Lisboa muito novo a 32o rs. a
libra e 8,5oo a arroba.
Banha de porco refinada a 63o rs. a libra.
Bolachinha Alberto, as melhores que pre-
sentementetem vindo ao mercado, a 2,ooo
a lata.
Farinha do Maranho muito alva e cheirosa
a 2oo rs. a libra.
Frascos com fructas em calda de diversas
qualidades a 2,5oo c l,3co o frasco.
Caixinhas com fructas em doce secco de di-
versos tamanhos, muito proprias para
mimo, a l,6oo, 2,6oo e 3,ooo cada urna.
Ruibos, excellente peixe portuguez, em
barris pequeos ou a retalho, a vista se
far o prego
:-< i
I
libra, em caixa se
300 rs.
das que vem ao nosso mercado a 7,ooo e Ameixas franc zas em caixinhas de diversos Azeitonas de Rivas em ancoretas grandes de
8,ooo a caixa e 64o e 7oo ris agar-; tamanhos com bonitas estn pas na ca- 8 garrafas por 6oo e 8oo rs. a garrafa.
rafa.
Genebra de Hollanda a 48o rs. a botija de
conta certa.
Frasijueirasde genebra de Hbllanda a-6,8oo
e 64o rs. frasco.
Genebra de laranja verdadeira em frascos
grandes a 1,ooo e l.ooors. a frasqueira. Conservas inglezas
Caf do Rio de Ia qualidade a 28o rs. ali- 8.500 a duzia.
bra e 8,5oo rs. a arroba. < Vassouras de escora para esfregar casa a
Caf do Cear muito superior a 24o rs. a li- ( 4oo rs.
bra e 7,3oo rs. a arroba. Nozes muito novas a 16o rs. a libra.
Arroz do Maranho de Ia qualidade a loo Molho inglez em garrafa de vidro comrolha
rs. a libra e 2,8oo a arroba. do mesmo, a 16o rs.
dem da India a loo rs. a libra e2,8oo a Mostarda ingleza dos raelhores fabricantes,
arroba. i a 8oo rs. o frasco,
dem de Java a 8o rs. a libra e 2,4oo a ar- Mostarda franceza em potes j preparada a
roba. 4oo rs. o frasco.
Paingo e alpista a 14o rs. a libra e4,oooa Lentilhas francezas, excellente legume para
aiToba. j sopa, a 2oo rs. a libra.
Massa de tomatesde superior qualidade a 64o Marrasquino de Zara propriamente dito a
15 a garrafae 1 l.ooo a duzia.
rs. a lata de urna libra c56o rs. a reta-
lho.
xa exterior, a l,4oo, l,6oo, l,8ooe2,ooo Azeitonas portuguezas a ooo rs. agarrafa e
cada urna. l,5oo cada urna ancorela.
Azeite doce refinado hespanholou portuguez Champagne da melhor qualidade que vem
a Ooo rs. a garrafa e lo:ooo a caixa. ao mercado, a 2,ooo e 3,5oo a garrafa, e
Batatas muito novasa 8o rs. a libra e2,5oo 24,ooo e 26,ooo o gigo.
o gigo com 36 libra-. Gomma de engommar muito alva a 12o rs.
a 7oo rs. o frasco e a libra.
Figos em sextinhas a 8o rs, cada urna e 72o
rs. a duzia.
Papel azul para botica a 2,ooo a resma.
Balaios para roupa suja, grandes e peque-
nos, por diversos precos.
Amendoas confeitadas a 64o rs. a libra..
Latas com fructas em calda: pera, pecego,
damasco, rainha Claudia e cereja, a 8oo
rs.
Vinagre de Lisboa a 2oo e 28o rs. a garra-
fa e a l,4oo e 2,ooo rs. a caada.
Azeite doce de Lisboa a 4,8oo rs. a caada
e640 rs. agarrafa.
Vinagre branco engarrafado a 5oo rs. a
garrafa.
GniDiaiaes.
Soulair.barques de rres, vend i
dnos grcHlenaple |,reto, api ,.
fara prero.
PALITO'S DE ALPACA Mi.A.V ,,-., .,
. PALITOS DE HU DE LIMII
Enireireio Iransiarenles a Mi i a
a \,, ditos para babado a lCCO mu vI.
ROUPAS FEITAS
RUl'PAS FEITAS
ROIPAS FE1TA&
Vendem-se nm soriimenlo de ^
todas as qualld.-irtes, que a nl.....Dfr.. t>
outras muilas mais fazendas que h tx-r t
annunriar, ra da Imperan z n. 56, M-r 6a-
mares.
PASTLHtS
VERMFUGAS
.i .:r
ni jj
Pr. ,a-
Palitos de dente a 14o rs. o mago.
720 rs.
Stearinas a
600 rs. o mago.
T
para bomem a
a 500 e
TOUCINHO de Lisboa a 320 rs. a libra.
Tomate em latas a 600 rs.
Tinta azul e preta para escrever.
DOCES de todas as qualidades: brasileiroe, v ,_ M .
portuguezes, inglezes, franoezes, etc. etc-
E
ERVILHAS seccas a 120 rs. a libra.
ervadoce a 400 rs. a libra.
Duzias de raeias cruas encorpadas
3000.
Grozas de botoes madreperola finos
eC40 rs.
Caixas cora 50 novellos de linha do caz a 700 e
900 rs.
Caixas com superiores obreias de cola a 40 e 80 rs.
Pecas de fita branca elstica com 9 varas a 280 rs.
Varas de franja de lu para entones de vestidos a
40 rs.
Baralhos dourados superiores qualidades a 400 rs.
Novellos de linha com 400 jardas a 80 rs.
1.1'ms para assentos de roupa lavada a 100 rs.
55000 a gar- Pares de botoes para panno, fazenda rica a 120 rs.
Tesouras para costuras superiores qualidades a
400 e 15.
Caixas de pennas de calligraphia, fazenda boa a
Lagrimas do Douro a 15500 a garrafa. i 1*000.
Duque do Porto verdadeiro a 25 a garrafa, i Massos cora superiores grampos a 30 rs.
Duque a 15 e 15500. Pares d "* AeA lraDa e ,aPete a W*>- ..
Pares de sapalos de iranga para meninos a 11 e
V
V1NH0S1
I
Principe Alberto, de 1831, a
rafa ; d vida aos velhos.
RIVAL
Riaa do Uueisnado us. 49 c .
Contina a vender todas as miudezas que abaixo
declara por precios admiraveis.
Massos de palitos lixados jiara dentes a 100 rs.
Espellios de molduras douradas a 00,240 e 320 rs.
Boneis de oliado para meninos a 15000.
Ditos de couro superior fazenda a 1,5500.
Frascos cora superior tinta rocha a 240 rs.
Meiadas de linlia roxa para bordado a 20 e 60 rs.
Babado do Porto, fazenda boa, vara a 80, 100 e
140 rs.
Varas de franja branca estreita a 40 rs.
Caixas com 100 envelopes, fazenda fina a 600 rs.
\zeite doce
da Liga.
refinadoem pequeas latas a 560 rs. a garrafa : no graudt armazem
3WSV
Saceos de 80,100 e 120 libras a 45,45500 e
mmm>
55 ; no grande armazem da Liga.
: ianbcg lar m mmmWmm*! :
P
HINCHA SI
Madapolao muito fino com pequea toqne de avaria, por preeo que admira : na
das columuas na ra do Crespo n. 13, do Antonio Correa de Vas'concellos & C.
toja
i 5280.
Caixas com superiores aguihas a 240 rs.
iChamisso a 15, 15200 e 15500 a garrafa.
_ b. Luiz a 15 a garrafa.
I Moscatel verdadeiro de Setubal a 25 a gar-1 Lib/as de la ortidas de bonitas cores a 75000.
r..ra ; Caixas com superiores obreias do massa a 40 rs.
FARINHA S S S de 8 libras para o o isIum x. I a 20 rs.
Colares a 900 rs. a garrafa; o nico f i- Resmas de papel aimaco a 25400 e 25800 rs.
nho que se pode beber por nao ter com- Resmas de papel de peso fino a 25000.
nosirn almna I gscovas para roupa, fazenda boa a 720 e 15-
ptigao diguma. Dnzias de ,egouras corn t d ferrugem a
Lanterne a 800 rs. a garrafa. 600 rs.
bordean* Medoc a 800 rs. a garrafa. Dazias de facas e garfos de cabo preto a 35000.
dem S. Julien a 600, 800 e 15 a garrafa. | Ta'"eres muito fino para criangas a 240 rs.
Absyniho a 25 a garrafa.
Kirsch a 25 a garrafa.
rs. a libra.
dem de araruta a 320, 400, 500 e 800 rs.
Figos de comadre a 160 rs. a libra.
Feijo verde em latas a 600 rs.
Favas em latas a 600 rs.
Fumo do Rio a 500 rs. a libra.
dem americano em latas a 25.
Farexo hsr sempre em deposito de 500 a i
800 saceos, de todas as qualidades, de to- Wermouth a 25, e a caixa a 185.
dos os tamanhos e de todos os precos. Bitter Maurer a 15 a garrafa,
Chegaram os superiores
cortes de seda.
Superiores cortes de seda de cor, vindos pelo
ultimo vapor francez: Da loja das columnas a ra
do Crespo d. 13, de Antonio Correia de Vascon-
eellos 4 C.
INSTRUMENTOS.
Loja
Grande sortimento de roupas feitas de to-
das asqualidades,
Calcas de casemira a 65 e 75500, ditas pretas a
65 e 85, cairas de ganga a 25 ,15800 e 15600,
ditas brancas a 25, brim de tinto a 35, 35500 e
45, paletots do alpaca branca a 45500, ditos pretos
a 35 e 35500, ditos de alpaca de cordo a 45. e
de listra de seda a 45500, ditos sobrerasacos a 55-,.
paletots de casemira a 55, 55500, 65. 85 e 95,
ditos sohrecasacos pretos a 125, 15 e 165, ditos fi-
nos a 255, de cores a 135, ditos fraques a 145,'
paletots de ganga a 35, 25500 e 25, ditos de brlm
[.ardo a 35, jaquet5es de brim pardo a 35, panno acaba de receber nm lindo e magnifico sortimento
preto fino a 25, 25600, 355OO 5, 45300 5 e 65 o de oculos, lunetos, binculos, do ultimo e mais
covado, moreanlique preto a 25600 o envado, gros-' apurado gosto da Europa.
denaple preto a 15500, 15800, 25, 25200 e 25500 z=- wnM, -.,---------5---------------
o covado; e ontras muitas mais fazenda? qoa se I***"na ac -*OSSa Keniorn
deixa de annunriar, e manda-se levar pelos caixei- C'armo e de *aiiMnn.l.
ros da loja da arara casa dos pretendentes. O' Vende-se na ra do Imperador n. 15, offleina
e tabelecimento est aberto at as 9 horas da noite, de encadernaco : oofflno, salve e versos, nove-
Francisco Jos Germano
HITA .WT 51* ti.
do
ra da Imperatriz n. 56. Hende Guimaraes.
das seis portas cm frente do Li-
vramento
Vendem-se chitas francezas escuras e bons pan-
nos a 240, 260 e 280 o covado, cassa franceza de
estado, um instrumental completo, ou cada instru-1 S,rtefts/ixas a 24. ovado' b.re,a,nna de rolo a
mQm ,, c; 9 tratar na ma dn imnoraHnr n 9! 25*00 a peca, cortes de casemira de cor escura a
Vende-se por baixo prego, e anda em perfeito
pleto, ou cada inst
ment por si: a tratar na ra do imperador n. 12.
Vende-se um carro de carregar gneros da
alfandega, com uso, e iodos os pertences de outro
igual, tudo por prego ramio commodo : a tratar
no pateo de S. Pedro n. 4.
Semenles.
Vendem-se sementes de hortalizas muito novas:
ra da Cadeia n. 50.
45, baldes de arcos a 3, 39-500 e 45, e muitas
outras fezeddas por baratissimos precos, e de tudo
se dao amostras; cambraia para forro a 25000 a
pega
Fazendas boas e baratas
AlgodSozinho bom e limpo a 55 a peca,
laazinhas de quadrinhos e flores muito bo-
nitas para vestidos de senhoras e meninas a
240 e 200 rs. o covado, brins de nho com
algum toque de avaia a 320 rs.. chitas lar*
gas e escuras de cores fixas a 240 rs. o co-
vado e outras muitas fazendas a maior par-
te dlas do uso domestico, cujas fazendas
estaro expostas aos compradores desde as
7 horas da manlia as 9 da noite : na ra
da Imperatriz n. 20, loja, dando-se amos-
tras de todas a quem nao poder vir na dita
loja. "
Vende-se ama taberna na ra do Cordonlz n-
Vende-se ama escrava crionla : nos Coelhos, 7, lrre e desombaragada : quem pretender dirija- Vende-se um preto crioulo, bem moco : no
roa dos Prazeres n. 10. i se a mesma, que acbar com quem tratar. i pateo do Terco n. 141.
I na e salve de Nossa Senhora do Carmn, tres fo-
; Nietos por 500 rs.,e a novena de Sanl'Anna por
320 rs.____________________________
GAZ GAZ GAZ
Vende-se gaz da melhor qualidade a
iJalata: nos armazensda ruado Im-
perador n.16 e ra do Trapiche Novon.8.
Farinha.
NOVA YORK.
DE COR CHEIRO E SABOR MAM
Infinitamente mais eflicazt-s itn ni.
os mais remedios ptrigosos e i. ..-.. h- s
que existem para a expulso das load n ^5.
Nao causam dores e produzem sen r*
sem precisar logo depois de purgan!*- t-
nhum e tio incitantes em apparenria !>?-
ciosas em gosto, que as enancas nI3o
promptas a tomar mais do que marca a e-
ceita.
Uteis como um excellente m:*
remover as obstrueces do nm
no caso de nao existirem verm- a!
PASTILHAS VERMIF1GAS PE Kf VP^ .-"
tas e infalliveis na sua operario e p<> iw'.w
os respeitos dignas de confiam; > e
q3o de todos os paes de famii
radas nicamente por Lanman ti.
Nova York.
Vendem-se no Recife em casa de 1:,
Barboza e Jo5o da C. Bravo d C.
Vihk-,s fio Porto
das melhores marcas, em raixinha- h ui: a
de garrafas para casa partieul >re-. -ecdo : L
mas do Douro, Duque do Porto D. Loa : Uittk
tem anerretas de dcimo cnrapad> c r
vinho, barris de 3 e 10" em i iia : n p
sano ii. 19, primeiro ndar.
"batoFTps;
Pugio na noite de 19 para 20 rtvrrcM
mez, do sitio do Sr. Dr. Augusto F. ... a
ponte de l'cha, o seu escravo de iwne Luu. i|i
si que branco, tendo no rosto Barca* e krims
bem visiveis, cabello annelado, baixo. rel.rri,',.
bem fallante e de cerca de 28 anm dr
vou camisa de baeta encarnada e chaieo rte |ia.u
noto, soppoe-se que vagneia nesta ndade du Rerv
fe ou pelas ras rircumvisifihan<;a- : qntm >p-
prehender e levar ao sobredito sitio, en ao -. j-
torio da praga do Corno Sanie n. 17, [riav ir > >-
dar^ser genere smente reconipens^.
Escravos fagido"
Ae amanhecer do dia 16 do rorrete Bci tatn-
rara os escravos segoinle> : Tbeodoro.
nacao, alto, cheio do corpo. maior eV .10 ar<-
barba bastante rente, falla cnsto>a.
nuncia as palavras, os labios nae .-.. i
mem alguma rousa, tem no bnnro 4os >.ihos pr>B-
cipios de carnnsidade; Virissim.., mulata, nm
pooro claro e .ilgnma ronsa palid.i, matr. ato-
ra regular, tem marcas de bexigas -pinhai pt>
rosto, os dentes limados, as pernas r-.-m ilpaam
e largas cicatrizes, e anda como quem tem kmkcm
nos pes : quem os apprehender quem e*a km a*
seu senbor em a rna da Aurora i. 32. rerm tfa
que i-er bem recompensado.
Foglo no da 16 de jnlho do turren!.- ao,
a mulata Suzana, aquai tem os sigues segoit i ;
altara regular.corpo cheio, cor clara ara.<-bda,
cabellos corridos e bem aparados, rara rhH. fc-v
la estreita, olbos peqoenos, nariz .nato, barra
grande, beipos finos, falta de denles, maos cros*ja
e dedos cnrlos, idade pouco mais ou mem* 4 as-
nos, natural do serto. leven vestid dr rniu
escura com palmas brancas e panno da rosta, fol-
la sempre rindo-se : pede-se as autoridades potr-
ciaes, capilaes de campo oo qualquer qne delm
souber leva la ao sea senbor na praea da b
dencia loja de chapeos n. 14 e 16, qoe ser
rosamente gratificad >, ao mesmo paseo ase
ta ser contra aualquer qne o troha a> otada, nao
ba noticias que esta dentro mesmo da ndaY ama-
tada e se auna e,-ta pessoa qne a tatreg^r
do corlrario ser ponida coro iodo o rigor da u
Ausentou-se no dia 2 do frrenle ao mrm dhL
da casa da roa do Imperador n. 16. o preto Maman-
do, crionlo, cheio do corpo,
. aliura r.gniar.
comprido, olhos pequeos e pooea baria, ata _
Vende-se farinha de mandioca muito nova, sac- sa e bigde. bastante ladino, rtpre-enta tl-
eos grandes a 45 : no armazem de farinha da pon- aDno-S pouco mais ou menos, e jnlga-se lar I
te nova dos Srs. Tasso Irmaos, para porcoes, na ca!?a Pre,a e camisa branca; este errara mi _
roa da' Madre de Dos ns. 5 e 9. Pra T. a.^.x^o----------------' i de S6 ia'a ,enna fgido, mas na quem
am ,n *rmi08 toio na Passagero da Maadaleaa, amadt-
vendem gesso empopara estoque de casas, tijolos zea; e como se desconna qoe eslea
tinos de fetlo diversos para ladrilho, aznleijos de protesu-se proceder contra qnem o liver
diversos gostos, lijlos vidrados para parede de co-f e pede-se a qnem deile der noticia a o
nnna, canos de barro para esgoto, cemento em : que dlrija-se a sobrediu casa.
barris de 10 arrobas.
i n. 13, que ser recompensado.
oaaraa ao Cresa


Diarlo de rernambnof Terea felra H de Agesto de iSttft.
JURISPRUDENCIA
Metade da sessao fui consagrada aos depoimen-,
tis dos dias anteriores ; os interrogatorios conti-
nuaran! ao meio dia, versando principalmente so-
bre a raoralidade das testemunhas do governo e da
defeza.
O Juiz Olin declarou que o advogado Norton, urna
das testemunhas, nao gozava de reputado de lio-
mera verdadeiro, a ponto que elle mesmo debaixo
de juramento nao o acreditara.
R. Na Carolina do Sal.
P. tira que estado nasceu f
R. Em Nova York.
P. ODde resida quando foi recrutado ?
R. Perto de Columbia (Carolina do Sal.)
P. Como veio de Richmond ?
R. Atravessei o bloqueio. Andeiquasi todo o ca-
minho, ful de carro a Hanover Junction e de IS ca-
niinliei a p.
Madama Marv Mudd, irmaa do accusado, disse: */ jj*or P'omc ?
que seu irmao estivera em casa della desde o dia 2 i R Passei Por Sn.ckerville, depo.s por Charles-
at ao dia 7 marro, e por isso S: poda na raes-1lon. VirGinU e de IA eslive em Ha-Per s FerrV> e
ma poca estar em Washington e assistir aos con-
cilibulos dos conspiradores, como diziam as teste-
munhas de accusago.
Benjamn) Gard.ier disse : que no domingo, de-
pois do assassinato, encontrou o r. Mudd na
igreja, e perguntou-llie se era verdadeque Lincoln
ora assassluado, o doutor respondeu que sim, e
exclaraou eui seguida que os cidadios deviam or-
gauisar-se em guarda urbana u prender todas as
pessoas suspeilas.
segu para diante.
James Waston Wallace
depoz no processo de
Saint Albans, seguem os dous depoimenlos para se bordoada e sangue :
Procedera entao ao lava-maos, concluido o qual,
senlam se ambas, tomara as costaras, e encetam o
trabalho do dia.
Os priraeiros pontos sao dados em silencio. Apoz
instantes, a moca assim cometa :
Ora, raami; estou muito triste.
Por que, menina ? perguntou Hita com
interesse.
Porque est prximo o aborrecido tempo das
eieigoes.
E o que tem voro com as eleicSes T
Eu de cerlo nada tenho com ellas, mas papai
que vai metter-se nessa trapalhal... Ah meu
Deas entao este anno... que dizera que haver
ESTADOS UNIDOS.
Processo dos assasslnos de Lia-
cola c ew.ird.
CONSKLHO DEGUERUA EM WASHINGTON"
(Continuara o.)
No dia 3 o tribunal militar, denote da audiencia
crdiGaria.constituiu-seem sessao secreta. Julga-se
da assistir a Jiscusso o representante do World
da Nnu York, por ter este jornal publicado um
artigo, era que injuriava os meiubros do conselho.
Infectivamente no da 6 na) estete presente pessoa
alguna da redaeco do World.
O incidente mais notavel da audiencia do dia (i,
foi o requerimeuto do advogado Ewing para que
fosse novameute perguntada a testeraunha Daniel
J. Tliomaz, attribuindo a soborno os depoimentoS
della desfavoraveis ao doutor Mudd. ^ ^ ^ que & tesleumuha Danie, h
O advogado d.sse : que pretenda provar com o ^^ a rfe ^ e era capaz Atravessei o bloqueio,
o,, testemunha*, que o propr.oThomaz declarara, .^^ fle jurar aiso e qUB 0 Dr. Mudd e dlrigi-ine a j norte pelo
,,ue se depoz tai com a esperance de urna importan-, pe|o conlrarjo m ^ conceiluad0j e em lodo 0
:! r compensa; que pedir atibados a vanas pos-; da guefra sfl ^^ ^^ e ^ ^
soasem que declarassem que elle loraopr.rae.ro ,imas ele S|S vol()u em Mac CMIan por 0 juU,ar
uedera informaces para Mudd ser preso; e que l .. ,- ,
uccresceotira que tendo estes atestadas, recebe- ao partidario da oniao como Mr. Lincoln.
|u Polk Deakius e muitas outras testemunhas disse- Wo urna simples amostra da falsidade do e
; rain o mesmo. poimento, como mais tarde mostrarei. Nunca se
----- jaccumularam tantas mentiras. Agora entrego este. eu se fossa marai, liavia de atormentar-llie a ca
As pessoas suspeilas de complicidade, assim assumpto ao juizo de um povo, que tantas provas | bega a todas as horas do dia. Sim. haga-lhe ver
*er-
verem as dilTerengas
Em Washintoo.
Fui recrutado para o
servico dos rebeldes.
Sou natural do estado
de Nova York.
Part de Richmond pa-
ra o norte, em setembro
Potomac.
exer-
outubro de 1864.
Quando estava na Vir-
ginia, morava em minha
propria casa, onde estive
at que foi queimada, e
que os soldados do norte,
expulsaram a minha fa-
milia.
O que quer vor que en faca ? Os homens,
por este tempo, ficam loucos, esquecem-se de mu-
Iher e Gilios para exporem sua vida pelos capri-
chos do partido que sustentam. Tolos... que nao
ra 10,000 dolais de recompensa.
O tribunal defero ao reqnciimentodo advogado-:
Inquerida a testeraunha Daniel J. Thoraaz, ne-
gou que tivesse pedido os enastados, confessaudo como as tt5teniunhas que eslavara presas, [orara
ter dito que o Dr. Mudd seria condemuado, e que 80||as<
se Ibe dessem os attestados referidos teria urna re-1 Para fecliar djscussa0 s fa|la 0 rciaiorio do
compensa de 10,000 dollars; como testemunha ; Df Nlchols sobre a deIQenca de PaVQe> e a che.
sunca esperou recebar cousa alguma; reeouheceu,^ dfl F|QriJa Je powe, ^ do accusado. 0
,rpergnutadoaalgumaspessoasasuaop.n.aoso-llrljUnalresolveQ ^^ at as H oras do da
12, e como a defeza teve 40 das para se preparar,
Em Monlreal.
Nunca eslive no
cito confederado.
Sou natural de Virg.
na um dos estados con- comPrenendem que n urna eleigao perde-se muito
federados. e nada se ganha. Perdem-se amizades, perde-se
Parti da Virginia, em muitas rezes o emprego que d o pao familia,
perde-se dioheiro que depois vem a fazer falta, e
at pdese perder a existencia. E o qne se ga-
nha? inmizades. Mas dzem certos senhores:
Trabalhe... que no flm da historia eu Ihe dou um
emprego de tantos contos.Acaba se a historia e
os contos ficam sendo verdadeiros contos. Eis as
utilidades de urna eleigao, minha filha.
E' tal e qual, mamai, v dzer isso ao papai,
salla logo com quatro pedras na mao. Comtudo,
bre o direito, que Ihe assislia a urna parte da re-
compensa prometlda, se o Dr. Samuel Mudd fosse
condemnado ; mas nunca disse que fra elle quem
dera as primaras informacoes, que tizerara cora
que Mudd fosse preso.
Oitotestemuahas confirmaram unnimementetu-
do quanto allegon o advogado Ewiog,*certifkaram
pie Thomaz nao mereca crdito algum. Tambem
se provou que o Dr. Mudd nao se ausentou do seu
domicilio desde o dia 1 de marco at ao dia 5, e
;.. por isso nao podia ser visto no hotel Nacional
em companhia de Booth.
Isto provou que a maior parte das mais impor-
tantes testemunhas de arcusagao nao sao de urna
moralidade a prova de subornj.
Triste frucio de immoral emprego da denuncia
mercenaria, o da pnica corruptora de promover
o processo continuara sein mais addiamento pas-
sado este prazo.
Payne desperta grande curlosidaJe, pelo myste-
rio da sua orgem e dos seus antecedentes, pela at-
litude que tem conservado, pelo carcter e energa
physica e moral que tem revelado.
O calor excessvo, as cadeias que Ihe prendera
as raaos e os ps, a perspectiva de urna morte
de benevolencia me deu, e que de ceno me nao
julgar pelos teslemunhosde miseraveis, como Co-
nover e seus iguaes.
Assignado IV. W. Cleartj.
W. H. Carroll tambem publicou ama carta na
Gazeta de Monlreal, em que declara o depoiraento
de Canover ou Wallace, como um infame perjurio,
accresceniando que a nica idea que tem de ta-
individuo era, ter-sc-lhe apresentado como um cil
dado do sul ua desgrana, e obtido delle Carroll
urna esraola.
O Leader de Toronto, afflrma que, Mr. Clay nao
esteve no inez de fevereiro no Canad, como depoz
Merrill, urna das tres testemunhas, que depuzeram
em segredo.
Os desmentidos e as aecusacoes de sahorno e de
cerla, a curiosidade da raultidao, e o apparato da
justiga, nada o lera acabrunhado, v ludo, nao com PerJurio; conlra as testemunhas, chovera de todo
indillerenja, mas com urna fria firmeza. Apenas os 'a"os
parece compadecer-se dos companheiros, que por
mais fracos se deixara suecumbr. Madama Sur-
ratt inspira Ihe urna terna cornpaixao, porque;
raulher e tem nma filha ; esta rocha verte iagri
mas, mas nao pelos proprios infurtuuios.
(Continuar-sena.)
as delacoes ora premios para aux!liar a justiea I p;iyne |em desperiad0 a seD5,bil.dade feminina,
O lempo refrescou mais, e a temperatura influio i apezaf da S(ja ferocidadei ,em recebido inuitas
na ait.tude des acensados. I provas dtJ commisera5a0( que 0 rapressionarara
Ao ler-se a carta encontrada em Morehead City, ^ do a ^^ da furca Ha
Payne acorapanhava cora um sorr.so nieio alegre. | dias uraa senhora ,e raandou um branco
ri.iu irnico,
designados com os nomes de
etc. O'Langia estava branco cuno a
grvala nem coiele, nem sobrecasaca, trema d
vez em quaudo como se vesse fro ou febre.
Arnold pareca estar mais senhor de si, talvez
porque desde o principio do processo esteve sem-
pre ao p de urna janella abena.
M POICO DE TODO.
as allusoes feitas aos conspiradores
1 cora um bilhete, em que Ihe dizia, qne pedia a Deas
oes giay, ^ e||e^ g ^ug ou[ras seunra5 0ravam tambem em I
camisa, sem 'Stufavor.
i'aynu commoveu se muito com a mensagem, e
AS CORES POLTICAS.
(Continuago.)
III
De raanha cedo, no seguate dia quelle em que
| teve lugar a scena precedente, duas senhoras con-
versara familiarmente era um quarto, que parece
de dormir por causa dos objectos que conim, In-
clusive urna banca com a competente lamparina
respondeu bastante pallido e cora as lagrimas nos i a nossa companheira da noite, que est acordada
olhos, que as almas piedusas que resavam por elle,' emquanto dormimos, e que frequentemenle pega
nao resavam s?, pos elle tambem resava. un- no somno antes do nosso despertar, deiando-nos a
Mad Surratt estava menos Miccumbida desde que ca prononciou nem urna queixa, era uraa impre-; nadar em um ocano de Irevas.
fallou com sua lilha.
A respeito de Payne conheedo palos nomes de
W'ood, Hall, Redshoesele correal boatos singulares,
em se chegar a rasgar o veo que encobre a cri-
geni desta personagem. ultimo nao dos menos
extraordinarias.
.Mr. Doster, advogado de Payne, pedio um praso
para poder comparecer Jorge Powel, pa do accu-
sado, que reside na Florida. 0 bribunal quz con-
cluir p:r isto que o verdadeiro nomo de Payne era
Powel, o que elle negou, di'.en Jo : tnao sei como
me chamo porque em enanca me roubaram a
meuspais.
Ha alguns dias urna preta que dizia ter sido es-
crawa da familia de Lee, e vendo Payne desatou a
chorar. Dis;e que fra ama daqnelie hornera, o
qual nasceu e foi educado na Virginia s era lilho
caticao. Conserva a physiouomia inalleravel., Destas duas senhoras, urna j idosa, a outra
SoflYe todas as privagoes, sera casto, estando dias' apenas enlra no porlico da juventude.
InUiros sera comer, nem beber. E' mojo e ira- j A prmeira entretem-se em desfiar algodo, sen-
berbe, duas ou tres vezes appareceu bem vestido, lada na beira da cama. a segunda pen,a os com
pareca outro, nem no aspecto nem as maneira' pridos cabel|0S danl0 de um loUcador, que j esta
Ihe fallava a digndade e disncgao. certamenle cansado de retratar o semblante da mo-
Diz-se que este accusado coufessou tudo no ca, pois que ha pouco mais ou raenos urna hora
priucipio do processo, e quo s se puiicar a con- que ella est a dispr o seu perneado,
tissao do julgaraenlo. Para prova accrescentam, E no,e.se qQe aQda na0 cnegou ao mei0 da obfa
que est lo cerlo da sorte que o espera, que dis-. Aadii menioa) acaba d.a|)i. bSo horas de r.
pondo de ludo quanto Ihe resta a favor das pessoas mos pegar na C05tara) diz mas ve|n>> ou a mas
a quem quer deixar urna lembranga. O advogado ; maduraj se insu|l0 chamar de ve|ha a uma M.
de Payne tem tido mais de 40 pedidos para obter nora que p^j ainda (sein escrupu|0) casar-se
uma madeixa de cabello do seu cliente por todo o segunda ver Caso enviuvasse.
prt'S0' Ora, peior I diz a moca, boje nao acert com
lieurique Edsou foi advogado no processo dos, o geito deste maldito cabello,
uerrilheires de Saint-Albaus e disse : Que ouvio; Pis se yoc6 est penteaodo-se e pensando ao
irrnao do general Lee, offlcial de marinha, que' dzer a Saunders que estava satisfeito cora esta in-: mesmo tempo em outras cousas. Eu bem estou
antes da guerra resida em Washington, e Chama-
va-se Daniel Marray Lee. Um olcial conrmou
esta deciaranio, mas outro di5e, que conhecia to-, Dolalo e outras cidades, o que o governo
da a familia de Lee e que Payne nao pertencia a dia prevenir.
vaso, mas que la haver muras mais serias; que
se organisavam bandos para queimar e destruir
nao po-
oa; se era lilho de Powel da Florida era possivel
que fosse prenle rauitj anastado do general, por-
que uraa prima da mSi do general casou com um
Powel da Virginia.
O Inquirer do Philadolphia publican uma carta
do Washington, que diz: que os depoimenlos se-
cretos publicados pelo Commercio do Cincinnati,
foram enviados a este jornal por Mr. Pilman, que
fora u'oulro lempoesorevente d.;ci,rouel Burnett, o
qual violando o seu jurameuto, prostiluio a posigo
of&eial que oceupava, por dinh-iro; que o tribunal
di.-cutio este acontecimeuto era sessao secreta: nao
se s:,be, porm, o que decidi; diz-se que uraa das
te.-temunhas. cujos depoimentus se publicaran), est
John ltipple, teuento do regiment 2'JO
percebendo d'aqul.
A moca faz um gesto de impaciencia, desarranja
ama tranca queja estava prorapta, e cantarolando,
como para disfamar a massada, contina a prodi-
do lili- galisar os seus cuidados s longas e mimosas ma.
D. Aogela interrompida as suas medilagdes Sottn pouco coni SM M f
pela presenca de um personagem que j n^sso mosm ouvido di2er que qieru JQ^r w
conheedo o Sr. Florindo, o moco do aperlo de para que 0 ^ saDgue cMiSt Jobre M
mao prolongado. dugos
- Ah I exclama D. Angela erguendo-se rpida-; M. C. C. Clay, como sabido, entregle eito
mente toda envergonhada, eslava ahi ha muito proprio pnso, para poder refutar pnate m
lemP 7 tribunal a ieeaeajie que peza sobre elle, de rom-
hora, responde o Sr. Fio- (p|icidade no assassinat. e homen de n k
, iI ta e cinco annos, de olhar intelligente e kesrab
- Meu Deas I E mentira. O senhor chegou fac|
agora mesmo. Madame Clay est cora elle; ama seakora
- Palavra, minha senhora; ha mais de meia muill) d|ncia a todos os respeilw.
hora ijue a contemplo no seu xtasis... e, se a: Quando rheg>u com seu marid ao (uarlel *>
seohora pertences Ha mais de mea
rindo sorrindo se.
de Car-, ai-me os :>.M,i dollars prorneld.)* peto
?lia visto Mario sentado sobre as ruinas
thago. Realmente esta va gosiando de ver... | vosso presidente, a quem entregar mea tmmttt
De ver ?... Oh I e o que que o senhor porque sou en que aqu o irago.
vio ? perguuta ella assustada, e o leilor pode des-1 uisse tambem a Mr. Pilchard :
c jiifiar da causa do susto. I Todos os raMM fan-olas de Wa*hiog?oa so
- O .|ue ea vi ? Pique descansada, minha se-, inventara estas infamias para assetnrareai eseat
on Canad tratando de vender c< seus bens, de por
a familia a salvo, edese escapar quanto antes, e que I
a outra provavelmente j fui assassinada.
E' notavel, diz o mesmo jornal, que o reverendo
Mr. Evans, padre presbylerano, segundo as ulli-
ni ia revelacBes feitas em Washington, fosse tam-
bem um espiao assalariado pela reparticao da
gaerra.
J faitam poucas testeraunbas. Seguem-se depois
as allegaces sem replicas, como pratica nos tri-
bunaes militares. Parece que a sentenca ser pu-' A ittencao publica oceupa-se muito do
nos, fallou novameute do tratamenlo que tinhara jdeixas.
os prisioneiros do sul; esteve preso na Georgia e i D, Rita (assim se chama a senhora de que have-
ouvio dzer aos olficaes confederados, que o presl- mos Miado) interrompe a sua tarefa para contem-
dente Lincoln nunca seria inaugurado, e que os piar alternamente a moga.
rebeldes tinhara ura partido no norte, que se havia i Quem reparasse bem nos traeos vigorosos que
de desfazer de Lincoln e Seward. se debuxavara no seu semblante diria sem empre.
.... car muito esforco de fraaginacao :E' uraa mi
Mr. Dana foi secretario assistente da guer- .. n- "
que olha para a sua lilna.
ra, reconheceu as cartas, que uma senhora achou j
em uma carruagem em Nova-York e que foram i E na verdade, D. Rita, delxando esvoagar um
reraeltidas repartigao da gaerra ; entregou-as a leve sorriso sobra es seus labios, dando expressiva
Mr. Lincoln, que nao Ihe fez observago alguraa. expanso a toda a sua physioooraia, com a cabera
^stas referiam-se aos mevimentos e planos dos ; inclinada para um lado e as mos abandonadas so-
conspiradores, e eram dirigidas ao que fra esco-. bre o eolio, parece experimentar ura gozo neffavel,
1 lindo para assassinar Lincolu. O presidente j ti- contemplando a filha a zangar-se pelo atraso do
alia recebido muitas cummunicacoes do mesmo
genero, mas parece que estas ultimas ihe deram
mais cuidado ; mais larde a testeraunha encon-
trlas fechadas em um involucro, em que eslava
escripto pela letlra do presidente : Assassinato.
Mr. Ening, advogado de Spangler e Arnold, de-
clarou que nao tiuha mais testemunhas para a de-
feza destes dous aecusados.
blicada no principio da semana que vem (12 de
junho).
Washington, 7 de junho.
Muitas testemunhas de defeza conlradizera os
factos alrraados por Johnson contra o Dr. Mudd,
e apreseutam o seu carcter sol) um aspecto mais
lavoravel.
Ha ainda mais 13 testemunhas a favor de Mudd.
John Wharton declarou que Arnold estee ao
seu servico na fortaleza Monroe desde o da 2 at
ao dia 17.
dos depoimenlos das testemunhas, produzidas por
ama e outra parte discute se renhidamente o cr-
dito, que eiles merecem.
seu pieparalivo e a disfarcar a zanga modulando
uma cautiga a meia voz.
Sao s vezes seductores e snblimes certos qua-
dros de familia.
Como eram all interessantes as nossas duas per-
sonagens, mi e filha !
Que naturalidade I
Podia-se dizer que eram dous anjos descidos
graciosamente do Empyrco, ou duas estatuas aoti-
r gas selladas pelo cinzel de Lebrn ou Miguel An-
gelo.
A filha uma moca que nao tem a formosura
com que pintara os poetas as suas deosas, porm
Mr. W. Cleary publicou em Leader de Toronlo que pod sem sust0 Babar.se de |nda e gen,||.
a seguinte carta a respeito do depoimento deCo- ,
____ j i E morena, um desses semblantes sympalhicos e
nover. uma das testemunhas, que depoz em sessao .
secreia mtelligenles que attrahera a attencao do observa-
dor o mais dislrahido.
Olhos prelos e grandes, vivos como lume, nariz
Apezar de estar pouco disposto a tocar nos arregagaJo e pequenin0i boCca breve orlada por
instrumentos mercenanos, que o governo federal labios fioo e carminados, testa regular e lisa co-
sabornoa para me melter em processo, assim co- mo 0 espe|ho das aguas serena3 bonancosas tu.
secreta :
Senhor.

Muitas testemunhas atiestan, a probdade de mo a outros cavalheiros do sul residentes as pro- 7 r k ,, W""SW"'H"
Weich
centra os aecusados.
John Hallahan disse que vio Payne em fevereiro,
xar passar sera ara desmentido as falsas assergoesdado por um corpo bem fdit0> bragos torneados
dos perjuros, em razilo do que devo aos canad.a- com perfeSa0> ps pequenino, raaos Igualmente
era casa de madama Surratt, charaavam-lhe entao (nos, que rae deram ara asvlo uestes ltimos annos; resuas> \m ^^ speci'men de maos. ^
e para desaffrontar a minha propria reputaco.' do isto, repito, faz da mocnha cor de jambo um
tras testemunhas virara Jobo Surratt, Payne e j Nao ainda occasiao de discutir este ponto, mas demonilo capaz de tentar ao mais santo dos huma-
I espero dentro em pouco poder provar aos homens uos, e de nietler o corago mais enregelado dentro
j de bem, que estas lestemanhas excederam o pro- das (ogneiras do inferno.
3ooth no salo de madama Surratt.
Washington, 8 de jnnho.
A testemunha mais importante fui Eduardo Fra-
zer de S. Luz, que dea inforraacoes autheniicas
sobre o incendio dos vapores do Mississipi, Ohio, e
de oulros rios incendiados, segundo elle, pelos
agentes do governo confederado.
Outras testemunhas depozerara sobre o mesmo
facto, completamente estranho qnestao, que se
discuta. Uma das testemunhas confessou ser elle
mesmo um dos incendiarios e ter recebido
isso 34,800 dollars.
Geo N. Saunders publicou a segeinte declara-
cao a respeito das tres testemunhas inquiridas se-
cretamente :
t A publicacao forcada dos depoimentos secre-
tos deu a coohecer um triumvirato dos mais des-
carados perjuros que a America tem visto.
Washinglon, 9 de junho.
para
prio Hyams, que disseram o qae Ihes recommea- Qan[d sua ma|> ^ de quarenl0[)a
davame qae nos seas ditos nao ha se quer um est ainda fresca e parece contar quando muito os
tomo de verdade. Por emquanto fallare, soraente seus [nu[a e lan(os anos.
da testeraunha Conover Referirei algumas per-; Tera uraa bonita figura, alta sera ser Paugonia;
guatas e respostas, que foram supprimidas. lodavia( U,a.se nea um derejt0 muj sens|ve|( qu;
norae de Sandford e o de ser gorda de mais.
i Ao contrario da lilha, Rita clara, de rosto
P. E>leve no Canad cora o
Cauovet ?
R. Nao, senher.
P. Qne noine linha ento ?
R. James Watson Wallace.
P. Quando parti a Richmond, para ir para o
norte ?
R. Em dezerabro de 1863.
P. Foi logo para Nova-York ?
R. Fui.
P. Em que estado foi recrutado para o servigo
dos rebeldes ?
vultuoso, mas um tanto paludo. Os seus olhos
sao tambera grandes e vivos como os da moga que
nesle ponto s parecida com sua mal Rila
tem uma bocea um pouco grande, um nariz de
hespanhola, e os seus cabellos em vez de pretos
sao castanhos e menos corapridos.
Decorrida meia hora, a moga d-se por prorap-
ta, e D. Rita puxando duas cadeiras colloca-as
frente a frente, perlo de ama jaoella, por onde en-
tran) as prlmelras luzes matutinas.
os perigos que corre a sua vida, e a miseria da
sua familia, caso Ihe faltar o seu apoio. Falle bas-
tante, pregue um sermo bem comprdo e talvez
mamai consiga calechisa-lo.
Seria tudo baldado, filha. Teu pai pirrhoni-
co por natureza, quanto mais actualmente debaixo
da aceo do diablico motivo que o incita. Membro
exaltado do partido conservador, sabes que elle
exerce alguma influencia nesia fregueza, e can-
didato ao eleitorado.
Cames disse :
Oh I maldito o primeiro que no mundo
as ondas velas poz um secco lenho 1
E eu amaldico o inventor de todo o maclunis-
mo das eleices.
Duendo isto, a moca interrompe a costura, e
aps meditar alguns momentos, solta um suspiro e
proseguc na tarefa.
Nislo hatera a porta do quarto.
Quem ? pergunta Hita.
Nhauhan Hita, nanhan Angela, o alraoco es
l na mesa, diz de fra uma voz.
Ambas largara a costura, e dirigem-se sala de
janlar.
IV
Mai e filha entraran), depois do almoco, na sala
de visitas.
Ahi encontram o Sr. Leoncio de conversa com
um sogeito balxo, gordo, de barba cerrada olhi-
nhos aperlados.
O lal sugeiio est muito entretido a ler a lista
de qualificago dos votantes da sua freguezia, e se
d f das senhoras, na occasiao de exclamar :
Finalmente achei I... Ah I (diz elle reparan-
do) estou as comprmentando, miabas senhoras.
Dons dias. Sr. Ambrosio, diz D. Angela.
Tem passado bem, Sr. Ambrosio ?
Vamos por aqu rolando como velho, D.
Rita.
Emquanto D. Angela e sua mi aproxiraam-se
de uraa janella e conversam baixnho, o Sr. Ara
brosia e o Sr. Leoncio conlinuam o dialogo elei-
toral.
Est qualifleado, diz o primeiro.
Enlao marque, diz o segundo ; mais ura vo-
to com que podemos contar.
Nao sei o que Ihe diga, Sr. Leoncio ; descon-
fi muito deste mogo.
Pode ficar certo de que elle vota comnosco.
Ora... muito meu amigo.
Isso nao obsta. A amizade cousa aparte das
cores polticas; e quanto a estas, meu charo ami-
go quasi que sou capaz de por as maos no fogo e
jorar em como elle dos taes de papo amarello.
Nao, estas engaado. Eo sei bellamente que
elle conservador de gemra.
Elle Ih'o aisegurou ?
Sim.
Mas que pode maito bem ser um ovo de
duas gemmas.
Oh I Elle mostra ser um mogo de qualidades
superiores.
Na casca, mas as gemmas estao dentro, ami-
go. S Ihe n comineado uma cousa : tenha cui-
dado no Sr. Florindo.
Por ora nao acho necessario. Para mim,
elle conservador puro, e vemulho como este meu
lengo.
E mostra uma ura lengo de seda encarnado,
muito sujo de rap. V-se, pois, que o Sr. Leoo-
cio tabaqueiro refinado.
Adrairai-vos disso, leitor ?
Eu nao rae admiro, porque ha muito tempo que
sei que raro o cabalista que nao toma para o seu
ta baco.
Assim que o Sr. Ambrosio profere o norae Flo-
rindo, D- Angela d ura salto no lugar onde est,
como se uma mola a houvesse levautado, e redo
bra de attengao a conversa dos dous.
Mas sotre uma decepgo porque ambos elles le-
vantam-se, e o Sr. Leoncio, eofiando o brago no
do Sr. Ambrosio, para o que foi preciso abaixar-
se em conseqaencia da pequea es: tura do grande
cabalista, leva-o para a sala de janlar e sentam-se
mesa, aim de saborearera o bem feito caf com
leite, que j se vai denuociando pelo agradavel
cheiro que exhala.
Para um estomago apreciador nao ha na verda-
de raellior eleigao, aps uma conversa sobre elei-
ges.do que a de um coofortatvo almogo.
Elles vo amogar, diz D. Rita ; de comer nao
se esquecem.
E' verdade, ajunta D. Angela, nunca se es-
quecem de por o seu voto dentro da urna estoma-
cal.
Deixe-me ver se as raparigas arranjarara
direito aquillo l por dentro. Aquelle Sr. Ambro-
sio nao deixa de ser um formidavel reparador.
Ah I e mesmo raaldizenle.
Ficas ahi, menina ?
Fico marai ; mas daqui a pouco vou para o
mea quarto continuar a minha costura.
D. Angela recosta-se sobre uma cadftra de bra-
gos pe nma perna sobre a outra de modo a flear
apparecendo a pona do seu p direilo, que ella
balauga compassadamente; descansa a cabega so-
bre a rao direita, tendo apoiado o cotovelo sobre
o encost correspondente da cadeira, e assim nes- mado.
que eu vi
ahora, vi coosas quo ,se podem ver, vi o seu pezr
alio de fra, etc.
Ora, Sr. Floriudo I exclama D. Angela ta-
pando o rosto cora as m.los e qaasi chorando.
O Sr. Floiindo, nao querendo vexar mais a mo-
ga, perguuta muJaado de conversa :
Como varaos de eieigoes, D. Angela I
Nao me falle nisso, Sr. Florindo, essa pala-
vra eieigoes rae faz calaflios e dr de cabera.
Ento tem privilegios de febresintermittenles.
O senhor, que esludante de medicina, deve
saber melhor do que eu.
Nao Ihe paraca, qae sao mesmo febres inter-
mitientes... o endmicas, porque de quatro era mais o am.agardes. mais eu o bonrarei; kej,
quatro anuos ei-las comnosco. siluagao era que se arha, considerara ea a
O senhor liberal ou conservador, Sr. Flo-
rindo ?
pequeas infamias pessoaes ; mas nao ha t de BJB>
: segui-lo.
Mr. Harrisou era o secretario particular e Mr-
Davis.
A .na dedicac'n pelo ex-president-* chega ao fa-
natismo.
Tem o maior cuidado n'elle, e prc>la-llw lodos
os teslomunhos imaginaveis de respeito e e at-
tencao.
A um olhVial feJeral, que inofou do aatgo
presiden!", dizendo < este traidor, elle res-
pondeu :
Fica vos a liberdaoV de insultar : qujot)
Oh I liberal est sabido... o partido da
estudantada. Qual o estudante conservador, mi-
nha senhora ? O esludaude s conserva quatro
cousas : os livros, o amor, a sciencia, e amor a
patria, e o amor a fada dos seus sonhos.
E o senhor faz teugo de cabalar ?
Ole I j coraecei as miuha cabalas... hei de
pintar o padre na igreja. Phosphoros... nem um
s ha de passar, conheco-os pelo cheiro. invisi
veis.... pa*a esses tenho um bom microscopio
para torna-Ios visveis, minha senhora. Assim
grande honra, engralnr-lbe as bolas.
Ri'-l.m os dois ajudantes de eaaao e
Mr. Davis, o coronel Lobbork, e o coronel Jokasi-
ton.
O primeiro, amigo governador de Tesas, wm
velho ainda fresco, rom longos cabellos fritiftir,
bigode e pera branca.
Tambera seno mostra anVtado.
O segn lo o retrato vito do seu pai, Alberto
Sidney Jjhnslon, moilo i-m Shiioh.
Com qaauto seja aiuJA io^o, os seus cabellas
coinegam a branquear.
Nao parece mais inquieto a resucito do sea fa-
fallando, lixa o pinga nez sobre o dorso do nariz, e turo do que o coronel Lubbock.
prosegue : -------- i ,
Que tal acha a minha resolugao, D.Angela?
Muito m, Sr. Florindo.
Ma ? E porque, minha senhora ?
Porque vai*Jerribar oedico da nossa ven-;
tura.
Mo tenha sulo, minha senhora, esse edificio
est construido de pedra e cal ; s umcataclysmo
poder po-lo por trra.
Pois mesmo um cataclysmo que vai po-lo
por ierra.
Explique se minha senhora.
O senhor sabe que meu pai conserva-
dor...
E da gemina.
Fantico por estas cousas, elle odeia a todos |
Assim elle juiga que o senhor. pertence ao partido I
conservador, por isso trata-o com tanta attengao ; |
porm logo que souber do contrario, e sobre ludo
logo que vir o senhor pleiteando com empenho a :
eleigao e sustentando com furor os candidatos li-
beraes... detesla-lo ha c embaragar por tanto a
nossa felicidade. Emende agora ?
E' do Sr. Cyriilo de Lemos esta poesa :
n'iii albci.
Virgem bella e desenidosa
Que o leu lbum vens-me dar,
Miah'alma triste e queiioa
Acoquinada a chorar
Vai esta folha mimosa
Com seu pranto desdorar.
Eu bem quizera ter flores
Para grinaldas tecer,
Mas que farei i miabas dores,
Que nao dado esqueeer,
Dentro jalma m mens amor;
Fizeram emmurchecer.
Permiila-ine pois, senbora.
Que aqu deixe florir,
De ura peilo ailhcto, que chora
Constantemente a carpir,
Uma saudade inodora
Emblema de atro sentir.
E sao esses temores que lano a preoecupa-
vara ainda ha pouco ?
Sir, era em lodas essas infelicidades que eu
pensara.
Pois digo-lhe que pode tranquilisar-se. Tu-
do ir bem.
Desse modo impossivel.
Usando de um meio que eu ca sei.
Oh I Cuidade I Lembra-te que primeiro es-
t a siuceridade do nosso amor, e depois o capri-
cho de uma elecao.
Ah E quem melhor do que eu, minha bella,
comprehende as preciosidades que encerra a nossa
mutua syrapalhia I
Bem. Agora j respiro mais livreniente.
Ambos sornram-se o olharam-se cem
presso de magia, que enlevava.
(Conlinuar-se-ha.)
E' uma flor sem belleza.
Mas que falla ao coragao;
Que s nasce na deveza
Onde os sorrisos nao vo,
Mas que em hora de tristeza
Tambem exprime paixj.
neuiej .
una i-
Chama muito a alteugao do moneo
diz um diario hespanhol, o cabo de aova
que se expcriraenlou no lago do bosque de Bofoafea
em Pars.
A luvcnc.io pertence *a imperador Napoieo a
construego de M. Arman.
A especialidadu Je .-le cabo consiste em qae eai
' vez de descancar no fundo do mar, -nde muitas
vezes ha rochas que os quebrara, permanece a
urna profundidade de 30 a 40 metros, aa* aa
aguas nao soffrem a agitagao que apreeataai aa
| soprtele.
Os governos dos hulee l'nid.s da Americae-
| sejain eolrar ca negociages com M. Arman para
Um jornal americano publica as seguintes inor a con>lrucCao destes cabos,
raacoes acerca dos presos do forte Monroe : -----"^aaeM
Em differentes correspondencias que lemos pre-
sentes, extraamos os seguintes promenores relati-
vamente aos prisioneiros de estado internados na
actuaiidade no forte Monroe.
Apezar do que se tem dito, Mr. Jefferson Davis,
conserva toda a sua digndade e sangue fri.
Est muito menos opprmido pelas suas desgra-
gas pessoaes do que pela queda da causa a que se
dedicou.
Quando se Ihe falla da sua complicidade no as-
sassinato de Lincoln, iimita-se a encolher os
hombros.
Uina leaaore de Pars, coota ura joraalacsf*-
uhol, tomou ao seu scrvigo, na qaalidade e eosi-
uheira, uma rapariga que nao sabia ler atea es-
; crever, mas que dava a entender o contrario, par
que apresenlava as cootai como se Uverua sido
; feilas por ella.
A verdade, porem, que esse servico Ihe era
prestado por uma amiga coadescendenle, que teve
um da BfecMa de ausenlar-se, dcixaao a com-
uiieira no maior apuro.
Diz o rif.lj que ha males queaveem por teas, e
asnee foi, porque o desgosto da falta la sua araa-
Asua saiide sempre quebrantada, e deixa uuense fui .-ubsiiiuido pelo gusto que rae eejejeji a
muito a desejar.
Madama Davis, segunda esposa do ex-presidenle,
era uma senhora Howell, da Georgia ; est perfei-
taraente conservada, e tera uns quarenla annos.
E' nma senhora de educacao esmerada; falla
francez com a mesraa facilidade que a sua liugua
visi a de um primo seu, furriel le uai baiaiaaaa
cagadores.
Sabes escrever ? perguntou a criada.
Isso nao se pergunta a ura furriel, resauadeu
elle, acariciando o bigode com orgulbo
Nesse caso, acresceniou a cosinaeira, seata-
maierna, e muito versada em littcratura. le, pega n'uma peana e escreve o qae voa k-
Na sua bagagem encontraraiu-se dois volumes tar-te.
de Shakespeare, um volurae do Speclator, de Ad-; O furriel obedeceu militarmente e sua prima co-
dison, dois volumes de Washington Irving, um megou desta maneira:
exemplar de Corneille em francez, e Les Orientales Mauteiga... ires francos... Pe quatro.
de Vctor Hugo. Quatro, respondeu o militar.
Estes livros com algumas outras obra religio- $a'> pimenia, ele... dous
sas, compuuham a sua pequeua bibliotheca de : tres'
viagem.
Foram temporariamente confiscados cora o resto
da bagagem : madame Davis falla pouco; julga-se
que chora quaodo est s, mas diante de leslemu-
nhas conserva tola a sua firmeza.
Tera comsigo os seus quatro filhos.
O mais velho uma menina de 14 annos, com
olhos prelos, semblante pailido, chamada Mar-
ganda.
Em presenga des guardas, falla geralmenle em
fraacw... fe
Promplo.
Umagallinha... seis francos... PeoMa.
Espera... Nao, nao, pouco... Po aove.
Terminada a conla, levanton-ie o furriel ceas ar
satisfeito e eotregoa-a a sua prima, m esa ene
do favor que acabava de dispensar-lhe o eaeoaaiaa
com ara copo de Dordos e alguns peiisena.
A noule apresenlou a conla a ama cum a maior
seriedade e a ama do que traten foi e a par nja
uo andar da ra.
francez cora sua mai. Porque? dir oleilor.
Depois segue-se um rapaz de 13 annos, muilo' Por uma razo muito simples. O furriel
instruido para a sua idade, e bastante es-1 Bel do que sna prima, havia escripto intei
perto. tudo o que ella Ihe dictara.
u tercero filho um pequeo louro de seis
ou sete annos, e o quarto ainda nao est desma-
ta encantadora posigo gasta cerca de dez muinu-
los a pensar.
Que pensaraentos podem voar naqnella cabeci-
nha, que s tem visto passar por cima de si suas
dezesels primaveras?!
Vo ver... esta peosando em cousas de amor.
E' sabido que as mogas solteiras, era que levara
a pensar a maior parte do tempo sobre o amor,
quando nao sobre modas ou alguma partida de
baile, que est annunciida para a prxima sema-
na.
Quanlos castellos no ar nao formara essas ima-
ginacoes animadas pela chama da juventude.
h I meu Deus I quantos sonhos I quantas flores!
quantas esperanzas!
Miss Howell, irmaa de madame Davis, parece
nao ter mais de vinte annos.
E' moreua e de olhos pretos, alta e bem feita, de
maneiras muito distinctas.
E' noiva do lente Hathaway, que est igual-
mente preso.
O ex-vice-presfdente tambem nao parece affec-
tado.
E' de uma magreza nunca vista, por Isso que
apenas tem a pe le e o osso.
E' bastante nervoso, e pode dizer-se que se sos-
lenta nicamente pela vontade de viver.
O director geral dos correios confederados, Mr.
Reagan, um verdadeiro texiano, forte e bem cons-
truido.
A galerianacional de Londres ccasagraa ai
tada quantia de 9,000 sin Taos, ieaportaaria l
si total das soas economas de tres acete,
zer acquisico de um nico quadro ao
mas celebre Rapbael Garvagh.
Este qaadro, cnnhecido na sua origen son a a-
me de Raphael Aldobrandini, est migase par
Passavanii no primeiro periodo cese e Ra-
phael.
Foi levado a Inglaterra, em 1800, por Mr. Oey,
o qual o venden por quantia mocara i
lord Gavagh.
Um dos poetas mais disuadas
galdi, tomou a iniciativa da ocas
se erigir em Alhenas um
PERNAMBUCO.- TYP. DE H. F.DB F.


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EQOIKJCFG_MQKA1E INGEST_TIME 2013-08-28T00:11:22Z PACKAGE AA00011611_10737
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES