Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:10733


This item is only available as the following downloads:


Full Text
i

>
:.
AMO XLl JfgtERO 176.
Por qaartel pago dentro de 10 dios do I.0 mez : :
dem deoois ios i.M 10 tilas du cuueyoe deuiro dv qaartel. .
Porto o eorreio i'tres nezcs......., ,
5|000
6JU0
7d
ENCARREGADOS DA SUBSCRIPgO DO NORTE
Parahyba, o 3r. Antoio Alexandrino de Lima;
Natal, o Sr. An.odio Marques da Silva ; Aracaiy, o
Sr. A. de Lemas Braga; Cear, o Sr. J. Jos de
Oliveira -, Manulio, o Sr. Joaquim Marques Ro-
drigues ; Para, os Srs. Geraldo Autnnio Alves &
Futios; Amazocas, o Sr. Jeronymo da Cosa.
ENCARREGADOS DA 5UBSCRIPCAO DO SlIL.
Alagoas, o Sr. Claudico Falco Das; Babia, o
Sr. Jos Kartins Alves; Rio de Janeiro, e Sr. Jos
Uibeiro Gaspriuho.
PARTIDA-DOS ESTAFETAS.
Olinda, Cabo, Escada e estacos da via frrea at
Agoa Preta, todos os dias."
Iguarass e Goyanna as segundas e sextas feiras.
Santo Anto, Gravat, Bezerros, Bonito, Caruani,
Altinho, Garanhuns, Buique, S. Bento, Bom
Conselho. Aguas Bellas e Tacaratu, as tercas
feiras.
Pod'AIho, Nazareth, Liraoeiro, Brejo, Pesqneira
Ingazeira, Flores, Villa Bella, Cabrob, Boa Vis-
ta, Ouricury, Salgueiio e Ex, as quartas
feiras.
QUINTA FEIRA 3 DE AGOSTO DE 1X66.
Por auno pago dentro deludas do 1. mez ,,,.... itfttt
Porte ao correio or uro anno......., S|00#
Serinhem, Rio Formoso.Tamaudar, Una, Bar-
reiros, AguaPreta e Pimentelras,as quintas
feiras.
AUDIENCIAS DOS TRIBUNAES DA CAPITAL.
Tribunal do comraercio : segundas e quintas.
Relagao: tercas e sbados s 10 horas.
Fazenda : quintas s tO horas.
Juizo do coinmercio: segundas as II horas.
Dito de orphaos: ierras e sextas s iO horas.
Priaaira vara do civel: tercas e sextas ao m*
da.
Segunda vara do civel: quartas e sabbades a 1
hori da tarde.
PHEMERIDES DO MEZ DE AGOSTO.
7 Lu cbeia as 3 h., 9 m. e 34 s. da m
13 Qii|r(u ming. as 7 h., 22 m. e 28 s. da t.
21 Uh nova as i h., 57 m. e 3i s. da m.
29 Quario cresc. as 9 h., 29 m. e 46 s. da m.
DAS DA SEMANA.
31. Segunda. S. Ignacio de Loyola f. da ord. jes.
1. Jerga. Ss. F, Esperanga e Candado vv. mm
2. Qurla. S. Itotilio m.j S. Erodio m.
3. Oumta. Ss Gamalid e Nicodemus mm.
* |''.\ta-,S- Termino presb.; S. Agalio b.m.
o. Sabbado. S. Euthiquio soldado ni. ;S. Sobe! nj
6. Domingo. S. Xisto p. ni.; S. Agapito diac.
PREAMAR DE HOJE.
Primeira as 1 horas e 18 m. da tarde
Segunda as I horas e 42 minutos da manhia.
PARTIDA DOS VAPORES COSTEMOS.
Para o sul at) Alagoas a 14 e 30; para o
ala a Granja a 7 e 22 de cada mez; para F
do nos dias 14 dos mezes de Janeiro, Margo
jnlho, setembro e aovembro.
ASSIGNA-SE
noRecife, nalivraria da praca da ladcpe
ns. 6 e8, dos proprieUrios Manoel Figoeiroa
Faria & Pilho.
PARTE QFF1SIAL
WWM U PROYOCIA
Conliuui'ao do espediente do dia 29 de julho de
186o.
Offlcio ao Exn. presidente da Parahyba. Em
rcsposta ao offl >'io dessa pre-ideniia, dalaJo de i do
corrente, cabe-me dizer a V.Exc. que.segundo decla-
rou-me o inspector da thesouraria de fazenda, em
offlcio de 27 deste mez, j se remetleu ao thesouro
dessa provincia pelo vapor Mamanguape, o saldo
das rendas a ella penitentes, o que foram aqui
arrecadadas at 30 de junhc ultimo.
Dito ao Dr. chefe de polica. Sciente pelo seu
offlcio n. 1,053 de 28 do crrante, de nao ter o ar-
senal de guerra espadas para satisfazer os pedidos
que V. S. na feilo para o servigo das rondas noctur-
nas, e certo de nao as baver a venda no mercado,
tomei a deliberago de solicitar do governo impe-
rial nesta data, providencias no sentido de serem
enviadas para aqui as que elle julgar necessarias
para semelbanle servigo.
Entretanto, se fr conveniente armar de espin-
gardas a guarda cvica, pode V. S. requisilar as
que forem precisas para esse fim.
Dito ao inspector da thesouraria de fazenda.
Sob minha respousabilidade e nao havendo incon-
veniente, mande V. S. patrar a Jos Luiz Goiaco,
procurador do capito Jos Antonio Pereira, como
pede no incluso reqoerimento documentado, a quan-
tia de 2304OOO, em que importam os veucimentos
do destacamento de guardas, nacionaes da villa do
Brejo, a contar de 21 de maio at 21 de juoho ulti-
mo, visto nao havttr crdito para esse pagamento.
Dito ao mesmo.Remello incluso o requermen-
to que me enderecou o tenente da guarda nacional
Gamillo Augusto Ferreira da Silva, designado para
o servigo da guerra, afim de que V. S. mande abo-
nar em os devidos lempos a consigoago que elle
pretende deixar de seu sold ne?ia provincia.
Dito ao mesmo. Approvando nesla dala o con-
tracto, que segundo o termo por copia incluso, ce-
lebrou o director do arsenal de guerra com o ope-
rario alfaiate Jos Romo Lopes da Silva, para ir
trabalhar no arsenal de guerra da corte, veneendo
o salario de 2 rs.; assim o declaro V. S. para
scu conhecimento.
Dito ao commandaute superior da guarda nacio-
nal do Recife. Em vista da nformago que V. S.
miuistrou, sob n. 202, e data de 27 do corrente, -
cerca do requerimenlo do guarda do 3o baialho
de infanlaria deste municipio Fraucisco Xavier
Alfonso de Carvalho, resolv dispensa-lo do servigo
de destacamento, para que eslava designado, ate
que se recorra a classe a que elle pertence.
O que declaro V. S. para a expedigo das con-!
venientes ordens.
Dito ao mesmo. Expega V. S. as suas ordens,
para que destaque no 1 distrielo da freguezia de ;
Jaboato, 1 cabo de esquadra e 6 guardas do bata-
lhao n. 8 de infanlaria deste municipio, como soli-
cilon o Dr. chefe de polica em offlcio desla data.
Fizerara-se as necessarias communicagoes.
Dilo ao conunandante superior da guarda naci-
nal de Olinda e Ig jarass. Iuformaudo o capito j
do Porto em offlcio de 29 do corrente ser matricu-1
lado na capitana Joao Francisco de Mello do Rosa-
sano, que foi designado para o servigo da guerra
como guarda do batalhao n. 10 de infamara do
municipio de Iguarass, com o nome de Joo
Francisco das Chigas, resoivi dispensa-lo desse
servigo em vista do disposto n 1 arl. 68 do regula-
ment de 19 de maio de 1846 : o que declaro
V. S. para seu conhecimento e expedigo das con-
venientes ordens. Communicou-se ao capito do
pono.
Dito ao commandante superior da guarda nacio-
nal do Pao d'Alho. Em vista da luformaeo do
commandante do batalhao o. 16 de inlautaria da
guarda nacional desse municipio, a que allude a de
V. S. de 12 do corrente,coitvem verilicar se o guar-
da l'idoro Joaquim de Santa Anua, que pede ser
dispensado do servigo de destacamento, allegando
ser casado, o misino Isidoro Joaquim de Brito,
que, segundo aquella informagao, foi designado
para o referido servigo', cumpre, por tanto, que V.
S. ueste sentido expega as suas ordens.
Dito ao commandante superior da guarda nacio-
nal de Nazareth, solicitando o guarda do batalhao
n. 18 de infantaria desse municipio, Severino Jote
de Sauta Anna, ser dispensado do servigo de desta
camenlo para que eslava designado, dando em seu
lugar o paisano Leoncio Baptsta Brrelo, resolv
attender sua suppliea, urna vez que seja este con-
siderado apto para isso: o que declaro a V. S. para
seu conhecmeBto, e alim de que faga apresenlar o
substituto no quartel general do commaudo das ar-
mas, alim de ser inspeccionado.
bit) ao commandante do corpo de polica.
Mande V. S. destacar na bar reir do lugar deno-
minado Moreno, ura soldado do corpo sob scu com-
mando.
Dito ao mesmo.Faga V. S. alistar no corpo sob
seu commaudo os paisanos Benedicto Mainel do
asciment, Malinos Pereira Reg, Joao Custodio
Baptsta, Evaristo Pereira da Costa e Domingos
Ferreira da Silva, que foram considerados aptos
para isso em inspecgo de sa le, seguudo V. S.
declaiou em.'seus oficios ns. 674 e 679.
Dita ao director do arsenal de guerra.Fca ap-
provado o coutrato que V. S., segundo o scu offlcio
n. 339, desta data, celebrou com o operario alfaiate
Jos Romo Lopes da Silva, para ir trabalhar no
arsenal de guerra da corte, venceudo o salario de
25 rs.
Dito ao conselhc de compras do arsenal de guer-
ra. Autoriso o conselho de compras do arsenal de
guerra a comprar para o respectivo almoxarifado
cern caigas e outras tantas frdelas de brim e cem
camisas de algodozioho.
Dito ao engeuheiro das obras do melhorameoto
do Porto. Par* dar cumprunento ao aviso circu-
lar da reparligo da agricultura, cominercio e
obras publicas de 13 de junho ultimo, recommen-
do Vmc. que organise e remeta-me com toda a
urgencia tabellas dos procos elementares das obras
contraladas por conla, quer do cofre geral, quer
do provincial, para servirem de base organisago
dos trabalhos que de ora em diante forem empre-
iendidos, bem como estude as causas que por mui-
tas vezes tem motivado discrepancias considera-
veis nos orgamentos, e me eovie tambera o seu re-
sultado. Offlciou-se tambem neste sentido ao en-
genheiro Fiscal da estraia de ferro.
Circular aos juizes de dlreito.Determinando S.
Exc. o Sr. ministro e secretario de estado dos ne-
gocios da jusliga, por aviso circular de 30 de junho
prximo Ando, que, nao sendo possivel preparar os
livros do registro geral de hypothecas para que
comecem a servir no lempo designado pelo respec-
tivo regularaento, a inslallago do mesmo registro,
se faga de confoimidade com o disposto no artigo
5" do mesmo rege lamento, e no dia nello marcado :
assim o communico Vmc. para sua sciencia e exe-
cugo.
Dilo ao delegado du polica de Garanhuns.A
quanlia de, 128*200, despendida como se v da
conla que em duplcala veio annexa ao seu offlcio
de 8 de junho ultimo, com o sustendo dos presos
pobres da cadeia desse termo durante o mez de
maio ultimo, nao pode ser paga, segundo declarou
a thesouraria -provincial em sua informagao n. 257,
por nao ter Vmc. remeltido como Ibe cumpria a
relagao nominal dos presos existentes naquella ca-
deia durante o predito mez de maio.
Quanto ao adiantamento a Joo Baptsta dosGui-
mares Penlo da quanlia de 4U0j> rs. para a conli-
nuagao dessa despeza, couforme Vmc. solicitou no
final do seu citado offlcio a que respondo, j foi ef-
fectuada por intermedio do Ihesoureiro da repart-
gao da polica em 21 do predito mez de junho, se-
gundo informou o respectivo chefe de polica em
offlcio n. 1,030 de 24 do correte.
Portara.O vice presidente da provincia, tendo
; em vista a informagao rniuisir.ida pelo commau-
dante do corpo de polica em offlcio n. 410 de 14
de junho ultimo, acerca do requerimenlo do solda-
do do mesmo corpo Trajano Ignacio dos Santos
Leal, que em inspecgo de sade foi considerado
inhabilitado para continuar a servir, resol ve apo-
senlar a esle com os veucimentos que Ihe compe-
lirem pelo lempo de servigo que houver prestado
em dilo corpo, de conformidad'! com o disposto no
arl. 2o da lei provincial n. 276 de 7 de abril de
1851, combinado com o art. 3o da de n. 434 de 26
de maio de 1853.
- 31 -
Offlcio ao brigadeiro commandante das armas.
Euvie-ine V. Exc. com a possivel brevidade urna
segunda via do parecer da junta de sade, que ins-
peccionou o guarda Manoel Marinho do Nascimen-
10, pertenceote ao 10 batalhao de infamara desie
municipio.
Dilo ao mesmo.Informe V. Exc. se e Indio Jo-
s Romo de Vasconcellos de que irata o incluso
offlcio do juiz municipal de Buiqae, alistoa-se no
segundo corpo de voluntarios, providenciando V.
Exc. ao mesmo tempo, para que seja elle apresen-
lado ao Dr. chefe de polica, se anda existir nesta
capital.
Dito ao mesmo. Expega V. Exc. suas orJens
para que se fagam as honras fnebres, que por lei
compctirem ao finado brigadeiro Gaspar do Mene-
zes Vasconcellos de Drummond, cujo cadver se
acha depositado na igreja Conceico dos Militares,
e tem de ser dado a sepultura s 3 horas da larde
de boje, certo de que nesla data offldo ao comman-
dante superior da guarda nacional deste munici-
pio para ministrar a forga que V. Exc. requisilar.
Fez-se o necessario expediente a este res-
peito.
Dito ao inspector da thesouraria de fazenda.
Recommendo a V. S. que, em vista da folha junta
em duplcala, e nao havendo inconveniente, mande
entregar cora urgencia, ao pnraero tenente Er-
nesto Ignacio Cardim, conforme solicitou o capito
do Porto, em offlcio de 28 do corrente, sob n. 118,
a quanlia de 480000, a que teem direito Thoraai
Price, John Smiih, John Machn e William Pawer,
engajados como primeiros marinheiros para o ser-
vigo da marinha nacional da guerra, bem como
Amliv de Abren Porto, que os apresentoo n'aquel-
la capitana. Communicou-se ao capito oo
porto.
Dilo ao mesmo.Haja V. S. de manlar pa?sar
revista de mostra amanhaa s 8 horas do dia ao
primeiro batalhao de infanlaria ra suarda nacional
destacado noqoartel das Cinco "-mas.Communi-
cou-se ao commandante snnerlu do Recite.
Dilo ao mesmo. Nao havendo'inconveniente,
mande V. S. adiantar um mez de sold e etapa a
a forga do batalhao n. 9 de infantaria da guarda
nacional de Olinda, que tem de destacar ao presidio
de Fernando.
Dilo ao mesmo. Sob minha responsabldade,
mande V. S. adiantar com urgencia, a cada um
dos operarios alfaiates, Trajano Hyppolito de Mo-
raes e Diogo Ferreira da Silva, que vao traba-
lhar no arsenal de guerra da corte, a impor-
tancia de um mez de salario porque se ctnlrac-
taram.
Dilo ao inspector da thesouraria provincial.
Para os Iras convenientes, transmuto a V. S. a re-
iacao dos presos pobres existentes na cadeia de
Tacaratu, nos mezes de agosto do anno passado a
abril do corrente anno.
Dito ao mesmo.Mande V. S. por em arremata-
gao o imnedramento de seisrentas e setenta e duas
bracas correntes na estrada de Olinda servindo de
bas a essa arrematagao as clausulas e orgamen-
tos juntos por copia, "o que para esse fim vieram
annexos ao offlcio. que me diriyri0 o chefe da re-
parligo das obras publicas, em 27 do corrente sob
n. 241.Communicou-se ao chefe da reparligo
das obras publicas.
Dito ao mesmo.Restitundo i V. S. s contas
que vieram ann<>xas ai seus oficios de 28 do cr-
reme, sob n. 287 e 28. e a que se/refero os da
presidencia de 11 de maio e 10 de junho uliimos,
relativo as despezas na importancia de 2135200
rs.. feita com o sustento dos presos pobres da ca-
deia de Nazarelh, durante os mezes de Janeiro a
maio deste anno, lenho a dizer que, de conformida-
de com os pareceres da contadoria dessa thesoura-
ria, mande pagar aos negociante^ Antonio Domin-
giies de Almeida Pogas, somente a quanlia de.....
87*000 e Elias de Almeida Lima a de 985800, vis-
to ter de deduzir-?e das mencionadas contas.......
205400, sendo 195600 correspondentes a escrava
Vicencla, os quaps devem ser pagos pelo respecti-
tivo senhor, e 65800 aos presos Severino Francis-
co de Farias, Joo Baptsta e Francisco Gomes do
Nascimenlo, que na 1 vieram contemplados na rela-
gao dos presos existentes na predila cadeia, no mez
de abril.
Dito ao commandante superior do Recife.Man-
de V. S. dispensar do servig, como reqnisiton o
director da companhia de Beberibe em offlcio de
26 do corrente, o guarda do batalhao de infantaria
deste municipio Claudino Nones, em quanto esti-
ver empregado no servigo diario da mesma compa-
nhia.
Dito ao director do arsenal da guerra.R-"com-
mendo a V. S, que faga trocar por correames em
bom estado os que Ihe forem presentados pelo
commandante interino do hatalhn n. 9 de infanta-
ria da guarda nacional de Olinda, aflm de armar a
tropa que km de destacar no presidio de Fer-
nando.
Dito a cmara municipal desta ridade. Tendo
de prestar juramento e lomar posse da administra-
gao desta provincia, no dia 2 de agosto prximo
vindouro, s 10 horas da manhaa, perante a cma-
ra municipal desta cidade, o presidente para ella
nomeado o Exm. Sr. senador cnnselhelro Joao Lus-
tosa da Cimba Paranagu, assim o communico a
mesma cmara, afim de que para isso esteja reuni-
da no dia e hora indicado.
Ixpedienle do secretario do governo.
Oficio ao escriturario da mesma secretario Fir-
mino Herculano Baptsta Ribeiro. ". Exc. o Sr.
vice-presidenle da provincia, tem resolvido nesta
data desanoja-lo; o que communico a Vmc. para
seu conhecimento.
Os Srs. agentes da Companhia Brasileira de Pa-
quetes, manden! dar urna passagem de estado a r,
havendo vaga at o Rio de Janeiro no primeiro va-
por que vier do norte ao bacbarel Joaquim Augus-
to Ferreira Jacobina.
EXTERIOR.
COBRESPOVnENIAS IM> DIA-
RIO DE PKRV.ilHBVC
KdMBOA.
12 de julho de 1865.
(Concluso.)
Continuara activameute as obras no palacio
de cristal e seus jardins.
E>lo concluidas as pinturas da nave central, e
das duas lateraes. As cores, pela sua bella com-
binago, produzem exr.ellenie eff-jito.
admirar
espantam de baver alguera, que
vaslido suficiente.
Ao fundo do salo prosegue-se oos arranjos pe-!
*?.?_rggwtoa.P>r* y?" yfrwpoaenle | nena a* oegoelacoes para um tratado decora
i Sciencias o cominea- roerdo entre Portugal e a Franga.
As nossas relagoes com aquello imperio rescem
rpidamente, e de suppor que a prxima expo-
sigao, que lomara reciprocamente conhecidos os
producios natura. e arlificiaes dos tois paizes,
contribuir fortemente para dar vigorosamente im-
pulso ao nosso coinmercio com a Franga ; um
tratado, pois vira, muto a proposito.
J chegaram a Lisboa 10 wagons carregados
de productos francezes para a exposico interna-
cional.
Consta que vieram carroageos e outros grandes
volumes. O regularaento fiara a sua expedigo
que ainda nao veio.
Os moradores d'uraa freguezia do Porto, pre-
tenden! cousar-se, para levantar um grande arco
da exposi-
n e Bourdeal, escriptores, o primeiro Ita-
segundojrncez.
a 111 agraciados por Sua Magestade o czar
de toda as Russlas : com o grao de gra-cruzes
da ordem de Santo Estanislao o conde d'Avila e
conselheiro Emilio Achules Monteverde, e com os
graos de commendadores da mesma ordem os vis-
condes de Soares Franco, major geueral da arma-
da; visaonde da Praia Grande de Maco, inspector
do arsgpl de marinha ; e Cliristiano Aognsu da
Coila Simas, commandanie da corveta Sagres.
S. M. el-rei o Sr. D. Luiz,
----- -----, enviou ao impera-
s quantos .111 entrara nao podera deixar de' 'V^TPortfinSoa rlnha ^X''
\*.eSl.i? d0 K'ande sa,0- O"0 Se 'embeSa banda d o"rdem d^SanU^be. 8 ^ j
o nao ache com a Sno.icias de Angola.at 12 de malo ullimo.! numpha!; naIcc^Vle' aber.ur;
A tramiuiliidade nao havia sido alterada. gao.
cessarios para que se possa col locar i o ande mS^AZ-!m^ ?!?? 1ap,!a'.em M,0?sa"' ~ C'insl,a ,|ue Mr E da Garando, respeilavel
orgam do palacio, apenas chegue de Inglaterra. k a"iados pela boXlgaS algUDS, con^ de Fran5a ***, W nomeadocommissa-
Esta tapetado de bello mosaico a varanda do la n il at,,, m ., no imperial junto a nossa exposic.
do do sul. donde se Kosa um t5o fomoso pao-1 ^?JT mMmeS ^^ Cm g": .aT i'mr Keral ,,a |B^ Pblca Dr-
n; h- p.ij.1 f .< Adriano Machado e Amorim chefe da primeira
.Ai ?.a?l > undu!a fora a M.alan.ge en^gar ao reparligo foram no da 4 visitar ao Calvario o
se gosa um
rama.
As salas e
atftaapr.^'ttt:*5T3rTSKiSTJ5K^
to (lequeno, mas s em relagao com a grandeza
do edificio, pois abslrahindo della, nioguera Ihe
pode nolar esse defeito.
Na galera, que o circunda, e que
s senhoras, forara gravados na parede os nomes l
de dez compositores de msica classica e de con-''
certos. 1
Sao elles -Mendolshn Weber Becthoven :
BachIlaydn -Mozard-Handel PergoleseCi-;
marosaReissiger.
Cinco de cada lado.
No lado que d para o interior do palacio eslao
collocadas quatro portasespelhos, que produzem :
o salo, e quando elle esteja Iluminado devem
produzr um lindissimo efTeito.
Para a mesma illominago jase acham penden-
tes do tecto 12 candelabros de novo e bello gosto.
As piuturas do teclo s* simples mas lindissi
mas.
um
tes
T-m quairo bancadas o crelo para a orchesira. nov.w
No palacio j esto collocadas duas bombas para
O soba principal do Bailuodo mandou urna ein-
' baixada ao governador de Angola, para pedir que
ele uomeasse um oficial chefe daquelle ponto,
destinada, 0 governador accedeu.
O jaga de Cassange mandara entregar ao chefe
do conselho una peca de brome de calibre 1, lo-
mada em 1862.
Segundo as noticias recebidas ltimamente, s-
bese qbe em Loanda se tratava activamente da
governador de Cacheu entregas** ao governador d*
Goree a goleta aprisionada, qne n*ia f. s* Iradu
pavilhao de Franca, e que e-ie fHM andado neta
prapa de Cachen com a salva do estylol
Quanto, porm. a qm-sto de direii. iio um
a goleta foi on nao lem capinrada, ftroo para *r
submettidu e decidido, pelos respectivos aoveraos
irance/ e porluguez.
El-rei o Sr. D. Luiz envin a banda da or-
dens de Lbristo e de Aviz ao principe imperial de
Franga e ao conde d'Eu. *
A gra-cruz da ordem da Torre e Espada foi da-
da ao duque d'A lengn e a> infante hespannoi D
bebasliao.
Tem de ser reformado, signado dizeai, o
projecto da ramal de entrncamelo a> airada da
Ovar a Oliveira d'Azemeis na etrada d'Ovar a pr-
xima estago da iinha frrea do norte.
Consta estar submeilid ao ronselho das obras
publicas o projecto de prolngamelo da p>an> do
Harreiro que condui a' estaco do cammho de ier-
ro do sul.
Ela obra lem por Hm eviur que seja preciso
andar constantemente urna draga profondando as
aguas para o va|.r qoe conduz os pawageiros >
Lisboa poder alravessar a ponle.
S. M. el-rei o Sr. D. Luiz mandn chairar o
nosso bom Taborda, alim de convidar para eMe \i,
mar parle em nma recita que um de-tes das na-
I vera' no paco de Mafra para d-frahir S. M. a
, raiiiha.
Em Mexomil, conselho de Paeos de Ferreira,
conslrucco de um caes e di armazens de almoxa-, gados civis e militares do ultramar aosquaes ha-: iue a cria"a
ri :u n, ..:___. s_ a .. mt*nfP fila
i viam lindado
- as licengas com que se achavam ua
Andaran empregados regularmente nestas obra Europa. Tambera seguiram no mesmo vasoalguns
'n c ',W i":[ari0!1- M colonos e degradados cora dillerentes
O Sr. Filipino Manoel de Sooza Dias o sua espo-
sa, residente em Quilmane, baviam offerecido
4 7345. para seren applicados construego de
um caes-
destinos.
O Sr Faci, ministro do Mxico junto s
cortes de Hespanha e Portugal, portio de Lisboa
para Madrid, acompanhado |>elo Sr. Soveral, nosso
ministro junto a corle de S. M. Catholica.
ns yiutuida uo lecio sa-t simples mas linaissi As ri M.icanmmna iiMmillilm, i?,,.! I \.^Z.T = o. u. uwiuin...
las. As cores muto bem escolhidas Predomina i ,a. ? A "caam a 8 de raarV- E'" i A verba de tresentos contos, que foi votada
azul celeste, que hale cZhzer com S Ss-, fe SSL" !'?!" SC^ '' ^T T*T' Para as olj,as o Pou,a l,B|Rada ("ha d s- W\)
s harmonas, que al I sebao.de onvir ? fSlSSS ."' 'Ua I168?5 deQominados, Ja esta gasta, sem que as obras enejara concluidas.
-r____......, iu<> iiisb imii ue umu. Laudinsuiham atacado e destruido urna neauena i onu no m .ci, ,i.. ,..i.;..,-. ....
prevenir qualquer incendio, e cuidase tambem
em collocar os para-raios.
Os annexos progridem, e de dia para dia se no-
ta nelles diflereuga. Tambem continuara as obras
no chalet suisso, e os jardins cada dia que pas-
sa vao mostrando o que bao de ser, vastos e for-
mosos, sem terem oveja aos mais bellos e afa-
mados.
A
Seto
que s depois da ezposic'o se tratar disso. O ter-
reno accidentado concrrer muito para all nao
ser o menos lindo destes jardins, que sero breve-
mente urna das melhores cousas do Porto.
O governo acaba de crear um concurso an
Qutev
- Fi
gados
guerra
lo cu
parte que-d para o lado da amiga quinta dos
Caminlios, nao se ajardina por ora. Parece
le guerra An'hrinha.
r- Dr. Ignacio foi portador de um valioso
preserrtj enviado pelo nosso ministro em Paris o
coubj I Paiva ao nosso monarcha.
i consiste u'uina espingarda com que
o celebro cagador de IcOes Julio Gerard se deten-
deu cora que acab< u de matar a fera.
A arma foi quebrada pelo leao, que a agarrou
com os denles na occasio em que o inlrepldo ca-
gador se defenda com ella.
O Sr. Antonio Feliciano de Castilho, distincto
Souza, cama-
.,,.1 a ..,i______i, i.., .------------ "-' iinuiiiu 1-eiiui.iiio ue U3i
.p f,Lfr-u e ,,' ,r ,no mV' a q'al ?0meU' Pe,a- t,A P'evenido pelo marquez de
le poder, o ser adm.l id*s cavallos nasc.dos o crea- rijla e SHA. u io.e,a a| dc
js em Portugal qualquer que seja a sua proco- aUgUst0 espeso o conde d'Eu, de que
.mJ0.p:'la!io..de.B,:lm' leve a..h0Dra.der.ler I o "paquete dos Acores, chegado no da 4,
do Brasil, e seu
que seja a sua proce- aUgU:;|0 espej0 0 ,.ude d-Eu ue ss_ AA_ 0 re. | me3mas 0m,.n'a;
dencia, nina vez que nao lenham menos de quairo Cl.era
nem mais de seis annos de idade.
edificio aonde deve no prximo anno lectivo
coraegar a funecionar |a escola normal prima-
ra do sexo feminino.
Asseveram que as obras da forlifleagao das
margens do Tejo vao em breve coraegar.
Consta que as primeiras d'e.-tas obras sero fei-
I las no castello d'Almada, aonde sero collocados
i dous rodizios de 200, cinco pegas de 100, e apetre-1 A~.""'" 1,"IX0t,n'1. cm
chos sufflcientes para urna guarnigo de 50 sida-1 de^ mf^ '"T ''
dos de artilharia amamentava urna hllunha, qaaiaase
O vapor Norfolk sahio no dia 8 deste raez para d" prandc "***" de for-S Mlriboin* Mo a
os portos d'Afrna. Vao n'elle ditrerenles empre mna eohra ,,ae "?e noo,e f0**T "*- **
que a crianga nao lh o podia esg-itar cmplu-
mente a ella. L'ma n^nte, a molher seMio um
sybiilo. Deseen da cama, acendeu nma luz. re-
visinu toda a casa, e cr-mo nada Hnan, .uIh de
novo para a cama, porm de um palo loraoa a
descer do leito. Acabava de de*cobrir entra a
roupa urna cobra de desmesurada grandeza. A
pobre mai ti.mu exttica sem poder diaer patavra
Depois do primeiro insume d.- t-rror. irnoo ao
seu estado natural, i>.)rm o monslro desaparecer.
Um jornal de Braga conla qn na freguezia
de Sania Eulalia da Oliveira dan sa na aso estra-
vagante, e que deve ser narrado.
Urna mulher conhecida por beata pode introda-
zir-se na igreja daquella freeuezia. *p*>- *- <-tt*
se ler fechado, poz as imagens dos diferentes alta-
res urna atraz das outras, em toda a exleasa dn
igreja. Depois untna com azeile e penteoo os ca-
bellos do Senhor dos Passos e collocoa-lhe as
mos o vaso dos santos leos. A beala depois des-
la operagao vadio-se por nma janell>, e foi ler
com outras mulheres qoe a scima popular elevara
cathegoria de beatas, e disse-lhes one o sea eo-
I rago Ihe prognosticava um grande milacre. O pa-
rocho, sabendo disto, corre igreja, abre a porta
do templo, e cabe de joelhos e mais toda a geMe
que preseociava esla comedia ante o speoslo sai-
lagre. Porm j tinha decorrido nma hora. a
proclsse nao sahia ; e o parocho de-ronfian*> da
beata, rerislou-a e enrontroo-lhea chave do .acra-
rio, obrigando-a a cnfesar o sen indigao pmee-
dimen'o. Todos se retiraram penalisadoo. e a bea-
ta deu em seguida entrada na cadeia de Barceilos.
L
"os i ja esia gasia, sem que as obras eslejam oncluida
mham atacado e destruido urna pequea ; Couta que em visia das reclamacoes que lem
onde reside o capuao mor do Manico e | chegado ao governo, para as obras nao pararem,
mdo este obrigado a fugir. j esle vai decretar um novo emprestimo de mais de
am apresados dous pngalos rabes carre-1 cem contos de ris para ss mesmas obras.
escravos-um no alio mar pelo vapor do a esquadrilba qoe ba mezes sahio de Lisboa
aria Auna o outro em Cabo Delgado pe- para os portos do Brasil e Montevideo, espera-se
no Tejo at ao dia 15 deste
mez actual.
Os tabacos desoachados na alfandega de Lis-
boa renderam 1,638:4605284, nos seis mezes que
lindaram a 30 de junho.
Junte se algumas pequeas verbas que entraran)
no cofre da alfandega do Porto, que podero pre-
encher talvez 1,650:1)005000.
Acham-se desde o dia o collocados sete pra-
raios que devem defender o edificio onde se acha a
alfandega de Lisboa.
Acham-se tambem concluidas as offleinas
do caminho de ferro mais duas estagdes ambulan-
tes postacs, mandadas construir pelo governo.
Alm drstas, eslao-se montando mais quatro as
. de 20J000
0 premio d'honra ser couferido ao productor
ou creador que apresenlar os seis melhores caval-
los; o primeiro premio pecuniario, ao que apre-
senlar os melhores dous cavallos; o segundo ao
contorrente que apresenlar o inelhor cavallo. Os
restantes premios sero conferidos aos concurren-
tes que apreseularem os cavallos immediatos em
mrito.
Te ve lugar no dia 28 de junho, no tribunal
da Boa-Hora, o julgamenlo do ex-negociauie desta
praca o Sr. Thomaz Elias dos Sanios.
O Sr. Elias era acensado pelo tribunal do cora-
mercio de quebra fraudulenta. O jury ieu, por
unaniuidade, nao provado o criuie, e o juiz absol-
veu o ru.
_ No dia 23 do mez passado morreu, na esta-
go do caminho de ferro em Tuomar. um passagei-
ro que a de Lisboa para o Porlo. Ignora-SO o seu
nome, porque apenas pode dizer que era Brasi-
leiro.
Sabio luz um livro muito til. E' o Rotei-
ro do viajante no continente e nos caminhos de fer-
ro de Portugal pelo Sr. Joo Antonio Peres d'Abreu.
E' livro ntidamente Impresso, curioso, brm es-
cripto, e baraiissimo, pois cusa 300 res. Contm
um bello niappa de Portugal, com a diviso por
dislrictos, t lendo assgnalados os caminhos de
ferro, estradas maedaraisadas, cidade.s e villas
pnneipae.-. No roteiro encontrase a numerosa
descripco de 150 trras do continente, descripgo
proveitosa ja ua parle geograpbica como na histo-
ria poltica e industrial de cada una das mesraas
tenas. E' trabalho bemfeito e conscencioso onde
se obteem muitas noticias. L se no livro o plano
que *>ua Magestade el-rei o qmz agraciar.
E' coslume conferir esle titulo ao primeiro me-
dico da real cmara, lugar que oceupa o S". Dr.
Gomes depois de lallecimenlu do baro da Silvelra.
Ja esla venda na livraria Mores, no Pono,
o novo livro do Sr. Gamillo Castello BrancoEs-
boios de (ipreciacoes littemrias. Esle precioso vo-
lume eocerra em si juizos crticos do inspirado ro-
mancista sobre algons poetase prosadores contem-
porneos, e estes sao os Srs. Francisco Marlns de
Gouvea, Piulo Ribeiro, Ernesto Biester, D. J* o
de Azevedo, Jo- Barboza e Silva, Coe'-no Louzada,
Manoel Roussada, Ignacio l^zarro, Rebollo da Silva,
Huilln) Palo, Jubo Cesar Macnado, Soares de Pas-
sos, marqueza de Aloma, Faustino Novaos, Moraes
Sarment, Comes Mmiioiro, Tbeophilo Braga, Ra-
mos Coelhoe Slnval.
Desde qne a sociedade A Providente de segu-
ros mutuos sobre a vida se estabeleeeu, que foi em
4 de agosto do auno passado, anda mez nenhum
alcangou lo forte subscripgo como a que obteve
neste mez de junho passado, que foi de 153;l815o00,
em 17o subscripgoes.
O total al 30 de ixinno de 1871 subscripgoes
por um capital de 903:7045.
Alim de assegurar que as despezas que o
estado faz cora a edueacao do clero destinado s
missiies uiiramarinias nao sejam inulilmenle rea-
iisadas,'ora avante ueiihum alumno ser alli
admilldo sem que previamente, por escriptura
publica, seu pal, tutor, ou outra qualquer pessoa
se obrigue a pagar a fazenda a quanlia de 1445
por cada anno que o mesmo alumno estiver no
collegio, se d'elle sabir sera ter recebido as sagra-
das ordens, ou se depois do ordenado e inteira-
de seis passeios de recreios pelo paz com a Impar- i mente habilitado nao fr para o ultram
muito aproxi- jever exercer o ministerio sagrado,
tancia, se nao exacta, pelo menos
mada da despeza a fazer.
Em lim um livro utilisslmo, porque alm de
se encontrar nelle, em grande copia ludo quanto
se nos depara as guias dos viajantes, abundaren
infoimagoes de todos os gneros. E' livro para o
viajaule em Portugal, e livro que se pode chamar
indispensavei.
A commisso liquidataria da extincla compa-
Dbia Unto Mercantil, vai novamente por em pra- '
ga os vapores pertencenles aquella companhia, cora
o abntimento da quinta parte do valor em que se
acbara avahados. Talvez que assim baja arreraa-1
tantes. Diz-se que o governo deseja adquirir al-,
guns dos vasos, de que carece para transportes.
Diz-se que a sociedade de homcepalhia do j
Porto, tenciona requerer ao governo a fnudago de
ou empre-
gar-so noensiuo em qbalquer seminario ecclesias-
tico, ao menos por tempo igual ao que livor estado
no dito eslabelecimento.
Foi no da 4 do corrente assignatura real
e decreto permiuindo que o banco iiinlio, (de Dra-
ga,) podesse comecar as suas operagdes, visto ha-
ver realisado a necessaria parle do seu capital.
Veribcou se no dia 4 a digresso do ministro
da marinha e outros funecionarios do seu minis-
ter o aos planos inclinados.
A companhia de caminho de fero do sul j
tem uo Tejo o vapor de grande forga Carlos Fer-
nando, para a navegagao entre o Barreiro e Lis-
Augus
dem de Santo Andr, da Russia.
O Sr. Luiz Soemann, remetteu de Paris
seceo de mineraloga do musen nacional, urna
eoiiercio de mineraes, a qual contera 47 especies,
todas d'iun subido valor, muitas das quaes ainda
nao estavam representadas naquelle eslabeleci-
mento.
Fallecen na illia Terceira no dia 18 do mez
ultimo o commendador Antonio Borges Leal Corte-
Real.
(* Ilustre Uado era coronel das extinctas mili-
cias, e foi um dos Terceirenscs que assistio acgo
da villa da Praia da Victoria.
Entrou no da 4 no Tejo, o vapor de guerra
americano Kearsage que deslruio em um combate
o corsario Alabama.
O duque de Saldanha veio um destes dias a
Lisboa ; esteve no conselho de estado e depois
com el-rei. S. M. deu-lbe as tres medalhas de
ouro ltimamente creac.as, tirando urna da sua far-
da, e dizendo ao duque que era a que elle costu-
mava trazer.
A comitiva do Sr. conde d'Eu foi muito con-
siderada por el-rei D. Luiz, que condecorou todos
os membros della.
Consta que o Sr. Eduardo Clarke, nosso con-
sol em Kanagawa, no Japflo, vai publicar em In-
glaterra as suas impressoes de viagem E-lrema-
dura e ao Minho, onde descrevera' os nossos cos-
Inmes e usos e os principaes monumentos e esta-
belerimentos pblicos do paiz.
No Porlo parece que vai crear-se urna socie-
dade, cujo tim fornecer gneros alimenticios qoe
sero vendidos aos socios por menores pregos do
que os do mercado.
Algons Porluguezes residentes no Brasil pro-
movem una subscripgo entre os seus compatrio-
tas naquelle imperio, para a compra de urna espa-
da de ouro cravada de brilhantes, com que tencio-
nam brindar o ex-governador da torre de Belm,
demitlido em eonseqnencia de ter mandado fazer
fogo sobre navios federaes.
O conde d'Eu e a princeza do Brasil deixa-
ram 150 libras para serem destribuidas por todos
os criados da real casa que estiveram a seu servi-
go todo o tempo que durou a sua estada nesta cor-
te e palacio de Belm. Ao almoxarife do real pa-
lacio de Belm dizem que tambem suas altezas
offertaram um valioso souvenir sua retirada.
urna escola de homcopathia era Portugal, mauei- Mogambiqne, 50 pegas de artilharia de differenles
O Dr. J. G. Avellar relatoua' nossa sociedade
Doa- das sciencias medicas um caso singularsimo de
- Pela fragata D. Fernando sao enviadas para ruptura do corago acontecido a Jos da Costa de
ra da que ha no Brasil que al coufere grus de
doutor.
El rei o Senhor D. Luiz tem estado em Ma-
fra, veio a Lisboa no dia 28 assistir no arsenal de
marinha ao embarque do duque de Nemours e seu
filho o duque de Alengon que sahiram para Ingla-
terra.
calibres para guarnecer as fortalezas d'aquella
pro"incia.
Houve ha dias na Iinha frrea de Douvres a
Londres uin desastre que causou a morte a muitas
pessoas e ferio outras. N'um dos wagons ia oSr.
Thomaz de Moraes Sarment, fllho do visconde de
Moncorvo. Esle cavalheiro recebeu tambem al-
A corveta Duque da Terceira, est metiendo gumas contuzoes, mas nenhuma de gravidade.
os mastros reaes, para depois de armada ir a In-
glaterra melier a machina, o que se verificara da-
qoi a dous ou tres mezes.
A datar do raez de julho icain vencendo s
melad dos respectivos ordenados os artistas da
companhia do thetro do Gimnasio.
A empreza vio-se na necessidade de empregar
este meio violento por causa da falla de concorren-
cia do publico.
No dia 1* do corrente sahio para Mogambique
A companhia dos mnibus visto ter-se Ihe
acabado o privilegio, val reformar os seus esta-
tutos.
Consta que se trata definitivamente de or-
ganisar urna companhia de trabalhos de explora-
cao no lugar de Trola, em Setubal.
Este commettimento gigante e patritico deve
se ao Sr Nicolao de Brito, mancebo d superior
talento, cujo genio emprehendedor e peregrino en-
genho fazem augourar o melhor resultado para
82 annos de idade, natural e residente em Bemtica.
O doente entrou para o hospital com um pequeo
padecimento sentindo incommodos gstricos. Com
a applicago de algumas limonadas foi restabeleci-
do em quatro dias, e quando ia a sahir do hospital,
alegre e satisfeito. ajoelhou, e sem dar siquer um
grito cahio para o lado sem vida I Fez-se-lhe a au-
topsia, Andas 2t horas, e reconheceu-se que o des-
gragado fra victima de urna ruptura expontanea
de coiago, crendo-se que as aberturas que esle
apresentava se flzeram todas n'um momento em
toda a espessura da parede veotricnlar. Pode se
talvez dizer, em expresso vulgar, qoe o desgraga-
do morreo porque se Ihe parti o coracao I
De Cabo-Verde dizem o segrate :
c No dia 10 de maio do correte anno ancorou
no porto desta cidade o vapor de guerra francez
Castor, do qual commandante o 1* tenente Mr.
d verisseaux, da forga de 120
Requin, lientenant
a barca mercante Penh Langa, conduzindo 21 pra- empreza de lana utilidade. cavallos, com 84 pessoas de equipagem'e quairo
gas do deposito disciplinar commandadas por um I E depois sao tantos os documentos que Iraba- artilheiros; este vapor veio de Gorre por ordem
tenente. | lhos iocoropletissimos espalharam j por raaos de do governador daquella possesso reclamar perante
Sahio para o Havre na Ville de Malaga o con-1 uns e outros, que quando raesrao se nao eorique- o nosso governador geral a entrega da goleta frau-
de Antonio de Rio Maior e sua esposa e a Exma.Sra.jgam as sciencias e asa res porvia de taes trabalhos ceza Glameur, a qual havia sido aprisionada em
I). Maiia Amalia de Rolin Mendonga, filhadodu- elles bastara para garanta de propriedaoe da Cacheu como contrabandista^
que de Loul. Esta ultima senhora val para Fran- companhia que se vai organisar. t A' vista de tal reclamago, reuni S. tc. o
ga tomar os votos de rma da caridade. Assevera pessoa bera iutormada que esto conseibo do governo, e foi por este decidida qoe o
PERNAMRUCO.
RRfISTA DUftU.
Entrou hontem em exercicio da suprema gover-
naco da provincia o Exm. Sr. c.melheir.> J-o
LaMOSa da Cunha Paranagu', depois de hav.-r
prestado o competente juramento perante a cma-
ra municipal.
Fazemos votos para que S. Exc. apr elementos de propriedade de que dispoe a provin-
cia, Ihcs d o conveniente impulso nal proveiio
desta porgo da familia brasileira que foi cowmei-
lida a sobcilude.
O Exm. Sr. vice-presidenle baro do Rio F rio-
so entregando a admioislrago ao Exn. Sr. n.n-e-
Ihelro Paranagu", terminou o seu exerein ; e
nos poucos das de suas funecoes houve .-e hen>,
demostrando um carcter probo e ju-liceiro esa
seus actos governativos.
A nossa assuciago Commercial acaba de lom*r
urna resolugo que abona-lhe os seuiimeaio* pa-
triticos, pois com ella nada meoo- faz qoe e>utie-
lecer o estimulo cora o reccnheciraenio dos aana
servigo?.
Em sua ultima sessae foi resolvido, qne se rua-
ferisse o diploma de socio honorario ao hroe do
Riachuelo, o Sr. chefe de divisan Franebeo Ma-
noel Barroso, liem como qoe fo-.-e tirado a oleo a
seu retrato, alim de ser collorado na sala das res-
pectivas sesses, como inamf-.-uci do aprero ao
mesmo general, votado pelo conimercio desta pra-
ca de Pernambuco.
Na 8* pagina damos om artigo necrolgico
do Rvra. Sr. padre Francisco Peixoto Duarte acer-
ca do tinado Dr. Ignacio Nery da Fonseca.
Apparecem noticias de naver -ossobrado nana
jangada, sahida deste porto para o da Parabvba,
constando que nao suecumbira pessoa alfoma,
roas que se perder nao peqoena porco de liaferi-
ro remetiida para aquella cidade.
Depois da mauha se t-xtrahira' a S" prte
da Ia e 1' da 2a lotera da Santa Casa de Miseri-
cordia, para canalisago d'agua e gaz ao bo-ptul
Pedro II (26a), sendo o maior premio li.mmi.
O vapor Parali'iba, viudo hontem de.\;ag4~,
trouxe jornaes de 1 do c rr> ole.
Tonioii posse da presidencia da provincia, ao
dia 31, o Dr. Esperidio Eloy de Barro* Pinvuttl.
Ainda hontem nao funecionou ojory de>u
cidade por falta de numero legal, retirando- ato-
nas 32 juizes de faci pelo que forara sonrado* 16
outros, e mandados intimar para compareceras
hoje.
Deve ter hoje lugar, no .-anta Isabel, o es-
pectculo era benettcio da familia do eaptiao Pe-
dro Alfonso Ferreira, um dos bravos de Kuchoela,
Para elle pedimos a proteceo do publico.
Cnegou hontem do Rio de Janeiro a rorveta
ingleza Satelltte, qoe vera estacionar em nosso
porlo.
Numerago dos bilhetes da lotera 26, cdfe-
recidos para auxilio das despezas da guerra, peto
ihesoureiro das loteras, Antonio Jos Rodrigo**
de Souza:
Bilhetes ns. 296, 1135. 1674 e 2659
Meios ns. 330, 845. 1531, 1764, 2142 e 2*3.
Qnarto- ns. 17, 190, 491, 787, 999, 1047, 124.-..
2091, 2291, 2490, J781 e 2991.
Os bilhetes das loteras 11* a 25* prodazirasn
4< 175500.
Thesouraria das loteras de Pernambaeo, 29 do
julho de 1865. -J. R. de Souza.
Repahticao da polica :
Extracto das partes do dia S ia agosto do
1865.
Foram recolhidos casa de delencao no dia I
de agosto:
A' ordem do illm. Sr. Dr. chele de polka.
Joaquim de Sonta, Manoel Francisco Soares, Vr
cisco Rapbael de Souza e Ruflno Teixeira Caval-
canti, para recrutas.
v~


4______
Diarlo de Pcrnambuco Quinta lelfa 3 de Agosto de 16,
L________
A' ordein do Dr. delegado da capital, Jos Fran-
cisco Ferreira ou Leonardo Jos de Medeiros Lins,
para avet iguac5es sobre crirae de furto ; e Loa-
ren?o, escravo de Elyseu de Souza Marlins, sera
declararse do raolivo e posto logo era liberdade.
A' ordein do subdelegado de Saote Antonio, Ur-
bano Cypriano Leoncio, para correcto, o Dio,
escravo de Joaquim Ignacio Gongalves da Luz, a
requerraento do procurador deste.
A' orden do da Boa-Vista, Joo Jos da Penha,
para recruta.
A' ordem do do Pogo, Francisco Antonio do Pa-
nizo para, correceo.
O chefe da 2.* seccao.
J. G. de Mesquila.

B
1
I i i
I I 2 I 5 I
3 I = I S I
o
>
: 1 : : l : 1 : 1 S
1 -I 1 CC 1 1 --1 I v, | g Masculino. > S
1 SI - 1 1 1 1 1 Feminino. te\ os I I r a
S s o M Masculino, j en SS
. - Feminino.
1 - Masculino. 5 < 0
J. - 1* JfaNMMM.
a ^ m ^ 00 Masculino. M Z 1 O O

9
i
=
sr
L-se o segnlnte
EXPEDIENTE.
Um ofHcio do Exm. presidente da provincia, era
solucao ao da cmara, sob n. 7, no qual represen-
va sobre a pratica de serem os presidentes da pro-
vincia investidos da posse pelos seus antecessores
no palacio do governo, reraette incluso por cpia.a
mesroa cmara, o aviso expedido pela repartico
do imperio m 14 de marco ultimo, declarando que
o governo imperial julga abusiva semelhante pra-
tica pelos fundamentos expostos era dito aviso.
Inteirada.
Outro do mesmo, dizendo que, para satisfazer a
deliberago da assembla legislativa provincial, re-
meta a cmara urna copia do parecer da commis-
sao, ncarregada de examinar o estado da secieta-
rla Sa mesma cmara.Que se respondesse a S.
Exc. que nao existe parecer especial acerca do es-
tado da referida secretaria.
Outro do mesmo, dizendo que para satisfazer a
deliberacao da assembla legislativa provincial
preste a cmara a informago exigida em ofcio
habilitacoes que serapre teve para continuar no
exercicio do mesmo; pois que durante o sea cargo-
al flzera mais do que era de soas aitribnicSe?, co-
mo fosse ter proporcionado a contadorla todos os
esclarecimentos para que fosso systematisada a es-
crlpturacao desta cmara municipal, que de algu-
ma forma era to confuza ; dividiodose em tres
caixas as differentes verbas de entradas dos
CGMMUNICAJ30S.
o-se a Cesar, o que de Cesar.
O probidoso e sempre distinelo Sr. coronel Jos
Mana Ildefonso Jacome da Veiga Pessoa e Mello,
. di-! acaba de passar, no dia 21 do corrente, ao Exm.
nheiros e ttulos que representam o cofre dos fun- Sr. brigadeiro Francisco Daraasceno Rosado, o
dos de reserva, e se denominavamcaixa de depo- commando das armas d'esta provincia, que inte
sitos de letras, ecaixa de arrecadaco;onde
em conla corrente especial com cada urna deltas
tres caixas, a prlmeira vista se reconhece o estado
rinamente exerceu desde fevereiro d'este anno.
Pois bem ; pareetndo nao ser to proprio con-
gratular ao fuoccionario publico quando elle entra
de qualquer urna das mesmas, e desi'arte evitou-se para o exercicio do cargo, como "quando o-deixa
a confuso do antigo systema de urna caixa, em que Mil? cheio de louvor, como o Sr. coronel Jos Ma-
lancando se addicionalmente todas as entradas era
urna so columna, erobora pertencessem a differen-
tes ttulos, occasionava a falla de clareza na espe-
clalidade de jada um des mesmos, ter feito crear-
se systematicamente a escripturar.iio des livros dos
registros dos impostes das casas" de porta aberla,
Jugando estes por anuos nanceiros, com os da re
da presidencia de 22 de margo ultimo, acerca da ceita, onde com brevidade, e poupando se trabalho
petigao de Basilio Alvares de Miranda Varejao, de-. a conladoria de abrir conta corrente com cada um
vendo ir acompanhada do parecer, que houver da-1 dos devedores de pequeas quantias de dous e qua
do o advogado da referida cmara sobre a dita tro mil reis em que importam esses impostes, st
pretengao.Que se respondesse a S. Exc. que nao verifica fielmente a divida activa de cada um dos
I foi anda satisteita semelhante exigencia por ter conectados; e ne s ter ainda systematisado, e
1 sido a peivcao de Basilio submettida a urna com- creado a escripturago dos cemiterios pblicos, que
<9
E'
1-
1 1 1 SI -1 - Feminino, \ 2
1 -I 1 $1.1. 1 1 -. 1 s Masculino, i g \ 1
35
Feminino.
TOTAL.
misso, e esta nao apresentou ainda o seu parecer,
1 logo que o fizesse, seria prestada aquella infor-
; maguo.
Outro da cmara municipal da villa de Iogazei-
ra, aecusando ter recebido o da cmara desta ci-
1 dade, de 25 de Janeiro prximo passado, commu-
uiexndo haver o Exm. Sr Dr. Amonio Borges Leal
Caslello-Branco, assumido na mesma data as func-
goes de presidente desta provincia.Inteirada.
Outro da cmara municipal de Villa-Bella, res-
pondendo ao que Ihe fra dirigido em 38 de Janeiro
ultimo, pela cmara desta cidad?, declara flcari
, selente de haver o Exm. Sr. Dr. Antonio Borges
j Leal Castello-Branco, tomado posse da presidencia
I de.ta provincia, naquella data.Inteirada.
A commissao de polica apresentou o seguinte
parecer, que foi approvado, mandndose fazer o
convidando-se aos
at era feita de seu punho, e nao era eiii) couhe-
cida; organisado systematicamente os batneos, or-
camentos e tabellas explicativas, que annualmente
se apresentara a assembla provincial, se nao co-
mo naquillo que era de suas funecoes, tein sempre
procurado nffeciuar as arrecadagoes pelos meios
a' seu alcance, ter sido sempre assiduo durante o
tempo em que servio, tanto que nunca jjlqaereu
cenga alguma; prestado suas contas com tfra
ra, digamos por isso, que agora a occa.io
mais conveniente e propria para darmos a este
militar honrado, e honrador da nobre clsse, a
que pertence, os devidos parabens pela actividade,
zelo, pericia e probidade, que Ihesaocongenitas, e
que raostrou no exercicio e desempenho do cargo,
para que a lei o chamou.
A prompta e muito valiosa coadjuvagao presta-
da pelo Sr. coronel Jos Mara na organisagao dos
dous briosos corpos de Voluntarios da Patria d'es-
mpostos, se, Ia provincia, as outras providencias por elle dadas
para o embarque d'essesdons batalhdes, bem como
de todos "os outros, que daqui seguiram^para a
corte, sua incausabilidade no multiplicado traba-
lho do expediente da secretaria das armas, seu
comparecimento a toda hora, onde era necessario,
sao realmente servigos superiores a sua avangada
idade, e por isso muito dignos Je maores encomios
e do mais sincero reconhecimento e gratidao do
paiz a que sao prestado?.
Nao deve, porm, causar admirago, que assim
se pcrlasse agora o Sr. coronel Jos Mana ; pois
que assim lem elle se prestado sempre em todas
clareza e exaclidao, como provam os pareceres das: as mais commssoes, que Ihe tem sido dignamente
respectivas commissSes de polica, e haver tambero confiadas.
3D
es
fe:
poupado as rendas do municipio, pois que por oc-
casio do casamento de SS. AA. a princeza impe-
rial e c conde d'Eu, estando antonsado pela cma-
ra transacta para dispender a quantia de 6:0005
com os festejos religioso-, e profanos, que se lize-
ram pela grunde importancia desse consorcio, sen-
do os mesmos feitos com a decencia e solemoidade
Principiando o nome do Sr. coronel Jos Maria a
ser ce nhecido desde o glorioso dia 6 de margo de
1817, em que elle tanto se distingui com os h-
roes que deram o primeiro grito de liberdade
nesta provincia, presiando elle, d'ento para dlante
relevantsimos servigos ao paiz, Ja como deputado
a assembla geral, j como direelor do arsenal de
respectivo termo de contrato, e
proprietarios do Diario de Pernambuco para com- precisa, apenas despendeu a quantia de 3:9605300, guerra d'esta provincia, j como cotnmandanle
parecerem no dia 19 do cerrente, alim de o assig-; como esta' demonstrado no balanccte correspon- por differentes vezes do Presidio de Fernando, ja,
narem. dente a dezembro do anno prximo passado, que )a em urna palavra por todas, como incumbido de
A commissao de polica, acerca da proposta de! fra approvado por esta Ilima. cmara, pelo con- muitas outras commissoes honrosas e importantes,
Manoel Figueiroa de Faria e Filho, datada de 23 trario fra nomeado para o exercicio do cargo que por ludo sto estara, e deveria estar o Sr. coronel
alidade hoje oceupado pelo sen successor; e depois do Jos Maria muito mais elevado, seria mesmo hoje
membro da respectiva commissao, o vereador Mel- i um grande vulto no paiz, e nao fosse-tao austero
lo Gavalcante, na decima-priraeira sesso extraor- \ em sua moralidade, se nao fosse tao fiel respeita-
dinana de lo de abril de 1841; haver apresentado i dor dosdictames de sua censcencia, se, tinalmen-
de marco do corrente anno, em que, na qu
de propietarios da typographia do Diino de Per-
nambuco, se offererem para arrematar as impres-
ses, que devem ser pagas pelos cofres desta mu-
ADVEBTENCIA.
Na totalldade dos doentes existem 173, sendo 108
bomens o 60 mulheres. *~
Foram visitadas as enfermaras estes das :
As 6 :l|4, 6 3|t, 7,6, 7, 6 3|4, 6 3|4, pelo Dr.
Ramos.
As 10, 10, 10, 10, 8 30, 10, 7 3|4, pelo Dr. Sar-
ment.
Fallecern) :
Joo Tavares da Silva ; hepatite chronica.
Lniz Car.'os Pereira; tubrculos pulmonares.
Jos Pert ira; phtysica pulmonar.
Joanna; dilatagio da aosta.
Jos Vicente Noguera ; mychte.
Francisc:. Benedicta da Conceigao : tubrculos
pulmonares.
Casa de detengo.Movimento do dia 31 de ju-
Ihode I800 :
Existan 35o; entraram 12; sahlra-n 6; exis-
tem 361 ; a saber : naclonaes 269 ; mulheres 6 ;
estrangeiros26; mulheres 2 ; escravos 53 ; es-
vas 5; tctal 361.
Alimec lados a custa dos cofres pblicos 184.
Movimsnto da enfermara no dia Io de agosto de
1865.
Tiveram alta:
Joo Gongalves de Sonza Travasso.
Maneel Francisco Pereira.
ra?7oe,>ii.oc entrado de Macerar Francisco Bezena a h. Ga-
valcante sua av e 2 manas, Francisco C. d*as Ne
. nicipalidade, e fura apresentada depois
annunciado que se fazia esse contrato,
em favor do municipio, apparecessem
! effeitos da concurrencia : de parecer que por I pois entrar em discusso, e fra escripta nos se
um termo, que dever ser langado no livro rompe- guintes termos :
de se ter a sua proposta, que, depois de lida, deliberou-se te, nao lvesse tanta honra e diguidade na pratica
para que' que ficasse sobre a mesa, afim dse extrahir copias de seus aclos, quanto na theoria de suas ideas o
salutares para destribuirem pelos Srs. vereadores, para de- palavras.
lente pelo respectivo secretario desta Ilustre ca-
| mar, e assignado pelos proprietaros daquella ly-'
pographia, precedendo a assgnatura desta mesma
cmara, se realise esse contrato com as seguintes
condigoes :
Primeira.Os arrematantes dentro de tres das
contados daquelle em qae forem entregues na ty-
pographia cada um dos onginaes, nao s farao pu-
blicar no Diario de Pernambuco todas as actas das |
sessoes da cmara municipal do Recite, desde o
O Sr. coronel Jes Maria nao tem sabido, ou nao
tem querido sacrificar a honra para conseguir as
O abaixo assignado, nomeado membro da com-. honras : elle sabe que a honestidade as mftaeiras
missao de exame das contas apresentadas pelo
<* procurador, foi-lhe necessario, para proceder a
esse exame, e fundamentar o seu pareecer, re-
correr aos livros, papis e mais documentos que
t existem nesta cmara; relativamente a receita e
despeza; e entao com admirago teve de notar
a completa desorden) do archivo, se archivo se
pode chamar (como a todos foi patente na casa
da ra do Cabng) um monlao de papis envol-
vidos com lixo, e postos em o canto de um quar-
dia de sua posse al (indar seo quatriennio de suas
I funeces publicas, Inclusive a acta de 4 de Janeiro' to da casa sem a menor ordem e arrumago.
prximo passado, seoao como lodos os seos editaes, Eis, pois, o que tem a commissao de polica abaixo
annuncios, circulares, balancetes da receita e des- assignada, a declarar, para que alm da quitagao
peza mcnsal, que j foram approvadas as sessoes que se deve dar ao ex-procurador, a bem da verda-
da cmara actual, e as que se segurem, inclusive j de em todo o tempo se combine o estado do archi-
os dos cemiterios pblicos, e quaesquer cutras pe-1 vo que fra pelo mesmo entregue ao novo procu
cas offieiaes em que as mesmas houverem as as-
> signaturas da mesma cmara, ou de seu presiden-
j te, secretarlo, procurador, liscaes e administradores
dos cemiterios pblicos.
Segunda.Os arrematantes nesse Diario e avul-
i so, dentro de oito das contados daquelle em que
forem entregues na lypographia os originaes ; fa
; rao publicar os diplomas dos deputadi-s geraes e
I provinciaes, e a acta da apuracao aeral dos votos
sua vo e z manas, i-rancscoL. (Tas e- pai, os vereadores, que tem de' servir no seguinte
ves e 1 hlho, 4 escravos de*. B. X. Gavalcante, jnuatriennio >*."> s
Maria Jotquina da Conceigao Adelaida Maria dos Terceira.'-Os arrematantes, dentro de tres dias,
Prazeres, Claudmo Affonso de Larval11"
Lima Gavalcante, Nalaniel Fernandes
e Gustodio Jos Garneiro.
- Pas-ageiros do hyate brasileiro Sania Cruz, vocagao da junta de qualillcngito e para a> eleices
sahido para o Aracaty : Jos Raymundo de Carva- qne lure,n raandados pelos juizes de paz deste mn-
Iho, Anto-ii Lezerra da Usta, e Antonio Becerra j cipio, e tudo quanto ter relativo aos trabalhos dos
oe L runo. |collegios eleitoraes, senao como os editaes para a
cesmterio PCBLico.-Obtnano do da 1 de jconvocagao do jury, e tudo o mais
rador, na presenga do pr-presidente desta illnstre
cmara, com aquella em que se achavam as cousas
antes do exercicio do seu cargo, e se faga devida
justiga a quem a merecer.
Pago da cmara municipal do Recife, 11 de abril
de 1865*.Thoraaz de Aquino Fonseca.Dr. Joa-
qun) Jos de Miranda.
Constando do balancete apresentado pel4 ex-pro-
curador, o qual tora agora approvado, qu exista
um saldo a favor da receita de 2:3705076 oi pelo
mesmo apresentado o dito saldo, e depois recolhido
prove-
agosto :
Brigadeiro, Gaspar de Menezes Vasconcellos Drum-
mond, Rio de Janeiro, 73 annos, casado, Boa
Vista; hydroperlcardite.
Joo Jo; da Costa e Silva, Portugal, 45 annos,
solteirc. Boa-Vista; hydrouezia.
Galdino Francisco do Reg, Pernambuco, 38 annos,
solteirc, Boa-Vista; turberculos pulmonares.
Clara Mana da Concelgo, Pernambuco, 30 annos,
soiteira, S. Jo-.
Lrsula das Virgens Bastos, Pernambuco, 90 annos,
soiteira, Recife; diarrhea.
Jos, Pernambuco, C annos,S. Jos; hydropezia.
Maiia, Pernambuco, 4 inezes, Boa-Vista ; convul-
s5es.
CMARA HimiPAL.
SESSAO EXTRAORDINARIA AOS 12 DE ABRIL
DE 1865.
Presidencia do Sr. Pereira Simes.
Prsenles os Srs. : Thomaz de Aquino, Gustavo
do Reg, Dr. Miranda e santos, fallando com cau-
sa os Srs. : Dr. Sarmenio e Barros Reg, e sem
ella os Srs. Costa Monteiro e Silva do Brasil, bre-
se a sessao, e lida e approvada a acta da ante-
cedente.
O Sr. Thomaz de Aqaino pede a palavra, e diz
qne em ssso de 28 de margo ultimo, deliberou
a cmara que se propozesse a revogagao da postu-
ra approvada pela le provincial n. 552 de 20 de
abril de 1863, e tendo esperado pelo ofiicio que se
devia dirigir ao Exm. presidente da provincia com
o novo artigo da postura oeste sentido, nao Ihe
fra anda apresentado para asslgnar, desejava sa-
ber a raz.io de semelhante demora, pois que enten-
da que as decisoes temadas pela mesma cmara
deviam ser logo cumpridas.
O Sr. presidente respondan do. declara que o offl-
cio fra feito, mas quando Ihe foi apresentado para
assignar, j Ihe bavia constado que o emprezario
do servigo da lmpeza desta cidade, tendo sciencia
da revogagao da postura, requerra a presidencia
para protestar por perdas e damuos que Ihe po-
dessem ptovir dessa medida, e por Isso demorara
o dito offlcio at que se reunisse a cmara para
ponderar-ihe a respeito de semelhante facto, e re-
considerar ella na queslo, pois que Ihe pareeia de
importaocia, e evitar em lempo males e prejuizos
i je a revogagao da postura viesse occasionar ; e
porque j eslivesse na secretaria da cmara a pe-
tigo do emprezario, vinda do governo para infor-
mar, mandou o Sr. presidente l-la, e depois a su-
jeitou a dUcussao.
aos trabalhos ae cada urna das seis sessoes an-
nuaes desse tribunal ; sendo que o resultado quo-
tidiaoo de cada urna das mesmas sessoes desse re-
ferido tribunal, ser somente publicado no Diario
48 horas depois de entregues naquella lypographia
os originaes.
Quarta.Os arrematantes dentro de cinco dias
contados daquelles em que forem entregues na ly-
poftraphia os originaes publicante em avulso os
editaes e circulares da cmara municipal do Reci-
fe, logo que a publicagao dos mesmos fr exigida
pela dita cmara ; c dentro de quinze das conta-
dos daquelle em que na mesma lypographia forem
entregues cada um dos originaes; annualmente,
nao s publicarao tres mil guias para os interramen-
tos que devero ser encadernadas com talao, senao
como mil termos de infraegao de posturas muni-
cipaes, e dous mil bilhetes para a arrecadaco dos
impostes do casas de portas abenas, boceteiras e
mascates.
Quinta.Os arrematantes, den:ro de tnnta dias,
contados daquelle em que forem entregues nessa
lypographia os originaes; nao s publicarao em
avulso o orggmento relativo e balango do anno mu-
nicipal, para serem remeitidos a assembla provin-
cial, dando ciucoenta exemplares de cada um des-
tes impressos; senao como as posturas municipaes,
e regulamenlo que forem entregues para serem im-
pressos, dos quaes tambem daro igual numero de
exemplares.
Sexta. -O contrato durara por quatro annos, a
contar de sete de Janeiro prximo passado na razao.
de um como de ris aunual, eo seu pagamento, a
exemplo do que se pratica com o pagamento dos
ordenados dos erapregados da cmara, ser feito
mensalmente, incluindo-se no pagamento dos me-
zes posteriores a data em que escripto o presen-
te contrato no respectivo livro, o pagamento dos
tres mezes vencidos a contar de 7 de Janeiro do
corrente anno, logo que estiverem feitas as pubii-
cagoes das actas das sessoes daquelles tres mezes
atrazados.
Stima.Os arrematantes por falta de qualquer
urna dessas publicages, e entregas das mesmas;
no lim dos das manados quer no Diario e quer no
avulso; incorrerao na multa de dez mil ris, que
ser descontada no acto de receberem mensalmen-
te o prego do contrato, sem que o mesmo deixe de
vigorar em quanto nao espirar o tempo de sua du-
rago; e pagaro a sua custa as despezas dessas
impressoes que pela sua urgente necessidade, a
mandado da cmara, forem feitas n'outras typo-
graphias.
sse
p rador.
Tendo de ser Horneadas novas commissS-s, o Sr.
presidente declarou que subsisteriam os mesmos
Sis. vereadores as que oceupavam, havendu so-
mente a differenga de passar o Sr. Thomaz de
que referir se Aquino, da de polica para a do cemiterio publico
da cidade, 0 Sr. Costa Monteiro desta para a de po-
lica, e o Sr. Gustavo do Reg, para a de petigoes.
Despacharan se as petigoes de Balbina Ferreira
da Silva, Dr. Francisco Gongalves de Moraes, Joao
Chrysostomo Pacheco Soares, Jo- Antonio da Cos-
ta, Jos Antonio Ferro de Figueiredo, Dr. Joa-
quim Antonio Carneiro da Cunha Miranda, Jos
Pacheco de Medeiros, Ludgero Texeira Lopes, e
levantouse a sesso.
Eu Francisco Canuto da Boaviagem, secretario
a subscrevi.
Declaro em lempo que se raandou chamar o Sr.
vereador supplente Antonio Pires Ferreira a tomar
assenio. Boaviagem o declarei.Pereira Smoes,
pr-presidenteReg.Fonseca.Dr. Miranda.
Silva do Brasil.
sem a honestidade nos coslumes nao senao urna
verdadeira hypocnsia.
So nao fra urna verdade o que avangamos, nao
estara o Sr. coronel Jos Maria sentado no sena-
do ? Pois quem nao sabe, que, quando o corpo
eleitoral de todo o imperio votava nos candidatos
de sua escolha, gosava o Sr. coronel Jos Maria na
sua provincia natalparahyba tanto couceilo,
que em quatro eleigoes para senadores enlrou elle
sempre ero primeiro lugar nas listas trplices, sem
que para a escolha pelo governo imperial das re-
gencias, declinasse de suas conviegoes na cmara,
que representou pelo tempo de taes eleigoes em
duas legislaturas ; apezar das insinuagoes de al-
guns amigos do governo imperal d'esse tempo, que
o desejavam ver do seu lado ministerial e no se-
nado ?
Com islo que dssemos do Sr. coronel Jos Ma-
ria naj se ofTendam os hmeos hoje das altas posi-
ges sociaes : nao, sao phrases que podendo ter
applicago aos que por ventura se elevassem sem
merecimento proprio, adraittem por isso muitas e
honestas excepges.
Embora, pois, tenha o Sr. coronel Jos Maria
sido volado ao esquecimeolo, embora t-oha sof
frido ingratidoes e injustigas dos homens do go-
verno, com tudo seu mrito ser sempre apreciado,
reconhecido, e confessado por aquelles dos seus
concidados, que souberem que sera honra pessoal,
honras nao honram.
A modestia do Sr. coronel Jos Maria, nao se
offenda com este elogio que aqu Ihe tributamos,
dijiie de acceita-los, porque nao f.uemos mais, do
qu repetir o que j sabido por todos, e agora
confessado um seu
Apreciador.
dia 29, com urna letra a vencer neste da, e que fra
por Boa-Vista paga incontinente.
V-se, portante, que uio por falta de crdito
de Boa-Vista, e nem por haver elle cessado seus
pagamentos, que se Ihe tem aberto duas fallencias,
antes sao ellas devldas ao enredo caprichoso de
alguns da seus credores por urna combinagao arti-
ficiosa e malfica, que de dia emdia vai crescendo
em proporgo que Boa-Vista se val defendendo cora
a lei e rom as autoridades superiores.
Finalmente para Boa-Vista mostrar fundo esta
enredada infamante, basta dizer que tendo reque-
rido vestona e arbitramente nos damoos causados
em sua teja pela dita sentenga revogada, em lodo o
tempo que esleve fechada em virtud* della, todos
os arbitros avaliaram estes damnos em 10:9005,
juizo que fra proferido pel arbitro de Boa-Vista,
e confirmado pelo arbitro e desempatadur de seus
credores I I I
Note que a perseguigo de Boa-Vista to fla-
grante e destituida de fundamento, que al dous
de seus dignos credores protestara contra a de-
clarago desta calculada fallencia.
Perslgam e promuvam novas perseguigoes, certes
de que cima dos persiguidores, est Deus e a lei.
apresenlassera letras vencidas ou qualquer outro i .ar,i mniin estimado anniiradrt ennira m km.
titulo equivalente que seriara pagos avista, smen- S'oel1 aMrairo? Dr%Sol?TtSt
te apparecerara os Srs. Monleiro Lopes & C. no dito SJJ?" fr?8TaS8HH E !
H< viorta o
nao appheam coro frequencla, i;to se na. nao reconhecerem elles essas irtnde, mus a
nao serem encontradas cora facilidade f tm ttm
as estagoe; do anno os frnctos desa planta, e a re-
pugnancia, que apresenum os dwates na faaer
uso do sueco desses frnctos, em consequeocia de
ser extremamente amargo.
I A jurubeba nao descoohecida ifc bolanHtas :
esta planta pertence familia das sotaneas, e *m
a denoroinago de solanum pantcntalnm, qae Ihe
foi dada por I.yneo.
Pareeendonos conveniente facilitar o o sueco dos fructos da jurvbeba, que o mais tm-
pregado, nos propozemos e conseguimos preparar
com elle nao s nm extracto alcoolico qne ade *t
applcado em pilulas, mas tamlwm nm vmiio, nm
xarope, e um emplastro que pode sub-liinir, em
cerlos casos, o de Vigo ; e estamos persoadidn* qae
com isto prestamos um servigo a huroanidade therapeutica.
Pisn, tratando da hydropesia, prescreve a t-
cocgo das raizes da jurubeba, e llrai e Delea,
em sen Diccionario de materia meifiea t thrrmfr-
tica, dizem qne nas An'ilhas se faz nao 4a rorro
dos fructos maduros dessa planta contra r> cntar-
rho vesical ; e a aotoridade dos oomes ett** rv-
dicos, merecidamente celebres, nos leva a erer *m
suas palavras, e por isto cuidaremos de lev tm
nosso estabelecimcnto essas raizes, para qne pc-^ara
ser experimentadas.
A reputago da jurubeba tal, e os resaltad"
therapeulicus obtidos ltimamente sao to imaor-
lantes, que nos parece intil dizer ans do aja*
iste, qae flea escripto.
Deposite: pharmaria de
Joaquim de .UrneUla fruto.
sccnK
CASO lORBITl
D'l'MA
Molestia Ulcerosa
Curada.
CORRESPONDENCIAS
Povoacu do Tacaialu', 27 de jullio
de 1865.
Srs. redactores. Recorro a Vmc. para que rae
fagaro o especial obsequio de publicar pelo seu
conseltuado jornal a seguint.! correspondencia :
Seguindo eu desde meuino a poltica; tendo
tambem adherido a actual politica ligueira, que
em sua organisagao tinha por prograinma o des-
envolver o progresso moral e material do paiz ;
garanlir o direito iniividual ede propriedade ; em
suimna melhorainento de todos os negocios do
mjsmo paiz, que a seu ver mal audava com as
passadas administrages do panido decah'do ; co-
mo muitos outros esperei e tenho esperado pela
realisaco de taes beneficios. Vejo, porm, Srs. re-
dactores, que vamos de mal a peior, e que o me-
Ihorainento nico realsado tem sido no arranjo
dos espertes e na susleutagao do poder de indivi-
duos, que abusam de sua nosigo, e servem-se do
actual predominio para perseguir e inutilisar os
seus desalfectos sob a capa da lei, ao passo que
verdadeiros criminosos, desertores a vadlos, pas-
sam a vida tranquilla sob a proleccao das mesmas
autoridades e dos potentados que sobre eilas man-
dan),
Nascido no lugar Racha-, da (remeda de S.
Bento,passei me ainda menino para a povoacaode
Tacait, onda tenho vivido pelo espago de 7 au-
us ; nunca commelti crmes; jamis tive rixas
ou lutas com pessoa alguma, respeitando a todas
as leis e autoridades. Sendo casado, com tres l-
Ihos, agricultor, proprietaro de trras o tres casas,
negociante da fazendas, criador com seis escravos,
ful sempre respeitado, no dominio de meos adver-
sarios polticos nunca tive o menor incommodo, e
jmis passou me pela dea, que subindo ao poder
os homens do partido a que tenho perlencido, po-
desse eu ser incoramodado por qualquer modo.
Quanto, porm, se engaa a mente humana I
Devotado o odio de um lerrivel potentado, ve-
jo-me separado violentamente de minha consorte
e como ro de pulicia, perseguido, e minha casa
continuamente cercada por trapas, para, segundo
me consta, prenderem-me para recrula, porque
assim o qur o met figadal inimigo ; e tal o em-
penho de minha priso, que para ella veio ordem
especial aos delegados de Cmara' e do Brejo do
Sr. Dr. chefe de polica, cuja boa f fui sera duvi-
da Maqueada para se Ihe poder obter semelhante
ordem.
Revolta s o pensar, Srs. redactores, que assim
se proceda com uro eidadao pacifico, proprietaro,
agricultor, criador, negociante, eleitor, e queja
foi juiz de paz, casado, e com lilhos, ao passo que
verdadeitos reos de polica era de leve sao in-!
corainodadrs, e vivero corainodamente no mesmo
lugar, onde assim sou perseguido. Se o Sr. Dr.
chefe de polica qur mostrar a sna actividade
contra os criminosos cora ordens especiaos, man-
de prend-los na mesma povoaco de Tacait, que
om verdadeiro arraial de reos de polica, e onde
em larga escalla se encontrara, e inorara crimino-,
sos de morte, furto, desertores da armada e exer-1
cito, vadios de
\0\0 BANCO DE PERXAHBLCO.
lialancelc do Novo Raneo'de Pernambuco em 31 de
julbo de 1863.
ACTIVO-
Apolicesda divida publica........ 708:6723481
Estrada de ferro de Pedro II.
Eslrada de ferro dJ Baha........
Deposito.........
Jolas depositadas......
Ttulos depositados......
Letras depositadas......
Letras caucionadas.....
Letras descontadas.....
Letras receber......
Letras protestadas.....
1 Banco da Babia N/C .
Francisco de Pigueiredo & C, do
Rio de Janeiro................
Remessas........
Aluguel de casa......
Fornecimento.......
iluros.............................
Despezas geraes.
tuda a especie e excelleotes rec.ru-
Est em luta a obslinago com a justiga, e de tal tjs, forma, que faz medo contar esta lula de iniqui-!esWo formando uro abundante viveiro. Mas estes
dades. Ill>m em seu tavur a valiosa e alta proteegao de
Alguns credores do commercante Joaquim da ; "":11 'yauno perseguidor ; e isto ba.-ta para que
Silva Boa-vista, tomaram urna lal ogerisa ao dito seJa,n resaltados pelas autoridades da acnialidade
encarregadas do mellioramenlo do paiz. Pretendo
ir breve a essa cidade apresentar-me aos Srs. pre-
Bidente e chefe de policio, e provar-lhes com docu-1
sobre que fundamentos oi aberta me4,os a nju.-ta perseguigo que se me Taz, e que'
mas devo dizer, e o digo, sobre i a nao c^sar me atirara talvez n'um campo, era
" tirar a venda I
commerciante, que fcilmente conseguiram do Dr.
juiz do commercio abrirem-lhe fallenca, sem que
elle bravease cessado seus pagjmentos
Assnsta dizet
a dita fallenca mas ucn uici, c u uiu<', sooici
contas de livros dos ditos credores que nao esta- 1ue "u0 d.e5eJ collocar-me. (Isto
varo assignados por Boa-vista, a que alm disto a 'lUtra no (iuer vr)-
resam diversas transaccoes, em diversas poca?, e
de diversas naturezas.
O commerciante aggravou da respectiva senten-
ga, e o Exm, presidente do tribunal do commercio
por um provimento doulrinal mandou que o juiz
reformasse a dita sentenga, e que fosse aberta a
casa e entregue ao mesmo Boa-vista.
Basta por ora.
Muito Ihes agradecer, Sr.-. redactores, a publi-
cagao destaO seu respenador atiento
[Jos Lcopoklino de Pontes.
t...... CJ i ----------
lllms. Srs. redactores.Um dos correspondentes
, desta provincia para o Jornal do Commercio, em
Se nao houvesse capricho e despeito, tudo se re-; seu zelo pela eximcrSo da afitlmdagem e do pairo-
duztria a urna violagao de lei, e a um desaggravo nato, diz em sua caria publicada no Jornal de 22
160:0O0-O0O da mesma lei ; i-to urna sentenga de declaragio do correte, que um Sr. Carnero da Rocha (agra-
131:0745706 de quebra fura dos termos formaes da lei, e um dego o tralamento), ajudante do engenheiro fiscal
80:0003000 provimento superior mandando revogar esta seo- da estrada de Ierro, nem se abalou com o ano
3:7333280 tenga por ser contraria ao direito. expedido pelo ministerio da guerra chamando
60:9883930 Mas o capricho e o despeito, que sao verdade- corle, os offlcia"s de engonheiros que nao estavam
31:2563810: ros invasores das regras de direito e da justa apre- ao servigo do mesmo ministerio.
9:7903000 eiago da justiga, como movis de piixes igno- Em attengao ao publico, e para que nao passe
1:011:6703811 beis, de novo insendiaram o desejo do mal, e eis sem contestgo o que affirma o citado correspon-
4i:li395280', de novo o juiz, n5o obstante aquelle doulo e supe- dente, de ineu dever duclar.tr que nao oppnz a
207:2683130' rior provimento decretando segunda fallenca nos menor objecgo o citado aviso ; e que me dispu-
139:9233668 proprios autos da primeira I nha a cumprr, como al "hoje o tenho feilo, o meu
Ksta segunda falleqcia processada nos proprios dever quando o Etm. Sr. presidente da provincia
28:1913160 j autos da primeira fallencia, tem urna significagao mandou que nao seguisse, visto achar-se com
1:6433200: bom viva ; para mostrar a infallibildade da sen- j assento na assembla provincial o digno engenhei-
1:3735000: tenga revogada, e a falsa domnna do provimento ro fiscal Dr. Buarqua de Mucedo, e nu haver
5:00030001 revogador, facto que se deu a entender claramen- engenheiro que roe substitue na fiscalisagao da
4:3143971 te em pleno auditorio, quando se dava a segunda \ estrada de forro.
Todos aquellos que m arhSo sni^itoe mn-
Irer molestias scrofulmas, ulrtwiwn, a rryki-
liticas, ainda mosmo as reputa-las dr feior
natureza, apenas necesnitio de 1er ni jfilil
caso maravilhoso, ra que intio infira-
mente convencidos que a sua propria eura,
nao s meramente pnvrivel man sin abaola-
lainc-nie certa.
Joao Jos. Feretua Baki^.zj, ajafg ajaj
na Cidade de Maranbio, tinha todo *e
corpo col>erto de cbnfraa nleeroaas, e daraarn
algunos annos se achara debaixo do trataaaento
de mdicos oa mais afamadoa, tendo naadk
durante todo este tempo qnasi toda a etperii
de medecinas que em taea carca c i ai|i i,aila
pela faculdade medien, por* VbaMe arm
obt<-r o menor beneficio ou alivio: rrtundna
pois em taes apuros elle finalmente reaor*-
se, deiK-is de rept^idoa e baldadoa cjforcoaa
fazer uso da|
SalsaparriUia
DE BRISTOL.
No todo elle ajaaaa ebegon a tomar Ciite*
(arrafas do Salaparrilha e qitro ftaaent an
Pilulu Vcgttaei AwieamtUu, e o remitan*
foi elle obrer tina completa e perfeita enta.
Oa S.rs. Feiirehia fia.. Droguista* n
^f.'lrnnh.;io, forHo qmm suppririo es medim-
mentos, e acb.tose perfeitam>-nte ao acto
d'este caso, e 03 mesmos Senliores, na n m
chao promptr* confirmar o mermo, como
tambem ora fornecer o actual adrosw, oV !*eiSr.
Baiboza, toda a qualqner pessOa que por
ventura pe Atasaja informar da rerdade.
Recommenda se mui particularmente ao*
Doentes que tenhao o maior cokladonneaeolba
deste cxcellente remedio, nao osando outro
nlo sor a Genuino Salsaparrllha da Briatol,
a qual t' exclusiviimente pre[,ara LANMAN&KEMP.
De XOVA YORK,
pois que todas as mais sao inefficnats da ana
bom pr<*timo
Vcnde-sc nas boticas de Caors 4 Barbe a
e C. Bravo & C.

7:2005365
Gaia.......................... 863:3803383
Reis.... 3,527:73956:10
passivo.
Capital..........2,000:0003000
Em circula-
g3o..... 436:4003
Em caixa.. 6003
437:0003000
80:0003000
Oita va.Quer a respeito da publicagao das actas
O Sr. Gustavo do Rogo pede a palavra, e deelara da cmara muuieipal. e quer a respailo das outras' Contas correntes com juros
que contiia a oppor-se eomo havia feito naquera j publicages que tambem devero ser feitas no Da-1 Comas correutessimples........."
sesso de 28 de margo, em que fura proposla a re-1 rio de Pernambuco, como tica estipulado, nao se Fundo de reserva.
vogagao da postura de que se trata, apresentando
ero seguida a seguinte proposta, assignada tambem
pelo Sr. r. Miranda, que sobre a materia larga-
mente fallou :
Fropcnho, que nao se remeta ja a presidencia
o prujecto da postura de 20 de abril de 1863, em
quanto nao fornomeada ama commissao, para que,
examinando os apparelhos dessa limpeza, declare
o seu parecer acercada utilidade publica dos mes-
mos relativamente a limpeza dessa cidade, e des-
pejo das materias fecaes ; cuja commissao dever
quanto ames ser nomeada, para que uio baja de-
mora no servigo publico : a qual tambem dever
obler nfurmagoes dos eslabelecimenlos pblicos
d'onde foram retirados aquelles apparelhos por nao
preenchersro o seu fim.
Recife, 12 de abril de 1863.Dr. Miranda.
Reg.
O Sr. Tr.omaz de Aquino pede a palavra, e in-
siste na renetaf do cilicio com a nova postura a
presidencia, ditendo afinal que se deixasse por
conta da assembla a revogago ou approvago da
citada postura.
Nao havendo quera mais fallas-e, foi posta a vo-
tos a proposta, e approvada, votando contra o Sr.
Thomaz do Aquino.
O Sr. presidente nomea a commissao, indicada
na proposta, a qual recaho nos seguintes Srs. :
Dr. Miranda, Thomaz de Aquino e major Costa
Monteiro.
Delibercu-se offlciar ao Exm. presidente da pro-
vincia, remetiendo a petigao do eaaprerario da lim-
peza da cidade, Carlos Luiz Cambronne, e dizendo
que a cmara 1a reconsiderar na materia, para oque
nomera urna commissao, e depois que viesse o
parecer, decidira a respeito.
contara nos prazos marcados os das em que nao Ttulos em cauciio
f..i" fr publicado esse Diario.
Pago da cmara municipal do Becife, 3 de abril
de 1863. Thomaz de Aquino Fonseca.Dr. Joa-
quim Jos de Miranda.
A mesma commissao de polica apresentou ain-
da o seguinte parecer, que sendo posto era discus-
so, fra approvado.
Os Srs. presidenta Pereira Simoes a Santos, de-
clararan) volar a favor da I* parte do mesmo pare-
cer, que tr3ta relativamente da materia de que f-
ra enearregado a commissao, e contra tudo o mais
que o mesmo contm, por cntenderem inconvenien-
te, e ineompalivel com as deliberagoes da cmara.
A commissao de polica acerca do offlcio de pro-
curador Jorge Vctor Ferreira Lopes,datadode 31 de
margo do correle anno, dentro do qual acompanha o
balaucele da receita e despeza desta cmara rela-
tivamente aquelle mez prximo passado, de pa-
recer qoe estando o mesmo exacto, com os livros e
documentos que so acham recolhidos a conladoria,
por ter precedido ao exame de todas as suas par-
celias, seja o mesmo approvado para que se Ihe d
a respectiva guitagao, como prescreve o art. 30 do
regulamrnto de 30 de agosto de 1813, que deter-
mina o sc-guinje:
t At o dia o de cada mez apresentara' o procu-
t rador o seu balancete ou conta corrente do raez
f antecedente, cujos artigos, assim da receita como I
da despeza, serio conferidos com os langamentos
feitos nos respectivos livros, e achando-se con-
< forme a cmara Ihe dar' quitagao. >
Ao passo que c dito ex-procurador a' ser subs-
tituido pelo actualque seacha no exercicio de suas
funoges, deixa o que inherente ao sen craprego
na melhor ordem/pontualidade e demonstrarlo das
Depsitos da direegao ....
Lenas por dinheir'o recebido a
juros .......................... 102:0003000
349:483?703
13:781*120
117:2373630
107:212,3990
133270
164:4984873
8:8373210
2:6903000
21:2003000
1:0323101
122:6733413
Knowlcs & Fostcr, (de Londres.)
Banco da Baha S/C ....
Massas fallidas cargo do Banco.
Dividendos........
Juros da garnntia de eroisso.
Premios de saques e remessas. .
Descont*.....;..................
Ris. 3,527:7393630
justlficagao para a nova fallenca. Conservei-me portante na commissao em que me
Nova fallenca em uns autos findos por um pro-; achava em vrtude de ordem da presidencia e at
viroenlo superior, requerida por um novo credor, o dia 26 de maio, em que se encerrou a assembla
cousa que s se explica por um despeito formal legislativa desta provincia.
as ordens superiores, e as leis reguladoras do pro- j Eslava decidido a partir no primeiro vapor que
cesso I por aqu passou em priucipio de junho, quando por
Igual a iso, ou peior do que islo, sao os novos um aviso do ministerio da guerra Uva ordem para
fundamentos de que se servio o Dr. juiz do com- continuar a servir na mesma estrada.
mercio para declarar a segunda fallencia du dito u correspondente foi, portante, mal informado
commerciante. quando attrlbuio a minha continuago uesta pro-
0 primeiro fundamento, urna letra que se ven- vincia influencia de amigos, e incapaz de pro-
ceu e nao foi paga por Boa-vista, durante o tempo var que eu tivesse dito a alguem, uroa palavra
i
em que esteve a casa fechada em vrtude da sen-
tenga revogada, e antes do provimento superior
que a revogou.
O segundo, o depolmento de diversas teste-
munhas, que posto sejam suspeitas por.serem ca-
xeiros dos credores, comtudo affirmaram em con-
leslagao, que Boa-vista nao s tinha crdito na
se quer, ero que mostrasse desejo de cscusar-me a
seguir : tenho onze annos de servigo militar, e at
hoje ainda nao soube o que foi deixr de cumprr o
meu dever.
O mea amigo gratuito ignora certamente que o
corpo de engenheiros conta 1-20 offieiaes, e tendo
sido chamados a corte por um aviso circular todos
Estado da caixa.
Em ouro amoedado.....317:1173000
Em Dotas do thesouro de 10#000 57:3003000
Em ditas menores de 103 64:6153000
Em notas da caixa filial do Ban-
co do Brasil.......419:0903000
Era notas do proprio
Banco, sendo:
2 de 2003 4003
1 (I 1003 1003
2 de 503 i003
Em rata e cobre.
6OO3000
6:8583383
praca antes de se Ihe haver fechado a porta, como os que se achavam empregados em comraisses
mesmo pagava as suas letras em dia, sendo que estranhas ao ministerio da guerra, smente trinta
fazia tambem pagamentos por conta de livros. pouco mais ou menos se acham em commissoes
Ora, estes fundamentos reforgados pela sabia militares a apenas trinta foram destinados aos tres
theoria decisiva do dito provimento, segundo o di- exercilos de Matto Grosso, Concordia, c Rio-Grande
reito, deviam proceder de forma por termo a do Sol!
obslinago dos credore-, que j reagem contra a A maior parte dos engenheiros militares que se
autordade do proprio provimento, o que urna in- achavam em commissoes como a que exergo nesta
decencia acintosa I
provincia, continuaran) a exerc-las ero consequen-
Mas o fim que se deduz desta serie de recalcitra-: ca de ordens do governo.
ges pouco mais ou menos este; eis abaixo a au- [ Se devo a minha permanencia aqu ao patronato
toridade do provimento ; eis por Ierra o crdito de e a atllhadagera, forga confessar que, ou ba comi-
Boa-Vista :_e eis de novo sendo fechada a porta de go um grande numero de collegas igualmente
sua loja, nao obstante estar esta nova fallencia protegidos, ou que foi a bem do servigo publico
1127 notas do valor de
1590 >
1032 t > >
pendente por novo aggravo, que ainda nao fot
decidido pelo mesmo Exm. presidente I I
Desta constante depreclago da lei o de actos su-
periores, resultou agora apparecerem quatro rea-
goes que costumam acompanhar as fazendas com-
pradas a dinheiroou a crdito, assignadas po: Boa-
Vista, a que chama o Dr. juiz do commercio conta
de livro, quando alias estas relagoes bu factura nao
produz obrigago alguma em direito, antes se limita
somente a dizer que houve remesja de fazendas
de um negociante a outro e recebmento dellas.
E' pois com estas e outras banalidades que se
pretende vencer Boa-Vista, no ardente empenho de
se Ihe querer dar urna morte civil a todo transe.
Conta de livro assignadas p ir Boa-Vista nao pode
existir, e a que apparecer falsa.
Esta verdade resulta ainda do facto de terBoa-
R*is 437:0003000 Vista provocado a todos os seus credores petes Dia-
O guarda livros {nos de Pernambuco dos dias 23 de junho deste an-
Franeisco Joaquim Pereira Pinto. I no e 29 do mez prximo passado, para que Ihe
Ris. 865:5803385
Demonstrar da emisso.
2003000
1003000
303000
225:4003000
159:0005000
32:6003000
que o governo deliberou, que continuassemos nas
commissoes em que nos achavamos. O publico
que decida.
E'tudo quanto tenho a dizer ao irecho da cor-
respondencia a que alludi.
Cora a publicago destas linhas, muito obriga
r Vv. Ss. ao seu constante leitor.
Recite, 3M de jnlho de 1865.
Jos Carneiro da Rocha.

.PUBLICARES A PEMDO
A jariibeba.
As virtudes therapeuticas da jurubeba sao desde
muilo conhecidas nao s no Brasil, pois que dellas
traten Pisn em sua excellente obra Historia na-
turahs et mdica Indlmoccidentali.i, senao nas
Antilhas, onde o sueco das Mhas e fructos como
C0MMEIC10.
Coa?des ofdclaes.
2 de agosto.
Assucar mascavado Canal 23000, aawicaar
23130, e purgado 232 0 por arroba.
1 'uhoiirrq Jum r.
Presidenta.
Gumares,
Secretar.
Caixa filial ilohanc do Brasil ea
Pernanbie*.
A directora desta caixa saca sobro nbaaraaV
Brasil no Rio de Janeiro e sobre a caixa Haal w
mesmo banco na Bahi.
Novo banco de ftmmbwr:
Os administndores da massa fallida de Juaqnin
Jos Silveira pagatu o dividendo de dita amsa
na razo de 9 0/0 sobre o valor des tnlos ad-
mettidos : no novo banco de Peraamboco roa
do Trapiche o. 34.
Vovo banca de Perua-
baea.
O banco desconta letras na presente searaaa a
9 por cento ao anno at o prazo da seis saca,
Caixa flli.il do baae* d Brasil
em l'crnnaabnco.
De ordem da directora desta caixa se faz poMi-
co aos senliores accionistas, qne o respertivo DV-
soureiro est autorisado a pagar o J> diridrad
do semestre Ando em 30 de junho ultimo a razie
do 123 por argo.
Caixa Glial do banco do Brasil 15 de injfeoac
1865. '
O jraarda-Iivrw,
Ignacio ."Vanes Crrela.
ALFAXDEGA.
Rendimento do da 1..........
fdem do dia 2...............
27:s
39:II2JS|0
6":W7#7lt
MOVIMENTO DA ALPADBGA.
Volumes entrados com fazendas____ 8%
cora gneros..... 117


T
Dlarltf de feraambiico (inina lr* 3 de Agot* & $.
/

.#*&z
Volumes sabidos com fazendas.....
i com gneros..... '73
------396
Descarrezam no dia 2 do |oorronte.
Brigae sueco -Rio mercaduras diversas.
Patacho dmamarquez Fortun idera,
Brigae pjrsugaezConstante dem.
Brigue-austriicoSouventr da Havre fariuha de
trigo.
Barca inglezaTravellerfannha de trigo.
Brigue inglez Ann Stamstind diversos g-
neros e carvo.
Escuna portuguezaD. Jofio-charque.
Escuna diuamarqueza -Doram idem
Brigue hdspaohoU Vigilante idem.
Urigue porlugnezS. Jo*?idem.
Barca nacional Vdlle- idem.
Barca inglez* Orioncarvo.
Barca ingieta-Hidu/jo carvio e pedra.
iUiCElfiSUOrvlA DE RENDAS INTERNAS GE-
RAES DE PERNAMBUCO.
Rendimeuto do dia 1........... I:53lfi7i.j
I Jem do dia 2 ................ 2:220,517o
3:7oi$920
JMjiMSHTO 90 POETO
Marios entrados- no dia 2.
Macelo19 horas, vapor brasileiro Parahyba, de
101 tonelada-, commandante J. J. Mariini.
Rio de Janeiro 8 dias, corveta ingleza SatUte,
comraandanie Corfton.
Navio saludo no mamo dia.
Araeatyhiate brasileiro Santa Cruz, capitao Jos
Victorino das Neves, carga difiranles gneros.
S9
ITE3.
O Illm. Sr. inspector da thesouraria provin-
cial, em cumprimento da ordefn do Exm. Sr. presi-
dente dapro\incia, manda fazer publico que no dia
10 de agosto prximo vindouro, perante a junta da
fazenfla da mesma thesouraria, se ha de arrematar
a quem por menos tizer, os reparos do empedra-
m 'Mo de 230 bracas entre os marcos ce 5 a 8 mil
bracas na estrada'da Victoria, avallados em.....
3:1575.
A arreroatigao ser feita na forma da -le pro-
vincial n. 343 de 15 de maio de 1851 sob as clau-
sulas especiaes abaixo copiadas.
As pessoas que se propozerem a essa arremata-
dlo comparecam na sala das sessoes da referida
juma, no dia cima mencionado, pelo meio diae
competentemente Habilitados.
E para coustar se mandou publicar o presente
pelo jornal.
Secretaria da thesouraria provincial de Pernam-
buco, 10 de juutio de 18o.
O secretario,
A F. da Annunciacao.
Clausuhs especiaes para a arrematacao.
T Os reparos do empedramento da estrada da
Victoria, entre os marcos de 5 a 8 mil bracas serio
ejecutadas de conformidade com o respectivo or-
namento na inpor'.anria de 3io75.
2* O arrematante comecara os trabadlos 15 dias
depois da approvagao do contrato, e os concluir
em i metes, contados tambem da dala da appro-
vagao.
3" Os pagamentos serao feitos em tres prestarles
igoaes e correspondentes a cada lanco da obra exe-
eotada.
4" S 'ffrera o arrematante una multa de 1003 se
paralysar os trabalhos por mais de lo dias.
j" O arrematante cumprir as ordens que relati-
vamente ao servico, llie forem dadas peloengeuhei-
ro encarregado dos trabalhos.
(' .Nao poder o arrematante pedir iudemnisa-
cjio sobre qualquer pretexto.
'' Para tu var o que determina o regulamento de 9 de julho
de 1854.
Conforme,
A. F. da Annunciacao.
O Illm. Sr. inspector da thesouraria provin-
Clal, em cumprimento da ordem do Exm. Sr. pre-
stdeote da provincia, manda fazer publico, que no
dia 2i de agosto prximo vindouro, perante a jun-
ta da f.i/.enda da mesma thesouria se ha de arre-
mal.ir. a quem por menos Bzer os reparos urgen-
es !' qo reclsa a radeia di villa do Limoeiro,
avallados em 3:4133150 rs.
A arrematacao sera feita na forma da It?i provin-
ci d. 3i de 13 de maio de 1854, e sob as clau-
su.is especia m abaixo declaradas.
A> pessoas que se proporem a essa r.rremaiagfio
comp^recam na sala das sessoes da referida junta,
no da cima mencionado, pelo meio dia e compe-
tentemente habilitadas.
E para constar se mandou publicar o presente
pelo jornal.
Secretaria da thesouraria provincial de Pernam-
buc i, 21 de julho de 18S5.
O secretario,
A. F. d'Annunciacao.
Clausulas especiaes para a arrematacao :
!.' As obras dos reparos di eadeia da villa do
eiro, serio feitas de conformidad!; com o or-
^amento respectivo na importancia de ris .......
3:418*130.
t* i) arrematante dar principio ao trabalho 15
das depois ene se lizc-r a arrematacao e as dever
concluir do prazo de 3 mezes.
3.* Os pagamentos serao feitos em 3 prestaeoes
gnaes a cada terca parte da obra correspondente.
4.1 i) arrematante seguir naexccugao das obras
a; instruccos do eogenheiro, que a inspeccionar.
.').' Para tudo quanlo aqui nao estiver previsto
observar-se-ha o que dispoe a lei n. 286.
Conforme,
A. F. d'Annunciacao.
O Illm. Sr. inspector da thesouraria provin-
cial, em cumplimento da ordem do Exm. Sr. pre-
gj'. ate da provincia, manda fazer publico, que no
dia 3 de agosto prximo vindouro, perante a junta
da fazsnda, da mesma thesouraria, se ha de arre-
matar, a que m por meno= lizer a obra do empedra-
mento, na eitenso de 155 brajas no lango da es-
ira la de Bu ary a cidade detoianna, avahada em
1:364*090. '
A arremalaeao ser feita na forma da lei provin-
cial n. :i:i de 13 de maio de 1845, e sob as clausu-
las especiaes abaixo declaradas.
as pessoas que se propozerem a essa arremala-
eao comparegam na sala das sessoes da referida
jui.t i, no dia cima mencionado pel meio dia e
competentemente habilitadas.
K para censtar se mandou publicar o presente
pel<> jornal.
Secretaria da thesouraria provincial de Pernam-
buco, 4 de julho de 1803.
O secretario
A. F. da Annunciacao.
tlausu'as especiaes para a arrematacao.
I." Empedramento de 133 bracas correntes no
lae) de estrada de Bujarv a Goianna na impor-
tancia de 1:3644000, ser' feito de conformidade
com o respectivo orcamento, e as instrucc5es do
eogenheiro encarregado da l'scalisacao dos trta-
teos.
2.' Os pagamentos sero feitos em duas presta-
coes iguae, a primeira quando estiver executado
melada de ledo o servico ; e a ultima na concluso
3.' O arrematante comecara os trabalhos ate o
dia Io de setembro e os concluir al o ultimo de
ouiubro do corrente anno.
4.' O arrematante nao ter direito a indemnisa-
cao aluma, qualquer que seja a natureza da alle-
gacao, salvo nos casos previstos por lei.
.i. Em tudo o mais que nao vai especificado as
presentes clausulas, seguir-se-ha o que dispoe o re-
gulam. uto de 9 de julho de 1864.
Conforme.A F. da Annunciacao.
O 1).-. Tristao de .Menear Araripe, afflclal da im-
perial ordem da Rosa, e juii especial do cora-
mereio desta cidade do Recife de Pernambuco e
eu lermo, por S. M. Imper.al que Deus guar-
de etc. .
I-Vj aber aosque o presente edital virem, e
deile'noticia Uve-era, que no dia 14 de agosto do
correos amo, se ha de arrematar por venda, a
quem mais der, em praga publica deste juizo, o
seguirle :
2 canoas grandes de amarello de carregar 1,8UU
a SITIO njolio, a 150* cada nma 1 dita da mes-
ma'qualidade que carrega 1,500-tijoilos, por 1305:
M .vsforam penlioradas por execugao de Jos.
Ignaro d'JWit contra Zefeiioo Domiogues Mo-
reira. .
1 :. na., havendo lancador qae cubra o prego da
avaliaco, a arrematacao ser feita pelo prego da
adjudicacio na forma da lei.
E para que chegue ao conhecimento de todos,
mandei passar o presente que ser publicado pela
imprensa e atusado nos lugares do costume.
Recife, 31 de julho de 4865.
Eu, Manoel Marta Rodrigues do Nascimeoto, es-
crivao, o subscrevl.
Tristao de Alencar Arripe.
O cidado Antonio Augusto da Fonseca, cavalleiro
da imperial ordem da Rosa e juiz de paz do 2o
anno em exercicio da freguezia de Santo Anto-
nio do Recife.
Fago saber aos que o presente edital virem e
delle noticia liverem, que Joao Francisco Paes
Brrelo me dirigi a peticao do theor segninte :
Illm. Sr. juiz de. paz da freguezia de Santo An-
tonio.Diz Joao Francisco Paes Brrelo, proprie-
tari > do solo em que se ach plantada a casa n.
32 da ra do Senlior B >m Jess, pertencente a Jos
Alves da Silva Guimaraes, morador nesta mesma
freguezia, cujo solo perlenco ao supplicanle por
heranea paterna, como con>ta do respectivo inven-
tario ;*que lendo de propor aegao competente a
dito Guimaraes, por haver este cahido era commis-
so, visto como lem deixado de pagar foros a 9 an-
nos, mister primeramente esgotar o acto prepa-
ratorio da conciliago, nao s para o pedido do
commiso, como dos foros vencidos; e porque o
supplicadoesu' fra desta provincia, e ignora-so
o lugar certo de sua residencia, quer o supplicante
justicar a auseucia, para que provado, V. S. jul-
gue por sentenga, e mande afOxar editaes com o
termo de 30 dias, para desta forma ser citado o
supplicado para a conciliago na primeira audien-
cia, depois do referido termo de 30 dias,
Pedo a V. S. defenmento.E. lt. M.O proeu-
rador bastante, Joaquim Francisco de Albuquerque
Santiago.
Na qual petigao dei o despacho seguinte :
Justilique-se.Freguezia de Santo Antonio, 3 de
julho de 1865.Augusto da Fonseca.
Em virtude do qual despacho se procedeu a in-
querigo de testemuntias, que, sob o juramento dos
Santos Evangelhos, depozerara a respeito da ausen-
cia e incerteza do lugar da residencia do suppli-
cado Jos Alves da Silva Guimaraes, depois do que I
preparados os autos me vieram conclusos, a por
mim lidos, profer a sentenca do theor seguinte :
Visto provar-e pelo depamento das testemunhas
de folhas, que o supplicado Jos Alves da Silva
Gaimaries acha-se ausente em parte incerta, hei
gaco costeira, achoa toaos estes objectos em esta-
do de poder o vapor navegar.
Tambem examinou a cominwsao o casco, machi-
na, caldeiras, amarras e ancoras do vapor Cama-
ragibe da companhia vicilanM, e jtilgou que podia
continuar no servico de"reboqe em que se empre-
ga, porra a caldeira nao podendo funcojonar com
mais de olto libras de presso de vapor por cada
polegada qnadrada e o peso de quatro arrobas cal-
culado sobre a vlvula, pela sua rm' cravaco
; depois do ultimo concert que se Ihe fez.
Inspecgao do arsenal de marinha de Pernam-
buco, 2 de agosto de 1865.
O inspector,
H. A. Barbosa de Aimeida.
THDiTRO
DE
hoje
Quinta-feira 3 de agosto as H horas em
ponto.
O agent Pinto hra'leilo precedida a compe-
i tente autorisago, dos predios cima meociooados
1 editlcados em boas ras, as 11 horas do dia 3 de
i ago:to, ai armazem da ra da Cadeia n. 62.
Leilao
De urna casa Ierre na roa do Mondeg
Q. G7, edificada fin chaos proprios.
SUM.
Por iotervengao do agente Pinto, no armazem
da ra da Cadeia u. 6, onde bavera' leilo do
mais predios,
O Sr. Joo Soare? da Fonseca tlloso tem I
urna caria na praga ja Independencia ns._6 e 8.
, James ilewart, subdito brilaoicc, retira-se
para Inglaterra.
Club PeUtiubucano
A partida do mezde agosto ter lugar na
nuil o do dia li.
GSA B rumia
Aos 6:000*5000.
LEILAO
Da armagao ecaixilios da loja da ra da Cadeia
o. 9, que foi da Orina commercial de Silva di
Guimaraes.
iso.ii:,
as 11 horas em ponto na mesma loja.
EMPEEZA-COIMBRA
Quinta-feira 3 de agosto.
RECITA EXTUAOUDINABIA OJO PBODlicITO SERA AP-
PLICUDOCOIIO DNATfVO DA EMPREZA SBSCIW-
CAO TClOMOVIDA MH dlb'AS EM FAVOII n.V VIUVA
E FII.IIOS 00 BRAVO PERNAMBUCAN-) CAPITAO PEDRO
AFFONSO FERREIRA.
Aberto o espectculo pela symphonia do estylo
sabir a scenao sempre applaudido drama era 1
prologo e 4 actos
AS
IVIULHEESDEmS.RfflORi
Seguindo-se-ihe o gracioso duelo cantado pela
Sr.'D. Engenta e TJfsDoa, sob o ttulo
0 ESTUD4NTI l \ IUA0EH1
Principiar as 8 horas.
O pequeo testo de bPBPHes esta a venda no es-
por justificada a sua ausencia, e' passe-se carta de criptono do tlftatro onde Rodera desdo jA ser pro-
editos com o prazo de trinta dias, pagas as custas, corado.
Fregnezla de Santo Antonio do Itecife, 31 de julho I O emprezario tendo em vistas facilitar e abre-
de 1865.Antonio Augusto da Fonseca. vfar O recebimento das importancias dadas pelas
E nada mais se coutinhaem dita sentenga. por pessoas que se digoaram com o seu patritico va-
bem da qual se passou ao justificante o presente lmenlo coadjuvalo no desiuteressado e nobre em-
edital com o prazo de 30 dias, pelo qual chamo, ci-' penho em prol da familia do dislincto fallecido, d-
lo e hei por citado o referido Jos Alves da Silva terminou, para ajuda-lo, nomear urna con
Guimaraes, para que dentro dos 30 dias compare-'de sua immediata cqnfianga, composta
ga por si ou por seu bastante procurador, para pro-
lilii VO
De duas casas terreas edificadas na.ra da Con-
cordR no auno pasShdo (a 9" .e 4* a esquerda de
quem nadiii da) com bina porta e duas jsnel-
4s, 4*fcrto*. corintia foa-, q*iuil, enearwmeoo
d'agua do Bebenbe, rendimento annual 400$ ca-
da um.
iioae
Por intervengao do agente Pinto, no armazem
da roa Basiliano de Magalhes Castro confessa-se
eternamente urato a tolas aquellas pessoas,
que se dignaram asistir as exequias de sua
cara muIherMaria Clemenlna da Cruz Cas-
tro e convida as mesmas a asslstirem a mis-
sa do stimo da que pelo eterno descanso
rft stft alma, tem m Trer crpretfrrrrra na Perrera
do cemiterip publico, sabbado o do corrente
7 horas xla manhfia.
r Hiihete* SHranddA
A'lApO CRESPON. 3 E CASAS DO COSOTE
O abaixojsstynado vendeu nos seos maitofeli-
zes bilhetes garantidos da lotera qne se aeatoa
de extrahir, a beneficio da Sanu Casa da Mise-
ricordia, os seguintes premios:
Dona quartos n. 2203 cora a sor!* de :MOf.
ius quartos n. 1293 com a forte da i:2U0jtO
l o quarto n. 928 com a sorte .1 4oOOliO.
E outras muitas sortes de 1003, 40f, 1M
1OSO0O.
Ospossuidores podem virreceber seos rtipec
tivos premios sem os descont* das teisoaCasa
da Fortuna a roa do Crespo d. 23.
Acham-se a venda os da 0* parto da i |
da 2> lotera (26-) benen>k> da Ssnta Casa da
Misericordia para canalisago de agua e tu no
lio.-pila I Pedro II, que se eiinfeafa sabbado 5 Je
agosto.
PRECO.
. TO*
'tOO
Para
Bilhetes.
.Meios. .
Qonrios.
as pesseas
praca da Indeijendeaeia n. 15.
Uelojoeiro e dourador porlhguez
Albino Baptisla da Bocha, faz qual-
quer concert pertencente a sua
arte mais barato do que outro
qualquer. assim como se responsa-
bilisa pelo seu trabalho, e compra
rei ilm >s em segunda mo
Bilhetes.
Meios. .
Quartos.
irte compraren de 1
para cia.
.... ||M
.... M73t
.... rTuO
MAJfOEL MARTinsFirza.
ceder-se aos termos conciliadores, na forma da
petigao, e a qualquer outra pessoa para que ihe
faga saber desta mesma citacao, aflrn de que elle
nao fique indefenso.
E para constar mandei passar o presente que
ser afflxadono lugar do costume e publicado pela
irnprensa.
Dado e passado'nesla freguezia do Sanlissimo
Sacramento do bairro de Santo Antonio do Recife,
aos 31 de julho de 1803.
Eu Australiano de Torres Gallindo. escrivao in-
terino, que oescrevi.
Antonio Augusto da Fonseca.
Illm. Sr. inspector da thesouraria provincial
em cumprimento da ordem do Exm. Sr. presiden-
te da provincia, manda fazer publico, que no dia
24 de agosto prximo viudouro, perante a junta da
fazenda da mesma thesouraria, se ha de arrema-
tar, a quem por menos lizer os reparos da ponte
do Itio Formoso, avahados em l:o31>000.
A arrematacao ser feita na forma da lei pro-
vincial n. 343 de lo de maio de 1834, e sob as
clausulas especiaes a baixo copiadas.
As pessoas que se proporem a essa arrematacao
comparegam na sala das sessoes da referida junta,
no dia cima mencionado, pelo meio dia e compe-
tentemente habilitadas.
E para constar se mandou publicar o presente
pelo jornal.
Secretaria da thesouraria provincial de Pernam-
buco, 21 de julho de 1863.
O secretario,
A. F. a"Annunciac.ao.
Clausulas especiaes para a arrematacao:
1." Os reparos da ponte do Rio Formoso, serao
feitos de conformidad* com o orgamento junto na
imporlancia de 1:5315000.
2." As obras devero ser principiadas no prazo
de 23 dias o concluidas no de 3 mezes, ambos
contados da data da approvagao da arrematagao.
3.* Os pagamentos serao realisados em duas
prestacoes iguaes, a primeira quando Uve* melade
das oblas, o a segunda na sua concluso e entrega
defensiva.
4.a Para tudo que nao estiver especificado as
presentes clausulas e orcamento, seguir-se-ha o
que dispoe o regulamento de 9 de julho de 1863.
Conforme,
A. F. d"Annunciacao.
dos Srs.
Drs. Witruvio Pinto Bandeira e Frauklin Tavora,
a qual'se.encarregara de receber aquellas quan- j
lias, na noite do espectaculj e no momento da en-
irada.
O emprezario deixa de levar a scena qualquer
um outro drama em qu; pelo ficto de tomar nelle
parte, clara e mais directamente demon>trasse a
sua boa vootade e oficios de amizad: para com o
ohjecto do beneficio, irabalhando como artista que !
somente pelo motivo de ler de ser um dos mera- j
bros daquella commisso.
Espera, porm, que o publico pernambucano,
: justiceiro sempre, convenga-se da vtdade de qne
nada poupou a empreza no sentido de dar a mais
particular cooperagoao acto, attendendo que al
escoUieu e da quarla-feira 2 de agosto, dia de es-
pectculo da casa, e em que o brilhaote corpo ac- j
demico mais ou menos eoncorre ao thealro, tudo.
para a ampia e real consecucao do tim.
N. B. 0~emprezario observa que o recebiment .
' a que se refere o annnnci > publicado, na noite |
do espeelaeulo s se emende cora aquellos bilhetes
que luuverem sido passados pelo mesmo.
DE
Urna excellente mobilia de Jacaranda, 1 cama fran-
cesa e um toillet tambem de Jacaranda, 1 banca
de a'lvogado, 2 estantes, 1 mobilia do amarello,
2 serpentinas, 1 sanctuario, 1 mesa elasti, 2
apparadores, 1 guarda vestido, 1 commoda, me-
sas, cadeiras, marquezas, camas de ferro e mui-
tos outros objectos os quaes serao vendidos no
armazem da ra da Cadeia n. 62, por couta de
urna familia que mndou de residencia.
Por intervengo do agente Pinto, as 10 horas do
dia, sexta-feira 4 do corrente
LELAO
De um cavallo.
Amauhaa 4 do correte.
O agento Pinto tara leilao no referido dia, cm
frente do armazem da ra da Cadeia n. 62, de um
excellente cavallo rodado, proprio para sella e
carro.
Caetana de Fanas CoMa, seus Sitios An-
tODio Jos da Costa e Silva, Luiz Jos da
Costa e Silva. Francisca Pluladelpha da Cos-
ta, Joaquim Jos da Costa e Silva e seu so-
brinho Antonio Luiz da Silva, vem pelo pro-
sent agradecer a todas as pessoas, que se
dignaram hourar com sua presenga as ulli
mas exequias que mandaran) fazer no di
31 do mez prximo passado, na igreja da
Santa Cruz, por alma de seu mu presado
cunhado e lio Joao Jos da Costa e Silva, e
convidara de novo para assistirem a alga-
mas missas que vo mandar dizer no dia 6
do corrente (stimo dia do fallecimento) as
3 horas da manha na mesma igrea, e des-
de j se confessam sinceramente agradecido.
Leilo de mu deposito de gneros.
Segnnda-feira 7 do corrente.
Jos Joaquim de Novaes & Filho t*ndo de aca-
bar com seu negocio faro leilo era um ou mais
lotes por iotervengao do agente Pestaa, de seu
deposito de gneros sito na ra Nova n. 61, cons-
tando de rinos engarrafados de todas as finalida-
des e mais gneros qnrj se ac.ham patentes e re-
lacionados, cojo bataneo se acha em mo d> agen-
te prompto a ser examinado. O leilo tera' lugar
no mesmo deposito segunda-feira 7 do corrente
pelas 10 horas da manha.
GABINETE
PORTUtiUEZ E LUaiEH PER-
XA Bl'CO.
De oadem do Illm. Sr. presidente substituto
convocada a reunio dos sennoros socios elfeciivos
deste Gabinete para a i' sesso ordinaria da as-
sembla geral, domingo 6 do corrente, as 11 horas
da manha, na sala das respectivas sessoes.
Secretaria do conselho deliberativo do Gabinete
Portuguez de Lcitura em Pernambuco 2 de agos'.o
de 1803.
A. A. dos Santos Porto
Io secretario.
Na ra do Imperador n. 83, ^mlo anlar.
preci>a-se fallar com 05 .egfrintes seRhvre*, para
negocio que Ihes diz respeito.
na : Antonio Xnnes de Alevino Campos.
Basilio da Rocha Oliveira.
Manoel Correa da Silva Lobato.
Joo Perelra da Silva.
Jo- Lopes Tavares.
Jos Francisco Rodrigues.
Felippe Borges Leal.
Custodio Jos de Carvalho.
Antonio Seralim de Dos.
Manoel Francisco Coelho Jonlor.
Joo Antonio Perelra Ramos.
li io Marinho Paes Brrelo.
Antonio Tiburcio da Cosa Mooteiro.
Sebastio Amonio de Albuquerque (estadap).
Francisco de Freitas Barbosa.
Francisco Gomes dos Santos.
Joao Gomes Pereira.
Jos Luiz Pacheco de SotiM.
Sebastin Jos de Barros Barreto.
Francisco AntoHio Vieira da Silva.
Domingos los Affonso Alves.
Joaquim Francisco da Silva.
Joo Hibeiro de Castro.
Jos Francisco da Silva.
Migue! Arcanjo Ferreira.
Vicente Ferreira Reten.
Joaquim Francisco Mi.reir.
Francisco de Apuiar Jnior.
Juba Rosa de Aimeida Pinto.
Leopoldo Gadault.
Joaquim de Oliveira Maia Jnior.
mmmmmmmwmm'WMmm
^ O Dr. Cosme de Sa Pereira cnti- j
GR na a residir Da ra da Cruz n. M.
v
C0MPANHI4 BRASILERA
D-
PAQUETES VAPOR.
'speralo d.
E-
lOrlJS do norte
at o dia 6 de agosto, o vapor
Paran, commandaote o capitao
de fragata Antonio Joaquim de
Santa Barbara, o qual depois da
demora do costume seguir' para os portos do
sul.
Desde j recebera-se passageiros e engaja-se a
carga que o vapor poder conduzir, a qual devora
ser embarcada no dia de sua ebegada, enco-n-
mendas o dinheiro a fete at o dia da sahida as
2 horas : agencia ra da Cruz 11. t. escriplorio de
Antogio Luiz de Oliveira Azevedo & C.
ATOOS B!EES0S.
Inslilulo Uclicoiogico e Geographico
Pernaiuliacano.
Haver sessao ordinaria quinU-feira, 3 de agos-
to, as 11 horas da manha.
OllEM DO da.
Trabalhos e pareceres de commissoes.
Secretaria do Instituio, 31 de julho de 1863.
J. Soares de Azevedo,
Secretario perpetuo.
ve? I'
Convda-se as pessoas rj'ie estao as
condirjoes do servico militar, a engajarcm
no corpo de pocia e gozarem das vanla-
gensdi lei provincia! n 611 de 2 de maio
prximo passado, qne 55o as segu'mtes :
l^iOOrs. diarios de sold, seren seus fi-
Ihos menores recolhidos aos estabelecimen-
COMPANHIA PERNAMBCANA
DE
Xavega^o cnsteira por vapor.
Macei < m direitura.
Segu no dia 3 as 4 horas da
tarde o vapor Paralaba, com-
mandante Martins. Recebe car-
ga at o dia 4 ao meio dia, en-
commendas, passageiros e di-
nheiro ato o dia da sahida as 2 horas: eseriptdrie
no Forte do Mattos n. 1.
Para a BTFia pretende sabir
com milita brevidade o velelro
lugre Emilia, capitao liernardi-
no Rodrigues de Alnfeida, por
ter a maior parte da Carga Ira
- tada, e para o resto que Ihes
tos provinctaes de educacao e o tempo que falla trala.fe com 0 con4nalario Joaqu,.n Jos
esliverem na guerra ser contado pelo duplo Gongalves Beltro, na ra do Vigario n. 17, pri-
para o caso de aposentadoria, e alm destas meiro andar.

Firmiuo & Lilis
Novo cslabelpcimcnto de retra-
tosa ra Xova n. 15, Tan- g
dar, junto ao Sr. Gantier, g
dentista. -..?
3 Tiram retratos todos os dias, das 7 hora? *g
fr da manha s 3 da tarde, quer chova cu M
:/ nao. ^r\
** Tambpm se off-recem para tirai reir- -
^ tos de pessoas fallecidas, dentro ou fon H
S, da cidade. :'ttj
P Os annunciantes desojando acreditar o *w
fi! seu estabeteeimento, garanten) ao publico ^
te< que nenhum trabalho sabir de sua offiei- |a>
j na.sem (|ueur.o seja perfeitainuuie acaba j
do, e a vontade do fregoez.
%f9k
^ li'P-' '
s*<
na noitu desabitado 3' do pas-
sado, rindo do theat.ro de San
la Isabel pela ra do Impera-
dor e travessa do Ouvidor, um
nifincte de peil'o, formado p >r
urna cruz, ama ancora eum WWMWlW
coraco, tudo de cabello eneas- CSl de banhos
toada cm OWO lioaa-SC a JICS Largo do Carmo a. 26.
sinu aup n tir.pr nrhudn n nbtp.- Este eslabefeeimento t5obem montado na sua
SOtl QUio (/ entrena lo na rila das abandono pelo pouco ntejeesse de sua admlnls-
LritZeS n 20, SeqUliaO andar, Hojequeonovoproprietanoempregou todos os
,./. ', .i meics para restablecer a grande utilidade deste
(UC SC {ratificara A (leerle Si esubeleeimento, pode Bssegnrar ao publico que
que na pude ser usado nesta n,,a,m,pr nne
Io e 2o andar, onde pode ser procu-
rado para o exercicio de sua profts-
so medica, e com especialidade
sobre e seguinte
i molestias de olhos;
2o de peito :
3o dos orgSos geni-
ti urinarios.
Em seu escriptorio os doentes se-
ro examinados na ordem de son*
entradas ooraecando o trabalho pe-
los doentes de olhos.
Dar consultas todos os dias das
(5 as 10 da manha, menos nos do-
mingos.
Praticar toda e qualquer opera-
do que julgar conveniente pin I
prompto restabelecimento dos seus
doentes.
Fugio no m-r. dejunho urna pMi r-ria ji
Tena, de nacao Mina, de nome Uellina, r>n i\*
signaes seguioles : alia, magra, com as mi
veiras : quem a pegar leve a casa d* seo senbo-
na ra Imperial, junio ao armazem do sal o. '',
que ser bem pago.
di
Offercce-se ama ama de leite
Pharol n. 4, em Pora de Poria?.___
a rm d >
qualquer que se]a o numero
acharao desde j promptido e
aceio nos banhos
Cidade, or peSStia alquma, Wo, moros ou medlcloaes, a casa dos baDhosse
' r r li achara aberta todos os oas das b boras da manha
sem que pror.e sua posse legal, asiidanoue.
visto seu dono ter certeza
nao liatcr outro igual
de
tem todas as mais vantagens que sao con-
cedidas aos voluntarios dt patria- O te-
nente-coronel commandaule do corpo de t
pocia, Alexandre de Burros e Albuquer-
que.
Santa Casa de Misericordia
Recife.
A Illm' junta administrativa da Santa Casa de
Misericordia do Recife manda fazer publico que no
dia 3 do prozimo futuro mez de agosto, pelas 4
horas da tarde, na sala das suas sessSes, contrata ,
para a obra da ra da Gloria o fornecimento de 12
milheiros de telha de boa qualidade : os concur-
rentes devem apresentar as suas propostas em car-;
Secretaria da Sania Casa de Misericordia do Re-1
cife 31 de julho de 1865.
O escrivao,
F. A. Caralcanti Cousseiro.
COMPANHIA PERXAMBUCANA
DE
Naveguci!) costeira por vapor.
, Por ordem superior dea trans-
ferida para o dia 3 de agosto pr-
ximo, as 10 horas da manha, a
partida de um dos vapires da
companhia para o presidio de
Fernando de N'oronha. A carga ser recebida at
o dia 4. Encommendas, passageiros e dinheiro a
frete at 9 horas do da da sahida : escriptorio no
Forte do Mattos n. 1._______________________
Para o Rio da Prata ou Ro
Grande
Freta-se a barca nacional Restauracao : a tra-
tar com os seus consignatarios Antonio Luiz de
I Oliveira Azevedo & C, no seu escriptorio ra da
| Cruz n. 1.______________________
Para o Rio de Janeiro.
pretende seguir com muita brev.dade o patacho
Pela thesouraria provincial se faz publico, nacional Regulo, tem p.rle de seu carregamento
que a arrematagao do fornecimento dos medica- engajado, e para o resto que Ihe falta e escravos a
meatos necessanos enfermara da casa de delen- fretej tratase cora os seus consignatarios Adtonio
gao, foi transferida para o dia 10 de agosto vin- Ltm de Oliveira Azevedo & C, no su escriptorio
douro. ra da Cruz n. i.
MARTIMOS
E
Pregos.
Banho de choque......
Dito Irio ou momo.....
Dito de farello.......
Dito -medicinal ser se-
gundo sua qualidade.
Assignatura.
Por mez banho Trio ou morno...
2o carldes para banho fri, mor-
no ou de chuvisco...........
12 carl5es para os mesmos....
12 ditos para banho de farello.
500
500
1^000
Secretaria da thesouraria provincial de Pernam-
buco 28 de julho de 1865.O secretario,
A. F. d'Annunciago.
Para o Para, com escala peio Miranho, pre
tende sahir em poucos dias o lugre Emilia, capi-
llo Bernardlno Rodrigues de Aimeida, tem a
"-^Sexta-feira 4 do corrente, logo que lindar a maior parte da carga tratada, e para o resto que
audiencia do Sr. juiz de paz da freguezia de Santo Ihes falta, tratase cora o consignatario Joaqu.ra
jS^ulitokurJ&m!*** de al- Jos Gongalves Beltrao, na ra do Vigario n. 1/,
gibeira,'e entre estes ha um proprio para medico, primelro andar,_______________________
os quaes foram penhorados a' Fernando Garzoll, Par
por execugao de Andrs Blanco & C.__________| gegne cQm brevidade pan 0 inaicaa0 porto era
n_1mMm Jftnr.mmrn>nA i diretura o veleiro hiate Lindo Paquete, capitao
LriDMlclI (10 COIlUierClO Francisco Ribsiro de Barros, e pode ainda admit-
Pela secretaria do tribunal do commercio de tir.alguma carga : a tratar rom Antonio de Al-
Pernambuco se faz publico, que nesta data o Sr. melda Gomes, na rna da Cruz n. 23, pnmeiro
Francisco Jos Gongalves de Siqueira, Portuguez, andar.
de 'i annos de idaae, estabelecido nesta cidade j
com negocio de chapeos, foi admetlido matricula.
Secretaria, do tribunal do^ commercio de Per-
nambuco Io de agosto de 1863.
O ofOcial-maior,
Julio Guimaraes
CONTRA FOGO.
A Companhia Indemnisadora
! eslabelecida nesta praca, toma seguros martimos
! sobre navios eseus carregamentos e contra fogo em
edicios, mercadorias 0. mobilas: no seu escripto-
rio, ra do Vigario n. -i, pavimento terreo._____
Inslruc^o primaria
Acha-se aberta a aula publica de instruegao pri-
! maria do sezo feminino, na povoagao do Monteiro.
ZOTER1A
AOS 6:0(W000.
Corre depois d'aiuanha.
Sabbado'o de agosto do corrente anno,
se extrahir a C1 parte da Ia e Ia da 2a lo-
, teria '('6a) a beneficio da Santa Casa de
Misericordia para canalisaco d'agua e gaz
OITerece-se urna mulher para coser e rngotn-
mar : dinja-se a ra das Trincheira* n. 50, lop.
O Sr. Jos Lope'. Das Peixoto tem nrai cai-
ta vinda do Rio Grande do Sul, na roa da CbiM
00 Recife n. 30.
A Semana Iliustrada e o
Bazar Volante, do Rio dt
Janeiro.
Assignam-se na ra no Crespo n. 1. o priTeir 1
a 6> por tres mezes, I lj> 6 n.ete* e 1*5 oin anuo.
o segundo a' 1Q 6 mezes e 18} um anno._____
Precisa-e de urna ama para comprar, cosh-
nhar e engoramar para poac familia : fjnem jo-
zer dirija-.-e a ra das Crnzes n. 9, segundo aoitor.
Os procuradores do Sr. Pranci-eo J >? *
Campos Pamplona (que se acha actualmente r
Mamanguape liquidando a casa que all leao> de-
sejando estar a par do passivo do dito seohor.eaM
Ihes dar dinheiro a proporgo qne Ihe forem car-
gando os algodoes o mais gneros remrtliJos pe)
seu comitente, sendo que ja" existen) em *rn fu-
Srs. rrc'lor s
o d.a M
i de agosto, lauto do que porveniura estiver veneni-.
Precisa-se alugar na ra do Imperador n. 43, COnio do que se livor ainda de vencer, poi pretea-
10*000
103000
53000
105000
luga-se urna escrava para servigo interno
e externo de urna casa : na ra do Imperador nu-
mero 50, terceiro andar. ________
Precisa-se de om criado
ratriz n. 21, primeira andar.
na ra da Iraoe- der alu"ia fluanls convida o
v ; para que Ihes enviem as suas ronus ab-
ura ou dous andares de sobrado em qualquer das
principaes ras desta cidade. _
Aluga-se a casa terrea sita na ra da Trem-
pen. II, com tres quartos, duas salas, cozinha,
quintal murado e cacimba : a tratar na ra Direi-
ta n. 2i, padaria. _________
Na ra da Cruz do Recife n. 30, 2 andar, se
dir quem compra duas escravas mogas, de boa
conducta e que entendam bem de costura e en-1
gommado : paga-se bem agrandando.
urna
Desencaminhouse urna letra da quantia de
2285850, a vencer-se em 24 do corrente, saccada
por Manoel Jos da Silva Oleira e aceita por Antao
Borges Alves, pede-se a quem achou fazer o favor
de a mandar entregar |na ra do Encantamento n.
. 13, visto que de nada Ihe pode servir em virtude
no hospital Pedro U, no consistorio da igre- de o ateitante j estar prevenido oeste sentido. .
ja de Nossa Senhora do Rosario da fregu- j--------i^trueco primarla-
zia de Santo Antonio. Acha.se abem a ma[rioula da escola publica de
Os bilhetOS, meios e quartos estao a ven- nslraCo primaria do sexo femenino de Jaboatao,
da na respectiva thesouraria a ra do Cres- desde o'dia 31 de julho ultimo
LEILOES.
Era audiencia do Illm. Sr. Dr. juiz de or-
phaos desta cidade.vai a praga a quem mais der o
' arrendamento por seis annos do armazem sito no
' caes da alfandega desta cidade, sob o. 3, distinado
at hoje a receber baalhao, servindo de base o
preco por que ora est, de 2503 mensaes, pagos
no Io d cada mez, sempre adiantado : para mais
explicagoes, os pirtendentes vejam o escripto em
mao do porteiro do juizo competente.__________
Iiispecco do arsenal de
mariaha.
LEILAO
De predios em chaos foreiros.
Um sobrado de 2 andares e soto, da ra Au-
gusta n. 2, com o oitao para a travessa do Montei-
ro, que reode 1:2483-
ma casa terrea da rda de Santa Rita n. 80,
rendimento annual 300$.
Urna dita na mesma ra n. 28, que rende.....
1443.
Urna dita na ra da Ponte Velha n. 24, qae ren-
de 1683-
Urna qaarta parte do sitio de Cajueiro n. 6, com
Faz-se pnblico qae a commissSo de peritos, esa- grande casa de pedra e cal.
nnnrin na forma determinada no regulamento Em chaos proprios
Um sobrado de. dous andares n.
minando na forma determinada no regulament
annexo ao decreto n. 1,324 de 5 de fevereiro de
18.'4, o casca, machina, caldeiras, apparelho, mas-
treago, veame, amarras e ancoras do vapor Per-
sinunga da companhia Pernambucana de nave-
33 da ra do
Vigario qne rende 8403.
Um dito de dous andares n. 33 da ra das Cru-
zes, rendimento 7443.
po numero 15.
Os premios de 6.000^000 at 100000
serao pagos urna hora depois da extracc5o
1 at as 4 horas da tarde, e os outros depois
da distrihuicodas listas.
As encommendas s rao guardadas so-
mente al a noite da vespera da extracto
como de costume.
Servindo de thesoureiro,
Jos Rodrigues de Souza.
Vende-se urna rotula e urna janella em mui-
to bora estado : ra das Aguas Verdes n. 92.
Precisa-se de urna ama forra ou captiva : na
ra larga do Rosario n. 3o.
Offerece se urna mulher para comprar eco-
andar : a tratar na ra de S. Bom Jess das Criou-
las n. 23. __________________________
Jo- de Souza Pinho, subdito portuguez, re-
, tra-se para Europa no prximo vapor que tem de
s-'guir._________________________________
I Na ra da Florentina n. 36 preparase comi-
da por cemmodo preco.____
Jos Gomes Monteiro, Portuguez, vai a Eu-
ropa.
A professora
Maria Chrlstina Cavalcanti Pessoa Cesar.
Precisa-se d urna ama para cozinbar e com-
prar para casa de pouca familia : na ra da Im-
peralnz n. 34, primeiro andar.
Precisa-se de um criado que entenda de bo-
leeiro : no pateo do Carmo, em casa de Gabriel
Antonio, se oir, ou_na Passagem n. 24.
AMA.
Aluga-se urna escrava para ama de urna csa de
mogo solteiro ou de pouca familia, boa czinheira,
e sabe comprar bem : na rna de S. Bora Jess das
Crioulas n. 3.
GRAGEASdeCUBEBINA
C0PABAdeLABLONYE
Estes confeitos que tem por base o prin.
cipio activo da vrimeira cubeba juuto com
a cttpahyba pura, nao nausen o estomaga.
Elles fazem parar iroBaediatamente asmis
rebeldes gonorrhas, mesmo as que res;sti-
ram a cubeba o a cupahyba isoladamente.
0 Dr.
de logo depois desse dia dar comeco ao pag.iu*u-
to : ra do Vigario n. 2.
Pbipps Irmaos A C.______
Nulas do banco do Urasil e das canas liiiae-
desconlm-se na praga da Inlapcmlencia n. 22
Precisase de urna ama de leile que teat:.
boa conducta, e pagase bem : na ra de Hurla
n. 130.
Xa ra do Imperador D. 2H, tem bichas ham-
burguezas novas e boas para vender e alujar, em
pequeas e grandes porgues.

Francisco l'ires Xaclia4S
Poitclla
MEDICO OPERADOR
PELA
Faeuldade de Par.
regressando a esta provincia. arha-s
prompto para o ejercicio de sua pridh-
so, quer nesta cidade qaer f >ra della,
especialmente em molestias de olhos iri-
taraetas, etc.,) das vas urinarias (eslrrt-
lament) de urelhra Ptr.,) e de pelle : pa-
ra cojo curativo se Jolga habilitado, alien- |
ta a pratica, que iee no husfiues -. a
Pars, e >s modernas instrnmentos que
possue.
Encarrega-se de col locar olhos ailifi-
ciaes.
Pateo do Carmo n. 2, esquina da ra I
de Hortas.
s
:
m
s
s
Precisa-se dt, um criado : na ra da Impj-
ratriz n. 40.
Aluga-se a parte da casa b. 93 da roa da
Aguas Verdes: a tratar na mesma.
Aluga-se o segundo andar do sobrado n. 62
da rna da Guia, pintado de novo e coa nmloi
cmmodos : no andar.
Canas (de ferr.
Grande sortimento das melhores que banoi
cado : na rna Nova n. 33.





Piarlo de rersambneo ... Qnlnia letra S e Agosto de !>.
PHOTOGRAPHIA ARTSTICA
DE
25 Ra Nova (esquina da Gamboa do Carmo) 25.
Os propratarios (leste estabelecimento, desejando satisfazer os numerosos pedidos de seus freguezes, acabam de receber de seus correspondentes de Paris, nm grande
sortimento de retratos (carles de visita) das personagens as mais celebres da Europa, assim como receberam tambem urna quantidade de alinetes e cassoletas para retractos, do
mais apurado gosto e por preoos muito diminuto.
Os mesmos aproveitam a occasio para prevenir ao publico e recordar aos seus numerosos freguezes, que ellcs trabalham todos os das, domingos e (lias santos, das 9
horas ta ambla at as 4 da tarde e que os tem os de chuva nao influem em nada para o bom successo dos retratos, pelo contrario o sol entre nuvens- mil vezes preCerivel
sobre todos os pontos, tanto pela rapidez da operacao, como pela commodidade das pessoas.
A grande quantidade de pessoas que tem visitado este estabelecimento nestes dous annos em que se acham estabelecidos nesta cidade, e que nao ser menos de cerca
de 6,900 a 7,000, para elles urna garanta futura, posto que se appliquem todos os dias, para que todos saiam contentes e satisfeitos.
DIODURETO DUPLO
de FERROeQUININA;
MEDICAMENTOS FRANCEZES AFAMADOS
A YWEBtBk EM PERIAMB1ICO
Em casa dos Srs. Caors e Barboza, ra, da Cruz u. 22.
Os elementos que compoem esta preparacao o
ferro, o iodo e a quina, a collocao no primeiro
grao das preparaees ferruginosas. Basta aitestar
seus resultados obtidos pelos Mdicos dos hospi-
taes. c os relatnos dos prtieos mais eminentes
que confirmro sua poderosa eflicacia as se
guintcs affccces:
M bjeom a* i(uc,
Fraque* a,
Anemia,
Clilarone tu Ictericia,
M *nli no,
\ rrreco*-* da tero,
SiiBurrsaae daa re-
ir, e dei.nrilr na
nirn-lriiMrfi,
Affrrris ui.lniaaar e
hbllca,
M dIi-ni la* il (lomnao,
Gaatralolaa,
Perdad'appctltc.etc,
ConvnlcKcr nrmle lon-
:-.n" molt'nUatt,
Mule-llaM eMcrofulo-
>,
Paprlra,
ObMnicro tlai* I*
dula*,
llumorrft frlot
Tumores lintnron,
nachltlxmo,
Aifcaaoga rHraccrttMH*
v K>|>ltllltl<-H,
Febre* lypholdei*,
Resigis vio., etc.
VejSo-t". os butletins de therapeutica medica
e cirurgica de 30 de novembre 18G0; a Gaz-ela
dos hospitaes de 28 dejullio 186'*, etc., etc.
Alcm dos pilulas de todurcto duplo de ferro c de
quinina de fiebillon, os Mdicos aconselhao
igualmente o Xarope d'iodureto duplo de
ferro de quinina do inesnio authoi- para as
pessoas que nao gosto de mcdicamcntos.sob for-
ma pilular e os meninos. F.stc xarope nao tem
como oxaroped'ioduretode ferro, o inconveniente
de alterar-se e de se nao poder conservar.
Pcca-se o folheto que se d de gra^a em casa
dos pharmaceuticos depositarios.
Para se evitaren) falsificacoes, exija o com-
prador em cada frasco de Pilulas ou Xarope a as-
gnatiira in inventor.
Depsito geral em Paris, pharmacia nobillnn,
4 i. ru du Bae, e em todas as boas pharmacias
de Franca e as dos paizes eslrangeiros, etc.
Pelas commissoes em grosso, dirigirse aos S
IPASTILHAS
IGESTIVAS
IDE PEPSINA
DE, WASMAN
As pastilhus digestivas com a pepsina de
Wasman, cmpregSo se com successo h j
algnns annos peas celebridades medicacs de
Paris. Londres. Vicua, etc., em todas as in-
commodidades em as quaesadigcslo c dilficil,
penosa, imperfeta ou inesnio inipossivc.l: eis
o melhor remedio para cural as.
DlarrhrnH e a -(tnafl-
pncao prd'lnxidMi.
It-I.ifi 4*lubi-i.rt*M
lefrUiio-.. iloall-
iiu-nl.
<;n I>lw{M*pNlMH,
Llultnr-ii'O- j.K-1; lr(W
Aa aff-cc' nrjianl-
ca.M do mlomatc,
Sua accao vivifica o sangue c os rgaos de
tal sorte quc< atli as pessoas que sem soffrer
as aftcccocs gstricas cima mencionadas sao
nicamente Iracas ou d'nm temperamento nm
poneo dbil, e necessitao substancial alimento
para fortilicar-se, neluo no emprego das pasiil-
has de pepsina de Wasmantum poderoso meio
para a isso cbegar.
Aviso imprtame. 0successo das pnsllias
pepsina de Wasman den causa a se fuzerem
falsicacSes e imitacoes d'csse producto que os
mulos se qucrcni desfazer. Pois por falta
d'uma boa prcparaco a pepsina que n'clla
entra, jai", alterada. Seremos ao abrigo d'csle
inconveniente, exigindo os compradores que as
paslhas IcnhSo as iniciaos B. P. e saiao da
pharmacia Chevrier.
Depsitogcrel em Pars, pharmacia Otaer,
21. Faubourg-Montmartre, e em todas as boas
pharmacias de Franca c dos paizes eslrangeiros.
DOENCAS
DbWMENINOS
crRADAS velos
X4R0PES DO DOUTOR DANET
N* 1. Contra rh CLICAS DOS MENINOS ante
e durante a ili-ntlro
iXarope de cynoglosse e Uc aciilo succinido)
V 2. Cuutra a
MANSA e XAROPE
DR CODF.NA
DE
BERTH
As experiencias clnicas e comparativas
dos Snrs Magcndie, Barbier d'Amiens, Wil-
liams Grcgor, Martin Soln, Aran, Viga,
C. Dumont, etc., membrOs do Instituto de
Franca, mdicos dos hospitaes de Paris. tem
provado que a Massa e Xarope de Berth
o remedio o mais seguro contra todas as
coxviLfOes dos mexixosjB dores nervosas c tendo a propriedade de
calmarcom admiravel rapidez as tosses rebel-
les e extremamente fatigantes da grippe (ca-
tarrho epidmico defluxo, coqueluche ou
tosse convulsa, bronchitc e tsica pulmonar.
A Massa e Xarope de Berth, se
achSo em todas as boticas.
TOSSE CONVULSA t a TOSSE
NERVOSA
(Xarope ilc cynnglosse e de loo rolaiil de succino!
N' 3. Contra n
A CHOREA
(Xarope de cynoglosse e de acido vol.itil de succino)
Estes novos productos preconizados na Aca-
demia imperial de Medicina de Paris sao cm-
pregados com grandissimo successo pelos mdicos
de Franca para o tralamento das molestias do-
meninos cima indicadas, e viero cncher nm
vacuo importante na therapeutica, no que loca as
affecedes da infancia, para as quaes, ath lioje.
ainda se n3o pode indicar tratamento raciofanal-
nem infallivel.
[Peca-se o prospecto em casa dos pbarmaccu,
ticos depositarios.)
Proco do frasco em Paris, 3 Ir.
Para se evitarem as falsificacoes. exija o com-
prador que rada frasco tenha sobre os rtulos a
assignatora Chantcaud.
Depsito geral em Paris, pharmacia Chan-
teaud c em todas as boas pharmacias de Pranct
e dos paizes eslrangeiros.
Os granulos de bismuthdc Chevrier em supe-
riores a todas as outras prepara^des de bitmuth
empregadas antes com o maior successo pelos m-
dicos de lodos os paizes, para prevenir e curar as
Para evitar qualqucr
falsificarn,exigir em
cada pvu-iiito o nome
c a firma Berth.
Deposito geral em Pars, em casa de MENIER,
IIua Ste-Croix-tle-la-Brctinneric.
M.-I-. dlKentocN,
Gastrilea,
GantralKlas, etc.,
MoIc'mIIhh de liando.
Aicleriria,
Palpltarao do cornc&o
DdreM non rln*.
DdreH .le rabt-cu,
Irrliaj-iOM de bczlga
da niatrlz, etc.
HImi iIi.h- ,'lironlriiN,
ll>Hfie.iterlaS,
Doren d'entondsjO,
>>MpepMlaa,
Depsito geral em Paris, pharmacia Chevrier,
e e em todas as pharmacias de Franca e dos paizes
eslrangeiros.
ASTHMA ASTHMA ASTHMA
Su lio.'.-cao nervosa e Oppressao
nico remedio efficaz para combatter estas mo-
lestias, acalmar um attaq'ue d'asma e impedir a
volla e o Xarope aromtico de Succino (mbar
amarco) do Dr Danet. Descoberla inleiramente
recente, este novo producto se tem propagado
com extrema rapidez gracas aos admiraveis resul-
tados que tem sempre produzido.
Deposito geral, na botica Chauveaud, 54,
ra do Commercio, Paris-Grenelle, e em todas as
boticas de Franca e do estrangeiro.
WILLAERT e BEP.GER. comisarios em drogara, 11, ra Saint-Lazare, Pars.
t&asmMBmamtimmmmmmmmmmmmmMmmmmkmm
Companhia Tdelidade de seguros
maritiraos e terrestres
estabelecida no Rio de Jaueiro.
AGENTES EM PKBNAMBUCO
Antonio Lat de OliTfira Aieredo 4 C, |
m competentemente autorisados peladlrec-
B loria da companhia de seguros Fidelida-
fl| de, tomam seguros de navios, mercado-
5 rias e predios no seu escriptorio ra da
JK Crin d. 1.
mmmwmwtmmmm 1111
LoudoD 4 Drarlllan Bank, saca por doos
os paquetes.sobre
Lisboa.
Porto.
Braga.
Vianna.
Guimares.
Villa Real.
Coimbra.
________Amarante.______________________
Pedes toda altencao.
Custodio Jos Alves Goimaies, dono da toja nnr
! appellido Gallo Vigilante na ra do Crespo n. 7,
1 participa a ledos os seas freguezes e ao respeita-
vel publico, que esta dita loja se ae.ha com gran-
1 de sortimento de galantanas de mu to romo, que
, tem recebido de sua propria conia, assim como lo-
1 das as mereadorias tendentes a loja de miudezas
e outros, e. como esta resolvido a vender por pre-
50S baratissimos, como os mesmos compradores
podero apreciar ennenrrendo com snas presentas
a dita lja, que se amanear servir bem com agr-
: do e promptidio, p mesmo qualquer senhores que
tnorem lora desta praca, que precise de qualqner
mercadoria. t-iHlentes a seu negocio, eque |>or
motivos nan possam comiiarecer, o poderao pedir
Joo da Silva Ramo?, medico pela L'b
versidade de Coimbra, di ruamlta ea
sua casa das 9 as II horas* __li,
das 4 as da urde. Visita o otates
em snas casas regulaeate aas turas
para isst designadas, salvo os cana ar-
gentes, que sero socrorridos em f_ri-
quer occasio. D cor.sultas aaa aiaraa
que o procuraren! no hospital Podra n,
aonde encontrado diarianeata aa f :
s 8 horas da maabaa.
Tem sua casa de sadde reglarr_le
montada para receber quakpier doeale,
ainda mesmo os alienados, para a qae
tem com modos apropriados e oella or-
tica qnalquer operacao eirargiea.
Para a casa de sade.
Primeira classe .1^000 diarios.
Segunda dita__3JSC0
Tercira dita.... SJ000
Este estabelecimento j besa acredi-
tado pelos boas serviros qne tena pres-
tado.
O proprietario espera qae t lie ecati-
nue a merecer a conflanea de roe sia-
pre um gozado.
L1PBEZA
DE
ILLUMINACAO A GAZ.
Anuir a. 31, na da haperadar.
Para mais regularidad" do frrico leai a etaprt-
za resojvido lo sr>mente vender os appar>ian,
etc., ileixandoqne os -Tf. cr.nsoniidores rhaaw-i
os machiui.-ta.- qne mais ihes agradaren), pndradto
elles serem tada-
por esenpto, que se aflaoea nao se abnsa tanto us Uiacml!.us mai<
em preces, corno em quah. ,de das mercadoria, "J Jg
isto c oa ra .lo Crespo n. 47-Gallo Vigilante^ cai)s no'armalf m' ^ e'mprrU
Perdeu-re no dia Iti do corrate desde a ra
Nova al o convento do Carmo um nedaco de tuna
Ota de euro de urna pulseira de jarreteira, sendo
provavel kr sido ca occasio do Te-Dcum : quem
achou e quizer restituir, dirija-se a ra do Cabo-
ga n. 7, onde ser gratificado.
O hachare!
Francisco Angnsto da Cosa 18
;1St ADVflGADO k
5^ Ra do Imperador numero (59. ^
Aluga-se a loja do sobrado n. 17 da ra da
Imperatriz, com bons commodos : a tratar no se-
gundo andar do mesmo.
A< reelamar&'S por m luz das eaas. coits aa-
parelMM honvin-m sido rollocados aateriori
a e.-te aviso, seras atteodidos pela emprea; 1
quaesqner, nao.
A emprea espera que ola nvdida ser 1
menie apreciada pelos senhntes roa
denle como a tornar este servieo
ro ; vi.-to qne rila vender todo, apease
lucro tal, que cubra as despeas m

DE

DE
J. VIGNES.
N. 55. RA WO lnPKRtDOR X. 55.
Os pianos desla antiga fabrica sao hoje asss conhecidos uara que seja necessario insistir sobre a
sua superioridade, vaotugense garantas queolTererem aos compradores, tonalidades eslas incont',.sia-
veis que elles tem definitivamente eonqoistado sobre todos os (jue tem apparecido nesta praca ; pos-
>nndo um teclado e machmismo que obedecem todas as voirtades e caprichos das pianistas, sem
nunca alhar, por erera fabricados de proposito, e ter-se feito ultiinamente meihoramentos importau-
lissimos para o clima desle paiz ; quanto s vozes, sao melodiosas e flautadas, e por isso muito agrada-
veis aos ouvidos dos apreciadores.
Fazem-se conforme as encommendas, lano nesta fabrica como na do Sr. Blondel, de Paris, socio
correspondente de J. Vignes, em cuja capital foram sempre premiados em todas as exposiees.
No mesrno estabelecimento se achara sempre um expleodido e variado sortimento de msicas dos
melhores aulores da Europa, assim como harmnicos e pianos harmnicos, sendo tudo vendido por
precos commodos e razoavels._____________________________________
CONSULTORIO MEIHCO-CIRIRGICO
A NACIONAL
Companhia geral hespanhola de seguros mutuos
sobre a vida
A.UTORISA.DA PELO REAL DECRETO DE 21 DE DEZEMBRO DE 1859
ma flanea em diuheiro, depositado nos cofres do estado, garaRle a boa da
miiiistntco da companhia.
BANQUEIBOS DA COMPANHIA
O Banco de Hespaaha
DIRECCAO GERAL
Kadrid : Rna do Prado n. 19
Etta companhia liga pelo systema mutuo todas as combinac.oes de superviencia dos srgu
sobre a vjda.
N*lla pode se lazer a subscripeao de maeira que em nenhum caso mesmo iot nr.trIr dos
gurado su perca o capital nem os juroscorrespundeues a estes.
Silo lio supreheudeutes os resultados i|ue produzem as sociedades da ndole de A NACI
I)AL,que ainda mesmo dimlnutndo urna terca parle do interesse produiido em recentes liquidai
roes e>;ombiuanlo-o cora a mortalidade da tabella de Depareieux que e adoptada pela companh-
para sdus lUlc.nlos e liquidables, em segurados de dade de 3 al annos, urna imporsieaoannua.
de lO' produr em effectivo metlico:
No tirn de 5 annos.......i:ll9300
> delO .......3:9425600
de 15........11:208*200
> de 20........30:256*000 /
de 25 .......80:331*000;
as idades menores de 3 annos e maiores de 30, os productos sao mais/consideraveis.
ProspecDs e mais inforrnacoes serio prestadas pelo sub-direelor nesta provincia.
Joiquim Fiuza de Oliveira, ra da Cadeia n. 52, ou a Boa-Vista rna da Imperatriz n.12,estabel
m;nto dns Srs. Raymundo,Carlos,Leite A Irmao.
Attcncdo
PergnnU-se acera farpada da Casa Forte, que j
nao tem olho vidrado, quants ganhou nela novida-; 1
de, pois para onze letras tem feito e pode fazeri
fortuna com tal especulacao.
..... (criado: I
Precisa-se de um criado para o servico interno 1
e externo de urna casa de pequea familia : a tra-! J
tar na rna das Larangeiras n. 14, segundo andar. -\
Alopa-se a casa terraa da rna Imperial n. 11
2l.'{ com G iiiarlos, 2 salas, cozinha fra e quintal ['
murado: o tratar na mesma ra n. 211, ou na j
ra Direita n. i, padarla. 1
Pree sase fallar com os fllhos do fallecido >
J>- Francisco Gonealves Chaves, natorl da fre- I
gu'-ria de Santa l'lla de Palmeira, do Faro, do i
conselho de Espozende, Portugal, a negocio de seu j
htteresse : na roa estreita do Rosario n. 5. 2
vnn~ S-"Precisa-se de urna ama para casa de pouca
lilU familia, prefere-se que seja escrava : na travesta
Precisase de urna ama para o servico interno de *? poarieis, ootr'ora ra do Senhor Bom Jess
i,ma casa de pouea /anilla : a tratar na praca do a- Lri0llla'' B- 3t> w*"^-__________________
Crpo Santo n. 17. ATenda-sp um sitio no Jacar, estrada que
- Quem precisar de urna ama boa engomma- '- V A5afiaFia' foraasa ne P> e cal ulti-
deira.cozioha solTnvel, moito fiel, e que sabe di- emente edificada, com bastantes commodos; esle
ripir tima cas,, dirjase ao aterro dos Afosados, o era arvored-w de {rna_dModas qualida-
n *C5 I w, bom lerreno para planiacao, e tiana para ca-
'- ----------_--------- pim. Aluga-se tambem o fmawrri do eo na roa
IliairilC^ao primaria da Concordia, proprio para aualquer eslafieleci-
Ae,ha-se iberia a matricula da 2' eadeira de tns- ment : a fallar ao Solicitador arrobo que ora
Dentista de Pernambuco.j
Ba estreila do Rosario n. 3,
ao p da igreja
[francisco pinto OZOBIOJ
: Colloca dentes arllficiaes j
pelo syateuaas osis rao- 1
I drruos
I Emprega todos os meios cientficos para I
! conservar os naluraes. Pode ser procura- !
I do em seu gabiuete das 9 horas da ma- fi
I nhaa as 5 da tarde. i
DO
DR. PEDRO DE ATTAHYDE LOBO MOSCOSO.
WKOiC, IMHTIlEf^ K OPRRADOR.
3 Ra da Gloria, casa do Fundao 3
O Dr. Lobo Moscoso d consultas gratuitas nos pobres todos os dias das 7 s H
horas da manliao, edas C e meia s 8 horas da noite, excepeo dos dias santificados.
Ph a / m a ca es pee a liom eopu linca
No mesmo consultorio lia sempre o mais appropriado sortimento de carteiras
tubos avulsos, assim como tinturas de varias dymnamisacoes e pelos presos seguinles.
Carteiras de 12 tubos grandes. 126000
t> de 24 tubos giandes. 18j5000
de 36 tubos grandes. 245000
de 48 tudos grandes. 30(5000
de 60 tubos gran Jes. 354000
Prepara-se qualquer carteira conforme o pedido que se fi/.er, e
que se pedir.
Um tubo aguiso ou frasco de tintura de meia onca I000.
Sendo para cima de 12 custarao os precos estabelecidos para as carteiras.
Ha tubos mais pequeos cada um a 500 ris.
A melhor odra da homeopathia, o Manual de Medicina Homeopatbico do Dr. Jahr
dous grandes voluntes com diccionario............ 20(?00O
Medicina domestica do Dr. Hering........... 1050'=0
Repertorio do Dr. MelK Moraes............ 65000
Diccionario de termos de medicina........... 36000
Os remedios deste est-ibelecimento sao por demais conhecidos c dispensam por
tanto de serem novamente recommendados as pessoas que quizerem usar de remedios
verdadeiro, enrgicos e duradores: ha tudo do melhor que se pode desejar, globos de
verdadeiro assucar de leite, nntaveis pela sua boa conservaco, tintura dos mais acredi-
tados estabelecimentos europeos, a mais exacta e acurada prepararlo, e porlaoto a maior.
energa certeza em seus erleitos.
Cas (fe mude para escravos.
Recebe-se escravos para tratar de qualquer enfermidade ou fazer-se-lhe qualquer!
operacao, pura o que o annuncianle julga-se sufficienteroente habilitado.
0 rattmento o melhor possivel, tanto na parte alimentar, como na medica, e
funecionando a casa ha mais de quatro annos, bamuuas pessoas de cujo conceito se nao1
pode duvidar, qae podem ser consuliados por aquelles que desejarem mandar seus
doentes.
Paga-se25 por dia durante 60 dias e d'ahi em diante 16500.
As operaces serio previamente ajustadas, se nao se qoizerem sujeitar aos precos i
razoaveis que costuma pedirr o annunc ante.
------------------------------------------------------------------------------------------------j
Benlo Alves da Cruz, na qualidade de liqui- ff,
dalario da extincta firma social de Ferreira & Cruz, ot
faz publico principalmente aos credores da exlinc- Aluga-se a casa n. 4 da ra do Principe com 31
ta firma social, que ral dar andamento e concluir Quartos, 2 salas, cozinha fora e bom quintal, fre-
definitivamente a mesma liquidacSo comecada pelo K"ezia da Boa-Vista : a tratar na ra Nova n. 3.
Exm. Sr. uiz do commercio, como se pode ver no gg ^XWKl ffiBU^ff
Na praca da Independencia n. 33, loja de oun
ves, compra-se ouro, prata, pedras preciosas e
tambem se. faz qualquer obras de etcommenda e
odo e qualquer concert.
Filrmelo
DO Y
Rna da Bruiu numero 38.
Neste estabelecimento acham-se venda os se-
goinles objectos, lodos da primeira qualidade, e
construidos especialmente |>ara esta casa, pelos
mais acreditados fabricantes inglezes :
Machinas a vapor de 2 t|2 a 8 cavallos, cora
moendas, juntas e sem ellas ; e tambem proprias
para descarecamento de algodao, afamadas pela
forlidao, simplicidade e economa em eombustlvel.
e por nao precisar de obra qualquer para seu as-
1 esnlamento.
Rodas d'agua de ferro, systema mui proveitoso
da forca d'agua.
Rodas de espora, e angulares, e de es inadrilha
para animaes.
Moendas e meia-moonJas.
Taixas de ferro balido e fundido, e de cobre.
Uacninas para descarocar algod3, systema
Platt, com os ltimos meihoramentos.
Boceas e crivos de patente jiara furnalhas, dimi-
nuindo muilo o gasto do combustivel.
Machinas o machinismos para moer mandioca,
movidas a vapor, agua ou cavallo.
Pontos e chapas de ferro batido para CJser fa-
rinha.
Alambiques de ferro, e fundos.
Guindastes, fuos e porttil?.
Prensas para copiar cartas.
Rodas para carro de engenho com eixos e man-
gas de patente.
Formas de ferro bando galvanizado para purgar.
Serras de ac e armaeocs de serrara.
Arados de ferro singelos e dobrad 18, grades para
cubrir canoa, enxadas a cavallo, e outros instru-
mentos de agriculiura.
AO PIBLIGO
CARLOS PLUm
Como a empreza de illomiaacSo a gaz I
do licenca aos machinlas para Irabalharem por
sua propria coala, Carlos Pinyaa, asacajinm. fe-
rece seu pre>tuno ao publico para earaaar paz *.
agna, e. toda a sorte de servic w roaeerarates ao
seu olDciu, por precos mnito rasoaveis.
Pode ser procurado a qualquer hora
17 Rna da Ia-ptraXrlz 17
N. B. LOJA.
Xjj- Para prova da perfeico do sea trabalho o
mesmo *lT-reee ao publico o lesiemaaho de m-
mensa> pwoai para qnem jatrabalhoa a maad-*o
d companhia do gax.
mm.
A ttenca.
Forneee-se comida para casas de familia, lejas
ou offleinas, com lodo o asseio e promptida.i, mui-
to variada, e por eoramodo preco, rnanda-se levar
,em casa ; tambem recebe encommendas de boloe
doces de todas as quahdades : ra da Calza n. 70,
com OS remedios Boa-Vista, casa particular.
cartorio do escrivao Manoel Marx Rodrigues do
Nascimenlo ; cuja iquidaco f i suspendida pre-
meditadamente por esse acto de calumnia e falsi-
dade intentado contra a honra e crdito do abaixo
asslgoado, como publico e notorio a face desla
cidade como o abaixo assignado seacha llenamen-
te livre e justificado desse falso ealroz libello, e no
gozo de seu direito e liberdade, passa a bem dos
mesmos credores a continuar a dar m a seme-
Ihante negocio. Como tenha de ir praca publica
o engenho Sania Lnzia, silo na freguezia de S. Lou,
rengo da Malla, para pagamento dos ditos credo-
res, os prelendentes sao prevenidos anticipada-
mente para irem ver e examinar o dito engenho-:
alim de se acharem habilitados na occasio da pra- i
ga. Recife31 de julhodr 1865.
___________________Bento Alves da Cruz.
Para evitar duvidas.
E-t justa e tratada a casa da ra da Esperanza,
oulr'ora Caminbo Novo n. 6, balrro da Ba Vista,
pirtenciutea Jos Loureoeo da Silva; ese alguem
se adiar com alpuma bypolher-a ou qualquer onus
anoutieie por este jornal nestes ires dias.
M
m
m O Dr. Carollno Francisco de Lima San-
S tos contina a morar na ra do Impera-
R dor n. 17, segundo andar, tendo alias seu
^ gabinete de consullas medicas, logo ao
K entrar, no primeiro.
O mesmo doulor, que se tem dado ao
5 estudo lano das operacSes como das mo-
| lestias internas, presta se a qualquer cha-
J mado, quer para dentro quer para fra &3
3 da cidade. 9fi
mm mmmmwm mmm
Ama.
Aluga se urna escrava para ama de urna casa de
mogo soltelro ou de pouca familia, boa coiinheira
e sabe comprar bem : na roa de S. Bom Jess das
Croulas u. 3._______________________________
Aluga-se o primeiro andar do sobrado n. 9
na rna D reita, entrada pela ra da l'enha : a tra-
tar no segundo andar.
Aluga-se o segundo andar da ra da Matriz
j n. 3o, a segunda casa a beira do rio na ilha do
Retiro, e o primeiro andar n. 7 da ra do Burgos:
a tratar com Miguel Joaqnim da Costa, na ra da
Cadeia n. 12._____________________________
Aluga-se o sotao do sobrado n. 62 da ra da
Guia, com duas janellas de frente e mui tos com
modos : no primeiro andar.
Alugam se dous grandes sobrados com coral
modos para numerosa familia, novos e acetados
com jardi ni, cocheira, estribara e outras comino-
didades, na travessa de Joao Fernandes Vieira :
a tratar na ra da Senzala Nova n. 42.
; mmmm wmmm mm -mm
>jpv O advogado Godoy \asconcellos, pode ^S?
^g ser procurado no escriptorio da roa do H
8^ Rosario estreita n. 3i, ou em sua resi- jf
v dencia a ra do Sol n. 9. 4a,
mmmm wmmmm mm
Samuel Power .lohustoa & Companhia
Ra da Vnzala Nova n. 4.
AGENCIA DA
Fundido de Low Moor.
Machinas a vapor de 4 e 6 cavallos.
Moendas e tneias moendas para engeuho.
Taixas de ferro coado e balido para enge-
nho,
Arreios d=' carro para um e dous cavallos.
Relogios de onro patente inglez.
Arados americanos.
Machinas para descarocar algodo.
Motores para ditos.
Machinas de costura.________________
Os abaixo assignados fazem publico que se
deseucaminhcii do seu poder urna letra da qiuntia
de t:36l360 sacada pelos annoocianles no dia 30
de junho do correte anno a' nito meses, e aceita
pelos *rs. Antones Irmao, do Aracaiy, cuja le-
tra declaran) que se acha paga pelos aceitantes, e
considerada nulla por lodos os seus elfeitos, visto
que nao esl por endosso transferida, e sera sem-
pre illegal sa posse por um lerceiro que a tiver
achado ou possoir.
Schafhcillin & C.
Tisset l'rers previnem aos carregadores do aa-
vios da briba do Havre a' Pernamtmco, qoe o (ret
do Guiilaiiiin- Tell, esperado a cada laoaitiie, ip_
sido abaitadoa ~*fs. e *!,o do jk-re a cr-
ga no Havre a Is fu. r | 0|0, e c,o lalv-i o fes
navios m-kuiuies sera' anda mais en coala, m qae
Ibes sera' avfeafe por m desle jornal. O* aavios
estilo adispo-ic? > dos carregadores para ao voltas
a um fete abane de 45 U. e l#*u calnnae s*
ajnsiar roai o- a.inonriariies. roa*' Trapiche a. 9
Precisa-se de dous cixeiros que ten.uia pr*-
lica .' 1 tabern? : n< na da OTR o. li
O Sr. que annuncioo prrciur de I000A, kT-
pothecando urna escrava mofa qne -alte rneovmr
a cozinh;r,pode dirigirse a. caes de Apollo a.
5o, para crTecluar esse negocio.
Attencao
par.; a grallflcaro ele
deaappareeleV.
No dia 2'i de pilho des^pparecen do paleo fe Te-
nha um eavaHo rofefe pafem inteim, rraade.
aafefer d>- baise a e-piipar, nao e -&.> o f^rro"
que tem por otar minio apagado, rima* ean*
grandes, perlenceii a > Sr. Miguel lases Cwvia.
morador rio eftfenho -. BariholonMro : rufa-^
pessoa iue b*ar ai-hado, qneira lev*.lo ao rarfc-
rio do Sr. tabellio S\ na roa e-lr-.-ita d.> li.- ir: ,
que recelx-ra' a graiilit-.cao cima.
Os procuradores do Sr. Kaasssas *.- d
Campos Pam(ilnna eonviilam a todus n< devenir.<
do mesmo senh-r a' que venham sati-bier n* s,-u
debilos at o dia 15 do crreme mez fe ago*!.i, ao
escriptorio Ja ra do Vigario tt. t; preveawfe'aos
mesmos devedores de qne naqaelle du sero ea-
Iregues todos os ttulos e coalas ao Kocarador ju-
dicial. Becife 2 de agoMo de 1865.
____________________ Phip* Irmao, f, C.
Aluga-se a sala da frmte fe sohrado n 7 lo
na travessa da Madre de Dos : quem preieo-ter
dirija-se a mesma roa n. 15.
Quem precisar almiar orna escrava mutomh
pra. cozinha e ensaboa. e faz lodo o atis sroro
de urna casa de familia, dirjase ao pateo fe Ter-
co, sobrado n. 16
Offdrece-se um rneoio de 12 a 13 aaarxt po-
ra calxeiro de qualquer casa rom-tmanle : a
tratar com Ezequiel Pompeo Rotricnet Caaoto,
empregado no correio.
S wjiics obrf llftlMn
Manoel Ignacio de Otiveira & Filio saeaai sfeea
Lisboa : no largo do Corpo Saaio a. 19.
Preasa-se alugar orna escrava para >
interno e externo de ana casa de poaea faaNiia,
ou mesmo para o servico interno someate. awepn-
ra-se bom tratamento: na roa fe imperador a i-t.
segundo andar.
C0MP1AS.
Comprase elfectivamente ouro e prata ea
ooras velhas, pagando-se bem : aa raa larga fe
Kosario n. 24, loja fe oorives.
Silvino Guilherme de Barros rompra e
de elTctivaiiierrte esrravo* fe aaaaos os
ra do Imperador n. 70, lerceiro andar.
sosas : i
fe lafe-
Onra e prata
em obras velhas : compra-so aa praca
pendencia n. 22, loja de bilhetes.
Compram-se libras eslerliaas
praca da Independencia n. 22.
a 9J5W, aa
Ao
Compra-se nm sellim em me aso : aa raa
de Santa Thereza o. 38.
Compra-se ouro, prata e pedras prenaeee,
em obras v.-thas : oa roa da Cadeia fe Keeile,
leja de ourives no sreo da Cooceieao
1 obre, lata* e eiinta.
Comprase cobre, laiao e rhaaaao : ao arsaaom
da bola amarella, no oiio fe secretaria fe po-
lica.________________________________
Compra-se moedas de 20$ e peras rfe
16i5 : na ra da Cruz n. i8.
COHini6rC10 nom|inm-se moedas brasileras \
O abaixo assignado participa ao respeitavel cor-! 21 : na ra do Crespo n. 16, primeiro
po do commercio, que deixou de ser caixeiro dos
senhores Manoel Marques de Oiiveira & C. desde
31 de jolho do correte anno._________
CAitRO^A.
Compra-se urna carrera aova ea
com arreios parr. cavallo : na roa
' mero 57.
trucho primaria do sexo femenino da freguezia da no sotirado n. 3t, wde esl o dito armazem, fa-<*3
Boa-Vista ; na ra da Gloria, casa n. 12. para e?ts, quaoto f.
B
< para o sitio meecjonado.
Aos sechorpis de engenho.
Quem precisar de um administrador que est
Na ausencia dos advogados A. Epaminondas bastante praiico nesle servico, dirija-se a Olinda,
de Mello e M. J. Domingues Codecelra devero os ra dos Quartels, a fallar com Joaquim Mendes da I
seos roostituintes pniender-se com o advogado o Silva, ou aonuncie por este Otario o logar doen-j
Sr. eomoiendador A. J. de Mello, com escriptorio gento.
. na raa do Imperador 0.1 i. 1 Manoel Jos Gonealves Pereira.
Soricdade Rcrretiv JuvcntBde
Por ordera do lllm. Sr. presidente sao convida-1 aa
dos todos os socios edeewros para domingo 6 do
crreme, pelas ti horas da manhaa, se rennirem !
na sala das sessSes da referida sociedade, aflm de _____
em assernbla geral elegerem os novos funeciona-
ros que tem de dirigir a mesma no anno admi- i
nlstrativo de 1863 a 1866.
Sala das sessoes da sociedade Recreativa Ju-
ventude em 2 de agosto de 1865.
A. C. Pereira, : pitaoga par cercas
1* secretarlo. vluva Carrol!.
YERBAS.
ktlencn,
Vendem se pes de lar.mjas dr nrobigo. fe eett-
, tra e de eravo, ditos de fruea pao, ap na punta fe Ucba, 100


islario de peraawbaeo Quinta fcira B le Agosto de l?i.
I

A LEGITIMA
XALSAPAMILM
DE BRISTQL
PREPARABA NICAMENTE POR
LAXXAN & KEP,
NOVA YOBK.
Composta de substancias, gozando de
propriedades eminentemente depurativas;
approvada pelas juntas e academias de me-
dicina ; usada nos principaes bospitaes, ci-
vis militares e da marinha as Antilhas e
no continente americano; receitadapelos
facultativos os mais distinctos do imperio do
Brasil e da America hespanbol
CUBA RADICALMENTE
escrophulas, rheumatismo, escorbuto, en-
fermidades venreas e mercuriaes, chagas
antigs, morphea e todas as molestias pro-
venientes d'um estado vicioso do sangue.
Emquanto existem varias mitaces e
falsi(cacos, preciso a maior cautela para
evitar os engaos,
A legitima salsa de Bristol vende-se por
CAORS 4 BARBOZA
JOO DA C. BRAVO A- C.
Joo da C. Bravo & C.
Vendem-se no Recife em casa de C;i.)rs
Barhoza e Joo da C. Bravo & C.________
LOJA DO KIJA FLOR
Na ra to Qticimado ti. 63.
Tendo recebido um sortimento de lione-
cas de choro, que chamam papai e mamli,
com cabelleira de cachos.
Tendo recebido um variado sortimento de
brinquedos para meninos, sendo espadas,
espingardas, pistolas, tambores ; ditos
para meninas: apparelhos de almocu e de
jantar de porcelana e de metal, porta-licor
e faquinbas a 280 rs. o par ;e nao queren-
do continuar, rende mais harato do que em
ontra qualquer parte.
Vende-se liras bordadas re diffeientes
larguras a !.$., e babados, collar inhos e pu-
nhos para senhora, bordados e abortos de
renda e lisos, os mais modernos que se
poilem encontrar.
Vende-se la para bordar de diversas
quididades e de cores claras a 7?5 a libra, es-
pellios de columnas de Jacaranda a 2-5500,
ditos brancos le diversos tamaitos, caixinhas
para estojos de navaihas,
Vende-se peales de alisar com costas de
metal a i#, ditos de differenies qoalidades,
lindas gravatinhas para senhora de difieren-
tes gostos.
C'olhcres de metal principe.
Vende-se colheresde metal principe para
tirar soupa a 2,5, ditas para cha a 2300,
ditas parasoupa a 4200 a duzia: nesta
taja se encontrar sempre um grande e va-
riado sortimento de miudezas : ra do Qnei-
raado n. 03, foja do beija-flor.
Tasso Irmilos
Vende.u no seo armazem ra do
Aroorm o. Jio,
Licor fino Curado em botijas e meias botijas.
Licores Qoos sonidos em garrafas com rolbas de
vidro e em lindos irascos.
VinhosCheres.
San ternes.
Chamberlin.
Hermitage.
Borgonhe.
Champagne.
Moscatel.
Reino.
Bordeau.
Cognac.
Od Ton.
AzeitePlagniol.
Fazendas boas e baratas Grande liquidado a dinheiro. |
Algodaozinho bom e bmpo a 50 a pega, S toja earmazem do Pavao.
lazinhas de quadrinhos e. flores milito bo- Rlia da linpcra ndas para vestidos de senhoras e meninas a ina ^ ji|a
240 e 200 rs. o covado, brins de lindo Com Os donas desiees'tahelecimcnio 'lem resolvido li-
algum loque de ava ia a 320 rs.. chitas lar- quiriar suasfazuadas por precos baralissimos, s
BONETE
BARATOS,
L l(.AS, ViUmD
CIIYST.4ES.
I-ja delinca In roa ..'. Cntt n.
E
Vendem-se em duzias e a retilho, sabone- vendersoaniMaia d. aioMwtk *, m
gas eescuras decores fizas a 240 rs. o co- C(,,n" '" apurar'dini-iro', e prevmem aspes-'tes aromticos e por precos commod s; na SrniwTiSura'",i-i rn -Ti!
vado e outras muilas fazendas a maior par- f,af ^ 21m, ^iL^,ax rua do Q*" lf'Ja ** B<* n. 8.
t te de las do uso domestico, cujas fazendas
estarfto expostas aos compradores desde as
i 7 horas da mnnha as 9 da noite : na rna
da Imperatriz n. 20, loja, dando-se amos-
tras de todas a quem nao poder vir na dita
loja.
SALSA PARIII1.1IA DE AYER.
^e^r- Thajsciievemos aqui alguns
parrilha do Dr. Ayer.
Rheiiuiatlsmo.
DE JOO JOS DOS SANTOS.
Ouro Preto.
SolTri rheumatismo pormui-
tas vezes, e vendo annunciado
em um jornal d'esta cidade a
Salsa parrilha de Dr. Ayer, re.
solvj-me a comprar um frasco e fazer uso
d'ella ; e ames de concluir o primeiro fras-
co, ach< i-me forte e sem sentir a mais leve
dr nos joeihos; a parte do corpo que es-
tava afTectada d'esse terrivel encommodo
que roubou-me tantas noites de somno.
Erupces, borbulhas pstulas,
ulceras, e todas
da pelle.
DO Sil. JOO PAULA
das, que nesta loja e armazem enconlraro um
grande sortimento por precos que muilo Ihes ho
ite agradar, tanto em peca como a retalho, a sa-
ber :
Chitas largas a 200 rs.
Vendem-se chitas trncelas, Mitradas milito lar-
gas, padrees escuros, pelo baralo preco de 00 rs.
o covado, tendo muilo bom panno ; ditas escuras
Pdroes novos, por serem todas escosseas e tr
lixa a 240 rs. o covado ; ditas miudinhas escuras
e claras a 240 rs., amanendose que esta fazenda
uo tem o mais pequeo toque de mofo, nem outro
I qualquer defeilo. Islo s o Pavo, na rua da lu-
Farelo
PAiWtiiciciBuo uijui alguno i *. _-- si '
dos muitos attestados que temos!a 4* asacca, das maleras que ha: na rua larga !**"****T*- ps
recbtdO d virtudes' da Salsa *?_" n. 50, taberna ca esquina. y^^Z^L^LtT,
Vende-se o verdadeiro remedio para dores to
denles; este remedio extraordinario para fazer
passar as dores de dentes logo que se tome ; cuita
640 rs : na taberna da rua da Penha n. 41.
Rival sem segundo
Ba do Queimado ns. 49e55, loja de
miudezas de tres portas, est quei-
mantio ludo bom e barato, quem qui-
zer ver c admirar vcnliam lojn do
Riiioiiinlio.
Caixas de papel amizade, e sem ella liso e pautado
a 600 rs.
Grozas de botoes de louca prateados fazenda mo-
derna a 160 rs.
: Duzias de penna de aro fazenda boa a 40 rs.
Pecas de tranca de lita lisas e de todas cores a
Lazinhas a 320.
Lazinhas a 320.
Lazinhas a 320.
ffcegaram para 3 loja do Pavao as mais bonitas
laa'zTnhas suissas de quadrinhos e listrazinhas a
imitaco de sedas por terem muito lustro, sendo os
padres mais modernos que lem vindo ao mercado
e milito levezinhas, vendendo-se pelo barato preco
de 320 rs. o covado, sendo razenda que sempre se
as molestias i'11'-- veDdeu por 640 rs. Liqmda-se por este barato
Escoras finissimas para limpar denles a 240 e prego na loja e armazem do Pavao, na rua da Im-
320 rs. peralriz n. 60, de Gama A Silva.
de abrec muza. pu|cejras de contas para senhoras a 500 rs. | punnlifls narfl niAft a 1&(\ h nn lnia
Rua de S Pedro. fio de Janeiro. Pecas de fita de cs estrellas com 10 varas a ^BOtHllOS paia mdO I> MU., na loja
Soffria mais de dous annos de ama 320 rs. do ravao.
eruncao svuliililica em todo 0 corno niOSS *** com Picheles francezes, superiores quali- Vendem se flnissimos lengos brancos com duas
i | | dades a 20 rs. cercaduras, sendo ama de cordao e ontra de eores
ranuo-se sempre com mais violencia na ca-, Tinleiros de barro, com superior tinta a 100 rs. matizadas muilo finos, a imitaeao de linho, pelo
ra, prove muitOS medicamentos e cnsul ter Pecas de cordao para vestidos, fazenda boa a barato prego de 2800 a duzia, ou 210 rs. cada
muitos mdicos, e estava quasi desanimado,, *0 rs. ora : ito s na loja e armazom do Pavao, na rua
quandovios annuncios da Salsa parrilha^^ mui, Iinos P"a vollare,e a 20 e da Imperatriz n 60, de Gama A Silva.
do Dr. Ayer: comecei a fazer uso d'ella e! Frascos cob agua de Florida a 13 e 13280. .S" / on" rS"
nos primeiros dias a erupeo aggravou-se, (Frascos com superiores banhas a 500 rs. e i$. s w Li
porlB antes de acabar O segundo frasco t- Fraseos com banha, porm pequeos a 200 e Lazinhas a .100 rs.
r. -, i 240 rs. vende-se um bonito sorumento de lazinhas pro-
nna o mal aesapparecio completamente ue La|as com gDperior banna a 20o rs. prias para vestidos e soulemt arques por serem li
todo O corpo. j Frascos de macaca perula muilo tino a 200 rs. sas e de quadrinhos pelo baralo prego de 300 rs. o
Doctoh Don Jos: Valdes Herrera, profes- Frascos e garra'tinhas com agua de Colonia a covado, sendo fazenda que sempre se vendeu a
SOR DE MEDICINA Y ClRURJIA, SUBDELEGADO Ot ** M n ? ^vado, e vonde-se a dinheiro a vista pe-
vn ..ni*. nie Fraseos grandes com superior agua de Colonia a lo baratissimo prego de300 rs. o covado : na loja
EM ambas AS FACtLiADi-.s DEL &ESTO Dis-, 6i0 rs do Pavo rua da Imperatriz n. 60 de Gama &
tricto. Habana. Frascos com superior oleo de babaza a 400 e Silva.
Certifico que he usado la zarzaparrtl-l 500rs. Pelerinas a 1(5(500.
la del Dr. Ayer, y como depurativo he ob-1 w"j!"" 12 frSC0S de flieiros muil Onos a Vendem-se as mais ricas pelerinas ou ronviras hran(,os P mn tar1,,|S
lAtiwln e olla I. s mas folleos rPsnllalfK pn L ,5i0- de cambraia bordadas propnas para hombros de,01 d"LSLm',.l.'irfu^- .
len.uo ce ella i< s mas Mices rtsuiiauo* en SaDOI1<.Ies pequcnos de D0j,a a 2i0 rs. e grandes a senhora pelo baratissimo prego de 15600: na rua! A commodidaue dos precos e ja de todos
les cosos de ulcera crnica, asi mismo au- 320 rs. fa Imperatriz n. 60, loja de Gama & Silva. bem condecida, urna vez que appareca di-
lor y las considero como um porgante, cuya Mmetn de familia a 120 e 200 rs. Orsandy a 240 rs. o covado. nheiro: na rua do Queimado loja da Aguia
accin a.lemas de ser >eguia, ha sido muv: Vl'zia ?e f:'fi0lie,es peqonos com rheiro a 700 rs. J .-o
en o iratairpnto ripias pi\ff-rmiilades!5Buadpn,lhc^super,orqual,dadca8Mrs- J a*ao*
iidiiiuieiiiu ue idh tiiuiiiiiuduca, rjaixas cora soDerior d de anoz a 800 rs. Vendem-se as mais bonitas cassas organdys, pa<
4"
*!
tajM^ij&vu
Xoviies da loja e armazem de fa-
zendas e, poupas fcilas u cioaac-s fm
da Imperatriz it. 72. de Guiuaraes
k irmo.
Aproveilem as pechincbas
que estao liquidando por lodo preco, vejam :
chitas largas a 260,280 e 300 rs., ditas percalias
a 360, 400 e 440, cambraia organdys muito lina a
300 rs. o covado, e inuito superior a 320, 360 e
400 rs.: isto so na aova loja de Guimares & Ir-
ma o.
Esto se acabando.
[jananas escocezasa 240,2o0 e 280 o covado.
E' muito barato.
Cort'-s de la mi>to superior com 15 covados
Hilo barato .prec.0 de o e 3&590, sto sparaaca-
tonr, brfltanha de role a 3J e 33200 a peca, mada-
ipolao -rancez entestado a 33, 3300, 35500 e 45,
e 0330, dito muito superior mtreas milito acre-
ditai'as a 7j,73300,-8, 93 n 103, algodao de to-
das a* marca.- as de vacca, siCapira e pao Ierro todo isto por pre-
j-)> baratsimos s para liquidar e apurar diobei-
ro : is'.u s na nova loja e armazem de Guimares
.1rmae, ruada Imperatriz n. 72.
Grande sortimento de bahatiinhos
e ntremelos pelo barato prego de 800 a 13 *
peca.
Lencos de oiuilw aroprios para Ivcniens e menino; a 1600,
2c. SQ0 e 33 a duzia, ditos de linho a 43H0Q,
.53, ri500e63.
(rande .-sortimento
decollas de fu.-io de todas as cores a -53300 -e
fi. dit de chiia a 13*00 e 23, ditas de laa.a
13660.
E' muito barato.
Grande .-orli nenio de seuiembarques muito bem
euf-iladoi a 53 e 53500, ditos de grosdenaple a
183e203, luannhas de uea s edr a 480 o cova-
do, ditas muit-i propriapara camisas sendo de lin-
Acsinos padres a 13 e ltW o covado : s na
nova loa ds Guimares & Irmo, rua da itnpera-
trir n. 72.
Grande sortimento
de roupas feilasque S9 vendem muito barato ian-
eando-se que se vende por meaos 20 por ceotu que
em nutra qualquer parte, quem duvidar venha ver
Aa uova toja de fazen Irmo.
Rua da Imperaartz n. 12.
0 csello de Grasville.
Traduzido do franr.pz por A. J. C. da Crnz.
Vende-se este bello romanee em quatr
tomos pelo baratissimo preco de 330C
ua praca da independencia, livraria ns.
8 8.
partilhos
propnos para senhoras, sendo dos mais modernos
e bem feilos que tem vindo ao mercado, tendo de
lodos os tamaitos e de diversos precos irazendo to-
das as competentes fitas para apenar. Isto s na
loja do Pavo, rua da Imperatriz n, 60 de Gam;.
& Silva.
CiltAXIftE
ec
Agua Hoilde
para tingir cabellos.
Alm do clnomacomo, acha-se mais aa-
gua Hoilde, preparadlo ingleza para tingir
os cabellos,' s pretendentes conifiarc<;am a
rua do Queimado, loja d'Aguia Branca n. 8. w<* ,a" jard, candieir.>s de teaij Mw n
, ... gaz, globos e rluminei'de vhI-p. larra-- '
Bonitas caixinhas
ra*
?a.l^.
Ibas da uorerlana* branca! i t i
vidros de todas a-.i. dades, iarNuiv Vrr*?
chrysfal, dilicad ; :' ir .1; .Ti parcatMn
para llores, liguras i- i-uli n u > 6-
uissima porralaM ii-ih minadi I i rasa en-
frites de mesas, tic., gcirnicdvs !- :;,>:
celana branca anridw e de m pata tonMta
e loaieles, ludo do nHI jara
ka
os mais sobrccel-nies para o< me-mo-, f i [rr.trt
de superior ipialidadc, e minio* Olr< a
seria enfadunho meoriccar, tmCo j-> pt-; x -
issim?s razoaveis.
i sande.

com perfumaras.
A Aguia Branca na rua do Queimado n.
8, recebeu um novo sortimento de per fu- Vende-se a taberna da rna la A-;.-. I
marias das exceilentes qoalidades j bemeo- A, muito no porllcar defronte da rampa *> *
nhecidas, vindo no mesmo boni;as caixinhas, W^W'Ma Jono a ** "' V-
de madeira invernisada, e outras de vidro,
todas com finas perftnmrias, e mu; pro-
prias para presentes, as quaes sio vendida.
por precos commod- s, na loja d'Aguia Bran-
ca rua do Queicc-ado n. 8.
Toacas de fil enfei
ladas
a o rs. cada urna.
Vend m-se na rua do Queimado, loj
Aguia Branca n. 8.
Espe has do u ra dos
A AgU'a Branca, recebeu novametitc um
grande sortimtnto de espelhos de diferen-
tes qualidades, sendo de mordura domada,
dita envernisada, outros de dita envernisa-
da com vivos dourados, tendo diversos ta-
manhos, at grandes para salas, e bern as-
sim outros de armaco com um e dous ps,
e outros com enconsto, todos os quaes se
vendem or pre?os commodos e dinheiro
vista: na rua do Queimado, loja d'Aguia
Branca n 8.
B m papel almasso
pautado com 33 linbas.
A Aguia Branca acaba de receber a sua
encommenda desse bom papel almasso. liso I
e paulado com 33 linbas., assim como del
peso, tambem s-uperior e igualmente liso e|
pautado, cem cora imferial, e sem ella, e
outros pequeos conforme os cima, e pa-,
quete, tarjado de preto folha grande e pe-
quena, etc.
Tambem recebeu envelopes correspon-
dentes a lodos os tamaitos do papel, tanto:
eficaz
que exsigeu el uso de lOS porgantes, )' on Fra'scos"de"su7erloresrissncias"santal e outros a
vacilo en recomendar estas preparacK nes.! 13-00.
Y para los fines que puedan convenir doy I"* Menclas para tirar noduas de ronpa acaba-se logo : na loja do Pavao a rua da Impera-
u L......nlu t j.....v. a\\ a500rs. tnz o. 60, de Cama & Silva. _____
dres miudos e grandes, pelo baratissimo prego de
240 rs. o covado ( doze violen?), esta pechincha
Branca n. 8.
Dminos
la presente en Begla a 7 de setembro de
1860.
Dr. ios V. Herreba.
Escrophul.
.TTESTADO 1)0 11X11. Sil, FRANCISCO FERRAZ
dos santos.- Ouro 'reto.
Me ado ha quasi dous annos affectado
de escrfulas, e tendo solTrido tanto q'..e al- RS"8* cto|heres de meta) par
gumas ve.es quasi que chego.a des/nimar | ^^S^^:,^
Frascos com iheiros de todos os precos a 160, 200,
240 e 320.
Frascos bonilos com cheiros linos a oOOrs.
I)ii?.ia de molas muito finas para senhora a
43800.
' Gollinhas muilo finas para senhora a 200 rs.
Caitas com soldados de chumbo para meninos a
160 rs.
ra cha a 800 r?.
da boa a 13600.
para espartilho a 40 rs.
de
BHETANHA DE ROLO A 83000.
Madapoln entestado a 3$000.
Ka loja do Pavo.
Vendem-se pecas de breanha de rolo com 10
varas a 33, ditas de madapolao enfesiado a 3320o, por precos commodos e dinheiro avista.
333UU o 43 : na loja do Pavo, rua da Imperatriz f. ..
Gollinhas e pnaos
e risparas
em caixas de madeira.
A Aguia Branca na rua do Queimado n. 8,
acaba de receber domines em bonitas cai-
xinhas de madeira branga e envernisada, e
visporas de caixinhas de papelo, e madeira
envernisada, ludo contina a ser vendido
da vida e maldizer da minha infeliz sorte;; pecas de fila do la para debrnm
tenbo sido tratado por muitos medicas d'es-: 10 varas a 600 rs.
ta cidade, e nenhum pude vencer a tenaci- >m["' ^ bcos superiores, para
dade de minha molestia, estava s*m espe-1 ,,eljras''ac ,0lisa para mennos a ,60 r5
rangas de recobrar a minha saude ; quando Caisas de hmpannas para 3 mezes a 30 rs.
ltimamente resolv fazer uso da 'aha par- \ Bunecos de choro e panno a 160 rs.
rillia do Dr. Ayer. Complela.n-se boje "iMicom bonitos estampas Prarapa 100 rs.
, t.afiachos compridos, boa fazenda a oOO rs.
pequeos prelos para calca a
100 rs.
, Oaiiachns compridos, boa fazenda a 500 rs.
trinta e sete diasque comecei com este rosas de noiSes
tantas memoras tenbo
conviccao de em breve
saude, perdida ha tanto
santo remedio, e
sentido que tenho
recobrar a minha
tempo.
Syphilis e molestias mercuriaes.
Dg [lu. Su. Du. Jackso:'.
Medico muilo conhecide as provincias do
sul do Brasil.
n. 60, de Gama & Silva.
Madapolao com toque de mofo a ttfiOO e 7 nfinras
Vendem-se superiores pegas de madapolofga- .DonJ.iuaspara senioras.
raniindo-se 20 varas em cada urna, pelo baralissi-1 A Aguia Branca da rua do Queimado B.
vestido, com mo prego de 63400 e 73 por lerem um pequeo 8, vende-se mu bonitas gollinhas e punhos
toque de mofo que nada val, e pegas de algodao a bordados para senhora.
acabar a 600 e W -vita loja do Pavao, rua da Imperatriz n. 60, de
Gama & Silva.
Cortes de casemiras a 2^500 e 3/$
Vendem-se cortes de casemira de ama s cor a
23500, ditas de quadrinhos a 33 na loja do Pa-
vao, rua da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Chales a 2(5000
Vendem-se chales de merio a 23, 25500, 55 e

Lencos pequeos
para meninos.
A Aguia Branca, na rua do Queimado n..
8, recebeu um novo sortimento d'aquelles
lencos brancos, pequeos e com barras de
cores, ploprios para meninos, e aiuda serao
Todas eslas Lzendas para liquidar, pois ludo
esl em permito estado, isto garante o dono do es- I
abelecmenlo.
toma" siv PaV" a da ,rapera,riI 60, de i uendidos pelo cmmodo prego de 10000 a
Liiazidbas a 220 rs., na loja do Pavo ;'a-
Vendem-se lazinhas transparentes de urna s
---------------------------------------------------- cor e de quadriuhos pfoprias para vestidos de, se-
GranflC ariiaZCitl IIP. ImtaS. nhoras e meninas, pelo baratissimo prego de 220
RUA O IMl'EitADOR X. 22. rs- covado, sendo fazenda que sempre se vendeu
O armazem de tintas m grande "deposito de a 500 rs.: najoja do Pavo, rua da Imperatriz n.
! productos chistaos uteusis e os mais empregados 60, de Gama & Silva.
Tenlw receitado a Salsa pwrilha do e usados napharmacia,pintura, photographia.tin- Cortes granadinos a 12}J
Mcias de cores
liara creangas- de 6 a 12 mezes.
Vendem-se na rua do Queimado, loja da!
Aguia Branca n. 8.
I hosphoros de seguranca
Dr. Alier nos casos maiS inveterados de, ""*fFyrwcuiwt,iiM>arMpowf;oeunuira| veoaem-w os mais ricos curtes ue lateuud uc i -q ,:.,. ifi0 ra(la
cnmnro enm ,l4 industrias. muila phantazia por ser transparenles e tecldos taixjs ue ouu p.iiuos d ou cdua uuid.
aypnms consmueonal e sempre com os, MoD[au0 cm grande escaia> e SUpprDu0.se di- com seda, tendo cada corle 22 covados, pelo dimi-! Vendem-se na rua do Queimado, loja da
mais felizes resultados; e O ineihor alteran- reciamente as principaesdroganas de Paris, Loo-1 nulo prego de 12j : nicamente na loja e arma- Aguia Branca D. 8.
te que conhego. dres, Hamburgo, Anvers e Lisboa, pode offereceer zem do Pavo, rua da Imperatriz o. 60, de Gama
Lcueorrha e Cores brancas.
Temos cartas em que nos conlam casos
inveterados que foram radicalmente curados
com um ou dous frascos d'esta Salsa par-
rilha.
O estaco nao nos permute trauscre*er
productos de plena contianca e saiisfazer qualquer Silva.
encommenda a grosso trato e a retalho, por pregos j itomonls de renda na loja do Pavo
razoaveis. Chegaram os mais ricos bornouts de renda e se
Prvidos de machinas appropnadas satisfar vendem por baralissimos pregos: na loja e arma-
com prompMdo qualquer pedido de Untas moidas zem 0 pava0 rua da imperatriz n. 60, de Gama &
j a oleo,cuja qualidadee pureza de seus ingredien- Silva
tes podar ser examinada pelo consumidor, o que Ricos cha,M prclos de renda
nao e fcil fazer com.aqoeilas.qne sao importadas, | Chegou pe|o ujrno VJ|pnr francp, um prande
todos os -attestados que possuimos Jas vir-, e que-se encootram o mercado em latas fechadas. ,
tudesd-este extracto composto de Sasa JZJ^^^JtZ&^t ^STn^Z ?,Sr
parrilha do Dr. Ayer. Basta declarar ao fl ,a 0lli ale deIese's s de allac ^it/ic Aa raA ml,, om,'.- Ho ,.
publico que tem sido empregado ha mais
de vinte annos pela iprofisso med a. tanto
das Amwicas como da Europa, seua ntenca
desmentir a sua alta reputado.
diiniante e,les muilos de ^n,a redonda a emilagao de man
u^lTrf L Z\ ^2 22 m,2 2!^ lelctes e mui!os com centre de cor- e vende-se
'^2^SJ^L*Z?*aI^* S? Por pregos muilo em conta por terem sido manda-
propriedadeeoutros; de papis dourados epra- ^ ^ ^d pelos donos da loja do
teados e foUui de gelatina para ornamento; de Imneratriz n 60 de Gama A Silva
papel grande e pequeo formato de varias cores i Favao' rua u3E?u "fft
para emhruWw, para forro de casa, para desenbo | Laaaanas lisas a ouo is.
com fundo j eilo; de papel albominado e Brisid, I Vendem-se as mais modernas lazinhas, lendo de
Para a cura radical de escrfulas e iffecges verdadeiro sa*e para phoiographia e para filtrar, todas as cores- Pel barato prego de 500 rs. o co-
escroulos, sypbiis e molestidS svphi-'eouiros ; vernizes de essencia para quadros, de vado, larlaiana branca e de cores a 800 rs., fil liso ^
ticas it cens fprirh* tIrma* esPir, Para oira. copal para o interior e ei- bra"co a 80. rs. a ara, cortes de filo brancos lisos; c
' IS ,gaS' teMor; oleograxo, oleo sec^iivo, oleo de linhaea a C3 : na oja do Pavao, rua da Imperalrlz n. 60,
erupgoes cutneas e todo e clarificado, oteo de miele, seeaiivo de Harlim, ouro de Gama & Silva-
Aspas fortes para baldo.
Vendem-se na rna do Queimado, loja da
Agoia Branca n. 8.
Esponjas finas para rosto.
Vendem-se na rua do Queimado, loja da|
Aguia Branca n. 8.
Metas pretas
de laia pararpadre.
Vendem-se na rua do Queimado, loja da
Aguia Branca u. 8.
Desde muilo tempo o poblicnl
abandnnoa o uso das preparacoe*
i;:luladas depurativas conhc i '.i
s'ib o nonic do Arrobes, Xaro: c>
de Sa'.-iipnrrilha composto
Cuja arcao, maior parle das veze
i milla, e n'algurosca^o periewa
Ci Confeitos amilMIM UrtXTO
C O COSTO ACCADATU5 I C PFQIEKO voLL'MK 5tB5TlHCIlS aCITO CII-
VM 01 t O UO MODO DE riir.ii*'. kO T01S >
IM*!.TER*fEIS.
O siirrcido q u# c*lr>*> roa -|
Oiloioliliveriiorm Fmi
cu ob o patrocinio das prinrip.)
celebridades medicas, os poe cima
de tuda qaanla lem existido athe
boje.
Cura rpida sem o socorro
de nenhum outro remedio in-
terno, das escrophulas
herpes, affeccoes syphi-J
liticas hypertrophia
dos tessidos celnlares,
hydropisias e ein geral
todas as molestias produzidn-
pela alter.irao do sangue ; tal
o resultado que queramos
conseguir e que temos sem-
pre obtido.
Una eipliracao accoapaaha cad
vidro.
DesconGar-se, das C*!cificafocel imi
Incoes.
Para a tncomtndat dirigir-m m|
5me. boissok et c'% 18, B< Prit.
Kuzeue, Parii.

*M | L8
VI c
f*B
"" o
3
.S-
a.co
ce
quaifUSr incoma-odo qe, verdadeiro em p ; prata, ouro, e esianho em fo-1
provm d'um estado j'nas de varias ores ; tintas vegetaes, inoflensi-;
imiiun de sangue. vas ProPr'as Ca,ra '-ontertarias ;' la de cores, e
TOMEM A
rua ituicfio, n. 30 e Hospicio, n. 40. E na-
principaes pharmacus e drogaras do un- {setos queso com a vbu podero ser mostrados.
perio.
Vende-6e em Pernambuco:
na
/oo Pedro Jas Neves,
Gerente.
Chapees de sol de alpaca
Vendem-se superiores chapeos de sol de alpaca
a 35500, ditos de seda inplezes com 16 aspas a
olhos de vidros para imagens; limas em tubosle 123: na loja do Pavo, rua da Imperatriz o. 60,
telas para retratos ; tintas em pastis e em p pa-. de Gama & Silva.
ArALSA P.4KKIL.II.4 DE llKt i ra aquarella; eseecia de rosa superfina, de ne-| Liazinkas traaparentes a 320.
A' venda BU rua Diretta, ns. 12 2G e 76; roly,jasmim,ergaBMta,aspce,patchouly, mbar, Veodem-se moito bonitas lazinhas iransparen-
bouquet.lunao, akaraiva, molissa, ortela pimenta, ieS ,! palminhas de seda a 320, ditas lisas e de
ooro, enroja, alfazema, jumpero, Portugal, lima, varias cores a 220 rs.: na loja do Pavao, rua da
a. cauella, cravo e muitos oulros ob- imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Cortes de las matizadas.
Vendem-se bonilos cortes de laas matizadas, ten-
do la covados cada corte, a oj, ditos Mana Pia
a 63 e 83 : na loja do Pavo, rua da Imperatriz
n. 60, de Gama & Silva.
houpa feita
houpa feita
ropa feita.
Na loja do Pavo vende-se um grande sortimen-
to de roupas feilas para homem, sendo raleas, pa-
letots e colleles, tanto de panno como de casemiras
pretas e de cores ; deixa-so de mencionar os pre-
sos para nao se tornar enfadonho o annunclo,
afiancando-se que o re>peitavel publico achara ara
grande sortimento por haratissimos pregos : na
loja o armazem do Pavo, rua da Imperatriz n.
60, de Gama & Silva.
i lilil* I* S-riL
P g *S gS 1 3.5" S g t-g !
&S-3
o
o cr
< o

m
Vende-se um cavallo eastanho, bem andador
baixo, muito novo e sem aehaques, bom de sella e
raelhor eer para carro por ser grande : na rua
do caes do Collegio, loja de fazendas n. II.
1JECCAO BROW.
Remedio intallivel contra as gnorrhbo
antgag e recentes, nico deposito rapr
ica franceza, rna da Cruz n, 22 eas
_______co35____________________
Vende-se ama preta eozinheira e engomma-
deira, de idado 30 ancos : na rna da Imperatriz
numero 42.
Vinhos do Porto
das melhores marcas, em caixinhas de tima duzia
de j;arrafas para casas particulares, sendo : Lagri-
mas do Doaro, Duque do Porlo e D. Luiz ; lambem
tem amrelas de dcimo encapadas com superior
vinbo, barris de o* e 10* em pipa : na rua do Vi-
gario n. 19, primeiro andar.
I Vende-se urna escrava crioula : nosCoelbos,
,oa dos Prazeres n. 10.
~ Vende-se um escravo mo^o que j toi de en-
genho
Vende-se um carro de quatro rodas em meio
uso : na rua Nova, primeiro andar n. 37, por pre-
go commodo.
Vende-se a taberna da rua do Soce/o n. 41,
bem afreguezada : quem pretender dirija-se a
mesma, no Campo verde.
Vende-se t casa o. 52 na rua de S>Jos da
mesma freguezia : a tratar na rua dos Pires n, 18.
avariado.
Francez barrica 53000
Portland idem 83500
Em perfeito estado:
Francez barrica 103000
Portlaud idem 123000
No armazem de Tasso Irmos caes do'Apollo.
KOVIflADE
M. \# \H2QO e I0AOO.
Leques deosso, ultimo rosto, a 13.
Ceroulas de meia a 11300.
Dulas muilo unas a 13500.
S na rua da Cadeia do Recite n.[5
Piche do gaz c vernit lo g.-iz.
Vende-se piche do gaz, verniz do gaz e estopa
da trra : no armazem da bola amareila, no oilo
i da secretaria da polica.
81
<0 M a w __
2 i S, 1" S =
o
C-os
2.
m '
f o

S-a.5--
o _
P
Ct> TC
ir.
J.
-2 ?
3
-1
O.


3
c
z~
a>
j-
ra
U3
533
-
t
c
io
g8
H
-a a>
-= 1
II
C
O
>
XAROPE
deLABELONYE
Einpregidu co intinitel Hccmi tt* SV M
ptlos Medicas de todo* o paites cMira s ,
rganicas ou uto rgauicu do cerafa*. as dirsas j-
dropisin e a maior pane du molestias do p*i:e im
bronchios [yseuiMMti, caMirke* fulmummftt, utkmm.
jCammacAet ereojoidosbrtutkim, cmtarrheirat,il$...i
O xaropb de Labf.lon'YE ni m ende ti a*
errata* com rotulas de cor e fechadas coa nata etapa,
rindo i firma de inventor. ^^
Era rAliIS, raa Barl^-WllleB>ee>,
Deposito geral em Pernamt u- rw
Cruz n.2 em casa de Caros A Barkca
Loj

/.
rfas seis portas cm fr* ntt
vrmtnlo
Ven lem se ebria* francezas earoras i Loai ,a*
nos a 240) 260 e 280 o covado, ra-. i 'r Oc-rra *
ores fixas a W o covad,', nretair... '; r:'.
23i(K) a peca, cortes de '-asemira .;>
43, balos ii" arcos a 33, -Ij-'iOO "
outras feze^das por baralissimos prrqr; e o> tx
| se d:lo amostras ; cambraia para f rr a ilOQb a
peca
SemeRtes.
Vendem-se semenies de hortalicas moilo novas :
rua da Cadeia n. 80.
Acha-se
venda na ivrsria acadmica, na rea do in dor; na do Sr. N'ogueira, junto ao
Antonio ; e na lypographia imparc-.l. m vm *-
I ireiia do Rosario a c-unpilaco d- i ;!
i '
Atteiicjlo.
Vendan- 9f?
i machinas americanas de serrote para descarocar !af^nezad'o e bKfido":IkiiaVm'JS
algodao : na rua da Senzala iNova n. 42. vramento n. 3i.
e bsra!.-
Vcndrm-se palmeiras imperiaes, em estado Vende-se urna taberna na Cruz ce Almas,
de serem iransplantadas: no sitio murado es- propra para qualquer principiante, a qual faz bom
querda, depois do beco do Espmheiro, nos Af- negocio, e se faz lodo o negocio : quem pretender
'0?> pirija-se a me.-ma, que achara com quem tratar.
esgoto, cemento em
Fio de aigodo Vendefue no eseriptorio de Antonio Luiz de Ol
veira Azevedo & C., rus da Cruz n. 1.
Vende-se 40 palmos do lerreno na rua da
i Concordia : a iraiar na rua do Alecrn) n-10, das
i 3 horas as o dos dias Dlefs.
Tattso Iranos | tendente admmfelrarao, arrccadacii
vendem gesso em p para estuque de casas, lijlos'' ?aco dos dLheiros de orphaos i< ,
finos de feitto diversos para ladrilho, azuleijos de I 'es, heranjas Jacrnies, legados, etc.,
diversos gostos, lijlos vidrados para parede de co- j si o regiment do castas t a le teral Isa alee
55es, como tamhem icdin as crder*
governo, que a indo lem MpWffc,
lo das obrigacoes inherenles ao ctr-
les empregados de jusliya n fazenda.
rellos oacionaes c emolume;,:. ,
Este livro contendo mais d" 700 y9u
impros o bi>n papel. i> ; ::\c-' i
zinha, canas de barro para
barris de 10 arrobas.
Vende-se urna armaco de urna taberna com
poucos fundos, propria para nm principiante, sita
na rua da Imperatriz n. 15 : a traiar na rua da
Cruz, casa de Antonio Lopes Draga & C.
Farinha de mandioca : (em para vender An
lalo Luiz de Oliveira Azevedo & C,
criptorio rua da Cruz u. i.
avisa *to
o a rr.-i--
t%fbnst>
m dr-seS-
Ala
de differenies elasses, loma-" r n i ra
no sea es-1 Sea cusi lOfOOO per cada esMars*
tomos.
T
I I
T


Diario a> Pe mam boro Qnhifa fcfra S de Agosto de f 8*

/
OES
GEN R0SBAR1T0SADINHEIR0
NOS
GR4NDES mmm DE MOLHtDOS
AURORA BRILHARTE
&
M pateo do Carmo n. 9 armazeni Progressivo roa do Queimado n. 7
i M Uio e Commercio ra do Imperador d. 40,
E33 Principal ariuazem de molhados.
OS PROPRIETARIOSo
Fazem sciente ao respeitavel publico, e com especialidade aos senhores de en-
genhos, Uvradores o mais pessoas do cantro, que para mais facilitar suas compras deli-
beraram os proprietarios dos tres graades annazens, reunir todo os seus estabeleci-1
menos em um so" anriiiBcio, pelo qual o prego de um ser de todos, promette-
os qie nao infringiremos a tabella que abaixo vai publicado, annunciar os geierosj
por im proco, e na occasio da compra quererem por outro, como socede constante-!
me;>te era outras murtas casas, porm nos nossos estabelecimentos nao se dar istoi
aiaJ mesmo com prejuizo nosso, qualquer pessoa peder mandar seus fmulos que,
sero tam em servidos como viessem penalmente fazendo-nos o favor de mandar seus j
pedidos em cartas foliadas; para evitar qualqucr engaos, remetindonos urna coma!
pela qual se ver os precos til qual annunciarmos, o que seno arrepender pessoa}
aiguma que fizer sua despenca era nossos estabelecimentos; pois poupar mais de
5 Kir cenio na sua despeza diaria.
Manteiga ingleza perfeitamente flor chegada dem com i a 5 ditas a 35200.
ltimamente no vapor Saladim, de 15 dem vasios de todos os taannos a 2#000,
a 1(5120 a libra e em barril terabali- 13500,800 e (540 rs.
ment. Queijos (! 25300 a 25500 os mais frescos.
dem franceza muito nova a 15 a libra, e Vinagre puro de Lisboa a 280 a garrafa e
era barrd ter abatimento. 25000 a caada,
Bania de porco refinada a 610 a libra e em dem mais baixo a 20) rs. a garrafa e 15400
barril ter abatimento. a caada.
Coa uxim de superior qualidade a 2{KS00. | Azeite doce de Lisbia muito fino a 600 rs.
AOAZENS
HADO
O
o
Q

ESPECIAOS
Largo da Santa!
^Cruz n. 84, es-;
^ flina da ra
sSebo.
d03
dem perula miudinbo a 23700
a garrafa e 4$!>00 a caada,
dem nyssin especial qualidade de 25500 a! Toucinlio de Lisboa novo e muito alto a 400
2$600 a libra. a libra, e em barril de 5 arrobas a
dem preto muito especial a 2,5000 e 28i00
a libra,
dem do Rio em latas de 45000 e a 800 a
libra.
Latas com biscouto de todas as qualidades
a 13206.
dem da creditada fabrica de Biato Antonio I
(Lisboa) proprias para da.* a doentes a'.
2$ e Mi lata.
Bolaxinlia i'ngleza muito nova a 35500 a bar-
v i e a.2\t)rs. a libra.
Latas com bolaxinka de -oda e oval a 25-
Presunto nglez para fiambre chegado no
ultimo \apor a 80 rs. a libra.
Chourigos e paios muito novos a 900 rs.
a bra.
Caixas com macarro tilharim muito novo a
.'.5000 e 320 a libra.
Ale'.ria branca e amarella a 500 a libra.
Chocolate portnguez de especial qualidade a
SuO a libra.
dem suisso de 800 a 13000 a libra,
dcm hespantiol verdadeiro a 19000 a libra
que j vendemos a 15400.
Doce da casca de goiaba em caixoes de 4 e
rueia libras seguro a 15800,
Ide n em caixoes pequeos a 700 rs. e de
30 para cima a 640.
dem secco em bocetos ricamente enfeiladas,
conlendo pera, pessgo, ameixa, rainlia.
e nutras fruas a 35001) cada urna.
tdttii em calda eai latas tasadas hermetica-
iu Hite minio bem enfeitadas, contendo,
pera, pesego, ameisas e outras frutas a
&40 e 700 a lata, t3iubem temos latas
grandes a 15200.
Marmelada dos melliores fabricantes, em la-
tas de 25000 a 14200.
dem em hitas de 1 1(2 libra a 15.
dem em latas de l libra a (S 40 rs.
Erviibas ern latas chegadas ueste ultimo va-
por a 700 e de 3o para cima a 610 rs.
Feijao verde ou carrapato em latas j pre-
parado a 640 rs.
Aaieixas em frascos de vi.lro a 15300.
dem era caixinbas ricamente enfeitadas de
!06a 25300.
Conservas Mexide muito aovas a 700 rs, o
frasco.
tde n de ceblas simples a 700 rs.
M (Ibo iaglea a 640 rs. o frasco com rolba
de vidro.
Mestarda etn p a 700 rs. o frasco.
ijr.u j preparada a 320 rs.
Latos com massa de tomate de 1 libra a
6O0 rs.
dem em latas de 1 1|2 libra a 900 rs.
Viidios em garrafas vindos do Porto, Madei-
ra Secca, Duque do Porto, Duque Semi-
no, Cascavallas, Mara Pa, D. Luiz, Pe-
dro V, Velbo Secc'i. Lagrimas Doces, La-
. grimas do Douro, e outras muitas marcas
a 15 a garrafa e 95 a 125 a duzia.
dem Palmeta a 15 a garrafa e 115000 a
duzia.
dem em pipa de todas as marcas Porto,
Figueira e Lisboa a 400 e 500 rs. a gar-
rafa e 25800 a 35500 a caada.
dem em ancoretas e 8 a 9 caadas com su-
perior vinho Lisboa e Figueira a 245 a
ancoreta.
dem branco especial qualidade proprio para
rjussa a 56o rs. a garrafa e 45 a caada.
dem mais baixo a 400 rs
a ganada.
105500 a arroba.
Cerveja Bass do fabricante Slders & -Bell a
65500 a duzia e 640 a garrafa,
dem Bass do fabricante T. F. Ashe a 65000
a duzia e 360 a garrafa,
dem marca H Victoria Alsope e outras
muitas marcas a 55 a duzia e 500 rs. a
garrata.
!Sabio primeira qualidade a 220 rs. a libra
f~e"21 em caixa.
Idern^segunda qualidade a 200 rs. a libra e
^-t80 rs era caixa.
Sabo ingle/, superior a 180 rs. a libra e
16!> rs. em caixa.
Caf primeira e segunda sorte a 75000,
75500 e 85 a arroba, e de 240 a 280 rs.
a libra.
Arroz do MaranbSo 35200 a arroba e 100
rs. a libra.
a garrafa e 35500
dem do Porto especial qu ilidade a 800 rs.
.: garrafa e 55500 a caada.
Id m linrdeaux em caixas a 75 e 700 rs. a
garrafa.
Champanha a meliior do mercado vinda de
n issa i'uoommenda a 305 ogigo.
dem mais baixa do 185 a 205 e 15500 e
35 a garrafa.
Licores portugueses e francezes a 15000 e
i 5500 a garrafa.
Marrasquino de Zara, verdadeiro a 15500 a
g nafa.
I ;'. mais abaixo a 800 rs. a garrafa.
Geoebra de laraoja ver iadeira a 115 a du-
zi i e 15 o frasco.
dem de Hollanda verdadeira a 65 a fras-
quera e 800 o frasco,
dem de Harnbuivo a 55500 a frasqueira.
Iijeni ora botigas de Hollanda a 400 e 440
rs. o frasco.
Garrafies com genebra de Hollanda com 24
garrafas a 85, com garra fao.
dem cora 14 a 15 garrafas a 65.
dem da India a 25000, 25800 e 100 rs. a
libra.
Charutos Normas de Havana a 55300 a cai-
xa, de Simas (Jos Furtado).
dem Londrinos a 35, idem.
dem Parasienses a 45500.
dem Delicias a 15500.
dem Traviata do Rio a 55300.
dem varetas de Manoel Peixoto da Silva
Netto a 35300 e 10-100 a meia caixa.
dem suspiros do mesmo fabricante a 15300
a meia caixa e 55200 a caixa.
dem mece-ipos a 15700 a meia caixa e
35000 a caita do mesmo fabricante.
dem orientaos do mesmo a 15800 a meia
caixa e 35100 a caixa.
dem jovens de Caslanno A Fillio a 25400
a caixa.
dem suspiros do mesmo a 15 03 a meia
caixa, e outras muitas marcas de fabrican-
tes.
Passas muito novas a 15500 o quarto e 55
a caixa de urna arroba bespanhola e 320
a libra.
Vermute bebida para abrir a disposico de
comer 15300 a garrafa e 145000 a
caixa.
Alpista muito novo a 35800 arroba e 140
a libra.
Painco a 45000 arroba e 140 a libra.
Peixc em latas j preparado a 15200 a lata
e em porgao 15000.
Sardinhas de Nantes a 400 a lata.
Tijollo para limpar facas a 160 rs.
Esparmacete a 600 a libra e em caixa a
580.
Vellas de carnauba a 12 e 105000 a arroba
e 360 a 440 rs a libra.
Azeitonas de Lisboa muito novas em anco-
retas grandes a 15800 e a 400 rs. a gar-
rafa.
Balaios do Porto muito grandes proprios
para guardar roupa suja a 25300, 35000
e 45000
Batatas em gigos de 31 libras muito novas a
800, e a 40 rs. a libra.
Gomma em paneiros a 45000 arroba e 140
a libra.
Farinda do Maranhao muito alva e nova a
240 a libra.
Ssvadinha de Franga para sopa a 200 a li-
bra.
Sevada muito nova a 140 a libra e 45000
arroba.
Caixas com eslrelinha, rodinha e pevide a
400 a libra.
Alhos em canastras muito novos e maongas
grandes a 180 e 200 rs. cada urna.
Canella muito nova a 15000.
Cravo muito novo a 500.
Cominho idem a 320.
Ervadoce idem a 400.
Alfazema flor a 240.
Amendoas a 400 a libra.
Nozes muito novos a 160 a libra.
Papel greve a 45200 a resma.
dem lizo a 45000.
dem de pezo a 35000.
dem de embrulho marca grande a 15200 e
15300.
dem azul para botica a 25000.
Copos lapidados a 55500 e 500 cada um.
Palitos de dentes, magos grandes a 120 Je
160 cada um.
Fumo americano do chapa, de superior
qualidade a 15300 a libra, em porgao ter
abatimento. !
lili I
Saccas grandes com 100 libras de farello superior
Largo da Santa'
.jCruz n. 84, es-*18
fgqona da ra do;
'a*Sebo.
-=-- -jy --v ^'J|f
rora BrihanterrnnNn*,r0,d.0J muit0 acreditado armazera de molhados denominad~u-
A eiiiniP ihii Te raflsmo sortimento de genaros de primeira qaalidade.
Nenhum ,rm?,im SfrV!.ra ,odos de base Para aJs'e de coalas aos portadores,
pelo 3M2? Vendera mais baral e melhores do que a Aurora Brilhante, ja'
noSSfSSTX. tem',ja ,nesrno por1aB seu dono s dftseia ,irar dl-ninato ln-
prover?o Sn%X,*cc^uJ^AM!,PM!?d(> estabelecImeDto'Jor isso deixese a-
tantesfreguezes
:Laala708lbraS dechouricas muito nova?,
mSi* J2S/* em P^^inieiras,
So 2 Ual,dades. a *000, t280e
Dgtde?rraS^VSeXCel,en,ep<,,SC0',arafr-
, BS eS ^Iv^S D6KenS0"adas.a -
SDi!asoomanTXa1S? im' ,5S0 n 33S0O.
TjSSTSS1'd0 afamad0 fabricante
^Ditascom massa de tomate, aaOO rs
WuCeumaecodre' novos-'a li50-
jjkDXo" b0lachinha dQ soda mnito novas, a
^Si^^ring,Ms de ra'uitasqua-
Chocolate.
i n,l-n,haS Com a?es enfeftalas proprias
nJnJ, ,,n,mo a **00, JJ800 e 3-3200.
Simoerwr muit0 novo' alibrade
MaC400rsalharara ea,etria amarelIa-
Dito dito dita branca, a libra a 400
Caixas com strelinha, pevide,
1 sas, a caixa 3fi00.
Ditas dita em libras a 640 rs.
Sag, a libra a 360 rs.
Sevadinha para sopa a libra, a 240 rs.
Erviibas seccas, a libra a 160 rs.
.Uitas descascadas, a libra a 200 rs.
Tapioca muito nova, a libra a 280 rs.
Barraba de araruta verdadeira, a libra
300 rs.
Arar2LA MarannS. em sacco, a arroba a
2400 e a libra a 80 rs.
Pito da Indias Java, a arroba
bra a 100 rs.
Vinho verde superior.
A caada a 3000 e a jrarrafa a 400 rs.
Gomma.
Saccas de 4 arrobas, a verdadeira de se(
ensommar, a arroba a 32000 e a libra
120 rs. Sabao massa, a libra a 200, 240 e 280 rs. gR
Farinha. *ii)
Saccasgrandes com farinha de Goianna mui-SK
to nova, a 5000. W
Caf. A
Caf do Rio muito superior, a arroba a 8,3|0
8^500 e 93000. <3P
Cha. g
Ch.tcmos nestes gneros o m ;lhor possivel, v*>
hyson, a libra a 25600.
Dito pcrola a 3,5000.
Dito uxim a 23700.
Dito hyson muito Ano a 23^00.
Dito redondo a 23500.
Dito preto de primeira qualidade a 2,5500.
Dito mais baixo a 23000 e 1J600.
Erva mate.
Excellente cha medicinal, a libra a 240 rs.
Espermacete.
O masso com 6 vellas de espermacete a 600,!
640 e 720 rs. <
Passas.
Caixas de 16 e 8 libras de passas novas pro-
prias para mimos a 45 e 23500. \
Nozes.
Nozes, a libra 160 rs. e arroba a 45000.
Alpisla e painro.
Alpista e painco, a arroba 43000 e a libra a.
160 rs.
Cartas.
a 35*00 e a II-' Cartas finas para jogar, a duzia a 23500.
rs.
e outras raas-
a
DE
AZEVEDO & FLORES
Ra da Cadeia do Kecife, esquina da Madre de Deis.
Os ricos baloes de arcos de 35, 45 e 55
Balos de arcos para meDinas de 2 a 12 annos a 25 e 25500.
Baloes do pa;no para meninas a 35 e 35500,
Chapeos de sol?
Os afamados e bem conbecidos chapeos de sol com 12 asteas a 8\
Ditos maiores com 16 asteas a 125.
Tapetes.
Grandes e pequeos tapetes co n ricas estampas para sof.
Chitas.
Chitas largas a 240 rs. o covado.
dem escuras unas a 320 rs. o covado.
Camisas.
Superiores camisas a 25500.
Camisas com peito de cor, e todas brancas a 15800.
Ha muitas outras qualidades com peito de esguio.
Casemiras.
As modernas casemiras de quadros, ebegaram.
Ronpa leita.
Ha completo sortimento de casemiras, de brm branco e de cores.
Colieiriohos.
Chegou nova remessa de colleirinbos de papel de cores e brancos.
Tarabem ha completo sortimento dos de esguio.
Calcas.
Caigas de superior brim pardo a 25500.
Caubrala branca.
Superiores cambraias brancas a 55 e 75 a pega.
Cambraia branca para forro a 320 e 400 rs. a vara.
Um*
Las de bonitas cores a 4S0 rs. ao covado.
dem para luto a 500 rs, ao covado.
A QEM NOS LER
Todas as semanas reformamos o nosso annuncio, annunciando ao publico novas
fazendas e novos precos e nao como muitas pessoas sup e sempre ser as mermas fa-
zendas.
a 93500 a arroba e a 3JO Castanhas novas vi'ndas oeste vapor,
7wa ub ba 43000 e a libra a 200 rs.
73000 e a Ubra a ( Apitonas.
Barriscom azeitonas novas a 15500
'Touciuho de Lisboa
rs. a libra.
I Dito de Santos, a arroba
260 rs.
.Mlhoscom 123 ceblas grande?, a 1*280.
' -staia franceza> caixa cora 2 duzias a Manteiga.
7#W0. i Manteifja superior, a libra a 15280.
1 brasco-s com mostarda preparada em vinagre, Dita mais abaixo a 13200.
Ia *"IJ rs- I Dita menos superior a 13 .
D'jps'-om conservas inglezas e francezas, a Dita franceza nova, a libra a 880
NO e 800 rs. Djla ^jta em barris e meios ditos, a
{Ditos com sal refinado fino, a 640 e a 500 rs.! 830 rs.
inuS1 a verd,deira genebra de laranja, a Dita para tempero a 400 rs.
tiv. j 'a Queijos.
(Ditos de2 garrafas de Hollanda verdadeira,a
640 rs.
Botijas cora dita propria para negocio, a
I 400 rs.
arro-
ACiIl\SDPTENT
de trabalhar mo para
desearocaragodo
FABRICADAS
Por Plant Brothers & C,
0LA3
libra ar
vindos oeste vapor a 23800 e(
libra aCf
IGarrafoes com 2 galoes com dita, a
(Serveja boa, marca, a 500 rs. agarrafa, e ai
duzia a 6*000.
'Vinho muscatel de Setubal, a garrafa a 15.
Marrasf|iiinhoverdadeiro,rrascos a 80C rs. e
a 15200.
[Champagne, a duzia 205000, e a garrafa a
23000.
{Azeite refinado portuguez e francez,a garrafa
a 15000.
Caia de vinho Bordea ti x muito superior, a
75, 85,95 e 10-5 a caixa.
(Ditas com dito branco, a 75 a caixi.
Ditas com dito lagrimas do Douro verdadeiro.
j a 205.
* Ditas com duque do Porto verdadeiro,*,a
. 183000.
hDitas cora chamisso superior, al'i5.
'Ditas com Porto velho e outras muitas mar-
cas, a 125.
>Vinho do Porto da pipa, a garrafa a 640, 720
J e800rs.
.Dito de Lisboa muito bom, a caada a 35200,
i 35500 e 45, e a garrafa a 300 e 360 rs.
SDito da Figueira, dasseguintes marcas (X.)
(J. A. A.) (J, L. G.) (O. M.) a caad i a
> 45500, e a garrafa a 560 e 640 rs., deste
( que j est engarrafado e lacrado com o
_ rotulo do armazem.
iDitos de marcas mais desconhecidas, a cana-
) da a 35500 e 43000, e a garrafa a 480 e
520 rs.
? Vinho branco fino, agarrafa a 640 rs.
Dito de caj muito superior, a garrafa a
800 rs.
Qneijos novos
33000.
Ditos londrinos muito novos, a
15000.
Papel.
Papel almaco paulado, a resma a 45800.
Dito dito lizo de linho, a resma a 45500.
Dito de peso lizo e pautado, a resma
25500.
Dito de embrulho, bom a 13 e 13200.
Vinho Madcira.
Garrafas com o verdadeiro vinho Xerez e Ma- i
deira a 13300 e 25000.
Temperos.
Folhas de louro, pimenta do reino, cominho
e cravo, a libra a 400 rs. 1
Velas de carnauba. ,
Massos cora 6 velas de carnauba refinada a,
480 rs.
Amendoas.
Amendoas com casca, a libra a 320 rs.
Doce.
Caix5es de doce de goiaba, grandes a 15400 (J.
e pequeos a 640 rs.
'fijlos de limpar.
Ti jlos de arear facas a 140 rs.
Graxa.
Duzias de boioes de graxa "o. 97 a 25000, e 1
de latas a 13000, e os boioes a 240 rs. ca-]
da um, e as latas a 100 rs.
Charutos linos.
Charutos finos dos melhores fabricantes da,
Bahia por diversos presos, caixas e meias
IK **4*
Estas machina
podemdescarocar
qoalquer espe'cii
de algodao sen
estragar o fio.
!* 'fe^i^r^ sendo bastante
'I
MltM
*c.<
H duas pessoas para
otrabalho; pode
descansar uns
arroba de algo-
dao em earoct
em 40 minutos,
ou 18 arrobas
por dia ou o ar-
robas de algodc
limpo.
caixas.
E grande quantidade de gneros tendentes
estes estabelecimentos, que deixam de an-
nunciar-se.
Assim como machinas para serem movidas por
, animaes, que descansara 18 arrobas de algodat
I limpo, por dia; e motores para mover urna, duas,
i eutrjs dessas machinas.
j Os mesmostem para vender um bellissimo va-
i por que pode fazer mover seis destas machina
I mencionadas ; para o que convida-se aos Srs.
I agricultores a virem ver e eiamma-lo, no arma-
zem de algodao, no largo da ponte nova n.47.
Sairoders Brolhefs&C.
IV. II, praca do Corpo anto
RECIFE.
Os aicos agentes neste paix.
0RAND
4tMUKN-H0LH4B9S
Pharol do commercio
D.,r. J~ T> i ttst Queimado o. 16, loia de miodeza?.
Ra do Eangel n. 73. Labyrinlhos e biets.
O proprietario deste estabelecimento tem a hon- Xa loja de mindezas a ma do Queimado a. M
ra de avisar aos seus freguezes que fez urna gran- ; vende-se bonitos labvrinthos e bicos s itha- u-
I de reduejo nos presos de seus gneros de primal- i cidos em grade de Hnha o que os torna forte t
ra qualidade : manteiga ingleza lj) e 13280 rs. a muita durafo, alm de que os hotos e uriamLi
libra da ultima chegada ao nosso mercado, dita desenhos, e a commodidade dos preros en
franceza a 900 rs. e em barril se faz abatemenu, para a boa extraccSo d'elles, tanto mar
queijos tlamengos novos a 25300, dito prato o que elies nunca sao desneressarios em eaas <*"
se pode desejar em bondade a 800 rs. a libra, has, pelo que podero dirigir-se a roa do Qoeimaao
ameixas francezas caixinha.s a 15200, 15300 a n. 16, loja de raiudezas.
13800, frascos de ditas 15400,grandes33proprios Pliq Jr Oiim'ttio/1a n Ift
I para mimos, marmelada das melhores marcas a i-ttul UU uUfllliaUO n. 10, D"
itadaspara ^ l0ja e miudeZ.
A amiga e bem conhecida loja de miaVza a
ra do Queimado n. 16, arana de ser BnvaawMt
provida de differentes mindezas, novas eaaasBer-
(umarias inglezas e francezas, luvas de Joavia, ea-
feites para senhoras e outros moitos dwersr* arti-
gos, que com prudencia e sisudez sero paleaWao
comprador, a qnem isse, e a regalaridade dos pre-
cos nao ser indiflt-rente para continuar com a sua
boa freguezia.
Antiga loja de miudezas a
ra do Queinmdo n. 16.
Nesca loja vende-se baratalnte, alm te sal-
ios outros ohjccfos.os seguintes :
Voltas de crystal, grandes cpequeas.
Outras de diversas qnalidades.
Cruzes fraudes de pedras falsas.
Alfineles de madreperola e outras qcaiidaae<
Brincos i balao.
Cintos a traviata.
. 16 ra do Queimado.
Peonas d'aco, papel e tithf.
Na antiga loja de miudezas a rna do Qoeiama
n. 16, acha-se um bello sortimento de papel at-
masso greve liso e pautado, primeira e nmiii
sorte, dito de peso liso, pautado e de qoadriaae, t
de differentes qnalidades at a qne e pode eataa-
trar de melhor, dito paquete, dito pqaeno em ea-
xinhas, sendo liso, paulado, de quadnohos, beira
dourada e tarjado de preto, tendo entre riles al-
guns que trazem a envelope na mesma foiha o mor
aqu inteiramente novo. Caixas de envrioaes
maiores c menores, e tarjados de preto. rVaaa-
I d'aco inglezas, raligraphicas e outras aasMaie*
todas dos afamados fabricantes Perres A C
Albuos baratas aa na da Qte-
mado o. 16.
Vendem-se bonitos albuns para II retraas a
15500, outros para 24 a 33000, e alguos
tambem por baratos presos.
Lavas de aplica a 500 rs. t
Apezar de nao serem antigs esto
mescladas as luvas de pelira preta e a><
quaes ainda servem para a aoite, e
I
W.

1
N. 11Ra do Queimado~N. 11
LOJA DE FAZENDAS DE
Augusto Frederico dos Santos Porto.
Chegou a este estabelecimento um grande sortimento de cortinados bordados para
camas fazenda de muito gosto.
Chales de guip nrato Anos para 225, 253 e 305.
Colxas de seda superiores de diversas cores para camas de noivas.
Colxas de laa e seda para cama tambem de bonitas cores.
Botondes de guip enfeitados com o melhor gosto.
Selim de Paris bella fazenda e de bonitas cOres para vestido a 700 rs. o covado.
Moureantlque branco e preto, grosdenaple preto e de cores, pannos pretos de todas
as qualidades, ditos azues.
Casemira preta e de cores, merino preto, silistrina, bambalinas, alpacas pretas, e
laa preu para lotos.
Malas, saceos e boleas de tapete, verniz e conro de 45 a 115.
Brins de linho de cores Anos a 15800 a vara.
Chapeos e chapelinas de palha de Italia para senhora, manguitos bordados, chapeos
de seda para hornera, chapeos de sol de seda, esguio de linin, cambraia de linho, breta-
alias, sitesias 6 militas ofllra fazendas que se vaadem por co*mm)dos prejos as*im como
tambem
Esteiras da India para forrar salas
irn.
de S. Joo a 640 rs., vinho do Porto a 640 e 720 rs
a garrafa, Figueira e Lisboa 400,440 e 500 rs., e
em caada se faz o abatimento, caixas de batatas
com 2 arrobas por 3S500 e a libra 80 rs. novas,
caf l' sorte 75800 e 75200 e a libra a 240 e 260
bolachioha ingleza a 200 rs. a libra, toncinho de
Lisboa a 360 rs. a libra, velas de carnauba a 400 I
rs., ditas estearinas fina3 a 600 rs., presunto porto-'
guez a 600 rs., alpista a 3500 a arroba e 120 is.:
a libra, paingo a 45 a dita e 140 rs. a dita, cha fi-
no a 25500, 25700 e 25800, fruclas em calda a |
640 a lata, gomma a 100 rs. a libra e 25560 a ar-
roba, bollinhos inglezes lata de 2 libras a 15350,
ditos de soda grandes 25000, e ontros mais gene-
ros que se torna enfadonho mencionar. O proprie-
| tario espera a concurrencia do respeitavel pnblico,
garantindo a exactidao do que tratar.
prelea-
Milko.
Vendem-se saceos grandes cora milho novo
ra da Madre de Dos ns. 5 e 9.
na
Vende-se um preto crioulo, bem mogo : no
pateo do Terc,o n. 141.
Vendem-se onze escravas algumas com ha-
bilidades entre estas duas roulatinhas pecas de 11
annos de idade c 5 escraves sendo ura cosiatieiro :
na ra das Cruzes n. 18.
Vende-se ora casal de patio : na Capunga
velba, sitio da viuva de Joo Evangelista.
Vende-se
farelo de Lisboa em saccas e barricas, e sarcos
com superior farinha de mandioca, mais barato do
que em ontra qnalquer parte : na ra do Vigario
n, 17, priraeiro andar.
Vende-se o edgenho Jund.iahy, cinco legoas
distante da cidade do Natal,' provincia d Hio
Grande do Norte, moente e corrente, com 20 cap-
tivos, 20 bois e 50 bestas; assim como diversos
lotes de trra, propria para a cnttura de algodao e
mandioca, e mais duas fazendas de gado no Poten-
gi e Cear-meirim, na mesma provincia, cujas ven-
das se eflertuaro a prasos, mediante boas firmas :
quem pretender dirlja-se qnella provincia a tra-
tar com Fabricio & C.
Vende-se orna casa de pasto bem afregoeza-
da, e tem commodos para familia : a tratar na roa
da Lapan. 13,noRecife.
Essa loja j tao conherida. renovon e
o seu sortimento d; perfumaras, oade os
denles podem encontrar de aovo e bom.
leos philocome, soperfine e babosa.
Banha fina em frascos e latas.
Extractos finos inglezes e raareze?.
Agna da colonia e florida.
Opiata e poz para den'es.
Extracto de quinquina para ditos.
Agua balsmica para ditos.
Dita dentrifice para ditos.
Leite virginal para sardas.
Vinagre de Venas para refrescar e a
lastre da cutis.
Sabooetes camphorados ioflezes.
Ditos arlenlos excedentes para maos.
i Outros tambem inglezes de divenas aaaMafas
' em caixinhas de tres e sollos.
Albuns com perfumaras.
Chegaram os superiores
cortes de seda.
Superiores cortes de seda de cor, vlaaai pato
ultimo vapor francez : aa low das mlumai a raa
do Crespo n. 13, de Antonio Correa de Ymttm
cellos* C. ___________________________
Potassa da Russia
muilo nova e superior : vende-se ao utrtourto
de Manoel Ignacio de Oliveira Piflw, Mr aa
Corpo Santo n. 19.
Novas scmeoles le hartaliea.
Chegaram no ultimo vapor fraacez viada a Ka-
ropa, trovas semeatw de nertalie*, na
cida loja de ferragens de Bastos, aa i
do Recife n. 36 A.


!
Diarto de Pernanbaco
ta letras de Agoste de 184*.

-
0 NOVO GERENTE
ESTABELECIDO A RA NOVA N. 60
335B a mama idi sa a>asaaia
AO
AO PUBLICO
Sem o menor eenstran
glmento se entregar
importe do genero que
nao agradar.
ATTENQAO
Os precoa da seguate
cabella para todos, po-
dendo asslm servir de ba-
se para o ajnste de contas
com os portadores.
eza com
Ira parle.
Manteiga ingleza especialmente escolliida a
i,ooo e 800 rs. a libra e em barril se faz
abatimento.
Idemfrancezaa maisnova do mercado a 96o
rs. a libra e 900 rs. em barril ou meios.
Cha hysson de superior qualidade a 2,600
rs. a libra.
RESPEITAYETi PUBLICO.
A apreciado dos habitantes desta heroica provincia existe no grande arma-
zem da Liga estabelecido ra Nova n. 60 um magnico sortimento [de molhados,
que sendo em sua mxima parte mandados vr directamente do estrangtiro7podem ser
vendidos por presos asss razoaveis.
Sem a fatuidade de querer que este novo e interessante estabelecimento seja o
primeiro e nico em seu genero, pde-se porm affiancar, com toda a seguranca de que
nenhnm outro o exceder no restricto cumprimento das seguintes promessas:
1/ Delicadeza no trato.
2. Fidelidade no peso.
3.' Sinceridade nos presos.
As pessoas que por sua posicao social gozara de certo tratamento, acharo nesta
casa os melhores queijos londrinos, cerveja, vinhos finissimos manteiga e cb sempre de] CMperoto' mais svmprinr do mercado a
primeira qualidade. etc., etc. i 2 g00 rs ... pci m
to bem semdo61" ^ Seja ^^ d fre8UeZ' eUe *"" ^^ qm ^ SmV "^ Idefn hyssQn muito'suPrior em Iatas de 15
m fqalle's que sao pouco favorecidos da sorle farao mensalmente urna economa de! S g* prpri para neg0C a 2'
militas patacas, afreguezando-se nesta casa, onde se lhes vender o arroz, o caf, a man- Idem h d f % u_
teiga oassucar, etc., etc. de boa qualidade pelo prego que em algumas parles nao po- Dras :, j e00rs
dem "ofJKS feK&b cidade, ds arrebaldes ou ceatro. que compra, para ne-1 "ZoToVo^o Sra ^ '*
S?q^opol\SeTCr,ereSSe' esW P "^.^.^^....ia.-
Para os senhor--s que compram para lomar a vender existe um sortimento espe-1 chouricas e naios a Son rs a lihra
cial, escomido por pessea entendida que certamente muito deve agradar aos senhores Costellevtas npglezas a 64o t ^ serve
Z7ise lm pou,,ado sacrificos'nera se deixar de fazer a di,igencia para agra"' *S& T^^^SEZ
PELOS SEGUINTES PRECOS S SE VENDE BiSf.^T*1"todawn"
dem londrinos muito frescos e de superior
qualidade a 8oo rs. a libra.
RA DA CADEIA DO RECIFE N. 53
(Logo passando o areo da concelc&o)
PARA BEM DE TODOS.
Senhore3 sfioheras, o aceio que presidio aos arranjos deste novo estabelecimento, e mais que tudo a DromotidSo p ntPi v C^LCHA
._ que serSo tratado?, esonvida a urna visita ao mesmo, certos de que sem duvida me dar-So a proteceo e preferencia na tradoTotos i
-ra dos gneros que precisaren e quando nao possam vir podero mandar seus portadores, ainda que estessejam douco nraticns*I *m>dis d ******* **
rois sero t5o bem servidos como se viessem pessoalmente, havendo para com estes toda recommendacao, afim c mo n3r, v* '2,2W e 'Woo, i.-io por a ,.
r> Iro KlHn uc UC UdU dU CUi : mjlpm na Inri n "ft i: __' *^ '
Grande expoMVao de fe-
zendas.
Que estao a venda, na *> e wnn-n .fe Arara.
ra da linperairiz a. 56, L.ureuep Krtira Hie-
des Guimares.
f.AZIXHAS A JiO R,. f
LAZINHAS A til) R*
LAZlNHAS A lio R*.
Ha um grande sertimeoto de laxaba* rt*
chegadas pelo ultimo vapor, acorto tmn
quaesquer loja vende a 40 r-..
na loja da Arara pelo diminuto p:.
o rovado. '
MADAPOLAO COM 24 JAIlb.,- a
MADAPOLA COM S4 JARDAS A i*W
vende-st madap..iao mtr .....
do-fe qup l^m 20 ra, i -.
4^500, 3#m, WW r r*&. "" *"
BltETAMIA DE BOLO i
A 2i*W.
Vende-se brciaoba de rolo a sj>i., a ir-. *.
Mendes Gnimare*.
MADAPOCAO E.NFESTK) A ::&* 21;,
E WOW).
MADAPOI.AO E>'FEST.\lOA "iijn JJS.
E 4,IW)0.
Vende-.e madaiolio t-nfe-iado
pre{(> de 34. 32500 e 42 a ptr.v
K>* karata
HAS DAMASCADAS U!. Fl.-l
mais n.odeina-
n.l. i>. '-.
A DIMHEIRO A VISTA:
ALPISTA a 120 rs. a libra.
dem e paiugo de oito libras para cima a
100 rs.
Arroz de 90 rs. a libra a........
Amendoas, casca melle, a 280 rs. a libra.
Avellas a 240 rs. a libra.
Ameixas francezas em latas de todos os l-
mannos.
dem idem em poles de lodos os tamanhos.
dem idem era bocetas de todos os tama-
nhos.
dem idem em frascos de lodos os tama-
nhos.
Azeite doce de primeira qualidade a 560 rs.
a garrafa.
Alhos a 200 rs. o molho.
Absyntho a 2^000 a garrafa.
II
BOLACFUNHAS do Beato Antonio em latas
grandes e pequeas.
dem do Principe Alberto a 2#000 a lata, e
de cinco para cima a l.)800.
dem de soda em latas grandes a 2>000 e
de cinco para cima a 1*800.
Biscorros inglezes de todas as qualidades a
1200, i20e 10300.
Bolo francez em caixinlias a 300 rs. cada
urna.
Batatas inglczas.
Banha de porco refinada.
C
CHOCOLATE francez a 700 e 800 rs. a li-
bra, e em porco a 600 e 700 rs.
dem suisso a 10 a libra.
dem de musgo a 1(5300 a libra.
Chouricas muito novas a 800 rs. a libra.
Caf a 240 e 260 rs. a libra, e em porgo
se far abatimento.
dem de primeira qualidade a 70000 a ar-
roba.
Conservas em frascos a 320 rs. cada um,
sao muilo novas
dem inglezas, frascos grandes.
Champagne de todas as marcas.
Charope de grosella, orchata, etc., etc.
Chicaras e pires a lt>00a duzia.
Cerveja da superior marca Tenente a 300 rs.
a garrafa, e em duzia se faz grande aba-
timento.
dem Victoria Bas tres X e de outras marcas.
Charutos das mais acreditadas marcas, co-
mo sejam : Normas d'Havana, Exposicao,
Flor do Brasil, Parisienses, Delicias, Gua-
nabaras, Trovadores, Regala, Mississipes,
Panetellos, Apraziveis, Varetas, Brasilei-
ros. Americanos, Fluminenses.
Cha de todas is qualidades e de todos os
precos, hysson, huxira, aljfar, preto, e
preto pona branca, etc., etc., a 20000,
20200,2*560 e 25800.
Copos lisos de todos os tamanhos de 120 a
320 rs.
dem lapidados de todos os tamanhos a du-
zia a 20500, 30500, 4 e 50.
Cauces de todos os tamanhos.
Cognac superior a 10 e 10500 rs. a garrafa.
Cigarros do Bio, pardos, a 80 rs. o maco
Graixa em latas, muilo nova, a 80 rs. cada dem pratoa 8oo rs. a libra, e inteiro se faz
urna. abatimento.
| dem suisso o mais superior que tem vindo
ao mercado a 64o rs. a libra.
Ervilhas e favas portuguezas j preparadas
KIRSCH de Wasser a 20 a garrafa.
L
LATAS com graixa a 80 rs. cada urna.
Letria a 400 rs. a libra.
Aletria, macarro e talharim a 4oo rs. a li-
bra e 6,000 a caixa.
Massa para sopa : estrelinha, pevide e rodi-
nha branca ou amarella a 64o rs. a libra e
3,5oo a caixa com 8 libras.
Vinho do Porto muito fino proprio para
I mazem da Arara n. 56, M-nJ? tiffi*>ra> JAITAS FRA.NT.EZAS A O, S0. E** Rn.
I
Sal refinado em frascos de fidro com lampa CB,TAS FRAS&* AJA: ;''' **
U0 mesmn i Knn re '*ft K*- OCO\ADO.
Cnte i a hro n', JV CHITAS *GLE2AS A 500 E 1 VlMO
mf S marCaS maiS aceditadas Vende-se eambraias trancas de Zk r- w?m
que \em ao mercado, a 500, 56o e 64o aD^a lamlem baunr grande sorliinMw> a
a garrafa, e 5,8oo, 6,000 e 6,5oo a du- Smm? que
zia. yt. i>j e 7* a prfa.
se
venden a :^, 2 % ^
a 2,5oo, 3,ooo e 3,8oo.
Vinho branco de Lisboa de excellente quali-
dade a 4oo e 5oo rs. a garrafa e em cana-
da a 3,ooo e 3,5oo.
Vinho branco para missaemcaixas de 1 du-
zia a 8,ooo e 68o rs. a garrafa.
Vinho do Porto das melhores marcas que
vem ao mercado como sejam : Lagrimas
do Douro, Duquedo Porto, Rainha de Por-
tugal, Duque genuino, D. Luiz I, Madei-
ra Secca, Malvazia fina a 16,ooo, 15,ooo,
12,ooo e 1 o,ooo a caixa com 1 duzia e 9oo,
l.ooo e l,5oo rs. a garrafa.
Vinho Cherexde superior qualidade a 16,ooo
a duziae l,5oo rs. a garrafa.
Sardinhas de Nantes a 4oo rs. os quartos e
64o rs. as meias latas.
Bolachinhas inglezas muito novas a 5,ooo a
barrica e 320 rs. a libra.
Bolachinhas de soda em latas de diversas
qualidades a l,3oors.
na
e^arraf^emancorelas de 9 caadas a Cevadinha, de Franca muilo nova, a2oorsJ J^lMSf5rVi?S
Vin^emp^Porto,^^^
emanada fW^jfiLE&\ Vende^TS'' ^
Londrinos, Guanabaras, Parisienses, Sus-ii60Oe4*0fo, Wde affldao a~'. mSS
piros Delicias, a 4,ooo, 4,5oo, 5,ooo,; Goimarae.
6,ooo e 7,ooo a caixa ou em meias. a ,^Utarr'Lirq0f.s de rr,s' ** tam.
Charutos finos de diversas marcas e fabri-1 'fp/S p e *** capas "'- **"
cantes, como sejam: FJr do Norte, Ma-1 palit'S de alpaca iav \ a ITTt
nilhasde Ilavana, intervallos,Vencedores, palitos DE bim de u>h a o*
n
-MANTEIGA ingleza e franceza de primeira' rs. a duzia.
qualidade a 10, 10120 e 10280, em bar- dem idem para vinho a 24o rs.,e 2,4oo rs.
ril se faz grande abatimento; a que ven- a duzia.
demos por 10280 a libra, vende-ae em Chocolate francez hespanhol e suisso a 9oo,
l,ooo e l,2oo rs. a libra.
em latas hermticamente lacradas a 64o. Cartees com bolo francez muito proprios pa-
Feijo verde muito superior a 640 rs. a lata. I ra mimo a 64o rs.
Copos lapidados para agua a 5,ooo e 5,5oo | Passas muito novas em caixinhas enfeitadas
para mimo a 3,ooo rs.
outra qualquer casa por 10400 e 10500.
Marmelada dos mais acreditados fabricantes.
Macarro e talharim a 320 rs. a libra.
Massa de tomate a 600 rs. a lata.
Mostarda ingleza a 800 rs. o frasco.
Molho inglez de todas as qualidades.
Marrasquino verdadeiro de Zara a.....
Massas finas para sopa branca e amarella a
60 i rs. a libra, era caixas com 9 libras a
30500.
Milho painco e alpista, sendo mais de 8 li- Genebra de Hollanda a 48o rs. a botija de
bras a 100 rs. conta certa.
N Frasqueirasde genebra de Hollanda a 6,8oo
NOZES a 120 rs. a libra. e 64o rs. o frasco.
Passas de carnada a 8,ooo a caixa e 4oo rs.
a libra.
Figos de comadre a 2io rs. a libra.
, Amendoas de casca mole a 4oo rs. a libra.
Espermacete superior a 6oo e 64o rs. a li- Milo de amendoas a 5oo rs.
bra e em caixa se faz abatimento. Bolachinha d'agua e sal, da fabrica de Joao
Peixe era posta em latas hermticamente la-: de Brito no Beato Antonio, em lata de 6 li-
cradas e das melhores qualidades depei-; bras por2,5oors.
xe a 8oo, l,oooc I,2oo rs.
Vinho Bordeaux das marcas mais acredita-
Panatellas e Suspiros, a 2,ooo, 2,5oo e
3,ooo a caixa.
ognac inglez das melhores martas, a 8oc e
l,2oo a garrafa.
Doce da casca de goiaba a 2,ooo a lata com
4 libras.
Farinha de araruta verdadeira a 32o rs. a
libra.
Matte,excellente cha para os navegantes, a
2oo rs.
Sebollas de Franca muito grandes e novas
a l,8oo o cento e l,2oo solas.
Palitos do gaz a 2,2oo a grosa.
Toucinho de Lisboa muito novo a 32o rs. a
libra e 8,5oo a arroba.
Banha de porco refinada a 65o rs. a libra.
Bolachinha Alberto, as melhores que pre-
sentementetem vindo ao mercado, a 2,ooo
a lata.
Farinha do Maranho muito alva e cheirosa
a 2oo rs. a libra.
Frascos com fructas em calda de diversas
qualidades a 2,5oo e l,5oo o frasco. .
Caixinhas com fructas em doce secco de di-
versos tamanhos, muilo proprias para
mimo, a l,6oo, 2,6oo e 3,5oo cada urna.
Ruibos, excellente peixe porluguez, em
barris pequeos ou a retalho, a vista se
far o preco.
Eniremeios lransparrnle> a SU
a 12, ditos para babado a 1200o ra,a on-a '.r.
ROUPAS FEITAS.
ROl'PAS FUTAS.
_ ROll'AS FOTiS.
Vendem-se nm srrlimento d<' v a- .^
lodaf as qnalidade?, que a Ti-ta .-e fai
outras munas mais fazenda^ qm- -* 4*ii; *
annunciar, roa da lmperatr;z n. :*,, N^B'ie- ',*-
maraes.
ESGRlfOS FGIDOS.
Ameixas francezns em fiasco de vidro com
lampa do mesmo, a I05oo.
das que vem ao nosso mercado a 7,ooo e Ameixas franc' zas em caixinhas de diversos. Azeitonas de Rivasemancoretas Brandes de
8,ooo a caixa e 64o e 7oo ris agar-
rafa.
Nabos em latas a 800 rs.
O
Osras inglezas e americanas.
PEIXE em posta, latas grandes, a 10COO, de
todas as qualidades, como sejam savel,
Genebra de laranja verdadeira em frascos I o gigo com 36 libra*.
grandes a l,oooell, ooo rs. a frasqueira.. Conservas inglezas a 75o rs. o frasco e
Caf do Rio de Ia qualidade a 28o rs. ali-| 8,5oo a duzia.
bra e 8,5oo rs. a arroba. Vassouras de escova para esfregar casa a
Caf do Cear muito superior a 24o rs. a li- j 4oo rs.
bra e 7,5oo rs. a arroba. j Nozes muito novas a 16o rs. a libra,
goras, corvina, pargo, salmao, pescado e Arroz do Maranho de Ia qualidade a loo Molho inglez em garrafa de vidro comrolha
pescadioha, linguado, sardinha. etc., etc., rs. a libra e 2,8oo a arroba. do mesmo, a 16o rs.
Peras em latas, excellente preparacao. dem da India a loo rs. a libra e2,8oo a'Mostarda ingleza dos melhores fabricantes.
Palitos para denles a 120 rs. o maco muito arroba. a 8oo rs. o frasco,
grande. dem de Java a 8o rs. a libra e 2,4oo a ar- Mostarda franceza em potes j preparada a
roba. 4oo rs. o frasco.
Painco e alpista a 14o rs. a libra e 4,ooo a Lentilhas francezas. excellente legume para
arroba. sopa, a 2oo rs. a libra.
Massa de tomatesde superior qualidade a 64o Marrasquino de Zara propriamente dito a
rs. a lata de urna libra e56o rs. a reta-j 10 a garrafae I l.ooo a duzia.
lho. 'Palitos de dente a 14o rs. o maco.
tamanhos com fconilas estn pas na ca-1 8 garrafas por 6oo e 8oors. a garrafa.
xa exterior, a 1,4o?, l,6oo, 4,8ooe 2,oon. Azoitonas portuguezas a ooo rs. a garrafa e
cada nma. | g0o cada urna ancorela.
Azeite doce refinado hespanholouportuguez, Champagne da melhor qualidade que vem
a Ooo rs. a garrafa e lo:ooo a caixa. ao mercado, a 2,ooo e 3,5oo a garrafa e
Batatas muito novas a 8o rs. a libra e2,5oo | 24,ooo e 26,ooo o gigo
Fogio na noite de 19 para 30 do correa*
mez, do si lio do Sr. Dr. A agosto F. de tieira b.
ponte de Ucha, o seu esrravo de norce Loiz >-
si que branco, tendo no rosto mareas ie basa
bem visiveis, cabello anortado, baiio, r-f-*^!
bem fallante e de cerra de 2* anuos a iiafe* ''
vou camisa de baeta enramada e rhar > p''m
noro, soppoe-se que vagoeia oe?u cidaSe A;
fe ou pelas roas rirrumvismharn.a- : pto o *u-
prehender e ievar ao sobredilo #n"i.>. i.n ao p-
lorio da prar;a do Corno Sanio n. 17. km \' > .%-
dar, ser genereimenle recompra? ,-j.
Passas em quarlo a 10400.
dem muilo novas a 400 rs. a libra.
Pomada muito nova a 280 rs. a duzia.
QUEIJOS flamengos.
dem prato a 800 rs. a libra,
dem suissos a 800 rs. a libra,
dem londrinos a 800 rs. a libra.
QlARTI.NIIAS OU MORLNQUES a 60, 80 e 100 O
par.
II
RAPE' Meuron a 10 a libra,
dem Princeza do Rio a 10200
dem francez a 20500 a libra.
m
Gomma deengommar muito alva a 12o rs.
a libra.
FigosemsextinhasaSo rs,cada urna e 72o
rs. a duzia.
Papel azul para botica a 2,ooo a resma.
Balaios para roupa suja, grandes e peque-
nos, por diversos precos.
Amendoas confeiladas a 64o rs. a libra.
Latas com fructas em calda: pera, pecego,
damasco, rainha Claudia e cereja, a 8oo
rs.
Vinagre de Lisboa a 2oo e 28o rs. a garra-
fa e a l,4oo e 2,ooo rs. a caada.
Azeite doce de Lisboa a 4,8oo rs. a caada
e 640 rs. a garrafa.
Vinagre branco j engarrafado a 5oo rs. a
garrafa.
Acha-se fgido desde o da 7 d.> ( ,.
no passado o esrravo de nome F..i i
50 aunos, pouco asta ou meuo>, r- r fu*.
regular, grosso do torpo, t*ni espad,
e ja com alguns eabattaa lran e pernas grojas e bastante r,,to.iiin-.ut r-
nas arqueadas, porm nao mu'-. ImSMSi obmh
nos peiles, e ccsluma quaedo qu> r u-..u u*z
aprestado como que gaguejar, porta, muiic
que mal se percebe : rorinna anda
e as vetea embriagase por soMw Se le
niuoas; snppde-ae que .le .-eguk ra o o i
lalvez em Lusca dos sertes : poruni., mm m
autondides policiaca que o fac>a. n(, .. .nkr e
coodnzi-Io ca.-a de siu >mbor. o i ajor Ad; n,r<
da Silva Cu.mao, na ra Imperial, f rr P.raac.f-
co, que satisfar toda e qualquer dep^ra qne pjr-
ventura a^am, e aos capiies lie ra.po i ttcnr
urna boa graiiliravo. Outro >im pede a nm bar-
ventura o tenlia acontada, que o m sta mm, isa
nao so nao proceder contra qonlqner n:\i- <. f
em casa, como mesmo graiiiieara e parara' loSa a
despeza com a sua conduccao.
A


"%
RIVAL
SEjII SCaOUIVOO
Ra do Qneiniado ns. 49 e 55.
Conlloa a veader todas as miudezas que abaixo
a libra. declara por precos admiraveis.
Massos de palitos lixados para denles a 100 rs.
Espelhos de molduras douradas a 200,240 e 320 rs.
Bonets de oliado para meninos a 15000.
c ifln -, r(! ihra pm a:Ta m I Ditos de couro superior fazenda a J^oOO.
rs. a ra, en Frascos com superior tinta rocha a 240 rs.
faz abatimento.
Sal refinado era frascos a 500 rs.
Salame de Len a 25*.
Sardinhas de Nantes de todos os fabricantes.
Meiadas de linha froxa para bordado a 20 e 60 rs.
Babado do Porto, fazenda boa, vara a 80,100 e
140 rs.
Varas de franja branca estreita a 40 rs.
Caixas com 100 envelopes, fazenda fina a 600 rs.
dem de Setubal em latas muito grandes a1 Grozas de pennas de ago, fazenda superior a 300 rs.
7-20 rs.
Stearinas a 600 rs. o maco.
T
TOUCINHO de Lisboa a 320 rs. a libra.
Tomate em latas a 600 rs.
Tinta azul e preta para escrever.
VINHOS!!
de cinco macinhos.
w Principe Alberto, de 1831, a
DOCES de todas as qualidades: brasileiros, Veno ect'a^Urafa8'
portugueses, mglezes, francezes, etc. ele. J^^j^"gj, a garrafa.
E Duque do Porlo verdadeiro a 20 a garrafa.
ERVILHAS seccas a 120 rs. a libra. Duque a 10 e 10500.
Chamisso a 10, 10200 e 10500 a garrafa. I Pa,rj|e sapalos de.,raDCa Para meD'nos a i5 e
D. Luiz a 10 a garrafa. | Caixas cm superiores agulhas a 240 rs.
Moscatel verdadeiro de Selubal a 20 a gar- Libras de laa sortidas de bonitas cores a 7,5000.
rafa. Caixas com superiores obreias de massa a 40 rs.
Bodlnhas com alflnetes francezes muito superiores
a 20 r**
dem de araruta a 320, 400, 500 e 800 rs. Cola.res a 900 rs:,a Sa[rafa \ unico "" Rest">s ^ papel almaco a 2*400 e 2800 rs.
ervadoce a 400 rs. a libra.
F
FArRsINa"bnS S ^ 8 ,braS Para Cma a 12 Clvelos a 10.
Duzias de meias cruas encorpadas para homem a
3*000.
Grozas de botoes madreperola finos a 300 e
e 640 rs.
Caixas com 30 novellos de Clinha do gaz a 700 e
900 rs.
Caixas com superiores obreias de cola a 40 e 80 rs.
Pecas de fita branca elstica com 9 varas a 280 rs.
Varas de franja de laa para enfeites de vestidos a
40 rs.
Baralhos dourados superiores qualidades a 400 rs.
i Novellos de linha com 400 jardas a 80 rs.
: Livros para assentos de roupa lavada a 100 rs.
00000 a gar- Pares de botoes para ponho, fazenda rica a 120 rs.
i Tesouras para costuras superiores qualidades a
400 e 1*.
Caixas de pennas de calligraphia, fazenda boa a
15000.
Massos com superiores grampos a 30 rs.
Pares de sapatos de tranca e tapete a 1300.
AZEITE
Azeite doce refinadoem pequeas latas a 560 rs. a garrafa : no grande armazem
da Liga. e
MAttAO
Saceos de 80,100 e 120 libras a 40,40500 e 50 ; no grande armazem da Liga.
Figos de comadre a 160 rs. a libra.
Feijo verde em latas a 600 rs.
Favas em latas a 600 rs.
Fumo do Rio a 500 rs. a libra,
dem americano era latas a 20.
Farello ha sempre em doposito de 500 a Kirsch a 20 a garrafa.
800saceos, de todas as qualidades, de to-; Wermouth a20, e a caixa a 180.
dos os tamanhos e de todos os precos. Bitter Maurer a 10 a'garrafe,
Vende-se urna burra de ferro grande
em perfeito estado e por commodo preco :
na roa do Apollo n. 20.
nho que se pode beber por nao ter com-, Besmas de papel de peso fino a 2*000.
posico alguma. Escovas para roupa, fazenda boa a 720 e 1*.
Lanternea800rs.agarrafa. rSSffsT teSUraS Cm t0qae de ferrugera a
Bordeaux Medoc a 800 rs. a garrafa. | Duzias^ facas e garios de cabo preto a 3*000.
dem S. Julien a 600, 800 e 10 a garrafa. \ Talheres muito floo para criangas a 240 rS.
Absyntho a 20 a garrafa.
PEMCHA SE
&$
Madapolao muito fino com pequea toque de avaria, por preco que admira : na toja
das columnas na ra do Crespo n. 13, de Antonio Correa de Vasconcellos & C.
Grande sortimento de roupas feitas de to-
das as qualidades,
Caigas de casemira a 6* e 7*500, ditas pretas a
6* e 8*, caigas de ganga a 25 1*800 e 1*600,
ditas brancas a 2*, brim de linho a 3*, 3*500 e
4*, paletots do alpaca branca a 4*500, ditos pretos
a 3* e 3*500, ditos de alpaca de cordo a 4*, e
de listra de seda a 4*300, ditos sobrecasacos a 5*,
paletots de casemira a 5*, 5*500, 6*. 8* e 9*,
ditos sobrecasacos pretos.a 12*, 15 e 16*, ditos fi-
nos a 25*, de cores a 13*, ditos fraques a 14*,
paletots de ganga a 3*, 2*500 e 2*, dilos de brim
ros Germano
RIJA NOVA X. ti,
Vende-so urna taberna na ra do Cordoniz n.
7, livre edesorabaracada : quen pretender dirja-
se a mesma, qse acaar com qaem tratar.
Vinbo do Porto superior em oaixa de duzia,
tem para vender Antonio Luiz de Oliveira Azeve-
do & C, no seu escriptorio ra da Cruz n. 1.
Lagdo para calcadas.
Vende-se muito bom lagdo para calcadas ear-
mazens chegado agora : a tratar n ra do Apollo
n. 4.
Calnagas Anos e brlnqnedos
para meninos.
Lhegaram para a loja de miudezas da ra do
Vende-se um carro de carregar gneros da Queimado n. 69, os mais finos e lindos calongas
alfandega, com uso, e lodos os pertences de outro (tanto para brinquedo de meninos como para cima
igual, tudo por preco milito commodo : a tratar. de mesa : na mesma loja se encontrar bom sor-
do peo de S. Pedro n. 4. j tinento de miudzi.
nrV firX &U&d*Sr? P* nrft T 2Caba ,dfi receber nm lindo e mVnifico 'sortimento
a J. *', 60O.^5O2ff^-4^O^e fc^o.deoculos, lunetos, binculos, do ultimo e mais
covado, moreantique preto a 2*600 o covado. gros- awirado gosto da Europa
denaple preto a 1*500,1*800, 2*, 2*200 e 2*5001 -. *. mT P---------------------------
o covado; e ootras muitas mais fazendaa que se,^lovena "e AOSSa Senhora do
deixa de annunciar, e manda-se levar pelos caixei-' C'armo e de SaalMnna.
(ros da loja da arara casa dos pretendentes. Oj Vende-se na ra do Imperador d. 15, offleina
e tabelecimento est aberto at as 9 horas da noite, de encadernacao : o offlcio, salve e versos neve-
ruada imperatriz n. 56, Mendes Guimares. na e salve de NossaSenbora do Carmo, tres fo-
Vende-se urna ptima escrava moca de boa I.?.'08 Por 500rs.,ea novena de Sant'Anna por
figura : a tratar na ra da Cadeia n. 40, loja de i0 rs-
GAZ GAZ GAZ
Vende-se gaz da melhor qualidade a
120 a lata : nos armazensda ruado Im-
perador n.16 e ra do Trapiche Novon. 8.
Fardo a 40
Vende-se farelo novo, saccas com 90 libras, pelo
barato preco de 4* : ra da Madre de Dos n-
meros 5 e 9.
INSTRUMENTOS.
Vndese por baixo preco, e ainda em perfeito
estado, um instrumental completo, ou cada Instru-
Acham-se fgidos os ese-raro* *ffxdttm :
lo, pardo, alio, .^ecco, cabellos aoneLdos *< tar-
ba, testa larga, falla um pouco desrawWa rtm
alvos e um pouco limados e Luiz. rixi^., muh
regular, barbado e ja com alguns c*bHii braaeat.
corpo regular, bastante cabellado, hi a gro-a t
as vezes fingese ronco : porUnio p-d-*, a-
toridades policiaes e optan de can.po ..nt .-
Cam apprehender e condozi b i ,-s-.. | nhor o major Antonio da Silva Gusi.: V. z,j rra Xa-
gusta n. 98, que serao generi-ame- v r^- mmtm-
sados, e lhes pagar toJa despeza i e liaer^<.i t*
a ua conduccao ; ?up!'.'*e qm .
em seguimento do serloes pjr eren Bkm mm
lugares.
Escravos ftigidob.
Ao amanbecer do dia 16 do correle mn /*>
ram os escravos seguintes : Thevdoro. relo 4e
Daro, alto, ebeio do corpo, maior de 30 anac*.
barba bastante rente, falla castora. < qoaixto pn
nuncia as paiavras, oa labios qne mc grossos. ie-
mem alguma cousa, tem r.o branco do otho* pra-
cipios de carnosidade ; Virissimo. mualo, nm
pouco claro e alguma cou-a plido, magro altu-
ra regular, tem marcas de bvzigas e ?spinru- m
rosto, os denles limados, as pernas c.m algnn
e largas cicalrizes, e anda como qnem teta W\
nos pes : qnem os apprehender ooeira er>o ^_
seu senhor em a ra da Aaccran. i. ceno t
que sera bem recompensado.
Fugio no da 16 de jolho do rorrele aotto,
a mulata Suzana, aqnal tem os signaes seguiiitf :
altura regular, corpo cheio, cor ciara acabe dada.
cabellos corridos e bem aparado*, rara chata, la-
la estreila, olbos pequeos, nariz ebalo, boet.
grande, beicos finos, falta de deo**, otaos emas
e dedos curtos, idade pouco mais oa menos W *-
nos, v natural do sertao, leroo vestido de cUoa
escura com palmas brancas e panno da rosta. Li-
la sempre rindo-se : pede-se as aatonJ; \ -
ciaes, capilaes de campo ou qoalqner qoe
souber leva la ao seu senher na crac da Iideproj-
dencia loja de chapeos n. 14 e 16, qo seii pot-
rosamente gratificadj, ao mesmo poseo qoe orel
ta ser contra qualquer que o teaha ai-.-utaa, oois
ha noticias que esta dentro mesmo da cidade acos-
tada e se asMtn esta pessoa qne a r eotr(ar
do contrario ser oooida com todo o rigor da ki.
Ausentou-se no dia 2 do correte oa meio 4U,
da casa da roa do Imperador o. 16. o preio i \imwm
do, crioolo, cheio do corpo, aliara r-gr.lar, rjeto
comprido, olhos peqnenos e poora barba. n*a sm>
sa e bigode. bastante ladino, reprsenla ter 19
annos, pouco mais on menos, e jolga-*e ter li ndo
calca preta e camisa branca ; este e-rraro fot coa-
prado ao Sr. coronel Galvao, doLimoeiro, paro es-
de se julga lenha fgido, mas ha qnem o leaos
visto na Passagero da Magdalena, Remedios e Var-
zea; e como se desconfia qne esteja mimad,
protesta-se proceder contra quem o liver rulssfci.
e pede-se a quem delle der noticia on o agarrar,
que dirija-se a sobredila casa, ou a roa do Creso*
n. 13, que ser recompensado.
Fugio o escravo Angelo, crioolo, carapiaojal-
------------------------> tedeum denle nfrenle, barba serrada, a
rl'llllll cbato, altura regular, cabelles caraomboe,
.."""' grandes, corpulento, anda corcovado, julta-se i
Vende-se farinha de mandioca, muito nova, sac-1 nesta cidade : quem o pegar eniresneai
eos grandes a 4* : no armazem de farinha da pon- Lirramento ao Sr. Antonio Gonealreo da,
ment por si: a tratar na roa do imperador |n. 12. ^Kdr^eS SfiS.^ ^^ "* IS &*%!%* **' ^^
-------------


Diario de rernambnco Quinta felra 8 de Agosto de 1965.
_____ _______
LITIRMTM.
Galera dos bispos Lrasilciros elaborada e offereci-
ila ao Instituto Histrico e teographieo Brasi-
leiroeui 1862, pelo padre Lino do Monte Car-
uido Luua, socio do mesnio lustilulo.
PROVINCIA DB PBWAMBOCO.
V
D. Fr. Carlos de S. Jos e Souza.
li' por certo singular e tatvez o pruueiro fado,
que a historia patria possa registrar em suas pa-
dous homeos oaturaes da mesrua provincia,
irmos germanos, r da a.;suia ordem, ambos dolados de i
esclarecida, ambas mestres, ambos conhecidos na
sociedade como cultivadores das leitras e ambos
finalmente recebaren) a mitra eempnnharem o b-
culo episcopal !
A provincia do Pernarabuco e a regiao carme-
entao, quando annuio com prazer ao convite, quo Cerremos, senhores, cerremos esse vn doura-
Ih fizera tira religioso, que (ora sea discpulo a do, que guarda posleridade os actos humanos
prestar-se sua ordenagao em alguraa tregoa que desse amigo, que, avisado pelos anjos, foi receber,
experjmentasse em seus padecimentos. do thesouro das gragas celestes o premio de honra
Chegou, porm, esse dia to almejado. Se Per- de suas eminentes virtudes, e, encaremos por ins-
nambuco teve o regosijo de testemunhar no nno tantes aquello negro sudario, qne nos revella o na-
de 1841, o acto da sagracao do blspo, effectuada, da do ser humano I
pela vez primeira na provincia, na mesma igreja! 0 canlco funebre-sagrado dos levitas, as har-
soa que treme de fri por nao ter com que cobrir
saa nudez, nosso irmao e alm dlsso, o nosso
Pai commum, que esl nos cns, recebe corno feto
a elle tudo qnanto por seu amor flzermos a nossos
irmos qne soffrem, e quando estendemos nossa
mao em soccorro do pobre, a mao de nosso Pai ce-
leste se prolonga desde o allissimo dos cus at nos
para receber essa esmola, que se converle em pe-
do convento do Carmo, presencien no anoo d. "^^.^^toe^nvMto ^1^1^'^ ^ara ns e para a|Uelles
1848, o acto solemne em que o Exm. Sr. D. Fr. gnbreroontonos dos bronte do campanario,- P^ q^ a appl.carmos.
Garlos com suas vestes episcopaes confera ordens tr8teM> e 0 acabrunhamento, qoo sedivisa.no
de presbytero um fllho do Carmelo.
Quando entretanto, o venerando bispo
bem lisongeiras
Nao somos obrigados a impossiveis: porm se
' semblante de todos qne aqui vieram cumprlr o ul- emos rauito, muilo devemos dar, e se pouco, demos
numa timo dever do dever, o ultimo dever d'amisade, e, de boa vontade oque fr possivel desse pouco, que
esperancas bem lisongeiras -de restabelecer-se e sennoreS t0(i0 le fnebre cortejo uos dizem que assim nos collocaremos as flleiras dos amibos de
nlelligenca seguir para a sUa anaada diocese, seus planos se a|gUenli qU6 n0S era charo-passou I : Deus, e seremos recompensados com extraordina-
frustararo, porque os (los vltaes estavam a con- ,ia usara
cluir-se I Sea morbo agravando-se de urna raa- ^ DOi resU uma consolagao, senhoro?, e que
neira espantosa, zorabando de todos os soccorros felizmente o povo nao fulrainou sobre o cadver do Usurarles I Que melhor usura podis receber
da medicina, roubara-lhe a preciosa existencia de- nosso sem',re lembrado am'8 lerr,vel auailiema ; desse dinbeiro, que Deus vos conflon, e com o qual
pois de fortalecido com os soccorros espirituaes, do-o maiiwMj/ llanto vos encommodais e flagellais vosso proxi-
no dia 3 fabril de 1830. Seu corpo foi enhuma- E' aue> a voz do Povo c a vo* de DeQS> e Deus mo ?'
dia 'i de novembro de 1777, do legitimo matrimo-
nio de Cario; Jos de Souza e D. Mamona Macha-
do Freir, e era irmao de D. Fr. Pedro de Santa
Marianna, bispo titular de CrysopoUs.
I'.ecebida a educago domestica, ua qual
mjraram o seus pas, passeu
a, a rrequentar a aula de latinidad, e depois a de
rhetorica.
Nessa poca em que os pais de familia eram
obligados a dar um de seus filaos para o servico
militar, foi Carlos Jos de Souza o designado para
e.te mister : seutou praca no excrciloj masacran-
panbava-lhe sernpre uma eoacco porque se va
raembro de urna classe, ijue com quanto mu i res-
pellavel, todava nao mereca suas sympathias, e
nem se casava com as suas inclinares.
Pouco tempo, porm, melilou, e apenas conse-
guio dispensa desla profissao, foi procurar a clau-
sura como arca de refugia aonde ia expandir os
seus anhelos. Tomn o habito da ordem carmeli-
ta rearmada de Pernambuco, e fez sua profissao
no convento da cidade do Itecife no dia 4 de de-
zetnbro de 1797.
No collegio de sua religo deu elle nao equvo-
cas provas de sua fecunda iutellgencia, e avanta-
jando-se entre os seus companheiros pela somina
de conheciraentos, que havia adquerido, recebeu
no m do cellegio, a palma do ment, as patentes
de leilor de plnlosophia c llieologia ; materias es-
tas, que lecciouiiu aos religiosos do convento do
Recite e por muitos anuos illctou particularmente
a sciencia pbosopbica u.ocidadu esperaugosa, a
qual sabia ttcer-lhe os merecidos encomios.
Seu nomo conhecido e mais conhecldas as bellas
qualidades que possuia, o Exm. Itvm. Sr. nuncio
apostlico arcebspo de Nesibi, por breve de C de
novembro de 1SS), dignou-se de nomear ao padre
mestre Fr. Carlos de S. Jos para o honroso lugar
de visitador geral de sua ordem em Pernambuco,
commissao sobremanera importante e melindrosa;
mas que elle soube desempenhar com acert epro-
bidade ; porque seus actos nao desrr.cnliram a m-
xima coufianca, que Ihe depositara aquelie delega-
do apostlico e nem feriram os interesses da or-
dem ; tanU.' assira que no auno segnilO, foi elle
escolhido pela conimonidade para u lugar e pro-
vincial, que ooecupoupor duas vezes com a raes-
ma circuinspecgfio e zelo, bem cerno anteriormen-
te '.avia sido eleito definidor, mestre de novicos e
secretario de sua ordem.
Teve a distincta honra de governar com dous
respeitaveis eeclesiasticos, pelos anuos de 1832, o
bispado de ?erna;nbuco e seas actos respiravam
seipre justica, sabedoria e caridade, e eorrespon-
derain em luda sua plenitude a illimiada conlian-
ca, que nelle e nos dous nietnbros do governo, de-
positava o respectivo diocesano.
Foi escolliido pela presidencia da provincia, pa-
ra director do coliegio dos orphos da cidade de
Onda, aonde desenvolveu a ternura de seu cora-
go acerca da beila educago.que prodigalisava aos
meninos entregues aos seus cuidados.
O governo da provincia, quando era oceupado
dignamente por um cidadao prestimoso o Exm Sr.
Francisco do llego Barros, boje visconde da Boa-
Vista, apreciando as qualidades eminentes e varia-
dos conheciaientos do p/re mestre Fr. Carlos, o
n r rarln- il > un uo ioju. oeu uorpo o eiiiiuma- ---------
iiana comam esta gloria, porque vr. wrios : do ^ cape|la.njr do Cnven[0 do Recife ao iado nao amaldigda a quera sempre viveu submisso s
S. los e Souza, nasceuna cidade do l.ecite no | do evangt,.|)0 depoj. qQe M celebraram com a so. suas sanias leis I
'euiidade devida, as exequias e ceremonias que a Basta ; digamos o ultimo adeus a sombra vene-
santa greja recominenda. (1) randa desse amigo, que se floou, desse amigo, que
Nos paroximos da morle, nesses instantes, que vindo presidir a visita que fazemos ao seu tmulo,
Ihe resiavam de vida nao foi do venerando bispo, NPassa lriste Por enlre nos- bem dizendo aquelles,
Carlos Jos de Sou- esquecida a sua diocese, e nem o seu convento por 1ue ainda amara> alra-tumulo I )
que em d.sposlco testamentaria legou elle ao se- Por elle oremos com ervor> 1ue se aProxima a
minario doMaranhao a quantia de quatro contos manso celeste... e vos, Senhor, nos humilde-
de ris, sua livraria, e mais objectos : trezentos mente o supplicamos, abri-lhe as portas da eterni-
unl ris, e o producto dos movis, e roupas de seu dade.
uso, para os pobres suas ovlhas : ao convento do
Carmo, alm da quantia de um cont de ris, quiz i
que a sua cruz episcopal, que deixava, servisse .
de ornato anuualmenle|ao palriarcha S. Elias, em {
dias de (estividade : uma prova inequvoca de
amor sua ordem I j SoDra 0 Evangelho de S. Lucas, capitulo VIH v.
Seu nomo ja mais ser apagado da lembran^a i a IXCorapadeoo-me desta mullidlo, porque
nao se poder communicar ao marido, caso ella
case.
Segundo informacoes que temos, o gato promet-
i vlver muilo.
Esta gordo e folgazo.
elegantes, descendo dos sens trens e
mais lindas fllhas pela mao, haviam-se aj
p da rotonda onde j eslava a msica o 1.*
ment da guarda.
Al s cinco horas da larde (o ebegaado todo o
mundo. A perguuia de lodos.
Sabe o que vai haver T
Havia a resposla :
Nao.
Euiliu), soou a hora solemne.
Um sugaito que ninguem eonherea sabio a
um palanque, c com voz commovida fri om bre-
ve discurso em que annnnciou a grande aova-
Disse :
Em verdade as flores sao bellas ; u
perfumam o ar com os seus odores bal
Disse.
soo<
LM POUCO DE TLIIO.
do claustro Carmelitano e da provincia de Per- i acompanham-me ha 3 das, e nao tem o que comam
nambuco que Ihe dera o berco. escreve o Cruzeiro do Brasil:
Nao esta a primeira que Jess Chrislo se v
rodeado de uma raulldo de povo, que o acompa-
nha constantemente por dias successivos, famintos
Discurso pronunciado pelo Revm. padre P. Duarle, da sua Ct,estia, doulrina e ^ la, wrte absorvidos
no stimo da do fallecimenlo do Dr. Ignacio que nem se |embram da preciso de tomarem al-
Nery da Fonseca, quando, na igreja do Carmo,gora alirneut0) n5o dando mesm f do desfallec-
visitou-se seu tmulo. |ment0 de forgaSj qua ja alacava a seas falgaC|OS
c S/iiri(iis meus allenuabilur, dies membros I
mei, brevtabuntur, nt solum mihi I ____. --.-m.~. ,
superest sepulchrum. D,vino Salvador, vindo em soccorro desla fa-
i v: de Job.) minla mulllda0> D0S da, nao so exemplo da cons-
_ _, tanle providencia cora que vela sobre nossas ore-
Tambem vim, meus senhores, tambera vim car-
cis5es, e que por isso a falta de meios para acudir-
raos as nossas necesidades nao nos deve jamis
embaracar no caminho da virlude, como tambem
nos ensoa com o seu exemplo quanto cuidado e
zelo devemos empregar em soccorrer aos necessi-
tados, ainda mesmo antes que se lembrem de nos
E, eu, que venerava esse distncto cidadao, eui I recorrer em suas afflicQoes.
que sabia aquilatar esse nobre carcter, esse cora-
gao demasiado generoso... tambem vim fesia
mortuaria depositar no aliar d'amisade uma tosca
grnalda de perpetuas, e saudades! E' nm humil-
regando a minha pedra para o monumento da sau-
dade, que sobre o tmulo do Dr. Ignacio Nery da
Fonseca vao erigirconfio, amor, e amisade I
CoragiSo de uma mulher desolada, amor de Albos
em pranto, e amisade de amigos prestrnosos I
Compadece me desta mundao, porque me acora-
! panham ha tres das, e nao tem o que comam,
l-se no Evangelhs de hoje : te, se os deixar ir as-
. sim, de-fallecero no caraiuho, porque alguns vie-
de presente, senhores, comprehendo; mas reparai rafll de longel
bem, que se nao ha symetria, na grnalda, que se | Erain en,5o 7 os paes> que se encoolravara entre
e,ta mal eutrangada, que se nao exhalara perfume elles e a)guns pe,,uano peixes, e a vista de to in-
suas flores... as flores eslo reverdecidas... eu sigm,iCiUlle provimenlo para to numerosa multl-
orvalhei-as com mea pranto. | do que excedia a 4>000 pes ,oas> nao nesilaram Qs
E' que, meus senhores, as lagrimas que verte discpulos de Jess Christo em Ihe dizer :
um amigo, urna esposa, um filho, um irmao sobre
I lousa, d'aquelle que ainda Ihes vive n'alma, e
no pensamento... sao lagrimas, que nao mirram
o eoracSo, nao esterelisam suas mais doces emo-
goes I
Anda bem poneos dias, ueste mesmo recinto
nos o vimos em cadver I Era sempre uma conso-
lacao, que atravez de nosso justo pesar vlnha como
E' impossivel, Senhor, achar-se oeste deserto
pao para satisfazer a to grande numero de povo I
Mas o milagre da multiplicarlo dos pes se re-
prodiu, mandando Jess Christo assentar toda
aquella raulldo : e aos discpulos que distribais-
sem por toda ella os seta pes, que elle tomou pri-
meramente em suas divinas maos e os beiueu, as-
sim tambem os poucos peixinhos; e toda a mull-
que derramar sobre nossos coragfles algum confor- dao fo farU e a|Qda sobra-raffl ra ,QS en.
to... por que o vamos i cheram se,e cestos,
Mas hoje !... hoje apenas uma sombra veneran-1 E'assim que acontecer a todos aqaelles que
da, que, oceulta as nossas vistas, preside triste, e verdaderamente comiserados das penurias do seu
silenciosa a visita do seu tmulo. | prximo, Ihes estn lerera a mao para curnprmi-
0 involucro mortal baixou campa, dexando rem com grande precelto do Evangelho.
apenas em sua passagem sulcos profundos, qne fi-' Dai esmola segundo vossas posses; porque a es-
zeram as lagrimas, dos que prantearam entao a mola aPa8a 0i Peccados : oque Bzerdes a um des-
ausencia eterna do amigo dedicado, do cidadao pa-!les Pequeos eraiseraves, fa-lo-heis a mim I...
cinco, do honesto collega, do pai extremoso, do es-1 EsSes bens' Por mais desfalcados que forem pelas
poso desvellado, do irmao carinhoso, do catholico esmolas que flzerem, tornar-se-ho sempre to
constante, do protector da pobrezi, e... senhores, abundantes, quanto fr, a boa vontade com que li-
chamara no anno de 18*41, para reger a cadeira de |d0 I)robo devedor, que inclinndose 15o profunda-. zorem as esmolas por amor de Deus, e sempre ha-
philosopbica do Lyceoda cidade Jo liecife, conQan-
do-lhe depois as attribuicoes do honroso lugar de
director de.-te estabelecimento litterario, pela re-
nuncia que havia feto o Exm. bispo I). Thomaz de
Noronha, que dignamente oceupava ; lugares estes
em que o padre mestre Fr. Carlos se houve com
desenvolvimento e inteireza.
Como versado as materias theologcas era sem-
pre chamado pelo respectivo diocesano para ser
examinador synodal do bispado, misso que sabia-
m.-ute desempenhoa em diversos concursos.
As qualidades singulares e a illustrago nao vpl
gar, (jue na repblica das lettras, gozava o padre
mestre Fr. Carlos, qualidades eslas preconisaaas
por grande numero de pessoj que delle beberam
multas das quaes anda hoje bouram as suas cra-
zas, fizerarn que o monarcha brasileiro o escolhes-
se para bispo da diocese do Marauho, por caria
'mperial de 13 de maio de 1843.
ConQrmado por lettras apostlicas de 24 de Ja-
neiro de 1844, recebeu o Eim. Sr. D. Fr. Carlos
de S. los, B sagrag) do episcopado na igreja do
convento jlo Carino do Recife, no dia 2 de julho do
mesmo ann.i, Sis mfios do Exm. bispo diocesano
D. Joo da Puriticago Marques Perdigio, sendo
assislentes de acto o Exm. bispo resignatario de
Olnda U. Tlioraaz de Noronha, e o Rvm. provin.
cial da orden carmelita Fr. Joo de Santa Isabel
Pavo; acto na verdade pomposo pela vez pri-
meira visto em Pernambnco, e que enebeu de jubi-
lo e gloria .os que a elle assistiram.
De Pernambuco parti o novo bispo para a pro-
vincia do Maranhao, e fez sua entrada episcopal
no da 28 daquelle raez e anuo.
Depois que carraosamente apascenlou por espa-
go de tres annos, a grey, que pela Providencia
mente ao verediet da justiga dos bomens, perdeu o i ver abundantes sobras,
equilibrio... tombou no tmulo. Qam a Vjsta desb-s tocantes exemplos de com-
No era, senhores porque elle j pizasse os j miseracao do nosso Divino Salvador pelos que sof-
urabraes da eternldade... nao era per qne fosse \ friam, poder, estando em circumstancias, endure-
um valetudinario, ou ura desses entes malfadados, | Cer seu corago a tantos soffrmentos, a tantas mi-
que transium, quaes espectros pelas nossas ras, serias de milhares de entes desfavorecidos, que Ibes
pelas nossas pragas...
Sempre robusto, sempre com aquelie britho da
jav >ntade, elle... o noso amigo, gozava uma sa-
Ihe
estendem as mos supplicantes para delles obterera
uma esmola, um soccorro ?
Como vermos com insensibilidade tiritar de fri
meio da esmola seus peccados?
e as vezes com aspereza, a
E' do Sr. Cyrillo de Lemos esta poesa :
CARLOTA.
Como forraosa Carlota
Quando nos labios Ihe brota
O sorriso seductor I
Parece um anjo adorado
Por Deus ao mundo mandado
Enslnar nm santo amor.
Tem um olhar to travesso
Que nenhum igual conhego,
Nem se viu Jamis assim,
Mas o brilho mu fogoso
Lhes modera o vu sedoso
Das pestaas de selim.
Tem de seda a loura tranga
Que na fronte Ihe descanga
Um diadema formar;
Tem dentes de per'la fina
Que os labios de coralina
Vm ainda realgar.
Tem a rosto alvo e mimoso
Como si Deus amoroso
Lbe talhasse o puro oval ;
Tem as mos to delicadas,
Que se diriam formadas
Do biauco lyrio do val.
Tem a cinta feiticeira
Esbelta como a palmeira,
Que se alela no serlo ;
E de alabastro seu seio
Que se agita ao doce anceio
Dos pnlos do corago I...
Mas essa joven lo bella,
Essa pdica doozella
Inda amor nao couheceu 1
E' virgera seu pensamenlo
D'esse ideal sentimenlo,
Que ella mesmo ao mundo deu.
|o C11RSPULC0.
Eu amo essa hora da urde era que o sol douran-
do as grimps das raoutanhas, nos dexa .o corago
transido de doce e melanclica poesa.
E' nessa hora solemne que o creute nos arrou-
bos de pura e siucera inspirago, eleva ao cu as
boinenageus da sua adorago.
Deus anota mais sublime que tere as cordas do
corago humano na hora do descambar do sol.
O arroioque brandamenle se desusa por sobre a
campia esmaltada de flores j a cscala que as
quebradas da montanha eslende suas cristalinas
aguas ; o passaro que sobre a folhagem se despede
do dia no seu ultimo e saudoso gorgeio ; o sino
d'aldea que toca a Ave Mara, tudo nos diz na voz
magestosa do crepsculo que Deus vela por
nos.
Nao sei que mgica tristeza nos irabebe n'alma
esse descambar do sol ? I...
Eu amo essa hora da larde, porque ella triste ;
porque eba se casa cora a minha alma que tambem
triste.
A hora em que mais pura e fervorosa deve ser a
oraco a hora do crepsculo.
Desligado dos vaiveus desle mundo, e, concen-
trado em si mesmo, o bomem, uessa hora solem-
ne, pode mais particularmente fallar a Deus as
harmonas do seu corago.
Quem ao ouvir o sino que chama o fiel a ora-
gao uao sent vibrar em seu peito essa tecla que
dizmelancola ? !...
Oh I lempos que j se foram, e que jamis vol-
taro, I...
Minha mi, minha doce mt I...
Nessa hora solemne, com o corago confrau;i-
do por essa doce tristeza, a prece que se des-
preude dos meus labios por ti que eu a oV
reco.
ueus a alfaya cariuhoso, porqu a prece do li-
A Nacao publica o que segu :
Teodo os jornaes fallado bastante desta uavio
terrive, julgamos nao ser fura de proposito dar
uina noticia desle vaso.
O Taureau aprsenla um aspecto tormidavel,
devidu mais sua forma do que s suas dimeu-
soes.
A iraprensa que produz a de uma fortaleza
iuexpuguavel.
Asuaquilha foi posta era 1863, e, segundo o mas nao vivera se nao o qne vi veos as rosa... c
progrmala, entregue aos engeaheiros; este navio espago de uma maubaa. Senhoras, nao ka
destinado defeza dos porios. vosso lado flores que amis, que desabrorkaa a*
Precisa de pouco fundo e pode portaoto approxi- calor de vossos beijos, que vivera das vo**as ea_
mar-se muilo da costa, e tomar posigo era pontos ricas e do vosso amor ? Nao leodes essas eacaa-
etn que seja impossivel seguido. tadoras meninas, vo*sa alegra e vosso lajiiiao ar
A sua proa muito ponte-aguda e termina n'uma gulho ? Pois as mais bellas que vai roaferir as
ponta de bronze massisso que constitue o esporo. premios a coraraisso de que lenho a honra *e ser
relator.
Tem dois belices que permitiera virar fcilmente,
e e sua machina de 500 cavallos pode dar-lbe o
impulso suulcieule para metler a pique com um
esporo ura navio de alto bordo.
Levar uma grande pega de arlilheria de 20 to-
neladas de pezo.
Pintar o espanto de cada uma e do cada aas
uma larefa a que preciso renunciar ; mas ao es-
pablo succedeu o amor proprio maleroal.
Cada dama olbava, com orgoibo bem aataval
para o anjo que sorria ao sen lado depois eila.'
: va os olhos para o da visioba, esse olhar daa
x\ao tem mais do que urna ponte e esta blindado | trinm|,0 ou juveja
E os coragoes comecaram a pulsar de u
ca e de aociedade.
A orcheslra locou orna pega a qne se i
to pouca allengo e que parecen loaga coa naa
seculo.
Por Ora a derradeira nota morreo em erha re-
de ura extremo ao outro.
Todo o casco est blindado al um metro abaixo
da linha da flucluago.
A ponte e o casco do navio formara umacaixa de
ferro ao abrigo de lodo o projectil, aonde flcam a
coberto no momento do combate todos os homens a
quem nao toca estar na torre.
A coberta forma era toda a sua longilude uma' molo>e d'o*uge.to, seropre grave e sol-
especie de abobada prova de baila, sendo to con- meC0U ass,m a proclamar os premios :
vexa a sua superficie, que se nao pode andar por j Primeiro premio. Bracelete com
ella nem sustentar-se em p. jeopalas. Valor, Mi libras. A Mara C.
Assim em caso de abordagem nao ser possivel Clda em juuho de 1857, esposta pela Sra. C... da
ao iuirnigo saltar ponte do Taureau para o tomar Manorhauds. E' uma menina loura, de oo aa-
de assalto.
le invejavel; brincava cora os prazeres, sorrla-lhe esSes orphos desvalidos, que Deusuoos tem des-
a fortuna, a recordago do passado Ihe era grata; i amparado seno appareutemente para dar occasio
o presente Ihe era prospero, e elle esperava um j ao rico de fazer misericordia, e de apagar por
pui vir veuturoso... quaudo, em um dia asiago, a
perfidia Ihe bateu ao hombro; elle volla-se... j a I Como repellirmos
vio pelas costas... e em seu lugar eslava terrive, | taDlas pobrcZas, que' envergonhadas, se oceultam '"o W roga pela mi que esta uo cu
implacavel, e de fouce erguida o anjo da mor- ^r esses casebres, curtindo, na sua obscura e des-
te I... Pobre de mira I disse elle j apperCebida moradia, o amargor de sua pezada
Desde entao, senhores, que de golpe, em golPe,: existencia ; e ainda mais aggravarmos com uma
de raartyrio era raartyrio elle foi sorvendo o vene-1 repulsa a sua dor, quando, j desfallecidos, uma
noso calix da mais cruel injusliga, at, que nao; ou outra vez nos estendem as descarnadas mos
podendo mais resistir aos embates de tantos dissa- para ihes presiarmos alguns soccorros ?
bores, arrancou, inanido. do imo d'alma profundo: Aht.,. Quando o pobre nos estende a sua mao,
gemido, cahiu n'um leilo de agonas, lutou arca a 5o deve a nossa 0car iinmove|( e nem differirmos
Morreu ; mas por h^q temp0 0 soccorro de que necessita, para
arca com a morle...
morreu
foi vencido
como chrislo, resignado i.. .?......... que se na0 eniriSieca 0 corago do pobre que soffre
Medico'contJsMvmento feliz" o Dr! Ignacio' Nery e nao nos amaldige pelas costas; porque aquellos
da Fonseca era o anjo da esperanga, que assoraa- va cabeceira do afilelo enfermo, as horas de ouvidos sua "nprecagao..
suas mais consnmmtdouras tribulagdas.
A par de urna indicago feliz, d'onde ordinaria-
mente resultava a salvacao do triste doenle a jo- '
vialidade, que Ihe era caraclerislica derramava
Eu amo essa hora da larde, porque ella tris-
te ; porque ella se casa com a minha alma, que
tambera lriste.
Se ao despontar da .aurora tudo nos aununcia
que Deus existe, no declinar da larde, ao coachar
das ras, e nesse silencio que segu ao labutar da
vida, tambera convence-nos da sua existencia.
O hornera o mais indifferente em materia de re
lisiao deve necessariamente ter uma hora no dia
em que, conversando com a sua consciencia, se
arrependa da estrada errada, que lera trilhado,
Se nao fosse bastante o exemplo, que nosso Divi-' essa hora, a mais appropriada, a que mais deve
no Uederaptor, duraute a sua passagem por esle | calar no seu corago. a hora do crepsculo.
Bem dito sejais, meu Deus, que nos dstes esta
va em soccorrer e alliviar todos os que soffriara, | hora de lo doce e pura poesa para vos agradecer-
prodiga-
fra confiada, e prodigalisou sua diocese os be-
neficios que Ihe eram accessivels, graves enfermi-
dades o coagiram a que de seu rebanho tempora-
riamente se apartasse. Cora licenca imperial sahio
da diocese pararaedicar-se em Pernarabuco, sua
trra natal.
Pernambuco coocebeu o maior prazer de vero
venerando Antistele tocar s suas plagas.
O claustro carmelitano se desvaneeeu de jubilo
de tornar a receber, ainda que temporariamente,
o vulto proeminente que consliluia um de seus
brasoes.
U Exm. Sr. D. Fr. Carlos de S. Jos e Souza,
nunca se olvidou do recinto claustral aonde tantos
annos residi: Uma prova de adhesao e amor
sua ordem deu alie pelo fado de ter procurado e
escolhido a mesma celia onde habilou quando re-
ligioso, para Armar sua residencia ainda que por
pouco lempo.
Provou de oatra maneira sua affeigo e a mabi-
lidade para com os religiosos sens companbelros de
balsamo animador, no seio da familia, quejaba- alaria lembrarmo-noa, que nada mais precario mos dos bens, que durante odia nos
, ... ... .do que as riquezas mundanas, que ura revez de lisas,
va desesperado do restabelecimeoto do fllho, do 4 i
/ ,. ,, ,,. u .. i fortuna pode de ura momento para outro reda-;
esposo, do amigo, d aquelie, que Ihe era charo I r r
zir-nos ao mais miseravel estado, como lamo abun-
E, quando, senhores, Deas se araerciava do en- dam ,dos os das semelhantes exemplos.
fermo, servindo-se do medico como instrumento
de sua misericordia-, as emogdes por que passava
esse corago de medico, esse corago de sacerdote
da huraanldade, nao erara emogdes causadas pelo
orgulho, e fofismo do charlatj, que acera por ne-
gaco; eram efDuvios desse santo prazer, que faz
mos, erapenharemos igualmente a de Nosso Senhor Ueixou testamento, que foi hoje aberto na rege-
Jesus Christo, que nos pagar promptamenle e doria de S. Nicolau, e nelle, entre outros, se encon-
serapre com usura. trou o seguinte legado :
Um jornal da capital de Portugal publica o se-
Alm disto Jess Christo expressamente se cons- gumte documento da humana extravagancia :
ttuio nosso devedor, quando disse : o que flzerdes i Fallecen honlem, 22, as II horas da noite, a Sra.
a um destes pequeos e raiseraves, a mim o fa- d Mara Julia da Concetgo, de cincoenta annos
res; e desde que empeuhamos a graiido do pobre de idade, moradora na ra dos Franquetros n. 165,
para comnosco pelos soccorros que Ihes prestar- 4o andar.
transbardar o corago do mestre da sciencia, do
homem sensivd, do homem intelligente, que eslu-
da, que medita, que vive para curar, mas que nao.
cura para v'ver, finalmente, do homem que com
Eis pois, como a esmola se torna ainda mais pro- Tenho um gato que muilo estimo, e no caso de
prebende o que' o que pode, e o que deve ser, vellosa ao que a d, do que ao que a recebe; por ^ver ao terapo do raeu falleciraento deixo-o a Sra.
oara si para Deus, e para a huraanidade! que, aquelie que a recebe, cerlamente alliviado D. Gertudes Candida de F.gue.redo para que o
1 das penurias que o aflligem e-amarguram sua sustente, e trate com lodo o carinho e por isso dei
TlUrado do evangelho da capella-mr, eso-' existencia; porra os bens que recebe em compen- xo mesma senhora o usofructo de 3 inscripges
bre o carneiro em que foi recolhido o cadver do sagao o que d a esmola, sao bens espirituaes, quai de 1:000000 cada uma, bem entendido que este
Exm. bispo D. Carlos, mandara o Rvm, provlgcial 0 fac,|lar n0ssa jostiflcago, a qual poderemos usofructo durar sraente em quanto viver o gato,
do Carmo, Fr. Jorge de Sanu Auna Locio, noan-. conservar fQm Q soc(Jorro da at os ultinios passando'o legado para o testamento por fallec-
coo?eVdolN^^ coraraeraoratrva .^^ da nossa vida( e desde entio permanece. menl0 do gat0 viver um anno depois do
Aqui ja. D. Fr. Carlos de S. Jos e Souza, reli-r ella eternamente, collocando-nos a direita do fallecimento da testadora, recebe a nsofructuaria
gioso Carmilita deste convento e depois bispo da noS50 guprerao Juiz. 50^000 em dinheiro, e bem assim se o gato viver
diocose do Maranhao. Nasceu Jj. DftJ5' I Sejamos, pois, caridosos para com nosso proxi-! cqco annos recebe outros 50.J000.
toMrlor^lrioT9\oso9, mo pois que, essa pessoa que tem tome, essa pes-! Este usofructo pertenceri | dita senhora, e
Toda a Europa sabe que no ultimo Derby Irlum-
phou um cavallo francez o Gladiator.
Ura individuo com toda a apparencia de ura gen-
tientan se retirava do Derby, e percorra cora pas-
so vacillante o passeio de Cheapsld, quando ao pas-
sar por diante da sociedade de photographia, deu
um tropego e traz, o desgragado quebrou um dos
vidros do mostrador.
Que bavia de fazer em tal situago ?
Pagar ou fugir, dir o leilor.
Pagar !
Em primeira lugar, nem sempre se levam no
bolso quatro libras sterlinas, e em segundo lugar,
quando se regressa do Derby, nenhum Inglez, que
se prese de serbom inglez, deve levar um nico
penny no bolso.
u nomem preferio dar s de Villa Diogo, e qual-
quer ao v-lo, irapressionado pelas recentes corre-
ras, o lena tomado pelo cavallo vencedor.
Mas o phoiosrapho, que nao quena flear sem o
vidro, deixou a loja, e deitou a correr atraz delle
consegrando agrralo pelas abas da casaca.
Ah I tunante I Exclamou. Com que pen-
savas escapar-te, maroto !
Devagar, devagar, replicn o gentleman, que
palavras sao eslas ?
Se nao ttnhas tenco de deixar-me cora o vi-
dro foito em pedios, para que fugias ?
Deitei a correr por uma simples razao. Cor-
ra para chejar mais depressa a minha casa para
buscar o dinheiro necessario para abonar o prejui-
so que lenho causado, e voltar a pagar-vos.
Ah I com que a sua lencao era voltar 1 per
guntou o photographo tranquilisando-se e por isso
que deitou a correr ?
J se v, que sim 1
Nesse caso, pego-lhe mil perdoes, supplico Ihe
que continu correudo para que rae entregue quan-
to antes o prego do vidro.
U homem parliu e o photographo... anda o est
esperando.
nos, de estatura esbelta, faces de rosa,
azul celeste velados por cilios de seda, i
tos nao sero victimas d'esses olbos qu
da... Mas nao nos aoiecipemos sobre os acoale-
cimentos.
Segundo premio. Chale de reada breara.
Valor, 105 libras. A Harriet D..., asenta a
agosto de 1856, exposta pela Sra. maraaen de
D... A joven lady tem aove annos ; lambeet -.
loura, mas mais graciosa do qoe a saa rival
Tero por si o tempo para crescer muilo ees belleza,
ra bora senso e em gragas.
Terceiro premio. Porte-booqoei > da aa-
ro. Valor, 63 libras. A Laora M..., aaseiea
1858, esposta pela Sra M... de Wiadsor. E" ama
viva e trefega trigueirioba, de cabellos eaaastra.
dos como uma coroa, qne o aaais bello oraaaseae
de uma mulher.
Que se pode pensar de orna expsita assiaiT
Nao sera boa para animar a garridice ?
Uma mulher sabe sempre que bella, coaa eer>
tificado ou sem elle.
A Inglaterra nao parara em lo bello cani-
nho.
Depois das crengas, chegar a vex s fmr Imites
of England, s lindas miss.
E que premios se Ihes poder conferir ?
Um marido, por exempio. Mas poder aeotle-
cer que fosse bem mo premio.
Talvez as meninas venbam a pedir orna exaoei-
gao de rapazes.
N'esse caso os contratadores de casameatos ea-
dero tratar de outro oflkio.
Se Plutarcho merece crdito, o legislador Ljear-
go ja linha imaginado esse modo de torear o cU-
batarios ao casamento.
Em lodo o caso, devemos esperar que a'esle se-
culo de progresso, as cousas nao se paasarao
tameote como em Sparta.
Reata capital de um grande imperio se celebrou
uma inleressanle ceremonia.
As antigs forticagoes que separavam a cidade
dos arrebaldes, desapparucerain e foram substitui-
oas por um boulevard circular (ringstrasse) que o
imperador Francisco Jos inaugurou com grande
solemnidade.
A Independencia Belga, d conta da seguinte in-
vencao .
Numerosos accidentes tem lugar nos camiuhos
de ferro em virtude da impossibidade em que se
acha o machinista de avistar os sgnaes de aviso.
Mr. Roche, sub-chefe da esiaco de Ecaossines>
invenlou recentemente um apparelho extremamen-
te simples, e gragas ao qual o machinista j na
tem que receiar os signaos a distancia, advertido
do perigo pelo proprio silvo da locomotiva.
Poucas palavras bastaran) a explicar a combi-
narlo.
Prndese locomotiva um pau de forma arre,
dondada que vera tocar um obstculo collocado no
exterior da va.
Quando o pau encontra o obstculo, levanta-se e
faz jogar um systema de alas-aucas articuladas, que
aciuau sobre o machinlsmo em que se produz o
silvo ; o silvo faz-se ouvir e o machinista adverti-
do, para o trem.
O obstculo pode ser posto ou na aproximago
das estagdes, para repetir os signaes rauitas vezes
imperfeitamente transmitidos ao longo das vas
frreas, para permitir aos cantoneros regular a
enarena dos trens que porvenlura se seguissem de
muilo perto ou para prevenir outres perigos.
O apparelho foi j experimentado com bom re-
sultado era multas linhas de caminhos de ferro.
O governo belga procede igualmente ao seu en-
sato.
O Correio do Porto publica o seguinte :
Em Londres tem has-ido ex posigo de cavallos,
de caes, de abelhas, de productos da industria, de
pinturas, de plantas e de rosas.
Tratou-se de ver que mais se havia de expor.
Fallou-se de uma exposigo de gatos; houve
qnem affirmasse que se ia preparar para os londri-
nos uma maravilhosa sorpreza, e todos qnizeram
adivinbar o segredo.
Soube-se por flra qne seria revelado nos jardn?
reaes de horticultura.
Grande numero de damas receberam convite es-
pecial para asslstirem com suas fllhas a uma fes-
la que em sua honra devia verificar-se em 37 de
jnnho.
Quando a curtosidade instigada, ha toda a cer-
teza da qne as damas nunca perdera a occasio de
satrsfaze-la.
Por isso, s tres horas da tarde, as ladies mais
Em 1851, no numero dos visitadores de todos ao
paizes chamados a Londres pela primeira
gao universal em Hyde-Park, conlava-se n
baixada da raiuha de Madaga.-car, eacar
avergnar a causa da grandeza da loe la Ierra.
Sabendo-o a rainha Victoria, espern o da da
recepgo ofcial da erobaixada, e apreseaiaada ao
embaixador uma Biblia aduiiravelmenie
nada, disse-lhe.
Aprsenle isto a' sua soberana ; e
que n'esle livro esta' lodo o segredo da profaerida-
de da Inglaterra.
No mundo artista de Pars falla-se ao rcenle e
inleressanle acbado de uma opera indita t Da-
las zac.
O chistoso compositor escrevia algamas partes
da obra ainda p ucos momentos antes da soa uor-
te que foi em 1809.
A opera se intitula Le poete et le masken.
Diz-se muito bem do spartito qne sera objeeto
de um curioso esludo.
O Sun, folha iogleza, cita orna carta 4a Ame
rica que coala como muita gente, alm do Ataa-
tico, j pensa no modo como ba de ser justes
do o ex presidente dos confederados, JeaW*a
Davis.
Um peridico de Bostn quer que Davis
euforcado no centro da raaior praca do
Unidos, para que lodo o mundo possa aasbur a
ignominia.
Outro quer que o cadafalso seja conslndo e;
madeira de lodos os Estados da Lniao.
Um correspondente de opiaiio qne
conveniente esgaaa-lo com urna baadeira
cana.
Uma mulher de Charleston mamlou ao
rio da guerra orna corda feta expn
seu marido.
Outra mulher exprimi em uma carta paree-r
que a corda fatal fosse composu da
Ihido nos campos de todos os Esta Jos.
Um correspondente da a preferencia ao
da Carolina do Sul.
Um cidadao de Norfolk propoe,
publicada por orna folha da Virgiaia,
se elle mesmo de ju.-ligar Davis.
Um peridico maniesia o desoje de ser e
po do ex presidente do sai reunido aee
Booth.
Outro pede s autoridades que o
com balas dos rebeldes aladas aos pea.
Outro lerabra que seja o seo coreo
as cintas dadas ao vento.
Comtudo a carta publicada pelo
a seas letores na Inglaterra qae
n'essas manifeslacdes os
do norte, mas s os de algoas
zes que nao teem sentido a iafli
lisagO;_____________________________________
PERNAMBUCO.- TYP. DB M. F.DE F. 4 rTLatO
z \
--
da ser a car-
o ase ieea 4a
l
..- -


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EU9ON8M71_SPYJT0 INGEST_TIME 2013-08-28T02:21:07Z PACKAGE AA00011611_10733
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES