Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:10732


This item is only available as the following downloads:


Full Text
ni
v .
.
AMO Ul JPMERO 175.
Pr qaartel paao dentro de 10 das do \. mez : .
dem desos dos 1.' i0 das do conecte dentro do qiartel. .
Port* ao correio oor (res Bezos .*.....,..,,:
|000
6JUO0
7S0

ODAKTA FEIRA 2 D AGOSTO DE 1865.
Por anno pago dentro de 10 das do \. mez
Porte ao correio por nm anno.......
19f00t
I$0M
ENCARREGADOS DA SUBSCRIPCAO DO NORTE
Parahyha, o 5r. Antonio Akx?odrino de Lima;
Natal, o Sr. Antonio Manjnes da Silva ; Araealy, o
Sr. A. de Lemos Braga; Cear, o Sr. J. Jos de
Oliveira; Manaban, o Sr. Joaqnim Marques Ro-
drigues ; Para, os Srs. Geraldo Antonio Alves &
Filhos; Amazonas, o Sr. Jeronymo da Costa.
ENGARREGADOS DA SUBSCRIPCAO DO SL.
Alagoas, o Sr. Clandino Falco Uias; Babia, o
Sr. Jos Martin;; Alves; Rio de Janeiro, e Sr. Jos
Ribeiro Gasparnho.
PARTIDA DOS ESTAFETAS.
Olinda, Cabo, Escada e estacdes da va frrea at
Agoa Pretil, todos os dias.
Iguarass e Goyanna as segundas e sextas/airas.
Santo Anto, Grvala, Bezerros, Bonito, Garuar,
Altinho, liaran lu ns, Bui/ue, S. Beato, Bom
Conselbo. Aguas Bellas e Tacarat, as tercas
feiras.
Paod'Alho, Nazareth, Liraoeiro, Brejo, Pesqnefra
Ingaxeira, Flores, Villa Bella, Cabrob, Boa Vis-
ta, Ouricury, galgueo e Ex, as quarlas
feiras.
Serinhem, Rio Formoso,Tamaudar, Una, Bar-
reiros, Agua Preta e Pimenteiras, as quintas
feiras.
AUDIENCIAS DOS TRIBUNAES DA CAPITAL.
Tribunal do commereio : segundas e quintas.
Relacao: tercas e sbados s 10 horas.
Fazenda : quima- s 10 horas.
Julzo do commereio: segundas as I i horas.
Dito de orphos : tercas a sextas s 10 horas.
Primeira vara do civel: tercas e sextas ao meio
dia.
Segunda vara do civel: quartas e sabbades a 1
hora da tarde.
EPHEMEIMDES DO MEZ DE AGOSTO.
7 L ebeia as 3 h.; 9 m. e 34 s. da m
13 Quarto ming. as 7 h., 22 m. e 28 s. da l.
M La nova as 4 h., 57 m. e 34 s. da m.
29 Quarto cresc. as 9 h., 29 m. e 46 s. da m.
DLAS DA SEMANA.
31. Segunda. S. Ignacio de Loyola f. da ord. jes.
1. Terga. Ss. F, Esperanca eCandade vv. mm.
2. Qu>rta. S. Rotulo m. S. Eroilio m.
3. QuiDta. Ss (iamalipl e Nicodenms mm.
4. Sexta. S. Tertuliano presb.; S. Agalio b. m.
5. Sabbado. S. Euihiquio soldado ni.; S. Sobel ra
O. Domingo. S. Xislo p. m.; S. Agapito diac.
PREAMAR DE HOJE.
Primeira as 0 horas e 30 m. da tarde.
Segunda asO boras e ,14 minutos da manha.
PARTIDA DOS VAPORES COSTEIROS.
Para o ol ai.? Alagoas a 14 e 30; pa/i o lorw
ata a Granja a 7 e 22 de cada mez; para Faraaa-
do nos dias 14 dos mezes de Janeiro, mar^. ,
julho, setembro e novembro.
ASSIGNA-SE
no Reeife, na livraria da praea a rndepeadwacz*
ns. 6 e 8, dos proprietarios Manoel Figoeiroa O
Faria i Filho.
PARTE 0FFEIAL
fiOYBRNO DA PROVINCIA.
Expediente do dia 29.de jullio de i 86o.
Offlcio aobrigadeiro commandinte das armas.
Remello a V. Exc. para os lins convenientes, a in-
clusa guia das pravas da guarda nacional, que vie
ram do Rio Grande do Norte no vapor Pcrsmunya,
escollando recruias para o exercito, os quaes de-
vem regressar a aquella provincia na primeira op-
poriunidade.
Dito ao mesmo. Deferindo o requerimento do
tenente reformado do exercito Flix Miguis, sobre
que versa a sua informago n. 1283 de 28 do cor-
rente, autoriso V. Exc. a mandar dar baixa ao fl-
Ibo do supplicante Geminiano Infante Lumak Mi-
guis, segundo cadete do corpo de guarnigio, acei-
tando em substituigo para completar o lempo de
servigo e paisano Jos Maria Cardozo, visto que se-
gundo a citada informago, e os documentos, que
devolvo, est as condiges do regulamenlo de 28
de setembro de 1839.
Dito ao mesmo.Remello a V. Exc, para terem
o conveniente destino, as 47 inclusas guias de soc-
corrimento dos recrutas e pragas d companhia de
guarnico da provincia do Rio Grande do Norte,
que vieram para aqui no vapor Persinunga com
destino a corte.
Dito ao mesmo.Queira V. Exc. Informar sobre
o que solicita o director da colonia militar de Pi-
meuteiras no incluso requerimento.
Dito ao mesmo.Queira V. Exc. informar sobre
o que pondera o Exm. vigario capitular no incluso
oflicio.
Dito ao inspector da thesouraria de fazenda.
Recommendo a V. S., que, se nao b >uver inconve-
niente, mande pagar ao major commandante do
corpo de guarnigo, Fernando Machado de Souza,
como pede no incluso requer ment, que me re-
metteu o brigadeiro commandante das armas, com
ofljcio de hontem, sob n. 12i, a quautia de 84
rs. despendida pelo mesmo major, com o seu trans-
porte, de sua familia e de quatro pragas d'aqnelle
corpo de Tacarat al Pendo no seu regresso pa-
ra esta capital.Communicou-se ao commandante
das armas.
Dito ao mesmo. Tomando era considerago o
que V. S. expz em seu offlcio de bonlem sob n.
596, lenho a dizer em resposla que pode mandar
pagargafegaMfempaesafeHfcfedR. a-Aflrt***
da gijaEo^saariuQal destacada ne>ia capital, relati-
vos a primeira quinzeua do cadeola mez, e a que
se refere o men offlcio de 27 do corrente. expedin-
do ao mesmo lempo as convenientes orttens para
que os pagamentos dos vencimentcs da guarda na-
cional aquartellada na provincia, coniinuem a ser
feitos u'aquella conformidade como V. S. indica no
seu citado offlcio.
Dito ao mesmo.Determinando o Exm. Sr. mi-
nistro da marinha em aviso de 14 do cadente mez,
que, segundo pede a economia, prosiga com toda a
urgencia a obra da casa que est por concluir no
arsenal de marinha, al que fique ella garantida
contra os estragos das" estages, assim o commum-
co a V. S. para seu conliecimento.
Duo ao mesmo.Mande V. S. abonar em os de-
vidos lempos a consignagao, que secundo o incluso
requerimento, preleude'deixar de seu sold nesta
provincia, o alferes do corpo de polica Amador de
Araujo Pessoa, que tem pe embarcar para a corte
com o mesmo corpo.
Dito ao mesmo. Pode V. S. conforme indica
em sua infoi mago de 27 do corrente, sob n. 530,
mandar pagar ao ex-pariirular do primeiro corpo
de voluntarios da patria, Manoel Ferreira Luna J-
nior a quantia de 35455 rs., que se I he esl a de
ver de seus venciinenlos, como se v dos inclusos
papis, que vieram annexos a sua citada informa-
gao.
Ditoao inspector da thesouraria provincial.Ac-
enso recebido o offlcio de 27 do crreme, sob n.
285, em que V. S. me participou haver Amonio
Domingues de Almeida Pocas, arrematado por i6&
rs. o elheiro, que existe jauto a ponte do Motoco-
lomb, e em resposla tenho a dizer que approvo
essa arrematago.
Dito ao commandante do presidio de Fernando.
Faga V. S. regressar a esta capital na primeira
opportunidade, o sentenciado Francisco de Paulo
Reg Barros, como requisilou o juiz municipal da
primeira vara desta cidade em offlcio de 24 do cor-
rete.
Dito ao commandante superior da guarda nacio-
nal do Reeife. Visto que, segundo os documentos
a que allude a sua informago, n. 201 de 27 do
corrente, o gurda do segundo bala lio de infama-
ra deste municipio, Jos Firmino Bastos, serve de
arrimo a sua av e urna irma oruhas, fica dis-
pensado do servigo de destacamento para que es-
lava desigdado al que se recorra a classe a que
elle pertence.O que commuoico a V. S. para os
devidos efleitos.
Dito ao mesmo.Mande V. S. dispensar do ser-
vigo o sargento quarlel-mestre do esquadro n. 1
de cavallaria Marcolino Jos Pupe, em quaulo esti-
ver empregado como escriturario da companhia
de Beberibe, fisto que assim o requesita o respec-
tivp director.Coir.municou-se ao director da com-
panhia de Beberibe-
D,to ao coinuiandante superior da guarda nacio-
nal de Olinda e Iguirass A vista do que ponde7
ra o director do arsenal de gue.rra no offlcio de 2 ,
do corrente, de que incluso remello copia a V. Si-
desnecessarlo o fornecimenio d* argos deequo
pamento, pedidos pelo conmaadanle do9batalh.
de infantaria do municipio de Onnda, para as pra
gas que deslacam ao presidio de Fernando.
O que V. s. far constar a'quelle commandante.
Dito ao commandante superior da guarda na-
cional de Goyauoa. -Em vista de sua informago
de 18 do corrente, e dos documentos com que in-
struio o seu mesmo requerimento o guarda do ba-
talho n. 15 de infantaria desse municipio Antonio
Geraldo de Andrada, resolv dispnsalo do servi-
go de destacamento para que eslava designado, al
que se recorra a classe a que elle pertence. O que
declaro a V. S. para expedlcao das convenientes
ordens.
Dilo ao commandante do corpo de polica.Au-
toriso V. S. a mandar tirar da thesouraria provin-
cial, na forma das ordens ja' expedidas, a impor-
tancia dedous mei.es de graiilicago. de que trata
o arl. 7 da lei provincial n. 611 de i de nv.io ul-
mar 4 ragas da guarda nacional de Igaarass, Casa oe detenqo.Movimenlo do dia 29 de ju-
que esto empregadaa no servigo da mesma forta-, Iho de 1865 :
leza. Exisliam 346; entraram 9 ; saturan 9 ; exis-
Dito ao conselho de compras do arsenal de guer- ] tem 346 ; a saber : nacionaes 237 ; mulheres 5
ra.A vista do que ponderou o director do arsa-
nal de guerra em offlcio de hontem, autoriso o
respectivo conselho de compras a comprar para
camisas e frdelas do corpo de polica as quinhen-
tas varas de brim branco e duzenlas e cincoenta
ditas de algodozinho, de que trata o incluso pedi-
do, preferindo o mesmo conselho obter esses arti-
gos ja' promptos, atienta a necessidade que ha
delles. Communicou-se a thesouraria de fazenda.
Dito ao juiz municipal da vara desta cidade.
Remeti.a Vmc. para os devidos eTeitos as guias I
estrangeiros 25 ; mulheres 2 ; escravos 53 ; es-
vas 4, total 316.
Alimentados a cusa dos cofres pblicos 182.
Movimento do dia 30 de julho :
Existiam 346; nlraram9; existem 355 a sa-
ber : nacionaes 264: mulheres 6; estrangeiros 23j
estrangeiras 2 ; escravos 54 ; escravas 4, total 355.
Alimentados a cusa dos cofres pblicos 182.
Movimento da enfermara no dia 31 de julho do
1865.
Teve baixa
dos sentenciados de justiga Alexandre Pereira da Jos, escravo de Francisco Bezerra Cavalcanti, in-
Costa Temivel, Caetano Gomes de Faria, Filippe
Joaquim de Santa Anna, Jacob Jos de Franga,
Jos Evangelista do Nasciraenlo, Joaquim Soares
de Oliveira, Vicente Ferreira de Andrade e Vicen-
te Ferreira da Silva Reg, que existem sem ellas
no presidio de Fernando.
COMANDO DAS ARMAS.
jiarld general do conimando das armas de Per-
uaiulmroiia cidade do Ilecife, 31 de julho de
186o.
Oitkm do dian. 91.
O brigadeiro commandante das armas interino
faz publico para os flns convenientes, que o Sr.
major commandante do corpo de guarnico desta
provincia, Fernando Machado de Souza, tendosido
chamado a corte por ordem do ministerio da guer-
ra de 13 de maio ultimo, devolveu o commando
termittente.
Passageirosda barca iogleza Iraveller, vindo
de New-York :Cnsul amencauo da Bahia e sfm
secretario.
Passagelros do vapor brasileiro Cnizetro do
Sul, sahirto Dar os portos do norte:- Dr. Jos
Joaquim T. Beifort, sua senhora, 2 filhos, 3 escra-
vos e i criado, Policarpo Jos de Souza, Dr. Jos
Vicente Duarle Brando, Dr. Antonio Epaminan-
das de Mello, Dr, Manoel Jos Domingos Codec.eiro
e 1 criado, Jos Vicente Pereira, Manoel Joaqoira
Seve Junior, conego Francisco de Mello Azedo e
1 escravo, Jacinlho Correia, Juo Jos dos Santos,
Antonio Frederico B., Manoel da Silva Maia Ju
nior, Roberto Uenderbor e sua senhora, H. Avilie,
Vicente Augusto Magalhes, Antonio Piolo de A.,
Firmino Antonio Mooteiro, Francisco de Souza Ca-
valcanti e 1 criado, os guardas nacionaes Basilio
Gomes da Silva e Manoel Moura Robem, Luiz Jos
de Oliveira, Jos Francisco de Souza, Dionorio Cor- i
tes
interino do mesmo corpo ao Sr. capito da f cora-1 ra de Araujo e Vicente Ferreira da Silva
panhia Joo M,,ria Petra de Bitlencourl, no i deste T ^'terio publico. -Obituario do da 28 de
mez, apresentando-se nesta capital o referido Sr. {?n0 : ~ <, n ,,,
, Domingos da Silva Sampaio, Peruambuco, 40 an-
uos, casado, Reeife; febre perniciosa.
major a 26.
0 mesmo brigadeiro approva engajamento que
por mals tres annos contrhio, a 31 de janeiro
ultimo, nos termos da lei n. 1220 de 20 de julho
do anno passado, o soldado da mencionada compa-
nhia e corpo Jorge Cyriaco da Silva, segundo
constou dos offleus do respectivo Sr. commandan-
te, datados de 4 de fevereiro e 20 de julho, sob os
ns. 20 e 108. ,
(Assigoado)Francisco Jos Daraasceno Rosa-
do, brigadeiro commandante das armas uterino.
(Est couformel Antonio Francisco Duarle; 2o
tejante ajudanle (fordelis interino, encarregado do
tftlalho. i
PERNAIWRCO,
REVISTA DIA1IA.
Amanhaa funeciona o Instituto Archtologico Geo-
graphko l'ernambucuno em sesso ordinaria.
A As$ocia$ao Commercial Beneficente proce-
deu hontem a eleico dos novos directores para o
anno de 1865-1866, sendo eleilos os Srs.:
Ilenry Forsler Hilen.
P. F. Needham.
Eusebio Raphael Rabelio.
Jos da Silva Loyo.
Jos Marcelino da Rosa.
Candido Cassemiro Guedes Alcoforado.
Felisberto lanado de Oliveira.
A- Pereira Carneiro.
Willlam Olio.
Frestou hontem juramento e tomou posse da
chefanga de polica, o Sr. Dr. Eduardo Pindahyba
de Mattos.
Furam encontrados os palhabotes brasileiros
Paraense, a 19 do mez findo, 7 leguas ao sul da
cidade da Fortaleza, navegando desta provincia
para a do Para ; Garibaldi a 23, na altura do cabo
do S. Roque; e Dous Irmaos a 26, na Bahia For-
mosa, com deslino a este porto, a que pertencem
todos el les.
A sociedade dramtica Phalia Pernambucana
d a sua representago desle mez no dia 3 do cr-
rente, levando scena o drama O homem de Ouro,
a comedia O Afilkado do Barao, e o duelo Estudan-
te e a Lovadeira.
A secgao da estrada da Passagem da Magda-
lena, comprehendida entre o sitio do Sr. Barroca e
o sobrado grande,achase com difTerentes excava-
goes no seu leilo j lao fundas, que se asseraelhara
s ilo Mondego.
E' preciso que se nao deixe isto assim, nao so
Josepha Maria dos Prazeres, Pernambuco, 18 an-
uos, solteira, S. Jos ; perilonile.
Damio Jos dos Passos Prata, Pernambuco, 36 an-
nos, viuvo.S. Jos; phlysiea.
Manoel, Pernambuco, 2 annos, S. Jos, eclampiat
- 31
Francisco Benedicta da Conceigo, Pernambuco,
50 anuos annos, viuva, Boa-Vista, tubrculos
pulmonares.
Jos Maria, Pernambuco, 3 .mezes, Santo Antonio;
inflammacao.
Joaquim, Pernambuco, 60 annos, B-ja-Vista ; ana-
zarca (escravo).
Pelicidade, Pernambuco, 30 annos, solteira, Boa-
Vista ; gastro hepalile.
CUWSTCA_JC0ICIAIIU
TKIlilJ.VlL DO COMnKK< l
ACTA DA SESSO ADMINISTRATIVA DE 27 DE
JULHO DE 1863.
PRESIDENCIA DO EXM. SR. DESEMUARGADOR
ANSELMO FRANCISCO PERETTI.
s 10 horas da manhii.i, estando reunidos os Srs.
depuiados Rosa, G. Alcoforado, Baslo e Miranda
Leal, e presente o Sr. desembargador fiscal, o
Exm. Sr. presidente declarou aberla a sesso.
Lida, foi approvada a acia da sesso antec-
deme.
EXPEDIENTE.
Um offlcio do Exm. Sr. presidente da provincia
Dr. Antonio Borges Leal Caslello Branco, de 18 do
crreme, scieniificaudo ter ordenado aos Drs. jui-
zes de direilo da provincia para que no prazo mar-
cado no artigo 1 do decreto n. 3,433 de 26 de
abril ultimo, expedido para execugao da lei n. 1237
de 24 de setembro do auno prximo passado, ins-
lallassem as comarcas de suas jurisdicgo>is o re-
gistro geral de hypothecas.Mandou-se aecusar a
recepgo e archivar.
Outro do Exm. Sr. ha rao do Rio Formoso, de 23
do corrente, cominunicando ter assumido a presi-
dencia da provincia ua qualidade de sexto vicepre-
sidente, visto ler sido exonerado o Exm. Sr. Dr. A.
B. L. Ca.lello Branco. Mandou-se aecusar a re-
cepgo e archivar.
DESPACHOS.
No requerimento de Jos Bernardo de Carvalho
Junior, pediiilu o registro de sua nomeagao de ca-
xeiro de Amonio Francisco Martins de Miranda :
Regstrese.
No da direceo da companhia de seguros Indem
Appellante, Jos da Silva Torres Gravo ; appel-
4ado, Manoel de Souza Tavares. Adiado na ses-
so de 20-do crreme.Foi confirmada a sentenca
appellada.
Appellaates, os administradores da massa falli-
da de Anorim, Fragoso, Santos & C.; appellado,
o Dr. Mznoel Francisco Teixeira. Despiezarara-
se os embargos.
Appelhnte, I). Maria Rila da Cruz Neves, por si e
como (alora de seus filhos e Antonio Bot-Jho Pinto
de Mesqait como tutor dos orphios filhos de Jos
Maria de Jess Monis ; appellada, a directora do
Novo Bjuco de Pernambuco. Foi confirmada a
senteng appellada.
Appellanles, os administradores da massa falli-
da de Amorlm, Fragoso, Santos & Companhia ;
appellado, Francisco Jos da silva Guimares.
Desprezaram-se os embargos.
Recrreme, Francisco Teixeira Guimares ; re-
corridos, Teixeira Leite, Companhia & Sobrinho.
Adiado as sessoes de 6 e 13 do corrente
Julgou-se procedente a acgo para condemnarem
o recrreme na qtiantla pedida abatendo-se.......
2:0455298; sendo lambem o mesmo recrreme
condemuad nos juros legaes da contestagao da lide
em diante, pagas as cusas proporcionalmente por
a mbas as partes.
Apuollante, o padro Antonio Jos Pinto ; appel-
lado, o baro de Jaragaa.
Appellantes, o presidente e directores da caixa
filial do Banco do Brasil nesta cidade ; appellado-,
Manoel Alves Guerra e o curadoi fiscal de sua
massa fallida.
Appellantes, Jos Antonio Pereira e sua mullicr;
appellado?, a viuva e herdeiros de Joao Ferreira
dos Saoto?,
Adiados a pedido dos Srs. depulados.
DKSINACAO DE DIA.
Appellantes, os administradores d massa fallida
de Amonio, Fragoso, Santos A C. ; appellado.
Joaquim Jos de Abreu Junior.
Appellaute, Feiippe N'erv Collago; appellado,
Geraldo Henriques de Mira.
Appelhnte, Estanislao Baptista Rolrigues de
Souza e sua mulher ; appellado, Antonio de Arro-
da Cmara.
Primeiro da til.
PASSAGEM.
Appellante, Joaquim Atlianazio de Araujo Li-
ma ; appellado, o teneuie-coronel Amaro Jos
Coelho.
Do Sr. leseinbargador Accioli ao Sr. desembar- i 2UJS
gadi-r Reis e Silva.
DISiniKUigES.
/th Sr. iesembargador Reis e Silva :
AppeJlaom, Antonio Rodrigue; Fernandes Viei-
ra ; appellados, os administradores da massa falli-
da da viuva Amorim & Fillios.
AOCItAVOS 1NTE11P0ST0S DO JUIZO ESPECIAL
DO COMMGItCIO.
Aggravantes, Souihal Mellors iv C. ; aggravados,
Joo de Siqqeira Ferro e Antonio de Azevedo
Maia.
Aggravante, Carlos Pereira de Burgos ; aggra-
vado. Jos Carneiro de Albuquerque Lacerda
O Exm. Sr. presidente deu provimento.
Aggravantes, os adminislr olores da massa falli-
da de Jos Aulonio da Silva Araujo ; aggravados,
Joo Caetano de Magalhes e Joo Luiz Vianna.
O Exm. Sr presidente negou provimenlo.
Nada mais havendo a tralar-se o Exm. Sr. pre-
sidente encerrou a sesso s duas horas da
tarde.
Joaquim Ribeiro da Silva ; appella- raulla lem de
Appellanf,
do, o juizo.
Ao Sr. desembargador Ucha Cavalcanle
A appellago civel.
Appellanle, D. Joanna Man das Dores; appel-
lado, Dr. Augusto Carneiro Monteiro da Silva
Santos.
AMKS5? Guerra ao Sr- *-r-! 3Kt!5^!f
gador Ucha Cavalcanle
As appellagSes civeit,.
Appellante. Dr. Bernardo Duarte Brandao ; ap-
pellado, Antonio Ferreira Antero.
Appellante, Manoel Alves de Pinho ; appellado,
Joao Pedroso Baptista.
Do Sr. desembargador Domingues da Silva ao
Sr desembargador Barros Vasccucellos
A appellago civel.
Appellante, Fernando Francisco de Aguiar Mon-
taroyos ; appellado, Jos Garlos Teixeira.
Do Sr. desembargador Barros Vasconcellos ao
Sr. desembargador Santiago
As appellacoes crimes.
Anpellante, o juizo ; appellado, Jos Luiz Jorge.
Appellante, o promotor; appellado, Herculano
.\unes Pessoa.
ser demolida a obra, Ihe parece que
seria prefenvel proseguir no tersa ia infraco,
e dispensar o embargo, para qns se nao dewi o
processos. Se Ihe fosse ordenado o roninrio, eie-
cutaria imraedialameute, e neste caso pede rpia
devidamenle extrahida do termo de actoada, qoe
Geas-
Assignou-se
DESKiNACVO DE DIA.
dia para julgaraenlo
das seguin-
Appellagoes clveis.
Appellante, Joo Pinto de Lemos Junior
lados, Jos Borges Dias e oulros.
A' i# horas encer'cc-.>e a sesso.
appel-
para prevenir a damnlBcago completa da estrada, uisadora, pedindo o registro da parte da acia da
assembla geral dos accionistas
como evitar o estrago dos carros.
Ao installou-se hontem a sesso do jury por
falla de numero de juizes de fado.
Remetiem-nos o seguinte pedindo sua publi-
cagao :
O passadigo que havia defronte do Hospicio,
cahio boje : obra municipal, que deve de promp
to ser restaurada, visto prestar grande utilidade
todos os moradores da visinhanga, bem como as
pessoas que transitara pela ponte Pedro II, em di-
recgo ao Hospicio, faculdade e ao collegio das
artes >
Hoje o agente Cordelro Simoes electuar o
leilo de mobilias de Jacaranda e outros arligos de
gosto em seu armazem ra da Cruz n. 57, as 11
boras em poolo. Na mesma occasio vender um
sitio as reas do Giqui, cujo leilo ser no mes-
mo armazem.
Movimento do hospital de Nossa Senhora da
Conceigo dos Lazaros do Io a 31 Oe julho de
1865:
Existiam e existem 9 homens e 15 mulheres; to-
tal 24.
Empregados do estabelecimenios 8, a saber: ca-
pello 1, medico 1, regente 1, dita 1, barbeiro 1,
cozioheiro 1, serventes 2.
Foram visitadas as enfermaras pelo medico nos
dias 4, 7, II, 18, 20, 22, 24 e 27.
O mordomo de mez,
A. J. Gomes do Correio.
O regente,
Diniz Ignacio P. dos Santos.
RePARTIQAO DA POLICA !
Extracto das partes do dia 1 de agosto de
1865.
Foram recolhidos casa de delencao no dia 31
do corrente:
A' ordem do Illm. Sr. Dr. chefe de polica, Joo
Moraes, Ma-
Theophilo da Costa, Satyro Jos de
noel Gongalves dos Reis, Smo Firmino do Reg,
timo, para cada" ucaa das pragas d > corpo sob seu Joo Celestino de Barros e Basilio Elseo da Silva,
commando, mencionadas na relagc juuia.Com- para recrutas.
xnunicou se a thesouraria provincial. A' ordem do subdelegado do Recite, o inglez
Dito ao inspector do arsenal de marinha.Man- Gustavo Vechll, para correcgo ;, Mari, escrava
f
de V. S. alistar na companhia de aprendizes ma-
rloheiros o menor orpho Felisbaua, como pede
no incluso requerimento Mana Joaquina Siqueira
Senna, que o lem em sua compaoh a.
Dilo ao director do arsenal de^guerra.Remeta
V. S. ao commandante da fortaleza de Ramarac,
com a possivel brevdade, 4 espingardas era bom
estado e Igual numero de correames, aQm de
ar-
de Domingos da Costa, a requerimento deste ; e
Flix, cravo de Baltar & Oliveira, por suspeito.
A' ordem do de S Jos, Fortunato Jos de Oli-
veira, e Cosme Jos Caetano, por disturbios.
A' ordem do da Capunga, Joo Baptista Camello,
para recruia.
O chefe da 2." secgao.
J.-G. de Mesquita.
da mesma compa
nhia, de 26 de junho ultimo, na parte de que trata
da nomeagao dos funecionarios que lem de admi-
nistra-la at Janeiro de 1867 :Registre-se.
No de AntoiioLeooardo Rodrigues, caixeiro de
Phipps Brolhers & C, pedindo cerlido do theor
do registro de sua nomeagfto :Passe.
Com informago do Sr. desembargador fiscal :
No requerimento de Victorino Lopes da Costa,
Antonio Joaquim Fernandes e Domingos Martins
de Barros Monteiro, pedindo o registro do seu con-
trato de sociedade : Satisfagan) o parecer fis-
cal.
No de Francisco Antonio de Almeida, pedindo o
registro do papel de reforma de seu contrato de
sociedade com Antonio da Costa Ribeiro e Theolo-
nio Flix de Mello : Na forma do parecer fis-
cal.
No de Maaoel Pedro de Mello, Luiz Antonio Fra-
goso e Elias de Almeida Lima, pedindo o registro
do distrato da sociedade que tinham sob a firma
de Fragoso, Lima & C. : Registre-s e publi-
quese.
No de Francisco Jos Gongalves de Siqueira, pe-
dindo ser adrailtido matricula : Foi defe-
rido.
Nada mais havendo a tratar, o Exm. Sr. presi-
dente encerrou a sesso s onze horas e raeia da
manha.
SESSO JUD1GIARIA EM 27 DE JULHO
DE 1865.
PRESIDENCIA DO EXM. SR. DESEMBARGADOR
' A. F. PERETTI.
Secretario, Julio Gttvnares.
As UX horas da manhaa o Exm. Sr. presidente
declarou aberta a sesso, estando reunidos os Srs.
desembargadores Silva Guimares, Reis e Silva, e
Accioli, e os Srs. depulados Rosa Candido Alco-
forado, Baslo, Miranda Leal e supplenle Antonio
Luiz dos Santos.
Lida, foi approvada a acia da precedente ses-
so.
Assignou-se o acordao proferido na sesso de 20
do corrente, no fello entre partes :
Appellantes, D. Josepha Justina de Jess Gon-
galves e outros; appellados, Isaac Curio & C.
JLLGAMENTOS.
Appellantes, os administradores da*'massa fallida
de Seve, Filhos t C.; appellado, FranciscofcSvjer
de Oliveira. Foi, confirmada a senienga appel-
lada.
Ti&IlI i:\AI, n\ RELAMI.
SESSO DE 29 DE JLI10 DE 1863.
PRESIDENCIA DO EXM. SU. CONSEI.IIEIRO
SOUZA.
As 10 horas da manhaa, presentes os Srs. des-
embargadores Santiago, Gitirana, Lourenco Santia-
go, Assis, iDoria, Motta, Guerra procurador da co-
rea, Doaiingues da Silva e Barros Vasconcellos,
faltando os Srs. desembargadores Almeida Albu-
querque, e Ucha Cavalcanti, abno-se a ses
sao.
Passados os feitos, deram-se os seguintes
JUI.GAMBNTOS.
Recurso crime.
Recrreme, o juizo; recorrido, A. Cuervo & C.
Relator o Sr. desembargador Loureogo Santiago.
Sorteados os Srs. desembargadores Motta, Doria
e Barros Vasconcellos.Improcedente.
t.gravo de petirao.
Aggravante, Manoel Firmino Ferreira ; aggrava-
do, o juizo.Relator o Sr. desembargador Guerra.
Sorteados os Srs. desembargadores Gitirana e
Doria.Negou-se provimenlo.
Appellacoes crimes.
Appellante, o juizo; appellado, Joao, escravo.
Confirmada a senleDga. "
Appellante, o juizo appellado, Francisco Bor-
ges Macambira.A novo jury.
Appellantes, Anto Bezerra Leite e outros ; ap-
pellada, a jusliga.Confirmada a sentenga.
Appellante, o promotor ; appellado, Agostioho
Soares Machado.A novo jury.
Conqedeu-se a proiogago do prazo para inven-
tario a Manoel Jos de Oliveira.
DILIGENCIA CIVEL.
Com visla ao Sr. desembargador procurador da
cora
A appellago civel.
Appellante, D. Joanna Mana das Dores ; appel-
lado, Jos Hygino de Souza Peixe.
PASSAOENS.
Do Sr. desembargadorLourengo Santiago ao Sr.
desembargador Almeida e Albuquerque
A appellago civel.
Appellanles, os herdeiros de Francisco Joaquim
Pereira de Carvalho ; appellada, a cmara muni-
cipal.
Do Sr. desembargador Assis ao Sr. desembarga-
dor Doria
A appellago civel.
Appellante, Lino Ferreira da Silva ; appellados,
Joaquim Mauricio Wanderley e outros.
Ao Sr. desembargador Motta
A appellago civel.
Appellante, a viuva de Joo Vieira da Cunha ;
appellada, a fazenda.
Do Sr. desembargador Doria ao Sr. desembar-
gador Motta
A appellago crime.
Appellante, o juizo ; appellado, Justino Francisco
Xavier.
A appellago civel.
Appellante, Joo Ferreira da Costa Imbuzeiro ;
appellados, Joao Jos da Silva e outro.
Ao Sr. desembargador Ucha Cavalcanti
A appellago civel.
Appellante, Andr Pires Visgueiro de Albuquer-
que ; appellado, Jos Feiippe Bezerra de Menezes.
Do Sr. desembargador Motta, ao Sr. desembar-
gador Guerra
As appellages. civeis.
Appellante, Lourenco Beaerra Mopjeiuo Caval-
canle ; appellado, An.WQj.Q Marques 4e Albuquer-
que Cavalcante.
JURY DO Ul < II I
i'DEAGUSTODE 1865
PRESIDENCIA DO SR. DR. JUIZ DE D1RE1T0 DA 2 VAIlX
CI1I.MINAI. MANOEL JOS DA SILVA NEIVA.
Promotor publico o Sr. Ur. Jacintlio Pereira do
Reg.
EscivaoJoaquim Francisco de Paula Esteves
Clemente.
A's 10 horas da manha, feila a chamada dos ju-
rados verincou-seacharem-se prsenles 21 jurados,
sendo numero iosufflciente para haver sesso o Dr.
juiz de dlreito procedeu ao sorteio de 27 para cora
o numero de 21 completar o de 48 e da urna es-
pecial sahiram sorteados os seguintes senhores:
Juvencio Augusto de Alhayde.
Manoel Joaquim Ferreira Esteves.
Hypolyto Jos Roberto.
Lopes Machado.
Dr. Th"nr>" KWnanrioc de Castro Madelra.
{Sevenano Bandeira de Mello.
Candido Einigdio Pereira Lobo.
Dr. Jos da Cunha Teixeira.
i Tenente Jos Pedro da Silva.
j Ladislau Jos Teixeira.
i Luiz Antonio de Siqueira.
i Jos Pedro das Nev?.
Dr. Ignacio Firmo Xavier.
Jos Jeronymo de Souza Limoeiro.
Dr. Jos Ladislau Pereira da Silva.
, Manoel Martins de Araujo Castro.
Manoel Coelho Cintra.
Dr. Estevo Cavalcante de Albuquerque.
Dr. Beato Ciciliano Ramos.
Domingos Alfonso Nery Ferreira.
Hmriques Jos Alves Ferreira.
Antonio Jos de Oliveira.
Francisco Jos Cyrillo Leal.
Dr. Francisco Amynthas de Carvalho Moura.
Tnomaz Antonio Maciel Monteiro
i Dr. Fraucisco Ferreira Martins Ribeiro.
Justino Pereira de Faria.
Concluido o sorteio mandou-se proceder as noti-
tieaces, passando os competentes mandados para
dito fin, e foram multados lodos os jurados que fo-
ram notificados c deixaram de comparecer ; e o
ijuiz levantou a sossac, adiando-a para o dia seguin-
te s 10 horas da manha.
*v--**
lando-lhe que fra concedida licenga ao dilo ^a
bargador, deseja saber se exacto para evitar des-
pezas inulei.
Posto em discusso resol ve a se responder, qae o
termo de aehada que o mesmo se rrfrre foi f-
tregue ao solicitador no dia 5 do corrale, e a iav
fraegao deu se em 15 de marco ultimo, seado ant
a licenca fra obtida em 28 do dilo mez de margo,
e smenle para urna casa, quando a infraeco tora
pela construego do duas.
Outro mesmo, communicando ter exaaiaado
o otlieio do fiscal de Santo Antonio, e o* don* pa-
receres das commissoes deediftcacoes e de potarla,
a nada liuha que accrescentar a wte ulnmo qae
subscreve. Indicara, porm, que por tqoidade *e
devia fazer estensiva a concluso do parecer as roa*
que, embora nao estejam em calgamento, o lesee
ser prximamente, visto que nao jo?to que sejoaa
agora obrigados a fazer o calgamenu que em breve
lera de ser alterado, o que deve Orar ao protate
arbitrio do fiscal.
Posto em discusso, deliberon-se offlrtar ao fecal
da freguezia de Sanio Antonio, e aos de mais da
cidade, no seulido em que expox o advocado, re-
metiendo se copia do parecer da comraissio de po-
lica.
Outro do engeoheiro cerdeador, informando o
requenmealo no qual Jos Luiz Ferrara da Coala,
propnetarlo da casa sua ra do Nogoeira, re-
guezia de S. Jos n. 41, pede para qoe I be se ja eoa-
cedida demolir a mesma casa para o -nm de cons-
tru-la de novo, de conforinidade cam a postara ;
diz que nada ha que oppor a preteogo do peticio-
nario, urna vez que a reedilicago v-ja precedida
da necessaria cordeaco e nivelamento. Mandou-
se cordear.
Oulro do mesmo, informanoo o requerimento em
que Marcomiro Pancracio Pereira dos Santos, pede
para que Ihe seja concedida acabar a casa que aa
ra do Lima, em Sanio Amaro, comecara a cons-
truir Gregorio Francisco de Jess, a quem o peti-
cionario comprara, declara nada ler que oppor *
semelhante pretenco, visto qoe a casa em que-t.>
est feila de cooformidade com a cordeaco que
Ihe fra feila. Cuucedeu-se.
Outro do mesmo, informando o requerimento no
qual Mooica Maria do Espirito Sanio, pede para
que Ihe seja concedido proseguir na ivnsiru.-.-:,,
de sua casa ra do Pombal, declara que a casa a
que a peticionaria se refere esl sendo fetla de eon-
formidade com a cordeago que para ella dea em o
anno passado.Conceden -se.
Outro do mesmo. informando o reqoerimeaio, ao
qual Manoel Jos Martins, pede para |que Ihe seja
concedido levantar muro no fundo do quintal de
j sua casa sita na povoagflo do Monteiro, frecutzia do
Poco da Panella, allegando estar ja cerdeado : diz
que do documento que acompanha o requerimento,
nao coosta o que o peticionario allega. Maadou se
apresontar o documento da cordeago.
Outro do mesmo, informando conlra a prelengio
da mesa regedora da Ordem Terreira do Carato, de
reedihear a casa de um andar n. 29 sita ra das
Cruzes, freguezia de Santo Antonio. A' vista da
informago, nao tem lugar.
Outro do mesmo, informando o requermenlo,em
que Antunina Leopoldina de Barros Lanra e mais
irmaes, propietarias de um terreno nos fundos d.i
casa n. 33, srta ra dasCinco-Potitas, pedem para
que lhes teja concedido murar o dito terreno coas
frente de casa ; diz que nada lem a oppor, una
vez que se Ihe d a competente cordiacao. Saa-
dou-se cordear.
Outro do mesmo, informando o requerimento.no
qual Automo Ferreira da Silva Junior, pede para
que Ihe seja coucedido fazer na casa sita roa da
Cadeia do Reeife n. 63, os reparos c nsUntes do
resino requerimento ; declara que nada se Ihe of-
ferece a oppor.Concedeu-sc.
Outro do mesmo, informando sobre o requer-
memo no qnal Jos Joaquim Soares, como adatinu-
e tutor de suas entiadas, pe-
GANARA jinitlIWL
SESSAO EXTRAORDINARIA DE 19 DE ABRIL
BE 1865.
Presidencia do Sr. Pereira Simoes.
Presentes os Srs. : Tnomaz de Aquino, Gustavo I \tttot de sua'muher
J?!!0UD Miranda e Silva do Brasil, fallando de par )ne Seja concedido fazer .
com causa os ^s. : Dr. Sarment, Barros Reg e rea sila a\ua a.AJmpca n 0Voocerte roa-
Santos, e sem ella o Sr. Costa Monteiro, abre-se a
sesso, e lida e approvada a acta da antecedente.
Compareceu o Sr. vereador supplenle Antonio
Pires Ferreira, que foi chamado na se.-so ultima a
vir prestar juramento, e sendo-lhe este deferido
pelo Sr. presidente, toma assento.
L-se o seguinte
EXPEDIENTE.
Urna petigo vinda da presidencia para a cma-
ra informar, na qual o ex contador Joaquim Tava-
res Rodovalho, recorre da delineragao da mesma
cmara tomada era sesso do Io de levereiro, em Il'Mandou-se cordear"
vista da qual fra o mesmo dispenso de continuar 0ulr0 do me;m nfrmando vbf9
no exercicio do referido cargo.
tanies do mesmo requerimento, declara que nada
lem a oppor a pretengo do peticionario. Coare-
deu-se.
Outro do mesmo, informando o requenmealo no
qual Lourengo de Albuquerque Mello, pede para
que Ihe seja concedido, fazer no seu terreno na
estrada do Pombal 188 palmos de muro, rom por-
lo no centro, e urna casa com 22 primos de lar-
gura no interior dito terreno; diz que nada ha qoe
oppor A pretengo do peticionario, urna vez que ihe
i seja dada a competente cordeago e nivelamento.
Posta ern discusso, resolveu-se ofikiar S. Exc.
com o que se passou naquella sesso, relativamente
a materia de que se trata, declarndose o que a
respeito constar da acta da dita sesso-que fra ap-
provada.
Um offlcio do Sr. vereador Luiz Francisco de
Barros Reg, dizendo que por continuaren) os seus
incommodos, deixa de comparecer a sesso. In-
tegrada, e que se chamasse mais um supplente.
Oulro do Sr. vereador Feliciano Joaquim dos
Santos, communicando que por achar-se incommo-
dado, a ponto de nao poder sabir a ra, por isso
deixava de comparecer a sesso.Inteirada.
Outro do Dr. juiz de orphos, Ernesto d'Aquino
Fonseca, de 5 do corrente, participando que passa-
va na mesma data o exercicio ao supplenle Dr.
Joaquim Cordeiro Coelho Cintra.Inteirada.
Outro do mesmo de 8 do correte mez, commu-
nicando ter reassnmido naquella data o exercicio
do cargo de juiz de orphos e ausentes desta ci-
dade.Inteirada
Outro do director do arsenal de guerra, de igual
dala, communicando ter eftectuado a remogo soli-
citada pela cmara da madeira que de algum modo
empulhava o transito publico, no caes em frente do
arsenal, e que nao era possivel delxar de ahi con-
servar algumas travs que arrumadas convenien-
temente, podero permanecer at a occasio para o
presidio de Fernando, para onde se deslinam com a
mxima brevdade.Inteirada.
Outro do advogado, dizendo nito ser a cmara
obrigada ao pagamento das cusas que reclama Ba-
silio Alvares de Miranda Varejao, senao depois qne
houver sentenga passada em julgado, e exequivel,
urna vez que, como declara o dito Basilio, a appel-
lago foi expedida era ambos os feitos. A' vista
da informago, nao tem lugar.
Outro do mesmo, dizendo que, antes de dar cum-
priraento s ordens que leve para tequerer embar-
go judicial na obra que sem licenga est edificando
o Dr. Firnuao Antonio de Souza, julga de sau de-
ver ponderar, que leudo sido lavrado termo de In-
fracg_ao.de postura, m. vjrtu.de d.o. qual, alm da
reqneri-
memo, no qual Joaquim Manoel Ferreira de Souza,
proprietario do sobrado de dous andares, silo ao
largo do Carino n. 5, pede para que Ihe seja con-
cedido fazer cano de e.-goto no quintal do mesa
sobrado commnnicar com o do aqoedoeio exis-
tente no dito largo, e perlenrente a munieipaii.u
de ; assim como tambera substituir na robera as
telhas que esliverem inutilisadas, depositando em
frente da casa os materiaes precisos para esta obra;
declara que nada tem que oppor a pretengo do pe^
licionario, visto que igual coocessao lem sido folia
a outr#s.Concedeu-se.
Oulro de mesmo, informando o requerimento eaa
que Jos Jacome Tasso, proprietario de aro terreno
cora 94 palmos de frente na roa Nova de Sania Ri-
ta, cujos fundos ve ter ao caes all existale.
tende construir no mesmo terreno seis
sendo tres na primeira ra e (res na segunda, dia
que nada tem que oppor, orna vez que a ronstroc-
go dos ditos armazens preceda a competente cor-
deago.Mandou-se cordear.
Outro do mesmo, informando o requerimeaia, a*
qual Andr Luiz Delouche, pede para que lae snja
permiltido assentar urna machina a vapor aa raa
do Mondego n 99, no fundo do sitio do lado da
mar, para o lim de fabricar chocolate, declara ana
nada se Ihe ofTerece a oppor a seroelnaale arlan
cao, visto ficar o local indicado bstanle aftaMaa*
das casas de morada que por all eaUleaa.Cinra
deu-se.
Outro do mesmo, dando sua informaeao a crea
do requerimento no qual diversos proprotarta, a
moradores no largo do Forte do Mallo, nrlianai
conlra a ediOcacao que esta em principio de ene-
cuco no sobredito largo, allegando varias ranaca
em appoio de sua reclamarlo.
Posta em discaaao resolveo-se oovir a eoawase-
so de edificaedes a respeito.
Nesta occasio o Sr. Gustavo do Reg pede a aa-
lavra, e reqner que se offleie ao Exm.
da provincia para ordenar a reparttea
publicas que nao faca alterago alan* i
"-*
~^~1
I ajaan ^. > mmmm



I
Diarlo de Pernambnco --- Qu.tra lelr* de Agosto de iSGft.
da cidade, se m que seja ouvida a cmara a respei-
to.Foi approvado.
Outro do administrador do cemiterio publico da
regueria di Sao Lourengo da Malta, remettendo
ora mappa os enlerramentos feitos em dito esta-
Belecimeoto desde o dia Io al 10 do corrente.-Ao
procarador. .
A' commissao de saude apresentou o segu ole
parecer, que foi approvado mandando-se scieoti
car ao fiscal da freguezia de Santo AutoDio, que ra-
limasse a Autooio de Brito Maia, para elevar o ca-
no de sua machina a altura superior ao temado do
sobrado em que resido Heorique Jorge.
Illras. Srs.-Satisazeodo a deliberado desta c-
mara procedemos, cam o Sr. Dr. inspector da sau-
de pubica, a um exame na fabrica de que trata a
petigiio aiioexa, e rahecemos que nao obstante ser
de pequea forga a respectiva machina, despede
pelo ca"0 furoaga em qnantIJade exagerada, o que
deve causar graves dainos a saude dos municipes
que habilam as casas adjacenlrs a referida fabrica,
por que o di o cano de pequea altura, e expelle
a fumaba em altura inferior a das ditas casas,
em ama das quaes reside o peticionario Henrlque
Jorge.
Em vista oorm das circnmstaocias cima, nos
somos de parecer, que se obrigue o proprietario da
dita fabrica, Antonio de Brito Maia, a elevar o ca-
no da machina de sua fabrica, a altura superior ao
lelbado do sobrado onde reside o dilo Henrique
Jorge.
Em quanto ao cano de esgoto oppinamos para
que se d execucao as posturas desta cmara bem
prevideates 0 claras nesta parle, finalmente Vv. Ss.
resolvcrSo'como jnlgarem de justiga.
Deus guarde a Vv. Ss. por inultos annos.Recife,
4 de abiil de 1865.-UIibs Srs. presidente e mais
membros da cmara municipal desta cidade. Fe-
liciano Joaquim dos Santos.Antonio Jos Silva do
Brasil.
Entra em discus*ao um requerimento, no qual
Joaquim Jos de Santa Anua, replicando, pede li-
cenga para lazer solea na casa n. da ra da Auro-
ra. Concedou-se a lieenc* requerida, votando con-
tra o Sr. presidente Pereira Simoes.
Mandou-se remetter a commissao de ediflcagoes
um requerimento de Barlholomeo Lourengo, decla-
rando nao se ter conformado eom a cordelan que
Ihe qui dar o engenheiro, para construegao de um
muro no seu sitio da Trempe.
Por se achar o Sr. Costa Monteiro ocenpando
duas commissoes, urna das qoaes bem irabalhosa.
O Sr. presidente dispensou-o dado ediicagdes,
nomeando en seu lugar o Sr. Pires Ferreira.
Permiltio-se ao guarda municipal da freguezia
do Recife, Braz Antonio de Albuquerque, urna li-
cenga por dous mezes e com todos os vencimentos,
para tratar de sua saude.
Despaeharam-se as peiicties de Antonia Leopol-
dina de Barros Langa, Ant nio (oncalves de M>
raes, Braz Ferreira de Albuquerque, Basilio Alveres
de Miranda Varejao, Cassimiro dos Reis Gomes e
Silva, Carlos Hoffumano, Caudida Senhoriuha, vu-
va de Sasses David & Baimam, D. Francisca Ro-
mana Moreira da Costa, Francisco Hermogenes
Correa de Albuquerque, lente coronel Feliciano
Joaquim dos Santos, Joaquim Antonio Carneiro,
Jos Jacome Tasso, Jos Luiz Ferreira da Costa,
Joao Gomes da Costa, Jesaino Augusto dos Santos
Fragoso, Joao Fernandes Prenle Vanna, Jos Joa-
quim da Silva Guimaraes, Joao Botelho Jnior,
Joo Saraiva de Araujo Galviio, Jos da Silva Leal,
Jorge Vctor Ferreira Lopes, Joaquim Juvencio da
Silva, Jos Flix Perelra de Burgos, Joaquim Jos
Botelho, Jos Joaquim da Silva Guimaraes, Joa-
quim Francisco Colares, Joao Honorato de Miranda,
Jos Joaquim de Lima Bairao, Leopoldo Ferreira
Martins Ribeiro, Lourengo de Aluuquerque Mello,
Manoel Firitioo Ferreira, Manoel Jos Monteiro,
Manoel Joaquim Ramos e S Iva. Maria Joaquina de
Mello e Silva, Manoel Jos Pereira, Manoel Ignacio
de Oliveira Lobo, Thereza de Jesns Azevedo, Ti-
burcio Valeriano Baptista e luvantou-se a sesso.
Eu Francisco Canuto da Boaviagem, secretario a
subscrevi.Pereira Simoes, pro presidente.Dr.
Miranda. ReoSanios.Antonia Pires Ferrei-
ra.Fonceca. Silva do Brasil.
CQMMUNI2A90S.
melhor do que os clientes podem saber e dizer si
compro ou nao os meus deveres;
S. Que confessandome summmento agradeci-
do todos os senhores juizes de 1' e 2* instancia,
perante quera tenho servido, pela estima e ceuside-
ragio com que me teem tractadoa nenhum devo,
comtudo, a menor proteccao, e nem a solicitei nun-
ca de nenhum delles ; sendo que, tenho levado o
meu escrpulo a este respeito ao ponto de nao pro-
curar as relagoes e a intimidade daquelles mes-
mos, que, com toda a certeza, sel que nao as deses-
timariam.
Se ha, em tudo quanto ahi ica dicto, a mnima
inexactido, quo me venham os meus detractores
contestar pela imprensa. E' aqui, e nao nos acou-
gues e cantos de ra, que eu sei e devo conten-
der.
Rogo-lhes, senhores redactores, que se dignem
fazer publicar estas linhas de seu antigo collabora-
dor e amigo,
Dr. Joaquim Jos de Campos.
Recife, 31 de julho de 1865.
Caixa filial do banco do Brasil 13 de julho de
1865.
O guarda-livros,
Ignacio Nunes Crrela.
ALFANDEGA.
da casa de Maia para a canoa na levada, recebea
urna garrafa com vmho, de que costumava usar
as viagens & uoite pelos r.anaes o infeliz Mala.
Mais tarde, pelas 10 horas da noite, embarca
Maia, e pozeram-se em viagem.
No seguate da apparece na cidade das Alagdas
o escravo Nicolao de Almeida Gaimares, contando Rendimentodo da i
t que havia acordado Maia, alm da cidade das j
Alajtas, que perguntara a Nicolao onde estavam, MOVIMENTO DA ALFADEGA.
e sabendo da altura lhe dissera que voltasse a ca- Volumes entrados com fazendas___ 8
na para Alagdas, que como soprasse algum vento < com gneros.....
Maia se offerecera para armar a vella, e que neste |
acto se virara a canda, que Mala viera algumas ve-1 Volumes sahidos com fazendas..... 59
res cima d'agua, qae ainda alcancra a canoa, e t cora gneros..... 42
ello Nicolao o pegara, mais que Maia tornara a
despregar se, sendo toda a sua inclinacao a de ir Descarregara uo dia 2 do corrente.
ao fundo. Brigue suecoWw-mercadorias diversas.
Historia absolutamente inverosmil, contradicto- Brigue austracoSouvcmr du Havrefarinha de
ria e falsa I !... ; trigo.
A madrugada do dia 8 corria branda, clara e cal- Brigue porsuguezConstante diversos gneros,
ma, nunca naquelle canal emborcou-se c:naal- Brigue nacional Pniamiwcfliio pedras.
guma. Maia era cxcMlente nadador, as cartas e Patacho dinamarquezFortunadiversos gneros
papis que levava Nicolao, escravo de Almeida Gni- de esliva.
maraes, appareceram enxutas, nao se perderam a Barca inglezaT/ateHrfarinha de trigo,
taboa, a esleir da canoa, nem qoatro patacas que Escuna portuguezaD. Joocharque.
27:9953202
------- 29
------- 101
Pelo Diario de Pernambuco fui lembrado aos
editores deste distrielo o nome de nm candidato
mu dislincto, o Sr. Dr. Sczicaudo Barroto Nabuco
de Araujo, e logo houve quem se oppozesse a essa
lembranga, arguindo ao Ilustre doutor o peccado
de ser filh do ministro da jusliga, e desconhecido
provincia I
Ha originalidades que fazern pasmar !
O fado de ser o Sr, Dr. Sezinando filho de um
ministro, o ha de mutilisar, matar lhe as aspira-
coes, tornanJo-o incompative! para tudo, at para
obter de seos comprovincianos a eleigao de depu-
tado a assembla geral E' eslranha esta lgica.
Nao o Sr. Dr. Sezinando conhecido na provin-
cia I S. S. filho de Pemambcco, nelle aparentado
com familias importantes, e sendo amigo particu-
lar de quasi todos os seus diputados, lhe desco-
nhecido I
Nao neg que ha muitos Pernambucanos dis-
tinetos, que merecem ser depuiados; mas isto nao
tira que o Sr. Dr. Sezinando sej igualmente dis-
tincto, e digno dos suffragios dos seus comprovin-
cianos.
Oque nao admitte duvida que nao ha termo
decomparacao entre elle......................
Poupemos, no entretanto, comparagoes, que po-
dem trazer graves inconvenientes.
Eleilor desle dlstrlrlo, declaro formalmente, hy-
poiheco desde ja o meu voto ao Sr. Dr. Sezinando.
A minha consciencia est Intimamente conforme
com isto.
U meleitor do 2o dislricto.
CORBESPOKDEMAS
Senhores redactores.Si certos bandalhos, para
quera nao ha raeios indecentes e deshonestos, urna
vez que attinjara a fios lucrosos, soubessemao me-
nos respeilar nos outros homens os sentimentos de
honra e de dignidade, que elles descoohecera, nao
me dariam hoje o trabalho d3 os vir provocar, sob
pena de serem lides por uns vis e infames detra-
ctores, a que fagam pblicos, pela imprensa, os a-
ctos menos dignos ou menos Cecorosos, que eu ja ti-
vesse praclhado, no exercco da nebre e honrosa
proBs-o de advogado, ou era outro qualquer esta-
do ou condieo de minha vida publica ou particu-
lar. Faculto-Ibes o franco e livre exercicio da mal-
sinaco de minha vida inteira; mas exijo que a
detrcro seja publica, pela imprensa, e que te-
nham sequer urna vez na vida o bro de assamir a
responsabilidade do que and;.m por ahi a dizer pe-
los acougues e tabernas.
Sei a origem despresivelmente baixa de tudo is-
to ; e nao teria duvida de aqu a declarar, si nao
fosse necessario relatar factos, qae me sao o mais
honroso elogio. E' sempre com invencivel repu-
gnancia que fago do raen ora* e de minha pessoa
o assuroplo de publicacoes joroalisticas. Nao me
tenho dado mal cem isto, postoque o contrario ve-
ja mais frecuentemente praciieado hoje em dia.
.1 algo finalmente dever deelarar aqui, sem reeeio
de ser contestado :
I." Que, do crescido numero de cuentes, que me
teera feilo a honra de|frequentar o meu escriptorio,
nao ha um so, que me tivesse confiado a defeza de
suas causas por solicitacao minha ou de Interme-
diario meu ;
2. Qae, desde que ou advogado, so urna vez,
bavera tres para qoatro mezes, procurei ser advo-
gado de urna causa importante, escrevendo para
isso urna carta a um amigo. Os motivos que me
levaram a fazer esse pedido, e o motivo porque nao
fai encarregado dessa cansa, nica por mim so-
licitada, polleratn ser publicidos sem o menor de*
sar para mira ;
3." Qae, ao exereicio daprofisso de advogado,
nanea fiz questao de dinlu.ro, e appello para o
testemunho de todos os meus clientes, para muitos
dos quaes tenho -trabalhado sem recebar a mnima
rernuneracao pecuniaria.
't. Que rio me consta que ara so dos meu
clientes se lenba queixado de que eu liveise falta-
do a minhas obrigag5es, deixando de ser solicito a
de tomar te do o inUresse na defeza deseos direi-
tos ; e quando algam se queixasse, eu declinara
do sea jaiic para o de lodo os juizes e tribunaes,
perant* atitnn tenho servido, sendo estes os qae
Elcico dos devotos que ho de promo-
ver os festejos da excelsa padroci-
ra Senhora SnfAnna, no anuo de
1866.
Juiz.
O Illm. Sr. Flix de Figueira Faria.
Escriviio.
O lllm. Sr. Joaquim Jos de Moura.
Thesoureiro.
O Illm. Sr. Miguel Jos da Costa Meira.
Procurador geral.
O Illm. Sr. Gaudiuo Eudacio de Brito.
Procuradores.
Os lllms. Srs. :
Francisco Caserairo de Moraes.
Jos Gongalves de Medeiros.
Msanos.
Os lllms. Srs. :
Luiz Carlos Bradiio.
Ernesto de Almeida Cunha Freir.
Francisco de. Assis Fernandes Vianna.
Manoel da Cunha Saldanlia.
Belmiro Milancz de Loyola.
Ignacio Ja Costa Re;zo Munteiro.
Marianno de Figueira Faria.
Francisco Alexandriuo da Silva Reg.
Consistorio dos devotos da Senhora Sant'Anna,
29dejulho de 1865.
O vigario Venancio Hewiques dt Resende.
a i
Eleiro dos juizes, escreves, e mordonias que ho
de festejar a gloriosa Senhora San l'A una, no
anno de 1866.
Juiz por eleicao.
O Illm. Sr. Vicente del|PaulaOliveira Villas-Boas.
Juizas por eleigao.
As Exmas. Sras. :
D. Maria Cavalcante Brrelo da Fonceca, esposa
do Illm. Sr. Dr. Ernesto de Aquino Fonceca.
D. Amalia, fllha do lllm. Sr. Manoel Ribeiro de
Carvalho.
Juizes por devoeao.
Os lllms. Srs. :
Capito Luiz Cesario do Reg.
Bazilio Baptista Furlado.
Juizas por devogo.
As Exmas. Sras.:
D. Olympia de Magalhaes Fonceca, filba do lllm.
Sr. capito Antonio Augusto da Fonceca.
D. Candida Baptista de Azevedo Maia, mulher do
lllm. Sr. Jos Luiz de Azevedo Maia.
Escrives por eleicao.
Os lllms. Srs. :
Dr. Bernardo Pereira Carrao.
Dr. Francisco Appoligorio Lial.
Escrivaas por eleigao.
As Exmas. Sras. :
D. Amiica do Albuquerque '".aelelln tranco Wan-
derley.
D. Theresa Maria de Locio Lumach.
Escrives por devogao.
us [ilms. Srs. :
Capitao Flix Francisco de Souza Magalhaes.
Jos Diniz da Silva.
Escnvas pur devogao.
As Exmas. Sras. :
D. Prescila Senhorinlia Mendes de Albuquerque.
D. Leopoldina, mulher do I.iui. Sr. Francisco de
Paula e Silva. ^
Juizes protectores.
O muilo reverendo Sr. conego vigario Venancio
Henrique de Rezende.
O reverendo Sr. padre Joao Jos da Costa Ri-
beiro.
O reverendo Sr. padre Antonio Manoel d'As-
sumpgao.
O reverendo Sr. frei Joaquim do Espirito Santo.
Juizas protectoras.
A Exma. Sra. D. Antonia Amalia da Cunha Bar-
ros, mulher do lllm. Sr. capitao Silvino Guilherme
de Barros.
A Exma. Sra. D. Sophia Manta de Figueira Va-
ria, mulher do Illm. Sr. Dr. Manoel de Figueira
Faria.
A Exma. Sra. D. Anna Correa d'Araujo, mulher
do Illm. Sr. Dr. Jos Francisco Correa d'Araujo.
A Exma. Sra. D. Joanna, fllha do Illm. Sr. capi-
tao Manoel Antrnio Ribeiro.
Mor domos.
Os lllms. Srs.:
Major Jos Egydlo Ferreira.
Antonio Leopoldo Ferreira Domont.
Luiz Leopoldo dos Guimaraes Peixoto.
Capitao Miguel Bernardo Quinleiro. *
Joo Chrisostomo Pernandes Vianna.
Joaqaim Olynino Bastos.
Joao Antonio d'AIraeida.
Domingos Jos Leite Guimaraes.
Alferes Jos Antonio de Paula Madureira.
Mordomas.
A Exma. Sra. Auna, mulher do Illm. Sr. Dr.
Alexandre de Souza Pereira do Carmo.
A Exma. Sra. D. Maria Jorge do Reg, mulher
do Illm. Sr. Dr. Viceolo Pereira do Reg.
| A Exma. Sra. 0. Emilia Monteiro Fernandes
Vianna.
A Exma. Sra. D. Maria Leepoldina de Miranda.
A Exma. Sra. D. Hermina Adelalde dos Santos
Campos.
A Exma. Sra. D. Adelaide A. Lumarbi Miguis
A Exma. Sra. D. Candida Lourenga de Luna.
A Exma. Sra. D. Anna Belina d'Azevedo.
A Exma. Sra. D. Annuociada Emilia Jorge.
A Exma. Sra. esposa do Illm. Sr. alferes Joa-
quim Silverio da Silva.
Juizes perpetuos.
Os lllms. Srs. :
Dr. Innoceocin Serfico d'Assis Carvalho.
Dr. Diodoro Ulpiano Colho Catanbo.
Dr. Jorge Dornellas Ribeiro Pessoa.
Juizas perpetuas.
A Exm. Sra. D. Herminia Correa do Reg Bar-
ros, mulher do Illm. Sr. Joaquim Martmho da
Cruz Correa.
A Exma. Sra. D. Francelina Amalia da Costa
Ribeiro, mulher do Illm. Sr. Dr. Antonio Jos da
i Costa Ribeiro.
I A Exma. Sra. D. Guillermina, esposa do Ilkn.
Sr. teneBte Salyro Seralim da Silva.
A Exma. Sra. O. Maria Joaquina de Sant'Anna.
Consistorio da devoco da Senhora Sant'Anna,
29 de julho de 1865.
O vigario
Venancio Henriuues de Re ende
Escuna diuamarqueza-Docanaidem
Brigue hdspanholaVigilantedem.
Brigue porluguezS. Josidem.
Barca nacional Vdlleidem.
Barca inglezaMary Lordcarvao.
RECEBEDORIA DE RENDAS INTERNAS
RAES DE PERNAMBUCO.
Rendimeato do dia 1.......... !:334j|745
GE-
CONSULADO PROVINCIAL.
3:62l35ih
levava o remeiro
O cadver do infeliz Antonio Maia .T^dotro
da segaialeennegrecido II... \ i
Antonio Maia tinha altas transaegoes cwnmer-
. ciaes com o negociante desta praga Jos Anlonlo
de Almeida Guimaraes, era credor deste do pro-
ducto de 400 saccas de algodo alm de 507 sac-
eos com assucar, cujas letras tinham de vencer-se
alguns dias depois, no dia 17 I...
Morto Maia, Almeida Guimaraes declara ter pago
este debito, mas nos livros do iufelz Maia aehain-se Rendimento do da 1
os lancaraenlos da transaego sem declarago de
pagamento algum... nem "se encontram as letras
que tinham de vencer-se I...
No dia seguiole morte de Maia, conjeturando i
o honrado negociante da praca de Pernarabuco Joo
de Cerqueira Ferro, que talvez Mala se tivesse ao-1 Navios entrados no dia {'.
sentado, Almeida Gnimares lhe declaraque Maia Xew-York40 dias barca ingleza Travcller, de 305
estava aquella hora morto e bem morto 1. toneladas, capitao Raadle, eqaipagem 13, carga
Ferro costamava hospedar-se emcajadeAI-j 3:000 b-rricas e 200 meias farinha de trigo; a
meida Guimaraes, e desde enlo deixou te tomar Pnipps Brothers & C
sua casa... Liverpool43dias, barca ingleza Orion, de 224
Almeida Guimaraes, depois deste acontee.iraento toneladas, eapito Samuel Plomer, eqoipagero
horroroso, escreve para a cidade das Alagoas, on- jo, carga carvao e alguus gneros ; a Willson &
de se achava preso seu escravo Nicolao, recom-! He.
mondando a um amigo, com a maor franqueza, Navios saludos no mesmo dia.
jue providenciasse era ordem a que nada absolu; p0rtos do norteVapor braseiro Cruzeiro do Sul,
commandante Alcoforado.
ParaPatacho sueco Jarl, capitao Anderson, em
lastro.
Observaco.
Fundioa no lamaro urna corveta americana
mais nao leve comraunicago com a trra.
I1ITA1
lamente fallasse ao seu escravo na cadeia, e ante-
cipando sua innocencia 1...
Consta qne a polica desta provincia vai proceder
ao interrogatorio dos negociantes Ferro, 4a praca
de Pernarabuco, e de Jacinlho Jos Nuues Leite,
desta praga, bem como ao interrogatorio do nego-
ciante Amonio Francisco Maia, da cidade das Ala-
gas, como pessoas que muito pdera aclarar inda
mais as provas deste delicio horroroso.
E' de crer qae as declarages juradas dessas
pessoas que inda nao foram a juizo sejam de urna ^
utilidade para a pungo do crme. o lllm. Sr. inspector da thesouraria provin
Para nos que temos visto e presenciado a narra- c\3\t em cumpriraeoto da ordem do Exm. Sr. pre-
go desse calamitoso assassinato, de suas circums- siente da provincia manda fazer publico que no
tancias e fados que depois delle tem occorrido, na- dja j 7 ae agosto prximo vindoaro, peranie a jun-
! da ha desejar-se sobre quem deva carregar com a u d8 fazenda da mesma thesouraria, se ba de ar-
I punigo delle. rematar a qnem por menos fizer, es reparos de
O infeliz Antonio Maia fo, como dizem, traigoei- 2,095 bracas correntes na estrada do sul, do mareo
raraente envenenadoo vinho da garrafa, que 8,000 bragas at o portao da barrelra da ponte
na maor boa f entregou antes da partida a Nico- OS Carvalhos, aveliados em 5:313^000.
lo, escravo de Almeida Guimaraes, foi o instru- A arrematago ser feila na forma da lei prc-
mento de sua morte III... vincial n. 343'de 13 de roaio de 1854, e sob as
Proceda justiga regularmente, e a punigo do clausulas especiaes abaixo copiadas.
I crime recahir sobre aquelle que nicamente tem
sido indigilado autor delle.
Justiga.
*
fc-lH&-<-=
Assassinato Maia.
Continuara as indagagoes na delegaca de polica
desta cidade, acerca do assassioato do infeliz A. A.
Mala, em consequencia das quaes foi preso ante-
hontem por volta da larde o pardo Nicolao, escravo
que foi do Sr. Jos Antonio de Almeida Guimaraes
netrocianto desta praga.
O Sr. Dr. delegado de polica mostrou indepen-
dencia e rectidu na capturo do mandatario desse
crime horroroso, cuja pungo reclamada pelo
lioiii senso do publico.
Nicolao foi depois da morte de Antonio Maia al-
forriado, e consta-nos que tem trocado nesta cida-
de olas de 1005 e 200 !
As pessoas que sa propozerem a essa arremata-
ra, comparegam na sala das sessSes da referida
junta, no dia cima mencionado, pelo meio dia, e
competentemente habilitadas.
E para constar se mandou publicar o presente
pelo jornal.
Secretaria da ihesonraria provincial de Pernam-
buco 13 de julho de 1865.
O secretario,
A. F. d'AnnunciacSo.
Clausulas especlaes para a arrematago.
-! As obras dos reparos da estrada e embarrea-
mento, entre o mnrcu de 8,000 bragas e a barrei-
ra da ponte dos Cirvalhos aa estrada do sul, serao
feitas de conformidade com o orgamento junto oa
importaocia de 5:3135.
2a O arrematante dever principiar as mencio-
nadas obras no praso de 15 dias e concluilas no
I de 5 mezes, ambos contados da data da approva-
. 1005 e ..
Entreanto, de notar que a mulher de Nicolao, ,a da arrematago
parda, forra, depois desse acontecimento horroroso I 3' pagamento sera realisado como determina
oppozera invencivel resistencia a continuar a vi- o artigo 79do regularnento de 9 de julho de 1864
ver com elle, e se retirara com seus Albos para a e a responsab.lidade da entrega definitiva sosera
povoacSo do Coqueiro Secco, onde consta que zem applicavei aos calamentos e aterros dos mangues.
declaradoque jamis far vida com esse assas
sioo.
(Do Mercantil das Alagoas.)
4* Para tudo o mais que nao se tem especifica
do oas preseutes clausulas, seguir-se-ha o que de-
termina o regularnento cima citado.
ConformeA. P. d'Annunciago.
O Illm. Sr. inspector da thesouraria provin-
e Lan- cal em cumprimento da ordem do Exm. Sr. presi-
dente da provincia, manda fazer publico que no
Agua florida de .Uurray
man.
Com quasi toda a certeza pode se por em duvida da 10 de agosto prximo vindouro, perante a jun-
se-as as mil e urna variaveis flores que adorna-
vam e derromavam to delicioso perfume sob o
verdescente jardira do paraizo :espalhavam urna
fragrancia mais pura e delicada na atmosphera, do
que aquella que se diffunde e cnche o gabinete de
vestir ou Bondoir, no qual se baja aborto um fras-
t co desta odorfera e deleilavei agua de cheiro.
j Comparada com o passageiro e voltil cheiro des-
I sas essencias ordinarias, o seu mimoso e delicioso
aroma pdese chamar iuexiiuguivd, inapagavel,
eraquanto que por outro lado a verdadeira quinta
esseacia era seu genero, que de urna maneira a
mais viva, nos faz agradaveimente recordar, tra-
zendo nos mente o deleitavel e genuino perturae
das aromticas e floresc>>oles flores; n'uma pala-
vra nella existe e floresce a belleza e o encanta-
mento.
O volume do delicado aroma espargido de algu-
mas gotas derramadas sob o lengo, verdadera-
mente raaravilhoso e deleitavel; e como um agra-
davel meio de restabelecer desmaios, vertigens e
dores de cabeca, assim como servindo de odorfero
adorno pessoa e ao paladar, quando usada em di-
luigo como um enxagoaraeotode bocea ou cosm-
tico, ella por certo nao tem sea igual entre todas
as mais aguas ebeirosas iuiporladas. (Haja senti-
do pois em se examinar e ver que os nomes de
Marray e Lanmanse achem inscriptos e im-
pressos sob cada envoltorio, letreiro ou garrafa,
pois na falta dos mesmos nenbuma verda-
deira.)
A venda as pharmacias de Caors & Barbosa e
J. da C. Bravo & C.
Para o 1;\m. *r. uiiohdu da jus-
A polica desta provincia trata de syndiear ae
circumstancias do horroroso crime de morte, pra-
ticado na pessoa do infeliz Antonio de Azevedo
Maia, rico negociante desta praga.
Temi de ir desta cidade para a villa do Pilar o
infelia Maia, despedio o seu costomado remeiro um
certo individuo conhecido vulgarmente por Tainka,
dizendO'lhe qae seria daqaella vez conduzido pelo
pardo Nicc lo, escravo do negociante desta praga
Jet Antonio dt Almeida Gmmarie, que Ih'o bavia
para este ftm offerecido, sabendo da viagem de
Mala.
A's 7 horas da noile do da 7 de marco deste an-
no apresenta-se Nicolao, escravo de Almeida Gai-
mares e entre ootros objeotos que devia conduzir
GQMMEieO.
PRAQA DO RECIFE.
Coiacocs offlciaes.
Io de agosto.
Cambio sobre Londres24 3|4 d. por 1W00 a 90
de vista.
Dubourcq Jnior,
Presidente.
Guimaraes, '
Secretario.
Caixa filial do banco do Brasil em
Pernambaco.
A directora desta caixa saca sobro o banco do
Brasil no Rio de Janeiro e sobre a caixa filial do
mesmo banco na Baha.
Novo banco de Pernambnco.
Os administradores da massa fallida de Joaquim
Jos Silveira pagam o 1 dividendo de dita massa
na razao de 9 0/0 sobre o valor des tirlos ad-
meltidos : no novo banco de Pernambuco ra
do Trapiche n. 34.
.Noto banco de Pernam-
buco.
O banco descoata letras na presente semana a
9 por cento ao anno al o prazo de seis mezes,
Caixa filial do banco do Brasil
em Pernambuco.
De ordem da directora desta caixa se faz publi-
co aos senhores accionistas, que o respectivo the-
soureiro est autorisado a pagar o 23* dividendo
do semestre findo em 30 de jocho nltimo a razo
de 12$ por accao. i
ta da fazenda da mesma thesouraria, se ha de ar
rematar a quem por menos fizer a obra do empe-
dramenlo de 280 bragas correntes entre os marcos
de 13 a 14 mil bragas na estrada da Victoria, ava-
hada em 3:5995200.
A arrematago ser feila na forma da lei pro-
vincial n. 343 de 15 de raalo de 1854, e sob as
clausulas especiaes abaixo copiadas :
As pessoa que se propozerem a essa arrematago
comparegam na sala das sessoes da referida junta
no dia cima mencionado, pelo meio dia e compe-
temente habilitadas.
E para constar se mandou publicar o presente
pelo jornal.
Secretaria da thesouraria provincial de Pernem-
buco, 10 de jnlho de 1865.
O secretario.
A. F, da Annunciacao.
Clausulas especiaes para a arrematara!).
1" O empedraraento entre os marcos de 13 a 14
mil bracas serexecutado de conformidade com o
respectivo orgamento na importancia de 3:5995200.
2* O arrematante comegar os trabalhos no pra-
zo de 15 dias e os concluir no de 5 mezes, arabos
contados da data da approvago da arrematago.
3a Os pagamentos serio feitos em tres presta-
goes iguaes e correspondentes a cada terca parte
da obra execulada.
4* Soffrer o arrematante urna multa de 1005 se
par al y sar o servir por 15 das ou mais.
5* Na* poder o arrematante sob pretexte qual-
qaer pedir indemnisago alguma.
6* O engenheiro encarregado dos trabalhos dar
ao arrematante as instrucgdes a respeto do servi-
go, as qoaes sero observadas sem a menor discre-
pancia.
7a O que nao se acha aqui previsto ser regula-
do como se acha determinado no regularnento de
9 de julnho de 1865.
Conforme,
A. F. da Annunciacao.
O Illm. Sr. luspector da thesouraria provin-
cial, em cumprimento da ordem do Exm. Sr. presi-
dente da provincia, manda fazer publico que no dia
10 de agosto prximo vindouro, perante a junta da
fazenda da mesraa thesouraria, se ha de arrematar
a quem por menos fizer, os reparos do empedra-
mento de 250 bragas entre os marcos de 5 a 8 mil
bragas na estrada da Victoria, avahados em.....
3:1575.
A arrematago ser feta na forma da lei pro-
vincial o. 343 de 15 de maio de 1854 sob as clau-
sulas especiaes abaixo copiadas.
As pessoas que se propozerem a essa arremata-
go comparegam na sala das sessoes da referida
junta, no dia cima mencionado, pelo meio diae
competentemente habilitados.
E para constar se mandou publicar o presente
pelo jornal.
Secretaria da thesonraria provincial de Pernam-
buco, 10 de juoho de 1865.
O secretario,
A F. da Annunciacao.
Clausulas especiaes para a arrematacao'.
! Os reparos do empedramento da estrada da
Victoria, entre os marcos de 5 a 8 mil bragas sero
executadas de conformidade com o respectivo or-
eamento na importancia de 3-1575-
* O arrematante comegar os trabalhos 13 dias
depois da approvago do contrato, e os concluir
m 4 mezas, contados tambem da data da appro-
vago. ..
3* CS pagamentos serlo lejos em4re_s prestagSes
iguaes e correspondentes a cada langoda obra eje-
cutada.
4* Soffrer o arrematante urna multa de 1005 se
paralysar os trabalhos por mais de 13 dias.
5" O arrematante cumprir as ordens que relati-
vamente ao servieo, Iba foram dadas peioangeobei-
r encarregado dos trabalhos.
6* Nao poder o arrematante pedir indemnisa-
go sobre qualquer pretexto.
7* Para tudo quanto aqui se previnir, se obser-
var o que determina o regulamenlo de 9 da julho
de 1864.
Conforme,
A. F. da Annunciacao.
O Illm. Sr. inspector da thesouraria provin-
cial, em cumprimento da ordem do Exm. Sr. pre-
sidente da provincia, manda fazer publico, que no
dia 24 de agosto prximo vindouro, perante a jun-
ta da fazenda da mesma thesouria se ha de arre-
matar, a quem por menos fizer os reparos urgen-
tes de que precisa a cadeia di villa do Limoeiro,
avahados em 3:4185150 rs.
A arrematago ser feta na forma da le provin-
cial n. 343 de 13 de maie de 1834, e sob as clau-
sulas especiaes abaixo declaradas.
As pessOas que se proporein a essa arrematago
comparegam na sala das sessoes da referida junta,
no dia cima mencionado, pelo meio dia e compe-
tentemente habilitadas.
E para constar se mandou publicar o presente
pelo jornal.
Secretaria da thesouraria provincial de Pernam-
buco, 21 de julho de 1865.
O secretario,
A. F. d'Annunciago.
Clausulas especiaes para a arrematago :
1.a As obras dos reparos da cadeia da villa do
Limoeiro, serao feitas de conformidade com o or-
gamento respectivo na importancia de ris .......
3:4185150.
2.a O arrematante dar principio ao trabalho 15
das depois que se fizer a arrematago e as dever
concluir no prazo de 3 mezes.
3.a Os pagameulos sero feitos em 3 prestacOes
iguaes a cada lerga parte da obra correspondente.
4.a O arremataute seguir na execugo das obras
as instrucgoes do engenheiro, que a inspeccionar.
5.a Para tudo quanto aqui nao e&tiver previsto
observar-seha o que dispoe a lei n. 286.
Conforme,
A. F. d'Annunciacao.
O Illm. Sr. inspector da thesouraria provin-
cial, em cumprimento da ordem do Exm. Sr. pre-
sidente da provincia, manda fazer publico, que no
dia 3 de agosto prximo vindouro, perante a junta
da fazenda, da mesma thesouraria, se ha de arre-
matar, a quem por menos |>ier a obra do empedra-
mento, na extenso de 153 brabas no lauro da es-
trada de Bujary cidade deGoianna, avahada em
1:3645000.
A arrematago ser feila na forma da lei provin-
cial n. 343 de 15 de maio de 1845, e sob as clausu-
las especiaes abaixo declaradas.
as pessoas que se propuzerera a essa arremata-
go comparegam na sala das sessoes da referida
junta, no dia cima mencionado pelo meio dia e
competentemente habilitadas.
E para constar se mandou publicar o presente
pelo jornal.
Secretaria da thesouraria provincial de Pernam-
buco, 4 de julho de 1863.
O secretario
A. F. da Annunciacao.
Clausulas especiaes para a arrematago.
1.a Empedramento de 155 bragas correntes no
lango de estrada de Bujary a Goianna na impor-
tancia de 1:3645000, ser" feilo de conformidade
com o respectivo orgamento, e as instruegoes do
engenheiro encarregado da fiscalisago dos traba-
lhos.
2.a Os pagamentos sero feitos em duas presta-
g5es iguaes, a primeira quando cstiver executado
metade de todo o servigo ; e a ulijma na concluso
do trabalho.
3.a O arrematante comegar os trabalhos at o
dia 1." de setembro e os concluir al o ultimo de
outubro do corrente anno.
4.a O arrematante nao ter direito a indemnisa-
go alguma, qualquer que sej a natureza da alie-,
gago, salvo nos casos previstos por lei.
3.a Em todo o mais qne nao vai wpecitkade bs
presentes clausulas, seguir-se-ha o que dispoe o re-
gulamenlo de 9 de julho de 1864.
Conforme.A. F. da Annunciacao.
O Illm. Sr. inspector da thesouraria provin-
cial, em cumprimento da ordem do Exm. Sr. pre-
sidente da provincia, manda fazer putdiro que no
da 10 de agosto prximo vindouro, perante a junta
da fazenda da mesma thesouraria se ha de arrema-
tar a quem por menos fizer os reparos de 88 bra-
gas de epalfedramento, entre os marcos de 3 a 4
mil bragas nos logares denominados reas do Gi-
quia e iadeira do Vieira, na estrada da Victoria,
avahados em 1:9695000.
A arrematago ser feta na forma da lei n. 343
de 15 de maio de 1854 e sob as clausulas especiaes
abaixo declaradas.
As pessoas que se propozerem a essa arremata-
gao comparega na sala das sessoes da referida jun-
ta, no dia cima mencionado, pelo meio dia e com-
petentemente habilitadas. ,
E para constar se mandou publicar o presente
pelo jornal.
Secretaria da thesouraria provincial de Pernam-
buco, 10 de julho de 1865.
O secretario,
A. F. da Annunciacao.
Clausulas especiaes para a arrematacao.
Ia Os reparos do empedramento da estrada da
Victoria, entre os marcos de 3 a 4 mil bragas nos
lugares denominados Aras do Giqui e Iadeira do
Vieira, serao feitos de conformidade enm o respec-
livo orgamento, na importancia de 1:9695.
2a O arrematante dar principio aos trabalhos
no prazo de 15 dias e os concluir no de 3 mezes,
arabos contados da acta da approvago da respec-
tiva arrematago.
3" Os pagamentos serao feitos era duas presta-
g5es iguaes, e correspondentes a cada metade da
obra executada.
4a O arrematante nao poder interromperos tra-
balhos por quinze dias ou mais, sob pena de ser
multado na quantia de 1005-
3 Nao poder o arrematante pedir indemnisa-
go sobre qualquer pretexto.
6a Na execugo do servigo o arrematante obser-
var as instrnegoes que lhe forem dadas pelo enge-
nheiro encarregado dos trabalhos.
7a O que nestas clausulas nao se achar previsto
observar-seha o que disp5e o regularnento de 9
de julho de 1864.
Conforme,
A. F. da Annunciacao.
O Dr. Trstao de Alencar Araripe, afflclal da im-
perial ordem da Rosa, e juiz especial do com-
merco desta cidade do Recife de Pernambuco e
seu termo, por S. M. Imperial que Deas guar-
de etc.
Fago saber aos que o presente edital vrem, e
delle noticia tiverem que por parte de Sebastio
Jos da Silva, me foi dirigida a peligo do theor se-
guinte:
Illm. Sr. Dr. juiz do commercio.Diz Sebastio
Jos da Silva, commercianle estabelecido nesia ci-
dade, que sendo-lhe devedor Jos Thomaz de Qli-
veira Mello, de duas letras, sendo urna saceada em
6 de fevereiro de 1860, da qnantia de 7965210 rs.
a oito mezes de prazo, por conta da qual dera em
27 de outubro do mesmo anno 3005000; e a ou-
tra da qoantia de 1485646 rs. saceada em 30 de
maio de 1866 a seis mezas de prazo; Miguel Ger-
mano de Oliveira Sycupira, de urna letra da qnan-
tia de 8405520 rs., saceada em 12 de maio de 1860
a seis mezes de prazo; Manoel da Costa Caldas de
ama letra da quantia de 2638810 rs. saceada em
10 de agosto de 1859, a doze mezes de prazo, ven-
cida em 10 de agosto de 1860; e finalmente Ben-
jamn! de S Pereira, e Silverio Joaquim Marlins
dos Santos, de ama letra da quantia de 7875260,
saceada em Io de fevereiro de 1860, a seis mezes
de prazo, e por conta da qaal deram em 16 de fe-
vereiro de 1861,.3005000, quer o supplicante para
interromper a prescripgao pelo meio indicado no
paragrapho 3o do art. 153 do cdigo do commer-
cio, para o que requer a V. S., digne-se mandar
que seja o protesto tomado por termo, alira de ser
intimado pessoalmente a Silverio Joaquim Marlins
dos Santos, qae reside nesta cidade, eaos mais por
carta edital de 30 das, admillinda o supplicante
a justificar a ausencia dos supphcados, marcando
para isso dia e hora para ter lugar a justificagao
para ser julgada por sentenga na forma da lei e do
estylo.
Pede a V. S. deferimento.E. R. M.-Joaqaim
de Albaquerqae Melfo.
E mais se nao contraba em dita petifo ajai co-
piada ; na qaal del o despacho tef niatt:
Justifique depois d'amanua ao neto dia. Rente,
19 de julho de 1863 Alencar Araripe.
E mais se nao coolinha em dita pefjrio aqoi co-
piada.
Em virlude do qual fura a mesma petico retri-
buida do escrivo que aole ma serve Man ria Rodrigues do Nascimenlo, o qaal fez lavrar o
termo de protesto do theor seguate :
Termos de protestos.
Aos 19 de julho de 1865, em mea rartrio por
parte do supplicante comparecen Jo seu bastan:
procurador Joaquim de Altnqaerqoe I-IU>. e anr
este fra dito perante mim e as testemunhis iafra
assignadas, que reduzia a protesto o cooleado ae
sua petigo retro, a qaal cfferacu como aarw de
presente em que se assignou rom as ana* lere-
muobas; eu Adolpho Liberato Ptreira de Olivwra
escrevente juramentado o eserevi; en Mwoel Ma-
ria Rodriguej do Nascimi-nto, escrivo a
crevi, Joaquim de Albuquerque Mello,
Eiiodoro da Cunha, Manoel Anteo de
Lessa.
E mais se nao continua em dito termo da pro-
testo aqui copiado.
E leudo o supplicante produztdo saas testenm-
nhas, sellados e preparados os autos sobiram a bm-
uiia concluso e n'elles dei a enlenga do neer se-
grate :
Hei por justificada a ausencia, e mando qae as
supplieados sejam citados por edilos de 30 dapa-
ra o tim requerido a folhas t, pajeas as casias ex-
causa. Recife, 22 de julho de 1865.-Trislao de
Alencar Araripe.
E mais se nao coatioha em dita seatea^a, aaai
copiada. Por orga da qual o referido esemo f^z
passar o presente edital, palo qual chamo e mame
e hei por intimado as supplieados para qaeromaa-
recam neste juizo dentro >io dito prazo, a!im de al-
legarem o qoe tur de je*ig.
E para que chegue ao conaecimeato de iodo--.
mandei passar o presente que ser patinado peta
impren-a e afOxado nos lugares do rasttane,
Recife, 26 de julho de I8(ft.
Fu, Manuel Mana Rodrigues do Nascimeat), es-
crivo, o subscrevi.
Tristo de Alencar Araripe.
lilni. Sr. inspector da thesonraria provmrial,
em cumpriment) da ordem do Exm. Sr. prniasa
te da provincia, manda fazer publico, qoe ao da
24 de agosto prximo vindoaro, perante a josa da
fazenda da mesma thesouraria, se ha de arrema-
tar, a quem por menos iizer os reparas da peala
do Rio Formse, av liados ern-1:55150*10
A arrematago ser feila aa forma en lei pre-
vincial n. 343 de 15 de maio de 1834, e sea* as
clausulas especiaos a Ijaixo copiadas.
As pessoas que se proporem a essa arreatateeo
comparegam na sala das lauta da referida joa'u
no dia cima mencionado, pelo mew dia a compe-
tentemente habilitadas.
E para constar se mandn panucar o preseas
pelo jornaJ.
Secretaria da thesouraria provincial ae Psraam
buco, 21 de jullio de 1865.
O secretario,
A. F. i A nnu mcwrao.
Clausulas especiaes para a arrematacao:
1.a Os reparos da ponte do Rio Formen, seria
feitos de couformidade com o orgamento justo aa
importancia de 1:3515000.
2.a As obras devero ser principiadas ao praa
de 23 dias e concluidas no de 3 mesas, aajiaa
contados da data da approvago da arreauuee.
3.a Os pagamentos serio realisados em deas
prestagoes iguaes, a primeira qnaado liver
das obras, e a segunda na sua condesad e
defensiva.
4.a Para ludo qae nao esliver especificado aas
presentes clausulas e arrmenle, seaair-se aa a
que dispoe o regulamenlo de 9 de jalao de 1863.
Conforme,
A. F. a"AnnimcMifu).
O Dr. Trislo de Alencar Araripe, dBcial da aa>
perial ordem da Rosa, iuiz de direito especial da
coa)iucr>..o desta ydade do Recife de Pt-rsarnaa
co e sea termo por S. M. I. e C o Sr. D. Padre
II, a quem Deas guarde ele,
Fago saber pelo prsenle qae no dia 14 do tan
de agosto do corrente anno se bs de arrematar por
venda, a quem mais der, em praca pobiiea, depois
da audiencia respectiva:
Urna relago de diversos devedores aa importaa-
cia de 9105520, incluida urna lettra da qnaalia de
5825^70, avahado tudo em 2905 ; capa rebeo e
letra vai a praga por execago de Ferreira & Mar-
lins contra Manoel Soares de Moora.
E na falta de licitantes ser a arrematar*) fett
pelo prego da adjudicarlo com o abatimeaio da le.
l para que chegue ao conhecimealo de todos
mandei fazer o presente edital qoe sera aftaado
nos lugares do costme e publicado peta impreesa.
Dado e passadu nesla cidade do Recife de Per-
oambuco, aos 31 de julho de 1865.
Eu, Manoel de Carvalho Paes de Aadrade, es-
c rivo, o sobscrevi.
Ti islas de Alentar Armript.
O Dr. Trstao de Alencar Araripe, oftVial da im-
perial ordem da Rosa, juiz de direito especial
do commercio desta cidade de Recife de Per-
nambuco e seu termo, por S. M. I. e C e Sr. D.
Pedro II, a quem Deas guarde.
Fago saber pelo presente qoe no dia 28 da san
de agosto do crrente aune, se ba de arrasete,
por venda, a quem mais der, em praga poblica, de-
pois da audiencia respectiva :
A sexta parte da casa terrea sita na rea de Luis
< do Reg, na freguezia da Boa-Vista, rom tres por-
, tas na frente, cacimba fra e nm pegase) tsrve-
1 no do lado, cojo terreno foreiro aos aerdetros de
i Manoel Luiz da Veiga, avahada dita sexta paite tas
cem mil ris; cuja sexta parte de dita casa vai a
i praca por execugo de Ferreira 4 Manes
I Manoel Soares de Moura.
E na falta de liiiantes ser a arrematacao
pelo prego da adjudicago com o abalimeole
lectivo da le.
E para que chegue ao conhecimento de
mandei fazer o presente edital, qae ser a
nos lugares do costume e publicado pela iotpi
Dado e passado nesta cidade lo Recife de
nambuco, aos 31 de julho de 1865.
Eu, Manoel de Carvalho Paes de Aadrade, escri-
vo, o subscrevi.
Trislo de Alencar Alarife.
t
I
feta
res-
Per
i
DECL1MCES.
Santa Casa de Misericordia a
Recife.
A Illm* junta administraba da Saeta Cara de
Misericordia do Recife manda fazer pooHeo eae a
dia 3 do prximo futuro m.-z de agosto, petas 4
horas da tarde, na sala das saas sessdes, eoatrata
para a obra da ra da Gloria o fornecimeati da 12
milheiros de tellia de boa qnalidade : ae eeaeor-
renles devera apresentar as suas proeostas esa car-
ta fechada.
Secretaria da Santa Casa de Misericordia de Re-
cife 31 de julho de 1863.
O escrivo,
F. A. Caralcanti Cewssrir.
paaaee.
Pela thesouraria provincial se fea
que a arrematacao do fornecimeolo dos medica-
mentos necessarios enfermara da rasa de detae-
gao, foi transferida para o dia 10 da agosta va>
douro.
Secretaria da thesouraria provincial de Pira
buco 28 de julho de 1863.-0 secretario,
A. F. d Anonaqaeao.
Pela rapartigo das obras poMieas es fax
publico para conhecimento das pesseej a meas
coovier, que os orgameotos das obras qoe tem da
serem arrematados na thesojraria provmeiel, es-
tro patentes a todas as pessoas qne quiltree exa-
minar.
Secretaria das obras publicas Jff de jaJke de
1865.No impedimento do secretarle,
Joo Joaqaim de Siemeira Varejao.
klenqao*
O procurador d cmara municipal da (Mala,
abaixo assignado, faz sciente qae o silto
nado Butrim foreiro a mesraa cmara. Oteada
31 de julho de 1865.
Jos Joaqaim Xavier Sonreir.



-

x
Diarto
Tribunal do coinmercio
I particular cooperagao aoacto, attendendo que al, _-,__ 3
esco/beu e da qu.arta-feira 2 de agosto, dia dees- lili] 3 a % %
Pela secretaria do tribunal do coinmercio de pectaculo da casa, eem que o brilhanle corpo ac- Deduas casasteis edift^bsTTriia A rn
Pernambuco se faz publico, que nesta data flea deraico mais ou raeoos coocorre ao theatro tudo cordta.no ann*$Z??*Zt?a?to
competentemente registrado o papel de d.ssolucao para a ampia e real coosecucao do fim. quem na dita rn^ rom ,m, nnr.,\ 5 Lt\
da sociedade que nesta praca tioham Manoel Pe- _____________ quem na aua ruaj cora urna porta e duas janej-
j-, ,1. \! .11 I,.;........ ... I "mMnaalHa
meida Lima, sob a firma de Fragoso, Lima & J
cuja liquiJaglo ttca a cargo dos ex-socios Fragoso
i Lima, estando o ex socio Moli pago do seu ca-
pital o lucros e desoneralo de qualquer raspn-
sabtlidade.
Secretaria, do tribunal do commercio de Per- !
natnbuco 28 de julho de 186.1.
O offleial-raaior,
___________________________Julio Gunnaraes
Tribunal do commercio.
Pela secretaria do tribunal do commercio de
Pernambuco se faz publico, que nesla data flea re-
ggg gugnro.
COMPANHIA BRASILERA
DE
PAQUETES A VAPOR.
E' esperado dos portos do norte
la?, 4 qnartos, cosinha fora, quintal, encanaiuenfo
d agua do.Debenbe, rendimenlo annual 400J ca-
da urna.
Quinta-feira 3 de agosto
Por intervengao do agente Pinto, no armazem
da ra da Cadeia n 02.
E
DE
t\Ltj*TL E Urna excellentemobilia de Jacaranda, i cama fran-
Paran, commandanto o capitao
de fragata Antonio Joaquim de
Santa Barbara, o qual depois da
gistrado o papel de dissolago da sociedade de An- demora do costurae seguir' para os portos do
tomo Jos Arantes e Antonio Joaquim da Silva Vi- sul.
lella, ficando em virtude do mesmo distracto o ex-
socio Arantes de posse do eslabelecimento e de to-
do o activo, e responsavel pulo passivo, e o ex so-
cio Vilella pago com a quantia de 4:0005 que re-
cebeu, e desoneraJo de toja responsabilidade.
Secretaria do tribunal do commercio de Per-
nambuco Io de agosto de 1863.
Juli) Gnimaraes
_______________________Ofllcial maior.
Arsenal de guerra.
O conselho de compras do arseual de guerr
precisa comprar o se^uinte :
Para provimento do arsenal.
10 arrobas oleo de linhaga.
- arrobas pregos francezes de 2 e 3|4 de pole-
gadis.
40 fecliaduras para caitas.
-10 pares de dobradigas para ditas.
30 grozas Je Ovalas para mocbilas.
Para o corpo de polica.
1G0 camisas de algodozinho.
100 frdelas de dito.
As pessoas que quizerem vender ditos artigos,
apresentem suas propostas com as respectivas
ceza e um toillet tambera de Jacaranda, 1 banca
de advogado, 2 estantes, 1 mobilia de amarillo,
2 serpentinas, 1 sanctuario, 1 mesa elstica, 2
apparadores, I guarda vestido, 1 commoda, me- i
sas, cadeiras, raarqiiezas, camas de ferro e mui-'
tos outros objectos os qtiaes sera) vendidos no
armazem da ra da Cadeia n. 62, por conta de
una familia que mudou de resiJencia.
Por intervengao do agente Pinto, as 10 horas do ;
Desde j recebem-se passageiros e engaja-se a
carga que o vapor poder conduzir, a qual dever
ser embarcada no dia de sua chegada, encom-
mendas e dinheiro a frete at o dia da sabida as
,& \ T*lVi dii f"" ? V pscriPlor0 de dia, sexta-feira 4 do crrante
Antogio Luiz de Oliveira Azevedo & C. |__________
Para a Uahia pretende sahir
com muita brevidade o velelro
lugre Emilia, capitao Bernardi-
no Rodrigues de Almeida, por
ter a maior parte da carga tra
tada, e para o resto que Ihes
falta tratase com o consignatario Joaquim Jos
Gongalves Beltrao, na ra do Vigario n. 17, prt-
nieiro andar.
Joao da Silva Ramos, medico pea nj-
S varsidade de Coimbra, d'consultas em
t na casa das 9 as II horas da manhaa, e
H das 4 s 6 4a tarde. Visita os doentes
i em suas casas regularmente as horas
8 para iss designadas, salvo os casos ur-
! gentes, que sero soccorridos em qual-
I qner occasio. D coasultas aos pobres
I que o procurarem no hospital Pedro If,
% aonde encontrado diariamente das 6
B s 8 horas da manhaa.
II Tcm sua casa de sade regularmente
montada para receber qualquer doente,
ainda mesmo os alienados, para o que
tem commodos apropriados e nella pra-
tica qualquer operagao cirurgica.
Para a casa de ande.
Primeira classe 35000 diarios.
Segunda dita.... 2a00 >
Terceira dita.... 25000
Este eslabelecimento j bem acredi-
tado pelos bons serviros que tem pres-
tado.
O proprietario espera que elle conti-
nu a merecer a confianza de que sem-'
pre tem frotado.
KTRATISTAS
Firmino & Lins
f
m
COMPANHIA PERNAMBUCANA
DK
Navegaco costeira por vapor.
Por ordem superior fica trans-
ferida para o dia 5 de agosto pr-
ximo, as 10 horas da manhaa, a
partida de um dos vapores da
avisos umm.
Instituto Archeologico c Geographico
Pernamliucano.
Haver sessao ordinaria quinta-feira, 3 de agos-
to, as 11 horas da manhaa.
ORDEM DO DIA.
Trabalhbs e pareceres de comtnisses.
Secretaria do Instituto, 31 de jnlho de 1885.
J. Soares de Azevedo,
Secretario perpetuo.
Novo eslabelecimculo de reta-*
tosa roa Sova n. 15, laa- \
dar, junte ao Sr. Gauticr,
; dentista.
Tiram retratos todos os dias, das 7 horas I
da manhaa as 3 da tarde, quer chova ou |fe
i)Sn. jg
Tambem se offerecem para tirar retra- P
tos de pessoas fallecida?, dentro ou fra
da cidade.
Os annunclantes desejando acreditar o f
seu estabelecimento, garantem ao puhliro JJ
que nenhum trabalho satura de sua offlei- Jy*-
na, sem que nao seja peritamente acaba *?j
do, e a vontade do freguez. >**
fc.*l-----------------
Casa debanhos

Fernando de Noronha.
(ionni.i uc um uus va|>)ics ua .#_ J i i i ,-,i i
companhia para o presidio de HOlte (te SaImuO 3> (10 VCIS-
amostras, na sala do conselh), as 11 horas da ma- o dia 4. Encommendas, passageiros e dinheiro a *^"'^ VfflClO (10 tlieCltrO (16 SdYl
nhaa do dia 2 do correle ; advertiodo-se que as
camisas, ca gas e frdelas sero recolhidas no dia
immediato a compra.
Sala do BOaselbo de c )mpra> do arsenal de guer
ra, 31 de julho de 1863.
O encarregado da escriptnracao,
Manoel Jos de Azevedo Santos.
r!'m?L**"***'' escT]?toroao\taIsabel pela ra do Impera-
dor e travessa do Ouvidor, um
alfmete de peito, formado p-tr
urna ancora e um
Cantara Municipal lo Recifc.
M'it'ph nroimbliro da cidade do fecife.
Mat.uam-se para o consumo dcsta cidade no
Para o Rio.da Prata ou Rio
Grande
Freta-se a barca nacional Restauraeao : a tra- .
lar com os. seus consignatarios Antoio Luiz de "" V* "'*
Ol.veira Azevedo &C, no sea escriptorio roa da COraC(lo, U(lo de Cabtllo eUCUS-
Para o Rio de Janeiro. i,,ado em ouro Hoyase a pes
inez de julho do corrente auno 2,837 rezes, a pretende seguir com muita brevidade o patacho SOfX fUe O tWGT OChddO 0 ObSG-
saber: nacional Regulo, tem p.rte de sen carregamento .
quio d" entreija lo na ra das
Cruzes n 2 seijundo andar,
que se gratificar Adcerte se
que n) pode ser usado nesta
cidade, por pessoa alquma,
Largo do Carino a. 26.
Este eslabelecimento to bem montado na sua
origem achavase de ha multo em quasi completo
abandono pelo pouco inleresse de tua adminis-1
tra cao.
Hoje que o novo proprietario empregou todos os
meoB para reMabelecer a grande utilidde deste I
estabclccimento, pode assegurar ao publico que .
qualquer que seja o num.ro dos concorrentes A "LA DO CRESPO .N. 23 E CASAS DO IJKTVXE.
UUtiii precisar de um a-lmioistrador que est acharo desde j promptido e aceio nos banhos Oabaiioassignaduvendeo iki *ea$ muiioMi-
BMWM watico oeste servico, dirija-se a Olinda, fros, momos ou medicinaes, a casa dos banhos se "s bilhetes uarantidos da lotera <|Bf se arabos
ra dos Quarteis, a faliar com Joaquim Mendes da achara aberta todos os dias das 6 horas da manhaa dfl fabir, a benedeio da Sahta Caia a Mke-
hilva, ou annuncie por esto Diario o logar do en- as 11 da noite. ricordia, os segunies i>remios :
euno Prejos. Dous qnartos n. 2203 com a sirle d,? C:0f*ft.
Banho de choque...... 500 ?IU* quartos n. 1291 com a -ort-; t.- I SDUjMjH
uilo trio ou
o coniuiercio
O abaix.o assignado participa ao respeitavel cor-
po do commarc), que deixou de ser caixeiro dos
senhores Manoel Marques de Oliveira & C. desde
31 de jiillip da corrente anno.
\os sechores de engenho.
MUMM I
THEARD.
\. 3 -Risa XovaX. mi
E' de.-neressario rerornmendar a s nxummmm
fre^uezes deste otabelerinifol-) de r^la*. r n-
riado sortimenlo Je que empre r-t uv tm>,
por isso apenas chama a altearn .!> lrllo
para um sorlimento de chale* de inrrio a i
na, viudos no ultimo vap. r fruir ?, a.sia
cbapelinas de crep propri.is i>ara lnt-> e
rauilos rticos de mola-< que a v*ia !>
Continua se a receber li/arinos por bidet w vav
dores ila Europa, os qtiaes >o ap4tra4a*
a mamifactura das moas n. tea r-liU-l-nm
Arrendase um sitio n<> Jaran-, r.~ira*T
vai para Agua-Kria, comea-a iU el i
mmenle edificada,rom l;a rumo*;
sitio tcm arvoredis de fructas .1.- ttta ae des, bom t.-rreno para planlaro, e bai\a para ra-
pim. Alnga-se lambem o arnai -l ni n:a
de Concordia, prujrii para qnilejMcr csiabel.fi-
mento : a fallar ao solicitador hmw ^ue mor
no sobrado n. 34, onde esla o itiio armazeai, balo
para este, quanto para o sitio niemionailo.
Aos 6:000^000.
Uiltaetes caramid. s
Na ausencia dos rogados A. Eparninondas
de Mello e M. J. Domingues Codeceira deverao os
seus constituales entenderse com o advogado o
Sr. commendador A. J. de Mello, com escriptorio
na rua do Imperador n. 14.
Precisa-se de um criado : na rua da Impe-
ratriz n. 24, primeiro andar.
Libanio Candido Itibeirodc C
Virgilio Horacio de Freitas.....
Joo Chrisostomo de Albuquorque. .
Jos Lucio Lins....................
Manoel Francisco de Souza Lima- .
liellarmino Alves de Arcba .
Francisco Candido da Paz.....
Wenceslao Machado Freir Pereira
da Silva...........
Manoel Paulo de Aibuquerque .
Manoel de Sorna Tavares....,.......
Mino d Joaquim de Souza Tavares...
Ernesto Celestino de Mendonsa .
Getniniano Jos de Albuqueriuc .
carregai
799 eDgajado, e para o resto que Ihe falta e escravos a
397 frele, trata se com os seus consignatarios Adtonio
297 Luiz de Oliveira Azevedo & C, no seu escriptorio
277 rua da Cruz n. 1.________
ju, Para o Para, com escala peio Miranhao, pre
J? tende sahir em poucos dias o lugre Emilia, capi-
1,0 tao Rernardlno
18
118
87
78
o4
13
Rodrigues de Almeida, tem a
maior parte da carga tratada, e para o resto que
iwsral^,ir.aUuV'-om cons'8na'ario. Joaquim sem que prove sm posse leqaL
Jos Gongalves Beltrao, na rua do Vigario n. 17, r r < '
pnmelroandar,___________,VIH0 SCU 0,030.0 ter Certeza de
Para
Cunara municipal
1863.
Segu com brevidade para o indicado porto era
~"~ diretura o veleiro hiato Lindo Paquete, capitao
_ .. *>837 Francisco Ribsiro de Barros, e pode ainda admit-
do Recife, Io de agosto, tr alguma carga : a tratar com Antonio de Al-
meida Gomes, na ma da Cruz n. 23, primeiro
andar.
nao hacer outro igual
O contador,
Caetano Si'vero da Silva.
DE
I.SIL DES.
MARTIMOS
^CONTRA FOGO.
De um sitio na^rS do^ui, Trn cas, quasi ^ UOmpaull MemilSadOra
nova tendo esla um quarto com 2 portas que estabalecida nesta praca, toma seguros martimos
serve para negocio, tem raais sala de frente sbre navios e seus carfegamento.s e contra fogo em
com porta e janella, sala de meio, dita de detraz, edificios, imreadorias e mobilias: no seu escripto-
3 quartos, cosinln, casa de rancho, foreira e rio, rua do Vigario n. 4, pavimento terreo.
Iustrnc?o primaria
Acha-se aberta a aula publica de instrueco pri-
maria do sexo feroinino, na povoaco do Honteiro.
I'ergunta-se ao Sr. subdelegado do Recife em
que ficou as pancadas que eferam na noite de 26
do inez passado em urna pobre viuva que mora na
rua da Senzala-velha : esta pergunta deseja-se res-
posta. E>te Recife vai em estado deploravel por
falla de juslica.Um inspector.
Na rua da Florentina n. 36 prepara-se-comi-
da por cemmodo prego.
Para evitar duvidas.
E ontr'ora Caminlio Novo n. 6, bairro da Boa-Vista,
pertencentea Jos Ldoreoco da Silva; ese alguem
se adiar com alguma hypotheca ou qualquer onus,
annuncie por este jornal nestes tres dias.
Fugio o escravo Angelo, crioulo, carapina,fal
ta de um dente na frente, barba serrada, nariz
chalo, altura regular, cabellos carapinbos, |s
grandes, corpulento, anda corcovado, julga-se estar
nesta cidade : quem o pegar entregue na rua do
Livramento ao Sr. Antonio Goncalves de Azevedo,
ou em Caruar a Manoel Jos de Almeida, que se
r bem recompensado.
Quem precisar de urna ama boa engomma-
deira, cozinha soffnvel, muito fiel, e que sabe di-
rigir nina casa, dirija se ao aterro dos Afogados
D. 26o.
morno..... 500
Dito de farello.......1000
Dito medicinal ser se-
gundo sua qualidade.
Assignaiura.
Por mez banho fro ou morno... 10J000
2o cartoes para banho fro, mor-
no on de cuuvisco........... 105000
12 cartSes para os mesmos----- 5f000
12 ditos para banho de farello. l^OO
O Dr. Francisco Sires Machado
Poitella
MEDICO OPERADOR
PELA
Facnldadc de Pars,
[ repressando a esta provincia, acha-se
i prompto para o exercicio de sua profls-
I sao, quer nesia cidade quer fora del la,
[ especialmente em molestias de olhos (ca-
I taradas, etc.,) das vas urinarias (estrei-
tamento de nrelhra etc.,) e de pelle ; pa-
[ ra cujo curativo se Julga habilitado,atten-
i ta a pratica, que leve nos hospitaes de
Pars, e os modernas instrumentos que
[ possne.
Encarrega-se de collocar olhos artili-
claes.
[ Pateo do Carmo n. 2, esquina da rua
de Hortas.
m
m
EMPREZA--COIMBRA tem algumas arvores fructferas.
Reelta extraordinaria. por conla eSSl^S!!, ^rS'vender^m
i eonseqoencia da prxima chegada de S.. leilao o sitio cima mencionado, cujo sitio vende-se
Etc. o sr. presidente nomeaJo para esta provin- > por resgale de urna hypotheca, isto
ca e desdar ollerecer a empreza, por este motivo P9g\ wac
un es|icclaculo ao publico, resoUeu transferir o JiWJEi
que fura anonadado para qaartt-feira, em obse- as 11 horas, no armazem a rua da Cruz n. 67.
riuioda familia do finado Pernambucano capitao
Pedro Alfonso Ferreira, o qual lera' lugar no dia
%Do^So*t?r^e^Woes6spactacnlo fes- ^ U0VCs e OUlros objectos de gesto.
tivo no dia da posse de S. Exc. e sendo essa na1 Cordeiro Wimes
quarta-faira, nao era possivel da-^
nesse Jia sanio Iransferindo o aununci
iLEIIiiO
LOTERA
AOS 6:000|000.
Sabbado 5 de agosto do correte anno,
teria f2Ga) a beneficio da Santa Gasa
o-
de
a empreza far leilao por conta e risco de quem pertencer de Misericordia para CinalisadjO dagtta e BUL
ciado. mobilias completas de Jacaranda' earmrello, gnar- no liOSIiital Pedro II no consUtnrin ,li ora.
ta-feira 2 de agosto deMWSSJaaaaS.'SB .V^^.SSSgVtS
rugi na noite de ID para 20 do corrente
mez, do sitio do Sr. Dr. Augusto F. de Oliveira, na
ponte de Uchoa, o seu escravo de norne Luiz, qua
si que branco, tendo no rosto marcas de bexigas
bem visiveis, cabello annelado, baixo, reforsado, mazern n. 57.
bem fallante e de cerca de 28 annos de idade, le-
vou camisa de baeta encarnada e chapeo de palha
novo, snpp6e-se que vagueia nesla cidade do Reci-
fe ou pelas roas crcuinvisinhancas : quem o ap-
prdien ler e ievar ao sobredito sino, ou ao escrip-
torio da praca do Corpo Santo n. 17, primeiro an-
dnr, ser generosamente recompensado. ,
Os abaixo assi
Precisa-se de um feitor para um pequeo
sitio perlo da praga, mas que enlenda bem de jai -
dim : a traiar ua travessa da Madre de Dos, ar-
Cm quarlo n. 9 com a sort-- it- IimiIMO.
E outras muiUs sones de M), V)l. IOS*
. IOcOO.
Ospossuidores podem vr receber m re-per -
; tivos premios sem os AeaeaMM da leis na fina
j da Fortuna rua de Crespo n. 2!.
Acham-se a veuda os da 6* parte da t t t
; da 2' lotera (18J beneOcio da Sania A-a da
i Misericordia para canalisacro de ag-ia e ca >
I nospJUl Pedro II, que se extrabira sabbado 2 dk;
I agosto.
PRECO.
Bilhetes.....QM
Meios......350
Quartos.....1hk)
Para as pesseas iiue cauprarea dr !CttO
para rima.
Rilhetcs.....BATOO
Meios......IPB
Quartos.....U7UQ
________________Maaoax Waanas Ficaa.
Na rua do Impera.h.r n. *.!. j y nade aarf.r.
precisase fallar com os seguiat a :'.. re-. y*t*
negocio que IP.es diz re>peUe.
Antonio ones de Azeredn Cmh -.
Rasilio da Rocha OUvam.
Luiz Jos da Silveira.
M.moel Correa Ja Silva Lokal
Joo Pereira da Silva.
Jo- Lopes Tavares.
Jos Francisco Rodrigues.
Pelippe Borgas Leal..
Custodia Jo.-de Carvalao.
Antonio Serafln de Dea?.
Manoel PnaeiMO Ccelbo Jnior.
Joao Antonio Pereira Ramos.
Ifao Marinho Paes Brrelo.
Antonio Tiburcio da Casia Monteir,-.
Sebasliao Antonio de Alboqaerque (esladaat.;.
Fraacisco de Freitas Barbosa.
Francisi-o Gomes dos Sanios.
Joao Comes Pereira.
Samuel Power Johnston & Companhia j0su^aeS* *m.
Rua da >enzala Nova n. 4. Sebasliao Jos de Barros Ba
..nados fazem publico que se
dpsencaminhno do seu poder urna letra da quantia
de l:364j360 sacada [iclis annunciantes no dia 30
de jnnho do corrente anuo a' oito mezes, e aceita
pelos Srs. Autunes A; Irniiio, do Aracaty, cuja le-
tra declaran! que se aeha paga pelos aceitantes, e
AGENCIA DA
Fmod2efto de Low Moor.
Machinas a vapor de 4 e cavados.
Moendas e meias moendas para engenho.
Taixas de ferro coado e batido para" enge-
nho.
Arreios d carro para um e dous ca vatios.
considerada nulla por todos os seus effeilos, visto Relogios de Ouro patente inglez.
que nao esta por eodosso transferida, e ser sem- Arados americanos,
pre Ilegal sa posse por um terceiro que a tiver Machinas para descarocar algodo.
adiado ou possuir. yi,,.. .,_ j:._
Scbafhoitlin & C.
Motores para ditos.
Machinas de costura.
1865.
Logo qie S.Exc. o Sr. presidenie da provincia
apparecer na tribuna a orchestra tocara' urna pe-
qm vi -ymnhonia Onda a qual representar-se-ba o
muito linio r;uadro allegoricoproducco doSr. Dr.
Tavora.
artlgos de agosto, isto
iio.m.
Quai ta-feira 2 de agosto as 11 horas.
No armazem a rua da Cruz n. >7.
A VICTORIv M M-ICIIIELO.
PEUSONAGEXS.
Brasil........ Amoedo.
America..... Lisboa.
indio........ Texeira.
Paraguay.. .. Borges.
LEILAO
DE
Mobilias completas de Jacaranda' e amarello,
guarda vestidos, commodas, toilets de Jacaranda' e
amarello com pedra marmore, urna mesa elstica,
um par de bancas do mogno para voltarete, apa- mente at a noite da vesner da extracc3o
radores, marquezes largas e estrellas, camas fran- rfimf) ap .nl,im l
cezas de Jacaranda' e amarello, um carro de 4 ro- tusuiine.
O quadro illegricb s acha augmentado pelo das com a competente parelha de cavallos o ar- servinuo de thesoureiro,
autor e o painel que sjrmbolisa a victoria igual- reios, 1 ravallo para sela e cabriolet, 1 cabriolet Jos Rodrigues de Souza.
mente retcala peloSr. Dornellas. de 4 rotas, 1 dito de 2 rodas, caixas com charutos
zia de Santo Antonio.
Os bilhetos, meios e quartos eslo a ven-
da na respectiva thesouraria a rua do Cres-
po numero 13.
Os premios de G:O0^O0 at 10;$00
sero pagos una hora depois da extracto
at as i horas da tarde, e os outros depoii
da distribuigaodas listas.
As encommendas s rao guardadas so-
- Pogto no da lfi de julho do corrente anno, "_ Precisa-se dt m criado : na rua daTmne-
a mulata buzaoa, aqual tem os signaes seguinles : ratrlz n. 40.
altura regalar,corpo cheio, cor clara acairelada, -------~'----------------------------------r--------------------
cabellos corridos e bem aparados, cara chata, les- AluGa-se primeiro andar do sobrado n. 9
la eslreila, olhos pequeos, nariz chato, bocea na'"a Direiti, eulrada pela rua da Penha : a Ira-
grande, beigos linos, falta de denles, maos crossas tar I!0 se6UQdo andar.
Barrp'r..
Francisco Amonio Vieira da Silva.
Domingos Jo- AITon.-o Altes.
..Joaquim Francisco da Silva.
1 Joo Ribriro de Castro.
Jos Francisco da Silva.
Miguel Arcanjo Perreirs.
Vrenle Ferreira Kevn.
Joaquim Francisco Moreira.
Francisco de A?uiar Juni :'.
Julia Rosa de Almeida Pinto.
Leopoldo Gadault.
Jaaquim de Oliveira Maia Jnior.
Precisa se de urna ama para cas c- poura
familia, prefere-se que seja e- -rara : na uavesi
dos Quarteis, ontr'ora rua dj Scnhor Bom Je*as
das Crionlas n. 34, sobrad".
BDentlsta de Pernambuco.l
Est.'certo oemprezario de qaedesta vez ainda da Babia, lavatorios, objectos de ouro e prata, re-Mr..ir(M,. .',
a composicao do Sr. log|OS e uIros muitos arligos. i &. ... ',
Dr. Franklin Tavora. i IIOtlE
mais agradara' ao espectador
di]V!ii.raitm?arcts,1,ar"seliao muiI applaa' tHt-ftni 2 de agosto as i I
_Manoel Caetano Borges e Silva, n-tirando-se
eixa por seus procuradores os Srs.
go Lima, Domingos Jos da Costa Gui-
maraes, e Jo- Das de Brito Guimariies.
k
no espncoss armasen! do agente
OLYMPIO,
horas,' Manoel Caelano Borges e Silva vai a Europa.
Vende-se urna rotula e urna janella em mui-
to bom estado : roa das Aguas Verdes n. 91
Precisa-se de urna ama forra ou captiva : na
rua larga do Rosario n. 3o.
Comegara' as 8 horas.
Quinta-feira 3 de agosto.
RECITA EXTRAORDINARIA CUJO PRODUCTO SERA AP
i>i.ic\doco.mo donativo da EMPnEZA subscrip- 8usta n. 2, com o oilo para a travessa do Mon'teT-
QAO PROMOVIDA NESTA CIDADE EM FAVOR DA VIUVA r0> .QUe fende ItftJL
e iii.iios do bravo PERNAMBUCANO capitao pedro i Erna casa terrea da rua de Santa Rita n. 83
affonso ferreira. rendimento annual 300#.
Abeito o espectculo pela symphonia do eslylo Uma dita na mesma rua n. 28, que rende.....
subir a scena o sempre applaudido drama em' 1, M'l$-
prologo o 4 actos
36Roa da Cadeia do Recife30 I JoSo Tavares de Medeiros, subdito portuguez,
________ j retira-se para Europa no prximo vapor que tem
de seguir.
Offerecese urna mulher para comprar eco-
sinhar : a tratar na rua de S. Bom Jess das Criou-
las n. 23.
LEILAO
De predios em chaos foreiros,
Um sobrado de 2 andares e sotao, da rua Au-
Jo: de Souza Pinho, subdito portuguez, re-
tira-se para Europa no prximo vapor que tem de
seguir.
carias aaaaaacaaYaag im\s>^.>s*i^^
A
mLHERES DE MARMORE
Segumdo-sa-lne o gracioso duelo cantado pela
Sr." 1). Eugenia e Lisboa, sob o titulo
0 ESTIMASTE E A LWADEIRA
Principiar as 8 horas.
O pequeo resto de bilhetes esl a venda no es-
errptono do tbeatro onde poder desde j ser pro-
cur.-t !).
|^| O Dr. Carolino Francisco de Lima San-
L'ma dita na rua da Ponte Velha n. 24 que ren- }M tos contina a morar na rua do Impera-
do 168$. : ^ dor n. 17, segundo andar, tendo alias sea
Urna quarta parte do sitio do Cajueiro n. 6 com ?** &aI,nele de consullas medicas, logo ao
grande casa de pedra e cal.
Em chaos proprios.
Um sobrado de dous andares n. 33 da rua do
Vigario que rende 840,3.
Um dito de dous andares n. 33 da rua das Cru-
zes, rendimenlo 744$.
Quinta-feira 3 de agosto as 11 horas era
ponto.
O agente Pinto fara' leilao precedida a compe-
entrar, no primeiro.
O mesmo doutor, que se tem dado ao
esludo tanto das operagoes como das mo-
lestias internas, prestase a qualquer cha-
mado, quer para dentro quer para fra
da cidade.
O eniprezario leudo era vistas facilitar e abre- tente autorisago, dos predios cima mencionados
viar o recebimento das importancias dadas pelas edificados em boas ras, as U horas do dia 3 de
pessoas que se dignaram cora o seu patritico va- agosto, no armazem da rua da Cadeia n. 62.
lmenlo coadjuva-lo no desnteressado e nobre em-!-------------------t M*--------------------------
oenho em prol da familia do distincto fallecido, de-; LiGlulO
terunnoii, para ajuda-lo, nomear urna comraissao: n m ,
de sua immeliata confianca, composta dos Srs. e Dffla Casa terrea na ma dojlondcgo
Ors. Witruvio p.nto Bandelr b Franklin Tavora, n% 67, CiJiicada em CllOS DropriOS
a q-i il se encarregara de receber aquellas quan-1
tas, na aoite. do espectculo e no momento da on
(rada.
Ama.
Aluga se urna escrava para ama de urna casa de
moco soltelro ou de pouca familia, boa cozinheira
e sabe comprar bem : na rua de S. Bom Jess das
Crioulas n. 3.
Pergunta-se ao Sr. contador interino doge-
ral, em que lei se funda para contar estada aos
senhores escrivaes por ama simples intimacao que
; estes senhores fazem aos advogados e solicitadores,
ymnta-letra de agOStO. ; do despacho ou senlenjas proferid is em autos?
Por intervencao do agenta Pinto, no armazem Se para essa diligencia os senhores escrivaes. con-
e dedos cortos, i Jale pouco mais ou menos 40 an-
nos, natural do serlao, levou vestido de chita
escura com palmas brancas e panno da cosa, fal-
la sempre rindo-se : peJe-se as autoridades poli-
eiaes, capilaes de camro ou qualquer que della
-ouber leva-la ao seu senhnr na nraja da Indepen-
daaela loja de chapos n. 14 e 16, que ser gene-
rosamente ratificad), ao mesmo passo que protes-
ta ser contra qualquer que o tenha acontada, pois
na noticias que esta dentro mesmo da cidade acou-
tada e se assim esta pessoa que a va entregar
do contrario ser punida com todo o rigor da lei.
Ili^il !I01iIi3ISIlS1
O Ur. Cosme de S Pereira conti-
na a residir na rua da Cruz n. 53,
i Io e 2o andar, onde pode ser procu-
I rado para o exercicio de sua profis-
I sao medica, e com especialidade
sobre e seguinte
Io molestias de olhos;
$| 2o de peito:
3o dos orgaos geni-
ti urinarios.
Em seu escriptorio os doentes se-
rlo examinados na ordem de suas
entradas comegando o trabalho pe-
los doentes de olhos.
Dar consultas todos os dias das
6 as 10 da manhaa, menos nos do-
mingos.:
Praticr toda e qualquer opera-
co que j'ulgar conveniente para o
prompto restabelecimento dos seus
doentes.
Aluga-so a parte da casa i>. 92 da rua das
Aguas Verdes : a tratar na mesma.
Aluga-so o segundo andar do sobrado n. 63
da rua da Guia, piolado de novo e cora mallos
comino los : no Io andar.
Aluga-se orna escrava para servico interno
c externo de urna casa : na rua do Imperador nu-
mero 50, terceiro andar.
A Semana Illustrada e o
Bazar Volante, do Rio de
Jaueiro.
Assignam-se na rua do Crespo n. 4, o priraejo
m
i Rua eslreila do Rosario i. 3,
ao p da reja
FRANCISCO PINTO 0Z9RI0*
C'olEoc deules arifieiaea 1
pelos sj stemas xaais iu .-
i demos
Emprega lodos os meios reiaaHIna para
< conservar os naluraes. Pode ser i'rorura-
I do em rea gabiuef-* das 9 horas da ma-
I nhaa as 5 da tarde.
mmmm
Alneam se dous grandes sobrad >s r m
modos para numerosa familia, novos e aretadeat
a 651 por tres 1ne7.es, llj 6 mezes e 185 um anno,' com jardim, cocheira, estribara e ouira
o segundo a' 105 0 mezes e 18j um anno.
Aluga-se o terceiro andar com um grande
sotao do sobrado da rua do Imperador n. 73 : a
tratar no segundo andar do mesrao.
Ama
didades, na travessa de Joo Feruandes Vieira
a tratar na rna da Senzala Nora n. 42.
Fugio no mez dejunho urna preta escrava j
velha, de naco Mina, de nome OelGna, com os
sigoaes seguiotes : alta, magra, com as raaos fo-
veiras : quera a pegar leve a casa de seu senhor
na rua Imperial, junto ao armazem do sal n. 73,
que ser bem pago.
Precisa-se de urna ajna : na rua de Hortas n
142, primeiro andar.
Precisa-se de urna ama para comprar, cosi-
nhar e engommar para pouca familia : quem qui-
zer dirija-se a rua das Cruzes n. 9, segundo andar.
Os procuradores do Sr. Francisco Jos de
Campos Pamplona (que se acha actualmente em
Mamanguape liquidando a casa que all tem) de-
sejando estar a par do passivo do dito senhor, para
Ibes dar dinheiro a proporcao que Ihe forera che-
gando os algodoes e mais gneros remellidos pelo
seu comitente, sendo que ja' existem em seu po-
der alguma quantia, convidam os Srs. credores
para que Ihes enviem as suas contas at o dia 10
de agosto, tanto do que porveniura estiver vencido,
como do que se tiver ainda de vencer, pois preten-
de logo depois desse da dar comeco ao pagamen-
to : rua do Vigario n. i.
Phipps Irmaos & C.
Offerecese urna ama de leite
Pharol n. 4, em Fra de Porlas.
Notas do banco do Brasil e das caixas filiaes
descontm-se na praga da Independencia n. it
A Euteipe Nacional c?t doma.
; I A Unio Permanente nao botou annndcio algam
na ma do ueste Diario contra a ssySociedade Euterpel^a;
DE
ILLUMINACA A GAZ.
. Armazem n. 31, rua de latpmder.
Para mais regularidad* do servico i<*m a eaaeve-
za resol vido to somente venJer os appor>>iho5,
etc., deixando que os -rs. consumidores rnaaera
os machinistas que mais Ihes agradaren!. pde os nomes, morada, ele. de todos elle seres
cados no armazem da empreza.
As rerlamacoes por ma luz da* eaa*. rojas ,
parellios hooverem sido aaSaaeaw) aoieriorn
a este aviso, sero altendidos pela empreza; 1
quaesquer, nao.
A empreza espera que esta m dida ser .IrTida-
mente apreciada pelos senhores ronsnmidore, %em-
dente como a tornar este -rvwp mais 11 uawaal
co : visio qneella ven.lera todo, apenas rosa ana
lucro tal, que cubra as despezas ineviiaveis.
40 PUBLICO
CARLOS PLITM.
Como a empreza de illaminaeo a taz leona a-
Oem.rezariodeixade.evar a scena qua.quer *bvjla Cadeia n. O, onde havera' leilao de sumen, meio dia de servico, isto o espago de Tra^rcoJ^ W^^^^^T^SSSfX,
n n.itr., ilnni nm nna nn a liO\n rio Inmir nolla OaiS DredlOS. temnO nao menor dfl Oliatrn horas so hl nulrn ""'?'> "" ""T*1 J*fUIIU U* LrtJfli, Di TUa Qa _____ _._ __,.u.. _^. _<_ VT '
om outro drama em qao pelo fado de tomar ne!Ie ma's predios,
pin-, ciara e mais directamente demonstrasse a'
terapo nao menor de quatro horas t se ha outro 2un H
artigo alem do 108 do mesmo regulamenlo de cus-
porque sao Inlrigutnhas, qe nos, o damos
_ aprego.
ua iioa vontade e ofllcios de amizade para como M?i \ m tas, que trate do caso vertente? Baga-se ao Exm. Quem precisar do urna mulher para casa de Fallero, esguelhem se; que a sociedadeI'hmo
objecioJj beneficio, trabalhando como artista que mjmum.mjm\W Sr. conselheiro presideute da relagao, aos Srs. Drs. homem solleiro para co.-inhare engommar de por-, Permanentea resposta que tem a dar alirar
somente pelo motivo de ter de ser um dos mera- Da arrnagao e caixilios da loja da rua da Cadeia jues de direlto e munlcipaes que prastem a devi- tas para dentro, dirija-se a rua do Encantamento com a pona do p. O desnreso 1. .
brn- daquella commisso. n. 9, que foi da Brraa commercial de Silva 4 da altengao a esses e outros factos. n. 30, segundo andar. 0 meilrt 4o tmlambo
nos somos muito pequeos para nos medir I... no do licenea aos machinlas para Irabalnareaa par
Olferece-se urna mulher para coser e engom- 1nl-que os senhores vieram logo, com urna res- sna propria conta, Carlos Plnym, machimsu. oJe-
rece sea presumo ao publico para encaar gas 0
agua, e toda a sorte de servidas cuncerawaaaaa
seo offlcio, por pregos muito rasoareb.
Pode ser procurado a qualquer ora m rea 4a
17 lina da Imperafrlz 17
LOJA.
N. B.
E7- Para prova da perfeigo o seo trbala
mesmo efferece ao publico o tesiaaeaaho eV iea-
mensas pessoas para quem ja trabalhoa a au
da companhia do gaz.
mar : dirija-se a rua das Triocheiras n. 30, loa. 1 SosU t^ 8rande, com especie de cartai; preprio
n 0;r?--------,- -::- ;de esquina (rua.)
72. a\ n' r^* D!ascp"I0t0 ,em .nnJf "r- Que culpa temos nos, que os convites apparegara
ta v.nda do B.o Grande do Sul, na roa da Cadeia ,odo8 0s dias Yl... satisfazemos aqueHes, que esto
" Hec"e Ja'______________________^_ no caso de serem aceilos..... Ir*j ou fungo
Aluga-se o segundo andar da rua da Matriz corao diem' "Oohos, serveja etc., ele.
n. 33. a segunda caea a beira do rio na Una do Qu8 arenga I....... foi estupidez da parte do
Retiro, e o primeiro andan n. 7 da ro do Bornes: Marreg*do de dar a resposta. Fallem seno; na
Espera, porm, que o publico pernambucano, Guimaraes.
josticeiro sempre, conveoga-se da verdade de que Quinta-feira 3 do Corrente
nada ponpou a empreza no sentido de dar a mais as 11 horas em ponto na mesma loja.
Aluga-se o primeiro andar do sobrado n. 9 Na rua do Impprador n. 28, tem bichas ham-, Precisase de urna ama
n rna Direita, entrada pela rua da Penha : a tra* burguezas novase boas para vender e alugar. em boa conducta, e pagase bem
tar no segando andar. pequeas e grandes porgues, I n. 130.
de leite
na roa
qne tenha
do Hortas
Pede-se ao passageiro que por engao levan
de bordo do vapor Poroeian, entrado no du ti.
urna mala de sola preta, perionc ni; a itro pae-
sageiro, o obsequio de mndala levar ao escripto-
rio da companhia pernatnberana, no Forte i
Matos o. 1.
)


nmn
*m
*
Diarlo de rernamtraeo ... marta letra me Ageste de 4.
PHOTOGRAPHIA ARTSTICA
DE
25 Ra Nova (esquina da Caraboa do Carmo) 25.
Os proprietarios deste estabelecimento, desejando salisfazer os numerosos pedidos de seus freguezes, acabara de receber de seus correspondentes de Pai s, nm grande
sortimento de retalos (carteas de visita) das personagens as mais celebres da Europa, assim amo receberam tambem urna quantidade de alfinetes e cassoletas para retractos, do
raais apundo gosto e por precos muito diminutos. .._-.. ,. ,.
Os mesmos aproveit.m a occasiao para prevenir ao publico e recordar aos seus numerosos freguezes, que ellcs trabalbam todos os das, domingos e das santos, das 9
horas da manba at as 4 da lardee que os tem os de cbuva rao influem em nada para o bom successo dos retratos, pelo contrario o oI entre nuvens e mil vezes prefenvel
sobre todos os pontos, tinto pela rapidez da operado, como pela commodidade das pessoas.
A grande quantidade de pessoas que tem visitado este estabelecimento nestes dous annos em que se acham establecidos nesla cidade, e que nao sera menos de cerca
de ,900 a 7,009, para elles urna garanta futura, posio que se appliquem tod. s os dias, para que todos saiam contentes e satisfeitos.
mm w^mmmm mmmw
Companhia tidelidade de seguros <|f
maritiraos e terrestres
estabelecida no Rio de Jaueiro.
AGENTES EM PERNAMBUCO
Aotouio Luiz de Oliveira Azevedo A C, j
competentemente autorlsados peladrec- ?0
toria da companhia de seguros Fidelida- S
de, tomam seguros de navios, mercado- f
ras e predios no seu escrjptorio ra da l*
Cruz n. i. Sr<
Comprase ourn, prata e |*dra prerina,
em obras velhas : na rna da Cadria do rVeeil,
leja do ourives no orno da Conreiro.
(obre, lalveekuiibe.
r.ompra-se cobre, lato e chumbo : do araaaarat
da bola amarella, no oitao da secretaria a* Bo-
lina.
Compra-se itk edas de 20* e pecas de
16|j : nafrua da Cruz n. i8._______
Compram-se moedas bra-ileiras '#> *)J
i\& : na ra do Crespo n. 16, primeiro aodar.
rJ'IODURETO DUPLO
de FERRO e QUII NA
^
Os elementos que rompocm esta preparacao o
ferro, o todo c a quina, a collocao no primeirc
grao das preparares ferruginosas. Basla allcslai
seus resullados obtidos pelos .Mdicos dos hospi-
laes. e os relatnos dos prticos mais eminentes
que confirmro sua poderosa eflicacia as se
guinles alTeccocs:
MEDICAMENTOS FRANCEZES AFAMADOS
A VEJJHDA EM PERtfAJflIIlJCO
Em casa dos Srs. Caors e Barboza, ra da Cruz n. 22.
ESTIVAS
DE PEPSINA
IPA^TILHASIH
DE WASMAN
Mlnis in n nana;?,
Fraquc7.a.
Anniln,
ChlOI'Onc OU Iclri-lrlii .
Menafruo.
AITccf 6c lo ulero,
SupproHHoc !'" re-
ara* c deaorilena "na
liion-trii tirito,
\fti-. <;:'n> pulmonar e
phluUli-n,
Moleiliu il i-ltiinso,
GaMi-alglas,
I'i-ril i d*a|>ucU Coivitlenceiif He Ion-
finn iiiole-Mlua,
Mole-- iIiih f-ri nfiilii-
MUl,
Pape-Ira,
lllmli ur-irao ilii al.iii-
iliilnx,
Hlimorc* frlOM,
Tumores hrunroH,
. liiuhill-i.iii.
Affcccocs c:inceronns
o -> |iliilil i ;'".
I Feta-ea C}pl!iylle,
ii;-\ai>-- ., ole.
Vejaos? os bulletins de therapeutica medica
e cirurgica de 30 de novembre 1S60; a Gazcta
dos hospitaes de 28 dejulkol&W, etc., etc.
Alt'm das pitillas de wdureto duplo de ferro e de
quinina de lebillon, os Mdicos aconselhao
igualmente o Xarope d'iodureto duplo de
ferro de quinina .lo mesroo author para as
pessoas que nao goslao de medicamentos sob fbr
na pilular c os meninos. F.stc xarope nao Icm
como oxaroped'toiiureforfc ferro, o inconvenienie
de alterar-Be e de se nao poder conservar.
Pcea-sc o folheto que se d de graca em icasa
dos pharir.aceutieos depositarios.
Para se evitarem fulsilicacScs, exija o com-
prador em cada frasco de Pilulas ou Xarope a as-
signatura do inventor.
Depsito geral em Paria, pharmacia Rebillon,
142. ru du Bac, c em todas as boas pharmacias
de Franca e as dos paizes estrangeiro, etc.
[iiirao prii i ii.IiIiih
|K'l.i* rluhoraelCH
ifeTcKiiimn :!ohuI1-
llf-ttlflft.
As pastilltas digestivas crm a pepsina de
IVasman, cmpivgao se corn successo lit jl
alguns annos pelas celebridades medieaes de
Paris. Londres. Vicnna, etc.. em lodas as in-
commoilidadcs em as qiacsadigoslo dlicil,
penosa, inipcrfeia ou inesmo impossivel: cis
o melhor remedio para cural as.
iln-n .1-1 IHarrlioaH c a conMl-
l>N|><-|IMlUH,
i: iii lia i. i' n^ ^-1 rico-.
A Kll(illr,
A uffi-cooe oraitnl-
cns lo t-iloiiiiiai>i
Sua acofto vivifica o sangucc os rgos de
lal soi te que, ath as pessoas que sem sofl'r.r
as al'fccvoes gstricas cima mencionadas sio
nnicatPCntc Iracas ou d'um leinpcramcnlo um
pouco dbil, e necessiio substancial alimento
para forlificar-SO, acli.lo no emprgo das puslil-
luis de pepsina de Wasman, wn podero.o meio
para a isso cuegar,
A rito importan le 0.successo das paslilhas
pepsina le Wasmandou causa a se fazerem
falsificavocs e imitacScsd'csse producio que os
emulos.se querem ilcsfazer. Pois por falla
d'uma boa preparacao a pepsina que n'ella
entra, jaz alterada. Seremos ao abrigo d'csle
inconveniente, exigindo os compradores que as
paslilhas lenliao as iniciaes B. P. c saiao da
pharitiacia Chevrier.
Depsitogi'ral em Paria, pharmacia Chevrier,
21, Paubourg-Montinartrc, e pin lodas as boas
pharmacias de Franca c dos pai/.cs esirangeiros.
DOENCAS
dos MENINOS
CURADAS PELOS
XAROPES DO DOUTOR DANET
N* t. Contra ao CLICAS POS MENINOS mili-
r durante n ili-nlliao
Xarope de eynoglosse e ile acido succinido)
N* 2. Coutra a TOSSE CONVULSA e a TOSSE
NERVOSA
(Xarope de oynoglosse e de leo voltil de succino)
V 3. Contra aM CONVtl.CES DOS MENINOS
A CliOnA
(Xarope de ernoglosse c de acido voltil de succino)
Estes novos productos preconizados na Aca-
demia imperial de Medicina de Paris sao cm-
pregadoscom grandissimo juccesso pelos mdicos
de branca para o tratamento Uas molestias do-
meninos ariina indicadas, e vierao cnclier um
vacuo importante na ihcrapculica, no que toca as
afecedes da infancia, para as qoaes, atli boje,
ainda se nao pode indicar tratamento raeionnal-
ncm infallivel.
;Pcca-SC o prospecto em casa dos pliarmaceu,
lieos depositarios.)
Preeo do frasco em Paris, 3 fr.
Para se evitarem as falsiticacoes. exija o com-
prador que cada frasco tenba sobre os rtulos a
assignatura Chanteaud.
Depsito geral em Paris, pharmacia Chan-
teaud e em todas as boas pharmacias de Francf
e dos pai/.es eslrangeiros.
flASSA e XAROPE
DR C0DENA
n
BERTH
As experiencias clnicas e comparativas
dos Snrs Magendie, Barbier d'Amicns, Wil-
liams Gregor, Martin Soln, Aran, Viga,
C. Dumont, etc., membros o Instituto de
Franca, mdicos dos hospitaes de Paris, tem
provado que a .Vosso e Xarope de Brlli i
o remedio o mais seguro contra todas as
dores nervosas c tendo a propriedade de
calmarcom admiravel rapidez as losses rebel-
des e e.Ui einamenlcfatigantes da grippc fca-
tarrho epidmico dclluxo. coqueluche ou
tosse convulsa, bronchile e tsica pulmonar.
A Massa e Xarope de Berth, se
achSo em lodas as boticas.
Para evilar qualquir
falsificarn,exigir em<
cada produto o noine
c a Brma Itcrih.
Deposito geral em Paris, em casa de MENIER,
llua Sle-Croixde-la-Bretinnerie-
U London & llrazillan Bank, saca por doos
os paqoetes,sobre
Lisboa.
Porto. %
Braga.
Virosa.
Guimaraes.
Villa Real.
Coimbra.
_________Amarante.______________________
Pede, se (oda altenc.
Castodio Jns Alves Gtnmaips, dono da loja por
appellido Gallo Vigilante na ra do Crespo n. 7,
participa a todos os seus freguezes e ao respeila-
vel publico, que esta dita loja se acha com gran-
de scrtinienlo do galantanas de mu to go.-to, que
tem recebido de sua propria conta, assim como'to-
das as merradnrias tendentes a loja de miudezas
e ootros, e como esla resolvido a vender por pre-
cos barassimos, como os mesmos compradores
poderao apreciar concorrendo com suas prevengas
dita lija,que se affiangara servir bem com agr-
do e promptido, e momo qualquer senhores que e -
morem lora desla praca, que precise de qualquer
merradoria, tendentes a seu negocio, eqoepor]
motivos nao possam comparecer, o poderao pedir
pir esrripto, que se allanca nao se abusar tanto
em
Isto 6 na ra d o Crespo
Comprase o primeire tomo da rnrofrafM
do imperio do Brasil pelo Dr. Helio Muraes :
ra do Crespo, loja n. 25.
Compra.se papi I de jornaes para fmbrolko a
120 rs. a libra, ou Vft a arroba : na ra 4o Crespo
n. t:>, esquina da roa do Qneimado.
|" carrosa! '
1 Comprase nma carraca nova ou em mrio oso,
com arreios para cavall : na rna da Cadeia a-
mero 57.
VENDAS.
0 Chstello de Grasville.
Traduzido de franrrz aar A. J. C da Craa.
Ventle-se este bello romant'e en qnatr
tomos pelo baratissimo prero ile 3O0C
na prnra da Independencia, livraria ns.
INSTRUMENTO
i
Vende se por baixo preeo, e ainda em p-rfeiii)
precns, como em qualidade das mercadonas : estado, um instrumental completo, on cafa in^trn-
na ra do Crespo n. 47Gallo Vigilante. ,neni por si: a IraUr na roa do Imperador (,.. li.
Perden-se no dia llj do correte desde a ra.. ""_ Vende se urna casa de pa-t Sai afr^fnea-
Os granulos de bismuth doChevriercni Nupe-
riores a lodas as outras preparaces de bismuth
empregadas antes com o maior successo pelos m-
dicos de todos os paizes, para prevenir c curar as
DE CHEVRIER
Man l.ll-ll ill-,
GaHtralglaa.ete.,
.Uolcallaa de libado,
A Ictericia,
Pulultara da rorario
niirin noa rlna,
niiu-rlivus i'hronlcaH,
Dinnenlc las,
Drca Iijupriotlai. I
Depsito geral em Paris, pharmacia Chevrier,
irriiaroe e em todas as pharmacias de Franca e dos paizes
da matrte, etc. estrangeiros.
0|inT*roi-i*,
DdrcM ile cnbrcu,
ASTHMA
Oppresao
ASTHMA ASTHMA!
KufFnrccao ervos* e
nico remedio cfficaz para combatter estas mo-
lestias, acalmar um atlaquc d'asma e impedir a
volla 6 o Xarope aromtico de Succino (mbar
amarello) do Br Danet. Uescobcrta inleiramente
recente, este novo producto se tem propagado
com extrema rapidez gracas aos admiraveis resul-
tados que tem sempre produzido.
Deposito geral, na botica Ghauveaud, 54,
ra do Commercio, Paris-Grenelle, e em todas as
blicas de Franca e do estrangeiro.
Pelas commissBea em grosso, dirigirse aos S WILLAERT e BERGER, comisarios em drogara, 11, ra Saint-Lazare, Paris.
Nova al o cenvento do Carmo um icdaco de urna
Ota de curo de -urna pulselra de, jarreteira, sendo
provavcl Ur sido na occasiao do Te-Deum : quem
achou e quizer restituir, riirija-se a ra do Cabu-
ga u. 7, onde ser gratificado.
| O bacbarel
M Fin ni seo Augusto da' Cosa 96
9f ADVOCADO
Ra do Imperador numero 69. jj|
mmmm mmm mmmmmmm
Aluga-se a loja do sobrado n. i7 da ra da
Imperatri7, com bons commodos : a tratar no se-
gundo andar do inesmo.
^jyy ''Vw W88 t&P&'W-W'M ^l^
"jt Ainda se precisa de urna ama pa- *>*'
y ra cosinhar, lavar, eng< mmar e fa- >0,
S zer totlo o servico de tima casa ce *
m ponen familia excepluando-se com- B
^ prar na ra : na ra das Cruzes n. 38
) n. 37, | rimeiro andar, sendo pes- :M
soa de bons costumes e se pagar o M
gi que se ajustar. ^gs
da, e tem commodos para familia
da Lapa n. I ;..;i i Rerife.
a mur aa roa
Vende-se o engenho Jundiahy, cinco l^jmas
. distante da cidade do .Natal, provincia dn Rio
Grande do Norte, moente e corrate, rom 30 rp-
1 tivos, 20 luis e 10 bestas; assim romo diversas
, lotes de Ierra, propria para a mllura de alar-lio
i mandioca, e mais duas tazendas de gado n-i Poira-
' g e Cear-meirim, na mfsma provincia, eoja* vet-
das se elTectuaro a prasos, medianle boas firma :
quem pretender dirija-se aquella provhKa a tra-
tar com Fabricio & C.
Vende-se um escravo moro que ja fui de tm-
genho : a tratar na roa do Mondrgo, i laria a. IX
Vende-se um casal de pavo : na Capaaga
velha, sitio da viuva de Joo Evangelista.
Acba-se
- Na praga da Independencia n. 33, loja de ouri
ves, compra-se ouro, prata, pedras preciosas e
tambem se faz qualquer obras de er^commenda e
odo e qualquer concert.
DO
venda na livraria acadmica, na rna do lm*ra-
dor; na do Br. Nogueir, junto ao arco de Saaw
AntODio ; e na lypographia imparrial, na roa es-
ireita do Rosario a compilarao de toda a i.gi-Urio
tendente administraran, arrecadario e fisrali-
saco dos dir.heiros de orphaos d< fnakis e aaveav
i tes, heran^as jaonies, ligados, etc., rtml4 km
s o regimenio de rustas e lei peral das eieca-
ees, como lambem todas as orden* e avisos do
governo, que a Indo tem eiplirad to das (bripares inh rentes ac rarpo do hnVren-
les empregadns de Hataja e faztnda, r:>io awaV
reflos nacionaes e emolumentos qne san di vida.
Este livro mateado mais de 700 i aginas em attida
impressao e boat papei. e presiando-e a utilidad
de dilTerenies classes, torna-se rrrrmmeadavH.
Seu custo I0500H por cada eirmplar tm data
tomos.
Vende se um preto crionlo, lem Mp : a>
pateo do Tergo n. I'il.
Vende-se urna armarn de nma taberna coai
poucos fundos, propria para um prinripiant, sita
na ra da Imoerairiz n. 15 : a tratar aa roa da
Cruz, casa de Antonio Lopts Braga & C
Vende- e 11 m c?rro le
f.li\SlLTI! .YIDICIKIKLKGICO
rarrecar r*"eTs da
alfandiga, com uso, e lodos os pe traer* de nutro
igual, ludo por prego muito rommodo : a tratar
no pateo de 8. Pedro n. i.
DE
J. VIGNES.
M. 5o. RA DO IMPERADOR X. 55.
Os pianos desta antiaa fabrica sao hoje asss conhecidos para que seja necessario insistir sobre a
sua superioridade, vantgense garantas que offerecem aos compradores, qualidades estas incontesia-
veis ijue elles tem definitiva mente conquistado'sobre todos os que tem apparecido nesta praca ; pos-
suindo um teclado e machi ismo que obedecem lodas as vontades e caprichos das pianistas, sem
nunca ralbar, per seren fabricados de proposito, e ter-se feilo ltimamente melhorametiios Importau-
tissimos para o clima deste paii; quanto s rotes, sao melodiosas e flautadas, e por isso muito agrada-
reis aos ouvidos dos apreciadores.
Faxemse conforme as enrommendas, tanto nesta fabrica como na do Sr. Blondel, de Paris, socio
correspondente de J. Vignes, em cuja capital foram sempre premiados em todas as exposicoes.
No mesmo estabelecimento se achara sempre um esplendido e variado sortimento de msicas dos
melhores autores da Europa, assim como harmnicos e pianos harmnicos, sendo tudo vendido por
precos commodos e razoavels.
A
Companhia geral liespanhola de seguros mutuos
sobre a vida
AUTOIUSADA PELO REAL DECRETO DE 21 DE DEZEMBRO DE i859
raa fiant;. em tlinlieiro, deposilado nos cofres do estado, garaale a boa da
ministraco ^a companhia.
BANQIJEIROS DA COMPANHIA* DIltECgO GERAL
O Banco de Hespanha Madrid : Rna do Prado n.lO
Esta, companhia liga pelo systema mutuo todas as combinacoes de super'viencia dos srgn
sobre a vida. ...
Nella pode se lazer a subscripto de maneira que em nennum caso nmo tci non d< s
curado se perca o capital nem os juroscorrespondentes a estes.
Sao to suprehendeutes os resultados que produzem as sociedades da ndole de A NACI
OAL,qui ainda tnesrao dimiuuindo urna ter^a parte do interesse produzido em recentes Iiquidai
oes ecorabinaado-o m a a mortalldade da tabella de Depareieux que e adoptada pela companh-
para seus clculos e HqoidaeSes, em segurados de idade de 3 a!9 annos, urna imporsicoaonua.
de 100 produz em effectivo metlico:
No fim de 5 annos.......1:1193300
, de 10 ..... 3:9425600
. de 15 ........ 11:208*200
i de 20 .......30:2565000
, de 25 ......80:331*000
\as idades menores de 3 annos e maiores de 30, os productos sao mais consideraveis.
Pro-pect is e mais inl'ormacoes seo prestadas pelo sub-director nesta provincia.
Joaquirt Fiuza de Oliveira, ru daCadeia n. 52, ou a Boa-Vista rna da Imperatnz n.!2,estabel
m nto dos Srs. Raymundo.Carlos.Leiie & Irmao. ,_____________________________________
Ao amanhecer do dia 17dejulho correnle
arrombarara a estribara do engenho Buenos Ayres
da fregaezia de S. liento do termo de Porto Calvo,
de que rendeiro o bacharel Herculano de Men-
donca Vasconcelios e ronbaram dous cavallos; um
castanho andrino, de bom tamanho, com os quatro
ps calcados, sendo mu pouco as mos, urna bexi-
ga encruada no espinbaeo, inteiro, ronc.olho, com
um O no qnano direito, parecendo um mal de bes-
tas, bom andador de baixo a meio, com os denes
todos quebrados, com os cascos das mos grandes
e rasos, bastante gordo e scismado no meiter da
bride; o ootro mellado gemado, de dinas e cauda
brancas, pequeo, andador de baixo, inteiro, bem
gordo, com ama ferda sobre as costellas do lado
direito, a que chamam calo, ama mancha-' preta
era um dos quartos. Na mesma occasiao furtaram
do cercado do mesmo engenho nm quarto alasao
com abargada ruzlha, inteiro, andador de baixo a
meio, nm pouco acoador,- magro, de caneca gran-
de e obr'olhos fundos : rogare, portaoto, a todas
jas autoridades policiaes e pessoas particulares, que
I os apprehendam e levem-nos ao sobredito engenho
Precisase de urna ama para o servico interno de (que s*r;io bem gratificado?, dndose melhor gra-
tma casa de ponca faaila : a tratar fla praca do, liflcacoa quem descobrir o roubad'Jres. Recife
forpo Sanio 11. 17. 29 de jqltjo de 1865.
Attencu
Pergunta-se a certa farpada da Casa Forte, que
nao tem nlh:> vidrado, quanto ganhou pela novida-
de, pois para onze letras tem feito e pode fazer
fortuna com tal especulado.
ICRADO ~
Precisa-se de um criado para o servico interno
e externo de. urna casa de peqcena familia : a tra-
tar na ra das Larangeicas n. 14, segando andar.
Aluga-se a casa terraa da ra Imperial n.
213 com 0 quartos. 2 salas, corintia fdra_e quintal
murado : o tratar na mesma
roa Direila n. 84, padarla.
ra n. 211, ou na
Precisa-se fallar com js filnos do fallecido
Jos Francisco Goncalves Chaves, natural da fre-
nezia de Santa Ulla de Palmeira, do Faro, do
conreino de Espozende, Portugal, a negocio de seu
ioteresse ; na ra estreitado Rosario n. 5.
Ama
DR. PEDRO DE ATTAIIYDE LOBO HOSCOSO,
MEDICO, P.IRTUIUO 12 OPERADOR.
3 Ra da Gloria, casa do Fimdao 3
O Dr. Lobo M0SG0SO d consullas gratuitas aos pobres todos os dias das 7 s 14
horas da manliao, e das G e meia s 8 horas da noite, excepgo dos dias santificados.
H harm acia especia l homeopa hica
No mesmo co1 sultorio ha sempre o mais appropriado sortimento de carteiras
tubos avalaos, assim como tinturas de varias dymnatnisares e pelos precos seguimos.
Carteiras de 12 tubos grandes. 12-^000
a de 24 tubos g. andes. 18)5000
. de 36 tubos grandes. 240000
de 48 tudos grandes. 30^000
> de 60 tubos gran les. 35)5000
Prepara-se qualquer carteira conforme o pedido que se fizer, e com os remedios
que se pedir.
Um tubo a\ulso ou frasco de tintura de meia onca I 5000.
Sendo para cima de 12 cuslarao os procos establecidos para as carteiras.
lia tubos mais pequeos cada um a 500 ris.
LITROS.
A melhor odra da homeopathia, o Manual de Medicina Homeopathico do Dr. Jahr
dous grandes voluntes com diccionario............ 20$000
Medicina domestica do Dr. Hering........... IO0OOO
Repertorio do Dr. Meltv Moraes............ GOOO
Diccionario de termos de medicina
Milho.
Por 3-000.
\
Ra da Driitu uumero 38.
Neste estabelecimento acham-se v.-nda os se-
goinles objectos, lodos da pilraeira qualidade, e
conslraidog especialmente para f.-ia casa, pelos
mais acreditados fabricantes inglezes :
Machinas a vapor de 2 i|2 a 8 cavallos, com
moendas, juntas e sem ellas ; e lambem proprias
para descarocairienw de algodao, afamadas pela
fortidao, simplicidade c economa em combustivel,, Yendem-sc sarcos grandes com mi no novo
e por nao precisar de obra qualquer para seu as-;rua dH Madre de DaM ns. :i e 9.
esn lamento.
Rodas d'agua de ferro, systema mui proveitoso
da forra d'agua.
Rodas de espora, e angulares, e de csquadnlha
para animaes.
Moendas e meia-moondas.
Taixas de ferro balido e fundido, e de cobre.
Machinas para descarocar algodao, systema
Platt, com os ltimos inelhoiamentos.
Roccas e < ti vos de patente para fornalhas, dimi-
nuindo muito o gasto do combuslivel.
Machinas c. machinismos para moer mandioca,
movidas a vapor, agua ou cavallo.
Fornos e chapas de ferro batido para coser fa-
rinha.
Alambiques de ferro, e fundos.
Guindastes, fuos e porttil?.
Prensas para eopiar cartas.
Rodas para carro de engenho rom eixos e man-
gas de patente.
Formas de ferro balido galvanizado para purgar.
Serras de ac e armacoes tle serrara.
Arados de' ferro singelos e dobrad.s, grades para
cubrir ranna, enxadas a cavallo, e oulros instru-
mentos de agriculiura. ______
A lteni;a.
Fornece-se comida para casas do familia, lojas
ou offleinas, com todo o asseio e promptido, mui-
to variaba, e por commodo preeo, manda se levar
em casa ; tambem recebe encommendas de boloe
3#0OO doces de todas as qualidades : ra da CaiXI n. 70,
Os remedios deste estabelecimento sao por demais conhecidos e dispensam por Roa-V'su, casa particular.-----------------------_
tanto de serem novamente recommendados as pessoas que qui/erem usar de remedios! Camas [de ferro.
verdadeiros, enrgicos e duradores : ha tudo do melhor que se pode desejar, globos de Grande sortimento das melhores que ha no mer-
verdadeiro assucar de leite, notaveis pela sua boa conservaco, tintura df s mais acredi- esdoj na ra Nova n. 33._______________
tados estabelecimentos europeos, a mais exacta e acurada preparacao, e portantoa maior Aluga-se o solio do sobrado n. Ml da rMi da
energia cerieza em seus efeitos.
'flii de saude para escravos.
Recel/e-se esclavos para tratar de qualquer enfermidade ou fazer-se-lhe qualquer
operacao, p ra o que o annunciante julga-se suflicientemente habilitado.
0 Fahmento o melhor possivel, tanto na parte alimentar, como na medica, e
funecionando a casa ha mais de quatro annos, ba muas pessoas de cujo conceito se nao
pode duvidar. que podem ser consultados por aquelles que desejsrem mandar seus
doentes.
Paga-se 2-5 por dia durante 60 dias e d'ahi em diante 1-5500.
Asoperaces serio previamente ajustadas, se nao se qtiizerera sujeitar aos precos
razoaveis que costuma pedirr o annunc ante.
Vende-se nm pa!el>>t "obrecasaco de panno : na
ra do Caldeireiro n. 10.
Vende se o marninismo da lavagem d roopa
que esla ni litio dos Burilis, todo completo e aiui-
to bem tratad, e laaakaai se veule r.-m o *iaia :
para ver na entrada di Arraul n. ''.<), e a tratar aa
ra do Rangel d. i.
Vciute-r-e a ca.a com sola e innlammie cm
i a armaro'le lja de miudezas com caminos at
a porta, envidracados, sita na travessa do Livra-
mento n. 2 : a tratar na ra do Itangel n. \.
Vende-se nma taberna na Crm ce Almas,
propria para qualquer principiante, a qual bu bnt
negocio, e se fai todo o negocio : quem pretender
dirija-se a me.-ma, que adiar com quem traiar.
c ahirtns fino* e brlaajaealM
para meninos.
Lhegaram para a loja de mindeza* da rna do
Queimado n. 69, os mais finos e lindos rajaras
lanto para bnnqoedo de meninos romo para tima
de mesa : na mesma loja se encontrara boa sor-
timento de mindezis.
Farelo
a ij a sacca, das maiores qne ba : na roa larga
do Rosario n. 50, taberna da esquina.
Guia, com duas jaoellas de frente e muitos com-
moiios: no primeiro andar.__________________
Precisase alugar na rut do Imperador n. 43,
um ou dous andares de sobrado em qualquer das
principaes mas desta cidade.
m?, advogado Go'iioy Vasconcelios, pode
^g ser procurado no escriptorio da ra do
JH Rosario eslreita n. 31, ou em sua resi-
^. dencia a ra do Sol n. 9.
COMMERCIO.
Quem precisar de um caixeiro para cobrancas
i da praca e mato, e o resto do tempo estar no es-
labelecimento, deixe carta fechada na travessa do
Queimado n. 1 com as iniciaes A. K.
Bento Alves da Cruz, na qualidade de liqui- VttPIlP'To
datarioda exlincta firma social de Ferreira & Cruz, zlllCliyaU.
faz publico principalmente aos credores da exlinc- Pedimos ao Illm. Sr. director geral da instruc-
ta firma social, que vai dar andamento e concluir gao publ-ca, tenha a bondade de langar suas vistas
definitivamente a mesma liquidaco comci;ada pelo sobre anecessidade que tem os habitantes da po- jjo domingo peia manhSa fugio do primeiro an
Exm Sr. juiz do commercio, como se pode ver no voaco de S. Vicente, de um profe.-sor de primel- faT o sobrado n. 23 da ra da Pecha um papa
Paraguay.
ras leiiras, visto que o nomeado para alli, abando- ga|0 ; rogase a quem o tiver apandado o favor de
nou a cadeira desde 10 de sf-tsmbro prximo pas- o entregar, que ser remunerado.
sado, e al hoje acha se ella sem ter quem a reja ; ________ ________^^_________^__
no eniretanto que. sao decorridos 10 mezes, e
nao temos professor. Nao se emenda, que com isto
queremos dizer, que novamente seja mandado ir!
para alli o Sr. Virgilio Vieira da Costa Pinto (o |
que '=
COMPRAS.
cartorio do escrivo Maooel Mam Rodrigues do
Nascimento : cuja quidacao foi suspendida pre-
meditadamente por esse acto de calumnia e falsi-
dade intentado contra a Doora e crdito do abaixo
assignado, como publico e notorio a face desta
cidade como o abaixo assigoado se acha plenamen-
te livre e justificado desse falso e atroz libello, e no
gozo de sea direito e liberdade, passa a bem dos proprietario da cadeira), pelo contrario, nao o que- Compra-se effectivamente ouro e prata em
mesmos credoros a continuar a dar tim a seme- remes pelo seo mo proceder, tanto que preferimos obras velhas, pagando-se bem : na ra larga-ire-|
Ihante negocio. Corao tenha de ir praca publica estar sem professor, do que com o lal Sr. Virgilio ; Rosario n. 24, loja de ourives.
o engenho Santa Luzia, siio na freguezia de S. Lou, mas sim, nm nutro que zele melhor do ensino pri-
reovo da Mana, para pagamento dos ditos credo- mario de nossos fllhos.
res, os pretendemos o prevenidos antecipada- _______________Esperamos ser altendidos.______
ment" para irem ver examinar o dito engenho- 'nen
alitn de se acharem habilitados na occasiao da pra-' OSu
qa. Recite 31 de jnlho de 1865. Aluga-se a casa n. 4 da ra do Principe com 3
Bento Alves da Cruz. quartos, 2 salas, cozinha fora e bom quintal, fre-
Silvino Guilherme de Barros compra e ven-
de effectivamente esiravos de ambos os sexos :
ra do Imperador n. 79, terceiro andar.
------------s---------:---------:-------- guezla da Boa-Vista : a tratar na ra Nova 3.
lnsti-nc^ao primaria ------------------- --------------------
Acha-/ aberla a matricula da 2* cadeira de ins- \m
truceso primaria do sexo femenino da freguezia da Precisa-se de ama ama : na roa do Llvraraento
B.>a-Vlia : na ra da doria, casa n. 12. n. 14.
i
Ouro e prata
em obras velhas : compra-se na praca
pendencia n. 22, loja de bilhetes.
Compram-se
da Inde-
libras esterlinas a 9500, na
praca da Independencia n. 22.
Compra-se um sellim em meio uso : na ra
i de Santa Thereta n. 38.
Vinhos to Porto
das melhores marcas, em caixinhas de ama dnxia
de garrafas para casas particulares. mas do Douro, Duque do Porto e D. Lou ; uart'm
tem anc-retas de dcimo encapadas rom sofenar
vinlio, barra de o' e 10* ero pipa : na roa do Ti-
gario n. 19, primeiro andar. ,-; _________
Farinba de mandioca : tem para vender Aa
tonlo l.uiz de Oliveira Azevedo A i;., i ara es-
criptorio ra da Cruz n. i._______
Vende-se tima borra de ierro gramie
em perfeito estado e por commodo prer;o :
na na do Apollo n. 20.
Vende-se ama taberna na roa do Cordoois m.
7, livre e desombaracada : qoem pretender daa-
se a mesma. noa achara com qoen. traiar.
Vende-se o verdadeiro remedio para dore* da
denles ; este remedio extraordinario para horr
passa r s dores de denles logo qne se toaar : cosa
6i0 rs : na taberna da ra da Penba n. al.
|Veodem-se ooze escravas aignmas roa la-
bilidades enlre eslas duas mulatiohas peras de II
annos de Idade e 5 escravos sendo oai eosiaaaaTa :
na ra das Cruzes n. 18.
Fzendas boas e baratas
Algodozinho bom e hmpo a 55 a *pffa,
laazinhas de qtiatlrinltos e flores muito bo-
nitas para vestidos de senhoras e meninas a
240 e 200 rs. o covado, brins de lioho com
algum toqoe de ava ia .i 320 rs.. chitas lar-
gas c escuras de cores (xas a 240 rs. o co-
vado e outras militas fazendas a maior par-
le de las do uso domestico, cajas fazendas
estaro expostas aos wmpndore? ilesile as
7 horas da m-mhaa as 9 da noite : na roa
da Impera'.! \i. n. 20, loja, dando-se anos-
tras de todas a quem nao poder vir na dita
loja.
W
./'
A
fr


m
P
ammammi
~

*

Diario de peruauibuco Ruarla fclra S Je Agosto de 1M*5.
Irritacilo dos pulmoer. aogi-,
as, tosse, escaros de
sangue, crupo ou garro-
tilho, catarro, rouquido
e todas as innumeravei molestias que affec-
]o aos oreaos da respiraco 0
DESAPPARECEH
mediante a acfSo da balsmica e irresistive
ANAGAHUITA
Xevralgia.
Urna carta do Illm, Sr. Francisco Alva-
renga de Azevedo.
Tasso Irmaos
Vendo ni no sen annazem ra do
\murim n. 35,
Licor fino Curago em botijas e meias botijas. Ha mas de sete annos que sofria dores
Licores linos sortidos em garrafas com rolhasde;no hombro e as Costas, tomei uma inini-i
! dade de remedios sem achar alivio algnm.
Dr, angustia, tormento sao palavras for-
! tes, porm nao exprimem o que tenho sof-
frido: ltimamente tomei as pilulas ca-
tharticas do Dr. Ayer. S faz oito das, e es-
toa completamente restablecido ; ha tres
] das que n5o sinto a mais leve dr no hom-1
bro nem as costas.
Estas pilulas acham-se ver da as prin-
cipaes boticas e drogaras do ;mrerio, e no
Rio de Janeiro, ra Diroila n. 15
Vende-se em Pernambuco:
na
vidro e em lindos frascos.
Vinhoseneres.
Santernes.
Chamberlin.
Hermitage.
Borgonhe.
Champagne.
Musca tel.
Reino.
Bordeaux.
Cognac.
Od Ton.
AzeitePlagniol.
PEITORAL de KEMP.
a anacahuita mexicana que d o nome es-
pecial esle ncomparavel remedio, uma
arvore, cuja madeira por muito lempo se
ha usado no Tampico para a cura das *>n-
fermidades cima mencionadas. Foi tam-
ben ensaiada e approvada pela academia
medica de Berlim O peiloral de Kemp
um xarope delicioso inleiramente livrede
opio, acido hydroeyanico e oulros ingre-
dientes nocivos.
A' venda as drogaras de Caors & Bar-
boza, Bravo A- C. e em todos os estaheleci-
meutos pharmaceuticos do imperio.
Vendem-se no Recite em casa de Caors 4
Barbosa e J oo da C. Bravo & C.
LOJA DO BEIJA FLOR
Na ra do Qucioiado n. H3.
Tendo recebido um sot..Jento de bone-
cas de choro, que chamam papai e mami,
com cabel'eira de cachos.
Tendo recebido um variado sortimento de
brinquedos para meninos, sendo espadas,
espingardas, pistolas, tambores ; ditos
para meninas : apparelhos de almoco e de
jantar de porcelana e de metal, porta-licor
e faquinlias a 280 rs. o p*ar ; e nao queren-
do'continuar, vende mais liarato do que em
oulra qualquer parte.
Vende-se tiras bordadas de dTerentes
largaras a l, e babados, collar inlios e pu-
nhos para senhora, bordados e abertos de
renda e lisos, os mais modernos que se
podem encontrar.
Vende-se la para bordar de diversas
qualidads e de cores claras a 7$ a libra, es-
pellios de columnas de Jacaranda a 20500,
ditos brancosdediversostamanhos. caixinhas
para estojos de navalhas,
Vende-se pentes de alisar com costas de
metal a ift, ditos de differenies qualidads,
lindas gravatinhas para senhora de differen-
tes gostos.
l oleres de metal principe.
Vende-se colheres de metal principe para
tirar soupa a 2, ditas para cha a 2$300,
ditas para soupa a 4:>200 a duzia : nesta
loja se encontrar semprc um grande e va-
riado sortimento de miudezas: ra do Quei-
mado n. 63, loja do beija-flor.
Fovidades da loja e armazem de fa-
zendas n roupas feitas n cionaes ra
da Imperalriz n. 72. de Guimares
k i mn).
Aproveitem as pechinchas
que se eslo liquidando por lod prego, vejam :
chitas largas a 260, 280 e 300 rs., ditas percalias
a 360,100 e liO, cambraia organdys muito lina a
300 rs. o covado, e muito superior a 3i0, 360 e
400 rs.: isto s na nova loja de Guimares & Ir-
oso.
Esto se acabando.
Laazinhas escoceza* a 240.260 e 280 o covado.
E' muito harato.
Cortes de la muito superior com lo covados
oelo barato prego de 55 e 55500, isto s para aca-
ar, bretanha de rolo a !' e 35200 a peca, mada-
jjolao francez entestado a .'15, 35200, 35500 e IJL
dw sem ser eafestado com 27 jardas a 45500, 5
e 500, d>to muito superior marcas muito acre-
4it< da* as marcas assim como seja marca T e carne
co-Mratissiinoss para liquidar e apurar diohei-
ro: .-.'.' s na nova loja e annazem Ue Guimares
Irnae, roa da Imperatriz n. 72'.
Grande sortimento de liabadinhos
e enlreraeios pelo barato prego de 800 a 15 a
pega.
Lencos de cores e braceos
muito proprios para homens e meninos a 13600,
%% 25500 e .15 a dalia, ditos de linho a 45800,
.5-5, SftMO e 65.
Grande sortimento'
4e eolias de fasiio de todas as cores a 55500 e
<6. ditas de chita a 15900 e 25, ditas de la a
E' muito barato.
PILULAS CATHARTICAS DE AYER.
Estas pilulas vegetaes sao a-
daptadas a todos os usos de um
purgante as familias, pois sao
perfeilamente innocentes, e em
quanto milharesde pessoas con-j
fessam com gralidao que foram!
curadas por ellas de molestias 1
severas e perigosas;nao ha
um s caso em que baja suspei-
tas do mais leve resultado inju-
rioso por seu uso.
Publicamos aqui algnns dos
attestados que temos de curas
nolaveis feitas ltimamente.
Um caso notavel de
i
AlFecro cliroiiira do ligado.
Illm.
Sr.
PHARMACIE FRANQAISE
deP.MAURER&CLe
ra nova n na
Kivalsem segundo
Ra do Qneimado ns. 49 e 55, loja de
niiudezas de tres portas, est quei-
mando ludo lioro c barate, quero qui-
zer ver c admirar vcnliam loja do
Bigodinho.
Caixas do papel amizade, e sem ella Uso e pautado
a 600 rs.
fazenda mo-
MzdeFra, 17 de fevereiro de 1864. Gr^fiadeab1!03ers!;de lU?a praleados
Tendo feito uso das pilulas catharticas
de Ayer, que me fez favor de dar um vi-
dro, tendo tirado um resultado nao espera-
do ; padecendo ha mais de doze annos en-
fermidades do ligado e baco, coto o uso
Duzias de penna de ac fazenda boa a 40 rs.
Pegas de tranca de la lisas e de todas cores a
40 rs.
Escovas finissimas para limpar denles a 240 e
320 rs.
Pulceiras de contas para senhnras a 500 rs.
das pilulas posso lhe assegurar que estou Pecas de lita de "cs estreitas cora 10 varas a
bom, pois tendo desapparecido um grande | 320 rs. ,, ,:
engorgilamento que soffria, maltas ddresI^iatesTV P Q
sobre a regia do ligado e costas, dores de Tinteiros de barro, com superior tinta a 100 rs.
cabeca, inchaco do ventre, nao podendo Pe?as de cordo para vestidos, fazenda boa a
deitar-me seno do lado direito, isso mes-
mo procurando posifiio para ler socego, lio-
je me acho livre d'esse padecimenio ; como
por aqui ainda as nao baja, eu como tenho
este proprio que de casa, lhe rogo man-
dar-me alguns vidros, e o custo elle lhe sa-
tisfar, assim bem como do charope de
cereja, que tive occasiao de experimentar;
em um ataque de guellas que teve uma
preta que com elle curei, faco uso d'elles
oas toses em minha familia sempre em
bom resultado, e por isso que peco para"
mandar alguns trasquinhos, e mesmo as pi-
lulas pode montar a doze, porque tenho
feito uso d'ellas para uso da familia e al-
gumas pessoas, ia d i ,mt e g e
resultado ; sou btdoorojeandeoda
De V. S. attensgPs.ar
FBANCISCO FERBEArF.UAlt
nbeumatismo e ataques hemorrhoidaes.
Illm. Sr.
Ouro-Preto, 30 de marco de 1864.
Posso certificar-lhe que as pilulas ca-
tharticas do Dr. Ayer sao excellentes, pois
que soffrendo eu dores pelo corpa, e que
suppunlia ser rheuniatismo, (molestia esta
que ja havia soffrido ha annos") e soffrendo
lambem de ataques hemorrhoidaes, e de
um ouvido, pois que at j pouco ouvia, e
acompanhado de uma dr no queixo, con-
sullei a um dos nossos mdicos, e este me
disse que devia fazer uso da salsa ; porm
lendo eu o almanack do mesmo doutor,
comprei om sua casa um vidrinho das mes-
mas pilulas e por minha conta principiei a
toma-las, e sem as finalisar acho-me sem as
dores pelo corpo; e sem sentir, sarei do
ouvido, e mesmo dos ataques hemorrhoi-
daes : porlanto sao para mim as taes pilu-
las as melhores que tenho experimentado;
isto em abono da verdade. Sou
De V. S.
Amigo certo, venerador e ohrigado,
O bi igadeiro
Joo Rodiiigi'es Fmj de Carvaliio.
daslrile.
Ouro-Preto, "id de marco de 1864.
Atiesto que tendo feito uso, aconselhado
por um amigo, das pilulas do Dr. Ayer,
fiquei perfeilamente bom de uma gastrite
que solria e que privava-me de andar aper-
lado, hoje felizmente nada sinto.
Augusto Gollatino de Mello.
Falla de apetite.
\Ouro-Preto, 24 de fevereiro de 1864.
Sendo eu affectado do ligado ha muitos
annos, e ltimamente soffri falta de apetite,
hoje dou gracas a Deus por achar-me sao
e perfeito com o uso das pilulas catharticas
do Dr. Ayer.
Antonio Bento Vieira.
Constiparan, dures de caliera.
Ouro-Preto, 28 de marco de 1864.
Atiesto que achando-me alacado de tima
forte constipaelto que trouxe-me dores por
todo o corpo e na cabeca, soffri horrivel-
mente por espaeo de quatro dias ento
Grande sortimento de soutembarques muito bem .J* amnP|hnn-mP mm tnmassp ni.
enfeiudos a 55 e 55500, dilos de grosdenaple a I <-
185 e 205, Iazinhas de uma .s cor a 480 o cova-
do, dita* muito propria para camisas sendo de lin-
dissimo* padresa 15 e laiOO o covado : s na-
nova loja de Guimares & Irmao, ra da Impera-
iriz d. 72.
Grande sortimento
de roupas feiUKjuese vendem muito barato i fflan-
ando-se que se veade por menos 20 por cento que
em outra quilquer parle, quera duvidar venha ver
\a nova I 'ja de fazeodas de Guimares
& Irmo.
llna da Imperaarlz u. 99.
i\ovas sementes le hortalica.
Cbegaram no ultimo vapor francez viodo da Eu-
ropa, novas sementes de hortalica, na bem conhe-
cid* loja de :'erragens de Bastos, na ra da Cadeia
do llecife n. 56 A.
GAZ GAZ GAZ
Vende-se gaz da melhor qaalidade a
1 5 a lata: nos armazensda ruado Im-
perador n.< 6 e roa do Trapiche Novon. 8.
-^"vho do Porto superior em caixa de duzia,
tem para veoder Antonio Lniz de Oliveira Azeve-
do & C, no seu esrriptorio ra da Cruz n. 1.
Farinha.
Vende se firinha de mandioca muito nova, sac-
co grandes a 15 ; no armazem de farinha da pon-
te nova dos Jrs. Tasso Irmos, para porces, na
roa da Madre de Dos ns. 3 e 9.
lulas catharticas do Dr. Ayer: com ellas fi-
quei sao e completamente restabelecido em
tres dias, de sorte que estou no firme pro-
posito de aconselhar o uso das ditas pilulas
a todas as pessoas que forem aneciadas de
constipacoes.
Agostinho Jos da Silva, negociante de fa-
zendas.
lrrilariio do estomago.
Ouro-Preto, 29 Attesto e juro, se necessario fr, que. sof-
frendo ha muito lempo excessiva irritaco
de estomago, pouco apetite e diflicil diges-
to, d'ella tenho experimentado sensiveis
melhoras depois que tenho feito uso das pi-
lulas catharticas do Dr Ayer.
Antonio Hebmogenes Pereiba Rosa.
Lombritjas.
Ouro-Preto, 28 de margo de 1864.
As pilulas do Dr. Ayer (catharticas), fo-
ram empregadas com grande vantagem por
mim em uma menina de dez annos que
soffria de vermes inteslinaes, notando-se
que os symptomas que ento apresentava
eram de molestia bastante perigosa.
Raymundo Nonato de S. Thiago, pharma-
ceutico.
20 rs.
Baralhos muilo linos para voltarete a 200 e
240 rs.
Frascos com agua de Florida a 15 e 15280.
Frascos com superiores banhas a 500 rs. e 25-
Frascos com banha, porm pequeos a 200 e
240 rs.
Laias com superior banha a 200 rs.
Frascos de macar perula muilo tino a 200 rs.
Frascos e ganafinhas com agua de Colonia a
400 rs.
Frascos grandes com superior agua de Colonia a
640 rs.
Fra.-cos com superior oleo de baboza a 400 e
500 rs.
Caicas com 12 frscos de cheiros muilo finos a
15100.
Saboiieies pequeos de bolla a 2i0 rs. e grandes a
320 rs.
Saboneies de familia a 120 e 200 r?.
Duzia de sahoneies pequeos com cheiro a 700 rs.
Agua dentiflce superior quaiidadea 800 rs.
Caixas com superior p de arroz a 800 rs.
Frascos de superiores essencias santal e oulros a
15200.
Frascos com essencias para lirar noduas de roupa
aSOOrs.
Frascos com cheiros de lodos os preces a ICO, 200,
240 e 320.
Frascos bonitos com cheiros finos a 500 rs.
Duzia de meias muito tinas para senhora a
45800.
Gollinhas muilo finas para senhora a 200 rs.
Caixas com soldados de chumbo para meninos a
160 rs.
Duzias de colheres de metal para cha a 800 r?.
Hilas dita dito para sopa, fazenda boa a 15600.
Varas de cordo branco para esparlilho a 4 rs.
Pecas de fila dn laa para debruro de vestido, com
tO varas a 000 rs.
Ditas de bicos superiores, para acabar a 600 e
800 rs.
Pedras de lonsa para meninos a IGO rs.
Caixas de lampannas para 3 mezes a 50 rs.
Bunecos de choro e panno a 160 rs.
Caixas com bonilrsestampas para rap a 100 rs.
Capachos compridos, boa fazenda a 500 rs.
Cresas de botdes pequeos pretos para caiga a
100 rs.
Todas estas laceadas para liquidar, pois ludo
etf em perfeito estado, isio garante o dono do es-
ab clerin.enlo.
Grande liquidaeo a dinheiro.
Ka loja earmazeiD do Pave.
Rua da linperatrfz 11. 60 le ta-
ma fc ftilva.
Os dones deste eslahelecimento tem resolvido li-
quidar snas fazetidas por preces baratsimos, s
cura o fim de apurar dinheiro, e previnem as pes-
soas que negociara era pequea escala cora fazen
das, que nesta loja e armazem encontraro um
grande sortimento por precos que muito Ihes hao
de agradar, tanto em peca como a retalho, a sa-
ber :
Chitas largas a 200 rs.
Vendem-se chitas francezas, lislradas muito lar-
gas, padrocs esrtir>is, pelo barato preco de -200 rs.
o covado, lendo muilo bom panno ; dilas escuras
pdroes novos, por serem todas escossezas e cor
lixa a 240 rs. o covado ; ditas miudinhas escuras
c claras a 240 rs affiancando se que esta fazenda
nao lem o mais pequeo toqui; de mofo, nem outro
qualquer deleito. Isio s o Pavao, na rua da Ira-
peratriz n. 60de Gama & Silva.
Esparlilhos, na luja do Pavo.
Vende-se um bonito sortimento de esparlilhos
proprios para seuboras, sendo dos mais modernos
e bem feitos que lem viudo ao mercado, lendo de
todos os tamanhos e de diversos precos trazendo to-
das as competentes filas para apertar. Isio s na
loja do Pavao, rua da Imperatriz n, 60 de Gama
& Silva.
c i %;*,.>!
chii cha
Laazinhas a 320.
Laazinhas a 320.
Laazinhas a 320.
Chegaram para a loja do Pavao as mais bonitas
laazinhas suissas de quadrinhos e listrazinhas a
imilacao de sedas por teretn muito lustro, sendo os
padroes mais modernos que tem vindo ao mercado
e mnito levezinhas, vendendo-se pelo barato prego
de 320 rs. o covado, sendo razenda que sempre se
venden por 640 rs. Liquida-se por este barato
prego na loja e armazem do Pavao, na rua da Im-
peratriz n. 60, de Gama 4 Silva.
Lcnciulics para mo a 240 rs.. na loja
do Pavao.
Vendem-se flnissimos lencos brancos com dnas
cercaduras, sendo uma de cordao e ontra de eores
matizada-, muito finos, a imilacao de linho, pelo
barato prego de 25800 a duzia, on 240 rs. cada
ura : isto s na loja e armazam do Pavo, na rua
da Imperatriz n 60, de Gama 4 Silva.
Laazinhas a 300 rs. .
Laazinhas a 300 rs.
Laazinhas a 300 rs.
Vende-se um bonito soriimento de laazinhas pro
L 1(AS, VIDMOS E
CIIRYSTAKS.
A lojadelooca da rua do Cresp n. 16 !..: pira
vender quantidade de azulejos de lindas e variadas
cores, assim como k.ugas la asesa as raaW..
de binias pinturas e gorln noli-rn. rir-.-. apvasv-
Ihos de porcelana branca* untt e '1* c ir^.
vidros de todas as qnalidades, nrlo>iv* ft :i-m*
chryslal, dilicados jarro* > < hr\>i..: e pon
para flores, figuras e oalfM muiios nbjrrt-.-
nissima porcelana dtm minada li-n.r i ra-
feiles de mesas, ele gnarnigs d-> tini-'o. r-
celana branca douradas e de mas para br.t (.*
e lateles, tudo do melhor gojb>, plMH de i. i i
vasos para jardim. randieiros de lamparu.-' a ra
gaz. globos o chaminei-de rid'o, boira.* e. i n
os mais sobrecelrnv-s para o* mt-mn-, : '! >
de superior qaalidade. : muilo* i air>.~ ar:ijr.- ;
seria enfadonho mencionar, todo por bmm
issim?s razoaveis.
Vende-se a taberna da rua do \ r r,
A, muilo boa por tirar defronle da ramr". *1 '-
sembarque, seu dono a vende puf ir Irats* -.c a
saude.
BI^ETS
Vendem-se em duzias e a retalho, sabone-
tes aromticos e por precos commod is; na
rua do Queimado loja d'Aguia Branca n. 8.
Agua Hoilde
para tingir cabellos.
Alm do chromacomo, acha-se mais a si-
gua Hoilde, preparacao ingleza para tingir
os cabellos, i s preiendenles comparegam a
rua do Queimado, loja d'Aguia Branca n. 8.
Homta s va i x i n has
com perfumaras.
A Aguia Branca na rua do Queimado n.
8, recebeu um novo sortimento de pe fu-
marias das excellentes qualidads j bemeo-
nheeidas, vindo no mesmo boni;as caixinhas
de madeira invernisada, e oulras de vidro,
todas com finas perfiiim-rias, ; mu pro-
prias para prsenles, as qnaes sao vendidas
por presos commodcs, na loja d'Aguia Bran-
ca rua do Queimado n. 8.
Tacas de fil enfei
tadas
a .*i0 ) rs. cada uma.
Vend m-se na rua do Queimado, loja da i
Aguia Branca n. 8.
Kspellws dovradas
A Agu a Branca, recebeu novamente um
grande sortimento do esperaos de difieren-
tes qualidads, sendo de mordura domada,
dita envernisada, oulros de dita envernisa-l
da com vivos dourados, tendo diversos ta-!
manhos, at grandes para salas, e bem as-!
sim oulros de armaco com um e dons [es,
e outros com enconsto, todos os quaes se!
vendem or precos commodos e dinheiro \ que eonfirantri* sna poderosa etficacidaa ..i
vista : na rua do Queimado, loja d'Aguia i seguimes affeccoe:
IIIRETO DUPLO
Os elementos rrae eMBfMttsiMH preparara.
(erro, o iodf e a juina, a Nfltrla M ftk
jro das preparages femtfiMaas K-"-
scus resultados olaidos pelos Mdicos dos k p-
iafs, c osrclalorio* dos prcticos nabesMi
illn-nn na nanr
Fi i Aiif-tntil.
Cl.lrue eu Ictrrlrlm.
Mr.-.ali-uo.
Mtvcciti-m 4a ulcr.
(Krafl e leaoeil h
nt<-n>.lrifart
*Cfci*-:o |,iliit<-..r t-
|i!ithi*le.
M -ilr! ;n ilcn...i
*.
Ifnii; .' i-|t;-i;<' ttr.
Vfjin se os butlttv.f
CHinl'trriln V !>
?a mnlemla*
Malrall. rrll
>.
rapvlra.
(>b)ra-rka 4aa '->-
4 mla*.
Ilniulir- f!a
Hnmuvm frasca.
R. hl!.-ma.
Afrri. rancrr #
r } i -.illraa.
Frltrc j^a>al4c*.
Varlnira, ele., rtr
i ihtraftntitm
e eirrgicM de 3o de noremhrt Hit;
Branca n. 8.
B>m papel almasso
pautado com 33 linhas.
A Aguia Branca acaba de receber a sua
encommendadesse hom papel almasso, liso'
e pautado com 33 linhas. assim como de
prias para vestidos e soutem arques por seren li-! peso, tambem Miperior e igualmente liso e
sase de quadrinhos pelo barato preco de 30CI rs. o pautado, com cora imperial, e sem ella, e
covado, sendo fazenda que sempre se vendeu a i .,., npniu,nn<. rr,nfnrmp na cima p m-
500 rs. o covado, e vende-se a dinheiro a vista pe |ouU"0b pequeos conlorme os cima, e pa
lo baratissimo preco de 300 rs. o covado : na loja quete, tarjado de preto folha grande e pe-
do Pav5o rua da Imperatriz n. 60 de Gama & quena, etc.
Silva. Tambera recebeu envelopes correspon- ^^'Z^^i'-h
Pelerinas a 14000. denles a lodos os tamanhos do papel, tanto .',";,'j- /;,'/."<'/ '
Vendem-se as mais ricas pelerinas on romeiras hranrn, rnmn |aria.ia
de cambraia bordadas prophas para hombros de .Drancoscomo wrjatios.
senhora pelo baratissimo preco de 15600 : na rna ] A commodidade dos precos e ]a de todos
ca Imperatriz n. 60, toja de Gama & Silva. bem conhecida, urna vez que appareca di-
Organdy a 240 rs. o covado. nheiro: na rua do Queimado loja da Aguia |
na loja do Pavio. Branca n. 8.
Vendem-se as raais bonitas cassas organdys, pa- f~)fl'tnifl(i em caixas de madeira.
A Aguia Branca na rua do Queimado n. 8,
acaba de receber domines em bonitas cai-
MadapolO eufestado a 3#000. xinhas de madeira branca e envernisada, e
Na loja do Pavo. visporas de caixinhas de papelao, e madeira!
Vendem-se pecas de bretanha de rolo com 10 envernisada, ludo conliQa a ser vendido
varas a 35, ditas de madapolo enfestado a 3520o, por precos commodos e dinheiro avista.
3500 e 45 : sa luja do l'avo, rua da imperalriz, \ ,. ,
n. 60, de Gama & .Iva. 0011111/108 6 pUlllOS
Madapolo com loque de mofo a (55100 e 70 hnrdidas nars ^nhnras
Vendem-se superiores pecas de madapolo, ga-, .DOluaaaspaja sennoras.
raniindo-se 20 varas em cada uma, pelo baratissi-. A Aguia Branca da rua do Queimado n. i
mo preco de 65400 e 75 por terem um pequeo 8, vende-se mui bonitas gollinhas e punbosj
toque de mofo que nada val, e pecas de algodao a : bordados para senhora.
45 : na loja do Pavo, rua da Imperatriz n. 60, de ,
Ga"ia& Silva. LCUCOS peqUCHOS
droes raiudos e grandes, pelo baratissimo preco de
240 rs. o covado (doze vint'ens), esta pechincha
acaba-se logo : na loja do Pavo rua da Impera-
triz n. 60, de Cama BHfcTANHA DE ROLO A 35000.
U
igmtlmrnie o Xarope (Tlasfan duplo '
ittsTo e de qu:iu os*
|n oas que nao g'!--i:') ie ini:.ii.:am.T.Os so& ,.--
ma ulular e. os mea nosi Em* aaw| s s;
como o xaroi>e d"; dure de ferro, o ir. r>nv-i r
de allerar-SC C de *e pffJStVOHM rmr.
I'cga-se O WhPtoque se >ii de grsca eai S
.los |>!:;;rmccui! : -'silnrios.
Para-se cvilareiii falsifkaeto, exija .a-
jir.-.-ior en cada frasco i'.e Pilulas ou Xarope i as-
^ipnsiura do invci:ioF.
Uepsito geral em Par, pbannatuWiviiioa.
144, ru du lac. em lodas as boas ooanr.: ia*
de Franca 'los pnires .'Sirancrirrs. pW.
5f Ji 1 # '. ij Va*'- KISMITH ||
pS*ii5 &tM**i^
Cortes de casimiras a 2500 e 3#
Vendem-se cortes de casemira de uma s cor a
25500, ditas de quadrinhos a 35 : na toja do Pa-
vo, rua da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Cbales a 2000
Os granulos au bismuth de Chevriar bem
superiores a todas a^ mitras preparases .!
bi.'inulh empregadas antes com o iruior mttmm
pelos mdicos de lodos os paizes, para preresir
corar as
para meninos.
mim Igra****
(iaalrllr.
'.nllraljli r'a
< 0!arrh4-aa rhraalraa.
A Aguia Branca, na rua do Queimado n. *>******
, 8, recebeu um novo sortimento d'aquelles tj^VZr*""*"
lencos brancos, pequeos e com barras de '0s prmeiros mwtMHi d'essas .'omidavem
fi* n ira'f. oles- e merinIa 25, 2-5oOO, ..5 e cores, proprios para meninos, e aiuda serao aifeecjease maoifestt. ordinariamente por dig*.
etma Vs a0< rUa lmpera,r,z 60' de I uendidos pelo commodo preco de I^COO a a* Merma,, turnes, fita d-apAjEm
La/.idbas a 220 rs., na loja do Pavo dnzia. '"' ^>
Meias de cores
Grande armazem de tintas.
RUA DO IMPERADOR N. 22.
O armazem de tintas um grande deposito de
productoschimicos utensise os maisempregados
e usados na pharmacia, pintura, photographia. tin-
turara, pyrotecbinia(fogos de artificio) e em outras
industrian
Montado em grande escala, e supprindo-se di-
rectamente as principaesdroganasdeParis, Lon-
dres, Ilamburgo, Anvers e Lisboa, pode offereceer
productos de plena confianca e satisfazer qualquer
encommenda a grosso trato e a retalho, por precos j
razoaveis.
Prvidos de machinas appropriadas satisfar
com prompildo qualque* pedido de limas raoidas
a oleo, cuja qualidadee pureza de seus ingredien-
tes peder ser examinada pelo consumidor, o que
Bio fcil fazer com aquellas que sao Importadas,
a nue se encontram no mercado em latas fechadas.
Tea grande collergo de vidros de dlfferentes
formatos, desde uma oilava at dezeseis oncas de .
capacidade ; de vidros para vidragas e diamantes
para corta-Ios; de pinceis para fingir madeira com
propriedade e outros; de papis dourados e pra-
teados e folhas de gelatina para ornamento; de
papel grande e pequeo formato de varias cores
para embrulho, para forro de casa, para desenho
com fundo j feito; de papel albnminado e Brisu.1,
verdadeiro saxe para photographia e para filtrar,
e outros ; vernizes de essencia para quadros, de
espirito para madeira, copal para o interior e ex-1
teiior; oleograxo, oleo seccalivo, oleo de linhaca
clarificado, oleo de toiele, secativo de Harlim, ouro
verdadeiro em p ; praia, ouro, e estanho em fa-
llas de varias cores; tintas vegetaes, inoffensi-
vas proprias para confeitarias; la de cores, e
oihos de vidros para imagens; Untas em tubos e
telas para retratos ; tintas em pastis e em p pa-
ra aquarella ; essencia de rosa superfina, de ne-!
roly.jasmim, bergamota, aspice, patchouly, mbar,
bouqueljlimo, alcaraiva, melissa, ortela pimenta,
lonro, cereja, alfazema, juinpero, Portugal, lima,
anis da Russia, canella, cravo e muitos outros ob-
jectos <\ae s com a vista poderao ser mostrados.
Joo-Pedro das Neves,
Gerente.
Vendem-se laazinhas transparentes de anca s
cor e de quadrinhos proprias para vestidos de se-
nhora? e meninas, pelo baralissiino preco de 220
rs. o covado, sendo fazenda que sempre se vendeu I
a 500 rs.: na loja do Pavao, rua da Imperalriz n.:
60, de Gama & Silva.
Corles granadinos a 12,)
Vendem-se os mais ricos corles de fazenda de
muila phantazia por ser transparentes e tecldos i
com seda, tendo cada corte 22 covados, pelo dimi- |
uto preco de 12; : nicamente na leja e arma-
zem do Pavo, rua da Imperalriz n. 60, de Gama
& Silva.
Bornonts de renda na loja do Pavo
Chegaram os mais ricos bornouts de renda e se
vendem por baralissimos precos : na loja e arma-
zem do Pavo, rua da Imperalriz n. 60, de Gama ,&
Silva.
Ricos chales prelos de renda
Cbegou pelo ultimo vapor francez um grande e
variado sorlimenlo dos mais ricos chales prelos de
renda, tanto de linho como de seda, tendo entre
elies muitos de pona redonda a emitago de man-
teletes e muitos com o cenlro de cor, e vende-se i
por precos muilo era conta por terem sido manda-! ; ur,nn a
dos vir de conta propria pelos donos da loja do Auld D,dIU'd c
Pavo, rua da Ivperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Laazinhas lisas a 300 rs.
Vendem-se as mais modernas laazinhas, lendo de
todas as cores, pelo barato preco de 500 rs. o co-!
vado, larlaiana branca e de cores a 800 rs., fil liso:
branco a 800 rs. a vara, corles de fil brancos lisos
a 65 : na loja do Pavo, rua da Imperalriz n. 60, -a ?3"S
de Gama & Silva.
Chapeos de sol de alpaca
[tara creangas. de G a i mezes.
Vendem-se na rua do Queimado, loja da
Aguia Branca n. 8.
I'hosplwros de seguranza
caixas de 500 palitos a 100 cada uma.
lomacac*, e, multas vezes, por espasmo* ntrwatm
com vmitos.
Esle estado mrbido, se O descuidio, trai km*
vitavelmente, que seja:
*nleatlna de libada
A Irlrri.-I.
Palplfaco de <<>raeio
Darea ao rlna.
Oyp>rraaf a.
narra 4e raarr*
Irrllarar ate brmli
4a aaatrta, r**.
Os granulos Chevrier sio ordenados peta*
sommidades medicaes para prevenir essas mver-
Vendem-Se na rua do Queimado, loja da g3s molestias cnral as quando sao tomad*-, a
Aguia Branca n. 8.
Aspas fortes para baldo,
Vendem-se na rna do Queimado, loja da
Aguia Branca n. 8.
Esponjas finas para rosto.
Vendem-se na rua do Queimado, loja da
Aguia Branca n. 8.
Me as pre tas
de laia pararpadre.
Vendem-se na rua do Queimado, loja da
ce
JE- as a CL
C o."1 ^ ro sa ^y>
S"3
sa
B
B 0
Vendem-se sapenores chapeos de sol de alpaca igooBg'gs'g
-i sr
3*3
avaado.
Francez barrica 55000
Porlland dem 85500
Era perfeito estado:
Francez barrica 105000
Portland idem 125000
No armazem de Tasso Irmos caes do;Apollo.
mrnm
A 1$ 109OO e i|OO.
Leqnes de osso, ultimo goslo, a 15-
Ceroulas de meia a 1520o.
Dulas muito finas a 15500.
S na rna da Cadeia do Recife n.'o
Vendem-se
machinas americanas de serrote para descaroyar
algodo : na rna da Semala iNova o. 42.
a 35500, ditos de seda inglezes com 16 aspas a
125 : na loja do Pavo, rua da Imperalriz n. 60,
de Gama & Silva.
Laazinhas transparentes a 320.
Vendem-se mnito bonitas laazinhas transparen-
tes com palminhas de seda a 320, ditas lisas e de
varias cores a 220 rs.: na loja do Pavo, rua da
Imperatriz n 60, de Gama & Silva.
Corles de las matizadas.
Vendem-se bonitos corles de las matizadas, len-
do 15 covados cada corte, a 55, ditos Mara Pia
a 65 e 85 : na loja do Pavo, rua da Imperatriz
n. 60, de Gama 3 Silva.
ROUPA FE1TA
ROUPA FEITA
ROUPA FEITA.
Na loja do Pavao vende-se um grande sortimen-
to de roupas feitas para homem, sendo calcas, pa-
letots e coltetes, tanto de panno como de casemlras
pretas e de cores ; deixa-se de mencionar os pre-
cos para nao se tornar enfadonho o annnnclo,
afiancando-se que o respeitavel publico achara um
grande soriimento por baralissimos pregos : na
loja e armazem do Pavo, rua da Imperatriz n.
60, de Gama & Silva.
Picha do gaze verniz do gaz.
Vende-se piche do gaz, verniz do gaz e estopa
da trra : ao armazem da bola amarella, no oilo
da secretarla da polica. ______^^
Attentflo.
Veale-te o deposito da roa Nova n. 6', bem
afreguezado e bem sonido : a tratar na rna do Li-
vramento n. 3i.
S s:=r = 8 _
g g W CL. s
D.?B-3 S.aaa
CB =^3 3 O ub Q
g a. 5, a S=r. 3^
e-||s! sajisn
2 "i 3
e ce
Si
m q."
^ 2 ce gn
P H __S (t
-,
a
o
_.
.=..
o =>
CB
CB
> <
wi
o

S.
3
3

CB
tu
CB_
CB

3
CB
w o s; o
. ta.
o
s
o

o
O 9

a
o
Sementes.
Vendem-se sementes de horlaligas muito novas :
rna da Cadeia n. 50.
Taso irmSos
vendem gesso era p para estuque de casas, tijolos
finos de feilto diversos para laarilho, azuleijos de
diversos gostos, tijolos vidrados para parede de co-
zinha, canos de barro para esgoto, cemento em
barris de 10 arrobas.
tempo.
O preco de cada frasco de 4 francos.
Depsito geral em Pars, pharmacia
e em todas as pharmacias de Franva e
estrangeiros.
MASSA E XAROPE
BERTH
COM CODFI.V4.
Preconizados por todos os mdicos roaira
as Deftuxos, a Grippa e lodas as frrsAsfato
do peito.
AVISO
Falsificac5e* reprebensiveis excitadas pelos
successos do Xarope e da Matsa dt Btrtk.
nos ohrigao a recordar qne
Uo justamente
nomcados nao se
entrogao senaoem
boectas e em fras-
cos com a assigna-
tura aqui indicada.
151, ru Saint-Honor, RA pharvacia
. i.l'vre, c em todas as pbarmarias.
Deposito geral em PerDant.nco res a
Crnz 0.22 em casa de Caros & Barbn
Loja
das seis portas e,m fn nte do Li
vm ment
Ven lem se chitas francezas tiraras e boa pan-
nos a 240, 260 e 280 o covado, OSM fraarea sV
ores fixas a 240 o covado, itretantia de r*to *
2540O a pega, corles de casemira de ror esrvrs *
45, baldes de arcos a 35, 3a00 e 45. e rafas
outras fezeddas por baralissimos preces, i*wt
se do amostras ; rambraia para f>rro a tftt9 s
pega
Vende-se na roa da Croa au 38, aromes V
Mills Latham & C :
Saceos vas'os.
Pimenla da India.
Folha de Flacdres.
Oleo de linhaca.
Louga ordinaria e fina.
Cerveia do aspinad.
Chi^ ________________________
Vende-se ama sema encola : m
rua dos Prateres n. 10.


Diarto de PeraaiubHco <|rii fcfra 9 de Agosto de i

ast
GEN ROSBARiTOSA DINHEIRO
NOS
grandes armzens de molimos
AURORA BRILHANTE
C.
| a | Pateo do Carmo n. 9 armazeru Progressivo ra do Queimado o.
% | Uaiao e Commcrcio raa do Imperador b. 40,
se Principal arraazem de molhados.
OS PROPRI12TARIOS.
Fazem scienle ao respeitavel publico, e com especialdade aos senhores de en-
geridos, lavraioresetmispussoas do centro, que para mais facilitar suas compras deli-
beraram os proprietarios dos tres grandes armazens, reunir todos os seus estabeleci-
msnlos em um s annuncio, pelo qual o preco de um ser de todos, promette-
uijs que nao infringiremos a tabella que abaixo vai publicado, annunciar os geieros!
por um preco, e na occasio da compra quererem por outro, como socade constante-1
mente em outras muitas casas, porm nos nossos estabelecimentos nao se dar isto
ainda mesmo com prejuizo nosso, qualquer pessoa poder mandar seus fmulos que
ser5o tam em servidos como viessem pessoalmente fazendo-nos o favor de mandar seus
pedidos em cartas feixadas; para evitar qualquer engaos, remetiendo nos urna conta
pela qual se ver os presos tal qual annunciarrms, o que senao arrepender pessoa
alguma que Jizer sua despenca em nossos estabelecimentos; pois poupar mais de |
5 por cento ta sua despeza diaria.
Manteiga ingleza perfeitamente flor chegaia dem com 4 a 5 djtas a 33200.
nllimamenie no vapor Saladim, de 1-3 dem vasios de todos os lmannos a 2#000,
a 1^120 a libra e em barril ter abat-; 1 5300,800 e 6i0 rs.
ment. | Queijos d 2#300 a 2|3O0 os mais frescos.
dem francesa muito nova a 1$ a libra, e Vinagre puro de Lisboa a 280 a garrafa e
em barril tora abatimento. 24000 a caada.
Banha de pono refina Ja a Ci9 a libra e em dem mais baixo a 200 rs. a garrafa e I#i00
barril ter abatimento. a caada.
Cha uxim de superior qualidade a 20600.. Azeite doce de Lisbja muito fino a 600 rs.
dem perula miudinlio a 20700 a garrafa e i-S'JOO a caada,
dem iiysson especial qualidade de 20500 a Toucinho de Lisboa novo e muito alto a 400
2 )(00 a libra. a libra, e em barril de 5 arrobas a
dem preto muito especial a 2,$000 e 2.0100 100300 a arroba.
a libra. Cerveja liass do fabricante Shlers &
:>*
CHAPES ARMAZENS
MLL HA D O
J_
5 Largo da Santal
^Cruz n. 84, es-5
^quina da ra do
li
Largo da Santa.*.-^
Cruz n. 84, es--j*
Ujiarna da ra dOvJ|M
assStbo. m t
o
o

rora Brilhant'e conmi'",",Ja muit0 acreditado arraazem de molhados denominado Au-
w mesmo sortiraento de gneros de primeira qualidade.
O novo proprietano de
A
dem do Rio em latas de 40000 e a 800 a
libra.
Latas com biscouto de todas as qualidades
a 10200.
dem da creditada fabrica de Biato Antonio
(Lisboa) proprias para dar a doentes a
2 e 3.0 a lata.
B ilaxinlia ingleza muito nova a 30500 a bar-
rica c a 240 rs. a libra.
L itas com holaxinlia de oda e oval a 20.
Presunto inglez para fiambre chegado no
ultimo vapor a 8')0 rs. a libra.
Coouricos e paios muito novos a 900 rs.
a libra.
Caixas com macarrSo t*lharim muito novo a
55000 e 320 a libra.
\ Ira branca e amarella a 500 a libra.
Bell a
00500 a duzia e 610 a garrafa,
dem Bass do fabricante T. F. Ashe a 60000.
a duzia e 560 a garrafa,
dem marca II Victoria AIsope e outras!
muitas marcas a 50 a duzia e 500 rs. a
garrata.
Sibo primeira qualidade a 220 rs. a libra
e 210 em caixa.
dem segunda qualidade a 200 rs. a libra e
l 180 rs em caixa.
Sabao ingle/, superior a 180 rs. a libra e
16') rs. em caixa.
Caf primeira e segunda sorte a 70000,
70500 e 80 a arroba, e de 210 a 280 rs.
a libra.
Arroz do MaranhSo 30200 a arroba e 100
rs. a libra.
Cocolate nortuguez de especial qualidade a
8 JO a libra dem da India a 20600, 20800 e 100 rs. a
dem suisso de 8j0 a 10000 a libra. I libra.
dem lies.aniol verdadeiro a 18000 a libia Charutos Normas de Havana a 50500 a cai-
que j vendemos a 10400. xa, de Simas (Jos Furtado).
Doce da case? de goiaba em caixoes de 4 e Wem Londrinos a 50, idem.
meia libras seguro a 10SOO,
dem Parasienses a 40500.
(de ;i em caixoes pequeos a 700 rs. e de dem Delicias a 10500.
50 para cima a 010. dem Traviata do P.io a 50300.
dem secco em bocetas ricamente enfeitadas, dem varetas de Manoel Peixolo da
Silva
conleodo pera, pes-go, ameixa, rainha,
e outras fratasa 30000 coda urna.
Idea em calda em latas feixadas hermetica-
mente mutlo faem enfeitadas, contendo,
pera, pesego, ameixas e outras frutas a
640 e 700 a lata, timbern temos latas
grandes a 10200.
melada dos melhores fabricantes, emla-
tas do 20000 a 10200.
i em latas de 1 1(2 libra a 10.
dem em iatas de I libra a 640 rs.
E rimas em latas chegadas neste ultimo va
por a 700 e de 5' para cima a 610 rs.
Feijo verde ou carrapalo em latas j pre-
parado a 610 rs.
Ameixas em fiascos de vidro a 10500.
Id m em caixinhas ricamente enfeitadas de
11200 a 20500.
Ct iservas Mexide muito novas a 700 rs. o
frasco.
Id ii iie ceblas simples a 700 rs.
Mi !h i irtglez a 64o rs. o frasco cora rolba
de vidro.
M tarda em p a 700 rs. o frasco.
dem j preparada a 320 rs.
s com massa de tomate de 1 libra a
600 rs.
dem em lata: de 1 1|2 libra a 900 rs.
Vanos em garrafas viudos do Porto, Madei-
ra Secca, Dique do Porto, Duque Semi-
no, Cascaval las, Maria Pia, D. Luiz, Pe-
dro V, Velho Secco, Lagrimas Doces, La-
grimas do Donro, e outras muitas marcas
a 10 a garrafa e 90 a 120 a duzia.
dem Palmella a 10 a garrafa e 110000 a
duzia.
dem em pipa de todas as marcas Porto,
Figneira e Lisboa a 400 e 500 rs. a gar-
rafa e 2)800 a 30500 a caada.
dem em ancoretas e 8 a 9 caadas com su-
perior vinho Lisboa e Figueira a 240 a
ancoreta.
dem branco expecial qualidade proprio para
missa a 56' rs a garrafa e 40 a caada,
dem mais bais;o a 400 rs a garrafa 0,30500
a caada.
dem do Porto especial qu didade a 800 rs.
a garrafa e 50500 a caada.
11 ra BordeaiK em caixas a 70 e 700 rs. a
garrafa.
Cbampanba a melnor do mercado vinda de
nosea encommenda a 300 ogigo.
Id..:n mais baixa de 180 a 200 e 10500 e
.10 a garrafa.
Licores portuguezes e francezes a 10000 e
10500 a garrafa.
Marrasquino de Zara, verdadeiro a 10500 a
garrafa. .
dem mais abaso a 800 rs. a garrafa.
Genebra de kraoja verdadeira a 110 a du-
zia e 10 o frasco.
dem de Hollanda verdadeira a 64 a fras-
queira e 600 o frasco.
dem de Hambur.jo a 50500 a frasqueira.
dem em boligas de Hollanda a 400 e 440
rs. o frasco.
Garrafes com genebra de Hollanda com 24
garrafas a 80., com garrafao.
dem con la 15 garrafas a 6,0.
Nello a 30500 e 10490 a meia caixa.
dem suspiros do mesmo fabricante a 10300
a meia caixa e 50200 a caixa.
dem mece:ipes a 10700 a meia caixa e
30000 a caixa do mesmo fabricante,
dem orientaos do mesmo a 10800 a meia
caixa e 30100 a caixa.
dem jovens de Castanlio & Fdbo a 20400 [
a caixa.
dem suspiros do mesmo a 10 tO a meia
caixa, e outras muitas marcas de fabrican-
tes.
Passas muito novas a 10300 o quirto e 50
a caixa de urna arroba hespanbola e 320
a libra.
Verraule bebida para abrir a dbposieo de
comer a 10300 a garrafa e 140000 a
caixa.
Alpisla muito novo a 30800 arroba e 140
a libra.
Painco a 43000 arroba e 110 a libra.
Peixe em latas j preparado a 10200 a lata
e em porcao 10000.
Sardinhas de Nantes a 400 a lata.
TijoUo para limpar facas a 160 rs.
Esparmacete a 600 a libra e em caixa a
580.
Vellas de carnauba a 12 e> 100000 a arroba
e 360 a 440 rs a libra.
Azeitonas de Lisboa muito novas em anco-
retas grandes a 10800 e a 400 rs. a gar-
rafa.
Balaios do Porto miito grandes proprios
para guardar roupa siija a 20500, 30000
e 40000.
Batatas em gigos de 31 libras muito novas a
800, ea40rs. a libra.
Gomma em paneiros a 40000 arroba e 140
a libra.
Farinda do Maranhlfo muito alva e nova a
240 a libra.
S;vadinha de Franca para: sopa a 200 a li-
bra.
Sevada muito nova a 140 a libra e 40000
arroba.
Caixas com estrelinlia, rodinha e pevide a
400 alibra.
Alhos em canastras muito novos e mauncas
grandes a 180 e 200 rs. cada urna.
Canella muito nova a 10000.
Cravo moito novo a 500.
Cominbo idem a 320.
Ervadoce idem a 400.
Alfazema flor a 240.
Amendoas a 400 a libra.
N'ozes muito novos a 160 a libra.
Papel greve a 40200 a resma,
dem Iizo a 40000.
dem de pezo a 30000.
idem de embrulho marca grande a 10200 e
10300.
dem azul para botica a 80000.
Copos lapidados a 50500 e 500 cada um.
Palitos de denles, macos grandes a 120 Je
160 cada um.
Fumo americano de chapa, de superior
qualidade a 10300 a libra, em porc3o ter
abatimento.
em poslasinteiras,
a 15000, 15280 e
A -"Jfuiate toballa irv> "i""" '"""ueuiu Ue gneros
Nenhum armum vIIh?. lod.os de base Para aluste de conlas aos portadores.
Pelo grande sortimemo miP fZ .ma,S barat0 e a ero quanto cheque nar ..V. \J raesmo porqae seu dono s deseja tirar diminnto lu-
proveitar, o nrsnriPfarin t, J1 / as desPezas do estabelecimento por isso deixe se a-
tantesfreguezes a de 'azer toda a diligencia, aflm de servir bem os seuscons-
LaataSo8 libra lechouricas muUo novas,
Ditasgrandes com peixe
BSSfe 12 laa,idades.
DgllTrra?7rSvfCeI,eD,epelSCParaf-
S!!rsCc'omSfaSRVn90pada8'a7a0rs-
DiS* com !?!'",* ? ifm> WOfJ e 3J500.
Abrearaam7"o,r!ada d afamado {^*
25 e2n5SdeC0'nadre' novos- a W.
D,lV/S2?Iolachiaha de soda muito novas, a
H e 25300.
ISO
25000.
o.i_t_. Chocolate.
s com ameixas enfeitadas proprias
-I.moaia20,2800e3#200. P
80latlOO,oPeri0r mUl n0V' a libra de
MaaC4i)0Or'salhar*ra ea'etra amaral,a.abra
Ditc.dito dita branca, a libra a 400 rs.
""SaC^SSoa,PeVde'eUtraS,naS-
Ditas dita em libras a 640 rs.
>agu, a libra a 360 rs.
bevadmha para sopa a libra, a 210 rs.
Lrvilhas seccas, a libra a 160 rs.
Ditas descascadas, a libra a 200 rs.
Tapioca maito nova, a libra a 280 rs.
de araruta verdadeira, a libra a
Farinha
500 rs.
Al9i(W0n MaLanhaot1 em sacco> a ar<-oba a
25*00 e a libra a 80 rs.
Ka i00*rs J3Va' 3 arrba 352 6 '"' CartaS flDas para ,0gar' a dUZa 2550'
Toucinho^de Lisboa a 9*>00 a arroba e a 320 \ Castanhas novas S* vapor,
Vinho verde superior.
A caada a 35000 e a garrafa a 400 rs.
Gomuia.
Saccas de 4 arrobas, a verdadeira de se
engommar, a arroba a 35000 e a libra
120 rs. jjfc
Sabao massa, a libra a 200,240 e 280 rs. ^K
Farinha. to
Saccasgrandes com farinha de Goianna mui-S
to nova, a 55000. Caf. ^v
Gaf do Rio muito superior, a arroba a 85,J
85300 e 95000. (j5
Cha. cfjf;
Cb.temos nestes gneros o m jlhor possivel,1,-^
hyson, a libra a 25600.
Dito perola a 35000.
Dito uxim a 25700.
Dito hyson muito fino a 25800.
Dito redondo a 25500.
Dito preto de primeira qualidade a 25500.
Dito mais baixo a 25000 e 15600.
Erva mate.
Excellente cha medicinal, a libra a 240 rs.
Espermacete.
O masso com 6 vellas de espermacete a 600, 'JJ
640 e 720 rs.
Passas.
Caixas de 16 e 8 libras de passas novas pro- M
prias para mimos a 13 e 25500. ?jji
Noies. rji
Noces, a libra 160 rs. e arroba a 45000. fs
Alpisla e painro. -i?
Alpista e painco, a arroba 45000 e a libra a
160 rs. m
Cartas.
DE
AZEVEDO FLORES
Ra da Caileia do Kecife, esquina da JMre t Deas.
bai4m
Os ricos bales de arcos de 30, 40 e 5
Baloes de arcos para meninas de 2 a 12 aunos a 20 e 20500.
Baloes de pa rio para meninas a 30 e 30500.
Chapeos de si.l.
Os afamados e bem conhecidos chapeos de sol com 12 asteas a 85.
Ditos maiores com 16 asteas a 120.
Tapetes.
Grandes e pequeos tapetes co.u ricas estampas para sof
Chita
Chitas largas a 240 rs. o covado.
dem escuras linas a 320 rs. o covado.
Camisas.
Superiores camisas a 20500.
Camisas com peito de cor, e todas brancas a 10800.
Ha muitas outras qualidades com peito de esguiao.
Casemiras.
As modernas casemiras de qnadros, chegarara.
Ronpa ella.
Ha completo sortimenlo de casemiras, de brim branco e de c-"res.
Colleirinos.
Chegoo nova remessa de colleirinhos de papel de cores e braceos.
Tambem lia completo sorti ment dos de esguio.
Calcas.
Calcas de superior brim pardo a 205CO.
Cambraia branca.
Superiores cambraias brancas a 50 e 70 a peca.
Cambraia branca para forro a 320 e 400 rs. a vara.
Lias.
Laas de bonitas cores a 480 rs. ao covado.
dem para luto a 560 rs, ao covado.
A OUEM NOS LER
Todas as semanas reformamos o nosso annuncio, anounciando ao publico novas
fazendas e novos precos e nao como muitas peanas sup;e teman ser as rae-mas fa-
zendai.
rs. a libra.
{Dito de Santo
260 rs.
arro-
a arroba 75000 e a libra a
ba 45OOO e a libra a 200 rs.
Azeitonas.
Molhos com 123 ceblas grandes a 12280 I Barris com azeitonas novas a 15300
MS,a franceza> ca'" com' 2 duzis a' ManlMga.
'3'W- I Manteca superior, a libra a 15280.
ti mostarda preparada em vinagre,' Dita mais abaixo a 15200.
I Dita menos superior a 5
e francezas, a Dita franceza nova, a libra a 880
Dita dita em barris e meios ditos, a libra
a 400 rs.
'Ditos cora conservas inelezas
. 640 e 800 rs.
(Ditos com -al refinado fino, a 640 e a 500 rs. 830 rs.
iJ^a"1 a verdadeira genebra de Urania, a Dita para temoero a 400 rs.
1 15000. Qneiios
Ditosde 2 garrafas de Hollanda verdadeira.a
640 rs.
Botijas cora dita propria para negocio, a
400 rs.
{Garrafes com 2 galoes com dita, a 65.
(Serveja boa, marca, a 500 rs. a garrafa, e a
> duzia a 6-5OOO. 1
Vinho muscatel de Setubal, a garrafa a 15.
Marrasquinho verdadeiro,frascos a 80C rs. e
a 15200.
fChampagne, a duzia 205000, e a garrafa a
I 25000.
) Azeite refinado portuguez e francez, a garrafa
a 15000.
Caixa do vinho Bordeanx muito superior,a
p 75,85,93 e 103 a caixa.
(Ditas com dito branco, a 75 a caix->.
Ditas com dito lariraas do Douro verdadeiro,
i a 200.
'Ditas com duque do Porto verdadeiro "a
183000.
jDitas com chamisso superior, a 145.
'Ditas com Porto velho e outras muitas mar-
cas, a 125.
}Vinho do Porto da pipa, a garrafa a 640, 720
J e 800 rs.
.Dito de Lisboa muito bom, a caada a 35200,
l 35500 e 45, e a garrafa a 500 e 560 rs.
'Dito da Figueira, das seguintes marcas (N.)
(J. A. A.) (J. L. G.) (0. M.) a caada a
s 45300, e a garrafa a 560 e 640 rs., deste
l que jest engarrafado e lacrado com o
rotulo do armazem.
JDitos de marcas mais desconhecidas, a cana-
> da a 35500 e 45000, e a garrafa a 480 e
520 rs.
.Vinho branco fino, agarrafa a 640rs.
Dito de caj muito superior, a garrafa a
800 rs.
Queijos novos viudos neste vapor a 25800 eM
35000.
Ditos londrinos muito novos, a libra
15000.
Papel.
Papel almaco pautado, a resma a 43800.
Dito dito lin> de linho, a resma a 45500.
Dito de peso Iizo e pautado, a resma
25500.
Dito de embrulho, bom a 15 e 15200.
Vinho Sadeira.
Garrafas com n verdadeiro vinho Xerez e Ma-(
deira a 13500 e 25000.
Temperos.
Folhas de louro, pimenta do reino, corainho
e cravo, a libra a 400 rs. f jgg
Velas de carnauba.
Massos cora 6 velas de carnauba refinada a
480 rs.
Amendoas. '
Amendoas com casca, a libra a 320 rs.
Doce. m
Caixoes de doce de goiaba, grandes a 15400;/,
e pequeos a 640 rs.
Tijolos do limpar.
Tijolos de arear facas a 140 rs.
Graxa.
Duziasde boiSes de graxa n. 97 a 25000, e f
de latas a 15000, e os boioes a 240 rs. ca-
da um, e as latas a 100 rs.
Charutos finos.
Charutos finos dos melhores fabricantes da
Bahia por diversos pregos, caixas e meias
11GHIN4S DEP4TENT
de trabalkar ib a o para
desearon a 1* algodo
FABRICADAS
Por Plant Brothers & C.
OLDAM
Estas machinas
podem descaro car
,qualquer espe'cit
ido algodao sen
'estragar o fio.
sendo ba-tani-
duaspessoaspara
o trabalho; pode
descansar ums
arroba de algo-
dao em carocc
em 40 minuto
ou 13 arrobas
por dia ou 5 ar-
robas de algodac
limpo.
Assim como machinas para seren movidas por
animaes, que desearoeam 18 arrobas de algo Jai
limpo, por dia; e motores para mover urna, duas,
eulns dessas machiuas.
Os mesmos lera para vender um bcllissinio va-
por que pode fazer mover seis destts machina;
mencionadas; para o que convida-se aos Srs.
agricultores a virem ver e examina-lo, no arma-
zem de algodao, no largo da ponte nova n.47.
Saunders Brothers &C.
IV. II, praca do Corno Santo
RECIFE.
Os nicos agentes neste paiz.
1 "*
A anliga e bem conhecida loja de miadexao
ra do Queimado n. 16, acaba de s provida de di Itrenles mindezas, novas e boas per-
umarias inglezas e francezas, lavas de Joavio. em-
feiles para senhoras e outros moitos drverso* ar-
gos, que rom prudencia e sisndez serio ftttw* j ao
comprador, a qnem isso, e a reimUridade dos pre-
cos nao ser indiflerenie para continuar eom a sw
boa freguezia.
Antiga loja de miudezas a
na do Queimado n. 16.
Nessa loja vende-se baratamente, alm de aoi-
tos outros objdos os seguintes :
Voltis de crystal, grandes e peqaeus.
Outras de diversas qnaiidades.
Cruzes grandes de pedras (Isas.
Alfinetes de madreperolae cairas qualidades.
Brincos a balao.
Cintos a traviata.
N. 16 ra do Queimado.
Pennas d'aco, panel e ea>el#ae;.
Na antiga loja de miudezas a roa do Quemado
Ib, arha-se um bello sortimenlo de panel al-
l.
caixas.
E grande quantidade de gneros tendentes
estes estabelecimentos, que deixam de an-
nunciar-se.
GRANDE
N. 11 Ra do QueimadoN. 11
. LOJA DE FAZENDAS DE
Augusto Frederico dos Santos Porto.
Chegou a este estabelecimento um grande sortimenlo de cortinados bordados para
camas fazenda de muito gosto.
Chales de guip muito finos para 223, 255 e 305.
Colxas de seda superiores de diversas cores para camas de noivas.
Colxas de la e seda para cama tambara de bonitas cores.
Rotondes de guip enfeitados com o melhor gosto.
Setim de Paris bella fazenda e de bonitas cores para vestido a 700 rs. o covado.
Moureantique branco e preto, grosdenaple preto e de cores, pannos pretos de todas
as qualidades, ditos azues.
Casemira prela e de cores, merino preto, silistrina, bombazinas, alpacas prelas, e
lia preto para lulos.
Malas, saceos e boleas de tapate, verniz e couro de 45 a 115-
Itrio de linho de eores finos a 15800 a vara.
Glrapos e cbapelinas de palba de Italia para senhora, manguitos bordados, chapeos
de seda para homem, chapos de sol de seda, esguio de linho, cambraia de linho, breta-
nhas, silesias e muitas oulras fazendas que e vendera par commiJos pre$os assim como
tambem
Esteiras da India para forrar salas
mmn molhados
Pharol do cmmercio
Ra do Rangel n. 73.
O proprietario deste estabelecimento tem a hon-
ra de avisar aos seus freguezes que fez nma gran^
de reduccao nos precos de seus gneros de primei-
ra qualidade : manteiga ingleza 18 e 15280 rs. a
libra da ultima chegada ao nosso mercado, dita
franceza a 900 rs. e em barril se faz abatemeut,
queijos Damengos novos a 25300, dito prato o qne
se pode desejar em bondade a 800 rs. a libra,
ameixas francezas caixinhas a 15200, 15500 e
15800, frascos de ditas 15400, grandes 35 proprios
para mimos, marmelada das melhores marcas a
640 rs. a libra, amendoas confeitadas para sones
de S. Joao a 640 rs., vinho do Porto a 640 e 720 rs
a garrafa, Figueira e Lisboa 400,440 e 500 rs., e
em caada se faz o abatimento, caixas de batatas
com 2 arrobas por 3j500 e a libra 80 rs. novas,
caf Ia sorte 75800 e 75200 e a libra a 240 e 260
bolacbinha ingleza a 200 rs. a libra, toucinho de
Lisboa a 360 rs. a libra, velas de carnauba a 400
rs., ditas estearinas finas a 600 rs., presunto portu-
guez a 600 rs., alpisla a 3&500 a arroba e 120 rs.
a libra, painco a 45 a dita e 140 rs. a dita, cbi fi-
no a 25500, 25700 e 25800, fraclas em caMa a
640 a lata, gomma a 100 rs. a libra e 25560 a ar-
roba, bollinhos inglezes lata de 2 libras a 15350,
ditos de soda grandes 25000. e outros mais gene-
ros qne se torna enfadonho mencionar. O proprie-
tario espera a concurrencia do respeitavel publico.
garantindo a exaelido do que tratar.
Admirem a grande liqui-
dac&o
De candieiros a gaz por todo preco a
grosso e a retal ho.
Raa da Emperatriz n. t.
Potassa da Russia
muito nova e superior : vende-se no escriptorio
de Manoel Ignacio de Oveira & Filho, largo do
Corpo Santo n. 19.
masso greve liso e paulado, primeira e -egnuda
sorte, dito de peso liso, panudo e de anadnaho, e
de diflerentes qualidades al a qne se pode eana-
trar de melhor, dito paqnele, diio pequeo em rai-
xinhas, sendo liso, paulado, de quadrioho, a**
dourada e tarjado de preto, lendo entre etles at-
guns que Irazem a envelope na roesma foiba, o #*
aiju inleiraroente novo. Caixas de eavefaws
maiores e menores, e tarjados de preto. Pesaaa
d'aco inglezas, caligrficas e outras qoalMfadte?,
tudas dos afamados fabricantes Perres A C
AILuns baratos na ru Quei-
mado i. 16.
Vendem-se bonitos albuns para IS retraaw a
15500, outros para 24 a 3500% aifoas aMHares
lambem por baratos precos.
Lovas de pHica a 500 rs. o par.
Apezar de nao serem amigas esli m pauto
mescladas as lavas de pelica prela e t cana, as
(junes ainda servem para a noite, a i
montara, e vindem-se a 900 rs. o par
Queimado n. 16, loja da miudezas.
Labyriilboe e bieos.
Na loja de miudezas a rna do Qoeiondo a. W,
vende-se bonitos labyriajaos e bieos das iRuw, la-
cidos em grade de llana o qne os torna fortes,'a da
I muita durac.o, alm de que os novo* a i|iiaiiili
1 desenhos, e a commodldade dos precos cor-
para a boa extrarrao dVlles, Unto bmis
elles nanea sao desnecessarios em casas de
lias, pelo qne podem dirigir-se a roa ao
n. 16, loja de miudezas.
Ra do Queimado n. 16, an-
tiga loja de miudezas.
E--a loja j lito conhecida, renovon a i
o seu sortimenlo de perfumaras, onde os pn
denles podem encontrar de aovo e boa.
leos philocome, superflne e babosa.
Banha fina em frascos e latas.
Extractos finos inglezes e francezes.
Agua da colonia e florida.
Opiata e poz para dente*.
Extracto de quinquina para ditos.
Agua balsmica para ditos.
Dita dentrifice para ditos.
Leite virginal para sardas.
Vinagre de Venas para refrescar
lustre da cnlis.
Sabonetes campnorados iagtotes.
Ditos arlenlos exeellentes para ataos.
Outros tambem inglezes de diversas aoa
em caixinhas de tres e solt.
Albuns com perfumaras.
Chegaram os superiores
cortes de seda.
Superiores cortes de seda 4a cor,
ultimo vapor francez : na loja das co
do Crespo n. 13, de Antonio Gorreia
cellos A C_____________________________
Vende-se 40 palmos A Concordia : a tratar na roa do Alecrn a fft,
3 horas as 5 nos das alis.
,


Diarto de PeroambHco miarla ftn de Agosto de tS*.
9 NOVO SERENTE
AO PUBLICO
ESTABELECIDO A RA NOVA N. 60
Sem o menor constran-
gimento se entregar
importe do genero que
nao agradar.
ATTEN(;60
4>s preco* da seguate
tabella $ para todos, pc-
dendo asslm servir de ba-
se para o ajnste de contas
eom os portadores:
Vende
-se
AO
RESPEITAVEIi PUBLICO.
A apreciado dos habitantes desta heroica provincia existe no grande arma-
vendidos por precos asss razoaveis
Sem a ituidade de querer que
este novo e interessante estabelecimento soja o
primeiro e nico em seu V^J^?^^^LSS^HSS^ Q Lnle'iga ingleza cspecia.mente escollada a i
enhum outro d exceder no restricto cumprimento das seguintes promessas
L* Delicadeza no trato.
2. Fidelidade no peso.
3.' Sinceridade nos presos.
As pessoas que por sua posicao soca
casa os melhores queijos londrinos, cerveja,
'eirQualqaer que sja a condicao do freguez, elle deve contar que ser sempre mui-'ienl iiysson mut0 SUperior em latas de 15
, farelo de Lisboa em mccm e barrica sa:cas
com superior farinha de mandioca, mais barato a
que em oulra qualquer parle : na um
n, 17. primeiro andar._____________________
I Grande exposico de lu-
j zendas.
Que eslo a venda, na loja e ai Bisa rr da Arara,
rna da Imperalrii n. 56, Loarcaro I r .;a ea-
des Guimarae?.
LAZINHAS A ?40 rK I
I.ZIM1ASA iiO R>. I !
LAZINHAS A iiO B. i I
Ha um grande sortimento de lirn ne.
chegadas pelo oliirr.o vapor,
quaesquer toja vende a 4CO r?., e^l.. ^e
na loja da Arara pelo diminuto anafe ge 240 r.
o covado.
MADAPOLAO COM 24 JARDAS A l
madapolao rxM 24 jardas a i|trm
\ ene-se niadap'lao com 24 judas t ptiaatia-
dose que tem 20 vara?. |do l;i::.'i : re de
i500, SCOO, 65000 e 6*800
BRETAiNHA DE RULO COM .0 TABAS
Senhores WrflWrt; o aceio que presidio aos arrojos deste novo estabelecimento e mais que todo a prpmptido e intei- y breIanh/d**Xa ,mo a
a proteccao e preferencia na com- Mendes GuimarSes.
MADAPOLAO ENFFSTAliO A 35WO. SfStM
m*#> bemlervidoTcomo s^e vasera pess'oalmente, brando para com estes toda recommendacao, afim de que nao vio em MADApoLAO EN|SBb a 35ceo 3**o
E 44OOO.
Sal refinado cmfrascos deTidrocom tampa Vndese madapoio anatao p*io o bar
do mesmo a OOO rs Pre de **. 3*300 e 45 a \*n.
gerveja branca das marcas mais acreditadas! venSe"?maSn^8 V
que vera ao mercado, a 500, 5Go e Glo leudo de lodas as res a 55500, ditas frarde a
a garrafa, e 5,8oo, 6,000 e 6,000 a du-i 05000, ditas de damasco a 4*00. Da rr,-,
Za. j 2#2ii e 4*900, h-to s pnr a raiar. n? I .ja -j ar-
engarrafar, em ancoreas de {"caadas a j Cevadinha de Franca muilo nova, a 2oo rs. i uhta^fraxcezas a 24I'.'Viit'
3o,ooo rs. ; Charutos do affamado fabricante Jos Furta- chitas francezas a SM, ?, MO, .ff\ E
Vinhoempipa: Porto, Figueira e Lisboa a do. de Simas, das seguintes qualidades:' aao h*. ocovaiki.
32o, loo e 5oo rs. a garrafa, e em caada Exposigau Normal de Ilavana, Imperiaes, iC1
RA DA CADEIA DO RECIFE N. 53
(Logo passando o are o da ConcelcSo)
PARA BEM DE TODOS.
1 da Llga'estabelecido ra Nova n. 60 um magnifico sortimento [de mo'^03;! om e So Silrb7ai v'sita a0 mesmo> ertos de qne sem dnvida me
que sendo em sua maxim.i parte mandados vir directamente do estrangtiro ,podem ser | ^ ^ Re'neros ^g precisare e quando nao possam vir podero mandar seus portadores, aindaque estes sejam pouco praticos,
l.ooo e 800 rs. a libra e em barril se faz
abatimento.
I Idemfranceza a mais nova do mercado a 96o
rs. a libra e 900 rs. em barril ou meios.
Cha hysson de superior qualidade a 2,600
gozam de certo tratamento, acharo oeste j rs. a m^ra.
vinhos finissimos manteiga e cb sempre de | (&& perola o mais superior do mercado a
2,8oo rs. a libra.
a loo rs. a li-
bra e 6,000 a caixa.
Massapara sopa : eslrelinha, pevide e rodi-
nha branca ouamarella a 64o rs.a libra e
3,5oo-a caixa com 8 libras.
Vinho do Porto muito fino proprio para
tobem servido I libras muito proprio para negocio a 2,ooo
\quelles que sao pouco favorecidos da sorte farao mensalmente urna economa de) rs; a libra-
maitas patacas afreguezando-se nesta casa, onde se lhes vender o arroz, o cafe, a man- Idera nyssori nacional em latas de 1 e 2II-
teiga o assua etc., etc. de boa qualidade pelo preco que em algumas partes nao po- bras a 1,600 rs.
dem ou nao querem vender. mMm na
Os senhores de fra da cidade, dos arrebaldes ou centro, que compram para ne- ner0 a Jooo e 2)2oo rs. a libra,
rociar devera vir, pelo seu proprio interesse, a este estabelecimento para se convence-. Linguicas muito novas a 800 rs.a libra eem
rem d quanto se'pde vender barato. I barril se faz abatimento.
Para os senhores que compram para tornar a vender existe um sortimento ospe- choungas e paios a 800 rs. a libra,
cial escolhido por pessoa entendida que certamente muito deve agradar aos senhores costelletas inglezas a 64o rs. a libra, serve
compradores. I Para temperar panella ou para fiambre.
Nao se tem ocupado sacrificios, nem se deixar de fazer a diligencia para agr- Quejos 0 ren0 chegados neste ultimo va-
dar a todos. ,_ Pr a 2'2o rs->ultos de navio de vel,a a
2,000 rs.
dem londrinos muito frescos e de superior
qualidade a 800 rs. a libra,
dem pratoa 800 rs. a libra, e inleiro se faz
abatimento.
dem suisso o mais superior que tem vindoi
K ao mercado a 64o rs. a libra.
ErvUbas e favas portuguezas j preparadas
em latas hermticamente lacradas a 64o.
Feijo verde muito superior a 610 rs. a lata.
PELOS SEGUINTES PRECOS S SE VENDE
A DINIIEIRO A VISTA:
latas, muito nova, a 80 rs. cada
ALPISTA a 120rs.a libra.
dem e paingo de oito libras para cima a
100 rs.
Arroz de 90 rs. a libra a........
Amendoas, casca molle, a 280 rs. a libra.
Avellas a 210 rs. a libra.
Ameixas rancezas era latas de todos os ta-
maitos.
dem idem em potes de todos os tamanhos.
dem idem em bocetas de todos os tama-
nhos.
dem idem em frascos de lados os tama-
nhos.
Azeite nocE de primeira qualidade a 560 rs.
a garrafa.
Amos a 200 rs. o molho.
Absyntho a 2;>000 a garrafa.
B
BOLACHINIIAS do Beato Antonio em latas
grandes e pequeas.
dem do Principe xVlberto a 2$000 a lata, e
de cinco para cima a 1:5800.
dem de so-la cm latas grandes a 2S000 e
de cinco para cima a 15800.
Biscoitos inglezes de todas as qualidades a
10200, 15250 e 15300.
B01.0 francez em caixinlias a 300 rs. cada
urna.
Batatas inglezas.
Bamba de pareo refinada.
c
CHOCOLATE francez a 700 e 800 rs. a li-
bra, e em porejio a 600 e 700 rs.
dem suisso a 15 a libra.
dem de musgo a 15500 a libra.
CHouRiofcWnuito novas a 800 rs. a libra.
Caf a'210 e 260 rs. a libra, e em porco
se far abatimento.
dem de primeira qualidade a 70000 a ar-
roba.
Conservas em frascos a 320 rs. cada um,
sao mutto aovas
dem ingtezai, frascos grandes.
Champagne de todas as marcas.
Ciiarope de grosella, orchata, etc., etc.
Chicaras e pires a 10800 a duzia.
Cerveja da superior marca Tenente a 500 rs.
a garrafa, e em duzia se faz grande aba-
timento.
dem Victoria Bas tres X e de outras marcas.
Charutos das mais acreditadas marcas, co-
mo sejam: Normas d'Havana, Exposico,
Flor do Brasil, Parisienses, Delicias, Gua-
nabaras, Trovadores, Regaba, Mississipes,
Panetellos, Apraziveis, Varetas, Brasilei-
ros. Americanos, Fluminenses.
Cha de todas as qualidades e de todos os
precos, hjsson, huxim, aljfar, preto, e
preto ponta branca, etc., etc., a 25000,
252"0,25560 e 2.5800.
Copos lisos de todos os tamanhos de 120 a
320 rs.
dem lapidados de todos os tamanhos a du-
zia a 25500, 3.5500, 40 e 50.
Clices de todos os tamanhos.
Cognac superior a 10 e 10500 rs. a garrafa.
Cigarros do Rio, pardos, a 80 rs. o maco
de cinco macinhos.
m
Graixa e
urna.
KIRSCH de Wasser a 20 a garrafa.
L
LATAS cora graixa a 80 rs. cada urna.
Lesbia a 400 rs. a libra.

MANTEIGA ingleza e franceza de primeira
qualidade a 10, 10120 e 10280, em bar-
ril se faz grande abatimento; a que ven-
demos por 10280 a libia, vende-se em
outra qualquer casa por 10400 e 10500.
Minina mi ilno mnie n.Totlitnrloc fabricantoo.
Macarro e TALiiAiii.M a 320 rs. a libra.
Masa de tomate a 600 rs. a lata.
Mostarda ingleza a 800 rs. o frasco.
Molho ingi-ez de todas as qualidades.
.Marrasquino verdadeiro de Zara a.....
Massas finas para sopa branca e amarella a
60 i rs. a libra, em caixas com 9 libras a
35500.
Miuio painen e alpista, sendo mais de 8 li-
bras a 100 rs.
N
NOZES a 120 rs. a libra.
Nabos em latas a 800 rs.
O
Osiras inglezas e americanas.
PEIXE em posta, latas grandes, a 10COO, de
todas as qualidades, como sejam savel,
goras, corvina, pargn, salmo, pescado e
pescadinlia, linguado, sardinha. etc., etc..
Peras era latas, excellente preparado.
Palitos para dentes a 120 rs. o mago muito
grande.
Passas em quarto a 15100.
dem muito novas a 400 rs. a libra.
Pomada muito nova a 280 rs. a duzia.
QUEIJOS flamengos.
dem prato a 800 rs. a libra,
dem suissos a 800 rs. a libra,
dem londrinos a 800 rs. a libra.
QUARTINHAS OU MORINQUES a 60, 80 e 100 C
par.
R
RAPE' Meuron a 10 a libra.
dem Princeza do Rio a 15200 a libra.
dem francez a 20500 a libra.

SABO massa a 160 rs. a libra, em caixa se
faz abatimento.
Sal refinado em frascos a 500 rs.
Salame de Len a 235.
Sardinhas de Nantes de todos os fabricantes,
dem de Setubal em latas muito grandes a
720 rs.
Stearinas a 600 rs. o maco.
T
TOUCINHO de Lisboa a 320 rs. a libra.
Tomate em latas a 600 rs.
Tinta azul e preta para escrever.
VINHOS!
Principe Alberto, de 1831, a 50000 a gar-
rafa ; d vida aos velhos.
a 2,5oo, 3,ooo e 3,8oo.
Vinho branco de Lisboa de excellente quali-
dade a loo e 5oo rs. a garrafa e em cana-
da a 3,ooo e 3,5oo.
Idempret oqaTse pode desojar neste ge- Vinho branco para missa em caixas de 1 du-
zia a 8,ooo e 68o rs. a garrafa.
Vinho do Porto das melhores marcas que
vem ao mercado como sejam : Lagrimas
do Douro, Duque do Porto, Rainha de Por-
tugal, Duque genuino, D. Luiz I, Madei-
ra Secca, Malvazia fina a I6,ooo,15,ooo,
12,ooo e 1 o,oooa caixa cora 1 duzia e9oo,
1 ,ooo e 1,5oo rs. a garrafa.
Vinho Cherexde superior qualidade a 16,ooo
a duziae l,5oo rs. a garrafa.
Sardinhas de Nantes a 4oo rs. os quartos e
64o 'rs. as meias latas.
Bolachinhas inglezas muito novas a 5,ooo a
barrica e 320 rs. a libra.
Bolachinhas de soda em latas de diversas
qualidades a l,3oors.
Cartcs com bolo francezmuito propriospa-
__. n r- Vende-se rambraias Lranra* de-; ; ;. \i-
Londrinos, G uanabaras. Parisienses, Sus-! a pPca> ,ambtm ha um graiM,e c^, im.
piros Delicias, a 4,000, 4,500, 5,000, t.raia brancas que se tendem a :
6,000 e 7,000 a caixa ou em meias. >#. ( e ~ a peca.
Charutos finos de diversas marcas e fabri*- onpJfA^ UE llhJ'f'A T ,
. ,__ .. ,, ,. Lencos decambraia rom tarra t.e ri i-- a I-^-iO
cantes, como sejam: Flor do Norte, Ma- a duzjai ditos te dila ttnmn a 25 P ajc 2 *.
nilhasdeHavana, intervallos,Vencedores, zta, s Mendes Guimares.
Panatellas e Suspiros, a 2,ooo, 2,aoo
3,ooo a caixa.
CALCAS DE lilllM DE IJMIO.
Vndese caigas de bnm de linho a 3J
^CC e 40C0, dilas di algocao a tL t ttun
ognac inglez das melhores marcas, a 80c e Guimaraes.
ra mimo a 64o rs.
Copol lapidados para Vgoa a 5,ooo e 5,5oo Passas muito novas em caixinhas enfeitadas
rs a duzia Para Mimo a 3,ooo rs.
dem idem para vinho a 21o rs., e 2,4oo rs.' Passas de carnada a 8,000 a caixa e 4oo rs.
a duzia. a libra.
Chocolate francez hespanhol e suisso a 9oo, Figos de comadre a 24o rs. alibra.
l,ooo e l,2oo rs. a libra.
Espermacete superior a 600 e 64o rs. a li-
Dra e em caixa se faz abatimento.
Peixe em posta em latas hermticamente la-
cradas e das melhores qualidades de pei-
xe a 800,1,000 e l,2oo rs.
Vinho Bordeaux das marcas mais acredita-
Amendoas de casca mole a 4oo rs. a libra.
Milo de amendoas a 5oo rs. I
Bolachinha d'agua e sal, da fabrica de Joao
de Brito no Beato Antonio, em lata de 6 li-
bras por2,5oors.
l,2oo a garrafa.
Doce da casca de goiaba a 2,ooo a lata com
4 libras.
Farinha de araruta verdadeira a 32o rs. a
libra.
Matte,excellente cha para os navegantes, a
2oo rs.
Sebollas de Franca muito grandes e novas
a l,8oo o cento e l,2oo soltas.
Palitos do gaz a 2,2oo a grosa.
Toucinbo de Lisboa muito novo a 32o rs. a
libra e 8,5oo a arroba.
Banha de porco refinada a 65o rs. a libra.
Bolachinha Alberto, as melhores que pre-
sentemente tem vindo ao mercado, a 2,ooo
a lata.
Farinha do Maranho muito alva e cheiresa
a 2oo rs. a libra.
Frascos com fructas em calda de diversas
qualidades a 2,5oo e l,5oo o frasco.
C.iixinhas eom fructas em doce secco de di-
versos tamanhos, muito proprias para
mimo, a l,6oo, 2,6oo e 3,5oo cada urna.
Rnibos, excellente peixe portugus, em
Ameixas francezis em fiasco de vidro com j barris pequeos ou a retalho, a vista se
tampa do mesmo, a 105oo. far o preco.
las que vem ao nosso mercado a 7,ooo e' Ameixas franc* zas em caixinbas de diversos Azeitonas de Rivas em ancoretas grandes de
8000 a caixa e 6lo e 7oo reis a gar- tamanhos com bonitas estn pas na ca-i 8 garrafas por 600 e 800 rs.-a garrafa.
rafa xa exterior, a l,4or>, 1,600, l,8oo e 2,ooo' Azeitonas portuguezas a 5oo rs. a garrafa e
Genebra de Hollanda a 48o rs. a botija de cada urna. l,5oo cada urna ancorela.
conta certa. Azeite doce refinado hespanhol ou portuguez | Champagne da melhor qualidade que vem
Frasqueirasd genebra de Hollanda a 6,800 a 9oo rs. a garrafa e Io:ooo a caixa. ao mercado, a 2,ooo e 3,5oo a garrafa, e
e tilo rs. o frasco. I Batatas muito novasa 80 rs. a libra e2,5oo 24,000 e 26,ooo o gigo.
Genebra de laranja verdadeira era frascos! o gigo com 36 libras. Gomma de engommar muito alva a 12o rs.
grandes a 1,000 e 11,000 rs.a frasqueira.i Conservas inglezas a 75o rs. o frasco e alibra.
duzia.
Caf do Rio de i* qualidade a 28o rs. a II-! 8,5oo a
bra e 8,000 rs. a arroba. Vassouras de escova para esfregar casa a
Caf do Cear muito superior a 2 4o rs. ali-' 4oo rs.
bra e 7,000 rs. a arroba. j Nozes muito novas a 16o rs. a libra.
Arroz do Maraoho de Ia qualidade a loo: Molho inglez em garrafa de vidro comrolha
rs. a libra e 2,8oo a arroba. do mesmo, a 16o rs.
dem da India a loo rs. a libra e 2,8oo a; Mostarda ingleza dos melhores fabricantes,
arroba. I a 800 rs. o frasco,
dem de Java a 80 rs. a libra e 2,4oo a ar- Mostarda franceza em potes j preparada a
roba. loo rs. o frasco.
Painco e alpista a lio rs. a libra e l,oooa Lentilhas francezas. excellente legume para
arroba. sopa, a 2oo rs. a libra.
Massa de toraatesde superior qualidade a 64o Marrasquino de Zara propiamente dito a
rs. a lata de urna libra e56o rs. a reta- 10 a garrafae 1 l.ooo a duzia.
1D0 I Palitos de dente a 1 lo rs. o maco.
Figos emsextinhas a 80 rs, cada urna e 72o
rs. a duzia.
Papel azul para botica a 2,ooo a resma.
Balaios para roupa suja, grandes e peque-
nos, por diversos precos.
Amendoas confeitadas a 64o rs. a libra.
Latas com fructas era calda: pera, pecego,
damasco, rainha Claudia e cereja, a 800
rs.
Vinagre de Lisboa a 2oo e 28o rs. a garra-
fa e a l,4oo e 2,ooo rs. a caada.
Azeite doce de Lisboa a 4,8oo rs. a caada
e 640 rs. a garrafa.
Vinagre branco j engarrafado a 000 rs. a
garrafa.
DOCES de todas as qualidades: brasileiros,: yelho ^cco a 2 a garrafa.
portuguezes, inglezes, francezes, etc. etc. Lagrimas do Douro a 10500 a garrafa.
E
ERVILHAS seccas a 120 rs. a libra.
ervadoce a 400 rs. a libra.
i
FARINHA S S S de 8 libras para cima a 120
rs. a libra,
dem de araruta a 320, 400,500 e 800 n.
Figos de comadre a 160 rs. a libra.
Feuo verde em latas a 600 rs.
Favas em latas a 600 rs.
Fumo do Rio a 500 rs. a libra,
dem americano em latas a 20.
Farello ha sempre em deposito de 500 a
800 saceos, de todas as qualidades, *de to-
dos os tamanhos e de todos os precos#
Duque do Porto verdadeiro a 20 a garrafa.
Duque a 10 e 10500.
!Chamissoa 10, 10200 e 10500 a garrafa.
' D. Luiz a 10 a garrafa.
' Moscatel verdadeiro de Setubal a 20 a gar-
rafa.
Carcavelos a 10.
Colares a 900 rs. a garrafa ; o pnico vi-
nho que se pode beber por n5o ter com-
posico alguma.
Lanterne a 800 rs. a garrafa.
Bordeaux Medoc a 800 rs. a garrafa.
dem S. Julien a 600, 800 e 10 agarrafa.
Absyntho a 20 a garrafa.
Kirsch a 20 a garrafa.
Wermouth a 20, e a caixa a 180.
Bilter Maurer a 10 a garrafa,
R1VA,
SEM SEGUIDO
Rna do (luciniado ns. 49 e 55.
Contina a vender lodas as miudezas que abaixo
declara por pre$os admiraveis.
Massos de palitos lixados para denles a 100 rs.
fspelhos de molduras douradas a 200,240 e 320 rs.
onets de oliado para meninos a 1,8000.
Ditos de couro superior fazenda a 15500.
Frascos com superior tinla rocha a 240 rs.
Meiadas de linha froxa para bordado a 20 e 60 rs.
Babado do Porto, fazenda boa, vara a 80,100 e
140 rs.
Varas de franja branca estreita a 40 rs.
Caixas com 100 envelopes, fazenda fina a 600 rs.
Grozas de pennas de ac, fazenda superior aoOOrs.
Duzias de meias cruas encorpadas para homem a
3,5000.
Grozas de botSes madreperola finos a 500 e
e 610 rs.
Caixas com SO novellos de [linlia do gaz a 700 e
900 rs.
Caixas com superiores obreias de cola a 40 e 80 rs.
Pe?as de fita branca elstica com 9 varas a 280 rs.
Varas de franja de iaa para enfeltes de vestidos a
40 rs.
Baralhos dourados superiores qualidades a 400 rs.
Novellos de linha com 400 jardas a 80 rs.
Lirros para assentos de roupa lavada a 100 rs.
Pares de boloes para panho, fazeBda rica a 120 rs.
Tesouras para costuras superiores qualidades a
400 e 15-
Caixas de pennas de calligraphia, fazenda boa a
1000.
Massos com superiores grampos a 30 rs.
Pares de sapatos de tranca e tapete a 15500.
Pares de sapatos
15280.
Caixas com superiores agulhas a 240 rs.
Libras'de laa sortidas de bonitas cores a 75000.
Caixas com superiores obreias de massa a 40 rs.
Rodinhas com alflnetes francezes muito superiores
a 20 rs.
Resmas de papel almajo a 25400 e 25800 rs.
Resmas de papel de peso fino a 25000.
Escovas para roupa, fazenda boa a 720 e 15-
Dnzias de tesouras com toque de ferrugem a
600 rs.
Duzias de facas e garfos de cabo preto a 35000.
Talheres muito fino para crianQas a 240 rs.
no graude armazem
Azeite doce refinadoem pequeas latas a 580 rs. a garrafa
da Liga.
Saceos de 80,100 e 120 libras a 40,40500 e 50 ; no "grande armazem da Liga.
PECHICHA S
Madapolo muito fino com pequea toque de avaria, por preco que admira : na
das columnas na ra do Crespo n. 13, de Antonio Correa de Vasconcellos & C.
Lagdo para calcadas.
Vende-se muito bom lagdo para caljadas ear
mazeos ebegado agora : a tratar n ra do Apollo
n.4.
Grande sortimento de roupas feitas de to-
das as qualidades,
Calcas de casemira a 65 e 75600, ditas pretas a
65 e 85, caigas de ganga a 25 ,15800 e 15600,
ditas brancas a 25, brim de linho a 35. 35500 e ;
45, paletots do alpaca branca a 45500, ditos pretos
a 35 e 355OO, ditos de alpaca de cordo a 45, e
de listra de seda a 45500, ditos sobrecasacos a 55,
de" ttanc para "meninos a 15 e paletots de casemira a 55, 55500, 65, 85 e 95,
ditos sobrecasacos pretos a 125,13 e 165, ditos fi-
nos a 285, de cores a 135, ditos fraques a 145,
paletots de ganga a 35, 25500 e 25, ditos de brim
pardo a 35, jaqueloes de brim pardo a 35, panno
preto fino a 25, 25600, 35500 5, 45500 5 e 65 o
covado, moreantique preto a 25600 o covado, gros-
denaple preto a 15500,15800,25, 2500 e 25500
o covado ; e outras muitas mais fazendas que se
deixa de annunciar, e manda-se levar pelos caixei-
ros da loja da arara casa dos pretendentes. O
e tabelecimento est aberto at as 9 horas da noite,
ra da fmperatriz n. 56, Mendes Guimares.
de boa
loja de
Vende-se urna ptima escrava moca
figura : a tratar na ra da-Cadeia n. 40,
relojoeiro. ^__________
Vende-se urna escrava parda de meia Idade
com principio de engomraado, lava e cozinha : na
roa nova de Santa Rita, casa n. 3.
Soutarobarques de cor*s, vende-se Bailo I -.-
ditos grosdenaple preto, capas tnias a tkB -e
far preco.
PALITOS DE ALPACA BRANCA A t5SNt
PALITO'S DE BIUW DE LI.MH A -OW.
ntremelos transparentes a frCO rs. dito? tapado
a 15, ditos para babado a 15000 cada orna lira.
ROUPAS FEITAS.
ROlPAS FEITAS.
IIOI'PAS FEITAS.
Vendem-se um soriiraeoto de roupas tetras de
todas as qualidades, que a vista se far prer.. e
outras muitas mais fazendas qne se dixan ae
annunciar, ra da Imperalriz n. 56, Menes Gw-
maraes.
Vendem-se palroeiras imperiaes, e estado
de serem iransplanladas: no si'.i r. wnt
querda, depois do becca do Espinheiro, nos :.'-
Dictos.
Fio de algodSo i!a IfrMa.
Vendefse noesmptorio de Antnnir Lni? te t
veira Azevedu & C, ra da Cruz. n. 1.
EscEiYos wtme:
Acha-se fgido desde o da 7 nV f<" r ;r ,' ja-
no passado o escravo de nome fmttm, J<- .iasto
40 annos, pouco mais ou rueos, ati fula, altara
regular, grosso do corpo, bem espadnaJo, bar tac,
e ja com al^'uns cabellos brancas Bahu*a,br*(
e percas grossas e bastante cabellada?, ten a:
as arqueadas, porm nao muito, baaUMe cal
nos peitcs, c costuma guando qn r fallar b:-
apressado como que gaguejar. rorm muito ;<-. \
que mal se percebe ; costuma andar > n sai
e as vezes embriaga-se per gosiar de IrbiJ..-1
rituosas -, suppoe-se que elle seguio para o retiro,
talvez em busca dos sertoes : perianto raja-ta as
autoridades pciciaes que o facam ?\-\ ni., nder e
cundnzi loa casa de siu senbor. e. :. a,.r Anltio
da Silva Cu^mao, na ra Imperial, ra iVrnarr.bu-
co, que satisfar toda c qualqncr dcsj iz que per-
ven; ura facam, e aos npMiei de ra yo (fcre.'e
urna boa gratificaran. Oulro .-im ped- l -m |.or-
ventura o tenha acontad 1, que o m iu.e ie\r, qu
nao s nao proceder con:ra aaahpar fH u ten*
em casa, como mesmo graduara e pagara' todas
despeza cora a sua conduegao.
TT
1&
cu. U
Francisco Jos Germano
RA NOVA X. 91,
acaba de recebf um lindo e magnifico sortimento
de ocnlos, lunetos, binculos, do ultimo e mais
apurado gosto da Europa.___________________
do
Acham-se fgidos os esrravos seguintes : Bea-
to, pardo, alto, secco, cabellos annelado-, sem bar-
ba, testa larga, falla nm pouco descargada, avales
alvos e um pouco limados ; e Luir, cr'oo'". atara
regular, barbado e j com aleuus eab*!lcu braoc's,
corpo regular, btanle cabelludo, falla gri#-a, e
as vezes Unge-se ronco : partaaa) paflaai as aa-
toridades policiaes e capitaes de campo ijne 1
cara apprehender e conduzi lo- a casa de seu 1-
bor o majar Antonio da Silva Gusmo, ra ra Au-
gusta n. 98, que sero generosameniu ri-compea-
sados, e lhes pagar toda despeza que fizerea casa
a 1 ua conduccao ; suppoe-se qne elle terao ida
em seguiment dos series px* serem tilbos acates
lugares.________________________________
Escravos fgidos.
Ao amanhecer do dia 16 do correte mez fagi-
ram os escravos seguintes : Theodoro. preto de
nacao, alto, ebeio do corpo, maior de 30 aaaat,
barba bastante rente, falla cuslosa. e pasado pre-
nuncia as palavras, os labios que sao gro>sos, rra-
mem alguma cousa, tem no branco des olhos prin-
cipios de caronsidade ; Vinssimo. mulato, om
pouco claro e alguma eousa plido, marro, alta-
ra regular, ten marcas de beiigas e espumas aa
rosto, os dentes limados, as pernas eom algunos
e largas cicatrizes, e anda como qcem tem btrtna
nos pes : quem os apprehender qneira lera-los ao
sea senbor em a rna da Aurora n. 32, eerto de
que ser bem recompensado._________________
"Aviso aos capitaes de
campo
Ausenlonsc o escravo Manoe!qae j foi escra-
vo ao Sr. Joo Ferreira Taboza senhor do engeaao
Ver lente da comarca de Camarii. e depois Je
seu filbo Joo Ferreira Taboza Jnior reodeiro do
engenho Rede de Santo Antao.cujo escravo tea ea
signaes seguintes : alto, pooca barba, falto a>
dentes na frente e o melhor signal lar os peM
estufados para fora bem visivel : qaem o pegar
leve-o a rna estrella do Rosario o. 5, qae aera'
bem recompensado. __^
Ausentou-se no dia 2 do correle ao meto aia,
da casa da rna do Imperador n. 16. o preto lulimaa
do, crioulo, cheio do corpo, altara regalar, reala
comprido, olbos pequeos e pooca barba, osa ama-
sa e bigode, bastante ladino, reprsenla lev 9
annos, pouco mais ou menos, e jnlga-se ter lvala
Novena de Nossa Senhora
(armo e de *aui" luna
Vende-se na ra do Imperador n. 15, oflciaa .
de encadernacao : o offlcio^sal ve e ^versos ove- {g0Par0e?rec^nel G?.vto,'d?l!im^,^ ^a ,
na e salve de Nossa Senbora do Carmo, tres fo- K jd '7
Ihetos por 300 rs.,e a novena de SanfAnna por ^S^^Sf^^tJSZ!.^.
"___________________.__ zea; e como se desconna que eslea acolado,
Farelo a 4*J protestase proceder contra qaem o tiver aeosMc,
Vende-se farelo novo, saccas com 90 libra?, peto e pede-se a qaem delle der noticia oa o aearrar,
barato preco de 45 : ra da Madre de Dos na-. que din jarse a sebredia casa, ou a roa do Grama
meros 6 e 9: 1 n. 13, que ser recompensado.





f
Diario de fcrnanabnco Quarla felra de Agosto de i 5.
PRUDENCIA
ESTA0S-17XI109
Processo dos assaslnos de Lia-
cola e*eward.
COSELHO DE QUEABA Ea WASHINGTON
(Coutiouago)
Andancia de 30 de uta o.
O objerlo mais Importante tiesta sesso fui a de-
moli do conflicto que houve entre o navio K
ge e o navio Alabama.
rlarago l'eila pela defeza da interveticao em que
eslava de provar, que Azteroih nunca gozou de \^mslove\ Cl"mandame do fearsafl, e Mr* Wel
pleuitude das suas [acuidades iutelleduaes.
nar t at que ponto o direito internacional permit-
j le que o reconheciment do direito de asylo por
Este incidente deu lugar a uina correspondenci ama Pol,!OC'a neutra, proteja inimigos que aba-
entre Mr. Adams, ministro dos Estados-Unidos, e sara desse direilo com o proposito de melhor pre-
lord Russell, ministro dos negocios estrangeiros da l"*0** Povo de uma Potencia amiga.
Inglaterra; Mr. Lancaster, proprielario do Der- Mr- Adams declara, porm, que nao ha autori-
hound, que salvou orna parte da equipagem do dade para Prolongar esta controversia, e qoe, co-
Alabama ; e finalmente entre Icrd Lyons, emba- mo lord , xador brilannico em Washington, o lord Russell. na desej0 d5S0-
Esla ultima parte da correspondencia compre-
Iwode as missivas que se Irocaram entre o capitao [
-o-'S^*'
l'ara o conseguir citou para teslemunhas paren-
tes e amigos doaccusado, que residem a militares
de leguas dos Estados-Unidos, e que por conse-
guate, anida nao tinham (hegado.
Depois de dons depoimenlos importantes, o de
C. \V. e F. Amold, irmiot do accusado do mes-
mo appe lido, foi chamado Mr. John Ford, pro-
l rietario do thealro, onde Mr. Lincoln foi assassi-
iiado.
O defecsor Ewing perguuuu-lho se Bootli llie
pedio algiima vez para enipregar o actor Chester
de Nova-York.
O ministerio publico oppoz-se a e.-la pergunta,
por .-er corto que Boulli nao liona pessoa alguma
\\) thealro qoe o ajudasse. O conselho deferio a
esta promoco.
l-'oram depois inlerngados uiuilos cmpregados
do heatro, os quaes contaraiu os lacio.- ja c.ouhe-
cidos relativos ao salto e a faga de Uoolh pela sce-
Dd. Os seas depuimentos tendcm do certo modo a
desculpar Spangler de toda a conivencia com o
assassino.
Mr. Best, director do llieatro Grover, disse :
que Booth veio procura-lo na vespera do assassi-
oalo para Ihe pergunlar se era verdade que o pre-
sidente tinha promellido assistir a represenlagao do
li.i seguinte, que a testemunha llie respondeu que
liavii dirigido uto convite a madama Linelo, e
quo e.-perava que ella assisiisse com seu mande
Jila representado ; que "ostume ter uma passa-
gem desembarazada na sceua, ao la Jo e por delr.z
ilo acenaria, e que estas ciicumstaneias nao pedia
u; ;:n opiniao culpar Spangler.
Muilas i ompanheiros de Spangler depozeram so-
bro os actos e gestos delle no lempo da represen-
tacjto de 14 de abril, esteve sempre no sen posto, e
en cousa alguma moslrou que tivesse conhecimen-
lo do plano de Booth.
Mr. Davis disse : que cinheceu Harold desde
cranla, e sempre o considorou fallo da intelligen-
cia ordinaria das pessoas da sua idade e sem ener-
ga alguma.
u Ibesooreiro do theatro, E. Harry Clay Ford,
diste : que nao alugou os carcoretes de bocea, nem
OS frontiros ao de Mr. Lincoln; que assistio ar-
macao do camarote do presideute, e nao teve co-
Qbecimeoto que se lirassem as fechadnras, que
ti risse iim baraco na almofada da porta ou que
se preparas*3 una travessa para a trancar.
O ensaidor disse o mesino.
As 10 horas o eooselho fechou aodiencia.
Tola a curiusidade publica se limita ao resulta-
do lioal. As uroiiictn'das rovelaces importantes e
as omplicages do crime com muilas outras pes-
i- alm dos aecusados, desvaneceram-se comple-
la mele.
secretario dos Estados Unidos, e outras pes-
soas.
O o. i desles documentos
Adams, em quo transmute
reatorio do capito Winsiow, relativo ao conflicto, |
a lisia dos tripulantes recebidos pelo Der-
FUNDADOR DA
com
hound.
Como elle se defende ? Ouvi-o :
| meiro que foi perseguidor.
Quando se
i elle, eu o
Coofessa pri-
Trouxestes-oos benefleos que excedem a todo o dado que ha na faclidade de concedererase ordens E's injusta ponilo ti me ese.
qoe se pode imaginar. a mogos, que nao provaram a soa vocacao em se- i Na lista dos iograioTT
Sim, nos veneramos todos os lugares que recebe- minarios bem regularisados. Ea quizara ir amar-te, miaba bella -
ram o signal dos vossos passos I beljamos com Mocos, que sem o rainimo conhecimento do sa" Mas nao leaho sapaiot.
amor e com reconheciment todas as pedras que cerdocio, sera a convicio, sem o estado da reii- .
encobrem vossas reliquias I gio que dizem professar, ahi vio por esse mondo
Assim fundada, a igreja gosa de todos os carac- arroatando a pureza do dogma, e ridicularisando
/
O povo brasileiro i eatholieo e bastante eaoheaV
e de todas as" propiedades "que ella deve COra seu proceder e sua iguorancia a-sobilme c. e nao poucas vetes lem dado musirs, qoaado
classe a que pertencem. | *e 'he oflVrece occasiio asada.
Mocos, que por nao servirem para nada, por nao
rior, isto na f, na esperaoca, na caridade.
Esta igreja, ou esta sociedade, cuja forga de es-
pansao infinita, franqueada a lodos os horneas
sem excepgo; o judeu, o grego, o romano, o bar.
baro, o sabio, o ignorante, o rico, o pobre, o re, o
servo, o velho prestes a morrer, como o menino
que acaba de nascer, lodos podem fazer parte
della.
Todas as geragoes que ho de vir ahi terao seu
fazia morrer os chrislos, disse lugar.
beligerantes.
Os nmeros
resse.
3, 4, o e 6 nao teem grande inte-
Le se n > Cruzeiro do Brasil o seguinte :
JESS CIIIUSTO GODSIDEIUDO COMO
IGREJA.
IV
urna caria de Mr.! Para logo s. Paulo tornou se o objecto dos furo-
res e das vingangas da seita que elle abandonou.
Arrastaio as prisSes conduzido perante os
inbuoaes de sua nago, e os tribunaes estran-
geiros.
N nota n. 2, justiflea lord Russell Mr. Lancas
ler, por haver salvado, os ofllciaes e marinheiros
do Alabama, e declara que Ibe nao parece que
uma potencia neulra tenha obrigagao de fazer pri-1
sioneiros de guerra por coula de uma das partes | e"e' eu consenta por minha vontade ; muitas Os servos inteligentes que descobrlrdes i
vezes mesrao preteudi constrange-los a blasphemar mundos ainda desconhecidos sero ahi igualmente
a forga do tormentos. Transportado de raiva con- admett.dos
contra elles. persegui-os at as cidades estran- j A philosophia, verdad,, ensina-nos cora m
lido por Mr. Lancaster a lord John | Pas;a def)0s aj ciicumsuncas exlraordlnarjas 'ande W10 de palavras, que todos os hornees sao
da sua conversao; refere o que elle vio, o que
Deus Ihe disse. E dirigindo-se ao juiz que Ihe lan-
gava em rosto que aelirava, exclama :
Eu nao deliro, excellentissirao Festus. O rei
est bem informado de ludo isto, e eu fallo diante
delle com lauto mais confianga, quanto sei que elle
nao ignora nada do que digo, porque nao sao cou-
sas passadas em segredo. Re Agrippa, nao acre-
ditis as prophecias ? Eu sei que acreditis.
O principe assustado por esta linguagem Ihe
responde :
Pctuco faltou que me nao persuadisseis de ser
chrislao. (I)
Elle nao o loma pois por ura impostor I
Elle v ne^te homem o apostlo da verdade I
Sabe que o inhumano adepto do pharissmo.
despindo seu carcter, renunciando de repente os
seus prejuizos os mais enraizados, foi movido por
uma causa que no.poderia vir do erro.
Quera oo v nestas palavras que irnos citar o
numero, o genero, a grandeza, a durago dos tra-
0 n. i I, de lord Russell, promette uma resposta I t,alll5"> das provas, dos soffriraentos do personagem
teres
ter.
Ella ura lodo homogneo e perfeito. M0C0S> 1ue Pr "ao srvirem para nada, por nao l Appellar, pois, para
Tem um corpo e urna alma; um corpo que a lere,n lalent0 ou fortuna, suas ramillas, com ex- circumsiaocias riitieat pedir-se-lbe ama'esmofa
unio exterior dos Qai pela bierarebia e pelos Sa- "PS8". os encainiuham para o sacerdocio como, para educago de Brasileros qoe ic cramentos; uma alma que consiste no lao exie- um refugio, para o estado ecclesiastico como um estado ecclesia-iii
no, para a aeqoisigo de bow sa-
cerdotes e ptimos parochos, nao sert
vida ama idea infroctirera.
Provas temos cabaes, que nos vem coBvearer do
Russell. Combate as allegagoes de cumpheidade e
de allianga entre o navio cruzador e o Dtrhound,
produtida? por Mr. Adams, e pelo capito Wins
iow. Declara que teria praticado a mesma cousa
a respeiio da equipagem do Keartage em circums-
taucias Idnticas, e que alm disso tinha autorisa-
gao do capitao do Kearsage para salvar o capitao
Semnies (do Alabama) e outros.
O n. 8 a narrago ofllcial de lord Lyons, rela-
tivamente a destruigao do ALibama.
O n. 10 uma carta de Mr. Adams a lord Rus-
sell, que suscita a queslao de saber se a gente re-
^ cebida a bordo do eerhound nao era legalmente
prisioneiros de guerra do Kearsage, e se nao de-
viam ser entregues como tal. tosiste depois no
faci de ler o Alabama sido construido, armado e
equipado n'um porto de Inglaterra. Pede com ins-
tancia ao governo brilannico que to.no medidas ef-
licazes para impedir o armamento de qualquer no-
va expedigao destinada a largar das costas de Io-
Slaterra para guerrear comra os Estados-Unidos.
irmaos, que todos os povos nao devem formar seno
uma mesma familia.
Porm na poca em que nao existia privilegios
e liberdade seno para um pequeo numero de
felizes, o que devia a philosophia?
Nos o sabemos.
meio de vida.
E porque T
Porque no Brasil, com poucas excepgoes, nao ha
seminarlos, em grande parte por culpa dos blspos que dizemos.
que temos, que nao esmirilham, qoe nao compene-; E os seminarios, e as casas de caridade ftidi
irados do terrivel onus que pesa sobre os seus hora- das pelos amigos prelados do Rio de Janeiro *
bros, nada tem feito, nada tem envidado para da- Marianna, e pelos bispos do Ceara' e Paulo '
rem ao clero o lugar, que de direito Ihe compete ainda comprovar esla vsrdade
no mundo e na sociedade. Foi assim que o pispado fraacet
A tolo aquello que bem estudar estas questoes rara sua classe.
manifest, que do seminario d'onde parle a re- Abrindo intrnalos eratoilos
generaco do clero.
Trabalhe-se, lute-se, sejam postos em pratica to-
dos os m ios possiveis para se regenerar o sacer-
aodememe-
bre
para
o-
0 eooselho moslra-se passivo e dcil, so Mr.
Bol anee ser umio>trumeuto de Sianlon.
Os a IvogaJos uao revelam grande inleresse pe-
11- seus clientes, parecera mais assalariados do
mioislerio da guerra do que defensores dos aecu-
tados. Ouvi'in com a maior iiidill^rengaas opposi-
giJes do ministerio publico, as veies de pura chi-
c ana, licam impassiveis vendo fazer s teslemu-
nhas pergunlas eslranhas a causa, com o proposito
de excitar o odio contra o> tu, e nem urna palav
>; i Ibes occorre contra a immoralidadee reconhe-
.ida m f de algumas lesleniuuias.
A discus.-ao tem corrido fria. Um soldado da
guarda dos acensad >s disse : que pensava que um
prompia nota de Mr. Adams.
Esta resposta encontrase no n. 12, daiado de
2i de setembro de 1864.
Diz o ministro inglez que nao tem tmgao de re-
prodiizir os argumentos ja empregadus a respeito
da gente do Alabama, salva do naufragio pelo pro-
prielario do eerhound, e desembarcada em Sou-
ihamptoo. Que Ihe bastara expr as concluyes a
que chegou o governo da rainha, e que differem
das do governo americano.
E' verdade que o Alabama foi era parte equipa-
do n'um porto inglez. Mas logo que se moslrou
que o faci violava um estatuto do pa.z, deram se
ordens para aprehender aquelle navio. Todava,
este, apesar da sua equipagem iucompleta, pie
sabir das aguas britannicas a pretexto de urna via-
gem de experiencia. O seu equipamento foi dopois
completado n'ura porto estrangeiro. 0.governo
julgou nao dever entregar ao capitao do Kearsage,
os ofliciaes e marinheiros salvos no mar. Tam-
bem nao v, na sua qualidade de neutro, a menor
obrigagao, debaixo do poni de vista internacio-
nal ; de entregar a um belligerante uns prisionei-
ros de guerra que escaparam ao naufragio, e que
foram recebidos em virtude das leis de hospitali-
dade. No ponto de relo, o governo iuglez nao
tem direito legal de proceder a essa entrega, por
isso que os refugiados nao coinmellerara a menor
violago das leis do paiz, nem dos tratados que li-
gam a Inglaterra com os Estados-Unidos.
O ministro defeade-se, depois de haverem as
autoridades inglezas fornecldo dinheiro. munigoes
extraordinario de que se trata ?
Cadeias, alflicgoes rae esto preparadas ; mas
eu nao temo nada disto... Basta que eu termine
meus dias com prazer e que preeocba o ministerio
que recebi do Senhor, que pregar o evangelho da
graga de Deus (2). Recebi dos judeos, por cinco
dillerentes vezes, trala e nove agoites. Fui casti-
gado com varas por tres vezes, fui apedrejado
urna vez. naufrague* tres vezes, passei um da e
uma noite no fundo do mar. Fiz immenras via-
gens, curn diversos perigos sobre os rios, perigos
da parte daqnelies de miuha nago, perigos da
parle dos gentos, perigos no meio das cidades, pe-
rigos no meio dos dsenos, perigos sobre o mar,
Se ella raudou de lingnagem, se ella attribuio
gloria e merecimento no amar os homens, nao foi
senao depois que a restauragao de todas as cousas
por Jess Christo fez luzir seus olhos verdades
que ignorava completamente ?
A igreja essencal e perpetuamente visvel.
Ella nos representado nos livros santos, como
a casa do Senbor levantada cima das collinas, na
qual todas as nagoes se devera reuolr; como uma
montaoha que se mostra toda a trra; como
uma cidade que, sendo cotlocada sobre o alto, nao
seocculla; como um iribunai supremo cujos juizos
sao irrefragaveis, como uma assembla onde exis-
tem doutores, um rebauho confiado solicitude
dos bispos.
Todas as figuras de que os padres se servem
para exprimir o que a igreja, fazera resallar o seu
carcter a visibihdade; ella fundada sobre a
pedra, mo pode por consequencia ser abalada nem
pelos venios, nem pelas tempestades.
E' uma luz mais brilhante do que o sol, urna luz
que se espaltia eomo um rio do oriente ao occiden-
te; a arvore da vida, a arca da salvagof a
eclumoa de fogo que exclarece e proieue o povo v
uraa mi que prodigalisa aos seus lhos a nulrigao
a mais preciosa: uma belleza sem comparagao ;
uma flor desabrochada ao sopro do Deus, e cujos
doces perfumes embalsamam a ierra.
E de mais, como nao reconhecer que a visibili-
insmuando-lhes a virtode desde a mats tea-
ra idade ; estudando os seos hablo*, m m >*.
dos, o sen lalenlo e as suas inrlinagdes ; bw>raa*>
dote, ludo baldado se primeiro nao forem rerar-1 reformar aquellas qoe eram u.-ceptiveis de refor-
mados os seminarios, donde devem sahir os sacer-1 n,as' e melhorando Ihes o genio, miraran a* *-
dotes, os parochos, os confessores, os bispos e os! cerdocio esses mogos qoe asnm educados i casta
l"l'a-- d0 I-ovo- =c roosiravam pelo lempo adiaate as
E que seminarios temos nos, a' excepgo de ura ; ecclesiasticos e verdadeiros apostlos da refcfiao
ou oulro, como sabemos, nesle ou naquello bis- Que professavam.
perigos entre os falsos irmaos. Hei soUrido toda a dade perpetua, indefectivel, entra essencialmente
cumo uma parte integrante na constitoigao da
processo era uma balalha em ponto pequeo, mas !ou subsidios singulares equipagem do Alabama
para a habilitar a entregarse de novo eperagoes
hostis contra os Estados-Unidos. Se isto tivesse
lugar, nao teria sido seno como simples particu-
lares. Alm di so, o governo inglez tornou todas
as medidas ao seu alcan.ee para impedir que se
equipasseui navios nos seus portes com um lim
hostil.
O embargo e apprehensao do navio couracado
Birkenltcad, e as discussoes que a este respeito
houve no parlamento, bastam para demonstrar a
verdade desle facto. Em todo o caso, diz termi-
nando lord Russello governo neutro inglez con-
seguiu mais impedir os armamentos contra os Es-
lados-Unidos, do que o governo desses estados con-
I seguiu prevenir os armamentos das repblicas da
America meridional contra a Hspanha, que tam-
bem tinha direito de reclamar a sua neulralidade.
A 27 de setembro, aecusando Mr. Adams a re-
cepgo deste despacho, annuncia que, em presen-
ga da grande divergencia que exisle entre a opi-
niao do governo da Gra-Bretanha e a do governo
dos Eslados-Umdos, na queslao do Alabama, pedi-
r novas instruegoes ao gabinete de Washington.
Tendo Mr. Adams recebido essas instrucgSes,
aonunciou a lord Russell, em data de 10 de no-
vembro, que o seu governo, nao obstante as ex-
plicagoes do gabinete de S. James, persista na
sua opimas relativamente as diversas phases do
negocio, e disse que tinha ordem de maulestar o
sentimeuto que experimentara o presidente, vendo
malogrados os esforgos empregados para evitar
uma desintelligeneia entre os dous paizes n'um
pooto que o povo americano afectar seriamente a
honra e a dignidade da nago.
Lord Russell, n'outro despacho de 29 de novem-
bro, mantera as suas precedentes concluses, a
saber :
.greja ?
que em vista do que tinha presenciado divirtia tan-
to como um enterro.
Audiencia de i Muitas te.-temunhas depozeram que Spangler es-
Uvera hospedado em Washington um dia ou dous
dppoi's do assassinalo.
Thomaz J Reyuol, einpregadu no theatro Ford,
declarou : que lo dias pouco mais ou menos, an-
tes do assaiuato, Bo.'t eslava no camarote n. 7, ao
lado daqueile onde o presidente foi depois mono ;
que no dia 7 de marco a testemunha nao encon-
trando a Chave do camarote n 7 arrombou a porta
para dar enlrada a uma familia.
Dous empregados do thealro examinaram a cor
da encontrada no sacco de noite de Spangler, asse-
melbava-se as que se usavan ordinariamente no
theatro, nao podendo declarar se era exactamente
a mesma.
W. Smith vio Booth atravessar a scena depois do
assassinato.
L. Carland vio Spangler atraz do scenario de-
pois da fuga do assassino, e o aecusado pondo-lhe
a mo na bocea, Ihe disse : t Deve saber quem
era, talvez BjoUi. Declarou tambem : que o as-
sassino vioha muitas vezts ao theatro e tinha re
Jagoes intimas com os empregados, sendo fcil em
relacionarse com as poss&as que enconlrava ; que
Spangler dorma quasi sempre no theatro, mas nao
foi visto l na noite do assassinato.
A respeito de Azlerolh, o Dr. Carlos Nichols, di-
rector do hospital dos doudos, descreveu os syrop-
tomas da demencia, declarando que esta enfermi-
dade se tinha propagado consideravelmente no paiz
desde o principio da guerra, o que se altribue s
(taigas da vida de soldado, a que nao estavam ha-
bituados os que nella entravam.
lilas outras teslemunhas depozeram sobre os
artos e gestos de Spangler na noite do assassinato
sobre as refag5es deste com Booth, sobre a demen-
cia de Azterolh, e sobre a residencia de Payne em
Washington.
Os depoimentos mais importantes foram os das
teslemunhas produzidas para provar a pouca raorc-
lidade c o habito de embriaguez de algumas tesle-
munhas de accasago. Mr. James Lonby declarou
que Lloyd eslava completamente embriagado quan-
do esteve na sexta-feira de Paixao em Surratts-
Tille.
(Continuar-se-lui.)
sorle de iraballios e de fadigas, frecuentes vigilias,
a fome, a sede, muitos jejuns, o fri e a nudez,
Alm desles males exteriores, estou todos os dias Gom afeito, ha na igreja. homens que ens
accumulado de trabamos, e .orno o cuidado dlo- que oavem, e homens que sao ensinados ha por
das as igrejas. Quem e fraco que eu nao esteja toda a parte e em cada tostante na igreja actos
com elle I Quem esla escanda!isado sem que eu o que formara urna, cadea nao interromda.
abrace r Deus, que o pai de Nosso Senhor Jess! tv, lnH.,s a .. ., ; .
Chnsto, que abengoado em lodos os seculos, sabe J* J, "J" Clar',udo ,s, Dao v,sel
que eu nao minio (3). 0!B a "" d0 dw 7
Um tal proceder no meio de tantas provas,! Fudando a igreja no seio da qual sao chamados
laes accoes encaradas, qur nos senlimeutos que todos os povos, o fra da qual naaha salvago.
as inspirara, qur as difflcuidades q,ue a encou-, Jess Chrtsto deixa a esta igreja o raeio natuial e
tram, qur ualmente nos resultados que produ-; nesessano que a deve vivificar, conservar, parpe-
zem, nao podem couvir seno a ura hroe de or- ; tua-la al o fim dos lempos, o meio sem o qual a
dem sobrenatural ; ellas nao se explicam senao \ 'greja seria confundida cem todas as aellas, e por
por causas sobrehumanas; tornam-se as provas isso mesrao parecera logo- este meio^ a auorida-
peremptorias da divindade do christianismcv Aqui, de divina, queremos dizer uma autoridade lafalivel
nao um phtlosopho, nao um moralista que, de direito e de Tacto,
mergu.had, as doguras da vida, compoe um ro-1 Ern toda socedad m mo &
manee, e se l.songe.a em arrebatar pelos senhos da I loruade dom ^ .J '
.m ginagao, e um apostlo que se raz o instrumen- nao ^ / d,oulra sorte J e
lo da graga, e que refere d um modo arrebatador o dade seria ^JJ nada flcaria em
que a graga operou nelle, e por elie para o trium- b- ,.' ...
Pho no Evanelho. Q faCt' C tSle faCt 00QS,,lue u,na lei
pado ?
Que casa onde se eduque o clero, como convra
ser educado?
Padres conheceraos nos qge Ignorara os elemen-
tos mais preliminares a theologia, e no entanto
que frequeniaram por longo lempo essas casas
educadoras, que se chamam seminarios.
Se o veneravel Barlnolomeu dos Marlyres exis-
lisse hoje, se elle por ventura pisasse Ierra brasi-
lera, lalvez que rererisse a alguns prelados o que
ento dissera aos cardeaes reunidos no CracKio as
Trente
E" tambem sobre elles qoe pesa esta gravissima
responsabihdade, esle abatimento em que se acha
o clero, esle pouco caso com que somos tratados.
O mal vem de traz.
Os nossos bispos, pela maior parte, lera como
que se deixado desta to impe rante creago, por
que encontram dittieuldades nos governos, que os
nao ajudam eom meios pecuniarios para a looda-
go de taes casas.
Mas, sera' por ventura isto um motivo bas-
tante ?
Sera' isto uma razao para que se deixe uma dio-
cese entregue ao abandone, quando o povo l3
catholicorquando sua piedade esta' sempre prorop-
ta a contribuir com o seu bolo para o culto, para
Foi assim qoe esse clero se loraoa i
mais respeitaveis corporaedes da Franca,
buindo em pouco tempo e poderosamente eom servigos de toda a sorte, para illuirar a patria de
Bossuel e Fenelon.
Porque nao se raz o mesmo entre aos ?
Porque nao se vai por ataal eoHego, por estes
pardieiros procurarse meninos poros e Ulenioa^
a quera a falla de fortuna Ibes veda a carreara das
ledras 1
Se os homens a quem isto compele por em ara-
tica se lerabrassem do que foi s. Gregario TU,
Xisto V, Luiz de Granada e Boaeic XIV, fea
muito que imam praticado estes me*m> mam,
postes em acgo pelos Berullet, Francisco a ilii'i
e Vicente de Paulo.
Se no Brasil houvesse intrnalos ecelestastfcoa
para os meninos pobre*; se o povo livess
conviego de que se tratava de dotar o pai
sacerdotes illuslrados e cbeos de telo ; elle serna
primeiro a contribuir eiBentaneameMe com o sea
bolo, como ouw'ora o fez para o aatigo lomiaiiw
de S. Joaqu.m desta corte, e o proprio goeeraa
nacao nao se esquivara de prestar aatHio a aira
to justa, ajudado pelas assemblas provinriaat,
como actualmente fazera aos seminarias as Ma-'
rianna. .
Haja, pois, f e constancia ; Irale-se

Na opiniao de Santo Agostinho, S. Paulo foi o
autor que escreveu com mais exteoso, mais pro-
ruudeza e mais luz.
Gom effeito, nada Ihe eslranho : elle v tudo,
abraca ludo, os mysterios, a moral, a disciplina, a
philosophia, a poltica, as leis.
Elle poe com uma autoridade irresislivel, o*
necessana.
Mas, na auloridade da igreja, ha ainda e sobre-
todo o privilegio da infalibllidade que descaaga
sobre a promessa formal de Jess Christo.
E' por isso que, desde que esta autoridade falla
mister que s decisoes que ella d, o individuo
submetla nao smente seus actos, mas ainda suas
principios que devera servir de base ao novo edi- i "^ inU,na8> SeUS ***** Suas crenas'
finio ; d em germeas todas as grandes deraons-1 <-*ra' esta autoridade assim definida, conserva e
Iragoes por meio das quaes os padres vo fulminar | Perpetua a igreja da raaneira seguinte :
cultos
dade.
e para logo esses mesmos que aos oltum eom es-
preto, que nos amesquioham perante o i
sero os primeiros qoe nos prasiaro
dando-nos seus lilhos para serena aosax
oheiros ua milicia do Senhor, imilaado ata |
as mais celebres familias da Franra, a AUetma-
nha, da Inglaterra, da tlespanha e da
as necesidades da religiao ?
Quem protegeu a Franca no tempo de S. Vicente Ivl" do ""elboramento de noss eiasse
de Paula e de S. Francisco de Salles? )se ,do os meios P"" opreenehimeato dese
Quem protegeu em lempos remotos a tantos pre-' dera,u'n i d-sj ao clero o logar qoe Ja-
lados nossos, os quaes fundaram seminarios, reco-1(,ue Pr eus lne oi "^do no sdiSco da
Ihimentcee casas de educagaof
Quem em nossos dias auxllioa o veneraud his-
po de S. iauJo, D. Antonio Joaqaim de MeHo, nes-
sa grandiosa obra com que dotou o sea bis-
pado?
Haja voalade e f, que tudo eooseguiremos.
Quand vimos os missionarios capuchinhos er-
guerem igrejas dispendiosas ,feem um ceilti do es-
tado, no interior dos nossos senoes, obras raages-
tosas levadas a effeito nicamente com o dinheiro
do povo, nao podemos crer om s momento que a
piedade dos Brasileiros se tenha esgotado.
O concilio de Tremo bem claro neste ponto,
elle faz disto uma obrigagao aos bispos e uraa obri-
gagao grave.
N3o queremos porm com isto dizer que o go-
verno nao se ache obrigado a ajudar taes estabe-
lecimeutos, um dever sagrado que elle tem a
cumprir, nao s como protector nato da igreja, se-
no tambem pelos direltos que diz auferir do de-
cantado padroado, e anda mais pela compensago
dos dizimos recebidos.
Mas quando o governo pouco parece se importar
com a igreja, gen3n para vecha-la, e nem com o
:nnremento da religiao, uo eonvra que os bispos
morrer a' miogua a filha predilecta do
entre
devem
Eterno.
idolatras e estabelecer o reinado da ver-
1." distribue por lodos o pao da palavra, da dou-
trina revelada ;
i.' as controversias, ella determina o sentido
LITTBRATDA.
EM POLCO DE TTDO.
L-se no Jornal do Commercio de Lisboa o se-
guinte :
Por occas ao da guerra da America, tratou-se
Diffunde-se era lodos os ramos da theologia co-
mo uma seve podeosa que os far fructificar sem Que mister dar aolexio da sagrada escriptura, e
cessar; os grandes mestres da sciencia sagrada e i formula a verdade locante ao dogma, moral e'
da vida espiritual viro ahi recolher thesouros in- disciplina ;
extnguiveis. | 3. ella condemna como herticos e schismaticos
Nao foi meditando e devorando noite e dia as quelles que resistero aos seus juizos, equeseguem
obras primas de S. Paulo, que se formaran os mais suas 'deas particulares.
Ilustres defensores da f ? V
Nessas paginas immortaes que os doutores e os A igreja de Jess Chrslo nao tem smente em
apologistas lem, estudam e admirara ha desoilo sua natureza as propriedades escolhidas que aca-
seculos, que elevago I hamos de examinar, a saber : a visibilidade a
Que forca I ; perpetuidade, a autoridade ; ella possue, alm dis-
Que uocgo I so, signaes ou notas positivas, qae ihe pertencem
Que conhecimento do coragao humano, e sobre exclusivamente.
tudo que sublime e ardenle caridade I ,.. .c o5 .,_., .. ,. ., ,
_ '>,as notas sao a unidade, a cathohcidade, a
Como o discpulo da Synagoga pude reuolr e co- apostolicidade, a santidade.
ordenar em sua cabega, os elementos de ama dou
Transcrevemos do Bazar Volante o que segu :
AOS URA VOS DE RUCHtKLO.
Victoria, patria minha, sim, victoria I
Sao leus lilhos hroes mais esforgados
Que os illuslres varees etermsados
Na Jonia lyra do cantor da gloria.
A clara voz da tuba da Memoria.
Conta ao muudo o valor de leus soldados,
De Riachuelo os feitos sublimados
Que em lellras d'ouro imprime ufana a historia.
Eu vos saudo, filhos do Cruzeiro I
Honrastes vosso ninho e vossa gente ;
Qualquer de vos no esforgo foi primeiro.
A ti, bravo Amazonas, stridente I
Mereces, Parnaliyba, um poema inleiro;
Tereis ambos renome eternamente.
Tve lugar um triste aconierimento na Imaa fcr-
rea de Biikenhead a Londres
Sbrewsbury.
As 2 horas e 1/4 da larde om coataoio
duzia uus mil passageiros e qae era r
duas locomotivas desencarrilon.
O resultado deste aconlecimenlo foi
qaatorze pessoas e ficarem ferldat man de trala.
A' noite a estago de Peddingloa eslava
de grande multido de gente aaeiosa par
que era feito dos prenles ou amigos qoe
ido no comboio.
^ i ,i
O- nabo telegraphino qne devora Ngar a cesta
septentrional de Kugea <->*ta meridioaal ia Saa-
eia, e que pora' a Prussia em cor
directa com aquelle paiz, acaba de ser
gido.
Dentro de alguns dias sera' a aova liana tetegta '
phica facilitada ao servigo publico.
O Globe, de Londres, refere qoe uestes afaatw
dias for condemnado om bomem pelo tribaaal da
Maltn a dar uma fianga de 30 libras Mrrhaaa
para guardar paz comsigo mesmo doraate sen
mezes.
trina to magnifica, to cima de tudo a que o ge-
nio pode conceber 1
Como uma moral to santa, lo pura, to conve-
niente s necessidades da sociedade uuiversal, d-
l.-Que as leis municipaes da Gra-Bretanha A *i~
,.,... de ser ensinada por esse homem que punha todo o
A verdade uma, o Christo um ; logo a igreja,
expresso e lago da verdade, logo a igreja, chama-
da commumente casa ou cidade de Deus, Corpo de
Jess Christo, necessanamente uma.
O vigario de Jess Christo tendo recebido para
si e seus successores, o immenso poder de apascen-
AMOr DB BOHEMIO.
Mais c'est que je me tronve dans
une situaiion intolerable.
A. de Musset.-U secrel de Ja volt.
Minha cara Gizella, amargurado
Teus queixumes esculo ;
Tens razo, meo amor, porque ignoras
A onga com qne Inte.
Que sumisso levaste? > me pergunlas ;
De ti abandonada,
i Ha mez e meio nao le pooho a vista;
Tensoutra namorada?...
E quelraa meu retrato.
nao davara ao governo o menor direito ou autori-
dade para entregar aos Estados-Unidos o capito' "U?r.L 'da a fua g,or,a e'" perSegu,r os ^ as ovelhas e os cordeiros, fea coosequenlee
Semmes, os ofliciaes e equipagem do Alabama, \Lhrislaos T irresislivel esiabelecida no papado e pelo papado
que foram salvos polo capito do eerhound, quan- ^mo chegou a pralicar em si uma moral to iesla unidade.
do estavam a ponto de se atfogarera no mar, e i perfeita e terrivel para a natureza ? O que mister comprehender por esla unidade,
2--Que o direito das nagoes nao impSe ao go-'' Como 80ube fazer um Juslo discernimento' que a igreja constitue uma sociedade nica, com- Charoei-le. Por ventura, um nome feo ?...
veruo do Reino Unido, o dever de entregar aos 'das cousas ? I Plela'formada m diminuigo, sem addicgo, sem! Se me odeas, ingrato,
Estados-Unidos as pessoas da condigo do capito i Como nSo se >*scinou dos dons imminenles que transformago, de ludo quanto Jess Christo fez e 'fl0res' meas cabellos
Semmes e da dos seus ofliciaes, e mais gente da possue ? | ensinou, ou ordenou que se fitesse ou ensinasse al
equipagem que se refugiaram era Inglaterra. A todas estas pergunlas a resposta est em uma ia CODSU O ultimo despacho desta serie de Mr. Adaras,'' P*lavra : erande apostelo onvio a voz daquelie Todo aquelle, pois, que j em materia de r, j' Nao, meu anjo risonho, nao le assustes,
com data do 1 de dezembro de 1864. Dit nelle o qae sacrificou-se Pe'o GENERO HUMANO I no que concerne os Sacramentos e o mioisterlo,' Nao ha mulher no mundo
ministro dos Estados-Unidos que, no seu offlcio de Santos al,osl0103. vs que ceraentastes como!Quef menos que Jess Christo, mais que Jess, Que te possa roubar o meu affecto
10 de novembro, se absleve de discutir os pontos V08S0 san8"9 os fandamentos da igreja de Jess Christo, diversamente do que Jess Cbrlsto, este' E o meo amor profundo I
prlncipaes da nota de 26 de novembro, porque o Chri seu governo o tinha apenas encarregado de fazer tem resoado Por ,oda a ,erra cahims de joelho ao ----- ~-~ ,--------------- j J" 87 a'* 0
conhecer a conclusio a que tinha chegado, depois \ ^T^ Jg[ das Denas ^ | Se a atropeltda aggloraerago de estudos um Contemp.ando, entre' o Z\o cachimbo,
de haver maduramente aprec.ado aquella nota, e Pdec,do Pr ns" felicidade. : erro grave e prejudicalissimo para os novos sa- Teu retrato adorado
que esta circumstancia o impediu enlao de examt- i Civilisastes o mundo. cerdoles, nao o menos o pouco ou nenhum cui- .......................
Escrevem de Londres :
A escolha de Mr. Manning, amigo are
glicano de Weslminsler, e o melhor pregador ea-
tholieo que temos, agradoo a lodos.
O orgulho nacional satisfez se vendo ate mgiej
um verdadeiro inglez promovido a primeira digat-
dade do reino.
A muitos protestante* tambem conbe ujaal ara-
zer. O Dr. Manning deve ser sagrado
recebendo enlo o pallinm das maos c
pontfice.
Monsenhor Fahi Montani leo nllm
academia teberina uma disserlago sobre es ayat-
nos de Sanio Ambrosio.
Elle falln do mrito poetiee do Sanio Doattr
qual esludou por muito lempo os elauieos gregos a
latinos, tornndose grande conbecedor de taa M>
(eratura.
Santo Ambrosio inventen um novo genero eom-
posto de jambo* qnarlenarios, qoe foi
tado na igreja, e por antonomasia
ajanan.
i i i.i a %
Hoje a Italia bosca destronar a Gnltemberg, pea
aspira honra de ser a primeira qoe iaveatoa a
mprensa.
Um jornal diz, qne raui recntenteme te tata
Irarara em Peltre, Vneta, de qoe Gatteatbarg *-
nha sido precedido na applicagao aat rinctarta
movis por Panfilo Castaldi.
Os typographos do Milo empreneadena i ta-
blicago de uraa memoria, apoiada rm dniamiiaaa).
para reivindicar em favor de Panfilo CastaMi a ia-
vengo dos caraoteres movis, abrindo ama sata-
cripgo que se destinar a dlu pubiieaco a a erf-
gir um monumento ao inventor italiano.
/
PERNAMBUW).- TYP. DB M. F.Df T. A
i


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID ELBCHPOFV_CA4X93 INGEST_TIME 2013-08-27T21:05:16Z PACKAGE AA00011611_10732
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES