Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:10731


This item is only available as the following downloads:


Full Text
1*

I
\.
amo ui Tmebo m
Vor qoartel ptgt dentro de 10 (lias do i. mez ...::.. 3JQ00
dem depois dos 1.' 10 das do comecoe dentro do qnartel..." 61000
Porte ao copfeio por tres mezes .*..........: 750
Jtt\

TERCA FEIRA 1 DE AGOSTO DE 1865.
Por anno pago dentro de 10 das do 1. mez
Porte ao correio por nm anno.......
t
19S009
3|000
E.NCARREGAUOS DA SUBSCRIPTO DO NORTE
Parahyha, o $r. Antonio Al^xndrlno de Lima;
Natal, o Sr. Antonio Marques da Silva ; Araealy', o
Sr. A. de Lemos Braga; Gear, o Sr. J. Jos de
Oliveira Maranho, o Sr. Joaqun) Marques Ro-
drigos; Para, os Srs. Geraldo Antonio AI ves' &
Filiios; Amazonas, o Sr. Jeronymo da Costa.
EXCARREGAROS DA SBSCRIPCAO DO 8UL.
Alagoas, o Sr. Ciaudino Falco Uias; Bahia, o
Sr. Jos M.trlins Alves; Rio de Janeiro, e Sr. Jos
Ribeiro Gasparioho.
PARTIDA DOS ESTAFETAS.
Olinda, Cabo, Esnada e estacdes da via frrea at
Agoa Preta, todos os dias.
Iguarass e (ioyanna as segundas e sextas feiras.
Santo Anto, Grvala, Rezerros, Bonito, Caruar,
Altinho, Garanhuns, Buique, S. Bento, Bom
Conselho. Aguas Relias o Tacaratd, as tergas
feiras.
Pod'Alho, Nazareth, Lmoeiro, Brejo, Pesqueira
Ingazeira, Flores, Villa Bella, Cabrob, Roa Vis-
ta, Ouricury, Salgueito e Ex, as quarlas
feiras.
Serinhem, Rio Formoso.Tamaudar, l'na, Bar
reros, Agua Preta e Pimenteiras, as quintas
feiras.
AUDIENCIAS DOS TRIBUNAES DA CAPITAL.
Tribunal do commereio : segundas e quintas.
Relago : tercas e sbados s 10 horas.
Fazenda : quintas s 10 horas.
Juizo do commereio: segundas as 11 horas.
Dito de orphos: tercas e sextas s 10 horas.
Primeira vara do civel; tercas e sextas ao meio
dia.
Segunda vara do civel: quarlas e sabbadss a 1
hora da tard.
EPHEMERlUiiS DO MEZ DE AGOSTO.
7 La chela as 3 h., 9 m. e 34 s. da m
13 Quarto ming. as 7 b., 22 m. e 28 s. da t.
l La nova as 4 h., 57 m e 34 s. da m.
29 Quarto cresc. as 9 h., 29 m. e 46 s. da m.
DAS DA SEMANA.
31 Segunda. S. Ignacio de Lovola f. da ord. jes
1. Terca. Ss. F, Esperanca e Cartdade vv. rara.
2. Qutrta. S. Rotilio id.; S. Erodio m.
3. Quinta. Ss Gamaliel e Nicodemns mm.
4. Sexta. >. Tertuliano prest.; S. Agalio b. m.
5. Sabbado. S. Eiithiquio soldado m.; S. Sobel m
6. Domingo. S. Xisto p. m.; S. Agapito diac.
PREAMAR DE HOJE.
Primeira as 11 horas e 42 m. da manha.
Segunda as 12 hors e 6 minutos da tarde.
PARTIDA DOS VAPORES COSTEIROS.
Para o snl at Alagoas a 14 e 30; para o aorta
ata a Granja a 7 e 22 de cada mez; para Feraaa-
do nos dias 14 dos mezes de Janeiro, margo, maio,
julho, setembro e novembro.
ASSIGNA-SE
no Rerife, na livraria da praca da Independencia
ns. 6 e 8, dos propietarios Maooel Figueiroa de
Faria & Filho.
PARTE 9FFICIAL
Gtftuo m ?mm\k.
LE N. 641.
Antonio Borges Leal Casiello I raneo, presidente
da previocia de Permimbuco :
Fago saber a todos os seus habitantes, que a as
sembla legisjatida provincial sm proposU da ca-
ara municipal da villi de Salgjelro, decreta as
seguintes posturas :
CAPITULO I
Alinliainento, arrumamenlo e regularidade das edi-
/cardes.
Art. 1." Neuhum predio ser edificado, reedifi-
cad-) ou concertado nesta villa, tocrado-se-lhe ua
frente, sem que o fiscal d primeramente o raspee-
livq alinhamento que eustar 15 : os infractores
sero multados em 4.
Art. 2. Nennumprediocr edificado nesta villa
sem ter pelo menos 13 palmos de altura, contados
da soleira ao frechal do lelnado ; e sendo sobrarlo
al o pavimento do primeiro andar e outro tanU)
de um a outro pavimento ; os infractores pagarn
a multa de 105.
Art. 3. As purtas ta frente dos edificios que se
construirem ou reedificaren) nesia villa, tero 10
palmos de altura e as janellas 6 de altura e quatru
e meio de largura ; os infractores pagaro 65 de
multa.
Art. 4." Todos os predios desla villa tero cal-
gadas ou passeios de cinco palmos de largura pe)
menos; os infractores pagaran a inulta de 65-
Art. 5. Todos os predios desia villa tero as
suas frentes, assim corno os oil5es que derem para
os beccos, caiados de dous em dous aunos, soh pe-
ni ile 45 de multa, que sera paga por quum nelles
estiver morando.
Art. 6." Todos os propietarios e enqnilinos sao
obrigados remover todo o lixoe immudMias exis-
t ntes as frentes e quinlaes das casas em que mo-
raran para lugares distantes las ras da villa ; os
infractores sarao multados em 45.
Art. 7." Todos os moradores desta villa sao obri-
gados conservar limpas e varridas as frentes de
suas casas, sob pena de 15 de multa.
CAPITULO II
Escacaces e desempuchanunlo? dos lugares
piiblicos.
Art. 8 Ninguem poder abrir buracos a fazer
es.'avagoes as ras, beccos e traveseas desta villa,
nem to pouco obstruir os caminos e estradas pu-
blicas, sob pena de 105 de mulla e oito dias de
priso, e sern feitos os reparos precisos a cusa
de mesmo infractor.
Art. 9 Ninguem poder tapar nem desviar as
estradas publicas sem previa licenga da cmara ou
du Itaonl, se ella nao etivor reunir ; os infracto-
res soffrerao a multa de 105-
Art. 10. E' prohibido interrar-se as ras desta
villa paos para eslsleiros de carne ou amarrar-se
animaes ; os infractores soffrerao a multa de 25.
Art. 11. Todos Os proprielarios, rendeiros ou
administradores de qualquer terreno sao obrigados
rogar nos mezes de juuho agosto de cada anuo
as es'tradas e caminhos de suas propiedades por
onde houver transito publico, conservando a largu-
ra de 16 palmos -as estradas e oito nos caminhos ;
os infractores soffrerao a multa de 105 e a cmara
os far rogar a cu-la dos mesmos
TITILO 111
Amigues e matadonros.
Art. 12. Ninguem poder malar ado para con- j
sumo desta villa se nao no maiadonro municipal,
pa;ando a cmara 2; por cabt-ca ; os infractores
soffrerao a multa de 15.
. ArJ-43. E' prohibido matar e expr a venda re-
zes viajada-^ e cangadas ou allectadas de mal triste
ou tingui ; i>s infractores soffrerao a mulla de 105-
Art. 14 l-'ica prohibido matar gado no quadro
desla villa, lob pena de 35 de mulla.
Art. 18. .Isinguem poder vender no.- ac.ougues I
pobKcos e particulares desta villa, carne verde se
no dentro i las 24 horas depois de morta a rez ; os
infractores s olfrerao a multa de 5"
menos de seto palmos de altura, sob pena de nao
poder reclamar pelo dampo que soffrer.
Art. 28. O possuidor de gado conhecido como
roceiro ser q responsavel pelo prejuizo que o mes-
mo causar as rogas albeias.
TITULO VI
Objectos que incommodam e prejudicam un imMw.
exercito e facultativo do colonia militar de Pimen-
teiras, Dr.Joaquim da Silva Guimares, relativos ao
mezde jonho ultimo.
Dito ao mesmo.Restituo a V. S. os requerimen-
tos sobre que versan as suas informagoss de 24 do
corrente, sob n. S'" ^|u> aflm a t> man.i !>
gar sob minha responsabilidade, atienta a talla de
como Ihe compria, Das uesse caso nao devena t-r chia I
bufido com muitas autoridades administrativas, co-
mo fez. Os seus amigas escusavsm de sacrlflcar-se
porque, sendo elle mais frapco, apenas contariam
com os recursos propros e nada mais. As autori
aJoo cm iiHHitw fcireulos -f ,ram as nnmeiras in.
fluencias p3ra I,,,,,, -90s J2J5 P"
taes.
O club dos Martyres fe
bem Ihe cabe"*') nomT
chia luzllana e a sede do primeiro estabelecimento
dn paiz.
Vossos gloriosos ascendentes aqu se eternisa-
ramentre as lides da guerra e cuidadosa adminis-
trarlo da repblica, fundando urna forte monarchia,
qne ten na historia gravados memoraveis feitos c
dignos de serem invejados das naeoes mais pode-
r,,silsACJviJisadas do mundo.
Si! C!l.
Aceitar, m.!. nuirftx >...,.
poso os ardemos votos que este1,5pS.lu5?.1'
Art. 29. A' nineuom <= pcruliildo de dia ou de crdito, as vanlagens a que tiverem direilonienen-
ooo bcer pelas ras voserias o aiasidos ou dizer ; te-coronel reformado do exercito Joaqnhn Caetaoo
iialavras e fazer gest >s que offendam a moral pu i de Souza Cousseiro e o tenenle tambem reformado i ^gora) parrcia, figuradamente tallando, um hospi-' lo es
h ica, soh pena de 85 de mulla ou de seis
,insao, se nao poderem pagar a multa.
Art. 30. Ninguem poder transitar as
pguem as mesmas as.'ignaturas.)
S renissima senhora.O jubilo que se apode-
JJ>0 dos esludantes brasilciros da universidade de
Coimbra com a nocia da passagem de vosea alte-
desia villa correndo a cavallo, mas som
andares mod rados, sob pena de 25 de multa.
Uuico. Na mesma pena incorrer aquelle qne
passar cavallo entre o cruzeiro e a igreja desta
villa.
Art. 31. Pica prohibido darse tiros dentro desta
villa sem motivo justo ; os infractores soll'rerao a
mulla de 25.
Art. 32. Ninguem poder, sem consentiraenlo
de seu dono, prender qur em curraes, quer por
qualquer out"o modo, gado vaceum ou cavallar de
outrem. por mais de 2i horas, salvo se fr para
beneficiar o mesmo gado ; os infractores pagaro a
multa de 55
Art. 33. Ninguem poder tirar o couro de gados
alheios acliados morios, excepgo drs vaqoeiros;
os infratores solfrero a multa de 35'
Art. 34. Todo aquelle que der tiro ou eslocada
em gado alheio, jarretar, quebrar chifres ou cortar
orelha, sero multados em 105 alm da indemni-
sago do respectivo dono.
Art. 3o. Ninguem poder entrar em propriedade
alheia para cacar, corlar madeiras de construego,
nem lirar pedras sem licenga de seu dono, sob pe-
na de lOi de mu a e oito dias de priso na rein
eidencia.
Ari. 36. E' prohibido transitar pela propriedade
alheia, salvo se fr vaqueiro ; os infractores sof-
frerao a multa de 45, e na reincidencia quatro dias
de priso.
TITULO VII
Disposicdes geraes.
Art.-37. Todas as penas e multas comminadas
destas posturas sero duplicadas na reincidencia,
qoando nao esteja providenciado no respectivo ar-
tigo.
Art. 38. Ninguem poder estabelecer olaria ou
forno de fazer cal, sem previa licenga da cmara
municipal, e pela qual pagar 45 por urna s vez ;
os infractores solfrero a mulla de 85-
Art. 39. Fica prohibida a criago de gado sumo
dentro da villa, a nao ser em chiqueiros, e os que1
forem encontrados sollos sero apprehendidos e
postos em arrematacao, soffrendo os donos a mulla
dias do! Francisco de Paula S Peixoto, por terem servido tal de singue na noite do d.a 9 do corrente. Ape- ge ao reo pelas ossas felicidades d,-luda' Vira
o 1 de presidente e o *> de vgal no conselho de sar desla* derrotas parciaes, o govrrno anda con- perial familia lellciaa(les wda a Im
\i ras guerra, a que respondeu o voluntario da patria la 30 deputados, eleilos de mainria snbre a opposi- Coimhra 'i de iimh.i d- taifi
;nte em Geraldo Gomes. \ ;.o colligada. Poder gnvernar com marf., (SegS^ai menaStonaS.)
bem.
Dito ao mesmo.Transmiti por copia a V. S. Iraca?
para seu conhecimento e fim conveniente, a solugo Duvida-se, se se nao recompozer, mas
dada pelo Exm. Sr. ministro da fazenda em aviso | laso de que Wla tratando.
de 27 de junbo ultimo, acerca de um requerimento \ Fallava se hontem em que o visconde de Seabra ta imperi ap tal nr
do fallecido Dr. Ignacio Nery da Fonseca, relativa- (Antonio Ltnz de Seabra) celebre jurisconsulto, fo- dem e': tai vehemente que^"eilef 2 1 Vr a
mente ao alagado e mangues entre a ponte de Mo-1 ra convidado para acetar a pasta da jus.iga, e o ; rosos e enthu iasUsa Sff MTSmJEEL
toco omb e as extremas do sitio denominado l vsenle da Praia Grande de Macan, (Di loro Fran- olla de sua m ge-iade^ttral do S!
mumcipaes do Recita e Olinda.
Dito ao commandanle superior da guarda naci-1
nal do Recif.Declarando a junta de sadde em
seu parecer datado d- 26 do crranle, qne o gnar-j
da do Io batalho de artilharia deste municipio I
Basilio Luiz Codillo, necessita de 6 mezes paratra- i
lar de sua sade, resolv nesia data despen;a-lo:
por esso lempo do servlgo do destacamento para
que achava-86 designado: o que communico a |
V."
b'IIO -Itl I.
bem co-
O ex-min^trodVfazenda do gabinete Loul Avi- I SSSSZSEJPS&
., ,ror certo i|ue nao
" A< i i en,'on"'l>u lovo algtim, que mais deerracao se in-
lempo ern aples, regressando ha poneos annos
para Hespanha, onde Ihe foi entregue a ca de sea
P>ll.
O infante D. Sbasliao hornera de maita m-
traceno e um permito artista Toca diversos ,os-
trurnenios, lem gusto parlicolar pelas MI- arte?
e e um dos melhores ph.jtographos da Europa.
hsie elogio e feito por pessoa fila,
ir,. sua ZVSB hto^*-*_*
nhecido pelos seus Irabalhos photogravLntT
O infante D Sebastio recnsou-se mandar a ex-
posicrio de Berln qualro magnficos mtitm d<> ao-
lor celebre que sua alt-7,3 d grande aprero qu-
0 merece d<-s verdadeiros conhecedores das'belleza
da arle.
Basa recusa lisongeira para o R.rto, por que
sua alteza os mandar para a exnaaMhk, motivo
por que nao quiz que apparecessen, ,.', 0,',ira par.
te primeiro do que na galera de pinturas do pala-
cio de Cryslal porluense.
. Sua alteza vai offerecer a el-re o Sr. D. Loiz tii
lindo cavallo de flnssima rara h-spanh->la rica-
. nenie ajaezado, que iruuxe dn Hespanha para e,e
lun.
(Ce nli hm ar-teka.;
patria, temos
rao de Almeirim, nao
.JdZ' T conliecimeD, e xped'co das con-1 mas que no.jeto a menor signifie.aco poltica. Os, encomrado mais do que a instruegao, em todos os
venientes ordens. amigjs de Lobo d-Aviia (do chamado o grupo da ramrK ,tP conhoeimaniA i, ^...ir;
Dito ao mesmo.-Tendo a junta de sade deca- unan negr,) es.ao furiosa, e a.iirmnm que. .louve,: SBStS q re o q X u' tSSStS
do era seu parecer datado de 24 do corrente, que o do g^rnn, ou antes do ministerio do re>nn, re-' Ic?, balsar consolador de odas a saudade"
guarda do 6 batalhilo de infantaria deste munici- commendacs vehemet.ssnas para que 'a urna | Dignen.se pol voa alteza i moer ale seu
po Antonio Berlino Rodrigues de Moraes, necessita desse este resultado Se assim foi urna verdadei-; au ,ustl) l!()0?0' aco|h ^ cordV "
de 6 mezes para tratar de sua sade, resolv des- ra torpe excluir do parlamento ama lllusiracao feiiciac6-s de peitos tatenis e sinceros nueve
pensa-lo por esse tempo do servico de destacamen- incomeslava. e que o nao mereca. Costa a acredi- SPI,tem relices de andar no solo
lo para que eslava designado : o que communico tar que a derrota eleitoral desie estadista tivesse
a V. S. para expedigo das convenientes ordens. i lo ignohil causa.
Ditoao commandanle superior da guarda naci-: Deve-se antes aitribnir ao dinlieiro de qne dis-
poz o seu onipetidor em grande escala. A i-orrup-
DIARIO DE PERNAMBUCO.
nal de Olinda.Expega V. S. as suas ordens para
que os offlelaes do batalho n. 9 de infautaria da cao, amigo* redactores, vai de faz em fr\ I)
guarda nacional de Ulinda, que tem de destacar eleitores vfnaes regorgitaVam
para Fernando, estejam neta capital no dia 4 de sfl ^halinava o voto em mnitos circuios.
tual que regula os actos eleitoraes nao serve
ninguem. E' preciso levantar o censo, e nao por
merc da maltrapilhos qoe se deixam enfeirar
agosto prximo, afim de ijue possa o commandanle
das armas passar revista a essa forga.Communi
cou-se ao brigadeiro commandante das arma=.
Dito ao mesmo.Espega V. S. s suas ordens
para que o commandanle do batalho n. 10 de in-
famara do municipio de [gnarass faga destacar
na fortaleza de Itamarac um cabo de esquadra
alm das tres pragas do mesmo batalho que ali
existem.
Dito ao commandanle superior da guarda naci- vorida das satqrnaes da urna,
nal de Goyanna.Mande V. S. postar em frente da Tres befos notareis aprsenla
como vis escravos, a sorlo do paiz. Todos confes-
sam, e dentro em pouco, porque isto vai de mal a
pelor, so os argentarlos podero ter assento em cor-
tes. Nao nos iragam para exemplo a Inglaterra,
que por l, no lirtiMe cantas, anda ha InstltoigSes
onde se obrlgue a moralidade, quando foge espa-
esta eleico. A
de 15 por cada um." igreja de Nossa Senhora do Rosario dessa cidade derrota da familia Lobo d'Avila, o perdimento da
Art 40. Todos aquellesque cnarem porcos nes-: no da 30 do corrente, as 10 horas da manhSa urna eleigjo do nico minisiro qn nao tem voto na ca-
le municipio Acara responsaveis pelos prejulzos foarda de honra para assistir aos actos da festa de mart-datj>ares, o a exclosao de horneas eminentes
que estes cuisarem. a. Benedicto, que tem de celebrar-se na mesma do partido da opposic3>. Mnitos dos notaveis da fo-
Art. 41. Ficam revogadas as disposigoes em con-
trario.
Mando, porlanto, a todas autoridades a quem o
conhecimento e execuco da presente resoluco
pertencerque a cumpram e facam cumprir to in-
leiramenle como nella se conti
groja.
Dito ao director das obras militares.Recom-
mendo a V. S. que mande com urgencia, nao s
azer os concertos de qne necessita o telhado da valh>. Antonio Augusto Teixeira
casa de residencia do commandanle do forte do I etc., etc., etc.
Buraco, mas tambem reparar os estragos causados: goverao, como Ihe disse tem mainria, mas nes-
O secretario do goveruo desta provincia a faga na mesma casa pelas cnuvas. sa maioria t-ra os snlicientes elementos parla-
imprimir, publicar e correr. Dito ao director do arsenal de guerra.A vista | mentares para os debates? Que far o gabinete,
Palacio do governo de Pernambuco, 3 de junbo da sua informaco n. 336 de hontem, autoriso V. S. J' raembros physicamente mesmo e de 186o, 44" da independencia e do imperio.
L. S.
Antonio Borges Leal Caslello-Branco.
Sellada e publica nesta secretaria do governo
de Pernambuco, aos 3 dejunho de 186o.
O secretario,
Dr. Francisco de Paula Salles.
Registrada a fls... do liv. 7 de leis provinciaes.
Secretaria do governo de Pernambuco, 3 de junbo
de 1865.
O escripturario da 4" seccao,
Theodoro Jos Tavares.
a mandar eliminar da companhia de aprendiz' ,
visto acbar-se incapaz do servigo, o menor Marco-
lino dos Santos Pereira, que deve ser entregue a
respectiva mi Bernarda Maria do Espirito
Santo.
Dito ao major Alexandre Augusto de Frias Vil-
lar.Faca V. S. recolher a enfermara militar
permanente, como propoz a junta de sade no sen
parecer de 21 do corrente, afim de ser observada
a molestia que allegou em su requerimento o
Expediente do dia 28 de julho de ISbo.
ci ao Exm. Sr. Dr. Felisardo Toscano de
Art. 6. .Vo pode ser cffectuada a venda da car- vice-presidente da provincia da Parahyba.-Accu-
co, ambos do centro eleitiral progressi ntimos do nobre marechal.
Tudo pois quanlo mais adimlasse seria devnelo I
e nao pasearla disso.
A.crise esta'declarada. A dictadura nao acha
guarda nacional do"" municipio de Nazareth, Jos ap"' no espirito liberal e honesto dos quatro lio-
Anastacio de Andrade Lima. mens qoe hoje consiltuem o ministerio.
Dito ao director da colonia militar de Pimentei-1 Erro grande foi nao terem completado o gabine-;
! ras.Attendendn ao que ponderan. Vine em sen te antes de semroceder a's eleigoes.
I officio n. 40 de a do corrente. o aoioriso a emnre- As influencias nao se teriam neutralisado
A admlaistraco provincial.
Foi sempe objeclo de stimmo cuidado do; cfcef.-*
supremos dos poN administrarn d*s provn
cias, as ojosas, por isso mesmo ana safla fra d .
alcance de sua immediata inspeegao, exigern para
portuguez os'illus- a |e*fio dos negocios pblicos homens abatisaj,>s,
lies represenlintes da naclenalfdade brasileira. !e de recouliecido criterio e Ilustrar,..
;i Coimbra. 21 de junho de 1863. Antonio Ri- Em lodos os lempos vemos os imperantes r0l t>
beiro Fernaodes Porbes, do 6" anno de direito. d050" na eseataa d'aquelles a quem devem ronfir
Manuel C-rreia de Mello, do 6o anno de medecina. a* administraco -s distantes anata que stii
,Henriqne Anto de Vasconcellos, do 3o de direi- mos com quania deligencia e esmero os tai BM-
inncasonae-io.(osario Aojjosto.de Mello, do a" anno de di- tuguezes esxolhiam govemadores para a taba e
lel C- reno. Augusto Mo'eira da Silva, do 4o anno de Para o Brasil, para onde jamis deixaram de m.n-
11 direito.. dar homens considerados e di-tinctos por servidos
SS. AA. II. antes de sahirem de Coimbra man- ao estado: e se algumas vezes se engaaran), por-
daram dar a Associaco Consoladora dos Alllictos Que nao dado ao homem acertar sempre, ven)*
da mella cidade a quantia de 345000. todava, que u'esses lempos o grverno se roafl.va.
A pnnceza imperial do Rrasil e seu mandos alli a um D. Joo de Ca-tro, aqu a um ronde de
conde d'Eu, e o duque de Nemours com o outro Bobadella; e assim operaram-se alli milagres de ra-
Seo tilho duque de Alencon foram ha dias visitar 'nr e patriotismo e aqui trabalhos valiosos de per-
el-re D. Fernando a Cintra, e passaram o dia no severanga que nos hoje encaramos com desdem.
a- i palacio da Pena, que el-rei tem convertido n'um pa- porque nao refleclimos quanta dedicago pelo besn
lacio de fadas. publico fui necessario desenvolver, para arram-ar
S. M. el-rei o r. D Fernando recebeu-os mag- ao dominio das brenhas um vasto paiz que turma
nihVamente. ofTerecendo-lhe urna explendida func- hoje a nossa formosa patria.
gao dancante Aclualmento porm bem |>oaco se roida do pes-
S. M. el-rei o Sr. D. Luiz acompadhou os seus soal idneo para as admiuMragoes provinciaes;
reaes hospedes na visita a seu augusto pai. per issonomeacesayparereiii,quealodi>ssor|>ren-
0 duque e os principes voltaram pora Lisboa dem, llcando o homem sizudo perplexo sebr as
iassados dias. causas que determinara taes n.,m-.< <; e para.
Alm das relacoes de parentesco que ligam salvar a moralidade do governo arredila qoe en
aquelle principo a casa de Braganga, por sera nossos estadistas, que se enrarregam do g vero >
princezi imiierial neta de D. Pedro IV, o duque de suprema da uacao, aceitam a regra enum-iada p,:.
Nemours foi casado com urna irma de el-rci o Sr. grande ministro da Suena, o Ilustre conde.ae Ox-
I). Fernando, de quem por consequeneia sao sobri- ein>tiern, quando Ooutrunndo seu tillo sobre o*
nnos os condes d'Eu e duque d'Alengon que ac- principios dos governos humanos exclamava: .\>.
tnalmente se acham em Lisboa. ees pin /uanla inscienlta regilnr imuwIhs '.
Quando o conde d'Eu passou ao norte da Europa, Gom pouca scieocia dirige se o mundo i Assim
na_ viagem que acaba de fazer, o imperador apo- pensara aquelles que incumbidos dos grave* ata-
.. .... lean dirigi Ihe um convite para ir Franca, ond? cios dos povos recebem a incumbencia coa ara
J*\* T;r 'i '"n de ^5 "V" em (ntra f"ni"'a foi expatriada. meio fcil de obter pros, sem fazer conU dos pre
pelos Sr>. tana Blanc e visconde de boares Fran- Bs|fl oonvle fo, 'uma dpferenria paracom 0 Bra. ca|0s. Aceitara esta mxima aquelles que, ina-
sil, e alin disso foi-lhe feita por ser considerado pazes de comprebender os grandes preceiiv do^o-
principe '>ia>, verno, e ainda mais incapazes de reconhecer a pro-
U Nemours pai do conde d'Eu es- pria ineapacidade, e sua natural dcima, amram-
leve b o mesmo palacio de Relem, onde se com o arrojo da iguurancia em empreza diilV-i-
se lio j,iia. ^>u lilno esua ora. Ua.
Este principe, que se i*' a Luiz Carlos Felippe Entre nos raros exemplos se apoolam do contra-
Baphael d'Orleans nasct em 23 de outubro de rio. E' commodo reger os povos ama previ>o, >-;ro
18 4, contando por sso 30 annos de idade. calculo do futuro.
E' o segn lo flho do fallecido ex-rei dos Fran- Nao s o descuido ou menosprero, qo-? lem e>
nosso governo das nomeagoea para as provmiast
com a princeza |
sao perderam o lempo as contendas. taes como
A. R. Sampaio, A. de Serpa, cojos circuios Ocaram
empalados ; Anselmo -Rraancamp, Matnias de Car
de Vasconcelos, I
brados ?
Ser ebegada a npporiunidadede lomar as redeas
do governo o duque de Saldanha?
ne verde ou
marino regul,
nha um bragi
multa de "
Polica
meca se nao em uma balanga de ta-
ir em proporgo dos pesos e que le-
de ferro ; os infractores
3 do corrente, o autoriso a empre- a> inriuennas nao se teriam neutralisado; as re7es Luiz Felippe
I gar no servigo diario desse estabelecimento 20 dos autoridades nao baveriam joaado em maltas par- (;.|S()U em 27 (|e' abr1 de ,8J0 rom prnceza de que nos devenios qoeixar : outro mal mamsi
Ofllcioao Exm. Sr. Dr. Felisardo Toscano de Brilo!colonos 1ueL Ja obtiveram escusa do servigo do '^"'' pao de dous incens potras .mutas nao te- victoria Augusta, filha do defunto Fernando duque rao pesa sobre nos.
exercito, abonando-Jhes os venciinentos r|ue por ^'^ado o governo. Poucos se resol vera a de SlXft Coh(irgo Go|ha) e jrm (io Sr D. Fernan. Quando em um ou outro caso acertase em fazer
pai de sua mageslade el-rei o Sr. D. Luiz I. uma boa esculla, ah veni a in-labiliJade prejudicar
o acert da noraeago.
O curto periodo das administragoes provincia
que podessem garantir um gover d'Alencnn de 20 annn de .tari- nne ,Mrl ac^m um mal immenso.
fazer sacrificios
mal avisados
por um ministerio de iransteao, e ,j0
TITULO IV
los m'-reaios e casas de negocio.
sando recebido o ofilcio de 24 do correte, sob 'lei "es compelirem, e declarando-me os nomes dos
n. 3,503, em que V. Exc. me communica haver 11U; orern Oaniados para esse servico. "Mjav >adosandarn, deixan do -se lier cm lao pre:. U(.,la enviuJvon em i8S7,flcando qualro lilhos,
sulTrrao a assumido a administrago dessa provincia, p.r ter > Dl, ao conselho de compras do arsenal de guor-; ^aiia^^siluagao, tratando-se, corno se tratava, de fa-; aue ,;lo 0(.onde d-Eu qu 0 mtta ve|no 0 duque
sido exonerado o Exm. Dr. Sinval Odorico de Moa- ^ "--Autoriso o cunselho de compras do arsenal de J**" M podessem garantir um gover a-A|Bncon de M annos de idade, que agora acora
ra, tenho a honra de apresentar a V. Exc. os pro-
testos de minha estima e consideraco, asseveran-
Art. 17. Nihguem poder ueste municipio abrir do que serei solicito em cumprir suas ordens, quer
loja, taberna du outro qualquer estabelecimenlo de sejam relativas ao servigo publico, quer ao pnico- a0 Proteilo 1
qualquer nalureza, sem que toaba para isso oblido lar de V. Exc. enna.hm vista
licenea da cmara municipal, que ser annual, pa- Dito ao mesmo.Vai ser opportunamente remet- veruaimenle v. Rv
- |er gioso capuchlnho
Oc|0 Flores, certo V. R' ...
' minio aprecia e agradece o importante servigo que :crev" I'ara aqu, por me parecer i
s dito religioso ali vai prestar em bem dos povos Esquecia-me dizer-lhes tambera
__do, daquella localidade sem remunerac.io algutr-
n*a enfermarla militar Dermane'ntc"'o ga'rdanacio- j m"mo l'ara a despezas da sua viagem.
nal do municipio de Nazareth, designado para o Dito ao gerente da CorapiOhia Pe/nai
servigo da guerra, Jos Anastacio de Andrade Li-1 na:~r,1 0,le. ',nc- B,er seguir para os portos
gando por ella 25 ; os contraventores pagaro a
multa de 4S.
Art 18. T01I0 negociante ambulante pagar a
carrara a licenfea annual de 35 e de 15 se fr mas-
cate ; os infraictores solfrero a inmta de 55-
Art- 10- Todos os que trouxerem cargas de
agurdente, vinho e outras bebidas espirituosas,
assim como fumo, para vender nesla villa, pagaro
cmara 300 res por carga.
tida para a corte, a correspondencia que para ter
esse destino, V. Kxc. me enviou com o seu olDcio
de 26 do corrente, sob n. 5,833.
Dito ao brigadeiro commandante das arma.-.
Queira V. Exc. expedir ordem para ser recebido; a2lluella 'ocalidade sem remuneraeo alguma.nera
guerra a comprar para provimento do respectivo no forte eperduravel.
almoxarifado as fivelas mencionadas no iiTcluso j Que sahir desie sauve qui peni ?
pedido. i Creiam que pouco se plea est hora avangar.
Dito ao prereilo do hospicio de Nossa Senhora da IO 'en'Po mui brevemente se encarregar de resol-
do que hontem ponderou-me ver um estado de comas, que' na actnalidade c pes-
ma., pode fazer seguir um reli- simo, porque nao serve para ninguem.
gioso capuchlnho para abrir misades na villa de as folhas qne Ihe remello eacontraram os no-
Flores, certo V. Rvma. de que esta presidencial mes dos candidatos que trinmpharam. Nao os trans-
inutil.
que o governo
panhou seu pai a Lisboa, e as prucezasMargarida i Quando arada o presidente mal vai lomando p>
c Branca, que sao mais novas. nos negocios da publica adminislrago, couhecen-
raa. como propoz a junta de sade, alim de ser
nico. A ajguardente desta provincia e dado observada a molestia que allegou o mesmo guarda
Ceara, lera 19 kros, e das Alagoas e Sergipe 21 ; em sen requerimento.
os que vendere/m esse genero sem esta graduago Dito ao inspector da thesouraria de fazenda.
sol"ero a mulla de 105- Mande V. S. ajuslar contas at o lim do mez cor-
Arl. 20. Todp aquelle que trouxer qnaesquer rente, e passar guias de soccorrimento ao Io cirur-
cargas de gene is para vender nesta villa, pagar gio do corpo de sade Dr. Francisco Gongalves de
carga, exceptuados porm os ge- Moraes, 2o dito Joao Hunario Bezerra de Menezes e
60 ris por ca
eros de que
Art. 21. Fi
ila o artigo antecedente,
irohibida no municipio a venda de
bebidas espirituosas degeneradas; os infractores
pagiro a mulla de 10$.
Art. 23. E' prohibida na feira desta villa ven-
derse gneros alimenticios por atacado antes de
duas horas da larde, sob pena de 45 de mulla.
Art. 23. Todo aquelle que atravessar gneros
de primeira nec^ssidade que vierem ao mercado
ao capello da repartigo ecclesiastica padre Ma-
nduca-
do sul.
al Macei, o vapor Parahijba', no dia 29 do crran-
le, a hora indicada era seu ollclo de 26 deste
mez.
Portara.-O vicepresidente da provincia, atten-
dendn ao que requeren o escreventa da repartigo
das obras publicas Rodoplano Florencio de Carvalho
Calumhi, resolve conceder-lh 30 dias de licenga
i sem vencimentos para ir a cidade de Caruar.
Dila.Os senhores agentes
O conde d'Eu por tanto sobrinho do Sr. D. Fer-
nando.
O infante hespanhol D. Sebasnio, com sua
esposa e seus filhos vieran) lomar banhos do mar,
e aunam-se habitando o palacio que foi dos gover-
nadores da Torre de Belem, era Pedrougos e hoje
do marqnez de Vianna.
O infame D. Sehaslio Gabriel Carlos Joo Jas
perdeu as eleigoes no Porto.
Na correspondencia ultima j dei a noticia
da rccepg.io, que leve em Coimbra, quando desta
cidade desta cidade passou para Lisboa, a serenis-
sina princeza imperial do Brasil com seu augusto
eP0S0- o qnal eslava em Lisboa em 1S07, e acompanhou a
Agora completarei esta noticia cora as seguintes n0Ssa familia real para o Brasil, onde, em 1810,
do as pessoas e avahando as rondiges do pan, ato
que a demisso o sorprende e mulisa os safar-
eos al ento empregadus. De mam-ira qne pde-
se dizer, que nao quer o governo as provincia
seno perpetuo tirocinio.
tremas ultrnos lempos a nomeag.io de pessoal
inexpenente eslendeu se em larga escala.
Em cada derrama de presidentes para as pro-
allocugoes, a sua alteza.
casou com a senhora princeza da Beira D. Maria
As duas primeiras sao da cmara mnnicipal, Thereza, filha do Sr. D. Joo VI e depois do falle-
uma apresentada quando a princeza passou para o cimento do mesmo infante, casada em segundas
licenga Pono, e a outra quando passou na volta. A ultima j nupcias com seu cunhado, de quem tambem j
da Companhia Bra-
noel da Vera-Cruz, os qaes vo servir no presidio si.lera de Pa de Fernando.
Dito ao mesmo Pode V. S. mandar pagar a
Custodio Jos Alves, sob minha responsabilidade,
visto nao haver crdito para esse fim, a quantia de
405320, de que trata o seu offlrio de 12 do cor-
rente, sob n. 473, o a que se refere o da presiden-
cia de 4 da junho ultimo, proveniente de etape
Dita.Os senhores agentes da Companhia Brasi
leira de paquetes a vapor, mandem dar transporta
m para a curte, por conta do ministerio da guerra,no uuque d Braganga, que dotando dous grandes
desta villa naracom elles monopolisar tornando a abonadas a diversos recrutas, reraettidos pelo dele- yaPor Que se espera do norte, ao raajor temando vos de instituices livres. preclaro tronco de
"", ,. ._._ ___ ______-_ _._- _..j_ j_ ._____ j_ r_ ____ a._.,_ _. _____... IffSMMilA H (nn,i cii mnllur o 9 HlhAC sa-^ .
vende-lo no raesfno mercado por maior prego, ser gado do termo do Brejo, com destino ao exercito
multado em IOm sendo que o de nome Jos Antonio Moreira, a que
Art. 24. Todos os que venderem fazendas ou ge- V. S. allude no final de seu citado offlcio foi posto
eros que devam ser medidos ou pesados, deverao em Iiberdade por_ ter sido julgado incapaz do ser
ter todas as me"'
;viso ; os infractores pagaro a
|cada medida ou peso nao aferido.
oo medida que depois de afe-
ilsincado, acarralar para o falsi-
105 e cinco dias de priso.
las de quarta tero 32 pratos.
idas e pesos aferidos annualmente vigo eu inspecgo de sade. segundo declarou o
eiros abril e revistos nos de ju- coronel commandante das armas, em offlcio de 13
o que recebero do hscal bilhetes deste mez n. 1,223.
Dito ao mesmo.Autoriso V. S. a mandar pagar
sob minha responsabilidade, visto nao haver crdi-
to para esse tira, a quantia de 415280, que segun-
do a conta que acompanhou ao ofllcio da presi-
dencia de 22 do crranlo, foi despendida com o
fornecimento de luz e agua para o quartel do des-
o dos pesos e medidas se far por lacamento de guardas nacionaes do termo de Santo
Anto, e sim a de 3054O0, em que importoo esse
TITULO V fornecimento, como se v doofflcio de V. S., datado
a e crcacao de gados. de hontem, e sob n. 532, o qual fica assim raspn-
Art 26 Todi^s os agricultores deste municipio dido.
ao nhrisrados a entregar ao fiscal annualmente Dito ao mesmo.-Tendo em vista a informagao
100 cabecas de aves on animaes damninhos a la- de V. S. de 26 do corrente, sob n, 524, dada acerca
voura e creaco, inclusive os reptis venenosos, do requerimento que incluso devolvo, o autorisoa
atin de ser apreentado a cmara na ultima ses- mandar pagar sob minha responsabilidade, por nao
sao os infractones pagaro 35 de multa. haver crdito para esse fim, os vencimentos a que
' Art 27. Niogoem poder fazer cercados com tiver direito 9 i" cirurgio dq porpo de saude do
nos mezes de jai
nho a agosto, p
de aferigo e
multa de 15 pol
Art. 25. O p>
rido apparecer
fica lor a mulla
- ? I-" Asraed
2. A alfcfi
80 ris a pega
Cnll
Machado de Souza, sua mulhcr e 2 lilhos, sesdo
um de 12 e outro de 2 annos de idade.
exteIor.
Francisco Xavier de Paula Miguel Birlholomo de I vincias de balde buscavam-se nasan conlx-rkios
S. Germiniano Raphael Gonziga de Bourbon e no paiz. Aconteceu, que para provincias de pn-
Biaganga, nasceu no Rio de Janeiro a 4 de novem- meira importancia foram nomea tos individuos, de
bro de 1811. Tem por tanto 53 annos. 1 cuja existencia se soube com a noticia da nomea-
E* filho do infante de Hespanha D. Pedro Carlos,' cao I
l in goveroo sizudo e patritico nao deve conti-
nuar n'esse systema de aprendizagem. Ensinar
as presidencias de proviocia, querer nm ensino
demasiadanieule caro as smemas provincias, a mo-
ralidade publica, e conlianca do povo aa sabedo-
ria do governo.
a que foi dirigida pela deputag) dos esludantes vTu'vou, o infanteD^ Garios Maria Isidoro ( o pr- as recentes nomeagoes mostra-se o goverac.
brasileiros : tendente corea de Hespanha, conhecido por Car- mais aliento a capandade pessoal.
Senhora! A cmara municipal de Coimbra los V, que depois resignou os seus direitos no con- Vemos a uomeagao do Exm. Sr. visconde da Roa
: Vista para o Rio Grande do Sul. Qaem nao em-on-
da ac-' tra n'esse nome seguranga de criterio e eooneci-
nceza por-; raenlo das cousas publicas ?
Isabel I Para esta nossa provincia foi nomeado o r'.xm.
Maria, ta de sua mageslade el-rei D. Luiz. Sr. conselhe.ro Cunha Paranagu, eidadao ja vaa-
D'aqui se vem os estreitos lagos do parentesco tajosamente coohecid o no paiz por seus pr11.sisa
que ligam a casa de Braganca, o nosso augusto e alta posigo social.
hospede. O Exm. Sr. conselheiro Cunha Paranagu entra
O iofante D. Carlos, qne foi casado cora a Sra. i na adminisirago da provincia. Deus o illumiae.
D. Maria Thereza. tinham sido tambem antes casa- Convencidos da exactidao do apoihegma de Fe-
venerago. lanto por vossas egregias virtudes, como
por serdes descendente do immortal here o Sr.
po-
e ex-
celsos principes, gloria do Brasil e de Portugal.
t Aceilai, Sra. princeza, e o principo vosso au-
; gusto esposo, este sincero tributo de homenagem
! do leal p >vo que representamos, que muito se ufa-
! naria de receber-vos dentro dis seus muros, pira
1 festejar-vos em harmona com os mais vivos senti-
! mentos de respeitosa c profunda admirago.
t Coimbra, 20 de jonho de 1865. Visconde da
Qniota-das Canoas, presidente. AurusIo Cesar
dos Santos. Jos Franciscio de Oliveira Res.
Fructuoso Jos da Silva.Ricardo Aniones de Ma-
I cedo.Joao Marques de Almeida Araujo Pjnlo.
de Brito, administrador
CORUESPONDEIIAS IM HIA
bio ie pi:u\i.uiii;c
LISBOA.
M (le julho de 1853. i Joo Mara Correa Soares
O governo foi milito mal suecedido as eleigoes.' do conselho.
Derrota completa na capital, incluindo o proprio Senhora I A cmara municipal de Coimbra
ministro das obras publicas que se propunha pelo vera respeitosamentea gradecer a vossa alteza Im-
116. Apenas um circulo de Lisboa deu victoria ao- perial Sra. D. Isabel Christina, e vosso augusto es-
governo. Belm e Oliveiras, perdidos; no disirlclo poso Sr conde d'Eo, de honrardes com a vossa vi-
de Faro (Algarve) todos ganhos pela opposigo, me- sita esta leal cidade, .ama das principaes de Portu
do com outra princeza porlugueza, sna irm, a
Sra. D. Maria Francisca de Assis.
O infante D. Sebastian, que ora se acha em Lis-
boa, casado segunda vez. Da primeira vez ca-
sou com a princeza Mara Amelia, filha do defunto
rei das Duas Sicihas Francisco 1. Nao leve filhos
desle casamento.
Sua actual esposa a infanta D. Maria Christina
Isabel, filha do tambem infante de Hespanha, e ir-
mo de Fernando VII Francisco de Paula, e irm
por conseguinte do esposo da rainha Isabel. Tem
32 annos, e casou em 1860.
Deste consircio ha ires filhos, ainda muito no-
vos, D. Francisco, nascido era 1861, D. Pedro as-
cido em 1862 e o ultimo D. Luiz, que nasceu no
anno passado, e aniado d'el rei o Sr. D. Luiz.
O infante D. Sebastio veio do Brasil com o Sr.
nos um. Est reconhecido e averiguado, e | o de- gal pelos seus monumentos histricos, cabendo-lhe! D. Joao VI, em 1822, e foi com sua mi para Hes
via estar antes que o Sr. Julio Gomes da Sanche.*, a honra de ser fiel depositara dos venerandos
actual ministro do reino com os seus achaques e' cornos do magnnimo here dos campos de Ouri-
moleslias, nao presta para dirigir eleigoes. Quiz que, da santa esposa de el-rel o Sr. D. Dlnjt, e de
raabter por partes a liherdarje da causa cegamente el-rei o Sr. D. Sancho I, sendo q bsroo da monar-1
panha.
Em 1833 acompanhou seo tio D. Carlos.
Portugal d'onde sahio com este em \^'\\
Milon no seu exerciio c
para
nelon < Assas pesado governar os borne
bemos acatar os esforgos d'aqoelles foveraanw,
que de boa f se empeoham pele bem pabltco; t
sempre coadjuvaremos a autoridad zelosa no enan-
primento de seus arduos deveres.
Confiamos, qoe S. bxc, ja experimentado aos
altos negocios do estado, saben lomar em Pernam-
buco aquella posigo, que requer a magninJe a
gravidade das prsenles virrumstaurias.
Subvertida a provincia de 1863 para e, ella lena
soffrido profundamente.
Busque S. Exc. conhecer a violencia da reate**,
que se operou; bqsque tentear as rhagas profun-
damente abertas na moral pablica, e se compene-
trara da necessidade do em prego do.< metos vtf-
rpsos para sanear a grandeza do mal
Nao de balde, que se inverte a sociedade, exal-
tando o que vil, para abalar o que lem j^m-
dade.
A mansido e equilude da nca socieaade aJ**-
rnu-se. As fezes soqsy sabirara pela tor^a *

arji.-ta q esteve muito. reaego, que se operan- papa montar o ^whiTi


Diarlo de Pemambneo -. Terca Eeira 1 de Agosto de i 86.
roo eleitoral da nova situado creada no imperio
em 1863.
Como no lago, que se perturba, sobe o lodo im-
puro para damnar a claridade das aguas, assim
agitou-se a nossa sociedade oa qnadra, porque pas-
camos, pcrdendo-sa a pureza e furca da moralidado
publica
Cumpre fazer vollar a paz familia pernamou-
cana, atlra de que se precipiten) as fezes soclaes
erguidas pelo torvelioho da reacgo, e se reslabe-
leca o espirito publico em seu prestio vigor.
O deseropenho desla misso apraz-nos esperar
de S. Exc. .
Na turbagao ios lquidos costumam os ohimico-
fiabeis langar ingredientes, que os clarificara pela
|)recipitacao da.s materias estrauhas.
Cumpre puriikar o nosso estado social. N'esse
ensarne de autoridades policiaes, erguidas d'entre
os raaos cidados, acha-se tim dos ruis poderosos
motivos da nossa perlurhaco domestica.
Se S. Exc. lancar vistas "severas sobre esse ra-
mo da publica dmlmsir.igao, ter encelado um
largo caminho do beneficios reaes provincia.
Ha 3 annos, que a popularlo baldamente ergue
brados contra as tropelas desses funccionarios. A
falta de Justina oarecterisa esta infeliz poca.
Um interregno de brevissimos dias deu nos es-
peranzas.
A passagelra administrago do Exm. Sr. desem-
bargador Anselmo Pereiti foi um claro fugitivo,
que veio rnente recordar quito doce a pratica
da jostra.
Aliu.eniavarr
Dr. Castello 15
logo que os embarazos da guerra llie fariliassem
a acgio. Estaramos em erro ? S o lempo o de-
monstrara.
Folgaremos infinito, se tiverir.os de registrar so-
mente a<;tos dignos do novo administrador, que en-
tre nos encela um governo, que deve pela repara-
gao de grandes males tornar-se proficuo a provin-
cia.
No triennio, que anda corre, temos WG enver-
nados de modo que bem se &>Va?,*tz m
ser vacio de tu^-v'1" :. ? EL ^
do norte, com Atexandre de Brito Galvao, natural visto nesta capital, Igualmente offereceu fragmentos
da villa de Arcos, freguezia de S. Salvador, arce-! de excellente apreciago ao espectador.
bspado de Braga, filho de Francisco Rodrigues
Mendes e sua mulher Rosa Mara de lirito, tambcm
Os Srs. Amodo, Lisboa, D. Eugenia, D. Camil-
la, e o Sr. Coimbra na figura de Joao Gongalves
all moradores. Foram testemunhas do casamento, houveram se com vigor de arte e fluencia de na-
o capito Domingos Simoes da Cunta, casado o i tureza.
Joo Nepomoceno Dias, solteiro, alera de outras
pessoas presentes.
Da dala de casamento at hoje decorrem 78
annos, e affirmam [pessoas das mclhores informa-
rles e conhecimento particular da finada, que ella
casou-se com 35 anuos, tendo existido pois neste
vale de lagrimas apenas 113 annos.
t Tevo pouca descendencia, e posto que quasi
cga pela idade, ainda era vista em p, andar e
correr o quintal de sua casa, endireiiaudo os paos
O espectculo foi corrcorrido tanto poda s-lo ;
pois que, desde a platea at a ultima ordem dos
camarotes via-se a cafa lilteralmente oceupada.
Foi urna encheote real, que se ha de repetir,
estamos cerios, sempre que o digno emprezario,
comprehendendo o alcance e a exlensao dos sen-
timentos patriticos do povo pernambucano, collo-
car no scenario traballios que sirvam para ainda
mais os estimular e expandir.
De outra vez fallaremos circumsciadamente so
comsigo, etc.

das cercas, questionando com visinhos, fallando bre a concepgo do nossa patricio, que tanta gente
arrastou ao Santa Isabel.
Vai para 4 mezes que se concluo a parte do
cano de esgolo.queentrou pelaruadoCabug, cojo
calcamento cITectuado segundo o systema geral de
prd'ras faceadas, fui desfeilo para ter lugar o ser-
vico da canalisago ; e at hoje nao foi restabele-
Scido com indesculpavel negligencia.
h*jOE* H..ftutfl. Em consequencia disto, acha-se a ra no ponto
S. Exc. o Sr. conselbeiro Joao Lustosa da Cunlia descalcado convertida em um lamagal quando cho-
Paranagu prestar juramento, e tomar posse da j ve, e n'um areial mcommodo quando faz sol; ao
presidencia da provincia, amanha 2 do corrente, | que accresce, que a entrada da ra das Larangei-
as 10 horas da nianh. ras est por um.lado quasi enlulhada com grande
No dia 30 do pasudo mez de julho, por urna' porgao de pedras" atiradas para alii, difflcultando
hora e 20 minutos da manhaa, succumbio o Exm. de lgum modo o transito.
Sr. brigadeiro Gaspar de Menezes Vascoucellos de | Importa, portanto, que se restabeiega sem demo-
o- a eotranca de que o Exm. Sr. Druminond urna anemia complicada com peri- ra o calcamento all, nao s pelo que dito ica,
raneo truhana o inesmo camtnh, cardits ; e honlem foi dado a sepultura o seu cor- como ainda por uo dever ficar para as kalendas
po com todas as honras "devidas & sua gerarchia gregas tal servigo, quando o espago que vai
; disposto a partir, e o teria.feito immediatamente se
i nao se arhasse ento exercendo o lugar de enge-
| nheiro fiscal interino da estrada de ferro, cargo
este que redamava absolutamente a sua presenta,
por estar o respectivj proprietario com assento na
assembla provincial, e nao haver nenhura enge-
nheiro desponivel que podesse subslilui-lo.
Foi em virtude desta circunstancia especial que
S. Exe. o Sr. presidente da provincia determinou
que o Sr. Dr. Carneiro da Rocha continuasse a
exercer o lugar que oceupava, sem que para islo
houvesso solicitago.
Devo ainda ponderar que o acto da presidencia
foi approvado pelo governo imperiaj, que a seme-
Ihangadoque praticou com os ajudantes dosen-
genheiros tiscaes do outras estradas de ferro, de-
terminou que o Sr. Dr. Carneiro da Rocha conti-
nuasse a servir na commisso era que est eiupre-
gado.
Nao houve nisto afilhadagem, nem intervengo
do Sr. Carneiro da Rocha, cuja dedicacao por ludo
que de interesse gpral tem sido devidamente
aquilatada pelo governo.
Recife, 30 de julho de 1855.
Buarquc de Macado.
dade..... como determina a ord. do livro 4,
< titulo 10 e segumtes. >
E quando nao bastasse ;.... a postura municipal
de 29 de abril de 1837, e lei provincial n. 433 de
25 de janlio do mesaio anoo-garantern as pa
' daras nos lugares em que se achara montadas,
! durante a vida dos actuaes propietarios, nao po-
dendoem caso de morte dests passar a seus her-
! deiros.... pena de serem demolidas.
Portanto, estpjam desengaados, podera chamar-
me aonde quizerera, comtanto que vao arrumando
! a trouxa, pois nao me calo, e nem recito emquanlo
j nao rae fr entregue o meu estabelecimeuto da
forma que o receberam.
Recife, 31 do julho de 1863.
Antonio Joaquim Salgado.
E
003
HESITO
CORRESPONDENCIAS
social e militar, depois de Ihe serem feitos os ulti
mos suffragios na igreja da Conceicao dos Milita- do j.
cssoas de ele-
res, cora grande concurrencia de
vada posicao em nossa sociedade.
Apreseniando a expressao dos nossos sentimen-
tos sua
nossos le
ponte da Roa-Vista do Recife est todo alga-
Desejando solemnisar o dia da posse do novo
presidente da provincia, o Sr. Coimbra, actual em-
prezario do Santa Isabel. ** '"n espectculo un*
- da segrate o beneficio
Exma. familia, olTerecenis a sciencia dos, ntiaa.tr-..-'-""'" para o da segura
llores is seant- o* ^--r-!-- ,uil >an''l"> " dos a pressa por pessoa que no- O transporte Jos de S. liouo deve voitar
1 nestes dias para a corte, com escala por Alagas e
Xascendo na freguezia da Candelaria da cida- Baha,
lustre f'"~J
ius concedeu
na, chama-sc regra ludo' de de S. Sebastio do Rio de Janeiro aos 23 de no-1 A subscripgao para o Asylo de Invlidos da
quauto pode fundar a Ilimitada autoridade do go- vembro de 1701, assentou praga no exercito, onde Patria clevava-se a 7:359->000, na corte, at 23
verno; ludo quanto pode manler as regalas do ci- percorreu sempre com distinegao todos os postos do passado.
dadao chama-se perturbagao, dssencao, e in ad- at o de brigadeiro, em que acerca de 4 annos ob- Seguem hoje para a provincia do Amazonas
teve a reforma. Fez a campanha da Baha coutra o Exm. Sr. Dr. Antonio Eparalnoadas de Mello,
os nmigos da independencia, e do imperio era ; presidente ltimamente nomcado, e seu secretario
1823, servindo de ajudante de ordens do general Dr. Codeceira.
em chefe, pelo que foi-lhe concedida a respectiva O vapor Cruzeiro trouxe para esta provincia
mtdalha de honra. 5:3005000 em notas do governo.
t Foi, pois, um dos nossos bravos quepognou' Na declaragao das cartas seguras publicada
no campo pela nossa emancipaciio poltica. hontem neste Diario, onde se Id Dr. Luz de Al-
t Por decreto de 30 de abril de 1824 foi-lhe con-! raeida Pinto nao foi mais do que a repetigo do
cedida a merco* de cavalleiro da imperial ordem do nome de D. Luiza de Almeida Pinto.
Cruzeiro, e por outro de 16 de ianeiro de 1828 a Rgpautiqao da polica :
.do habito de S. Rento de Aviz "em remnnerago' Extracto das partes dos dias 30 e 31 de julho de
d?doVempento) do''bem"piiblco,"siipplanie os me- dos seus br.ns servigos militares durante 20 anuos. 1863.
resses dos facciosos, e falle Ibes cora aquella gene- Em 1840 foi concedida pela rainha de Porlu- Foram recolhidos casa de deteogao no da 29
rosa audacia, com que aos sediciosos pretoria nos, gal a oommenda de Christo. do corrnte : ,
que exi"iam desarrasoadas recompensas, se di- Frequentou o curso de mathematicas na anti- A' ordem do Illm. Sr. Dr. chefe de polica, Joao
rigi o vellio general Sergio Galba : Um impe- ga escola militar da corte. A sua f de oflicio Theotono Ferrera, Francisco Juvencio de/larva-
radof elege os seus soldados, e nao os cmnpra. mni honrosa, nao tendo a mnima censura, admoes- Iho e Antonio Rezerra de Lyra, para recrutas; e
Assim as cousas publicas so encaminaro ao! tagio ou represso. Ignacio Jos de Castro, como criminoso.
bem e lodos applaudiro o autor do beneficio. Tendo passado para segunda linha do exercito A' ordem do Dr. delegado da capital Jos Anto-
Iguaes presentimentos favoraveis nutrimos a' no posto de coronel, dedicou-se profissao de ne- nio Soares de Azevedo, como pronunciado no arti-
A* inhuwi mooictrrtn a nnem folitmpnifi enejante de rrosso trato, nesta cidade. nao s eo 264 S 4o do codeo criminal.
Recife, Manoel Joa-
ministrago
Os dous presidente?, que se incumbirara da or-
ganisago da anmala situ?go, porque vai pascan-
do a provincia, nao guardaran reservas: a lei foi
posta de lado; e s as conveniencias polticas de
um partido foram attendidas.
O Ilvre exercico das regalas cohstitucionaes fu-
ra supjtado pelo arbitrio da autoridade, que em lu-
do preponderon exclusivamente.
Cumpre terminar tao desastroso systema. Er-
ga se na provincia o novo administrador com deci
os mais
nos.
seguros abonos de seo proceder entre j Havendo-lhe cabido em partilha o engenho I A' ordem do de Santo Antonio, Jos, escravo d e
Anjo, e comprado mais tres Jacir, Agua Fria e um fulano Fiuza, por fgido.
O vapor Cruzeiro do Sul, c'aegado apenas adian-
Trpiche, todos na comarca de Serinhem, passou | A' ordem do de S Jus, Arcilo Rodrigues dos
para essa freguezia o seu domicilio com toda sua j Santas, por suspeito, e Domingas, escrava de Ale-
familia, onde exerceu subido prestigio, e era con-
siderado como um elemento de ordem, e arbitro
taumdias n dicias do Rio, que recebemos pelo! da paz e harmona entre os seus conteroraneos,
r________ t i .. .a. !:- ,;^. i jv ., .1 tin i i
francez. As datas do Rio sao de 23 e as de Ala
gas de 29 do passado.
Rio de ja.neiko. Lo se no Correio Mercantil :
Algumas senhoras residentes nesta corte resol-
vern) promover um bazar decaridadeem favor da
tanto assim que as mais arriscadas crises daquel-
la localidadeoecupou os cargos de delegado de po-
lica, juiz de paz, e sempre foi eleitor da r s: "di-
va psroehia.
Todos os que o conheeeram e trataran) sa>
fundacao do asylo do invlidos da patria, e appel-1 uam bem ,.u5o ainp|OS erara os seus conheclmen-
lam para o sexo elegante na circular que adianto; tos proHSS0oaes o longa a sua pericia na rarrelra
publicamos, assgnada por pessoas das mais dis- \ agrCo]3, havendo por isso recebdo o titulo de so-
tiuclas familias. | c0 da sociedade Auxiliadora da Industria Nacional
t Quando a pigdade fem^nm?. assim se casa ao do i\io ,jc janejro sem mnima soieitaeao sua,
patriotismo em rasgos deabnegagHo, estamos ceno j pr0posla directa ou indirecta. E se porventura nao
que urna s daquellas cujo auxilio solicita-se naodeixou Ullia foriuna ro|0ssal por essa importante
se negara a coucorrer para tao glorioso tim, e e de. industria, que excrcia, foi por ter admittida diver-
esperar que na lua da caridad* e do patriotismo P0S nielnorameatos em seus engcnlios, como ma-
os cav3lheiros da nossa sociedale se nao tornera
menos digno* drf louvores.
Eis a circular :
t lllma. e Exma. Sra. Ao Ilustrado ronheci-
menlo de V. Exc. ja (era sermiuvida chegado a no-
ticia de que trata-se de fundar nesta corte um es-
tabelecmento pi, que sob o ttulo Asylo dos Inv-
lidos da Patria, preste .iquelles de nossos irmaos,
que tiverem a desgraga de tiearem mutilados ou
inutilisados na guerra, o abrigo e os soccorros que
possam necessitar.
A algumas de entre nos occorreu a lembran-
ga de promover um leilao ou bazar de caridade,
onde objectrs pur n- apresentados sejam trocados
por numerario que se destine queile piedoso esla-
btleciraento.
t Rogar, pois, tedas as brasileiras distinctas
por suas virtudes e posigo em nossa sociedade, o
concurso de suas tlertas em prol de tao sania cau-
sa, o lim da i resente ; e sendo assim, o nome de
V. Exc foi, como tem direito, immediatamente lem-
brado.
Os ohjectos olfertados devem ser entregues
commisso, nesta corte, por todo o mez de julho
al meado de agosto.
a A commisso espera, confiada as virtudes que
adornam a V. Exc. e suas amigas, a coadjuvago
que solicita, e pelo que desde ja se confessa eter-
namente grata.
c De V. Exc., attenciosas criadas.Fran isca de
Paula Rarbosa da Silva.Mariana Amalia Prylz.
Viscondessade Tamandarc.Eulalia Furquim Lah-
meyer.Mariana Heyn.Maria Emmerenciana de
Andrade Azevedo.
ebinas de vapon alambiques, assentammtos, disse-
caroentos de partidos, aierros, para o que foi-lhe
misler contrahir graves empenhos em pocas cri-
tic
xandre da Costa, por fgida.
No dia 30 do mesmo mez :
A' ordem do Illm. Sr. Dr. chefe de polica, Vi-
cente Jos da Costa e Joao da Cruz Oliveira, para
recrutas.
A' ordem do subdelegado do Recife, J)o Olega-
rio da Paz, para correegao, Antonio Luiz dos San-
tos, para recruta.
A' ordem do de Santo Antonio, Margarida Mara
da Conceicao, para corrcccao ; e Vicente, escravo
de um fulano Santos, por fgido.
A' ordem do da Varzea, Francisco Antonio, Ma-
noel Miguel e Miguel Francisco da Paz, para re-
crutas.
O chefe da 2.* secgo.
J. G. de Mesquitat
Passagoiros do vapor nacional Cruzeiro do
Sul, vindo ros portos do Sul :
Cmselheiro Joo Lustosa da Cunta Paranagu,
Srs. redactores.Chegando no dia 30 de junho
prximo lindo cidade de Mamanjnape, da pro-
vincia da Parahyba, de volla de minha viagera
esta cidade, onde vim comprar drogas e o mais
que me era necessaro para a botica, com que ba
bastante lempo sou estabelecido naquella cidade,
soube que pela morte do Sr. Cuilm, que eslava era
Monmanguape tratndose de urna enfermidade de
intoetinos, da oual eslava desengaado pelo sea
medico assisteute oSr. Dr. Vital deuuveiro, havi
sido propalado por espiritos malignos de que aquel-
! la morte Uvera lugar por effeito de urnas pilulas,
, que tiaviam sido preparadas em minha bolica, e
; rae em virtude disto o Sr. delegado de polica de
i Mamanguape havia feito ir sua presenga o meu
irmo e socio, oqual apresentando-lhe a receta,
segundo a qual tiuham sido preparadas as pilulas,
! que havia tomado o Sr. Colllo, e sendo tambem
t apresentada as mesmas pilulas, fez o Sr. delegado
voltar meu irmao e socio para o eslabelecimento,
i depois de ter meu irmo explicado e mostrado,
que haviain sido pivparadas as pilulas de coofor-
midade com a receita.
Mais tarde soube que no Tempo da provincia da
Parahyba havia sido publicado o seguinte, que fra
depois"transcripto no Diario de Pernambuco :
f De Mamanguape consta nos o segrale impor-
tante aconleciraeuto, que, entretanto, noticiamos
cora as devidas reservas, aliento que nao possui-
raos informages circumstanciadas respeito.
O Sr. Dr. Vital de Oliveira, que acha-so na-
ce quella cidade, ha aigum lempo, receitou para
um doente de quem tratava doze pilulas em cuja
composigao entravam dous graos de tariaro. Por
equivoco do caxeiro da botica, onde avlouse
essa receita, foram empregados doze em lugar
de dous graos oaqnella substancia era taes pilu-
c las, cujo uso pelo doente, corao fcil de avahar-
i se, trouxe-lhe a morte quasi imraediala.
a Consta-nos que ja esta recolhido cadeia o ca-
xeiro, que preparou tao desastradamente a re-
ceila.
i O boticario, que o principal culpado, est
actualmente no Recife.
i O caxeiro menor, e na anzencia do patro,
' < diriga o estabelecimento. >
l Na verdade diTJcil de crcr-se, como se d para
; o publico, urna noticia, qual a que d o Tempo sem
um ponto de verdade.
E' falso, que o Sr. Dr. Vital de Oliveira receitas-
' se para o doente a que se refere a noticia, que nao
pode ser senao o Sr. Collin doze pilulas, em cuja
composigao entrasse dous graos de trtaro, e que
fossem empregados doze graos dessa substancia em
lugar de dous.
A receita do Sr. Dr. Vital de Oliveira a seguin-
te, e nao trata ella de trtaro.
I!.Scamonia.
Extracto de coloquintidas< a meia oiiava.
eomposto.
Sabo medicinal
F. S. a 36 pilulas.
19 de junho de 1805.
urna oiiava.
sua familia e 4 escravos, Jos Hermenegildo Leal
icasj pelas niemperies da estagiio, queofizeram Ferrera, cadete Jos Pedro das Chagas, Francisco
perder grandes safras, j ptla alta do agio desla deAssis Chaves Peona, Manoel Avellno Barros Li-
praga, a ponto de que chegou ce pagar cerca de ma, Andr Avelino de Helio Galvao, Jos Manoel
200:000> de juros; sendo que algumas dessas di- de A. Fiuza, Jos Joaquim Gongalves Rosa, Dr.
vidas com (o discomraunaes juros capitalisados Eduardo Pindahyba de Mallos, Guiuseppe Cavallo,
tem orgado a mais de quatro vezes o capital prim-, Atauazio Francisco Micheli lo Guerreiro, conse-
tivo emprestado, como bem publico, o notorio Iheiro Antonio Coelho de S e Albuquerque e2 es-
nesta cidade. i cravos, Antonio Francisco de Scnza Braga, Ulrich
Foi por longos annos membro-da junta do jus-i Manoel de Moraes, Ignacio de Souza Magaihes,
tiga, preridente da administragao dos esiabelec-1 tcnente Honorio Domingues de Menezes Doria, .
Anna Joaquina do Sacramento, Andr J s Fer-
nandes dos Santos, Jos Miguel de Araujo, fran-
cisco Pedro da Costa Moreira e um escravo, Alfou-
mentos de caridade desta provincia, bem como pre-
sdeme da cmara deste municipio, enjos cargos
desempenhou com muilo lelo c Intelligencia, e sen-
do remuneraveis taes servigos, nunca se if'ortou so da ("osla, Maria da Costa, Braz Condes, Jos Al
de sollicitar a mnima merc. Outroi seus
abas relevantes foram tambem olvid ">ela
nveja de uns e ora p^la torpeza de le
elle ludo sabia perdoar. ^
Era primeirasnupcias rorcaadocim D. Anna
Maria do Sracramenlo Kigo/rra Pinto de Drum-
mond. filha legitima do sargento mor Manoel Piuto
de Souz3, de cujo consorcio dcixou o> seguintes
lilhos Dr. Antonio de Vasconcelios Menezes do
meida da Costa e Jos Rarreto Paes de Mello.
Seguem para o norte :
Conselbeiro Joo Pedro Dias Vieira, desembar-
eador Joo Rapista Gongalves Campos e soa se-
nhora, Ur. Joo Leile Ferrera, Felizardo Toscano
de Rnlo, Dr. Manoel Carlos de Gouveia e sua fa-
milia, Maria Francisca do Espirito Santo, Joaquim
Manoel da Fonseca e Silva, Zozino Barroso, Dr.
Antonio Mendes Guimaraes, Jos Peregrino Vena-
Drummond, lente da faculdade de direito desta ci- to do Freitas, Pedro Alvaro Rezerra, D. Adelaide
dade e advogado neste foro ; o Dr. Gaspar de Me- Joaquina de Mallos, Francisco Augusto Pereira de
Desea Vasconcelios de Drummond, advogado nos Mallos, Rudinio Rapbael, pillo Alfredo Joaquim
abditorios a comarca do Rio Formoso : e duas (i- de Moraes, lente Joaquim Francisco Camino de
Ibas, sendo tima casada com o Dr. Jos Nicolao Menezes, Lizarda Maria dos Sanios, naturalista D.
Rigueira Costa, juiz dos feitos da fazenda desta Agassis, sua senhora e seis engenheiros quo o
provincia, e outra cora Antonio Maria llamos, agri-
cultor.
t Em segundas nupcias casou se com D. Lanriana
Rosa Candida Rigueira Duarte, filha legitima do
Alacoas. Nojso correspcndenlo diz-nos o se
guite :
Aproveito o vapor do sul para dirigir-Ihe duas ZSbJ^^
l.nhasi sobreest provincia. sorcio deixou dous lilhos menores
Ja Ihe comrr.uniquei que no da 20 do corrente
o Exm. Sr. desembarpador Joo Raptista Gongalves
Campos, passra a administragao da provincia ao
Io vice-presidente Dr. Roberto Calheiros de Mello,
o qual por portara de 22 do mesmo ( o que te-
nho a accrescentar) "drsfez os ltimos actos daquelle
administrador Assim foi de novo nomeado ins-
pector dos estudos da provincia o Dr. Thumaz do
Bom-fim Espindola, e exonerado o Dr. Jos Alocan*
drino Dias de Moura ; reintregado o promotor pu-
blico de Anadia e exonerado o Dr. Barnab Elias
da Rosa Calhriros, que nem titulo havia lirado. O
promotor publico de Atalaia foi removidu para o
Penedo (Dr. Antonio Pereira Camello) e o Dr. Luiz
Barreto Correa de Menezes (do Penedo) para aquella
comarca.
No dia 26 do correnU effectuou-se nos saloes
do Io andar do palacete do Sr. barao de Jaragu,
o baile que os amigos e affeigoa Jos de S. Exc. Ihe
offereceram. Foi esplendido e muilo concorrido de
cavalheiros e senhoras, montandoaquelles em perto
de 130 e este em 30.
A sociedade era muito escclhida e distincla.
Terminou se s 3 horas da nunha, havendo
animagao, ordem e muilos brindes expressivos ao
ex-adminislrador.
t No vapor que hoje ehega esperado o Exm.
Sr. depulado geral desta provincia e presidente da
mesma, Dr. Esperidio Eloy de Barros l'imcntel,
cuja adminislrago desejarnos que seja fel z e pro-
veitosa ao engrandecimento da trra que Ihe den
o ser e que tem direilo a espera-lo de S. Exc.
acompanham, Dr. Joo Martins da Silva Coutraho,
Dr. Antonio Luiz de Almeida e sua familia, e 19
ex-pracas.
Passageiros do vapor nacional Jos S.Romao,
de rujo con- vindo do Rio de Janeiro :
um oe cada Tenente-coronel Francisco Joaquim Pereira Lo-
sexo. bo, tcnente Manoel Joaquim Machado, a'feres Igna-
Era ello mu conhecido nesta cidade, onde go-! co Pereira Serra e Joaquim Velloso daSibeirae
zou sempre de melhor nomeada, e toda i estima e 13 pragas de cavallaria.
consderago,porpossuir excellentes qualida- Passageiros do brigue porluguez Constante, vin-
des moraes, civis e religiosas, com todo o recato do de Lisboa :
e plena modestia. Se nao era completamente lus- Januano Rodrigues Bellas, Candido Rodrigues
Irado, ao menos possuia conhecmentos variados. | Bellas, Emygdio Jos Felippe e Jos Maria Ma-
Dr. Vital de Oliveira.
Ora, ve-se da receita, que na composigao das pi-
lulas nao entrou o trtaro, e que nao foram doze
! as pilulas receitadas, mas sim trinla e seis, portan-
to como cima dssemos, falsa a noticia de que
o Sr. Dr. Vital de Oliveira tivesse receitado doze
pilulas, em cuja composigao entrasse dous gios
do trtaro.
j As pilulas de que trata a mencionada receita, fo-
ram preparadas minha vista por meu irmao, sen-
do as substancias de que ellas se compunhara, pe-
|sadas por mira.
Urna grande parte dessas pilulas foram remetti-
das, bem como a receita, para a secretaria da po-
lica da provincia da Parahyba, e pelo exame qu-
mico que se tiver de faztr nellas se ver que fo-
ram preparadas de conformidade com a receita.
Tambem falso, que o caxeiro da bolica esleja
recolhido cadeia, e que o boticario ao lempo que
se prepararan) as piiulas estivesse auzenle.
O boato que seespalhou por occasio da morte
i do Sr. Collin, que alias eslava desengaado pe)
seu medico, e a noticia que deu o Tempo nao tive-
ram por fim se nao desacreditar o meu estabeleci-
mento ; foram armas indignas de que se serviram
os meus gratuitos nimigos para fenrme.
Ainda quando fosse applicavel o trtaro em qual-
quer composigao de pilulas nao poderia a engao,
que porventura se podesse dar de* entrar na com-
posigao de doze pilulas doze graos daquella subs-
tancia em lugar de dous malar o doente, pois que
muito sabido os tffeitos que pr-duz o tariaro
quando tomado em tnaior ou menor quanlidade
alm c. que o trtaro nao sendo recetado para pi-
lulas nao poderia jamis o boticario enganar-se.
Recife, 30 de julho de 18G3.
Jos Martins Fernanda Nogueira.
O seu patriotismo nunca deixou de ser com-
prvado por muitos e valiosos fados que elle
mesmo procurava nao fazer transpirar por ser in-
tenso a toda a vaidade. Agora mesmo durante a
presidencia do Sr. Dr. Castello Rranco acabou de
ollerecer 1:0005000 para as despezas da guerra do
Brasil com o Paraguay, sem fazer a menor osten-
taco desso seu generoso e patritico off.reci
ment.
t Na idade de mais de 73 annos, ja alquebrado
pelas chronicas o graves enfermidades, no seu leito
de dr e sollrimento interessava-se, indagava sem- i
pre pelas noticias daquella guerra, e enchia-se de
nm desmedido jubilo ao saber de qualqner triara-
pho das armas brasileiras. Poucos minutos antes I
de sua morte, e ja quasi nos prximos delta, corral
versando com seu filho o Dr. Antonio Drnmmmond
dizia ufano 7c confiava agora muito na ida de S.
M. o Imperador ao sul para o bom xito das armas
brasileiras, ao que respondeu-lhe o dito seo filho
que para o maior complemento do nosso infallnel
triumpho, seria para desejar que fosse capturado
ofaranhudo I/>pcz, como necessariamente era o
max'imo empento) dos nossos soldados. A sto re-
cbado.
Cemiteiuo publico. Obituario do dia 29 de
Julho :
Vicente Nogueira, Pernambuco, 50 annos, viuvo,
Boa-Vista ; mejelile.
rsula Maria do Carmo, Pernambuco, 20.annos,
casada, S.Jos, cerebrite aguda.
Irineu, Peruambuco, 1 anno, S. Jos, anazarca.
Joo, Pernambuco, 13 mezes, S. Jos, convulsoes.
Antonio, Pernambuco, 9 dias. Santo Antonio, es-
pasmo.
Genuiua, Pernambuco, 8 annos, S. Jos, pneu-
mona.
Vicente, Pernambuco, 32 annos, solteiro, Boa-Vis-
ta, luberculos pulmonares (escravo*
Jos, Pernambuco, 4 mezes, Santo Antonio, hepa-
tle (escravo).
I Christna, Pernambuco, 2 annos, Boa-Vista, hepa-
A provincia fica, merc da Providencia Divina, (lesionando um amigo, que tamhem presente esta-
em paz e nao ha grandes novidades a relatar-lhe, \ va, que bastara nao ser S. M. o Imperador victima
alm deslas. > de algurna silada, o brigadeiro Drummond ergueu
A' isso temos que accrescentar o seguinte entao a voz ja enfraquecda e disse :t Sim, Deus
trecho di) Diario : ha de salvar o Imperador de todos os perigos, e
tile (escrava).
30
Nao houveram enterramentos.
A correspondencia de 13 dejolho desta provincia
para o < Jornal do Commcrcio. >
Venho protestar contra a falsa informagao que
Falleceu nesta capital de Macei onde habita- traze-lo brevemente a corte cobertode triumphos e' recebeu o autor da correspondencia desta provin-
va ha mijitos annos passados, tal'ez que a coeva de glorias. Dahi a poucos instantes, mal pode ar-! ca para a Jornal do Commercio, quando em um
da povoago, villa e cidade, (aos 23 do corrente ticolar as seguintes palavras:t O hornera nao de seus trechos se expressa pela seguinte forma :
mez) Feliciana Maria da Cooceigo ou de Jess,'nada I ai Jess I eexplrou. Nao ha muito foi publicado um aviso, chaman-
moradora na ra da Boa-Vista e conhecida pela Teve logar no 9abbado passado, como se an-' do corte os offlciaes de engenheiros que nao es-
velha Felicia, cuja idade era para muitos um nunciara, o desempenho do espectculo offerecido lavam.ao servigo do ministerio da guerra, mas at
enigma, mas que acabamos de verificar com a cer-' pela empreza, no Santa Isabel, em solemnisaco' hoje c eslo os protegidos, sem se Ihe darem de
tido de casamento da mesma, passadapelo vigario
da freguezia de Santa Luzia do Norte, ento po-
voago, Manoel Jos Cabral, em fevereiro de 1792.
Desea certido consta que aos 28 de agosto de
1787, na matriz da freguezia, Casra-se Feliciana
do glorioso feito de Riachuelo. tal aviso
O quadro alegrico do Sr. Dr. Tavora, foi agr- Citare nm Sr. Carneiro da Rocha, ajudante do
davelmente executado pela companhia, e satisfez a engenheiro fiscal da estrada de ferro (commisso
espectiva publica. ettranha ao ministerio da guerra), que nem se aba-
Con?la-nos que tem de ir ainda a scena, depois
Maria de Jess, natural da Ircguezia da villa de! de retocado o painel symbolico da victoria.
Alags, filha de Cosme da Costa de Moraes e sua Desejarnos que tenha lugar esse desempenho.
Ion com a ordem a que me redro, etc. 1
E' completamente inexacto que o Sr. Dr. Carnei-
ro da Rocha nao se tivesse preparado para obede-
mnner Francisca Meedes, moradores na frpgoeziai O drama Pedro Sem, a despeilo de ja bstanle 1 cer a ordem do Sr. ministro da guerra ; estava
Srs, redactores.Niio receto os tribunaes,... nao
foram elles instituidos para vvenles da minha n-
dole.
O coreo de Joao Alves de MouraLuiz Fonseca
de Macedopublicou hoje o seu corpo de delicio ....
I porm no ho%ve (por calculo) a assgnalura de
Moura (este velhaquinho nao melle mao era niwi-
. buca....) e saltou pelos fados comogalo por bra-
! zaspara se firmar na amega de me arralar aos
; tribunaes, quando ji exploraram esse meio sem
e*Ho.
' Nao seria mais acertado que esse ex-earroceiro
1 destruisse os fados de que acensado ? e se dei-
I xasse de hespanholadas de que ninguem d f ?
Nao o tal aranzel fehrismado de corresponden-
! cia), injurioso e confirmativo de tudo quanto dis-
se no Diario de 28 do corrente I! quando diz ter
alugado ao legitimo proprietario a casa em que
est montado o meu estabelecimento?
E que depositou os utensilios a mim pertencen-
tes I.... quando esses utensilios n.io foram deposita-
I dos in totum, e s o foram os movis e do insig-
: nificante valor I e foro muito depois do simulado
deposito encontrados na padaria, em seus lugares
fnuccionando (e inda hoje l esto) como consta da
vestoria junta aos autos I
E pensaroquo por alugar a casa a Ilegitimo
proprietario, sao douos do estabelecimento I I____
aonde aprenderam essa lgica ?..
Se assim fosse estavao, os propietarios de esta-
belecimentos e fabricas commerciaes bem aviadas;
muitos desses eslabelecimentos sao superiores cem
vezes ao valor dos predios em que estao situados,
I e encontrando ambiciosas e proprietarios da iaia
I do correspondente, licaro da noute para o dia de
i pernas aoargritandoagua vai.
Sei que estao despeitados por vr a questo ao
' conhecimento publico tenham paciencia ; nem
tudo pode ser a medida de seos d sejos.
E ento ?.... por ora, tomem mais para ojuda
.asegninte pilada.. .
c A casa era que est montada a minha pada-
1 < ria, est embargada, e seus alugueis, cujo depo-
1 sito est em vigordesde 1853, como consta dos
aotos......
< Emquanto nao forera decididas varias qnes-
toes, que sobre ella peodero, por parte do Dr.
Luiz Rodrigues Villares; ninguem pode con-
tratar sobre ella cem nenhuma das partes con-
tendoras ; 50b pena de nullidade e responsabili-
Pastilhas vermfugas de fesiip.
: Chamamos a attengo de todas as mais para o
remedio mais agradavel e til que seconheco para
fazer expellir as lombrigas: tas pastilhas verm-
fugas de Kemp. Em vez de todos esses mmundos
e perigosos remedios vermfugos compostos de to-
da a casta de mineraes apresenlamos um delicioso
confeito vegetal, prompto e infallivel na sua opera-
go, nao causando nauseas nem incommodos de
qnalidade alguma, produzrado sempre o seu effeito
de urna maneira suave o Completa, nao carecendo
depois a assistencia de qualquer um outro purgan-
te : ulil como um excellente meio de fazer remo-
I ver as obstrueges do ventre, mesmo no caso de
nao existirem vermes alguns e tiualraeute tornara-
se ellas dignas por todos os respeltos da conanga
e approvago de todos os pais de familias, os quaes
acharo estas pastilhas elegantemente acondiciona-
das uiutr.wii. frasquinhos de crvstal e a venda uas
boticas de Caors c barbosa e o Jo'm da C. Bravo
&C.
-------
Sade publica.
Purificarao a respeilo de alguns dos medicamentos
da casa Grimatill k C.
Alguns jornaes publicaram urna ordena-
gao d 1 conselho de sade porluguez, que
prescreveu os melicamentos preparados pela
casa Grimault & C. de Pars, com o pretex-
to que esses acreditados pharmaceuticos
foram condemmrlos pelo tribunal do Seina
por terem vendido medicamentos secretos
e falsificados.
Essa ordenagao parecer bem extraordina-
ria quando se tiver lido as seguintes cir-
cunstancias
1. A sentenca de que se trata foi dada
sobre a dennnciac5o de um dos concurren-
tes dos Srs. Grimault A- C, e sobre as in-
formaces inteiramente erradas que foram
dadas ao tribunal.
2. A sentenga foi dada por im tribunal
de pnmeira instancia, c nao tem valor ai-
gum, logo que se appellou ; foi por urna
manobra desleal e contraria a lodos os usos
que os concurrentes dos Srs. Grinault C,
zeram distribuir em grande numero os jor-
naes judiciaes e mandaram publicar em
Franca e nos patees < slrangeiros urna deci-
so que 6 milla, sem nenbum valor emquan-
to o tribunal imperial nao a tiwr approva-
do, e depois delle o tribunal supremo
3." O tribunal imperial nao decidi, mas
1 sim, por urna sentenca de 17 de maio pro-
'ximo psssado, ordenou nova vistoria, a que
jtinlia motivado a decisao dos juizes dapri-
meira instancia lites tendo parecido insuffi-
; cente, depois das novas experiencias intei-
Iramale contradc!oras de um cliimco e
physiologista eminente, o Sr. D. Leconte,
pharmaceutico em chefe dos hospitaes, e
professor aggregado da faculdade de medi-
' cia de Pars.
4. N'essas circumstancias admira-nos
que um conselho de sade publica se tenha
decidido sera informaces mais certas, a
I mandar prescrever ou mesmo a por em sus-
' peicao medicamentos, cujas excellentes qua-
lidades e perfeita preparago tem sido, des-
de muitos annos, r conhecidas por todos os
membros maisdislincios do corpo medical,
! e que tem os nicos defeitos do serem me-
lhores, menos caros e mais procurados do
j que todos os remedios de seus concur-
rentes.
11. i.i 11---------------
A jurubcli-n.
As virtudes therapeutcas da jurubrba sao desde
muito c.nihecidas nao s no Brasil, pois que deltas
tratou Pisn em sua excellente obraSutoria na-
turatis et mdica Imttaioccidentahs, senao as
. Antilhas, onde o sueco das binas e fructos como
' aqui, muilo estimado e apphcado contra as obs-
trueges abdorainaes, principalmente do ligado e
bac); e se todos os facultativos desla provincia o
, nao applicam com frequencla, isto se nao deve a
' nao reconhecercm elles essas virtudes, mas sim a
1 nao serem encontradas com farilidade e era todas
as estages do anno os fructos dessa plaHla, e re-
pugnancia, que apresentam os deentes faer
1 uso do sueco desses fructos, en) consequeucia de
j ser extremamente amargo.
kjurnbeba nao descouhecda dos botanistas :
esla planta pertence familia das solaneas, e tem
a denominago e solanum pantculatum, que Ihe
foi dada por Lyneo.
Parecendo-nos conveniente facilitar o uso do
sueco dos fructos da jurubeba, que o mais cra-
pregado, nos propozemos e conseguimos preparar
com elle nao s um extracto alcoolico (no pode ser
applicado em pilulas, mas tamhem uro vinho, um
xarope, e um emplastro que pode substituir, em
cerlos casos, o de Vigo ; e estamos persuadidos que
com isto prestamos um servigo humanidade e
tnerapeutca.
Pisn, tratando da hidropesa, prescreve a de-
cocgo das raizes da jurubeba, c Mrat e Doleos,
em seu Diccionario de materia medica e therapeu-
tica, dizem que as Aniiihas se faz uso do sueco
dos fructos maduros dessa plaa contra o catar-
rho vesical ; e a autoridade dos nomes desses m-
dicos, merecidamente celebres, nos leva a orer em
suas palavras, o por isto cuidaremos de ter em
nosso estabelecimento essas raizes,para que possam
ser experimentadas.
A repulago da jurubeba tal, e os resultados
therapeulicos obtidos ltimamente sao tao impor-
tantes, que nos parece inulil dizer mais do que
isto, que Dea escriplo.
Deposito: pharmacia de
* Joaquim de Almeida Pinto.
""COMMEEOIO.
Gaixa filial do banco do Brasil cm
Peruambuco.
A directora desta caixa saca sobro o banco do
Rrasil no Ro de Janeiro e sobre a caixa filia] do
mesmo banco na Rahi. *
Novo banco de Pernambuco.
Os administradores da massa fallida de Joaquim
Jos Silveira pagara o Io dividendo de dita massa
na razo de 9 0/0 sobre .0 valor des ttulos ad-
metildos : no novo banco de Pernambuco ra
do Trapiche n. 34.
Soto banco de Pernam-
buco.
O banco descontaletras na presente semana a
9 por cento ao anno at o prazo de seis mezes,
Caixa filial do banco do
cm Pernambuco.
De ordem da directora desta caixa se hz poWi-
co aos senhores accionista?, que o respectivo ibe-
soureiro est aulorisado a pagar o 23* dinea
do semestre (iodo em 30 de junho ultimo a razo
de 12-3 por aego.
Caixa filial do banco do Brasil 13 de ioU tm
I8G3.
O guarda-Iivros,
Ignacio Nones Correia.
ALFA.NDEGA.
Rendimenlodo dia I a 20......
dem do dia 31...............
470:
18:
480:613*71
MOVIME.XTO DA AI.FADEGA.
Volumcs entrados cosa fazenda*----- 42
< c com geatros..... 231
-------*
Volumes sabidos rom fazeadas..... M
< 1 com gneros..... 389
------- 47
Descarregam uo da 1* d orrente.
Rrigue austracoSoiiiYNir du Havrefariaha da
tugo.
Dngue inglez Ann Stamsland diversos g-
neros e carvo.
Rrigue porsuguez Confiantediversos genero-.
liarca ingleza Vesonpedra.
Barca ingiuza///u/i/aferro e carTo.
Patacho dmamarquezFortunnplvora.
Escuna porlugnezaD. Joocharque.
Escuna diuamarquezaDoranadem
Rriguo bdspanhoUVigi'anleidern.
Rrigue porluguez5. Josdem.
Rarca nacionalIWfc-lta
Barca inglezaMary Lordrarvo.
HECEliliDORIA DE RENDAS INTERNAS GE-
RAES DE PERNAMBUCO.
Rendimento do dia 1 a -'."...... 3Q-.5C9I71
CONSULADO PROVINCIA!.
Rendimenlo do da 1 a 29...... 1U6:41999
dem do dia :il.............. .1:MHM
lll:963JCM
MOVIMEITO DO MH',0
Xavios enira Rarcelona32 dias, sumara bespaobola Vnlni, de
113 toneladas, capito I'antalioo Marti, equipo.
gem 11, carga vinho ; a Amoriro irmao.
Rio de Janeiro por Macei7 dia*, vapor narjoml
Jos S. Romao, cominandante Izidoro Augusto m
Sa.
Mario entrado no dia 31.
Ro de Janeiro13 dias, brigoe nacional Varia e
Alfredo, de 319 toneladas, capiiao Joao Viris-
mo de Lacerda, equipagem II, carra fumo e os-
tros gneros ; a Euzebo Raphael Rab lio.
Portos do Sul3 dias e meio, vapor nacional Cru-
zeiro do Sul, de 1,117 toneladas, conmandan lo
Alcoforado, eqnipagero 62.
Lisboa31 dias, brigue porluguez Constante, 4a
238 toneladas, capito Luiz Manoel dos Re,
equipagem 13, carga vinho e ontros genero ; a
Manoel Ignacio de Oliveira & Filho.
Maranho22 das, palhab'te nacional Lsnda Pa-
quete, de 203 toneladas, capito Francisco Iti-
beiro de Barros, equipagem 10, carga arrox c
lastro ; a Antonio de Almeida Cmes.
Hamburpo 71 das, escuna dinamarqueza $***,
de 111 toneladas, capito J. Taorke, eqoipageai
7, carga fazendas e outros gneros ; a Domiagos
Alves .Malheus.
Hamburgo-43 dias, brigue sueco Rio, de 210 to-
neladas, capo Wallertz, eqaidagera 10, carga
difierentes mercadorias; a ordem.
ObservarCio.
Nao houveram sahidas.
HITIS.
O Dr. Trislo de Menear Araripe, aOlcial da ioa-
peral ordem da Rosa, e juii e>pcial do r,-,-c-
inercio de.-ta ci Jade do Recife de Prrnarabaeo e
seu termo, por S. M. Imperial que Deas guar-
de etc.
Faro saber aos que o prosete ediial viren, que
a requerimonlo de Irinoo Ja.1u.1rio de (Mveira,
acha-se abarla a sua fallencia, pela sentenca a
iheor seguinte :
Era vista da pelico de folhas, na qual o roa-
merciaulo trineo Jauuaro de Oiiveira se deeroa
em eslado de insolvencia, hei por aberta a soa fal-
lanca, que se publicar por editaes, rootanoo-se
de boje a epoca da mesma fallencia. N>-mrio cu-
rador fiscal o credor Daniel P.ncracio Wild, que
prestar juramento, e para que *e nomeie deposi-
tario, sejam os enflores convoca los para o dia 2
do mez prximo futuro, s II horas da nuaaii,
na sala das audiencia-. Ponham se sellos aos a>
vros, papis e bens do fallido, procedeodo-se nos
demais termos da le.Recife, 28 de juibo de 165.
Trislo do Alencar Araripe.
E mais se nao nu.iinha em dita sentn
mu bem e fielmente transcripta e copiada
que tenha logar a respectiva nomeacao
sitario, sao pelo presente convocados os
vos credores a comparecereru no da, no
gar cima designados.
E para que o presente chegoe ao conherimeMc
de t.>dos, ser publicado pela imprensa e audo
d. forma do esiylo.
Recire, 29.de|ulhode 18G5.
Eu, Manael Mana Rodrigues 'do Nasciment% es-
crivo, o subscrevi.
Trislo de Alencar Ar5qn.
0 Dr. Tristo de Alencar Araripe, oOhual da im-
perial ordem da Rosa, juiz de direito Op^cM *o
commercio desia cidade do lenle d Pernam-
buco e sou termo, por Sua Magestade Imperial a
constitucional o Sr. D. Pedro II, a qoea Dea
puarde, etc.
Fago saber pelo prasente que do dia 14 do mez
de agosto do corrente anno se ha de arrematar por
venda a quera mais der,em praga publica depois da
audiencia respectiva, o escravo Romao de idade do
1 \ annos pouco mais ou menos, avahado em OflOjS,
o qual vai a praga por execogo do Joaquim tiaativa
Castro contra D. Josepia Francisca Pinito Rigoeira
RomaE na falta de licuantes ser Irrrmatag..,,
feita pelo prego da adjodigo com o abaleaaato
respectivo da le.
E para que c egue ao conhecimento de lodos,
mandei passar o prsenla que sera patcdo pela
imprensa e alhxado nos lunares do rostnae.
Dado e passado nesta cidade do Re ife de Per-
nambuco, aos 31 de julho de I8C3.
Eu Manoel de Carvalho Paes de An au>, escri-
vo o subscrevi.
Trislo de Alencar
O Mira. Sr. inspeclor da 1
cial, em cumprimento da ordem do
sidente da provincia manda fazer
dia 17 de aposto prximo vindouro,'
ta de fazenda da mesma thesoorar
rematar a quem por menos flzer,
2,093 bragas correnies na estrada do
8.000 bragas at o porto da harrel
dos Carvalhos, avenados em 5:313
A arreraatago aera feita na frm
vincial n. 343 de 13 de maio de I
clausulas especiaes abaixo copiadas.
As pessoas que se propozerem a essa arremata-
gao, comparegam na sala das sesses da referida
junta, no dia cima mencionado, pelo meio dia, e
competentemente habilitadas.
E para constar se mandou publicar o prsenle
pelo jornal.
Secretaria da thesonraria pro acial de Pernam-
buco 13 de julho de 1863.
O secretar,
A. F. d'AnnunciaeJo.
Clausulas especiaes para a arrentataeao.
Ia As obras dos reparas da estrada a emtarrea-
mento, entre o marco de 8,000 bracaa e a karrei-
ra da ponte dos Cirvalhos na estrada do .ai. sera*
feilas de conformidade com o orcamento molo na
importancia de 3:313J.
2a O arrematante dever principiar as mencio-
nadas obras no praso de 15 dias e conclu-las a*
de 5 mezes, ambos contados da data da arwrrnu-
cao da arrematagao.
anpe.
aria provir.
m. Sr. pre-
ico ue ao
raaie a mu-
se ka de ar-
nanoj de
il, do marro
la da pe "He
Ida lei rro-
e ob as


I
al ItUPA HA


Otarlo de rrmanhnfn -* Tn j
i

3' 0 pagamento ser realisado como determina
o artigo 79 do regulamento de i) de jolho de 1864
e a responsabilidade da entrega definitiva s ser
applicavel aos calamentos e aterros dos mangues.
4* Para tudo o mas que nao se tem especifica-
do as puseutes clausulas, seguir-se-ha o que de-
termina o regulamento cima citado.
ConformeA. P. d'Annunciacao.
O Illm. Sr. inspector da Ihesouraria provin-
cial em cumprlmenio da ordem do Exm. Sr. presi-
dente da provincia, manda fazer publico que no
lia 10 de agosto prximo vindouro, pcranle a jun-
ta da fazenda da rnesma ihesouraria, se ha de ar-
rematar a quem por menos fizer a obra do empe-
dramento de 280 bracas torrentes entre os marcos
le 13 a 14 mil brecas na estrada da Victoria, ava-
llada em 3:3995200.
A arrematado ser feita na forma da lei pro-
vincial n. 343 de lo de maio de 1854, e sob as
clausulas especiaes abaixo copiadas :
As pessoa que se propozerem a essa arrematago
comparecam na sala das sess5es da r>ferida junta
no dia cima mencionado, pelo meio dia e coinpe-
temente habilitadas.
E para constar se raandou publicar o presente
pelo jornal.
Secretaria da thesouraria provincial de Pernem-
buco, 10 de julho de 186o.
O secretario,
A. F, da Annunciarao.
Clausulas especiaes para a arrematarao.
1* O empedramento entre os marcos de 13 a l
mil brabas ser'execulado de conforraidade com o
respectivo orgamenlo na importancia de 3:599,5-00.
2" O arrematante comecar os trabadlos no pra-
zo de 15 dias e os concluir no de 5 mezes, ambos
contados da lata da approvacao da arrematago.
3* O.-, pagamentos serio feitos em tres presta-
edes igiaes e correspondentes a cada terga parte
da obra execulada.
4 Suffrer o arrematante urna multa de 1005 se
paralysar o servigo por lo das ou mais.
a* Nao poder o arrematante sob pretexto qual-
quer pedir indemnisago alguma.
6* O engenlieiro enearregado dos trabalhos dar
ao arrematante as instrveces a respeito do servi-
do, as qoaes s.ro ob-er"adas sem a menor discre-
pancia.
7" O que nao se acha aqui previsto ser regula-
do como se ada determinado no regulamento de
9 de juinlio de 1865.
Conforme,
A. F. da Annunciacao.
O Illm. Sr. nspecter da the.-ourana p'rovin-
cial.em cumplimento da ordem do Exm. Sr. presi-
dente da provincia, manda fazer publico que no dia
10 de agosto rroximo vindouro, perante a junta da
fazenda da mesma thesouraria, se ha de arrematar
a quem por menos tizer, os reparos do empedra-
miento ele 250 bragas entre os marcos de o a 8 mil
Jaragas na estrada da Victoria, avallados em.....
3:1575.
A arrematado ser feita na forma da lei pro-
vincial o. 343 de 15 de maio de 1854 sob as clau-
sulas especiaes abaixo copiadas.
As pessoas que se propozerem a essa arremata-
do comparecam na sala das sessoes da referida
juuta, no dia cima mencionado, pelo meio diae
competentemente habilitados.
E para constar se mandou publicar o presente
pelo jornal.
Secretaria da thesouraria provincial de Pernam-
buco, 10 de juutio de 1865. *
O secretario,
A F. da Annunciarao.
Clausulas especiaes para a arremalacao.
i' Os reparos do emparamento da estrada da
Victoria, entre os marcefe de^o a 8 mil bracas serao
executadas de conformidade/com o respectivo or-
namento na importanciado 3-]o~3.
2S O arrematante camecar os trabalhos 15 dias
depois da approvagao do contrato, e os concluir
em 4 mezes, contadas tambera da data da appro-
vacuo.
:i' Os pagamentos serao feitos em tres prestacoes
iguaes e correspondentes a cada lanco da obra oxe-!
cutida.
4* Soffrera o arrematante urna multa de 1005 se
paralysar os trabalhos por mais de 15 dias.
"" cuhv""
Sala to conselho de orapras do arseoal de guer-; ser embarcada no dia de sua cheuada. enfbm-
ra, 31 da julho de 1865.
O encarregado da escripturago,
mendas e dinheiro a frete at o dia da sabida as
l horas : agencia ra da Cruz n. 1, escriptorio d :
Manoel Jos de Azevedo santos. Antogio Luizde liveira Azevedo & C.
Attencao*
Para a Bahia pretende sabir
com muita brevidade o velelro
luRre Emilia, capito Bernardi-
no Rodrigues de Almeida, por
ter a maior parle da carga tra-
tada, e para o resto que Ihes
falta tratase com o consignatario Joaquim Jos
Gongalves Bellro, na ra do \ igario n. 17, pri-
meiro andar.
O procarador di cmara municipal de Olinda,
abaixo assignado, faz sciente que o sitiD denomi-
nado Butnn foreiro a mesraa cmara. Olinda
31 de julho de 1865.
_____________Jos Joaquim Xavier Sobreira.
Correio geral
Pela administragao do correio desta cidade se
faz publico que hoje (Ia de agosto) as 2 horas da
larde fechar-se-hao as mala" que o vapor Cruzeiro
do Sul tem de conduzu- para os portos do norle.
As cartas sero adraittidas a seguro at as 2
horas, e os jornaes serio recebidis at o meio da,
Correio
Pela adminisiracao do correio desta cidade se
faz publico para fins convenientes, que em virtude
do disposlo no art. 13S do regulamento geral dos
crrelos de 21 de dezeiubro de 1845. e art. 9 do
decreto n. 183 de 13 de maio de 1831, se proce-
dern consumo das cartas existentes na adminis-
tracao pertencentes ao raez de julho de 1864, no
dia 3 de agosto prximo, as 11 horas da |manhaa,
na porta do mesmo correio ; e a respectiva Jista
se acha desde ja exposta aos interessados. liveira Azevedo & C
Administracao do crrelo de Percambuco 26 de Cruz n 1 '
julho de 1863.- O administrador ------------------------------------------------
Domingos dos Passos Miranda. rara O Hio UC JailGll'O.
COMPANHIA PERNAMBUGAJA
DE
Navcgaco costeira por vapor.
Por ordem superior lica trans-
ferida para o dia 5 de agosto pr-
ximo, as 10 horas da mauha, a
partida de um dos vapjres da
companhia para o presidio de
Fernando de oronha. A carga ser receida at
o dia 4. Encommeudas, passageiros e dinheiro a
frete at 9 horas do da da sabida : escriptorio no
Forte do Mattos n. 1.
Para o Rio da frata ou Hio
Grande
Frela-se a barca nacional Restawacao : a Ira- teria Y26'1)
lar com os
MARTIMOS
CONTRA FOG.
A Companhia Indemnisadora
establecida Bit praga, toma seguros martimos
sobre navios eseus carregamentos e contra fogo em
edificios, mercadorias e mobilias: no seu eseripto-
r'?'-rna d0 V'garioji. i, pavimento terreo.
Inslriicco prliiria"
Acba-se aberta a aula publica de instruego pri-
maria do sexo f.-minino, na povoacao do Monleiro.
MAMM1
A Henead.
M. 39-Rnai\'ova8. 32
E' desnecessarto recommendar aos numerosos
freguezes deste estanelccimento de modas, o va-
riado torli meato de que sempre est prvido, e
por isso apenas chama a atteago do bello sexo
para um sorlimeoto de chales de merino a moder-
na, vindos no ultimo vapor francez, assim como
Capelinas de crep proprios
mullos arligos de moda- que
Continua se a rereber Bgnrinos por lodos os va.
dores da Europa, os qnaes sao applicados para
a manufactura das m> las no seu e.-tabelecimenlo-
Ai rendase um sitia no Jacar, estrada que
vai para Agua-Fra, cun cai-a de podra e c.l.ulti-
mamente edificada, com bastantes commodos; e-te
sitio tem arvoredos de frucias de todas as qualida-
dcs, bom terreno para plantaran, e baixa para ca-
pim. Aluga-se tambem o armaiem do sol na ra
da^oncurdia, proprio para qualquer estabeler.i-
mento : a fallar ao solicitador Barroso que mora '
beneficio da Santa Gasa de no sobrado n- 34.I3d0 esl rt'f armazem, tanto
para este, quanto para o sitio mencionado.
Fornece-se comida para ea*a< d*. famriia,
ou ifhYinas, com lodo o asseio e proiaplidw.
to varia 'a, e por romim-.-Jo pregn, m>Ma *e
em casa ; lamben renta rn.-(.'nm*>n.la; 4e
dtices d:' indas as qaalirf >ua da '..i\a
Boa-Vista, casi partkaiar.

Do lonco da I'arahloa
O noss.) avis M d5 > eal mi Sr. Dr Jim-
tero M. de Medeirc- Furlad i, a ,to e M-istn*
advocado desta dade.
O advogado lr,: i-.>.ro a qu^m n* re
dizem, ter escriptorio na pr-ga de S. l*rm,
para luto e oulros Porta qnedi en'ra.'a para o cpirnli., a> ru
a vista do fresuez SP Sl 're MO> gonzos, t -m um runjrr qi'ie aloi
a toda a gente que por ah pasta.
LOTERA
AOS 6:000#000.
Sabbado 5 de aiosirjdo corrate anno,
e'iitff mmi
pretende seguir com muita brevrdade o patacho
nacional Regulo, tem p'*rle de seu carregamento
engajado, e para o resto que llie falta e escravos a
Relagao das carias senaras existentes na admiois- frete, trata se com os seus consignatarios Adtonio
traga do correio desla cidade para os se- Luiz de liveira Azevedo & C, no seu escriptorio
nimios abaixo declarados : i ra da Cruz n. 1.
Antonio Jos Teixeira Mendonga Belm.
Padre Antonio Jos da Costa.
Baro do Livramento.
Belarmino de Barros Correia.
Dr. Demosthenes da Silveira Lobo.
D. Emilia Fortunata deGusraao.
Dr. Francisco Amintas de Camino Moara (2)
Alferes Francisco de liveira Cabral.
llerculano Mainart Franco.
Tenente-coronel Hemeterb Jos Veloso da Silveira.
Dr. Inuocencio Seraphico de Assis Carvalho.
Joo Silverio de Souza.
Jos de Almeida Lima.
D. Luiza de Almeida Pinto.
Manoel Jos dos Santos.
Padre Venancio Henrique de Rezende.
CASA DA FORT 0x1
Aos 6:000000.

se extraliir a 0a parte da Ia e Ia da 21 lo-
a
seus consignatarios Antonio Luiz de Misericordia para canalisacao d"asua i
no seu escriptorio ra da no ,lS|)jtal Pedro n> nQ nsslorio (]a jggre. |
ja de Nossa Senhora do Rosario da fregu-
zia de Santo Antonio.
Os billreos, meios e quartos esto a ven-1
no SSfl" lheSUrara 3 rUa d CrCS-: A< RL'A "' 5""S DObsTUME
pu iiuiuu 10. tkcAAAMnAn v I O abaixo assignado venden nos seus muitofeli
Os premios de 6:0005000 ate 10^000 zes bilhetes garantidos da lotera que se acatara
serao pagos unta hora depois da extraccao d.e exlrahir' a beneficio da Santa Casa da Mise-
Para o Para, com escala peio Marauhao, ?re at as 4 lloras da tardp p n< mitins rlpnai ricordia 0 -eguinles premios :
tende sabir em poneos dias o lugre Emita, cap- JJ, { JLS55JS.fl2l P Uous 1uarl'Ji n" 2203 corn a sorte de fi:00n'-
tao Bernardlno Rodrigues de Almeida, tem a ui2>iuuivao lias usas. Dous quartos n. 1203 com a sorle de 1:2000U0
maior parte da carga tratada, e para o re.t) que As encotnmendas s rao guardadas SO-, Um quarto n.928 com a sorte de 4005000.
E outras muitas sones de 1005, 405, 205 e
ihes falta, tratase com o consiiiaiario Joaquim mente at a noile da vespera da extraeco E ouiras
I JosGongalves Beltro, na ra do Vigario n. 1", como de COStume 103000.
pnmelro andar, ." !^*......
Servindo de thesoureiro,

ISILOSS.
__________Jose_.Rodrigu.es de Souza.
Manoel Caetano Borges^ e Silva
LEILOES
DE
Tildas as semanas
NO GRANDE ARMAZEM DE LE-LOES
DO AGENTE
O LY NI PI
36-Rnada caricia do Hecfc-36
, relirando-se
para Europa, deixa por seus procuradores os Srs.
Joao ao Rogo Lima, Domingos Jos da Costo, Gui-
ir.araes. e Jos Das de Brilo Guimaraes.
Manoel Caetano Borges o Silva vai a Europa.
Vende-se urna rotula e urna janella em mui-
ra das Aguas Verdes n. 92.
EMPREZA-tJOIMBRA
Reelta extraordinaria.
Em consequencia da prxima chegada de S.
Etc. o Sr. presidente nomeado para esta provin-
cia e desejar offerecer a empreza, por esta motivo
um e-pectaculo ao publico, resolveu transferir o
que fura annunciadi para quarta-feira, em obso-
quioda familia do fluado Pernamhucano capilao
Pedro Alfonso Ferreira, o qual lera' lugar no dia
quinta-f.ira immediato.
Dovendo ter representagao esse espectculo fes-
tivo no da da posse de S. Exc. e sendo essa na
quarta-feira, nao era possiv.'l da-a a empreza
nesse dia senao transfera lo o annanciado.
Quarta-feira 2 de agosto de
1865.
!o bom oslado :
Precisa-se de urna ama forra ouTcapTva : na ; n,_
ra larga do Rosario n. 35. r"a
Joao Taraces de Medeiroe, sabdito portugus, i
retirase para Europa no prximo vapor que tem
de seguir:______
Precisa-se dt.
ratrlz n. 40.
um criado : na ra da Impe-
Ospossuidores podem vir receber seus respec-
tivos premios sernos descontos das leisnaCasa
da Fortuna ra do Crespo n. 23.
Acham-se a venda os da 6' parte da 1" e 1"
da 2a lotera (26*j beneficio da Santa Ca.-a da
Misericordia para canahsagao de agua e caz no
hospital Pedro H, que se eitratrir ,-abbado 2 de
agosto.
PREGO.
Bilhetes. ". 75000
Meios......35800
Quartos.....15900
as pessoas que compraren! de 100(5000
para cima.
Bi nieles.....C5*i00
Meios......357.",0
Quartos.....15700
Manoel Mabtins Fiuza.
DEVOgiO
DA
Sxeelsa Senhora Saai
Anua na matriz de Sin-!
to Antonio.
O abaixo eselsmMm f s^ienie ao m-
Speitavel pabtae que amanla 30 do r-
reate, tem lugar 4 l~>u da n^sa rir*
HP sa padroeira Senhora Santa Ar.na n->la
___ matriz, com pompa i brtHmNmmi o>mo
^ de co-tume, pira i-sie iin >\ > r.(rvi.la.fc*
_|_ lodos os irmos e devotos Knbara.
O.DisDno da Imdk di Santa Aa-
_^ na nr. mairiz de Saulj Auiboi^, 20 m-
M Iho de I8M.
^ O eaerhie interina,
'!*; Giudmo Euda.-io de llrM.
Caaa \At
ferro.
Grande sortimento da* rntammi joe ba n>
cado : na ra Nova n. 31.
A|uga-se
Aguas Verdes:
por intrvencao O Sr. Virissimo Antonio de Mallos queira di-
rigir-se a ra do Mondego, olaria n. 13, a negocio
; que Ihe diz respeilo.
.> O arremtame cumpnra as uiucus .|u" ran
Logo que S. Etc. o Sr. presidenie
d3 provincia
\- -7
te ao sjrvigo, Ihe forera dadas peloeugenhei- Quena symi.honn Anda a qual represen! r-se-ha o
balhos : muit" linJo Qiadro allegorico produccao do Sr. Dr.
Tavora.
A VICTOW l DE RiiCilLELO.
PEKSONAGUNS.
Brasil........ Amoedo.
America..... Lisboa.
Indio........ Teixeira.
Paraguay.. .. Bordes.
O quadro allegoric se acha augmentado pelo
autor e o painel que symbolisa a victoria igual-
mente retocada peloSr. Dimellas.
Esta' certo o emprezario do que desta vez anda
ro encarregado dos tra
6" Nao poder o arrematante pedir indemnisa-
co sobre qulquer pretexto.
7* Para tudo quanto aqui se previnir, se obser-
var ii que determina o r.'gulam.-ato de 9 de julho !
de 1804.
Conformo,
A F. da Annunciarao.
Urna labei'ia a roa da Imperatriz nu-
mero A',
Jos Roque Autuucs Villana
far leilKo dos gen.-ros, armagao e mais utencilios
da sua taberna sita a ra da Imperatriz n. 43, 65, seis mezes 115, um anno 185.
com consenso de seos credores e
do agente Cirdero Simo ?s. isto
HOJE.
as 10 horas, na mesma taberna.
leIlao
De um sitio as areias do Gipui, com casi q :ai
nova leudo esta um quarto com 2 portas ipie
serve para negocio, tem mais sala de frente
com porta o janella, sala de meio, dita de detraz,
3 quinos, cosios, casa de rancho, foreira c
lflflialt!"n'.-ei...i.... f-.i.-ijv.-r:..-.______--
C'ordero Sfiuoe*
porconta e risco de quem perlencer vender en
leilo o sitio cima mencionado, cuj-j sitio vende-se
por resgale de urna hypotheca, istj
Quarta-fe:ra 2 de a.^oslo
as ll horas, no armazem a ra di Criu n. 07.
Na ra do Imperador n. S.'i, segundo andar,
precisa-se fallar com os seguinies senbores, para
negocio que Ihes diz re>peilo.
Antouio Nunes de Azevedo Campos.
Aluga-se o primeiro andar do sobrado D. 9
na ra Direiti, entrada pela ra da Penha : a tra-
tar no segundo andar.
jTparte da casa n. 92 da ruTas I {a*li? d? Rucl,a Oiiveira.
a tratar na mesma. I KUIZ ^' da Silveiia-
----------------- -------------------j Manoel Corra da Silva Lobato.
Semana liaslrada do Uto de Janeiro Joao Perelra da Suva.
Assigna-se na ra do Crespo n. 4 : tres mezes Jos Lopes lavares.
- Aluga-se o segundo
da ra da Gula, pintado
commodos : no Io andar.
andar do sobrado n. 62
de novo e com muitos
Joao Qoirino de guilar & C. compraram
por ordem do Sr. Antonio Pedro dos >antos (do
Maranhao) a bilhete inteiro n 676 da 6" parte da
1* e 1" da 2* lotera para canalisagao d'agua e
gas da Santa Casa da Misericordia (26*.)
AHip-a-.-e uiS" scrava para StfrVieo m'iei-no
e externo de urna casa : na ra do Imperador nu- ;
ni-r.j :0, lerceiry andar.
Jos Francisco Rodrigues.
Felippe Borges Leal.
Custodio Jos de Carvalho.
Antonio Seraflm de Deus.
Manoel Francisco Coelho Jnior.
Joao Antouii Perelra Ramos.
Joo Marinho Paes Brrelo.
Antonio Tiburcio da Costa Monleiro.
Sebastiao Antonio de Albuquerque (c-studante).
Francisco de Frcitas Barbosa.
Francis''o Gomes dos Sanios.
Joao Gomes Pereira.
Jos Luiz Pa.iheco 'le Souza.
Aluga-se O solio do sobrad n. 62 d* nu da
Guia, com duas janellas de (reate e moitoe eou-
moiios : no primeiro a dar.
Precisase alugar na ra du Imperador a. L*.
um ou dous andares de sobra Jo em .joal jour Ja-
principaes ras de-ta ndmm.
.?. O advugad Gj.j\ Va<, nnrHl"*, p.le VfT
>j ser Procurado io e-criplono da ra do Z
*< Bosario estrea n. :i. nu em >ui ri- W
deneu a ra de Bol n. y. __>
m ?Kiara wmmm wmm
I ngio no dia 22 doruiitMu a mm 4r
neme Joaqn n.i. !! i la !e 3o na -. | ou
mono-, com o- signa* < seg mCi -: .'-;,i.r.i r ;u-
lar, cor lula, com al^nma bRa Vams ea fren-
te, e en de um:i pirna ; tai vi -t i ir uta a I
fe em companhia de um es itwnu '. > M- Ir Joa-
quim Lopes de Ai, ;.>. d-n :vna
a pepar Te ao rapitao Chri-i..v,, \- r ir. I
em Oiinda, na ra de 8. BlM, q* irr mmm>
pensado.
!S'o seria ll.
Continuando a ser pobliceip mnt JJmns 'n-
nunrioda fuga da esrran .' .! i I >-.
capilao Cbristovie Perfira i'ni, de Mib: e
constando que ella se .v\,i -le-t., ,i.i, ri.lad^. m
Ujjposho, con vira' que o IMm. Sr. Um, !
setencia disto, oa retire sea annunne-, o men-
cione o sppareeimealo da exrwe, ro q>i.*m r*v*
ella para o Recife, e furia ; jt em depnil: pai
nao tem visos de pro.'uihdade que i*s p laar*
fazer o pobr? pr : i :. i -o de q:e >. s.
seu anouncio.
Francisco AiohioVieira da Silva.
Domingos Jos A lonso Alvos.
Joaquim Francisco da Silva.
I Joao Ribeiro de Castro.

Jj'iJ'j
.; t ..
Pela Ihesouraria provincial se faz publico, que
a arremataeao da obra da conclaso da casa da
cmara e ca.:i da villa do Bonit?, fui transferida
para o dia 3 de agosto prximo vindouro.
Secretaria bnco, 21 de julho de 1865.
O secretario
A. F. d'Annunciarao.
Xo dia 1 de agosto prximo vindouro, finda
a audiencia do Dr. jais de erphaos se ha de arre-
ir um sobrado de dous andares sito na traves-
sa de S. Pedro desla cidade n. 4, avahada por
j, por ser a ultima praei.
O Dr. Luiz de Albuquerque Marlins Pereira, dele-
gado de polica do Io districlo do termo da cida-
de do Kecife etc.
Faro saber que acha-se depositado por mandado
(leste jnizo um relogio e um trancelim que fra
ap rehendido a Jos Gongalves Nevos, no dia 20
do correrte : quem for seu dono comparega, que
probando Ihe ser entregue. Recife 28 ue julho
de 1863. Eu Dionizio Ferreira Cavalcanti, cscri-
vo interino do juizo o escrevi.
L. A. Martins Pereira.
Pela thesouraria provincial se faz publico,
que a arremat igao do foruecimeuto dos medica-
Ii&3IIi%0
De movis c outros iijectos ds goslo.
CordeSro ^inics
; far leilo porconta e risco de quem pertencer de
1 mobihas completas de Jacaranda' eamarello, guar-
! arligos de agosto, isto
Dr. Franklin Tavora.
Em seguida representar-se ha o multo applau-
dido drama em 4 actos
; OII,:rce se urna mullier para comprar eco
sudar : a tratar na ra de S. Bom Jess das Criou- Jos Francisco'da aa.
las n. 23._________^^______________ | Miguel Arcanjo Ferreira.
A Semana Illustrada e o|2T
Bazar Volante, do Eio de
Janeiro.
Assignam-se na ra do Crespo n. 1, o primeiro
a Cj por tres mezes, 1|} 6 mezes e 185 um anuo,
o segundo a' 105 6 mezes o 18 um anno.
qtiim Francisco Moreira.
Francisco de Apuiar Jnior.
Julia Rosa de Almeida Pinto.
! Leopoldo Gadault.
1 Joaquim d > liveira Maia Jnior.
Qninta-feira 2 de agosto.
RECITA EXTRAORDINARIA CL'JO PUODl'CTO SERA
Al'-
Quarla-feira 2 de agosto as 11 horas.
No armazem a rus da Cruz n. 57.
LEUAO
DE
Mobihas completas de Jacaranda' e amarello
guarda vestidos, commodas, loilets
amarello com podra marmor
um par de bancas de mogno para voltarele,
radores, marquezes larcas e eslreitas, camas fran-
cesas de Jacaranda' e amarello, um carro de 4 ro-
das com a competente parelha de carallos e ar-
reios, 1 cavallo para sela e cabriolet, 1 cabriole!
; es posta
A Euterpina Nacional responde a perguu'a Lita
em o Diario de 29 do mez lindo, que inexacto o
tersa ella oh"3rcci lo a irmandade da matriz da
Boa Vista, pira tocar na festa que alli se celebrou
como podeattesiar a mesma irmaudade, e nem a
. Euterpina se cffereceria, porque sabe, que em to-
de Jacaranda e das as Testase funegoes onde possa haver noli-
i.'a, nholos c s.'rveja, nr.o dado o apresentar se sendo
o Collegio Unio Permauente Por agora o que
podemos responder.
O pedagogo Major Canoa.
- Preci>a se de urna ama para casa de pouca
familia, prefere-se que seja escrava : na travessa
dos Quarleis, outr'ora ra do Senhor Bom Jess
das Crioulas d. 34, sobrado.
Urna
escrava
Preelsa-se anear --crava oae al.a h~
cozinlir e mser ornis mtvm mnai da nnu
paga-se bem : na iuu a l:i, _>r -t,. t \:
segundo andar.
COMME11CK).
Quem precisar de un, eaiairp
para r raaras
da praca e mato, e o r-.-.. de mpo e*tar
tabeleeimenlo, deixe caria fecha.!.i naira---.
Q .,Ao n. 1 com as inteiaei A. F.
Para
Kna>.

' :>T' *t&
ana-
AFF0NS0 FERREIRA.
Aberto o espectculo pela symphonia do eslylo
subir a scena-o sempre applaulido drama em" 1
prologo e 4 actos
AS
IHULHERES DEMARMOHE
Seguindo-se-ilie o gracioso duelo cantado pela
meul is uecessanos enfermara da casa de deten- Sr"" D- EuBena e Lisboa, sob o titulo
JjMoi transferida para odia 10 de agosto vin- Q EST0D4NTC E A LWADEIR.1
Secretaria da thesouraria provincial de Pernam-
bu :e 38 de julho de 1863.O secretario,
plicadocomo donativo da kMPKBM A SDBSCRIP- _e 4 rodas, 1 dito de f rodas, caixas com charutos
(torios, objectos i
logios e oulros maitos artigos.
2A.'1?0VIDA:,ESTA CID*D8" riVM^ vilva da BahTa,vat^os:ol)ie^s'd7o7roTDrViL*Mr^
E F1LH0S DO BRAVO PEltX.UIBUCANJ CAPITO PEDRO l-~- -......-----= -
Ama
Quarta-feira 2 de agosto as 11 horas,
no esnaco^s armsem
(!o agente
A. F. dAnnunciago.
Principiar as 8 horas.
O pequeo resto de bilhetes est a venda no es-
OLJIMFW
36Una la Cadei* do Recite3G
LEILAO"
De predios em chaos fofeiros.
Um sobrado de 2 andares e soto. da ra \a
r,X d ,heatr0 0Qie P0iera desde ja ser pro- 8"sla n. 2, ora o oito para a travossa do Monte..
curado.
O emprezario tendo em vistas facilitar e abre-
viar o recebimento das importancias dadas pelas
pessoas que se dignaram com o seu patritico va-
ro, que rende 1:248,$.
Uma casa terrea da ra de Santa Rila
rendimento annual 300J.
Uma, diu.ua, njjutt riu a. 23, aua ieaU.....
14*1.
Uma dita na ra da Ponte Velha n. 2i, que ren-
de 163.
Uma quaru parte do sitio do Cajueiro n. 6, cora
Santa Casa de Misericordia do
Recife.
A Illm1 junta administrativa da Sania Casa de
Pela raparlieio das obras publicas se faz
publico para conhecimento das pessoas a quem
convier, que os orgaraentos das obras que tem de
*LVlmu??EL~ Lhc^rara Proviacial' es-: "ment oadjuva-lo no desinteressaVe nobre'em-
uo> latentes a toda* a, pes,oas que qu.zerem exa- penho era prol da familia do distinelo fallecido,de-
swrpta-ia A* ntiras nnMin.. eA^i_ii. a, rminou. Par ajuda-lo, nomear uma commisso
Joo Joaquim de Siqueira Varejo. ^S^S^ltS/'Si^ "" "" de EKSft-
lias, na noile do espectculo e no momento da en-
trada.
O emprezario deixa de levar a scena qualquer
um outro drama em qm pelo fado de tomar nelle
Misericordia do Recife manda fazer publico que no psrtvclara e mais directamente demon^trasse a Oiiii ita-fcira
dia do prximo futuro mez de agosto, pelas 4 su? boa v<>ntads e offleios de araizade para cora o | v
hons da tarde, na sala das suas sessoes, contrata ?bJect0 do beneflcio, trabalhando como artista que
para a obra da ra da Gloria o fornecimento de 11 i? som.ente Pel mo,lvo rte ter de ser um dos raera-
milhfiros de telha de boa qualidade : os concor-, brs dauella commisso.
rentes devem apresentar as suas propostas em car- EsPera> porm, que o publico pernamhucano,
ta fechada. justiceiro sempre, conveoga-se da verdade de que
S rolara da Santa Casa de Misericordia do Re- nada Pupou a empreza no sentido de dar a mais
I particular cooperagaoao acto, attendeodo que at
j escolheu e da quarta-feira 2 de agosto, dia de es-
I pectaculo da casa, e em que o brilhante corpo aca-
' demico mais ou menos concorre ao theatro, ludo
. para a ampia e real consecugo do din.
Um sobrado de dous andares n. 33 da ra do
Vigario que rende 8405.
Um dito de dous andares n. 33 "da ra das Cru-
zes. rendimento 7145.
de agosto as II horas era
ponto.
O agente Pinto fara' leilo precedida a compe-
tente autorisago, dos predios cima mencionados
| edifleados em boas ras, as 11 horas do dia 3 de
agosto, no armazem da ra da Cadeia n. 62.
Precisa-se de uma sma para o servigo interno de
uma casa de pouca fattilm : a tratar na praca do
Corpo Santo n. 17.
i AMT
Na ra dos Pires n. 34- ha urna escrava muito
Del para se alugar.
Aluga-se o terceiro andar com um grande
soto do sobrado da ra do Imperador n. 73 : a
tratar no segundo andar do mesmo.
Ana
Precisa-se de uma ama : na ra de Hortas n
142, primeiro andar.
Os procuradores do Sr. Francisco Jos de
Campos Pamplona (que se acha actualmente em
n. 8a, Mamanguape liquidando a casa quo alli tem; de-
sejando estar a par do passivo do dito senhor, pa-
ra lue> dar dkftit a nhuui^aa que Ihe forera che-
gando os algodoes e mais gneros remettidos pelo
seu comitente, sendo que ja' exislem em seu po-
der alguma quantia, convidara os Srs. credores
para que Ihes eoviem as suas coutas al- o dia 10
de agosto, tanto do que porventura estiver vencido,
como do que se ti ver ainda de vencer, pois preten-
de logo depois desse da dar comeco ao pagamen-
to : ra do Vigario n. 2.
______________ Pliipps Irmaos & C-
-zm
m
Dentista de Peraambiico._
\ Ra estrella do Rosario n. 3, g:
ao p da igreja
!fMiTCSCQ pisto 0Z0R10|
'ooea dentes artfiflciaes j_f
| pelos syseaiis mais mu- m
| Emprega todos os meios .cientficos para g_]
I conservar os naturaes. Pode ser procura- |?_
S do em seu gabinete das 9 horas da ma- "'
| nhaa as 5 da tarde.
lili
mi
Alugam se dous grandes sobrados cora coral
modos para numerosa familia, novos e aceiados
com jardim, cocheira, estribara e ouiras commo-
didades, n travessa de Joo Fernandes Vieira :
a tratar na ra da Senzala Nova n. 42.
Xo domingo pea manha fu?iu do primeiro aa-
dar do sobrado n. 2o da ra da Penia nm ,s^.
aio : rogase a quem o tiver apianado o Lvjr de
o entregar, que ser remunerado.
'Mi O ^r- tarollno Francisco di; Lima San- |
^2 tos contina a morar na ra di Impera !
j dor n. 17, segundo andar, tendo alias sea
/$; gabinete de consultas medicas, logo ao
B entrar, no primeiro.
__Pj O mesmo doutor, que ?> i i
fi esludo tanto das opera$3es com d^s ma-
s lestias intornas, presta se a quina cha
mado, quer para d nlro q-r para f..r.i
_^ da cidade.
Anu.
Aluga se uma escrava para ama Je uma essa du
mogo solielro ou de prnira faaail tai r.zinhHra
6 sabe comprar bem : na ra d>; S. B.>m lava ia>
Crioulas n. 3.
EMPREZA
cife .11 de julho de 1865.
O escrivo,
F. A. Cavalcanti Cousseiro._____
Arsenal de guerra.
O conselho de compras do arsenal de guerra
precisa comprar o seguinte :
Pars. provimento do arsenal.
10 arrobas oleo deliuhaca.
2 arrobas pregos francezes de 2 e 3|4 de pole-
adis.
40 fechaduras pira caixas.
40 pares de dobradtgas pira ditas.
30 grozas da livelas para mochilas.
Pira o corpo de polica.
160 camisas de algoJozinl o.
400 frdelas de dito.
As pessoas (|ue quizerera vender ditos artigos,
apr*aeulem suas proposias cora as respoclivas
amostras, na s.la do conselho, as U horas da ma- demora do coslume seguir'
nhaa do dia 2 do correte ; advertindo-se que as sul.
camisas, caigas e frdelas -ero recolhidas no dia' Desde ja recebem-se passageiros e engajase a
imm listo a corarra. carga que o vapor poder conduzir, a qual dever
IISOS iflABITIMOS.
COMPANHIA BRASILERA
DE
PAQUETES A VAPOR.
E' esperado dos portos do norte
at o dia 6 de agosto, o vapor
Paran, coramandante o capito
de fragata Antonio Joaquim de
Santa Barbara, o qual depois da
para os portos do
Leilao
De ama casa terrea oa roa do Monego
n. 67, edificada em chaos"jreprios.
Quinta-feira 3 de agosto.
Por nlervengao do agente Pinto, no armazem
da ra da Cadeia n. 62, onde havera' leilo de
mais predios,
Attencdu
i Pergunta-se cerla farpela da Casa, Forte, que
nao tem olho vidrado, quanto ganhou pela novida-
de, pois para onze letras tem feito e pode fazer
fortuna com tal especulago.
j """ {CRIADO
Precisa-se de um criado para o servigo interno
e externo di uma casa de pequea familia : a tra-
tar na ra das Larangeiras n. 14, segundo andar
Aluga-se a casa terraa da ra Imperial n.
213 com 6 quartos, 2 salas, cozinha fra e quinta
murado : o tratar na mesma
ra Direita n. 84, padarla.
DE
ILLUMINACAO A GAZ
Armazem n. 31, ra do Imperador.
Para mais regulandade do servigo tem a empre-
za resolvido lo somenle vender os apparelbos,
ele, deixando que os >rs. consumidores chamem
os machinislas que mais Ihes agradaren), podendo
os nomes, morada, etc., de todos elles serem indi-
cados no armazem da empreza.
As reclamagoes por m luz das casas, cujos ap-
parelhos houverem sido collocados anteriormente
a este aviso, sero attendidos pela empreza; outros
quaesquer, nao.
A empreza espera que esta medida ser devida-
mente apreciada pelos senhores consumidores, ten-
dente como a tornar este servigo mais econmi-
co ; visto que ella vender tudo, apenas com um
lucro tal, que cubra as despezas inevitaveis.
ra n. 211, ou na
<0
Pede-se ao emprezario do theatro de
I Santa Isabel que se digne levar a scena no
! espectculo concedido em obsequio a fami-
InstilUtO Archeologico e Gcographico lia do cap t5o Pedro Affonso Ferreira, oap-
iTISOS diyebsos.
Pernamlincano.
paratoso quadro allegoricA victorta de
Haver sessao ordinaria quint.-feira, 3 de ages- R^huelo-que muito apropriado e anlogo
-*- e elle ao objecto do beneficio.
to, as 11 horas da manhaa.
OBDEM DO DIA.
Trabalhos e pareceres de CQm.nii'.5ef-
Secretaria do Instituto, 31 de jnlho de 1865.
J. Soares de Azevedo,
Secretario perpetuo.
I Precisa-se rallar com os filhos do fallecido
. Jo^ Frapcisco Gongalves Chaves, natural da fre-
guezia de Santa Ulala de Palmeira, do Faro, do
( conselho de Espozende, Portugal; a negocio d sen
iateresse : aa ra estrellado Rosario n. 5.
AO PUBLICO
CARLOS PLUYM.
Como a empreza de illuminagao a gaz leona da-
do licenga aos raachinistas para trabalharem por
sua propria conta, Carlos Pluym, machinisu, offe-
rece seu prestimo ao publico para encaar gaz e
agua, e toda a sorte de servigos concernentes ao
seu offlcio, por pregos muito rasoaveis.
Pode ser procurado a qualquer hora na ra da
Alegra n. 16 (Boa-Vista.)
N. B.
V^ Para prova da perfelgo do seu trabalho o
mesmo eflorece ao publico o testeraunho de im-
mensas pessoas para quem jairabalhou a mandado
da companhia do gaz.
Instrnccao priuearia
Acha-se aberla a matricula da i' ..I-ira oV ns-
irucg-o primaria do si \o f-meniaoda fregneziata
Boa-Vista : na ra da Gloria, casan, li.
Oenlo Alves da Cruz, na qnalid*le de bajoi-
diario da extracta Urina social d.- ftnajja t\ r>z.
faz publico principalmente aos araiaM da ntfar-
ta firma social, que vai dar andamml > e i aila
deliuitivamenle a mesma Hpnajaj c Exm. Sr. uiz do commercio, como se pou v.-r ao
cartorio do escrivo Manoel Marti R irigae A>
Nasciineulo ; cuja iiquidagao foi su-p.-B.liUa pre-
meditadamente por esse acto de calu^aia e tata-
dado inleniado contra a aoora i la -halle
assignado, como publico e notario a Ufm icitm
cidaJe como o abaixo assignado >eacha ilraiaw
te livre e justificado des gozo de seu direito e liberdad>>, passa a t..-ai >le
meamos eredores a couliouar a dar tm a s-naja-
Ihante nen'ocin. Como tenha de ir a prar i oMk-a
o engenho Santa Loata, so na fn-guezia d^ S. Loo.
rengo da Malta, para aajjajaaaai iio? dii,a rr^oo-
res, os pretendentes sao prevenid ant cipa^a-
raeuta para irera ver e examinar o dtio taa/BJ>-
afira de se acharem habilitados oa occaaio da Bra-
ca. Recife 31 de julho d* 18oo.
Bento Alves da Croa.
Pede-se ao passageiro que por engao levou
de bordo do vapor Parubiba, entrado no dia 23,
uma mala de sola prea, perteocente a outro pas-
sageiro, o obsequio de manda-la levar ao escripto-
rio da companhia peroarabucana, no Forte do
Matos n. 1.
Netas do banco do Brasil e das caixas Bhaes
desconum-se na praca da Independencia n. f%
Ao ainanhcccr do dia 17 de jalho corrate
arrombaram a estribara do eogeaito Bu-a* Avrr*
da freguezia de S. Bento do termo de Pono Cal*.
de que reuJeiro o bacharel llerculano dr JsVa-
donca Vasconcelios e roubaram ot>os r.tvalM ;
castanho andrino, de bom tamaito, coa o
ps calgados, sendo mui poaeo as ma, nm i
ga enernada no espinhaeo, inteiro, rooeullw,
um O no qnarto direito, parecend nm mal la i
tas, bom andador de baixo a meio, cura a* t
todos quebrados, com os cseos das maos gr
e rasos, bastante gordo e scismado nu mamar
bride; o outro mellado geraado, de dinas ai
brancas, pequeo, andador de baixo. ialeiro,
gordo; com uma ferida sobre as cosieias 4a
direito, a que chaniam atlo, ama manrlia
em ara dos quartos. Na masma occasiao tonnaa
do cercado do mesmo engenho un ipurlio aiaao
cora a bargada rnzilha, inteiro, andador da aaixo a
meio, nm pouco acoador, magro, de eal
de e sobr'olhos fundos : roga-se, portaaio,a
as autoridades policiaes e pessoas paniruJam, i
os apprehendara e levem-nos ao sobredi! >
que serao bem gratificados, dndose oiclhor tra-
ticagao a quem descobrir os roubnleras
29 de julho de 18o.
Precisa-se de uma ama rara rorrear,
nhar e-iMigommar para piu-a familia : qoeai
zer dirijvse i n;a das Croes a. i, segado
tr^r
T7\T


Diario 4c Perauftlraeo ... Ter^a ielra 1 e Agosto de ISttft.
PHOTHOGRAPHIA ARTSTICA
DE
25 Ra Nova (esquina da Camboa do Carmo) 25.
Os proprietirios desto estabelecimento, desejando salisfazer os numerosos pedidos de seus freguezes, acabam de receber de seus correspondentes de Pars, um grande
sortimento de retalos (carloes de visita) das personagens as mais celebres da Europa, assim como receberam tambero urna quantidade de alfinetes e cassoletas para retractos, do
mais apurado gosto e por precos muito diminutos.
Os mesraos aproveitira a occasio para prevenir ao publico e recordar aos seus numerosos freguezes, que ellcs trabalham todos os das, domingos e dias santos, das 9
horas da manba al as 4 da lardee que os tem os de chuva nao influem em nada para o bom successo dos retratos, pelo contrario o sol entre nuvens mil vezes preferivel
sobre todos os ponlos, tanto pela rapidez da operaco, como pela commodidade das pessoas.
A grande quantidade de pessoas que tem visitado este estabelecimento uestes dous annos em que se acbam estabelecidos nesta cidade, e que nao ser menos de cerca
de Companbia fidelidade de seguros <$
martimos e terrestres
estabelecida no Rio de Jaueiro. tg
AGENTES EM PEHNAMBUCO
Aotouio l-ui/. de Olive ira Azevedo Ai C, g(
competentemente autorisados peladlrec- }jj
toria da corapanhia de seguros Fidelida- S
de, tomam seguros de navios, mercado-
ras e predios no seu escriptorio ra da K
Crux d. 1.
Compra se o primeiro lomo di orograplua
do imperio do Brasil pelo Dr. Mello Jl .raes : na
ra do Crespo, luja n. 23.
Compra.se papel de jornaeTparaTmTrnMio a
120 p. a libra, ou 44 a arroba : na ra do Crespo
n. 2o, esquina da ra do Qaeimado.
VENDAS.
O London & Brazillan Bank, saca por doos
os paquetes.sobre
Lisboa.
Porto.
Braga.
Vianna.
Guimaraes.
Villa Real.
Coimbra.
_________Amarante.______^___________
Pede-so toda attence.
O castello de Grasville.
Iraduzido do francez ptr A. J. C. da Crax.
Vende-se este bello romance en qual?
tomos pelo baratissimo preco de 300C
ua praca da Independencia, livraria ns.
''WMiSiiwr"
Vndese por baixo preco, e aindi em ptrfeito
estado, um
ment por
ustrumeuial completo,
i: a tratar na ra il i
o cala in-iru-
raar.
Francisco Tires Machado!
Portel la
MEDICO OPERADOR
PELA
Vaculdade de Pars,
regressando a osla provincia, acha-se j
prompto para o exercicio de sua profis- .
sao, quer nesta cidade quer fora delta, I
especialmente em molestias de olhos (ca- j
taradas, etc.,) das vas urinarias (estrei- j
lamento de urelhra etc.,) e de pelle : pa-
ra cujo curativo se Julga habilitado, alien-
ta a pratica. que tuve nos bospiaes de
Pars, e s modernas instrumenlos que
posstie.
Encarrega-se de collocar olhos aitili-
ciaes.
Pateo do Carmo n. 2, esquina da ra
de Hortas.
m
ESTRADA DE FERRO DO RECIFE AO S. FRANCISCO
AVISO.
Pela superintendencia desta coinpanhia se faz publico, que estando concluidos os reparos dos estragos causado
versas parles da linha, ser restabelecido o transito regular dos irens do dia 29 do corrente mez em diante.
A tabella que regular a partida do trem de passageiros a que se achava e.n vigor desde o dia 1 de maio deste anno, a qual vai abaixo tra-is
cripta___________________________________________________ -_____________________________________________
i-A HA O IlVIEIUOU
o i vi i lnm
ESTACOES
MMMm mmmmm mmm
Preci-a-se de um feitor para um pequeo
sitio perlo da prsea, mas que enlenda bem de jar-
dim : a traiar na iravessa da Madre de Ueos, ar-
mazem n. 57.
Precisa-se de una ama para casa de homem
solteiro : a traltr na ra da Boda n. i8.
Precisa-se de dous amassadore?. e de um pre
jo forro ou captivo : na ra larg do Bnsario uu
mero 16.
Cinco Pontas
Afogados .
Boa Viagem
Prazeres .
liba .
Cabo .
juca. .
linda.
Timb Ass
Escada .
Prexeiras .
Aripib. .
Bibeirao .
Gameleira .
Cuyanibuca
Agua Preta
l'na. .
(chegada
'(partida .
Ifuts <1 tra- D< iniijros
ballio. i MAN a ttauU
HASHAA 1 TAlt 0E. M IA TAH
II. M. 11. II. M. II
8 30 5 __ 7 30 6
8 38' o 8 7 38 0
8 50 5 20 7 5(1 0
8 58 o 28 7 58 6
9 22 5 52 8 22 C
9 40; 6 10 8 40 7
9 57; 8 57
10 i i - 9 14
10 29 9 29
10 45 9 45
11 I 10 15
11 33 10 33
11 52 10 52
12 15 11 12
12 30 11 18
12 48 11 33
1 6 11 51
t 30 12 la
1
Custodio Jos Alves Guimaes, d"ono da loja por' ~ Vende-se urna rasa de pa-t. tea afr^n-za-
appelhdo Gallo Vigilante na ra do Crespo n. 7, < e '"> co participa a todos os seus freguezes e ao respaila- oa LaPa '>no "ec'r(j_____
vel publico, que esta dita loja se acha com gran- Vende-se o engeubo Juodiahy, eran b-goas
de sortimento de galantarias de mu to gosto, que distante da cidade do Nata!, provincia d Hh>
lera recebido de sua propria conta, assim como lo- Grande do Norte, moente e crreme. aa_ iii r-
s pelas aguas turrenciaes em di- das as mercadorias tendentes a loja de miudezas tivos, 20 bois e 20 bestas ; assim como diversos
e outros, e como est resolvido a vender por pre- lotes de Ierra, propria para a cultura de algodo e
eos barassimos, como os mesmos compradores mandioca, e mais duas fazeudas de. |Mdo n<> P..vn-
podero apreciar concorrendo com suas presentas g ,. Ceara-meirim, na mesma provincia, rujas wja-
dita inja.que se amanear servir bem com agr- das se effectuaro a arases, mediante boas tirina* :
do e promptido, e mesmo qualquer senhores que quem pretender dirja-se aquella provincia a ira-
n n wn lora desta praca, que precise de qualquer lar com Fabricio A; C.
mercadoria. tendentes a seu negocio, e que por
1LI
. L'na.
8 Agua Prela.
20.Cu\ambuca.
28*
22 Gameleira .
10 Bibeirao. ..
Aripib..
Froxciras
Bscada ..
Timb Ass
Diinda .. ..
Ipojuca.. ..
Cabo.....
liba......
Prazeres. ..
Boa Viagem
Afogados ..
Cinco Pontas
Ihs i tru- Doiiiii OS e
tiaiko tas santos
A CUES UAMIAA MANHAA MANHA tari
II M. 11. M. H Al. 11. M.

,. _ 11 13 1
- _ __ 11 39 1 25
_ __ H 57 1 42
(chegada 12 - 15 1 37
* '(partida . 12 30 2
__ 12 53 2 23
__ 1 12 i 42
__ __ 1 30 3
_ __ 2 __ 3 30
. 2 16 3 43
_ __ 2 30 4
__ 2 48 4 18
f. 50 3 5 6 4 35
7 8 3 23 6 18 4 53
7 32 3 i G 42 0 17
7 40 3 53 6 50 5 25
7 52 4 7 i 2 0 37
8 - 4 15 7 10 5 43
a seu negocio
motivos nao possam comparecer, o poderao pedir
pjr escripto, que se aflanca nao se abusar tanto
em precos, como em quahdade das mercadorias :
isto na ra do Crespo d. 47Gallo Vigilante.
K8SgS3g2E2!KSS3S3 SSKSS-3KS8eS8S} :
II Consultorio medico e
Vende-fe um e^cravo moco que ja M > *-
gouho : a tratar na ra do Moudego, otaria n. IX
Vende-se um casal de pavo : na Capuoga
vtlha, sitio da viuva de Juao Evangeli.-U.
sa
cirurgico.
O Dr. Jlo Pedro Maduro da Fonseca
tem sua residencia na ra do Sol o. 33,
segundo andar, aonde se presta ao exer-
cicio de sua profissao tanto de dia cerno
de noite, os chamados quando nao ente-
ja em casa seja por escripto, indicando a
morada e nome do cliente.
O desembargodor Doria vende a sua
chacra no Mangoinhe, vende inniie.n dous
carros, duas parellias de nulas, urna mua
fifi de sela, tres vaecas de leite, dous b is de
j carraca e todos os mais objeelos pertenmi-
tes ac trein e ao trato da chacra ; os pre-
tendentes podem ir examinar a chacra, a
cochera, estribara etc., etc.

Acha-se
Escriptorio da superintendencia Villa do Cabo 20 de julbo de 1865.
G. 0. Mmm, engenheiro e superintendente interino.
venda na livraria acadmica, na ria do Im^ra-
5S3SS dor; na do Sr. Xogueira, junto ao arco de Sano
SSBSS53SS'i3aS BaSS&&83aSwS Antonio ; e na typographia imparcial, na roa es-
Perdeu-se no dia 16 do correte desde a ra treita do Rosario a compilago de toda a leii-lario
Nova al o convento do Carmo um pedaco de urna tendente administraco, arreeadar e liscali-
fila de ouro de urna pulseira de Jarreteira, sendo sacao dos dinheiros de orpbaos defuntos e ao-e-
COASILTOIUO MESHCO-CIRIRGIC
DO
DR. PEDO DE ATTAHYDE LORO MOSCOSO,
.ni:ICO. IMKTEIRO U OPUUADOR.
3 Ra da Gloria, casa do Fuudao 3
O Dr. Lobo Moscoso da consullas gratuitas aos pobres lodos os dias das 7 s ti
horas da manhao, e das 0 c meia s 8 horas da noite, excepcio dos_ dias santificados.
Pharmacia especial homeopathica
No mesmo co:isultorio ba sempre o mais appropriado sortimento de carteiras
tubos avulsos, assim como tinturas de varias dymnamisacoes e pelos precos seguinle.
Carteiras de 12 tubos grandes.
i de 24 tubos gi andes.
> de }6 tubos grandes.
* de 18 tudos grandes.
-----------------------.-----dtru; Is ai-uuJes.
provavel ttr sido na occasio do Te-Deum : quem
acbou e quizer restituir, dirija-se a ra do Cabu-
ga n. 7, onde ser gratificado.
O hachare! M
Francisco Augusto da Costa
W
126000
18,5000
24 30.000
_o- .... ,n r ni"" "-
Prepara-se qualquer carteira conforme o pedido que se fizer, e com os remedios
que se pedir. ,ViAA
Um tubo a\ulso ou frasco de linlura de mera onca I>000.
Sendo para cima de 12 distarlo os precos estabelecidos para as carteiras.
Ha tubos mais pequeos cada um a 500 res.
lil VROS.
A melhor odrada homeopathia, o Manual de Medicina Homeopathico do Dr. Jabr
dous grandes volumes com diccionario.......'..... ?SXi
Medicina domeslica.do Dr. Hering........... oTn
Hopertorio do Dr. Melf Moraes............ osjjjj
Diccionario de termos de medicina.......... 30UW
Os remedios deste esubelecimento sao por demais conhecidos e dispensan, por.
tanto de serem novamente recommendados as pessoas que qui/erem usar de remedios
vcrdadeiros, enrgicos e duradores: ha ludo do melhor que se pode despjar, globos de
verdadeiro assucar de leite, notaveis pela sua boa conservaco, tintura des mais acredi-
tados estabelecimentos europeos, a mais exacta e acurada preparagao, e portanto a maior
energa certeza em seus effetos.
Casa de saude para escravos.
Recebe-se escravos para tratar de qualquer enfermidade ou fazer-se-lhe qualquer
operaco, para o que o anntmciante julga-se sufflcientemeiite habilitado.
O raimiento o melhor possivel, lano na parte alimentar, como na medica, _e
funecionando a casa ha mais de quatro annos, ha muas pessoas de cujo conceito se nao
pode duvidar. qae podem ser consultados por aquelles que desejarem mandar seus
doenles.
Paga-se2i por dia durante GO dias e d'ahi em diante If);j00.
Asoperacoes sero previamente ajustadas, se nao e quizerem sujeitar aos precos
razoaveis que costuma pedirr o annunc ante.
DE
J. VIGNES.
X. 55. RIJA DO IMPERADOR X. 55.
Os pianos desta amiga fabrica sao hoje asss coahecido para que seja necessario insistir sobre a
sua superioridade, vantugens e garanas que oflerecem aos compradores, qualidades estas incontesta-
veis que elles tem definitivamente couquUlado sobre todos os que tem apparecido nesta praca ; pos-
snindo um teclado e machinismo que obedecem todas as vontades e caprichos das pianistas, sem
nunca falhar, por serem fabricados de proposito, e ter-se feito ltimamente melhorameulos importau-
tissimos para o clima deste palz ; quanto s vozes, sao melodiosas e flautada?, e por sso muito agrada-
veis aos ouvidos dos apreciadores.
Fazem-se conforme as encommendas, tanto iRsla fabrica como na do Sr. Blondel, de l'aris, socio
correspondente de J. Vignes, em cuja capital foram sempre premiados em todas as exposicoes.
No mesmo estabelecimento se achara sempre um explendidoe variado sortimento de msicas dos-.
MfttHnHcus
S AOVtfiADO
jj Ra do Imperador numero 69.
mmmm mmm mmmmm
Alupa-se a loja do sobrado n. 17 da ra da
Imperatriz, com bons commudos : a tratar no se-
gundo andar do mesmo.
DcIROm aUIuic.-< u i.uupa; a.siu. w
presos conimoriose razoavols.
l/iaooo harraoni*
.-cl.Ut/'i'uii'
mmm
ASTHMA ASTHMA ASTHMA
SUFFOCgAO NERVOSA E 0PPRESS0
nico remedio efficaz para combaltir estas molestias, acalmar umattaque d'asma e impedir a
volta o Xarpe aromtico de Succino (mbar amarcllo) do Dr Danet. beecoberta inteiramente
recente, este novo producto se tem propagado com extrema rapidez gracas aos admiraveis resul-
tados que tem sempre producido. ,-_, ,. ...
Deposito geral, na botica Chauveaud, 54, ra do Comercio, Pans-Grenelle, e em todas u
blicas de Franca c do eslrangeiro.
Ainda se precisa de urna ama pa-
ra cosinhar, lavar, eng< mmar e fa-
zer todo o servico de urna casa de
pouca familia excepluando-se com-
prar na ra : na ra das Cruzes n.
n. 37, | rimeiro andar, sendo pes-
flfi boDS .fnetumoa a fip ILlar/l O
que se ajusfar.
a*
- Na praca da Independencia n. 33, loja de ouri
ves, eompra-se ouro, prata, pedras preciosas e
tarnhem se faz qualquer obras de cLCommenda e
odo e qualquer concerlo.
! MrmmB
Acham-se fgidos os escravos
seguintes
Ren-
tes, herancas jacenles, legados, ele., cunt orto o
s o regiment de cusas e a le geral das ner-
coes, como tambem todas as ordens e avis.- 4c
governo, que a todo tem explicado, lamo a r.-pet-
lo das obrigayoes inherentes ao carpo dc>s diferen-
tes empregados de jostica c fazenda, c am d>- di-
reitos nacionaes e emolumenlos qne .5o drvios.
Este livro contendo mais de 700 pagioas em minia
impressiii e boaJapel, e prestndole a iifJularf*
de dllfereiiies classes, torna-se tttt BWMaMafc
Seu cusi 105000 por cada exemplar tm doos
tomos.
Vende se um preto crijulo, bem moco : no
pateo do Terco n. 141..
Vende-se urna armacao de una taberna roa
poucos fundos, propria para um priucipi^nte, ita
na ra da Imperatriz n. 15 : a traiar na roa da
Cruz, casa de Antonio Lopes Braga c\ C.
Vende-te um carro de carregar gneros da
alfandega, com uso, e todos os periences de ootro
igual, tudo por preco muito comineo : a tratar
no pateo de S. Pedro n. 4.
Vende-se urna escrava crioula : nos Coelhos,
ra dos Prazeres n. 10.
Millio.
Vendem-se saceos gramles com niili novo : ni
ra da Madre de Dos ns. 5 e 9.
Por 5#000."
Vende-se um paleto! sobrecasaco de panno : na
ra do Caldeireiro o. 10.
Veude-se a taberna da ra do Amornn a. I
A, muito boa por ficar defronle da rampa do de-
sembarque, seu dono a vende por ir tratar de sua
saude.
Vende se o machinismo da lavag. m l nmoa
to, pardo.alto, secc.o, cabellos acnelados, sem bar- eq no JjUo dos Burjlj lod nmflm
tesla larga, falla um pouco riescancada, denles g ^ ,raU(lo e lMmtHM Veu.|e Mi -
Casa debanlios
Largo do Carino a. 26.
Ete estabelecimento tao bem montado na sua
origem achava se de ha muito ern qnasi completo
a-bandono pelo pouco inieresse de sua adminis-
traco.
Hoje que o novo proprietario empregou todos os
meics para restabelecer a grande ulilidde deste
estabelecimento, pode assegurar ao publico que
qualquer que seja o numero dos concorrentes
achara., desde j promptido e aceio nos banhos
rins. momos ou medicinaes, a casa dos banhos se
achara aberla todos os dias das G horas da manha
as 11 da noite.
Precos.
Banho de choque...... 500
uito Irio ou morno..... 500
Dito de farello.......1H)00
Dito medicinal ser se-
gando sua qualidade.
Assignalora.
Por mez banho fri oo momo... 10^000
2a cartSes para banho fri, rnor-
no ou de ehuvisco........... 10000
12 cart5es iwa os mesmos---- SfflOO
12 ditos para baoho de farello. 105000
ssoeia#o Commercial Boj
neficente dePernambuco.
Firmino & Lins
Novo estabelpcimeoto de retra-
tos ma Nova n. 1o, \ an-
dar, jnnto ao Sr. Gautier,
dentista.
Tiram retratos todos os dias, das 7 horas
da manhaa as a da tarde, quer chova ou
nao.
Tambem se oflerecem para tirar retra-
tos de pessoas fallecidas, dentro ou fra
da cidade.
Os annunclantes desejaado acreditar o
seu estabelecimento, garantem ao publico
que nenhum trabalhosahira de sua offici-
na.sem que nao seja perfeilamente acaba
do, e a voolade do freguez.
ALCOHOLADO de GUACO
para ver na estrada \
ra do RaDgel n. i.
Arraial n. '!i>,
itio :
e a tratar aa
O Alcoholado de Guaco de Pascal ama nova preparacuo da qual
basta mencionar suas propriedades para appreciar sua importancia.
Em primeiro lugar um preservativo infalivel do contagio venerio (ver
folheto para o modo de o impregar).
2o Tem a vantagem de ser o remedio mais certo e mais agradavel para
as molestias syphiliticas de toda a especie, ulceracOes primitivas e secun-
darias, ec.
3 Empregado em njeccSes, o melhor tratamento dos corrimentos
recentes ou chronicos as pessoas dos dous sexos e da leucorrhea as
mulheres.
4 Emfim como antidoto dos virus, soberano na cura das chagas e fe-
rilas de m natureza, chagas gangrenosas, dartros, ulcera das pernos,
ophtalmia purulenta, ou blenhorragica, mordeduras.e picadas de ani-
maes venenosos, ce.
Este especifico vegetal, izento de toda a aefao mortfera, foi experimen-
tado nos hospitaes de Pars, Lyon, Marcelha, ec, e recebeu a approvacao
dos distinctos doutores Ricord, Bauchet, A. Richard, Calvo, Diday,
Melchior Robert, Costilhes, Berenger, ec.
Deposito geral em Pars, botica de CHEVRIER, 21, ru du Faubourg-
Montmartre.Gasa de expedicao, PASCAL e C*, 33, ra Monsieur-le-
Prince. Pars. ___.
ba, .
alvos e um pouco limados; e Lua, crioolo, altura
regular, barbado e ja com alguna cabellos brancas,
corno regular, bastante cabelludo, faia gios.-a, e
as vezes liuge-se rouco : portanio pede-s. as au- \ epfc-** a casa rom solao e jui coa
toridades policiaes e oapites d. campo que os fa- a armacao de Inju de tmudezas cea CMtito ate
cam apiirehender e conduzi lo a casa de sen se- a porta, cnvldrarados na na traves dj Uvra-
nhor o major Antonio da Silva Gusmao, na ra Au- ment n. 2 : a tratar ua ra do laurel n. t.
gusta o. 98, que sero generosamente reeompen- Vende-se urna taberna oa Cruz c> Almas,
i sados, e Ihes pagar toda despeza que fizerem com propria'para qualquer principiante, a qu.il fa/ boa
\ a : ua conducQo ; suppoe se que elles lero ido negocio, e se faz todo o negocio: quein pretender
em seguimento dos serloes p ir. serem filhos desses dirija-se a me^ma, que achara com quem traiar.
Iugares- ______________ r^Via^
Vende-se urna excellente padana b-'m afregne-
zada e em boa localidade uor preco commodo : s
tratar na ra Oireila n. 78.
1
Acha-se fgido desde o dia 7 de levereiro do an-
no passado o escravo de nome Faustino, de idade
40 annos, pouco mais ou menos, cV fula, altura AOMdadCS da 10ja t arnazem
regular, grosso do corpo, bem espadiiadi, barbado, 7n;K ,, Pl>HBaa fPfa
e j com alguns cabellos braocos na barba, bracos
e'pernas grossas e ba;tanle cabelludas, tem as per-
bastante cabello
Je f>
s n -conar* na
72. de (nia-re*
Deposito geral em Pernambuco ra da Cruz o. 22 em casa de Caros 4 Barbosa.
Attenao.
Pedimos ao Illm. Sr. director geral da inslruc-
cao publica, tenha a bondade de anear suas vistas
sobre anecessiade que tem os habitaates da po-
Os Srs. socios eflertwos da Assoacao ummer. voacao de S. Vicente, de um professor de primei-
ial Benericenle sao convidados a *e reunrem na ras |ellraSj visto que o oomeado para all, aband-
nala das sessoes da mesma Associa^o no da Io n(m a ,.a<|ejra desde 10 de setembro protimo pas-
le agosto prximo futuro, ao meio dia, afim de I gad0) e a|<5 nfvje acha-se ella sem ter quem a reja ;
apreeiarem o relatorio e tantas da actual direegao,; no gmjtmu que sao decorrldos 10 mezes, e que
e eleger a que dirigir os trabalhos da Associayao | no ^m^ professor. Nao se emenda, que com isto
oo anno que vai comecar. | queremos dlzer, que novamente seja mandado ir \
Associacio Commercial Beneficente de fernam-! a a|( 0 gr Virgilio Vieira da Costa Pinto (o
tuco, i de jullw de 1865.
ok de Vasconcellos,
aecretatio.
A NACIONAL
Compankia geral hespanhola de seguros mutuos
sobre a vida
, as arqueadas, porm nao muito,
nos peitos, e costuma quando quer fallar mais
apressado como que gaguejar, porm muito pouco,
! que mal se percebe ; costuma andar em sambas,
I e as vezes embriaga-se por gostar de bebidas espi-
rituosas; suppoese que elle seguio para o centro,
i tal vez em busca dos sertoes : porianto roga se as
autoridades policiaes que o facam apprehender e
condnzilo casa de siu senhor, o major Antonio
da Silva Cumao, na ra Imperial, em Pernambu-
co, que satisfar toda e qualquer despeza que por-
ventura facam, e aos capites de campo .offerece
ama boa gratificacao. Outro sim pede a quem por-
ventura o tenha acoutado, que o nunde levar, que
nao s nao proceder contra qualquer que o tenha
1 em casa, como mesmo gratificar e pagara' toda a
despeza cora a sua conduccao.
ma
AUTORISaDA PELO REAL DECRETO DE 21 DE DEZEMBRO DE 1859
Sanca em diithiro, depositado nos cofres do estado, garante a boa da
ministraco da companhia.
BANQEIROS DA COMPANHIA
O Banco de Hespanha
D1RECCAO GERAL
Madrift : Ilua do Prado n. IB
Guarda llrros.
Urna pessoa competentemente habilitada offere-
ce-se aos Srs. commerciantes para encarregar-se
de qualquer escripturaco por partida simples ou
dobrada com perfeico e preijo commodo : para
lnfbrn>ae.(Je6 a ra da Imperatriz a. 39, tereeiro
andar.
A pessoa que quizer dar 1:000# com secu-
ranga em hypolheca de tima escrava moea, de 22
annos, que saiba bera eozinhar e eogommar, e m
do mais arranjo de caw de familia : annuncie pa-
fa ser p.i"9Pflra proprietario da cadeira), pelo contrario, nao o que-
remos pelo seu mo proeder, tanto que preferimos
estar sem professor, do que com o tal Sr. Virgilio ;
mas sim, um outro que zeie melhor do ensino pri-
mario de nossos fimos.
Esperamos er Hendidos.
Casa
Aluga-e* a casa n. 4 da roa do Priaelpe com 3
quartos, 2 sala*, cozinha fora e bom quinul, fre-
guezia da Boa-VItta : a traiar na roa Nova n. 3.
AJI1.
PreciM-se de ama am na ra do Livramentri
D. 14.
Esta companhia liga pelo eviterna matno todas as combinagfies de superviencia dos sigo
sobre a vida. .
Nella pode se tazer a subscrip^o de maneira que em nenhum caso rr.ffiro jer ir.oKdos
gurado se perca o capital nem os jaroscorrespondentes a estes. .,,,
Sao tao suprehendentes os resultados que prodozem as sociedades da ndole de A inauu
DAL,-que ainda mesmo diralnuindo urna terca parte do intresse produzdo em recentes Iiquida
ces eeombinndo-o co-n a mortalid-tde da tabella de Depareieux que e adoptada pela companh-
para seus clculos e liquidaedes, em segurados de idade de 3 al9 annos, urna imporsigao annua.
de 1001 produzem electivo metlico: .*-*
No lira de 5 anuo*.......1:119*300
. de 10........3:9424600
. de 15........11:2084200
. de 20........30:2564000
, de 25 .......80:3314000
as idades menores d<* 3 annos e maiores de 30, os produelos sao mais consideraveis. .
Prospecta e mais informacoes sero prosudas pelo sub-director nesta provincia.
Joaquim Piuz de Oliveira, ruadaCadeia n. 52, ou a Boa-Visla rna da Imperatri n.H.estabel
ment ios 5f?> RaymDo.do,Carlos,Leite Irroao.
C0MP11S.
Compra-se effectivamente ouro e prata em
obras velhas, pagando-se bem : na ra larga do
Rosario n. 24, loja de ourives.
Silvino Guilherme de Barros compra e ven-
de effectivamente escravos de ambos os sexos :
ra do Imperador n. 79, tereeiro andar. *'
Ouro e prata
em obras velhas : compra-se na praja da Inde-
pendencia n. 22, loja de bilhetes. ^^^__
Comprase ouro, prata e pedras preciosas,
em obras velhas : na ra da Cadea do Recife,
leja de ourives no irco da Conceieao.
Coropram-se libras esterlinas a 94500, na
praca da Independencia n. J!2.______________
t obre,
alaoe chambo.
Compra-se cobre, lato e chumbo : no armazem
da bola amarclla,
licia.
s e iMiipas
da tniperali-iz n.
& li mo.
Aproveilem as pechhiclias
que se esto liquiduado por io-> pre^o, Tejaa* :
chitas largas a 200. 280 e 300 rs, ditas p.rcatias
a 360, 400 e 440, carabra organdys nimt< lin.. a
300 rs. o covado, e muito superior a 320. 360
400 rs.: isto s na nova loja de Guimaraes & Ir-
mao.
Esfo se acabando.
Lazinhas*escocezasa 240,260 e 280 o canea.
E' muito barato.
Cortes de la muito snpwior com 13 eovados
pelo barato preco de 54 e ."ji-' W, isto s p^ra aca-
bar, breUnha de rolo a 34 e 34200 a per^. nwii-
pdlo francen enastado a 34- 34*, 34300 e i4r
dito sem ser entestado com 27 jardas a 443u0, -4
e 64500, dito muito superior m ircas muit. acra-
di tadas a 7j,74500,8, 94 e 104, algodo aV to-
das as marcas assim como seja marca T e carne
de vacca, sicupira e pao ferro lodo lulo |ior yn-_
gos baratissimoss para liquidar e apurar diaWet-
ro : isto s na nova loja e armazem de Goimarrs
& Irmae, ra da Imperatriz n. 72.
Grande sortimento de babadinnos
e eniremeios pelo barato preco de 000 a 14 a
peca.
Lencos de cors c brarcos
muito proprios para homens e menino* a 14000,
1$, 24500 e 34 a duna, ditos de linho a iOt\
54, oj?500 e 64-
Grande sortimento
de colzas de fosto de todas a; cores a 54500 e
64. ditas de chita a 14900 e 24, ditas de Ua a
14&00.
E' muito barato.
Grande -ortimenio de soutembarques muito bem
enfeitados a 54 e 54500, ditos de grosdenaeia a
184 e 204, lazinhas de urna s cor iMO cova-
do, ditas muit propria para camisas senlode lia-
no o. tao da secretaria de po- Asimos padr5eSa 14 e 1*100 o covado: s aa
____ nova loja de Guimaraes & Irmao, roa da laaera-
na ra iriz n. 72.
_____ I Grande sortimento
Corapram-se Diarios de Pernambuco a 44 a de roupas feilas que se vendera muito barato aa-
arroba : na ra Direila n. 61, loja de chapeos cando-se que se vende por menos 20 por n
-----^--------- _- j i em outra qualquer parte, qaetn duvidir ve
Compra-se moedas de 200 e pecas de
Compra-se um sellim era meio uso
de Santa Thereza u. 38.
160 : na ra da Cruz n. 48.
Compram-ie moedas brasileiras [de 204
214 : na ra do Crespo n. 16, primeiro andar.
\ Ka nova loja de fazendas de Giaares
i Irmo.
Ra 4a imperaariz a. at.

- r

\


\
if
Diario de pernaubuco erca ieira 1 Je Agosto de !%*.
PASTILHAS
VERMFUGAS
DE KEMP,
NOVA YORK.
DE COK C1IEIR0 E SABOR AGHADAVE1S
Infinitamente mais efhcazes do que todos
os maie-remedios perigosos e nauseabundos
que existem para a expulsao das lotnbrigas.
Nao causam dures e produaem seu ell'eito,
sem precisar logo depois de putgante ne-
nhum e tao incitantes em apparencia e deli-
ciosas cm gosto, que as crianzas esto
proniptas a tomar mais 3o que marca a re-
ceita.
U'ois como um excetlente meio de fazer
remover as obstruoccKs do ventre, mesmo
no caso de nao existirem verme alguna, as
iPA-STILUAS VERMFUGAS DE -KKMPS SaO pTOHip-
las e infalliveisuasuaoperaco e por todos
os respeitos dignas de cor-anca e apppava-
cao de todos ospaes de familias. Prepa-
'radas nicamente por Lanman & fl,
Nova York.
Vendem-se Barbozi e Joao da C. Bravo & C.
Tasso Irnios
Veodeiu no seu armazem ra do
Aiuoi-im a. 35,
Licor fino Curagao em botijas e meias botijas.
Licores linos sonidos em garrafas cora rolhas de
vidro e em lindos frascos.
VinhosCheres.
Summum.
Cbainberlin.
Hermitage.
Borgonhe.
Champagne.
Moscatel.
Reino.
Bordeaux.
Cognac.
Od Ton.
AzeitePlagniol.
PILULAS 'CAHIrI.S Ol "AYER-
^f EstAs pilulas vegelaes sao a-
JgS daptadas a todos os usos de um
purgante as familias, pois sao
perfeilamente innocentes, e em
quanto milhares de pessoas con-
fessam com gralidao que foram
curadas por ellas de molestias
severas e perigosas;nao ha
um so caso enrque baja suspei-
tas do mais leve resultado inju-
rioso por seu uso.
Publicamos aqui alguns dos i
attestados que temos de curas
notaveis f< tas ltimamente.
Um taso notavel de
Nevralgia.
Urna carta do Illm, Sr. Francisco Alva-
renga de Azevedo.
Grande liquidacao a dinheiro.
Ka loja eaimazciu do Pavo.
Ra da Imperatriz u. o de Cla-
ma fc Silva.
Os dones deste eslabelecinnuto lem resolvido li-
quidar suas fazendas por precos baratsimos, s
cun o fui) du apurar dinheiro, 6 previnem as pes-
DO
Rna da Brnai uuuaero 38.
Neste estebelecimeata acham-se venda os se-
guales objetaos, todos da primeira'rualidade, e
construidos -especialmente para esta casa, i pelos
mats acreditsdos fabrietntes Dglezes:.
Ilashina:. a vapor de 2 1|2 a cava I los, com
moendas,'juttas e sea -ellas ; a tai?m proprias
pera desoaregamenlo de algodo, afamadas pete
fertidao, rimplicidacle economa em combusUvel,
e por nao precisar deciira qualquer para seu as-
esntameno-
Rodas d cgua de fenv, systema tnai proveitoec
<3a foroa d agua.
Rodas de. espora, e agulares, e ss esquadnlhs.
;; ara animaos.
Moend t.- e meia-lttosadas.
Taixas Je ferro batida e fundido,* de cobre.
Machinas para desearogar algodo, sy^letoc
iPlatl, com os ultimas el hura mentes.
Bocease crivos de-patente para fornalhas, dni-
-nuindo roeiVo o gaste- Machina: c mabteienos para moar mandioca,
'movidas a vapor,- agua-au cavallo.
Fornos e-dupas de ferro balido para cosera-
rrinha.
AtambiqGes de ferro, -e funds.
fininrtaaiea fuos e oriatils.
Prensas tara copiar-ccflas.
Rodas para carro de eiigenlio coinetios e man-
.gw de patale.
formas de ferro baltc galvanizado para purgar,
fierras de ac e armag.oe; de serrana.
Arados de"; ferro sngales edobradjs, grades para
cubrir caaos, enxadas a savallo, e outros instru-
mentos de agisculiura. _________________
Ha mais de sele annos que soffria dores
no hombro e as costas, tomei urna iniini-
dade de remedios sem achar alivio algum.
Dr, angustia, tormento sao palavras for- soas que negociara era pequea escala com fazen
tes, porm nao exprimem O que tenbo sof- das, que uesta loja e armazem encontrara) um
, i ... f "'; J nilul-is Mtm grande sorlimento.por precos que muito Ihes nao
frido: ltimamente tomei as pi crias ca- ^ ^ em ^ c jo a r(,la|||0j a sa.
tharlicas do. Dr. Ayer. S faz oilo das, ees- ber
tou completamente restabelecido ; ha lies Cuitas largas a 200 rs.
' dias que nao sinto a mais leve dr no hom- [ Vendem-se chitas francezas, llttrada rauito lar-
hro nem as costas 8*, padr5es escuros, pelo barato prego de -200 rs.
o covado, leudo minio bom panno ; dilas escuras
pdroes novos, por serem todas escosseas e cor
lixa a 240 rs. o covado ; ditas miudinlias escura*
e claras a 210 rs., afflancandose que esia fazenda
nao lem o mais pequeo loque de mofo, ueui nutro
qualquer defeilo. lsio so o Pavo, ua ra da Im-
peatriz n. 60de Gama & Silva.
EtparUftSji ua loja do Pato.
Vende-seum bonito sortimenlode espartlhos
propnos para senhoras, sendo dos mais modernos
e bem fetos que tem viudo ao mercado, lendo de
todos os lmannos e de diversos precos Irazendo to-
das as competentes filas para apenar. Ulo s na
loja doPavio, ra da Imperatriz n, CO de Gama
& Silva.
K.-t HATOS.
Vendem-se em duzias e a reulho, sabonc-
LAUCAS, VfOS
CBUSTAES.
A loja de louc da iua d Crr?po IC pr
vender qoantidade de ainl"j>* d- lia i*Js
. cores, assim romo loora de Mas :i- q *M*4f-,
tes aromticos e pon precos commoa>s, iw de ll(,nj|a. pi,,^,,^ ,. ^n^!.. it.oi. m-. rta i ppat--
rua do Queimado loja dAguia Branca n. 8. i |no)! u porcelana brancas d
A Ilniltn i vidros de todas :.s qualidade:-, inclii;- .nu-a
A QUl IlOllll" chrystal, diliradus i-rrns .!-,: yaintam
para flores, ligura- c- uuirus un; -
EsUs pilulas acham-se venda as pnn-
cipaes boticas e drogaras do imperio, e no
Rio de Janeiro, ra Diroita n. lo
Vende-se em Pernambuco:
I
na
para ung, uiucm.*. bissima porcelana d,,,.....ma.ia I ,-,.. ,v-
Alem do chromacomo, acha-se mais aa": fejles de mesa?, ttc p
giiarntc>*x i *
gua Hoilde, preparacSu ingleza para Ungir celana branca itmnu r. d. r
os cabellos, s pretendeites comparecam a e toaietes, tudo do meiiwr p si
ra do Queimado, loja d'Aguia Branca n. 8.; ~jaSlStt,- i
Bonitas ciuxinhas

PHARMACIE FRANCAISL
deP.MAURER&C1?

Affecciio clirouica do ligado.
Illm. Sk.
Juiz de Fra, 47 de fevereiro de 1864.
Tendo feito uso das pilulas catharlicas
de Ayer, que roe fez favor de dar um vi-
dro, tendo tirado um resultado nao espera-
do ; padecendo ha mais de doze annos en-
fermidades do ligado e baco, com o uso
das pilulas posso lhe .assegurar que estou
bom, pois leudo desapparecido um granda
eogorgitamenlo que soffria, niuitas dores
sobre a regio do ligado e costas, dores de
cbega, todiacSo do ventre, nao poilendo
eitar-me seno do lado direito, isso nies-
tao procurando posicao para ter socego, bo-
je me acfae livre -d-eese padecimento ; como
.jfor aqui aitida as nao haja, eu como lenho
: fcste propno que de casa, lhe rogo man-
dar-me alguns vidres, e o custo elle lhe sa-
tisfar, assim bem como do oliarope de
eereja, que Uve occasiao de experimeniar;
em um ataque de guellas que teve urna
preta que com elle-curei, fago uso d'elles
Das tosses em minha familia sempre em
bom resmltado, e.por isso que peco para
, mandar alguns fragqoinhos, e mesmo as pi-
lulas pfie montar a doze, porque tenho
feito use d'ellas para uso da familia e al-
gumas pessoas, ia d i ,mt e g e
: resultado ; sou Lldooroj&andeoda
De V. S. altensgPs.ar
Francisco FEiiRF.Arp.aAit
llBfti.miisiiio e ataques ucmorrliaklaes.
Illm. .Sr.
Outo-Preto, 30 de marco de 1804.
Posso eertilicar-lhe que as pilulas ca-
tharlicas do L)r. Ayer sao excelluntes. \)oh
que soiueiiuo en dores pelo corpo, e qut
suppunha ser rheumasmo, (moleslia esl?
que j baria soffrido ha annosl e soffrendi
Rival sem segundo
Ra do Queimado ns. 49 e 55, loja de
iniudezas de tres portas, cstquei-
uiando ludo bom e barato, quem qui-
zcr v-er c admirar venliam loja do
Ii|i(li!Il!lO.
Caixas de papel amizade, e sem ella liso e pautado
atiOOTS.
Grozas do botoes de lou^a prateados fazenda mo-
derna a 100 rs.
Duzias de penna de ac fazenda boa a ti
Pe{as de Moca de laa lisas
4 rs.
Escovas linissinas para lnipar
3SO rs.
Pulceiras de contas para senhoras
Pe-as de lila de eos eslreilas
320 rs.
Caixas com clcheles francezes, superiores quali
dades a 20 rs.
Tinieiros de barro, com superior tinta a 100 rs.
Pegas de cordo para vestidos, fazenda boa;
20 rs.
Baralhos muito linos para yollarete a 200
210 rs.
Frascos com agua de Florida a 15 e 1,5280.
Frascos com superiores banlias a 500 rs. e 2
Frascos com banda, paren pequeos
240 rs.
Latas com superior banha a 200 rs.
Frascos de macaca perula muito tino a 200 rs.
Frascos e ganalkihas com agua
400 rs.
Frascos grandes com mpt-rior
040 rs.
Pe chincha
larias das excellentes qualidadesj hemeo- de I8mezes por premio nte
i -i k,.;,oT. />;v'inlio mar : o- pri'iciidei.ii-s du'j ii--
hecidas, viudo m, mesmo bomja caixmhas r, ani)ar
LOJA DO BEIJA FLOR
\a ra do Queimado n. (3.
Tendo recebido um eoriimento de bone-
cas de-choro, que chamara papai emamai,
com cabelleica de cachos.
TttJo recabido um variado sortimeato de
brinqoedos para meninos, sendo espadas,
espingardas, pistolas, uirnbores ; ditos
para utesinas: pparelhos de altnoco e de
janlar de porcelana e de metal, porta-licor
e fa\|umws a 280 rs. o par ; e nao queren-
do cantinear, veude mais haralo do que em
outra qualquer parle.
Vende-se tiras bordadas de differentes
r\ar_gurasa 10, e habados, collarinhos e pu-
nhos para senliora, 'bordados e abertos de
renda e lisos, os mais moderaos que se
^odem encontrar.
Veode-se la par.a bordar de diversas
gualidides e do cores claras a 7$ a libra, es-
pelhos de columnas de Jacaranda a 20500,
dos brancosde di versos lmannos, caixinhas
para estojes de navalhas,
VeEde-se penles de alisar com costas de
meUd a 1$, ditos de differen.es qualidades,
linda*, 'ravaiinhas para senliora de differen-
tes gOallW.
Colhers de metal principe.
Vende-se colheres de metal principe para
tirar soupa a 25, ditas para cha a 2^300,
.ditas parasoupa a 4.^200 a duzia: nesta
::oja ia enconti ara sempre um grande e va-
i'iado sortimento deiiudezas: ra do Quei-
mado n. (>:j, loja do jj.eija-fior.__________
Kovas scmHles ie horlalica.
'.U-t aram no ultimo vapor francez vindo da Eu*
ropa, nftvas seroentes dehoriatiga, na bem conhe-
eha loja de ferrageus da Bastos, na ra da Cadeia
do Recife d. 56 A.
tambem de ataques hemorrhoidaes, e de
um ouvido, pois que *Hc j pouco fivia, e
aeompanhado de urna dr no quei.\o4 con-
sultei a um dos nossos mdicos, c este mf
disse que devia fazer uso da salsa ; parea
lendo eu o almanack .o mesmo doutor,
comprei em.-eua casa um vidrinho d3Simes-
mas pilulas e por minha conta principiei ;
torra-las, e sem as finalisar acho-me sou ;i
dores pelo corpo; e sem sentir, sarei dr
ouviJo, e mesmo dos ataques hemorrhoi-
daes : porlanto 63o para mim as taes pu-
e de todas cores a
denles a 240 e
a oOO rs.
com iO varas a
com perfumaras.
A Aguia llranca na ra do Queimado n.
8, recebeu um novo sortimento de pe fu-
ma
nhecid
de.madeira invernisada, e outras de vidro,
todas com filias perfumaras, e mu: pro-
prias para prsenles, as quaes sao vendidas
por precos commodes, na loja d'Aguia Bran-
ca ra do Queimado n. 8.
Tocas de fil enfei
tud'as
a 90 rs. cada urna.
Vend m-se na ra do Queimado, loja da.
Aguia-Branca n. 8.
Espelhos dourados
A Agu a Branca, recebeu novamente um
grande sortimento de espelhos de differen-
les qualidades, sendo de moldura domada, j
dita envernisada, outros de dita enyernisa-l
da com vivos dourados, leudo diversos ta-;
manhos, al grandes para salas, e bem as-
sim outros de armaco com um e
gar.? glohc
os mais sobreri-|i nii> para n. ir.- i.i -. .
de superior qualidade, e muitos oiiir <.;.* a -|ue
seria enf idoniio clanar, ludo \ is.a-
ismii -s raz-'aveis.
Vende-se urna ecrava m->r < m 'ir: a m
lavar -*-
a raa
Laazlnhas a 320.
Lazinhas a 320.
Lazinhas a 320.
Chegarara para a loja do Pavao as mais bonitas
lazinhas suissas de qnadrrahos e lislrazinhas a
imilago de sedas por terem muito lustro, sendo os
padroes mais modernos que tem vindo ao mercado
e muito levezinhas, vendendo-se pelo barato prego
de 320 rs. o covado, sendo razenda que sempre se
veodeu por 640 rs. Liquida-se por este barato
prec.0 na loja e ai mazem do Pavao, na ra da Im-
peratriz d. 60, de Gama & Silva.
Leucinhos para mo a 240 rs.. na loja
do Pavo.
Vendem-se finissimos lengos brancos com duas
cercaduras, sendo urna de cordo e cutra de eores
matizadas, muilo nos, a imitaco de linho, pelo
barato prego de 25800 a duzia, ou 240 rs. cada
nm : i:-to s na loja e armazam do Pavo, na ra
el da Imperatriz n 60, de Gama A Silva.
Lazinhas a 300 rs.
Lazinhas a 300 rs.
Lazinhas a 300 rs.
Vende-se um bonito sonimento de lazinhas pro-
prias para vestidos e soutem; arques por serem li-
sas e de quadrinhos pelo barato prego de 300 rs. o
de Colonia a covado, sendo fazenda que sempre se veodeu a
800 rs. o covado, e vende-se a dinheiro a vista pe-
aua de Colonia a lo baralissimo prego de 300 rs. o covado : na loja quele, tarjado de preto
do Pavo ra da Imperatriz a. 60 de Gama & quena, ele.
D'IODURETO DUPLO
de; F^RROe QUININA
Os demonios ipu c*np*e.n esU pr. .
frrro, o wde e ;uina, a collocic .<
i L-Liii as-' ,r0 dM |,rt.|,;tr,. o rmogiuow
dous [es, ^'0U5 rcsnltaoM obti 'os 'los mmkm k
e OUtrOS COm eilCOnSlO, todOS OS quaes se! taes, e os relatnos dos practico maism -ftw.
vendem (or precos commodos e dinheiro i,1.e,co."'inniiro M* *""**
do Queimado, loja d'Aguia]**""**"
a 200 e
vista : na ra
Branca n. 8.
Bom papel almasso
pautado com 33 linhas.
A Aguia Branca acaba de receber a sua
encommenda desse bom papel almasso, liso
e paulado com 33 linhas, assim como de
peso, tambem superior e igualmente liso e
pautado, com cora inperial, e sem ella, e
outros pequeos conforme os cima, e pa-
folha grande e pe-
Ua(M ii mr.u.
FrMMf*.
.^llCtllilt.
rj.'.ro.t- outclc.lcla.
'">liu.
Afrfrorp Q Mtfffi
^uii|>rcMif nm rr-
ti... r Inens'.rliarAfl
Affi-r4-a< i*n;ii.-.t.i.r r
i:-.;-.!. -:<-m.'
OftMlriil .r.iii.
f'ecitii Vtje s w MlettHt
C*c err *r e
IrxlK* ht .-
<>ttrn-r*n -. -
Calan
Hsiutrr irla*
Hirmarr lirane-
n iiii.-i.
AffT' ;ir .t-' -*
K! Mf .-.
Frliri tj'*.
Vnriiif, er.. l
Frascos com superior oleo de baboza a 400 e Silva.
500 rs. Pelerinas a lj>G00.
Caixas cora 12 frascos de ebeiros muilo fiaos a Vendem-se as mais ricas pelerinas ou ronviras
1>00. de cambraia bordadas propnas para hombros de
Sal.oni-ies pequeos de bolla a 240 rs. e graudes a senhora pelo baralissimo prego de 1&600 : na ra
320 rs. (ia Imperatriz n. 60, loja de Gama & Silva.
Organdy a 240 rs. o covado.
ua loja do Favo.
Vendem-se as mais bonitas cassas organdys, pa-
t cnur.:.ni do htvitae de 11
Umdufilul.t : '>r-".e ;.
uiiJ.:i de fe! '.Van. os ate
i20ibtrnie o Xarope diotUire i
ferro o de qniiintv o mea M
uo tfost: le '.

pilu'r e os mnmmt. r.-ie mnift
las as methores que
isto era abono da verdade.
De
%o poucas,
Chitas fnwcezas largas com pequeo toqae de
mofo, sem ser varia, cores iae, a 240 rs. o cova-
do : s na ruado Queimado n. 17, ao r. da boti-
ca. Do-i afliotiras._____________^___
GZ GAZ GAZ
Vende-se gazda melhor qualidades
i # a lata: nos armazensda ruado Im-
perador n.16 e ra do Trapiche Novon. 8.
^Viho do Porto superior em caixa de duzia,
tem para vender Antonio Luiz de Oliveira Azeve-
do & C, no seu escriptorio ra da Crnz n. 1.
Catangas fiaos e brtaqaeds
para meninos.
Chegarara para a loja de miudezas da raa do
Queimado n. 69, os mais Anos e lindos catangas
tanto para bnnquedo de meninos como para cima
de mesa : na raesma loja se encontrar bom sor-
timento de miudezss.___________________
~ Vebdem se 2 carros e 2 bois, para condugSes
de fretes nesta praga : a tratar na rna da Cruz n.
30, primeiro andar, a qualquer bora do di.
Vndese um carro de'carregar fazendas :
na ra da Cadeia n. 55, arraazera. ___
tenho experimentado
Sou
V. s.
Amigo certo, venerador e abrigado,
O brigadero
Joao Rodkkues Fec ns. Carvalho.
-------------i------------------
Galrile.
Ouro-Picto, !29 de marco de 1864.
Alteslo que tendo feito uso, acouselhado
por um amigo, das pilulas do Dr. Ayer,
fiquei perfeilamente bom de urna gastrite
que solivia e que privava-mc de anda.- aper-
lado, lioje felizmente nada sinto.
Augusto Qollati.no de Mello.
lioza de sahonetes peifuenos com cheiro a 700 rs.
A"ia di'iiiilice superior qualidade. a H00 rs.
Calas com superior n de arroz a 800 rs.
Frascos de superiores essencias santal e outros a
d3200.
Frascos com essendae para rar noduas de roupa
a 300 rs.
Frascos com cheirosde lodos ospiegos a 160,200,
2iO e 320.
Frascos bonitos com cheiros finos a 500 rs.
(Jiiiia de meias muito finis para senhora a
Golahas muilo finas p.ira senhora a 2G0 rs.
raixas com soldados de chumlio para meninos a
100 rs.
lJuzi. ;< colheres de metal i>..:\ cha a 800 rs.
Odas dita dito para sopa, fazenda boa a 15600.
Vara* u cordo branco para espariiiho a 40 rs.
Pegas de tita du la para debrum de vestido, com
io vares a COO rs.
Hilas e bicos superiores, para acabar a GOO e
8(tt rs.
Pedias dedousa para meninos a 160 rs.
Caixac 4eiiampannas para 3 metes a JO rs.
Bunec d'- choro e panno a 16<1 rs.
Cainas eofuibonilasestampas para rap a 100 rs.
Capachos compridos, boa fazenda a ;J00 rs.
Grosas d IDO rs.
Todas estas Acrendas para liquidar, pois tudo
-s'ri em perfeiio.estado, isio garante o dono do es-
ab ;ieciir.ento.
drOes miudos e graudes, pelo baralissimo prego de |
240 rs. o covado (doze vioiens), esla pechincha
acaba-se logo : na loja do Pavao ra da Impera-
iriz n. 60, do Cama & Silva.
RETANHA DE ROLO A 3&000.
Madapoln entestado a 3^000.
Ka loja do Favo
Vandftnt-se, ecas de. hrptanha
varas a .1,5, ditas ae madapolao e
3oOO e 45 : ua loja do Pavao, ra da Imperairiz
n. 60, de Gama & Silva.
Madapolao cora toque de mofo a 6:5 500 e 7:5
Vendem-se superiores pegas de madapolao, ga-
raniindo-se 20 varas era cada urna, pelo baratissi-
Branca n- 8.
Domines
apolo enfesiado a Jd-^'K
Falla de apetite,
Ouro-Prelo, 24 de fevereiro de 1864.
Sendo eu alfectado do figado ha muitos
annos, e ltimamente sofri falta de-apetite,
hoje dou grabas a DeHS por achar-me sao
e perfeito com o uso das pilulas catharlicas
do Dr. Ayer.
Antonio Borro Viewa.
Constiparn, dores de cabera.
Ouro-Prelo, 28 de marco de 1864.
Atiesto que achando-me atacado de urna
forte constipacao que trouxe-me dores por
todo o corpo e na cabeca, soffri horrivel-
mente por espaco de quatro dias; entilo
nm amigo aconselhou-me que tomasse pi-
lulas catharlicas do Dr. Ayer: com ellas fit
quei s5o e completamente restabelecido em
tres dias, de sorte que estou no firme prc. t'as para retraas ; tintas em pastis e em popa-
., ___ti i_ t-, -i! raaquarella: essencia de rosa superfina, de. ne-
posito de aconselhar o uso das ditas pilulas
Grande anaazcui de tintas.
RA DO IMPERADOR N. 22.
O armazem de lilliaa fi um grande deposito de
p-odactoschimicos atensis e os maisempregados
e usados napharmacia, pintura, photographia.lin-
turarif,, py rotucliinia .f j^c s de artificio) c em outras
industrias.
mo prego de 65400 e 1& por terem um pequeo
toque de mofo que nada val, e pegas de algodo a iinrrlalr> nam conhnri
k& : na loja do Pavo, ra da Imperatriz n. 60, de l
Gama & Silva.
Cortes de casemiras a 2i>00 e ll.-j
Vendem-se cortes de casemira de urna s cor a
2.5500. ditas de quadrinhos a ;-j : na loja do Pa-
vo, ra da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Cbales a 200
Vendem-se chales de merino a 25, 25500, 55 e
65 : na loja do Pavo. ra da Imperatriz n. 60, de
Gama cS Silva.
Lazidbasa 220 rs., na loja du Pavao
Vendem-se lazinhas transparentes de urca s
cor c de quadrinhos proprias para vestidos de se-
nhoras e meninas, pelo baralissimo preco de 220
rs. o covado, sendo fazenda que sempre se vendeu
a 500 rs.: na loja do Pavo, ra da Imperatriz n.
60, de Gama & Silva.
Cortes granadinos, a 12 -
Vendem-se os mais ricos corles de fazenda de
muila plianlazia por ser transparentes e tecidos
Tambem recebeu envelopes correspon-
dentes a lodos os tamanhos do papel, tanto
brancos como tarjados.
A commodidade dos precos j de todos
bem conhecida, urna vez que appareca di-
nheiro: na ra do Queimado loja da Aguia otm o xarope A'U isfam,*
di' a!u rar-see de ie uto piicroai
peca-te o folbute .: e d '!ep- .
e visporas
em caixas de madeira.
A Aguia Branca na ra do Queimado n. 8,;
acaba de receber domines em bonitas cai-
xinhas de madeira branca e envernisada, e
visporas de caixinhas de papelao, e madeira:
envernisada. ludo contina a ser vendido
por precos coinmudos e dinbeiro avista.
Goliinhas e punhos
bordadas para senhoras.
A Aguia Branca da ra do Queimado n.'
8, vende-se mui bonitas goliinhas e punhos
I M
i*
!'*
;! irmacmiico' ; '.-:.'.- I'ara-se evita-.!:! r-i'icatoc?, r-.i;i >
pudor em eada iraaea e Pilulas oa X2rc t -
licnaura do inv> i ior.
'H-|if>silo crai ni. Taris, pliarmac:'
112, ruc da Bac, e <; Waa as boa-
Je Franca a do* piwe* e>irar.'feiro

'ir
3
U
RA1NITTT,
BIS MU
*?!
Moudo em grande .scala, e supprindo-se di- S^SH ^l^f.f^I^S fS
Lencos pequeos
para meninos.
A Aguia Branca, na ra do Queimado n. i
8, receben um novo soriimento d'aquelles,
lencos brancos, pequeos e com barres de;
cores, proprios para meninos, e aiuda sarao
ueudidos pelo commodo preco de lCQ0 a
, dnzia.
Metas de cores
I ara creancas de 6 a 12 meias.
Vendem-se na ra do Queimado, loja da!
Aguia Branca o. 8.
7 hospho ros de segu ranea
caixas de 500 palitos a 100 cada urna.
Os grthtulo* au ki>mutk Ae Chevrier i
su|Crioi-cs a todas as oitra i" i *
bi. mull empregad..s ames com o m?. >-
pelos medie** de iodos os paixes, para pre-.
CUrir as
lila, i k. ... c-r.t!, S*< 4l*r^-e
Dt.x-.i-i-U-rlH*. i;tri<*"
Ddrr d'iiHlit|i Ga(lrnUI. eu
1>,>|m-;>Iii.
Os | rimeiros syrr. plomas dVasas ;o ?
afluccot s se maniV ulo onliuariamenie p
toes laboriosas, 'redames, fmitafmfft
d'eslOmago 'epoir. de eada comida, r
tomatue*, c, muil.is vezes, por tt fimos M ,*t
com vmilos.
Esle estado mdrbido, se o dcscuut.lo, in: ,.^-
vilavelincnle, que soja:
MuleMll.m de nmd*.
A Ictericia.
PalpIlMr* de ron
D*rea rlna.
r.
Oyyrmwn.
I>re de rnkrra
Irrliacie de bemlfa
da na irla. ee.
dres, irambnrgo, Anvers e sboa, pode ofTereceer Pava0- raa da mperatni n. 60, d
producioo.de plenacontangac falisfazer qualquer a ,,____,. x____,___,_._ ,_ n_,
encommenda a grosso trato e a rtalho, por pregos
razoaveis.
Prvidos i machinas appropriadas satisfar
com prornppdo qualquer pedido le tintas muidas
a oleo, cuja quaiidadee pureza de seus ingredieu-, uva.
tes poder ser examinada .pelo eonsumidor, o que Kieos chales prelos de renda
nao facii fazer eom aquellas que sao importadas, Cbegou pelo ultimo vapor francez um grande e
e que se encontrara no mercado em lata fechadas, variado sorlimenlo dos mais ricos chales prelos de
Tem grande collecgao de vidros de difterentes renda, tanto de linho como de seda, tendo entre
formatos, desde urna citava at dezeseis oagas de elies amitos de pona redonda a emitagao de man-
os granulo* Chevrier sao ordenados asa
sommidades medicaes para prevenir essasd ver-
sas molestias e cural as quando sao lame a
lempo.
0 preco de cada frasco de 4 francos.
Depsitogeral em Pars, pl........iifliMiew.
e em todas as pharmacias de Franca e dea [tanas
estrangeiros.
eapaeldade ; de vidros /iara vidragas e diamantes
para corta-Ios; de pinceis para fingir madeira com
propriedade e outros; de. papis dourados e pra-
teados e rolhas de gelatina para ornamento; de
papel grande e pequono formato de vanas cores
para embrulho, para forro de casa, para desenlio
Vendem-se na ra do Queimado, loja da
e arma- Aguia Branca n. 8.
de Gama c
A spas fortes para baldo,
Uornouis de renda na loja do Pavo I vendem-se na rna do Queimado, loja da
Lhegarain os mais ricos bornouts de renda e se .:- nran(.a n o J
vendem por baraUssimos pregos: na loja e arma- rtou'^ o-
zem do Pavo, ra da Imperatriz n. 60, de ama vi Ls)Onjas firtS para VOSlO
Vendem-se na ra do Queimado, loja da
Agina Branca n. 8.
Meas pretas
r*^loja da acEfle^muPr=^
Pavo, ra da Imperatriz n. 60, de Gama 4 SUva. I WftQ<*>'* >> SSt^" rebe'deSgn0rrbas' iue res *
Lazinhas lisas a aOO rs.
teleles e inuilos com o centro de cor, e vende-se
por pregos muito em conta por terem sido manda- .
dos vir de conta propria pelos donos da loja do fl8uld "'anca n. o._______
GRAGEASoeCUBEBINA
comCOPABAdeLABLONYI
Estes confeitos que tem por hm o prio.
cipio activo da vi metra citbebo juulu roa
Vendem-se as mais modernas lazinhas, tendo de
com fundo j feito; de papel albuminado e Briswl, todas as cores, pelo barato prego de 500 rs. o co-
-I
en
B
rr*-* os O O ?>
cu
p li, S". o O X
0.g s sr i =
verdadeiro saxe para phoiograpdia e para filtrar,
e outros ; vernizes de essencia para quadros, de
espirito para madeira, copal para o interior e ex-
teiior ; oleo graxo, oleo seccativo, oleo de linhaca
clarificado, oleo de loiele, secativo de Harlim, o uro
verdadeiro em p ; frita, ouro, e estanto em fa-
llas de varias cores ; tintas vegelaes, inofensi-
vas proprias para confeitarias ; la de cores, e
olhos de vidros para imagens; limas em tubos e
vado, larlaiana branca e de cores a 800 rs., fil liso
branco a 800 rs. a vara, cortes de fil brancos lisos
a 65 : na loja do Pavo, ra da Imperalrlz n. 60,
de Gama Silva.
Chapeas de sol de alpaca
Vendem-se superiores chapeos de sol de alpaca
a 355OO, ditos de seda ioglezes cora 16 aspas a
125 : na loja do Pavo, ra da Imperatriz n. 60,
de Gama & Silva.
=3
&. 3

9
_ C O O -J
2 g. o. e?
S,gS.S'"?gs
"SiS'is.gli
;.----20WCTJI S O
o
a pa.g'
a. o
1
W o
< cd -5
a todas as pessoas que forem aneciadas de
constipacOes.
Agostinho Jos da So.va, negociante de fa-
zendas.
Irrilai-o do estomago.
Ouro-Preto, 29 de marco 'de 186i.
Atiesto e juro, se necessario fr, que. sof-
frend* ha muito teinpo excessiva irritacao
de estomago, pouco apetite e difficil diges-
t3o, d'ella tenho experimentado sensiveis
melhoras depois que tenho feito uso das pi-
lulas catharlicas do Dr Ayer.
Antonio Hermogenes Pereira Rosa.
Farinha.
Vende-so farinha de mandioca muito nova, sac-
eos grandes a M : no armazem de farinha da pon
te nova dos Srs. Tasso Irmos, para porgues, oa
raa da Madre de Dos os. 5 e 9.
Lombrigas.
Ouro-Prelo, 28 demarco de 1864.
As pilulas do Dr. Ayer (catharticas), fo-
ram empregadas com grande vantagem por
mim em urna menina de dez annos que
soffria de vermes inteslinaes, notando-se
que os symptomas que ento apresentava
eram de molestia bastante perigosa.
Ravmundo Nonato de S. Thiaco, pharma-
ceutico.
Lazinhas transparentes a 320.
roly, jasmim, bergamota, aspice, patchouly,'ambar, Vendem-sejnuito bonitas lazinhas transparen-
bouquet,lirao,alcaraiva,melissa, ortela pimenta, ,es com Pa,r"nia0s de seda ,a 320j di,as de
louro, eereja, alfazema, juinpero, Portugal, lima, varias cores a 220 rs.: na loja do Pavao, ruada
ans da Hussia, canella, cravo e muilos outros ob- Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
jeclos que s com a vista podero ser mostrados.
Joao Pedro das Neves,
Gerenle.
o
si
s
a
0 R


C.-0
VI

O
m
*jm
*
Fumo da Baha para
charutos.
Vende-se fumo superior de todas as
qualidades, a relalho e por alacado, e
por precos commodos, no Recife, ra da
Cacimba n. 1.
avariado.
Francez barrica 5000
Portland dem 85500
Em perfeito estado:
Francez barrica 105000
Portland idem 125000
No armazem de Tasso Irmos caes do'Apollo.
Cortes de las matizadas.
Vendem-se benitos corles de las matizadas, ten-
do 15 covado- cada corte, a 55, ditos Mara Pia !
a 65 e 85: na loja do Pavo, ra da Imperatriz
u. 60, de Gama $ Silva.
ROPA FEITA
ROUPA FEITA
ROUPA FEITA.
Na loja do Pavo vende-se um grande sorlimen-
lo de roupas feilas para hornera, sendo calcas, pa-
letols e rlleles, tanto de panno como de casemiras
prelas"e de cores ; deixa-se de mencionar os pre-
gos para nao se tornar enfadonho o mnuncio,
afiangando-se que o respeitavel publico achara nm
grande soriimento por baratissimos pregos : na
loja e armazem do Pavo, ra da Imperatriz n.
60, de Gama & Silva.
Piche do ja/, e verniz do gaz.
Vende-se piche do gaz, verniz do gaz e estopa
da trra : no armazem da bola amarella, no oilo
da secretarla da polica.___________________
Attencfto.
Vende-se o deposito da ra Nova n. 61, bem
afregoezado e bem sonido : a tratar na roa do Li-
vramento a 31.
-
i
o
55 <
STB I.
3 g
F3
- s.o
o". 3 o g. o 3
^ r* t- Zl. Si
- P a, g. 2. o.
a." a> ?'S o
35 P 3 o
9 S s p-
a. o. 3
P M p. S> r-
CrS"Q
co
2.0
Q,fl9 O
O
3"
O
ai
-5 3 W
O 9
18

>

O.
B

S
_
a.
S
09
a
s
O
8
a
cr~
09
!z
O
o. Ii
>
o
'O
o
ram a cubeba 0 a cupabyba isolaiiani^nle.
Deposito geral em PernaDt>r:c(' ra ta
Cruz n.22 em casa de Caros i barbo.*
Loja
Sementes.
Vendem-se sementes de horialigas muito novas :
ra da Cadeia n. 50.__________
Taso Irmios
veadem gesso em p para estuaue de casas, tijolos
finos de feillo diversos para ladrilho, azulcijos de
diversos gostos, tijolos vidraos para parede de co-
zmla, canos de barro para esgoto, cemento em
barris de 10 arrobas.
das sns portas em fn ate do Li-
vramento
Ven lem-se chitas francezas escuras e boa* taa-
dos a 20, 260 e 280 o covado, ras-a (raoreu 4*
cores lixas a 240 o covado, rireanba de re! a
25i00 a pega, cortes de casemira de cor escara a
45, bales de arcos a 35, 3*500 e 44, e m
outras fezeddas por baraUssimos prego?, e V fcMtr
i se do amostras; cambraia para f rro a 2JMD a
pega _
Vende-se na ra da Cruz n. 38. rmate* v
. Mills Latham & (1 :
Saceos vas'os.
Pimenta da India.
Folha de Flacdres.
i Oleo de linhaca.
! Louga ordinaria e fina.
Cerveja do aspinall.
Cha;__________________________________
Farelo
a 45 a sacca, das maiores que ha : na roa larga
do llosa. 10 n. 50, taberna oa esquina.______
NOVIOAM
A i$ l$9 e 1*
l.eques de osso, ultimo gosto. a 15
Ceronlas de meia a 15200.
Dulas muilo Anas a 15500.
So na rna da Cadeia do Recita affi

___
TT~-ZT
.------L


I
'i
Diarto


I
GNEROS BARATOS A DINHEIRO
NOS
PG8MDES MiZISNS BE IISLIUBOS
II
I Pateo do Canuo n. 9 armazcm Progressivo roa do Queimado n. 7 i 2 'i I Uuiao e Coimercio ra do Impera Jor d. 40, |(p
v Peill'in il aPDKlTAIII /In mnllin.lna \1 _U


Prittcipal armazcm de molhados.
&J PROPRUETAH
Fazem sciente ao respeitavel publico, e com especiajidade aos senhores de en-
genios, hvradores e mais pessoas do centro, que para mais facilitar suas compras deli-
beraran! os proprielarios dos tres grandes armazens, reunir todos os seus estabeleci-
mcntos em um s annuncio, pelo qual o prego de um ser de todos, promette-
am que nao infringiremos a tabella que abaixo vai publiqado, annunciar os geieros'
por nra preco, e na occasio da compra quererem por outro, como socede constante-
mente em outras muilas casas, porm nos nossos estabelecmentos nao se dar islo
aioda mesrao com prejuizo nosso, qualquer passoa pader mandar seus fmulos que!
serao lam em servidos como viessem pessoalmente fazend i-nos o favor da mandar seus
pedid is em cartas feixadas; para evitar qualquer engaos, remetiendo nos urna conta
pela qual se ver os precos tal qual annunsiarmis. o que seno arrepender pessoa
alguma que Gzer saa despenca em nossos estabelecimentos; pois poupar mais de
5 por ceuto na sua despeza diaria.
Masteiga ingleza perfeitamente flor chegada dem com 4 a 3 ditas a 35200.
nilimamenle no vapor Saladim, de 5 dem vasios de todos os tamanbos a 2000,
a 15120 a libra e em barril ter abali- 10300,800 e G40 rs.
ment. Queijos d \ 20300 a 2?o00 os mais frescos.
dem fran:eza muito nova a 10 a libra, e Vinagre puro de Lisboa a 280 a garrafa e
en barril ter abatimento. 2.5000 a caada.
Banlia de porco refinada a 040 a libra e em dem mais baixo a 20J rs. a garrafa e 15400
barril ter abatimento. a caada.
Cha uxim de superior qualidade a 25600. Az3te doce de Lisboa muito Qno a 600 rs.
dem perula miudinlio a 25700 a garrafa e 45800 a caada,
dem bysson especial qualidade de 25300 a Toucinlio de Lisboa novo e muito alto a 400
2-^000 a libra. a libra, e cm barril de 5 arrobas a
dem preto muo especial a 25000 e 25*00; 10500 a arroba.
, a lw>ra- Cerveja Bass do fabricante Slilers & Bell a
Idu.ii do Rio em latas de 45000 e a 800 a | 6#:>00 a duzia e 6i0 a garrafa.
f)
roraBrlIhanV^onUnliTa^
A seguinte i
so deixese a-
os seus cons-
ontinua i lor a---- ""u" timaeui ue moiiiauo* uenominaao fl
labellasirvirv "8?0 so"'mentode gneros de primeira qualidade.
-lennum irmaznm Vend/ra* m.-h b.ase ParaaJuste de coritas aos portadores,
pelo grande sortiraento oae um .?? e me,hores d0 1 a Al>rora Brilhante, ja'
> ero fjuanto chegue ara ^Zi1 mes,mo ponJUft seu dono so deseJa tirar diminuto lu-
? proveitar, o piswietariX. f as dSspezas do estabelecimento por iss
tantes f reguezes de fazer toda a diligencia, aflm de servir bem
JL?7S8,braSdeChOUriasmu> novas,
fSBSufJSSSJSS? m PSIasinteira5,
l S 1Ua,,dadeS' a l*W, 13280 e'
EttTRJ?*'* ******
.Ditas cora ameixas a 1320o, 13800 a Wi
|Ditascom massade tmale, 300 rs
fDigco^ngosdecoraadr.nota,^,
dem Bass do fabricante T. F. Ashe a 65000
a duzia e 500 a garrafa.
dem marca II Victoria Alsope e outras
muilas marcas a 55 a duzia e 500 rs. a
garrata.
Sabio primeira qualidade a 220 rs. a libra
e 210 eril caixa.
dem segunda qualidade a 200 rs. a libra e
180 rs em caixa.
180 rs. a libra e
4-
Sabo ingles superior
160 rs. em caixa.
Caf primeira e segunda sorta a 75000,
75500 e 85 a arroba, e de 240 a 280 rs.
a libra.
Arroz do Maranhao 35200 a arroba e 100
rs. a libra.
a 25600, 20800 e 100 rs. a
que j vendemos a 15400.
uuce meia libras seguro a 15800,
de i em caixes pequeos a 700 rs. e de
50 para cima a Pi.
dem s m em bocetas ricamente enfeitadas,
conteodo pera, pesego, .ameixa, rainha.
atrs frutas a 3500) cada urna,
i em calda em latas feixadas hermetica-
ite :a!ii;o bem enfeitadas, corteado,
I o, ameixas e outras frutas a
e 700 a lata, tambem temos latas
grandes a l->200.
; .:. ai dos melbores fabricantes, em la-
de 20000 a 15200.
1 d Mas do 1 1(2libra a 10.
. em alas de I libra a 040 rs.
E : has em latas ts neste ultimo va-
l ir a 700 e de 5a para cima a 640 rs.
Fei a i ver le ou Garrapato em latas j pre-
'.o a 640 rs.
em frascos le vi tro a 15500.
. sa caixinhas ricamente enfeitadas de
8200a 20500.
;. isi-vas Mexide muito novas a 700 rs. o
;co.
li i 13 ceblas imples a 700 rs.
I > inglez a 640 rs. o frasco com rolha
vidro.
. I. em p a 700 rs. o frasco.
. ; preparada a 320 rs
n massa de tomate de 1 libra a
l lOrs.
a em latas de 1 li2 libra a 900 rs.
Vibosem garrafas vindos do Porto, Madei-
ra Secca, Duque do Porto, Duque Semi-
no, Cascavallas, Hara Pia, D. Luiz, Pe-
dro V, Velho Secco, Lagrimas Doces, La-
grimas do Dooro, o outras muitis marcas
i 15 a garrafa e 95 a 125 a duzia.
dem Palmella a 15 a garrafa e 115000 a
. izia.
Id( i em pipa de todas as marcas Porto,
Figueira e Lisboa a 400 e 500 rs. a gar-
rafa e 25300 a 35300 a caada.
dem em ancorlas e 8 a 9 caadas com su-
perior vinho Lisboa e Figueira a 245 a
aae 'reta.
dem branco especial qualidade proprio para
missa a 860 rs. a garrafa e 45 a caada.
dem mais baixo a 400 rs a garrafa e 35500
a taada.
dem do Porto especial qudidade a 800 rs.
a garrafa e 55300 a caada.
Id m Burdeaux em caixas a 75 e 700 rs. a
garrafa.
Champeaba a meliior do mercado vinda de
r i3sa encommenda a 305 ogigo.
Idera mais baixa de 185 a 205 e 15500 e
34 a garrafa.
Licores portugueses e francezes a 15000 e
I#500 a garrafa.
Marrasquino de Zara, verdadeiro a 15500 a
garrafa.
l n mais abaiso a 800rs. i garrafa.
Genehra de laranja verladeira a 115 a du-
zia e 15 o frasco.
Idera de Ilollanda verdadeira a 65 a fras-
qoeira e 600 o frasco.
dem de Hambovo a 35300 a frasqueira.
dem ern boligas de Hollanda a 400 e 440
rs. o frasco.
ifoes com genebra de ilollanda com 24
garrafas a 85, com garrafiio.
dem com 14 a i 5 garrafas a 65-
libra.
Latas com biscouto de todas as qualidades
a 15200.
' a da creditada fabrica de Biato Antonio'
(Lbboi) proprias para da; a doentes a:
25 e 35 a lata.
Boiaxinha ingleza muito nova a 35500 a bar-
rica e a 240 rs. a libra.
filias com boiazinba de oda e oval a 25. '
Presunto inglez para fiambre chegado no
ultimo vapor a 8oO rs. a libra. .
Choaricos e patos muito novos a 900 rs.
a libra.
Caixas com macarro tdliarim muito novo a
100 e 320 a libra.
Aietrta branca e amarella a 500 a libra.
ate portagaez de especial qualidade a
8 i0 a libra. dem da India
dem suisso de 8".;0 a 13000 a libra. libra.
dem bespanbol verdadeiro a 19000 a libra Charutos Normas de Havana a 55500 a cai-
xa. de Simas fJiwA Rnrtadna
dem Londrinos a 55, idem.
dem Parasienses a 45500.
dem Delicias a 15500.
dem Traviata do llio a 55500.
dem varetas de Manoel Peixoto da Silva
Netto a 35500 e I5SO0 a meia caixa.
dem suspiras do mesmo fabricante a 15$00
a meia caixa e 55200 a caixa.
dem mece.-ipes a 15700 a meia caixa e
35000 a caixa do mesrao fabricante.
dem orentaes do mesmo a 15800 a meia
caixa e 3 jiOO a caixa,
dem jovens de Gastando 4 Filho a 25400
a caixa.
dem suspiros do mesmo a 15'O) a meia
caixa, e outras muitas marcas de fabrican-
t-.
Passas muito novas a 15500 o quarto e 55
a caixa de urna arroba hespanhola e 320
a libra.
Venante bellida para abrir a disposifo de
comer a 10500 a garrafa e 145000 a
caixa.
Alpista muito novo a 35800 arroba* e 140
a libra.
Painco a 45000 arxoba e 140 a libra.
Peixe era latas j preparado a 15200 a lata
e em porcao 15000.
Sardinhas de Nantes a 400 a lata.
Tijollo para limpar facas a 160 rs.
Esparmaeete a 000 a libra e em caixa a
580.
Vellas de carnauba a 12 e 10.5000 a arroba
e 360 a 440 rs a libra.
Azeitonas de Lisboa muito novas em anco-
retas grandes a 15800 e a 400 rs. a gar-
rafa.
Balaios do Porto muito grandes proprios
para guardar roupa suja a 25500, 35000
e 45000. t
Batatas em gigos de 31 libras muito novas a
800, e a 40 rs. a libra.
Gomraa em paneiros a 45000 arroba e 140
a libra.
Farinda do MaranhSo muito alva e nova a
240 a libra.
Savadinha de Franca para sopa a 200 a li-
bra.
Sevada muito nova a 140 a libra e 45000
arroba.
Caixas com estrelinha, rodinha e pevide a
400 a libra. i
Alhos era canastras muito novos e mauncas
grandes a 180 e 200 rs. cada urna.
Canella muito nova a 15000.
Cravo muito novo a 500.
Cominho idem a 320.
Ervadoce idera a 400.
Alfazema flor a 240.
Amendoas a 400 a libra.
Nozes muito novos a 160 a libra.
Papel greve a 45200 a resma.
dem lizo a 45000.
dem de pezo a 35000.
dem de embrulho marca grande a 15200 e
15300.
dem azul para botica a 25000.
Copos lapidados a 55500 e 500 cada um.
Palitos de denles, magos grandes a 120 [e
160 cada um.
Fumo americano de chapa, de superior
qualidade a 1560 a libra, em poroto ter'
abatimento.
|Dl23ooombolachQhadesod
Ditascorabisnoilir
a muito novas, a
' Chocolate.
Uixinhas comamaiMs enfeitadas proprias
choro L mo a iim> 2S80 e w.
m^ssrmr muito nov'a '* *
FTSm ****** e a,elria amarea .libra
Dito dito dita branca, a libra a 400 rs
pitas dita em libras a 640 rs.
Saga, a libra a 3G0 rs.
fbevadinha para sopa a libra, a 2i0 rs.
romas seccas, a libra a 160 rs.
junas descascadas, a libra a 200 rs.
Tapioca muito nova, a libra a 280 rs.
fFar'n'ia de araruta
l 500 rs.
*Al9rSZ*nn M?ranl"ao em sacco, a arroba a
23400 e a libra a 80 rs.
jDito da India e Java, a arroba a 33200 e a li-
> bra a 100 rs.
lrUsCah|ibdra L'Sba & 9*3 a arroba e a 32
{Dito de Santos, a arroba 73000 e a libra a
2b rs.
verdadeira, a libra a
Viudo verde superior.
A caada a 33000 e a garrafa a 400 rs.
fifia
Saccas de 4 arrobas, a verdadeira de se
engommar, ae.arroba a 33000 e a libra
120 rs. tUa
Sabao massa, a libra a 200, 240 e 280 rs. W
Farinha. ^
Saccasgrandes com farinha de Goianna mui- w
to nova, a 53000. {ff
Caf. X
Caf do Rio muito superior, a arroba a 83, He
83500 e 93000. ?2P
Cha. Cffc
Ch.teraos nestes gneros o m ilhor possivel,''jfg
hyson, a libra a 2560U. *F
Dito perola a 33000.
Dito uxim a 23700.
Dito hyson muito lino a 23S00.
Dito redondo a 23500.
Dito preto de primeira qualidade a 23500.
Dito mais baixo a 23000 e 13600.
Erva mate.
Excellente cha medicinal, a libra a 240 rs.
Espermacete.
O masso com 6 vellas de espermacete a 600, i
640 e 720 rs.
Passas.
Caixas de 16 e 8 libras de passas novas pro-a
prias para mimos a 43 e 23500.
Noies. r
Nozes, a libra 160 rs. e arroba a 43000. <3JL
Alpista e painro.
Alpista e painco, a arroba 43000 e a libra a
160 rs.
Cartas.
Cartas Anas para .jogar, a duzia a 23500. %}
Caslanlias.
j Castanhas novas vindas neste vapor,
! ba 43000 e a libra a 200 rs.
Azeitonas.
i Barris com azeitonas novas a 13500
arro-
Molhoscom 125 ceblas grandes, a.lstsn
iTtoa ttlUK**> caiia com 1 duzias a Manteiga.
/J>UU- I Manteiga superior, a libra a 13280.
oa COm moslarda Preparada em vinagre, Dita mais abaixo a 1-3200.
a too rs. Dita menos superior a 13 .
rm om,>,on5Crvas in8'ezas e francezas, a Dita franceza nova, 2. libra a 880
bio eSCWJ rs. Dita dita em barris e meios ditos, a libra a,
Jilos com sal rednido fino, a GiO e a 500 rs. 850 rs.
propria para negocio, a
a jftOO118 vcrdadeira Senebra delaranja, a
gDitos: de 2 garrafas de Hollanda verdadeira,a
r 640 rs.
1 Botijas cora dita
g 400 rs.
OGarrafoes cora 2 galoes com dita, a 63.
jServeja boa, marca, a 500 rs. a garrafa, e a
b duzia a 6-3000.
rVinho muscatel de Setubal, a garrafa a 13.
Marrasquinho verdadeiro, frascos a 80C rs. e
R a 13200.
JChampagne, a duzia 203000, e a garrafa a
5 25OOO.
gAzeite refinado porluguez e francez,a garrafa
1 a 13000.
.Caixa de vinho Bordeaux muito superior, a
5 73, 83, 93 e 105 a caixa.
JDitas com dito branco, a 73 a caixi.
\ Ditas com dito lagrimas do Douro verdadeiro,
6 a 203-
5Ditas com duque do Porto verdadeiro.'a
. 183000.
sDitas com chamfsso superior, a 143.
5Ditas com Porto velho e outras muitas mar-
cas, a 123.
aVinho do Porto da pipa a garrafa a 640, 720
i e 800 rs.
.Dito de Lisboa muito bom,acanada a 33200,
; 33500 e 43, e a garrafa a 500 e 560 rs.
Dito da Figueira, tas seguintes marcas (N.)
(J. A. A.) (J. L. G.) (O. M.) a caada a
> 43300, e a garrafa a 560 e 640 rs., deste
i que jest engarrafado e lacrado cora o
rotulo do arraazem.
tDitos de marcas mais desconhecidas, a cana-
> da a 33500 e 43000, e a garrafa a 480 e
520 rs.
jVinhobranco fino, agarrafa a 640rs.
Dito de caj muito superior, a garrafa a
I 800 rs.
DE
AZEVEDO a FLORES
Ra da Cadea do Hecifc, esquina da IMre de Deas.
BAILES
Os ricos bales de arcos de 35, 45 e 55
Bales de arcos para meninas de 2 a 12 annos a 25 e 25500
Baloes de pai.no para meninas a 35 e 35500,
Chapeos de stl.
Os afamados e bem conbecidos chapeos de sol com 12 a Ditos maiores com 16 asteas a 125-
Tpeles.
Grandes e pequeos tapetes co n ricas estampas para sof
Chitas.
Chitas largas a 240 rs. o covado.
dem escuras finas a 320 rs. o covado.
Camisas.
Superiores camisas a 2,5500.
Camisas com peito de (r, e lodas brancas a 15800.
Ha muilas outras qualidades com peito de esguio.
C asentirs. -
As modernas casemiras de quadros, chegaram.
Roupa eita.
Ha completo sortimento de casemiras, de brirn branco e de cores.
Collcfrlnhos.
Chegou nova remessa de co.lleirinlios de papel de cores e branco*.
Tambem ha completo sortimento dos de esguio.
Cateas.
Caigas de superior brim pardo a 25500.
Cambraia branea.
Superiores cambraias brancas a 55 e 75 a peca.
Cambraia branca para forro a 320 e 400 rs. a vara.
Lias.
Laas de bonitas cores a 480 rs. ao covado.
dem para luto a 560 rs, ao covado.
A QEM NOS LER
Todas as semanas reformamos o nosso annuncio, annunciando ao publico aoras
fazendas e novos precos e nao como muilas pessoas supie sempre ser as me-ousfa-
zendas.
& O.
Dita para tempero a 400 rs.
Q11 cijos.
Queijos novos vindos neste vapor a 23800 e
33000.
Ditos londrinos muito novos, a libra
13000.
Papel.
Papel almaQO pautado, a resma a 4,V*00.
Dito dito lizo de linho, a resma a 43500.
Dito de peso lizo e pautado, a resma
23500.
Dito de embrulho, hora a 13 e 13200.
Vinho Madeira.
Garrafas com o verdadeiro vinho Xerez e Ma
deira a 13300 e 23000.
Temperos.
Folhas de louro, pimenu do reino, cominho
e cravo, a libra a 400 rs.
Velas de carnauba.
Masaos cora 6 velas de carnauba refinada a
430 rs.
Amcudoas. Amendoas com casca, a libra a 320 rs.
Doce.
Caixoes de doce de goiaba, grandes a 13400 -r'
e pequeos a 640 rs.
Tijolos de limpar.
Tijolos de arear facas a" 140 rs.
Graxa.
Duzias de boioes de raxa n. 97 a 23000, e
de latas a 15000, e os boioes a 240 rs. ca-
da um, e as latas a 100 rs.
Charutos linos.
Charutos finos dos melbores fabricantes da
Bahia por diversos presos, caixas e meias
MCHEIS DEPATENT
de trabalhar mo para
descaroear algodo
FABRICADAS
Toi ran l Di u Lhci o
OLDAM
.
!3rt'S*K%i_____^ Estas raachinai
(~f\ 1 >^ ^ F1 ''^fe- Pdemdescaroear
::. r qualquer espec
sen
estragar o fio.
sendo bastante
duas pessoas para
o trabalho; pdt
descarojar umt
arroba de algo-
do era caroc
em 40 minuto,
ou 18 arrobas
por dia ou 5 ar-
robas de algodac
limpo.
ri 1
canas.
E grande quantidade de gneros tendentes
estes estabeleeimentos, qne deixam de an-
nunciar-se.
1 4ca
Assira como machinas para serem movidas por
animaes, que descarogam 18 arrobas de algod
limpo, por dia; e motores para mover urna, duas,
eulns dessas machinas.
Os mesraos tem para vender um bellissimo va-
por que pode fazer mover seis dcstas machina:
mencionadas; para o que convida-se aos Srs.
agricultores a virem ver e examina-lo, no arma-
zem de algodao, no largo da ponte nova n.47.
Saaaders firolkers&C.
I. II, praca do Corpo Santo
RECIFE.
Os nicos agentes neste paiz.
A antica e bem conhecida
ra do Onoimj^.. .. ir > '
pFOWa e dilTerentes minrteas, novas e 11
fumarias inglezas e francezas, lavas de Joavi m-
fetes para senhoras e outros muitos drversos ar*-
gos.que com prudencia e sisodez sero patentes ao
comprador, a qnem isse, e a regalaridade d-.s rre-
Cos nao sera indierente para continuar con a so
boa freguezia.
Antiga loja de miudezas a
rua do Queimado n. 16.
Nessa loja vende-se baratamente, alm de
tos outros objdos os sepninles :
Voltas de crystal, grandes e pequeas.
Outras de diversas qualidades.
Cruzes fraudes de pedras luisas.
Alunles de madreperola e outras qualidades
Brincos a balo.
Cintos a traviata.
N. 16 rua do Queimado.
Coke do gaz.
pitcli do gaz.
Alcatro do gaz.
Coke tonelladas rs. .
Piten. .
Penas d'aco, papel e envlales.
Na antiga loja de miudezas a roa d > Queni
n. 16, acha-se um bello soriimento de papel a-
raasso prev liso c paulado, primeira e segada
sorte, dito de peso liso, paulado e de qoadrialM*,
de diflerentps qualidades at a qne se pode mee
trar de melhor, dito paquete, dito ivqueno em eai-
xinhas, sendo liso, pautad.-, de quadrinhos, beira
dourada e tarjado de preto, tendo entre elles al-
guns que trazem a envrlope na roes na foina, o mm
aqu inteiramente novo. Caixas de envetopes
maiores e menores, e tarjados de preto. Fi n
d'aco inglezas, caligraphiras e ontras qualidade*
todas dos afamados fabricantes Perres A C
Albuns baratos na na di Qnei-
mado n. 16.
Vendem-se bonitos albuns para 13 retraas a
13500, outros para 2! a 33000, e alguns miiwn
10^000 lamDem P<>r baratos prefos.
80fjooo Lu>as de p^lica a oOO rs.
400 APear de nao serem antigs esli
par.
Alcatrao caada.....
O coke reconhecidaraente o carvao mais econo-' mesc|adas as luvas de pelica preta e de
mico, torna-se por isso recommendavel, bem co-1qaae,5 ainda servem Para a noite, e mesmo
mo pelo asseio que se nota as cozinhas aonde monlaria> e vendem-se a 300 rs. o par na roa do
alie usado. Pitch e alcatro.alm das applicacSes i wuel^lal,,, n- ib. 'oja de miudezas.
diversas a que se prestam, como para callafetar l.allVI'iulhflS t IliCIS.
embarcacoes, alcatroar madeiras.etc.teem este a Na loja de miudezas a rua do Queimado m. ML
propriedade de preservar do cupim, formigas.etc.! vende-se bonitos labyrinlhos e bicoi das ilnas te-
entregar na rabrica dogaz ou mandado por em | cidos em grade de llnha o que os torna lorie, e de
muita durago, alm de que os novos e agradaveU
N. 11Eua do QueimadoN. 11
LOJA E FAZENDAS DE
Augusto Frederico dos Santos Porto.
Chegou a este estabelecimento un grande sortimento de cortinados bordados para
camas fazenda de muito gosto.
Chales de guip muito finos para 223, 253 e 303.
Colxas de seda superiores de diversas cores para carms de noivas.
Colxas de la e seda para cama tambem de bonitas cores.
Rotondes de guip enfeitados com o melhor gosto.
Setim de Pars bella fazenda e de bonitas cores para vestido a 700 rs. o covado.
Moureanlique branco e preto, grosdenaple preto e de cores, pannos pretos de todas
as qualidades, ditos aznes.
Casemira preta e de cores, merino preto, siltstrina, borabaiioas, alpacas pretas, e
laa preu para lutos.
Malas, saceos e boleas de tapete, verniz e couro de 43 a 113.
Bros de liobo de cores finos a 13800 a vara.
Chapeos e chapohns de palha de Italia para senhora, manguitos bordados, chapos
de seda para hornera, chapeos de sol de seda, esguio de linho, cambraia de linho, breta-
nbas, silesias e muitas outras fazendas que se vendem p >r commodos precos assim como
tambem
Esteiras da India para femar salas
qualquer ponto da cidade, segundo a vontade do
comprador^____ ____^^_
Instruccoes para o servido
das guardas do^xorcito, extrahidas do re-
galamento de'infantaria e accommodadas ao
exercito brasileiro; obra que muito convm
aquellas pessoas que se alistam nos corpos
de voluntarios; vende-se na livraria n. 6 e
8 da praga da Ind -pendencia, a ig.
Farinha de mandioca : tem para vender Au
tonlo Luiz de Oliveira Azevedo & C, no seu es-
criptorio rua da Cruz u. 1.
Vende-se urna burra de ferro grande
em perfeito-estado e por commodo prego :
na rua do Apollo n. 20.
Vinhos do Porto
das melhores marcas, era caixinhas de nma duzia
de garrafas para casas particulares, sendo : Lagri-
mas do Douro, Duque do Porto e D. Luiz ; tambem
tem anchetas de dcimo encapadas com superior
vinho, barris de S e 10 em pipa : na rua do Vi-
gario n. 19, priraeiro andar._________________
Admirem a grande liqui-
dadlo
De candieiros a gaz por todo preco a
grosso e a re la 1 to.
Roa da Impgratrla n. tt.
Vendem-se
machinas americanas de serrote para descaroear
algodao : na rua da Senzala nova n. 42.
desenbos, e a commodidade dos prec.m i
para a boa extraccao d'clles, unto
elles nunca sao desnecessarios em __
lias, pelo que podem dirigir-se a roa i
n. 16, loja de miudezas.
Ruado Queimadon. 16, an-
tiga loja de miudezas.
Essa loja j lao conhecida, renovou
o seu sortimento de perfumaras, onde os
dentes podem encontrar de novo bom.
leos philocome, saperlioe e babosa.
llanda fina em fraseos e latas.
Extractos finos ingleses e francezes.
Agua da colonia e florida.
Opiata e poz para dentes.
Extracto de quinquina para ditos.
Agua balsmica para ditos.
Dita dentriOce para ditos.
Leile virginal para sardas.
Vinagre de Venas para refrescar e coa*
lustre da cutis.
Sabonetes camphorados nglezrs.
Ditos areienlos excedentes para mos.
Oatros tambem inglezes de diversas qaaMaits
em caixinhas de (res e sollos.
Albuns cora perfumaras.
Chegaram os superiores
cortes de seda.
Superiores cortes de seda de cor,
ultimo vapor francez : na loja das es
do Crespo n. 13, de Antean uorreia
cellos* C.
Vende-se 40 palmos fc terraoo na m da
Concordia : a tratar na roa Jo Alecrn) a 10, m
3 horas s 5 nos das nteis.
^f
"-*------
i i .*



-
tliario de Periiambac rerea letra 1 de Agosto de &8tt*.
1

0
GERENTE
ESTABELECIDO A RA NOVA N. 60
JIM \ mWSL DI 32 MiMftal
AO
KESPEIT1VEL PUBLICO.
A apreciado dos hab tantes desta heroica provincia existe no grande arma-
zem da Liga estabelecido ra Nova n. 60 um magnifico sortimento "de molhados,
que sendo em sua roaxinn parte mandados vil directamente do estrangtiroTpodem ser
vendidos por presos asss razoaveis.
AO PUBLICO
iem o meaor constran-
glmento se entregar
Importe do genero que
na agradar.
ATTEKCAO
Os precos da segninte
tabella para todos, pe-
deudo asslm servir de b?-
se para o ajaste de contas
cobo os portadores.
!
RA DA CADEIA DO RECIFE N. 53
(Logo passando o arco da Conceicao)
PARA DEM DE TODOS.
Senhore* secihdrM, o aceio que presidio aos arranjos deste novo estabelecimento, e mais que todo a promptido e intei-
eza cora que serao tratarlo^ MnVidl a urna visita ao mesmo, certos de que sen duvida me dar5o a proteceo e preferencia na com- ,
rra dos gneros que precisaran e (mando n?o possam v.r poderao mandar seus portadores, anda que estes sejam pouco praticos,. gu a eco ra" .jpi 3o"
Sem a fatuidade de querer que este novo e interessante estabelecimento seja o r-ois serao t5o bem servidos como se viessem pessoalmente, havendo para com estes toda recommendaeao, aflm de que nao vio em.a lib,!vKjWa ^ a lla
GRANDE
ABHAZEH-VOLn^DOS
Pharol do eommercio
fina do Rangel n. 73.
O proprictario deste esiabtlecirreni tem i htm-
ra de avisar aos seas freguez.s qm I / MM graa-
de redueco uos precosde seus geur i a pi.iae-
raqualidade : mantiiga irgleza !- -;. a
librada uliinia chegada aj mmo swrcasa .,
franceza a CCO rs. e im L^rril fe '/ al&r queijos flamerigos novosa 253,i>, ..i: y\ a*
se pode desejar tu Jxnriade a :-
amellas- fiDco.'.s Ciiixirlus ;. i.
i80, frascos de ditas I5M0, grasara 35 papal
para mimos, marmelada u elfccrtl r. r< l
640 rs. a libra, amendias ronfeit;.- u i ,;;a .-crta
de S. Joao a 640 rs., vinho do Pon- a 640 ? 720 re
agarrafa, Figueira e LisLoa400,ii e SOir?.. a
em caada se faz o abaiinu-nl", i?>x .- de 111
com 2 arrobas por 3jl.%0 e a libra ( r*. r
caf i soite 7#800 e 7,5200 e a Mi tU
boiacliinha ingleza s 2(0 rs. lilis, t< n rbo c
Li.-boa a 3C0 rs. a libra, veto de taras la i IM
rs., ditas e.-iearioas finas a 6i'r?., r-rr>eae rer-o-
primeiro e nico em seu genero, pode-se porm iffiancar, com toda a seguranza de que; p ira rarte.
nenhum outro o exceder no restricto cumprimento das seguintes promessas: Manteiga ingleza especialmente escolliida a
1/ Delicadeza no trato.
2. Fidelidade no pesV.
3.' Sinceridade nos presos.
As pessoas que por sui posico social gozam de certo tratamento, achar5o nesta i rs> a |kra<
casa os melhores queijos londrinos, cerveja, vinhos finissimos manteiga e cha sempre de i cha perola o mais superior do mercado a
primeira quaiidade. etc., etc. 2,800 rs. a libra.
Qualquer que seja a condicSo do freguez, elle deve contar que ser sempre mu- \m nysson muito superior em latas de 15
to bem servido. libras muito proprio para negocio a 2,ooo
Aquelles que sao pouco favorecidos da sorte farao mensalmente urna economa de rs# a iDra-
moitas patacas, afreguezando-se nesta casa, onde se lhes vender o arroz, o caf, a man- i,jera hySSOn nacional em latas de 1 e 2 li-
abatimento.
dem franceza a mais nova do mercado a 96o
rs. a libra e 90 rs. em barril ou meios.
' Cha hysson de superior quaiidade a 2,600
bras a 1,60o rs.
dem preto o que se pode desejar neste ge-
nero a 2,000 e 2,2oo rs. a libra.
teiga oassucar, etc., etc. de boa quaiidade pelo preco que em algumas partes nao po-
dem ou nao querem vender.
Os senhores de fra da cidade, dos arrebaldes ou centro, que compram para ne-
gociar, devem vir, pelo seu proprio interesse, a este estabelecimento para se convence- Lingucas muito'noVasaSoorsiVlibraeem
rem do quanto se pode vender barato. barril se faz abatimento.
Para os senhorrs que compram para tornar a vender existe um sortimento ospe- chourigas e paios a 800 rs. a libra,
cial, escolbido por pessoa entendida que certamente muito deve agradar aos senhores costelletas inglezas a 64o rs. a libra, serve
compradores.
Nao se tem poupado sacrificios, nem se deixar de fazer a diligencia para agra-
dar a todos.
PELOS SEGUINTES PRECOS SO SE VENDE
A DMUIEIRO A VISTA:
ALPISTA a 120 rs. a libra.
dem e painco de oito libras para cima a
100 rs.
Arroz de 90 rs. a libra a........
Amendoas, casca raolle, a 28 rs. a libra.
Avellas a 240 rs. a libra.
Ameixas francezs em latas de todos os ta-
manhos.
dem dem em potes de lodos os tamanhos.
dem idem em bocetas de todos os tama-
nhos.
dem idem em frascos de todos os tama-
nhos.
Azeite doce de primeira quaiidade a 560 rs.
a garrafa.
Alhos a 200 rs. 0 moltao.
Absyntho a 2i000 a garrafa.
B
BOLACHINHAS do Beato Antonio em latas
grandes e pequeas.
dem do Principe Alberto a 23000 a lata, e
de cinco para cima a 1;>800.
dem de so Ja em latas grandes a 2000 e
de cinco para cima a 1^800.
Biscoitos inglezes de todas as qualidades a
1,51200, t:>:0e 10300.
Bolo francez em caixinhas a 300 rs. cada
urna.
Batatas inglezas.
Bamia de porco refinada.
c
CHOCOLATE francez a 700 e 800 rs. a li-
bra, e em pon;5o a 600 e 700 rs.
dem suisso a lj a libra.
dem de musgo a I 500 a libra.
Chouricas muito novas a 800 rs. a libra.
Caf a 240 e 200 rs. a libra, e em ponjao
se far abatimento.
dem de primeira quaiidade a 7^000 a ar-
roba.
Conservas em frascos a 320 is. cada um,
sao muito novas
dem inglezas, frascos grandes.
Champagne de todas as marcas.
Charope de grosella, orchaia, etc., etc.
Chicaras e pires a 1-j.SOOa duzia.
Cerveja da superior marca Tenente a 300 rs.
a garrafa, e em duzia se faz grande aba-
timento.
dem Victoria Bas tres X e de outras marcas.
Charutos das mais acreditadas marcas, co-
mo sejam : Normas d'Havana, Ex*posico,
Flor do Brasil, Parisienses, Delicias, Gua-
nabaras, Trovadores, Ilegalia, Mississips,
Panetellos, Apraziveis, Varetas, Brasilei-
ros. Americanos, Fluminenses.
Graixa em latas, muito nova, a 80 rs. cada
urna.
M
KIRSCH de Wasser a U a garrafa.
L
LATAS com graixa a 80 rs. cada urna.
Lethia a 400 rs. a libra.
M
MANTEIGA ingleza e franceza de primeira
quaiidade a 10, 10120 e 10280, em bar-
ril se faz grande abatimento; a que ven-
demos por 10280 a libia, vende-se em
oulra qualquer casa por 10400 e 10300.
Marmelada dos mais acreditados fabricantes.
Macarro e talharim a 320 rs. a libra.
Massa de tomate a 600 rs. a lata.
Mostarda ingleza a 800 rs. o frasco.
Molho inglez de todas as qualidades.
Marrasquino verdadeiro de Zara a.....
Massas tinas para sepa branca e amarella a
60 rs. a libra, em caixas com 9 libras a
30300.
MiLtio painco e alpista, sendo mais de 8 li-
bras a 100 rs.
$
NOZES a 120 rs. a libra.
Nabos em latas a 800 rs.
O
Ostras inglezas e americanas.
P
PEIXE em posta, latas glandes, a 10COO, de
todas as qualidades, como sejam savel,
goras, corvina, pargo, salmo, pescado e
pescadinha, linguado, sardinha. etc., etc..
Peras em latas, excellente preparaco.
Palitos para dentes a 120 rs. o maco muito
grande.
Passas em qnarto a 10400.
dem muito novas a 400 rs. 1 libra.
Pomada muito nova a 280 rs. a duzia. -
a
QUEIJOS lamengos.
dem prato a 800 rs. a libra,
dem suissos a 800 rs. a libra,
dem londrinos a 800 rs. a libra.
QCARTINHAS OU MORINQUES a 60, 80 6 100 0
par.
para temperar panella ou para fiambre.
Queijos do reino chegados neste ultimo va-
por a 2,2oo rs., ditos de navio devella a
2,ooo rs.
dem londrinos muito frescos e de superior
quaiidade a 800 rs. a libra.
dem prato a 800 rs. a libra, e inteiro se faz
abatimento.
dem suisso o mais superior que tem vindo
ao mercado a 64o rs. a libra.
Ervilhas e favas portuguezas j preparadas
Aletria, macarro e talharim a 4oo rs. a li-
bra e 6,000 a caixa.
Massa para sopa : estrelinha, pevide e rodi-
aha branca ou amarella a 64o rs.a libra e
3,5oo a caixa com 8 libras.
Viuho do Porto muito fino proprio para
engarrafar, em ancorelas de 9 caadas a
33,000 rs.
no a 3SQO/ 2*700 e S|80O, fu'. |fa
5 1 fi I C40 a lata, gomma a 100 rs. a lil ra ;-;." o r-
sai rennaclo cm frascos de vidro com lampa rot,a> WB*" b|Iwm laia e 2 til 1 .-.> a 143-A,
do mesmo, a ouo rs. 1dllos (le ?C(]a randps 2coo t m*< m-
ros que se terna enfadMiho n t-rri 1.. r. rq (.
tario espera a roncuncncia garanlindo a exactidao do que tratar.
Vinho em pipa : Porto, Figueira e Lisboa a
32o, 4oo e 5oo rs. a garrafa, e em caada
a 2,5oo, 3,ooo e 3,8oo.
Vinho branco de Lisboa de excellente quaii-
dade a loo e 3oo rs. a garrafa e em cana-
da a 3,ooo e 3,5oo.
Vinho branco para missa em caixas de 1 du-
zia a 8,000 e 680 rs. a garrafa.
Vinho do Porto das melhores marcas que
vem ao mercado como sejam : Lagrimas
do Douro, Duque do Porto, Rainha de Por-
tugal, Duque genuino, D. Luiz 1, Madei-
ra Secca, Malvazia fina a 16,000,15,ooo,
12,ooo e 10,000a caixa com 1 duzia e9oo,
1,00o e 1,5oo rs. a garrafa.
Vinho Cherexde superior quaiidade a 6,000
a duzia e l,5oo rs. a garrafa.
Sardinhas de Nantes a 4oo rs. os quartos e
64o rs. as meias latas.
Bolachinhas inglezas muito novas a 5,ooo a
barrica e 320 rs. a libra.
Bolachinhas de soda em latas de diversas
qualidades a l,3oors.
Cerveja branca das marcas mais acreditadas
que vem ao mercado, a 5oo, 56o e 64o
a garrafa, e 0,800,6,000 e 6,000 a du-
zia.
Cevadinha de Franca muito nova, a 2oo rs.
Charutos do aflamado fabrcame Jos Furta-
VeiMee
do de Simas, das seguintes qualidades :farelo de Lisboa em arras a han-ira--, p icns
bxposicao Normal de Iiavana, Imperiaes,; com superior farinha de mandioca, mm tara 4
Londrinos, Guasbaras, Parisienses, Sus-: em latas hermticamente lacradas a 64o. \ Cartoes com bolo francez muito proprios pa-
Feijo verde muito superior a 640 rs. a lata. | ra mimo a 64o rs.
Copos lapidados para agua a 5,ooo e 5,5oo Passas muito novas em caixinhas enfeitadas
rs. a duzia.
para mimo a 3,ooo rs.
dem idem para vinho a 24o rs., e 2,4oo rs. Passas de carnada a 8,000 a caixa e 4oo rs.
a duzia. a libra.
Chocolate francez hespanhol e suisso a 9oo, Figos de comadre a 24o rs. a libra.
l.ooo e l,2oo rs. a libra. Amendoas de casca mole a 4oo rs. a libra.
Espermacete superior a 600 e 64o rs. a li-! Milo de amendoas a 5oo rs.
bra e em caixa se faz abatimento. Bolachinha d'agua e sal, da fabrica de Joa"o'
Peixe em posta em latas hermticamente la- de Brito no Beato Antonio, em lata de 6 li-1
eradas e das melhores qualidades de pei-' bras por 2,3oo rs.
xe a 800, 1,000 e l,2oo rs. I Ameixas francez is em fiasco de vidro com
Vinho Bordcaux das marcas mais acredita- lampa do mesmo, a 103oo.
das que vem ao nosso mercado a 7,ooo e Ameixas franc zas em calimbas de diversos |
8,000 a caixa e 64o e 7oo ris agar- tamanhos com bonilas estn pas na cai-
piros Delicias, a 4,ooo, 4,000, 0,000,
6,000 e 7,oooa caixa ou em meias.
Charutos finos de diversas marcas e fabri-
cantes, como sejam: Flor do Norte, Ma-
nilhasde Iiavana, intervallos, Vencedores,
Panatellas e Suspiros, a 2,ooo, 2,5oo e
3,ooo a caixa.
ognac inglez das melhores marcas, a 800 e
l,2oo a garrafa.
Doce da casca de goiaba a 2,ooo a lata com
4 libras.
Farinha de araruta verdadeira a 32o rs. a
libra.
Matte,excellente cha para os navegantes, a
2oo rs.
Sebollas de Franca muito grandes e novas
a l,8oo o cento e l,2oo solas.
Palitos do gaz a 2,2oo a grosa.
Toucinho de Lisboa muito novo a 32o rs. a
libra e 8,5oo a arroba.
Banha de porco refinada a Ooo rs. a
Bolachinha Alberto, as melhores que pre-
sentemente tem vindo ao mercado, a 2,ooo
a lata.
Farinha do Maranho muito al va e cheirosa
a 2oo rs. a libra.
Frascos com fructas em calda de diversas
qualidades a 2,5oo e l,5oo o frasco.
Caixinhas com fructas em doce secco de di-
versos tamanhos, muito propriae para
mimo, a l.Ooo, 2,6oo e 3,ooo cada urna.
n, 17, primeiro andar.
bra.
rafa.
Genebra de Hollanda a 48o rs. a botija de
conla certa.
xa exterior, a 1,4o?, 1,060, l,8ooe 2,ooo
cada urna.
Azeite doce refinado hespanhol ou portuguez
Frasqueirasde genebra de Hollanda a 6,800 a 9oo rs. a garrafa e 10:000 a caixa
e 64o rs. o frasco.
Genebra de laranja verdadeira em frascos
Catatas muito novas a 80 rs. a libra e2,5oo
o gigo com 36 libra-.
grandes a i,000 e 11,000rs.a frasqueira.1 Conservas inglezas a 7oo rs. o frasco e
Caf do Rio de Ia quaiidade a 28o rs. ali- 8,000 a duzia.
bra e 8,Soo rs. a arroba. Vassouras de escova para esfregar casa a
Caf do Cear muito superior a 24o rs. ali- 4oo rs.
bra e 7,5oo rs. a arroba. Nozes muito novas a 16o rs. a libra.
Arroz do Maranho de Ia quaiidade a loo Molho inglez em garrafa de vidro comrolha
rs. a libra e 2,800 a arroba. do mesmo, a 16o rs.
dem da India a loo rs. a libra e2,8oo a Mostarda ingleza dos melhores fabricantes,
arroba. a 800 rs. o frasco,
dem de Java a 80 rs. a libra e 2,4oo a ar-1 Mostarda franceza em potes j preparada a
roba. 4oo rs. o frasco.
Painco e alpista a 14o rs. a libra e 4,000 a Lentilhas francezas. excellente legume para
arroba. sopa, a 2oo rs. a libra.
Massa de tomatesde superior quaiidade a 64o Marrasquino de Zara propriamente dito a
rs. a lata de urna libra e56o rs. a reta-j 10 a garrafae 11,000 a duzia.
lho. Palitos de denle a 14o rs. o maco.
R
RAPE' Meuron a 10 a libra.
dem Princeza do Rio a 10200 a libra.
dem francez a 20300 a libra.
m
SABO massa a 160 rs. a libra, em caixa se
faz abatimento.
Sal refinado em frascos a 500 rs.
Salame de Len a 2$.
ChA de todas as qualidades o de todos os! ^RDIN"AS^ Nantes de todos os fabricantes.
__ i...,., ,.;. :,,( ,^ Idem de Setubal em latas muito grandes a
precos, hysson, buxim, aljfar, preto, e
preto pota branca, etc., etc., a 20000,
202<>O, 20360 e 20800.
Copos lisos de todos os tamanhos de 120 a
320 rs.
dem lapidados de todos os tamanhos a du-j
zia a 20500, 30500, 40 e 50.
Clices de todos os tamanhos.
Cognac superior a 10 e 10500 rs. a garrafa.
Cigarros do Rio, pardos, a 80 rs. o maco
de cinco macinhos.
720 rs.
Stearinas a 600 rs. o maco.
X
TOUCINHO de Lisboa a 320 rs. a libra.
Tomate em latas a 600 rs.
Tinta azul e preta para escrever.
Rnibos, excellente peixe portuguez, em
barris pequeos ou a retalho, a vista se
far o preco.
Azeitonas de Rivasem ancoretas grandes de
8 garrafas por 600 e 800 rs. a garrafa.
Azeitonas portuguezas a 000 rs. a garrafa e
l,5oo cada urna ancorela.
Champagne da melhor quaiidade que vem
ao mercado, a 2,000 e 3,ooo a garrafa, e
24,ooo e 26,ooo o gigo.
Gomma de engommar muito alva a 12o rs.
a libra.
Figos em sextinhas a 80 rs, cada urna e 72o
rs. a duzia.
Papel azul para botica a 2,ooo a resma.
Balaios para roupa suja, grandes e peque-
nos, por diversos precos.
Amendoas confeitadas a 64o rs. a libra.
Latas com fructas em calda: pera, pecego,
damasco, rainha Claudia e cereja, a 800
rs.
Vinagre de Lisboa a 2oo e 28o rs. a garra-
fa e a l,4oo e 2,ooo rs. a caada.
Azeite doce de Lisboa a 4,800 rs. a caada
e 640 rs. a garrafa.
Vinagre branco j engarrafado a 000 rs. a
garrafa.
V
VINHOS
!!
FARINHA S S S de 8 libras para cima a 120
rs. a libra,
dem de araruta a 320, 400,300 e 800 rs.
Figos de comadre a 160 rs. a libra.
Feijo verde em latas a 600 rs.
Favas em latas a 600 rs.
Fumo do Rio a 500 rs. a libra,
dem americano em latas a 20.
Farello ha sempre em deposito de 500 a
800 saceos, de todas as qualidades, de to-
dos os tamanhos e de todos os precos.
Principe Alberto, de 1831, a 50000 a gar-
rafa ; d vida aos velhos.
DOCES de todas as qualidades: bras.leiros, Velho secco a 2 a fa.
portuguezes, inglezes, francezes, etc. etc.; Lagrimas do Douro8a 1(5SOO a garrafa.
E Duque do Porto verdadeiro a 20 a garrafa.
ERVILHAS seccas a 120 rs. a libra. Duque a 10 e 10500.
ervadoce a 400 rs. a libra. jChamisso a 10, 10200 e 10500 a garrafa.
D. Luiz a 10 agarrafa.
Moscatel verdadeiro de Setubal a 20 a gar-
rafa.
Carcavelos a 10.
Colares a 900 rs. a garrafa; o nico vi-
nho que se pode beber por nao ter com-
posicao alguma.
Lanterne a 800 rs. a garrafa.
Bordeaux Medoc a 800 rs. a garrafa,
dem S. Julien a 600, 80'0 e 10 agarrafa.
Absyntho a 20 a garrafa.
Kirsch a 20 a garrafa.
Wermouth a 20, e a caixa a 180.
Bitter Maurer a 10 a garrafa,
RIVAL
SEM In3.-U]?nO
Rna do Qncimado ns. 4 e A5.
Contina a veader todas as miudezas que abaixo
declara por pregos admirareis.
Massos de palitos lixados para dentes a 100 rs.
Espelhos de molduras douradas a 200,240 e 320 rs.
Donis de oliado para meninos a 1 000.
Ditos de couro superior fazenda a llo0O.
Frascos com superior tinta rocha a 240 rs.
Meiadas de linha froxa para bordado a 20 e 60 rs.
Babado do Porto, fazenda boa, vara a 80,100 e
140 rs.
Varas de franja branca cstreita a 40 rs.
Caixas com 100 envelopes, fazenda fina a 600 rs.
Grozas de pennas deago, fazenda superior aoOOrs.
Duzia? de meias cruas encornadas para homem a
3^1000.
Grozas de botoes madreperola finos a 500 e
e 640 rs.
Caixas com SO novellos de linha do gaz a 700 e
900 rs.
Caixas com superiores obreias de cola a 40 e 80 rs.
Pecas de fita branca elstica com 9 varas a 280 rs.
Varas de franja de laa para enfettes e vestidos a
40 rs.
Baralhos dourados superiores qualidades a 400 rs.
Novellos de linha cora 400 jardas a 80 rs.
Livros para assentos de roupa lavada a 100 rs.
Pares de botoes para punho, fazenda rica a 120 rs.
Tesouras para costuras superiores qualidades a
400 e l-'j.
Caixas de pennas de calligraphia, fazenda boa a
1^000.
Massos cora superiores grampos a 30 rs.
Pares de sapatos de tranca e tapete a 15500.
Pares de sapatos de tranca para menraos.a 1A e
15280.
Caixas cora superiores agulhas a 240 rs.
Libras de laa sortidas de bonitas cores a 75000.
Caixas com superiores obreias de massa a 40 rs.
Redichas com alnetes francezes muito superiores
a 20 rs.
Resmas de papel almaco a 25400 e 25800 rs.
Resmas de papel de peso fino a 25000.
Escovas para roupa, fazenda boa a 720 e 15-
Duzias de tesouras com toque de ferrugem a
600 rs.
Duzias de facas e garios de cabo preto a 35000.
Talberes muito fino para enancas a 240 rs.
Lagdo para calcadas.
Vende-se muito bom lagdo para calcadas e ar-
mazens ebegado agora : a tratar n ra do Apollo
n. 4.
Azeite doce refinadoem pequeas latas a 560 rs. a garrafa: no graude armazem
da Liga.
Saceos de 80,100 e 120 libras a 40,40500 e 50 ; no grande armazem da Liga.
-Grande expsito de E>
zendas.
Que asilo a venda, na l.-ja e arrorzem da Arara,
ra da Imptratriz n. 56, Luuren;o tttwn "ie-
des Guimares.
LAZINHAS A SU P.<. I
I.ZINHASA 20R-. !
LZLNHAS A 240 Rs. I .' f
Ha um grande orlimcLto de Btwhtt rUotm
chegadas pelo ultimo" vapor, sin Jo raztr. li i\mc
quaesqoer loja vende "a 4(0 t?., e-la se reaierto..
na loja da Arara pelo diminuto puco de z-iOxa.
o covado.
MADAPOI.AO COM 2i JARDAS A 45500 f I!
MADAPOLAO COM 24 JARDAS A i3(0 t :
vcnde-se madapolao com 24 jardas e taraatiB-
do se que tem 20 varas, pelo tralo treeo t
45500, 55000, 65000 e 65500.
BRETANHA DE ROLO COM !0 VARAS
A 25*00.
Vende-se bretanha de rolo a 25800 a pe;a, %'>
Mendes Guimares.
MADArOLO E.NFESTADO A 35000, 35510
E 45C(!0.
MADAPOLAO ENTESTADO A 35000, M.^O
E 45OOO.
Vndese madaiolo entestado peto o baran.
pret-c de 35. 35500 e 45 a ra
COLCHAS DAMASCADAS DE Fl'STAO.
Vndese as mais mo-ernas rold- ( .-la*.,
tendo de todas as toros a 555C0, i\tM grarde* x
85000, ditas de damasco a 'i5000, di-a de c: 1
25240 e 1300, isto s per a calar, n !;a :
mazem da Arara n. 50, .Yl.ndts Gn R res.
CHITAS FRANCAS A 240, 160, '
CUITAS FRANCEZAS A 240. ttft, KM, 3M E
320 R*. O COVALO.
CHITAS INGLEZAS A 200 E 220 R^. O COV
Vende-se cambraias brancas de -
ape^a, lamLem haum grande sottia i-oto ? ti
bra a brancas que se vetdtm a :
55, 65 e 75 a prca.
CHALES DE MERINO A 2-WO.
Lencos de carabraia com barra de 1 ttn a I5?0G
a duzia, ditos de dita branco a 25 e a .'ICO a Ja-
zia, s Mendes GuimarSs.
CALCAS DE BRI DE U.MO.
Vndese calcas de Lnm de liuh.o a 35Mt>
2f5C0Oo 45010, ditas de algodio a -.' -. I .
Guimaiaes.
Soutambarqucs de crts, vende-se rrniio 1\t:.o,
ditos grosdenaple preto, capas |MM a vis.* m
far prer;o.
PALI'TO'S DE ALPACA BRANCA A i550.
PALITOS DE BRIM DELINIIO A 5-5000.
Enlremeios transparentes a 800 rs. .tos tpalo
a 15, ditos f.ira babado a 15000 cada uua Uj.
ROPAS FEITAS.
ROl'PAS FEITAS.
ROUPAS FEITAS.
Vendem-se um sortimento d" roopas Mtu l
todas as qualidades, que a vista se far prep, a
outras muilas mais fazeodas que se d>ixain le
annunciar, ra da Impintih n. 56, MeiiUes Goh
maraes.
Vendem-se paln.i iras \mpttiut, nr. mSm
de serem iransplantadas : no sido morado a <-
querda, depois do beco do Espiohelro, eos A-
Qictos.
Fio de algodo da Rfela.
Vendefse no escriptorio de Antonio Lui' veira Azevedo A C, roa da Cmz n. I.
Potassa da Kussi ~
muito nova e superior : vende-se no eseriptori
de Manoei Ignacio de Oiivtrira & Fbo, larga Je
Corpo Santo n. 19.
ESCBAYOS I6IB0S.
Madapolao muito fino cora pequeo toque de avaria, por preco que admira : na loja
das columnas na ra. do Crespo n. 13, de Antonio Correa de Vasconcellos & C.
Grande sortimento de roupas feitas de to-
das asqualidades,
Caigas de casernira a 65 e 75500, ditas pretas a!
65 e 85, calcas de ganga a 25 ,15800 e 15600,
ditas brancas a 25, brim de linho a 35, 35500 e :
45, paletots do alpaca branca a 45500, ditos pretos
a 35 e 35300, ditos de alpaca de cordo a 45, e
de listra de seda a 45500, ditos sobrecasacos a 55,
paletots de casernira a 55, 55500, 65, 85 e 95,
ditos sobrecasacos pretos a 125,15 e 165, ditos fi-
nos a 255, de cores a 135, ditos fraques a 145,
paletots de ganga a 35, 25500 e 25, ditos de brim
pardo a 35, jaquetoes de brim pardo a 35, panno
preto fino a 25, 25600, 35500 5, 45500 5 e 65 o
covado, moreantique preto a 25600 o covado, gros-
denaple preto a 15500,15800,25, 25200 e 25500
o covado ; e ootras muitas mais fazendas que se
deixa de annunciar, e manda-se levar pelos caixei-
ros da loja da arara casa dos pretendemos. O
e tabelecimento est aberto at as 9 horas da noite,
ra da Iraperatriz n. 56, Mendes Guimares.
Vende-se urna ptima escrava moga de boa
figura : a tratar ua roa da Cadeia n. 40, loja de
relojoeiro. ______________________*
Vende-se urna escrava parda de meia idade
com principio de engomraado, lava e cozinha : na
ra nova de Santa Rita, casa n. 5.
Francisco Jos Germano
RITA RO VA X. ti,
acaba de receber nm lindo e magnifico sortimento
de oculo8, lunetos, binculos, do oltimo e mais
apurado (rosto da Europa.
do
Escravos fgidos.
Ao amanhecer do dia 16 do correte mez fagi-
rain os escravos seguiotes : Theodoro. preto e
nacao, alto, cheio do corpo, maior de 30 anos,
barba bastante rente, falla costosa, e qoaado pro-
nuncia as palavra?, os labios que .-ao griwso, jo-
mera alguma cousa, tem bo branco dos oibosrrav
cipios de carnusidade ; Virissimo, mulato, ua
pouco claro e alguma cousa plido, 6 maero. alta-
ra regular, tem marcas de bexigas e espinhas m
rosto, os denles limados, as percas com airona
e largas cicatrizes, e anda como quem t. ro btrhos
nos pes : quem o> appreheoder qoeira leva-los a
seu senhor em roa da Aurora o. 32. certo a
que ser bem recompensado.
Aviso aos capitaes de
campo
Ausentonse o escravo Manoei qae i.i foi esrra-
vo do Sr. Joao Ferreira Taboza senhor do ergeat
Verlente da comarca de Caraort, 0 epais t
seo filho Joao Ferreira Taboza Jnior reooViro a
engenho Rede de Santo Antao.cnj-) esrravo tem o
signaes seguintes : alto, poaca barba, fallo 4a
dentes na frente e o melhor signal ler os vetta
estofado* para fora bem visivel : qora o pega
leve-o a roa estrena do Rosario o. 3, qae sen*
bem recompensado. g
Aosenton-se no dia 2 do correte Ti
da casa da roa do Imperador o. 16. o preta 1
do, crioulo, ebeio do corpo, altara r-gn ar.
comprido, olhos pequeos e poora barba, ua 1
sa e bigode, bastante ladino, represe
annos, pouco mais oo meaoa, e Joiga a Mr I
calca preta e camisa branca ; este e*rraro foi coa-
prado ao Sr. coronel Galvao, do Limoeiro, para a>
rovena de IVossa Sculiora
C armo e de Sanl Anua.
Vende-se na ra do Imperador d. 15, offleina
de encadernacao : o offlcio, salve e versos, nove-
na e salve de Nossa Senbora do Carmo, tres fo- -.
Ihetos por 500 rs.,e a novena de Sant'Anna or de se jdlga tenha fgido, mas ha
320 rs. 'isto na Passagem da Magdalena, Reaaaa a
-----------------=5--------------- zea; e como se desconfa q*e aleja
arelo a 4 & protesta-se proceder contra quem o tmr
Vende-se farelo novo, saccas com 90 libras, pelo e pede-se a quem delle der noticia on o agarra.
barato prego de 45 : ra da Madre de Dos ou- que. dlrija-se a sobredila casa, oa a roa 4o Creaa
meros 5 e 9. n. i3, que ser recompensado.
qoem el


s
Diario de Fernambiiro rerea felra f de Ajg-Mto de i 5.

i
JURISPRUDENCIA
R. Nao senhor.
P. Ouvio discutir a captara do presidente ?
R. Nao, seahor, nunca? Onde esta' a mamaa?
Madama Ewing. Em que anno sabio seu irmao
de collogio?
Nao havia nesas breves e tocantes humillas cora expressoes exaltadas, levando-o a formar de sstir, e estabeleceu em seu seio um poder per-
nenhum desses rasgos de sorprendedora eloquea- si om conceito exagerado e a esquecer o que deve petuo.
cia, e eram palavras singeles, sein ornatos, sera aos outros pintando-a com lindas e deslumbrantes A m edln-c0 e(erno era preciso um tunda-
relevos, mas lo cheia- de oocco, tao repassadas cores, e occultando-lhe de proposito o seu lado fra- ment eterno a urna sociedade que deve durar em
de candado, que faztam as lagrimas acudir aos co, ratseravel e asqueroso. todos os lempos, preciso sempre um poder vivo
ESTADOS-UXIltOS
Pi'OCesso dos as; sluos de Lio- R. Em 1861 on 18ii, no anno em que morreu o olhos. O Evangelho diz, ama a tea prximo como a ti para a g0vernar
Cln eSew.ird. papa'(com urna voz snffncada). Mas onde est Era um pai fallando aos filhos----; e aquello mesmo.
comseliio de GDERBA em WAsuiNGTox mamaa ? vulto de velho de cabellos brancos, e aqnelle sem-
" -''miaco) I n ,ii-, j. d,,. Liante veneraval, e aquella voz antorisada, e o ap-
um.._ P. Era que anno eslevo no cnllegm de Bryan- ...
. i ,i, to a ninii. ,i ... a paralo do culto o o recolhimento do novo, tiniam
Audiencia de iv < mim. '.'Wn? .
O demento de Misa Anna E. Surta! nesherloO R De {m a 186l) 5ahi m 16 de julho. um que de sanio, do solemne e de mages.oso, que
grande interesse, nao porque esclareeesse
inulto o
P. Vio o Dr. Mudd em casa de sua mSi em Was-
riboual, mas porque as regostas simples esiace- lljll?ton ?
ras .lisia meBina, a ternura qae mosirou por sua. ,{ N.-p> sennor.
mu. a prisao que soffreu sem causa plausivel, a | M|sg Surratt neslas nnmas perguntas voltava os
impunha o commovja.
l'm domingo o padre vigario deixou de ir a'
missa.
Por entre o povo percorreu urna noticia, que de-
Qne se diga embora, exclama Bossuet, que o mi-
Se ambicionaes o socego, a paz e o respeilo, de-' nisterio de S. Pedro acabasse cora elle, porque o
veis tambpm anhelar estes bem para vossos irmos : que deve servir de susieulaeulo a urna igreja eter-
nfio s os uo devpjs embarazar no uso de seus di- na nao podera jamis ter lim.
reilos, mas ainda vos importa unir-vos pelos lagos pejro Vjvlra (ill1 seus raceesaorei e fallar sem-
da candade, procurar igual para elles as cansla pre em sua cadeira.
goes do coragio, a luz do espirito e afortunado Mas, quem ser o seu successor legitimo e o her-
lucadeiCOB que depoz, nao obstante a co.uraocao agita(;aonfirvo5a para 0 estrado dos TJ^ll^'T' ^'f*"* lar,raas se
",u natural que agitava, emQm as lagrimas que com o p impacien.e. STXS^^^TS^1 W*
... ,,.,..,r,m ,ir, n membros do v v olhos se dirigiram para o ceo; porque muitos la-
corpo : repartir-Ibes dos gozos puros e santos que
o Seohor vos dislribuio
derramou, |Oe commoverara at os membros
>.e a pnseegem relativa teslemunl.a Weicliman, i SurraUsvue n0 na estrada entre Washington
conoiseipolo de John Surratt, tratado como lilho da; ^ (-ayan|0W|)
nesma familia; nii, lilhos e filhas todos tinham >*c"sle momento appareceu o porteiro, e o presi-
>or elle una cordeal alfeigo, como so fosse seu
prenle i madama Surratt esperava-o noite quau-
doelle v.nha tarde, como se lose seu proprio t-
Iho e elle em recompensa de tantos carinos fez-
piio di casa, onde julgava que se fazia contra-
llan.lo, e ilo para lisonjear seus superiores e po-
der Adiaular-se. Foi talvez esta a nica pessoa que
-i, as lagrimas de madama Surratt sem se commo-
v r.
O ioterrogatorio publIcadD pela imprensa e o que
fp segoe:
P. Quando foi presa?
B. No dia 17 Je abril.
P. Conhcce Azteroh ?
R. Viu-D alguuias vezas na nossacasaem Was-
hiagtoo.
P. Quando foi l pela primeira vez?
R. .Vgum lempo depois do Natal, parece-me que
em fevereiro.
P. Quanlo lempo esleve l ?
R. Parece-me que nunca Jormlo, costumava vir
le tempos a lempas.
P. Tove noticia se em sua casr deram a enten-
der a Azlerotli, que nao goiavam de o ver l ?
R. Sun senhur. A mama disse que nogostava
de receber pes.>oas estrauias, mas nos reeebiamo-
i' : iflipre com luda a polit.i,.a,.como cosimavamos
azer a todas as pessoas que iam a nossa casa.
P. E' verdade que madama Surratt em certas
occasiSe?, olo podia conhecer as pessoas da sua
aroisade?
11 E* verdade.
P. Pode ir ou coser a luz do gaz ?
II. Nao senhur.
P. Nao se ria as vezes, de sua mamaa asar ocu-
los?
R. Dizia-lhe que pareca multo moca para os
usar, ao que responda que nao podia Ir sem
olles.
P. Podia Ir ou coser de manliaa, quando o da
eslava enevoado ?
li. Poda ler, mas cozer raras vezes o fazia.
P. CuDfaece Lewis I. vv-iebman?
!'.. Slm senlior, era hos|iede em nossa casa.
P. Como o natavam ?
|{. O mellior possivel.
P. Sua mal .sperava-o quando elle vinha tarde?
R, Tal qaal como fazia a mea inu.io. W'eich-
mau tinou um quarto para Azteroih, para quaml i
elle viesse, as vezes fallavam um com o outro por
meio de signaes.
P. Quando veio Payne a sea casa pela primeira
vez !
li. Veio urna vez depois do crepsculo da tarde,
e [ui-se emb r i no da seguate de raanhaa cedo.
i'. Qoaolo tompo antes ilo assassinato?
R. Foi mailo depois do Natal.
P. Qmnias vezes esteve la?
'.. Esleve a primeira wo, e depois nao o vimos
poi muilas semanas, fi Weiehman que o trooxe ;
ea dls.se a mamaa que elle eslava l, e elia nao fi
oo contente, porque nao gostava de ver e"m casa
peSsoaseslranhas; depois diss) veio duas ou tres
vetes.
P. Pedio para ficar de noo ?
I!. Sim, senhor ; dizia que parlia no dia seguin-
le, e julgoque assim o fez.
P. Conneeeu Booth ?
R. Vi-oalgumas vezes.
P. Qaando esteve em sua casa pela ultima vez ?
R. Na segunda-fera antes do assassinato.
P. Sabe se a carroageir eslava a porta, prompta
para sahir qaando Booth veio ?
IV. Creio que sim; elle enlrou e vio a mamaa
prxima a sabir; ella j liona fallado em ausentar-
se por um dia ou dous para tratar de negocios, i
disse que se via obrigada a partir.
P. Qoaolo lempo esteve l Booth?-
R. s alguns minutos: quando vinha,demorava-
se pouco.
\'. Conhece esta pintura?(representava aprima-
vera e o outono).
R. Sim, senhor, era miaha, deu-m'a Weiehman.
P. Havia oulra pintara nessa moldura ?
R Puz um retrato de Booth por detraz; estivo
em urna galera com Misa Ward e compramos la
alguns r ". ."-s de Booth, por que o conheoiamos;
miu iiii: .iisse-me que m'os tirava, e eu escon-
di-o?.
P. Tinha photographias de Davis e Stephens?
R. Tinha, sim senlior, ; do general Lee, de Beau-
regard e de outros. de que me nao lembro, deu-
m'as mea pai antes de morrer, e por isso as esti-
mava.
P. Tinha photographias dos generaes da Unio?
R. Tinha dos generaes Mac Uellao, Grant e Jos
Hocker.
P. Le.nbra s da ullima vez que vio sea irmao ?
Quanlo lempo (oi ai"s do assassinalo?
R. Duas semanas antes.
P. Vio-o depois ?
K. Nao senhor.
P. Booth e seu irmo linham relacoes de arai-
sade?
R. xNunca Ih'o perguntei; Booth vinha visitar
meu irmo a's vezes ; um dia disse'rae este que
Booth era doudo e que desojava que elle nao vies-
Tal reverencia Ibes deveis, que nao s seris pu-
olhos se dirigiram para o co; porque muitos la- nidos se sobre elles alcardes mos violentas, mas
O advogado H. Ewing, talvez para a enlreter at j bios murmuraram oragoes a Deus. at se apenas lhes disserdes ama injuria o que
Dizia-se que o padre vigario eslava doente, mu- disser a seu irmo raca digno de consellio.'
to doente, e que o medico nao tinha esperancas de 0- ,. ... .......
salvado preceitos sublimes que deram ao homem
a justa medida de respeilo para com outro ho-
Na vespera tinham ido chamado para ouvir de mem a justa medida de respeilo para com outro
denle do tribunal fez signa! a tesiemunha que se conlisso a um moribundo, que se linava, e levar- homem: eis a moral divina de Jess Christo, que
podia retirar. Il>e os socorros e as consolaces da religio. veio semear no mundo o amor santo que nos ligou
Miss Surratt levantou-se depois de responder
alTu mativameae porgunta, axclama com urna
voz mortificada :
Onde.est a iram ?
M. Aiken approxima-se dola e diz-lhe com boa-
dade, que dentro em pouco ver sua mai, e a con-
duz com muilocusto por entre urna multidao de
senhoras, sendo difl'-il abrir caminho, tanta, era a
curiosidade de ver o rosto banhado de lagrimas da
pobre menina. >.
Quando Miss Surratt se levnlou, um membro
do tribunal Ihe apanhou o lenco, que Ihe havia ca-
bido, e deu-lh'o com toda cortezia ; ella pegou
nelle arrebatadamente sem agradecer.
Perguotando-se a um dos membros do tribu-
nal pauco compassivo. porque nao fizeram ins-
tancias a esta teslemunlia, responden que seria
urna erueldde, e que a pobre menina Uvera um
encargo raais pesado do que liverara as suas
foreas.
Fallase de um novo incidente em Biiffaio. Um
individuo, que deu o nome de W. D. Beers, no
hotel Bonney, nesta cidade, toraou nelle um quar-
to. Nao se sabia quaes eram suas oceupacoes, e
mesmo nao havia cousa algnma particular, que
cnimasse sobre elle a altencao, (|uando era um
destes ltimos dias apaobaram, junio porta do
seu quarto, urna nota com o seminte escripto cora
a mesma letra que foi escripto o nome Beers no li-
vro do hotel :
E. C Delbit como Booth morreu e Davis est
preso, poucas esperancas restara a sociedade. S
Deus podia ter impedido a execuco dos nos-
?os planos. Se a empreza de Surratt uao tivesse
falbadu, uossos planos leriam bom xito, a Virgi-
nia seria reconquistada, e a uossa causa eslava ga-
nha. Agora ludo est perdido.
P. S. Nao Uveste bom resultado. So eu vlver,
hei de perseguir-le. Surratt deve raorrer. Desojo
vlver, mas parece-me que estamos cercados por
todjs os lados e que nao poderemos escapar.
Beers foi preso quiou-felra a noita no hotel
Bonney pelo agente da polica serreta dos Estados-
Unidos Emeric. Pedio um advogado, mas nao o
deixaram c.mimunicar com o preso. Esperam-se
instrucces de Washington.
(Coti/imiar-sclia.)
.....LIITBRiTl
A SF.CULARISAgAO DA PHILOSOPHIV.
I
Era uoite e noite tempestuosa; a chuva cania uns aos outros, como a elles fomos unidos ?
violenta e o vento soprava com (orea, zunindo por Como nao diminuir sensivelmente a estilstica
entre as frestas das janellas. dos crimes na sociedade que abracou esta doa-
0 padre vigario havia tomado um remedio ; o trina ?
medico Ihe aconselbara o repouso, e o sahir a O que a razao persuade no-lo evideuciam os
deshoras seria urna imprudencia, sera lalvez a (acios.
morte" I Assim, liis, observemos tiolmente o quinto pre-
E' um chris'ao que se floa ; urna alma que ceilo do Declogo -nao matars.
reclama para a viagem eterna os soccorros da reli-',______ m ,
gio, Ihe dissera o portador.
E o padre vigario ergueu-se do leilo, veslio a
sotaina, tomou o chapeo, empunhou o basto el ^ ^ ^
se foi a salvar urna alma sera se impor J e ^^ a
vento que zuma, cora a chava que Ihe aco.tava o ^ ^ ^ ^
ro-to, cora a agua que Ihe molhava os pes. ;r
.. ...._j,4; Ouem diz orgulho, diz revolta : revolta da von-
Pela madrugada voltou para l^M* orgulho d do cora.
fra ; pouco depon sobreve.o-lhe violenta feb e, e ra2o coD[ra & ^ ^ ^^ Q
o medico que fura chamado, encontrn o a delirar. rgu|ho jo1 espirito,
e desesperou de salva-lo. Q racjoDa,lsino 0 orgu|ho do espirito.
Foram dous dias de dolorosa anciedade. Querer achar n0 peasaraento do bomem, a excla-
O povo cercava a casa do padre vigario ; vase : g-o rfe (ol1os QS princpios exteriores do conheci-
a inquielaco e o desanimo em lodos os semblan- raen(0) g fumlamenl0 e a regra de toda a verdade,
tes; depois, no flm do segundo dia, hora das eis o vicio capital, que Santo Agistinno defini :
Trindades, o sinto exhalou o derradeiro suspiro, e q amor desregrado de sua propria excellencia
aquella alma tao pura e tao candida sabia a re- qUe faz> ,jUe( em lugar de ligar-se a Deu-1, priaei-
pousar no seio eterno de Deus. p0 supremo de tudo que existe, o espirito colloea
Foi eniao ara solucar immenso entre o povo um era si mesmo seu proprio principio.
pranlear pungente, nm derramar de lagrimas por q racionalismo nao so aprsenla sempre no esta-
aquella boa gente quo pranleava a morte do santo 0 de ,.Qncep5o refleciida, e- preciso que todos
homem, como o lilho extremoso prantea a mrle do os seus partidarios tenham consciencia do ponto de
pai querido e idolatrado. partida, do melhodo e do lim do systema, porque a
deiro de suas prerogativas ?
Todos os concilios sao unnimes era reconhecer
no bispo de Roma o successor de S. Pedro e o her-
deiro de seu primado.
Morreu como bispo, e seu successor est identi-
tcado c>m elle a tal ponto, que Pedro parece revi-
ver e se perpetuar em sua pessoa.
Se os primeiros seculos da antiguidade chrlsla
guardaran o silencio sobre o primado do bispo de
Roma, o nico tacto delle ler sido e como tal mor-
rera, raais que sufflciente para eslabelecer-se os
direilos do pontfice romano successo do prima-
do. Porrii, bem longe de conservar o silencio so-
bre o direito de successo, os primeiros seculos nos
olTereeem os testemunhos os mais brilhanles e os
mais irrecusaveis.
Todas as vozes desde o Oriente al o Occidente,
e da historia, se unem para formar como um con-
cert unnime, que o pontifico romano o succes-
sor de S. Pedro o o herdeiro dos seus direitos.
A sob raneidade espiritual e a infallibilidade
doutrinal do pontilice romano, formalmente pro-
clamadas pela escriptura, nao tem necessidade ri-
gorosamente fallandode ser estabelecida poroutras
provas hisioricas; porm pareceudo-nos til, ajun-
taremos aos testemunhos evanglicos um sumario
dasdoulnnas dos concilios edas escolastheologicas,
afim deapresentarmos sob ura da mais laminoso o
carcter da soberana pontifical.
Sao do Sr. Dr. Joaquim Jos Texeira os segra-
les versos cominemorando a viagem de Sua Ma-
gestade ;
AO IMPERADOR.
Queram demover-le, resististe !
Senhor, o cu inspira;
Furia os olhos um pouco a scena triste,
Escuta miaba lyra:
Do sangue o aspecto s feras d prazer,
E ao peito humano o pranlo faz verter.
E" preciso abafar esle escndalo. Quiete
autorlsar-me a ir negociar con roes* eiie
vosso regresso ao domicilio conjugal, rif
nar-vos-hels s condiroe que elle iioiser ia
vos ?
Munido de plenos poderes, o aaigo fot ter
marido, o qual formuloa o sea nUmattm m
guiles termos :
Minha esposa po'le (egressar, qoaa4*>i
recebe-la-hei mis para desmentir onVialnafiMe
tudos us bualos que naluralmeole ja riimrp a
eorrer, exijo que ella presla boje mesa a m
grande jintar, para -. qual convidei algoas ^t-
malas e muiios representantes da imprensa. Aia'
da raais, faco rauito empenho em que ella veaka
comigo acabar a noite no nosso camarote da Opera.
e que no seu semblante demonstre que etre ais
reina a melhor harmona.
E-te programraa fot execuiado rtd llermm.
A desgranada fez as honras da sna ea*a e >
sua mesa, palhda sem duvida e senhora a
que a devorava ; mas allectando nm ar
graciosidade, a todos esses convidados ojw pres-
iTiitav,.in no seu olhar, e apresentoa-se so ifteatr*
ao lado de seu marido ; o qual nao tastantava
seu bom humor.
E durante todo este lempo, a infeliz liaba
de si urna vMM o cadver do suicida t
Que supplicio !
Queime-se a excelsa Roma.
E lodosa refenrem um fado, a contarem urna maior parte se contena em applicar os principios,- Foiga >ro cantando entre hachantes
parliculariilade, a apresentarem urna virlude, ura sera procurar o seu valor scienlitico.
predicado admiravel daquella longa vida de abne- q menoscabo da aotoridade doutrinal, a aversao
gago e de caiidade, e todos a supplicarem ao co dBCdda de interpretar a historia, a experiencia as
a recompensa daquelle que tanto mereca do
co.
Eu era muito crianza entao ; mas, como todos,
tambera curve os joelbos, tambera sent as lagri-
mas me embneiarem os olhos, lambem e>tendi as
mos e dirig ao co minha orarfio por aquelle a
i|uem venerava .orno a um santo, a quera respei
lava como a um pai.
O caiholicismo na Inglaterra va camnhando
aelganladaincnlc : a sagrac^o do arcebispo de
Wistiiuiister, pela pompa que apresentara, veio
mais no? convencer disto.
E como se nao fosse bastante tantas celebres
conver.-es, que de ha annos para c se tem dado
na outr'ora Iba dos Sanios, a cmara dos Lords,
reformando a constituico, lrou do juramento dos
calholicos aquillo que era odioso aos pares que
professavam a religio da verdade.
doulrinas religiosas, philosophieas e gociae?, con-
forme as vistas e as impresses puramente subjec-
livas, laes sao as provas nao equvocas que reve-
lara a presenoa do espirito racionalista.
A bandeira das escolas racionalistas a da inde-
pendencia.
Profundamente divididas, ellas proclaman, como
a essencia e o lira d philosophia, a soberaneidade
da razao.
Esle programma bastante vasto para abracar
ossystemas os mais contrarios : antes de discutir,
conveniente precisar a signiflcago.
O pensamento, diz-se, livre e independenle ;
mas de que servido quer-se libertar ?
Qual a autoridade usurpada que se quer que-
brar o jugo ?
A autoridade, na orden nlellectual, significa to-
da a regra cora a qual a razao se deve conformar
em seus juizos.
A tradigo, a historia e a realidade exterior, a
UM POICO RE TURO.
No Cruzeiro dn Brasil l-se sob o titulo de Re-
miniscencias da infancia o seguinle :
O VICARIO DA MINHA TF.nilA.
Nao sei se acontece aos utros o mesmo que a I A bandeira da liberdade. para os calholicos fura verdade objecliva, a evidencia, eis outros tantos
mira ; nada me enternece tanto, nada me falla ao nasteada c com denodo susientado pelo saudoso principios reguladores que|se impoe ao espirito hu-
corao con mais melancola e emo?o, do qu as o'Conel; o cardeal Wiseman continuou nesta glo- mano com a pretnco de governar seus pensa-
reminiscencias dos meas primeiros dias de in- \ riosa m3s5o e agora depojs de sua morte> sua obra ment0s.
fancia. posto que posihuma foi realisada, gracas ao bom Pde-se, pois, reivindicar em urna medida mais
Como sao difTerentes dos de hoje esses dias tao | senso do parlamento brilannico. ou menos extensa o privilegio da independencia .
descuidosos etranquillos, em que as inquielacoes I ^ ^ ^ ^ ^ ^ pode.se> admitlido 0 principi0 applica-lo com mais
da vida me nao haviam sombreado a fronte, m> I ^^^ ^ moralf sem morte de a|. oa menos rigor aos diversos objec.os do conheci-
! guem, sera sacrificios de vidas, mas nicamente menl humau0 : iM> raeiooalistas modernos e ri-
'com sacrificios de precouceitos, dos quaes despi- gi*>Mmi fallar das formas intermediarias,
dos sao abertos os olhos vista da luz que verda- i 0s mais moderados profselo respe.tar os limi-
deiramente alumia. tes da 'dem da f ; nao contestan a igreja sna
] autoridade no dominio do dogma; porm, attribnem
a "" a razao urna soberaneidade absoluta, e sem exame
\ na orden da sciencia.
L-se no Missionario Catholico o segunte sobre
Os despojos deTroya.chammejanles.
Com o sceplro os vicios doma,
E o dia em que nao faz um beneficio,
Perdido o julga Tito ao bem propricio.
E' nobre a tua dr ;
De leus subditos pai, amas leus lilhos :
Do Brasil defensor,
Nao podes mareado ver seus brilhos.
Ouvindo a ingente gloria,
Seguiste a sna voz, brasilio Augusto.
Aguarda-se a victoria.
E' santa a causa uossa, e Deus justo.
> a
L'ma irlandeza de dezenove annos e de |
formosura, sendo aecusada de roubo a aoite, ra
urna casa deshabitada, seu advogado depon e> lar-
go arrazoado concluio com e>las palavras :
E Agura, senhores juraoV^, se feto m atea
olhos na inconiparavel belleza dVsla
igual ; se contemplo esses aitractivos res|
les. que a suspeila nunca escureceo ; qoaadoa veje,
como urna bella fi ir, radiante no seo aveHudido
que ple ser invejado mas nao eclipsado pelo avel-
ludado e p-da d<>i;nra'dus anjos pian-lo a vejo tao
radiosa que a estrella ao cahir .la uoite deve eaa-
pallidecer na presenca dVlla, e deven perder o on-
'ho os diamantes do Brasil; como < p-rmittido %af.
por, senhores jurados, que tama f<>rmsora se ei -
pozesse, em urna nuite fra, hmida, lencbw. a
commetier um roubo, quando a braoea iaaoeeariei
que ella personalisa, eslava mollemente redi
nos llecHos iravesseiros do repooso ?
Senhores jurados! Fallara-me expresses
continuar a pinlar-vos o horror da armsirao lea
a esla menina ; roas nao receio contii la da whi
proleccao, por que eston convencido de qae Ihe da.
reis proleccao. "'
S o olio infame de nm r>lir. ainda mai ada-
me, que podia inventar o abominavel erime roa
que se qur ennoloar o nome immarnladVi d*esf>
menina adora vel, que pagar o vereikio qoe ides
proferir rom o mais gracioso e mais perfooni daa
seus sorrisos.
Depois de tres minutos de deliberarlo, o jay,
por unaniinidade, deu o crime por n.-o proi
se mais a nossa casa.
P. uede estava seu irrao em 1361 ?
R. No collegio de S. Cirios; mas nao estudava
theologia.
P. Quanto lempo esleve no collego?
R. Tres annos, mas vinha a casa as ferias de
agosto.
P. Ouvio alguma vez fallar em casa de sua mai
de um plano ou Cunspiracao para matar o presi-
dente des Estados-unidos?
R. Nio, senhor.
P. Ouvio alguma observaco relativamente ao
assassinalo dealgum membro dogoverno?
tracado esses sulcos que denunciara os cuidados e
as vigilias 1
Como contrasta com a que passoa vida placi-
da e suave dos meus primeiros dias I
D'eotre as reminiscencias da minha intancia. a
que talvez raais rae iinpressiona a do vallo vene-
rando do vigario da (minha Ierra.
Dizia A. Herculano que o sineiro da sua aldea
exercia influencia poderosa sobre a sua imagina-
cao, e que nunca podia ouvir o som festivo ou me-
i. ncooco do sino, sem recordar-se com saudades do
sino da sua aldea.
A lembranca do padre vigario da minha trra
exerec sobre mim igual fascinago.
Era um velbo e respeitavel sacerdote.
Parece me anda estar veudo aquelle semblante
agradavel em que Iranslazia a bondade ; aquelles
cabellos tao alvos como fios de prata, semelhando
urna aureola celeste; aquelle corpo alquebrado
pela idade ; aquelle sorriso lo ineigo ; aquellas
palavras tao chas, tao doces e tao consoladoras.
Era um dia de domingo.
Ao romper do da, nessas raanhas tilo puras da
nossa trra, em que o co se enfeita com os raios
de ouro do sol; em que a brisa passando por en-
tre as flores perfuma o ar, e o corao,o se dilata,
expandindo-se felicdade e vida; ao romper
do da o som festivo do sino chamava o povo casa
da oracao.
E cada qual erguia-se, tomando as roupas do do-
mingo, para assistir missa conventual.
Era grupos coraecava a passar o povo, parque
nesses lugares ahi de fra, entre essa gente que
appellidamos de rod e de Ignorante, o do-
mingo especialmente consagrado a Deus e aos de-
veres da religio.
Aquelles coragoes ainda puros, ainda nao con-
taminados pelo embate do mundo, comprehendem
a necessidade de derramar no seio de Deus suas
queixas e magoas ; de agradecer-lhe os beneficios,
de pedir-lhe a paz e a esperanga e de retemperar
as forcas cora o balsamo suave e efficaz da oracao.
E l vinha o padre vigario, com seu andar lento
e compassado, com sua sotaina preta, com seu cha-
peo de tres bicos, drigiodo sorrisos dreita e a'
esquerda, e retribuindo os comprimentos que Ihe
faziam tod03.
Bom dia, Sr. padre vigario I
Abenco, Sr. padre vigario !
Feliz dia, Rvd. Sr. padre vigario I
Guarde-o Deus I responda a todos o bom do
velho.
E na occasio do lavabo, o padre vigario diriga
sempre algumas palavras ao numeroso auditorio,
que recolbido o esculava.
o Evangelho de S. MathcosNao matars :
Eutre os grandes crimes que tem manchado a
Outros menos tmidos e raais consequenles, ne-
' gara a ordem sobrenatural; nao reconhecem auto-
ridade alguma ensignando o direito de governar a
especie humana, l.e.s, figura en elevado numero o m5o mesmo em nome da Divindade toraam por
homicidio voluntario, me.o terrivel, desesperado: a UDJca ||M ^^^ sujei,am a fe> sciencia,
recurso das paixes em tumulto. I ... .,___y,-,,
K ; a religio a philosophia.
Os aanaes da huraanidade tem paginas a mil es-1 Emflm os racionalistas puros, possuera sempre
criptas com saugue, violentamente derramado por as consequencas de seu principio, reclamara era
raaos sceleradas. favor dQ espril0 humano, a independencia absolu-
Ainda mal sahia do bergo b homem, logo aps a la em todas ss ordeUS do conhecimento, e s reco-
sua expulso do edn terreal, e j Caira levantara nnecem ne||e a fonte e a medida de toda a ver-
sobre o irmao innocente o braco fralrecida, arras- da(Je
lado pelo demonio da inveja, paixo de horrenda Q racinaiismo fa2 do espirito humano a medida
catadura e de aspecto feroz, que dilacera o ccraco posl(va e perfeUa do verdadero.
do mesmo que a nutre.
Nao basta que um objecto seja dado, nem que se
Ed'eoiau, por d.anle que scenas horrorosas de afirmeaosolhos doesp.rito; esta afflrmacao nao offe-
crueldades e malvadez se hao representado sobre a rece um caracter S(;ientifico, se nao quando jusli-
lerral cado, e esta justiOcago decorre da razao, secundo
Osinleressesoflendidos, o orgulho fer ido, o ara'r as leis da necessidade lgica, com seus elementos
'.rahdo, tem sido armas homicidas que ho feito essenciaes, suas formas constitutivas e as leis imu-
cahir mlhares de victimas. We a djrge em suas operacSes,
Os lempos de barbaridade, rudez e obscurantis- E- pois n0 pensamento, segundo a theoria racio-
mo, sobre tudo offerecem urna extensa lista desles Ml|sfla> que ^-g-ciso descangar sciencia.
crimes commettidos, ora as trovas, ora na praca
publica, porque as paixoes no homem sera cultura
sao violentas e fortes como seu caracter, que nao [ soberaneidade do poder na igreja.
conhece as ideas de direito e de justica, respeitan- I
do nicamente a forca que o seu Deus. O reino de Jess Christo sobre a ierra nao foi
Em duus peridicos inclezes appareceu ha dias o
annuncio seguinle :
Pretndese um francez, conhecedor da sua lin-
gua, para traduzir urna obra ingleza. A pessoa a
quem convier dirija-se a M. L..., em Paterns-
ter row.
Nao faltaram candidatos, principalmente pro-
fessores da lingua franceza.
A escolha cabio sobre nm pobre diabo quo ga
uhava lininildemeule a vida dando ligues a pata-
ca por hora.
Quanto quer o senhor por cada folha de 7i
palavras ? .
Oh I eu deixo isso generosidade do au-
thor.
Nada, nada, estabeteea uin prego.
Pols entao eslabelega;& o senhor.
Quanto ganha por cada hora de ligo ?
Urna pataca.
Tambem Ihe dare o mesmo ; mas preciso
que a traduegao fique prompta em um mez.
Sin, senhor.
Bem. Aqu est o documento do contracto,
que assigoaremos mutuamente.
Nao necessario.
Pelo contrario, muito necessario. Queira
assignar.
Assignar ?.. mas... eu nao sei assignar o
meu nome.
Como I... pois nao sabe escrever o seu
nome ?
Nao senhor : nao sei escrever. Mas isso nao
I quer dizer nada : arranjarei um secretario que es-
Crever o que eu diciar.
Pois bem; nesse caso queira assignar de
' cruz.
Tragou a cruz e a traduegao j est come-
gada.
Nao sabemos quanto pagar ao secretario.
Mas o hornera da eivilisago; Iluminado pelas fundado para urna so geragode horoens; sua du-
sciencias, e amaciado pelas arles e pela industria, rago devla e deve estender-se at o flm dos se
fraternisado pelo commercio nao est certamente cnlos.
isento deste crime feio e monstruoso, muito princi- Dzendo a seus apostlos : Eu estarei com vos-
palmente quando nao professa as crengas da vida co at a eonsummagao dos tempos (i) o Salva-
futura e da jusliga divina, recto e inflexivel, ou se dor nao tinha em vista senao os homens mortaes a
esquece dellas pelo atrito das paixSes, ou as troca! quem se diriga,
por doutrinas errneas e impas. Polo nico faci que estabelecia em Pedro ofun-
0 chrislianismo s capaz de regenerar o ho- damento de sna igreja com a promessa de que as
mem em todo o seu ser, dando-lhe perfeitas no-' portas do inferno nao triumphariam jamis, deva
goes acerca de sern direitos e deveres para com eslender suas promessas alm da existencia de Pe-
Deus e seus semelhantes.que Ihe cumpre respeilar dro ; de oulra forma, depois de sua morte a igre
como imagem do Creador e amar como roaos. 'ja Picara sem Pontfice soberano, mestre nfallivel
Neste pomo, como em tudo, a philosophia chris-: e desaparecera para sempre o principio de unida
lia enduz o homem a pralica do verdadeiro bem,' de, e toda a sociedade chnsla lularia constante- reConheceu-a.j
dando as suas Jis urna saneco sublime e omnipo- mente com as divis5es e os schismas.
ente como o seu autor. i Pedro vlvia em seus successores, porque Jess
,- ... ., .. hirsto auli que a sua igreja nao cesssase de sub-
Nao declama como o philosophlsmo sobre os di- C H-----------
reitos do hornero, lisongeando Ihe o amor proprio, (1) S. Maiheos cap. XXVIH.
A esposa de ura banqueiro de Paris, mu distra-
do, lomara para amante nm guapo, mancebo mui
dado s ospeculag5es de bolsa.
Urna noite, o galanteador mancebo escreveu
querida ao seu corago urna carta, em que lhepar-
ticipava ter perdido ao jogo urna avullada quantia,
que Ihe faltavam 20:000 francos-para pagar a sua
divida sagrada, e que se na manha do dia seguin-
le, s dez horas, nao tivesse recebido esse comple-
mento, estava resolvido a matar-se
Quando a carta chegou, ao sea destino, a dama
estava no baile.
Tendo regressado a casa mui tarde, a formosa
mulher, cangada c meio adormecida, nao fez repa-
ro na fatal missiva depositada sobre urna mesa, e
s acordou no dia segunte s onze horas.
Apenas leu o contedo da carta, melteu-se n'uma
carroagem, corren ao domicilio do desgragado jo-
gador, e achou o, fiel sua ameaga...
Morlo.
Tomada de loucura, fez-se conduzir para urna
das margens do Sena e precipitou-se no rio.
Alguns barqueiros puderam salva-la, e ao trans-
porta-la a trra meio aspbyxlada, um transente
Pars acaba de perder um homem excntrico ;
qual merece urna especial menean :
Habtava s urna casa situada na ilha de S. La.
Nunea foi vista pessoa algoma eatrar-lbe em
casa.
Elle mesmo preparava o sen almoco e jaatar.
s Nunca recebeu visitas.
Urna vez poi anno, as mensagenas do eaaafco
de ferro traziam-lhe um pequeo embreaba, e feo
era expedido da proviocia.
Este modo de yida durara assim desde aMMoa
anuos, quando um bello dia o pobre fado de Cm.
nata deixou de apparecer.
Era este o sobr>-noine que Ihe haviam dado na
visinhanga, devido cor da sobrera-a que eivaria-
velraente veslia.
Prolongaado-se a sua ausencia, resolvern os vi-
sinhos enlrar-lhe em casa para ver se consegua
saber o que Ihe havia succedido.
O pobre diabo do Canela morrera' e aebava-se
estendido na cama, secco como nm rarapo.
Em cima de una cadeira Mojn ura testamento
concebido nos seguimos termos :
De toda a minha familia restava-me om sobtV
nhoeduquei-o, dolri-o e estabeleel o.
i Gragas a mim, bom cacado e hem etae*eei-
do desempenha as funeges de----na Alsaeia. na
cidade de Z.....
D'ali em diante, enlend>>u elle n.lo dever dar
roe noticias suas, se nao urna vez por anno, no dia
dos meus annos, com a remessa d- nma carta e de
um brinde. A carta lem-se encurtido de aemo
para anno. Quanto ao brinde, pede-se a que ler
estas linhas que contemple o monumento que le-
vante! aqu ao p, em cima da pedra do fogo, e
comprehender-se-ha o motivo que ce levod a des-
herdar o sobredto meu sobrinho, legando todo*
meus bens aos hospitaes.
Feito em Paris etc.
Junto do testamento lacrado ergni se, efectiva-
mente, sobre o fogo urna pyramide de algoidaree
vasios, destinados a conier ligado de Strasboreo, os
quaes iam sempre diminuindo em lamanho.
O primeiro, que trazia a data de 1830, escripto
com letras garrafaes n'nma lira de papel e aii ago-
lada com massa, era enorme.
O ultimo que trazia a data de 1865 era mirw,
copico.
Eram os brindes annuaes, e, na orden inverso,
progressivos do sobrinho desmemoriada
No cume, o fallecido Canela affixara nm peque-
o rotulo contendo em letras garrafaes est-s pala-
vras :
Pyramide do reconhecimento
O verdadeiro nome do Canela era o de conde de
Mar...
Deixou urna fortuna avahada em liO cont de
res.
O sobrinho arrancn es cabellos da eabeca ia
mos cheias, quando acabou de ler o
de seu to, e conhecen a pyramidal r.sneira que i
commettera.
Era uro amigo da sua familia.
Depois de ministrados os primeiros soccorros,
o amigo condozio-a para casa de sua mi, e Ihe
disse :
Os canliiVs Armstrong, acabam de Hitar i
canhes Whltworlh.
Fizeram se tres series de tiros con os caaodes
de ambos os competidores, contra ama eouraca do
10 centimeiros de espessura inclinada sobre n-
gulo de 45.
Ambos os canhoes estaram simados a ftOO ate-
tros, as cargas foram alternativamente de It a II
libras de plvora.
As bailas de ac atiradas pelo Whitwortb peoo-
traram 2 V e 3 polegadas.
Nos seas tres tiros as bailas do Armatroaf'
vessaram completamente a cooraca.



PERNAMBCCO.- TYP, DE M- F.W F. & FILMO

*^|

l\



Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID ET7LZCQZ7_TNRGUS INGEST_TIME 2013-08-28T03:06:45Z PACKAGE AA00011611_10731
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES