Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:10730


This item is only available as the following downloads:


Full Text


AMO 111. MMERO 173
Por qoartel pa$o dentro de i0 das do 1. mez *. :
dem di'pois dos 1.' 40 dias do coaiecoe deutrodo quarlel. .
Porte o corre/ > por tres me/es......
SE*. / /fflif v *A
!
5$000
600
750
O 6?
SEGUNDA FE1RA 31 DE JDLHO DE 1865.
Por anno pago deutro deludas do 1. mez ,,,.,.. I9]00t
Porte ao correio por um aneo............. 1$M#

ENCARREGAD03 DA SUBSCRIl'CO DO NORTE
Paraliyba, o ?r. Antonio Alex?odrinu de Lima;
Natal, o Sr. Antonio Marques da Silva; Aracaty, o
Sr. A. de Lemos Braga; Ce*ri, o Sr. J. Jos de
Oliveira; Maranho, oSr. Joaquira Marques Ro-
drigues; Far, es Srs. Gemido Antonio Alves Filhos; Amazonas, o Sr. Jeronymo da Costa.
ENCAHllEGADOS DA SUBSGRrPGAO DO SOL.
Alagoas, o Sr. Claudino Falco lSj Babia, o
Sr. Jos Martina Alvos; Rio de Janeiro, e Sr. Jos
Ribeiro Gasparinho.
PARTIDA DOS ESTAFETAS.
Olinda, Cabo. Escada e estagoes da via frrea at
Agoa Prela, todos os dias.
Iguarass e Goyanna as segundas e sextas feiras.
Santo Anto, Gravat, Bezerros, Bonito, Caruar,
Altinho, Garanhuns, Buique, S. Bento, Bom
Cousolho. Aguas Bellas e Tacarat, as tercas
feiras.
Pod'Alho, Nazarelh, Limoeiro, Brejo, Pesqueira
[ngazelra, Flores, Villa Bella, Cabrob, Boa Vis-
ta, Ouricury, Salgueiio e Ex, as quartas
feiras.
Sermhaem, Rio Formoso.Tamandar, Una, Bar-
reiros, AguaPreta e Pimenteiras, as quintas
feiras.
AUDIENCIAS DOS TRIBUNA! DA CAPITAL.
Tribunal do commercio : segundas e quintas.
Relaco: tercas e sbados s 10 horas.
Fazenda : quintas s 10 horas.
Juizo du commercio: segundas as 11 horas.
Dito de orphos: tercas e sextSs s 10 horas.
Primeira vara do civel: tercas e sextas ao meio
dia.
Segunda vara do civel: quartas e sabbades a 1
hora da tarde.
EPHEMERIDES DO MEZ DE JULHO.
8 La clieia as 6 h., 7 m. e 22 s. da t
13 Quarlo ming. as 2 h., 6 m. e 46 s. da t.
2 La nova as 4 h.,!) m. e 40 s. da t.
30 Quarto cresc. as 4 h., 49 m. e 16 s. d t.
DAS DA SEMANA.
31. Segunda. S. Ignacio de Loyola f. daord. jes.
1. Terca. Ss. F, Esperanca e Candade vv. rato.
2. Quirta. S. Rotilio m.; S. Erodio m.
3. Quinta. Ss Gamaliel e Nicoderaus mra.
4. Sexta. S. Tertuliano presb.; S. Agalio b. m.
."i. Sabbado. S. Etilliiquio soldado tn.; S.Sobel m
6. Domingo. S. Xisto p. m.; S. Agapito diac.
PRF.AMAR DE HOJE.
Primeira as 10 horas e 54 m. da manhaa.
Segunda as II hor*s e 18 minutos da tarde.
PARTIDA DOS VAPORES CC-STtiROS.
Para o sul at Alagoas a 14 i M: para o or*
ata a Granja a 7 e 22 de cada mez; para Perna-
do nos dias 14 dos mezes de Janeiro, margo, mai,
julho, setembro e novembro.
ASSIGNA-SE
no Rccife, na livraria da [iraca da IndepeMtaMte
ns. 6 e 8, dos propietarios Han*ti Figuuroa de>
Faria & Filho.
p i i i
I?
m{
I
M
Expediente do dia 27 de julho de 1863.
Offlcio ao brigadero commandante. das armas.
Queira V. Eic. informar se tiveram passagem do
primevo para o segundo cori>o de voluntarios os de
nomes Octaviano Alfredo Gomes Padilha e J.-o
Kanes do Valle, e se seguirn para o sul com o
referido segundo corpo.
Dito ao mesmo. Sva-se V. Exc. de informar
acerca do que pede norincluso requerimento Auna
Maria do Nascimento.
Dito ae inspector da thesouraria de fazenda.
Eui vista do pret junto em duplicis, e nao haven
do inconveniente, mande V. S. pagar ao delegado
do termo do Bonito, ou ao seu procurador, confor-
ma solicitou o chefe de polica em offlcio n. 1040
de 23 do corrente, a quantia de 13-5680, em que
imporiaram os vencimento> abonados aos recrutas
Manoel Francisco Pereira, Mauoel Mendes Correa,
Herculano Jos Felippe dos Santos e Clemente Vi-
cente de Vasconcelos, os qu?es tendo vindo d'a-
quelle termo foram remettidos ao commandaut
das armas para terem o conveniente destino, se
gando consta do citado offlcio. Communicou-se
ao Dr. chefe de polica.
Dito ao mesmo.Rerommecdo a V. S. que. cm
vista dos inclusos documentos, que me remetteu o
commandante supetior do Recife, com ollicio n.
i94,Tniande pagar, nao havendo inconveniente, os
vencimentos, relativos a primeira quinzeua do cor-
rean mez, do primeira baUlhlo de infantaria da
guur'da nacional deste municipio, aquartellado pa-
ra olservico da guamigo da praca.
Dito ao mesmo.Responiendo ao olleio, que V.
S. me dirigi em 24 do corrente, sob n. 520, te-
nho a dizer que sob minharesponsaLilidade, mande
entregaraobacharel Francisco Leonndo deSouza
Miranda Castro, juiz municipal nomeado para o
termo de Epa na provincia do Amazonas, a quan-
tia de 400$u00 que por aviso do ministerio da Jus-
tina de 6 deste mez, Ihe foi arbitrada como ajuda
de custo para seu transpone, visto que do citado
aviso consta haver-se n'aqnella data solicitado do
thesouro nacional a necessaria providencia para
ser essa quantia posta nessa thesouraria a dispo-
slclo d3 presidencia.
Dito ao mesmo. Aotoriso V. S. nos termos de
sua informacao de 21 do corrente, tob n. 51o, da-
da com referencia a da contadona dessa tnesoura-
ria, a mandar pagar ao lente reformado do ex-
ercito Manoel Jos dos Santos Portel la, como pede
no requerimento que. devolvo, e mediante Banca
edonea o sold na importancia de 385640 rs. men-
saes a que elle se julga com direito, nao obstante
ter o supplicante deixado de exhibir a sua paten-
te de reforma o que far opportuuamente.
Dito ao inspector da thesouraria provincial.De-
feriado o reqaerioieato do tachigrapho Cario Er-
nesto de Mesquita Falco, sobre que versa a sua
informacao de 2o do corrente, seb n. 284, recom-
nal de Goianna.Avista da sua informacao de 25
do corrente e dos documentos com que o guirda
nacional desse municipio Manoel Antonio da Silva j
insino o requerimento que V. S. trouxe ao meu
conhecimento, resolv dispensar a este de servico |
de aquartellamenio para quo eslava designado, por
ter provado menor idade : o que declaro a V. S.
para seu conhecimento e expedico das convenien-
tes ordens.
Dito ao inspeclor do arsenal de marrana. Com-
municando-me o administrador do correio que o
mastro do telegrapho acaba de cahir, recom.nendo
a V. S. que mande activar com urgencia os con-
certos do mesm o telegrapho. visto que toda a de-
mora que houver, st-m que elle funecione, nao pode
deixar de ser prejudicial ao publico e aa commer-
cio principalmente.
Dito ao director do arsenal de guerra.Nesta
data approvei o contrato que V. S., segundo o ter-
mo por copia annexo ao seu officio n. 334 de 26
do corrente, relebrou com os operarios alfaiates
Manoel Teixeira de Lima Torres, Trajano Hyppol
to de Moraes e Apromano da Silva para irem tra-
baldar no arsenal de guerra da corte vencendo ca-
da um o salario de 25000.
Dito ao mesmo.Em resposla ao offlcio de V. S.
n. 322 de 17 do corrente, tenho a dizer-lhe que fi
ca approvado o Contrato celebrado pelo conselho
de compras desse arsenal com Antonio Francisco
Martins de Miranda para acqnisicao de 5:000
meios de sola, alim de se apromptar os corrame
que a presidencia mandou fazer por offlcio de 27
de fevereiro ultimo.
Dito ao mesm".Fornega V. S. com urgencia ao
0 batalhao de infanlaiia do municipio rio Olinda
os arligos de equipamento constantes do pedido
por copia incluso para as pracas que tem de des-
tacar no presidio de Fernando, hiendo V. S. tro-
car sem dentera por armamento em bom estado o
arruinado que Ihe for apresentado por parte do
comm milante do mesmo batalhao.
Ditoao commandante do corpo de polica.Au-
toriso V. S. a sentar -praca no corpo sob seu com-
mando aos paisanos Jos da Silva lavares, Manoei
Brllarmino de Farias, Manuel Raj mundo da Costa
e Joao Pnrreira Lima, que foram julgado* aptos
para issoem inspecc.lo de sade, como V. S. de-
clarou em sua informacSo n. 662 desta data.
Dito ao capito do porto.Mande Vine, encajar
de conformidade com o aviso circular do ministe-
rio da marinha de. -29 de maio ultimo, os subditos
ingleses Tbomaz Price, John Simith, John Max, e
o Americano William P-irver se forem jnlgados
aptos para o servieo da armada.
Dito ao direclor'geral da instruccao publica.
Attendendo ao que requeren Francisco Joaquim
Canteante nu incluso requerimento, sobre que. I
versa a sna informacao de 24 do corrente, sob n. I
22, anloriso V. S. a mandar aitinittir no (lyinna-'
sio Peruambucano, como alumno interno ao tute-
lado do supplicante de nome Manoel Cavalcante
da Ponseca Galvao, devendo apreentar ceriidao
de nascimento no praso designado no citado re-
querimento.
Portara.O Sr. gerente da Companhia Pernam-
bucann, mande dar transporte, at o presidio de
i; para alli seguir,
i em lugar de proa destinado a p:issgeiro d'estad i,
a Tbereza Maria de Jess e no seu regresso para
esta capital, mande dar passagem lamben de proal
a supplicante, a sua tilha Agoslinha Maria d) Frei
las, e a dous netos menores.
mendo a V. S., que, de conformidade com o pare-, Papnnr
cor do procurador scal dessa thesouraria mande | f5??d_ J?J5P9!b va.por
pagar ao supplicante a gratificacao, que, na razo
de~00.3000 mensaes venceu elle por excesso ae
trabalho desde o Io at 27 de tnaio deste anno, lem-
po em que continan a fuuccionar por ter sido
prorouada a assembla legislativa provincial.
Dito ao mesmo Inteirado por em seu cilicio de 7 do corrente, sob n. 251, te-
nho a dizer em resposta, que o autoriso a mandar '
exceder a porcentagem de 3 Z/-J deduzida da renda j
aniitia do consulado provincial em observancia do
g 1 do art. 32 da lei n. 431 para pagamento dos!
respectivos empregados, aflm de que se possa com- ]
prir a ordem da presidencia de 25 de agosto do an-'
no prximo passado, relativamente ao porteiro do
RIO 1E JA.XEIRO
, 19 de julho.
Pelo patacho Concerni, entrado hontcm do Rio
mes'mo consulado Francisco Antonio da' Silva Ca- i Grande do Sul, d'onde'saliio a 11 dj corrate, re-
valcaoti. cebemos fjlhas al 9.
Dito ao mesmo.Transmiti a V. S. s tres in-
clusas coutas, afim de que nao havendo inconve-
niente, mande pagar a Autonio Domingues de Al-
meja Pocas, conforme solicitou o chefe de polica
era oHWo de 25 do corrente, sob n. 1042, a quan-
tia de 129.5000 despendida durante os mezes de
A noticia da derrota da esquadra paraguaya no
Riachuelo, levada al!i pelo patacho Dous Amigos,
que chegra do Montevideo com 48 hora- de via-
gem, foi recebida cora grande eiithu nas de foguetss atroaram os ares, a cidade llumi-
nou-se, e ondas de povo, precedidas de msicas,
abril a junlio deste anno, com o sustento dos pre-! percurreram as ras at alta noite.
sos pobres da tadeia da villa da Escada.Commu- i As (binas a que nos referimos nada referem da
Uicou-se ao Dr. chefe de polica. I fronteira_ de S. Borja com data posterior das
Dito ao mesmo. Nlo havendo inconveniente
mande V. S. pagar a Joaqun Carneiro de Andra-
de, ou ao seu procurador Luz de FraBca de Oli-
veira Lima, californio solicitou o chefe de polica
em offlcio de 25 do corrente, sob n. 1035, a quan-
tia de 1215800 dispendida durante o mez de maio
ultimo com o sus.ento dos presos pobres da cadea
de Villa Bella, romo se v da inclusa conta. Com-
municou-se ao Dr. chefe de polica.
Dito ao commandante superior da guarda nacio-
nal do Recife. Declarando a junta de sade era
seu parecer datado de 26 do crrenle, que o guar-
da do baiali-ao n 1 de infantaria deste municipio,
Angelo Roberto da Paixao, necessita de 6 mezes de
licenca para tratar se das molestias que sotfre, re
parles oliciaes que publicamos.
Nessa mesma data, porm, (id de junho), escre
vera de S. Gabriel ao Diario do Rio-Grande :
Honlem eslo povo licoa atemorisado pelas no-
ticias trazidas por um individuo ehegado de S. Bor-
ja, e foi tal o pnico, quo muitas familias se pre-
pararam para a fuga.
i O tal sugeito dlsse que a forca paraguaya que
havia invadido S. Borja se havia dividido ei duas
diviiies, que urna segua sobre Algrete, e que a ,
outra murchava contra este povo e Bag I Veja o
meu amipo o que nao houvc por aqu, principal-
mente havendo entre nos quem por systcma, gosto
e cobarda se tem tornado poltrao I...
Nao duvido que os Paraguayos se animem a
solvi nesta data tispensa-lo [ or esse lempo do ser- j invadir o centro i provincia ; o que, porm, nao
vico de destacamento pan que estava de-ignado:'acredito que as nossas for?as isso permittam ;
o que comraunico a V. S. para os devidos effei-1 pensando eu por esta forma, j v o meu amigo!
tos. i que vivo aqu apeoas com dous ou (res compa-1
Dito ao commandante superior da guarda naci- nheiros que, sem serem lerrronstas, sao poucos1
nal de Olinda e Igusras^. Respondendo ao offl-1 para se baterem comtudo cootra essa legio de vi-1
co que V. S. dirigi presidencia em 21 do cor- jsionarios, que s acreditam no que Ihes foroece a '
rente, tenho a dir.er-lhe, que o director do arsenal mente apavorada A quem se deve ludo isso, meu
de guerra est auturisado, nao s a forneccr ao *>a- j amigo ? Quem a causa do sobresalto em que vi-
talbao 9o de infantaria do municipio de Olinda, os vemos ?
artigos de equipamento constantes do pedido que
acompauhou o ciado offlcio, mas lambem a tro-
ja Ihe mandei dizer que nao sou do numero
daquelles que crimnam o Sr. Gonzaga, e hoje con-
tar por armamento e corrame em bom estado o jtino a pensar assim, pois sei que elle tem sido
que existe arruinado no reftrido batalhao. completamente Iludidopor aquelles em quem tem
Quanto porm ao destacamento que tem de se-1 mais depositado confianga A culpa do Sr. Gonza-
guir para Fernando, cumpre que V. S. providen- i ga o nao ler elle mesmo procurado ver coro os
to convenientemente para que elle aquartellc no \ seas proprios
olhos se eram executadas snas or-
parque de Olinda, no da Io de ago>to prximo vin- dens, e se existiam acampadas as forcas cujos
donro, e esleja prompto para embarcar no dia o at ; maiipas Ihe enviavam.
;is 8 horas da manhaa. i coronel baro de Jacuhy marchri, como j
Dito ao cuinmaudante da guarda nacional do Li- j uoticiamos, de Bag para S Borja no da 23, com
moeiro.A' vista das duas ii.formacOes desse com-: urna diviso ligeira de 2,000 homens, tendo publi-
mando superior, datada de. 18 e 22 do corrente, '.cado a seguinte ordem do dia soh n. 10 :
resolv dispensar do servic de destacamento para j Quarte! do commando da segunda diviso li-
quii eslavam designados, al que se recorra a das-! geira na cidade de Bag, 22 de ]uoho de 1865. -
se a que pertence com os guardas do batalhao o. j A fronleira de Missoes, invadida por Torcas do Pa-
22 de infantaria desse municipio, Joao Francisco raguay, Impelle-me com a maior parte da forca do
de Barros. Manoel Soares de Lima, Joaquim Jos meu commando a voar em sea sorcorro, satisfa
Cavaleanti e Antonio Joaquim de Oliveira : o que
communico a V. S. para seu cenhecimento e expe-
dk-ao das convenientes ordens.
Oilo ao commandante sarerior da guarda nacio-
nal de Santo Anlo e Escada.Em deferinvnlo ao
requerimento documentado, que inderecou pre-
sidencia o tenente do batalhao n. 25 de infantaria
do municipio da Escada Manoel Pereira Los, re-
solv dispensa-lo do servicc do destacamento para
que eslava designado : o que declaro a V. S. para
sea conhecimento e expedigo das convenientes
ordens.
Dito ao commandante superior da gnarda nacio-
zendo ao mesmo tempo um desejo lo ardente-
mente manifestado, que com tanta impaciencia e
cnthusiasmo vemos realisado, anda que peza ao
coracao patritico da segunda diviso ligeira con-
templar que o ferro iningo attingio o peito da he-
roica provincia do Rio Grande, antes que o della
houvesse batido no elmo do adversario, sustentan-
do assim as gloriosas tradicSes do seu passado
esplendido de valenta, de bro e de vigor.
t Deixo, como anteriormente estava determina-
do por ordem do Exm. Sr. presidente da provin-
cia, sabstituindo-me nos commandos das frontei-
ras de Bag e Jaguaro, o Sr. coronel Manoel La-
cas de Lima ; e compraz me confiar n'm to bra-
vo e intelligente chefe a guarda e vigilancia desta
importante zona.
a O nome deste chefe por si s urna garanta
vivida de seguranga, e no momento do perigo re-
connecerao os habitantes destas fronteiras o que
pdem a actividade e e prestigio de urna reputa-
qo to bem e merecidamente formada de energa
e bravura, o que Ihe conquistara todas as adhesoes
e o concurso geral dos bons cidado- cm defeza
propria e do tudo quanto possuem de mais clnro
a familia e a propriedade.
Unio e coragem seja a legenda inscripta no
estandarte de brio da provincia, que hoje pende
eulutado pela desfeila de S. Borja ; cessem todos
os dissenlimentos e lembrai-vos que a aciualidade
falal e deploravel pela qual atravessa o paiz, s o
esforco tylanico dos homens fortes, unidos pelo
sentiment moral dodever e da honra, pode segu-
ra-lo borda ) abysmo.
Nao seremos nos Rb-Grandenses os que rom-
peremos os lacos para que elle se precipite.
i unmonos, desfraldemos ao sol das campias
esse estandarte glorioso, e que elle sorabreic o
solo abencoado da mi patria que nao corar
delle.
Apezarde mutilado as margens do Uruguay,
elle anda contm grmeos poderosos e indestruc-
tiveis de soberbia e coragem, [iara resta belecer e
apagar a eslranha desfeila de S. Borja.
O reQexo dos acontecimentos que em breve
se vo alli desenvolver cahir em chelo lambem
sobre as forcas que aqui ficara, as quaes, se nao
compartilharem como nos das mesmas fadigas,
supportaro os mesmos sacrificios.
Fazem parte das forcas que continuo a com-
mandar, alm da primeira brigada que j segoio
ao mando do intrpido coronel Jos Ignacio da Sil-
va Ourives, os corpos que corapoem a segunda, que
sao : o 6. de guardas nacionaes e os 25." e 30
provisorios, e a terceira coraposta dos corpos 46 e
17.a provisorios. Alm das guarnicoes de Bag e
Jaguaro, a primeira composta do corpo 12. pro-
visorio e duascompanhias da reserva de infanta-
ria, e a segunda de urna companhia da reserva
e do corpo de ca vallara de Pelotas, fica o 15 cor-
po provisorio.
O Sr. coronel David Pereira Machado o com-
maudante da segunda brigada, em subs'.ituicfto do
Sr. coronel Manoel Lucas de Lima.
Folgo de felicitar a essa brigada pela acquisi -
cao de tal chefe, que continuara' a elevar, estou
certo, a disciplina ao ponto era que deve permane-
cer, bem como a moralidade e a bravura as >uas
tileiras. O passado brilhante deste valeute ofnVial
assegura segunda brigada um lugar eminenle
ua campanha que vai se abrir.
u Sr. coronel Tristo Jo: Pinto coniina uo
commaDdo da terceira brigada ; os bros c cora-
geni deste chefe impoem a esperanca de que no-
vos louros a ennobregam.
c Vendo-me, pois, rodeado alm desses ehefes
principaes pelos dstinctos commandantes dos cor-
pos que compoem as forjas do meu commando, s
devo esperar a mais franca e leal coaljuvaeao uos
emprehendimentos a que nos conduzam os acn-
leciraentos, sentindo-me realmente dominado de
nobre orgnlbo ao ver d'eutre vos destacarem-se
amigos e companheiros das lidas da mocidade.
Disciplina, uniao, entreter o resuelto pela se-
veridade das leis militares, as quaes (ormam a
grande base da moral e disciplina dos corpos, tem-
perada, porm, por bem eutendida tolerancia, lis-
ealisacao bem susteotada, laes sao os principios
salutares que consolidaro a eslima reciproca e
cordial uniao do chefe para com o subordinado, e
para cirio lim tenho direito de exigir vosso coa-
curso e seria atteuco.
A oliciaes bravos e activos tae? como os Srs.
majores da guarda nacional Isaas Antmo Alves,
Joo Nunes da Silva Tavares, Joao Simplicio Fer-
reira, capto Manoel Pires Leys e outros, incumb
de reunir os cidados em estado de fazer o servi-
co das armas.
t O Rio-Grande se levantar como um s humera j
para viugar a injuria que Ihe foi jogada, e conta
pois em breve ver robustecidas as tileiras dos que
j me acoinpannam e to respetaves pelo numero
coinu j pela coragem e pelo patriotismo.
Agradece- aos Srs commandantes dos corpos,:
guarnieses e companhias da reserva o apoio que
me presuram durante o lempo que presid ao com-
mando destas fronteiras e a sua populacio envo,
ao despedir-me, una saudago de sincero apreco
e cuusidtrac.
De Bag escrevem ao Protjresso de Pelotas que
o exereilo paraguayo incendiara a fazenda do Sr.
Pedro Escovar, o mais abastado fazendeiro do mu-
nicipio de S. Borja, e que reside a cinco leguas da
villa.
Na noite de 1 cabio no porto do Rio-Grande um
fortissimo temporal, sobre o qual falla assim o
Commercio de 4:
t Ha das que se apresentava o tempo muito
vanavel, chovas continuas e ventos inconstantes,
gempre pelo quadraute do norte, lirmando-se mais
por L E e N E; ua nuite de sabbado rondou para
0 e furiosamente se desenvolveu, querendo fa-
zer a sua eutrada triumphanle nesta eslaco inver-
nosa.
< Sao immensos os estragos occasionados por
este terrivel temporal, e se nao fosse a bondade
deste nosso ancoradouro do sul, seriam iinportan-
tlssimos os prejuizos que causara nossa navega-
gao. Tod.va lemos a lamentar a perda de tres
catraeiros. Dous homens que vinham era dous gran-
des botes carregados de couros, que pelas 10 a 11
horas da noite de sabbado foram a pique em frea-
le Candade Nova ; um morreu querendo salvar-
se em urna pequea canoa e oulro a bordo enrege-
lado; os outros mais forles poderam alcaagar a
praia.
< Em frente Macega tambera amanheieu no
fuudo um bote carregado de ciuza de ossos e um
calraeiro seguro ao mastro, e tambera enregelado
abandonando-lbe as forgas desappareceu nagua,
nao se Ihe podendo acudir a lempo para o salvar
porque os terriveis furacoes nao davam jazigo.
t Nesta cidade voou pelos ares a grande clara-
; boia do sobrado de tres andares da ra da Boa-Vis-
ta e varios tediados sollreram muito. Cercados de
| taboas poucos foram os que oo ficaram por trra
i e poi cao de muros derrubados.
Urna casa velha perto da igreja do Carme des-
! abou parle do telhado; acha s ella rom bastantes
ruinas e seria urna providencia acertada se se tra-
lasse de aVmohr. Seu proprietario, que tem urna
1 excellente posigo pecuniaria, poda aformosear
' aquella roa com um lindo edicio, porque a locall-
i dade o merece.
t O palhaboie Alberto, garraodo, leve a felicida-
1 de, pela destreza de seus timoneiros. de encalhar
! no baixio sem causar aos outros navios por onde
1 passou, nem s si mesmo maior avaria. Tambem
se fallou em argumas canoas viradas, mas nao sa-
bemos de-Mes acontecimentos circumstanciada-
! mente.
j No ancoradouro do oorte (orara prala as
barcas francezas Adolphe e Murue, consta-nos no
entanlo que nao foram grandes os prejuizos que
sollreram ; tambem se diz que o hiale do charquea-
dor Jb Bento fra a praia, perecendo o patto e
familia* que e.^lavain a bordo. Duus permita que
tal de^raga se nao verifique.
A mesma lolha accrescenta:
Sao mais sensiveis os prejuizos do quo se cal-
culava no ancoradouro da villa de S. Jos do
Norte.
t A barca franceza Adolphe sollreu muito o per-
deu escaleres e lancha.
t O lome tambem leve muitas avarias.
< A escuna hullaudeza Al ule perdeu o teme e l
se acha tambera na praia. As:m como o patacho
belga L'Espoir.
Todos os boles da carreira entre estes dous
porlos sulfreram mais ou menos avarias e se en-
cherain d'agua com o muilo mar que hoave.
Honlem de larde abonangou complelamen-
te o veuto, porm o lempo olferece pouca segu-
ranza.
t Cremos que se nao verifica a perda do hiate
do iharqueador Jos Rento, porque pessa aiguma
nos d noticias a respeito.
Una pessa vinda da baira comraunica-nos
que no seu transito at esta cidade eucontrra
varias embarcages miudas em deslrogo pelos bai-
xios.
Na barra nao houve outros prejuizos alm de
alguna cercados derrubaJos.
Pelo tribunal do jury deS. Jos do.Norte tinham
sido eondeinnados a pena ultima os dous pretos es-
cravos do coronel Annibal Autuuus Maciel, como
autores do assassioaio do capataz da roga da estan-
cia de Bojuru.
Alguus jovens empregados no commercio do Rio-
Grande liuiam or^anisado urna sociedade dramti-
ca para dar repicseulages em beneficio do asyio
de voluntarios da patria.
Depuis de escripias as llenas supra eutrou, jde
noite. o transporto de guerra Oyapock, que trouxe
aagradavel noticia de baverem S. M. o Imperador e
8. A. o Sr. duque de Sale llegado no dia 12 a
Santa Camarina, onde por causa do mo tempo se
demoraram a bordo e sera desembarcaren! at ao
dia 14, segurado ento para o Rio-Grande. O va-
por Cruzeiro do Sul acompanhou o Sania Mana,
era que iam S. M. imperial e altezas.
Os vapores Falco, Jaguaribe o Brasil tinham
ehegado ao Rio-Graude, u'onde os dous ltimos rie-
ran) outra vez a Sauta Cailiarina buscar mais tro-
pa, e o primeiro era lambem alli esperado para
conduzir gente para o Rio da Prala.
No dia 15 ebegou a Santa Cailiarina o vapor Ge-
rente, qje tendAi>jrtj|t geiros Q'.o,'sUr.^<^i, ia levar tropa ao iim-
Gramle.
Nao leudo vindo para trra smalas, apenas pu-
demos obter algnmas folbas.
No Diario do Rio Gi ande de 13 encontramos a
seguinte parte oficial sobre o ultimo feto de armas
de que j demos noticia :
NOVO THIU.MPHO S0BI1E OS HAHACUAYOS
Parle oficial. \
t Viva a nagao brasileira Viva Sua Magestade
0 Imperador I Viva a guarda nacional da provin-
cia I Viva o exereilo e armada uacional I
lilil. Exm. Sr.Participo a V. Exc. que hon-
lem lt junce.lo com a brigada do Sr. coronal Fer-
naudes, estando elle envolvido em um combate com
a vanguarda do exereilo paraguayo.
t A miaba brigada era eomposta do Io batalbao
de iiifautaria e o regiment n. 27 de ravallaria
A primeira brigada j havia solfrido aigum
cheque e prejuizo.
a Com a minha chegada reforcamos o combate,
e achaudo-se o inlmtgo a coberto por um forte ba-
nhado e reslinea, qae tinh.i sua direita, liz car-
regar pela sua frente com 1 esquadrdes de laa-
ceiros do* corpos U e 26 e com o 3 batalhao de |
infamara a guarda nacional de S. Borja, que es- j
lava sob raen commando.
O batalhao carregou sobre o centro do quadra-
do do inimigo, emqiianio urna parte da l" brigada ;
os acossava pela retaguarda. O fogo do inimigo |
era intenso o vivissimo. Mas eotSo a sua cavalla
ria, que anda resta va do primeiro encontr, foi to-
da dispersa e cortada ; e os nossos lanceiros arro-
jaram-se sobre a infantaria debes e Ihe fizeram
grande malanga. Nesle pouto licarara 74 homens
morios do inimigo, cunseguindo rolirar-se sempre
em boa ordem um resto de 100 homens.que a pou-
cos passos ganharam o mato.
c A perda total do inimigo calcula-se em 700
morios; ncando em nosso poder a cavalhada ensi-
Ihada, tanto da cavallarla como daiufanlaria, gran
de porgo de cavalhada solta muilo, armamento,
tardas, b inets, e duas baadeiras que constara de lis-
Iras azties, brancas e vermelhas de cima para bal-
xo, e sobre fundo preto.
< As nossas perdas sao de 151 entre morios e
feridos.
Fiz seguir os mous feridos para Algrete, por-
que nao lomos era mdicos nem ambulancias.
O coronel Feruaudes coutinda em perseguigo
do inimigo; e eu parei s para fazer esla.
O exercito inimigo fica hoje pela estancia de
S. Joo, e presumimos que sua marcha sobre
Ilaquy ; o seu oumero de 11,000 homens e trazem
32 carretas ; isto confirma um prisioneiro que Uze-
raos, mogo muilo esperto. Do outro lado do Uru-
guay em frente a Ilaquy acham-se mais 6,000 Pa-
raguayos.
Deus guarde a V. Exc._Campo-volante no Rin-
co de Ihltanccourt, 27 de junho de 1865.-Illm.
e Exm. Sr. general David Canabarre, commandan-
te da 1' diviso ligeira. Sezefredo Alves Coelho de
Mesquita, lenente-coronel,
L-se anda na mesma folba :
t O embarque para Porlo-Alegre dos corpos 19*
e 24" de voluntarios e um coulingente de linha, tu-
do em numero de 1,100 pragas, hoje s 8 horas
da manhaa.
Tambem segu hoje o Sr. coronel Jos.Joaquim
Gongalves Foutes, commandante da 3* diviso,
composta dos corpos cima, e mais tropa quo se
espera.
t No districto do Povo-Novo foi encontrada no
dia 2 do corrente, em sua propria casa, a preta li-
berta Lsabel, maior de 70 annos, degoada e com
seis punhaladas no corpo.
t Esta infeliz raorava junto povoago n'ura pe-
queo rancho de palha, e vivia de esmolas. >
O Mercantil (de Porto-Alegre) de 9, descrevendo
a situago da provincia, conclue assim :
< Os Paraguayos nao tra feto progressos sensi-
veis no territorio da provincia. Conservam-se em
S. Borja, e dizem qae fortifican) a ribaoceira do
rio, sem duvida para proteger a sua evacoago,
com a qual devem contar cora brevidade.
A brigada Fernandes e o i0 de voluotanos se
conservam na frente do inimigo, corlando-lhe os
recursos em vi veres e c val los.
O Sr. general Canabarro com a sna forte di
visa.} parece, sem que possamos dlsso da- outra ga-
1 rajjtia que o nosso modo de en.le.uder,que hesita em
2i -
L-se no Correio do Brasil :
< Estamos auturisados a publicar qae iwm hispo cleito do Rio d Janeiro, n ;m lo poor i
Sr. hispo eleito da Diamantina, cceium s arpa-
dos pamojoe foram nome.idos.
B III
Por urna commis?o, de que era afador < 5r.
cooselheiro Borntempo, director g^ral da cretari
de marinha, fui hont-tm entrega1 > Sr i uiuOri
ro Francisco Xavier Picio Liau. ^x-mim-iro
marinha, um mimo oSereeid i m ilgaal
dao pelos empregalos civis e militar' rarfc.4
da mesma repanigao.
Consista o raimo em dous ewefMe de prat,
11
passar o Ibicuhy para desalojaros Paraguayos, te-
niendo descubrir ruguayanae Algrete, pois conf-
ia que urna segunda columna nimiga desee pela
margein opjiosta do* Uruguay.
Esta sua demora todava nao pode so prulon-
gar, porque, seguudo consta o Sr. general Ozorio
destacou urna forte diviso de infantaria e arlilharia
ao mando do general Sampao, para refurgar nos-
sas columnas de operaco no Uruguay.
Em resumo a situago esta :
O general Caldwell, commandante das armas,
assnmio o commaudo das tropas.
< A diiso Canabarro. com os reforgos recebi-;
dos e em marcha, c-.nta j sem exagerago 12,000
homens.
Por este mez corrente, contando com a diviso um Para almoco e outro para \tmtum, lu*. rwwfc
Sampaio e mais alguns corpos de guarda nac.oual I "ein labrado e cora a Orina do Sr. rjatinien
que esio em movimento, teremos naquella frontei-1 "int0 Lima.
ra 20,000 homens mais ou menos, das tres armas ''l *ste presente acompnnhado d^ tima carta **-
e da inelhor cavallaria. signada poi cerca de MaaabBi paMaB, mi Xa
c Este exereilo nao s desalojar os Paraguayos uma "* de velludo carmesiia, e
de S. Borja, como traospor o Uruguay em sua ceste*; termos :
perseguigo. Illm. e Exm. Sr. eonarIfcein FramiMa \>-
Seus movimenlos sero coinbraados com o. vidr j,i"t Uima. i'enhorados pela jo
exercito do general Ozorio, que pisa j o territorio lengoes que sempre aaeraaeran ie f Bar^
de Corrientes, como com o argentino que j deve radures sinceros d^ sohciiude, rnK llig.....i i
estar em forga de tazer freule aos 16,000 homens inolismo que presidirn) p-reora w imp-ir-
de Robles. Untes negocios a earg.i de V. Eir, g*us
Tal em resumidos traeos a verdade dos "{fie ,; militares e operarios da r-
acuutecimenlos. rinha, na curte, vera boje ouVrer- r um rr.
Disto para o que a dedamagao tem improvisa- s|Poal de lembranga a.- ministro da marinha .lo
do e descantado as diversas cordas do beroi-co- gabinete de 31 de ago-to de i-'ii.
mico, do horrendo, do faceto, ha a distancia que Brasileiro-, os abaiX'i a<- .
sempre medra das realidades s eges. Bulll em unir *' saudade que eiperim^aum
Entre os passageiros do Oyapock veui o Sr. Dr. gra'a recordago dos servinw por V. Exc. pres-
Augusto C. de Padua Fleurv, secretario dogjver- laa0!i-
no do Rio-Grande do Sul. O ministro qne reun') em ;rtifi-l IbIbMi
-------.-...-o os elementos da nossa mais brilhaut
Fui nomeado fiscal do goveruo as liquidages val, o ministio que aignalou i sin
das jasas bancarkis do? Srs. Souto A C. e Monte- gao iniciando em pouco P?mpo u.
negro & Lima, o'Sr. commeudador Guilherme Pin- anda ne conhecidas no yaiz, e que vio, um*M
tode MagaiheSiem subsiituigo do Sr. Dr. Fran- depois da sua retirad.* do gov-rn-, ror.per a*
cisco de Assis Oliveira Bueno.
aguaso primeiro navio eneonracad B*.i.-i!, U-*
quando outros ttulos o nao recorrmeadea."!aa, di-
reito incontesiavel ao respeiio e esiitna geral
t Taes sao, Exm. Sr. r ms-ih .r M -Dtm<,n
los de que se acha possuida a repartlgao la n
nba, e que o* ahaixo as-igialos se honrara d
?erpretar nesta occasio.
Alguus fazendeiros de Caulagallo fizeram es se-
grales donativos, que entraran) logo para o the-
souro, alim de terem applicados s urgencias da
guerra cora o Paraguay : commendador Joao An-
tonio de Moraes 13:000J, sendo 10:000$ em cin-
coenta aegoes da estrada de ferro de Cantagallo, e,
3:0O0b> era dinheiro ; Manoel Antonio de Moraes
1:000$, Joaquira Antonio de Moraes 500$, Vicente
Ferreira de Moraes 500$, Autonio Pereira de
Mello 500$, Jos Antonio de Moraes 1:000$, Felis-.
berlo Antonio de Moraes 1:000$, Joaquim Jos
Rodrigues 000,3000. i
20
S. M. o Imperador chegou cidade do Rio-Gran-
de, entrando a barra as 10 3|4 horas da manb?.
de 1C, sem novidade.
Foi esta a grata e unir noticia que honlem nos
trouxe o vapor Cruzeiro do Sul, que acompauhou a rae^fo*, u ateeas laapeneeV!
S. M Imperial ate aquella barra, donde regressou No\.apor Estremadure, entrado
com 72 horas de viagein.
DIARIO DE PEHNAMBUCO.
Recabemos joroaesd> Rio de Jaaeiroe atatn,
pelo vapor Estremadure, chega-to baeOea, coa Ja-
las do primeiro at -\ e f-ui. ;..
sado. Chamamos i aItMagia do> leit.,rr.-
que vai transcripto sob a rubrica interior am
do que s encontramos mais o sepointe.
Riooe Janeiro.Eis r m > ^r-r-m >- j> ro
O transporte de guerra Oyapock, entrado ante-
hontera noite, e que conduzio, c mo noticiamos,
a mala do vapor Gerente, trouxe dalas de Porto-
Alegre at 9, Rio Grande 14 e Sauta Catharina 16
do corrente.
O corpo de voluntarios que se organisava na ci-
dade ile S. Pedro do Sul ja conta va cerca de 300
pragas, ipeluindo 50 do corpo policial que se ha-
viam olfetecido.
O Diario do Rio Grande liando noticias de S. Ga-
briel de 3, e de Bag de 6 do corrente, diz :
t O Sr. baro de Jacuhy pa*sara por S. Gabriel
no dia 27 de junho cora destino a Algrete, onde
chegou no dia 3.
Os corpos de sua diviso iara em marchas lar-
gadas, mas infelizmente noavangavam quanto era
de desejar, pelas voltas que davam para despontar
os arrotos e sangas que esto tolos da uadocorn as
muitas chuvas que tem havido.
O Sr. coronel Valenca com o seu corpo de ca-
vallaria de guarda nacional e o o." de voluotarios,
iam em marcha para Missoes, com cerca de 1,000
hooieos.
A diviso Canavarro anda se achava no da
26 do mez prximo passado acampada no Ibro-
cahy I
A mesma folha publica urna correspondencia da-
tada de Montevideo, 11 de junho, da qual exlrahi-
mos o seguinte :
t O visconde de Tamandar comprou os vapo-
res Santa F, que baptsou por Ygurei e o Era, que
passa a deoomiaar-se Onze de Junho.
t A esquadra hrasiieira surta no Uruguay
composta dos vapores Recife, Maracan, Yguret e
Onze de Junlio.
c A canhoneira Ioaltg-,~qc se achava era Goya,
tambem devia reunirse esquadrilha do Parau.
t Nao verdadj-O quecorreu sobre o comman-
dante Robles. Indo morlalmente ferido para bordo
do Amazonas foi alli tratado com tojo o desvelo,
soffrendo a ampatago no brago esquerdo, depois da
extraego da bala.
t Mostrou-se agradecido aos cuidados do Sr.
Barroso, e conversando com elle quando podia,
contou que os ofnriaes de seu vapor todos suecum-
birara.
--------- i -i a I
EITectuou-se honlem no arsenal de guerra, como
noticiramos, o embarque do 23 corpo de vo unta-
ros da patria e companhias avulsas.
Esliveram preseoies os Srs. miuistro de eslran-
geiros, cirurgio-inr do exercito, generaes viscon-
de de Camam e Polydoro.
- 22 -
Foram nomeados:
O baro do Penedo, presidente da tommisso
hoel~m. re-
gressaram de sua etcnrsu a Europa sua ~,k>z* im-
perial a Sra. D. Isabel e seu augusto esposo o Sr.
conde d'Eu.
Logo que, pelo tele?raplw>. receU-u-se aviliria
da approxiraago do Estremadure, cu.kuC ao arse-
nal de marinha sua BMferiede a imperatn.. ::
ali foi receber os augustos viajante-.
< Achavam-se tambem no arsenal sna alteza i
Sr. duque de Penthievre, os Srs. aaembr-js do ga-
binete, e muitas autoridades e pjMM AelMBS,
que, embarcando n galeota imperial. (T.m*'i-
contro de suas altezas, que desembarrariMi ao ar-
senal s 5 horas da larde, -i-mlo ah
caes por sua magestaJe a imperatriz, eu m>i
acclamages do innmero povo que ali os foi tam-
bera esperar.
Um vapor, fretado por negocame* da pr* .
sabio a barra espera do Estremadnre, em naja*
aguas regressou, saudando os seas pa-sageiros e-jM
vivas a suas altezas.
Urna das barcas da companhia Ferry, da ar-
rera de Nitherohy, desvian I ose la vagem, arue-
panheu por algum lempo a gatouta icpertal.
t Logo depois do de um dos trens da rasa imperi: I, no qual t .
bem lugar sua magestade a imperatriz, eajjpBM i
para S. Christovo. rompendo rusto caminbo ea-
tre o povo qae se agglomerava contente pura s -.-
dalos p lo seu feliz regr sso.
Acerca das exequias celebradas em Bue--
Ayres pelos bravos brasil'ir morios no eocabnlr
de Riachuelo diz o Slmulirt :
* As exequias era honra aot hnaMrae ejae pe-
recern) no Riachuelo, liatendo-s*- okceaMeMe teta
causa do seu paiz, foram celebrados h> t*m n-< ca-
ihedral, em presenga de um dos maiores e mata ts-
colhidos concursos que j mais se vio aaqpafla
templo
c A's 11 horas estava formada urna brigada do
7." de linha na ra San Martin, em frente a calan-
dra!. Muito antes j o povo endita a gPBja.
t Pelas II 1/2 os homens mais ooiaveis At Boeaov
Ayres, os ofDciaes brasileiros e argentino .)oe aqu
se achara entraran) pela nave principal e '. nuraia
os seus lugares ; o altar mor brilhaoiemente 'Ilu-
minado e o* candelabros estavam envolvido? era
crep : sobre a entrada do coro havia urna craade
bandera brasileira lendo-se por bano da basta eui
letras grandes :
c PARA COM.MEMORAIt Aol"KI.I.ES nl'K CAIIIR.\
t COMBATE.XDO HEROICAMENTE TELO SEI fAll K
< PELA IILMANIDADB A 11 DE JCSHO BC U**>-
c As exequias cornecaram pouco depota de ateta
dia.
t A companhia da opera acompanhada por um
excellente banda de mn-ica execntoo o Din tr*.
Era seguida principien o oficio fnebre caa-
tando todo o coro missa de Mozart
t Acharam-se presentes o governaJur Sa^edra;
que dever representar o Brasil na exposigao uni-
versal de agricultura, industria e bellas artes, cuja
abertura ter lugar era Pariz no dia de maio de general Gelly y Obes, ministro da guerra; r
1867. ta, mioislro da inslracga i publica ; Dr C >,
O marquqz de branles, presidente ; oconse- minislro dos negocios Hraogeiri-s ; Dr. (Vi ivtaew,
Iheiro Freerico Leopoldo Cesar Burlaraaque, viee- ministro brasileiro; Leal, ministro braijiro; i
presidente ; o Dr. Antonio Jos de Souza Reg,
Io secretario ; o %r. Jes Pereira Rogo, 2*
secretario ; e os Drs. Gabriel Milito Villa Nova
Machado, Raphaol Archanjo Galvo, Manoel Fer-
reira Lagos, Matheus da Cunha e Joaquim Anto-
nio de Azevedo, rnemhros da comraisso directora
da expojigo de productos nacionaes, que dever
ter lugar na capital do Imperio, em outubro do
anno futuro.
lie, Estrada, Saguir, Pena, Martnez de Hoz, O-fea.
Vrela, Guraares, Pinti ; cnsul geral de Frtu-
gal; generaes Martnez, Ocampo, Amortas e mea-
tas pessoas de enjos nomes nao nos tilww leav
brar.
c Altamente lisongeiro para os brasileiros -tarja
sor sem davlda o presenciarem nesta ocrasi > ->
indiscriminado concurso de e-lraageiros e artetai
nos urna prova irrefragavel de sympatbta que de
todos merece o Brasil na presente Iota. Os nafc-
Entrou hontemo vapor Pirahy de Santa Calharl- hzes soldados quecahiram tao aobremente no Rta-
oa, d'onde sabio no da 17.No havia alli noticia al- crJQelo> combaleado por seu paiz, nao rahiram raa
guma do Rio Grande, d'onde era esperado o vapor va- >eQS nomes *-50. venerados pel->-< >-u .m-
Fnfeao para condusir tropa. No mesmo dia sahi-! patriotas ; sQa memoria h.nrada p^r nos "
rain com tropa para o Rio Grande os vapores Ge-. "5 brasileiros baleram-se como bravo* a Toa-
renle e Jaguaribe. chuelo; nao recuaram dianie do fugo m rtif-ro w
i, i m i urna batera poderosa, e o reo abenroon-os caen
Ent-rou honlem da praia da Marambaia a Be-'. nma victoria cajos euVitos maraes nao podern - ventee, conduzimlo o commandante do Inperail exagerados, e a qual concorren mais eflcanaenie
'- Mannheiro c vinte tantas pragas que alli intnm para sustar a invasao dos paraguayos, que ledas aa
\ fleado, para recolher algum material que se pqdes-; marchas e contramarchas de Pauoero, oje talas
1 se saltar do naufrago dPste ultimo navio. '. js nwravilhoias victorias je> Caceres- -'ao %
l. a
<



valor los brasileiros no Paran, e a es har a es- laxen encher os hospitaes, o qae nao admira, por-
qoadra do invasor estara tundeada em Martin Gar-, que os Argentinos, acostuuiados ao clima, teem
cia, se nao no porto de Buenos Ayres. O tributo; tainbem sonrido muito, e sabe-se que os Para-
de respeito que Buenos-Avres paga hoje aos bravos j guayos acceleram osseusmovimentos, porque teem
que parecern! no Riachuelo foi bem merecido, e perdido muita gente de fro e molestias.
Diarlo de rernambneo -- Segunda leira Si de albo de i 8O*.
eremos que ser devidamento apreciado no Rio de
Janeiro.
K' digna de todo o louvor a commissio incum-
bida do acto, composla dos Srs. Amorim, Rocha
Faria e Guinarcs, pelo esmero que empregeu e
das acommodacoes que proporciono ao publico.
Comosoe acjntecerem solemnidades dote ge-
nero compareceram muitas sunhoras cumpre, po-
rm, roDessar que nunca assistimos exequias
publicas era que fose maior a concurrencia do
bello sexo. Ao terminar a ceremonia, osssisteo-
A cavallaria correntina s ordens dos gene-
raes Caceres e Hornos, em numero de 6,000 ho-
mens, opera sobre a columna inimiga, que batia em
retirada para a fronteira de Missoes.
O general Paunero, com a infamara de linha
argentina, que dra o assalto a Corrientes no dia
2o de maio, aeha-se no centro da provincia.
Buenos-Ayres la mobilisar novas forcas.
Consteva que o Sr. Gelly, ministro da guer-
ra, marchava para o exercito, como ajudanle ge-
neral, fleando c.m a pasta da guerra o Sr. Dr.
Ao terminar a ceremonia,
tes passaram em procisso pelo vestwulo central,' Elizade.
apresentando armas os soldados e rufanJo os tam- < A imprensa argentina sentio-se de algumas
Lores. i phrases de correspondencias publicadas nesta
Damos era seguida as ntidas do Rio da corte. Com effeito parece injusto que se susci-
Prata, levadiis corte pelo Carmell alcanzando tem quesloes de amor proprio, quando aquella
de Montevideo lo e de Buenos-Ayres 4 14: : imprensa lem prestado toda a sua cooperacao ao
Sendo ja conhecida no Hio da Prau a resolucao Brasil e trabalhado para identificar os dous paizes,
de S. M. o Imperador de Ir ao Bio Grande do Sul, desde a nos^a queslo com Aguirre.
erageral a conlianca deque era breve todo o po-1 Do Estado-Oriental nao ha noticias impor-
iler militar daquefla guerreira provincia acudira tantes.
aos pontos invadido*.
l'in incidente desagradavel, occasieoado pelas
forjas ao rommando do general Urquiza, viera
exigir mais alguns !-acrificics e maior actividade
da partidos adiados.
< Essas forjas tinham-se debandado, excepcao
feita de 2,000 horneas que permaneceram fiis
seu ctiefe, e que por elle foram depois licencia-
dos.
No dia 2, acmeio-dia,tnha-se posto em mar-
cha o general Urquiza em direccao Coucordia.
onde devia verificar-se una conferencia entre os
chefes das forcas alijadas para accordar-se em
urna operacao de gut-rra.
Na nuite de 3 as forgas de Xogoya e Victoria,
que eram commandadas pelo corouel Navarro, le-
vanlarara o acampamento sem que ninguera o or-
denasse, e irigiram-se para o intei lor da provin-
cia, protestando por falta de patenlo e de alimen-
ta gao.
Sabendo o general Urquiza, em marcha, da
sublevacao, voltou a 4 ao acampamento e procla-
mou ao exercito, dizendo, entre outras cousas,
que era aquella a prirneira vez que as torgas de
Fra
inspirada
rantias.
A Reforma Pacifica, orgo dos blancos, depois
prorogada por dous annos a convengo
pelo desejo de estabelecer mutuas ga-
E am trabalho qae deve maito aproveitar aos
futuros historiographos do Cear, salvando ao mes-
mo tempo do olvido factos rani importantes'para
a historia patria ; e podemos garantir que a oon-
feccSo da obra ter a precisa prociencia, pelos es-
tados especiaes a que se lera dado o Sr. Joo Brigi
do, tradnzidos j em um apontamento sobre a his-
toria do Cariry.
Oosamos, pois, convidar nossa mocidade estu-
diosa e aos nossos Iliteratos a prestarem o seu con-
curso, para reallsago de tao importante empresa;
e para isso acha-se autorizado o Sr. Dr. Witruvio
Pinto Bandeira, que poder ser procurado ra d
Cabug n. 2.
- No espectculo que deve ser dado em obse-
quio familia do dislincto finado rapito Pedro
AfTonso Ferreira, quarla-fcira 2 de agosto, resol-
veu o digno empresario Antonio J.is Duarte Coim-
bra, incumbir urna commisso o recebiraento das
importancias dos bilhetes que forem tomados.
Essa commissao comp5e-se do mesmo Sr. Coira-
bra e dos Srs. Drs. Fraoklim Tavora e Wi'ruvio
Pinto Bandeira.
- Nos reparos que se eslao fazendo na estrada
da Magdalena, informam nos que vo fazer valla-
dos ao longo, a partir do sobrado grande por dian-
te, abrangendo mesmo a entrada do Luca.
t certamente conveniente esta medida, mas
cumpre excluir esta entrada, visto que (cara diffl
(Mlil'l.l \ A Itum if.i r.Mon .II! .. 1 .l ;_____..(u_
cidade a estas linhas, que attenciosaraente
ofereco ao respeitavel publico em resposta
a indicada correspondencia, certos de que
muito obrigarao ao seu constante leitor.
Recife 29 de julho de 1865.
Luiz da Fonseca Macedo.
gQMMEBCIQ.
Caiva filial do banco do Brasil em
Pernambuco.
A directora desta caixa saca sobro o banco do
Brasil no Kio de Janeiro e sobre a caixa filial do
mesmo banco na Bahi.
Novo banco de peruambuco.
Os administradores da roassa fallida de Joaquim
Jos Silveira pagano o 1 dividendo de dita no-a
na razo de 9 0/0 sobre o valor des ttulos ad-
mettidos : no novo banco de Pernambuco ra
do Trapiche n. 34.
\ovo banco de Pernam-
buco.
O banco desconta letras na presente seman;
rial no dia 22, para se Ihe ver fundo.
Organisava-se um concert para festejar a
volta de S. M. o I., sendo o seu producto em bene-
ficio do azylo de invlidos da patria. Era promo-
tora desse acto a Exina. viscundessa de Taman-
dar.
Arribara ao Rio, no da seguinle ao de sua
sabida para o Bio da Prata, a crvela Paraense,
era consequeocia do mo tempo.
O transporte S. Francisco sahira de Montevi-
deo para a corte, no dia lo, conduzlodo o capitao
De ordem da directora desta caixa se faz pnbli- {^ gencfra
Entre-Ros davain um escndalo e coramettiam de mar e guerra Gomensoro.
urna infamia ; que, se os borneas que o tinbara
acompaohado ein Caseros o abandouavam, deser-
tando cobardemente em frente do ioimigo, caria
elle s ao lado do general Mitre, snsuulando o
pavlhaoda patria e a honra e a diguidade da re-'
publica.
< Esta arenga pareceu produzir bom etfeito. O,
g-neral mudou de acampamento .no mesmo dia e
algumas medidas foram tomadas com o intuito de
evitar o contagio. lam as cousas camintiando
asslm at noite de S, quando urna torga de mais i
de 1,000 horneas de vanos corpos deserlou tam-
bem, dirigindo se igualmente para o centro da
provincia.
< Entao tomou o general Urquiza a medida de
licenciar o resto da tropa que permanecer a seu
lado, no momento critico, por lo dias, e dirigiu-se
depois para S. Jos cora urna pequea divisao.
Eis a communicacao offlcial deste aconleci-
mento, enviada pelo general Urquiza ao presiden-
te Mure :
Trocito, 7de julho de 18G5. Illm. Sr. presi-
dente, brigadeiro general D. Bartholomeu Mitre.
Teoho o profundo desgosto de communicar a V.
Exc. que me vi heje na necessidade imprescindivel
de retroceder com as torgas ao meu commando
para licencalas por algum tempo, com a coulian-
ca de que brevemente volvero mais numerosas
seu posto
Irei pessoalmente dar a V. Exc. contas de>te
aconteciraeuto e de suas causas, ou enviarei al-
gumas pessoas competentes em eguida, se occor-
rer algum inconveniente pessoal.
V. Exc. de"e estar
--.-- cuitado o transito para all, sendo at impossivol
de haver por diversas vezes abusado da toleran- assim a passagera de vehicuhs.
cia do p iriido vencedor, toi levada a juzo em con- Isto posto, cumpre que se atienda semelhante I' P* cent0 ao Jtnno at o prazo de seis mezes,
sequencia da publicacao de um artigo sedicioso, inconveniente, tanto mais quanto a falta de valla-1 ------
O jury de imprensa condemnou o editor da folha do eni la I ponto nada influe na damnificagito da'Caixa filial do banco do Brasil
a (i mezej de prisao e as custas.i estrada. eua Pernambnco
Foi incumbido de dirigir o engajamento e re- j Fuodeou hentem noutinlia, no lamarao, o
crulameuto de pragas para a armada, o cheto de transporte de guerra Jos de S. Romao, viodo do
esquadra Joaquim Jos Ignacior Rio e Babia. Nada adianta as noticias que vo em
O vapor Princeza entrou para o dique impe- outro lugar.
O Cruzeiro do Sal devia sahir, para os por-
tos do norte de sua escala, a 25 do passado.
Cominunicam nos o seguinle :
Sr. redactor da Revista Diaria.Maricota, 25
de julho de 186o.Ha poucos dias estiveram em
conserva na cadeia desta cidade os famosos Quin-
tilio e Belisario, sendo logo depois postos em liber-
dade por innocentes I E' a vigsima lerceira pri-
sao que soffre Belisario por furtos, e o mesmo ter
acontecido ao seu intimo amigo Quintilo, pois sao [
nseparaveis corapanheiros at da cama.
Ora. se est jurdicamente reconhecido que
S saccas~algodao, 1 dito laa barriguda ; i Cha-
ves di Vianna.
De Macei.
26 faccas com 138 arrobas e 23 libras de algo-
dao em rama, 369 couros salgados com 302 arro-
bas e 11 libras; a ordem de diversos.
I pacote fazendas; a Jos Joaquim da Silva Go-
mes & C.
Exporiaco.
Brigue portuguez Relmpago carregou para Lis-
boa o seguinle :
128 barricas e 1:300 saceos com 6:818 arrobas
e 21 libras de assucar branco, 150 barricas e 530
saceos com 3:063 arrobas e 29 libras de dito mas-
cavado, 60 cascos com 10:920 medidas de agur-
denle, 246 saceos com 120 arrobas de goroma.
Brigue inglez Athlet carregou para New-York o
seguate :
3:680 saceos com 18:400 arrobas de assocar
mascavado.
Brigue portuguez t'lorinda carregou para Lisboa
o seguinle:
1:427 sacco3 com 7:135 arrobas de assucar bran-
co, 1:763 ditos com 8:815 ditas de dito masca-
vado.
ALFANDEGA DE PERNAMBUCO.
PAUTA OOS PBEgOS DOS GNEROS SUJE1T0S A DII1EITOS
DE BXPORTAgO.SEMANA DE 31 DO HEZ DE JULHO
A 5 DE AGOSTO DE 1865.
Mercadorias. Unidades. Valores.
Caf ...
Cha.....
Cerveja
X
I Abanos.........eento
Aguardeute de cana .... caada
dem restilada ou do reino
co aos senhores accionistas, que o respectivo the
soureiro est aulorisado a pagar o 23* dividendo
do semestre findo em 30 de junho ultimo a razao
de 12$ por aego.
Caixa filial do baoco do Brasil 15 de jalho de
1865.
O guarda-livros,
Ignacio Nones Correia.
arroba
ALFANDEGA.
Rendiraentododia 1 a 28......
dem do dia 29...............
Fizera urna viagem de experiencia o vapor furtar cavados negocio de muito licito trato, para
8:850*909
470:985380
Inglez Virago. Sua marcha toi regular, gastando 38
minutos para ir das Enchadas Wilegaignoo.
O roubo do museu nacional constou do seguinle:
Moedas brasileiras -1 deouroD. Pedro 1
e 14 de prata.
Portuguezas.3 de prata e 35 de cobre.
< Hespanholas.1 de ouro e 16 de prata.
Fraucezas.12 de cobre.
Inglezas.34 de prata e 1 de cobre,
c Dioamarquezas.6 de prata e 3 de cobre.
Irlandezas.9 de prata.
Chilenas. -2 de prata.
< Mexicanas.7 de prata.
< Austracas. 6 de prata e 3 de cobre.
Medalhas brasileiras.2 de ourogrande pre-
mio da academia das Bellas Arles; 2 ditaspeque-
no premio da mesma academia 2 de prata doura-
da da sociedade Auxiliadora das Arles Litieraes
Mechanicas; 2 de pratado principe Eugenio de
Saboya Carignano; 1 de prata- langamenio da pri-
rneira pedra da Santa Casa da Misericordia; e 2
de cobre.
Portuguezas.1 de cobre dourado, de D. Joo
VI, ofierecida pela cidade do Pono; 4 de cobre e
3 de Nikel.
Allemas.48 de cobre, sendo algumas doura-
das; e 2 de zioco da sociedade do Tiro.
< Diamaules.-6 grandes e 43 pequeos.
Chegra, procedente de Pernambuco. a 18; o
brigue Trovador, com 14 dias.
S. Paulo.No dia lObeoira-se aband-ira d>7
corpo de voluntarios, e toi offerecida ao comuian-
dante desse corpo urna espada de honra pelos seus
offlciaes.
Jacintho
MOVIME.NTO DA AUFADEGA.
: que incommodar-se esses bemavenlurados, que vo j Voluntes enlrados com fazendas.... 134
vi vendo conforme as leis de sua trra ? E' quere-
rera levar um santo ao desespero I Maldita polica,
sempre tost e sers o flagello da innocencia I
Considerando prestar relevante servigo aos
meus eoncdados, venho instrui-los do disfarce de
que se servem os membrosdessa grande quadrilha,
p-.ra mesmo dentro da cidade roubarem nao s os
cavalios aos matutos, como saquearen] as casas em
qualquer descado. Esses ladres comquaoto quasi
todos tenhara resalvas que os isentam do recruta-
cora gneros..... 265
Volumes sahidos com fazendas.
com gneros.
Descarregam no dia 31 do correte.
Brigue sueco -Ortoarfarinha de trigo.
Brigue nacional Pernambucano pedras.
Brigue inglez Ann Stamsland diversos
eros.
ment, porm para nao serem incommolados pelos Brigue InglezHarmston asphalto e oleo de li-
recrutadores, apresenlara-se vestidos a matulo; isto I nhaga.
e, discalcos, trajando calca e jaqueta, espora no p,! Vapor inglezGtodiator-mercadorias.
sacco ao hombro e chiqueirador; emfim quando \ Escuna poriuguezaD. Joflocharque.
virem um matulo sem cavallo, vagando pela vossa Escuna dinamarqueza-Doranaidem
ra, nao gritis pela polica, pois que esta, depois. Brigue hdspanhola Vtgilanle-\em.
da confusao das lingoas, perdeo o auditivo e visual Brigue portuguezS. Josidem.
persuadido que, para to-
mar tao grave resoluco, sem esperar as suas or-
deos, que nao pJe ser de outro modo, para a' Doutorra-se o Rvra. conego Joa.
esterihsar na desmoralisago e na desordem ele- Gougalves de Andrade.
mentos que devem vir a concorrer ainda para a
defesa nacional, como V. Exc. deva estar certo
qae o faro, que o farei eu, que me bei de sacri-
ficar s, se assim for preciso.
Autecipo a V. Exc. com este aviso, a que hao
de seguir em breve suflicienies informacoes.
t De V. Exc. leal
Urquiza.
Assumira a ebefanca de polica o Dr. Alfonso
Negreiros.
Acerca da torga expedicionaria ao comman-
do do coronel Drag, diz um offlcial ehegado ca-
pital desta provincia:
Ac ha va se a expedigo, quando elle a deixou,
amigo, ele. Justo Jos de adiaote de Mogy-mirim e contava, pelos "clculos
do Sr. coronel Drago, estar, a 11 do corrente, em
sentidos ; apedrejai-o que salteador que vos es
preita. A Senttnella.
Passageiros do vapor francez Eslremadure,
sahido para Bordeaux e portos intermedios :
Padre Fletcher e 1 fllho, Francisco de Paula Al-
legria, Amonio Casimiro da Trindade, Manoel Mu-
nz de Almeida, Jos Tavares Ado, Jos Fran-
cisco Brrelo, Bernadino da Costa Ferreira, Anto-
nio Rodrigues Pereira Lobo, Joaquim F. de Carva
Iho, F. de Varulles, e
Teixeira.l
Barca inglezaUary Lordcarvo.
Importaco.
dem alcool ou espirito de agua-
ardente ........
Algodo era carogo ....
dem em rama ou em lia .
I Arroz com casca.....
; dem descascado ou pilado .
Assucar mascavado ....
I dem branco.......
I dem refinado......
[171 Azeite de amendoim ou mendo-
bn ........
dem de coco......
dem de mamona ....
Batatas alimenticias ....
Bolacha o diara, propria para
embarque......
dem fina......
Caf bom .....
dem escolha ou restolho. .
Idem torrado .....
Caibros........
Cal..........arroba
dem branca .... >
Carne secca (xarque) ...
Carneiros .......um
Carvo vegetal .....arroba
Cavernas de sicupira urna
Cera de carnauba em bruto. libra
|dem idem em velas ...
Cha......... ,
Charutos .......cento
Cevados (porcos).....um
Cocos (seceos)......cento
-------399
59
538
-------597
ge-
caHada
arroba
libra
Galera poriugueza Lisbonense, entrada da Bahia,
consignada a Amorim Irmaos raauifestou o se-
gu nte :
Gneros estrangeros:
4 caixoes batatas, 2 barricas bacalho, 1 caixa
a senbora Maria Emilia S*0!'^1?JJ" "ft *?S 13 ?aix?" VDho do
port >, z saccas arroz da India, e 4 caixes diver-
Passageiros do vapor brasileiro Parahyba sa-
bido para os portos do sul :
Manoel Evaristo de Souza Cotrin, Jos Candido
Accioli, Joao Luiz Vieira, Manoel
Canavieira, Paulo Canavieira
pado, Gcraldo Antonio Maciel
Gongalves Torres, Joo Nunes Vieira, bacharel
Domingos Joaquim Alves da Silva, Thomaz de A. |
Oliveira, Aneceto Pereira de Goveia, Antonio F.
Piolo, Jos Francisco Capanou, Francisco Jos dos
Santos Honorato, Joao Baptista de Arruda, Jos F-
lix Xavier, Bento Jos da Silva Magalhes e F.
Jos de Car va Iho.
Passageiros do hiate brasileiro ExhalacSo,'
sabido para o Aracaty
i Cotrin, Jos Candido .riP'Pfvr Ta? e IW,?Arn
noel Canavieira, Jos ",24,^ed,das de c3^ 70 r
, Manoel Antonio Sur- ^ffij'^fS! dVT' '"
C,el, Manoel Zeferino L^ *2?>**J?L
sahido para o Aracaty :
Alguem quiz ver nsto urna traigao de Urquiza, i L'beraba.
mas geralmente altribuia-se este successo a ma- j D.z mais este offlcial que a d'ta forga exped-
nejos de alguns blancos fgidos de Montevideo, j cionana compuoha-se de quatroceatas e tantas pra-
auxliados pela desaffeigo dos Eotreriauos actual i cas.
ordem de cousas na Repblica Argentina. Como Paran.Lemos no Correio Mercantil:
cabegas de motim apootavam-se os chefes Beron, i Nolicias do interior da provincia davam que
Navarro, Dolores e E Apezar desse desfalque, que ainda se acredi-' de 600, atacara a gente que trabalhava na estrada Antonio Bernardo de Sena Dr Antonio
la provisorio, e da lentido, quasi reluctancia, das! que all se abre, para coramuncar a provincia com
provincias argentinas, no preenchimento dos con- [ Corrienles.
O capito Marcondes, reunindo e armando du-
sas mercadorias; ao capitao.
Gneros oacionaes:
63 pipas, 22 meias e 140 barris de quinto com
molhos de piassa-
regadores de folha,
de dita, 4 garra-
foes com caxaga, 10 latas com assucar branco, 10
saceos com caf pilado, 35 caixoes com doces, 2
caixoes cora tamancos, charutos, etc., 2 ditos com
moringos, quarlinhas e copos de barro; ao ca-
pitao.
Polaca hespanhola Elegancia, entrada da Bahia,
consignada a ordem, manifestou o seguinte :
1:550 arrobas de carne secca; ao capito.
Vapor brasileiro Persinunga, entrado do Acara-
libra
um

um
Coila
Couros de boi, salgados. .
dem idem seceos espichados
dem dem verdes .
dem idem cabra eortidos .
dem idem de onga .
Doces seceos ......ibra
dem em gela ou massa .
dem em calda .....
Espanadores grandes .
dem pequeos......
Esteiras para forro de estivas
de navio........
Estopa nacional .....
Farinha de de mandioca .
dem de araruta ....
Feijao de qualquer qudlidade .
Frechaes .......
Fumo em rolha, bom .
dem ordinario ou restolho
dem em rolo bom.....
dem ordinario ou restolho. .
Gallinhas .......
Gomma........arroba
Ipecacuanha (raiz)
cento
arroba
alqueire
arroba
c
am
arroba
urna
Antonio Pereira da Graga e Guilherme Pereira < >.fS^SL 3. ComPanbia Pernambucana, ma-! ^'la
de Azevedo. : n,e.3t0.u, .*eguinte : ,101
- Passageiros do hiate brasHero Santa Rita, '
. i Lenha em achas.....cento
13 saceos cora 60 arrobas e 18 libras de cera;
Eduardo G. Valeut e Delfiao Gurgel do Amara!. \ Benardo Jos de M. & Ii
Passageiros do vapor francez Estremadure,
10
tingentes pedidos, poderia retardar-se mas nunca
ser duvidoso o triumpho final da mais santa da
causas. Mitre lirava novos recursos do seu fiel
Buenos-Ayres e Flores tambera engrossava as suas
lileiras De Montevideo ficava a partir um bata-
lhao de voluntarios comraandado por D. Jos Can-
dido Bustamante. Quanto a nos, nao nos amen-
dromarao sacrificios.
A Nacin Argentina assgoala como autores
desse motira os offlciaes Dolores e Espindola, apon-
tados pela opino do exercito.
A Tribuna de Buenos-Ayre". limita-se a fazer
as seuiutes consideragoes sobre o successo :
Energa I
Eis aqui a patarra que esta' hoje na bocea de
todos, com o motivo do escandaloso motim das tor-
gas entre-rianas.
Energa I diz-se, e estamos certos que esse
voto, formulado hoje pelo povo indignado, formu-
i
zentos e tantos Irahalhadores, conseguir desbara
lar os invasores.
Este faci amedrantara a populago. >
Santa Catharina.Eis as noticias recebidas na
corte :
a No dia 1 chegra ao porto da capital o vapor
Pedro II, que, como noticiamos, havia arribado com
agua abena a Barra-Velha, levando a seu bordo o
capilo do porto e o pralico da costa.
Pelas 10 horas da noite desse mesmo dia che-
gra tambem all, de volta da Barra Velha, o Ge-
Epami-
da Silva
Europa.
nondas de Mello, e 1 criado, Antonio
Gaia, Jean Hctor Deslebeui, e 200 para
Repautiqao da polica :
Extracto da parte do dia 29 de julho de 1865.
Foram recolhidos casa de detengo no dia 28
do corrente:
A' ordem do Illm. Sr. Dr. chefe de polica, Ber-
nardo, escravo de Joao Correa de Araujo, por f-
gido.
A' ordem do subdelegado do Recito, Joao de
Barros, portuguez, a requisgao do.respeetivo cnsul.
A' ordem do de Santo Antonio," Joo Pedro, Joo
Jos Raposo e Manoel Pedro de Oliveira, para re-
crutas ; e Tbomaz, escravo de Frencisco Antonio
da Rosa, por fgido.
O chefe da 2." secgo.
J. G. de Mesquita.
Casa de DETENgXo.Movimento do dia 28 de iu-
Ihode 1865 :
Existiam 347; entraran) 6; sahiran 7; exis-
tem 346 ; a saber : nacionaes 256 ; mulheres 6 ;
estrangeros 24 ; mulheres 2 ; escravos 54 ; es-
rente, conduzmdo as trezenlas e tantas pragas de-
sembarcadas do Pedro II.
A'cerca do tempo que apanhra este navio pu-
blica o Mercantil urna noticia de que extrabimos
o seguinte trecho:
t......Nao bavia a bordo mais carvo e foi ne-
cessaro laogar-se na tomaina os trastes e mais pe-
la-se quando o general eic chefe do exercito ha j gas da madeira que havia a bordo. Nao obstante
resol vid1) cumprir o seu dever, isto averiguar nenbum combustivel haver a borJo, o capitao de-
quatou guaes foram os culpados para castiga los pois de haver alli tundeado (Barra Velha), mandou vas 4; total 346.
como merecen. levantar ancora e fazia-se ao mar, quaodo toi obn- Alimentados a cusa dos cofres pblicos 182.
Sim I gado a vollar para trra por assim o exigirem os i Movimento da enfermara no dia 29 de julho
O general Mitre um homem muito Ilustrado passageiros. A bordo nao havia seno tres baldes, de 1865.
para duvidar da attitade que deve tomar nestas e neuhuma das bombas funecionava, de sorte que', Tiveram alta :
occasiSes. para o esgotaraenlo do vapor os soldados serviram-1 Antonio da Silveira S Barreto.
A sublevago das cavallarias entre-rianas, em se de toda a qualidade de vasilhas que podiam en-
patria, um feito centrar.
* Noticiando a arribada do Gerente, diz o Des-
pertador :
Quando esse navio segua viagem, achandose
ao sul de Tramandahy no dia 25, s 10 horas da
frente do inimigo qne profana a
infame.
Quera o produzio ?
Foram alguns Chetos superiores ?
Foram simples offlciaes subalternos
Urna folnajda manba uoraa j varios chefes noite, cabio forte vento, de modo que, nao poden-
corao autores do motim. Ido o navio susleniar-se pelo muito mar que fa-
Nos nao podemos fazer outro tanto, porque za, mea noite deu a popa. Depois de oito horas
neste delicadissimo assumpto jtilgamos que a pru- de corrida, parti se o ngulo de ferro da cabega
dencia aconselha esperar a verlade, para entSo ar-1 do leme, em cujos bracos trabalba o parafuso da
ranear mascara aos traidores. roda.
Por ora s sabemos ama cousa : que ha trai- < Correu sempre procurando fugir as grandes
dores, que traidores sao os qae fizeram desertar vagas, sem poder aproar a Santa Catharioa; s no
em massa os entre-rianos, e que esses traidores dia 27, tendo abonangado um pouco, que pode,
devem ser castigados de nm modo exemplar. ; s 5 horas da tarde, orear em demanda deste por-
c .V.;a grande luta em que o povo argentino to. onde entrou no da e hora cima mencionados
entrara comilo o seu poder, se preciso fr, oito (28 s2 horas da urde.)
ou dez mil homens de mais ou de menos em suas BahaO Exm. Sr. conselheiro Saraiva tinba
lileiras nada significa. j obtido 342 votos nos collegios de Itapicur, Tuca-
t Por isso nao o mal material que devemos no, Monte Santo, Alagoiohas, Jacobina, Geremoa-
actoalmenle lamentar.
E' o escndalo moral, a iniqua traigao feita
em frente do inimigo, qne snblevon o povo ar-
gentino, arrancando-lbe um grito unnime qae
diz : castiguem-se os culpados, quaesquer que tiles
sejam.
A colamos paraguaya qne tinba Invadido S.
Borja comp5e-se de 9,000 homens. Depois de sa-
queada aquella villa passou o rio Batuhy dirigin-
do-.-e para Itaqui e talvez desta at a l'ruguayaoa.
< Pela margem opposta, entra columna de
3,000 homens passou ao snl do Aguapehy e dlri-
gio-se ao amigo povo de la Crtiz em frente a um
passo que facilita a sua fncorporago por Itaqui a'
outra torga. Entretanto talvez Jesgam at o Passo
de los Libres, a carera frente da rugaayana.
O exercito paraguayo de Ccrrientes estar em
S. Lourengo, talvez rom o designio de eocorporar-
se ao exercito do Uruguay e darem batalha a
Mitre e ao exercito brasileiro.
t Toda a torga de Osorio estava j na Concordia I
com a de Milre e Flores.
bo, Abbadia e Inhambupe, na sua reeleigo
Assumira a presidencia da provincia no dia
24, o Exm. Sr. Dr. Manoel Pinto de Souza Dantas,
ltimamente nomeado.
Reinava mo lempo no porto, tendo j causa-
do diversas arribadas de navios.
Pelo vapor francez Kastremadurt despacba-
ram-se 240 oitavas e 70 graos de diamantes.
Jos, escravo de Gongalo Mendes.
Cemiterio publico. Obituario do dia 27 da
julho :
Elias, Pernambuco, 7 dias, Boa-Vista ; espasmo.
Emiliaoo, Pernambuco, 7 dias, Boa-Vista: espasmo.
Rutina, Pernambuco, 7 dias, S. Jos.
Jos, Pernambuco, 3 mezes, Boa-Vista ; convulses.
Manoel, Pernambuco, 2 das, Recife ; espasmo.
Narciso Jos da Costa, Pernambuco, 17 annos, sol-
leiro, S. Jos; phthysica pulmonar.
CORRESPONDENCIAS
Senhores redactores.Em seu conceitua-
do Diario de 28 do expirante mez, deparei
com urna correspondencia assignada por
Antonio Joaquim Salgado, que me attribue
factos criminosos.
Assim procedendo, Joaquim Salgado des-
tina-se exclusivamente a depreciar-me ante
o meritissimo tribunal do commercio desta
cidade, ao qual esto affectos os autos de
accao ordinaria que elle promove contra
mim e o Sr. Jo3o Alves de Moura, afim de
d. por iJOOO, sobre Pars 380 38o rs., sobre
Haraburgo 730 rs. e sobre Portugal 110 115 0|0.
Passra, com destino a ser vendido na corte,
o vapor inglez Mazzepa, construido em Ingla-
terra.
PERNAMBUCO.
Regoiava o cambio sobfe Loodres 24 3(4 [ apoderar-se do estabelecimento de padaria
' ra das Cinco Ponas n. 38, nao obstante
baver eu arrendado ao legitimo proprietario
a casa em que est aberto esse estabeleci-
mento, e feito depositar os utencilios que o
constituem, como evidencia-se dos mesmos
autos 1
Atroz e injustamente offendido eu nao es-
co ao charco immundo dos convicios para!
I acceitar a luva, que me atira o despejado i
calumniador. Tenho resolvido arrasta-lo
REVISTA BIA1U.
Proeora o Ilustrado Sr. Joo Brgida, da provn
O Sr. viseoode de Tamandar chegera a Con-! cia do Cear, publicar am eleacho S historia dessa j 5?1 dos trtbunaes do patz; e conscio dos man,resioa "I"
saccas com 20 arrobas e 8 libras de algodao,
meos de sola, 137 molhos com 1:360 couri-
nhos, 1 sacco com 2 arrobas e 13 libras de cera
ama relia; Jos Joaquim da Silva Gomes & C.
138 coiros curtidos, 1 dito de garrote; Davlno
Alves d'OIlveira.
Do .Vital :
4 saccas cora algodao ; F. F. Borges.
10 ditas com dlo; Ignacio d'Oliveira & Filhj.
1 pacote com 1 espingarda, 1 caixa com ferra-
gens; Celestino Jos da Silva.
Do Acarac:
200 meios de sola; Joo Jos de Carvalho Mo-
raes.
80 magos de coiros mudos; Jos de S Leitao
Jnior.
Do Aracaty :
117 caixas com velas de carnauba (com 117 ar-
robas) ; Joo da Silva Leite.
Vapor inglez Douro, entrado de Southampton e
escalas, manifestou o seguinte :
11 canas queijos; a V. F. da Costa & C.
70 ditas dito ; a N. O. Bieber & C.
5 caixas queijos ; a Duarte & C.
50 barris manteiga ; a Sempson & C.
50 ditos dita e 1 caixa arbustos ; a Saaners
Brothers.
43 caixas frudas; a Marques Barros & C.
1 caixa queijos, 2 volumes fazenda de algodo ;
a Southall Mellors & C
1 caixa vinho ; a J. J. da Costa Leite.
1 caixa miudezas; a Mello Lobo.
1 dita seda; a Izidoro Netto & C.
1 dita modas, 1 dita armas, 1 dita fazenda mix-
ta ; a Henrique & Azevedo.
1 caixa modas ; a Vaz a Leal.
1 dito objeclos diversos; a Monteiro Lopes.
1 caixa instrumeotos pticos ; a Mello Lobo.
1 dita elsticos ; a Alves Hamburger & C
1 dita relogios ; a F. G. de Oliveira.
2 ditas fazenda de algodo ; a Isaac Esnaty.
5 ditas fazendas de linho; a Phipps Brothers
A C.
1 surro chapeos de palba ; aos testamenteiros
de H. Gibson.
1 dita ditos de feltro ; a M. B. da Silva Maga-
lhes.
1 dita modas, 1 cesto sangaesugas ; a D. A.
Matheus.
2 caixas botSes, 12 volumes fazenda de algodas;
a Jos Antonio de Araujo & C.
1 caixa encerados; a Prente Vianna C.
1 dita objectos de armarinho ; a F. Sauvage
& C.
1 caixa modas; a J. da Silva Boa-Vista.
1 dita modas ; a ordem.
1 dita modas ; a J. F. Lopes.
1 dita sedas; a F. Maestraly.
1 dita fazenda de algodo; a A. C. Abren.
1 dita papel ; a Mills Latham.
380 ditas; a viuva Manoel Gongalves.
1 caixa livros; a Manoel Jos de Seuza.
1 dita ditos ; a A. M. C. Soares.
1 dita dito ; a J. N. de Souza.
1 dita ditos e ontros objectos; a William Mar-
tineaa.
1 caixa objectos de escriptorio; a H. Forster
& C
10 volumes fazendas de algodo e de linho ; a
Ferreira & Malocas.
1 caixa roopa: a Olio Botares.
i dita perfumarla ; a L. A. Siqueira.
1 caixa miudezas; a J. A. L. Gaimaries.
Vapor nacional Parahyba, entrado do Acarar,
1*500
800
800
400
800
900
43250
175000
13500
25600
2,5000
33500
55120
25000
15600
150'Xl
13200
33000
73000
75400
(5000
440
360
280
500
35200
43OOO
15008
:i5OO0
300
300
15300
SoOU
155000
65000
600
155
240
100
350
105000
15000
320
500
45000
23OOO
153000
15600
23500
43000
25800
55000
145000
83000
83060
55000
600
2,V00
255000
2,5000
11,5000
65000
240
900
35000
55000
55000
800
45000
15000
120
Arroz.......... 25!?"* 'ila 3900 a arrota ; e o do Xara-
nbaoa 33109.
Azeite doce...... Vndense a I3000 o rali) do
Jo^Eslrefto, o de Li<< a
Bacalho.......Em atacado ven*ii-$* a l* por
barrica, e a rt-lalho de -Vdiflt a
133500; ticaodo nm topo**) 4*
3.000 barricas.
aMu......... Venderamse a 13400. a ar-
roba.
Bo'Minbas.....Venderam-w a 23-300 a tarri-
uiaha.
endeo-se de 63500 a "3-700 a
arroba.
Idem de 13800 a 232110 a bftra.
Vendeu-se de 43000 a 53-J a
dnzia de garrafas.
Farinha de trigo. As dp Philadelphia ** .Vw-Tork
reuibou-se de 18300 a 2i--W
por barrica, a fraarta d
Trie-le de 183000 a 193 O, e
a do Chile a 73500 por aera de
100 libras; brando em **p^mo
400 barricas da primara. wJHB
da segunda, 4110 4a lerem,
12,000 da qaarta e 1,500 -arens
da quinta.
Louga.......... A ingleza ordinaria veadeo-se
com 300 a 305 por reato de pre-
mio sobre a factura.
Manteiga....... Vndense a ioyteu O
a 850 rs. a libra, e a fraaeeaa a
680 rs. a dita.
f**1......... Venderm-se a 53500 a raixa.
Oleo de linhaga.. Venden-^ a 13*00 o jalao.
rasas.........dem a 53000 a raia.
Presuntos....... Venderamse a 163000 por ar-
roba.
Q-Ue|js........Os namenros venderamse de
13700 a I38W) cada am.
Sabao.......... O inglez vendeu-se a IVO r. a
libra, e o do Mediterrneo a *V>
rs. a dita.
Toacioho.......Vendeo-se o de Liboa a 113
arroba, e o do Rio-Grande do Sal
a 73OOO a dita.
Vinagre........O de Portugal vendeo-e de
903 a IOO3 a pipa.
Vinhos......... Venderam-se os de Lisboa 4e
1803 a 2403 a pipa, e <* rf* rm-
tros paizes de 1763060 1803
a dita.
Velas..........As de composigSo vead*ram-*
a 540 rs. por parole de sn* v.u-.
Descontos.......O rebate de iMras reglo* de
8 a 10 por rento ao aaae.
Fretes.......... Para o Canal iaglex a 30/"
pelo as-orar: para LiverpM ,
d a V* o-l 3 */ pelo alfodo.
MOVIMENTO BC P01T0
cordia no dia 5 de jamo. E* provavel qae com o proviocia, o qoal deve abranger urna collecgo direitOS que me assistem, espero em resul-
general Flores snbam o Uruguay, que felizmente completa de documentos e memorias ; e para le- tado exhiair-lhe um testmunho verdadeiro
da agora passagera at a raguayana e combinen var a effeito a sua importante empresa promove as- e aue nesta calamitosa evoca de corrun-
um movimento de cortar o inimigo. signaturas de 103 por volme em 4 brochado,! q ?'." catatmtosa poca ae corrup-
O nosso ejercito e esqaadra teem soffrldo mui- aflm de occorrer s despexas da respectiva im-1 f0" atnaa na magistrados mexpugnavets.
to do fro e modanga de hbitos. As molestias presso. i Queiram, senhores redactores, "dar pobli-
Penedo.
76 meios de sola; a Ferreira Gaimaries & C.
2 vaquetas cnidas, 2 saceos arroz com casca ;
a B. M. Costa Doria.
3 saccas algodo ; a Antonio Do mingues Pinto.
1 sacco farinha, 1 caixo ovos, 1 barril peixe;
a Tertuliano Jos dos Santos Patury.
Linhas e esteios......um
Mel ou melago......caada
Milho.........arroba
Papagaios .......um
Pao Brasil.......quintal
dem de jangada......um
Pedras de amolar .... urna
dem de filtrar ..... ,
dem de rebolo .....
Piassava........molho
Pontas, ou chifres de vaccas ou
novlhos.......cento 33500
Pranchoes de amarello de dous
costados.......um 205000
dem de louro...... 105000
Rap.........libra 15000
Sabo......... a 120
Sal...........alqueire 400
Salsa parrilha.......arroba 255000
Sebo em rama...... 55000
dem em velas...... 73000
Sola em vaqueta......urna 25000
Taboas de amarello.....duzia 1403000
dem diversas....... > 875000
Tapiocas.........arroba 35000
Tatajuba........quintal 23000
Travs ........Uma 63000
Unhas de boi ......Cento 200
Vassouras de piassava ... 105000
Ditas de timb........ 85000
Ditas de carnauba...... 65000
Vinagre.........caada 500
Alfandega de Pernambuco, 29 de julho de 1865.
(Assignados):
O !. conferente, Francisco de Paula Goncalves
da Silva.
O 2. conferenteJos Thomaz de Aguiar.
Approvo.-Alfandega de Pernambuco, 29 de ja-
nho de 1865.A. Entallo
Conforme. O 4." escriturario, /. da Silva Bi-
lencourt Neivas.
RECEBEDORIA DE RENDAS INTERNAS GE-
RAES DE PERNAMBUCO.
Rendlmento do dia 1 a 28...... 38:3913846
dem do dia 29................ 1:1175325
39:5095171
CONSULAriO PROVINCIAL.-
Rendimentodo da 1 a 28...... H)3:524J6.}8
dem do dia 29..............
Navio entrado no dia 29.
Ihmburgo70 das, escuna dinamarqneza Fortu-
na, de 127 toneladas, capilo I. Pirersdorff, #pn-
pagero 7, carga differentes gneros; Itaae
Schmetlan & C.
Navios sahidos no mesmo dia.
Portos do sal Vapor brasileiro Purakfkm, 'oav
mandante J. J. Martin?.
AracatyHiate brasileiro F.xalarSo, capito Tra-
jano Antunes da Costa, carga faxrada e ontros
gneros.
Aracaty Hiate brasileiro Santa Rita, capilo Ma-
noel da Silva Santos, carga fazendas e ostro ge.
eros.
Lisboa -Brigue portagnez Flortnda, capito Joa-
quim Augusto de Souza, carga assttrar.
Canal Patacho inglez Tiara, capitao Josepti Cal-
gin, carga assucar.
.Vacos entrados no di* 30.
Rio Grande do snl 18 das, brigue nacional Jfa-
fra, de 270 toneladas, capitao Joaqaim (! San-
tos Souza, eqolpagem 12, carga 9807 arrobas de
carne secca; a Amorim t\ Irraao.
Bio de Janeiro e Baha 5 Iri das, vapor fran-
cez Extremadme, de 1279 toneladas, roanian-
dante Heory de Somer, eqnipagem 116, carga
differentes gneros.
Nano sahido no mesmo dia.
Ro Grande do snlPatacho brasileiro Cnro, rapi-
to Casimiro R. Gomes, carga assocar.
Grenock Barca ingleza Stella, capilo Me. Kea-
sie, carga assocar.
Nt-w-York Hiate inglez Alete, capilo C Core-
sen, carga assocar.
Bordeaux e portos intermedios Yaprr francs
Extremadme, commandante U. de Somer.
Obsertaco.
Suspendeu' do lamarao para Londres a jalera in-
gleza Sity of Sydney, [capitao J. Martios, coa a
mesma carga que tronxe de Sydney.
EDIT1ES.
2:9605351
106:4843999
PRAQA DO RECIFE
99 DE JULHO BE I8B5.
A'S TRES HORAS DA TARDE.
- Revista semanal.
Cambios........Os saques effectuados nesta se-
mana subiram a f 70,000; sac-
cando-se sobre Londres de 24
X a 25 d. por 13000, sobre Pa-
rs a 385 rs. por fr. e sobre
Lisboa de 108 a 112 por cento
de premio.
Algodo......... O de Pernambuco vendeu-se de
175OOO a 173100 por arroba; o
de Macei, posto a bordo, a
185OOO.
Assucar........O branco vendeu-se de 33300 a
431OO por arroba, o somenos de
35 a 35100 Jo mascavado pur-
gado de 23300 a 23550 e o tra-
to de 23000 a 232OO.
Agurdente.....Vendeu-se de 723000 a 755000
a pipa.
Couros........Os seceos e salgados veoderam-
160 rs.
O Dr. Trisio de Alencar Araripe, oflkjaf
da imperial ordem da Rosa, juiz .1.- .b-
reilo especial do commercio dela rulad*
do Recife de Pernambuco e seu termo,
por Sua Magestade Imperial e O.nlito-
cional, o Sr. D. Pedro II a qoem beos
guarde, ele.
Faco saber pelo presente, que no dia 31
do mez de julho se ha de arrematar por
venda a quem mais dr, em praca publica,
depois da audiencia respectiva, o esemo
Manoel, pardo, de idade de 29 annos, afa-
nado em 7005000, o qual vai praca por
execuco de Frederico Gautier contra Joan
Baptista do Reg. E na falta de licitanles
ser a arrematarlo feita pelo preco da ad-
jud cacao com o aba tmenlo respectivo da
lei.
E para que chegue ao conhecimenio de
todos mandei fazer o presente, que ser af-
fixado nos lugares do costme, e publicado
pela imprensa.
Dado e passado nesta cidade do Recife
de Pernambuco, aos 19 de julho de 1863.
Eu Manoel de Carvalho Paes de Andrade,
escrivo, o subscrevi.
Trtsto de Alencar Araripe.
O Illm. Sr. inspector da (hesonraria provin-
cial, em cumprimento da ordem do Exm. Sr. pre-
sidente da provincia manda fazer publico qae no
dia 17 de agosto prximo vindonro, per ame a jun-
ta de fazenda da mesma thesouraria, se ha de ar-
rematar a quem por meos Szer, es reparos do
2,095 bracas correales na estrada do ni, do auno
8.000 bracas at o portao da barretra da pendo
dos Carvalhos, aveliados em 5:3133000.
A arremataco ser feita na forma da lei pro-
vincial n. 343 de 15 de maio de 1854, e son as
clausulas especiaes abaixo copiadas.
As pessoas que se propozerem a essa arremata-
rlo, comparecam na sala das sessdes da referida
junta, no da cima mencionado, pelo meio dia, e
competentemente babilitadas.
E para constar se mandou publicar o presente
pelo jornal.
Secretaria da tbesooraria pro incial de Pernam-
buco 13 de Jalho de 1865.
O secretario,
A. P. d'Annnociaifao.
Clausulas especiaes para a arrenuiacao.
1* As obras dos reparos da estrada e essnerren-
menlo, entre o marco de 8,000 bracas a barret-
ra da ponte dos Cirvalnos na estrada no sai, sern
feitas de conformidade com o nrramnnlo jauto an
importancia de 5:3133.
2\ O arrematante devera principiar as awneie-
nads obras no preso de 15 dias e ronrUn les an
de 5 mezes, arabos contados de 1
se a 160 rs. a libra.
Carne secca.....A do Rio-Grande do Sul retalbou- cao da arremataco
se de 234OO a 33200 a arroba, 3* O pagamento ser realisado
ncando em deposito 150,000 ar- o artigo 79 do regnleoseoto de 0 do Man no
a;k' e do Rio da PraU de e a responsabilidade da entrega definitiva s
23200 a 35000, (cando em de- applicavel aos calcamentos e aterres dos
psito 30,000 arrobas. v Para todo o mais que nao se tem especiota-
i


Diarlo de reraanfeuca Segunda felra SI de nho de 196






do as prsenles clausulas, seguir-se-ha o qae de-
termina o reglamento cima citado.
informeA. F. d'Annunciacao.
O Mm. Sr. inspector da thesouraria provin-
cial em cumprimenio da ordem do Exm. Sr. presi-
dente da provincia, man la fazer publico que no
dia 10 de agosto prximo vindonro, perante a jun-
ta da fazenda da mesma thesouraria, se ha de ar-
rematar a quem por menos fizer a obra do empe-
dramento de 230 bracas cirrentes entre os marcos
de 13 a 11 mil brecas na estrada da Victoria, ava-
llada em 3:391)5200.
A arrematado ser feita na forma da lei pro-
vincial n. 343 de 15 de malo de 1854, e sob as
clausulas especiaes abaixo copiadas :
As pessoa que se propozerem a essa arrematado
compareeam na sala das sess5es da referida junta
no da ac ma mencionado, pelo meio dia e compe-
teniente habilitad >s.
15 para constar se mandou publicar o presente
pelo jornal. ,
Secretaria di thesouraria provincial de Pernem-
buc, 10 de jnlho de 186o.
O secretario,
A. f, da Annuncia^ao.
Clausulas especiaes para a arrematarao.
1* O empedrndolo entre os marcos de 13 a 14
mil bracas serexecutado de conformidad com o
respectivo ornamento na importancia de 3:5995200.
2a O arrematante comecar os trabalhos no pra-
zo de 13 dias e os concluir no de 3 metes, ambos
contados da lata da approvagao da arrematado.
3" Os pagamentos serao felos em tres presia-
c3es iguaes e correspondentes a cada terga parte
da obra execntada.
4" SofTrer o arrematante urna multa de 100$ se
paralysar ( servico por 15 das ou mais.
5' Nia podera o arrematante sob pretexto qual-
quer pedir indemnisaeao alguma.
6* O engenheiro encarregado dos trabalhos dar
ao arremtame as instrucr.oes a respeito do servi-
O, as qoaes sero observadas sem a menor discre-
pancia
7' Oque nlc se ada aqui previsto ser regula- tina Ideo.
Lourenco Gomes de Araujo e Silva, 1 idem.
Joaquim Neulon de Car val ho, 1 idem.
Jos Joaquim Alves de Albuquerque, 2 idem.
Luiz Antonio Horeira de Mendonca, 1 idem.
Jiaquim de Macedo Accioli, 1 idem.
Antonio Pedro de Miranda, 9 inclusive 1 sabba-
tina na segunda cadeira e continua a faltar.
Arminio Adolpho de Pontes e Soaza, 2 na pri-
meira cadeira.
Luiz Caetano Pereira Guiraaraes Jnior, i na
primeira e 6 na segunda.
Eicolo Rodrigues da Cunta Lima, 1 na primei-
ra cadeira.
Jos Roberto Vianna Guilhon, 1 na primeira ca-
deira.
Terencio Jos Chavantes, 1 idem.
Manoel Vicente Magalhes, 1 idem.
Joo Baptisla de Aguiar Bello, 1 idem.
Prxedes Thedulo da Silva, 2 idem.
Joaquim Theophilo Agrada Silva, 1 idem.
Antonio Augusto de Araujo Lima, 2 inclusive 1
sabbatina idem.
Geminiano Brasil de OliveiraGes, 1 falta idem.
Manoel Rodrigues da Cunha Vianna, 1 idem.
Jos de Araujo Vianna de Almeida, 2 idem.
Tobas Barreto de Menezes, 2 idem
Manoel de Paiva Cavalcanti, 1 idem.
Samuel Henrique Hardman, 1 dem.
Joo Thomaz Arnand, 1 idem.
Manoel Annes Jacome Pires, 1 idem.
Venancio de Oliveira Ayres, 2 idem.
Joaquim Antonio da Silveira Jnior, 1 dem.
Aristides Augusto Milln, l.idem.
Marcolino Pinto Cabral, 2 idem.
Jos Jorge de Siqueira Filho, 1 Idem.
Luiz Vieira de Rezende e Silva, 1 idem.
Arcenio Simoes da Silva Altu, 2 idem.
Joo Maria Lisboa Jnior, 1 idem.
Terceiro anno.
Alarico Jos Furtado, 1 na segunda cadeira.
Sezostris Silvio de Moraes Sarment, 3 dem.
Antonio Ferraz da Matta Pedreira, 3 idem.
Francisco Jos de Medeiros, 5 sendo 1 de sabba-
do como se ada determinado no regulamento de
9 do julnho de 1865.
Conforme,
A. F. da Annunciacao.
Olllm. Sr. inspector da the ouraria provin-
cial, rin ciunpriinento da ordem do Exm. Sr. presi-
dente da provincia, manda fazer publico que no dia
10 de agosto prximo vindonro, perante a junta da
fazenda da mesma thesouraria, se ha de arrematar
a quem por menos lizer, os reparos do empedra-
rnenlo de 230 bracas entre os marcos de 5 a 8 mil
Francisco Antonio de Oliveira Sobrinbo, perdeu
o anuo por ter dado mais de 40 faltas.
Joo Barbalho choa Cavalcanti, 1 sabbatina
idem.
Jos Francisco choa Cavalc?nt, 2 faltas idem.
Benvindo Gurgel do Amaral, i idem.
Manoel Pedro Cardoso Vieira, 8 idem.
Lino Gassiano Lima, 2 sendo 1 de ^abbatina
idem.
Quarto anno.
Domingos da Costa Ramos Filho, perdeu o anno
bracas na eslrada'da Victoria, avallados em..... por ter dad> mais de 40 falta?.
Tribunal do commercio
Pela secretaria do tribunal do commercio de
Pernambueo se faz publico, que nesta data licam
registradas as escripiuras de contrato e ratilicacao
desociedade de Lourenco Ribeiro da Cunha Olivei-
ra e Jos Joaquim Dias Paredes, estabelecldos nes-
ta cidade sob a firma de Oliveira & Paredes, da
qual s poder usar o socio Oliveira ; devendo di-
ta sociedade durar p'>r lempo indeterminado e com
o capital de 2:0005 fornecido pelo socio Oliveira,
nico capitalista.
Secretaria, do tribunal do commercio de Per-
nambuco 29 de julho de 1865.
O offlcial-maior,
Julio Guimares
llelacSo das cartas seguras existentes na adminis-
trarn do correio tiesta cidade para os se-
nhores abaixo declarados :
Agosllnho Gomes da Cunba.
Belarmino de Barros Correia.
Candido Vieira da Cunha.
Dr. Demosthenes da Silveira Lobo.
Francisco Ferreira Borges.
Francisco de Mello Barreto.
Joo de Car va I io Soda'.
Correio
Pela adminisiracao do correio desta cidade se
faz publico para Qns convenientes, que em virtude
do disposlo no art. 138 do regulamento geral dos
crrelos de 21 de dezembro da 18ii. e art. 9 do
decreto n. 183 de 15 de maio de 1831, se proce-
der o consumo das cartas existentes na adminis-
trago perleneenies ao mez de jaldo de 1864, no
dia 3 de agosto prximo, as II horas da |manha,
na porta do mesmo correio ; e a respectiva lista
se acha desde j exposta aos interessados.
Administrago do crrelo de Pernambueo 26 de
julho de 1865.-0 administrador
Domingos dos Passos Miranda.
arremalaca.
Perante o Sr. juiz de paz do 2o districto da fre-
guezia da Boa-Vista lem de ser arrematado em
hasta publica, no dia 31 do crreme, os alugueis
da casa terrea n. 57, sita na ra da Soledade, pe-
nhorada a Arcenio Antonio da Cunha Carneiro Mi-
randa, por execugo de Thom Rodrigues da Cu-
nha, sendo a ultima praca no dia 31 : quem pre-
tender arrematar ditos alugueis, pode examinar a
dita casa.
COMPANHIA PERNAMBUCANA
DE
i\afeg;iei costeira por vapor.
Por ordem snperior Ac trans-
_rjjw4af<3\ ferida para o dia 5 de agosto pro-
i" i''^ilvv *'m0' as ^0 horas da manha, a
^vaf&raflBa Partida de um dos vapores da
'%-Is^^hBdP companhia para o [iresidio de
Fernando de Noronha. A carga ser recebida at
o dia 4. Eucommentlas, passageiros e diuheiro a
frete al 9 oras do da da saluda : escriptorio no
Forte do Mallos n. 1.
Para o Rio da Pirata oh Rio
Grande
Freta-se a barca nacional Reslauracao : a tra-
tar com os seus consignatarios Antonio Luiz de
Oliveira Azevedo & C., no seu escriptorio ra da
Cruz n. 1. _________
hira a lio de Janeiro.
pretende seguir com muita U^ev.dade o patacho
nacional Regulo, lem p'rte'
engajado, e para o resto que_
frete, trata se com os seus
Luiz de Oliveira Azevedo i&
ra da Cruz n. 1.
Para o Para, com escala peio Maranhao, pre
tende sahir em poneos dias o lugre Emilia, capi-
to Bc.rnardlno Rodrigues de Almeida, tem a
maior parle da carga tratada, e par o resto que
Ihes falta, irata-se com o consignatario Joaquim
JosGonjaives liellro, na ra do Vigario n. 17,
prnnelro andar,
EUROS
MARTIMOS
o/seu carregamento
e falla e eacravos a
osigoatarios Adtonio
no seu escriptorio
Para o Porto
sahir por lodo este mez o brigue portuguez fjnio,
recebe o resto da cara e passageiros, e trata se
com o consignatario Thomaz de Aqtiino Fonseca,
ra do Vigario n. 19, primeiro andar, ou com o
capitao na praga.
LEUDES.
LKILOES
3:137 5.
A arrematado ser feita na forma da lei pro-
vincial n. 343 de 13 de maio de 1854 sob as clau-
sulas especiaes abaixo copiadas.
As pessoas que se propozerem a essa arremata-
do compareeam na sala das sessoes da referida
junta, no dia'acima mencionado, pelo meio diae
competentemente habilitados.
E para constar se mandou publicar o presente
pelo jornal.
Secretaria da thesouraria provincial de Pernam-
buco, 10 de junbo de 1863.
O secretario,
A F. da Annunciacao.
Clausula* especiaes para a arrematando.
1' Os reparos do erapedi amento da estrada da
Victoria, entre os marcos de 5 a 8 mil bragas serao
executadas de conformidade com o respectivo or-
namento na importancia de "! 1375.
2" O ari enlatante comear os trabalhos 15 dias cadeira.
Antonio Augnsto Per?ira de Mallos, 5 faltas, sen-
do 3 de sabbatina na primeira cadeira.
Getulio Moreira de Castro Lima, perdeu o anno
por ter dado mais Quinto anno.
Joao Zefenno Pires de Lyra, 5 fallas na primei-
ra cadeira.
Jos Antonio de Pinho Borges, 5 idem.
Bolvar Teixeira Mendes, 3 idem.
Thomaz Lourenco da Silva Pinto, 4 idem.
Liviuo Vieira de Macedo Lima, 2 na terceira ca-
deira
Benlo Borges da Fonceca, 3 idem.
Joaquim Patriota Paes Barreto, 4 na primeira
cadeira.
Antonio Jos Lopes Filho, 6 idem.
Francisco Gongalves da Justa, 2 na segunda ca-
deira.
Ernesto OJilon Maciel Montelro, 3 na primeira
s
THEITEIO
DE
istias as semanas
NO GRANDE ARMAZEM DE LEiLES
DO AGENTE
OLYMPIO.
36--Rna da Cadeia do RecIfe-36
LEILO
depois da ipprovago do contrato, e os concluir
em 4 metes, contados lambem da data da appro-
vacao.
:i Os pagamentos serao feitos em tres prestacoes
iguaes e correspondentes a cada lanco da obr exe-
eotada.
4* Soffrera o arrematan!; urna multa de 1005 se
paialysar os trabalho> por mais de 15 dias.
3* O arimatante compriras ordens que relati-l
vamente ao servico, Ihe forem dadas pelo engenhei-
ro encarregado dos trabalhos.
9* Nao poder o arrematante pedir indemoisa- ;
cao sobre qualquer pretexto.
7' Para lo lo quinto aqui se previnir, se obser-
vara o que determina o regulamenlo de 9 de julho
de I SO 4.
Conforme,
A. F. da Annunciacao.
Faculdde dedireilo.
De ordem do Exm Sr. director se faz publica a
isU das faltas dos estndanies desla faculdde com
re icjo ao mez de junbo uitimo, e que foram jul-
gadas nao abiuadas em sesso da congregado de
tendo traalo das da segn
Jelferson Mirabeau das Mercs Gordo, 3 dem.
Tiburcio Barbosa Mogueira, 3 idem.
Antonio da Silva Antunes, 4 na primeira cadei-
ra e 1 sabbatina na terceira.
Julio Cesar Gomes de Caslro, 3 na primeira ca-
dena.
Benedito Marques da Silva Acaua, 2 na segun-
da cadeira.
Miguel Augusto do Nascimento Feitoza, 3 na pri-
meira cadeira.
Jos de Barros Reg Jnior, 5 na primeira ca-
deira e 4 na segunda.
Jos Vicente da Costa Bastos, 3 na segunda ca-
deira.
Francisco Theotonio de Carvalho, 4 ua primeira
cadeira.
Luiz Caetano de Muniz Barreto, 6 na primeira
cadeira e 2 na segunda.
Jo.quim Francisco de Arroda, 6 na primeira ca-
deira.
Antonio Silverio Barbosa da Silva, 2 na segunda
cadeira.
Frederico Marinho do Araujo, 3 na primeira ca-
deira
Joao Baptisla Pinheiro Corte Real, 2 na segunda
26 do correnti', nao
da cadeira do 4o anno por nao haver comparecido cadeira.
o respectivo lente. Ernesto Botelho de Andrade, 2 idem. .
PrirtViro anno. Secretaria da faculdde de direilo do Recife, 29
Joaquim Correa de Oliveira Andrade, 1 falta na de julho de 1863.
prim-ora cadeira e 4 Utas na segunda.
Caetano Jos da Silva Santiago Jnior, perdeu o
anno por ter dado mais de 40 faltas em ambas as
cad' iras.
Pedro Eugenio de Cerqueira Lima, 1 na segun-
da cadeira.
Ernesto Alvim da Silva, 4 na primeira cadeira e
2 na segunda.
Bernardo da Gama de Souza Franco, i na pri-
meira cadeira.
Manoel Godofredo de Alencasiro Autran, 1 sab-
batina na segunda cadeira.
J is l);.;i!:.s da Silveira, 1 na segunda cadeira.
J laqdim Kranci.-co de Borges Barreto, 1 na se-
gt. la cadeira.
Luiz Vianna, 2 na primeira cadeira.
Francisco Pires Carvalho Arago Jnior, 1 na
piii.ieira cadeira.
Lizandro Francisco N'ogueira, perdeu o anno em
ambas as cadeiras por ter dado mais de 40 faltas.
Antonio Francisco Leal, 1 falta na primeira e 1
sabbatina na segunda.
Camillo Correa Dantas, 2 faltas no segunda ca-
deira.
Francisco Gomes Pinto de Campos, 1 na primei-
ra cadeira.
Alenelo Pereira da Silva, 2 na primeira.
Segundo anno.
Elpidio Jos de Carvalho, 5 na primeira cadeira.
Jos Janseo Ferreira Jnior, I na primeira ca-
deira.
Jos Pires da Fonseca, id.m.
Pedro Baptisla de Moraes Reg, 6 inclusive 1
sabbatina, idem.
Augusto Carlos Vaz de Oliveira, 1 falta idem.
Jos Francisco de Ges Cavalcanti, i idem.
Manoel Pinheiro de Miranda Osorio, 1 dem.
Torqnato Mendos Vianna, 1 idem.
Theophilo Domingos Alves Ribeiro. 1 idem.
Francisco Xavier dos Res Lisboa, i idem.
Pedro Jorge de Souza, 2 idem.
Joao Joaquim Fonseca de Albuquerque, 1 idem.
Simplicio Coelho de Rezende Filho, 2 dem.
Viceole Ferreira Gomes, 1 idem.
ivdro de Athayde Lobo Moscoso Jnior, 1 idem. |
Feliciano Placido Poolual, i idem.
Josi
O secretario
Honorio Bezerra dv Menezes.
Ub
SCLAMCQES.
Pela thesouraria provincial se faz publico, que
a arrematacao da obra da concluso da casa da
cmara e cada da villa do Bonito, foi transferida
para o dia 3 de agosto prximo vindonro.
Secretaria da thesouraria provincial de Pernam-
buco, 21 de julho de 1865.
O secretario
A. F. a"Annunciacao._______
" Nodia l~de agosto prximo vindouro, finda
a audiencia do Dr. juiz de orpbios se ha de arre-
matar um sobrado de dous andares silo na traves-
sa de S. Pedro desta cidade n. 4, avahado, por
5:0005, por ser a ultima praca.________________
Dr. Luiz de Albuquerque Martina Pereira, dele-
gado de polica do Io districto do termo da cida-
de do Recife ele.
Faco saber que acha-se depositado por mandado
destejuizo um relogio e um trancelim qoe fra
apprehendido a Jos Gongalves Neves, no dia 20
do crreme : quem for seu dono comprela, que
provando Ihe ser entregue. Recifa 28 de julho
de 1865. Eu Dionizio Ferreira Cavalcanti, escri-
vo interino do juizo o escrevi.
L. A. Martins Pereira.
Pela thesouraria provincial se faz publico,
i que a arrematado do fornecimento dos medica-
: mentos necessanos enfermara da casa de deten-
I gao, foi transferida para o dia 10 de agosto vin-
| douro.
Secretaria da thesouraria provincial de Peroam-
buco 28 de julho de 1865.-0 secretario,
A. F. d'Annunciacao.
EMPKEZA-JOIMBRA
Quarta-feira 2 de julho de
1865.
RECITA EXTRAORDINARIA CUJO PRODUCTO SER AP-
PLICADOCOMO DONATIVO DA EMPaEZA SL'USCRIP-
QAO PROMOVIDA NESTA CIDADE EM FAVOR DA VIl'VA
E F1LHOS DO BRAVO PERXAMBUCANJ CAPITAO PEDRO
AFFONSO FEKttEHU.
Aberto o espectculo pela symphonia do esiylo
subir a seena o sempre appUadido drami em 1
prologo e i actos
AS
MULHERESDEMARMORE
Seguindo-se-ihe o gracioso duelo cantado pela
' S r." D. Eugenia e Lisboa, sob o titulo
EST0D..OTE E A UVIDE!R\
Principiar as 8 horas.
O pequeo resto de bilh -tes esta a venda no es-
criptorio do iheatro onde podera desde ja ser pro-
curado.
O emprezario tendo em vistas facilitar e abre-
viar o recebimento das importancia dadas pelas
pessoas que se dignaran) com o seu patritico va-
: llmento coadjuv.vlo no desinteresado e nobre em-
penho em prol da faiuina do dlslocto fallec lo.de-
terminou, para ajnda-lo, nom-ar urna coimissao
de sua iinmediata conflanea, composta dos Sre.
Drs. Witruvio Pinto Bandeira e Frankliu Tavora,
a qual se encarregara de receber aquellas quan-
lias, na noite do espectacul > e no momento da en-
trada.
O emprezario deixa de levar a scena qualquer
um outro drama em que pelo (acto de tomar nelle
j parle, clara e mais directamente demon*trasse a
sua boa vonlad^ eolleiosde amixade para com o
objecto do beneficio, Irabalhando como artista que
, somente pelo motivo de ter de ser um dos mem-
! bros daquella commissao.
Espera, porm, que o publico pernambucano,
justiceiro sempre, coavenea-se da verdade de que
nada poupou a empreza no sentido de dar a mais
particular cooperacoaoacto, attenduodo que at
escolheu e da quarla-feira 2 de agosto, dia de es-
pectculo da casa, e en que o brilhaute eorpo aca-
dmico mais ou menos concorre a i thealro, ludo
para a ampia e real eoQseenco do lim.

i)
h
DE
Urna Liberna a ra da laperatriz uu-
nicio 45.
Jos Roque Antunes Villaea
far I ilao dos gneros, armacao e mais utencillos
da sua taberna sita a ra da Imperatriz n. 45,
com consenso de seos credorese por mtervengao
do agente Cordelro Simoes. isto
Terra-feira Io de agosto
as 10 horas, na mesma taberna. _____
LBILIO
De om sitio as areias do Gipui, com cas quasi
nova tendo esta um quarto cora 2 portas que
serve para negocio, tem mais sala de frente
com porta e janella, sala de meio, dita de detraz,
3 qoanos, cosinha, casa de rancho, foreira e
tem algumas arvores fructferas.
Cordeiro Slindes
por conta e risco de quem pertencer vender em
leilo o sitio cima mencionado, co|9 sitio vndese
por resgate de nina hypothera, isto
Quarta-feira 2 de agosto
as II horas, no armazeni a rna da Cruz n. 57.
"lL'&iiTd
De movis eoutros hjectos de gosto.
Cordeiro Mimes
far leilo por cunta e risco de qu m pertencer de
mubilias completas de Jacaranda' e amareilo, guar-
da louca, guarda ronpa, camas, berros, bancas,
marquezas, cadeiras, aparellus de alm ico e outros
arllgos de agosto, isto
Quarta-feira 2 de agosto as i i horas.
No armazem a ru* da Cruz u. 57.
LEILO
DE
Mobilias completas de Jacaranda' e amarello,
guarda vestidos, commoias, toilets de Jacaranda' e
amarello com pedra marmor-, nma mesa elstica,
um par de bancas de mogoo para voltarete, apa-
radores, marquezes largas e estreitas, camas fran-
cesas de Jacaranda' e amarello, um carro de 4 ro-
das com a competente pirdlia de cavallos e ar-
I reos, fea vallo para sela e cabriole!, 1 cabriole!
do 4 ro las, 1 dito de 2 rodas, caixas com charutos
da Itahia, lavatorios, objectos de ouro e prata, re-
; logios e oulros muitos artigo--.
|Qaarta-fera i deagdsti as 11 horas,
no espacias arm isem do agente
OLYMPIO
CONTRA FOGO.
A Companhia Inderanisadora
estabelecida nesia praca, loma seguros martimos
sobre navios eseus carregamentos e contra fogo em
edificios, mercadorias e mobilias: no seu escripto-
rio, ra do Vigario n. 4, pavimento terreo^______
LOTERIA
AOS 6:000*000.
Sabbado 5 de agosto do corrate anno,
se extrahir a 6a parle da Ia e Ia da 2a lo-
tera (i(iA) a beneficio da Santa Casa de
Misericordia para c^nalisaco d'agua e gaz
no hospital Pedro II, no .onsislorio da igre-
ja de Nossa Sennora do Rosario da fregtie-
zia de Santo Antonio.
Os bilhelos, meios e quartos eslo a ven-
da na respectiva thesouraria a ra do Cres-
po numero 15.
Os premios de 6:000,0000 at 10:5000
ser5o pagos una hora ilepois da extraccao
at as i horas da tarde, e os outros depois
da distribuido das listas.
As eneoinmendas s rao guardadas s-
mente at a noite da vespera da extracc5c
como de costume.
Servindo de thesoureiro,
Jos Rodrigues de Souza
Manoel Caetano Borges e Silva, retirando-se
para Europa, deixa por seus procuradores os Srs.
io. i do Reg Lima, Domingos Jos da Costa Gui-
mares, e Jos Dias de linio Guimar:ies.
Manoel Caetano Borges e Silva vai a Europa.
O Dr. Amonio de VascooceliOS Me-
nezes de Drummond pede encarecida- |
mente aos seus distinctos collegas na |
faculdde e no foro desta cidade, bein
como s pessoas com i juera tem rela-
ces, a especial fineza de honraren)
com sua presenca ans ltimos sufra-
gios que boje pelas i horas da larde
se devero'fazer na igreja de N. S. da
Conceico dos Militares, e em seguida
no cemiierio publico aos restos moi taes
de seu mui presado pai e melhor amigo
o b igadeiro Gaspar de Menezes Vas-
concellos de Drummond.
Racife 31 de'julho de 481k>.
.1 Ufhca.
Fornece-se comida p-.ra r*as d>? familia, l,^*s
OU offleirras, com todo o ass>io r pMBfMl >. nwii
i lo variaba, e por eommoex(.-t fcr
em casa ; lambem reo-he enromm'^t r*>i
doces de todas as qualidados : rna A Cuta n. 7*?,
Boa-Vista, casa particular.
Do lonco da Parahltei
O nosso aviso se nao enlend rom o Sr. br As-
tero M. de Medeiros Furtado, hjntslo e toat
advogaJo d>ata cidade.
O advogado tm\m*eiro a quem n> s rtlrrimm.
dizem, ter eseriptoiio na pra^a de S. jiras, m i >
porta queda entrana para MnptBMl'. *> nw-
se Sobre seus gonz> s, tm um ranger que aturdo*
a toda a gente que por ahi patsa.
\. i Ra \.va -%. 39
E' desnecessario rerommendar a>s uaaeroso*
freguezes deste esta bel ecimenlo de nv-d*. o ca-
riado sortimenlo de que sempre rsta pr..ido, e
por isso apenas chaina a atiene lo do Mo sm ,
para um sorlimento de chales de in-rioo i moder-
na, viudos no ultimo vapor Iraucez. a-sim man
chapelinas de crep proprio* para lulo e i*nr *
muilos arligos de moda< ipie a vi-la do ffpjrtw
Continua se a KMfert liiiurim* ,>ur Iinm o* va.
dores da Europa, os ejaam HM a:ilica a manufactura das molas no cu e.-tliclcrinei->-
Ai rcj)da-se um silio no Jacar, rliada >pte
vai para Agaa-Fria, rea casa de peda el !-
mmenle edificada, roa aaaaa* n-mmoo*; ana
sitio tem arrontoa da frufas d.- aiaa as awint-
des, bom terreno para planla^-o, e baisa para ra-
|)im. Aluga-se tambem o armanem do sol a m-
da Concordia, proprio para qnal.|ui-r e>tai-l^i-
mento : a faliar ao sulicitador Barroso qoe mar*
no sobrado n. 34, onde est dito armazem, ua
para este, quanln para o silio mencionado.
Na ra do Imperador n. 83, segundo andar,
precisa-se fallar com os seguiutes senhores, para
negocio que Ibes diz respeito.
Antonio Nones de Azevedo Campos.
Basilio da Bocha Oliveira.
Luiz Jos da Silveira.
Manoel Correa da Silva Lobato.
Joo Pereira da Silva.
Jos Lopes Tavares.
Jos Francisco Bodrigues.
Fi-lippe Borges Leal.
Custodio Jos de Carvalho.
Antonio Serafn) de Deus.
Manoel Fraoei-co Coelho Jnior.
Joao Antonio Pereira llamos,
loao Marinho Paes Barreto.
Antonio Tiburcio da Costa Montelro.
Sebastilo Antonio de Albuquerque (estudante).
Francisco de Freilas Barbosa.
Francisco Gomes dos Santos.
Joo Gomes Pereira.
Jos Luiz Pacheco de Souza.
Seba^lio Jos de Barros Barreto.
Francisco Amonio Vieira da Silva.
Domingos J Joaquim Francisco da Silva.
Joo Bibeiio de Caslro.
Jos Francisco da Silva.
Miguel ArcanjoVerreira.
Vicente Ferreira Neves.
Joaquim Francisco Moreira.
Francisco de Aguiar Jnior.
Juba Bosa de Almeida Pinto.
Leopoldo Gadault.
Joaquim de Uliveira Maia Jnior.
mwm
Dr. Cosme de S Pereira conti- gg
na a residir na ra da Cruz n. 53, g
i e 2o andar, onde pode ser procu- a
rado para o exercicio de sua profis- gg
sao medica, e com especialidade 1
sobre seguinte
Io molestias de olhos;
<* de peito :
Fogio no dia Si do aaWMl a e*cra >
nome Joaqn na, de idade 30 anuos, poum ma:* aa
menos, com os signa-* segmnle: aakaai regu-
lar, cor fula, rom alguma falla de denles m fren
te, e rxa de nma perna ; foi vist.a ir para o R-ri-
fe em companhia de um cscravo do Illa. Sr. Joa-
quim Lopes de Almeida, de nome Caetano : |iiem
a pej-ar leve ao capilo Chrisiovao Pereira Pal .
em Olinda, na ra de S. B-nto, que -era Haa>
pensado.
.\o serla na.
Continuando a ser puldicatp nesie Dtnrm a numin da fuga da escrav* Ja puna, d lilm. .Sr.
capitao Christovo l'creira P nt->. U Maa, -
Coll-tando que ell^ -e acha li-n t i W
de|K>slo, cuiivira' que o Idm. Sr. ilni, <
scicncia disto, ou rHltaAfra saaaaai n*
cioue o apparecimcnio da es r.iv.i, raa in-n
ella para o Ilecife, e quem u pz nao tem visos t pnAwMaala i|iw paaan
fazer o pobre preto caplivo de qm- S. n-'a *m
seu annunciu.
i- -- .- M
Joo da Silva Hamos, medn:o pela I n
versidade de Coimtra. da
sua casa das 9 s 11 horas da manbaa, e
das 4 as 6 da tarde. Visita os flocules
em suas casas regularmente na hora
para isso designadas, salvo H rasos ur-
gentes, que serao soccorridos em qual-
quer occasio. D consultas aos pobr^
que o procurareni no hospital Pedre !,
aonde encontrado diariamente d>
s 8 horas da manha.
TVn sr.a cisa de sade -icare
montada para receber faapaff docute,
ainra inesmo os alienados, para o que
tem conimodis apropriados e nella pra-
tica -;ualquer operaeao srataca.
'ara a casa .le sai: le.
Primeira elaase :iA000diano*.
S-.gunda dita.... 2500
Terceira dita.... i/000
Este estahd.'cimento ja boa >''::-
tado pelos bons MrrtfH fai lem
tado.
O proprietano espera iue elle coo.'-
nue a raerecr a coafaaja i ,
pre tem gozado.
Una e$ermm
Precisase alugar urna escrava qoe *a>ba b*m
cozinhar e fazer o mais aanaa interno > orna
eaa, paga-M tiem : na ra da Imperatriz a. \7.
segundo andar.
Pee i a se dj um compositor ate -irva t>a-
hem para impressor, para aaaaajaa ai ral
da Cruz n. 66, casa do Sr. Mi da Hm Km i.
achara a pessoa com quem de ve tratar.
Preci.-a se de urna ama para ai de poura
familia, prefefe-se qus seja es rava : na i; iv-i
dos Quartcis, culr'ora rita do S.-aU-.r Bo-b Aiaal
das Crioiila n. 3', sobrado.
na roa Ja ma>-
Precisase dt.
ralrlz n. 10.
um criado
Jos Antonio Ernesto Para Ass, 1 idem.
Angosto Gurgel, 1 dem.
Antonio Pereira de Abreu Jnior, 1 dem.
Casimiro Borges Godioho de Assis, 2 idem.
Francisco Alves da Silveira Brito, 1 idem.
Ricardo Jos Teixeira Jnior, 1 idem.
Frane seo Odiloo Tavares Lima, l idem.
Joao Baptisla de Frenas, 2 idem.
IJenriqtie de Alencasiro Autran. i idem.
Manoel Varellado Nascimenlo Jnior, 2 Idem.
Amando Concedo de Canlalice, 1 idem.
Fabo Alexandrino dos Beis e Silva, 1 idem.
Jos Vaz da Fonseca Lordello, 1 idem.
Augusto Ugydio Castro de Jess, 1 Idem.
Manoel Gomes Viegas Jnior, 1 idem.
Vicente Tavares Rodrigues Lima, 4 idem.
Emiliano Jos Bodrigues, 1 idem.
Francisco Antonio de Castro Lonreiro, 1 dem.
Augusto Cesar Jansen de Mello Rocha, 1 idem.
Jos Pedro de Paiva Baracbo, 1 idem.
Manoel Ribeiro Brrelo de Menezes 14 inclusive
3 sabbatioa na primeira cadeira e 10 inclusive 1
sabbatina na segunda e continua a faltar.
An .cielo Jos dos Santos, I na primeira cadeira.
Antonio Joaquim de senos) Jnior, 1 idem.
Antonio Paulino Cavalcanti de Albuquerque, 4
idem.
Augusto Pedro Gomes da Silva, idem.
Augu>to Pedro Gomes da Silva, 1 idem.
Afeeitio Pereira da Silva, 1 idem.
Aurelio Numeriano Pontes da Silveira, 3 idem.
Ignacio Accioli de Vascoacellos, 1 idem.
Pela raparlico das obras publicas se faz
publico para conhecimenlo das pessoas x quera
convier, que os ornamentos das obras que tem de
i serem arrematados na thesouraria provincial, es-
! to patentes a todas as pessoas que quizerem exa-
minar.
Secretaria das obras publicas 29 de julho de
1865.No impedimento do secretario,
Joo Joaqnim de Siqueira Varejo.
Correio geral.
Itelaro das cartas seguras vindas do sol pelo va-
por francei Eitremadure para os senhores abai-
xo declarados.
Antonio Jos Teixeira Mendonca Belm.
D. Emilia Fortunata de Gusmo.
Eduardo Augusto da Silva.
Dr. Francisco Aminias de Carvalho Moora (2)
Francisco Joaquim Costa Fialho.
Francisco de Oliveira Cabral.
D. Henriqueta Julia Bamos Brando.
Herculano Mainart Franco.
Tenente-coronel Hemeterio Jos Veloso da Silveira.
Dr. Innocencio Seraphico de Assis Carvalho.
Joaquim Gilseno de Mesquita.
Joo Ignacio Teixeira.
Jos de Almeida Lima.
Dr. Jos Sergio Ferreira.
D. Luiza de Almeida Pinto.
Dr. Luiz de Almeida Pinto.
Dr. Luiz Bodrigues Villares.
Marques Barros & C.
Manoel Jos dos Santos.
Dr. Manoel do Nascimenlo Teixeira (2).
Padre Venancio Henrique de Rezende.
COMPANHIA PERN.VMBUC \NA
M
Nnvegacao costeira pop vapor.
Macei e esca as.
No dia 29 do correte as 5
horas da tarde expedir esta cora-
pantiia um de seus vapores, o
qual receber carga somente al
o dia 28. Encommendas, passa-
geiros e diuiieiro a frele al as 2 horas da tarde
do dia da sabida ; escriptorio no Forte do Mallos
n. L_______________________________________
GOMPANHIA BRASILERA
DE
PAQUETES A VAPOR.
E' esperado dos portos do norte
al o dia 6 de agosto, o vapor
Paran, commandante o capitao
de fragata Antonio Joaquim de
Santa Barbara, o qual depois da
demora do costume seguir' para os porios do
sal.
Desde ja recebemse passageiros e engaja -se a
carga que o vapor poder conduzir, a qual dever
ser embarcada no dia de sua chegada, encom-,
mendas e dinheiro a frele al o dia da sahida as j
2 horas : agencia ra da Cruz n. 1, escriptorio de ;
i Antogio Luiz de Oliveira Azevedo & C.
____________^______'
Companhia das Mensagerles Im-
periales.
No dia 30 do
correte mez es-
pera-se dos por-
tos do su! o va-1
por francez Es- i
tramadure, com-'
mandante H. de
Somer, o qnal
depois da demo-
ra do cosime seguir para Bordeaux tocando em
S. Vicente e Lisboa.
Em S. Vicente ha um vapor era corresponden-
cia com Gore.
Para fretes, r.ondic,5es e passagens trata-se na
agencia ra do Trapiche n. 9.
Para a Bahia pretende sahir
com muita brevidade o velelro
lugre Emilia, capitao Bernardi-
no Rodrigues de Almeida, por
ter a maior parte da carga tra
tada, e para o resto que Ihes
falta trata-se com o consignatario Joaquim Jos
Goncalves Bellro, na ra do Vigario n. 17, pri-
meiro andar.
o iltua da Cadeia do ilecife36
LEILO
Be predios em chaos 'reros.
Um sobrado de 2 andares e solio, da ra Au-
gusta u. 2, con o oitiio para a Iravessa do Montel-
ro, que rende 1:248I-
Umacasa tenei da ra de Santa Rita n. 85,
rendnnento annual 3003.
Urna dita na mesma ra n. 28, que rende.....
144*.
Urna dita na ra da Ponte Velha n. 24, que ren-
de 163.
Urna quarta parte do .-itio do Cajueiro n. 6, com
grande casa de pedra e cal.
Em chaos proprios.
Um sobrado de dous andares n. 33 da ra do
Vigario que rende 8i05.
Um dito de dons andares n. 33 da ra das Cru-
zes, rendimenlo 744J.
Quintafeira 3 de agosto as II horas era
ponto.
O agente Pinto fara' leilo precedida a compe-
tente autorisagao, dos predios cima mencionados
edificados em boas ras, as 11 horas do dia 3 de
agosto, no armazem da ra da Cadeia n. 62.
Leilflo
De ama casa terrea na ra loMoiilego
D. 67, edificada em chaos proprios.
Qainta-feira 3 de agosto.
Por nter venc j do agente Pinto, no armazem
da ra da Cadeia u. 6, oude havera' leilo de
mais predios,
AVISOS DIVEBSOS.
IostrneeSo primaria
Acba-se abena a aula publica de instruego pri-
maria do sexo feroinino, na povoacao do Monleiro.
Eduardo da Silva Ferreira, Brasileiro, vai a
Europa._____________________________
Vende-se urna rotula e urna janella em raui-
to bom estado : ra das Aguas Verdes n. 92._
Precisa-se de urna ama forra ou captiva : na
ra larga do Bosarlo n. 35.___________________
Jos Tavares Adao, subdito portuguez, esta-
belecido em Piloes de dentro, provincia da Para-
hiba, vai a Europa. ______^__^_
Joao Tavares de Medeiros, subdito porloguez,
retira-se para Europa no prximo vapor-y^lern
de seguir.
3o dos igaosgeni-
ti urinarios.
Em seu escriptorio os doentes se-
r5o examinados na ordem de suas
entradas comecando o trabalho pe-
los doentes de olhos.
Dar consultas todos os dias das
6 as 10 da manha, menos nos do-
mingos.
. Praticar toda e qualquer opera-
cao que julgar conveniente para o
prompto restabelecimento dos seus
doentes.
GASA DA FORTjH
Aos 6:000$000.
uilhetes garantidos.
A' BA DO CBESPO N. 23 E CASAS DO COSTUME
Oabaixoassignadovendeunosseus muitofeli
zes bilhetes garantidos da lotera que se ac bou
de extrahir, a beneficio da Santa Casa da Mise-
ricordia, os seguintes premios : ^^
Dous quartos n. 2203 com a sorte de 6:000*.
Dous quartos n. 1293 com a sorte de l:M0pO00
Um quario n. 928 com a sorte de 4005000.
E ontras muitas sorles de 1005, 40#, 20A e
109000.
Ospossuidores podem vir receber seus respec-
tivos premios sem os descontos das leisnaCasa
da Fortuna ra de Crespo n. 23.
Acham-se a venda os da 6* parte da 1* e i'
da 2' lotera (26) beneficio da Santa Casa da
Misericordia para canalisaQao de agua e saz no
hospital Pedro II, que se extrahir sabbado 2 de
agosto.
PBECO.
Bilhetes.....7*000
Meios......3*500
Quartos.....1*900
Para as pessoas que compraren! de 1000000
para cima.
Bilhetes.....6*300
Meios......3*750
Quartos.....1*700
Manoel Martins Fiuia.
Aluga-se o terceiro andar com um grande
solao do sobrado da ra do Imperador n. 75 : a
tratar no segundo andar do mesma.
Ama
Precisa-se de urna ama ; ua r ua de Hortas n
142, primeiro andar.
Aluga-se o primeiro andar do -h'.i+> a.
na ra Direrta, entrada pela ra da Ivnh.i : a ir .-
ta no segundo andar.
Na rna da Cruz n. 3 existe ama carta para
a lilm* Sr' D. Anna Francisca de Pnila B a. h.>.
A Inga-te a parle da asta c. 92 da roa da*
I Aguas Verdes: a tratar na mesma.____________
Semana (Ilustrada da Km ir Jaartr*
Assigna-se na ra do Crespo n. 4 : lr rarze*
16*, seis mezes II*, nm anno I"5
O Sr. Virissimo Antuaio de M..!:>> .jur-ir di-
i rigir-se a rna do Mondego, olaria n. 13, a ***
que Ihe diz respeilo.
Aluga-se o segundo andar do sobrad a. %i
da ra .la Guia, pintado de novo e r>.-a mfjrt-'.*
commodos : no 1* andar.
COMMEKCIO.
Quem precisar de um eaixeiTQ para rnrr-:-r>-
da praca e malo, o reslo do lempo e*jr a e-
lahelecimen'o, deixe ea'la fechada na Iraveaoa *>
Queunado n. 1 com as inic.a-s A. F.
Aluga-se nma muala que faz tolo > *tv r
de casa, e muito liel : a tratar na rna ira Pire*
numero 21.
Pede-se ao passaeeiro qos pr encano ka
de bordo do vapor Parubihi, entrado no i% f.
urna mala de sota prea, perene nie.a ntr b*-
sageiro, o obsequio de manda-la levar *>e-rrif*v
rio da companhia pernambueana, ao Forte do
Matos o. 1.
GRAGEASdeCUBEBINA
ccmCOPABAdeLABELONYI
Estes confeitos que tem por base o prira.
cipio activo da vrimeira aibeba jauto cora
a rupaliifba pura, nao nausen o eslomapa.
Elles fazem parar immediatamente as mes
rebeldes gonorrbas, mesmo as que res st-
ram a cubeba o a cupabyba isubdafseote.
INJECCAO BROW.
Remedio infallivel contra as gnoirM*
amigase recentes, nico deposito isfr
ica franceza, roa da Cruz n. 22 eas
_0jl*____________
Vende-se duas carrosas, nma para kei w-
tra para cavallo, sendo esta com I.tro neh.
propria para carregar barrica de farraba *> ir*,
lenha, etc., ambas com uso. por pne/> moito toas
modo : a tratar no pateo de S. Pedro u. 4.

*


i
3
nidrio de r era ararme... Yeguada letra 31 #e Julho de i sea.
PHOTHOGRAPHIA
DE
._ IJ1SJB5 '^'aRJKOT'S. -
Companbia fidelidade de seguros
martimos e terrestres
estabelecida no Rio de Jaueiro.
AGENTES EM PERNAMBUCO
Amonio Luiz de Oliveira Aievedo 4 C,
YENDAS.
Vendc-.se
uma colleccao de mappas gographicos das pro-
vincias do Brasil, pelo visconde J. de Villiers de
l'Ile Adam, constando : d'om mappa do Ai
igg competentemente autorisados pela direc- ^y as e Par, um dito do Pianhy, Din dilo do Cea-
"g) loria da companhia de seguros Fidelida- ^ i ra', um dito de Pernambuco, Alagoas e Sergipe,
25 Rua Nova (esquina da Camboa'do Carmo) 25.
nm grande
retractos, do
Os propietarios deste estabelecimento, desejando salisfazer os numerosos pedidos de seus freguezes, acabam de receher de seus correspondentes de Paris,
sortimento de retratos (cartoes de visita) das personagens as mais celebres da Europa, assim como receberam tambem uma rjuantidade de alfinetes e cissoletas para i
mais apurado gosto e por preros muito diminutos. f-
Os mesmos aproveitnm a occasiao para prevenir ao publico e recordar aos seus numerosos freguezes, que ellcs trabalham todos os dias, domingos e das santos, das 9
horas da manhaa at as 4 da tarde e que ns tem os de chuva tito influem em nada para o bom successo dos retratos, pelo contrario o oI entre nuvens mil vezes prefenvel
sobre todos os pontos, tanto pela rapidez da operaco, como pela commodidade das pessoas.
A grande quantidade de pessoas que tem visitado este estabelecimento nestes dous annos em que se acham establecidos nesla cidade, e que nao ser menos de cerca
de <>,900 a 7,000, para elles uma garanta futura, poslo que se appliquem todos os dias, para que todos saiam contentes e satisfeitos.
k~0 Dr. Francisco tires Machad
Portel la
MEDICO OPERADOR
PEf.A
Faculdadc de Pars,
Mj regressando a esta provincia, acha-se
g-i prompte para o exercicio de sua profis-
jig sao, quer oesta cidade quer fora della,
ni especialmente era molestias de olhos (ca-
taradas, etc..) das vas urinarias (estrei-
laaieoto do nrethra etc.,) e de pelle : pa-
H ra cojo curativo se Julga habilitado, atten-
fti ,a pralica, que leve nos hospilaes de
~i Pars, e s modernas instrumentos que
HJj possue.
^g Cnearrega-se de collocar olhos aitlfi-
cfaes.
Pateo do Carmo n. 2, esquina da ra
de Hortas.
<1
tt
mmummsm
Precisa-se de um feitor para um pequeo
sitio perto da praca, mas que entenda bom de jar-
dim : a iratar na'travessa da Madre de Dos, ar-
mazem n. 57.
Precisa-se de uma ama para casa de homem
solteiro : a tratr na na da Moda n. 8.
Precsa-se do dous amansadores e de um pre-
jo forro ou captivo : na ra larga do Rosario nu
mero 16.
ESTRADA DE FERRO DO RECIPE AO S. FRANCISCO
AVISO
Pela superintendencia desta companbia se faz publico, que estaudo coocluidos os reparos dos estragos causados pe'as aguas lorrenciaes em di
versas partes da Imha, sei restabelecldo o trausito regular dos uvas do dia 2!) do correle mez em diante.
A tabella que recular a partida do irera de passageiros a que se achava em vigor desdo o dia 1" de maio Jesie aono, a qoal vai abaUo (rans
cripta. ____________________
de, tomam seguros de navios, mercado- Jd um dilo da Babia, orn dito do Itio de hmSki
rias e predios no seu escriptorio ra da f municipio neutro, um dito de S. Paulo e Paran,
Crui n. l._ H orn dilo do Santa Cathanna, um dilo de Goyax, a
SatlfiS W>M*j;-r om dito da planta da cidade do Rio de Janeiro
SUm. i todo por 255; na roa das Cruzes n. 20, 2 andar'
por doos 7t-------------y-------5------7S-----------Ti------"
U CHStello de Grasville.
Traduzido do franca ror A. J. C. a Crir.
Vende-se, este bello romance em ijuatr
tomos pelo baratissimo preo de 3JOOG
ua praca da Independencia, livraria ns.
6 e 8. _
Tasso Irmaos"
> Vendem no >eu armazem ra 4*
Amoi-iio a. 3o.
Licor tino Caracho em botijas e meias b-tija?.
mammmammtmwtmaL *m
O London & Brazillan Bank, saca
os paqoetes.sobre
Lia boa.
Porto.
Braga.
Vianna.
Guimares.
Villa Real.
Coimbra.
Amarante.
Pede so toda altenco.
Custodio Jos Alves Guimaiaes, dono da loja por
appellido Gallo Vigilante na ra do Crespo n. 7,
participa a todos os seus freguer.es e ao respeita
,.i ni i. .-------- r uii.ni iiuy ouiicou em minias c m>'ias r. -n as
vel PoUko, que esta dita loja se.acha com gran- Lj,0res linos ^tMos tm 'hi rum ,,&
de sortimento de gaiantanas de mu to gosto, que vidro e em lindos frascos. -"""
i'Aiia U IM i:iiiou
un im 3 unta
ESTACOES
Cinco Ponas......
Afogados.......
lioa Viagem......
Prazeres .......
lina........
Cabo........
Ipojuca. ... .
Olinda........
Timb Ass......
Escada ........
Prexeiras.......
Aripib........
Ribeirao.......
*.....SSB
Cuyambuca......
Agia Prcta......
Una.........
mas ii.- irn-
bnlliu.
Umiiiii^iiM e
li:is s;iill MANHAA
II.
8
8
8
8
9
9
9
10
10
10
II
II
11
12
12
12
1
I
M.
T.V nuK.
i.
30
381
50'
58
22
40
57
14
29
45
15
33
52
15
30
48
6
30
8
20
2
32
10
.WANII VA
II.
7
7
7
7
8
8
8
9
9
9
10
10
10
11
II
11
II
12
M.
30
38|
S<>
58
22
40
57
14
29
45
15
33
"A II ll K f
ESTATES
II
12
15
33
51
15
' L na.
8; Agua Preta.
20.Cuvambuca.
28?, .
ra'Gameleira .
10.Ribeirao. ..
Aripib.. ..
Proxeiras ..
Escada.. ..
Tunb Ass
Olinda .. .
[pojaca.. ..
Cabo.....
- Ilha......
Prazeres.
- Boa Viagem
- Afogados ..
- Cinco Pon tas
(chegada
'(partida .
IM HS ie irn-
lialho
JlAMA MANIIAA
ll. M. 11. \i.
_ _ ll 15
_ 11 39
_ 11 57
__ 12 15
12 30
12 53
1 12
i 9 30
2 1G
_ -- 2 30
-: _ -- 2 48
f) 30 3 o
7 8 3 23
7 32 3 i 7
7 40 3 OJ
7 52 4 7
8 4 15
iluminaos e
i tas santos
MAMIAA
li
y.
TAims
18
42
50
10
TI. M.
1! -
1
1
i
2
2
2
3
3
3
4
4
tem recebid) de sm propria conta, assim como to-
das as mercadorias tendentes a loja de miudezas
e outros, e como esta resolvido a vender por pro-
cos bara'issimns, como os mesmos compradores
podero apreciar concorrendo com suas prefencas
dita luja, que se amanear servil bem com gra-
do e promptidao, e mesmo qualquer senhores que
morem lora desta praca, que precise de qualquer
mercadera, tendentes a sen negocio, e que por
motivos nao possam comparecer, o podero pedir
pir escripl", que seaflapct nao se abusar tanto
em preces, como em qiialidade das mercadorias :
- Isto na ra ili> Crespo n. 47Gallo Vigilante.
42 : affli;KC-jS;,-if:; i : r^&mit?
VinhosUieres.
Santernes.
Chambertin.
Hermitage.
Borgnnhe.
Champagne.
Musratel.
Reino.
Pordeaux.
Cognac.
Od Too.
AzeitePlagniol.
GAZ GAZ GAZ
Veado-se. gag da melhor qnalidsde a
114 a lata : ios arcjazensiia ruado !
perador o.lf e ra >\o Trapiche Nov.m. 8.
\0\ IfUMS
Escriptorio da superintendencia Villa do Cabo 26 de julho de 1805.
G. 0. Mann, engenheiro e superintendente interino.
r
a da
^Excelsa Senhora Santas
Anua na matriz de San-*
tt to Antonio. fe
g| O abaixc assignado faz sciente ao res- j^|
cji rioilavel publico que amanhaa 30 do cor- ~,
Sa rente, t^m lugar a festa da nossa excil- k-
^j sa padroeira Senhora Santa Auna nr.-ia B
S matriz, com pompa e brilbantismo como mm
'^zS de eostume, para este fim s;io convidados H
j@| lodos os irmaos e devotos ca mesma Se- |
Knhora. r)
Con?istorio da devocao de Santa An-
^Q| na na matriz de Santo Antonio, 29 de jo- H
Iho de 1863. j*ib
:--^ O escrivao merino, -.mp>
Gaudino Eudacio de Itrilo. !^i|
ttttSBttH iii^i^&ll M
Aloga-se a casa terrea da na da Senzala-no-
va n. 36, tem bins commodos, quintal e cacimba :
a traiar na rua do Imperador n. 81.
Camas de ferro.
Grande sortimento das melhores que ha no mer-
cado : na rua Xova n. 33.
Casa dbannos
Largo
do Carino n. 26.
E-te pMabelecirnento lao bem montado na sua
origem achava-se de ha muito em quasi completo
abandono pelo ponco interesse de sua admiois-
tracao.
Hoje que o novo propretario empregou todos os
meii s para restabelecer a grande utibdde deste
estabelecimento, pode assegnrar ao publico que
qualquer que seja o nnmero dos concorrentes
acnaro desde j promptidao c aceio nos banhos
frios, momos ou medicinaes. a casa dos banhos se
achara aberta todos os dias das 6 horas da manbiia
as 11 da no: te.
Precos.
Banho de choque...... 300
nito Irio ou momo..... 300
Dito de farello.......1,5000
Dito medicinal ser se-
gundo sua qoalldade.
Assignatora.
Por mez banho fri ou momo... 10000
25 cartees para banho fri, mor-
no oo de chnvisco......... 103000
12 cartoes para ^s mesmos.... 35000
12 ditos para banho de farello. 10,5000
Aloga-se o sotao do sobrado o. 62 da rua da
Guia, com duas janellas de frente e inuitos com-
modos : no pritneiro aedar.
Precisase alugarna rua do Imperador n. 43,
um ou dous andares de sobrado em qualquer das
principaes roas desta cidade.
WWIWWMPS
IW
: 1 11!
;.-;

....- ^
m
I). Ninplin df Mello Accioli Fonseca e o
Dr. Augusto Carneiro Uontero da Silva Sn-
tos, ei nvicam aos sen- amigos e aos do seu
Qnado marido e s gro Dr. Ignacio Xery da
Fonseca a assistirem a missa e memento
ista de Pemambueo.S
\ Kua estrella do Rosario n. 3, m
ao p da igreja
^FRANCISCO PINTO 0Z0RI0
j Colloca deutes artiQciaos f
pelos systemas mal inu- S
i demos *$]
l Emprega lodos os meios scienliScos para 58
I conservar os naturaes. Pode ser procura- ?05
I do em seu gabinete das 9 horas da ma- ^|
i n'iaa as 5 da larde.
N.
PHOTHOGRAPHIA
CKlJZEIBtO IDO lOUTE.
11Bna estreita do RosarioN. 11
sl II Consultorio medico e
2 i cirurgico. |
??a O Dr. Jlo Pedro Maduro da Fonseca
30 Kp 'em sua residencia na rua do Sol n. 33,
-'i ca segundo andar, aoode se presta ao exer- ]
i; cicio de sua proflsso tanto de dia como
18 SM de noite, os chamados quando nao este- SS:
35 f|g ja em casa seja por escripto, indicando a ?Si
53 jj|W morada e nome do cliente. &
SJSfflasaagSffiaaa K^SSSSSaSffiSa Em casa de Tisset Freresrnado Trapicha
^ Peroeti-se no dia 16 do correte desde a rua 9, tem para vender .
Nova at o convento do Carmo um pedaco d.' uma Vioho R rdeanxem barricas e em raisa*.
lila de cairo de urna pul-eira de jarreteira, sendo Dilo de Sant>-rne fino,
provavel ttr sido na occasiao do Te-Deum : quem Dito de Champagne muito superior.
achou e quizer restituir, Jirija-se a rua do Cabu- Cerveja franceza marca Bobee
ga n. 7, onde ser gratificado.
O bacbarel
17
23
37
43
A \g lOO e i#r,MV
Leqnes de osso, ultimo gosto, a i$.
Ceroolas de meia a 15200.
Diitas moito linas a 1J.'00.
S na rua da Cadeia do Itecife n.'3
Taliiasas
m
*
Daos e hr!a|nedo
para meninos.
Chegaram |iara a loja de mindezas da roa ifo
Queimado n. f.9, $ mais Unos e lindos ca'ongas
tanto para brinquedo de meninos como para < ma
de mesa : na misma loja se encontrar bom sor-
timento de modezis.
Tiramse retra
duzia de cartes de
francisco A agesto da Costa
f ADVciOADO
^ Uua do Imperador numero 69.
itos com toda perfeicao e a gosto dos retratantes a 8.&000 a duzia e a 05OOO meta *M)%W4>- WWWi WLWW&WlNill aT y"n,,'m f(! rarr,s e 2boi?, parairrndnc>$
vsj[a. v b WawJ^sK J&.WR W:%$.m) .".m de frotes n,.>ia pr:u;a : a tratar na rua da 1 >ox a.
30, primiiru an lar, a qualquer hora do dia.
Vende-te o engento Jundiahy, dan l'pni
distante da cidade do Natal, ftmnm i 1 i I Rio
Grande ,ro \orte, moente e corn-nte. con 20rp-
ti vos, 20 liois e 20 be-las ; as.-im nmt, Mwmm
lotes de lena, propria para a rostan e dp I
mandioca, e mais duas fazmdas de gad' no |kj| r.-
gi e Ceara-meirifn, na mesma provincia, rafas ac-
ias se elTer'tuaran ,1 prases, mediante boa* lirmaa :
ra-
ASTHME
ASTHMA ASTHMA ASTHMA
SUFFOCgAO NERVOSA E 0PPRESS0
nico remedio efticaz para eombattir estas molestias, acalmar umattaque d'asma e impedir a
volta 6 o Xarpe aromtico de Succino (mbar ainarello) do Dr Danet. Ueecoberta inleiramente
recente, este novo producto se tem propagado com extrema rapidez gracas aos admiraveis resul-
lados que leni sempre produ/.ido.
Deposito gcral, na bolica Chauveaud, oi, na do Comercio, Paris-Grenelle, e em todas ts
biiiras de Franra e -!o cslrangeiro.
Aloga-se a loja do sobrado n. 17 da rua da
Imperatrlz, cum bous commodos : a Halar no se-
gundo andar do mesmo.
m mmm
Anda se precisa de urna ama
I'*- i
ra cosinhar, lavar, eng' mmar e fa- -
zer todo o servido de uma casa ce
potica familia excepluando-se com- '^i ,
__.___ W1" ..'.X quem pret'-nder dinia-se aquella provincia a :
piar na rua : na rua das Cruzes n. M L com Pabrieio& C. r
n. 37, 1 rimeiro andar, sendo pes- >ft?
soa de bons costumes e se pagar o SfS
que se ajusfar.
*V
9 qip' se ha do celebrar pelo repouso de
^ alma, no dia 31 do expirante mez, as 7
'.': ra- da manha no convento do Carino.
sua
ho-
L.PKLZA
DE
1LLUMINACA0 A GAZ
.>
Arma/.cii. 11. 31, na do Imperador.-
Para mais regulandade do servido tem a empre-
a resolvido to somente vender os apparelhos,
Ptc., deixando que os-rs. consumidores chamem
as machinistas que mais Ihes agradaren!, pudendo
o* nomos, morada, etc., de todos elles serem indi-
jados no armazem da empreza.
As reclama{6es por m luz das casas, cujos ap-
laretttos hooverem sido rolloeados anteriormente
a este aviso, serao atieodidos pela empreza; ouiros
qaesquer, nao.
A empreza espera que esta mdida ir devida-
mente apreciada pelos senbores consumidores, ten-
denle como a tornar este ser vico mais economi
'o ; vi-to que ella vende* todo, apenas com um
lucro tal, que cubra, as despezas inevitaveis.
iTimico
CARLOS PLYM.
Como a empreza de illumioaco a gaz lenba da-
llo lieenca aos machinislas para trabalharem por
ua propria conta, Carlos Pluym. machinista, olfe-
rece seu presiim ao publico para encaar gaz e
ua, e toda aorta de servicus concernenles ao
eii ofiicio. por preeos muilo rasoaveis.
Pode ser procurado a qualquer hora Da rua da
Alesiia n. 16 (Caa-Vi-ta.)
N.B.
S>y- *ara prova da perfel^o 10 seu trabalho o
mesreo ii'uroce ao publico o testemunho de im-
mensas pensoas |iara quem ja trabalhou a mandado
di compaofita do gaz.
i| O Dr. Caroiinu francisco de Lima San- ]jj|
5%i tos contina a morar na r*3 do Impera- ^
* dor n. 17, segundo ai. ,.w. teudo alias seu
ifj gabinete de consultas medicas, logo ao j)
jm entrar, no pnmeiro. mjk
O m?smo doulnr, que se tem dado ao lg
fjfl estudo lanto das operares como da mo- ^
Mlesas internas, presta se a qualqusrha- >sg
mado, quer para dentro quer para Jfra W*
tjs, da cidade,
mmm mmmmm mmm
AJULJk
Na rua dos Pires n. 34 ha urna escrava moito
fiel para s alugar.
Alttgam se doos grandes sobrados com com
modos para numerosa familia, novos e acolados
cora jardim, cocheira, estribara e ootras commo-
didades, na travessa de loao Fernandes Vieira :
a tratar na rua da Senzala Nova n. 42.
liten
fcf
Para resalvar a minha repatacao, al.ivosamente
prejudicada pelo annuncio que o Sr. Jo.lo Adriano
de .Mello Duira rn publicar por este jornal de li
do crrente, sol a epigraphea quern interessar,
tenho a declarar, que essa procuraofio que esse Sr.
Dutra tacha de falsa e fraudulenta fui iavrada 1 elo
honrado Sr. Ubellto Almeida. asjignada pelo Sr.
Dutra, iieraiite leslemunlias fidedignas, sendo-me
por elle entregue para eu com fila promover a co-
branca de sens dbitos, o com o producto pagar-
me, e pagar a outros seus redores. Explicada,
portanto, asim a verdade, e correndo-me ainda o
dever de provar que niio sou esse que me pinta o
Sr. Dutra, e ao mesmo lempo fazo lo c.onter e pu-
nir de seu arrojo, para isto tenho resolvido chma-
lo, e efectivamente, o vou chamar a juizo, dando
contra elle nina queixa por crime de injurias.
Jos do Reg Mello.
O Alcoholado de Guaco de Pascal cuma nova preparacao da qua
hasta mencionar suas propriedades para tppreciarsua importancia. jj
Em pi'imoiro lugar um preservativo inlalivel do contagio vinario (veij
folbeto para o modo de o impregar). |
2o TVm n vantagem de ser o remedia mus eerto p mais agradavel paral
as molestias syphiliticis de toda a esiei*ie, uii..(_."i.-s priniiiivas u seiuti-l
daras, ce.
3o Bmpregado em injecc5es, o mellior tratuuienlo dos corrimenta.sfi
re-entes ou chronicos tuis pessoas dos dous sexos e da leuvorrhea ihi
muiheres. *
4o Emlim como antidoto dos virus, sobcruuo 11.1 cura das chagas e fe- p
ridns de m nniureza, chagas gangrenosos, darlros, ulcera* dan terna',,
opfitalmia purvknla, ou bUnhorragica, mu diUrnan e dcadas de ani-
maes venenosos, ce. ,
Este espccilico vegetal, izeuto de toda a ac^ao mortfera, i'o experimen-
tado nos hospitaes de Paris, Lyon, llarcelha, te, c recebeu a approvac&o
dos distinctos doutores Hicord, BaCBET, A. Hicuahd, Calvo, iday,
Melchior Robert, Gostilhes, Bere.nger, ec.
Deposito geral em Paris, botica de CHEVRIER, 21, ru du Faubourg-
Montmartre. Casa de expedicao, PASCAL e C*, 33, rua Monsieur-le-
Prince. Paris.
> m mm :. mwm *
Na praca da Independencia u. 33, oja de our
ve-, compra-se nur, prala, pedras reciosas e
tamlinm se fai qualquer obras di; eu'uoimenda e
odo e qualquer coneorto.
Oabaixo assignado, offlcial do rrgislio geral preco.
de hypolhecas, avisa ao publico que tem o respec-
tivo carlorio, instalado hoolem na confumidade da
nja lry>la.;.io bypullic caria, a* rua estreita do
Rosario r, i.
27 de jn hn de I8ii5.
Fulgencio Infante de Albuquerque Mello
1 casal de pavii na Cipaaga
va d- JiiSm Eraogrlisu.
Voade-se nm escravo moco qne j foi ite eia-
genho : a tratar na ma do Moni jo, .lana n. tX
Vndese nm casal
vellia, sitio da viuva d- loao Kvaagc
Ven le s-3 iiiii carro de carreg ir
na rua da Cadeia n. 55. armazern.
Itll.ll'li.
Na rua da Imperatriz n 20 se lira quera veade
um bilhar de jacarauda qu.isi novo, e p>r barati
O des-'inbargoilor Doria vende a soa
chacra do Manguinho, vende Luube.n dous
carro-!, duas parelhas de midas, urna mul.i
de sela, tres vaeea* de leite, 1! w li is de
carroga e todo! as mais obfttoa '.Tiencen-
tes ar. Irein o so trato da thaen : M pre-
a chacra, a
Atten tilo.
Pedimos ao lllni. Sr. director geral da inslruc- tendentes poden ir examinar
cao poolica, tenha a bondade de laucar suas vistas coclteira, estribara etc., el-.
sobre a necessidade (in tem ns habitantes da pD-
voacao de S. Vicente. Be um profesor de primei-
ras lernas, visto que o Dotaeado para alli, abatido*
nou a cadeira desde 10 de setembro prximo pas-
sado, e at hoje acha-se ella sem ler quera a reja ;
no entretanto que sau decorridos 10 nu/.cs, e quo
nao timos prufessor. .Nao se entenda, que c:->ni isto
queremos dlzer, que novamente seja mandado ir
para alli oSr. Virgilio Vieira da Coria Pinto (o
propretario da c^di-ira). pelo conlririo, pao o que-
11111. \r.-io sin uio p.oivder, lano pi-' preferimos
estar Fem pnf. sst-r, do que com o Ul Sr. Virgilio ;
mas sm, nm muro que tele melhor duensino pri-
mario de nossos fiihos.
Esperamos ser al tend los.
Prectsa-se de uma ama para connhar : na
rua do Imperador n. 4G, Io andar.
Associacao Oommercial Be-
neficente de Pernambuco.
Os Srs. socios elfectivos da Aasociac&o Coinmer.
cial Beneficente sao convidados a se leunin-m na
sala das seoes da mesma Associagao no ca ln
de agosto prximo futuro, ao meio dia, alim de
Deposito geral em Pernambuco rua da Cruz n. 22 em cusa de Caros & Barbosa.
Samuel Power Johnston & Companliia
Kua da ensata Nova a. 4.
AGENCIA 0A
Fuuiiieno de L Machinas a vapor de 4 e 6 cavados.
A! icndas o meias moendas para engenho.
Taixas de ferro coado e batido pana enge-
n!io.
Vendemse (aui.eiras imenaes, imi-';o
de serem iraasplajiUd^ : no >.:: n urac es-
querda, depois do becej do Est-inheiro, nos Ai-
flictos.
Fio de algado da Babia.
Vend se no escriptorio de Antonio Luiz de Oli-
veira Azevedo A C, roa da Croa n. I.
Potasa da Kiissi;!-
muio nova e superior : vende-se no escriptorio
de, M.noel Ignacio de Olivt-ira A; Fiih... larjjj do
Corp., Santo u. 19.
xVcha-so
venda na livraria acadmica, na roa do Irnpera-
dor; na do Sr. Nogueira, jonlo so are. de Saato
Antonio ; e na lypograpbia in.parcial, na roa es
ireita do Rosario a compilaban d- t da a l.giriacso
tendente adminislra^o, a ameaiagSa e fcVcaii-
sacao dos diLlu-ins de arpalH im.ti ^ e aesea-
les, heran-as jacente-. ligados, te, 101.1.ndo aao
s o regiment de cu.-ta.- e a le geral das rxera-
coes, o 11..1 tambem todas as orden e avises 4o
Compra-se elTectivamente ouro e prala em governo, qne a ludo tem explicado, tanto a r; fri-
to das rhiipsroes inherentes ao r r^o dos dinVreo-
tes empregados de joslica e fanda, r..mo dosV
reitos oarionaes e emolumentos que sao aVviaW.
_Silvino Cuilherme de Marros compra e ven- Este iivro ci ntendo n.ais de 70 aaalaai en 'Hit
< O SU
Aluga-se a casa n. i da rua do Primine com 9
qnartns, 2 salas, cozinha fora e bom quintal, fre-
guezia da Boa-Vista : .a iratar ua 1 ua Nova n. 3.
G0MF11S.
oDras velbas, pagando-se bem : na rua
llosa rio n. 84, loja de ourives.
liga do
Arreios d carro para um e dous cavallos.
Relogios de o .ro patente inglez.
Arados americanos.
Ma binas para descarocar algod.io.
.Motores para ditos.
Machinas de costura.
m
*
Alow-se
a casa terrea da Ilha dd lietiro (Passasem da Mag-
Novo cstabclrcimenlo de reta-
los rua Xova n. lo, \an-
dar, junio ao Sr. (antier,
dentista.
Ti raro retratos todos os dias, das 7 horas
da manhaa s 5 da tarde, quer chova ou
DAD.
Tambem se offerecem para tirar retra-
tos de pessoas fallecidas, dentro ou fra
da cidade.
Os annnncantes desejando acreditar o
seu e.-tahelecimenlo, garautera ao publico
de effectivamente e^ravos de ambos os sexos
rua do Imperador n. 79, terceiro andar.
Ouro e trata
em obras vellias : compra-se na praca da Inde-
pendencia n. 22, loja de bilheles.
Comprase ouro, prata e pedras preciosas
em obras velhas : na rua da Cadeia do Itecife,
leja de ourives no vrco da Conceicao.
impresso e bom papei, e prestaadu-se a otilul: d
de differentes classes, lorna-. Seu cusi 1000H pur rada rxrmplar em cus
tomos.
Compram-se libras esterlinas a
praca da Independencia 11. 22.
Vende .-e um preto criooh, bem mor-j m>
pateo do Terco n. 141.
Veii.le-se urna armacao d> urna taberna rom
poucos fundos, propria para om prin.-q.iani-, aMi
na rua da Imperatriz n. 13 : a Iratar na rua da
- Comprara se libras esterlinas : na rua do alfandega, com uso.e todos os perie
Crespo n. 16, prtmeiro andar.
apreciarem o relatorio e cootas da actual direecio, j dalena) onde morn o ernctor Macedo, c.om bons v
- v- '! commodos para familia: trata-se no larco do fm nennum irai.aino satura ue sua nrnc- a
Santo n. 1?, escriptorio. & <]cern fl"e 'ao seja perfe lamente acaba m
l JP5( do, e a vrmtade do freguez. v,
- Precisa se de :t00.5 a premio por hypotheca I S&'&W&M '&W&W MWSfSm
em ummolequecrioiilo, de dado 20 anuos", pagan-''
e eleger a que dirigir os trabalhus da Associac^ao mnl
noSanno que vai comecar. | Corpo
Associacao Commercial Reneflcente de Pernam-
buco, S8 de julho de 1865.
Jos de VaiMncrllot,
Secretario.
Vndese uma escrava crioula, de idade de
17 annos, a quat tem principio de engommar e eo-
zinhar, avista d.1 eornprador e dir o motivo por
que se vende: a iratar na rua da Imperatriz n. 13,
otllcina de sapa tetro.
Caixeiro.
lose os juros de 2 0|0 mensaes: na rua Dirita.
loja n. 9, se dir qtii-m precisa.
M& O advogado Godoy Vasconcellos. pude SB
C^ ser procurado no escriptorio da rua do g|
fS Rosario estreita n. 34, ou cm sua res
-, dencia a rua do Sol n. 9.
r>(]R VOS
Garrafas
9J 00, na Cruz, casa de Aotonio Lopes Braga J C
Vende-se um carro de carreuar gneros da
ores > oolro
Igual, ludo por prrru muito rommoiio : a tratar
no pateo de S. Pedro o. 4.
- Vende-se uma e rua dos Prazeres n. 10.
Compram-se garrafas vasias : na rua Nova n.
60, armazem da Liga.
Pa dara
Milho.
>ir*
'^$M
Olferece se um rapaz bn.sileiro para caixeiro de
taberna ou de qualquer outro estabelecimento : a
pessoa que de seu preMiow se queira ulilisar, diri-
mm wmmw wm
32scri|>(iiraeo mercantil
P. Augusto da Graga e Mello eontina na sua
Notas do banco do Brasil ? da? caixas fihacs
desconUm-se ua pra{.i da Independencia n. 22.
r_-.- Precisa-sede una .ima_de~ele~iu lenba
i eondueja, e paga se bem : na rua de HorUs
- OU.' ......
nuneiu .
ja-se a rua da Clona, .-aw o. 52, ou no chafariz ""l" pcaipacio de rater escripias, tanto por par-
ao peda poute da Jtoa-t/icia, que achara com M" s,,nP'"s 'm" dobradas quera pretender
iiicrii iraiar utilisar-se de seus servidos, pode proeura-lo na rua
do Livramemo n. 22, rua do Qneimado n. 2.1, lo-
jas de foseadas, e rua do Cabug o. 2 A, loja de
Joaquim los Gulmaries Bellrao tem para ven-
der dous esrravos crioutos, bonitas finuras, de
idade de 29 e 27 annos : podera ser vistos em F- Comprase ou aluga-se uma piulara cora poneos
ra de Portas, rua d Pilar n. 135, taberna ; e para biudos, prefermdo-se que seja no bairro da Boa-
iratar era seu escriptorio, rua do Vigano n. 17. Vista
Vendem-e saceos grandes com mi h> n vo : n
rua da Madre de Dos ns. 5 e 9.
.1 ma
Kuard-'i livros. f obre, lalau e (IlllHiho.
Uma pessoa comp.-ternemente habilitada offere-! Coinpra-se cobre, latan e chumbo : no armazem
ce-se ios Srs. coii.merciantes para encarregar-se da bola amarell.i, no oilo da secretaria de po-
de qualquer escripturacao por partida simples ou licia.
dobrada com perfeicao e preco -commodo : para! ComM-"se um lelllm ani uo ma'- u mi
lnrorma,-oes a rua da Imperatriz n. 39, terceiro de sanWherea nn3s|""n e"'mel uso na rua
andar. -------------.----------------------
------- Compram-se Diarios de Pernambuco a '4 )
-AI.A. arroba : na rua Direita n. 61, loja de chapeos
Fariiiha.-
Vende-se f.irinha 4a mandioca muito ajaos, 1
quem a tiver annuncie para ser procurado.: cos grandes a 4a : no armazem de farinha p<
te nova dos Srs. Tasso Irmaos, para porre,
rua da Madre de Dos ns. 5 e 9.
'-1-
n.i
Por 5^000.
ourives.
rreci,a-se qp uma ama para o servico i.uernu ue A oa i7pr dar ,.00(^ com
una casa de pouca faailia : a iratar na praca do ran?a em hvpoleca de uma cscrava m(M.a< de 22
Lorpo Santo 11, Ir. _______ __^ annos, que saiba bem cozinhar e engommar, e to-
Precisa-se de uma ama para casa de ** -ri mais arrtnjd di C351 rt! farnilia ; apuuncie pa-
pes-oas q rua d Penha n. 23, prtmeiro andar, ra ser procurado.
Precisa-se de uma ama
o. n.
Padaria.
Quem annunciou querer comprar uma podara
na Boa-Vista, dirija se a rua da Matriz n. 27,
na rua do Livramenlo 1 Comprase o primeire tomo da corographia
do imperio do Brasil pelo Dr. Mello Moraes : na
rua do Crespo, loja n. 23.
Compra.se papel dejornaes para embrulho a
120 rs. a libra, ou 4 a arroba : na rua do Crespo
n. 25, esquina da rua do Queimado.
Vndese um paleto! sobrecasaco do paaao :
rua do Caldeireiro n. 10.
INSTRUMENTOS.
Vonde-.se por ha i xo preco, e aindi un ptrf o
estado, um instrumental coasples. on ea-ta iaxtra-
mento por si: a iratar na rua d > l-np-ra-tor.
Vende-se urna casa de pa-to ber. afrettnez.v
da, e tem commodos para fimilia : a iratar na rua
da Lapa n- 13, no Recife.
\u
i\#r-i


Diarla de Peraaubuco Segunda eir 31 de lulko de iSOft.

ESTABELEOIDO A RA NOVA N. 60
ftO PUBLICO
8em o menor constran-
glmento se entregar
Importe do genero que
nao agradar.

ATTEMQAO
d presos da segulute
tabella para todo, pu-
dendo asslna servir de te-
se para o ajuste de conta
com os portadores.
AO
RA DA CADEIA DO RECIFE N. 53
(rogo passando o areo da Coneelco)
PARA REM DE TODOS.
''nhoras o aceio que presidio aos arranjos deste novo estabelecimento, e mais que tiulo a promptidao e intei-
rataosisonvida a urna visita ao mesmo, certos de que sem duvida me darao a protecco e preferencia na com-
i _-. *- .,1 ^h w.nn 4a cnttf nnrl 'id^roc 'nndi fina actnr cni *m\ *-., i1 i, t r*n i .-< o
Senhore?
eza com que ser3o trataw
Ta dos seeros que prec:sare e quando n3o possam vir poderao mandar seus portadores, anda que estes sejam pouco pratiros,
r0is serao tao bem servidos como se viessem pcssoalmente, havendo para com estes toda recommendacao, afim de que nao vo em
p ta f?rte.
Sal refinado em frascos de vidro com t;.mia
M.nteiga ingleza especialmente esa lida ametra, macarro e talharim a loo rs. a ii
i.ooo e 8oo rs. a libra e em barril se faz
abatimento.
dem franceza a mais nova do mercado a 96o
rs. a libra e 900 rs. em barril ou meios.
Cha liysson de superior qualidade a 2,600
bra e 6,ooo a caixa.
RESPEIT.1VEL PUBLICO.
A apreciado dos habitantes desta heroica provincia existe no grande arma-
xeix da Liga estabelecido ra Nova n. 60 um magnifico sortimento .'de molhados,
que sendo em sua maxim i parte mandados vir directamente do estrangtiro^podem ser
vendidos por precos asss razoaveis.
Sem a fatuidade de querer que este novo e interessante estabelecimento seja o
primeiro e nico em seu genero, pde-s'e porm ffiancar, com toda a seguranca de que
oenhum outro o exceder no restricto cumprimento das seguintes promessas:
1." Delicadeza no trato.
K2.] Fidelidade no peso.
*$.* Sinceridiide nos grecos.
As pesaoas que por sua posico social gozam de certo tratamento, acharo oeste j rs. a libra,
casa os melhores queijos londrinos, cervej-a, vinlios finissimos manteiga e cha sempre de. prwaeira qualidade. etc., etc | 2,8oo rs. a libra.
Qualquer que seja a condiciio do freguez, elle deve contar que ser sempre mu- i,jern liysson muito superior em latas de 15
no bera servido. libras muito proprio para negocio a 2,ooo
Aquelles que sao poaco favorecidos da sorle farao rnesaluiente urna economa de rS- a 1^,,,,
maltes patacas. freguezando-se nesta casa, onde se Ibes vender o arroz, o caf, a man- i<)ei uySSOn nacional em latas de 1 e 2 li-
\ew o assocar, etc.. etc. de boa qualidade pelo preco que em algumas partes nao po-, Dras a l,6oo rs.
den i ou nao qoerem vender, dem preto o que se pode desejar neste ge- \ Vinho branco para missa em caixas de I du-
Os sensores do fon da cidade, dos arrefcsldes ou centro, que compram para ne-1 ncr0 a >000 e 2?2oo rs. a libra. .z!a.,'?.00.e rL'aLga".a _..........
gociar,-devem vir, i eh seu propric inieresse, a este eslabclecimenlo para se convence- Linguicas muito novasa8oo rs.a libra eem
'em do i piante se pode, vender barato. barril se faz abatimento.
Para es cial, eseolhido por pessoa entendida que certainente muito deve agr lar aos senhore< Costclletas ingiezas a 64o rs. a libra, serve
compradores. i para temperar panella ou para fiambre.
Nao se tem poupado sacrificios, nem se deixar de fazer a diligencia para agr-1 Quejos 0 rn0 chegados neste ultimo va-
dar s todos. por a 2,2co rs., ditos de navio de vella a
PELOS SEGUINTES PRECOS SO SE VENDE [OAm^tmm^m^
qualidsde a 8oo rs. a libra,
dem pra-toa 8oo rs. a libra, e inleiro se faz
A Gkaixa em atas, mullo nova, a 80 rs. cada | abatimento.
do mesmo, a 5oo rs.
Massa para sopa : estrelinha, pevide e rodi-|Cerveja branca das marcas mais acreditadas
nha branca ouamarella a 64o rs.a libra e; que \cm ao mercado, a 5oo, 36o c ('o
3,5oo a caixa com 8 libras. a garrafa, e i>,8oo, 6,ooo e 6,ooo "a du-
Vibo do Porto muito fino proprio paraj zia.
engarrafar, em ancoretas de 9 caadas a Cevadinlia de Franca muito nova, a 2oo rs.
35,ooo rs. Charutos do alTamado fabricante Jos F irta-
Vinho empipa: Porto, Figueira e Lisboa a do de Simas, das seguintes qualidades:
32o, ioo e 5oo rs. agarrafa, c emeanada Exposicao Normal de llavana, Impelais,
AWZM-MHllWS
Pluii o rio coni/in rekt
Rnn do Raogel d. 73.
, O propiitiano dfle ouarterixci -
ra de avi.-ar aus KBl llMMi jai I
de redorcao nos prerr-* d" sen p*nfr' pri*--
ra qualidade : maniea infle/a I- I :; a
iil-ra da Ullima cht'gad.t mu i i
i franreza a SK0 ra. t tm barrM at.
(ueijis lian ingus novo? a 25^
l se pode di-jar un bi n'arte a m<
aniixas liaaciiai iaiuhM a HJ(
[ l|80C>, frasctM de Mal l>tM,pta*i H|ii ^i *
1 aia mimos, nairn i!a c'a- n i ri i n t
t-40 r.-. a libra. n.T.('r.is iu.Im'.i.i- i
de S. Joan a 64U is.. virio do P>n i III ".O?
a^aiiia. Flpotiu r LfctaHw\wii '< i *
(ni ranada .-> hi > tlaliaui !<. rjh. :. n
com 2 >rnl i \ i r .Ij.Vn a ra n
c:.,V I' -<.r i>- 7|8W '>t< l a Mn a twt :f
boiarliiaba afkxa : 2Mi i>. a 1.1;
Li.-L(-a a 360 r? a libia, v .'- r%
r., illasnltariu lii a IW r-. ;i t a-
po a fOO iv, l ->\ a :;;> ;.: I
a Ira. [aun. a 5;-dil- i l.o r.-. : r. in. .: t-
nn n 2;<:o, ffiO H .
640 a lata, a a ICi. aWia i :
ida, IjoIhIk". ii f i.. h t i
dilos f na j:r>n'i-> C"'" t*9b
n > que so li rna m ai.'i ol.i-m r r r !>;
laiio e.-|eia a iiiirmof da ur\-.
gaiaulindoa i-xatii ; > i|i r sr.
a 2,5oo, 3,000 e 3,8oo.
Vinho branco de Lisboa de excellente quali-
dade a 4oo e 5oo rs. a garrafa e em cana-
da a 3,ooo e 3,5oo.
V DIMIIEIRO A VISTA:
ALPISTA a 120 rs. a libra.
Mein e paiaco de oito libras
100 rs.
Arroz de SO rs. a libra a..........
Amk.vu(kvs, case; inoe, a 28rs. a libra.
Avixlas a 2i0 rs. a libra.
Amujxas francezas era latas de todo- os ta-
niautios.
Idoia idem em potes de lodos os tamankos.
dem idem em bocetas de todos os tama-
nhos.
dem idem era frascos de todos os tama-
ngos.
Azi:: > i: dooe de prinieira ipalidade a 360 rs.
a garrafa.
Atitos a 289 r.-. o moio.
Absutho a 2;>000 a garrafa.
B
BOLAHINHAS do Beato Antonio em latas
grandes.o pequeas.
dem do Principe Alberto a 25600 a lata, e
de cinco-para cima a 1;>800.
Idem de so la em latas grandes a 2.SOO0 e
de cinco para cima a 15800.
Bisemos inglezes de todas as qualidades a
10200, 15230 e 15300.
Bolo francez em caixinbas a 300 rs. cade
urna.
Batata* ingiezas.
Ba.mia porco .reQnada.
C
CHOCOLATE francez a 700 e 00 rs. a li-
bra, e em porgo a 600 e 700 rs.
dem silisso a 15 a libra.
Mein de musgo a 15300 a libra.
"iiocmcAs muito novas a 800 rs. a libra.
Caf a'240 e 260 rs. a libra, e era percho
se far abatimeat*).
Iikm de primeira qualidade a 75000 a ar-
roba.
CONSERVAS era f'ascos a 320 rs. cada um,
sao muito novas
dem ingiezas, frascos grandes.
'11 amfaune <\. (odas as marcas.
Gharhe de grosella, erehata, etc., etc.
Chicaras e pires a 5ii00a duzia.
.' JaivuA da superior marca ienente a 300 rs-
agrrate, eem duzia se faz grande aba-
timento.
dii Victoria Bas tres X e deoutrasmarcas.
Jnuaros das mais acreditadas marcas, co-
me sejam: Normas d'llavana. Expsito,
F!g' do Brasil, Parisienses,oecias, Gua-
. oabaras, Trocadores, Regala, Mississipes,
Paaetellos. Aprazveis. Varetas, Brasilei-
ros, Americaiifss, Fluminenses.
C11 de todas as qualidades e de todos os
precos, bysson, liuxira, aljfar, preto, e
preto pona branei, etc etc., a 25000,
252 0,253'iO e 25800.
Copos lisos de lodos os tamanhos de 120 a
320 rs.
XJera lapidados de todos os tamanhos a du-
Zia a 25.'0O. 30300, 45 e 55.
Cauces de todos os tamanhos.
Cogm*.c superior a 15 e 15300 rs. a garrafa.
C1GAR8OS (o lo, pardos, a Si rs. o maco
urna.
para cim? a a
KIKSai di: Wasser a 25
a garrafa.
i LATAS cora graixa a 80 rs cada urna.
Letria a 400 rs. a libra
II
MANTEIGA ingleza e franceza de paeira
qualidade a 10, 15120 e 15280, em bar-
ril se faz grande abatimento; a que ven-
demos por 15280 a libia, vende-se em
outra qualquer casa por 15400 e 1:5500.
Mahmelada dos mais acreditados fabricantes.
Macarro e talhahim a 320 rs. a libra.
Massa de tomate a 6C0 rs. a lata.
Mostarda ingleza a 800 rs. o frasco.
Mome inc.lez de todas as qualidades.
Mahrasoui.no verdadeiro de Zara a.....
.Mass.vs finas para sopa branca e amarella a
60 rs. a libra, ein caixas com 9 libras a
35500.
Miliio paineo e lpista, sendo mais de 8 li-
bras a 100 rs.
%
NOZES a 120 rs. a libra.
ISahos em latas a *00 rs.
O
Osiras-ingiezas e americanas
P
PEIXE em posta, latas grandes, a 15COQ, de
todas as qualidades, como sejam savel,
goras, cervina, pargo, snImo, pescado e|
pescadiolia, lingaado, sardinha. etc., etc.,
Pkras em latas, excellente preparado.
Palitos para denles a 120 rs. o mago multo
grande.
Passas em quarto a l/>400.
dem muito novas a 400 rs. 1 libra.
Pomada muito nova a 280 rs. a duzia.
QUEIJOS flamengos.
dem prato a 800 rs. a libra.
dem suissos a 800 rs. a libra,
dem lundrinos a 800 rs. a libra.
Qoartinhas ou mokinoues a 65, 85 c bV> o
par.
dem ssisso 0 mais superior que tem vindo
ao mercado a 64o rs. a libra.
Ervithas e favas porluguezas j preparadas
em latas hermticamente lacradas a 64o.
Feijito verde muito superior a 640 rs. a lata.
Vinho do Porto das melhores marcas que
vem ao mercado como sejam : Lagrimas
do Douro, Duque do Porto, Bainha de Por-
tugal, Buque genuino, D. Luiz 1, Madei-
raSecca, Malvazia fina a 16,000, l5,ooo,
12,ooo e 10,000 a caixa com 1 duzia e9oo,
l.ooo c l,8oo rs. a garrafa.
Vinho Cherexde superior qualidade al 6,000
a duzia e l.ooo rs. a garrafa.
Sardinhas de Nanles a 4oo rs. os quartos e
64o rs. as meias latas.
Bolachinhas ingiezas muito novas a 5,ooo a
barrica e 320 rs. a libra.
Bolachinhas de soda em latas de diver:
qualidades a l,3oors.
Cartoes com bolo francez muito proprios pa-
ra mimo a 64o rs.
Londrinos, Guanbanas, Parisienses, Sus-
-piros Delicias, a 4,ooo, 4,5oo, 5,000,
6,000 e 7,ooo a caixa ou em meias.
Charutos linos de diversas marcas e fabri-
cantes, como sejam: Flor do Norte, Ma-
nillas de Havana, intervallos,Vencedores,
Panalellas e Suspiros, a 2,ooo, 2,5oo e
3,ooo a caixa.
ognac ingle/, das melhores nanas, a Sooe
l,2oo a garrafa.
Doce da casca de goiaba a 2,000 a lata com
4 libras.
Farinha de araruta verdadeira a 32o rs. a
libra.
Matte,excellente cha para os navegantes, a
2oo rs.
Sebollas de F
a l,8oooce
Palitos do gaz :
Toucinhode L;
libra e 8,5o(
Copos lapidados paraagua a 0,000 e 5,ooo Passas muito novas em caixinbas enfeitaas
rs. a duzia. para mimo a 3,ooo rs.
' dem idem para vinho a 24o rs., e 2,4oo rs. Passas de carnada a 8,000 a caixa e 4oo rs.
. a duzia. a libra.
Chocolate francez 'resparrhol e suisso a 9oo, Figos de comadre a 24o rs. a libra.
4,ooo e 1,2oo rs. a libra. Amcndoas de casca mole a 4oo rs. a libra.
Espermacele superior a 600 e 64o r?. a li- (Milo de amendoas a 000 rs.
bra e em caixa se faz abatimento. Belachinha d'agua e sal, da fabrica de Joo:
Peixe em posta em latas hermticamente la- de Brito no Beato Antonio, em lata de 6 li-
a muito grandes e novas
l,2oo solas.
2,-200 3 grosa.
"a muito novo a 32o rs. a
arroba.
Banha de por- refinada a 6-!io rs. a libra.
Bolachinha Alberto, as melhores que pre-
sentemenlelem vindo ao mercado, a 2,ooo
a lata.
Farinha do Maranhio muito alva e cheirosa
a 2oo rs. a libra.
Frascos com fructas em calda de diversas
qualidades a 2,3oo e 1,800 o frasco.
Caixinbas com fructas em doce secco de di-
versos tamanhos, muito proprias para
mimo, a l,6on, 2,600 e 3,5oo cada urna.
at*
>,
%
FIGADOoeBACALHAU
4^aJB^p^
P ro aracfua de Ckcrrtrr, fca:nifii 1
Pars, n:a i! Este oleo de mu cln-iro spri '>
un tabor atwcarada nem o yosto, iuiii ckein 4 jfeir*.
je* 1 ti de numen.1 lelatoriaa ecieuli 1 *
mdicos, este medicamnlt >\<\ m
Franca do um saeresso Ht iwi -i l-m
merecido, rtciitae Ottimniui- .'m
principo?* tntdico i!>s kotp .
O 01.1:0 r.E fgaro :: .v mi : 'i'afaV
do ferrcginoso cmprega-c r. ni 1 n.:>:n*
successos n; s mol..-'i;,- m .,..
o oleo quai.do sao ai rmpaiil;..!..
(lade e ahiun.
Deposito geral em PernamLncc r-? 'a
(.ni? a. em casa de Caros & Bar
de joco macionos.
eradas e das melhores qualidades de pe- oras por 2,800 rs. Ruibos, excellente [eixe portuguez, em
xe a 800,1 ,eoo e l,2oo rs. i Ameixas francez s em fasco de vidro com barris pequeos ou a retalho, a vista se
Vinho Mordeanxdas marcas mais acredita-! tampa do mesmo, a 155oo. far o prego.
das que vem ao nosso mercado a 7,ooo e Ameixas franc zas em caixmbas de diversos; Azeitopas de Rivascm ancoretas grandesde
8,000 a caixa c 64o o. 7oo ris a gar- tamaidios com bonilas eslac pas na ca-1 8 ga'rrafas por 600 e 800 rs. a garrafa.
rala. xa exterior, a l,4oo, 1,60o, l,8oo e 2,ooo; Azeitonas porluguezas a 5oo rs. a garrafa e
Ginebra de Kollanda a 48o rs. a botija de cada urna. 1,800 cada urna ancoreta.
conta certa. Azeitedoce refinado hespanholouportuguez; Champagne da melhor qualidade que vei:
Prasqoeirasde genebra de ollanda a 6,800. a 9oo rs. a garrafa e 10:000 a caixa. ao mercado, a 2,000 e 3,3oo a garrafa, e
c 64o rs. o irasco. I Batatas muito rtovasa 80 rs. a libra e2,5oo 24,000 e 26,000 o gigo.
Ger.ebra de laranja verdadeira em frascos o gigo com 36 libra-. Gomma de engommar muito alva a lo rs.
randes a 1,000 el'l,ooo rs.a frasqueira.: Conservas inglesas a 75o rs. o frasco e a libra.
Caf do Rio de V qualidade a 28a rs. ali- 8,5oo a duzia. Figos em sextinhas a 80 rs.cada urna e 72o
bra e 8,5oo rs. a arroba. iVassouras de esenva para esfregar casa a rs. a duzia.
Cafdo Cear muito superior a 24o rs. ali- 4oo rs. Papel azul para botica a 2,000 a resma.
So isa parrilla do A] :
PARA A CU., i
EMJHO A
e toda as BMlraflas
provralfBlr^ <3t\'-
todas as mlt%tl.\ *r.
pello
clicr>si]iill5s, tomaVta, .I rrs.
sarna?.
na*riiias tmmfk
REUMATISMO
em todas as suas formas, assim
o mal que pron'm do tm e.vi -i
.MERCURIO
l'lccra do fig.-.^e*
orem summa todos os males
.
bra e 7,5oo rs. a arroba. i fozes muito oras a 16o rs. a libra.
Arroz do Maranho de Ia qualidade a loojMolho inglez em garrafa de vidro comrolba
rs. a libra e 2,8oo a arroba.
do mesmo, a 16o rs.
1
DOCES de todas as qualidades : brasileiros, ye|ho ecc0 a 2^ a garrafa.
- portuguezes, inglezes, fraocezes, etc. etc. Lagrimas 0 Q0ro a 1^500 a garrafa.
12
EBVILIIAS seccas a 120 rs. a libra.
ervadoce a 400 rs. a libra.
RIVAL
gjBi*ori*o
Ra do Q,iieimado ns. 49 e &5.
Conlina a vender lodas as miudeEas .juc abaixo
declara por (vecos admirareis.
Ifassoe iJf paliioc lixailos para denles a IOO rs. 1
Espellws de molduras douradas a 200, 240 e 320 rs.
Donis de otiadu para mtninoe a lr5000.
Ditos ii.- ouro superior fazenda a ^OO.
Frascos cjm superio,- linia rocha a 240 rs.
Miiaikis de Imita ro^a para hordado a 20 e 60 rs.
Babado d6 Porto, faienda boa, vara a 80, 100
tiO rs.
Varas e. franja branca slreila a 40 rs.
Caixae Grozas de pp.uaas de ac, fzenda superior aSOOrs.
Duzas de meia mas encorpadas para bomem a
3,5000.
Grozas de botoe madreperola finos a 500 e
e G40 rs.
Caitas com 50 norellos de fiara do gaz a 700 e
900 rs.
Caixas com superiores obreias de eola a 40 e 80 rs.
1'..;;'..- de fita branca ejtflira com 9 varas a 280 rs.
Varas de franja de la para cnfeiles de vestidos a
40 rs.
! BaraJiuis dourados superiores qnalidade a 400 rs.
NoveUos de lioha com 400 jardas a 80 rs.
Livrus para asscnios de roupa lavada a 100 rs.
Pares de boloes para puoho, fa/i-nda rica a 120 rs.
Tesi.uras para cosluras superiores qualidades a
400 e. l&.
Caixas de pennas de calligrapliia, fazenda boa a
15000.
i Massos com superiores grampos a 30 rs.
Duque do Porto verdadeiro a 2# a ganara. Pare, de sapatos de ranca e lapete a 15300>
Duque a li e 15I500. Pares de sapaios de tranca para meninos a i> e
.Chamissoa Iti, 1*200 e l,-)500 a gamfa.I l*sso.
n ni7 9a oarrafi : Caixas com superiores agulhas a 240 rs.
u. luiz a 19 agarrara. Lj(jras dfl ,-a surld;tsde tManilas cores a 7,5000.
Moscatel verdadeiro de Setubal a 20 a gar- Caj)tas com ,uperiores obreias de massa a /.o rs.
R
RAPE' Meuron a 1(9 a libra,
dem Princeza do Rio a 10200 a libra,
dem francez a 2/J500 a libra.
S
SABO massa a 160 rs. a libra, em aisa se
faz abatimento.
Sai. refinado em frascos a 500 rs.
Salame de Len a 25.
Sardinhas de Mantee de todos os fabricantes,
dem de Setubal em latas muito grandes a
720 rs.
Stearinas a 600 rs. o maco.
T
TOUCINHO de Lisboa a 320 rs. a libra;
Tomate em latas a 600 rs.
Tinta azul e preta para escrever.
V
VINHOS
dem da India a loo rs. ; libra e2,8oo a Mostarda ingleza dos melhores fabricantes,
arroba. a 8oo rs. o frasco,
dem de Java a 8o rs. a libra e 2,4eo a ar-1 Mostarda franceza em potes j preparada a
roba. too rs. o frasco.
Paineo e alpista s 14o rs. a libra et.oooa Leatttbas ftaaoezae, excellente legume paraj
arroba. sopa, a ioo rs. a libra.
Massa(k!tomatesrksuperiorqualidadea6io: Marrasquino de Zara propiamente dito a
rs. a lata de urna libra e56o rs. a reta-
lho.
1 % a garrafa e 11 ,ooo a duzia.
Palitos-le dente a 14o rs. o maco.
Balaios para roupa suja, grandes e peque-
nos, por diversos precos.
Amendoas confeitadas a 64o rs. a libra.
Latas com fructas em calda: pera, pecego,
damasco, rainha Claudia e cereja, a 8oo
rs.
Vinagr-e de Lisboa a 2oo e 28o rs. a garra-
fa e a l,4oo e 2,ooo rs. a caada.
Azeite doce de Lisboa a 4,8oo rs. a caada
e640 rs. agarrafa.
Vinagre branco i engarrafado a Soo rs. a
garrafa.


IMPUREZA DO SAIM.IE
umaHerante podevm par a
RENOVACAO IiO SA..t F.
e para dar nova forra e vigor mu
enflaquecido pela dolfa.
Vende-te u ra Diieia m. 1 i
Hospicio ii. 40.
Vende-se em Pernambuco:
na pharu^ael framerza +
P.M1RER & C.
RA NOVA N. 1 .
A LEGITIMA
MLSArWl'lr!
!!!
Principe Alberto, de 1831, a 5000 a gar-
rafa ; da vida aos vellms.
rafa.
FARINHA S S S de 8 libras para cima a 120 Carcave[os a
rs. a libra. Polares
dem de araruta a 320, 400. 500 e 800 n.
Fios de comadre a 160 rs. a libra.
Feijao verde em latas a 600 rs.
Favas em latas a 600 rs.
Fono do Rio a 500 rs. a libra.
dem americano em latas a 2. Absyntho a 2# a garrafa.
Farei.i.o ha sempre em deposito de 500 a Kirsch a 2# a garrafa.
800 saceos, de todas as qoalidades, de to-| Wermouth a 2$, e a caixa a 180.
dos os ta:oanbos e de todos os precos. Bitter Maurer a 10 a garrafa,
1$.
a 900 rs. a garrafa ; o nico vi-
nho que se pode beber por nao ter com-
posico alguma.
Lanterne a 800 rs. a garrafa.
Uordeaux Medoc a 800 rs. a garrafa.
Rudirihas com alfinetes rancezes muito superiores
a 20 rs.
Resmas de papel almaco a 2400 e 2,5800 rs.
Re>mas de papel de peso fino a 2000.
Escuvas para roupa, fazenda boa a 720 e J.
Duzias de (escuras com toque de ferrugem a
000 rs.
Duzias de facas e garfos de cabo preto a 35000.
'/h Madapolao muito fino com pequea loque de-avaria, por pree.o que admira :
gVgg das columnas na ra do Crespo u. 13, de Antonio Corma de Vasconcelos & C.
,, ; :. ,,. onn h _'_____r- iTallicres muitj Uno para criancas
dem S. Julien a 600, 800 e U agarrafa.;___________________]_
a 240 rs.
Lagdo para eticadas.
Vende-se muito bom lagdo para calcadas e ar
mazens chegadd agora ; a ipaiar n ra do Apollo
n. i.
f..>(^-..;^ X.ff'^pija flM
Grande sortimento de roupas feilas deto-,
das as qualidades,
Caigas de casemira a f>5 c 75500, ditas pretas a
6& e 8$, calcas de ganga a 25 ,15800 e 15600,
dilas brancas a 25, brim de linho a 35, 35500 e |
45, paletols do alpaca branca a5500. ditos pretos
a 35 e 35500, dilos de alpaca de cordao a 45, o
de listra de seda a 45500, dilos sobrec.asacos a 55,
paletots de casemira a 55, 55300, 65, 85 e 95,
ditos sohrecasacos pretos a 125, 13 e 165, ditos fi-
nos a 255, de cores a 135, dilos fraques a 145,
paletots de ganga a 35, 2o'00 e 25, ditos de brim
pardo a 35, jaquetoes de brim pardo a 35, panno
preto tino a 25, 25600, 35500 5#, 45500 5 e 65 o
covado, moreantique preto a 25600 o novado, gros-
denaple preto a 15300, 15800,25, 25200 e 25300
o covado ; e outras muitas mais fazendas que se
deixa de annnnciar, e manda-se levar pelos caixei-
ros da loja da arara casa do' pretenden les. O
e tabelecimenlo esl afcerto at as 9 horas da noite,
ra da mperalrlz n. 36. Mendes Guimaraes.
; !3I37C P01
LANAS \ iifp.
Vende-se urna ptima escrava moca de boa
figura : a tratar na ra da Cadeia n. 40, loja de
reljjoelro.
Vende-se urna escrava parda de meia id ade
com principio de enfrommado, lava e cozinha ; na
roa nova de Saqla Rita, casa n. 3.
NOVA YORK.
Comporta de substancias, p*tm< .,
propriedades eminentemente tpvn
approvatla pelas juntase ara' i ..- i -
dicina usada nos principaes hospital
vis militares e da marinha ras \:
no continente americano; n.vil.nla r-k
facultativos os mais distinctos i.'r. imp ;' c
Brasil c da America hespaiilii.l
CVRA RADICALMENTE
.ifico'sortimento SJSJfi *""^ < rrf.,. ^,-
deoculos, lmelos, binculos, do ultimo e mais ferm|oaaes venreas e merciinars. cbsej
Francisco Jos Germano
RI'A OVA V ti,
apurado posto da Europa.
\ovena de \oss;i Kenbora do
Carrao e de saui" inna.
Vends-M na roa do Imperador n. 15, offlcioa
de encaleroaio : oofflcio, salve o versos, nove-
na e salve do Xr.?sa Senhnra do Carmo, tres fo-
Ihetos por 300 rs, e a novena de Sant'Anna or
Ww._________________
Prelo a tff
Vende-se farelo novo, saccas com 90 libras, pelo
ha rato prego de 15 : roa Ja Madre de Dos n-
meros 3 e 9.
antigs, morphea e lodas as nioleslia* jn*
venientes d'um estado vicioso do tang;.
Emquanto existem varias imaffea e
falsificacos, preciso a maior rsatefa para
evitar os engaos,
A legitima salsa de Brislnl riait u r
CAORS iv BAHBOZA
JOO DA C. BRAVO :.
Joo da C. iJrav. a c.
Vendem-se noRecifeem um :i i
Barboza e Joao da C. Bravo & L.
i


Vx
Dlar'o ac i'eraaiMhco .. *egiB i
G3 53

GNEROS BARATOS A DINHEIRO
NOS
grandes armizens d mol dos
DE
I
AURORA BRUJANTE
DART
<
Pateo do Carmo n. 9 armazeiu Progresivo ra do Queiiuado n.
Uaio e Conimercin ra do Imperador n. 40,
Principal armazem de molliados.
OS PROPRIGT1IIIOS. I
Fazem scienle ao respeitavel publico, e com especialidade aos senhores de en- j
genios, hvradorese mlis pessoas do centro, que para raais facilitar snas compras deli-
beraran os proprietarios dos tres grandes armazens, reunir todo; os sena estabeleoi-1
mentos era ura s annuncio, pelo qual o preco de um ser de lodos, prometie-
rais pie nao infringiremos a tabella que abaixo vai publicado, annunciar os geieros'
por ura prego, e na occasio da compra quererem por outro, coma socj,de constante-
mente em outras muitas casas, porm nos nossos estabelecim;ntos nao se dar isto
anda mesmo com prejuizo nosso, qualquer pessoa poder mandar seus fmulos que
seo tara em servidos como viessem pessoalraente fazendo-nos o favor da mandar seus
pedidos em cartas feixidas;-para evitar qualquer engaos, remetiendo nos urna contaI
pela qual se ver os precos tal qual annunciarmos, o que senao arrepender pessoa'
alguma que fizer s a despenca em nossos estabelecimentos; pois poupar mais de
5 por cento na sua despeza diaria.
Maateiga ingleza perfectamente flor chegaJa dem cora 4 a o ditas a 35200.
ltimamente no vapor Saladim, de 1# dem vasios de lodosos tamanhos a2>000,
a 13120 a libra e em barril ter abat- 13500,800 eG 10 rs.
ment. Queijos d 23300 a 2#o00 os mais frescos.
dem francesa muito nova a 10 a libra, e Vinagre puro de Lisboa a 280 a garrafa e
en barril lera abatimento 20000 a caada.
Banhn de porco refinada a 6i0 a libra e em dem mais baixo a 200 rs. a garrafa e 10400
barril ter abatimento. a caada.
Cha axila de superior qu ilidade a 20GOO. Azeite doce de Lisboa muito fino a 600 rs.
dem perula miudinlio a 20700 a garrafa e 10UOO a caada,
dem hysson especial qualidade de 20-300 a j Toucinlio de Lisboa novo e muito alto a 400
i viOO a libra. a libra, e em barril de 5 arrobas a
dem preto muito especial a 20000 e 20400: 103500 a arroba.
a libra. Cerveja Ba^s do fabricante Slilers &
I 6SAPES AI1MINS
IIOLHADO
>mWmm,
o
a
fi Largo da Santa
JpiK n. 84, es-
MT^' da ra do
mpebo.
rora BrilliaotiSnHm"0, fm Largo da Santal
^Cruz n. 84, es-i
ggiuina da ra dOjjg
BSebo. js
mnmmmmm
\ O oov proprietanu
urilhaote, continua i tor n------u"v,"""uu iiuateiu uc moni
A seguinle tabella sirvira" s,or.tiraenl de gneros de primeira qualidade.
PfKSH
enomraado Au-
Nenhum armazem vL". > s debasepara ajuste de comas aos portadores.
Pelo grande sortimento m.Ya mais barWo e "Chores do que a Aurora Brilhante, ja'
ero quantoehegue oaraS? raesrao porquo seu ono so dtseJa lirar d'min"' '-
proveitar, o orsnrietarinhi \ / as desP'3zas do estabelecimenlo por isso deixese a-
lantes freguezes er toda a diligencia, ailm de servir bem os seas cons-
PjR88l "LraS d6ch8aria* muitonovas,;
dem do Rio em latas de 40000 e a 800 a
libra.
SSS) -Ittalidade, a 15000, 15280 8
|DlgSr^20VSeXCe,lenlepe,SCOPara'"-
;2!;rsSLtaa640arVnSOpadaS'a720rs-
.Ditas com ameixas a 15200, U800 rx=no
Ditas cora massade tomate, a 300 rs
tDSora,,olachiha,lesoda
|D.tascombiScoitinhos inglezes de
Vinho verde superior.
a 1550o,
muito novas, a
Bell a
60'JOO a duzia e 640 a garrafa.
dem Bass do fabricante T. F. Ashe a 60000
Latas con biscouto de todas as qualidadesj a duzia e 560 a garrafa.
a 15-00. dem marca H Victoria Alsope e outras.
dem da creditada fabrica de Biato Antonio muitas marcas a 50 a duzia e 500 rs. a
(Lisbo:) proprias para dar a doentes a garrata.
20 e 30 a lata. Sabao primeira qualidade a 220 rs. a libra j
Blax'mlia ingleza muito nova a 30500 a bar-! e 210 em caixa.
Iidades
a 1*400.
Chocolate.
muitas qua-
CaDShm,mC0,n Kaft1! **'**<** Proprias
J mimo a 14200, 2*800 e 3a2O0.
muito novo, a libra de
ealetriaamarella, a libra
rica e a 240 rs. a libra.
Latas cora bolaxinha de oda e oval a 20.
Presunto i;g:ez para fiambre chegado no
ultimo vapor a 800 rs. a libra,
-.i ricis e paios muito novos a 900 rs.
; libra.
.i is com macarro Mharim muito novo a
.1, !)0 .! M) a libra
i i i i e amarella a 500 a libra,
ilnte ,'ortagaez de especial qualidade a
3 U a libra,
fm su sso de 8'>0 a 10000 a libra.
dem s
180 n
Sabao
16 rs.
gunda
ingle?
qualidade a 200 rs. a libra e
em caixa.
superior a 180 rs. a libra e
em caixa.
Caf primeira e segunda sorte a 70000,
70500 e 80 a arroba, e de 240 a 280 rs.
a libra.
Arroz do .Uaranho 3020) a arroba e 100
rs. a libra.
i ii is aniol rerdadero a
j,' ven I n s a 11100.
de
de
da Msca iie goiaba em caixes
la li iras seguro a 10tfOO,
em caixe. pequeos a 700 rs. e de
para ama a '*40.
dem seco era bocetas ricamente enditadas,
contendo pera, pes'go, ameixa, rainha.
e i tilias frutas a 30000 cada urna,
dem era calda era latas feixadas hermtica-
mente mullo bem enfeitadas, contendo,
pera, pesego, ameixas e outras frutas a
640 e 7O0 a lata, tambera temos latas
grandes a 10200.
M ida dis mclhores fabricantes, em la-
tas do -JOOO a l>2)0.
Id i em latas de 1 i\i libra a 14.
dem era atas de I libra a 640 rs.
Ervilhas em latas chegadas neste ultimo va-
a 700 e de 5o para cima a 640 rs.
Feij > vede oa carrapalo em latas j pre-
parado a 640 rs.
k xas era frascos de vidro a 10500.
dem em caiNiulias ricamente enfeitadas de
5200a 20500.
Coas as Mexide muito novas a 700 rs. o
frasco.
Ide i de ceblas simples a 700 rs.
Molh / ioglez a 640 rs. o frasco com rolha
de vi lro.
Mosl irda em p a 700 rs o frasco.
dem j preparada a 320 rs
Lal s com mas^a de tomate de 1 libra a
800 rs.
dem e.n latas de 1 1(2 libra a 900 rs.
Vi bos em garrafas viadas do Porto, M.idei-
ra Secca, Duque do Porto, Duque Semi-
no, Cascavallas, Mara Pia, D. Luiz, Pe-
dro V, Velho Secco, Lagrimas Doces, La-
grimas do Douro, e outras muitas marcas
a 10 a garrafa e 90 a 120 a duzia.
dem Palraella a 10 a garrafa e 110000 a
duzia.
dem era pipa de todas as marcas Porto,
Figueira e Lisboa a 400 e 500 rs. a gar-
rafa e 20300 a 30500 a caada,
dem era ancoretas e 8 a 9 caadas cora su-
perior vinho Lisboa e Figueira a 240 a
ancoreta.
dem branco especial qualidade propriopara
mista a 560 rs. a garrafa e 40 a caada,
den mais baixo a 400 rs a garrafa e 30500
a caada.
dem do Porto especial qudidade a800 rs.
a garrafa e 50500 a caada.
Id ni B'.rdeaux em caixas a 70 e 700 rs. a
garrata.
Cbampanba a rnelhor do mercado vinda de
n >ssa encommenda a 300 o gigo.
dem mais baixa de 180 a 200 e 10500 e
30 a garrafa.
Licores portuguezes e francezes a 10000 e
i 3300 a garrafa.
ftfai rasqaino de Zara, verdadeiro a 10500 a
/ nafa,
dem mais abaixo a 800 rs. a garrafa.
Genebra de laranja verladeira a 110 a du-
zia e 10 o frasco.
dem 'le Hollante verdadeira a 60 a fras-
i: ira e fi^O o frasco.
1! im Je Ilarabur^o a 50500 a frasqueira.
dem cm botigas de Hollanda a 400 e 440
r>. it frasco.
Garrafoes com .jenebra de Hollanda com 24
garrafas a 8)91, com garrafito.
dem com 14 a 15 garrafas a 60.
dem da India a 20600, 20800 e 100 rs. a
libra.
19000 a libra Charutos Normas de Ha vana a 50500 a cai-
xa, de Simas (Jos Furtado).
dem Lotvlrinos a 50, idem.
dem Parasienses a 40500.
dem Delicias a 10500.
dem Traviata do Rio a 50500.
dem varetas de Manoel Peixoto da Silva
Netto a 30500 e I0WO a meia caixa.
dem suspiros do mesrao fabricante a 10300
a meta caixa e 50200 a caixa.
dem mece-ipes a 10700 a meia caixa e
30000 a caixa do mesrao fabricante,
dem orientaos do mesrao a 10800 a meia
caixa e 35400 a caixa,
dem jovens de Castanho A Fillio a 20400
a caixa.
dem suspiros do mesrao a 10 '09 a meia
caixa, e outras muitas marcas de fabrican-
tes.
Passas muito aovas a 10500 o quirto e 50
a caixa de urna arroba hespanhola e 320
a libra.
Vermule bebida para abrir a disposico de
comer 10300 a garrafa e 140000 a1
caixa.
Alpisia muito novo a 30800 arroba e 140
a libra.
Painco a 45000 arroba e 1 'i0 a libra.
Peixe em latas j preparado a 10200 a lata
e em porcSo 10000.
Sardinhas de Nantes a 400 a lata.
Tijollo para lirapar facas a 160 rs.
Esparmacete a 600 a libra e em caixa a
580.
Vellas de carnauba a 12 e 100000 a arroba[
e 300 a 440 rs a libra.
Azeitonas de Lisboa muito novas em anco-
retas grandes a 10800 e a 400 rs. a gar-
rafa.
Balaios do Porto m lito grandes proprios
para guardar roupa suja a 20500, 30000
e 40000
Batatas era gigos de 31 libras muito novas a
800, ea40rs. a libra.
Gomma em paneiros a 40000 arroba e 140
a libra.
Farinda do Maranhao muito al va e nova a
240 a libra.
Svadinlia de Franca para sopa a 200 a li-
bra.
Sevada muito nova a 140 a libra e 40000
arroba.
Caixas cora estrelinha, rodinha e pevide a
400 a libra. .
Alhos em canastras muito novos e mauncas
grandes a 180 e 200 rs cada urna.
Canella muito nova a 10000.
Gravo muito novo a KOO.
Cominho idem a 320.
Ervadoce idem a 400.
Alfazema flor a 240.
Amendoas a 400 a libra.
Nozes mnito novos a 160 a libra.
Papel greve a 40200 a resma,
dem lizo a 40000.
dem de pezo a 30000.
dem de embrulho marca grande a 10200 e
10300.
dem azul para botica a 20000.
Copos lapidados a 50500 e 500 cada um.
Palitos de denles, macos grandes a 120 e
160 cada um.
Fumo americano de chapa, de superior
qualidade a 10500 a libra, em porcSoter
abatimento. i
Chocolate superior
. 880 a 15000.
. Macarr3o, talhariara
' a 400 rs.
Dito dito dita branca, a libra a 400 rs.
pitas dita em libras a 640 rs.
L>asu, a libra a 360 rs.
'*!adhnha para P**libra, a 240 rs.
Ervilhas seccas, a libra a 160 rs.
Ditas descascadas, a libra a 200 rs.
?tapioca muito nova, a libra a 280 rs.
Familia de araruta
oOO rs.
Arroz
verdadeira, a libra a
a arroba a
iAn Maran-hao, em sacco,
2*400 e a libra a 80 rs
.Dito da India a Java, a arroba a 3O0 e
i ora a loo rs.
Toucinho de Lisboa a 9#500 a arroba e a 320
rs. a libra.
(Dito de Santos.
260 rs.
.Molhos coui 12o ceblas grandes, a 1*280.
'75000 eza' caixa cum d"Z'asa
ali-
a arroba 7000 e a libra a
A caada a 3000 e a garrafa a 400 rs.
Gomma.
Saccas de 4 arrobas, a verdadeira de se
en*ommar, a arroba a 3000 e a libra
120 rs. fc
Sabao massa, a libra a 200,240 e 280 rs. ^Sj
Fariuha. ^
Saccas grandes com farinba de Goianna mni- :j
to nova, a o000. CS5
Caf. X
Caf do Rio mnito superior, a arroba a 8,',l^'
8$500 e 95000. Sj/i
Cha. rflf)
Ch.teraos nestes gneros o m jlhor possivel, >.M$
hyson, a libra 25600. V
Dito perola a 35000.
Diio uzim a 25700.
Dito hyson muito lino a 25800.
Dito redondo a 25500.
Dito preto de primeira f|iialidade a 25500. ujB
Dito mais baixo a 25000 e 15600. r
Erva mate. ^^,
Eicellente cha medicinal, a libra a 240 rs. CflKJ
Espermacete. ^
O masso com 6 vellas de espermacete a 600, 3
640e720rs. ^
Passas.
Caixas de 16 e 8 libras de passas novas pro- j
prias para mimos a 45 e 25500. , Noxes. rfp
Nozes, a libra 1G0 rs. e arroba a 45000. d&)
Alpista e painco. Tfcr
Alpista e painco, a arroba 45000 e a libra a j
160 rs. He
Cartas. ^ (fP
Cartas finas para logar, a duzia a 25500. E
Castanhas. (R!
Castanhas novas viudas nestfl vappr, arro- T
ba 45000 e a libra a 200 rs. g>
Azeitonas. '^j>
Barris com azeitonas novas a 15300 *vj
Manteiga.
Mantaiga snperior, a libra a 15-80.
> v2S COni mostarda Preparada em vinagre, Dita mais abano a 15200.
L.f iUU rs- I Dita menos superior a 15.
ul',snC0lj conservas iogtezas francezas, a Dita franceza nova, a libra a
DE
AZEVEDO FLORES
Ra da Caeia do Hecife, esquina da Hnttre ie Dk.
BAIiUS
Os ricos balees de arcos de 30, 40 e 50
Baloes de arcos para meninas de 2 a 12 annos a 20 e 20500.
Baloes de pai no para meninas a 30 e 30500.
Chapeos de st l.
Os afamados e bem conhecidos chapeos de sol com 12 asteas a &0.
Ditos maiores com 10 asteas a 120.
Tapetes.
Grandes e pequeos tapetes com ricas estampas para sof
Chitas.
Chitas largas a 240 rs. o covado.
dem escuras finas a 320 rs. o covado.
Camisas.
Superiores camisas a 20500.
Camisas com peito de (r, e todas brancas a 10800.
Ha muitas outras qualidades com peito de esguio.
Casemli'as.
As modernas casemiras de quadros, chegaram.
Ronpa xelta.
Ha completo sortimento de casemiras, de brim branco e de cores.
Collelrlnhos.
Chegou nova remessa de colleirinhos de papel de cores e branco?.
Tambem ba completo sortimento dos de esguiao.
Cateas.
Caigas de superior brim pardo a 20500.
Cambrala branca.
Superiores cambraias brancas a 50 e 70 a peca.
Cambraia branca para forro a 320 e 400 rs. a vara.
Um
Las de bonitas cores a 4?0 rs. ao covado.
dem para luto a 560 rs, ao covado.
A ttEM NOS LER
Todas as semanas reformamos o nosso annuncio, annunciando ao publico novas
fazendas e novos precos e nao como muitas pessoas sup e sempre ser as mermas j-
zendas.
MAciim Mmmt
de tntbalhar mo para
desearoear algodo
FABRICADAS
Por Plant Brothers & C.
OLDAM
Dita .lita em barris e meios ditos,
850 rs.
libra
640 e 800 rs.
Ditos com sal retinado fino,
522" a verdadeira ginebra de laranja, a Dita para tempero a 400 rs.
Queijos.
0 rs ------------""""* *mmmmi s viudos ueste vapora
,B'oos fi0m dita propria para '
Garrafoes com 2 jaldes com dita, a
Serveja boa, marca, a 500 rs. a garrafa, e a i
duzia a 65000. 1 Papel almaco pautado, a resma a 45800.
':;'-
Queijos novos
35000.
Ditos londrinos
15000.
muito novos,
libra ai
___ Estas mach'nas
j^Srp^V^^ podem descaro w
^' '^f qu,hiuPr esp-'.
''' i-V"___Zl- de algodao sea
Bf^>SSM'e8trag
*m
Papel.
'Vinho muscateldeSetubal, a garrafa a 15.
Marrasqinnho verdadeiro, frascos a 80C rs. e
? a 15200..
iChampaizne, a duzia 205000, e a garrafa a
Azeite refinado portuguez e francez,a garrafa
a 15000.
Caixa de vinho Bordeaux muito superior, a
.75,85,95 105 a caixa.
(Ditas com dito branco, a 75 a eaixa.
, Ditas com dito lacrimas do Douro verdadeiro,
a a 205.
l>Ditas com duque do Porto verdadeinVa
. 185000.
sDitas cora chamisso superior, a 145.
'Ditas com Porto velho e outras muitas mar-
cas, a 125.
>Vinho do Porto da pipa, a garrafa a 640, 720
i e 800 rs.
.Dito de Lisboa muito bom, a caada a 35200,
l 35300 e 45, e a garrafa a 500 e 560 rs.
'Dito da Figueira, das seguintes marcas (N.)
(J. A. A.) (J. L. G.) (O. M.) a caada a
\ 45300, e a garrafa a 360 e 640 rs., deste
que j est engarrafado e lacrado com o
rotulo do armazem.
LDitosde marcas mais desconhecidas, acana-
i da a 35300 e 45000, e a garrafa a 480 e
520 rs.
Vinho branco Uno, agarrafa a 640 rs.
Dito de caj muito superior, a garrafa a
800 rs.
Dito dito lizo de linho, a resma a 45500.
Dito de peso lizo e pautado, a resma a
25500.
Dito de embrulho, bom a 15 e 15200.
Vinho Madeira.
Garrafas com o verdadeiro vinho Xerez e Ma-
deira a 15300 e 25000.
Temperos.
Folhas de louro, pimenta do reino, cominho
e cravo, a libra a 400 rs.
Velas de carnauba.
Masaos com 6 velas de carnauba retinada a
480 rs.
Amendoas. c;j
Amendoas cora casca, a libra a 320 rs. a.
Doce.
Caixoes de doce de goiaba, grandes a 15^00 J.
e pequeos a 640 rs.
l'ijjlus de limpar
Tijolos de arear facas a 140 rs.
Graxa.
Duziasde boioes de graxa n. 97 a 25000, e 74
de latas a 15000, e os boioes a 240 rs. ca-
da um,,e as latas a 100 rs.
Charutos liaos.
Charutos finos dos mel ores fabricantes da
Bahia por diversos precos, caixas e meias


estragar o
sendo bastante
duaspessoas par*
M^

dao em earoc
em 40 minuto,
ou 18 arrobas
por dia ou 5 ar
robas de algod<
limpo.
caixas.
E graade quantidade de gneros tendentes
estes estabelecimentos, que deixam de an-
nuneiar-se.
Assim como machinas para serem movidas poi
animaos, que descarocam 18 arrobas de algodi
limpo, por dia; e motores para mover urna, duas,
eutns dessas raachiuas.
Os mesmos tem para vender um bellissimo va-
por que pode fazer mover seis destas machina
mencionadas ; para o que convida-se aos Srs.
agricultores a virem ver e examina-lo, no arma-
zem de algodo, no largo da ponte nova n.47.
Saunders BrolhersiC.
X. II, praca do Corno Manto
RECFE.
Os nicos agentes neste paiz.
Goke do gaz.
pitch do gaz.
Alcatro do gaz.
Coke tonelladas rs. . 100000
Pitch ..... 800000
400
Attencau.
Grande liquidaco he fazendas e roeros fe-j
tas nacionaes.
Ra da Imperatriz n. 72, loja e armazem e
Galmares & Irao.
Os proprietarios deste novo e.-iafc* l^rimento re-
ceberain pelo ultimo vapor francez um gran.: sor-
timento de lasinhas escoeezas, padres mnito bo-
nitos, que esiiio vendendo pelo diminuto preco to
240 o covado ; mniio barato I
Laaninhas a 240!
L3asinlias a IMR
LTiasinlias a 240 f.V
llua da Imperatriz n. 72, loja e armazem te
Gnimares & Irmo.
Tambem n-ceb rain um grande 5ortim*-nto e
otrabalho; pd- ^*^*t&?'rZjr.
desearoear ums
1 de a|Kr" cas^ a 30l>, 35500 e 45, ditas 1
45300, 35 e 65, ditas de salpiros braoro a '->"-.
e 55OOO : Isto s na loja e armazi-m t Goimar^j
& Irmo, ra da Imperatriz n. 71
Chitas largas a 210, 260, 280, 300. 32
Chitas largas a 210, 260, 2X0, 300. 329!
Chitas largas a 210, 260, 280, 300.32 "!
E muito barato, pecas de breUnha de roto rom
16 varas a -'li e -15200, ditas de madapoliu com i\
jardas a 45500 35, C, 65-";00 e 7JL nuitu feo a
a 95, madapolao francez enfestado rom 12 artas
a 3500, 35500, 45 45300, chales de meria es-
tampados a 25, 25300 e 35, ditos muito lin a
65 e 65300, cortes de casemiras de cores e pi-t -
pelo diminuto preci de 25300, 3*. 35300 e i
ditas muito tinas a 55, '5500 e 65- grande .rt-
menlo de roupas feitas de todas as qoalidaks. e
preco que s vista dos compradores < qne *
poder dizer o preco, amaneando que Teode-:
por menos 20 0|0 qu.' em outra qoalquer parte :
isto na ra da Imperatriz a. 72, luja de Guiwar.
& Irmao.
Vende-se
fardo de Lisboa em arras e barrica*, e
com superior farinha de mandioca, mai barato li
O coke recoohecidaraente o carvo mais econo- i que era outra qoalqoer parte : na roa do Vigario
mico, torna-se por isso recommendavel, bem co- i n, 17, primeiro andar.
mo pelo asseio que se nota as cozinhas aonde
alie usado. Pitch e alcatro.alm das applicacfas
diversas a que se prestam, como para callafelar
embarcacoes, alcatroar raadeira,etc.,teera este a
propriedade de preservar do cupim, formigas.etc.
E' entregar na fabrica dogaz ou mandado por em
qualquer ponto da cidade, segundo a vontade do
comprador.
E
K 11 Ra do QueimadoN. 11
LOJA DE FAZENDAS DE
Augusto Frederico dos Santos Porto.
Chegou a este estabelecimenlo ara grande sortimento do cortinados bordados para
camas fazenda de muito gosto.
Chales de guip muito finos para 225, 255 e 305-
Colxas de seda superiores de diversas cores para canias de noivas.
, Colxas de la e seda para cama tambem de bonitas cores.
Rotondes de guip enfeitados com o melhor gosto.
Setira de Pars bella fazenda e de bonitas cores para vestido a 700 rs. o covado.
Moareantlque branco e preto, grosdenaple preto e de cores, pannos pretos de todas
as qualidades, ditos azo.es.
Caseraira preta e de cores, merino preto, silistrina, bombazinas, alpacas pretas, e
lia preU para lutos.
Malas, saceos e boleas de tapete, verniz e couro de 45 a 115-
Brins de linho de cores finos a 15800 a vara.
Chapeos e chapelinas de palha de Italia para senhora, manguitos bordado, chapeos
de seda para hornera, chpeos de sol de seda, esguio de linho, cambraia de linho, breta-
nhas, silesias e muitas outras fazendas que se vendem pir coramodos precos assim como
tambem
Esteiras da India para forrar salas
InstrucQoes para o servido
das guardas do exercito, extrahidas do re-
gulamento de infantaria e accommodadas ao
exercito brasileiro; obra que muito convrn
aquellas pessoas que se alistara nos corpos
de voluntarios; vende-se na livraria n. 6 e
8 da praca da Independencia, a 10.
Farinha de mandioca : tem para vender Au
tonlo Lniz de Oliveira Azevedo & C., no seu es-
criptorio ra da Cruz u. 1.
Vende-se urna burra de ferro grande
em perfeito estado e por comraodo preco
na ra do Apollo n. 20.
CIIRYSTAES.
Vinhos do Porto
das melhores marcas, em caixinhas de nma duzia
de garrafas para casas particulares, sendo : Lagri-
mas do Douro, Duque do Porto e D. Luiz ; tambem
tem arirrelas de dcimo encapadas com superior
vinho, barris de 5 e 10 em pipa : na roa do Vi-
gario n. 19, primeiro andar.
Admirem a grande liqui-
dado
De candieiros a gaz |oi* todo preco a
gross e a retalkt.
Rna da Imperatriz p. 92.
Vendem-se
machinas americanas de serrote para desearoear
algodo : na ra da Senzaia tova n. 42.
A loja de louca da ra do Crespo o. 16 tem para
vender quantidade de azulejos de lindas e v^rudj-
cores, assim como loucas de todas as ijoalnfake.
de bonitas pinturas e gosto moderno, ricos apfore-
lhos de porcelanas brancas doaradas e de cores,
vidros de todas as qualidades, inclusive finsimo
chrystal, dilicados jarros de rhrystal e porcHasa
para flores, figuras e oulros mullos objeclos de ft-
nissima porcelana denominada bisenito para e-
feites de mesas, etc., guarnieses de lini.mu p. r-
celana branca douradas e de cores para lavatorio
e toaletes, ludo do melhor gosto, piabas de loara e
vasos para jardim, candieiros de lanipariaas paca
gaz, globos e ehamineis de vidro, borraes e litin
os mais sobrecelentes para os mesmo, gaz IU|diJ<
de superior qualidade, e muilos oniros artigos <|se
seria enfadonho mencionar, todo por precos moi-
issimcs razoaveis.
Chegaram os supenore*
cortes de seda
Superiores cortes de seda de cor,
ultimo vapor francez : oa loja das col
do Crespo n. 13, de Antonio Correia de
cellos 4 C
Veodem-se duas casas terreas, peques, rm
chaos proprios, sitas na rna Imperial, rom a (rea-
te paro a via frrea, tem cacimba, e resdem mais
de 1 0/0 .-'O mez : a tratar na ra da
numero 22.
V
Vende-se nma escrava moca com ama cria
de 18 niezes, por precitao. sabe lavar t rana
mar : os prett ndentes Jinjam-se a roa da Gaia a.
31, primeiro andar.



Diario de pcruanilmco --- Heguudn Iclra Si le Julho de 1*5.
Grande liquidado a dinheiro.
Ka lo ja e armazeni do Pa> ao.
Ra da Imperatrix n. O de fia-
ma & silva.
Os dones c este estabelecimento tem resolvido li-
quidar suas fazendas por pregos baratissimos, s
cora o fim do apurar dinhein, e previnem as pes-
soas que negociam em pequea escala coro fazen-
das, que nesla toja e armazem encontraro un
grande sortimento por presos que milito Ins bao
de agradar, tanto em peja como a retalho, a sa-
ber :
Chitas largas a 200 rs.
Vendem-se chitas francezas, listradas muito lar-
gas, padroes escuros, pelo barato prego de 00 rs.
o covado, tendo muito bom panno -, ditas escuras
padroes novos, por serem todas escossezas e cor
fixa a 240 rs. o covado ; ditas miudinhas escuras
e claras a 240rs.,affiancando se que esta fazenda
nao tem o mais pequeo loque de mofo, nem outro
qualquer defeito. Istos o Pavo, na ra da lni-
peratnz n. 60 de Gama A Silva.
Espartilhos, na loja do Pavio.
Vende-se tira bonito sortiinenlo de espartilhos
propnos para senhoras, sendo dos mais modernos
e bem feitos que tem vindo ao mercado, tendo de
todos os lmannos e de diversos precos trazendo to-
das as competentes fitas para apenar. Isto s na
loja doPavo, ra da Imperatriz n, 60 de Gama
& Silva.
echincha
Lazinhas a 320.
Laazinhas a 320.
Laazinhas a 320.
Cbegaram para a loja do Pavo as mais bonitas
laazinhas suissas de qnadrinhos e listrazinhas a
imitago de sedas por lerem muito lustro, sendo os
padroes mais modernos que tem vindo ao mercado
e muito ieveziuhas, vendodo-se pelo barato preco
de 320 rs. o covado, sendo razenda que sempre se
venden por CiO rs. Liquida-se por este barato
preco na loja e armazem do Pavo, na ra da Im-
peratriz n. 60, de Gama 5c Silva.
Leticinlis para mito a 240 rs.. na loja
do Pavo.
Vendem-se finissimos lencos brancos com dnas
cercaduras, sendo urna de cordo e oulra de eores
matizadas, muito finos, a imitacao de linho, pelo
barato prego de 2,5800 a duzia, ou 240 rs. cada
uh : isto s na loja e arraazam do Pavo, na ra
da Imperatriz n. 60, de Gama A Silva.
Laazinas a 300 rs.
Laazinhas a 300 rs.
Laazinhas a 300 rs.
Vende-se um bonito sortimento de laazinhas pro-
prias para vestidos e soutennarques por serem li-
sas e de qnadrinhos pelo barato prego de 300 rs. o
covado, sendo fazenda que sempre se vendeu a
500 rs. o covado, e vende-se a dinheiro a vista pe-
lo baratissimo prego de 300 rs. o covado : na loja
do Pavo a ra da'imperatriz n. 60 de Gama &
Silva.
Pelerinas a i 600.
Vendem-se as mais ricas pelerinas ou romeiras
de eambraia bordadas propnas para hombros de
senbora pelo baratissimo prego de 15600 na ra
ca Imperatriz n. 60, loja de Gama & Silva.
Organdy a 240 rs. o covado.
na loja do Pavo.
Vendem-se as mais bonitas cassas organdys, pa-
droes miudos e grandes, pelo baratissimo preco de
240 rs. o covado (doze vintens), esta pechhcha
araua-se logo : na loja do Pavo ra da Impera-
triz n. 60, de Cama & Silva.
I1RETANHA DE ROLO A 35000.
MadapoIO eufestado a 3#OO0>
Na loja do Pavo.
Vendem-se pegas de bretanha de rolo com 10
varas a 35. ditas de madapoio enfestado a 3*20<>,
:-3-i<''" e i5 : na loja do Pavo, ra da Imperatriz
d. 60, de Gama & Silva.
Madapoio com toque de mofo a li? 500 e 7$
Vendem-se superiores pegas de madapoio, ga-
rantindo-se 20 varas em cada urna, pelo baratissi-
mo prego de 65400 e 75 por terem um pequeo
toque de mofo que nada val, e pegas de algodo a
45 : na loja do Pavo, ra da Imperatriz n. 60, de
Gama & Silva.
Cortes de casemiras a 2o00 r 3.5
Vendern-se cortes de casennra de urna s cor a
25500, ditas de. quadrinhosa 35 '- na loja do Pa-
vo, ra da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Chales a 20000
Vendem-se chales de merino a 25, 25500, 55 e
65 : na loja do Pavo. roa da Imperatriz n. 60, de
Gama & Silva.
Liaiidhas a 220 rs., na loja do Pava
Vendem-se laazinhas transparentes de nina s
cor e de quadrinhos proprias para vestidos de se-
nhoras e meninas, pelo baratissimo prego de 220
rs. o covado, sendo fazenda que sempre se vendeu
a 500 rs.: na loja do Pavo, ra da Imperatriz n.
60, de Gama & Silva.
Cortes granadinos a 12;>
Vendem-se os mais ricos corles de fazenda de
rouita phantazia por ser transparentes e tecldos
com seda, tendo cada corte 22 covados, pelo dimi-
nuto prego de lis : nicamente na leja e arma-
zem do Pavo, ra da Imperatriz n. 60, de Gama
& Silva.
Bornonts de renda na leja do Pavo
Chegaram os mais ricos bornouts de renda e se
vendein por baratsimos pregos : na loja e arma-
zem do Pavo, ra da Imperatriz n. 60, de Gama j
Silva.
Ricos chales pretos de renda
Cbegou pelo ultimo vapor francez um grande e
variado sortimento dos mais ricos chales pretos de
renda, tanto de linho como de seda, tendo entre
eltes muilos de pona redunda a emitago de man-
teletes e muitos com o centro de cor, e vende-se
por pregos muito em conla por terem sido manda-
dos vir de conta propria pelos donos da loja do
Pavo, ra da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Laazinhas lisas a b'00 rs.
Vendem-se as mais modernas laazinhas, tendo de
todas as cores, pelo barato prego de 500 rs. o co-
vado, larlatana branca e de cores a 800 rs., fil liso
branco a 800 rs. a vara, cortes de fil brancos lisos
a 65 : na loja do Pavo, ra da Imperalriz n. 60,
de Gama & Silva.
Chapeas de sol de alpaca
Vendem-se superiores chapeos de sol de alpaca
a 35500, ditos de seda inglezes com 16 aspas a
125 : na loja do Pavo, roa da Imperatriz n. 60,
de Gama & Silva.
Laazinhas transparentes a 320.
Vendem-se muito bonitas laazinhas transparen-
tes com palminhas de seda a 320, ditas Usas e de
varias cores a 220 rs.: na loja do Pavo, ra da
Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Cortes de las matizadas.
Vendem-se bonitos eortes de las matizadas, ten-
do 15 covados cada corte, a 55, ditos Mara Pia
a 65 e 85 : na bija do Pavo, roa da Imperatriz
n. 60, de Gama $ Silva.
ROUPA FE1TA
ROUPA FEITA
ROPA FEITA.
Na loja do Pavo vende-se um grande sortimen-
to de roupas feilas para hornera, sendo caigas, pa-
lelots e coUetes, tanto de panno como de casemiras
pretas e de cores ; deixa-se de mencionar os pre-
gos para nao se tornar enfadonho o annnncio,
afiangando-se qne o respeitavel publico achara um
grande sortimento por baratissimos pregos : na
loja a armazem do Pavo, ra da Imperatriz n.
60, de Gama & Silva.
Piche do gaze ven do jiaz.
Vende-se piche do gaz, verniz do gaz e estopa
da trra : oo armazem da bola amarella, no oito
da secretarla da polica.
SABONETA
BARATOS,
Vendem-se em duzias e a retalho, sabone-
tes aromticos e por pregos commodos; na
ra do Queimado loja d'Aguia Branca n. 8.
Agua Hoilde
para tingir cabellos.
Alm do chromacomo, acha-se mais a si-
gua Hoilde, preparaco ingleza para tingir
os cabellos, i8 pretendentes comparegam a
ra do Queimado, loja d'Aguia Branca n. 8.
Bonitas caixinhas
com perfumaras.
A Aguia Branca na ra do Queimado n.
8, receben um novo sortimento de perfu-
maras das excellenles qualidadesj bemeo-
nhecidas, vindo no mesmo bonijas caixinhas
de madeira invemisada, e outras de vidro,
todas com finas p erfumarias, e mui pro-
prias para presentes, as quaes sao vendidas
por precos commodus, na loja d'Aguia Bran-
ca ra do Queimado n. 8.
Toncas de fil enfei-
tadas
a 503 rs. cada urna.
Vend m-se na ra do Queimado, loja da
Aguia Branca n. 8.
Espelhos dourados.
A Aguia Branca, recebeu novamente um
grande sortimento de espelhos de differen-
tes qualidades, sendo de mordura dourada,
dita envernisada, oulros de dita envernisa-
da com vivos dourados, tendo diversos ta-
manhos, at grandes para salas, e bem as-
sim outros de armaco com um e dous ps,
e outros com enconsto, todos os quaes se
vendem por precos commodos e dinheiro
vista: na ra do Queimado, loja d*Aguia
Branca n. 8.
Bom papel almasso
pautado com 33 lindas.
A Aguia Branca acaba de receber a sua
encommenda desse bom papel almasso, liso
e pautado com 33 linhas, assim como de
peso, tambem superior e igualmente liso e
pautado, cem cora imperial, e sem ella, e
j outros pequeos conforme os cima, e pa-
| quete, tarjado de preto folha grande e pe-
quena, etc.
Tambem recebeu envelopes correspon-
dentes a todos os tamaitos do papel, tanto
brancos como tarjados.
A commodidade dos pregos ja de todos
bem conhecida, urna vez que appareca di-
nheiro : na ra do Queimado loja da Aguia
Branca n. 8.
Dminos e visporas
em caixas de madeira.
A Aguia Branca na ra do Queimado n. 8,
acaba de receber domines em bonitas cai-
xinhas de madeira branga e envernisada, e
visporas de caixinhas de papelo, e madeira
envernisada, tudo conlina a ser vendido
por pregos commodos e dinheiro avista,
Gollinhas e punhos
bordadas para senhoras.
A Aguia Branca da ra do Queimado n.
8, vende-se mui bonitas gollinhas e punhos
bordados para senhora.
Lencos pequeos
r3ara meninos.
A Aguia Branca, na na do Queimado n.
8, recebeu nm novo sortimento d'aquelles
lencoi brancos, pequeos e com barras de
cores, proprios para meninos, e aiuda sero
uendidos pelo commodo prego de i #000 a
dnzia.
Metas de cores
para creangas de 6 a 12 mezes.
Vendem-se na ra do Queimado, loja da
Aguia Branca n. 8.
hosphoros de seguranca
caixas de 500 palitos a 160 cada urna.
Vendem-se na ra do Queimado, loja da
Aguia Branca n. 8.
Aspas fortes para baldo.
Vendem-se na rna do Queimado, loja da
Aguia Branca n. 8.
Esponjas finas para rosto
Vendem-se na ra do Queimado, loja da
Aguia Branca n. 8.
Metas pretas
de laia pararpadre.
Vendem-se na ra do Queimado, loja da
Aguia Branca n. 8.
09
en
es
ETBs -OOI rr'-< ai O O J
agg&8
.o SgticSSg
g 5.3 J -
f 3 -S"
g.o.5 2 3
o t o-ST
V -
o. <5 --. V. H
QiT352.-,2ta
I o
r*09 -i w 2
6 ,
o ce
o a-
5 en
I-a
cr>
a
|w
03
-1
EL3
Z S
11
a2.oHaO
D. o> o 2 o B
3o.o. elS^r^
CD

- <
3 .
a O
,3 g-g re
S.f 5. 5.2-9:
lili i*
cw o 3 o -i
os ? B".
a 0*2
5 2 2
O O v
T3
oa
09
_. 09
3
5
o_

a,
09

09
O
s
O
'a
>
>
o
N. 16 rua do Queimado.
Pemas d'ac, ^apei e envelopes.
Na antiga loja de mludezas a rna do Queimado
n. 16, acha-se um bello sortimento de papel al-
masso greve liso e pantado, primeira e segunda
sorte, dito de peso liso, pantado e de quadrinhos, e
de differentes qualidades at a que se pode encon-
trar de melbor, dito paquete, dito pequeo en cai-
xinhas, sendo liso, pautado, de quadrinhos, beira
dourada e tarjado de preto, tendo entre elles al-
gnns que trazem a envelope na mesma folha, o que
aqu inteiramente novo. Caixas de envelopes
niaiores e menores, e tarjados de preto. Peonas
d'aco ingieras, caligraphiras e outras qualidades,
todas dos afamados fabricantes Perres di C.
lbuns baratos na rua do Quei-
mado n. 16.
Vendem-se bonitos albuns para 13 retratos a
15o00, outros para 24 a 3O0O, e alguns maiores
tambem por baratos presos.
Luvas de plica a 500 rs. o par.
Apezar de nao serem antigs estao um pouco
mescladas as luvas de pelica preta e de cores, as
quaes ainda servem para a noite, e mesmo para
montara, e vendem-se a 500 rs. o par na rua do
Queimado n. 16, loja de miudezas.
Labvrintlios e lucos.
Na loja de miudezas a rua do Queimado n. 16,
vende-se bonitos labyrinthos e bioos das ilhas, te-
cidos em grade de llnha o que os torna fortes, e de
muita durado, alm de que os novos e agradaveis
desenhos, e a commodidade dos precos concorrem
para a boa exlraccao d'elles, tanto mais quanto
elles sunca sito desnecessarios em casas de fami-
lias, pelo que podem dirigir-se a rua do Queimado
n. 16, loja de miudezas.
Ruado Queimadon. 16, an-
tiga loja de miudezas.
Essa loja j tao conhecida, renovou e melhoron
o seu sortimento de perfumaras, onde os preten-
dentes podem encontrar de novo e bom.
leos philocome, superflne e babosa.
Banha una em frascos e latas.
Extractos linos inglezes e francezes.
Agua da colonia e florida.
Opiata e poz para den'es.
Extracto de quinquina para ditos.
Agua balsmica para ditos.
Dita denlrihce para ditos.
Leite virginal para sardas.
Vinagre de Venus para refrescar e conservar o
lustre da cutis.
Sabonetes camphorados inglezes.
Ditos areientos excellentes para maos.
Outros tambem inglezes de diversas qualidades
em caixinhas de tres e soltos.
Albuns com perfumaras.
Lja
mm$m
A antiga e bem conhecida loja de miadezas
rua do Queimado n. 16, acaba de ser novamente
prvida de differentes miudezas, novas e finas per-
fumaras inglezas e francezas, Invas de Jouvin, en-
feites para senhoras e outros muitos di-versos arti-
gos, que com prudencia e sisudez serao patentes ao
comprador, a qnem isso, e a regularidade dos pre-
cos nao ser indifferente para continuar com a sua
boa freguezia.
Antiga loja de miudezas a
rua do Queimado n. 16.
Nessa loja vende-se baratamente, alm de mui-
tos outros obje-ctos os seguintes :
Voltas de crystal, grandes e pequeas.
Outras de diversas qualidades.
Cruzes fraudes de pedras faltas.
Alfinetes de madreperola e outras qualidades.
Brincos a balao.
Cintos a traviata.
das seis portas em frente do Li-
vra ment
Ven4em-se chitas francezas escuras e bons pan-
nos a 240, 260 e 280 o covado, cassa franceza de
C3res Gxas a 240 o covado, nretanha de rolo a
25't0 a peca, cortes de casemira de cor escura a
45, bales de arcos 3, 30.500 e 4, e militas
outras fezeddas por baratissimos precos, e de tudo
se do amostras ; eambraia para forro a 2,5000 a
peca ____________________
Vende-se na rua da Cruz n. 38, armazem de
Mills Latham & C :
Saceos vasos.'
Pimenta da India.
Folha de Flandres.
Oleo de linhaca.
Louca ordinaria e Gna.
Cerveja do aspinall.
Cha.
Grande expsito de fa-
zendas.
Que estao a venda, na loja e armazem da Arara,
rua da Imperatriz n. 56, Lourenco Pereira Men-
dos Guimaraes.
LZIXHAS A 240 Rs. I
LAZINHAS A 240 Rs. I I
LZINHAS A 240 Rs. I I I
Ha nm grande sortimento de lazinhas chinezas,
ebegadas pelo nltimo vapor, sendo fazenda que
quaesquer loja vende a 400 rs., est se vendendo,
na loja da Arara pelo diminuto preco de 240 rs.
o covado.
MADAPOLO COM 24 JARDAS A 40500 I 11
MADAPOLAO COM 24 JARDAS A 4*5001 !
vende-se madapoio com 24 jardas e garantm-
do se que tem 20 varas, pelo barato preco de
45500, 55000, 65000 e 65500.
BRETANHA DE ROLO COM 10 VARAS
A 25800.
Vende-se bretanha de rolo a 25800 a peca, s
Mendes Guimaraes.
MADAPOLAO ENFESTADO A 35000, 35500
E 45000.
MADAPOLAO ENFESTADO A 3*000, 3*500
E 4*000.
Vende-se madapoio enfestado pelo o barato
preco de 35, 35500 f 45 a pera.
COLCHAS DAMASCADAS DE FSTAO.
Vende-se as mais modernas colchas de (usto,
tendo de todas as cores a 55500, ditas grandes a
65000, ditas de damasco a 45000, ditas de chita a
25240 e 15900, isto s por a cabar, na loja e ar-
mazem da Arara n. 56, Mendes Guimaraes.
LHITAS FRANCEZAS A 240, 260, 280 E 300 Rs.
CHITAS FRANCEZAS A 240, S0, 280, 300 E
320 Rs. O COVADO.
CHITAS INGLEZAS A 200 E 220 Rs. O COVADO.
Vende-se cambraias brancas desalpicos a 4*500
a peca, tambem ha um grande sortimento de eam-
braia brancas que se vendem a 35, 35500, 45,
55, 65 e 75 a peca.
CHALES DE MERINO A 23OOO.
Lencos de eambraia com barra de cores a 1*800
a duzia, ditos de dita branco a 2* e a 2*i00 a du-
zia, s Mendes Guimaraes.
CALCAS DE BBIH DE LINHO.
Vende-se calcas de bnm de linho a 3*ioO,
25600 e 45000, ditas de algodo a 2*, s Mendes
Guimaraes.
Soutambarques de cores, vende-se muito barato,
ditos grosdenaple preto, capas pretas vista se
rara prego.
PALITO'S DE ALPACA BRANCA A 4*500.
PALITO'S DE BHIM DE LINHO A 5*000.
ntremelos transparentes a 800 rs. ditos tapado
a 1*, ditos para babadoa 15000 cada urna tira.
ROPAS FEITAS.
ROUPAS FEITAS.
ROPAS FEITAS.
Vendem-se um sortimento de roupas feitas de
todas as qualidades, que a vista se (ara preco, e
outras muitas mais fazendas que se d;ixam de
annunciar, rua da Imperatriz n. 56, Mendes Gui-
maraes.
tto pon ras.
Chitas francezas larvas a p^qoeao kx;oe t
mofo, sem ser avaria, a res t)%s, a 240 rs. cova-
do : s na rna do Qneimado n. 17, ao p 4a hmi-
ca. Do-se amostras.
Novas sementes ehortalir*.
Chegaram no ultimo vapor franc.-z vindo da Ea-
ropa, nova- sementes de hortalita, na U-ni -r.fce-
cida loja de ferragens de Bastos, na roa da Cadr
do Recife n. 56 A.
rua da
i O, daj
R Vende-se 40 palmos de terreno o
ncordia : a tratar na roa do Alecrim n
3 horas s 5 nos dias uteis.
I Fumo da Bahia para |
charutos.
Efi Vende-se fumo superior de todas as S
^R qualidades, a retalho e pnr atacado, e wS
fj por precos commodos, no Recife, rua da 50,
| Cacimba n. 1.
mwmrntmm
Farelo
a 4* a saeca, das maiores que ha : na rna larga
do Rosario n. 50, taberna qa esquina.__________
Sementes.
Vendem-se sementes de ncrtalicas muito novas:
rua da Cadeia n. 50.
avaria do.
Francez barrica 55000
Porlland idem 8*500
Em perfeito estado:
Francez barrica 10*000
Portland idem 12*000
No armazem de Tasso Irmaos caes do'Apollo.
Vinho do Porto superior em caixa de duzia,
tem para vender Antonio Lniz de Oliveira Azeve-
do A- C, no seu escriptorio rua da Cruz n. 1.
TaVso Irmos
vendem gesso em p para estuque de casas, tijolos
finos de feitto diversos para ladrilho, azuleijos de
I diversos gostos, tijolos vidrados para parede de co- '
zinha, canos de barro para esgoto, cemento em :
barris de 10 arrobas.
ESCBAYOS HIGIk;.
Escravos fugido>.
Ao amanhecer do da 16 do correle mz fu*>-
ram os escravos seguales : Theodoro. n e
Dacao, alto, ebeio do corpo, maii-r de 30 aonos,
barba bastante reote, falla custo.-a, e quaoio pro-
nuncia as palavras, os labios qoe sio gro-n*, tre-
men) alguma rousa, tem no branco r! 1
(ipios de carnosidade; Vins.-imo, mnla'o, m
pouco claro e altitma rom-a palid.i. .
ra regular, tem marras de b-xigas e t>pinr.< m
rosto, os dentes limado?, as pernas com l;v.:rv
e largas cicatrizes, e anda como qoem Irm fonos
nos pes : quera os apprcheoder pM tonvhi
seu senhor em a rua da Aurora o. 32. re oe
qoe ser bem recompensado.______
Fugio na noite de M para JO m corr-cie
mez, do sitio do Sr. Dr. Augusto F. de Oliwtra. sa
ponte de l'cha, o seu escrav< de nome Loiz, u-
si que braBco, tendo no rosto marcas de beiigas
bem vilveis, cabello ann>>lado, baixo, reino
bem fallante, e de cerca de 28 aoro- de idad-, --
vi.u camisa de baeta encarnada e chai O de ;*.na
novo, suppoe se qu" vagueia nesla eidade !o l;-< 1-
fe ou pelas suas circumvisiohancas : quem o *?
prehender e levar ao sobn-dilo sitio, uu M t- : ,-
torio da praca do Corpo Santo n. 17, primen 1 an-
dar, ser generosamente recompeosado.
Aviso aos capiteles "de""
campo
Ausentou-se o escravo Mano-'l que j foi e- -*
vo ao Sr. Joo Ferreira Taboza senbor do eng^ttMo
Vertente da comarca de Ctruar, e depo,? de
seu fllhoJoo Ferreira Taboza Jnior reudtirodo
engenho Rede de Sanio Anto. cojo escravo tem os
signaes seguintes : alto, pouca barba, falto de
dentes na frente e o melbor sif nal ler os d-iios
estufados para fora bem visivel : qnem o pe-.-ar
leve-o a rua estrena do Rosario n. 5, qoe .--ra
bem recompensado.
Fugio no da 16 do correte a esrrava mula-
ta de nome Suzana, idade 40 annos, rr.m- 00 mo-
nos, baixa, rheia do corpo, com falla de dentes na
frente, cabellos estirados, levon ve-tido de chita
escura e panno da Costa : roga-se as antoridadey
ooliciaes e capiles de campo sna captura n;r
garem-na praca da Independencia os. 14 !
Protestase contra qualquer pessoa qm: a t- i.tu.
acontada.
Fugio em principios do mez de everer- 01
corrente anno e i-onbta estar amulad" bhM e:<\At
o moleque Euzehio, escravo da vinva i!.j Dr. Fer-
nando Affoosode Mello, de 12 annos iie idade ros-
co mais on menos, cor preta, serr do corpo, 0.00
regulares e afumacados, cabeca um pouco gr^oo
e meia chata, beicos finos, denie> 1 m i\ 1*. w>:
seceos e muito ladino : roga-se por iani< a lid-- ai
autoridades policiaes e rapite.-de canpo qm
prehendam e levem-o a rua da .Manpi:eira MMlil
n. 6 que serao gratificados, protestando-*.- nsaroos
melos judiciaes contra qualquer pessoa qne o tcon
em seu poder.
Anentou-se no da 2 do corrente ao meic"a"iav
da casa da rua do Imperador n. 16. o preto euiimn-
do, crionlo, cheio do corpo, altura r-galar, mato
comprido, olhos pequeos e pouca barba, osa su>s-
sa e bigode, bastante Udino, representa ter 5
annos, ponco mais ou menos, e jolga-se ler levado
calca preta e camisa bracea ; esle e*rravo foi ros-
prado ao Sr. coronel Calvar-. do Limoeiro, para -va-
de se julga tenha fgido, mas ha quetn o tente
visto na Passagem da Magdalena. Remedios e Vr-
zea; e como se deconfia que esteja acontado,
protestase proceder conlra quem o liver aeolb:do,
e pede-se a quem delle der noticia on o agarrar,
que dirjase a sobredita ra-a. ou a roa do Crespo
n. 13, que ser recompensado.
Attencfto.
Vende-se o deposito da rua Nova n. 61, bem
afregnezado e bem sonido : a tratar na rna do Li-
vramento n. 34.
s:
4 E I. DA S.
LISTA GERAL.
DOS PREMIOS DA O. PARTE DA t, E I. DA I. LOTERA, A BENEFICIO DA SANTA CASA DA MISERICORDIA CONCEDIDA POR LE PROVINCIAL N. 537, DE 21 DE JUNHO 1862,
PAGAMENTO DE DESPEZAS J FEITAS COM O TRATAMENTO DE ENFERMOS POBRES REMETTIDOS PELA POLICA, EXTRAHIDA EM 29 DE JULHO DE 1865.
PARA
NS. PREMS. NS. PREMS. NS. PREMS. NS. PREMS. NS. PREMS. NS. PREMS. NS. PREMS. NS. PREMS. NS. PREMS. NS. PREMS. NS. PREMS. NS. PREMS. NS. PREMS. NS. PREMS. NS. PREMS. NS. PREMS. INS. PREMS.
1 65 203 65 372 65 552 105 744 65 958 65 1109 65 1279 65 1430 65 1604 6* 1790 65 1962 65 1151 65 2310 65 2473 111-3 26*8 65 M 6*
18 4 73 56 65 54 60 105 14 80 36 5 10* 92 63 58 105 11 86 65 90 36
22 6 74 59 63 61 6* 15 . 82 41 1 10* 94 105 67 63 65 12 _._ 2500 _ 91 iu oxm
24 10 78 61 64 62 18 83 43 9 65 98 6* 69 67 105 17 __ 2 92 43 MU
30 11 205 79 69 405 66 64 20 88 _ 51 10 1802 76 __ 75 65 20 3 8 93 __
31 12 6* 83 70 65 71 68 21 91 60 22 _ 5 83- 10* 79 21 _ 94 _ _
36 17 86 71 73 " 71 105 22 93 1:200* 63 23 14 84 65 83 24 14 ?0* 97 _ 54 10*
42 22 94 72 81 72 65 23 96 6* 65 24 16 86 86 26 16 65 2700 _ 62 6*
43 25 96 80 83 73 24 97 69 26 __ 18 87 89 28 405 26 1 64
49 33 97 87 85 78 31 99 77 27 __ 22 _ 88 90 33 65 29 4 ^_ 65 _
53 34 402 __ 88 205 91 80 34 100* 1301 _ 82 31 mm 23 89 95 42 30 12 ^^ 66 _
62 36 11 ___ 89 65 94 83 38 6* 2 105 92 10* . 32 ^_ 26 90 98 51 __ 32 15 _ 68 mm
63 43 13 _ 93 95 86 41 4 65 96 b* 36 _ 36 93 99 57 33 20 ^_ 70 __
69 105 45 10* 14 _ 94 105 97 89 46 10 1513 20* 37 1005 37 20* 97 , , 2203 6:0005 62 36 24 __ 71
74 65 47 b* 16 601 65 98 90 47 12 14 6* 20* 45 65 42 64 2006 1005 11 6* 64 40 _ 30 73
76 82 ** 50 18 3 801 1002 54 14 15 48 43 10* 8 65 17 69 41 _ 37 74
--- 51 27 6 2 3 61 16 19 65 49 46 65 9 19 75 43 ^_ 38 7
89 55 29 10 6 6 62 23 22 55 47 20* 10 _ 21 76 48 _ 40 84
92 ^^ 60 36 11 9 16 64 25 27 59 49 6* 11 __ 22 78 50 _ 41 _
97 ^~ 67 40 16 405 10 19 67 30 28 _ 60 57 10* 16 M. 2o _^ 81 56 40* 47 ^^ 87
101 69 46 17 65 14 20 69 35 29 _ 62 59 6* 24 __ 26 __ 82 58 65 51 ^_ 89
2 __ 73 ~ 47 19 19 25 74 39 31 ^ 63 63 25 __ 27 H 83 60 105 52 mm 90
4 _ 79 105 52 22 22 26 79 41 32 _ 67 64 om 26 __ 28 __ 91 62 6* 53 ^_ 92
5 ^_ 81 405 53 24 105 23 27 84 42 33 205 78 - 69 __ 30 ^_ 34 _ 94 63 55 ^^ 97
6 ._ 82 65 57 26 105 24 29 85 43 37 65 84 75 __ 42 __ 48 --- 95 68 56 ^ 2906
7 __ 83 60 32 6* 26 20* 31 86 50 20* 41 85 78 ^_ 49 50 _ 97 10* 73 59 ^^ 13
10 84 *" 66 38 28 65 41 89 - 53 6* 42 mmm 88 81 51 --- 51 2403 6* 75 62 mm 14
14 86 87 89 92 ^" 74 47 40 205 42 98 56 45 _ 93 82 205 52 56 --- 5 86 64 ^ 20
20 75 205 67 42 65 44 1204 61 47 ^_ % 85 65 54 57 --- 6 92 66 *H 25 10* 6*
24 ^" 76 65 71 43 45 11 63 51 _ 98 90 57 59 --- 11 93 67 ^ XI
25 78 73 49 46 12 64 53 mm 1704 93 __ 59 --- 63 --- 13 2605 _ 68 ^ 30
28 304 79 75 55 51 13 66 54 M. 13 _ 97 61 68 15 7 __ 69 __ 31
29 5 91 78 58 52 14 67 55 __ 17 mmt 1905 63 - 69 405 23 15 72 __ 33
34 9 504 89 64 53 19 70 57 18 __ 8 64 105 70 65 25 ^^ 22 82 37
36 li 5 90 66 54 20 77 60 --- 22 __ 11 66 65 78 28 ^^ 23 84 _ 49
39 17 9 _ 91 10* 79 55 23 83 62 __ 26 _ 17 M 77 79 31 26 93 __ 53
40 19 105 10 98 6* 87 205 57 105 24 90 68 _ 30 0t 18 _ 82 81 10* 36 30 94 _ 57
51 20 6* 11 _ 700 90 65 59 6* 28 92 69 ^^ 39 _ 23 __ 84 82 6*, 37 _ 31 _ 96 _ 60
52 1 14 10 97 66 33 96 70 44 _ 26 85 85 40*, 42 __ 46 mi 98 100* 62 ^^
55 24 21 12 v 902 -68 34 1400 75 48 28 -- 86 90 6* 44 a^a 47 mm 2803 6* 3 ^m
59 26 24 14 8 / 72 37 t6 77 54 _ 29 nt 2100 _ 92 "l 47 mmm 48 ^t. 4 7o ._
62 32 25 15 9 73 39 7 . 83 55 34 1 93 -! 51 _ 55 ^ ft 80 aamm
66 35 28 16 12 81 41 11 84 --- 62 38 mjm 3 95 55 __ 60 _ 7 _ 82
68 _ 37 30 22 24 86 57 12 86 64 43 13 97 56 66 ^ 8 _ 83
72 51 31 - 24 25 87 60 14 90 65 _ 52 16 10* 98 57 68 ^ 9 88
77 52 33 28 28 4O05 95 61 16 92 70 53 20 6* 99 60 10* 69 __ 14 89
82 54 40 31 39 6* 96 62 " 17 93 205 72 55 24 2301 61 6* 71 18 10* 94 ^m
86 59 45 36 44 1106 65 18 96 65 75 56 30 4 66 72 mm 19 6* 96 ^mm
90 64 48 - 42 45 7 69 23 98, 80 57 10* 31 5 67 73 40* 22 9f ^P
98 65 50 43 55 8 77 26 99 10* 85 58 10* 44 9 72 - 83 6* 24 3000
h ( ) escrifJo, J ot Pedro di w Nev, i Pern. typ- ieM. de F. Faria & Filko li $65.


/
Diarlo de reniambuco Segunda lelra Si de Julho de !W6.
' UM POLCO DE TUDO.
Do Jornal de Lisboa, transcrevemos o seguinte :
o TABACO.
I
D. Antonio de Truena, diz o Jornal do Porto, es-
piritaosisslmo eseriptor hespaoho*, muito estimado
plmente polo seu gracioso Miento do narra-
dor, bomem que adora o lab; co.
Ouvo as declamares quotidianamente publica-
das contra o fumo e responde-I los sorriodo sem
tirar nunca o charuto dos beigos.
- Ha tempos disseram-lho que toda a medicina re-
prova o uso do labaco.
Trueba deuso ao trabalho de coordenar una
e mstica curiosissima, da qual resalta de que 100
medico* 9o fumara.
Us ciuco restantes dzem que nao fumara porque
padecem.
Trueba diz que padecem porque nao fumam.
Din diccionario, publicado em Madrid pelo Sr.
Lij.ioguez, cjiii o adjutorio de sua esposa, c a
paiavra fumar a definigo seguinte : vicio do
rumo.
Trueba cseandalisou-se por llie chamar .vicioso
un humein que nao conliecia, como o Sr. Donnu-
guez, e que o nao conliecia porque Trueba jura
que nunca em das de sua vida o consultara.
O eseriptor hespanhol indagou cnio as causas
que obrigaram Domnguez a dirigir-llie tal insulto'
e soube que a defiuicio referida era da lavra da
esposa de Domnguez, a qual a cscreveu para se
vingar do marido, que fuma sempre.
Em u na reuuio oode se discuta o tabaco, di-
zendo varias pessoas que o uso delle abreviava a
existencia, Trueba pedio a todo; os presentes cujos
avs fumassem, que se collocassem sua direita,
aquellas cujos avs nao fumavam ficaram es-
querda.
Pegou-se entiio em papel e lapis e tomon-se nota
da idade em que falleceram os avs dos individuos
da esquerda e dos da direita.
A somata deu em resultado muitcs annos de vi-
da em favor des fumistas.
Este argumento nao leen replica.
Trueba levou mais longo o sea amor ao tabaco,
s pablicon ltimamente um artigo intitulado
Fumines, no anal ?rtgo tenia provar que o u.-o do i
tabaco de fumo nao vicio, mas virtude.
Os diccionaristas que ptofessam opiniao contra-
ria sao brhantemente escorchados oeste es-
cripto.
Entre varios predicados benficos attribuidos ao
tabaco, Trueba cita os segnintes exemplos.
II
Ura rapaz a quem tnorrera o pal havia nm annoi
soube que enfermara gravemente um seu vizinlio.
Foiv-lo e pergaoton-lbe :
Como te achas ?
Mi!. Se queres alguma cousa para teu pai,
dize-o, que me parece que vou v-i) qualquer
da.
Deixa-te disso, liomcm : tu nao has de mor-
rer assim.
Morro, smto--que morro com certeza... Com
que, v l s queres alguma cousa para teu pai.
Tu nao morres, a s*ym orre res nao vais para
O co, e se lores nao topas 15 com o autor dos meus!
dias, c se o topares esqueces-te do meo recado,'.
mas se por ventura te lembrares, dize-lbe l que
ce,'- mande dizer onde demonio metltu o seu ca-
chimbo velho, que eu ando a procurar desde que
ee me voou ta ierra.
III
Passavam por urna ra de Madrid dous gallegos j
c um andaluz.
Depois de beberem um trapo em um armazemj
de vinho, virara que Ibes sobrava um viniera.
Que luvemos de fazer deste viniera? pergun
tarara.
Compra-se cora elle um charuto, alvitrou o
andaluz.
Compraram de feito um bom encarado ha-
vano.
E agora ? exclamaran! ao ver quo o charuto
nao tiuha mais quo una penta pela qual era nnpos-
sivel que chnpassem es quatro.
O andaluz meditou um tanto o sabio-se com esto
brilhante expediente, que so um fumador de lei
podena ler :
A cousa simples, disse elle ; sentero-se vo-
c* ahi defrente, ageiiem-se eommodamente ; ago-
ra vou eu fumar o charuto e voces lero o prazer
de olhar para mim.
E assim se fez, Ccando o andaluz milito regala
do com a sua racac de fumo, e os gallegos muito
alegres com a sua racSo de vista.
IV
Na aldea natal de Antonio de Trueba, passavase
urna noito de invern ao canto do lar.
O prior da tieguezia lia um capitulo do livro de
Job e todos os concurrentes choravam como casca-
tas, excepcao de um lio de Trueba.
O' Francisco I disse he o velho prior, pois
tu nao te comrooves? nao te entra nessa alma o
padecimento deste grande marlyr?
Eu nao, padre prior. Eu soffria isso e muito
mais, porque nada me acovarda, lendo eu s or-
dens bom tabaco como por certo havia de ter o
Job.
Qual tabaco nsm qual historia I se nesse
tempo anda se nio fumava I
Entiio differente o caso, passo a lamentar
esse infeliz.
E o lo de Truel: a desatou a chorar como se lhe
houvessim esprimido urna cebla nos olhos.
Lord Broupham pronunciou ha das um discur-
so, n'uma reuniao publica, convidando os seus
compatriotas a unir os seus esforcos aos dos Ame-
ricanos que tratam de instruir e educar os negros,
para os tornarem dignos da liberdade a que a na
cao os charnou :
Alguns observadores notan qae os palies onde
o goverao adrnilte a escravidao sao, por urna coin-
cidencia notavel, os mais submissos santa madre
igreja, quer dizer o governo hespauhol e o do
Brasil.
Sao estes os paizes era que<#e reunem mais es-
molas para tirar a.mas do purgatorio, e nao se faz
nada para se tirar Untas mil almas deste inferno
tao real e to palpavel que se chama escravidao.
E noquerem que protestantes tenbam cerlos ca-
rblicos como pag ios.
O diploma inaugural que deve jurar todo o re
Nenhuma lei do celeste imperio prohibe a cultu-
ra do tabaco, que se faz em alia escala.
O celebre Eudlicher nao se pronuncia acerca da
origem do tabaco chines.
ila razoes para so acreditar que a sua origem
-ma do labaco de Europa, porque na China o
tabaco de cheirar nao excede a um seculo e o de
cachimbar s se generalisou depos da aclual dy-'
naslia, antes da qual as leis da China o prohibiam,
sem duvida por serem de oso estrangeiro.
Nao ha livro antigo que faca menguo do tabaco,
o que nao dir' a poslendade a respeito deste se-
culo, era que homens, mulheres e criancas fu-
mara.
As trtaras nunca sahem sem levarem na mao
um grande cachimbo.
Urna mulher de elevada posicio sempre acom-
panhada por urna creada, que nao tem oceupago
senaoa de carregar o cachimbo de sua ama.
Foram os misionarios portuguezes que ensina-
raraos Chas o modo de preparar o tabaco de
cheirar.
Foi gravemente ferida em Madrid urna mnlher
de m vida por um soldado, ordenanza do ministe-
rio da guerra.
Era urna rapariga de 24 annos e tinha relacoes
amorosas com o soldado.
Entendendo dever acabar com ellas, deu parte
ao amante da sua resolucao.
Este que nao quera annuir ao rompimento en
fureceu-se ao ouvir tal declarago e tirando a
bayoneta quiz fe ir a mulher, que s pode evila-lo
fugindo e chamando por soccorro.
Nao desisti o soldado do seu proposito e a noi"
te foi co!locar-se a porta da que tinha sido sua
amante.
Quando ella vinhaa sahir, perguntou lhe se an-
da eslava na mesma resolucao e em seguida deu-
lhe sete punhaladas.
A muliier foi iminediatamente conduzida para o
hospital-
O soldado fugio, e ainda nao conseguio a polica
bave-lo as mos.
Hungiia, antes de ser consagrado, eontm um
artigo que impde a obrigago formal de ser guar-
dada a corda de Sanio Eslevo em urna cidade do
territorio hngaro.
No lempo de Jos II, que por motivos nao quiz
ser consagrado, foi transportada para Vienna a co-
ra dii Hungra.
E' sabido que depois da queda do governo revo-
lucionario do Kossulh, tanto essa cora, como as
ootras insignias da realeza, foram enterradas oc-
ciiltamente as fronleiras da Turqua ; descoberta
alguns annos depois, foi a corda posta na fortaleza
de Ofen, em um sitio cuidadosamente guardado.
O imperador Francisco Jos ataba de restabele-
cer a diguidade de guerra da cora sagrada (desig-
nagiio offlcial), digsidade conferida ao barao Anto-
nio Nyary, membroda cmara septemviral, que
o tribunal supremo de justiga na monarchia.
V-se porlaulo que o imperador Francisco Jos
trata seriamente de se fazer acclaraar re da Hun-
gra, e os jornaes que defendem o sysioma unitario
do gabinete decahido recciam que se torne para o
diploma de outubro.
E' provavel que aos Allemes de Austria seja
costoso abdcarem a supremaca poltica exercida
sobre a melada oriental da monarchia.
O Wanderer, comtudo, habituado a sustentar os
direitos da Hungra, louva a mudanca ministerial;
diz esta folha que antes quiz/a que o re esco-
Ihesse o partido liberal moderado, eai vez de cha-
mar ao poder o antigo partido conservador, repre-
sentado pelo chauciller Majlath ; mas espera* que
lanto este como os seu* amigos levem a cabo a re-
concilacao segundo desoja o p.^vo hngaro.
O Memorial diplomtico trata de desvanecer os
recelos que mosira o Ost-Dculsche-Post de ver
ameaeada a constituicao de fevereiro e absorvidas
politicamente as popolaeSes allemaas e romanas
pela Huogria.
O navio americano William-Xclson, capilao
Smith, saludo de Anvers em principios de junbo,
achava-se a 26 do citado mez perto dos bancos da
Terra Nova. J
Era tripulado por 18 mai nheiros feonduzia pa-
ja a America 529 passageiros.
A acglomerago de tao grande njimero de pes-
soas lemhrara a possibilidade de una epidemia, e
por lauto alcalroou-se o navio. Quando se termi-
nava este trabalho pegou o fogo no poro.
O pnico invadi immediatamente todos os que
estavam a bordo e o* cscaleres que se lancaram a
agua nao eram suficientes para recolherem todos
os que preteiidam salvar-se.
Os infelizes desciam por cabos para o mar, e ao
ebegarem ahi procuravam collar ao navio para nao
lernunarem a vida as ondas.
Em cima esperavain-os as chammas.
nata de trezeutas pessoas se tinham refugiado
na opa; mas o incendio croecava a penetrar na-
qu.dia parte do navio de modo que desapparecia
qualquer esperanga de salvara i.
Havia ahi cento e olio creancas !
De repente estala um rnastro, iuciina-se e cabe
no meio da mullido roaeada de chammas.
Nao lia cabimento na alma para maior dr e de-
sespero do que o qae se raauileslou eniiio a bordo
do WilUam-Neiion.
Urna hora depois deste successo o navio tinha
de i parecido completamente.
As codas estavam cobertas de cadveres, des-
trozos e crazas.
Um moco que enlouquecera de dr, ra montado
cm urna praueba.
Outro <|ue lambein perder a razao durante o
incendio, vogava n'uma canasira cheia de galli-
nhas.
Ao passr pe rio de um escaler, atirou para den-
tro delle onze galliohas e de>appareceu as ondas-
No da 27 appareceu o Lafayetle.
Recolheu qoareota e quatro pessoas que tinham
eonsegoido saltar para us escaleres.
im navio russo liman, salvou terceiro escaler.
As eircomstancias deste horrivel incendio, nar-
radas por um dos salvados, compungem e dan o
convencimento de que se nao pode encontrar sup
plicio maior do que o de se encarar a aproxima,
cao da inorte, rodeando-nos por todos os lados
sem que a esperanca nos alent e convide a crer-
dono que comeoou a procura-lo e a cbama-lo cora
insistencia.
De repente, quando ia chamar o cao pela cente-
sima vez, ficou de bocea aberla, sem poder juntar
as moxlas.
O esforc.0 tinha produzdo urna deslocacao as
arlculacoes.
Teniendo que se lhe aggravasse o mal, foi bater
a pona de um medico.
da Fonseca, da ordem de Santo Agostinho e lente
jubilado em theologia e muitos outros doutores das
differentes faculdades.
Na tnanha do dia 16 de maio de 1612 foram to-
ram todas estas personagens ao mosteiro do Santa
Clara, com grande concurso de todas as jerarchias
da L'niversidade, e de muilo povo, estando a igreja
ricamente adornada e alcatifada com toda a pom-
pa propria e digna de tal fe.-ta, mandou o hispo de
Appareceu o medico janella, raasL. X..., Coimbra, D. Alfonso de Caslello Branco, e os mais
que nao poda articular urna paiavra, debalde pre- j adjuntos, abrir a sepultura da rain ha santa com
tendia fazer se c imprehender por meio de gestos e auluridade apostlica.
accionados me se perdiam na escuridao da noile.
Recorreu ao que lhe restava da voz. Eram al-
1 guns sons gaturaes.
O medico julgou por elle3 que algum ebrio o ti-
I nha vindo despertar, e por isso fechando a janel-
la dirigi ao enfermo a seguinte amabilidade :
V dormir e coza-a.
L. X..., que infelizmente nao padeca dos ou-
vidos, vingou-se da injuria do medico, dependoran-
do-se no cordao da campainha da porta, e tocando
como quera eslivesse louco ou livesse nisso o
maior prazer.
O medico, causado de aturar o que elle julgava
embriagado, desceu a escada, abri a porta de im-
proviso e dispensou ao importuno una tremeuda
bofetada.
Milagroso remedio !
O enfermo ia j articular algumas palavras de
agradecimeuto, quando o medico e dono do sopapo
salvador lhe fechou a porta ncara.
L. X... fallava como dantes.
E' o segrate o texto completo da allocuco de
S. S. Po IX, era resposla as felieilacoas que lhe
apreseatou o cardeal .uattei em-nomo do sacro
coliegio :
Confesso-me extremamente grato aos sentimen-
tos que o cardeal acaba de exprimir, em noiue do
sacro coliegio, e tanto mais me impressionam el-
les, quanlo os tempos se tornam cada vez mais
diliceis, tanto para os que governam, como para
os que sao governados.
O caminho do pontificado lodo de difliculdades
e desgostos; por isso o papa carece do auxilio de
Deus para tnumphar.
Confio nos vossos sentimentos e nos dos diver-
sos collegios de prelacia, e nos do de todos os bous
catholicos; porra infelizmente sao em graude nu-
mero os haraens, que reduzdos pola idea da un-
dado e da gloria, se enl'regam a outros senti-
mentos.
Leiara eiles as paginas da Escnptura Santa, e
all vero que quando o povo hebreu, seduzido pe-
las raesmas illusoes recusou o jiroplieta Samuel,
para ter o rt-i Sal, em vez da unidade, encon-
trou a dlvisao ; em vez de gloria, iunumeros cri-
raes e miserias, porque os s.-us res foram pela
maior parte mos principes.
i\o devenios tambera seguir o exemplo dos
dous operarios da parbola, dos quaes um, chama-
do ao iraballio, nao quiz ir, e o uulro promelteu,
mas depois fallou.
Unamo-oos, e animando-nos unsaosoutros.es-
quecaraos todos os interesses e vistas pessoaes para
pdennos dedicar aos interesses de Deus e da sua
igreja.
Defendamos os direitos sagrados desta igreja
pela paiavra e acedes, e se nao poder ser de outra
maneira, pela uracio e sanlidade da vida.
mereceremos assim urna cora de gloria in-
mortal.
Publicou a Nai;ao a seguidle noticia sobre Santa
Isabel :
Esta religiosa princeza, filha de I). Pedro III, re
de Aragao e de sua espos* a raioha D. Constanca,
foi dolada de grande fortosura e raras virtudes de
sanlidade.
Aberta a real sepultura, se vio dentro um ata-
de de madeira coberto cora um panno pintado de
vermelho, j bastante gasto ; esta va este atade
forrado por fora com couro de boi ainda com ca-
bello, sobre o qual eslava o bordao da rainha san-
ia, maneira de moleta, e em cuna urna bols^de
seda leonada e lavrada nella urna cruz a fio de
ouro.
Aborto o atade, encontraran! o santo corpo, ero
primeira face, em urna colcha branca de algodo
bastante grossa, mas sera damnifieagao alguma.
Desatada esta colcha, appareceu um lencol de
linho crti, todo perfeito ; c aborto este panno ou
lencol, se cncontrou outra colcha de algooao mai^
lina que a primeira, porem com a cor um tanto
amarellada, que se atlribuiu aos sros do corpo da
santa, poim ludo tao sao, rijo e sem corrupcao al-
guma.
Descoberlas estas raortalhas, divisou-se, e com
lagrimas de alegra, (.glorioso corpo da rainha san-
ta desde acabeca at ao peto do estado de perfei-
cao, todo inteiro, mui alvo e formse, que pareca
de puro crystal, langando um balsmico e suav-
simo cheiro.
A caneca conservava todos os cabellos mui lon-
gos, e louros que pareciara fios de ouro, lo saos
que pegando nuiles estavam mui tixos.
Cousa alguma apresentava que rno.-trasse cor-
rupcao.
De todo este acto se lavrou o competente e cir-
cunstanciado auto, que foi assigoado por todos os :
circuraslantes, tornaudo-sn depois a cohrir o corpo |
da santa raioha com ura pauuo de linho de Bol-
landa linissimo, conclisgaodo assim as mortalhas,
e lancaudo-se por cima ura panuo de vellud i
carmezim, se toruou a (echar o atade e mausoleo*
Logo em seguida as monjas euloaram com gran-
de msica o Te Deum Laudamus com alegres re-
piques, e todas acudirara a dar granas a Deus.
Por dous dias houve muito concurso ao inosl-i-
rode Santa Clara; houveram inultas lumina-
rias.
Depos disto, o bispo D. Alfonso Caslello Branco
lhe maudou fazer urna riquissima sepultura de li-
na prata, que cuslou muitos mil cruzados, alera de
trala mil cruzados que deu para a beatlficacao da
rainl.a santa, como consta do eptaphio seguinte ;'
D. Alfonso de CattUo Branco, bitpo de Coimbra,
fez esta obra em lonvor da rainlia santa, anno de
1611
ni WWW i
A dutrina homieopathica continua a fazer rpi-
dos progressos no rauudo.
Em Madridy um decreto da raiuha mandou re-
centeineute que se adoptassem as necesarias me-
didas na direceo, oslraccio publica, para se es-
tabelecerem cadeiras de chuica honi'.oopathica, po-
rem sem carcter acadmico o nicamente a titulo
de experiencia scienlifica.
Em Pars, um grande numero de operarios diri-
girara ao senado urna peteao, em que sollicitam
para poderem receber nos nospitaos, quando a ne-
ces.-idade ah os conduzir, os cuidados e o traia-
mento a que e.-lao habituados as casas de saudej
homrojpathicas.
Em Londres, no ixinquete da fundara > do hospi-
tal homoeopathico sob a protecgo de S. A. R. a
duqutza de Cambridge, o presdeme, lord Ebury,
declarou que desde a abertura desse hospital,
4:300 doentes ahi foram tratados ; e uo firr> do
banquete abriu-se urna subscripta/), que produsiu
As unroas noticias dos mlssionarios da ordem
de S. Domingos na Asi^confirmada pela recente
comraunicacao do PJDTWei Manuel Biano vigario
apostlico de Tonkin, dizem que nos annos do 1862
e 1863 se baptisa.am naquelle vicariato central
51,200 meninos e meninas fllh^s de pas inlieis,
apesar da lerrivel perseguicao qne os ditos raissio-
narios tem solfrido naquella parte da Asia.
O padre Biano preparava-se para reedificar qua-
tro csiabeleciraeulos que existiam antes da perse-
guicao, dous de meninos resgatados, dous de meni-
nas compradas a pais inliei, aonde sao criados e
educados chrislamenle.
j rombamento 7, assaada 5, alropeilaraeDio II, a*
I tentado ao pudor 6, baria ?, coatrabaado i, fnmni
2, d-sercao 4, desobediencia 76, desordem It-i,
embriaguez H, expolelo de infantes % esinpr. II,
alsidade 4, fogo posto 3, faga de radeia 7, fono
374, gasua e chavas falsas 10, homicidio 90, infao-
j tecidi 2, injur,., j|, jogo 13, loteras prohibidas 3,
moeda falsa 3, nome supposlo I, ofteo-sa corporal
191, perjurio 2, resistencia 15, roobo 106, sodocMa
3, ultraje ao pudor 40, vadiagem 9, trai-fress".,
83, depositarlos 7,soteeitH 172.
Infinitos foram os milagres que, tanlo era vida
como depois de morta, Deas obrou por sua nter- | contosde res, os quaes sero destiuados a compra
eesso, mas ura ios que mais sorprenden foi quan- de urna casa contigua ao eslabeleciraenio para so
do em ama jornada para Almerim, indo el-re
D. Diniz em companhia da rainha, damas, cama-
ristas e mais comitiva, todos embarcado*, o che-
gando a Santarera ao sitio onde se dizia achar-sc
co leito do rio o corpo de Santa Ira, segundo
aquelles bons costumes, todos fizeram oragao A
santa, e com tanta fe o fez a rainha, que as aguas
do rio se separaram e foi vista por todos a sepultu-
ra de Santa Ira no sitie em que se dizia existir.
Foi tal a impressiio que cansou esta maravilha,
que todos attribuiram virtude da rainha, que
urna sua dama, por nome D. Beringuela, logo all
fez a promrssa de doar e IWxar ao mosteiro de Al-
rnoster, das monjas Bernardas, melado do sen
pal de Alpiara, o que eflectuou tempos depois,
por escriptura de 12 de fevereiro de 1363, a qual
mui curiosa, nao s pela sua religiosidade, como
pela lnguagem em que est escripta.
Mandou a santa rainha edificar, a suas expen-
sas, o convento das monjas Benurdas em Almos-
ter, o convento da Trindade em Lisboa e o con-
vento de Santa Clara, e um hospital junto do mes-
mo era Coimbra, e para abbadeca do convento de
Santa Clara mandou convidar a mui virtuosa se-
ahora D. Isabel de Cordova, ainda sua parent?,
aragonoza de nago, e que se acha sepultada no
mesmo convento em magnfico mausoleo esquer-
da entrando no temido.
Dolou a santa rainha estes conventos em boas
rendas, como o certifica a nscripgao em letras
douradas que se l em urna lapide de marmore
preto que est collocada por cima da porta que vai
para, o sacrario.
Falleceu esta virtuosa e santa rainha a 4 de ju-
lho de 1336 na villa de Extremoz, d'ondo foi tras-
ladada para o seu convento de Santa Clara, era
Coimbra, aos 12 dias do mesmo mez e anno, e se
acha sepultada em um grandioso e raagestoso mau-
soleo feito de urna s pedra, onde se acham escul-
pidos os Passos da Paixao de Christo, os santos
apostlos com mullos rnalos, figuras, as armas de
Aragao, e como remate a este sumptuoso monu-
mento a esbelta e colossal figura, em vulto ao na-
tural, da santa rainha, vestida com o habito de
monja franciscana, como sempre foi costume de
nossos reis.
augmentar o numero das camas. Finalmente, o
eminente cirurgio Thomaz, w qual receben todos
os seus graus naunlversidade de Londres e ah r*-
cebeua medalha d'ouro, declarou publicamente quo
eslava firmemente resolvido a dedicar o resto da
sua vida propagago e defesa da nova douti na
era vista dos resultado que lhe ella deu na platica.
Em Vienna, existem dois hospitaes horaraopathi-
cos, em que a clnica feita diariamente como
nos outros hospitaes ; Loipeig e Munich tambera
(enunsliluiges clnicas de homceopathia. Finalmen-
te, no reino da Saxonia, reiua a maior harmouia
entre os allopathas e os lioaioeopalhas.
Diz um jornal de Marselha que seis mil mance-
bos, de 20 a 40 annos de idade celebra ram um
meeting no campo denominado Belle-de-Mai, e all
cora un aperto de mo juraram que nao havarn de
conlrahir os sagrado lagss do hymineu at nova
ordem, isto al ao momento era que se operasse
urna radical mudanca nos costumes das don-
zellas.
Abaixo os luxuosos e custosos vestidose adornos.
Nada de galanteios.
Abaixo os desejos e cubigas, que coslomam ter
as senboras de grande tom.
Fora cora a preguiga.
Venham os costumes simples e primittives, os
hbitos de economa domestica, de urna verdadeira
m a i de familia e esposa modesta.
Taes sao as condigSes impostas pelos celibaiario?,
antes de quebmrem o seu juramento.
O bello sexo deve pensar nisto com maduresa.
v0 caso mais grave do que se julga.
Ha 30 annos que ura veneravel ecclesiaslio, Mon-
senhor Beranger, recolheu sete pequeos, orphaos,
n'uma casnhola do arrebalde de Saint Marceau.
Alguns annos depois gragas a generosidade de
M. o conde de Noailhes, cujo nome andava sem-
pre unido a todas as boas obras, o modesto asylo se
converteu no vasto estabelecimenlo de S. Nicolau,
tao popular entre os operarios de Pars, e do qual
tem sahido mais de 13:000 aprendizes, e aonde ac-
sstijo
tualraente e.stao recolhidas mais de 18:000 crian
Acha-se collocado est real deposito no coro de: cas pobres em tres casas, das quaes duas estao no
cima do mesmo convento de Santa Clara.
Foi beatificada e-la santa rainha pelo papa Pau-
lo V, reinando em Portugal el-rei D. Felippe II
M>-SV<.
L. X... reeolhia para sua casa acompanhado de
um cao que muito estimava.
Como ja era noite feita o animal perdeu-se do
campo.
Depos de urna carreira de admiraveis sacrificios
e de dolorosas vicisitudes, monsenhor Beranger
O acto da bealifleaco foi celebrado com grande j atribulado pelas enfermidades legou a sua obra e
pompa era S. Joo do Bispo, presidindo a elle D. j os seas bens n-uraa associaco de homens caritati-
Affonso de Caslello Branco, bispo de Coimbra, e j Vos, de que presidente o rcebispo de Pars e M.
como seus adjuntos o bispo de Leiria, D. Alfonso de Noailhes.
Mexia, que depois foi governador do reino, o Dr. I ,
Francisco Vaz Pinto, desembargador do pago e A d.recgao dos estabelecimentos foi confiada Os
chacceller-mr do reino, o doutissimo padre Fr'an- jirmaos (lls escholas chri,&as' S8US instituidores.
cisco Soares, da Companhia de Jess, fre Izidoro -----------
E" do Sr. B. Costa esta
D1VAGAQA0 BETROSPECTIVA.
I
Amei-te, eras minha nica esperanga, meu s
pensamento e minha f!...
O amor que te tinha, ultrapssou os limites, do
amor volado s ereaturas da trra I
Idollatrava-te!
A tua imagem, de vestido branco, cabellos sollos
ondeando por cima dos hombros, e as pequeninas
raaos c.orrendo o teclado do pianno, como te vi da
primeira vez, era a minha continua vizao.
Feliz tempo 1...
Depois, veio collocar-se entre nos abarreira para
que nao tinha olbado.
Procuiei entiio, ver so venca o coracao pela voz
tria da razao... tarefa intil, qne rae mostrou a
impotencia em que eslava a razo de vencer o
coraciio.
Lancei mao de outro meio; ..... a embria-
guez !... nella encontrava o cu povoado de lindas
imagens, como outr'ora o tinha sonhado.
A belladona e o acnito, wgnac e o marrasqui
no transporlavam-me s regies do nfenito; pu-
nham-me em contacto com esses mil sonhos delira-
dos que fazem o deleite de urna imaginacao de
poeta; ao acCordar, porem, desse xtasis, apare-
came a la imagem, bella, mas de orna belleza
triste, que me raatava, com os olhos roxos d
chorar, enlao a rainha alma desprendendo-se do
corpo meio entorpecido ainda pela embriaguez,
voav a jufltar-se a tua.
Era um s momento de telicidade, de que con-
servava urna longiqua lembranca nos momentos da
razao tranquilla.......
O excesso, den-ni lestia, que durou seis mexes, e, em que, en, techa-
do em urna pequea cmara, aoude so-era visitado
pelo medico e pelo enfenneiro, padec o que a
peona nao dado descrever.
Por flm, a naturexa, venceu a molestia, c eu
levantei-me, passados seis meses, eonvalescente do
corpo, e sao da alma.
Aqu estou eu vendo mais de quatro a pergun.
tar-me, se a alma, tambem snjei i molestias; e,
eu, para manda-ios consultar um tratado de f$geo
logiii, mas nao sei se a tal eonsn trata disso -, o que
eu sei, que ficando bom da molestia, nao senta
aquella continua agitacao moral, que, nao me dei-
xava pensar em cousa alguma, alm do objecto de
que eslava limada a imaglnagao.
Entremos outra vez para a divagaro, pois minos
j a divagar nao sei por onde...
Quando me supuz curado n'alrna, como cima
deixo dito, enganei-me; pois que, nao era nada
mais que o *men amor proprio offeadido, que se
suppunha bastante a desligar duas almas quo esta-
vam unidas desde que Deus as transmiti aos
corpos.
Lembrava-me que durante seis meses nao lionas
tido urna paiavra de ccosolac/io, para me animares
no longo soflrimento, causado bem sabias por
que.....
A grosseria com qae te tratava, era a minha
vinganga, ou antes um martyrio, a que me obriga-
vam os meus amigos: momentos nava em que eu
me perguntava, o que furia no mundo; porque nao
me lirou Deus a vida, na longa laoleslia que tinha
tido, interrogava eu.
u suiciaio adejavava-me cora suas negras azas
pela mente mostrando-me o fim do solfrimento
mas, apparecia-me entao a tua imagem radiante
de luz, dizendo-'ne -espera I
K eu esperava.
Martyr como linha sido desse sentimento divino>
esperava na Providencia e em ti, a recompensa de
todos os solfrimentos.
As vezes figurava-seme verle assentada a som-
bra de.uma roseira, a destblhares a florinha, que
desabrochava ao sopro ca ido da brisa da Urde I
Outras vezes, dehrugada para o regalo namoran-
do-ie da tua sombra, que ippareeia as cristalinas
aguas, que mansamente se deslisavam ali, para
mais abaixo se quebraren! na cscala; ali cora a
fronte inclinada, mil pensa Tientos de felicldade te
passavarn na mente que todos me diziam respeito;
entao vinha a esperanca com suas verdes azas,
transmiltir novo vigor a minha alma, e eu conti-
nuava a esperar at que um da...
Aqu o borrao de que estou copiando, nao se
entende e eu dou por acabada a divagacao.
o*k-
O governo japonez, depois de tomar conherima-
to do relalorio dos doos eneenherros que liana ea-
viado a America, decidise a.rnandar ron-troir
quatio fragatas couracadas, as quaes formaraai a
base da sua nova esquadra de combale.
Esles vasos de guerra, encommendados a iodos-
tria particular, sero armados de pegas de graat
calibre.
N'estes oilimos tempos leem-se multiplicado aa
desioberias de livro, gragas ao cuidado ajae esa-
pregara os bomens iustrunlos para qae anda se
perca d'aquttU que pode Hojojojf o moviaieBto
lutellectual da humanidade.
Ullimarai'iil", em CoMBa, as ruinas de orna aa-
tiga habilaco romana, forain eQ.-.,oir.Jos alguos
fragmenios preciosos, ijue preencbeiu cerlas (ara-
nas dos Annaes de Tcito.
lloje, em Fucmo, na bibliolheca de uro coovea-
lo, que vai ser secuiarisado, acharn-se alguma- pa-
ginas inditas da Ripublica de C:-ero, e aigaaus
folhas de llvros perdidos da grande historia ti li-
to Li vio.
Foi o conego Biffl, que fez esu descoberta, e ja
annuuciou a prxima publicac.o d'essa obra, qut
tanto deve inl-ressar aja amibos das letras lau-
nas.
No Mxico, foram vendidos no mez Je saarco,
alguns livros perieueenles outr'ora a amiga nuncia-
tura apostlica.
Enlre esses acha se a grande obra de Poro: -u
Lilla, corn algumas notas medita- -criptas pela
mo do autor, completando os esclarecimeoios tor-
neados pela obra sobre a maior parte das groadas
c Ilustres familias iuliaaas.
Acaba de sabir a luz em Slockholmo orna coike-
gao de poemas I ricos devidos a peana do re da
Succia.
A obra contera cinco fo'has de irnpresvio.foroa-
to em oiiavo.
No frontispicio v-se urna vinhel3 r'presalando
a cifra do soberano, orlada de llores e com a pola
vraPuemctot.
O laclo seguinte, que lemos n'um joraal de Loa-
res, demonstra a verdade do proverbio latino jue
c :us:ii;ra a tloquencia do sileocio em eertos laates
eitraordinarios :
< O principe de Galles, coala o jornal a qae asa
referimos, assistio na segunda feira inaugurar)
da sala central do coliegio dramtico de May-
L'jry.
Depois de ter respondido ao discarso qae lhe di-
rigi Mr. It. Webster, director do Adelphi e presi-
dente do colle::iia, > principe vio desfilar por diante
dille lodos os pensionarios do estele -im-oto.
Ornis amigo dos tes, que iiavia sido desigoad-.
para dirigir um discurso a S. A. R., principioa as-
sim o seu tanta:
Os pensionarios do colleclo dramtico sesi-
tera tal prazer cora a pre.-enca de V. A. R. qae..
que...
E estacou.
Sim disse Mr. Webster, o- nossos peo-.c-
narios senlem Mi jubilo em ver V. A. R., qae z
podem exprim lo I
O espirito publico foi dolorosameole imprs sio-
uaii^ era P.iris con ura lamenUvel aconlecimeato
que all se deu.
Achava-se Mr. T le, '".Va,'. i ar,;igo administra-
dor do theatro Praacet, j mundo com algans aa-
gos cm More:, as proximidades de Footaicrbieao,
quando a casa em que tinha lugar a reoaio se
aluio sobre os convivas.
Mr. V le ficou iramediatamenle morto ; os sos
amigos mais ou menos gravemente le idos.
No anno de 1864 entraran) as cadeias civs da
cidade i:4o3 presos do sexo masculino, e 133 do
feminino, total 1:586.
Eram solleiros 1:231, casados 262, viuvos 93;
e 1:043 nao sabiam ler nem escrever.
Eram condemnados a prisao de 1 dia a 3 annos
100, a degredo de 3 a 15 annos 192, a degredo per-
petuo 71, a pena capital 2.
Estavam era processo 1:221.
Foram sollos duraute o anno 1:138, afuangados
Jo, removidos 31, para o degredo 303, fgido 1,
falleceram lo, ficaram existindo io.
Dos 1:586 presos entrados as cadeias civis da
capital no anno de 1864 erara 18 aguadeiros, 17
alfaiates, 5 almocreves, 3 alquiladles. 7 barbeiros,
15 caixeiros, 2 calceteiros, i caldeireiros, 8 can tet-
ros, 36 carpinteiros, 5 carroeeiros, 22 cautelelros,
22 cigarreiros, 1 colxoeiro 1 cordoeiro, 4 correc-
tores, 5 corrieiros, 9 cortadores, 3 costureiras, 26
cocheiros, 8 criados de servir e 120 criados, 7 em-
pregados pblicos, i estudante, 12 fabricantes, 4
ferradores, 11 ferreiros, 3 fonueteiros, 4 irapresso-
res, 7 lavadeiras, 1 fonileiro, 35 rnarceneiros, 12o
martimos, 9 mendigos, 44 mulheres perdidas, 3
moleias, 31 negociantes, 3 ourives, 8 padeiros, 16
pedreifts, 2 pintores, 1 presbytero, J^professores,
12 proprietarios, 63 sapafeiros, 3 senadores, 36
serralheiros, 2 solicitadores, 6 surradores, 1 tabel-
liao, 3 tanoeiros, 2 tinlureiros, 3 torneiros, 340 tra-
bajadores, 20 vendedeiras, 15 vendelhSes e 173
sem oceupago.
Os crimes de que eram aecusados esses presos,
tinham as segrales procedencias:
Abuso d'e couBanga 3, armas prohibidas 16, ar-
0 Gladiateur, cavallo francez, qae ha pooco foi
vencedor as corrida- d'Epson, Inglaterra, acaba
do tnumphar em Frang, as corridas do bosqoe
\ de Bolona. gauhando ao eo feliz proprietan I
' conde de Lagrange, a baga'.ella de 40 coalas de
j ris, e um objecto d'arte ofTerecido pelo isaperador
Napaleaa, de subido valor.
Apresentou-se as corridas a dispalar una ca-
vallo inglez, por nome Totlebtn, o qual foi rciaple
lamente batido pelos cavallo francezes.
O objecto offerecido peki imperador ao veaeedor
um escudo de prata cinzelado, represeolanlo i
cagada na poca de Lniz XV.
A Naro publica o seguinte Crfo Patritico ao
Constitucional, publicado por occasiao da revoia-
glo de 1820.
Creio em o soberano cooeresso oaciooal e pia-
doso, creador da liberdade i ortugueza e da actaal
consiituigao.
Creio em D. Joo VI, nico re nosso, o q&a! M
concebido de seu pai D. P-dro III; naseec de D.
Maria I, padeceu debixo_do podr do lyraaoo da
Europa, foi por esle opprimido e lyranortada; daa-
ceu do ihrono portognez a bascar refugio aas suas
Americas; resusritou ao lerceiro dia da sua parti-
da no corago dos Portogaears; sabio ao co sao
innocencia; est sentado a' direila dos corajes da
seus subditos, e lia de vir a julgar onido molaa
mente a' consiituigao os crimes dos rebeldes, aae
nao a quizerem reconheeer.
Creio no espirito patritico; esa a naidiils da
generosa nago portogoeza ; aa saata eaaaa, oa
dt-fende; na conimunicagao justa das ordaas aba-
lares e civis, e no perdi generosa dos ooe so ar-
rependerem ; espero na resoiratoa a aaUfo va-
lor e systeraa porluguez; na roma lotal dos egots-
las; no tnumpho da nossa sabia eoaatisaapo eco-
Ira o castigo dos malvados, que. alieam a saja da
discordia ; na vida e prospendade do rel a
Portugal. Amt^
PBRNAMBUCa-|TYP. DE M. F.DE ?.% FlUfO
^
\


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E8V4DV66M_QF42N6 INGEST_TIME 2013-08-28T00:22:36Z PACKAGE AA00011611_10730
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES