Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:10729


This item is only available as the following downloads:


Full Text
i
*
AMO U JfUMERO 172
Por qnarfel pago deutr de 10 dias do I.0 mez : i
dem depo/s dos i.0> 10 dias do comecoe dentro do qaartel. .
Porte ao correo por tres mezes ."....., ,
$000
61000
750
SABBADO 29 DE JLHO DE 1865.
Per anno pago dentro de 10 dias do 1. mez ,,,.,. 491009
Porte ao correio por nm anno........,.,.,, 3JU00
SNCARREGADOS DA SUBSCRIPgO DO NORTE
Parahyba, o *r. Aatonio Alexpodrino de Lima;
Natal, o Sr. Antonio Marques da Silva 5 Aracaty, o
Sr. A. do Leinns Braga; Cear, o Sr. J. Jos de
Oliveira ; Maranho, o Sr. Joaquim Marques Ro-
clrigues; Para, os Srs. Geraldo Antonio Alves &
Filhos; Amazonas, o Sr. Jeronymo da Costa.
ENCARREGADOS DA SUBSCRIPGAO DO SUL.
Alagoas, o Sr. Glaodino Falcan Oas; Bahia, o
Sr. Jos Marlins Alves; Rio de Janeiro, e Sr. Jos
hibeiro Gaspariulio.
PARTIDA DOS ESTAFETAS.
Olinda, Cabo, Escada e estacoes da via frrea at
Agoa Preta, todos os dias.
Iguarass e Goyanna as segundas e sextas feiras.
Santo Anto, Gravat, Bezerros, Bonito, Caruar,
Altinho, Garanhuns, Buique, S. Bento, Bom
Conselho. Aguas Bellas e Tacarat, as tercas
feiras.
Pod'Alho, Nazarelh, Lirooeiro, Brejo, Pesqueira
Ingazeira, Flores, Villa Bella, Cabrob, Boa Vis-
ta, Ouricury, Salgueiio e Ex, as quartas
feiras.
Serinhem, Rio Formoso.Tamandar, Una, Bar-
reiros, Agua Preta e Pimenteiras, as quintas
feiras.
AUDIENCIAS DOS TRIBUNAES DA CAPITAL.
Tribunal do commercio : segundas e quintas.
Belacao : tercas e sbados s 10 horas.
Fazenda : quintas s 10 horas.
Juizo do commercio: segundas as II horas.
Dito de orphos: tercas e sextas s 10 horas.
e sextas ao meio
Prmeira vara do civt
dia.
Segunda vara do eivel: quartas e sabbades a 1
hora da tarde. %
EPHEMERIDES DO MEZ DE JLHO.
8 La cheia as 6 h., 7 m. e 22 s. da t
15 Quarto ming. as 2 h., 6 m. e 46 s. da t.
22 La nova as 4 h., I m. e 40 s. da t.
30 Quarto cresc. as 4 h., 49 m. e 16 s. da t.
DIAS DA SEMANA.
2*. Segunda. S. Christina v.; S. Antimogenes m
2o. Terga. S. Thiago ap.; S Christovo m.
26. Quarta. Ss. Syrnphrouio e Olvmpio mm.
27. Quinta. S. Pantaleo medico;'S. Sergio m.
28. Sexta. S. Innocenci p.; S. Nazario m
29. Sabbado. S. Martba v.; S. Beatriz m
30. Domingo. S. Auna me da mae de Dos.
PREAMAR DE HOJE.
Prmeira as 3 horas e 18 m. da manhaa.
Segunda as 9 horas e 42 minutos da tarde.
PARTIDA DOS VAPORES COSTEIROS.
Para o sul at Alagoas a 14 e 30; para o noria
ata a Granja a 7 e 22 de cada mez; para Perau-
do nos dias 14 dos mezes de Janeiro, margo, mato,
jullio, setembro e novembro.
ASSIGNASE
no Recite, na livraria da praga da Independera
os. 6 e 8, dos proprietarios Manoel Pigoeiroa d
Faria & Filho.
PAUTE QFFICUL
GOTRRNO DA FROYMCU.
Expediente do dia 26 de julho de 1863.
Oficio ao brigadeiro ommanianiedas armas.
Etpeca V. S. as loas ordens para que sejam rece-
idos no quarlel do Hospicio, finando sob o com-
nundo do major Alexandro Augusto de Prias Vil-
lar, es contingentes de guardas naeioirtes, que tem
de: seguir para o sul do imperio na forma das or-
dens imperiaes.
Dito ao mesmo.Queira V. Exc. declararme
qtiando jarana landeira os volutarios da patria
Jos Ciriaco Veneno e Jos Antonio Autunes, a que
allude oofQcio desse commando de armas n. 1221,
de 15 do corrente
Dito ao mesmo. Tendo sido transferido para o
dia 5 de agosto pnximo vindouro, as 10 horas a
satiida do vapor disliuado ai presidio de Fernan-
do, assim o declaro a V. Exc, afim de que faga
embarcar at o dia 4 os objectos re ueiter para alli, e at as 9 horas daquelle dia os
passageiros militares.Fez-se o necessario expe-
diente a este respeito. ]
Dito ao inspector da thesouraria de fazenda.Se j
nio houver inconveniente, mande V. S., era vista i
<];, coota junta em duplcala, pagar a Joaquim Car- ]
nciro de Andrade, ou ao seu procurador L0J1 dei
Franca de Oliveira Lima, conforma solicilou o che-
le de polica em offlcio de hontero sob n. 1034, |
a quantia de 115520, em que importaran! as dia-1
rias fornecidas ao recruta Isidoro Ferreira da Sil-
va, que, tendo sido remullido pelo delegado do ter-
mo de Villa Bella, (oi apresen'.ado ao coronel com-
mandante das armas para ler o conveniente desti-
no, segundo consta do predito offlcio.Communi-
cou-se ao Dr. chefe de polica.
Dito ao mesmo. Auionso V. S., nos termos de
sua informaco de hontem, sob n. 522, a mandar
pagar ao capitao reformado do exercilo Antonio
Maria de Castro Delgad >, medanle nanea idnea,
e em vista da guia de soccorriinento qu apresen-
lar, q sold de capito, a que se julga com direito,
nao obstando a execugo desia ordem ter elle dei-
xado de exibir a respectiva f de offlcio, o que far
opportunamente.
Dito ao mesmo.Inteirado de quanto V. S. cx-
poz em seu offlcio de hoje sob a. 523, relativamente
ao fornecimento de 136 iivros que, de conformida-
de com o decreto n. 345, de 2d de abril ultimo, se
fa;:em precisos aos escrives eocarregados do re-
gistro das hypothocas as diversas comarcas
da provincia, teuho a dizer em resposta i|ue, orde-
nando o governo imperial que se ponha em exeeu-
ga quanto antes o mencionado decreto, mande V. 1
S. comprar taes livros, despendendo sob minha res- i
poisabilidade a qjantianecessaria, visto nao haver
crdito para esse lim.
Dito ao mesmo.Attendendo ao que expoz
Dito ao mesmo.Autoriso ocon?e!ho de com- estatislica dessa freguezia, a qual V. Rvma. confec-
pras do arsenal de guerra, a comprar os objectos cionou, apezar de nao haver recebido a minha cir-
mencionados no incluso pedidon. 48de 20 do cor-'cular de 22 de abril, mas sement porque a leu
rente, visto serem necessarios para a guarda na- publicada no Diario, como V. Rvma. me declara
cional, que tem de seguir para a corte. 1 no seu olflcio de 11 do corrente, que acompaohou
Dito ao engenheiroFiscal da estrada de ferro. a referida estatislica.
Respondendo ao offlcio, que Vmc. dirigi a esta j Muilo bem depreendeu V. Rvma. que devia dar
presidencia em 21 do corrente, sob u. 131. tenho a 1 execugo circular, embera a nao recebesse direc-
dizer que approvo a deliberacao que tomou em tameole, porque sem duvida se extraviou no cor-
vertude dos ultimes acontecmenlos havidos nessa reio. Qualquer offlcio publicado no expediente do
estrada de ferro, e por conveniencia do servico dos bispado pelos jornaes que regularmente o publicam
trausportes de alterar a tabella das horas do mo-' deve ser considerado como recebado pela pessea a
vimento dos trens. I quem dirigido ; embora lhe nao tenha chegado
Dito ao boticario Joaquim de Almeida Pinto. [as raaos directamente, pos deste modo se evita al-
Tendo designado a Vmc. para fazer parte de urna gum extravio ou demora extraordinaria dos cor-
commlsso que tem de nomear o brigadadeiro cora-
mandante das armas, aflu deenvoaiariar quanto
pertence a pharmacia do extincto hospital e da en-
fermara militar permanente ; assim o coramonico
a Vmc, esperando que prestar os seus servicos
era semelhante commissao logo que for convidado
pelo mesmo brigadeiro.Communicou-se ao briga-J
deiro coraraandanle das armas interino.
Portara.O Sr. gerente da Companhia Pernam-
bucana, mande dar transporte at o Rio Grande do
Norte, no primeiro vapor, que para all seguir em
lugar de proa destinado a passageiros de estado a
Bernardina Goncalves de Araujo e a urna sua ulna
de nome Maria.
Expediente do secretario do governo, do dia 26
julho de 186o.
Offlcio ao boticario Joaquim Ignacio Ribeiro J-
nior.S. Exc. o Sr. vice-presidente da provincia,
manda declarar Vmc. que lhe concedeu nesta
data a despensa que solcitou para nao servir na
commissao incumbida de inventariar quanto per-
tence a pharmacia do extiucto hospital e enferma-
ra permanente.
GOVERXO DO HISPIDO DE
i'Kat* tuisi (o.
SEDE VACASTE.
Expediente do dia 21 de junho de 1865.
Offlcio ao Exm. Sr. presidente das Alagoas. -
Partecipando-me o Rvra. vigario interino de Ipo-
ca que a capella de Sauto Amaro, sita no arraial
deuoiniuado Paripueira?, regida por um admi-
nistrador de nome Ignacio Francisco de Mi-
randa, o qual tendo mandado levantar dos lados
da mesraa capella uns paredoes, sem portas nem |
se a 80 1|4 e 80 1|2 ; os 5 por cento de que ape-
nas resta um pequeo emprestimo, tem sido ven-
didos no Stock Exchange a 99 1|2 ex-dividendo.
A occasiao para nos muito m, porque como ja
disse outras vezes estamos em guerra.alm de certas
circunstancia* taes como multiplicacao dos nos-
sos emprestiif=e outros" encargos uestes ltimos
quinze annos, qnaes tem contribuido para nos
difflcultar algum tanto a boa vontade dos capita-
listas. Aqu a se sabe qne na nossa assembla es-
t em discusso a medida que ha de aotorisar o
governo imperial a conlrahir em Londres um novo
emprestimo ; bem como que o nosso thesouro con-
trahio com o Union Bank de Londres um empres-
timo provisorio de um milhao esterlino ; tudo isto
reios ; demora ou extravio am alguns casos muilo serve de mostrar aos capitalistas inglezes a urgen-
prejudicial ao bem das almas e rgimen da dio- cia era que nos acharaos quanto a recursos pecu-
cese. niarios, e d'ahi resultar a caresta cora que, no
Quante estatislica, deve V. Rvma. procurar a caso de um novo emprestimo, teremos de comprar
data presumivel da criacao dessa freguezia, urna neste mercado as soromas deque necessitamos. O
vez que nao encontra a data verdadeira. Espero Sr. Rieslra anda nao se apresentou no Stock Ex-
que V. Rvma., com o zelo e dedicaeo de que tem change em nome da Repblica Argentina ; creio
dado provas, prestar toda a attenco capella de porem que o far brevemente.
Nossa Senhora do Livramento, procurando pelos A estrada de ferro de S. Pulo acaba de pagar
meios competentes que seja zelado o seu patrimu- um dividendo ; os sens fundos mantem-se todava
nto e reparadas as suas ruinas, no que estou cerlo comalguma depreciacao, achandose asapolicesde
muito o coadjuvaro os seus religiosos paro- f 20 coladas a 5f 17 1|2
chianos. As accoes de Pernambuco estao a S 14, e as
A respeito da capella de Nossa Senhora das da Bahia a SB 13 e a? 13 1|2
Candeias, cumpre que V. Rvma. rae informe se O descont do banco de Inglaterra flea 3 1|2
anda possivel concerta-la e e-gue-ia das ruinas por cento, e os dos Jolnt Stock Banks a 30 por
em que se acha : e alenlo o deoloravel estado des- cento.
se templo, desdeja' autoriso a V. Rvma. para mu- As tran=acc,5es tem sido mais avultadas na ul-
dar as sagradas imagens.se julgar necessaria essa tima quinzena, e a esperanca de urna boa colheita
Urna commissao desa soc'.edade, presidida por C0^ Ve^^^LTT\C> 1^'^
leve cora elTeito urna entrevista 'd Cre, "ue u Rab,nele de LoodrM "*'
transferencia.
25
Offlcio a lllustrissima cmara municipal do Re-
cite.Accuso recebido hontem, firmado em 19 do
corrente, o offlcio pelo qual a illustrissitna cmara
municipal da cidade do Recile me declara que, ha-
vendo sua alteza real o Sr. conde d'Eu, na sua pas-
sagem para o sul, lhe mandado entregar cincoenta
libras esterlinas, para serem destribuidas pelas
pessoas mais necessitadas a mesma illuslrissima
nesie paz tem mantido o prego dos consolidados a
90 l|8a vista e 90 i|J a praso.
Os fundos portuguezes 3 por cento sto a 47
5|8. Os hespanhes 3 por cenlo a 48 1|4. Os pe-
ruanos 4 1|2 a 78. Os russos 4 1|2 por cento a 88.
os de Venezuela 3 por cenlo a 17. Estes sao os
valores que ltimamente tem estado ero procura.
O nosso algodao leve melhores pregos na ultima
quinzena, achandose pela seguinle cotago era Li-
verpool : o de Pernambuco Ia qualidade 19 d. 1|2
e 19 d. 3|4 por libra ; o do Maranho 19 d. 1|2, e
cmara mandou trocar por nove rail e oito ceios
reis cada urna, prego por que se acham actualmen- o_da Bahia 19 d. por libra. Cacao do Brasil flea de
te no mercado ; e deliberou remoller-me o seu pro- 37 s. a 59 s por cwt ou 112 libras inglezas. Assu-
duelo total, na importancia de quatro centos no- car de Pernambuco e da Parahyba branco de 23
venta mil reis, ( 490^000 J, pedindo-me que dsse s. a 26 s. 6 d. por cwt; mascavado de 18 s. a 22
as providencias afim de ser distribuida essa quan- s. 6 d. Dito branco da Bahia de 22 s. 6 d. a 26 d.
lia segundo as vistas de sua alteza real- P?r cwt; mascavado de 18 s. a 22 s. por cwt. Ca-
Accedendo aos desejos da illustrissima cmara f de 1" qualidade Se 71 s. 81 s. por cwt; 2' dita
municipal, nesta data me dirijo aos Rvms. viga- de 04 s., 70 s.; e ordinario de 52 s. a 63 s. Pao
resguardo, ali manda enterrar' arbitrariaraenle e rios das 'juatro freguezas dessa cidade do Recite, Brasil de 60 s. a 70 s. por tonelada. Couros seceos
sem Itcenca do vigario os cadveres dos fiis, fican-' remetiendo a cada um a quantia de ceffo e vinte do Rio de 6 d. a 8 d. 1|2 por libra. Ditos salgados
do-secom"odiuheiro que por isso recebe, d'izendo'6 dous mil e quinhentos ( 1225500 ) para serem
que esmolla para o seu sanio ; entretanto que a distribuidos as respectivas freguezas pelas pes-
capella e as imagens ludo se acha em mo estadal;'soas mais necessitadas.
resultando dessa arbitranedade grave prejuizo aos Aproveito a occasiao para significar a illustris-
povos, por se nao fazerem os competentes langa- sima cmara municipal os meus protestos de es-
raemos nos livros da matriz, e licamio alm disso tima e alta considerago.
BOIO Rvra. paracho esbulbado dos emolumentos que i Oito au vigario de Santo Antonio da cidade do
do Rio Grande de 3 d. 7|8 a 5 d. 1|2 por libra.
As entradas do Brasil nos portos britannicos,
pelo que respeita o movimento martimo, foram os
seguinles : de Pernambuco Gladtateur (i3) a Li-
verpool ; do Para Georye (2i) a Liverpool ; do Rio
Grande Margardha (25) a Queenstonu ; de Macei
Harbour Grace (28) a Liverpool
. de Pernambuco
z de direito da comarca Por J|reito lhe competen ; do meu rigoroso de- Recife.-Re.ne;to a V. S. a quanlia de cento e vin- wWMfe(8) a Liverpool ; do lijo Grande Afana
do Rio Forraoso bacharel Ludeero Goncalves da ver ievar ao conheciraenio de V. Exc. o que por te e vinte e dous rail e quinhentos res (Il25o00), IJJ a bravesend ; da Parahyba Bonita (1 do cor-
Silva autoriso V. S. a mandar pagar-lhe' os seus I aquelles lugares se pralica, afim de que, ou por Pa serem distribuidos pelas pessoas mais neces-1 rente) a Liverpool; dei Macera Eva (4) a.Liverpool
veicimentos a contar do dia II at 21 de junho mei d Juiz docapeilas, ou por ;nalqueroulrorao- sitadas dessa freguezia, segundo as pas intengoes | e ua iiania crdenon (4) a Liverpool. Nao bouv
ultimo, em que por doente deixou o exercicio da d v- Exc- -ee digne dar as eco s.,rias providen- de sua alteza real o Sr. conde d'Eu, que, reeolhen- procedencia d aqu para os portos
respectiva vara, considerando assim abonadas as I c'as> Para ue cesse esse lameulavel abu.o, e o [ d-se a corle do imperio, quiz deixar urna lem- "
faltas nwr elle dada-- Rvra. parodio entre no goso dos uireitos que as branga da sua recente passagem por essa cidade. uiegou o parlamento bntannico ao termo das
Dito ao mesmo -Transmiti a V S os inclusos leis ecclesiasticas e civis lhe outorgam. Igual aos vigarios de S. Fre Pedro Gongalves, de suas sesses sem que todava podesse ver termina
dooumenlos que me remeiieu o commandante su-
perior do Recife, com olflcio de 22 co correle, sob
n. 188, alira de que mande pagar, sob minha respon-
sabilidade, se nao houver crdito para isso, os ven-
cimientos relativos a prmeira quinzena do corrente
mez, da forga do Io batalhao de arlilhaiia da guar-
Dito ao coadjutor proparochode Ipioca.To-
mando em consiJerago o que V. Rvma. me expoz
prximo passado. a respeito do
em data de 23 do
S. Jos e da Boa-Vista.
- 26
Circular a todos os vigarios da
diocese.Tendo
abuso que eominette o administrador da capella de sua magestade o Imperador, por um rasgo de ab-
Santo Amaro, mandando enterrar os cadveres
sem licenga, preierindo deste modo as leis da igre
da nacional desie municipio destacada na fortale- J1 e do paz, e causando aospovos graves prejuizos,
nesta dala me dirijo ai Exm. presidente dessa pro-
za do Brura e no iorte do Buraco.
Dito ao mesmo.Para os fins convenientes, re-
mello a V. S. a inclusa rolagao dos offlciaes que
teem de seguir para a corte brevemente, com a i'
e 4* companhia do corpa de polica.
Dito ao mesmo.Restituo a V. S. o requerimen-
lo sobre que versa a sua informaco de 22 do cor-
recile sob n. 516, afim de que, na falla de crdito,
mande pagar sob minha respmsabilidade a grati-
caco e etape a que tiver direito o lenle reforma-
do'do exercito Manoel Carneiro Machado Freir,
por ter servido de vogal no conselho feilo de 5 a
22 de junho ultimo, do voluutano da patria Geral-
do Gomes.
jito ao inspector da thesouraria provincial.
Recoramendo a V. S. que, em vista do competente
certificado, mande pagar ao arrematante da pintu-
ra da ponte do Casanga, Vicente Ferreira da Cos-
ta Miranda, a importancia da r e ultima presta-
cao a que elle tem .direito, de couformidade com
a t rceira condigo do seu contrato, segundo cons-
ta Je olflcio do chefe da repartig > das obras pu-
blicas, daiado de 22 do corrente c sob n. 233.
Communicou-se ao chefa da repartigo das obras
publicas.
Dito ao mesmo.Em vista da conta junta em
dublicata, qu>) me remelleu o chefe de polica cora
offlcio de hontem, sob n. 1036, e oio havendo in-
conveniente, mande V. S. pagar ao L)r. Joo da Sil-
va Ramos, a quanlia do 605, proveniente da des-
peza feita com os presos da casa de deteucao Fran-
cis:o Gomes de Aadrade Coutinho e Antonio da
viucia, de quem espero as necessarias providen-
cias, afim de que sejam respeiladjs os dreilos dos
paroclios, e mautida a disciplina da igreja.
22
Olflcio ao vigario da ciJade das Aiagoas.Em
resposta ao que V. Rvma. rae declara em dala de
2 do prximo passado, a respeito dos eolerros que,
sendo feilos amigamente nessa cidade em tres ce-
miterios difierenles, desde os fins do anno proxi
mo pa.-sado comegarara a fazer-se todos uo claus-
tro do convento de S. Fraucisco, por ordem da
lllma. cmara dessa cidade, e isto cora prejuizo
dos direitos parochiaes e damno da salubridade
Cosa Barbalho, que foram tratados da varila na cuidado com que V. Rvma. contribuiu para o Ira
casa de sade do mencionado doular.Communi Dalno que tenho em vistas,
ou-se ao Dr. chefe de polica. Dito ao vigario de Santa Rita.Tendo essa fre-
Dito aocomman Jante superior da guarda naci- guezia a deuominago de Santa Rita de Cassia, e
na do Recife.-Mande desligar do 1 batalhao de v'?do a estatifica datada de Santa Cruz, sendo
infanlaria aquarteado o guarda do batalhao n. 18 alei" disso conhecida aqui por freguezia de Sauta
da raesma arma do municipio de. Nazarelh, Ha- "lla da Cachoeira, cumpre que V. Rvma. me de-
negaco e patriotismo, inspirado pelos deveres que
lhe irr.poe o excelso titulo de defensor perpetuo da
nagao brasilcira, se dignado dirigirse para o sul
[ do imperio, afim de, estando prximo ao theatro
da guerra, obstar, j cora o prestigio da sua impe-
rial pessoa, j com promplas e enrgicas providen-
cias, nvasao das hordas do Paraguay, do nosso
dever implorar o Deus dos exercitos, afim de que
se digne conservar os preciosos dias do nosso au-
gusto monarcha, preserva-lo de qualquer perigo, e
dirigi-lo nos conselhos da sua sab-d >ria, para que,
reprimindo a audacia do inimigo, frustrando as suas
selvagens incursoes, castigando os seus multipli-
cados actos de vandalismo, volle triumphante a cor-
te do imperio, e continu a difundir pela nago
benfico iofluxo do seu Ilustrado governo.
Para este lim tenho resolvido que se fagam pre-
publica, tenho a dizer-lhe que j em data de 20 de ees publicas em toda a diocese, as quaes devem ter
dezembro do anno prximo pa.-sado olflciei a esse i lugar na cathedral as m trizese convenios desta
respeito ao Exm. presdeme dessa provincia, e lhe cidade e da cidade do Recife nos dias 3, 4 e 5 do
reineiti por copia todos os oflieios e documentos prximo mez de agosto, e as de mais matrizes se
que V. Rvma. me enviou sobre essa questo ; e farao dentro de oito dias depois que os respectivos
ped a S. Exc. que so dignasse providenciar, para parochos receberem esla circular raanuscripta ou
que nao coniinuasse esse abuso. impressa, ou della tiverem noticia por qualquer
Cumpri o meu dever recorrendo autordade dos jornaes desta diocese.
competente : ainda nao obtive resposta, a qual eu E a comegar do primeiro dia das preces, al que
aguardo logo que os multiplicados affazeres de S.' o contrario seja determinado, todo o Rvd. clerode/-
Exc. lhe permitlirem cuidar dessa quesjao, e fazer, ta diocese, tanto secular como regular, dar ,tas
que as leis ocelesiasticas e elvis sejam respeitadas missas, quer solemnes, quer privadas ( a exoepgo
nessa provincia.
Ditoao mesmo.Accuso recebido o seu offlcio
de 10 do prximo passado acompanhando a estatis-
lica dessa freguezia, a qual esta confeccionada com chia.
cuidado e inidligeocia, e preenche muito bem o
flm para que a exig. Agradego cordialmente o
lord Broughara
eom o Yisconde de Palraerston sobre assuraplo que
interessa o flm daquella associaco; mas nao posso
amrmar com certeza se foi exclusivamente tratada
a questo da revogacao daquelle blll.
Qualquer quehaja sido, porra, o motivo daquella
entrevista, a verdade que a sesso parlamentar
lerminou aqui sem que esse para nos insultante
documento poltico, chamado bil Aberdeen, fosse
revogado pelo conaresso inglez, como tem alias
direiio a isso !
Lord Palmerston tem promettido aos seus deuses,
que nao propora jamis a revogagao dessa medida,
e debalde procuram pois os nossos amigos dis-
suadi-lo I
O ministerio inglez a^aba de passar por urna cri-
se na pessoa de lord Westbury, lord Chancellr da
Inglaterra, que deu a sua demissSo desse alto pos-'
to era viriuue de um voto de censura por que pas-
sou a 3 do corrente na cmara dos commuos. A
imprensa ingleza se havia oceupado, desde muito
tempo, de dous casos escandalosos que aqui occor-
rerara na repartigo daquelle alto funecionario,
sem que esle tivesse empregado a mxima diligen-
cia que lhe cumpria para impedi-los; o primeiro
versava sobre urna penso concedida a um certo
Mr. Edmunds, offlcial da secretaria da cmara dos
lords, mas cujos precedentes pblicos, depois de
averiguados, foram reputados fraudulosos ; e o se-
gundo sobre a projectada nomeaco de um Mr. Be-
thell, filho daquelle ministro, e j demittido de ou-
tro emprego, para o lugar de fiscal do governo no
tribunal de lallencias do distrcto de Leeds. A
opinio publica, havendo entrado no minucioso
exame das circumstancias que acompanharam
aquelles casos, veio a descobrr que por falla da
devida cautella lord Weslbury deixra menoscabar
o prestigio da sua auloridade, propondo Mr. Ed-
munds, alias criminoso de fraudes, para urna pen-
so que com effeilo havia recebido da cmara dos
lords, e um certo Mr. Wetch para emprego anlogo
aquelle que quizera dar a Mr. R. Bethell ; tactos
esses que, depois do inquerito a que se procedeu
por parte do parlamento, revelaram tambem os
manejos fraudulentos de certos individuos que
achando-se perto daquella primeira autoridade, a
levaram a proceder do modo que (lea indicado.
Lord Weslbury havia nomeado para substituir
Mr. Edmunds um outro seu fllno Mr. Shingsby
Bethell ; circunstancia que anda mais despertou
as iras da opinio publica, e por onde comegou a
guerra que alinal veio a supplaotar esse alto une
cionario.
A cmara dos lords retirou por sua parte a pen-
so que bona /de havia concedido a Mr. Edmunds,
censurando o baro Weslbury por hav-la induzi-
do em erro ; e a cmara dos communs declarou
n um voto de censura que com quanto a rsputaco
desse alto magistrado estivesse isenta de qualqaer
mancha, elle se havia conduzido com menos cau-
tella no caso de Mr. Welch, nomeado para o tri-
bunal de Leeds por aquelle funejeionario em vir-
tude de cortos manejos de seus anherentes, embo-
do norte do im- ra S.iExc. livesse ignorado sempre os arranjos
I pecuniarios cora que elles haviam eolre si projec-
lado essa transaego; em sumraa a cmara dos
coramuns condemuou a conducta do alto funecio-
nano, que por incuria cabio victima das malver-
sagoes dos que o cercavara, entrando no numero
destes seu filho Mr. R. Bethell, aecusado de haver
ibras era paga do ein-
que o gabinete de Loodres se preste a
semelhante exorbitancia ; entre lauto o mmi-i rio
Palmerstou-Russeil fica sempre assombrado. Mas
as vezes que se toca nesse assnropio pelo reeeio de
serias complicagoes cora a Uoio.
O parlamento boscou informarse da potinca d
governo a esse respeito, mas como de costoae 6-
cou sem re.-posla concludente.
As noticias do Mxico continan a ser U*>ra
veis a causa imperial. Negret tora coa elrtio
balido em Malamoras pelas tropas fraaeo-neska-
nas, flcando d'esse lado consolidada a autoridade
do novo imperio. Maximiliano prosegua na soa
viagem de inspecgao, mas devia regrear em bre-
ve a sua capital onde era esperado para re>ot*er
negocios importantes. Monseabor M^glia, naaciu
apostlico, deixra o Mxico segoindo para Usas
Granada era misso especial ; seaOrraa eaire un-
to que esse diplmala olerrompera as sua* reU-
goes offlciaes com o gov^roo mexicano por kaver
este persistido na medida que apropriara para o
estado bens ecclesiasiicos.
A verdade que o partido clericai mexicano
esta creando serias dilfleuldades ao g>Terao d?
Maximiliano, pelo que esle soberano se vera na m>-
cessidade de pactuar ou de romper com elle aber-
taraente ; por quanto o estado de incerteza em que
vivum peior do que qualquer outro expediente
O raarectial Bazaine devera err.pr.-henler breve-
mente urna campanha final no Mxico, com a qual
espera terminar a guerra civil.
As noticias de Nova-York ebegam a Uo do mer
prximo passado. O premio do ouro fleava a li
1/2, e o cambio d'ali sobre Loodres a 156.
Com a queda de Galve.-lon, que leve logar em 5
do mez de junho ultimo, o presidente Johu-ioo de-
clarara levantado o bloqueio dos portos do Texas,
conservando apenas desse lado do Mi--?iipi certa?
restriegues militares.
O governo federai fizera urna nova reduegao de
cincoenta mil horoens no exercilo, que por esle
modo se acha em proporges compativeis con os
recursos ordioaros da Uni.io.
O presidente se oceupa exclusivamente da reor-
ganlsagao dos estados do sul, Urefa que todava
lhe tem procurado graves difficuldades por falta de
base, nao s quanto a condigo dos negros ali
emancipados, como larabem era relacao aos subdi-
tos da L'nio amnistiados cujos direitos polticos de-
vero ser poslos n'uma condigo excepcional Em
resultado desta situacao, o espirito publico da
Unio se conserva em grande excitacao, por que
aquillo importa una nova crise.
Kirby Smuh e Breckereodige tinham coosenoido ,
evadirse, o primeiro para o Mxico e o segugdft
para Cuba. s--------- *"
\$
do o conflicto anglo-brasleiro, em que tomou por
vezes grande interesse, indagando minuciosamen-
te o estado dessa pendencia diplomtica.
Essa nossa queslao mantera se no seu statu quo, recebido de Mr. Welch mi
e o conde Russell, deixando de tocar neila uestes prego que esle recebera
ltimos
dos dias classicos) a oraco Deus qui contrts bella
que vem na missa pro tempore belh, o qne V. Rvma.
far constar aos sacerdotes residentes na sua paro-
noel Jos Lopes, que houlem foi dispensado do ser-
vigo de destacamento para que eslava designado,
visto ler provalo servir de arrimo a seu pai sep-
tuagenario.
Dito ao mesmo.Declarando a junta de sade
em seu parecer daiado de 2i do corrente, que o
guarda do 1 batalhao de artilharia deste munici-
pio Jos Soares Pinto Correia Jnior, precisa de 6
clare que confuso de nomes essa, e como se de
nomina o lugar onde esla a matriz, ou rae infor-
me onde se acha residmdo V. Rvma. .
- 24
offlcio ao vigario de Barreiros.Faca -V. Rvma.
chegar esse oflflcio ao seu destino com a possivel
brevdade, e me participe logo qu liver sido en-
tregue. /
Dito ao Rvm. Manoel Joaqujm Ferreira de Se
EXTERIOR.
C3UIKSPO\1:\(IAS io da
RIO DE PKH WMRL'C
y^" % LONDRES.
8 de julho de 1865.
0 paquete La Piala entrou em Southampton no
da 2 do corrente cora a extraordinaria viagem, do
Rio de Janeiro a esse ponto, de vinte e um dias e
algumas horas.
A cotagao do cambio a 25 d. i|2 e 25 d. 1|4 por
mil ris das nossas principaes pragas sobre Lon-
dres determina ainda desta vez o mesmo desavor
precisa
metes para tratar-se da molestia que soflYe, resol-
vi dispensa-lo por esse tempo do servigo do desta- pulveda. Lonstando-me qua' a capella de S. Joao em que se achava o cambio d'aqui sobre o nosso
caciento, para que eslava designado ; o que com- Baplisia, da povoago dyftbreu nessa freguezia de mercado monetario : a cotago desla praca sobre
munico a V. S. para seu conhecimento e expedi- Barreiros, se acha mpno arruinada, e sendo do u nossas como pela vez pausada a 23 d. por mil
cao das convenientes ordens. maior interesse dojr'povos e da diocese que se con-
Dito ao mesmo.Mande V. S deshcardo i ba- servem os temptos que existem, o que nao vao es-
talltode infanUna, actualmenteTacuartelado e en- tes desaraacendo, quando a populagao vai aug-
uieniaurfo, e do meu dever envidar todos os meios
tregar ao major Alenndre Augusto de Fras Vi.t,-
os contingen:es de opardas nacionaes viudos de dil-
ferentes muri!cipio/cora destino a corte, alira de
serem aquarteladdB no Hospicio, sob o commando
do mesmo majof.Communicou-se ao brigadeiro
commandante jfas armas.
Dito ao dire/tor do arsenal de guerra.-Fica ap-
provado o contrato que V. S, segundo o seu offlcio
de 22 do corrente, cele-brou com Diogo Pereira da
Silva, operario ablate, para ir servir no arsenal
de guerra da corte, mediante o salarlo de dois mil
res.Communicou-se a thesouraria de fazenda.
Dito, ao conselho de compra do arsenal de guer-
ra.Autoriso o conselho de compras do arsenal de
guerra, a comprar para provimenta do rospeiMivo
almoxarifado os objectos mencionados na incluso
pedido,GommuDicou se a thesouraria. de foxenda.
ae se proceda a reparago da referida capel-
Joo Baptista, antes que ella caia em
para
la de
ruinas.
Neste Vtenlo rae dirijo a V. Rvma., afim de que,
morando prximo essa capella e sendo ahi co-
nhecido, me epadjuve com os seus esforgos e com
o zulo que o caraciensa. Aguardo, pois.k.resposta
de V. Rvma., qne espero nao se recusapaa prestar
igreja e aos fiis to valioso serjlfo. Tendo a
assembla provincial votador--^qotI de um cont
d ruis para coajuvac>a/^essa obra, logo que re-
eeber a resposta d-> VTRvraa. offlciarei ao Exm.
presidente da provincia afim de que, sendo-lhe en-
tregue essa quantia, possa V. Rvma. dar comego
obra logo que linde o invern.
I res.
O La Plata despachou em Southampton SfS
39,840:0:0, alm de varios gneros importados dos
nossos porlos.
As noticias militares vndas do theatro da guer-
1 ra no Rio da Prata, foram publicadas aqui com
bastante confuso ; entretanto se espera neste paz
que as torcas adiadas atacaran brevemente o ini-
i migo em Corrientes, embora hajam de deferir ou-
; Iras operagoes de guerra contra o territorio para-
guayo al mais Urde. Serla muito conveniente, a
1 ter o Brasil de entrar nesta praga em quaesquer
operagoes flnanceiras, que tivessemos cedo aqui
a noticia de um primeiro triumpho das nossas ar-
| mas sobre o Paraguay, pois isso facilitara ai cer-
lo ponto a realisago da operago que houvesse de
! se fazer.
Os nossos fundos continuara entretanto, em des-
favor, pois a cotacao dos 4 i|9 por cento que hoje
Pilo ao vigario da, Muribeca.Tenho presente a aqui o padreo da qosb divida publica, raantem
tirapos peraote o parlamento, manifestou
clarararate seu inlento de consrvala no p inac-
ceitavel era que a collocra mediante a sua propos-
ta de fevereiro prximo passado.
O expediente offerecido por este gabinete ao go-
verno imperial nao satisfazla a justa reclamago do
Brasil na parte essencul desta, e o gabinete impe-
rial nao podia deixar de solicitar que, a paz de
urna nova manifestagao do sentiraento do governo
britnico no tocante aquella desagravel incidente
diplomtico, manifestagao que desla vez leria sido
patenteada com a forraalidade de urna misso espe-
cial da Inglaterra ao Brasil encarregada de pedir
o restabeleciraeuto das relagoes polticas entre os
dous paizes, o gabinete de S. James se prestasse
igualmente a recouhecer o direito com que naquella
emergencia hayiamos reclamado urna inderanisa-
goein favor da nossa propriedade violentada; pois
esse seria o meio implcito de resalvar todo o me-
recimento da famosa e importante polmica que o
Brasil sustentara cora a Gra-Bretanha.
Lord Russell parece porm declinar semelhante
insinuagao, o que alias nao para ser exlranhado
visto como para ser consequeute carece elle de
'sustentar at linar aquillo para o que autorisra
os seus agentes no Brasil.
A questo diplomtica pendente entre a Gj-aa
Brelanha e o imperio nao parece, porlanto, prxima
de urna solugao, a menos que o governo imperial
se mosiro disposto a ceder, ou que urna mudanga
ministerial neste paiz venha a falicitar um accordo
no sentido solicitado pelo gabinete do Rio de Ja-
neiro.
No principio da ultima e recente sesso do parla-
mento inglez disse eu aos leitores que lord Russell
annuncira com enlhusiasrao haver proposto ao
Brasil termos acceitaveis, porque desejava esse
ministro acalmar por esse modo a opposigo das
cmaras onde se manifestara sempre vivo interesse
pelo Brasil; mas lord Russell nao havia sido since-
ro, pelo que sempre antevi que o nosso conflicto
conlinuaria sem exilo satisfactorio.
Hontem leve lugar em Wmdsor a ceremonia do
baptismo do principe recem-nascido, filho do prin-
cipe o da princeza de Galles.
O arcebispo de cantuaria foi o ministrante, bapti-
sando sua alteza real com os nomes de Alberto
Victor Christiano; e grande numero de pessoas da
corte tomaram parte, na presenta da rainha e dos
principes da familia real, naquella ceremonia offl-
cial.
Sua alteza real ser conhecido sob o nome de
principe Chrisliano, que o de seu avo o re da
Dinamarca, pai da prlnceza de Galles.
Findo o baptismo, os circumstantes foram convi-
dados aela rainha a urna magnifica coliagao depois
da qual se retiraram para Londres, havendo tido o
immenso prazer de assistirem a essa festa toda
previlegiada.
A rainha contina a residir no castello de Wind-
sor, donde lem vindo todava algumas vezes a
Londres.
Ha tres dias sua magestade veio aqui para pagar
pessoalmente a visita que lhe fizera a rainha da
Hollanda, chegada a esta capial no dia 27 do mez
prximo passado.
Sua magestade brilannica nio seguir para a
Allemanha seno no prximo maz de agosta.
N'uma das minhas antecedentes cartas havia en
noticiado que a socledade ProjJMtora da Ex.ttaccao
do trafico negreiro se nropunha a representar con-
tra a manutepfSQ do Bi|| ,\berdeeu^ que como
' ebalde buscou o governo defender a conducta
daquelle ministro ; a cmara foi mexoravel, cen-
surando este nos termos que licam citados. Nestas
clrcurastaucias, lord Westbury deu a sua derais-
so des rainha em deferencia para com o voto da cmara
dos communs.
Este exemplo que o parlamento britannico aca-
ba de dar faz honra s ioslituiges inglezas; ea
DIARIO DE PERNAMBUCO.
Recebemos hontem, pelo vapor inglez Douro,
jornaes e cartas da Europa, alcangando : de Ham-
burgo 5, de Pars e Bruxellas 7, de Londres a
8 e de Lisboa a 13 do correte
Encerrou-se no dia 6 de julho o parlamento bri-
tannico. A mensagem da rainha diz que sao saiis-
falorias e amigaveis as relagoes enire a Graa-Bre-
tanha e as potencias eslrangeiras, e que se nao
julga possivel que qualquer das questOes penden-
tes possa perturbar a paz da Europa. A rainha
congratula-se por haver terminado a guerra m
E-tados-Unidos, esperando que dentro em pooeo e
reparem os niales por ella occasionados, resiabe-
leceodo-se a prusperidade e o bem esiar os es-
tados que mais solreram na lula.
O lord chancellr, lord Westbury pedio a ua
demisso, sendo nomeado para o seu logar lord
Cra-iworth.
O filho do lord chancellr, slr R. Bethell, bem
conhecido pelos seus hbitos disipadores. Por-
gado pelos seus
sos e escndalo recahiram sobre lord Wesiburv.
e sobre o Kabmete.
palhias al dos seus adversarios polticos
A 6 do corrente leve lugar o encerramento do
parlamento.inglez por commissao regia. Foi lord
Granville, presidente do conselho, quem leu desla
vez a falla do throno, por haver o lord chancellr
dado i sua demisso. Sua Magestade declarou a
represeniagao nacional encerrada, e a cmara dos
communs dissolvida, por haver expi:ado o termo
legal desta.
Na falla do throno a rainha congrallou-se pelo
estado das boas relagoes do seu governo com as
potencias eslrangeiras; dirigi felieitagdes Uniao
Americana pela cessagao da guerra, depois de urna
to prolongada luta ; e finalmente referradose ao
No dia 5 Mr. Hnnl apresentou a cmara m
communs urna mogo, em que dizia, que os de-
poimeulos ouvidos peranie a coman-sao da c-
mara sobre as fallencias de Leeds, denotavam qua
existia grande facilidad- em se obterem emprego*
por meio de corrupgo ; qne estes depoimenlos e
os que se haviam recebido na commissao 4a c-
mara dos lords encarregado do exame do negocio
de Leonardo Edmunds, que foram commuoieaiio* a
cmara dos communs, demon-lravam a rlaslieida-
de de principios e a falla de reserva da parte do
lord chancellr.
t^s**B& s-^ss KS dTSra 7eZ7XcZ% SI
que essa mea j vam graves aecusacoes ; qoe esta ela-m-idade de
principios, e esla falla de reserva parecaos a ea-
' mar muilo reprehensiveis, e eram de naiureza
tal qne fariam recahir o descrdito na administra-
do Canad, sigmficou a difflculdade
lera all encontrado.
coroa nao
interessar
J se v que desta vez o discurso da
apresentou pontos salientes, que possam
o mundo poltico.
Toda a aciividade desta nagao est agora voltada
para a lula eleiloral, que em breve estara' decidi-
da; na prxima raissiva darei coola dos resulta-
dos desse combate.
Nos ltimos momentos de sua existencia legal, o
parlamento britannico tomou arada conhecimento
da recente correspondencia offlcial enlre a Gr-
Bretanha e os Estados Unidos acerca da cessagao
por parte do gabinete inglez do reconheciment dos
confederados como belllgerantes.
Os documentos apresenlados ao parlamento re-
velaram a violencia com que o gabinete americano
gao dos altos cargos do estado.
Mr. Hunt declarou que nao disimulara a im-
portancia da sua moca>, e que era um vol de cen-
sura ao lord chancellr.
! O lord advogado tomando a defeza do lord cnan-
i celler, propoz a seguinle emenda :
A cmara, de accordo com a commissao reco-
conbece que os tactos eslabeiecidos deixam o lord
chancellr livre de toda a responsabilidad, a ni
ser na falta de precangao, era se conceder orna
penso a Mr. Wilde, e julgo que a le devia exigir
i maiores garandas para a coocesso de pensoes a
funecionarios. >
Urna e outra pro posta foram a potadas por al-
discute esse incidente, resultando d'ahi a crenga de i gB m^rab os daTamara
ZJ^^^^S'* C0- nes1ersre0rmose:0ffereCeUn0"PrPteU
Mr. Seward protesta mais urna vez contra os fa- A cmara tendo examinado o retalorio d
vores concedidos pelo governo inglez aos confede- comm|sso a respeito do negocio do Iribanal das
sados, e reclama contra a facoldade dada aos na- "encas de Leeds, de opinio qoe se nao pode
vios de guerra da confederago para estes poderem diri8|r a menor impulage ao lord chancellr ;
deixar os portos do Reino-Unido dentro de um mas aue os Prcessos seguid. neste negocio de-
mez, bem como contra a facilldade que a procla- mt>stram urna irregularidade e falla de prerau-
raago da rainha concede aos navios mercantes da C30 I"8.'" recahir o descrdito nos altos cargoa
ex-confederago para mudarera de pavilhao ; tudo j do estado.
isto na opinio de Mr. Seward, attenlatorio so-! Lord Palmerston, insisti que e nao estabeieeen
berania federal, e o governo americano se reserva raeDr tacto contra o lord chancellr; apomoa
o direito de responsabilisar a Inglaterra por essa 5 serv'?s por elle prestados a Inglaterra ea re-
quebra da neutralidade. formas legaes, e que lhe lem assegurado a ccmftao-
0 secretario de estado americano toma com tudo 5? da camara; e propoz o addiamenio da discas-
conhecimento de haver cessado o reconhecimento
da confederago por parte do governo britannico,
intimando ao mesmo tempo que o governo federal
deixar de exercer, por haver terminado a guerra,
o direito de visita sobre os navios da Gr Breta-
nha.
Essa linguagem do gabinete de Washington nao
para admirar, por qoanto suslenlou elle sempre
que o governo brilannica responsavel pelos actos
de depredago commettidos pelos corsarios confe-
derados.
Outro modo, de faltar seria para Mr. Seward in-
conseqoente, e por lamo nsa elle sempre das mes
sao, para que podesse haver lempo de se 1
a nova phase em que a queslao entrar.
O addlamento foi combalido por Mr. DisrwN,
e regeiudo por 177 volos contra 163. E esto *
tago impiicava um cheque, e lord Pihnw a-
clarou que o gabinete aceitava a propoata reate m-
dicando o sentimento da camara a respeito da
questo primitiva. A proposta do lord advoca*
foi retirada, e adoptada a do Mr. Bower.
A cmara esteva muilo concoma, e lord
merston e lodos os membros do gabinete
vara, m cadelras ministenaes ; os prmcip1
oros da. opnosigao achavam-se prsenles. As
Pal-
raas ameagas, afim de proseguir no seo intento ge.' -s ficharam-se todas occopaaas. A
a ai 1



_-...- -

llnrko de rernaaihaco sabbado te de aulho de f saa.
recia o maior interesse. Lord chanceller foi defen
dido por muitjs memuro: da cmara, mas a as-
sembla raanifestou-se contra, considerando e.-ta
questao como lula do principio da moralidade con-
tra a corrupgao.
O ministro teve de pedir a sua derasso que
lh<5 foi aceita.
Os trabalhcs eleltoraes progridera ;os candidatos
apresenlam-so aos eleitores expondo as suas dou-
lrinas polticas e administrativas, e sujeilando-se
votado dos prsenlos.
Julga e que nao faltara' maioria ao ministerio,
mas os partidos contrarios trabalham com a maior
aclividade.
O micislerio Palmerston desde que esta' na go-
verno pcononiisou?3 millo;.- no ornamento das
despezas, diminuio a.divila publica em mais d'
250 milhoas, ecelebrou uin tratado de commercio
com a Franca, que ao puso que annulla a protec-
em que foram deixados os povos que pugaaram
pela sua independencia.
Tal a sitnacao actual da Inglaterra, a urna de-
cidir' dos futuros deslinos da naco.
es-o do corpo legislativo francez foi pro-
rogada al 8 de jnluo. Votou-se o projeeto de
lei para a constrocgo do palacio da expjsigo n >
campo de. Marte. Esta' ludo preparado para a
transferencia da residencia imperial para Footai-
nebleau. O imperador e a corta regressaram a Pa-
rs para assislir as festas de 15 de agosto.
A eleigo do candidato da oppo.-tc), Mr. Girot-
Pouzol fji um cheque (tara o governo. Pele que
dlzem os jornaes, este candidato, posto que seja um
hornera respeitavel, nao rene as eoudigoes neces-
sarias para o desempenho do cargo para que fura
eleito, e multo menos para obler urna manifestago
to notavel da parte dos eleilores. Parece que o
circulo votou oeste candidato s peloacto de per-
tencer a' opposico.
Assegura-se que o imperador Xapoleo entrara
em negociares com algcmas potencias para a con-
vocago de um eongresso, para oarranjo dasques-
tdes europeas pendentes, e para o desarinamenlo
geral.
O principe Wiltgenstin chegou ha pouco a Pa-
rs, e diz-se que 6 portador de um autographo do
ua approva-
imperador da Russia, exprimrado a s
cao as proposieoes de Xapoleo.
A Prussia, a Italia e a Hespauha sao tambera fa-
voraveis ao projeeto.
As negociares cora a Austria e a Inglaterra j
comegaram.
Mr. Drouyn de Lhuys teve urna larga conferan-
cia cora o principe de Metternich.
Julga-se que nao extranua a esta conf-rencia,
a crise ministerial anouociada era Vienna.
Julga-se que os dous ministros se oceuparam
muito da questao dos ducados, declarando o prin-
cipe de Metternich que a Austria ha de Tesisir ao-
planos invasores da Prussia, e garantir a autono-
ma dos ducados.
A Franca, nao se affastando da poltica da nao
intervencao, pedio que os povos doScnleswig Hols-
tein fossera consultados, sera que de modo algum
es*o pedido se considerasse como un intervengo.*
do gabinete francez.
Diz se que nesta conferorencia Mr. de Metteroich
declarara em no.-ne do seu governo, que a Austria
de modo algum linha influido para augmentar os
obstculos jue mallograrara as negociagoes entre
a Italia e Roma.
Diz-se que Mr. Drouyn de Lhuys conferenciara
com o cavalleiro Ngra, e qpe o imperador Xapo-
leo convdala o marque'. Pepoli e ir a Pars
As negociagoes de Mr. Vegezzi que se po-
diain considerar como terminadas mui favoravel-
mente, eocontraram novas obstculos da parte da
corte de Roma.
Quando Mr. Vegezzi chegou a Roma pula segun-
da vez, a chancellarla de Roma nao quiz por este
diploraata em contacto com o suinmo pontfice, e
a suas conferencias erara s eom o cardeal Aoto-
nell; Vgi Anl2el11 estavam de accordo em
todos os pontos, tres dos quaes estvam definitiva-
mente estaoelecidos, e contente de ?mtas as par-
tes, e erara :
i.' Quanto a nomeaco dos bispos c3ncordou;.-Se
que as uomeagoes do Piemonte seriam ifciis por
Vctor Emmanuel na conformidade das concorda-
tas ; e a dos bispos das provincias anoexadas per-
tenceriara ao papa, com a condicao de um previo
acrrdo oficioso cora o goverao de Florenca.
2 A reduigao do numero dos conventos foi ad-
miltida em principio, o governo pontificio, nao
totnava sobre si proclama-la como urna neces de ; mss pn m-tiia nao presentar reclamado al-
guma no caso dos superiores de alguns convenios
deixarem de ser substituidos.
3." Chegar a m a fUar-se as formulas do occorri-
do entre os dous soberanos, maso sanio padre nao
consenilo em assignar urna concordata com o che-
fe de um reino que elle nao reeoohecia; mas todas
as clausulas estabelecidas deviam ser consignadas
em canas duulieada*. comeado a assignatura de
Po IX e de Viclor Emmanuel.
As dificuldadcs assustaram todos na questao do
juramento.
O re da Italia, que tem mostrado desejar effec-
tivameote urna recoociliago. nao pedio que os bis-
pos f)*.em obrigados a preslar-lhes juramento de
lidelidade ; quera apenas que os bispos prestas-
sem um juramento de obediencia s leis do osla-
do. O governo italiano quena desta forma conci-
liar todas as pretendes pelo carcter ambiguo da
proposia.
O cardeal Antonelli declarou que, no que toca a
compromiss'is de consciencia, o papa s os ad-
iniltia quanio aos bispos do Piemonte e da Lom-
bardia, segundo o (|ue estava estipulado na con-
cordata ; mas que a re.>peito das provincias anne-
xadas nao poda, nem di va contrahir coropromis-
so algum que os ligasse de qualquer maneira que
fosse.
O commeodador Vegezzi sollicitou entao urna
conferencia do soberano pontilice. O cardeal Anto-
nelli, quande annunciou ao representante da Italia
que o seu pedido fora attendido pelo santo padre,
dsse-lhe que este estaba pouco disposlo a fazer
concessSes em assumptos de conseiencia.
O governo francez depois deste conflicto sugge-
rio nma dea que poderia conciliar ambas as par-
tes, e era qm se supprimissu o juramento para to-
dos os bispos da Italia ; pois em Franja tem havi-
do em diveras pocas fuoccionarios que nao esta-
vam iqjettM a juramento.
Apenas costou em Florenca o desfecho das ne-
gociados com a corte de Roma, reunise logo o
conseibo de ministros, decidindo fazer retirar de
Roma o Sr. Vegezzi. Foram tambera chamados a
Florenca Ricasoli e Mximo de Azeglio. Ignora se
por ora o qua decidira o governo em vrtude das
d'fliculdades que surgirn).
A crise ministerial era Vienna tem dado as-
sumpto a loncos debales na imprensa.
A demissao de Mr. Smerling e oulres ministros
em que se compreheade o archiduque presidente
do conselho, e os cbancelleres da Hungra e da
Transylvania, /o aceita pelo imperador ; e pareej
que esta mudanca ministerial abrangra a exeep-
cao do conde de Mensdorff, todos os membros do
gabinete, e ouiros altos unecionarios taes como o
ihanceller da Croacia e o presidente do conselho
de estado. Esta mudanca parece importar uma al-
era;o importante na poltica austraca.
Diz-se que o novo gabinete de ver a ser constituido
sob a influeocia do partido hngaro que na corte
to poderoso, como pouco popular em Vienna.
A viagem do imperador e Peslb, e a conferencia
Chegou larabem hontem pela manhaa, do Rio e
Baha, o vapor inglez Ptolomi/, sendo portador ni-
camente de jornaes da corle at 17 do correle, dos
quaes colberaos o que segu.
Rio da Phata. Do Jornal do Commercio copia- da a'vlsao Mo de Barro* lj>ite> capilao. .
as as seguinles noticias : pgU'"l" as ultimas noticias, pareca (
Tocedeu-se a
eleio geral de deputados. Salvo na ou outra
sensaboria sera maior importancia, turnas facadas
na cidade do Porto, correu o acto eleitoral cora
tranquillidade. O governo conta uns trinta depu-
tados de maioia, sobre a oppcsicao; mas foi derro-
tado em todos os circuios de Lisboa, menos um,
nos do Porto e era quasi todos os do Algarve. O
ministro das obras publicas que se propunha por
Lisboa, flcou vencido pelo candidato da fu=ao. O
ex-nunislro da fazenda Lobo d'Avila, foi derrotado
em Santarrr, e nao ira' ao parlamento ; os seus
amigos estao furiosos contra o ministro do reino,
I. Gomes da Silva Sanches.
O gabinete tratava de completarse. Parece
que foram convidados os viscondes de Seabra e o
moa
Eolrou hontem (16) de Montevideo o vapor
Jos S. Ronuto, com folhas al 9 do correte.
A esquadra paraguaya, desapparecid depois
do combate de 11 de juuho, nao tiuba tornado a
mostrarse. Todos os das a nossa deslacava um
vapor ro cima a cata do inimigo, mas nada se
avistava. Tiuham no lugar chamado Chiraboral o
Amazonas, Ma Pamaliyba, Itujahy, Mtarim, Araguary, Ivahy,
Iguatemy e o Apa que nao tardara a chegar, afo-
ra quatro chalas com pegas de 60 a 80. Estava
com os nossos o vapor de guerra argentino Guar-
dia Nacional. Dzia-se que o Amazonas, tendo j
reparado as avarias, estava forrando a proa com
chapas de ferro para em caso de uecessidade dar
raais algumas bicadas nos Paraguayos.
Sobre a posigao destes em ierra nao havia da- Junll f'Qdo-.
dos seguros. Parece que o forte do exercito inva-
sor toruava a avaugar pela margem do Paran, ten-
do j passado o Empedrado como dirigindose a
Bella-Visla. Entretanto a sua vanguarda ao atra-
ves;>ar o rio Ambrosio anda a sete leguas daquella
fe da leglao hngara, e nella censura o eothusias- i A ultima coraposicao ministerial em Hespa-
mo de Pesth julgando povos vis, aquelles qoe(nha conseguio tranquillisar os nimos eu%3ewa-
< tributam falsas demonstra;5es de conliauc.a e de, nha. A maioria da imprensa sustenta as medidas
o amor, e nao sao interpretes dos verdaderos sen- ja adoptadas e o programma do gabinete. O par-
timentos do povo. lido reaccionario, porm, combate o governo con-
Depois accrescenta : t Estou convencido de que testando o quejem publicado os jornaes ministe
se estivessemos em fronle dessas tropas que ou- riacs era relacao ao reconhecimento do reino da
tr'ora assistiram a' capitulado de Vomar, e po Italia.
dessemos levantar as fronteiras da' nossa pa- A Hespanha ronservava em Turin um emprega-
tria a bandeira da liberdade, esses cobardes hy- do, encarregado dos archivos da legacao, e a sua
pocrilas seriam derribados pelo sopro da nao. presenca na corte italiana havia promovido gran-
Eoeerrou-se a cmara prussiana ; a mensa- des inierpellacdes contra o ultimo gabinete. Diz-
gem real foi lida por Mr. Bisinark presidente do se que este funecionario partir para Florenca por
conselho. ordera do governo, e que levara instrucges para
O governo diz naquella mensagera que o accor- tratar com o gabinete italiano, sobre a maneira por
do entre o governo e a represenlacao nacional, te- que se deve operar este reconhecimento.
ria conduzdo a resultadas decisivos, se ainda O partido reaccionario hespanhol nao quer que
mesrao era presenga da lula das opinicoes politi-' este negocio teuha si' '-nativa do governo e
cas, o bem da patria se tivesse considerado como pretende que o v .eautorisra a nego-
cio, assegura ao commercio britaiinico novos ele- lei suprema. ciacao.
menlos de riqueza ; e todos estes beneficios, Peali- Mas nao acontecea assim, contina a mensa- Consta que em Mal!rid tem circulado proclama-
sados no meso de uma espantosa crise industrial., gem real,a inlengao claramente expressada pela toes em que se alara o throno e a> instituigdes, di-
Estes e outres argumentos sao apreseulados pelos cmara dos deputados, de crear difflculdades ao zendo-se que 6 obra do partido absolutista ; mas os
amigos do governo. I ministerio, chegou a lesar os interesses maleriaes jornaes, orgos deste partido, sustentando as suas
Aopposigo apresenta a guerra dos Estados- 'do paiz. Regeitando a le militar o era presumo pa- doulrinas e opinies, tem-se abstido de declarar
-Unido?, a expoliado da Dinamarca, e para os fac-ra a raaiinha, e o orcamenlo a' cmara recusou que nao tomara a responsabilidade da linguagera
tus passados durante a insurreigo da Polonia, | pedidos que o ministerio julgara dever-lhe apre- daquellas proclamagdes.
langando em rosto do gabinete actual o abandono : sentar ; e volou resoluces, a que o governo nao O projecto de le eleitoral apresentado pelo mi-
poda dar andamento. nisterio s cmaras merecem a approvacao do paiz.
Em vez de terminar cora o accordo desejado, a O minisiro no seu relatorio diz que o governo es-
sesso encerra-se debaixo da irapresso de urna pera que ho dedesapparecer os abusos, fraudes e
desinteJJigencia reciproca. incoa venientes que se iraputam a' ultima lei.
t) gjrcrno, prosegua quelle documento, hade A France n'ura dos seus ltimos artig>s, diz que
saber sustentar a marcha regular dos negocios o general O'Donnell o nico hornera capaz de
pblicos, t dellender com firmesa os interesses do consolidar em Hespanha uma situacaa poltica, e
paiz, tanto Internos como externos ; e espera que que o programma do governo nao pode deixar
nao estari longe o dia em que a nacao manifestar de ser applaudido pela immensa maioria dos Hes-
a el-rei pelo orgo dos seus representantes, o seu panhes que receiam tanto a revolucao como abor-
recooheciraento por esta maneira de proceder. rocera a reaeeao.
A mensagera conclue agrade.cendo, em norae do Em Portugal no dia 9 de julho
rei, cmara dos senhoro- a dedicago e fldelida-
de cora que trabalhara durante toda a sesso.
Esta differenca de opinies manifestada peraote
as duis cmaras estabeleceu anda mais eviden-
temente a rivalidade que exista entre aquellas
assemblas, e o antagonismo da maioria dos depu-
tados a respeito do governo.
O ministro dos cultos e de nstruccao publica
rai proceder a um inquerito disciplinar contra os
Srs Virchowe Gneist, que sae lentes da universi-
dade de Berln, e deputados; estes professores vo
justilicar-se dos discursos que prouunciaram na
cmara combatendo a poltica do governo.
A imprensa manifesta-se em geral contra este
procediraento ; no systema constilucional os de-
putados uo tera de responder pelas suas opiniSes da Praia-Grande de Maco, o primeiro para a jus-
mauifestadas no exercicio das suas funegoes, seno liga e o segundo para a marinha e ultramar, i-
perante a ruesma cmara ; mas o governo diz que zia-se que urna commisso tinha ido a Cintra con-
mettendo-os em processo pretende saber se sultar o marechal Saldanha acerca da solugo da
aquellos deputados como professores teriam di- crise. As corles, segundo se presuma, seriam
reno de se exprimir como deputados da maneira abertas e depois adiadas.
que o fizerara. A desorganisagao dos partidos eslava rouilo pro-
O vice-rei do Egypto, fugindo cholera que nuuciada naquellc paiz. Pelas cartas dos nossos
se desenvonveu com violencia no seu paiz ctiegou correspondentes se verao raais alguns pormenores ,,
a Constantraopla onde teve um grande acolhimen- sobre a estada do Sr. conde d'Eu e de S. A. impe-' 1e[flde.Ddu ^b? dt Ambrosio, l.vera.n que co-
to por parte do Sulto e dos seus ministros. O : nal era Portugal.
motivo que levou o vice-rei do Egypto nao dos' Continuavam em grande escala os preparativos |
raais louvaveis; os seus proprios subditos con- para a exposigao internacional do Porto, cuja aber-
demnam um acto em que o chefe do poder supre- tura nao tinha ainda dia certo. Seria so depois do
mo abandona os seus haveres para occorrer sal-: uom successo de S. M. a ranha D. Maria Pa.
vagao propria ; esperava-se porm que aquelle Era 13 do correte diz-nos ossos corresponden
passo servir para regular com a Sublime Porta te de Lisboa :
os pormenores da sentenga arbitral dada, pelo ira- [ Na minha de hontem dava-lhe as noticias elei
parador Nappoleo, relativamente aos interesses toraes e do estado de desalent era que os amigos
da companhia eucarregada do corte do Isthmo de do governo tinhara ficado em vlrtude da derrota
Suez. de Lisboa, Porto, Coimbra e Algarve. Dzia-lhe que
O -ullo da Turqua teve no dia... uma taque apezar destes fuzilamentos eleiloraes, ainda assim
do congesto celebrar, mas ja no dia 27 de jonho o goverso linha maioria de uns 29 ou 30 depula-
havia desapparecido o estado perigoso daquella dos, mas que nao tinham oradores do seu lado,
doenga. Fuad-Pach guardou o raaior segredo a nem elementos suficientes de apoio no parlamento,
respeito da enfermidide do soberano ; e para me- Que se appellava para a reconstruegao ou recom-
Ihor Iludir quaesquer suspeitas preparo:i uma posigo ministerial, e que os prime.iros passos es-
festa e fez dar um baile aos embaixador. eitran- lavara dados nesse sentido;que loram convida-
geiros; mas apezar destas precaugSes, os fundos dos o visconde de Seabra e o visconde de Soare<
Daaran na bolsa apenas conslou a noticia da Franco para as pastas da justiga e marinha. Tudo
enfermidadedo sultao. isso assim mas a crise manifestase cada vez
Houve no Cabo um terrivel tura cao perdendo- raais pronunciada,
se desoito navios, segundo notciam i- l-grapniea- Os dous nico* peridicos que em Lisboa apoia-
menle de Alexandna em data de 6 de julho. vam o governo, dao as mos ambas do procedl-
Recebeu-se um despacho de Havaua, annun- meoto do ministro do reino (Julio Gomes da Silva
ciando que as tropas francezas expediciouadas no Sanches) procurando, um tanto salvar do naufra-
Mexico tinham oceupado Chibuarhua, ultimo re- gio os seus collegas, porque nao antevem o dia de
fugio de Jurez, e que o ex presidente fora forga- amanh.
do a fugir ^mas esta noticia nao se confirma ; a Falla se ja na uecessidade de um grande mee-
wrdadeira intenco do Mxico me parece ser a ling poltico, onde se exponha a urgencia de se
qu^aonunciam os jornaes europeos ; o estado do chegar quanto antes resolugao da crise actual, ln-
paiz lfcsgracado. Os novos pronunciamentos de; dicando-se a conveniencia publica de formar um
alguns chefes>que j haviara reconhecido o irape- gabinete euergico, homogneo com pensamenio po-
rio, e que de noW se pronunciaram contra elle, lilico, onde entre o duque de Saldanha.
uro facto que se toffta tanto mais grave, quanto Por onira parte afirmase que o nobre mare-
certo. que o abandono "%m que se acha a agricul-ehal.com quanto nao esteja longe de pregar com
tura, por falta de bragos'eftcaminha o paiz para a a maior abnegagao ao seu paiz todos os sacrificios
sua ruina. \, e que se prestar a tomar sobre si a tarefa de or-
A expedigao fraseen tem diminuid.0 e a mpdi-, Sais;,r um novo gabinete logo que o soberano Ihe
da que as ti opas francezas tem regressadj Fran-. de esse encargo, afirma-se, digo, que o marechal
ga, o movmento republicano tem tomado \em al-' nao deseja imporse ao animo do chefe do estado
guns pontos um grande incremento. A giande' nem pela reuniSo de comicios, nem por oulras
poucos dias, ao marechal de Saldanha as medalhas feridos outres tantos, mais ou menos. Foi lambem
militares, dispensandoo das provas, ejpor essa oc- ferido com duas balas e duas balonctadas o tenen-
caslo fez igual merc ao conde de Santa Maria, te-coronel Tristao Nobrega, mas estes primemos
marechal graduado e dos mais bravos generaes do nao s3o graves. O coronel Fernandes acha-se na
Pai- restinga de Braz, tendo-seja unido cora a forga do
Os ltimos despachos recebidos em Lisboa tenente coronel Sezefredo.
!-- f)eu? Suarde a V. Exc. Mariano Pinto, passo
Madrid fi de julho s 3 horas e 2o minutos no arroio Iblcuhy, 26 de junho de 1865.Ilion, e
(la larde.- No senado hespanhol foi approvada a Exm. Sr. general'David Canavarro. commandante
le eleitoral por 117 votos contra 16. da 1' divisao ligeira.Joao de Barros Leite, capi-
t Pars 12 de julho.O Moniteur desmente a no- to.
ticia de ter o imperador, nos ullimos lempos sol- t Illm. e Exm. Sr.-Neste momento acabo de
citado a convocago d'um congresso europeu para receber noticias do coronel Fernandes, qneseacha-
resolver as quesioes pendentes. va pelejando com o inimigo na costa do Banhado,
Mxico 25 de Junho.Dous mil juaristas com- abaixo da estancia de Miguel de *ouza, entre Gui-
mandados por Publela foram balidos no sul. Cor- nas e Assumpeo. Nao recebi parte por esenpto,
re que Cortina foi raorto em uma rixa. Confirma- porque o proprio que aquelle mandou foi despa-
se que .Negrete foi batido e fugio.
New-York 1 de julho.O juiz advogado do
governo manteve a aecusagao de complicidade de
Davis e outros no assassinaio de Lincoln.
dudo durante a peeja, dizendoque nada me p >dia
iransmltir, porque o proprio estava vendo o que
eccorria.
O proprio disse-me qne no momento de partir
estava o coronel Fernandes na disposico de man-
dar apear a forga que tinha para fazer carregar
de novo o inimigo.
E' o que lenho por ora que levar ao conhecl-
mento de V. Exc a quem D us guarde. Passo e
Mariano Pinto, 26 de junho de 1863. -Illm. e Exm
Sr. general David Canavarro, digno commandante
que os
Paraguayos, trazendo por agua o seu trem de pon-
te?, marchavam em duas columnas sobre ambas as
margensda l'ruguyana.onde sedizia estar o gene-
ral Canavarro com 3,000 homens, ao passo que o
inimigo trazia 12,000.
t as cidades de Buenos-Ayres e Montevideo
nada tinha occorridode importancia. Na provincia
argentina de Santiago houve uma invaso de In-
dios.
Rio-grande do sli. Do mesmo jornal copiamos:
Pelo patacho Venus, entrado hontem (5), re-
cebemos datas da cidade do Rio Grande at 1 do
correnle.
t Sobre movmenlos militares encontramos uui
camente o seguinte no Diario, da ultima data :
De Bag temos noticias qua alcancam a 26 de
A diviso do Sr. barao de Jacuhy ja tinha mar-
chado, em numero de 2,000 homens, com direcg.io
a S. Borja, tendo-se refazido de cavalhadi gurda e
descansada.
cidade teve com as forgas correntinasVm recntro com crP do maJor Antero Soares e duas cora
que assira referido n'uma parte oficial : Pannias da reserva de infantaria.
t Acampamento general da vangarda em mar-
cha. Raices, 28 de junho de 1865.
Sr. I. Manoel I. Lagrana.Ctieio de gosto e
orgulho partecipo V. a terrivel carga que demos
vangarda inimiga era numero de 5,000 homens.
As fronleiras de Bag e Jaguaro ficaram des-
guarnecidas, e o Sr. ba o de Jacuhy, em orde.m
do dia de 22, ordenara a reunio de toda a guarda
nacional.
Estas noticias recebmo-las pelo Sr. capilao
composta das tres armas artilharia, cavallaria e in- PomPeu. 'ue hontem chegou com oficios para o
fantaria. Sr. presidente da provincia.
Os coronis Correa e Ocampos frente de 600 Segundo uma carta da mesraa fronteira ao
nhas. jornalo Porluguez, alm do monumental se v que
Os partidarios do antigo systema excitam, se-! o seu pfopnelario Manoel de Jess Coelho hontem
guodo se diz, os americanos para consolidaren) dava um artigo assignado, se o ministro do reino
enlre aquelles povos as doulrinas de Monroe, pe- pelo modo porque sacrificara o seu partido e os
dindo-lhes para invadirem o Mxico e derrubarera seus amigos M* recentes eleiedes, vem hoje pu-
o throno do imperador Maximiliano. | blicadas as tresN cartas irnicas do redactor Joo
A resolugao tomada pelos Estados-Unidos e Flix Rodrigues aij-Qiesmo ministro, de que se fara
annuncada ao gabiuete inglez, em relagao aos
navios confederados, produzio na Europa certa
impre-so, pois parece nao se compreheoder bem
qual a idea do governo americano. Paraca que
o gabinete do Washington quer mover uma pen-
dencia com o gabinete inglez. O gabinete bri-
tannico deu conhecimento deste assumnte as c-
maras.
Lord Rossell ja envlou ao presidente do Estados-
Unidos o ultimtum do governo inglez em resposta
da ndemuisagao pedida por aquelle governo em
consecuencia de haverem sido salvos alguns tripo-
lanles do Alabama, quando teve lugar o Combate
deste vapor com o vapor federal Kearsage.
Lord Russell diz que na opinio dos advogados
da cora britannica, Mr. Lancaster, proprietario do
navio ingle Deerhonnd^qae recolheu aquelles nau-
frago?, proceder na conformidade do direito e das
leis da humauidade, por isso que os nufragos sem
aquelle soecorro teriam perecido.
O ministro inglez conclue, que nao receber
mais communicagao alguraa sobre este assurapto,
que julga bem illucidado.
Levantaran) sa todas as restriccoes commerciaes
que pesa vam no oeste de Mississipi.
O general Sherman publigou em Richmond uma
ordera do dia, dizendo que os negros gozam da mes-
ma liberdade pessoal que compele aos brincos.
O presidente Johnson deu ordem s autoridades
militares de Charleston para nao impedirem as
reunioes polticas dos negros.
Apezar ca proclamago destes principios, os ne-
gros em algumas partes sao de novo vexados e op-
primidos pelos seus amigos seoheres ; e o'oulras
sao os negros que invadem e destroem as povoa-
ges. Apezar da eraaacipago dos negros, e dos
principios polticos por que se rege o paiz, o odio
entre a? duas ragas muilo grande, e fcil de
coraprehender que um elemento permanente de
desordem, principalmente depois dos ltimos acon-
tecimentos.
Houve em Nashville um grande incendio de que
resultou ser destruido pelas chamraas melade de
um grande armazem de otencilios militares. Mui-
tas casas prximas foram igualmente consumidas
pelas charamas.
Atlribue se este e outros incendios a malevolen-
cias partidarias.
Comeea ja a declinar a revolueo no Per
que rliegara a tomar certo desenvolvimento, masa
segunda edigao amanea.
No meio destes dejabrimentos contra o sol no
oceaso, comecara j tanto alli, como em oulras fo-
lhas as hosannas para o astV poltico que vem nas-
eendo
atiradores, depois de fazernm ura fogo susieutado
der-lhes o caminho, para tomarem outra posigo
que garantisse melhor o xito de uma carga que
ordenei se Ibes dsse.
O inimigo passou, pois, o Ambrosio para este
lado, cobrindo a sua frente, na distancia de tres
quartos de legua, com duplas linhas de infanlaria
e algumas pegas de arlilharia, que lambem collo-
carara em posigoes vantajosas.
Os nossos bravos, que sodriam com firmeza
C-mmercial, continuava o general Netto a reunir
Brasileiros no Estado Orient.l, achando-se na ulti-
ma dala em Taquaremb.
Rio de Jaseiho.O capito de fragata Antonio
Lopes Mesquita teve ordem para ir servir na es-
quadra em operage? no Rio da Prata.
Ap? o respectivo concurso para preenchi-
mento da cadeira de hygiene e historia da medici-
na, da Faculdade da corte, foram apresenlados ao
governo imperial : em Io lugar o Dr. Antonio Cor-
rea de Souza Costa e em 2o o Dr. Joo Vicente
um fogo nutrido da infantaria e arlilharia inimiga, Torres Hmero.
executararo, como por um movmento elctrico em ~ rram approvados: na arte de dentista bran-
loda a linha, uma terrivel carga sobra o inimigo, CISC0 de Paula. Bellido e Angelo Luc
levando diaote de si toda a linha deste, cortndoos
e no
nossos hroes as guerrilhas de infantaria, e voltan-
do a dar uovas cargas de retaguarda, repassando
as.fileiras detao lerriveis armas. Houve milita-
res que, vendo-se a p, com os cavallos cansados,
acumpanharam a carga de sabr em punho, con-
fundindo-se cora a infantaria, oue fugia em des- Pro*irao Pasado na barranca de Mercedes,
ordem. O banco Rural e Hypolhecano elegeu a se
Foram levados, pois, at s barrancas de Am- *an[(> Dova direcloria : Baro de S. Gongalo, pre-
sidente ; conselheiro Bernardo Ribeiro de Larva-
cisco de Paula
exame de suficiencia o doutor em medicina pela
universidade de Bruxellas LuizPereira Brrelo.
S. M. o Imperador mandn, na vespera de
sua sabida dar do seu holsinho 5005 a mal do ca-
pilo-teuenta da armada imperial Bonifacio Joa-
qun) de Sanl'.Anna, morto no combate de 18 do
brosio pelos nossos valeutes, que dalli retiraram ,
enlo debaixo do fogo das tres armas. lao e se LoPes Pereira Baha, secretarios.
A carga de hontem honra altamente os so'da- ~ Da urdem do d,a n- i62 da repartigao
dos correotinos, que zorabaram completamente da aJudante general consta o seguinte :
superioridade do numero e armas do inimigo. To-
dos os chefes e nffleiaes deram digno exeraplo s
suas tropas, e estas tambera a ellos. Mostramos ao
inimigo que a vantagem das suas armas e a supe-
liondade do numero nada valem anteo herosmo
dos nossos denodados guerrelros.
A perda do inimigo nao se pode calcular, e
entre us houve ura morto por tiro de arlilharia, e
diz-se que oulro por bala de espingarda. Ha alguns
ferido?, entre os quaes o major Canda. As caval-
gaduras dos coronis Correa e Ocampos foram tam-
bera baleadas, e bem assim mais alguns cavallo?.
a De hoje em daute, se proseguir a invasao, es-
tou danoslo a tirotea-los de dia e de noite, ainda
que seja a p, como disse antes. A este respeito
participo V. Exc. que oeste momento envo al-
guem ao outro lado do rio Corrientes, com o lira de
reunir cavallos para remediar um tanto o mo es-
tado das nossas tropas.
Ao dar a V. conta do successo glorioso da
hontem, felieito-o pelu arrojo dos nossos bravos, e
pelo exeraplo heroico que offereceram aos seus com-'
patriotas ao mesmo terapo que ao inimigo. Nica-
nor Caseres.
P. S. O proprio Sr. general Horraos com todo
o seu exercito foi teslemunha oceular da acgo de
hontem. O ajudante D. Saturnino Galarza melhor
informar a V. de lodo o occorrido.i
t O governador Lagrana estava era Goya doente,
e novamenle chamara s armas todos os Correnti-
nos O general Paunero com a sua arlilharia e
do
i : o duquede Saldanha- Diz-se at qne urna 2M*Kr eSnSffi "" C0,TeD,eS'
nova folha, de que sera redaettr o Sr. Lu.z Augus ^UmaMr deflSfShL Lonez destituir o c0 F,ancisco Nogaeira.
rtW^f^^^*^^' ^^^b5A^^C." 4 ompanhiL-Pa,
Foram nomeados
c Para tenente-coronel commandante do 30 cor
po de voluntarios da patria (2o de Pernambuco), o
ma;or do corpo de cstado-maior de Ia classe Apol-
Ionio Peres Campello Jacome da Gama.
Para major, o capito da companhia de artfi-
ces de Pernambuco Trajano Alipio de Carvalho
Mendonga.
Para teneme-ajudante, o alferes do 2 balalho
de infantaria Jeronymo Ignacio dos Santos.
Para alferes secretario, o Io sargento do 1" ba-
lalho de arlilharia a p Francisco "de Assis Mon-
teiro.
Para alferes quartel-mestre, o Io sargento da
companhia de artfices Franklm Francisco Bar-
reto.
1" companhia.Para capito, Amaro Xavier
do Moraes.
Para tenente, o tenente da guarda nacional
Joao Manoel Pereira de Abreu.
t Para alferes, Joaquim dos Santos Jorge e Fran-
cisco de Carvalho da Silva Queiroz.
t 2' companhia.Para capilao, Eduardo Seve-
rinode Almeida Catanho.
Para lente, Temistocles d'Orange dos Res
Lima.
Para alferes, Joaquim Agrepino Furlado de
Mendonga e Antonio Paes de S Brrelo.
3' companhia.Para capilao, o capito da
guarda nacional Jos Antonio Lopes Jnior.
Para tenente, o tenenle da mesma guarda Joa-
quim Gomes Pessoa.
Para alferes Joaquim Jos de Mello e Sizoma-
'....;m ., minos, mas noticia mui pouco secura.
ET de
companhia.Para capilao, Apollinario Fio
rentino de Albuquerque MaraDho Sobnnho.
i liados alli estavam acampados a margem direita do I Passar? a fornar uraa companhia isolada,
A questao,, no entender de algumas pessoasflas UrugUayj a rur(a ajstanna um rf ,.,, it., u_ I denominara zuavos
mais autorisadas por sua experiencia poltica, fe
que se o gabinete como est se conservar diante
do parameoto, levar logo nos primeiros dias um
cheque tremendo, e o poder uesse raso ir parar
inmediatamente para as mos da opposigao colli-
gada, (ou fusao). A fusao, sem maioria, nem ele-
mentos bailantes na cmara," ter de dissolver as
cortes.
a E' certo, porm, ao que parece, que ha dissolu-
gao fique o ministerio actual, ou se recomponha,
sempre lera brevemente de realisar-se, pois na ac-
tual cmara nao ha elementos de apoio para ne-
nhum dos lados.
Eis o que Ihe posso adiantar, de honlem para
hoje. Pooco e pouco mais haver, pois o que se
traa, o que se diz, o que se inventa, o que se Taz
e o que se desfaz em occasioes destas, annnllase
cora o que se poe e dispoe uma hora depois.
< Em toda a parte assim.
Deram-se hontem a sepultura os restos mor-
taes do conde de Tarmento, aio que foi de el-rei
o Sr. D. Pedro V.
do oulro. L'ma le
gua abaixo da Concordia eslava o general Osorlo
1001 cerca de 20,000 Brasileiros, contando os che-
gajos nos ltimos transportes. Na mesma cidade
e-ia\'.i > exercito oriental, euma legua cima o ar-
gentino; em Ayni Chico.
t A 2&imda estava passando arlilharia e cava-
Ihada para o nosso exercito.
Era de creT que os exercitosalliados marchas-
sem pela margem .'.ireita do Uruguay ao encontr
do paraguayo, e. se o no'V>masse a crescer, como
crescia, poderia este moviniento fcilmente fazer-
se por agua at coosideravel distancia mais cima.
Segundo a Tribuna de^lontevido, linha o Sr.
visconde de Tamandar j prompta e arlilhada
uraa esquadrilha de chatas fara Perar no Alto-
Uruguay.
t Esta esquadrilha, acresceniVA mesma folha,
ser acompanhada de um monitor peqeP, e cor-
tar a retirada s forgas paraguayas que rwem
passado para a margem brasileira do Uruguay.
Para tenenle, Jos Elias de Mello.
Para alferes, o sargento quartel-mestre do
mesmo corpo Jos Cavalcanli de Albuquerque Ma-
ralo e Joaquim Theotonio Alvos da Silva.
t 5" companhia. A 5* companhia des e corpo
que se
pernambueanos ; e passar a
ser compauhia do mesmo corpo > de voluularios
das Alagas, que a elle se acha addida, com os se-
guintes oficiaos de commisso :
c Para capito, o capilao da
Luiz Jos de Mendonga.
< Para tenente, o tenente da
Euclides de Souza Mello.
t Para alferes, os alferes da
Joo Gomes Pessoa Cavalcanli e Ignacio
lino de Oliveira Bello.
6* companhia.Para capilao, o tenente da
guarda nacional Manoel Rodrigues de Araujo Lima
Para tenente, Gabriel Moreira Rangel.
Para alferes, Francisco de Souza Ferrcira Ra-
bello e o particular 1 sargento addidn a compa-
nhia de artfices de Pernambuco Jos Hygino Xa-
vier da Fpnseca.
7" companhia.Para capitn, o capito da
guarda nacional Jos Pereira da Silva.
Para tenente, Sabino Sidronico Alves de
Castro!
Pata alferes, Francisco Pereira da Cuoha e
Alferes do 30 corpo de voluouri>* da sarria
Jos Pereira de Gonva Torres Gallado, para l-
ente de commisso do 3 corpo tamlew e volua-
Cadete do t.atalh.io de arlilharia Antio Aa-
gusto Fernandes Leo, para alteres e roMM-at
do b corpo de voluntarios da patria ;
' Ex-alferes do corpo policial do Rio ie Jaarir
Zeferino Urreia dos Santo*, para alteras de r,m-
missao, deveodo servir no 12* corpo de votaataho*
Foram demittidos : o l'eirorgio do curpoie
sande Dr. Antonio da Silva Deir, e ririirnihi
do mesmo corpo Drs. Gustavo Baidoino de i
(-amara, Alfredo Candido Gmmar^s JaciMnw St-
vano de Sania Rosa e Antonio d* >ox CordHro
como pediram.
Por decreto de 7 foi rnredida, aa roal.^nM-
dade das diipi.iedw g {. a, arl 9. ^ wi ^
6i8 de 18 de ago-io de IS*. pw ITrere i des-
las incnraveis que o^ tornan) iarapaies r att-
nuar no serriean, aos MataMi :
Major do corpo de engenheiros Candido la>
nuano Passos.
Dito de estado-maior de 2- classe k* Fet* da
Oliveira, e lente do mesmt corno Antoaio f-rLs
berreira.
. Capuao do 9- batalho de infantaria ikari^e
Eduardo da CosU Gama.
I* cirurgi.'io do n de saode Dr. Ignacio
Jo>e Gareia, e t cirurio do Jilo corno Dr. Ps-
sidonio de Mello AccMi.
Tenente? do 1* batalho de infantaria Ju Jo>
fc-vangeli-ta (;(J>ta e da corpo de guarme-io :., E-
pinto-santo Antonio Rodrigues Pereira.
2" tenenle do i- balalho de artillara ..
Joao Itaptista Guimares.
Alferes do i> rgimen o d-.-avalL.ru peira
Manuel Augusto Bao-llar, do corpa de cavallaria
de Malo-Grossn, Benino Feliciao., Boei Ma^r
e do balalho de cagadores da Babia Pedro Taeo-
doro Pereira de Mello.
Lc-se no Jornal do Commei rt :
Ha das demos noli.-ia da clieyada da capito
Manoel Gabriel e leneole Amaro, da ald-a de S
Joao a margun do no do Sonido, provincia da
(joyaz. Estes dous Indios, o .-egund do .roa. s
aqu foi baptisado. regres-a., a nan aldea, b-vaado
rardamento, roopa, capotes, arumealo, mala.*, aa-
zoes, brincos, memorias e varios oulro* ol>jrct.m
Ihe. foram Torn-cidos ptlu ministerio da acri-atDa-
ra. Viuio-los fardados de volntanos com as m-
signias de seos po.-tos, e sao duas tgnras nsar-
ciaes. O Sr. chefe de policia mandn tirar lites a*
retratos, para remeller a oulras inbos, qae veada-
os tao guapos, ho de cob.gar alislar-se ao eraaa
da patria. m
Uraa subscripgo a faor Relies promovida aa
praga do commercio produzio 66)000.
Sobre a epigraphe oferta diz Parak+omo de
lo do correte : .u sr. M tibias Bernardino Ate-
xandre, natural da Polonia e fazendeiro do Pa:j do
Alferes, mandou entregar ao governo da provincia
a quaotia de 10:000*, que e destinada ao miliar
que prender o dictador do Paiaguay.
O Voluntario, lolha da Diamantina, de 26 do
passado; da a seguinte noticia :
Ueu-se, na noite do dia 8 para 9 do correal,*
mez, nos suburbios dejta cidade um fado bonaso
que tem posto em alarma seus pacficos naLiuaie?.
Lonvem referi-lo pela imprensa, porque km uava
signitlcago ameagadora.
Ura bando de escravos fgidos alaron nma pa-
quena casa que demora a pouca distancia do po-
voado, com um canibalismo sem nooae. Mura all duas pobres mulheres, --lando ausente o ma-
ndo de uma, eleito imperador do Divino, qae e-to-
va em preparativos de sua Insto. De patosa
eslava la hospedado um amigo da familia A
turma de quilombolas, aproveitoado se da aotie e
do lugar, passou um cerco na casa e a.-*al:u-a-
Lraa das mulheres, ao sentir gente esiranna (aliar
de fora, levantou-se para abrir ajaDella e indagar
o que se dava, quando uma pancada de cooee d
arma abalou a janeila; logo apos segnio se nat h-
re, que a vatou, e nma foieada qne locou a cate-
ga da vitima, fracluarando Ihe o crneo.
A irma da infeliz corren em sen anulioe eav
hio moribunda, varada por uma bala. Os assaaa-
tes deitaram abaixo com nm tiro o destratada nas-
sageiro, que se ergua do leito despert peto nudo
e palavras dentro da casa.
Teve enlo logar pilhagem medoahs.
Venlicaram, a pona de p a morie das victi-
mas e roubaram o que a.-harain. Consta que ka-
va na casa o producto de esmolas que o marido
de uma das miseras tinha agenciado e bem a-im
algum dinheiro que trazia o de-diloso hospede. To-
do levaram : mesas, colchoes, roupas ; fc lado
quebrado o que oo pode ser cooduzdo.
t Apos retirou-se o bando ferox, deixand dona
cadveres banhados no sangoe e nma da* mnlhe-
res, que locada pela bala deixou-se cabir, ngia-
do-se mora, e que miraculosamente oOsmro e
ouvio o que diziam os assassiuos.
Ao amaohecer, via-se om lrite esi-eriarnlo :
urna casa arrombada, Turada de bala*, as paredes
picadas de farra, dous cadveres, nm lago r< rima-
do pelo saogue vertido pelas victimas, o -ignal
ensanguentado que as mos assassinas tinham dei-
xado pelas paredes.
Pde- vai se restabelecendo.
Este facto consequencia da qnelle espirito
insurgente que ameacni, ha pooco lempo, a tran-
quillidade publica no S rro. E* |o respirar desse
odio de escravos que assignala soa passagem coas
0 roubo e assassinato.
c A cmara municipal, de accordo com o dele-
gado de polica, est tomando medidas energi.
para punigo e prevengan de taes alternados.
que
PERNAMBUCO.
guarda
guarda
guarda
nacional
uacional
nacional
Franqui-
Na fronteira do Rio Grande leera os Paraguayos \
Fal'lcTu Ventera a viscondessa de Ribamar, ^^^Xn^^^A ^ ^^ ^ ^"^^ ^^^^^"^^ *3
que era esposa do visconde do mesmo titulo o al- I0,v.a ai" }'a"im':., ... 8* comoShia.Para capito, E
mrame Joo da Costo Carvalho. As folhas de Montevideo publicara a segn.nte Ferreira Cesar i^ureiro.
P QuartTl-generai do commando em chefe do' ,.Flr?l,ll",ffl,lT CrP Fn5"
exercito brasTleiro em operacoes contra a republi- dencDa Au8"sl0 Vr^ftS&t. d, S,n
ca do Paraguay, no passo dos LorraMtoe, 3 deiu-..." Par,a flferes, FraW^o Mattoso da Silva San-
Iho de 1865.
A Gazeta de Portugal publica hoje a resposta
que o Sr. Mendes Leal deu a manifeslacao que Ihe
fora dirigida pela asseciago dos artistas portugue-
zes residentes no Rio de Janeiro, e que Ihe linha
sido entregue por mos do Sr. Florencio Gaspar
Lopes Banhos ; para este flm commissionado pelos
raesmos artistas.

que o soberano teve cora o chefe do partido mais situago do paiz nao muilo vantajosa.
imprtame do paiz lambem concorreram podero- Espera-se que o presidente Pezet consiga final-
amento paa esta mudanga. mente vencer os ioimigos combatendo a crise. As
A Hungra vai entrar em traneaeco com o go- suas tropas tomaram aos insurgentes a praga de
verno austraco. A Hungra al agora quera ura Arica e toda a provincia de Arequipa. Em Callau
exercli > distineto do austraco e a aboligo de cer- tem-se verificado multas prisSet em consequencia
tas despezas geraei que (iguravam 00 orcainento de nma conspiragao que se diz ler sido formada
do imperio, mas que sjbrecarrgavam aquelle para destruir duas fragatas hespaoholas que esta-
P*z- vam no porto, que deviam rebenlar por meio de
Parti para Pesth nm hornera importante para um apparelbo elctrico,
sondar as opl aioes. Um dos conspiradores descobrio o plano que ti-
Os humeo:, que tem pugnado pela liberdade e nha por fim fazer anunllar o tratado coocluido com
independencia da Hungra, e a' sua frente Kossuth a Hespanha ; p8 devemos observar que o tratado
desapprovam as manilesiacoes que o imperador assignado pelo almirante Pareja e general Vivanco,
d Austria recebeu na sua viagem a' Hungria. Kos- em nome do presidente, a causa principal da
jutb escreveu uma caria ao corone! Poldvary, ebe- queixa dos insurgentes contra o presidente.
c Illm. e Exm Sr.A's 3 horas da tarte recebi
um oflicio do general Canavarro as copias que re-
Diz se { ultima hora) que o Sr. Ignacio Tho- metto a V. Exc, e pelas quaes ver V. Exc. que o
maz Lobo d Avila, conseguir entrar no parlamen-. coronel Fernandes Lima obteve um triumpho com-
i em 2o escrulineo pela desistencia de um dos can- pleto sobre a vanguarda dos Paraguayos, enlre a
didatos de Monte Mor o Novo, onde houvera eropa- villa de Itaquy e o arroio Bolhuy. Pelo que felicito
te. Acrescenta-se que o mesmo cavalleiro solicito a V. Exc, a quem Deus guarde,
esto desistencia da intervencao dos ministros, o' < Illm. e Exm. Sr. general D. Bartholomeo Mitre,
que por ora me nao resolvo a acreditar, pois era commandante em chefe do exercito alliado.Ma
d-seer muilo. noel Luiz Osorio, brigadeiro.
< Eraquanio as mais desastradas eleigoes eram < Ura. e Exm. Sr. Sao oito horas da noite.
dirigidas pelo Sr. Julio Gomes da Silva Sanchos, o (Neste momento chegou o lente Verissimo Servio
Sr. marquez de S, venerando ministro da marinha Souto, coodoziado o capilao Joao de Oliveira, ba-
e colonias, extranho s intrigas e tricas em que ieado no ventre, e bastante mal, o qual conta que
nao er o seu animo recto, providencia va efBeaz- os inimigos carregaram pela segunda vez era nu
mente era favor das nossas provincias ultramari- mero de 600 a 800 homens, e foram derrotados
as, fazendo decretar algumas medidas de reoo- completamente, tendo novamenle escapado destes
nbecida vantagem. Por esto abstencao eleitoral e uns cento e tantos, lomando-se-lnes quatrocentos e
e louvavel diligencia administrativa, o exaltan) boje, tantos animaes cavailares.
as folhas de todas as cores polticas. < Dos nossos raorreram dous officiaes, os teen-
Devia ter-lhes dito que el-rei conceden, ha tos Israel e Leandro, dez ou doza bomens, e foram
tiago e Joo Carolino do^sciment0.
Para a companhia de zo'iyoPerDamDDcanos
qual ser addida ao referido 3oVcerP0 de volunta-
rios, e cora elle marchara' sao nomisd08' tambem
em commisso, os seguinles officiaes ?\.
Para capito o alferes de milicias feOM -
s da Exallagao Mamva. ^^*
t Para tenente, o alferes de commisso Joo
Baptista do Espirito Santo. ,-'
t Para alferes, o alferes de commisso /Galdino
Jos da Silva e o Io cadete 1 sargento *, 9 ba-
Ihiode infanlaria Antonio Francisco djrMello.
Foram mais nomeados :
O major do 15 batalho de iofafljria Jos An-
tonio da Silva Lopes, para tenenteirf-0nel de com
missao, commandatUejlo Io corpdjjje guardas na
cionaes destacados, qo'fM part
operacSes contra o Paraguaya
t Capilao do corpo de guaro
Benedicto Jos de Barros, para
no corpo de voluntarios do Piajjhy
Leovegildo Gongalves Senfa para pharmacen
tico, alferes dp corpo de saije t0' exercito ;
rdo exercito era
lo do Amazonas
rvircomo flseal
REVISTA DIA1IA.
Moje ha uro espectculo extraordinario ai Santa
abel, todo dedicado ao brilhante feilo de armas
do Riachuelo.
No intuito de solemnisar o triumpho litoniro da
nossa esquadra as aguas do Paran, a empresa
conseguio do Ilustrado poeto e dramatnri.. Dr.
Franklim Tavora, uraa produego allegorica. qms
honraodo o autor, d copia do valor dos ao-sos
bravos. Km complemento de*ta allegoria i>Uio-
lica, ser exhibido um quadro 1 Iluminado do .-
bale naval, no qual o hbil pincel do Sr. DoraeHas
uo deixa nada a desejar, reproduzindo alli o que
ha de graude e valoroso, o que houve de iageatt a
heroico na luto da civilisagu cun a selvag-nx
Na lerga-feira prxima reune-se a Associacaa
Commercial Benelicente para apreciar o relatoria
e as conlasda direego. e em seguida eleger a la-
va mesa para o anno social que vai comecar.
Araauha celebra-se na matriz dr-ta frrguc-
zia a festa da Excelsa Sra. Santa Anna. con a
pompa e brilhaotismo ro>tnmeiro, nada poopaada
os encarregados desta uncgo religiosa para sea
raaior esplendor.
O aonuncio publicado neste Diario a respaila
de uma procurago, asignado pelo Sr. Maaoei
Adriano de Mello Dutra, deve ler-se Joao Adriaaa
de Mello Dutra.
Tendo mandado o arsenal de maana coma-
car nm pequeo mastro volante do tolegrapaa. **
megando de novo hontem larde a (atar os ?igaa
dos navios, que demanlam nosso parte.
Aute-hontern ao anoiterer passon ao harina
te uma fragata americana de guerra, hniimx a
mesma hora, pas?on um vapor lambem de gaerra
e americano, ambos para o sal. Date ser a ea-
quadrilha americena. qoe vai esracJafar ae Rio de
Jaaejpf.
"*^- Hoje se extrahir a 5a palie da V e Ia da S*
lotera da Santo Cata de Misericordia, {*&)
o maior premio 6:000*.
Ficava a carga no Rio de Jaaeire para
nosso pono, o palhabole Piedaie.
Sahira, 1S, com esse dr Hiato, o I
ra & Alfredo.
O vapor inglez Douro, trouxe a
passageiros da Europa, sendo 17 para o
to e 134 em transito para o sol do 1
Seguio hooiem para a comarca
Rvm. missiooarlo eapochinbo Prei Egidiede Garn-
cio, afim de ver se consegne o restobeieeiraeaa da
ordem publica, ali alterada dede o
correnle, em consequencia de intrigas |
do subdelegado da villa desse aome a 1
ridores.
*
i


>*...
ulark de "erna.nb.ieo .- .nbbado i de Julho Je S9&
A medida tomada pelo Exm. Sr. presidente da
provine a Jtjfoa de loavor, e por ella nos o feli-
citamos.
~ RiPAnTijAO da polica :
fcxlracto da parto do dia 28 de julho de 1865.
Foram reolhidoj casa de detengo do dia 27
A' ordera do Dr. ielegado da capital, Francisco
Antonio das Chagas, e uno desertor do 4o batalhao
para eorrecgao.
A' ordem do de Santo Antonio, Emilii Marciano
dos Santos, por insultos.
A' ordera do 1e >. Jos, Igoacia Mara da Con-
eeigao, tambera por insultos.
A' ordem do da Boa-Vista, Goncalo; eseravo de
Ignacio Hibeiro Jun.or, a requerimento deste.
O cliefe da 2." seceo.
J. G. de Mesquiia.
Casa pe deten$ao.Movimeuto do dia 27 de ju-
lho de 1863 :
Exisliam 343; eitraram o; sahiraTi7; exis-
tem 3'i6 ; a saber : uaeionaes 236 ; mulares 7 ;
estrangeiros 24 : mullieres 2 escravos 53 ; es-
vos 4; total 3 i 6.
Alimentados a cusa dos cofres pblicos 178.
Movim-nto da enfermara no dia 28 de julho
de 1865.
Teve baixa :
Thomaz Gome* da Silva ; dartro.
Passageiros do vapor inglez Douro, viudo de
Sowtampton e porto* Intermedios :
Rvd. Richard Addison e sua senhora, Henry
Charles Palwasser, Charles Austin Saunilers. Hen-
ry Airlie, Hobert Wenderbom e sua senhora, Joo
Fernandes Lopes, William Barlow Besley, James
Gillaod, Manoel da Silva Maia Jnior. Albino da
Silva.Leal. Rodrigo Pinto Moreir, Jos Vicente Pe-
reira, Jos Nu es Pereira, Mano
Christiam Fredricle*, Antonio
Henrich Cassel, e Ebsaueth Cassel.
Seguem para o sul :
Cipito Bunon, JoSo Altes da Cruz, Benjamim
Amonio da lio-ha Parta, Francisco Texeira Gui-
mares, Silvestre Cona de Carvalho, fau-tino
Martins Ba tos e Antonio Jos Rodrigues de Souza.
Vencendo-se hoje urna letra aceita por mlm
casa oommercial dos Srs. Monteiro, Lopes & C,
declaro aos ditos senhore--, ou a quetn fr d'ella
portador uue a podem apresentar para ser paga
immediatamente. Bem sei que este o meu rigo-
roso dever, e nao precisara fazer declaraeao al-
guma. Fago a, porin, para evitar equvocos"; pois
ainda ha poucos das me foi aberia fallencia, e por
Hamburgo, de Sjufno de 1863.
Relatorio commercial.
Nao houve alteragao notavel no mercado na iuin-
zena passada.
Caf.Em consecuencia das noticias meno? fa-
voraveis dos Estados-Unidos pelos ltimos vapores,
e de avuliadissimo deposito (25 milh^s do libras)
la do caf," em maior parte da qualidade in-
"e ''" JSS^Knw"'iaaSS?.n lfe,T feriur la'n- ty'^vm extacgo para 9'a"; comparecam na sala das sesses da referida
rave. de novo da sentenca que a de- o interior nao foi muit! animada. lanl*' n" .' clta| mencionado, pelo meio dia, e
aberta.
claiou abefta, e nao quero dar motiv para t
terceira e uuarla fallencia, visto que nao posso du-
vidar da mao occulta que move estes negocios con-
tra os proprios interesses dos meus credores.
Recife, 29 de julho de 1863.
Joaquim da Silva Boavisla.
rematar a quem por menos fizer, es reparos de
|,095 bragas correles na estrada do sul, do marro
8.000 bragas at o portao da barrelra da ponte
dos Carvalhos, aveliado* em 5:3135000.
A arrematado ser feita na forma da le pro-
vincial n. 313 de 13 de maio de 1834, e sob as
clausulas espt-ciaes abaixo copiadas-
As pessoasqne se propozerem a essa arremata-
da
TRIRCX.1L DA HE li Ario.
SESSAO DE 25 E JULHO DE 1865.
PllESIOENCIA DO EXM. SR. CONSELHEIRO
SUIZA.
As 10 horas da raanha, presentes os Srs. des-
inbaigadores Santiago, Gitirana, Lourengo Santia-
o, Almeida Albuquerque, Assis, Doria, Molla,
Ucha Cavalcauti, Domingues da Silva e Barros
Vasconcellos, faltando o Sr. desembargador Guerra
procurador da cora, abrio-se a sesso.
Passados os feitos, deram-se os seguintes
JULGAMBNTOS.
egrevo de peticao.
Aggravante. Thom Lopes deSenna ; aggrava-
do, o juiz".Relator o Sr. desembargador Almei-
da Albtiquerque. Sorteados os Srs. desembarga-
dores Multa e LoureHgo Santiago. Negou-se
firovimento.
Aggravante, Alexandrina Duperron ; aggravado,
o jiiizo.Helator o Sr. desembargador Assis. Sor-
teados os Srs. desembargadore* Doria e Ucha Ca-
valcanle.Jolgaram nao ser caso de aggravo.
Augravanie, Lino Ferrara da Silva ; aggravado,
o juiZ'.'.Relator o Sr. desembargador Motta. Sor-
Apresenta-se para candidato do segundo diside-
lo desta provincia o filho do Sr. ministro da justi-
ga, cujo mrito era t)da a extengo reconhecido
por quem quer que seja seu aposentador, intei-
ramente desconheeido de lodos os habitantes desta
trra, que nem sabiam que sua excedencia tinha
um filho formado e tiio distincto por seus dotes na-
turaes e adquiridos.
D'onde vem esta apresentago ? Antes de appa-
recer no Diario j se sabia que partia do proprio
Sr. ministro.
Nao haver porin nisto urna grande ingrati-
dao? Para que desta vez a escolha recaa sobre
pessoa que nao humilhe nem degrade a depntacao \
de Pernambnco, carecemos de receber o filho do i
Sr. ministro desconhecido de nos ?
Estar esta trra j tao degradada que nao se i
Ignacio de Paiva, aehe entre nos algum moco e c ra habilitago-'s pa- I
Maria D. Cardoso, ra ser abragado pela ttuaOo incansavel era appro-
cetta-los. Serao todos os mogos (e porque nao os
velhos ?) d'aqui e conhecidos de i^s ineptos ou de
asquerosa vida irregular, para carecermos do para
nos estranho filho do Sr. ministro como nico meio
de evitarmos que desta vez a escolha caa sobre
pessoa inepta ou asquerosa f
Se procurassemos um nome para a situagao me-
recedor nao adiaramos to de prompto esse no-
me tao condecido e decantado em prosa e verso,
cuja iniciativa no mais heroico e dedicado servigo
o lem elevado to alto? Nao salta a mente de to-
Recebemos as duas semanas passadas 31,800
saceos, dos quaes 11,178 de Sanios; as vendas (o-
ram de 18,000 saceos a 5 3/8 7 3/i sch.
O caf do Rio regular ordinario cotado a 6 3/8
6 1/2 ch.
Importado de cafe de I de Janeiro at 30 de junho.
1862 46 8/10 milhoes de libras.
1863 45 2/10
1864 33 8/10
1865 33 10/10
Em ser em fim de junho.
1862 19 milhoes de libras.
1863 19
1864 9
1865 M
pregos
>

Assucar.Mais animado por causa dos
mais baratos aqu do que nos outros mercados
I venderam-se 700 saceos mascavado do Cear, 300
| caixas e 300 saceos do de maroim.
As ucar branco do Brasil : 1619 marcos as
; 100 d.
j Assucar mascavado do Brasil : 13 i/2 -13 i/2.
Importarao de assucar de 1 de Janeiro at o fim de
junho.
1862 26 milhoes de libras.
1863 42
1864 17
1865 23 >
Em ser em flus de junho.
1862 11 milhoes de libras.
1863 15
1864 1 5/10
1865 3 5/10
Tabaco.As tran.-aegoes foram muito limitada',
apenas temos de uutar a veuda de 200 bailas de
tabaco da Raliia.
Em ser 7,51)0 bailas de tabaco brasileiro.
Algodo.O algodo esteve muito procurado,
subindo os pregos venderam-se 32 bailas do Ceara
a 18 sch.
Infelizmente nao se offereceu mais algodo do
aos este nome ? llavera raaior ingratidao no seu Brasil
esquecimento na actual emergencia ? cante*'
m mA DUSS me "CCUpe drste norae f'uand01 Cou'ros.-Sem actividade.
aos miniares e a porfa o decantaram. | de 8,000 couros do Brasil.
Jacaranda. Venderam-se 100 mil libras, che-
approva-
O Dr. Laiz de Albuquerque1 Sartins Perelra, dele-
gado de polica do Io distrleio do lenno da ci-la-
de do Recife etc.
Fago saber que acha-se deDosiiado por mandado
deste juizo um relogio e tim trancelim que fora
apprehemtrdo a Jos Gong.ilves Revs, no dia 20
do crreme ; quem for seu dono comparega, que
provando llie sera entregue. Recife 8 de julho
de 1865. Eu Dionzio Ferreira Cavalcanii, escri-
vo uterino do juizo o escrevi.
L. A. Martins Perera.
Pela thesouraria provincial se faz publico,
que a arrematagao do fornecimento dos medica-
mentos necessanos enfermara da casa de deten-
gno, foi transferida para o dia 10 de agosto vin-
douro.
Secretaria da thesouraria provincial de Pernam-
buco 28 de julho de 1863.-0 secretario,
A. F. d'Aonunciago.
COMPANHIA PERNAMBUCAXA
DR
.\avegdco coateira ptr ?apr.
i P>r ordem superior tira iran-
^.^v fe' ida paia o dia 5 de agesta pr-
ximo, ns 10 horas da nuibaa, a
partida de um ios rapires *%
eon^anMi para o presid t>
Fernando de Noronha. A carga ra rerebida alr
o ilia 4. Eocommenda^, pa-sa/.-ir.s e dinheiro a
frele al 9 oras d.> da da sabida : rinlori' a
Forte do Mallos n. 1.
H Rl*
Para o Kio da i*rata
Crande
Freta-se a barca nacional RestanmrSo : a tra-
tar com os seas consignatarios Antonio Lo te
Oliveira Azevedo & C, no.:?n e-rriptorio roa 4
Cruz n. "I.
P la i Y11CIU tM M pretende seguir com mnit* brev.dade o pafarh-,
fa7nfhh""fi5'' J Curre' de'U c,dadese Dacional Regulo, tem p.re de tm rnnmmm
toSSSX?. flns coaven.entes, que em virtude engajado, e para o re'trf qae Rh f.li. ^raWTT
corret?\l Ti d, re=uli.mfQt0 er.allldos tr"<*. "ata se com os seus consignatarios Mtat*
1 de dezembro de 1844. e art. 9 do Luiz de Oliveira Azevedo A S
de 18Ji, se proce- ra da Cruz n. 1.
lecrelo n. 185 di 15 de mau
der o consumo das cartas existentes na adminis-
tragao pertencentes ao mez de julbo de 1864, no
dia 3 de agosto prximo, as 11 horas da |manha,
na porta do mesmo correio ; e a respectiva lista
se,acha desde j exposta aos interessados.
Adinimstrago do correio de Pernambuco 20 de
julho de 1865.- O administrador
Domingos dos Passos Miranda.
O., no seu esrriptorio
e por isso as vendas foram to insgniti-
Venderara-se cerca
Eram tantas, nao careciam mais de urna voz,
agora que delle se esquecem quando se deveriara
todos lembrar, agora o lembro eu :
O deputado pelo 2. districto de ve ser o Si. Jos
Paulino da Cmara.
Recife, 28 de julho de 1863.
Affonso de Albuquerque Helio.
Tendo-me o Exm. Sr. Dr. Antonio Borges Cas-
tello-Branco, dignissimo ex-presidente da provincia,
honrado com o nomeacao de direcior do collegio
dos orphos, deva por meio da imprensa dar Ihe
um te.-temunho solemne do quanto sou credor
ao me.smo Exm. Sr.
Oulro sim, anin.ia pressa que me retirei, os afa-
DOSOS rieveres conventuaes, a entrega da casa e
.outros objectos, roubaram-me inteiramente o tem-!
po, a ponto de me nao despedir pessoalmente dos |
meus numerosos amigos, e agradecer a outros a
toados os Srs. desembargadores ssis e Domingues co.adJuvago ja pessoal, e j pecuniaria, durante a
mmhaadministracao no convento de Santo Antonio
da Silva.Negaram provimento.
Aggravanie, I). Carlota Libania Borges; a_
gravado, o juizo. Relator o Sr. desembargador
L'oria. Sorteados os Srs. desembargadores Gitirana
e Ucha Cavalcanle.Xegou-se provimento.
Habeas-corpus.
Concedeu so soltura a Manoel CarlosLeilo de
Alouquerque.
DESIG.VACAO DE DIA.
Assignou-se dia para julgamento das seguin-
tts :
Appellagoes crimes.
Appellante, o juizo appellado, Francisco Bor-
_ desta cidade, nao esquecendo os relevantes e im-
portantes sesvgos, que a communidade do referido
conwnto i reslou-me quando guardio
Collegio dos orphos, 28 de julho de 186>.
Fr. Joo Buptista do Espirito-Santo,
Director.
gos Macan oir.
Appellante, o juizo;
da Silva.
Appellante, o juizo ;
cravo.
Appellante, ojuizo :
dos Santos.
Appellantes, Anto Rezerra Leite e outros
peilado, o juizo.
Agua florida de Murraj e Laminan.
Nao difcultoso distinRuir-se a senhora de deli-
cado e refinado gosto, pela qualidade dos perfumes
de que geralmenie usa.
Tanto as senhoras da moda como as senhoritas
' M da America Central e do Sul. dao urna indisputa-
appehado, Manoel Silveno vel preferencia .Agua florida de Mnrraye Lam-
inan', era logar de qualquer nm outro perfume
para o lengo : e teem-se aferrado ao mesmo para
mais de vinte anuos esta parte, cusa do inteiro
e completo abandono do extracto de Lubn, asslm
como de rauitos outros perfumes e essencias euro-
peas, mais ou menos agradaveis mas era nenhum
' caso to aromticos e de propriedades to suaveis
garam 300 mil libras e restara era ser 700 mil li-
bras.
Cacao.Firme, falhando o cacao do Para.
Tapioca.Sem novidade.
Navios expedidos para o Brasil
Spliynx, para o Rio de Janeiro.
Emmanuel, para Santos.
Cato Anelto e Vernus, para a Baha.
Alexandir, para Porto Alegre.
Iduna, para o Rio Grande do Sul.
Navios cheqados do Brasil.
Soeift, oanoto e Tricksey Wee, de Santos.
Marielta. da Baha.
Navios a carga para o Brasil.
AfPara o Rio de Janeiro : Marta e Willink.
Para Sauos : Margarita e Presto.
Para Pernambu' o : Helene.
Para o Rio Grande do Sul : Heinrich, Albertus e
ana.
Para a Bahia : Mara Limita
Para Maranho e Para : Behrend Wichelm.
Cambios.
Sobre Londres, 3 m. d., 13 marcos 5 sch. banco
por a.
prazo curto 13 m. 4 3/4
por SJ.
competentemente habilitadas.
E para constar se mandou publicar o presente
pelo jornal.
Secretaria da thesouraria pro incial de Pernam-
buco 13 de julho do 1865.
O secretario,
A. F. d'Annunciagao.
Clausula? especiaes para a arrematagao.
I* As obras dos reparos da e.-drada e enibarrea-
menio, entre o marco de 8,000 bracas e a barrei-
ra di poote dos Cw valhos na estrada do sul, sero
fetas dr conformidade com o orgamenlo junto na
importancia de 5:3130.
2* O arrematante dever principiar as mencio-
nadas obras no praso de 15 das e concluidas no
de 5 mezes, ambos contados da data da
gao da arrematagao
3" O pagamento ser realsado como determina
o artigo 79 do regulameuto de 9 de julho de 1864
e a responsabilidade da entrega definitiva s ser
applicavel aos calcamentos e atorros dos mangues.
4' 'ara ludo o mais que nao se tem especifica-
do as presentas clausulas, seguir-se-ha o que de-
termina o regulameuto cima citado.
ConformeA. P. d'Annunciagao.
O Illm. Sr. inspector da thesouraria provin-
cial un cumprimenlo da ordem do Exm. Sr. presi-
denta ila provincia, manda fazer publico que no
dia 10 de agosto prximo vindouro, perante a jun-
ta da fazenda da rnesma thesouraria, se ha de ar-
rematar a quem por menos fizer a obra do empe-
dramento de 280 bragas correntes entre os marcos
de 13 a 14 mil bregas na estrada da Victoria, ava-
hada em 3:5990200.
A arrematagao ser feta na forma da le pro-
vincial u. 343 de 15 de mato de 1854, e sob as
clausulas especiaes abaixo copiadas :
As pessoa que se propozerem a essa arrematagao
comparegam na sala das sessoes da referida junla
no dia cima mencionado, pelo meio dia e compe-
temente habilitadas.
E para constar se mandou publicar o presente
pelo jornal.
Secretaria da thesouraria provincial de Pernem-
buco, 10 de jnlho de 1865.
O secretario.
A. F, da Annuncinrao.
Clausulas especiaes para a arrematando.
1* O empedramento entre os marcos de 13 a 14
mil bracas serjexecutado de conformidade com o ;
respectivo orgamento na importancia de 3:3990200.
2a O arrematante comegar os Irabalhos no pra-'
zo de 15 dia* e os concluir no de 5 mezes, ambos '
contados da lata da approvago da arrematagao.
3* Os pagamentos serao feitos em tres presta- bspbctacolo extiiaoiidinahio b> horra ao bih-
ces iguaes e correspondentes a cada terga parte: lhanteeimmijiikedouko tuumpho naval outido
da obra executada. I pela escuadra br\sileirvsobre a esquaora pa-
4a Suffrer o arrematante urna multa de 1000 se bachata, no paran.
paralysar i servigo por 13 das ou mais. Represeniar-s--ha o magnifico e apparatosoqua- 3(i-Hlia da C'ailri.t (o Iteetfe 36
5* Napodera o arremtame sob pretexto qual- dro allegorico em efeganto verso, com^osigo do
quer pedir indemnsago alguma. muito condecido e distinct < escriplor brasileiro Dr.
6a O engenheiro encarregado dos irabalhos dar Franklin Tavora, sob o titulo
ao arremtame as nstrueges a respeito do serv-
arniialaco.
Perante o Sr. juiz de paz do 2o districto da fre-
gnezia da Boa-Vista tem de ser arrematado em
hasta publica, no dia 31 do corrente, os alugueis ,
da casa terrea n. 57, sita na ra da Soledade, pe- iait.. Ir,..
nhorada a Arcenio Amonio da Cunta Carneiro Mi- g inca
randa, por execugo de Thom Rodrigues da Ca-
noa, sendo a ultima praga no dia 3i : quem pre-
tender arrematar ditos alugueis, pode examinar a
dita casa.
Para o Para, cun -scala Meio Maranhio, pre
tende sabir em poucos das o lugre Emilia, eapi-
to Bernardtno Rodrigoes a- MUmtm, Mal a
maior parte la carga tratada, e p3r.i a nata ow?
Ihes falta, tratase com o coasianatoata J>nipiim
Jos Gongalves II Itro, na ra do Vigario m. Vi,
pnmelro andar,
Para a B^ha pn-iende sabir
com miiiu IraviaMi o velelri
lugre Emilia, ripHin ib-rnardi-
iio ItoatiajM* de Almrnta, p.>r
ter a maior parle da carga tra
lada, c para o rolo qoe lb^<
com o consignatario Joaqoaa J.-,-
vus Beitrao, ua ra do \ igario u. 17, pri-
meiro andar.
-se
Para o Porto
DE
r r (i
sahir por todo este mezo brigue portognez l'mmn.
recebe o resio da carga e paaaaavaraa, e trat.i.*
com o consignatario Thomaz d^ Aqnino MMaca,
ra do Vigario n. 19, primciro andar, ou con a
capitao na praga.
:
V
^ES.
EMPREZA--10IMBRA
Sabbado 29 de julho de
1865.
m
m
liaWl
Tedas as semniias
GRANDE AR.MAZI-.M DE LE LOES
DO AliE.NTK
OLYMPIO
go, as qoaes sero observadas sem a menor discre
pancia.
7a O que nao se acha aqui previsto ser regula-
do como se acha determinado no regulamenlo de
9 de julnho de 1863.
Conforme,
A VICIO! V M RltCHlElO.
Depois de um animado e vivo jogo de scena em
' urna linda e nova floresta, appareeera nm qaadro
illitminado ao fundo qu- representa a nos?aesqua-
I dra destinguindo-se a fragata Amazonas, sobre as
| aguas do rio Paran, subraergn lo e inettendo a
A. F. da Annunciarao. \ piqueas embarcagSes.paraguaya-, tudo lirado de
O Illm. Sr. Inspector da the ourana provin-
cial, em cumprimenio da ordem do Exm. Sr. presi-
appellado, Joao Paulo, es-
appellado, Francisco Jos
ap-
Sobre Paris, 3 m. d. 189 1/4 francos por ICO mar- ^"1 (!a,pr,"vil^.f.' ma^,ia/^e' publico que no dia
eos banco.
prazo curto, 187 I/i > >
banco.
Sobre Lisboa, 3 m. I., 43 5/8 schillings banco
por mil ris.
Descont 3 a 3 1/ %.
moimeiit mn
10 de agosto prximo vindouro, perante a juntada
fazenda da mesma thesouraria, se ha de arrematar
a quem por menos fizer, os reparos do empedra-
mento de 250 bracas entre os marcos de 5a 8 mil
bragas na estrada da Victoria, avahados era.....
3:157,5.
A arrematagao ser feita na forma da lei
vincial n. 343 do 15 de maio de 1834
sulas especiaes abaixo copiadas.
discripgoes exactas, de eslampas aiilhenticas da-
quelle combate, e pint do pelo hbil scenographo
pernambucano Francisco Dornclla>. Mundori.
PEOSO.VAfiE.NS DO QUADRO.
Brasil....... Amoedo.
America..... D. Eugenia.
L'm indio..... Teixeira.
Paraguay----- Borges.
Os vestidos sao a carcter sobresahindo as figu-
ras Brasil e America pela riqueza e elegancia dos
sob as c'lau- ?eu.* trajes.
A erapreza demorn seem solemnisar esse glo-
pro-
isas ao
De um sitio as areiis do Gipuia, mm casi q ia*i
nova lendo esta nm qoar'o com 2 n>r|a< ,,ne
serve para aagamu, lem mais sala .le Ir nt
com porta ejanella, sala aV meio, dita t letrai.
3 qoartos, co^uhi. caaa de raacaai furnra e"
tem algumas arvorea fructferas.
Cordelro Wlmes
por coma e risco de quem pertene-r vender en
leilo o sitio cima mencionado, cojo sitio eavle-s
por resgate de urna hypothera, isto
Quarta-fcira 2 de agosto
, as 11 horas, no armnzem a rna da Craz n. 57.
7IS0S Dimsos.
Appellacoes el veis.
Jlo Cavalcanle de Albuqnerque
appeiiado, Luiz Francisco de Vas-
Appellante,
Vasconcellus
concellos.
Appellante, Francisco Marinho de Albuquerque
Millo ; appellado, Francisco Jos Vianna.
DILIGENCIA CIVEL.
Com vista ao Sr. desembargador procurador da
ccia
A appellago civel.
Appeuaaie, a fazenda ; appellado, Manoel Fi-
gtieira de Faria.
PASSAOENS.
Do Sr. desembargador Santiago ao Sr. desembar-.
gador Gitirana
A appellago crime.
Appellante, o promotor; appellado, Agostinho
Soares Machado.
lio Sr. desembargador Gitirana aoSr. desembar-
gador Lourengo Santiago
A appellago civel.
Appellante, Amonio Joaquim de Mello Pacheco ;
appellada, a cmara municipal.
Au Sr. desembargador Almeida Albuquerque
A appellago civel.
Appellante, Antonio Ju's de Mederos Bttan-
cnurt; appellada, D. Auna Felicia de Macedo e
Mello.
e refrigerantes.
As nossas proprias Beldades, sao hoje, as pri-
meras justificar aajuizada sentenca passada pelo
publico da America do Sul, era favor desta riqu-
sima essenc floral, a qual vegeta e se propaga
pelo momio inteiro altiva e sem rival, adquirdo
continuadamente novos triumphos.
(Para que ninguem seja engaado na escolha e
aquisigo desle inestimavel perfume; bom ser
examinarse e ver que os nomes de iMurray e
Lamman, se achara mscriplos e gravados sob
Navios onirados no dia 27.
Portos do norte10 das e do ultimo pono 20 ho-
ras, vapor brasileiro Persiivinf/a, de 422 tonela-
das, comraandaule Jos da Silva Rales, equipa-
gem 27.
Bahia6 das, galera portugueza Lisbonense, de
422 toneladas, capitao Joaquim A. Soares Va- i
relia, equipagem 16, carga agurdente e tabajj ;
a Amorim Irmo.
Nado sonido no mesmo dia.
Mossor e portos intermedioslancha brasileira
Flor do Rio Grande, capitao Antonio Jos da
Costa, carga fazendas e ouiros seeros.
Navios entrados no dia 28.
cada envoltorio, letreiro, e garrafa, e na falta dos Southampton e portos intermedios17 1/2 das,
vapor inglez ouro, de 2821 toneladas, comman-
dante I. A. Baria, equipagem 120, carga fazen-
das e outros gneros.
mesmos fcil suppor a falsidade da mesma.)
Vende-se as farmacias de Caors & Barbosa e J.
da C. Bravo & C.
nOMMSIO.
Caixa tilial dobauco do Brasil em
Pei'iiamhuco.
A directora desia caixa saca sobro o banco do
Brasil no Rio do Janeiro e sobre a caixa filial do
mesmo banco na Bahi.
Novo banco de pernanrboco.
Rio de Janeiro e portos iotermedioS-10 dias e do' K* corre^D(lenles a cada lanco da obra exe
ultimo porto 3, vapor ingle! Ptolomy, de 721 to-
neladas, commaodanle Peel, equipagem 34, car-
ga varios gneros ; a Saunders Brothers & C,
seguio para Liverpool por Lisboa.
Sydney85
liOOlonela
As pessoas que se propozerem a essa arremata-! rioso triumpho em consecuencia somenle do pre-
gao comparegam na sala das sessoes da referida; paro das scenas e vestuarios, cojo irabalho de apti-1
junta, no dia cima mencionado, pelo meio dia e' "
competentemente habilitados.
E para constar se mandou publicar
pelo jornal.
Secretaria da thesouraria provincial de Pernam-
buco, 10 de junho de 1865.
O secretario,
A F. da Annunriacao.
Clausulas especiaes para a arrematamo.
i' Os reparos to empedramento da eticada da
Victoria, entre os marcos de 3 a 8 mil bragas sero
executadas de conformidade com o respectivo or-
gamento na importancia de 3-1575.
2* O arrematante comegar os irabalhos 13 dias
depois da approvago do contrato, e os concluir
em 4 mezes, contados tambera da data da appro-
vago.
3" Os pagamentos sero feitos em tres prestagoes
no
que i ram
o impnrU
culada.
4a Soffrera o arrematante urna multa de 1005 se
paralysar os trabalhos por mais de 15 dias.
5* O arrematante cumpliraa ordens que relati-
dias, gafera ing.ea Ciiy of Sydney, de 5S2fi3L?SlS2 '"^ pelengenht-
^LlXX0'^^^^00"^10' 0s administradores da massa fallida de Joaquim i
derraba, gado. Ai ; Jos s|vejra pagam 0 ,0 d(videmJo de ^ ^
Appellame, a viu"^ de5 Joo Vieira da Cunha ; ZS&^JSLT^ 2*27 +
carga azei. ,------y.....,.............. ^
Navios saludos no mesmo da.
Rio de Janeiro e Bahiav<.por inglez Douro, cora-
mandante I. A. Beris.
Liverpoolbarca ingleza Miranda, capitao Cong-
don, carg? algodo
Qbservacao.
I'assou para o sul um vapor americano.
ap;>ellada, a fazenda.
Do Sr. desembargador Assis aoSr. desembarga-
dor Doria
A appellago civel.
Appellame, Jos Francisco Taboca ; appellado,
Lino Jos Nogueira.
Do Sr. desembargador Motta ao Sr. desembar-
gador Guerra
A appellago civel.
Appellante, Lourengo Puggi ; appellado, Ignacio
Luiz de Bulo Taborda.
Ao Sr. desembargador Domingues da Silva
A appellago crime.
Appellante, Franc seo de Paula Campos Quares-
ma ; appellada, a justica.
O coullicto de jurisdiego entre os juizes muni-
ipaes de Bonito e Agua Preta.
Do Sr. desembargado! Ucha Cavalcanti aoSr.
desembargador Domingues da Silva
A appellago civel.
Appellante, Joo Pinto de Lemos Jnior ; appel-
iados, Jos Borges Dias e onlros.
Lio Sr. desembargador Domingues da Silva ao
Sr. desembargador Barros Vasconcellos
A appellago crime.
Appellante, o promotor; appellado, Herculano
Junes Pessoa.
Do Sr desembargador Barros Vasconcellos ao
Sr. desembargador Santiago
A appellago civel.
Appellante, Bernardino Lopes de Oliveira ; ap-
pellado, o bacharel Miguel Jos de Almeida Per-
bambuco.
A' IX horasenciccc-joasesso.
GOMIBNIGIDOS.
meltidos : no novo banco
do Trapiche n. 34.
de Pernambuco ra I
.\>vo naneo de Peroam-
buco.
O banco desconta letras na presente semana a
9 por cento ao anno at o prazo de seis mezes,
Caixa filial do banco do Brasil
em Pernambuco.
De ordem da directora desta caixa se faz publi-
co aos senhores accionistas, que o respectivo the-
soureiro est autorisado a pagar o 23 dividendo
do semestre findo em30 de junho ultimo a razo
de 125 por aego.
Caixa filial do banco do Brasil 15 de julho de
1865.
O guarda-livros,
Ignacio Nanea Correia.
ALFANDEGA.
Rendimento do dia 1 a 27......
dem do da 28...............
438:371*563
23:762*908
462:134*471
BDIT1F.S.
qualquer pretexto
7* Para tildo quanto aqui se previnir, se obser-
var o que determiua o regulamenlo de 9 de julho
de 1864.
Conforme,
A. F. da Annunciarao.
AVISO
Os Srs correspondentes
ssitjnontes deste Dinri,
rado gosto impeda de levar logo a elTeito esse # j
grandioso pensamento patritico, significativo de ^Centl'O 11(1 prOCMCl't C MU
presente una gloria real para o imperio, a qual foi hri-| ,... ./
Ihantemeute festejada, nao so no Brasil como pelas; ,,Jl l" Hit pe 10,
repblicas adiadas de Montevideo e BuenosAyres.' inn tifia i* antimfm -
Finda a allegor.a representarse ha o sempre ap- "lun"ar ail*/a-Cr
plaudido drama de grande apparalo em 3 actos e da USsignutUM para nO /iri-
ver nterrupeo na remetan
LOTERA
AOS 6:000000.
Sabbado 3 de agosto do correnle anno.
se extrair a 6* parle da Ia e Ia da i* lo-
tera C6a) a benelicio Misericordia para canalisaco d'agua e >t
no hospital Pedro II, no onsislorio .la 're-
ja de i\ossa Senhorn do Rosario da fregoe-
zia de Santo Amonio.
Os hi I helos, meios e ijuartos eslo a Ten-
da na respectiva thesouraria a ra do L>-
15.
Principiar as 8 horas.
COMPANHIA PERNAMBUC vNA
DE '
costeira por
Macei e escalas.
tYivegaco
vapor.
No dia 29 do corrente as SI
horas da tarde expedir esta com-' P numero
panhia um de seus vapores, o| Os premios ile O.OOOjJOoO at I04OOO
XT'^^^^^^r um,a ,hur,a ,le,,o,s da ?ze
geiros e dmheiro a frete at as 2 horas da larde I 'te '!s 4 .ll0ras da tanje< e oi oulros depois
do dia da sabida ; escriptoro no Forte do Mattos da distribuido das listas.
n. 1.
DEGLIElpES
Convdase as pessoas que eslo as condi-
goes do servigo militar, a engajarem no corpo de
polica e gozarem das vantagens da lei provincial
COMPANHIA BIASUEIBA
DE
PAQUETKS A VAPORo
Dos portos do sol espera
O Illm. Sr. inspector da thesouraria provincial,
em cumprimento da ordem do Exm Sr. presiden- .Tlda"* demao pronm paa8a*do7*qaa'aoT
teda provincia, manda fazer publico que no dia seguintes : 1*4 00^- diarios de sold, serem seus ?
filhos menores recolhidos aos estabelecimentos
pn.vmciaes de educagao o tempo que estiverem
na guerra ser contado pelo duplo para o caso de para os portos do norte
apo As encommemlas
mente at a noite da
como de costume.
Servindo de thesooreiro,
Jos Rodrigues de Soaza
Carneiro
s ro guardadas so-
vespera da extraccSo
da
27 do corrente, perante a junta da fazenda da mes-
ma thesouraria, vai novamente a praga para ser
arrematado a quem por menos fizer o fornecimento
dos medicamentos e utencis precisos a enfermara
da casa de detengo desta cidade, servindo de base
a arrematagao e offereeimento de 20 % de abate
nos pregos do respectivo formulario, feito pelo lici-
tante Jos da Cruz Santos.
A arrematagao sera feita por lempo de 11 mezes
a contar do de agosto prximo vindouro.
vantagens que sao concedidas aos voluntados da carga quV o VaVo7'pode7con"duzir, a qual dever
patria.-0 lenente-coronel commandaute do cor-: ser embarcada no dia de sua chegada, encommen-
po de pohc a, A exandre de Barros e Albuquer- j das e dinheiro a frete at o dia di sabida as 2 ho-
i"6- ras da tarde : agencia ra da Cruz n. 1, escrpto-
; rio de Antonio Luiz de Oliveira Azevedo & C.
O Sr. Arsenio Antonio
do at o dia 30 do corrente o va-1 Cunha Miranda queira dirigir-se a prara da
por Cruzeiro do Sul, comman-, Independencia n. 6 e 8, uue se ore isa
dante Alcoforado, o qual depois fa||ar
da demora do coitume seguir
Henry Gibson Greaves, subdito inglez, vai a
Inglaterra.
Pela thesouraria provincial se faz publico, que
!. para constar se mandou publicar o presente a arrematagao da obra da concluso da casa da
MOVIME.NTO DA ALFADEGA.
Volumes entrados com fazendas----- 123
< < com gneros..... 263
Nao podendo calar o sentimento de prazer que
nos causou achegada do vapor do sal, hoje, e no
qual nos trouxe nao so a agradavei noticia de que
o domo amigo o Sr. coronel Antonio Gomes Leal
nada havia soffndo em sua preciosa saude, como
lemos cartas tragada pelo seu proprio punlio, vie-
mos coma maior satisfagio dar a saa excellentis-
simn familia e aos seus namerosos amigos es para-
bens e felicltarmos-lhes tor tio fao>to evento; de-
sejando ao Ilustre coronel tudo quanto humna-
me irj se pode desejar a um cidadao digno de alto
apre;opor snas distinctas e apreciaveis qualidades.
Por matos amigos.
------- 388
volumes saludos cora fazendas..... 63
cora gneros..... 1,044
-------1,107
Descarregam uo dia 29 do correte.
Vapor inglezG/adiatormercadorias.
Brigue snecoOrwarfarinha de trigo.
Brigne austraco -Souvenv du Havrefarinha de
trigo.
Brigue nacional Pernambucano plvora.
Barca inglezaHidalgo diversos gneros.
Escuna portuguezaD. Jo&ocharque.
Escuna diuamarquezaorana dem
Brigue bdspanholaVigilante idein.
Brigue portuguezS. Josdem.
Barca inglezaMary Lordcar vo.
Brigue inglez Ann Sams/and-earvo
Brigue InglezHarmston dem.
RECEBEDORIA DE REXDAS INTERNAS GE-
RAES DE PERNAMBUCO.
Rendimento do dia 1 a 27...... 37:539*196
dem do dia 28................ 858*650
38:391*846
pelo jornal.
Secretaria da thesouraria provincial de Pernam-
buco, 14 de julbo de 1865.
O secretario,
A. F. da Annunciago.
O Illm. Sr. inspector da thsouraria provin-
cial, em cumprimenlo da ordem do Exm. Sr- pre-
sdeme da provincia de 17 do corrente, manda fa-
zer publico, qoe a junta da fezenda da mesma the-
souraria recebe qualquer proposia acerca da ar-
rematagao da fabrica de relinar assucar na povoa-
gao do Monteiro, ainda mesmo por venda a pjaso-
Os prelendentes comparegam na mesma tbesou.
rana at o dia 3 de agosto prximo futuro.
Secretada da thesouraria provincial de Per-
nambuco 19 de julho de 1863.-0 secretario.
A. F, d'AnnunciagSo.
O Illm. Sr. inspector da thesouraria provincial,
em cumprimento da resolugo da junta de fazenda,
manda fazer publico, que no dia 27 do corrente
! vai novamente a praga, para ser arrematado a
i quem mais der, um telheiro que existe junto a
ponte do Motocolomb, servindo de base arrema-
tagao a quaotia de 25*000 offerecida por dous lici-
tantes.
E para constar se mandou publicar o presente
pelo jornal.
Secretaria da thesouraria provincial de Pernam-
buco, 31 de julbo de 1865.
O secretarlo
A. F. O Illm. Sr. Inspector da thesouraria provin-
cial, em cumprimento da ordem do Exm. Sr. pre-
sidente da provincia manda fazer publico que no
dia 17 de agosto prximo vindouro, perante a jun-;
la de fazenda da mesma thesouraria. se ba de ar-1
cmara e cada da villa do Bonito, foi transferida
para o dia 3 de agosto prximo vindouro.
Secretaria da thesouraria provincial de Pernam-
buco, 21 de julho de 1865.
O secretario
A. F. d'Annunciagao.
Conselho de compras oavaes.
Tendo o conselho de promover no dia 29 do cor-
rele mez a compra dos objectos do material da
armada abaixo declarados, convida aos que pre-
tenderen! vende-los a apresentarem suas propostas
em carias fechadas nesse mesmo dia al as 11 ho-
ras da manha.
Objectos.
C0MP1NHIA BRASILERA
DE
PAQUETES A VAPOR.
E' esperado dos portos do norte
at o dia 6 de agosto, o vapor
Paran, comrnanda'nle o capitao
Eduardo da Silva Ferreira, Brasileiro, vai
Europa.
Club Oommecrial.
A partida do mez de julho teri lugar na
noite do dia 29,
Na ra de S. Francisco n. 32, se dir qoea
precisa de urna ama qoe afiance a sua rondarla,
para tomar coma de urna casa de hornero solieiro.
Vende-se urna rotula e urna janella em aaai-
tobom estado : roa das Aguas Verdes n. 92.
o costume seguir para os portos do
demora
sol.
Desde j recebem-se passageiros e engaja-se a
carga que o vapor poder conduzir, a qual dever
ser embarcada no dia de sua cnegada, encom-
raendas e dinheiro a frete al o da da sahida as
50 cobertores de l^Toalhas de brim, 6 du- Doras ; a8e|cia f" da Cruz n. i, escriptoro de
Precisa-se de urna ama forra ou captiva
de ragata Antonio Joaquim de; rua |arga do Rogarlo n. 33 *"*
Sania Barbara, o qual depois da
zias de taboas do cedro de 3|4 de polegada, 12 du-
zlas de taboas de cosladioho de pao carga de 1 po-
legada, 12 ditas de dito de 2 ditas, 14 dnzias de
taboas de pinbo de i polegada, 12 duzias de ditas
de 1 1|2 dita, 1 arroba de pregos de cobre de ba-
tel pequeos, 4 arrobas de pregos ripares, i gro-
zas de parafusos de metal, 40 cadinhos de lapis de
ns. 20 a 80,8 lenges de ferro de l|4 de grossura,
420 toneladas inglezas de ferro broto, 100 covados
de filete encarnado e 100 ditos de dito azul.
Sala do conseibo de Comoras navaes, 25 de julho
de 1865.
O secretario,
Alexandre Rodrigues dos Anfot.
Antogio Luiz de Oliveira Azevedo & C.
compartala dais Hensagerles im-
periales.
No dia 30 do
CLUB Vm MBIICA 0
. Domingo 30 do corrente turer reooio
de familias.
Jos Tavares Adao, subdito portoanez,
belecido em Piloes de dentro, provincia da Pan
hiba, vai a Europa.
A llem;a.
Fornece-se-comida para casas de familia, toja
ou offleinas, com todo o asseio e prompiida >, nrat-
tos do sul o va-
por francez Es-
tramadure, com-
mandante H. de
Soroer, o qual
depois da demo-
ra do costme seguir para Bordeaux tocando em
j^"ente ei es" j to variaba, e por eommodo prego," manda se le
No dia 1* de agosto prximo vindouro, Anda S. Vicente e Lisboa,
a audiencia do Dr. Juit de orphos se ha de arra- Em 8. Vicente ha nm vapor em corresponden-
matar um sobrado de dons andares sito na travs- cia com Gore.
sa de S. Pedro desia etdade n. 4, avallado por, Para fretes, condigdes e passagens trata-se
5:000*, por ser a ultima praga. agencia rua do Trapiche n. 9.
na
em casa ; tambera recebe eocoinoienda* de bata*
doces de todas as qualidades : rua da Caixa o. TO,
Boa-Vista, casa particular.
Do lae* da Parahltoi
O nosso aviso se nao eoteade cana a Sr. Dr Al-
tero M. de Mederos Portado, hoanito a I
advogado desta cidade.
O advogado Ir apastar o a quem no
dizem, ter escriptoro na praga de S.
porta que da entrada para o rece amato, aa rodar-
se sobre seos gonzos, tero nm roaarr que i
a toda a gente que por ah passa.



H

O"*-
^'*l
!>!-.
Diario de Pernaaitraca ,-. abbado c -*ulho de 18*.
USA DA FORTOf 4
Aos 6:0000000.
Bilhetes garantidos.
A' RA DO CRESPO N. 23 E CASAS DO COSTUME
Oabaixoassignadovendeunosseus muito feli-
zes bilhetes garantidos Ja lotera que se ac boa
de extrahir, a beneficio da matriz de Agua Preta,
os seguales premios :
Um raeio n. 506 com a sorte de 6:000^000.
ons quartos n. 796 com a sorte de 400$O0O.
E outras muitas sortes de 100, 40#, i0 e
iOOOO.
Ospossuidores podera virreceber sens respec-
tivos premios sem os descontos das leis na Casa
da Fortuna ra de Crespo n. 23.
Acham-se a venda os da 5" parte -da 4" e 1*
da 3" lotera (25') beneficio da Santa Casa da
Misericordia, que se extrahir sabbado 29 do cor-
rente.
PREGO.
Bilhetes.....70O0
Meios......34500
Quartos.....1*900
Para as pessoas que comprareni de 1000000
para cima.
Bilhetes.....65500
Meios......3*750
Quartos.....1*700
Manuel Martins Fiuza.
PHOTHOGRAPHIA ARTSTICA
DE
**********
faros |
25 Ra Nova (esquina da Camboa do Carrao) 25.
Os proprietarios deste estabelecimento, desejando salsfazer os numerosos pedidos de seus freguezes, acabara de receber de seus correspondentes de Paris, um grande
sortimento de retratos (carlees de visita) das personagens as mais celebres da Europa, assim como receberam tambero urna quantidade de alfinetes e cassoletas para retractos, do
mais apurado gosto e por precos muito diminuto?.
Os mesmos aproveitam a occasio para prevenir ao publico e recordar aos seus numerosos freguezes, que ellcs Irabalbam todos os das, domingos e das santos, das 'J
horas da manbaa at as 4 da tarde e que os tem os de chuva nao influem em nada para o bom successo dos retratos, pelo contrario o fol entre nuvens mil vezes preferivel
sobre todos os pontos, tanto pela rapidez da operacSo, como pela commodidade das pessoas.
A grande quantidade de pessoas que tem visitado este estabelecimento uestes dous annos em que se acham estabelecidos nesta cidade, e que nao ser menos de cerca
de f>,900 a 7,000, para elles urna garanta futura, posto que se appliquem todos os das, para que todos saiam contentes e satisfeitos.
Companbia fidelidade de segaros
martimos e terrestres
cstabelecida no Rio de Janeiro.
AGENTES III PKRNAMKIT.O
Antedi* Laiz de Oliveira lieve* 4 C,
competentemente antorisados peladtree-
toria da companhia de segaros Fidelida-
de, tomam seguros de navio*. aterraSo
rias e predios no sea escripiorio roa 4a
Crin n. I.
DEVOQAO
xcelsa Senhora Santa*
Anna na matriz de San-g
M to Antonio.
Hj O abaixo assignado faz sciente ao res- |g
* peiiavel publico que amanhaa 30 do cor- a
wm rente, tem lugar a festa da nossa excel- &
jgS sa padroeira Senhora Sania Auna nesta jjgj
g matriz, com pompa e brilhantismo como n
c de costume, para este fim sao convidados
ffl{ lodos os irmos e devotos da mesma Se- |
mm uhora. m
Consistorio da de-troci de Santa An-
2ft na na matriz de Santo Antonio, 29 de ju- ]g)
S Iho de 1865. age
O escrivo interino,
pjS* Gaudino Eudacio de tirito. g|
Alnga-se a casa terrea da ra da Senzala no-
va n. 3b", tem bons commodos, quintal e cacimba :
a tratar na ra do Imperador n. 81.________
~ Aluga-se a casa terrea n. 67 da ra da Esperanza
no Caminho-.Xovo : a tratar na praca da Boa-Viste
n. 30 secundo andan________________________
(lamas fde ferro.
Grande sortimento das melhores que ha no mer-
cado : na ra Nova n. 33. _____________
"Alug-slTo sotao do sobrado n. 62 da ra da
Guia, com linas janellas de frente e muitos com-
modos : no primeiro a:, dar.__________________
Precisa se alugar na ra do Imperador n. 43,
um ou dous andares de sobrado em qualqocr Jas
principaes nas desta ndade.
1). Ninpba de Mello Accio Ponseca e o
Dr. Augusto Carneiro Monteiro da Silva San-
tos, convidan) aos seus amigos e aos do seu
linado marido e sogro Dr. Ignacio Nery da
Fonseca a as-istirem a missa e memento
que se ha de celebrar pelo repouso de sua
alma, no dia 31 do expirante mez, as 7 ho-
ras da manhaa no convento doCarmo.
gO Dr. Francisco I res Machados
Portella
. MEDICO OPERADOR
PELA
FacuIdade de Pars,
8J| regressando a esta provincia, acha-se J|
s} prompto para o exercicio de sua profis- *
BH sn, quer nesta cidade quer fora della,
| especialmente em molestias de olhos (ca- pg
taradas, etc..) das vas urinarias (estrci- ggn
lamento de urethra etc.,) e de pelle : pa-
B ra cujo curativo se Julga habilitado.atten- j|
ta a pratica, que teve nos hospilaes de g
Pars, e >s modernas instrumentos que I
'2 PuS?U0- \m
j Encarrega-se de collocar olhos ailifi- a
}| Pateo do Carmo n. 2, esquina da ra JBj
M de Hortas. ag
mmmmmm mm mmm mmm
Ama.
Na ra de Santa Isabel n. 17, defronto do thea-
tro, precisase de urna ama para todo o servieo de
casa de pouca familia, prefere-e escrava.
Precisa-se de um feilor para um pequeo
sitio perto da praca, mas que emenda bem de jar-
dim : a tratar na travs da Madre de lieos, ar-
mazem n. 57.
ESTRADA DE FERRO DO RECIFE AO S. FRANCISCO
AVISO
Pela superintendencia desta companhia se faz publico, que estando concluidos os reparos dos estragos causados pe'as
em di-
aguas torrenciaes
versas parles da'lmha, ser restabelecldo o transito regular dos Irens do dia 29 do correnie mea em diante.
A tabella que regular a partida do ire.ra de passageiros a que se achava em vigor des le o dia Io de maio deste anno, a qual vai abaixo trans-
cripta. _____________________________________________ ______________
l-A ISA O IMIllKllt
i
lio nii.imm
ESTACOES
Cinco Ponas
Afogados .
Boa Viagem
Prazeres .
liba .
Cabo .
Ipojuca. .
Olinda. .
Timb Ass
Becada .
Frexeiras .
Aripib. .
Ribeirao .
Gameleira .
Cuyambuca
Agua Preta
Una. .
(chegada
'(partida .
utas liallm.
MANHAA
H.
8
B
8
8
9
9
9
10
10
10
11
11
II
12
12
13
1
M.
TA HDK.
II.
30
38
50
58
22
40
57
11
29
45,
15
33
52
15
30
8
6
30
20
28
52
10
Doiiiiujftist *
lia* titiitoH
TARDO
11.
7
7
7
7
8
8
8
9
9
9
10
10
10
II
II
II
II
12
30
38
o!)
58
22
40
57
14
29
45
15
33
52
12
15
33
51
15
ESTACOES
H
if
, Una. .
8J Agua Preta.
20wCuvambuca.
g2)Gamcleira .
lOJRibeirao. .-
Aripib.. ..
- Frexeiras
- Bscada ..
- Timb Ass
- Diinda .. ..
- Ipojuca.. ..
- Cabo. ...
- tilia.......
- Prazeres. ..
- Boa Viagem
- Afogados ..
- Cinco Ponas
Escriptono da superintendencia Villa do Cabo 26 de julho de 1805.
fi;.s .1 ? ira - II o ni iliJUS e
lialliu lias santos
ANUA JIANIIAA M AMIA A nnuJ
II, M. II. M. H M. H. M.
-i Mwa ^~
_ _ ll lo -- 1
^. 11 39 --- 1 25
_ ti 57 1 42
(chegada 12 15 1 57
(partida. 12 12 30 53 --- 2 __ i. 23
__ __ 1 12 --- 2l 42
___ __ 1 30 --- 3
_ __ i __ --- 3 30
_ __ 2 16 -- 3 45
_ __ 2 30 --- 4
^ 2 48 _ 4 18
f) 50 3 a 0 4 35
7 8 3 23 6 18 4 53
7 32 3 47 42 5 17
7 40 3 55 6 50 5 25
7 52 1 7 i 2 5 37
. . 8 ^_ 4 la 7 10 5 45
U Undon A Rrazillaa baak, saca por dat-
os paqueies.sohre
Lisboa.
Porto.
Braga.
Vianna.
Guimaries.
Villa Real.
Coimbra.
_________Amarante.________________^^_
Pcc s t*da alteara*.
Custodio Jos Aires Guimaries, tfoao da toja pnr
appellido Gallo Vigilante na roa do Crespo a. 7,
participa a todos os seos fregunes e ao pola
vel publico, que esta dita lote se acka enm grao-
de sortimento de galantanas de na lo goMo, so
tem recebido de sua propria coota, wio coa to-
das as mercadorias tendente* a tete o> ateatoxao
e outros, e como este re-olvido a *eo cos baratissitnos, como os meso coaipranre
poderao apreciar conrorreado com soa prewafas
. a dita lija, que se affboear servir bem com afra-
i do e prompiidio, e mesmo qualquer .-eohore" que
morem lora desta praca, qoe precise de ant^aer
: mercadoria. t-odeoles a en nerrorio. ae por
motivos nao possam comparecer, o poderio ped.r
i p ir escripto, que se ananca nao se abosar taaso
| em precos, como em qoalidade das rrcailortes :
I isto na ra do Crespo n. 47 Gall Vi;iUote.

SE?
Consultorio medico e
cirurgico.
O Dr. Joo Pedro Madoro a Foaaata
G O. KM*, engenheiro e superintendente interino.
EMREZA
' BJBJBBBJSJDaHBBBaaiaBjaBBBBJBIBBEBZaj
J iso (Juirioo de Agu lar & C. compraran)
por ordein do Sr. Antonio Pudro dos Sanios (do
Maranho) u btlhete lateiiio n. 2324 da quinte par-
t: da quina e prinieira da quinta lotera da Santa
Casa de Misericordia <-> >
mmm
O L'r. Cosme de S Pereira coati-
iii.i a residir na ra da Cruz n. 53, ag
Io e 2" andar, onde pode ser procu- g
railo para o exercicio de sua profis- Z
sao medica, e com especialidade |
sobre scgtiinte
Io molestias de olhos ; ||
2o de peito :
3o dos orgaos geni- g
ti urinarios. ^
Em seu escriptorio os doentes se-1
rao examinados na ordem de suas 1
entradas comer;ando o trabalho pe- S
los doentes de olhos. $|
Dar consultas todos os dias das tgg
6 as 10 da manha, menos nos do- I
mmgbs.
Praticar toda e qualquer opera-
q3o que julgar conveniente para o
prompto restabelecimento dos seus
doentes.
m
A pessoa que qoizer dar 1:00.3 com segu-
ranza em hypoilioca de urna escrava moca, de 22
annos, que saiba bem coziuhar e eogommar, e to-
do mais arranjo de casa de familia : annuncie pa
ra ser procurado._______________________
Peetea se de u compdsiior que sirva tam-
hem para impressor, para Mamanguape : na ra
da Cruz n. 60, casa do Sr. Joao da Silva Paria,
achara a pes-oa com quem deve tratar.
Precisa se. de una ama para casa de pouca
familia, prefere-se que seja escrava : na travessa
dos Qoarteis, outr'ora ra do Senhor Bom Jess
das Crioulas o. 34, sobrado._______________
Precisase de um criado : na ra da Impe-
ratrlz n. 40._______
AMIA
Na ra dos Pires n. 54 ha urna escrava muito
fiel para se a lugar._____________
Aluga-se o primeiro andar do sobrado n. 9
na ra ireiti, entrada pela ra da Penha : a tra
lar no segundo andar.
DE
ILLUMINACAO A GAZ
Arnaiem n. 31, ra do Imperador.
Para mais regulandade do servieo tem a empre-
za resolvido lo somente vender os apparelhos,
ele, deixandoque os >rs. consumidores rharnem
os machinistas que mais Ihes agradarem, podendo
os nomes, morada, etc., de todos elles serem indi-
cados no armazem da empreza.
As reclamacoes por m luz das casas, cujos ap-
parelhos honvrrem sido coocados anteriormente
a este aviso, serao altendidos pela empreza ; outros
quaesquer, nao. .
A empreza espera que esta medida sera devida
mente apreciada pelos senhores consumidores, ten-
denle como a tornar este servieo mais economi
co ; visto que ella vender todo, apenas cora um
lucro tal, que cubra as dcspez.ns inevitaveis.
AO PUBLICO
CARLOS PLLYM.
Como a empreza de illuminacao a gaz tenha da-
!do hecnca aos machinistas para irabalharem por
; sua propria conta, Carlos Pluym, macliinisla. offe-
rece seu pre.-limo ao publico para encaar gaz e
agua, e toda a sorte de servigos eoncernentes ao
seu ('fftcio, por precos multo rasoaveis.
Pede ser procurado a qualquer hora na ra da
Alegra n. 16 (Uoa-Visla.)
N. .
S57- Para prova da perfelco do seu trabalho o
mesmo tlTerece ao publico o testemunho de im-
mensas pessoas para quem jalrabalhou a mandado
da companhia do gaz.
tai* mmwm mmmm
W O r. Carolinn Francisco de Lima San- <6o,
5 tos contina a morar na ra do Impera- 9|
s dor n. 17, segundo andar, tendo alias seu W
gabinete de consullas medicas, logo ao f{
entrar, no primeiro. gg|
O mesmo doutor, que se tem dado ao ^
esludo lauto das operares como das rno- *
leslias internas, prestase a qualquer cha H
mado, quer para dentro quer para fora fK
fWMmmmm
Na ra da Cruz n. 3 existe urna caria para
a Illm" Sr' D. Anna Francisca de Paula Dotelho.
Casa debanhos
Largo do Carmo a. 26.
E-te estabelecimento lao bem montado na sua
origem achava-se de ha muito em quasi completo
abandono pelo pouco interesse de sua adminis-
traciio.
Hoje que o novo proprietario empregou todos os
iiieics para re>tabelecer a grande utilidde deste
estabelecimento, pode assecurar ao publico que
qualquer que seja o numero dos concurrentes
acharao desde j promptidiio e aceio nos banhos
frios, momos ou medicinaes, a casa dos banhos se
achara aberta todos os dias das 6 horas da manhaa
as 11 da noite.
Precos.
fanho de choque...... 500
Dito Irio ou morno..... 500
Dito de farello.......I&000
Dito medicinal ser se-
gundo sua qualidade.
Assignatura.
Por mez banho fri ou morno... 10^000
25 cartes para banho fri, mor-
no ou de cliuvisco........... 10-5000
12 ca loe-; para i s mesmos.... 5,5000
12 ditos para baol.o de farello. K^pQQO
PHOTHOGRAPHIA
CRI7ZEIUO O ffORTE.
N. 11Rna estreita do RosarioN. 11
Tiram-se retratos com toda perfeicao e a gosto dos relratantes a 81000 a duzia e a 5;000 meia
duzia de cartoes de visita. / j
z,:v lem sua residencia na rna do Sol a. -TI, "
"SSS segundo andar, aonde se presta aoeser-
US cicio de sua profisso tanto de dia coow
f-i? de noite, os chamados qoaodo n.i ok-
3H ja em casa seja por escripto, iodicaado a
||S morada e nome do rlirnte.
Perdeu-se no dia i6 do crreme ne a roa
Nova at o envento do Carmo um polaco de aaaa
tila de ouro de urna polseira dejarrMeir. seorfo
, pro va ve I kr sido na occasio do Te-Draai: loen
: achou e quizer restituir, dirija-se a ra do Caoo>
ga n. 7, onde ser gratificado.
Alnga-se a parle da casa n. 92 da ra das
Aguas Verdes: a tratar na mesma.
Semana llluslrada do Kio de Janeiro
Assigna-se na ra do Crespo n. 4 : tres mezes
65, seis mezes 115, wn anno 185-
Precisa-se de urna ama para casa de duas
pessoas: n ra da Penha n. 23, primeiro andar.
*-.! -j/: : *- .' ":+ *"*""* -:>'
JK O advogado Godoy Vasconcellos, pode ||g
^g ser procurado no escriptorio da ra do *
j! Hosario estreita n. 34, ou em sua resi-
fc
dencia a ra do Sol u. 9.
Padaria.
Quem annonciou querer comprar urna padaria
aa loa-Vista, dirija se a ra da Matriz n. 27.
Tendo chegado ao conhecimenlo do abaixo
assignado, nventariaole dos bens deixados por fal
leciraenlo de seu sogro Manoel Peregrino de Almei
da Albuqnerque, sua mai e sogra D. Maria Theo-
phila de Maranho Albuqucrque autorisara alguem
em sua procurarn bastante a vender sua escrava
crioula de nome Isabel, pertencenie aos bens de
seu finado sogro, assim como que por esta venda
j havia recebido a importancia de 8505, vem pe-
rante o publico desta cidade protestar contra se
melbanle venda para que nao tenha alguem de
que se queixar.
iulio Gomes da Silva.
Previne-se ao Sr. thesourelro das loteras que
sko pague qualquer premio que possa sahir no
quarto de bilhete n. 1099 da lotera que deve cor-
rer atibado, 29 do correnie, seao a seus donos
Jos Mara Pereira, Sevenno fiaratva da Cunba,
ojos orines se acham assigoados as costas do
dito quarto de bilhete.
Preeisa-se de urna ama para cata de homem
tolteiro : a traur na ra da Roda n. W.______
Precisase de dous amansadores e de um pre"
to forro ou captivo : na ra larga do Rosario nu-
mero !('.. _______________________-__
Pergunt3-ie a socidade Ester pina Nacional
se a irmandade da matriz da Boa-Vista aceitou o
(eu offerecimneo pr* ir I mar no da 20 Jo tor-
rente na mesma ."^stfir.
ffl&M
mm wm
Ama .
Precisase de urna ama para o servieo inierno de
urna casa de pequea familia : a tratar na roa das
Larangeiras u. 14, segundo andar.
Escrlptnra^o mercantil
P. Augusto da Graca e Mello contina na sua
antiga oceupacao de faz-r escripias, lano por par-
tidas simples'como dobradas : quem pretender
utilisar-se de seos serviros, pode procura-lo na ra
do Livramento n. 22, ra do Qneimado n. 23, te-
jas de fazendas, e ra do Cabugi n. 2 A, teja de
ourives. ___________^^_^_____^^_^^^
Precisa-se de urna crinul para < asa de pou-
ca familia : a tratar na ra Augusta n. 5.
A ttencao

ao desapparecido.
No dia 24 do corrate desapparecen do paleo da
Penha nin cavallo rodado pedrez, grande, inb-iro,
com cangalha e cabresto de eorda fina, nertencen-
te ao Sr. Miguel Nunes Correia, morador no enge-
'._ 'fhoS. Bartholomeu : a pessoa que o liver achado
queira leva-lo a ra estreita do Rosario n. 35, car-
torio do Sr. labellio S, que ser generosamente
gratificado. ^_________________
Quem perdeu um relogio no dia 16 do cor-
rente, na igreja do Carmo, pele procurar na ra
Nova n. 28, Ihe sera entregue, dando os signaes
necessarios.
Francisco Jos de Oliveira Barbosa,. actual
mestre dos novicos da venerare! ordem tereeira de
N. S. do Carmo, pelo presente convida a todos os
seus charissimos irmaos novicos a eootpareeerem
paramentados de seus hbitos alim de assisiirem a
festa de sua padroeira a Senhora Sant'Ann, /jue
ter lugar no domingo 30 do correte mez : assim
como para acompanharem a rasoura roda do pa-
teo, as 3 horas da tarde elitista de Pernambuco.g
n m
l Ra estrella do Rosario n. 3, n
ao pe da igreja |g
FRANCISCO PINTO 0Z0BI0
! C'olloca ti cu i cvs artiGeiaes !
pelos systcmas mal iuo- '
I demos
Emprega todos os meios scientificos para JK
I conservar os naturaes. Pode ser procura- 5
I do em sen gabiuete das 9 horas da ma- fiSS
i nhaa a? o da tarde. Jb!
Alagara se dous grandes sobrados com cotnt
modos para numerosa familia, novos e aceiados
cora jardim, eocheira, estribara e outras commo-
didades, na travessa de Joao Fernandes Vieira :
a tra'.ar na ra da Senzala Nova n. 42.
ASTHME
ASTHMA ASTHMA ASTHIY1A
SFFOCgO NERVOSA E OPPRESSAO
nico remedio eflicaz para eombaltir estas molestias, acalmar um attaque d'asma e impedir a
volla o Xarpe aromtico de Succino (mbar ainarcllo) do Dr Danet. Descoberia inlciramente
recente, este novo producto se tcni propagado com extrema rapidez gracas aos admiraveis resul-
tados que lem sempre produzido.
Deposito geral, na botica Chauveaud, 54, ra do Comercio, Paris-Grenelle, e em todas as
blicas de Franca e do estrangeiro.
mmmm wmm-mwmmmm
( O hacha re
f Francisco Aufosta 4a Casia S
ADVol.ADO
ttS Kua do Imperador numero g.
mmm mmm mmmmmmm
Ali,pa->e a luja do solrado n. 17 tte ra la
Imperalriz, c.iin bons cuinmodos : a tratar ao se-
gundo andar do mesmo.
Mmmm os*: ** *
SCi
:
m
m
i
itlencao
Para resalvar a minha reputacao, alevosamente
prejudicada pelo annuncio que o Sr. Joao Adriano
de Mello uira fez publicar por este jornal de 26
do correnie, sob a epigraphea quem interessar,
tenho a declarar, que essa procurado que esse Sr.
Un ira tacha de falsa e fraudulenta foi lavrada pelo
honrado Sr. tabelliilo Almeida. assignada pelo Sr.
Dutra, peraote teftemunhas fidedignas, sendo-me
por elle entregue para eu com ella promover a co-
branca de seus dbitos, e com o producto papar-
me, e pagar a oulros seus credores. Explicada,
porlanto, assim a verdade, e correndo-me ainda o
dever de provar que nao sou esse que me pinta o
Sr. Dutra, e ao mesmo lempo faze-lo conter e pu-
nir de seu arrojo, para isto tenho resolvido chma-
lo, e eflecti va ment o vou chamar a juizo, dando
contra elle urna queisa por crime de injurias.
Jos do Reg Mello.
Precisa-se de urna ama para coziuhar : na
ra do Imperador o. 46, Io andar.
Associacao Commercial Be-
neficente de Pernambuco.
Os Srs. socios elfeciivos -la Associacao Commer.
cial Beneficenie sao convidados a se reuoirem na
sala das sessoes da mesma Associacao uo dia 1
de agosto prximo futuro, ao meio dia, alim de
apreciaren) o relatorio e contas da actual direceo,
e eleger a que dirigir os trabalhos da Associacao
no anno que vai comecar.
Associacao Commercial Reneficente de Pernam-
buco, 28 de julho de 1865.
Jos de Vasconcellos,
Secretario.
Vende-se urna escrava crioula, de idade de
17 annos, a qual tem principio de engommar e co-
ziuhar, avista do comprador se dir o motivo por
que se vende: a tratar na ra da Imperairiz n. 13,
ofGcina de sapateiro. __________
Aluga-se urna ama para cozinhar para casa
de pouca familia : na ra da Santa Cruz n. 16.
Caixeiro.
Offerece-se um rapaz brasileiro para caixeiro de
taberna ou de qualquer outro estabelecimento : a
pessoa que de seu presumo se queira atilisar, diri-
ja-fe a ra da Gloria, casa n. 32, ou no cnafariz
ao p da ponte da Boa-Vista, que achara com
quem tratar.
ALCOHOLADO de GUACO
de N. i? AS CAL
O Alcoholado de Guaco de Pascal urna nova preparacao da qual
basta mencionar suas propriedades para appreciar sua importancia.
Em primeiro lugar um preservativo inlalivel do contagio veneno (ver
folheto para o modo de o impregar).
2 Tem a vantagem de ser o remedio mais certo e mais agradavel para
as molestias syphiliticas de toda a especie, ulceracOes primitivas e secun-
darias, ec.
3o Empregado em injecc5es, o melhor tratamento dos corrtmentos
recentes ou chronicos as pessoas dos dous sexos e da leucorrhea as
mulheres.
4o Emfim como antidoto dos virus, soberano na cura das chagas e f-
tidas de m natureza, chagas gangrenosas, dartros, ulceras das pernos,
ophtalmia purulenta, ou blenhorragica, mordeduras e picadas de ani-
maes venenosos, ec.
Este especifico vegetal, izento de toda a accao mortfera, foi experimen-
tado nos hospitaes de Paris, Lyon, Marcelha, ec, e recebeu a approvacao
dos distinctos doutores Ricord, Bauchet, A. Richard, Calvo, Diday,
Melchior Robert, Costilhes, Berenger, ec.
Beposito geral em Paris, botica de CHEVRIER, 21, ru du Faubourg-
Montmartre. Casa de expedicao, PASCAL e C, 33,
Prince. Paris.
ra Monsieur-le-
Deposito geral em Pernambuco ra da Cruz n. 22 em casa de Caros & Barbosa.
Samuel Power Johnston & Companhia
Ra da Senzala Nova n. 4.
AGENCIA DA
Fundido de Low Hoor.
Machinas a vapor de 4 e 6 cavallos.
Moendas e raeias moendas para engenho.
Taixas de ferro coado e balido para enge-
nbo.
Ama
Precisase de urna ama para o servieo interno de
nina casa de pouca faailia : a tratar na praca do
Corpo Santo n. 17.
Arreios de carro para nm e dous cavallos.
Relogios de onro patente inglez.
Arados americanos.
Ma'hinaspara descarocar algodo.
Motores para ditos.
Machinas de costura.______ ________
Alua-sc
a casa terrea da lina do Retiro (Passagem da Mag-
dalena) onde morou o corrector Macedo, com bons
commodos para familia: trata-se no largo do
Corpo Santo n. 19, escriptorio.
Precisa se de 3005 a premio por hypolheca
em ummolequecrioulo, de idade 5!0 annos, pagan-
do-se os juros de 2 0|0 mensaes: na ra Direita,
loja n. 9, se dir quem precisa.
Pulseira perdida.
Perdeu-se urna pulseira de ouro na noite de 25
de julho, desde a padaria da ra da Guia at a ra
da Cadete do Hecife, aonde existe urna bitica que
foi algum lempo escriptorio do Sr. Bailar & Oli-
veira : pede-se a pessoa que achou, querendo res-
titu la, de a eniregar na padaria da ra da Guia
n. 56, que se Ihe gratificar.
O abaixo assignado julga-se uada dever, e se
alguma pessoa se julgar seu credor aprsente suas
contas em 48 horas para ser pago, assim como
nunca flcou por fiador e nem pretende flear por
pessoa alguma.
Francisco Anlonio Bastos.
Firmino & Lins
Novo estalielfcimenlo fie retra-
tos rna Xova n. 13, i an-
dar, junto ao Sr. daulier,
dentista.
Tiram retralos todos os dias, das 7 horas
da manhSa as o da tarde, quer chova ou
Dio.
Tambem se offercrem para tirar retra-
tos de pessoas fallecidas, dentro ou fra
da cidade.
Os annunriantes desejando acreditar o
seu estabelecimento, garaniem ao publico
que nenbum trabalho sahira de sua offlei-
na,sem que nao seja perfeilamenle acaba
do, e a vontade do freguez^
\*?j*r __ __. -
, Anula se precisa >W tima ?ma pa-
ra cosinhar, lavar, eng aunar e fa-
zer todo o servieo de urna casa ce
pouca familia exceptuam!--*' M*
prar na ra : na rna das Cruzes n.
n. 37, i rimeiro andar, sendo pes-
soa de bms costume* e se pagar o
que se ajustar.
.Na praca 'la Independencia n. '.:.
ves, compra-so uro, prata, | ilr-- -.- <
tamhein se faz qualquer ol-r.i- ittrfti o
odo e qualquer concert.
IGRO
MARTIMOS
CONTRA FOGO.
A Companhia Indemisadora
eslabelecida nesta praca, loma seciiros m.iioao
sobre navios eseus carregamenlos e contra fofo en
edificios, mercadorias e mol lias: ou vi '-ti\'.)-
rio, ra do Vigario n. i, pavimento t. rmo._____
Precisase de urna ama para OM e pouca
familia, que saiba cozinhar : na ra da Goia au-
1 mero 9.
O abaixo assignado, i Setal do r-i.-iji. % .
de hypMhecas, avisa ao publico que i.-m
tivocarlorio, instalado honiem oa enf irmJul 'i
no^a legislaco hjpoibecaria, a' ra cVrrta do
Rosario n. 4.
27 de ju no de HH
Fulgencio Infame de Albuqaerqie Melto
Arrendase um sitio no Jacnr, e-trada fas
vai para Agua-Fria, rom casa de pelra e t*\ ulfi-
mamenie edificada, coro bastantes roramoilp*; -fa
: sitio tem arvoredos de frun- de tols" as qiiali.ta-
des, bom terreno para plantario, e baixa para ra-
pim. Aluga-se tambera o armazem do M na ra
da Conctirdia, proprio para qualquer et3i menlo: a fallar a o solicitador Barros que ora
no sobrado n. 31, onde est o dito armazem. tanr;
para este, quanio para o sino mencionado.
Notas do banco do Brasil e dat raix Mwcs
descontim-se na praca da looVpeodeona o. ti
Na ra da (^deia n. t\ existe ama twm p--
ra o Sr. Joao Jos Alves de Oliveira, que jnlcaoaoj.
morar na freguezia de b'na.
Preciso- e de orna ama de tile qoe tenha
boa conduela, e paga se bem na roa 0 Hortas
numero 130.
A luyase
um sitio na campia da Casa Forte, com duas ca-
sas, urna a em que morou o fallecido Thomaz de
Aquioo Fonseca Jnior, feila a moderna, e conten-
1 do todas as accommodaces precitas, e outra com
boas commodidades para qualquer familia : na
ra do Vigario n. 19, primeiro andar.
E^RiYOS
Urna
escrava
Precisa-se alugar urna escrava que saiba bem
cozinhar e fazer o mais servieo inierno de urna
casa, paga-se bem : na ra da Imperalrlz n. 47,
segundo andar.
Joaquim Jos Gulmaraes Boltrao tem para ven-
der dous escravos crioulos, bonitas fisuras, de
idade de 29 e 27 annos : podem ser vistos em F-:
ra de Portas, ra d Pilar n. l-'l-'i. taberna ; e para \
tratar em sen escriptorio, na do Vigario n. 17.
Guarda llvros.
Urna pessoa competentemenle habilitada offere-
ce-se aos Srs. comincrcintes para enearregar-se
de qualquer escripturaciio por partida simples ou
dobrada com perfeicao e preco commodo : para
informacoes a ra da Imperainz p. 39, terceiro
andar.
Fogio no dia 22 do correte a escrava de
nome Joaqu na, de idade 30 aooos, nouco ai* menos, com os signaes seguintes : MMi rfu-
lar, cor fula, com alguma falta de oenio oa fri-
le, e cxa de nma persa ; f"i vala ir para o Red-
fe em companhia de um escravo do Illa. Sr. Ino-
quim Lopes de Almeida, de nome Gaetaoc : <|iirai
a pegar leve ao capilao i'.hrisiovao Pereira Piolo,
em Olinda, na roa de S. Bento, que -era reo re-
pensado.
\So seria Mk:
Continuando a ser puhliradp n>^te fmri o an-
nuncio da fuga da escrava Joaquina, lilm. Sr.
capiao Ghristovao Pereira Pinto, > Otado, o
constando que ella se arha tiesta dita rMaoV. rm
deposito, convira' que o Illm. Sr. Kioto. teooV
sciencia disto, ou reliie osen annoncio, oa oko-
cione o apparecimento da escrava, coi qoent ocio
ella para o Recite, e quem a pvz em drpotU-) ; ooi*
nao tem visos de probabilidado qao i-so powoo
fazer o pobre preto captivo Se ao S. S. trata tos
seu annuncio. _____________________
Irma ndade d SS. Sacnacalt 4 fre-
goezia dsRecife
Xio tendo comparecido nnmtro soSVi*ste para
a reuniao que devia ler lugar no dia IS An rovrrs-
le, de novo e de ordem do Illm. Sr. mu, roonA s
lodos os irmos para se acharem as igreja sa irmandade, domingo 30 do comal*, as II lo-
ras da manhaa, a fim de eleger-M a nova meso rr-
gedora que lem de servir ao prosela aaaa Se
1863 a 1866.-0 escrivo,
______________Anlonio Goov MiraaSa Leal.
Precisa se alocar m moieqjoe de IS a 14
annos : na ra de lianas a, IOS.
S
i
y


wmmmftgmmmmmum
! OTB
IBiWV
Diarlo de-pernambuco Sabbade 1 Je lulho de 1S5.
HIADAMIl
THEARD
M. a-Una XovaN. 8
E' desnecessario recommendar aos numerosos
freguezes deste estabelecimento de modas, o va-
riado sortiraento de que serapre esti prvido, e
por isso apeaas chama a aiteoco do t
Rival sem segundo Grande liquidado a dinheiro.
Roa do Queiinado ns. 49 e 55, luja de, Ka loja earmazem do Pa\o.
miudezas de tres portas, est quei- Rna da impcratriz u. o de Ca-
mado todo bora e barat, quera m- | 0s dones J^^^ resoivido i-
Zer Ver C admirar venliaiU a lOja dO ; quidar suas fazendas por pregos baratissimos, s
1 Riirniiiiihii cora fi,n de apurar dinheiro, e previnem as pes
uiguuiuuy. ,lr ,.,,,,, soas que negociam em pequea escala coin fazen
Camas de papel amtzade, e sem ella liso e pautado h^ ^ |oja e annaiem enconlraro um
' grande sortimento por precos que muilo Ihes bao |
de agradar, tanto em peca" como a retalho, a sa
ber :
a 600 rs.
Groias de botos de louca prateados fazenda mo-
. aiteoco do bello sexo derna a 160 rs.
bara um sortimento de chaies de marin a moder- Dunas de penna de ago fazenda boa a 40 rs.
na vindos no ultimo vapor francez, assira como Pecas de tranca de laa lisas e de toda cores a
chpelinas de crep proprios para lulo e outros 40 rs. .,,.
muitos artigos de modas que m a vista do freguez;- Escovas Qmssimas para limpar denles s
Continua se a receber figulinos por todos os va.
BARATOS,
Vendem-se em duzias e a retalho, sabone-
tas aromticos e por precos commudjs; na
ra do Queimado loja d'Aguia Branca n. 8.
Agua Ioilde
A amiga e bem conheclda loja de miudezas a
ra do Queimado n. 16, acaba de ser novamenie
provida de diferentes miudezas, novas e finas per-
fumaras inglezas c francezas, lavas de, Jouvin, en-
feites para senhoras e oulros moitos dKersos arli-
gos, que rom prudenria e sisudez ser;io patentes ao
comprador, a qnem isso, e a regularidade 'los pre-
cos nao ser indifferenle para continuar com a sua
boa freguezia.
PlLI'L.l'S
VEC.ETAK4
DR. AYER.
pores da Europa, os quaes sao applicados para
a manufactura das modas no seu estabelecimento-
a 500 rs.
com 10 varas a
COMPRAS.
Compra-se elTectiyamenle ouro e prata em
obras velhas, pagaodo-se bem : na ra larga do
Rosario n. 24, loja de ourives.
3iO rs.
Pulceiras de contas para senhoras
Pechas de Ola de cs estreilas
320 rs.
Caixas com clcheles francezes, superiores quali-
dades a 20 rs.
Tinleiros de barro, com superior tinta a 100 r?.
Pecas de cordo para vestidos, fazenda boa a
Baralhos muilo linos para vollarete a 200 .e
240 rs.
! Frascos com agua de Florida a 15 e 15280.
Silvmo Guilherme de Barros compra e ven-1 Frascos com superiores banhas a 500 rs. e 2*.
de effectivamente escraves de ambos os sexos
Tua do Imperador n. 79, terceiro andar.
da I nii e-
OHro e prata
em obras velhas : compra-se na praca
pendencia n. 22, loja d bilheles.__
_Compra-se oaro, prata epedras preciosas,
em obras velhas : na ra da Cadeia do Recife,
leja rte ourives no arco da Conceigo.
- Ompram->e libras esterlinas : na ra
Crespe a. 16, prlmeiro andar._______________
Garrafas
200 e
Frascos com banha, porm pequeos a
240 rs.
Latas com superior banha a 200 rs.
Frascos de macar perula muilo lino a 200 rs.
Frascos e garrafinhas com agua de Colonia a
SOO rs.
Frascos grandes com superior agua de Colonia a
640 rs.
________ Frascos com superior oleo de baboza a 400 e
^rs^siT"11* M" *nosi
d01 Saboneies pequeos de bolla a 210 rs. e grandes a
_ i 320 rs.
1 Saboneles de familia a 120 e 200 rs.
' Duzia de sabooetes pequeos com cheiro a 700 rs.
; Agua denufice superior qualidade a 800 rs.
Caixas coro superior p de arroz a 800 rs.
Frascos de superiores essencias santal e outros a
Compram-se garrafas vastes : na ra Nota n. 15200.
O, armazem da Liga.
Padaria
Compra-se ou aluga-se urna nadara com .fecos
(fondos, preferindo se que seje no bairro da Boa-
Vista : quem a liver annuncte para ser proccrado.
Cobre, lalo-e chumbo.
Compro-se cobre, latao o -chumbo : no arciazem
da bola amarella,
licia.
'no oii.o da secretaria de po-
__ Compra-se um sellim -om meio uso : na
decanta Tnereta n. 38. ________________
Compram-se Diarios de Pernambuce a i
arroba : na ra Direlta n.'El, loja de chapaos
ra
* a
YENDAS.
%'entie-se
uma colleo^o de mappas .geographicos des pro-
vincias do Brasil, pelo visconde J. de Vilers de
lile Adara, roostaado : d'o; mappa do Amazo-
nas e Para, um dito do Piauhy, um dito do Cea-
ra'. um dito de Pernamboeo, Alagoas fl -fiergipe, la he loe i memo
um diio da Bihia, um dito do Rio de Janeiro e
municipio neutro, um dito de S. Paulo e Paran,
um diio de Santa Cathanna, um dito de Coyas, e
um dito 4a plaa da cidade do Rio de Janeiro,
tudo por 25; na roa das Ccazes n. 20, 2 andar.
0 castalio de Grasvilfe.
Traduzco do francez para. J..C. da Cruz.
Vende-se este bello romance em quatr
tomos pelo baratissimo preco de 3O0C
oa praca da Independencia, livrarw ns.
6 e8.
Frascos <-om essencias para tirar noduas de roupa
a 508 rs.
Fra.-cos com rheiros de lodos os precos a 1G0,200,
240 e 320.
Frascos bonitos com heiros finos a 300 rs.
Duzia du meias muilo finas para senhora a
i 45800.
Gollinnas muilo finas para senhora a 200 rs.
Caixas rom soldados de chumbo para meninos a
160 rs.
Duzias de colheres de metal para cha a 800 r?.
Dias dila dito para sopa, fazeoda coa a 15600.
Varas de cordao braaco para espartilho a 40 rs.
Pegas de fila da laa para debrum de vestido, com
10 varas a 600 rs.
Ditas de bicos superiores, para acabar a 600 e
1 800 rs.
Pedras de lousa para meninos a 1-60 rs.
Caixas de lampannas para 3 mezes a 30 rs.
Bunefos de choro e panno a 160 rs.
Caixas com bonitas eslampas para rap a 100 rs.
Capachos compridos, boa fazenda a 500 rs.
Grosas de bolees pequeos preles para calca a
100 rs.
Toias eslas fazendas para liquidar, pois luxlo
esti-era perfeito -estado, isto garante o dono do es-
Chitas largas a 200 rs.
Vendem-se chitas francezas, lisiradas muilo lar-
gas, padroes escuros, pelo barato preco de -iOO rs.
o covado, tendo muito bom panno ; dilas escuras
padroes novos, por serem todas escossezas e cor
tixa a 240 rs. o covado ; ditas miudinhas escuras
e claras a 240rs,amanendose que esta fazenda
nao lem o mais pequeo toque de mofo, nem onlro
qualquer defeito. Isto s o Pavao, na ra da Im-
peratriz n. 60 de Gama & Silva.
Esparlillios, na loja do Pavao.
Vende-se um bonito sortimento de espartilhos
proprios para senhoras, sendo dos mais modernos
e bem feitos que tem vindo ao mercado, tendo de*
todos os tamanhos e de diversos precos trazendo to-
das as compelenies filas para apenar. Isto so na
loja do Pavao, ra da Imperatriz n, 60 de Gama
& Silva.
GRANDE
Pecbincha
Laazinhas a 320.
Lazinhas a 320.
Laazinhas a 320.
Chegaram para a loja do Pavao as mais bonitas
laazinhas suissas de quadrinhos e lisirazinhas a
imilaeo de sedas por terem muito lustro, sendo os
padroes mais modernos que lem vindo ao mercado
e muito levezinhas, vendendo-se pelo barato preco
de 320 rs. o covado, sendo fazenda que sempre se
venden por C40 rs. Liquida-se_ por este barato
prego na loja e armazem do Pavao, na ra da Im-
peratriz n. 60, de Gama & Silva.
Lcncinhos pura roao a 240 rs.. na loja
do Pavao.
Vendem se flnissimos lencos brancos com duas
cercaduras, sendo uma de cordao e outra de eores
matizadas muito linos, a imilacao de linho, pelo
barato prego de 25800 a duzia, ou 240 rs. cada
um : i>to.s na loja e armazam do Pavao, na ra
da Imperatriz n 60, de Gama 4 Silva.
Laazinhas a 300 rs.
Laazinhas a 300 rs.
Lazinhas a 300 rs.
Vende-se um bonito soriimento de laazinhas pro-
prias para vestidos e soulemuarques por serem li-
Sis e de quadrinhos pelo barato prego de 300 r=. o pautado, cem cora imperial, e sem ella, e
covado, sendo fazenda que sempre se vendeu a i
SOO rs. o covado, e vende-se a dinheiro a vista pe
ra do Queimado n. 16.
Nessa loja vende-se baratamente, alm de mul-
los outros objectos os sepuinles :
Voltas de crystal, grandes e pequeas.
Oulrasde diversas qualidades.
Crnzes grandes de pedras falsas.
Alflnetes de madreperola e outras qualidades.
Brincos a balad.
Cintos a traviata.
N. 16 ra do Queimado.
l'onnas d'aco, papel c envelopes.
Na amiga loja de inluaezas a ra do Queimado
n. 16, acha-se um bello sortimenio de papel al-
masso greve liso e paulado, primeira e segunda
sorte, diio de peso liso, paulado e de quadrinhos, e
de diflerentes qualidades al a que se pode encon-
trar de melhor, dito paquete, diio pequeo em cai-
xinhas, sendo liso, pautado, de quadrinhos, beira
riles bi-
nara Ungir cabellos. .
Almdochromacomo, acha-se mais a a- Antlga lOja U6 lTHUUezaS a
gua Hoilde, preparaco ingle/.a para Ungir
os cabellos, s pretemlentes comparecam a
ra do Queimado, loja d'Aguia Branca n. 8.
Ronitas caixinhas
com perfumaras.
A Aguia Branca na ra do Queimado n.
8, recebeu um novo sortimento de perfu-
maras das excellentes qualidades j bem co-
nhecidas, vindo no mesmo bonijas caixinhas
demadeira invernisada, e oulras de vidro,
todas com finas perfumaras, e mur pro-
prias para presentes, as quaes sao vendidas
por preces commodos, na loja d'Aguia Bran-
ca ra do Queimado n. 8.
Toncas de fil enfei-
tadas
a 500 rs. cada uma.
Ventlm-se na ra do Queimado, loja da
Aguia Branca n. 8.
Espelhos dourados.
A Aguia Branca, recebeu novamentc um
grande sortimento de espelhos do differen-
tes qualidades, sendo, de mordura dourada,
dita envernisada, outros de dita envernisa-
da com vivos dourados, tendo diversos ta-
manhos, al grandes para salas, e bem as-
sim outros de armado com um e dous ps,
e outros com enconsto, todos os quaes se
vendem | or precos commodos e dinheiro
vista : na ra do Queimado, loja d'Aguia
Branca n. 8.
B pautado com 33 linhas.
A Aguia Branca acaba de receber a
encommenda desse bom papel almasso,
e pautado com 33 linhas, assm como
4-
yr^rsv, de
novo*
maores e menores, e tarjados de prelo.
aqu
o. Pennas
d'ago inglezas, caligraphicas e oulras qualidades,
todas dos afamados fabricantes Perres A .
Albuns ralos na ra do Quei-
mado o. 16.
Vendem-se bonitos albuns para 12 retratos a
15500, oulros para 24 a 35000, e alguns maiores
tambem por baratos precos.
Luvas de p*lica a 500 rs.
Nao ha nucessidade n.: fe-
ral em todos os pases o .Nie*
um pnrgonte que seja -o
mesmo lempo innocua. eflkai
e di|RO de loda a runfiarla.
As punas que ora i fercee-
ffios ao t'Ublico prt-iiitl.tiu cilas
condices ; pois pdela tr ^
madas pelas pessoas ncais fraea*
sem perigo alpum, nao lemion*
sua compoico mercurio r.vm
outro ingredienle nocivo mm-
de, mas sendo compri .U a-
gentes vegetaes mui forles, ."-rio ba.
eficientes e activas j'aia punli.\:i- <
mais robustos.
listas pilulas cxploram e pnrifi'. m : ra
a extensao do canal alimenticio, e IAn r
a todas as partes do OffMMBO, i
sua aeco viciada e fazendo nMpnm sea
viinlidade.
Um remedio inestimavel conlra -.i *.v
cabera nervosa, en.tai/ueca, pristi /#'<> ...-
lie, tierno i rhoiilas, molestia* do fifi"''' ''-
bre (jaatro-hepntica, e lodas as muU
biliosas que teem sua origen* no erit. rpw
dourada e tarjado de prelo, lendo entre
guns que Irazem a envleme na mesma folha, o que
intriramenll novo* Caixas de envelopes ment do figailo me (3US.I a P^ta^M da
bilis na inflainmar>> d'esle orgo que rtvo-
duz derramamento da bilis no esluKi-io <
em um desarranjo geral dos orgVis figtrs-
tivos.
A Ivtcvlvla
prodnzida pela alMOfmJh la
sangue, dando pelle e aos nlho> i
amarellenla ; nao smenle dolor-sa r
Apelar denao serem amigas estao* um Juco S, por
sua
liso
de
mescladas as luvas do pelica prela e de cores, as
quaes ainda servem para a noile, e mesmo para
monlaria, e wndem-se a SOO rs. o par oa ra do
Queimado n. 16, loja de miudezas.
bli vi-i ii I los e bicos.
Na loja de miudezas a ra do Queimado n. 16,
vende-se bonitos labyrinthos e bicos das libas, te-
cidos em grade de Italia o que os torna forles, e de
t muita duraco, alm de que os novos e agradaveis
desenhos, e a commodldade dos precos concorrem
para a boa exlraccao d'elles, tanto mais quanto
elles nunca so desnecessarios em casas de fami-
lias, pelo que podem dirigirse a ra do Queimado] vol er ao sangue, CM que circu
n. 16, loja de miudezas.
tos.
Para cura-la toma-se de I ">['
das as manhaas, isto bastante para
o venlie smen'.e ale que se re>'ij'' i
Cao Mal do i'/atlo. febre ga*ln.- eyi.'^'i.
diarrhea biliosa, indiftalim, a mftTtrtgm
ou tic iUmlcurenr. '><> todas m\< -'
tem seu comeco n'iim desarramo i
A obserraro dos dnetos da bilis l- -ra
,t- :
Tasso Irmuos
Vendem no seu armazem tua do
A'moi-im ii. II,
Licor fino Garaco em botijas e meias botijas.
Licores finos soflidos em gMtcaJM com rolhas de nnos para senhora, bordados
o.'idro e em lindos frascos. _.. :- j
jnhosliheres.
Saolernes.
Chambertin.
Hermitage.
Horgonhe.
Champagne.
Muscal.
Reino.
Bordeaux.
Cognac.
Od Ton.
Azeie-Plagniol. ____
Loja
i -
LOJA DO BEIJA FLOR
Na ra do Queimado n. 1)3.
Tendo recebido um sorlmenlo de bone-
cas de choro, que chamam papa i e mam i,
com cabel'era de cachos.
Tendo recebido um variado sortimento de
brinquedos para meninos, sendo espadas,
espingardas, pistolas, tambores ; ditos
para meninas: apparelbos de-alaoco e de
jamar de porcelana o de metal, porta-licor
e faquiehas a 280 rs. o par ; e nao queren-
do continuar, vende mais barato do que em
outra qualquer parle.
Vende-se liras bordadas de differentes
'areura&a 15, e babadas, collar 'mhos e pu-
e abertos de
renda e lisos, os mais modernos que se
podem encontrar.
Vende-se la para bordar de diversas
qualidadesede cores claras a 7*5 a libra, es-
pelhos de columnas de Jacaranda a 2 ditos braneos-de diversos tamanhos, caixinhas
para estojos de navalhas,
Vende-se penes de alisar com costas de
taetal a ll, ditos de difieren\es qualidades.
I lindas gravatmhas para senhora de differen-
: tee gostos.
Colheres de metal prncipe.
Vende-se colheres de metal principe para
tirar sottpa a 2$, ditas para cha a 2#300,
ditas para soapa a 45200 a duzia: nesta
loja se encontrar sempre um grande e va-
riado sortimento de miudezas : ra do Quei-
mado jl 63, loja do bcija-flor.
Vende-se uma taberna bem afreguezada para
o mato, e t*em como para a trra por licar ao p
do mar, tafiiiiem d comidas e dormidas, e recebe
1 passageiros, tendo excelleute commodo para fe-
milia : na ra da Lapa n. 13.__________^^^_
"GAZ"GA2 GAZ
Vende-se gaz da melhor qualidade a
li^alata: nos armazensda ruado Im-
perador 0.46 e roa do Trapiche Novon. 8.
lo baratissimo preco de 300 rs. o covado : na loja
do Pavao ra dalmperatriz n. 60 de Gama &
Silva.
Pelerinas a 1 f)G00.
Vendem-se as mais ritas pelerinas ou romeiras
de camliraia bordadas proprias para hombros de
senhora pelo baratissimo prego de 13600: na ra
(a Imperatriz n. 60, loja de Gama & Silva.
Oi'gandy a 240 rs. covado.
na leja do Pavao.
Vendem-se as mais bonitas cassas organdys, pa-
droes miudos e grandes, pelo baratissimo preco de
240 rs. o covado (doze vintens), esta pechincha
acaba-se logo : na loja do Pavao ra da Impera-
triz n, 60. de Cama i- Silva.
BBETANHA DE HOLO A 3,5000.
lladapolO eufestado a 3#000.
Ka hija do Pavao
Vendem-se pecas de brelanha de rolo com 10
varas a :i,5. dias de madapolao enfeslado a 35200,
iiO e 4 : na loja do Pavao, ra da Imperatriz
n. CO, de Gama & Silva.
Madapolao com loque de mofo a G5W0 c 7&
Vendem-se superiores pecas de madapolao, ga-
raniindose 20 varas em cada uma, pelo baratissi-
mo prefo de 63400 e 73 P"r terem um pequeo
loque de mofo que nada val, e pecas de algodiio a
45 : na. loja do Pavo, ra da Imperatriz n. 00, de
Gama & Silva.
Corles de casemiras a 2!>00 c 3
Vendem-se corles de casemira de uma s cor a
25500, ditas de quadrinhos a 35 : na lo|a do Pa- hni.J94ft( n.ra spnvinra
Vio, ra da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
peso, tambera superior e igualmente Uso e'Rua do Queimado 1G, ail-
tiga loja de miudezas.
Essa loja j lao eonl la, renovou e meihoron
marias, ondeos preten-
novoe bom.
outros pequeos conforme os cima, e pa-
quete, tarjado de preto folha grande e pe-
quena, ele.
Tambem recebeu envelopes correspon-
dentes a todos os lamanhos do papel, tanto
brancos como tarjados.
A commodidade dos precos j de todos
bem conhecida, uma vez que appareca di-
nheiro : na ra do Queimado loja da Aguia
Branca n. 8.
Esponjas finos para rosto
Vendem-se na ra do Queimado, loja da <
Aguia Branca n. 8.
Meias de cores
de 6 a 12 mezes.
ara cranlas
o seu soriimento de
dentes podem encon
leos philocome, tu <. une e babosa.
Banha lina em fftw e latas.
Extractos linos in?' es e francezes.
Agua da colonia < l! ; ida.
Opiata e poz para di n'es.
Extracto de quinquina para ditos.
Agua balsmica para ditos.
Dita deutrilice para ditus.
Leile virginal para sardas.
Vinagre de Venus para refrescar e conservar o
ustre da culis.
Saboneles camphorados inglezes.
Ditos areienlos excellenles para nifios.
Outros tambem inglezes de diversas qualidades
em caixinhas de tres e soltos..
Albuns com perfumaras.______________
s ttm-

mum
&S seis portas m frente do
vr< tinento
Venlem-seolilas francezas escuras e bons pan-
nos a 240, 260 280 o covado, cassa franceza de
cires fixas a 2W o covado, nretanha de role a
2iO0 a peca, cortes de casemira de cor escura a
45, bates de reos a 35, 300 e 45, e muitas
outras fezeddas por iiaratissimcs presos, e de nido
se dao amostras; cambraia para forro a 25000 a
pe^a _
Vende?e na ra di Cruz e. 50, armazem de
Mills Latham C.:
Saceos vas'oe.
PimenU da India.
Folha de Flacdres.
Oleo de linhaca.
Louca ordinaria e lina.
Cerveja do aspinali.
Cha._____________________________________
Vendem se 2 carros e 2 bois, para couducoes
e. fetes nesta praca : a tratar na rna da Cruz n.
36^ .primeiro andar, a qualquer hora do dia.
Vende-se o engenho Jundiahy, cinco legoas
distaMe da cidade do Natal, provincia do Rio
Gcaad* do Norte, moente e correle, com 20 cap-,
ti vos, 20 Ouis e 20 bestas; assim como diversos
lotos di: Ierra, propria para a cultura de algodo e
mandioca, e mais duas iazendas de gado no Poten-
gi e Cear^meirim, na mesma provincia, cujas ver.-'
das se effeciuaro a prasos, mediante boas armas :!
quem pretender dirlja-s^ aquella provincia a tra-
tar com Pabrieio & C.________________________:
Vende-te um escravo mogo qne j foi de en-
genho : a tratar na roa do Mondego, olaria n. 13.
Farinha.
Vendem se saccas de farinha da trra com 22
cuia; na ra Estreita do Rosario n. 1, taberna Queimado p: 69. s malsonse lindos
jimio ao dentista Ozorio. __^______
Veudem-se caixes vazios proprios timentode miudez-.s.
para bahuleiros e funileiros a M cada um,-------------------batatal------------
nesta typographia. _______________ vendem-se excellenles batatas pelo diminuto
"_" Vende-se um casal de pavao : na Capunga preco de 400 rs. o gigo, e em porcao laz-se algum
velha, sitio da viuva de Joao Evangelista._
A ii#900 e 1^500.
[jeques de osso, ultimo gosto, a 15-
Ceroulas de meia a 15-00.
Dulas muito finas a 15300.
S na ra da Cadeia do Recife n.[5_________
Em casa de Tisset Freres ra do Trapiche n.
, tem para vender :
Vinho l rdeaux em barricas c em caixas.
Dito de Santerne fino.
Dilod" Champagne muito superior.
Cerveja franceza marca Bobee.
Scmentes.
Vendem-se semenies de hortalicas mnito novas :
ra da Cadeia n. 50.
Calnogas fiaos e brinquedos
para nicnnos.
Uiegaram para a loja de miudezas da ra do
_jeimado n. 69, os mais finos e lindos calungas
tanto para bnnquedo de meninos como para cima
de mesa : na mesma loja se encontrar bom sor-
abaiimento : no armazem do Sr. Azevedo defronte
da escandinha da alfandega.___________
Novas sementes e horialica.
Chegaram no ultimo vapor francez vindo da Eu-
ropa, nova sementes de hortalica, na bem conhe-
cida loja do ferragens de Bastos, na ra da Cadeia
do Recife n. 36 A.
Vende sa nm carro de carregar fazendas :
na ra da Cadeia n. 35, armazem.______________
' BLHAR.
Samada Imperatriz n. 20 se dir quera vende
uro bilhar de Jacaranda quasi novo, e por barato
prego. ____________________
O desembarcodor Doria vende a sua Vende-se uma armado de uma taberna com
Caer -o Mang^bo. vende umbe.n dous CZ'^ST': rjEttlL
carros, duas parellias de muas, uma mua CrQt) casa de AnlOD0 upes Braga & C.
de sela, tres vaccas de leite, dous bois de j vendase 40 paimos_delerreno na
arroja e todos OS Oais objectos pertencen- concordia a tratar na rna do Alecrim n
tes ao trein e ao trato da chacra; os pre- 3 horas s 5 nos das oieis.__________
tendentes podem ir examinar a chacra, a Vende-se" uma escrava crioula : nos Coelhos,
cocheira, estribara etc., etc. ra dos Prawres n. 10.
ra da
10, das
Chales a 25000
Vendem-se ehales de merino a 25, 25300, 33 e
65 : na loja do Pavo. rna da Imperatriz n. 60, de
Gama & Silva.
Lazidhasa 220 rs., na loja do Pavo
Vendem-se laazinhas transparentes de urna s
cor e de quadrinhos proprias para vestidos de se-
nhoras e meninas, pelo baratissimo prego de 220
rs. o covado, sendo fazenda que sempre se vendeu
a 500 rs.: na loja do Pavao, ra da Imperatriz n.
60, de Gama & Silva.
Corles granadinos a I2
Vendem-se os mais ricos cortes de fazenda de
muita phantazia por ser transparentes e leudos
com seda, tendo cada corte 22 covados, pelo dimi-
nuto preco de 12j> : nicamente na loja e arma-
zem do Pavao, ra da Imperatriz n. 60, de Gama
& Silva.
liornouls de renda na loja do Pavo
Chegaram os mais ricos bornouts de renda e se
vendem por baratissimos precos : na loja e arma-
zem do Pai'o, ra da Imperatriz n. 60, de Gama &
Silva.
Ricos chales prclos de renda
Cnegou pelo ultimo vapor francez um grande e
variado sortinenio dos mais ricos chales prelos de
renda, tanto de linho como de seda, tendo entre
clies inultos de pona redonda a emitacao de man-
teletes e muitos com o centro de cor, e vende-se
por pre?os muito em conta por terem sido manda-
dos vir de conta propria pelos dooos da loja do
Pavo, ra da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Laziiilias lisas a 500 rs.
Vendem-se as mais modernas lazinhas, tendo de
todas as cores, pelo barato prego de 500 rs. o co-
vado, tarlaiana branca e de cores a 800 rs., fil liso
branco a 800 rs. a vara, cortes de fil brancos lisos
a C5 : na loja do Pavo, ra da Imperalrlz n. 60,
de Gama & Silva.
Chapeos de sol de alpaca
Vendem-se superiores chapeos de sol de alpaca
a 35500, ditos de seda inglezes com 16 aspas a
125 : na loja do Pavo, ra da Imperatriz n. 60,
de Gama & Silva.
Lazinhas transparentes a 320.
Vendem-se muito bonitas laazinhas transparen-
tes com palminhas de seda a 320, dilas lisas e de
varias cores a 220 rs.: na loja do Pavo, ra da
Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Corles de las matizadas.
Vendem-se bonitos corles de las matizadas, ten-
do 15 covados cada corte, a 55, ditos Maria Pia
a 65 e 85: na loja do Pavo, rna da Imperatriz
n. 60, de Gama 5i Silva.
ROUPA FEITA
ROUPA FEITA
ROUPA FEITA.
Na loja do Pavo vende-se um grande sortiraen-
to de roupas feilas para hornera, sendo caigas, pa-
letots e colleles, tanto de panno como de casemiras
pretas e de cores ; deixa-se de mencionar os pre-
gos para nao se tornar enfadonho o annnoclo,
afiangando-se que o respeitavel publico achara um
grande sortimento por baratissimos pregos : na
loja armazem do Pavo, ra da Imperatriz n.
60, deGama &. Silva._________________________
Piche do jsaze verniz do gaz.
Vende-se piche do gaz, verniz do gaz e estopa
da trra : no armazem da bola amarella, no oito
da secretarla da polica. __________
Vendem-se na ra do Queimado, loja da' Qpajijjy eXPOKlCFlO de ftl-
Aguia Branca n. 8. 1
hosphoros de sequranca ZtMaS.
r Que eslo a venda, na loja e armazem la Arara,
caixas de 500 palitos a ICO cada uma. rua da Imperatriz n. 36, Lourengo Pereira Men-
Vendem-se na rua do Queimado, loja da des Gnimaraes..
\miia Branca n 8 LAZINHAS A 20 Rs. I
Aguia Branca n. Qzinhas a ho Rs. i i
Gollinflas e pannos lazinhasasm rs.im
/ Ha um grande soriimento de lazinhas clnneza*.
bordad3S para senhoras. chegadas pelo ultimo vapor, sendo fazenda que
A AgUa Branca da rua do Queimado R. qua'esquer loja vende a 400 rs., esia se vendendo.
8, vende-se mui bonitas golnbas e punbos na loja da Arara pelo diminuto prego do 40 rs.
o covado.
MADAPOLAO COM 21 JARDAS A 45500 I I
Aspas fortes para baldo. madapolao com 24 jardas "a usqoiii
' r vende-se madapolao com 21 jardas e garantin-
Vendem-sc na rna do Queimado, loja da 0.S6 qUe tem 20 varas, pelo barato prego de
Atraa Branca n. 8. 4*300, 55000,65000 e 6*300.
AfcuidDi uL> -nnnnn BHETANA DE ROLO COM 10 VAHAS
Dminos e visporas \ A25H00.
a i\., Vende-se brelanha de rolo a 2*800 apera,
em caixas de madeira. Mendes Gnimaraes.
A Aguia Branca na rua do Queimado n. 8,1 MADAPOLAO enfestado a 35000, 35300
acaba de receber domines em bonitas cai- i E 45000. .....
xinhas de madeira branca e envernisada, e madapolao encestad a 35000, j*oO0
visporas de caixinhas de papelao, e madeira! Vende.sp m3dat,oio enfestado pelo o barato
envernisada, ludo contina a ser vendido; prego de 35. 35300 e. 45 a pega
vena todo o corpo e causa estraga
trosos saude e prodoz uma se
meravel i males.
Todos estes incommodos sao curad* .-
as pilulas do Dr. Ayer.
Direcc'ies minuciosas aconapaiih.-.i!'
frasco.
Vende-se na ph.umaca fluttll
rer A C, rua Hora n. !S.
AGK.\Ci\ CEUTRAL
15 Rn.i l-ircUa i '
Rao i; a a.\ i:iko.
Vende-se em Pernamboeo:
oa jiharmacia fraacexa it
P.MAURER & l.
__________RUA NOVA N. 18.
AGUA FLOBinl
..
IvU
'1-
- .
. 1 :'
1 4 JP-' :
\::
4-'

m

t-
COLCHAS DAMASCADAS DE FL'STAO.
Vende-so as mais mo-Jernas colchas de fusiiio,
por precos commodos e dinheiro avista.
Lencos pequeos
para meninos.
A Aguia Branca, na rua do Queimado n.
8, recebeu um novo sorlmenlo d'aquelles
lenco brancos, pequeos e com barras de
cores, proprios para meninos, e atuta scrao! CH1TAS |N6LEZAS A 200 E 220 Rs. o COVADO.
uendidos pelo commodo preco de i0000 a
dnzia.
Meias pretas
de laia pararpadre'.
MURRAY & LJUBaN
A agua florida de Hamy A Law
olhada como um artigo < |
tem podido ser igualada peba n-, .
as mais custos;'s : conscf^i set -
rao se formas-e parto da prend;
se applca.
Sua eflicacia 1 lao di-li.ada, c M sie-
tes sao seus multiplicados uv ;. ijih ;
empregada como
no uso do banho
Oi'igu d>
tendd de lodas as cores a 3*300, ditas grandes a pelle, depois que
65000, dilas de damasco a 45000, dilas de chita a ,,ara |mpar as
25240 e 15900, isto s por a cabar, na loja e ar- \.y.ic.
mazem da Arara u. 30, Mendes Gnimaraes.
CHITAS FRANCEZAS A 240, 2C0, 280 E 300 Rs.
CHITAS FRANCEZAS A 240, 2-0, 280, 300 E
OU COBM
fflenha
fll.iMsa'U-
fl i!

gengivas cu ar-'r;:
Aguia Branca n. 8.
op cS n >.0 S W g 5? S
s cr c o o i rr"-* a ti o
SI
H
c o, 25
i. o. 3 a* 3
o M 3.
II
j.
^ 3 oa
3 Q,K
-:
l C 8 -.
EB
Vende-se cambraias brancas desalpicos a 45300
apega, tambem ba um grande soriimento de cam-
braia brancas que se vendem a 35, 35300, 45,
35. 65 e 75 a peca.
CHALES DE MERINO A 2i000.
Lengos de cambraia com barra de cores a 15800
Vendem-se na rua do Queimado, loja da [a duzia, ditos de dita branco a 25 e a *400 a du-
zia, s Mendes Guimaraes.
CALCAS DE RRIM DE LINHO.
Vende-se caigas de bnm de linho a 35400,
25600 e 45OOO, dilas de algodiio a 25, s Mendes
Guimares.
Soulambarques de cores, vende-se muilo barato,
ditos grosdeoaple preto, capas pretas vista se
rara prego.
PALITO'S DE ALPACA RRANCA A i*300.
PALITO'S DE RRIM DE LINHO A 35000.
ntremelos transparentes a 800 rs. ditos tapado
a 15, ditos para babado a 15000 cada uma lira.
ROUPAS FEITAS.
ROUPAS FEITAS.
ROUPAS FEITAS.
Vendem-se um soriimento de roupas feilas de
todas as qnalidades, que a vista se far prego, e
outras muitas mais fazendas que se d?ixam de
annunriar, rua da Imperatriz n. 36, Mendes Gui-
maraes.
2
cd 3
9-3 =' s
o S a
-2
C en

ra
u
55 "8
li
x a
3 I
ti q CO O
3 2 co
CO _
a
c
a
^ w
O Q.C6
a -1 -; t?i,
as o n -
O ct>
&3
ra
ra
Ja x cu j
0.0 ce
5 2 5 ^
s # 3 I
3 o O co
acra -a
o a os a
c co 5"
15
0_Q.
I> sr
o ?
d
|U
9 5 as G- es co
a. 5. s S B ^
W
o
-
ai ^-
o_ ce
TI =J
CIQ O
-1
O
9
en
O!
5l
O
es
O.
f-
2 ?
c>
as
-i
i
o
s
2^
O -j
as as
o. -^
O as
P
TS CD
as -1
as 53
1.1
OQ
O
w
Atteucflo.
Vende-se o deposito da roa Nova n. 61, bem
afregnezado e bem sorlido : a tratar na roa do Li-
vra ment n. 34.
a.
s

3
a
se
o
Vende-se nmacadeirinha quasi nova, propria
para qualquer senhora : quem a pretender dirja-
se a rua do Vigario n. 18, ou na travessa das Crn-
zes n. 4.
. Vende se um prelo crioulo, bem mogo : no
pateo do Tergo n. 141.______ ._^______
Vinbo do Porto superior enTcaixa de duzia,
tem para vender Amonio Luir deOliveira Ateve-
do & C, no sen escriptorio rna da Cruz n. 1..
m
m
Fumo da Bahia para
charutos.
Vende-se fumo superior de todas as
finalidades, a retalho e por atacado, e
por pregos commodos, no Recife, rua da
Cacimba n. i.
*
m
1
mmmmmmM mwmmm ?
avariado.
Francez barrica 5*000
Porlland dem 8*500
Em perfeito estado:
Prancez barrica 105000
Porlland idem 12*000
No armazem de Tasso Irmioscaes do Apollo.
Vende-se um carro de carregar gneros da
alfandega, com uso, e todos os pertaaces de outro
igual, tado por prego muito comm^b : a tratar
no pateo de S. Pedro n. 4.
P suavidad*, br'ribo p riasti
compleces, de; os de II liaver I.\.
livia ; irrtato de rrtip.Tit'soriiinnri?
desapp-recer o uesagradaT-! aiyuJa
pannos, das sardas, du rosto, rogas e i
casia de diulirries, e t! vip>r e h.
parle onde (uer que se applifjnc. S-i
ciencia e elegancia so igmint'-nip .'
veis nos casos em qofi Mfi pmtn y
la enmo cslmnlanlc e anlscpl- < : -
cursos e HMBMaM numeras. 1 -
lidades infeccionadas, na alri>\n
ferino, assim como i- um aniid 1
te pata os desmates cr.itsa-.o? |-r 1 :
ou stiHocagrio. I'repap,:i '1 n-i
Lanman A Keinp, No\.i V>rk.
Caors Barbosa.
Joo da C. Bravo & C
Vendem-se no Recife em casa de Caer *
Barboza e Joo da C. Braro C
GRANULOS e XA0
D'HYDROCOTYU ASJTR
de J. LEPN
Resulta pelai npereacias (citas tm l*ii
Franca pelas mais afamados medirns qnt a* MI *."
LAS e O X AHUPE de II VnRUtUTVL* .% .|.\T a
J. LPDIE sio o ptimo remedio coaira t..da
ces de impgera on iicupk** wnras mv't* <- i*
pele, at as mais inTeteradas. asaiai era* a I n ..
on MORPIIEA, a smil I-*. as mhmtt i* r-; .
FULOSA9, OS RHMHITUaM rhrw.r.. *r.
Deposita geni em Pirit. rr rata *a rur*.'****
LABELOKYB. rua [lnur>,3-iiiitntuit. IV
Deposito geral em Peraainbnco rr
Crui n.22 em casa de Caros & Barkmu
ui
Fardo
a i* a sarea, das BMtove que ha : r.a roa
do Rosario n. 50, taberna da e.-<|oin. ^^___
Taso li
vendem Resso em p para estmiae > cast*,i 1
fiaos de feilio diversos para ladrlho. aiocri' 1-
diversos gostos, lijlos rUra** pv* P*r* '-'
zinha, canos de barro para esf*!'*, ^"c: tm
barris de 10 arrobas.




T-*

Diario de Pernamboco Sabbado 99 de Vnlho de 18*
ISf3


SI SI
GNEROS BAR1T0S A DHVHEIRO
NOS
GRANDES ARMAZENS D Mil DOS

^^^
AURORA BRILHANTE
i 11 Pateo do Carmo a. 9 armazeru Progressivo roa do Queimado n. 71 fl *j
q S Ja Unio e Commercio ra do Imperador u. 40, j(| M
m& Principal armazem de molhados. %S
OS PROPRIETARIOS, |
Fazem sciente ao respeitavel publico, e cora especialidade aos senhores de en-}
genhos, I wradores e imis pessoas do centro, que para raiis facilitar suas compras deli-
bcraram os proprietarios dos tres grandes armazens, reunir todo; os seos estabeleci-j
meatos em una so annuncio, pelo qual o prego de um ser de lodos, proraette-!
mos jue nao infringiremos a tabella que abaixo va publicado, ainunciar os geieros'
por um preco, e na occasio da compra quererem por outro, como soc;de constante-1
mente em outras militas casas, porm nos nossos eshbelecimentos no"o se dar isto
aiuda raesmo com prejuizo nosso, qualquer pussoa poder mandar seas fmulos que
serio tam em servidos como viessem pessoalmente fazenJo-nos o favor de mandar seus'
pedidos em cartas feixadas; para evitar qualquer engaos, remetiendo nos urna conta'
pela qual se ver os precos tal qual annunciarmos, o que seno arrepender pessoa
algnma que fizer s;ia despenca em nossos estabelecimentos; pois poupar raais de'
5 por cento na sua despeza diaria.
Manteiga ingleza perfeitamente flor chegala dem com 1 a 5 ditas a 35200.
ltimamente no vapor Saladim, de l dem vasfos de lodosos tamanhos a2000,
a l.$120 a libra e em barril terabaii- 13500,800e640 rs.
ment. Queijos d 25300 a 25300 os mais frescos.
Ideo francesa maito nova a 15 a libra, e Vinagre puro de Lisboa a 280 a garrafa 0-1
en barrd ter abatmento 2.5000 a canad3.
Banha de porco refinada a (i 10 a libra e em dem mais baixo a 200 rs. a garrafa e 15100 j
barril ter batimento. a caada.
Gb uxim de superior qualidade a 25600.' Azeite doce de Lisboa muito fino a 600 rs.!
dem perula mmdinlio a 25700 a garrafa e 45600 a caada,
dem bysson especial qualidade de 25500 a Toucinho de Lisboa novo e muito alto a 400'
I tumis aixmNs
IMQ LELADOS
o
o
T Largo da Santa?
Cruz n. 84, es-S
(quina da ra do
bebo.
PBCMLEfl i
Largo da Santa^R'^K
Cruz n. 84, M-jBaT
equina da ra do^g$&
Sebo. &a v
Ouo
rora UrilhatitTcoouuiTa'loi3 muit0 acreditado armazem de molbados denominado Au-
A seguate labefla srva" TflT *"lmento de s de primeira qoalidade.
' Neohum armazem vended m.i?!?** para.a,uste de con,as aos Prtadores-
pelo grande sortimento wu iZ ,? S barat0 e melt"> d que a Aurora Brilliante, ja'
i ero ijuanto cheque nara a,'.j mes,rao ponJue seu don<> s deseja tirar diminuto lu-
Proveiur, o prsorletnln"ffS r as de,spms do es,abelecimenlfl por isso deixe se a-
tentes fregue-zes azer loda a '''enca, afim de servir bem os seus cons-
fS8 "bras de Caricas muito novas,
TOS. 2lUal,dades. a 1*000, 1*280 e'
DgKrasSovrce,,entepe,iscpa^
Ditas com ameixas a 13200 13800 i*nn
mmsfsfrdo af-a"^^-
["i!as2fln,aSSade,oraalp'a3(".
25600 a libra.
dem preto muito especial a 25000 e 25400
a l,bra.
dem do Rio em latas de 4000 e a 800 a|
libra.
Lalas con biscoulo de todas as qualidades!
a 15200.
dem da creditada fabrica de Biato Antonio
(Lisboi) proprias para dar a doentes a
25 e 3.5 a lata.
Bolaxinha ingleza muito nova a 35500 a bar-
rica e a 240 rs. a libra.
Lat is com bolaxinha de oda e oval a 25.
Presento ioglez para fiambre chegado no
ultimo vapor a S'JO rs. a libra.
Chouricos e paios muito novos a 900 rs.
a libra.
laixas com macanilo t.ibarim muito novo a
."VMO i! 320 a libra
1 branca e amarla a 500 a libra.
'I ite portagaez de especial qualidade a
s ti a libra.
'd: m su'ssade 8 >0 a I5'X)0 a libra.
a libra, e em barril de 5 arrobas a
105500 a arroba.
Cerveja Bass do fabricante Shlers & Bell a j
65500 a duzia e 640 a garrafa,
dem Bass do fabricante T. F. Ashea 650OO|
a duzia e 560 a garrafa.
.
dem marca H Yicloria Alsope e outras1
muitas marcas a 55 a duzia e 500 rs. al
garrafa.
Sabao primeira qualidade a 220 rs. a libra!
e2If> em caixa.
,Idem segunda qualidade a 200 rs. a libra e
180 rs em caixa.
.Sabao inglez superior a 180 rs. a libra e
161 rs. em caixa.
Caf primeira e segunda sorte a 75000,
75500 e 85 a arroba, e de 240 a 280 rs.
a libra.
Arroz do Maranhao 35200 a arroba e 100
rs. a libra.
dem da India a 25600, 25800 e 100 rs. a
libra.
P uTSSg*coraadr,;'' novos>a w.
^Dita^orabolachiuha de soda mui.o novas, a
aoetnshos ing,ezes de *"*>
r Chocolate,
uaixinhas com ameixas e..
PdweSf a lSm' 2*800 t Wo.
,L,iiocoiate superior m,i .,.-,
880 a 13000.
.Macarro.talhari
a 400 rs.
Gai0Xads'^taf:ra!,Ca'ali,,raa^".
Ditas dita em libras a 640 rs.
Sag a libra a 360 rs.
Rriha Para spaa libra' a 2i0 t.
Erv.ihas seccas, a libra a 160 rs.
jDitas descascadas, a libra a 200 rs.
Effi T,t0 nova-a libra a 280
'Pannlia de araruta
500 rs.
ameixas enlejiadas proprias
13200,2J800 e 3^200.
Bi'ior muito novo, a libra de
iam e aletria amarella, a libra
verdadeira, a libra a
a arroba a
aoiol verdadeiro a 19000 a libra Charutos Normas de Havana a 55500 a cai-
111 is a I500.
de (joiaba em caixoes de 4 e
. j vend
la casca
1 liiyvas seguro a 15^00,
' i i: \ peqtinos a 700 rs. e de
5 para cima a t?" 40.
dem secco em bocetas ricamente enfeitadas,
contando pera, pes^go, ameixa, rainba.
e outras frutas a 35000 cala urna.
dem em calda em latas feixadas hermtica-
mente mailo bem enfeitadas, contendo,
pera, pesego, ameixas e outras frutas a
640 c 700 a lata, tambera temos latas
grandes a 15200.
Marmelada dos melhores fabricantes, emla-
tas de 25000 a 15200.
! 1 era latas de I 1|2 libra a 15.
I de 0 em atas de 1 libra a 640 rs.
Ervilhas wn latas chogadas oeste ultimo va-
; ir a 700 e de 5" para cima a 640 rs.
Feij 1 rerde ou carrapalo era latas j pre-
parado a 640 rs.
A xas era frascos de vidro a 15500.
dem em caixinhas ricamente enfeitadas de
|A200a W500.
Conservas Siendo muito novas a 700 rs. o
frasco.
dem de ceblas simples a 700 rs.
afolad inglez a 640 rs. o frasco com rolha
de vi !ro.
Mostarda em p a 700 rs. o frasco.
dem j preparada a 320 rs
Latas com massa de tomate de 1 libra a
600 rs.
.km em latas de 1 1[2 libra a 900 rs.
Virhosem garrafas viudos do Porto, Madei-
ra Secca, Duque do Porto, Duque Semi-
no, Cascavallas, Mara Pia, D. Luiz, Pe-
dro V, Velho Secco, Lagrimas Doces, La-
grimas do Dooro, e outras muitas marcas
a 15 a garrafa e 05 a 125 a duzia.
dem Palmella a 15 a garrafa e 115000 a
duzia.
dem era pipa de todas as marcas Porto,
Figueira e Lisboa a 400 e 500 rs. a gar-
rafa e 25800 a 35500 a caada.
dem era ancoretas e 8 a 9 cariadas com su-
perior vinho Lisboa e Figueira a 245 a
3acocota.
dem branco expecial qualidade proprio para
iissa a 560 rs. a garrafa e 45 a caada.
dem mais baixo a 400 rs a garrafa e 35500
a caada,
dem do Porto especial qualidade a 800 rs.
3 garrafa e 55500 a caada.
Id m B-irdeaux em caixas a 75 e 700 rs. a
garrafa.
Cbarapanba a melnor do mercado vinda de
n issa encommenda a 305 o gigo.
dem mais baixa de 185 a 205 e 15500 e
:'> a garrafa.
Licores portuguezes e francezes .a 15000 e
; 5500 a garrafa.
Ma rasquino de Zara, verdadeiro a 15500 a
garra.
dem mais abaixo a 800 rs. a garrafa.
Genebra de laranja ver ladeira a 115 a du-
zia e 15 o frasco.
Ideai de lollanda verdadeira a 65 a fras-
queira e nao o frasco.
Idein de Hambur/o a 55500 a frasqueira.
dem em botigas de Hollanda a 400 e 440
rs. o frasco.
Garrafes com genebra de Hollanda com 24
garrafas a 85, com garrafo.
dem com 14a 15 garrafas a 65'
xa, de Simas (Jos Furtado).
dem Londrinos a 55, idem.
dem Parasienses a 45500.
dem Delicias a 15500.
dem Traviata do Rio a 55500.
dem varetas de Manoel Peixoto da Silva
Netto a 35500 e 15^00 a raeia caixa.
dem suspiros do mesmo fabricante a 15300
a mola caixa e 5,5200 a caixa.
dem mece:ipes a 15700 a meia caixa el
35000 a caixa do mesmo fabricante,
dem orientaos do mesmo a 15800 a meia
caixa e 3;!i0p a caixa.
dem jovens de Castanho de Fillio a 25400'
a caixa.
dem suspiros do m^srao a I5'09 a meia
caixa, e outras muitas marcas de fabrican-
tes.
Passas muito novas a I ?500 o quirto e "5
a caixa de urna arroba hespanhola e 320
a libra.
Vermule bebida para abrir a disposicSo de
comer a 15500 a garrafa e 145000 a
caixa.
Alpista muito novo a 35800 arroba e 140
a libra.
Painco a 45000 arroba e 140 a libra.
Peixe em latas j preparado a 15200 a lata
e em porcao 15000.
Sardinhas de Nantes a 400 a lata.
Tijollo para limpar facas a 160 rs.
Esparmacete a 600 a libra e em caixa a
580.
Vellas de carnauba a 12 e 105000 a arroba!
e 360 a 440 rs a libra.
Azeitonas de Lisboa muito novas em anco-1
retas grandes a 15800 e a 400 rs. a gar-
rafa.
Balaios do Porto muito grandes proprios
para guardar roupa suja a 25500, 35000
e 45000
Batatas em gigos de 31 libras muito novas a
800, e a 40 rs. a libra.
Gomma em paneiros a 45000 arroba e 140
a libra.
Farinda do Maranhao muito alva e nova a
240 a libra.
Sjvadinha de Franca para sopa a 200 a li-
bra.
Sevada muito nova a 140 a libra e 45000
arroba.
Caixas com estrelinha, rodinha e pevide a
400*a libra.
Alhos em canastras muito novos e maunfas
grandes a 180 e 200 rs cada urna.
Canella muito nova a 15000.
Cravo muito novo a 500.
Cominho idem a 320.
Ervadoce idem a 400.
Alfazema flor a 240. *
Amendoas a 400 a-libra.
Nozes muito novos a 160 a libra.
Papel grev~ 45200 a resma,
dem lizo a 45000.
dem de pezo a 35000.
Idem de embrulho marca grande a 15200 e
15300.
dem azul ^yira botica a 25000.
Copos lapidados a 55500 e 500 cada um.
Palitos de denles, macos grandes a 120 e
160 cada um.
Fumo americano de cbapa, de superior
qaalidade a 155Q0alibra, em porcSoter
abatimento.
Vinho verde superior.
A caada a 33000 e a garrafa a 400 rs.
Gomma.
Saccas de 4 arrobas, a verdadeira de se
enzommar, a arroba a 33000 e a libra
120 rs. *
Sabao massa, a libra a 200, 240 e 280 rs. g
Farioha. "/."^.
Saccas grandes com farinha de Goianna mui-.:ffi
to nova, a 53000. -^
Caf. a
Caf do Rio muito superior, a arroba a 83, V^
83300 e 93000. 505
Cha. fto
Ch.temos oestes generoso m jlhor Possivel,QNK
hyson, a libra a 23600.
Dito perola a 33000.
Dito uxim a 23700.
Dito hvson muito fino a 23800.
Dito redondo a 23b'00. fj
Dito preto de primeira qualidade a 23500. gs
Dito mais baixo a 25000 e 13600.
Erva mate.
Encllente cha medicinal, a libra a 240 rs.
Espermacete.
O masso com 6 vellas de espermacete a 600,
640 e 720 rs.
Passas.
Caixas de 16 e 8 libras de passas novas pro-
prias para mimos a 45 e 23300.
Nozes.
Nozes, a libra 160 rs. e arroba a 43000.
Alpista e painco.
Alpista e painco, a arroba 43000 e a libra a
160 rs.
Cartas.
Ar*Zt^ Marannao. em sacco,
23400 e a libra a 80 rs.
bra aoars JaVa' a,TOba 3;3i0 e a "' Cus naas Para m*T- a duzia a 25500'
Toucinho de Usboa a 9*500 a arroba Castanhas.
rs. a libra.
?D260ersSaatS' 3 arrba Um e a llbra a
|.Molbos com 125 ceblas grandes, a 11280.
pSS eza>caixa com 2 duziasa
RtF"S400 c?m mostarda preparada em vinagre,
tMOe 800rserVaS 'ngleZaS 6 francezas'a
8d,ios com sal refinado fino, a 640 e a 500 rs.
f> Soo"1 verdadeira 8enebra de laranja, a
gDitosi de 2 garrafas de Hollanda verdadeira.a
r o40 rs.
hB<400$ Cm dUa PrPrla Para neocio'a
)Garrafoes com 2 galoes cora dita, a 65-
nServeja boa, marca, a 500 rs. agarrafa, e ai
2 duzia a 6j}000. i
fVinho moscatel de Setubal, a carrafa a 13.
. Marrasqiiinho verdadeiro, frascos a 80C rs. e
Jj a 15200.
OChampagne, a duzia 205000, e a garrafa a
g Azeite refinado portuguez e francez,a garrafa
r a 15000.
.Caixa de vinho Bordeaux muito superior, a
R 75, 85, 95 e 105 a caixa.
JDitas com dito branco, a 75 a caixa.
5 Ditas com dito lacrimas do Douro verdadeiro
h a 205.
"Ditas com duque do Porto verdadeiro,^
* 185000.
sDitas cora chamissn superior, a 145.
'Ditas com Porto velho e outras muitas mar-
cas, a 125.
>Vinho do Porto da pipa, a garrafa a 640, 720
f e 800 rs.
.Dito de Lisboa rauito bom.acanada a 35200,
k 35300 e 43, e a garrafa a 500 e 560 rs.
Dito da Figueira, das seguinies marcas (N.)
Jj A-A-) (J. L. G.) (O. M.) a caada a
) 45o00, e a garrafa a 560 e 640 rs., deste
l que j est engarrafado e lacrado cora o
rotulo do armazem.
iDitosde marcas maisdesconhecidas, acana-
da a 35500 e 43000, e a garrafa a 480 e
520 rs.
.Vinho branco fino, agarrafa a 640 rs.
[Dito de caj muito superior, a garrafa a
I 800 rs.
e a 320 Castanhas novas vindas neste vapor, arro-
ba 45OOO e a libra a 200 rs.
Azeitonas.
Barris com azeitonas novas a 15500
Manteiga.
Manteiga superior, a libra a 15280.
Dita mais abaixo a 15200.
Dita menos superior a 15
Dita franceza nova, a libra a 880
Dita dita era barris e meios ditos, a libra. a;
850 rs.
Dita para tempero a 400 rs.
Queijos.
Qneijos novos vjndos neste vapor a 23800 e
35000.
Ditos londrinos rauito novos, a libra ar
15000.
Papel.
Papel almaco pautado, a resma a 43800.
Dito dito lizo de linho, a resma a 43500.
Dito de peso lizo e paulado, a resma
25500.
Dito de embrulho, bom a 13 e 13200.
Vinho Hade ir a.
Garrafas com o verdadeiro vinho Xerez e Ma-}
deira a 13500 e 23000.
Temperos.
Folhas de louro, pimenta do reino, cominho
e cravo, a libra a 400 rs.
Velas de carnauba.
Massos com 6 velas de carnauba refinada a
480 rs.
Amendoas.
Amendoas com casca, a libra a 320 rs.
Doce.
Caixoes de doce de goiaba, grandes a 13400 i
e pequeos a 640 rs.
Tijolos de limpar.
Tijolos de arear facas a 140 rs.
Graxa.
Duziasde boioes de graxa n. 97 a 23000, e |
de latas a 13000. e os boioos a 240 rs. ca-|
da um, e as latas a 100 rs.
Charutos fiaos.
Charutos finos dos melhores fabricantes da
Baha por diversos precos, caixas e meiasi
DE
AZEVEDO FLORES
Roa da Cadeia do Necife, esquina da Madre de Den.
balOes
Os ricos bales de arcos de 35, 45 e 55
Baloes de arcos para meninas de 2 a 12 annos a 25 e 25500.
Balites de pa: no para meninas a 35 e 35500.
Chapeos de s-1.
Os afamados e bem conhecidos chapeos de sol com 12 asteas a 85.
Ditos maiores com 16 asteas a 125-
Tapetes.
Grandes e pequeos tapetes com ricas estampas para sof
Chitas.
Chitas largas a 240 rs. o covado.
dem escuras unas a 320 rs. o covado.
Camisas.
Superiores camisas a 25500.
Camisas com peito de (r, e todas brancas a 15800.
Ha muitas outras qualidades com peito de esguiao.
Casemiras.
As modernas casemiras de qnadros, chegaram.
Roupa eita.
Ha completo sortimenlo de casemiras, de brim branco e de cores.
Colleirinhos.
Chegou nova remessa de colleirinhos de papel de cores e branco?.
Tambem ha completo sortimento dos de esguiSo.
Calcas.
Calcas de superior brim pardo a 25500.
Cambrala branca.
Superiores cambraias brancas a 55 e 75 a peca.
Cambraia branca para forro a 320 e 400 rs. a vara.
Cuas.
Las de bonitas cores a 4 0 rs. ao covado.
dem para luto a 560 rs, ao covado.
A QEM NOS LER
Todas as semanas reformamos o nosso annuncio, annunciando ao publico novas
fazendas e novos precos e nao como muitas pessoas sup;e sempre ser as mermas fa-
zendas.
MCHiMSEPATW
de trabalhar ao para
descarocar aigodo
FABRICADAS
Por Plant Brothers & C
OLDAI
Estas machinas
poderadescaro;ar
^ qualquer especi
"de algodao sen
estragar o lio.
sendo bastante
duas pessoas pari
otrabalho; pd.-
descarocar um*
arroba de algo-
dao em earocc
em 40 minuto*,
ou 18 arroba
por dia ou 5 ar-
robas de algodat
iimpo.
Attencau.
Grande liquidac5o he fazendas e roopas fe-i
tas nacionaes.
Rna da Imperatriz n. "i, toja e armazem de
Gnimaraes & Irmao.
Os proprietarios dme novo esubelerimenio re-
ceberam pelo ultimo vapor francez am graade *or-
tiraento de laasinhas escocezas, padroes muito bo-
nitos, que esiao vendendo pelo diminuto preco 4e
240 o covado; mniio barato t
Laninhas a 210!
Laasinhas a 240 ??
Laasinhas a 240 IR
Ra da Imperalriz n. 72, lja e armazem de
Gnimaraes & Irmo.
Tambem roeeberam um grande sortimento de
colchas de fusio que eslo vendendo por 53500 e
5f-,as.de chila **" e **. dilas de lia a
15o00 e 23, grande sortimento de cambraias braa-
5 M20. 3*500 e 43, ditas moilo fina a
45o00, 53 e 5, dilas de salpiros branro a 45."0u
e SivOOO : isto na loja e armazem de Gnimaraes
4 Irmao, ra da Imperalriz n. 71
Chitas largas a 240. 260, 280, 300, 3201
Chitas largas a 240. 260, 280, 300, 320!
, Cbilas largas a 240, 260, 280, 300,320'.'.'.
E muito barato, pecas de bretaona de rolo con
Assim como machinas para serem movidas por
animaes, que descarocam 18 arrobas de algodi 116 varas a 35 e W200,~diFas demadapolo rom"l
Ump, por da; e motores para mover urna, duas, I Jardas a 45300 55, 65, 63500 e 73. mnim fino a
eutrjs dessas machinas. a 93, madapoln francez enfeslado rom 12 jarda'
Os mesmo.stem para vender um bellissimo va-
por que pode fazer mover seis destas machinai
mencionadas; para o que convida-se aos Srs.
agricultores a virem ver e examma-lo, no arma-
zem de aigodo, no largo da ponte nova n.47.
Sauuders Brolhers&C.
IV. II, praca do Corpo Santo
REGIFE.
Os aicos agentes neste paiz.
Coke do gaz.
IM te it do gaz.
Alcatro do gaz.
tonelladas rs. .
caixas.
E grande quantidade de gneros tendentes
estes estabelecimentos, eme deixam de an-
nunciar-se.
105000
805000
400
N. 11Roa do QueimadoN. 11
LOJA DE FAZENDAS DE
Augusto Frederico dos Santos Porto.
Chegou a este estabelecimento am grande sortimento de cortinados bordados para
camas fazenda de muito gosto.
Chales de guip maito tinos para 223,253 e 305.
Golias de seda superiores de diversas cores para camas de noivas.
Colxas de lia o seda para cama tambem de bonitas cores.
Hotondes de guip enfeitados com o melnor gosto.
Setira de Pars bella fazenda e de bonitas cores para vestido a 700 rs. o covado.
Honreantlqae branco e preto, grosdenaple preto e de cores, pannos pretos de todas
as qualidades, ditos azues.
Casemira preta e de cores, merino preto, silistrioa, bombazinas, alpacas pretas, e
lia preU para lutos.
Malas, saceos e boleas de tapete, vernii e couro de 45 a i 15.
Bros de lioho de cores fios a 13800 a vara.
Chapeos e chapelinas de palha de Italia para senhora, manguitos bordados, chapeos
de seda para homem, chapeos de sol de seda, asgniio da linho, cambraia de linho, breta-
nhas, silesias e muitas outras fazendas que se veadera por comandos pregos assim como
tambem
Esteiras da India para forrar salas
Coke
Pitch
AlcatrSfo caada.
O coke reconhecidaraente o carvao mais econ-
mico, torna-se por isso recomraendavel, bem co-
mo pelo asseio que se oota as cozinhas aonde
alie usado. Pitch e alcatro.alra das applicacaes
diversas a que se prestam, como para callafetar
embarcacoes, alcatroar madeiras,etc.,teem este a
propriedade de preservar do cupm, formigas etc.
E1 entregar na fabrica dogaz ou mandado por em
qualquer ponto da cidade, segundo a vontade do
comprador.
Instruyes para o servido
das guardas do exercito, extrahidas do re-
gnlamento de infantaria e accommodadas ao
exercito brasileiro; obra que muito convm
aquellas pessoas que se alistara nos corpos
de voluntarios; vende-se na livraria n. 6 e
8 da praca da Independencia, a 13.
Farinha de mandioca :, tem para vender Au
tonlo Lniz de Oliveira Azevedo & C, no sea es-
criptorio ra da Craz a. L
Vende-se
am balco de pinho com am flteiro pequeo : na
ra da Penha n. 2.
a 33200, 33500, 43 a 45500, chales de merino i
5*P?*E a 2*' ii:m e **. di,* """'o finos a
65 e 65500, cortes de casemiras de cores e prelas
pelo diminuto preco de 23500, 33, 33500 e 43.
ditas mailo finas a 55, 55500 e 65. grande sorti-
mento de roupas feitas de todas as qualidades e
preco que s vista dos compradores que se
poder dizer o preco, afflancando que vende-se
por menos 20 0|0 que em oolra qoalqner parle
isto na roa da Imperalriz n. 72, loja de Gaimaraes
& Irmu.
Vende-se urna burra de ferro grande
em perfeito estado e por commodo preco :
na rna do Apollo n. 20.
Vinho* do Porto
das melhores marcas, em caixinhas de nma duzia
de garrafas para casas particulares, sendo : Lagri-
mas do Douro, Duque do Porto e D. Luiz ; tambem
tem ancoretas de dcimo encapadas com superior
vinho, barris de 5" e 10 era pipa : na ra do Vi-
gario n. 19, primeiro andar.
Admirem a grande liqui-
dado
De caadieiros a gaz por todo preco a
grosso e a retalho.
Roa da Imperatriz n. 11.
Vende-se
farelo de Lisboa em sacras e barricas, e sarcos
com superior farinha de mandioca, mais barato do
que em outra qualquer parte : na roa do Vigano
n, 17, primeiro andar.
1/L'CASrVIDROS E
CHRYSTAES.
A loja de lonca da rna do Crespo n. 16 ten para
vender qnantidade de azulejos de lindas e variadas
cores, assim como loucas de todas as qnilidadu,
de bonias pinturas e gosto moderno, reos appare-'
Ihos de porcelanas brancas dooradas e de cores,
vidros de todas as qualidades, inclusive Itobsia
chrystal, dilicados jarros de ehrysial e porcelau
para flores, figuras e ouiros mnilos objeu de f-
nissima porcelana denominada biscoito para en-
feites de mesas, tic, guarnieres de finissima par-
celana branca douradas e de cores para lavatorio*
e toaletes, ludo do melhnr gosto, piabas de loara e
vasos para jardim, candietres de lamparinas para
gaz, globos e chamineis de vidio, borraea e loda*
os mais sobredientes para os mesmos, gaz liajawdhi
de superior qnalidade, e muilos oatros artigas aae
' serla enadonho mencionar, todo por precos bmi-
issimos razoaveis.
Chegaram os superiores
cortes de seda.
Superiores cortes de seda 4a cor, viadas pala
ultimo vapor francez : na loja das coiomaas a n
do Crespo n. 13, de Antonio Crrela de Tasen
cellos A C_________
Vendem-se dnas casas ternas, p
chaos proprios, sitas na roa Imperial,
te paro a va frrea, tem cacimba, e
de 1 0/0 ao mez : a tratar na rna da
numero 21.
Vende-se nma eserava moca coa
de 18 mezes, por precio, sabe lavar e
mar : os pretendiles dirijam-se a roa 4a
31, primeiro andar.
:
L_


Diarto de rer*auil>uet safcfeado de lulho de istt*.
0
GERENTE
AO PUBLICO
Mem o menor constran-
g I ment se entregar
importe do genero que
nao agradar.
ATTENC&O
GRANDE
os precos da seguate
^ i todo*>pc 4kN.\ZtN MU' DOS
Pharol do commercio
Kua do Baugel u. 73.
dendo asslm servir de ba-
se para o ajnste de conias
coa os portadores.
m
ESTABELECIDO A RA NOVA N. 60
Mfi lUMTil 3)1 S)l MMIUSl
AO
RA DA CADEIA DO RECIFE N. 53
(Logo passando o arco da Concelcao)
PARA BEM DE TODOS.
Senhore* v r.hora, o aceio que presidio aos arranjos deste novo estabelecimento, e mais que ludo a promptidao e intei-
0 proprielario deste eMabelem ..
ra de avisar aos seos Ihaaaai qi.r V? un a ira
de redurco nos presos de seos gdur oe aria
ra quaiidade : manojea ingleza |j P .';sor a
libra ta ultima chegada ao sana i ib
franreza a 900 rs. e em barril m : *.
queijfs flamengos novo a 25300, iin [ v
se pode desejar ro hendade a 8M) r. a rr*
ameba fiann-ias raisinsai l-:.n. ;-
I5&00, irados de ditas 15400, grai. para mimos, marmelada das nHl.r.- narran
640 rs. a libra, amendoas roa*, ii... i ara i un
de S. Joao a C40 rs., vinho doPort-> a t.';i 75Sr
a garrafa. Figueira Lisboa 400, M :rn ':-.. e
ero caada se faz o ahatfawala, raijas d- ''
com 2 arrobas por3f5M)e a libra H> r- savSI
rafe soile 7*800 e 7fi2(.( e .- libra ;, -.',( *
bolarhinha ingleza a Si 0 r?. a lil rn, |. n :" r"
KESPEIT IVEfi PUBLICO*
A apreciado dos habitantes desta heroica provincia existe no grande arma-
zeas da Liga estabelecido ra Nova n. 60 um magnifico sortimento [de molhados,
que sendo em sua raaxmi. parte mandados vir directamente do estranguro^odem ser eza cora que serlo tratada?, ,*ivida a urna visita ao mesmo, certos de que sem duvida me darao a protecc5o e preferencia na com- Ta. ZL KS'.'sS r:" "": T
vendidos por precos asss razoaveis. |rra dos *enfT ^e Pasare* e quando n3o possam v.r poderao mandar seus portadores, anda que estes sejam pouco praticos, gur/a 00 rs aipi'Ia ;" ajato"JXHTt .
Sem a fatuidade de querer que este novo e interessante estabelecimento seja o roisser3o tifo Dem servidos como se viessem pessoalmente, havendo para com estes toda recommendacao, afim de que nao vo em -Usa, psjsco a la fita t M r. ata, Vi
primeiro e nico em seu genero, pde-se porm affiancar, com toda a segurancade que P tra rsr,P- n.a 23300, 25700 e S58O0, fraria* n. -, j>j
Minieiga ingleza especialmente escolhida a AAetria, macarriio e talliarim a ioo rs. a li-
l,ooo e 8oo rs. a libra e em barril se faz
abatimento.
Idemfrancezaa mais nova do mercado a 96o
rs. a libra e 900 rs. em barril ou meios.
Cha hysson de superior quaiidade a 2,600
rs. a libra.
bra e 6,oooa caixa.
Massa para
3,5oo a caisa com 8 libras.
Vinho do Porto muito lino proprio
para
nenhum outro o exceder no restricto cumprimento das seguintes promessas:
1/ Delicadeza no trato.
2.; Fidelidade no peso.
3/ Sinceridade nos precos.
As pessoas que por sua posc5o social gozara de certo tratamento, acharao nesta
casa os melhores queijos londrinos, cerveja, vinhos inissimos manteiga e cha sempre de (jDj peroia o mais superior do mercado a
primeira quaiidade. etc., etc. 2,8oo rs. a libra.
Qualquer que seja a condicJJo do freguez, elle deve contar que ser sempre mui- jdem hysson muito superior em latas de 15
to bem servido. libras muito proprio para negocio a 2,ooo
Aquelles que sao pouco favorecidos da sorte faro mensalmente urna economa de rS- a libra.
omitas patacas, afreguezando-se nesta casa, onde se lhes vender o arroz, o caf, a man- iem hysson nacional em latas de 1 e 2 li-
teiga oassucar, etc., etc. de boa quaiidade pelo preco que em algumas partes nao po- Dras a i 6oo rs.
dem ou nao querem vender. dem prel o que se pode deseiar neste ge-
Os senhores de fora da cidade, dos arrebaldes ou centro, que compram para ne-1 nero a g 000 g 200 rs a iiDra,
gociar, devem vir, pelo seu proprio interesse, a este estabelecimento para se convence-, Linguicas'muito novas a 8oo rs. a libra eenv Vinho~do Port das meilores" marcas que
rem do quanto se pode veader barato. .........._____| barril se faz abatimento. vem ao mercado como sejam : Lagrimas
cai Pfin,i ., 640 a lata, gomma a 100 rs. a libra r SMM ar-
sai rennauo em frascos de vidro com Umpa roba, boUishoi lagteXM lata de i iiira- a um
n mesmo, a 500 rs. ditos de soda grandes ||SJM e oiilr.... r ai- pm>
do
issa para sopa : estrelinha, pevide e rodi-'. Cerveja branca das marcas mais acreditada* rosque se lcrna <3>rt> ssfr. o, roM-
oha branca ouamarella a 64o rs. a libra e, que vem ao mercado a-5oo fio e fin i?/-'? f 'Sra r(lt,cl'J.ut,f'i> A-'^ii hjms^
3,000 a caixa rom 8 lihra ? mmJSk a V *&0'Ab0. e V S"ranl.ndoa rcl..lado .,ne tratar.
a garrafa, e o,8oo, 6,000 e6,5oo
zia.
Vendemse paimeiras impr-nar, m :t
engarrafar, em ancoretas de f/canadas a Gevadinha de Franca muito nova, a 2oors. ^^S^^'^wSSJ!^^
rs- ; Charutos do affamado fabricante Jos Furta-: ^12!:_______________
do de Simas das seguintes qualidades:
Exposico Normal de Huvana. Imperiaes,
Vinho em pipa: Porto, Figueira e Lisboa a
32o, ioo e 5oo rs. "a garrafa, e em caada
a 2,5oo, 3,ooo e 3,8oo.
Vinho branco de Lisboa de excellente quaii-
dade a 4oo e 5oo rs. a garrafa e em cana-
da a 3,ooo e 3,5oo.
Vinho branco para missaemcaixas de 1 du-
zia a 8,ooo e 68o rs. a garrafa.
Para os senhons que compram para tornar a vender existe um sortimento i'spe- chourifas e paios a 8oo rs. a libra.
cial, escolhido por pessoa entendida que certamente muito deve agradar aos senhore^ costelletas inglezas a 64o rs. a libra, serve
compradores. para temperar panella ou para fiambre.
Nao se lem poupado sacrificios, nem se deixar de fazer a diligencia para agr-. Queijos do rein0 Cega(]os neste ultimo va-
por a 2,2oo rs., ditos de navio devella a
dar a todos.
pelos seguintes precos s se vende
a dinhEiro a" vista:
| Graixa em latas, muito nova, a 80 rs. cada
A
ALPISTA a 120 rs. a libra.
dem e painco de oito libras para cima a
100 rs.
Arroz de 90 rs. a libra a........
Ame.ndoas, casca molle, a 280 rs. a libra.
Avellas a 240 rs. a libra.
Ameixas francezas em latas de todos os l-
mannos.
dem idem em potes de lodos os tamanhos.
dem idem em hcelas de todos os tama-
nhos.
dem idem em frascos de todos os tama-
nhos.
urna.
2,ooo rs.
dem londrinos muito frescos e de superior
quaiidade a 8oo rs. a libra,
dem prato a 8oo rs. a libra, e inleiro se faz
abatimento.
do Douro, Duque do Porto, Rainha de Por-
tugal, Duque genuino, D. Luiz 1, Madei-
raSecca, Malvazia fina a 16,ooo, 15,ooo,
12,ooo e I o,ooo a caixa com 1 duziae9oo,
1 ,ooo e 1,5oo rs. a garrafa.
Vinho Cherexde superior quaiidade a 16,ooo
a duziae l,5oo rs. a garrafa.
Sardinhas de Nantes a 4oo rs. os quartos e
64o rs. as meias latas.
[ Bolachinhas inglezas muito novas a S,ooo a
U
KIRSCH de Wasser a 2 a garrafa.
LATAS com graixa a 80 rs. cada urna.
Letria a 400 rs. a libra

demos por 10280 a lib a, vende-se em
outra qualquer casa por 10400 e 1$500.
Marmelada dos mais acreditados fabricantes.
Azeite doce de primeira quaiidade a 560 rs. | Macarro e talhaium a 320 rs. a libra.
a garrafa.
Almos a 200 rs. o moldo.
Arsyntho a 2000 a garrafa.
B
BOLACHINHAS do Beato Antonio em latas
grandes e pequeas.
dem do Principe Alberto a 25000
de cinco para cima a 1^800.
dem de soJa em latas grandes a 2000 e
de cinco para cima a 1300.
Biscoitos inglezes de todas as qualidades a
10200, l:>250e 10300.
Bolo francez em caixinhas a 300 rs. cada
urna.
Batatas inglezas.
Ba.mia de porco refinada.
C
CHOCOLATE francez a 700 e 800 rs. a li-
bra, e em porco a 600 e 700 rs.
dem suisso a 10 a libra.
dem de musgo a 10500 a libra.
Ciiouricas muito novas a 800 rs. a libra.
Caf a 240 e 260 rs. a libra, e em porco
se far abatimento.
dem de primeira quaiidade a 70000 a ar-
roba.
Conservas em ft ascos a 320 rs. cada um,
sao muito novas
dem inglezas, fiscos grandes.
Champagne de todas as marcas.
Charope de grosella, orchala, etc., etc.
Chicaras e pires a 10800 a duzia.
Cerveja da superior marca Tenente a 500 rs.
a garrafa, e em duzia se faz grande aba-
timento.
dem Victoria Bas tres X e de outras marcas.
Charutos das mais acreditadas marcas, co-
mo sejam : Normas d'Havana, Exposico,
Flor do Brasil, Parisienses, Delicias, Gua-
nabaras, Trovadores, Regala, Mississipes,
Panetellos, Apraziveis, Varetas, Brasilei-
ros, Americanos, Fluminenses.
Ca de todas as qualidades e de todos os
precos, hysson, huxim, aljfar, preto, e
preto ponta branca, etc., etc., a 20000,
202"O, 20560 e 20800.
Copos lisos de todos os tamanhos de 120 a
320 rs.
dem lapidados de todos os tamanhos a du-
zia a 20500, 30500, 40 e 50.
Clices de todos os tamanhos.
Cognac superior a 10 e 10500 rs. a garrafa.
Cigarros do Rio, pardos, a 80 rs. o maco
de cinco macinhos.
Massa de tomate a 600 rs. a lata.
Mostarda ingleza a 800 rs. o frasco.
Molho inglez de todas as qualidades.
Marrasquino verdadeiro de Zara a.....
Massas finas para sopa branca e amarella a
60 rs. a libra, em caixas com 9 libras a
a lata, e! 30500.
Milho painco e alpista, sendo mais de 8 li-
bras a 100 rs.
m
NOZES a 120 rs. a libra.
Nabos em latas a 800 rs.
O
Ostras inglezas e americanas.
P
PEIXE em posta, latas grandes, a
dem suisso o mais superior que tem vindo ] barrica e 320 rs. a libra.
ao mercado a 64o rs. a libra. Bolachinhas de soda em latas de diversas
Ervilhas e favas portuguezas j preparadas qualidades a 1,3oo rs.
em latas hermticamente lacradas a 64o. i Cartees com bolo francez muito proprios pa-
Feijo verde muito superior a 640 rs. a lata.! ra mimo a 64o rs.
Copos lapidados para agua a 5,ooo e 5,5oo Passas muito novas em caixinhas enfeitadas
rs. a duzia. para mimo a 3,ooo rs.
nn!ii;ia u A??! p:ImK,ra IIdem idem Pa^ vinho a 24o rs., e 2,4oo rs., Passas de carnada a 8,ooo a caixa e ioo rs.
quaiidade a 10 10120 e 10280, em bar-, a duzia ,ibra
iLm!c Lf 3f San h". L*J1; Chocolate francez hespanhol e suisso a 9oo,; Figos de comadre a 24o rs. a libra.
l,ooo e l,2oo rs. a libra. Amendoas de casca mole a 4oo rs. a libra.
Espermacele superior a 6oo e 64o rs. a li- Milo de amendoas a 5oo rs.
bra e em caixa se faz abatimento. Bolachinha d'agua e sal, da fabrica deJoo
Peixe em posta em latas hermticamente la- de Brito no Beato Antonio, em lata de 6 li-
cradas e das melhores qualidades de pei-! bras por 2,5oo rs.
xe a 8oo, l,ooo e l,2oo rs. Ameixas francez s em Tasco de vidro com
Vinho Bordeaux das marcas mais acredita-, lampa do mesmo, a 105oo.
das que vem ao nosso mercado a 7,oooe Ameixas franc zas em raixinbas de diversos
8,ooo a caixa e 64o e 7oo ris a gar- tamanhos com bonilas estn pas na ca-
rala, xa exterior, a 1,4o), l.fioo, l,8ooe 2,ooo
Genebra de Hollanda a 48o rs. a botija de cada urna.
conta certa. Azeite doce refinado hespanhol ou portnguez | Champagne da melhor quaiidade que vem
Frasqueirasde genebra de Hollanda a 6,8oo a 9oo rs. a garrafa e lo:ooo a caixa. ao mercado, a 2,ooo e 3,5oo a garrafa, e
e 64o rs. o frasco. I Batatas muito novasa 8o rs. a libra e2,5oo 24,ooo e 26,ooo o gigo.
Genebra de laranja verdadeira em frascos o gigo com 36 libran Gomma de engommar muito alva a 12o rs.
grandes a l.ooo e 11,ooors. a frasqueira. Conservas inglezas a 75o rs. o frasco e a libra.
Caf do Rio de Ia quaiidade a 28o rs. ali- 8,5oo a duzia. Figosem sextinhas a 8o rs, cada urna e 72o
bra e 8,5oo rs. a arroba. Vassouras- de escova para esfregar casa a rs. a duzia.
1-St.OO riA Cafdo Ceara rou'to superior a 24o rs. ali- 4oo rs. Papel azul para botica a 2,ooo a
bra e 7,5oo rs. a arroba. Nozes muito novas a 16o rs. a libra.
vana,
Londrinos, Guanabaras, Parisiense, Sus-
piros Delicias, a 4,ooo, 4,5oo, 5,ooo,
6,ooo e 7,ooo a caixa ou em meias.
Charutos finos de diversas marcas e fabri-
cantes, como sejam: Flor do Norte, Ma-
nilhasde Havana, intervallos,Vencedores,
Panatellas e Suspiros, a2,ooo,2,5oo e
3,ooo a caixa.
of>nac inglez das melhores martas, a Soo e
l,2oo a garrafa.
Doce da casca de goiaba a 2,ooo a lata com
4 libras.
Farinha de araruta verdadeira a 32o rs. a
libra.
Matte,excellente cha para os navegantes, a
2oo rs.
Sebollas de Franca muilo grandes e novas
a l,8ooo cento e l,2oo soltas.
Palitos do gaz a 2,2oo a grosa.
Toucinho de Lisboa muito novo a 32o rs. a
libra e 8,5oo a arroba.
Banha de porco refinada a 65o rs. a libra.
Bolachinha Alberto, as melhores que pre-
sentementetem vindo ao mercado, a 2,ooo
a lata.
Farinha do Maranhao muito alva e cheirosa
a 2oo rs. a libra.
Frascos com fructas em calda de diversas
qualidades a 2,Soo e l,5oo o frasco.
Caixinhas com fructas em doce secco de di-
versos tamanhos, muilo proprias para
mimo, a l,6oo, 2,6oo e ;*,5oo cada urna.
Ruibos, excellente peixe portuguez, em
barris pequeos ou a retalho, a vista se
far o preco.
Azeitonas de Rivasem ancoretas grandes de
8 garrafas por 6oo e 8oo rs. a garrafa.
Azeitonas portuguezas a ooo rs. a garrafa e
l,5oo cada urna ancorela.
Fio de algo dio da I rhla.
Vend fse no escritorio de Amcni. Luu .,- Oii-
veira Azevedo & C. rua da Crnz n. 1.
Potassa da RasiT
moito nova e superior : v.-nde-se m tWfhlBA
de Manoel Ignacio de Oliv.-ira A Fi:hn, rao do
Corpo Sanio n. 19.
Ven dem-se
machinas americana;- de serrotr para inc:,r>car
algortao : pa rua da Senzala Aova o. U.
Sao pcueas.
Chitas francezas largas rom papwi to'ine de
I mofo, sem ser avaria, cores fijas, a 240 rs. cota
! do : s na rua do Queimado n. 17, ao p da tort-
ea. Do-se amostras.
Acha-se
todas as qualidades, como sejam savel,,. d ,,
goras, corvina, pargo, salmao, pescado e
pescadinha, linguado, sardinha. etc., etc..
Peras em latas, excellente preparaco.
Palitos para dentes a 120 rs. o maco muito
grande.
Passas em quarlo a 10400.
dem muilo novas a 400 rs. a libra.
Pomada muito nova a 280 rs. a duzia.
QUEIJOS flamengos.
dem prato a 800 rs. a libra,
dem suissos a 800 rs. a libra,
dem londrinos a 800 rs. a libra.
Quartinhas ou morinques a 60, 80 e 100 o
par.
R
RAPE' Mearon a 10 a libra,
dem Princeza do Rio a 10200 a libra,
dem francez a 20500 a libra.
0
SABO massa a 160 rs. a libra, em caixa se
faz abatimento.
Sal refinado em frascos a 500 rs.
Salame de Len a 2??.
Sardinhas de Nantes de todos os fabricantes,
dem de Setubal em latas muito grandes a
720 rs.
Stearinas a 600 rs. o maco.
T
TOUCINHO de Lisboa a 320 rs. a libra.
Tomate em latas a 600 rs.
Tinta azul e preta para escrever.
V
VINHOS!!!
de V
. lalidade a loo Molho inglez em garrafa de vidro com rolha
rs. a libra e 2,8oo a arroba. do mesmo, a 16o rs.
dem da India a loo rs. a libra e2,8oo a Mostarda ingleza dos melhores fabricantes,
arroba. I a 8oo rs. o frasco,
dem de Java a 8o rs. a libra e 2,4oo a ar-. Mostarda franceza em potes j preparada a
roba. 4no rs. o frasco.
Painco e alpista a 14o rs. a libra e4,oooa Lentilhas francezas. excellente legume para
arroba. sopa, a 2oo rs. a libra.
Massa de tomatesde superior quaiidade a 64o Marrasquino de Zara propriamente dito a
rs. a lata de urna libra e56o rs. a reta- 10 a garrafae ll.ooo a duzia.
Iho. Palitos de dente a 14o rs. o maco.
venda na livraria acadmica, na roa do lm.rr j
dor; pa do Sr. Nogniir*. jonio ao arc 6 .aa*.
Antonio ; e na lypi gr.-.phia imparrial. ra r" en-
trena do Rosario a cm-pilacao de toda a kfMfli
tendente admmistrarao, arrera. --:,!#-
sajo dos ditSelros de orpkSM Mfeafcn t uva-
tes, herancas Jacentes, legados, ele, .i,nler.t *.
s o regiment de cuMas e a lei geiai das rjera
coes, como tamheni ti das as orden> e tm>
govemo, que a ludo tem explicado, lano a r.
to das obrigaews inherentes ac cana dos SBMS
les empregados de insfca e faztrda. c BM .1 m -t-
reitos nacionaes e en.i.iunSM SJS* -3 devr*'.
Este livro cr riendo mais de 700 pag i i m ,
impressao e boa papei. e pmajaiM a sMkMB
de differenles classes. tornase m. n.n.^ooav!.
Seu custo OJOOe por cada exen.j.lar em loas
tomos.
Esclavos rveoft.
Escravos figidos.
Ao amanhecer do dia 16 do crrenle nwr ofi-
ram os escravos seguintes : ffeaaftm HHa de
ua^Ao, alio, chelo do c<>rpo. maiiT de '.t aaan,
Larba bastante rente, falla cuslosa, e fJBBBSj fr+-
nuncia as palavras, os labio? que .-o (<*&, ir.
mem alguma cousa, tem ko brinco ii< i,;i... PB.
tipios de camo.-idaile : Viris.-in... d.uii>. nm
pouco claro e algorra cou-a plido, i magro, itto-
ra regular, ttm manas de btStpi e cajaflai m
rosto, os dentes limados, as peinas nm n$umm
e largas cicainze.-. e anda como queo. i.b; b'.-bos
nos pes : quem os apprehender qne:ra leva-1* ao
seu senhor em a rua da Anrcra n. 'i. rtrto a
que sera bem recompensado.
Balaios para roupa saja, grandes e peque-
nos, por diversos precos.
Amendoas confeiladas a 64o rs. a libra.
Latas com fructas em calda: pera, pecego,
damasco, rainha Claudia e cereja, a 8oo
rs.
Vinagre de Lisboa a 2oo e 28o rs. a garra-
fa e a 1,4oo e 2,ooo rs. a caada.
Azeite doce de Lisboa a 4,8oo rs. a caada
e640 rs. agarrafa.
Vinagre branco engarrafado a ooo rs. a
garrafa.
Principe Alberto, de 1831, a 50000 a gar-
DOCES de todas anualidades : brasileiros, ya^ J%~:
portuguezes, inglezes, francezes, etc. etc. Lagrimas do Do9aro\ imo a garrafa.
E Duque do Porto verdadeiro a 20 a garrafa.
ERVILHAS seccas a 120 rs. a libra. Duque a 10 e 10500.
ervadoce a 400 rs. a libra. ;Chamisso a 10, 10200 e 10500 a garrafa.
i D. Luiz a 10 a garrafa.
v Moscatel verdadeiro de Selubal a 20 a gar-
FARINHA S8Sde 8 libras para cima a 120!Carrcafv'elos ,
rs. a libra.
Ilem de araruta a 320, 400,500 e 800 rs.
'igos de comadre a 160 rs. a libra.
FeuAo verde em latas a 600 rs.
Favas em latas a 600 rs.
Fumo do Rio a 500 rs. a libra,
dem americano em latas a 20.
Farello ha sempre era deposito de 500 a
800 saceos, de todas as qualidades, de to-
dos os tamanhos e de todos os precos.
RIVAL
SE2M MEGOlPO
Rua do Inclinado ns. 4 e 55.
Contina a veader todas as miudezas qne abaixo
declara por precos admiraveis.
Massos de palitos lixados para denles a 100 rs.
Espellios de molduras douradas a 200,240 e 320 rs.
Bonets de oliado para meninos a 15000.
Ditos de couro superior fazenda a 1500.
Frascos com superior tinta rocha a 240 rs.
Meiadas de linha froxa para bordado a 20 e 60 rs.
Babado do Porto, fazenda boa, vara a 80, 100 e
140 rs.
Varas de franja branca estreita a 40 rs.
Caixas com 100 envelopes, fazenda Tina a 600 rs.
Grozas de pennas de aro, fazenda superior a 500 rs.
Duzias de meias cruas encornadas para nomem a
3^000.
Grozas de botSes madreperola fios a 500 e
e 640 rs.
Caixas cora SO novellos de linha do gaz a 700 e
900 rs.
Caixas com superiores obreias de cola a 40 e 80 rs.
Pecas de fita branca elstica com 9 varas a 280 rs.
Varas de franja de laa para eneltes de vestidos a
40 rs.
Baralhos dourados superiores qualidades a 400 rs.
Novellos de linha com 400 jardas a 80 rs.
Litros para a,ssentos de roupa lavada a 100 rs.
Pares de botSes para punho, fazenda rica a 120 rs.
Tesoaras para costuras superiores qualidades a
400 e 1.
Caixas de pennas de calligraphia, fazenda boa a
1,5000.
Massos com superiores grampos a 30 rs.
Pares de sapatos de tranca e tapete a 1^500.
Pares de sapatos de tranca para meninos a i e
ijaso,
Caixas com superiores agnlbas a 240 rs.
Libras de laa sortidas de bonitas cores a 75OO0.
Caixas com superiores obreias de massa a 40 rs.
Rodinhas com alfinetes francezes muito superiores
a 20 rs.
Resmas de papel almaco a 22400 e 25800 rs.
Resmas de papel de peso Ooo a 25000.
Escovas para roupa, fazenda boa a 720 e 15.
Duzias de tesouras com toque de ferrugem a
600 rs.
Duzias de facas e garfos de cabo preto a 35000.
Vzeite doce
da Liga.
refinadoem pequeas latas a 560 rs. a garrafa : no grande armazem
Saceos de 80,100 e 120 libras a 40,40500 e 50 ; no grande armazem da Liga.
s3
m
mmmmm
ISVW
V"
'- '--* l'.v J I
PECBIft'CIIA S
rf.
-.-.
'@S
Fugio na noite de 19 para M ito rorrea*
mez, do sitio do Sr. Dr. ngulo F. ai Ohveira. aa
ponte de Orate, o seu f scrav de u-t |.i,, joa-
si que branco, lendo no roMo marra.-, de ivxigas
bem vislveis, cabello annelado. bailo, refurraao.
bem fallante, e de cerca de 28 aon< s de idati. *,
vou camisa de baca encarnada e ehari. de .-iba
novo, suppoe se qt<- vajaria nesta rtdarfe do Reei-
fe ou pelas suas cirrun;visir hanras : qoem o a#-
prehender e levar ao sobredi!- sino, oo ao aanfa>
lorio da prar;. do Corpo lasto n. 17. primeiro aa-
dar, ser genero-ameni- rarMapaaMa
Aviso aos capitaes de
campo
Ausenlou-se o escravo Jlanoei qae j foi escra-
vo do Sr. Joao Ferreira Taboza mttm do engeaao
Vertente da comarca de C. ruai. e drpois t
seu filhoJoao Ferreira latan Jnior rend-iro do
engenho Rede de Santo Anto.rojo escravo ten ss
signaes seguintes : alto, pouca bar'a, (alio e
dentes na frente e o melhor s gnal ler o priios
estufados para fera bem visirel qiem o pecar
leve-o a rua estrella do Rosario a. 5, qoe ser'
bem recompensado.
Fugio no dia 16 de correle a esrrava mula-
ta de nome Suzana, id.ri 40 anuos, mais oo mt-
nos, haixa, rheia do carpo, com falla de dente* a
frente, cabellos estirados, ievoo *e escora e panno da Costa : roga-se as aotoridaifai
policiaes e capitaes de campo sua captura a eaOt-
garem-na [iraca da Independencia ns. 14 e H.
Protestase contra qualquer pessoa qne a trata
acoutada.
Madapolao moito fino com pequea toqoe de avaria, por preco que admira : na loja _
das colomoas na roa do Crespo n. 13, de Aotooio Correa de Vas'coocellos t C. W/&>
Grande sortimento de roupas feilas de to-
das asqualidades,
Calcas de casemira a 65 e 75300, ditas pretas a
65 e 85, calcas de ganga a 25 ,15800 e 15600,
ditas brancas a 25, brim de linho a 35, 35500 e
45, paletots do alpaca branca a 45500, ditos pretos
a 35 e 35500, ditos de alpaca de cordao a 45, e
de listra de seda a 45300, ditos sobrecasacos a 55,
paleto de casemira a 55, 55500, 65, 85 e 95,
ditos sobrecasacos pretos a 125, 15 e 165, ditos A-1
nos a 255, de cores a 135, ditos fraques a 145,'
paletots de ganga a 35, 25500 e 25, ditos de brim
RUA *iOVA \. .,
i Pardo ? 3& i3"?L*_te iTlT pardo 35, panno acaba dft receber om lindo e magnifico sortimento
os Germano
ti,
Fogio em principios do mez de fevrreiro
correte anno e consta estar acontado nesta e
o moleque Euzebio, escravo da viuva do Dr. Fer-
nando Affbnsnde Mello, de 12 annos de idade ft^
co mais ou menos, cor preta, secco do rorro, oftat
regulares e afomagados, rabeca um pouco gras
e meia chata, beijos finos, denles bem alvo, p
seceos e muito ladino : rogase por unto a todas ai
autoridades policiaes e capiles de raoipo que oaa-
prehendam e levem-o a roa da Mangn ra soferas
n. 6 que sero gratificados, orotesiando-se osar da
meros jadiclaes contra qnalqaer pessoa qae o lesas
em sen poder.
Colares a 900 rs. a garrafa; o nico vi-
nho que se pode beber por nao ter com-
posico alguma.
Lanterne a 800 rs. a garrafa.
Bordeaux Medoc a 800 rs. a garrafa.
dem S. Julien a 600, 800 e 10 a garrafa. |Talheres rao,to fiD0 para cr,aDas a 240 rs-
Absyniho a 20 a garrafa.
Kirsch a 20 a garrafa.
Wermoulh a 20, e a caixa a 180.
Bit ter Maurer a 10 a garrafa,
Lagdo para calcadas.
Vende-se muilo bom lagdo para calcada* ear
mazeos ebegado agora : a tratar n rua do Apollo
n. 4.
preto fino a 25. 25600, 35500 5. 45300 5 e 65 o
covado.moreatique preto a 25600 o covado, gros-
denaple preto a 15500,15800, 25, 25200 e 25500
o covado ; e outras muitas mais fazendas que se
deixa de annonciar, e manda-se levar pelos caixei-
ros da loja da arara casa dos pretendentes. O
e tabelecimento est aberto at as 9 horas da noite,
roa da Imperalriz n. 56, Vendes GuimarVs.
Vende-se urna ptima escrava mofa de boa
figura : a tratar na roa da Cadeia o. 40, loja de
relojoelro.__________________
Vende-se tuna escrava parda de meia id ade
com principio de engommado, lava e coxinha : na
rua nova de Sania Rita, casa n. 6.
Aosenlou-se no dia 2 do correle ao iseio i
da casa da roa do Imperador n. 16. o preto mu
do, crioulo, cheio do corpo, altara regalar, ra
comprido, olhos peqoenos e p..oca barba, asa ssav
sa e bigode, bastante ladino, represeau ler 9
annos, pouco mais od menos, e jolga-se lar levaa
calca preta e camisa branca ; este esrrava (o eeav
prado ao Sr. coronel Galvo, do Limoeiro, para ca-
de se julga tenha fgido, mas na qoen toasa
visto na Pas.-anem da Magdalena. RemeJius Var-
zea; e como se desconfia qae esleja acontado,
protestase proceder contra quem o liver atoNaia,
e pede-se a qnem deile der noticia oa o agarrar.
qoe dirija-se a sobrediia casa, oo a roa do Cnaw
Carolo e de San I" tona > D. 13, que ser recompensado.
de ocolos, luoetos, biooculos,
apurado gosto da Europa.
do ultimo e mais ,
novena de Mossa Sennora do
Veode-se oa rua do Imperador n. 15, offleina
de encadernacSo : o oflBcio, salve e versos, nove-
na e salve de Nossa Senhora do Carrao, tres fo-
Fugio no da 6 do crreme mez de jala
cabra Engaaio, de idade 45 annos, pouco ante aa
I helos por 500 r.,< novena de SanVnsa por raenos. com os signaes segointes : esmura rega-
320 rs. ,ar>cara bexigosa, traz barba a Cavanhae. caalas
---------------,, M----------------- cachiados, Ievoo calca de casemira e palew de rk>
arareio a 9 1 cadinho j velho -. consta qae a dito escravo safa
Vende-se farelo noto, saccas com 90 libras, pelo mesmo aqoi na cidade, e qoem delleder noticia as
barato preco de 45 : rua da Madre de Dos ou- o agarrar, dirija-se ao hotel de Franca, rua do Tra-
ineros 5 e 9. piche 0. 11, qae sera recoropeanado.
w



" ejnmnM
Diarlo de Feroambneo ftabbado t de Jiilh de 18&.
LITTRRATA.
11 POLCO DE Tl'DO.
Nosso Senhor Jess Christo prefere mesmo quo
suspendamos os nossos sacrificios, as nossas home-
_ nagens de amor e adorago que devenios a Deus,
j al que primeiro nos reconciliemos cora o nosso
' prximo, se por acaso, anda mesmo estando j
Sobre o 6vangelho de S. Malheus capitulo XX junto do altar, nos lembrarmos que o nosso proxi-
a XXIV-Eu vos digo, que se a vossa Justina nao roo tem de nos algum aggravo ; e assira nos diz
for mais abundante e mais perfeita, do que a dos ainda no evaogelho de hoje.
S:riLase Pbaryseos, nao entrareis no reino dos Ponanto, pois, quando apresentardes a tua ofTer-
coos. escreve o Cruzeiro do Brasil o seguate : la no altar, e a ti te occorrer que teu rmo lera
Con se pervete o coraefio humano, desde que alguma cousa contra ti : deixa i\i a la ollera e
o orgulho e a soberba delle se apodera, nos offe- val reconciliar-te primeiro coro teu irmo ; depois [ capitalista do sul da America, e appellidavam-no o
rece o mais proveiloso exemplo a degeneracao do que v>'"s apresenlar a tua ollera a Deu, a cu- prmetpe (ios Bunqueiros.
iesst povo miraculosamenle formado por Dos e \ ja presenga nao viras jamis sem ura coracao
A duraoao da viagem ser dedous annos.
O navio 6 do Sr. Catleaux-Watlel.
A expedido principalmente destinada a mod-
elado.
Segundo cartas de Lima, diz a Correspondencia
de Hespanha, parece que falleccu ltimamente na-
I quella capital o opulento chileno D. Pedro Canda-
I mo, deixando urna fortuna de qualrocentos mi-
Ihes.
Este individuo era designado como o primeiro
separado do contacto de todos os outros, para ser
preservado do contagio da geral corrupgo que os
ontumlnava, e ser o seu povo escolhido e a sua
heraiga, entre o qual o Senhor se diguou habitar.
Este povo i|ue ti aba merecido do Senhor to
inaniesta protecgo, e que assustava a todos os
oulros povos entre os quaes viviam : que o Se-
uiior trazia-o na palma das mos (como a seu
re.-,)!ito se explica a sagrada Escnplura) e que
recaben a promessa de sahir delle o esperado das
najos, o Messias pronieltdo, nos vimos os seus
Bseql lidoj perdidos pelo ser orgulho o soberba,'
qu isl esquecidos da le do Sinay, ou hypocritamen-
i-e, como os Seribas e Pharyseos, fazendo alardo de
a observar com a maior ausieridade, nao por obe-
diencia ao supremo legislador, porm para me-
!hor .mporem os outros os onus raais graves da
mesma lei, dos quaes se cousideravam isenlo?,
inculcando se de justos I
Era vilamente urna justiga insuflkienu a des-
tes bypocritas, que s se coutentavam com as for-
mulas externas, das quaes se mostravam extra-
menle zelosos, nao admittlndo uns, os Seribas, io-
terprstago alguma ; e outros, os Pharyseos, mos-
trando se mais austeros para se destinguirem da-
quelles; porm deixando de parte os mais essen-
iaes deveres da le, e considerando s como pre-
varicagao os actos externos e consummados I
Foi por isso que Jess Christo chamou bem a
. .tttenco de seus discpulos para umto errneo
proceder, alirn de os prevenir contra to funesta
doutrina, fazendo-os comprehender, que nao pode
.; hornera ser innocente desde que seu corago est
minado pelos desejos e inleogoes sinislras lei,
pelo que Ihes declarou, como se le no presente
evaogoHio.,
Eu vos digo, que se a vossa jusliga nao for
mais perfeita e abundante do que a dos Seribas e
Pharyseos, nao entrareis no reino dos cos.
Quiz ainda o Divino Salvador faze-los compre-
hender melhor a sua sentenga, e enlrou em niaio-
res explicagoes lembrando-lhes os mandamenios
da lei e as penas impostas a seus transgressores :
recordando-lnes que elles mu bem sabiam, que
pela lei era prohibido matar, e que seriain julga-
dos pelo tribunal do juizo os que matassem ; mas
que elle Ihes dizia, que nao s os que malassem,
ptrm anda os qu? se traste sem causa contra
seu .rinao, oa llie dissesse qualquer palavra inju-
riosa, seriam condemnados no tribunal do juizo !
Eis poisem poucas palavras explicada a excel-
encia da moral christaa e a severidade da justiga
di-i na 1
Toda a colera injusta, todos os odios, as desen-
volturas da lingua, os juizos temerarios, sao. igual-
mente culpaveis na presenga de Dos e punidos
severamente no tribunal do juizo !
Um s acto da vontade contra qualquer man la-
mento da sua sagrada lei. embora senao ponha
em obra, tira a Innocencia do coragao e nos torna
jugados para com Dos.
Nao podemos cumprir com o preceito do amor
de Dos sem o amor do prximo, que Dos nos
manda como um preceito semelhante ao do seu
amor, e todos os santo padres tem sem pre ensi-
naco :que nada pertence tanto a lei de Jess
Cbiisto, como o preceito da caridade.
E' principalmente pelo exerciclo desta sublime
virtude, isto nao s amando a nossos inimigos,
cono anda fazendo-lhes todo o bem, que abunda-
remos na justiga e teremos um solido fundamento
para a esperanga na misericordia do nosso Deosi
que positivamente nos manda sermos misericor.
diosos, como misericordioso o nosso Pai celeste-
Como nos esruzarmos a um preceito to positi-
vo, qaando b proprio Dos quem no-lo manda ?
cheio de caridade.
ai-*-
Quebrou-se em Bombaim a casa commercial Bi.
ramjee, Hormusjee, Gama & C. Calcula-se osen
A regenerago da sociedado esta no clero, dizia passivo em 8eis Ini|h5es de libras sler)iDas.
o grande S. Vicente de Paulo, e a regenerago do
clero est na sua educagao.
Foi nisto que passou quasi toda a sua vida o
ssrvo de Deus, trabalhando, euvidando meios para
corlar os abusos dos sacerdotes de seu lempo, e
conseguir assim um clero respeilavel e digno de
oceupar a alta misso que exerce na trra.
Instituindo as conferencias e os retiros ecclesias*
ticos, o apostlo da caridade vio em seus dias sur-
girem oulros uovos apostlos, doulhuados no eu-
siuo de seus seminarios, e viu tamben no numero
de seus discpulo* Adriano Bourdone, Claudio Ber-
uard, Joo Jacques- Olivier, Jo*> Duval, e Beniguo
Boosuet.
Determinoa esta quebra a baixa do prego do al-
godo.
O padre V de Olinda nos remette o se-
guate :
A MALEMCENGIA.
O homem que nao respelta a honra e o crdito
de seus semelhanies, nao respeila a si, e nem pe*
de ser respeilado.
Se para a estafeclidade do imperros oecessario
que seus ilhos sesujeitem ecwmprarn as leis fun-
naraenlaes; com mator razo, quando esta socie-
de tende a um fim mais sublime, figurando com
preferencia entre as- oulras, deven os membros
Itomens que provarara- por seu proceder e por desta sociedade guardar escrupuleeamenle as leis,
suas obras o quanto podo um sabionaeslre, a quem que vevificam a sua uoiao. Ora, se a sociedaJe,
a Providencia deu espintd e misso de regenerar qUe faz dos homens urna familia de irmos, o mal-
uma sociedade. dizente torna-se indigno della; por qaanto a raa-
Aiuguem melhor do que o fundador da nova er-1 ledicenza um rio execravel, e que moito offende a
dem de S. Lizaro comprehendeu o qae era o sa* j moral e a sociedade.
cerdote. a religio reeommenda a seus filhor, que nao
Homem do mundo, o padre deve coronar a vi- iennam saciedad com os roatdizeotes; um pee--
ver, por assim dizer, n'uma atmosphera toda de | ea(j0 aboininavel que rompe teda a alliaaa entre
Deus, onde aprenda a piedado primeiro (ftx come-1 >eUS eo homem; e o priva dos-meios que jwderiaro
ce a lidar com os homens, e fortalecido na graga eter-lbe a graga e o perao.
possa alfrontar ento todos esses uerigos qu* soem ^ pop 3ftjDefrece a viJto9f ini0|ba os
ferengasquese eleram en'tre os discpulos, e re Era ento governador civil de Beja o Sr. Jos, No hayer D0 lnesouro de Portogal diibeire
pellir enrgicamente ludo o que tivesse por fim fal-. Silvestre Rbeiro, o qual cumpro, com o zelo e in- (para esta explendida mamfestago menora de
siflear a celeste doutrina da qual elles sao os de- lelligeocia que o caracterisam, a commssao que o um dos horneas qae mais alto levoa o boom da
positarios e propagadores. I goveroo Ihe dera, e em offlcio de 3 de fevereiro j sua patria ?
Ja tinham-se reunido duas ou tres vezes para as de 184S, informou que fra villa da Vidigueira, e O acto da trasladarlo deveria ser digno, e at
necessidades da igreja nascente. igreja do convento Carmelilano da invocago de, pomposo.
Alguns dos irmos, vindos da Juda, linham ex-1 Nossa Senhora das Reliquias, que vira o jazigo do. De oulro modo, serla improprio do poro porta-
citado na Antiochia urna perturbagao consideravel grande almirante profanado, e concluio por dizer o goez.
dizendo que ninguem podia ser salvo sem a cir-: que jnlgava mais opportuno para se realisar a pre-
cumeisao e observago da lei de Moyss. tendida trasladago.
Esta grave conteslago fui'levada immedialamen- \ O Sr. Silvestre Ribeiro diz que a sepultura de D.
te para onde eslava Pedro, principe dos apostlos.: Vasco da Gama est no presbyterio, parte da |
Um concilio se rene em Jerusalem : Pedio o epstola, tendo sobre a campa o sabido epitaphio '
preside.
Elle o primeiro que falla como tendo recebido
de Jess Christo a guarda de todo o rebanho.
Elle poe por fundamento da verdade a revela-
cercar os eletos do Senhor.
rta, oragao, pois, na pratica dos exerciciw de
piedade, na frequencia dos sacramentos e no co-
nhecimento do estado, que conven ser aliraen-
servieps, e fas esqueeer os meraoiiDentos.
L"oa palavra dita no sentido mais justo, e com
a intecgo a mais pora e a ma>9-Mcente o roal-
dizenle a revela, ainveoena, e a interpreta a sua
lado, por asstm dizer ou antes virar e morrer lo- ^ y n9.alleDendo as coqueada* fu-
do aquelle que se dedica ao serv.go de Deus ; nesia5 ^ ^ ^^
Fo. aos ps docrucilixo que o grande doutor : Ejs emoi ^Us Vanl>gMS frustndas,
anglico S. Thomaz, e o doutor seraphico S. Boa--; lanU3 ^ g mm s defra.
ventura aprenderam essa sciencia que assombroU';
o mun o inteiro. J Se |3D.araos as nossas vistas paramis longe,
Poraue a sciencia no sacerdote aao utllisa se; .
" n so encoalramos dores e privacoes-7"
ella nao e acompanhada do temor de i>eos.
>Lis que tudo, pois, o director de um seminario-:
deve cuidar em formar primeiro o corado dos mo- f
gos,paraque,osestuJospossamfruct.6car,tm.taa- ,aro brilb80lej de r8penle v miif0nar-se.|he as
do o agricultor, que prepara de anlemao o terreno ^ re(>l3(.i(> ^ espeian9a;.U1M esp06ft
onde tem de langar a sement. ^.^ b)Mem fc g hoje a6an(>nadsi te
E- sem duvida pela falta disto que encontramos ; ^ do oulro ^ yfmos mkmm bo_
tantos sacerdotes, embora illuslrados, mas saol f^ eulr3gue a raiseria.e ao soffriiMJo; um pw
mnimo senlimeato eclesistico, e desconhecedo-, ellrenioM.Drado.de :odo$ os cuidad,ft aectuosoe
res totalmente das obrigaces do subl.rae estado a : ^ ^ seus um beieglart|0 aB.
Vnula d um lado una familia n roaior coas-
ternago pela perda dos soeeorros de qoe viva bo-
nicamente excluido da recompensa de seus serv*
gos ;. cmluii, nao se pode calcular os-dainos eao
desgracas causadas pelamalediceDeiik
Raga perversa, enjos denles sao espadas, que di-
que se acham ligados.
Sacerdotes que alias seriam ptimos ministros,.
se porventura tivcssem estudado com. raelhores
professores, com homens experimentado* que Ihes
abnssem os olhos da alma, e melhor discernsssem
a sua vocagao. I laceram os amigos e ioimigos, os raortos e os vi-
A vocagao, esse dora sobrenatural que habilita o V0Sj os justos-e osinpios: Genrate^ qmae pro homem para exercer cabalmente as Jbngagoes do ^m ginihue habet. (t):
seu encargo, a primeraqualidade que deve exis- Os liomeas, diz um sabio escritor, podem es-
lir naquelle que aspira^qualquer carreira. Quanto eonder seus ihesouros; acautelar suas casas eco-
mais uo sacerdote 1 ira a masio dos salteadores, repelllr a forga esm
Xo sacerdocio, nde urna vez iniciados os roo- j a lorga, subirahir-se ao punbal do assassino >or
eos nao pdem arripiar carreira, onde o arrepen- urna acertada prevengo, por urna, bem dirigida oo-
dimen'to sempre tardo. I ragem on pela fuga mas contra os liros da male-
E porventura ser com a agglomerago atropel- jdicencia, nao valem nem a mais incontestavel pro
lada de estados, na maior parte profanos, que con- | bidade, Dem as mais cautelosas providencias, nem
do estudo, tambera o
\\ o sacerdote medoscabado, que as familias,
sbem diversas das da culia curopa, do sempre o
ando Nosso Senhor I -us Ci.risto que nos" da peior para Dos, fazendo ordenar os filhos menos
1 intelligentes e menos dotados de outras qualidades
a torga, era a coragem, nem as grandes fortale-
zas, e nem a fuga.
Para conseguir seus fins, ella toma formas-diffe-
renles e emprega meios diversos; e tanta facilida-
de ha em exerc-la que hoje nos ajuntainenlns,
Se foi mister nos apostlos a sciencla infusa,'nos bailes, nostheatros,nospasseios, e at-emeer-
ambem Ihes foi de mister a reforma do caragao. \ tos communidades, ella oceupa sempre o primeiro
E' por este indesculpavel descuido, que no Bra- lugar-, e desta maneira a arle funesta de maldizer
seguiremos bom clero ?
Certamente que nao.
Se o sacerdote o homem
da caridade.
Urna cousa nao deve existir sem a outra.
se
apreciaveis no hornera.
E' por isto que o clero espesinhado pelos ho-
mens do poder, porque nao encontram no sacerdo-
te essa barreira invencivel como na Franga, na In-
glaterra, na Allemanha e no amigo Portugal.
E' ainda por isto que desgragadamente vemos
sacerdotes to escravos do civil, mendigando em-
pregos e quig trahindo muitas vezes a sua cons-
ciencia, envilecendo deste modo a mais sublime de
todas as classes.
sta grave responsabilidade pesa sobre os bis-
pos, pesa sobre os reilores, que ordenaram mogos
sem vocaco, que nao pozeram em pratica todos os
meios para saberem se esses mogos eram do nu-
mero dos eleitos.
Responsabilidade gravissiraa que convm desde
j arreda-la de sobre a cabega desses que se acham
testa de Iaes eslabelecimentos, pondo em vigor os
meios que nos do os santos e o concilio para al-
cangarmos este desidertum.
o mais tocante exemplo, mostrndose sempre
misericordioso e benevolente, ainda para com
aqjelles qne to injustos como atrozmente o ator-
meatavam ?
E' Elle que j era va do na Cruz na extrema ho-
ra e antes que se abalassem os cos e a ierra com
oconsumatum est, com a maior solemnidatle
exclama.
Meu pai, perdoai-lhes, porque nao sabem o
que fazem I...
Jess Christo nosso mestre, e disse nos na
pe;soa dos apostlos: Bemavenlurados os que
usaren de misericordia >, e nao oceultou que um
juizo sera misericordia eslava reservado para
aquelles que nao usassem de misericordia para
con o seu prximo, e .pando nos quiz ensinar a
orar, consignou mu solemnemente na orago que
nos ensinou, essa tremenda sentenga, expressan-
do-se assim.
Perdoai-nos as nossas dividas como nos per-
doamos aos nossos devedores !
Alm disso, por raeio da caridade christaa,
que a paz e a concordia ser establecida e per-
mmecer entre os homens neste valle de lagri-
mas, procedendo entre si como obras de um roes-
nD Creador, como oriundos de urna mesma slirpe,
e por isso ligados por vnculos liio naluraes, que
jamis deveriam dexar de se approximarem uns
dos outros.
Se esta excellen'.e virtude nos faz tao ricos de
gragas na trra e nos cos, como, pois, nao a exci-
trmos anda com os raaiores sacrificios de nosso
orgulho e de nossos bens ? Como a nao praticar-
mos quando ella nos traz a uniao e doce paz, e en-
ehe nossos coragoas desse amor sobrenatural, que
nos exalta at a divindade, e attrahe sobre us to-
das as gragas tetnporaes e espituaes, das quaes
emanam a nossa situagao ?
Oh I Cumpre, pois, empregarmos todos nossos
esforcos em sermos misericordiosos; em repri-
mimos nossa colera, em afogarroos os nossos es- Alguns habitantes de Anvers conceberam e vao
timlos de vingangas, por pouco que sejamos da- effectuar o projecto de ama viagem roda do
dos a este vicio. I globo.
Lembremo-nos que as nossas boas obras, as prometle esta empreza reunir todas as condigoes
nossas oragoes, as nossas offerendas n5o pdem qUe podem prometter aro bom resaludo.
vai-se aperfeigoando cada vez mais
Terriveis embaragos encontrar o maldizenle,
para alcangar a gloria eterna, quaado. cbegai a
presenga d'Aquelle, que sabe premiar a virtude e
castigar o erro.
L-se no Internacional de Londres:
Um d'estes dias, n'uma partida dada por lady
Carlota Watson, o doutor EL, um dos mdicos nao
diremos mais celebres, porm mais da moda em
Baiswater. dizia a algumas pessoas que o cercavam
qu acabava de passar oito dias no campo.
Eu vi isso nos jornaes, disse um dos crcums-
ladtes.
Como 1 replicou o doutor. Pois fallou-se d's-
so nos jornaes?... E quediziam elles ?
Segundo as reminiscencias que tenho, di-
ziam : c Durante a semana qne Ondoa houve se-
tenta e sete fallecimenlos ment do que na semana
precdeme.
Chama-se a isto, em phrase popular, nao ter pa-
pas na lf&gua.
O duque de Ro^uelaure, cujos epigraromas espi-
rituosos e pungentes divertirn bastante teropo a
corte, deu um dia urna grande ligo de civilidade
a um impertinente de alta hierarchia.
O duque de Roquelaure, que a esse lempo era
conde, foi encarregado pelo re de ir Hespanha
tratar de um negocio importantissimo.
Para mostrar o zelo que elle erapregava em se-
melhanles missoes, vestio o fato de um simples
criado, montou a cavallo e parti a galope.
Na occasiao era que passava por Leao, sabio o
arcebispo do palacio para entrar na carroagem ; o
qual ancioso por saber onde ia um correio eom tan
la pressa, gritou :
Ola I oh I meu amigo, para ahi l
O conde sorprehendido por esta maneira de o
chamarem, mas pensando que ia lor occasiao de
rir as banderas despregadas a custa d'esle indis-
creto, parou immediatamente.
O prelado perguntou-lhe ento cavalheirosa-
mente :
De onde vens tu ?
De Paris.
Que ha por la' de novo ?
Ervilhas verdes.
O prelado admirado d'esta tao brusca resposta
proseguio
ser levadas pelas mos dos aojos at o Ibrono do
Allissimo, e nos redundaren fragas e salvago,
Um navio belga de 800 a 1000 tonelladas, sob o
commando do capillo Luiz Meyer, martimo expe-
sem que o nosso corago esleja puro de qualquer' r[nentado> qae j fez quatro viagens roda do glo-
magoa, de ijnalquer resentimento contra o nosso : b0) sahira no mei de seterabroproxirao e visitara
prximo. saccessivamente os portos prlncipaes dos dous con-
E' to esencialmente precisa esta condigo, qae tinentes.
O que se dizia em Paris, meu
partiste ?
Vesperas.
Mas como te chamas ?
Uns, respondeu o correio, chamam-me : Oh!
oh I meu amigo ; mas ou, que me conhego melbor,
chamo-me o conde de Roquelaure.
E picando as esporas ao cavallo, desappareceu
como um relmpago, deixando o indiscreto prelado
todo envergonhado da sua grosseria.
cao qae Ihe foi feita sobre a vocagao dos gentos, e
condemna tudo o que se qaizer ajuntar a obra di-
vina,
A contestago terminada. Cansa finita est.
As palavras empregadas e consagradas pelos
apostlos no decreto de que se trata, sao dignas de
'oda a nossa attencao : Visunt ni Spintui Sancto
el nobis, pareeeu bem ao Espirito Santo e a nos.
Estas palavras serio repetidas de idade en da-
de, de seculoem seclo, todas as vezes que a here-
sia se levanlar ameajadora ; e, repetindo-as a ver-
dadera igreja conservara' em toda a' sua intgrala
de e em todo seu esplendor, seus dogma?, sua rao
ral, sua disciplina, no meio do naufragio geral das
opini5es humana?.
Salvo milagrosamente de uror dos Jadeos, S.
Pedro, depois de tsr pregado- em muitas cidadb?,
fundou em Antioclria a primeira igreja christaa.
Percorreu em seguida a Asi menor, evangelr-
sou o Poni, a Capacteeia, a Gafaoa, a Bytiaa, Ge-
rinlho, e veio no anno42da nova- era, para Roma,
onde devicompletar grandes cousas.
Ahi se achavam reunidos e enraizados todbs- os
erros, todas- as corrupgoes, todas-a supersicoes
do mundo; era ah que eonviiiha enllocar asede
de todas as verdades e de todas as irtudus.
S. Pedro IHAa celebrad- a Pascbea- em Jerue.
lira, no anuo de Jess Gbristo.
Sobtrahido perseguigao por ura boto milagre,
lor bou a Roma, onde escreren sua* epstolas,
od pode por mono lempo ainda trabaihar na coi>
solidaci) e engrandec meato da igreja-. lias era
necessario que o principe dos aposte! sellasse
com o sen sangue a religi que tinta promul-
gado.-
Praso por ordn do lyraaa, carrejado- de ca
deiase (aneado nofndo d'xr carcere, aop do
capitolio, leve a coosolago de converter' alguns
pagaos, e at sene proprios guardas.
ProouMiada a sua sentenc> ie mor? eWe foi
conducido ao cune-de monte .laniculo, pera ah
soffrer o sftppllcio da cruz.
O barw+de dtsciguio julgando-se-indignopara ser
tratado-como o sea Dmno Mesre, conjurcu-o seus
algozes para o etucifiearem. com a cabera- para
baixo.
Asstu eonsumou-6 o mar$yrio> daquelte-<]oe S-
Crysosomo chama, o- coryphen.do coro aposlolico,
o chefe da santa familia, o perfeitc-de todo > mun-
do, o fundamento da igreja.
O que sabemos, a que a Eseiietiura e aTradkgo
nos eosiaam dos apstelos, enira. no plano e as
idas doi}ue acabamos de expori.
Entra lodos, existe o mesnao espirito, a--n>esnia
luz, o nesmo fimra>-mesma coragom.
Elles eonfundem.por seu eosino a sabetea dos
philosophos e a eloqneocia dss-oFadores.
Triurapharo de todos os ardis.de todas-as cruel
dades da poltica, por sua cairo*, por sua paciencia
no meio das torturas.
Triumpham da Jorca dos orojuizos e as-paixes
por sua maneira de obrar.
Os opprobrios sao a sua, gloria ; julgam-se por
demais felizes por terem. aJguma enteilanca.com
aquelle qoe os enviou..
A's calumnias com que busca-se eaoegrece les,
as maldigoes.com que seos oppnme,altes nao ras--
pondem com aegoes e galavras cheiae.de caridade
e de amor.
Sem jamis emprehender cousa aguma nem aon-
tra a le do estado,, nem contra a. autoridade dos
seus iniraigos, elles derrubam os dolos, expeliera
as trevas, e esclarecen as raassas: fazem conhe-
cer e adorar o ve*dadeiro Deus;. reformara os eos-
turnes -t conduzem os povos ao p da cruz..
E estes horneas, fazendo tudo isto, obrando to
grandes maravilhas, se esquivam a si raesmos c
sabem-se bem para nos occnar a historia dos seus
'rabalhos e dos soffrimentos.
Os primetros apostlos tiaham sido tomados na
ciasse a mais pobre e humilde.
Deus por islo mesmo quera dar urna lco bem
frisante aos bellos espirites, aos sabios do secuta*
e fazer-lhes sentir mais directamente sua intern-a.-
gao em tudo o que se passasse.
Mas Deus quera tambera que no estabeleciaien-
to e desenvolvimoato do ebristianismo, a autorida-
de da sciencia viesse cedo ajuntar-se a anloridade
pessoal e milagrosa. S. Paulo foi chamada
Sobre urna estrada urna mudanga repentina se
operou.
Esta mudanga fez de um perseguidor um disc-
pulo zeloso daquelle que elle persegua.
Este aovo discpulo am sabio.
Educado na escola de Gamaliel, tornon-se mes-
tre em pouco lempo.
Ouvio a voz de Jess Christo e cabio por ierra,
seguio sem hesitar as inspiragSes da graga.
Baplisado por Ananias e cheio do espirito de
Deus, S. Paulo volta contra o erro as mesmas ar-
mas que lomara em favor delle.
Prega o Evangelho com gpa rapidez e um suc-
cesso verdaderamente incriveis. Jerusalem, Cesa-
Lvcao-
Se nao ha dmbeiro, esperaremos qoeoscani-
nhos de ferro nos tragara tant.s riquezas, cono
uos traziam as nus que sulcavam os mares des-
coberlos por Vasco da Gama, e nos mandavan as
regioes, que elle fuera tributarias das quinas por-
Aqui jaz o grande argonauta D. Vasco da Gama, ~ i r
1 conde de Vidigueira, almirante das Indias Orien-
tees, e seu famoso descobridor. Esperaremos que opaiz esleja rico, para se len-
Segundo a relago do Sr. Silvestre Ribeiro, em rar d'aquelle que tanto o enriqoeeea, e anda ho-
1810, uus malfeitores devassaram a sepultura era je enriquece com a fama das saas acedes, e con
busca de algumas esporas de ouro, ou joias da es a gloria que adquiriu para a sua patria.
pada, ou elrao e capaeele de ferro. Mas qnando vemos o egosmo lembrar-w ten
Levantaran duas das pedras que cobria a se- | das glorias do presente, sentimos profando desa-
pullura, despedagarara o atande, e quebraran al
guns dosossos do magnnimo beroe !
E dtzer que houve portuguezes que a tanto se
arrojara m I
Al 1813 assira perraaoeceu a sepultara de ft.
Vasco da Gama.
A obra do vaodalismo passra desapercebida.,
NiBguera dra importausia ao facte.
leolo, ao coneroplar o despreso pelas glorias poras
do passado.
Os monumeos que nos deixaram nossos pao,
a todos os Portuguezes enchem de orgulho e de
alegra.
Nenhum Portoguez cora ao passar por ao pe d
igreja de Santa Baria da Victoria oo de Santa Mia-
I ra de Beln.
_ ., Nenhum se envsrgonia de contemplar as ruic*-"
Corametlera-se urna proraitecao duplamente en-; JkW.___ r. y
v v Carmo, ou o padrao de Sacres,
miosa ; mas sso era um ao propr do tempo,
e nao fcouve quem contra elle protestasse ^oo sao monumentos-tinrw, de sangue, que pos-
0 Sr. Silvestre Ribeiro de oudo maedou lavrar san- fazer sabir > faces de nenhnm PorMqaex c
auto, qu/s-enviou ao governo, rao mesio tempo sanque da vergonha 9udbs remoraos.
ordenou ao admioisirador do sonselho que man- Todos se des-jobrera- diante dess monuea dasse collscar asdoas pedras qoe-foram levantadas porque-oo lembram oque oossos pas fueran por
e inlmou.so proprietario da igreja, que fra vend-, maoter a independenri da pafrn, oo o qae obra-
da como parte desse imroeoso despojo, conquista-
do em 183^paraque nao consentisse que na igre-
ja entra sse essoa alguma, at que elle Maneta
providencias necessarias.
O governo que mandara veader o convento e
igreja de Nossa- Senhora das Reliquias; nao se re-
cordou de que tambora venda os ossos de D. Vas-
co da Gama, o de alguna dos seus utfes descen-
dentes.
Um ministro 3no nsoera obrigadto a venerar as
memorias gloriosas do paeeado, nem a .saber a-his-
toria do seu pa/K
I Ehaquanto o governo venda os ossos- de Viaco
da-Gama, entregava aos neos mais ignebeis o mo-
numento do insigue condestavel D. Nuao Alvares
Pereira, tronco da> familia daquelle que restituir
a liberdade paria. A igreja dos Srmelitas-d
Vidigueira era vendida con os ossos do hroe, cajo
nomo ser eterno; e a vetho igreja Je Carme de
L6boa era alugadc-para- differentes misteres, e-ai- InagoT ^
liraaraenle na capella-mr punham cma estrur.ieit- n "
ra, que ainda l est I
Dudo era e Icgico nene desmonnamento, do tm marido de nene Abren velUvn Ja
nssadol ^em ^e lfesDeres' D0 interval a ntolber
O-Sr. Silvestre rafceiropropoz ao governo ser an- comprad -um papagaio.
torisado para mandar fzer um corre;onde fosse Depois dos abra?os e dos beijos, o marido encerrados os ossos atante Da sepultura, deveado | o papagaioy qu* a mulber gabava tente as
as&iaMf ao encerramento. u facultativo para veri- j suas cartee,
iicar.se os ditos ossos eran lodos doums tsda-1 Foranv ver-
ver, por >sso que tendo sido arrombzda a sepnUura \ Abre comesava a brincai^com o papagaio- na
se encontrara uro .pedaco de cranes, quo pareca [este, uue estava aborrecido, respondeu
raro pela fe e pela gloria do ninfto sen pateroe.
Ncseempobrece o ihesoorode Portugal, por-
que rende preilo e homenagem, ensta de a!foas
cento? de rail res, ao here que Santo sobiinon a
sua mr l...
E' ora opprobrio allegar-se a fefta de dinheiro,
quando- se dissipa em tantas cousas, que nem d
honra nem-proveilo ao paiz, ante* een vergonha
ppbllc e allVonla da moral' distraMdo de nak
otis destnos.
Est Jeito o requer mente, cuja imciinva perten-
ce ao Sr_abbade de Castro, enataraineate espe-
rar deterimento ainda outros 19 annos.
Se a Camdes erigimos um monamente, qae ami-
to que aos ossos de Vasco da Gama denos lug-ir
no monumento d'el-rei D. Maneel f
Ao caator do Gama, e da sna enpedieo deve
rauilo a patria > as ao he?e celebrado nos alti-
sonantes versos- do poeta nao ever aind nais a
tinha
araigo, quando ra' Tbarsia- Antiochia, a Syria, a Clclia, a
' nia, a Phrygia, a Galacia, Macedoma, A
Alhenas,
Roma a Italia sao lestemunhas de suas viagens, de
seus railagres, e ouvera sua palavra de fogo, sua
palavra essencialmente convertedora.
ser do ouiro cadver.
coocluia o benemrito magistrado administra-
tivo por dizer, que,. vericando-se a. trasladago,
eltayo bispo da diocese e alguns cevnMeiros de Ee-
ja,.acoa>paohariam.os 06O6 do almirante al Alca-
cer, do Sal, onde o governo raandaoa urna ssasar-
ca'io para os cenuzi Lisboa.
Sao decorrido&-i9 annos, e o patritico req.ueri-
meato do Sr. abbade de Castro e a sua reprisenia-
go de 26 de j>iieiro de 1846, l. esto es^pecidos
na secretaria de reino, juntamente cora, as iafor-
raaes do Sr. Silvestre Ribeiro..
Hoje o venenando templo de Nvssa S*alora das
Reliquias esta antregoe ao cuite, parqu o sea pro-
prietario o restaurou e conserva, e la osti a sepul-
tura.
Ora; pois, as boje vainas- iostar porque seja
deferido o rsquerimeolo do Sr. abbado da Castro-
Nao sera a ultima esta instancia, bem o sabemos
mas, assim. vamos pagando o.preitedevido a me.'
mora do <. forte e sublime capitao. >, al que che.
gue a hoFa. da rt-parago..
Na dado de 28 annos smprehendeu D. Vasco da
Gama a maior faganha dos tempes modernos, qca
fui ir esses mares fra, com sos- tres navios e 137;
homens, em demanda de ignotas regioes, para dir
latar a f christaa e a grandeaa de sua patria.
Memorado ficou o seu nomay e com o delle o da
patria..
i o mundo repite ainda agora com assombro
esse nome, que Unto Ilustra a nago, e a fas co-
ntienda.
Das aventureras expedieoes de D. Vasco, da Ga-
ma, est all c. monumento grandioso, erigido pelo
raonarchs, que subiu ao fastigio da maior gloria,
pelo seu magnnimo espirito, e pela aeroeldade
dos filhos desta trra.
E porta do monumento est como de guarda,
sopesando o seu honrado montante, o glorioso lbo
de D. Joao I, o nobilissimo idfanteD. Henrique, o
iniciador das descobertas e das navegagues dos
Portuguezes.
E' all o lugar onde devera sor enllocados os res
tos do descobndor das Indias Orientaes; ao pe do
monarcha que o impelliu a lamanhos feitos, e i
sombra d'aquellas paredes, que os recordara.
O Sr. Mendes Leal, que tem alma e coragao pa-
ra comprehender e realisar aegoes que o Ilustren],
que possue o sentimenlo do bello, nao so recusar
a instar porque se realise a trasladago dos ossos
de D. Vasco da Gama, para a igreja de Sania ala-
ria de Belm ?
O Sr. ministro da marinha quiz recordar a me-
moria do forte capilSo, quando propoz a el-rei, que
ao representante da familia do here fosse confer-
do o titulo de almirante dos mares da India, que
primeiro fra dado aquelle que o conquistara, de-
vassando e assoberbando esses mares.
Has nlo ser mais extremoso o preilo, mais sin-
gular o testemanho de admiragao patritica, mais
eloqnente o respeilo a to assignalado Portoguez,
propondo a trasladago dos seos ossos para a igre-J
ja de Santa Mara de Belm, e empenhando neste
proposito todas as torgas, toda a influencia de que
Nso bula eonigo, Sr. Borges.
Em cn>dos ottimos numares do Iban
o segara: anwaneio:
A aiugar para sempro cu para mais tempo
como se qaizer, urna bonita- casa ik jaanpe perto
de Sviteaban.
......a>^i^
Contara Patrie que em Amiens acaba de ter la
gar un casamento com circnmstaneias mu raras.
Urna-rapariga trahatras tos, sendo nm regeinr,
oulro cara e o terceiro reneg, e alen dlsso ana
tia que viva era casa de cura pote ben>a donzelia
csea na regedoria, cora a intervenga no sen pria
m.Jro to, na igreja dea-lbe a bencao natrinoaia)
o segundo ; a missa cantou-a o terceiro -, e sna t;
praparou Ihe o jantar das bodas.
Estas bodas podenvse chaar apropriadamen c-
>oda& i2e familia.
A casa da moe* em Paris cooka oeste noaan-
lo urna medalha coramemcraliva da viagem do in-
parador Algeria.
Esta medalha que ser distribuida aos pnaei-
paes chefes rabes, lera duas legendas ima am
francez, outra eraarab.
Diz um jornal dos ?vreos que nm nabina
de Borderss descobrio no territorio de bjntenm.-
e, urna abundante mina de ouro. O mesno ns*f-
bridor eacontrou tainbem minas da- pratt e de
cobre. ____
Dizom alguns raides que a maconaxia proteo*
adquirir uro terreno para edificar am grande ten-
ido maconico, onde se vejam os trbanos da tr-
mandade, a publico.
A cousa linha vantagens para vernos as nigro-
mancias desles modernos feticeiros, e para dar es-
pectculo gratuito aos ociosos e curiosos.
No da 18 de maio pelas 10 oras da notte. fanv
ceu o Sr. bispo de Vich (Calalonha) regen a nce-
se sete annos em servigo de Deas e con temor da
lodos.
L-se no Jornal do Commercio de Lisboa o se
guite :
MEMORIA GLORIOSA.
Era 1845, o Sr. abbade de Castro dirigi s cor
tes am requerimeato, pedindo, que os ossos de D. j dspe como conselheiro da cora ?
Do Cruzeiro do Brasil iranscrevemos o segrate: Vasco da Gama, famoso descobridor das Indias, Seria de multa honra para o Sr. Mendes Leal,
jess onusto considerado como FUNDADOR da Orientaes, fossem trasladados para a igreja de archivar a historia, que fra por seu empenho que
GKKJA. i Belm. ; a nago pagara a D. Vasco da Gama este teslemu-
III | o requenraenlo do Sr. abbade de Castro foi re-' nho poslhumo de respeilo e de veneracao.
No cumprlraento da sua misso regeueradora, os roettido, pelas cortes, ao goveroo, e este offlciou ao Estamos ouvndo j as quenas da nossa po-
apostolos nao tem smente que lutir contra as g0vern(lor civil de Beja, para informar sobre os bresa.
perseguiges e as difficoldades exteriores, devem me09 ae se fazer a trasladago, com digoidade e ; Oh I seremos pobres para dispender algons cen"
ainda apasiguar com nm eaidado extremo as df- jeceBCja> d0S reS|0s mortaes do heroico g'>ver- tos de mil res, era nos mostrarmos gratos a to
(i) Prev. c. 30 v. U. ador. honrado e mostr vario!
Diz um jornal francez que em Tarn ni
do ministerio da hienda acaba de ser alagad* a
um industrial, qae se propon de all estabelener
ama immensa hospedara.
-------- i
Foi apanhado vivo em Cartagena
bo marrano.
Mr. Gaizot acaba de publicar em Pars por Mh
chel Levy, o 7* volume das saas menoras.
Comprehende os aroolecinentes havidos entra
os annos de 1841 a 1847, oo desde a norte do Ja-
que d'Orleans i do papa Gregorio XVL
Acaba de descobrir-se am deposito de gaane na
ama cora situada a pooca disuneia e Vensool
(Franca^ na proprledade de Mr. Beanwrd.
Os productores nao teem sido os paitnra me
sm os morcegos.
O deposito forma ama massa de 800 netros en-
bioos.
PERNAMBUCQ.-JTYP. DE M. F.Dg f, 4f1lM
I



T


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EF774H43D_GNF977 INGEST_TIME 2013-08-28T00:41:23Z PACKAGE AA00011611_10729
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES