Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:10727


This item is only available as the following downloads:


Full Text
ATO lll flfUMERO 170
Por quarte! pago deutro de 10 das do 1. mez i x
dem depois dos 1.' 40 das do comecoe dentro do qoartel. .
Porte ao correio por tres mezes ,*........, ,
5J0OO
6f000
750
QUINTA FEIRA 27 DE JDLHO DE 1865.
Per anno pago dentro de 10 dias do 1. mez
Porte ao correio por um anne ..,.,,.
> i
19|00
SfOOO
ENCARRBGADOS DA SUBSCRIPQO DO NORTE
Parahyba, o it. Antonio Alex?ndrino de Lima;
Natal, o "Sr. Antonio Marques da Silva ; Aracaty, o
Sr. A. de Lentos Braga; Cear, o Sr. J. Jos de
Oiiveira ; Maraoho, o Sr. Joaqun) Marques Ro-
drigues ; Para, os Srs. Geralrto Antonio Alves &
Filhos ; Amazonas, o Sr. Jeronymo da Costa.
EN'CARKEGADOS DA SUUSCKIPCAO DO SUL.
Alagoas, o Sr. Claudlno Falco Uias; Babia, o
Sr. Jos Martins Alves; Rio de Janeiro, o Sr. Jos
Ribeiro Gasparinuo.
PARTIDA DOS ESTAFETAS.
Olinda, Cabo, Espada e estacSes da via frrea at
Agoa Preta, todos os dias.
Iguarass e Goyanna as segundas e sextas feiras.
Santo Anto, Grvala, Bezerros, Bonito, Caruar,
Altinho, Garanbuns, Buique, S. Bento, Bom
Conselho. Aguas Bellas e Tacarat, as tergas
feiras.
Pod'Alho, Nazareth, Limoeiro, Brejo, Pesqueira
Ingazeira, Flores, Villa Bella, Cahrob, Boa Vis-
ta, Ouricury, Salgueiio e Ex, as quarias
feiras.
Sennbem, Rio Formoso.Tamandar, Una, Bar-
reiros, Agua Preta e Pimenteiras, as quintas
feiras.
AUDIENCIAS DOS TRIBUNAES DA CAPITAL.
Tribunal do commercio : segundas e quintas.
Relajo : tercas e sbados s 10 horas.
Fazenda : quintas s 10 horas.
Juizo du commercio: segundas as 11 horas.
Dito de orphos: tercas e sextas s 10 horas.
Primeira vara do civel: tercas e sextas ao meio
dia.
Segunda vara do civel: quartas e sabbades a 1
hora da tarde.
EPHEMERIDES DO MEZ DE JULHO.
8 La cl.eia as 6 h., 7 m. e 22 s. da t
13 Quarto ming. as 2 h., 6 m. e 46 s. da t.
22 La nova as 4 h., l m. e 40 s. da l.
30 Quarto cresc. as i h., 49 m. e 16 s. da t.
DIAS DA SEMANA.
24. Segunda. S. Cbrislioa v.; S. Antimogeoes ra.
2o. Terga. S. Tbiago ap.; S Chrislovo m.
26. Quarta. Ss. Symphronio e Olymplo mm,
27. Quinta. S. Pantaleo medico; S. Sergio m.
28. Sexta. S. Innocencio p.; S. Nazario m.
2. Sabbado. S. Mariha v.; S. Beatriz m.
30. Domingo. S. Anna me da me de Dos.
PREAMAR DE HOJE.
Primeira as 7 horas e 42 m. da manhaa.
Segunda as 8 horas e 6 minutos da tarde.
PARTIDA DOS VAPORES COSTE1ROS.
Para o sul al Alagoas a 14 e 30; para o muru
ata a Granja a 7 e 22 de cada mez; para Per
do nos dias 14 dos mezes de Janeiro, margo, i
julho, setembro e novembro.
ASSIGNA-SE
no Recife, na livraria da praca da Indepetac
ns. 6 e 8, dos propietarios Manoel Figoeiroa de
Faria & Filho.
PAUTE OFICIAL
aaymm u poymcu.
Conlinuaro di expediente do dia 22 de jullin
de 1865.
OBcio ao brigadeiro commandante das armas
interino.Coro copia do aviso de 27 > junho ulti-
mo, reinetto incluso o relatorio sobre asconias do
conselho econmico do corpo de guamigo, conser-
uenles ao 2J semestre do anno civil de 1862, alim
de qu V. Ex;, ordene ao mesmo conselho, que
preste os esclarecimenlos indicados em dito rela-
torio.
Dito ao mesmo.Remello por copia a V. Exc.
para seu conhecimento e direcgo o aviso da re-
partigo da guerra de 26 de juoho ultimo, man-
dando por em execucao o regulamento para o pre-
sidio de Fernando, menis na parte relativa aos
vivandeiros, que depende de vapor de guerra, em
quanlo este nao r estacionar.-Offlciou-se nesle
sentido a ihesouraria de fazenda eao commandanle
do presidio de Fernando
Dito ao mesmo.Declaro a V. Exc. para os dev-
dos effeitos, que, segundo constou-me d* aviso da
reparticao da guerra de 3 (leste mez, lixou-se, para
esia provincia, no semestre crreme, a etape no
valor de 360 ris e a forragem no de 6o0 ris
diarios.
Diio ao mesmo.Declarando-roe o Exm. Sr. mi-
nistro da guerra em aviso de 13 do corrente, que
nessa dala se expedio ordem para que o 2 teoenie
da companhia de artfice* Honorio Domingues de
Menezes Doria regresse a esia provincia, alim de ser
empregado como melhor convier; assim o commu-
nico a V. Exc. para seu conhecimento.Coromuni-
c >u--e a thesouraria de la leuda.
Dito ao mesmo.A vista do que expz esse
commando das armas em olfleio n. 772 de 2 de
maio ultimo, com referenc a ao requerimento de
Joio Carlos dos Santos, lenho a dizer a V. Exc. que
P'il nomear o supplicante para o lugar de enfer-
meiro.
Dito ao mesmo.Para cumprimento do disposto
no aviso circular de 8 do correnle, ordene V. Exc.
aos olliciaes da repartido ecclesiastica.empregados
nesu provincia, com exeepgao do de Fernando de
IWonha, que estejam promptos a seguir para a
corle na primeira opponunidade.
Dito ao mesmo.Para cumprimento do aviso
circular da repartico da guerra de 26 de junho
Diurno, envie-nie V. Exc. a relago queexigi desse
commando de armas em offlcio de 16 daquelle mez,
dos artigos bellicos, que, por sua anliguidade ou
por qualquer singularidad: pos.-am figurar no
museu militar, que se tem de estabeler na corle.
Dito i) conael Jos Mara Ildefonso Jacome da,
Veiga i'essoa.Recebi o sea offlcio o. 1,215, de 21'
do correnle, e (ico sciente de haver V. S. passado o
exTiicio do commando das armas, na forma das
ordens imperiaes, ao brigadeiro Francisco Jos
Damasceno Rosado.
Aproveiio esta occasiao para louvar a V. S. pelos
seus bons servigos e agradecer-lhe a lealdade com
que eoadjuvou a minha administracao.
Dito ao inspector da thesouraria de fazendaPara ;
cumprimento do disposto no aviso da reparligo da
agricultura, commercio e obras publicas de 8 do
correnle, faz-se necessario que V. S. me declare
com brevidade em que dala foram aforadas e a
quem, as raarinnasjque a estrada de ferro atravessa
antes de cnegar a villa do Cabo.
Oilo ao mesmo. Declaro a V. S., que, segundo
conslou-me de aviso da reparligo da guerra de 26
de juoho ulli.no, fol approvada a deliberacao, que
tuiifi de mandar pagar, sob fianza edouea.o que se
estivesse a dever de sold ao capilao reformado do
exercito Caetano Gaspar Lopes de Azevedo Villas
Boas.
Dito ao mesmo.Ministre V. S. as informacoes
que se cxigem no aviso de 22 de junho ultimo por
copia incluso, acerca das duvidas propostas pela
reparlicao de fazenda do ministerio da guerra, com
referencia ao abono de etape feitoao Dr. Livinio de
Bastos Varella.
Dito ao commandante do presidio de Fernan-
do.Remello por copia a V. S. para os iins conve-
nientes o offlcio do Exm. presidente de Sergipe de
7 d) corrente, e a cenido a que elle allude, da
qnal consta a guia do seulenciado daquella provin-
cia Antonio Barbosa de Oliveira, que existe sem
ella uesse presidio, segundo declarou V. S. na rela-
go annexa ao seu offlcio de o. 229, de 4 de maio
ii limo.
Circular aos commandanles superiores da guar-
da nacional.Communico a V. S. para seu conhe-
cimenlo, que, segundo o aviso da reparlicao da
guerra de 3 deste mez, fixou-se para esta provin-
cia, no semestre crreme, a etape no valor de 360
ris e a forragem no de 6oi) ris diarios; o que
V. S. fara constar aos corpos da guarda nacional
sob seu commando superior.
Dito ao commandante superior da guarda nacio-
nal de S tula Anlo e Escada.Mande V. S. aug-
mentar com 2 pragas o destacamento de guardas
nacionaes da cidade da Victoria como solicitou o
Dr. chefe de policia, em ollicio de 26 do corrente,
dedarando-me o dia em que elles effectivamnle
eniram em servigo.
Dito ao capilao do porlo.Remeti por copia
a Vmc, para terem devida execugo, o aviso cir-
cular da reparligo da marrana do 12 e o decreto
de 6 lulo do corrente, perdoando os reos perten-
cenies ao corpo de imperiaes manheiros, balalho
naval e marinhagem da armada, que tiverem com-
roetiido o crime de 1* e 2" desergo simples e
agravadas pelas circumslancias ns. 1, 2, 3, e 5 do
titulo 4o artigo nico da ordenago de 9 de abril
de 1805.
Dia 24
Offlcio ao Exm. baro do Rto-Formoso.Tendo
nesta dala expelido ordem para que a cmara mu-
nicipal desia cidade se rena de amanha ao meio
dia e deferir a V. Exc. o juramento do estylo, afirn
de tomar conta da adminisirago da provincia;
assim o communico a V. Exc. para seu conheci-
mento ; junto achara para os fins convenientes, co-
pia da carta imperial de 2i de abril de 1859, pela
qual foi alterada a ordem dos vices-presidentes,
passando V. Exc. do 2- lugar para o 6.Nesle
sentido offlciou-se a cmara municipal do Re-
t f 6-
Oto aoDr. chefe de polica.Para que se possa
efl.-c.tuar o pagamento da quaniia de 129,5800, de
que traa o offlcio dessa repartico n. 892, de 27 de
junho ullimo, faz-se preciso, segundo declarou-me
o inspector da thesouraria provincial em offlcio de
17 do corrente, sob n. 270, que o delegado do termo
de Cimbres, remella a relagao dos presos jecolhi-
dos a respectiva cadeia, durante os mezes de abril
e maio deste anno. O qoe declaro a V. S. para seu
conhecimento e flm conveniente.
Dito ao inspector da thesouraria de fazenda.
Respoodeudo ao offlcio que V. S. me dirigi em
14 do corrente, sob n. 493, teaho a dlzer que pode
mandar pagar sob raioha responsabilidade a Sim-
plicia Jos de Mello, visto nao haver crdito para
esse fim, a quantia de 141^250, de que tratam os
meus oficios de 31 de margo e 8 de malo ltimos,
e proveniente dos vencimentos de urna escolta de
guardas nacionaes, que conduzio quatro recrutas
e um desertor do termo do Brejo para esta capital.
Dito ao mesmo.-Recommendo a V. S. que de
cooformidade com o aviso da reparlicao da justica
de 6 do correnle, constante da copia junta, mande
ehooar ao bacharel Francisco Leonardo de Souza
Miranda Coulo a quantia de 400, que Ihe foi ar
bitrada como ajuda de cusi na qualidade de juiz
municipal nomeado para o termo de Ega na pro-
vincia do Amazonas.
Dito ao inspector da thesouraria provincial,-Se
nao houver inconveniente, mande V. S. pagar a
Flix Gomes da Silva, conforme solicilou o chefe
de policia em offlcio de 15 do correte, sob n 993,
e com pezar Ihe conced a exonerago do lugar
que com tanto zelo e com tanta dedicagao desem-
penhou at agora.
Eu, porm, nao procedera deste modo, se nao ti-
vesse logo em vistas quaes deviam ser os succes-
sores desses homens benemritos que tao relevan-
tes servigos preslaram a esse bello templo. Estes
successores eu os encontrei nes Ilustres meinbros
da mesa que actualmente rege a irmandade do San-
tissimo Sacramento dessa matriz; os quaes me me-
recen) toda a coafianga pela sua religiosidade e pe-
la affeigo que consagrara a esse novo templo, cuja
concluso definitiva todos desejam anciosos.
Encarregando, dos, a essa mesa regedora a con-
tinuago das referidas obras, nenhuma duvida me
resta de que a sua concluso se ha de couseguir, se
nao com aquella presteza que todos desejamos, ao
menos com a que for compatlvel com os recursos
quantia de 42>000, proveniente do aluguel re-; que podermos conseguir com a nossa actividade,
lalivo aos mezes de Janeiro a juuho deste anno, da
casa que serve de prlso no dislricto de S. Loa-
renco, como se v da conla junta em duplcala.
Dito ao commandante.superior do Recife.De-'
clare-rae V. S. com toda a urgencia, e hoje mesmo,
se fr possivel, qual o numero de offlciaes e pra-1
gas da guarda neciooal destacadas deste munici-
pio, com declarago do modo porque estiverem
distribuidos, e das datas da ordem ou ordens que
as mandou deslacar, descrimiuando as pragas e
offlciaes addidos e de municipios do uterior desti-
nados a guerra.
Dito ao commandante superior da guarda na-
cional dos municipios do Cabo e Ipojuca.Para
que eu possa resolver sobre o fornecimento de
livros e oulros objectos de expediente que V. S.
solicilou em seu offlcio n. 10, de 11 do corrente,
faz-se necessario que me aprsente o orgamento
da despeza a fazer se com a acquisigao dos
ridos livros e objectos.
devendo a referida mesa darme parle de, qualquer
oceurrencia que se dr no desempenho da pia com-
raisso que Ihe confio.
Aproveito a occasiao para significar os sentimen-
tos de eslima e considerago que consagro nobre
mesa regedora.
Dito ao vigario de Cabrob.Accusando rece
bida a estatislica dessa freguezia, cabe-me louvar
o acurado trabalho a que V. Rvma. se deu, ja com
o relatorio circumstanciado e minucioso que envi iu,
j com os diversos mappas estatislicos que sao de
muito alcance para se ler um perfeo conhecimen-
lo dessa freguezia e da sua populagao.
17-
Offlclo ao vigario de Goianna. A' vista dos com-
promissos das irmandades de Nossa Senhora da
Conceigao e de S. Benedicto, erectas nessa cidade
de Goianna, e revendo quaesquer oulros documen-
verdadeira, pura e sania, como Jess Chrlsto a
insiituio.
Pelo seu offlcio sei que o Sr. Alian Brown se
acha suficientemente instruido nos mysterios e na
doutrina da nessa religiao santa, e que o desejo
que tem de deixar o protestantismo cada vez
mais ardente.
Autorso, pois.aV. Rma. para tomar a abjuragao
de anfigos erros, a profissao da nossa f, e depois
administrar o bapti-mo ao Sr. Alian Brown; bap-
tismo que deve ser condicional, se o neophito j
tver sido baptisado na sua religiao. E como pode i
succeder que V. Rvma nao lenha livro appropria-
do que trate destas materias, e do modo de proce-
dur-se em taes casos, euvio-lhe por copia ludo;
quanto necessario para cssa converso, que deve
ser feita com toda a pompa e solemnidade que fr
possivel.
Espero que V. Rvma. me parlicipar logo que
tiver lido lugar esta ceremonia, envlando-me os
respectivos requermentos com as certidoes passa-
das conforme o modelo que Ihe envo.
Dito ao "gario de Campo-Grande.Accuso re-1
cebida, com o seu oficio de 5 do prximo passado,
I a estatistica dessa freguezia, que preenche satisfa-
toriamenle o fim para que a exig.
Espero que V. Rvma. continuar a enviar-me a
nota de quaesquer acontecmentos que se forera
dando, como Ihe recommendei no fim da circular
de 22 de abril.
i Dito ao vigario de Aguas Bellas.Em 11 de maio
i ultimo, oficiei a V. Rvma. recoramendando-lhe que
| mandasse buscar o livro que nesta secretaria se
acbava promplo para os lanyameulos de bapiismos
dessa freguezia. Ha poucos dias recebi o offlcio
que V. Rvma. dizia vir pelo porlador que devia
levar tal livro, e o portador nao appareceu. Agora,
refe- tos authenlicos, informe V. Rvma. com urgencia pois, apparece finalmente o portador que ha tempo
qual dessas duas irmandades de iustiiuigo mais se esperava. Remetlo-lhe o livro, e espero que V.
Dito ao commandanle superior da guarda naci- antiga.
nal de Nazareth.Em deferimenlo ao requer- Dito ao vigario dos Afogados.Haja V. Rvma.
ment qne me enderegou Manoel Jos Lopes, guar- de, com a brevidade possivel, remetter-me os pro-
da nacional desse municipio, resolv nesta dala clamas e todos os mais documentos tendentes ao
despensa-lo do servigo do destacamento para que casamento de Olympia Sebastiana Cava canil de
eslava designado visto servir de arrimo a seu pai Albuquerque, ha pouco celebrado por V. Rvma.
septuagenario : o que declaro a V. S. para seu nessa freguezia.
conhecimento e expedigao das convenientes or- Dito ao vigario de Pao d'Alho. Vindo a estatis-
dens. tica dessa freguezia confeccionada com gosto e in-
Dito ao director do arsenal de gnerra.Mande telligencia, o que se revella as mais clrcumstan-
V. S. entregar ao Dr, chefe de polica urna jarra, ciadas ioformagoesque a acompanham, nao deve
Rvma., cumprindo o que Ihe ordenei no meu offl
ci de 11 de maio, me mande dizer onde tem feito
os la ligamentos de baptisados havidos no corrente
anno.
A respeilo do casamento de Manoel Sobral da Sil-
va e Mara da Silveira da Gama, autoriso a V. i
Rvma. para o celebrar, visto serem os nubeotes
vagabundos, e acharem->e no caso previsto pelas
coastituigdes diocesanas.
um coco e um caudieiro para o quarlel do desta-
camento da cidade da Victoria.Communlcou-se
ao Dr. chefe de policia.
Dito ao administrador do crrelo. Remetto por
copia a Vmc. para seu conhecimento, a informa-
gao jue ministrou o inspector do arsenal de mari-
nha em 19 deste mez sobre a demora que tem ba-
tido na edificagao da casa de madeira para abrigo
do encarregado do telegrapho da torre do Collegio.
Dito ao vigario da figuer.a de -amo Anto.
Respoodendo ao seu oficio de 13 do corrente, te-
nh i a dizer que estando prxima a informaco do
thesoureiro das loteras de 21 deste mez a que al-
lude o seu citado oficio, nada ha a providenciar.
Dito ao presidente da cmara municipal de In-
gazeira.Respondendo ao seu offl
nhj prximo lindo, tenbo a dizer
V. Rvma. pedir desculpa por apresenta-la tarde,
pois assaz conhego quo dificultoso adquirir os
dados necessarios para completar um trabalho des-
tes.
Pode, pois, V. Rvma. ler a certeza de que a esta-
tistica que enviou est bem feita, e preenche muito
bem o fim para que a exig.
18-
Offlclo ao Exm. desembargador provedor da San-
ta Casa d Misericordia. Tenho a honra de passar
s raaos de V. Exc. a certido de baplismo de Ca-
rolina, filha de Francisca Antonia
PERNAMRUCO.
pedido de V. Exc. sollicitei do bispado do Cear.
D.to ao Exm. coronel commandante das armas
interino.Km cumprimento do que V. Exc. solli-
lo d 3 de ju-' citou em offlcio firmado em 15, e recebido a 17 do
|U em 31 de corrente, nesta dala ordeno ao Rvd. vigario da
maio ullimo. j dei solugaos du vidas a que Vmc. Boa-vista que d'ora em diaote administre es soc-
allude. corros espiriluaesaos moradores da enfermara mi-
Portara.O presidente da proviocia tendo em lilttar permanente, todas as vezes que para isso li-
vlsta o que requereu o ex-arreraataute da obra do ver aviso por parte da respectiva directora,
aterro da ra do Lima, Andr de Abreu Porto, e Aproveito a opporlunidade para significar a V.
bem assim, o que a esse respeilo informoa o chefe Exc a estima e consi Jerago em que lenho a pes-
da reparligo das obras publicas, em offlcio de 22 soa de V. Exc.
do correnle, sob n. 23i, resolve que fique de ne- Dito ao vigario da Boa-vista.Tendo o hospital
nhum elTeito a porlana de 8 de maio ultimo, pela militar dessa cidade rescindido o contrato do ca-
qual foi encampada aquella obra, smenle na parte pello do mesmo, em razao do diminuto numero de
em que se determinou que fosse a mesma obra doenles, por estarem ausentes os corpos que faziam
coocluida por adminslragao, e ordena que sua a guarnigaodesia provincia, e sollidtando o Exm.
concluso seja eftoduada pelo mencionado arre- commandante das armas, em offlcio de lo do cor-
malant-, a quem se passar.1 portara concedendo o rente, que os doenles da enfermara militar perma-
prazo de 30 dias para esse fim, resolvendo aquella nenie recebara agora os soecorros espinluaes di-
repartb o as duvidas por elle apresentadas na redmenle dessa matriz, como se praticava outr o-
exeeucp desse trabalho. i ra, antes da criagao do hospital militar, cumpre
Dila.-O presidente da provincia resolve de con-: que V. Rvma. de ora em dianle administre os Sa-
formdade com o disposto na portara desta dala, crameutos e acuda a's necessidades espintuaes dos
concede ao arrematante da obra do aterro da ra
do Lima, Andr de Abreu Porto, 30 das de proro-
gago para a concluso daquella obra, a conlar de
boje.Fez-se o necessario expediente a este res-
peilo.
Despachos do dia 2 i de julho de ISG5.
lieiliierimentos.
Andr de Abreu Porlo.Em vista da informa-
gao tica indefenda na primeira parle da preten-
go : quanlo a segunda, passe-se portara proro-
gando o prazo por irinta dias.
Hermenegildo de Aquino Paes Barreto.O re-
querimenlo do supplicante foi ao Sr. commandante
superior da guarda nacional do Recife para infor-
mar.
Manoel Jos Lopes.Seja dispensado emquanto
se nao recorre a classe a que pertence o supplican-
te por servir de arrimo a seu pai septuagenario.
Pantaleo Pereira de Assis.Informe o Sr. Dr.
chefe de policia.
Bacharel Virginio Carneiro da Cunha e Albu-
querque.
moradores daquelle estabelecimento todas as vezes
que para isso tiver aviso por parle da respectiva
directora.
Dito ao vigario do Salgueiro.Accuso recebido
; o esbogo daesiatislica dessa freguezia que V. Rvma.
i me enviou firmado em 25 do prximo passado. Es-
; pero que V. Rvma. ao menos me informar sobre
a dala da criac.no da freguezia, para o que nao se
deve limitar a dizer que nao consta do archivo; e
sim procurar obler informagoes que o tiabiluem a
i dizer ao menos a data presumivel em que se cal-
' cula ler sido creada essa freguezia.
Aguardo a sua resposla com a possivel brevi-
dade.
-19-
Offlcio ao vigario de Quebrangulo.Pelo seu of-
flcio de 12 do correnle, em resposla ao que Ihe di-
rig em 8 do mesmo, me informa V. Rvma que na
capella de que trata a estatislica dessa parochia, e
que V. Rvma. diz que serve de sacrista, nao est
actualmente^ o Santissimo Sacramento ; sendo que
apeoas exisfe abi um sacrario porttil o um caixo
para guardar ornamentos.
Se essa capella faz parte da igreja, se esta' cons-
truida no interior do templo, e forma como que
um altar lateral, nao deve jamis servir de sacris-
ta, embora nao se conserve ah o Santissimo Sa-
cramento. Confio que V. Rvma., compenetrado da
decencia que deve haver nos templos, onde os fiis
naodevem ser distrahidos pelo servigo e movimen-
to de urna sacrista, se dar' pressa em remover o
SS. datado de 2 do corrente, pelo qual novamente caixo dos ornamentos e alfaiaspara um lugar que
me pedem que os exonere da commissao que Ihes mais propriamente possa servir de sacrista.
Espero que V. Rvma. me participar logo que
houver effectuado esta raudanca; bem como me
mandar dizer se nessa matriz se conserva cons-
tantemente o Santissimo Sacramento no Taberna-
culo; e no caso negativo, qual a razao dessa falla
to sensivel em urna igreja matriz.
Dito ao vigario da villa do Jardim.Tenho pre-
raais lempo; muito principalmente tendo VV. SS. sent a estatislica succinta que V. Rvma. enviou
desempenhado com zelo a tarefa de que os inenm- era data de 3 do corrente.
bi, e compondo-se a actual mesa regedora de ir- Dizendo V. Rvma. que essa freguezia tem urna
maos prestrnosos e dedicados, que, animados do capella distante da matriz quatro leguas, e outra
mesmo zelo de VV. SS. nao hesitaro em concor- distante dez leguas, com a invocago de s. Sebas-
rer cada um com os seus servigos e com a sua tiao, cumpre que me declare se ambas essas ca-
pellas lem a invocago de S. Sebaslio ou se
smenle a ullima; e nesle caso, qual a invocago
da outra.
20
CiOVERNO DO BISPADO DE
i'i;ii\iHiti(0.
SEDE VACANTE.
Expediente do dia lo de junho de 86i.
Oficio a commissao administradora das obras da
matriz de S. Jos.Tenho presente o offlcio de VV.
confiei de concluirem as obras da nova matriz de
S. Jos, visto estar o novo templo funecionando, e
poderem as obras que fallara ser concluidas pela
mesa regedora da irmandade do Santissimo Sacra
ment da mesma matriz.
Sendo esta a lerceira vez que VV. SS. pedem a
sua exonerago, julgo que nao devo insistir por
umn diaku.
Vai hoje scena no Santa Isabel o Pedro Sem,
i:ujo mrito conbecido do ^sso publico, quesem-
pre o apreciou devidamenle.
O papel de Pedro desempenhado pelo distincto
aca.T Amodo, eo seu trabalho ha de agradar pela
cabal compreheoso do carcter da personagem.
da Silva, que a i Deram-se hontem a sepultura os restes mor-
1 taes do Dr. Ignacio Nery, sendo levados mao pe-
los seus amigos desde o convento do Carmo at a
ponte da Eoa Vista.
Correm noticias de ter-se dado em Page
ura conflicto entre a forga publica e o criminoso
que alli existe cercado de varios malfeilores, resul-
tando delle a morte do urna auloridade policial.
Alera disto, fallam tambem na morte de um Si-
queira, suppondo-se al ser o alferes Carlos de Si-
queira, segundo o que se espalha.
No entretanto, nada podemos garantir a respeito,
parecendo todava que naquella comarca a trao-
quillidade publica nao se acha em condices favo-
raveis.
Falleceu na enfermara da casa de detengao,
as 3 /i horas da tarde do da 25 do corrente, de um
pulraouile chronico, Cassirairo Marinho Falco ou
Espindola, Hlno de Anlonio Marinho e Mara The-
reza, pardo, casado, idade de 32 annos, natural do
Brejo da Madre de Deus, profissao agricultor, con-
demuado pelo juiz do termo do Brejo da Madre do
Deu-.em 22 de setembro de 1859, a 14 annos de
priso.
Procedeu a exame de idenlidade de pes>oa o sub-
delegado da freguezia da Boa-Vista.
Depois de amanhaa se extrahir a quinta
parte da quarta e primeira da quinta lotera da
Sania Casa de Misericordia (2o1), sendo o maior
premio 6:0001.
Pela delegaca de policia do primeiro distric-
to do termo desta cidade, desde o Io de Janeiro ao
ullimo de dezembro do auno passado, e do 1 de
Janeiro ao ultimo de juoho do corrente nno, fo-
ram decretadas 381 prisoes, pelos motivos seguin-
tes:
Para correcgo 96, averiguagoes em diversos
crimes 38, recrutas 34, infraegoes de posturas 25,
ditas do regulamento da estrada de ferro 23, escra-
vos fgidos 21, disturbios 17, roubo 13, desertores
II, morte 9, ferimentos e offensas physicas leves 9,
injurias verbaes e insultos 8, escravos a requisigao
dossenhores 8, embriaguez 8, furto 8, ferimentos e
offensas physicas graves 7, custodia 6, jogos pro-
hibidos 5, furto de escravos 4, tentativa de rapio .'!,
peculalo 3, tentativa de morte 3, nfraegao do re-
gulamento militar 3, damno era edificio publico 2,
roubo com incendio 2, vagabundos 2, requisigo
dos commandantes da guarda nacional 2, damno i,
condemnado om termo estranho 1, estupro 1, es-
crayo a requisigo do depositario I, estellionato 1,
moda falsa 1, injurias verbaes contra funecionario
publico 1, desobediencia i, damno em objecto que
presta utilidade publica 1, tentativa de estellionato
i, pronunciado na subdelegada de Santo Aotonio I,
uso de arma defeza 1.
Foram apprehendidos em dito prazo 8 cavallos
fuados, sendo entregues a seus dous 5, e 3 foram
remetiiJos ao juizo de ausentes.
Em virtude de infracgdjs verificadas na delega
ca e no referido prazo, aos cofres da companhia
da estrada de ferro ro recolhida a quantia de 100
e aos da cmara da capital a quantia de 2:2165
ris.
Eoi apprehendida a quantia de 1215000 e dessa
quantia foram entregues 1035, e existe nos cofres
da policia a de 185000, sendo raetade em notas e
outra melade em urna moda de ouro.
coadjuvagao para a concluso das obras que ainda
fallam.
Concedendo, pois, agora a demisso por vezes
supplicada, cumpre-me agradecer cordealmente a
VV. SS. a dedicagao com que serapre me coadjuva-
ram, e os relevantes servigos, os sacrificios mesmo
Offlcio ao coadjutor pro-parocho de Piassabu
que fizeram para que o novo templse abrisse g.-O offlcio de V. Rvma., daiado do Io do corren-
venerago publica no memoravel dia por mlm de- le, encheu-me de vivo prazer pela grata noticia
signado.
Dito mesa regedora da irmandade do Santissi-
mo Sacramento da nova matriz de S. Jos.Tendo
a commissao encarregada das obras da nova matriz
de S. Jos por varias vezes me pedido exonerago
do cargo para que a nomeei, e havendo-rae agora
que me irouxe de haver no tempo de meu governo
mais urna converso notavel pelas circunstancias
que a acompanham.
Deus se dignou tocar com a sua graga o in-
glez Alian Brown, e servlndose de meios indi-
rectos, f>lo conhecer o orro em que viva, e Ihe
novamente oficiado nesse sentido, em data de 2 do Inspiro o desejo de ahandonar a sua sen e abra-
correte, enlendi que devia acceder ao sea pedido, car a religiao catholioa apostlica romana, nica
ltKi'.urrig \o oa polica :
Extracto da parle do dia 26 de julho de 1865.
Foram recolhidos casa de detengao no dia 2o
do corrente:
A' ordem do subdelegado de Santo Anlonio, Igna
ci, escravo de Joo Antonio, por fgido.
A' ordem do de S. Jos, Venerando Antonio de
Oiiveira, por disturbios; e Romana, escrava de
Tbiago de Tal, por fugiada.
O chefe da 2.* secgao.
J. G. de Mesqoita.
Casa de df.tencao.Movimento do dia 25 de ju-
lho de 1865 :
Existiam 333; entraran) 3; sahiram 7; fallecen 1;
existem 348 a saber : nacionaes 258; mulheres 7;
estrangeiros 25 ; esrangeiras 2.; escravos 52; es-
cravas 4, total 348.
Alimentados a costa dos cofres pdicos 165.
Morreu na enfermara desta casa, no dia 25 de
julho de 1865, Cassirairo Marinho Espindola.
Ckmiterio publico. Obituario do dia 25 de
Julho :
Joaquina Anglica de Paulo Barreto, Pemarabuco, I
60 annos, viuva, S. Jos, cancro no ulero.
Jos Pereira, Pernambuco, 52 annos, vluvo, Boa-
Vista, tubrculos pulmonares.
Joanna, Angola, 60 annos, solleira, Boa-Vista, dita-
taco da horia.
Maria, Pernambuco, 12 mezes, Boa-Vista, convul-
soes.
Andr (liberto), frica, 80 annos, solteiro, Boa-Vis-
ta, diarrha.
Bernarda, frica, 60 annos, solteira, Boa-Vista, tu-
brculos pulmonares (escrava).
Guilherme, Pernambuco, 26 annos. solleiro, S. Jos,
paralysia.
HH0NIC4__J(JICIAKU
TIUHI/.VII, DA. ltKI,A/.10.
SESSO DE 22 DE JULHO DE 1865.
PRESIDENCIA DO EXM. SR. CONSELHEIRO
SOUZA.
As 10 horas da manhaa, presentes os Srs. des-
embargadores Santiago, Gitiraoa, Lourengo Santia-
go, Almeida Albuquerque, Assis, Doria, Molla,
Guerra procurador dacora, Ucha Cavalcanli,
Domingues da Silva e Barros Vasconcelos, abri-
se a sesso.
Passados os feilos, deram-se os seguinles
JULO AMENTOS.
Appeltaroes civeis.
Appellaute, Anastacio" Jos da Silveira ; appel
lado, Alexandrino Marlins Correia de Barros.
Confirmada a senienga.
Appellante, Jos Joaquim Antunes; appellado,
Manoel Firmino Ferreira. Confirmada a sen-
tenga.
Appellante, a irmandade de N. S. da Soledade ;
appellados, os berdeiros de Jos Maria da Costa
Carvalho.Confirmada a senlenga.
Appellante, i). Joanna da Silva Medeiros ; ap-
pellada, a fazenda.Confirmada a senlenga.
Appellante, o baro de Guararapes ; appellado,
Jos Francisco de Fanas Salles. Conflrmada a
senlenga.
Appellante, Antonio Virialo de Medeiros; ap-
pellada, D. Rosa Maria de Albuquerque. Con-
firmada a sentenga.
Appellante, Dr. Bento Jos da Costa Jnior; ap-
pellada, a irmandade de Santa Anna.Reformada
a sentenga.
Appellante, Jos Narciso Camello; appellados,
Antonio Pereira de Freitas e outro*.Desprezaram
os embargos.
Appellante, Tristo Antunes de Alencar ; appel-
lada, a fazenda.Desprezaram os embargos.
Appellante, Manoel Patrio do Nascimenlo ; ap-
pellada, D. Margarida Mara da Paixao. Mullo o
processo.
Appellante, D. Maria da LuzTeixeira Costa ; ap-
pellado, Jos Joaquim Ferreira de Souza.Nullo o
processo.
Appellante, Jos Joaquim Ozorio e outros ; ap-
pellado, Luiz Paulino Cavalcante de Albuquerque.
Annullou-se o processo
Appellanle, D. Maria da Penha de Franca ; ap-
pellado, o menor Urbano, por seu curador.Mau-
daiam descer os autos para serem julgados por
luiz competente.
Appellai;ao crime.
Appellante, Maria Joaquina de Souza Rolim ; ap-
pellada, a jusliga.Confirmada a sentenga.
Habeas-corpus.
Concedeu-se ordem a Manoel Soares para a ses-
so de 26 do crrente.
DESIGNACAO DE DIA.
Assignou-se dia para julgamento das segura-
tes :
As appellagSes civeis.
Appellanle, JosSeraeo de Franca; appellado, o
curador geral.
Appellanle, Manoel Vicente Tavares ; appellado,
Leandro Pereira Barbosa.
PASSAGENS.
Do Sr. desembargado!- Santiago ao Sr. desembar-
gador Gitirana
As appellagdes civeis.
Appellantes, Manoel Gamillo Pires Falco e ou-
tro; appellado, Paulino Pires Falco.
Appellanle, Antonio Jos de Medeiros Bittan-
ceurt; appellada, D. Anua Felicia de Macedo e
Mello.
Do Sr. desembargador Almeida e Albuquerque ao
desembargador Assis
A appellago civel.
Appellanle, Alexandre Correia de Castro ; ap-
pellado, Tristo Jacome de Araujo.
A appellago crime.
Appellante, o juizo; appellado, Manoel Silvino
da Silva.
Do Sr. desembargador Assis aoSr. desembarga-
dor Doria
A appellago crime.
Appellante, o juizo; appellado, Manoel Joaquim
de Carvalho.
As appellagSes civeis.
Appellantes, Pantaleo e Margarida, escravos ;
appellados, Joo da Silva Farlas e oulro.
Appellanle, Joo Ferreira da Costa Imbuzeiro ;
appellados, Joao Jos da Silva e outro.
Appellante, Andr Pires Visgueiro de Albuquer-
que ; appellado, Jos Felippe Bezerra de Menezes.
Do Sr. desembargador Doria ao Sr. desembar-
gador Molla
A appellago crime.
Appellante, o juizo appellado, Francisco Bor-
gesMacambira.
A appellago civel.
Appellante, Lourengo Puggi ; appellado, Ignacio
Luiz de Bulo Taborda.
O conflicto de jnrisdicgo entre os jaizes muni-
cipaes de Bonito e Agua Preta.
Do Sr. desembargador Motta ao Sr. desembar-
desembargador Almeida e Albuquerque
A appellago civel.
Appellanle, Manoel Gongalves Agr ; appellada,
a fazenda.
Ao Sr. desembargador Ucha Cavalcanli
A appellago civel.
Appellante, Joo Tavares de Mello ; appellado,
a preta Tbereza.
A appellago crime.
Appellante, o juizo ; appellados, Pedro Flix de
Souza e outro.
Do Sr. desembargador Guerra ao Sr. desembar-
gador Ucha Cavalcante
As appellagSes civeis.
Appellante, Joo Pinto de Leraos Jnior; appel-
lados, Jos Borges Dias e outros.
Appellante, Joo Ferreira de Carvalho; appel-
lado, Joo Felippe da Cunha Bandeira de Mello.
Do Sr-desembargador Ucha Cavalcanli o8r,
desembargador Domingues da Silva
As ppellacoes crimes.
Appellante, o juizo; appellado, Francisco Jo>
dos Santos.
Appellante, o promotor; appellado, llercolano
Nuiles Pessoa.
Do Sr. desembargador Domingues da Silva ao
Sr. desembargador Barros Vascoocellos
As appellagSes civeis.
Appellante, Bernardino Lopes de Oiiveira ; ap-
pellado, o bacharel Miguel Jos de Almeida Per-
nambuco.
Appellante, Francisco Marinho de Albuquerque
Mello ; appellado, Francisco Jos Vianna.
Do Sr. desembargador Barros Vascoocellos ao
Sr. desembargador Santiago
A appellago civel.
Appellante, Joao Francisco Alves da Silva ; ap-
pellado, o pardo Antonio.
As appellagSes crimes.
Appellante, o promotor; appellado, Ago*uho
Soares Machado.
Appellantes, Anto Bezerra Leite e outros ; ap-
pellado, o juizo.
A' 2 horas encer-r ^ ,.e a sesso.
= e-
TKIlli; VIL DO l'OnJIKKCIO
ACTA DA SESSO ADMINISTRATIVA DE 24 DE
JULHO DE 1865.
Presidencia do Exm. Sr. desembargador A. B. Jos
dos Res e Silva.
s 10 horas da manhaa, estando reunidos os Sr-.
depulados Rosa, C Alcoforado, Basto e Miranda
Leal, e presente o Sr. desembargador fiscal, o
Exm. Sr. presidente nterin) declama abena a
sesso, apresenlando nessa occasiao um ooVio do
Exm. Sr. desembargador. Anselmo Francisco Te-
retli, do 22 do c Trente, convidaodo-o a presidir o
tribunal, visto achar-se annojado pelo (alleeioealo
de seu irmo T. C. Ferelli.
EXPEDIENTE.
Um offlcio da junta dos corretores, com dala de
hoje, remetiendo a eolaco dos prego* da praga
semana prxima linda.Archive-se.
Distribuiram-se aos senhore depulados os livroa
Diarios de entradas e sabidas, e o de coMas cor-
rentes do agente de leiloes Antonio Jos Cordeiro
Simoes.
DESPACHOS.
No requerimento de Antonio Domingues de Al-
meida Pogas, pedindo o registro de um papel par-
ticular de quitagao dada por seus credores : Vis-
ta ao Sr. de.-erabargador fiscal.
Sendo conclusos os autos de rehabilitago de C
J. Aslley & C, adiados da se?so pasada, r os de
Jos Alves Fernandes : Concedeo-se a rehaUli-
tagao dos mesmos.
Com ioforraago do Sr. desembargador fiscal :
No requerimento de Lourengo Rib-iro da Caoba
Oiiveira e Jos Joaquim Das Paredes, pedindo o
registro do sen contrato de soeiedade sob a firma
de Oiiveira & Paredes : Regstrese. *
No da direegao da companhia de seguros lod-'m
nisadora, sobre o qual poz duvida o Sr. ooVial-
maior :Satisfaga o parecer fiscal.
Nada mais havendo a tratar, o Exm. Sr. presi-
dente encerron a sesso s onze horas e neia da
manhaa.
TRIBUNAL DO COMMERCIO JUDIC1ARK) EM t\
DE JULHO DE 1865.
Presidencia interina do Exm. Sr. desembarga-
dor A. B. dos Reis e Silva.
Secretario, Julio Gmmatet.
s 11'.; horas da manhaa o Exm. Sr. presidente
interino declarou abena a sesso para mero expe-
diente, visto acharem-se prsenles s:nente o Sr.
desembargador Accioli e depulados Rosa. Caadido
Alcoforado, Bastoe Miranda Leal.
Lida, foi approvada a acta da precedente ses-
so.
O Exm. Sr. desembargador Res e Silva apreseo-
tou o offlcio de 22 do correnle, qoe Ibe dirigi o
Exm. Sr. presidente deste tribunal commuaican-
do-lhe que se acha annojado pelo passamen
seu irmo Thora Carlos Pereiti, e que por be*
convidava*o a assumir a presidencia do ntesnto
tribunal em quauto durar esse impedimento.
O Sr. desembargador Silva Guimares partiogoa
que achando-se Incommodado nao pode compare-
cer presente sesso.
Foi lido pelo Exm. Sr. presdeme interino o ohV
cio de 27 de junbo do correnle anno do Exm. Sr.
conselheiro presidente da supremo tribunal de ins-
tiga, cummunicaudo que loi alienJda a recUma-
go de anliguidade do Sr. desembargador CustodM
Manoel da Silva Guimares, ficando o reclamante
collocado oa ullima lista logo depois do Sr. desea-
bargador Manoel de Cerqueira Pinto.
Nao tendo podido comparecer o Sr. desembar-
gada Silva Guimares, e havendo assamido a pre-
sidencia interinamente o Sr deseinbriiador R
Silva, nao pode por isso haver julgam-nto.
Nada mais havendo a faur-se, encerroo-se a
sesso meia hora depois de abena.
?ULA(!5M A PEDLK
Declarago.
Para evitar equvocos, declaro a queu cosvier
que nesta data, ficara inlera e absolutamente ra-
sados os poderes que. por ama procurago especial,
trausmiui a meu sogro, o Sr. Manoel Gomes Vle-
gas, para sublocar, receber os alugueis e pagar a
decima dos predios ns. 13,15,17,19, e SI da roa
do Destino (Boa-Vista).
Arainislrador legal deste predios por eoastiluir o
dote de minha mulher, sou o nico competas* po-
ra tratar de todesos negocios e de todas asqoesie*
que Ihe forem relativos.
Nao accetare reclamago alguma qoe se loada-
mente em a igooroncia desta minha declarara. .
Recife, 21 de julho de 1863.
flor tao Jos de Mira
Subscrlpcio patritica.
Continuaeo das peasoas ooe leo articripli pata
a Associaeaa Prtlectara das Familias dos Ttaav
tarios da Patria.
Dooalivos.
Capilao Francisco Ignacio de Paiva
Dito Francisco Alves Maciel .
Manoel Rodrigues dos Sanios .
Joaquim Alves da Silva Valonea. .
Filippe Nery de Barros Xavier .
Tenente coronel Loix PaoUs) de
Hollanda Valenga .
Benio Vieira Pinto ......
Joaquim Ferreira Ca'jado. .
Berpardi oo Meov ros do maral. .
Carlos Man de Mello ....
Anlonio ajares de Sooxa. .
Caeur 0 Fernandos de Hollaoda e
, *,ouza.........
Candido Manoel de Soaza Oiiveira ..

Til I A \ a a 1
l


_____:.-:-r -. :_.
Diario de rernambnco Quinta e-fro. 97 de Julho de *8.

Francisco Manoel de Souza Oliveira 505000
Jos Brando da Rocha 20*000
Mauoel de Barro- A. Lias 20400.
Claudmo de Almeida..... 124000
Bento Gorreia de Almeida 10*000
Um anonymo....... 104000
Jos Leonardo da Costa .... 10>000
Professor Silvestre Antonio de Souza 10*000
Joao Manuel de S...... 104000
Luciano Camello Pessoa de Siqtieira 104000
Alejandre Rodrigues da Silva 104000
Hermogenes Pereira de Santa Auna. 104000
Joaquim de Barros e Silva G4000
los No da Silva Burgos 54000
Joaquim Jos de Santa Auna 54000
Filippe Manso de Santiago 54000
Joaquim Jos Correia..... 54000
Florentino Manso da Silva 54000
Luiz Antonio de Almeida Cosa. 54000
Manoel Adolpho da Silva Ramos.... 540OO
Jos Thom de Oliveira..... 54000
Joao Gomes de Mello...... 54000
Paulino Manoel de Souza Oliueira 54000
Jos Mauoel de Souza Oliveira 54000
Joao Manso da Silva....... 24000
Antonio Rufino da Silva..... 24'00
AgoatioM Josii de Vascooce/los 24000
Laureotino Cordeiro Lima. 2* loao BapUsU da Silva...... 2&000
Antonio Jorge da Silva..... 14000
Por oni anno, teao principio em mato do correnle.
Pnsciano de Barros Accioli Litis. 104000
S. A. Accioli Lins ........ 54000
O thesoureiro,
Luiz Jos Pereira Simoes.
TTM
D'OIA
Molestia Ulcerosa
Curada.
Todos nquelles que se achao suicitos eof-
frer molestias scrofulosas, ulcerosas, ou syplii-
liticas, ainda mesino as reputadas de peior
natureza, a]xnas necessitao de lr o seguinte
caso maravilhoso, para que se sintao inteira-
mente convencidos que a sua propria cura.
no s meramente possivel man aim absolu-
tamente cerca.
Joao Jse Feriieira Bakboza, residente
na Cidade de Maranho. tinha todo o sen
corpo coberto de clingns ulcerosa, e durante
algunos annos se achava debai xo do tratamento
de mdicos os mais afamados, tendo usado
durante todo este tempo quasi toda a especie
de medecinas que em taes casos empregada
pela faculdade medica, pore'm debalde sem
obter o menor beneficio ou alivio: acbando-s
po'iH em taes apuros elle finalmente resolveu-
*e, depois de repetidos e baldados esforcos
fazer uso da,'
Salsaparrilha
DE BRISTOL.
No todo elle apenan chegou a tomar Cinco
Garrafas de Saiaparriltia e quatro frascos das
Piluiai Vegetaes Assucaradat, a o resultado
foi elle obter una completa e perfeita cura.
Os Seirs. Ferbeika & Cia., Droguistas do
Maranbao, forao quem supprirao os medica-
mentos, e acbo-se perfcitnmente ao facto
d'esle caso, e os mesmos Senbores, nao s se
acbao proraptos confirmar o mesmo, como
tamlK-m em forneccr o actual adresso do Ser.
Bar hoza, toda e qualquer pessoa que por
ventura se desej informar da verdade.
Becommenda-se mui particularmente aos
Doentes que tenbao o maior cuidado na escolba
deste excellente remedio, nao usando outro
nao ser a Genuina Salsaparrilha de Brlstol,
a qual exclusivamente preparada por
LANMAN & KEMP,
De NOVA YORK,
pois que todas as mais sao ineificazea e de neo
bum pingino
Vende-se as boticas de Caors & Barbosa
e G. Bravo A C.
4. N'essas circumstancias admira-nos
que um conselho de sade publica se tenha
decidido sem informaces mais certas, a
mandar prescrever ou mesmo a por em sos-
peso medicamentos, cujas excellentes qua-
lidades e perfeita prepararlo tem sido, des-
de mtiitos annos, r> conhecidas por todos os
membros mais distincios do corpo medical,
e que tem os nicos defeitos de serem me-
lhores, menos caros e mais procurados do
que todos os remedios de' seus concur-
rentes.
A Jurubeba.
As virtudes therapeutiras da jurubeba sao desde
muilo conhecidas nao s no Brasil, pois que dellas
tratou Pisn em sua excellenle obra Historia na-
turalis el medica Indtwoccidentalis, seno as
Antilhas, onde o sueco das folhas e fructos como
aqui, muto estimado e applicado contra as obs-
truegoes abdomlnaes, principalmente do figado e
bac,j e se loos os facultativos desla provincia o
nao applicam cow frequencla, isto se nao deve a
nao reeoohecerem el/es essas virtudes, mas slm a
nao serem encontradas com tacilidade e em lodas
as estacoes do anno os fructos dessa planta, e re-
pugnancia, que aprosrnlam os deentes em fazer
uso do sueco desses fructos, em consequencia de
ser extremamente amargo.
A jurubeba nao descouhecida dos botanistas :
esta planta pertence familia das solaneas, e lem
a denominadlo de solanum paniculatum, que lhe
fol dada por Lyneo.
Parecendo-nos conveniente facilitar o uso do
sueco dos fructos da jurubeba, que o mais em-
pregado, nos propozemos e conseguimos preparar
com elle nao s um extracto alcoolico que pode ser
applicado em pilulas, mas tambem um vinho, um
jarope, e um emplastro que pode substituir, em
certos casos, o de Vigo ; e estamos persuadidos que
com isto prestamos um servico humanidade e
therapeutica.
Pisn, tratando da hydropesia, prescreve a de-
COeeSo das raizes da jurubeba, e Mrat e Delens,
em seu Diccionario de materia medica e therapeu-
tica, dizem que as Anchas se faz uso do sueco
dos fructos maduros dessa planta contra o catar-
rho vesical ; e a autoridade dos nomes desses m-
dicos, merecidamente celebres, nos leva a crer em
suas palavras, e por isto cuidaremos de ter em
nosso estabeleciment essas raizes, para que possam
ser experimentadas.
A reputado da jurubeba tal, e os resultados
therapeuticos oblidos ltimamente sao to impor-
tantes, que nos parece intil dizer mais do que
isto, que fica escripto.
Deposito: pharmacia de
Joaquim de Almeida Pinto.
COMMEBSIO.
PRAGA DO RECIFE.
Cola,oes offlciaes.
26 de julho.
Algodao primeira sortc 184000 e 194000 por
arroba.
Algodao segunda sorte17;000 por arroba.
Frite de algodao para Liverpool5/8 e 5 0|0 por
libra (vapor).
Dubourcq Jnior,
Presidente.
Guimares,
Secretario.
Caixa filial do lia neo do Brasil en
Pema albuco.
A directora desta caixa saca sobro o banco do
Brasil no Rio de Janeiro e sobre a caixa filial do
mesmo banco na Bahi.
Novo hhco de pernambii'o.
Os administradores da massa fallida de Joaquim
Jos Silveira pagam o Io dividendo de dita nrnsa
na razo de 9 0/0 sobre o valor des ttulos ad-
meltidos : no novo banco de Pernambuco ra
do Trapiche 11. 34.
Xovo banco de Pernam-
buco.
O banco descoma letras na presente semana a
9 por cento ao auno at o prazo de seis mezes,
Caixa flllal eiu Pernambuco.
De ordem da directora desla caixa se faz publi-
co aos senhores accionistas, que o respectivo the-
soureiro est autorisado a pagar o 23 dividendo
do semestre findo em 30 de jonno ultimo a razo
de I ".'-i por arco.
Caixa filial do banco do Brasil 15 de julho de
1863.
O guarda-livros,
Ignacio Nunes Correia.
ALFANDEGA.
Reudimento do dia 1 a 25......
dem do dia 26...............
403:397,5716
H:882502
417:280,5218
MOVIME.NTO DA ALFADEGA.
Volumes entrados com fazendas___ 117
com gneros..... 473
1 dito dita de la ; a Semplon.
8 ditos ferragens; Patn Nash & C.
100 barris-mantelga: a Southall Mellors ic C.
24 caixas machinas; a Bowmann.
Brigue inglez Harmston, entrado de Liverpool,
consignado a Patn Naslh & C, manifestou o
seguinte:
50 saceos; a Costa Amorim. 8.000 bragas at o porlao da bsrrelra da ponte
37 ditos dito; a ordem. dos Carvalhos, aveliados em 5:313*000.
50 barris asphalto; a M. F. Ferreira. A arremataco ser eita na forma da lei pro-
30 barris barnlha; a Juhnston. vincial n. 343 de 15 de maio de 1834, e sob as
10 caixas conservas; a Monteiro. ; clausulas especiaes abaixo copiadas.
30 toneladas carvao; a Patn Nash & C. As pessoas que se propozerem a essa arremata-
J rollos chumbo; Izidoro Netlo. | qao, comparegam na sala das sessCes da referida
8 caixas cutelena; ao mesmo. ; junta, no dia cima mencionado, pelo meio dia, e
100 barricas cerveja; a Theod Chrisliansen. competentemente habilitadas.
100 ditas dita a Saunders Brosters. E para constar se mandou publicar
00 ditas dita; a Monhard; pelo jornal.
50 ditas dita; a D. Matheus. Secretaria da thesouraria pro incial de Pernam-
20 barricas cemento; a Gibson. buco 13 de julho de 1865.
5 barris estanto; a Azevedo Netlo. o secretario
10 fardos estopa; a ordem. _.. A. F. d'Annuncia'c>.
10o caixas folha de flandres; a Patn Nash & C. Clausulas especiaes para a arremaiacao.
2i ditas dita ; a D. Monteiro As obras dos reparos da estrada e embarrea-
78 volumes ferragens; a P. Nash & C. ment, entre o marco de 8,000 bracas e a barrei-
7 ditos ditas: a Izidoro Netto & C. ra da ponte dos Cirvalhos na estrada do sui, serao
lo diios ditas; a Saunders Brothers & C. feitas de conformidade com o orcamento junto na
5 caixas fio ; a Isidoro Netto de C. importancia de 5:313,5.
21 volumes faienda de algodao ^ a Pmpps Brc- 2 O arrematante dever principiar as mencio-
c? $. j-. r. u ,1 u nadas obras no praso de 15 dias e conclu-las no
01 dio, dita de dito ; a Southall Mellors. de 5 mezes, ambos contados da dala da approva-
10 ditos ilua de dito ; a Th. Lhnstianren. Qo da arremataco
9 ditos diU de dito ; a Mouhard. 3. o pagamento ser realisado como determina
0 f. ?'. a f-" a ?riem' ar"' 79 do regulamento de 9 de julho de 1864
s ditos dita de dito ; a J. Paler. e a responsabilidade da entrega definitiva s ser
8 Olios dita de dito; a Isidoro Netto & C. applicavel aos calamentos e alerros dos mangues.
8 ditos dita de dito ; a Rabo Schamettau. 4' Para ludo o mais que nao se lem especifica-
4 ditos dita de dito ; a A. C. de Abreu. do as presentes clausulas, seguir-se-ha o que de-
2 ditos dita do dito ; a Doyle. termina o regulamento cima citado.
1 dito dita de dito; a A. Hamburger. Conforme-A. F. d'Annunciaco.
1 dito dita de dito ; a J. Keller & C. o Illm. Sr. inspector da thesouraria provincial,
l dito dita de dito ; a Mello Lobo. em cumprimento da ordem do Exm Sr. presiden-
1 di lo dita de dito ; a O. Bohres. te da provincia, manda fazer publico que no dia
5 ditos dna de laa ; a Th Chrisliansen. 27 do correte, peraote a junta da fazenda da mes-
4 ditos de dita ; a Phipps Brothers. ma thesouraria, vai novamente a praca para ser
3 ditos de dita ; a Southall Melloss. arrematado a quem por m^nos lizer o fornecimenlo
2 anos de dita ; a Adamson Howei. dos medicamentos e uteocis precisos a enfermara
i a a a ita a 1 LoDes- da casa de detenfo desta cidade, servinda de base
1 dito de dita ; a Isidoro Netlo. a arremataco e offeredmento de 20 % de abate
11 ditos dita de linno ; a J. Pater. nos precos do respectivo formulario, felo pelo licl-
6 ditos de dito ; a ordem. tante Jos da Cruz Sanios.
4 ditos de dito ; a G. C. Scott. a arremala^ao ser feita por tempo de 11 mezes
2 ditos de dito ; a Doyle. ; a contar do 1 de agosto prximo vindouro.
2 ditos de dito ; a Southall Mellors. e para constar se mandou publicar o presente
1 dita de dito ; a Patn Nash. 1 pelo jornal.
25 caixas genebra ; a A. D. Monleiro 5 Secretaria da thesouraria provincial de Pernam-
5 cascos louca ; a I Netto & C. buco, 14 de julho de 1865.
1 dito dita ; a Th. Chrisliansen. q secretario
I fardos lona ; a Pathon Nash. a. F. da Annunciaco.
o barris manteiga ; a ordem. o Illm. Sr. inspector da thesouraria provin-
4 caixas objectos de seleiro ; a Patn Nash. cial, em cumprimento da ordem do Exm. Sr. pre-
8 barris oleo de linhaga a E. R. Rabello. sidente da provincia, manda fazer publico, que no
W barris pregos ; a Rothe & Bidonlac. dia 3 de agosto prximo vindouro, perante a junta
2o caixas papel; a ordem. da fazenda, da mesma thesouraria, se ha de arre-
99 pesos de ferro ; a I. Netto & C. matar, a quem por meno fizer a obra do empedra-
10 toneladas p-dras de lastro ; ao capitao. ment, na extensao de 155 bracas no lanco da es-
223 caixas sabao; a J. Pater. irada de Oujary cidade de Goianna, avahada em
3 caixas selins; a P. Nash. 1:3645000.
I dita ditos; a ordem A arremataco ser feita na forma da lei provin-
42 ditas vidios ; a P. Nash. cial n. 343 de 15 de maio de 1845, e sob as clausu-
lo ditas vmho ; a A. D. Monteiro. las especiaes abaixo declaradas.
8 ditas dito ; a J. Ryder. as pessoas que se propuzerem a essa arremata-
U ditos ditas de dito; a J. F. Lopes. cao comparegam na sala das sessSes da referida
8 ditos dita de dito; a II. & Azevedo. junta, no dia cima mencionado pelo meio dia e
4 ditos dita de dito; a J. A. de Azevedo. competentemente habilitadas.
3 ditos dita de dito; a Plups Brothers & C. E para constar se mandou publicar o presente
8 ditos dita de linho; a Adamson HoWie & C. pelo jornal.
Brigue inglez Zone, entrado de Liverpool, con- Secretaria da thesouraria provincial de Pernam-
signado a J. Pater & C, manifestou o seguinte: buco, 4 de julho de 186o.
100 saceos arroz, 13 meias caixas cha, 45 barr- O secretario
cas cerveja, 30 barris manteiga, 5 ditos oleo de li- A. F. da Annunciaco.
nhaca, 11 caixas phosphoros ; a Ramos e Silva & Clausulas especiaes para a arremataco.
GeP.[0S\ ** Empedrameoto de 155 bragas correnles no
13 caixas biscoutos ; aos mesmos. lanco de estrada de Bujary a-Goianna na impor-
5caixes biscoolos, 30 pecas cabos, 20 barris tancia de 1:364*000, ser felo de conformidade
manteiga ; a D. A. Matheus. com o respectivo orcamento, e as instrueces do
6 caixas brandey, 4 ditas phosphoros; a Silva engenheiro encarregado da fiscalisaco dos traba-
Junior. |nos.
147 pecas caldeira e pertences, 40 toneladas pe- i 2/ Os pagamenios serao feitos em duas presta-
dra para calcamenlo ; a Johnston. : c5es igoaes, a primeira quando estiver executado
12o toneladas carvjjf. 3 volumes fazenda de li metade de todo o servico ; e auliima na conclusao
nho ; a J. Paler. do irabalho.
38 volumes drogas e 3 ditos louga ; a C. Bravo' 3." O arremaiante comecar os trabalhos at o
,. i dia 1. de selembro e os concluir al o ultimo de
2zvelumes fazendas de algodao, 2 ditos dita de outubro do correte anno.
linho ; a S. Mellors & C. I 4.' O arrematante nao ter direito a indemnisa-
0 volumes fazendas de algodao ; a Lightbourn cao alguma, qualquer que seja a natnreza da aile-
& C. gaco, salvo nos casos previstos por lei.
2 ditos dila de linho ; a Nash & C. 5.* Em ludo o mais que nao vai especificado as
13 gigos louca, 7 volumes provlsoes; a J. A. prsenles clausulas, seguir-se-ha o que dispoe o re-
gulamento de 9 de julho de 1864.
Conforme.A. F. da Annunciaco,
O Illm. Sr. inspector da thesouraria provin-
Bieber & C, manifes- cial, em cumprimento da ordem do Exm. Sr. pre-
i sidente da provincia, manda azer publico que no
dia 10 de agosto prximo vindouro, perante a junta
da fazenda da mesma thesouraria se ha de arrema-
tar a quem por menos fizer os reparos de 88 bra-
cas de empedramento, entre os marcos de 3 a 4
mil bracas nos lugares denominados Aras do tu-
quia e ladeira do Vieira, na estrada da Victoria,
avahados em 1:969*000.
A arremataco ser feita na forma da lei n. 313
para Liver- <*e $ de maio de 1854 e sob as clausulas especiaes
abaixo declaradas.
As pessoas que se propozerem a essa arremata-
Cao compareca na sala dassesses da referida jun-
ta, no dia cima mencionado, pelo meio dia e com-
petentemente habilitadas.
E para constar se mandou publicar o presente
O Illm. Sr. inspector da ihesouraria provin- 3" Os pagamentos serlo feilos em tres preslacSes
cial.em cumprimento da ordem do Exm. Sr. pre- iguaes e correspondentes a cada lanco da obra exa-
sidente da provincia manda fazer publico que no culada.
dia 17 de agosto prximo vindouro, peraDte a jun- 4' SoTrera o arrematante urna multa de 100* so
ta de fazenda da mesma thesouraria, se ha de ar- paralvsar os trabalhos por mais de lo das,
rematar a quem por menos fizer, es reparos de 5* O arrematante cumprir as ordens que rean-
HrrLraas cor.rentes na estrada d0 sul> d0 mareo vamente ao servico, lhe forem dadas peloengenhei-
ro encarregado dos trabalhos.
6* Nao poder o arrematante pedir indemnisa-
gao sobre qualquer pretexto.
7* Para ludo quanto aqu se previnir, se obser-
var o que determina o regulamento de 9 de julho
de 1864.
Conforme,
A. F. da Annunciaco.
0 Illm. Sr. inspector da thesouraria provin-
o presente cial em cumprimento da ordem do Exm. Sr. presi-
dente da provincia, manda fazer publico que no
dia 10 de agosto prximo vindouro, perante a jun-
ta da fazenda da mesma thesouraria, se ha de ar-
rematar a quem por menos fizer a obra do empe-
: dramento de 280 bracas correnles entro os marcas
de 3 a 14 mil brcas na estrada da Victoria, ava-
hada em 3:599*200.
1 k arremalaco ser leita na trma da lei pro-
viocial d. 343 de 15 de malo de 18o, e sob as
clausulas especiaes abaixo copiadas :
As pessoa que se propozerem a essa ttranttMJIo
comparecam na sala das sessSes da referida Junta
no dia cima mencionado, pelo meio dia e compe-
temente habilitadas.
E para constar se mandou publicar o presente
pelo jornal.
Secretaria da thesouraria provincial de Pernetn-
buco, 10 de jnlho de 1865.
O secretario,
A. F, da Annunciaco.
Clausulas especiaes para a arremataco.
1' O empedram-nto entre os insrcos de'13 a li
mil bracas ser|executado de conformidade com o
respectivo orcamento na importancia de 3:599*200.
2a O arrematante comecar os trabalhos no pra-
zo de 15 dias e os concluir no de 5 mezes, ambos
contados da data da approvaciio da arremataco.
3a Os pagamentos serao feitos em tres presta-
coes iguaes e correspondentes a cada terca parte
da obra executada.
Silva.
350 caixas sabo ; a H. Forster & C.
Brigue austraco Soutemrdo Havre, entrado de
Trieste, consignado a N O.
tou o spguinte :
2,400 barricas farinha de trigo ; aos mesmos.
Patache nacional Bom Jess, entrado do Rio
Grande do Sul, consignado a Bariholoraen Louren-
co, manifestou o seguinte :
8.512 arrobas de charque, 150 arrobas de sebo
em rama, 60 ditas de dito em paes, 41) couros sec-
eos, 105 saceos farinha de mandioca ; a ordem.
Exportacao.
Barca ingleza AlUanca, carregou
pool :
1,603 saceos com 8,446 arrobas e 31 libras de
algodao.
Barca franceza Coligny carregou para o Havre :
1,000 saceos com 5,000 arrobas de assucar mas-
cavado, 1050 dilos com 5,429 arrobas e 14 libras
4' SolTrer o arrematante urna multa de 100* se
paralysar ( servico por lo das ou mais.
5* Nu poder o arrematante sob pretexto qual-
quer pedir indemnisagao alguma.
6' O engenheiro encarregado dos trabalhos dar
ao arrematante as instrueces a respeito do servi-
co, as qoaes serao observadas sem a menor discre-
pancia.
7" O que nao se aeha aqui previsto ser regula-
do como se acha determinado no regulamento de
9 de julnho de 186o.
Conforme,
A. F. da Annunciaco.
O Illm. Sr. inspector da thesouraria provin-
cial, em cumprimento da ordem do Exm. Sr. pre-
sidente da provincia, manda fazer publico, que no
dia 24 de agosto prximo vindouro, perante a jun-
ta da fazenda da mesma thesouria se ha de arre-
malar, a quem por menos fizer os reparos urgen-
tes de que precisa a cadeia da villa do Limoeiro,
avahados em 3:418*130 rs.
A arremataco ser feita na forma da le provin
cial n. 343 de 13 de raaie de 1854, e sob as clau-
sulas especiaes abaixo declaradas.
As pessoas que se proporem a essa arremataco
comparecam na sata das sessoes da referida junta,
no da cima mencionado, pelo meio dia e compe-
tentemente habilitadas.
E para constar se mandou publicar o presente
pelo jornal.
Secretaria da thesouraria provincial de Pernam-
buco, 21 de julho de 1865.
O secretarlo,
A. F. a"Annunciaco.
Clausulas especiaes para a arremataco:
1." As obras dos reparos da cadeia da villa do
Limoi-iro, serao feitas de conformidade cora o or-
camento respectivo na importancia de ris.......
3:418*130.
2.a O arrematante dar principio ao trabalho 15
das depois que se lizer a arremataco e as dever
concluir no prazo de 3 mezes.
3.a Os pagamentos serao feitos em 3 prestaooes
iguaes a cada terca parte da obra correspondente.
4.a O arrematante seguir na exteucao das obras
as instrueces do engenheiro, que a inspeccionar.
5.a Para tudo quanto aqoi nao estiver previsto
observar-se-ha o que dispoe a lei n. 286.
Conforme,
A. F. d'Annunciaco.
vando o que tor a bem de seo nireilos e jasliea,
s ob pena de proceder-se a rrvelia. s
E para que ciegue ao eoaDeeinwiMo tom,
maodei passar o presente que ttti poMkj-fc Mta
imprensa e afiliado nos lueares do eoMBm*.
Dado e passado nesta cidao> do Recite t Per-
nambuco aos 25 de julho de 1865.
Eu Manoel de Carvalbo Paes de Aodrad* e?eri-
vao o subscrevi.
/x r. ^- Tris,i0 de Alentar Ararif.
O Dr. Trlstao de Aleoear Araripe, ofnVul da t-
pena! ordem da Rosa, juiz de direilo e>p*rul do
commercio desta cidade do Recite de Pernam-
buco e seu termo, por Sua Ifcifestad* Iroperhl e
constitucional o Sr. D. Pedro II, a .uem Dnt
guarde ele, *
Faco saber pelo prilll que Confia A Irtaao
successores da firma de Imt Antonio da Casto A
Irmaos, por seus procuradores me diiiciram a ee-
UCao do theor seguinte :
Illm. Sr. Dr. juiz do commerrio. Dizem Coaha
& Irmao, succe.-sores da lirma de J.k Animo da
Cunha & Irmaos, que Ihes sendo Firmo i andido da
Silveira Jnior devedor da qoanlia o> 36:t*, e
Manoe! Jos Leile da quaolia de 68l*5UO rawto
esle de urna letrt sacada a 26 de ooiol.ro !< laW,
a 4 mezes de prazo, e aqaelle tambem de ama ca-
ira Wtra, sacada a 30 de dezembro de IKK), nm
o prazo de 9 meze, ambas das quanlias cima fi-
tas, e comoe-tpjama prescrever, nquerem ..- -u,-
plieattea a V. S., vista do ari 390 do rrgaUm*n-
10 n. 737, protesto, alim de inlerromper a pre-erip-
fo, porrn acootere que os sop: Irados estepm
em lugar incerio e nao sabido, qoerem josbhVar a
ausencia afim de sertm citados por editaos N.-i. *
termos pedem a V. S. defenmenlo.-E. R. II.-o
procurador, Joao Caelanc de Abren.
Segurado o que assun se continha em dita peti-
Cao, que me foi apresentada, na qoal dei'o despa-
cho do theor seguinte :
Jastifiquem no da 21 do correle roez, s II lo-
ras da mauhaa.
Recife, 19
Volumes sabidos com fazendas.
com gneros.
Sade publica.
Ilirifieaco a respeito de algnns dos medieiuentos
da casa Grimaull & G.
Alguns jornaes publicaran! urna ordena-
cao di conselho de sade portuguez, ;qoe
prescreveu os me-licamentos preparados pela
casa Grimault 6 G. de Pars, com o pretex-
to que esses acreditados pharmaceuticos
forara condemnados pelo tribunal do Seina
por terem vendido medicamentos secretos
e falsificados.
Essa ordenacao parecer bem extraordina-
ria quando se tiver lido as seguintes cir-fdjt canos
cumstancias:
1. A sentenca de que se trata foi dada
6obre a dennn<;iacao de um dos concurren-
tes dos Srs. Grimault & C, e sobre as in-
formaces inteiramente erradas que foram
dadas ao tribunal.
1. A sentenca foi dada por um tribunal
de primeira instancia, e nao tem valor al-
gara, logo que se appellou ; foi por urna
manobra desleal e contraria a todos os usos
que os concurrentes Sos "Srs. GrinaultA C.,
lizeram distribuir em grande numero os jor-
naes judiciaes e mandaran) publicar em
Franca e nos paizes 1 strangeiros urna deci-
so que nulla, sem nenbam valor emqnan-
to o tribunal imperial nao a tiv r approva-
do, e depois delle o tribunal supremo.
3." O tribunal imperial nao decidi, mas
sin, por urna sentenca de 17 de maio pr-
ximo pssado, ordenou nova wstori?, a que
tinlia motivado a deciso dos juizes da pri-
meira instancia Ibes tendo parecido insoffi-
cionte, depois das novas experiencias irrtei-
raaiente ixintradic'orias de tim cbimico e
pbysiologista eminente, o Sr. I).. Leconte,
ptarmaceutico em ebefe dos hospitaes, e
professor aggregado da faculdade de medi-
cina de Paris.
------- 592
38
329
------- 367
Descarregam no dia 27 do corrente.
Brigue sueco-Orwarfarinha de trigo e banha
de porco.
Brigue austriaco-Soutvmr dtt Havrefarinha de
trigo.
Barca ingleza Hidalgo ferro e mercadorias.
Vapor inglezGladiatordiversos gneros.
Escuna portuguezaD. J0S0charque.
Brigue nacionalCardiaidem.
Escuna diuamarquezaDoranaidem
Brigue hdspanholaVigilanteidem.
Brigue porluguezS. Josidem.
Barca ingle'.aMar y Lordcarvao.
Brigue inglezZonedem.
Brigue inglezAun Stamslandidem.
importarse.
Barca ingleza Hidalga, entrada de Liverpool,
manifestou o seguinte:
6 caixas machinas para algodao, 100 barras e 2
barris ac, 3 barris breu, 1 barrica rame de la-
lo, 2 fardos barbante, 1 caixa corres de ferro, 1
de metal, 3 barris e 2 feixes canos de
chumbo, 9 caixas cobre em folha, 4 barricas cute-
lena, 113 ditas eochadas, 1 volume razenda de
algodao, 875 barras e 193 feixes ferro, 24 chapa?
de dito, 6 caixas e 2 feixes ferro galvanisado, 35
volumes ferragens, 60 caixas de flandres, 100 ditas
gaz, 100 feixes ps, 10 barris salitre, 120 barris
tintas; a S. P. Johnston.
100 teneladas carvao de pedra, 18 caixas cb, I
barrica eoxadas, 22 volumes fazenda de linho, 16
dilos dita de la, 2 caixas objectos do armarinho, 3
ditas p'aoos, 50 toneladas pedra de cajeamento,
710 caixas sabo; a Johnston Pater & C.
100 barricas cerveja ; a Tneod Chrisliansen.
3 caixas drogas; a Caors & Barbosa.
4 ditas ditas; a B. F. de Souza.
10 rollos chumbo em folho, 10 barricas estanto,
22 ditas enxadas, 2 volumes fazendas de algodao, 1
dito dita de la, 175 barras de ferro, 100 caixas
folha deliMM 100 gigos louca, 20 barris sali-
tre -, a ordem de diversos.
RECEREDORIA DE RENDAS INTERNAS
RAES DE PERNAMBUCO.
de algodao, 656 couros salgados seceos com 17,620. Pel jornal.
libras, 743 dUos verdes_ com 36,335 libras. Secretaria da thesouraria provincial de Pernam-
GE- buco, 10 de julho de 1863.
O secretario,
34:837*231 A. F. da Annunciaco.
1:416*071 Clausulas especiaes para a arremataco.
---------------- Ia Os reparos do empedramemo da estrada da
36:253*302 Victoria, enlre os marcos de 3 a 4 mil bracas nos
====== lugares denominados Aras do Giqui e ladeira do
CONSULADO PROVINCIAL. : Vieira, serao feitos de conformidade com o respec-
Rendimento do dia 1
dem do dia 26.
a 23.
Illm. Sr. inspector da thesouraria provincial
em eumprimenti da ordem do Exm. Sr. presiden-
te da provincia, manda fazer publico, que no dia
24 de agosto prximo vindouro, perante a junta da
fazenda da mesma thesouraria, se ha de arrema-
tar, a quem por menos lizer os reparos da ponte
do Rio Formoso, avaliados em 1:531*000.
A arremataco ser feita na forma da lei pro-
vincial n. 343 de 15 de maio de 1854, e sob as
clausulas especiaes a baixo copiadas.
As pessoas qoe se proporem a essa arremataco
comparecam na sala das sessoes da referida junta,
no dia cima mencionado, pelo meio dia e compe-
tentemente habilitadas.
E para constar se mandou publicar o presente
pelo jornal.
Secrelaria da thesouraria provincial de Pernam-
buco, 21 de julho de 1865.
O secretario,
A. F. d'Annunciaco.
Clausulas especiaes para a arremataco:
1.a Os reparos da ponte do Rio Formoso, serao
o orcamento junto ua
de julho de 1863. Alencar Ara-
ripe.
Seguindo o que a.-sim se cooiinha em dito nva
despacho, por orea do qoal fra feita a diMnhui-
Cao ao escrivo deste meu julio Manoel de Carva-
lbo Paes de Andrade, o qoal em observancia ao
dito meu descacho lavrou o termo de protesto do
theor seguiute :
Protesto.-Aos 20 de julho de 1865, nesta lilade
do Recife, em meu carlorio, vieram os sopplieaa-
tes por seu procurador o solicitador J. o Caetano
de Abreu, e perante as lestemannas abano amlj-
nadas disse que reduzia a termo todo oronii-do
de sua petico rttro, o qual ifferecia como parle
do prsenle, e de como assim o disse e proie-iou
Gz esle termo no qual se assigooo rom as ditas tes-
temunhas, eu Manoel Silvino de Barros Patato,
escreveote juramentado o e>rrevi.
E eu Manoel de Carvalbo Paes de Andrade, es-
crivo o subscrevi.Joio Caetano de Abren.-Joao
Vicente de Torres Bandeira. Antonio Alvrs da
ronseca Jnior.
Segurado o que assim se continha em dito termo
de protesto, depois do qual prodozndo os supli-
cantes suas lesierounhas qoe depuzeram convemen-
lemente acerca da ausencia dos supplicado, o res-
pectivo escrivo fazendo sellar e preparar os auux
me os fez conclusos, nos quaes dei a sentenca do
theor seguinte :
Hei por justificada a ausencia dos sopplicadee,
que mando sejara citados por edilos de trila dias,
para o iim requerido a folhas 2, pagas as cu*ta-
ez-causa.
Recife, 22 de julho de 1863.-Trlslao de Alentar
Araripe.
Seguindo o que assim se roniinha em diu sea-
tenca aqui transcripta, e em observancia da qual
o respectivo escrivo que esle sobscreveo o fez
passar o presente pelo qual e seo iheor chamo, cito
e hei por citados aos mencionados justificados, ama
de que dentro do referido prazo de 30 dia compa-
recam ante este juizo allegando e provando o que
fr a bem de seu direito e justica, sob pena de re-
velia.
Porlaoto, toda e qualquer pessra, prente, amigo
ou contiendo dos mencionados supplicaoo poder-
Ihes ho fazer scienle de todo o expendido.
E para que chegue ao conhecimealo de lodos
mandei fazer o prsenle edilal, qne sera affixaao
dos lugares do costume e publicado pela imprensa.
Dado e passado m-ta cidade do Recife de Per-
nambuco, aos 25 de julho de 1865.-Eu Manoel
de Carvalho Paes de Andrade, escrivo o subs-
crevi.
Tnsto de Alencar Araripe.
DECLUAGGES.
Rendimentodo da i
dem do dia 26....
a 25......
40 caixas chumbo em lamina, 7 volumts ferra-
gens, 50 caixas folhas de flandres, 1 caixa machina
para algodao, 1 barrica vidros: a Prente Vianna
4C.
172 pe(as e 10 volumes ama caldeira e penen- j vai novamente a
ees, 1 caixa cha; a A. M.thens. quem mais der,
respec
100:384*597 tivo orcamento, na importancia de 1:969*.
1:084*028' 2a O arrematante dar principio aos trabalhos
--------------no prazo de 15 dias e os concluir no de 3 mezes,
101:468*625 arabos contados da acta da approvaco da respec-
tiva arremataco.
3a Os pagamentos serao feitos em duas presta-
C<5es iguaes, e correspondentes a cada metade da
obra executada.
4a O arrematante nao poder interromperos tra-
balhos por quinze dias ou mais, sob pena de ser
multado na quanlia de 100*.
5 Nao poder o arrematante pedir indemnisa-
Co sobre qualquer pretexto.
6a Na execuco do servico o arrematante obser-
var as instrueces que lhe forem dadas pelo enge-
nheiro encarregado dos trabalhos.
7a O que neslas clausulas nao se achar previsto
observarse ha o que disp5e o regulamento de 9
de julho de 1864.
Conforme,
A. F. da Annunciagao.
O Illm. Sr. inspector da tbe.-ouraria provin-
cial, ero cumprimento da ordem do Exm. Sr. presi-
dente da provincia, manda fazer publico que no dia
10 de agosto prximo vindouro, perante a junta da
fazenda da mesma thesouraria, se ha de arrematar
O Illm Sr insnectnr da mini nmmn a quem Dor menos Bzer. reparos do empedra-
cial, mTSjSiSSffJSSSS Sr e-'l Es na^rSda vT S Te *** '""
sidente da provincia de 17 do corrente, manda fa-: 5-fSi V ""' ava"adS em.....
zer publico, qoe a junta da fezenda da mesma tbe-! ******"
sourana recebe qualquer proposta acerca da ar- j A arremataco ser feita na forma da lei pro-
rematacao da fabrica de refinar assucar na povoa- vincial n. 343 de 15 de raaio de 1834 sob as clau-
Cao do Monleiro, ainda mesmo por venda a pjaso- sulas especiaes abaixo copiadas.
Os pretendentes comparecam na mesma thesou. As pessoas que se propozerem a essa arremata-
rana ate o dia 3 de agosto prximo futuro. 5I0 comparecam na sala das sessoes da referida
Secretaria da thesouraria provincial de Per- junta, no dia cima mencionado, pelo meio dia e
nambuco 9 de julho de 1865.O secretario. competentemente habilitados.
Navio entrado no dia 26.
Baha8 dias, polaca hespaohola Elegancia, de
264 toneladas, capllo Pedro Maristany, equipa-
gem, carga 1550 arrobas de carne ; a Amorim
irmaos.
Observacao.
Fundeou no lamaro urna galera porlugueza,
mas nao leve commuoicacao com a Ierra.
Nao houveram sahidas.
Suspendeu do lamarao para a Bahia do Saldanha
( na tosa da Afriaca ) a barca mecklembourg W-
me Hocufeld, capitao C. Schullze, com o mesmo
lastro que trouxe da ilha Assumpco.
SBITiES.
feitos de conformidade com
importancia de 1:551*000.
2.a As obras devero ser principiadas no prazo
de 25 dias e concluidas no de 3 mezes, ambos
contados da data da approvaco da arremalac/io.
3.a Os pagamentos serao realisados em duas
preslacoes iguaes, a primeira quando tiver metade
das obras, e a segunda na sua conclusao e entrega
defensiva.
4.a Para tudo que nao estiver especificado as
presentes clausulas e orcamento, seguir-se ha o
que dispoe o regulamento de 9 de julho de 1865.
Conforme,
A. F. a"Annunciaco.
O Dr. Tristo de Alencar Araripe, offlclal da im-
perial ordem da Rosa, juiz de direilo especial do
commercio desta cidade do Recite de Peroam-
bnco e seu termo, por Sua Magestade Imperial e
constitucional o Sr. D. Pedro II, a quem Dos
guarde, etc.
Faco saber pelo presente, que por esle juizo e
carlorio do escrivo que esta subscreveu, corre urna
execuco de sentenca ordenadas entre partes a sa-
ber, como exequenie Maoeel Gomes de Mello, e
como executado Fernando Jos de Oliveira, e cor-
rendo dila execuco seus devidos termos, proce-
dente a penhora em dinheiro pertenceote ao exe-
cotado, em virtude do que, em audiencia publica
do dia 24 do corrente mez e anne, fra pelo solici-
tador Antonio Pinto de Barros, feto o requerimen-
to do theor seguinte :
Aos 24 de julho de 1865, nesta cidade do Recife
de Pernambuco, em audiencia publica que aos fei-
tos e partes fazia o Dr. juiz de direito especial do
commercio Trisiao de Alencar Araripe, nella pelo
solicitador Antonio Pinto de Barros, procurador do i dem n. 65 particular e 5 publico,
exequente Manoel Gomes da Cruz, fra aecusada a j dem n. 67 particular e 10 publico.
Convidase as pessoas qne esiao as aaaaV
C5es d" servgo militar, a engajarem no c- rpo de
polica e gozarem das vantagens da lei provincial
n. 611 de 2 de maio prximo passado, qn* sao as
seguintes: 1*4 00. diarios de s. Ido, serrm seas
filhos menores recolhidos aos eslabtleriimnios
provinciaes de educacao o lempo qne sliv, rea
na guerra ser contado pelo duplo para o ea.-ode
anosentadoria, e a m destas, tem todas as mais
vantagens que sao concedidas aos voluntario* da
patria.O tenente-c.ronel commandanb- do car-
po de polic a, A exandre de Barros e Alboquer-
que.
Pela thesouraria provincial se laz panuro, qoe
a arremataco da obra da conclusao da aaai da
cmara e cada da villa do Bonito, fui transferida
para o dia 3 de agosto prximo vindooro.
Secretaria da thesouraria provincial de Pernaa>-
buco, 21 de julho de 1863.
O secretario
_________________A. F. Santa (Jasa da Misericordia
do Eecife.
A Illm.a junta administrativa da Santa Casada
Misericordia do R.-cife, manda fazer panuro naa
no dia 27 do corrente pelas 4 horas da tarde, aa
sala de suas sessoes lem de ir a praca por lempa
de 1 a 3 annos, as rendas das casas abaixo decla-
radas, devendo os pretendentes comparecer urna
panhados de seos fiadores ou manato da carta*
destes.
Manda ainda a Illm.' jnnta sciealiSrar ata
ac'.uaes inqulinos das mesmas rasas, qoe, se ao
prazo de 15 dias contados da data deste nao sa
apresentarem para renovarem os seos arrenda-
mentos, serao nao s dellas despejados, romo ano
se cobraro os respectivos alaguis pelos preaw
constantes deste edital, como ja foi proel
aonunciado.
Ra das Larangeiras.
Casa terrea n. 5 particular e 17 pu-
blico..........
Roa do Itangel.
dem n. 6 particular e 55 publico. .
Ra do Rosario da Boa-Vista.
dem n. 14 particular e .58 publico. .
Ra do Amorim.
ldem n. 56 particular e 21 publico. .
Ra do Azeile de Peixe.
dem n. 63 particular e 14 publico. .
Ra da Cacimba.
06*000
300*0
168*000
96M
600*000
A. F, d'Annnnciac&o.
O Illm. Sr. inspector da thesonraria provincial,
em cumprimento da resoluco da junta de fazenda,
manda fazer publico, que no dia 27 do corrente
praca, para ser arrematado a
nm telheiro que existe junto a
E para constar se mandou publicar o presente
pelo jornal.
Secrelaria da thesouraria provincial de Pernam-
buco, 10 de junbo de 1865.
O secretario,
A F. da Annunciaco.
1 barrica cuteleria, 2 volumes fazenda de linho, | ponte do Motocolomb, servindo de base arreraa- i Clausulas especiaes para a arremataco
3 ditos dita de laa 3 eaixas objectos de armarinho,, tacao a quantia de 25*000 offerecida por dous lici- Ia Os reparos do empedramento da estrada da
a penhora feita em dinheiro na quantia de 870*,
pertencente ao executado Fernando Jos do Olivei-
ra, requerendo que nao s ficassem assignados os
seis dias da lei penhora, como os 10 dias aos ere-
dores incertos, dndose lhe para cujo fim os edi-
taes do eslylo, assim como que passasse mandado
de remoco para ser removida dita quantia do po-
der do agente de leudes Olympio Ferreira da Sil-
va, para o deposito publico, sob pena de prisao.
O que sendo por raim ouvido assim o deferi :
Extrahi o presente do protocolo das audiencias e
junto o mandado de penhora e procuraco bas-
tante.
En Manoel Silverlo de Barris Falco, escrevente
juramentado o escrevi.
Eu Manoel de Carvalho Paes de Andrade, escri-
vo o subscrevi.
Seguindo o que assim se continha em dito re-
10 barricas enxadas; a Sauudres Brothers
AC.
47 volumes fazenda
& C.
Ra do Vigario.
Sobrado de 2 anlares n. 72 particular
e 27 publico........
.'- 8 Roa do Encantamento.
Sobrado de 2 andares n. 76 particular
e 11 publico........
Idem idem n. 77 particular e 13 pu-
blico..........
RaadaSenzala Velha.
Casa terrea n. 81 particular e 18 pu-
blico..........
dem n. 82 particular e 16 publico. .
Roa da Guia,
dem n. 84 particular e 29 paMieo. .
Ra da Cruz.
Sobrado de 2 andares n. 87 particular
e 11 publico.......
Roa do Pilar.
Casa terrea n. 92 particular M3 pu-
blico...........
dem n. 93 particular e 101 publico. .
dem n. 94 particular e 99 publico. .
144*009
83*000
300*010
900*000
900*000
200*000
144*000
881*000
"e'Z'"':: camento na importancia de 3-157*. presente, pelo qual e seu theor chamo, cito e hei
! hJ?W idih "7?* Prov,nc,al d pen- O arrematante, comeCar os trabalhos 15 dias por citado a todos os credores incertos do referido
a \ O I Der' j O er^arin SE ** '^3 d, T"?' / S Snclu'r Sxeca,ado Fernando los* OKfeira, para qae dem n. 97 particular e 110 publico.
) secretarlo em 4 mezes, contados tambem da data da appro- dentro do prazo de 10 dias comparecam ante este dem n. 100 particular e 104 pobiico.
va5ao- jnlw, por si ou seus procuradores, allegando e pro- idem n. 101 particular e I0t paMieo.
A. F. (TAnmnciaao.
^,1,-----^V
ti.

s.


*..

liarlo e 'Terna anco -- Qatat.-i fr'ra 19 itr Falito de *5


dem n. 10o particular e 9i publico. 2005000
Secretaria da Santa Casa de Misericordia do
Her fe 20 de julho do 1865.
O escrivo,
F. A. Cavalcanti Cousseiro.
tuiseiho de compras navacs.
Tendo o eonslho do promover no dia 29 do cor-
ren!' mez a compra dos ohjectos do material da
armada alnixo declarados, convida aos que pre-
tenderen) vende-los a apreseularem saas propostas
em cartas fechadas nesse mesmo dia al as 11 ho-
ras da raanhaa.
Objectos.
50 cobertores de 15a, 50 toalhas de brim, 6 du-
z as de tibias de ceJro de 3|i de porgada, 12 du-
zias de tabeas ite cosladinho de pao carga de 1 po-
legada, 12 dita* de dito de 2 ditas, li duzias de
taboas de piuho de 1 polegada, 12 duzias de ditas
de 1 1|2 dita, 1 arroba de pregos de cobre de ba-
tid pequeos, 4 arrobas de pregos ripares, 2 gro-
zis de parafusos de metal, O cadinhos de lapis de
ns. 20 a 80, 8 leuges de ferro de 1|4 de grossura,
420 toneladas inglesas de ferro bruto, 100 covados
de flele encarna lo e 100 ditos de dito azul.
Sala do couselho de coinoras na vaes, 25 de julho
di1865.
O secretario,
Alexandre Rodrigues dos An/os.
No dia 28 do corrento, as 11 horas, depois
da audiencia do r. jai/, de orphaos, vai a praca
por vi.o.la um silio de trras foreiras no lugar do
Carro na fregoeil dos Afogados, com casa de vi-
ven la de Hipa, casa para rancho e mais quatro
casinhas dj laipa, ludo avaliado em 1:0003, vai a
praca ;. requerimento ,do inventariaote dos bens
ta finada Jo.>epha Duarte.
Correio
Pela adminisiracao do correio de-la cidade se
fu publico para fins convenientes, que em virtude
do disposto no art. 138 do regulamento geral dos
crrelos de 21 de dezemhro de I8, e art. 9 do
decreto n. 185 d* 15 de maio de 1851, se proce-
der o consumo das cartas existentes na admiois-
tracao perlencentes ao mez de julho de 1864, no
dia '! de agosto prximo, as 11 horas da manha,
na porta do mesmo correio ; e a respectiva lista
se acha desde ji exposta aos interessados.
Adininisirae.o do correio de Poruaubuco 26 de
julho de 1865.-0 administrador
Domingos dos Passos Miranda.
Xa l" aa fieoca do juizo municipal da Ia va-
ri serfn arrematadas, tnetade na quanlia de 9005
da casa terrea u. 6, no pateo do Terco, e outra me-
tade di ile n. s all junta em 1:0003 ; > urna parte
na quanlia de 4003 de urna outra n. 108, na ra
1 nperlal, |ior exeeuco de Vicente Herculano de
Lnmos Huirte contra Hermillo Aurehano Cnaves
de Souza e sua mulher ; escrivo Motta.
gama C*sa da Misericordia do Recite
A Illm." junta admi listrativa da Santa Casada
Misericordia do Recita manda fazer publico que
no tiia 27 do crreme pelas 4 horas da larde, na
sala de suas sessoes tein de ser arrematado o for-
necimen'.o dos gneros abaixo declarados, que
hjuver de consumir nao s os estabelecimentos de
cari lade coma lambeta os collegios de orphaos nos
metes de agosto e setembro prximos futuros, a
saber :
Estabelecimentos de candado.
Hanteiga franceza, libra.
Cafe em grao, dem.
Caf preto, idem.
Cha verde hysson, i -'em.
Assocar refluido l* sorte, idem.
Dito din 2* sorle, idem.
Dito em torrao 1* sorle, idem.
Arroz puado do Maranhao, idem.
Toucioho de Lisboa, idem.
Bapalbo, idem.
Tapioca, idem.
Aleiria, idem.
Carne seoca, idem.
lo amarello. idera
. Fumo, idem,
Velas de carnauba, idem.
Farinha de mandioca da trra, alqueire novo.
Foijo inulatinlio, dem.
Vinbo tinto de Lis! ia, garrafa.
Vlnho brinco de Lisboa, idem.
Vinagre de Lisboa, idem.
Agurdenle branca, idem.
Az-ile doce, idem.
Azi ile do cirriptto, idem.
Ceblas, eento.
I'arelb, sacco.
Carne verde, libra.
Collegi js de orphaos.
Hanteiga fraaeeza, libra.
Assucar roliuado Ia sorle, idem.
])iti dito 2o sorte, dem.
Caf em grao, dem.
Cha preto, idem.
Anoz pilado do Maranhao, idem.
Baealbio, idem.
Bal itas, idi-m.
Aletria, idem.
Toucinbo de Lisboa, idem.
C i i ilas, cont.
Farinha de mandioca da ierra, alqueire novo.
Feijio miilaiinho, idem.
A'.oite dore, garufa.
Vinagre de Lisboa, dem.
Sal, ouia.
Leuha t m achas.
Ca ne verde, libra.
As proposlas iieveni ser apreseniadas em carias
echa 11, deven Jo ser especiaes ja para os esiabe-
leciiiientos decaridade e ja para os collegios de
orphaos, a ;n to lambem aceitas as propostas rela-
tivas gmente a carne verde que houver de con-
sumir os hospitaes Pjdro II e dos Lazaros e casa
dos expostos. Kecommendase aos Srs. concor-
renles qne observem as propostas que apresenta-
rem a ordem, peso, medidas e qualidades indica-
das na relacio dos gneros cima descriptos.
Nesla secretaria se darn os essIarecimentos.Me
que precisarem os nesmos concurrentes, os quaes
lio acto da arremataos) devero comparecer com
seas fiadores ou munidos de cartas destes, que -
caro-responsafels pelo inteiro cumprimento dos
respectivos contratos.
s icretaria da Santa Casa da Misericordia do Ue-
cife 21 de julbo de 1805.
O escrivo,
F. A. Cavalcanti Cousseiro.
Lourenco.......'............. Lisboa.
Padre -Mena................. Borges.
Jo3o Goncalves____.......... Coimbra.
Manoel Ribeiro............... Porto.
Trancozo................... Pinto.
Serapio..................... Sania Rosa.
Andr ..................... Guimaraes.
Mathias .................... Teixeira.
Maria...................... D. Eugenia.
Josepha................... Camilla
Mananna.................... Joanna.
Thereza......................Jesuina.
Malvina................ Camilla.
Isabel....................... Leopoldina.
Convidados, camponezes, marlnheiros, soldados
e povo.
A aeco passa-se no Porto.
Dar' fim ao espectculo o engrasado entre
acto
Bertha de castigo.
Principiar as 8 horas.
Mi,nn ni i ii m mi jinniir&-.i
_4TgM MMiTiMOS.
COMPANHIA PERNAMBC vNA
DE
por vapor.
Macei e esca'as.
No dia 20 do corrente as 5
horas da tarde expedir esta cora-
panliia um de seas vapores, o
qual receber carga somonte at
o dia 28. Encommendas, passa-
geiros e diuheiro a frete at as 2 horas da tarde
do dia da sahida ; escriptorio no Forte do Mallos
n. 1.
' da louca, 2 oadeiras de bilanco, mirquezas, ca-
| deras de fu, 1 mesa elstica de amarello, conso-
ol, mesas, 1 candelabro, 2 pa es rio linternas
candieiros a gaz, e oulros objectos de goslo.
Sexta-feira 27 do co* rente as lo horas
Cordeiro SimSes far leilo dos objectos cima
mencionados no armazem a rna da Cruz n. 57.
Na mesnia occasio vender urna bomba de'
DE
Navcgaco cosleira
Correio geral,
A pessoa que estiver habilitada para co-
nbficer signaes de navios e quizer ser em-
preada no servico de ajuiar ao telegra-
pbista da torre do Gollegio, dinja-se a ad-
iministraco do correio a fallar com o ad-
ministrador.
COMPANHIA BASILEIRA
DE
PAQUETES A. VAPORo
Dos porlosdo sul espera-
do at o dia 30 do corrente o va-
por Cruzeiro do Sul, comman-
dante Alcoforado, o qual depois
_ da demora do costume seguir
para os porios do norte.
Desdej receben) se passagelros e engaja-se a
carga que o vapor poder conduzir, a qual dever
ser embarcada no dia de sua chegada, encommen-
das e diuheiro a frete at o dia di sahida as 2 ho-
ras da tarde : agencia ra da Cruz n. 1, escripto-
rio de Antonio Luiz de Oliveira Azevedo & C.
CONPiWi brasilera"
DE
PAQUETES A VAPOR.
E' esperado dos portos do norte
at o dia 6 de agosto, o vapor
Paran, commandante o capito
de fragata Antonio Joaquim de
'vsaSSMHP Sania Barbara, o qual depois da
demora do costme seguir' para os portos do
sul.
Desde j recebem-se passageiros e engaja-se a
carga que o vapor poder conduzir. a qual dever
ser embarcada no dia ije sua chegada, encom-
mendas e dinheiro a frete al o dia da sabida as
2 horas : agencia ra da Cruz n. 1, escriptorio de
Antogio Luiz de Oliveira Azevedo & C.
Para itio le Jaaero.
pretendo seguir com motta brevidade o patacho
nacional Regulo, tem p rte de sen carregamento
engajado, e para o resto que Iba falla o escravos a
frete, trata se com os seus consignatarios Adtonio
Luiz de Oliveira Azevedo j; C, no seu escriptorio
ra da Cruz n. i.
Para o Para, com jscala peio Maranhao, pre
tende sabir ora poucos das o lugre Emilia, capi-
to Bernardlno Rodrigues de Almeida, tem a
maior parte da carga tratada, e para o resto que
Ihes falta, trata-se com o consignatario Joaquim
Jos Goncalves Beltro, na ra do Vigario n. 17,
pnmero andar, ____
COMPANHIAPBRNMBUCANA
DE
Navcgaro costeira por vapor.
. Por ordem superior tica trans-
as, fenda para o dia 5 de agosto pro-
\ Vi^V x'ni0>;1S 'u h"ra* da manha, a
-^JSSS P"litla (lt Ul" d vap)res da
-'?13SS& conipanhia para o presidio de
Femando de Noronha. A carga ser recebida al
o dia 4. Encommendas, passageiros e dinheiro a
frete at i) horas do da da sahida : escriptorio no
Forte do Mattos n. 1.
Para o Rio da Prata ou Rio
Grande
Freta-se a barca nacional Reslauracao : a tra-
tar com os seus consignatarios Anlooio Luiz de
Oliveira Azevedo & C, no seu escriptorio ra da
Cruz n. I. __
Coutpauhladits Slensagcries Im-
periales.
No dia 30 do
corrente mez es-
pera se dos por-
tos do sul o va-
por fiancez Es-
U tramadure, com-
mandante H. de
Somer, o qual
depois da demo-
ra do costume seguir para Bordean! tocando em
S. Vicente o Lisboa.
Em S. Vicente ha um vapor em corresponden-
cia com (jore.
Para freles, eoudicoes e passagens trala-se na
agencia ra do Trapiche n. 9.
Para Lisboa
segu com muita brevidade o brigue portuguez
Flor inda, ao qual falta apenas um resto de cargx a
frete : quera a quizer dar. pode dirigir-se a tratar
no escriptorio de Amorim Irmaos, ra da Cruz n.
3 : para passageiros, aos quaes offerece excelen-
tes commodos, trata-se com o capito Joaquim Au-
gusto de Soma, ua praca do commercio.
Para a Baha pretende sahir
com muita brevidade o velelro
lugre Emilia, capio Bernardi-
no Rodrigues de Almeida, por
ter a maior parte da carga tra
tada, e pata o resto que Ihes
falta tratase com o consignatario Joaquim Jos
Goncalves Beltro, na ra do Vigario n. 17, pri-
meiro andar.
Japy.
X2I1LA
de metade do sobrado de dous
andares esofo sito na ra da
Senzalla-Velha n. 49.
Marlins levara novamenle a leilo por despacho
do Illm. Sr. Dr. juiz municipal da segunda vara e
a requerimento do inventarame e testamenteiro
dos bens deixados por D. Maria Bernardina da
Conceico Lima, de metade do sobrado de dous
andares e soto da ra da Senzala n. 42.
Sexta-feira 28 do corrate.
Em seu escriptorio ra da CaJeu n. 9, priraeiro
andar, as 11 horas.
Leilio de escravos.
Como soja:
1 escravo de naco idade 28 annos, i dito na-
co idade 30 annos, 1 dito crioulo de idade 40 an-
uos, 1 dito crioulo idade 42 anuos, 1 dito naco
idade 30 annos, 1 dito mulato de idade 40 annos,
1 dito mulato de 19 annos, eopeiro, bulielro e
cosinheiro, I mulalinha de idade 13 annos, e um
mulato de 28 annos proprfo para lodo servico.
Cordeiro Simdes
legalmente aulorisado vender em leilo os escra-
vos acuna mencionados peio maior preeo que ob-
liver visto seren vendidos para pagamento nesta
praca, isto
Sexta-feira 28 do corrente
as 11 horas, ter lugar o leilo no armazem a ra
da Cruz n.57.______________________________.
LEILO
DE
.fletle di sobrado de i andares e so-
to sito ua ra da fennla Velha
numero 42.
Marlins Lr leilo, precedida a competente au-
torisaco.de metade do sobrado da ra da Senzala
Velha n. 42.
Sexta-feira 28 do correle.
Em seu escriptorio ra da Cadeia n. 9, as II
horas.
De urna meia agua u i na tra-
vessa dos Quarteis.
. Martms far leil&o precedida a competente au-
torisacao de urna meia agua n. 1, por dotraz do
Calabouce a qual rende 123 mensaes, edificada
era chao proprio.
Sexta-feira 28 do corrente.
Em seu escriptorio a ra da Cadei i n. 9, as 11
horas.
Do loueo da Pnrahiba
O nosso aviso se nao enlende com o Sr. Dr. An-
tero M. do Medeiros Furtado, honesto e Ilustrado
advogado desta cidade.
O advogado tmpasseiro a quem nos referimos, tj r TTl*f\T ,| f* \ f\ f* \ri
dizem, ter escriptorio na praga de S. Lucas, cuja lJuJLi U if1 l.W J\\jY.\J A uA/j
porta qoe d entrada para o receptculo, ao rodar-
se sobre sous gnnzos, tem um ranger que alorda
a toda a gente que por abi passa.
f
ap
A mesa regedora da irmandade do Senhor
Bom Jess da Via -acra erecta na igreja da
Santa Cruz, convida a tolos os seus irmaos
para Msisilrem as missas e memento, que
ter lugar as 6 1|2 horas da manha, por al-
ma rio nosso irmao provedor Tliom Carlos
Peretti, no dia 28 do corrente mez.
m
Alguns amigos do finado Thom Carlos J
Peretti, mandam celebrar missas e memento
na igreja da Santa Cruz, no dia 29 do cor-
rente pelas 6 1|2 horas da manha, para o |
que convidam os amigos do finado.
LEtO
DE
Mobilias completas do Jacaranda, ditas de
amarello, toilet de Jacaranda, camas fran-
cezas de Jacaranda e amarello, ol'jectos
de ouro e prata, charutos, reiogios, mar-
quezas largas e estreitas, quadros com fi-
nas gravaras, caixinas com biscoutos
doces e outros mnitos ariig s.
Sexta-feira 28 as 11 horas.
NOGRANDR ARBfAZBM DO AGENTE
OfMPI
36-Rua a Cadeia da Mleei--36
Para o Porto
THSVrBO
DE

sahir por lorio este mez o brigue portuguez Umao,
recebe o rcsio da caria e passageiros, e trata-se
com o consignatario Thomaz de Aquino Fonseca,
ra do Vigario n. 19, primeiro andar, ou com o
capito na praga.
i, E IL 0
EMPREZA30IMBRA
Qoiuta-feira 27 de julho de
1865.
Iiepresentar-se-ha o sempre aplaudido e apara-
toso drama em 5 actos e 1 prologo
LML0ES
DENOMINAgO DOS ACTOS.
rologo...... A maldico.
.' acto...... O casamento de Lordelo.
2.- acto...... A sombra le Joo Gongalves.
:{.' acto...... A esposa modelo.
V arto...... Na torre da Marca.
5." arto...... A mao de Dos.
PRMONCKKS.
Ped ro..................... Araoedo.
Todas as semanas
NO GRANDE ARMAZUM DE LE I LOES
DO AGENTE
OLYMPIO
36--Rua da Cailcla do Rcctfe--36
L'iio sexta-feira 28. armazem n. 53
Pelo agente Euzebio,
De duas mobilias de Jacaranda e diversas obras
de marcineiria.
Os Srs correspondentes ilos
ns&ignantes (leste Diario, no
eentro ra provincia e as de
mais do imperio, queiram
mandar satisfazer o importe
da assiunutura para nao ha
ver interrupedo na remessa
O Sr. Arsenio Antonio Carne i ro da
Cunlia Miranda queira dirigir-sc a praca da
Independencia n. 6 e 8, que se precisa
fallar.
kMJk
Ainda se precisa de urna ama forra para casa
de pouca familia, para comprar, cosinhar e en.
goramar poaco : no pateo de S. Pedro n. 3, sobrado-
LOTERA
AOS 6:000.^000.
orre depois d'anianha.
Sabliado 9 do corrale mez. se extralii-
r a 5a parte da 4a e Ia da 5a lotera f5*)
a beneficio da Santa Casa de Misericordia
no consistorio da igreja de Nossa Senhora
do Rosario da fregoezia de Santo Antonio. I
Os bilhetos, meios e quartos estao a ven-1
da na respectiva tbesouraria a ra do Cres-
po numero 15,
Os premios de 6;000#0U0 at 10,5000
sero pagos una hora depois da extraccao
at as 4 horas da larde, e us outros depois
da distribuicaodas listas.
As encommendas s rao guardadas so-1
mente at a noite da vespera da extraccao
como de costume.
Serondo de thesoureiro,
Jos Rodrigues de Souza
Silvestre Correia de Carvalho retirase para
fra da provincia.___________________________
Jos Francisco Gomes dos Santos por
achar outro de igual norae de boje em dian-
te se assignar Jos Gomes dos Sanios Cor-
reia.
Aluga-se a casa terrea o. 67 da ra da Esperanca
no Caminho-Novo: a tratar na praca da Boa-Visla
o. 30 segundo andar.
Pede-se ao Illm. Sr. Dr. delegado, qne lance
as suas vistas para urna taberna que ha na ra do
Apollo, aonde existe um vadio, qne leva todos os dias
a provacar, lodus os pretos e prelas velhas que por
ali iran.ia, dando sipoadas com um sipo que traz
todos os dias para este fim, e mandando os matulos
que vendem carvo e galinha a subirn nos sobra-
dos ; isto com incommodos, dos moradores, -o
em despachar os ditos malulos, que o tal vadio
manda assubirem, e nao obstante ludo islo, nao
respeita as familias, sollando palavradas obcenas,
sem respeilar pessoa alguraa; esta reguozia est
em um estado misera ve I como nunca se vio.
Um observador.
Pede-se a Illma cmara municipal para que
mande reparar a pequea ponie que tica confronte
ao qu.i! TI do Hospicio, que foi lia das passados
derrubada uor urna canoa de carregar areia de n.
103, visto que mesma ponte foi feita as espensas
dos cofres monicipaes, e sena" SujTrer o concert
ira de (oda anaixo, e ficara a populaca; sem tran-
sito por aquelle lugar.
a^scripturacao naerciil
P. Auguslo da Graca e Mello contina na soa
antiga oceupagao de faz-r escripias, tamo por par-
tidas simples como dobradas: quem pretender
utilisar-se de seus servicos, pode procnra-lo na ra
do Livrameniun. 22, ra do Qneimado n. 23, lo-
jas de fa2endas, e ra do Cabuga n. 2 A, luja de
ourives.
Precisa-se de urna ama para lolo o servico
de una casa : na ra do Livramento n. 2, segun-
do andar. ^^^^^^
Fugio no dia 22 do corrente a escrava de
nome Joaquina, de idade 30 annos, pouco mais ou
menos, com os signaes seguiutes : e.-datura regu-
lar, cor fula, com alguma futa de denles na fren-
te, e cxa de nina perua ; fui vista ir para o Med-
ie em companhi de um escravo do Illm. Sr. Joa-
quim Lopes de Almeida, de nome Caetano : quem
a pegar leve ao capiio Christovtu Pereira Pinto,
em Olinda, na ra de S. Dent, que ser recom-
pensado.
AO COMMERCIO-
Antonio de Souza e Silva e Honorato Caetano de
Ahreu, sob a razan de Abreu & Silva, avisara ao
corpo do commercio e ao publico em geral, que
nesta data tem justo e contratado a compra da bo-
tica da ra de imperador n, 36, sob a llrma de
Fonseca Si Aiirnu : quem se julgar credor da
mesma lirma, directa uu indirectamente, ou que
tenha tdulos quaes.|ucr que pessam empedir ou
n-elamar algum diEeilu sobre a mesma compra,
hajam por obsequio apresentarem-se no praso de
tres das, a contar desta data, ao contrario nao se
sujeitara' a nova firma a m-nhuma reclamacao ou
direito que purventura appareca. Recife 21 de
ulho de 1865.
Club Oammecrial.
A partida do mez de julbo ter lugar na
noite do dia 29,
Os abaixo assigoados avisam ao respeilavel
publico e especialmente ao corpo do commercio,
que compraram livre e desembarazada, ao Sr. Jos
Luiz Macelo Cavalcanti, a pararla sita na ra do
Mondego n. 47.
__________Carvalho & Mallos,
Prrcisase alugar mu sobrado de um andar
na fregm zia de Santo Amonio uu S. Jos, e que te-
nha quintal o cacimna : a tratar na ra do Ale
crim n. 2. Assim como compra-se urna cobilia
de qual juer qualidade, cora tanto quo esteja era
bom uso e que seja seu preco mdico.
Henry Gibsou Greaves, subdito inglez, vai a
Inglaterra.
Armazem n. 31, ma do Imperador.
Para mais regulandade do servico lem a empre-
za resolvido lo somente vender os apparelhos,
ele., dei'xando que os -rs. consumidores chamem
os machinislas que mais Ihes agradarem, podendo
os noraes, morada, etc., de todos elles serem indi-
cados no armazem da empreza.
As reclamacoes por m luz das casas, cujos ap-
parelhos houverem sido rollocados anteriormente
a este aviso, serao attendidos pela empreza; oulros
qnaesquer, nao.
A empreza espera que esla medida ser devida-
mente apreciada celos senhures consumidores, ten-
dente como a tornar esle servico mais econnmi
co ; vi>io que ella vender todo, apenas com um
lucro tal, que cubra as despezas inevitavels.
AftPKJCO
CARLOS PLUYM.
Como a empreza de illuminaco a gaz tenha da-
do licenca aos machinislas para Irabalharem por
sua propria cunta, Carlos Pluyra, machinisla. offe-
rece seu prestimo ao publico para encaar gaz e
agua, e toda a sorle de servic is concernentes ao
seu ofRcio, por presos mtiiin rasoavris.
Pode ser procurado a qoalquer hora na rna da
Alegria n. 16 (Boa-Vista.i
N. ti.
S^> Para prova da perfelco do seu trabilho o
mesmo ederece ao publico o testemunbo de im-
mensas pessoas para quem ja trabalhou a maudaoo
da companlua do gaz.
CASA DAFHfTT
Aos G.'OOO^OOO.
Biihetes garantidos.
A' RA DO CRESPO N. 23 E CASAS DO COSTUME
Oabaixoassignadovendeu nos seus mnilofel
zes bilhetes garantidos da lotera que seieaboo
de extrahir, a beneficio da matriz de Agua Prela,
os seguinles premios :
Um meio n. '06 com a sorle de (:00050i0.
Dous quartos n. 796 com a sorte de 4005000.
E nutras umitas surtes de 100$, 405, 20>'
oaooo.
Ospossuidores podem virreceber seus respec-
tivos premios sernos descoulos das lea na Ca.--
da Fortuna ra do Crespo n. 23.
Acham-se a venda os da o* parte da 4* e 1'
da oa lotera (23') a beneficio da Sania Casa da
Misericordia, que se extrahir sabbado 29 do cor-
rente.
PRECO.
Itilhetes.....7*000
Meios......3*500
Quartos.....1^900
Para as pessoas qur compraren! de IC000G
para rima.
Mitotes.....6-5500
Meios......3S80
Quartos.....15700
Manofl Martins Kiza.
abjete
FOHTKilJEZ HE LKMlli i El PEtt-
unwrt.
A #treeterli do Gilomi Plniugav de Leitura,
de conformidade como 21 do art convoca conselho deiiheraiiv. pira n da 27 tn
correnle, as 7 horas da larde, para lina conve-
nientes.
Secretaria da dirertiria do SnMMi Poringnez
de Leilura 22 de julho de 1865.
A. Joaquim Vinhas Mata
Secrt-iaiio.
Offere-se um rapaz para criad : iii-m are
cis r, procure na ra dj DcsUi i n. 12.
Ama
Precisa se de urna ama para o stvc lolemod-
uma rasa de pequena familia : a IntM m ru.i da*
Larangeiras n. 14, segnndo andar.
A ma
Precisa-se de urna ama para n servico interno fe
urna casa de pouca fraila : a tratar na praca do
Corpo Santo n. 17.
Precisa-se de una rriogli para asa ti
ca familia : a tratar na na Auun-ta n. 5.
Quaila-feira 19 do enfrente, pelas 3 hora* da
tarde, pouco mais ou meno*, f.,j rm!.! na riebifci
dollecife, ra do Queimado. oquini da ira< do Peixe Frito, um cavalla mellad geniado, neta.
Barrenador bailo, com os i-iuiiie >iirna<~i: doa-
|s blancos, barbudo, com pronena n.ii. dora, fe-*
no beico do lado esqiierd nina \<-Kj. i!ie represen-
ta umE est friendo a .-egumla muda e ara-*
um pooco gord, e por ler -iii tawnHn ponro
teiiipo, nao se pJe bein fieurar ferro : qnmB o
adiar on apprebender e leva- o a Jof tematritoo
Yaz, no lugarCha das Cap-eir^prximo a Til-
la de Pao d'Albo, >era devidamenie reeomprn-
sado.
.. ?.?-*% >Ti '*\a, A .; <, <
O advogado Godoy vaseoncellos, pode "5
ser procurado no escriptorio da ra do .',;
Rosario estreila n. 34, ou em sua resi- JH
dencia a na do Sol n. 9.
sterlinas
ra das Cruzes n. 41 A, taberna.
ADVOCA CA.
Innocencio Seraphicn na Av-is Carr.iiho, tej..
follado da corle do liio d.- Jan. ir, reassnmi ..
exercicio de sua proli-sa-i de adv. gado, e i..>.; *^r
procurado em seu escripi-Tio, ra d 1 Imperador n.
30, das 10 l|2 horas da manha as :; da larde.
Caixeiro.
Precisa-se de um caixeiro que i^nl.a ; rain .1 d
taberna e d fiador a sua coodurli : na rna da
Madre de Dos n. 9 se dir quern pici-a.
Attet can
ao de.sr.];;>:> rccldo.
No dia 24 do corrente desapparecen do paleo da
Penba um cavaPo redado pedmt, pnaa>, M i-.,
com raogaiba e eannmto de corda i m,, 1 r>mb>
le ao ^r. Miguel Nune> Correia. m>rad..r no rr>i-
nhoS. Barlholom.'ii : a peana me o tfrm -i-fiad
queira leva-lo a ra esireit. d I! is.n 1 n. .;.>, nr-
lorio do Sr. lahelliao Si, qu 1 fril ^-n-Tosaa. !
graiicado.
Quem p rdei um retogM no 'ia |> di mr-
rente, na igreja do Carmo, n) 1 ; T,,. m na rm
Nova n. 28, Ihe sera enlr-gue, .!..::!.. m .i,nar
necessarios.
Precisa-se alujar urna e^c^v.. .ju o .ii
faca compras: na ra da Imperalriz o. 17.
Ulferece-se urna atoa para coxiomt e cosa)
rar: na ra do Imperador o. 28.
INJECCAO BROW. ~
Remedio infallivel contra as gnoirhbo
antigs e recentes, anico deposito iapr
ica franceza, ra da Cruz n. 2 eaa
co 3d
;o\silorio

Ir-CIRIIUUCU
H
Firmino Lins
Noto esta bel r cimento de retid- j
tosa rHH \ova n. 15, Tan- S
dar, juato ao Sr. Gautier, |
dentista y
Tiram retratos todos os dias, das 7 horas g
da manhiia as 3 da tarde, quer chova ou g
nilo. >fc;
Tambera se offerecem para tirar retra- *^
tos de pessoas fallecidas, dentro ou fra H
da cidade. Jg
Os annuncianles desejando acreditar o 9
seu estabeleciraenlo, garantem ao publico
que nenhum Irabalho sahir de sua offlci- 'gj
na, sem que nao seja perfeitamente acaba j^
do, e a vontade do freguez.
\m
LEILAO
DE
Urna mobilia de Jacaranda, i cama franceza de
dito, 1 mesa com pedra de dito, i mobilia de ama-
rello, 1 toalet de dtto, l comraoda de dito, 1 guar-
mmmmmrnmm*
Guarda livros.
Urna pessoa competentemente habilitada offere-
ce-se aos Srs. commercianles para encarregar-se
de qualquer escripturacao por partida simples ou
dobrada com perfeicao e prego commodo : para I
Inrormacoes a ra da Imperalriz n. 39, terceiro
andar.
O Dr. Antonio Vicente do Nascimenlo
Feitosa avisa aos seus clientes de-da e mais
provincias do districto Ja relaco. ea quem
mais possa interessar, que elle se acha a i
frente do seu escriptorio, na ra estreila
do Rosario n. 3, onde, na forma do cos-
tume, ser encontrado p ra qualquer acto
de sua profiss5o das 9 horas da manha at
3 l|!gda tarde.____________________
Precisa-se alugar um andar de sobrado em
qualquer roa desta cidade : a tratar na ra Direi-
u o. 106.
O abaixo assignado julga-se nada dever, e se
alguma pessoa se julgar seu credor aprsente suas
contas em 48 horas para ser pago, assim como
nnnea flcou por fiador e era pretende Dcar por
pessoa alguma.
Francisco Antonio Bastos.
Samuel Power Johnston & Gouipanhia
Ra da Senzala Nova n. 4.
AGENCIA DA
Fuudlc&o de l.o Hoor.
Machinas a vapor de 4 e 6 cavados.
Moendas e meias moendas para engenho.
Taixas de ferro coado e batido para enge-
nho,
Arreios d carro para um e dous cavallos.
Reiogios de ouro patente inglez.
Arados americanos.
Machinas para descarocar algodo.
Motores para ditos.
Machinas de costura.
Alopa-se
a casa terrea da Una do Retiro (Passagem da Mag-
dalena) onde moroa o corrector Macedo, com bons
commodos para familia : trata-se no largo do
Corpo Sanio n. 19, escriptorio. _________
Camas |do ferro.
Grapde sortimento das melhores que ba no mer-
cado : na ra Nova n. 33.
Precisa se alugar um raoleque de 12 a 14
annos : na ra de Hortas n. 106.
DR. PEDRO DEATTAHYDE LOBO HOSCOSO.
XS321CO, P.IRTJ9K4 12 OPGHIUOR.
3 Kua da Gloria, casa do Fuudlio -3
O Dr. Lobo Moscoso d consullas graloitas aos pobres todos os dias das 7 as II
horas da manlio, edas G e meia s 8 horas da noite, excepeo dos dias saricadu.
Pharmacia especial fiomeopakiea
No mesmo consultorio lia sempre o mais appropriado sortimento de GMMm
tubos avulsos, assim como tinturas de varias dymnamisacoes e pelos piefos s*>guinte.
Carteiras de 12 tubos grandes. l-5000
> de 24 tubos g, andes. 18r5000
de 3t tubos grandes. 216000
de 48 tudos grandes. 30-5000
de 00 tubos gran es. 38JO0O
Prepara-se qualquer carteira conforme o pedido que se flzer, e com os remeiBon
que se pedir.
Um tubo a\ulso ou frasco de tintura de meia onca IfSOOO.
Sendo para cima de 12 cuslaro os pregos eslabelecidos para as carteiras.
Ha tubos mais pequeos cada um a 500 ris.
IilVROft.
A melhor odra da homcopathia, o Manual de Medicina Homeopathieo do Dr. Jjhr
dous grandes voluntes com diccionario............ i>>')O
Medicina domestica do Dr. Hering........... IflfOOf
Repertorio do Dr. Mel Moraes............ 8 t)0O
Diccionario de termos de medicina........... 3-M)00
Os remedios deste estabelecimento sao por demais conhecidos e dispensara por
tanto de serem novamente recommendados as pessoas que qui'.erem usar de remedios
verdadeiros, enrgicos e duradores: ha tudo do melhor que se pode desejar, fhM de
verdadeiro assucar de leite, notaveis pela sua boa conservacan, tintura d<-s mais a'redi-
tados estabelecimentos europeos, a mais exacta e acurada preparaco, e portaulo a maior
energa c cerieza em seus effeitos.
Casa de sanan para escraros
RecebC-se escravos para tratar de qualquer enfermidade ou fazer-se-lhe qna! ner
operaco, para o que o annunciante julga-se suflicientemente habilitado.
O Iratamento o melhor possivel, tanto na parte alimentar, como na medica, e
funecionando a casa lia mais de quatro annos, ha mui as pessoas de tojo ri.nceitu a ro
pode duvidar, qae podem ser consultados por aquelles que desejarem mandar sew
doenles.
Paga-se 2$ por dia durante GO dias e d'ahi em diante I500.
Asoperaces serao previamente ajustadas, se nao se quizerem sujeUar aos presos
razoaveis que costuma pedirr o annunciante.
A NACIONAL
Companhi geral hespanhola de seguros mutuos
sobre a vida
AUTORISADA PELO REAL DECRETO DE 21 DE DEZEMBRO DE 1859
ma li mica em liioiieiro, depositado nos cofres do estado, gara ale a ba Ja
ministracao da companhi.
BANQEIROS DA COMPANHIA*
O Banco de Hespaaha
DIRECCAO GERAL
Madrid: Rna do Prados. 19
Esta companhi liga pelo systema mutuo todas as eomhinaces de snpervieari des ea
sobre a vida.
Nella pode se tazer a subscripeo de maneira qne em nenhum rao bibi | i> #r a
gurado se perca o capital era os juroscorrespondentes a estes.
Sao tao suprehendentes os resultados que produzem as sociedades 4a ndole e A 3ACNJ
DAL,que ainda mesmo dirainaindo urna terca parte do interesse prodnzido em racaMn li f-.i.lai
ces ecorabinando-o oom a naortalidade da tabella dn Oepareieux que e adoptada pela "ompaejO
para seus clenlos e liquidaees, em segurados de idade de 3 al9 annos, nma iroporsicoawaBa.
de 100 produz em efTectivo metlico:
No'fim de 5 annos.......1:119530o
> de 10 >.......3:94S600
de 1S.........'ll:!0OfSOD
t de 20........30:50fOOO
de J6 ........80:331*000
as idalts menores de 3 annos e maiores de 30, os productos sao mais coni-JeriTi
Prospect>s e mais informaodes sero prestadas pelo suh-director nesta provincia
Joaquim Fiuza de Oliveira. ra da Cadeia n. 52, ou a Boa-Vista
raenlo dos Srs. Rayraundo,Carlos,Leite 4 Irm3o.
Vista rna da (mneratri! n.lS,e>iai


laBaBlaMaHaOMManaBal
Diarlo de I-emanarme ... Quinta ir Ir* Z 7 de Julho de I9tt&.
PHOTHOGRAPHIA ARTSTICA
DE
25 Ra Nova (esquina da Camboa do Carino) 25.
_^j* Proprietarios deste estabelecimento, desejando satisfazer os numerosos pedidos de seus freguezes, acabara de receber de seus correspondentes de Pars um crande
^^^^r^^^^z^^5 as raa,s ceiebres da ^as*imrecebe,am tambem -a de -sbtsss XACt
hnrac ^nTnK-T^'^0?'^ "^'S'30 Par,a P^^ a Publ!c0. 2 recordar aos seus numerosos freguezes, que ellcs trabalham todos os das, domingos e das santos,
S 11r,"S2LUSi IT T temi0- de ChUVa mn"em.?m, P3ra b"m su^sso dos retratos, pelo contrario o tol entre nuvens mil vezes pr
sobre todos os pontes, tanto pela rapidez da operacao, como pela commodidade das pessoas.
Ha oni fr3ndA^anlida,,eI1de Pessoas que tem visitado este estabelecimento nestes dous annos em que se achara establecidos nesta cidade, e que nao ser menos de cerca
de VJUO a 7,000, para elles urna garanta futura, poslo que se appliquem lodos os dias, para que todos saiam contentes e satisfeitos.
!
das 9
preferivel
MOHH
mi mmmmmm wmm.
._> Companhia lidelidade de seguros W
martimos e terrestres
estabelecida no Rio de Janeiro. __j
AGENTES KM PERNAMBUCO
Antonio Luir de Olive ira Azevedo k C, I
K competentemente autorisados peladirec- gg
j"j? l0|"ia da companhia de seguros Pjdelida- _g
|K de, tomam seguros de navios, mercado- JJj
__! ras e predios no seu escriptorio ra da g_j
Wi Crux n. 1. jfc
mmmmmmmmmm mmmm
O London 4 Hrazillan Bank, saca por doos
os paquetes,sobre
Lisboa.
Porto.
Braga.
Vianna.
Guimares.
Villa Real.
Coimbra.
Amarante.
Garrafas
m raa Java a.
Compram-se garrafas vasias
60, armazem da Liga.
- Compram-se Diarios dparaa7f7
arroba : na ra Din-ita n. 61, loja de
Padaria

Comprase ou aloga->e urna patria rom ana.
fondos, prereriado.se que seja Z *,+*
Vista : qoem a tiver annuncie para *-r pcorora 1 ", hihntrknmbo. *
Compra-se rr-bre, teta, e chombo M jrwaw_
Hc.a 0 "i0 oa *""** *>
O Di- Francisco i ires Machado!
Portel la
MEDICO OPERADOR
1'EI.A
Facnldade de Pars,
| regressando a esta provincia, acha-se |
| prompto para o exercicio de sua profls-
| sao, quer nesta cidade quer fora della,
I especialmente em molestias de olhos (ca-
I taradas, etc..) das vas urinarias (estrei-
lamento de nrethra etc.,) e de pelle : pa-
[ ra cujo curativo se (oiga habilitado, atlen-
Ita a ortica, que leva nos hospitaes de
Pans, e s modernas instrumentos que
[ possue.
1Encarrega-se de collocar olhos artifi-
ciaes.
Pateo do Carmo n. 2, esquina da ra
I de Hortas.
K.
CU VOS
Joaquim Jos Guimaraes Beltrao lem para ven-
der dous escravos crioulos, bonitas figuras, de
idade de 29 b 27 annos : podem ser vistos em F-
ra de Portas, ra do Pilar n. 135, taberna ; e para
tratar em sen escriptorio, ra do Vigario n. 17.
Fogo do ar.
No armazem da bola amarella no oito da secre-
taria da polica, receben: se encommendas de fogo
do ar para dentro a fora da provincia.
Aluga-se a parte da casa i>. 92 Aguas Verdes: a tratar na mesma.
Semana llliislrada do Rio de Janeiro
Assigna-se na ra do Crespo n. 4 : tres mezes
65, seis mezes 115, un anno i8
Precisase de urna ;ima para casa de duas
pessoas: n ra da Penha n. 23, pnmeiro andar.
Precisase de um meuino de 12 a 16 annos
para se oecupar em taberna, dando-se preferencia
aoschegados ltimamente : na ra do Uangel nu-
mero 39.
Quem precisar de jma ama para cozinhar,
dirija-se a ra de Santa Rita n. 88, travessa de S. i
Jos ; e prefere-se cozintar na sua mesma casa.
que tenha
de Hortas
MA GRANDE DESCOBERTA
0L0
ggp** ^aar
de FIGADO de BACALHAU
MEOALHA
DE
HONRA
As propiedades medcaos do oleo de figado de bacalao foro unni-
memente reconhecidas. Mas seo cheiro e seo sabor tao desagradaveis
torno o uso d'elle muitas vezes impossivcl, mesrno aos estmagos
os mais robustos c aos mais coiulescentcs.
Por isso a dcscoberta do Snr. Chevrier que llie permetlio de
desinfectar inleiramcnte o oleo de ligado de bacalhao sem alterar suas
propnedades tem sido um dos mais felizes problemas resolvidos pela
therapeutica moderna.
O oleo degado de bacalhao desinfectado de Chevrier,
com um cheiro agradavel c um sabor assucarado, o nico que nao
tem ncm gosto nem cheiro de peixe.
Objecto de numerosos relatnos scientificos elle goza em Franca
de urna fama bem merecida, e 6 receitado por todos os mdicos em
lugar do Oleo de ligado de bacalhao ordinario. Tendo as mesmas
propnedades do oleo de figado de bacalhau ordinario, usa se d'elle
nos mesmos casos isto 6 as :
Pobreza do nangue,
ENHirnincnlo por nceus Ir
trabalho ou de araaere,
Moieatiaa dos aronrhlaa rcerm-
tc* ou chranleaa,
Toaaea prrlin.p.
Gaatritea, Kaalralajaa,
Uorea de eMtomago.
Elle convem a todas as compleicocs c a todas as idades, c tomada
fcilmente pelas pessoas as mais delicadas. Elle um poderoso socorro
para a alimeniacao das criancas fnacas c docntes.
MoleHliuw eMci'OfuIowaa,
Rnrliiti*n>o,
Obairiirfo ilaH Blandea,
Tnica pulmonar,
MoleMlluM mi pnlle,
Conallluiro lympiiniira.
Anemia, debllidade, fraquema,
Mun /u,
a1 C,"iVrase um st,||im em meio Uso : aa rw
de Santa Thereza o. 38 nm
Compra-se orna vacca~pari.la de msm wm.
P0.4MM bastante lei.e se?v, nTZ^Z.
ga do fosario n. 34, N.tira. m
. Compra se lo do : na ra da (Masa do Keeife n. ;,i.
O Oleo de figado de bacalhau desinfectado fetruginoso de
Chevrier constitue o melhor meio de administrar o ferro. O
ioduro de ferro reunido com o oleo de figado de bacalhau,
augment a accao t5o efficaz d'este ultimo, se dissolve mais
fcilmente nos lquidos das vias digestivas, se assimila multo
mais bem do que quando tomado sob a forma de pilulas,
xaropes, etc., enfim perde suas propnedades irritantes e nSo
provoca a constipadlo.
As pessoas as mais delicadas que nao podem supporlar as
preparares ferruginosas ordinarias, asquaes, principalmente
nos paizes quentes, tem muitas vezes grandes inconvenientes,
poderao com a nova descoberta do Snr. Chevrier, usar do ferro,
um dos mais poderosos agentes therapeuticos, tomando-o unido
ao oleo de figado de bacalhau.
O oleo de figado de bacalhau desinfectado ferruginoso de
Chbvribr, se emprega em todos os casos que o ferro acn-
O castelio de Gnisville.
Tradnzido do frantez por A. J. C. da Crti.
Vemle-se esle bello romance em iiuitx
tomos pelo baratissimo preco .i* 3*o
ua praca ila Independencia.
6e8.
Itvriria na.
um.
selhado julgamos intil de os enumerar.
Um folleto accompanha cada vidro e conten as observacoes medicaes.
Deposito em Pariz, na pharmacia de Chevrier, e em todas as boas pharmacias de Franca e do estrangeiro.
Deposito geral em Pernambuco ra da Cruz n. 22 em casa de Caros & Barbosa.
Pede-so (oda allence. ,
Costcdlo Jos Alves Goimaries, (Tono da loja por
appelhdo Gallo Vigilante na ra do Crespo n. 7,
participa a todos os seus freguezes e ao respeita-
vel publico, que esta dita loja se acha com gran-
de sortiinento de galaotanas de mu to gusto, que
tem recebido de sua propria conta, assim como to-
das as mercadorias tendentes a loja de miudezas
e outros, e como est resolvido a vender por pro!
. eos bara'issirnos, como os mesmos compradores
poderao apreciar concorrendo rom suas presencas
la dita ja, que se afQao^ar servir bem com igra-
: do e promptldio, e mesmo qualquer senhores (|ue
| morem lora desta praca, que precise de qualquer
! mercadoria, trndenl"s a sen negocio, e que por
motivos nao possam comparecer, o poderao pedir
Ipir escripto, que eaflanca nao se abusar tanto
|em precns, como em quahdade das mercadorias :
isto na ra do Crespo n. 47Gallo Vigilante.
aaasaKBs2sss aaassssssfflsss
i Consultorio medico e E
52 SS B2S9
H cirurgico. m
|g O Dr. Joao Pedro Maduro da Fonseca Sp
rg lem sua residencia na ra do Sol n. 33, KS
?3g segundo andar, aonde se presta ao exer- Jg
gg cicio de sua profissao tanto de dia como j&
MSS de ooite, os chamados quando nao esle- }
55 ja em rasa seja por escripto, indicando a S?S
a morada e nome do cliente. pS&
Perdeu se no da 16 do corrente desde a ra de 18 mezes, por preciso abe lavar e e, o ^
Rova ate o convento do Carmo um pedaco de urna mar : os pretendentes iluto r, h r\,T
fita de ouro de urna pulseira de (arreieira, sendo 31, pnmeiro andar.
provave.l ter sido na occasiao do Te-Deum : quem --------fT"7------------------,^--------------------
achoue quizer restituir, dirjase a ra do Cabu- rOtaSSl (ll IfTI^-l
ga D. 7, onde ser gratificado. muito nova
Veudem-se caixes razios nroprwf
para babulenus e funileiros a SI caifa
cesta tjpograjpbfa.
. -1^"",,e"'-''r^ ".Tas pr.da n, ESST:
a tratar aja casa dos arco-. -= -
Vndese urna arrnaro de nia ubraaroa
poneos fundos, propria para um priDnp.* Z
na ra da Imperatriz n. M : a tratar Lm i
Cruz, casa de_Antonio Lopes Braga A C.
pw*. *" P"^
.hitas frano-zas largas aaa paajBHa !<*>. 4
mofo, sem ser avaha, eres fUas, a 240 t<
do : t na ra do Queiinado
ca. Daose
n. I
amostras.
Vndese orna averna moca com
o <>*>.
ao pe Oa Imi-
Precisa-se de urna ama de leile
boa conduela, e paga se bem : na ra
numero 130.
Vende-se urna rolla e una janella em mui-
o bom oslado: ra das Aguas Verdes n. 92.
*>MM
A luyase
um
ilio na campia da Casa Forte, com duas ca-
sas, nina a em que moruu o fallecido Thomaz de
Aipiino Fonseca Jnior, feila a moderna, e conten-'
do todas as accommodaco.'s precitas, e outra com
boas corr.modidades para qualquer familia: na
ru do Vigario n. 19, prirneiro andar.
Precisa-
sitio perto da
dim : a tralar na "travessa da Madre de Lieos
mazem n. 57.
e de um feitor para um pequeo
l'raca, mas que emenda bem de jar-
ar-
m
RETRATOS.
Encontram-se retrstos do major Pedro Alfonso e Corpo Santo n. 19.
I do Sr. Dr. Medeiros, hispo nomeado para Pernam-
I buco: assim como photographias da corveta enco-
: racada Brasil-na photographia ra do Cabug
n. 18.
bacharel j|g
Francisco Alioslo da Cosa
AOVoGADO
Ra do Imperador numero 69.
Alnga-se a loja do sobrado n. 17 da ra da
Imperatriz, com bons commodos : a tratar no se-
gundo andar do mesmo.
W' (aK>^aaV'fi\f^ ^"E'^
Anda se precisa de urna ama pa- **
ra cosinhar, lavar, eng mmar e fa-
zer todo o servido de urna casa de
pouca familia exceploando-se com-
prar na roa : na ra das Cruzes n.
n. 37, | rimeiro andar, sendo pes-
supenor : vende-se no esen-.t. rio
de Maooel Ignacio de Oliveira J Fiho,
;arg,j
Veudem-se
machinas americanas de serrle para dev-arnear
algodao : na ra da Senzala ajjai n 4*
AiririiTcio
Na taberna da ra do Ranpel n. 10 tem par
vender dous caixilhosde amardlo
para onrives oo relojoeiros.
oov.,s, ajajBjafji
BILHAR.
INa ra da Imperatriz n. O se dir quem Tenia*
umbilhar de Jacaranda quasi nov,, e Mirlbate
preco.
m soa de bons costumes e se pagar o
W Que se aj usiar.
m
m
m
m mmmmm *m
AMA
Vndese orna escrav crioaia : nos -ih.w
ra dos Prazeres n. 10.
Vende-se nm e?cravo moco ,tae ja di je e-
genho : a tralar na ra do Mottfjpaa, llana n. n
Vinho do Porto sasjariot em aada" fe inzia
lem para vender Aolonio Luiz deiHivcin \z**.
do AJ^-._iio seu escriptorio roa da Crui a I
A LEBITIalA
MLSAFBBILHJ
Dentista de Pernambuco.!
Ra estreifa do Rosario n. 3, gg
ao p da igrej
|FRANCISCO PINTO OZOBIOg
I Colloca deutes ariificiaes ~.
polos systomnai mais iuo- M
W, tiernos |g
Sfi Emprega lodos os meios scientificos para SM
S conservar os naturaes. Pode ser procura- 5,
1M{ do ern -e-.i gabinete das 9 horas da ma- i
ttA nhaa as 5 da tarde. f::
fca;52'2rs5t^2 fea "S ataUc? aV.r^iffirr--'
M^^w-siiHs ;:^jB8&' aiMlSfeiis
Alugam se dous grandes sobrados com comt
modos para numerosa familia, novos e aceiados
rom jardim, eocheira, estibara e outras commo-
didades, na travessa de Joao Fernandes Vieira :
a tratar na ra da Senzala Nova n. 42.
A quem faltar um per pode procuraFna
na do Hospicio n. 21, dando os signaes certos e
|>: gando as despezas.
Casa dbannos
Largo do Carmo a. 26.
E^te estabelecimento tao hem montado na sua
origem achava se de ha mu.to em quasi completo
abandono pelo pouco inleresse de sua adminis-
tra cao.
Hoje que o novo propnelario empregou todos os
meiis para restabelecer a grande utilidde deste
estabelecimento, pode assegurar ao publico que
qmlqner que soja o numero dos concurrentes
senario desde ja promptidio o aceio nos banhos
Irios, momos ou medicinaes.a casa dos banhos se
achara aherta todos os dias das 6 horas da manliaa
si- II 'l.i noite.
Precos.
Banho de choque...... 500
Uito (rio oo morno..... 500
Dito de farello.......tJflOO
Dito medicinal ser se-
gundo sua qualidade.
Assignatura.
Por mez banho fri ou rnorno... 10J0O0
25 cartoes para hanho fri, mor-
no ou de cJiuvisco___....... 103000
i 2 cartoes para os mesmos---- 55000
12 ditos para banho de farello. 105000
ESTRADA DE FERRO DO RECIFE AO S. FRANCISCO
AVISO
Pela snperinlendencia desla companhia se Ui publico, que estando concluidos os reparos dos estragos causados
versas partes da linha, ser restabelecido o transito regular dos irens do dia 29 do correte mez em di?nte.
A tabella que regular a partida do trem de passageiros a que se achava em vigor desde o da Io de maio deste anno a
cripta '
pe'as aguas torrenciaes em di-
qual vai abaixo tra-is-
i'AuA o l\TGltaOM
JH IMI.UIIIIt
ESTACUES
Cinco Ponas
Afogados .
Boa Viagem
Prazeres .
Una .
Cabo .
Ipojuca. .
Olinda. .
Timb Ass
Escada .
Frexeiras .
Aripib. .
Bibeirao .
Gameleira .
Cuyambuca .
Agua Preta .
Una. .
fias tto-, Iftt-
BMlItaO.
HANHAA
(chegad
'(partida .
HT
8
8
8
9
9
9
10
10
10
11
11
11
12
M.
~80
38
50
58
22
40
57
14
29
45'
15
33
52
15
30
8
6
30
TA RDE.
II.
lullll ll;<>.s '
litis sanios
MAMIAA
8
20
2h
sa
10
II.
7
7
7
7
8
8
8
i
9
9
10
10
10
11
II
II
II
12
M.
30
38
5U
58
22
40
57
14
29
45
15
33
52
12
15
3-3
51
15
TAKOE
ESTARCES
"Una. .
8, Agua Preta.
20 Cuvambuca.
28_ .
32 Gameleira .
10 Bibeirao. ..
Aripib.. ..
Frexeiras ..
Escada....
Timb Ass
Olinda ....
Ipojuca.. ..
Cabo.....
Ilha......
Prazeres. ..
Boa Viagem
Afogados ..
Cinco Pontas
lias do tra-
l-.tlho
Has siimIus
(chegada
"(partida .
Offerecese urna Portugueza de idade para
companhia de urna senhora : quem a pretender di-
rija-se a ra Imperial, logo do principio, junto a
taherna do Sr. Bernardo, casa terrea, que achara
eom quem tralar.
Arrendase um sitio ao Jacar, estrada que
vai paia Agua-Fria, com casa de pedra e cal uti-
m:'!i.;-.rile edificada, com bstanle- commodos; este
si)lo tem arvoredos de fructas de ludas as qualida-
jles, bom terreno para plantacao, e layw para ca-
44U. Aluga-se tambem o armazem do sol aa roa
* Concordia, proprio para qualquer estabelci-
a tillar ao solicitador Barroso que mora
memo **' onla esl ail "tanem, Unto
uosoorado... n> 0 g coeiouado,
para este, guamo > -*^i iu fiaxas flhae$
" 1_ Natas do banco do u. '^pendencia n. 22.
desconum-se na pra;a daj^_ ^, am pa
-ITa ra da Cadeia n. i\ existe Bu.
ra o Sr. Joao Jos Aiwa t Ol.ve.ra, qo,
rrorar na fref Hezia de i oa.
Escriptorio da superintendencia Villa do Cabo 26 de julho de 1865.
Irm goezia do ReciTe
N3o tendo comparecido numero sufflclenie para
a reunio que devia ter lugar no dia 16 do corren-
te, de novo e de ordem do lllm. sr. juiz, convido a
lodos os irmSos para se arnarem na igreja de nos-
sa irmandade, domingo 30 do corrente, as II ho-
ras da manhaa, afun de eleger-se a nova mesa re-
gedora que tem de servir no presente, anno de
1865 a 1866.-0 escrivao,
Amonio Gomes Miranda Leal.
MANHAA MAMIAA MANHAA TAH
II. 1 M. II. M. 11 M. II

1 ll 1 ... 1
_l _ 11 3! __ 1
11 57 - 1
__ 12 15 n 1
_ 12 30 --- 2
12 53 2
1 12 --- 2
1 30 3
2 --- --- 3
- 2 16 --- 3
2 30 --- 4
2 48 __ 4
6 50 3 5 6 __ 4
7 8 3 23 6 18 4
7 32 3 47 6 42 5
7 40 3 55 6 50 5
7 52 4 7 7 2 5
8 4 15 7 10 5
M.
25
U
37
23
42
30
45
Precisase alugar una preta escrava para casa
de duas pessoas : na rua de S. Francisco ou Mun-
do Novo n. 54, para comprar e cosinhar.
Lino do Paria, nico lli|uid.Uario da massa
fallida de Faria L\ '-., em viriude de concordata
que Ihe foi concedida e devidarneule homologada,
convida a lodos os senhores rredWm que anda o'
nao procuraran), para que com elle se entendam
nestes 15 das ; sendo que neces.-ita saber a im-
portancia dos crditos de cada um dos mesaras
senhores: mora na rua do Imperador n. 57, e
pode ser procurado de manhaa. Becife 17 de i'u-
ho de !86.->. I
- Na praca da Independencia n. 33, loja de Mrl:
ves, compra-se ouro, prata, peoras preciosas e
tambem se faz qualquer obras de e^cuinnunda e
odo e qualquer concert.
^ -Vi! Kd
v

5
BRISTOL
PREPARADA 5ICAHEHTE POR
LAMAN k KKHP.
NOVA YOHK.
Composla de substancias, n-/atrio Ao
proprietlades eminentcn-trilla- (if|>uralha ;
approvada pelas juntas e Ma* n m .> Me-
dicina ; usada nos principies h>spiiafs. -
vis militares e da marinha as Ar.lilh*. e
^.Abompannnilnuemnisadora j cnente americano; mmmwm
*71 estabelecida nesta pra?a, toma seguros martimos cu,latlV0S OS mais distinctOS do imperio lo
''7 i S(ibe navios eseus Par'",,f!amn''>s e contra fogo em Brasii e edificios, mercadorias e mohilias: no seu escripto-
18
3S
SEGUROS
MARTIMOS
CONTRA FOGO.
37
45
rio, rua do Vigario n. i, pavimento terreo.
G. O. Mam, engenheiro e superintendente interino.
DE
Precisa-se
CUKA RADICAUfEHTE
escrophulas, rheumatismo, estorblo.
fermidades venreas e mercuriaes. cha*as
antigs, morphea e todas as molestias pro-
.nhe bemmae fm- e",eDte8 estado vicioso do satine.
de Santa Hita n. .wnqtianlo existem varias imitaces
n. 17,
DE
J. VIGNES.
- O abaixo assignado, lendo no Diario de Per-
nambuco de hoje dous aoouncios, um em nome
dos Sis. Jos Paulo da Fonseca e Honorato Caetauo
de Abren, e nutro deste mesmo senhor e Antonio
de Souza e Silva, os quaes nao obstante seren da-
tados de 24 a primeira vez que toram publica- .
dos, apressa-se a declarar que esse eslabeleclmen- ve,s .os UV'**os apreciadores.
to Ihe est hypothecado tcitamente para paeamen- <-"nr""e as encommendas, tanto nesta fabrica como na do Sr. Blondel, de Paris, socio
to de seus salarios que Ihe sao devidos, conforme ^respondale de I Vignes, em cuja capital foram sempre premiados em todas as eiposicdes.
a questo ja agitada em o joizo de paz e do com- mes,n0 siabelecimento se achara sempre um eipleudido a variado sortiuaento de msicas dos
mereio oque pelo presente protesta r ha ver o melnores amores da Europa, assim como harmnicos e pianos harmnicos, sendo ludo vendido por
que for Punitivamente julgado ser-lhe devido, Precos commodose razoavels.__________________________________
pelo referido estabelecimento, por isso que nao
de urna ama para cozinhar o diario de urna casa
; de pouca familia, porm que, cozi
po, paga -se bem : na rua nova de Santa Mita n. *1"Lll,a,,t CXisiem varias imitaces
35, prirneiro andar, e tralar na mesma rua delron- falsificarnos, preciso a maior cautela para
serrara de Jos F. evitar OS ftnfailtra,
A legitima salsa e Bristol ?fnde-se ft
CAORS 4 BARBOZA
JOAO DA C. BRAVO A C
Joo da C. Bravo C
Vendem-se no Recie em casa de Caon
te da ribeira do peine
Coelho._____________
I Precisase de urna ama para casa de pouca
familia, que saiba cozinhar : na rua da Guia nu-
mero 9.
Quem precisar de urna ama de leile viuda de
Pao d'Alho, procure na rua ib (Jlor a n. 9.
M. 55. RILA DO IMPKHtUOR M. 55.
Os pianos desta aniiga fabrica sao hoje asss conhecidos para que seja necessario insistir sobre a
sua supeiioridade, vanlngense garantas que(fferecem aos compradores, qualidades estas incontesta- A T (,aoaixo assignado, ofllcial do registro geral i parpoza e Joao da C. Bravo A C.
veis que elles tem ilelinitivamente conqui>Udo sobre todos os que tem apparecido nesta praca ; pos-: nyP0,necas. av'sa ao publico que tem o respec-
suindo nm teclado e machinismo que obedecem todas as vontades e caprichos das pianistas sem i ,lv(icar,l>ri0> instalado honlem na conformidade da
nunca falhar, por serem fabricados de proposito, e ler-se Mo ltimamente melhorameulos importan- Jva .|p?lslaCao hypothecaria, a'rua estreita do
tissimos para clima deste pau ; quanto s vozes, sao melodiosas e flautada=, e por isso muito aerada-1 Rosari n- *
Fulgencio Infante de Albuquerque Mello
pode ser transferido sem esse onus. Recite 26 de
julho de 1865.Firmino Antonio Souto-Maior Ra-
poso.
10
amos
Urna escrava
Precisase alugar urna escrava que saiba bem
cozinhar e fuer o oais servir interno de urna
casa, paga-se bem : oa rua da Imperatriz o. 47,
segundo andar.
lrulseira perdida.
,erdea-se urna pulseira de ouro oa noite de 25 Ay COMMERCIO
de ju.>, desde a padaria da rua da Guia at a rua Jos Pau,0 da FonseeJt e Honorato Caetano de
daOadei do Kecife,aoode existe urna bdica que Abreu, sob a razao de Fonseca & Abreu, avisara
foi algum lempo escriptorio do Sr. Bailar & OU- ao commercio e ao publi>aj em geral, que nesta dau
veira : pede-sa a pessoa qoe achou querendo res- vendem aos rs. Abreu & 8ila, a b'-tica da rua
Mol 19, i)e a envegar na padaria da rua da Guia do |mperador n. ()uem rt yp roin direit0
n. 66. qife se .'be gratificara.________________ a empatar dita venda ou por litlos directos ou n-
COMPRAS.
Va raa^e'TfaiCrs^o jj. 3i, se dir ioera directos daquella mesma firma, /jueira se apresen-
precisa de i.raa am4 .1Pe ane' a ;q$ conduina, Ui no prasode taf_MH9 para s Tarificar, Recife
para tomar
de una ama qtje afanee a ;a^ conducta, lar no praao de tr dias
nar con." fo fM ??? de *fS*m Jr'r?* Sl de julho de ,80S-
O Dr. Garolino Francisco do Lima San-
tos contina a morar na rua do Impera-
dor n. 17, segundo andar, tendo alias seu
gabinete de consultas medicas, logo ao
entrar, no pnmeiro.
O mesmo doutor, que se tem dado ao
estudo lanto das operares como das mo-
lestias interoas, prestase a qualquer cha
mado, quer para dentro quer para fra
da cidade.
n
Compra-se elfec.tivamente ouro e prata ero
ohras velhas, pagando-se bem : na rua larga do
Rosario n. 24, loja de ourives.
Farinha.
Vendem se sacras de farinha a ierra ros tt
na rna Eslreita do Rosario a I, latera
ao dentista Ozono.
Silvino Guilherme de llarros compra e ven-
de efectivamente escravos de ambos os sexos :
roa do Imperador n. 79, terreiro andar.
Aluga-se o sotao do sobrado n. 62 da rua da
Guia, com duas janeltai de frente a mtlltos com-
modos; no prirneiro andar.
Ouro e prata
em obras velhas : compra-se na praca da Inde-
pendencia n. 22, loja de bllhetes.
Compra-se ouro, prata e'pedras preciosas,
em obras velhas : na rua da Cadeia do Recife,
leja de ourives no srco da onceicao.
Compram-se libras esterlinas a 9 00, na
praca da Independencia n. 22.
Compram-se libras esterlinas : na rua do
( Crespo n. 16, prtmeiro andar.
cuias
junto
Vende-se orna ptima eserava inoea~u>"r
figura : a tratar na ma da Cadeia a. E loja
relojoelro.
Vndese urna cadeinnha quasi nova,
para qualquer senhora : qum a priaadur i
se a rua do Vigario n. 18, oa na travessa das GrV
zes o. 4.
Vende-se urna escrava parda de meiai.la.l--
com principio de engommado, lava e coxis** : aa
roa nova de Santa Rito, casa n. 5.
Vende-se um casal de pava* : aa j
velha, sitio da viuva de Jimio FTiagciii.
Vende-se oa roa da Crat
Mills Laiham & C. :
Saceos vas*os.
Pimenta da India.
Folha de Flacdres.
Oleo de Imhaca.
Louca ordinaria e fina.
Cerveja do aspiuall.
Ch,
a. 3*, arma/tn a
L
j+


Mi
Mama
i
Diarlo de pernambnco Quinta Iclra 19 Je alulko de i^6.
salsa riirilha de ayeh. | Rival sem segundo
TnANsciiEVEMos aqui alguns RUa <]0 Queimado ns. 49 e 53, loja de
dos muitos attestados que temos aajajaWa d. lins i.nrfe nfinnri.
recebido das virtudes da salsa """e^s ai, lies ponas, esu que-
mando tudo Immii c barato, quem qm-
zer ver e admirar venliam loja do
i Bigodinho.
Caixas de papel amizade, e sem ella liso e pautado sas Q'16 ^ociam em pequea escala com fazen
a600rs. _
Grozas de botoes de louca prateados fazenda mo-
derna a 160 rs.
f Sofl'ri rheumatismo pormui- ^uzias de Per>a de ago fazenda boa a 40 rs.
tas vezes, e vendo annunciado *%?* Irana de '
em um jornal d'esta cidade a Bseons finissmas
Salsa parrilha de Dr. Ayer, re. 32o rs.
Pulceiras de coalas para senhoras a 500 rs.
parrilha do Dr. Ayer.
Il he lunatismo.
DE J00 JOS DOS SANTOS.
Ouro Prelo.
SABONETI
BARATN,
\
laa lisas e de ludas cores a
para limpar denles a 240 e
solvi-me a comprar um frasco e fazer uso
d'ella ; e .antes de concluir o primeiro fras-
co, achei-me forte e sem sentir a mais leve
dr nos joelhos ; a parte do corpo que es-
tava affectada d'esse terrivel encommodo
que roubou-me tantas noites de somno. >
Erupces, borbiillias pus tulas.
ulceras, e todas as molestias
da pellc.
DO Sil. J00 IAULA DE ABREU E SOUZA.
Ra de S. Pedro.Rio de Janeiro.
Soffria mais de dous annos de urna
erupcao syphililica em todo o corpo, moss
trando-se sempre com mais violencia na ca-
ra, prove inultos medicamentos e consviltei
muios mdicos, e eslava quasi desanimado p" ..
quando vi os annuncios da Salsa parrilha -;oors.
muilo linos para voliarete a 200 e
Pecas de fila de eos esireitas com 10 varas a Hxa a 240 rs. o covado ; ditas mindinhas escuras
320 rs. ; e claras a 240 rs., alBangando se, rpie esta fazenda
Caixas com clcheles francezes, superiores quali-1 nao tem o mais pequeo toque de mofo, nem mitro
dades a 20 rs.
Tinleiros de barro, com superior tinta a 100 rs.
Pegas de cordo para vestidos, fazenda boa a
20 rs.
Baralhos
240 rs.
Frascus com agoa de Florida a 15 e 15280.
Frascos com superiores b:>nhas a 500 rs. e 25-
Frascos com banha; porm uequenos a 200 e
240 rs.
Latas com superior banha a 200 rs.
Frascos de macaca perula niuito lino a 200 rs.
Frascos e garralinhas com agua de Colonia a
400 rs.
Frascos grandes
640 rs.
oleo de kaboza a 400 e
Grande liquidado a dinheiro.
Ka loja earmazein do Pavao.
Ra da Imperatriz u. AO de Ga-
ma i& *ilva.
Os dones desieesiabelecimento lem resolvido li-
quidar suas fazendas por pregos baratissimos, s
com o lim de apurar dinheiro, e prevmem as (es
., ciam
das, que nesta loja e armazem enconlrarao um
grande sortimento por precos que muilo Ihes nao i
de agradar, tauto em peca como a realho, a sa-
ber :
CUitas largas a 200 rs.
Vendem-se chitas francezas, lislradas muilo lar-
gas, padroes escuros, pelo barato preco de 00 rs.
i o covado, tendo muilo bom panno ; dilas escuras
i pdr5es novos, por serem todas escossezas e c6rrua do Queimado, loja d Aguia Branca n. 8.
mmm
A anliga e bem condecida loja de raiudezas
rua do Queimado n. 16, acaba de ser novamente
Vendem-se em duzias e a reUlho, sabone- provida de differenies iniudeas, novas e linas per-
les aromticos C por preCOS commud S; na Iuraar,as inglezas e francezas, lavas de Jouvin.m-
rna dnliipimaH Iriia rl'Aniii-i Rranpa n K lenes para senhoras e ontros muitos drversos aili-
rua to gueimaao loja d Agina mama n. 8. g0f>qDe rom prudl,nriae sjsud(,z ser.-10 palenlM ao
\ II lili / filil//' j comprador, a qnem isso, e a regalaridade dos pre-
"!f w MMMt.iiis eos nao ser indiferenle para continuar com a sua
para fingir cabellos. boa freguezia.
Almdocbomacomo, acba-se mais aa- Alltga loja de llludezaS l
gua Hoilde, prepararan ingleza para tmgir
os cabellos, s pretendenles coinparecam a
rom superior agua de Colonia a
superior
do Dr. Ayer : comecei a fazer uso d'ella e
nos primeiros dias a crnpco aggravou-se,
porm antes de acabar o segundo frasco ti-
nha o mal desapparecido completamente de
todo o corpo.
Doctor Don Jos Valbes Hkrheua, phofes-
soh k medicina y cihl'rjia, st"bdei.eoado
em ambas as facultades del sesto d1s-
TRicro.Habana.
Caixas cora 12 frascos de cheiros muilo linos a
15400.
Sahonetes pequeos de bolla a 240 rs. e grandes a
320 rs.
Saboneles de familia a 120 e 200 rs.
Duzia de sabooeles pequeos com cheiro a 700 rs.
Agua denti6.ee supeiior qualidade a 800 rs.
Caixas cora superior p de arroz a 800 rs.
Frascos de superiores essencias santal o outros a
15200.
Frascos com essencias para tirar noduas de roana
1 mi l re
- Certifico que be usado la zarza parril- L so rs-
la del Dr. Aye,, y como depurativo be ob-! ^KS de ,odos ospre?"s a ,60> 200'
tenido ile ella los mas felices resultados en Frascos bonitos com cheiros finos a 500 rs.
les casos de ulcera crnica, asi mismo au-j Du/| d meias muito finas para senhora
tor y las considero uno um porgante, cuya
de chumbo para meninos a
de
4-5800.
accin ademas de ser segura," ha sido muy I ggf SJSfif par* enhor* a 20 rs'
eficaz en el trtame Uo de las enfermidades 160 ra
que exsigeu el USO de los porgantes, y on ; Duzias de eollieres de metal para cha a 800 rs.
vacilo en recomendar estas preparaciones. I!"as dj,a rt pm sopa, fazenda boa a 15000.
Y mar Ik inp* nao miPlan rnnvpnir rtnv n 1e c,ord, ,'ranin 'ara esparlilho a 40 rs.
i para ios unes que pueaan comen r aoj Pecas de fiIa d(j laa para debrum de d com
a presente en Regla a 7 de setembro de 10 varas a 600 rs.
18rjQ. Ditas de bicos superiores, para acakar a 600 e
Dr. ios V. Bemmba. pTa .
ts.t.r-,,,,1,.,i-, Pedras de lousa para meninos a ICO rs.
msiropiiiiH. : Caixas lle lamparinaa para 3 mezes a 30 rs.
ATTESTADO DO 11.1.M. sn, KRANCifCO FEBBAZ Bunecos de clwro e pauno a 160 rs.
dos santos. Ouro Pelo. : Caixas com bonitase.-tampas para rap a 100 rs.
Me acho ha quasi dous anuos affectado S^1^ comJ,ridos'boa fazellda a 5n0 rs.
de escrfulas, e tendo solrido tanto que al- ^''l'noVs PeqUenS PrelS ^ Ca'5aa
gumas vezes quasi que diego a des/nimar I Todas estas faeendas para liquidar, pois ludo
da vida e maldizer da minba infeliz sor te;!es,a em perfeito estado, isto garante o doBo do es-
tenho sido tratado por muitos mediros d'es-tabelei!ref?lj______________________
ta cidade, e nenhum pode vencer i tenaci-| I f| IA nfl DCI \h TI f\0
dade de minba molestia, eslava >em espe- V OLUM r LUn
rangas de recobrar a minba saude ; quando Na ma do Queimado n. (i3.
ltimamente resolv fazer uso da 'Salsa par-\ Tendo recebido um sortimento de bone-
rilha do Dr. A$er. Completa 11-se hoje cas de choro, que chamam papal e mamai,
trinla e sete dias que comecei com este com cabeeira de cachos,
santo remedio, e tantas melhoras tenho! Tendo recebido nm variado sortimento de
sentido que tenho conviccao de em breve, brinquedo^ para meninos, sendo espadas,
recobrara ininha saude, perdida lia tanto espingardas, pistolas, tambores; ditos
qualquer defeilo. Istoso l'avo, na rua da Im-
peratriz n. 60 de Gama A Silva.
Espariillios, na loja do Pavo.
Vende-se um bonito sortimento de espartilhos
propnos para senhoras, sendo dos mais modernns
e bem feitos que lem vindo ao mercado, tendo de
todos os lmannos e de diversos precos trazendo to-
das as competentes fitas para apertar. Isto s na
loja do Pavo, rua da Imperatnz n, 60 de Gama
& Silva.
'echiitcha
Laazinhas a 320.
Lazinhas a 320.
Laazinhas a 320.
_ Chegaram para a loja do Pavao as mais bonitas
lazinhas suissas de ipiadnnhos e lisirazinhas a
imiiaeo de sedas por lerem muilo lustro, sendo os
padroes mais modernos que tem vindo ao mercado
e mnito levezinhas, vendendo-se pelo barato preco
de 320 rs. o covado, sendo razenda que sempre se
vendeu por 640 rs. Liquida-se por este barato
preco na loja e armazem do Pavao, na rua da Im-
peralriz n. 60, de Gama & Silva.
Lencinhos para mo a 240 rs.. na loja
do Pavao.
Vendem-se finissimos lengos brancos com duas
cercaduras, sendo urna de cordo e outra de eores
matizada-, muilo finos, a imilaeo de linlio, pelo
barato prego de 25800 a duzia, ou 240 rs. cada
um : isto s na loja e arraazam do Pavo, na rua
da Imperatriz n 60, de Gama & Silva.
Lazinhas a 300 rs.
Laazinhas a 300 rs.
Honitas eaixin has
com pe fumarias.
A Aguia Branca na rua do Queimado n.
8, recebeu um novo sortimento de perfu-
maras das excellenlesqualidadesj bemeo-
nhecidas, vindo no mesmo boni;as caixinlias
de madeira invernisada, e outras de vidro,
todas com finas perfumaras, e mu i pro-
prias para presentes, as quaes sao vendidas
por precos commodus, na lojad'Aguia Bran-
ca rua do Queimado n. 8.
Toncas de fil en fe i-
tadas
a 500 rs. cada tima.
Vend m-se Da rua do Queimado, loja da
Aguia Branca n. 8.
Espe Utos dourados
A Agua Branca, recebeu novamente um
grande sortimento de espelhos de difieren-1. nXnn0^,.
r___:a.a~. _j- .i____j __. a____j. i 15&0U, outros para 24 a J5000, e alguns inaiores
Nessa loja vndese baratamente, alm de min-
ios oulros okjeclos os seguintes :
Voltas de crysial, grandes e pequeas.
Ouirasde diversas qualidades.
Cruzes \ randes de pedras falsas.
Alfineiesde madreperola e mira- qualidades.
Brincos a balo.
Cintos a Iraviata.
N. 16 na do Queimado.
Pennas n"aco, papel e envclope.'.
Na amiga loja de, mlooeras a rua do Queimado
n. 16, aiha-se um bello soriimenlo de papel al-
masso greve liso u paulado, primeira e segunda
sorte, diio dt peso Iko, [amado e de quadrinhos, e
de dlflerentes qualidades al a que se pode encon-
trar de melhor. dito pai|ael, dito pequeo em cai-
xinhas, sendo liso, pautado, de quadrinhos, beira
dourada e tarjado de prelo, tendo entre elies al-
guns que irazem a envelopa na inesnia folha, o que
aqu intiiramente novo. Cai^a^ de enveloj.es
maiores p menores, e larjados de pn-io. Pennas
d'ago ingle7as, callgraphiras e oulras qualidades,
todas dos afamados fabricantes Perres ^ C.
Altana baratos na rua do Qiiei-
mailo n. 1G.
Vendem-se bonitos albuns para 12 retratos a
tfb'OO, outros para 24 a "U""
tes qualidades, sendo de raordura dourada, laulbem por baratos precos.
dita envernisada, oulros de dita enveraba- Uvas de plica a oUO rs o nar
da com vivos dourados, tendo diversos ta- Ape),ar de na^ senm anljg;is es&0 /m '
manhos, ate grandes para salas, e bem as- mesdadas as luvas de pelica prela e de cores, as
sim outros de armaco com um e dous ps, 'luaes alDlla >ervem para a noile, e mesmo i'ara
e oulros com enconsto, todos os quaes se wm^l'iE^"^ a 500/s par a '"* du
j i i Queimado n. 16, oja de miudeza*.
vendem i or precos commodos e dinhe.ro y Lal vrinllios tica*
vista: na rua do Queimado, loja d'Aguia ,. 'LfnJ in,l,os "*
Rranra n Na lo,a de ,nlUllo;!as a do Queimado II. 16,
ni a ni ,i ii. o. vende-se bonitos labyFinlhos e bicos das i Utas, le-
IIi, )H VMVIpI flloTifimifl c'dos em!rade de "nha o que os loma fortes, e de
UO/l /JUfJCl UimUddU moita durago, alm de que os novos e agradaveis
paulado com 33 linhas. I desenhos, e & commodida.le dos precos concorrem
A Aguia Branca "acaba de receber a sua ffi* A*" ^2&. dVlles ,ant0 maisJ ,|,Jan,0l
encommendadesse bom papel almasso, ^SS^KSTf^Xj^
como de n. Ifi, loja de raiudezas.
Laazinhas a 300 rs.
Vende-se um bonito soniraeDto de laazinhas pro-1 e paulado com 33 linlias. assim
ttffyttarBS^^lS22^ Ruado Queimadon. 16, an-
rovado, sendo fazenda que sempre se vendeu a! Paotad. Cm Coroa imperial, e sem ella, 6 v ""
500 rs. o covado, e vende-se a dinheiro a vista pe-: "tros pequeos conforme os cima, e pa-! liga lOja Qe milKieZS,
lo baratissimo prego de 300 rs. o covado : na loja! quete, tarjado de preto folha grande e pe- Essaloj j lao conhecida. r.novou e melhorou
do 1 avao a rua da Imperainz n. 60 de Gama & quena, etc. i o sen sortimento de perfumaras, onde os prelen-
Tambera receben envelopes correspon-: ^^tlZ?V^WJZT
denles a todos os lamanhos do papel, tanto
Silva.
Pelerinas a 1;5>C00.
Vendem-se as mais ricas pelerinas ou romeiras
lempo.
feypkilis e molestias mert uviaes.
Do Illm. Sn. Dr. Jackso:<.
Medico Mnito conheado as provincias do
sul do lirasil.
Tenho receitado a Salsa panilha do
D;:. Ayer nos casos mais inveterados de
Sapkili-s constitucional e sempre com os
mais fe'.izesresultados; o melhoi
te que-conheco.
L.eeot*rka e flores bramcas.
Temos cartas em que nos conlam casos
para meninas : apparelhos de almoco e de
jamar de porcelana e de metal, porta-licor
e faquinhas a 280 rs. o par ; e nao qtieren-
do continuar, vende mais barato do que em
outra qualquer parte.
Vende-se liras bordadas de dil'feientes
larguras a I &, e babados, collar inbos e pu-
nbos para senhora, bordados e abertos de
alteran-! ren 1 podem encontrar.
Vende-se laa para bordar de diversas
qualidades e de cores claras a 7$ a libra, es-
de cambraia bordadas proprias para hombros de brancos como tarjados.
senhora pelo baratissimo prego de 15600 : na rua, A commodidade dos precos j de todos I
. a imperatnz n. co, loja de Gama & Silva. i bem conhecida, tima vez que appareca di- <
rgantly a 40 rs. o covado. nheiro: na rua do Queimado loja da Aguia;
na loja do Pavao. Branca n. 8.
Vendem-se as mais benitas cassas oreandvs na- t? /? *
vel Esponjan finas para rosto
droes miudos e grandes, pelo baratissimo prego
240 rs. o covado (doze viniens), esta jiechincha
acaba-se logo : na loja do Pavo rua da Impera-
triz n. 60, de Cama & Silva.
HRETAiNHA DE IIOLO A 35000.
MadapolO eufestado a 3#000.
Na loja do l'vo.
Vendem-se pegas de hretanha de rolo com 10
inveterados que forant radicalmente curados pelhoa de columnas de Jacaranda a 2^500,
com un ou dous frascos d'esta Salsa pr-
rilfia.
O todos os attestados que possuimos Jas vir- i
tudes d'este extracto composto Ce Salsa!
parrilha do Dr. Ayer, asta deoarar ao,
publico que tem sido empregado ha mais i
de vinte anuos .pela proiissao med ,a tanto
ditos brancos de diversos lamanhos, caixinfas
para estojos de navaihas,
Vende-se pentes de alisar com costas de
metal a l,% ditos de differenes qualidades,
lindas gravalinlias para senhora de dilTeren-
es gestos.
Colhcres de niel a I principe.
Vende-se eollieres de metal principe para
varas a :5, ditas de madaj.olao enfeslado n 355i,' Aguifl Branca n. 8.
Vendem-se na rua do Queimado, loja da
Aguia Branca n. 8.
Meias de cores
para creancas de 6 a 12 mezes.
Vendem-se na rua do Queimado, loja da
leos philocome, superfino e babosa.
Banha fina em frascos e latas.
Extractos finos inglczes e francezes.
Agua da colonia c florida.
Opiata e poi para den'es.
Extracto de quinquina para ditos.
Agua balsmica para ditos.
Dita deniriliee para ditos.
Leite virginal para sardas.
Vinagre de Venus para refrescar e conservar o
lastre da culis.
Sabonetes camphorados inglezes.
Ditos areienlos excellentes para miios.
Outros lambem inglezes de diversas qualidades
em caixinhas de tres e soltos.
Albuns com perfumaras. _________| I
Grande exposicao de-fa-
zendas.
Que estao a venda, na loja e armazem da Arara, i
rua da Imperatriz d. 36, Lourengo Pereira -Meo-
des Guimaraes.
LAZIXHAS A 240 Rs. I
LAZIMIAS A 240 lis. I !
LAZIXHAS A 240 Rs. I I I
Ha um grande, sonimento de lazinhas ehineza*,
chegadas pelo ultimo vapor, sendo fazenda que
A Aguia Branca da rua do Queimado R. quaesquer loja vende a 400 rs., est se vendendo,
25500, diiasde quadrinhos a ;I3 na"7a"doPa-i8, vende"Se mui bonitas gollnbas 6 punbos na loja da Arara |.elo diminuto prego de 240 rs.
vo, rua da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva, [bordados para senhora.
diales a 2ooo Aspas fortes para baldo.
vendera-se chales de merino a 25, 25-500, !>& e i ,. ,' ..... vende-se madinolao enm '!
65: na loja do Pavao. rua da impeVirlz n. 60, de | Vendem-se na rna do Queimado, loja da d0NSe
35500 e 45 : na loja do Pavo, rua da Imperatriz i
n. 60, de Gama & Silva.
Madapolao cow toque de mofo a C&00 e. 7ft
Vendem-se superiores pegas de madapolao, ga
ranlindo-se 20 varis em cada urna, pelo baralissi-
1 hosphoros fie seguranca
caixas de 500 palitos a i 60 cada urna.
Vendem-se na rua do Queimado, loja da
---------------------_^- -,.,-.- x ... ,,,, uni, unu Urt iii^ai- t r
nio prego de^OQ e 75 por terern um pequeo A8uia Branca B. 8.
* inhas
bordadas para senioras.
Gol linhas e punhos
45 : na loja do "l'avo, rua da Imperatriz n". 60, de
Gama & Silva.
Corles-de casimiras a 2j00 e 3
Vendem-se cortes de casemira de urna s cor a
MADAPOLO COM 24 JARDAS A 45300 11!
MADAPOLAO COM 24 JARDAS A 45500!
! Aguia Branca n. 8.
Dminos e
em caixas de
vis por as
madeira.
das Amertcas como da Europa, sevn nunca !hfarso,,Pa a 2>> ^ilas para cha a 2300,
desmentir a sua alia repulacao. dkas para soupa a 4$200 a duzia: nesla
------ j '"ja -ie encontrar sempre um grande e va-
cara a cura radies! de escrfulas e iffeccoes ria0 sortimento de mkidezas: ruadoQuei-
*#..l. ^___1 _! miiln n iO l^; ,1,. U:' l^_
escrfulas, sjphilis e molestias syphi-
lilias, ulceras, feridas, cliagas,
erupces cutneas e todo e
qualquer inconw.odo que
provm d'um estado
impuro de sangue,
TOMEM A
HVt.S %. PARRILHA DE AVER.
A' venda na rua Diieila. ns. 12 26 e 76;
rua da Quitanda n. 51 ; praca da Consti-
tuicOj n. 30 e Hospicio, n. 40. E na-
prinepaes pharmacias e drogaras do im-
perio.
Vende-se em Pernambuco:
na pharmacia franeeza de
P.MAURER i C.
_________RUA_NOVA N. 18.________
Novidade.
Sedinha* de quadrinhos em perfeilo estado (a*
senda mui propria para bailes e Ihealros pelo
ioerivel prego de 600 rs. o covado, lazinhas
de quadrinhos escuro a 260 rs. o covado, ba-
r.e. de 20 a 25 arcos a 25500 aproveitem que
pockincha : s na rua do Queimado n. 17 ao p
a.i botica. Dao-se amostras.
Vovas se ni en te s le lioi-lalica.
Chegaram no nllimo vapor francez vindo da Eu-
ropa, uova-i sementes de hortaliza, na bem conhe-
cida loja de ferrageos de Bastos, na rua da Cadeia
do Recite a. 56 A.
Farelo
madon. 63, loja do beija-flor.
Vende-se urna taberna bemafreguezada para
o mato, e bem romo para a trra por (car ao p
do mar.tambem d comidas e dormidas, e recebe
passa&erroe, tendo excellente commodo para fe-
milia : na fu da Lapa n. 13.
GAZ GAZ GAZ
Vende-se gaz da melhor qualidude s
I.& a lata : nos armazensda ruado Im-
perador n.16 e rua do Trapiche Novan. 8.
Gama & Silva.
Laazidhasa 220 rs., na loja do Pavo
Vendem-se lazinhas transparentes de nrca s
or e de quadrinhos proprias para vestidos de se-
nhoras e meninas, pelo baratissimo preco de 220 I
rs. o evado, sendo fazenda que sempre se venden I A A?ma Branca na rua do Queimado n. 8,
aSOO rs. na loja do l'avo, rua da Imperatriz n. ac;,,)a de receber ilomines em hondas cai-
60, de Gama & Silva. xinhas de madeira branca e envernisada, e'
Corles granadinos a I2d visporas de caixinhas depapelao, e madeira
StBE mJnJSSm^TS] SJSSilaTtttit* ser vendido
com seda, tendo cada corte 22 covados, pelo aimi- Por Pre^os commodos e dinheiro avista,
uto prego de 12 : nicamente na loja e arma- f^PViPflQ YiPt1IQVlf\Q
zem do Pavo, rua da Imperatriz n. 60, de Gama *vo/r,t-t/o /^ & s,,va- para meninos.
Bornouls de renda na loja do Pavo A Aguia Branca, na rua do Queimado n.
nSa^ffr.Tj.rp^.j'.r': ?' Tt ^ "*"* V**T
zem do Pavo, rua da Imperatriz n. 60, de Gama & le.nc' hrancos, pequeos e com barras de
Silva. j cores, propnos para meninos, e anda serio
Um chales preos de renda ueudidos pelo commodo preco de 10000 a
Cbegou pelo ultimo vapor francez um grande e dnzia.
variado sorti nenio dos mais ricos chales prelos de
NOVIDADE
A 10 109OO e i#500.
Loques de osso, ultimo gosto, a 15.
Ceroulas de meia a 15200.
Diitas muito finas a 15500.
S na rua da Cadeia do Recife n.'5
Em casa de Tisset Freres rua do Trapiche d.
9, tem para vender :
Vinho R rdeaux em barrieas e em caixas.
Dito de Santerne fino.
Ditod Champagne muito superior.
^Cerveja franeeza marca Robe.
Sementes.
Vendem-se smenles de hortaligas muito novas :
rna da Cadeia n. 50.
Attencao,
a 45 a sacca, das maiores que ha : na rua larga
do Rosario n. 50, taberna da esquina.
Vende-se o engenho Jumiiahy, cinco legoas
dictante da cidade do Natal, provincia do Rio
Grande do Norte, moente e correte, com 20 cap-
tivos, 20 bois e 20 beslas ; assim como diversos
lotes de ierra, propria para a cultura de algodo e
mandioca, e mais duas fazendas de gado no Polen-
gi e Cear-raeirim, na mesma provincia, cujas ven-
das se Ife'tiiar.o a prasos, mediante boas firmas :
quem pretender dirlja-se aquella provincia a tra-
a r coro PabriciO(S C.
Taso Iranios
vendem gesso em p para estuqne de casas, lijlos
finos de feiilo diversos para ladrilho, azuleijos de
divert gosi >s, lijlos vidrados para parede de co-
zipha, caqo* de narro par pseotp, cemento era
iUTii de 10 arrobas. J
Vende-se urna serrazinha circular, com motor
com a qual se pode usar para furar o tornear : os
pretendenles podem ve-la funecionar na fabrica
de carros de F. Poirir, na rua da Imperairiz nu-
mero 55.
Vendem-se 60 varas de esiopa com a largu-
ra de 5 palmos, e 60 esleirs de palha que serv-
ram de encapar fardos de linho da Russia, indo
pnprio para capas de saccas de laa ou ouiro qual-
quer misler : na rua larga do Rosario n. 36.
C'ahingas Unos e brlnquedos
para meninos.
Chegaram para a loja de mindezas da rna do
Queimado n. 69, os mais finos e lindos calnngas
tanto para brinqnedo de meninos como para cima
de mesa : Da mesma loja se encontrar boro sor-
tiraento de raiudez; s.
RATATA8:
Vendem-se excellentes btalas pelo diminuto
prego de 400 rs. o gigo, e em porgo taz-se algum
abatimento : no armazem do Sr. Azevedo defronte
da escandinha da alfandega.
Vende se um lindo mulatinho de idade de 13
annos, e um negro de idade 15 annos por 3005 :
na travewa do Carmo n. I.
renda, tanto de linho como de seda, tendo entre
elies muilos de poma redonda a emitago de man-
teletes e muitos com o centro de cor, e vende-se
por pregos muito em conta por terem sido manda-
dos vir de coma propria pelos donos da loja do
Pavo, rua da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Lazinhas lisas a 500 rs.
Vendem-se as mais modernas laazinhas, lendo de
todas as cores, pelo barato prego de 500 rs. o co-
vado, tarlaiana branca e de cores a 800 rs., fil liso
branco a 800 rs. a vara, corles de fil brancos lisos
a 65 : na loja do Pavo, rua da Imperalrlzn. 60,
de Gama Silva.
Chapeos de sul de alpaca
Vendem-se superiores chapeos de sol de alpaca
a 35500, ditos de seda inglezes com 16 aspas a
125 : na loja do Pavao, rua da Imperatriz n. 60,
de Gama & Silva.
Lazinhas transparentes a 320.
Vendem-se muilo bonias lazinhas transparen-
tes com palminhas de seda a 320, ditas lisas e de i
varias cores a 250 rs. : na loja do Pavo, rua da
Imperatriz n GO, de Gama & Silva.
Curtes de las matizadas.
Vendem-se bonitos corles de las matizadas, ten-
do 15 covados cada corle, a 5'5, ditos Mara Pia
a 65 e 85: na loja do Pavo, roa da Imperatriz
n. 60, de Gama & Silva.
ROPA FEITA
ROUPA FEITA
ROL'PA FEITA.
Na loja do Pavo vende-se um grande sortimen-
to de roupas feilas para homem, sendo calcas, pa-
letots e colletes, tanto de panno como de casemiras
pretas e de cores ; deixa-se de mencionar os pre-
gos para nao se tornar enfadonho o aunando,
afiangando-se que o respeitavel publico achara um
grande sortimento por baratissimos pregos : na
loja e armazem do Pavao, rua da Imperatriz n.
60, de Gama & Silva. _______
Piche do gaz e verniz do gaz."~
Vende-se piche do gaz, verniz do gaz e estopa
da ierra : no armazem da bola amarella, no oito
da secretarla da polica.
Me de laia pararpadre.
Vendem-se na rua do Queimado, loja da
Aguia Branca n. 8.
Sjrif 8-S.f 3g"3:fSo
en
O
v.
rs. _.
=T 3.
P
g-5 3 O.
=5- 8 seo 2. S--3
8.9.3151'*- s-ci
S|Ffl|li*5.ffs5-i
iSfviMSifr'MlstS
3
o
CE
o 1 *
gf.3 8 2
3 O O en
M ? < 2
Si a -. ^
es g.
2 ??= *
sai
29
A-
O W
a ce
2s-
o
o
Atten^o.
Vende-se o deposito da rua Nova n. 61, bem
afreguezado e bem sortido : a tratar na rua do L-
vramento n. 3i.
5

B
o,
o.
C6
en
2.
CD
OO
aj
3
8
O
a
>
se
o
SO
que lem 20 varas, pelo barato preco de
45500, 55000, C5000 e 65500.
BRETA.MIA DE ROLO COM '0 VARAS
A 25PO0.
Vende-se brelanha de rolo a 25800 a pega, s
Mendes Goimares.
MADAPOLAO E.XFESTADO A 35000, 35500
E I5OOO.
MADAPOLAO E.XFESTADO A 35000, 3500
E 450OO.
Vende-se madapolao enfeslado pelo o barato
i prego de 35, 35500 e 45 a pga.
COLCHAS DAMASCADAS DE FLSTAO.
Vende-se as mais mo lernas colchas de fusio,
tendo de todas as cores a 55500, ditas graades a
65000, ditas do damasco a 15000, dilas de dula a
25240 e 15900, islo s (.or a cabar, na loja e ar-
| mazem da Arara n. 56, Mendes Guimaraes.
tJHITAS FRANCEZAS A 240, 260, 280 E 300 Rs.
CHITAS FRANCEZAS A 240,2*0,280, 300 E
320 Its. O COVADO.
CHITAS INGLEZAS A 200 E 220 Rs. O COVADO.
Vende-se cambraias brancas de .lpicos a 45500
apega, lambem ha um grande sortimento de cam-
braia brancas que se vendem a 35, 35500, 45,
55. 65 e 75 a pega.
CHALES DE MERINO A 2000.
Lengos de cambraia com barra de < ores a 15800
a duzia, ditos de dila branco a 25 e a 25500 a du-
zia, s Mendes Guimaraes.
CALCAS DE BRIM DE LINHO.
Vende-se calcas de brnn de linho a 35400,
25600 e 45000, ditas de algodo a 25, 1 Mendes
un maraes.
Soutambarques de rres, vende-se muito barato,
ditos grosdenaple preto, capas pretas vista se
fara prego.
PALITO'S DE ALPACA BRANCA A 45500.
PALITO'S DE BRIM DE LINHO A 35000
ntremelos transparentes a 800 rs. ditos tapado
a 15, ditos para babado a lOOO cada urna tira.
ROUPAS FEITAS.
ROUPAS FEITAS.
ROUPAS FEITAS.
Vendem-se nm sonimento de roupas feilas de
todas as qualidades, que a vista se far prego, e
outras muias mais fazendas que se d'ixam de
anuunciar, rua da Imperatriz n. 36, Mendes Gui-
maraes.
IiHiatt*
Vendem no >cu trnaam ita
Aiuf*f-i ; .:.
Li'Or fino Curar-., esa boj r a
Licores linos soriidts em pirata* u* 1
vidru e em lindos CraMMt
VinbcsUhfr.
Saiii.-rn- K
'**HBil. r;n.
Hwingi.
horpi'i.' .
Cl>ani|.. ri..
Muscale!.
Reino.
Borden ni.
CoflMe.
Od Too.
AzeilePlagniol.
Loja
'

das seis portas em frmit '
cr.untfU
Ven ;em--p rhi'< franeeza* e-a-ura-. t hw
wm 1 *W, 2C0 e >" o eovatf, tm I
ores lixas a 240 o covado, nrefar.ria ?- r^n a
254(0 a pega, rorie* de ra-emira
ror m* '-' 1
15, bales di- arcos a :i, 3o.',Oi) e 15, e : wra
outras f.zpddas por haratUsimos pr^*. < A :;
se dfo amostras ; 1 ambraia para f rVu a Hnmi a>
[i. r;i
S S.
t-llyy-rfi.i'v
III
8 2 Oi
il
Q. 3 2
I"lili1
IrfS-a
i:
*
Desde muilo lempo pWn> .
ibandnnou o nso das prrp.zrarn*} l
intituladas ep- raa, .-..DhemU-f
e. Xaro -
le Sals.1p.1rn i'a rom|*tM*< c i
Cuja arrao, a ruaior parle das vea*
.' milla, e 'alpaaBOMi pericr-j
Os Caavm nrnr imw tu 1 \~rrcm
1 o costo k'.imiib cmrca v.i
Mana* iotit mn wn m at m **th
\as o o s:o viioo K mtrn.trtm
uinawaa.
O m ifffo qw e
tt 5lo*oll'lvrrao <-Da Fra
If* oii 0 r>.i;ru,""l0 <'as prinripte5
celebridades medicas, J"
de lodo qoanlo lera eiU..'r
hoje.
Cura rpida sem o socorra
de nenh'im outro remedio in-
terno, cas escropbula ,
herpes, affeccoes syph-
liticas hypertropbias
dos tessidos celular>.s,
hydropisias c em gen
todas as molestias produzcas
pela allcin. ,10 lo sangue ; t.il
o resollado que <|iieriam>>*J
conseguir e que temos sem-
pre ubi ido.
Urna explicado
vidro.
Desconfiar-se, das Ei'ciSea(nrl i
lacoes.
Para at eiiromcmlas irifir-tt
Snre: lIlliMa BT a**, 18, # n *1
Eugnt, Parit,
"XARPE
delABELON
m
Fumo da Babia para
charutos.
Presunto para fiambre
de superior qualidade a 700 rs. a libra : na rua do
Cabuga' n. 18, armazem Flor dos Progressos.
Vende se um prelo crioulo, bem mogo : no
pateo do Tergo n. 141.
Vendem-se tres portadas de pedra de canta-
ra, de Lisboa ; a fallar com Jos Mara-Seve, na
ilha dos Ratos, rua do Seve, casa n. 16.
m
Vende-se fumo superior de todas as
qualidades, a retalho e por atacado, e
por pregos commodos, no Recife, rua da
Cacimba n. I.
Eiii|>repad cora iniariivel saceess* pcl<> Mctlicos de lodo* ot paites coatrs as mm
rpinicas ou nio orgaaica* do ewn, as duea, -
dropisias e 1 maior pane das nolesiias do MU* e dao
bronchioi (aaaaWBH*. ralaiiaaiiaaasawai rfnai.
infammaru serresai dM)rmuki*, taaaiaea as,/*;..<
0 x ARnri de LABELOTTI aao se icad*seaa *
aarrafas com rotulas de cor e fechadas esa san etiaaa
levando a firma do inTeator.
Um pars, rao "..,. vlllnwnr, I
Deposito geral em PemaBDuco roa da
0 Croi Q.22 em casa de Caro
avaado.
Francez barrica 55000
Ponland dem 85500
Era pe feito esudo:
Francez barrica 105000
Portland idera 125O00
No armazem de Tasso Irmios caes do Apollo.
. Acha-se
i venda na livraria acadmica, na raa o ha >ra-
]"> reoaV Sab>
Amonio ; e na lyptgraphia impar.-ial, 1
ireita do Rosario a compilago de loa a lef>:ra>>
lendenie administracao, arreraacb a a.,-*,.
sago dos dinheiros de oraMos ilifaiiu s ^,m.
tes, heraogas Jaeenies, lega*-, *ie, roatf! aaa
i so o replmemo de costas e a le eral tas
i goes, romo tamhem todas as ortev e aai-
1 goveiuo.qoe a todo lem eipli.-a4o, ran'o ir*,-
to das obricagoes inherenie* ac carro tas VaV j le* empregados de )ostiea e
i retios naeionaes
[a. 11
i-.-aw :
e emolumenfos arw >.*
. Este livro poniendo mai d- 7l>0 p.ir.s ra arraa
_ Vende-se um carro de carregar gneros da impreasSo e bom papel, e M^uajaW a ai- .Ja*
alfandega, cora uso, e lodos os pertences de outro de difireme rl!w, ,.,rna" ,,. wag
lal, tudo por prego muilo commodo : a IraUr Seu casto 105000 por cada exeiat 'v e datas
tomos.
I no pateo de S. Pedro n. 4.
\
iwr-i


1
Diario de **rruainbuco Quiuta :elra 21 de fulbo de tS
GNEROS BARATOS A DINFIEIRO
NOS
grades auazens m molii dos
el
gp3
SI ^3
Paleo do (armo n. 9 armazeiu Progresivo rna do Qaeiraailo n. 7
Uniao e Comnicrcio ra do Imperador u. 40,
Priucipal armazem de motilados.
4)8 PROPRIETABI09.
AURORA BRILHANTE
G-iA
MES ABIZE^S
DE
Fazem sciente ao respeitavel publico, e com especialidade aos senhores de en-;
gestas, libradores emaispessoas do centro, que para mais facilitar stias compras deli-
beriram os proprietarios dos tres grandes armazens. reunir todo; os seus estabeleci-,
montos ora um s annuncio, pelo qual o prego de um ser m ue nao infringiremos a tabella que abaixo vai publicado, anntmciar os gneros
por um prejo, e m occasio da compra qiiererera por outro, como sucede constante-1
mente cm nutras militas casas, porm nos nossos estabelecimentos nao se dar isto
ainla mesmo com prejuizo nosso, qualqner pessoa padera mandar seus fmulos que j
serao tam cm servidos como viessem pessoalmente fazendo-ns o favor di mandar seus'
pedidos era cartas faisadas; para evitar qualqner engaos, remettendo nos urna conta
peta qual s; ver os precos tal qual annnaciarmos, o que seno arrepender pessoa'
alguma que fizer s aa despenda cm nossos cstabelecimentos; pois poupar mais de
o por cento na sua despeza diaria.
? Largo da Santa
tCruz n. 84,
quina da ra
vSabo.
m
es-4.
<
o
Q
1
mmm
m Largo
HCraz n.
1 faina
da Santa
84, es^ST;
da ra do$^ I
O no vi,
ESPECIAES |sebo.
iantprrn^I",I0.d.oi muit0 acreditado armazem de motilados denominado Au-
I A sarta* whu r mesmo sortimento de gneros de primeira qualidade.
1 Nenh.a rmS 2 lOi de base Para aJuste d conl** aos Portadores,
pelo ana ^EEttZSt? "?ais barat0 e melhores d0 'lue a Aurora Bf libante, ja'
\ ero .man o cSi?^r /,Ue lem,,Ja mesmo Pr1ue seu dono drtseJa lirar diminul lu"
proveitar o r n^V^T'f as desPezas do eslabeleciment. por ISM deixe se a-
anteTfreguezes UUt toda a "'enca, aflm de servir bem os seus cons-
{Latas com 3 libra
I a 75300.
Manteiga ingleza perfeitamente flor chegaia
nUitnam-jnle no vapor Saladim, de 1
a 15120 a libra e em barril terabaii-
niento.
lde.n francesa milito nova a 15 a libra, e
en barril tara batimento
Barl de porco refinada a 6i0 a libra e em
barril tora abatimento.
6bx isim de superior qualidade a 20600.
dem perilla miudinbo a 20700
Ido n tiyssoo especial qualidade de 20500 a
i v)00 a libra.
dem preto rauito especial a 20000 e 20 WO
a l:bra.
dem do Rio em latas de 40000 e a 800 a
libra.
Latas co u biscouto de todas as qualidades
a 10*.
Idera da creditada fabrica de Biato Antonio
(Li>'o i) proprias para dar a doeotes a
20 e U a lata.
Bolaxinha ingleza rauito nova a 30500 a bar-
rica ea 2i0 rs. a lihra.
La; is c 'ii "i ixinha de oda e oval a 20.
Presunto inglez para fiambre chegado no
ultimo vapor a 8/0 rs. a libra.
0: ricos e paios muito novos a 900 rs.
a libra.
is com macarro tdbarim rauito novo a
: j i !) e O a libra
i i branca e amarella a 50) a libra,
lato ortuguez de especia1, qualidade a
- i)a libra.
i; .: su sso de 8 >0 a 10'iOOalibra.
: !i ; a i ioI rerdadeim a O^O a libra
vi'ivl 'nos a 13400.
i asea re goiaba em caixes de 4 e
, ;. lii as seguro a I0SOO,
i lixorii pequeoos a 700 rs. e de
.' > par i rima a -'ID.
Id'iin secco em bocetas ricamente enfeitadas,
contendo pera, pos go, ameixa, rainba.
e outras frutas a 30000 cada urna.
dem m Ida em latas feixadas hermtica-
mente rauo bem enfeitadas, contendo,
I '.'im., pe?"go, ameixas e ou'.ras frutas a
640 e 7J0 a ata, tambera temos latas
grandes n 10200.
melad i dos melhores fabricantes, em la-
las do 20000 a 102.
Lien ora latas de 1 l[-2 libra a 10.
i i em atas de I libra a (HO rs.
Ervii'is e u latas cheg idas oeste al imo va-
por a 700 o do 3o "para cima a 840 rs.
F; ;lo verde ou carrapalo em atas j pre-
parado a 640 rs.
A xas tim frascos de vidro a I0;JOO.
Id u em caixinaas ricamente enfeitadas de
I 03 i l^-iOl.
C fas Mexido muito novas a 700 rs. o
frasco.
I! le ceblas simples a 700 rs.
; io inglez a 640 rs. o frasco com rolha
i e vi Iro.
M I irda era p a 700 rs. o frasco.
preparada a 320 rs
LaUs com massa de tomate de 1 libra a
f.00 rs.
! i em latas de 1 1[2 libra a 900 rs.
Vi liosem garrafas viudos do Porto, Madei-
ra Secca, Duque do Porto, Duque Semi-
r,o, Cascavaas, Mara Pa, D. Luiz, Pe-
i'ro V, Velho Secco, Lagrimas Doces, La-
grimas do Douro, e outras muitas marcas
; 13 a garrafa e 0 a 120 a duzia.
Iden Palmella a 10 a garrafa e 110000 a
i.uzia.
dem em pipa de todas as marcas Porto,
Figneira e Lisboa a 400 e 500 rs. a gar-
rafa e 20SOO a 30300 a caada.
lde.n em ancore tas e 8 a 9 caadas cora su-
perior viabO Lisboa e Figueira a 240 a
a acrela.
Ide n branco expecial qualidade proprio para
Blissa a 560 rs. a garrafa e 40 a cariada.
lde.n mais baixo a 400 rs a garrafa e 30500
a caada.
Iden do ?orto especial qu didale a 800 rs.
a garrafa e 50500 a caada.
Id n B 'i-dciux em caixas a 70 e 700 rs. a
rafa.
Ohampraha a melhor do mercado vinda de
nossa encommenda a 300 o gigo.
dem raais baisa de 180 a 200 e 10500 e
30 a garrafa.
Licores porlnguezes e francezes a 10000 e
1J500 a garrafa.
Marrasquino de Zara, verdadeiroa 10500 a
garrafa.
I iem mais abaixo a 800 rs. a garrafa.
Genebra de laranja verladeira a 110 a du-
zia e 10 o frasco.
Idera de HoHanda verdaileira a. 60 a fras-
cueira e 00 o frasco.
1 d-i.n de Mambur.-o a 50500 a frasqueira.
Idera era b-Migas de Hollanda a 400 e 440
rs. o frasco.
Girafes com genebra de Hollanda com24
i; irrafie a 80, com garrafao.
dem cora lia 15 garrafas a 60.
dem com 4 a 5 ditas a 30200.
dem vasi de todos os tamanhos a 20000,
105130, 800 e 040 rs.
Queijos d 20300 a 20500 os mais frescos.
Vinagre puro de Lisboa a 280 a garrafa e
20000 a caada,
dem mais baixo a 2O0.rs. a garrafa e 10400
a caada.
Azeite d.ice de Lisboa muito fino a 600 rs.
a garrafa e 40600 a caada,
Toucinho de Lisboa novo e muito alto a 400
a libra, e era barril de 5 arrobas a
100500 a arroba.
Cerveja Bass do fabricante Sblers & Bell a
60300 a duzia e 640 a garrafa,
dem Bass do fabricante T. F. Ashea 60000
a duaia e 560 a garrafa,
dem marca H Victoria Alsope e outras
muitas marcas a 50 a duzia e 500 rs. a
garrata.
Sab5o primeira qualidade a 220 rs. a libra
e 21 em caixa.
dem segunda qualidade a 200 rs. a libra e
180 rs em caixa
Sabio ingle/, superior a 180 rs. a libra e
160 rs. em caixa.
Caf primeira e segunda sorte a 7000"),
7-5300 e 80 a arroba, e de 240 a 280 rs.
a libra.
Arroz do Maranhio 30200 a arroba e 100
rs. a libra.
dem da India a 20000, 20800 e 100 rs. a
libra.
Charutos Normas de Havana a 30300 a cai-
xa, de Simas (Jos Portado).
dem Londrinos a 50, idera.
Idera Parasienses a 40500.
dem Delicias a 10300.
Idera Traviata do Bio a 30300.
dem varetas de Manoel l'eixoto da Silva
Netto a 30300 e 10 WO a meia caixa.
I dem suspiros do mesmo fabricante a 10$00
a meia catea e 50206 a caixa.
'dem mece-ipes a 1^700 a meia caixa el
30000 a caixi do mesmo fabricante,
dem orientaos do mesmo a 10800 a meia
caixa e 3-? 400 a caixa.
dem jovens de Castanho & Filho a 20400
a caixa.
dem suspiros do mesmo a 10 '00 a meia
caixa, e outras muitas marcas de fabrican-
tes.
Passas muito navas a 15300 o quirto e 3?
a caixa de urna arroba hespanhola e 320
a libra.
Vermute bebida para abrir a disposicSo de
comer a 10300 a garrafa e 140000 a
caixa.
Alpista muito novo a 30800 arroba e 140
a libra.
Painco a 19000 arroba e 140 a libra.
Pexe em latas j preparado a 10200 a lata
e em porco 10000.
Sardinhas d Nantes a 400 a 1 ata.
Tijollo para lirapar fac is a 160 rs.
Esparmacete a 600 a libra e era caixa a
380.
Vellas de carnauba a 12 e 100000 a arroba
e 360 a 440 rs a libra.
Azeitonas de Lisboa muito novas em anco-1
retas grandes a 10800 e a 400 rs. a gar-!
rafa.
Balaios do Porto imito grandes proprios
para guardar roupa suja a 20500, 30000
e 40W
Batatas era gigos de 31 libras muito novas a
800, e a 40 rs. a libra
Gomraa em paneiros a 40000 arroba e 140
a libra.
Farinda do Maranhao muito alva e nova a
240 a libra.
S-ivadinha de Franca para sopa a 200 a li-
bra.
Sevada muito nova a 140 a libra e 40000
arroba.
Caixas com estrelinha, rodinha e pevide a
400 a libra.
Alhos em canastras muito novos e mauncas
grandes a 180 e 200 rs cada urna.
Canda muito nova a 10000.
Cravo muito novo a "00.
Cominho idem a 320.
Ervadoce iiem a 400.
Alfazema flor a 240.
Amendoas a 400 a libra.
Xozes muito novos a 160 a libra.
Papel greve a 40200 a resma,
dem lizo a 40000.
dem de pezo a 30000.
dem de emhrulho marca grande a 10200 e
10300.
dem azul para botica a 2#000.
Copos lapidados a 50500 e 500 cada um. !
Palitos de denles, macos grandes a 120 e.
100 cada um.
Fumo americano de chapa, de superior'
qualidade a 10500 a libra, em porgSoter
abatimento. I
M de ch jarifas muito novas,
PtS&Em B0W" era postas nteiras,
So es a i*000' 1*280fl
iD,srasSvsxcei,en,epeiiscopara,ri-
!& com Eta n6KeDSOpadaS' a 72 rs'
lnl!at^'Dameixas a ****>. *800 35S00.
jSfSS?d afamad0 abricaute
Ditaseom massa de tomate, aoOO rs.
' KeO235O0SaeCOraadre' 0V0S' a 15500'
fD2j5S5n f)0lachiaha de soda mU'' novas, a
|D'artaCrbS?,t,i>ni,os inlezes de muitas qua-
. naaaes, a 13100. .
' r Chocolate.
taixiohas com ameixas enfeitadas proprias
riJ?ira.","no a UiOMSOO e IJ.JOO.
880 f500Oerior mui, novo- a libra de
|M aCYoor 'a"lariara e al8lria amarella, a libra
Dito dito dita branca, a libra a 400 rs.
Latas com eslreliaha, pevide, i outras mas-
sas, a cana 33500.
Ditas dita Kin libras a 610 rs.
Sas, a libra a 3G0 rs.
hevadlnha para spa a libra, a 210 rs.
rautas seccas, a libra a 160 rs.
Ollas descascadas, a libra a 200 rs.
tiapioca muito nova, a libra a 280 rs.
'Karinlia de araruta verdadeira, a
L 500 rs.
'Alin Maral>ao, emsacco,
23*00 e a libra a 80 rs.
Jttto da India e Java, a arroba a 33*00 e a II-
bra a 100 rs.
Toucinho de Lisboa a 9$o'00 a arroba e a 320
' rs. a libra.
{Dito de Santos, a arroba 73000 e a libra a
260 rs.
.Molhos com I2o ceblas grandes, a 3280.
ITES? franceza, caixa com 2 duzias a
f 7SU.
i Frascos com mostarda proparada em viaagro,
I a -40 rs.
Di?tSn:oini!on'iervasin8lezas e francezas, a
610 e 800 rs.
{Ditos com sal refinado fino, a 610 e a 500 rs.
libra a
a arroba a
Vinhii verde superior. -OT
A caada a 33000 e a garrafa a 400 rs. gr
Gomma. f.V/ri
Saccas de 4 arrobas, a verdadeira de set
ensrommar, a arroba a 33000 e a libra Y
120 rs. "%}
Sabo massa, a libra a 200, 240 e 280 rs. 3g
Fariuha. ,-**, \
Saccasgrandes corn farinhade Goianna mui-. !
to nova, a 53000. S^P ,
Caf. i '
Caf do Rio muito superior, a arroba a 83,
83500 e 93000. 9)3
Cha. ^>.
Ch.teraos nestes leeros o nt ilhor possivel,
hyson, a libra a 23600. *r
Dito perola a 33000.
Dito uxim a 23700.
Dito hyson muito tino a 23800.
Dito redondo a 23500.
Dito preto de primeira inalidade a 23500. M
Dito mais baixo a 23000 e 13600. B
Erva mate. rfj
Excellente cha medicinal, a libra a 210 rs. (y
Bsper mcete. a
O masso com 6 vellas de esperraacete a 600,31
640 e 720 rs. %
Passas.
Caixas de 16 e 8 libras de passas novas pro- i
prias para miraos a 43 e 23500. gj
Nor.es. ffj
Nozes, a libra 160 rs. b arroba a 43000. u
Alpista e painfo. tj
Alpista e parado, a arroba 43000 e a libra a A
160 rs.
Cartas.
Cartas finas para logar, a duzia a 23500.
Castanhas.
Castanhas novas vindas oeste vapor,
ba 43000 e a libra a 200 rs.
Azeitonas.
Barris cora azeitonas novas a 13300
Manteiga.
Manteiga suoerior, a libra a 13-80.
Dita mais abiixo a 13200.
Dita menos superior a 13.
Dita franceza nova, a libra a 8*0
Dita dita em barris e meios ditos, a
850 rs.
DE
AZEVEDO FLORES
Rna da Cadeia do Hecifr, esquina daltlre df Deas.
Os ricos bales de arcos de 30, 40 e 50
Bales de arcos para meninas de 2 a 12 annos a 20 e 20500.
Baloes de pa; no para meninas a 30 e 30500.
Chapeos de s> l.
Os afamados ebem conliecidos chapeos de sol com 12 asteas a 80.
Ditos maiores com 16 asteas a 120.
Tapetes.
Grandes e pequeos tapetes com ricas estampas para sof.
Chitas.
Chitas largas a 240 rs. o covado.
dem escuras finas a 320 rs. o covado.
Camisas.
Superiores camisas a 20500.
Camisas com peito de ior, e todas brancas a 10800.
Ha muitas outras qualidades com peito de esguio.
Casemiras.
As modernas casemiras de quadtos, chegaram
Rotipa xeita.
Ha completo sorlimento de casemiras, de brim branco e de cores.
Colleiriahos.
Chegou nova remessa de colleirinhos de papel de cores e branco?.
Tambem ha completo sortimento dos de esgui5o.
Cateas.
Caigas de superior brim pardo a 20500.
Canibraia branca.
Superiores cambraias brancas a 30 e 70 a pega.
Cambraia branca para forro a 3O e 400 rs. a vara.
Las.
Las de bonitas cores a 4.'0 rs. ao covado.
dem para lulo a 500 rs, ao covado.
A QEftl NOS LER
Todas as semanas reformamos o nosso annuncio, anounciando ao publico novas
fazendas e novos precos e nao como muitas pessoas sup e sempre ser as mesmas la-
zendas.
arro-
libra
1 Di4iw>ra a Verda,leira genebra de laranja, a ', Dita para tempero a 400 rs
propria para negocio, a
1*000.
5 Ditos; de 2 garrafas de Hollanda verdadeira,a
biO rs.
^Botijas com dita
? 400 rs.
JGarrafoes com 2 galoes com dita, a
Serveja boa, marca, a 500 rs. a garrafa, e a
J duzia a 63OOO.
Vinho muscateldeSetubal, a garrafa a 13.
Marrasquinhoverdadeiro,frascos a 80C.rs. e
3 a 13200.
JChampagne, a duzia 203000, e a garrafa a
\ 25fX)0.
Azeite refinado portuguez e francez, a garrafa
J a 13000.
Caixa de vinho Bordeaux muito superior, a
J 73,85,93 e 103 a caixa.
) Ditas com dito branco, a 75 a caix*.
. Ditas com dito lagrimas do Douro verdadeiro,
\ a 203.
'Ditas com duque do Porto verdadeiro,"a
. 185000.
kDitas cora chamisso superior, a 113.
'Ditas com Porto velho e outras muitas mar-
cas, a 123-
>Vinho do Porto a pipa, a garrafa a 640, 720
f e 800 rs.
.Dito de Lisboa muito bom, a caada a 33200,
{ 33500 e 43, e a garrafa a 500 e 560 rs.
'Dito da Figueira, das seguintes marcas (X.)
(J. A. A.) (J. L. G.) (O. M.) a caada a
5 43500, e a garrafa a 560 e 640 rs., deste
f que j est engarrafado e lacrado cora o
rotulo do armazem.
iDitos de marcas mais desconhecidas, a cana-
da a 35500 e 43000, e a garrafa a 480 e
520 rs.
.Vinho branco fino, a garrafa a 640 rs.
[Dito de caj rauito superior, a garrafa a
I 800 rs.
VI
Queijos.
indos ueste vapor a 25800 er|,
libra %OK
Queijos novos
38000.
Ditos londrinos muito novos, a
13000.
Papel.
Papel almaco paulado, a resma a IIMO.
Dito dito lizb de linho, a resma a 43500.
Dito de peso lizo e pautado, a resma
23500.
Dito de embrulho, bom a 13 e 13200.
Vinho Madcira.
Garrafas com o verdadeiro vinho Xerez e Ma-(j
deira a 15500 e 25000.
Temperos. HH
Folhas de louro, piraenta do reino, cominho
e cravo, a libra a 400 rs. r"\
Vela de carnauba.
Massos cora 6 velas de carnauba refinada a
480 rs.
Aineudoas. B5
Amendoas cora casca, a libra a 320 rs. a
Doce. Caixoes de doce de goiaba, grandes a 13400 /?>
e pequeos a 610 rs.
Tijolos de limpar.
Tijolos de arear facas a 140 rs.
Graxa.
Duzias de boioes de. raa n. 97 a 28000
de latas a 15000. e os boioes a 240 rs. ca-<;
da um, e as latas a 100 rs.
Charutos linos.
Charutos finos dos melhores fabricantes da
Bahia por diversos presos, caixas e meias
para
trabalhar sao
descarocar aigodo
FABRICADAS
Por Plant Brothers & C.
OLDAM
Estas machinas
podem descarocar
qu;ilquer espec
,'de algodao serc
estragar o fio.
sendo bstate
duaspessoas para
o trabalho;
descarogar um>
arroba de algo-
dao em earoct
em 40 minutos,
ou 18 arrobas
por dia ou 5 ar-
robas de algoui
iimpo.
m
Atten^o.
Grande liquidacao he fazendas e roupas fe-i
tas nacionaes.
P.ua da Impf ratriz n. 72, loja e. armazem de
Guimares S irmao.
Os proprielurii's deste novo estalfl-rimenlo re-
' ceberam pelo ultimo vapor francez uro granoe *or-
1 tmenlo de laasinhas esrocezas, padroes moito l-o-
1 uilo-;, que esio vendendo pelo diminuto prero de
-10 o covado; moiio barato I
Laninhas a lia!
Laasinhas a 210 !!
Laasinhas a 240 '.'.'.
Ra da Imperatriz n. 72, loja e armazem dr
Guimares (J Irmo.
Tambem receberam um grande ortimenlo de
,.* colchas de fustao que esto vendendo por 53-7)0 e
' 165, ditas de chita a 15900 e 25, ditas de la a
! 15500 e 25, grande sortimento de cambraia* bnn-
[eaa a 320i, 33500 e 43, ditas moito Bna* a
! 45500, 55 e 63, ditas de sulpiros branro a V350O
e 53OOO : isto .' na loja e armazem de Guimares
i & Irmo, rna da Imperatriz n. 71
Chitas largas a 240, 260,280, 300, 320!
Chitas largas a 240, 260, 280, 300, 320.'
Chitas largas a 240, 260, 280, 300,320!!!
muito barato, pecas de breuoha de rolo roas
16 varas a :<5 e 35200, ditas de madapol.io rom 24
15500 53, 65, 65500 e 75- muito fino a
Assim como machinas para serem movidas por
animaes, que descarogam 18 arrobas de algodc
Iimpo, por dia; e motores para mover urna, duas, jardas a
eutrjs dessas machinas. a 95, madapolao fraocz nfestado"eoai 11 jar
Os raesmos tena para vender um bellissimo va- a 35200, 35500, 45 43500, chales de merino e-
porque pode fazer mover seis destas machina> lampados a 25, 28.">00 e 38. ditos mono fin -
mencionadas ; para o que convida-se aos Srs.
agricultores a virem ver e examina-lo, no arma-
zem de algodao, no largo da ponte nova n.47.
Sauuders Brothers & C.
N. II, pra$a do Corpo Santo
RECIFE.
Os aicos agentes neste paiz.
gaz.
caixas.
E grande quantidade de gneros tendentes
estes estabeleciinentos, que deixam de an-
nunciar-se. W
N. 11Roa do QneimadoN. 11
LOJA DE FAZENDAS DE
Augusto Frederico dos Santos Porto.
Chegou a este estabelecimeolo um grande sortimento de cortinados bordados para
camas fazenda de muito gosto.
Chales de guip muito finos para 225, 255 e 305-
Colzas de seda superiores de diversas cores para camas de noivas.
Colxas de la e seda para cama tambem de bonitas cores.
Rotondes de guip enfeilados com o melhor gosto.
Setim de Paris bella fazenda e de bonitas cores para vestido a 700 rs. o covado.
Moureantlque branco e preto, grosdenaple relo e de cores, pannos pretos de todas
as qualidades, ditos zoes.
Casemira preta e de cores, merino preto, silistrina, bombazinas, alpacas preias, e
la preta para lulos.
Malas, saceos e boleas de tapete, verniz e couro de 45 a 118-
Brioa. de i olio da coras liaos a 13800 a vara.
Chapeos e chajeltna* de pal ha de Italia para senbora, manguitos bordados, cnapos
de seda para homem, chupaos de sol de seda, esguio de lioho, cambraia de linho, breta-
nhas, silesias e muitas outras fazendas qae se vendem p ir commodos precos assim como
tambem
Esteiras da India para forrar salas
Coke 4o
Pitch do gaz.
Alcatro do gaz.
Coke tonelladas rs. 10^000
Pitch i i 80^000
Alcatrlo caada. .
O coke reconhecidamente o carvo mais econ-
mico, torna-se por isso recommendavel, bem co-
mo pelo asseio que se nota as cozinhas aonde
alie usado. Pitch e alcatro.alm das applicagSes
diversas a qns se prestam, como para callafetar
embarcares, aIcatroar madeiras,etc.,teem este a
propriedade de nreservar do cupira, formigas.etc.
E' entregar na fabrica dogaz ou mandado por em
qualquer poni da cidade, segundo a vontade do
comprador.
Instruyes para o servido
das guardas do exercito, extrahidas do re-
gulamento de infantaria e accommodadas ao
exercito brasileiro; obra que rauito convm
aquellas pessoas que se alistara nos corpos
de voluntarios; vende-se na livraria n. 6 e
8 da praga da Ind -pendencia, a 43.
Farinha de mandioca : tem para vender Au
tonlo Luiz de Oliveira Azevedo 4 C., no sea es-
criptorio ra da Cruz u. 1.
65 e 65500, cortes de rasemiras de cores e pretta
pelo diminuto preeo de 25500, 33, 33500 e 13-
ditas muito finas a 55, 555UO e 63- graade sorU-
| ment de roupas feitas de todas as qoalidade, e
prego que s vista dos compradores qae se
poder dizer o prego, afflanrando qae vende-**
por menos 20 0|0 qut- em oolra qoalquer parte :
isto na ra da Imperatriz o. 72, loja de Guimara--
& Irmu.
Veiitle-s<
farelo de Lisboa em saccas e barricas, e ara*
400 com surerior farinha de mandioca, mais barato do
que em outra qnalqner parte : na roa do Vigario
; n, 17, ptimeiro andar.
I
f
fj
KJ4S, VIIIROS E
CHRYSTAES.
Vende-se
um balco de pinho com um flteiro
ra da Penha n. 2.
pequeo : na
Vende-se urna burra de ferro grande
em perfeito estado e por commodo preco :
na ra do Apollo n. 20.

Vitihos do Porto
das melhores marcas, em caixinhas de ama duzia
de garrafas para casas particulares, sendo : Lagri-
mas do Douro, Duque do Porto e D. Luiz ; tambem
tem ancrelas de dcimo encapadas com superior
vinho, barris de 5 e 10 em pipa : na ra do Vi-
gario n. 19, primeiro andar.___________________
idmirem a grande liqui-
dacao
De caudieiros a gaz por todo preco a
grosso t a retalho.
Roa da Imperatriz u. 19.
A loja de loara da ra do Crespo o. 16 tem para
vender qnantidade de azulejos de lindas e variadas
cores, assim como loucas de todas as qoalidade*.
de bonitas pinturas e gosto moderno, ricos appare-
lbos de porcelanas brancas douradas e de core.
vidros de todas as qualidades, inclusive ftafesuno
chrystal, dilicados jarros de rhnstal e porcelasa
para flores, hgnras e ootros muito* objrrtos de I-
nissima porcelana denominada biscoito para e-
feites de mesas, ele., guarniges de fioissima por-
celana branca douradas e de cores para laTatorio
e toaleles, tudo do melhnr goM, pin has de longa e
vasos para jardim, candieiros de lampariaas para
gaz. globos e rhamineis de vidro, borraet e todo*
os mais sobrerelentes para os mesmo*, caz liquido
de superior qualidade, e maitos outros artigo* qm
seria eofadonho mencionar, todo por precos arai-
issim.'S raznavels.
Cheg a rom os snpert uves
cortes de seda
Superiores cortes de seda de cor, rindo* ,
ultimo vapor francez : na loja das rtanina* a
do Crespo n. 13, de Antonio Gomia de Va
cellos* C
Farinha de mandioca fina e alva, mais bara-
ta do que em qualqner parle, arroz da trra pito-
do e em conta : para ver e tratar, aa roa do Ti.
gario, casa n. 29.
Venden)-se doas casas terreas, peqnens, em
cbios proprios, sitas na roa Imperial, con a An-
te paro a va ferr, tem cacimba, e renden mal*
de 1 u/0 ao mez : a tratar oa roa da Concordia
numero 22.
.
.

iwr-i



Diarlo de IVru*rubu< o Quinta (eir 3 de Juiko de lMi.

0 NOVO GERENTE
ESTABELEOIDO A RA NOVA N. 60
SJII aiDTJiA 3)3 SI 'JIli'JIJi
AO
AO PUBLICO
Mena o menor constran
g Intento se entregar
Importe do genero
nao agradar.
fiTTENgO
GRANDE
deudo aasim servir de ba-
se para o ajuste de contas
com os portadores.
i
RESPEIXAVEIi PlKf.If O.
A. apreciarlo dos haoitantes desta heroica provincia existe no grande arma-
zem da Liga estabelecido ;i ra Nova n. 60 um magnifico sortimento 'de molhados,
que sendo em sua raax m.1 parte mandados vir directamente do estrangtiro?podem ser
vendidos por precos asss razoaveis.
RA DA CADEIA DO RECIFE N. 53
(Logo passando o arco da Concelco)
PARA BEM DE TODOS.
pnmeiro e nico em seu genero,
Mtthmn outro o exceder no restricto cumprimento das seguintes promessas: Mmteiga ingleza especialmente escolliida a
I.' Delicadeza no trato. J,j rt. libra ebarril seras
-, i-,.! !! -. dudiimento.
t] Jj ldellttaae nO peSO. Idemfranceza amis nova do mercado a 96o
'}' SHnpPrrl'Tflp rtn nrPPHQ rs. a libra e 900 rs. em barril ou meios.
, OinCenaaae nOS pregOS. Chahysson de superior qualidade a 2,600
As pessoas que por sua posicao social gozam de certo tratamento, acnarao nesta rS- a |j,ra>
;asa os raelbores queijos londrinos, cerveja, vinhos finissimos manteiga e cha sempre de Qa perola mais superior do mercado a
primeira qualidade. etc., etc. 2,800 rs. a libra.
Qualquer que seja a cndilo do freguez, elle deve contar que ser sempre mu- ,jem hysson muito superior em latas de 15
:o bem servido. libras muito proprio para negocio a 2,ooo
Aquelles que sao pouco favorecidos da sorte far5o mensalmente urna economa de rSi a y^^
militas patacas, afreguezando-se nesta casa, onde se Ihes vender o arroz, o caf, a man- j,jem DySSOn* nacional em latas de 1 e 2 li-
i;eiga o assucar, etc., etc. de boa qualidade pelo preco que em algumas partes nao po- Dras a ,j g00 rg
dem ou nao querem vender. a nn dem preto' o que 'se pode desejar neste ge-
()s senhores de fora da cidade, dos arrebaldes ou centro, que comprara para ne- nero a 2 000 e c, ^ rs a jjra#
?ociar, devem vir, pelo seu proprio interesse, a este estabelecimento para se convence- Linguigas muito novas a 800 rs a libra e em
rem do quanto se pode vender barato. barril se faz abatimento.
Para os senhores que compram para tornar a vender existe nm sortimento ospe- chouricas e paios a 800 rs a libra
cial, escolhido por pessoa entendida que certamente muito deve agradar aos senhores Gostelletas inglezas a 64o rs. a libra serve
compradores. para temperar panella ou para fiambre.
Nao se tem poapado sacrificios, nem se deixar de fazer a diligencia para agr- Quejjos do ^ cegados nesFte ulUmo va.
pora 2,2oo rs., ditos de navio devella a
2,000 rs.
1 dem londrinos muito frescos e de superior
A DINHMIiO A VISTA! ; qiBdadea8era.aJlfcra.
latas, muito nova, a 80 rs. cada abatimento
Bf dem suisso o mais superior que tem viudo
ao mercado a 64o rs. a libra.
Ervilhas e favas portuguezas j preparadas
em latas hermticamente lacradas a 64o.
Senhore* nhora, o aceio que presidio aos arranjos deste novo estabelecimento, e mais que ludo a ptomptido e intei-
eza com que serao tratada? .envida a urna visita ao mesmo, certos de que sem duvida me dar5o a proteccao e preferencia na com-
pra dos gneros que precisaren e quando nao possam virpodero mandar seus portadores, ainda que estes sejam pouco orticos
de que nao v3o em
Sem a'fatuidade de querer que este novo e interessante estabelecimento seja o rois serao tobem servidos como seviessem pessoalmente, havendo para com estes toda recommendaco, afim
pde-se porm iffiancar, com toda a seguranza de que P tra parle.
lar a todos.
PELOS SEGUINTES PRECOS S SE VENDE
para cima a
ALPISTA a 120 rs. a libra.
dem e painco de oito libras
100 rs.
Asase de 90 rs. a libra a........
Amendoas, casca molle, a 280 rs. a libra.
Avellas a 240 rs. a libra.
Ameixas francezas em latas de todo> os l-
mannos.
dem idem em potes de lodos os tamanhos.
dem idem em bocetas de iodos os tama-
nhos.
dem idem em frascos de lodos os tama-
Graixa em
urna.
KIRSCH de Wasser a 20 a garrafa.
Aletria, macarrao e talharim a 4oo rs. a li-
bra e .oooa caixa.
Massapara sopa : esirelinha, pevide e rodi-1
nha branca ouamarella a 64o rs.a libra e;
3,5ooa caixa com 8 libras.
Viuho do Porto muito fino proprio para
engarrafar, em ancoretas de S caadas a
35,ooo rs.
Viuho em pipa : Porto, Figueira e Lisboa a
32o, 4oo e Soo rs. a garrafa, e em caada
a 2,5oo, 3,ooo e 3,8oo.
Vinho branco de Lisboa de excellente quali-
dade a 4oo e Soo rs. a garrafa e em cana-
da a 3,ooo e 3,5oo.
Vinho branco para missaemcaixas de 1 du-
zia a 8,ooo e 68o rs. a garrafa.
Vinho do Porto das melhores marcas que
vem ao mercado como sejam : Lagrimas
do Douro, Duque do Porto, Rainha de Por-
tugal, Duque genuino, D. Luiz 1, Madei-
raSecca, Malvazia fina a 16,ooo, 15,ooo,
12,ooo e lo,oooacaixacom 1 duziae9oo,
l.ooo e l,5oors. agarrafa.
Vinho Cherexde superiorqualidadea16,ooo
a duzia e l,5oo rs. a garrafa.
Sardinhas de Nantes a 4oo rs. os quartos e
64o rs. as raeias latas.
I Bolachinhas inglezas muito novas a 5,ooo a
barrica e 320 rs. a libra.
Bolachinhas de soda em latas
qualidadesal,3oors.
: Cartoes com bolo francez muito proprios pa-
os presos da segulntc
cafcella para todos, p- ^fl \J^ DE JJf |J| QQg
Pharol do eommercio
fina do Ean^el n. 7i
O proprielai io desie eslabWei a hea-
ra de avisar aos seus freguez. i oa r-
de reduego nos precos de seo > <-prtaan-
ra qualidade : mant-iga ingleza le e >n r^ a
librada ullima cliepada au no--n r. .. I n>u
francea a OO rs. e mi barril se fai a! ai. (i n
queijos naiiierpus riovos a S&M, Mu pi..i ,ue
se pode desejar un br>ndade a Mflr-..-. bftn,
amellas fianezas raiitaikH a l200. IIZV*
18U0, frascos de ditas Iiii0,grano.:. -'.^i-um
para mimos, maimtada oas iwii mmtm a
640 rs. a libra, amendua ront i. ; > uta -. res
de S. Joo a (40 rs., vinho rioPurr. a 6n i TiOrs
a garrafa, Rgneira .-boa 400, iu r .".(k> -.. e
em ranada se Ui o abalin.enlo, raix>s >- huy+n
i com 2 arrobas por 3*'S0O e a libra M) r- u< va
caf sorte 78fi0 e 7JN e ? Mra i 40 e iS
bolachinha ingleza ? 2(0 rs. a libia, i, i
Lisboa a 360 rs. a libra, velas d: rareaftsa MS
rs., dilasesleannas fii.!.- a 60' r-.. | h-i.i.ip r.rtt-
gaez a 600 rs., aMata a 3500a arrLa h IJS i^.
a libra, palngo a 4* a dita e i'. n. a cu., rM -
noaSSOO, 2*700 e 24800, frpr(a Sal refinado em frascos devidrocom lamia
ft mesmo, a ooo ~
do
rs.
Feijo verde muito superior a 640 rs. a lata.! ra mimo a 64o rs.
Copos lapidados para agua a o,ooo e 5,5oo Passas muito novas em caixinhas enfeitadas
' a rluzia. para mimo a 3,ooo rs.
a 8,ooo a caixa e 4oo rs.
rs.
nhos. Marmklada dos mais acreditados fabricantes.
Azote doce de primeira qualidade a 560 rs. Macarrao e talharim a 320 rs. a libra.
a garrafa. Massa de tomate a 6U0 rs. a lata.
Almos a 200 rs. o molho. Mostarda ingleza a 800 rs. o frasco.
Absyntho a 2,-JOO a garrafa. Moi.no i.nglez de todas as qualidades.
B Marrasquino verdadeiro de Zara a.....
BOLACHINHAS do Beato Antonio em latas Massas finas para sopa branca e amarella a
LATAS com graixa a 80 rs. cada urna.
Letria a 400 rs. a libra
SI
MANTEIGA ingleza e franceza de piimeira i ,, p-
qualidade a 10, 1H20 e 1;?280, em bar-, a duzja P | J fbr
5L^faLf "Swoh? ''JJIVZ Soclate francez .espanhol e suisso a 9oo, Figos de 'comadre a 24o rs. alibra.
cZrj uerSS JflMQ Wm ,'000el>0rs" a 'ibra- IAl"endoas de casca raole a 40 rs- a ,ibra-
2 ^ZlTJ^!^jf^-! Espermacete superior a 600 e 64o rs. a li-! Milo de amendoas a 5oo rs.
bra
Cerveja branca das marcas mais acreditadas
que vem ao mercado, a 5oo, 56o e 64o
a garrafa, e 5,8oo, 6,000 e 6,5oo a du-
zia.
Cevadinha de Franca muilo nova, a 2oors.
Charutos do aflamado fabricante Jos Furta-
do de Simas, das seguintes qualidades:
Exposicao Normal de H.ivana, Im|ieriaes,
Londrinos, Guasbaras, Parisienses, Sus-
piros Delicias, a 4,ooo, 4,5oo, 5,ooo,
6,000 e 7,ooo a caixa ou em meias.
Charutos finos de diversas marcas e fabri-
cantes, como sejam: Flor do Norte, Ma-
nilhasde llavana, intervallos,Vencedores,
Panaiellas e Suspiros, a 2,ooo, 2,5oo e
3,ooo a caixa.
Of/nac inglez das melhores manas, a Soo e
l,2oo a garrafa.
Doce da casca de goiaba a 2,000 a lata (om
4 libras.
Farinha de araruta verdadeira a 32o rs. a
libra,
i Matte,excellente cha para os navegantes, a
2oo rs.
Sebollas de Franga muito grandese novas
a l,8oo o cento e l,2oo sullas.
i Palitos do gaz a 2,2oo a grosa.
de diversas Toucinho de Lisboa muito novo a 32o rs. a
libra e 8,5oo a arroba.
Banha de porco refinada a 600 rs. a libra.
Bolachinha Alberto, as melhores que pre-
sentementetem vindo ao mercado, a 2,ooo
a lata.
Farinha do Maranho muito alva e cheirosa
a 2oo rs. a libra.
Frascos com fructas em calda de diversas
qfalid^des a 2,5oo e l,5oo o frasco.
640 a lata, gnmma a 100 rs. a libra < 2*."40 a ar-
roba, bolliiihos ingleies lata oe Jijiras a J356,
ditos de soda grandes 2C00 r aMraf r ai- ge-
ros que se torna enfadonlio urinir. ffirafrta
tario espera a ronrnrier.na do n | 't
garaniindoa ixarlioao do que tratar.
Vendem-se paimeiras irnp.ri; -. m -.ado
de serem Iransplantada?: no i,. ti i.rs. a es-
querda, depois do barca tu E.-pn.b. ro. i m Af-
Hictos.
Fio de algbdo Vendelse no escnptorio de Anioni l.uu o 0-
veira Arevedo A C, roa da Cruz n. 1.
Vende-se
ama grande e espadesa proj rieJad.. siloada ea
terrenos onlr'ora de Berenger. rtm 16 m. radas de
casas terreas, sendo duas mal. r. i: a fr nt- da
ra da Flortntina, e as 14 lislM Sa aastMl
formando utna ra que segu ao ttm la^- da r;o
Capibarihe, seu rendimento annuai de Vf-CJ.
achando-sc todas alugadas.
Urna casa na rea do Vigario n. 5, d. irs anda-
res e soao, com benita (rente, e ;iatd* fundo e
largura, contendo dou- grandes atmieav*, um na
(rente e outro pelo undo que da para o rat- e de-
sembarque.
Urna casa na roa da Croz n. .".t. d> quafro 5.
dares, bem construi.h.
Os pretendeIltr^ nirijamse ao csrnilorio de ei-
Iberme da Silva Guimcraes, roa da V.aArl r. f.\
primeiro andar, o qual t.ro ptderes i\r sen* do.
para as.-ignar as eMftj tuias SU re. ri* i Vndese 40 palmos df terreno na rna da
Concordia : a tratar na rna do Alecnm n ..
3 boras s 5 nos dia< olis.
mnm rtcirr;
grandes e pequeas,
iiem do Principe Alberto a 23000 a lata, e
de emeo para cima a l $800.
liem de so Ja em latas grandes a
de cinco para cima a 1$800.
Biscoitos inglezes de todas as qualidades a
1$200, 1250 e i ,5300.
Bolo francez em caixinhas a 300 rs. cada
urna.
Batatas inglezas.
Lamia de porco refinada.
C
CHOCOLATE francez a 700 e 800 rs.
bra, e em por?ao a 600 e 700 rs.
dem suisso a 1$ a libra.
dem de musgo a 10500 a libra.
Chouricas muito novas a 800 rs. a libra.
Caf a 240 e 260 rs. a libra, e em porejio
se far abatimento.
IJem de primeira qualidade a 70000 a ar-
roba.
Conservas em frascos a 320 rs. cada um,
sao muito novas
Mem inglezas, frascos grandes.
Champagne de todas as marcas.
Cuaropi; de grosella, orchala, etc., etc.
Chicaras e pires a l$800a duzia.
Cerveja da superior marca Tenente a 500 rs.
a garrafa, e em duzia se faz grande aba-
timento.
liem Victoria Bas tres X e deoutras marcas.
Charutos das mais acreditadas marcas, co-
mo sejam : Normas d'llavana, Exposicao,
Flor do Brasil, Parisienses, Delicias, Gua-
oabaras, Trovadores, Hegalia, Mississipes,
Panetellos, Apraziveis, Varetas, Brasilei-
ros. Americanos, Fluminenses.
Cha de todas as qualidades e de todos os
precos, hysson, huxim, aljfar, preto, e
preto ponta branca, etc., etc., a 20000, j
202''O, 20560 6 20800.
Copos lisos de todos os tamanhos de 120 a
320 rs.
dem lapidados de todos os tamanhos a du-
zia a 20500, 30500, 40 e 50.
Clices de lodos os tamanhos.
Cognac superior a 10 e 10500 rs. a garrafa.
Cigarros do Bio, pardos, a 80 rs. o maco
de cinco macinhos.
i
60 rs. a libra, em caixas com 9 libras a
30800.
Milho painco e alpista, sendo mais de 8 li-
20000 e brasalUOrs.
H
N0ZES a 120 rs. a libra.
Nabos em latas a 800 rs.
Caixinhas com fructas em doce secco de di-
Bolachinha d'agua e sal, da fabrica deJoao versos tamanhos, muilo proprias para
de Brito no Beato Antonio, em lata de 6 li- mimo, a 1,6oo, 2,6oo e 3,5oo cada urna.
bras por2,5oors. finios, excellente peixe portuguez, em
Ameixas francezas em fiasco de vidro com barris pequeos ou a relalho, a vista se
lampa do mesmo, a I05oo. far o preco.
nosso mercado a Tfico e: Ameixas franc zas em caixinhas de diversos Azeitonas de Hivas em ancoretas grandes de
64o e 7oo ris. a gar- tamanhos com bonitas estn pas na ca- i 8 garrafas por 6oo e 8oo rs. a garrafa.
e em caixa se faz abatimento.
Peixe em posta em latas hermticamente la-
cradas e das melhores qualidades de pei-
xe a 8oo, l.ooo e l,2oo rs.
Vinho Bordeaux das marcas mais acredita-
das que vem ao
8,ooo a caixa e
xa exterior, a 1,4o >, 1 ,fioo, 1,8oo e 2,ooo Azeitonas poriuguezas a 5oo rs. a garrafa e
de Hollanda a 48o rs.a botija de i cada urna.. i l,5oo cada urna ancoreta.
Azeite doce refinado hespanholou portuguez Champagne da melhor qualidade que vem
O
Ostras inglezas e americanas.
PEIXE em posta, latas grandes, a 101.00, de
todas as qualidades, como sejam savel,
li- goras, corvina, pargo, salmo, pescado e
i pescadinha, linguado, sardinha. etc., etc..
Peras em latas, excellente preparado.
Palitos para denles a 120 rs. o mago muito
grande.
Passas em quarto a 10400.
dem muito novas a 400 rs. a libra.
Pomada muito nova a 280 rs. a duzia.
QUEIJOS flamengos.
dem prato a 800 rs. a libra,
dem guisaos a 800 rs. a libra,
dem londrinos a 800 rs. a libra.
Qcartinhas ou morlvques a 60, 80 e 100 o
par.
R
RAPE' Meuron a 10 a libra.
dem Princeza do Bio a 10200 a libra.
dem francez a 20500 a libra.

rala.
Genebra
conta certa.
Frasqueirasde genebra de Hollanda a 6,8oo a 9oo rs. a garrafa e lorooo a caixa.
e 64o rs. o frasco. I Batatas muito novas a 8o rs. a libra e2,5oo
Genebra de laranja verdadeira em frascos j o gigo com 36 libra-;.
grandes a l,oooell,ooo rs.a frasqueira. Conservas inglezas a 75o rs. o frasco e
Caf do Bio de Ia qualidade a 28o rs. ali- 8,Soo a duzia.
bra e8,5oo rs. a arroba. i Vassouras deescova para esfregar casa a
Caf do Cear muito superior a 24o rs. a li- 4oo rs.
bra e 7,Soo rs. a arroba. i Nozes mnito novas a 16o rs. a libra.
Arrozdo Maranho de Ia qualidade a loo Molho inglez em garrafa de vidro comrolha
rs. a libra e 2,8oo a arroba. do mesmo, a 16o rs.
dem da India a loo rs. a libra e2,8oo a Mostarda ingleza dos melhores fabricantes,
arroba. | a 8oo rs. o frasco,
dem de Java a 8o rs. a libra e 2,4oo a ar- i Mostarda franceza em potes j preparada a
roba. 4oo rs. o frasco.
Painco e alpista a 14o rs. a libra e4,oooa Lentilhas francezas, excellente legume para
arroba. sopa, a 2oo rs. a libra.
Massa de tomatesde superior qualidade a 64o Marrasquino de Zara propriamente dito a
rs. a lata de urna libra e56o rs. a reta-, 10 a garrafae 1 l.ooo a duzia.
Iho. I Palitos de dente a 14o rs. o maco.
ao mercado, a 2,ooo e 3,Soo a garrafa, e
24,ooo e 26,ooo o gigo.
Gomma de engommar muito alva a I2o rs.
a libra.
Figosemsextinhas a 8o rs, cada urna e 72o
rs. a duzia.
Papel azul para botica a 2,ooo a resma.
Balaios para roupa suja, grandes e peque-
os, por diversos precos.
Amendoas confeitadas a 64o rs. a libra.
Latas com fructas em calda: pera, pecego,
damasco, rainha Claudia e cereja, a 8oo
rs.
Vinagre de Lisboa a 2oo e 28o rs. a garra-
fa e a 1 ,4oo e 2.000 rs. a caada.
Azeite doce de Lisboa a i,8oo rs. a caada
e 640 rs. a garrafa.
Vinagre branco j engarrafado a 5oo rs. a
garrafa.
RIVAL
SEM &E&U10
Ra do Queluiado ns. 49 cas.
Conilna a vender todas as miudezas que abaixo
declara por presos admiraveis.
Massos de palitos lixados para denles a 100 rs.
: Espelhos do molduras douradas a 200,240 e 320 rs.
Bonete de oliado para meninos a IJOOO.
Ditos de couro superior fazenda a 1,8500.
SABO massa a 160 rs. a libra, em caixa se Frascos com superior tinta rocha a 240 rs.
faz abatimento. i *j" d,e llSha, fro,xa P bordado a 20 e 60 rs.
o,, ____,.__._____ f-nn*.,. Babado do Porto, fazenda boa, vara a 80,100 e
Sal relinado em irascos a 500 rs. i^q rs.
Salame de Len a 231. Varas de franja branca estreita a 40 rs.
Sardinhas de Nantes de todos OS fabricantes.! Caixas cora 100 envelopes, fazenda fina a 600 rs.
Azeite doce refinadoem pequeas latas a 560 rs. a garrafa : no graude armazem
da Liga.
lala
Escravos futridos.
Ao amanhecer d.> dia 16 do r rraan an |
ram os escravos settmntes : Theodnro, irrt-ie
oacao, alio, cheio do corpo, maior oV 30 asaos
barba bastante rente, falla ru.-io.-a. i quando pra-
numia as palavra-, os labios que ,in btwxh, tre-
men) aiguma cousa, tem so bianro o> oiho? BftB*
cipios de carnusidade; Virissin,.. mola!... ea
pouco claro e algn cou?a palid.., aat.ro, alto-
ra regular, tem manas de bexipa- e ffpMH to
rosto, os denles limados, as pernas ei-oi aicuaMa
e largas cicairize>. e anda como quem um h:rlm
nos pes : quem os appreliender qnnra lea-los a*
seu senhor em a ra da AnriTa n. i. rttlit
|ue ser bem recompeosado.
Fugiona noiie de 19 para : ,;,, mmS
mez, do sitio do Sr. Dr. Augusto F. de Oreira. aa
ponte de l'cha, o seu pserav dp pome Luiz. qna-
si que branco, tendo no rosto maic u de briijjj
bem vi>|veis, cabello annelado, baixo, naarcad,
bem fallante, e de cerca de 28 aum de iduK le-'
vou camisa de baela encarnada e chapeo de ralba
novo, suppoe se ot vagueia nest. eidade do F-ri-
fe ou pelas suas circumvisinhanras : quem o ap-
prehender e levar ao sobredito sitm, oo ao rsi-rip-
lorio da pra^a do Corpo Santo n. 17, primeiro aa-
dar.ser generosamente recompen-ado.
Aviso aos capities de ~
campo
Ausenlouse o escravo Mano.I que j fot cscra-
vo ao Sr. Joo Ferreira Taboza senhor do en*echo
Vertente da comarca de C>roar, e depoi* da
seu filhoJoo Ferreira Taboza Jnior rer.deirodo
engenho Rede de Santo Aotao. rojo escravo tem o
signaes seguintes : alto, pooca barba. Caito e
dentes na frente e o melhor signal ter os peitos
estufados para f( ra bem visivel : qaeaa o rn-irar
leve-o a roa estreit do Rosario d. 5. que aera'
bem recompensado.
Fugio no dia 16 do correte a esrrava -nato-
la de nome Sozana, idade 40 auno, mai- on me-
nos, baixa, rbeia do corpo. com falla de denles na
frente, cabellos estirados, levou eaWa de chita
escura e panno da Costa : Nfa-M as auloridade
policiaes e capiiaes de campo si.a captura a entre-
garem-na praca da lnde|odeoria ns. II e I*.
Proiesta-se contra qualquer pessoa que a leaaa
acoutada.
Saceos de 80,100 e 120 libras a 4,$, 40500 e S,S; no grande armazem da Liga.
D0CLt!" "l?f t?LS;,.b/aSei' :VeU,o i** a U a garrafa.
portuguezes, inglezes
E
francezes, etc. etc.
ERVILHAS seccas a 120 rs. a libra.
guvADOCE a 400 rs. a libra.
FARINHA S S S de 8 libras para cima a 120
rs. a libra,
dem de araruta a 320, 400,500 e 800 rs.
Figos de comadre a 160 rs. a libra.
Fehao verde em latas a 600 rs.
Favas em latas a 600 rs.
Fumo do Rio a 500 rs. a libra,
dem americano em latas a 20.
Farello ha sempre em deposito de 500 a
80Q saceos, de todas as qualidades, de to-
dos os tamanhos e de todos os precos.
Grozas de peonas de ac, fazenda superior a SOO rs.
Duzias de meias cruas encorpadas para bomem a
35000.
Grozas de botoes madreperola unos a 500 e
e 640 rs.
Caixas com 50 novellos de .linlia do gaz a 700 e
900 rs. *
Caixas com superiores obreiasde cola a 40 e 80 rs.
Pegas de fila branca elstica com 9 varas a 280 rs.
Varas de franja de la para enreltes de vestidos a
40 rs.
Baralhos dourados superiores qualidades a 400 rs.
Novellos de linha com 400 jardas a 80 rs.
Livros para assentos de roupa lavada a 100 rs.
rii000 a car- Pares ^e bo,'5es Para pono, fazenda rica a 120 rs.
" Tesouras para costuras superiores qnalidades a
; 400 e 15.
', Caixas de peonas de calligraphia, fazenda boa a
Lagrimas do Douro a 1&500 a garrafa. i^ooo.
iJiinne rln Porto vprdadpiro a uuque uo r-orio veruaueiro a z*> a garraia. Pares de upttos de |rM)?a e tapete a 15goo
Duque a i e i0oOO. Pares de sapatos de tranca para meninos a U e
Chamisso a l&, 1.9200 e 10500 a garrafa. 15280.
D. Luiz a 10 a garrafa Caixas com superiores agulhas a 240 rs.
MnsratPl vprrladPrn rip ^Pliihal a .uoscaiei \eraaaeiro ae setuai a z a gar- Caixas com superores obreias de massa a 40 rs_
rata. Rodinhas com alflnetes francezes
Carcavelos a 10. a JO rs.
dem de Setubal em latas muito grandes a
720 rs.
Stearinas a 600 rs. o maco.
T
TOUCINHO de Lisboa a 320 rs. a libra.
Tomate em latas a 600 rs.
Tinta azul e preta para escrevr.
V
VINHOS!!!
Principe Alberto, de 1831, a
rafa : d vida aos velhos.

(JHKCH
muito superiores
Colares a 900 rs. a garrafa ; o nico vi- 5esmas de ppi aimaco a 2*400 e 2*800 n.
nlin me sp nde behpr nnr nao ter rom- Sesmas de papel de pes0 D0 a 2*000-
nno que se poae DeDer por nao ter com- Esoovas para roupa) fatenda boa a 720 e i*.
posicao aiguma. Duzias de tesouras com toque de ferrogem a
Lanterne a 800 rs. a garrafa. 600 rs.
Bordeaux Medoc a 800 rs. a garrafa. ?Q*ias <*6 tac9ce g>* e cabo preto a 3*000.
dem S. Julien a 600, 800 e 10 agarrafa, eneres muito fino para enancas a 240 n,.
Vende-se muito bom lagdo para calcada; ear-
mazeos ebegado agora : a tratar n ra do Apollo
Madapolao moito fino cora pequea toqne de avaria, por preco qne admira : na loja
das columnas na ra do Crespo n. 13, de Antonio Correa de Vasconcellos & C.
Grande sortimento de roupas feilas de to-
das asqualidades,
Calcas de casemira a 6* e 7*500, ditas pretas a
6* e 8*, calcas de ganga a 2* 1*800 e 4*600,
dilas brancas a 2*, brim de linho a 3*, 3*500 e
4*, paletots do alpaca branca a 4*500, ditos pretos(
a 3* e 3*500, ditos de alpaca de cordo a 4*, e
de listra de seda a 4*500, diios sobreeasacos a 5*,
paletots de casemira a 5*, 5*500, 6*. 8* e 9*,
ditos setrecasacos pretos a 12*, 15 e 16*, ditos fi-
nos a 25*, de cores a 13*. ditos fraques a 14*,
' paletots de ganga a 3*, 2*500 e 2*, diios de brim
; pardo a 3*, jaquetoes de brim pardo a 3*, panno
preto fino a 2*. 2*600,3*500 5. 4*500 5 e 6* o
covado, moreantique preto a 2*600 o covado, gros-
denaple preto a 1*500,1*800, 2*. 2*200 e 2*500
o covado ; e ootras mnitas mais fazeodas que se
delxa de annonciar, e maoda-se levar polos caiowi-
ros da loja da arara casa dos pretendentes. 0
e tabelecimento est aberto at as 9 horas da noite,
roa da Imperatriz n. 56, Mendes Guimares.
"fe?
e,->
Fugio em principios do mez de U-\treiro da
crreme anno e <-onsta estar acoutadonesta cidada
o moleque Euzebio, escravo da Tiara do Dr Fer-
nando Affonsode Mello, de 12 ancos de idade pos-
eo mais ou menos, cor | rea, secco do corpo oliwa
regulares e afumaados, rafeen om pooco era
e meia chata, beicos finos, dentes bem alvos i
seceos e muito ladino : roga-se por tanto a toda aa
autoridades policiaes e rapilaesde campo qne oaa-
prehendam e levem-o a ra da Maogneira sobrad*
n. 6 que serao gratificados, prntpstando-se osar aa
melos judiclaes contra qualquer pessoa qne o lenha
em seu poder.
Ausentou-se do dia 2 do correte ao meio"
da casa da roa do Imperador n. 16. o preto nAm
do, crioulo, cheio do corpo, altara r*guiar, i
comprido, olhos pequeos e pooca barba, usa i
sa e bigode. bastante ladino, representa ter Si
annos, pouco mais ou menos, e jalga-se ter leva*
calca preta e camisa branca ; este esc raro foi com-
prado ao Sr. coronel Galvo, do Limoeiro, para oa>
de se julga tenha fgido, mas ha quem o teaha
visto na Passagem da Magdalena, Remedios e Var-
zea; e como se desconfia qae esteja acontado
protesta-se proceder contra quem o tiver aeollNV
e pede-se a quem delle der noticia ou o agarrar
que dirjase a sobredila casa, ou a roa do Cresao
n. 13, qne ser recompensado.
Wermoath a 20, e a caixa a 180.
Bitter Maurer a 10 a garrafa,
n. 4.
A tienco
Vende-se excedentes torradas de po-de-l, de
gomma de araruta, ptimas para dieta e refalo, a
2* a lata : no armazem da Estrella, largo do Pa-
raizo n. 14.
rancisco Jos Germano
RA JCVA tf. *I,
acaba de reBbert>m lindo e magnifico sortimenu
de ocolos, lunetos, binculos, do ultimo e mais
apurado gusto da Europa.
Novena de Mossa Seabora do
Carillo e de aol'Anaa.
Vende-se na ra do Imperador n. 15, offlcini
de encadernacao : o offlcio, salve e versos, nove-
na e salve de Tossa Snhora do Carreo, tres Fc-
Ihetos por 500 rs.,e a novena de Sant'Anna por
320 rs.
Fagio no dia 6 do corrente mez de julho o
cabra Eugenio, di' idade 45 annos, pouco mais oa
menos, com os signaes segniotes : estatura rega-
lar, cara bexigosa, traz barba a Cavaohac, cabello*
cachiados, levou caifa de casemira e paleto! de ri*-
cadlnho j velho ; consta que o dito escravo anda
mesmo aqui na cidade, e quem delle der noticia oa
o agarrar, dirija-se ao hotel de Franca, roa do Tra-
piche n. 11, que ser recompensado.
Mulatinho ftigido.
Desappareceu desde 13 de junno passado, de
casa de seu seohor o Dr. Penelon Alcotorado, o
mniatinho Adolpho, idade pooco mais oo
14 annos, baixo, grosso, ps peqaeaos. olbos aa-
des, cabello corrido, tem um lalh) no alto da ca-
-----------fin .la '" be^a- nm dos lentes d> freote cavados, e a cabi-
vj-_.- fre, M e
\eo4e-se farelo novo, sanas com 90 libras, pelo naticteoo o powa agarrar, levande-o a raa Par-
barato prego de 4* : roa da Madre de Dos nu-, mosa n. 15, ou roa do Amorlm n. M, ser i
meros 5 e 9.
I cado generosamente.


wbbw
VMM
MNPI^
'..' i m M.'";t*j
_
*"-l?T'

Diarlo de fernambnco -- Quinfa lelra 91 de lulho de'l*S&.
UTTE11TRA.
doago, em seu favor hajam que era tu lo renun- um goivo desfolhaoo sobre o bravo dk riachuelo
UM POMO li U DU.
Nao ha enlre n; laem igaore, que nos lempos
ciara deste da para todo sempre, e de oada que
rera usar, seao ter e raanler este instrumento as-
sim e da maneira que neile secoutm, contra o
qual nao querem vir em terapo algum, por si e
nem por inierposia pessoa, nem por seus herdeiros
vertiginosos para este imperio da Santa Cruz, lem- ascendentes era descendentes e sendo nao querem
esses comprehendidos no e de 1820 a
pot
1832, de-eovolveii-se o espirito ante religioso con-
tra as ccrporagos monsticas; e qne esse. espirito
icvadindo esta provincia, abrangej em seu cami-
ntiar destructivo os Rvms. misionarios capuehi-
nho?, que a elle foram victimados, seado-lnes al
I to nado o hospicio da Penha. ^ Mas, cora o arrefe-
COf dos auimos sobrexcitados, despoutou o imperio
da razo ealroa; e d'ahi o recoulieciinooto do di-
reito qae elle: tinhara ac terreno desse hospicio,
por torga da escriplura de doago nter vivos da-
ta.la do 19 de abril Je 16>'G, de son que Ihes foi
restituido o mesrao hospicio em plena posse."
Foram oradores, como vi!-se dessa escriptura,
cuja espia foi otlertada ao Instituto Archoologico e
Geograpliico Pernambuc 100, o abaixo reproduji-
mos, Belchior Alves e saa mulher Joanna Bezer-
ra : os quaes foram sepultados, como haviam pe-
dido, na igreja daquello hospicio, em um carueiro
na capella mor, junto dos degraos qud do 5ubida
para o altar da mesma capella.
\ campa dessa sepullura foi reeonhecida pelo
Rvm. commissai io -Fr. Caetano de Messina, quan-
do prefeilo do hospicio, por oecaslao de ter de la-
drilhar a referida capella mor ; e o actual prefeito
Rvm. Fr. Seraphim de Galana, leado removido
iquelles degros, para maior coinmodidade do
templo, rnandou collocar nessa sepullura umi la-
pida comemoraliva cora a seguinte inscripgo :
Aqui jazem os restos inortaes
de Belchior Alves e Joanna Be-
ierra, conjugas doadores e bemfei-
lores deste hospicio. O M. R- P-
Prefeito Fr. Seraphim de Catania
mandou gravar esta lapida com-
memorativa em 15 de julho de
1865.
m Nome de Dos Airen.
Saibam quantos este publico instrumento de es-
criptura de doago pura, intervivos, e valedora,
firme e irrevogavel deste da para sempre, contra-
to, obrlgago, e como em Direito melhor nome, e
logar haja dizer, e se passe virem, que no anno do
Nascimento de Nosso Sensor Jess Ghrislo, de era
de 1056 annos, aos 19 das o mez de abril do dito
anuo, neste Rscie, da oulra banda de Santo Anto-
nio, as casas de Belchior Alves, onde eu tabellio
ao dianle nomeado fui, e sendo aln perante mim
appareceram parles presentes, contrllenles, e ou-
lorgantes, a saber, de urna, o dito Belchior Alves,
e bem assim sua mulher Joanna Bezerra, e de ou-
tras os Rvds. padres francezcs da ordem do Sera-
fleo S. Francisco, a saber : o Rvd. padre superior
Fr. Serilho, o Rvd. padre Fr. Jorge e o Rvd. padre
Fr. Antonio, e ora moradores no oratorio que tem
tora das portas do Santo Antonio, indo para a for-
ca das Cinco-Pontas todas as pente por mim re
conhecidas; e por elles foi dito em minha presen-
ta, e das testemunhas ao dianle nomeadas e as-
signadas, a saber pelo duo Belchior Alves, e pela
dita sua mulher Joanna Bezerra, que eutre os rais
bens que elles possuem, era certa quanlidade de
ierras no areal que vai desta povoacao de Santo
Antonio para Coco-Pontas, correndo ptla estrada
que vai para os Afogados, da qual trra disseram
qce de seu motu-proprio, e livre vontade, sem
constrangimento de pessoa alguma, que a isto os
obrigasse, faziam doago pura, inter-vivos e vale-
dcia Qrrae e irrevogavel, deste da para lodo sem-
pre aos ditos frades capueliinhos, de quarenta bra-
cas que comejarao de cercas que hoje tem os ditos
frades da banda do norte, correndo para a frontei-
ra da ra que vai para a fortaleza das Cinco-Pon-
tas al eoeherem ditas quarenta brabas, e corren-
do da dita cerca para o rnar, Ihe dao 24 bracas e
meia, a qual Ierra assim ihes do com todas as ar-
vores de fructos e coqueiros que dentro da dita
trra assim confrontada esli, e casas, e todas as
nnis bemfeUorias que na dita trra estiverem e
de presente eslo, cercando os ditos Rvds. padres
por todas as qiatro partes, a saber ; pela dianteira
o ha de fazer a igreja, como pela trazeira para o
mar, e ilhargas, tudo envidando ; a qual doago
da dita trra Ihes fazem, e do para que os ditos
Rvds. frades fagam deutro nella um mosteirinho,
conforme as snas posses e esmolas que Ihes derem
para o fazerem, do qual no.-teiro elles ditos Bel-
chior Alves, e sua mulher Joanna Bezerra a faze-
rem a eapc.il,i-iiior toda lo pedra e cal que possa
durar, e serao tamDeir> obrigados os ditos Rvds.
padres a ajuda-los a faztr, pedindo para issso pe-
dras, e tudo mais que fr necessario aos liis
chrislos que Ihes quizerem dar, e pedindo os di-
tos Rvd
o dito mosleiro que assim fizerem na dita trra se i
chamara da invocaco do Espirito Santo, e na
dita cpella-mor, que o les ditos Belchior Alves e
sua mulher Joanna Bezerra fizeram, poro a sua
a sua custa um retabu'.o muito formoso do Espi-
rito-Santo, o qual ornaro C6in toda decencia que
convier ao culto divino, com a condicSo que os di-
tos reverendos padres lhe deverao ter na dita ca-
pella sua sepultura para elle, para a dita sua mu-
lher, filhos e herdeiros ascendentes e descendentes
delles, sem que outra pessoa alguma se possa en-
srelo ouvidos em juizo nem fra delle, e querem |
eso contentes lhe seja denegado todo o remedio
de direito e acgao, e s querem e sai contentes da-1
rom inteiro e real cumphraento a esta doago, que |
assim fazem os ditos reverendos padres pelo amor ,
de Deus, sem remuneradlo dacapella-mrque Ihes'
do, e para em tudo a cumprirem e guardarem ;
disseram ambos juntos elle dito Belchior Alves, e a
dita sua mulher Joanna Bezerra, e cada um por si,
pela parte que lhe toca, que obrigavam suas pes-
soas e bens, e os melhores amoarados delles. E
logo pelos ditas reverendos padres capuchinhos, a
saber : pelo dito reverendo superior Fr. Serilho, e
pelos ditos padres Fr. Fabiano, Fr. Jorge, e Fr. An-
tonio, por todos juntos e cada um por si, e em no-
me dos mais religiosos de dita ordem que ao dian-
le forera, e Ihes succederera, foi dito em minha
presenga e das paoprlas testemunhas, que elles
acceitavam esta doago da maneira e forma que
por este instrumento declarado, com todas as
clausulas e obrigagoes delle, contra o qual nao vi-
rio em tempo algum, e vindo nao querem serem
ouvidos em juizo e nem fra delle, de facto nem de
direito, e s querem e sao contentes de darera in-
teiro e real cumprimeoto a lodo contedo, e deca- i
rado nesta dita doago, assim e da maneira que
neste instrumento se contera, com declarago que
o dito Belchior Alves e dita sua mulher fagam a |
sobredita capella dentro em tres annos, com o fa-
vor e ajuda delles dilos reverendos padres.
Em f e teslemunho de verdade, assim o ontor-
garam, de que mandaram fazer esto instrumento
nesla nota, em que assignaram, pediram e acceita-
ram, e eu tabellio o acceito em nome dos ausen-
tes a quem a favor desta locar possa, como pessoa
publica estipulante e acceitante que a estipnlei e
acceitel, sendo prsenles por testemunhas Gaspar
Fagundes, Manoel Gongalves Barroso e Antonio
Rlbeiro Varciro, pessoas que bem reconhecem aos
ditos contratantes, como eu tabellio dou f serena
es proprios e as testemunhas proprias que todos
assignaram.
Eu Domingos Dias Timb, tabellio que o escre-
v.Belchior Alves, Joanna Bezerra, fre Serilho
de Meira, superior dos padres capuxinhos, frei
Jorge capuxioho, frei Fabio dito, frei Antonio dos
Mariyresdito, testemunhas, Gaspar Fagundes, Ma-
noel Gougaives Barroso, Antonio Ribeiro Varelro.
E mais se nao continha em dita copia de escrip-
tura, que me foi apresenlada para extrahir publi-
ca forma a pedido do reverenJissiroo padre prefei-1
to do hospicio de N'ossa Senbora da Penba, frei
Seraphim da Galana; a qual vai bem e Qelmente
sem cousa que duvida possa, conferida e concer-
tada, subscripta e assigoada, em publico e raso de
que dou uso; nesta cidade do Recife, capital da
provincia de Pernambuco, aos 11 dias do mez de
julbo do anoo do uascimento de Nosso Senhor Je-
sos Christo de 186o, quadragessimo quario da m-
dependeneia e do imperio do Brasil, subscrevo e
assigno. -^ .
Eft testemunho de verdade;-eslava o signa!, o
BASILIANO BA.NDE'RA DE MELLO CESAR LOUREIRO.
Resisti I... Foi brago forte,
Que mais de can debellou;
Defeudeodo a patriao norte,
O peodo que o libertou I...
Denodo, valor, coragem,
Tendo o Brasil por imagem,
De bravo nada fallou;
Foi um Leonydas novo
Que deu ao brbaro povo
A ligo que nao pensou I...
Ergue-se; laoga-se ousado,
P'ra borda que o investio;
Como o leo enraivado
Devora a quem o attordio.
Toma d'uma das espadas,
E n'um lancedeeepadas
Vio cahir umitas cabegas;
E ne furor denodado
Brada horda : sou soldado
Quero que tu me obedegas I...
Na lerrivel hecatombe,
Em qu'outro bravo cedeu, ()
Cesar receia que tombo
Exaurido o corpo sea.
Mas nao esmorece ;o sangue
Em que se esvaiaexange
D a patria por penbor I...
Mostrando ao povo estrangeiro
Quanto doce ao Brasilelro
Morrer pelo Imperador 1...
Cada golphada de sangue
Que das veas lhe brotava,
Erara tantos, que ja langue
Sua espada debellava I...
Lutou... lutou com tal torga,
Que o ioimigo se esforga
Por se ver livre d'alli;
Mas o bravo lhe apresenta,
A ferida qu'ensanguenta,
E diz: -Fui feita por til...
Morrea I... mas nao do combate.
Que o inimigo ateou ;
Mas da victoriaque abale
O tyranno que insultou 1...
Seu esforgo vio c'roado;
Mas nao resiste ao estado,
Que de suas torgas tem;
E a par de tantos bravos,
Que lutou contra os Batavos,
Legou seu nome tamben).
E' mais um bravo sumido,
Nos goivos que a campa lem;
Mas nao choremos ter ido
Revlver mais longealml...
Foi mais um Pernambucano, (*)
Que transpoz o sobr'humano
Umbral dessa immensidade I...
Chorar 1sao prantos que correm I...
E os patriotas nao morrem,
Vivem alm da eternulade t...
J. L. Dornellas Cmara.
i O ti H il c
Passemos adiante.
E como se divide a regio de que tratamos ?
Affonso olhou para a cana, e vio em lettras gar-
rafaes o seguinte : Ote Ori. (abreviaturas de Orien-
tal e Occidental).
E, reassumindo o seu lom de seguranga, respon-
deu, sem balbuciar.
Divide-se era Flaudres Oque
Ori.
que ameagade inevitavel ruina a nossa patria, e
a tantas almas de perdigao eterna I...
Oh I Como nos precepitarraos desvairados pelo
mais tremendo e perigoso camiuho, que nos con-
duz a urna eternidade : sm eternidade, pois que
nao ha povo algum por mais selvagem que nao a
espere ; mas que eternidade, desde que nos des-
e em Flandres i viamos de Dos, despresamos a sua le os nos en-
tregamos ao mundo e as suas vaidades como o nos-
so nico lim ?
Ou lambem se nos desvairamos a entrar, nao na
Como ? redarguio o examinador, assombrado
por esse incrivel rasgo de idiotismo.
Ja disse, bradou anda mais forte o exami- barca de Simo Pedro, escolbida por Jess Christo
nando, dvide-se em Flandres Oque e em Flandres para dola doutriuar o puvo, e a nos indicada como
Ori. i a nica que nos pode levar ao porto da salvago, e
Diga-me mais, Sr. Alfonso, o que lem de notavel, ntrennos cm lanas outras, que o demonio expe
o Rheno?
O Rheno conbecido em todo o mundo pelos
celebres gueijos que exporta.
Que especie de queijos?
Ora I queijos Flamengos ou do reino.
Cansado de tanta sandice, o presidente do exame
mandou levantar o desfructavel Alfonso, que foi
pela stima vez plenamente reprovado.
a nossa vista como mais cerleiras, mais commodas
a nossa viagem, por mais espagosas e providas de
tudo quanto pode lisougear as nossas inclinagoes e
desejos mundanos ?
Mas, se a barca de Simo Pedro menos espa-
gosa c pouuos entram nella ; se nao lem esses pro-
violentos mundanos, que pdem lisougear os nos-
sos sentimenios, foi ella ceriamente a escolhida por
nosso Divino Salvador para della doutrinar o povo,
e enlo bem entendido est, que s dessa barca
podemos receber a verdadeira doulrina; que
s por ella que podemos chegar a Jess Christo.
Bem entendido e promettido est, que lodos os
auxilios de sua divina graga esperara all aquelles
que nella encelaren] essa imporlaulissirna viagem
Ho de acreditar os Rotores?
Pois Affonso nao chegou a tomar o gra'o de ba-
cbarel!
Parece incrivel; mas nao ha nada mais verda-
deiro I
da eternidade com siucendade e perseveranca.
Era urna larde de invern. v \
Fui encontra-lo melanclico e taciturno, sentado E esse caa>i"h travs ** nossas paixoes, Ugu-
a' jaoella de sua casa, e com os olhos pregados no radas no tempestuoso mar de Genesarelh, s o po-
poente, onde havia ha pouco desapparecido o sol. demos fazer na barca de Simao, que e a igreja ca-
Que tens, meu bom Alfonso ; porque esla's tholica apostlica romana, sendo elle collocado nel-
cora essa cara de desmamar criangas ? Pr Jess Christo como piloto, com o nome de
Se lhe parece que eu nao lenho razo para Pedro.
estar triste 1 Era preciso que eu fosse egosta, co- S a esse Simo ignorante e simples, e que nada
mo voc
Mas o que ha de novo; o que aconleceu?
cooava em si, mas em Jess Christo, que lhe
mandava laucar as redes, depois que conclnio a
Da Semaua Ilustrada extractamos o seguinte:
A semana Gnda bem esludada nos chos da an-
tabellio publico, Francisco Baptista d'Almeida. iecedentei desenvolvida e interpretada com vagar-
Eslava o sello nacionaln. 75Rs. 800, pagon da em resultado um dos septenarios mais comple
0 rs. ----- tos d0 infatigavel, bellicoso e, a rauitos respeitos,
incomprehensivel actual filho do Sr. Mil e oito-
! centos.
O joven de sete dias, de cujo mal nao quiz falle-
cer sem deixar significativos vestigios, distingui
Discurso recitado por occasio do memento ce- se na Siberia, no Iodosto, nos campos de Mavorte
lebrado em suffragio da alma do cadete Bas.liano6 nv? extrnalo de D. Pedro II.
o....,.::.. TZ! *.... ,___i.......... ,m. SMri. Paiz Pouco adequad* a torneras, non-
ve justas, como se alli fosse o quartel general da
Recife, 11 de julho de 1865. Serrano. Cha-
ves.
Pois voc nao se lembra do que hontem me Inslrucgo do povo, e que elle lhe responde : t Se-
disse sobre o eixo da Ierra ? nDOr Toda noite trabaihamos com estas redes, e
Foi entao que eu comprehendi, e Uve um frouxo nem um s peixe colbemos; mas eu as vou langar
de riso lo forle, que quasi morri suffocado. |em vosso nome- B
Na vespera estivera Affonso em meo gabinete Com quanta genonsaae preraeia Nosso Senhor
de trabaiho, e, examinando urna pequea esphera Jess Christo a aquelles que nelle contiam, bem o
armillar que ahi exista, perguntou-me que varinha prova o resultado deste lance da rede de Simo t
de ferro era aquella que atravessava o globo de Sirao desanimado declara ao Divino Salvador,
um a oulro polo. que tloha trabalhado em vo toda a noiie, e que
- E'o eixo da trra, respondl-lhe. Vs corno nenhum peixe tinha apanhado, mas que ia langar
vai enferrujando? Pois assim esta' o do globo em a rde e,n nerae de JesU3 Cbri, 5 e oi lanl Pe'-
que habitamos. E' opiniao dos astrnomos que em xe 'm' I1
breve a ferrugem ha de roer de todo esse frgil
sustentculo,eteremos de rolar todos nos (pobres
bichinhos!) pelos abysmos do espago, al nos anni
rde se rompia, 6 a barca
quasi vai ao fundo pelo peso que recebe era si I...
Foi assim que Simo assombrado exclama :
Senhor Apartai-vos de mim porque sou um
Porm o estudo cooveuieate ao boas ssesristr,
isto que denominarnos etpilo ecclttkitlk, s i
demos com o contacto dos boa, os esforgo* de
bom preceptor, com o zelo de ai
professor.
Do qae serve ao sacerdote saber
direito cannico, e as bellas lettras, %e elle
as obrigagoes praticas do sea estado T
Si elle nada sabe, do qae asisler para
cumprir a sua iwsso como hooseso da hausaai-
dade?
Si a .-ciencia por si s fosse bastante para a.caa-
garmos um bom clero, cerlameaie que iif
melhor do que Luthero, Calvmo, Nevato e tm-
ibiches.
A sciencia tudo, diz S. Bernardo,
acompanhada com o temor do Senhor.
A seleocia ludo, mas qaando ella Sea i
lada no fundo da nossa alma, eotao que irpii
gada com o conhecimenio das obrigagoes qae asa
irape o nosso cargo.
Foi este o primeiro passo que dea S. Vk
Paulo antes de reformar o clero de sea
formar meslres, instituir coogregagoes esse soat-
cassem e lizessem praiiear as virtudes i
fra o objeclo desse hornero Saulo, que aoje
pre o mundo inteiro venera.
A virtude um habito, e habito orna prattea.
Cumo, pois, praiicar virtudes que nao aprsale
mos, e como a prndennos se ninruem aos as>
sina 1
As palavras do concilio sao bem claras :
Como a mocidade, diz eile, si nao (r
cada, iuciina-se a seguir as paixe do
como sem una proieccao parlicularissiasa e Deas
Omnipotente, ella nao pode rnn Dnlcswis araai-
car e perseverar na disciplina ecclesiasiiea, sa dea-
de seus lenres aunos nao fr formada aa piedMa
e na religiao, o concilio ordena pora este tea a faa-
dagao de seminarios.
Apenas o concilio publicou o decreto, o papa M
o primeiro a dar o exemplo fundand a caaspa
romano, coofiando-lhe a dirego a meslres i
menladissimos as scienelas e oas viriodes do
gislerio.
E para logo a igreja parece ressucitar a vat i
successor de S. Pedro, marlyres e apostlos,
Tonquim, China, Corea, as florestas da A ese rica e
as ilhas do ocano ; discpulos, a prora viva de
que pode o meslre zeloso, o verdadeiro edacador
do clero.
quilarmos com os ltimos fragmentos do nosso, 6ran e Pecca r
Foi, pois, a este simples e ignorante pescador que
Affonso tomara ao serlo este Innocente gracejo, e J^us Christo quiz ornar o chefe da sua igreja
era a apprehensao causada pelas mlnhas palavras Pa rundir a sabedoria do mundo I Foi a este
que actuava sobre elle naquelle momento. timoral velno Qne Jess Christo quiz entregar a
- Ria-se voc quanto quizer, disse-me elle; defeza da sua igreja, para confundir os poderes do
quanto a mim, vou abrir o oratorio, e fazer severa mundo. A sua barca sofrera1 borrascas, mas nao
penitencia para que o dia da calastrophe me ache sossobrara jamis.

purificado o arrependido.
Deixei-o immedialamenle para nao arrebentar
pelas ilhargas com o ataque de riso convulsivo'
que o desfructavel collega era mim produzira.
Bandeira de Mello Cesar Loureiro, mono no com
bate de Riachuelo, e offerecido ao seu mano o aca-
dmico Manoel Leile Cesar Loureiro.
Ante meos oculos lamquam presentes imago
Uret, el extinctura, vivere fingit amor.
(Ovid.)
SenhoreslQuando o-soprar do venlo do infor-
tunio faz eslremer as fibras do coragao.elle se con
Tavola Redonda, em honra da qual pelejaram ga-
lhardamente Lancelot do Lago, Tristo, Perceforest
e San-Graai.
Foi mantenedor do campo o veneravel Sr. Mr-
quez de Olinda.
Justaram os respeitaveis Srs. Zacharias e Theo*
lilil' i i i. i '_ 111 '_ i ta*j tiw ^~i v w%<"v*---j--'". ---------- |_"| ~V.
frange sob a presso dolorosa de um sentiraento p
aguJo,a otelligencia orgo sympathico do cora-
copartilha desse dor, e entorpece se, e a pala-
vra morre-nos nos labios sem que possamos expri-
mir os pv,isa meatos ntimos da nossa alma, tal
a minha situagao ao chorar o passamento de Basi-
liano Loureiro irmo do meu distinelo especial
amigo e ce llega Manoel Leile Cesar de Loureiro.
Eis-nos no templo do Senhor nelle so ergue urna
urna envolta nos veos mortuarios, e banhada da
luz amortecida do cyrio, em redor della se reunem
os levitas para camarera as preces dos mortos, e
perfumando-as nos llocos de redolente incens que
sn ovnporam do turibulo e que sobem, ennovelam-
padres de sua parte quanto poderera, e > Sti e afinal perdem-se as naves do templo, a or-
cheslra soluca em suas harmonas um canto lgu-
bre, os sinos repercutem nos ares os seus plangen-
les dobres, finalmente a casa da orago se pova do
silencio da morte, e esta urna que se ergue, e es-
tas preces que se entoam, e este incens que as
perfuma, e estas harmonas doridas da orchesta, e
esles dobres repetidos dos sinos, sao por alma de
Basiliano L -ureiro, pois bem, senhores; ja que a
amsade aqui nos chamou, estolhemos urna sauda-
de, banhemos de sentidas lagrimas o cenotaphio
deste here que filando os olhos no cu ajoelhou-se
terrar na dita capella, nem os ditos reverendos pa- j no uilmo mareo da estrada do existir e morreu, e
K com estes sentimentos do pescador de Gene-
sarelh, que a igreja cora a leilura do presente
Evangelho nts procura inspirar, que obteremos a
graga divina.
Jess Christo nos inspira toda confianga, e quan-
to mais nos voltarmos para elle cora senlimentos
da propria fraqueza, com senlimentos da propria
iodignidade, como se manifesta no pescador de Ge-
nesarelh, elle se comprazera de nos ajudar, de se
nos mostrar benigno e misericordioso, como ento
se mosirou com Simao Pedro, dizendo-lhe :
D'ora em dianle vos farei pescador de ho-
dres os poderao deixar enterrar, salvo se forem
alguns religiosos da dita ordem, com condico, que
largandD por alguma va em algum lempo os ditos
religiosos o dito mosleiro, e as trras annexas a
elles qua assim lhe do, e nao queirarn morar
morre como os bravos recebendo na fronte banha-
da da luz do sol dos combates o beijo do anjo da
gloria.
A morle senhores I s pesada e sombra para
o homem que tira a seiba do viver do lodoso raale
Os esforgados pares, com invejavel alacndade e
vigor de palavra, moslraram que a mestria nojogo
das armas da eloqueocia nao somonte apanagio
da juventude.
Felizmente era um s arranho physco foi a
consequencia do combate singular.
Ficou triumphante a dama pela qual brandioo
o gladio o primeiro justador.
O mantenedor do campo, Nstor dos combalentes
proclamou o triurapho.
O Indosto, como sempre, ferio fogo.
Nao estranharo, porm, a temperatura os habi-
tantes do lugar.
Habituados ao calor, teem al prazor em suar.
Suaram e suaram o tpele, poucos contra a se-
nhora, que se chama Novissiraa, e muitos a favor
della; porque descortezia maltratar urna senhora
de excellente sociedade, que anda nao causou mal
a ninguem, e promelle fazer bem a rauta gente.
Contra o Sr. ministro da fazenda que soprou
suo mais quente; mas S. Exc, que nao pecco,
provou que tem natureza de amantho ; abanou-se
com o leque da probidade e do brio que o distira
gera, e fez ver ao suo que, assim resguardade.
nao se arreceia de spros gneos.
Ha sempre grande vantagem em ser bom cida-
do e homem de bem : digam embora o contrario
aquelles que sujeitam o cerebro s seduegoes do
estomago e exigencias da ventriloquia.
Sobre o Evangelho de S. Lucas capitulo V.Da
4/ dominga depois de ponteosles.O que vendo
Simo Pedro, prostrou-se aos ps de Jess Christo,
dizendo : Senhor, retirai-vos de mim, que sou um
peccador indigno de estar comvoscoescreve o
Cruzeiro do brasil o seguinte :
Bem patentes nos sao hoje os designios de Jess I mens.
Chnslo, quando, de qualquer parte podendo dou- E tere mos a nossa recompensa no sen reino
trinar o povo que e cercava junto do lago de Ge- eterno
nesareth, escolheu a barca de Simo para della fal.
lar s turbas, que sempre com ardor acudiam aos Do Cruzeiro do Brasil transcrevemos o que se-
lugares onde elle se achava, para ouvrem a sua goe :
celestial doulrina, e admirarem seus espantosos. Quando o bispos do concilio de Trento decreta-
milagres. l ram a funlago dos seminarios episcopaes, os pre-
A este Simo tinha elle de confiar a barca mys- lados que assUliam a lo sabia reuoio, trepidando
tica que syrabolisa a sua igreja : a este pescador, | de jubilo exclamaram : que se julgavam ampia
encanecido no rude trabalho das redes e lulas com ; mente recompensados dos seus trabalhos, anda
as ondas do lago de Genesarelh, tinha de confiar a mesmo que outro frucio nolirassem daquelle con
importantissima direcgo da manr e mais mir&cu-, c''10-
losa associago, que jamis houve ou haver no | O concilio ordenando medida to salular, urna
mundo; a associago de todos os que, pela f, se das mais importante* ulvez que se tenha dado na
alistassem as flleras do christianismo; associago igreja de Jess Christo, sem duvida que liona vis-
que devia ter por limites o mundo todo, e por du- ias mu largas,
rago os seculos I
Atlendamos ao que nos refere o Evangelho deste
nelle, o nao poderao trocar, nem alhear, e o deixa- ra|ismo, mas para o sabio, para o philosopho, pa
dia :
< Estando Jess Christo junto do lago de Gene-
sarelh, cercado de grande multdo de povo, que
desejava ouvr a divina palavra, viu duas barcas
de pescadores, que lavavara na praia suas redes.
Entra na de Simo, pede-lhe que a afasle um pou-
co da praia. e d'ahi fez a instruego ao povo. >
Temos a notar, pois, nao s esse affan manifes-
tado pelas turbas em ouvir as palavras de Jess
Chrirto, a pomo de muias vezes nem se lembra-:
rera de alimentagao, como tambera a preferencia Verda(
; que Jess Christo d, entre outras barcas atraca- para ,odo aque|le> que quizer segair 0 caminho fa
das praia de Genesareth, de Simo, para della eD|10r ?
doutrinar as turbas. Mestres pois, nos de mster, meslres esper-
Para nos certaraente bem grave a lcao que a mentados, que nos mostrem o caminho do bem,
anciedade desle povo nos d para ouvir a divina! nos abramos olhos aos perigos que se nos offere-
palavra, quando era geral nos mostramos nao s i recem, e como pela rao nos guiera pela senda da
libios, como mesmo negligentes para a instruego' virl de-
Era a illustragao, e mais que tudo, a educago
do clero que elle buseava conseguir, com es;>e pas-
so como inspirado.
Da educago do clero, diz S. load Chrisoslomo,
depende a paz das familias, o incremento das
nagoes e estabelidade e a armona das cousas.
Do clero que parte o exemplo ; elle foi collo-
cado como o meslre das genles, pelo Salvador do
mundo, ide ensmat, dizia elle a seus apostlo^
A elle, e a elle s pois compete o ensino.
Mas, como ensinarmos aqmllo que nao aprende-
AOS ESTREANTKS TTIRASI..S.
Diz um escriptor qae as daas proOsses que man
fcilmente se recolhem, sem consultar a voearao
nem esludar os melos, sao a arte dramtica e a
lilteratura.
E' urna das maiores verdades qae lenho Me
Mas, demudo de parle a comedia, roa aoje a
litteratura.
E digo aos eUreaiea Iliterarios:
Ha um prurido de escrever ama ambicio de
crear nome, que estraga a m. cidade e impide o
desenvoiviniento de urna repolacao solida.
Mal vos sents locado da faisca elctrica, eoois
de terdes lido meia duza de hvros, meia doa, is-
to seis (oem rnais era meos.) atirai-vos ao pa-
pe!, e gaslais resinas e resmas ero pora parda.
Enlo vosso maior prazer vr-vos
admirados, aplaudidos.
Ora. os mogos estreantes sao sempre
dos : 1 pelos com elenies que adviohaodo a voca-
go, Ibes dirigem algumas palavras de aatmaeao
paternal; 2 pelos incompetentes que applaodta
tudo,o puroe o incorrecto sbretelo o iaeor-
recto.
Os applausos vos crgam, vos adormecen), vos ea-
chem de urna profunda confianga.
Desde enlo esqneceis lodo,ldes por desama,
as horas vagas do escrever,porque o eserever
torna-se enlo para vos una necessidade ladaett-
navel.
A lodo o costo queris crear um aoroe.
Mas os annos correm, e l vem nm dia em qoe
chegais a conviego de qne, se hoavesseis bdo
mais e escripto menos, tenis comegado tarde, mas
loriis ebegado cora mais seguranga ; e a repata-
gao, em vez de ser um i gtariati va, seria o iasto
e grave conceito dos homens habilitados e roavea-
cidos.
Por isso, quera quer que sejas, eslreaale liiiera-
rio, nao vos fascine a lelra redonda, nao eos sedo-
sa o applanso dos pnmeiros annos: iralai de eae-
gar larde, melhor do que nao clx'gar nunca t
rao ao dilo Belchior Alves e dita sua mulher, e a
seus filhos e herdeiros, para que elles mandem ad-
ra o guerreiro o sorriso do cherubim que abre as
portas do cu e ascengo gloriosa d'alma para
ministrar nelle os offlcios divinos, e sendo que os rjeus, o viver para a iraraorlalidade, assim senho
daos reverendos padres fallecara da vida presente, reS) a mortfl 6 Basiliano Loureiro, um dos bravos
sempre succedero nesla mesraa doago os mais
frades capuchinhos de dita ordem de S. Francisco,
do Riachuelofoi estemraada de gloria e sua alma
subi as nuvens rosadas para a manso dos justos
que d'autes forem, e viverera cora o mesmo encar- |6gando a sua illustre familia, a saudade, nica
go, com declarago que sendo caso que junto as flor qQe brola dos tmulos, a Ierra, um corpo criva-
cercas de dilo mosteiro e convento se fagam casas 0 ae ^^ documentos do seu valor, a patria, o
de vivenda para elles doadores, ou para outra al-1 sen nome aureolado de gloria como daquelles que
gama pessoa, as laes casas n5o tero janellas alga- i pereceram na defeza de sua causa ao porvir, tribu-
mas pelas ilhargas, como que devasse o mosteiro e na| aas grandes aegoes esle perfume que aps si
cerca delle ; ditos reverendos padres somente po-' deixam os hroeso renome.
dsro te. frestas altas mas paredes que nao caiba I Basla, A phiiosophia silencia ante a fra lage
urna cabega de pessoa, para clandade das ditas do sepulcbro, as altas concepgdes da otelligencia
casas, e por este modo disseram elles ditos doado- desapparecem ante o beijo lvido da morle.
res que faziam esta di t. doaco, aos ditos frades i Ajoelhemo-nos em seu tmulo, este bergo por el-
capuehinhos, a qual querem se cumpra e guardem ma do qual raia a aurora da eternidade, e choremos
em todo lempo, e para todo tempo a cumprirem e' que nessas lagrimas serao levadas as azas de ou-
guardarem, e disseram elles ditos Belchior Alves! ro do anjo que precede aos arrebes do dia aos ps
e sua mulher Joanna Beeerra, arabos untos e cada ; de Deus, como orages mudas depositemos sobre
um de per si, que, se Jesaforavam de Juizes de | a cruz de seu leito mortuario urna corda eotreteci-
seu foro domiciliario, lois, llberdades, privilegios, I da de goivos e perpetuas, nico tributo dos vivos
torgas, esperas e de qualquer provlsio de S. M. a
graga, ou breve de sua santidade qne solva esta
pelos mortos como signa! de nossa saudade.
A. de Drummond Jnior.
Desejava um examinador proteger certo estudan-
te, que com o mappa geographico aberlo em cima
da mesa, procurava fazer a descripgo mathemati-
ca, physica e poltica da Hollanda e da Blgica.
Para evitar que o estudanle, entregue a si mes-
mo, dsse provas de supina estupidez e crassa igno-
rancia, quahdades que o adornavara era alto grao,
resolveu fazer-lhe as perguntas mais simples, e de
obvia resposta.
Sr. Affonso, interrogou o examinador, que
paiz este que o mappa designa sob o nome de
Flandres ?
E' urna regio, aecudio promptamente Affon-
so, cujo nico producto recommendavel a folha,
de que se faz tanta lata e bahu.
O examinador cahio das nuvens, pois nao espe-
rava por lo colossal disparate.
Receioso de que os collegas, eotretidos em ani-
mada conversago, prestassem ouvidos ao que dizia
Affonso, disse em vez somente para este percep-
tivo!
Tome sentido no que est dizendo ; veja que
se os outros examioadores o ourem, a sua repro-
vagao certa.
() Pedro Affonso.
() VolonUrio.
religiosa.
J l vo esses lempos em que bebamos com o
leile de nossas mis os sentimentos chrislos, com
que ellas tambera tinham sido amamentadas.
Enlo essas boas mis considera vam seus filhos
como um sagrado deposito que recebiam de Deus,
do qual tinhara de dar restrictas contas, e ento
sentiam o maior prazer e cuidado em dirigir o pri-
meiro balbuclamento das palavras de seus queri-
dos fllbiohos em louvar a Deus, fazendo-os com-
preheoder, que todas as cousas que Ihes enleva-
vam a vista, e de que gosavam, eram obras e
dons de Deus; e assim faziam nascer e crescer
em seus lenros coragoes o amor e gratido para
cora o Ente Supremo j formavam para si bons fi-
lhos, para a patria bens cidados, e para a igreja
bons chrislos.
- Hoje nossos pais oceupam-se bem dos inleresses
mundanos, e nos proporcionan! os melos de os
promover, dando-nos mesmo muitas vezes o sinis-
tro exemplo de nao se oceuparem da legitimidade
dos meios, formando assim o nosso coragao para a
ambigo e vaidade, sem nunca nos dizer : d'onde
vientos e para onde vamos I
E' desla maneira qne se tem desenvolvido entre
nos, principalmente nessa classe chamadanata
da sociedade, o indifferenlisrao pela religlo que
professamos, a froxido e desprezo mesmo das suas
sagradas leis, o que tem dado em resultado essa
horrorosa immoralidadeedepravagode cestumes.
Foi isto o que entendeu o concilio com a creago
dos seminarios episcopaes, e foi sem duvida algu-
ma esle o seu desidertum.
Assistidos pelo Espirito Santos os padres do con-
cilio nao ignoravara que para ser-se bom sacerdo-
te, nao era s de mister saber-e ramio ; mas sim
praticar se eouvir-se muito.
Elle nao igoorava o quanto pode influir nos mo-
gos, a doulrina pregada por boca autorisada.
Porque fallemos sera rebugo, ha orna distancia
infinita entre um lente de urna academia e um len
te de um seminarlo.
Aquello clngir-se-ha simplesroente a explicar a
sua ligo, este tem muito mais que fazer, sua vida
deve ser um continuado tabular para conhecer os
que sao chamados ao sacerdocio, pregundo-lhes, fa-
zendo-lhes ver as dificuldades do estado, a necessi-
dade dessa graga sobrenatural, que chamamos vo-
cago, os perigos que correm os que se entregara a
urna vida para aqual nao foram chamados por
Deus.
Na aula, as distragoes dos recrelos, na hora do
refeitorio, os mogos devem ouvir da boca de seus
mestres eslas verdades divinas.
Si assim nao fosse, si esta obrigago nao deves.-a
ser imposta aos mestres dos seminarios, pouco im-
porlava ao concilio a fuodago de laes casas.
O estado das llnguas e das scienelas, faz-se mes-
mo no meio do mundo com um meslre judeo, ca-
tbolico ou protestante
LOLVOR DAS MI'I.IIEIIF.S.
A Semana por essencia defensora da* memo-
res. Onde quer que se Ihes laga orna tojasitga,
esta prompla para defende-las e por o peilo a I
Ha das folheaodo uns hvros velbo,
alguns pedagos citados de urna obra puahrada em
1551, por Andr Mys#gine, deaomioada, O i
das mullieret.
Os fragmentos que li sao normis, e ea i
a cogitar o modo porque punira o desastrado aa-
lor. Afinal ache i uro : reprodnzir ilgama eoaaa
da obra; nao pode baver maior castigo para aqmri-
le peralta.
Eis com elleilo o que diz o defacto Aodr Myso-
gine:
Femroe, plaisir de demye henre
Et ennui qoi saos fio demeore,
Femme, soudaine repeoiaaee,
Femroe, morlelle penileace,
Femme, jeu da diabteauis,
Femme, vrai diable degoll,
Femroe, qae poorray-je phn dir
Pour plus ampleroenl le decrire t
Ren: je diz assez de diffame,
En um mol, qoand je diz femme.
Parece-me que este sajeilo aotecioara
da raposa.
GAZETA PARA RIR.
N'uma companbia (raoceta qoe
Rio de Janeiro em 184... baria
nome madaroe Ganel.
Por motivos de qoe nao reea a
Ganel brigou com o marido,
relirou-se do ihealro.
Mas os lempos corrern), e a actriz
gada a voltar a scena. Eolio as tomas da
que podem ser consultadas, iieaarlwam :
Reentrada de MUe. Armad, oarroro
Ganel.
Esta volla do primitivo estado
PERNAMBUCO.-1TYP. DE M. F.OI F. 4 TM


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EUU20XT75_IJK135 INGEST_TIME 2013-08-28T00:49:34Z PACKAGE AA00011611_10727
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES