<%BANNER%>

Diario de Pernambuco ( Monday, July 24, 1865 )

Permanent Link: http://ufdc.ufl.edu/AA00011611/10724

Material Information

Title: Diario de Pernambuco
Physical Description: Newspaper
Language: Portuguese
Publication Date: Monday, July 24, 1865

Subjects

Genre: newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage: Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract: The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding: Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation: Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities: Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution: University of Florida
Holding Location: UF Latin American Collections
Rights Management: Applicable rights reserved.
Resource Identifier: aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID: AA00011611:10724

Permanent Link: http://ufdc.ufl.edu/AA00011611/10724

Material Information

Title: Diario de Pernambuco
Physical Description: Newspaper
Language: Portuguese
Publication Date: Monday, July 24, 1865

Subjects

Genre: newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage: Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract: The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding: Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation: Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities: Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution: University of Florida
Holding Location: UF Latin American Collections
Rights Management: Applicable rights reserved.
Resource Identifier: aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID: AA00011611:10724

Full Text
AMO ILI JDMERO 167.
Par qoartel pago deulro de iOdiasdo i. mez ... : . 5J000
liieiu depois dos 1.'ludias do coioecoedeutr do qnartel. . 6J000
Porta ao correio por tres mezes *..........:. 750
V^w\
SEGUNDA FEIBA U DE JDLHO DE 1865.
Por anno pago dentro, de 10 das do 1. roez , , . i9|000
Porte ao correio por bu auuo........... ?. 3|00
ENCARREGADOS DA SUBSCRIPQO DO NORTE
Parahyba, o ?r. Antonio Alexpodrino de Lima;
NataL, o Sr. Antonio. Margues da Silva ; Aracaty, o
Sr. A. de Lemos Braga; Cear, o Sr. J. Jos de
Oli"eira; Maranhao, o Sr. Joaquim Marques Ro-
drigues; Para, os Srs. Geraldo Antonio Al ves &
Filhos; Amazonas, o Sr.-Jeronymo da Costa.
ENCARREGADOS DA SUBSCRIPCAO DO SUL.
Alagoas, o Sr. Claudino Falco Dias; Bahia, o
Sr. Jos Marlins Alies; Rio de Janeiro, e Sr. Jos
Ribiiro Gasparinliu.
PARTIDA DOS ESTAFETAS.
Olinda, Cabo, Eseada e estardes da via frrea at
Agoa Preta, todos os dias.
Iguarass e Goyanna nassegundas e sextas feiras.
Santo Antao, Gravat, Bezerros, Bonito, Caruar,
Altinho, Garanhuns, Bnique, S. Bento, Bom
Conselho. Aguas Bellas e Tacarat, as turras
feiras.
Pod'Alho, Nazareth, Limoeiro, Brejo,Pesqoeira
Ingazeira, Flores, Villa Bella, Cabrob, Boa Vis-
ta, Ouricury, Salgueiio e Ex, as qaarlas
feiras.
Serinhiem, Rio Formoso.Tamanihr, Una, Bar
reros, Agua Preta e Pimenteiras, as quinta:
feiras.
AUDIENCIAS DOS TRIBUNAES DA CAPITAL.
Tribunal do commercio : segundas e quintas.
Relagao : tergas e sbados s 10 horas.
Fazenda : quintas s 10 horas.
Juizo do cominercio: segundas as 11 horas.
Dito de orphaos : tergas e sextas s 10 horas.
Primeira vara do civel: tergas e sextas a raei
da.
Segunda vara do civel: quartas e sabbades a 1
hora da tarde.
EPHEMER1DES DO MEZ DE JULHO.
8 La cbeia as 6 h., 7 ro. e 22 s. da t
15 Quarto ming. as 2 h., 6 m. e 46 s. da t.
22 La nova as 4 !>., ;i ni. e 40 s. da i.
30 Quarto cresc. as 4 h., 49 ro. e 16 s. da t.
DAS DA SEMANA.
24. Segunda. S.Chrisoa v.; S. Anlimogenes ra.
SS. Terga. S. Thiago ap.; S ChrlslovSo m.
2. Quaria. Ss. Synipkrouio e Olympio mm.
27. Quinta. S. Pantaleo medico;'S Sergio m.
28. Sexta. 8. Innocencio p.; S. Xazario m.
29. Sabbado. S. Marina v.; S. Beatriz m.
30. Domingo. S. Arma mae da mae de Dos.
PREAMAR DE IIOJE.
Primeira as 5 horas e 18 m. da manha.
Segunda as o horas e 42 minutos da tarde.
PARTIDA DOS VAPORES COSTEIROS.
Para o sul at Alagoas a 14 30; para o aorta
ata a Granja a 7 e 22 de cada mez; para Fernan-
do nos das 14 dos mezes da jaaeiro, margo, malo,
julho, setembro e novembro.
ASSIGNA-SE
ao Recife, na livraria da praaa da ladependenefa
ns. 6 e 8, dos proprietarios Maooel Figueiroa do
Faria & Filho.
PiRTE 8FFKIAL
IIIIMSTERIO VA JUSTINA
Circular.3.a seccao.Ministerio dos negocios
'da Jnsliga.Rio do Janeiro, em 28 de junho de
186o. m
Illm. e Exm. Sr.-Convindo que as peliges di-
rigida; ao poder moderador venham com esclsre-
cimeoloa em ordem a reconhecer se o mrito das
grabas pedidas ; cumpre quo V. Exc, remetiendo
a esta secretaria de e*lado qualquer requerimento
de | erdo ou comm taco de pena, era conformi-
dad do decreto n. 2,565 de 2-i de margo de 1860 e
circular de 31 de oulubro do anno passado, o faga
acompanhar de urna minuta contundo os esclare-
clmentos segrales :
I. Nome de peticionario.
2.' Pena a que foi coiidemnado.
3." Data em que foi imposta, porque jury ou
juiz.
4." O crime que comraetteu e em que lempo.
i." Se foi condemoado a outras penas.
('). Se esta preso ou solt, e desde que dia.
7. Desde quando comecoo a cumprir >entonga.
8.' Informago do juiz da condemnago.
9.a Informago do director da casa de correcgo
ou carcereiro da cadpia em que estiver preso.
Dos guarde a V Exc Jos Thomaz Nabuco de
Araujo.Sr. presidente da provincia de...
niXISTERIO DA CUERRUA.
le n. 1,246 de 28 de junho de 1865.
Fixa as torgas de ierra para o anno nanceiro de
1866 a 1867.
D. Pedro II, por eraga do Dos e unnime arela-
maguo dos povos, Imperador constitucional e de-
fensor perpetuo do Brasil. Fazemos saber a todos
os nossos subditos, quo a assembla geral ducretou,
o nos queremos a le seguiniu :
Art. 1. As forgas de trra para o anno nancei-
ro de 1866 a 1867, alem dos offlciaes de difleren-
tes corpos do exercito, na forma da legislago per-
manente e em vigor, nao podero exceder, em
circumstancias ordinarias a dezoilo rail pragas de
pret, e em extraordinarias a sessenla mil, podendo
o governo, se julgar convt-nienie ao servigo publi-
co, extinguir os corpos de guarnigo, e augmentar
o numero dos movis, dando a estes urna nova or-
ganisago, sto durante a guerra.
Art. 2." Continuara em vigor as disposigoes dos
/ arls. 4" e 6" da le n. 1,220 de 20 de julho "d 1864,
e do art. 7 da lei n. 1,163 de 31 de julho de 1862,
oa parte relativa aos arsenaes de guerra, suas de-
pendencias e depsitos de arligos bellicos.
1." Os voluntarios que se alistaran) e se alista-
ren! as fileiras do exercito, em virlude dos decre-
tos ns. 3,371 de 7 de Janeiro, 3,409 do 1- de mar-
go e 3,428 do 1" de abril do corrente anno, gotario
das \anlagens que Ibe sao garantidas pelos nies-
mos decretos, durante o lempo de scu engaja-
menlo.
Art. 3. Sao permanentes as disposigoes da pri-
meira parle do art. 7 da citada lei- n. 1,163 de 31
de julho de 186-2, dos arls. 2, 3o e 9 da referida
lei n. 1,220 de 20 de julho de 1864, e do art. 5
-3 da lei n. 1,101 de 20 de setembro de 1860, que
eomprehend os voluntarios e engajados de qual-
quer natureza.
Art 4." Os empregados pblicos que,como guar-
das nacionacs ou voluntarios, estiverem servindo
nas forgas em operagoes, nao perderao seus em-
pregOS, c sero considerados em commjssao, Pican-
do cem direito opeo de seus veucimentos.
Arl. 5." Fica o governo auiorisado :
1." A nomear em commi.-so al quatro audi-
tores, para servtrem no exercito em operagoes, o
estes servicos garantirao aos hachareis, que desem-
penharem "satii-factoriamenle, a preferencia para
oulro qualquer emprego, para que liverem habili-
tayoes, quando eoncorrerem com outros cidados
igualmente habilitados.
S - A deixar vagos, durante a guerra, oscom-
mandos das armas que julgar conveniente, e a
crear cutros provisoriamente, com tanto qu' se
nao augmente a verba para tal servigo decretada.
3." A eliminar do quadro do exercito a segun-
da classe do estadon:aior, distribnindo polos cor-
pos os ofUciaes da mesraa que poJerem prestar ser-
vigo activo, fieando os demais ou na segunda clas-
se, ou reformados.
i. a conferir durante a gnerrraj, postos de
coranjisso.
g 5.* A isentar deporte a correspondencia pos-
tal dirigida aos offlciaes e pracas de pret do exer-
cito e da armada, quando eatlverem eni campnha,
c bem assim a que por elleS for expedida.
Art. 6. Os offlciaes da spgunda classe nao ven-
cer) tempo para a premogo dorante a guerra.
Art. 7. Ficam extensivas as disposigoes do art.
16 do regulamento n. 772 de 31 de margo de 1851
:.os ofnciaesque nao tiverem as habilacoes scien-
tifleas exigidas para promogSes pelos arls. 7, 8* e
O" do rnesmo regulamento e se distiuguirem por
foitos de bravura pratitados era combate, durante
a presente guerra.
Art. 8o. Na disposigao do art. 8o da lei de 20 de
jullw de 1864 estilo compreliendidas as mais dos
offlciaes do exercito, ja fallecido?, ou que houve-
rem de fallecer, semure que se verificar a hvpo-
these do art. 2o da lei de 6 de novembro de 1827.
Arl. 9. A presente lei lera vigor desde ja.
i Art. 10. Ficam revogadas as disposigoes em con-
trario.
j Mandamos, porlanto, a todas as autoridades, a
quem o conhecimento e execugo da referida lei
perteueer, que a cumpram e fagam cumprir e
uarar to inteiramenle como nella se rootm.
O secretario de estado dos negocios da guerra,-a
laga imprimir, publicar e correr.
Dada no palacio do Rio de Janeiro aos 28 dias
do mez de junho de 1805, quadragessimo quarto
da independencia e do imperioImperador com a
rabriea e guarda. Angelo Momz da Silva Ferraz.
Carta de lei, pela qual Vossa Magestade Impe-
rial manda executar o decreto da assembla geral
legislativa, que houve por bem saccionar, para re-
gular as forgas de trra no anno Clnanceiro de
1866 a 1867.
Para Yossa Magestade Imperial ver.-Jos Cir-
ios di Almeida Torres, a feJos Thomaz Na-
buco de Araujo.
Transitou nesta chancellaria-mr do imperio. Se-
cretarla de estado dos negocios da justiga, em 30
de juohode 1865.
O director geral interino, Jos Joaquim Ferreira
Valle.
, Registrada.Foi a presente lei publicada nesta
i' directora geral da secretaria de estado dos ne-
gocio; da guerra era 4 de julho de 1865.Haran-
no Carlos de Souza Coma.
Registrada a fls. 16 verso do livro de leis.
i." direetoria geral do ministerio da guerra em
4 de julho de 1865.--Jos Mana Herrdia, Io offl-
cial. _
MINISTERIO I>A FAZENDA.
DECRETO N. 1,249 DE 28 DE JUNHO DE 1865.
Autorisa ao governo a conceder urna subvencao
an'iual, que nao exceda a quantia de 200:000,
durante elez annos, i. companhia ou emprezarlo
qu3 contratar com o governo dos E'tados-Uoidos
urna bnha raensal de barcos a vapor.
He i por bem sanecionar e mandar que se execu-
te a resolugo seguate da assembla legislativa.
Arl. 1." O governo fica auiorisado a conceder
urna subvengan annual, que nao exceda a quantia
de duzentos contos de ris, durante dez anno; a
companhia ou emprezano que contratar com o go-
verno dos Estados-Unidos urna linha mensal de
barcos a vapor era numero sufflcionte para eflec-
tuar doze viagens redondas por anno entre um dos
portos dos Estados-Uduos e o Rio de Janeiro, to-
cando era Belm, Pernambuco e Bahia, e era ou-
tros qoaesqner portos intermediarios, conformo
parecer conveniente.
Art 2." Ficam revogadas as disposigoes era con-
trario.
Antonio Francisco de Paula Souza, do meu con-
selho, ministro e s icretario de estado dos negocios
da agricultura, commercio e obras pubiieas, assim
o tenha entendido e faga executar.
Palacio do Rio de Janeiro, em 28 de junho de
1865, 41 da independencia e do imperio. Coma ru-
brica de Sua Mag< stade o Imperador.Dr. Antonio
Francisco de Paula Souza.
GGVKRffO DA POWCIA
Expediente do dia 20 de jiilli de 186o.
Oflicio ao Exm. Sr. Dr. Manoel Alves de Araujo,
Io vice-presidenle da provincia do Paran.Accu-
sando receido o oflicio do V. Exc. de-Lde junho
ultimo, em que me commuuica ha ver na qu^Made
de seu 1 vice-presidenle assumido a administraV
gao dessa provincia, cabe-mu dizerllie que, terei a
raaior satisfaciio era cumprir snas ordens, qur se-
jain relativas ao servigo publico, qur ao particu-
lar de V. Exc.
Dito ao Exm. desemnaruador Anselmo Francisco
Peretti. -Constando de aviso do Exm. Sr. ministro
| do imperio, de 11, que S. M. o Imperador por de-
! creto do 7 do corrente, houve por bem conceder-me
i exoneragao do cargo de presidente desta provincia,
convido a V. Exc. para, na qualidade de seu Io
vice-presidente, assuroir a administragao da mes-
ma, amntala, s horas que V. Exc. se dignar de-
, signar me.
Dito ao coronel commandante das armas.Em
cumpriniciito ao aviso da reparligo da guerra, de
5 do correle, recommendo V. S. que faga em-
| barcar cora destino corte, nj pnmeiro vapor que
! para all seguir, todas as pragas de 1* linna que
possara existir nesta provincia, sera excepcao das
de artfices, ficando V. S. na inteligencia de que
s por molestia grave e comprovada, ou por se
acharem ausentes, poderao alguraas deixar de se-
guir, o que, porra, farao logo que cessem taes ira-
pedimentos.
Dito ao chufe de polica.Transmiti por copia
V. S. o oflj :io que me dirigi o chefe da reparti-
gao das obras publicas era 27 de junho ultimo, sob
n. 189, alim de que, em vista do seu contedo, nao
s ordene ao delegado do termo de Jaboalao, que
nos termos do 3 arl. 2 do decreto n. 1.090, do
Io de setembro de 1860, proceda criminalmente
ex-ofllcio, contra o cobrador da barreira de Una,
pelas araeagas e insultos f-itos ao conducior da-
quella reparucao eneamgado da estrada da Victo-
ria, Julio Pompeo de Barros Lima, mas lambem
recomraende s autoridades policiaes das diversas
localidades, que em casos semelhantos procedara da
mesma forma.Communicou-sr .o chefe da repar-
ticao das obras publicas.
Dito thesouraria de fazenda.Atlendendo ao
que expoz o capillo reformado do exercito,'Manoel
de Mello e Albuquerque, no incluso requerimento
documentado, a que se refere o offkio do corone!
commandante das armas, n. 1,240, de Imje datado,
recommendo V. S. que maude pagar sob minha
respousabilidade, vista nao baver erudito para esse
fin, es veoeimentos a que liver direo o mencio-
nado capitDo, por haver funecionado em diverscs
conscliios de guerra, como se v do predito reque-
rimento.
Dito thesouraria provincial.De conformidade
cora o que iiiformou o director geral da iustrucco
publica, em oflicio de 19 do eorreuto, sob n. 2*15,
mande V. S. pagar ao professor publico da cadeira
da povoago de Trjucupapj, Sabino Atiisio de Fa-
ria, o que se Ihe estiver a dever, proveniente nao
s do aluguel da casaem que funeciona a sua aula
na razo de GO^OOO por anno, mas tarabem do ex-
pediente e asseio da casa na de 15850 mensaes.
Dito ao mesmo.Annundo ao que sollicitou c
chefe da repartigao das obras publica?, no oflicio
junto por copia, datado de 18 do correle, n. 227,
e usando da attnbuigao que me confere o art. 55
9" da lei do orcaraento vigente, autonso V. S. a
mandar entregar semanalmenle ao agente fiel pa-
gador daquella repirticao at a quantia de 3:0005,
p3ra occorrer aos pagamentos das despezas com as
ohras e conservagao das estradas, licano nessa
parte alterado o regulamento de 9 de junho do an-
no prximo passado.Communicou-se ao chefe da
repartigao das obras publicas.
Duo ao mesmo.Transmiti por copia V. S.
para seu conlieciraento e divida execuefw o addi-
tamento que resolv fazer ao arl. 11 do regulamento
de 23 de agosto de 1859, dado em virtude do 17
do art. 37 da le proviucial n. 473 de 5 de inai'o do
mesmo anno.
Dito ao mesmo.Devolvo V. S., para o Om
conveniente, as contas que vieram annexas ao seu
olflcio do 1 de junho ultimo, sob n. 222, das des-
pezas feitas com o sustento dos presos pobres da
cadeia da villa do Brejo, nos mezes de dezembro do
anno prximo passado, Janeiro e feverero ultimo,
visto como as relagoes dos mencionados presos, re-
lativas quelles mezes, foram remullidas a essa
thesouraria com despacho de boje.
Dito ao mesmo.Hecommendo a' V. S. que man-
de pagar proraptamente ao negociante de Gara-
nhuns, Manoel Jo.- Mendes Bastos, que se acha en-!
carregailo de adiantar ao respectivo juiz de direito'
as sommas precisas para forneciraentos aos volun-
tarios que forem sendo agenciados para o corpo de
polica por Manotl Machado Dias, a importancia dos
recibos passados pelo mesmo juiz de direito ao pre-
dito negociante, e que por este ou por seu procura-
dor nesta cidade forem apresentados nessa repar-
tigao.
Dito ao mesmo.Remeti inclusa a relagao das
pragas do corpo de polica que tem de seguir bre-
vemente para o sul do imperio, para que V. S., de
conformidade com as ordens ja expedidas, mande
abonar a cada urna dellas a importancia de-dous
mezes de grttificagao, de que trata o art. 7o da lei
provincial n. 611 de 2 de maio ulnmo, ficando V.
S. o\ inlelligencia de que esto contempladas nessa
relagao as pragas a quem ja se mandou abonar por
diflerentes offlcios a referida gratifleago.
Dito ao commandante superior do Recife.Ten-
do dispensado do servigo de destacamento ao guar-
da do balalho n. 18 de infantera da guarda na-
cional do municipio de NazaMh, Manuel Serafim
Rodrigues dos Santos, que se acha addido ao 1 ba-
talhao aquartelado, assim o commamco V. S.
para que o faca desligar deste batalho.
Dito ao me.-mo.Mande V. S. postar em frente
da matriz da Boa-Vista, no dia 23 do corrente, s
10 horas da manha, urna guarda de honra para
asslstir aos actos da festa do Orago.
Dito ao commandante superior de Nazareth.
Em vista da proposta a que allude o oflicio de V.
S. n. 194 de 17 de abril ultimo resolv, promover a
alferes da 3' companhia do batalho n. 3 de infan-
taria desse municipio o respectivo sargento quar-1
tel-mestre Geminiano Alfredo Velloso da Silveira,
deixando de nomear o cidado Alfonso de Albu-'
querque Maranhao contemplado em dita proposta
para alferes di 5" companhia, por nao ter sido
considerado vago o posto para o qual (oi nomeado
Marcolioo Cesar de Olinda Campeiio ; cumprindo
portanto qu V. S. ministre acerca deste as infor-
magoes que Iho foram exigidas por despacho de
110 de margo e offluio de 2 de maio ludo do anno
; corrente.
Dito ao director do arsenal de'guerra.Ponha
V. S. a disposigao do Dr. chefe de polica 30 espa-
das para o servigo de rondas nocturnas nesta ci-
dade.
Dito ao commandante do corpo de polica.Vis-
J to que foram considerados eapazes para o servigo,
em inspecgo de sade, segundo consta do seu of-
ficio n. 619 desta data e documuutos a elle anne-
xos ; auloriso V. S. a mandar assentar praga no
corpo sob seu commando os paisanos Joo d'Aqui-
no Estauislu Ferreira, Antonio Mendes da Silva,
Deodato.Corra de Araujo e Maim'as Jorge Luiz de
Franga.'
Dito ao capitao do porto. -Gravera que Vine, fa-
ga ron .lar aos capitaes dos navios mercantes, sur-
tos no porto desta cidade, como solicitou o desem-
bargad ir provedor da Santa Casa de Mizericordia
em oll :io de 15 do corrente, que a mesma Sania
Casa nao poe duvida em mandar tratar no hospi-
tal Pedro II a pessoas perlenceotes as equpagens
i dos referidos navios, masque o faz somonte por
uarid ule e nao por obrigacao, visto que, as en-
, barcagoes do commercio nao contribuera ne-ta
provincia, como fazem em outras, com cousa al-
guma para aquelle estabelccim:ulo.
Portara.O presidente da provincia, atlendendo
ao que requereu o bacharel Vicente Ferreira Li-
ma, juiz municipal e de orphaos de Tacarat, rc-
solve conceder-lhe 2 mezes de licenca, com os res-
pectivos vencimentos, para tratar de sua sade
onde Ihe convier.Communicou-se a thesouraria
de fazenda.
Dita.O presidente da provincia, tendo em vista
a propo-ta apresentada pelo teueute coronel com-
mandante do batalho n. 18 de infautana da guar-
da nacional do municipio de Nazareth, sobre que
informou o respectivo commandante superior em
oflicio n. 194 de 17 de abril ultimo, resol ve pro-
mover a alferes da 3" companhia do mesmo bata-
lho, o respectivo sargento quailel mestre Gemi-
niano Alfredo Velloso da Silveira.
Dita.-O presidente da provincia resolte que em
additameiilo ao art. 11 do regulament) de 23 de
agosto de 1859, dado para execugo do 17 do
arl. 37 da lei provincial n: 473, de 5 de maio do
rnesmo anno, se observe o segrale :
anteo Fica o chefe da repartigao das obras
publicas auiorisado a por a multa de 10 a 30 mil
reis pela infracgao do artigo supra citado, com re
curso para o presidente da provincia.
Dita.O presidente da provincia, atlendendo ao
que requereu o baebarel Joao Goiizaga Bacellar,
juiz municipal e do orphaos, e delegado de noticia
do termo do Cabo, resolve prorogar por mais 25
dias a licenga com que se acha, sm vencimentos.
Despachas do din 20 de ju.'i'm de 186o.
Rcqnerimenlos.
Antonio de Barros Barbosa.Iudeferido em vis-
ta da informago.
Gandid i Suverino Cavalcante. Iudeferido por
ter-se offerecido osupplicante para marchar, so-
gundo consta da informago do Sr. commandante
do corpo.
Cosme Fiancisco de Lemos.Informe oSr. cora-
mandante do corpo de polica.
Tenante Francisco Xavier Rodrigues de Miran-
da. Remeilido ao Sr. inspector di thesouraria
provincial para att^oJer ao que p.-de o snppli-
canle.
Francisco Canuto da Boa-Viagem.Informe o Sr
inspector da thesouraria provincial.
Francisco Marques de Araujo. Informe o Sr.
comraandaute superior da guarda nacional lia
Cabo.
Padre Francisco Virissimo Bandeira.-Indeferi-
do em vista da informago do Sr. director geral
da iostrnecao publica.
Joaquim'Francisco dos Santos. Iudeferido em
vista da informago.
Jos Aoastacio de Andrade Lima.Aprosente-se
no quariel do commando das armas para ser ins-
peccionado.
Jos Firmino iBastos. Informe oSr comman-
dante superior da guarda nacional do R-tcife.
Jezuino da Cosa Torres Gallindo. Informe o
Sr. Dr. chefe de polica.
Jos Martinano de Souza.-Iudeferido em vista
da informago do director geral da iostrnecao pu-
blica.
D. Joaquina Candida de Gusrao. Informe o Sr.
commandante superior da guarda nacional do mu-
nicipios do Cabo e Ipojuca. |
Alferes Jos Antonio ds Moura. Apresenie-se
ao Sr. coronel commandante das armas para ser
inspeccionado. I
Capillo Leonardo Bezerra de Siqueira Cavalcan-
ti.luforme o Sr commandante superior da guar-1
da nacional d s municipios do Cabo e Ipojuca.
Manoel .arques da Silva. Iudeferido por se ter
offerecido O'suppijcaole para marchar, segundo in-
formou o Sr. commandante do corpo.
Manoel Antonio Joaquim. Iudeferido por se ter
offerecido o supplicante para marchar, segundo
declarou o Sr. cofhmandanle do corpo.
Miguel Archanjo Piraenlel.Era \Ista da infor-
mago do Sr. director geral da instruego publica
nao tem lugar o que requer o supplicantf.
Sabino Anizio de Faria.Dirjase thesouraria
provincial.
Deodato Jos de Oliveira e Dionizia Mria da Con-
ceicao.
Francelliuo de Souza Vieira e Maria Gloria de
Jess.
Joao Mnrinho Gimes e LuJovina Maria da Con-
ceigo.
Jos Freir de Barros e Rosa Mara da Penha.
Feliciano Ferreirada Silva e Antonia Maria do
Espirito Santo.
Manool Nogueira da Silva e gueda Maria de
Mello.
Miguel de Araujo Pereira o Anna Maria da Con-
ceigo.
Francisco
mutuos,cujos estatutos foram approvados pelo
governo. O lro desta instituigo soccorrer, ins-
truir e moralizar os seus associados.
Consta que a corveta Damao, na sua vlagem
.de Goa para Mogambique, era
Ihe ter desenvolvido a bordo n....
mica, que havia causado algumas victimase
Sahio o decreto ordenando o conrnrsoannnal
aos presbyleros europeus que forem encarregados
nomeados para sxorcer as suas funegoes sacerdo-
ftaen nos estados da India, da forma segointe:
Os presbyleros europeus que nas dioceses do
real p-tdroado no Oriente forem encarregados do
J*s de Assis e Joaquina Bella de govefne de aigama dioe^'o~Bomeados snperio-
n..-a1^, .. i>-... ,. A I res do alguma missao, se abonar a congrua an-
Diogo Aleix.) de Pon tes o Mana de Jess. I nual de 8 Justino da Costa Noueira e Maria da Conceigo.
Chegaram mais as seguintes petigoes concedi-
das Igualmente p-la nunciatura apostlica, om da-
la d-: 29 de junho o 5 do corrente mez de julho :
L"iz Pereira da Costa o Maria Mendes da Silva.
Caseiniro Rodrigues da Silva e Anua Rosa da
Costa.
Deolalo Candido de Medeiros Fa'co e Mara Can-
dida Bezerra de Andradr.
Jos Francisco Bezerra e Joaquina
vramenlo.
Manoel Joaquim de Castro
Fon tes.
Ruz Linanio Lopes Ferreira c Maria Joaquina Lo
pes Ferreira.
Aos presbyteros europeus que forem para a In-
dia a disposicao do Rvd. arcebispo de Goa, primaz
do Orient-*, se dar passagens e ajuda de cu-to es-
tablecido na tabella A. que faz parte da carta de
lei de 20 de junho de 1863.
O sarerdote que, ,em conformidade s ostipula-
1 c'S do tratado di 21 de fevereiro de 1857, e no-
, tas reversaes que delle fazem parte, for nomeado
! para exerrer, no caso de fallccimento, ou legitimo
Mana do Li-1 impedimento do reverendo arcebispo do Goa, a ju-
, nsdiegao delegada sobre as dioceses suffraganeas,
e Josepha Mana de recober a congrua de 1:2005, moeda do reino,
desde o dia em que principiar a sua vtagem para
, a ludia.
Alexandre de Barros Araujo e Margarida Maria de do es.ado, e a competente ajnda de costo, em con-
', Jfi!iUS. ,, ; lormidade ai disposto na carta de le> de 20 deju-
Ign icio Ferreira dos Santos e Gracinda Caudida ribo de 1863.
Saraiva G-ilvo.
Miguel Alves da Silveira eJusiina Maria da Con-
ceigao.
Beato Gomes Meira o Maria Claudina do Espirito
Santo.
Belarmno Nugueira da Silva cLuiza MirlaNunes
Rio da Prala, o vapor de guerra Zarco, construido
em Liverpool.-A fragau D. Fernando, cojo com-
mando foi confiado ao experimentado ofleiai da
, armada, Craveiro Lopes, est lermio indo coa ae-
an Xe'aeai conse,i;,ecia vidade a obra, para seguir vlaaem al bhZJLl
SLiA!!S JSS?.1*1 ep,de' 'lue' P.a onde levar tropa ^ oeasan-
Vo eomecar as obras de constroecao da
quarta-fachada Co edificio da escola polylechniea.
O plano desta fachada, que deita para a quinta
periencente mesma escola, construida coaa ama
architeclura diversa das outras tres (rociaras,
mas custar muito mais barata, nao ficando menos
elegante.
Tendo o governador de Catw-Verde dado
conta ao governo do gatada de archipelago, e pe-
dido soccorros para occorrer as necessidades da
populagao, em consequencia da insuflteieoeia da
ultima colheita ; o ministro mandou urna portara
nesle sentido.
Que iiii.-iiediatamente se Iho vai mandar ama
embarcago carrejada de milno, arroz, e alean
toticiDho.
Que estes gneros sero pasos pelo governo em
Lisboa, com os meios que tem a sua disposicao.
Que a distribuicao gratuita de gneros alimenti-
cias s se deve fazer a individoos incapazes de
trabalharem, ja" por doentes, j por velhos, ja' pela
sua tenra idade.
Que a toosos bomens validos se devem negar
auxilios gratuitos, dando Ihesporm trabadlo regu-
larmenle, retribuido em dinheiro com qoe cuai-
prem gneros para se alimentaren), ou dando os
alimentos peles precos do mercad >,ou parte em du
oheiro e parte em gneros.
Que esta ultima disposicao tenha, porm, orna
excepgo, podendo dar-se como emprestimo aos
individuos validos os gneros necessanos para se
sustentaren! e as suas familias al quinze dias.
Ao rnesmo sacerdote se dar passagem cusa
- A commisso encarregaila do plano de me-
Ihoramontos da capital est dando grande desen-
vo|yin,enlo aos seus trabamos principalmente de-
pois que receben do governo a portara em que
o Importante assumpto de
,.--.-..-.
i1,iilie.r,iUrfrn'n0lil-'lad0 "',il'u'1iauii: ss""w e: espago que se considera sufflcionte para a
o-lifleaflio de predios p-ra as classes operarlas de remas'inienleiras annuaes.
*.-* nwiMWivaNnr ^. i%>i
Lisboa.
A commisso exigi do ministerio das obras pu-
blicas amanuenses, engenlieiros e architectos, que
por elle foram mediatamente postos sua dispo-
sigao.
Vi-rilicou se a procisso do Corpo de Deus
da cidade. Suas Magestades el-rei o Sr. D. Fernan-
do, e o Sr. infante D. Augusto acompanharam o
Saiitissimc Sacramento.
EXTERIOR.
COS&HESPOXIIEXCIAS !>0 IA
RIO VE PERXA31H17C
L.IWUOA.
2$ de juuho de 1863.
- Est contratada cora o hbil artista, oSr. Mo ^SEftZTJEt anl"'u, larinho,a fe.tura da medalha da inauguragao do "T ' !" ^!!IS *^^ "i^>.?rtem da ^ia prai ob T-rmelha.
Que elle governador pode empregar desde ja'
era jornaes dos homeos validos o dinheiro que tem
era cofre, proveniente da venda do railho.
Assevera-se que os funeciooario* portogue-
zes que collaborarara na convenga > postal com a
Prussia, ja' perderam as esperancas de seren
agraciados com graus das ordens militares daquel-
le reino com que contavam. Du-se que o Sr. Bis-
mark, ministro dos negocios estraogeiros, nao ac-
.^SsaSSB^ii^l^'J^^^JsSa:
palacio de cry-tal. nador de Angola Este conseiheiroprestou um bom
Cou,ta que esta medalha ter de um lado o pros- s!rv'vO'aPa mandando para a metropole o pre-
pecto do palacio, e do outro o rer cto do Sr. D Pe- oso mo,!u,-l,enl(J encontrado em Nossa Sennora da
dro V, que lancou a primeira podra da sua cons- ,v,cloria d.8 Ma^angano, baluarte que foi dos Por-
trnecao tuguezes durante as usurpacoes dos Hollandezes,
-' As medalhas que bao de servir de premios na ra" KV! '"bou foros de villa.
nova exposigo internacional, sero cuuhadas sob '' a de seis aduellas de ferro- Tem
a direceo do Sr. Wiener, o distincto gravador da
casa da moeda.
E-tas medalhas ho de ter allegorias aos desco-
bnnientos feilos pelos l'ortuguezes
Mas o notavel que as nossas condecorajoes fi-
, caram por la*.
Publicou-se o decreto de 10 do corrente, de-
' terminando que os juros tanto das inscripcoes eo-
| mo de coupons sejam pagos, nao s nas 21 eapiues
I dos distnctos administrativos, mas lmbemeos 101
gra:,daaraemumacru, HEn^^
u^Ke^Londr^ aFSenal tterato'9|S,'1^^r^^*-
Us Inglezes apresenlam-a
| tanto a elevago do seu prego.
nas quatro par- L73STZTS Cm l0V P ""; Era U semestres decorridos desde que p.>r ini-
trong
No dia 13,
Foi encontrada nas esca vagues que se esto
fazeudo em Lisboa no largo do CorreioMr, de-
fronte do palacio dos condes de Penadel, una lapi-
de tendo cinzelado um escudo bipartido, cora as
armas dos Tabordas e Montarroios.
E.-le bracio foi concedido em 1450 por el-rei D.
Alfonso V a Ferno Gil Montarroios.
No dia 21 fui para Setubal. a esquadrilha d.s
yachts da Iteal A-ssociaco Naval, que foram pas-
sar os das santificados naquel'a ciuade, e durante
a sua eslada faro all urna rtgata
O Sr. Eduardo Annibal Botto, |iresenteou
seccao zoolgica do masen nacionei com
neo de hyiopotamo, que no anuo passado
de Mogambique.
Parti para Madrid o Sr. I). Diosjo ''ceibo e
Quesada, ministro de Hespanba cm Lisboa.
A causa desta partida foi o desgosto que o iilus-
tre ministro .leve com o fallccimento do Sr. D. Luiz
Coelho, seu nico (illio.
O Sr. EnsebioSimes, proprletario da Clno-
nica dos Tliealros, contrado no dia 21 o sacramen-
to do matrimonio com urna das lilhas do fallecido
conselheiro Torres. Os padrinhos do consorcio fo-.em.un acl. original,
ra
n i ram taes pagamentos de 1 a 82 cootos, reore-en-
mes que o assembla do mesrao Centro votou pela P,lhl.a ,amhm .7. .,,.., ,lUm .
'n0rle ,d%Pmimsr dedca,,,Uel,VdePUb,,,,;a ^ S^*^
i. O ra.nis.ro declarou deputacao que Ihe | cja das circuiares ^ mar'uez de Sa da g5~
Lincoln. O ministro declarou deputago que
fez enirega da iiiensagem, que elle ia enviar o au-
thograpbo para o seu governo, e que respondera
ao Centro
cia, e que u )ara elle e para
fraternidade
mava
de 3 de setembro de 1846 e de 2 de abril de !86|,
radeee?hHhe' 1" nova de"deferen* i Sara '^ 0S m"Uares ?e abs,"n""m "" '~
iim era seu overno ver 1ue es'cs lagos de
i troxe (a'la vez se unificain ,na'-S Que estir
que bouvesse em Lisboa urna associag;
em lugar dos planos inclinados que indicara os de-
senhos ;
a de darera oseu voto individual
Foram approvdas as obras d'arle do cami-
ine ores-; nho..de.erro das ra'Bas ao BraSal coni as goiotcs
sociagao que pres- {con,roes :
gao foi tratada com toda a benevolencia e deferen-
cia pelo ministro 2.'Os soceos dos pilares e encontros da prnaa
A Sra. Manoella Lopes Res, actriz do theatro do Rio Man sero revestidos de cantara at a al-
norra.-il de D. Maria II, acaba de escrever urna co- rara das mximas chelas ;
Por este deixars pai e mai,' 3. As madeiras dos estrados das obras de arte
V autora acabou esta cora- j sero, sempre que for possivel, de carvalno, e o
los assentes em quatro travs em lugar
bora as extremas, os de testa sejam de
s'o, ou meias travs, afim de que as
porque espera no paquete da Madeira cliegue a Sra.; cl;~a e a autora representa urna velha de oitent duas contraes funecionem sob rails :
condussa de Farrobo l>. Eugenia, sua lilha : tencio- annos. Tambera subir scena no beneficio da i 4.'Convir dar a todos os pilares as erossuras
onsemeiro jorres, us paonnnos ao consorcio ro- "'.u; -io, uuymdi. -\ auiora acauou esia cora- serao, serapre
am o Sr. D. Jos de Lacerda, deo da s patriar-! posigo para a levar na noite do seu beneficio. Vai ditos estrados
bal e o Sr. Guerra Santo?. ser publicada com um prologo doSr. Ricardo Cor- de tres, embora
- 0 mareclial Saldanha veio de Cintra a Lisboa : deru- Tem quatro papis todos de dama. A beneli- menor seccao, i
Con.-ta que a exposlco internacional do Por : pa'.da sociedade Aurificia, que na roa dos Bragas das um induclo que 'econmicamente a
to vai ser enrequ-cida com a amostra de um novo esla coneluindo um edificio para nelle eslabelecer !de prompta ruina.
producto agrcola da provincia do Algarve, e que U!,ia fabrica d'artefactos d'ouro e prata, a primeira Consta que as notabilidades hespanholas,que
c prenuncio de una uova onte de prosperidade "
c riqueza para aquella frtil porco do territorio
portugus.
O producto que vai ser exposto urna amostra
de assucar, re-ultado dos incossantes trabadlos e
esforeps que o Sr. Joo Jos Brrelo lern empenha
;OVEll\'0 VO UISPAVO VE
PEIt.\A.URi'C-0.
SEDE VACAME.
Chegaram do Rio de Janeiro, as peiigoes de dis-
pensas constantes da lista abaixo publicada, e cu- j
ja coneesso foi autorsada pelo Exm. e Rvm. Sr..
Sr. internuncio apostlico, em dala de 19 de junho '
prximo lindo. Podem. pos, ser procuradas cu em
Olinda ca secretaria do bispado, ou no Reciie em I
casa do Ulm. Sr. conego da capella imperial Fran-
cisca JosTavares da Gama, na ra da Cruz n. 56.
Olinda, 19 de julho de 1865.
Conego Joaquim Ferreira dos Santos,
Secretario do bispado.
Oradores ligados no impedimento de afinidade li-
cita em Io grao igual da linha lateral.
Lanrentino Cavalcanti de Araujo e Maria Fran-
cisca da Concelgo.
Fraucisco Marlnho de Espindola e Maria Jos da
Conceigo.
Jos Rayraundo da Cunta Pedrosa e Maria Jos dos
Prazeres da Cunha Pedrosa.
Jos Serafim de Souza e Joaquina Maria da Con-
ceigo.
Frauclsco Antonio de Maria e Bernarda Maria da
Silva.
Manoel Pires de Souza e Josepha Mara de Jess.
Manoel Policio da Silva e Francisca Marta da Con-
ceigo.
Trajano Das de Araujo e Anna Maria da Concei-
go. '
Caetano los Cavalcanti e Maria de Nazareth Be-
zerra Cavalcanti.
Oradores que rstao ligados no impedimento de
consangmnidade em 2o grao mixto ao ! da ti-
nlia lateral.
deste genero, que vai Daver no Porto.
Nesta fabrica ser empregada urna machina a
vapor da forga de 16 cavallos, feila em Paris, e
all comprada pelo Sr. Costa.
Consta, que Ihe fez alli acquisigo de machinas
para serragens, plainagem, assetinagem, e perfu-
do para introduzr no Algarve e especialmente na ra(.'ao tl": madeiras, com que dever fazer urna
propriedade de que arrendatario em Faro, deno- completa revolugo oa arte de carpintaria e mar-
mina Horta de Santo Antonio dos Capuchos, a plan- cenaria.
tago e cultura da canna do assucar. A primeira Consta que o ministro da marinha celebrou,
experiencia tentada por este cavalleiro foi coroada em condigoes muito vantajosas, com urna Dima
do mais feliz resultado. A canna plantada em maio' americana, o contrato de navegago a vapor do rio
do anno passado cresceu e desenvolveu-se a ponto Quanza, era Angola.
de poder, em abril deste anno, ser moida e crysta-; O principe de Galles foi agraciado com a
lisada, produzindo o mais excellenle assucar. A gra-cruz de Aviz o com a permissao de poder
planta alli apre.-cntou se cheia de vigo e vigor, e o usar a banda das tres ordens.
cultivo muito mais fcil, polas eondigSes espe-; Igual merco foi enviada ao prncipe Leopoldo,
ciaes do solo, do que na ilha da Madeira ; sendo herdeiro de Hobenzolern Sigmaringen.
que sao tarabem mullo mais avultadas do que nos- A commisso encarregada do plano dos me-
sa ilha as partes saccaiinas da planta. Na opiuio Ihoramenlos da capital trata de adquirir a planta
das pessoas entendidas, comprovada pelos resulta- de Lisboa, porque a que exista na cmara muni-
dos colhidos pelo Sr. Brrelo, a canna de assucar, cipal foi queimada pelo incendio de 1863.
no Algarve, p le produzir, aproximadamente, re-'. Verificou-se no pago d'Ajuda a recepgo so-
sultados to vantajosos como produz no solo de lemne do enviado extraordinario do imperador do
frica. E o que mais deve felicitar anda os povos Mxico, em missao extraordinaria junto da corte
daquella provincia e animales a tenlarem plantar de Lisboao qual entregou a S. M. a gra-cruz da
de outros productos os vasti.s terrenos incultos que novissma ordem de S. Carlos naquelle imperio, i Marlins Martnez, secretario lambem da legaco,
possuem-r que aquelle solo propicio a todas as O diplmala encarregado foi o representante do taos com gr cruz de Christo.
plantas que se do nos climas quenles, taes como : Mxico, em Madrid. O Sr. D. Buiz d'Arco y Mariatengul, auxiliar
a bananeira, o algodoeiro, etc. Comegaram j os trabalhos necessarios para; do ministerio, com a gr-uuz da Conceigo,
O Sr. Jos (Jarreto planta alli lambem araruta, construir urna batera couragada noquarteldo! O Sr. D. Arihur de Bager e Cresi, addido, roa a
da qual igualmente feliclssimo resultado; e est; corpo dos marinheiros da armada real, e no sitio .ordem de Qhrislo.
fazendo curiosas experiencias sobre o aperfeigoa- denominado Forte da Alfabrobeira. Diz-so que ;o Sr. D. Rodrigo de Meoexe ia
ment da cultura da vinha. Porm, a plantago de Diz-se que o Sr. Mendes Leal est escrevendo ser nomeado conde de Cavallriroa ; e qoe o Sr. Dr.
canna de assucar e a fabri'.ago desse producto, um drama, cujo hroe' ser o immortal Vasco da i Bernardino Amonio Gomes, medico do pago, ia ser
para a qual elle possue ja urna excedente machina, Gama. agraciado por el-rei com o titulo de barao.
oflerece Ihe extraordioarias vantagens futuras, que j O Sr. Mendes Leal, ess*e grande genio dramtico,' Falleceu de urna apopleja o Sr.Maooel Per-
todas reduodarao em proveito daquella provincia, incansavel nas Idies Iliterarias. Nao menos for-' nandes Tbomaz, juiz de direito de armira
aonde esta nova e importantissima industria se p- te nos senlimentos de patriotismo. I classe.
de desenvolver estraordinariamente, se a iniciativa I O Sr. Mendes Leal vio que o grande Vasco da' A cmara municipal de Lisboa vai rom eei-
partieular deste cavalleiro fr devidaraente coad- Gama, era desgurado na opera Africana de Maver- \l0 intentar um pleito contra a companhia Segaran
juvada pela protecgo legal dos poderes pblicos, beer, que se representa actualmente em Pars, e ca do Porto, pedindo-lne o integral
quo nao devem odiar com indillerenga para as-, foi por isso que concebuu a idea de escrever um quantia segurada pelo cditlcht dos
receberam as coudecoraces porluguezas em con-
sequencia do tratado de limites entre os doos pai-
ze- foram os seguintes :
Todos os ministros foram agraciados cora a gr-
cruz da Conceigo, excepto o ministro da guerra,
que receben a gr-c.-uz d Aviz.
O Sr. D. Facundo Goni, plenipotenciario do trata-
do de limites, gr-cruz de Christo.
O Sr. D. Marlins Belba, pnmeiro vice-presidenle
da cmara dos deputados, gr-cruz de Christo.
O Sr. D. Evaristo Prez de Castro, vogal-seerria-
rio da commisso do tratado de limites, gr-cruz
da Conceigo.
O Sr. D. Miguel Banuelos, subsecretario de es-
tado, gra-cruz de Christo.
O Sr. D. Francisco de Figueira, secretario da le-
gago e offlcial do ministerio, gr cruz da Concei-
go.
O Sr. D. Felippe Mndez Vigo, encarregado de
negocios, gr-cruz de Christo.
O tenenle-coronel D. Jos de Castro, encarrega-
do dos trabalhos facultativos da commissa* de li-
mites, gr-cruz de Christo.
D. Joo Urbano, genlil-homem ; D. Maooel Pr-
tico, chefe da adminfstraco ; D. Benito Vieeaey
Gil de Tejada, secretario da legacao, e D. Jos
Iho, que rdeu
1863.
na noite de IV
A mesma cmara tem tarabem orna accao m
tada contra a companhia Fidelidade, por igual
sumpto de tanta magnitude. drama, dando-lhe por protogonista aquelle hroe,
Esto j completamente montadas e promptas' mas represontando-o tal como elle foi, grande, e
para servigo, na gare de Lisboa dos caminhos de tal como o canlou CamSes.
ferro de leste e norte, duas das carroagens estagdes | Escrevendo aquelle drama o Sr. Mendes Leal,
postaes ambulantes, que o nosso governo mandou reivindica a nossa historia, |que d'algum modo era tivo.
construir para o servigo do crrelo.-Sao dous ele-: ultrajada n'aquelle ponto, i _1 n0 dia 13 cahio urna craode desear
legantes e bem acabados wagons saludos de urna Sahio para Inglaterra a corveta Duque de trica sobre os apparelhos da eslaco
das fabricas de material de caminhos de ferro mais Palmclla, que vat mctler a machina, assim como'em Colmbra, Ocando ferido no braco
acreditadas de Hamburgo. I fazer alguroasobra'= internas, Meando depois promp-1 dos lelegraphistas e assombrado outro H
Ao.ba dse instituir em Olhao urna nova as- ta para qualquer commisso de servigo publico. eeadio no edicio .mas rpidamente exime
sociagao denominada. Associagao de soccorres Eipera-se que lambem parta brevemente para o! Ha muito tempo que alguns cavameiraa


-i '
ii r-a#*?%
---------T


Diarlo de rernambneo segunda rete* a 4 de Julho de !&.
i

>..
cidade do porto raidaram deorgniiar urna com
panilla, que tivese por fin construir o porto artifi-
cial de Leuoes. Mas para base segura de despeas
a raier e lacros provavei?, cumpria obter o plano
e o orea ment.
Por esse tempo o governo incumbi um iliustra-
do engenhero doapresentar um trabalho sobre es-
sa ra-.portantissirnaobra ; mas os cavalheirosa f|ue
ra que rem-aecessarlas, conforme o referido sys- eros de primelra necessldade j vSo apparecendo
,ema- o i com 'nai" aluudaiicia, e os precos commodos para
O Sr. Joaquim Rodrigues Gutdes, lente da aquelles que pomo tem.
real eollegid militar, acaba de publicar nm curso' A ponte da passagem posl tantos tantos que
de historia natural, que serva de complemento ao labores, j se acha prompta, podendo-se por ella
seu curso elementar de sciencia naturaess. I passar sem risco de quebrarem-se pernas bracos
O Sr. Guedes, j vantajosamente eonhecdo entre cabegas. etc. !
os homens de sciencia pelos seas trabalhos, um J E- para admirar no entretanto, que urna obra
lugar de Leixbes era conveniente para a intentada
obra.
Levou para Londres alguns esclarecimentos
acerca da sondagens e segnnda noticias que lti-
mamente se obteve, o plano est quasi concluido e
brevemente ser enviado para o Porto.
Informam tambem :
i" que a companhia ser formada em Londres;
2o que sir Petto entrar em contrato ;
3o que a propojta ser apresentada poaco lempo
depois de recibidos os irabalhos do Sr Alber-
nethy.
projecto feito pelo engenhero do governo, o
Sr. Espergnelro, foi levado Lisboa para o respec-
tivo ministerio.
A oraga do Porto anda quando a companhia se
forme em Inglaterra, nao deixar de ler a gloria
da iniciativa em negocio de laota magnitude, e que
pode grandemente melhorar ascondiges contraer-
ciaes daquella cidade.
A ti;ha~'do fallecido visconde de Fonte Boa foi
nomeada viscoolessa do meamo titulo.
O barSo de Haussmann, pereito da polica de
Paris, acaba de s-r agraciado com a grao-cruz da
ordem da Conceigao.
Tambem o imperador de Marrocos recebeu a
gra-cruz da ordem da Tornre Espala.
Conrma-se tambem a noticia que vagava de
ler sillo dada o titulo de barSo da Costa Veiga,
conferido ao juiz Antonio Xivior da Costa Veiga.
' O Sr. Francisco Vahl, tilho do fallecido baro
Samuel, notivel hanqueiro inglez, foi tambem agra-
ciado com titulo de ba So de Samuel Vahl.
No dia 18 do crreme aronteceu um caso sin
guiar, mas natural. O Sr.' Manoel Mara da Rocha,
coronel do estado-maiir do corpo de engenheiros,
e director das obras da praca da Peniche, contra-
bio no domingo antecedente o sacramento do ma-
trimonio com ma menina de 17 anuos de idade,
natural dajulla villa, por nome D. Maria dos
Anj is.
A' meia noite, antes de se recolher, o noivo foi
accommettido dij urna apoplexia fulminante, sendo
conduzido no dia 19 de m.ioha para o cemiterio
dos Prazeres.
O coronel Rocha contava 70 annos de idade.
De maneira que a noiva, no espado de pnneas
hor.K, fii solteira, casada e viura, e ficou don-
zelia I 1
Casos assim poneos acontecem.
O marquez da Ribeira Grande, e seu ilho, o
conde do mesmo oome, chegaram ha dias a Ponta-
Delgada.
Est entre no* o RvJ. padre Carlos Mikos-
zewski, que vem percorremio a Europa, solicitar
esmolas para os polacos.
O Si-. MikoszcY'.-ki alcangou era Paris 30,000 frs.
5:400#008).
O Rvd. padre dirige nos peridicos da capital
um appello aos portugueses.
O Sr. Carlos Mikoszew.-ki conego honorario e
e cura, presidente da commisso polaca de soccor-
ros fraternaes.
Acha-se no hotel de Italia,aonJe recebe as offer-
ta* que lh quizerem enviar.
O Sr. J iao Paulo Cordeiro, grande capitalista
do imperio do Branl, parti ha pouco para o Rio
de Janeiro, com o fim de procurar um homem h-
bil, que dirija os trabalhos de urna nova fabrica d
tabacos, que. prximamente vai abrir em Lisboa.
L-se na Corresp ndencia de Hespanha, che-
gada no dia 22, o seguinte:
Dz-se em Pars, porm nao damos crdito a
noticia, que Franca e Portugal se acham em nego-
eiaedes para qn^ cedam a primeira as ilhas de
Cabo Verde.
A noticia lo grave e de tal importancia que
nos parece de todo o ponto absurda ; mas anda
assim julgamos conveniente que o governo de sua
magesiad- a faga desmentir na folha offlcial para
creJito do paiz e sncego dos cidados.
A Sra. duqueza de Palmella, sahindo ha dia*
n'um lindo carro que mandara vir de Inglaterra,
e que all serve para passtio nos parques, os ra-
vallos espantaram-se, o carro quebrou-se, e >. Exc.
que ia governando o carro, cabio sollrendo um
grande suste e um ligeiro incj mmodo. .
A Sra. condessa de Villa Real parti no pa-
quete qne veio do Brasil, em di receo a Vyi-hi, onde
ira fazer uso das aguas medicinaes que os mdicos
Ihe aronselham.
Nu mesmo paquete sahio tambem o marquez de
Frontelra, que vai hzer urna visita a sua filha, ac-
tu'luiente residindo em Em-, na Allemanha.
T-nciona estar em volta a Portugal antes do
bom suecesso de S. M. a raiaha, de quem mor-
domo-mr.
O conde d'Avila tem continuado a recetier
eommiinicacSos de Paris do Sr. Rondo!, em que
este cavalhPiro, como presidente da commisso
franeexa encarregada pelo governo imperial de
colligir os productos para a exposlgo do Porto,
certilica o empeul.o com que a mesma commis-o
se e-drea para reunir tambera a exposig.o urna
colleccaos dos mais ricos productos industriaes das
colonias francezas tanto da Algeria corno das oulra<
partes do globo.
Saino no dia 19 para Inglaterra, a corveta
Duque de Palmella. Fui rebocada at fra da barra
pelu vapor de reboque lrasco da Gama.
L'in dos pegues da ponte da ribeira dos For-
nos abaten no da 20, tendo de se fazer prosa
urna ponte de madeira para a passagem do com
buyo do correio.
Es!-se arcliiteetando no safio principal do
palacio do crystal o estrado era que tem de ser
collocado o grande orao j hoje concluido em urna
das primeiras fabricas de Inglaterra.
O artista escriplurado por qnatro mezes para to-
car este magnifico e difflcilimo instrumento o Sr.
Widof de Lyon, oi'-co de verdes annos, e grande
repniaeio, anda intimamente conlirmada por urna
entendida concurrencia no salo Her em Paris.
.No contacto do Sr. Widor entra a excedente
clausula de ser aquelle artista obrigado a leccionar
o mais habilitado pianista portugnez, que se apre
sent para o substituir depois da sua ausencia.
E' natural que raraes^e Orii se baja de fazer um
concurso.
Achava-se sumptuosamnte preparado o pa-
lacio do marquez de Viannaj em Pedroigos, onde
deve hospedarse o infante D. Sebastio.
Est hospedado no hotej central, o mordomo-
mr d i iuf .nle, o Sr. D. Gabriel Aristlsabai.
Sahio ama portara para melhorar dos orde-
nados dos empregados do estado e dos estabeleci-
meutos pios e das classes itnclivas de considera-
rau, isentando estes subsidias e vencimentos das
classes inactivas de nao consideragao com o aug-
menta de 25 por cento, mandando pagar na sua
totalidad as pen'5es do monte pi do exerclto e
da armada at 100*000. Tendo vigor esta portara
de>d<: o dia t" de judio prximo futuro em diante.
E?li em Li-lua, de volta d'Evora, Estrema,
Setubal e outras trras do Alemlejo o Sr. Jos Fer
reir Aioutinho, incansavel sub-inspeetor da com-
panhia de seguros a Providente de banco Allianca
do furto.
O Sr. Moutinhe tem colhido magnficos resulta-
dos das suas digresses. Explica elle os ltimos
progressos das subscripcoes da companhia, de for-
ma que se no mez de maio ella adquiri oaugmen-
to de 101:0005, conta que esse augmento seja ex-
cedido no coirenle mez, tendo chegado no Itim
paquete do Brasil orna soffrivel soinnia subscripta.
Sao sempre .-atitfactonas as noticias do progres-
so e crdito dos novios estalaelee.menlos, que, reu-
nindo os capilaes, offerecem os moios productivos
delles com seguranza e UbiUdade aos seus pos-
uidores : muilo mais uestes estahelecimentos que
o nos-o acanhameiUo e indicisiia vi* progredr nos
*.strangeiros.
mlnarologia da escola potylechnica, que encontram
n'aquelle livro um poderoso auxiliar nos seus tra-
balhos.
' livres.
Um onlro, porm, nos resta, e s coro grande
difflculdade poderemos achar remedios efflcaies pa
O livro vem acompanhado do parecer do conse- ra cura-lo, por ser elle um poueo anllgo de serte
Iho superior de nstruegao publica, que lisongeiro que do Exm. Sr. presidente esperamos os'remedios
para o autor. necessarios, visto J nao podermos mais soffrer a
O Sr. conselheiro Ferrera Pestaa, governa- grande falta d'agua, que aqui temos,
dor geral da India, acha-se doente padecendo de '
febres Intermitientes, bem como a sua Exma. es-
posa.
Fui aberto um crdito extraordinario de___
seu rmaoFran-
derao os respectivo- procuradores, ir recebe-los na
ra do Crespo n. 10, prmeiro andar.
Joaquim Thomaz Rheiro Varejao.
Epiphanio Ferrera da Ressurreico.
Joo Baptista de Suuza Monteiro e se
cisco de Sooza Monteiro.
Antonio de Albuquerque Maranho.
Manoel Jos da Costa.
Pedro Jos dos Santos.
Domingos da Silva Jnior.
Lourenco Bezerra Espmdola.
Francisco Pereira Maciel.
Antonio Felippe Pereira.
An'onio Rodrigues Bispo.
Jlo Marinho. .
Pedro Jos Monteiro.
Jernimo Antonio de Oliveira.
Manoel Severiuo.
Manoel Ai ves.
.\ovo banco de Pcraaiu-
bneo.
O banco desconta letras na presente semana a
9 por cento ao anno at o prazo de quatro me
zes, e a 10 0|0 al o de seis mezes
OTIMEIfO BC F61T0
soccorros a Cabo Verde na
130:4685132 res, e com os
veruadur de Tiraur na i
reis.
Antouio Bernardo.
m.alLni ." falla-dt|guma "re vai se Francisco Pereira Cobra-Verde,
remediando; mas pelo verao ella se torna nsupor- Camilla Jos Ferrera
tavet cao s pela difflculdade que ha de se man- Joaquim B-zerra da Rocha.
,,.,.,... i ?ar bU!;car Pur ser uin Pouo distante, como lam- Apolinano Jos Rodrigues.
2S8.S5751ol re?, a favor do ministerio da man- bem pelo prego exorbanle, porque ella vendida,' CviTian i Bezerra d- Andrade
nha par pagamento do que se despendeu com os quando apparece; por quantoaquelles que tem um jJs Crrea-de Mello
importancia de....... cavado, urna cangalha, e um par de aucoras, nao! Ju' Vieira^Canivara
ora os saques fetos pelo go- tendo porm a caridade enteudera que devem ven-! Joo Bezerra
importancia de 112:9885699 der urna caada d'gua por tres e quatra viotens, e Antonio Guedes.
isto s Tetes por muito favor. ; Silvestre Bezerra de Andrade
- Tambem M approvado por um decreto e re- Ora, ninguem poder censurar, verdade, es-1 Angelo Ferrera do Nascimento
gulamento da succursal do banco Ultramarino em le ou aquelle que laucando mao de quaquer neg- ' Manoel Monteiro de Mello
Loanda. co, delie faga o seu meio de. vida; porm tambera Jus Evaristo
- Devem partir dentro em pouco, com licenga, certo, que, qualquer que elle seja, deve ser feito : Francisco Martms de Sant'Anna
' escriturados para a bertura do theatro de Punta- de tima maneira, que delle se adquira um lucro [ Manoel Trjano Leite.
ment.
Camaro.
mal serap elevadas as escriptura< das Sras. Ma- rem-se I AntoiolBe^rra de Andnde.
noela Rei.Delfina e Pessoa a 805000 res, e as da A'guem, a quera este negocio nao mteressar, I ju Pedro de Andrade.
Sra Emilia Adelaide e Sr. Santos a 725000. podera d.zer: que havendo aqui algun pocos, ja-! Leonel Cavalcanti de Albuquerque.
P. S.Continua a azafama eleitoral. mais poaemos sentir falta d'agna. E' vprdade, po- Manoel dos Anios Vieira
Em Lo.)l houve na* gritos sediciosos, que de- rm estes pocos alm de serem poucos s que dao : Juaqoim Correia I ima
i em resultado a prisao de um influente que agua potavel, quando o verao extenso e forte sec-! Joo Manoel Bapttila
Cal xa filial do banco do Brasil
em Pernambuco.
De ordem da directora de>la caixa se faz publi-
co aos senhores accionistas, que o respectivo the-
sourelro est autorisado a pagar o 23 dividendo
do semestre Ando em 30 de juoho ultimo a razo
de 125 por aeco.
Caixa fllial do banco do Brasil 13 de iulho de
1865.
O guarda-livros,
Ignacio Nunes Correia.
ALFANDEGA.
Rendimento do dia 1 a 21......
dem do dia 22.........
MOV MENT DA AI.FADEGA.
Vqlumes entrados cora fazendas____ 183
com gneros..... 57i
Antio sahulo no dia 21.
Liverpool-Bana ingleza Aliauce, capio Le tW
tiliier, carga algodo.
. Nato entrado no da ti.
T.ieste 172 di.is, brijitie ansiriaro Somremr t
Hacre, de 268 toneladas, eapit.io Mario D.
novich. eqopagem 10, rar/a ,UM barrica* i
farinha de trigu; a H. O. Ber*T a Soren
u Navios rnidos no mesmo sm.
Macei- Lancha brasileira Mara Urolimt. eap*.
tao Manoel Candido oe Oliveira, cana ft-rra-
tes generes.
PenedoLancha brasilera Dont
Antonio Baptista de Oliveira,
nsros.
Portos do Norte Vapor brasilero Vm
com:i.audante Belmi oB.i.ii>u ,.'e S-xua
Obsrrvarao.
_,_______i Suspenden do lamaro para a Babia o pa
37i:8195316 '1,uslr,aco Canta, e^o N. Bacirtef t-jm a i
ma carga que tronxe de Trieste.
Natos saludos no da 23.
HavreBarca franceza Odinny, capitio Xicalm
carga algodao e cunros
carga van* ge-
348:6095010,
26:1305330;
Valumes sahidos com fazendas.....
com gneros.....
------- 737
97
707
-------80i
escripiuraaos para a bertura do tneatro de r-onta- ae tima maneira, que delle se adquira um lucro' Manoel Traiano Leite
Delgada, ilha^de S..Miguel, os Srs. Santos e Emi- proporcionado e conveniente, afim de que se torne! Antonio Jos do Nascln
lia Letronblon. i commodo para aquelles que nao dispondo de cer-' Herculano Arco-Verde
As n vas escripturas dos actores do theatro or- tos meios, outro remedio nao teem, seniio sugeila-. p(!dro Soares dt Mendo
trabalhava por adquirir vutos para o candidato da
opposgaj. De Oliveira do Hospital taiiibem se con-
tara alguraas turbulencias, sem maior alcance.
No Conselhu dus Olivaes, por oude se propoe Luiz
Felippe Leite. como candidato gjvernamenlal, e
Jos Val de Carvalho, candidato da opposigao,
liouve urna pendencia na madrugada de 23 do cor-
rente, que se ia tornando seria. E' o caso que um
inimigo pessoal do candidato Jos Vaz andava de
calche com tres individr.is alllxaiido uns impres-
sos pelos sitios to Lumiar e Campo Grande. Jos
Vaz fui espera-Ios as 3 1/2 horas para os recoohe-
cer e diz se que atirra urna vardaseada a um dos
do estecha. Era seguida houve uns 3 ou 4 tiros
de revulwer aos quaes felizmeute nenhum acer-
lou. S o cavado em que ia Jo> Vaz ficou ferido,
mas parece que no fui de baila. Aos gritos de
soccorro dados por J s Vaz acudi a patrullo de
cavallaria municipal do Caega de B da, que a to-
dos levou presos. Foram entregues os capturados
ao poder judicial
Joo de Mello declara no Portugus e outros jor-
naes que nao quer saber da poltica, nem do go-
verno, nem do candidato ministerial ; que a pen-
dencia filha de um ressentimento pessoal que
tem de Jos Vaz, e promette explicar ao publico,
pela impreosa, os motivos d'esse ressentimento,
Jos Vaz, no Jornal do Commercio attrbue pol-
tica do governo a tentativa de homicidio, segundo
Ihe chama, sem fazer sentir que fui elle o prmeiro
a aggredir seus adversario-. O candidato Leito de-
clara p la impreosa tambera que desapprova as
publlcacoes clandestinas, que se oppoz quanto pou-
de aquella, e que nao quer saber dos motivos de
malquerenca entre Jos Vaz ( seu competidor pol-
tico J e Joo de Mello.
A imprensa da opposico, confundindo as ques-
loes e lorcendo ludo para a poltica faz Insinuacoes
atrozes contra o governo e clama com toda a vehe-
mencia que as eieigoes nao sao livres. Natural-
mente por estes dias, o caso do Campo Grand.....le
Loul e o de Oliveira do Hospital licaro seudo o
assnmpto favorito para os joraaes de p ilemica.
Oxal que o da 9 de julho ponha termo a todas es-
ta< desavengas, como de crer.
Tudus perguntam se a eleigo geral tiara maio-
ria ao gabite ?
No caso de nao l'a dar, o que fara o minis-
terio 1
Se depois de aberto o parlamento entrar nova-
mente em secna o inarecbal duque de SaManha?
Em que parcialida poltica sera completado o
gabinete, o qual por onde aioda se eonserva com
quatro ministros ?
Estas perguntas serio respondidas prximamen-
te pelos fados. A situag.o pouco definida. A
fusao opposicionista nao tem fortes garandas de
estbilidada Muitos caracteres graves da antiga
reaeneraeao, como os Srs. Casal Ribeiro e Martin
FerrSo, nao approvaram o consorcio hybridp das
parcialidades fusionadas.
A ligtgo em que se encontrara hoje, para com-
bater o governo actual, homens que ha pouco se
gladiavam, nao fundada ua moralidade poltica,
embora a queirara inculcar Odiados mais nobres
sentimentos de conciliacao e tolerancia, Espera-
se que em bieve estas posifSes se delinam.
S. M. a rainha a Su. D. Maria Pia acaba de re-
ceber a graa-cruz da ordem de Sania Calharina da
Russia.
O duque de Loul recebeu a gra-cruz de Carlos
III de Hespanha.
Os viscoodes da Praia Grande e de Soares Fran-
co e conselheiro Munteverde foram agraciados por
S. M. o Imperador de todas as Russias com as
grao-cruzes de S. Estanislao.
O Sr. Rodrigo Lobo d'Avila, ex-deputado, foi pre-
so himtem por ter conduzido n'um trem urna meni
na (U Marianna Augusta) cunta a voutade de sua
mai a Sra. D. Juanna Rosa.
| Joo Baptista da Costa.
Jos Simplicio Nogueira.
Antonio Rodrigues da Costa.
Jos Francisco Pereira.
Manoel Peixoto do Rosario.
Joao Rodrigues de Carvalho.
Joo Francisco Evangelista.
Pedro Exe.juiel da Fonseca.
Adulpho de Lyra Marques.
uaniel Jos dos Santos.
Pedro Correia da Maia.
Jos Maria Marques Cesar.
Joao Francisco de Paula Machado.
Gaudencio Pereira da Silva.
Alexandro Jos Monteiro.
Wence.-lo da Silva Ribeiro Campos.
Manoel das Neves de Albuquerque.
Jus Correia de Oliveira.
cao.
A vista pos do que acabamos de expr, espe-
ramos do Exm. Sr. presidente *s providencias ne
cessarias; certo de que ser este um beneficio
abengoado pela Providencia, e agradecido por lo-
dos os habitantes desta cidade.
Para prevenir qualquer sinistro que possa
acontecer, pedimos a quem competir providencias
para que seja lirado um retabulo de bronze, que se
acha collocado na frente da academia, visto o esta
do era que se acha.
Nada mais ha por aqui digno de attencao;
mais para terminarmos este nosso artigo, pedimos
a alguem, que seja mais caricioso para com o pr-
ximo, desejando para elle, o que desejar para si.
Amanhaa (23) effectuar o agente Pinto o
leilo de predios, os quaes tornam-se recommen
dados por serem edificados em princpaearuas, e
quasi todos em chaos proprios: em continuagao Jucundino de Queroz Monteiro Regadas,
veudera tambem alguns escravos. Jos Leo do Espirito Santo.
- Repaiitujao da polica : Geraldo Gomes.
Extracto das partes do dia 22 de julho de Manoel Lins Carlos Tavares.
i .t i Januaro Pereira Pinto,
foram rec dhidos a casa de detengao no dia 21 jou Simplicio Nogueira
do corante : Jus Garcia do8 SanIuS-'
A ordem do Illm. Sr. Dr. chefe de polica, Joao Antonio Jos Bittencourt.
Paulo Correia, Joo Pedro de Oliveira Joo Jero- Paulino Jos dos Santos,
rumo de Barros, Manoel Francisco do Nascimento. j0 Francisco do Nascimento.
Venancio Luiz Jos, como recrulas; Manoel Izi- Ursino de Barro> Teiieira.
dro, como desertor; Jos Gomes das Neves, por: Joaquim Jos de Saut'Anna.
enme de roubo. | Manoel Alves do Nascimento e Silva.
A ordem do subdelegado do Recife, Bernardino
de Souza Pinto, por infraccao de posturas munici-
paes e Fraucisco Jos Brando, portuguez, a re-
querimento do respectivo censul.
A^ ordem do da Magdalena, Pedro Celestino dos
Santos, para recruta.
O chefe da 2.* seegao.
J. G. de Mesqula.
. Passageiros da lancha brasileira aus Ami j030 J.,aqnim de Sant'Anna
gos, saluda de Penedo: -Antonio da Silva Souto, Ciciliano Jernimo Goncalves.
Manoel Goagalves Perein, Felippe da Costa.
- Pa^sageirus do vapor brasiteiro Mamnguape ~-lT^,rf.. -rff--*7>Tlw -^---Tlumimtimrfrm
sabido para os portos do norte :-Vmano da Silva TSad^io^fflS^S
Caldas, Joaquim Felmpe de Monra, Joao Paulo da do celebrar (honfem 23) urna missa pela alma de
B Aibuwierque raeu presado ,rmo Baziliano Baqdeira de Mello
Rio Grande do SuBrigu* naciooal S>my. rapi-
tao J-aquim Francisco C.elho Jun r, ear*a *4
r
Joao Francisco Evangelista.
Jai Antonio Dias.
Leopoldino Exequiel Correia de Noronha.
Manoel Pereira de Mallos.
Joo Eduardo Pereira Borges.
Francisco Xavier Rodrigues de Miranda.
Arsenio Manoel do Nascimento
Antonio Pereira de Carvalho.
Lima, sua sendera e 2 escravos, Nicols Bello
Jacome Pecina, Jos Flix Pereira da Silvai e sua
senhora, soldado Luiz Martins Praca, 2 presos, 3
pragas, teneute Joo Baptista de Soza.
Casa de ete.n'ao.Muvimento do dia 20 de ju-
lho de 1865" :
Existan] 380; entraram o;sahirain23 ; existera
362 a saber : nacionaes 272; mullieres 6; estrau-
geiros 21 ; esrangeiras 2 ; escravos 33 ; scravas
o, total 302.
Alimeniailosa cusa dos cofres pblicos 178.
Movimento do da 21 de julho :
Existiam 362; entraram 3 ; saniran lo ; exis-
t-m 330 ; a saber : nacionaes 200 ; niulh 'res 6 ;
estrangeiros 86 mullieres 2 ; escravos 81 \ es-
vos 31; scravas 3 ; total 330.
Alimentados a rusta dos cofres pblicos 180.
Movimtato da enfermara no dia 22 de julho
de 1863.
Te.ve alta :
Antonio Vicente dos Santos.
OB RESPONDERAS
Cesar Loureiro, por mim e mi nha familia agrade-
go aos distinctus e talentosos cavlheiros, membros
d'aquella redaego, sen acto religioso e de genero-
sa considerago. A mira e a minha familia incum-
be por ora procurar ter o conhecimento de seus
nonies, para que, se Deus proporcionar-nos occa-
sio, possamos provar a cada um ele per si o nos-
so profundo reconhecimento.
Manoel Leite Cesar Loureiro.
MSim DEUIA.
Sr. redactor da /er/i/a.-Quarta feira 19 do
correte por volta de nove e meia horas da noite,
quando segua para minha casa cita na ra da
Pria em companhia do inspector o Sr. Eleodoro
Candido Ferrera Rab lio, descubrimos ao sahir do
neceo do Carcereiro Cous vultos com os chapeas
inclinados sobre o rosto, e ambos armados com
bengadas grossas, infundindonos assim as mais
serias descunfiang3s.
Logo que os vi, lembre-me que nesse mesmo
dja se expalhra o boato de que dous individuos
da ra Direita prctendiam espancar-ae, tm vista
; do que p^di ao meu amigo, para qu- os recunhe-
I cesse, o que fez inmediatamente, dizendo-me ser
um delles um tal Joo da Silva, irmao de Jos Joa-
j quim da Silva e outro Joaquim Tneodoro da Silva,
os quaes logo que foram recouhecidos se retira'
o lado da mar, vol-
da Praia pelo lado do
arsenal de guerra.
O Exm. brigadeiro Francisco Jus Damasceno
Rosado, no dia 21 do corrente, tomou c, nta do cora- ""i aP",res mando das armas desta provincia, para que foi no- tendo ?fra " para a rua
meado interinamente.
- Informam-nos que o Kxm. Sr. baro do Rio
Furmoso vira h- je do seu engenho, afim d- tomar
as releas da administragao.
Tendo deixado o exercicio de commandante
das armas o Sr. Jos Mana Ildefonso Jacome da
Vega Pessa e Mello, passou a exercer ocomman-
do da furtaleza no Buraco.
- Tendo sido nulliticado pelo governo imperial
o acto do concurso procedido (tara preenchimento
da cadeira vaga de latim, pertencente ao curso de
preparatorios annexo' Faculdade de Direito desta
cidade, acha-se de novo aberta a respectiva inscrip-
go cura o prazo de 4 mezes.
A subtrago de dicheiro, de que demos noti-
cia no sabbado, leve lugar no hotel Trovador, e nao
na Traviata, como por engao foi publicado. Fi-
ca assim, por tanto, rectificada essa inadvertencia.
Mas em addilamento noticia, cumpre declarar
que j foi capturado o sublracior d'aquelle diohe-
ro, um tal Jos Gomes das Neves, que suppoe-se
desertor d- marrana.
Do dinheirofartado ainda foi encontrada a quan-
lia de 5134000 em seu poder, pois < s mais ja' ha-
va elle gasto na compra de varios objectos, inclu-
sive um cavado, que foi entregue bem como o di-
nheiro apprehendido pessoa quem tioha sido
f orlado.
A irmandade da Conceigao dos Militares ce-
lebrou um memento solemne com o libera me,e va-
rias missas, em sulfragio das victimas da jornada
de Riachuelo.
Os sacerdotes que oficiaran) e a msica que to-
cn, Gzeram n'o gratuitamente, excluindo assim do
acto toda a idea que nao s-ja a condolencia patri-
tica.
Numerago dos bilhetes da lotera 25* otTere-
Ao publico.
O Sr. bacharel Joaquim Theolono Soares de
Avellar, alardeando a excessiva tranquilidade de
sna conseiencia, fiublicou no Diario do 14 do mez
prox mo passado, urna correspondencia na qual
implorando ao illuslrado publico da capital e aos
seus amigos d'alli trae suspendam o seu juizo at
que .Smc. possa exhibir sua defeza, procurou re-
liaixar ao seu nivel a cmara municipal do termo
de Cimbres, autora da representago em virtude
da qual vai elle ser processado.
Com qnan'o au fie eu parte da cmara muni-
cipal de Cimbres, lenno todava os meas Interesses
radicados no termo, onde o Sr. Avellar exerce o
cargo de jiiz municipal, por Isso e por ser inimi-
go irreconsiliavel da impostura e do pedantismo
n3o me solTreu a paciencia ver qne o Sr. Avellar
quer impingir ao publico epie elle victima do
odio e vinganga dos seus inimigos gratuitos
d'aqui.
Pois bem Sr. Avellar Diz Smc. que victima
de vingangas, nao assim 1 Entretanto respon-
dadme por sua bondade ao seguinte ponto :
Pode ser considerada como calumniosa nma re-
presentago baseada em fados, que os amigos de
Smc, contra os quaes figura o bacharel Catanho,
repruvaram declarando al que Smc. se havia bas-
tantemente coberlo de lama ? Quaes sejam esses
fados Sr. Avell,r Smc. deve saber: entretanto se
j os varreu da memoria, faga um pequeo esforgo
que fcilmente se recordar das irregularidades,
que Smc. consentio que se dessem no julgamento
de Joaquina Leite de Siqneira, irregularidades de
tai natureza que deram lugar a que corresse de
publico nesla villa, que Smc. recebra urna certa
somma para nao appellar da deciso do jury :
Descarregam uo dia 24 do crreme.
: Barca ingleza-//ofyo mercaduras.
' Brlgue inglezZonedem.
Brigue InglezHarmstondem.
firigue sueco-0/u.vicfarinha de trigo.
Brigue nacionalPernambucano cebulase outros
gneros.
Galera franceza Amelia -cemento.
Barca ingleza -Veshnpedia.
Escuna portuguezaD. JoSo-charque.
Brigue nacional -Cardia -dem.
Escuna diuamarqueza Dorana dem
Brigue hdspanhol Vigilante -dem.
Barca ingle aMary Lord -earvo.
Iniportaco.
Brigue brasleiro Pernambucano, vindo do Por-
to, manifestou o seguinte :
30 feichos archotes, 300 rodas arcos de pao, 38
volumes obras de time, 6 saecus rihas. 14 vulu-
mes ferragens ; a Antonio Lopes Braga & C.
100 rodas arcos de pao, 1 volunie impressos ; a
Jos Joaquim Lima Bairo.
1 barril azeile, 1 dito vinagre, 1 volume ferra-
gens ; a Prente Vianua & C.
20 volumes azulejos ; a carvalho & Rocha.
3 dilos capachos, 13 ditos ferragens e llnhas; a
Pedro Tinoco.
5 barrls carue de porco, 10 ditos vinho ; a Ma-
noel Duarle Rodrigue..
1 dito carne de porco, II volumes ferragens e
miudezas; a C. G. Breckenfeld.
i barril carne de porcu, i dito ferragens; a M.
L. dos Santos & C.
12 volumes linhas, I dito toalbas de linho ; a D.
A. Matheus.
1 dito nnagens; a Jos Antouio Moreira Das.
iO ditos ferragens, 33 ditos pomada ; a J. F. de
Araujo Guimaraes.
4 volumes escotas, 10 ditos vassouras; a J. J.
Gomes de Souza.
1 dito cestos de madeira ; a Jos A. F. Fra-
dique.
28 ditos ferragens ; a Thumaz Fernandes da
Cunta.
100 cadeiras ; a J. V de Barros.
500 liagas de vime ; a M. P. de Lemes.
I 6,883 pedras para ladrilho; a Jos da Silva
Loyo a C.
36 volumes pomada, 164 caixas vinho ; a M. J.
Ramos Silva & Genros.
30 saceos rolhas, 329 caixas vinho; a A. L. de
Oliveira & C
22 ditas retros e pentes; a Jos de Azevedo
Maia e Silva.
5 volumes vassouras, 66 barris vinho ; a A. de
Almeida Gomes.
50 caixas dito ; a Jos M. Palraeira.
150 ditas dito ; a Cuoha Irmao & C.
1 barril dito ; a C. Rosa da Assumpgo.
1 dito dito ; a Isidoro Netto & C.
20 caixas dito ; a A. da Silva Campos.
2 dilus dito ; a Francisco Joo de Barros.
50 ditas dito ; a Jos G. Gougalves Beltro.
4 ditas dito ; a Beoriqne de Oliveira Soares.
Brigue sueco Ozwar,entradu de Nuw-Yoik, con-
signado a H. Fontes \ C.
aos" meslrC" k^""3 ^ lrg' ** """" ? S4TS
RECEBEDORIA DE RENDAS INTERNAS GE
RAES DE PERNAMBUCO.
Rendimento do dial a 21...... 21:2015730
dem do dia 22................ 532*065
e agurdente.
Rio de Janeiro Barca franceza S toan Bmot^lH,
capitao Bejean, carga farinha de trigo e kutru.
Otisritarao.
Nao houveram entradas.'
EDIT1IJ.
24:7934851
24,
PRAQA DO RECIFE
29 ii: .n i.no su; 1865.
A'S TRES HURAS DA TARDE.
Revista semanal.
Achando me eu ainda porta de minha casa
com o Sr. Eleodoro, passaram elles encostados tai-
vez para cuneceremme mell.or. Em vista di to [senUo (lue Pf0Prm amQ de Smc. ja referido de- rjacalho.......Retalhou-se de
o Sr. Eleodoro apltou duas vezes, e a este signal
appressarara os passos esses individuos e desappa-
receram.
Com a simples narragao deste faci que revela comar('a "
Cambios........ Saccou-se sobre Londres de 24
>i a 2i V8 d. por 15000 a 90
d. v.; sobre Paris a 390 rs. por
fr.; montando a S 43,000 mais
ou menos os saques efiVeluados
at h. je.
Algodo......... O de Pernambuco vend;u-se a
20-5000,205300 e 205300 por ar-
roba ; o de Macei, posto a bor-
do, de 205-300 a 20fi700 cora co-
nhecimentos.
Os seceos e salgados venderam-
se de 155 a 160 rs. a libra.
A do Rio-Grande do Sul vnden-
se de 25400 a 35200 a arroba,
ticando em deposito 170,000 ar-
robas ; e a do Rio da Prat i de
25200 a 25600, ficando em de-
posito 72,000 arrobas.
Vendeu-se o pilado da India de
25x00 a 25900 a arroba ; e o do
Marauho a 35100.
AzeiledOce...... Vendeu-se a 25000 o galio do
do E:-lreito, e o de Lisboa a
25300.
55000 a 115000
Couros ___
Carnesecca.
Arroz..
clarou, apenas chegou da comarca de Liraoeiro
donde, por mfelicidade nossa, fra removido para Da,aias Venderm".!
| esta comarca, que vinha salvar a moralidade da | ......... arroba
por barrica,
se
a 15400 a rs. a
Bolaxinhas
ms mtengoes, declaro desde J que tornarei res- Talvez este camtlheiro queira boje negar o que
pocsaveis a esses individuos por qualquer violen- veoho de {,izer ua P"suasao de que os que o ou Caf
cia que me possa ser feta, rasao pela qual me vmm assim exprimirse a respeito do Sr. Avellar, |
apresso a prevenir o publico do que comigo se a se esqueceram da,s palavras de S. S., ejoe entaoich .
passju ; notando que 6 ludo Isso proveniente de dizia alt0 e bom som 1ue navia Pre5'ad"o um rel-; Cervja
disseugoes derivadas do gabinete portuguez de le- vantrt servigo a comarca do Brejo, salvando-lhe a '
tura.
Francisco Jos de Magalhes.
Srs
moralidade. Nao tenho mesmo duvida em acere
ditar que a esta hora talvez o mesmo Sr. Catanho
tenha accintemente ofierecido os seus bons ofQcios
em prol da causa d'aquelle que tanto desmoralison
* pnwiw. : a comarca, de cuja moralidade foi o Sr. Catanho o
Pela obra se eonhece o obretro. anja da guarda.
redactores.- Apresso-me em declarar pela-f Tudo pode acontecer: mesmo da ordem na-
cidos pelo abano assignado para auxilio das des-
que nos cultivavam oam habllidade,' pezas da guerra.
e anda exploram com muito cuidado, que de es-
perara futuro Ibei estacione, conbeeido como deve
ser de t<)dos que as liquidac,5es dos qoinqneaios
sao no f aiz muito mais vanlajosas peta economa
das transferencias dos capitaes e cambios da moe-
da : garantidas plnamente pela forra de solidos 38*5500.
bancos, a que pertencem as nos-as duas compa- Tftesnurarta das loteras
nhias do Porto. julho de 1863.
Acha-se era Lisboa a setnzbrasileira D.Leo- Serviodo de thesourciro,
or Gyzut. Souza.
ctermiiiou-se que as bateras de artilharia Durante aprsente semana competente pa-
de cainpmha sejam armadas com pegas estreiadsa ra funecioaar nos protestos de letras o escrvo in-
do sy-iema fraucez dos calibres 8 e 12 centmetros; lerino Torres, que aindi reside no escriptorio da
q ae as bateras-de moalanha sejam armada; com rua estreita do Rosario n. 12.
pegas curtas de 8 centmetros, do mesmo sys tema, De 0 e <\ 'e e proceJa a foodicao das pecas de arlilha. Tudo vai por aqui as mil maravna-; o ge
Bilhetes ns 665, 1453,2334 e 2647.
Meios na. 558, 858, 1562, 1752, 2164 e 2824.
Guarios ns. 97, 119, 449, 767, 979, 1073, 1220,
1894, 2029, 2i8S, 2763 e 2980.
Os bilhetes das loteras II' a 24'produziram
de Pernambuco, 22 de
Jos Rodrigues de
mprensa, que brevemente darei solemne desmen-
tido ao individuo, que enredando na cidade do
Recife, devorado de furia pela nova ordem, que os
negocios pblicos d'esta comarca segnem desde
1863, em que os criminosos deixaram de residir
as ras desta villa de Flores, no perde occaso
de depremir a repulago de empregados, que
comprehendendo seus deveres, desprezam tanto
seas planos, como sua pessoa, j muito conhecida
para esconderse atraz da mSo do pobre homem
nr" Jos Roberto Ferrara -fia assignatario da
correspondencia publicada no Diario de Pernam-
buco de 12 do corrate, e em qne esse tenebroso e
audaz de tratar co-pe injurias contra mim, e o ci-
dado Flix Ferrera da Silva, digno subdelegado
de polica dos A Togados.
A esse inmgo, que se occolta, mas que infeliz-
mente o conheco, para causar-me nje, afflrmo que
mandei buscar documentos, que patenteem quanto
vil a maneira porque pretende collocar-me em
seu alinhamento.
Seja o meu despreso o premio da injuria
intacta Ihe devolvo.
Flores, 30 de junho de 1865.
Isidoro Jos da Silva Mascarenkas.
que
P3LI01CGES i PEDIDO
Por deliberaco da direego da asioeiagio
Protectora das Familias dos Voluntarios da Patrias
faz se publico que o voluntarios comprebeodido,-
na lista, que se segu, acham-se matriculados, e
p.romptos o seos ttulos de penso, pelo que po
tural mudareir.se os lempos e muitos com elles.
Nao obstante ficar sempre registrada mais essa
inconseqnencia do Sr. Catanho, que sem restriegoes
aceita sempre o principio de que : dos sabios,
mudar de opintao.
Pode entretanto mudar quem quizer e nao tiver
carcter; eu pela minha parte declaro ao Sr. Avel-
lar que nao raodarei e areitarei a queslo nos ter-
mos em que Smc. a collocar : entao provare, do
'mesmo modo que smc. pretende provar a sua in-
nocencia, isto , fodei luz da evidencia, que ha
Smc. aberto profundas brechas as lels cuja exe-
cugao Ihe compete.
Pesqueira, 1. de julho de 1865.
A alma do finado Regadas.
COMMEBGIO.
Caixa filial lo banco do Brasil em
Pernambuco.
.A directora desta caixa saca sobro o banco do
Brasil no Rio de Janeiro e sobre a caixa filial do
mesmo banco na Baha.
i Navo banco de Pernambneo.
Os admlnistrj/tnroc Ho mi^os r.iiu. j. i__
Venderam-se a 25300 a barr
quinha.
Vendeu-se de 65300 a 75200 a
arroba.
dem de 15S00 a 25200 a libra.
Vendeu-se de 45000 a 65000 a
duzia de garrafas.
Farinliade trigo. As de Philadelpha e New-York
retalhou-se de 185000 a 205000
por b Trica, a franceza de 185
a 195000, a de Trieste de 185 a
1950 0 e a do Chile a 75500 o
sacco de 100 libras; ficando em
deposito 400 barricas da primei-
ra, 6,000 da segunda, 1,600 da
terceira, 14,000daquartae 2,000
saceos da quinta; inclusive tres
carregamentos chegados nesla
semana.
A ingleza vendeu-se com 303
por cento de premio sobre a fac-
tura.
Mantega.......Vendeu se a ingleza a 900 rs. a
libra, e a franceza a 680 rs. a
dita.
Massas......... Venderam-se a 55000 a caixa.
i Oleo de linhaga.. Vendeu-se a 15800 o galo.
Passas.........dem a 45000 a caixa.
Presuntos.......Venderam-se a 165000 por ar-
roba.
Queijos........Os flamengos venderam-se a i
15700 cada um.
Sabo.......... 0 inglez vendeu-se a 140 rs. a.
Louga.
O lilm. Sr. inspector d. it^onraria pr va-
cial, em cumpriinenio da i.nl>in lu Exm. >r je-
-idru e da provincia de 17 d" cantata, maaAi fa-
zer pnlilieo, que junta di laMI da mesni Ihe-
suurana ree< l,e qualqut-r proposta arrca 4a ar-
reraatagj da fabrica de retinar aburar na pov.a
gao do Monteiro, arada mesmo pur venda a po
Os preteudentes NMparecM na inc-roa Itwsoo.
i rana at o da 3 de ago-t.i prximo futuro.
Secretaria da Uies.mraria pmvinrial > Per-
nambuco 19 dejullu de l8'5.-0 serrrtari.
A. F, d'AniiuiiCi<{&x
De ordem do Exm. Sr. tfkertar, taco poWi^o
que em runi|irimenio do aviso de 1-1 do forree*.
est novamrnte posta a coarar- quatro mezes, a euotar da data est-, a rader* t
latim do curso preparatorio desta Fa<-ada>le
que o caudidato que se quizer >n-cr. v. r, i
referido prazo, devera justificar parante Exm.
Sr. director : I.* ser utado brasileo; J.
maiondade legal; 3.* moralidade por meio d- at-
testados dos parochos e de folbas corrida- aoo
lugares onde houver resididj nm naco ultimo- aa-
nos; 4." capacidade prufessiiinal. O-qoe porm
tiverem sido em algnm lempo condernaadus a ta-
les, sulTrido aecusaeao judu-ial de furto, rool-,
estelliunatu, banca rota, rapto ou outro qnal |u. i
crime, que uffenda a moral publica ou a rehfiao
do estado, nao se podero n-crever, excepto se a
aecusaeao judicial tiver sido arg oda de fai.-a
pelo candidato e nao houver provado rundciin i^iu
judicial, se as.-im decidir a c agregagao por va de
recurso nterposto dentro de dez dia. Para ra-
pacida le prufessional de ver exhibir o caadMlad>
algnm dos doenmeatos ngniaaw : !. titulo de ra-
pacidade na materia em runcurso, roelerido *!
conselho director da iostrureao primaria e seraa-
daria da curte; 2.* titulo de prufessor poMin
tambem da materia em ci ncurso, cuorertj.to p-lo.
governo imperial; 3. diploma de bacharrl ou de
doulur as Facilidades do i m per i > ou arademus
estranceiras, ou bacharel em letlra?, salvo as pe*-
soas notaveis, por sen tal- nto e reroob* idamente
habilitadas, que form di-pensadas deta prova
pelo governo, on que se quizerem prestar a um
exame previo, tendo de conformidad* con o cap.
4 do reyulainenlo de 5 de maio ie 1856.
Secretaria da Faculdade de Direito do Recifc*
21 de julho de 1865.
O secretario,
J s Honorio Bezerra d* Mezes.
O Dr Trislao de Alencar Araripe, offirial da im-
perial ordem da Rosa, juiz de dirril > especial ,],,
commercio desta cidade do Recife de Pernan-
buco seu termo, p >r sua mage-t, ,| e
constitucional o Sr. D. IVdro II, a quem Dos
guarde etc.
Fago saber pelo presente que, no dia 24 do nvz
auno se ha de rreuaUr de
juera mais d>r, em praga piibikra
deste juizo, depois da audiencia rtjniciM
gurate :
O engenho Quizanga, silo na fregnezij de ?. Lm-
rengo da M.itia, mu ute c fomata taa agua. r..3j
casa de caldeiras, 5 taclias no a-sentamen!.>,
bom estado, casa de purgar por Mar, conp'ada
300 formas, cun furos para 550 pes, rom aluiua
correntes, dislilagao cora um pafMM aUmbiaan
de cubre em mao estado, senzala com 12 casiu
para escravos, casa do vivenda desoi>rad tai
estado, dous agudes, sendo um pira acatar, fal-
tando-lhe a porta o'agua, trras do engenh-j ipialidade din algooias maltas, 8 buis nun- ;
quarlos, avallado por 2:0005000 re* aam
14 escravos de servico avallados em 1005 o servio
de cada um dus escravol annualmente, que Ui'io
prefaz a avaliaco de 3:4005000 por eda ana da
renda, o qual engrano e seus pertedres e escravos
foi penhorado a Jos Francisco dV Barro* R
sua mulher por eiecoco de Octaviaoo de Souza
Franga.
E ua falta de licitantes ser a arrematar* Ufe
pelo prego da adjudicagao como atalioieal :-
pectivo da le.
E para que tegue ao conhecimento de l-do*
mandei fazer O presente edilal que s ra ahix. .
dus lugares du co-tume e publicado peia imprm-a.
Dado e passado n-sia cidade do Recife de Per-
nambuco, a os 30 de junho de 1865.-Eu ManoH
de Carvalho Pae de Antrade, escrvo o >ubs-
cievi.
Tristao de AJencar Araripe.
O Dr. Tristao de Alencar Ar.npe, official
da imperial ordem da Hosa, juiz dedrrei-
to especial do commercio desta cida-le do
Recife de Pernambuco e seu termo, por
Sua Magesttde Imperial e coosliiuciiaf,
o Sr. D. Pedro II, a quem Dos guarde
etc.
Faco saber pelo prsenle, que do dia 44
do mez de jultio do crtente anno, se ba de
arrematar p r renda a quem mais der ra
praca publica depois d;t audiencia respectiva
os escravos seguinles:
Tliereza, de oaco, maior de 50 annos,
avahada em 2o')50'X. Jerimias, pardo, d
2fi annos de idade, avahado em fjO.'jOOO.
Cojos escravos foram peolioradcs a Joao
Baptista do Reg, por execucao de Frederi-
co Gutier.
E na falta de licitantes ser a arremata-
gao feita pelo prego da adjudicaeao coa o
abalimento respectivo da lei.
E para que chegue ao conliecimento de
todos mandei fazer o presente edital, que
ser affixado nos lugares do costume pu-
blicados pela imprensa.
Dado e passado nesla cidade do Recife da
Pernambtt :o, aos 6 de julbo de 18cJ5.
Eu Manoel de Carvalho Paes d'Andrade
escrvo o subscrevi.
Tristo de Alencar Araripe.
O Dr. Joo Antonio de Araujo Freitas
juiz de direito da !. vara criminal da
do Recife de Pernambuco, por Si
Imperador que Deus Guarde, etc.
Fago saber que em virtude de nai
Toucnho..
libra e o do Mediterrneo a 240. |r do Ezmc. Sr. presidente da
rs. a otta. crreme mez, hootem
Vendeu-se o de Lisboa
Os administradores da massa fallida de Joaquim
Jos Silveira pagam o Io dividendo de dita missa
na razo de 9 0/0 sobre o valor des ttulos ad-
meltidos : no novo banco de Pernambuco
do Trapiche n. 34.
rua
de 65300 a 75000 a dita.
Vinagre........O de Portugal vendeu-se de
905 a 1005 a pipa.
Vinhos.........Venderam-se os de Lisboa de
1805 a 1905 a pipa, e os de on-
iros paizes a 1755000 a dita,
velas..........As de composigao venderamse-
a 540 rs. por pacote de seis velas.
ania.
H
proviacide Um
correte mez, hontera recebldo, ao aI ___-
a lia, panten um exemplar imoresso dnitm-r^,
a,rr0^0.?J?-GrandedoSul.dt 26 de abril ulitmc^para naaa
1237 de 24 de setembro de 186t, a quat i
a legislagao hypolbecaria, qiM m
mez ter lugar oesta comarca por vefca <
horas da maoha na sala das aadieaeias
lagao do registro geral das mennas bvMlW
de cuja insuilaco se tomar o rtsaecUw
forma do arl. 3.* do supra citad* decreto. ^^
-......j^nJr^ ^iT5avjrias.,atfas
' anno.' audiencias, epublicado pelaimprensa.
Dado e passado nesu cidade do Recife dt Per-
Fretes..........
por cento ao
Pelo algodo Vid. por libra 5'/.
de prlmagem.
nambuco, aos 22 de julho de 1863.
ga
.



Diario <|e reroamftm^ - fteguuda *> t4 #e .JhMm 4t a i 5
Eu Joaquim Francisco de Paula Este ves Cl
mente escrivao do jury o escrevi.
JoSo Antonio de Araujo Kreitas lenriques.
O Illm. Sr. inspector da ihesoorarii provincial, j
ni cumprimenlo da resolucaoda junta de fazonda,'
manda fazer publico, que no da 27 do crrante!
vai notamente a praga, para ser arrematado a'
quera mais der, um ternero que existe juuto a'
ponte do Motocoli -rabo, servindo de base arrema-
tacao a quantia Je 23.5000 ufcre.cida por dous lici-
tantes.
E para constar sa maudou publicar o presente
pelo Jornal.
Secretaria da thesouraria provincial de Pernam-
buco, 21 de julhode 1865.
O secretarlo
A. F. tC Annunciarao.
Pela thesouraria provincial se faz publico, que:
a arrematado da obra da concluso da casa da
cmara e cada da villa do Bonito, M transferida'
para o dia 3 de agosto prximo viodouro.
Secretaria da thesouraria provincial de Pernam-
buco, 21 de julhode 186">.
secretario
A. F. d'Annunaaco.
BBSUU(0B.
_ Convidase as pessoas ene eslo as cond-.
c5es d i servido militar, a engajarem uo Ci-rpo de i
polica e gozarem das vautagcns da lei provincial
D. il 1 d 2 de maio prximo passado, que ^o as
seguales : 1*4 qqts. diarios de s. Ido, serem seus;
filhus menores recomidos aos eslabelecimentos j
pr-vineines de educacao o lempo que etdiverem
na gu rra ser radiado pelo duplo para o caso de
aposent '.doria, e a m destas, tem todas as mais
vantagens que sao coucedidas aos voluntarios da
patria. O tem-nte-c .ronel commandaute do cor
po de polic a, A exandre de Barros e Albuquer
que.
Dito dito 2* sorte, dem.
Dito era torro 1* sortea 'J'm-
Arroz pilado do Maranbo, dem.
Touciuho de Lisboa, idem.
Racalho, dem.
Tapioca, dem.
Aleiria, idem. ,
Carne seco, idem.
Sabio amarello. dem
Fumo, idem,
Velas de carnauba, idem.
Farinha de mandioca da ierra, alqueire novo.
Feijao mulatinho, dem.
Vinho Unto de Lisboa, garrafa.
Vinho branco de Lisboa, idem.
Vinagre de Lisboa, idem.
Agurdenle branca, idem.
Azeite doce, Idem.
Azeite de carrapato, idem.
Ceblas, cento.
Karello, sacco.
Carne verde, libra.
Collegios de orphos.
Maiid'iga franceza, libra.
Assucar retinado ! sorte, idem.
Dito dito 2o sorte, dem.
Caf em grao, dem.
Cha preto, idem.
Arroz pilado do Maranho, idem.
Bacalho, idem.
Nautas, idem.
Aletria, idem.
Toucioho de Lisboa, idem.
Ceblas, cento.
Farinha de mandioca da trra, alqueire novo.
Feijao mulatinho, idem.
Azeite doce, garrafa.
Vinagre de Lisboa, idem.
Sal, cuia.
Lenha em achas.
Carne verde, libra.
As propostas deveiu ser apresentadas em cartas
fechadas, devendo ser espec.iaes ja para os eslabe-
lecimentos decaridade e ja para os collegios de
frete : quern a qnizer dar. pode drigir-se a tratar
no escriptorlo de Amorim Irmios, ra da Crui n.
3 : para passageiros, aos quaes offereee exceden-
tes commodos, trata-se com o capitn Joaquim Au-
gusto de Souza, na pra^-a do cornmercio.
Para a l..hia pretende sabir
com muita brevidade o velelro
lugre Emilia, capiao llernardi-
no Rodrigues de Almeida, por i
ter a maior parte da carga tra
tada, e para o resto que Ihes
(alta tratase com o consignatario Joaquim Jos
Gonjalves Beltro, na ra do Vigario n. 17, pn-
niiiro andar.
JLOI.lO
da eist terrea rt. 9 Jo herr do Quiabo, freguela
da Boa Vista, a ,70a! rnule * meiisaes, e por
consequencia I80 annuaejL
Tercafrira, 23 de jolito re >R6.>.
Por inl-rvenco do agente Pinto, no armazem
da ra da Cadcia n. 62.
EHPREZA
DE
ILLUMINACAO A GAZ
Armazem n. 71, rita do Imperador.
F(o iy ai,
No armazem da bola i Mili Mi no i.ioda wat**
taria da polica, recel em *e -"*..mir afea dtfr>.->
do ar para dentro e fura da pwoviwta.
LEILAO
de urna casa em Ollnda.
COMPANHIA l'ERNAMBUCANA
DE
Xavegaco costeira por vapor.
Presidio de Fernando.
Seguir' um dos vapores da
companhia no dia 29 do crrente
as 10 horas da manhaa. Recebe-
ra' carga, encummendas, passa-
geiros no dia 28 at as 4 horas
j da tarde : escriptorio no Forte do Mallos n. 1.
Tereafejra 23. s II horas.
OLYMPIO
Para
za resi
etc., deixandoque os -rs. consumidores chamem
os maehiuistas qoe mais Ihes agradarem, podendo
os nomes, morada, etc., de todos elles serero indi
I eados no armazem da empreza.
As reclamacoes por m luz das casas, cojos ap-
parelhos houverem sido rollocados anleriormente
neVM ThTSH?.- "* *vJrso;|ero alteni,,dos Pela emPre" iU*r<*
prios sita na ra do Amparo n. 43, a qual tem 2 q 1 *,;,," ;.
;-alla-<, 3 '|uario<, quintal em aberto, e rende 8,5000
mmsaes : as chaves acham-se junto 11a taberna.
leilo de esenvos.
Terfa-feire 25 d julho ao meio dia
O agente Pinto fara leiio por despacho do lllm.
. -Sr. Dr. iuiz de arpiaos, em viriude do que rnque-
jreu D. Clementina T. da Silva, de dous escravos
I proprios para loto servico, ao meio dia do dia aci-
' ma dito ni armazem di ra da Cadeia ti. 62.
Para Lisboa.
Sane por todo este mei de julhn o bera conhecl
do brigue perluguez Relmpago ; para o resto da lailn Ja m(A lfai ,1 |nr-i>,i do f.il-
carga o passageiros, aos qnaes offerece aceiados ,."";!* I,ei< a *" UCJ'<'* " ^^
commodos, trata-se com o consignatario Thoniaz
de AqumoFonseca, na ra do Vigario n. 19, pri-
meiro andar, ou com e capiao na praija.
Para o Porto
sahir por todo este mez o brigue portnguez Umao,
recelie o resto da cama e passageiros, e traase
com o consignatario Thomaz de Aqniuo Fonseca,
ra do Vigario n. 19, primeuo andar, ou com o
capitao na praga.
A empreza espera que esta medida ser devida-
mente apreciada pelos senhores consumidores, ten-
j dente como a tornar este servigj mais economi
co ; visto que ella vender ludo, apenas com um
lucro tal, qoe cubra as depeza< inevtaveis.
Aluga-fe a parle da casa n. 92 da ra das
Aguas Verdes : a tratar na mesma.
Semana Ilustra la do Kia de Jan* tro
Assigna-se na ra do Crespo n. 4 : tres inezes
6, seis metes 11-5, um anno 18
Precisa-se de urna ama para casa de duas
a Al ti Pende 8> U 10 PSoas: n ra da Penha n. 23, primeiro andar.
Lino de Paria, nico llquidatario d massa
T fallida de Faria & L., em virlude. de concirdata
ie Qa-ieira o ueijmno. que lhe foi concedida e duvidameute homologada,
Por interveNQao *) agente ;P.nio, no armazem convida a todos os senhores cred..re-que anda o
D. Ilel-ma Mara CavaVaMI A* A l>nqnrr<|av
moradora na villa da IVaada, lemio compra*!
ra mais regulandade do servico tema' empre-','?.f alu,nas f-zeda< e rwpsM f iu< a Air 1
solvido lo somente vender os apparelho *''in-s no valor de 9O e tant.w. mil ri, eVi|iip
" aceilou urna letra em favor im ir.;-m.>*t pr-rii.-
lodos que nenliuma lra:,ssr.;io r i;am rom -fila !-
ira, uma vez que al WiniM fa/e da- fajas eia:a
o olrectj da mesma letra) fonal ItBMika l ata
poder de ordem do juiz do ..nmr-rcio da rgi-
do R-cife, ea requerimr-nlo d u rrel.r-> '.
fallida de Joao Baptista titmealrn Ba>iw, qu-a-
havia cedido a Abreu A Los para vttndr-las r..w
suas; e ao mesmo tempo prolt-ia asir d->^ aatM
legaes para invalidar .-rraelhante Irawl,
Na praca da Independencia n. T, loja >> m%
ves, compra-se ouru, prala, pairas prwi - e
tamt.em se faz qnalquer obras de e^c^aesda 0
odo e qualquer ronwno
0 Di
(leireiro it.
meusaes.
FmnkH ires &rbciiJi
rorlell
Medico operador
MU
Fnenldade de*l*arl..
di ra da Cadeia n. 62.
Para h Kia de Janeiro.
S. j > u'i !ii''!ii-i> o- imii.ih ii' i- ) 1 para v> coirejjios u
Ullta Oasa (la llilSeriCOrdia orpbios, sendo tambem aceius as propoaue rela-
1 "n 'i? ; tivas somente a carne verde que houver de con-
ClO 16C1I(31 sumir os hospilaes Pedro II e dos Lazaros e casa
A Illm.-junta administrativa da Santa Casa da ; d"s expostos. Recommenda-se aos Srs. concor-
Misericordiado iecife, manda lazer publico ,,ue I rentes que observem as proponas que apresenta-
no dia 27 do crreme pelas i horas da tarde, na I m a orJlenl, pe, medidas e qualidades Indica-
sala de suas se,sOes tem de ir a praca por tempo ^na relacao dos gneros cima descr.ptos.
de I a 3 annos, as rendas das casas abaixo deca-! Nesta secretaria se darao os esclareciraentos, de
radas, devendo os pretndanles comparecer acom-f uft Prec'sarem osmesmos concurrentes, 09 quaes
pandados de seus fiadores uu manidos de cartas no ac' ,A arrematollo deyerao comparecer com
LBIL.V
pan I
destes.
Manda anda a Illm.-' junta scientear aos
actoaes inquilinos das mesmas casas, que, se no
prazo de lo dias coulados da dala desle nao se
apre-entarem para renovarem os seus arrenda-
meotos, sero nan s dellas despejados, como que
se colnaro os respectivos alaguis pelos presos
constantes desteedital, como ja foi precisamente
annuuciado.
Ra das Larangeiras.
Casa terrea n. o particular e 17 pu-
blico.......... 2065000
Ra do Rangel.
Idem n. 6 particular e 5o publico. .
Roa do Rosario da Boa-Vista,
dem n. li particulare 08 publico. .
lua do Amorim.
liJem a. 06 particular e l publico. .
Roa do Azeite de Peixe.
dem n. 63 particular e 14 p.ihlico. .
Ra da Cacimba,
dem n. 6" particular e o publico. .
dem n. 67 particular e 10 publico. .
Ra do Vigario.
Sobrado dea anjares n. "i particular
e 27 publico........500^000
Ra do Kncaniamento.
Sobrado de2 andares n. 76 particular
e II publico........
Idem dem n. 77 particular e 13 pu-
blico..........
Boa da Senzala Velha.
Casa terrea n. 81 particular! e 18 pu-
blico..........
dem n. 89particular e 16 publico. .
Ra da Guia,
dem u. 8i particular e 29 pubiiej. .
Ruada Craz.
seus fiadores ou munidos de cartas destes, que fl-
carao responsaveis pelo intelro cumprimento dos
respectivo* contratos.
Secretaria da Sama Casa da Misericordia do Re-
cife 21 de julho de 1865.
O escrivao,
F.-A. Cavalcauti Cousseiro.
Arsenal de guerra.
0 conselho de compras do arsenal de guerra
precisa comprar para o Io balalhao de guarda na-
cional que tem de destacar para o sul, em virtude
da ordera da presidencia de 19 do corrente, o se-
grate :
2 livros de 200 fulnas para registro geral.
9 ditos com 20* folhas.
15 ditos eom 100 folhas.
10 ditos com 50 folha-.
1 dito com 20 folhas, pequeo.
2 talins de couro de luslre.
26 cordoes de laa para canudos de inferiores.
1 bandeira imperial cjm aste e langa.
1 porte para a mesma.
1 capa de oleado para a dita.
1 dita de a un para a dita.
17 cornetas de toque com p rato e volta.
27 bonets para msicos.
27 charlateiras para os ditos.
800 grvalas de sola de lastre.
27 bandas de laa.
2 coroas para divisas de sargeuto, ajudante
quarlel-mestre.
20 malas forradas de sola.
1 dita dita com ires techadoras dilTerenles.
2 espadas de metal para sargeuto-ajudante i<
quartel-mestre.
800 manas do la.
5,601) covados de panno azul para capotes.
4,000 ditos para blusas.
195 ditos airadlo.
130 ditos casemira encarnada.
2,800 ditos baca encarnada.
600 varas de brim branco.
1,850 di las algodaozinho.
266 ditas aniagem.
54 ditas galo de prala de 1 polegada.
14 varas de galo de 1|2 polegada.
As pessoas que qnizerem vender ditos artigos
apresentem suas proponas na sala do conselho de
compras, as 11 horas do dia 26 do corrente, acom-
panbadas da respectiva amo.-tra, sendo que para
os livros devera' procurar aqu qual as dimensSes;
declarase que os objeclos que sao de pura materia
prima, deveroser recilhidos no dia immediato ao
do contrato, eos mais at o dia 0 do futuro mez.
Conselho de compras do arsenal de guerra 20
de julho de 1865.
O en::arregado da escripturaco
Manoel Jos de Azvedo Santos.
arieuialaca.
Perante o Sr. juiz de paz do Io dislricto da fre-
guezia da Boa-Vista tem de ser arrematado em
hasta publica, no dia 26 do corrente, um cavallo
1 dr.o de 60. ruco penhorado a Ricardo Austin, por execucao
2 ditos de 40. que contra o mesmo movem C Starr & C, sendo
4 ditos de 30. esta a ultima praga : quem pretender arrema'ar
2 iliios de 16. : dito cavallo, pd examina-io na cocheira de
EarTirtnde da ordem da presidencia de 19 do Francisco de Paula da Silva, ra de S. Francisco
corrente contrata-se os medicamentos precisos pa-
ra a enfermarla dos aprendizes menores desle ar-
DE
Trastes, luupa e ohjceios de ca-
pretende seguir cora muita brevidade o patacho . .* ,-, ,
nacional Regulo, tem p re de seu campamento i ler<;aTetra 2) (lo corrente as 10 112 horas,
engajado, e para o resto que Ihe falta e escravos a! No armazem a rita da Cruz n. 57.
frele, traa se com os seus consignatarios Adtonio! Corilelro Wimes
Luiz de Oliveira Azevedo & C, no sen escriplono fara- |ei|.-w de ,.om,n,)da je vinhat co, 1 cama
ra da i.ruz n. 1.___________________________J__ franceza d-Jacaranda', 1 raobilia de amarello, i
Para o Para, com escala pelo Maranho, pre mesa elstica, 1 rica secretaria de amarello, 1 me-
teode sabir em poneos riias o lugre Emilia, capi- sa de dito para advogado, 2 aparelho< de porcela-
to lernardino Rodrigues de Almeida, lera a
maior parte >1a carga tratada, e para o resto que
Ihes falta, trata-se com o consignatario Joaquim
Jos Goncalves Beltro, na ra do Vigario n. 17,
primeiro andar,
nao procuraran!, para que com elle se emendara
nestes 15 das ; sendo que necessita saber a im
portancia dos crditos de cada un dos mismos
senhores : mora na ra do imperador n. 57, e
pode ser procurado de manhaa. Rccife 17 Je ju-
.ho de 186.
i
i
na para cha, cadeiras, marquezas, sofs, banqui-
uhas, secretarias, carleiras, quadros, consolos, can-
dieiros a gaz etc., ele, e outros mallos arlijfos de
go-^to que estaro patentes no acto do leilo.
LEILI
MMITIMOS
CONTRA FOGO.
A Companliia Iudemnisadora
estabelecida nesta praga, toma seguros maritimos
sobre navios eseus carregamenios e contra fog em
regressandn a esta pr vimia, ari -
prompto para o ex-rricide *ua II
thin, quer n-sta cidade quer f ra :
especialmente em mole-lia. .!. ,.:h > m-
taradas, ele.) das vas miliaria- (Mn 1-
tamenfo de nrethra ^ic.,) de pel : pa-
ra cojo curativo m )olg I1..I.1I.1 in.aairai
la a pratica, iju. iive havelMBi '
Par, e s modernas instrumentos i;o.-
possue.
Encarrega-se de col loe, r o;h.j;i-
ciaes.
Paleo do Carino n. 2, esquina da raa
de Borlas.
;6
1
,i
I
LEILSE5.
LEILOES
NO
3005000
1683000
965000 j
600.5000
1441000;
833000
9005000
9005000
2005000
2OO5OOO
1443000
Tedas as semanas
GRANDE ARMAZEM DE LE LOES
1)0 AGENTE
OLYMPIO
36--Uua da Cadcia do Wecfc--3rj
"TKIT\d""
de tuetade do so nulo da rain da
Mcnzalla-Velha n 49.
Martins fara' lello precedida a competente anto-
risaeo, de raetade do sobrado da ra da Senzalla
n. 42.
HOJE.
No segando andar do sobrado da roa da Cruz n.
34, oude haver leilode movis eda oulra meta
do dito sobrado.
Caixeiro.
Precisa-se de um caixei.-o qu tafea peMHI !
taberna e d liador a siia conduela ; na r;> .:
Madre de Dos n. 9 se dir qnein preci-a.
A 95500 se pagara as libras aterlbuH : n-
de uma linda mobila de Jacaranda' nova comtam- edificios, mercaduras o mol -ilias: no seu escnplo- rU3 ,|as Croles n. 41 A, taberna.
po de pedra marmore, 1 magnifico guarda-vestido rio, ra do Vigario n. 4, pavimento t-rreo. ---------------------------'--------------
de mogno 1 dito de amarello, I jactan, de Costo- Vendll.se U(na rolo|a uma j,nella em mui. ~ gS^Sff^SSTSi^ !?
ra, 1 excelente secretaria de vinhat co, 2 bonitas m hnm esiailn rni d-u \ .iris \Vr.1rs n 1* ,' loa,|n,m., u,a. !2S" i-iranif.ua-. r.,t
ba'ncas de mogno para viiliare.e, oh ecos de OOfo, j!!^estado a^rna d..> A?nns \,rdrs n. .L. ,, ,, c a rrS>,,. p,;M,r, pr......p^m .,. .
reiogios de a'aiheira de 011ro e prata, marquezas Antonio Juse de Arantes, portuguez, v:,i a Sr*. den-d-rc*. ne ,!. I do rm*** '-a-a>n'-
-os nao paguem ao Sr. Amonio lem-M Bland' ; -
a pmearae 1 q 1 m IM i Nal ^
largas e e.-lreitas, consolos, 1 cama franceza de ja- Portugal e Heixa luran.e m.i ausencia por seos nao pagu. m a. >i
caranda', charutos da Babia e mnitos artigos. bastantes procuradores Jase loaqaiaJDias l-ernan- estar sera vigor a
Quarla-f'ira, 26 do corrente, s >1 horas, no gran- des e aniel l-ernandes da Costa & C. pa^saao.
d>* armazem do agente
OLYMPIO
36ltua da Cadeia 5ii Itecife36
. ra m
I
MI
i
A
LEILAO
DE
Os Srs correspondentes los
ssiijnantes desle Diario, no
Reentro ila procinci'i anas de PrPmi-SP
tu imperio, q Ueiram de aprenijj7es para a oOfaa de mareineiro, na ra
Joaquim Jos Gulmaraes Bollio lm para ven-
der dous acravos crioulos, bonitas Bguras, de
idade de 29 e 27 annos : podjm ser vistos em Po-
ra de Portas, iua d Pilar n. 135, taberna ; - para
tratar em seu escriptorio, ra dj Vigario n. 7.
utas do banco di) Brasil e das caicas liuos
desconUm-se na praca da Independencia n. 22.
A'ujia-se
a casa terrea da Uha do Reliro (Passagem da Mig
dalena) onde morn o corrector Sbeedo, com bons
commodos para familia : trata-se no largo do
Corpo Santo n. 19, escripiorio.
Mlatle Jo obrado de dous andares c solao
Sobrado de 2 andares n. 87 particular
e 11 publico.......
liua do Pilar.
Casa terrea n. 92 particular e 103 pu-
bliro...........
I lera n. 93 particular e 101 publico. .
Ilern o.M particular e 99 publico. .
1 :. 97 particular e UO publico.
Idem n. loo particular e 10'* publico.
Ilern n. 101 particular e 102 publico.
Id-Mii 11. 105 particular e 94 publico...
8823000
Secretaria da Santa
Recite SO de julho de
Casa
1865.
2005000
2OO3OOO
2555000
2003IMI0
2005000
2005000
2OO30OO
de Misericordia do
F.'A.
O escrivao,
Cavalcanti Cousseiro.
Arsenal de guerra.
0 conselho de compras do arsenal de guerra
precisa comprar para a escripturaco do mesmo!
arsenal, em v'rtude da ordem da presidencia de 1
lo de juuho lindo o segunde
1 llvro de 200 folhas.
1 dito de 120.
\ ditos de 100.
2 ditos de 80.
da ra da Senzalla n i.
Urna mobilia de Jacaranda com 18 cadeiras
de guarnica), 2 ditas de ra^o, 2 de ba-
lando, 1 sof, 2 consolos e 1 mesa de
meio de sala com pedra.
Um loillete corn pedra, 1 guarda-roopa, I
par di serpentinas, I candelabro, 2 pares
de figuras de porcela a, l dito Te jarros,
4 ditos deditus de vidro, 2 ditos de fras-
cos para enfeites.
MARTINS fara' leilo por mandado do Illm. Sr.
Dr. juiz municipal da segunda v,ra e a requer-
ment do testamenteiro e inventarame dos bens
cima deizados pela finada D. Hara Bernardina
da Coiicei^o Lima para pagamento de levados.
IIOJjE.
\a rua da Crnz u. 34 segundo
aiulir, as 11 hnrns.
Na mesma occasiao sera' vendida a oulra meta-
de do sobrado acuna por aotorjsafm da proprie-
laria.
[mandar satisfazer o importe do imperador n. 18.
da assiynntuw para nao ha
ver inlerrupado n AMA
LWJL t
Precisa-se alogar una preta escrava para casa
Sf. rsenio Antonio Carneiro da de duas pessoas : na rua de S. Francisco ou Mun-
Conlia Miranda queira drigir-Sea praca da do Novo n. 54, para comprar e cosinhar.______
Independencia n. t e 8, que se precisa l>. Mara Clara P reir le Leao, ra i do
fallar.
Iteni" J >.,' I] rd. iro.
INmIp-s Una alt nr'.
Custodio Jos A!v. s GuimaiMs, !< un ! I i -. t
appellido Gallo Vigilan'e na ru.....i'. . >. 7,
participa a lodos os seus breguetea e w|
ve! publico, que esta dita luja as arfen rom psss-
de sorlii.ienlo de galantanas de nu lo >*, .y.*
tem recebido de s'ia prnpria conla, a-sim *
das as ii.eicadoiws lemliiites a '; la m lesat
e outros, e como esta res. Ivido a vender -r | f
qos baraiissimos, como os msMM ts*jssns)Hsa
puderjo apreciar concorrendo m m pre--: -
dila lija,que se affiancara servir bem < un a :n
do e pr irr.ptuiao, e me>mo qualqner senhores \ n
morcm tora desla praca, qoe prerise de quaiqm-r
mercadura, l-ndentes a seu negocio, t jss saf
motivos nao possam comparecer, o pod-ri |nlir
pirescripto, que se aflanea nao ~e ahnsar lam
em presos, como em quahdad- da< in-r'- ul-.r; ,-
bto na rua do Crespo n. 47Gallo Viilanfe.
.-.-. -.-,-. i -Mear.fr,i i - --. .1
li i
r| C( nsultorio medico e
cirurgico.
O Dr. Joo Pedro Maduro na V >n-. n
Autinio Joaquim da Siiva Villela, portuguez,
vai a Portugal. m
Antonio Teixeira de Carvlho Lisboa ret-
ra-se para Europa.
M. D. Paolck, retira-se para fra do imperio.
'LOTERA
conselheiro A. E. de Le5o, o ur. Agostinho Erme-
I1110 de Leao, e sua consorte, nao tondo podido por
^-'751 lem sua re-i.!.nria n la io S;i A. :;t,
r-eguivlo andar, aonde > presta an r\ r-
r<.fc cicio il* sua prufb>o lano e *M <

motivo inwncivel, despedir-se de tolas as pessoas -:^ ^e nojie) 0j ihamado* quand > nao e. r-.
do Recife e, lin la, aos quaes devejn amizade e d
ten^-oes, o fazem por e-to meio, assegurando a to-
dos o seu reconhecimento e ofereceodo-lhes o seu
fraco presumo na cidade de Coritrba provincia do
Paran.
AOS 6:000;?000.
Sabbado 29 do corrente mez, se estrahi-
ra a 3a parte da 4a e Ia da 5a lotera (25a) convoca pelo presente annoncio a todos os socios
3S ja em casa seja por esrripto, indican la a
- morada e norae do cliente.
. i -
3saaaa?s3 ... : :.-i?i lujan:?.
Preci.-a^e de 2:0003 a premio de I O,I <
mez, por espago de dez mez >, gwaafJaVi -
hypotheca em uma casa terrea ana rMasa is
maior valor, a qual se arha em mnil > basa mi I
por ser edmca>ia de novo e de iissmda.' d .'Ma- :
O abaixo assignado, de confor^idade ^m "" rua de Sania Tbereza n. :;S,-e aira p.em pr -
reito que Ihe garante os estatutos ilessa sociedad?, e^
^ICIEIJlDH
Nova Euterpina.
a beneficio da Sania Casa de Misericordia para comparecer,-,,, aman.ina 23 00 rorreme m,.,. -Os ^X}rc^^;^ru h\' :l\
.... ... c as 10 horas do da, na sal 1 .!a respectiva socieda- Antonio joao oe s h barra
no consistorio la igreja ile JNossa benhora de, aJco da * tratar de im-mcos mqi importaotes, > Miranda, tem caria s oacrptori r Xm
do Rosaiio da fregliezia tle Santo Antonio, respeitonao s para prestamento das dividas e Barros C.; prac do liMMMnio 6. 2'jn;.r.
Leil
!a barca
Restan-
seal.
As pessoas que quizerem vender ditos artigos,
apresentem uas propostas ni sala do conselho, no
dia !6 do corrente, as 11 horas io dia.
Sala do conselho de compras do arsenal de guer-
ra, 13 de julho de 1865.
O encarregado da escripturaco,
Manoel Jos de Aze.vedo Santos.
ao
brazileira
rape
O agente Pestaa, legalmente aut irisado, fara'
por conla e ri-co de quem pertencer, da
O advcalo Anlero Manoel de
t\
) abaixo assignado, lancador da recebedoria
de rendas internas geraes, lendo de dar principio
11c dia 17 do corrente mez ao- trahalhos do lauca-
raento do bairro do Recife, de conformidade com
0 ait. 37 e seus %\ do deertto de 17 de marco de
1 i dos Impostes a que estno sujeilos as lojas e
casas rommerciaes, e nutras de diversas classes e
ileiiominacoes, avisa aos donos dos respectivos es-
talielecimi-ntos, que tciiham presentes no acto da
collccu os recibos e papis de arrendamenlo de
suas casas, visto que elles terao de servir de base
ao processo do mesmo lanQamento, o qual princi-
pi iri as >euint's mas: caes da alfandega, lar-
U 1 .la mesma, arco da Conceicao, Cadeia, Cruz,
Lingoeta, Torres, becco do Abren, Tanoeiros, Tra-
piche praca do Cornmercio e Vigario.
Jos Theodoro de Sena.
CMRilBfl) M
llclacao das cartas seyuras existentes na admiais-
tracfi-i do correio desla cidade para os se-
. uhores abaixo declarados :
Agostinho Gomes da Cunha.
Francisco Ferreira Borges.
Francisco de Mello Barreto.
I Joaquim Cantoso Ayres.
Joao Gomes Jai di ra.
Jos Buarque Lisboa.
Jos Ramos de Souz.
lelo por con naco ue quem perwacer, ua riutrih licaii
barca nacional Reslawarao, frrala de cobre, de; da ,aibtl ll>ulCd af ll5la"-.
18:1 toneladas ; tem algun panno e cabos de so-'
breselente e esta' prompla a navegar para qual-
quer porto. Acha-se ancorada confronte ao trapi-
che do algodo, onde poto ser examinada ; e o in-
. ventano acha se em mi do agente.
O leilo lera'lugar segunda-feira 24 do corren-
. te pelas 12 horas da manhaa no largo do Corpo
I sanio, junto a associagaa commercial.
Na mesma occasiao serao vendidos 3 escravos,
marioheiros, sendo Antonio, de idade de 23 annos-
Guido, de 44 e Manoel de 24.
Os billielOS, meios e ouartos estao a ven- contas, como para a eMcao da nova directora, sen- ; w .,
da na respectiva thesouraria a rua do Gres- do iue f llefidira rum qaiquer nnmero de so-
._ .. IV cos, v.>to que os negocios des.a sociedade assim o
po numero 15, eSi|?e
Os premios de G.OOOlOOO at 10^000 Recife, 21 de julho de ifss.
serao pagos uma hora depois da extrae-gao Trajano Carneiro Leal,
** ' horas da tarde, e os outros depois

l I

--
Medeiros i urtado, nalural da I*a-
rahiba do Korle, declara que m
annuncio (|ue tem corrido impres- *"
____0c so neslejnrn I assignado O l< n- &
As encommendas s r5o guardadas so- cisa-sR.; um boa co-iuheiro.
- Xo hotel itahauo nu do Trapiche n. 5, pre- -^ co da Paralnha nao se refere a
mente at a noile da vespera da extracf5o
como de costunie.
Servindo de thesoureiro,
Jos Rodrigues de Sotiza
Desapnareceu qulnla-feira, 20 do corrente,
do consistorio de S. Jo- d'Agona, no convento do
Carino, nm chapeo de manilha novo em quanto se
eslava solemnizando a festa de Santo Elias: pre-
vine-se a qualquer pessoa a quem o qual for offe-
recldo, ou delle souber, baja de preude-lo e entre-
gado na rua da Concordia n. 64, padaria do gaz,
M
sua pessoa, e provoca ao aut .r do
mesmo armuticio para que diga o
$ cr.ntrario.

Aviso.
O abaixo assignado previue ao respeilavel pu- ue se pagar o trabalbo de quem o trouxer
blico e especialmente a Arma social Santos Mello
& C, sob a qual deveria gyrar a sociedade pro-
jertada e substituitiva ao antigo estabelecimenlo
Til
HOJE
i raa firma quer para cora lerceiros. Recife 19 de
Augusto da Craca e Mello.
O adminUlrador da recebedoria de rendas
internas geraes fu publico, que em virtude da ai-
leracao 3a do decreto 2719 de 31 de dezembrodje
1880, nao julganio conveniente que continuem
em poder dos cobradores os conhecimentos do !
semestre do exerciqo de 1864 1865 dos impostos
oe -20 0|0, imposto especial e dcima addiciooal de
mao-morla, ordeoou o recolhimeato delles, princi-
piando pelo bairro de Santo Antonio, cujo debito
snperiorao dos mais, aflm de proceder a liqui-
dacao de conformidade cora os artigos 4' e 5- das
instrnccSes queacompanharam o decreto 2354 de
16 de fevererode 1859, que em quanto se est
orgaisando a relago dos devedores do referido
bairro, Ihes permettido virera aqui pagar os seus
I mitos afira de evltarem a ebranca judicial.
Recebedoria de Pernambuco 3 de julho de 1865, |
Manoel Carneiro de Souza Lacerda.
o dia 24 do corrente, depois da audiencia
(i > Sr. juiz de paz do 2o distrito da Boa-Vista, vai
a praea 6 cadeiras, t marqueza, 1 par de bancas
de raid;ira amarelh, por execucao de Joaquim
j ,n de Souza contra Pedro Celestino Mindelllo.
gaita Casa .A Illm.* junta administrativa da Santa Casa da
Misericordia do Recife mandi.fazer publico qae
rao d.a 27 do corrente pelas 4 horas da tarde, na
sala de suas USOS tem de ser arrematado o for-
neiuento dos genero^ abaixo declarados, que
hoii"er de consumir nao s os estabeleciraentos de
can la le como tambera os collegios de orphaos nos
mez3 de agosto e seteinbro prximos futuros, a
saber :
Estabelecimentos d' caridade.
aianleiga franceza, libra.
Caf em grao, dem.
Caf preto, idem.
Cli verde hysson, "era.
Assucar retinad) l* sorie, idea.
EMPREZA- ~OIMBRA
Recita extraordinaria concedida a favor do distinc-
to maestro brasileiro
PEDRO NOLASCO BAPTISTA.
Terca-feira 25 de julho de
1865.
Logo qoe a orchestra soba direcgodo Sr. Fran-
cisco Libanio Colas, executar uma brilhante ou-
vertora composta pelo raesmo beneficiado e inti-
tulada
A BELLA PEKWMBliCINI.
A companhia dramtica representar o serapre
applaudido drama em 5 actos
CASA DA F0RT01
Aos 6:000^000.
0 MEDICO DAS CRIANQAS
No inlervallo do primero ao segundo acto a or-
chestra executara urna linda walsa composta pelo
beneficiado e dedicada ao Sr. Antonio Jos Duarte
Coimbra, digno emprezario. intitulada
AMIZADE.
Terminar o espectculo com uma escolhida co-
media
O beneficiado achando se impossibilitado de
execer a sua proflssao ha quai dous annos, aeei-
tou o favor do digno emprezario, que de moi boa
vonlade Ihe conceder este espectculo, e confiado
osrm uma brilhante e numerosa concurrencia para aju-
da do seu tratamento, e por isso desde j antecipa
a todos os seus cordiaes agradecimentos.
Leilode 8U barricas COIIl bohicllillllll de gneros de e.-tivae commissoes >to a ruado
;,,ir|os., Lvramento n. 20, que nao faz parte dessa firma,
j por quanto nao foi legalmente insudada por es-
V criptura dita sociedade, resultando disso que o
, .V abaixo assignado acha-se inteiramente isemiito do
O agente Pestaa fara leilo para fechar conta e qiw,qner siKWsahilidade quer para com a raes-
or conta e risco de quera pertencer de HO barr- m(l |rma qt,er p.
cas com bolachinha ingleza desembarcada sabba- j mno ,je |86o.
do passado, em um ou miis lotes a vonlade : hoje 'q
24 do corrente pelas 10 horas la raauhaa no ar-
mazem do Sr. Azevedo defronte da escadinha da
alfandega.
LEILAO
de predios.
Como sejam:
Um sobrado de 2 andares e soto, sito na rua da
Cadeia n. 14, em chaos propros.
Una sobrado de 3 andares e solo dentro, na rua
da Cruz n. 28, em chaos proprios.
Um dito de 2 andares, na rua do Vigario n. 23,
em chaos proprios
Uma casa terrea, na rua da Senzalla Velha n. 3,
em chaos proprios.
Urna casa terrea, na rua da Senzalla Velha o. S,
em chaos proprios.
Um sobrado de 3 andares, na roa do Crespo n.
12, em chaos foreiros
Um sobrado de 3 andares, na rua do Queimado
n. 16, em chaos proprios.
Um dito de 2 andares, na rua das Cruzes n. 33,
em chaos proprios.
Urna casa terrea, na roa das Aguas Verdes n.
40, era chaos foreiros.
Urna casa terrea, na rua da matriz da Boa-Vista
n. 62, era Chaos proprios.
Terca-feira, 23 de jolho.
O agente Pinto far leilo precedida a compe-
tente autorlsacSo, dos predios cima mencionados,
edificados era boas ras ; o leilo ser effectuado
as 11 horas do dia cima dito, no armazem na rua
da Cadeia o. 62, podendo os p etendentes exami-
naren! desde j os referidos predios, e coocorrerem
ao leilo.
Igg Anida se precisa de uma ama pa- >j
M, jra cosinhar, lavar, engommar e fa-
S zer todo o servico de uma casa de
|H potica f i ni lia exceptundose com-
prar na rua : na rua das Cruzes n.
n. 37-, i rimeiro andar, sendo pes- i
soa de bons coslumes e se pagar o
que se ajustar.
mmm.m*
m
Jos Franci-eo Pedrosn de Carvlho, lem
honra de participar ao respeilavel publico, e: r
cialmente ao corpo do commerrio e u *eu- an.i
gos e freguezesagricultores de alg -da-; quede ora
em dlanle o acharo prompto para recebar as -
ordens em seu novo e>tabeleciinei;t > de pre i
algodo, sito no largo da Asseinhli, girando a r-
ma sobre Pedro^o de Carva.ho ,& C, ><-n pm i.!
do estabelecimenlo o seu ! caixcin Marclin i An-
tonio Alvesde Carvlho, puliendo isie a-ig*ar >-
das e quaesquer transacijSes e papis leuden: a
dito negocio.
en''
Ilffl


Perdeu-se na rua da Aurora, Imperador, ou pon-
te de ferro de Santa Isabel, um allinete de ouro
ESAPPABECE11
m
Slilheies garantidos.
A' RUA DO CRESPO N. 23 E CASAS DO COSTUME
O abaixo issignado vendeu nos seus muito feli
zes bilhetes garantidos da lotera que se acabou cajx conlendo cab,ll05 de oa a uem se
de extrah r, a benetacio da matriz de Agua Preta, COsagra a*miMdet lendo par Isso um valor inapre-
0biT11 f^lL . An c n "'i'. , .M ,m* 'I?* a6:PSRfSSS- lo e queira restitu lo, alera de se Ihe agradecer,
Dous quartos n. 796 com a sorle de 4003000. ip..(,mnpnsaiia n, rua do Cresoo loia n 4
E outras muitas sortes de 100, 40, 20* e sera reLOmPensaaa na rua ao ^resP- ,0Ja n- *
W#X)0- m%MMWMm%M!SL W** t*W
Ospossuidores podera vir receber seus respec-
t vos premios sem os descontos das leis na Casa
da Kortflba roa da Crespo n. 23.
Acham-se a venda os da 5* parte da 4* e 1'
da 5* lotera (25*) beneficio da Santa Casa da
Misericordia, que se extrabir sabbado 29 do cor-
rente.
PRECO.
Bilhetes.....7*009
Meios......3*500
Quartos. .... 1*900
Para as pesssas que compraren) de lOOfJOOO
para cima.
Bilhetes.....64300
Meios. ..... 3*7SO
Quartos.....1*700
Manoel Martins Fiuza.
Como a empreza de illuminaco a gaz lenha -la-
do hcenca aos maehinistas para ira I" harem por
soa propria conla, Carlos Pluym, tcbtsMa, oiBe-
rece seu prestimo ao publico para encaar gaz -
agua, e toda a sorte de servij amfMMM a
seu ofncio, por precos mnilo rasoavei".
Pode ser procurado a qualquer hora rua da
Alegra n. 10 (Boa-Vn-ta.i
N. B.
\-rf Para prova di perfeicodo eu trafciiho o
mesmo wffrece no publico > t^si-munoo mensas pessoas para quera jalrabalhiu a mandad
da companhia do gaz.
Deutista de PemambucoJg
l'ua estrella d Rosario . 3,
a p da igrej
Desappareceu no dia 7 2&r
do correle, um cachor- **
ro preto, com o peilo e ,'H
pescoco branco, muito ^
cabelludo, cora os cabellos compridos. da' *; L-. -._.._. _._. _ -v*
K pelo nnme de velludo : quem delle dr M "FRANCISCO PINTO OZOBIO'
M noticias exactas, ou o pegar, leve a rua M ..- .
2 Novan. 21, toja de Germano, relojoeiro, 3L i | Colloea ileole* arlIBcae
K que gralilicara' generosamente. pelos ystrua mais ;-
40 FULIGO
AVISOS MARTIMOS.
Para Lisboa
segu com muita brevidade o brigue portoguez
Flcnnda, ao qual falla apenas um resto de carg a
LeilO de doaS eSCravaS. Lendo na revista do Diario de hoje o seguiote: -
terca-feira 25 de "julho ao meio dia. ,foi subtrahido no hotel Turiau a quantia de 843*
O agente Pinto far le.l) por conla de ama P"*cente m 3r. Maiwelde Vasnoocello, que U-
pe>soa que rer-se de-ta provincia, de duas es-. ohil em carle,ra denlr" o nolso do paletot, me
cravas, sendo uma erioula de 15 annos de idade,
a qual cose, lava, e eogomma, outra de nac/o, de
32 annos de idade a qual cosiuha e lava; a meia
hora dopois de meio dia do dia cima, dito no ar-
mazem da rua da Cadeia n. 62.
apresso em declarar ao publico que este fado se
deu no hotel Trovador, de que a polica j lomou
conheciraento.Francisco Garrido.
Oeclaraco.
Para evilar equivoco, declaro a quera convier
que nesta data, ficam inleira e absolutamente cas-
sados os poderes que. po* umaproruraco especial,
, transmitti a meu sogro, o Sr. Manoel Gomes Vie-
' gas, para sublocar, receber os atugneis e pagar a
decima dos predios ns. 13,13, 17, 19, e 21 da roa
1 do Destino (Boa-Vista).
Amioislrador legal desle predios por constituir o
dol de minha multier, sou o nico competente pa-
ra iratar de todesos negocios e detodas asquestes
qae Ihe forem relativos.
Emprega lodos os meios sr te ni i Heos para
conservar os naluraes. Pode ser procura-
do em seu gabinete das 9 horas da
nbaa as 5 da Urde.
i para |
cora- 5
J
Alugam se duus grandes sobrados cas nie.1
modos para numerosa familia, novos acead-i*
com ]ardim, cocheira, sstrihafw e ramas ronmi-
didades na travessa de J-ao F.rnaa-ler Vieira :
a tratar na rua da Senxala Sota n. 4*._____
Vende-se duas carrosas, uma para boi im-
Precisare de uma ama de lete
Aurora n. 26,
N3o acceitarei reclamaco alguma que se funda-, tra para cavallo, sendo e>ta com lastro son Me.
mente em a ignoroncla dsta minhadectaraeo. propria para carregar barricas de farinha de trigo,
na rua da Recife, 11 de julho de 1865. lenha, etc., ambas com uso, por preco omito r-.aa-
flonano Jos de Miranda, modo : a tratar no paleo de S. Pedro n. 4.


Diarlo de reraambnco ... Segunda letra 94 de Julho de 1805.
-v -
PHOTHOGRAPHIA ARTSTICA
OSr. Antonio Ronlo Froes nao mais o en-
carregado da cobranza da casa de Lourengo Perei
ra Mendes Guimaraes.
DE
25 Ra Nova (esquina da Camboa do Carmo) 25.
Os proprietarios (leste estabelecimento, desejando satisfazer os numerosos pedidos de seus fregueses, acabam de receber de seus correspondentes de Paris, um grande
sortimcnto de retratos (cartoes de visita) das personagens as mais celebres da Europa, assim como receberam tambem urna quantidade de alfinetes e cassoletas para retractos, do
mais apurado gosto e por precos muito diminutos.
C0MP11S.
Compra-se efTectivamente ouro e prata em
obras velhas, pagando-se bem : na ra larga do
Rosario n. 24, loja de oorives.
Rival sem segundo
Ra do Qoeimado ns. 49 f 55, Uja te
miudczas de lies portas, eslaaei-
mando tudo bom e barat*, qieai qn-
zer ver e admirar venan i laja da
Bigodinho.
Caixas de papel amizade, e sem ella liso t
a 600 rs.
Silvino Gailherme de Barros compra e ven- Grozas de bo'.oes de loara praleados I
de efTectivamente eseravos de ambos os sexos : derna a 160 rs.
roa do Imperador n. 79, terceiro andan_______Dnzias de penna de ac fazenda boa a 40 rs
Ouro e prata
em obras velhas : compra-se na praca da Inde-
pendencia n. 22, loja de bllbetes.
, -Compra-se ouro, prata epedras preciosas,
Os mesmos aprovcitim a occasiao para prevenir ao publico e recordar aos seus numerosos freguezes, que elles trabalham todos os dias, domingos e dias santos, das 91 fr.'I^LrivM no areTda ConcfirSc-3 *"'
horas da manhaa at as 4 da lardee que os tem os de chuva do influem em nada para o bom successo dos retratos, pelo contrario o fol entre nuvens mil vezes preferivel . Iin na
sobre lodos os pontos, tanto pela rapidez da operado, como pela commodidade das pessoas. to lBoSSeiSfi.il. *
A grande quantidade de pessoas que tem visitado este estabelecimento nestes dous annos em que se acham eslabelecidos nesta cidade, e que n5o ser menos de cerca
de H,900 a 7,000, para elles urna garanta futura, poslo que se appliquem lodos os dias, para que todos saiam contenles e satisfeitos.
laa litas e de todas tures a
para limpar driles a 240 t
Engenho.
Arrendase o engenho Jussar de Sanl'Anna sito
na fregui'Zia de Ipojuca legua e meia distante das
estagoes da Escada e Ipojuca, com te. ras de var-
gens de massap para se safrejar em grande es-
cala : a tratar na pateo do Livramenlo n. 21, rom
o Dr. Ignacio Nery da Fonseca.______
Perdeu-se no da 16 do correte desde a ra
Nova at o convento do Carmo um pataco de ama
tita de ouro de orna pulsenra de jarreteira, sendo
provavf I le sido na occasiao do Te-Deum : quem
aehou e quizer restituir, dirija-se a ra do Cabu-
ga n. 7, onde ser gratificado.
"""iTroa dos Pires n. 54 ha para ilugar-se
urna escrava para todo o servico.
AJnga-se urna escrava crioula, moga, sadia,
com muito leite, e muito cariuhosa para crianzas :
quem a precisar dirija-se a ra Formosa x. 17.
RET! \ TOS.
Eneontram-so retratos do mjer Pedro AtTonso e
do Sr. Dr. Medeiros, hispo nomeado para Pernam-
btico: assim C'>mo photographias da crvela enco-
rajadaBrasil-na photog^apliia ra doCabug
n. 18.
Machinista do gaz
Visto a compnnhia nao enrarregar-se mais de
mandar collocar ncanamer.to aigum por sua con-
ta, por isso o abaixo assignado offerere ao respei-
tavel publico os servidos de sna arte, tanto para
collocar gaz novo, como para concertar, por menos
do que outro qualqucr : para isto bailante din-
girtm-se ou mandaren) seus bilhetes indicando a
ra e numero da casa, na ra Augusta n. o", que
seriio imniediataineute atendidos.
Joao Dormelly Juoir.
Tendose extraviado do ahaixo assignado um
saque a seu favor da quantia de 680*5100 pas-ado
a lo dias de vicia, a venoer-se no dia 23 do cor-
rente, pelos Srs. Moreira & Primo, de Mamangua-1
pe, aceito pelo Sr. Joo I'ereira Moutinho de.-ta
cidade, pede o ahaixo assignado o obsequio d quem
lhe achar levar praga da Independencia ns. 36 e
38o referido saque, visto que est prevenido o |
aceitante, liecifa 21 de julho de 186o.
Severiano Bandcira de Mello.
MA GRANDE DESCOBERTA
Ol-Eo
deFIGADOdeBAGALHAU
DESINFECTADO
& /-~ '
MEDALHA
DE
HONRA
,V
-
DESIl^CTADilEBRlNEO
Compram-se libras esterlinas : oa ra do
Crespo n. 16, prtmeiro andar.
Cobre, lalo e chambo.
Compra-se cobre, latao e chambo : no armazem
da bola amarella, no oito da secretaria de po-
lica. __________.
Compra-se um sellim em meto uso : na ra
de Santa Thereza n. 38
VENDAS.
As propiedades medicnes do oleo de fajado de bacalao forao unni-
memente reconhecidas. Mas seo cheiro c seo sabor tao desagradaveis
tomao o uso d'elle muitas vezes impossivel, mesmo aos estmagos
os mais robustos c aos mais condescentes.
Por isso a dcscoberta do Snr. CtiEVRiER que lhe permcllio de
desinfectar inteiramente o oleo de ligado de bacalhao sem alterar suas
propriMadcs tem sido um dos mais felizes problemas resolvidos pela
therapeutica moderna.
O oleo defigado de bacalhao desinfectado deChevrier,
com um cheiro agratLivel e um sabor assucarado, 6 o nico que nao
tem nem gosto nem cheiro de peixe.
Objcclo de numerosos relatnos scientificos elle goza cm Franca
de una fama bem merecida, e receitado por todos os mdicos cm
lugar do Oleo de ligado de bacalhao ordinario. Tcndo as mesmas
propriedades do oleo de figado de bacalhau ordinario, usa se d'elle
nos mesmos casos isto 6 as :
Pobirr.n de augur,
i -raifiiii-ii(o por exeeaaa ir
trabalho ou de prazerea,
Mola-HtiaN dos brourliio rrnn-
tvh ou ebranlcaa,
Tone pcrllnasea,
Gaatritea. gaatralKiaa,
Mole-lias i 'Nerofulosn*,
Um-hili- o,
0b*lrur( o .(. glandes,
TiaicM ! ..i.niur. f
Mnlfsiii-- '>a pttllc,
Conatltiii' >o Ij ntphallca,
Anemia, u. :>lllilnuV. rraqueza,
MaKrcza, Doren de f-ntoiunga.
Elle conv-m a todas as compleicocs e a todas as idades, e tomada
fcilmente p. las pessoas as mais delicadas. Elle um poderoso socorro
para a alimcutaclo das crianzas tancas e docntcs.
Um folleto accompanha cada vidro e conten as observacSes medicaes.
Deposito em Pariz, na pharmacia de Chevrier, e em todas as boas pharmacias de Franca e do estrangeiro.
Deposito geral em Pernambuco ra da Cruz n. 22 em casa de Caros & Barbosa.
O Oleo de figado de bacalhau. desinfectado ferruginoso de
Chevrier constitue o melhor meio de administrar o ferro. 0
ioduro de ferro reunido com o oleo de figado de bacalhau,
augmenta a acc^o tito efficaz d'este ultimo, se dissolve mais
fcilmente nos lquidos das vas digestivas, se assimila muito
mais bem do que quando tomado sob a forma de pilulas,
xaropes, etc., enfim perde suas propriedades irritantes e niio
provoca a constipadlo.
As pessoas as mais delicadas que nao podem supportar as
preparares ferruginosas ordinarias, asquaes, principalmente
nos paizes quentes, tem muitas vezes grandes inconveniente_s,
poderSo com a nova descoberta do Snr. Chevrier, usar do ferro,
um dos mais poderosos agentes therapeulicos, tomando-o unido
ao oleo de figado de bacalhau.
O oleo de figado de bacalhau desinfectado ferruginoso de
Chevrier, se emprega em todos os casos que o ferro acon-
selhado; julgamos intil de os enumerar.
0 castello de Grasville.
I'raiiluido do franco/, por A. J. C. da Cruz.
Vende-se este bello romance em quatr
tomos pelo baratissimo preco de 33O0C
ua pra?a da Independencia, livraria ns.
6 e8.___________________________
Novas sementes le horlalic*.
Chegaram no ultimo vapor francez vindo da Eu-
ropa, novas sementes dehortaliga, na bem conhe-
cida loja de ferragens de Bastos, na ra da Cadeia
do Becife n. 56 A.
Novidade.
Pecas de tranca de
40 rs.
Escovas Onissimas
320 rs.
Pulceiras de coatas para senhoras a 500 r.
Pecas de lita de eos estreius com 10 raras
320 rs.
Caixas com clcheles francezes, superiores nuli-
dades a 20 rs.
Tinteiros de barro, com soperior tinta a 100 rs.
Pecas de cordo para vestidos, Uzeada boa a
20 rs.
Baralhos muito linos para vultarete a 200
240 rs.
Frascos com agoa de Florida i||e (280.
Frascos com superiores bandas a 500 rs. e 2V.
Frascos com banha, porm pequeos a 200 e
240 rs.
Latas com superior banha a 200 rs.
Frascos de macara perala muito lino a 200 rs.
Frascos e garrafinhas com agua de Culboia a
! 400 rs.
Frascos grandes com superior agua de Colonia a
640 rs.
' Frascos com superior oleo de Labora a 400 r
300 rs.
Caixas com 12 frascos de cheiros mciio naos a
1<9100.
Sahonetes pequeos de tolla a 240 rs. r grandes a
320 rs.
Sab-netes df familia a 120 e 200 rs.
Duza de sahonetes pequeos com cheiro a 70f> r.
Agua dentifice superior qualidadea WM) rs.
Caixas com superior p de arroz a 800 rs.
Frascos de superiores essencias santal e oulros a
18200.
Frascos com essencias para tirar nodoas de rtm
! a 500 rs. ^
Frascos com cheiros de lodos os preens a l0,
i 240 e 320.
Sedinha> de quadrinhos em perfeito estado h- Frascos bonitos com cheiros finos a 500 rs.
CONSULTORIO MEDICO-CIHiJHGICO
DO
DR. PEDRO DE ATTAHYDE LOBO \IOSCOSO,
MEDICO, IMItTI-HItO E OI'GRiDOR.
3 Ra da Gloria, caa do Fundao 3
0 Dr. Lobo Moscoso d consullas gratuitas aos pobres todos os dias das 7 s -11
horas da manltao, e das 6 e meia s 8 horas da noite, excepto dos dias santificados.!
Pliarmacia especia l homcopa tilica
No mesmo consultorio lia sempre o mais appropriado sortimcnto de carteiras
tubos avulsos, assim como tinturas de varias dymnamisacoes e pelos precos seguinles.
Carleiras de 12 tubos grandes. 12000
de 24 tubos gi andes. 180000
de 30 tubos grandes. 245000
de 48 tudos grandes. 30,5000
de 60 tubos gran Jes. 33O0O
Prcpara-se qualquer carteira conforme o pedido que se fuer, e com os remedios
que se pedir.
Um tubo aguiso ou frasco de tintura de meia onca I000.
Sendo para cima de 12 custaro os precos establecidos para as carteiras.
Ha tubos mais pequeos cada um a 500 ris.
Ll VICOS.
A melhor odrada homeopathia, o Manual de Medicina Homeopathico do Dr. Jahr
dous grandes voluntes com diccionario............ 205000
Medicina domestica do Dr. Bering........... iO>0 Repertorio do Dr. Melt- Moraes............ OOOO
Diccionario de termos de medicina........... 3;>000
Os remedios deste estabelecimento sao por demais conhecidos e dispensam por
tanto de scrcm novamente recommendados as pessoas que quizerem usar de remedios
verdadeiros, enrgicos e doradores: ha tudo do melliorque se pode desejar, globos de
verdadeiro assuear de leite, notaveis pela sua boa conservafao, pintura dos mais acredi-
tados eslabelecimentos europeos, a mais exacta e acurada prepa'racao, e portanto a maior
energa e certeza em seus effeitos.
A NACIONAL
Compauhia geral kespanhola de seguros mutuos
sobre a vida
AUTORISADA PELO REAL DECRETO DE 21 DE DEZEMBRO DE 1859
Izenda mu propria para bailes e theatros pelo
iocrivel prego de 600 rs. o covado, laazlnhas
de quadrinhos escuro a 260 rs. o covado, ba-
loes de 20 a 2o arcos a 25300 aproveitem que
pechincha : s na ra do Queimado o. 17 ao p
da botica. Do-se amostras.
Macliiiias para costurar obras linas.
Vende-se urna muito nova e que pelo seu ma-
chlnismo se torna recommendavel : quem precisar
dirija se a ra Nova n. 10, que achara com quem
tratar.__________________________________|
Vende se a metade da casa terrea n. 31 da
ra do Bom Jess das Crioulas (boje ra dos
Quarteis) por mdico preco : na ra larga do Ro-
sario n. 17.____________________________
Vende-se um carro de carregar gneros da
alfandega, com uso, e lodos os pertences de outro
igual, tudo por prego muito commodo : a Iratar
no pateo de S. Pedro n. 4._________________
Vende-se urna burra de ferro grande
' | em perfeito estado e por commodo preco : |
na ra do Apollo n. 20.
Duzia de meias muito linas para enh^ra a
48O0.
Gollinhas muilo finas para senhora a 200 rs.
Caixas com soldados de chumbo para meninos a
160 rs.
Duzias de colheres de malal para eh a 800 r.
Ditas dita dito para sopa, bzenda boa a I Sin.
Varas de cordo hranco para espartilho a 40 rs.
Pegas de lita de laa para debrum de vestido, rom
10 varas a 600 rs.
Ditas de bicos superiores, para acabar a 600 t-
800 rs.
Pedras de lousa para meninos a 160 rs.
Caixas de la tupa rias para 3 niezes a 50 rs.
lioneros de choro e panno a 160 rs.
Caixas com bonits estampas para ra ' a 100 rs.
Capachos cumpridos, boa fazenda a W rs.
Grosas de notos pequeo prelos para cak;a a
100 rs.
Todas estas fazendas para liquidar, prj* toA.
est em iicrh-ito niao, isto garante o dou do es-
labelecinciito.
LOJA DO BEIJA FLOR
\a ra do Queimado a. f>3.
Tendo recebido um sfirlimeuto de bone-
cas de churo, que charaam papai e mamji,
Semenles.
Vendem-se sementes de hortalizas muito novas: I
a ra da Cadeia o. 50.
- Van<>e-m eseravo' mogo qtteTfol deTn'- co,2 cabeHe.ra de cachos.
genho : a tratar na ra do Mondego, olaria n. 13 Tendo recebido um vanado sortimenlo de
-----------------r---------i----------------------i brinquedos para meninos, sendo espadas.
nteilCaO, espingardas, pistolas, tambores ; ditos
Vende-se urna serrazinha' circular, com motor para meninas : apparclbos de almoco e 11
com aqual se pode usar para furar e tornear : os jamar de porcelana e de metal, porU-itcor
ma Banca em dinlieiro, depositado nos Cofres do estado, garante a boa da Pretendentes podem vela ronceionar na fabrica efaquinhas a 280rs.o par ;e nao uueren-
ministracO da COmpanhia. d^ca.os de F. Po.nr, na ra dalmperatrlz bu- do continuar, Tende maisP haral0 do \m em
BANQUEIROS DA COMPANHIA DIRECgO GERAL ----------------T~rt--------Z------------------i outra qual.juer parle.
O B,c. dee.p,Bh, | M,drld : Ra do Pradon.. \ .. AUeHCaO......Ii^^ASm^M
e abertos de
que se
Vende-se excellentes torradas de pao-de-l, de
gomma de araruta, ptimas para dieta e regalo, a nhos para senliora, bordados
U, a lala : no armazem da Estrella, largo do Pa- renda e lisos, os mais modernos
raizo n. 14. ^ p0,iem encontrar.
- Vendem-se palmeiras imperiaes, orestado Vende-se 15a para bordar de diver.-as
de serem transo amadas: no sitio morado a as-,m.j *. .51 _. ,-,_
querda, depois do bocea do Espinheiro, nos Af- ?"!"*W** W ******
fiietos.
Casa de mude para eseravos
Recebe-sc eseravos para tratar de qualquer enfermidade ou fazer-se-lhe qualquer
operaciio, p ra o que o annunciante julga-se suflicientemente habilitado.
O iraiimento e o mcibor possivel, tanto na parte alimentar, como na medica, e
fiiriccionando a casa lia mais de quatro annos, ha muitas pessoas de cujo conceito se niio
pode davidar, qoe podem ser consultados por aquelles que desejarem mandar seus
doenles.
Paga-se 2^ por dia durante 00 dias e d'ahi em diante IgloOO.
Asoperaccs seriio previamente ajustadas, se nao se quizerem sujeilar aos precos
razoaveis que costuro?, pedirr o annuncante.
Esta companhia liga pelosystema mutuo todas as combinagoes de superviencia dos segu
sobre a vida. ,
Nella pdese lazer a subscripgao de maneira que em nenhum caso mostr ror ntrtcdos
gurado se perca o capital nem os juroscorrespondenles aestes.
Sao to saprelmndentes os resaltados que produzera as sociedades da ndole de A NACI
DAL,que ainda mesmo dimnuindo urna terga parle do interesse produzido em recentes liquidai
cues ecombioando-o com a mortalidaie da tabella de Depareieux que e adoptada pela companh-
para eus clculos e liquidages, em segurados de idade de 3 al9 annos, urna imporsigoannua.
de 100 produz em effectivo metlico:
No fim de o annos.......1:1191300
de 10 i.......3:942,8600
de lo........11:2081200
de 20........30:2365000
de 25 .......80:331*000
as dales mirnres de 3 annos e maiores de 30, os producios sao mais consideraveis.
ProspecDs e mais informacoes serao prestadas pelo sub-direclor nesta provincia.
Joaqmm Fiuza de Oliveira, roa da Cadeia n. 52, ou a Boa-Vista ma da Imperatriz n.12,estabel
manto dos Srs. Riymundo.Carlos,Leite & Irmo.
^^AM^mBODO^cii.Tol^ACfflOO :tmmun.mritm ,......M tontio,os ,. ,. ,. .
De 21 de jllllio (le 1865 at OUlrO aviso, a partida llS (('CUS de pa^SiiacirOS quaes se tornam recommendaveis por sua superior l lailo SOI lmenlo de mitidezas: ruadoQuei-
MP Fixrnlaifa nila taliplh Po-Hnli qualidade de fcil conduegao para o centro da pro- mado n. 63, loja do beija-flor.
_______________ sua icgmaua pea taueiia segmnte___________________vinrja. a lraIarno dep0Slin d0 ,.ae8 deAp0|0 n. ^
ou na ra da Cada do Recife, loja de ferragens
n. 56 A,
pelhos do columnas de Jacaranda a 25O.
ditos brancosde diversos tamaitos, caixinhas
para estujos de navalhas,
Vende-se penles de alisar rom eaalM de
metal a IS, ditos de difieren es qualidades,
lindas gravalinbas para senhora de dilferen-
tes gostos.
Chogou grande sorlia ento de S0l,her descarogar algodao, de 14, 16, 18, 20, 25. 30e35 Vende-se colheresde meUl principe pon
serrotes, de superior qoalidade, as quaes se ven- tirar soupa a 2), ditas para cha a 2:>30<>,
dem por pregos muito reduzidos e por menos do (Jitns para soupa a 4&200 a duzia : nesta
que em outra qualmier parte, para liquidar, bem i-;. .1____.Ti__ ........ .
rimn. .'nitim. inpkn '"J'1 encontrara somprc um grande e \2-
i'io de algodo Vendefse no escriptorio de Antonio Luiz de Oli-
veira Azevedo & C, ra da Cruz n. 1. j
Liquidado de machiaas para
algodao:
l'AKA O INTEHIOn
ESTAQUES
Camas [de ferro.
Grande sortimento das molhores que ha no mer-
cado : na ra Nova n. 33.
mmm mmm mmmmmmm
m]
RETR4TIST4S
Firmino & Lins
Novo estabelecimento de ret
tos ra Xova n. lo, . an-
dar, junte ao Sr. Gautier,
dentista
Tiram retratos todos os dias, das 7 horas
da manha as 5 da tarde, quer chova ou
g3 Tambem se offerecem para tirar relra-
3R tos de pessoas fallecidas, dentro ou fra
$fi da cidade..
M Os annonciantes desejando acreditar o
*9I seu esthelecimento, garautem ao publico
>* que nenhnm irabalhosahiri de sua offlei-
S na, sem que nao soja perfedamente acaba
35 do, c a vontade do fregnez.
Ciuarda IIros.
Urna pessoa competeatemente habilitada offere-
ce-se aos Srs. comraerciaiiles para encarregar-se
de qualquer escripturagao por partida simples ou
dobrada com perfeigo e prego commodo : para
Informagoes a roa da Imperatriz n. 39, terceiro
andar.
Frontispicio- do Carmo.
Por motivos poderosos delxa de ler lugar a fesla
de nossa adorada Mal de Deus do Carmo do fron-
tispicio, no dia 23 do crreme; sendo annunciada
convenientemente qaando tiver lugar a referida
eslividade.
Aloga-se a loja do sobrado n. 17 da ra da
Imperairiz, com bons commodos : a tratar no se-
pundo andar do mesmo. _________
Quera precisar de urna ama de ponas para
dentro, para casa de duas a tres pessoas, dirija-se
a raa Augusta n. 7.
jmmm m
O Dr. Cirolino Francisco de Lima San-
tos contina a morar na ra do Impera-
dor n. 17, segundo andar, tendo alias seu
gabinete de consultas medicas, logo ao
entrar, no primeiro.
O mesmo doolor, que se tem dado ao
estodo lanto das operagOes como das mo-
lestias internas, presta se a qualquer cha-
mado, quer para dentro quer para fra
da cidade.
m
Samuel Power Johnston di Companhia
Ra da .Senzala Nova n. 4.
AGENCIA DA
FiindicSo de Lov Hoor.
! Machinas a vapor de 4 e G cavados.
' Moendas e meias moendas para engenho.
Taixas de ferro coado e balido para enge-
nho,
Arreios d.1 carro para um e dous cavallos.
Relogiosdeo'iro patente inglez.
Arados americanos.
Ma-binas para descarocar alg-odo.
Motores para ditos.
Machinas de costura.
mmm mmm-mmmmmmm
O hachare!
Francisco Augusto da Costa K
ADV6GAD0 jlv
Ra do Imperador numero 69. &
6
Cinco Ponas
Afogados .
Boa Viagem
Prazcres .
Ilha .
Cabo .
I[ojuca. .
Olinda. .
Timb Ass
Escada .
Frexciras .
Aripib. .
Ribcirao .
Gameleira .
Cuyambuca
Agita Prela
t'na. .
ilias de trabadlo
domingos e dias
santos
MANHAA
II
9
9
9
9
9
10
10
12
12
|!
1
1
1
2
2
'2
a
M.
6
18
24
50
10
24
15
30
20
40
20
40
i viini:
II.
K.
8
20
28
52
10
DO 1M I 1UOH
ESTAgES
Una. .
Agua Prela.
Cuyambuca.
Gameleira .
Ribeirao. ..
Aripib.. ..
Frexeiras ..
Escada....
Timb Ass
Olinda ....
Ipojuca.. ..
Cabo.....
Ilha......
Prazercs. ..
Roa Viagem
Afogados ..
Cinco Ponas
Dias de trabalho e
domingos e dias
santos.
Acha-sc
Chitas baratas
venda na livraria acadmica, na rna do Impera-
dor ; na do Sr. .Nogueira, junio ao arco dr San
Antonio ; e na typographia imparcial, na roa *-
II.
M.
50
8
32
40
52
TAIIDR
II.
9
9
9
10
10
10
11
12
12
12
I
1
1
1
M.
Ii-
-
nao
25
42
23
42
30
45
i
53
2o
37
43:
Na ra da Concordia
gao de chitas muito
mais inferiores a "
XOTPna d IVossa Senhora do s o regiment de cusas e a lei goral das nerm-
Carmo C de Nani'Auna, enes, como tambem todas as orden- e avi*,* de
Vende-se na ra do Imperador n. 15, offleina governo, que a tudo tem explicado, lano a sapnt-
de encadernago : o offlcio, salve e versos, nove- 'o das obrigagoes inherentes ao cargo dos dinerrn-
na e salve de Nossa Senhora do Carmo, tres fo- tes empregados de jostiea e fazenda, romo dos di-
Ihetos por 500 rs.,e a novena de Sanl'Anna por' re'tos nacionaes e emolumentos que .i. dfvidi.
320 rs. E$te lvro contendo mais de 700 paginas em ntida
a<.----------------- 1 impressao c l>om papel, e prestando-se a ntilidade
* de diffeientes classes, lomase reenmavadavol.
Sea cusi I0000 por cada oxemplar om doo^
tomos.
Farelo
Vende-se farelo novo, saccas com 90 libras, polo
barato prego de 4 : ra da Madre de Dos n-
meros Sel).
CIDADE
G. 0. i/unn, engenbeiro e superintendente interino.
A i$ 1JJ900 e lOO.
I.eques de osso, ultimo gosto, a lj.
Ceroulas de meia a 15200.
Diiras muito linas a I500.
S na ra da Cadeia do Recife n.!5
Adinirem
DE
Loja
a grande liqui-
dacio
a gaz por toda prera a
De candieiros
Rrass e 'retala*.
Rna da Imperatriz n
t.
Farelo
j.
DE
VIGNES.
a 4a a sacca, das maiores que ba : na rna hrg-,
' das seis portas em frente do Li- do ll05ari0 " ^ laberna" < r,m*ni"ntt> L-7 Yen!t'a-?"*>> J**y, "<">r"
urn,ntnui distante da cidade do Natal, provincia *. Ki->
Vendem-se chitas franceas escuras e bons pan- Grando do Norte, moente e oorrento. nn 20 rap-
_. nos a 240, 260 e 280 o covado, cassa franceza de tivos, 20 biis e 20 beslas ; assim romo ttatan
-* .* .**:'* "** mmrWSnlkMHWmm l. 00. icoresfixas a40 o covad>>, nretanha de rolo a lotes de trra, propria para a cultura .1^ al*o.li> e
us pianos desta antiga fabrica sao noje asss conhecidos para que seja necessario insistir sobre a 2*400 a pega, cortes de casemira de cor escura a mandioca, e mais duas faiendas d-; t,Vt no P, i-n-
sua superiondade, vantugens e garantas que offerecem aos compradores, qualidades estas iocontesla- 4, bales de arcos a 3, 35000 e 4, e muitas P e Ceari-meirim, na mesna provincia, rojas ,L-
veis que elles tem defin ti ya mente conquistado sobre todos os que tem apparecido nesta praga ; pos-] oulras fezeddas por baratissimos pregos, e de tudo das se effectuarao a prasos, mediante U.a ttrnvM :
que obedecem todas as vontades e caprichos das pianistas, sem se dao amostras ; cambraia para fjrro a 2^000 a quem pretender dirlja-se aquella provim-ia a Ira-
pega lar com Fabricio & C
Desoja se fallar ao Sr. Jos Thomaz dos San-
tos, senhor que diz ser de um chao da casa da ra
da Gloria n. 196, ou a seus herdeiros, visto que
apparece um outro reclamando esse chao : quem
direito tiver, apparega na ra das Cruzes, sobrado
n. 9, das 9 horas at o meio dia.
Quem precisar de um cozinheiro d foroo,
fogaoe massas, queira procurar no Forte do Mal
tos n. 16.
suindo um teclado e machinismo
nunca falhar, por serem fabricados de proposito, e ter-se feilo ltimamente melhoraroeutos Imporlau-
tissimos para o clima desle paiz ; quanto s vozes, sao melodiosas e flautada, e por isso muilo agrada-
veis aos ouvidos do apreciadores.
Fazem-se conforme as encommendas, lanto nesta fabrica como na do Sr. Blondel, do Paris, socio
correspondente de J. Vignes, era cuja capital foram sempre premiados em todas as exposigoes. machinas americanas de serrote para descarogar
No mesmo estabelecimento se achara sempre um explendido e variado sortiasento de msicas dos algodao : na ra da Senzala .Nova n. 42.
melhores autores da Europa, assim como harmnicos e pianos harmnicos, sendo ludo vendido por
pregos commodos e razoaveis.
Vendem-se
Calnogas uno e brlaqaed**
para menino.
Chegaram para a loja de mindoza* da ra 4
Queimado n. 69, os mais Gnos e lindos rt'.aut**
tanto para bnnquedo de meninos romo para rm
ATTENCAO
No estabelecimento de molhados sito a ra Di-
reita n. 6, ;irham se desde o dia 18 do correle, 10'
barricas com holachinha ingleza que vieran) por
engao com destino a esta casa. A pessoa julgar com dirciloa ditas barricas queira ter a
bondade de vir busca las pagando a importancia
deste annuncio e o frete que se pngou aos porta-
dores e dando conheciraento de que lhe perlence.
Aluga-se um prelo mogo, proprio pira lodo o
servigo : quem precisar dirija-se a ra dos Pires
numero 39.-
\ ende se 40 palmos de terreno na ra da de mesa : na mesma loja se encontrar U>
Concordia : a tratar na ra do Alecrim n 10, das tmenlo de miodezis.
3 horas s 5 nos dias uteis.
4 intu BATATA8.
jn i.wyui fle Vendem-se excellentes batatas pelo diminnto
nm sitio na campia da Casa Forte, rom dnas ca- preco de 400 rs_ o gigo, e em porgiu laz-se algum
sas, urna a em que morn o fallecido Thomaz de abatimenlo : no armazem do Sr. Azevedo defronle
Aquioo Fonseca Jnior, feita a moderna, e conten- da escandinha da alfandega.
do todas as accommodages precisas, e outra com 1 t/- . nntn
boas commodidades para qualquer familia: na rlftflOS ao t OVIO
ra do Vigario n. 19, primeiro andar. ; das melhores marcas, em caixinhas de ama duzia
Yinho do Porto superior em caixa de dona,
tem para vender Antonio Lniz de Oliveira Atovo-
do a C no sen escriptorio rna da Croz n. I.
Potassa da Russia
muito nova e superior : vende-se no eseriptora
de Manoel Ignacio de Oliveira & Fila*, larg W
Corpo Santo n. 19.
Aluga-se
Na roa Nova n. 47 ha para alugar um moleque,
aqoaj cozinha e engomma.
a,
elhad.
de jarraras pira casas parilcohres, sendo : Lagri- j Vende-se uma linda DarettMtM Ovil-
mas do Douro, Duque do Porto e D. Luiz ; tambem ; |0, j e*.nprmpnladn nm nm e hrin.
tem ancoretas de dcimo encapadas com superior d ,l)erimeniflOs para Carro e Obrin-
vioho, barris de 5 e 10" em pipa : na ra do Vi- ilet : a ,ra'ar na praga do cap un eocbfira
I gario o. 19, primeiro andar. od Sr. Leopoldino Silva.

w


I
Diarlo de pernambuco -- Segunda Iclra 4. Je Julko de istt.
i
i
t
o
40 PUBLICO
*m o menor consfran
giuieato se entregara
importe do genero que
nao agradar.
o
TTENCAO
o* preco da seguate
tabella para todos, pe-
deudo assiin servir de be-
se para o ajuste de conta
com os portadores.
AWZflKMIhIKIS
Plano! docwNmrrch
Ra do Ki
ESTABELECIDO A RA NOVA N. 60
AO
rafa
uto Mi
de arma-
e molhados,
podem ser
RESPEITAVEIi PUBLICO.
.V apreciado dos habitantes desta heroica provincia existe no g
zem da Liga estabelecido ra Nova n. 60 um magnifico sortimento
que sendo em sua maximt parte mandados vir directamente do estrang
vendidos por precos asss razoaveis.
Sem a fatuidade de querer que este novo e interessante estabelecimento seja o
primeiro e nico em seu genero, pde-se porm .iffiancar, com toda a seguranca de que
nenhum outro o exceder no restricto cumprimento das seguintes promessas:
V Delicadeza no trato.
2.; Fidelidade no peso.
3.' Sineeridade nos presos.
As pessoas que por sna posico social gozam de certo tratamento, acharo nesta
casa os melhores queijos londrinos, ceneja, vinhos finissimos manteiga e cli sempre de
primeira qualidade. etc., etc.
Qualquer que seja a condico do freguez, elle deve contar que ser sempre mili-
to bem servido.
Aquelles que sao pouco favorecidos da sorle terSo mensalmente urna economa de
maltas patacas, afregoezando-se nesta casa, onde se lhes vender o arroz, o caf, a man-
teiga o assucir, etc., etc. de boa qualidade pelo preco que em algumas parles nao po-
dem ou nao querem vender.
Os senhores de frada cidade, dos arrebaldes ou centro, que compram para ne-
gociar, devem vir, i elo sea proprio inieresse, a este estabelecimento para se convence-
ren! do (Junto se pode vender barato.
Para os enhor s que compr.im para tornar a vender existe nm sortimento i'Spe-
cial, escolhido por pessoa entendida que certamente muito deve agr lar aos senhore-
compradores.
Nao se lem poupado sacrificios, nem se deixar de fazer a diligencia para agra-
dar a todos.
PELOS SEGUINTES PRECOS S SE VENDE
A DIMHEIRO A VISTA:
latas, muito nova, a 80 rs. cada
m>
RA DA CADEIA DO RECIFE N; 53
(Logo passando o arco da Concelco)
PARA BEM DE TODOS.
uragei ii. 1$.
i O propriclair. '.-;.- -i.,..- wm
ra ii- avini mm reo* Imam i (* u
j de redarcao nos pn c< de en* gnu r. (V :
ra quahdadi- : Baniiifj wflrta I? f
librada ultima clvgaa a i -.,, m
i tama a 800 rs. rn barrii -e Ui .:.
, queijes llamingos r..,vo a 25300, dii |
se pode deft-jar rn brnMc a ?
: amaizas franco: raixinlu a 15.11
i 1580O, frascos de ditas l5U<0,trai.f--s :' >.
rr mime?, marnicl.-.da o.s iiui.r..
.640 rs. a libra, am-ndnas tmtmtn \,.r.
de S. Joao a 640 rs.. vinlio do Pi-m..-,. ;. -
a prrafo. Fipueira I
I0 ranada m faz o ahitimcnl", raix--
com 2 arroi.as u-r :i...V a M I
c;.f l- Hit, 780O e 7i(0e J.ra ., .: .
- a
11*8
ALPISTA a 120 rs. a libra.
dem o painco de oito libras para cima a
100 rs.
Arroz de 90 rs. a libra a........
Amenosas, csea molle, a 8rs. a libra.
Avki.laas a 210 rs. a libra.
Ameixas francezas em latas de todo* os la-
manhos.
dem idem em potes de todos os tamanbos.
dem idem em bocetas de todos os taa-
nnos.
dem idem c;n frascos de lodos os tama-
nbos.
Azeite nocn de primeira qualidade a 560 rs.
a garrafa.
Almos a 200 rs. o moli.
AusY.vruo a 2;>0()) a garrafa.
II
BOLACHINHAS do Beato Antonio em latas
grandes e pequeas.
dem do Principe Alberto a 25000 a lata, e
de cinco para cima a 15800.
dem de soia em latas grandes a 2000 e
de cinco para cima a I&800.
Biscoitos inglezes de todas as qualidades a
15200, !->50e 15300.
Boi.o francez cm caixinhas a 300 rs. cada
urna.
Batatas inglezas.
Baxiia Je porco refinada.
C
CHOCOLATE francez a 700 e 800 rs. a li-
bra, e em porco a 000 e 700 rs.
dem suisso a 1-j a libra.
dem de musgo a 1^500 a libra.
CaouBicAS muito novas a 800 rs. a libra.
Caf a 210 e 2G0 rs. a libra, e em porcao
se far abatunent >.
Mcm de primeira qualidade a 70000 a ar-
roba.
Gonsebvas em f> ascos a 320 rs. cada um,
sao muito novas
dem ingleza?, frseos grandes.
Champagne de todas as marcas.
Cuarpe de grosella, nrchata, etc., etc.
Chicaras e pires a l$S00a duzia.
Cerveja da superior marca lente a 500 rs.
agarrafa, eem duzia se faz grande aba-
limento.
dem Victoria Bas tres X e de outras marcas.
Chabotos das mais acreditadas marcas, co-
mo sejain : Normas d'Havana, Exposico,
Flor do Brasil, Par sienses. Delicias, Gua-
nabaras, Trovadores, Kegalia, Mississipes,
Panetellos. Apraziveis. Varetas, Brasilei-
ros, Americanos, Fluminenses.
Cuy de todas as qualidades e de todos os
precos, liysson, Duxim, aljfar, preto, e
preto ponta branca, etc., etc., a 2^000,
c2.->2 '0, 2;53l)0 e 2;)800.
Copos lisos de todos os lamanhos de 120 a
320 rs.
dem lapidados de todos os tamanhos a du-
zia a 23500, 3|300, 45 e 5?.
Clices de todos os tamanhos.
Cognac superior n l& e 15500 rs. a garrafa.
Cigarros do Rio, pardos, a 80 rs. o macu
de cinco macinhos.
I
DOCES de todas as qualidades: brasileiros,
portugueses, inglezes, francezes, etc. etc.
B
ERVILI1AS seccas a 120 rs. a libra.
ervaooce a 100 rs, a libra.
F
Graixa em
urna.
KIRSCH de Wasser a 23 a garrafa.
la
LATAS com graixa a 80 rs cada urna.
Letiua a 400 rs. a libra
H
MANTEIGA ingleza e franceza de p;imcra
qualidade a 13, 1^120 e 15280, em bar-
ril se faz grande abatimento; a que ven-
demos por 1)5280 a libra, vende-se em
outra qualquer casa por 15400 c 15500.
Marmelada dos mais acreditados fabricantes.
Macarro e talharim a 320 rs. a libra.
Massa de tomate a 600 rs. a lata.
Mostarda ingleza a 800 rs. o frasco.
Momo inglez de todas as qualidades.
Marrasquino verdadeiro de Zara a.....
Massas finas para sopa branca e amarella a
60 rs. a libra, em calas com 9 libras a
35500.
I Milho painco e alpista, sendo mais de 8 li-
bras a 100 rs.
s.
NOZES a 120 rs. a libra.
Nados em latas a 800 rs.
O
Ostras inglezas e americanas.
P
PEIXE em posta, latas grandes, a l/k.00, de
todas as qualidades, como sejam savel,
. goras, corvina, parg-\ salmao, pesado
pescadinha, linguado, sardinha. etc., etc.,
Peras em latas, excellente preparaco.
Palitos para denles a 120 rs. o maco muito
grande.
Passas em quarto a 15100.
dem muito novas a 400 rs. i libra.
Pomada muito nova a 280 rs. a duzia.
a
QUEIJOS flamengos.
dem preto a 800 rs. a libra,
dem suissos a 800 rs. a libra,
dem londrinos a 800 rs. a libra.
Ql'ARTI.NHAS OU MORINQUES a 63, 83 C 105 0
par.
R
RAPE' Meuron a 10 a libra.
dem Princeza do Rio a 15200 a libra.
dem francez a 23500 a libra.
s
SABO massa a 160 rs. a libra, em caixa se
faz abatimento.
Sal refinado em frascos a 500 rs.
Salame de Len a 23>.
Sardinmas de Nantes de todos os fabricantes,
dem de Setubal em latas muito grandes a
720 rs.
Stearinas a 600 rs. o maco.
T
TOUCINHO de Lisboa a 320 rs. a libra.
Tomate em latas a 600 rs.
Tinta azul e preta para escrever.
V
VINH0S!
reza com
pra dos
os sero ta"o bem servidos como seviessera pessoalmente, havendo para com estes toda recommenda.ic
p Ira rrrte.
afira de
dita i li(| r-.
Minteiga ingleza especialmente escr.lida a
l.ooo e 8oo rs. a libra e em barril se faz
abatimento.
dem franceza a mais nova do mercado a 96o
rs. a libra e 900 rs. em barril ou meios.
Cha iiysson de superior qualidade a 2,600
rs. a libra.
Cha perola o mais superior do mercado a
2,8oo rs. a libra.
dem liysson muito superior em latas de 15
libras muito proprio para negocio a 2,ooo
rs. a libra.
dem hysson nacional em latas de 1 e 2 li-
bras a 1,6oo rs.
dem preto o que se pode desejar neste ge-
ero a ,ooo e 2,2oo rs. a libra.
Linguicas muito novas a 8oo rs. a libra e em
barril se faz abatimento.
Cbouricas e paios a 8oo rs. a libra.
Costelletas inglezas a 64o rs.libra, serve
para temperar panella ou para fiambre.
Queijos do reino chegados neste ultimo va-
por a 2,2oo rs., ditos de navio devella a
2,ooo rs.
dem londrinos muito frescos e de superior
qualidade a 8oo rs. a libra.
dem prato a 8oo rs. a libra, e inleiro se faz
abatimento.
dem suisso o mais superior que tera vindo
ao mercado a 64o rs. a libra.
Ervilhas e favas portuguezas j preparadas
em latas hermticamente lacradas a 64o.
Feijo verde muito superior a 610 rs; a lata.
Copos lapidados para agua a 5,ooo e 5,5oo
rs. a duzia.
dem idem para vinho a 21o rs., e 2,4oo rs.
a duzia.
Chocolate francez espanhol e suisso a 9oo,
l,oooel,2oors. a libra.
Espermacete superior a 6oo e 64o rs. a li-
bra e em caixa se faz abatimento.
Peixe em* posta em latas hermticamente la-
cradas e das melhores qualidades de pei-
xe a 8oo, l,ooo e l,2oo rs.
Vinho Bordeaux das marcas mais acredita-
das que vem ao nosso mercado a 7,ooo e
8,ooo a caixa c 61o e 7oo res agar-j
rafa.
Genebra de Hollanda a 48o rs. a botija de
que n5o vio em! *'"".Jf c-
Aletna, macarro e talharim a 4oo rs. a li- Sal refinado cm frascos devidrocom lampa r(,,'>. Mi*w ing>u# tta j
di los de rula uut' !(i ,.., i; .
ros rrae re drr.a rtfadi 11 i 111 .-
bra e 6,ooo a caixa.
Massa para sopa : eslrelinha, pevide e rodi-
uha branca ou amarella a 64o rs.a libra e
3,5oo a caixa com 8 libras.
Vinho do Porto muito fino proprio para
engarrafar, em ancoretas de S caadas a
35,ooo rs.
Vinho em pipa: Porto, Figueira e Lisboa a'
32o, 4oo e 5oo rs. agarrafa, e em caada
a 2,5oo, 3,ooo e 3,8oo.
Vinho branco de Lisboa de excellente quali-
dade a 4oo e 5oo rs. a garrafa e em cana-
da a 3,ooo e 3,5oo. '
Vinho branco para missaemcaixas de 1 du-
zia a 8,ooo e 68o rs. a garrafa.
Vinho do Porto das melhores marcas que
vem ao mercado como sejam : Lagrimas
do Douro, Duque do Porto, Rainha de Por-
tugal, Duque genuino, D. Luiz 1, Madei-
raSecca, Malvazia fina a 16,ooo, l5,ooo,
12,ooo e I o,oooa caixa com 1 duzia e 9oo,
l.ooo e l,5oo rs. a garrafa.
VdIio Cherexde superiorqualidadeal6,ooo
a duziae I,5oo rs. a garrafa.
Sardinhas de Nantes a 4oo rs. os quartos e
64o rs. as meias latas.
Bolachinhas inglezas muito novas a 5,ooo a
barrica e 320 rs. a libra.
Bolachinhas de soda em latas de diversas
qualidades a l,3oors.
Cartoes com bolo francez muito proprios pa-
ra mimo a 64o rs.
Passas muito novas em caixinhas enfeitadas
para mimo a 3,ooo rs.
Passas de carnada a 8,ooo a caixa e 4oo rs.
a libra.
Figos de comadre a 24o rs. a libra.
Amendoas de casca mole a 4oo rs. a libra.
Milo de amendoas a 5oo rs.
Bolachinha d'agua e sal, da fabrica de Joo
de Brito no Beato Antonio, em lata de 6 li-
bras por2,5oors.
Ameixas francezas em fiasco de vidro.com
lampa do mesmo, a 155oo.
Ameixas franc zas em caixinhas de diversos
tamanhos com bonitas estn pas na cai-
xa exterior, a 1,4o?, 1,6oo, 1,8oo c 2,ooo
cada urna.
.. lampa
do QesuiQ, a 5oo rs.
Cerveja branca das marcas mais acreditadas
que \em ao mercado, a 5oo, 56o e 64o
a garrafa, e 5,8oo, 6,ooo e 6,5oo a du-
zia.
Cevadinha de Franca muito nova, a2oors.
; Charutos do aflamado fabricante Jos Fui ta-

lario e*|fiaa roncr.iicr.r!t.:..
paraniindo a r-iatlrnan .1. rptr Irn r.
A LEGITIMA
conta certa. lAzeite doce refinado hespanholouportuguez
Frasqueirasde genebra de Hollanda a 6,8oo a 9oo rs. a garrafa e lo:ooo a caixa.
e 64o rs. o frasco. Batatas muito novas a 8o rs. a libra e2,5oo
Genebra de laranja verdadeira em frascos o gigo com 36 libra;.
grandes a t.oooe 11,ooors.a frasqueira.JConservas inglezas a 75o rs. o frasco e
Caf do Rio de Ia qualidade a 28o rs. ali-' 8,5oo a duzia.
Principe Alberto, de 1831, a 55000 a gar-
rafa ; d vida aos velhqs.
Voltio secco a 23 a garrafa.
Lagrimas do Douro a I#500 a garrafa.
Duque do Porto verdadeiro a 25 a garrafa
Duque a 15 e 13300.
Cbamisso a 13, 13200 e 15500 a garifa.
D. Luiz a 13a garrafa.
Moscatel verdadeiro de Setubal a 23 a gar-
FARINHA SSSde 8 libras para cima a 120 ^^f 3 1(j.
Colares a 900 rs. a garrafa ; o nico vi
rs. a libra,
dem de araruta a 320, 400, 500 e 800 rs.
Figos de comadre a 160 rs. a libra.
Feuao verde em lalas a 6C0 rs.
Favas em latas a 600 rs.
Fimo do Rio a 500 rs. a libra,
dem americano em latas a 23.
Farello ha sempre em deposito de 500 a
800 saceos, de todas as qualidades, de to-
dos os tamanhos e de todos os precos.
0
GOMMA a 50 rs. a libra.
dem a I40rs. a libra, muito alva.
Grao de bico a 120 rs. a libra, e em porco
i^faz grande abatimento.
Genebra de laranja verdadeira a 10000 o
Irasco.
nho que se pode beber por nao ter com-
posico alguma.
Lanterne a 800 rs. a garrafa.
Bordeaux Medoc a 800 rs. a garrafa.
dem S. Julien a 600, 800 e 15 agarrafa.
Absyntho a 25 a garrafa.
Kirsch a 25 a carrafa.
Wermouth a 25, e a caixa a 183-
Bitter Maurer a 15 a garrafa,
Grave a 800 rs. a garrafa; vende-se por este
preco por haver sempre em deposito 50
duzias.
De caj, de 1852, a 13200 a garrafa.
Velho do Porto, em ancoretas de 9 caadas,
a 353000 ; vinho que, estando engarra-
fado, vende-se a 15280 e 15500 a garrafa.
bra e 8,Son rs. a arroba.
Caf do Cear muito superior a 24o rs. a li-
bra e 7,500 rs. a arroba.
Arroz do Maranho de Ia qualidade a
rs. a libra e 2,8oo a arroba.
dem da India a loo rs. a libra e2,8oo a
arroba.
dem de Java a 8o rs. a libra e 2,4oo a ar-
roba.
Vassouras de escova para esfregar casa a
4oo rs.
Nozes muito novas a 16o rs. a libra,
loo Molho inglez em garrafa de vidro com rolha
do mesmo, a 16o rs.
Mostarda ingleza dos melhores fabricantes,
a 8oo rs. o frasco.
Mostarda franceza em potes j preparada a
4oo rs. o frasco.
Painco e alpista a 1 lo rs. a libra e l,oooa Lentilhas francezas, excellente legume para
arroba. sopa, a 2oo rs. a libra.
Massa de tomatesde superior qualidade a 64o Marrasquino de Zara propriamente dito a
rs. a lata de urna libra e56o rs. a reta-, 15 a garrafae i l.ooo a duzia.
Iho. I Palitos de dente a 14o rs. o maco.
do de Simas, das seguintes qualidades:
Exposico Normal de Havana, Imperiaes,
Londrinos, Guanabaras, Parisienses, Sus-
piros Delicias, a 4,ooo, 4,5oo, 5,ooo,
6,ooo e 7,ooo a caixa ou em meias.
Charutos finos de diversas marcas e fabri-
cantes, como sejam: Flor do Norte, Ma-
nilhasde Havana, intervallos,Vencedores,
Panatelias e Suspiros, a 2,ooo, 2,5oo e
3,ooo a caixa.
ognac inglez das melhores icreas, a 8ooe
l,2oo a garrafa.
Doce da casca de goiaba a 2,000 a lata com
4 libras.
Farinha de araruta verdadeira a 32o rs. a
libra.
Matte.excellente cha para os navegantes, a
2oo rs.
Sebollas de Franca muito grandes e novas
a l,8oo o cento e l,2oo solas.
Palitos do gaz a 2,2oo a grosa.
Toucinhode Lisboa muito novo a 32o rs. a
libra e 8,5oo a arroba.
Banha de porco refinada a 6-*io rs. a libra.
Bolachinha Alberto, as melhores que pre-
sentementetem vindo ao mercado, a 2,ooo
a lata.
Farinha do Maranho muito alva e cheirosa
a 2oo rs. a libra.
Frascos com fructas em calda de d>versas
qualidades a 2,5oo e l,Soo o frasco.
Caixinhas com fructas em doce secco de di-
versos tamanhos, muito proprias para
mimo, a l,6oo, 2,6oo e 3>5oo cada urna.
Ruibos, excellente peixe portugnez, em
barris pequeos ou a retalho, a vista se
far o prego.
Azeitonas de Rivasem ancoretas grandes de
8 garrafas por 6oo e 8oo rs. a garrafa.
Azeitonas portuguezas. a 5oo rs. a garrafa e
l,5oo cada urna ancorela.
Champagne da melhor qualidade que vem
ao mercado, a 2,ooo e 3,5oo a garrafa, e
24,ooo e 26,ooo o gigo.
Gomma de engommar muito alva a 12o rs.
a libra.
Figosem sextinhas a 8o rs.cada urna e 72o
rs. a duzia.
Papel azul para botica a 2,ooo a resma.
Balaios para roupa suja, grandes e peque-
nos, por diversos precos.
Amendoas confeitadas a 64o rs. a libra.
Lalas com fructas em calda: pera, pecego,
damasco, rainha Claudia e cereja, a 8oo
rs.
Vinagre de Lisboa a 2oo e 28o rs. a garra-
fa e a I,loo e 2.000 rs. a caada.
Azeite doce de Lisboa a 4,8oo rs. a caada
e640 rs. agarrafa.
Vinagre branco j engarrafado a ooo rs. a
garrafa.
PREPARAD/. USICAMEITr^ !
UMiS k IHP.
.
RIVAL,
NEM &E&UJY1IO
Rna do Qneimado ns. 49 e &&.
Contina a vender lodas as miudezas que abaixo
declara por precos admiraveis.
Masaos de palitos lixados para denles a 100 rs.
Espelhos de molduras douradas a 200,240 e 320 rs.
Bobeta de oliado para meninos a 1,5000.
Ditos de couro superior fazenda a IJ500.
Frascos com superior tinta rocha a 240 rs.
Meiadas de tirina froxa para bordado a 20 e 60 rs.
Babado do Porlo, fazenda boa, vara a 80, 100 e
140 rs.
Yaras de franja branca estreila a 40 rs.
Caixas rom 100 envelopes, fazenda fina a 600 rs.
Grozas de peonas de ac, fazenda superior a 500 rs.
Duzias de meias cruas encorpadas para boinem a
:000.
Grozas de botoes madrepcrola finos a 500 e
c 640 rs.
Caixas com 50 novellos de ,'linha do caz a 700 e
900 rs.
Caixas rom superiores obreias de cola a 40 e 80 rs.
Pecas de fila branca elstica com 9 varas a 280 rs.
Varas de franja de la para enreites de vestidos a
40 rs.
Baralhos dourados superiores qualidades a 400 rs.
Novellos de liona com 400 jardas a 80 rs.
Lirros para assenios de roupa lavada a 100 rs.
Pares de botoes para punho, fazenda rica a 120 rs.
Tesmiras para costuras superiores qualidades a
400 e 1.
Caixas de pennas de calligraphia, fazenda boa a
15000.
Massos com superiores grampos a 30 rs.
Pares de sapatos de tranca e lapele a 15500.
Pares de sapatos de tranca para meninos a 15 e
15-80.
Caixas coro superipres apullias a 240 rs.
Libras de la sortidas de bonitas cores a "5000.
Caixas com superiores obreias de massa a 40 rs.
B')dlnhas com alfinetes francezes muito superiores
a 20 rs.
Recias de papel almago a 25400 e 25800 rs.
Hesmas de papel de peso fino a 25000.
Bscovas para roupa, fazenda boa a 720 e 15.
Duzias de tesouras com toque de ferrugem a
600 rs.
Duzias de facas e garfos de cabo preto a 35000.
Talheres muito lino para enancas a 240 rs.
I
Azeite doce
da Liga.
refinadoem pequeas latas a 560 rs. a garrafa : no graude armazem
H
NOVA YORK
Composla de sBiettBriw,
pr< priedades raineiitcscMi < ....
approvada pelas jm.ias e ftrsdi i;
olena; usada nos principaes I :
vis militares e da marmita na.- ': -(
no continente americano ; n i i tos
facultativos o mais dislinctos di i
Brasil c da America uespanbol
CURA RALICALHEKE
escrophnlas, rheumatismo, earortm .
fermidades venreas e tmnijij
antigs, morphea e todas M n
venientes d'um estado vicioso di
Emquanto existem varias irr.:
falsiicacoos, preciso a maior ra^
evilar osengaros,
A legitima salsa tie Bristol sde-f-i
CAOR? A BAHBOZA
JOAO DA C. BBAVd ^ C.
Joiio da C. Bravo & C.
Vendem-sc no Itecifc en: cua de C^,
Barbosa e Joiio da C. Bravo A- C.
P6-
i (-
.; e
. in
-
Salsa parrilha de Ayer
PARA A CURA DA
mmmmmnUk
Saceos de 80,100 e 120 libras a 4(51,45500 e 55 ; no grande armazem da Liga.
PECHI\CHA SE
(^n Madapolao muito fino com pequea toque de avaria, por preco que admira : na,laja
isSi ^as eoluranas na ra do Crespo n. 13, de Antonio Corma de Vasconcello C.
Vinho do Porto especial.
O mais generoso c genuino vinho do Porto, mar-
cas novas e especiaes em caixinhas de 12 garra-
fas, sendo marca Rainha de Portugal a 185 a cai-
xa e Pedro V a 165, em porcSo far-se-h nm aba-
te razoavel : no armazem de Perreira & Matheus,
na ra da Cadeja do Kecife n. 66.
Lagdo para calcadas.
Vende-se milito bom lagdo para calcadas er-
mateos chegado agora : a tratar n ra do Apollo
n. 4.
Grande sortimento de roupas feitas de to-
das as qualidades,
Caifas de casemira a 65 e 75500, diias pretas a
65 e 85, calcas de ganga a 25 ,15800 e 15600,
ditas brancas a 25, hrim de linho a 35, 35500 e
45, paletots do alpaca branca a 45500; ditos prelos
a 35 e 35300, ditos de alpaca de cordo a 45- e
de li-tra de seda a 45500, ditos sobrecasacos a 55,
paletou de casemira a 55, 55500, 65. 85 e 95,
ditos sobrecasacos pretos a 1?5, lo e 165, ditos li-
nos a 255, de. cores a 135. ditos fraques a 145,
paletots de ganga a 35, 25500 e 25, ditos de bnm
pardo a 35, jaquetoes de brim pardo a 35, panno
preto fino a 25. 25600, 35500 S. 45500 5 e 65 o
covado, moreantique preto a 25600 o covado, pros-
denaple preto a 15500, 15800, 25, 25200 e 25500
o covado ; e ontras mnitas mais fazenda? que se
deixa de annonciar, e manda-te levar pelos caixei-
ros da loja da arara casa 'dos pretendentes. O
i e tabelecimento est aben al as 9 horas da noite,
ra da Iinperairiz n. 56. Mmdes Guimares.
Chegaram o superiores
cortes de seda
Superiores cortes de seda de cor, vindos pelo
nlHft>o vapor f-ancez : na luja das columnas a ra
do Crespo n. 13, de Antonio Correia de Vascon-
cellosA C.
Farinha de mandioca fina e alva, mais bara-
ta do que em qualquer parte, arroz da ierra pila-
do e em conta : para ver e tratar, na ra do Vi-
gario, casa n. 29.
Francisco Jos Germano
itr.% sova x. i.
acaba de. receber um lindo e magnifico sortimf nto
deocnlos, Inneinc. binculos, do ultimo e mais
apurado posto da Europa.
loias preciosas c objectos le
o uro.
Mauricio Selbcberg & C, Polacos, tiltirr.amente
chegados a esta provincia, cITerecem ao respailavel
publico um grande sortimento de |oiw, brilhantes,
relogios e muitos objertos de curo, por preco o
mais razoavel possivel, e mesmo troca e compra
objectos de ouro, prata e diamantes por objeetos
novos : na ra do Queimado n. 29, entrada pelo
largo de Pedro It n. 27, de manhaa at a* 9 bo:-as,
e a tarde das 4 hora; cm diaote. Os objectus ven
dido- pelos aonunciantcs sao garantidos por c les,
e eslao promptos para levar objectos = rasas das
pes.soas que desejarem comprar, urna vez qce nao
possam vir a seu estabelecimento.
e todas as molou..s
provenienfesdeia
HllfM
ludas as moleslin*> pelle
CitenftHas, liiirorcs. ilcfrc:.
sarnas,
cascidas. nph|CM,
ItEL.MATIS.M
SYnciiiis
Mi todas as seas formas, atnoi roiui i
o mal que provtm do uso txcesivo do
MERCURIO
l'Iceraeo do ligado
orem summa ledos os males que lea :ua
e igem na
IMPUREZA DO SAKGLE
um allerante poderoso para a
RENOVALO DO SANLE
e para dar nova torca e vigor ao arpo \
enlrnquecido j_ela doenca.
Vende-se na roa Direita ns. 12 c 70 e
Hospicio n. 40.
Vende-se em Peroambuco:
na pharmacia franceza de
P. MAURER C.
RA NOVA N. 18.
GRAGEASdeCUBEBINA
comCOPAIBAoeLABLONYI
Estes confeitos que tem por base o : r;
cipio activo da wimeira cuueba juoii
icupnln/barmn. nionatisen oesioiti.,
Elles fazem parar mmediatanunk -a
rebeldes gonorrhas, mesmo as que i - sii
ram acubeba o acupahyba isoladamei .
Deposito geral >m Pernairlir.co rea da
Cruz n.22 em casi de Cares A Rarbou
LL'C1AS, VIDRAS E
inA)i
A loja de louca da ra do Crespo n. 16 ten;
vender quanliriade deaznlejis de Hnda< e r.-riadas
cores, assim como loucas de todas as qoali lad de bonitas pinturas e gosto moderno, rices afinare-
Ihos de porcelanas braness douradas e de cota.-.
vidros de todas as qoalidades, inclusive fin in
chrystal, dilicados jarros de rhrjstKl p porcei.-.na
para flores, ligoras e outros miiilos objctos Dissima porcelana denominada biscuii" para c u-
feites de mesa?, etc., guarnices de flnissima por-
celana branca douradas e d cores para lavatorio*
e toaleles, tudodo mellar gosto, pinhas de l< 'ira <
vasos para jardim, ranieircs de lamparn.--
paz, globos e rhamincu de vidro. !'-raes <-...i-.
os mais sobrecelentes para os roesmos, gaz liqnito
de sifperior qualidade. e moto- ruir. s artigos que
seria enfadonho mocicaar. lud'j por precns nnl-
lissimos razoaveis.
Til r


r
Diarfo de Pcraaunbuco Segunda clra 14 de fulho de 18.
GNEROS BARATOS A DINHEIRO
NOS
8 GRANDES ARMAZESNS DE MOL \ DOS
ni ai ^;,'e) '* Carmo n- 9 arraazera Progresivo ra do Quciuiado n.
a 17 iii a o e Conimercio ra do Imperador n. 40,
ea.a Principal armazem de molhados.
OS PROPRIETARIOSk
Fazem scienie ao respeitavel publico, e cora e?pecialidade aos senhores de en-
getrtos, I ivradores c miis pessoas do cintro, que para'mus facilitar snas compras deli-
beraraai os proprietarios dos tres grandes armazens, reunir todo; os seas esUbeleci-(
meatos eai u:a so annuacio, pelo qual o prego de ura ser de todos, proraette-1
tnos jue nao infringiremos a tabella que abaixo vai publicado, annunciar os ge teros
por u:n prego, e m occasiaD da compra quererem por outro, como soc-de constante-;
mente em outras muilas' casas, porra nos nos'sos estabelecimentos nln se dar isto;
tioda mesmo com prejuizo nosso, quilquer psssoa poder mandar seus fmulos que;
sarao lam em servidos como viessem pessoalmante fazendo-uos o favor di mandar seus|
pedidos em cartas feixadis; para evitar qualquer engaos, remetiendo nos urna conta
pela qual se ver os procos tal qual annunci3rm)s, o que seno arrepender pessoa
a iguma que fizer s.ia despenca em nossos estabelecimentos; pois poupar mais de
i por cenlo na sua despeza diaria.
Manteiga ingleza perfeitamente flor chegada dem com \ a 5 ditas a 33200.
n!timamenle no vapor Saladim, do 1$ dem vasios de todos os tama irnos a 2#000,
a 1^120 a libra e em barril terabati- 15300,800 e 610 rs.
rnento. Queijos d 23300 a 2$300 os mais frescos.
Ideal francesa muito nova a 15 a libra, e Vinagre puro de Lisboa a 230 a garrafa e
em barril ter abatimeato. 2#000 a caada.
Banha de porco refinada a-4310 a libra e em dem mais baixo a 200 rs. a garrafa e 15400:
barril ter abatimento. a caada.
Cha uxira de superior qualidade a 23600. Azeite dcada LUbxt milito fino a 6O0 rs..
dem parala miudinho a 23 700 a garrafa e ij'500 a caada,
dem bysson especial qualidade de 2#500 a Toucinlio d Lisboa novo e muito alto a 400
2$1300 a libra. a libra, c em barril de 5 arrobas a I
dem preto muiloespecial a 2$ OOO e 200 10^300 a arroba.
a Hora. Cerraja Bass do fabricante Sblers dem do Rio em latas de 4,5000 e a 800 a 65300 a duzia e 640 a garrafa.
libra. dem Bass do fabricante T. F. Ashe a 65000
Latas com biscouto de todas as qualidaJes| a duzia e 360 a garrafa.
a 1:00. dem marca II Vicloria Alsope e outras
dem da creditada fabrica de Bialo Antonio muilas marcas a 35 a duzia e 300 rs. a
Li-boi) proprias para da; a doentes a'
j^JZj S-

AURORA BRILHNTE
Gai'fc&ES AMhZENS
OLHADO
GOMMA NOVA.
Em paneiros muito ava a i.ooo rs. a arroba e 16o rs.
ibra e compran-
do de um paneiro para cima se far abatimento na ra do Imperador n. 40.
<-'-_
Jfcrtn
mMWM
Largo da Santa;!
n. 84,
juina da ra do
Sebo.
>* Largo da Santal
^Cruz n. 84, es-%
"M [uina da ra do]aj
asSebo.
I <
',
^
w
rora nhan^frl'.Mm^0 Io ja muit0 {"editado armazem de molhadbf denominado Au? 'H
a S a ter . 'nesmoWtimento de gneros de primeira qualidade. 3
a eguintu tabella sirvira' a tnrincteo i.,o .. ....! .i____L, ~, Ju. ,--
Nen VpmIm tlr?1.ra a ,0 pelo grSZtSSSSnSt^^S! ^ e melhres d "ue a *** Brilbanteja
ero i|anto >"'"->-----' .lc'",.'i mesn

<>l>am ..*"" "".'" ""* porque sea dono b deseja tirar diminuto lu-
proveitar ^SUJSSJ^^V sde^auB do estabetecimento por isso deixe se a-
taotes freguezes er toda a diliBeucia. "m de servir bem os seus cons-
Laata7300.8 'braS dtchouricas muito novas,
^maiffi" fiom,P(ixe era Postasinteiras,
DE
iDiiiderrras7iovrcel'entepe,iscparafri-
I SS com KraS 6enSPadaS' a 72
muL^m3'""1",8* l5200> WOOe 3*300.
AKranSS,,adafamadu abricaute
iDitascom massa de tomate, a 500 rs
' 2Se2!s?;^SdeCl,'nadre' novos> a *".
.Dita
5 e 35 a lata.
Bolaxinha ingleza muito nova a 35300 a bar-
rica e a 210 vs. a libra.
Latas com bolaxinha de oda e oval a 25.
Prt mato inglez para fiambre chegado i
ultimo vapor a 80 rs. a libra.
tlh'.niriffts c piios muito navos a
a libra.
;ir.:i> com macarrSo tdharfm muito novo a
5SW0Q e :i20a libra.
900 rs.
garran.
Sabo primeira qualidade a 220 rs. a libra
e 21" em caixa.
dem segunda qualidade a 200 rs. a libra e
180 rs em caixa.
Sabo inglez superior a 180 rs. a libra e
160 rs. em cabra.
Caf primeira e segunda sorte a 75000,
75500 e 80 a arroba, e de 210 a 280 rs.
a libra.
Arroz do Maraahao 35200 a arroba e 100
ia branca e araarella a oOO a libra. rs_ a |j|)ra>
; i culate portasuez de especial qualidade a
v, o a libra. dem (h India a 25600, 25800 e 100 rs. a
: 1 ?m suisso de 8X) a 15 "00 a libra. libra.
, n ss >anaol verdadeiro a lO0O a libra Charutos Normas de Havana a 35300 a cai-
j'i vend -m)s a I 100. xa, de Simas (Jos Furtado).
la ase:; de g iaba em caixes de 4 e dem Lon trinos a 55, dem.
i i lii ras Mgaru a I5S00, Wem Parasienses a 45300.
le em caix3e< pequenofe a 700 rs. e de dem Deudas a 15300.
. para cia a C40. dem Traviata do Rio a 3J30O.
dem > em bocelas ricamenteenfatadas, dem varetas de Manoel Peixoto da Silva
contendo pera, pes->go, ameixa, rainha. Netto a 35300 e !5SO0a meia caixa.
e airas frutas a 35000 cada urna.
I leja era calda em latas feijtadas Jiermetica-
mente mno bem eafeltadas, contendo,
pera, pesego, ameisas e outras fruas a
640 e 7o0 a lata, f [randes a \y2 )&.
Maii a la dos melhores fabricantes, emla-
.'300 a
00.
1(2 libra a 15.
libra a OiOrs.
dem em i ilas do I
. i-1, n em 'atas le 1
Ervilhas enlatas chegadas neste ultimo va-
r a 700 e do 5a para cima a 640 rs.
Feijo verde ou carrapato em latas j pre-
parado a (!'i0 rs.
'.:.,,\a> em frascos de vidro a 15300.
Idam em :aixinhas ricamente enfeitadas de
15200 a 25-500.
Conservas Mexide maito novas a 700 rs. o
frasco.
! le a de ceblas simples a 700 rs.
SJolbo inglez a 611 rs. o frasco com rolha
de vi Iro.
M isl irda em p a 700 rs. o frasco.
.: .. preparada a320rs.
i. com massa de tomate de 1 libra
6 lOrs.
dem em latas de 1 1(2 lbra a 900 rs.
Vi h( s em garrafas vindos do Porto, Madei-
ra Secca, Duque do Pcrto, Duque Semi-
no, Cascavallas, Mara Pia, D. Luiz, Pe-
ilro V, Velho Secco, Lagrimas Doces, La-
grimas do Donro, e outras muitas marcas
a 15 a garrafa e 9-5 a 125 a duzia.
dem Palmella a 15 a garrafa e 115000 a
duzia.
dem em pipa de todas as -marcas Porto,
Figaeira e Lisboa a 4C0 e 500 rs. a gar-
rafa e 25800 a 35300 a cemada,
dem em ancorlas e 8 a 9 caadas com su-
perior vinbo Lisboa e Figueira a 245 a
ancoreta.
i lera branca expecial qualidade proprio para
missa a 50) rs. a garrafa e 45 a caada,
dem mais baixo a 'tOO rs a garrafa e 35300
a caada,
dem do ?orto especial qudidade a 800 rs.
a garrafa e 5^500 a caada.
Id ni Bordeaax em caixas a 75 e 700 rs. a
garrafa.
Cbampaoba a meliior do mercado vinda de
nossa 'ncommenda a 305 ogigo.
dem mais baixa de 185 a 205 e 15500 e
35 a garrafa.
'..'cores portuguezes e francezes a 15000 e
15300 a garrafa.
Marrasquino de Zara, verdadeiro a 15500 a
garrafa.
I leal mais abaixo-a 800 rs. a garrafa.
Qenebra de laranja ver adeira a 115 a du-
zia e I.) o fraseo.
[di m le Hollanda verdaleira a 65 a fras-
queira e-6t>0 o frasco,
dem de IIambur.:o a 5$300 a frasqueira.
dem em botigas de Hollanda a 400 e 440
rs. o frasco.
garrafas a 85, com garrafao.
i lem rom 14 a 15 garrafas a 65.
dem suspiros do mesmo fabricaate a 15100
a meia caixa e 55200 a caixa.
Jdem raece;ipes a 15700 a meia caixa e
35O0O a caixi do mesmo fabricante,
dem orientaos do mesmo a 15800 meia
caixa e 3 3 400 a caixa,
Idemjovens de Gastando^ Fillio a 25400
a caixa.
dem suspiros do mesmo a 15 ;0) a meia
caixa, e outras m tas marcas de fabrican-
tes.
Passas multo uvas a 15330 o quvto e a?
a caixa de ama arroba bespanhola e 320
a libra.
Vermute bebida para abrir a disposico de
comer a 15500 a garrafa e 1 i5000 a
caixa.
Alpista muito novo a 3.5300 arroba e 140
a libra.
Painco a 15000 arroba e l"iO a libra.
Pe:xe em alas j prejiarado a 15200 a lata
e era porcSo 15000.'
Sardinhas de Nantes a 400 a lata.
Tijollo para limpar facas a 160 rs.
Esparmacete a 000 a libra e em caixa a
580.
Vellas de carnauba a 12 e IO3OO0 a arroba
e 3G0a 440 rs a libra.
A/.eitonas de Lisboa muito novas em anco-
retas grandes a 15800 e a 400 rs. a gar-
rafa.
Balaios do Porto muilo grandes proprios
para guardar roupa suja a 25500, 35000
e 45000
Batatas em gigos de 31 libras muito novas a
800, e a 40 rs. a libra.
Gomma em paneiros a 45000 arroba e 140
a libra.
Farinda do Maranho muito alva e nova a
240 a libra.
Savadinba de Franca para sopa a 200 a li-
bra.
Sevada muilo nova a 140 a libra e 45000
arroba.
Caixas com eslrelinha, rodiaba e pevide a
400 a libra. |
Alhos em canastras muito novos e mauncas
grandes a 180 e 200 rs. cada urna.
Canella muito nova a 15000.
Cravo rauitu novo a "00.
Coninho idem a 320.
Ervadoce ilem a 400.
Alfazema flor a 240.
Amendoas a 400 a libra.
Nozes muito novos a 160 a libra.
Papel greve a 45203 a resma,
dem izo a 45000.
dem de pezo a 35000.
dem de embrulho marca grande a 15200 e
15300.
dem azul para botica a 25000.
Copos lapidados a 55500 e 500 cada um.
Palitos de dentes, macos grandes a 120 ]e
160 cada um.
Fumo americano de cbapa, de superior
qualidade a 15500 a libra, em porcao lera
abatimento.
aSSa bolachinha Je soda Oito novas, a
Chocolate.
Lamnhas com araeixas enfeitadas proprias
IrtJ ,*.mmo a '5*00,29800 e 3-j00.
' 880a?W00arOr mU't0 D0V' alibrade
' Macarrao.tallianam e aletria araarella, a libra
' i *lil* rs.
Dito dito dita branca, a libra a iOO rs.
(.aixas com MtmMa, pevide, e outras mas-
bas, a caixa 34300.
l)itas dita em libras a 640 rs.
L^-u, a libra a 3G0 rs.
p a!iuha para 5opa a libra, a 240 rs.
fc .unas descascadas, a libra a 200 rs.
ip';a ,nailnova'a libra a -8 rs-
f-annha de araruta verdadeira, a libra a
oOO rs.
'ArI27A/d, Marann5l'). era sacco, a arroba a
z5*0 e a libra a 80 rs.
tDito da india e Java, a arroba a 33200 e a li-
I bra a 100 rs.
Toucinho de Lisboa a 9J300 a arroba e a 30
( rs. a libra.
jDito de Santos, a arroba 73000 e a libra a
2C0 rs.
Mlhoscom 123 ceblas grandes, a 1$280.
I 7Stnnda fraaceza> caixa ora 2 duzias a
iFrwcos com mostarda preparada em vinagre,
i u ki)0 rs.
Di,.,s':ora conservas inglezas e francezas, a
640 e 800 rs.
(Ditos com sal r.-finado fino, a 6i0 e a 300 rs.
Vinbo verde superior.
A caada a 33000 e a garrafa a 400 rs.
Goiuma.
Saccas de 4 arrobas, a verdadeira de se
engommar, a arroba a 33000 e a libra
120 rs.
Sabao massa, a libra a 200,240 e 280 rs.
Fariuua.
Saccasgrandes com farinha Je Goianna mui--'
to nova, a 33000.
Caf.
Caf do Rio muito superior, a arroba a 83,
83500 e 93000.
Cha.
Ch.temos nestes eneros o melhor possivel,
hyson, a libra a 23600.
Dito .erla a 330U0.
Dito uxim a 23700.
Dito hyson muito fino a 23*>00.
Dito redondo a 23500.-
Dito preto de primeira qualidade a 23300.
Dito mais baixo a 23000 e 13600.
Erva mate.
Escellenle cha medicinal, a libra a 240 rs.
Espermacete.
O masso com 6 vellas de esperraacete a 600,
640 e 720 rs.
Passas.
Caixas de 16 e 8 libras de pastas
prias para mimos a 43 e 233'
Nozes.
.Nozes, a libra 160 rs. e arroba a/43000.
Alpista e painco.
Alpista e painco, a arroba 4 JOCO e a libra a
160 rs.
Cartas.
Cartas finas para logar, a duzia a 23300. j
Caslauhas. <||3
Castanhas novas viudas oeste vapor, arro- ^r
ba 43000 e a libra a 200 rs. Qb
Azeitooas.
Barris com azeitonas novas a 13500
Manteiga.
Manteiga superior, a I i tira a 152S0.
Dita mais abaixo a 13200.
Dita menos superior a 13 .
Dita franceza nava, a libra a 880
Dita dita era barris e meios ditos, a
830 rs.
Quijos novos. viudos ueste vapor a 23800 eV,.\
33000. Cgf
Ditos londrinos muito novos, a libra
13000.
Papel.
Papel al mago paulado, a resma a 43800.
Dito dito I izo de linho, a resina a 43300.
Dito de peso lizo e pautado, a resma
23300.
Dito de embrulho, bom a 13 e 13200..
I Ditos coma vwdadeira genebra do laranja, a Dita para tempero a 400 rs.
15000. Queijos
!Ditos de 2 garrafas de Hollanda verdadeira,a
640 rs.
i Botijas cora dita propria para negocio, a
{ iOO rs.
3Garrafoes com 2 galoes com dita, a 63.
jServeja boa, marca, a 300 rs. a garrafa, e a
Q duzia a 6:000.
rVinho muscateldeSetubal, a garrafa a 13.
i Marrasiminho verdadeiro,frascos a 80C rs. e
g a 13200.
jChampagne, a duzia 203000, e a garrafa a
g Azeite retinado portuguez e francez,a garrafa
P a 13000.
.Caixa de vinho Bordeaux muito superior.a
5 73,83,95 e 103 a caixa.
jDitas com dito branco, a 73 a caixi.
Ditas com dito lacrimas do Douro verdadeiro,
l a 203.
5 Ditas com duque do Porto verdadeiro,"a
j 185000.
Ditas com charolase superior, a 145.
"Ditas com Porto velho e outras muitas mar-
cas, a 123.
5 Vinho do Porto Ja pipa, a garrafa a 640, 720
] e800rs.
Dito de Lisboa muito bom, a caada a 33200,
l 33300 e 45, e a garrafa a 500 o 360 rs.
Dito da Figueira, das seguintes marcas (X.)
(J. A. A.) (J. L. G.) (O. M.) a caada a
> 43300, e a garrafa a 560 e 640 rs., desle
( que j est engarrafado e lacrado com o
rotulo do armazem.
LDitos de marcas mais desconhecidas, a cana-
da a 35300 e 43000, e a garrafa a 480 e
320 rs.
.Vinbo branco fino, agarrafa a 640rs.
Dito de caj muito superior, a garrafa a
> 800 rs.
AZEVEDO FLORES
Ra da Odeia do Kecife, esquina da flr.iire de Dos.
BALdES
Baloes de arcos 3#000.
Bales com o primeiro arco grosso de 20, 23 e 30 arcos, a vista so far prego.
Baloes de arcos e de pa no para meninas de 2 a 12 annos a 2$ e 20500,
Chapeos de s< l.
Chapeos de sol de seda com 12 asteas 8.
Ditos maiores com 16 asteas 12$.
Camisas.
Camisinhas para senhora a 35.
Camisas brancas para humera e cora peitode cor a 1J800 cada urna.
Camisas com pregas largas muito superiores a 2)5500.
Camisas de linho a 2#8O0 e 3-53 0.
Camisas de iinho inglezas a 45, *ao rauito superiores.
Camisas de l'anella Cami as de meia superiores, I carto com 6 caminas 105-
Chitas.
Chitas largas a 240 o 280.
Chitas largas escuras finas a 320 rs.
Chitas preclaras superiores a 440 e3G0 rs.
Chitas estreitas a 200 rs. o covado.
13;i Madapolao muito fino a 83 e mais in'erior a 65, estes precos 25 menos que o
novas pro- b va^or rea' ^a ^azen(la' 1uem duvidar venha ver, ha muitas outras qualidades de mada-
'Jg poloes, assim como o superior madapolao francez para camisas e saias de senboras.
Helas.
Superiores meias cruas para homem.
Mcias pretas e brancas para senhoras.
Cern la.
Superiores ceroulas de linho o melhor que ha.
Dilas de brim de Hamburgo feitas na trra
Ditas de e^gulao de algodao a 156UO.
Paleto; s.
Paletots saceos de casenjira.
dem de brim pardo e brancas muilo finos,
dem de alpaka branca muilo superior a 5>.
dem de alpaka preta a 45.
Calcas.
Calcas de brim branco a 75, 05, 3;> e 45.
dem de casemira de cores a ~> f;> e 10>.
Colleles.
Colletes brancos a 25300 e 35.
dem de casemiras de cores e pretas a 45 e 55-
Vestidos a Mara Pa.
Ricos vestidos de lia com barras nv dems e os mais finos que pode haver a 205.
Vestidos do mesmo gosto. porm mais simples a 12> e 14.
Sacos de viageni a $.
Por estes precos s vende Azevedo & Flores na loja do
libra
M&&
w
^.^^^mmmmmM
Vinho ladeira.
"w
deira a 13500 e 25000. Hfo
Temperos. ^^
Folhas de louro, pimenta do reino, cominho V
e cravo, a libra a 400 rs. &*.
Velas de carnauba. 3SK
ilassos com 6 velas de carnauba refinada a
480 rs.
Amendoas.
Amendoas com casca, a libra a 320 rs.
Doce.
Caixoes de doce de goiaba, grandes a 13400
e pequeos a 640 rs.
lijlos de lirnpar.
Tijolos de arear facas a 140 rs.
Graxa.
Duzias de boioes detraa n. 97 a 23000, e
de latas a 1-3000, e os boiocs a 240 rs. ca-
da um, e as latas a 100 rs.. ^
Charutos linos.
Charutos finos dos melhores fabricantes da
Bahia por diversos precos, caixas e meias J
caixas.
E grande quantidade de gneros tendentes ||
estes estabelecimentos, qne deixam de an- ^f
nunciar-se. m
de trabalhar mao par:
descaro^ar algodo
FABRICADAS
Por Plant Brothers & 0.
Ol.DAM
Estas machinas
podemdescarocar
iiualquer especia
.de algodao sen
'estragar o Bo.
sendo bastante
duaspessoas par.
otrabalho; pd,
descarogar um>
arroba de algc-
dao em caroct
em 40 minutos
ou 18 arroba
por dia ou 3 ar
robas de algoda'
limpo.
msmt 111
Saccas grades com 100 libras- de farejlo superior a 45000 a sacca.
N. 11Roa do Queimado-N. 11
LOJA DE FAZENDAS DE
- Augusto Frederico dos Santos Porto.
Chegou a este estabelecimento um grande sorlimento de cortinados bordados para
camas fazenda de maito gosto.
Chales de guip muito tinos para 223,233 e 303.
Colxas de seda superiores de diversas cores para cams de noivas.
Colxas .e laa e seda para cama tambem de bonitas cores.
Rotondes de guip enfeitados com o melhor gosto.
Setim de Paris bella fazenda e de bonitas cores para vestido a 700 rs. o covado.
Moureantlque branco e preto, grosdenaple preto e do cores, pannos pretos de todas
as qualidades, ditos azues.
Casemira preta e de cores, merino preto, silistrina, bombaziaas, alpacas pretas, e
la preu para lutos.
Malas, saceos e boleas de tapete, verniz e coaro de 43 a 11-5-
Brins de linho de cores nos a 13800 a vara.
Chapeos e chapehnas de palha de Italia para senhora, manguitos bordado?, cnapos
de seda para homem, chapeos de sol de seda, esguio de linho, cambriia de liohJ, breta-
nhas, silesias e muitas outras fazendas que se vendem pjr commoios pregos assim como
tambem
Esteiras da India para forrar salas
Em casa de Tisset Freres ra do Trapiche n.
9, tem para vender :
Vinho B.rdeauxem barricas e em caixas.
Dito de Santerne fino.
Dito de Champagne muito superior.
Cerveja franceza marca Bobee.
Taiso Iraios
vendem gesso em p para stuque Je casas, tijolos
finos de feito diversos para ladrilho, azuleijos de
diversos gostos, tijolos vidrados para parede da co-
zinha, canos de barro para esgoto, cemento em
barris de 10 arrobas.
Assim como machinas para serem movidas por
animaes, que descarocam 18 arrobas dealgodi
limpo, por dia; e motores para mover urna, duas,
eutns dessas machinas.
Os mesmos tom para vender um bellissimo va-
por que pode fazer mover seis destas machinas
mencionadas; para o que convida-se aos Srs.
agricultores a virem vr e examma-lo, no arma-
zem de algodo, no largo da ponte nova n.47.
Sauiders Brothers k G.
X. II, praca do Corpo Santo
RECIFE.
Os nicos agentes neste paiz.
Attengo.
Vendem-se pecas de esteiras para forro de sala,
tinta branca preparada a oleo, em latas de 25 li-
bras, para pintar casa, relogios para cima de me-
sa e para pendurar, arreios para I e 2 cavallos,
velas de spermacete, tudo de superior qualidade,
vindo dos Estados Unidos : no armazem da ra do
Trapiche n. 8.
Goke dogaz.
pitch dt gaz.
Alcatro do gaz.
Coke tonelladas rs. .
Pitch .
Alcatro caada.....
O coke reconhecidaraente o carvo mais econ-
mico, torna-se por isso recommendavel, bem co-
mo pelo asseio que se nota as cozinhas aonde
elle usado. Pitch e alcatrao.alm das applicajSes
diversas a que se prestam, como para callafetar
embarcacoes.ali'.atroar madeiras,etc.,teem este
propriedade de oreservar#do cuplm, formigas.otc.
E' entregar na fahrica dogaz ou mandado p6r em
qualquer ponto da cidade, segundo a volitado do
comprador.
Atten#U;.
Grande liquidafo be fazendas e roupas fe-i
tas nactonaes.
ftua da Irnp- rairiz n. 72, loja e armazem de
Guimares & irmo.
Os pruprieUnos desle novo estabtlecimeuto re-
ceberam pelo ultimo vapor francez um grande sor-
timento de Iasinhas escocezas, padrSes muito bo-
nitos, que esto vendendo pelo diminuto preco de
240 o covado ; muiio barato I
Lanintias a 2401
Lasinhas a 240 II
Laasinbas a 240 !.'!
Roa da Imperatrizn. 72. leja e armazeni de
Guimares i Irmo.
Tambem receb^ram um grande tortimcnto de
colchas de fnstao que estao vendendo por 53o00e
63, ditas de chita a 13900 e 23, ditas de la a
13500 e 23, grande sorlimento de cambralas bran-
cas a 33200, 33300 e 43, ditas muito finas a
4JSO0, 53 e 63, dilas de salpicos branco a 43500
e 53000 : isto s na loja e armazem de Guimares
& Irmo. rea da Imperatriz n. 72.
Chitas largas a 240, 260, 280, 300, 320!
Chitis largas a 210, 260, 280, 300, 320!
Chitas largas a 210, 260, 280, 300,320!!!
E muito barato, pecas de bretanha de rolo cora
16 varas a 't* e 33200, ditas de madapolao rom 24
jardas a 43500 35, 63, 03500 e 73- muito fino a
aj>3, madapolao francez entestado com 12 jardas
a 33200, 33500, 43 a 43500, chales de merino es-
tampados a 23, 2350O e 33, dilos muito finos a
63 e 63500, cortes de casemiras de cores e pretas
pelo diminuto preco de 23500, 33, 33500 e 45.
ditas muilo finas a 53, 53500 e 63- grande sorti-
I ment de roupas feitas de todas as qualidades, e
i prego que s vista dos compradores que se
(poder dizer o preco, amaneando que vende-so
r por menos 20 0|0 que em outra qualquer parle :
isto na ra da Imperatriz n. 72, loja de Guimares
& Irmo.
GRXDE
100000
800000
400
Instrucefles para o seni^o
das guardas do exercito, extrahidas do re-
gulamento de infantaria e accommodadas ao
exercito brasileiro; obra que muito convm
aquellas pessoas que se alistam nos corpos
de voluntarios; vende-se na livraria n. 6 e
8 da praca da Independencia, a 1J.
O propnetano do grande armazem do Baliza,
largo do Livramento n. 38, nao tendo podido con-
seguir em lempo a mudanca de sen armazem, por
ter de ser mudada a coberla dessa casa, tem resol-
do vender o grande e magnifico sorlimento de mo-
Ihados e seceos que nelle se acham por todo o pre-
co, sera atiender ao grande prejuizo que ter, vis-
to que d'outra forma nao o poder evitar.
Vende-se
farelo de Lisboa em saceas e barricas, e saceos
com -nperior farinha ie mandioca, mais barato do
que ni outra qualquer parte : na ra do Vigario
o, 17, primeiro andar.
Vende-se urna taberna bem afregoezada para
o mate, ' hwm como para a t*rra por ftcar ao p
do mar, tambem da comidas e dormidas, e recebe
passageiros, lendo excellente comaiodo para ft-
milia : na ra da Lapa o. 13.
GAZ GAZ GAZ
Vende-se gaz da melhor qualidade a
lij a lata : nos annaiensda ruado Im-
perador n.16 e ruado Trapiche Novon.8.
i
1
I
*
.......*


Diario de B*ernam!mco Segunda letra 4 de til!; o de te*.

-


.
Grande liquida$o a dinlieiro.
Na loja ei-mazem do l*a>ao.
Rita da Imperatrlz n. BO de Ca-
ma & Mllva.
Os dones deste es.abelecimento lem resolvido li-
quidar suas fazendas por presos baratissiroos, s
com o fin de apurar dinheiro, e previoem as pes-
soas que negociam era pequea escala com fazen
das, qae nesta loja e armazem encontraro um
grande sorlimeuto por precos que rouito Ihes ho
de agradar, tanto etn pega como .1 retallio,
SABlNETr
H
1
Aspas fortes para baldo,
Vendem-se na rna do Queimado, loja da
! Aguia Branca n. 8.
kT4J Dminos e visporas
Vendem-se era duzias e a reulh, sabone- .em caixas de madeira.
tes aromticos e por precos commodos; na A Aguia Branca na ra do Queimado n. 8,
ra do Queimado loja d'Aguia Branca n. 8. acaba de rece,Jr domines em bonitas cai-
A amiga e bem conhecida loja de miudezas a
ra do Queimado n. 16, acaba de ser novamenle
provida de differenles miudezas, novas e Anas per-
fumaras inglezas e francezas, luvas de Jouvin, en-
feites para senhoras e outros muitos dwersos arli-
gos, que com prudencia e sisudez serao patentes ao
Grande exposi#o de fa-
zendas.
Que esto a venda, na loja e armazem da Arara,
ra da Imperatriz n. 56, Lourenco Pereira Men-
es Guimares.
LAZINHAS A 240 Rs. !
LZINHAS A 240 R?. I I
LAZINHAS A 240 Rs. I 1 I
Ha um graude sortimento de lzinhas chinezas,
chegldas pelo ultimo vapor, sendo fazenda que
1%
Uencfio.
Acham-se fgidos .-s escravos seguales : lien-
to, pardo, alto, secco, cabellos annelados, em bar-
A fitin 11 til'to xinhas de madeira branca e envernisada, e | eompnoor, aqoVralsc"e'a7evgularidadrdos pre"..
. \ y lA/Ui MlUllllG visporas de caixinbas de papelo, e madeira eos nao ser indiferente para continuar com a sua quaesquer loja vende a 400 rs., esta se vendendo, | campo que os facam
para tinsir cabellos. envernisada, ludo contina a ser vendido' boa fregnezla. na loja da Arara pelo diminuto prego de 240 rs. casa de seu senhnr, o
Antiga loja de miudezas a madapolo com 21 jardas a 45500 i < i
MADAPOLO COM 24 JARDAS A 45500 I I !
a sa-l
ber '.
Chitas largas a 200 rs. Alm do chromacomo, acha-se mais a a- porpregos commodos e dinheiro avista,
Vendem-se cnius francezas, Mitradas muitolar- gua Hoilde, preparacSo ingleza para Ungir T PWCnS HPi-l/PTinv
gas, padioes escuros,pelobarato prego de 200 rs. ^ cabellos,. s pretendentes comparegam a i/l'' IJV11 wt'W*
o coyado, tendo muilo bom panno ; d.tas escuras pua dQ Queimad0) ,: d>Aguia Branca n 8-1 para meninos.
i* i i/t' >nii*ivi // i A Aguia Branca, na ra do Queimado n.
rlHl ritlUS *8, recebeu um novo sortimento d'aquelles,
lenco brancos, pequeos e com barras de
cores, proprios para meninos, e aiuda serao
uendidos pelo commodo preco de i#000 a
dnzia.
pdroes novos, por serem todas escossezas e cor
fixa a 240 rs. o covado ; ditas miu linhas escuras
e claras a 240 rs., alBangando so que esla fazenda
nao tera o mais pequen toque de mofo, nem ontro
qualqner defeilo. Isios o Pavao, na ra da Im-
peratriz d. 60 de Gama & Silva.
com perfumaras.
A Aguia Branca na ra do Queimado n.
8, recebeu um novo sortimento de perfu-
Vende-sfra'boni'to sortimento de 'espar.ilhos' mariaf das Medientes qualidades j bem CO-
propnos para senhoras, sendo dos mais modernos nbectdas, vindo no mesmo bom;as caixinlias
e bem fetos que lem vindo ao mercado, tendo de de madeira invernisada, e outras de vidro,
todos os lmannos e de diversos pr,>;os traindolo- todas com finas perfumaras, 6 mui pro-
fo?,ooPaT^^^^^^
a.wm:

ec
I
cha
si-
por preces commodus, na loja d'Aguia Bran- Aguia Rrancan. 8
ca ra do Queimado n. 8.
Toacas de fil enfei
tudas
a 503 rs. cada urna.
Vend m-se na ra do Queimado, loja da
Aguia Branca n. 8.
Espelhos dourados
A Agu a Branca, recebeu novamente um
Meias pretas
de laia pararpadre.
Vendem-se na ra do Queimado, loja da
r,,i,iw ",o" ...vw~i..<-- *|- mw * v .Hvi...|[.|flUU(; oui ti 1111.111** uu oowiuvs uu
e muito levezinhas, vendendo-se pelo barato preco ] les qualidades, sendo de mordura
de J20 rs. o covado, sendo razenda que sempre se ... "*______ ... __.___An .-.
vendeu por 640 rs. Uqnida-se por este barato dita envernisada, OUtros de dita el
Laazinhas a 320.
Laazinhasa 320.
Lazinhas a 320.
Chegarara para a loja do Patio as mais bonitas
lazinhas suissas de quadnohos e listrazinhas a
imitado de sedas por terem muilo lustro, sendo os
padroes mais modernos que lem viudo so mercado grande SOrtimcntO.de espelllOS de differen-
dourada,
envernisa-
precona'Uijae armazem "do Pavo, na ra da Im-1 da com vivos dourados, tendo diversos ta-
peratriz n. 60, de Gama & Silva. | manhos, al grandes para salas, e bem as-
Lcneinhos p*fl mo a 210 rs.. na loja'sim outros de armago com um e dous ps,
do Pavo. e outros com enconsto, todos os quaes se
Vendem-sefimssimos ien.;os brancos com duas, vendem |or precos commodos c dinheiro
cercaduras, sendo urna de cordo e outra de eores vista : na ra do Queimado, loja d'Aguia
matizada-:, muito finos, a imilacao de linho, pelo rtranra n 8
barato preco de 2KO0 a duzia', ou 240 rs. cada |
um : i-lo s ua loja e armazam do Pavo, na ra
da Imperatriz n 60, de Gama 4 Si.va.
Lazinhas a 300 rs.
Lla/inhas a 300 rs.
Lazinhas a 300 rs.
Vndese um bonito sor:imento de lazinhas pro- hag "*sin rnr ra
prias para vestidos e soulcmi arques por serem li-1 e PaufO com J Iinnas, ass m como e
sas e de quadnnhos pelo barato ureode 300 rs. o: peso, tambem superior e igualmente liso e
covado, sendo fazenda que sempre se vendeu a pautado, com Cora imperial, e sem ella, e
soors.o covado,evndese.a dinheiro a v>ta pe outros pequeos conforme os cima, e pa-
tOD-fOJcOO-i rr'-< OJ O C ? o
"illEFlIftiU
s"|a!33iff|Iss-|.Sa
B) 6 3 "" r- -1 O aj C-i- C? ^*
r as
sSfi S.o SS?.ft
Q.B en a S 2. <==;

C
>
en
9
p D 1
"S 3 8 2
w cp 3
rii *=
2 S.S

-j.
> u
OJ
o a
103 a
m 3
B >m popel almasso
pautado com 33 linhas,
A Aguia Branc acaba de receber a
sua
encommenda desse bom papel almasso, liso
lo barassimo prego de 300 rs. c covado : na loja
do Pavo ra da Imperatriz n. CO de Gama &
Silva.
Pelerinas a 1G00.
Vendem-se as mais ricas pelerinas ou romeiras
de catnbraia bordadas proprias para hombros de
sentara pelo baralissimo preco de 13600 : na ra
(a Imperatriz n. 60, loja de Gama Urgandy a 240 rs. o covado.
na loja do r.-ivo.
Vendem-se as mais bonitas cassas organdys, pa-
driSes miudos e (randes, pelo baralissimo preco de
"iO rs. o covado ( doze viotens), esta pechincha
araba-se logo : na loja do Pavao tua da Impera-
triz n. 00, de Cama Silva.
BRETANHA DE ROLO A 3O0O.
UadiipoIO cufesado a 3^000.
Ka loja do Pavo
Vendem-se pegas de brelanha dV-tok com 10
varas a 33. dilas'de madapolo infestado a 35201,
3{500 e 43 : na loja do Pavao, iua da Imperatriz
n. 60, de Gama & Silva.
Hadapdiio com toque de mofo a (5-100 c ~
Vendem-se scperioies pecas ce madapolSc, p3-
rantindo-se 20 varas em cada urna, pelo baralissi-
mo preco de 63400 e 73 p r terem um pequeo
loque de ninfo que nada val, e pecas de algodu a
'i-3 : na loja do Pavo, ra da Imperalriz n. 60, de
Gama t\ Silva.
Curies de caseniiras a 2o00 e 3^
Vendem-se corles de casemira de nma s cor a
23O0. ditai e qnadrinhos a 33 : na loja do Pa-
vo, ra da Imperatriz n. 60, de G; ma & Silva.
Chales a 200Q
Veadem-se chales e merino a 2,3, 23500, '3 e
65 : na b ja do Pavo. ra da Imperatriz n. 60, de
'ama Laandlias a 220 rs ua hija i'o Pavo
Vendem-se lazinhas transparentes de uxa s
:or e d'i quadrinhos propflas para vestidos de se-
nhoras e meninas, pelo baralissimo precu de 220
rs. o covado, sendo fazenda que sempre se vendeu
a 'flO rs.: na loja do Pavao, ra da Imperatriz n.
60, de Gama & Silva.
Corles granadinos :. 12
Vendem-se os mais ricos fortes de fazenda de
muiia phantazia por ser transparentes e tecldos
com sed i, lendo caibi corte 22 corados, pelo dimi-
nuto preco de 12? : nicamente na loja c arma-
zem do Pavo, ra da Imperalnz n. 60, de Gama
J Silva.
Uoruouts de renda na hija do Pavo
Cnegan m os mais rices bornouts de renda e se
vendem por baratsimos presos : na loja e arma-
zem do Pavao, ra da Imperatriz n. 60, de Gama &
Silva.
RietsChales pelos de renda
Cneizou pelo ultimo vapor Irancez um grande e
variado sorliawnto dos mais ricos chales pretos de
renda, tanto de linho como de seda, tendo enlre
ellos muitos de pon'a redonda a pmitagao de man-
teletes e muitos eom o entro de cor, o vende-se
por precos muito em conla por lerem silo manda-
dos vir de conta propria peh.s donos da loja do
Pavo, ra da imperatriz n. 60, de Gama 4 Silva.
Lfiazinhas lisas a iiOO rs.
Vendem-se as mais modernas laazmhis, tendo de
todas as cores, pelo barato preco de 500 rs. o co-
vado, larl.iiana branca e de core:' a K00 rs., fil liso
braneo a 800 rs. a vara, cortes dt fil brancos lisos
a 03 : na loja do Pavo, ra da Imperalrlz n. 60,
le Gama & Silva.
Chapeos de sol de alpaca
Vendem-se superiores chapeos de sol de alpaca
a 33o00, ditos de seda inglezes com 16 aspas a
125 : na loja do Pavo, ra da Imperatriz n. 60,
de Gama A Silva.
Liazinoas trasparentes a 320.
Vendem-se muito bonitas laaznhf s transparen-
tes com palminhas de seda a 320, litas lisas e de
valias cores a 220 rs.: na loja do-Pavo, ra da
Imperalris n. 60, de Gama & Silva.
Cortes de las matizadas.
Vendem-se bonitos cortes de lias matizadas, ten-
do la cavados cada corte, a 33, dms Mara Piar
a 63 e 83 : na loja do Pavo, roa da Imperatriz
a. GO, de Gama 5i Silva.
ROL'PA FEITA
ROITA FEITA
BOPA FEITA.
Na leja do Pavo vende-se um grande sortimen-
1,0 de roupas feilas para hornero, serdo calcas, pa-
letots e cohetes, tanto de panno como de casemiras
iretas e de cores; deixa-so de mencionar os pre-
sos para nao se tornar enfadonhj o anoancio,
aflaocando-se que o re*peitavel eunuco achara um
grande sortimento por baratissimos pregos : na
loja e armazem do Pavo, ra da Imperatriz n.
60, de Gama & Silva.______________^_
Picbe do saz e veroiz dogaz.
Vendase piche do gaz, verniz do gaz e estopa
3a trra : no armazem da bola amarella, no oitlo
da secretarla da polica. -
AttencAc.
Vende-se o deposilo da roa Nova n. 61, bem
ifregoecado e bem sonido : a tntar na roa do Li-
vramento n. 34._______________^ _______
'Palitos de fgo a $ grozi fart li-
tjuidar.
Chegaram excellentes palitos de fogo e vnde-
se pelo baratissimo prego de 23 a groza: na ra
s.d Cadeia do Recife loja de ferragens n. B6 A, de
Bastos.
S
B
o
c
2
era
-
a
i
05 o 2 O
2- :'' F
rs
su
1
c
M
. O ~ C
o ~ 55
a,
N
O CD
- "1
~J
CU
as -
-i o
= 3"
O
o
quete, tarjado de preto folha grande e pe-
quena, ele.
Tambem recebeu envelopes correspon-
dente a lodos os lamanhos do papel, tanto
brancos como tarjados.
A commodidade dos precos ja de todos
bem condecida, urna vez que appareca di-
nheiro : na ra do Queimado loja da Aguia
Branca n 8.
Esponjas finas pu va rosto
Vendem-se na ra do Queimado, loja da
Aguia Branca n. 8.
Meias de cores
, Farinha de mandioca : tem para vender Au
para crearlas de G a i i meses. tomo Lniz de oiiveira Azevedo & C, no seu es-
Vendem-se na ra do Queimado, loja da criptorio ra da Cruzu. 1.
Aguia Branca n. 8.
Tasso Irmaos
Vendem no sen armazem ra do
Amonin n. 35,
Licor fino Curacao em botijas e meias botijas.
Licores finos sortides em garrafas com rolhas de
vidro .e em lindos frascos.
Vinhos Cheres.
Santernes.
Chambcrlin.
Hermitage.
Borgonhe.
Champagne.
Muscatel.
Reino.
Bordea ux.
Cognac.
Od Ton.
AzeitePlagniol.
J hosphoros fie seguranza
caixas de 500 palitos a 100 cada urna.
Vendem-se na ra do Queimado, loja da
Aguia Branca n. 8.
Gollin/ias e pnn/ws
bordadas para senlioras.
A Aguia Branca da ra do Queimado h.
8, vende-se mui bonitas golliuhas e punhos
bordados para senhora.
avaiindo.
Francez barrica ojOOO
Porlland dem 83500
Em perfeilo estado:
Francez barrica 103000
Porlland dem 123000
No armazem de Tasso Irmaos re> do Apollu.
Bichas deHamburgo
Vendem-se na ra Nova n, 61.
ra do Queimado n. 16. *
' Nessa loja vende-se baratamente, alm de mui-
tos outros objeclos os seguinles :
VolUs de crysial, grandes e pequeas.
Outras de diversas qualidades.
Cruzes Allinetes de madreperola e ontras qnalidades.
Brincos a balo.
Cintos a traviata.
N. 16 tua do Queimado.
Pcnnas d'aco, papel c envelopes.
Na anliga loja de miudezas a ra do Queimado
n. 10, acha-se um bello sortimento de papel al-
masso prev liso e pautado, primeira e segunda
sorle, dito de peso liso, pautado e de quadrinhos, e
de deferentes qualidades al a que se pode encon-
trar de uielhor, dito paquete, dito pequeo em cai-
xinhas, sendo liso, pautado, de quadrinhos, beira
dourada e tarjado de preto, tendo entre eles al-
guns que trazem a envelope na roesma folha, o que
aqu inteiramenle novo. Caixas de envelopes
maiores e menores, e tarjados de preto. Pennas
d'aco inglezas, cahgraphiras e outras qualidades,
todas dos afamados fabricantes Perres & (1
AI Im iis baratos na rna do Quei-
mado ti. 16.
Vendem-se bonitos albuns para 12 retratos a
1500, outros para 24 a 33000, e algons maiores
tambem por baratos precos.
Luvas de p-lica a 300 rs. o par.
Apezar de nao serem amigas eslo um pouco
mescladas as luvas de pelica preta e de cores, as
quaes anda servem para a noile, e mesmo para
montara, e vendem-se a 500 rs. o par na tua do
Queimado n. 16, loja de miudezas.
Labvrinllios e bcos.
Na loja de miudezas a ra do Queimado n. 16,
vende-se bonitos labyrinlhos e bicos das ilhas, te-
cidos em grade de llnha o que os torna fortes, e de
muila duraco, alm de que os novos e agradaveis
desenhos, e & commodidade dos precos concorrem
para a boa exlraccao d'elles, tanto mais qnanlo
elles nunca sao desnecessarios em casas de fami-
lias, pelo que podem dirigirse a ra do Queimado
n. 16, loja de miudezas.
Ra do Queimado n. 16, an-
tiga loja de miudezas.
Essa loja j tao conhecida, renovou e melhoroo
o seu sorlimenlo de perfumaras, onde os preten-
de:.ir.- podem encontrar de novu e bom.
leos philocome, superfino e babosa.
Banha fina em frascos e latas.
Extractos finos inglezes e francezes.
Agua da colonia e florida.
Opiau e poz para deu'es.
Exirarto de quinquina para dilos.
Agua balsmica para ditos.
Dita denirice para ditos.
Leite virginal para sardas.
. Vinagre de Venus para refrescar e conservar o
lustre da culis.
Sabonetes camphorados inglezes.
Dilos areienlos excellentes para miios.
Outros tambem inglezes de diversas qualidades
em caixinhas de tres e solios.
Albuns com perfumaras._________________
Farinha re muribeca fi ;a e alva, mais
barata que se vende no mercado, em sac-
eos : na ra do Vigarion. 29.
fi Fumo da Babia para
charutos.
Vende-se fumo superior de todas as
*?* qualidades, a realho e por atacado, e
j j& por precos commodos, no Itecife, ra da
i i Cacimba n. 1.
mmmm ksihi
.\a ra de Apollo n. 18, vendem se tres es
cravas mocas com habilidades.
ba, testa larga, falla um pouco descantada ; e Luiz,
crioulo, altara regnlar, barbado, e ja' rom alguns
cabellos brancos, corpo regular, bstanle cabelludo,
falla grossa, e as vezjs (tnge-se ronco : porianlo
pe1e-se as autoridades policiaes e aos capilaei de
apprehender e conduzi-los
major Antonio da Silva Gus-
; mao, na ra Augusia n. 08, que serao generosa-
1 mente recompensados, e Ihes papar toda de*;eza
que flzerem com a sna conduccao : suppde se que
Vede-se madapolo com 24 jardas e garantin- elles tero ido em seguimento para os serles por
do se qae tem 20 varas, polo barato preco de seren filhi s desses lugares.
433OO, 53000, 6301)0 e 63500.
BRETANHA
S5
m
DE BOLO COM
A 23MW.
Vende-se brelanha de rolo a 23800 a pe?a, s^
Mendes Guimares. -
MADAPOLO ENTESTADO A 33000, 33500
E 43000.
MADAPOLO ENFESTADO A 33000, 33300
E 43OOO.
Vende-se madapolSo enfestado pelo o barato
prego de 33. 33300 e 43 a peca.
COLCHAS DAMASCADAS DE Fl'STAO.
Vende-se as mais iiio lernas colchas de fustao,
tendo de todas as cures a 53300, ditas grandes a
63000, ditas de damasco a 5000, ditas de chita a
23240 e 13900, isto s por a cahar, na loja e ar-
mazem da Arara n. 50, Mendes Guimares.
CHITAS FRANCEZAS A 240, 260, 280 E 300 Rs.
CHITAS FRANCEZAS A 240, 2*0, 280, 300 E
320 Rs. O COVADO.
CHITAS INGLEZAS A 200 E 220 Rs. O COVADO.
10 varas Aviso aos captoles de
campo
Aisenlou-_se o escrr.vo Manoel que j foi escra-
vo 00 Sr. Joao Ferreira Taboza sentar do engenta
Vertente da comarca de Cruar, e depois de
seu filho Joo Ferreira Taboza Jnior rend iro do
engenho Rede de Santo Antao, cujn eseravo lem os
signaos seguinles : alto, ponca barba, fali 1 de
deules na frente e o mellior signal (er os peilos
estufados para fi ra bem visrvel : quero o pegar
leveo a ra estrena do Rosarlo n. 5, que sera'
bem recompensado.
Foglo no da 16 do correnle a eserava mula-
ta de nome Suzana, idade 40 aunos, mal? ou me-
nos, baixa, rneii do corpo, com falla de dentes na
frente, cabellos estirados, levou vestido de chila
escura e panno da Costa : roga-se as autoridde-
policiaes e_i--apiles de campo sna caplura a entre-
Vende-se cambraias brancas desalpxos a 3500 garem-na a praga da Independencia ns. li e 16.
apega, tambem ha um grande sorlimpnlo de cam- Piotesta-se contra qualquer pessoa que a tenba
braia brancas que se vendem a 33, 35500, 43, ac""li">a-_____________
33, 63 e 73 a pega. Pngio em principios do mez de levereiro oc
CHALES DE MERINO A 2{000. corrente anno e consta estar acouiad<. nesta edao
Lengos de cambraia com barra de core-a 13800 o moleque Euzebio. eseravo da viuva do Dr. fer-
a duzia, ditos de dita braneo a 23 e a 25500 a du- nando Alfonso de Mello, de 12 aun..s de idade pott-
zia, s Mendes Guimares. co mais ou menos, cor | rea, secco do cor| o, (A
CALCAS DE BRIM DE LINHO. regulares e afumagados, eabeca um poncof
Vndese caigas de bnm de linho a 35400, e meia chata, beigos finos, denles bem a'vc-s. l
25600 e. 45000, dilas de algodao a 25, s Mendes seceos e muito ladino : ropa-se por tanto a toda< m
Guimares. autoridades policiaes e capilaes de campo que o ap-
Soutambarques de con s, vende-se muilo barato, prebendan) e levem-o a rna da Maogneira sobrado
ditos grosdenaple preto, capas pretas a vista se n. 6 que serao gratificados, prolesiaudo-sc usar dos
far prego.
PALITO'S DE ALPACA BRANCA A 45500.
PALITO'S DE BRIM DE LINHO A 53000
ntremelos transparentes a 800 rs. ditos tapado
a 15, ditos para babado a 15000 cada urna tira.
ROPAS FEITAS.
ROL'PAS FEITAS.
ROPAS FEITAS.
Vendem-se um sorlimento de roupas feilas de
todas a qualidades, que a vista se far prego, e
outras muitas mais fazendas que se d'ixar de
Presunto para fiambre
melos judiciaes contra qualquer pessoa que 0lenta
em seu poder.
Ausentoti-se no da 2 do crreme ao meio~oia,
da casa da ra do imperador n. 16. o preto J-dimun-
do, crioulo, cheio do corpo, altura r. gnlar, rosio
eomprido, olhos pequeos e pouca barba, u.-a sais-
sa e bigode, bstanle ladino, reprsenla ter 23
annos, pouco mais ou menos, e julpa-se !er levado
caiga prela e camisa branca ; este e*rravo foi com-
prado ao Sr. coronel Galvo, doLlmoeiro, para on-
annunciar, ra da Imperatriz . 86, Mendes Gui- de se julga tenha fgido, mas ha quem o tenha
maraes. | visto na Passagem da Magdalena, Remedios e Var-
zea; e como se desconfa que esteja acoulado,
protesta-se proceder contra qurm o tiver acollado,
e pede-se a quem delle der noticia ou o agarrar.
de superior qqahdade a 700 rs. a libra : na rna do qoe dirija-se a sobredita casa, ou a ra do Crespo
Cabuga' n. 18, armazem Flor dos Progressos. |3> que ser reComiiensado.
- Vende se um preto crioulo, bem moco: o No dia29de jnnho proxm'passado fugiTam
do engenho CotoveHo, situado no lugar Vanea da
provincia da Parahiha, dous escravos pardos, um
de nome Zacaras, de idade de 22 anuo', pouco
mais ou menos, esiaiura baixa, reforgado, lernas
acant-alhadas, cabellos pretos e crespos, rosto eom-
prido e picado de bexiyas, sem barba, bem fallan-
te ; o oulro de nome Venancio, idade de 20 aunos,
pouco mais uu meno-, estatura regular, secco do
corpo, cabellos casianhos e crespos, rosto eompri-
do, sem barba, tambem bem fallante : quem os
apprehender e levar a seu s-ntvr no dito eiigenho,
ou na casa de detengao desia cidade, sera recom-
pensado.
pateo do Terco n. 141.
rr>.: MjmKiAnuvB. rea
ESCRITOS FUCIBCS.
Escravos fgidos.
Ao amanhecer do da 16 do crrente mez fugi-
ram os escravos seguinles : Theoduro, prelo de
nagao, alto, cheio do corpo, maior de 30 annos,
barba bastante rente, falla c.u nuncia as palavras.os labios que sao grossos, lie-
mem alguma coosa, lem no braneo dos olhos prin-
cipios de carnusidade; Virissimo. mualo, um
pouco claro e alguma cousa plido, magro, altu-
ra regular, lem marcas de bexigas e espinhas no
rosto, os deutes limado^, as pernas com algumas
e largos cicairizes. e anda como quem tem bichos
nos pes : quem os apprehender querr leva-Ios ao
seu senhor em a ra da Aurora n. 32, certo ae
que ser bem recompensado.
Anda fgido na freguezia da Boa-Vista e seas
arrabaldes, un eseravo. pardn, idade 30 annos. ca--
bellos rente, reforgado do corpo, e de nome Paulo:
quem o pegar leveo a ra do Livrameuto n. 19,
que sera recompensado.
No dia 20 do c. rrente, pelas 9 horas da coi-
te, fugio da casado abano assignado, no Cajuciru,
F.ugio na ee de 19 para 0 do crrente n. 8, urna sua eserava mulata, de idade de 20 a
mez, do sitio do Sr. Dr. Augulo F. de Oliveira. na 22 annos, de nome Maria, natural desla provincia,
ponie de Ochoa, o seu escrav, de nome Luiz, qua- e comprada acerca de tres annos a Luiz Augusto
si que braneo, tendo no rosto marcas de bexigas de Carvalho ; levou vestido roana de uso de casa,
bem visiveis, cabello annelado, baixo, reforgado, mas provavel que mudasse por ir munida de ou-
bem fllame, e de cerca de 28 annos de id,i9e, le- ira mais Itmpa, vistosa e muilo conhecida nesta
vou camisa de basta encarnada e chapeo de palha praga e tem alguns cravos as solas dos ps, o
novo, suppoe se qu vagueia nesta cidade do Reel- que faz ella nao pisar bem : qnm a pegar e levar
ou pelas suas eircumvlsinbancas : ijuem o ap-
rehender e levar ao sobredilo sino, ou ao escrip-
t^rio da prac do Corpo Santo n. 17, primeiro an-
' r, era generosamente recompensado.
a referida casa ser gratificado, proiestando-se
desde ja com lodo o rigor da le contra quem a
tiver acontada.
Francisco Jos da Cosa Araujo.
DOS PREMIOS D.J
J!p
LISTA GEMA
Vi
U*
\
ARTE DA I. LOTERA, CONCEDIDA POR LE PROVINCIAL N. 481, A BENEFICIO DA MATRIZ DAGUA PRETA, EXTRAIIIDA EM 22 DE JULHO DE 1805.
NS. PREM3. NS. PREMS. N'S. P
3 65 177 65 389
7 88 94
16 91 97
17 97 99
22 98 403
24 202 1-2
34 3 13
43 4 18
44 8 21
46 20 30
47 25 32
49 26 38
50 105 31 _ 39
32 65 36 405 41
53 38 65 45
53 40 48
60 43 _ 53
63 45 ^ N
69 47 __ 7
70 30 __ 62
71 52 64
74 54 __ 63
7o 1005 58 405 66
81 205 59 65 68
82 65 61 78
83 63 _ 79
87 72 ^m 82
90 82 _ 88
102 83 89
6 _ 85 --- 92
9 205 89 93
14 205 90 --- 94
15 65 92 -- 96
17 312 98
22 _ 19 --- 9
23 20 502
26 105 . 36 6
29 105 37 13
33 65 41 --- 14
34 47 --- 15
44 51 20
47 55 31
53 205 56 35
54 65 87 --- 40
57 65 -- 45
61 68 50
63 80 1005 00
66 82 65 57
67 83 59
69 85 61
NS. PREMS.
105
105
6:0005
65
105
5
1:2005
65
205
65
563
70
72
73
76
75
81
86
90
91
9i
95
97
98
60i
9
10
19
25
26
31
36
38
64
68
69
73
87
91
93
94
96
701
2
3
5
6
7
8
18
21
24
29
41
43
47
48
50
51
61
63
205
65
NS. PREMS.
105
763
70
72
75
76
79
83
90
94
96
801
12
19
23
29
31
32
36
38
41
42
43
44
45
46
50
52
58
59
60
64
67
71
72
78
83
%
98
902
5
6
9
12
13
19
25
29
30
65
4005
65
NS. PREMS.
65
65
937
41
43
43
46
. 56
57
60
64
63
71
79
81
88
94
95
99
1000
4
7
14
20
21
22
27
28
31
33
37
48
58
59
60
66
70
71
79
SO
89
90
3
98
1100
5
11
16
17
18
25
32
65
NS. PREMS. NS. PREMS.
203
105
65
405
65
103
65
1136
39
46
51
52
37
58
62
65
68
70
77
90
96
99
1202
3
6
8
13
14
15
17
21
23
28
32
39
40
41
42
43
46
47
50
52
53
56
59
60
62
63
64
69
71
72
74
75
77
86
405
63
103
205
65
65,1291
93
97
1300
1
2
3
4
6
23
25
28
33
37
39
41
43
44
45
48
57
60
62
66
74-
75
77
79
84
86
89
92
94
1401
2
10
12
18
21
23
29
31
33
34
39
40
43
44
47
48
65
105
65
105
105
105
65
NS. PREMS. NS. PREMS.
105
65
105
1431
36
39
61
63
72
86
88
90
93
96
1500
3
6
7
9
11
18
19
20
26
28
33
34
42
43
45
47
54
59
60
61
63
65
71
75
78
80
82
84
85
89
92
93
96
98
1600
5
7
14
405
65
405
65
1618
24
25
20
29
30
33
36
38
41
42
43
50
58
61
62
69
74
.75
84
86
90
91
93
95
99
1712
13
103
65
65 19
25
105 28
65 30
33
46
51
52
55
59
65
66
71.
75
79
84
86
89
a 91
__ 5
\ 98
1811
NS. PREMS.
1815 65
16 -
17 -
18 -
19 -
22 -
5:8
29 -
30
33
31
33
38
41
44
47
49
50
55
60
68
73
77
89
91
93
95
96
98
1900
3
7
10
11
12
13
14
15
16
23
24
28
36
39
42
44
47
50
56
62
NS. PREMS.
105
1963
67
72
73
76
78
80
87
90
93
99
2007
8
10
15
17
21
28
34
35
46
47
51
54
56
59
61
62
67
70
77
- 79
81
82
84
85
89
94
98
2102
4
6
7
12
13
20
>2
23
26
29
63
105
65
105
105
65
103
NS. PREMS.|NS. PREMS.
2133
33
40
43
49
51
54
53
59
61
62
65
63
76
77
81
82
98
99
2200
2
3
5
6
8
12
18
41
17
48
51
52
55
59
60
61
63
61
65
69
72
79
86
87
90
94
2302
3
4
3
63 2308
9
10
16
20
21
28
29
36
41
45
49
51
55
58
71
72
77
.79
81
82
84
87
88
90
91
93
94
95
99
240V
6
8
19
21
24
J7
96
33
34
38
40
42
44
46
52
54
56
60
64
65
105
65
205
65
__l
103
65
NS. PREMS.
2466 63
67 -
70 -
80
82 -
83
91 -
96
2504 -
8
15 -
26 -
27 -
28
30 -
33 -
34 -
40 -
45 -
48
49
55
56
57 -
60
63
65 -
68
73
74 -
75 -
78
87 -
93 -
94
97
99
2600
1
2
4
5
6
13
14
16
17
28
43
50
105
65
NS. PREMS.
1005
2651
52
54
5S
60
63
66
67
79
84
88
89
90
92
95
98
2709
12
16
19
27
29
36
40
42
45
46
48
51
53
56
64
66
70
76
78
82
84
89
99
2803
4
10
12
14
24
25
26
28
30
205
65
203
103
103
205
65
403
103
65
105
NS. PREMS.
2838
37
41
43
50
54
56
57
59
60
70
71
72
77
81
85
86
87
2903
5
8
12
14
19
21
22
32
33
37
38
41
46
51
53
55
58
60
61
63
64
67
69
75
76
77
83
86
87
.89
65
65
103
65
105
65
205
65
105
65
65 3000
O *:riv3o, Jos Pedro da* Neves.
Ptrn. Typ. de M. d* F. Faria & Fitho.1865.


1
< Mi MMMMi M
Diarlo de Pernambnco Segunda elra *4 de nio de ISAS.
'<

Mr. Davis accrescentou. So era preciso fazer
alguma cousa, era meihor que se fizesse bera.
a No da seguinte Breckinndge e Mr. Davis
fallaram do acontecido oa casa da testemuoha.
Breckinndge exprima o seu pezar por causa dos
Processo dos assassluos de 1.1a- raa,es f)Ue ei[e podia trazer ao SQ| 'Davis respon_
JMISFRUDERGIA
ESTADOS VIDOS.
Immediaiaraenle mandase a roga, aflm de inda-
gar se tioha por ventura ido com os escravos.
Volta o portador: nada, sua resposta, e nesle
momento entra um escravo que d a noticia de ter
visto o rasto do perdido em busca do visinho bos-
eolu e eward.
C0.\SEL!0 DE (UJBBM EM WASHINGTON.
(Contimitidio.)
Washington, 29.
No principio da audiencia (leste dia, os defensa-
res de Mad. Snrrat requereram que fosse nova-
ments inquirida a testemunha Van Steiii3ker.
s advogados do Mad. Surrat, Mr?. Beverdery
Jjhuon, P. A. Aikeu o J. \V. Clampett requere- do authenticas, provam que nao culpado no as-
n ao conselho que Ihe a Imittisse a seguinte sassiuato.
allegacao para sobre ella ser pergunlada as teste- Washington, 30 de malo.
amaba: Utua immen-a multilao enche a sala da audien-
Mary EL Surral, atesada neste processo pede,La> 9 as 'ramediaeOes exteriores; o interesse pela
l i aovameote iuqueriJa a testemunha Beor- |causa augmenta medida que se aproxima do seu
que Van Steinaker, producida pelu ministerio pu- leirao-
licOj para provar co'm ella : que pouco tempo an-1 Jacob Ritterpaugh, testemunha a favor de Ha-
tos de principiar a guerra a testemunha era mem- rold, disse : que conhecia o aecusado havia muilo
que.
deu : Xa verdade nao se porque ; se era preci-1 Ah agora bem : parece qne j se vao dissipan-
so fazer alguma cousa era meihor que se fizesse do 03 raios de esperanga que luziam no coragao de
bem ; se tivessem veilo o mesmo ao bruto Andy Anna, pois a ouvir a narrago do escravo cahe co-
Johuson e a Siantou, o drama ficaria complete. mo se fS5e ferida um rafo e 0 ,|or da morle
Mr. Goartoey empregado no telegrapho afflrmou quaha se-Iiio nos membros.
manddl Br*mma *^ ^ effeclivameDte j Seu temor, porm, nao era vao; visto como esse
" visinho bosque era, principalmente, onde morava o
Mr. Davis, mesmo sen-1 Cangug terrivel. Em breve, porm, Anna res-
tabelecida.
br Jo estado malor do. general Bleuker na quali-
dadede engenneiro topographo; que foi coudem-
ti.. a multo em .ero Chuuiberland por tentativa
vao para o tuimigo ; que em maio de I8G2
fez ti girada tentativa do desergo com meihor re-
->.:" ij, econseguio penetrar as linhas do gene-
r.. I ubodeo, que so intituii.va commandaote dos
-i is li-tadus Confederados, que se cstendiam
Wuiuchesier e Bomqey (Virginia); que em
,u i todo o lempo depois d-sta dala foi emprega-
do cono desenbadorp?lo major general J. E. Sluari
do intitulado ex rcito federal; que em 1863 Stei-
na!; >r aUslou-so voluntariamente como simples sol-
uaj. na bompanhia K do " regiment da Virginia;
que ',. destacado como crljoaag do capitn Osear
H : '.., engenneiro do es'alo maior do general
Bdward Jjlinsou do ejercito confederado, fleando
co.r. He p ir toda a campanlia que esl* exercito fez
na Fen-ylvauia; que atravessand-j o desliladeiro de
Swilt Run ia so at cliegar a CbancellorvIHe, onde
lacootrou Mr. Jseos, eirurgiao do exercito confe-
dralo e eulros dous cavalBeiros empregados no
mesmo servido; que nunca teve no exercito confe-
i lo a patente de ofllcial engenheiro, ne.m rece-
boa o sold correspondente ; que estero preso no
cal : ico por fuer fogo ou meacado fazo-Io sobre
... :. groa encarregados dos Estados-Unidos perto
i Mine lian (Virginia; c por outras gravea acensa-
dea que ronbon varias sommas de diuheiro que
Ihe foram confiadas, e um cavallo ao tenente Da-
vid . Cockeril do 2' regiment de infantina da
Virginia e por e-te facto responden a um coaselho
d guerra, que o condemnooj que pouco tempo de-
poi- da campanha da primavera de 1801 ronbou os
fardamenlos perto de Richinond e fugio para Wiu
ciiesler (Virginia) apresentando-se como ene-arre-
gla; Je couJuzir o cadver do major II. Daoglass,
ajaia lio do estado maior >'> general Johnson, hoje
presente ueste tribunal, vivo e de boa saic ; que
nao : vo o actor J. Wilkes Bo-th na Virginia ou
oo icampament do J regiment di! infamatoria
de Virginia; que nunca liouve reaman de ofDciaes
i ral tera'dos, oude se discutisse o plano do assas-
>iu;. le Lincoln, a que s referi no seu depoi-
mento.
Assgaadosllsverdy Johnson.
l'red. A. Aikeu.
J. V. Clampelt.
Pde-se dizer que o ministro publico nao foi fe-
liz cora as letemnobas. a Sra. Simonse oSr. Tho-
mas sao ambos testemoobas de aceasaco eootra
o Dr. Madd, mas a priraera urna muiher digna
de toda a eonflanca, e a segunda um louco.
C conselho nao adraittio a allegagao dos advega-
I U L S.irrat com o fundamento de eme era
. mha a defeaa da sua diente u nao tinha com
ella urna relagao directa.
.: am acdente alheio questoque se tr*ta,
foi o depoimento de um hornem chamado T. T.
I. un', residente em Toronto (Canad). Dlsseeile:
.i; fura aluciado pelo Dr. Blckbarn para intro-
'M.\ nos Estados-Unidos tato infeccionado com
. tmarella e com bexigas. E- provavel que es-
t-: h >roeoi losse victima de um artificioso logro.'e
se f;zesse agente de urna operaeao de contrabando
en que o melteram con o engodo de urna immen
sa fortunado 100,000doilarspoucomais ou menos,
n.\ Lhegando nunca a recebar nem 30 doilars, nao
obstante todo o telo com qne tnbalhoo, e os peri-
gos a que se expoz.
Este caso do Dr. Blackbnra torneo, hoje que os
factos sao conheeidos, maioris proporgoes, nao se
. uido simples reme.-sa de alguns fardos de
vestuario emprestado do hospital.
r' !e dezembfo orarn mandados e vendidos em
iiff rentes pootos do noria umitas fazendas, que se
diziam empestadas. Hyamf, a quem promettiain as
minas de Potse, e mais gloria do que o gener;'
!.:,' alcancen, rcmetteu urna vez de Halifax para
Bostn pela barca Halifax, cito caixas que foram
dirigidas pan a Philarlelphia c depois para Balii-
more, sendo d'aqui transportadas cinco para Was-
hington. Estas caixas nao continham frrapos in-
feecionados, mas setins, vestidos de seda e outras
m^rcadorias que deviam iirodozir grandes lucros,
entrando sem pagar direitos na alfandega. Dizia o
Dr. Ulackburn que andara para mais de um mi-
llia i de doilars o valor das cousas transportadas
para a estaco de vera. Muias destas caixas fo-
ram entregues casa William L. Wall, de Was-
hington, paraserem vendidas em lello, e foram-no
effectivamenle no dia seguinte, e nao constou que
pessoa alguma, que usou dos objectos, tivesse o
menor incoo:modo.
tempo, e sempre o conceituou como um rapaz in-
considerado e inconstante, capaz de so deixar f-
cilmente influenciar ; comtudo, era bem regulado
as suas despezas e muilo exacto no pagamento
do que devia ; que otando de servico no thealro
Ford, na noite do assassinato do presidente, vio o
assassino atravessar a sema, e elle, testemunha
correu atraz delle, custou-lhe a abrir a porta quan-
do vollou Spangier bateu-lhe as costas, dizendo-
Ihe : Pelo amor do Dos, nio digas por onde
fogio.i
O general confederado Eiward Johnson foi cha-
mado por parte da defeza.
O general Howe, um dos membros do conselho,
levantou-.-e, e disse : que Johnson era um antigo
discpulo de West foint, traidor a L'aiao ; que era |
notorio que Johnson tinha combatido conlra o go-
verno dos Estados-Unidos, e voltado para aqu
com as mos manciiadas com o saague dos seus
concidadaos leaes e que dar tal teste:nunha era la-
per um insulto ao conselho, porque estas razoes
zropunha que fos^e posto fora do tribunal.
O general Elein apoiou a proposta e declarou
que considera va urna audacia inqualiticavelo com-
parecimeuto de:te homem como testeinuuhs.
Mr. Alken, advogado da defeza, respondeu que
o conselho tendo mandado comparecer com teste-
muoha de aceasaco o ofllcial confederado Jett nao
via a razio porque havia de excluir o general
Johdson.
a primavera da vida; mas para ser inteiramenlo que a comtempla, que s trevas da noite sao dissi-
era preciso accrescentar; a primavera era seus padas, e que os raios do dia vao refulgir diante
ltimos dias, a primavera onde toca o esli, o della para dirigi-la nos caminhosda sabedoria.
momento onde as flores se formara em fructos. E' essa estrella doce e pura que esclarece, sem
A mocidade, a hora delicada em que as espe- jamis perder seu brilho, o joven peregrino do
rangas procuran) mudar-se em realidades; o exilio na manhaa de sua vida,
perisiy lo da vida pratica. | Maria , pois, o caminho vivo e seguro de oossa
A direccao que se toma, e os hbitos que se con- vocagao.
trahe, sao os hbitos e a direegao que se conserva
em todo o curso da existencia.
Seus successos, sua sabedoria e sua pro-perda- s filho.
de dependen de urna redexo madura.
I
Alguns de seus escravos a rodeavam rainistran-
do-lhe soccorros de vida, e outros j davam nassos,
atim de procurar Casimiro que incontestavelmente
se tinha perdido.
Porm, con > restbeleciraento de Anna, as dili-
gencias tomam novo impulso.
Aprontam-se tambores, espingardas, e, como
usanga do lugar, atiram o rufao os tambores, aflm
de ver se o perdido se encaminhava aos que o pro-
curavam.
Mas era urna indiscrigo; porque ette meio po-
de servir aos adultos, e nao para meninos que
quando se perdem fleam quasi loucos; tudo lbe
contrario; o ao menor abalo correm fugindo.
Porm todos com u lagrimas nos olhos e a sau- j
dade no coragao empregaram os meios a seu al-
cance para descobrir o perdido.
Tudo foi baldado.
Passou-se o dia, e ninguem se encontrou.
Vem a noite e todos velara nos maiores vexames
e fadigas.
Surge o segundo dia.
Toda familia eslava cadavrica; pois anda nao
tiuham tomado alimentago alguma, nem repou-
Nao te glories pelo dia d'araauha, nao sabendo
A virtnde e a felicidade, o bem das familias e da' ,iae cousa dar de si o dia segrale.
soeiedade dpeudera da proteegao da Virgen), a
TZZTl^fZ ^^ Trrer' ');ra ',at ija u,n esIranh0'e Dao teu* Proprios labios."
a mocidade seja feliz, desaparee*, o veo e os re-1 A 1)t,,Ira ^^ e a ara carrega(J> mas ,
te-U e caminha, e elle caminha, estes homens
nao tem o menor vislumbre de vaidade, regeitam
os applausos do povo, espectador dos seus prodi-
gios.
Ouvl S. Pedro.
Israelistas, por que vos admiris disto? Por que
tendes os olhos flxados sobre nos, como se fosse por
nosso proprio poJer e nosso proprio merecimenlo,
que tivessemos feilo este homem caminhar ? O
Deus de Abrahao, o Deus de Isaac, o Deus de Ja-
cob, o Deus de nossos pais gloriflcou seu filho Je-
ss, que vos entregastes e o renegis diante de
Pi latos.
morsos, e
frescura.
a innocencia conserve sua virginal
e eslava sempre repassada da mais agr
Levantoa-se urna acalorado discusso sobre este
pouto, at que o general Howe julgou conveniente
nao insistir mais e por isso retirou a sua pro-
proposta.
O geueral Eiward Johnson foi admitlido e disse:
que cooheceu um individuo, que dizia chamar-se
Vou Steinalzer, era soldado raso no 2o regiment
de iufautaria da Virginia ; que nunca ouvio. fallar
da reuuiao secreta, que Steinalzer disse que houve,
e na qual se pretende que se discutir o assassina-
to do prndenle ; nao Ihe .consta que nunca se
manifestaste, nem mesmo o desejo de realisar;
que nao couheceu Booth no seu acampamento, e
mesmo nunca ouvio fallar delle senao depois do
assassinato.
defensor perguntou testemunha se Steinalzer
nao respondeu a um conselho de guerra. O con-
selho oppoz -se que fosse feita esta pergunta cora
pretexto de que nao podendo 'apresentar-se os
registros do conselho de (tuerra, a resposta da
testemunha seria intil. Tambera nao foi permit
tido ao advogado perguntar se Steinalzer tinha
furtado nos cavallos.
Foi perguutado depois o major confederado Dan-
glas. Dis.-e : que nunca tevo connecimento de
reunioes, em que se discutisse o assassinato de
Mr. Lincoln na brigada Stonewall, que sempre
teve a reputagio de ser composta de homens, de
urna honradez igual ao sen valor.
Muitos outros olliciaes confederados depuzeram Si-
sado,
dor.
J a luz do dia so vai tornando fusca e chega o
ultimo dos que se tinhara internado no umbroso
silvedo em busca do perdido; mas nada de anima-
dor traz, c pelo contrario diz ter-se encontrado com
alguns animaes ferozes.
Anna entao ao ouvir esta ultima narraco cahe
n'ura desfalecimento mortal.
O ultimo raio de esperanga que Ihe restava apa-
ga-se nesse momento, semelhanga de urna luz
amortecida que apagada repentinamente por urna
forte rajada de vento.
Ah I que coincidencia fatal I
Naquelle momento o ultimo raio do sol que ras-
gava as nuvens oceultava-se embaceado pelas tre-
vas, e neste mesmo momento o ultimo lampejo da
affavel esperanga esvala-se do corago materno:
trevas era tudo...
Os escravos que tambem idolatra vara a Casimiro
estavam repassados de ddr, e tomando mantimen-
los se entregaran) de novo a ardua tarefa da pes-
quiza.
Toda casa pareca urna vasta ruina...
Um silencio aterrador qualhava-se por toda ella,
e penas, de quando em vez, ouvia se um ttrico e
frouxo .'emido de peito exhausto pelo pranto ; se-,
melhanga do mocho triste que, vagando sobre vas-
tas rumas a meia nuite quando tudo dorme, solta
pausadamente rouquenhos gritos.
E se, como j disse alguem, fosse licito compa-
rar as ebusas grandes com as pequeas, eu com-
parara aquella desolacao cora as uos Albos de Ba-
quel pelo captiveiro de Babylonia chorando a bor-
da de seu tmulo.
IV
E os magnos esforgos da familia Acarara frus-
trados.
Casimiro no dia de sua perdigo (j era quasi o
meio dia) estando mais descangado, ouvio o rumor
dos tambores etiros, e levantndose fugio precipi-
tadamente.
E assim ii'iim peregrinar dubio e spero vagueou
quatrodias sem lomar refeigo alguma.
Era j a noite do quarlo dia depois de sua perdi-
A la carnpeava serena, varando as nuvens que
as azas dos ventos equilibravam-se as regies
ethereas.
Casimiro j exnime continuava anda em sua
ardua tarefa.
Mas de sbito sahe l'uiu espago completamente
Anna Surratt, fia da acensada, depoz sobre os i ijmpo.
no mesmo sentido.
Outras teslcmuuhas certiAcaram a lealdade de
madama Surratt, e declararan) que nunca Ihe ou-
viram proferir palavras hostis ao governo ou fa-
voraveis confederaco.
Parece que Mrs. Cay, Holcombe, Presura, Bever-
ley, Tuclker e outrus estavam envolvidos nesla es-
peculado. Nao provavel que produzisse grandes
lucros. Quanlo a infeceo nao ha vestigios della
em parle alguma, e com mais certeza parece que
esta historia foi inventada pelos especuladores tao
somtnte para acenar com o engodo de urna grande
fortuna aos ulhos de um noraem interesseiro e
pouco escrupuloso, com o flm de o resolver a to-
mar parle u'uraa operagao illicita. Que crdito po-
de merecer o teslemunho de um miseravel que
actos e pastos de Azteroth, Payne e Weichman, em
quanto estiveram hospedados em casa de sua mai,
e deu a entender que esta ignorava completamen-
te as acedes e os projectos d'elles. Nunca ouvio
proferir urna s palavra que tivesse relag j cora o
assassinato de Lincoln.
Ao acabar o sen depoimento Anna Surratt de-
buihada em lagrimas perguntou onde est.vasua
mai. Um porteiro acompanhou-a at sala das
testemuuha oude foi entregue a dois guardas que
nduzram a prisao do Antigo Capitolio onde
esta encerrada d'esde o dia 17 de abril.
(J. do Commercio, de Lisboa.)
Do Echo da Juventude extraamos o seguinte :
A CRUZ.
(Concluso.)
III
Chegada amanhaa o que a aurora se debuxva
no horisonte, a semelhanga das corollas ao desa-
brochar da flor; Anna mai de Casimiro ergua se
do leito, e preparavase a dispor os negocios de sua
casa, pois era viuva
Porm seu priraero erapenho, como sempre, era
derramar seus affagos sobre Casimiro, que tinha
por costume enconlra-la ao limiar da porta de seu
quarlo, e ah receber a beogo materna, que lan-
gada as mais encantadoras horas do dia parece
ter a mesraa virtude que o orvalho matutino, e que
se nao fossem os raios do sol, somenle era bastan-
te para a mais gigantesca vegetago.
Oh! urna bengao materna principalmente no
primeiro rosicr da manba, quando, pelo com-
isura, o corago humano tem repousado dos labo-
res do dia, e que Deus mesmo parece erguer-se
n'ura silencio profundo para abengoar a natureza,
E' a imtago dessaVirgera laboriosa e prudente,
que se desenvolvero todas as aptidoes, que a rao.
cidade se iniciar nos segredos da vida, da ordera
| e da exactido.
A devogo de Maria inspira duas vantagens : a
fuga do vicio, e a acquisigo dos bons hbitos.
A mocidade nos causa cuidados, e nos inspira
interesse. Exposta a todas as seduccoes, Iludida
pelo brilho das pompas do mundo, batida o fatiga-
da pelas paixSes est a todo o momento prendida
sobre o abysmo da morte.
Esta mocidade que precisa de apoio, de conse-
lhos amigse de boa direegao, lula rorteinento para
reentrar na sociedade, e experimenta as provangas
as mais funestas. Entao com arte, a vontade vem,
coroada de rosas, como urna mgica eucantadora,
apresenlar seu calis de mel aos labios inexperen-
tes : a innocencia se deixa engaar; prova o mor-
tal veneno, sent chamas devoradoras ecai trahida,
sacriAcada e delirante.
Todos os perigos sao solidarios para o infortunio
da mocidade.
As r=unioes geraes, as frequentacoes assiduas
do jogo, sao escolhos, onde ella risca cem vezes sua
frgil virtude.
A todos esses pricipicos, elia pode contratar
todos os vicios, e sepnltar-se para sempro com suas
vergonhas.
Urna floresta cercada de Ceras menos perigo: a
que todas essas perversoes reunidas, porque atra-
vz das aberragoes da loucura e dos escndalos da
icenga, vem sempre o desespero, a mcredulidade
e a hypocresa, essa febre que mata pouco a pouco
o espirito.
Eis a alegra e o mundo prendendo com suas
mximas a mocidade, que procura um asylo sem
nunca enconlra-lo.
Mas a religiao que nao pode esquecer seus lilhos,
era sua bondade maternal Ihe indica esse asy-
lo. Offerece o coragao de Maria para ahrigar-
mos-nos contra as tempestades do rauudo e nos diz.
amai a Maria, e tomai-a por guarda que vos salva-
r da raorle.
quando este govemador julgou que elle
Seja outro o que te louve, e nao a tua bocea : se- devia ser absolvido. Vos renunciases o sanio, o
justo ; vos pedistes que se concedesse o perdao a
um homicida, e (Uestes morrer o autor da vida
ira do insensato pesa mais do que urna e ouira. porm Deus o resuscilou d'entre os morios, de que
A ira nao lera misericordia, nem o furor que nos somos testeraunhas. Foi era poder do seu no.
rompe : mas quem poder supportar o impelo de : me que, pela f em seu nome, fortalecen os ps des-
um homem concitado 1
Meihor a correcgo manifesla, do que o amor
escandido.
Melhores sao as ftidas leitas pelo que ama, do
que os sculos fraudulentos do que quer mal.
A alma Tarta pisara o favo de mel: ea alma
faminta at o amarga tomar por doce.
Assim como periga a ave que passa do seu ni-
nho a outra parte, do mesmo modo que o bomem
que deixa o seu lugar.
Com o perfume e variedade de chtiros se delei
la o coragao : e com os bons conselhos do amigo
se bauha a alma em dogura.
Nao largues o leu amigo, nem o amigo de leu pai:
e nao entres na casa do leu irmao no dia era que
etiverei alBicto.
Meihor o visinho ao p, do que o Irmao ao
ie homem que vos consideris e o conheceis : e a
f que se Arma sobre elle operou em favor deste
hornera esta perfeita cura em presenga de vos to-
dos. ()
O que so deve pensar, o que se deve dizer des-
tes horaens ?
A natureza obedece sua ordem ; mas, de te-
mor que se Ihe noatlribua esta obediencia s suas
orgas, aos seus merecimenlos, elles apressam-se
em declarar que todas estas cousas sao feitas pelo
poder de Jess cruciAcado.
' possivel recusar iguaes testemunhos ?
Sejamos de boa f, assim que fallara, assim
que obrara os impostores quando querem engaar
seus semelhantes?
Apenas os apostlos comegaram a attestar a ver-
dade no meio de Jerusalem, tiveram logo de com-
onge. j parecer perante os tribunaes, e
ah, sera preten-
Tatrabalha, filho raeu, por adquirir a sabedoria, I c), como sem temor, elles aitestam, repelem alta-
MABIA E 0 PECCADOR.
Ella urna boa mal, uraa rainha misericordio-
sa, que nao conduz a espada da jusliga, porm
com franqueza o sceplro da clemencia.
Terna, e condoida por todos os miseros Albos
de Eva, ella especialmente benvola, e compassi-
va pelos mais infelizes lilhos de urna mai delinquen-
te : os pobres peccadores.
E' com preferencia a estes, que seu corago se
diffunde em magnticas effusoes de brandeza e de
deternura.
O' peccadores, si oubesseis de longe que predi-
leegao ardente, que indislvel affeigao, Mana, a doce,
e dedicada mai do vosso Salvador, tem na constan-
te perseguicao de vossas almas, como subtamenle
vos tornarieis lancar em seus bragos mater-
naes!
e a alegra o raeu corago, alira de poderes respon
de-ao que te impropera.
O astuto vendo o mal, se escondeu : os simples
passando adame, suppoitaram osalaranos.
Tira o venido aquelle que fleou por fiador de ura
eslranho, e leva-lhe de casa os penhores, que elle
obrigou pelos outros.
Aquelle que louva o seu visinho a grandes vo-
zes levantndose de noite. ser semelhante ao que
diz mal delle.
Os telhados que gotejam era tempo de invern, e
a muiher litigiosa eslo em igual parellelo.
Aquelle que a prelendo reter c como se quizesse
fazer parar o vento, e elle trabalhar para que o
azeitc nao escorra da sua mo.
O ferro aguca-sc com ferro, e o homem aguga a
face do seu amigo.
O coragao do iniquo busca o mal ; e o corago
recto busca a sciencia.
O inferno e a perdigo nunca se enchem : assim
tambem os olhos dos horaens sao insaciaveis.
Do modo que a prata provada no vaso de der-
reler, co ouro na forualha : assim n homem pro-
vado pela bocea do que o louva.
Aprende esses conselhos, meu Alho, e guarda-os
no leu coragao.
Como vos aparlarieis das vias fatigantes do vicio,
e do remorso para eutrar no caminho da virtude, e
nos deliciosos tramites do dever e da paz.
E cmlinuando a derrota de sua peregrinagao do
tempo elernidade, o homem nao chega ao tergo
de seu curso.
Pranteou suas 'primitivas infidelidades, e foi
abengoado em su priraera communho.
Deus Ihe havia dado enlo o santo sculo da re-
conciliago, e se havia entregado elle mesmo para
o nutrir; o sellado com seu proprio sangm: o novo
pacto de sua allianga cun este fillio prodigo torna-
do a casa de seu pai.
A Virgem tornouse sua mai adoptiva; debaixo
de sua proteccao, elle marcha feliz, amparado, en-
riquecido a cada momento de novas luzes, sabia-
mente guiado no caminho da justiga, e das vonta-
des divinas.
O homem a semelhanga de Deus, e a Mai
de Deus, que ser sempre sua mai, e por conse-
grante esperar, e gozar de urna inexplicavel affei-
gao.
Maria v seu filho no homem, ella o v no pecca-
dor; foi por elles que elle morreo", e por elles
mesmos que ella se sacrifica e morre de amor com
elle.
O peccador e o homem serao pois os seus predi-
lectos, os favoritos de sna ternura; fllhos de suas
agrimas e de suas maternaes effeigSes.
descaradamente declara que com perfeito conhecl-1 tera sub|imidadesque s opensamento comprehen-
meoto de causa e por ura salario se fez instrumen- j e> mas a penna na0 aescreve.,.
lo de urna trama que excedo em infamia quantos j p0s i,era
sao at hoje conheeidos nos annaes do crirae ? Pa-, Aa preparava-se para derramar esse roci di- com ^a.calma e fo. para casa.
rece impossrvel que este depoimento fosse aceito, | vino e 8ao|0i essa emana55o do cu mas d3o en '
Era isto, para elle, um edn, pois desde que se
havia perdido anda uo tinha sabido do denso sil-
vedo.
Elle que j caminhava maquualmente, e com a
cabeca inclinada para o peito, a vista desta nova e
agradavel scena para, e ergue a frente...
Nesse momento a la rasga urna nuvem que a
oceultava; mo:tra-se radiante; e seus prateados
raios reverberam sobre um Velho madeiro e dei.
xara ver urna negra cruz.....
Urna cruz I... ex:lama Casimiro, eu vos ado-
ro I. ..
E seus teuros joelhos vergam-se aos ps da arvo-
re do Calvario.
Neste momento sobcm-lhe a mente as praticas
que com sua mai costumava fazer junto a um ora-
torio.
Lembra-se das mximas qus muitas vezes ella
Ilie repetio sobre a cru?, e contina assim :
Oh cruz que remlst-s o mundo inteiro, nao me
restituirs rainha mai?
A supplica do innocente despida dos vaos atavos,
tem niaravilhoso effeito.
E immediatamente se Ihe apresenta urna muiher
trazeudo um veo sobre a cabega : era a imagem
fiel de sua mai...
A principio elle teotou correr, mas a reconbe-
cendo, atirou-se era seus bragos, e exelamou :
Mamai...
Nao, meu filho, nao sou tua mal, porm farei
suas vezes. Toma este licor e bebe-o.
Casimiro recebeu eexecutou o mandato.e desde
entao senlio-se em perfeito vg3r.
Puzeram-se os dous a caminho, Casimiro e a
muiher, c ao amsnbecer aquelle estava sentado so
bre um moiro do curra! de sua casa.
Urna escrava que pela manhla sahio casualmen-1 mundo, porque foi creado para adorar o Eterno
te vio-o. | em seu nome.
Immediatamente correu a dar a feliz nova a sua' A voz de Deus, sua vocagao.
senhora, que as vascas da morte j tinha entre i Sua vocagao para elle a ordem, o dever, a
MARA E O ESTUBO DA VOCAgAO.
Cada ser tem o seu lugar marcado na magnifica
harmona da creagao.
O ser iotelligente segu o caminho que o dedo
do Mestre Supremo Ihe tragara.
O sol e militares de globos, que brilhara na abbo-
boda do cu nao marcam a dscrigao nos vastos
campos do espago : sua rbita est designada.
O passaro que cauta, a abelha que zumbe, o
insec.o que serpaja, a formiga que pilha, toda a;
crealura exerce sua funecao segundo o plano:
divino.
Se assim nao fora, urna horrivel desordeno leva-
ra o mundo a seu primitivo cahos.
O homem superior a todo o ser langado neste
suas maos urna vela de sinistra luz.
Casimiro ao ouvir os gritos da escrava, desceu
como um Evaugelho, e que o Herald, e os outros
i controu seu querido Casimiro. Isto, poim, nao a
jorn.es o reproduzssera por extenso, anaI.sando-o,DquieIOOi pos ju| elle andasse brin-
sem um nico conmentario. caD(j0<
O resto da sess; o nao rev iateresse algnm. iS 0 l3 crescia..
HontMi) depoz Mr. Dervis F. Bates, testemunha! 0s passarinhos ja menos alegres princlpiavam a
considerada de grande importancia. Beside ba 14 deixar ,3 flores, e se abrigavam aos ramos mais
aonos em Carlota (i arollna de, Norte) e Mr. Davis copados, alisando com seus delicados bicos suas
estava era casa delle no dia 19 de abril. No mesmo macias pluraagens: era signa! de "descango...
da o presidente confederado recebeu de Brechin- Desde entao a ausencia de Casimiro j nao in-
nidge e leu a mnllidao ura. telegramma concedido difireme; a rai mandando-o procurar pela sen-
uestes termos: rala: nao encontrado; gritam, ninguem res-
t O presidente Lincoln foi assassinado no thea- pende,
tro, na nite de 14. Na mesma noite Seward foi O corago materno pulsa com forca; porm a
atacado na sua casa e fizerara-lhe muitos ferimen- esperanga, nossa mais fiel compaoheira fa-lo mo-
los, e a'guns d'elles raortaes.i 'derar.
Sua mai restabeleceu-se, e interrogando-o depois insoria,
sobre sua vinda, ellecontou a historia que j vimos
e que essa muiher o deixra junto ao ourral e im-
mediatamente desapareceu.
Ainda hoje ignorase quem foi essa muiher,mas
cerno nesse vasto bosqun ninguem transita, e a fa
perfeigo e a felicidade.
Fra disto, sua vida toda perdida ; seu cami-
nho todo corrompido ; sua eternidade toda il-
IISDS CHHISTO CONSIDEIUDO COMO FUNDADOR DA
IGUEJA.
II
Contemplai estes doze horaens reunidos em Je-
rusalem.
E' preciso que se separen) e que se dirijan) a to-
das as parles, a promulgar o Evangelho.
No instante solemne em que camegam a execu-
go de um tal projecto, em quem pensara elles ?
O que fazem ?
Tem elles um plano e meios humanos ?
Nao.
Elles tem por armas e por auxilio a Cruz e o
Symbolo, duas loucuras aos olhos dos sabios.
Eis aqui a sua formula e a sua profissao de f.
Eu creio em Dos Padre, Todo Poderoso, Creador
do co e da trra, e em Jess Jess Christo, seu
nico tllho, Nosso Senhor, que foi concebido por
obra do Espirito Santo, Deseen de Maria Virgem,
padeceu sob o poder de Poncio Plalos, foi crucifi-
cado, morto o sepultado, desceu aos infernos, ao
terceiro dia resurgi dos morios, subi ao co e es
la assentado direita de Dos padre Todo Podero,
so, d'onde hade vir a julgar os vivos e os morios.
Creio no Espirito Santo, na Sauta Igreja Catholica-
a communho dos Santos, a remissao dos pecca-
dos, a resorreigao Ja carne, a vida eterna.
Uizei-me, em que philosophia, em que associa-
go encontrareis iguaes palavras ?
Ellas sao curias, sao simples; mas que extensao
nao tem ellas 1
Elevando em lomo das verdades fundamentaos
urna barreira, que prohibido razo transpo-la,
do para sempre ao espirito humano e s suas in-
vestigagoes ura ponto de partida, urna regra segura
e um Am.
Ellas constiluem um lago, que nenhuma forga
jamis poude romper.
Estabehcem entre os discpulos de Jess Christo
e o resto dos homens urna linha de demarrago
que lodosos esforgos combinados dos malvados nao'
poderiam apagar.
Eilas sao ura suramario lucido de toda a doutri-
na revelada.
Ellas encerram o germen, a explicago, o segre-
do de todas as maravilhas que vao reproduzir-se
com grande espanto do universo.
Desde o primeiro dia, S. Pedro, o chefe de todos,
falla cora tanta forga-, com tanta aotoridade, que
tres mi! ouvinles pedem o baptismo.
Pouco tempo depois converle cinco mil.
Ei-los obra, esses homens qne sao outros tanj
tos Christos, segundo a expresso de Santo Agos-
tinho.
Iteum tudo que o genio iraaginou de mais sagaz)
de mais subtl, de mais efficaz para o triumpho de
urna idea, para a gloriAcago de um systema, vos
nao'descobnres nada que se approxlme daquilh
que concebem e que fazem os apostlos para o suc.
cesso de sua missao sublime.
Elles referem com urna simplicidade admirave|
e sangue fri, as maiores cousas.
Elles se esquecem de si mesmos, nao poe era
sua narragao nem suas propnas reflexoes, nem o
menor elogio de seu mestre.
Ainda mais : revelam certas circumstancias da
sua vida e da sua raorle que elles sos podem co
nheer e de que seus inimigos podero aproveilar-
sc conlra elle.
meule o que attestarara e repeiiram diante do
povo.
Pedro e JoSo curaran) um coxo de nascenga.
Ora, elles sao chamados pelos senadores e estes di-
rigem-lhes esta pergunta :
Por que poder, ou era nome de quera fizestes
isto?
Entao Pedro, cheio do Espirito Santo, Ihes diz:
Priocipes do povo, e vos, senadores de Israel
ouvi-nos : j que se nos pede conla hoje do bem
que zemos a este homem paralylco, e que se nos
pergunta em nome de quem foi elle curado, decla-
ramos a vos todos e a todo o povo de Israel, que
foi em nome de Nusso SeDhor Jess Christo de Na-
zareth, a quem vos crucilicasles e que Deus resns-
chon : foi por elle que este homem foi curado ago-
ra, corno o vedes.
Os chefes d) povo vendo a firmeza dos apost-
los, sao lomados de espanto ; mandam-n'os sahir
e deliberara entre si, depois fazendo-os comparecer
prohibem-lhes com grandes ameaga- de fallar ou
de ensinar em nome de Jess Christo.
Porm Pedro o Joao tomando a palavra Ihes
dizem :
Jolgai vos mesmos, se justo, dianle de Deus
obedecer mais a vos do que a Deus.
Cousa admiravel I
Dous pobres pescadores se acham em face dos
principes e dos sabios d'nma grande nago ; e es-
tes que tem tanto interesse em confundir e punir
estes dous pescadores, sao ohrigados a admitiir so-
bre seu teslemunho e publicamente tres factos que
os esmagam, a sabpr : a morle injusta de Jess
Christo, sua resurreigo, ea enra miraculosa d'uoa
cxo de nascimento.
Lemos n'ura jornal que todos os dias se vai tor-
nando em Londres mais geral o oso das locomo-
toras as estradas ordinarias, especialmente para
o transporte de volumes muilo pesados.
Isto o motivo de que de novo se tenha regula-
do este servico, que pode fazr-se agora nao : de
nuite como de dia.
Segundo o reglanosme aquellas locomotoras
devora marchar de vagar, nao expeliir fumo nem
apilar, devein parar sempre que lito pecaru o*
conductores das on'.ras carroagens, e deve preee-
de-las a conveniente distancia um peo para avi-
sar da sua chegada, alim de que ao passar a lo-
motora se nao assustem os cavallus oo outros ani-
maes.
Todos os dias ouviraos chamaren) nos barbaros
por causa dos nossos espectculos de toiroa ; pou
bem, outras nagoes e da- mais civiiisa las coas
mais barbaros divertimentos se eolretem. No
hippodromo de Pars esta chamando a -iiecio
do culto publico daqifella capital, um tal M. Tbo-
raaz, que entre outrf.s gragasj deste estillo execu
a de dividir em dois bocados com orna entilada a
um pobre carneiro.
Sera isto um espectculo humano ?
i -> ii J i r
Em Pars vo-se. construir mais dois iheatros
ura no boulnard de Mangenta, outro no do Teaa-
plo.
O numero dos negros importados pan Cato
durante o anno de 1864 foi, a pezar dos activse
numerosos cruzeiros, de.6:S07.
Este trafico parece que se faz boje por meio de
vapores armados e de grandes dimeo-ors ede mar-
cha superior, para que os cruzadores os nao pos-
san] alcangar.
A tempo fallou-se da experiencia feita ea Tol-
ln de urna machina infernal, capaz de destrair
ura navio n'ura fechar d'olhos, e una esqoadia
m alguns minutos ; o successo foi completo, e]
agora vai fazer-se com certeza de meihor resalu-
do urna segunda experieocia.
Assim, pois, s nagoes martimas em qoaat > gam
tam sommas immensas para descobrir na syMeaa
de couragas que torne os navios invulneraveis, por
urna coutradiego extraordinaria, se appiieaa a
descobrir os meios de os deslrnirem um Bo-
rnelo.
Em seus discursos nao procuram seduzir, sor.
E pois de urna soberana importancia conhecer prehender os espiritos, buscara smente eslarece-
DI O VAAIP'IA A Olttll Jl (i ti 1 ir ,i ii I i I
zenda nao tera visinhos senao avite leguas de "0 da sua santa Mai
^K^^Sq^T^videriciapoe''
nossa disposigo, para conhecermos a vontade de
Deus, e termos o valor para curapri-las, a devo
distancia, todos creera que foi nossa senhora.
-.
Do
egue
UM POLCO DE TUDO.
Missionai-io Calhalico trancrevemos o que
A MOCIDADE.
Diz.se,enao cessa de repetirse que a mecidade
E' ao sahir do grande acto da primeira commu-
nho, que o fiel deve esludar o negocio de sua vo-
cagao.
E' neste momento onde o coragao poro e recto
sabe falsificar em proveito das paixSes, os maoda-
mehtos da f e os precetos da virtude, porque Ma-
ria para as almas quo confiara com f nos conse-
lhos da sciencia e do amor de seu Filho.
Ella tambem a voz, a verdade e a vida.
E' a estrella da manhaa, que annuncia a alma
nao dispo-los a receber favoravelmente urna dou-
trina que elles jnlgam necessaria para a felicidade
dos homens.
Como nao vem se nao a verdade e nao respi-
rara se nao por ella, por isso nao buscara embelle-
za la ; dizem sera fausto e como se fallassem de
urna cousa ordinaria :
O leproso estendeu a mao e ella flcou s3......
Q enferma tomou a sua cama e poz-se a cami-
Oho...
Esies homens que passam por fazer to grandes
cousas, e maiores cousas do que seu mestre, esses
horaens que dizem ao coxo : c Olhanos, levan-
S. Pedro em Boma pude cooler 54:000 pes-
soa s.
A cathedral de Milo 36:00o
S. Paulo, extramuros, em Boma 23:000.
Santa Sophia, era Constaotinopla 23:009.
Notre Dame, de Parts, z 1.000.
S. Juho de Maos 14.-000.
A cathedral de Piza 13:000.
S. Marcos, de Veneza 7:000.
No dia 3 de maio a cidade de Nortean foi ans
completamente redozida a cinzas. naai se i
salvar, e perto de i:300 pesseas ncan_
micilio, nicamente os dois labelHies sal
suas minutas.
lnistem os joroaes em qne este chefe aras* vi-
ra a Pars para o melado de juolw, dina aw as
seu obsequio se deve celebrar osea festa a> botei
de Ville, e que bavera corridas aa Firais
blean.
() Act, UL .
PERNAMBUCO.-TYP. DE S. F. DE F. 4 FlUO
'