<%BANNER%>

Diario de Pernambuco ( Saturday, July 22, 1865 )

Permanent Link: http://ufdc.ufl.edu/AA00011611/10723

Material Information

Title: Diario de Pernambuco
Physical Description: Newspaper
Language: Portuguese
Publication Date: Saturday, July 22, 1865

Subjects

Genre: newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage: Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract: The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding: Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation: Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities: Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution: University of Florida
Holding Location: UF Latin American Collections
Rights Management: Applicable rights reserved.
Resource Identifier: aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID: AA00011611:10723

Permanent Link: http://ufdc.ufl.edu/AA00011611/10723

Material Information

Title: Diario de Pernambuco
Physical Description: Newspaper
Language: Portuguese
Publication Date: Saturday, July 22, 1865

Subjects

Genre: newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage: Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract: The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding: Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation: Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities: Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution: University of Florida
Holding Location: UF Latin American Collections
Rights Management: Applicable rights reserved.
Resource Identifier: aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID: AA00011611:10723

Full Text
ATO ILI. NUMERO 166
--------------------------,--------------------------------------------------------------------------------------
Por qnartel pago deutro de 10 das do i. Diez .'.'. i .. 8J000
dem depois dos i.0i 1U d/as do coiuecoe dentro do quartel. . 8J000
Pirte ao coneio por tres mezes ............ m 750
SABBDO 22 DE JLH0 D 1865,
tor ano pago dentro deludas do-i.0 mez ,.,,.,.. 19}000
Portea correio poru anno.............. SfOOO
EN'CARREGADOS DA SUBSCRIPCAO DO NORTE
Parahyba, o Sr. Antonio Alexridrno'de tima;
Nata!, o Sr. Antonio Margues da Silva; Araeity, o
Sr. A. de liflmos Braga; Guar, o Sr. J. Joi de
Oliveira; Marnnhao, oSr. Joaquina Marqo Ro-
drigues ; Para, os Srs. Gcraldo Antonio Alves &
Filaos; Amazonas, o Sr. Jeronymo da Costa. ~
ENCARREGADOS DA SUBSCRIPCAO DO SUL.
Alagoas, o Sr. Claudio* Falco Uias; Baha, o
Sr. Jos Mirtins Alves; Rio de Janeiro, e Sr. Jos
Rbeiro Gaspa-riDho.
PARTIDA DOS ESTAFETAS.
Olinda, Cabo, Escada e estafes da va frrea at
Agoa Preta, todos os dias.
Iguarass e Goyanna as segundas e sextas feiras.
Santo Antao, Gravat, Bez9rros, Bonito, Caruar,
Attinho, Garanhuns, Buique, S. Rento,. Bom
Conselli. Aguas Bellas e Tacaral, as torgas
, (eiras.
Pod'Alho, Nazareth, Limoeiro, Brejo, Pesqueira
Ingazeira, Flores, Villa Bella, Gabrob, Boa Vis-
ta, Ouricory, Salgueiio e Ex, as quartas
feiras.
Serinhem, Rio For-noso,Tamandar, Una, Bar-j
reros, Agua Preta e Pimenteiras, as quintas-
feiras.
AUDIENCIAS DOS TRIBUNAES DA CAPITAL.
Tribunal do commereio : segundas e^ quintas.
Relac-ao: tercas e sbados s 10 horas.
Fazenda : quintas s 10 horas.
Juizo do commercio: segundas as 11 horas.
Dito de orphos : tercas e sextas s 10 horas.
Primeira rara do civel: tercas e sosias ao meiol
di.
Segunda vara do civel: quartas e sabbados a 1
hora da tarde.
DAS DA SEMANA.
EPHEMERIDES DO MEZ DE JJJLHQ.
8 La clieia as 6 h., 7 m. e 22 s. d-a t
15 Quarlo ming. as 2 h., 6 m. e 46 s. da t.
22 La nova as 4 h., 9 m. e 40 s. da :..
30 Quarto cresc. as 4 h., 49 m. e 16 8. da t.
17. Segunda. S. Marinha v.;.S. Aleixo.
bS. Terca. S. Rufino b.; S. Frederco b.
19. Quarla. Ss. urea e Justa vv. S. Macrina v.
20. (Juinta. S Jeronymo Emiliano; S. Elias prof
21. Sexta. S. Henrique imperador.; S. Prxedes
22. Sabbado. S. Mara Magdalena; S. Menelio ab.
23. Domingo. S. Apolinario a. m.; S. Liborio b.
PREAMAR DE HOJE.
Primeira as 3 horas e 42 m. da tarde.
Segunda as 4 horas e 6 minutos da manla.
PARTIDA DOS VAPORES COSTEIiOS.
Para o sa4 at Alagoas a 14 > Ti}: p3ra o nona
ata a Granja a 7 e 22 de cada mez; pera Feraac-
do nos dias li dos mezes de janairo, marco, ma..,
julho, sevewhro e nuvembro.
ASSIGNA-Si
no Recita-, na livraria da prara da Independeacia
ns. 6 e 8, dos propietarios .Vanoel Figoeiroa da
Faria A Filho.
PAKTE OFFKI
*. A
3IIX1STKIIIO IA MARIXIIA
i.ei n. 1,250 de 8 DI ron dk 1803.
Fixa a forca naval para o anno finaneciro de
186 a 1867.
D Pedro K, por grata de. Dos e unnime ac-
elamacao dos povos. Imperador constitucional e
defensor perpetuo do Brasil : fazemos salera to-
dos >s nossos subditos que a assembla geral le-
gislativa decretou, e nos queremos a le segninte :
Art. 1." A forfa naval activa para o anno linan-
ceiro de 1SGG a 1867 constan, dos navios que o go-
verno julgar necessario armar, guarnecidos pelos
ofliciaes da armada e das domis classes corres-
pondentes s suas respectivas lotacoes, e por 3,000
pracas de marinhagem e de prt dos coros de
marinha ein circunstancias ordinarias, e 6,000 em
eircumstancias extraordinarias.
A disposico contida na ultima parte deste arti-
go lera vigor desde ja.
Arl. 2. Continua o govorno autorisado para ele-
var ao estado completo o? rorpos de imperiaes ma-
rinheiros da corte e Matto-Grosso, bem como o ba-
talhao naval e companhias deaprendizesmarmhei-
ros, segundo a organisacao que Ihos foi dada por
jis anteriores.
Art. 3. Para preencher a forca decretada dos
artigas anteriores o governo autorisado a dar gra-
liflcacoes aos voluntarios que se apresentarem tia-
ra o servico, a contratar nacionaes ou estrangei-
ros, mediante a concesso de premios, e a retra-
tar na forma das leis.
Arl. 4. O governo autorisado a alterar ajorga-
nisaco do batalhao naval, transformando mais al-
furnas de suas companhias de fuzileiros em outras
de ariiilieiros.
Art. 5. o governo autorisado a rever o regu-
lamenlo do corpo de oUlciaes de fazenda da arma-
da, r?duzindo as classes de commissarios e escri-
ves a urna nica, sera augmentar a despeas.
Art. 6." O governo autorisado a preencher por
mr recimento durante a guerra, todas as vagas nos
corpas da armada e classes aoiexas, dispensando
as regras establecidas na legulacao da marinha,
nos casse pela forma prescripla no Io art. 17
do r.gulamento .1e 31 de marco de 1831 para exe-
Coco da lei n. 38o d 6 de setenibro de 183'.
rt. 7." Os aspirantes que forem reprovados em
quilquer das materias do curso da escola de mari-
nha, e os que perderem aigum dos annos do mes-
nic cur.-o, em virtude do d spesto no i" do art.
41 do regulamenlo que baixou com o decreto n.
2,103 do Io do maio de 1838, poderio repetir as
ditas materias ou annos como alumnos externos, e
ser de novo admittidus r.o intrnafo, se oblive-
rom spprova-.'ao plena e forem menores de dezoito
anuos.
Art. 8." Os alumnos externos que forem appro-
vados plenamente nos tres annos do corso, os que
tiverem falto os respectivos exerccos praticos, e
houverem dado provas de bom comportanisnto, jio-
derao ser admittidos ao servico da armada como
guardas-marinha, urna vez que satisfacam as con-
dieSes estabelecidas para a admlssio do-: alumnos
internos, e nao tenham de idade mais de vinte e
um annos.
Arl. 9. Ficam revogadas as disposieSes em con-
trario.
Mandamos, portanto, a todap as autoridades a
qosai o couliecimento c oxecncao da referida lei
pertencer, que a cumpram e* facam cumprir e
guardar to inteiramente como nella se coatm. O
secretario de estado dos negocios da marinha a fa-
ca imprimir, publicar e correr.
Palacio ilo Rio de Janeiro, em 8 de julho de
1863, ii" da independencia e do imperio.Impera-
dor com rubrica e guarda.Fantaseo de Pima ta
Stltetra Lobo,
Carta de le,pela qual Vosa Magestade Impe-
rial manda execntar o decreto da assembla geral
legislativa, que hotive por bem {accionar, para re-
guiar a forra naval no auoo finaneciro que ha de
correr do 1" de julho de I8C3 a' o ultimo (le ju-
nbo de 1867.
Para Vossa Magestade Imperial ver.Jos Pe-
reir de Andrade a fez.Josc Tkomaz Naburo de
Aniiijo.
Transiten nest. chancellaria-rar do imperio. Se-
cretaria de estado dos negocios da justiga, em 8
de julho de 1865.
O director geral-interino, Josc Joaquim Ferrara
Valle.
Poi publicada a presente lii nesta secretaria de
estado dos negocios da marinha, em 10 de julho de
186o.Francisco Xavier Bo.nlenpo.
GOWftG IDA PROTPKHA
?.\picnte lo (lia 19 de jnio de 1863.
Cilicio ao proved >r da Sai la Casa d- Mlsericor-
diaEm vista de sua Informajaode 17 do cor-;
rente, sob n. 288, concedo a li 'enea que pede no
incluso rer,uenment Antonio Vicente Ferreira,
para casar com alguma das edneandas do collegio'
das orph.a is, o que commumeo a V. Exc. para seu
conhecimento, alim de que mande entregar o en- <
xoval qu competir a referida educanda.
Dito ao coronel commandante das armas.Sir-'
va-se V. S. de informar acerca do que pede no in-
Gloso requermento Ilraz Marcellino do Sacra-
jnento
Dito ao mesmo.Mande V. S. desoecupar a par-
te ilo convento de S. Francisco desta cidade, que
servia de quart-l a companli a de ca val lana, alim
de serem entregues as recpectivas chaves, aos re-
ligiosos, (cando deste modo rescindidos os contrac-
tos que so li laverem feitos para seu arrendamento.
Coramunicn se ao "uardio do convento de S.
Francisco e a thesourana de fazenda.
Dito ao inspector da thesouraria de fazenda.A
Francisco Antonio Bastos, mande V. S. pagar se
nao hoover inconveniente a qaantiade 233000 pro-
veniente de diversas encadernacoes feitas para a
capitaoia do porto, como se v da conta junta em
dnplicata, que, para esse fun, remelteu-me o chefe
d'aqaella reparti\;ao com o oiflcio de boje, sob n.
114.Coromnnleoo-se aocapltao do porto
Dito ao mesrro.Nao hvendo inconveniente,
mande V. S. pagar a Manoel FU'ueiroa de Falla A-
Filho, conforme socitou o Jirector do arsenal de
guerra, em officio de hontem. sob d. 20, a quantia
de 333730 rs., que se Ihesesi a d-^ver, proveniente
de irnpressos e annoncios mandados publicar no
Diario de Pernambiiro, desd> abril al junho desle
anno, coreo se v da conta junta em duplcala.
Communicouse ao director do arsenal de guerra.
Dito ao mesmn. -Responde-oda ao r.fflcio que V.
S. me dirigi hontem, sob n. 503, tenbo a dizerque
maade pagar, sob niioharo%ponsabilidade, visto nao
haver crdito para esse fim, a qoaolia de 303000,
que se esl a devera Francisco Pinto de Magalhaes,
proveiienfe do aluguel de c.rrcca> para condc-
elo da bagagein do 4. batalhao de artilharia a p
do quartel daSoledade para o arsenal de marinha,
e de que trata o meu officio de 8 do corrente.
Na mesma conformidade lleve ser paga em vis-
ta da conta aposentada pelo director do arsenal
de guerra, como rerommemH em outro ofllcio de
3 desle mez, a quantia de 1805000 que< segundo
consta de olflcio do predito director datado de hon-
tem, e sob n. 324, tambem se esta a dever a Joa-
quim Antonio da Silva Azevedo, pela conduceo
para o mesmo arsenal de objectos pertencenles ao
referido batalhao.
Dito ao mesmo.Tomando em considerado o
que expoz no incluso requerimento, sobre que
versa a sua infonnacao de hontem, sob n. 106, o 2
tenente reformado do exercilo, Jos Rebello Padi-
Iha, autoriso V. S. a maodar pagar, sob minha res-
ponsabilldade, visto nao haver crdito para esse
fim os vencimentos a que elle tiver direilo, por ha-
ver servido como vogal no consplho do guerra a
que re.-pondeu um voluntario da patria perlencen-
te a companhia de homens prelos.
Dito ao mesmo.Respondeodo ao officio que
V. S. me dirigi em II do correle, sob n. 470,
acerca das consignacoes uue prelendem deixar nes-
la provincia os qnatro ofliciaes do respectivo corpo
de polica, constantes da relagao que acompanhou
o meu officio do 10 do mesmo mez, tenho a dizer
que lacs consignacoes devem ser abonadas sol, mi-
nha responsabilidade.
Dito ao mesmo.Nao havendo inconveniente,
mande V. S. pagar ao guardio do convenio de S.
Francisco nesta capital fre Joio Baptisla do Espi-
rito Santo, como pedo no incluso roquerimonto, o
aluguel na importaoci de 1503000 e correspon-
dente aos mezes de Janeiro a junho deste anno, da
parte d'aquelle convento que esteve oceupada pela
companhia de cavallaria
Dito ao mesmo.Remello incluso os requer-
mentos que me inderecaram o tenenle Francisco
Xavier Rodrigues de Miranda, e o capitao Joao
Francisco da Cunlia, ambos do corpo de polica,
para que V. S. mande abonar as consignacoes que
elles pretendem deixar nesta provincia, de coufor-
midade com o que elles declaram em ditos reque-
ri atentos.
Dito ao mesmo.Sob minha responsabilidade,
mande V. S. adiantar um mez de sold ao alfores
do corpo de polica Antonio Heniiques de Miranda,
quo brevemente tem de embarcar com o mesmo
corpo para o sul do imperio.
Dito ao inspector da thesouraria provincial.Re-
commendo a V. S. que mande por em hasta publi-
ca os reparos urgentes de que precisa a cadeia da
villa do Limoeiro, servindo de base a essa arrema-
tado as clausulas e orcamentos, juntos por copia,
na imporlancia de 3:4185130 rs., que para esse lim
vieram annexos ao officio do chefe da repartido
das obras publicas n. 83 de 21 de marco ultimo,
sobre que informou V. S. em dala de 10 de junho
prximo tindoe sob n. 230.
Dito ao mesmo.-Em os devidos lempos, mande
V. S. abonar a familia do soldado da 4." compa-
nhia do corpo de polica Joaquim Francisco Ramos,
o excesso de sold que Ihe compete nos termos da
lei provincial n. 611 de 2 de maio ultimo, visto que
lera de embarcar com o mesmo corpo para o sul
do imperio.
Dito ao me mo.Em addil.imento ao meu ofTJcio
de 17 do corrente, recommendo a V. S. que madde
fornecer a escola normal os objectos mencionados
no officio do respectivo director datado de boje, e'
incluso por copia.
Dito ao mesmo.Mande V. S. por em pra?a os
reparos da ponte do Rio Formoso, servindo de base
a essa arromatacao as clausulas e orcamento juntos
por copia, e que para esse fim mo remetteu o chefe
da reparticao das obras pnblas com officio do'
hontem, sob n. 226.Gomnraoicuu-sa ao chefa da |
reparticao das obras publicas.
Dito ao cnsul de Portugal.Rece o offMo de '
7 de junho ultimo, com que o Sr. Dr. Claudino de
Araujo Guimaraes, cnsul de sua magestade lide-
lissrna nesta provincia, trouxe ao meu conheci-
mento a representado que devolvo, assignada pelo
subdito portuguez Antonio Jos Botelho, estabeleci-
do na villa do Bonito, e em resposta cabe-me dizer
qae nenbuma providencia tem a dar a presidencia
asemeinante respeito, visto nao constar da citada
representacao que aquolle individuo sofra perse-
guido das autoridades locaes, ou do particulares, e
apenas que o juiz municipal e o escrivao de or-
phos do termo disseram, segundo a simples afflr-
macao do representante, que fariam declara-lo de-
meuteou fallido
Renov ao mc de e-tima e consideragao.
Dito ao commandante do presidio de Fernando.
Expeca V. S. as suas ordens, para que o almoxa-j
rife dse presidio, preste aos respectivos capelles;
o guisamento que for necessario para celebraco do
Santo Sacrilicio da missa nos das de semana' visto!
que a isso nao se oppoe a thesouraria de fazenda, i
segundo asuainformacao de 13 do corrente.Com-1
muuicou-se a thesouraria de fazenda.
^Dito ao mesmo. -Avista do seu officio n. 238 de
17 de maio desle anno e da iuformaco d) inspec-
tor da thesouraria de fazenda, datada de 12 de ju-
nho ultimo, autoriso V. S. a comprar a Lmz Alfredo
por duzenlos mil ris o eavallo qae premende ven-
der, visto ser necessario para melhoramento da ra-
ta cavaUar desse presidio.Communicouse a the-
souraria de fazenda.
Dito ao commandante superior do Recife Sir-
va-se V. S. de informar acerca do que pode no In-
cluso requermento Horacio Peres GalvSo guarda '
nacional do 3o batalhao deste municipio.
Dito ao mesmo.Mande V. S. postar em frente I
da igreja de Nossa Senlwra da Coneeicao dos Mili-
tares, no da 21 do corrente as 6 e 1/2 horas da
manhaa, urna guarda de honra para assistir ao of
Ocio que all se tem de faier pelo descanco eterno I
das pragas fallecidas na guerra contra a repblica
do Paraguay.
Dito ao commandante superior de Olinda e Igua-
rass.Em vista da sua iuformacao de hontem, re-
solv despensar do servico do aqiurtelamento para
que estava designado, at que se recorra a elasse
a que perteuce, o guardado 9o batalhao de infanta
ria do municipio de Olinda, Antonio Victorino de
Mello, que serve d* arrimo a eu pai aetogenario ;
o que declaro a V. S. para expedico das conve-
niutes ordens.
Dito ao commandante superior de Nazareth.
Avista da sua informacao de 10 do corrente e da
que ii uiistrou o tenente-coronel commandante do
batalnao n. 18 de infniaria da guarda nacional
sob -eu commando superior, resolv dispensar do
destacamento para que eslava designado, o guarda '
do mesmo batalhao Manoel Serafina Rodrigues at
que se recorra a ciasse dos casados a que elle per-
tence. O que roaimunico a V. S. para seu conne- i
cimento e xpedicao das convenientes ordens.
Dito ao commandante do corpo de polica Man-
de V. s. inspeccionar e sentar praca, se for jnlga-
do apto para o servico, o palsauo Antonio losa de
Soiiza, que se offerece para alistar-se no corpo sob ;
seu commando,
Dito ao mesmo. Mande V. S. alistar no corpo
sob commando, se fr considerado apto em inspec-
?ao de saude, o voluntario Manoel da Silva Jaco-
me Pessoa.
Dito ao capitao do porto.Mande V. S. recolher '
ao deposito, aflm de ser empregado no servico da
armada, se fr julgado apio para isso eminspeccao
de. saude, o paisano Francisco ones de Paula,
que Ihe sera apresentado por Vicente Ferreira o-
nes de Paula.
Dito ao director do arsenal de guerra.Faca V. I
S. apromptar com urgencia aflm de serem forneci-
dos npporlunamente a guarda nacional qae tem de
seguir para o sul os artigo1 de armamentos e qul-
pamento e mais objectos mencionados no pedido
que aqu Junto, assignado pelo tnajor Alexandre
Augusto de Frias Villar. I
Dito ao mesmo.Ao seu officio n. 316 de 11 do
corrente, respondo declarando-lhe quo deve V. S.
remetter para a edrte na primeira opportuoidade,
os artigos de fardamento pertencentes ao 4 bata-
lhao de artilharia a p e as companhias de artfices
e cavallaria, enviando-me urna relacao dos referi-
dos artigos.
Dito ao conselho de compras do arsenal de guer-
ra.Autoriso o conselho de compras do arsenal de
guerra a contratar provisoriamente com alguns dos
pharmaceuticos o fornecimento dos medicamentos
nece-sarios aos doentes recolhidos a enfermara
dos menores aprendzes do mesmo arsenal,, remel-
lendo-me com urgencia urna copia do termo que
se lavrar.
Dito ao conselho de compras navaes.Autoriso
o conselho de compras navaes a promover nos ter-
mos do seu regulamento a compra dos objectos que |
segnndo o seu officio datado de 7 do corrente, sao [
necessarios para supprimento do almoxarifado do !
arsenal de marinha.
Dilo ao chefe da reparticao das obras publicas.'
Mande Vmc. orear as despezas a fazer-se com as i
obras de que neccsstta a matriz da freguezia de
Nossa Senhora do Rosario da cidade de Goianna,'
como pede o respeclivo vigario no incluso requeri-
melo que me ser devolvido.
Portara.O presidente da provincia, attendendo
ao que requeren o professor de francez do Gymna- \
sio Pernambucano Antonio Jos de Moracs" Sar- [
monto, resol ve prorogar por quin:e dias com ven-',
cimentos a licenca que Ihe foi concedida por por-
tara do 16 de maio ultimo, para tratar de sua sau-
de.Fizeram-se as necessarias communicafoes.
Dita.-O presidente da provincia, em vista da lei
provincial n. 616 de 19 de maio ultimo, que elevou
a calhegora de "illa a povoacao de S. Jos de Be-
zerros, tendo por districlo a freguezia do mesmo
nome, e a de Grvala, as quaes se acham qualili
cados, ao lodo, 186 jurados, estando por isso a mes-
ma villa as circumstaucias.de ler jurisdiccao ci-
vil, resolve crear um termo anm-xo ao d> Bonito,
e noma para substitutos do respeclivo juiz muni-
cipal os cidadaos seguintes:
l. Manoel Francisco de Azevedo.
2. Manoel Antonio Ferreira.
3." Joao Braz de Vaiconcellos.
4." Joao Francisco Cavaleanti.
5. Jos Clemente da Silva.
6." Manoel Vieira das Neves.
Remelfea-se copia da portarla ?uppra as autori-
dades competentes.
Aos Srs. facultativos cvis que gratuitamente
sobslituiram aos ofliciaes do corpo de sade no
servi$o medico-militar nesta capital, devo-lhes um
voto de sincero agradecimenlo.
Seria nimiamente injusto, se dcijsassc nesta oc-
casiSo de exibir urna prova de minha gratido e
reconhecimento ao Sr. tenente-coronel secretario
Francisco Camello Pessoa de Lacerda pelo zele e
pericia com qne junto a mim servio, mostrando o
mais decidido interesse no incessante Irabalho a
que se enlregou no tocante a organisacao dos dous
corpas de voluntarios da patria, que desta provin-
cia segu rain (tara a corte com destino ao Ihealro
da guerra, a 27 de abril e 22 de junho ltimos, e
ao embarque dos corpos de linlia, e das praeas que
aijui Acaram por differentes motivos.
Agradeco igualmente ao Sr. segundo tenente
I Antonio Francisco
q
ajudan
hou
cargo.
(Assignado)Jos Maria Ildefonso Jacome da
i Veiga Pessoa e Helio.
(Esl conforme)Antonio Francisco Duarte, se-
gundo tenente ajudaule de ordens interino, encar-
regado do detalhe.
Ordem do da n. 88.
Em ob^jienei; as ordens do governo imperial,
contidas em aviso do ministerio da guerra do pri-
meiro de jnlbo corrente, publicado na ordem do
dia do exercilo n. 438, assume nesta data o com-
mamlo das armas interino desta provincia :
sargento de imperiaes marinheiros Derrabe Jos
Tavares, ex-praoa Napoleao Antonio Marntort, Ray-
mnndo da Rocha Brito, Antonio Elias de Aguiar,
Antonio Agripino de Araujo, Levindo Jos Garva-
Ihaes, Antonio Alves de Carvalho, padre Francisco
Antonio aa Costa Palmeira e sea criado, padre Joao
Soares de Albuquerquo, Francisco-Conrado da Cu
nha Senna e seu criado.
Seguem para o norle:
Senador Frederico de Almeida Albuquerque, di-
Aotonio da Cunba Vasconcellos e seu escravo,
to
doputado Jos da Co.-ti Machado c seu criado] dito
padre Lyndolpho Jos Correia das Neves e seu es-
cravo, dito Felintho Henrique de Almeida e seu es-
cravo, capitao Jos Aocelmo dos Reis, alfares E-
duardo Marcos de Araujo, cadete Joaquim N. U. do
Amaral, Julio Kahn e seu criado, Kakn e seu cria-
Duarte a maneua digna rom \ do, depntado Gentil-IIomem d'Almeida Braga
oe aa deempenhado as funreoes interinas de escravo, capitao Jos Thiago da Silva Dr. Ravn
ldante de, orden? do commando, as qoaea se do Telxelra Belforte BOxo, cadete mancio Ca
ouve com intelbgencia o aolo pelo servico a seu biano de Albuquerque, 1). Anglica Sabina B
eseu
mun-
Calra
. Braga
ao .vascimento, alfares Peregrino Alves Ribeiro da
Silva, cadete Valfredo Celco Cesar Padilha, Manoel
Moreira da Rocha Jnior, Joao do Carino Ferreira
chaves, Miguel Pereira da Silva, irmaa de canda-
de Elisafeet Marick, dita Maria Goncalves, deputa-
do Ambrosio Leito da Cuaba, dito Domingos An-
tonio Raial e seu criado, alferes Joao Jos de Lima
Baila.
- Passageiros do brigue brasileiro Pernambuca-
no, ent ados do Porto :
Joaquim Goncalves do Cabo, Joaquim de Olvelra
ni o que i forres, Antonio de Oliveira Torres, Jos Gomes de
[ac publico para conhecimento da guarnigao. No Amorim, Maria Ribeira.
desempenho de-se cargo, esforzarme bei de modo
a salisfazer as vistas do mesmo governo na crise
em que o pala se Sena, lutando com o estrangeiro
Passageiros do hiato brasileiro Sbrateme, sa-
bido para o Aracaty:
Manoel Saturnino dos Santos Nev?, Jos Soares
as provincias do sul, c neste empenho cont com Barbosa, Casimiro Pinta Nogueira, Manoel Baptista
a coadjuvacao dos meus companheiros d armas, da do Na^cimento
briosa guarda nacional que na ausencia da tropa i Passageiros do vapor nacional Paran, salu-
de Unta foi chamada a substiln.-la no servico da do para os portos do Norte :-D. Antonia Mara do
is pelo meu digno antecessor o Ulm.Sr. padres lazaristas, madama Thereza Luiz Autran,
Josc Mana Idelfanso Jacome da \eigaPes- madama Joanna Correia, sargento Barmib Jos
rs-verter ao commando do forte do Bura- Tavares
i
DE
UGVKKXO DO IIHPADO
l'KRWIIItre.
SEDE VACAXTB.
Chegaram do Rio de Janeiro, as peticojs de dis-'
pensas constantas da lista abaixo publicada, e cu-
ja coucessao foi autorisada pelo Exm. e Rvm. Sr.
Sr. iaternunclo apostlico, em data de 19 de junho
prximo findo. Podem. pois, ser procuradas cu em
Olinda ca secretaria do bispado, ou no Reciie em
casa do film. Sr. conego da capella imperial Fran-
Blsce Jos Tavares da Gama, na ra da Cruz n. 56.
Olinda, 19 de julho de 1865.
Conego Joaquim Ferreira don Sanio?,
Secretario do bispado.
Oradores ligados no impedimento de affinidade li-
cita em Io grao igual da I i nha lateral.
Lanrentino Cavaleanti de Araujo e Maria Fran-
cisca da Gonceigao.
Francisco Marlnho de Espindola e Maria Jos da
Conciicao.
Jos Raymondo da Cunha Pedresa e Maria Jos dos
Prazeres da Cunha Pedrosa.
Jos Seralim de Souza e Joaquina Maria da Con-
eeicao.
Francisco Antonio de Maria e Bernarda Maria da
Silva.
Uanoel Pires de Souza e Jasopha Mara de Jess.
Manoel Felino da Silva e Francisca Maria da Con-
eeicao.
Trajano Dias de Araujo c Auna Maria da Concei-
glo.
Caetano Jo- Cavaleanti o Maria de Nazareth Be-
ierra Cavaleanti.
Oradores que eslag ligados no impedimento de
consanguinidade em 2 grao mixto ao ! da li-
nha lateral.
Dojdato Jos de Oliveira e Dionzia Maria da Con-
eeicao.
Francellino do Souza Vieira e Maria Glora de
Jess.
Joao MnrinhoG)raes e Ludovina Maria da Con-
eeicao.
Jos Freir de Barros e Rosa Mara da Penha.
Feliciano Ferreira da Silva e Antonia Maria do
Espirito Santo.
Manoel Nogueira da Silva e gueda Mara de
Mello.
Miguel de Araujo Pereira e AnDa Maria da Con-
eeicao.
Francisco J*s de Assis e Joaquina Bella de
Araujo.
Dogo Aleixo de Pontes e Maria de Jess.
Justino da Costa Nogueira e Maria da Coneeicao.
Chegaram mais as seguintes pelicoes concedi-
das igualmente pela nunciatura apostlica, em da-
ta de 29 de junho o 5 do corrente mez de julho :
Luiz Pereira da Costa e Maria Mendes da Silva.
Casemiro Rodrigues da Silva e Auna Rosa da
Costa.
Deodato Candido de Medeiros Fa!cao e Maria Can-
dida Bezerra de Andrade.
Jos Francisco Bezerra e Joaquina Maria do Li-
vramento.
Manoel Joaquim de Castro e Josepha Mana de
Fonte.
Ru'z Libanio Lopes Ferreira e Maria Joaquina Lo-
pes Ferreira.
Alexandre de Barros Araujo e Margarida Maria de
Jess,
Ignacio Ferreira dos Santos e Gracinda Candida
Saraiva Galvo.
Miguel Alves da Silvcra e Justina Maria da Con-
rj clelo.
Bento'Gomes Meira e Maria Glaudina do Espirito
Santo.
Belarmiuo Nogueira da Silva el.uizi MtriaNunes
... -r.:x*r*' r' -HBxm~------.....------
C0MAND6 D.S ARMAS.
Qnarlel lio commando das armas 'le Pcrnamhuco
na cidailc do Itceife, -21 de julho de 1865.
Ordem do dia n. 87.
O Illm. e Exrn. Sr. brigadeiro Francisco Jos
Damasceno Rosado acaba de assumir as funecoes
do cargo de commandante das armas interino des-
ta provincia, para o qual fra nomeado por aviso
do ministerio da guerra publicado na ordem do dia do exercilo n. 458.
Fazendo disto sciente a guarnicao para os fins
convenientes, corre-me o indeclin'avel dever ao
deixar o excrcicio do referido cargo que desempe-
nhei desde 16 de fevereiro ultimo, de agradecer
aos Srs. commandantes dos corpos de linha, aos da
gparda nacional, aos commandantes das fortalezas,
e chefes de estacOes militares, a coadjuvacao efli-
caz que me prestaran) ; e bem assim ao digno Sr.
capitao de mar e guerra inspector do arsenal de
marinha, pela boa voniade e promplido com que
acollieu todas as minhas re |uisicojs tendentes a
embarque e desembarque de tropas, e suas respec-
tivas bagagens.
expedida
coronel "
sa, que
co, ficanilo desde ja exonerado desse mesmo com-
mand o r. 2 imenle ajudante Jos Francisco
dos Santos que exercia interinamente.
(Assignado)Francisco Jos Damasceno Rosa-
do, brigadeiro commandante das armas interino.
(E tenente ajudante d'ordcns interino, encarregado do Francisco daTuz, para rcrala.'
de,3,he- A' ordem do subdelegado do Recife, Arislides
escravo de Domingos Rodrigues de Andrade, a re-
querimento deste.
A' ordem do de Santo Antonio, Adriano, escra-
vo de Azevedo Andrade, para correceo.
A' ordem do de S. Jos, Antonio escravo do Dr.
urna mmh.
Tavares.
Repaiitiqao da polica :
Extracto das partes do dia 21 de julho de
1863.
Foram recolhidos casa de detencao no dia 20
do corrente:
A' ordem do Illm. Sr. Dr. chefe de polica, Jos
1HV.V.3K.CJK .- HMM
wfcMTNww inwmin'ii i-j-^t>^
1 Antonio Justino de Souza, a requermento deste.
j A" ordem do da Gapunga, Luiza Franca de 0!i- !
Hontem foram convidados, pelo Exm. Sr. presi- veira, para correceo,
dente da provincia, os Srs. desembargador Peretti o chefe da seceao
e ur.n^fogos do Souza Leao, cada um por sua J G de Mesmii'ta '
vez, para luamiram M reden, a adm..-lr..s5. I c^c, M M,,;o -Movin^nm do rii 40 dfl ln
Tendo elles recusado, foi convidado o 6" vice-pre- Ihode 1863 : -manto do ri.a h ip j.
sidenteExra Sr. baro do Rio Formoso. i Existiam 370; nlraram 16;sahiram6 ; existom
- Em lugar competente abrimos espace a urna 380 a saber : nacionaes 283: estraugeiros 23: mu-1
sene do communicados, que te-n de oceupar-se de Iheres 10 : esrangeiras 2 : escravos 53 : escravas
actos da admioistraeao do Exm. Sr. Dr. Castello 5, total 380.
Branco; e para louvar que se levante urna voz Alimeniados a cusa dos cofres poblicos 167.
de justa apreciacao nos ltimos dias de seu gover- Movimento da enfermara no da 20 de julho
no, quando nao se polo levar conta da lisonja de 1865.
PASSAGF.-1-.
Do Sr. desembargador Guian ao Sr. deserJ)ar-
gador Lourenco Santiago
A appellacaV) civel.
Appellante, a viuva de Ma Vieira da Ccaoa i
appellada, a fazenda.
Do Sr. desembargador Lourenco Santiago zo Sr
desembargador Almeida e Albuquerque
A appellaco rrime.
Appellante, o juizo; appellado. Maocel Silvia^
da Silva.
Appellante?, Jos Hifcellu Padilha e ostros a
pellada, a fazenda.
Appellante, Joao Cavalcante de Albuqneraa
Vasconcellos ; appeliado, Luiz Francisco de Vas-
concellos.
Ao Sr. desembargador Molla
As appellacoc.- civei?.
Aopeliante, Manoel Goncalves Agr ; appellada.
a fazenda. e -n .
Appellante, Juo Tavares de Mello ; aoi>l!a*>
a preta Thereza. vr
Do Sr. desembargador Almeida e Albaaa<>r>rae ao
desembargador Assis
A appellaco oval.
Appellante, Joo Ferreira da (jku Imboxnro ;
| appellados, Joio Jas da Silva e oatro.
A appellaco crime.
, Appellante, o juizo-, appellado, Mal Joaquina
de Carvalho.
Do Sr. desembargador Assis aoSr.desembarea-
dor Dona
A appellaco crime.
Appellante, o jalao appellado, Pranei-eo B r-
ges.
Do Sr. desembargador Molla ao Sr. desembar-
gador Guerra
As appellacoes civei^.
Appellantes, Flix Souvage , C.
Leandro Lopes Dias.
i Appellante, Joao da Cunha Pereira :
; D. Joanna Maria das Dores.
Appellante, Jos Soares do Reg ; appellado, Jos
Joaquim de Oliveira.
Ao Sr. desembargador Dbil Cavalrante
A appellaco crina*.
Appellante, ojuizo; appellado, Francisfo Jos
dos Santos.
Do Sr. desembargador UchOa Cavalcaati aoSr.
desembargador Domiogoes da Silva
As ap|n-llai;iV'-; civeis.
Appellante, Bernardino Lopes de Uiveira ; ap-
pellada, a preta Eugenia.
Appellante, Francisco Marinho de Albuqoernaie
Mello ; ajqiellado, Francisco J.- Vianna
Do Sr. desembargador Domingnes da Silva ao
Sr. desembargador Barros Vasconcellos
As appellacoes erlmes.
Appellantes, Aatla Bezerra Leite e oolro* ; ap-
pellado, 0 juizo.
Ao Sr. desembargador Assis
A appellac.ao civel.
Appellante, Andr Pires Visgoeiro t Ali>ar|ner-
que ; appellado, Jos Felrppe Bezerra de M-aeie*.
Ao meio-dia encerrou-se a sessao.
appellado,
appdUwta,
esse impulso'generoso.
0 medalnao de retratos dos hroes de Ria-
chuelo, de que hoptem tratamos, idea da redaccao
da tllustracSo Acadmica.
Em consequencia da exiguidade de espac.o
Teve baixa:
Prudencio Gomes da Silva, syphiles.
Ti vera malta :
Dionisio escravo, sentenciado.
Chryslovo dito, de Jos Marques.
nesta parle, damos na 8* pagina umadescripgao da Ignacio dito, de Antonio da Silva Gumao.
funeral feto ao capitao Pedro Affonso Ferreira nes- cbhitehio publico. -Obituario do dia 19 do
la cidade, e para a sua leitura chamamos a atlen- julho
cao publ "
ha com
O Jaguaribe, da Companhia Pernambucana, Manoel dos Passos, Pernambuco, 34 annos, casado,
arha-se frotado pelo governo imperial para trans- Boa-Vista ; phtisica pulmonar,
porte, em consequencia do seu pequeo calado ; e Juliana, Pernambuco, 4 annos, Boa-Vista; vermes
assim nao deve voltar j do sul. i inlestinaes.
Eit tal servio.. seguio ha pouco para Santa Ca- Brandina, Pernambuco, 6 annos, escrava, S. Jos;
tharina, o nelle foi tambem o gerente da compa- irrilaco dos Intestino*
nhia o Sr. Francisco Ferreira Borges, que sem da- Joao, frica, 60 annos, soUeiro, escravo, Santo An-
vida para all parti em vistas do melhor interesse tonio; meielite.
da sua boa gerencia. 20
Para destacar em Fernando de Noronha foi Joio Ferreira Das, Pernambuco, 76 annos, Recife,
designado o 9 balalhito da guarda nacional do amolecimenlo cortbral
municipio de Olinda, o qual para esse fim dar cem Andr de Albuquerque Mello, Pernambuco, 42 an-
soldados; oito cabos, um furriel, um le tres segun-
dos sargentos, dous alfares, um lente e um capi-
tio. Os ofBciaes nomeados para esta commssao sao
os Srs. capitao Chn-tovao Pereira Pinto, tenente
Kvaristo Vieira Cavaleanti de Albuquerque Lins,
e os alfares Francisco Alexandre Jos Dornellas e
Francisco Pedro Celestino.
Foi subtrahida, no hotel Traviata, a quantia
de 8435 perlencente ao Sr. Joao Manoel de Vas-
concellos, que linha em casleira dentro do bolso
do paletot.
Scientiflcada a porcia do occorrido, fez suas pes-
quizas, cujo resultado estabeleceu desconfiancas
contra urna pessoa, a quem procura o Sr. subdele-
gado capturar.
Urna carta escripia de Montevideo com data
de 28 de junho passado, dirigida a urna casa com-
inercia'
uos, solteiro, Boa-Vista, tubrculos pulmonares.
Alonso, Pernambuco, 18 mezes, Boa-Vista, suppres-
sao de transpiracao.
Clara Anloca Crrela de Almeida, Pernambuco
30 annos, casada, Boa-Vista, tubrculos pulmo
nares.
CHHO^CAJIDICIARIA
Tll,lll'\AL n\ RELA^XO.
SESSAO DE 18 DE JULHO DE 1865.
SR. DESEMBARGADOR
PRESIDENCIA INTERINA DO EXM.
SANTIAGO.
As 10 horas da maDhaa, presentes os Srs. des-
de nossa praca diz oseguinte, relativa- embargadores Santiago, Gilirana, Lourenco Santa-
mente a batalhao de voluntarios de Pernambuco : go, Almeida Albuquerque, Assis, Doria, Molla,
Quando aqui cheguei o coronel Leal liona su- L'cnoa Cavaleanti, Domingues da Silva e' Barros
bido, mas disse-me urna pessoa, que foi o nico Vasconcellos, faltando o Sr. desembargador Guerra
balalhao que tem desembarcado como militar, foi procurador da corda, abrio-se a sesso.
o de voluntarios de Pernambuco ; o coronel ia de
sade o muito satisfaito. >
Hoje, Gordeiro Simoes, far leilao de movis,
crystaes, candieros a gaz, escravos e outros objec-
tos do gosto. ra da Cruz n. 57, as 10 horas.
Passados os feitos, deram-se os seguintes
JUI.C AMENTOS.
Appellacoes civeis.
Appellante, Dr. Manoel Carlos de Gouveia ; ap-
pellado, vigario Jos Anlunes BrandoReforma-
- Hoje se extrahir a primeira parte da pri- daasenleca.
meira lotera, da matriz d'Agua Preta (24), sendo AppellaDte, Domingos Jos de Oliveira Dias ; ap
o maior premio 6:000S00i). filada, a cmara municipal. Desprezaram-se!
Passageiros do vapor Paran, entrados do Rio^s^mbargos.
de Janeiro : Appellante, Malinas Lopes da Gosta Mala ; ap-
Dr. Jos Antonio de Fgueiredo, Dr. Ambrosio pellada, D. Maria de Jess Gordeiro.Receberam
Hachado da Cunha Cavaleanti e seu escravo, Dr., em parte os embargos.
Jos Moreira Brando Castello Branco, Dr. Jos diligencia crime.
Leandro Godoy, Dr. Caetano Xavier Pereira de Com vista ao Sr. desembargador promotor da!
Brito e seu criado, Dr. Antonio Vicente do Nasc- justica
ment Feitosa e seu escravo, Dr. Innocencio Sera-
phico de Assis Carvalho, sua senhora, dous filhos
menores, um criado e urna escrava, Dr. Ignacio de
Barros Brrelo e seu criado, Dr. Antonio Hercula-
no de Souza Baodeira e seu escravo, Dr. Jos Joa-
quim Tavares Belfort, Dr. Joao Silveira de Souza,
Dr. Jos Roberto de Moraes e Silva, brigadeiro
Francisco Jos Damaceno Rosado, majar Constan-
tino Jos de Castro, capitao Alberto de Brito Caval-
eanti Arco Verde, tenente honoro Domngues de
Menezes Doria, padre Flix Brrelo de Vasconcel-
los, Francisco Lopes Gordeiro, Faustino Martns
Bastos, cadete Julio Cesar de Carvalho e Araujo,
dito Vicente Ferreira da F. Carvalho, dito Manoel
A appellaco crime.
Appellante, o juizo ; appellado, Jos Anastacio
de Albuquerque.
DESIGNACAO DK DIA.
Assignou-se dia para julgamento das seguin-
tes :
Appellac5es civeis.
Appellante, Ursulino Leite de Arrochellas : ap-
pellado, Jos Mara C;rtez.
Appellante, Joaquim Jos Ferreira da Costa Re-
bimba ; appellado. Raphael Fernandes Porto.
Appellante, Agostinho Lucas Correia ; appellada,1
a escrava Lina. i
Appellante, o baro de Guararapes; appellado,
da F. Carvalho, dito Francisco Fologonio de Souza Jos Francisco de Farias Salles.
Magalhaes, sua senhora e tres lilhos menores,Fran- Appellante, Trislao Anlunes de Alencar ; appel-1
cisco Carvalho Paes d'Aodrade, Jos Machado Por- lada, a fazenda.
tella, Joo Tavares da Silva, Francisco Iguacio Pei- Appellante, Antonio Virato de Medeiros ; ap-
xoto F., Ernesto Julio de Souza Andrade, segundo pellada, D. Rosa Maria de Albuquerque.
ACTA DA SESSAO ADMINISTRATIVA DE 20 r^E
JULHO DE 1865.
PRESIDENCIA Du EXM. SU. DESEMRABT.VDoa
an.-ki.mo nuwoaoa peretti.
As 10 horas da manhaa, estando reunidos os Sr-
deputados Candido Alroforado, Basto e Miran.li
Leal, nao tendo comparecido o Sr. It-.-a por dta-
te, c"prfenle o Sr. desembargador fiscal, o
Exm. Sr. pivsidci.ie declarou abena a se--io * V-
signou o Sr. G. Alroforado para servir i* eTe-
tario.
Lida, foi approvada a acta da se-sio anktre-
denle.
EXPEIKNTE.
Dm iHiri do Exm. Sr. presidente da proTiac^.
de 19 do corrente duendo em resposta ao qne Ine
foi dirigido pelo Exm. Sr. pre-ideale do tnlmn-l
em 13 do referido mez, que triturara de fa-
zenda se acha habilitada a effertoar o pagan-e i.
dos vencimentos dos senhores desembargadores
adjunctos do tribunal, com o crdito que para
lim abri sob sua responsabilidade desde o supra-
mencionado da 13. -Arehiv.-se.
Outro do Dr. Manoel ClemeDtmo Caroeir > da Cn-
nha, de 17 do Crrenle, rommunicand t^r i
dia assumido o exercicio interino do cargo oV rh -
fe de polica desla provincia. Acensada a rer?p-
Outro do secretario do tribunal do rommen
do Maranbao, de 26 do mez paaaafa, arrnan a
recepeo do qne Ihe foi enderecado per >! tribu-
nal em o 1 do reendo mez.Archive se.
Outro do secretario do tribunal do rommi-rrio **
Baha, de 5 do corrente, acompanhado de ama re-
lacao dos commerciantes all mairiculados dorante
os mezes de Janeiro a jonho do corrate aano.
Acensada a recepgo, archive-se.
Distriboiram-se para serem rubricado* p*los se-
nhores deputados. os livros Copiadores de cartas
de Joaquim Jos Gonc-ilves Bellro, de V A. F--
pirito Santo, e de Fernande* A; IrmSo, e i ino de
Jas Antonio dos Santos O elho.
DESPACHOS.
No requerimento de Antonio Val -mim da Sii>a
Barroca pedindo o registro do rontra'o de a
dade de Arthur Caetano da Silva e Joao Pialo Dias
de Mesquita, establecidos na cidade d > Pen-do.
provincia das Alagoas. Junte proeoraco lac-
tante.
O de Victorino Lopes da Costa, Antonio Jcaqnim
Fernandes e Domingos Martns de Birros Montero,
estabelecidos nesta cidade aaa afirma de L-, -.
Fernandes 4 C, pedindo o regislro d> seu r a-
trato de sociedade. Vista ao Sr. desembarro V.r
fiscal.
No do rorietor Bernardino de Va-voorelloa,
apresentando o conhecimento do imposto de
officio, para ser registrado.Registre-se.
No do agente de leilo -s Francisco Igaaeio Pinto,
apresentanlo tambem para ser registrado o conhe-
cimento do imposto de seu offloo. Regis-
tre-se.
No de Jos Moreira da Silva Jnior, pe liado
certiuo do theor do registro da sua aomearo >ie
caixeiro da casa commercial de seo pai. Cano
pede.
Ficou adiado o despacho dos aolos d* rebahil.-
la?o de C. J. Astley & C, por nao estar completo,
o tribunal.
Nada mais havendo a tratar, o Exm. Sr. presi-
dente encerrou a sesso as onze horas e amia da
manhaa.
SESSAO JUD1CIARIA EM 20 DE JULHO
DE 1863.
PRESIDENCIA DO EXM. SR. DESEMBARGADO*.
A. F. PERETTI.
Secretario, Julio Gumaraes.
As Hfi horas da manhaa o Exm. Sr. presdanla
declarou aberla a sesso, estando r?unulos os Srs.
desembargadore Caetano Santiago, Gilirana. Res
e Silva, Silva Gnimares, Acrioli e Almeida Alhn-
querque, e os Srs. depotados Gandido Afeofnrao.
Basto, Miranda Leal e supplente Antonio Loiz doa
Santos.
O Sr. depulado Ros, participen roe por jalo
motivo nao poda tomar parte nos trahalho da
presente ses.-ao.

.. _ .*rrirrT
*


Diario de Pernanibnco >- Sabhado 19 de Julho de 1865.
Licia, ro approvada a acta da precedente ses-[sentimenlos patriticos do ?r. Martins , mas per- to, que a 19 das mandara informar, nem de que a'enriado, seos nomes de Murray e Lanmaa se
sao. miinr-nos-ha o autor do comniunicado quelite cadeira de San! , Amaro das Salinas era a designa- achara atusados e inscriptos sub cada envoltorio,
julgamentos. pooderemos que suas razoes nao silo mu proceden- da para a Sra. . Leonor Carolina. | lelreiro e garrafa, pois que na falla dos mesmos'
Appellantes, os administradores da massa falli- tes para stabelecer a pretendida preferencia, prin- Pez, portanto, a remogao da Sra. D. Maria Fio- nao resta a menor duvida da sua apparente falsi
da de Amarim, Fragoso, Santos A C.; appellados, cipalmente em relago quelles que o communi- rentina na melhor lntengo, e pensando praticar. dade.
do costume, e publcalo pela ia-
Recife de Per-
Costa & Filhos--Adiado na ullitna sessao.Nao se cante pareceu tomar pata termo de comparagao, a
tomn conhecimento da appellaco. saber, os Srs. Lisandro Francisco Nogueira e Al-
Appcllantes, D. Joscpha Justina de Jess Gon- berto de Brito Cavalcanli.
faltes e ooiros; appellados, Isaac Curio & C. . Se o Sr. Martins iutern
sesses de 3 e t7 docorrente
os embargos.
Adiado as
Reeeberain-s^
Appellante, O. Maria Magialen de Almelda Ca
tanho ; appellada, D. Anna Jcsepha Pereira dos
Sanios. Adiad j na S'sso de 13 do corrente.
D-;spreznda ama preliminar Dsspiezaram-so os
embargos.
Appellantos, os administradores d massa fallida
de Amorim, Fragoso, Santas 4 C. ; appellado,
Francisco Jos tynllo Leal. Foi confirmada a
senh' iga appellada.
estados, podemos dizer que entre os seus briosos
companheiros ser difflcil encontrar muitos que
tambem nao tenham interrumpido seu commercio,
deixado sua arte, abandoaado sua lavuura para cor-
rer era defeza do paii; o Sr. Martins por isso
mesmo que agora comecava os seus estudos, pois
nem concluido havia os preparatorios, nao leve que
fazer o-sacrificio de renunciar o fructo de longo
trabalho ; esta ainda no caso de fazer, de iniciar
qualquer carreira, a das armas como a das lettras,
nao sendo perdido para a primeira o que na segn-
um acto inoffeosivo de qualquer pretengo legiti-
ma, e aconselhado pelas circumstaircias milito at
tendiveis daquella senhora, que, segando informou
uterrompeu a carreira de seus a directora com verdade, viuva, tem filhos me-
nores, c precisa para vivor e edcalos do amparo
de seu cunhado residente nesta cidade.
SO a 23 de juoho foi informado o requerimento
da Sra. D. Leonor Carolina : nessa informago, des-
favoravel peticionaria, nao era anda citada a lei
provincial, de cuja disposigo so ento veio a ter
conhecimento a presidencia pela estranbeza que
llie causn a demora; mas, nao conteodo essa dis-
posigo um preceito obrigatorio, e sim urna auto-
risago iovasora das atiribuigoes administrativas,
a qual, apesar disso, p-.r mera deferencia assem-
Appllante, Jos da Silva Torres Cravo ; appel- da houvesse aproveitado ; e o mesmo se nao pode bla provincial, nao duvidamos de que o Exm. Sr.
Iad A^pellantas, os administradores da massa fallida reir das armas a pericia, a freguezia adquirida vessen* corrido de oulra maneira, e sendo por ou-
de Bastos & Lemos; appellados, os administradores durante longos annos de trabalho; o mesmo se nao tro lado a Sra. D. Maria Florentina merecedora da
da mas-a fallida de Pacheco cv Mendes. pode dizer do pobre lavrador que tenha deixado remocho, bem fez o Exm. Sr. Dr. Castello Branco
Adiados a pedido dos Srs. deputados. sua lavoura, o sea lar, os seus hbitos de campo- 'em nao cassa-la.
Recrreme, Francisco Teixeira Guimares; re- nez to diversos dos do soldado. Nao houve, pois, falta de piedade christa, nem
corridos, Teixeira Le-ite, Companbia . Appellantes, os administradores da massa fallida dante da Faculdade de Uireilo, nao acba o romrou- japaixonadamente diz o autor do communieado,
de Bastos & Lemos ; appella los, Bozano Irmaos. nicante qne essa razSo do abandono da carreira I que, -eflectindo mellior, reconhecera que taes qua-
Appellanles, Jos Antonio I'ersira e sua mulher; encelada, se proeedesse, estabeleeeria preferencia Mficacoes s seriam cabiveis, se a Sra. D. Maria
appellados, a viuva e herdeiros de Joo Ferreira em favor do Sr. Lisandro sobre o Sr. Martins ?
dos Santos. Quanto nomeacao do Sr. Alberto de Brlto Ca-
Appellantes, os administradores da massa fallida j valcanii, nao sabemos so o communicante leve as
mesmas inforraagoes, que temos ouvido dar a di-
versos, explicando a non eac.au desse senhor, para
nos urna das mais dignas, das inals justas que fez
o Exm. Sr. Dr. Castello Branco. Ha no i corpo de
voluntarios desta provincia urna porgo de Indios
Acha-se a venda as boticas de Caors & Barbo-
ta e J. C. Bravo & C.
SlgHEBSlO.
(laixfFlilutl iio banco do Brasil
Pcniaiubuco.
em
nos lugares
prensa.
Dado e passado nesta cidade do
nambaco, aos 21 de julho de I8(V>.
Eu Manoel de Carv. Ih j Paes de Aodrade, escri-
vo o subscrevi.
Tristo de Alenrar Araripe.
A directora desta caixa saca sobro o banco do
Brasil no Rio de Janeiro e sobre a caixa filial do
mesmo banco na Bahi.
Novo banco de Pernambuco. .
Os administradores da massa fallida de Joaquim I mm" L81*' e rom .'"',' '^ a P-
O Dr. Trislao de Alenrar Araripe, ciffici.il da im-
perial ordem da Rosa, juiz de direito especial do
commercio desta cidade do Recife de Pernam-
buco seu termo, por sua magestade imperial e
constitucional o Sr. D. Pedro II, a quem Dos
guarde etc.
Fago saber pelo presente qu Rab Chamettau j
c C, por seu advogado me dirigi a petipao do 1
theor segrale:
Illm. Sr. L)r juiz do commercio. Dizem Rab
Chamettau <5 C, que sendo credores de Francis-
co Mendes Rodrigues, pela quantia de 1:937ji80,
importancia deduasletras mercarais urna de Convda-se as nessoasmn eslo as eoadi-
o0*000, sacada a 3J do w^ro^.^J g5es d. servigo militar, a engajsrtm no r rpo de
policia e gozarem das vantagens da lei provincial
DECLAEipm.
prazo de nove mezes, e outra de 978*180, 'sacada
na mesma data com o prazo de oito mezes De
Isac Mendes pela quantia de 4:911*600, importan-
cia de duas letras mercanlis, urna de 2:500*000,
sacada a 3 de marco de 1860, com o pr.izo de
oito mezes, e outra de 2:411*600, saccada na
Jos Silveira pagam o Io dividendo de dila massa
na razo de 9 0/0 sobre o valor des ttulos ad-
meliidos : no novo banco de Pernainbuco ra
do Trapiche n. 34.
&C.
appellado, Francisco Xavier
por nao estar pre-
do Urub, que formam por assim dizer a parte mais
de Seve, Fillto
de Oliveira.
Nao poderam s^.r propostos
sent o Sr. cieputado Rosa.
PASSAGBKS.
Do Sr. dosembargador Hsia e Silva ao Sr. des-
embargador Silva Guimares: ^i\di do corpo, atienta a mocida Je o a robustez
Appellantes,os administradores da massa fallida i desses bellos cerianejos: o Sr. Alberto era como o
de Amorim. Fragoso, Santos & C. ; appellado, seu chefe natural no meiodelles, que revelaramao
Juao Guilberme Romer commandaule do corpo de.-ejos de ver comooulcial
Appellantes, os administradores da massa fallida o seu chefe e amigo, aquelle a quem estavam acos-
da de Amorim, Fragoso, Santos 4 C. ; appeHada, turnados a prestar respeilo e obediencia. Parece
D. B -na Maria de Jess. que o commandante fez c.hegar isso ao conheci-
Appeilantes, os administradores da massa falli- y memo do Exm. Sr. presidente, que nao duvidou
da de Amorim, Fragoso, Santos & Companbia ; salisfazer os desejos dessa briosa cente, a qual
appellado, Antonio Domingues Pinto. quando vio o seu compauheiro e amig-i com as di-
Do Sr. desembargador Silva Guimares ao Sr. visas de. ofBci.il, deixouse dominar do mais phre-
desembargador AcdoD : I oelico enthusiasmo, carregando-o em seus bramse
Appellantes, os administradores da massa falli- prometiendo ir onde elle fosse. Urna nomeacao
da de Amorim, Fragoso, Santos & C. ; appellado, | dtssas abona muiio o criterio, a jos tica, a indepen-
appel-
o Dr. Manoel Franciscu Teixeira.
Appellanle, o padre Antonio Jos Pinto;
lado, o bario de Jaragni.
Appellantes, o presidente e directores da caixa
filial do Banco d* Brasil no-la cidade ; appellados,
Mano 1 Aires Guerra e o curado
massa fallida.
Do Sr. de-embargador Accioli ao Sr. desembar-
gador Res e Silva:
Appellantr, Estanislao Baplisla Rodrigues de
Souza e sua mulher; appellado, Antonio de Arru-
da Cmara.
Appellanle, Felippe Xery Collaco; appellado,
Geral-Jo II nriques de Mira.
Appeilantes os ad;nioi-tra lores da massa falli-
da de Amorim, Fragoso, Santos & Companhia ;
appellado, Francisco Jos da Silva Guimares, ces-
sionario de Luiz Jos da Silva Guimares.
Appellantes, os administradores da predita
mas-a fallida ; appellado, Joaquim Jos de Abreu
Jnior.
DISTRIBUigOES.
Ao Sr. desembargador Accioli :
Appellantes, Loii Fonseca de Medeiros e outro ;
appellado, Antodio Joaijuim Salgado.
AllGIUVOS INTEllPOSTOS 1)0 JUIZO ESrtCIAL
DO COMMEr.CIO.
Aggravante, Francisco Antonio Pereira da Silva;
aggravado, Jos Maria de Artujo.
O E-irn. Sr. presidente den provimenlo.
Nada mais havendo a tratar-se o Kxm. Sr. pre-
sidente encerrou a sesso a urna hora e meia da
tarde.
Liycira resposta ao Epamiuondas do t Cr-
relo do Recife n. 16.
dencia do Exm. Sr. Dr. Casi' lio Branco.
Nao duvidamos que o protegido do dislinclo com-
municanle tenha muito merecimento para ser offi-
cial, mas acreditamos que o communicante nao
asseverar mais que fosse a nomeacao do brioso
fiscal de sua | chefe dos Indios de Urub menos digna, menos me-
recida di qui seria a nomeafao do Sr. Martins.
To acertada foi e-sa n >raeaco que o govemo im-
perial acaba de promover o Sr. Alberto a capito,
encarregando o de vir engajar In los as diversas
alleias desta provincia.
A segunda razo da renuncia das vantagens de
voluntario e de soldado, em quanto permanecen
nesta provincia, nao nos parece digna de ser trazi-
da para eMabeleeer o merecimento do candidato ;
se este nos pedisse conselho, t lo-liiamo". aconse-
lhado que nao Irouxesse este motivo para justifi-
car sua supplica," pois dizer-se hia que a renuncia
daquellas vantagens foi calculada para se obter um
posto desde logo. Nao queremos dizer que estes
lossera os senlimenlos do Sr. Martins; mas susten-
tarnos qae essa razio nao pJ- s-sr trasida para es-
tabelecer superioridade de m-rito da parle de um
candidato em relaco aos outros: se outros nao fi-
zeram o mesmo que o Sr. Marlins, devenios sup-
por, nao que lites bltassem os sentiraentos patriti-
cos que nutre e-se senhor, mis qU'1 sua- neeessi-
dades e circumstanci s eram outras. Em lodo o
caso o que verdade, e e-tamos certas de que. o
communicante reconhecera comoosco, c que a ou-
iras umitas qualidades de va o govern da provin-
cia attender para fazer urna boa esolha, e s- essi
razo da renuncia das vanlagens d' voluntirio e
do sold par alguns das prevalecesse, ento d-via
o govero por os postos em almoeda, assim como
os ouiros empregos pblicos, e a preferencl i -ntre
os candidatos deveria ser determinada pela maior
somma oflFereeida. Mis estamos cerlos de que o
communicante nao quer islo.
Quanto a terceira razo de ser o candidato dbil
a pouto de nao poder carregar espingarda, mosila
Vea nos s raaos o Covreio do Recife n. 16, no e patrona sem risco de adoecer e at de morrer,
qual deparamos com um communieado que tem diremos qae essa razao contra producentem : se
por titulo Bas gravistmat ikjuitifat simultaneas I as pravas de pret devem ser homeos vigorosos,
do Exm. Sr. presidenteAMonn Horges Isal Cristel- nao se segu que os offleiaes possam ser iomens
lo bninco, sinao absoluta, ao menos relativamenteoenO*, netn conven) ao gvernoconferir logo as
fil indo. I vantagens de ofiilal (a nao ha ver um tn-rito ex-
a luscripcao ua commiinicaao convmou-nos a I cepcional) a um cidado, que por su i orgaai.-ac.'n
b"m que devanaos suppu. .-.. ,.C" omi ;r,. oP. .. Aiiiuaaeeer por muit) lera-
o autor da c immunicaJo pelo p j no servico das armas; o goveroo i quer olli
iroprio, e n.1o tenha 'ciaes para l los da reformar no fin de pouco lem-
po. Nem os matares encommoJos de urna campa-
sua leitara'. S
soa mui respeilave
que refere em relagao a si
passado desapercebtdo para n-s o modo imperioso
por que muiifesia o seu pensament), ao (ionio de
provocar qualquer homem formado em direito, que
devirja de sua opiniio, ad'dara-lo pela imprensa,
masassigoando o seu nome sobpenade nao merecer
essa leclaracao nenhum aprecd delle communican-
te, nutrimos desde ento des jos de pedir a esse so-
nhor, que nao estamos longe de conhecer qaem se-
ja, hceii^a para oppor ao seu communieado algu-
nas c^n^ideraco-'s, para as quaes se i|utzer ati--u
der Iim-, qmiilo lile deve ter pa-sa too ardor da n-
digna^o, reconhecera que os dous aclos a que al-
lude, do Exm. Sr. presidente da provincia, esto
bem tange de merecer a qualilicacao que Ibes den,
e qii nao eomraetleo S. Exe. nenhuma infraeco
de le.
Nao baviamos ainda pelos nossos afazeres redu-
zido escriplo o nosso pensamenlo, qnando che-
g"U-nc< a noticia de achar-se o Exm. Sr. Dr. Cas-
tello Branco destituido do cargo que lo dignamen-
te oceupava ; razo de mais para que nao deixe-
mos de publicar algumas palavras em defeza de
S. Ese.
Os dous arios a que allude o communicante fo-
ram : o printeiro que negativo o nao ter o Exm.
Sr. | residente da provincia nomeado alferes do 2
corpo de vola otarios de.-ta provincia o cidado Por-
firio Mendes Martins, praca do mesmo corpo ; o se-
gundo o ter removido para a cadeira de primeiras
lettras ltimamente creada em Samo Amaro das
Salinas a professora D. Maria Seraphica de Assis
Carvallo, receniemente nomeada para Baixa-Ver
de, quando o art. 85 t da lei n. 63> de 3 de ju
nho ullinio, aulonsava o presidente da provincia a
remover paia a quella cadeira a professora deOlfn-
da D. Leonor Carolina de Vasconcellos Borges
Leal.
CooMderemos em primeira lugar a primeira cen-
sura.
I
nha esto, como p.:rec.e suopor o correspondente.
em carregar o grve pe^o d-; una espingarda, mo-
chila e patrona; estilo as marchas forjadas, no
sol e ua chuva que se apanharo, as loagas ab.-li-
Dencias e em mil outras privabas, as quaes na
verdade fazem recelar qne o Sr. Martins nao per-
manecer por muilo lempo no servico das armas,
qur como simples soldado, qur como offlcial, se
lo dbil como o seu protector o figura.
Nao pense, pois, o communicante que o presi-
dente meno.-presou o seu empenho : a'-re litamos
que s cora muilo pesar deixaria de altend-ln, e
fjfle nenhum potera considerar mais valioso. Es-
tamos informados de que mui tos outros pedidos
igualmente respeitaveis, e em favor de individuos
em condiedes igoaes, senao superiores, s do Sr.
Marlins deixara de ser aliendidos, porque, nao
sendo possivel crear um balalbo exclusivamente
de alferes, enlendeu o Exm. Sr. Dr. Ca lello Branco,
e com razo, que, depois de considerar aqu-lles,
que mis concorreram para a formac,o do corpo,
ou que eram apresenlados por estes, ou tinham ha-
liilitacoes e servieos militares, deven fazer, quanto
possivel, um quiuho honroso a cada urna das cas
ses da sociedade, que prestavam o s- u contingente
de espontaneidade e pairiolismo. para que nao se
pense ijue urnas sata chamada* s. mele para o sa-
criflcio, e ontra< predeslinadas par^ os gosos : as-
sim, pois, conferio postos a individes das classes
industriosas, dos pretos, dos indios, preferindo-os
a outros de classes mais favorecidas da fortuna, e
ja hern aquinhoadas.
Se estas razoes nao valera nada para o commu-
nicante, permillir ao menos que antros, usando
da mesma liberdade de optnia, por ellas se diri
jam e Ih -s schem mais forga do que nos mais va-
liosos empeuhos.
II
Quanto injustiea jue se diz ter soffrido a pro-
\<>*o banco de Pernain-
buco.
O banco desconta letras na presente semana a
9 por cento ao anno at o prazo de quatro me
Florentina nao fosse viuva honesta, pobre, com fi-; zes, e a 10 0|0 at o de seis mezes
Idos, e se sua nomeacao fosse contraria a um pre- ------
ceilo obrigatorio de lei. Calva filial lio i.inco Temos concluido as consideraos que buhamos ( C|n pcrnaiUblICO.
De ordem da directora desta caixa se faz publi-
" jco aos senhores accionistas, que o respectivo the-
i soureiro est autorisado a pagar o 23 dividendo
; do semestre findo em 30 de junho ultimo a razo
I de 12* por aeco.
Caixa filial do banco do Brasil lo de julho de
f 1865.
O guarda-livros,
Ignacio Nones Correa.
ALFAXDEGA.
Rendimentododia 1 a 20...... 331:693*802
dem dodia2l............... 16:9735208
a fazer; nao importa o nosso nome para o valor,
que ellas possam ter; o que desejamos que ellas
calera no animo do Epaminrradas > a quem an-
da pedimos liceQca para assit;nar-nos
17 de julho.
Veritas.
CORRESPONDENCIAS
Srs. redactores. Agradecendo cordialmente o
aviso que alguem fez au publico, em a Revista Dia-
ria do Diario de hoje, sobre o raeu estabelecimen-
t Traviata, cumpre-me dizer que sou o primeiro a
rec:iniecer que tnyster, que a polica active sua
acc;o nao sobre a mesma casa, mas sobre cerlos
e determinados individuos qu a tre luentam, nao
tenho podido verdade eonte-los, nao por que me
falle a precisa energa, mais por ser estrang-dro
lerao um desacato em minhapropria casa, pelo que
se me lem dito e tenho observado. .
Se em verdade ueste raeu estabelecimento nao
residi.-se um mogo inspector de policia, quasi
certo que mais de urna scena deplorave se tena
observado, ajude-me a auloridade publica, que de-
sejos me sobram de ver o raeu eslabelecimeuto es-
coimado de desordeiros.
348:669*010
MOVIMENTO DA ALFADEGA.
Voluraes entrados com fazendas..
com gneros...
Volumes sabidos com fazendas...
t com gneros....
92
263
------- .353
139
258
------- 397
Descarregam no dia 22 do crreme.
I Barca ingleza Hidalgo mercaduras.
! Brgue InglezUarmstondem.
Brigue inglezZone-dem.
' Barca inglezaSe/iapedras para clcame
Sou seuhores redactores seu affect.ssimo respe- a|era franceza-Ame/K-cemento.
n. 611 di 2 de maio prximo passado, qne sao as
seguinles: 1*4 ogrs. diarios de s. Id", srr*m ttu*
filhos menores recolhidos ai- i-t i', lerimeaatos
pr vinciaes de educaban o t.-mpo qoe ertiverea
na gu-rra ser ronlado pelo duplo para o caso de
aposenUdoria, e a m de>us, lem l.da* aa mais
vantagens que sao concedidas aos voluntario- da
patria.O tem-nte-c ronel commandante do car-
po de polic a, A exandr* de Barros e Alboquer-
que._______________________________________
Tribnoal do (nerrie.
Pela secrelaria do tribunal do commercio de
Pernambuco se faz publico, que ne-la dala forana
registrados :
U contrato de soejed.ade de Joaquim Jo* da Su-
va Guimares e Antonio Marlins Moreira, estabf-
leeMos nesta cidade sob a firma de (taimar^ A
Marlins, estipulado por lempo de ir- aom>s, a
contar de 2 de junho ultimo, com o capital de
7:000*, para o qual entra o socio (inimaries eoaa
6:'i005 e o socio Marlins eom 1:000*.
O contrato de sociedade de Manoel do* Santos
Villaca e Jos dos Santos Villaca, e-labeieeid-4 oes-
la cidade sob a firma de Villaca & Irmo, estipaU-
do tambem por tenapo de lre> anuos qu lindar i
em 2 de jarneiro de 1868, rom o capital de JO.W*> j
fornecido por ambas em partan iguaes, roasis-
tente as mercaduras, Bteadlaat, ferram>-nia<, ar-
DMQfto e dinbairo, conforme o bataneo a que pro-
ci d rain c.n 31 de dezembro do anno findo, aao e#-
labelec.imenlo social.
Secretaria do tribunal do commercio de Per-
nambuco 18 de julho de 1865.
Julio Guimares
OfnVia! maior.
roeida, e perant" as mesmas tesiemunhas di que reduzia a termo, todo o contedo de sua peti Fpitillfifll (\ f,AlilTtlPl,Pfa
cao retro, a qual off.-recia como parte da presente, *-l AWUUai UU LUIHTIISl l/IU
e assignou depois de lido com as ditas teslemu-' Peia secretaria do tribunal do commercio de
nha-, Pernambuco se faz publico, que nesta dala (<>, in>-
Eu Manoel Silvino de Barros Falco escrevente cristo no livro da matricula dos i-omnvrciaMes c
juramentado o esrrev. Sr. Jos Joaquim Gomes de Abreu, cidado p./rto-
Eu Manoel de Carvalho Paes de Andrade escri-! f"iez, de 32 annos de dade, estabelecido nesu ci-
vo o subscrevi.Rodolfo Joao Barata de Almeida, dade com casa de consignacoVs e con m>.--s.
E porque os snpplicanles desadores nao lem
pago al o presente as ditas letras, e esleja a
acabar-se o termo fatal para a prescripgo, querem
os supplicantes para reserva dos seus direitos,
afim de que fique inlerrompida a dia' prescrip^o,
inlerpor o respectivo protesto, e iniima-lo aos
supplicados, para sua scienca e conhecimento re-
querem V. S. que se digne mandar tomar por
termo o seu protesto; e porque os supplicados
sao ausentes, estejam em lugar incerlo, e que se
nao sabe, querem os supplicantes justificar sua
ausencia, para julgada por sentencia se faga por
caria edital a inlimacio requerida na forma do
exposlo. Pedem V S. deferimenlo, espera re-
Beber merc.Costa Ribelro.
Segurado o que assim se continha em dita pe-
ligad que me fui aposentada, na qual del o des-
pacho do theor aegamte :
Juslifiquem nmanhaa ao meio dia. Recife 10
de julho de 1865. Alenrar Araripe.
Seguindo o que assim secoutinha em dito despa-
cho por forca do qual fura frita a distnboico
ao escrivo deste meu jaizo Manoel de Carvalho
Paes de Andrade, o qual em observancia ao mesmo
meu despacho, lavr^u o compleme termo de pro-
testo do theor seguiute :
Aos 11 de julho de 1865, nesta cidade do Recife,
em meu cartorio perante inim e as lestemunhas
kiq assignadas, compareceram os supplicantes
pir >cu procurador Rodolfo Joao Barata de Al
nto.
Secretaria, do tribunal do commercio de Per-
nambuco 21 de julho de 1865.
O offlrial-maior,
Julio Gutmmrmes
tador.
Red
21 de julho de 1865.
Francisco Garrido.
RIO DE J \KlitO
O guarda marinha Torreo.
Entre os morios gloriosos do heroico combale de
Hiachuello est o guarda-marinha Antonio Augusto
de Araujo Torreo.
Nascera a 25 de marco te 1845, na cidade de
Olinda.
Era filho do Sr. desembargador Basilio Quares-
ma Torreo Jnior.
Butrn para a escola de marinha em 1861. Em
1863 sabio guarda-marinha e fez a viagem de ins-
truyan Europa.
Em novembro do anno passado eaibareou para o 20 jacazes toucinho, 122 rollos fumo ; a
Rio da Prata. diversos.
Urigue inglezOiu/urfarinha de trigo.
Brigue inglez -Aun Stamsland -plvora.
Escuna portuguezaD. Joaocharque.
Brigue nacionalCardia dem.
Escuna diuamarquezaDoranadem
Brigue hdspanholrigi/in/e-dem.
Importado.
Vapor nacional Paran, entrado do Rio de Ja-
neiro, consignado a agencia, manifestou o se-
guiute :
Do Rio de Janeiro.
1 caixo fumo picado ; a Joaquim Bernardo dos
ReK
1 dito dilo e charutos; a Jos Leopoldo Bour-
gard.
1 caixote livros em branco ;a Bailar & Oveira.
2 eaixoes merradorias ; a Jos Reble.
1 dilo chapeos ; a M, Romagueira & C.
3 caixes drogas, 1 caixa rap, 1 caixote folho-
los impressos, 2 caixoes cigarros, 2 ditos queijos,
ordem de
Achava-se no Salto durante o ataque de Pay-
sand.
Foi brevsima a vida deste mancebo cheio de
ntelligmcia e de nobre e generoso ardor.
A sua morle prematura se por um lado enluta a
sua familia, por oulro ennobrece a trra que he
foi herco.
Morrea como um valenle, em um explendido
combate, defendendo a honra do Bra-il.
Que morle mais invejavel e mais bella ?
S"giiido a lormosa phrase do poeta autigo
Amam os deuses aos que morrem moros.
Augusto Torreo deu um nobre exemplo que
desper ara ainda mais os brios da nossa aduravel
mocidade.
O communicanteacha gravsima injusticia o nao: fessora de Olinda, "a Sra. D. L-oor Carolina,'em
ter sido nomeado alferes o seu protegido por con- primeiro lunar, responderemos questo nos mes.
tar este em seu favor as seguintes razSes de prefe-, naos te.rmos em que o eommonicnte a esiabeleeeu.
reacia, que nao foram altendidas : 1 o hiver in- j A nomeacao da pruf.-ssora D. Maria Florentina Se-
terrompido os seus estudos preparatorios, de cuja ralico nfio foi urna illegaldade. Ill -gabdade se diz
maior parte achava-se j examinado : 2o o haver
renunciado, desde que sentou praca, as vantagens
concedidas especialmente aos voluntarios, e o sold
emqi.antu nao embarcasse: 3 o ser dbil do peilo
ao ponto de nao poder carregar s cosas o grave
peso de urna espingarda, mochila e patrona : ra-
antas --las expendidas em nina petico dirigida ao
Exm. Sr. presidente da proviuna nos primeiros
das de maio, e que S. Exe. proineiteu attender
como losse de jnsUca.
O aolor do comm'unicado reconhece que a Injus-
tica (ue. diz feila ao Sr. .Martins n) pedera ser
sena i relativa ; mas para chegar coneJnsio da
injustiga relativa, sera mislef analysar todas as
nomeaooes feilas, e estabelecer um paralello entre
os nnmeados e o protegido do communicante. Nao
se deu o communicante a esse trabalho, e achamo-
Jhe razio : elle seria por demais improbo e odioso.
Tambem de nossa parte nao nos daremos a esse
trabalh i ; limilar-nos hemos a apreciar as razoes
de preferencia, que o communicante estabelece em
'relaco a seu afi hado.
Antes, por n, de entrar nessa apre.-iago, deve-
mos diz r que nao conhecemos o Sr. Marlins; mas
isto nao ob-ta para que Ihe prestemos no nagensde respeilo e admlraco, das quaes sao dig-
nos todos esses Brasileiros que esponlaneamenle
acudiram aos reclamos da patria offendida. Ante
um voluntario da patria ninguem deixa de possuir-
se de respeilo, de affeclo, de enthusiasmo. Ser
urna brilhaote pagina de nossa historia aquella em
qoe se commemorar, que em quatro mezes no Bra-
sil erguau-se um exereito de mais de 12,000 volun-
tarios, conduziodo a maior parte de pontos remolos
do imperio para as margensdo Praia : nessa pagi-
na estao inscriptos os nomes dos que compunham
o patritico gabinete de 31 de agosto, os dos seus
delegados as provincias e os de todo? esses qae
foram pressnroios em corresponder feliz ioscrip-
A publicago que vimos no Diario de boje, ten-
do por epigraphea um certo adeogndo desta ci-
dade, e assgoada pelo touco da Parahyba, de-per-
loo em nos o desejo de fazer tambem publicar um.
genttleza, que so acaba de dar no foro desta cidade
e que temi sua pandado cura esse de que se oceu-
pou o louco da Parahyba, mostra que ha mai- urna
victima de. gentilezas.
Buje, estando em um ascrlplorio, vimos ah che-
gar_ uus autos e logo ouvimos a seguiute nar-
ra gao.
'leudo o advogado, era cujo escriptorio eslava-
mos, vei ideado que por parte do adversario de seu
COusUtuinle se tiuha juntado una procuracao ten-
do urna s testemuuha, fez disso nota e r'iscando
o espago que se segua assigualura dessa ni-
ca teslemunba chamou para isso a altengo de va-
ras pessas, que presenciaran! o riscamento
examinando e mostrando nessa occasaO que a
procurago de seu constituinte eslava com duas
leslimonhas. Indo depois o antes com visa ao ad
vogado, a quem como cima (lisemos, em nossa
presenga foram entregues ditos aulos, que nao .Mi-
mente eslava aprocurago da parle contraria com
duas testemunhas tenao-se feito iuiroduzir urna as-
signatura entre a do ouiorganie e a da primeira
teslemunba, felizmente com tinta difireme, mas
tambem (o que mais revoltanie) eslava riscada
a assiguaiura da ultima testemuuha da procurago
de seu constitilinte, para assim aitribuir-se tambera
a esta a falla apoulada na procurago da parte con-
traria I J? muito. Darse-ba que o fftro do Reci-
fe esleja reduzido a importar essas gentuzas ?
Veja o louco da Parahyba que uo S. S. so-
mente a victima dessas ariimanhas, que serven]
para depreciar o furo.
Reccife, 18 de julho de 18G5.
Um cangeltsta.
Declarado.
Para evitar equvocos, declaro a queu conver
que nesta data, ficam inieira e absolutamente can-
sados os poderes que, po- uma,procurago especial,
transmilti a meu sogro, o Sr. Manoel Gomes Vie-
gas, para subloear, receber os alugueis e pagar a
dcima dos predios ns. 13, 15, 17, 19, e 21 da ra
do Destino (Boa-Vista).
Hiale nacional Scinfa Cruz, entrado do Aracaly,
consignada a C. C. da Costa Moreira, manifestou o
seguidle :
11 saccas, 67 arrobas e 10 libras de algodo ; a
Francisco Gomes de Mallos Jnior.
10 ditas dito ; a Andrade & Reg.
70 calas 70 arrobas de vela de carnauba ; a
viuva Moreira A Filho.
71 molaos 1,775 courinhos, 130 meios de sola,
72 caixas 87 arrobas e 29 libras de velas de car-
nauba, i I saccas algodo ; a Jo.- de S Leito
Juuior.
83 molhos esteiras; a ordem,
300 esteiras; a Antonio Alberto de Souza
Aguiar.
Barca ingleza Mary Lord, entrada de Liverpool,
consignada a ordem, manifestou o seguinte :
301 toneladas de carvo de pedra; a ordem.
I2xporta?o.
Escuna hollandeza- Dent, carregou para o Canal
3,0"'0 saceos com 15,250 arrobas de assucar mas-
cavado.
Antonio Alvos da Fonseca Jnior, Leopoldo Fer-
reir Marlins Ribetro.
Depois produzindo os supplicantes suas testemu-!
nhas que deposeram convenientemente acerca da j
ausencia dos justificados, o resjiectivo escrivo
fazendo sellar e preparar os aulos, me os fez con- i
clusos nos quaes dei a senleuga do theor se-1
guinte:
Julgo procedente a jastiflcaeao pela qual mostra j
acharem-se ausentes em lugar incerlo os suppli-
cados, e assim mando que so citera por edilos de no dia 27 do correte pelas 4 horas da larde, na
tirata das para o fim requerido a fallas 2, pagas sa|a de >uas sessoes lem de r a prara por lempo
as cusas ex cansa. Recife 14 de julho de 1865. j de 1 a 3 annos, as rendas das casa* ahaiio Vrla-
Trisiai de Alendar Araripe. radas, devendo os pretendenles comparecer arom
Segurado o que assim se continha em dita sen-' panhados de seus fiad >res ou munido- de carta-;
tenga, e em observancia da qual o respectivo es-1 destes.
crivo que estasubscreveu e fez passar o presente, Manda ainda a Illm' junta scionlificar aos
pelo qual e seu theor chamo cito e hei por citados aciuaes inquillnos das mesmas casas, noe, se bo
aos mencionados justificados aaseotes, para que praZo de 15 dias cornados da dala deste nao se
Santa Casa da Misericordia
do Recife.
A Illm.* junta administrativa da Santa Casa da
Misericordia do Recife, manda fazer pobliro qo
dentro do referido prazo de ti anta dias comparega
ante ole jaizo, allegando e provando o que br a
bem de seu direito e justiga, sob pena de reveba.
Portanto toda e qualquer pessoa, prenle, amigo
ou canhecido, poler-lhes-ho fazer scienle de todo
o expendido.
E para que chegne ao conhecimento de todos,
niandei fazer o presente edital, que ser afflxado
nos lugares do roslume, e publicado pela in-
prensa.
Dado e passado nesta cidade do Recife de Per-
nambuco, aos 20 de julho de 1865.
Eu Manoel de Carvalho Paes de Andrade, es-
crivo o subscrevi.
apre.-enlarem para renovarem os seas arrenda-
mentos, sero nao s delbi despejados, romoipae
se cobraro os respectivos alugueis pelos preens
constantes deste edital, como ja foi precisamente
annunciado.
Ra das Larangeira*.
Casa terrea n. 5 particular e 17 pu-
blico..........
Ra do Hangel.
dem n. 6 particular e 55 publico. .
Ra do Rosario da Boa-Vista,
dem n. li particular e 5S publico. .
Ra do Amorim.
Ildem n. 56 particular e 21 publico. .
Ra do Azeile de Peixe.
3004000
I68J00
W5000
600500U
5 barricas e 3,^90 saceos com 16,i66 arrobas e 23
libras de assacar branco, 570 saceos com 2,850 ar-
robas de dito raascavado, 107 couros salgados sec-
eos com 2,550 libras, 44 ca.-cos 3,610 medidas de
niel, 245 saceos com 45 alqueires de farinha de
mandioca.
Barca franceza Fgaro, carregou para o Havre
856 saccas com 4,689 arrobas e 14 libras de al-
godo, 2,000 coaros verdes com 93,023 libras,
RECEUEDOIUA DE RENDAS INTERNAS GE
RAES DE PERNAMBUCO.
Rendimento do dia 1 a 20...... 23:7835425
dem do da 21................ 478J325
24:2615*50
Tristo de Alencar Araripe.
De ordem do Exm. Sr. director, faro publico (jera n G3 ,,arVicular"e i publico,
que emcurnpnmento rio aviso de 13 docorrente, i Ra da Carimba.
esta oovamente posta a concurso, com o pr?.o de dem o. 6S partienlar e 5 publico. mjfliv:
quatro mezes, a conlar da data desie, a cadeira de i,eiI1 . u7 partieolar c 10 publico. 83J0U0
lalim do curso preparatorio desta Faculdade ; pelo; na (]0 Vigario
ue o candidato que se quizer inscrever, dentro doj Sobrado de Jan Jares n. 72 particular
e 27 publico........50OS0)l>
Ra do Encantamento.
Sobra lo de 2 andares n. 76 particular
e i i publico........900J000
dem dem n. 77 particular e 13 pu-
blico.......... 9OOJO0O
Ra da Senzala Velha.
Casa terrea n. 81 particular e 18 n-
blic..........20t>$
dem n. 82 particular e 16 publico. M0M
Ra da Guia.
Ilem n. Si particular e 29 publico. I i i> ",
Roa da Cruz.
Sobrado de 2 andares n. 87 particular
c II publico.....' 882OOI
Ra do Pilar.
Casa terrea n. 92 particular e 103 pu-
blico...........200*100
dem n. 93 particular e 101 publico. 200i>M)
I lem n. 94 particular e 99 publico. 255J0)
dem n. 97 particular e 110 publico. 2iio*nh>
dem n. 00 particular e 101 publico. 20(i4)IM>
dem n. 101 particular e 102 pubie>. 2iju-Jhih
dem n. 105 particular e 94 publico. 200-Vou
referido prazo, devora justificar perante o Exm.
Sr. director : i." ser cidado brasileiro ; 2."
maioridade legal; 3. morabdade por meto de ai-
testados dos parochos e de folhas corridas nos
lugares onde houver residido nos cinco ltimos an-
nos; 4." capacidade professional. Os que porm
tiverem sido em algam lempo condemnados a ga-
les goffrido accosaco judicial de furto, roubo,
estelbonaio, banca rota, rapto ou outro qualquer
Brigue portuguez Laia I carregou para o Porto, crirae, qne ofrenda a moral publica ou a rebgio
CONSULA 10 PROVINCIAL.
Rendimento da da 1 a 20......
dem do da 21.............
86:0215906
3:2875896
89:3095892
MQfUtESTG )( K1T0
aquillo que inflinge, que contraria a le.
A lei n. 635 de 3 de junho ultimo nao obrigava
nem podia obrigar o presidente da provincia a re
mover a professora de Olinda para a cadeira de
Sanio Amaro das Salinas; a lei aulorisou spenas
a remoeao; e o juiz da conveniencia do uso dessa
autoi'sago, conveniencia que nao deve ser deter-
minada, rom parece entender o communicante,
s pelas razoes do commodo do professor, mas
principalmente pelo interesse do servigo publico, o
juiz dessa conveniencia, dizemos, era soraente o
presidente, da provincia: por consegrante elle
obrou na esphera de suas altribuigoes, de sua legi-
tima facnldade, nocommelten ilb-gabdade alguma.
Quanto nos, a disposigo da lei de 3 dejunbftj
ultinio. salvo o respeiio devido ao poder legislativo^
da proviucia, nao nos parece muito regular, nem
pode ter outra slguificago seno a de urna carta na, lioncaaas de teos baratos, sao hoje em dia
de recommendago, a que fica da parte do presi- universalmente rejeitadas em despeito de todas as
denle da provincia dar-lhc o valor que entender impressas certidoes comprovatlvas; emquaalo que
conveniente, pois a remogo de professores acto este admiravel e riquissimo perfume e cosmtico
administrativo, para o qua! o presidente da provm- composto e extrahido por urna respeitavel e res-
ela est autorisado pela lei permanente u. 598 de poosavel firmade raras e delicadas flores e plan-
13 de maio do anno passado. las naturaes, e sobremanera eslimado na Ameri-
Mas nao ser fra de proposito exporraos aqui o ca do Sul e Mxico, de preferencia a todas as mais
como esse fado se passou, segundo estamos infor- perfumaras e aguas cheirosasva grangeando'e
mados. adquirindo para si de da em dia nova fama, no-
O requerimnta d Sra. D. Mana Florentina, pe- vos triumphos, por raeio de todas as classes do
diodo remocio para a cadeira e Santo Amaro das mundo civilisado, sem recommendago mais do que
Salinas, foi informado avoravelmente pela directo- a sua iuconteslavel excellenea.
ra peral da inslrucgo publica, a 19 de Jonho, sem Nenhuma senhora, a qual haja espargido algu-
ler anda informado outro requerimento mais antl- mas golas desta deliciosa essencia florida sobre o
go, que para isso Ihe foi reraettido a 30 de maio,
em que a Sra. D. Len ir pedia remogo para a
mesma cadeira, e sem ao menos declarar que esla
senhora tinha tal pretengo, ou que a assembla senboras e senhorilas da
Navios entrados no da 21.
New-Yor-52 dla, brigue sueco Oratar, de 250 to-
neladas, rpita. Buwnan, equipagem 9, carga
2772 barricas com farinha trigo ; a Henry Fos-
ter & C.
Triestre70 dias, patacho austraco Carita, de
225 toneladas, capito Nalale lionawich, equipa-
gem 9, carga 1857 barricas com farinha de tri-
go ; a N. Oj Bieber & C. successores.
i Ilha da Assumpgo-8 dias, barca mecklenbourg
Wien Holicnfeld, de 35i toneladas, capito C.
Schullze, equipagem 12, em lastro ; a ordem.
Navios /aludos no mesmo da.
! Canalpatacho hollandez Deuni, capito Kneper,
Aminisirdor legal'deste predios or constituir o r. carRa assuRar- .. .
dote de minha mulher, sou o nico competente na- P^a-escuna brasileira Genrge, capito Antonio
ra tratar de todasos negocios e detodas asqueMScs I Go.nalves Trres' car8a assucar> carne secca e
que Ihe forem relativos. L oulro? Ws-
Nao aeeeitarei reclamacao alguma que se funda- Portos do nor-e-"vapor Mcio5*1 Pc""ana'comrnan-
mente em a ignoroncia desta minha declaraco.
Recife, 21 de julho de 1865.
flonano Jos de Miranda.
^Agua de Florida de Murray e
Lanman.
Ja l vai esse tempo em que por meio de bem
elaborados e engenhosos annuncios e introduzir-se
um artigo inferior a aceltago publica.
As essencias ordinarias e de urna emanago acer-
ba, fabricadas de leos baratos, sao hoje em dia
dante o capito de fragata Santa Barbara.
Oosertvirao
Fundiou no lamaro um brigue austraco,
nao leve commumeago com a trra.
mais
ud a luwxKmwm
EDIflES.
O Illm. Sr. inspector da thesourara provin-
cial, em cumprimento da ordem do Exm. Sr. pre
sidente da provincia, manda fazer publico, qne no
dia 20 do corrente, peranie a junta da fazenda da
mesma thesourara, se ba de arrematar a quem
mais der, um telheiro que exisle junto a ponie do
Motocolomb, avahado em 185. .
A arrematago lera lugar no referido dia pelo
meio dia, sendo as propostas em caria fechada.
E para constar se mandn publicar pelo jornal.,
Secretaria da thesouraria provincial de Pernam-1 supplicado se cite por edilosjie 30 das para
buco II de julho de 1865.
do estado, nao se pdenlo inscrever, excepto se a
aecusacao judicial [iver sido argainda de falsa
pelo candidato e uo hoaver provadu condemnacu
judicial, se assim decidir a congregarn por via'de
recurso itilerposto dentro de dez dias. Para ca-
pacidade professional dever exhibir o candidato
algum dos documentos seguintes : 1." titulo de ca-
paeidade na materia em concurso, eooferlJo pelo
conselho director da inslrucgo primaria e secun-
daria da corte; 2. Ululo de professor publico
tambem da materia em Concurso, concedido pelo
goveruo impenal; 3." diploma de bacharel ou de
doutor as Faculdades do Imperio ou academias
estrangeiras, ou bacharel em lettras, salvo as pes-
sas notaveis, por seu lal nto e reconhe-idamente
habilitadas, que forera dispensadas desta prova
pelo goveruo, ou que se qniaerem prestar a um
exame previo, tendo de conformidade com o cap.
4 o do regulamenlo de 5 de maio ie 1856.
Secii laria da Faculdade de Direito do Recife,
21 de julho de 1865.
O secretario,
Jos Honorio Bezerra de Menezes.
O Dr. Tristo de Alencar Araripe, ofiicial da impe-
rial ordem da Rosa, juiz de direilo especial do
commercio desta cidade do Recife de Pernam-
buco e seu termo, por S. M. Imperial -e Consti-
tucional o Sr. D. Pedro II, a quem Deus guar-
de, etc.
Fago saber pelo presente que Jos Francisco Car-
nero por seu advogado, me dirigi a pelicc do
theor seguinte:
Illm. Sr. Dr. juiz do commercio.Diz Francisco
Jos Carneiro, que tendo entregado a Jo.- Rodri-
gues Fernandos; em depos.to a quantia de 8425,
como consta dos dois documentos juntos, quer
(ase lo citar para no termo de 48 horas, entregar-
Ihe a referida quantia, pena de prUo na forma
do arl. 275 do regulamento n. 737.
E porque o su|iphcado sendo eslabelecido nesta
cidade, s ausentara sem que se saiba hoje o lu-
gar certo de sua morada, requer V. S. se digne
admiltir a justificar a ausencia, e sendo quanto
basle a julgue por senlenga, mandando passar
carta, edital por trinia dias, afim de por ella ser
citado o supplicado para a referida acgo de depo-
sito. Pede a V. S. deferimenlo, espera receber
merc.O advogado Cunha Teixeira.
Seguindo o que assim se continha em dita peticiio,
que me foi apresenlada, ua qual dei o despacho do
theor seguate :
Justifique aniauha ao meio dia. Recife 4 de
julho de 1865.-Alencar Araripe.
Seguindo o que assim se continha em tal des-
pacho, por forga do qual fra feila a distribuigo
ao escrivo deste meu juizo Manoel de Carvalho
Paes de Andrade.
Depois do que produzindo o supplicante suas
testemunhas, que deposeram convenientemente
acerca da ausencia do supplicado, o respectivo es-
crivo fazendo sellar e preparar os autos me os fez
conclusos nos quaes dei e profer a senlenga do
theor seguinte :
Hei por justificada a ausencia e mando, qne o
o fim
Secrelaria da Sjnta
Recite 20 de julho de
Uatt de Misericordia do
isg--;.
OeanrivisL
F. A. Cav.tlcanti Cousseiro.
O secretario,
A. F. d'Annunciago.
da ar-
que a assembla senoras e senhorilas da America Hespaohola ; as .'cao do "Monteiro;^ anda "mesmo" por" venda" a njaso-
provineial havia autorisado semelhaule remoeao. quaes a lera uzado para mais de viole annos, ma- Os pretendenles coraparecam na mesma thesou
A secretaria nao reparou essa falla, e o presi- diante urna complet excluso de lodo e qualquer raria at o dia 3 de ago-to prximo futuro
denle^tendo a attengao oceupada cora tantos neg- outro perfume. Secretaria da thesouraria provincial de Per-
requerido a fk 2. Recife 15 de julho de 1865.
Tristo de Aleocar Araripe.
Segurado o que assim se continha em dita sen-
tenga aqui transcripta, e em observaocia da qual
O Illm. Sr. inspector da thasouraria provin- o respectivo escrivo que esta subscreveu e fez
cial, em cumprimenlo da ordem do Exm. Sr. pre- passar o presente pelo qual e seu theor chamo
siden'.e da provincia de 17 do crrenle, manda fa-1 cito, e hei por citado ao mencionado justificado
Ihe- Jos Rodrigues Fernandes, para que deniro do dito
prazo do 30 dias comparega ante este juizo, alie
gando e provando o que fora bem de seu direilo e
gao da rreacao desse corpos. alistndose Bellas. cos importantes, e ora um pesado e variado expe- Alim de se evitar a compra de urna preparago nambuco 9 de julho de 1855 -'-O secretario"
Alo ea, pois, em nossa metile, ameiqumhar os I diente, nao podia recordar-se neta do requerimen- falsa e vieiada, dever-se-ha examinar com o maior! a. F, d'Aoounciac5o.'
justiga sob pena de revelia. Portanto toda e qual-
quer pessoa, prente, amigo ou conliecido do mes-
mo justificado poder-lhe ha fazer scieme de todo o
expendido.
E para que chegue ao conhecimento de lodos,
manoel fazer o prsenle edital, que ser afiliado
Arsenal de guerra.
0 conselho de compras do arsenal de gnerra
precisa comprar para a cM-ripiurago do roesm.
arsenal, em virtude da ordem da presidencia de
10 de junho findo o segrale :
1 livro de 200 tainas.
1 dito de liO.
4 ditos de 100.
2 di los de 80.
i dito de 60.
2 ditos de it).
4 ditos de 30.
2 ditos de 16.
Em virtude da ordem da presidencia de 19 de
corrente contraia-se os medicamenios precisos pa-
ra a enfermara dos aprenJizes menores d^sle ar-
senal.
As pessoas que quizerem vender dito artigo,
apresentem suas propostsa na sala do conseibo, no
dia 26 do corrente, as 11 h iras do dia.
. Sala do conselho de c impra; do arsenal de guer-
ra, 13 de julho de 1805.
O encarregado da eseripturacio,
______________Manoel Jas de Az-redo Santos.
Iiispeeco do arsenal de marimba
Faz-se publico que a eotnmi-so de perilos, eaa-
minando ua forma determinada no reculamente
anoexo ao decreto n. 1,324 d<- 5 de fevereiro de
1854, o casca, machina, caldeira-", apparelbo, mas-
treago, veame, amarras e ancoras do v.-pr Jfa-
manguape, da cumpa ilua IVrn unbucana de nave-
gago rosteira, achou lodos estes objeclus em esta-
do de poder o vapor navegar.
In^pecgo do arsenal de marinha de Pernam
buco, 19 de julho de 1865.
O inspector,
__________________H A. Barbosa de Almeida.
O ahaixo assignado. langador da rerebedoria
de rendas internas geraes, lendo de dar principio
no dia 17 docorrente mez aos trabalho* do laara-
mento do bairro do Recife, de conformidade rom
o arl. 37 e seus do decreto de 17 de marco de
1860, dos impostos a que eslo sojeiio as tajas e
casas commerciaes, e outras de diversas classes e
denominagoes, avisa aos dooos dos respectivo* es-
ta beleciramtos, que tenham presentes ao arte da
collecla os recibos e papis de arreadamente de
suas casas, visto qne elles lerao de servir de base
ao processo do mesmo langamenio, o qnal princi-
piar as seguinl.'s ras: caes da alfandega, lar-
go da mesma, arco da Conreico, Cadeia, Cn,
Lingoeta, Torres, bcco do Abreu, Taooeiros, Tra-
piche praca do Commercio e Vigario.
_________________Jos Theodoro de Sena.
O administrador da recebeooria de reaas
internas geraes fu publico, qoe em virtude da al-
teragao 3' do decreto 2719 de 31 de dezembro d
1860, nao julgando conveniente qoe eontinnem
em poder dos cobradores os connecimentoe do |-
semestre do exercicio de 1864 1863 dos impostos
r._ ?
"~T


Diarto de ^*roam!cr nnhhsdo ttfle *n!ho de *S

o
de20 0i0 imposto especial e dcima addicional de Oatro pescador.................' Vieira.
mo-morla, ordenou o recolhimento delles, princ-1 Senhoras, pescadores e^ca vallaros.
piando pelo bairro de Sauto Amonio, cujo debito A sceoa passa-se em ->afwl* .
superior ao dos mais, aQm de proceder a liqui- N. B. O ultimo acto anda * 'rXL,
dagao de conformidade com os artigos 4- e 5- das mesmo que se acha no dran. como o conceDeu
instrucgoes que acompaoharam o decreto 2334 de
16 de evereiro .le 1859, que ein quanto se est
organisando a relacao dos devedores do referido
bairro, Ihes permettido virem aqu pagar os seus
dbitos aira de evitaren) a cobranza judicial.
Hecebedoria de Pernambuco 3 de julho de 1865,
Manoel Carneiro de Souza Lacerda.
Santa tTiaTtla Misericordia do Recife
A lllm." junta administrativa da Santa Casa da
Misericordia do Beeife manda ;fazer publico que
no dia 27 do crrante pelas 4 horas da tarde, na
sala de suas sesees tem de ser arrematado o for-
ne^.imento dos gneros abaixo declarados, que
houver de consumir nao s os estabeleciraentos de
aridade como tunbem os codeaos de orphaosnos
meze* de agosto e seterobro prximos futuros, a
saber :
Estabelecimentos de caridade.
afantaiga fraocexa, libra.
Caf ein grao, dem.
Caf arelo, dem.
Cha verde hysson, i 'era.
Assncar refinada 1* sorte, Idea.
Dito dito2* sorte, idem.
Dito em torrio l1 sorte, idem.
Arroi pilado do Maranhao, idera.
Toucidio de Lisboa, idem.
Bacalfio, idem.
Tapioca, idem.
Aleiria, idem.
Carne secca, idem.
Sabao amarelu dem
Fumo, dem,
Velas de carnauba, idem.
Fariaba de mandioca da trra, alquein nov.
Peijao mulatirmo, dem.
Vinho tinto do Lislm, garrafa.
Vlnho braaco de Lisboa, idem.
Vinagre de Lisboa, dem.
Agurdenle branca, idem.
Afeite doce, idem.
Aceite de earrapato, idem.
Obolas. cento.
Farelio, saeco.
Carne verde, libra.
Collegios de orpios.
Manteiga francea, libra.
Asscar reflaadu Ia sorte, id^ra.
Dito dito 2o sorte, dem.
Caf em grao, dem.
Cha pr-io, idem.
Arroz pilado do Maranhao, idem.
Baealhai, idea.
Batatas, idem.
Aletria, idem.
Touciaho de Lisboa, idem.
Ceb das, cento.
Farinha de mandioca da ierra, alqueire novo.
Feijao niulalinho, idem.
Azeita doce, garrafa.
Vinagre de Lisboa, idem.
Sal. euia.
Leona i-m aclias.
Ca no verde, libra.
As pro tosas deveai ser apresen'.adas em cartas
techadas, devenJo ser sspeclaesja para os eslabe-
lecHflentos de candado e ja para os collegios de
rateos, -en lo Urabera aceias as propostas rela-
tivas somonte a carao verda que houver de coa-
sumir os hospitaes Pedro II e dos Lazaros e casa
dosexpostos. Recommeodi-se aos Srs. concur-
rentes |im observ a as propostas que apresenta-
rem a ordem, peso, madiJas, c qualidades indica-
das na relaco los gneros cima descripios.
esta seerel ira .- daro o esclarecimientos, de
que precisarem osinwnw concurrentes, os quaes
no acto di arrematara) devjerio comparecer com
seus fiadores oa muidos de cartas oestes, que fl-
cara) responsaveia pelo iuteiro cumprimeuto dos
respectivos contratos.
Secretaria da Smta Casi di Misericordia do fte-
cife 21 de julho di 1865.
O escrivo,
F. A. Cavaleinli Cousseiro.
sen autor.
Dar fim ao espectculo graciosa comedia em
1 acto
0 marido no prego.
Principiara s 8 horas.
Reelta extraordinaria.
Domingo 23 de julho.
Representarse-ha o interessante
setos e 1 prof-'go
drama era 3 s
Leilao
da barca brazllelra atestan
ra^io
Segunda-feira 24 do corrente.
O agen le Pestaa, legalmente autorisado, fara' I
leilao por ronta e risco de quem pertencer, da
barca nacional Restaurarlo, forrada de cobre, de
183 toneladas ; tem algom panno e eabos de so-
bresante e esta' prompta a navegar para qual-
quer porto. Acha-se ancorada confronte ao trapi-
che do algodo, onde pode ser examinada ; e o in-1
ventano acha se em tao do agente.
O leilao lera'lugar segunda-feira 21 do corren-1
te pelas 12 horas da mantea no la
ESTRADA DE IERRO
DO
Recife a Silo Francisco.
Do dia M do corrente em dianle Oca)
E.UPREZA
DE
ILLUMINACAO A GAZ
Armazent n. 31, ra do Imperador.
Para mais regulandade do servico tem a empre-
za resolvido lao .rnente vender os apparelhos,
etc., deixando que os -rs. consumidores chamen)
, os machinistas que mais Ihes agradaren), podendo
restabelectdo O trafego desla eslrada em os nome?, morada, ele, de todos elles serem indi-
toda a sua extendi, qner para passageiros, cados no armazem da empreza.
i ao corrou-1 i m. < I As rerlamacSes por m luz das casas, nijns ap-
rgo do Corpo quer Para Nerca'iona:, CUjOS \0l.imes lO \ftgMM hoBTerem7ido ollocados anteriormente
anto, junto a assoe.iacae ejmmercial. ; remue um peso inferior 3 1U arrobas. a este aV|?ni ser;0 attendidos pela empreza ; oulros
Na raesma occasiao sero vendidos 3 escravos, | ^mfSrs. passageiros.se podero muir de qnaesquer, nao.
marinheiros, sendo Antonio, de idade de 23 airaos- f^tjtes para qualquer das estacoes Slljei- A empreza espera que esta medida ser devida-
Guido, oe 44 e Manoel de 24.__________________ tando-se apenas, depois da
rnudanca de tre n na visinhanc
lucro tal, que cubra as despeza inevilaveis.
comedia em
Dir fim ao espectculo a graciosa
1 Kto
O viaao doBatalha.
Principiar as 8 horas.
afe^di2
Comoseiam: Previne-se igualmente que em virlude
Um sobrado de 2 andares e solo, sito na ra da ( das ultimas oceurrencias, e de accordo com
Cadea n. ii, em chaos prnprios. o engenheiro fiscal do governo, fica provi-
m sobrado de 3 andares e solo dentro, na ra j soramente alterada a actaal tabella do mo-
da Lrt d. 28,-em chaos proprios.
Slacoes. Slljei- a empreza espera que esia moiua sera ueviaa- aa conuu
do louitica a m,'nle apreciada reos senhores consumidores, ln- Acham-
' ,' lMV-ra dente como a tornar este servico mais economi- 2i*) l
i;a aa csiacao R0; visto que ella vender ludn, apenas com u:n se ettrahi
Aluga-e
Aguas Vi-rdes
a parle da casa n. 92 da ra das
a tratar na mesma.
47ISGS
COMPAXHIA PERNAMBUCANA
DE
\;tvcgQai costeira por vapor.
Parahyba, Natal, Maro, Aracaty, e Cear.
Xovdia 22 as > h.>ras la larde,
Mi <\ segu o vapor tMamanguape
^'"'V'tyl^s. fara os portos cima indicados.
** ;.?! . *.jS Recebe carga desde ja' al odia
Jpjjp 2t ; encommendas, passageiros e
riiiiheiro a fn-ie al as 2 horas da tarde do dia da
saluda : escriptono no Forte do Matos n. 1.__
Jara Lisboa
s^gtie com mnila brevidade o brigue portuguez
Flonnda, ao oro
frete : quem a i,
no escripiorio de Amarina Irmaos, ra da Lruz
3 : para passageiros, aos iiuaes offerece exce
Um dito de 2 andares, na ra do Vigario n. 23,
em chaos proprios
Urna casa terrea, na ra da Senzalla Velha n. 3,
em chaos proprios.
Urna casa terrea, na roa da Senzalla Velha n. o,
em chaos proprios.
Um sobrado de 3 andares, na ra do Crespo n.
12, em clios foreiros
Um sobrado de 3 andares, na ra do Queimado
n. 16, em chitos proprios.
Um dito de 2 andares. " *** & -- "-
em chaos proprios.
ma casa terrea, na ra das Aguas \ erdes n.
40, em chaos foreiros.
Urna casa terrea, na ra da matriz da Boa-\ isla
n. 62, em chaos proprios.
Terca-feira, 2o do julho.
O agente Pinto'fara leilo precedida a compe-
tente aotorisaeo, dos predios cima mencionados,
edificados em boas ras ; o leilSo sera effecluado
Seiiiiina lllustraila do Itio de Janeiro
As.-igua-se na ra do Crespo n. 4 : tres mezes
vimenlo dos tretn, que ser substituida por 65, seis mezes tlf, mu anno 183
Onlra que se publicar H0 jornal de ama- Precisase de urna ama para casa de duas
nhaa, nao senda em caso algnm mudado pa- pe?joas:_n ra da Penha n. 23, primeiro andar.
ra mais cedo a hora (Je partida
de Cinco Puntas,
Villa do Cabo, 19 de julho de 1865.
G. O. Mann
Engenheiro e superintendente interino.
da esla^ao Alugam- se dous grandes sobrados com com
modos para numerosa familia, novos e aceiados
cora jardim, cocheira, estribarla e outras commo-
didades, na travessa de J- o Peraandes Vieira :
a tratar na ra da Senzala Xova n. 42.
E CB YS
iob nara vep-
ife
Joa|uim Jos Guimr.;<.. Oottri
der daus escravos crioolo. bonitas figuras, ne
idade de 29 e 27 annos : podem ser vistos em Po-
ra de Portas, ra d> Pilar o. 13.*, taberna ; apara
tratar em seu escripiorio, rus di Vigario n. '7.
NOVA ESCOLA-
Maria Candida Theodora'Alve-, habilitada pela
falta ^MS"" 55 J?^g* sll horas da dia acuna dito, no armazem na raa | ^^.^iiSrnrcao poblica, participa aos' se-
quem a qnizer tor,pbto iim*r-a* a tratar ^ Q| len-
Tes commodos,"trata-se com o capito Joaquim Au-
gusto de Souza, na praya do commercio.
^. Para a Bahia pretende sabir
sKv com mua brevidade o velelro
lugre Emilia, capilao Bernardi-
no Rodrigues de Almeida, por
ter a maor parte da carga tra
tada, e paia o resto que Ibes
falta trata-se com o consifinatario Joaquim Jos
Gonjalves Bellro, na ra do Vigario n. 17, prt-
iiiiiro andar._________^_^^_ ___^_____---.
COMPAXHIA PEH.NA.MBOCANA
DE
Xavega?S> cnslelra por vapor.
Presidio de Fernando.
Seguir' um dos vapores da
L -4\ companhia no dia 29 do corrente
"f"^^ as 10 horas da manhaa. Recebe-
--J'^t_- r:4' ,,:>,'S;|. encommendas, pasca-
mmP geirus no da 28 at as 4 horas
da tarde : escripiorio no Forte' do Mallos n. 1.
narem desde ja os referidos predios, e concorrerem
ao leilao.
%
EME
da casa terrea n. 9 do becco do Quiabo, freguezia
da Boa Vista, a qual rende 155 mensaes, e por
BOOseqoencia 180 annuacs.
Teri,:a-feira, 2o de julho de 186o.
Por iiitervnqo do agente Pinto,
da ra da Cadeia n. 62. .
escola de ensino primario para o sexo femenino,
a roa Velha n. 53.
Botica
Xa botica Je Barthloomeu Francisco de Souza &
C. precisa e de am caixeiro qna lenha bstanle
pralica deste eslabt-lecimeuto.
Xwias do banco do Brasil e das caixas filiaos
CASA DA FORTOfU
Aos 6:0000000.
BlUiefes garantidos.
A' RI'A DO CltESPO X. 13 E CASAS DO C08TTVI
O abaixoassignado vendeu nos sens mod" Ma-
tes bilhetes garantidos da Icteria que se acabo*
de ettrahir, a benelleio das familias o votnn-
arios da patria, o segointes pren-ios :
Um quario n 2770 com a norte de fi:00040tO
l'm meio n. K91> com a surte de I:2000(W.
Um meio n. Silo com a sorte de 40lijli00.
E outras muitas sortes de 100*. 40, 2'*e
IO5OOO. .
Ospossuidores podem virreceber sens respec-
tivos premios sem os descor.tos das leis aa Casa
da Fortuna ra da Crespo n. 23.
Acham-se a venda os da 1* parte da 1* lotera
eneficio da matrii d Anua Pr--la, que
r sabbado 2 do corr>-iit''.
PRECO.
Bilhetes.....7-^OOQ
Meios-,.....;!-"00
Quartos.....UWO
as pessoas que comprarrai de 10M*G
para cima.
Bilhetes.....03500
Meios......34T.it
Quartos.....1-5700
___ MANOKLM.\tVTi:sPllZA.
Xa praca da Independencia n. 33, !oi:> Je ::r
ves, compra-se otiro, (trata, peoras iurtaaao
tamhem se faz qualqner obras de eomnvnda a
odo e qualqner euacerto.
fUHI
SO Di- CraieiMt iros Marh r
Foilclla
BBOTOO ornn.-.DO
m
M 3-Y.cuhIaiIe le Par.
'ara

LEILO
le una casa em Ollnda-
Terca-fnira 2;. s 11 horas.
LYMPIO
Veuoera' em leilao a rasa lene*
prios sita na roa do Amparo n. 43,
Para Lisboa.
Irseua
O conseiho de compras
de gueriM.
oo arsenal de guerra
isa comprar para o Io balalno de guarda na-
l que i"(ii de destacaij para o sul, em virtude
da 1 rdem da presidencia de 19 do crrente, o se-
guinte :
2 livros i 20D( has para registro geral.
'.1 ditos com 2U. )lha=.
13 ditos c mi " foltaas
10 ditos co.n 3 :'i!'ia-.
1 dito com 20 folhas, pequero.
2 lalins de couro de lusire.
26 cord5es de laa para balos de inferiores.
1 bandeira imperial com asta e langa.
1 porte para a mesma.
1 cap, de oleado para a dita.
1 dit-. d- brira para a lila.
17 eornetas de toqne com pinto e voltt.
27 bonets para msicos.
27 charlateiras pira os ditos.
800 Bravatas de sola de lastre.
27 ban las de la.
2 coroas para divisas de sargento, ajudanto
qoarlel-mestre.
20 malas forradas de sola.
1 dita dita com tres (echadoras difterentes.
2 espadas de metal para sargento-ajudante.
quartel- nestre.
800 n antas de la.
.,, 1 cova: is de pann azul para capotes.
4,000 ditos para blnsasl
Sahe por ni ie-ie m d> joiho o bem conhecl-
do brigna pprtug! Helamiago i para o resfoda
carga o passag-iros, aos quaes off-rece aceibdos
commodos, trata-se con o consignatario Thomax
de AqumoFonseca, na ra do Vigario 11. 19, pri-
ineiro andar, ou com e capilao na praca._________
Parao Porto
sahir por todo este mezo brigue portuguez Unido,
rec be o resio da canra e passageiros, e trata-se
com o consignatario Tnoniaz de Aquino Fonseca,
ra do Vigario n. 19, prinieiro andar, ou com o
capilao na praca.____________________
lllia de Fernando
Para a llha de FornindO d Xoronha pn-lende
seguir no dia 2 de agosto o veiolro e bem conhe-
cido m-ssa ca/reira o hiau Ser apao : para car-
gaje passageiros trat.i-su .iem o capilao a bordo, ou
com Jo Luiz de 8ouza na alfandega.___________
Para i '! Ift aneip.
pretemie segntr com malta brev.dade o patacho
nacional Regulo, tem p.rl de seu carregamento
engajado, e para o resto que ihe Talla e escravos a
frete, trata se com os seus consignatarios Adtonio
Luiz de Oliveira Aevedo & C, no seu escripiorio
ra da Cruz n. L______________________________
Para o Para, com scala peto MaranhSo, pre"
. leode sabir em poucos .lias o lugre Emilia, capi
lio Bernardino l'.olrigues de Almeida, tem a
m ir parte da carga tralada, e para o resto que
Ibas falta, trata-se com o consignatario Joaquim
Jos Goncalves Beltrao, na roa do Vigario n. l/,
primeiro andar,
Mil..... llll'l' -WW"1
sallas, 3 qoartos, quintal em aberto, e rende 8$00
mensaes : as chaves acham-se junto na taberna.
Lu.II.vtd
de urna tinda mobilia de Jacaranda' nova com lam-
po de pedra marmore, 1 maeniflco guarda-vestido
de mogno, 1 dito de amarello, I machioa de costa-
ra, 1 excellente secretaria de vinhatlco, 2 bonitas
bancas de mogno para voltarete, ol actos de poro,
reiogios de a'gibeira de ouro e prata, marqoezas
largas e estreitas, consolos, 1 cama franreza de ja-
caranda', eharntes da Babia o amitos artigo-.
Qaarta feira, 26 do corrente. s 11 horas, 110 gran-
de am. 17. 'in do agente
no armazem desconl-m-se na lirada da Independencia n. -2.
Irmmdade de Sant'Aniia da|
igreja da Madre de Dos.
Por or.lem da mesa regedora sao convidados to-
dos o* irmaos da irmandad da Gloriosa Senhora
Sant'Anna da igreja da Madre de Dos, a cumpa-
recerco domingo 2:! do corrente, pelas 10 l|2 ho-
ras da manhaa, para o fim de eleger os novo? tone-
cionarios que devem ronipor a mesa regedora que
a qual tem 2 tem Je funccibnar no futuro anno de 1863 a 1-Sti.
o '-
O escrivo
Msnoel Jo- de Souza.
a sociedade
rma social ele Mon-
a roa larca d) Ro-ario
WmmM
36Ra ua Cad< ia 00 Hecifeao
LTOQS DI?USOS.
itvnt
O.s- Sa c>>rre&pittoderites
ossignantes deste Diario,
eentro da provincia
mais do imperio,
mandar satisfazer
dos
Bernardo de Siqueira de Caslro Monteiro e.
Custodio Antonio Soares avisara ao publico e. es-
pecialmente ao respeitavel corpo do commercio,
que de coir.mum accordo dissolveram
' que tinhara estaoefecldo boo a
1 teiro ^ Soares na padaria da
1 n. 46, BcandO a cargo do socio Bernardo de C. C.
Monteiro todo o activo e passivo da eztineta socie-
; dade. Recife 8 de julho de 1863.-_____________
Precisa-se alugar-um rnoleque de 10 a 12
' anno- para fazer peiuienos servicos de urna casa
de ponca familia : a tiatar na praca da Indepen-
dencia es. 14 o IG. _......
A professora publica da 3" cadeira da fre-
gnezia de Santo Antonio mudou a sua residencia
para a ra Direita, sobrado de um andar n. 74,
com a entrada no becco.
a osa terrea da Ilha do Retiro (Passagem da Hag-
Ldalena) onde morn o corrector Uacedo, com !,ons
amnnido= para familia : trata-se to laigo. do
Co'po WBto o. 19, escriptono.________________
J.,ao Marliniano Coelho e Manoel Antonio
Gtalho agradecera cordlainiHute a todas as
pe.-soas que se dignaran) acumpannar os
restos morlae de sua presada mai Mara
Joaquina da> Mercas Ferreira, e do novo
eonvidam a todos os s.1'4 prenles e amigos
para assistirem as missas de .-elimo da das
6 as 8 horas da inanhVi lio dia 22 do cor-
rente, na igreja da ordem terceira de Nossa
Sennora do armo, assirn como convidara a
todos os Rvmds. sacerdotes regulares e se-
culares que qaiierem celebrar por alma da
mesma fina..a para romparecerem no mes-
rao dia as me.-mas horas 11.1 mesma ordem.
D. Miquilina de Jess Reg Valeii';a, ns
nios genros, n iras e netos reconhecidos a _
1 idos aqoelles que a=sistlram ts exequias de 'c
seu presado mando, pai.sogro eav, e agr- ^
decidos a esta prova de amitade '' n >vo ro-
a todos 03 amigos dn finado para a---l:-
rem a mis-a do elimo dia qne lera legar se-
gunda-f.ira24 lo corrente, pelas 7 horas da
1 manhaa ni ordem I ; 'ira ! S. Franflsca
Como a empreza de illuminacao a paz lenha da-:
do licen^a aos machinistas para trabalharem por
sua pro; ria conta, liarlos Pluym, machinista. olTe-,
rece sen presumo ao publico para encaar gax e
agua, < toda a sorte de servicos eoneernentcs ao
seu offlcio, por procos multo rasoaveis.
Pode ser procurado a qualquer hora na ra da
Alegria n. 16 (Boa-Vista.)
N I!.
ts Para prova di perfeifodo seu Irabalbo o
mesmo -ll-rece ao publico o tet->munho de im-
mensas pessoae para quem jalrabalhou a mandado
di companhia do gaz.
regressando a esta provincia, ach:
promplo para o Pirdelo de Ma pri-n*-
rao, quer nesta eldade qo^r f ra it'-ih.
especialmente em mole.-lia de olln.s (ca-
taratas, etc..) das vas nrinaria (^In-i-
lamento de nrelhra etc.,) e de pana : ca-
ra elijo curativo se Julga habilitado, alien-
ta a pralica, qn bve no* hospitaes d-
Pars, e s modernas instrumentos qu-
possue.
Encarrega-se de rollocar ulhos ait li-
ciaes.
Pateo do Carmo n. 2, esquina da re
de Hortas.
mm
m 1 j

Dentista de PeraambucoJ
'na estrcHa !o Rosati
;,o j da \pey*
i
11. ,
Precisarse
?'" de a;irendizes para a offlcfoa de rnarcineiro, na ra
fip, : do Imperador 11. 18. ________________________

'francisco pinto ozomoi
m
A
\


e nos
queiraml
O importe precjM.$e a|0gar uma preta escrava para casa
da assign'ltum para ruin lia |dedoaspe#soas:naraad
ver interrupgao nu remessa
O Sr. Armenio Antonio Carneiro da.
Ganba Miranda querr dirigirle a pra?a da
Independencia n. 6 e 8, qe se precisa
fallar._____________________________________
oaqoira da Silva Vlela, portuguez,
do Novo n. 54, para comprar e cosinbar.______
D. Mana Clara Pereira de Leao. viuva do
conselheiro A. E. de Lelo, o ur. Agostinho lirme-
lino de Leo, e sua consorte, nao tendo podido 1 or
motivo iuvencivel, desped>r-se de tolas as pessoas
wm:m^:xj^:i
do Recife e Olinla, aos qoaesde
|i'iico"s, o fazeui por e.-te meio.
193 ditos a iradio.
rlit casemira encarnada.
2300 d.tos bala eucarnada.
600 varas de br :;i brinco.
1,850 ditas alg idaonho.
266 itas aniagem.
54 ditas galo di prata de 1 po'.egada.
14 varas di gal.io de l|2 polegada.
As pessoas que aniterem vender ditos artigos
apresentera suas propovlas na sala do conseiho de
prae, as 11 horas do da 26 do corrente, acom-
panhadas da respectiva amo-ira, sendo que para
', livros devera' procurar aqui qual as dimensoes;
declara-se qne os objectas que sao de pura materia
prima, leweraose rec luidos no dia inmediato ao
d i c intrato, e os mais a'. o dia 0 do futuro mez.
Conseiho de compras do arsenal de guerra 20
de julho de 1N05.
0 eacarregado da escrtpluragao
Manoel Jos de Azvedo Santos.
Tallas as semanas
NO GRANDE ARMAZEM DE LE LES
DO AGKNTE
OLYMP10
Ant lio I
vai a Portugal.
Val a Portugal a passeio e tratar de sua sao-
de Joaqui.n Baptista Nogueira.
Antonio Teixeira de Carvalbo Lisboa reti-
ra-se para Europa.________________________
M. D. Faulck, retira-se para (ora do imperio.
j
36-Rw.i da Catlcia do 5eclfe--36
4
i
f
LEILAO
vem amiade e : t-
assegurando a lo-
los'o sen reconbecim nt > e olferecendo-lhes o seu
fraeo presumo na cidade de Corrtiba provincia do
Paraiia^__________________________________
Aviso.
0 abaixo assignado previne ao respeitavel pu-
blico e especialmente a Arma social Santos Mello
. f... sol a qual devena gyrar a Bociedade pro-
jectada e snbslitultiva ao antigo esUbelecimanto
de gneros de estiva e commissee -ilo a ra do
Livrameato n. 20, que nao faz parle dessa urina,
por quanto niio oi legalmente insullad por es-
cri|ilura dita sociedade, resultando disso que o
abaixo assignado acha-se inteirameote isempto de
C'o!loc;i deutes ariificsaes -
pelos -iysteuias aials M-
|| deruos
Wk Emprega todos os meios scientificos para ^l
S conservar os nainrae. Pote ser procura- ,.
Vy do em -en eabinete das Olieras da na- \$
,3 ulna as 3 da tarde. M
.^j.. .i~j >m&>m
- Lino de Paria, nico llqoidatario da massa
fallida .le Faria & l... em virtude de concordata
que Ihe foi concedida e devidamente homologada,
convida a lodos os senh tres credores que anda o
nao procuraran), para que com elle se eotendam
uestes lo das; *<-nl> que necessiii saber a im-
portancia dos credilos de cada u n dos mesmos
senhores : mora na na do Imperador n. 57, e i
pode ser procurado de manhaa. Recife 17 de ju-
ho de 186>.
lfl'r> tt
Na praca do Foiie do M't>; n. 10. -Ir-', te
I andar, se dir quem precisa a* lMI -
mo, dndose endocanie nesta preja.
" wrnnwtcAm
do
BShi da lirtiua umnero M.
Ne.-tf estab lecimento acham-se t v n : 1 se-
I guinles objectoa, lodos da primeira qua
.construidos especialincnle para esta casa, lelos
mais acreditados fabricantes agam :
Machinas a vapor de 2 l|2 a rav::||o-. raa
! mcendas, juntas e sem ellas ; e laatbam pronaa
i para descarocameulo de algoda 1, afama la* natal
! fortidao, simplicidade eeconoma na coa bu--
e por no precisar de obra qual |inr para s>mi a-
csiitamenlo.
Rodas d'agna de ferro, sysseaaa mui ; r
1a forea d'agua.
todas de espora, e angulares, e de esquadriiba
! para animaes.
Moindas e meia-n)>oudas.
Taisas de ferro batido e fundido, ,]e ,
ilacniaas para deaearaaar aajMaV, -\-: 0
Platt, com ,-s oltimos na'Iboranv
Boceas e rrivos de patente para (ortaita, i
nUlndO milito o gasto d 1 eii;i::.-iv-
Machinas e machinismus para moer man
movidas a vapor, igoa oo cavalto.
Fornos e chapas de ferro baflie par.i coser fa-
rinha.
Alambique.- de ferro, e fundos.
Guindastes, (nos e porlatils.
Prensas para copiar cartas.
Redas para cairo de ei'genho mm eixos e m--B-
gas de paU nte.
Formas de ferro batido galvanizado para pu: r.
Sorras de ac e armacSes de -.-rrana.
Arados de' ferro singlos c anbrad s. crades 1 ra
JL /i
AUO \).\J\J\JjJ> responsabilidade iioer para com a mes-
Sabbado -29 do correnle me/., se extt ah-: 3 ma J eom teiros. Recife 19 de
K* Inlnrii /'OS*I .. .r,^--
G. Augusto da Gracac Mello.
he n. o, pre
cubrir cauna, ralada" a cavado, e uiro* i:i
mentos de atricotiora.
ii jtfaa'-i.sa s,
Consultorio medico e
cinirgico.
0 Dr. Joao Pedro Maduro na Piasen
lem sua residencia 11 ra do Sai a. i '.
''~ segundo andar, aonde se presta a<> eirf-
; cicio d" sua profissu tanto de d.i r> no
de noite, os chamados qoaa i > aaV de-
ja em casa seja por escriplo, indican l
V- morada e nom-do rtieote.


... :.-
Precisa-se de 2:0005 a premio de ID
mez, por esparo de dez mez s, garaniiii'
hvpniheca em ma casa terraa naON iitrol.i
niaior valor, a uual se acha em mnil 1 boni -H d
r a 31 parle da 4a e Ia da 5a lotera (W) jullld de mb\
DE a beneficio da Santa Casa de Misericordia
trastes, lOUCa, eSOraVO, CaU- no consistorio da ioreja de Nossa senhoia
1 iAn-.no do Rosario da frognezia de Santo Antonio.
gclZ, ailterUaS, osblhelos, meios e quartos eslu a ven-
ra do Cres-
MARTIMOS
E
/" AVTD % PAPA por ser edificada de novo e de paraaVa d .1 r.. 11- :
* j< t% 1 i A I1 OaU ,)a ra de Santa Thereza n. 38, se r qam
arremtlacaa
o Sr. juiz de paz do Io
Pcrant
ta da Boa-Vista lera de ser
hasta publica, no dia 26 do correnle,
dieiros a
etc: etc.
HOafE
Sallado 22 do corrente as 1(1 horas
No armazem a ra da Cruz n. 57.
Oordeiro Sim5es
districto da fre-
arrematado em fara' leilao por conia de diversos, de trastes novos ... ,,,!,avirw5A
um cavallo e usados, louga, candieiros a gaz, lanteruas e oulros mente ate a noite da vespera lia extracto
da na respectiva Ibesooraria a
po numero 15,
Os premios de 6:0005000 ate 106000
sero pagos urna bota depois da extraccac
at as i horas da tarde, e os outros depois
da distribuicaodas listas.
As encommendas s rao guardadas so-
No hotel italiano roa do Trapo
cisa-se de um bom cosinbeiro.
. A Companhia Indemnisadora,"* .
estabelecida n-sla praca, toma seguros maritimos v
. . .._..-________. ... .-. i. .- n ,. ... I. -i (r,n,\ um : UCSll I IUd
ruco penhorado a Ricardo Austln, por execucao
qu contra o mesmo movem C Starr & C, sendo
esta a ultima pra>ja : quem pretender arrematar
lito cvallo, po 1 examlni-io na cocheira de
Prancisco d- P.iula da Silva, ra de S. Francisco.
^r--"-.-,~v-**;-
muitss artigos.
Na mesma occasiao se vender' um escravo de
idade 28 airaos com habilidades.^__________
IjBIII
de mcladc do sorado da rua da
atazalla-Velha n 49.
Martins fara' leilao precedida a competente auto-
risago, de metade do sobrado da rua da Senzalla
n. 42.
Scgunda-feira, 24 do corrente.
No segundo andar do sobrado f da rua da Cruz n.
34, onde haver leilao de movis e da outra metade
do dito sobrado.
como de costume.
Servindo de tbesotireiro,
Jos Rodrigues de Souza
m ' mi m
ESAPPA ECEU
EMPREZA-nOIMBRA
8.1a recita da a signatura.
de guarnicao, ditas de raco,
lanco, i S'if, 2 consolos e i
LEILAO
DE
Metade do sobrado de dous andares e soto
da rua da Senzalla n 42.
m

primitiva o multo acreditado drama era 4 adose
6 quadros Imita^ao do Sr. A. de Serpa
I'ERSONAGKNS.
Anlre Rosevein..............
o cavalbeiro Carnioli..........
S'ilonus.......................
Amelia.................;-.-----
A pnnceza Leonor Falconier;....
Mari a, criada da princeza....
A marqueza Nami............
I,, ly Witson..................
O principe Kaliseh............
O marquez de Sora.............
Matheas, criado da princeza------
M*tra Pedro, p-scador.......
Desappareceu no dia 7
do correnle, um cachor-
ro preto, com o peilo e
Descoco branco, muito
cabelludo, cora os cabellos compridos. da' .;
pelo nome de velludo : quem delle dr jaR
noticias exactas, ou o pegar, leve a rua tt
Novan. 21, loja de Germano, relojoeiro, S
que graticara' generosamente. f
sociesml&il
Nova Euterpina.
O abaixo assignado, de conformidade com o di-
reito que Ihe garante os estatutos dessa sociedade,
convoca pelo presente annuncio a lodos os socios,
para comparecerem amanli.li, 23 do corrente mez,
as 10 horas do dia, na salla da respectiva socieda-, r
i porcela a, 1 dito (le jarros, de, afim de se tratar de negocios mu importantes,
tus de vidro, 2 ditOS de fras- respeito nao- s para prcstamenio das dividas e
Desappareceu quinia-feira, 20 do corrente,
do consistorio de S. Jo- d'Aizonia, no convento do
Carino, um chapeo de manilha novo em quanto se
eslava solemnisamlo a festa de Santo Elias : pre-
vine-se a qualquer pessoa a quem o qual for olt-
reddo, ou delle souber, baja de preade-lo e entre-
Balo na rua da Concordia n. 64, padaria do gaz,
que se pagar o trabalho de quem o trouxer.
Quem precisar de uma ama de portas para
dentro, para casa de Ouas a tres pessoas, dinja-se
a rua Augusta n. 7. ___________
A mesa reaedoro da innandade de Nossa Se
nlwra.da Conceicao dos Militares fez celebrar boje
sas missas e um memento solemne com iifecra
ufragio as almas de todos quantos lem fal-
WH" na canipanha em defua da patria. Sao dig-
nw3-louvures o Rvm. vigario desla freguezia, os
t sacoJBfles, o guardiao do conventos de s. Fraucls-
*& dtf'aio padre provincial do couueuto do Carmo, que
'M se'presiaram voluntariamente a dito aclo; bem
^ como metecem especial menco os artistas msicos
f$! da irmaodade de Santa Cecilia, erecta na igreja do
a*! Li.vrain.ratn, que graiuitameute concorreram a le
sobre navios e seus rarregamentos e contra fogo em
edificios, mercaduras e mobittaa: no seu escripio-
rio, rua do Vigario n. 4, pavimento tt-rreo.
Vende-se uma rotla e uma janella em mui-
to bom estado: rua das Aguas Verdes n. l-.
Aluga se a melado de um sobrado na rua do
Rangel n. 6 : a tratar no mesmo. _
Precisase de uma preta
escrava ou de uma
nuillier forra que saina cbttnhar para uma casa de *f
pouca familia :
Aragao n. 7.
qecc quizer dirjase a rua do
eneravel ordem terceira de S. Frani.)
cidade pretende encaar agua 'la rompa
de lieLeribe no seu hospiul e sachriM, I Wf
orna casa de hanho, aoMaado aaaa aaakeai -
pessoas que se quizaren encarregat ''>
comparecao na paehrtstia da renftta orifc-n
e 'ira, domingo 23 do earrenV, da- 9 a 12 i ra
! da manhaa. para examinares a localidad* e dar w
depois seus orc-imenios.
ir
O advogado Antero Manoel de
Faz-se publico
que foi traspassada a loja de charutos da rua da
Cadeia do Recife n. 9, pelo seu proprietario, bvre
e desembarcada para a pessoa qne a comprou :
quem se julgar com direitos a contestar aquelle
traspasse, dentro de tres dias compareca n? rua do ,
Vigario n. II, primeiro andar, depois do que a ne-1
nhuma reclamagao se aitender. Recife 18 de ju-
lho de 1863.___________________
.\ledeiios
urtado, natural da Pa-
Norle. declara
:
**
Antonio Jos de Arantes, portuguez, vai a
carera grande orchestra. A mesa regedora pois, Pr,gal e deixa durante sua ausencia por seus cialmente o corpo di
a estas mamfeslaeoes nao pode deixar de bastantes procuradores Jos Joaqun) Dias hernan
des e Manoel Fernandes da Costa & C.
grata
agradecer-lhes publicamente.
(Vi.lulH l.. i i- f i i 'i ii. i 1 I >'
Consistor.o da irraaodade, 21 de juiho de 1863.
M ir Joao, dem..
..
Lisboa.
Teixeira.
Porto.
D. Camilla.
D. Eugenia.
D. Leopoldina
D. Joanna.
D. Jesuina.
Guimarcs.
Borges.
Peixoto.
Pinto.
auta Rosa.
2 de ba-
mesa de
meio de sala com pedra.
Um toillete com pedra, 1 guarda-roupa, i
par di serpentinas, 1 candelabro, 2 pares
de figuras de
4 ditos de d
eos para enfeites.
MARTINS fara' leilao por mandado do lllm. Sr.
Dr. juiz municipal da segunda v.ra e a requer-
ment do lestamenteiro e invcnlariante dos bens
cima deixados pela finada D. Maria Bernardina
da Conceic/io Lima para pagamento de lecados.
Scgnntla-fcira 24 10 correte
Xa rna da Crm n. 34 segundo
audar, as 11 horas.
Na mesma occasiao sera' vendida a outra meta-
de do sobrado acuna por autorisagao da proprie-
taria.
Attencao.
O senhor que officiosamente se affereceu a um
passageire vindo do norte, incumbindo-se de raaa-
dar enlregar uma carta e com ella alguraas msi-
cas a' Francisco Libanio Colas, de cujas ful porta-
dar lito passageiro, haja de as mandar entregar
quanto antes, pois sao decorridos seis dias da che-
gadado vapor II! So assirn o nao lizer ser res-
ponsabilidado pelo prejuizo que possa resultar da
nao entrega da carta e rausicas, alem de se publi-
conlas, como para a eleico da nova directora, sen-. ^
do que se decidir com qualquer numero de so-
cios, visto que os negocios dessa sociedade assirn o 3
exige
Recife, 21 de julho de 1P63.
Ti ajano Carneiro Leal,
Io secretario.
car por nalt jornai-o norae-do senhor oficioso.
', Jluila lttiicao.
Pede-se ao Sr. cobrador de laxa de es
i cravos que recebe no bairro da Boa-Vista
I o Sr. Antonio Punicenlo do Amaral, te-
S nha a bondade ou de trazer o conheci- jt
ment de 1864 de dita taxa como iraton g
a mais de 9 mezes, por ne-ta data ter re- ^S
cebido o dinheiroadiantado 43 prtencen- %&,
te ao dito anno : dirigindo se agora em H
Santo Amaro na travessa do Lima na
primeira casa de esquina de sota em
dita rua.
Anda se precisa d^ uma ama pa- g| &;?,&&>'& [&*a&M mm^R ^^13
m
m
~ Perdeu se de Olinda fu de Apollo um
embrulho de papel Diario com 380 e tantos mil
ris, sendo 4005 em sedlas de 303 e 180 e tantos
mil ris em sedulas de diversas qnantias : quera
o achou, tendo conscienci.i. levo a rua cima, casa
do Sr. Pinto, que dar 1003 de graliflcacap.
ra cosinhar, lavar, engommar e fa-
zer todo o servico de uma casa de
pouca familia exceptuando-se com-
prar na rua*: na rua das Cruzes n.
n. 37, primeiro andar, sendo pes-
soa de bons costumes e se pagar o
que se ajusiar.
i4W4^a
TTOl
Perdeu-se na rua da Aurora, Imperador, ou pon
te de ferro de Santa Isabel, um alfloele de ouro
com caita, contendo cabellos de pessoa a quem se
co-sagra amiade, tendo par Isso um valor inapre-
ciavel aquelle alflnete : a pessoa que o tiver adia-
do e queira restituido, alem de so^ Ihe agradecer,
sera' recompensada : na rua do Crespo, loja n. 4.
.:J rahiba do Norte, declara >
*s* animncio que tem corrido impres- m
. '.. so neslejorn 1 assignadnO bu- t<
^ co da Paraliiba nao se refere a g.
sua pessoa, e provuca ao autor i
mesmo annuncin para que diga <>
er.utrario.
Jos Franci-co P-droso de Carvalh. t^m t
honra de participar ao respeiiavi-l publico, e-i-
*-ns ami-
gos e fregueiesagricultores de alg di ; ipiede ra
! em diante o acharan amtala pan aaaat t as siua
i ordens em seu novo estatielecimenlo de i-r-asa !
algodo, silo no largo da AssemWea. g\nrvlo a tir-
ma sobre PeJro-o de Carv.ilho A C, en lo ger^nl.;
! do estiibelecimento o seu 1* ran-ir. Mare. bao An-
tonio Alves de Carvalno, prendo *te a-sigiur -
1 das e qua.-iuer transacees e pap trajate a
dito negocio.__________________________________
Escravos fgidos.
Ao amaohecer do dia 16 do e irreaee rn^x *#-
ram oj escravos Mgoaaaai : Theodoro. prk> *.
naQ.io, alio, cheio do corpo, man* aV M aom^-
barba bastante rente, falla rusto-a, e ijoa* pr1-
nuneia as palavra,os labios .jue -io %r mem alguma censa, tem so bramv do* oihon pr>-
cipios de raraasidade ; Viri***, .:
puuco claro e algoina ruii-a pahlo, aar, ato-
ra regular, tem manas de b^a'f.i* a upiab* aa
rosto, os dentes binaJo% as pernas cvw *a *
e larg.s cieatnz.s. e anda ron qurn a-a t.a*
nos pes : quem os apprehender qonra !e*a-"^ t
seu senhor em a rna da Aurora a. -H. ma m
qrfe ser bem recompensado.
Os Srs. Isaac F.*uai>, Justino J.r*; t.l0
Antonio Joode S.>oia Piatoe .\ato.ii
de Miranda, tem caria ao escriaaarw;te Xar;:
Barros & C.; anan. do commercio a . T>


>
Ti. r-A
1%


f.
Diarlo de Peraanbaco ... Safcfeado de -Jullio de 18&.
PHOTHOGRAPHIA ARTSTICA

do
DE
25 Ba Nova ^esquina da Gamboa do Oarmo) 25.
Os proprjetarios deste estabdecimerto, desejando salisfazer os numerosos .pedidos de seus frecuezes acaham M r4ttr
m.s &ttJtt&Sr&m ^ ^ ^ EUF U ^ ^'tSS; u^Oade de^ne^so^ para YeuXs"So ^^^^^-^^^g^
' i D. Helena Maria Cavalcanti d* buque
Os mesmos aproveit^m a oceasio para prevenir ao publico e recordar aos-eeus
i AOgo ao ar.
No armazem Adula amarella no oilaoda secie-
i tana da polica, rttehemso encommendas de fogo
.do ar para dentro afora da provincia.
Pugio na noits 4e irpara~20 do correte
mez, do sitio do Sr. DiUugusto F. de Oliveira na
ponte de Uchoa, o sea ieravo de nome Luir, qua-
si que tinaco, rendo no k-to marcas de bexigas
bcm vislveis, cabello anndbdo. bUxo reforradn r*;*,,, .* "
bem fallante e dexerca d? anuos deTdSe Je" ^ "ft^' *
vou camisa de baeTa encarnada e chapeo de palha Grons de hn-/w.e h. i
novo, suppoe se qu vagueia feu c,dade do Reci- de?na a i / ^ *ateado*
fe ou pelas suas circunivisinhaVas : quem o ao- DMmJ. \
prehender e levar ao sobredito sL ou ao Mcri-1 Pecs h **""* 1* *V ******
torio da.pnca do Corpo Sao n\ ortaelm I ^rs "<* Uc IMS e "*
Escoras floissimai para lircpar de ai.
merque,
Rival sem secundo
Ra do Quf miado m. 49 e55, U ele
miudezas lie tres portas, e( saei-
mando lodo btn e barat >, eim -
zer ver e admirar venias k e
Biptnfet.

izade, u seu ella lis* t,
un*
horas da raanbaa fe 4 da tarde sobre todos os pontos, tanto pela rapidez da operaco, como pela commodidade das pessoas pel C0Dtran0 io1 entre nuvens mil vezes preferivel & Une, no valor de 900 e tamil* milr\ deqe| Si? c * e?,rt,U4 * ">
,1p Qno f? n^Tnll^i6 peSSaS fC/e.m Visilad0 este estabeloeimenlo nestes dous anuos em que se achara estabelen.los
cle<,900 a 7,000, e para elles urna jaranita futura. dos!o am sp. anniinnm m,i..c ,w .. ,Zj_ .__T ?siaeieudos
Enjilli.
areiion urna letra em favor dos meamos, pWvne a Calas con col, heles kan .u^r,r
garanta futura, poslo que se 4iS".^ C,dade' e ('ue nSo sei' ^^nos de cerca ^JT-*~2SS^?!t- \ ->l--S--
Arrendase o engeoho Jussarde Sant'Anna sito
na freguezia de Ipojwa ligua e meia distante das
estacoes da Escada e Ipojuca, com teiras de var-
gensde massap para se sarrejar em grande es-
cala ; a tratar no pateo A) Livramento n. 83, com
o_Dr. Ignacio^ery da Fooseca.
Perdeu-se no dia 16 do corrente~de>:d~a" ra
iNova al o ccnvenlo do Carino um peda?o de orna
OU de ouro de orna .pulseira de jarreteira, sendo
provavel ler sido na occasiao do Te-Deum : quera
achou e qoizer restitoir, dirija-se a ra do Cabu-
ga n. 7, onde ser ratificado.
MA GRANDE DESCOBERTA
Na ra dos
um cso para alugar-se
Pires n. 5& ha
Aluga-se urna escrava crioola, pioea'dia,
com mutto lene; } muito <^rinhosa para criancas:
q"Pm a precisar dirija-se a ra Formosa n. 17.
RETHATOS.
Encontram-se retrulos do major Pedro AITuoso e
do Sr. Dr. Medeiros, bispo noineado para l'ernam-
buco: asim como pho logra pifas da corveta enco-
rajadaBrasil-na phologtapliia ra do Cabug
n. 18.
Machiiiista do
az
Visto a companhia nao en!'arr->gar-se mais de
mandar collocar iocanaraerrto algum por sua con-
la, por isso o abaixo assignado oeroce ao respei-
tavei publico os servicos de sua arte, tanto para |
collocar gaz novo, como para eonrertar, iwr menos I
do que outro qualquer : pira isto bastante diri-1
girem-se ou mandarem seus bilhets indicando a
ra e numero da casa, na ra Augusta n. 57. que
sero iminedialaraeute a Hendidos.
^_____ Joo Dormeliy uaior.
Tendose extraviado do abaixo assignado um
saque a seu favor da quantia de 6805^00 pas-ado
a 15 das de vista, a vencer-se no dia 2-5 do cor-
rente, pelos Srs. Moreira & Primo, de Mamangua-
pe aceito pelo Sr. Joo Pereira Moutinho desta
cidade, pede o abaixo assignado o obsequio de quem
Ihe aehar levar pra^a-da Independencia ns. 36 e
38 o referido saque, visto que est prevenido o
aceitace. Recite 21 de julho de 1865.
Severiano Uandeira de Mello.
Ir.
.da b*sa
REDALHI
DE
HONRA
'-S-..-- :/'-''*'**,
n k a gUe as,re,erldas 'ida* queVram Tinleiro de barro, e*a soperior t,..'i a
o ob'ecto da mestna letra) foram lomadas de seu 'Peca de coruao para xZtl ,
I poder de ordem do juiz do cummercio da cidsde I 20 rs. ^ "* **
r^i!aLC'e'f r^lueriment0 dos credores da ma^sa Baralhos muito finos para ruarte -i *.
fallida de Joo Baplista Goncalves Bastos, que as! 240 rs. Jarie a W9
havia cedido a Abrcu & Lins para vende-las como i Frascos com agua de Florida a IX m tae*a
suas ; e ao mesmo lempo protesta usar dos meios I Frascos coa
legaes para invalidar semelhante transacgao.
Deseja se rallar ao Sr. Jo.- Ttiomaz dos San-
los, senlior que diz ser de um ehio da casa da ra
da Gloria n. 196, ou a seus herdeiros, visto que
apparece um outro reclamando esse chao : quem
direito tiver. apparega na na das Cruzes, sobrade
, n. 9, das 9 horas at o muio da.
i MMIM banbas i TAAj t r. +L
i banna, perm p^ataot a M
n.
\"m\
m^n^P'edailr ncdic',es d0 ole" de fi9*do de bacalao forao unani-
Znl* re,",Jc'd- M" x> ebeire e seo al>or to desagradave s
osn,ais^U,?ls,lC"LmU'laS Ve71S nPOve!,,mesmo aos eftomag
os mais robustos c aos mais condescentes
Por isa* i dcscoberta do Snr. Chbvbier que Ihe pcrmetlio de
desinfcc ar rnteiramentc o oleo de ligado de bacalhao seml cr suas
{BSLfrALtum dos ",ais fclizes problomas reso,vr S
O oleo deiigado de bacalhao desinfectado de Cfaevrier
em um chaire agradavel e um sabor asscarado, o nico que nao
Olijccto de numerosos relatnos scientificos elle aoza cm Franca
de urna fama bem merecida, c 6 receitado por todo? os medico? cS
lugar do Oleo de ligado de bacalhao ordinario. Tenck. TSEZ
propriedades do oteo de figado de bacalhau ordinario/usa se^dVl"
nos mesmos casos isto 6 as :
MoU-sc.n CHCi Uflllu-ilM,
Uacliili.,,..,,
<>liiriu-4-:!o lia KlandrN,
Ti tira pulmonar,
>i >ii-KiiiM 4a pnllc,
Conatllulrao lympliatiea,
Anemia, )lsn-/.u,
Pobrrza do xangue,
i:riiriu.i..|,io por exeeaao de
trabalho ou de pruzerrn,
Mol.-.iias do* bronehloa reeeu-
lea ou cbronlcaa,
Toaaea pertinasea,
Gaatritea, Raa(ralf;laa,
Dorca de catoraago.
Elle convem a lodas as compleicocs e a todas as idades, e tomada
fcilmente pelas pessoas as mais delicadas. Elle 6 um poderoso socorro
para a alimenlacao das enancas fracas e doentes.
O Oleo de ligado de bacalhau desinfectado ferruginoso de
Chevrier constitue o meltior meio de administrar o ferro. O
ioduro de ferro reunido com o oleo de ligado de bacalhau
augmenta a aeco lio efficaz d'este ultimo, se dissolve mais
fcilmente nos lquidos das vias digestivas, se assimila muito
mais bem do que quando tomado sob a forma de pilulas,
xaropes, etc., enfim perde suas propriedades irritantes e nao
provoca a constipaco.
As pessoas as mais delicadas que nao podem supportar as
preparares ferruginosas ordinarias, as quaes, principalmente
nos paizes quemes, tem muitas vezes grandes inconvenientes,
poderao com a nova descoberta do Snr. Chevrier, usar do ferro,
um dos mais poderosos agentes therapeucos, tomando-o unido'
ao oleo de ligado de bacalhau.
O oleo de figado de bacalhau desinfectado ferruginoso de
Chevrier, se emprega em todos os casos que o ferro acon-
sejado ; julgamos intil de os enumerar,
e contera as observares medicaes.
COMPRAS.
Comprase efectivamente ouro e
obras volitas, pagando-se bem
Rosario n. 2i, loja de ourives.
Silvino Guilberme de Danos compra e ven-
de eBeeUvameote escravos de ambos os sexos :
ra do Imperador n. 79, terceiro andar.
Ouro e praa
em obras velhas : eompra-se na praca da Inde-
pendeocia n. 22, loja ue bilhetes.
Coropra-se ouro, prata e pedras~preciosas,
em obras velhas : na ra da Cadea do Recifi
leja de ourives no arco da Conceicao.
Compram-se libras esterlinas
praga da Independencia ri. 22.
Compram-se libras esterlinas
Crespo n. 16, prtmeiro andar.
Frascos
O n.
Latas com superior Innha a 2O0 n
fraseos .lo macaca pcrula u.u.lo lino a z"0
ST Sralnh..s coru afBB -
rVuyjgrandes com soptrior agua de O
Frascos com superior oleo de talota ,M,
____^iViw"'" ,3tnscoide ,he'fw ami' ***
prata em **%* Peiluenoi le bolla a 140 rs. e graades
na ra larga do ^^ ^ ^ g m ^ ^
-----_----------- uza d* MboBrtes ptgutmm com rbeiroa70f n.
Agua deniiflcc suprior qualidade a MX rs.
i-aixas com sapersM |. de arroz a u> rt.
i .de ;uPeri<""'is essencus sanu e oolrc- a
1*200.
*mS Cm "* para tirar oodoas de roe*
3 mju rs.
F"iOe 320 'her0S dC l0*rt "''"'P* ,W.
Frascos benitos com cheiros fios a JO r.
ii*oo ",eias mu't0 flDas "" " *
Golnhas muilo finas para senhora a 200 rs.
UaiSM com svldados de chumbo para -actuaos
S'v ' .,heres de-nv,al pin ch * "
iH. dita d.to para sopa, Uzeada boa a JJC4M).

V,
a 9 00, na
na ra do
obre, laloechumbo.
Com ra-se cobre, latao e chumbo : no armazem i.l"S t 2S?sH!! ''5rf 9"*1* a
da bola amarella, no oiio da secretaria de po- 1 " para debrnai 'estidV, co
r * viral a ooo rs.
Ditas de bicos
licia.
Compra-se um sellim em meio uso : na ra 800 rs.
de Santa Thereza n. 38
superiores, para acabar a 030*
l'LTOI TEDICO-CIRIRGICO
DO
DR. PEDRO DE AtTAHYDE LOBO V10SCOSO
KDICO. PAR1HIHO E OP^ADOll^^
n n iT a d? <3l0m' CaSa d0 Fmi^ 3
Pliarmacia especial homeopathiea
Carteiras de 12 tubos grandes. |000 seuinles-
" de 24 tubos grandes. 18000
de 36 tubos grandes. 24^000
de 48 tudos grandes. b^uoo
de 60 tubos gran Jes. 33-5000
que seSE""-1 qU qUCr Cartera Cnfrme pedd0 ^ue se *> cora os remedios
Um tubo axulso ou frasco de tintura de.raeia onca 15000
Sendo para cima tb i2 custarao os precos estabelecidos para as carleiras
Ha tubos mais pequeos cada um a 500 ris ca lenas.
dousg^r^^s^KS' "rrt,e Mcdicina Horaeopat,i- d ^
Medicina domestica do r. Hering ....... infn a
. Repertorio do Dr. Mello Moraes ..... S3H
Diccionario de termos de medicina .......... S2JS
S^l^^S^I^ sno Pr nais conWido's e dspensanfpo?
3 remedios
globos de
tadoseslabelecimentos europeos, a mais exacta e acurada pr
energa e cer.'cza em seus efleitos.
Um folleto accompanha cada vidro
Deposito em Pariz, na pharmacia de Chevrier, e em todas as boa ph'armacias de FranCa e do estrangeiro.
Deposito geral eraPernambuco ra da Cruz n. 22 em casa de Caros & Barbosa.
Podras de loosa para meninos a ICO r*
Lompra-se urna casa terrea propria para fa- ,xas de lamparinas para 3 mews a J rs
milia: a tratar no pateo de S. Pedro, casa n. 6 }u.necO ' choro e panno a ICO r
segundo andar, Laixas eom boaitta eslampas para rar . a I
Capachos coaurMof, boa fazenda a ion r-
VENDAS.
Grosas de tioioes
100 rs.
a ICO r.
-niia a 00 r-
pe.juenos prelos para Oji a
A NACIONAL
Companhia geral hespanhola de seguros mutuos
sobre a vida
AUTOIUSADA PELO REAL DECRETO DE 21 DE DEZEMBRO DE 1859
ma liauca em dinheiro, depositado nos cofres do estado, garaute a boa da
i 0 castello de Grasville.
Traduzido do francez por A. J. C. da Cruz.
Vende-se este bello romance em quatr
i tomos pelo baratissimo prego de 3O0C
ua praca da Independencia, livraria ns.
16 e 8.
I Todas estas rateadas para liquidar, pw
. esta em perfeito estado, ifto ganle o do* e
iniinstr.icao da companhia.
BANQEIROS DA COMPANHIA
DIRECQO GERAL
Madrid : Ra do Prado n. 19
sobre aEv'daC.mpanha lga pel sys,ema h,utao ,oda5as ^mbinacSes de superviencia dos
O Banco de Hespauha
tabeleci palo.
LOJA OTKMrfLOR
ta ra i!o Qucimado n fi3.
Tendo recubido um soriimento de born-
eas de choro, que chamara papai e maaSi
cora cabelieira de cachos.
Tendo recebido um variado sortimento de
brinquedos para meninos, sendo espadas,
los
A este estabelecimeuto chegou honlem nova re- Janlar de porcelana e de metal DOrla^inar
sf h .br?s de \me e gesla' alui M acliam ao! e faquinlias a 280rs. o par e nVnii*r.
alcance de todos ***** para os res ,-nas- do continuar, vende malbaratoZ JbTS
DEPOSITO
de pao e cestas, ra largado Rosario espingardas,1" psioSTiam'Se's Tll
numero 30 | Para meninas: apparelhos de airarlo e ti
l culos, bercos de palha, alguns destes de cabeceira
coberla, balaios ou voadores para criaucas apren-
derem a andar, cestas Tinas de meninas de encola
eiifiar no braco, cadeiras de vimo hranco nara as
viagens nos vapores
outra qoalquer. parle.
Vende-se liras bordadas de dilTerenles
No lim de o annos.
de 10
de lo
de 20
de 23
Xas idades minores da 3 anuos e
1:1195300
3:9425600
11:2085200
30:2565000
80:3315000
bordar de diferas
claras a 7 > a l,ra, es-
- Jacaranda a 20500.
, unos brancosde diversos Umanlws, caismh
para postura e criaco de canarios do imperio, ba- para esfrijus de navalha
s gigas de y7n a l* dlt0s ,ie difTercn es aaWaja,
lalos eos-1' giavalinbas para senhora de direren-
tabel
acreili-
reparaco, e portanto a maior
Casa de saude para escravos
Recebe-se escravos para tratar de qualquer enfer
ESTRADA DE FERRO DO RECIPE AO lS FR ANfsrsrn n,VeDdlse,um " m*
fo 21 Ao iiilliu iIa 4 0C ,*/v xaajvxa.xj n.\j o, IXA.L\\jL\j\j\) naroadoImperadojn.il
de jullio de 186o ate ou tro aviso, a partida d-s treus de pa.^sageiros k aPoi.o u. ,8, adea, t
ser rciiula'ia pela tabella seguinle
para criadas (ama-) fazerem as compra*
vime grosso para padana ; estes sorUmols C0$-| "ni1as g'"
; tnmaraos recebe los de tres ern tres mezes, suffl-' tes gostos.
' S2BT de qUC S VendcmS a prc50S muito Colhere. de mola I prterlpr.
------I Vende-se colheres de metal principe para
tirar soupa a 2.5, ditas para cha a 25300
a tratar (litis para soupa a 4.5200 a duzia: nest
I lojai se encontrar sempre um grande e w-
lusti ntenlos
: era vas mogas com habilidades.
ARA o ivn:non

\
doentes.
Paga-se 2,5 por dia durante CO dias e d'ahi em diante 15500
razoave-: Zt^Z^ZS^S?^' W ^ W **" "** " W-
Camas [de ferro.
Grande sortimenlo das melhores que ha no mer-
cado : na ra .Nova n. 33.
I KETRATSTAS 1
1 Firmiuo&Lius Sj
5K Novoeslabclfcimcntoderefra-
ESTACOES
Mmm mmmm.
O Dr. Carollno Francisco de Lima San- H
| tos contina a morar na ra do Impera-
dorn. 17, segundo andar, tendo alias sen 38
gabinete de consultas medicas, loao ao m
Jp entrar, no primeiro. mk
m O mesmo doulor, que se tem dado ao
K estado lauto das opcracSes como das mo- y&
mi lesnas internas, presta se a qualquer cha- S
S madn; 'lUt'r par- dentro quer para fra Wt
**-.ova,,3,,. m'wmwS
jai* sr -- l "'"mSsa"*1
Cinco Ponas
Afogados .
Boa Viagem .
Prazeres .
Ilha .
Cabo .
Ipojuca. .
01 i ma. ,
Timb Assii .
Escada . ,
Frexeiras .
Aripib. ,
Ribcirilo .
Gameleira .
Cuyambuca .
Agua Preta .
Una. .
Das de trabalho
domingos c dias
sanios
MVXHAA
ll
dentista
Tiram retratos todos os dias, das 7 horas
da manhaa as 5 da tarde, quer chova ou
nao.
Tambera se offerecem para tirar retra-
AG ENCA DA
Fundido de tLow Tloor.
| Machinas a vapor de 4 e G cavallos.
Moendas e meias moendas nara engenho.
" VC lan'"ern se otrerecem para tirar reir- < uucuu" c uieidb oioenuas para engenho.
m ios de pessoas fallecidas, dentro ou fra JfiTaixas de ferro coado e balido para ene-
JB aa cidade. Sffisl nl)0, "
S! Os annnnclantes desejando acreditar o P* \
* seu e-tabelecimenlo, parantem ao publico ffl: a FPr , a ,
que ni-nhum trabalho sahira de sua offlcl- ^ Arreis d carro para um e dous cavallos.
9
9
9
9
9
10
10
12
I-'
la
1
1
1
I
2
l
Al.
TARDB
6
18
24
50
10
24
l.j
30
20
40
20
40
II.
M.
DO INTERIOR
ESTAgES
20
28
:-2
10
Una. .
Agua Prela.
Cuyambuca.
Gameleira .
Ribcirao. ..
Aripib.. ..
Frexeiras ..
Escada....
Timb Ass
Olinda ....
Ipojuca.. ..
Cabo.....
Ilha......
Prazeres. ..
Boa Viagem
Afogados ..
Cinco Ponas
ias de trabalho e
domingos e dias
santos.
MANHAA
n. I M.
TAROI
II.
50
8
32
40
52
8
8
9
9
9
10
10
10
11
12
12
12
1
i
I
1
M.
A Uenco.
Vendem-se gigos de batatas a 500 rs.: na ra
da Concordia n. 33._______
Novas gementes le borla lie*.
Chegaramuouliimo
ropa, novas Matales
cida loja de ferragens
do Recife n. 56 A.
tres es-: nado soriimento de miudeas: ra do Qnei-
mado n. G3, loja do beija-flor.
Acha-se
a venda na livraria acadmica, na roa do Impera-
dor; na do Sr. .Nogueir, jnnio ao arco de >
; e na lypographia imparrial, na rna
,o vapor francez viudo da Eu- .re.ia do'llosarij aT^rf aci"'da ^.7e1,Sa
'-ln","'^' na bT *>"** teneoJfl a ^inisiraca'o, arrecada,", TS-
t de Bastos, na ra da Cadeia j saCao dos dinheiros d crpl.aos difuntos l ao-en-
25
Novidade.
ma-
quem precisar
Vendem-se
batatas.
excellentes batata^
pelo diminuro
G.j M"nn, engenheiro e superintendente interino.
HE
DE
v J- VIGNES.
tes, herancas Jacenles, legados, etc.. cntend, m,
so o regiment de cusas e a lei geral das ex-co-
coes, como lambem todas as orden. aMts do
sedinha* de quadrinhos em perfeito estado fi- overno, que a ludo tem explicado, tanto a repfi-
renda mu propria para bailes e theatros pelo i daf obr'g;,cSes iuherentes ao ana dos diffierea-
icenvel prego de 600 rs. o covado, laazinhas i,es emP"gados de jostica e farenda, como do< di-
-J.de quadrinhos-escuro a 260 rs. o covado. ba- '"'osnacionaes e emolumentos que .t* rUai
2 loes de 20 a 2o arcos a 5300 aproveitem que Es,e llvro ^^^o mais de 700 paginas em ntida
pee hincha :.so na ra do Queiraado n. 17 ao D ; ""Prcssao c bom papei, c prestndose a otilidad*
w da botica. Do-se amostras. r I de dilTerenles classes, tornase recommendav.L
-i "aThinas para costurar obras linas.' SoT^ **** "* ","nf!ar =
181 Vende-se una muito nova e que pelo seu
38 chlnismo se torna reconimendavel : qi
17 Sr56 3 fUa NVa C' 10, ',Ue aC"ara Cm ']Uem Pre^ de 40 r?- K. e **< *** m
23 ~-------------------__________________ abatimenio : no armazem do Sr, zttrdo defronte
. Vende se um preto crioulo, bem moco : no da cadiulia da alfandega.
45 Pateo do Tergo n. 141.___________'
| Vende se a roeUde da rasa terrea n. 31 da
ra do Itoin Jess das Crioulas (boje ra dos
Quarteis) por mdico preco : na ra larga do Ro-
sario n. 17.
Farinha de mandioca : lem para vender Au
tonlo Luiz de Oliveira Azevedo C, no seu es-
criptorio ra da Cruz u. 1.
Vende-se um carro de carregar gneros da
alandega, com uso, e todos o? pertences de outro
igual, ludo por preco muito coinmodo : a tratar
no pateo de S. Pedro n. 4.
J
Guarda vkis.
Urna pessoa compeientemente habilitada enere-
ce-se aos Srs. commerciantes para cucarregar-s
..de qualquer escrlpturacao por partida simple^ ou
Abrada rom perfeica e preco cornmodo : para
Inrormacoes a ra da Fmperatnz n. 39
andar.
Motores para ditos.
Machinas de costura.
Frontispicio do Carino'
Por motivos poderosos deixa de ter lugar a fesla'
de nossa adorada Slai do Dons do Carmo do fren-
li-picio, oo dia 23 do correte ; sendo annunciada
onvenientemenie quando tiver lugar a referida S
lr^> 11 Illi'J 6- _;
O abaixo assignado faz publico, que n nijucm
contrate com seu irmo Miguel Arclianjo Seve por
compra alguns de seus bens, visto como trata-se
lerceiro e Ihe dar curador por se ter lomado prodigo pe-
llos seus actos praticados; servindo o presente an-
! nuncio para evitar duvidas futuras.
i Jos Maria|?eve.
mm
O bacharc
Admirem a grande liqui-
dacao
De candieiros a pm por todo areeo a
sross e retallit.
Una da Imperatrlz n. 99.
Farelo
tissimos para o rRa desle mi> SnkLWS e ****'$* n'Dttneale melhoramenios importau-
veis aos M d ajSc,&. M' Sa tmMimu e *>, e Por isso muilo agrada-
cornpofldenle.''^ue 'n,^am,aa^?mfa,'rra eon,, "a d ' B,0Ddel' dc Paris' soci *^S
No mpsmn cth.1-?!.'-;. J u ^ foram semPrp premiados em todas as exposic3es.
_______ rt L,iupa. assim como narmoolcos e manos harmniurns condn m>in j:j. _.. ., ,
Vende-se urna burra de ferro grande .
era perfeito otado e por cornmodo preco :^^n mSSTT. ha,: tar
na ra do Apollo n. w. I qoioa.
------------------------:----------------------- . ~ Vende-se o engenho Jundiahv, cinco" legoas
ScmCnlCS. [distante da cidade do Natal, provincia d> Rw
Vendem-se sementes de hirlallcas muito novas: .:and^1.0 ?**!?,mmmtt e corrente, com 20 i
a_rua da Cadeia n. 50.
Vende-se um escravo
tratar na
ti vos, 20 boU e 20 besUs; asriai "como wmm
lotes de Ierra, propria para a rultnn ti algmlo e
pregos commodose razoavels.
harmnicos e pianos harmnicos, sendo ludo vendido por
n?X? K qDe j1 f0 de 5* n.iaioc' e mais duai faiendas de gado n-, Puten-
ruajlo Mondego, olana n. 13 gi e Cear-meirim, na mesma proriii tarta%z.
das se elecluarao a prasos, mediante boas ua** -
quem pretender dirlja-su aquella provincia a Ira-
lar com Fabricio & C.
Attencao,
no se-
Alega-se a loja do sobrado n. 17 da ra da
Imperalnr, com bons coinmados : a tratar
gundo andar do mesmo.
Aluga-se una enrav muilo fiel para servico
de casa e ra : na ra do Imperador n. 50,terceiro
andar.
Francisco Augusto da Costa
ADV6GAD0
Ra do Imperador numero 69.
twmtmmmi
O solo da casa n. 66 da ra de Haras per-
lence a irmandade de S. Pedro.
v ATTElfCAO I Alunase
No cMaleiecimenio de molhados silo a rna Di-'nmo.,- ' '
r-ita n. 6, acham se desde o dia 18 do crrente 10 na camlna da Lasa Forte, com duas ca-
barricas com bolacliinlia ingleza uno vieram r.nr isas'.un,,1.a em'l."e moroU o fallecido Thomaz de
ngano com destino a esia casa.
Vende-se urna serrazinha circular, cora motor
com a qual se pode usar para Turar e tornear os
preteudeoles podem ve-la fonecionar na fabrica
de carros de F. Poirir, na ra da Imperalrlz nu-
mero o'5.
rjiio vieram
A pessoa que se
|Pse I A,|uin enseca Jnior, feita a moderna,ecomen-
julgar ruin direito a ditas barricas que ira ter \ \i}?Las_a_s. i,,Jcom,,nodacoes precisas, e outra com
A t ten cao
bondade de vir busca las pagando a importancia
deste annnncio e o fete que se p.igou aos porta-
dores e dando conhecimenlo de que Ihe perterree.
Aluga-se um preto moco, proprio para loiTo
servico : quem precisar di rija-se a ra #s Pires
numero 39.
boas commodidades para qualquer ramilia
ra do Vigario n. 19, primeiro andar.
na
Aluga-se
Na ra Nova n. 47 ha para alugar uoi moleque
lUgoaj cozinha e engomma.
Vende-se excellentes torradas de po-de-l, de
gommadeararuta, ptimas para dieta e regalo a
Va lata : no armazem da Estrella, largo do Pa-
raizo n. 14.
~ Vende-se urna linda parelha de caval-
los j esperimentados para carro e cabrio-
Caiungas Qnos e hrluquedos
para meninos.
l-hegaram para a loja de miuderas da rna do
Queunado n. 69, os mais tinos e lindos calaacas
tanto para brinquedo de meninos romo para cima
de mesa : na rnesma loja se encontrara bom sor-
iimento de miudezis.
Vinho do Porto superior em caixa de duzia
tem para vender Antonio Luir de Oliveira Azctc-
do A C, no sen escriptorio roa da Crti a. I.
Potassa da Kssir
let: a- tratar na praca do capim cocbeiraiTnoa, e so-per!,orx. veDde-! " eseriaior
od Sr. Leopoldino Silva. ISrS&ioTw. & F"b>' **>m

I


Diario de pernambuco abbado se le fulo de ltt&.
C


PILULAS CATHAltriCAS DE AVER.
Estas pilulas vegelaes sao a-
daptadas a todos os usos de um
^purgante mis familias, pois se
^perfeitamente innocentes, e em
quanlo milhares de pessoas con-
fessam com gratidao que foram
curadas por ellas de molestias
severas e perigosas;nao ha
Grande Uquida/<> a dinheiro.
k\aljacai-n/m(lyl,avad-
Rua da lmper/r,z u- eo de Ca-
.__> Silva.
iaa
Os dones dete e;7eleciraent0 em resolvido li-
quidar suas faieud;Pr P"SS ^ratissimo?, s
cora o flm de api'1" dlnneiro> previnem as pes-
soas que negoci;" e,n Pe das niie uesla,ja e armazem encontrante nm
grande sorthiy10 |lr l'reC0S que muil llics ha0
um so caso em que naja suspei- de agradar r" em i,eSa como a re'aln> a sa-
tas do mais leve resultado inju- ber

noso por seu uso.
Publicamos aqui
alguns dos
Chitas largas a 200 rs.
Vendefse cmlas francezas, listradas muilo lar-
as pac003 escuros, pelo barato prego de 00
rs.
attestados que temos "de curas fv^;iendo muito'bom panno'; ditas e
o
a
notareis feitas ltimamente.
Um caso notavel de
Aflecto ehrouica do figado.
Illm. Su.
Juiz de Fura, 17 de fevereiro de 1864.
Tendo feilo uso das pilulas cathartica'|
de Ayer, que me fez favor de dar um V', probos pa senboras, sendo dos mais rnodernus |
dro tprulo Liradn nm rpsulN.lr, n-Jn n-a- ebeDB feitos que lem vindo ao mercado, tendode;
,. 1 resultado nao espea ^osos tamanhos e de diversos pregos trazendo to-|
das as competentes Titas para apenar. Isto s na
loja do Pavo, ra da Imperatriz d, 60 de Gama
I pdr5 novos, por sercm todas escossezas e cor
I lixa 240 rs. o covado ; ditas miudinhas escuras
e ciras a 240rs.,.ifuaucando se que esta fazenda
n teni o mais pepuenu b que do mofo, nem outro
palquer defeito. Uto .- o Pavao, ua ra da Im-
eratriz n. 60de Gama & Silva.
Espariilkos, na !oja do Paviio.
Vende-se um bonito sorlimcnlo de espartilhos
1
O
r
"1
& Silva.
ttlMRDL1
do ; padecendo ha mais de doze anno?en-l
fermidades do figado e bago, com p uso
das pilulas posso lhe assegurar que estou
bom, pois tendo desapparecido um grnela
engorgitamenlo que soria, muitas dores
sobre a regiao do gado e costas, dores de
cabega, iuchaco do ventre, nao podendo
deitar-me seno do lado direito, isso mes-
mo procurando posicio para ter socego, bo-
je mu acho livre d'esse padecimenlo ; como
por aqui anda as nao luja, eu como tenho
este proprio que de casa, lhe rogo man-
dar-me alguns vidros, e O disto elle lhe sa- j imita^ de sedas pr torea mcutolustro, sendo os
tisfar, assim bem como do charope de padres mais modernos que tem vindo ao mercado
rwvia me tivp nrrasnn di pxnorimpnlar e mnito leveziulias, veudendo-se pelo barato proco,
certja, que uve occasiao de experimentar, de 3,0 r? Q cova(0i cendo razen;) s o \
em um ataque de guellas que teve urna veildu por 6i0 r;. qaida-se por este barato'
preta que com elle curei, fago USO d'elles prego na loja e armazem do Pavao, na ra da Ira-1
as tosses em minha familia sempre em: peratnz n. 60, d- Gama & Silva.
bom resultado, e por iss;o que peco para Lencinlios psra roo a 240 i'S., na loja
il
Laazinhas a 320.
Lazinhas a 320.
Laazinhas a 320.
Chegaram para a leja do Pavao as mais bonitas,
laazinhas suissas de qnadrinhos e listrazinhas a
man.I ir alguns frasquinlios, e mesmo as pi-
lulas pude montar a doze, poique tenho
feilo uso d'ellas para uso da familia e al-
gumas pessoas, ia d i ,mt e g e
resul.ado; sou btdoorojoandeoda
De V. S. attensgPs.ar
Francisco FF.imEArEiuit
lUieiiinalismo e ataques betiiorrlioidaps.
Illm. Sr.
Onro-Prcto, 30 de marco de 1864.
Posso certificar-lhe que as pilulas ca-
tharticas do Or. Ayer sao excellentes, pois
que solfrendo eu dores pelo corpo, e que
suppunba ser rheumatismo, (molestia esta
queja havia soffrido fea annos1) e soffrendo Silv8'
do Pavo.
Vendtm se finissimos lengos brancos com duas
cercaduras, sendo urna de cordo e oulra de eores
matizada-, muito linos, a imilagao de linho, pelo
barato prego de 25800 a duza, ou 240 rs. cada
um : isto s na loja e armazem do Pavao, na ra
da Imperatriz n 60, de Gama & Silva.
Laazinhas a 300 rs.
Laazinhas a 300 rs.
Laazinhas a 300 rs.
Vende-se um bonito sorlimento de laazinhas pro-
prias para vestidos e soutem arques por serem li-
sas e de quadrinhos pelo barato prego de 300 rs. o
covado, sendo fazenda que sempre se vendeu a
500 rs. o covado, e vende-se a dinheiro a vista pe-
lo baratissimo prego de 300 rs. o covado : na loja
do Pavo ra da Imperatriz n. 60 de Gama &
Pelerinas a 1?)G00.
tamben de ataques heraorrhoidaes, e de
nm rinvin nais/tiM *l ii nnitr-n nnvia a Vendem-se as mais ricas pelerinas ou romeiras
um OiiMOO. pois que ate ja pouco omia, e de raiij,r)(ia bordadas proprlas para hombros de
acom|.aohado de una dorno quetxo, con- senhura pelo baratissimo prego de 15600: na ra
sullei a um dos nossos mdicos, e este me
disse que devia fazer uso da salsa ; porm
lendo eu o almanack do mesmo doutor,
compvei em sua casa um vidrinho das mes-
ca Imperatriz n. 60, loja de Gama & Silva.
Grgandy a 240 rs. o covado.
na loja do Pavo.
Veedem-se as mais bonitas cassas organdys, pa-
mas pilulas e por minha conta prracipiei a i lTs m udos e ran?es> Pdo barassimo prego le
tnrn las p tom fimlir a,-hn mo cornac 2i0 TS- covado (doie vmtens), esta pechincha
toraa-ias, e sem a nnansar acho-me t.em as icAba.se \ogo : na |0ja 0 Pava0 ra da impera-
dtres pelo corpo ; e sem sentir, sarei do triz n. 60, de Cama & Silva.
ouvido, e mesmo dos ataques bemorrhoi-
daas : portante sao para raim as taes pilu-
las as melhores que tenho experimentado;
isto em abono da verdade. Sou
De V. S.
Amigo certo, venerador e obligado,
O brigadeiro .
JOO RODRIGfES FtU DE CaRVALHO.
Gaslrite.
Ouro-iPrelo, 29 de marre de 1864.
Attesto que tendo feito uso, aconselhado
por um amigo, das pilulas do Dr. Ayer,
quei perfeilamente bom de urna gastrite
que sofria e que privava-me de andar aper-
lado, boje felizmente nada sinto.
Augusto Gllatino de Mello.
Falla de apetite.
Ouro-Preto, 24 de femreiro de 1864.
Sendo eu alfectado do ligado ha muitos
annes, e ltimamente sofl'ri falta de apetite,
aoje dou gracas a Deus por achar-me sao
e perfeito com o uso das pilulas calharticas
do Dr. Ay Antonio B-ento Vieira.
Cotti|iacno, dores de cic-fa.
Oiiro-Preto, 28 de marco de 1864.
Attesto que achando-me atacado de urna
forte constipaco que trouxe-ne dores por
%odo o corpo e na cabeca, sofTri horrivel-
mente por espaco de quatro dias; ento
um amigo aconselhou-me que tomasse pi-
iias cathai'tl;as do Dr. Ayer: com ellas fl-
quei sao-e completamente restabelecido em
Ires dias, de sorte que estou no firme pro-
posito de acmselhar o uso das ditas pilulas
a todas as pessoas que forem aneciadas de
consiipaces.
JrtesTrNHO Josfi da Silva, negociante de fa-
sendas._____________
irrilago do estomago.
Ouro-Preo, 29 de marco de 4864.
Atiesto e jura, se necessario fr, que. sof-
fretidc ha muito tetnpo excessiva irritaco
de efluiago, pco apetite e difficil diges-
tao. l'etla tenho experimentado secsiveis
mellaras depois (fue tenho feito uso das pi-
lulas cfiCbarlicas do Dr Ayer.
ASIOSIO HlOItMOGENES PEREIRA Bt'SA.
LotRjirijat..
Ouro-Prrto, 28 -demarro de 1864.
As pilula- do Dr. Ayer (catharticas), tfo-
ram empregadas com grande vantagem por
mim em urna menina de dez annos -que
soflria de vermes inteslinaes, nolarulo-se
que os symptomas que entao apresentava
eram de molestia bastanti perigosa.
fAYMUNDO Nonato de S. Thiago, pharma-
ee utico.
JltTralgia.
a carta do Illm. Sr. Francisco Alva-
irenga de Azevedo.
Ha mais de sete annos que soffria dores
no nombro e as costas, tomei urna infini-
dade de remedios sem achar alivio algum.
Dr, angustia, tormento sao palavras for-
tes, jMirni nao ex primera o que tenho sof-
frido: ltimamente tomei as pilulas ca-
tharticas do Df, Ayer. S faz oito dias, e es-
tou completamente restabelecido; ha tres
dias que nao sinto a mais leve dr no hom-
bro nem nae costas.
E.ilas pilulas acbara-Kf !i venda as prin-
cipis boticas e drogaras do imperio, e no
Rio de Janeiro, ra Diroda n. 15
Vende-se em Pernambuco:
na pharmaela f raaceva de
P.MAURER & C.
RA NOVA N. 18.
DE
AZEVEDO FLORES
Ra da Gadein do Keeife, esquina da Madre de Deus,
Baloes de arcos 3C00.
Balos com o primeiro arco grosso de 20, 25 e 30 arcos, a vista so far prego.
Baloes de arcos e de pa: no para menihei/Je, 2 a 12 annos a 2$ e 2500,
Chapeos 8& & l.
Chapeos de sol de seda com 12 asteas 8$,
Ditos maiores com 16 asteas 12(. fa
Camisas. '
Camisinhas para senhora a 3^.
Camisas brancas para b/>mem e com peito de cor a l800 cada urna.
Camisas com pregas largas muito superiores a 2)5500.
Camisas de linho a 280 e Ho 0.
Camisas de iinho inglezas a 4l, sao muito superiores.
Camisas de llanella de cores muito finas a 4#.
Cami as de meia superiores, I carlao com 6 camisas iOJk
Chitas.
Cbitas largas a 240 o 280.
Chitas largas escuras finas a 320 rs.
Chitas preclaras superiores a 440 e 500 rs.
Chitas eslreitas a 200 rs. o covado.
Sladapoles.
Madapolo muito fino a 8-> e mais in'erior a 6$, estes pregos 2 valor real da fazenda, quem duvidar venha ver, ha muitas outras qualidades de mada-
poles, assim como o superior madapolo francez para camisas e saias de senboras.
Helas.
Superiores meias cruas para homem. ''
Meias pretas e brancas para senhoras.
Ccronlas.
Superiores ceroulas de linho o melhor que ha.
Ditas de brim de llamburgo feitas na trra.
Ditas de esguio de algodao a 1:>600.
I'aletots.
Paletots saceos de casemira.
dem de brim pardo c brancos muito finos,
dem de alpaka branca muito superior a 5tf.
dem de alpaka pela a 4!.
calcas.
Caigas de brim branco a "l, 6?, 5^ e 4J.
dem de casemira de cores a 7 8 e 10,5.
Colletes.
Cohetes brancos a 25500 e 33.
dem de casemiras de cores e pretas a 4$ e 5.
Vestidos a Mara Pin.
Ricos vestidos de lia com barras modernas eos mais finos que pode haver a 20;?.
Vestidos do mesmo gosto. porm mais simples a 12$ e 149.
Sacos de viagem a 5.
Por estes prepos s vende Azevedo & Flores na loja do
Vendem-se em duziase a reUllio, sabone-j
tes aromticos c [>or pregos commod >s; n;i
ra do Queimado loja d'Aguia Branca n. 8.
Agua ffoilde
para Ungir cabellos.
Alm do chromacomo, acha-se mais aa-
gua Hoik'.e, preparagau inglcza para ttngir
os cabellos, i s pretetidentes comparegain a
ra do Queimado, loja d'Aguia Branca n. 8.
ftonitas catxiitlias
com perfumaras.
A Aguia Branca na ra do Queimado n.
8, recebeu um novo sortimento de perfu-
maras das excellentes qualidades j bem co-
ndecidas, vindo no mesmo bonijas caixinhas
de madeira invernisada, e ouli as de vidro,
todas com finas perfumaras, e mui pro-
prias para prsenles, as qaaes sSo vendidas
por precos CommoduSi na loja d'Aguia Bran-
ca rita do Queimado n. 8.
Toacas de fil enfei
tudas
a 50 rs. cada urna.



Z>E3
MURRAY&LANMN
A agua florida de .Murray & Um
olhada como um artigo de ptnmt u>
tem podido ser igualada pelas ^rej
s mais costosas: consein rr;:-
mo ?ebrmas-e parte da pit-nda a
se ap[ilica.
Sua elli acia 15o delicada, rtn.'
tes sao seus nuilliplicadoa
empregada como arligc de U tt*u
no uso do bando, ou n.m<. uavi<
pello, depois que e lenlia (Vi:
j pata limpar as gengivas ou ai
halMo.
La su-.vidade, biiiho e eiastk k
Vend m-se na ra do Queimado, loja da i couvpleigoe.', dc uic de w I i I
Aguia Branca n. 8.
Bspe ih os do u ra dos
A Agua Branca, recebeu novamente uracasta e ibulces,
grande sortimento de espelhos de difieren- parle onde quer que se appque. Su.
tes qualidades, sendo de mordura domada, ciencia c elegancia sao igi.alm-:
livi.1 a irriiarrio de nijigesordit
Idesappirecer o (Je?agradaTi a;
pannos, das sardas, do i si n|
e d vigor e fu
?
4
tu*-
dita envernisada, outros de dita enven isa-
da com vivos dourados, tendo diversos ta
manhos, at grandes para-salas, e bem as- cursos e asseinhlas noBer .-,
veis nos casos em que teja precc
la como e(imuian(e e aniisepiKo, :.'
sim oulros de artnago com um e dous ps,
e outros com enconsto, todos os quaes se
vendem i or pregas commodos e dinheiro
i
lidades infeccionadas, na alo.va (! :
ferino, assim como um anii' t
te para os desuns camadw r
vista: na ra do Queimado, loja d'Aguia!ou suflbeacio. Preparada Rncataert-' for
Branca n. 8. | Lanman S Kemp, Nova York, a .
Gaors Barbos;:.
Jiii da C. Bravo <;.
Vendem-se no Keeife em casa de Caors
Barboza e Joo da C. Bravo & C.
Tasso lniiA<
Vendciu n .>cu i;i-;i!ati-s i'.:. .'a
,\i!!:>'i;;: i. 8ft.
Licor Uno Caraf-'o i-.:i u-- ..
BRKTANHA DE ROLO A 3000.
lladapoIO entestado a SgOOO.
Ka luja do Pavo
Vendem-se pecas de trelanha de rolo com 10
varas a 35, ditas de madapolo entestado a 3550i',
BfSOO e 4 : na loja do Pavao, ra da Imperatriz
u. 60, de Gama & Silva.
Madapolo com laque de mofo a 5*00 e 7$
Vendem-se superiores pecas de madapolo, ga-
rnmindo-se 20 varos em cada urna, outo brMiorf"
bkj prego de 6*109 e lf> [or lerem um pequeo
Uxiue de mofo que nada val, e pecas de algodao a
45 : na loja do Pavo, ra da Imperatriz n. CO, de
Gama & Silva.
Cortes de casemiras a 25aOO c 3-5
Vendem-se cortes de casemira de ama s cor a
2o00, ditai de qcadrinhosa 35 : na loja do Pa-1 A anl|{.a e bm conr,eCi(>a <0ja fle miudeza^
vao, ra da Imperatriz n. 60 de Gaaa & Silva. | rua do QuejniadG n. 16, acal.a de ser novamente
(".ales a 2000 ; prvida de differentes miudezas, novas e finas (>er-
Vendem-se chales de merino a 2, 25300, 55 e fumarias Inglens c francezas, tuvas de Jouvin, en-
65 : na loja do Pavo. ra da ImpeFatriz n. 60, de feites para senlioras e outros muilo.s dK-ersos arli-
Gama & Silva. ] gos.que com prudencia-e-sis-adez serao patentes ao
Lazidlias-a -20 rs., na loja ou Pavo ;comprador, a Cfoam isso, e a regularidade dos pre-
Vendem-se lac cer e de quadrinh-.is proprias i ara -vestidos de se- oa freguezia.
toras e meninas, pelo baratsimo precD de 220 Antio'n lrin lp lT\llfla'7aC ft
rs. o covado, seudj fazenda que sefv,,re se vendeu -111LJ&a LKJJa uc HUUr/lda a
&fd0erGama &*:a. ^^ lm(,en n* i Y'd I'iirl-i- qranadiuos a ''" ;> Nessa loja vende-se baratamente, alm de mui-
Vendem-se os mais ricos cortes de fazenda de 's outros ol.jectos-os seguinles :
muita phantazia.pcr ser transparentes e tecidos Utas de crysttl,randes e pequeas,
com seda, temi da corte 22 covados, pelo di.nl- Mii Je diversas qualidades.
outo prego de 12a:: nicamente na leja e arma-
Fumo da Babia para
charutos.
Bm papel almas so
pautado com 33 linbas.
A Aguia Branc acaba de receber a sua
encommenda desse bom papel alrnasso, liso
e paulado com 33 linbas.. assim como de
peso, tambem superior o igualmente liso e|
pautado, cem corda imperial, e sem ella, e'
outros pequeos conforme os cima, e pa-;
i quete, tarjado de preto folha grande e pe- ^,
1 quena, etc. Vldr K m |inrtos frt .
Tambem recebeu envelopes correspon- ViobosUmt.
; denles a lodos os tamanhos do papel, tanto
' brancos como tarjados.
| A commodidade dos precos j de todos
! bem conhecida, tima vez que appareca di-
nheiro: na ra do Queimado loja da Aguia
Branca n. 8.
Esponjas finas para rosto
Vendem-se na ra do Queimado, loja da
Aguia Branca n. 8.
Metas de cores
I ara creancas de 6 a 12 mezes.
Vendem-se na ra do Queimado, loja da
Aguia Branca n. 8.
Aspas fortes para baldo, i
Vendem-se na rna do Queimado, loja ,ja
Aguia Branca n. 8.
riwsphoros de seyuranca.
CaXaS lie UOO Mlitas a ICO o.Ja urna.
Vendem-se na ra do Queimado, loja da
.
Santones.
Ghambertin.
Hermilage.
Borgonhe.
Champagne.
Muscatel.
Reino.
Bordeaux.
Cognac
Od Toe.
AzeitePlagniol.
6sm&3=f:
(S- :
t
-
n.
zem do Pavo, ra da Imperatriz n.<60, de Gama
&-fiilva.
Uornouts de remla na loja de Pavo
Chegaram os mais ricos bornouts de renda e se
vendem por barali.-simos precos: na loja e arma-
zem do Pavo, ra da Imperatriz n. 60, de Gama &
Silvc.
Ricas chales prelos derena
Ctegou pelo ultimo vapor francez um grande e
variado sortimento dos mais ricos chales prelos de
renda, -tanto de linho como de seda, endo entre
elies aitos de ponta -redonda a emitafeo de man-
teletes .e muitos com o centro de cor, vende-se
por pre;os muito era cenia por terem sido manda-
dos vire conta propria pelos donos da loja do
Pavo,.ra da Imperatriz n. 60, de Gama A Silva.
Lazinlias (kas a 500 rs.
Vendem-se as mais modernas lazinhas,teado de
todas as cores, pelo barato preco de 500 rs. o co-
vado, tartojtana branca e de cores a 800 rs., fil liso
branco a 800 rs. a vara, cortes de fil brancos lisos
a 65 : na loja do Pavo, ra da Imperatriz a. 60,
de Gama Silva.
CUapcos de sol 4e alpaca
Vendem-se superiores chapeos de sol de alpaca
a 35300, ditos de seda inglezes com 16 aspas a
125 : na loja do Pavo, ra 2 Imperatriz u. (BO,
de Gama & Silva.
Laziukas transparentes i 320.
Vendem-se muito bonitas lauabas transparen- *,&Vi? loja d
tes com palminhas de eda a 320, ditas lisas e de *
varias cores a 220 rs.: na loja do Pavo, ra da
Imperatriz n 60, de Gama & Silva.
Cortes de iasitiatizadas,
Vendem-se bonitos cortes de las matizadas, ten-
do 15 covados cada corte, a 35, ditos Mara Pia .
a 65 e 85: na Ma do Pavo, rna da Emperatriz! deseuhos, e a commodldade dos precos concorrem
Cruzes prandesde pedras falsas.
Alfinetes de mareperola e outras qualidades.
Brincos a balo.
Cintos a traviata.
N. 16 ra do Queimado-
Peonas d'ac, papel e envelopes.
.Na antiga loja de ertudezas a ra do Queimado
16, acha-se um bello sortimento de papel al-
rtwisso greve liso e pautado, prioieira e segunda
sor.'.e, dito de peso liso, pautado e de quadrinhos. e
de differentes qualidades al a que se pode eneon
trar de melhor, dito paquete, dito pequeo em eai-
xinfcas, sendo liso, panudo, de quadrinhos, beira
dourada e tarjado de preto, lendo entre eles al-
guns -que trazera a envelope na mesow folha, o que
aqu4 inteiramente novo. Caixas de envelopes
maiores e menores, e tarjados de preto. Pennas
d'aco inglezas, caligraphicas e outras qualidades,
todas dos afamados fabricantes Perres A C.
.illiLis baratos na ra do Quei-
mado n. 16.
Vendem-se bonitos albuns para 12 retratos a
15500, outfos para 24 a 3J000, e alguns maiores
tambem por Laratos precos.
Luvas de idua a 500 rs. o par.
Apezar de nao serem amigas esto um pouco
mesclarias as luyas de pelica preta e de cores, as
quaes anda servem para a noite, e mesmo para
montara, e vi-ndem-se a 300 rs. o par na ra do
miudms.
l.afivHtttiios e lucos.
Na loja de miudezas a ra do Queimado n. 16,
vende-se bonitos labyrinthos e bicos das Ibas, te-
cidos em grade de llnha o que os torna fortes, e de
nmita duraco, alm de que os novos e agradaveis
Aguia Branca n. 8.
11 Golinias e pan/ios
Vende-se fumo superior de toda as c hnrdidnc rara canlmris
dualidades, a retalho e por Macado, e^, .DOldadas para sen horas,
por precos commodos, no Recite, ra da M i A A^uia Branca da rua do Queimado R.
'liabas e pininos
Resulta pelas experiencias Um bm -3
Franca pelos mais afani:tii' LAS e o \miope de n vnnor.o r\ \' \ 1 .. ,
l. LPINE iO O oplim) M Ii I :;
cos de imi'IUf.ivs o nrnrcsi rrr^ c
pelle, ali1 as mais inveteradas. ai:.i .- ...
ou Moni-IIEA, a BiraiLto. :.s RO : -. ~ 1
Destiif fmtn Pars, ta tan : : .,
LAiiki.onvb, rua Btvrkmt-i' n
Deposito peral em Pernar./. i :; u
Cruz a.2 em uc de Carea iV ;:i,. u
Cacimba
Vendem-se
machinas a:ericanas de serrote, para descarocar
algodao : a rua da Senzala ova n. 42.
Vende-se 40 palmos de terreno na rua da
Concordia
3 horas as S nos dias uteis.
D.&), de Gama & Silva.
KOUhA FEITA
ROUPA FEITA
ROCPA FEITA.
Na toja do Pavo vende-se um grande sortimen-
to da roupas feitas para homem, sendo calcas, pa-
letots e colletes, tanto de panno como de casemiras
pretase de cores ; deixa-se de mencionaros pre-
cos para nao se tornar enfadonho o enuncio,
afiancandO'Se que o respeitavel publico achara um
grande sortimento por baratsimos precos : na
loja e armazem do Pavo, rua da Imperatriz u.
60, de Gama & Silva.______________________
Piche (Jo gaze verniz do gaz.
Vendc-se piche do gaz, verniz do gaz e estopa
da trra : ao armazem da bola amare I la, no oito
da secretarla da polica.
Atteiicao.
Vende-se o deposito da rua Nova n. 6', bem
afreguezado e Lem sonido : a tratar na rua do Li-
vramepto n. 34.______________
Palitos de fogo a 2$ a groza para li-
quidar.
Chegaram excellentes palitos de fogo e vnde-
se pelo baratissimo preco de 25 a groza: na rua
para a boa extractan d'elles, tanto mais quanto
Hles nunca tHo desnecessarios em casas de fami-
lias, pelo que (iodem dirigirse a rua do Queimado
n. 10, loja de miudezas.
Rua do Queimado n. 16, an-
tiga loja de miudezas.
Essa loja j lao conhecida, renovou e melhoron
o seu sortimento de perfumaras, onde os preten-
dentes podem encontrar de novo e bom.
leos philocome, snperfine e babosa.
Banha fina em frascos c latas.
Extractos finos inglezes e franeezes.
Agua da coronia e florida.
Opiata e poz para den'cs.
Extracto de quinquina para ditos.
Agua balsmica para ditos.
Dita denlrifce para ditos.
Lete virginal para .-arda?.
Vinagre du Venas para refrescar e conservar o
lustre da culi-.
Saboncles camphorados inglezes.
Ditos areieutos excellentes para maos.
Outros tambem inglezes de diversas qualidades
em caixinhas de tres e solios.
Albuns com perfumaras.
Farinha de muribeca ft a e alva, mais
ad Cadeia do Reciffl loja de ferragens n. 36 A, de barata <\W ^ v'enJe no mercado, em sac-
Bastos. i eos: na ruado Vigarion. 29.
8, vende-se mui bonitas go
bordados para senhora.
Dminos e visporas
em caixas de madeira.
A Aguia Branca na rua do Queimado n, 8,
acaba de receber domines em bonitas cai-
xinhas de madeira branca e envernisada, e
ia do Alecrim n. io, das j visporas de caixinhas de papelo, e madeira
envernisada, ludo contina a ser vendido
GraMe expOSiQO de fa- POT P"*08 commodos e dinheiro avista,
zendas. Lencos pequeos
Qne esto a venda, na loja e armazem da Arara, para meninos.
rua da Imperatriz n. 56, Lourenco Pereira Men- A Aguia Branca, na rua do Queimado n.
des Gu,maraYjZIXHAS A 2i0 R- 8, recebeu um novo sortimento d'aquelles
iJvzhas A 2io Rs. i I 'encoi brancos, pequeos e com barras de
LAZi.NHAS A 240 Rs. lll cores, projirios para meninos, e aiuda scro
Ha um grande sorlimento de lzinhas chinezas.i uendidos pelo commodo pre^O de 14000 a
chegadas pelo ultimo vapor, sendo fazenda que
quaesquer loja vende a 400 rs., esta se vendendo,
na loja da Arara pelo diminuto prego de 240 rs.
o covado.
MADAPOLO COM 24 JARDAS A 45500 ! I
MADAPOLO COM 24 JARDAS A 45500 I t
dnzia.
Meas pretas
de laia pararpadre.
Vendem-se na rua do Queimado, loja da
Vende-se madapolo com 24 jardas e garantin- a\ Urano. n R
do se que tem 20 varas, pelo barato preco de | ABUW Dr U n* *
45300, 55000, 65000 e 65300.
BRETANHA DE ROLO COM 10 VARAS
A 25800.
Vende-se bretanha de rolo a 25800 a peca, sf>
Meodes Guimares.
MADAPOLO ENTESTADO A 35000, 35500
E 45000.
MAIAPOLO ENFESTADO A 35000, 35300
E 45000.
Vende-se madapolo enfestado pelo o barato
preco de 35. 35500 e 45 a peca.
COLCHAS DAMASCADAS DE FISTO.
Vnde-se as mais modernas colchas de fuslo,
tendo de todas as cores a 55500, ditas grandes a
65000, ditas do damasco a 45000, ditas de chita a
24240 e 15900, isto s por a cahar, na luja e ar-
msayn da Arara n. 50, Mendes Guimares.
t;HJTAS FRANCEZAS A 240. 260, 280 E 300 Rs.
CHITAS .FRANCEZAS A 240, 2*0, 280, 300 E
320 Rs. O COVADO.
CHITAS INGLEZAS A 200 E 220 Rs. O COVADO.!
Vende-se cambraias brancas desalpicos a 45500
a peca, tambem ha um grande sortimento de cam-!
braia brancas que se vendem a 35, 35500, 45,
55. 65 e 75 a peca.
CHALES DE MERINO A 2;000.
Lencos de camhraia com barra de rOres a 15800
a duza, ditos rio dita branco a 25 e a 25100 a du-
zia, s Mendes GuimarS,>>.
CALCAS DE BRIM DE LI.NHO.
Vende-se calcas de brim de linho a 35400,
25600 e 45OOO, ditas de algodao a 25, s Mendes
Guimares.
Sontambarques de coros, vende-se muito barato,
ditos grosdenaplc preto, capas pretas vista se
far preco.
PALITO'S DE ALPACA BRANCA A 45500.
PALITO'S DE BRIM DE LINHO A 55000.
EniFemeios transparentes a 800 rs. ditos tapado
a 15, ditos para nabado a 15000 cada urna tira.
ROUPAS FEITAS.
ROUPAS FEITAS.
ROUPAS FEITAS.
Vendem-se nm sortimento do roupas feitas de
todas as qualidades, que a vista se far preco, e
outras umitas mais fazeudas que se dfixam de
annunciar, rua da Imperatriz n. 36, Mendes Gui-
mares.
g crjo co o -i tt'-< o 3 m o
2 b 5 i :. _._-E3_=: n~ *
:&i,: Q-ccoS-_.=-^o-/:_.
oSiHfi-ftfs- :
o a. = 3 a =: S
a o _, u -- ~

J.
ce _. 5" m
CD
5S^~_
S" w g.2"g 6 Ohg" 3 i-/*-1!
ka|3:aH[ll!;r|Sa1
= T3 a. - o mim
811.8
Vendetn-fe ps
de serem transp'.
mierda, depois i. h
nietos.
tuint iuipiitoi -. : fa>
da- : w si'i 1 : ur '.
no do Efpraheiro, t
L>
RYSTAES.
A loja de louc-i ira
vfnder quantidadr e azulejos de lindas e va: ,.-js
cores, assim como loucas d-; todas a- )*,.
de bonitas pinturas a gosto molern* 1
Ihos de porcelanas branca* laaiM a '
vidros de todas as qualidades. incln-ive iir. .w>
chrystal, dilicados jarros deilir\soi a ,
para flores, guras u oolroa muitos <.bj-i .. u-
nissima porcelana den minada bi-cnii 1 \ m m-
feites de mesas, tlr., punitcici 1! 1 tufa
celana branca douraitas e de cores Mn .: .?,#-
e toaletes, tado do nuil! >r |wl> pinaa 1
vasos para jardii.i, ciRdieiraa de >< 1.
gaz, giobo? u efeMnfaeii de vnlro, i
os mais sobrecelentes para os mesm"-. p
de superior qualidade, e muito< onlrcs artife? ir
seria enfadonho mencionar, ludo pm pr(M ilm-
lissimos razoavei^.
o o w
* o 0-.0 3005
g:_B-_>_
B.IISat*|if
3 ?
1 o
3
V.
J.
CD-_
en ~
"ES
a
- o _.
OS
o sr
O.
O

"I
c
3
es
en
i
31
ce
o= o n
Pili
o
fe
K ^
>
c
8
7S
O
50
tas seis portas em frente do Ii-
vrninento
Vendem-se chitas francezas escuras e bjus pan-
; nos a 240, 260 e 280 o covado, cassa franceza de
! cores fixas a 240 o covado, nretanha de rolo a
' 25400 a peca, cortes de casemira de cor escura a
i 45, baloes de arcos a 35, 3*500 e 45, e muitas
' outras fezeddas por baratissimos pregos, e de tudo
Presunto para fiambre
de superior qualidade a 700 rs. a libra : na rua do se dao amostras; cambraia para farro a 25000 a
Cabuga' n. 18, arnuzem Flor dos Progressos. I peca
Liquidadlo de macliinas .:;
algodao:
Chegou grande Mftijeolo da Mnica-
descarocar algodao. de I', lf\ !". i '. -.".
serrotes, de ra^ertor ijiaiidade, i? 1
dem por precus mallo leduzidoa \- r 1 1
que em oulra quaiquer parle, para
como mol-es aincri-;.ii > da r.iiim 1-
quaes se tornan recc~neD4avflii 1 1 .
qualid.nle de fcil c nilu-i;".:i para ,- 1 : : -
vincia; a tratar r." d.p.isit". ii a.--d>-A, .
ou na rua da Cadea do Recle, lu. la :
0. 36 A,
Oiiitiis baratas
Na rua da Concordia n.01 lea pan ti I 1
cao de chitas mui o lina- :. 2i0 o ciwfc,
mais iuferiures a 180 rs., tendo c?U* rx.-.
ffi?
avanaao.
Francez barrica 5500f
Portland idera 85500
Em perfeito estado:
Francez barrica 1OJ000
Portland idem 1250W
No armazem de Tasso Irmao- caea do.'Apoilo.
Xorcna de* Soshi Kruiura ie
C armo e de ttaui Auna
Vendase na roa do Imprari. r n.
de encadernaco : ooOici.i, salve verso-, a w
na e salve de Nessa Seatora do Cnm, I
Ihelos por 500 rs.,e a novena de BufAai
320 rs._________________________
Fardo a -1
Vende-se farelo rovo, saccas rom 90 libra, pe.*
barato preco de 45 ' roa da Madre de Dos .li-
meros 5 e 9.
MMHM
A 1$ 15200 e igoOO.
Loques de osso, olttnw] _*4o. 15-
Ceroulas de meia a 15200.
Dulas muito finas a 15-><*'-
S na rua da Cadeia do Recife a^fi
1
:'
rio de algodio
da
rabia.
Veudefse 110 escrip:orio de AttoaM L0I2 de O-
veira Azevedo & C, rua da Cruz n. 1.
f__
T


-
I *
I
t
l

f

I
GNEROS BARATOS A DINHEIRO
GRADES AIOhZENS DE H0LHiDOS3o
11!
.21
Patea do Carino n. 9 arinazem Progressivo ma Ubo e Commercio ra do Imperador n. 40,
Principal armazem de moihailos.
OS I'ROPRIETARIOS.
Fazein sciente ;>o respeitavel publico, e cora especialidade aos senhores Je en-
jenVis, livradoreseraaispessoas do Cintro, que para mais facilitar suas compras deli-
heraram os proprielarios dos tres grandes arrazens, reunir todos os seus estabeleci-
raentos era ura s anniracio, pelo qaal o prego de ura ser de lodos, proraette-;
ajs pierdo iafringiremof a tabella que abaixo vai publicado, annunciar os geioros1
por una preco, e na oecasiao da compra quererem por outro, corao sowde constante-i
mente era oulras rauitas casas, porm nos nossos cstabeleciorintos nao se dar isto
ainda mesrao cora prejaiio nosso, quilqner- pessoa poder mandar seus fmulos que
sar3o tara era servidos como viessera penalmente fazendo-nos o favor da mandar seus
pedidos era cartas feixads; para evitar qualquer engaos, remetiendo nos urna conta
pelo pal se ver os pivcos tal qual aniraaeiarraas, o que seniio arrepender pessoa
alguma que zer s.ja despenda era nossos estabelecfmentos; pois poupar mais de
5 por cento na sua despega diaria.
Manteiga ingleza perfeitamente flor chegada Mera cora i a 5 ditas a 33200.
nitimamenle no vapor Saladira, de i dem vasios de todos os tamanhos a-2#000,
a 1 51 O a libra e era barril lera abat- 15300,800 e 640 rs.
ment. Queijos d -25300 a 25-500 os mais frescos.
dem francesa muito nova a 15 a libra, e Vinagre, puro de Lisboa a 230 a garrafa e
etn barril tora abatimeajto. 25000 a caada.
Baaha Je porco refinada a G40 a libra e em dem mais baixo a 200 rs. a garrafa e 15100'
barril ter abatimento. | a cana la.
G i mira de superior qualidade a 25000. .Vzeite doce de Lisboa muito fino a GOO rs.
dem perula miudinlio a #700 a garrafa e i|800 a cmada,
Uera hysson especial qualiJade de 25300 a Tonctoho de Lisboa novo e muito alto a 400
25600 a libra. a libra, e em barril de 5 arrobas a
dem preto muito especial a 25000 e 25iOO 105300 a arroba.
a bbra. Cerveja Da>s do fabricante Slilers & Bell a
dem do Rio em latas de 15000 e a 800 a 65600 a duzia e (540 a garrafa.
fibra. Idera Bass Jo fabricante T. F. Ashe a G5000
Latas con biscouto Je toJas as quaJaJes, a duzia e 360 a garrafa.
a 1 ^-00. Hem marca II Vicloria Alsope e outras
dem da creditada fabrica de Bialo Antonio mollas marcas a 35 a duzia e 300 rs. a
! Lisbo.) proprias para da; a doentes a
i$ e 35 a lata.
Bolaxinha ingleza muito nova a 35300 a bar-
rica e a 210 rs. a libra.
Latas cora bolaxinha de oda e oval a 25.
Presunto ioglez para fiambre chegado no
ulti.no vapora SO rs. a libra.
>js e patos ujito njvos a 900 rs.
a fibra.
'mus (Mm macarro hlliarim muito novo a
" i K) e 320 a libra.
liria branca e amareila a 300 a libra.
1 iocoI ite portuguez de especial qualidade a
i 0 a libra.
. : i ssode 8 '0 a !.-5 iQOa libra.
:i bes arhol verdadeiiroa lOi O a libra
. ven i m is a I $400.
la casca de g >iaba ura caixaes de 4 e
as segu i a l ?800,
e.n caixoe- pequeos a 700 rs. e de
ira cima a ' 40.
i m boeelas ricamente enditadas,
contendo pera, pes go, ameixa, rainha.
:- >uli as f utas a 35000 cada uraa.
q em calda em latas feixadas hermtica-
..i' .i'. > ..L4i!v^ bou v. ijf_ iluduOj OOlCli'J'.',
, ameixas e outras fruas a
640 e 700 a lata, tambera temos latas
o les a 15200,
m Largo da Santa
Cruz
JSebo.
IHI
n. 84, es-^
da na do'jdj
O nov
Largo da Santas
Cruz n. 84, es-|
'juina Ja ra dol
I ESPfeCIJJSS f ^bo.
rora Hrllhante .SnHm.i ,Va ma't acreditado armazem de moldados denominado Au-
A Nenhumi armam SI ludW de base para aJuste de eonlas aus Potadores.
gnadl Zt!SX?t?M ,2 barat0 e melhores d0 iue a Aurora Brilhan,e-ja'
ehurn., W. lem;i* raesmo porque seu dono s deseja tirar diminuto In-
ri ,."iln!? 1''Cu"mJula/ despezado estabelcnmento por isso deixe se a-
pelograade
ero ifuaoto
proveltar i iirt tantesfreguezes m ,oaa a di,ieDcia. a'm de servir bem os seuscons
L;aa7S8 'bra dech0'-.?as muito novas,
garran.
libra
uela la J s melhores fabricantes, em la-
tas Je 25000 a 1J2.0.
-i em latas de 1 I \ libra a 15.
; i i n atas ie 1 libra a GiO rs.
Ervi Iris em latas chegadas neste ultimo va-
pora 700 e Je 3o para cima a GiO rs.
Feijo rerde ou Garrapato era latas j prc-
ado a GiO rs.
i-tas em frascos de ridro a 15300.
I lem em aixinbas ricamente enfeitadas de
iiJa 21300.
iservas \fexide muito novas a 700 rs. o
frasco.
bolas simples a 700 rs.
. i in lez a 610 rs. o frasco cora tolha
Je vi Iro.
La em p a 700 rs. o fresco.
-i j preparada a :J20rs.
La is com massa de tomate de I libra a
600 rs.
m em latas Je I 1|2 libra a 900 rs.
Vi bus era garrafas vinJos do Porto, Midei-
ra Secca, Duque Jo Porto, Duque Semi-
no, Cascavallas, Mara Pia, I). Luiz, Pe-
dro V, \Te!ho Secco, Ligrimas Doces, La-
grimas do Doiii-o, e Mra rauitas marcas
a 15 a garrafa e 95 a 125 a duzia.
dem Palme'Ja a 15 a garrafa e 11500) a
duzia.
dem em pipa Je lo Jas as marcas Porto,
Figueira e Lisboa a 400
rafa e 2 5300 a 35500 a caada.
dem em ancoreras e 8 a 9 caadas com su-
perior vinho Lisboa e Figueira a 2i5a
ancoreta.
Id( m bronco expecial qualidade proprio para
missa a 36l) rs. a garrafa c 45 a cariada,
dem mais baiso a 400 rs a garrafa e 35300
a caada,
lera Jo Porto especial qudidade a 800 rs.
a garrafa e 3)300 a caada.
Id m Burdeaos era caixas a 75 e 700 rs. a
g.irr;.fa.
Champanha a melbor do mercado vinda de
. n >ssa encommenda a 305 ogigo.
dem mais bai.va de 185 a 20| e 15300 e
35 a garrafa.
res portoguezes e francezes a 15000 e
. J300 a garrafa.
,:. rasquino de Zara, verdadeiroa 15300 a
l frrafi.
i lis abaiio a 800 rs. a garrafa.
adeira a 115 a du-
e 300 rs. a gar-
Sabao primeira qualidade a 220 rs. a
&2I0 eracaixa.
dem segunda qualidade a 200 rs. a librare
180 rs era eaixa.
Sabao inglea superior a 180 rs. a libra e
16'- rs. em cai.xa.
Cafe primeira e segunda sorte a 75000,
75300 e S-S a arroba, e de 2i0 a 280 rs.
a fibra.
Arroz do Maranhao 35200 a arroba e 100
rs. a libra.
Uera da India a 25600, 25800 e 100 rs. a
libra.
Charutos Normas de Havana a 35300 a eai-
xa, Je Simas (Jos Burlado).
dem Londrinos a 35, idera.
dem Parisienses a 15300.
llera Delicias a 15300.
dem Traviata do Rio a 3-5300.
dem varetas de Manoel Peixoto da Silva
Netto a 35300 e I5J00 a raeia caixa.
Idera suspiros do mesmo fabricante a 15*00
a meia caixa e 35200 a caixa.
idona iiRLCiiwj d 19/fJU a meia caixa e
35000 a caixi do raesmo fabricante.
Idera orientaos Jo mesrao a 15800 a raeia
caixa e 35400 a caixa.
Uera jovens de Castan'io Jfc F;lho a 25400
a caixa.
dem suspiros do mesm a 15 0) a m;i:i
caixa, e outras m titas marcas de fabrican-
tes.
Passas muito n>vas a 15303 o quarto e 35
a eaixa de ama arroba hespanhola e 320
a libra.
Yrmale bebida pira abrir a disposicao de.
comer 153)0 a garrafa e 4i50OO a
caixa.
Alpisla rauilo novo a 35300 arroba e I iO
a libra.
Painco a i 5000 arroba e 140 a libra.
Pei.xe era latas j preparado a 15200 a lata
e era porcSo 15000.
Sardroas Je Mants a 100 a lata.
Tijollo para lirapar facas a 160 rs.
Esparraacete a GOO a libra e era caixa a
380.
Vellas de carnauba* a 12 e 10 5000 a arroba
e 360 alio rs a libra.
A/.eitonas de Lisboa muito novas era anco-
retas gran Jes a 15300 e a 100 rs. a gar-
rafa.
Balaios do Porto muito grandes proprios
para guardar roupa suja a 25300, 35000
e 15000
Batatas em gigos de 31 libras muito novas a
WSSSn-Slffn erap
1340 dades> a lSm- #
Sa:ss:anKeDsopada6>a72ors-
Ditas com ameixas a ISaO, 13800 e SUSOO
Di?S?a^.ada d a"2
iDitascom massa de tomate, a 300 rs "
Se2#3gof aeCOmadre' D0V0S''a i*500'
'D JWOo"1 boIachinha de so ^.^^^^^^
r . Chocolate.
Uixinhas com ameixas enfeitadas proprias
Cho?ohf a '5-00' 2580 e 3*i0-
s7oTi^mor ,nuit0 novo'a libra de
MaCaioo0^a,"ariara ealetria ama",ella, a libra
Dito dito Uta branca, a libra a 400 rs. .
La xas com inUtha, pevlde, e outras mas-
sas, a caixa itiooO.
Dilas dita em libr.i a GiO rs.
|ag, a libra a 360 re.
'Iepadhmha para sp'1 a libra- a 2i0 rs-
bmihas seccas, a libra a 160 rs.
unas descascadas, a libra a 200 rs.
Tapioca maito nova, a libra a -230 rs.
300 rs arai'Ula verJadera- a luTa
AuLm Mai;anl,ao. emsacco, a arroba a
25i00eahl)raa80rs.
fra*'^8-- JaV3' aarroba a *m e a ""
Vinho verde superior. H
A caada a 3^000 e a garrafa a 400 rs. ***;
Gomma. tfjj-
Saccas de 4 arrobas, a verdadeira de sef
engomraar, a arroba a 3-5000 e a libra X
120 rs. A
Sabao massa, a libra a 200, 240 e 280 rs. |R
Farioha.
Saccasgrandes com farinha Je Goianna mui- '.^
to nova, a 3*000. &F
Caf. X
Caf do Rio mirto superior, a arroba a 83,
83300 e 93000. i$
Cha. r\i.
Gh.teraos uestes peneros o melhor possivel/Vj
hyson, a libra a 23600.
Dito parola a 33000.
Dito uxim a 23700.
Dito hyson muito lino a 23800.
Dito redondo a 23300.
Dito preto de primeira nualidade a 23300. <'.%
Dito mais baixo a 23000 e 1S600.
Erva mate.
Excellente cha medicinal, a libra a 240 rs. jaJ
Espermncete. z!~
O masso com 6 vellas de espermacete a 600.
640 e 720 rs.
Passas.
Caixas de 16 e 8 libras de passas novas pro-
prias para mimos a 43 e 23300.
Xozes. f>r
Nozes, a libra 160 rs. e arroba a 430C0. ggj
Alpisla e painco.
GREGORIO P^s DO AMARAL & C.
EBERAM
Alpacas de <|Uadros enfesladas doVos escoras, o corado
I 240Vu /
ALPACAS ESCOCEZAS
fCmtt* COm "slas de se* '"^ cnfes.ada de doas larguras cor.
POR
cada chale de fil preto (guipure)
I 9^000
28 000
EDAS
M .1 ?!rleSK df seda branca com noies miudinlias e de diversas rnr^ -,m i^
para theatro, ba,|es e casamentes com 19 covados, largura de cinta frang *
Chapeos para senkora
Bonefs
Chapeos a gendarme.
Cliepelinas de palta.
Chapelinas de fil.
Chapeos para homem.
Alpista e painco," a arroba 43000 e a libra a
1 en
160 rs.
Cartas finas para

Cartas.
logar, a duzia a S1500.
Caslanhas.
Tn'aVbTa "Sb" m a arrba 9 a 3i0! Gastanhas novas SasSe v;
^e Santos,, wrob. 73000 ea.ibraaj ba 400 e a "KiSJ."-
Molhos com 123 ceblas grande- a ljj280 1 ^arr's com apitonas novas a 13300
"^w? fraaceM> cai" cora' 2 duziasal Manlfip.
'v1 JO- Manteiga superior, a libra a 1S2S0.
arro-
)Fraf,^ com 'nos'arda preparada em vinagre,
Dosco.n conservas inglezas
640 e 800 rs.
e francezas, a
^SjDitoscom sal refloado fino, a 6i0.e a M**.
^Uiioscoma verdaileir.1 oueora claranja, a
.1 Ditos de 2 garrafas de Hollanda verdadeira,a
W 40 rs.
tBo,tlas cora la proprla para negocio, a
400 rs.
Garrafoes com 2 galoes cora dita, a 63.
^oServeja boa, marca, a 300 rs. a garrafa, e a i
-f fl r duzia a 63OOO.
y*Vinho moscatel de Sotaba!, a garrafa a 1-3.
tMarrasqmnho verdadeiro,frascos a SOC rs. e
a 13200.
U2288P* a dazia 23000' e a sarrafa a
...jAzeittrennaJo portuguez e francez,a garrafa
'ir a 13000.
/%''a.la dli vinho Bdr'll>a,JJ muito superior, a
*W :5' 5l 9'3 e 10;5 a caixa.
WDits com dito braoco, a 73 a caixv
-D Ditas cora dito lacrimas do Douro verdadeiro.
lK a 203.
^ Ditas com duque do Porto verdadeiro.'a
to. 183000.
1KPitas com chamisso superior, a 14-5.
TPDitas com Porto velho e outras muitas mar-
cas, a 12-3.
h Vinho do Porto da pipa, a garrafa a 640, 720
1 vj e 800 rs.
fZ Dito de Lisboa muito bom, acanadn a 35200
:? 35300 e 43, e a garrafa a 300 e 360 rs.
SJDitoda Kigueira, das seguintes marcas (X)
X (J-A-A.) (J. L. G.) (O. M.) a caada a
i& *3o00, e a garrafa a 360 e 640 rs., deste
?K que j est engarrafado e lacrado com o
S: rotulo do armazem.
i&Ditos de marcas mais desconhecidas, a cana-
m da a 353OO e 43000, e a garrafa a 480 e
& 320 rs.
iLVinhobrancofino, agarrafa a 640rs.
faDito de caj muito superior, a garrafa a
J5 800 rs.
Dita mais abaixo a 1-5200.
Dita menos superior a 13 .
Dita franceza nova, a libra a 8^0
Da dita era barris e meios ditos, a libra
830 rs.
una para tempero a 400 rs.
, % Queijos.
Queijos novo? "vados nest
33000. I
Ditos londrino"
13000.
Papel.
Papel almaco pautado, a resma a 45800.
Dito dito lizo de linho, a resma a 43300.
Dilo de peso lizo e pautado, a resma
23500.
Dito de erabrulho, bom a 13 e 13200.
ste vapor a 25300 e':',-.
mito novo?, a libra
Soutamba-ques de cambn a. verdadeiramente bordados por precos aue odnra
Vestidos feitos.
Vestidos enfeilados com gosto de excellente laacom zuavos, ele a 255000
Completo sortimento de fazendas para ~>.ma.u.
GimE TOII.ET
Os apreciadores do bello, visitando este estabelecimento, acliariio urna i
e agradavel escoli.a do que ha de mais primoroso em
n, MODAS
Us amadores do til, encontrarao as mais solidas
para uso ordinario.
Gregorio Paes do Amaral & Companhfo.
fazendas com cores fixUiimaj

m m
Antlga casa de nllherzue da silva Gnlmares.
N4CUIN4S BEPTEOT
para
-A
Vinho ihleira.
Garrafas com o verdadeiro vinho Xerez e Ma-(f
deira a 13500 e 25000.
Temperos.
Folhas de louro, pirnenta do reino, coimuho
a cravo, a libra a 400 rs.
Velas de carnauba.
Massos com 6 velas de carnauba refinada
480 rs.
Amendoas.
Arneudoas cora casca, a libra a 320 rs.
Doce.
Caixoes de doce d*> goiaba, grandes a 15400 /
e pequeos a 640 rs. r
fijlos de limpar. W
Tijolos de arear facas a 140 rs.
(i raa. c4J
Duziasde boiOes de graxa n. 97 a 23000, e fjB
de latas a 15000. e os boioes a 240 rs. ca-rft
da um, e as latas a 100 rs. >>?J
Charutos Gnos. '..;
Charutos finos dos melhore- fabricantes da rA
Bahia por diversos precos, caixas e raeias'^n
Je traJbaUfca* mo
descaro?araJgodo
FABRICADAS
Por Plant Broliers & C,
OLDl
encA
Grande liquidacao he fazendas e ronpas fci-
tas nacionaes.
Roa da Imp.raiiiz n. 72, loja e armaiern de
uuimarais & irm.i)
|iro|.rietarios deste novo estaf.flepim^nt-. re-
Os

i
Estas mach ii
fc>^ podemdescaroT.?.-
aualquer espe'ci:
__;.. de algodao sen
stragar o- fie
jS^Sfaf U,,T vapr franc " P-fc -r-
' lmenlo de laasinhas escoceu, p^dr- s n:u:!o lo-
2io covado : e minio barate I '
'sendo bastanu

1

duaspessoaspar*
o trabalho; pd*
descarocar um*
arroia de algo
dao em caroct
em 40 minutos
ou 18 arroba.'
por dia ou o ar
robas de algodt
limpo.
caixas.
800, e a iO rs. a libra.
Gomma em paneiros a 4^000 arroba e 140
a libra.
Farinda do Maranho muito alva e nova a
^ 240 a libra.
Sjvadinha de Franca para sopa a 200 a li-
bra.
bra le laranja ver
zia e !> o frasco.
iiiera de Hollanda verdadeira a 65 a fras-
ipaeira ellOo frasco.
dem de Hamburo0 a 5JS00 a frasqueira.
IJem em boligas de Hollanda a 400 e 440
. s. o frasco.
Garrafoes rnm Rcnebra de Hollanda com 24
garrafas a 8, com garrafo.
dem com lia 15 garrafas a 65.
m<$
Sevada muito nova a 1 iO a libra e 45000
arroba.
Caixas com eslrelinba, rodinha e pevide a
400 a libra. i
Albos em canastras muito novos e mauncas
grandes a 18O e 20) rs cada urna.
Canella muito nova a 15000.
Cravo muito novo a "OO.
Cominho idem a 320.
Ervadoce iJem a 400.
Alfazema flor a 240.
Ameadoas a 400 a libra.
\ozes muito novos a 160 a libra.
Papel greve a 45200 a resma,
dem lizo a 4 5000.
dem de pezo a 35000.
Idera de embrulho marca grande a 15200 e
15300.
dem azul para Mica a 25000.
Copos lapidados a '5i00 e 500 cada um.
Palitos de denles, macos grandes a 120 ^e
IGo cada um.
Fumo americano de chapa, de superior
qualidade a 1,>500 a libra, em porcaotera
abatimento.
caixas.
E grande quantidade de gneros tendentes
estes estabelecimentos, que deixam de an-
nunciar-se.
/3go ^a. 395
O
=-?
Assim como machinas para serern movidas por
animaos, que desearogam 18 arrobas de algod<
limpo, oor dia; e motores para mover urna, duas
eutns dessas machinas.
Os raesmos tem para vender um bellissimo va-
por que pode fazer mover seis destas machinas
mencionadas ; para o que convida-se aos Srs.
agricultores a virem ver e examina-lo, no arma-
zem de algodo, no largo da ponte nova n.47.
Saunders Brolhers&C.
X. II, pra$a do Corno Santo
RECIFE.
Os nicos agentes neste paiz.
Attenco.
Lilannlias a 2401
Laasinhas a 240 .'.'
Liiasinlias a 240 .'.
Ra da Imperatriz n. 72, |. ja e armazem ie
Goimariet & Imao.
lambem r.ceb.ram ura grande fort:menlo <
Ichas dR fasiao que esiao vt-ndendo ,, r
f- asQd.e rhi,a a 1-5!lf0e 25, dit.n< d, 1.^
i>UU e .3, grande sortimenlo de aaahnlM l.iaa*
wa 30,>I:.3*?00 e **< di,as moit '-' *
Jar* e 5' d,las de Silf>icos brawo a ii:**)
e frOOO : Isto ^u na loja e armazem de Guimares
& lrmao, ra da Imperalriz n. 7i
Chitas largas a 2i0. 260,280, 300, 22$'.
Chitas largas a 210, 260, 280, 3C0, 320.
s Chitas largas a 210. 260, 280, 300,320!!!
E muito barato, pecas de I retanha de rolo rom
10 yaras a 3 e 35S00, dilas de madapt'lao oni ..
jardas a 4^300 35, 65, l;5300 e 7. rr.aito fiao a
a 93, mndapn av> rranrn enfe-tado rom 12 ardas
a 352OO, 35300, 45 a 5-)00, chales de merino es-
'ai"Ba!ll-n4 *?. 25300 e35. ditos nimio tirina
b& e 65o00, cartea de casimiras de core* e prelaa
pelo diminuto prego de 25300, 3J, 35300 e i i
ditas muilo finas a 35, 35500 e 65- grande fru-
mento de ronpas feitas de toda* as qnali feto
preco que s vista dos compradores podera dizer o preco, amaneando
-,----- que veiKe-M
Vendem.se pecas de esteiras para forro de sala, ,ps na^ru^"damn^.ri? ?n SETS. SS.:
latas de 23 h- u^ pera,m 72'l* de G""*ra*
GRASDE
ss
Saccss grandes com 100 libras de farello superior a 45000 a sacca.
N. 11Ra do Queimado-N. 11
LOJA DE FAZENDAS DE
Augusto Frederico dos Santos Porto.
Chegou a este eitabeleciment ura grande sortimenio de cortinales bordados para
camas fazenda de muilo gosto.
Chales de guip muilo tinos para 225, 235 e 305.
Colxas de seda superiores de diversas cores para catms de noivas.
, Colxas de la e seda para cama tambera de bonitas cores.
Rotoodes de guip enfeitados cora o melhor gosto.
Setira de Pars bella fazenda e de bonitas cores para vestido a 700 rs. o covado.
Moureaotlque branco e preto, grosdenaple preto e de cores, pannos pretos de todas
as qualidades, ditos azui'S.
Casemira preta e de cores, merino preto, silistrina, bjmbazinas, alpacas pretas, e
laa prel para lutos.
Malas, saceos e boleas de tapete, verniz o couro de 45 a 115-
Bros de liuho de cores floos a 15800 a vara.
Chapeos e chapelinas de patha de Iialia para senhora, manguitos bordado', chapeos
de seda para homem, chapeas de sol de seda, esguio dd linho, carabraia de liaho, brota*
nhas, silesias e muitas outras fazendas qae se veadera pjr coramiJos presos assira corao
tambem
Esteiras da India para forrar salas
tinta branca preparada a oleo, em .
bras, para pintar casa, relogios para cima de me-
sa e para pendnrar, arreios para I e -2 cavallo.;, *
velas de spermacete, tudo de superior qualidade,
vindo dos Estados Unidos : no armazem da ra do
Trapiche n. 8.
Coke do gaz.
Piten do gaz.
Alcatro do gaz.
tonelladas rs. .
Em casa de Tisset Freres raa do Trapiche n.
9, tem para vender :
Vinho B rdeauxem barricas e em caixas.
Dilo de Santerne flno.
Dito d Champagne muito superior.
Cerveja fraoceza marca Bobee.
T;iVs> Idilios
vendem gesso em p para estuque de casas, tijolos
finos de elUo diversos para ladrilho, azuleijos de
diversos gostos, tijolos vidrados para parede de co-
zinba, canos de barro para esgoto, cemento em
barris de 10 arrobas.
Coke
Pitch ...
Alcatro caada. .
O coke reconhecidamente o carvao mais econ-
mico, torna-se por isso recoramendavel, bem co-
mo pelo asseio que se nota as cozinhas aonde
r)lle usado. Pitch e alcatrao.alra das applicaco'es
diversas a que se prestam, corao para callafetar
embarcacoes.alcatroar madeiras.etc.teem este a
propredade de preservar do ciipira, formigas.etc.
E' entregar na fabrica dogaz ou mandado por era
qualquer ponto da ridade, segundo a vontade do
comprador.
Instruyes para o servido
das guardas do exercito, extrahidas do re-
gulamento de infantaria e accommodadas ao
exercito brasileiro; obra que muito convm
aquellas pessoas que se alistara nos corpos
de voluntarios; vende-se na livraria n. 6 e
8 da pra^a da Independencia, a \&.
E^0R\CD0S
Na ra Nova n. 47, loja de Justo de Almeida 4
C ha >obretudos encoracados, proprios para resis-
tir ao invern.
I
| O proprietano do grande arm.!t>m do
nnnn larg do L<"ram^lo d. 38, nao tendo hH e.>n-
"2 ffu'r em mpo a mudanca de sea armazem. por
800000 ter de ser mudada a cobeita dessa rasa, t.m resoi-
400 do w/ter o grande e magr.ifico sorlimetio de rr,o-
Ibados e seceos 'iue nelle se arbam por lodo o pre-
co, ?em aitender ao grande prejaizo que lert, t.
lo que d'outra forma nao o peder evir.
GAZ GAZ GAZ
Vende-se gaz da melbor qnalidide a
lifj a lata : us armazensda ruado Im-
perador .lfi e roa do Trapiche Xotcd. 9.
Bichas deHarabui-go
Vendem-se na roa Nova d, 61.
Vende-se
farelo de Lisboa em saccas e barricas, e saceos
com superior farinha de mandioca, mais barato do
que em ouira qualquer parte : na roa do Vigano
n, 17, primeiro andar.
Vende-se urna taberna hem afrejrnezada para
o mato, e bem como para a trra por Bear ao pe
do mar, tambem di comida* e dormidas, e rerrtio
passageiros, tendo exeellmte romnwdo para ft-
milia : na ra da Lapa o. 13.
T
ii r-^%n # i


mmtmamtmmm
^IB MaMM
Diarlo de Pernanibaco safelnido tf de inlho de 2SO&
-.<
0 NOVO GERENTE
AO PUBLICO
Sem o menor constran-
glmento se entregar o
importe do genero qne
nao agradar.
HTTEKQaO.
Os presos da seguintc
tabella 6 para todos, po-
rteado asstm servir de foa-
se para o ajaste de contas
com os portadores.
ESTABELEOIDO A RA NOVA N. 60
AO
RESPEITAVEL FCBMCO.
A apreciarlo dos habitantes desta heroica provincia existe no grande >*-
xem da Liga estabelecido rus Nova n. 60 um magnifico sortimento de moldados,
que sendo em sua maxirn parte mandados vir directamente do estranguro podem ser
vendidos por precos asss razoaveis. I
Sem a fatuidade de querer que este novo c interessante estabelecimento seja o
primeiro e nico em seu genero, pde-se porm affiancar, com toda a seguranca de que
nenhum outro o exceder no restricto cumprimento das seguintes promessas:
i; Delicadeza no trato.
2.; Fidelidade no peso.
3/ Sinceridade nos presos. _
As pessoss que por sua posicao social gozam de certo tratamento, acharao nesta
casa os melliores queijos londrinos, cerveja, vinhos finissimos manteiga e cha sempre ae
primeira qualidade. etc., etc.
Qaalquer que seja a condigo do freguez, elle deve contar que sera sempre mui-
Aquelles que sao pouco favorecidos da sorte farao mensalmente urna economa de
militas patacas, afreguezardo-se nesta casa, onde se lhes vender o arroz, o cafe, a man-
teiga o assuar, etc., etc. de boa qualidade pelo preco que em algumas partes nao po-
dem ou nao querem vender. M_. no
Os senhores de fon da cidade, dos arrebaldes ou centro, que comprara para ne-
gociar, devem vir, pelo seu proprio interesse, a este estabelecimento para se convence-
rem d qiianto se pode vender barato. <
Para os sennorvs que compram para tornar a vender existe um sortimenio < spe-
cal, escomido por pessoa entendida que certamente muito deve agr lar aos sennore-
: Nao se tem poupaio sacrificios, nem se deixar de fazer a diligencia para agra-
dar a todos. L___.u_i
PELOS SEGUINTES PRECOS SO SE VENDE
A DIMIIEIRO A VISTA:
RA DA CADEIA DO RECIFE N. 53
(Logo passando o areo da Concelco)
PARA BEM DE TODOS.

ALPISTA a 120 rs. a libra.
dem e painco de oito libras para cima a
luO rs.
Annoz de 90 rs. a libra a........
amendoas, casca molle, a 28i) rs. a libra.
Avellas a 2W rs. a libra.
Ameixas francezas em latas de todo: os la-
* machos.
dem idein em potes de todos os tamanhos.
dem idem em bocetas de todos os tama-
nhos.
dem idem em frascos de lodos os tama-
nhos.
Azote doce de primeira qualidade a 560 rs.
a garrafa.
Almos a 200 rs. o moli.
Aiisvntho a 2^00J a garrafa.
It
BOLACHINHAS do Beato Antonio em latas
grandes e pequeas.
dem do Principe Alberto a 25000 a lata, e
de c neo para cima a I800.
dem de so Ja em latas grandes a 2>000 e
de cinc para cima a lodOO.
Bisccrros inglezes de todas as qualidades a
10200,10250e 10300.
Bolo francez em caixinhas a 300 rs. cada
urna
Batatas inglezas.
Bnha de porco refinada.
C
CHOCOLATE francez a 700 e 800 rs. a li-
bia, e em porc3o a 6 )0 e 70j rs.
dem suisso a 1 j a libra.
dem de musgo a 10300 a libra.
Chouiucas muito novas a 800 rs. a libra.
Caf a*2tt) e 200 rs. a libra, e em porco
se far abatiment).
Ideal de primeira qualidade a 70000 a ar-
roba.
Conservas em f- ascos a 320 i s. cada um,
sao muito novas
dem inglezas, frascos grandes.
Champagne de todas as marcas.
Champe de grosella, orchata, etc., etc.
Chicaras e pires a 10-iOOa duzia.
Cerveja da superior marca Tenente a 500 rs.
a garrafa, e em duzia se faz grande aba*
tmenlo.
Ilem Victoria Bas tres X e de outras marcas.
Ciiaultos das mais acreditadas marcas, co-
mo sejarn : Normas d'Ilavana, Expsito,
Flor do Brasil, Parsienses, Delicias, Gua-
nabaras, Trovadores, Regala, Mississipes,
Paneleros, Apraziv.;is, Vrelas, Brasilei-
ros. Americanos, Fluminenses.
Cha de todas as qualidades e de todos os
precos, hysson, huxim, aljfar, preto, e
pre'.o poata branca, ele etc., a 20000,
202 0,20560 e 20800.
Copos lisos de todos os tamanhos de 120 a
320 rs.
dem lapidados de todos os tamanhos a du-
zia a 20300, 30300, 40 e 50.
Clices do todos os tamanhos.
Cognac superior a 10 e 10300 rs. a garrafa.
Cigarros do Rio, pardos, a 8) rs. o mar,"
de cinco maeinhos.
I
D0GE5 de todas asqualiJadcs : brasileiros,
portugue/.es, inglezes, francezes, etc. etc.
E
ERVILHAS seccas a 120 rs. a libra.
ervadoce a 403 rs. a libra.
FARINHA S S S de 8 libras para cima a 120
rs. a libra,
dem de aramia a 320, 400,500 e 810 rs.
Figos de comadre a 160 rs. a libra.
Feijo verde em latas a 600 rs.
Favas em latas a 600 rs.
Fcmo do Rio a 500 rs. a libra,
dem americano em latas a 20. .
Farello ha sempre em deposito de 500 a
800 saceos, de todas as qualidades, de to-
dos os tamanhos e de iodos os precos.
G
GOMMA a 50 rs. a libra.
dem a 14.0 rs. a libra, muito alva.
Grao de bico a 120 rs. a libra, e em porco
se faz grande abatimento.
Genebra de laranja verdadeira a 10000 o
frasco.
Graixa em latas, muito nova, a 80 rs. cada
urna.
K
KIRSCH de Wasser a 20 a garrafa.
L
LATAS com graixa a 80 rs cada urna.
Lethia a 400 rs. a libra

MANTEIGA ingleza e franceza de pimeira
qualidade a 10, 10120 e 10280, em bar-
ril se faz grande abatimento; a que ven-
demos por 10280 a lib a, vende-se em
outra qual^uer casa por 10400 e 10300.
Marmklada dos mais acreditados fabricantes.
Macarro e talhrim a 320 rs. a libra.
Massa de tomate a 600 rs. a lata.
Mostarda ingleza a 800 rs. o frasco.
Momo inglez de todas as qualidades.
Marrasquino verdadeiro de Zara a.....
Massas finas para sopa branca e amarella a
60 rs. a libra, em calas com 9 libras a
30500
Miliio paingo e alpista, sendo mais de 8 li-
bras a 100 rs.
M
NOZES a 120 rs. a libra.
Nabos em latas a 800 rs.
O
OsiRAS inglezas e americanas.
P
PEIXE em posta, latas grandes, a 10 00.de
todas as qualidades, como sejam savel,
goras, corvina, parg\ salmao, pescado e
pescadi iba, linguado, sardinha. etc., etc.,
Peras em latas, excellente preparaco.
Palitos para denles a 120 rs. o maco muito
grande.
Passas em q larto a 10 400.
dem muito novas a 400 rs. i libra.
Pomada muito .nova a 280 rs. a duzia.
QUEiJOS flamengos.
dem prato a 800 rs. a libra.
dem snissos a 800 rs. a libra.
dem londrinos a 800 rs. a libra.
Qiartiniias ou orinques a 60, 80 e 100 o
par.
R
RAPE' Meuron a 10 a libra,
dem Princeza do Rio a 10200 a libra.
dem francez a 20500 a libra.

SABO massa a 160 rs. a libra, em caixa se
faz abatimento.
Sal refinad > em frascos a 500 rs.
Salame de Len a 25.
Saudi.mias de Nantes de todos os fabricantes,
dem de Setubal em latas muito grandes a
720 rs.
Steari.nas a 600 rs. o maco.
T
TOCINIIO de Lisboa a 320 rs. a libra.
Tomate em talas a 600 rs. *
Tinta azul e preta para escrever.
VINHOS!
Principe Alberto, de 1831, a 50000 a gar-
rafa ; d vida aos velhos.
Velho secco a 20 a garrafa.
Lagrimas do Douro a 10300 a garrafa.
Duque do Porto verdadeiro a 20 a garrafa
Duque a 10 e 10500.
Cltamissoa 10, 10200 e 10500 a garrafa.
D. L'uiz a 10 agarrafa.
Moscatel verdadeirif de Setubal a 20 a gar-
rafa.
Carcavelos a 10.
Colares a 900 rs. a garrafa; o nico vi-
nho que se. pode beber por nao ter com-
posico alguma.
Lanterne a 800 rs. a garrafa.
Bordeaux Medoc a 800 rs. a garrafa.
dem S. Julien a 600, 800 e 10 a garrafa.
Absyntho a 20 a garrafa.
Kirsch a 20 a garrafa.
Wermouth a 20, e a caixa a 180.
Bitter Maurer a 10 a garrafa,
Grave a 803 rs. a garrafa; vende-se por este
preco por haver sempre em deposito 50
duzias.
De caj, de 1852, a 10200 a garrafa.
Velho do Porto, em ancoretas de 9 caadas,
a 35000o ; vinho que, estando engarra-
fado, vende-se a 10280 e 10500 a garrafa.
Senhore7 Cc nhoras, o aceio qne
rezacom que ser5o trah-f -onvida a urna
_ra dos gneros que precisarjja e quando
os serao to bem servidos como se viessem
P ta prrle.
Mmteiga ingleza especialmente escollada a
l.ooo e 8oo rs. a libra e em barril se faz
abatimento.
dem franceza a mais nova do mercado a 96o
rs. a libra e 90U rs. em barril ou meios.
Cha hysson de supe.ior qualidade a 2,600
rs. a libra.
Cha perola o mais superior do mercado a
2,8oo rs. a libra.
dem hysson muito superior em latas de 15
libras muito proprio para negocio a 2,ooo
rs. a libra.
dem hysson nacional em latas de 1 e 2 li-
bras a 1,6oo rs.
dem preto o que se pode desejar neste ge-
nero a 2,ooo e 2,2oo rs. a libra.
Linguigas muito novas a 8oo rs. a libra e em
barril se faz abatimento.
Chouricas e paios a 8oo rs. a libra.
Costelletas inglezas a 64o rs. a libra, serve
para temperar panella ou para fiambre.
Queijos do reino chegados neste ultimo va-
por a 2,2oo rs., ditos de navio devella a
2,ooo rs.
dem londrinos muito frescos e de superior
qualidade a 8oo rs. a libra.
dem prato a 8oo rs. a libra, e inlero se faz
abatimento.
dem suisso o mais superior que tem viudo
ao mercado a 64o rs.. a libra.
Ervilhas e favas portuguezas j preparadas
em latas hermticamente lacradas a 64o.
Feijo verde muito superior a 640 rs. a lata.
Copos lapidados para agua a 5,ooo e 5,5oo
rs. a duzia.
dem idem para vinho a 24o rs.,e2,4oo rs.
a duzia.
Chocolate francez hespanhol e suisso a 9oo,
l.ooo e l,2oo rs. a libra.
Espermacele superior a 6oo e 64o rs. a li-
bra e em caixa se faz abatimento.
Peixe em posta em latas hermticamente la-
cradas e da? melliores qualidades de pei-
xe a 8oo, l,ooo e l,2oo rs.
Vinho Bordeaux das marcas mais acredita-
das que vem ao nosso mercado a 7,ooo e
8,ooo a caixa e 6 4o e 7oo ris agar-
rafa.
Genebra de Hollanda a 48o rs. a botija de
conta certa.
Frasqueirasde genebra de Hollanda a 6,8oo
e 64o rs. o frasco.
Genebra de laranja verdadeira em frascos
grandes a l.ooo e I l.ooors. a frasqueira.
Caf do Rio de Ia qualidade a 28o rs. a li-
bra e 8,5oo rs. a arroba.
Caf do Cear muito superior a 24o rs. a li-
bra e 7,5oo rs. a arroba.
Arroz do Maranho de Ia qualidade a loo
rs. a libra e 2,8oo a arroba,
dem da India a loo rs. a libra e2,8oo a
arroba.
dem de Java a 8o rs. a libra e 2,ioo a ar-
roba.
Painco e alpista a 14o rs. a libra e4,oooa
arroba.
Massa de tomatesde superior qualidade a 0 4o
rs. a lata de urna libra c56o rs. a reta-
Iho.
presidio aos arranjos deste novo estabelecimento, e mais que tudo a promptido e intei-
visita ao mesmo, certos de qne sem duvida me danto a proteceo e preferencia na com-
naopossam vir podero mandar seus portadores, ainda qne estes sejam pouco praticos,
pessoalmente, havendo para com estes toda recommenda;a'fl, afim de quenov3oem
Aletria, macarro e talhrim a 4oo rs. a li-
bra e 6,ooo a caixa.
Massa para sopa : estrelinha, pevide e rod-
nha branca ou amarella a 64o rs.a libra e
3,5oo a caisa com 8 libias.
Vinho do Porto muito fino proprio para
engarrafar, em ancoretas de S caadas a
35,ooo rs.
Vinho em pipa : Porto, Figueira e Lisboa a
32o, 4oo e 5oo rs. a garrafa, e em caada
a 2,5oo, 3,ooo e 3,8oo.
Vinho branco de Lisboa de excellente quali-
dade a 4oo e 5oo rs. a garrafa e em cana-
da a 3,ooo e 3,5oo.
Vinho branco para missaemcaixas de 1 du-
zia a 8,ooo e 68o rs. a garrafa.
Vinho do Porto das melliores marcas que
vem ao mercado como sejam : Lagrimas
do Douro, Duque do Porto, Rainha de Por-
tugal, Duque genuino, D. Luiz 1, Madei-
raSecca, Malvazia fina a 16,ooo, 15,ooo,
12,ooo e 1 o,oooa caixa com 1 duzia e9oo,
l,ooo e I,5oo rs. a garrafa.
Vinho Cherexde superior qualidade a 16,ooo
a duzia e l,5oo rs. a garrafa.
Sardinhas de Nantes a 4oo rs. os quartos e
64o rs. as meias latas.
Bolachinhas inglezas muito novas a 5,ooo a
barrica e 320 rs. a libra.
Bolachinhas de soda em latas de diversas
qualidades a l,3oo rs.
! Cartoes com bolo francez muito proprios pa-
ra mimo a 64o rs.
Passas muito novas em caixinhas enfeitadas
para mimo a 3,ooo rs.
i Passas de carnada a 8,ooo a caixa e 4oo rs.
a libra.
Figos de comadre a 24o rs. a libra.
: Amendoas de casca mole a 4oo rs. a libra.
1 Milo de amendoas a 5oo rs.
Bolachinha d'agua e sal, da fabrica de Joo
de Brito no Beato Antonio, em lata de 6 li-
bras por2,5oors.
Ameixas francez s em f asco de vidro com
lampa do mesmo, a 103oo.
Ameixas franc zas em c; ixinbas de diversos
tamanhos com bonitas estn pas na cai-
xa exterior, a l,4oo, l,6oo, l,8ooe 2,ooo
cada urna.
Azeite doce refinado hespanhol ou portuguez
a 9oo rs. a garrafa e lo:ooo a caixa.
Batatas muito novas a 8o rs. a libra e2,5oo
o gigo com 36 libra.
Conservas inglezas a 75o rs. o frasco e
8,3oo a duzia.
; Vassouras de escova para esfregar casa a |
4oo rs.
Nozes muito novas a 16o rs. a libra.
Molho inglez em garrafa de vidro com rolha
do mesmo, a !6o rs.
Mostarda ingleza dos melliores fabricantes,
i a 8oo rs. o frasco.
Mostarda franceza em potes j preparada a
4oo rs. o frasco.
Lentilhas francezas. excellente legume para
sopa, a 2oq rs. a libra.
Marrasquino de Zara propriamente dito a
10 a garrafa e if.ooo a duzia.
Palitos de dente a 14o rs. o maco.
Sal refinado em frascos de vidro com lampa
do mesmo, a 5oo rs.
Cerveja branca das marcas mais acreditadas
que \em ao mercado, a 5oo, 56o e 64o
a garrafa, e 5,8oo, 6,ooo e 6,5oo a du-
zia.
Cevadinha de Franca muito nova, a 2oors.
Charutos do aflamado fabricante Jos Furta-
do de Simas, das seguintes qualidades:
'Exposicao Normal de Havana, Imperiaes,
Londnnos, Guanabaras, Parisienses, Sus-
piros Delicias, a 4,ooo, 4,5on, 5,ooo,
6,ooo e 7,ooo a caixa ou em meias.
Charutos finos de diversas marcas e fabri-
cantes, como sejam: Flor do Norte, Ma-
nchas de Havana, inlervallos,Vencedores,
Panalellas e Suspiros, a2,ooo,2,5oo e
3,ooo a caixa.
opnac inglez das melliores ir arcas, a 8ooe
l,2oo a garrafa.
Doce da casca de goiaba a 2,ooo a lata com
4 libras.
Farinba de araruta verdadeira a 32o rs. a
libra.
Matte,excellente cha para os navegantes, a
2oo rs.
Sebollas de Franca muito grandes e novas
a l,8oo o cento e l,2oo solas.
Palitos do gaz a 2,2oo a grasa.
Toucinho de Lisboa muito novo a 32o rs. a
libra e 8,5oo a arroba.
Banha de poico refinada a 63o rs. a libra.
Bolachinha Alberto, as melhores que pre-
sentementetem viudo ao mercado, a 2,ooo
a lata.
Farinba do Maranho muito alva e cheirosa
a 2oo rs. a libra.
Frascos com fructas em calda de diversas
qualidades a 2,Soo e l,5oo o frasco.
Caixinhas com fructas em doce secco de di-
versos tamanhos, muito proprias para
mimo, a I,6oo, 2,6oo e 3,5oo cada urna.
Ruibos, excellente peixe portuguez, em
barris pequeos ou a retalho, a vista se
far o preco.
Azeitonas de Rivsscm ancoretas grandes de
8 garrafas por 6oo e 8oo rs. a garrafa.
: Azeitonas portuguezas a 5oo rs. a garrafa e
l,5oo cada urna ancoreta.
Champagne da mellior qualidade que vem
ao mercado, a 2,ooo e 3,5oo a garrafa, e
24,ooo e 26,000 o gigo.
Gomma de engommar muito alva a 12o rs.
a libra.
Figosemsextinhas a 8o rs, cada urna e 72o
rs. a duzia.
Papel azul para botica a 2,ooo a resma.
Balaios para ronpa suja, grandes e peque-
nos, por diversos precos.
Amendoas confetadas a 64o rs. a libra.
Latas com fructas em calda: pera, pecego,
damasco, rainha Claudia e cereja, a 8oo
rs.
Vinagre de Lisboa a 2oo e 28o rs. a garra-
fa ea /ioo e 2.ooo rs. a caada.
Azeite doce de Lisboa a 4,8oo rs. a caada
e 640 rs. a garrafa.
Vinagre branco engarrafado a Bofl rs. a
garrafa.
GRANDE
Pha rol fio com m-r ci
Ra do Rangel u. 73.
O firopriciario desie wtoiiilttli ..' .?: to
ra de avisar aos eu* fivgui-z | ... rtm-
de redurjao uos pr*(osde >eus $- .^~,
ra (jualidadp : mancipa inglt/a I -,.
lilira da uliinia cliegada ao M*
franceza a 900 rs. c em barril se li atakM -.
queijos flainengS novos a 2:M)0, dii ';. o cae
si' uu'le desojar mi inud-iile a 800 -
a.-i.eixas fianofza ramnlus a !'
1, fra.-cos de ditas IfiitiO.grandts .13 r^*
1 ara mimos, niaimtiaila oa* nl!,ri- '.i-.:;asa
u40 rs. a libra, ameniloas toateiuda* para mIk
de S. Joo a 640 rs., vdio duPuri.. * ,id 7rs
a (trrafa, Figueira e Li>boa 40o.\\i\, .'PO w,r
tm ranada se Ui o abaiimcnl. ram !--ata
com 2 arrobas pnr 3J5H0 e a libra W r w*m.
caf 1" MTtc lmo -. 7321 O e a libia a :f ttC
bolachinha ingltza :> 2 O rs. a libra. 1
Lisboa a 360 rs a libra. vla< di can 40H
rs., ditas estearinas finas a 60> rs., *
gue a 600 rs., alpiMa a 3$uO a ar'. I.,
a libra, pane a i a dila e 110 1
DO a 3^900, 257OO e 2?O, frnfi fe a
640 a lata, pmma a 100 rs. a lil r* 1 -i "
roba. bolliiilKjs ingieres lata de t ul r- .. i^iSU.
ditos de soda grandes 2IU0 e ol
ros que se torna enfadotih<; m>r ri. r.:
lario esj era a conrurrciicia 1!. 1
garanlindoa cnactiiiiii. do qne traisr.
\eudse uina cachorra nfima, ra> jixa.
muilo rateira : quern |>reiendr i- >
Cordjniz n. 7.
SCHAVC! mHx-L.
Escruto fitgi o
I Ainda esta fgido i> t.-rravo Mm< el. .r,.:j, ror
fula, estatura regui; r, olbar espinudo, .-.u^, mm-
co, e falundo-lhe 'l.u- lenles u Iri n:. 1 Sa
poucos mezes de rfiwafWpi para 1 i.;:a
sqsl, JaJga-M andar arla roa ..'^ Carne n --
Amaro, Olinria : qoeooargar, madiza-j a r
; da Madre de Deus ti. 32. qt:- r,ra i>> :,j^.-sm
Fogio no dia 16 do correnle a rra* wto-
la de BOOM Suzana, idad<- 40ar.ni . na; mr-
nos, baila, cliiia d-i corto, rom bita ' H aa
I frente, cabella estilados, leva* -e-n.1, . ua
1 escura e panno da rota : r ga-se o '..<>
policiaes e capitao ib-i-ampo si; rapl
! parem-na a piac,a da Imiepend- ira M ti * 16
Proiesia-se contra fjua'qotr pr.-soa ^r..
1 acoulada.
PDgio elli pril.iipius um ni,-; . -
correnle anno e consta star aroana >*;
o moleque Euzobm. eseravo na nm% .
nand Aifonsuile Mello, u- 12 au . n l *
eo mais ou mw, cor 1 ntt, arcta ia mr| u^aa
regulares e afuma';ai!o-. al.ra mi; _-ra
le meia chata, beic> tino, rirMn I
seccoM-muilo lad'u.. : ruga-sr poi anii
I autoridaies policiar- cai>itaeir ca. 1. w *t-
prehendam e levem-o a roa ra Mar vt.. ir -: ism
n. 6 que serio fralWratb, proarsa -
meios judiciaes contra qaalqiiri pe*
em seu poder.
AU-cliP.U-.-e
r r.;
A
RIVAL
l&ua do Qneisnado na. 49 e &&
Contina a vender lodas as miudezas que abaixo
declara por presos admiraveis.
Massos de palitos lixados para denles a 100 rs.
Espelhos de molduras douradas a 200,240 e 320 rs.
Uonels de oliado para meninos a 15000.
Ditos de couro superior fazenda a l^oOO.
Frascos com superior tinta rocha a 240 rs.
Meiadas de linha froxa |iara bordado a 20 e 60 rs.
Babado du Porto, fazenda boa, vara a 80, 100 e
140 rs.
Varas de franja branca estreita a 40 rs.
(,'aixas com 100 envelopes, fazenda fina a 600 rs.
Grozas de penbas de ac, fazenda superior a 500 rs.
Duzias de meias cruas" encorpadas para hornern a
35000.
Grozas de botoes madreperola finos a 500 e
e 640 rs.
(Jaixas com 50 novellos de linha do gaz a 700 e
900 rs.
Calas com superiores obreias de cola a 40 e 80 rs.
Pecas de fila branca elstica com 9 varas a 280 rs.
Varas de franj-i de la para enfeites de vestidos a
40 rs.
Baralhos dourados superiores qualidades a 400 rs.
Novellos de linha com 400 jardas a 80 rs.
Litos para assenlos de roupa lavada a 100 rs.
Pares de boloes para punho, fazenda rica a 120 rs.
Tesouras para costuras superiores qualidades a
400 e 15-
Caixas de pennas de calligraphia, fazenda boa a
15000.
Massos com superiores grampos a 30 rs.
Pares de sapatos de tranca e tapete a 15)00.
Pares de sapatos de tranca para meninos a 15 e
15280.
Caixas com superiores agulhas a 240 rs.
Libras de laa sortidas de bonitas cores a 75000.
Caixas com superiores obreias de massa a 40 rs.
II idinhas com alfmetes francezes muito superiores
a 20 rs.
Resmas de papel almaco a 25400 e 25800 rs.
Itesmas de papel de peso fino a 25000.
Gscovas para roupa, fazenda boa a 720 e 15-
Duzias de tesouras com toque de ferrugem a
600 rs.
Duzias de facas e garfos de cabo preto a 35000.
Talheres muito floo para crianzas a 240 rs.
Vinho do Porto especial.
O mais generoso e genuino vinho do Porto, mar-
cas novas e especiaes em caixinbas de 12 garra-
fas, sendo marca Rainha de Portugal a 185 a cai-
xa.e Pedro V a 165, em pr5a far-se-ha um aba-
te razoavel : no armazem de Ferreira & Matheus,
na ra da Cadeia do Recife n. 66._______________
Lagdo para falcadas.
Vende-se mnito bom lagdo para cal$ada ear-
mazens chegado agora : a tratar n ra do Apollo
n. 4.
E> m. mJ \J.
Ueite doce refinadoem pequeas latas a 560 rs. a garrafa : no graud armazem
da Liga.
Saceos de 80,100 e 120 libras a 40,40500 e 55 ; no grande armazem da Liga.
W>V.wSlc..'; :.' Kici'iSr.fe: ta ^- SSJ 3WS2V.*-*J W.i tr-:
'
Madapolo muito fino com pequea toque de avaria, por preco que admira : na loja .;
?^ das columnas na ra do Crespo n. 13, de Antonio Corma de Vasconcellos & C. jj,
Grande sorlimento de roupas feitas de to-
das asqualidades,
Cal?as de casemira a 65 e 75500, ditas pretas a
65 e 85, caigas de ganga a 25 ,15800 e 45600,
ditas brancas a 25, brim de linho a 35, 35500 e
45, paletots do alpaca branca a 45500, ditos pretos
a 35 e 35500, ditos de alpaca de cordao a 45- e
de listra de seda a 45500, ditos sobrepasaros a 55,
paletots de casemira a 55, 55500, 65. 85 e 95,
ditos sobrecasacos pretos a 125, 13 e 165, ditos fi-
nos a 255, de cores a 135. ditos fraqnes a 145,
paletots de ganga a 35, 25500 e 25, ditos de brim
pardo a 35, jaquetoes de brim pardo a 35, panno
preto fino a 25. 25600, 35500 5, 45500 5 e 65 o
covado, moreantique preto a 25600 o covado, gros-
denaple preto a 15500, 15800, 25, 25200 e 25500
o covado ; e ontras murtas mais fazenda; que se
deixa de annunciar, e manda-se levar pelos caixei-
ros da loja da arara casa dos pretendenles. O
e tabelecimento est aberto al as 9 horas da noite,
ra da Iroperalriz n. 56, Mendes Guimares.
Chegaram os superiores
cortes de seda
Superiores cortes de seda de cor, vindos pelo
ultimo vapor francez : na loja das columnas a ra
do Crespo n. 13, de Antonio Gorma de Vascon-
cellos & C.
Farinba de mandioca fina e alva, mais bara-
ta do que em qualquer parte, arroz da Ierra pila-
do e em conta : para ver e tratar, na ra do Vi-
gario, casa n. 29.
Francisco Jos Germano
HIA SOVA X. ti,
acaba dp receber um lindo e magnifico sortimento
de oculos, lunetos, binculos, do ultimo e mais
apurado gosto da Europa.______________
AYVINCA
Jolas preciosas c objeetos de
onro.
Mauricio Selbeberg & C, Polacos, ltimamente
ebegados a esta provincia, ofTerecem ao respeitavel
publico um grande sortimento de joia?, brilhantes,
relopios e muitos oljectos de ouro, por preco o
mais razoavel possivel, e mesmo troca e compra
objeetos de ouro, prata e diamantes por objeetos
novos: na ra do Qneimado n. 29, entrada pelo
largo de Pedro II n. 27, de manha at as 9 horas,
e a tarde das 4 hora; em diante. Os objeetos ven
didos pelos annuncianles sao garantidos por e les,
e estao promptos para levar objeetos s casas das
peisoas que desejarem comprar, urna vez que nao
possam vir a seu estabelecimento.
da casa da mtfalr-fieratfor n. 16. ;! i
do, criouln, rheio < c p<, altuia i n
eomprido, olbot pequen e p< tea l. rl a. i h
sa e bigode, bastante I dii.'. i ,..- il
asnos, poom mais >u n nea, i |aajia-
calca prela e easiiaa braLra : i al i -i r. \ r.., ..
piado a<> Sr. c r* bel Gaivi.. < I.m. m par -
de se jalga taoha futid', na? h? um
visto na Pas.-agcn- ,. 5..f zea; e como se (ircuiria roi .
protestase proceder onlra qinm
e nede-M a qoen delle der noiirla n
que ilirija-se a sibji'Oiin ri-a. < t> :. i
n. 13, que ser reo rr. i un
Pofio em principi de iMfc ti poe-se vagdeia pela cidade do Ri cif
i.ios, o moleque Hanoel. rrioolo, ajoc <
ter a Idade de lo" ai.' -. i a o -;
una ricf triz no dedo pellefar da a ii
veniente do ooi panari 'io : i- v, a r r
de alpodozinlm gr - : qrj ,. i
intriga lo no I* an lar do v Irado n. t7. n^ afana
iln Corp' Santo, ou r sillo do Sr. Dr. Aoga de Oliveira, naPoote.de LVW
sr.do.
No diaSOde j.:;i: j i. x i. i; :",: -m
do engenho Cotov lio, situad la i I rz-.4n
provincia da Parahiba, den* earraa ana
Je neme Zacaras, de IdM :l i
mais ou ommmm, e*l baia, ;. I rana
acanpalhadas, cabellas pretoi rrea| -. r -' ?-
prido e piedo d Lexiga, aen bat daa>
lo ; o outro de n bu V nam u ..' i ";&#,
pooco mais uft li:- il utn i fe
(orpo, cabellos c m aa, r i i vatv
rlo, sem barba, lamben I MaaMr : qu-o t
ipprehendtr e li' r .^^
>i ua casa e det-ir.-f. j .i- >in rrrtaia, mi* reata
pensado.
Anda fuiiido na fregoezu u lea-Thlne
jirrabaldi-s, um escravo, paraV, .Jad- 30 anana, n>
tidlos reste, reforrado d i ati m-- P.uto:
rjuem o pegar leve-oa ra .: Llvrar.euto n. ,
ijue sera recorr nn-ad'.
Mu lu i ii: o fgida
Dcsaptiareceu des. 13 isbon pa*-ado. casa de seo senhor. Dr. Fer.eln Air
niulaiinho Adi>l[-hi. idade. i mes r. ai.- oa ataan,
li aunos, bailo, gr --.:-; o o..-. i ih P .-
iles, cabello Corr 1A. !er.! 1:1:: lnl>> no alio i. *-
hega, um dos denles ja IreUa .iv la do lado esquer Jo quebrada : quena Vlle er
noticia ou o posta Marrar, I raasv-s ma Far-
inosa o. 15, ou a ru* do AanH :n n. 54, sera gra-
liticado geiiero^anienir.
o dia 20 do corrate, peina 9 horas da nat-
o, fugio da casa do abaixo aatignas, no Cajunra.
n. 8, urna sua esema molala. de idadr d' 20 a
22 annos, de nome Mara, nat. d-sti aaaaaaaa,
a comprada acerca de ira Masa a Liuz Anearte
de Carvalho ; levou vestto resaa de u-o de"
mas provavel qM mudas*-* p"r ir manida i
ira mais lur-pa. e eteteM e mu! i conneri-la
praca e tem algtin.- tratan as solas dos pea,
que faz ella nao pisar bem : qu m a pegar e nasal
a referida casa sera gratlBrada. ;r"i''tanaaae
desde j com todo o lijar da lei roatra fr*m a
liver acoulada.
______________Frar. .-' i -. Ja G)ta Arabji.
v
1UkD(ftt
zlcham-se Ofidos esersv srgoinl^: Bea-
to, pardo, alto, m r : -
ha, testa larga, falla nm pooco de-cancada ; eLarr.
crioulo, altara regular, barbado, e ja rom alnas
cabellos brancas, corpo regalar, basianle rabei.'s#j,
falla grossa, e as vezes finge*0 naco : portanse
ede-se as Mdorldadoa potietaei e aos eapiites da
campo que os facam apprehen ler e rondnzi-los
casa de seu ser.hor, o major Antonio da Silva Gaa-
mao, na ra Aagu*ta n 9%, ,n era > generaan
mente recompensados, e hes pagara (oda di ama
que fizerem com a asa condaeco : snppsesc san
lies terao ido em seguimento para os sertins or
serem fllhr.s deseas lagarea.
Aviso aos capitles de
campo
Ausentoa-se o aaersfS Manoei qae ja lo escla-
vo do Sr. Joao Ferreira Tab-v* s-nhor do eateass
Vertente da comarca de C rnar, e denes Je
sea Albo Joo Perreiri Taboza Juniur rend Se
engenho Rede de Saulo Anto. rojo eserava lean a>
*ignaes aeguistes alto, pooca barba, US) 4b
deotes na frente e i mellior signa! e ler aa
estofados para fon bem ?isivel : qjaest a
leve-o a roa estrena do Rosario o S, aa
bem recompensado.

-----------
I I
1% #1


Diarlo de rernambuco Sabbado 93 de Julho de 185.
JOBISPaDEHGIA
.'<. sessio Jo 1!) Jo
i :.jtilias quo diziam
Nata audiencia havia anda raaior namero de
senhoras do quo as outras.
Asecretria da guerra receben de Richnod
dnasg/aaies caixas cheias do correspondencias
particulares de George Sanders.
No dia 21, por ser domingo, descansou o conse-
. Iho. S f:iliam as testemunhas da defeza. J se po-
de apreciar a culpa de cada um dos accusados, as
! prora? que se prodiuirem s serviraopara attenuar
ESTADOS LSIDOS.
Proeesso dos assasslaos de iJu-
coln e Seward.
CONSELHO DE GUERIl.Y EU WASHINGTON.
(Continuarlo.)
maio foram perguntadas as|a. accus'a V,"'
a pe i Segundo a ordem ponina os reos estavam sen-
P ^tV^^fc***^^***** era Harold, companheiro lose-
i nraa sobre asa. rlmtoalida le. Payneim-; DarJlw|> Qmbn fl a|m> Jamna ^ ^ ^
p bavel at entao, ouv,do as testemunhas, da ^ ff fra ^.^ a duvida ^^
Ja se alguma cousa convido e revelen na lJnm par|e Qa f() e ^ q
>*>mia alguos raov.mentos de lalelligenea, De.de fevereiro que tinha relacoes secreas nao
i 1 antes nao linha dado igual. Parece so dar
ar .10 a urna ecusa, nao 6 se as testemunhas o
- : exactamente como ellas se passaram. Payne trazia
re Camisola de lia; mas n conselho tez retirar
I" ir ora momento as testemunhas, emandou vestir
ao i 'casado as duas sobrecas.icas e por o chapeo,
que se encontraram na casa de Seward, o que so
ret onecen seren delle^,
O criado mulato, logo quo entrn no tribunal,
exciamon : Ello bem me conhece. Se confessou
lodo, i'Odetn perguotar-lhe se nao fui eu que Ihe
.ii,!': a porta.
E-ia exclaroagao, proferida cora urna franqueza
(aveoil, provocou .1 hilaridade geral, al do propro
P !, qoe vestido como estara pareca outro ia-
tBirameote. Tioba ama preseaca menos vulgar e
b todo mimos selvagera. fleeonheceram-se as
1 qae trazia quando foi preso, eram tedas por
.Bootii, cujo nome eslava escrlpto no forro interior
do catino.
Uma declaraco do urna testemnnha descobrio
nraa cootradieeio no eomporlameoto de madama
Surratl, que a compromette.
Na noite da priso de Payne e na aeareago dos
diese ella que nunca tinha incumbido traba-
liio algum aquello homem, e que era mesmo o
cooh seta, ao passo que tlcou sendo bem notorio
I ; elle estlvera hospedado em casa della. E' ver-
ta i |tie ento era meia-nnte e Payne eslava dis-
:j.', o coa] (acto de operario, com nmalvHos
-. e tiotaa a eara e as mos c'bertas com urna
untuia que poda t-:>rua-lo deseonhecido.
Ni audiencia do dia 20 bonva ara incidente inte-
res-ante. O assistente secretario de guerra. Dana
a!>r:-ntou un apparelho, encontrado no gabinete do
iroal, por meio de nm certo m-onanismo, traduzia
a 3 nota vulgar era urna lingukgem de convengan
o vico-versa. Igual apparelho se achou na mala
t!e Booth.
O uiajor Bekert, addido a reaartieo da guerra,
fu chamado para sxtminar as duas machinas, e
iroa que .-. de Booth er:. idntica de Mr.
m 1. Sendo Ihe pergantaio se de lempos em
js !he forana dados par., examinar oulros des-
; apprehendidos e fe-t.'s com signaos to con-
". .' disseque s'.m.
1-'. Teni em seu poaer os despachos de lie 19
ou oolubro?
R, Tenho as copias.
inierrompidas com Booth, e Aztoroth. Mais tarde
foi visto em caza de madama Snrratt com elles, e
depols com John Surratl e Axteroih, foi a loja do
bebidas de Lloyd, em Surrattsville, e ahi deixou
as carabiuas para as ir buscar na noite do assas-
sinato. Aeompanhou Booth na fuga, encontrn os
soldad js confedralos e disse-lhes quo Booth e
eile eram os assassinos do presidonte ; finalmente
foi preso na granja Garren pelos soldados que o
cercavam. tfio ha prova alguraa da parte que
elle tomou na execugo do crime ; mas ludo con-
vence que elle ajnJou a prepara-lo e quo eslava
iniciado nos segreJos da conspiraejfo. Nao 6 pro-
farol -fue sejam admittidas rircumstancias atte-
nuanles a seu favor, e por isso pouca duvida pode
haver sobre a sorie que o espera.
Segu se Payne. Este nao tem nada a esperar
e ser dilUcil imaginar o meio pelo qnai escapara
a forga. Inlroduzio-se em casa de Seward, abri
o crneo de M. Freierico Seward, apnnhaloa o
moribundo no seu leito, ferio Mrs. Augusto Sew-
ard, H. Hansell, e G. F. Romson. Foi a fera que
atacou quando se Ihe apresentava dianto ; lo bru-
tal se mostrou que nem mesmo a paixo poltica
Ihe serve de desculpa, nao passa de um instru-
mento de morte, urna machina fatal sem concien-
cia, materialmente organisada para assassinar.
Ninguem o conheceu, nem sabia d'onde veio,
onde eslava, e o que fazia antes do.ser conlraado
para crime ; foi visto pela primeira vez em mar-
co, em casa de madama Surratt, onde j usava de
uui nome supposto, chamava-se eotao Vood. Na
mesma poca tomou um quarto de meias com O'
Laoghlin em urna casa do hjspedes na ra D., o
foi ahi que come^ou a ter relacoes mais frequen-
tes com Booth. Esteve l tres semanas. Em
lodo este tempo s appareceu duas ou tres vezes
em casa de madame Surratt, onde se inculcava
como pregador calholico. Um da !oi visto mane-
jando facaspunhaps sobro urna cama com John
Sarratt, como para se exercitar. Mais larde ap-
parece no hotel Herndon 011 le recebia visitas de
Azterolh. Drsde entao nao houve mais noticias
d'elle at fatal noite em que se cevou com san
gue humano. Dois dias depols, levado mesmo pe
la faialidade, veio a casa de Surratt cabir no meio
Jos oIBeiaes que a visitavam ; eslava disforzado,
coberto de lama, com as mos e a cara besuca-
das com urna untura, que o desfiguravaro comple-
tamente. Foi entao preso, acareado e reconheeiJo
nena mesmo pode recorrer mentira para repellir
as pravas que o esmagaro. A sentenya est lavra-
da. Sera curiosa a deesa do seu advogado.
Azleroth tinha a parte distribuida na conspira-
cao e a sua miss.io eslava preparada. Provou-se
que liaba relaces com Surratt, com Booth e com
Payne. Elle era quera devia matar b vice-presi-
denle. Na vespera do dia litado tomou um quar.
tu no hotel HirkwooJ por cima do que oecupava
M. Johusoo. Nao dormio l. Entrn de da, sahio
as 0 horas da tarde e nao apparecea mais. S'es-
le quarto foi enejutrada urna mala com payis,
pe tencentes a Booth, urna pistola e urna grande
! faca punhal escoudida na cama. Nao se sabe a
raxSo porque nao cumprlo a sua missao, talvez
fosse por nao ter preversidade ba>tante, ou fallar.
Ihe a resoluyao; o que cerlo que nao leve obs.
taculo algum nem causa iudependeule da sua von-
tade que Ih'o impedase. Mas evidente que eta-
aaxi io mencionado no nosso animo aespacno. nm- va inidado ,,0 plaQ e qU(J cou,rjbu0 para 0 pre.
c nbe explicar Isto. As cifras do excreto yankee 1 ptWi e pdo meuuS n-Q lomou uma ^
.vanas at urna anidada O seu arrugo deve, na na(j||fija ^ ^^ Sfir.lha.ha ,eyada
operar iinmedlaiameme em conformidade com as con|a Mn0 crcaaMto||0ja
P. Sao escriptos pelo m
'. >eloqoa sita, podem faie|
, . palavras, us o princip
systeraa*!
r difJereoca na cha-
l '' o mesmo.
P. Forara traduzidos sera haver conhecimenlo
sntiia d.'sie instramento?
R. 5im, sonhor, foram traduzidos pelos ama-
nuenses.
E : a traduerao dos despachos:
< 13 de ootebro de 186i. .
Insistimos novaraeote na absoluta necessidade
de anbarmos algum terreno. Empreguo todos os
.ara consegairmos .a victoria. Temos por
1 eerta a reelelcao de Lln&lln em novembro, e
-linas derrotar estes m'rceniarlos antes que
tal aconteca. '.eleito Lincoln, e se seus exercitos
::: ,-erera victoriosos, nao (eremos nada a esperar,
a mesmo o recanhecimento, c anda menos o
sn instruc^'oes.
t 19 de outubro de 1863.
c Recebemos a sua carta de 13 do correle. Ain-
; 1 ha mmto lempo at ooverabro para se arranja-
r >-r uuitos votantes. Dentro em po-.ico aventura-
i um lance. Atada nao ' occasiSo propna. O
.....1. u treet deve ataca Sheridan sem de-
mora, depois dirigi-se para o porte o mais longe
'.el sobre os ponfos que nao eslivereffl protegi-
do:. Esle movimento se farem lugar do outro
ao riorraenle projectado. Ajudar os republicanos
a recolheros votos. Eslcja atiento e preale-lhe au-
xilio.
1'. O orignal fui mandado ao| seu deslino?
R. Foi.
P. D'onde vieram estes despachos?
R. O de Y veio do Canad o foi para Richmond,
e o de 19 v io de Richmond e f.u para o Canad.
Estes despachos ao tem rejagao alguma com a
alteuuante ?
provavel, o conselho decidir.
Nao
O' Laughlia nao leve um papel bara determina-
do. Parece que Ihe coube o assassinato do ge-
neral Grant 5 nao se sabe o qne Ihe faltou, se foi
a resolucao ou a opportanidada, ou talvez o-pro-
jecto nao eslava bem resolvido. Sabe-se que o
general Grant devia ir ao iheatro ; e que nao foi
por motivos Imprevistos,coasas de grande momen-
to o chamaram 11 repente a Pailadelphia. O' Lan-
ghiin tinha relajoes continuadas com Booth, Pay-
ne e mais con-piradores. Na noite de 13 de abril
foi visto a rondar na ante-cmara da casa de M.
S:..ton provavelmeote paia espreitar os movi-
meutos do general Grant. E' equivoca a sua si-
tuaco, com ludo nao ha pravas m.uenaes, que de-
terminem a parte de responsabilidade que Ihe
cabe.
Spangler era um dos machinistas empregados
chave daescripta convencional, que Booth possuia, ino movimento do scenario do theatro Ford. Booth
lyp i se aehoa na secretaria da guerra dos i a muiIa5 vezes ao lheatro enlrava a toda a hora
confederados. So apeoM um exemplo da iradnc- j n0 pa,C0; connecia todas as sadas. ordinariamen.
cao de urna lioguagem especial de que se servia (e entraVa pela porta trazeira.
u confederacao. 0 .. ,
% Spangler via-o la mullas vezes o Booth tinha
Muitas pessoas coaheciam esta inguagera, tanto c-m ei)e a|gllma f,mi|arjl]ade. dava_|ne 0 cavallo
a guardar ; Spangler lirava a sella eo freio, e mo-
o-. G tnad, como em Richm mo, e em oulros sitios,
itb de certo eslava na confidencia, pois tinha
n. mala o inslramenta explicativo. Ignora-se como
ad airi 1 ouquem Ih'o deu. Sane-se que preparara
neios para reali-ar seus panos indo frequentes
vezes aos acampamentos, e relacionando-se com os
)fflciaes confederados na Virginia e no Shenan-
Irab, lenJo provavelmen'.e tambera relacoes no
Canad. Poneos esclarecimentos ha sobre este pon-
to. Apenas se sabe que o systima de correspon-
dencia, geralmaate asado pela Confederacjio, era
conhecul > por Both.
Foram perguntadas outras te-temnnhas, sendo as
tia-o na cavallarica, e quando Booth sahia apre-
sentava-lh'o arreiado. Nao ha prova que elle ti-
vesse outras relaces com Booth, ou que tomasse
parle na conspirado ; investigou-se, se fura elle
que obstruir a porla do camarote do presidente,
e o faci nao licou bem averiguado. Imputava-
se-lhe o haver elle removido tolos ; os obst-
culos no caminho que devia seguir o assassino na
fuga, mas nao se provon. Finalmente aecusavam-
no de estar prximo porta por onde Booth sahio e
de a fechar precipitadamente para demoraros que
o perseguan! ; mas nao houve pravas d'isto : Ha
noiavels, o general Hamilton, de Texas, Mrs. probabilidade, pelo menos parj a absolvicao deste
John Ward, de Bryantowan, R tbert Nelson, negro,' reo.
0 1 11 ir Wils >n, e r.James Stuart. que depois do \ posigJo do Dr. Mudd muito equivoca. Desde
assassinato de Lincoln saltn ao palco e correu so- novembro ultimo que tinha relacoes intimas com
bre Booth. Os seus depoimeotos nao apreseniaram i Booth ; em janeiro teve com elle e com Surratt
nada de novo. urna conferencia mysteriosa no hotel nacional; foi
Mr. Campbell, primeira caixeiro do bauo- Onta- .elle quem apresentou Booth a Surratt. Bool vsi-
no, em Monlreal, d.sse: que Jicob Thompson, re- tou-o no hotel Pennsylvania. Na noite de 14 de
cochecid'cjmo agenteda confedsrac) no Canad, aDril, Boolh e Harold fugiram em direitura para
tinha nerte banco um crdito aborto al quantia casa delle ; Mudd encanou a perna fracturada de
de 6)9,000 dollars, que levanlou esta somma em'Boclh e ajudou os dous fugitivos a cscaparem-se.
Morantes parcelUs; que Thompson fes outras Quando os offlciaes se apresentaram dous das de-
op.raroes nos maii bancos uma vez saccou um pois em casa delle, disse que nao conhecia Boolh
che ;ue de 30,000 dollars sobre o banco Ontario, a nem Harold e que al nunca os tinha visto. Quan-
ord im de C. C. Clay i qae finalmente Boolh teve no do foi preso recorreu anda a outras mentiras-
mstuo banco urna-insignificante conta crreme, Disse que s soubo do assassinato no domingo na
cojo saldo a seu favor era d 400 dol'ars. missa, sendo cerlo que na vespera, no sabbado, es-
No fim da audiencia, o ministerio publieo raque- ,|vera em Bryantown, onde a populacao eslava ag-
reu sess&o secreta para serperguotada ama teste- ,ada Pela alal n.oticia> e a cidadp cheia de solda-
-taooha importante, tendo o governo razSes para do?. e nao hav,a homem, nem mulher, nem creaa-
que o interrogatorio nao fosse publico. Em conse- C que nao soubesse o acontecido.
aaencia deste reqneriraento, os espectaderes sahi- Estas dissimulaces sao criminosas de certo;
rao Ja salo. : comtdo s provam que o r. Mudd fez todas as
diligencias, mas mal calculadas, para nao se com-
prometler, o que produziram o effeito contrario.
Resta saber era que grno o conselho o julgar cul-
pado.
Arnold esl n'uma siluacao especial. Euvolvido
ao principio na conspirado, retlrou-se quando era
logar de uma subtracglo de pessoas so iralou de
um assassinato. A defeza, confirmada por fados,
talvez cavilosos, tem grandes probabilidades de
aproveitar ao acensado.
Finalmente, madama Surratt verga sob o peso
de graves aecusaces. Sua casa era o quartcl ge-
neral, seuo da conspirado, pelo menos dos cons-
j piradores. Hospadou quasi lodos. E" verdade que
elle alugava quartos a toda a gente e tinha muitos
ootros hospedes inteimmente estranhos ao plano.
E>te facto por si s seria insnfflciente para a jul-
gar seriamente implicada no assassinato, admitlin-
do mesmo que tivesse as mais ardeules sympathias
pela causa do sol. Infelizmente, pralicou alguns
actos que a aecusam fortemente. No mesmo dia
do assassinato s cinco horas esteve em Surraisville
i e disse a Mr. Lloyd, dono da loja de bebidas desse
sitio, que tivesse a mao as armas, escondidas era
, casa delle, pois haviam de ser precisas essa noite.
I Nessa noite efectivamente Booth e Harold vieram
busca-las, assim como uma garrafa de whishey
que a aecusada tinha encommendado para elles. E'
provavel que madama Surrat seja condemnada,
mas fcil que nao v orcS ; julga-se que a
pena Ihe ser commutada, em razao do seu
sexo.
Faliam poucos interrogatorios; mesmo assim
parece que o processo nao acabar no flm da sema-
na (27 de maio.)
Espera-se que a defeza seja renhida. Mr. Re-
verdy Johnson propoe-se a suscitar importantsi-
mas quesloes de direito, principalmente no que
diz repeilo aos depoimenlos, que comprometiera
Mr. Jetferson Davis o os chefes da confederaco.
Diz se que os archivos dos confederados, remet-
lidos de Richmond e da Carolina do Norte para
Washington, forneeeram importantes iuformages
relativas a conspirago.
Washington 22 de maio.
O conselho perguntou boje ama tesleiiwnha em
sesso secreta.
Ha mais espectadores do que as primeiras au-
diencias ; as senhoras eslo era maioria, pelos ges-
tos e pela animacao cera que faliam parece 4|ue to-
mam graude ioleresse n discussao.
Foi iiHerrogada raissPizpatriek.
Esleve em casa de madama Surratt no msz de
marrp ukirao e vio l reunidos John Surratl, Beotb;,
Azlerota e Payue, conhecendo este ultimo pelo no-
me de Wood. Acompaohoiv Surratt e Payne ao
thealroFord. Booth enlrou no camarote em que
estavam.
O caplio Dangherty commandava o destacamen-
to de cavallaria mandado em perseguigao de Booth..
Conloa como foi preso Haroll,.o qual nao tinha ar-
mas, nem se Ihe encontrou seno um hilhete. O-
aecusado pergunlou : Sobra quem aliraram ?
t Sobre Bootft-, r-espondeu o capitao . Ao que Ha-
rold replicou que nao era Booth,, mas B.yd, que-
rendo facer acreditar que nao eonhecia o assasslnc
do presidente. Booth declaro que Harold era in-
nocente.
W. E. Cleaver, alugador de-oavallos ecarrua-;
gens disse que Boolh tinha no seu estabeleciment
um cavallo que vendeu no dia 30 de Janeiro a Ar- j
nold, o qual o levou em 8 de fevereiro.
O furriel Mac Phail disse queO'Langhlin servio;
um anno no exercilo confederado.. Depois enlrou '
as Bleiras do norle era Martinsbourg prestando
juramento de fidelidade em Ba'.limore era jnnho'
de 1863 O' Unghiin resida na eapilal do Mary-!
land.
O Dr. Vend, medico do secretario Seward, foi
chamada depois da tentativa de assassinato e expoz
como achou os feridos. Na noite do crime julgou
qae deferidas do secretario Seward eram mortaes.
Nesaa eceasio convalescia do accidente, que Ihe ia
cuslaml a vida.
John Bosen disse que Spangler fez a cavallarica
por delraz do theatro Ford, onde Boolh guardava o-!
cavallo e a carruagem. Spangler vendeu esla car-l
ruagem por conta do dono, no da 12 de abril, ves-1
pera do assassinato do presidente;
John Maddon declarou que tinha alugado a co-'
cheira para Boolh.
O lente Barllett esteve prisioneiro em Libby
de setembro a dezembro, e noou que a priso es-'
lava minada para fazer ir pilo ar os prisioneros-1
do norte, segundo se dizia, quando acontecesse que
o coronel Daihgreen entrasse em Richmond.
O coronel Treal declarou que iroaxe para Was-
hington algumas caixas com os archivos dos esta-
dos coc federados.
Mr. Hall disse que abri as caixas e reconheceu
um papel que se achou dentro deltas.
Este papel uma carta dirigida ao presidente
Davis e datada de Montgomery White Sulphur
Springs, na qual o signatario offereco os seas ser-
vidos a confederaco, estando disposto a iivrar a
naco dos seus mortaes inimigos. O autor da car i
ta s pede os papeis'necessarios para viajar com
tola a seguranza. Diz que conhece os estados do
Norte, e que tenente no corpo de Duke, tinha
pertencido ao de Morgand e se havia dirigido ao
Canad. Se fizer alguma cousa, dizia a carta,
espero merecer, vossa inteira coutianga. Depois
pede uma prompta resposta e uma curta entrevis-
ta. A assignatura era : Tenente W. Alston. A
carta tinha esla nota : t O lente W. Alston olle-
rece os seos servigos patria para a livrar do>
seus mortaes inimigos. Respetosamente remedi-
da por ordem do presidente ao mmistro da guerra.
Assignado: Buston W. Harnison, secretario parti-
cular.
O conseiho devia reunir-se no dia 23 s 10
horas.
O incidente mais interessante da sessao de 23 d
maio, foi o depoimento de muitas testemunhas,
que atteslarara os mus tratamntos, que soffriam
os prisioneiros de guerra as prisoes de Richmond,
Blle Isle e Andersonville. O procedim^to dos
agentes das autoridades do sul, para com os pre.
Sos, acarreta grande rerponsabilidade sobre c go-
verno confederado, e faz lembrar as prlvaeSes e
os rigores dos pontoes inglezes as guerras do
primeira imperio. Mas por mais legitimas que se-
jam estas aecusagoes, e quaesquer que s?jam os
estigmas, que ellas imprimam na fronte deTucker
e outros carcerelros, gente sempre prompta a
mostrar zelo excessivo mesmo a custo da humani-
dade e da justiga, anda assim nao 6 fcil aliar a
que proposito vem esta digresso em um juigamen-
to de rus, que respondem a ama aecusago espe-
cial definida, e que se basea inteiramenleem ques-
loes de facto, para a apreciacao dos quaes, o tri-
bunal a fim de formar uma conviego imparcial
precisa desprender o espirito de todas as preoecu-
pagos eslranhas causa.
Esta diversao s podia servir para prevenir os
juizes, ou indispor a oplniao publica contra os ac !
casados.
As testemunhas perguntadas por paite da defesa
de O'Langhlin estabelecerara ama forle presump-
go a favor djste ru. A aecusago sustenlava
que elle na vespera do assassinato fra visto ron-
dando seo motivo a casa de Mr. Stanion, onde
ento se achava o general Grant.
Multas testemunhas nao s afflrmaram que t-
nlum vlndo nesse dia com o aecusado de Ballimo-
ro para Washington, mas que nao o deixaram um
s momelo depois da sua chogada, desde as 5
horas da tarde at s 2 da manha, e passaram
anda juntos o da seguale al as 11 horas da noi-
te. Oulras pessoas residentes em Washington con-
linnaram estes felos, e derara informagoes minu-
ciosas e concordes sobre o eraprego do tempo de
O'Langhlin at ao sabbado lo, da seguate do
acoiilecimenlo.
Esle incidente produzio grande impresso no au-
ditorio e no tribunal.
Oulro facto lera sido diversamente coinnientado,
e vem a ser a revelago das notaveis contradic
ges no depoimento de um dos agentes secretos da
repartigao da guerra, o offldial Collioghen.
ste homem confessou era pleno tribunal haver
dito ao advogado de madama Surratt, no domingo
ultimo, que se fosse chamado a dc,>r, podia jurar
que Lloyd, na sua confisso, nunca profero o no-
me de Surratt. Hije debaixo de juramento depz
o contrario, concedendo que havia ment o no que
disse antes.
Os defensores e o auditorio impressonaram se
bastante com esla inconstancia, e a moralidade
das testemunhas tem dado lagar a muilas e seve-
ras consideragoes.
O resto da sessao nao leve interesse.
A apparencia dos accusados nao mudou. Os
dous dias feriados do conselho aggravarara o esta
do de prostragao de alguns deH'es. O Dr. Mudd
uma excepeo do desalinho exterior dos outros co-
reos ; moslrar-se apurado no vestuario e ciin ex-
tremo aceio. Azteroth apresenta-se sujo e repug-
nante. O'Langhlin esl tranquillo., parece rnais
impressionado do que receloso da aecusago, que
pesa sobre elle, e conta evidentemente livrar-se
com o alibi altesldo pelas testemuni/as- de defeza.
Payne mostra ama audacia e una'petulancia
constante. Falla pouco e responde convdifllcnlda-
de quando o interrogan). Quem esto homem ?
d'oode veio? uma pergunla quo passa de bocea
em bocea, e ninguem sabe responder. Nem mes-
mo se sabe se Payne o seu verdadeiro nome.
Arnold est socegao e tem uma ptTyskiaomta
agradavel.
SpaB-gler, posto que de im aspecto lgubre,
multo dado. Dizem qoe-lera um appetite Hubo
e que a rago ordinaria^, qae Ihe do uao o s-a-
tizfaz.
Conhece os guardas, fia prizo pelo andar, cha-
ma-os pelo nomes quando passam pelos correde-
ra?, procurando conversar com elles, mesmo- sem
os ver.
Madama Surratt parece opprimida por nm scr.ho
fnebre. Por alguns momentos HtUmina-se-MM c
rosto e parece querer fallar, como se algum pen-
samiento secreto rompesso sob a forma de uma ra-
velago importante. Parece que esta mulher pos-
sue e eneerra no fundo do-corago um segred
seliado com um juramento ou um voto. Quando
levanta a cabec.a em virtede- do um movimen-'.o
decidido, eo seu olhar toma expressao enthasiasM*
ca; mas logo a fronte Ihe cabo sobre as mos> e
prega os-olhos no chao arrasados de lagrimas.
Na audiencia de 26 de maio, outras lestemunhfis
a favor de 'Langlhn pouca duvida deixaram so-
bre a sua innocencia. As relaeoes anteriores deste
aocusado aom Booth explieararo-se pelo, facto da
terem sido- condiscpulos per muilo tempo, e do
haver intira>dade entre as suas- familias por espago
de 12 annos. Emquanto prteSo de 0'Langr>Mo..|
que se disse ao principio ter sido feila por Inte
ven gao do seu cunhado, o qual denunciara o lugar
onde eslava escondido e auxiliara as pesqulzas, ?e-
rificou se ser indo inexacto, a que O'Langhlin lon-
ge de se esconder ajustou com seu conhado apre-
senlar-se aos agentes da polica se o procurassem.J
dizendo-lhe onde podia ser encontrado logo que
por elle perguntassem. Apresentou-se voluntaria-
riamente, e nunca Iratou de se sublrahr justiga-
Era vista destes factos, O'Langhlin parece estar in-
nocente e a sua defeza ser fcil. Nao negou com-
tdo que esteve no exercilo do-Sul de 1861 a 18G2.-
Desde emao nao e separan de sua familia.
A defeza produzio muitas testemunhas a favor
do Dr. Mudd.
M. H. Finegas ex-official do exercito federal e
residente em Boston, disse : que estando em Mon-
treal era fevereiro ultimo conheceu George Saun-
ders, Cleary e outrosv e que uma noite estando no
hotel de S. Lourengo ouvira urna conversagao, da
qual colhera o seguinte dialogo :
Cleary : Parece-me que se preparara, para a
nauguragao de Lincoln no mez que vem.
Saunders : Jnlgo que sim, mas se os anadanos
se saturen) bem Lincoln nao es ncomraodar por
muito tempo.
Cleary : As colisas esto bem figuradas f
Saunders : Perfeitamente ; Boot est testa da
empreza.
Foram inquiridas mais testemunhas para com-
pro var os raaos tratamentos quo os prsioueiros de
guerra soffriam no sul.
Na sesso de 27 de maio utroduziram-se na dis-
cusso da causa factos estranhos ao processo, e
que pdera produzr grande indisposigo contra os
reos.

M. F. Edmonds de Burlington (Vermonl) que fi-
guran como procurador dos Estados-Unidos no
processo da quadrilha de Saint-Albao, depoz :
que Jacob Thompson, Clemente Clay e Saundersj
linham figurado no tribunal como advogados dos
accusados. Sendo-lhe apresentado um papel, reco-
nheceu ser a copia de uma carta datada de Rich-
mond, de 10 de junho de 1864, assignada por Ja-
mes Seddon, secretario de guerra dos estados con-
federados, e dirigida ao tenente Young. Esla carta
Informova o dito offlcial, que se achava incumbido
de um servigo especial, mandava-o receber ins-
trueces de Tnompson e Clay. Devia reunir 20
soldados do ral, prisioneiros fgidos, para execu-
cutar o que lb.es fosse ordenado. O documento or-
ginal foi produzido por pessoas do sul, no processo
mencionado.
O processo da quadrilha de Saint-Albans, assim
como a questo do (ralamente dos prisioneiros, sao
cousas inleirameole eslranhas ao julgamenlo dos
accusados do assassinato de Lincoln, so pdem pro-
duzir odios e preveogoes tncompativeis cora a pla-
cidez e iraparcialidade da justiga.
O coronel Nervio de Gnesee (Estado de Nova-
York disse : que vio Asteroth em 12 de abril em
Kirkwood entre 4 e o horas da larde : que Aste-
roth perguulou-lhe onde era o quarlo do v;ce-pre-
sidente. Mr. Nervios nao conhecia o aecusado en-
tao, nunca o vio seno esta vez, mas reconheceu-o
logo olhando para o banco dos reos.
A defeza produzio varias testemunhas para con-
testar a veracidade de algumas pessoas, que depo-
zeram contra o Dr. Mudd. Comtudo, parece cer- A \.OT\m. ,,,, ,, _ .
,,.. , u. **. *- LL252 T4rii SSTS:
cidadaos, que deram o pr me ro gr to de rebelliao nn_.. .- x 4 =;ni ummm
< __ v ... ipovos, sao expressoes que fa am i todo or
e que receiavam ser presos na poca da expodigao ..,, ..__.' 'r ^
,',__... c- i s maos commovem e enternecem; e, bem mata
do general Sickes no condado. trahiihn do .t. Z xa ^^
| iraoaino de estanca-las nao nraa obra mesas
A carta dirigida ao tenente Ycung pelo secreta- digna do que chorar o cidadlo, qae immartaMsM
rio Tle guerra Seddon, e de que fallamos cima, o sea paiz. perdenlo a vida eotre as bombardas
era concebida ne>tes termos : 'qae Ihe atirava o inimigo.
t Estados coufederados da America, repartigao D. Virginia Zenandes Ferreira, desdilosa vinva
da guerra. Riclimond, 6 de junho de 1864. j do capitao i*edro AfTmso Ferreira, e sus inas
Ao tenente Beoetl. II. Young. ; innocentes fiihinhas Erundina M.na Ferreira, i*
t Tennte, Foi temporariamente nomeado 1. le- 5 para 6 annos, e Estephania Affomina FefTrtra,
nenie no exercito provisorio em servigo especial, de 4 para 5 anno-. nao devem sentir todo o amar-
Deve sem demora diricir-se as provincias britau- gor da immonsa perda que soffreram.
nicas e procurar Mrs. Thompson e Clay, para A patria devo ser-lhes mii e eslender a oa nti
d'elles receber as devldas instrueces. Sob sua di-' para salva-las dft miseria
recgo deve reunir um numero j|e soldados fugi-! c>mU qne ha p^j^g ieressadas em pramwr
dos ao nimigo, qoe no exceda a 20, e que julgar 0ma subscripto em sen favor.
mais capazos para se conseguir o fim proposto e
executar as omprezas que lhcs forem confiadas.l Na0 Tfcnha a nolifiia deoo,ro fei, tmr "P^
T. liba todo o cuidado de nao ofringir as lela lo- C?r no-so dever em Dma foadra em 10e z **'
caes, e de obedecer a lo las as iostruegoes, que Ihe ca" ***?* a rada n.wento om as cotkias
forem dadas. Deceben" para si e para a sua gente sorPrencn os meios precisos para se trnsportarera, assim co-
\
.
mo as rages ordinarias e os sidos correspon-
dentes.
lames A Seddon, secretario da guerra.
(ontmuar-se-ha.)
iliiiTuaA.
UH POICO DE TtDO.
Compleic-se a obra que comeemos; roab*-se
ao f.usio alguma cousa, que un s lagrima qaa
se censiga ver estancada naqueles oihos ser o
premio mais valioso, ser a coro mais brilbante,
que t idos teremns de depr sobre a fronte altiva
do bravo, qoe talvez confiado nesta esperanra, qne
Ihe sorrira por entre os combates, ow ln-sitoo em
r atirar-se os golpes do? sabres paraguayos para
salvar a nessa bandeira.
E' ludo o qne resta para fazer se e que esperaaaoi
No dia 18 do correte teve lugar por alma do' ver satisfeito.
capo Pedro Affonso Perreira, na igreja matriz' Sei um gr>to de aniroocao para ootros feitos laj
da freguexia da Boa-Vista, a missa e memento' brilhantes por aqneiles, que assim come Pedro
>olemne que alguns de s-^us prenles e amigos .-Alfonso, deixaram a esposa e os lernos filaos para
mandaran eeiebrar. | morrerem pela patria.
Ao amanhecer daquelle d o dobre planente -=__^^--___
dos rimas despertava a populacao, chamando-r
ao templo para, tributar ao diselo pernambecano ..,,, ....
. ,t-__.; ,L .. E>ia poesa do-finado heswni dAlroeida, qne
as ultimas hon-ra*, que a ierra- he poda eonsa- .. _,.. .___ ...
1 ;a proluzo uns das aoles do seu fallecimento.
i E' o canlo do Cysne ou a alma a tran-bordar -s
O templo; coberto de luto, cprimia em sua dores de que eslava cheia,ao separar-se da vida,
fnebre magestad a grandeza da dyr, que contris-! qQC, obre curta, lite lora lo pesada !
lava lodos os coraces e enlulava a lodps os sen:1'
blantes. Um tnagnifico cenotaphio, ?rimor artisti-j
co, que o patriotismo inspirava a -j>m dos nossos"!
armadores.- attratiia as vlslas de tolos que entra-1
vam no templo.
De um e outro lado-da fachada frontal as armas
sarilbadas meetravam qual iloha sido neste mundo
a voiagao da>jneHe' que o ru tinha acolhid osob o
FOGG-MB A VIDA I
O" Cul I morir si giomtu.
h ah penno ko tanto f
seu pavilhio estrellado, depois que tragara sobre a
ierra um curs Immorredooras:
As 6 horas d?.-manhaa someyaram as rr.issas por
:ii:n.i do Ilustre pernambuean, celebradas por
alguns sacerdoi'35, que cetwxirreram manifestar
por este modo a sua admirado aodistincio finado.
Durante esse t?mpo ianvs* reunindo no templo
as pessoas convidadas paraassislirem ao memento,
que se havia de celebran.
As 7, hora marcada para comego do acto, esta-:
vara all os Exm. presidente- da provincia e com-
mndame das armas, lentes-da Faculdade de Di- -
reito, cliefes de repartiges,.olcialidades dos cor-
pos de guarda nacional da capital, o proviucial do
convento do Carino, e o guardio- do de S. Francis- -
Cu com as respectivas-comniunidades, e cerca de-
quinhentas pessoas gradas e ijenso povo.
O Exm. u Rvm. prelado domestico, Mousenhor
Joaquim Pinto de Campos,.cujo otferecimenio fra -
aceito pela familia i!o fallecido Pedro Alfonso, su- j
bio ao altar e celebrou a missa de rquiem, que
havia sido auuunciada,
! Vpois de terminada a-oiissa, tomando a distincta
iriuandade do Santisaknn Sacramento da mesma '
matriz o seu lagar no corpo da igreja, entoou o!
memento o Rvm. viga-no pauhado nesse acto por mullos sacerdotes e reli.:
giosos dos conventos do Garmo e de S. Francisco,
faiendo-se ento ouvir a msica, que completen o1
quadro triste e doloroso, que se tinha diante dos '
albos, tristeza e dfir suavisadas pela recordacao das
glorias que a patria recebia como legado, que Ihe
deixava o fillio que scube entapo-la s mais estrel-
las affe.igoes para sabar-Wie os bros, e vingar-lhc-
aalfrouta feila a s- v.s direos e a sua honra.
(Traviata.).
Ea sinto, que, bem depressa,
A minha vida se esvai,
Como o soin triste de am carme,
Ou como o ecbo de am ai !
Uma febre assasladora
Me. devora, lentamente :
A tristezade minha alma
Se apoderan de repente !
O meu corpo se deOoha
Ao peso do desalent,!
A feia morte se eslampa
No meu rosto macilento !
E' terrivel este instante
De desanimo e torpor,
Quando se sent uas faces
Uma lagrima de dr I
Oh I aurora sem crepsculo,
Que le occnllas to depressa !
Oii I como triste nrrrer-se
Quando a existencia conieea !!
Eu devra ir deste mundo
A rir.... a rir de prazer,
Se nao fura o seotimento
De, lo crianga, morrer !
O mens sonhos to risonho
Vo, em breve, dissipar-se.
Minhas crengas lo fagueiras,
To lindas, vo apagar-ie !
Oh I como de dentro d'alm:
A dor de morrer crianga,
Quando ludo dizventara I
Quando tudo dizesp'ranca I
Eu digo um adeos ao mando
J que a vida se me esvai,
Como o som triste de ara carme,
Ou como o echo de um ai i...
Esse memento foi seguido de mais dous, entoado I _
pelos Rvms. guardiac do conveoto de S. Fr-inciscoyJ
e provincial do do Carmo, que assim sgnificararaj m- Aaibal Gaaparii acaba de descubrir nm pit
a sua dr pela triste, quaulo gloriosa perda de!nt-la Pfineno, sen brilbo .da deeima graadeu.
L'i.viam j 82 planetas pequeos, agora ba 83,
al na', uma nova descoberta augmente o Damero
desla numerosa familia.
uosso comprovinciano.
O talento associourse a essa festa de lagrimas., lie
luzes e cypresles, e aonde o canto dos chrisiaos, a.
prece triste e geraedoura, o psalmo lgubre e
saudoso, entoado pelos Levitas do Senhor, chagoa
anda hmido de pranto, estremecido dj soagos,
para levar ao glorioso tinado o mais sanio tributo
de respeito e venerago s suas virtudes neste
mundo, tambera, elevou-se a estrophe ardente, a
nota altiva e harmoniosa, qne smente o poeta
sabe soltar, ao traduzr os seniimentos, que per sua
grandeza abalam o povo e pedem interpretes supe-
riores, comg foram esses que oceuparara a atten-
go do Immenso auditorio, que em torno, delles se
juutou.
O mimoso poeta o Sr. Palbares esteve .saudoso o :
foi ouvidocom o interesse que sempre dssperia.
Nao isto aqui uma prefereucia, porque igual-
mente forara ouvidos cora a tenciio digna do
assumpto lodos os mais que recilaram; mas era
aquella a segunda vez que a voz sympalhica do Sr.'
Pal liares fazia-se ouvir pela mesma causa, o que:
era ura grato precedente, que concorreu para
attrabir-lhe a attengo que mereceu.
A guarda de honra, feila pelo 2 balalho da
guarda nacional do municipio do Recite, tertntnou
o acto com as descargas do estylo.
Apesar do que flea deseripto tudo isso foi pouco |
para tao grande homem; mas nao foi a obra da | Xa Italia anda exislem actualmente 84 arde
opulencia que manda langar sobre o seu p a ma- religiosas, 38 de homens,46 do seso feminino.
geslade de um monumento, que leve aosjtindou- ,.,
. Jj-.,.. D ellas conlam com bens para a sua scsientacio
ros o seu nome e o salve as vezes de ttsf^v.do g s5q medifan!e_ muao
tambera merecido pela es.erilidade de saas virtu- Qs rg| os entes
des todas metlicas; foi oTributo todo espontaneo, iim frade. e u ,gi frejra5 ""*"" **
que o patriotismo e a amisade quizeram prestar ___OC^^ _____
doce memoria de um militar, que viven honrado
como homem e como hornera morreo pobre, mas A vetocndade os caminhos de ferro de Frai* j
como soldado foi um dos mais ricos e que muito a seKuinte :
deixou ao seu paiz. Paris a Marselha por hora 45 kilmetros
A obra, porm, nao est completa e muilo falta
esse rasgo de patriotismo brasileira para tor'na-lo
inimitavel.
A infa otaria permanente deste exercilo em Hes-
panlia e as ilhas Calleares esta dividida da furnu
seguinte :
Distrklos Capitaes batatines
1. Madrid 10
2." Barcelona 20
3. Seviiha 14
4. Valencia 8
5." Corunha 5
6 Saragosa i
7. Granada 10
8." Valadobd 6
9. Badajoz 2
10." Pamplona 3
II.? Burgos 4
12." Victoria 5
13.' Mallorca 6
0 aatalho de rajadores de
Antequera era Porto-Rico 1
Total 101

Em lado se faz negocio.
Os photographos parisienses pozeram a vetaA.
retrato do assassino de Lincoln, e j tem buido
mais de 3,000 reprodaegoes.
Brdeos 30
< Hivre c 51
< Calais c 52
Esla a velocidade maior.
as lindas inglezas a velocidade maior d*S7 a

f
A viuvez e a orphandade sao os effeito? lamenta.
veis de aegoes heroicas e gloriosas, que muilas
vezes necessarlas para salvar uma nago, fazeni -',"", ""'
. ... *T 73 kilmetros.
calar-se no coragao o grito eloquenle de outras
paixes, de outros aleteos mais suaves, de sent- "
mentes mais ardeoles. Segando uma publicaeao intitulada California
E' para ellas que o brasileiro e principalmente o and lhe clo$e f 1763- 00r prodozido na Califor-
pernambucano deve langar as suas vistas. nia desde 1854 a 1863 foi de dollars 468.356:169
Para essa obra de caridade, a hununidade nao f*40.13j;'78}86OapraxiraadameDtt>.)___________
se deslingue por nacionalidades, nem por classs. PERNAMBUGO.TYP. DE M. F. DE P. 4 FlLlfO
fia ^Bkia mtmmm.