<%BANNER%>

Diario de Pernambuco ( Friday, July 21, 1865 )

Permanent Link: http://ufdc.ufl.edu/AA00011611/10722

Material Information

Title: Diario de Pernambuco
Physical Description: Newspaper
Language: Portuguese
Publication Date: Friday, July 21, 1865

Subjects

Genre: newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage: Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract: The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding: Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation: Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities: Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution: University of Florida
Holding Location: UF Latin American Collections
Rights Management: Applicable rights reserved.
Resource Identifier: aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID: AA00011611:10722

Permanent Link: http://ufdc.ufl.edu/AA00011611/10722

Material Information

Title: Diario de Pernambuco
Physical Description: Newspaper
Language: Portuguese
Publication Date: Friday, July 21, 1865

Subjects

Genre: newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage: Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract: The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding: Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation: Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities: Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution: University of Florida
Holding Location: UF Latin American Collections
Rights Management: Applicable rights reserved.
Resource Identifier: aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID: AA00011611:10722

Full Text
ir
AMO ILl JP1EBO 165
Por qoartel pago dentro de 10 das do 1 mez . . i
Ideu deoois dos 1.' 10 das do comecoe dentro do qaartel. .
Porte ao correio por tres meaes .*.........
SfOOO
61000
7S0
ENCARREGADOS DA SUBSRIPCAO DO NORTE
Parahyba, o Natal, o Sr. Antonio Marques da Silva; Araeaty, o
Sr. A. de I.emos Braga; Cear, o Sr. J. Jos de
Oliveira; Maranho, o Sr. Joaquim Marques Ro-
drgaos Para, os Srs. Gemido Antonio Alves 4
Filhos; Amazonas, o Sr. Jeronynio da Costa.
ENCARREGADOS DA SUBSCRIPTO DO SUL.
Alagoas, o Sr. Claudino l'alco Dias; Babia, o
Sr. Jos Martina Alves; Rio de Janeiro, e Sr. Jos
Ribeiro Gasparinho.
PARTIDA DOS ESTAFETAS.
Olinda, Cabo, Eseada e estagoes da va frrea at
Agoa Pela, todos os das.
Iguarass e Goyanna as segundas e sextas feiras.
Santo Antao, Grvate, Bezerros, Bonito, Caruar,
Altinho, Garanhuns, Buique, S. Bento, Bom
Conselho. Aguas Bellas e Tacaratd, as tercas
feiras.
Pud'Alho, Xazareih, Lmoeiro, Brejo, Pesqueira
Ingazeira, Flores, Villa Bella, Cabrob, Boa Vis-
ta, Ouricury, Salgueiio e Ex, as quartas
feiras.
SEXTA FEIRA 21 DE JLflO DE 1866.
Por anno pago dentro de 10 das do 1. mez
Porte ao correio por am anno.......

loco
3|0 Serinhem, Rio Formlo,Tamandar, Una, Bas-l
reros, AgnaPreta e Pimenteiras, as quinta*
feiras.
AUDIENCIAS DOS TRIBUNAES DA CAPITAL.
Tribunal do commerco : segundas e quintas.
Relago: tercas e sbados s 10 horas.
Fazenda : quintas s 10 horas.
Julzo docommercio: segundas as II horas.
Dito de orphos: tercas e sextas s 10 horas.
Primeira vara do civei: tercas e sextas a& meio
dia. _
Segunda vara do civet: quartas e sabbadas a t
hora da tarde.
EPHEMERJDES DO MEZ DE JULHO.
8 La cheia as 6 h., 7 m. e 22 s. da t
15 Quarto ming. as 2 h., 6 m. e 46 s. da t.
H La nova as 4 h.,!) m. e 40 s. da t.
30 Quarto cresc. as 4 h., 49 di. e 16 s. da t.
DAS DA SEMANA.
17. Segunda. S. Marinha v.;S. Aleixo
18. Terca. S. Rufino b.; S. Frederico b.
U. (Jusrta. S>. urea e Justa vv.; S. Macrina v.
20. Quinta. SJeronymo Emiliano; S. Elias prof.
i- e?u* Henr"]ue imperador. S. Prxedes v.
22. Sabbado. S Maria Magdalena; S. Menelio ab.
ti. Domingo. S. Apolinario b. m.; S. Liborio b.
PREAMAR DE HOJE.
Primeira as 2 horas e 54 m. da tarde.
Segunda as 3 horas e 18 minutos da manha.
PARTE 8FFICIA1
Espediente do dia 18 de ju I lio de Im>:>.
OfTicio ao coronel commandante das orinas.Io-
forme V. S. sobre o que pede no Incluso requer.
meuto, o 2o sargento do 2 eorpo de voluntarios da
patria Laurindo Messias dos Santos.
Duo ao inspeclor da thesouraria de fazenda.
Transmiti a V. S. o incluso requerlmenio docu-
mentado que veio annexo aoofflciodo coronel com-
mandante das-armas de 15 do correte, sol n.
1,28, aflu de que mande nao s- ajustar coalas ao
alferes do corpo de guarnigo desta provincia,
Jos Longuinho da Cosa Leile da quantia de 4105
3ue elle recebeu nessa thesouraria em 4 de julho
e 1863, para as despez.is que tinha a fazer em
sua marcha desta capital a Paje de Flores, donde
ha pouco regressou, mas tamben) pagar o sold
que diz estar-se-lhe a dever na importancia de
67-3400. Coramunicou-se ao commandante das
armas.
Dito ao mesmo. Attendendo ao que expoz o
Inspector do arsenal de marinha no offlcio junto
por ciia, datado de hontem, e sob n. 935, recom-
mendo a V. S. que, em Vista da inclusa conta em
dnp'icata, mande pagar a Sebastiao Lopes Guima-
res Juoior, a quantia de 1505 pelo servico que
presiou acondicionando com os seas servenes as
carvueiras da corveta Brasil, 150 toneladas de car-
vio de pedra. Communicou-se ao inspeclor do
arsenal de marinha.
Dito ao mesmo.Se nao honver inconveniente,
mande V. S. pagar os vene menlos do mez de ju-
nho ultimo, dos cornetas do 9U batalho de infanta-
ra da guarda nacional do municipio de Olinda,!
constantes do pret junte em duplcala, que para !
esse im me remelteu o respectivo roinmaii(lante
com officio de 13 do correnle.Coinmu
I no xadrez do corpo de polica, at segunda ordem,
! visto que deixou de comparecer ao servigo no dia
i que Ihe foi manado. -Nesle sentido offlciou-se ao
commandante do corpo de polica.
Dito ao commandante superior de Olinda.Ex-
pega V. S. terminantes ordens e com urgencia,
ahm de que o baialhao n. 9 de iofantaria da guar-
da nacional do municipio de Olinda destaque para
o presidio de Fernando, e sigan para all no vapor
qne tem de parta nu dia 29 do correnle 1 capilo.
i lenle, 2alferes, 1 primeiro sargento, 3 segun-
dos ditos 1 furriel, 8 cabos de esqnadra, 100 guar-
das e 2 cornetas, em subsiituigo da torga de li-
nha, que la existe e regressa a esta capital para Ir
iiara a corte em observancia de ordens imperiaes.
Fez-se o necessario expediente a esle respeito.
Dito ao commandante do corpo de polica.
Avista da sua informago d. 60a desla data e dos
aiiestados a que elle ailude autoriso V. S. a con-
iraiar para o servico do corpo sob seu commando
os paisanos Flonano Jos de Azevedo Sanios, Mar-
celino Juslinians dos Passos e Joo Jaciniho Soa-
res Franco, bem como os soldados Honorato Jos
Monteiro e Carlos Jos Lopes-
Diio ao^uesmo.Mande V. S. dar ao soldado do
corpo sob seu commando Ignacio Jos de Lima
Quixabeira, a baixa que pedio.
Dito ao inspector do arsenal de marinha.Insto
pela exeeuco do meu offlcio de 18 de maio ultimo,
pelo qual auiorisei V. S. a mandar fazer na torre
do colirio urna pequea casa de mad'eira para
PARTIDA DOS VAPORES GOSTKIPO.
Para o sal al Alagoaj-a 14 e 30; para c oTre
ata a Granja a 7 e 22 de cada mez; para Fernan-
do nos dias 14 dos mezes de Janeiro, marco, aa ,
julho, setembro e noverohro.
AS3IGNA-SE
no Recifa, na livraria da praga a >ndepeada?ia
ns. 6 e 8, dos propriatarius Manoel Fifneiroa U
Faria & Filho.
numero em que vinham o inimigo, e ser tambem
protegido pela artilharia que lambem ltimamente
passou ; por esle motivo entercalou-seo fogo ; lea-
do o 3 batalho feto um fogo activsimo, princi-
palmente a:2" companhia, commandada pelo capi-
lo Clemente Godinho, lendo causado grande pre-
juizo ao inimigo, retirndose em seguida persegui-
do pelo inimigo debaixo de fogo.
Foi ento que o tenentecoronel Trisi de
Araujo Nobrega mandou um squadro do corpo
22 a proteger a 2* companhia, que vmha se reti-
rando em boa ordem, debaixo de nm fogo mortfe-
ro; e fazendo tambem fogo em retirada, leuda ira-
1 sor perpetuo do Brasil, que nao duvida sacrificar
corpo da Encruzlhada, que nao sabemos quando
chegarao. Todava nao falla, porqoe cavallaria te-
mos bstame ; a nossa falla de iofantaria, que
exactamente de que se compoe o grosso do exerci-
lo invasor.
As partes do Fernandes anda do dia 12, sao
que os homens passavam de 10 a 11,000 homens,
e que esta va m passando cavalhadas. Nao posso
anda convencer-me que elles tragam s esse nu-
mero, porque a ser exacto, nao vollar um s.
Creio que all mesmo ainda passaram mais
is delicias do ureo lefio, bem que agitado de se-
rios cuidados, para ir affrontar as asperezas e ris-
cos que se estendem as visinhancas do theatro da
guerra I
O patriolismo dos povos de Sania Crnz se
acha exhuberanlemente manifestado pela organi-
sacao rpida de um exercito de voluntarios
seu valor e bravura-asss o tem provado os
Da ordem do da n. 461, expedida pela repart-
cao doawdante-gsneral extraas isseguiete-
vado assim o combateo* batalhodS^U^mU d o ZsoTberTmZ vem !Z3!****m Pe neme de V. M.
mani parte nelle o esquadro de cavallaria, que fundadas P m qUe Vem I SP22? es',iV0-cam a,Dda de b'*hos que se fe Grandevo s7l
se entreverou na infanlaria inimiga, causando gran- Somos a 20.-Acaba de chegar do municipio btela k!T'nS?^ TLi*''"* eS|)e,rar-se vend-se
de damno, e tendo algn:; morios. de S. Borja o r. Macarenhas or c-uem m mI m.... pet0 e noa,sl em conlaclu c"m -
Nesieinlerira, chegou o 1-batalho de volun- que os Paraguavos at 15 ekZm ainda junto tttSSRiZXtt&i9***?'*
unos da patria, que lendo feito a primeira carga aquella villa, sobre a qnal bombardea/ara Ti s --''--' lugar a aiier"s*
contra o inimigo, relirou-se para S. B rja. das, na hypoihese que houvesse aJIi alguma em-
' "0SAa lamenlar Prejuizo de 20 a 30 pra- boscada. quando alias nao exista nem um nato
cas, sendo 9 mais ou menos do batalho de volun-j ao Orn delles se desen^anaram que aquelle era
taos da patria, e os mais do 22 corpo de proviso- i um deserto, e eis que tizeram a sua entrada Irium-
riO H llO hala ln do infanta,,'i olm ,1a ,,,.,;,... ,,hol vniiaua mull
nomeayoes, dos Srs. .
nIaneniIe'C0Del d.,corpo de *do-n,or d se-
gunda classe Manoel Jos de Sooza Cooceicio. pe-
ra o logar de enearregado do deposito dearnens
bellicos da provincia de Sama (Jlharina.-\a >-.-
ma data. ^^
me r,lPP0e,Heimes FeJDaDde* T"o de Lweiro, para
apresentar-se ao Exm. Sr. marerhal de campo I-
morandos feitos de Paysand e Riacheflo ; e se, i men,
animados smeme de longe pelo nome de V. *\SEXSSt.J^'ASSSi
Rio Grande do Sul, afim de ser cooven.entemetu-
ernpregado. Em 7 do correle mez.
Alfares do qnarto corpo de votnnianos da patria
brancisco Guedes de Agutar Toledo, para kaeele
do mesmo corpo.Em 6 do correte mez
phal.
rio e do 3o batalho de iofantaria, alm de mallos
feridos e alguns extraviados, bem como muito ar-
mamento extraviado. uu oaiw para ca. senuo assi
Do inimigo consta que foram mortos mais de Padre Noso pelos Paraguavos.
como Camoes
E jnlgaras qual mais excellente,
Se ser do mundo rei, se de tal gente.
A Imperial Sociedade Auxiliadora das Artes
faz votos ao Ente Supremo que visivelmente
Segundo cadete primeiro .argento do o
regiment de cavallaria llgeira Joao Pinbeiro Re-
quiao Jumor; cadetes do mesmo regiment Galas
guet de Lima, e do primeiro batalho de amiba-
Una carta de S. Gabriel, escripia em 20 ao Dia-
rio do Rio Gratule, diz-lhe que o general Caldwel
a em Saican, e que dera ordens para reunir-
superior, ..
nicou-se ao commandante superior de Olinda.
Dilo ao mesmo. Recorameudo a V. S. que, em aPreeatar
visu da recibo junto em duplcala, e nao ha vendo l Para serel.
inconveniente, mande pagar ao alferes do corpo de i naes e esirngeiros de q_.
guarnic.'io desta provincia, Jo Longuinho da Cos- i e8"1 dala> cert0 de que licam expedidas as conve
ta Leile, conforme me soliciinu o coronel coimnan-j'
dante das armas, em uffieio de lo do correnle, sob I
100 homens
Consta-ms que o coronel Joo Manoel Menna
Brrelo porleu-se com vilor e sangue fro ; assim
lambem o coronel Trislo de Araujo Nubrega, ma- i se toda a guarda nacional da activa e da reserva
abrigoido enearregado do telegrapho, e por esta! jor Jos Rodrigues Ramos, major Jos Fernandes !daquelle municipio, do da Caehoeira (Vana7
^enc i InhrendU ?" *" "3*^ C^m "" r?"" DC.' cJa"ilSo Fran,'iscu da S"va La. Joao e,c' '"ae Ja nha, segado para S Bora urna forca
fr,- \, ? T por ou,ro mislT. da ,nesma leen'e Godluh. Jus lardoso Tico, lenle Fe- da ! d viso llgeira, e o corpo 26 do comma, t,
lorre, ou fazer-lhe os reparos necessarios, visto que lisbino Cardoso de Souza e alferes Joaquim Vieira do lente Sezefredo commando
aroeaca desatar. de Oliveira ; todos os mais cumpriram suas obriga-
Dito ao director do arsenal de guerra.Mande coes.
\. S. admittir na companhia de aprendizes desse Em razao da retirada do Io batalho de volun-
arscnal, se houver vaga, o menor orpho Antonio tarios da patria, a forca de cavallaria teve tambera
i andido de Miranda, hlho de Francisca Candida de relirar-se em boa ordem, fleando o inimigo no
de Miranda, que deve salisfazer as disposico^s campo, sem com ludo perseguir a nossa forca
constantes do regulamenlo n. 143, de 3 de j&neiro
de 1862.
Dito ao capilo d* porto.Pode Vmc. mandar
amauhua ao commandante das armas lumugu, esperaouo se me rena o corpo 38, que - v marecuai oe cami
erem inspeccionados, os marinheiros naci- cou cortado para outro lado do rio, como para pro- ercer interinamente
lros de que trata o seu offlcio n. 113 leger a retirada das familias e animaes da costado ral da 3* directora da
(l) j 1 ,iii. ti ''ti .-t- i .. i. 1 i .1 ! nf i%nr*fn I I (" U J U V i*nnls.r, A~. ..-__
Ja consta que a infanlaria a tanto pedido vera MJ1 \3 v Tim U viaRern'ede3de
do Salto para ca. Sendo assim, podara rezar 2 &f; ^rlt ^M to&fr *t
todos para alferes de commissao, esle do sexto cor-
ro,9 julho de 1865.-M,lk,no ItaiHSSlJme? olu,,tari08 da Ve-
lse de Macedo.Jos Be'rnardes Moreira.-Jos
Ferreira de Mallos-Luciano Alves da Silva Ju- pito de commilo d^f *'^ **** 2
mor. Guilherme Pedro Dias. rL, a* ^ ?2 'wUm i0i c"rD,H Vl>*at-'-
SaaMagesUifed.gnoa.se responder que agra-rente mC,ade M,,to Gr0M0--E" *dcor
a Imperial Sociedade Auxiliadora das Do Vluntario do corpo n. 30 Jo ^^ ,fe
Mullo, para alferes de commissao de um des cor-
deca
Artes.
Sua Magestade passou enlo revista aos corpos
de voluntarios ns. 29, 30 e 31, que j estavam
Concedeu-se reforma ao marechal de campo An- 'ormadosno arsenal, coraecando logo o embarque
ionio Joaquim de Souza, e brigadeiro Ernesto Au- ^*.?.. _:1". de .ar,iln.aria de linhapara
Munz Ta-
0. 1,216, a quantia de 25480 despendida com o en
Ierro do soldado Mauoel Pereira da Silva, penen-
Ci ule ao destacamento que alli conimandou na
Villa de Flores.
Dito ao mesmo. Approvo o contrato que, se-
gundo o oflicio que por copia veio annexo ao de
de V. S. datado de hontem, e sob n. 501, fez o ins-
pector da alfandega desta capital com Theodoro
Bampeke, para execular esle os reparos de que
precisa o armazem n. 5 da mesma alfandega, me-'
diaute a paga de 5025208, o que Ihe declaro para
seu conheeiinento e em resposta ao citado fflcio.
Dito ao mesmo.Respondendo ao offlcio que V.
Hoje acha se o inimigo acampado desd a vil-
la de S. Borja at o passo do mesmo nome. brigadeiro Manoel Luiz Osorio.
Eu eslou com o corpo 22 em observaco do Foram nomeados :
inimigo, esperando se me reuna o corpo 28, que fi-. marechal de campo visconde de Camumd para
me as funceoes de director ge-
.._ da secretaria de estado dos ne-
gocios da guerra ;
t Qualquer marcha quo tente o inimigo, preten- brigadeiro Antonio Nones de Agniar, pira
do marchar-lhe na frente. commandar interinamente o corpo de engenbei-
t Desconfo que le o lera marchar sobre Itaqu, ros'
por lerem passado muita cavalhada do oulro lado.
Na costa do Butuhy, no passo do capito Ruli
bordo dos vapores Oyapock e Cruzeiro do Sul.
A'sll 1/2 horas, terminado o embarque, dir-
gio-se Sua Magestade ao vapor em que se acha-
Foi promovido ao posto de marechal de camno Iam j m"mb[,os do corP legislativo, dos quaes
despedio-se. Embarcando enl) na galeMa a re
gusto Cesar Eduardo de Miranda.
Fol reformado o brigadeiro Mano*
: vare-.
pos de voluntarios do Rio Grande do Sul. Em *
do dito mez.
n ~t--------------- itt> -i i[
Por ordem do monsenhor vjgano capitular prin-
cipia ram hontem e coolinnam por Ires dias, ea ea-
pella imperial e mais igrejas, preces pela feliz via-
gem e preciosa sade de Soa Magestade o Impe-
rador. ~'~
Comeqamjambem hoje, as 7 horas da noile, ata
! mos, com o Sr duque de Saxe e acoropaohado dos capella de Maiaporcos, preces ao Divin.
Srs. ministro da guerra e generaes Caxias, Cabral: Santo pela feliz viagera e rereo de Sna Mmm
e Lamego, visilou os vapores Oyapock e Cruzetro tade o Imperador. ^
do Sul.
Ao passar em frente a Una das Cobras, foi Sua
Magestade enlhusiasiicamenle saudado por muda-
res de vezes partidas dos vapores, escaleres e ca-
noas que se achavam no canal, e pelo grande con-'
M~
Consta que foi nomeado presidente do beavo
do Brasil, o Sr. Dr. Francisco de Assis Vieira
Bueno.
, ,, ..viiB.aiii uu vauai, e neio grauue con- i\ c. ;,; j ^ lEl r --------
O brigadeiro Solidonio Jos Antonio Pereira do f^so de povo col locado as eminencias daqnella to !S"W"SL'JSftfffeM'fi?
Lago,o de e-lado-maior de 1- classe, e o brigadeiro ,lha- A t Z Z2tl2?JS, \ R' fi Pr*U> ape"
Joo Antonio de Oliveira Lobo, o de estado maor DeP,s de ""nar as accommodagoes das pra- nas ,le ^rm^o sen estado de saude.
cas nos vapores, regsessou Sua Magestade, sobrado Kn ,m.j A- T = ,
i nomeado director da sec\ao do archivo da
_. juuo t-------"-------- "- " "UUUK1UI.IM uo ser para mu
S. me dirigi em 14 docorr nte, sob n. 494, tenho reraeiudos,_ pondo-os a disposlgo do chefe de po-
a dizer qae mande pagar integralmente e nos ter- "cia> e enviando me as respectivas gulas, cora a
raes dos meus- offlcios de 6 e 10 deste mez, o prel "^saria antecedencia.Nesle sentido offlcioo-se
a que elle se refere, relativo aos vencimenios do as demais reparligoes.
Dito ao engenheiro fiscal da estrada do ferro.
Em vista do que Vmc. expoz em seu offlcio de 15
nientes ordens para esse fim.
Dito ao chefe da raprtico das obras publicas.
-Concedoa perroissao que Vmc. pedio em offlcio
de 15 do correnle, sob u. 222, para mandar pro-
ceder aos estudos necessarios para avaliago das
obras que alada faltara, perlencenies a empreza no, lenho o 3o corpo de cavallaria e o 5"no Passo
Mamede, risto como essa despeza lera de correr Fundo, o qual hoje chegou e mandei junlar-s com : de 2' cUsse, ambos lambem interinamente; f"""' "i""" leKsessuu ana magesiaae, samnoo irni --- --- ~
por conla da mencionada empreza, segundo consta os ires a cima di los, afim dereceberem langas, vis- O coronel graduado de engenheiros Andr Cor- logo para b8rdo do &",l1 Mnr> onde recebeu di-. ..* ."J"?* *?* da sec,.'u, d? ?**
de sen lado offlcio. que hca assim respoodido. I to virem completamente desarmados. deiro de Negreiros Lobato, secretario de guerra vers\s Pessoa!i radas e a offlcialidade da corveta Jt a A.Ji?g es,rao8,i,rcso * J
Dito ao juiz municipal da ! vara.-Tendo a com- 01 batalho de voluntarios da patria o 3 da interino. 6 Barlholamu Dia, que o foram comprimenlar.
panlna Pernambucana de mandar um dos seus va- activa e o 9 da reserva fiz collocarem-se m pou- P"r decreto n. 3,499 de 8 do corrente foram Ao rae, d,a lar8arara os vapores Qyadock e
: ao presidio de bernando no dia 21 do cor- co distante do ponto, com receio de alguma sor- creadas provisoriamente duas juntas de justica mi- Gr"*n * Sul, levando o primeiro os batalhoes,
litares, urna na provincia de S. Pedro do Sul, e ou- nsi %, de vo|oltHo da patria, e o segando
,ri 'e M*"uGr^ u i ?&s^ittFfr,!r?i JSsexetaaBi sr5*-
Eilociuoa-se hontem. segundo noticiado, o em- !m:f.pe.ra^Q0 ?5? .vaD9r Sant Marta, que
a-----------------------l...... ii.ui'i-i uu lll
rente, as dez horas da manha, assim o declaro a
V. S. para que mande apromplar os sentenciados,
que estiverera nas circumstancias de ser para all
de.-tacan:ento de guardas nacionaesda villa do Bre
jo, e expeca suas ordens para que pela collecloria
daquella villa, sejam pagos na mesma conformida-
de, e em vista dos competentes prets os venc Bien-
ios correspondentes ao mencionado desafmenlo.
Dito ao mesmo. Reslituindo a V. S. o requeri-
mento ducnmenlado de Antonio de Albaquerque
Ilollanda Cavalcanli, o qual vejo aiiuex i a sua in-
formacao de hontem, seb n. 503, tenho a dizer qne
to obstaote as ponderagoes feilas pela 4" secgo
da contadoria dessa thesi uiatia, n> parecer a que
se refere a sua citada inforinago, mande pagar de
COoformidade com o liual do mesmo parecer os
vencimeotos a contar de 27 de abril a 31 de juuho
desie anno, da forca da guarda nacional destacada
na villa de Cimbres, devendo esse pagameuto ser
elTectuado a pessoa que para isso se mostrar auto-
risada.
Dilo ao mesmo.Expega V. S. as suas ordens
para que se abone em os dividas lempos a ronsig
naci que, segundo o meloso requerimonto preten
do corrente sob n. 1, o autorisu a elevar a verba
do cosleio da estrada de ferro a despeza que fez
com o alluguel do carro de passeio, destinado ao
fim a que ailude o seu cilado offlcio.
Dito ao juiz de paz mais votado do Io disincto
da fregaezla de Aguas Bodas.Inteirado pelo seu
offlcio de 13 de junho prximo lindo, das razoes i
pelas quaes deixou de ser installada a nova junta j
revisora da qualilieago dessa freguezia no dia
designado por esta presidencia em offlcio de 18 de !
abril u'lmo, reeommendo a Vmc. que, quardados;
os prazos e mais formalidades da le, convoque os
eleilores e supplenles que a devem organisar e a
faga reunir no dia 17 de setembro prximo futuro
que para isso tica designado, e prosiga nos demais
trabalhos da revso tendo em vista o decreto n.
2^865 de 21 de dezembro de 1861 e mais disposi-
goes em vigor.
PortaraO presidente da provincia, attendendo
de'deixar de seu sold nesta capital, o 2 cirurgio ao flUt requereu o lenle do Io batalho de arli-
Iharia da guarda nacional deste municipio Manoel
Osmundo da Cmara Pimentel, resol ve conceder-
Ihe seis mezes de liceaga para tratar de sua saude.
Dita.O presidente da provincia resolve promo-
ver a alferes da 4a companhia do corpo de polica
o sargeuto ajudant" do mesmo corpo Antonio lien
rique de Miranda, licando sem effeito a nomeago
que obteve para aqueile posto por porlaria de hon-
lem o sargento Jos Francisco de Souza Magalhes,
e ordena que nesle sentido se facara as conve-
nientes communicagSes.Fizeram-se as necessa-
nas communicages.
Dita.O presidente da provincia tendo em vista
a uormaco que ministrou a commissao de exa-
minar as resposlas dadas por diversos empregados
juudmc uu curpu uc puncia. ; docollegio dos orphos, resolve exonerar o cidado
Dilo ao mesmo. Em visia do ret junto em du- ** Bento da Costa do lugar de director do mes-
plieata a que se refere o offlcio do commandante mo coHepio e nomea para o referido lugar o Rvd.
superior da comarca de Nazarelh, de 18 de junho Fr- JooBapti?ta do Espirito Santo.Offlciou-se ao
ultimo, gob.o. 203, mande V. S. pagar a Jos Mana pmvedor.
Ferreira da Confu, seno houver inconveniente, a Dita.-O presidente da provincia, attendendo ao
quantia de 115800, em que importara os vencimen- (lu.e requereu o capito da 3* companhia do bala-
tos de urna escolta de guardas nacionaes, que lna? D- de iofantaria da guarda nacional do mu-
d'ili para esta capi-! nic'Pi0 do Recife, Jos Caetano de Albuquerque,
IVi.fi-, I >f,\ f. wn-, ,1., II.- _^1^ ________
preza
Assim, pego V. Exc, visto algumas pragas
terem perdido a roupa, e outras a nao teiem auio-
risago para
neiro do Amara!.
O Sr. Dr. Loiz Pereira Sodr, secretario de lega-
gao em dispooibilidade activa, foi nomeado | ri-
cial da secretaria dos negocios elraageiros.
comprar ao ineuos
ueus guarde V. Kxe. Commando da i' bri- de Sax>t para a provincia de S. Pedro do Rio Gran- Uuze vaPres embaodeirado? e cheios de
enire os quaes am levando os Srs. ministros
baela para ves- Elfocinouse hontem, segundo notuiado, o era- ram esperar no pogo o va
barque de. S. M. o Imperador e S. A. o Sr. duque p a nora da ,arde-
nana A* i hr. de Sax-! liara a nrovinc Ao i p.nir.% a.-, n^ n.._ Ouze vapores embandei
do corpo de sade Dr. Joo tooono Bezerra de
Menez"s,que vai servir no presidio de Fernando.
Dito ao inspeclor da thesouraria provincial.De-
claro a V. S. para seu conhecimento e fim conve-
niente, que. segando eoostou deuffiVio do chefe da
repartieao das obras publicas, datado ae hontem o
sob n. 22.', o eageabeiro ajudante daqnella repart-
gao, Jos Tibnrcio Pereira de Magalhes, eulrou
em eterclcio na mesma dula.
Dito ao mesmo.De conformidade com as ordens
j expedidas, mande V. S. abonar a cada urna das
pragas do corpo de polica mencionadas na inclusa
relaci,a importancia dedous mezes da gratificagao
de que trata o art. 7o da le provincial n. 611 de 2
de maio ultimo.Neste sentido offlciou-se ao com-
mandante do corpo de polica.
gada em acampamento volante, acampado no ca-
po do Coito Cavallo, lepua e meia distante de S.
Borja, 12 de junho de 1865. Antonio Fernandes
Lima.
Comjnando da 1- diviso lig-ira, quartel
general em marcha nas pontos de Ibrocahy, 15 de
junho de 1865.
Oidem di) da n. 25 Por offlcio do Sr. coro-
nel da l brigada, esle commando levo sciencia de
ha ver no dia 10 do corrento um exercil) para-
guayo de 10 rail homens, passado o n jsso territo-
rio no passo de S. Borja.
A forca que guarneca aquelle ponto, nao que-
rendo deixar de mostrar ao inimigo o valor da-
quelles com quera vinha medir a armas, esquecen-
do se da exiguidade de seu numero para oppor
resistencia, arrojou-se em combate, que foi to
mortfero como glorioso.
Esses poucos bravos tizeram por mais do urna
vez entreparar essa massa, a quem feueceu a cora-
gem para concluir com os poucos denodados que
linhara sua frente.
Mais de cera vndalos licaram no campo : e
nos temos de lamentar a perda de trila bravos,
que nao liveram a indispensavel prudencia para se
conservar ao lado daquelles que mesmo em retira-
da e sera excesso de herosmo deram exeraplo de
valor J
Soldados da 1' diviso ligeira I ao communi-
car-vos esse facto, vos declaro cheio de orgulho que
elle veio apresare nosso iriumpno I
Ja nao temos de transpor barreira quasi inex
pugnavel para ir era busca de um inimigo, que em
poucos dias estar extincto.
Bravos da diviso do meu commando !
O soldado brasileiro que em valor marchou
serapre a par do mais ousado, nao precisa que
alguem Ihe record o dever que inspira o campo
da gloiia
Esse sentimento nato nos corag5es brasilei-
ros, quanio ao troar do canho saergue o pendo
da patria
o Ella hoje requer de seus filhos alguns das de
privago a troco do mais glorioso iriumpno. Fazei
esse sacrificio ao lado do vosso camarada.David
Canabarro, brigadeiro.
Em seguida a estes documentos publica o Echo
conduzo presos de jusliga a mi para esta capi- "lc|i"u o necue, jse uaenoo de Albuquerque, Em seguida a estes documentos publica o Echo
tal.-Communicou-se ao commandante superior de i resolve conceder-lhe seis mezes de licenga para do Sul da ultima data a carta seguinte, que diz es-
Nazarelh. ; Halar de sua saode. i cripia por pessoa anortada que acompanha a dl-
Dito ao commandante superior da guarda naci-' Diln.O presidente da provincia, resolve conce-1 visao do general Cauabarro :
nal do Recife.- Mande V. S. postar era frente da der a Luiz Jeronymo Ignacio dos Santos a exonera-1 O Canabarro, que em raeiados de maio se poz
em marcha com todas as suas torgas para acercar-
se do Ibicuy, onde esperava fazer junego com 4 a
igreja da Ordem Terceira de S. Francisco, urna 5o Que Pedio do posto de lente secretario do
guarda para fazer as honras fnebres do eslvlo ao crpo de poliicia.Fizeram-se as necessarias com-
finado lenle aggregado ao ! batalho de reserva, raunicages.
J lo Chri.-ostomo Pacheco Soares, requisitando V. i
S. ao director do arsenal de guerra, o cartuxame
oecessaro para esse fim.Nesle senlido offlciou se
ao director do arsenal de guerra.
Dito ao mesmo.-Mande V. S. apresentar diaria i
mente ao delegado do polica do 1 districto deste :
termn, 24 pragas da guarda nacional, afim de faze-1
rem o servigo de rondas nesta cidade, como j j
delermin' i em offlcio de 2 do correnle, as quaes!
devem ser liradas dos corpos que nao se achara
de do Sul.
A's 8 horas da manha chegaram ao arsenal de
marinha S. M. o Imperador e S. A. o Sr. duque de
Saxe acompanhados dos seus semanarios, e sendo
recebidos pelos membros do ministerio e pelos Srs.
inspector do arsenal, conselheiros de eslado, corpo
diplomtico e consular estraugeiro, cmara muni-
cipal, deputados, senadores e omViaes de mar e
ierra, dirigiram-se casa de residencia do inspec
tor, onde S. M. recebeu o curaprinento do corpo
consular, cujo orador o Sr. Eduardo Pechar, cn-
sul geral da Blgica proferto o seguiole discurso :
t Sre I Nous, les membres prsenls du coros
consulaire, representan! des iutrls commerciaux
trangers, nous venos respectaeusement ollrir
Votre Majesl Imprtale les vceux ardents que nous
nous formons pour l'heureux rsullat du voyago
que allez entreprendre, Sire, pour dfendre l'hon-
neur el les droiis du Brsil.
Le commerce lranger dsire avant tout la
paix de l'Empire.
t Le Paraguay l'a trouble, el aujourd'hui nous
croyons obr un devoir em afflrmant.en prsen-
ce de Votre Majesl Imprtale, que dans la guerre
acluelle le Brsil reprsenle, l'enconlre de son
ennemi, les vrais principes de la libert commercia-
le, du progrs el de la civilisalion.
t Sire, les guerres parfois retrempent la forlune
st la destiuee des nations cemme elles lvent aussl
leur caraelre.
_ t Nous faisons des vueux pour que les sacrfices
d hommes el d'argenl que le Brsil a'est irapos,
avec une grandeur dne d'admiration, soient re-
compenses par le triomphe de ses armes el par la
gloire du rgne de Volre Majesl Imperiale: le corps
consulaire serait ier el heureux, sire, si les res-
pectueuses acclamations dont il salue Votre Majes-
l Impnale a son dpan de l capitale pouvaient
avoir assez d'clto dans l'ancien et lenouveau mon-
de pour y faire apprcier, selon leurs mritos, les
services que l'Empire du Brsil rend en ce mo-
ment, dans 1'Amrique du Sul, aux intrls du
commerce tranger aux intrts de 1'humanil et de
l civilisalion.
Sire, le corps consulaire suhale ardemment
aussl que la felicit accompagne Monseigneur le
da Sax8 dans la carrire de devouemeni au
Brsfl que Son Altesse Royale commence cote
de Votre Majesl.
II a l'honoeur de prier Vote Majesl Impnale
d agreer I hommage de son profond respect. Ri >
de Janeiro, le 10 de juiliet 1865.L
--------- n o
Pelo patacho Singular, entrado hontem. recebe
povo, i mos folhas da cidade do Rio Grande al j do pas-
mos da; sado, adiantando, portadlo, s am dia as datas atu
marinha, do imperio e da fazenda, e os mmbroi! l tiohamos. '
do corpo legislativo, e dous com a offlcialidade da! Alm do ane noticiamos anle-hontem sobre a in-
guarda nacional e a commissao da praga do com-, vasao da frooleira de S. Borja pelos Paraguayos s,,
mercio, segoiram enlao nas aguas do Santa Ma- \ encontramos naquellas folbas, iranscnpu do Cor-
ra, victoriando sempre com enlhasiusmo a S. M. o I reto do Sul de Porto Alegre, a segaiole narrac
Imperador. !> j^f.ik.j. <.-- ,n.-----.._._"
itrorT
aquartelaios.
Dito ao mesmo.Em visla do parecer da junta
de sade, que inspeccionou e julgou incapaz do
servigo activo o capito do 3o MiamSo de infanta-
ra da guarda nacional do municipio do Recife,
Lniz Pereira de Faria, resolv despeosa-lo do des-
tacamento para que eslava designado. O que com-
munico a V. S. para ?eu conhecimento e expedigo
das convenientes ordens.
Dilo ao mesmo.Mande V. S. addir ao Io bata-
lho de infanlaria aqnarlelado, o individuo que
apresentar a esse commando superior, o guarda do
batalho n. 21 de infanlaria do municipio do Li-
moeiro, Antonio Vicente de Sint'Anna, afim de
substilui-lo no sarvigo para que est designado.
orden,1 nd d V. S que este seja desligado daquelle
batalho.
Dito ao mesmo.-Mande V. S. addir ao batalho
n. 1 de ir.antana da guarda nacional acuartelada,
o 2 sargento do batalho n. 9 de infanlaria do mu-
nicipio de Olinda, Joaquim Raphael de Barros, que
se offereceu para servir na guarda nacional qae
lera de embarcar para o sul, bem como os guardas
Andr Victoriano Ribero, Idalino Flix de Barros,
Benedicto Accioli Augusto Lobo, e Lourengo Jos
de SaniAnna,devenau osle ser conservado preso
RIO DE JtMIHO
10 de fulbo.
Pelo brgue S. Manoel, entrado hontem, recebe-
mos dalas do Ro Grande do Sol at 28 do pas-
sado.
Confirma-.se a noticia da invaso do nosso terri-
torio por um exerciio paraguayo de 8 a 10 mil ho-
mens das tres armas, pelo passo de S. Borja, e da
oceupago da villa deste nome pela referida forga.
Pelas partes offlciaes que ahaixo transcrevemos,
e que todas as folhas do Rio Grande publicam como
auihenticas, llcaro os leilores inteirados dos por
menores daquelte aconteciroenlo, os quaes esto
longe de combinar com as noticias aterradoras que
tem corrido.
N. 73.-Illm. e Exm. Sr. Conforme pariici-
--i--j 'ij A. Pritz, con-
.. .- v,,....,. ,, juu.ViU na a su general de Danemark.Edouard Pecker, con-
5,000 infantes, que ha mais de loas mezes pedio e sul general de Belgique.-Fd. Schmid, cnsul g-
Ihe prornetteram mandar de Montevideo, para po- i neral d'Autriche.Jos M. Frias, cnsul general
der transpor o rio Uruguay, buscando hoslilisar as argentin. Hermann Bauck, cnsul general de
iHa= UJn,i,>., Hambourg.Alexander Lallement cnsul general ,el> sendo exonerado do mesmo lugar, a seu pedi-
de Lubeck.G. Ludw. Meyer, consol "nral ad do' Dr* Antonio Vespaziano de Albuquerque.
Guarda-roupa, o conselheiro Henrique de Beau-
forgas paraguayas existentes em S. Carlos, vendo a
grade demora dessa infanlaria, maodou um proprio
a Paysand em busca doOrorio, que acaba de con
testar-lhe que a delooga tem sido lidia das grandes
enfermidades. que infelizmente tem grassado no
exercito, lano que se via na preciso de fazer se-
guir para Montevideo rail e lanos doeoles que es-
tavam entorpecendo a sua marcha.
Quem esl longe do theatro nao pode avahar
das scenas.
A morosidade do nosso exercilo, nascidas das
circumstancias que acabo de referir, deu lempo
aos Paraguayos invadirem o nosso territorio, como
vero da ordem do dia junta.
Apresentaram-se no dia 10 do corrente no
passo de S. Borja, e era duas horas pozeram quasi
toda a forga, que monia a mais de dez rail homens,
deste lado. Trouxeram Ianch5es e barcas, que pas-
savam 300 e mais homens de urna s vez ; de ma-
neira que era todo o lilloral desembarcaram ao
raesmo lempo aquella massa immensa para a nos-
sa forga, que guirdava aquelle ponto sem oppr
resistencia ; todava a guarda nacional de infan-
laria fez duas cargas, tende logo de relirar-se pela
Ao chegar ao pogo aquelle vapor, snbiram s
vergas as guarnigoes de lodos os navios de guerra
nacionaes e eslangeiros, os quaes se achavam
embanderados, era arco e nos topes, e levanta-
ran! vivas a Sua Mageslaile, que foram correspon-
didos de bordo de todos os vapores. Salvaram en-
to com 21 tiros a nao Egmon, as fragatas Con-
ttutco e Astre, e as corvetas D. anuaria e Es-
lephama, e as fortalezas de Villegaignon e Santa
Cruz.
Em frente a' esta fortaleza disseram um ultimo
adeos e regressaram os vapores que acompanha-
vam, segurado o Santa Marta na frente e depois
o Oyapock. Cruzeiro do Sute a corveta portugue-
za Eslcplianta, com o pavilho do capilo de mar e
guerra Antonio Sergio de Souza, commandante da
esquadrilha.
Todos os pontos elevados e praas da cidade,
desde o arsenal at a Gloria, cstavo apinhados
de povo que nao cessava de dar vivas e acenar
com os lengos.
A fragata franceza Astre, por ser de marcha
raui inferior ao Sania Maria, nao o acompanhou.
O Santa Maria vai directamente ao Rio Grande,
acompanliando-o at aquella barra o Oyapock, que
dalli regressa a Sania Calharina para onde vai em
direitura o Cruzeiro do Sul.
Ventos propicios e bonangosos mares encontr
sempre o Santa Maria.
------------- > ii a 1
S. M. a Imperatriz nao recebera' compriraenlos
nos das de gala durante a ausencia de S. M. o Im-
perador.
1 i& il
Alm das nomeages de que j demos noticia,
foram nomeados :
Presidente da provincia das Alagoas, o Dr. Espe-
rldio Eloy de Barros Pimentel ; sendo exonerado
do mesmo carpo, a seu pedido, o desembargador
Joo Baplista Gongalves Campos.
Presidente da provincia do Amazonas, o Dr. An-
tonio Epaminondas de Mello.
_ ------- uuu I )
Foram nomeados:
Secretario do governo da provincia de S. Paulo,
o Dr. Juo Carlos da Silva Telles, sendo exonerado
do mesmo lugar, a seu pedido, o Dr. Jos Avelino
Gurgel do Amaral.
Secretorio do governo da provincia do Espirito
Santo, o Dr. Graciliano Aristides do Prado Pimen-
pei V. Exc. em offlcio de 10 do corrente," sob n.
72, os Paraguayos teniaram e levaram a effeito a o .<,.v, H
passagem no passo de S. Borja, empregando para resistencia
isso grande numero de lanchas. Chegou a forga laria fez du=
paraguaya aquelle ponto era numero de 8 a 10 rail impossibilidade de bater-se com to grande exer-
homens, as 10 horas da manha do da 10 do cor- cito.
rente, ao meio dia j se achava a metade da forga j t O Canabarro com esle facto reilirou o pedido
deste lado, que no sea total composla das tres por 4 a 5,000 Infantes, que devera ha dous dias es-
armas, sendo o maior uumero de iofantaria. lar marchando do Salto para o ponto que elle in-
t A passagem da forca paraguaya foi dispotada' dicoo ; e elle com a mais forca, excepeo de
com toda a energa pelo 3 batalho da guarda na- \ Fernandes, com a sua brigada que rodea os Para-
cional, o qoal teve de dividir-se em tres divis5es, 1 guayos, esl em posigao de sahr-lhe na frente, ve-
para operarem em differentes pontos em que des-' nham elles ao passo que vierem, no Ibicuhy.
embarcaram os Paraguayos, por caasa do grande I To depressa chegue a infamara, o Canabar-
int. de Breraen.Lemard Akesblora, cnsul g-;
neral pard inirim de Sude el Norwege.-Gabriel rePaire Rohao-
Prez, cnsul general de f Uruguay.Otto Koliler,
cnsul de Russie.R. Stengel, cnsul de Prusse.
Charles Rieke, cnsul inter. de Bavire.Anto-
nio Arauaga, vice-consul de S. M. Calholiqne.
Aug. Heyn. cnsul d'Hanvre et consol general
Foram agraciados por decreto de 5 e 7 do cor-
renle mez :
O chefe de diviso Francisco Manoel Barroso,
pelos mui relevantes e extraordinarios servigos
de Hesse'.-Dvid"Morsr"csuT to"swmlEu 1uehPre?'oa no c?mbate ">' dad no dia 11 de
Emito Raffard, cnsul general suisse-Herniann ffiS u '""" con.,ra a- e?fluadra Pa-aguaya, com a
Ilaupt; cnsul'ad. in.. *de Wbtemtarg TeorJ SoTnnal^fZ" ^ ?mtT0 Cm *
Laemmerl, vicecnsul de Bade-Charles Guil- P a Ua de'-*00*. sendo ao mesmo lempo
laume Gross, vce cnsul de Saxe.-D O Mello "X'hif "*?*! da ^ IIDpSrial' ,
v.ce-consul des Pays-BasJ-Pedro R. Fernandes'-?. de esquadra graduado reformado Au-
Chaves, consnl deX Venezuela"-Heory Srper ,g"St0 LevergT-' Pl'S d,slinej08 s,erv5s * Dres"
cnsul ad. int.du Chili.-Manael Calb! vicecon- >?," EL23ZV&?* *" for5as Para8uaya*
du Pro,-Lzv. Bonnioghausen, "cons^de ^TZ^oTjS. "" U,Ul de b3"
Mecklembourg-Schwrin.Joo Liberal li, cnsul
d'Oldenbourg.H. Ridy, cnsul de Grce.
Sua Magestade dignou-se responder :
Je remercie le corps consulaire d'avoir rendu
justice aux sentiments du Brsil et aux miens. >
Em nome da sociedade Auxiliadora das Arles
Mecnicas e Liberaes e Benefic9nle foi lido o se-
rumie discurso :
Senhor.-A Imperial Sociedade Auxiliadora
das Artes Mecnicas e Liberaes e Beneficente, par-
lilhando a emogo que alvoroga iodos os brasilei-
ros pela resolucao tomada por S. M. Imperial, dig-
naodo-se de testemunhar os esforgos de seus filhos
O tenente-coronel commandante do corpo de ca-
vallaria da provincia de Matto-Grosso, Jos Anto-
nio Dias da Silva, pelos relevantes e extraordina-
rios servigos que presin por occasio da mesma
invaso, com o offlcialato da ordem da Rosa.
Os segundos lenles de artilharia de Matto-
Grosso, Joo de Oliveira Mello e Luciano Pereira
de Sauza, por iguaes servigos, com o habito da re-
ferida ordeno.
O desembargador Luiz Antonio Barbosa de Al-
raeida, pelo relevante servigo que na qualidade de
presidente da Baha presin, animando e promo-
viendo na mesma provincia o allstamento de vo-
------------------------------.. w w.v> Y"" *" VUO lllll'C
na guerra que o Brasil sostena em honra de sua lomarlos da pnria'para defez do imperio contra
dignidade e direiios, nos enva em commissao pe- a repblica do Paraguay, cora a comineada da or
rante V. M. Imperial. em de Chrisio.
mais detalhada daqaelle aconi-cimenlo :
< No dia 10, pelas 7 horas da manhaa, o exer-
cilo paraguayo, coroposlo de 8 a 10,000 heroen.-
commandado por Laguna, ex-chefe dos blaaco.
foi dingindo-se para o passo de S. Borja, irazend-
frente a sua bagagem e artilharia.
t A's 8 horas, 19 chalanas qne tnham cunda-
zido em carretas foram aliradas ao rio, embarran-
do era cada urna deltas 25 a 30 homens com *eis
reraeiros.
t Quatro pegas dej artilharia foram asestadas
em dilfcrenles pontos, dominando os prior,,
postos oceupados por nossas torgas, qae all eram
de 150 homens, todos da secgo da reserva.
< A resistencia no passo foi en-rgica ; pora,
esmagados pelo numero, liveram de recuar al s!
Borja, a encontrar-se com o 1* corpo de volunta-
rios.
t A's 8 1/ rompen o fogo de artilharia, e aa
chalanas vieram despejar em nossas praas as tor-
gas invasoras, em direccao ao ponto de cima onde
eslava a 2' companhia com 44 borneas, comm.tu-
dados pelo capilo Joaquim Clemente Godinho. O
fogo cendro da praia obrigon alguraas chalana.-,
que scffreram grandes perdas, a irem mais abaixJ
dar o desembarque, emquanto oniras resisliram.
0 alfere> Vaz buscou alli impedr-lhes a passagem,
poim em breve vio-se obngado a relirar-se.
c As outras corapanhias procuraran) no passu
geral conter o inimigo, porra liveram lambem de
ceder ao numero, enviando as chalanas com irgo-
laridade torgas sobre torgas.
t A's 11 horas eslavara neste lado 5,000 borneas
e um parque de artilharia, e continuando o inimi-
go sempre com ligeireza a mandar novas tropas e
artigos para os pontos que ocenpavam.
c Os 150 homens da secgo logo depois ajada-
dos por 200 homens do 22 corpo de cavallaria ato
1 hora da tarde dispotaram as proximidades de S.
Borja.
Gorrendo depois o I" de voluntarios, formou
columnas por grandes divisdes, lendo 00 centro
doas boceas de fogo, na retaguarda a secgo de i.
Borja, e oa esquerda o 22 corpo e a direiu um pe-
queo esquadro de cavallaria.
O 1 de voluntarios por ramio lempo combaten
deitado, at que, entendendo mal urna ordem do
seu bravo commandante, se reiirou para a po-
voago.
c A gnarda da baadeira esteve em perigo, po
rm a cavallaria acudi em lempo, e, como lii,-
Graudenses, salvaram o pavilbo nacional, qne na
offlcial paraguayo quera agarrar, matando oa in
ferior, porra cahindo morlo nas maos de oatro.
c O bravo e valente coronel Joo Manoel, conbe-
cendo que fra se nao poda manler por muito lem-
po, se quiz a principio fortificar oa povoago, po-
rm veodo o nnmero do inimigo e soa boa artilha-
ria comprehendeu que seria esmagada a soa forra
e retirou-se era ordem sobre o lia.
< As familias fugiam espavoridas.
t O Sr. Wenceslao, juiz de direito, procarava a
lodos animar, e lomou parte nao pequea no com-
bate, e nao possivel descrever nesia primeira no-
ticia os feitos, os actos de bravura qae alli se pra-
licarara,
c Conta-se que no principio do desembarque mn-
tou-se a chegada de am rico mnibus, prorompe-
do a tropa paraguaya em vivas a Lopes, e dando
urna descarga de fuzilaria. Assim, parece qoe era
o mesmo Lpez quem as vinha commandar.
No da 12 os Paraguayos entraran aa villa e
l se acham.
c Corre que Raqui foi ao mesmo lempo atacada
e tomada por 4,000 Paraguayos.
< No dia 10 as nossas torgas estavam : 10". 11
e 23 corpos provisor! >s no passo das Pedras ;
28* em S. Matheus ; o 22* no passo de S. Borja
junio villa o 1* de voluntarios.
1 Ainda por alli se oo sabia ao ceno oaie esti-
va o general Canabarro ; lodos esperavaa coa
ancia esle chefe, que ha muito la devia estar.
Tvemos no combale 17 mortos e foridv*.
Os Paraguayos liveram entre mortos e feridos
80 homens e doas das chalaneas foram a pique.
v....


llarto de rersaiubnco - Seia ?clr& ti de Juiho de 1865.
_^--
i i
Foram nomo los merabfOS da junta de ju-uoa
militar, que dcvc funcclouar na cidade de Ioilo-
A logre, o tenente-general reformado- Jos Fernan-
dos dos Santos Pe eir, o nureclvir de campo re-
f rmado Luiz Manoel de L ma a Silva, o marecbal
d i campo graduado Lobo de Almcida Henriques
Botelho e Mello, o auditor de guerra Ignacio Joa
quim de Paiva Freir de Andrade, o jaiz de direito
J is Joaqun da Cruz Saneo, e o advogado do
eonselho de estado Fernando Sebastiao Das da
Va a junta de jtWica militar da Mato-Grosso,' pretendeu-se tirar
qjae .leve fanrcionar onde se aehar o vice-presi-1 roramandantes dos
cVnt i ni exei cirio, o brigadeiro Alejandre Ma
n I Albnj de Carvaiho, o brigadeiro
Jos Pedro Ruarle e o tenente-coronel do
nheiros J-ao Vicmr Vieira da Silv!
o vic presidente i so Iher os magistrados
tam para o eomplemeolo da juuip..
O Sr. demudo Viriato Bandeira Duarte
a 10 do mente no exercicio do can; o de auditor
QUaru, nao lava para-distribuir cora o-ses valen-
tes, M'oao urna caita de charutos.
Para supprir essa falla, abiio-se no nosso
cominercio urna subscripco, que monta cerca de
2:OOlV5000, com os quaes se pretende offereeer ao
distiDCta commandautc da Araijunry urna caixa de
ebarutos em paga da que distribu com os seus
'iiariahoiros, e a estes urna porco de charutos, ci-
garros e tabaco.
Parece que d'esta vez nao sentiro falta.
t Da subscnpco promovida para offereeer cha-
rutos e cigarros aos tripulantes da gentil Aragnary,
cada um dos
les dus Srs. Giimault C, e sobre as o-
formacoes inteiramente erradas que foram
dadas ao tribunal.
um mimo para _
outro navios brasileiros, que a numeracao de
jectado para Cinco-Pontas e de 100 ps de comprl-l nitor do engenho J .3o de Barros a julio para con-
menio, lera lugar ua e.-tacao de Una. vncelo do direito, que llie assislia de recebe* a-
Araauha se exlrahir 1" parte da 1" lote-, quelles 12 contos de reis, para poder enlaj ter lu-
ria da matriz d'Agua-Preta (24'j, sendo o malor | gar a condicao da escriptura nulla na parle que se
premio 6:000,5000. obrigou a pagar as despezar da demanda e juros ;
Foi effectivamente exonerado o Exm. Sr. Dr. pelo contrario de poder absoluto, Qndou so o arreo-
Caslelln Branco, presidente desla provincia, sendo o damento e lempo da entrega do engenho, couser-
a seu pedido. vando-se nelle a forciori conlinuaudo a menina lin-
O presdante oomcado para esta provincia guagnmde que em quanto nao receber os 12 con-
o Exm Sr. conselheiro-Jio Lustosa da Cunha Pa- tos de reis, que nao sane do engenho, o o man
ranagu, que segundo nos informara, deve vir. a gostoso dizer ainla, que s paga pela renda do fjzeram distribuir em grande numeros jor-
bordo do Cruzeiro do Sul. eugenho o meso.o preco que outr'ora pa-avall! E1 ,a judiciaes e mandaram publicar em
- Ono-so 2 corno de voluntarios da patria tem assim que se loma o alhe.o T No lera o |r. Sa ^i g ^ ^.^ strangeiros uma dec.
A arrematacao ter lugar no ref -rito dia pelo
meio dia, sendo as propostas em carta f-rha.I i.
E para constar se inaml- u paMICnT pelo j. ma!.
Secretaria da thesiuraiia provincial de Pern. rav
2. A sentenga fot dada por 0 centava*,
A. V. U'Ar.ii .r.f i .-.._:"<>.
O Dr. Tristao de Alencar Arar|.<.
da imperial onlem da Rosa, jui/. ! li-
de pnmeira instancia, e nao tem valor al-
gum, logo que se appellou; foi por uma
manobra desleal e contraria a todos os usos
que os concurrentes dos Srs. Grinaultc* C.,
30.
Albiiquerque eoinmeltido o criine previsto no ar-
O vapor inglez Pto'emy, da linha de Liver- ligo 258 alm de. ontros do cdigo penal. Respon
sao que e nulla, sem nenbum valor emquan-
approva-
mo.
o, mas
**' gefal da marinha da corte.
DIARIO DE PERNAMBUCO.
L-utaram o esplendor da bandeira brasileira. ceno Hozado. S. Exc. chegou por este vapor, e de-, gento eora Joao de Barros, e e boje del le
Para commemorar a gloriosa batalha naval do ve enlrar em exemrio qualquer da. possuidor ; e quando este negocio fez oi na
Riachuell. andar pelas ras msicas seguidas' Segundo publicara os jornaes
de
rias
de poder aniigavclmente acabar
O vapor Paran, rhepado nonlem tarde dos
I mos do sul, fui portador de jornaes do Rio ale
44, da Babia at 18 e de AlagOas ate 19 do cr-
renle.
A's noticias que vao sobre a rubrica Interior, q_ /.,>.
do correle, a eseuna p
com 7 dias de viagein.
Ficava carga para Pernambuco o patacho
acerescentamos a< segolDtes que transcrevemos do
Correio Mercantil: .
t Podemos garantir, diz o Commeraal a Rio
Grande, qae as forcas reunidas do general Cana
barro moniam a 1t).000 homens, e que com [esse
nu'nero de fofeas nao 6 possivel que a provincia
do llio Grande vanas.
Sondo tafcezuro* vantigem para nos que eue>
sEr.fiPK.-I.e-se no Correio Sergipense :
O patacho hanoveriano Lima Margaretha, com-
mandante Beckmann, viudo do Kio de Janeiro com
10 dia- de viag-m, carregado de algumas tax*s
de engenho, encalhou no da de sabbado, Io do cor-
rele, por volta de 3 1(2 horas da tarde, sobre as
praias do Bacupari ao sul desla barra.
c Na enseda que forma esle lugar deu fondo o
navio a i hora da tarde do dia 30, onde se demo-
se internen) na provincia, o que dar em recitado, ru a[(j s 3 da tarde do dia seguiole, em que, par
nao passar um s paragnavo para o outro lado do j ,j0(jo 0 ferro, foi de encontr costa.
Uruguay. O vapor de reboque, que Ihe foi em soccorro,
O 5* de voluntario? o o corpo da Enrrnzi- g0 piln sabir lora da baria pela grande agilafao
Ihada Acarara em Sania Mara com destino ao Ale-: d0 mar. Logo que S. Exc. soube do acontecimento.
rete. fez seguir uma forca para o lugar do sinlslro, anm
i A' vista das noticias de S. Birja havia-se reo-jde proteger a tripolaco e carga.
A autoridade local alli compareceu
nido o corpo de guardas nacionaes de Sania Maria,
e o presidente da provincia flzera seguir grande
porco de rmamento para a fronteira. S. Lxc
cei'lando a offerta do Sr. Fernando Schneider,
ex-tenenle do 2. regiment (alloman) de arlilha-
ria a eavallo, en-arregra este offleial de organi-
Bar um corpo de voluntarios artilbelros que servi-
r annexo ao batalho de c.-.catores, que o Sr ma-
rech!" Lima e Silva est formando em t'orto-
iP0 Sr. general Caldwel tinha partido da Ca-
eboeira a 29. .,.
c No Rio Grande falfccra o major Guilherme
Breckenfeld, cominandante da sec;ao de artilharia
da guarda nacional. ...
. Fallecer tambem o lente coronel Tristao da
Conha Sobrinho, commandante da guarda nacional
da C-choeira.
Na campanha havia ltimamente apparecido
on?as falsas em clrcujacao. A osle respeito diz o
Jornal do Commcrao de Porto-Alegre :
Os negocanos das proximidades do Alegre-
te, Domingues, Filho & C. tiveram de receber o
pagamento de uma tropa, e '-oconlraram 63 on^as
falsas, sendo 60' reconhecidas no acio do recebi-
mcnio e cinco depois de ja' se haver retirado o
comprador.
As oncas falsas sao de diversos cunhos, e f-
cilmente se podem cenhecer.
Seu laniraho, peso, e forma poueo differem
das amigas moedas portuguezas de 320 rs., e sao
de prata cubertas apenas por uma finissima capa
de oaro, adherenle ao todo por um proces-o que
ignoramos.
c Prestamo> inteira f ao nosso communicante,
e por isso chamamos a altencao das autoridades
para tSo grave assnmpto.
L se no Jornal do Gommercio :
O vapor Santa Mana tai off-recido ao gover-
no gratuitamente pelos seus propietarios para
levar ao Rio Grande S. M. o Imperador e sna co-
mitiva. Se depois o governo continuar a carecer
deII.' pagara' de frelamento 0 mesmo que esta'
pagando a' companhia brasileira de paquetes de
vapor pelos Galga e Fateao.
A crvela portugueza Stenhan", sahlda ante-
Iiontem para aeompanhar S. M. o Imperador, ja'
ao anoitecer mal avistava os outios vapores, e
bontera de madrugada, lindos totalmente per-
dido de vista, fez-se na volta da ierra e loruou a
entrar 1 hora da larde,
- 1.6 se no Jiarin Oflir.iai:
O K"vecau teiu u unto * ii>io empenho de
com os
Srs. oapilao do porto e guarda mor da alfandega,
providenciando todos em salvar a gente, carga e
navio. Tudo tem se conseguido do melhor modo,
monos o desencalhe d) navio por ser inteiramente
impossivel. c
alagoas. Lesa no Diarto:
t Ante-hontem (17) a noite alguns cidados fes-
tejaran com illuminaco e msicas as mas a
grata noticia da brilbante victoria que alcanzamos
as aguas do Paran sobre os Paraguayos, des-
mirado a parte de sua melhor s juadra e pondo
fra de combate dous mil ininiigos.
a Os edificios pblicos estiveram todos Ilumina-
dos e diversas casas particulares.
do
seu pag;
Na verdade casia
prazos do costume. j tlnha o auno de renda que de po^ler absoluto ti-
EsU noticia bastante lisongeira para nos Bra- nha plantado I
sileiros, cujo crdito na praca de Londres 6 por el-
la aferido devidamente.
Pedem-us a segrate publicaco :
Muito conveniente seria que a autoridade poli-
cial providenciasse par que no hotel Traviata hou-
vesse mais ordem, mais socego, e.... mais morali-
dade, e isto tanto mais quanlo se diz que no mes-
mo holol reside um inspector de polica. Sabemos tucional se d semelbants absurdos,
que o dono do hotel nao pule obstar os disturbios est ah tudo.
que all ha, talvez por nao querer sujeitar-se a al- Vendo o abaixo asignado a resoluco do Sr Sa
gumn desfeita. e Albuquerque, req'iereu e tomn posse judicial do
Alerta a polica I Rpcrntamento as Travistas, engenho; e sendo o tempo de se fundar a safTa
nos Trovadores e outros referidos no novo metho- vindoura segundo o uzo e costume do_paiz, foi
do etc. etc. para o engeuho com seus escravos; nao para as
Rei'Ahticao da polica : | casas do engenho, porque estas s em maio de
Extracto das partes do dia 19 de juiho de 1866, que orenlelro obrigado a entrega-las
1863. visto ter feito a planta que est criando, nao obs-
Foram recilludos casa de detenco no dia 18 \ ante o prottesto em lempo, e citarao para despe
do rormle: \jo; mas sim para uma casa de um morador; i-t>
A' ordem do Dr. delegado da capital, Panlaleo, no dia 3 o ti 4 desle mez, e quaudo eslava tranqnil-
Pereira de Assis, para remita.
reito especial do commercio tiesta ctule
do Recife de Pernambuco e seu torno,
por Sua Magestade laperial Gmtstitu-
cional, o Sr. . Pedro H'a quem l>.'.s
guarde, ele.
Faro saber pelo presente, qm- M iba 31
do mez Je juiho se lia fesvMNaW p t
0 pro-1 venda a qu ni mais di'i". em prara publica,
' a qu ! depoi- da audiencia resp"Cliva, O wmo
s'da pri-i Manoel, pard >, de i lu.: de i'.) amos, ava-
MntS'mira''instancia lhe"tend Tparecido tnsuffi-M* 7000000 o qt.al i anpj
'execufio de Fretlerico Gaauer contra Jesa
Baptiza do llego. K m falla de licitantes
ser a arrematacao feila pelo |.n u da ad-
judicacao com o abatimetilo respectivo da
cuidado de medi- lei-
E para que cnegue ao confie imento de
todos mandei fazer o presente, que ser af-
lames cente, depois das novas experiencias inlei- ecufio de Fre.lerico Gai.Iier cuiitra
I ... ... .i.li.l i ,, !....,, I. i, I .1 .i.i.
de um chimico e
Sr. D. Leconte,
dos hospitaes, c
admira-no:
crer que em um palz consn- de muitos annos, r cobbecidas por todos os | escnvao,
Ainda nao mem|jros mais dislinclos do corpo medical, i
e que tem os nicos defeitos de serem me-
Ihores, menos caros e mais procurados do.
que todos os remedios de seus concur-l
Tristao de Almttm Arar i pe.
KCLJUUC B.
reutfS.
RgVST* DttHA.
Funccionou hontem o Instituto Archeologico e
Geographico Pernmbueano soL a presidencia do
Exm. monsenhor Muniz Tavares, e com assislenria
dos Srs. Drs. Soares de Az.'.vedo, Gervasio Cbm
pello, Aprigio Guimara-s, Soares Brandao, Witru-
vio Pialo Bandeira e Joaquim Portella, iiadre-mes-
tre Lino e major Salvador Henrique.
O Sr. secretario perpetuo declara que nao ha ex-
pediente, enumerando as seguintes offerlas :
Uma copia da escriptura de doacao das trras
em que acha-se edificada a igreja da Penha e o
respectivo hospicio, offererida pelo Rvm. prefeito
do mesmo hospicio.Recebida com agrado, nmi.la-
s.' archivar
Uma brochura denominada A Libe dade Religiosa,
offerecida pelo padre-mestre Lmo.Recebida com
agrado, manda-se archivar.
Um manuscripto contendo a segunda |-He da
guerra intitulada dos Slascates, seguido da noticia
dos governalores de Pernamlmco depois da retira-
da dos Hollandezes, offerecido pelo Dr. Henrique
do Reg Barros.Recebido com agrado, manda se
archivar.
Quaiorze moedas de cobre de 3, 10 e 20 rs. per-
1 tcncenies a poca dos reinados de l). Joo V, U.
! Jos I, e D. J.a VI de Portugal, e uma de 20 rs.
1 do reinado de D. Pedro I do Brasil, eunhada em
1820, offerecidas pelo major Salvador Ueiirique.-
Recebidas com agrado, maudam-e archivar
uma bala de peca, toda carcomida, do tempo da
guerra dos Hollandezes, encontrada era terreno da
A' ordem do subdelegado do Recife, Joaquim do
Espirito Santo, L'mhelioa Maria da Conceicao, Joan
na da Cruz, Francisco Rosa do Xascimento, para
corrercao ; Manoel Garca e Jos Raymundo, por
briga.
A' ordem do de Santo Antonio, Jos Antonio Bap-
tista Carn.'iro da Cunha, para correeco.
A' ordem do d-< S. Jos, Sebastlo Zacharias do
Carme, Manoel Joao de Nasciraenlo e Antonio Pe-
dro da. Rocha, para recrutas.
A' ordem do da Capunga, Joao Luiz da Costa
Lele, para corr. ceo.
lo, eis que Ihe chega a porta o Sr. delegado de Ipo-
jnca, Antonio Peregrioo Cas'alcante de Albuquer-
que, e Ihe intima que nao continu ali estar na
propredade alheia, e tendo-lhe o abaixo assignado
petguntado se hara outro dono alera delle, res-
pondeu que era o Sr. S e Albuquerque, que nao
1 podia seresbulhadoda sua propriedade Retirouse;
e no oolro di i acompanhado do esenvo l'inheiro
e o official de jastica Campos e gente armada, enti-
mon que incontinenti saine, sob pena de ser preso,
o que obedeceu o ab ixo assignado, para entrar
funestas consequencias.
Apreseatou no dia seguinte ao Exm. presidente,
D
IIti-IO.
A'ordem do dos Afogados, Felippe Nery de Aze-; uma queixa, e*esta promplo a prova-Ia, cateo
vedo e
crutas.
Belisario Francisco da Cosa, para re-
A' ordem do lllm.
O chefe da 2." seccao.
J. G. de Mesquita.
-19-
Sr. Dr. chefe de polica Pru-
presente nao s^be mais do que, fra tal queixa
remellida ao Sr. Peregrino para informar. Que
informara o Sr. Peregrino? Dir que e mentira o
que eu disse em uiinha peticao de queixa?
Pois bem se assim acontecer ahi o e*t escrivao
Pinheiro, o o official de justica Campos, e otitras
denclo Gomes da Silva, Joaquim e Luiz, escravo muitas pessoas, que eslou prornpto a indica-las que
do capillo Francisco Joaquim Cavalcauti Galvao, provam tudo quanto disse, ainda o sr. Sa, conta
como pronunciados em ciime de morte. com a proteeao dp Br. Peregruo, nao s como de-
A' ordem do subdelegado do Recife, Manoel An-1 legado, como tambera Juiz municipal supplente.
nio de Azevedos Pontes, para recruta.
A' ordem de Santo Antonio, Severino Thom,,
Manoel Luiz Gomes Ferrara e Luiz de Franca, pa-
Caixa filial 4* banco do Brasil em
Perita m buco.
A directora dosta caixa saca sobro o banco do
Brasil no Rio de Janeiro e sobre a caixa filial do
mesmo banco na Baha.
Novo banco de peruaiuboco.
Os admlnistndores da magna fallida de Joaquim
Jos Silveira pagam o i' dividendo de dita massa
na razio de 9 0/0 sobre o valor des tilulos ad-
inellidos : no novo banco de Pernambuco ra
do Trapiche n. ' 1.
Moto banco buco.
O banco desconta letras na presente semana a
9 por cento ao anno at o prazo de quatro me
zes, e a 10 00 at o de seis meses
Cu I xa filial do banco do Brasil
cni Pernambuco.
De ordem da directora desta caixa se faz publi-
co aos senhores accionistas, que o respectivo tlie-
Sureiro est autorisado a pagar o 23 dividendo
a razo
distinguir os valentes brasileiros que figuraram no freguezla da Varzea,_ prximo ao lugar em que
cni I ate naval de Riachuelo ; precisa, porm, de ''
informacao especial donos-m vicealmirante, com-
mandante em chefe, das forcas de mar no Rio da
Prata.
Ligo que este documento chegar-as maos
do ministerio, este dar-se-l.a pressa em remune-
rar . dign oflieialidade e mais pracaa que corn-
il.!? iram as f. reas da esqundrilha, commanda-
da pelo chefe de divisao Franscisco Manoel Bar-
roso.
Su Magestade o Imperador mandou dar de
s o i olsinhoa qaantia de 300, a vinva do escri-
vao da casa imperial Augusto Candido Xavier de
Briti, e em sepnida esse a.'lo de beneUcencja
assignou um decreto, conctdeudo mesma uva
uma pensa i de 1003 mensas lambem de seu bol-
sinho.
O finado exercia o emprego de escrivao da
caa imperial desde 1830. >
Eis a iradnccao do discurso bdo pelo consol
(#rai da Blgica, por occasio do embargue de S.
M. o I. :
t Senhor. Nos, os mernhros presentes do corpo
consular, representante dos inteiesses coinmer-
cia c trageiros, vimos rcspeilosamcnte offereeer
\'t ssa Magestade Imperial os votos ardenles que
fazera .- pelo feliz resulta lo da via^em, que Vossa
Hag sude Imperial val emprebender em d'.feza da
honra e dos dirrus do Brasil.
O commercio e-iranpeiro deseja anles de todo
a paz de imperio. O Paraguay periurbou a, e hoje
acreditamos ob 'decer a un deVer, affirmando, em
presenca de Vossa Magestade Imperial, que na
guerra anual o Brasil repre.-enta, ao inverso de
seu Infmigo, os v.rdad.iro- principios da liberda.
de rommercial,- do progresso e da civilisacao.
Senhor, vezes ha em qoe a gurra apura a
fortuna e o destino das naces e eleva lambem o
s-, u raraeter.
i Nos fazemos votos para que o sacrificio de.
homenS e de dinheir que ao Brasil se impoz, com
f rardeza digna de admiracao, seja recompensado
com oirrampho de suas armas e cora a gloria do
reinido de Vossa Magestade Imperial.
0 corpo consolar se cnsideraria orgulhoso e
feliz. Senhor, se as respeltosas aeclamaoes com
que -anda a Vossa Magestade Imperial por occa-
Biiods sua parlia da capital podesseni encoutrar
echo no antigo e novo mundo, para alli seren
apr- fiados, em todo o valor de seu mrito, os ser-
vico que o imperio do Brasil faz ueste momento,
na America do Sot, aos interesses do commercio
estrangeiro, aos da humanidsfe eda cvilisacao.
hior, o carpo consular deseja ardentemente'
houve uma fortificacao, cojos vestigios ainda alli se
vem, e il'cnde parece ter sido arrojada semelhan-
le bala, offerecida pelo major Salvador Henri-
que.Recebida com agrado, manda-se archivar.
Vem mesa uma proposta para socio, subscrip-
ta pelo Sr. padiemestre Lmo.A' commlssao de
admissao de socios.
L-se a segainle Indicado :
Indico que se nmie: uma comrnissao para que
considerando sobre a conveniencia de assignalar se
o lugar era que estove o arco do Bom Jess das
Portas, no bairro do Recife, demolido oa anuos,
proponha os meios mais facis e convenientes
este lira, para que de futuro os ni ssos vindooros
saibam rom tola a certeza onde existi esse raonu-
meni.i histrico.
t Sala das sesses do Instiiulo Archeolosico e
Geosraiihico Pernmbueano,20 de juiho de 180o.
Salvador Henrique de Albuquerque.
Entrando em discusso, c approvada ; e em con-
sequeneia, sao nomeados para formar a compelen-
te rommi-sio os Srs. Drs. Soares Brandao e SVitru-
vio Pinto Bandeira.
Em seguida lomando a palavra 0 Sr. padre-mes-
tre Lino, faz a leiiura de uma sua memoria sobre o
monte das Tabocas e. a igreja d:- Nossa Senhora da
Luz E' resolv lo que seja publicada no prximo
numero da Revista.
Levanta-se a sessiio, mareando-se o dia 3 de
agosto para a prxima reuniao.
Os Rvms. ca mellas celebraram hontem a
feslivi iade do seu palriarcha Santo Elias com a so-
lenmidade de que coalomaai cercar as suas festivi-
dades religiosas, sendo nisto coadyuvados pelos ir-
mos confrades.
Amanhad a sociedad* recreativa Coryban-
tina a su partida mensal.
Hoje comeca de novo a funcrionar a estrada
de ferro, rostabelecendo-se em toda a cxien.-o o
respectivo irafego, que fra nterrompido pelos
damoos causados pelas aguas lorrenciaes.
Procurase lithographar um raedalhao de re-
tratos dos pnneipaes hroes da grande epopa hra-
sileira, que leve por campo o Riachuelo.
A idea, cuja felicidade d. corre de si mesma,
alm disto tanto mais louvavel qa;nto tem de dar
em resultado ligaremse ao nome as feicSes da-
celerirar em seu jjjt,uaiieeMfiil O trabalbc lngtipJeave-t commeldo offl-
cina do Sr. Caris, e os retratos sendo tirados sobre
phoiographlas, devem ser fiis na repruduccao das
'feico s.
Sogundo a cordeafo actual da rna do Impe-
ra corrercao.
A' ordem do de S. Jos Berllarmino Florlndo
Pestaa, para rorreccao; Martlnho de Mello Sil-
veira para remita.
A'ordem do da Boa-vista, Joao Baplista Leiie
Penteado, para correnlo.
O chefe da 3" seccao,
/. G. de Mesqnita.
Casa dr oTENgo.Mov ment do dia 18 de ju-
iho de 1865 :
Existiam 3G6; ntraram lo;sahiramll ;existem
370 a saber : nacionaes 274: estrangeiros 2o: mu-
Iheres 10 ; esrangeiras 2 ; escravos 53 ; escravas
6 total 370.
Alimentados a rusta dos cofres pblicos 169.
Cemitehio publico. Obituario do dia 18 de
juiho :
Manoel Antonio do Nscmento, Pernambuco, 3t
annos, viuvo, Boa-Vista : hepallie.
Mana Joaquina das Mercez Ferreira, Pernambuco,
5i annos, viuva. Sanio Antonio ; vaho.
Joao Franeisco Pessoa, Pernambuco, *9 annos, viu-
vo, Boa-Vista ; eongesto ctrebral.
Lnzi.i, Pernambuco, 3 annos, S. Jos; queima-
duras.
Tendo eu feito cilar o Sr. Sa e Albuquerqve para ; ^ MBMW flodo en) 30 de junho u|llI)0
despojar o engenho, por no ser obrigado a conser-, ^ |2> 0
va-lo no meu engenho, ainda mesmo quando o. Caixa,|iai do'banco do Brasil 15 de juiho de
1865.
Ao publico para admirar.
Passamns a expor ao respeitavel publico um fac-
o que talvez seja difcil de ser acreditado, mas se
for-nos contestado, desde j protestamos apresen-
tar os documentos pelos qnaes fique se sabendo
da verdade nua e crua, que vamos contar. Eis o
faci.
Joo de Barros Reg Arcioly, arrendoo a Fian-
cisco de Sa o Albuquerque o seu engenho Santa
llosa do termo de fpnjuca por tomiiocerlo, que se
fiudou em maio de 1864, com a condicao do ren-
deiro por o engenho movido por agu.s, para cuja
obra deixou logo em mo d'aqnelle rendeiro o di-
nheir necessario.
De feito o rendeiro S, den principio a obra logo
arrendamento nao estivesse flodo como esl; fe
querir ao Sr. juiz Brandao que se averbasse de
suspeito visto nao poder ser juiz por ser prente
da mulher do Sr. Sa e Albuquerque.
O Sr. Brandao averbou se de suspeito, requer
ao Sr. Peregrino, o mesmo pela mesma razao que
se d para com o Sr. Brandao, e mais porque o Sr. {
Peregrino, em virtude da queixa por mim dada ao
Exm. presidente, nao pode ser meu juiz como
claro na lei, o Sr. Peregrino nao quiz jurar suspei-
co, (nao obstante j ter jurado suspeicao quando
Joao de Barros, requereu o despejo de que ja
fallei) reconhecendo que nao poda ser juiz na
Cansa de despejo do Sr. Sa e Albuquerque, por ser
casado com uma sua prenla raulo prxima; ago-
ra porm, quer me mostrar que o Sr. S e Albu-
querque, lendo su proteeao ha de zombar da le,
e que s sahir do tngenho quando elle quizer.
Aceito o desafio do Sr. Peregrino, protteslando
desde j, mestrar-lhe o contrario do que pensa,
chamando-o ao juizo dos tnbunaes do meu paiz,
ambos estes senhores. que se querem rollocar
cima da lei, e menoscabar a justica do paiz e di-
reitos alheios.
O Sr. Sa e Albuquerque, nao s o chame a juizo
para o despejo dw engenho, como para me pagar a<
perdas e dauos que rae causar pela demora da sua
sabida, e o Sr. Peregrino, para conte-lo nos limites
da lei, e para nao se envolver era qoesto mera-
mente rivis, como delegado de polica, para nao
continuar a pi ar as leiscjm os pus, querendo ser
meu juiz, estando por mim dennunciooado perante
as autoridades e o publico.
Poda provar exuberantemente que o Sr. S Al-
buquerque, tanto reconheceu o seu direito que o
nao quiz ronfur a justica civil do seu paiz, quer
sim conlia-la, ao dispotismo igual ao tyranno Lopes
de Paraguay; quer desviar a questo do seu ver-
dadeiro camin'.o (que o foro civil) para o foro
policial, que nada lem com islo.
P> da ainda analysar aqoi o direito do Sr. S
e Albuquerquo. em ordem de demonstrar aos
ignorantes (porque os que entendem da materia
basta o que fi.a dito) que o Sr. Sa Albuquerque, s
se conservar um anno no engenho Santa Rosa, se
anear mao da Justica do Paraguay; mas ne aeba-
0 guarda-livros,
Ignacio Nunes Correia.
ALFANDEGA.
Reudimentodo dia 1 a 19......
303:230,56X1
28:434*121
331:693*802
MOV MEMO DA ALFAEiiA.
Volumes entrados com fazeuJas.
< cora gneros..
Vol umes sabidos com fazendas...
t t com gneros...
93
472
depois reclamou qoe no cavar da levada linha en
contrado pedras que se lornava costoso o trabalho, ra empre ao su la'do, contaudo'com a justica do
e consegnintrnente lesivo o contrato. Joao de ^dlT
Barros, odrina se a pagar-lhe lao smente o que- pico por ora aqu; protteslando dar centa pelos
bramento deseas pedras, e aceitando-o S Albu- jornaes de lodo quanto se lr passando a respeito
querque de novo o contrato continuou na obra, e do facto exnosto.
Ipojuca, 19 de juiho de 1863.
Miguel Tolenlino Pires Falcao.
sig^ i mm
tambera que a felicidade arompanbe Sua Alteza o rador, ha differeetes edificios nella que devem pro
Sr. duque de S.ixe na carreira de dedicacao ao i jeciar-se al lomar o cojiveniente alinhamento.
Brasil, que Sua Alteza Real encela ao lado de Vos-; Nestas comTffoes,'TWTem^ios que lembremos ao
sa Magestade. respectivo fiscal, que nao permuta fazerem-se obras
O corpo consular Vm a honra derogar a Vos-'nos predios comprehendiJos no e-paco daquella
sa Magestade ImpTial de f.ceiiar a homenagem de ma, sem que s-Jam ellos trazidos frente at o
sen profondo respeito. i ponto da cordeacao actual.
Tinha chegado a Pernambuco, a 17, o patacho' Crcatof que islo est na rbita dos deveres desse
DIioIuj, com 20 dias de rajrem. unfc.onario j e a proceder se diversamente, ela-
O palhabote Piedade tst.iva a carga para Per- ro que ra do Imperador jamis chegar ao que
nambuco.
Baha -Falleceram o barao de Paraguass e
seu Irma i Joaquim Egas Muniz.
L se no Jerno :
com effeito a fez.
Logo depois suscita se uma questo de limites do j
dito engenho com o engenho S.Paulo; o mesmo [
Barros anda autorisa por uma escriptura nulla, por
elle s assignada, para que o mencionado S Albu-!
querqe defendesse aquella queslo em nome delle j
Joao de Barros, sendo o mesmo Barros obrigado a
final a pagar-lhe as despezas judiciaes, que se fizes-'
se, e os juros deste dinheir, contados em propor- ]
cao que se fosse fazendo as despezas, e no caso de.
uo ter Joo de Barros o dinheir para dar logo, I
que se apresenia-se a conta, o rendeiro ficarla mais
no engenho o tempo que fra necessario para lal,
pagamenlo, mas isto pelo preco maior que Joao de j
lair is naquella poca, acha-se de renda pelo en-!
genho que j entw devera ser o dobro da que (.a- o antidoto natural, con ira todos os desaranjos e nio-
gava o rendeiro Sa quando para all entrn, por ja
Xa botica e phanuacia da ua-
tureza.
Se encontram especficos para a cura de todas
as molestias, se por aceaso podessein ser deseo-
berlos. Porm ao menos um foi desroberto. O
l'eiloral de Ana.ahu ta deK-ra,lirado e4Itrahr-
do de uma arvore balsmica ; indubitavelmente
------- 363
.33
747
------- 782
Descarregam no dia 21 do correte.
Galera francoza Amelia eraecto e farinhe de
trigo.
Barca inglezaHidalgo mercadorias.
Brigue InglezHarmston iem.
Brigue inglez -Ann Slamslaml -plvora.
Barca ingleza Vesionferro e pedras para caica
ment.
Escuna portuguezaD. Joocharque.
Brigue nacionalC Escuna diuamarque/.a Dorana idera
Brigue hdspanholFigi/on/tf-idein.
Imporiaco.
Hiale nacional Exhala/ao, entrado do Araeaty,
consignado a Jos de S L-ilo Jura .r, nianifestou
0 seguinte :
84 saceos com 36 e 12 a de algolao em pluma,
41 caixas 64 (5) e 23 S de velas de carnauba; a
Prente Vlanna & C.
68 caixas com 78 () e 10 de veas, 43 molhos
esleirs ; a ordem.
40 molhos com 825 esleirs, 1 embrulho 15 5 de
cera; a Jos d i Sa Leito Jnior.
44 caixas velas, 2 barricas 8 '/2 (5) de cera preta,
1 sacco 8 l/-i 9 de peonas de ema ; a viua Moreira
t Santos.
Gneros eslrangeiros
1 barril toucinho, 9 volumes drogas, 2 saceos
cabacinhos, i penelra de botica, 2 (landres; igno-
ra--.-.
Hiale nacional Sin'i Rilla, entrado do Araeaty,
consignado a Tasso Binaos, manifestra o se-
guinte :
63 sacras algodo com 232 ( e 13 i. 8 ditos
gonima 4 alqueires, 7 fardos capini, 61 molhos
2,55 courinhose56 meios de sola, 135 caixas com
137 @ develas de carnauba; ignora-se.
REChBEDORIA DE RENDAS INTERNAS GE-
BAES DE PERffAMBUCO.
hendimento do dia 1 a 19...... 23:278*834
Idera do da 20................ 804*591
Convidase as pagana que eslo as rnndi-
ices d> servico milnar, a engajar.-m no c rp. d*
i polica e gozarein das vantagens da lei provincial
j n. 61 f d- 2 de maio prximo BMMX '!"" alW
! seguinles : l*42oOrs- diarios de Id", >
Uihos menores" re-olhido aos ataarlaelawajajl
pr .vinciaes de educacao o tempo qn.- e-iir rem
na gu rra ser rentado pelo duplo para o easoie
aposentadoria, e a m d-*slas, i.;n t Ik as mais
vantagens que sao concedidas aoj voluntar- da
patria.O tenente-c ronel commandante*) l -r-
po de polic a, A ex indre de Barro* c Albuquer-
que.______________________________________
O abaixo as.-ignad<>. Uncadur d rerebedur a
de rendas internas ajene* leaia de dar pnnci|>H
no diii 17 do corrate mez aos irabalhos do Unca-
inento do bairro do R.c.fe, de coiiforiiudade cona
0 arl. 37 e seus j do deertto de 17 de marco de
1860, dos impo.-los a que esto BVjatmi a.- lojas e
casas con.meiciaes, e oalfM de diversa^ rU^seat
denoramaces, avisa aos donos m respectivos es-
tabelecimmtos, que tnihain prsenles no arto da
collecta os recibos e papis de arrt-ndaraealo de
suas casa.-, vial i que tiles terao de servir de base
ao processo do inesrao lancanienlo, o qoal princi-
piar as s.vuiut-s ras: caes da alfandega, lar-
go da mesma, arco da Cuureicao, Cadeia, l>ni,
Liogoela, Torres, becco do A breo. Tan. eiros. Tra-
piche praca do Commercio e Vigario.
Jos Theoloro de ^ena.______
Pela re|.artico das obras publicas se fas nn-
blico para cotihecimen'o das pessoas a >jtMin p sa inleressar, que o regulameolo de 9 de pilho le
1861, expedido |iara exernco da lei n. 5W *9
de naio de 1864 publicado nos jornaes desla eida-
de. conlra a seguinie disbocico :
rt. 68. O arrematante s podar ohfr pmro-
gaco de prazo para romero oo cooclosao da obra,
provando a superveniencia de circomstancias ex-
traordinarias e imprevistas, f nunca mai* qn* a
melad.' dos lempos primitivamente es'ahelenJos no
1 contrato.
As prerofacOes applicavel todo quanto di-poe
os artigos precedentes.
Repart, o das obras publicas, 19 de juiho de
186).
Joao Joaquim de S. Varejo.
estar o engenho em outro estado de obras, etc., o
que fra aceito pelo rendeiro S Abuquerque.
Corrid a questo que fui um inlerdilo pocesso-
ro, proposta pelos senhores de S. Paulo, afioal per-
deu Joao de Barros. E-uando a flndar-se o arren-
damento procurou o mesmo Barros ao rendeiro S
Albuquerque para que Ihe apresentasse a", conta.1,
nao s das despezas da queslo cjmo do quebra -
melo das pedras.
Veja o respeitavel publico, vejan os Srs. Drs.
juizes de primeara e segunda instancia, qnaes fo-
ram essas conlas. Aprcsentou o rendeiro S Albu-
querque as conlas seguimos :
Na queslo gastoti-se na primeira e segunda ins-
tancia em Pernanibuco 800*000 reis, ou um conlo
de reis, e no trtbunal de revista quatro ou cinco
contos de res, e os juros cornados desle, dinheir.
Apresenloc a conta do quebramento das pedras,
posto que graudissima, todava era de menor im-
portancia. Aprsenlo* mais obras contrato que tudo aadava por 12 a 16 conlos de
leve em vist s a disposicao a que nos referimos. contrato qoe tudo anda va por 12 a 16 contos
Informara-nos, era resposta a pergunla a que reis ; Joo de. Barros, impugnoa_ com toda razo a
demos cabida nesie Diario sobre a rtmoco da es- conta apreseniada sobre a quetao na parte em que
taco-de Cioeo-Pootas para o centro da cidade, que se dizia ter gasw no tribunal derevxtta quatro ou
o engenheiro fiscal da estrada de ierro tem instan- cinco oonlos de res, visto como bem informado sa-
temettte reclamado do miulsiro das obras publicas bia quenas revistas para aquelle tribonal apenas
a execuco daquella obra, qoe parece achar-se de- segastou no Rw de Janeiro o preparo dos aulas
leslias da garganta e dos orgos pulmonares.
A efBeacia de seus simples effeitos, seriam em si
mais que suffieienles para dissipar toda a ineredu-
lidade, se por aceaso a nao esiivessem aliamente
reconhecidos pelo tesemunho unauime de milita-
res de pessoas.
A historia de suas extraordinarias curas se. acha
inscripta e transladada Oora as inumeraveis certi-
does e altesiagSes enviadas de ludas as partes do
mundo habitavel : entre esta grande agglomera-
cao de leslemunhos, se comprehende carias de
eminentes mdicos, clrigos, legisladores, oradores
pblicos, mchameos,advocados e letrados; n'uma
palavra de pessoas perl- ncentes lodas as classes
e. profissoes da vida.
Todos fallam em subsianria, qoe a tosse. as cons-
lipaces, os bronchites, asesquiuenciase a aslhma,
etc., se alliviara e curam mediante o uso deste al-
miravel e prodigioso remedio, de um modo infalli-
vel, promplo e radical.
Acha-se a venda as boticas de Caors de Barbo
za e J. C. Bravo & C.
Sade publica.
Ptiriiiraro a respeiio de alijiins dos medicanrentos
da casa Grimanlt & C.
pendente"da'gmtita""jhro "para o capital'exce-, que naoefldo a 2O*C0O reis, sa tanto, e quando. AlgUBS jornaes publicaram uma ordena-
d^nie, da companhia. Esta apresentou ao governo muib\ a um procurador uns dozen-os ou trezenlos <;ao d i COnselho de Saltle porluguea, que
Impugnou mais a respeiui prescreveu osmelicamenfosprepa'radospe'a
Otieiro fii;?al julgado deQolente. os seus lermos nao das obras felas fora do contrato, por nao serem ne-
Cbegando o esta capital a noticia de :jne Sna
Kagestade o Imperador segua para a provincia de
S. iVdro do Rio Grande do Sul, S. Exc. Rvraa. o
Sr. arcetispo ordenou aos Rds. parocbos, que fi
7es m prces por tres dias consecutivos pelo bem
tstar de Sna Magestade e sph feliz regresso, e
que em qnanto esle nSo ver logar, se recite na
ceb'braco da missa a orara" pro Iniperatore.' \f>\ arceita aihda, d 'vendo-se fazer, por conselbos ..
No' Jornal do Commno de 3 do crreme ha do mesmo engenheiro, novos estudos para a dila fazer, as qaes so servia para seu bem estar. 10 que esses acrenitaaos pDarmaceutlcos
uma carta do commandante dacanh neira Aragua- remcSo. Quando as despezas do quebramento das pedras loram condemnados pelo tribunal do Sema
ry, coraraunieando a um anigo as particularidades! Ent'retanlo o agente do governo, considerando a embora fosse a conta umpouco lesiva, e ter o ren- por terem vendido medicamentos secretos
do combale do Riachuelo, em relaco a sua gentil' falta de commolos da actual estaco, propoza delro apoderado se e servido-se para a factura da
cau.'oneira, como elle a chama. Refere que quan- cotsirOccao de um armazem de ferro galvanisado obra das pedras xlrahidas da I vada. que devera,
do o ten guardin com es poueos marinheiros que de lO ps de compriraento, para servir alli de ser abatida naquella conta, tod va nao se
linha escolhido d'entre os mflifos que saltanim ao abrigo as mercadorias; o orcamenlo desla obra j
uma propopta para aqnlle ffm ; mas lendo o enge- mil reis, e nada mais.
ntieiro fitfal julgado den<;lente. os seus lermos nao das obras fcias fra du unn-aw, pur uau aereiu ne- c p pari- Pn"m n nrpiPv.
Ir. >rrAh> ikxia ii..vpnn...

23:783*423
MOfiMMt a toan
Navios entrados no da 20.
Rio de. Janeiro e portas intermedios -6 dias, e do
ultimo porlo 12 horas, vapor brasileiro P de 840 toneladas, commandante o capilao de
fragata Sania Barbara, equipagem 56.
Porlo-52 das, brigue brasileiro Pernambttcano,
de 292 t-ineladas, capilao Francisco Cardia,
equipagem II, carga violto e tutros gneros ; a
Tnoinaz de Aquino Foiiseci.
Liverpool-47 das, brigue inglez Zom; de 172
loneladas, capilao I. B. Cobley, equipagem 9,
carga fazendas e outros gneros; a Johostonl
Pater C.
Londres74 dias, brigue icgl-z Ann Statuland,
190 toneladas, capito John M. flatlie, equipa-
gem 8, carga fazendas e oulros ge;.eros; a R.)-
Ihe ll, i,.ula .
Aracaiy14 dias, hiate brasileiro Extaqo, de
37 loneladas, capilao T. Antunes da Costa, equi-
pagem 6, carga differentes genero* ; a Jos da
Silva Leito-Jnior.
Araeaty -10 dias, hiate brasilein Sania Cruz, de
101 toaeladas, capilao Jos Victorino das Neves,
equipagem 7, carga differeules gneros : a C.
C.da C. Morena.
Navios fallidos no mesmo da.
AraeatyHiale brasileiro Sobralense, capito An-
tonio Gomes Pereira, carga varios gneros.
Babia Hiale brasileiro Otwetra, capillo Lin-
dolpho H. Carneiro, carga familia de ingo e
outros gneros.
Araraju'Escuna dinaraarqueza
t. li-.eni, era lastro.
O administrador da recebeaoria de re
inl.ruas geraes f iz publico, que em virtud* da a4-
teracio 3* do decreto 2719 de 31 d- dezembro de
I SCO, nao julgandj coavemenle qne coBtinomi
em poder dos cobradores os conheenentos n I'
semestre do ix-rcieio de 18<">4 Mi d impostas
le -20 0|0, imposto especial e dcima aidciooal de
mi .-mor i, ordenoo o reeofluaatala d i -. paisa-
piando pelo bairro de Santo Autonio, cujo debito
superior ao dos mais, atl-n de pr.eej^r a liojoi-
.l.ieo de conformilade com tu arillos 4" e anas
instruec's qneac mnanliaram o decreto 2351 de
16 de fevererod' 1839, que em qnanto se e-:a
organisando a relaco dos devdurea do ref
bairro, Ibes perm.Ui lo lliim : \ \ r'.ir o- seas
dbitos aliui de evilarem a eubranca ju 1k-i.iI-
Recebcdoria de Peraambaco 3 d- jul!. Je 1865,
Manoel Carneiro de Soaza L'.cera.
Arsenal e guerra.
0 eonselho de comprs .\, amanj de guerra
precisa cjinprar para o I* balalbi.) d' guardi na
ri .nal qne tem de d >stnVar para o sul. era vrloaV
da ordem da presidencia d 19 1o nOTnVnv, o se-
gu ule :
2 livros de 20i) f >!has para r ,i--. eeraL
fl di; s con 20. tolha*.
lo ditos cni 100 fdhas.
10 ditos com SO filha--.
1 dita om 20 folha, peanjea.
2 lalins de eouro de lusire.
2') cor Oes de lia para cvui 1 >s d- inferiores.
1 bandeira imperial om asta e h
1 porte para a Baan.
1 capa de oleado para a dita.
1 dita de br m para a dita.
17 cmelas de loqu c >ra p >otj e volta.
27 bonets p.-ra mastf O.
27 charlateiras para os d tm.
8d0 grvalas d s da de lustre.
27 handa de la.
2 eoroas para divisas de sargento, ajodamie
qn artel-mestre.
20 malas forradas d-sola.
1 dita dita com tres fecha turas differentes.
2 espadas de metal para sa renlo-aju Jante *
quariel-mestre.
sin mantas de lia.
5,6t)0 ovados de pMM azul para cap-tes.
4.000 ditos para blu-as.
193 ditos alvadl'.
130 dit 2.800 ditos baia em-.irn'da.
600 varas de brim branca
1,830 ditas algodortabo.
266 ditas aniag. m.
54 ditas galio de prata de I polegadi.
*-'"JJ

"BMnnnvff"
E SITIES.
14 varas de galo de l|2 polegada.
As p.ssoas que qnizerem venler Jilos ar
presentera suas propo-tas na sala do ronseIho de
compras, a; ll horas oo da 2fi do crreme, acoaa-
panbadas da respectiva amostra, senJo que para
os livros devera' procurar aqu qnal asdim*ns -;
declara-se que os objecto* que s.iu de pora materia
orima, deverv ser re . Ibi los no da immediatu ao
do eontrat', eos mais al o d.a 0 J > futuro mez.
ConselhO de compras do arsenal de guerra 20
de juiho de 18i53.
O en -arregad > da escripluraeo
Manoel Jos de Azvedo Santos.
8 nr matar".
Perante o Sr. jniz de paz do ! di-irici.i da fre-
guezia da Boa-Tista lera de ser arrematado em
basta publica, no da 26 do corrente, om eavallo
ruco penhorad a Ricardo Anstin, por exernco
que contra o mesmo movem C Siarr & C, seanto
esta a ultima praca : qoem pretender arrematar
dito eavallo, pd examma-io na rorneira de
Francisco de Paula di Silva, ra d* S. Francisco.
Foi iraii-fe.rlU a ultima praca p -r veada da
casa terrea sita n. ra do Bom Gesto por ietrac
Koster, capitn i da igreja malrizd.s Af .gados, para sexu-feira 21
de juiho de I83, cuja arrematacao ter lugar lugo
que lin Je a audiencia do Illa. Sr. Dr. juiz de or-
phaos, sendo a menciona 11 casa perteoceate as
espolio do linado Amaro Jos Gomes.
e falsificados.
brado de Preciso de 6 homens valentes pira uma foi rerflettido para a corle, e consta-nos que breve
commUsao arriscadavoltou com todos elles, leo-! mente o governo a mandar construir,
do em uma canoa a'.ravessido debaixo do mais vi-! Acerescentam a estas informacSes que a cons-
vo ego para incendiar o rapar paraguayo Para-1 irurco de um novo armazem, semelhanie ao pro
O lllm. Sr. inspector da thesoorari provln-
Essa ordenado parecer bem extraordina- cial, em curoprimento da ordem do Kxm. Sr. pre
duvda, mas o rendeiro aioda nao quiz ehagar aura i'a quando se tiver lido as segllinles cir- sidente da provincia, manda fazer publico, qne no
accordo, e diz: hei de ser pago de tudo, por que nao. curristanclas 'a * ^ corrent*' pecante a junta da fatetida da
sahio do engenho/ra quanlo nao for pago real por i 0 '' > mesma ihesourarla, se ha de arrematar a quera
real. Fiado no seu podero e as autoridades cora * A seuienya ue que m; traa ioi uaua ro|S der, um teJheiro que existe junto a ponte do
que contara e conta, nao tratou de chamar o se-' sobre a denonciacao De ordem do litar. Sr. tenente-eoreael presi-
denle do eonselho de compras do arsenal e guer-
ra, declaro que o convite para compras dos anVajaa
prenses para o mesmo arsenal, marcado para o
dia 19 do corrente. tica transferido para hoje 29.
Sala das sessdes do eonselho de reinaras do ar-
senal de guerra 20 de juiho-a* 1865.
O encarregado da escriptnrar,
Manoei Jos de Azevedo f
H

i
/^1%/r-i


nforl* d 3 frnm*Rct> ***tA H* I de nflin d f ana
patucho
carregamento
JS
Arremato cao fara o 'lio Sexta-feira 31 do corr-ule, depois da audieacia i pretenda seguir com nuiti brev.dade o
di) Illm. Sr. Dr. juiz de orpnaos, v.i praga de ,oaeioual Regulo, lam p.rle de
it n. ii. engajado, e para o re-to qi
a requer meato ao inveuUr ante des. hers da tina- 're*eIrala se com os saus coqs__
da Marta Rita dos ftzere, ni valor de Rl130. ,Loiz de Oliveira Azevedo A C, no seu escriplono pontrn iln ommiioi/i o o //.
-,--------;-~,z----------1 roa da Lruz o. 1. muir u un ui uvtiibi'i v nos ne
O Illm. Sr. in*i"f-tnr da thasourana pr..via- _--------_____________________________ . j >
AVINO"
Os Srs C'>? res tunde utes

venda a parto da rasa da ra de Santa Hita ni", it engajado, e para o re-to que- Ihe falta e escravos a ; r _
signatarios Adionio '<- ss tunantea oeste Din no, no
wm\
Para o Para, eoi escala pelo M.ranho, pre HUllS lio
c;al, em cumprimento da ..rd-ni do Exai. Sr. pre-
siden e Ja proviucia de 17 do coi rente, manda fa- lea(,,i samr em poneos dias o lugre Emilia, capi- n,/,, ,.,, #./ .
la fezenla damasina trie- Ia0, Bernardino Rodrigues- de. Almeida, tem a 'nunaar tUlls/d^e
i
zer publico, que a junta ila
sourana recebe qualqiur piopusta acerca da ar- maior parte da carga tr.ita.h, 0 nar.v o resto que
retnatacSo da fabrica de rendar, atracar oa povoa- lne? fa,ta- tratase ron o cousignalrio Joaijuim
gao du Monteiio, anda roosno por venda a piaso- * Gongatves Beltrao, na rna do Vigario n. 17,
Os pretendentes comparecam na mesma thesou. prmelro andar,
rana al o da 3 de ago.-to prximo futuro.
Secretaria da thesouraria provincial de Per-
namburo !9 de julho de 18151! O secretario.
A. P, d'Annunciagoo.
imperio, queiram
r o importe

la assi'jnatura para nao ha
ver nterrapgdo na remessa
Osear Mayer val para o Rio de Janeiro.
IlfrMJi
A pessoa que cstiveMiabili'lada para co- ^'^ioJjr^'8'
nhecer signaesde navios o quizer ser em- sOTl, fi*o *i .f?. ., ,-
, ,' . aexia-leira 21 do correnle llavera leilao de mo-
prftgada no snico de njudar ao telegra- veis, louca e oryataes por imorrengo do agento
pblSta da torre do COlleglO, dinja-se a ad- Pinto, no mesmo armazem.
rainistraco do correio a faltar com o ad- T~
mi"isln";101- ..... la-RlSLA
Correio geral. De utnamobilia de Jacaranda com i so-
Pelaadmini-tro. i0 lo correio desla cidade se faz ft, I mesa oval, 2
poblico, que, em virtude da convenci pos
brada pelos ovemos bralslMra e fMIfcer, <
pedidas malas para Buropa no da 30 do
me?, pelo /apor fraiwez E.elrem-i>lurt.
As carias seri n-celii ln at 3 hora?
da |ae fftf narrada para a sabida do vapor ;
jornaes at 1 horas antes.
.'. l.niaistrai;;io do correio de Pernambu
juilio de 1863.
ES'fHAIJA DE FERRO
DO
Recife a Sito Francisco.
Do 'lia l do correnlc em dianle fica
restabelecido o trafeao desta esirada em
toda a su .exlencan, querparn paaagoiros,
quer para mcrcadorias cajos 'voluntes fo-
- O Sr. Pedro Afexandr.no da Costa Ma- ^IT^ SS a '? fWhi .
citado, tem urna carta de importancia na hut, f!rr"S8< P0^,1. ,nun,,V e
livraria n. e 8 da praca da Independencia. .'" ,'t' ; ' (fS u* ''t'T'- S"J01"
...... tdu.lo-se apenas, epata da de Ip.jjuc.-i, a
- Alfred to va, para o R.o de Jane.ro. mudanca tle tro . na visinl.anca da estacj
- Antonio Casemiro da Trindade vai a Lisboa, de Ulinda.
- Vai a Portugal a passeid e tratar de sua saa- Previne-.se igualmente., que cm virtude
a" Joa,|UI" naplisU ""ira. t das tiltimus oceu.-reucias, e dedooondo com
Xuiatiuk) 'jM'iiit. ^S;!il ,;,i;c;;1 d) t;"'' '.ia,l,rovi-
Dfcppareceu desde 13 de juVho passado, de ^nmen o a! .nd, n act :al t.bo'la 'lo mo-
casa d" -eu^enhor, o I)r. Pene+JO AlBoirado, o vjmfilU*4los lmi<, que sera substituida por
mui;niio Alolpao; 'teda, 'ico mais mt menos, orflra.que s publicar no joriml de atna-
ILLUMINACA A GAZ
Armazem n. 31, na do Imperador.
Para mais regulandade do'servico tem a empr-
za resoltido to somenie vender os spparelhos,
ele., demndo que o rs. cnnsnniidores ctrartem
os machinlas qne mais Ibes agradaren), pudendo
os nomes, morada, ele, de todos elles serem indi-
cados DO armazem ds empreza.
As reclamacSes por m luz das casas, cujos ap-
parelhos houvt-rem sido collocados anterionnente
a este aviso, seo attendidos pela empreza; outros
qnaesi|ner, nao.
A
me
dente
ro
lucro tal. (pie cubra as despezas inevaveis.
Alagase a parte da ca. 92 da ra das
A?uas Verdes
^SA DA FORT

Aos G:(X)Of>()00.
A'RI A DO CRESPO X .:; KKASAS f>0 i:#)-TI"> R
1 Oabaixo>s zes bilhetes garant.'
deeitrahir, a benefirin das ra lias '. < v
atnoa da patria, w *rgaim si yt*\ os:
1 .o quario n 2770 cm a .- r: .e
I n ne io ii. ;<)'> nm a '
' o ineio ii. Mi.'i com a ort :- '.i
Mitras inultas surtes de \"-i. Ht}y jM
E
"SOO.
QsiMuapidorca podan rk .. r,. .....
s premios senos desea
a parte da ca^a n.
a tratar na mesina.
SeiiHtttMklrada da Hi de Jrarter
Assigna-se na ra do Creepo n. 4 : tres mezas
i, sei* uiez'--ll, un an/iiHlpV
Preeaa-ie de iirn anja para caaa de ilnas
O administrado'-,
Domingos dos Pasaos Miranda.
1 reio geral
;'eli .i I iiaistracio do correio desla cidide so
faz publico '|ua as malas .pie o vapor Paran tem
de roo I un para os poeto do norte fechar-se-hao
hoje (2l). as 2 horas da larde.
As cutis s,ji-.o admiltidas D seg'iro at o meio
dii, e os (ornaos serio recebidis at 1 horada
tarde.
"luTiilfFlIiM-
Rclarao Jas cartas seijiiras viadas do sul pelo
vapor oeanliiis para os senliores abata de-
c'arailos :
Aleino Baplista Mooteiro.
Francisco do Rspirito Santo Titira.
Antonio l.niz de Oliveira A te vedo c C.
Ant ni 11: vmando ii. dos Santos.
Dominfos AIv's M ,i!i ;is.
Doming is Kudng es da Andra le.
Domingos da Silva Sadanha.
Hercii ino larte Miranda Banriques.
Dr. j irga ii irne] isP ?soa (2).
D. J ' |lint ?d ir.i de Oliveira Coelho.
Joaqu ni los le O.iveira Uesquia.
Jo quina Gardoso Ayres
llajor I > iiim Riptiael de Mello Jnior.
Joaqnim Simo,- Daltro.
lo Ramos de Soaza.
fnucp/a de iar.iratiil 1 'iix^am-iren "'s-u !li *" escrava mulata, de dale de i a
iiJiH-^auejactraiiiij. l dita de amarello, 22ani*de MmfiMa,amnk^eAmmmitm
marqaezas, mesas, cadetras e muttos oa- e co-Mmia acerca de tresTaijoos a Loz Augnito
tros objectos existentes m armazem da ra d Cavatho ; levou ve>[ido-i>mpa do uso de casa,
da Cadeia n. 2. I mas iinmvel que mudass-i por/ir munida de ou-
-^ .,, tra niaisiipa, vrtosa e rauito cpnhecjja ne-ta
LPofJn* praca e tem alguna cnavas as sofcis ilo
Joaquim Jos liulinaraes Beltro tem para ven
'l'-r dous escravus crioulos, bonitas finuras, de
provincia, acha se ,i venda na lilhograpliia do Sr.
Caris, ra da Cadeia do McVe n. .'iu, Io andar, e
as livrarias dos Srs. Caido-o Ayres, ra. da Ca-
deia do Recife n. 31, do N'ugueia, ra doCrt-o
O agente Pinto fara leii.io por conta de diversos1 que fae ella nao'piSi)r hea: i|
s objectos cima mencionados, as 10 horas em a referida casa'Whi
dade drt 29 e 27 anuos : pobVm ser vistos em F6- n- ' (l M)'ra. rui >streita do Rosario, do Medei-
ros, roa do Imperador, do Antonio Domlngues, rna
do Imperador, livraria popular.
do
n mi i do dia cima dito no armazem da
Cadeia n. 62.
seta gratiiiS lo; rtnitando-se
ra da de-do jicon todo o rigor da lei contra quein a
tiver a.-outiJa.
Leilo de
Ifoje 31 i >
[*; 'Cn'las.
cu>rrea(e.
A. C. de Abren concluir o seu leilo de fazen-
das por iiitervenci do agente Pestaa, hoje -21 do
correte as u oras da tnanhii em ponto no seu
armazem rna da Cadeia.
Francisco Jos da Costa Araujo.
ra de Portas, ra d i Pilar n. 13$ taberna ; e para
pa, o tratar em eu escrintorio, ra do Vigario n. 17.
~.\(TVA~ES(:OLAr~
Maria Candida Theodora Alve^ habilitada pela
direcioria de instruicao pnMiea, participa aos se-
ntares pas de familias (fna se acha aborta a sua
"~cola de ensino primario para o sexo femenino,
i ra Velha n. 5-1
en
ja

Botica
Na botica de Barlliloomeu Francisco de Sonza\&
C. precisa e d uin caixeiro que tetilla bstanla
Achamse fgidos os escravos seguintes : flen-
IRtf A I "I '"' ',ari|,,> a,,0> se'5C0> cabellos annelados sem bar- pratica deste estabeieeimemo.
j!jIi j>\.\t ba, testa larga, falla um pooco descancfla; e Lulz,
De urna espingarda om l! palmos de cooipri- crioulb, altura regular, barbado, e com alguns
ment. cabellos braneos, corpo regalar, bastante cabelnto,
Differentea obras da prata em olheres e salvas, falla grossa, e as vezes Qnge-se rouco : portanto
Urna escravinha de 12 annos de i lade.
Urna cana fraaenza com colrho'es de mola.
Ilojc ao meio da'
Por intervenga .lo agente Pinto, no arcazein
da ra da Cadeia n. o.
peie-seas autoridades olreaes e aos capi lies de
campo que os cam apprelien 1er e condozi-los
Helas do banco do Brasil e das caixas liliaes
lescont^m-se na praca da Independencia n. 22.
O s. 11 da casa n. 66 da ra de Borlas
tence a irmandade de S. Pedro.
per
OCondon A Urazdian Uank, saca perdone
os [iaqueles,sobre
Lisboa.
Porto.
Itraga.
Vianna.
Cnimaraes.
Villa Real.
Goimbra.
Amwaote.
-- Precisase de um fornelro e de trabalhad rea
de maceira que rejan peritos nesta arte, os que
se acharem nestas circnmlancias dirijam-se a ra
larga do Rosario n. 16, que acbarao com qoen
tratar.
rorrt-iit*
PUECO.
BilMetes. '. 7
M'-ios.....
Quartog. \Mt
Prr as pessoas
para cia.
Bilhetes.....*
Mei.is......3ik-'-0
Qitartnf.....IMi
____________Maroel Ma8W*FWX>.
- Na prara da Ivfcpefl Ipwii n. XI, ln> d^ >nri
ves, rnipra-se o uro, puf:, .-..r;* pirnu-* -?
taiiibem s U,t ijualquer obras de vjommrn-* a
odo e qualquer coocerto.
^0 Dr Francisco i res Harh^i1
Porlelb
Meneo oi'frador
11 Fnctildade de S*a ?..
m
V-

NO
Til ; !
DE
'ao
Toilas as semanas
GRANDE AliM.VZIM Dl LE LOES
DO AGENTE
OLYMPIO
casa de >ea sentar,o major Antonio da Silva Gus- nynntlIuA Afk Sl'ATlt'Amn t\>\
nao, na ra Augusta n. '.18, que serao g-nerosa- AiILtUlUtl'IC U OilIU iillilil lid
igreja

  • EMPREZA-^OIMBRA
    3(i--Rnidi Calcia do flcttc36
    1
    L
    t
    ZilUJTXVXiiA VSUiB.A. [JE
    a Sf l?ff:J?-!SflTTMe trastes, loucn,;escravo, can-
    SabbadO 22 de julho de 18Go dieiros av,' 1...'..._
    Sobe de n^vo a scena com todo o aparato da uicxn,a a gtl/i, 1 .ULilld?,
    apa
    primitiva o multo acreditado drama em i.aetose
    J n idros iioiti fio do Sr. A. de Serpa
    iys
    PSBSOHAGEHS.
    Andn Rosev io............... Lisboa.
    O e iv .Ih-iro Cun.di............ Teix-ira.
    Seoras....................... Porto.
    Am lia......................... D. Camilla.
    A princeza Leonor Falconieri..... D. Eugenia.
    Mu !a, criada da prnceza...... D. Leopoldina
    \ ii .pi-'/.a Sfarnl............. D. Joanoa.
    Ltdy \V 11 -. i: i................... D.Jesnina.
    O principe Kalisch............. Guimaracs.
    0 marquez de Sora.............. Borges.
    Matiieii-, ;rialo da prnceza...... Penlo.
    Mestre Pedro, pescador........ Pinto.
    M-- re Jilo, dem.............. -anta'Rosa.
    Outro pescador................. Vieir.i.
    Senhora-, pescadores e cavalh 'iros.
    A ni ,i isi i-e em aples.
    X. I!. O nitiino acto anda nad visto aqu o
    me n i que se a -ha no drama, carao o cen-ebeu o
    seu aut r.
    Dar ii n ao espectculo a graciosa comedia em
    1 acto
    O marido no prego.
    Principiar as 8 horas.
    I 9111?
    COMPANHIA PEHXAMBL'CANA
    K
    \3Vftgdcd csteira por vapor.
    Parahyba, natal, Maco. Aracaty, e Cear.
    Xo dia 22 as o horas da tarde,
    segu o vapor tMamanguape
    para os portas cima indicados.
    Recebe carga desde ja' at odia
    2t ; encominendas. passageirose
    etc: etc.
    Sal!), ta 22 No armazem a ra da CriK n. 57.
    Cordero SimOes
    f.iii' leilo por conta d diversos, de trastes novo>
    e usado-;, lonja, candi, iros a gaz, lanternas e outros
    nnilss artigos.
    Ni mesina occasiao se vender' um escravo de
    idade 28 anuos com habilidades.
    Tjeilao
    DE
    Metaile do sobrado de dous andares e soto
    da ra da Senzalla n. ii.
    Urna mobilia de Jacaranda com 18 cadeiras
    de guaraic3>, i ditas do I rago, 2 de ba-
    lanco, 1 s"f, consolos e \ mesa de
    meio de sola com pedra.
    Um toillete com pedra, i guarda-roupa, 1
    par Ai serpentinas, 1 candelabro, 2 pares
    de figuras de porcda a, 1 dito fie jarros,
    4 ditos deditns devidto, 2 ditos de fras-
    cos para enfettes.
    MAItriXS fara' leilo por mandado do Illm. Sr.
    Dr. jniz municipal da >egunda v.ra e a requeri-
    menlo do te-tamenteiro e iovcnlarianle dos bens
    cima deixados pela tinada D. Maria Bernardina
    da Conceicao Lima para pagamento'de legados.
    Segnila-feii'a 2i 10 correte
    Xa ra da Crnz a. 34 segundo
    andar, as 11 horas.
    Xa mesma occasiao sera' veudida a outra meta-
    de do sobrado acuna per aulorisacao da propie-
    taria.
    menta recompensados, e Ihes pagar toda despees
    que Qzerem com a sua conduccao : suppo'-se que
    elles tora o M.o em segoinento pa.a os serios por
    seren lilli s desses lugares.
    Aviso aos oapities de
    campo
    Ausentou-M o escravo Mmoel qua ) foi escra-
    vo no Sr. J jSo Ferreira Tiboia senhor do enRenho
    Veit.nte di comarca de C ruu, e depois de
    -vu Ii*..) J ia) PrrvirB Tahozi Motor rendelro lo
    eneeiiho Roda de Santo Ao signaos seguintes : alto, p nea barba, falto de
    dentes na frente e o med >r-igual ler os peitos
    i^tufados para f.ra ben visHwl : iimmu o pegar
    leve-o a nn streiti do Rosarlo n. o, que sera'
    bem rocoini en*ado.
    iu&inix ilvt os.
    I na ie--H . i no I. ni '-i..',,: l| i ii|; Ifere-
    ce i > rs. c i iiuvf 3 mt p n .1 un r i .r-.-e
    'I 1 al 1 ier e.-cn t ir: ; 1 p ir ,1 irti la si npL-s ou
    dobradb com perfeicao e ireei com nodo : para
    inf.iriDacoee a roa andar.
    Por orden da mesa regedora sao convidados to-
    1! is ii'- irmos da irmandade da Gloriosa Senhora
    Sani'Anna ila igreja da Madre de Dos, a Cumpa-
    recenin domingo 2:! do correte, pelas 10 t|2 ho-
    ra- da marina 1, para o fin de eleger os novos func-
    cionarios que deven conpof a mesa regedora que
    tem je [duecionar u i futuro anno de 1863 a I80G.
    O escrivao
    .Msnoel Jo-e de Sonza.
    Precisa-se alagar nina casa lerrea un sobra-
    do de um h> and .r, que launa um solTrivel quin-
    tal c. ni cacimba, sendo as guints raas : An-
    ror, Gloria, Santa Ou/, Hospicio ou qualquer
    ontra da Boa*Vista, tamben servir nn peqo-no
    sitio sent boin pert da ridade : a tratar na rna
    da Imperatriz n. :i', pnneiro andar.
    m
    -:
    i I
    : I
    regressando a esta pr rw< ia, r. ..
    pronpto para o <\ Trtrte I
    fio, qner n."ta ci h le |n r I
    pecialnieiife em tm-le-ti 1- de -
    taratn*, etc..) dns vi n nrtawia .-- i-
    lameiiti de ureihra rtP.,) c dp
    n enjo curativo fe julg! bal I :
    la 1 pratica, que leve no* a
    Pana, e s nodernM iaalrai n 1 m
    possoe.
    Encarrega-se de rollof r ..
    cines.
    Pateo naCaanu . % nnatrai Ha r:i
    de ffortas.

    da barca
    Leilo
    brazilelra
    Restau-
    race
    Segunda feira 2i do correnle.
    O agente Pestaa, legalmente autorisado, fara'
    riinheiro a frete at as 2 horas da tarde do dia da leilao por conta e risco de quem pertencer, da
    .-aluda : escriptono no Poite do Matas n. 1. barca nacional Restauraran, forrada de cobre, de
    nari i,],,,,, 18 J toneladas; tem algui'n panno e eabos de so-
    .______ ., , 7 breselente e esta' prompta a navegar para qual-
    KS T, "'"i,a, Kl8. ,mbriSue portuguez quer porl0. Acha-se ancorada confronte ao t api-
    Florada, ao gnal falta apenas um resto de cargl a ,.he do a, ,odfl onde -,,e ^ .araina,la e 0 in.
    frete : quem a quizer dar pode d.rigir-se a tratar ventano acha se em nao do agente.
    O leilao lera'lugar segunda-feira 2i do corren
    inli ia no largo do Corpo
    commercial.
    sero vendidos 3 escravos,
    Para a Babia pretende sabir marinheiros, sendo Antonio, de idade de 23 annos-
    com muiti brevidado o velelro Guido, de 4i e Manoel de 2i.
    lugre Emffta, capiao Bernardi-i ^._ _^___^^
    Pieii>a-se -iingir un a prete escrava para nasa
    de duas pe-soaa : na ra de S. Praneiseu oa M ni-
    do Novo 11. i, para comprar e eosiobaT.
    I). Mara Clara P. reir de Leo, viuva do
    conselbeiro A. E. de Lelo, o Ur. Ago-tinbo Ermo-
    lino de Leo, e sua consorte, nao tent pulido |-or
    motivo in venc velj desdedirse de tu las a> pessoas
    do Recife e Qlinda, aos quaes deven amizad e t-
    tencoes, o fazem por e-te meio, assegttran lo a to-
    dos e seu recoaheciineiito e olterecendo-lhes o seu
    fr.eo prestio na cidade de Coritiba provincia do
    Paran.
    pal1111 1 iiwawmwi 1 a
    Manoel Leite Cesar Loureiro, por si e sna
    familia, agradece sincera e cordialm-mte a
    todas a.s pessoas que assistiiam aos actos
    religiosos celebrados, bontem, na igreja con-
    ventual de S. Francisco, pela alma de seu
    irmo liaziliano Uauleira de Mello Cesar
    Loureiro.
    ilemardo de Siqueira de Castro Monteiro e
    Custodio Antonio Soares avisam ao publico e hs-
    peofahnente ao respeitavel corpo do conmercio,
    qne de cominum acord di-solveram a soeiedade
    i|m fi han e-lab decido son a tirina social le Mnn-
    telroiV Soares na padsria da ra larga do lio-ario
    n. 4*5, lican-hi a rargo do socio Bernardo de C. C.
    M'Hitiiro lodo o activo e passivo da extincta soeie-
    dade. Recife 8 de julho de 1863.
    - Pre-;'.se alugar um noleque de 10 a 12
    anno- para fazer pequeos servidos de urna ca>a
    de pona ramilla : a t'atar na iraca da lnlepen-
    denclitis. Ii e 16.
    Pede-se 1 pes'oa que por engao levou un
    chapeo de sol, tuljan lo ser o s.u, na noile de 16
    de jo Ib o, na -ala do pateo do Carino, do Sr. Maga-
    Inaes, que teoTia a bondade de vir buscar o seu,
    p ii- .-o a.-lia 111 ni .-na sala.
    Alaga se unpretoqae tem sido monos an-
    nos amas-ador de jndaria :,na praca da Boa-Vista
    numero i.
    A professora p'ildica da 3" cadeira da fre-
    gfeiia d%Santo Antonio mo-loo a sua residencia
    lra a nn Dir-ita, snlirado de um andar o. 7i,
    com a entrada no becco.
    RETRATISTAS I
    Firmino&Lins S
    x\ti\o eslabclfcimc lo de retra-
    tos ro \v o. IH, i an-
    dar, jauto ao Sr. Gaitter,
    dentista
    Tiram'retratos todos os dias, das 7 horas
    Jd da manhS as 5 da tarde, quer chova cu
    nao.
    M
    -'-.:?'
    J.-ao Martiniano Coelho e Manoel Antonio
    Ccelbo agradecen cordialneute. a todas as
    pessoas que se dignaram acmipanhar os
    restos mnrtae de sna presada mfl Maria
    Joaquiua das Mer.s Ferreira, e de uovo
    ii:onvi.lani a lodos os sen pareutes e amuros
    para as-i.-tire 111 as mi-s-is de selimo da das
    G as 8 horas da manla do dia ii do cor-
    rente, na igreja da ordem teiceira de Nossa
    Senhora do Carmn, issim como convidan a
    todos os Hv.nds. sacerdotes regalares e so-
    calares que qnizerem celebrar por alma di
    me mo ia as me.-inas horas na m 'sma urdefe
    cr--1 m^m^ I). Miquilina de Jess liego Va lenca, sena
    filhos, genros, n ras e netos reconlev-idos a 45
    todos aqnelles que asststlram .s ex. quia- de
    seu presado mando, pai,sogro eav, e agra-
    decidos a esta provade anuzade de novo ro
    ga a todos os amigos do tinado para assis-
    rem a mis-a do stimo dia qne ter lugar se-
    guoda-f"ira2i do eorronto, pelas 7 horas da
    manhai na ordem jefeeira de S. Franeisco.
    At ten fa\).
    Como a empreza de illuminacao a gaz tenha da-
    do licenca aos inachimstas para traba'.harem por
    sua propria conta, Carlos Pluyn, machinista. oBe
    rece sen prestio ao publico para encaar gaz e
    agua, e toda a sorte de sm vicis c .ncern-.ntes ao
    seu officio, por procos muit rasoaveis,
    Xa ra do Liviam ni.) 1
    criado, escravo, apta ,
    A tem ...
    Xa praca do Porto i .'..' .it i, I .
    I" andar, se (Hr qa 111 pi
    niO, d..lido-.-e <-li.; i-.Ui.c ., . ,. .
    U Dr. Cossm lie a Pereira
    ua .1 re .1-.' Da ..,..~ u
    i l" e radar, omI
    : raJo para o exercicio de ^ua
    San mciiica, e cu -
    mim 9 seguime
    I" nelmtiai Je uil.ns;
    i" de paite:
    3" <](!> .11 '
    ti an. .i.. -.
    Em seu escripiori) >'
    r5o examinados na onli-m e. saw
    entrailas come^ando otral
    4| los doentes de uihoa.
    dS;"
    S
    A

    -JA
    i
    i
    "X
    Dar consultas todos os di
    6 as 10 da maokia, Bcaog
    mingos.
    Tambem se offerecem para tirat reir-
    '.'Jj tos de pessoas fallecidas, dentro ou fra
    m
    Antonio Jos de Arantes, portugner, val a
    Portugal e deixa durante sua ausencia por seus
    bstanles procuradores Jos Joaqun Dias Fernao-
    des e Manoel Fernaodes da Cos ^ C.
    W&WtfWM '&HWti3F> %&*& & da cidade.
    kd' Vu-fVii. . '*"^$'< i*$ Os annuncianles desejando acreditar o ^
    ,***-, flOlld MM'DCJtO. HB Jgf Sea estabelecimento, garantem ao publico |H
    2K Pede-se ao Sr. cobrador de tasa de es- w -)j que nenhum trabalho sahira de sua offiYi- M
    yj cravosque recebe no bairro da Boa-Vista {S S na, sem que nao seja perfeitamenle acaba S
    JT? o Sr. Antonio Punicenio do Amaral, te- j^ ^S do, ea vontade do (regnez. ?8^
    nha a bondade ou de irazer o cooheci > :=.y^M. t& .vii?St'd5 ^W^S^S
    j-f.
    ment de I86'i de dita tasa como tratou
    a mais de 9 mezes, por nesta data ter re-
    cebido o dinheiroadiantado i.-3 pertenceo-
    te ao dito anno : dirigindo se agora em
    IJIIS
    Aloga-se
    no esertptorfo ae Amorim lrmaos, ra da Cruz n. O leilao tera' lnar seur
    3 : para passageiros, aos quaes olTerece excellen- le pelas 12 horas "da mar
    res conimodos, trata-e com o capitao Joaquim Au- Santo, Junto a associacaa 1
    gasto de bouza, na praca do coraraercio. Xa niesma occasiao se
    ^ Santo Amaro na travesa do Lima t
    *$ Pftaralra casa de esquina de fota en
    a casa terrea da Ilha do Retiro (Passagem da Mag
    daleua) onde morn o corrector Macedo, com boos
    commodo* para familia: trata-se no largo do
    Corpo Sanio n. 19, escriptorio.
    Precisa-se
    Joo Quirmo de Aguilar 4 C. compraram de aprendizes para a offleina de marcineiro, na ra
    por ordem do Sr. Autooio Pedro dos Santos o bi- do Imperador n. 18.
    Ihete inteiro n. 1110 da pnmeira parte da primei-
    ra lotera a benelicio da matriz de Agua Preta
    (2t.)____________........
    Alaga se um sitio perto da praca com com-
    modos para grande familia : quem pretender diri-
    ja se a ra do Crespo n. 8 B.
    no Rodrigues de Almeida, por
    ter a maior parte da carga tra-!
    tada, e para o resto que lhes
    ;'alta trata-se com o consignatario Joaquim Jos
    Gongilves Be iro, na ra do Vigario n. 17, pri-
    m -iro andar.
    AVISOS DIYEBSOS.
    LOTERA
    AOS 6:000,il000.
    Corre amaahSa.
    Sabbado ~ii do correte mez, se eitrahi-
    companbia no"dia39 dcTcrrente r a*l* parte da Ia lotera (i'**) a beneficio
    as 10 horas da nanh. Recebe- da matriz de Agua Preta, no consistorio da
    COMPANHIA PF.RNAMBL'CAXA
    DB
    ^avegaco co(elra por vapor.
    Presidio de Fernando.
    Seguir' um dos vapores da
    ra'carga encommendas passa- greja de Nossa Senhora do Rosario da fre-
    p,KoDFo;^^8M,tos^Nh0raS geZia de santo Antonio.
    Os bdnelos, metos e quartos esl3o a ven-
    da na respectiva tbesouraria a ra do Cres-
    po numero 15,
    Os premios de (5:000,5(000 at 10,51000
    Para Lisboa.
    Sabe por tolo ete nez de julho o ben cooheci-
    do brigne pertuguez Relmpago ; para o resto da
    carga
    com
    de
    meir andar, ou.com e capito na praga.
    ga e passageiros aos quaes off-rece arelados I ser0 pagos uma hora depois da extraccao
    nodos, trata-se com o consignatario Thomaii .. K ? v.
    A lunoFonseca, na ra do Vigario n. 19, pri- ate as horas da tarde> e oS outros depois
    Para o Porto
    sahir por todo este mez o brigae portuguez Umao,
    recebe o resto dacar^a e passageiros, e tratase
    com o consignatario Thomaz de Aquino Fonseca,
    ra co Vigario n. 19, primeiro andar, ou com o
    capitao na iraca.
    Ilha de Fernando
    Para a Ilha de Fornindo de Noronha pretende
    seguir ni dia i de agosto o veloiro e ben conhe-
    cido nessa carreira o hiate Serpipano para car-
    ga e passageiros trata-se jen o capitao a bordo, on
    com Jos Luiz de Souza na a'fandega.
    da distribuido das lisias.
    As encommendas s r5o guardadas so-
    mente at a noite da vespera da extraccSo
    como de costume.
    Semndo de thesoureiro,
    Jos Rodrigues de Souza.
    O Sr. Arsenio Antonio Carneiro da
    Cunha Miranda queira dirigir-se a prat;a da
    Independencia n. 6 e 8, que se precisa
    fallar.
    Perdeu-se na ra da Aurora, Imperador, ou pon- j
    te de ferro de Santa Isabel, um alflnete de ouro <
    com cavxfl, contendo cabellos de pessoa a quem se .'
    coLsagra amiade, lendo per Isso um valor inapre-
    eiasrol aquelle alQnete : a pessoa que o tiver acha- .
    do e queira restitui-lo, alera de se Ihe agradecer, j
    sera' recompensada : na ra do Crespo, loja o. 4., j
    Desappareceu qulnta-feira, 20 do crreme,
    do consistorio de S. Jo- d'Agonia, no convento do i
    Carmo, um chapeo de manilha novo em quanlo se J
    estava solemnisando a festa de Santo Elias: pre- j
    vine-se a qualquer pessoa a quem o qual for offe- i
    recldo, ou delle souber, baja de prende-lo e entre-
    ga-lo na ra da Concordia o. 64, padaria do gaz,
    que se pagar o trabalho de quem o trouxer.
    aviso.
    O abaixo assignado previne ao respeilavel pu-
    blico e especialmente a firma social Santos Mello
    & C, sob a qual deveria gyrar a soeiedade pro-
    jectada e suhstiluitiva ao antigo estabelecimento
    de gneros de estiva e commissdes sito a ra do
    Livrameoto n. 20, que nao faz parte dessa Arma,
    _ rF?s* _.
    Joao da Silva Ramos, medico pela Un
    U versidade de Coimbra, da consultas em
    JSi sua casa das 9 s 11 horas da manhaa, e
    djM das 4 s 6 da tarde. Visita os doentes
    ,fl| em suas casas regularmente as horas
    rg para isso designadas, salvo os casos ur-
    .'j gentes, que sero soccorridos em qual-
    I quer occasiao. D consultas aos pobres
    gj| que o procurarem no hospital Pedro II,
    faonde encontrado diariamente das 6
    s 8 horas da manhaa.
    Tem sea casa de. sade regularmente
    h montada para receber qualquer doente,
    h ainda mesmo os alienados, para o que
    2 tem commodos apropriados e nella pra-
    tica qualquer operaco cirurgica.
    Para a casa de sade.
    Prineira classe 3*000 diarios.
    Segunda dita.... 2*500
    Terceira dita.... 2*000 >
    Este estabelecanento j bem acredi-
    tado palos bous servicos qne tem pres-
    tado.
    O proprietarioespera que elle conti-
    nu a merecer a eonflanca de qne sem-
    pre ten gozado.
    Platicara *.od3 e qualoai
    cio que jug;ir .:*. 'lin.i.i- |
    prompta restabelc
    doentes.
    FUMOirlO
    1)0 '
    mmm,
    lg.ua da Bruna uaait,'-> :;
    Xe.-te eslabt-lerinealo adan 1 .1 .<.
    ,'uintes ohjeilos. lodos da plmlu o ;
    construidos espeeteMMMa pata m
    mais acreditados fabricante* 1
    Machinas a vapor de 2 t|2 a cav. .-. r .ni
    moendas, juntas e t*M ellas ; e t ile'
    Pede ser proeurado a qualquor hora na ra da para desear, omento d- altada, : 1
    Alegra n. 16 (13oa-\ isla.) ; {^^ M,npli,ida-te e .-rm-mia em ,,
    n ... e (ir n.io premsar de obra iinal :ier p.n as-
    xr^ P'" I""Vi> ('! perfei?ao do seu trabalho o I enlmenlo.
    mesmo affereee ao publico o test-munho de im- Rodas d'agua de ferro, sy-iema mi i pcnoMmi
    mensas pessoas para quem jalrabalhou a mandado da bren d'agua.
    Iludas de espora, e angulares, e de - nadnlha
    para animaes.
    Moendas e mea-im-iidas.
    Tai xas de ferro batido 1 fundido, c #j i.re
    Machinas para dHHMfM agjpda, -.-:-ma
    Piatt, com os ltimos mcihiraiiiei.t -.
    Boceas e crivos de patente para f rna i-, ^imi-
    DUindo milito o gasto do conihuslive!.
    Machinas e macliinisnios para m<> r mc twra.
    movidas a vapor, agua oa cavado.
    Pornos e dupas de ferro b.tnln pan MH fa-
    rinha.
    Alambiques de ferro, e fundos
    Guindastes, fuos e poriatiW.
    Prensas para copiar cari n.
    I'.odas para carro de wtgtiho com ei\m e min-
    gas de patente.
    Furnias de ferro balido galvanizad.' pan pur.- r.
    Serras de ago e annacoes de serrana.
    Arados de lerru singelos e dubrad s. iiadcs |.ira
    cubrir i-anna, eniadas a cavallo, e outro- p-ru-
    da companhia do gaz.
    mmmm mmmm mmmm i
    Dentista de Pernambuco.-
    m
    na esireifa do Rosario n. 3,
    ao p da igreja
    FRANCISCO PINTO
    Colloca desles artiflciaes
    pelos - j temas mais no-
    d< -ritos
    Emprega todos os meios srientificos para
    conservar os naturaes. Pode ser procura-
    do em seu (alnete das 9 horas da ma-
    nhaa as 5 da tarde.
    m
    - Lino de Faria, nico llquidatario da massa lne,llosde aneulii_o-a. _
    fallida de Faria & C, em virtude de concsrd.it. ''S./-^ -'.; ,.
    que Ihe foi concedida e devidameute homologada, i S"'4?'VRBa'i? "*
    convida a todos os senhores credores que anda o \ UOIlSllltOriO IlieiiH.'O 6 \
    nao procuraram, para que com elle se emendan
    Antonio Joaqun da Silva Villela, portuguez, Imperatriz, com boos eonnados : a tratar
    vai a Portugal
    oestes lo das ; sendo que oecessita saber a in-
    portancia dos crditos de cada um dos nesmos
    senhores : mora na ra do Imperador n. 57, e
    pode ser procurado de manhaa. Recife 17 de iu-
    Iho de 1865.______________________________
    SEGUROS
    MARTIMOS
    CONTRA FOGO.
    A Companhia Indemnisadora
    estabelecida nesta praga, toma seguros martimos
    sobre navios eseus carregamentos e contra fogo em
    ediBcios,--mercadorias e modias: no seo escripto-
    rio, ra d Vigario o. 4, pavimento terreo.
    Veade-sa uma roala e uma janella em moi-
    to bora estado : rna das Agnas Verdes n. 92.
    Aluga se a metade de un sobrado na ra do
    Rangel n. 6 ; a tratar no mesmo.
    Preclsa-se de ama preta escrava ou de uma
    mulher forra que saiba coztnhar para uma casado
    pouca familia : qei quixer dirjase a roa do
    Aragao n. -7.
    Faz-se publico
    que foi traspassada a loja de charutos da ra da
    Cadeia do Recife n. 9, pelo seu proprietario, hvre
    o desembaracada para a pessoa que a compron :
    Vende-se dnas carrosas, uma para boi e on- qoen se julgar com direitos a contestar aquelle
    . tra para carallo, sendo esta com lastro somente, traspasse, dentro de tres dias coropareca na rna do
    Aloga-se^a lloja do sobrado n. 17 da ra da propria para carregar barricas de farinha de trigo, Vigario n. II, primelr andar, depois do que a ne-
    no se- lenha, etc., anbas con uso, por prego nuito.com- nhuma reclanagSo se attender. Recife 18 de ju-
    modo a tratar na pateo de ?. Pedro o. 4. Iho de 1865.
    cirhrgico.
    * O Dr. Joao Pedro Maduro da Fondera
    ten saa residencia ni roa do Sol o. XI,
    a secundo andar, anude se presta a ri> r-
    I
    i
    INJECCAO BROW.
    Remedio iafallivel contra as gnot rlibo
    S^a"^ e recentes, nico deposito rapr
    abaito assignado acha-se inteiranente isempto de tea franceza, rna da Cruz n. 22. eas
    cicio de sua pri.fts.-5o tanto de dia taino
    de noite, os chaado* qu.ndo n> e:le-
    ja emeasa seja pfr analo, in.in-.-adi, a
    morada e oorae do cliente.
    aass 339.-
    A irmandade de .Y S. do Amp.iro da ciMn
    de Olinda receben ao da 17 do rorrete, aor ca-
    la que fez o Sr. Pedro Candido Lope*, suMiu
    porluguei, empregad oot aUo eia as W *-
    caleres da alfandega desla provincia, a quaniia iOtiJk, cora a condumio de ser empreado aa obra 4a
    igreja 300, e com o aeeio do aliar da Ganara
    lO^OOO.O thesoureiro da irnDd;Hle,
    ^_______ l.uiz Jos Pmlo da tjiga.
    Frecisa-se de um ama para eoaaarar e-
    zinhar : na ra de lionas n. 16.
    qualquer respoosabilidade quer para com a mes-
    I ma firma quer para com terceiros. Recife 19 de
    CO 33
    julho de 1863.
    G. Augusto da (iraca e MI
    .No hotel italtauo rna do Trapiche o. 5,
    cisa-sede un bom cosioheiro.
    pre-
    Qoen precisar de una ana de portas para
    dentro, para casa de duas a tres pessoas, dirija-se
    a ra Augusta n. 7.
    gundo andar do mesmo.
    Preci.-a-sa de 2:0004 a prenio da I *y
    mez,' por espago de dea roete, garandad*-
    hypolheoa en uma casa terrea atMa r ida da da
    maior valor, a qual se acha em muit. boase>ta
    por ser edieada de novo e de parede defcrada-:
    oa ra de Santa Thereza o. 38v se dir anea pre-
    cisa.
    Aloga-se nna escraa ramio lie! para s, rvir->
    de casa e ra : na ra do Imperado; a. 50,tt r.-nr >
    andar.
    A veneravel ordem terceira de S. Fram i- >
    desla ridade pretende encaar agua da corai-anhi.
    de lieberibe no seu hospital e sachristia, a fazer
    uma rasa de banho, contendo dous baabeiros : as
    pessoas que se quizerem eocarregar desta obra.
    comparecam na sachristia da referida ordem ter-
    ceira, domingo 23 do correnle, das 9 as IS aras
    da manhaa, para examinaren) a localidad a iaren
    depois seus oramenos.
    w*
    "f p-----------
    I ^awam ia-


    ------..... .__-_... -_
    Otario de Feraambnco ... Sexta letra ti e lulho de !#*&.
    PHOTHOGRAPHIA ARTSTICA
    DE
    Samuel Power Johnslon & Companhia
    Roa da SenzalaNova n. 4.
    AGENCIA DA
    Fnadtc&o de E.ow Moor.
    Machinas a vapor de 4 e 6 cavailos.
    'Moendase meias moendas para engenho.
    Taixas de ferro coado e batido para enge-
    nho.
    25 Ra Nova (esquina da Camboa do Carmo) 25.
    Relogios de ouro patente inglez.
    Arados americanos.
    Os proprietarios deste estabelecimento, desejando satisfazer os numerosos pedidos de seus freguezee, acabam de receber de-seus correspondentes de Paris, im grande Motores para ditos,
    sortimento de relatos (carloes de visita) das personagens as mais celebres da Europa, assim como receberam tambem urna quantidade de alfinetese cassoletas para retractos, do Machinas de costura
    mais apurado gosto e por precos muito diminutos.
    sobre todos os pontos, tanto pela rapidez da operacao, como pela commodiJade das pessoas.
    A grande quantidade de pessoas que tem visitado este estabelecimento nestes dous annos em que se acham estabelecidos nesta cidade, e que nao ser menos de cerca
    de <>,900 a 7,000, para elles urna garanta futura, poslo que se appliquem lodosos das, para que todos saiam contentes esatisfeitos.
    Os mesmos aproveiUm a oceasio para prevenir ao publico e recordar aos seus numerosos freguezes, que ellcs trabalham todos os dias, domingos e dias santos, das 9 contrate <^sMHiwoMiraell Arch'anjo Ivnpor
    horas da manbaa at as 4 da tarde e que os temaos de chuva nao influem em nada para o bom successo dos retratos, pelo contrario o ol entre nuvens mil vezes preferivel compra aiguns de seus beos, visto como tratase
    de Nm dar curador por se ter tornado prodigo pe-
    los seus actos pralicados; servindo o presente an-
    nuncio para evitar duvidas futuras.
    Jos MariaJSeve.
    ^H Companhia fdelidade de seguros ?
    9 martimos e terrestres
    estabelecida no Rio de Jaueiro.
    SM AGENTES EM PEKNAMBCO
    ^ Antonio Luiz de Oliveira Azevedo & C,
    aafi competeutementeautorisados peladirec-
    5 loria da companhia de seguros l'idelida- fj
    H de. tomarn seguros de navios, mercado- jj
    S rias e predios uo seu escriptorio ra da ^
    W f-ru: n. i. 91
    wmmmmmm wmm
    Perdeu-e no dia 16 do correte desde a ra
    ?\\-UL4,5
    D'IODURETO DUPLO
    de FERROe QUININA
    MEDICAMENTOS FRANCEZES AFAMADOS
    A TEIDA EM PERWAMB1J0
    Em casa dos Srs. Caors e Barboza, ra da Cruz n. 22.
    I
    Os elemente* que compoem esta preparac.lo. o
    ferro, o iodo e a quina, a colloco no primeiro
    grao das preparacocs ferruginosas. Basta attcslai
    seus resultados obtidos,pelos Mdicos dos hospi-
    laes, e os relatnos dos prticos mais eminentes
    que confirmaran sua poderosa eflicacia as se
    guintesaiTecoocs:
    Mlnt tu no ganglio,
    Frnqursa.
    Aiii'mln.
    CMoroe lc*rlcla,
    MenM4ruo,
    Afocroe* da (ero,
    Su|iprcKH irn c a>Maril<-aa na
    nir ii-(rin:c;it.
    Affccrao piiliuHHr <-
    ulUbfulca,
    Miilr-.liii c! <-HlIUIIKO,
    (iMKlraluhi-
    l'i-rcln il'up |.cli(r. ele ,
    C.iii ilrtcrni'utlcUHi
    gtt* molcHlluH,
    MOlCKtliirt rsn ofalo-
    Ma
    P|iclrn,
    OuttCrurro iIkh glnn-
    iliilu*,
    l......T Irlii, .
    TuniorcM nniiicON,
    Un ' i : i-i.m.
    AlfwfopH maernaan
    a- -;. i'lill II ir i-.
    F*rlr<-* fj|tlirtlilf,
    BcxIcuk, tic, ele.
    Yejo-f. os bulletins de therapeutica medica
    e cirurgica de 30 de novembre 1 60; a Caxeta
    dos hospitaes de 28 dejulho 186", etc., etc.
    Alm das pilulas de wdurelo duplo de ferro c de
    quinina de Itcbillon, os Mdicos aconselhiio
    igualmente o Xarope d'iodureto duplo de
    ferro de quinina do metmo autl.or pura as
    pessoas que uo gosio de medicainciuos sol fr
    ma pilular e os meninos. F.ste xarope nao tcm
    como oxaropcd'ioifurrforfY farro, o inconveniente
    de alterar-se c de se nao |>odi'r conservar..
    Peca-sc o folheto que se d de graca em casa
    dos pliarmaeeulicos depositarios.
    Para se evitarcm falsilicacdes, exija o com-
    prador em cada frasco de Pilulas ou Xarope a as-
    signatura do inventor.
    Deposito geral em Paris, pharmacia Rebillon.
    4 42. me du Bac, e em todas as boas pharmacias
    de Franca e as dos paizes estrangeiro, etc.
    PASTILHAS
    IGESTIVAS
    IDE PEPSINA
    DE WASMAN
    m DOENCAS
    DiarrlieuK e a roiiNtl-
    |lieo |ir iu-i.i- 'larioi i. ilrfr! I u -ii- ttii- a ll-
    ni. n l-i-
    As pastilkas digestivas com a pepsina de
    Wasman^ emprego se com successo lia* j
    alguns anRos pelas celebridades medicacs de
    Paris. Londres Vienna, etc., em lodas as in-
    commodidades em as qnaoSadigcstao diilic.il,
    penosa, imperfeta ou inesnio impossivcl: eis
    o inelhor remedio para cural as.
    CiiHlrnlul,
    l)lM|K'|IHtaM,
    Killlllir.tcOMgHrttrlroM
    A KlIKtl'Kr,
    Am ntfrccitv* nrennl-
    rtiH lo CNlftmaiso, 1
    Sua aceito vivifica o sangtic c os rgaos de
    tal sorte que, atli as pessoas que sem soffivr
    as al'fecvoes gstricas cima mencionadas sao
    nicamente tracas ou d'um temperamento um
    pouto dbil, c ncccssilao sjubslancial alimento
    para l'oriiticar-sc, arlrio no empii;o das paslil-
    Itas de pepsina de \Vasman,um poderoso meio
    para a isso cliegar. m
    Aviso importante.Osucccssodas pastillias
    pepsina de irnsmandeu causa a se l'azcrem
    falsificacSes e imilacocsd'esfcc producio que os
    mulos se qiicrcni ilcsiazor. Pois por falta
    (fuma boa preparacao a pepsina que n'ella
    entra, jaz alterada. Seremos ao abrigo d'estc
    inconveniente, exigindo os compradores ipie as
    pastilhas lenbio as inidaes B. P. c saio da
    pharmacia Chevrier.
    Depsito geral em Paris, pharmacia Chevrier,
    Sli raubourg-MonUnartre, c em todas as boas
    pharmacias de Franca c dos paizes cstrangeiros.
    CL'HADAS PELOS
    XAROPES DO DOUTOR DANET
    1. (nutra as CLICAS DOS MENINOS ante*
    e ilnraiiii- a di-iiilf-
    (Xarope de eynofilossc e ele acido tuccinido)
    X' 2. Culllia
    TOSSE CONVULSA < a TOSSE
    NF.nVOSA
    (Xarope de eynoglossc c de leo voltil de ucciio'
    H* 3. C.illlrii M COWLLCES DOS VIMV.I-
    A CHOREA
    (Xarope de cynoglosse c de acido voltil de uccino)
    Estes novs productos preconizados na Aca-
    demia imperial de Medicina de Paris sao cm-
    pregadoscom grandissimo successo pelos mdicos
    de Franca para o tratamento das molestias do-
    meninos cima indicadas, e vierao enc.her nm
    Vacuo importKnlc na therapeutica, no que toca as
    affeccoes da infancia, para as quacs, alh lioje.
    ainda se mo pode indicar tratamenlo racionnal-
    nem infallvel.
    (Pcca-se o prospecto em casa dos pliarmaceii,
    ticos depositarios.)
    Proco do frasco em Paris, 3 Ir.
    Para se evitaron as falsilicaccs, exija o com-
    prador que cada frasco tenlia sobre os rtulos a
    assignatnra Chanteaud.
    Depsito geral em Paris, pharmacia Chan-
    teaud c em todas as boas pharmacias de Francr
    dos paizes cstrangeiros.
    MASSA e XAROPE
    DF. CODENA
    DE
    BERTH
    As experiencias clnicas e comparativas
    dos Snrs Magcndic, Barbier d'Amiens, Wil-
    liams Grcgor, Martin Soln, Aran, Viga,
    C. Dumont, etc., membros do Instituto de
    Franca, mdicos dos hospitaes de Paris, tem
    provado que a Massa e Xarope de Berth i
    o remedio o mais seguro contra todas as
    dores nervosas e leudo a propnedade de
    calmarcom admiravel rapidez as tosses rebel-
    des^ extremamente fatigantes da grippe (ca-
    tarrho epidmico delluxo, coqueluche ou
    tosse convulsa, bronchitc c lisica pulmonar.
    A Massa e Xarope de Berth, se
    achao em lodas as boticas.
    Para evitar qualquer
    falsificar,exigir cni
    cada produio o nonie
    e a firma Berth.
    Deposito geral em Paris, em casa de MENIER,
    /iuo Ste-Croix-dt-la-Bretinnerie.
    mm
    BE CHEVRIEiy
    Os granulos de bismuth de Chevrier em supe-
    riores a todas as oulras preparacocs de bismuth
    cmpregadasanies com o maior successo pelos m-
    dicos de todos os paizes, para prevenir c curar as
    MU'Milt* de lilaila.
    A ii-iei-irln.
    Palpltaeo do rorncao
    Iloiri 1IOH lili.
    Man dleHloeH,
    OaxtrlIeM,
    GavIralKlas, etc.,
    Dliirrliem. i'liroiileaN
    ll> .--i'iiU'liaS.
    i)iir,-N d'eHlomago,
    OyHpepala,
    6rew'" "rn'it, ra Depsito geral em Paris, pharmacia Chevrier,
    irritaceK de ii'niitn e e ?m lotlas as pharmacias de Franca e dos paizes
    da niatrls, etc. cstrangeiros.
    Pelas commissoes em grosso. dirigirse aos S
    ASTHMA ASTHMA ASTHMA
    Siiilee nervosa e Oppressao
    nico remedio efficaz para combatter estas mo-
    lestias, acalmar um atlaquc d'asma e impedir a
    volta 6 o Xarope aromtico de Succino (mbar
    amarello) do Dr Danet. Descobcrla inleiramente
    recente, este novo producto se tcm propagado
    com extrema rapidez gracas aos admiraveis resul-
    tados que tem sempre produzido.
    Deposito geral, na botica Chauveaud, 54,
    ra do Commercio, Paris-Grenelle, e em todas as
    boticas de Franca e do estrangeiro.
    WILLAERT e BERGER, comisarios em drogara, 11, ra Saint-Lazare, Pars.
    Rival sem segundo
    |;u;i do Queimado ns. 4!) 155, lja t
    miudezas de. lies perlas, rsl jae-
    niaiiflo ludo hora e baral., qiea k-
    zer ver e admirar venban laja 4%
    Biodiiilio.
    Caixas de papel amizade, e sem ella liso e oaotado
    a 600 rs.
    Arreios de carro para um e dous cavailos. Grozas de bteles de looca praleados fazenda mo-
    derna a 160 rs.
    Duzias de penna de ac fazenda boa a o rs.
    Pecas de tranca de la lisas e de todas cures a
    iOrs.
    Escovas finsimas para limpar denles a 210 e
    320 rs.
    Pulceiras de conlas para senhoras a 500 r.
    Pecas de fita de cs estrellas com 10 Taras a
    320 rs.
    Caixas com clcheles frinnom, superiores nuli-
    dades a 20 rs.
    Tinleiros de barro, con superior tinta a 100 rs.
    Pegas d curdo para vestid^ >, laanarii boa a
    20 rs.
    Baralhos muito linos para volinriie a 200 e
    240 rs.
    Frascos com agua de Florida a 15 e kfBft
    Frascos com superiores banhas a H| is. a 4.
    Frascos com baoha, porm pequeos a 200 ^
    240 rs. .
    Latas com superior banha a 200 rs.
    | Frascos de macaca perula niuilo lino a 200 aj,
    Frascos e garraliuhas com afna de l^ktaia a
    400 rs.
    Frascos grandes com superior agua de Colonia a
    ! 640 rs.
    Frascos com superior oleo de babtza a 400 e
    oOOrs.
    Caixas ruin 12 frascos de cheiios mtiiio linus a
    it400.
    achou e qoiter restituir, uiiija-se
    ga n. 7, onde ser graUQcado.
    Nova at o convenio do Carmo um pedaco de urna
    fita de curo d>- urna pulseira de jarreleira, sendo Sabonetas pequeos de bolla a 40 rs. e grandes a
    provavel Icr sido na Occasiao do Te-Deum : quem 320 rs.
    a ra do Cabu- Sabonetas d* familia a 120 e 200 rs.
    Dnzia de sabonetas pequeos com rheiro a 700 rs.
    Agua denutice ,>uperb.r qualidade a *W rs.
    Caixas cora superior p de arroz a 00 rs.
    Frascos de superiores essencias santal e outr a
    1200.
    Frascos com essencias para tirar nodua- de roupa
    a 300 rs.
    Camas [de ferro.
    Grande sortimento das melhores que ha no mer
    cado : na ra Nova d. 33.
    Anda se precisa de urna ama para cozi-
    nhar e.engornmar para tres pessoas : na
    ra das Cruzes n. 37, sendo pessoa mori-
    gerada e que se possa entregar urna casa.
    Fogo do ar.
    No armazem da bola amarella no oitoda secte-
    taria da polica, recebem-se encornmendas de fogo Ditas dita dito para sopa, fazenda boa a IjfOO.
    Frascos com rastra de todos os precos a 160 soo
    240 e 320. '
    ! Frascos bonitos com cheiros finos a 500 rs.
    Dnzia de meias muito linas para seohnra a
    4A800.
    Gollinhas muilo finas para senhora a 200 rs.
    Caixas com soldados de chumbo para menino* a
    160 rs.
    Duxias de colheres de mlal para cha a 800 r?.
    do ar para dentro e fora da provincia.
    COMPBiS.
    Varas de cordao branco para espariilho a 40 r*.
    Pecas de lita de la para debrum de vesiido,
    10 varas a 600 rs.
    Ditas de bicos superiores, para acabar a 600
    800 rs.
    " | Pedras de lousa para meninos a 160 rs.
    Comprase edectivamente ouro e prata em Caixas de lamparmas para 3 mezes a t rs.
    obras velhas, pagando-se bem : na ra larga do Bunecns de choro e panno a 160 rs.
    Rosario n. 24, loja de ourives. Caixas com bonitas estampas para rar a 100 rs.
    I Capachos compridos, boa fazenda a 500 rs.
    Grosas de Doioes pequeos prelos para caira a
    Silvino Guilherme de Barros compra e ven
    de efectivamente escravos de ambos os sexos :
    ruado Imperador n. 70, terceiro andar.________
    Ouro e prata
    em obras velhas : compra-se na praca da Inde-
    pendencia n. iij loja de bilbetes.
    Compra-se ouro, prata e pedras preciosas,
    em obras velhas: na ra da Cadea do Recita,
    leja de ourives no arco da Conceico.
    Compram-se libras esterlinas a 9&60O, na
    praca da Independencia n. 22.
    Compram-se libras esterlinas
    Crespo n. 16, primeiro andar.
    na ra do
    1
    Companhia geral hespanhola de seguros mutuos
    sobre a vida
    AUTOiUSADA PELO REAL DECRETO DE 21 DE DEZEMBRO DE 1859
    ma laaea em dinlieir, depositado nos cofres do estado, garante a boa da
    linistr '.can da companhia.
    BANQUEIROS DA COMPANHIA
    O Bauco de Uespanha
    DIRECgAO GERAL
    Madrid : Rna do Prado u. 19
    Esta companhia liga pelo systema mutuo lodas as comb/nacoes de superviencia dos segu
    sobre a vida.
    Nilla podeselazer a subscripeode maneira que em nenhum caso tresno tor ncr'i de s
    gurado se perca o capital nem os juroscorrespondentes a esles.
    Soto snprehendentes os resultados que produzem as sociedades da ndole de A NACI
    nAL,que ainda mesmo diminuindo urna ter^a parte do interesse produzido em recentes liquidai
    cesec inbioaado-o com a mortalidade da tabella de Depareieux que e adoptada pela companh--
    para teas ;*lcolose liquidares, em segurados de idade de 3 aI9 annos, umaimporsicoannua.
    de 100J produz em effectivo metlico:
    No fino de Sneos.......1:1195300
    de 10........3:942600
    de lo .......11:2085200
    de 20 .......30:2565000
    de 25 .......80:3315000
    N is idades menores de 3 annos e maiores de 30, os productos sao mais consideraveis.
    Prop<*cl 's e mais informarles serao prestadas pelo stib-director nesta provincia.
    Joaquim Pinza de Oliveira, ru daCadeia n. 52, ou a Boa-Vista rna da Imperatriz n.12,estabel
    ment dos Srs. Raymundo.Carlos.Leite 4 Irmao.
    DE
    DE
    J. VIGNES.
    .V 55. RA UO IMPERADOR N. 55.
    Os pianos deslaantiga fabrica sao hoje asss couheeidos para que seja necessario insistir sobre a
    sua superioridade, vanlugense garantas que oRerecera aos compradores, qualidades estas incontesta-
    veis que elles tem definitivamente conquistado sobre todos os que tem apparecido nesta praga ; pos-
    suindo um teclado e maehinismo que obedecem lodas as vontades e caprichos das pianistas, sem
    nunca falhar, por serem fabricados de proposito, e ler-se feilo ltimamente melhoramentos imporlau-
    tissimos para o clima deste paiz; quinto s vozes, sao melodiosas e flautadas, e por isso muito agrada-
    veis aos ouvidos dos apreciadores.
    Fazem-se conforme as encornmendas, tanto nesta fabrica como na do Sr. Blondel, de Paris, socio
    correspondente de J. Vignes, em cuja capital foram sempre premiados em todas as exposicoes.
    No mesmo estabelecimento se achara sempre um expleodido e variado sortimento de msicas dos
    melhores autores da Europa, assim como harmnicos e pianos harmnicos, sendo tudo vendido por
    pregos commodos e razoavels.
    (obre, laloechambo.
    Compra-se cobre, latao e chumbo : no armazem
    da bola amarella, no oito da secretaria de po-
    lica. __ _________
    Compra-se um sellim em meto uso : na ra
    de Santa Thereza n. 38______________________
    Compra-se urna casa terrea propria para fa-
    milia : a tratar no paleo de S. Pedro, casa n. 6,
    segundo andar,
    Compram-se livros inglezes, Wilards Virs1
    Ciis Reader, e os diccionarios de Vieira : a tra-
    tar na ra do Mondego, olaria n. 13.
    Compra-se urna prensa de espremer caj,
    que estaja em bom estado : a tratar na ra da j
    Cruz n. 42, primeiro andar.
    V E S S i S.
    CONSULTORIO MEDICO-CIHLttGICO
    DO
    ESTRADA DE FERRO DO RECIFE AO S. FRANCISCO
    le 21 de julho de 1865 at oulro aviso, a partida dnstrens de pa^sageiros
    ser regulada pela tabella seguate
    i'AltA O !*> TEHIOB
    ESTACOES
    Cinco Pomas
    Afogados .
    Boa Viagem .
    Prazeres .
    [Iba .
    Cabo .
    Ipojuca. .
    (linda. .
    Timb Ass
    Escada .
    Frexeiras .
    Aripib. .
    Hibeirao ,
    (iameleira .
    Cuyambuca
    Agua Preta .
    Una .
    Das de trabalbo
    domingos e dias
    sanios
    M1SIUA
    T
    9
    0
    9
    9
    9
    10
    10
    12
    12
    II
    1
    1
    1
    i
    i
    2
    3
    M.
    6
    18
    24
    50
    10
    24
    15
    30
    20
    40
    20
    40
    T4RDI
    H.
    Vi.
    20
    28
    52
    10
    DU INTERIOR
    ESTAQUES
    Una. .
    Agua Prela.
    Cuyambuca.
    Gameleira .
    Ribeirao. ..
    Aripib.. ..
    Frexeiras ..
    Escada....
    Timb Ass
    Olinda ....
    Ipojuca.. ..
    Cabo.....
    Ilha......
    Prazeres. ..
    Boa Viagem
    Afogados ..
    Cinco Pontas
    ias de trabalbo e
    domiugos e dias
    sanios.
    MANHAA
    li.
    M.
    50
    8
    32
    40
    52
    TARDB
    H.
    8
    8
    8
    9
    9
    9
    10
    10
    10
    I!
    12
    12
    12
    i
    1
    I
    1
    25
    42
    23
    42
    30
    45
    18
    35
    53
    17
    25
    37
    45
    DR PEDRO DE ATTAHYDE LOBO MOSCOSO,
    MEDICO, PlIlillliO u OPERADOR.
    3 Ra da Gloria, casa do Fundao 3
    0 Dr. Lobo Moscoso d consullas gratuitas aos pobres todos os dias das 7 s 11
    0 Ccistelio de Grasville.
    Traduzido do francez por A. J. C. da Cruz.
    Vende-se este bello romance em quatr
    tomos pelo baratissimo preco de 300C
    aa pra^a da Independencia, livraria ns.
    6 e*8.___________________________
    DEPOSITO
    de pao e cestas, ra larga do Rosario
    numero 36
    A este estabelecimento cltegou hontem nova re-
    messa de obras de vime e gesta, aqui se acham ao
    100 rs.
    Todas estas fazendas para liquidar, p-.i< todo
    est em perfeilo etlado, istn garanie o dono do es-
    ta beleciirieuto.
    LOJA DO BEIJA FLOR
    Na ra do Queimado i. H3.
    Tendo recebido um soriimenio de boru-
    cas de choro, que chamara p.ipai e mami,
    com caheeira de cachos.
    Tendo recebido um variado sortimento de
    brinquedos para meninos, sendo espadas,
    espingardas, pistolas, tambores ; dito
    para meninas: apparelhos de alinoco e de
    jantar de porcelana e de metal, porta-licor
    e faquinhas a 80 rs. o par ; e uo queren-
    do continuar, vende mais barato do que em
    outra qualquer parte.
    Vende-se tiras bordadas de differentes
    larguras a 14, e baados, collarinlios e po-
    nhos para senhora, bordados e abertos de
    renda e lisos, os mais modernos qne se
    podem encontrar.
    Vende-se 13a para bordar de Im
    j qualidades e de cores claras a "6 a libra, es-
    i pelhos de columnas de Jacaranda a ->."500,
    ; ditos braoeosde diversos Umanhos, nriata
    para estojos de navalbas,
    j Vende-se penles de alisar com costs de
    metal a 1$, ditos de difieren es qu.'li ades,
    lindas gravatinhas para senhora de diflren-
    l tes gostos.
    Colherea de niela I prlarlpe.
    i Vende-se colheres de metal principe para
    tirar soupa a 25, ditas para cha a 4300.
    1 ditas para soupa a 45200 a dnzia : nesta
    loja se encontrar sempre um grande e ta-
    piado sortimento de miudezas: ra do Quei-
    mado n. 63, loja do beija-flor.
    Acha-se
    ii. O. Mann, engenbeiro e superintendente interino.
    Eogenho.
    Arrendase o engenho Jussarde Sant'Anna sito
    na freguezia de Ipojuca legua e meia distante das
    estagoes da Escada e Ipojuca, com Ierras de var-
    pens de msssap para se safrejar em grande es-
    cala : a Iratar no paleo do Livramento n. 2?, com
    o r. Ignacio erj da Fonseca.
    Aluga-se
    Na rea Nova n. 47 ha para alugar um moleque,
    o qual cozinha e engomma.
    ue. ordem do Irmojuiz da irmandade do
    SS. Saeramento da fregnezia de S. Jos, convido a
    lodos os ir-naos da mesaia irmandade para a reu-
    cio de cnea geral, domiego 23 do correle, as 11
    horas da manhaa, aflm de proceder-se a eleico I >
    d* [leseureiro, e tratarse d negocios importan-; $5?R.?R S9>WtS<3glMk SEJw"?%Jf5
    i :s a bem da igreja matriz e da irmandade. j| O Or. Carollno Franclseo de Lima San- $
    O Jos Elias d Oliveira. BR dor n. 17, segundo andar, teodo alias seu S?*
    P gabinete de consultas mediea?, logo ao j?
    >g< entrar, no primeiro. x
    lg O mesmo doutor, qne ee tem dado ao
    W l''[!,(!" 'iinl das operacoes como das mo-
    0 sitio do Arcos, na estrada des Remedio?, fre- > w leslia? iolerna?, prestase a qualquer cha-
    gjezia dos Afogados, esta sujeijo a um crdito j!w mado, qner para denlro quer para fra
    passadoemjulgado, da qaantia de 1:207a t e como! jf^ da cidade.
    possam fazer qualquer negocio com o mesmo, e o StffSSiB^B 'M'A-'''~-a*'yM/ v*'>ii' ajaMM^fliJ?
    (i >no desse crediio esteja fra da provincia, se faz /eS RHi!m ImW'SSimi'm.M: 3R3R9SK
    o presente aviso para conhecimeclo do publico, e | =- Queta precisar de urna viada porlg/a,
    pao baver duvida no futuro.I l i. dlrija-se a roa de Apollo b. i.
    venda na livraria acadmica, na rna do Impera-
    alcance de todos os freguezes para os rescem-nas-1 dor; na do Sr. Nogueira, junto ao areo de Santo
    cidos, bercos de palha, algu6s destes de cabeceira Antonio ; e na lypographia imparcial, na roa es-
    cobero, balaios ou voadores para criancas apren-' ireita do Rosario a c >mpilacao de luda a li-gi-la^ao
    derem a andar, cestas linas de meninas de escola tendente administracao, arrecadaco r Rscali-
    - enliar no braco, cadeiras de vime branco para as saco dos dinheiros de orphos defuDiic e an-en-
    horas da manhao e das 6 e meia as 8 horas_ da noile, a excepto dos_ das santificados, viagens nos vaprese roerete nos terracos, bande-: tes, herancas jacentes legados, etc., anata* ao
    /"* llt /' YHiU'Hl ("< lll'fltl lili ttl 'i J1)//1 h ii'/i jas de vime para roupa engommada, cestas para so o regiment de cusas e a lei geral das eiera-
    * un vrswi/ci* eoptiwi iiuitivtjfJUlllHsUi acondecionnr roupas de passar das fra, ditas Qoes, como tambem todas asorden* e avisos o
    No mesmo consultorio ha sempre O mais appropriado sortimento de carteiras Para deposito de roupa suja, agafates pintados com governo, que a ludo tem explicado, tanto a renpei-
    tubos avulsOS, assim como tinturas de varias dymnamisaces e pelos precos seuinles l- para frucla, sobre-mesa, condecinhas pequeas todas obrigacoes inherentes ao cargo dos differca-
    fartpiraq 1p 1*2 inhn ffranrias I9jvin "" para encher de doces seceos, condecas de lodos os tes empreados de justica e fazenda, esmo dosdi-
    udiiciidS) ue i a iuuu, (rraiuras. i&uuu nmeros, actales brancos de construccao forte e renos nacionaes e emolumentos qoe sao devios.
    a de 24 tubos grandes. 18,->t)0(l de lodosos nmeros, obra de Braga, cestas de I Este livro contendo mais de 700 paginas em ailida
    > de 36 tubos grandes. 24 de 48 tudos Brandes 306000 para Pslura criaQo de canarios do imperio, ba- de differentes classes, tornase recommendaveL
    do fin tnhr.u riiriio-' i"nnn laios de cores com lampa e sem ella para costura! Seu custo 10JO00 por cada exemplar tm oas
    ue ou tunos gran es. safOOU grossa, azafates redondos e compridos de cores tomos.
    Frepara-se qualquer carteira conforme o pedido que se fizer, e com os remedios para criadas (amas) fazerem as compras, gigas de
    que se pedir.
    Um tubo avulso ou frasco de tintura de meia onca 1(5000.
    Sendo para cima de 12 cuslaro os precos estabelecidos para as carteiras.
    lia tubos mais pequeos cada um a 500 ris.
    LI vitos.
    A melhor odrada homeopathia, o Manual de Medicina Homeopathico do Dr. Jahr
    dous grandes volumes com diccionario............ 20)5000
    Medicina domestica do r. Hering........... lOOfiO .
    Kenertnrin rln nr Ifoli Mnraoe Xenrin muit0 nova e sPerior ' vende-se no escriptorio
    eperiono uo ur. Meil Moraes............ 65000 de Manoel Ignacio de Oliveira & Filho, largo do
    Diccionario de termos de medicina........... 3;)00O Corpo Sanio n. 19.
    Os remedios deste estabelecimento sao por demais conhecidos e dispensara por
    tanto de serem novamente recommendados as pessoas que quizerem usar de remedios
    verdadeiros, enrgicos e duradores: ha tudo do melhor que se pode deseiar, lobos de e.saPe,rior qualidade a 700 rs a libra -. na ruado
    verdadeiro assucar de leite, notaveis pela sua boa conservado, tintura dos mais acredi- C">Bg> "' >8-ar,n"em Hor^sProgressos^
    lados estabelecrmentos europeos, a mais exacta e acurada preparacao, e portanto a maior craTu i^ rom ShiiLli VeDdem Se ^ ^
    energa . cerieza em seus efleitos.
    vime grosso para padana ; estes sortimentos eos
    tnmamos recbelos de tres em tres mezes, suffi-
    B ATETAS.
    Vendem-se excelientes btalas pelo diminuto
    preco de 400 r?. o gigo, e em porcao faz-e algor*
    cente prova de que os vendemos a precos muito | batimenio : no armaaem do Sr, Azevedo defrocte
    razoavets.
    Instrumentos
    Vende se um iustrumenlal completo : a tratar
    na ra do Imperado.! n. 12.
    Potassa da Russia
    Presunto para fiambre
    da escadinha da alfandega.
    A Itencu.
    Vendem-se gigos de batatas a 500 rs.
    da Concordia n. 33.
    na ra
    Novas sement le hortalica.
    Chegaram no ultimo vapor francez viudo da Eu-
    ropa, novas sementes de hortalica, na bem conhe-
    ( al de Lisboa.
    Vende-se excedente cal nova, ltimamente rbe-
    gada : na ra do Trapiche n. 44, segondo aadar,
    escriptorio de E. R. Habello._________________
    Admirem a grande liqui-
    dacio
    De caudieiros a gaz por toda arert a
    grosso e a retalia.
    Roa da Iaaperatrlz a. tt.
    Farelo
    a 'i a sacca, das maiores qne ba : na rna larga
    do Rosario n. 50, taberna da esquina.
    Vende-se o engenho Jnndiahy, cinco letras
    \ \
    Casa de saude para escravos
    Recebe-se escravos para tratar de qualquer enfermidade ou fazer-se-lhe qualquer
    operaciio, p ra o que o annunciante julga-se sufieientemente habilitado.
    0 irat-imento o melhor possivel, tanto na parte alimentar, como na medica, e
    funcionando a casa ba mais de quatro annos, ha muitas pessoas'de cujo conceito se nao .
    P^.d.uvidar' ^e Pdeni ser consultados por aquelles que desejarem mandar seus Yggjft f^ra/ens de *"> a ma da Cadeia ^^ffs^^i'SifSS^w^
    ti vos, 20 bois e 20 bes tas; assim como divmos
    ; lotes de Ierra, propria para a cultura de algo,! e
    mandioca, e mais duas fazendas de g.idj m Pwmi-
    i gi e Cear-meirim, na mesma provinna. rui rt-
    das se effeciuaro a prasos, medianil- aaai iirms :
    : quem pretender dirija-so aquella provincia a ira-
    ' lar com FabricioA C
    doentes.
    Paga-se 2 por dia durante 60 dias e d'ahi era diante 1(5300.
    Asoperaces serD previamente ajustadas, se nao se quizerem sujeitar aos precos
    razoaveis que costuma pedirr o annunc'ante.
    .4 luga-se
    om silio na campia da Casa Forte, com duas ca-
    sas, urna a em que morn o fallecido Tbomaz de
    Aquioo Fonseca Jnior, feita a moderna, e conten-
    do todas as accommodacoes precisas, e outra com
    boas commodidades para qualquer fanul : na
    rna do Vigario n. 19, primeiro andar.
    O bacharel
    Francisco augusto da Cesta S
    ADVBfiADO J#\
    liua do Imperador numero 09. WC
    -r Alt'ga-se urna escrava cn'oula, moca, ada, **w ^**-" fJ^)HW
    com ajnilo leite, e muito carinlusa para criancas; i Na ra dos Pires o. Si ha para alogar-se
    quem 2 precisar dirija-se a roa Fonno.sa e. 17. > ama escrava para todo o servico.
    m
    Novidade.
    Sedenhos vegetal de quadriohos em perfeito es-
    tado fazenda mui propria para bailes e theatros
    pelo o ncrlvel preco de 600 rs. o covado, laazl-
    nhas dequadrinho escuro a 260 rs. o covado, ba-
    ldes de 20 a 2o arcos a 2jo00 aproveitem que
    pechincha : s na ra do Queimado n. 17 ao p
    da botica. Do-se amostras.
    Machinas para costurar obras finas.
    t alungas anos e brlojN<
    para incninos.
    Chegaram para a loja de miudezas da rna do
    , Queimado n. 69, os mais linos e lindos ralunras
    \ ende-se urna muito nova e que pelo seu ma- tanto para brinquedo de meninos romo para rima
    chlnismo se torna recommendavel : quem precisar' de mesa : na mesma loja se encontrar boas sor-
    dirija se a ra Nova c. 10, que achara com quem tmenlo de mindozsf.
    tratar._________
    - Vende se um preto crioulo, bem mojo : no
    pateo do Terco n. 141.
    Vinho do Porto superior em caiza de dnzia,
    tem para vender Antonio Luiz de OUveira Arr-ve-
    do & C, DO seu escriptorio rna da Cruz n. I.


    Diario de pcruaiubuco se&ta fcira ti le Julho de l&tt.
    i*in i.%%
    VECETAU
    1)0
    DK. AYER.
    NSo ba necessidade mais ge-
    Wral em todos os paizes do que a
    de un purgante que seja ao
    mesmo lempo innocente, eficaz
    e digno de toda a confianza.
    As pilulas que ora offerece-
    mos ao publico preencliem estas
    jcondices; pois pdem ser to-
    madas pelas pessoas mais iracas
    sem perigo algum, nao tendo em
    sua composicao mercurio nem
    outro ingrediente nocivo sau-
    de, mas sendo composto de a-
    gentes vegetaes mui fortes, sao bastante
    eificientes e activas para purificar os corpos
    mais robustos.
    Estas pilulas exploran e puriflcam toda
    a extenso do canal alimenticio, e do vigor
    a todas as partes do organismo, corrigindo
    sua accio viciada e fazendo recuperar sua
    vitalidade-
    Um remedio inestimavel contra dr de
    cabeca nervosa, enxaqueca, priso do ven-
    tre, hemorrhoidas, molestias do figadot fe-
    bre gaslro-hepatica, e todas as molesias,
    biliosas que teem sua origem no entorpeci-
    mento do ligado que causa a escassez da
    bilis na inflammacti d'esle orgo que pro-
    duz derramamento da bilis no estomago ou
    em um desarranjo geral dos orgos diges-
    tivos.
    A Ictericia
    produzida pela absorpfao da bilis no
    sangue, dando pelle e aos olhos urna cor
    amarelenta ; nao smente dolorosa por
    si, pormconduz aos mais serios soffrimen-
    tos.
    Para cura-la toma-se de 1 5 pilulas to-
    das as manhas, isto bastante para mover-
    o ventre smente al que se recupere a ac-
    co saa do systema.
    Mal do jigado, febrp gaslro-hepatica,
    diarrhen biliosa, indigesto, a nevralgia
    ou tic doulcureux, sao todas molestias que
    tem seu comeco n'um desarranjo da bilis.
    A observacao dos duelos da bilis faz esta
    vol er ao sangue, com que circula d>pois
    ven todo o corpo e causa estragos desas-
    trosos saude e produz urna serie innu-
    meravel de males.
    Todos estes incommodos sao curados com
    as pilulas do Dr. Ayer.
    Direcces minuciosas acompanham cada
    frasco.
    Vende-se na pharmacia franceza de.Mau-
    rer A- C, ra Nova n. 18.
    AGENCIA CENTRAL
    ir Rua Direila i."
    RIO DE .1 Al IIHO.
    Vende-se em Pernambuco:
    n.a pharmacia franceza de
    P.MARER & C.
    RUA NOVA N. 18.
    Grande liquidac-ao a diiikeiro.
    Ka loja eai-mazem do Pavo.
    Rua da liuperatriz u. GO de Ga-
    a A Silva.
    Os dones deste estabelecimenlo lem resolvido li-
    quidar soas fazendas por precos baratissimos, s
    rom o lim de apurar dinheiro, e previaem as pes-
    soas que negocian) em pequea escala rom fazen-
    das, que Desla ioja e armazem enconlraro um
    prande sortimento por precos que milito Ihes bao
    de agradar, tanto em pera" como a retalho, a sa-
    ber :
    Chitas largas a 200 rs.
    Vendem-se chitas francezas, listradas muito lar-
    gas, padrdes escurus, peto barato preco de '200 rs.
    o covado, tendo muilo bom panno ; ditas escuras
    pedrSes novos, por serem todas escossezas e cor
    h'xa a 240 rs. o covado ; ditas miudinbas escuras
    e claras a 240rs,amaneando se que esta azenda
    nao tem o niais pequeo loque de mofo, nem outro
    qualqner defeilo. Isto s o Pavo, na rua da Im-
    peratriz n. COde Gama & Sdva.
    Esparlilhos, na loja do Pavo.
    Vende-se um bonito sortimento de esparthos
    proprios para senboras, sendo dos mais modernos
    e bem feitos que tem vindo ao mercado, tendo de
    todos os tamanhos e de diversos precos trazendo to-
    das as competentes fitas para apertar. Isto s na
    loja do Pavao, rua da Imperatnz n, CO de Gama
    t Silva.
    GRANDE
    <
    -3
    o
    Q

    Pecbiiicha
    DE
    Vndese a melade da casa terrea n. 31 da
    rua do liom Jess das Criolitas (hoje rua dos
    Quarteis) por mdico preco : na rua larga do Ro-
    sario n. 17.______
    Vende-se ou
    alupa-se um sitio
    Velha, com grauJe casa para familia
    na Capunga
    quem pre-
    tender dirija'se Capunga Nova, rasa junto do
    theatro, a tratar com a viuva do fcr. JuSo Evange-
    lista W.IIIAIIE
    A \$ 1 *oo C i.0O.
    Ceques de osso, ultimo gosto, a 1-5.
    Ceroulas de meta a 15200.
    Diitas muito finas a 15500.
    S na rua da Cadeia do Recife n.5____
    acabar.
    Para
    Rakies de 20, 30 e 33 arcos de ac a3#, 35300 e
    44003 : na luja do I'aseio Publico n. 7.
    Fio de algodo da Kahia.
    Vendefse noeseripiorio de Antonio Luiz de Oli-
    vis-a Azevedo A C, rua da Cruz n. I.
    Farinha de mandioca : tem para vender Au
    tonio Luiz de Olrveira Azevedc & C., no seu es-
    'criptorio rua da Cruz u. 1.
    Vende-se um carro de carregar gneros da
    alfaodega, com uso, e todos os pertenoes de outro
    igual, tudo por preco muito cotnmodo : a tratar
    no pateo de S. Pedro n. 4.
    Lazinhas a 320.
    Lazinhas a 320.
    Laziuhas a 320.
    __ Cbegaram para a loja do Pavo as mais bonitas
    lazinhas suissas de quadrinhos e listrazinhas a
    imitacao de sedas por terern muito lustro, sendo os
    padres mais modernos que tem vindo ao mercado
    e muito levezinhas, vendendo-se pelo barato prego
    de 320 rs. o covado, sendo fazenda que sempre se
    vendeu por 640 rs. Liquida-se por este barato'
    prego na loja e armazeni do Pavao, na rua da lm-1
    peratriz n. 60, de Gama & Silva.
    Lencinhos para roo a 240 rs.. na loja
    do Pavo.
    Vendem-se finissimos lencos brancos com duas
    cercaduras, sendo urna de cordao e outra de eores
    matizadas, muito finos, a imitacao de linho, pelo
    barato prego de 25800 a duzia, ou 240 rs. cada
    um : isto s na loja e armazam do Pavo, na rua
    da Imperatriz n 60, de Gama A Silva.
    Lazinhas a 300 rs.
    Lazinhas a 300 rs.
    Lazinhas a 300 rs.
    Vende-se um bonito soriimenlo de lazinhas pro-
    prias para vestidos e snutemr arques por serem li-
    sas e de quadrinhos pelo barato prego de 300 rs. o
    covado, sendo fazenda que sempre se vendeu a
    500 rs. o covado, e vende-se a dinheiro a vista pe-
    lo baratissimo prego de 300 rs. o covado : na loja
    do Pavo rua da Imperatriz n. 60 de Gama &
    Silva.
    Pelerinas a i 600.
    Vendem-se as mais ricas pelerinas ou romeiras
    de eambraia bordadas proprias para hombros de
    senhora pelo baratissimo prego de IfiGOO : na rua
    da Imperatriz n. 60, loja de Gama & Silva.
    Organdy a 240 rs. o covado.
    na leja do Pavo.
    Vendem-se as mais bonitas cassas organdys, pa-
    dres miudos e grandes, pelo baratissimo prego de
    240 rs. o covado (doze vinlens), esta pechincha
    acaba-se logo : na loja do Pavo rua da Impera-
    triz n. 60, de Cama & Silva.
    BRETANHA DE ROLO A 35000.
    SladapoIO eufestado a 3000.
    Na loja do Pavo.
    Vendem-se pegas de bretanha de rolo com 10
    varas a 35, ditas de madnpotao enfestado 3520",
    35500 e 45 : na loja do Pavao, rua da Imperatriz
    n. 60, de Gama & Silva.
    Madapoiao com loque de mofe a (iS 100 e '6
    Vendem-se superiores pegas de madapoiao, ga-
    rantindo-se 20 varas em cada urna, pelo baratissi-
    mo prego de 65400 e 75 por terem um pequeo
    : toque de mofo que nada val, e pegas de algodo a
    45 : na loja do Pavo, rua da Imperatriz n. 60, de
    Gama A- Silva.
    Cortes de casemiras a 2o00 e 3$
    Vendem-se cortes de casemira de urna s cor a
    25500, ditas de quadrinhos a 35 :pa loja do Pa-
    vo, rua da imperatriz n. GO, de Gama A Silva.
    Chales a 25000
    Vendera-se chales de merm a 25, 25-506, 55 e
    65 na loja du Pavo. rua da Impt rairiz 11. CO, de
    Gama & Silva.
    Lazidlias a 220 rs., p.a loja do Pava*'
    UAltATOK
    Vendem-se em duzias e a reulho, sabone- v|,,r/' *" '**fra
    tes aromticos e por precos commod is; na
    Tasso irisaos
    Vcudera 110 M hhMI ic t
    LL-or fino Curac', en iu.ij- 1 ir.i-ia- I
    Licores linos S;>i ti'l -' 1 M garrafal OMI ':'ii -V
    Sanli 1
    I?:--.;. I
    llerini:.^; -.
    Rorgnii'
    Champa^. :
    V::-;:i|...
    Reino.
    Burdeai .
    Cl:r" .
    Od TD.
    AifitePlarnio.
    O -,
    I O vi 3 H
    2
    AZEVEDO FLORES
    Rua da Cadeia do He rife, esquina da Uire de Deus.
    BALOES
    Bales de arcos 3^000.
    Baloes com o primeiro arco grosso de 20, 25 e 30 arcos, a vista so far preco.
    BalOes de arcos e de pai.no para meninas de 2 a 12 annos a 2$ e 20500,
    Chapeos de s< l.
    Chapeos de sol de seda com 12 asteas 8$.
    Ditos maiores com 16 asteas 12$.
    Camisas.
    Camisinhas para senhora a 3(J.
    Camisas brancas para homem e com peitode cor a 1800 cada urna.
    Camisas com pregas largas muito superiores a 2500.
    Camisas de linho a 2#800 e 3#5 ^0.
    Camisas de iinho inglezas a 40, sao muito superiores.
    Camisas de llanella de cores muilo finas a 40.
    Cami as de meia superiores, 1 carlo com 6 camisas 100.
    Chitas.
    Chitas largas a 240 o 280.
    Chitas largas escuras finas a 320 rs.
    Chitas preclaras superiores a 440 e 500 rs.
    Chitas estreitas a 200 rs. o covado.
    Madapoles.
    Madapoiao muito fino a 80 e mais in'erior a 60, estes precos 20 menos que o
    valor real da fazenda, quem duvidar ven ha ver, ha muitas outras qualidades de mada-
    poloes, assim como o superior madapolo francez para camisas e saias de senboras.
    Meias.
    Superiores meias cruas para homem.
    Meias pretas e brancas para senhoras.
    Ceronlas.
    Superiores ceroulas de linho o melhor que ha.
    Ditas de brim de Hamburgo feitas na trra.
    Ditas de e^guiao de algodo a 10600.
    Paletois.
    Paletots saceos de casemira.
    dem le brim pardo e brancos muito finos.
    dem de alpaka branca muito superior a 50.
    dem de alpaka preta a 40.
    Cateas.
    Calcas de brim branco a 70, 6#, 50 e 40.
    dem de casemira de cores a 7?> 80 e 100.
    Colletes.
    Colletes brancos a 20500 e 30,
    dem de casemiras de cores e pretas a 40 e 50.
    Vestidos a Mara Pa.
    Ricos vestidos de laa com barras modernas e os mais finos que pode baver a 200.
    Vestidos do mesmo gosto. porm mais simples 120 e 14.
    Nacos de vlagem a .".
    Por estes precos s vende Azevedo & Flores na loja do
    rua do Queimado loja d'Aguia Branca n. 8.
    Agua Hoilde
    para tingir cabellos.
    Alm do chromacomo, adia-se mais a a-
    gua Hoilde, preparadlo Ingleza para tmgir
    os cabellos, i s prelendentes compare<;.am a:
    rua do Queimado, loja d'Aguia Branca n. 8.
    hnitas caixiHhas
    com perfumaras.
    A Aguia Branca na rua do Queimado-n.
    8, receben um novo sortimento de perfil-.
    marias das excedentes qualidades j bem co- i ^ ol-j?* -g-l'I
    onecidas, vindo no mesmo bonijas caixinhas, | E.g' | s f .3-".'
    de madeira invernisada, e outras de vidro,
    todas eum finas perfumirias, e mu: pro-:
    prias para prsenles, as quaes sito vendidas'
    por presos cumiuodos, na loja d'Aguia Bran-'
    ca rua do Queimado n. 8.
    Toucas de fil en fe i
    tudas
    a 50:) rs. cada urna.
    Vend- in-se na rua do Queimado, loja da j
    Aguia Branca n. 8.
    Espelhos dourados
    A Agua Branca, recebeu novamente umj
    grande sortimento de espelhos de differen-
    .s1fI1
    S* 5 E ?L p
    I
    1
    2.

    ?!
    1
    n
    13
    I
    B
    C.
    8
    o. a.
    Prelo a 4
    VeBd barate treco de > : rua da Madre de Dos nu-
    mero* -5 e 9.______________________________
    Vende-se cerca de 800 palmos de terreno en-
    tre a estrada qne-vai ao PumLal e primeira ponte
    da estrada de Olinda : a tratar com o olicilador
    Manoel 'Luiz da Vei^a, rua da Gloria n. 91.
    Vwide-si! nm escravode nacao, moco, sadio,
    acostuinado ao servico de casa e rua : a fallar
    com Josa Mara Swe, na ilha dos flatos, rua do
    Seve, ca>a n. 10.
    cor e de quadrinhos propriK cara
    iiiaiM!
    k amiga e bem conhecida loja e miudeza a I
    rua do Queimado n. 16, aoha de ser nm-amente I
    prvida de diferentes miudcsas, novas e finas per-
    fumaras inglezas e francezas, luvas de Joovin, en-
    fe*3S para senharas e outros muitus di-versos arti-
    go*, que com prudencia usisudez serao patentes ao
    comprador, a t;uem isso, e a repularidade dos pre-
    Vendem-se lazinhas transparentes de urna s i eos nao ser udifferenle para continuar com a sua
    vestidos de se- no freguezia.
    a 300 rs.: na loja do Pavao, rua da Imperatriz n.
    60, de Gama & Silva.
    Corles granadinos a 120
    Vendem-se os mais ricos corles de fazenda de
    rnuita phantazia por ser transparentes e tecldos
    com seda, tendo cada corle 22 covados, pelo dimi-
    nuto preco de 12c : nica mate na loja e arma-
    zem do Pavao, rua da Imperatriz n. 60, de Gama
    & Silva.
    Bornouts de renda na ioja do Pavo
    Chegaram os mais ricos bornouts de renda e se
    veadem por baratissimos procos : na loja e acma-
    zem do Pavo, rua da Imperatriz n. 60, de Gama &
    Silva.
    Ilin*; chales pre 1 os de renda
    Chegou pelo ultimo vapor francez um grawle e
    variado sortimento dos mais ricos chales pretcs de
    renda, tanto de linho como de seda, tendo entre
    elies muitos de ponta redonda a emitaco de man-
    teletes e muitos com o centro de cor, e vene-se
    por pcecos muito em conta por terem sido manda-
    dos utr de conta propria pelos donos da loja do
    Pavo, rua da Imperatriz n. 60, -de Gama & Silva.
    Lazinhas lisas a 300 rs.
    Vendera-se as mais modernas lazinhas, tendo de
    todas as cores, pelo barato preco de 500 rs. o co-
    vado, tadaiana branca e de cores a $0o rs., fil liso
    i branco a 800 rs. a vara, cortes de lik brancos lisos
    ! a 61 : na loja do Pavo, rua da Imperatriz 11. 60,
    ! de Gama & Silva.
    ffa rua .Nova n. 47, loja de Justo de Almeida & chapm de ^ u ^^
    Tn' S eneoraadS' PrPnos Para im6-1 Vendenvse superiores caapeos dTsol de alpaca
    tir_o_ invern.______________________________ a 35300, dos de seda inglezes com 16 aspas a
    Vendem-se palmeiras iinperiaes, em estado i 125 : na loja do Pavo, rua da Imperatriz n. 60,
    de 6-irem transplantadas : no sitio murado es- de Gama & Silva.
    nhoras e meninas, pelo baratissimo proco de 220 ; A rfi0*0 i?Al'I (\(* 1TtlliA7)Q l
    rs. o covado, sendo fazenda que sempre se vendeu n-ivi}a LKJJd til IlIlU.U.CZaO Vende-se urna burra de ferro
    em perfeito estado e por commodo
    na rua do Apollo n. 20.
    grande
    prego :
    Semenles.
    Vendem-se sementes de hertalicas muito ovas
    KivciiMC m
    querva, depois do becea do Espinheiro, nos
    nietos.
    Ai-
    Lr UC4S, VIDROS E
    Lauuhas trastpareiites a 22M.
    Vendem-se .muito bonitas lazinhas transparen-
    tes com palmichas de seda a 320, ditas lisas e de
    i varias cores a 220 rs.: na loja do Pavo, rua da
    Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
    Corles de las matizadas.
    rua do Queimado n. 16.
    Nessa loja vende-se baratamente, alm de mui-
    tos mu mis objectos os segrales :
    Vallas de crj'stal, grandes e pequeas.
    Outras de diversas qualidades.
    Cruzes grandes de pedras falsas.
    Alfraetes de madreperola e outras qualidades.
    Brincos a balao.
    Cintos a (ravala.
    N. 16 rua do Queimado.
    Ponnas d'60, papel >.a auliga ioja de miudezas a rua do Queimado
    n. ';. acha-se ora bello sortimento de papel al-
    raasso greve liso e pautado, primeira e segunda
    sorte, dito de peso Uso, pautado e de quadrinhos, e
    de deferentes qualidades at a que se pode encon-
    trar de melhor, dito paquete, dito pequeo .em cai-
    xinhas, sendo liso, .pautado, de quadrinhos, beira
    dourada e tarjado de preto, tendo entre ellos al-
    guns qae trazem a eovelope na mesma folha, o que
    aqu inteiramente novo. Caitas de envelspes
    maiores e menores, e tarjados de preto. Peenas
    d'aco inf/ezas, caligraphicas e outras qualidades,
    luda.- dos afamados fabricantes Perres Ai '
    AI bas baratos na rua do Quei-
    mado t. 16.
    Vendem-se bonitos albuns para 12 retratas
    li-'iiHi, outros para 24 a .(KKi, e algocs maiores
    taaibem por Jjaratos precos.
    Luvas tie p lica a SOO rs. o par.
    Apezar de o serem antigs eslo um poaco
    mesciadas as luvas de )-clica preta e de cores, as
    quaes anda servem para a noite, e mesmo para
    montana, e vendem-se a 500 rs. o par na rua do
    Queimado n. 16, loja de miudezas.
    1.aIwiiitlos e bieos.
    Na loja de miudezas a rua do Queimado n. 16,
    vende-se bonitos Jahyrinthos e bieos das ilhas, lu-
    cidos em grade de Unha o que os torna fortes, e de
    les qualidades, sendo de mordura dourada,
    dita envernisada, oulrs de dita enrernisa-
    da com vivos dourados, tendo diversos ta-
    manhos, al grandes para salas, e bem as-
    sim outros de armaco com um e dous [ts,
    e outros com enconslo, todos os quaes se
    vendem i or precos commodos e dinheiro
    vista: na rua do Queimado, loja d'Aguia
    Branca n. 8.
    Bnm papel almasso
    paulado com 33 linhas.
    A Aguia Branca acaba de receber a sua
    encommenda desse bom papel almasso, liso
    e paulado com 33 linhas, assim como de
    peso, tambem superior e igualmente liso e
    pautado, cem coi a imperial, e sem ella, e
    outros pequeos conforme os cima, e pa-
    quete, tarjado de preto folha grande e pe-.
    quena, etc.
    Tambem recebeu envelopes correspon-
    dentes a lodos os tamanhos do papel, tanto
    brancos como tarjados.
    A commodidaile dos precos j de todos
    bem conhecida, tima vez que appareca di-
    nheiro : na rua do Queimado loja da Aguia,
    Branca n. 8.
    Esponjas finas para rosto
    Vendem-se na rua do Queimado, loja da
    Aguia Branca n. 8.
    Meias de cores
    [ara creancas de C a 12 mezes.
    Vendem-se na rua do Queimado, loja da
    Aguia Branca n. 8.
    Aspas fortes para baldo.
    Vendem-se na rna do Queimado, loja da
    Aguia Branca n. 8.
    hosphoros de segur anca
    caixas de 300 palitos a 160 cada urna.
    Vendem-se na rua do Queimado, loja da j
    ; Aguia Branca n. 8.
    Gol linhas e punhos
    bordadas para senhoras.
    A Aguia Branca da rua do Queimado n.:
    8, vende-se mui bonitas gollinhas e punbos'
    bordados para senhora.
    Dminos e risparas
    em caixas de madeira.
    A Aguia Branca na rua do Queimado n. 8,
    acaba de receber domines em bonitas cai-
    - vndele uma escr-va de 27 annos. bonita I *'nhas de madeira branca e envernisada, el
    figura por &00.por ter um pequeo defito : na visporas de caixinhas de papelo, e madeira
    rua do Gat casa nova. i envernisada, ludo conlina a ser vendido!
    Venae-se 40 palmus de terreno na rua da Por precos commodos e dinheiro avista.
    gS-Sg a_a|
    Sggg JS IS
    rrf o-S S-g" =-
    o a = -5 < S -" O ova
    g-Z.-g i" 2. 2 a
    Ha
    ?irf
    l
    m
    lie
    Di
    CONFEITOS
    DEPURATIVOS
    DoDrSERVAX, de Parir
    Pharmacevtio de 1* ciaste, ex-
    interno dos hospitatt. premiado
    com a medatho de bronz.
    j
    m
    Fumo da BaMa para
    charutos.
    Vende-se fumo superior de toda* as
    qualidades, a retalho e por atacado, e
    por precos commodos, no 'Recife, rua da
    Cacimba a. '1.
    Vendem-se
    machinas americanas de secrete para descarocar
    algodo : na ruada Senzala iva va n. 42.
    Concordia : a tratar na roa do Alecrim n tO,
    2 doras s o oosdias olis.
    das
    Grande xposielo de fa-
    z*nda&
    Lencos pequeos
    O os as D-3 o =r = a> 2
    ^rii'g.||ii2|s-i
    sl|lsfflf!!l?ifl-t
    Va v. t
    al
    ='2 g-"S 3
    a
    li-l
    B.S.S
    es
    Veodem-se bonttos corles de las matizadas, ten-,
    do IS covados cada corle, a 3JL ditos Mana Pia 1 "'una duracao, alem de que os novos e agrada veis
    A loja de loara da rua do Crespo n. 16 tem para a 6* e 8>: na loja do Pavo, rua da Imperatriz rennos, e a eommodldade dos precos concorrem
    vader luantidde de azulejos de lindas e variadas! D. 60 de Gama & Silva. Para a boa *&**#* relies, tanto mais quanto
    < ~ 9 M &- C
    S 3 B FS
    gaSc-
    o 1 a 2
    I *2
    f s
    a> -, O O.
    5
    o o.
    ill
    a. a>
    es
    a (t
    g
    g
    >
    COBM) assim eomo loucas de todas as qualidades,
    de >oni!as pintoras e gosto moderno, ricos appare-
    Ihof'e porcelanas brancas douradas e decores,
    vidros de todas as qualidades, inclusive finissimo
    ROUPA FEITA
    ROUPA FEITA
    ROPA FEITA.
    i-lles nunca sao despecessarios em casas de fami-
    lias, pelo que podem dirigir-se a rua do Queimado
    n. 16, loja de miudezas.
    Na loja do Pavo vende-se um grande sorlimen-1 Klll ( Ol ATImII TI 1 f\ ftn-
    ctirysuJ, dilicados jarros de chrysul e porcelana \ t0 de roupas feitas para homem, sendo calcas, pa- J u. J u, au
    para flores, ligaras e outros muitos obJecto6 de fi-1 letots e colletes, tanto de panno como de casemiras
    nissima porcelana denominada biscuito para en-; pretas e de eores ; deixa-se de mencionaros pre-
    feiles de mesas, etc., guarnigoes de flnissima por- eos para nao se tornar enfadonho o aonuncio,
    celana branca douradas e de cores para lavatorios aancando-se que o respeitavei publico achara um
    e toaietes, tudo do melhnr gosio, pinnas de louca e grande sortimento por baratissimos precos : na
    vasos para jardim, caodieiros de lamparioas para ioja e armazem do Pavao, rua da Imperatriz n.
    gaz, globos e ehamineis de vidro, hocraes e todos o, de Gama & Silva.
    os m.tis sobrecelentes para o* mesmos, gaz liquido -----b" Ka H a~T:I-----TT-------
    de superior qualidade, e muito* outros artigos que j rlCHC 00 gOZ C \ Cf'IllZ UO gZ.
    seria enfadonho mencionar, ludo por precos mu- Vende-se piche do gaz, verniz do gaz e estopa
    lissimos razoaveis. da trra : 00 armazem da bola amarella, no oito
    Vendase uma padaria em casa propria com
    todos os utencilos, 1 forno nevo e grande, I cy-
    lindrj americano i-m bom estado, 1 balo novo, a
    casa de taina un bom esiado, de tioas madeiras e
    da ecretaria da polica.
    Attencao.
    Vende-se o deposito da rua Nova n. 6', bem
    com bstanles commodos, eni ierras foreiras a S. afreguezado e bem sonido : a tratar na rua do Li-
    jse da Estrcma, lugar denominado Demarca- vramenlo n. 34.
    caomuito afreguezada, desmancha dus barricas pa|ta 5 vende-se por 600* por. rMM* Qt lOgO $
    de f.innia diariamente
    *eu dooo nao poder continuar por falta de saude
    a tratar na rua Direita n. 65, ioja de fazendas.
    para li-
    a groza
    quidar.
    Chegaram excellentes palitos de fogo e vende-
    Vonde-se ama cachorra ingleza, casta baixa,: se pelo baratissimo preco de 2 a groza: na rua
    tiga loja de miudezas.
    Essa loja j lio conhecida, renovou e melhoron
    o seu sortimento de perfumaras, onde os prelen-
    dentes podem encontrar de novoe bom.
    leos philocome, superfino e babosa.
    Danha fina em frascos e latas.
    Extractos finos inglezes e francezes.
    Agua da colonia e florida.
    Opiata e poz para den'es.
    Extracto de quinquina para ditos.
    Agua balsmica para ditos.
    Dita denlrifice para ditos.
    Leite virginal para tardas.
    Vinagre de Venus para refrescar e conservar
    lustre da cutis.
    Sabonetes camphorados inglezes.
    Dilos areienlos excellentes para mos.
    Outros tambem inglezes de diversas qualidades
    em caixinhas de tres e sollos.
    Albans com perfumaras._______________^^
    Farinha de muribeca fLia e alva, mais
    ;e ama cacnorra ingieza, casia oaixa, se piu u*iai.ssiuiuyievu ue a gnnm; ua ru harata nnp o veniU nn morcala um sar.
    muito rateira ; quem pretender dirija-^ a roa do ad Cadeia do Recife loja de ferragens o. 56 A, da 1 Daraia 1ue se venue n^ mercaao, em sac-
    Cordonli n. 7. Bastos. i eos: na rua do VigariQQ, 29.
    para meninos.
    A Aguia Branca, na rua do Queimado n. i
    i 8, recebeu um novo soriimenlo d'aquelles
    lencos brancos, pequeos e com barras de!
    det-GuSl" ^ ^-loendidos pelo commodo preco de 1*000 a
    LZIN'EAS A 240 Rs. I dnzia.
    LAZINWAS A 240 Rs. I I 1/p n -/n
    LAZINHA A 240 ti?. 1 I I M C US pieiS
    Ha um grande soriimenlo de lzinhas chinezas, i ^ |aja pararpadre
    chegadas pelo ultimo vapor, sendo fazenda que \rj^ ^ . a A _' 1 1 1
    qaaesfoer ioja vende m 40 rs., esta se vendendo, Vendem-se na rua do Queimado, loja da:
    na loja da Arara pelo diminuto preco de 240 rs.! Aguia Branca n. 8.
    o covado. .
    MABAPOLO COM 24 JARDAS A 4300 MI a S S S S? g o
    MADAPOLAO COM 24 iARDAS A 4io00 II I \ 3 & I "
    Vende-se madapoiao com 24 jardas e garantin-! S 8
    do se que tem 20 varas, pelo barato preco de
    4500. 55000, 63000 e 65O0.
    BRETASHA DE ROLO COM 10 VARAS
    A 2*800.
    Vende-se bretanha de rolo a 2,3800 a peca, so I
    lleudes Guimares.
    MADAPOLAO ENFESTADO A 3000, 350O
    E 400.
    MADAPOLAO ENFESTADO A 3*000, 3J500
    E 43OOO.
    Vende-se madapoiao enfestado pelo o barato
    preco de 33. 33500 e 43 a peca.
    COLCHAS DAMASCADAS DE FUS1O.
    Vende-se as mais modernas colchas de fusto,
    tendo de todas as cores a 53500, dilas grandes a
    630OO, ditas de damasco a 43000, ditas de chita a
    23-40 e 13900, isto s por a cabar, na loja e ar-
    mazem da Arara n. o, Mendes Guimares.
    CHITAS FRANCEZAS A 240, 260, 280 E 300 Rs.
    CHITAS FRANCEZAS A 240, 2*0, 280, 300 E
    320 Rs. O COVADO.
    CHITAS INGLEZAS A 200 E 220 Rs. O COVADO.
    Vende-se cambraias brancas desalpicos a 43500
    a peca, tambem ha um grande sortimento de eam-
    braia brancas qae se vendem a 33, 33500, 43,
    53. 63 e 73 a peca.
    CHALES DE MERINO A 2i000.
    Lencos de eambraia com barra de cores a 13800
    a duzia, ditos de dita branco a 23 e a 23100 a du-
    zia, e Mendes Guimares.
    CALQAS DE BRIM DE LINHO.
    Vende-se calcas de brim de linho a 33400,
    23600 e 43OOO, ditas de algodo a 23, s Mendes
    Guimares.
    Souian.l,arques de crts, vende-se moilo barato,
    ditos grosdenaple preto, capas pretas vista se
    far preco.
    PALITO'S DE ALPACA BRANCA A 43300.
    PALITO'S DE BRIM DE LINHO A 53000.
    Eotremeios transparentes a 800 rs. ditos tapado
    a 13, ditos pira babado a 13000 cada nma tira.
    ROUPAS FEITAS.
    ROUPAS FEITAS.
    ROUPAS FEITAS.
    Vendem-se um sortimento de roupas feilas de
    todas as qualidades, que a vista se far preco, e
    oatras muitas mais fazendas que se d>,ixam de
    annunciar, raa da Imperatriz p, 06, Meodes Gui-
    roares,
    Desde muilo lempo o poblkn
    abandonou o uso das preparar, o -
    intituladas depurativas conhecida*
    M>b o nome ilo Arrobes, Xarope-
    Cuja accao, maior parle das vexe
    nulla, e u'algums casos peri^osa.
    Os COHFEITOS DEPIHATHOSIOIO MM
    E O COSTO AGRADAREIS I COSTE SOI l
    PLQI F..10 VOLl'Mt SCISTAXCIASBUTO ACTI-
    VAS Ql E O SEO HODO DE PEPARAr 0 IOl!
    IXALTEftAVEIS.
    O urce* i"* irte ron -I 3*
    iriu>n uiiiiverHO esa r'ra-j j.
    ca sol o patrocinio das prinnp.ic-. |
    celebridades medicas, os poe acim "
    de todo quanto lem evislide aihe|
    boje.
    Cura rpida sem o socorro!
    de nenhtitn outro remedio in-
    terno, das escrophulas ,J ]
    herpes, affeccoes sypbi-, ;
    liticas hypertrophia3 \
    dos tessldos celulares, jj
    hydropisian c em geral ti
    todas as molestias produzidas H
    pela alteracao do sangue ; tal \
    o resultado que queriarao*
    conseguir e que temos sem-
    pre ubi ido.
    Urna explicacao accoMpaha ca vidro.
    Desconlii-e. das btcibcafocset i
    tacocs.
    Para as encomtndat dirigir-*
    Swei. iDii-loi BT C1', 18, B'Pri>ue\ |
    Engine, Parit.
    Appn>v.d4C ^. 1 s u .:.
    Kfsnlla |n-s ,!.:.. : \o>, f ,
    iciileiiiia mi I8JO t ca -..x. auc H ;-'. Vi.' V- -
    Gi.i.s e CO.VT u o n l:.or t im eSkai .
    ferruginoso para curara .-Morosis (alias fnor-albe>!, m
    Huios brancas, a fraqueza de coapleiiio nos aaaa
    sexos, e lainbem para ajeriar a m::Struacio da.- .uo^as.
    Estas Gra|ras nio slo tendidas senio em (aWatH
    ou y ni ros cobertos com rotalo e fechado* coa ana (nra
    levando a firma do depositario geral : LABEL*!VTB,
    eharmaceulico, rua Bourbon-ViUtnrm*, 19. Pir.
    Deposito geral em PeroambLct na >
    Cruz 0.22 em casa de Caros & Harboi*
    GRANDE
    "O
    2 S.S
    SFef
    01
    5"
    8
    o.
    w 5
    3"
    p
    5
    C
    -
    c

    >
    c
    o
    3
    UOLIhDOS
    Pharol do cominera' >
    Rua do Euiiicrel d. 7o.
    0 proprielario de?lee>ul>-!erimenlo u-m a
    rade avisar aos sea* kMBrsn qor fea orna Wtk>
    de reduifao nos pVrfM t sen? geurr- s ti prinn-i-
    ra qoalidade : man ica ingleza I? e l3> rs. a
    librada uMinia chegadi ao nos'o BVfOkV,dito
    franceza a 900 r?. e em barril e fcq afcalementv.
    ; queijos tlainengos no?os a 25-100, diM praro e ipe
    se pode des-jar em bondade a HW; m libra.
    ameixas franceza i-aixinbas a tHv, 1+5091
    i800, Irascos de ditas l^iOO.graatVs.^pr.srios
    para mimos, mar melada da- pnrliM-r... Marras a
    640 rs. a libra, ani
    de S. Jo a 640 rs., violto du Porl-i 640 e ?A>r*
    a garrafa, Fipueira e Lisboa 400,450 r 500 rs., *
    em caada se faz o ibMtateaJ, raisa.a de bataus
    com S arrobas por 3500 e a libra 80 r. tovas.
    cafe ! .-orle 7*800 e 7iu0 e a libra a 240 19
    nolaehinha ingle?a a 2ti0 rs. a libra. io*icirh <^
    L>boa a 360 rs a libra, velas de raritab 4W
    rs., ditas estearinas Tinas a 6tM rs., pre-acto ~ie-
    das seis portas em frente do Li-lW*a 60 '*>*li'?,i* -3500" *-"
    * I a libra, pamco a 4,5 a dita < 110 rs. a dita, raa >
    vro menta no a 24500. u~w <-o. t*u* <*, -ou
    Vendem-se chitas francezas escuras e noos pan- i6i? a ft Bom,na ? ,00,r? 3 " Sf -r-
    nos a 240, 260 e 280 o covado, cassa franceza de r,,ba- wllinhu* MtmMi de 2 libras a :&.'*>.
    cores finas a 240 o covado, nreanha de rolo a IdlVos dc M)da r"Je> "*WW <**" * *
    2*400 a peca, cortes de casemira de cor escara a ro* Qne **> u enfadoono airan r-r. O mn*m-
    ii, baloes de arcos a 35, 3*500 e 4*. e muitas i^'o espera a concurrencia do res^iuvr. ^aja.
    Loja
    outras fezeddas por baratissimos precos. e de tudo
    se dio amostras; eambraia para forro a 34000 a
    peca
    paranlindo a ciaciidao do qot traiar
    - Vende-se nm esclavo oocofM ja fcitTi-
    penho : a traiar na raa do Vondego. o'nia a. i-
    -




    \
    Diarfo < Vrnambmo scuta feita i de 9nIho de iSO*
    GNEROS BARATOS A DINHEIRO
    NOS
    .S fin.i mi
    H0LH.D0&
    c.
    genios
    Batea do C*nhq 11.9 anuuzeai Progresivo roa d Quciuiado d. 7 s
    Uniio e Goiftiaercio ra do Imperador a, 40,
    ri-iiicipal arnrazem de motilados.
    O PROraiETARIOiS.
    Fazera sciente ao respeitavel publico, e com espeeialidade aos senhores de en-
    , Uvradocse nnis possoas- do- centro, que para mais facilitar suas coaapras deli-
    boraram os proprieiarios dos tros granitos armazens, reunir todos os seus estabeleci-
    montos c:n um so .inmincio, pelo qual o preco de u:a ser de lodos, proinette-
    inos jae nao mfringfremoa a- tabella que abaixo v,i pub'icauV, a-nunciar os ge .eros1
    por un prego, e na oceasiSo da compra quererem por outro, pomo socado constante-
    lrtite e.n oulras militas casas, poroto nos nossos ostibelecimentos nao se dar islo
    ainli mosnio coia arejiab nossOj qtalquer pessoa p i lera nindar seus fmulos que;
    se ) ti:n oin sorvi-los como viessetn pssoalmente fazendo-nos o favo d.j mandar seus
    pedidos em cartas feiadas; para evitar qualquer engaos, remetiendo ns urna conta|
    pela qual se ver os ppeos tal qual annanoiarmtWj o que sanao arrependor pe'ssoa-'
    Uguma que Gzer sua despenda emmossos estabelecinaeatos^ pois poupar mais de I
    pur cento na sua despeza liara.
    Mantenga ingleza perfeitamenle florchega la dem com i a 5 ditas a 3?200.
    nifimamrnic no vapor Saladira, e {$ dem vasios de todos os tamanhos a 2'000,
    a 1^120 a libra e em barril lera abat- 1/500, 800 e 01(1 rs.
    menl -. Queijos d -2$300 a .SSOO os mas frescos.
    Ubm t'ia!i'\!.a muilo nova a 1$ a-Tibia, e Vinagre puro de Lisboa a 230 a garrafa o
    i'n barril lera abatnenlo. 23000' a caada.
    Baofia de porco reinaJa a ||0 a libra $ em dem mais baixo a -200 rs. a garrafa e I400
    barril tari abatimento. a caada.
    CH ai\m de superior qduRdade a- 2J800. Azelte Hoce de Lisbta rauito fino a G09 rs.
    Ida peruta iniud'mbo-a i^'OO a garrafa e l$8O0 a ornada,
    dem uys m especial jualidade de "2^300 a Toucinbo de Lisboa novo e muito alto a 400
    2-j'iO)a libra. a libra, e em barril de 5 arrobas a
    IdJft reto muilo espacial $ -!>' 'OO^-e igiOO 105500 a arroba.
    a liBra. Cerveja a Largo da Santai
    Cruz n. 84, es-|
    puna da ra doS
    Sebo.
    18*1
    O novi. ,
    rara Brilhante
    Ase
    Xaah
    7*
    k
    Largo da Santal /{%
    gCruz n. 84, es-^T
    oja muito acreditado arraazera de molhad'os denominado lu-
    de primeira qualidade.
    comas aos portadores.
    GOMMA NOVA.
    Em paneiro muito alva a 4,ooo rs. a arroba e 16o rs. libra
    do de um paneiro para cima se far batimento na ra do Imperador n
    . SV
    e ch
    prr-
    40.
    t
    o
    5ua3ttirt!3 mes!?0 sortimonl0 de Seeros d
    ,Mn,rLf t '"dos e ,,ase Para aJuste Je >
    ^%X5XXfc$*barat0 e raelbres ao "u- -
    'iua.noihemieun WnS^r1 raes,mo pori]Ue seu dono h d,,:ieJa lirar dimiQal
    V o ifrspV^^^ por isfo_deixe
    i I
    Mogrande Mrtmeni?*^'^^*b*l*to e melnres ao 1"? a Aurora Brilhante, ja'
    1 Untes fre(faezesSpne,ar ha de fazer t0^a a ^l|bD5SS de servir bern"osVeus cons-
    Laa7S8 'braS dechoar5as muito novas,
    lulaM? CT/^ixe e" Postanielras
    uUUn 12 (ual.dades, a 1000, 1^80e
    Dgtje?rra^VseXRe,,enIepelSCParafri-
    m'eoinrlviSK611^^'3720"-
    Ditascomameisasa |Jfl)0,
    urnas com mai-nielada do afamado
    Abren, a 720 rs.
    dem do Rio em latas de ijOOO e a 800 a
    libra.
    Latas con biscouto de tedas as quaiidades
    a 1^-00.
    Id 'ii da creditada fabrica de Bialo Antonio
    (,Li>bo-) proprias para dar a doeotes a
    i o 35 a 'ala.
    Wa\in'ia ifigleza muito nota a 3)5300 a bar-
    i a e a 240 rs. a libra.
    La se im bofaafoha de oda eoval a 3.
    Presunto inglez para fiambre chegado no
    m vap r a S 0 rs. a libra,
    s e paios muito djvos a 900 rs.
    rubra
    ... i .i ivioarri t Ibarim muilo novo a
    i e '>') a libra
    i rica e amarella a 500 a libra.
    i'I- trtuguez de especial qualidade a
    i a libra.
    id .i sso de S.'Oa 15 03 a libra.
    . es atiba! verdi loiri) a 1O0O a libra
    :'i ven I imos a I UOO.
    6^500 a duzia e 040 a garrafa.
    dem Bass do fabricante T. F. Ashe a G5000
    a duzia e 560 a garrafa,
    dem marca II Victoria .Vlsope e outras
    militas marcas a 3.5 a duzia e 300 rs. a
    garrafa.
    Sabao priqxeica qualidade a 220 rs. a libra
    e 2tu em caxa.
    dem segunda qualidade a 200 rs. a libra e
    180 rs em caisa.
    SabSo ingle/, superior a 180 rs. a libra e
    lii" rs. em raixa.
    G;if' primeira e segunda sorte a 7,5000,
    74500 e 85 a arroba, e de 240 a 280 rs.
    a libra.
    Arroz do Maraivaao 3^200 a arroba e 100
    rs.:; libra.
    dem di India a 25600, 2.5800 e 100 rs. a
    libra.
    Cbarutos Normas de llavana a 5,5300 a ca-
    xa, de Simas (Jus Furlado).
    fabricante
    iDitascom masade tomate, a 300 rs.
    1 Se02D3SdeC;nadre' novos' a W
    iDl23000n bola(:hinha de soda muito novas, a
    )ftSBttxrmTm de rauitasqua'
    ' . Chacalate.
    Urxinttas com ameixas. enfeitadas proprias
    mimo a 1#200,1*800 e 3>200.
    muito novo, a libra de
    Vinho verde superior.
    A caada a 3000 e a garrafa a 400 rs.
    Gomma.
    Saccas de 4 arrobas, a verdadeira de se
    en?ommar, a arroba a 3^000 e a libra
    120 rs.
    Sabao raassa, a libra a 200, 240 e 280 rs.
    Faritiha.
    13800 e 35300. Saccasgrandes com farinha .le Goianna mui- -*
    to nova, a 3^000.
    Caf.
    Cafdo Rio muito superior, a arroba a 85, %
    85300 e 95000. <3p
    Gh.temos uestes freneros o melhor possivel,
    hyson, a libra a 2500. ^v
    Dito parola a 33000. A,
    Dito uxim a 25700. (H
    Dito hyson muito fino a 25800. '-UJ
    : 1 asea de guiaba em caixoes de 4 e dem Lundrinos a 53, dem.
    i ; 1 ras seguro a 109)00,
    e -i eaioe> pequeos a 700 rs e de
    1 para cima a PI.
    icco mu bocetas ricamente enfiladas,,
    conteodo pera, pesgo, amoixa, painba.
    -: oulras f ulas a 3jl000 cada urna.
    a em calda e.n la:as feixadas hermelica-
    te muo bem enfeitadas, conteodo,
    pera, peego, ameisas e outras fruas a
    640 o 7)0 a lata, tambera temos latas
    jrandesa I -200.
    j la la dos meioies fabricantes, em la-
    le 5000 a I ^2;.
    . em : : is de I l[2 libra a 15.
    a em atas .le 1 libra a i>40 rs.
    Ervilhas em latas ebegadas nesle ultimo va-
    por a 700 e de 5 para cima a610 rs.
    Feijao verde 011 cajrrapalo em latas j pre-
    parado a 640 rs.
    '. ..xas ;n frascos de vidro a 15500.
    n dn ..aLxinbas ricamente enfeitadas de
    " !00a 5300.
    Conservas Muxide muito novas a 700 rs, o
    irasco.
    Ibo ir
    e ceblas simples a 700 rs.
    glez a 640 rs. o frasco cora rolba
    de vi Iro.
    'ostarda em p a 700 rs. o frasco,
    .i. j preparada a320rs.
    com massa de tomate de 1 libra
    500 rs.
    11 m em latas de 1 1|2 libra a 900 rs.
    Vi. boscm garrafas vindos do Porto, Madei-
    ra Secca, Duque do Porto, Duque Semi-
    no, Cascaradas, Mara Pa, D. Laiz, Pe-
    dro V, Velbo Secco, Lagrimas Doces, La-
    grimas do Douro, e outras muitas marcas
    a 13 a garrafa e d$ a 123 a duzia.
    dem Palmeila a IS a garrafa e 115000 a
    d uzia.
    ideal em pipa de todas as marcas Porto,
    Figueira e Lisboa a 4C0 e 500 rs. a gar-
    rafa e 2>800 a 35500 a caada.
    ' le n em ancorelas e 8 a 9 caadas com su-
    perior vinho Lisboa e Figueira a 243 a
    ancoreta.
    dem branco expecial qualidade proprio para
    misa a 300 rs. a garrafa e 45 a caada
    dem mais baixo a 400 rs a garrafa e 35U0
    a caada.
    dem do ?orto especial qudidade a 800 rs.
    a garrafa e 35500 a cenada.
    Id m B rdeaux em caixas a/je 700 rs. a
    garrafa.
    Champeaba a meliior do mercado vnda de
    tiossa encominenda a 303 ogigo.
    dem mais baixa de 183 a 20$ e 13300 e
    33 a garrafa.
    Licores portuguezes e francezes a 13000 e
    $500 a garrafa.
    '.11 asquino de Zara, verdadeiro a 13500 a
    gari afa.
    . lem mais abaixo a 800 rs. a garrafa.
    Seoebra de laranja ver adeira a 113 a du-
    zia e I3o frasco.
    dem de Hollanda verdadeira a 63 a fras-
    queira e ti1'O o frasco,
    dem de Hambur0o a 53500 a frasqueir.
    I Jem om botigas d, Hullanda a 400 e 440
    rs. o fr .seo.
    Gai ralbes com genebra de Hollanda com 24
    garrafas a 83, com garrafao.
    llera com 14a !3 garrafas a 63.
    dem Parasienses a 45300,
    dem Delicias a 15300.
    Idiin Traviata do Uio a 3)300.
    dem varetas de Manuel Peixoto da Silva
    Netto a 33300 e 15 O) a meia caixa.
    !dem suspiros do mesmo fabricante a 13300
    a meia caixa e 35200 a caixa.
    dem mece lipes a l$7u0 a meia caixa e
    33000 a caixi do mesmo fabricante,
    dem orientaos do mesmo a 13800 a meia
    caixa e 35100 a caixa.
    Mein jovens de Castanho A Fllho a 25400
    a caixa.
    1 den suspiros do m?smo a 13 03 a meia
    caixa, e outras m litas mareas de fabrican-
    tes.
    Passas muito novas a 15300 o quarto e 3-1
    a caixa de u.na arroba bespanhola e 320
    a libra.
    Yrmale bebida para abrir a disposico de
    comer 13-300 a garrafa e U5009 a
    caixa.
    e 140
    Chocolate superior
    1 880 a 1500O.
    MTYoor'alhanara e aletria a!narL'llali^a
    Dito dito dita branca, a libra a 400 rs.
    Caixas com estrellaba, pevid, e outras fui
    >as, a cana 33300.
    Uitas diiaem hbras a 640 rs.
    Sasii, a libra a 300 rs.
    I^evafinha para sopa abra, a 240 rs.
    krvilhas seccas, a libra a 160 rs.
    juilas descascadas, a libra a 200 rs.
    Tapioca mino nova, a libra a 380 rs.
    'rannha de ar*rula verdadeira, a
    ' oOO rs.
    AlT2?J0 iIar;"ihao, emsacco,
    25400 e a libra a 80 rs.
    .Ditoda India e Java
    ) bra a 100 rs.
    Dito redondo a 23300.
    libra a 1
    a arroba a
    arro-

    Dito preto de primeira qualidade a 25300. y'M
    Dilo mais baixo a 25000 e 15600.
    Erva male. A
    Excellente cha mediciual. a libra a 240 rs. ^SJ
    O maso com 6 vellas de espermacete a 600,
    6i0e720rs. *f
    Passas.
    Caixas de 16 e 8 libras de passas novas pro-
    prias para miraos a 45 e 25500.
    Xozes. rft)
    Nozes, a libra 160 rs. e arroba a 45000.
    \!pis!a e painco.
    Alpista e painco, a arroba 45000 e a libra a >
    160 rs.
    Cartas. W
    , a arroba a 35-'00 e a ti- Cartas doas para ;ogar, a duzia a 25300.
    1 1 J1111111C
    T 'a'hh Lib0a 3 9*30 a arroba e a 3"' Castanhas novas viudas nes'te vapor,
    Di^Sants.aarroba^ealibraaj ^.J"*^
    Molhos com 133 ceblas grandes a J280 IBarris com azeitonas nov'as a 1^d0
    ^'aa3 fraace*a, caixa com' 2 duzias a I Hanteiga.
    7-5000. Manleipa superior, a libra a 15:280.
    Fras,fos com mostarda preparadaem vinagre,. Dita mais abaixo a 15200.
    a tOO rs. j Dita menos superior a 15.
    Ditos con conservas inglezas e fraocezas, a i r>ita franceza nova, a libra a 8%
    tO e 800 rs. Da dita era barris e meios ditos, a libra
    Ditos com sal refinado fino, a 640 e a 300 rs.' 830 rs.
    lionrt11 a verdaJe'ra 'enebra du laranja, a Dita para tempero a 400 rs.
    Queijos.
    Qoeiiat novos
    33000.
    Ditos londrinos muito novos, a
    15000.
    Papel.
    Papel atmaco pautado, a resma a 48*00.
    Dito dito I izo de liuho, a resma a 45-300.
    Dito de peso lizo e jautado, a resma
    25300.
    Dito deerabrulho, bom a 15 e 15200.
    PRESOS msmiJL l STOH
    {> -Hta .X'Q
    GREGORIO PAES DO AMARAL & C.
    RECEBERAM
    Alpacas de quadros enfestadas de cores escuras, o corado
    540 rs!
    ALPACAS ESCOCEZAS
    df1oomresV3entS' COm 1StaS de scda' fazenda en^d. de daas largara, o ce*
    HERNN!
    fazenda de lmho e seda transparente, pura phantasia,
    peio barato preco de 13 o covado!
    POf
    cada chale de fil preto (guipure)
    propria para vestidos di
    9S0OO
    28 QOO
    SEDAS
    1|000.
    Ditos de2 garrafas de Hollanda verdadeira,a
    040 rs.
    Butijas cora dita propria para negocio, a
    J 400 rs.
    sJGarrafoes cora 2 galoes com dita, a 65.

    Qfb Serveja boa, marca, a 300 rs. a garrafa, e a
    x 3 duzia a 6j000.
    "V'Vinho scate! deSelabal, a garrafa a 15.
    vinlos neste vapor a 258OO e._
    libra
    w
    a AL
    Alpista muito novo a 33800 arroba
    a libra. *
    Painco a 4-5000 arroba e 140 a libra.
    Peiie em latas j preparado a 13200 a lata
    e em porcao 13OO.
    Sardinhas de Nantes a 400 a lata.
    Tijollo para limpar fac:s a 100 rs.
    Esparraacete a GOO a libra e em caixa a
    580.
    Vellas de carnauba a 12 e 10^000 a arroba
    e 3G0 a 440 rs a libra.
    Azeitonas de Lisboa muito novas em anco-
    retas grandes a 13800 e a iOO rs. a gar-
    rafa.
    Balaios do Porto muito grandes proprios
    para guardar roupa suja a 23300, 33000
    e 43000
    Batatas em gigos de 31 libras muito novas a
    800, eaiOrs. a libra.
    Gomma em paneiros a 43000 arroba e 140
    a libra.
    Faritida do Maranho muito alva e nova a
    240 a libra.
    Sjvadinha de Franca para sopa a 200 a li-
    bra.
    Sevada muito nova a 140 a libra e 43000
    arroba.
    Caixas com eslrelinha, rodioha e pevde a
    400 a libra. |
    Alhos em canastras muito novos e mauncas
    grandes a 18O e 200 rs. cada urna.
    Canella muito nova a 13000.
    Cravo muito novo a 500.
    Cominho idema 320.
    Ervadoce i iem a 400.
    Alfazema flor a 240.
    Amendoas a 400 a libra.
    Xozes muito novos a 160 a libra.
    Papel greve a 43200 a resma,
    dem lizo a 43000.
    dem de pezo a 33000.
    dem de embrtilho marca grande a 13200 e
    13300.
    dem azul para botica a 23000.
    Copos lapidados a 53500 e 500 cada um.
    Palitos de denles, magos grandes a 120 ,'e
    16u cada um.
    Fumo americano de chapa, Je superior
    qualidade a 13300 a libra, em porco lera
    abatiraento.
    Marrasqnmho verdadeiro, frascos a 80C rs. e
    a 15200.
    >Champ.-igne, a duzia 205000, e a garrafa a
    i.Azeiterefinado portuguez e francez,agarrafa
    ' a 15000.
    Caixa de vinho fiordeaux rauito superior, a
    > 75, 85, 95 e 105 a caixa.
    \ Ditas com dito branco, a 75 a caixi.
    . Ditas com dito lacrimas do Douro verdadeiro,
    > a 205.
    'Ditas com duque do Porto verdadeiro'a
    1S5000.
    Ditas cora chamlssn superior, a 145.
    'Ditas cora Porto velho e outras muitas mar-
    cas, a 125.
    Vinho do Porto a pipa, a garrafa a 640, 720
    1 e 300 rs.
    Dito de Lisboa muito bom, a caada a 35200,
    35300 e 45, e a garrafa a 300 e 560 rs.
    Dito da Figueira, das seguintes marcas (N.)
    (J.A. A.) (J. L. G.) (0. M.) a caada a
    45300, e a garrafa a 360 e 640 rs., desle
    que j est engarrafado e lacrado com o
    rotulo do arrnazem.
    Ditos de marcas mais desconhecidas, a cana-
    da a 35500 e 45OOO, e a garrafa a 480 e
    520 rs.
    Vinho branco fino, a garrafa a 640 rs.
    Dito de caj muilo superior, a garrafa a
    800 rs.
    Cortes de seda branca enm flores miudinhas e de rrf-rsi* ^m
    para tbeatro, bailes e casamentes com 19 covados, largura SlSt.1 '"*'
    Chopeas par-a .< en hora
    Bonets
    Cbapos a gendarme.
    Cbepelinas de palha.
    Cbapclinas de fil.
    Chapeos para homuiu.
    SOUTA3IB liOtCS
    Soiitamba-quesdecambrria verdadeiramente bordados por preces que odnura
    Vestidos frito?.
    Vestidos enfeitados com gosto de encllente lacom zuavos etc a M
    Lompleto sortimento de fazondas para "ww-
    mm&mmE toilet
    ,*? fSS!kT d b3l!0', Visiland eslc CUbelecimento, acbaro urna mr*, ;
    e agradavel escolba do que ha de mais primoroso em v
    para QsSordSrio? enconll'ar as mai Sulid;, **! (Mi eres **
    Gregorio Paes do Amaral & Companhi\
    si m 1 im
    Antig* casa >ie Onilherine da Silva CulaarSe*.
    Vinho MaVira. A
    Garrafas com o yerdadeiro vinho Xerez e Ma- (JJj
    deira a 15500 e 23000. rf%
    Temperos. -'.-v^p
    Folhas de louro, piraenta do reino, cominho
    e cravo, a libra a 4u rs. ^i.
    Velas de e&rnaba.
    Massos com 6 velas de carnauba refinada a
    480 rs.
    Amendoas.
    Amendoas com casca, a libra a 320 rs.
    Doce.
    Caixoes de doce de goiaba, grandes a 15400 0
    e pequeos a 640 rs. r
    Tijulos de limpar. $
    Tijolos de arear facas a 140 rs.
    Graxa.
    Duz'asde boioes de ^raxa n. 97 a 25000, e
    de latas a 15000. e os boioes a 240 rs. ca-
    da um, e as latas a 100 rs.
    Charutos Gnos.
    Charutos finos dos melhores fabricantes da jj
    Babia por diversos pre$os, caixas e meiasa
    il\CHii\iSi)EPAm\T
    de tiMb.iiar a sio para
    desearo^ar a 9godo
    FABRICADAS
    Por Plant Brothers & C.
    odas
    m
    W ''^--^r"1^ sPn >//./ rii.i tt'y:,! d
    Estas raach:ni
    ^ podem descarla-
    qualquer espe-i<
    fMj H" __:5de algodao sen
    1'estragar o fio
    sendo
    duaspessoaspar
    o 1 rahalho; pdt
    descarocar nnw
    arroba 'de algo-
    dao em earocc
    em 40 minutos,
    ou 18 arroba.'
    por dia ou 3 ar-
    robas de algodc
    limpo.
    caixas.
    E grande quantidade de gneros tendentes
    estes estabeleeimentos, qne deixam de an-
    nunciar-se,
    N. 11Ra do QueimadoN. 11
    LOJA DE FAZENDAS DE
    Augusto Frederico dos Santos Porto.
    para
    Saccas grandes com 100 libras de farello superior a 4jK)00 a sacca.
    mm
    Chegou a este estabelecimento um grande sorlimenio de cortinada bordados
    camas fazenda de muilo gosto.
    Chales de guip muito Gnos para 225, 255 e 305-
    Golxasde seda superiores de diversas cores para canus de noivas.
    Colxas de la e seda para cama tambera de bonitas cores.
    Rotoades de gulp enfeitados com o melhor gosto.
    Setim de Pars bella fazenda e de bonitas cores para vestido a 700 rs. o covado.
    Moureamlqae branco e preto, grosdenapte preto e de cores, pannos pretos de todas
    as quaiidades, ditos azaes.
    Cssemira preta e de core9, merino preto, silistrina, bombazinas, alpacas prers*, e
    lia preU para lulo?.
    Mahs, saceos e boleas de tapete, verniz e couro de 45 a 115-
    Brim de linbo de cores finos a 15800 a vara.
    Chapeos e cbapelinas de palha de Italia para senhora, raangaitos bordados, chapeos
    de seda para homem, chpeos de sot de seda, esguio dd linho, carabraia Je linho, breta-
    nhas, silesias e muitas outras fazendas que se vendem p3r commoios presos assira como
    tarabem
    Esteiras da India para forrar salas
    Em casa de Tissel Freree ra do Trapiche n.
    9, tem para vender :
    Vinho t rdeaux em barricas e em caixas.
    Dito de Santerne fino.
    Dito de Champagne muilo superior.
    Cerveja franceza marca Bobee.
    Ta%so Ir mos
    vendem gesso em p para estuque de casas, tijolos
    lios de feitto diversos para ladrilho, azuleijos de
    diversos gostos, tijolos vidrados para parede de co-
    .inha, canos de barro para esgoto, cemento em
    barris de 10 arrobas.
    Assim como machinas para serem movidas por
    inimaes, que descarocam 18 arrotas de algoda<
    limpo, por dia; e motores para mover urna, duas,
    -utris dessas machinas.
    Os raesraos tem para vender um bellissimo va-
    por que pode fazer mover seis desias machina
    mencionadas ; para o que convida-se aos Srs.
    agricultores a virem ver e examina-lo, no arma
    zem de algodao, no largo da ponte nova n.47.
    Sauailers Brothers 4C.
    X. II, pra?a do Corno Santo
    RECIFE.
    Os nicos agentes neste paiz. _________
    Attencdo.
    Vendera-se pegas de esteiras para forro de sala,
    tinta branca preparada a oleo, era latas de 25 li-
    bras, para pintar casa, relogios para cima de me-
    sa e para pendnrar, arreios para I e 2 cavallos,
    velas de spermacete, tudo de superior qualidade,
    vindo los Estados Unidos : no arraazera da ra do
    Trapiche n. 8.________________________
    Coke dogaz.
    pitcli do gat,
    Alcatro do gaz.
    Coke tonel ladas rs. .
    Pitch 80OO0
    Alcatro caada..... 400
    O coke reconhecidamente o carvo mais econ-
    mico, torna-se por isso recommendavel, bem co-
    mo pelo asseio que se nota as cotinhas aonde
    alie usado. Pitch e alcatro.alm das applicacdes
    diversas a que se prestara, como para callafetar
    embarcacoes.alcatroar raadeiras,etc, teem este a
    propriedade de preservar do cupfra, formigas.etc.
    E' entregar na fabrica dogaz ou mandado por em
    qualquer ponto da cidade, segundo a vontade do
    comprador.
    Instruyes para o servido
    das guardas do exercito, extrahidas do re-
    gulamento de infantaria e accommodadas ao
    exercito brasileiro; obra que muito convm '
    aquellas pessoas que se alistare nos corpos
    de voluntarios; vende-se na livraria n. 6 e
    8 da praca da InJ pendencia, a 15.
    Superior vinbo do Porto, i
    Na ra do Vlgario n. 14, escripiorio de Domin-
    Aenc
    Grande liquiJa^o he fazendas c roopas f h
    tas nacionaes.
    Ra da Imprrairiz n. 7, loja e armar- i*
    iiUimaiaYs f irm;i >.
    Os propriet^nos dpiP d.o t>u**krimnto r#-
    ceberam pelo ultimo vap.,r francez un. rami* **
    lmenlo de laasinbas escocezas. p..d,* bmh'o fco-
    mlos, qne PS|ao vendando pHo dimir:
    NI o covado ; mniio han > I
    Laninbas a 2iO.'
    Lasinhas a 2 40 ff
    Laasinliasa 40 '.!'
    Ra da Imperatriz n. 71 I-ja # anr.azm e
    Guinarcs & Iroiaa.
    Tambem receu. ram um jjrande Mrtinvnlo 4*
    edehas de fusiao que fslio \ n'.n' i -r Z-XOO*
    i"- ^'aS.d.e Ch'la ii9W e W' di,!ki *'
    15o0 e 25, grande sorlimento de rambiaia- hraa.
    SL& 5*-01'. "WO0 e 45, ditas moito tin*.
    vivU"'* e 6*' dl,as de s*'Piw brincos a \rm
    e WM : islo so na loja e armazem de Goimarc,
    & Irmao, roa da Imperatriz n. 71
    Chitas largas a 210, 260, 2S0. 300, 32*'.
    Chilis largas a M, 20, 2X0, 3ft, 32?
    . Chitas largas a 2(0, 260. 2SO. 3M.32.V!
    E mnito barato, peras de I retanha A>ro Ib varas a 35 e .15200, ditas de mxlapulo .-..m U
    jardas a 45300 55, 65, 65-500 e 75. muilo no a
    a .15, madapo'ao francfz enfriado rom li iarrfa
    a :t5i00, 35300, 45 a 45500, chales e mM -
    lampados a 25. 5500 e 35. ditos muito fin..* s
    65 e 65500, corte* de casimiras 6* ror^ p prrtu
    pelo diminuto preco de 25500, 3*. 35**0 e $5.
    ditas moito Anas a 55, 5500 e 65. grande Mftt-
    ment de roopas feilas de toda* as <\a*\\**A,*,m
    preco qne s visia dos compradores t|u- m
    poder dizer o preco, amaneando 'rae ve*Je-
    por menos 20 0|0 qoe em oulra qoalqjrr p^ri* :
    islo na ra da Imperalriz n. 72, laja de GoiBarfes
    i\- Irm.-iii.
    GRASDE
    UftM
    O proprietano do grande arm. zrra do Baliza,
    t(\Uvv\! Iar8 do Livrameo'o n- 38 o Kodo poUo etm-
    *XlJxxx seguir em lempo a mudanca de sea armases, por
    ter de ser modada a cubera desa ca>a, u m r'e>4-
    do vender o grande e magr.ifico sormesi de ss-
    Ihados e seceos que nelle se arbam por loo o pre-
    (o, sem a (tender ao grande prejoizo que lera, vis-
    to qne d'ontra forma nao o poder evitar.
    GAZ GAZ GAZ
    Vende-se gaz da melbor qoalidadt a
    Ii.5alata: us armazensda ruado I-
    perador n.16 e roa do Trapiche Novoo. 8.
    Bichas deHambugo
    Vendem-se na ra Nova , 61.
    Vende-se
    farelo de Lisboa tm saccas barrica*, saccw
    com superior farinha de mandioca, asas taran' a
    que em outra qoalqoer parte : na ma da Vigar
    D, 17, prmeiro andar.
    Vende-se orna taberna bem afretaetaaa para
    o mato, e bem como para a ierra por tsar aa p
    pos Alves Matheus, lem para vender moito snpe- do mar, tambero di comidas e dormidas, a rerraa
    rior vinho do Porto em calas de urna dnzla, e an- passageiros, tendo exeetleate romsaodo para fa>
    coretas de 10 em pipa por prego mdico. milia : na roa da Lapa n. 13.
    iT~^^


    "^"
    Diarlo de Ptroviaibaeo Sexta clra i de Jolho de 166
    mO PUBLICO
    Sem o menor constran-
    g i ment se entregar o
    importe do genero {iir
    nao agradar.
    ATTEKOftO
    Os preyo da egniztc
    tabella para todos, po-
    deudo asslm servir de ba-
    se para o ajuste de eontas
    coa os portadores.
    Irritado dos pulmoer. and-
    uas, tosee, ce ti b (le
    mugue, aupo i o-
    tilho, catarro, roiiqr.ii
    e todas as inntimeravei niolf.-:-- lao aos orgoa da respiraru.
    mediante a at\ao &,< balsamira e in -tia*
    ANACAHUTA
    ESTABELECIDO A RA NOVA N.
    Vm A G1DHM DI 33 D)3MMia
    AO
    RESPEITAVEIj PIJBMCO.
    A anreciacao dos habitantes desta heroica provincia existe no grande arma-
    zem da Liga estabelecido ra Non*..^^^^^^!^irf^^^\
    que sendo em s
    vendidos por
    Sem
    primeiro e un
    neuhusn outro
    1/ Delicadeza no trato.
    2.; Fidelidade no peso.
    3.: Sinceridade nos presos.
    As pessoas que por sua posicao social gozara de certo tratamento, acharao nesw
    casa os melhores queijos londriuos, cerveja, vinhos inissimos manteiga e cha sempreae
    nrimeira qua'idade. etc., etc.
    Qiiaiqner que seja a condico do freguez, elle deve contar que sera sempre mui-
    lD Amell'es que sao pouco favorecidos da sorte farao mensalmente urna economa de
    mnitas patacas, afreguezando-se nesta casa, onde se lhes vender o arroz, o cale, a man-
    teiga oassuc.r, e:c, etc. de boa qualidade pelo preco que em algumas parles n5o po-
    dem ou n5o querem vender. Mmm mn w-
    Os senhores de fra da cidade, dos arrebaldes ou centro, que comprara para ne
    gociar, deven vir, < elo sen proprio interesse, a este estabelecimento para se convence-
    ren! d quanto se pode vender barato. nnln cno
    Para os senhor s que compram para tornar a vender existe nm sortimenio < spe-
    cial, escolhido por pessoa entendida que certamente muito deve agr lar aos sennore-
    ' Nao se tem poupado sacrificios, nem se deixar de fazer a diligencia para agra-
    dar a todos. T\r
    PELOS SEGC1KTES PRECOS SO SE \ENDE
    A DIMHEIRO A VISTA:
    flnwirn em latas, muito nova, a 80 rs. cada
    RA DA CADEIA DO RECITE N. 53
    (Logo passando o arco da ConcefeSo)
    PARA BEM DE TODOS.
    Senhore^ t^rihwmt, o aceio qne presidio aos arranjos (leste novo estabelecimento, e mais que tudo a promptido e intei-,
    sita ao mesmo, certos de qne sem duvida me daro a proteccao e preferencia na com-.
    estes sejam pouco praticos,;
    afim de que nao vo em.
    lampa
    M|BS?>
    l,ooo e 800 rs. a libra e em barril se faz
    abatimento.
    dem franceza a mais nova do mercado a 96o
    rs. a libra e 900 rs. em barril ou meios.
    Cha liysson de supe ior qualidade a 2,600
    rs. a libra.
    Cha perola o mais superior do mercado a
    2,8oo rs. a libra,
    dem hysson muito superior em latas de 15
    libras muito proprio para negocio a 2,ooo
    rs. a libra.
    dem hysson nacional em latas de 1 e 2 li-
    bras a l.Goors.
    frascos de vidro com
    bra e ,ooo a caixa. do mesmo, a 5do rs.
    Massapara sopa : estrelinha, pevide e rodi- Cerveja branca das marcas mais acreditadas
    nha branca ouamarella a 64o rs.a libra e que vem ao mercado, a 5oo, 56o e 61o
    3,5oo a caixa cora 8 libras. a garrafa, e 5,8oo, 6,ooo e 6,5oo a du-
    Vino do Pauta muito fino proprio para zia.
    engarrafar, em ancoretas de S caadas a Cevadinha de Franca muito nova, a 2oors.
    35,ooo rs.
    Vinho em pipa : Porto. Figueira e Lisboa a
    32o, 4oo e 5oo rs. a garrafa, e em caada
    a 2,5oo, 3,ooo e 3,8oo.
    Vinho branco de Lisboa de excellente quali-
    dade a 4oo e 5oo rs. a garrafa e em cana-
    da a 3,ooo e 3ySoo.
    dem preto o que se pode desejar neste ge- [ Vinho branco para missa em caixas de 1 du-
    nero a 2,ooo e 2,2oo rs. a libra. I "a 8,ooo e 68o rs. a garrafa.
    Linguicas muito novas a 8oo rs. a libra e em Vinho do Porto das melhores marcas que
    A
    ALPISTA a 120 rs. a libra.
    dem e painco de oito libras para cima a
    100 rs.
    Arroz de 90 rs. a libra a........
    Amendoas, casca molie, a 28o rs a libra.
    Avk.us a 240 rs. a libra.
    Ameixas francezas em latas de todo; os ta-
    maitos.
    1 Jein idem em potes de todos os tamanhos.
    dem idem em bocetas de t"dos os tama-
    nhos.
    dem idem em frascos de todos os tama-
    nhos.
    Azote doce do primeira qualidade a 5G0 rs.
    a garrafa.
    Albos a 200 rs. o molho.
    Aiisv.NTiio a 2?00J a garrafa.
    B
    BOLACIIXUAS do Beato Anlonio em latas
    grandes e pequeas.
    dem do Principe Alberto a 25000 a lata, e
    de emeo para cima a 15800.
    dem de so la em latas grandes a 2000 e
    de cinCo para cima a l&jQO<
    Biscoitos inglezes de todas as qualidades a
    1(5200, 15250 e I5300.
    Boi.o francez em caixinhas a 300 rs. cada
    urna
    Batatas inglezas.
    Bamia do poro o refinada.
    C
    CHOCOLATE francez a 700 e 800 rs. a li-
    bra, e em porcao a 600 e 70J rs.
    dem suisso a 15 a libra,
    llem de musgo a 15500 a libra.
    Cnot.mr.AS muito novas a 800 rs. a libra.
    Cu k a'2 40 e 260 rs. a libra, e em porcao
    se far abatiment).
    Idean de primeira qualidade a 75000 a ar-
    roba.
    Conservas em f- ascos a 320 i s. cada um,
    sao muito novas
    dem inglezas, fr-.scos grandes.
    Champagne de todas as marcas.
    Ciiaiioi;: de grosella, orchata, etc., etc.
    CniCARAS e pires a 15-500 a duzia.
    Cervej v da superior marca Tenente a 500 rs.
    a garrafa, c em duzia se faz grande aba-
    timento.
    1 Juin V iclaria Bas tres X e de outras marcas.
    Charotos das mais acreditadas marcas, co-
    mo sejam : N irmas d'Uavana, Exposico,
    Flor do Brasil, Parisienses Delicias, Gua-
    nabaras, Trovadores, ftegalia, Mississipes,
    Panetellos, Apraziv.;is, Varetas, Brasilei-
    ros, Americanos, Fluminenses.
    Cha de todas as qualidades e de todos os
    prests, bysson, huxim, aljfar, preto, e
    preo poata branca, etc etc., a 25000,
    252 0,255 0 e 25800.
    Copos lisos de todos os tamanhos de 120 a
    320 rs.
    dem lapidados de todos os tamanhos a du-
    zia a 25500, 3$ 00, 45 e 55-
    Clices de lodos os tamanhos.
    Cognac superior a 15 e 15500 rs. a garrafa.
    Cigarros do Rio, pardos, a 80 rs. o mac->
    de cinco macinhos.
    i
    DOCES de todas as qualidades: brasileiros,
    portugue/.es, in.,'lezes, francezes, etc. etc.
    urna.
    K
    KIRSCH de Wasser a 25 a garrafa.
    l
    LATAS com graixa a 80 rs cada urna.
    Letuia a 400 rs. a libra
    ti
    MANTEIGA ingleza e franceza de pimeira
    qualidade a 15, 15120 e 15280, em bar-
    ril se faz grande abatimento; a que ven-
    demos por 152tfO a I ib a, vende-se em
    outra qualquer casa por 15400 e 15500.
    Maiimelada dos mais acreditados fabricantes.
    M.vcaiuo e TALHAiuM a 320 rs. a libra.
    Massa de tomate a 6c0 rs. a lata.
    Mostarda ingleza a 800 rs. o frasco.
    Moliio iNc.i.Ez de todas as qualidades.
    Marrasquino verdadeiro de Zara a.....
    Massas finas para sopa branca e amarella a
    60 rs. a libra, em caixas com 9 libras a
    35500
    Milho painco e alpista, sendo mais de 8 li-
    bras a 100 rs. ,
    N
    NOZES a 120 rs. a libra.
    Nabos em latas a 800 rs.
    O
    Osiras inglezas e americanas.
    barril se faz abatimento.
    Chouricas e paios a 8oo rs. a libra.
    Costelletas inglezas a 64o rs. a libra, serve
    para temperar panella ou para fiambre.
    Queijos do reino ebegados neste ultimo va-
    por a 2,2oo rs., ditos de navio devella a
    2,ooo rs.
    dem londrinos muito frescos e de superior
    qualidade a 8oo rs. a libra.
    dem prato a 8oo rs. a libra, e inleiro se faz
    abatimento.
    vem ao mercado como sejam : Lagrimas
    doDouro, Duquedo Porto, Rainha de Por-
    tugal, Duque genuino, D. Luiz 1, Madei-
    raSecca, Malvazia fina a 16,ooo, 15,ooo,
    12,ooo e lo,oooa caixa com 1 duzia e9oo,
    l.ooo e l,5oo rs. a garrafa.
    Vinho Cherexde superior qualidade a 16,ooo
    a duziae l,5oo rs. a garrafa.
    Sardinhas de Nantes a 4oo rs. os quartos e
    64o rs. as meias latas.
    I Bolachinhas inglezas muito novas a 5,ooo a
    dem suisso o mais superior que tem vindo I barrica e 320 rs. a libra.
    ao mercado a 64o rs. a libra. Bolacbinlias de soda em latas de diversas
    Ervilhas e favas portuguezas j preparadasj qualidades a l,3oo rs.
    em latas hermticamente lacradas a 64o. Cartoes com bolo francezmuilo propnos pa-
    Feijao verde muilo superior a 640 rs. a lata. ra mimo a 64o rs.
    Copos lapidados para agua a 5,ooo e 5,5ooPassas muito novas em caixinhas enfeitadas
    rs. a duzia. Para mmoa 3,ooo rs.
    dem idem para vinho a 2 4o rs., e 2,4oo rs. Passas de carnada a 8,ooo a caixa e 4oo rst
    a duzia. a libra.
    Chocolate francez hespanhol e suisso a 9oo, Figos de comadre a 24o rs. a libra.
    l,ooo e l,2oo rs. a libra. I Amendoas de casca mole a 4oo rs. a libra.
    Espermacete superior a 6oo e 64o rs. a li- Milo de amendoas a 5oo rs.
    bra e em caixa se faz abatimento. Bolachinha d'agua e sal, da fabrica deJoo
    Peixe em posta em latas hermticamente la- de Brito no Beato Antonio, em lata de 6 li-
    cradas e das melhores qualidades de pei- bras por 2,5oo rs.
    xe a 8oo, l,ooo e l,2oo rs. ; Ameixas francezis em f asco de vidro com
    Vinho Bordeaux das marcas mais acredita- tampa do mesmo, a l55oo.
    das que vem ao nosso mercado a 7,ooo e
    Charutos do aflamado fabricante Jos Furta-
    do de Simas, das seguinles qualidades:
    Exposicao Normal de ILivana, Imperiaes,
    Londrinos, Guanabaras, Parifiensts, Sus-'
    piros Delicias, a 4,ooo, 4,5oo, o.ooo,'
    6,ooo e 7,ooo a caixa ou em meias.
    Charutos finos de diversas marcas e fabri-!
    cantes, como sejam: Flor do Norte, Ma-
    ntillas de Havana, intervallos, Vencedores,
    Panatellas e Suspiros, a2,ooo,2,5oo e;
    3,ooo a caixa.
    opnac inglez das melhores marcas, a Sooei
    l,2oo a garrafa.
    Doce da casca de goiaba a 2,ooo a lata com
    4 libras.
    Farinha de araruta verdadeira a 32o rs. a
    libra.
    Matte.excellente cha para os navegantes, a
    2oo rs.
    Sebollas de Franca muito grandes e novas
    a l,8oo o cento e l,2oo soltas.
    Palitos do gaz a 2,2oo a grosa.
    Toucinho de Lisboa muito novo a 32o rs. a
    libra e 8,5oo a arroba.
    Banha de porco refinada a 65o rs. a libra.
    Bolachinha Alberto, as melhores que pre-
    sentementetem vindo ao mercado, a 2,ooo
    a bata.
    Farinha do Maranho muito alva e cheirosa
    a 2oo rs. a libra.
    Frascos com fructas em calda de diversas
    qualidades a 2,5oo e l,5co o frasco.
    Caixinhas com fructas em doce secco de di-
    versos tamanhos, muito proprias para
    mimo, a l,6oo, 2,6oo e 3,5oo cada urna.
    Robos, excellente peixe pnrtugnez, em
    barris pequeos ou a relalho, a vista se
    far o preco.
    PEITORAL m KEMP.
    a ai.acaluiita BOWM ijiie u i i m "*-
    pecial este inconipaM-l itn.cii'. i;oa
    ai ver, cuj.i madeira por n>i li !.ii;oie
    ha usado no I afine j-ara a on m *+
    fLiiiiidadcs cima OKMnM. Fi Hta-
    bem ensaiada e approvada p -ma
    Uiedica de Berlim Opeiliiai teK.rf*
    um xarope delicioso inliian.!.[ ir-ee
    opio, acido liydn ivanico e rtn. BfVa-
    dientes nocivo.
    A' venda as drogarta> de l'.u i- i Bar-
    boza, Bravo & C. m todos os <
    mantos pharmaceulitos do in|ni<
    Vendem-se no Recite cm casa >' .* *
    Baiboza e Joao da C. Bravo A C.
    id.'icaode machinas pan
    algodao:
    Chepou grande HrttenM d<* RMrhiMW i>ara
    descarogar algodo, de I i, 16, 18, 20. i.' vi #15
    serrles, de raptrlr ynlUi dem por presos muilo redu/idus e vr wwj* a
    que em outra qualrpur parle, para IwiK^r \*m
    como mot<>re< americanos la tiltinn in quaes se tornara reeummenilavvi- pm Mi mh-wmt
    qualidade de fcil cndui-gopara u ruir i >U pro-
    vincia; a tratar nn deposito dn --- J A, ; a. CS
    ou na ra da Cada do Recite, toja d f"rrfs
    n. 36 A,
    Liquid
    Ameixas franc zas em caixinhas de diversos. Azettonas de Rivasem ancoretas prandesde
    tamanhos com bonitas estn pas na ca- 8 garrafas por 6oo e8oors. a garrafa.
    xa exterior, a l,4oo, l,fioo, l,8ooe 2,ooo' Azeitonas portuguezas a 5oo i. a garrafa e
    cada tima. l,5oo cada urna ancoreta.
    Azeite doce refinado hespanholouportuguez Champagne da melhor qualidade que vem
    ao mercado, a 2,ooo e 3,5oo a garrafa, e
    a 9oo rs. a garrafa e lo:ooo a caixa.
    ERVILHAS seccas a 120 rs. a libra.
    ervadoce a 400 rs. a libra.
    FARINHA SSSde 8 libras para cima a 120
    rs. a libra,
    dem iie araruta a 320, 400, 500 e 810 rs.
    Fieos :k comadre a 160 rs. a libra.
    Feijo verde em latas a 600 rs.
    Favas em latas a 600 rs.
    Fumo d1 Rio a 500 rs. a libra,
    dem americano cm latas a 25-
    Farf.i lo ha sempre em deposito de 500 a
    800 saceos, de todas as qualidades, de to-
    dos os tamanhos e-de todos os precos.

    GOMMA a 50 rs. a libra.
    dem a 140rs. a libra,muitoalva.
    Grao de rico a 120 rs. a libra, e em porcao
    se faz grande abatimento.
    Genera de laranja verdideira a 15000 o
    frasco.
    PEIXE em posta, latas grandes, a 15^00, de
    todas as qualidades, como sejam savel,
    guras, corvina, pargt, salmao, pescado e
    pescadi da, linguado, sardinba. etc., etc..
    Peras em latas, excellente preparacao.
    Palitos para dentes a 120 rs. o maco muilo
    grande.
    Passas em qjarlo a 15100.
    dem muito novas a 400 rs. a libra.
    Pomada muito nova a 280 rs. a duzia.
    <*
    QUEIJOS flamengos.
    dem prato a 800 rs. a libra.
    dem sarasos a 800 rs. a libra.
    dem londrinos a 800 rs. a libra.
    Qiartiniias ou mordiques a 65, 85 e 105 o
    par.
    K
    RAPE* Mearon a 15 a libra.
    Meto Princeza do Rio a 15200 a libra,
    dem francez a 25500 a libra.

    SARAO massa a 160 rs. a libra, em caixa se
    fiz abatimento.
    Sal refinado em frascos a 500 rs.
    Salame de Len a 255.
    Sardinhas de Nantes de todos os fabricantes,
    dem de Setubal em latas muito grandes a
    720 rs.
    Steauinas a 600 rs. o maco,
    TOUCINHO de Lisboa a 320 rs. a libra.
    Tomate em lalas a 603 rs.
    Tinta azul e preta para escrever.
    V
    VINHOS! !!
    Principe Alberto, de 1831, a 55000 a gar-
    rafa ; d vida aos velhos.
    Vellio secco a 25 a garrafa
    Lagrimas do Douro a 15300 a garrafa.
    Duque do Porto verdadeiro a 25 a garrafa
    Duque a 45 e 15500.
    Chamisso a 15, 15200 e 15500 a garrea.
    D. Luiz a 15 agarrafa.
    Moscatel verdadeiro de Selubal a 25 a gar-
    rafa.
    Carcavelos a 15.
    Colares a 900 rs. a garrafa; o nico vi-
    nho que se pode beber por nao ter com-
    posico alguma.
    Lanlerne a 800 rs. a garrafa.
    Bordeaux Medoc a 800 rs. a garrafa.
    dem S. Julien a 600, 800 e 15 agarrafa.
    Absyntho a 25 a garrafa.
    Kirsch a 25 a garrafa.
    Wermouth a 25, e a caixa a 185-
    Bilter Maurer a 15 a garrafa,
    Grave a 800 rs. a garrafa; vende-se por este
    preco por baver sempre em deposito 50
    /fiiy.'iC
    De caj, de 1852, a 15200 a garrafa.
    Velho.do Porto, em ancoretas de 9 caadas,
    a 35500o ; vinho que, estando engarra-
    fado, vende-se a 15280 e 15500 a garrafa.
    8,000 a caixa eOo e 7oo ris agar-
    rafa.
    Genebra de Hollanda a 48o rs. a botija de
    conta certa.
    Frasqueiras.le genebra de Hollanda a 6,800
    e 64o rs. o frasco. I Batatas muito novasa 80 rs. a libra e2,5oo
    Genebra de laranja verdadeira em frascos o gigo com 36 libra .
    grandes a l,ooo ell.ooors. a frasqueira. Conservas inglezas a 75o rs. o frasco e
    Caf do Rio de Ia qualidade a 28o rs. ali- 8,5oo a duzia.
    bra e 8,5oo rs. a arroba. > Vassouras de escova para esfregar casa a
    Caf do Cear muito superior a 24o rs. a li-; 4oo rs.
    bra e 7,5oo rs. a arroba. Nozes muito novas a 16o rs. a libra.
    Arroz do Maranho de Ia qualidade a loo Molho inglez em garrafa de vidro comrolha
    rs. a libra e 2,8oo a arroba. do mesmo, a 16o rs.
    dem da India a loo rs. a libra e2,8oo a Mostarda ingleza dos melhores fabricantes,
    arroba. I a 800 rs. o frasco,
    dem de Java a 80 rs. a libra e 2,ioo a ar- Mostarda franceza em potes j preparada a
    roba. 4'">o rs. o frasco.
    Painco e alpista a i 4o rs. a libra e 4,ooo a Lentilhas francezas. excellente legume para
    arroba. sopa, a 2oo rs. a libra.
    Massa de tomatesdesuperior qnalidade a 6io Marrasquino de Zara propiamente dito a
    rs. a lata de urna libra c 56o rs. a reta- 15 a garrafa a ll,noo a duzia.
    Iho. I Palitos de dente a 1 4o rs. o maro.
    12o rs.
    72o
    24,ooo e 26,000 o gigo.
    Gomma de engommar muito alva a
    a libra.
    Figos em sextinhas a 80 rs, cada urna e
    rs. a duzia.
    Papel azul para botica a 2,ooo a resma.
    Balaios para roupa suja, grandes e peque-
    nos, por diversos precos.
    Amendoas confeitadas a 64o rs. a libra.
    Latas com fructas em calda: pera, pecego,
    damasco, rainha Claudia e cereja, a 800
    rs.
    Vinagre de Lisboa a 2oo e 2Ro rs. a garra-
    fa e a 1 ,4oo e 2,ooo rs. a caada.
    Azeile doce de Lisboa a i,8oo rs. a caada
    e640 rs. agarrafa.
    Vinagre branco j engarrafado a 5oo rs. a
    garrafa.
    SEM SEGUifgHI
    Ra do Qiieimada ns. 49 e &A-
    Contina a vead declara por precos admiraveis.
    Massos de palitos lixados para dentes a 100 rs.
    Espelhos de molduras douradas a 200,240 e 320 rs.
    Bunets de oliado para nietiinos a l^ooo.
    Ditos de couro superior fazenda a 1,5500.
    Frascos com superior tinta rocha a 240 rs.
    Meiadas de Imita froxa para bordado a 20 e 60 rs.
    Baado do Porto, fazenda boa, vara a 80, 100 e
    140 rs.
    Varas de franja branca estreita a 40 rs.
    Caixas com 100 envelopes, fazenda fina a 600 rs.
    Grozas de pennas de ac, fazenda superior a 500 rs.
    Duzas de meias cruas encorpadas para hoinem
    3000.
    Grozas de botoes madreperola finos a 500 e
    e 640 rs.
    Caixas com 50 Dovellos de .liona do gaz a 700 e
    000 rs.
    Caixas com superiores obreias de cola a 40 e 80 rs.
    Pecas de lila branca elstica com 9 varas a 280 rs.
    Varas de franja de la para enfeiles de vestidos a
    40 rs.
    Baralhos dourados superiores qualidades a 400 rs.
    Novellos de linha com 400 jardas a 80 rs.
    Lnros para assentos de roupa lavada a 100 rs.
    Pares de botoes para punlio, fazenda rica a 120 rs.
    Tesouras para costuras superiores qualidades a
    400 e 1,5.
    Caixas de pennas de calbgraphia, fazenda boa a
    14000.
    Masaos com superiores grampos a 30 rs.
    Pares de sapatos de tranca e tapete a 1">00.
    Pares de sapatos de tranca para meninos al|e
    1280.
    Caixas com superiores agulhas a 240 rs..
    Libras de laa sortidas de bonitas cores a 7,5000.
    Caixas com superiores obreias de massa a 40 rs.
    I idinhas com alfinetes francezes muito superiores
    a 20 rs.
    Resmas de papel almajo a 2400 e 25800 rs.
    lie-mas de papel de peso lino a 2,5000.
    Escovas para roupa, fazenda boa a 720 e 15.
    Duzias de tesouras com toque de ferrogem a
    600 rs.
    Duzias de facas e garfos de cabo preto a 35000.
    Talheres muito fino para criancas a 240 rs.
    Viulio do Pollo especial.
    O mais generoso e genuino vinbo do Porto, mar-
    eas novas e especiaes em caixinhas de 12 garra-
    fas, sendo marca Rainha de Portugal'a 18 a cai-
    ta e Pedro V a 165, em porcao far-se-ha um aba-
    te razoavel : no armazem de Ferreira & Matheus,
    oa ra da Cadeia do Recife n. 66.______________
    Lngdo para raleadas.
    Vende-se moito bom lagdo para calgadas ear
    mazeos chegado agora : a tratar nS ra do Apollo
    n. 4.

    g*f ss fMS. ffy (Hif: n$: Stfc ' -:
    pe m$^
    M

    lo ja



    Azeite doce refinadoem pequeas latas a 580 rs. a garrafa : no graudt armazem
    da Liga.
    Saceos de 80,100 e 120libras a 44,40500 e 55 ; no grande armazem da Liga.
    vKx''~..-v ^ Sii.-S vfe-..:i' v,.:i vfc.*a msmk s
    3' Madapolao muito fino com pequea toquo de avaria, por preco que admira : na
    g|S das columnas na ra do Crespo u. 13, de Anloni) Crrela de Vascoucellos & L.
    Grande sortimenlo de roupas feitas de to-
    das asqualidades,
    Calcas de casemira a 65 e 75300, ditas prelas a
    65 e 85, alcas de ganga a 25,15800 e 45600,
    ditas brancas a 2, brim de liaho a 35. 35300 e
    45, paletots do alpaca branca a 45500, ditos pretos
    a 35 e 35.OO, ditos de alpaca de cordo a 45. e
    de listr de seda a 45300, ditos sobrerasacos a 35/
    paletots de casemira a 55, 55300, 65, 85 e 95,
    ditossubrecasaecs pretos a 124, lo e 164. ditos h
    nos a 255, de cores a 135, ditos fraques a 145,
    paletots de ganga a 34, 24500 e 24, ditis d brim
    pardo a 34, iaquetoes de brim pardo a 35, pauno
    preto fino a 24. 256n0, 35500 5, 44500 5 e 65 o
    covado.morearitiqoe preto a 24600 o covado; jrros-
    denaple preto a 15300,14800, 25, 25200 e 24500
    o covado ; eoolras muitas mais fazendas que se
    deixa de annunciar, e manda-se levar pelos caixei-
    ros da toja da arara casa dos pretendentes. 0
    e tabelecimento est aberto al'as 9 tioras da noite,
    ra da Imperalriz n. 36, Mendes Gurmares.
    Chitas baratas
    Xa ra da Concordia n. 62 lem para veo**
    cao de chitas muilo linas 1 240 o covi.1,
    mais inferiores a I80 rs.. > ,VI' a(Io.
    Francez barrica .*>5" '
    Porlland dem 84-.''
    Em perfeito estadi-:
    Francez barr a 105
    Poilland dem 125***
    No armazem de Tasso Irmis rae- o
    9
    mm
    Xiixcnn de Xossa SfcJi.ra <
    Carnno e de i;tu'4 -ua
    Vend.-se na rua do Imjttat u. I.", f'ffi ma
    de encaiernacao : ooffi'i". salve e mw, I *
    na e, salve de No>sa Senhora di> Cam li fo-
    Ihoios por 500 rs.e a aoveaa de S ifin ftt
    320 rs.
    Eser ac fitgt o
    AinJa esta fgido o p fula, eslalura regular, ulliar nipMli rm-
    co, e fallanoolhe dous denles na fr> nt , v~ < ha
    poucos iiu/.es de Mamau^uape para cf wni4a
    iqui, julga-.-e andar pela rua da CoM 1 ..j. jaca
    Amaro, Oiinda : qoem oaegar, < .- iza- 1 'oa
    da Madre de Dos n. :t2, quo aera r< n y*n-i*.
    Fugio no dia 16 do Porreo!' a r.-cr.'-? rrJa-
    lae nomi- Suzana, ida-J lOatMW, mmt m-
    nos, baixa, clieia do cn"', com taita de d-:u- u
    frente, rabeltos estirados, lvoa vetii 4s cuto
    escura e panno da Costa : r.)ga-se ,Un
    policiaes e ca| ities do campo sua Muan . MM
    gnrem-na prafa da In k : 16.
    Prolesla-se colina qujlqu- r MHdt fM I t-'oaa
    acontada.
    Pofio em pninipius uu uwi <], 1. r r <
    correteanno e ron.-ia i.la; a<- ,... m
    0 moleque Euzelio. eseravo da vfvn M fr F*-
    uaudo Alfonso de Mello, dt- 12 ann<>s de ida-i
    co mais ou meno-, aoc preta, mm ron
    regalares e afiinueados, raliea u poac $m
    a meta rhxta, baleos tino.-, d"i:,-i,n .-,..* ^
    secos e muilo ladino : ropa-s jur 1.1 m
    aiiin:idade> policiae.- e ca ii.'u n<- i-;t ,y-
    preliendam e levem-o t roa ^.1 Ha&| nt, .m
    u. 6 que sern gratificados, prr.> uu loa
    melos judiclnes conlra qualquer p-s- -1
    em seu poder.
    C hegaramos superiores
    cortes de seda
    Superiores cortes de 6eda de cor, viudos pelo
    ultimo vapor francez : na toja das columnas a rua
    do Crespo n. 13, de Antonio Correia de Vascoo-
    cellos & C.
    "^"Farinha de mandioca fina e alva, mais bara-
    ta do qne em qoalqaer parte, arroz da trra pila-
    do e em conta : para ver e tratar, na roa do Vi-
    gario, casa o. 29.
    Francisco. Jos Germano
    RIAKOIA X. ti,
    acaba de receber um lindo e magnifico sortimento
    de ocolos, Kmctos, binculos, do oltimo e mais
    Dorado gosto da Europa._____________________
    fofos prectesas c objeetos de
    oure.
    Mauricio SelbebergA C, Polacos, ltimamente
    ebegados a esta provincia, offi recem ao respeitavel
    publico nm grande sortimenlo de joias, brilhantes,
    relogios e muitos objeetos de onro", por prego o
    mais razoavel possivel, e mesmo troca e compra
    objeetos de ouro, prata e diamantes por objeetos
    novos: na rua do Queimaflo n. 29, entrada peto
    largo de Pedro II n. 27, de matrfta ateos 9 horas,
    e a tarde das 4 hora?era diante. Os objeetos ven
    di dos pelos annoDciaotes sao garantidos por e les,
    e esto proraptos para levar objeetos s casas das
    pe&soa que deejarem comprar, tima ver qne nao
    possam vir a seu estabetefimento.
    Auseutou-se no da 2 da correo* ao meto *o
    da casa da rua d>> Imperador n 16. a trato batana
    du, crioolo, cheio do corpo, aliara r gnlar, ru4o
    comprido, olbos pequeos r aooca barba, u-a a-
    sa e bigndp, bastante ladino, reprsenla ut 9
    anuos, ponco mais on menos, 1 iiilga-e ter \*->*
    caifa preta e camisa brai.ca : esta aotsaai toi e-jao-
    praiK> ao Sr. d runel Galvao, do Limoeiro, pan m-
    de se ju!ga teuba fgido, mas ha qoem o 1 aaa
    visto na Pasaagom da Magdalena. Rimedios e Var-
    zea; e como se desconba que esteja ampala,
    protesta-se proceder contra qu-m o tive arbala.
    e pede-se a quem deile der noli-ia 00 o ar. rrar,
    que dirija-se a sobredila casa, ou a rua do >-*oo
    n. 13, que ser recompensado.
    Fugio em principio de jnnho oltirro, t op-
    poe-se vagueia p.'la cidade do Recrfe e >eu- se' ot-
    bios, o moleque Manoel. erioo! \ que raovoaaoji
    ter a Idade de 16 aonos, teodo o saiietir -ijai >
    urna cle?lri7. oo dedo nollegar da mo dlreita. paa-
    venieole de um paiiari-10 ; laooa ralea e eacaao
    do algodaozinho grossi : qu-m o apprtheodVr t
    entrega lo no i* an!ar do sbralo n. I", oa -raes
    do Corpo Santo, on no sitio dn Pr. Dr. Anrcstyf!
    do Oliveira, na Ponle de l'cha, ser rerom(a-
    sado.
    Xo dia 29 de junho prximo paasado fugi:aat
    d) engenho Cotoveflo, >ituado no lagar Vtrzes io
    provincia da Parahila, Aon tamaaa paaaoo, non
    de nome Zacaras, de idade de 22 aooo*,
    mais ou menos, estatura baixa, rel-rcad, octi
    acangalhadas, cabellos |>retos e crespos, rosto <*n
    pfido e picado d. bexigas, sem barba, bem Ui
    te ; o outro de nome Venancio, idade de JO
    pouco mais ou menos, estatura regular, seeat a
    corpo, cabellos caslanhos e prestos, nst eooaari-
    do, sem barba, tambem bem Lllante : qu- oa
    apprehender elevar a seu senhT oo dito .'ogec.io,
    00 na casa de detencio desta cidade, ser reata.
    peosado.
    Kugio no dia 6 do correte mez de ju'-bo o
    cabra Eugenio, de idade de 45 annos. pooco ajaos
    ou menos, com os sign; e> segoinies : enalaro ao
    gnlar, cara bexigosa, trax barba a Cavaoborb, ea-
    bellos cachiados, lovoa caifa de ca.-emira e gotrM
    de riscadinbo j velho ; consta que o dito escroo
    anda mesmo aqni oa cidade : quem deile W aa-
    liciaoo o agurrar, dirija se ao hot-l d FraofO,
    1 ua do Ti a piche o. II, que ser recooipeosao,
    Anda fgido na freguezia da B->a-Vi arrabildes, om escravo, pard-*, idade 30 annos, a-
    liellos rente, reforeado do corpo, e de nome Paolo:
    quem o pegar leve-o a rua do Livramento n. 19,
    que sera recompensado.


    Diarlo de Fernambaco Sexta felra 81 de Julho de 196&.

    JURISPRUDENCIA
    ESTADO* l.\IDOi.
    Processo dos assn. cola e tteward.
    CONSELHO DE GUERRA EM WASHINGTON.
    flo na
    sent
    verde relva. Porm nada disso v, nada
    domingo pela manhaa ; que no da 21 voltou com projecto apresentado para a destruicao dos navios
    o destacamento para prender o Dr. o qual achou federaes e da$ cidades do norte, etc., para estabe-
    em casa, e confessou ler recebido na noite de 14 lecer o terror nos estados unitarios.
    dois homeus, um dos quaes tinha urna perna que-1 Urna certa preparacao de que (azia menco na sent ; pois com presteza se erj aelo extenso
    brada, e posto que j antes livesse sido apresen- carta, tinha sido composta pelo professor MacCul- bosque se delta a correr. Seus sapatos j a muito
    tao a liooth, declarou nao o haver reconhecido. '. locb. Nenhuma outra pessoa conhecia o segredo que voado tinham pelos ares na carreira insana :
    Mane. Mudd disse : qae seu marido tinha trata- aesla preparacao, por raeio da qual, dizia o signa- e nao valendo a verde roupa da branda relva que
    j do do ferido, o qual deixou urna bola na sua casa; ,ar' aa carla> se podiam destruir todas as embar- rasteira veste o leilo da selva ingent, ambos os
    lia escnplo caSes> transportes, canboneiras, etc., que saissem pes do pobre menino sao cobertos de rubro san-
    gue.
    Correado assira tao precipitadamente, eis que i cariohosa mai, nos previne e chama a nossa atten-
    interna um p n'um grande toqo, e estirado jaz a cao para a leitura dos Evangelhos, audicao da dlvi-
    (Coniuactio.)
    Stguiose o depoimento do John Devewy, que 1ue examinando esta bota vio n'
    alTirnoa ter visto J. Wilks lloo.li fallar com Georg; mito pelo sapateiro de Nova-York, qu.) a fez o no- dos Porlos dos Estados-Unidos.
    Sanada no hotel S. Lourouco. em Montreal; pa- me de Wilkes Booth ; que os dois individuos par-
    tiram a cavallo do dia 13 depois do meiodia.
    Depois de urna suspenso de tres ijuartos de ho-
    ra a sessiio contiuuou.
    re: que conversavam c mlidencialmeote, e lam-
    beai os vio beborera jautos na hotel Duwley. fle-
    coaheceu perfeilamente fieorge Saandcrs, que ti-
    nha sido agente de inariniu em Nava-York. Nao
    tem i mesraa certeza a re>peito de Thompson Clay,
    e Ho'comb. Terminou assim : Saucders disse que
    eu iiunca o vi, mas Sauuders meniio, porque o vi
    fallar com Bootli. >
    3'guiram-se diversas testamiinhas a respeito de
    Spangler, empregado no thcatro Ford como machi
    Esta destruidlo poda fazer-se por agentes e com
    pouco perigo. O autor da carta pedia a M. Davis
    que se entendesse sobre este objeeto eora o gene-
    j ral Harris. as costas da carta aehavara-se estas
    palavras : < O secretario de estado, quaodo ti ver
    J quasi exnime corra com a bocea espuman-
    te, e .'.ai.la gritando :
    Mami ? aonde estis ? aonde ? aonde 1
    Mas ninguem Ihe responde, e s o echo que na
    floresta tra Ihe responde inaniai ? aonde estis 1
    rou os factos
    principio que livesse conhecimemo da passagem
    dos dois homens ; mas depois de muito astado
    confessou que Ihes dera asylo sem os conhecer.
    Esta testemunha afflrmou, que o Dr. os acom-
    mviijiM depVimenlosdellas se verfi.-ou, que Booth Pannara a, uraa railna de sua . e Ihes indi-
    viuha algumas vezes a eradlo ao theatro, e que cara ""boque deviam seguir.
    costumava entrar pele porta trazeira ; que nestas | Mine. Erama Offult, cunhada de M. Lloyd, s
    ieca?5es Spangler recolhia o cavallo na cochera I referi facus relativos a entrevista de 11 de abril
    e trata? dille; que na uoito do assassinato, Booth i entre Mme. Surratl e M. Lloyd, em Uniontowo.
    ve ,. diamou Spaagler para Ihe entregar o entallo; Wj||iam ^ an,|g0 so|da(J &i confed aQ
    Spaagler entono outra pessoa para o recolher. e| pr(,gado ao coramissariado, disse : que oa manhaa
    voltou para as suas oceupaedes na scena. Tambera t do dia ig de abril, indo para casa, eocootrou no
    se apurou, que de dia Mr. Ford fol armar o cama-j cau)inho no C0D(ladd d(J Fanquje/.( um , e v0
    levou couuigo muitos opera- apear. 0 qua, vendo um un|forme coq
    federado travou logo craversacao, e pergualou a
    .rao Cavaban amigo do Dr. Mudd, corrobo- tVmpo.'saber'do gene'ra larris qual lo" plano qu'e,aonde? aonde ? E ** estado silencio que
    Dr. Mudd negou ao elle invetou para vencer as difflculdades que re- alm raue Pr 'da ella se espalha.
    sultaram da experiencia.(Assignado)J. u.17
    de fevereiro de 1865.
    MM. John Potts e Nathan Bice, empregados na
    reparlico da guerra, declararan) que era sua con-
    vicio, que as llnhas trocadas as costas da car-
    la referida, foram escripias por Jefferson Davis.
    20 DE MA10.
    O sol j tinha felto urna boa tirada; e pareca
    incrivel que to juvenil corpa livesse tanta resis-
    tencia, porm j era mais o terror que fuslenlava
    o pobre perdido do que suas torgas.
    Mas um cipo em breve veiu terminar tanto afn;
    porque entrelacando-se-lhe nos ps fe-lo baquear.
    como um madeiro decepado pelo robusto agrcola
    E Casemiro jaz debrucado sobre as vordes her-
    nos, jotre elles foi Spaagler para tirar o tabique,
    e qu acabado este trabalho Spangler saho do ca-
    marn cornos outros. Nao se veriflcou que elle la
    iicasse s um instante se qner, nem que pozesse a
    travessa de pao para condemnar a porta, ou zes
    e aui buraco com a verrum i, ou desparafuzasse as
    (echaduras.
    E' iUteressant'! o depoim-nlo do ador Samu -
    Kuipp Chester. Booth revele u-lhe no mez de no-
    vernbro ultimo os seus projecto?, couvidando-o pa-
    ra entrar na conspiracao. Neste lempo nao se tra-
    tava anda seno de prender o presidente com mui-
    to- membros do governo, e leva-Ios paraichmond.
    Chester resisti, nao obstante os ullerecimentos de
    iiiuieiro que Ibt Qzeram. Booth procurou depois
    lutiuuda-lo cora amea^as ; alinil reoatfeoa ao sea
    proposito debaixu da promessa formal de segredo.
    Ao abrir da audeucia, uo dia 17 de maio, o ge-
    neral Harris declarou que uo da 13 linha-se oppos-
    to a que Mr. Beverdy Jolins-n fosse admitiidocomo
    advogado, porque este em urna carta de Baltimore,
    datada de 7 de outubro, havia declarado que era
    [Ilegal o jurameoto estabelecido uo pacto onstitu-
    oionaL A carta dizia assim :
    t E' na realida-le o nico meio de proteccao que
    o n vj tem, e nenhuma le moral pode ser violada
    por este meio, porque a exigencia do juramento
    si fora do alcance da cousttuico, e por isso tai
    exigencia milla.
    Des.le odia lo. Mr. Johnsun deixou de assistir
    dhenssSo. Attribue-se a sua ausencia oppoaicjto
    do general Harris. Diz-se qa* foi excluido. A defe-
    za de Mt. Sorral foi incumbida a dous outros ad-
    vogados.
    At este dia s assisiirm as fessfles as pessoas
    necco.-.iras para o precesso os jui alistas. Nesta
    Olma sesso estiveram presentes tinte pessoas
    estraabas causa, ijuasi todas ^cuhoras. Para ser
    admittido era preciso lleenca escripia do general
    1 u a ler.
    O- interrogatorios desta sesso versaram quas1
    axclusivamente sobre a U* de Booth e de Harold
    at uo momento da captura, cojos incidentes sao
    Mohecidos. A nica clreumstineia nova que rev-
    larara foi, qae o Dr. Mud-1 liana lido aatecedeate-
    mente relacoes com Bjjih, oque no mez de no depois a meosagem de John Surratt, oqualsenda-
    vembro ulti.no o havia apivsettada a um lavrador 'he pedidos esclarecimentos sobre o despacho, res-
    do Baixo-Marylaod, por je i..) Je urna compra de j pondeu : a Nao seja to curioso.
    testemunba se vinlu formar guerrilhas para o sul,
    accresceutando arreDaladameote, que eslava all
    cora um irmo ferido, e que elles eram os assas-
    siuos do presidente. A testemunha e seus corapa-
    nheiros dirigiram-se a Bowling Green com Harold
    dei xando Booth no casal de Garrett. Harold vol-
    tou depois a este sitio, onde foi preso e Booth mor-
    to. Instada a testemunha, declarou, que Harold,
    apoutando com o dedo para Booth, dissera : t all
    esta quera niatou o presidente.
    Harold pareceu muito agitado era todo o tempo
    que depoz a testemuoha.
    O lente coronel Canger, e o sargento Corbelt
    iepem sobre a prisao e morto de Booth, factos
    j sabidos. Kecouheceram todos os objeclos qae
    se aprehenderara perteucentes a Booth, e que ti.
    nha comsigo quando foi ferido. Declararam que
    s encontraram em Harold um fragmento de urna
    carta geographica, representando parte da Vir-
    ginia, conhecida pelo nome de Virginia Neck.
    Canger lerabra-se confusameate de ler ouvido
    dizer a Booth na granja, referindo-se a Harold :
    Este homem pede para sair, nao teve parte al-
    guma no crime. >
    Uorbet afflrma que Booth dissera : Decla-
    ro perante o raeu Creador que este hornera est
    innocente de todo e qualquer crime.
    Juhn Fletcher, segundo administrador do esta-
    belecimento de aluguel de cavallos e carroagens
    de Naylor, disse : que tinha sellado utn cavallo
    para Atzeroth e outro para Harold na tarde do
    da 14.
    Os depoimentos que se seguiram versaram prin-
    cipalmente sobre as relacoes de Booth na cidade
    de Washingten.
    WASHINGTON 18 DE MAIO.
    D. Beeve, empregado no telegrapho, residente
    em Brouklyn (Loog IslandJ recooheceu um des-
    pacho que Ihe foi entregue por Booth no hotel S.1
    Nicolao em 23 de margo, para ser transmiltido a
    Levis G. Weichman ; so cdnlinha estas palavras :
    A discusso versou principalmente sobre Pay-'' vas enlre a morte e a vida> como que mergulhado
    ne. Foi reconhecido por multas das pes?oas que i em profundo somno, e apenas arqueja.
    tratavara o secretario de estado, e entre outras pe-' Voltemos agora, oh I leitor, a contemplar o
    lo filho, raajor general Seward, que tambera foi fe- \ Quadro de uraa familia consternada, mas alboro-
    rido. I I3da.
    O juiz mandou tirar as algemas a Payne, para
    elle se vestir com o fado que trazia no dia do cri- i
    me, para melhor se reconhecer a sua identidade.
    Segue-se o depoimento do secretario de estado, \
    e faltam mais de trinta testemunhas. E' provavel'
    que o processo auabe antes do flm da prxima se-1XIV-
    (Continnar-ie-ha.)
    -hS>-<
    UM POLCO DE TIDO.
    na palavra e repeligSo annual da celebracao dos
    passos da paixao e morte de Nosso Senhor Jess
    Christo no tempo qnaresmal, e especialmente neste
    lempo, convidamos recepfo dos Sacramentos da
    penitencia e eucharistia.
    i
    Atindanlos aos seus chamados, e cheguemos i
    cora conlricgao e confianga ao tribunal da (raga,'
    para que recaa sobre nos aquellas bemdilas pala-
    vras de Nosso Seuhor Jess Christo, quando res-!
    pondeu aulher, que se achava entre as turbas,
    quando elle prega va estas divinas verdades aos
    phariseos.o que, extasiad*, por movimcDto do Es-
    pirito-Santo, levautou a voz e exclamou :
    Bem aventurado o ventre que vos encerrou,
    e os peilos que vos aiiraentaram I
    Ao que Jess Christo respondeu :
    Mais bemaveuturados sao aioda aquelles, que
    ouvem a palavra de Deus, e que a observam.
    Oucamos, pois, com toda a atteoco essa divina |
    palavra, esforcemo-nos para obter de Deus a divi-
    na graca, que nos fortifique sempre no seu cura-
    pnmenlo e execufao, afira de raerecerraos essa
    bemaveuluraDca gloriosa, onde Jess Christo reina
    por toda eternidade com Deas Padre e o Espirito
    | Santo.
    Amen. \
    No tExpress l-se o segnlnte:
    No Bltico e na costa septentrional da Kuropa '.
    houve urna espantosa trovoada.
    Telegramraas recebidos esta manhaa dos portos
    O Ilustrado publico desia capital demoaMTM a
    sua adhesio e sympalhia ao Sr. Dr. Cordeire, m
    foi chamado scena, onde receben os otis i
    applausos.
    mana (29 de maio.)
    bre o Evangelho de S. Lucas cap.ialo XI, V. i '*""C0 "de ou,ros >,orlos da costa septentrional
    -Entretanto alguns d.sseram: Que Elle lan-,* Eur0pa dao lnslos >ro,ncDorts sobre urna hor-
    Sobre
    (Conlmuar-se-ha.)
    Do Echo da uventude extrahimos o seguinte:
    A CRUZ.
    I
    Na fazeoda de... da provincia de... o asiro do
    dia espargindo claridade pelas orlas do horizonte,
    annanciava o amachecer do dia dous de setembro-
    Era urna dessas manhas encantadoras. E com
    o correr das horas o aslro gigante e rei guapamen-
    te derraraava seus fulgores, aviventando a natura
    que eslava como que dormente pelos perfuaies das
    papoulas derramadas pela noite; e garboso e gen-
    til ia pouco a pouco transluzindo no irameoso azul
    do cu, qual o turbilhao de fumo que acoutado pe-
    lo vento se ergue era palpa involvendo crepitante
    e rubicunda chama.
    Seas raios anda na primeira cor do arrebol ga-
    llardamente reclinavam-se na infinita arapiido, e
    cabiam em longos e radiantes ftos pelos horizon-
    tes : tai como a venus da fbula quando se apre.
    sentando a seu pai celeste e que seus leves cabel-
    los em continua lula eora as auras perfumadas
    fluctuando se esparziam pelos alvos hombros.
    O clarao almo calor a tudodava; e como o:,
    raios do sol ja projetassem estrellado cu no pavi-
    mento retratam.
    n
    Nestas horas cujos encantos e magia, cuja har-
    mona sonora o sabio principalmente de seu leito
    escata e aprecia, a natureza- acordava e como que
    surria...
    Nestas horas tressuava uraa sonora msica for
    mada pelo caito dos passarinhos, que em compen-
    Dize a John, que diga sem demora pelo telegra-1 sacao de sua fraqueza deu-lhes Deus os mais afina-
    pho, o numero* a ra. A testemunha entrego
    cavallos.
    As reticencias e as ohssimuileoes do Dr. Mudd
    sompromettem-no graveraeni comtodo, anda que
    demonstrem urna indulgencia criminosa para faci-
    litar a luga dos assassiaos, nao chegara a formar
    le ao assassinato.
    ama prova legal de compilada
    A preseaca du sargento Corl
    bre Booth na granja, proJuzlo
    tnaier parle dos acensados saniram do estado de
    prostracSo era que estavara, mosirando grande cu-
    riosidade.
    eit, que fez fogo so-
    eerta sensago. A
    A testemnnha hospedou-se em casa de Mme.
    Surratt depois do dia 4 de marco, nao podendo
    indicar a data precisa. Booth, John Surratl, Pay-
    ne, Atzeroth e outras pessoas, de quem nao sabe
    os nomes, eotraram ura dia muito agitados voltan
    do de urna excursao a cavallo, alguns estavara ar-
    mados. Surratt, que pareca estar de moito mo
    humor, disse, que a empreza eslava mallograda.
    A testemunha declarou, que na mauhaa seguin
    te ao assassinato do presidente, entendeu que era
    do seu dever pr-se a disposiyao do governo para
    A testemanha explicou o que j lera sido publi-. descobrir e prender os culpados. .
    cado era todos os jornaes, declarando que se vio j Beeve fallou de urna senhora, qae se dizia fran-
    obrigado a matar Booth, depois de se ter offerecido ceza e chamar-se madama Surratt, passava corres-
    para entrar s na grania para o prender, e que - pondencias e objectos prohibidos pelo bloque, di-
    atiroa sobre elle qaandj vio apealada a vida dos zla que nao tema as consequencias do sea trafico
    seu; ca manidas.
    illicito, porque podia invocar a proteccao do minis-
    tro ou do cnsul francez.
    Mr. John F. Cayle, un dos proprietarios do Na.
    Henal nMligencer de Philadoipliia, depoz sobre o j J. Weichman esteve hospedado em casa de ma-
    fact(: que Bjoth antes de morrer declarara que ti- Lama Surratt, e vio la entrar e sahir muilas vezes
    nha escripto redaceao deste jornal urna longa car-
    ta, expondo os motivos que o levaram a assassinar
    Mr. Lincoln. A testemunha declarou que nunca re-
    cebeu carta algurna.
    A proposito de cartas, lodos se lembrara que no
    principio do processo espalhou se o boato de se ha-
    ver encontrado no cadver de Booth, um papel con-
    .endo . prova evidente da complicidade de Jeffer-
    son Davis no assassinato. ltimamente tornou-se a
    fallar da carta, e eis o qae parece haver de positi-
    vo : a carta que se encootrouna algibeira de Booth ,
    eslava escripia em cifra, nao se pode ler logo, por-
    que nao era coohecidu o segredo da escripta con- i
    vencional. Anteriormente se havia achado outra
    carta escripia era caracteres semelhantes na casa j
    de Jeff'.rson Davis, era Richmond, a qual nao se j
    deu primeiro muila atteoco, mas depeis servio
    para decifrar a outra.
    Nao se sabe anda ao certo o que esta carta re-
    velcu ; mas diz-se geralraenle, que d'ella resulla
    a prova que Davis eslava em communicacao com
    os emissarios do Canad, e que o objeeto da cor-
    responieucia era o aesassinau projectado, clara-
    mente favorecido por M. Dana.
    O processo, como diz o Corren dos Estados-Uni-
    dos, pouco interessante at aqu, vai entrar as
    qoesles mais delicadas, e satistazer por tira a le-
    gitima impaciencia do publico. Ja se nao trata dos
    desgranados que esto sentados no banco dos reos,
    os quaes, com excepgo de un ou dois, pouca ira-
    as as esperanzas,
    ros parecara mui-
    "onspiradores.
    No dia 4 de mar^o, Booth, Payne, Surratt, At-
    zerolh e mais tres individuos parliram a cavallo
    para urna expedigo ; quando: voltaram, Surratt
    disse que estavam perdidas tod
    Tantoellecomo seus compaobe
    to agitados.
    Esta expedico foi certamente urna primeira ten-
    tativa de assassinato que aborto i.
    As testemunhas, que depozei am nesta audien-
    cia, provaram que Payne foi quem atacou Se-
    ward.
    Outros depoimentos comprometteram cada vez
    mais O'Longhlin, subministrando novas provas da
    sua intimidade e correspondencia mysteriosa com
    Booth.
    James Walker, homem de cor, residente em Pen-
    nusylvania-House, disse : que Atzeroth entrn nes-
    ta casa no dia lo de abril s 2 horas da manhaa,
    e que parti no mesmo dia entre as 5 e 6 horas
    tambera da manhaa.
    William Clendenin reconheceu urna faca apa-
    ndada por urna mulher de cor, na manhaa se-
    guinte do assassioalo, na esquina das ras F e 9.
    M. Phail, agente de polica secreta, declarou
    que Atzerolh ne dissera que havia deitado fri >Jale *** a onda > que empellida pelos
    urna faca, e que em urna algibeira da sobrecasaca
    encontrada no quarto do aecusado se achou urna
    pistola pertencenle a Harold.
    O tenenle \V. R. Klein afflrmou que tinha visto
    portausia derecera. A queslao de maior vulto, e 7
    que da a este negocio um valor histrico, saber A,zero' *m P^u^lvan.a-House, perguntou-lhe se
    sVoscbees do governo confederado, respailados ouvira fallar do assassinato do presidente, aoque
    . Atzerolh respondeu que era cousa horrivel.
    por tolas as naces, se mancbaram a si, e a causa "^ '
    que defeudiam, com ura crime, condemnado pela A testemunha acordou s 7 horas da manhaa, e
    moral de todos os povos e de ledos os tempos. i o aecusado ja havia partido. Alguns momentos an-
    sessao de 17 de majo. Iles do assassinato, o lente Klein vio urna faca na
    William Williams, disse : que fazla parte do cama dejAtzeroih, quando este voltou perguntou
    destacamento mandado era persegaicao de Bootb, testemunha se tinha visto a sua faca, sendo a ros-
    que no dia 18 de abril se apresentou na casa do P*la afBrmativa, exclamou : Se urna falhar, te-
    Dr. Mudd, o qual eetava ausente, offerecendo-se nn0 a outra.
    sua mulher para o ir chamar, pois eslava perlo ; O Rvd. Byder de Chicago, declarou que estando
    efledivaiuente veio e a testemunha perguntou-lhe em Richmond entre 13 e 21 de abril, apanhou pro-
    se sabia qne tinham paesado por all dois iodivi-1 xirao casa do estado uraa caria astigoada por
    daos, que nao erara da local,dade, e elle respondeu: W. J. Oldham, com data de II de fevereiro de 1865
    qae nao ; que Ihe perguntou se sabia do assassina-1 dirigida ao presidente, na qnal chamava a sua at-
    to do presidente e Mudd deu urna resposla evasi-, ienCao sobre o fado que estavam vencidas as diffi-
    va, direndo que ouvira fallar disso na igreja, no,cuidados, que se oppunhatn. a realisaco de um
    dos churos.
    Que horas de enlevos
    Tnoa o canario, assovia o vemvem ; o ja san-
    doso sahindo da moita esoura com passo lento vai
    piando pausadamente pelo vasto leito do bosque.
    O jac grasna alera grimpado no florido pu-
    d'arco e voando de ramo em ramo, vai sorvendo c-
    nctar de suas amarelladas flores...
    foi nestas horas de tantos encantos, e que as
    harmonas troraulam as selvas, como a estrella,
    luzente palpita l n'um canto do cu alravez do
    azul do firmamento; e que o pensamento do bo-
    rneen absorto na conlemplaco de tantas maravi-
    llas, depois de absorver ludo que ephemero e
    passageiro, e conceber lodo podendo deixar de
    existir, pois ludo se pode aniquilar peto pensamen-
    to sera haver nisso absurdo, immediatameote pela
    razo intuitiva eleva-se sablime concepto de
    um enle supremo typo de ludo quanto bello e
    grande...
    Sinv, foi nestas horas que... oh t meu Deas,
    como narrare! tao infausta successo?... um in-
    nocente e tenro menino erguendo-se do leito em
    que, havia pouco, dormita va, e com os delicados
    dedos aioda esfregando os olhes, se poz s pelos
    mattos a brincar...
    Allrahido pelo, aspecto risonho da manhaa, e
    amenidade da tepica aragem qae cahia, vai insen-
    sivelraente penetrando o seio da selva.
    Colhe urna Bor la de um gaiho que, baixo, rola
    no chao varrendo p, e alm laogando os olhos
    oulras v mais bellas e prasenteiras; eis que logo
    apoz ellas corre...
    As flores com as flores brincara e a innocencia
    com a innocencia se entreten).
    Assim Casemiro, pois de quera nos oceupa-
    mos, no afn de ter flores e anda mais flores co-
    Iher, mostrando j assim o vacuo imraenso que no
    peito humano existe, o qual s eom o infinito se
    satisfar, e correado atraz das inconstantes herb-
    lelas, internase na umbrosa matta, que a seme-
    Ihanfa do mar revolto pelo furor das tempestades
    toda gema cora o retorcer dos ventos, que j se
    am desenvolvendo.
    Avanca alguns passos Casemiro, e eis que logo
    o rumo perde dos lares paternos, dos lo ainados
    lares.
    Oh I meu Deus I que ancia I que agonia...
    que dor acerba Ihe devora o peito que vehemente
    j cava fra os demonios, em neme de Beelzeboth,
    principe dos domonios-escreve o Cruzeiro do
    Brasil o segoiole:
    Quantas ignralas, humlhacoes, quanlas aflrontas
    tinha de custar ao Divino Salvador do mundo a
    | obra de nossa rederopeo, bem provaria a lenaci-
    dade desse povo sempre rebelde, desse povo de du-
    ra cerviz para resissir evidencia de fados, que
    lodos leudiam a provar que era chegado o Messias
    promettido 1
    Porm tudo eslava predito nos livros santos e
    tradiccao, e elles nao eram mais do que deplora-
    veis execulores dos deeretos do Altissimo.
    Por isso, nem a ingratido dos beneficiados por
    Jess Cnrisio, nem as blaphemias dos scribas e
    pharrseos-, que se escandaiisavam com a saolidade
    de sua vida, pureza da sua doulrina, com 3s fre-
    quenles obras de beneficencia-, e anda mais-,. com
    os reiterados milagros que sorprehendiam a admi-
    racao do povo, nao embanca que progrida essa
    tremenda obra, que Elle linba tomado sobre seus
    hombros:
    Mais uraa vez vemos Jesos Christo bracos aom
    os doutores da le, e agora dizam elles.
    Que o demonio, que Jes** Christo acabavade
    lancar fra do corpo de am possesso, o Dzera por
    pacto que tinha eom Beelzebutb, principe dos de-
    minios I
    Outros porm, para o tentar, pedera-lhe algum
    prodigio ao cu, como prova' de sua origem
    divina!
    Ohl como os mimigos de Jesos- Christo sao co-
    herentes em todos os terapos!
    Sempre esta lucia entre as trevas e a luz I Entre
    os delirios do philosophismo com as verdades san-
    ias do Evangelho; e se naquelle lempo os scribas
    e phariseos, attribuiam a paci com o demonio,
    hoje, estes altnbuem seus milagros forca do
    magnetismo I
    Tal era o enduredraento que a ndole insista
    deste povo liaha-o feilo chegar : deste povo que
    Deus tinha escolhido para sua heranca, com o qnal
    tinha obrado as maiores finezas de amor e protec-
    cao, como jamis fizera com povo algum.
    Obi Quo funesta vai ser para este povo'
    outr'ora as delicias do Sennor, a sua infernal
    iogralido 1
    D'aqui a pouco o eu se vai oonverler em bron-
    ze, e a ierra em fenro, para ente povo, como ihe
    eslava vaticinado.
    Mas, Jess Christo nao tem anda computado a
    sua diviaa missao.
    Elle nao se irrita;. trata-os eom extrema mansi
    do, e procura anda por todos-os modos, abrir-lhes
    os olhos da f no Messias por elles esperado, pro-
    vando-lhes que Saiauaz nao podia ter cora elle tal
    pacto, que isso seria dividir com ede o seu reino, e
    quelodo reino dividido se destre : que se elle
    iancava pois fra os deminios pelo poder que tinha,
    por ser um com seu eterno Pai, era certo que o reino
    de Deus eslava enlre elles.
    Josus Christo os quer arrancar das trevas, e
    fechara elles os olhos para nao verem a luz I
    Jess Christo prega-lhes urna doulrina de amor
    e saridade, cerram elles os ouvidos para cada- vez
    mais se chafurdar era aos vicios !
    Jesos Christo obra prodigios para, os convencer
    de sua origem divina, e elles attribuem esses-mla~
    gres a pacto com o demonio 1
    Ohl cegneiral
    Ohl desgraca I
    Nao importa.
    O Beparador do mundo gaJgar as sumidades
    do Golgotha levando sobre seus hombros o emble-
    ma do seu imperio, e desde que esse emblema
    sagrado fr elevado ao alto, estar vencido o infer-
    no e o peccado prego da vida do Filho unignito
    de Deus Padre.
    Eis como aqnelle que se considerava bem arma-
    do em sua casa, como disse Jess Christo no pre-
    sente Evangelho, isto o Demonio, gosando em
    paz do seu triumpho pelo pcecado do mundo
    sobreviodo-lhe outro mais forte dominador, hsto ^
    Jess Christo, se apoderar do sea reino e a distri-
    buir pelos ti I nos da luz.
    Porm Satanaz cada vez mais endureca os cora-
    coes destes orgulhosos doutores da le, e nao Ihes
    deixava comprehender eslas iacrepaedes do divino
    Salvador, e prolongaran) elles suas iniquida-
    des.
    orosa lempestade, que durou nos dias 31 de maio
    e 1" do correte raez, e causou os maiores si ni tros-:
    no mar. i
    as costas de Inglaterra (tamben, os estragos-'
    foram muiros, raas menores que nos das costas da
    Altenanha ou da Dinamarca.
    Diz-se que alguns navios inglezcs naufraga-
    ran! : caleula-se aproximadamente era 30 o nume-1
    ro dos navio* que sossobraram perto de Narva, '
    Fredenckabara, Bremen e outros portos. Morreu I
    muita gente.
    Era alguns portos do Bltico os sstragos foram |
    consideraveis.
    Nacapitalal da Baha fui ha pouco representado
    no theatro S. Joae o drama do distncto parahyba-
    no Dr. Antonio da Cruz Cordeiro, denominado
    Prolego-da guerra, oh o Voluntario da Patria ; e
    quasi todo o joi naHsmo d'alli dirigi fe!cilac,des ao
    Dr. Cordeiro, por sua produeco, que laoto enlhn-
    siasrao provocou, quer nao obstante ler eile seguido
    para a corte, vio-se forcado a ceder o seu drama
    para ser levado scena no dia 2 de julho, o dia
    predilecto; e de maior patriotismo, dos Enrnaoos I...
    O conservatorio dramtico da Bahia, era irapres-
    cindivel para poder ser levdo scena-odrama,
    deu sobre ella o seguinte parecer :
    i O drama do tiIm. Sr. Dr. AoIodm da Cruz
    Cordeiro Prologo da guerreo* o Voluntario tria, considerado com demasiada modestia en-
    saio dramtico, pode ser levado scena..
    t Agora resta -me- apertar-lhe a mo, pedindo
    permissSo para drrigir*lhe os meus entboras por
    tao felki composico, e ao mesmo tempo dtzer-lhe,
    que a arte dramtica nao oahir emquanfo tiver
    lo robustas iotelligencias, como seu sustentculo, i
    Bahia e Conservatorio dramtico, 12 de joaho de
    1868.
    U disi-incto poeta bahiano.o Sr. Francseo Moniz
    Brrelo, dedicou ao autor, depois da representa-
    gao do> drama, este soneto :
    Prolongaremos tambera nos nossas iniquidades,
    se nao nos acautellarmos pelas boas obras, jejuns,
    oracoes e frequencia dos Sacramentos contra mi-
    niares do lenlacoes deste lerrivel inimigo, que,
    quando por si s nao nos pode vencer, toma todo o
    refurto qae o inferno Ihe ministra, e nos ataca
    porfiadamente ?
    Enlo, se emprehendemos a perfei;o evangli-
    ca, Satanaz faz com que o mundo nos lance os
    furaces (ere as praias e lenta forgar os diques
    que Ihe poz o Creador.
    Toda sua alma parece aproxiraar-se dos senti-
    dos...
    E eis que logo cai n'um delirio, perde a pacien-
    cia, escalda-se-lhe a mente, e para logo rolam n,o
    p as flores que traz as raaos.
    Espanto I... oh dor 1 irricam se-lhe os cabel-
    los, e um grito espontaneo e aterrador, quasi mis-
    turado com choro cresta-lhe os labios, e recamen-1 -
    te entreaue alen ----- iuv<""eu ,gllommosos epnhetos de hypochnias, de fanticos
    para nos arredar da boa inienco; se pralicamos
    obras de candade, lenta-nos para que o fagamos
    por ostentaco e sem algum principio de amor de
    Deus e do prximo; se estamos bem firmes na
    nossa f, facilita-nos a comraunicacao com os liber-
    tinos atim de espalharem elles em nos a duvida
    pelas suas conversaces livres, ou pela leitura de
    seus prfidos livros saturados de bonitas o bellas
    frazes para arrebataren! nosso espirito I
    Eis, pois, como estamos cercados de tantos lagos
    e perigos; e por isso. que a igreja, nossa terna e
    Um s ente sobe-lhe a mente, o ente mais que-
    rido deste muudo, e correndo Casemiro pelo bos.
    que vai gritando:
    Mami, mami ? aonde eslaes ? aonde, aonde ?
    E assim cora admiravel impelo salta moitas, bar-
    rancos, ir I troncos abalroa, e mil gritos reboam
    na floresta ingrata... qual a aula qae perseguida
    por pertinaz malilha precipitase dos altos te'na-
    dos as planicies dos valles, ou como a corsa que
    ferida pela mortfera flecha do tapula corre doida.
    pela inmensa campia coberta de duro agreste,
    Vomita em cada lava a dor e a ewrtfc f-}
    Da patria o voluntario desenliaste.
    Em quadro heroico brasileira trra,
    E cora esse teu Prologo da guerra
    Das multides applausos conquistaste. (2)
    Agoraavante !. o feito nao te baste ;
    O v novas regies descerra I
    A quem ao seu dever e patria erra,
    Na scena pelo p teu genio arraste !
    Com iiliios taes-a patria, si-periga.
    Logo melhora de atlitude e serte,
    Sem que de tenis avs jamis desdiga.
    Como o canho ua biasa cohorte,
    A musa do laa drama a gente in'raiga
    Vomita em cada lava a dor e a morte.
    No im da representacao do drama, foi o sen au-
    tor corado pelo poeta e insigne artista dramtico
    Fraucisco de Sales Gaimares e Cunha ; o qual
    nessa occasio recitou a seguinte poesa :
    No cofre (3) que encerra leus carmes divinas,
    Poeta, o artista te offerece esta c'ra I
    E' justa, homenage ao eximio talento,
    Que as- turbas applaudem, que a patria aproga.
    Mais lindo, que a estrella que as nuvens purpureas
    Da aurora abrilhanta cora mgica luz,
    BefuJge teu estro,oh I vate sablime,
    Que s por um genio sem par se tradua 1
    Se Agrario da campa rompesse as cadeias
    Munido da lyra no palco viria
    Saudarte coas- flores da musa allaneira,
    Que um genio, outro genio mais alto aprecia.
    Avante, poeta, que a gloria te acina,
    Abriudote as porlas do templo sorrir I...
    Avante I nao tremas !. caminha I... qae a scena
    Confere-te hoje immenso porvir t
    O Diario da Bahia em ura artigo de redaccao,
    diz o seguinte :
    Conforme eslava annuaciado, represeniou noite de 17 do correnle, no theatro de S. Jjiao, a
    pega dramtica intitulada Prologo da guerra, ou o
    Voluntario da Patria, composigao do Sr. Dr. Anto-
    nio da Cruz Cordeiro, natural da provincia da Pa-
    rahyba, e que nesta cidade se acha de passagem
    para a corte do imperio.
    O theatro eslava completamente ebeio, e notava
    se nos semblantes dos espectadores a irradiago de
    urna alegra intima, como a qae deriva de tudo quan-
    to falla aos bros de una povo livre, cioso da sna
    independencia e dignidade.
    A composigao de nm estylo filente e elegante,
    em versos harmoniosos, produzio o effeito que era
    de esperar dos talentos Iliterarios do distincto para
    hybano, e tambem do assumpto, que actualmente,
    mais do que em qualquer outra occasio, um mo-
    te de enthusiasrao para os coraces brasileiros. A
    execugo corren satisfactoriamente, com a anima
    gao e propriedade requeridas pela natureza das
    scenas. A empreza esraerou-se em fazer crin que
    a decoracao correspondesse ao pensamento qae ins-
    pirou o poeta, a quera felicitamos com prazer em
    nome da gloria nacional, to bem saudada por elle
    nessa composigao, digna de ser guardada como om
    legado precioso no archivo dou bros do paiz.
    (I) Verso d, drama..
    (i) Na Parahyba, onde foi apresentado, e aqni.
    (3) Olivro manuscripto do drama, de que se
    servio o ponto, e sobre o qual foi oflerecida a co-.
    roa.
    E" do Sr. Dr. Franklin Tavora esta poesa :
    S a vida, na flor dos annos.
    Se os annos da flor da idade
    Nao frcm na ebriedade
    Bebidos do teu amor:
    Na afllirro N5o lera gosos a vida,
    Nem juventud.; querida,
    Nem annos que tenham flor.
    Anjo de candidas ve9tes,
    Sylpljo que os ares perfuma.
    Flco de paluda espuma.
    Lmpida nuvem do ar,
    Tu tens dos mimos celestes
    A urna cleia nos seios,
    Nos labios de aromas ebrios,
    Nos pliillros do teu olhar.
    Vicsie no vir da onda.
    Viso dos mares da vida.
    Viso as aguas dormida.
    as aguas do mar azui:
    Do ct'ii a lua redonda
    Enchia de luz celeste
    O mundo, quaodo vieste
    Ao sopro do vento sal.
    Do leito da praia branca
    Surgiste como sereia.
    Sujo o cabello da areia,
    Que lua Iranra rocou
    Quando aos venios toda fr.nca
    Se espargio na vaga espessa;
    Mas sacudiste a cabeca
    a areia em pe 'la modoa.
    Deixa, por consolo ao menos
    D'esla alma que um amo sooba
    Na ti ia imagem r simba
    Nyade linda do mar
    Deixa que os flcos pequeos
    Do leu roupo enfitado
    Eu chegue ao labio abrasado
    Sem no corpo te rucar.
    Deosa s Gltas latentes
    A lua madeixa enfeilam,
    Donde os perfumes se deitatn
    E batiliam-te o corpo assim.
    Desde os labios rubescentes,
    Desde a cabeca elevada
    At a poota afilada
    Do teu azul borzeguim.
    A lua procura as gazas
    Das nuvens, do firmamento.
    E vai, com medo do vento,
    Nos trasflores se occallar ;
    Eu busco a sombra das azas,
    Das azas do leu vestido,
    E bem conchejado, unido.
    Quero alai viver de amar.
    Mina de S. Domingos.-X folha offlcial pablxa
    as segrales curiosas informaroes acerca * lio
    importante mina :
    A extraccao do mmerio de cobre oa mina de S.
    Domingos no conceiho de Meriola, disinclo de Be-
    ja, foi do aono de 1863, de 407:380 toneladas .a-
    glezas, e no anno de 1864, de 123:000 Icaelada*
    tambera ioglezas.
    O numero de operarios a trabalbadores emprega-
    dos na mina e as suas dependencias no anno de
    186i, foi de 837 bomens, e a de cavalgadora* em-
    pregadas na mina e do caraioho de ferro fot no
    raesrao anuo de 7.
    As despezas de avia injuiaraoj no primeiro d'a-
    quelles aunos a l^':333j?385, no segundo a
    117:828*838.
    O minerio transportado para Inglaterra e all
    vendido, produzio, segundo as declararnos do ga-
    rente da eoipreza no anno de 1863, 1.21* M&J60I)
    ris no anno de 1864 foi imputado em ris
    1.386.200*000.
    O nipjsto proporcional para o estado anlor.-
    sado pela lei de 31 de deiembro de 1853 e res-
    pectivos addicionaes, foi relativo ao auno de lasa
    de 16:4953,444 ris, e ao anno de 1864 de.... '
    18:863*232 ris.
    Os deraais impostas a pagar, como direiios- de
    exportago e outros, montaran) no anno de IMt a
    18.7724420 ris; o. que, junio ao imposto propor-
    cional d'este mesmo aono, perfaz ua total da ris
    37:608*372.
    A estatistica dos animaes domsticos em trm\m
    d o seguate numero.
    Gado cavaltar, tres milhoes era nmeros redon-
    dos.
    Asnal 400:000.
    Muar 330:000.
    Bovino 10.200:000 comprehendendo 900:000 lm-
    ros, 2 milhoes de bois, 3 800:000 vaceas, besan
    de anno 4 milhoes.
    Gado langero 35 milhoes, dos quaes >io tt.
    Ihiies de merinos mestcos, e somente railB&efct
    raga com mura.
    Caprino 1.400:0(0.
    Saino de mais de 1 anno 1.400:000, e de
    leite, canecas 3.900:000.
    A Franca possoe actualmente 5.I0OO0Onctares
    de prados naturaes; 2 900:000 em prados arM-
    ciaes; 6:600.0 O em pasiagense ehameeaa.
    Jonwoa
    As folhas inglezas pintam o presidente
    de um modo qne nao muito usongeiro,
    O retrato o seguinte:
    E' um homem de conitruecao robusta,
    chata, sobrancelhas moito espessas, labios j
    bocea de tigre e faces salientes.
    E' evidentemente um homem vigorte, t nao da
    ama sympalhia a qae se nao possa resbttr; wm
    pouco de araavei, e nao dos que se deii
    por qualquer forca exterior.
    Todo o qne del le se conla fortifica a :
    vceo de que temos na sna pessoa na
    americano, um homem que, como eile
    a urna deputacao da Peosylvania, mnrifiri i
    que resistir uo estado; e ser algunas
    nado a crer na mxima :
    Q estado son en !
    PERNAMBUCO.-TYP. DE . F. DE F. A FU*O
    X