Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:10721


This item is only available as the following downloads:


Full Text
-

km ni mm m
-------------
qmirlel |a|o lienlro de 10 das do 1. mez
dem epeis des 1/' i das do couiecoedeufi'odo
Porte ao eorrei r eres mtit
0HT FE1RA 20 DE JDLHO DE 1865.
Por anuo pago dentro de 10 dias do 1. mez ,.....19|000
Porte ao eorreio por un aio..........?.,. SfOOQ
ENCARREGADOS DA SUB8CRIPCAO DO NORTE
Parahyba, o *r. Antonio Alex?ndrinu de Lima;
Natal, o Sr. Amonio Marques da Silva; Araeaty, o
Sr. A. desmos Draga; Cearl, o Sr. J.Jos de
Oliveira ; MaranhSo, o Sr. Joaquim Marques Ro-
drigue- ; Para, os Srs. Geraldo Antonio Alves &
Finios ; Amazonas, o Sr. Jeronymo da Costa.
ENCARREGADOS DA SURSCRII'CAO DO SUL.
Alagoas, o Sr. Claudino Falco Dias; Rahia, o
Sr. los M.irlins Alves; Rio de Janeiro, o Sr. Jos
Kibeiro Gaspariaho.
PARTIDA DOS ESTAFETAS.
Olioda, Cabo, Eseada e estaedes da va frrea at
Agoa Preta, todos os dias.
Iguarass e Goyanna as segundas e sextas feiras.
Santo Anto, Grvala, Uezerros, Bonito, Caruaru,
Altinho, Garanhuns, liuique, S. Rento, Bom
Consolho. Aguas Bellas e Tacaral, as lerdas
feiras.
Pod'Alho, Nazarelh, Limoeiro,Brejo, Pesqoeira
Ingazeira, Flores, Villa Bella, Cabrob, Boa Vis-
ta, Ouricury, Salgueiio e Ex, as quartas
feiras.
Serinhem, Rio Formoso.Tamandar, Una, Bar-
reiros, Agua Preta e Pimenteiras, as quintas
feiras.
AUDIENCIAS DOS TRBUNAES DA CAPITAL.
Tribunal do commercio : segundas e quintas.
Relacao : tercas e sbados s 10 notas.
Fazenda : quintas s 10 horas.
Juizo do commercio: segundas as i i horas.
Dito de orphaos: tercas e sextas s 10 horas.
Primeira Tira ds er/ei: tercas e sextas ao meto
dia.
Segunda.vara de eivei: guaras e sabbad* a i
hora da tarde.
EPHEME&iDES DO MEZ DE JULHO.
8 La chela as 6 h., 7 m. e 22 s. da t
15 Quart ming. as 2 h., 6 m. e 46 s. da t.
22 La nova as 4 h., 9 m. e 40 s. da I.
30 Quarto crese. as 4 h., 49 m. e 16s. da t.
DIAS DA SEMANA.
17. Segunda. S. Marinha v.^ S. Aleixo.
18-. Terca. S. Rulino b.; S. Frederioo b.
19. Quirla. Ss. urea e Justa vv.; S. Marrina v.
20. Quinta. S Jeronymo Emiliano; S. Elias prot
21. Sexta. S. Henrique imperador.; S. Prxedes v.
22. Sabbado. S. Maria Magdalena; S. Meuelio afo.
23. Domingo. S. Apolinano b. m.\ S. Liborio b.
PREAMAR DE HOJE.
Primeira as 2 horas e 6 m. da tarde B
Segunda as 2 horas e 30 minutos da manhaa.
PARTIDA DOS YAPORES COSTEIROS.
Para o sul al AJagoas a 14 e 30; par
ata a Granja a 7 e 2* de cada mez; para Penaaa-
do nos dias 14 dos- roeies de Janeiro, mar^o, Balo,
julho, setembro e noverobro.
ASSIGNA-SE
noRecife, na livrarla da praca da Independencia
ns. 6 e 8, dos-proprietarios Manoel Figneiroa e
Faria & Filho.
' eomiw n nmmk.
Etjiedieiile do dia 17 de julho de 18bo.
Offlrlo ao director da faculdade de direito.Ha-
biliie-me V". Ese. coin sua infor naci demudo a
alisfazer o disposto no aviso da reparligo do im
perio de 3 do correte, constante da copia inclusa
relativamente a luta renhida, que se deu nesse es-
tabdecimerto entre os estudanus do primeiro an-
n o os dos annos superiores.Igual ioformacao
foi exigida do c.hefe de polica.
Dito ao p.-ovedor da Santa Casa de Misericordia.
Declaro a V. Exc, em soluco ao seu offieio de
15 do correle, sob n. 283, que na autorisaclo dada
pelo | 2." do artigo 14 da le n. 611 de i de tnaio
ultimo, compreliende tambera a despeza que se hou-
ver de fazer rom roupa, cama e eolxoas dos filhos
menores e irmos orphaos desvalidos quer dos ot-
flciaes e pracas de pre do corpj de polica, quer
dos cidadlos ou guardas nacionaes, que se alista-
ren! nos corpos de voluntarios da patria.
Dito ao desembargador Caetano Jos da Silva
Santiago.-Tendo em consideraba as razoes expos-
tas por V. S. em oficie de 16 do correle, a que
responde de peusei-o nesta data do cargo de chefe
de polica interino desla provincia para que o ha-
va designado.
iio ao coronel commandante das armas.Pro
vidcncieV. S. convenientemente para que o segun-
do tenerte Felippe Marques dos Santos e as pracas
de pret mencionadas era a nota annexa ao sea of
tino u. 1219 de 15 do correrte, embarquen boje
as 11 horas da manhaa no vapor Tocantins.
Dito ao mesmo. Remello incluso o offlcio que
me dirigi o director do arsenal de guerra, em 11
4ocorrete, para que V. S. informe sobre a conve-
niencia de seren conservados ou vendidos os ob-
jetos mencionados na relaco aonexa ao citado of-
ueio, declarando na primeira hypoihese se podem
ser recolhidos em algum dos quinis, os referidos
obieclos.
Dito ao me-mo.Para curaprimento do disposto
oo aviso da rep* nielo da erra de 8 dj correrte,
jnforme \r. S. com a possivel brevidade se o capi-
llo do 9. balalhao de infamara Pedro Alfonso Fer-
reira, que falleceu em combile no da II de junho
Dllimo, duixou nesta provincia viuva e filhos, de-
Clarando V. S. em caso afflrmativo, o nome tanto
que ear.im pelo fallecimenlo d'aquelle oficial.
Dito ao chefe de polica.Em rcsposla ao oficio
de V. S. n. 936 de 6 do crreme, tenho a declarar-
le que segundo informou o desembargader pro-
vedor da Sania Casa de Miseric Tilia, aja 15 deste
mez, nao pode sur recolhido ao hospicio de Onda,
por taita de acej:nmoJ.ic>*s o doiid) de nome
liento de que trata o citado oficio.
Dito a thisourana de tafeada*Declaro a V. S.
pira sea conh -cimento e lim conveniente que, com
oavios do ministerio da fazenda de 26 de junho ul-
timo, me foi remeto lo o d-creto de 23 do mesmo
mez, nomeando pagador dessa thesouraria a Miver-
vino de Souza Loo.
Dilo a mesma.Tran-rnilto a V. S. o atteslado
junto em duplcala, allm di! que no havendo in-
conveniente mande pagar a Luiz (ornes Dourado,
conforme solicito"! o chefe na pol.cia em oficio de
14 do corrente, sob n. 988, a quantia de 303000,
correspondente ao aluguel de 3 mezes, vencidos
no ultimo de junho prximo finio, da casi que ser-
ve de quartel ao dest mmenlo de guardas nacio-
naes do termo de Agua Preta, pudendo i-sse paga-
mento ser envernado sob miaba responsabilidade se
nao houver crdito para elle.Communicou-se ao
chefe de polica.
Dilo a mesma.Communicandn me o Exni. Sr.
ministro da fazenda em aviso de -i dj abril Dllimo,
que mandou addir a alfandega d i Cearl o qaarto
escripturario da desta provincia Jos Feliciano de
Noronha Felal, assiin o declaro a V. S. para seu
conhecimento e direrclo.
Dilo a mesoa.Recomnioodo a V. S. que pro-
videncie com urgencia ali'n de que o segundo t-
tente do i.abatalbao de artilbaria a pe Felippe
Marques dos Saulo-, esteja despichado por e?sa
repartico para embarcar bloje no vapor Tocanlins
com as pracas de pret destuadas a corle al as 11
horas do da.
Dipi ao mesmo.Transmiti or copia a V. S.
tara seu coonecimeDla e difecgiu o aviso de a do
crreme, em que o Bxm. Sr., ministro da fazenda
ondera em addiamenio a ordem do Ihesonro na
i ional n 8o, que as Coocessdes de marinhas e de
terrenos de que traa a le de 27 de seUmbro do
1850, arl. 11 7U, continuarlo a ser Celtas ua pro-
vincia na lrtna da legislacao em vigor.
Dilo ao mesmo.Em vista do que expoz o pro-
curador fiscal dessa thesouraria no parecer a que,
se refere o seu oficio de 4 do correle, sob n. 447,
informe V. S. se jase aclu principiada a accao de
COmmisso, que semandou inslaurnr contra Domin-
ios Antunes Villaga, por haver abooado terrenos
de marha de que era roreiro, sem que tivesse
cumprido as condtoes constantes do respectivo
titulo, providenciando ao mesmo tempo para que
se proceda a ^ellielhaIlt respeito coin a activida-
de que exigern ns interesses da fizeuda nacional.
Dito a thesooraria provincial.Inteirado do con-
tedo do oficio de 14 do correte, sob n. 266, em
que V. S. em vrtude de deliberico lomada pela
junta dessa thesouraria acerca do oficio que de-
volvo do lliesoureiro das loteras da provincia, con-
sulta se os premios de 4005 esli ou nao sujeitos
ao'imposto de o por cento de que trata o 13 do
art. 46 da lei do ornamento vigi-nle, lenho a dizer
em resnala, que esse imposto deve continuar a ser
cobrado como se ha feito at agora.
Dilo ao mesmo.Pode V. S. conforme Indica a
j ma dessa thesouraria mandar annunciar a ven
da a prasos da fabrica de relio.ir assucar na po-
voaijito do Monleiro, visto nao ter apparecido lici-
t mies a ella, segundo constado seu oficio de 15
do correte, sob n. 268, que lica assim respondido.
Dito ao mesmo.Com o oficio do commandante
soperior da guarda nacional dos municipios de
Oliuda e I -mi.ii ;i-- de 16 de junho ultimo, remet-
to inclusas duas cuntas em duplcala das despezas
f 'ti- com agua e com azeite para luzes, todo do
destacamento da cidade de Olinda, e*no lempo de-
corrido de-de 18 de fevereiro al 31 de maio do
anno correle, para que V. S. mande pagar a Ia na
importancia de 16J.4BO e a 2' na de 12928.
Dito ao mesmo.Mande V. S. fornecer a escola
normal que lem de ser transferida para o palacete
(.i ra da Praia, osobjeclos necessanosa mesma
escola coDslante da relacao junta por copia.
Dilo ao mesmo.Em vista do attestado junto em
duplcala que me remelteu o chele de polica com
f. de inconveniente, mande V. S. pagar a Luiz Go-
mes Honrado a quaoliade 30, proveniente do alti-
fui'l de tres mezes vencidos no ultimo de jnnho
proxin o lindo, da casa que serve de cadeia na vil-
la de Agua Prela.Communicou-se ao chefe de po-
lica.
Dito ao commandante superior do Recife.Man-
de V. S. addir ao balalhao da gur.rda nacional ac-
tualmente aquartelado o aiferes do de n. 21 de in-
fartara do municipio de Liinoeiro,Jeronymo Cesar
de Vascncellos, que se apresentou para servir no
contingeute que lem esta provincia de dar para a
guerra, Bcando V. S. na Inlelligencia de que con-
cede a esse oficial oito dias de licenca
Dito ao mesmo.Mande V. S. postar em frente
da matriz da Boa-Visla, amauha as 7 horas do dia
urna guarda de honra para assistir ao funeral que
all se tem de fazer pelo descanco eterno do capi-
llo do exercilo Pedro Aff raso Ferreira,que falle-
cen no combate que leve lugar entre a torea na-
val do imperio e da Repblica do Paraguay em
dia II de junho ultimo.
Dilo ao commandante superior de Goianna.
Fica dispensado de embarcar com o contitgenie
da guarda nacional que tem de dar esta provincia
para o servico da guerra, o individuo de nome
Marcolino Jos de Araojo, visto que seguudo V. S.
declarou em sua informadlo de 20 de julho ultimo,
foi elle eliminado da guarda nacional desse muni-
cipio.
Dilo ao inspector do arsenal de marinha.Com-
munico a V. S. para seu conhecimento que segun-
do constou-me de aviso de 28 de junho ultimo, S.
M. o Imp-rador por decreto de 27 daquelle mez,
houve por bem nomear o Dr. Francisco de Paula
da SilveiraLobo para o cargo de ministro e secre-
tario de estado dos negocios da marinha.Com-
municou-se ao capillo do pono.
Dilo ao mesmo. Mande V. S. transportar com
urgencia para bordo dj vapor Tocantins, um ofi-
cial e 64 praca- de pret que tem de seguir hoje
para a corle in mesmo vapor.
Dilo ao director do arsenal de guerra. Mande
V. S. faxer as despezas que torea necessaras com
a condcelo de 6 caixOes de objectos perlencentes
ao 4 biialhlo de arlilharia a p, eque devem ser
hoje embarcados no vapor Tocantins, apreseniando
a respectiva cunta ao inspector da thesouraria de
fazenda para ser indemnsada.
Dilo ao mesmo.Forneca V. S. a vista da requi-
: sicao do commandante superior da guarda nacio-
nal desle municipio o earluxanie de mosquelaria
i sem balas, que r preciso para as salvas que lem
! de dar a guarda destinada a assistir as exequias
que se tem de fazer amanhla pelo descanco eterno
I do capno do exercito Pedro Alfonso Ferreira.
Dito ao mesmo. Respond ao oficio que V. S.
idirigio-me nesta data, sob n. 321, declarando-lite
que roo mandar recolher a esta capital as pravas
da companhia de artfices que se acham destacadas
em Fernando.
Dito ao commaniaute do corpo do polica.Re-
commendo > V. S. que tenha prompta para embar-
car no da 19 do correte as duas companhias do
corpo sob seu commando, que tem de seguir para a
corte.
Dito ao mesmo.Mande V.S tirar da thesoura-
I ra provincial na forma das ordens j expedidas
' para cada urna das pracas do corpo sob seu com-
mando mencionadas na inclusa relacao, a impor-
tancia de 2 mezes da gratificarlo de que trata o
arl. 7- na le provincial n. 511 de 2 de maio ultimo,
| visto que t"tn elles de embarcar para a corle bre-
! veniente
Dilo ao mesmo. Auloriso V. S. a dar baix do
' corpo sob seu commando ao soldado Manoel Nunes
; de Medeiros, que, segundo a sua inforniagao n. 586
I de 14 do crreme, tinalison o engajamento e nao se
I offereceu para marchar para o sul.
Dito ao mesmo.Pode V. S. engajar para o ser-
j rico do corpo sob seu commau I >. os paisanos Ma-
I noel Gomes dos Santos e Felinin !' nilio Ayres, vis-
to que, segundo o seu oficio n. 591 desta data, fo-
rain julgados aptos para isso em inspecclo de
saJe.
Dito ao commandante do vapor Tocantins.
Apre-enlando-se-me nede momento Ignacio Bezer-
ra de Mello e Benedicto Jos dos Sanios para ser-
virem no exercilo voluntariamente com deslino ao
2" balalhao de infamarla do exercito, recommendo
a V. S. que os faca apresentar para este fim ao
Bxm. ministro da guerra, a quem oficio a este
respeito, certo de que expeeo ordem a agencia de
vapores brasileiroa para dar transporte aos referi-
dos voluntarios.
Dito ao director geral da in-triieclo publica.
Recommendo a V. S. qne prooorcione aocapit>i)
Burlan, cnsul francet em Santos, todas as facili-
dades alim de que possa ver e examinar quanto
Ihe convier ua bibliotheca provincial.
Dito ao mesmo.Approvo a deliberadlo do con
seibo director de 17 de jusho prximo lindo, que
manda submetter ao meo conhecimento o sm ofi-
cio de 11 do crreme, sob n. 207, alim de que alm
dos casos previstos pela deliberadlo do mesmo
conseibo, por esta presidencia approvada em 20 de
julho do anno passado, que regulara as remocoes
dos profes-ores, sejain igualmente admissiveis, e
informados favoravelmenle os extraordinarios e
nao previstos, que forera justos e procedentes.
Dito ao engenheiro fiscal da estrada de ferro.
Remeti a Vine, para a devida exe.-ucao, 5 exem-
plares das inslruccoes que, de confonnidade com o
aviso da reparliclo da agricultura, commercio e
obras publicas, de 4 do correte, devem substituir
as que foram remettidas a Vine, com oficio de 9
de maio ultimo.
Dito ao mesmo.Remello por copia a Vtn. em
solugao ao seu oficio n. 120 de 20 de junho ultimo,
e para ter a devida exeeueao, o aviso n. 22 do 4
do correte, expedido pela reparliclo das obras
publicas, commercio eagrirultura, uo i|ual se mau-
da applicar nessa reparliclo e no servico dos trans-
portes da via frrea o systema decimal, cuja adop-
cao o goveroo imperial julga de raaior convenien-
cia.Igual copia oi reraeltida as reparlicoes com-
peten tes.
Dito ao 4 sopplente em exercicio do juiz muni-
cipal de Caruai .Recebi o oficio de 5 de abril
ullimo, em que Vmc. expoe que o bacharel Miguel
Brnardo Vieirade Amurim, juiz municipal edeor-
phSos desse termo, a requerimento de Jos Soriano
da Silveira dera principio ao inventan? dos boas
deixados por fallecimento de Francisca Senhorinha
da Couceiclo, casada que foi com Jos Martios dos
Aojos, pelo juizo civil por haverera decorrido mais
6 mezes depois da morle da inventariada serem os
herdeiros, embora orphaos, collateraes, mais recla-
mando o escrivo de orphlos que Ihe competa es-
ererac em dito inventario, suspenden o andamen-
to do feito, e trouxe o occorrido ao conhecimento
da presidencia par resolver. Em resposta clle-
me dizer-lheque a decfsio dessa questo encerra
nullidades por um e outro lado, e di lugar a re-
cursos, e por isso da exclusiva competencia dos
tribusaes judicianos, e deve Vmc. resol ve-la, se-
gundo as leis e principios de direito, com vista do
que recommeodou as circulares de 7 de fevereiro
de 1856, e 16 de noverabro de 1864, juntas por co-
pia.
Dito ao juiz de paz do 1 distrlclo da freguezia
do Poco da Panella.Mande Vmc. apresentar-mc
amanhla o individuo de nome Jos Antonio de Oli-
veira, que serve nesse juizo como oficial de jus-
liea.
Dito ao gerente da companhia Pernambucana
de navegando costeira.Paracumprimento do dis-
posto no aviso circular do ministerio da agricultu
ra, commercio e obras publicas do ,1o do correte,
envie-me Vmc. com a possivel brevidade urna ta-
bella das horas de chegadas e partidas dos vapo-
res da companhia Pernambucana nos portos desta
provincia.Igual exigencia se fez aos agentes da
companhia Brasileira de paquetes a vapor.
Dito aos agentes da companhia Brasileira de pa-
quetes.Podem Votes, fazer seguir para os porros
do sul o vapor Tocantins hoje a bora indicada em
seu oficio de hontem.
ter noticia.
Certo do zlo com que V. Rvma. des-
que requereu a professora publico de inslruc-' empenha quarquer encargo necessario para o bem
imaria da villa de Serinhlem Maria Chris- dos povos e da diocese, aguardo as suas inlorma-
Portaria. O presidente da provincia, atienden
do ao
cao pri
ina Cavaicanli Pessoa Cesar, e teodo em vista a
informadlo do director geral interino da iostruc-
r i y publica de 7 do crrenle, sob n 203, resolveu,
de confonnidade com o arl. 23 da lei n. 518, de 13
de maio do anno passado, remov-la daquella ca-
deira para a da freguezia de Jaboallo creada pelo
2 do ari. 19 da citada lei.
Dita.O presidente da provincia, attendendo ao
qne requereu o conego Francisco Itochael Pereira
de Brilo Medeiro, director da escola normal, resol-
ve concederlhe tres mezes de licenca com seus
vencimentos para tratar de sua sade. Fizeram-se
as necessarias comtnunicacoes.
Dita.O presidente da provincia, resolve nomear
o Dr. juiz de direito da comarca do Cabo, Manoel
Clementmo Carneiro da Cunha, para exercer inte-
rinamente o cargo de chefe de polica, riti ter
solicitado dispensa o de: embargador Caetano Jos
da Silva Santiago, que para esse cargo foi uomea-
do tambem interinamente.Fez-se o necessario
expediente a este respeito.
Dita.O presidente da provincia, resolve trans-
ferir para a 5* companhia do corpo de polica, o
; capillo da 4' Jos Pereira Teixeira, e nomear para
o ine.-iiMj corpo os oficiaos seguintes :
2.a Companhia.
Tenenle o alferes da 4' Francisco Xavier Rodrigues
de Miranda.
4.' Companhia.
Capillo o tenente da 2* Jlo Francisco da Cu-
nna.
Alferes o sargento Jos Francisco de Souza Maga-
Hiles.
Dita.Os senhores agentes da Companhia Brasi- de dia, mez e anno,
leira de paquetes a vapor maodem dar transporte
para a corte por conta do ministerio da guerra, no
vapor Tocantins, ao 2" cadele sargento quartel
mestre do curpo de guarnidlo desta provincia, Ale-
coes a este respeito.
i. lidenle ilo secretario d) btspado.
14
Oficio ao padre Jos Antonio dos Sanios Lessa.
Verilicamt -se pelo exame das contas, qne V. S.
presin aonvi administrador que foi das obras da
nova igreja matriz de S. Jos do Becife, baver um
saldo na imporlancia de dnus cootus quiohentos e
noventa mil e oito centos e trila e um ris......
(2:590i831), ero favor da mesma igreja, segundo o
parecer demonsiralivo, que em original envo a V.
S. e havendo o Exm. Sr. Dr. vigario capitular re
solvido relevado dese saldo, urna vez que a igreja
matriz esla inteiramenle desembaracada de qoaes-
quer cumprunussos provenientes de sua admini-
traro, assim o communico a V. S., que devolver
o nnsmo parecer a esta secretaria, onde deve fi-
car archivadu com os livros e documentos que
ai:ompanh>raro suas cuntas, devendo V. S. em ter-
mo breve declarar se acceiia ou nlo a remisslo do
referido saldo.
Pareen- sobre a conta que tiprrsentou o Rvd. Jos
Antonio dos Santos Lessa, como administrador
que foi das obras da nova matriz de S. Jos, ao
qual parecer se refere o officio mima.
A' vista do livro que me foi apreseolado, con-
tend) diversas comas relativas Is obras da nova
matriz de S. Jos, e respectivos documentos, tenho
a dizer o seguirte :
Dito livro est esrripturadu de pagina urna pa-
gina sessenia e bina, do Io de noverabro de 1856 a
30 de junho de 1864, sendo de pagina urna pagi-
na dezesels eseriplurada pela ordem chronologica
a conta corrente de Manoel
Lourenco Correia de s, com as obras da matriz
nova de S. Jos, a qual principia no Io de novera-
bro de 1856, e termioa em 30 de agosto do 1862,
sendo feito o primeiro lancamento (debito) pela ma-
xandre de Macede Passos, que olfereceu-se para a j neira seguale :'183b' oovembro 1Dinheiro qu
guerra do sul. exista un seu poder quando assumi a admiras-
Dita. Os senhores agentes da Companhia Brasi- j traclo 32000. Este lancamento prova nlo equi-
leira de paquetes, facam transportar para a corle voca de que o padre Jos Anlonio dos Sanios Lessa,
por corta do ministerio da guerra, no vapor Tocan- que Urmoo nao s dita conla correrte pagina 16,
tins, os paisanos Ignacio Bezerra de Mello, e Bene- mas todas as cenias constantes em referido livro,
j dicto Josffdos Santos, que vio ser apresenlados ao tomn coma da administracao de mencionadas
! Exm. Sr. ministro da guena, como voluntarios obras em novembro do dito'anno, o que anda
I para o exercito. i comprovado pelo bilhele n. I, e primeira folha de
Dita. Os senhores agentes da Companhia Brasi-! feria,pela qual se v que de 10 a 15 de ditonovem-
leira de paquetes, facam transportar para a corte 'bro trabalharam era referidas obras, dous offlciaes
no vapor Tocantins, por corta do ministerio da j e cinco serrentes, estando devidamente especifica-
'guerra, nao s o 2* tenente e 64 praca- de pret; dos pelos seus nomes, jorpaes, etc., sendo o debito
: mencionadas em a nota por copia inclusa, mais; de dita corta de 43:254,^740, levado a ere Jto da
lambein qualro caixoes contendo artigas de arma-
mento o equipamento pertencentes ao 4' balalhao
de arlilharia a p.
Dita.Os -enhores agentes da Companhia Brasi-
caixa, e seu credilo 43:x56107, foi levado a debi-
to da matriz.
A mencionada conta acha-se comprovada nao s
com os respectivos infieles passado* pelo referido
leira de paquetes, faram transportar por conta do SI, (docuineulos n. I a 123) do dinheiro que rece-
ministerio da marinha no vapor Tocantins, o deser-j bia e despenda, mas lambem com1 as folhas que
tor do brlgue-barca Itamarac, Leopoldiao Antonio! semanalmenle pagara (nota A com documentos de
Ribeiro, que o capillo do porto tem de remoller d. la 300) e Restas estilo discriminados, pedreiros,
para a corte. Communicou-se ao capillo do, srvenles (mencionndose os dias de servico de
porto. cada um, e respectivos joinaes), materiaes, carre-
Dita.Os senhores agentes da Companhia Brasi- ] tus, ele.; ainda existe tima relaelo (documento n.
leira de paquetes, facam transportar para a corte 124) dos recebimentos do dinheiro, a qual apresen
por corta do ministerio da marinha no vapor To-
cantins, os i errlas da armada Albino Jos Gomes
ta em lotalidade a referida quantia de 43:254^740,
onde existe o recibo da mencionada quantia que
de Oliveira, Amonio dos Montes Chareiro, e Fran- dilo Manoel Lourenco Correia de S, passou em 30
cisco Manoel de Mello. de agosto de 1862 ao Rvd. padre Jos Antonio dos
Dita.Os senhores agentes da Companhia Brasi- Sanios Lessa, administrador geral das obras da ma-
leira.de paquetes, man tem dar transporte para a triz de S. Jos, os referidos documentos denotan
curte por cunta do ministerio da marinha no vapor lerem Sido escripturados as respectivas datas.
Tocanlins, o marinheiro engajado para o servico Nao havendo documento algum por onde se possa
da armada J din Goodeny.Communicou-se ao contestar dita cunta corrente, bilbetes, ferias sema-
commandante das armas. naes, e recibo geral, nlo pode dita quantia deixar
Dita. Addilando a portara desta data, declaro de ser devidamente levada em corta do ex-admi-
aus senhores agentes da Companhia Brasileira de nislrador padre Lessa.
paquetes, que os caiiotes com artigos de farda-
nenio perlencentes .ao 4o balalhao do arlilharia
a p, si. 6 e nao 4 como esll declarado era dila
portarla.
Bxpedienle de secretario do yoverno.
Oficio ao inspector da thesouraria de fazen-
De pagina 17 a 32 esll a seguote conlaSubs-
cripeoes.Devem. Haverem. De dinheiro 1853
a maio 18570 debito e credilo desta conta li-
quido 21:157^910, quantia que foi levada a debito
da caixa, e crdito da matriz. Esla corta firmase
em 10 documentos junios a nota B, os quaes dio
d>.S. Exc. o Sr. presidente da provincia, manda em 'otalidado 22:5645160, mas o documento n. 3
transmitir a V. S. as 8 inclusas ordens do Ihesou-1,om duplicado os seguintes documentos : n. 2
ro nacional sob n. 78 a 86. | 250*000, n. 4 339*000, n. 8-300*000,n.
Dilo ao Dr. Silvino de Barros Cavalcante d'AIbu- i 10145*000, sommam estes quatro documentos
querque.-S. Exc. o Sr. presidente da provincia, 1:034*000 ; naguatles documentos nao est men-
manda declarar a V. S. que pelo seu oficio de boje
sob n. 211, Hca inteirado de haver V. S. nesta dala
reassumido o exercicio do cargo de director geral
da instruccSo publica.Fizerara-se as necessarias
coinmunicacoes a este respeito.
as

Fi:H\itiiino.
SEDE VACANTE.
Expediente do da 11 de julho.
Oficio ao coadjutor pro parocho de S. Miguel.
clonado 100*000, sello pasto pela doaedo fela por
Wanderley, e assim temos i: 134*000 com 272*250
porcenlagem paga, como consta dos raesmos docu-
mentos, faz 1:406*230, e deduzlda esta lotalidade
daquella, tica liquido 21:137*910, a mesma lotali-
dade liquida em dita conta. Tendo o ex-adminis-
Irador padre Lessa tomado conla da administradlo
das obras em novembro de 1856, como cima se
acha demostrado, e sendo a coma das subscrip-
coes recebidas em 1833 em dianie, nao se pode co-
nhecer qual a lotalidade recebida anterior dila
adminislracio, nao :- porque ditas subscripcoes
nao tem dalas de seus recebimentos, mas tambera
porque os lancamentos na caixa e na conta da re-
Cjuceo ijue o Rvd. Fr. Jlo das Chagas de Ctiris- i celta e dc.-peza da matriz, longe de eslarem feitos
lo, fique na regencia da freguezia de S. Miguel em era devida regra, islo pela ordem chronologica
quanto V. Rvma. vera propr-se ao prximo con-1 de dia, mez e anno, esto feitos sem data alguina,
curso, como me pede to s=u oficio de 25 do proxi- e nicamente em referencia totalidade das con-
mo passado, a que respondo; com tanto que o tas, maneira que entlo se iam Techando. Nao
mesmo religioso emendando o desleixo com que se existe prova alguma contra dila quantia que se diz
houve a respeito dos lancamentos dos livros da fre- recebida.
guezia da cidade de Alagas, emquaulo all exer- A' pagina 33 est a seguirte conla, eseriplurada
ceu as funecoes paruchiaes, seja agora mais sollici-1 pela ordem chronologica dos lempos Assembla
lo em fazer todos os laoeamentOS nos livros com-1 geral digo provincial.-Deve.Haver.Seu debito
peteutes, licando V. Rvma. encarregado do me par- e crdito em totalidade 29:000*000, e fela a de-
licipar o estado do archivo logo que depois do con
curso vollar para a dila freguezia.
Dito ao vigario da Alaga Nova. -Auloriso a V.
Rvma, para per esla vez numerar e rubricar os li-
vros, que agora Ihe forem reroetiides pelo Rvd. vi-
gario interino de Campia Grande, parauso da
respectiva matriz.
Dilo ao vigario interino de Campia Grande. -
Nesia dala auloriso o Rvd. vigario da Alaga Nova
para numerar e rubricar por esta vez os livros que
V. Rvma. Ihe remetter para uso de sua matriz. Fi
ca assim respondido o seu oficio de 27 do prxi-
mo passado.
Dito ao vigario do Rio Formoso.Chegou-me s
ralos com dala de 25 do prximo passado, a esta-
tifica circunstanciada dessa freguezia, e o mappa
lopographicj que a acompanha, e que muito escla-
rece a quem quer conhecer a posicao o distaucias
de diversos lugares.
Agradeco o cuidado que V. Rvm. empregou pa-
ra confeccionar esse relatono minucioso, que assas
revela o zelo e intelligencia de quem o fez.
Igual mulato mutandts aos Rvd.-. vigarios de
Goiaoninha e de Atalaia.
12 -
Oficio ao vigario de Barreiros. Quando tomei
conta do archivo da diocese nao me foi entregue o
coxpromisso da confrana de Santo Antonio de
Barreiros, de que falla V. Rvma. no seu oficio de
22 do prximo passado, a que respondo. Isto mes-
mo communicar a referida contraria, alim deque
o faca copiar de novo e m'o envi para ser appro-
vado.
Dito ao mesmo. -Tenho vista a estatlstica des-
sa freguezia, que V. Rvma. me enviou com data de
4 do correrte; e achando-a completa, e muito
adoptada ao fim que tenho em vistas, todava falla
a data da creaclo delta. Declara V. Rvm. que a
nao achou, porem espero que procurar saber ao
menos a data presumivel, indagando de algum do-
cumenta artigo, que ahi exista, ou de que possa
duelo de 132*000, quanlia que se di', despendida
com os recebimentos, (lea liquido a credilo 28:868*,
quantia esta que foi levada a debito da caixa, e
credilo da matriz; aquella quantia de 29:000*000
foi recebida por dilo ex-admioistrador padre Lessa
da thesouraria e acha-se comprovada com a certi-!
dio juota a ola D n. 1, e n-nhuma prova ha da
quanlia de 1325000 despendida com os recebi-
mentos.
A' pagina 34 est a conta das loteras do Rio e j
provincia, seu debito 23:810*, e seu crdito (de- i
duzido 55*500 despezas cora os recebimentos)
23:754*500 iiuaotia esta levada a debito da caixa j
e a credilo da matriz. Nenhnm documento ba para
prova, un contestadlo de dita conla.
A pagina 35 esl a seguirte conla, pela ordem
chronoloL'ica dos lempos, desde 31 de agosto de
1857 a 30 de abril de 18C4.-S. Exc. Rvma. o Sr.
bispo.Deve.Haver.Seu credilo em totalida- !
de 31:183*640, quantia que esl levada a debito d I
ciixa e crdito da matriz. Nenhuma prova ha a
favor ou contra dita quanlia.
A pagina 36 est pela ordem chonologica a so- i
guinte conta :A. H. Wilmer (engenheiro).Deve.!
Haver.Seu debito e crdito em totalidade
10:814*210. Junto a nota D. n. 13 esto 4 docu-
mentos relativos a dita conta, sendo n. 1 trato feito
entre dito engenheiro e o padre Lessa administra-1
dor das obras da matriz de S. Jos do Recife em 7
de julho de 1858, alim daquelle mandar buscar em '
Hamburgo diversos arligos para as mesmas obras,!
tendo nina eommissao de 10 por cefito sobre seus'
valores nesta ; n. 2 o recibo de 100* que o filho
do mesmo engenheiro em 14 de fevereiro de 1860
receben p >ra mandar a seu pai, por conta de urna I
gratificarlo que Ihe foi concedida por S. Exc.; n.
3 de 3:850* que o mencionado liilio de dilo en-
genheiro receben em II de novembro de 1858,
alim de reioeller ao mencionado seu pal, para a
compra do nm relogio e um orgo para a matriz
de S. Jtosi- \ n. 4 conta e recibo de6:864)210 que
I o mesmo engenheiro recebeu em 7 de julho de
' 1858 para ser empregado na compra de sinos :
> estas tres quantias a debito fazem 10:8145210, tem
no credilo dita conla um relogio e eommissao....
1:997072, gratifiracao qne se dlgnou marcar-lhe
S Exc. 500*, um orgo e eommissao 2:211*550,
500 ps quadrado de vldro e eommissao 683*2'0:
estas qualro parcellas a credilo fazem 5:391*832.
i A caixa est creditada por 10:811*210, a matriz
! esta' debitada por 5:391*832, e dito Wilmer tam-
j bem esla' debitado por 5:'i22*378, nao tendo este
ainda remedido os sinos para os quaes recebeu a
quanlia constante em dilo documento n 4. Os
500* da gralificaco eslo devidamente laucados
na conta de S. Exc, e nenhum documento existe
em contrario a dita ordem.
A pagina 37 esla' a conla do conego vigario Loo-
renco Correia de S4, sendo o debito de 1855 de
zembro 13, a 1856ou.ubro 1, em lotalidade......
10.050J, e credilo em 1856 -oulubro 31Dinheiro
que entregon 137*235, e no Io de dezembro do
mesmo anno, por olvido as contas e que enlregou
70* ; foi levado a crdito da caixa 9:842*765, e a
debito do conego a mesma quanlia. Pelos recibos
juntos a nota D n. 12 se v qne Monoel Lourenco
Correia de Sa' recebeu 150*. e dito conego recebeu
9:600*. fazendo estas duas quantias aquelle total
10:050*, e assim nao tem lugar o debito que se
fez a dito conego da mencii nada quantia........
9:842*765 ; tambem nao tem lugar o crdito que
se fez a caixa de dita quanlia. por quinto tendo o
padre Lessa, tomado corta da administraran das
obras em novembro de 1856, e sendo o debito da-
quella nencionada conla pagina 37 de de-
zembro de 1855 a oulubro de 1856, nao po-
de tal debito ser levado em' corta da admi-
nistracao eslabelecida posteriormente ao pagamen-
to daquellas qnanlias, salvo se honverem explica-
ces, e a precisa prova para sua admissao. Pola
cerlidlo junta a ola C se v que dito conego re-
cebeu da thesouraria de 1845 agosto 2, a 1856
maio 17, a quantia de 18:000*, e sendo aquelle
ultimo lancamento no crdito de sua conta em
1856 dezembro 1 -per olvido de contas e que en-
Iregou 70*esla' provado que o mencionado co-
nego eniregou as suas contas com 137*235 em 31
de oulubro de 1856, em cujas contas se encontrou
engao de 70*, quanlia que o mesmo conego en-
tregou no Io de dezembro de dito anno de 1856, e
assm liquidou referidas contas, nao s do dinhei-
ro que recebeu da thesouraria, como do que rece-
I beu do padre Lessa, razio por que nao pode ser
. hoje considerado devedor de quantia alguma a tal
respeito.
A pagina 38 esll pela ordem chronologica dos
lempos desde 1859 agosto 1, a 1864 jnnho 30, a
conla de Francisco Dornellas Mundory, sendo o
debito e credilo em totalidade 2:400*, e assim pas-
sou para a pagina 39 a conta de pintores e doura-
dures. Junto a na K se v os documentos res-
pectivos a' dita corta, pagina 38, sendo o trato pelo
qual aquelle Mundory se obrigou a fazer varios
quadros por 2:500*, mas nao lendo feito o quadro
da SS. Trindade de commum accordo se dedtizio a
quanlia de 400*, como consta de ditos documentos,
vindo a ficar a obra ajustada por 2:100*. Era di-
ta conta tambem esta' laucado a debito e credilo
300* pintura de 10 quadros do apostolado para o
corpo da igreja, estes quadros nao entraram na-
quelle contrato e foram pagos como se v dos res-
pectivos recibos juntos a' dita nota em 30 de mar-
co, 2 de junho e 13 de agosto de 1862. Nenhum
documento existe para se contestar a mencionada
conla.
De pagina 39 a 45 esl pela ordem chronologica
de da. mez, e anno desde 1859 fevereiro 28 a 1864
maio 15, a conla de pintores e douradores, princi-
piando seu debito e crdito por aquelle lancamento
de 2:4004000 da conta antecedente (pag" 38). O
total de dita conta de pag. 39 a 45 e em debito e
credilo 6:830*240, quantia esta levada a crdito da
caixa e debito da matriz, firma-se a dila conta nos
documentos juntos nota F de n. 1 a 201, isto ,
folhas semanaes de ferias, devidamente orgaolsa-
das do dinheiro recebido e pago por aquelle Fran-
cisco Dornellas Muudury, administrador de ditos
pintores e douradores; ainda jnnto dita nota se
v documenios de n. a n., d'objecios, e nenhuma
prova ha em contrario a tal conta, e citados docu-
mentos.
De pag 46 a 48 esl a corta dos estucadores de
1858 julho 31 a 1864 maio 31 seu debito e credilo
em totalidade rs. 11:148*880, quantia esta leva-
da a crdito da caixa, e debito da matriz; esla con-
la firma-se nos dmenlos juntos nota G de n. 1 a
68, islo folhas mensaes de ferias, gesso e figuras
F, Esperauca e Caridade, cujas folhas lem os com-
petentes recibos firmados pelo administrador de di-
tos estucadores, Jos Antonio Alves Neiva, ne-
nhuma prova ha em contrario.
De pag. 49 a 52 esla a corta das ferias pagas
pelo padre Lessa, de 6 de setembro 1862 a 25 de
junho de 1864, seu debito e crdito 3:541*650,
quanlia esta levada a crdito da caixa e debito da
matriz. Esla firmada dila conta com as folhas se-
manaes (com os competentes recibos) pagos por di-
to padre Lessa, como se v na nota H, documentos
n. 301 a 411 e nenhum documento existe per onde
se possa contestar a mencionada corta.
De pag. 53 a 57 est a seguirte conta: O padre
Jos Antonio dos Santos Lessa. Deve. Haver. Pelas
seguintes diversas cortas nao comprehendidas as
cortas desta administrado de fi. 1 a 52 >. O crdi-
to desta conta 28:621*691 em totalidade: dita
coma acha-se dividida e se firni. de pag. 53 a 55
em diversos documentos, sendo o- da nota I de n. i
a 68 em totalidade (a pag. 55) 8:808*922, teodo os
dit.-s documentos os respectivos recibos a respeito
dos quaes lenho a dizer : est levado a crdito
148*960 cusi de urna cruz de ferro ( documento
n. 1) e com quanlo em dito rocumenlo seja esla a
sua importancia, ah se v que houve dedcelo em
beneficio da obra, 48*960, vindo assim a ficar dita
cruz por 100*000 differenca de mais em referido
crdito 48*960; sob documento n. 5 esl lancado
a crdito 5 barris de pregos 85*000, dito docu-
mento urna conla de 5 barris de pregos compra-
dos por Antonio Manoel de Souza a Sebastio Jos
da Silva, e recibo deste, mas nao consta que taes
pregos fossera comprados para as monciunadas
obras, e ass-in nlo tem lugar o referido credilo.
Em 1860, outubro 12 sob n. 9 esl lancado premb
pago a Bernardino Jos Monteiro rs." 108*732, e
em 15 do mesmo mez e anno sob o. 10 da mesma
conformidade est laucado a Bernardo Jos da Ru-
cha 18*000 fazendo estas duas quantias 126*732.
O documento n. 9 urna conla onde se diz dever a
administracao das obras da igreja de S. Jos do Re-
cife a Bernardino Jos Monteiro, uma letra da
quantia de 3:000*000 juros de 1 i por certo ao an-
no em 3 mezes e 27 das 107*232, e sello 1*500,
total 3:108*732, e no recibo da mesma conla, fir-
mado em 12 de outubro 1860, por dito Bernardino,
diz este ter recebido o importe da conla cima do
Rvd. Sr. Jos Anlonio dos Santos Lessa, adminis-
trador das mesmas obras. O documento n. 10
um recibo firmado por Bernardo Jos da Rocha,
em 15 de outubro 1860, onde diz ter recebido do
Sr. administrador das obras da igreja matriz deS.
Jos do Recife 1:018*000, sendo 1:000* dinheiro
de emprestimo para conlinuaco das mesmas obras
e 18* de um mez e seis das de juro razad de 1
1|2 por cento ao mez. No se contesta qne duas
pessoas dessem ao padre Lessa a mencionada quan-
tia de 4:000* a juros, mas sim se contesta que a
referida quanlia fosseproci-a, e ttvesse applicaclo
a ditas obras; e comquanto dos mencionado* do-
cumentos nio conste a data, ou dalas em qo* st
diz entregue a juros dita quanlia, todava ptfus
mesmos documentos de crer que fosse em priari-
pio daquelle anno 1860, e a vista das coalas a#re-
seotadas pelo mesmo padre Lesea, ccaaraam aa
referido hvro, nao tem lugar laes joros para sana
levados a crdito de dito administrador (debito da
obras:. I. porque nao ha entrada de dito dinhei-
ro ( principal) que se diz entregue a dilo adatiais-
trador, verdade que este lambem nao da sabida
do mencionado principal, eontentando-se oaiea-
mente em lanzar os juros quando nos recibos sa
diz ter recebido do mencionado administrador
principal e juro; 2., porque na c< ou de lorrw e
perdas pag. 61 nao consta tal pagameat > de jai-
ros ; 3., porque a caixa, pag. 59, receben al o
principio do referido anno t860 as segointe* quan-
tia-. Subscripsao (pag. |7) de 1835 a 1857, liqui-
do 21:157*910; assembla provincial (pag. 33) aa
1857 a 1859-8.964*000; loteras do Rio e pro-
vincia (pag. 34) de 1858 a 1839-12:654*300; de
S. Exc. Rvma. ( pag. 33 ) de 1857 a 1839 ...
28:19i*i00, estas quantias fazem a totalidade da
i 70:967*810; pagon ( na conformidade das respec-
tivas contas em referido livro) as seguale qaaa-
lias : a Manoel Lourenco Correia de Sa fde pag. I
! a 9) de 1856 a 1859 28:556*971; A. A. H. Wil-
! mer, engenheiro (pag. 36). em 1858-10:714*210:
I a Francisco Dornellas Muudury (i>ag. 38i em 1859
550*; pintores e douradores (pag. 39) em 1839
: -2:649*680; estucadores ( pag- 46 ) em 1858 e
18591:975*380; ao padre Jos Antonio to Saa-
j los Lessa (pag. 53) de 1856 a I858-I:507*4V);
, ao mesmo ( pag. 53 e 56) de 1857 a 18-....
13:796*179; estas quantias fazem a lotalidade de
50:749*860, desta totalidade que em ditas contas
| se diz paga, temos a descontar as seguirte* quan-
tias cima mencionadas: em 1856 (pag. 53* dille-
renca na cruz de ferro 48*960; 1858 (pag. 531 5
barris de pregos 83*; temos mais a de-contar as
seguintes qnantas pelos motivos que abano se men-
cionan) as respectivas contas < pag. 55 >: em
1858 direitos do gesso (j dedozidas as despezas
na alfandega) 343*520 ( pag. 53); em 1859 direi
los da prata 30* l> O, total 513*580, a frita a de-
dcelo daquelle total que se diz pago flcam...
39:236*280, e tendo-se recebido, como cima se
v, 70:967*810, lica em caixa no llm do amo MI
11:731*530. Provado esta nao ter sido aojadle di-
nheiro, que se diz tomado a juro, applieado m
obras da matriz de S. Jos do Recite, como se
quer inculcar.
A pagina 83 contina dita cunta i Pelo segointe
em diversas dalas a saber Orgo soa impor-
lancia 649*280, quantia .esta demonstrada em 6
documentos cooslaoles na nota D n. 2, sendo des-
pacho (despeza na alfandega, carreto, collocaco Je
i dito orgo) o seo costo est na conla do eogeaaei-
; ro Vv 11 mer, pagiua 06). Nenhum d.i*u-i>. a* -m
' contrario mencionada quanlia.
Ainda pag. 33 Gesso e assentamerto do mes-
mo > o total desla conta 2:753*848, esta qoaatia
demonsliada em dous documentos (outa D n. 3,.
sendo recibo de Andr Henrique Wiliner, datado
de 13 de julho de 1858 de 2620 pecas de ornameo-
tos de gesso 2:403*363, e despacho 317*385. Cnbv
qoanto dilo Wilmer esteja debitado em soa cuoU
; pag. 36 em 7 de julho e II de setembro 1838 em
i tolalidade 10:714*42l>, todava pelos doeomentos
em dita nota D n. 13 (veja-se cima qoaddo tratei
a respeito a pag. 36) se v qne 3:50* fj para
compra de um relogio e um orgo, e 6 864*2mi
para sinos encoramendados, e assim de ja-tira
ser levada em conta do padre Les-a, nicamente
aquella quantia de 2:403*363, quarto porem
quanlia de 343*520 de direitos na alfandega ja
deduzidos os emolumentos) nao lem logar, vi-io
qne pelos documentos as notas D n, 8, 9 e 10 se
v que, segundo a ordem do thesouro, se despacha-
va na alfandega, livres de direitos, os objertos para
a matriz de S. Jos, como se praticou com os coas
tanli-s em referidos documentos; deveado-se levar
em dita corta as despezas do mencionado despa-
; cho 3*865
Ainda a pagina 53-Ouro2:959*170 Esai
conla acha-se documentada coro ceidlo da the-
souraria provincial, da conla e recib), que all se
acha, passado por Amonio Ramos, de 150 miih-i-
! ros de ouro fino em livros que mamiii vir de
Lisboa para as obras da matriz de S. Jos, e.rece-
beu sua importancia do padre Lessa adiniastradur
: das mesmas obras. Nota D n 4. Nenhum doco-
: ment ha em contrario dila quantia.
Ainda a pauina 55Relogio 80*140E-D quan-
lia 24*380 frele ao navio, 53*200 direitos e
2*560 carreto, e firma se dila quantia nos fjanb
! mentos na nota D n. 5, o mencionado relogio toi
[ encomroendado a Wilmer, e esla d vdimete laa-
' cado na conla desle a pagina 36, e assim s pode
ter lugar o lancamento do frele e carreto e aio
53*200 de direitos, por quanto a alfandega aao aa
recebia, segundo ja se demonsiron.
Ainda a pagina 55Prata 680*240-Firma-se
esta conta nos documentos na nota D o. 6, sendo
factura de diversas obras de prata que Fram i-eo
Moulinho de Souza vendeu na cidade do Porto
para a matriz de S. Jos, e all receben em meda
porlugueza 260*830, cambio sobre esta atuaiia
115 por 0|0 faz moeda brasileira 360*784, e des-
pacho nesta 36*100 ; a respeito daquella quantia
nenhum documento ba para a impugnar, a res-
peito desta (despacho) nlo lem lugar, pois a,*e, ou
a alfandega nao recebia dinheiro, digo direito-* coa
forme ja se disse ou os recebia ; no primeiro caso
nlo lem lugar os laucados ltimamente, e ao se-
gundo caso, devem-se ao padre Lessa, os quaes
nao levou em conla.
Ainda a pagina 53 Tapete 76*766 Pirma-se
esta quanlia nos documentos na nota Da 7, isto '
conla e recibo de Jos Goncalves Malveira, de la-
pele vendido ao padre Lessa para a mama *s S.
Jos 459*366, e declaradlo de ditu padre Lessa e
se ter vendido (por se ter principiado arromar
pelo copim) 174 covados por 382*800 ; ncaado a
cargo da igreja o restarte 76*766. Neaboma pea-
va ha em contrario.
Continua a pagina 36Azulejo 730*718 Fir-
ma-se aos documentos na nota D o. 8, aaado dama
facturas de Lisboa, d'aznlejo all comprado pan a
igreja matriz de S J js do Recife em moea aar-
tugueza 315*025, cambio 115 por 0|0, resaartros
conhecimentos, frete aos navios, ea
alfandega 13*815. Nenhom doran
para conieslacao. N. B. Nao as pago*
nesta.
Ainda a pagina 56 Ornamentos 4:397*123
Firma-se esta quantia nos doeomeatos roana* )
aa nota D n. 9 sendo facturas riadas a Para
emolumentos na alfandega (nesta ti dada) ruana
cimento e com quanto falte a coola do expeoVaa
de um despacho, o conhecimento e o rompe'ate
recibo do frele doma remessa, e carreto, ao todo
20*800, nlo se pede consiestar a dita qenaaia.
Anda a pagina 56Pedras 5:238*801Re te re-
s esta corta aos documentos aa nota D a. 10 sea-
do facturas rindas de Lisboa, coa
lamentos na alfand-ga desta cidade.
prora ha em contrario. N. B. Nao m
reilos nesla cidade.
Coniini a pagina 57Cutan 800*)
se em 3 documentos na nota D n. II, sead ama
tato por Jos Vicente dos Santos, e recibo de a
califa (oo commoda) que fez para guardar o at-
oa renlos na freguezia de S. Jos do Recife. N--
nhura documento existe em contraria

L
"" '


!
Diarlo de tvrnambaco Quinfa felra'tO de Julho de 1805.
-
Ainia a pigim 37 Enripia. r.SOSSOOO Fir-
ma-se era 4 doeamntos na nota i) n. 14, sendo
trato para se fazur a escripu das verbas da reedi-
ta e despezi da obras di matriz de S. Jos do
Recife por 1:500*000, c os respecti'os reribo?, sen-
do 8,SC00, livro para dila escripia. Taes docn
memos provao a irre^ularidade do trato, e excesso
da matriz. Dito trato d;itado do Io de fevereiro
de 1>64, e diz avista dos 817 documentos, cons-
tantes de contas e recibos etc....a receita e despe-
za a contar do Io de noveinbro de 1856 a 30 de
abr de 18i>4 etc.... Contradiga visivel I como
ti (juo no Io de fevereiro (dia de dito tratoj se co-
ohecia o numero dos oflkia.es e serventes que ti-
Eiham de Irabalhar nos 3 meses seguales 1 como
se cooheeia seus nomes, das deservido e jornaes?
como que ein fevereiro se sabia-os nialeriaes que
tinham de se comprar uos < mezes seguiutes 1 co-
mo que em fevereiro se conheia que em 30 de
marro se bavia de pagar a Jo> &*. Azevedo (I)
Sjiiz'i, 70 canoas Oe areia 112*000 ? (o recibo
cxisle na uota um e na cuita a pagina 53 sob
n. 6>'!). Mas se quando se fez o trato se tinha co-
nhecimento dos documentos das verbas at 30 de
abril, constantes as respectivas contas e docu-1
meulos em que estas se firmam, entilo qual o rao-
foi antedatado ? i
Vicente da Rocha Freir e Mara Nicacia do Has-
ci menta
Feliciano Ferreira da Silva e Antonia Maria do
Espirito Santo.
M.tnoel Nogaeira da Silva e gueda Mara de
Mello.
Miguel de Araujo Pereira e Anna Maria da Con-
ceigao.
Francisco Jss de Assis e Joaquina Bella de
Araujo.
Diogo Aleito de Pontes e Maria de Jesns.
Justino da Costa Xogueira e Maria da Conceigao.
Chegaram mais as seguintes pelicoes concedi-
das Igualmente pela nunciatura apostlica, em da-
ta de 29 do junho e 5 do corrente mez de julho :
Luiz Pereira da Costa e Maria Mendes da Silva.
Casemiro Rodrigues da Silva e Anna Rosa da
Costa.
Deodalo Candido de Medeiros Fa'cao e Maria Can-
dida Bezerra de Andrade.
Jos Francisco Bezerra e Joaquina Maria do Li-
vramento.
Hanoel Joaquim de Castro e Joseplia Mara de
Fon tes.
Ruz Libanio Lopes Ferreira e Maria Joaquina Lo-
pes Ferreira.
Alexaudre de Barros Araujo e Margarida Maria de
Jesns,
e Gracinda Candida
da Con-
do Espirito
Santo.
Belarmino Xogueira da Silva e Luiza Maria Xunes.
tivo porque o mencionado trato
Alada diz dito Irat a escripia de 7 annos e 61 Igmcio Ferreira dos Santos
mezts, do 1 de novembro le 1856 a 30 de abril | Saraiva Galvo.
de 1864200^000 por anno somma 1:500*000. \ Miguel Alves da Silveira e Justina Mara
l'elu respectivo livro se ve que a ascripta nao foi | ceigao.
feila as respectivas datas dos documentos e .-im : Rento Gomes Meira e liara Claudina
prximamente eoceupa 61 paginas, e anda mes-1
ni attendendo-s pre.-isao de se porem em or-;
dem os documentos, nao se pode calcular a mais |
de um dia por pagina ; e faiendo-se a conta a dez
mil rJs por dia ou pagina, eu importe 610*0 ;0,
coni 3*000 do livro faz 6 8*000, qaantia que deve
ser levada em coma ao padre Lessa.
Assim termina a mencionada conta do padre
Lessa de pagina 53 a 57 sendo o crdito em tota-
I dado 28:62150(11, quintia que foi levada ao de-
bito (despezaj da matriz; tambem foi levado a de-
bito do padre Lessa e crdito da caixa 20:219*065,
saldo nesta conta, e linairaeiile levado a debito do
padre Lessa saldo em seu livor 8:402,3628, quau-
Ua que foi levada a receita da matriz como divida
do padre Lessa.
PERNA^RUCO^
R'tVlST MARA.
Fomos, ha das, obsequiados com o Io volume
das obras luteranas do distincto escrptor mar-
nhense, Joao Francisco Lisboa, fallecido ha quasi
tres annos em Ierras da Europa.
Este 1 vulume consta de um largo esbozo bo-
graphico da vida do autor, e dacolleegao do jornal
de Timn, que Lisboa bavia publicado em follielos
A pagina 38 esla a conta-Caixae a pagina o9 n0 Maranho, onde aclualmenle se imprimem to
e pagina 60 est a conta Receita e despeza da das as suas obras.
Francisco de Souza, por hriga j Maria Francisca
da Couceicao, por embriaguez.
A' orden) do da Boa-Vista, Francisco Manoel dos
Sanios, para recrula.
- 18 -
A' ordem do Illm. Sr. Dr. chefe de polica, Fran-
cisco das Chagas Ferreira, para rpcrota.
A' ordem do subdelegado do Recife, Eduardo
Cassiruiro Cratingui, tambem para reeruta.
O communicanle, que tanto acompanha do co-
ragiio os triumphos das armas imperiaes e em ge-
ral de todo e qualquer brasilero, tambem se ins-
pira das emogSes da angustia e chora urna lagri-
ma sincera nos seus transes de dor.
Confia em que este seu contingente seja nnbre e
cavalheirosamente robustecido pela cooperario dos
pernarabucanos, sempre distinclos, aos quaes sen-
te-se ligado ha vinte e seis annos, pelos lagos das
A' ordem do de Santo Antonio, Pedro, inglez, mais gratas tradicSes.
Guilherme Baptlsta Herhsters, para correcgo ; e Solicita desculpa, aquelles, em cujo beneficio of-
anoel, cscravo de Antonio Francisco Pereira, por ferece essa ardente provade sua considerado pe-
malriz Xenhuma destas contas tem dala, a ex-
cepgit da data do fecho que em ambas 30 de
junlio de 1804, a caixa alm dos recebmentos das
subscripgoes, aeuibla provincial, loteras, adan -
tamento por S. Exc, como cima ja se raencionou,
tem mais a debito 6875300, venda de matenaes,
fazendo a tolalidade de 103:6515330, e seu cr-
dito (nao se contando 20:2195065 saldo que all se
diz passa a canta da admim.straeao) 83:4325483,
desia q n'iiia deve se deduzir nao s as quantias
acim mencionadas al o tiin do anno de 1839 em
totalidad* 5135580, mais tambem em 1860 ( pagi-
na 53) premios que se diz pagos 1265732; pigina
Tinturaos ja noticia daqueile celebre jornal, que
tanta sensacao produzo no paiz; mas com verda-
de o consciencia s agora, nps inedilada leitura,
podemos dizer, anda que rpidamente, o que senti-
mos sobre os mritos da obra.
inconie-tavelinente Jola francisco Lisboa e um
dos mais primorosos escriptores brasileiros. O seu
Io volume um monumento de gloria para o seu
autor, se se atiende ao estylo opulento e galhardo
da sua exposicao, a clareza da idea, o chiste da
pin ase, o vigor do raciocinio, a o sarcasmo pun-
gentsimo com que nos pe diante dos olhos os
costumes polticos de sua provincia, quic do Bra
5a direitos do Mogio 535200, pagina 37 difieren- sil iuteiro, e ao mesmo lempo a severa critica e
5a no lancamento da quantia nspeito a escripia mparcialidade, com que caractrrsa os diversos
8905000 :-aldo da conta do conego^vigano segundo partidos polticos, e os seus principies caudilhos,
j dissemos (pagina 37) 9:8425763 e assim temos que, porsoniticados em vultos convencionacs, nao
um lotal de 11:4265277, e deduzido este total da- deixam mais ou menos do ser feridos pela transpa-
quelle. crdito da caixa 85:43254*3, lica.........
74.0065208 que se pagou segundo as respectivas
cuiiia- e seudo recebimento segundo ss v na men-
cionada caixa 103:6315550 fita 31:6455342 para
28:6215691 crdito do padre Lessa a pagina 37
fica S. E. & U. 3:0235651, saldo, por dito padre
Lessa, devido de conlormidade com as contas por
elle apresentadas, e do que a respeito das mesmas
se ha dito.
A pagina 61 est a conta-Lucros X Perdase
rencia das aliuses.
Joo Francisco Lisboa pode, (sem desdouro a'
memoria do grande historitdor romano;, ser com-
parado ao celebre Tcito na valenta do dizer, na
agudeza do eogenho, e na implacabilidade do es-
cape.lo I O jornal de Timn ha de valer no futuro
o que boje valem os annaes de Tcito, cada qual
sob o seu ponto de vista.
Eutrelanlo, um tao distincto litterato, qoe nao
honra simplesmente ao Maranho, mas ao Brasil
com guamo demuuslre do prejuizo 5395730, total, nteiro, nao sanio nunca da obscura posico do ad-
prejuizo nao altera o saldo demonstrado a debito
do padre Lessa 3:0235631- seguddo ja se disse,
pols que as quantias levadas a debito da caixa es
to liquidadas, e assim nada aproveita tal conta
Lucros & Perdas.
N. B. Na nota A folba n. 6 de 15 a 20 de dezem-
bro de 1836 se diz A verba relativa a pintura e
conceito da casa do patrimonio, foi levada aconta
dos reudimeutos do mesmo patrimonio 1015340 .
No livro apresenlado uao existe conta algima res-
peito a dito patrimono.Torna-selpreciso explicacoes
respeito ao debito da caixa e receila da matriz
6875300, isto venia de materiaes, desapropria-
(ao de terreno, e iicenga para aberiura iin tres
janelias.
Recife, 15 de maio da 1863.
Jos Antonio Gomes Jnior.
Na falta de informaijoes, se todos os objertos
vinlos para a matriz de S. Jos do Recife, tinham
sido despachados na alian lega desta cidade, livres
de direitos disse (como cima .-e v) que ou se de-
viam pagar direitos de todos os objectos ao padre
Lessa ou de nenhuns, e asssim nao foi levado em
conia a dito padre 3435320 direitos do gesso ;
365100. tem de prata, 535"-00. tem do relogio,
estas quantias fazem o total de 4325820. Sendo
agora informado por parte do Exm. Sr. vigarlo ca-
pitular qnaes os objectos que foram despachados
livres de direitos, vejo quo deve ser evado em con-
ta do referido padre Les.-a, o mencionado total e
sendo este deduzido de 3:0235651 saldo cima
demonstrado, lica sendo o saldo devido pe padre
Jos Antonio dos Santos Lessa
vogado, embora nella trilhasse cora o padro de
conselho e proliciencia I Nunca a sua provincia o
aeltou digno de representa-la no parlamento nacio-
nal, qoer na cmara temporaria, quer no senado, e
porque ? Porque Lisboa fugio em tempo ao atlrit
e contacto das nullidades, que no seu lempo geriam
as cousas do seu partido. Re tirn-se, e dcixou
que as oibilidades impprceptiveis Ihe tomassem a
vanguarda na direcgo dos negocios publi<- is, em
quanto o grande patriota lamentava em silencio as
fgido.
A' ordem do de S. Jos, Anastacio Geraldo Gua-
dencio, para reeruta.
A' ordem do da Boa-Vista, Francisco Antonio da
Silva, por ser desertor; e Narciso, escravo de Jos
Xavier Carneiro Ramo-, pnr fgido.
O chefe da 2." sec^o.
J. G. de Mesquila.
Casa de detencao.Movimento do dia 17 de ju-
lho de 1865 :
Exisliam 368 ; nlraram 8;sahiraml0 ; exislem
366 a saber : nacionaes 272: estrangeiros 26: mu-!
Iheres 7 : esrangeiras 2 ; escravos 53 ; escravas'
6 lotal 366.
Alimeniados a custa dos cofres pnblieos 170.
Cemiterio publico. Obituario do dia 16 de
Julho :
Joaquina Maria de Franca, Pernambuco, 20 an-
nos, solteira, Boa-Vista, perilonite.
Luiza Monte de Mello, Pernambuco, 76 annos,
Boa-Vista, oterite ehrenica.
Joo Bernardo de Mallos, frica, 50 annos, viuva,
Boa-Vista, ascite.
Joao Jos do Santa Anna, frica, 60 annos, sul-
teiro, Recife, incephaliie.
Jos Purgad or, frica, 46 annos, solteiro, Boa-
Visla, hype:rophia do concito.
Manoel, Pernambuco, 5 das, Boa-Vista, espasmo.
Maria. Pernambuco, 7 dias, S. Jos, convulsoes. i
Prvulo cojo nome ignora-se, Pernambuco, 15
dias, Santo Antonio, ce ngesto cerebral.
- 17-
Joao Manoel Rodiigues Valenca, Portugal, 72
annos, casado, Afogados, pneumona.
Joaquim Jos Moreira Leitao, Portugal, 20 annos,
solteiro, Boa-Vista, gastro hepalile.
Symplicio Gomes de Alencar, Pernambuco, 63
annos, vinso. S. Jos, ataque cerebral.
Francisca Maria do Livramento, Pernambuco, 60
annos, solteira, Boa-Vista, tubrculo pulmonar.
Manoo1, frica, 50 annos, solteiro, Boa-Vista, g-
nora-se a molestia.
Camillo, Pernambuco, 10 horas, Boa-Vista, he-
morrhagia.
Guilhermino, Pernambuco, 23 dias, escravo, S.
Jos, calchechia.
Severo, Pernambuco, 22 annos, solteiro, escravo,
Boa-Vista, tubrculos pulmonares.
Lniz, Pernambuco, 32 aunos, solteiro, escravo,
Recife, hydropesia.
la memoria do denodado militar da exiguidade da
offerenda.
Os bilhetes desde ja podem ser procurados no
escriptorlo do theatro, e o espectculo sera' an-
nunciado logo que o numero de bilhetes vendidos
poder garantir urna certa somma em proveilo dos
beneficiados.
CURA.
Espnntoza e Aitiiiiiave!
DE MA CHAGA
GANGROSA E ROEDORA
O
POLYPO M NARIZ.
pbugac: K rogg
Os abaixo assignados interpretando a geral sen-
sacao dos Pernambucanos, e tambem cordialmente
magoados pela morie do nosso bravo e honrado
comprovinciano o capito Pedro Alfonso Ferreira
no combale naval de Riachuello e condoidos do es-
lado incoosolavel e anuviada sorte de sua infeliz
viuvaa Exma. Sra. D. Virgina Zenandes Ferrei-
ra- natural do Rio Grande do Sul, e que entre nos
se acha ainda joven, pobre, sem recursos, e distan-
te dos seus prenles e comprovinvianos, tendo a
seu cargo a educacao de duas filhinhas herdeiras',
nicamente da estima, e honra d'aquelle finado, se
ho lembrado de promover urna subscripcao, com I
o (im de formaren) um pequeo peculio como qual
possa a mesaia viuva satisf.zer as suas necessida-'
des, e garantir a educacao de suas ditas filhinbas. |
Neste sentido, e para facilidade dos que quizerera I
subscrever, os mesmos abaixo assignados hoaber-
lo tres folhas de snbscripgao por elles assignadas,
e collocadas as seguintes partes : a 1* no e^tabe-
lecimento do Sr. Sebasiiao Marques do ascimen-
lo, esquina das ras da Emperatriz e Aurora, a 2*
na roa do Crespo na loja do Sr. Augusto Hygino
de Miranda, e a 3" na ra da Cadeia do Recife na
desgranas de sua Ierra natal, e preparava a* tintas,
com que devia retratar antes de raorrer as faccoesj loja do Sr. Joo da Cunha Magalhes.
e seus caudilhos I Os mesmos abaixo assignados accerdaram
N3o fo c Li.-ir.-i, qu no Maranho tem sido as 1 ser o caixa das quantias arrecadadas o Exm.
sim tratado pelos seus. Odorico Mendos fui depu- j Jesembargadoi* Anselma Francisco Pertlti.
em
Sr.
tado em quanto houve liberdade de eleicao na sua
provincia. Residi mnito tempo em Paris, illus-
irando sua patria com trabalhos Iliterarios de pul-
so ; e l inorreu pobre, sem que nunca fosse cha-
mado por urna lista trplice a entrar no senado,
quando outros, e oulros que nao chegam a' altura
do traductor da Eneida, estilo farlos de ser sena-
dores pelo Maranho I
E s Odorico ? Quem vio ja passar por aqu
como deputado ou senador o insigne latinista ma-
ranhense Francisco Solero dos Res, traductor bri-
llante dos commentarios de Cesar, e notavcl por
tantos outros trabalhos luteranos ? Ah, se quizes-
semos ir longe na indicaco de outras injusticas
pofieas do Maranho, nao poderiamos esquecer,
entre outros homens de lettras, suffocados pelos
faccionarios sem mrito, o nome
Rece, 14 de julho de 1865.
Anlcro Manoel d Medeiros Faltado.
Antonio Carneiro Machado Ros.
Nabor Carneiro Bezerra Cavalcanti.
a matriz de S. Jos Jos Correia, aulor de um recente livro de maxi-
do Recife, S. E. SiO. Dois ronlos quinhentns no- mas, que aeredltam o espirito synlhetico, e crite-
venta mil oitocentosetrintae um ris (2:5905831) no moral do Sr. Federico, cujo livro digno de
UECAPiTLAgoEs. Diz o padre Lessa em sua ser meditado pelo sabio e lido pelo ignorante, que
conta corrente, que credor da matriz de S. Jos
do Recife de 8.4025626; nao Ihe levado em
conta, segundo cima se demonstrou : saldo que
se diz dever o conego vigario da mencionada ma-
triz 9:8425765 ; juros que diz pagou 1265732,
differenfa na cruz de ferro 435960 ; importe de 5
barris de pregos 855000, exeesso na quanlia res-
peito A escripia 890*000, total 10:9935457, e feita
a devida subtraccito, fica sendo o saldo devido
pelo referido padre Jos AnVnto dos Santos Lessa
a quantia cima mencionada dedois contos qui-
nhentns nvenla mil oito ceatos trinia e um ris
(2:5905831).
Recife, 19 de junho de 1865.
Jos Antonio Gomes Jnior,
A commlsso eoearregada da eontiouaco das
obras da igreja matriz de S. Jos, sendo tambem
incumbida de fazer examinar as con las apresenta-
das pelo Rvm. Sr. padre Jos Antonio dos Sanios
Lessa ex-adminislrador das mesmas obras, offerece
considerado do Exm. Sr. Deo vigario capitular
d'esta diocese o prsenle parecer, escriplo e assig-
nado pelo Sr. Jo- Antonio Gomes Jnior, que exa-
mmon cuidadosamente as referidas contas e os
documentos, que as acompanham, sendo que a
metma commissao se conforma inteiramente com
o mes do parecer.
Recife, 26 de junho de 1865.
os Pinto de Magnlhdes.
Diontzio Hilario Lopes.
V um cero advogadu desta
cidade.
Pede-se-lhe bem de sua reputacao naja de fa-
zer recolher ao cartorio respectivo os autos Je exe-
cncao, os quaes nao tem querido restituir depois
de haver feito com que se riscasse do protocollo a
seo recibo 1 Todas as diligencias qoe se ha em-
pregado para chama-lo a sen dever, durante o es-
pado de dous mezes teem sido infructferas,com
ludo esperamos que no prefixo prazo de tres rtia,
do Dr. Frederico elle os faca 'presentar no cartorio, quando nao, re
velaremos o seu nome como os promenores deste
fado menos digno, para por de sobre-aviso, todas
as pessas empregadas no foro desla cidade, afim
de nao cahirem as ciladas deste here, que por
seus actos vai tomando urna triste cHehridade I
O Lonco da Parahyba
t'ma creada do servir residente em Pernnm
buco e pertencente EsV Sefir". Viscondessa
DE Ooiann-a, foi Btle.cada d'uma terrivel cha-
ga eUMUsa e roi-iloraou Polypo no Nariz.
A mesilla involvia e toir.ava todo a parte in-
ferior do nariz, amelando j distruir tanto a
parte eartilagini.sa como o mesmo oso ; Come
con primeare pwr nppaneer sob o l^i^o sup
rior < parto da lace. forma e com tal rapidis, ojie em poueo amea-
cava transformar toda o reate n'unia enorme
cliarga viva o asquerosa. Durante todo este
terrivi 1 estado, todos os recurpos modicfnaca
que em tasa cazos se oslo foro abundante-
mente 1 :ii!T-;:;;';.i-, s;-m quo de levo fizesse
parar a marcha lento c distruidora de tfio hor-
rivel enferniidude, e lodos forao baldados, e no em tanto o mal cresca eis
qnc pormilagroca fortra i'a inii-z asteada
as eonzae neste ponto, ce esperimentou pela
vez prini' ira a
SALSAPARBILHA
O elfeito produzido. (naei qoe instantneo
por este ineslimave! remedio l'oi verdadeira-
mente mancillhoso o sem igual este grande
porificador do sanene c dos humores do sya-
*a>ma, imniedialamente pez um termo mar-
cha disastroua e fuial da molestia, derramndo-
se e infiltrarido-se atreves dos tecidos os mais
delicados do corpa, expellindo at ultima
proprictlade ou Vestigio virulento da molestia,
e dentro d'um ciu-to eapftCO de tempn produzio
urna
CURA
Completa e Radical.
Este feliz quao admhavel resultado foi obti
do apenas com o.simjdi s u.- ,
Bnguc
yrigue
Pa
hdspanhol VigilanteJera,
ngiez Ruth carvo.
'atacho InglezZerconcarvao.
RECEBEDORIA DE RENDAS INTERNAS
RAES DE PER.NAMRUCO.
Rendimento do da 1 a 18...... 22:4515829
dem do dia 19................ 8270O5
trra pars
GE-i
23:278*834
CNSUL A O PROVINCIAL.
Rendimento do da 1 a 18
dem do dia 19...........
;9:2975314
i: 2745813
83:572*157
m
rareim. m f^to
Navios entrados no da 19.
Liverpool55 das, baa ingleza Mary Lord, de
195 toneladas, capitao Luiz Lau, equpagem 9,
carga carvao ; a' ordem.
Aracaly17 das, hiato brasilero Sania Rita de 6i
toneladas, capio Manoel da Silva Sanios, eqoi-
pagem 8, carga algodo e outros gneros ; a
Tasso Irmao.
Navios >ahidos no mesmo da.
goes ignaes e correspondentes a rada
da obra ezecatada.
4" Si drer o arreroaunte ama malu de I' a;.;
paralysar ( se:viro por 13 d;a? on mah.
5 Sha pod-ra o arrematante sob pretexto ama).
quer pedir indemnisacao alguma.
6" O engenheiro nrarregad< dos traba** dar
ao arrematante a> instrurjSw a mpriu* do s-rr-
50, as qoaes serlo cb-erradas seo a men-jr dKrre-
paucia.
7* O que nao M acha aqni Brrvitn uti rroH-
do como se acha determinado m reniameabda
9 de julnho de 1865.
Conforme.
A. F. Vi .-UanwWM.
O Dr. Tristao .le Alencar Ararla, i.flfeial a'iasae-
rial ordem da Rosa, e jtiiz oVifireti. ; ,.
commerrio da cidade do Rerife e ea termo, por
S. M. o Imperador, que Dens fnarrf>, r\r.
Faco saber aos que o ara aaj -dUal vreme
delle noticia tiverem qoe por este jaira peaaVfao*
autos de aMeoeio da 1 i,i n. 1 I aaaa] >m*j
Rodrigues de Souza contra Lob Imi Bodtifax da
Souza E tende-se frito penhora em tir.heiro per-
tencente ao exerulado fra pelo soliritlor Feht
Francisco de Souza Maca-h-s aj.4-nraJnr te *o-
tor feito o reqnerimenlo do segoinle termo :
Aos 18 de julho de IK65, em 1 nhV aadienna,
que aos feitos o partes da va o Dr. jan *
Rio de Janeiro 1 Kue hespanhol Beatriz, capito : commercio Tristao fi* lera'r *'r.in ^Z
Agostinho Domenech, carga a inesma que trou- lador Flix Francisco de Sonza f;.ln.Vi. aor par-
le do exequente acroson a peni' ra f >ra em dl-
[ nheiro perienceote ao exernlado L-iiz Jtw Rodri-
gues de Souza, e reqneien <'ue se Illa fjrajw as-
xe de Barcelona.
Purlo Brigue poriuguez Laia I, capilao Alexan-
dre Jos Coria, carga assacar e oulros gneros.
Oiservaro
Suspendeu do lamaro para o Ro de Janeiro o
patacho inglez Albino, capitao D. L. BowteUier, car-
ga a mesma jue trouxe de NeW-1'ust.
Fundiaram 110 lamarao um brigue brasilero e
outro inglez. mas noiiveram communicaeo com
a ierra.
EBI7AES.
KKitina
so Kica
ai
rafa!
nelle achara larga copia de luz, para o guiar na
vida pratica, em discursinhos de tres e quatro li-
nhas I E' este o grande mrito de um livro de
mximas.
Aguardemos os outros voluntes das obras do Sr.
Lisboa obras qne viro enriquecer o ihesouro
das lettras brasileiras, qne alia nao dos mais
opulentos, pois qne quasi todo o peculio intellectual
deste paiz se malbarala em discursos parlamenta- <,
res, e em programmas polticos, que por via de re- *S2"!?f*,_ fro>.ura? rtVelaao Uordem
gra se nao reali-am.
Ao louco da Paruhiba
Declare o louco o nome do advogado, que nao
quer restituir os autos de qne falla em sua publi-
cacao de boje. Se ha quem prostita, ha, sobre lu-
de, quem zele o magisterio. No lastimoso estado
Chegaram do Ro de Janeiro, as petifoes de dis-
pensas consuntas da lista abaixo publicada, e ca-
ja conces-o foi autorisada pelo Exm. e Rvm. Sr.
Sr. inlrnuncio apostlico, em dala de 19 de junho
prximo lindo. Podem. pois, ser procuradas ou em
Olinda na secretara do bispado, ou no Recie em
casa do Illm. Sr. conego da cipella imperial Fran-
cisca Jos lavares da Gama, na ra da Cruz n. 56
<> .i:l... 19 dejulhode 1865.
Conego Joaquim Ferreira dos Santos,
Secretario do bispado.
Oradores ligado* no impedimento de, nffinidade ti-
nta em Io grotgml da littlia lateral.
Latireniino Cavalcanti de Araujo e alaria Fran-
cisca da Cooceicao.
Francisco Marinho de Espndola e Mara Jos da
Concedan.
Jos Raymundo da Cunha Pedrosa e Maria Jos dos
Prazeres da Cunha Pedrosa.
Jos Serafim de Suuza e Joaquina Maria da Coo-
ceicao.
Francisco Antonio de Mara e Bernarda Maria da
Silvf.
Manoel Pires de Sonza e Jnsepna Maria de Jess.
Manoel Felicio da Silva e FraneiBca Mara da Con-
eeiejto.
Trajan Dias de Araujo e Anua Maria da Coocei-
cao.
Caean Jo- Cavalcanti e Maria de Aazareth Be-
zerra Cavalcanti.
Oradores que estao ligados no impedimento de
con-iingninidade em 2 grao mixto ao i' da li-
nha lateral.
Deodalo Jos de Oliveira e Dlonizia Maria da Con-
ceic^o.
Francolino de Souza Vieira e Maria Gloria de
Jess.
Joao Murinho Gimes e Lndorina Maria da Con-
ceigo. ,
Jos Freir de Barros e Rosa Mara da Peona.
Hoje reune-se em sessao ordinaria o Instituto
Archeologicoe Geographico PernambucaDo.
A' seu pedido, foi exonerado de lente se-
cretario do corpo de polica o Sr. Luiz Jeronymo
Ignacio dos Santos.
Tendo sido exonerado o director do collegio
dos orphaos, foi para esse cargo nomeado o Rvd.
Sr. Fr. Joao BaptisU do Espirito Santo.
Felicitamos a S. Exc. pela escolha acertada qne
fez de S. Rvma., em quem concorrem certamenle
todas as condirdes requeridas para o bom desem-
penho daquell cargo.
Consta-nos que se prepara urna subscripto
para a compra do instrumental e da bandeira, que
tem de servir a > balalhao da guarda
partida, seguramente, de alguem, que uo tem um
titulo jurdico, pode trazer a suspeita .-obre este ou
aquelle indisiinclamenle ; em lodo caso despena a ':
curiosidade sobre a personifieacao do facto ; e de
mais desaira um tanto o magisterio. Provocamos
o louco a declarar o nome daquell a quem se di-
rigi
Um advogado.
Os abaixo assignados, empreados da secre-
taria da polica desta provincia, possuidos do mais
vivo sentimento de estima e consideraco pela res-
peitavel pessoa de V. S nao podem (no momento
em que V. S. acaba de passar as maos de seu dig-
no successor interino, o Illm. Sr. Dr. juiz de direi-
to da comarca do Cabo Manoel Clementino Carnei-
ro da Cunha, a
destencomi>aravol e inapreciavel depuratorio,
recammendamos portante todos os Doentes
que procuivni obtet com o maior cuidado a
nica c verdadeia Salsaparrilha de Bristol,
nicamente ]>reparada por
LANMAN & KEMP,
I>e XOVA YORK,
na certeza do que, todas as mais preparacoes
imitativas nao valem yvtta couza alguraa
Vende-se as boticas de Caors Barbosa
e C. Bravo & C.
nOMMEBGIO.
PRA^A DO RECIFE.
Cota^des ofQciaes.
19 de julho.
Algodo primeira sorle 20*000 por arroba.
Algodao segunda sorte18^000 por arroba.
Cambio sobre Londres 24 L2 e 24 018 d.
1*000.
Uescontos9 0|0 ao anno.
Dubourcq Jnior,
Presidente.
Guimares,
Secretario.
por
a > i* oaiainao da guarda nacional,
que ha de seguir para o sul em destacamento.
E'mais urna copia do patriotismo da nossa po- ?ao 3.1ae to.sabia, circumspecta e rectamente
pulacan. pre-udio, e de que deixa tao gratas recordacSes,
Foi cassadaa nomeacao para alferes do cor- Pa"nsPSU'"' em breve a desempenhar na provincia
po de polica, querecahira no Sr. Souza Magalhes de *> P*ulo a nova commissao com que o governo
a quem mandou-se eliminar do mesmo corpo. '. de S. M. Imperial, azendo justica ao seu reconhe-
Foi promovido a alferes do corpo de polica o cido mer'"> dignou-se hnralo) deixar de paten-
brigada do mesmo corpo Antonio Henriques de Mi- lear a ^" ^' snD'do apreco, em que teem as dis-
randa, tinctas qualidades que exornam a pessoa de V. S.
Hontem fez um passeio militar ala esquer- e. sea ProfuDao reconhecimento pea maneira be-
da do corpo de pohcia, indo at o palacio do go- inigQa e l"'Dana> con> que V. S. sempre os tratou,
veroo, em cuja frente postou-se em continencia ao como Perf Exm. Sr. presidente, que deu diversos vivas. Levando assim a presenca de V. S. a expresso
f.sta ala deve seguir para a corte oestes dias. idos StUS ,mais 'DSen"os sentimentos, para com a
E'composta de gente escolhida, que se distingue Pessoa de s> os abaixo assignados teem a honra
por sua bizarra e luzimeolo. de accrescentar a dos votos que elevam ao Todo-
Depois de amanha se exlrahir a i' parte da PoderDSO Pela P-ospera viagem de V. S.jepela
Caixa filial do banco do Brasil em
Pernambuco.
A directora desla caixa saca sobro o banco do
Brasil no Rio de Janeiro e sobre a caixa tilia I do
mesmo banco na Babia.
Novo banco de Pernambuco.
Os administradores da massa fallida de Joaquim
Jos Silveira pagam o Io dividendo de dita massa
gerencia dos^negocios da repart-na razo de 9 0/0 sobre o valor des ttulos ad-
meltidos : no novo banco de Pernambuco ra
do Trapiche n. 34.
conservado de sua preciosa vida, offerecendo a
V. S- os seus fracos servieos nesta provincia, ou
onde quer que os conduza a sorte caprichosa e
varial.
Recife, 17 de julho de 1865.
Eduardo de Barros PalcSo de Lacerda, secretar^
Jos Xavier Faustino Ramos, offlcial da primeira
seceao.
Joaquim Gil?eno de Albuquerqoe, chefe da segnn-
da seceao.
1* lotera da matriz de Agaa Prela (24.1)"sendo o
maior premio 6:000*.
O agente Olympio, hoje em seu grande arma-
zem sito na ra da Cada do Recife n. 36, taz lei-
lao de escravos de ambos os sexos com habilidades
e sem ellas, mobilas completas de Jacaranda, ob-
jeclos de ouro, relogios, trastes avulsos e muitos
outros artigos do uso domestico.
Rkpaiitiqao da polica :
Extracto das partes dos dias 17 e 18 de julho de Candido Antran da Matta Albnquerque,
'863. Agostinho Jos de Oliveira, amanuense.
Foram recolhidos casa de detencao no da 16 Joaquim Jo- do Reg Rangel, amanuense,
do crrante: Antonio Alfonso Ferreira, amanuense
A' ordem do Illm. Sr. Dr. chefe de polici, Igna- Flix Ribeiro do Amaral.
co, escravo do major Antonio da Silva Gusmo, Joo Pano dos Santos,
como suspeito de ser criminoso de morle.
A' ordem do Dr. "delegado da capital, Marcoloo,
escravo, gnora-se de qoem, por fgido ; Loiz de
} Franca Mallos e Roraio Joaquim de Santa Anna,
sem declaraco do motivo,- posto logo em liberda-
\ovo banco de Pernam-
buco.
O banco descontaletras na presente semana a
9 por cento ao anno at o prazo de quatro me
zes, e a 10 0|0 at o de seis mezes
Caixa filial do banco do Brasil
em Pernambuco.
De ordem da directora desta caixa se faz publi-
co aos senhores accionistas, que o respectivo the-
Domiogos AITonso Xcry Ferreira, commendador
das imperiaes ordens da Rosa e de Chrislo, coro-
nel commandanle do 1 batalhao de iufaotaria
da guarda nacianal deste municipio, comman-
dante superior interino, e presidente do conselho
de revista da mesma guarda nacional por S. M.
Imperial a quem Dos guarde etc.
Fago saber, que na teiceira dominga do presen-
te mez (23 do corrente) se reunir o conselho de
revista da guarda nacional, na sala das sessoes da
cmara municipal desla cidade, as 10 huras da
manha, afim de tomar coohecimento dos recursos
que versarem sobre os casos no ai t. 33, e que fo-
rem interi osles pela maneira determinada no ari.
38 das insti uccoes n. 722 de 25 de oulubro de 1850.
E para constar mandei publicar pela imprensa.
Qnartel do rommando superior do Recife 15 de
julho de 1865.
Domingos Alfonso Nery Ferreira.
O Illm. Sr. inspector da thes. uraria provin-
cial, em cumprimento da ordem do Exm. Sr. pre-
sidente da provincia, mauda fazer publico que no
dia 10 de agosto prximo vindouro, perante a jimia
da fazenda da mesma (hesouraria se ha de arrema-
tar a quem por meDos fizer os reparos de 88 bra-
gas de empedraroento, entre os marcos de 3 a 4
mil bragas nos lugares denominados Aras do Gi-
quia e ladeira do Vieira, na estrada da Victoria,
avahados em 1:969*000.
A arrematagao ser feila na forma da le n. 343
de 15 de maio de 1854 e sob as clausulas especiaes
abaixo declaradas.
A* pessoas que se propozerem a essa arremaia-
gao rompareca na sala das sessdVs da referida jun-
ta, no dia cima meuciooado, pelo meio dia e com-
petentemente habilitadas.
E para constar se mandou puhlicar o presente
pelo jornal.
Secretaria da ihcsouraria provincial de Pernam-
buco, 10 de julhu de 1865.
O secretario,
A. F. da AnnuAciarao.
Clausulas especiats para a arrematacao.
1* Os reparos do empedramento da estrada da
Victoria, entre os marcos de 3 a 4 mil brsgas nos
lugares denominados Aias do Giqui e ladeira do
Vieira, sero feitos de eonformidade com o respec-
tivo orgameuto, na importancia de 1:969*.
2" O arrematante dar principio aos trabalhos
no prazo de 15 dias e os concluir no de 3 mezes,
ambos contados da acta da approvagao da respec-
tiva arrematagao.
3* Os pagamentos serao feitos em duas presla-
goes iguaes, e correspondentes a cada melado da
obra execitada.
4* O arremtame nao poder inlerrompcros tra-
balhos por quinze dias ou mais, sob pena de ser
multado na quanlia de 100*.
5o Nao poder o arrematante pedir indemnisa-
cao sobre qualquer pretexto.
6* Xa execugao do servigo o arremalante obser-
var as inslrucgoes que Ihe forem dadas pelo enge-
nheiro encarreeado dos trabalhos.
7' O que neslas clausulas nao se achar previsto
observar-se ha o que dispSe o regulamenio de 9
de julho de 1864.
Conforme,
A. F. da Annunciaco.
O Illm. Sr. inspector da iheouraria provin-
cial, em cumprimento da ordem do Exm. Sr. presi-
dente da provincia, manda fazer publico que no dia
10 de agosto prximo vindouro, perante a junta da
fazenda da tesma Ihesouraria, se ha de arrematar
a quem por menos fizer, os reparos do empedra-
mento de 250 bracas entre os marcos de 5a 8 mil
bragas na estrada da Victoria, avahados em.....
3:157*.
A arren>atago ser feila na forma da le pro-
vincial n. 343 de 15 de maio de 1854 sob as clau-
sulas especiaes abaixo copiadas.
As pessoas que se propozerem a essa arremata-
gao comparegam na sala das sessoes da referida
junta, no dia cima mencionado, pelo meio diae
competentemente habilitados.
E para constar se mandou publicar o presente
pelo jornal.
Secretaria da thesonraria provincial de Pernam-
buco, 10 de juntio de 1865.
O secretario,
A F. da Annunciarao.
Clausulas especiaes para a arrematacao.
I' Os reparos do empedramento da estrada* da
Victoria, entre os marcos de 5 a 8 mil bragas sern
executadas de eonformidade com o respectivo or-
gamenlo na importancia de 3-157*.
2" O arrematante comegar os trabalhos lo dias
depois da approvagao do contrato, e os concluir
em 4 mezes, contados tambem da dala da appro-
vagao.
3* Os pagamentos serao feitos em tres prestagSes
iguaes e correspondentes a cada lanco da obn. exe-
culada.
4* Soffrera o arrematante urna molla de 100* se
paralysar os trabalhos por mais de 13 dias.
5" O arrematante cumprir as ordens que relati-
vamente ao servigo, Ihe forem dadas pelo engenhei-
ro encarregado dos trabalhos.
6* Nao poder o arrematme pedir indemoisa-
gao sobre qualquer pretexto.
7' Para tudo quanto aqui se previnir, se obser-
araa
(I) Este Jos de Azevedo
Exm. t.ispo fallecido.
Souza era porteiro do
Tliealro de Sania Isabel.
O emprezario do ihealro de Sania Isabel, Anto-
nio Jos Dnarte Coimbra, constando Ihe que foi
de; Jos Francisco Pereira, para reeruta; Joao Jos design?da ama eommiso encarregada de agen-
de Souza e Jos Francisco da Rosa, romo deserto- ciar nma snbcripgSo ern hvor da viuva e fllhos
resido xerrito. do distincto eapltao Pedro Afinco Ferreira, heroi-
A ordem do subdelegado do Recife, Lourengo cntente fallecido no combate naval de Riachuelo
Francisco das Chagas, Antonio Luiz Das e Chris- e nao podendo demonstrar os seus bons offlcios de
lovao, eseravo de Jos Marques de Amorim, para amizade para com aquelle travo militar seno pe-
soureiro est autorisado a pagar o 23 dividendo i'ar1aci?,que de,erin,M regulamento de 9 de julho
de 1864.
Conforme, ^
A. F. da Annunciarao.
O Illm. Sr. inspector da ihesouraria provio
cial em cumprimento da ordem do Exm. Sr. presi-
dente da provincia, manda fazer publico que no
dia 10 de agosto prximo viadooro, perante a jun-
ta da fazenda da mesma Ihesouraria, se ha de ar-
rematar a quem por menos fizer a obra do empe-
dramento de 280 bragas correntes enlre os marcos
de 13 a 14 mil hrtgas na estrada da Victoria, ava-
hada em 3:599*200.
do semestre findo en 30 de junho ultimo a razo
de 12* por aegao.
Caixa filial do banco do Brasil lo de julho de
1865.
O guarda-livros,
Ignacio Xunes Correia.
ALFAXDEGa.
Rendimento do dia 1 a 18......
dem do dia 19...............
289:709*487
13:330*194
303:239*681
MOVIME.NTO DA ALFADEGA.
Volumes entrados com fazendas___ 243
c com gneros..... 764
Volumes sahidos com fazendas.
< com gneros.
corrercan
A' ordem do de Sanio Antonio, Francisco Lope
de Sonz; por sospeilo ero crirae de roano.
P ordem do de 8. Jos, Manoel Praneisco de.Oli-
veira, por ferimenio; Uenlo Jos da 8ili e Jos
los apoocados recursos de que dispoe, resolveo
dar Brevemente nm espectculo, eujo producto se-
ra'considerado como o contingente que assigna-
ria elle emprezario n'aquella snbs.cripei, em fa-
rx da referi* v.uva e fllhos.
-------1,007
38
593
------- 631
Descarregam no da 20 do corrente.
Galera franceza Amelia emecto e farinhe de
trigo.
Barca francezaS. Jean Baptistefarinha de trigo
e aspbalto.
BarcaJogleza/fida/30 cmercadorias diversas.
Brigue Inglezltrmslon-dem.
Barca inglezaSW/abaealho e farinha de triga
Barca ingleza Vesionferro e pedras para calga-
menlo.
Escuna portuguezaD. Joocharque.
Brigue nacional Cardiaidem.
Escuna dinamarquesaDoranaidem.
A arrematagao ser feita na forma da lei pro-
vincial n. 343 de 15 de malo de 1854, e sob as
clausulas especiaes abaixo copiadas :
As pessoa que se propozerem a essa arrematacao
comparegam na sala das sessoes da referida junta
rno dia cima mencionado, pelo meio dia e compe-
temente habilitadas.
signado o termo de seis das dez aos rre4 res t-
cenos, pas-audo-.-e os respectivos editaes : ajas
Ihe foi deferido precedido o prrcA do e*tyto. Jo
que tiz a presente do protocolo das aorfieaei a <\ac
juntei a precatoria e i-rmo de peohora qoe se-
guem.
Eu Adolpho Liberato P_>relra de Otiveira, esre-
vente juramentado o e>crevi.
Eu Manoel Maria Rodrigues do Xaseiaeato, ev
crivo o subscrevi.
Por forga do mea despacho 1 referido erriao
fez passar o prsenle, pelo qual chamo, cito e fcei
por intimados os rre.lor.-s incertos I \-rar-
lado para que rompareeam ne-t- jnizo dentro lo
dilo prazo munidos de seus documentos, ala e
allegaren; o que frde juslici.
E para qoe chegne ao ronherimrato o> todoo,
mandei passar o pres. nte mi- -.ti pnbtieado pe
iroprensa e afiliado ni logar do rstame.
Recife 18 de jullm .1- IH...
Eu Manoel Mana R. drigaes do XascimeBto.esrri-
vo o subscrevi.
Tristao de Alenrar Entapa.
O Dr. Tristao de Alencar Araripe-, ..mVtal da impe-
rial ordem da Ro>, > jniz de direito -penal o
commercio, nesta cidade do Rerife > P- raam-
bmo, por Sua Magesiade Imperial e 0>a>titarx>
nal o Sr. D. Pedro II, a quem Dos- toante ee.
Fago saber pelo prsenle aje Rinaa fr Ir-
mos por sea advogado me dirigi a aeOea lo
theo seguinte : Dizem Rosas & Irmns qoe *-
do-lhes devedor Jo.- Rodrienes Fernaode, quantia de dous contos dnzemos e trinta e om mil
setecentos e cincoenu ris, o qnerem fazer rilar
para fallar aos lermos de orna acro ordinaria, que
pela prsenle Ihes vo propr, pedmdo Ihe* o pa-
gamento da qnantia cima mencionada e rusia-", e
por que o dito Jos Rodrigo F.rnande. leaha
desapparerido sem saber-se o locar oaa> erte,
requerem a V. S. os admita a josiifirar a aaseaem
e a incerteza do lugar oode existe e >uppiiea jaslidcado se passe editaes para ser o jaajlraio
citado para o fin ja mencionado. Pede a V. S. Sr.
ur. juiz do commercio Ihe delira e e*peraa rere-
ber merr.Heoriqaes da Silva.
Segundo o queassim seconlinhaem dita petftjfa,
qoe me foi apreseotada, na qual dei o deparr.o' *
theor seguinte:
Justifique ao depois da amanha as II hora* da
manha. Recife, 12 de julho de 1865. Aletear
Araripe.
Segundo o que se ronlinha em tal despacho, par
forca do qoal fura feila distribuirao ao eseriTae
deste meu juiz Manoel de Carvalbo Faes de Al
de. Depois do que produzindo m soap.'i
suas lesiemunhas que depozeram eonveoieati
acerca da ausencia do ju-iilicado Jo- Rodr
Fernandes, o respectivo eserivio fazeado sellar e
preparar os autos me os fez concluso, e nos mu
dt-i e profer a sentenga do theor segniMe :
Ilti por justificada a ausencia d mando leja citado por editos de 30 dt.is. para o I
requerido a folhas duas, pagas as rustas ei rausa
Recife, 17 de julho de 1865. Tristao de Ale
Araripe.
Segando o qae assim se erntinha em dita
tenga aqui transcripta, m observancia da qoal o
respectivo escrivao que esla subscrfT*a e ttt pas-
sar o presente edita I com o praso de 30 Ra, pelo
qual e seu th.-or chamo, cito e bei por rilado ao re-
ferido justificado aitsenic JaaJ Rodrigue Frrnaa-
des, para qne denlro do referido praso comparara
por si ou seu procurador anle este raizo allega**
e provando ludo quanto for a bem de seo direito e
justica, sob pena de revelia. Portanto, Inda e qual-
quer pessoa, par-nie, amigo 00 ronlierido do dito
justificado poder-lhes-ha fazer cenle de todo o n-
pendido.
E para que chegue ao coohecimento de todos
mandei fazer o prsenle edilal qoe sera aL
nos lagares do cosame e publicado p-la impr
Dado e passado nesla cidade do Rerife de Pter-
nambuco, 18 de julho de 1865. Ea Jfaaoei de
Carvalho Paes de Andrade, escrivao o sobsere.
Tristao Jt Alencar Araripe.
O Dr. Tristao de Alenrar Araripe, perial ordem da Rosa, juiz de direito especial da
commercio desla cidade do Recile de Peraaaa-
boco e seu- termo, por Sua Magestade Imperial e
conslilueional o Sr. D. Pedro II, a quem Dos
guarde, etc.
Fago saber pelo prsenle qoe bidoro NeOo k C,
por seu procurador me dirigirlo a peieo egomle '
Dizem Isidoro Neto & C. une sendo drvedures a
casa diversas pessoas por Hiatos dr letras, ras
coosla da reiago junta, sareadas pelos aaleresso-
res do suppiicantes Isidoro llahday 4 O, e acnaa-
do-se todas em eslado de prc-rrevrem, por esta-
rem completando o tempo da lei, e romo tejan versos moradores n>-sla cidade, e oulros em tasar
incerlo, vem os supplicantes re<|orrer a V. 3.. pan
que se digne conceder aos -implicantes prole-bi
pela prescripgo, afim de tirar inierrompida, a as
direitos dos .-upplicanles, em vigor, sendo a mesaw
termo intimad-j aos devedores prsenles, e aor car-
ta de editaos aos auseoles, proedendo-se para esse
a devida jiistiticaco de ausencia, e qoe ?. S. Bur-
eara dia e hora para dilo lim. Pedem i VS.de-
ferimento e esperam rereber mece.O procarador
Joo Caetano de Abren.
Seguindo o que assim se ronlinha em dita peti-
gao que ro apreseotada e na qoal dei odespacbo
do theor segrate:
Justifique no da 3 do correle mez depois da
audiencia Recife, 30 de junho de 1865. .Alesear
Araripe.
Segurado o que se cooiinha em tal despache, por
forca do qual fra feita a di.-tribuicao ao escrivao
deste meu juizo Manoel de Carvalho Paes de An-
drade, o qual em observancia do dilo mea despa-
cho, lavrou o termo de prole lo do theor segwafe
Protesto.Aos 30 de junhj de 1863. nesta ida-
de do Recife, em m-u cartorio coroparereram os
snpplicanles, por sea procarador o solicitador J-jo
Caetano de A breo, e por elle toi dito qoe redoza a
termo o ontedo de sua petigo retro, a ajaj aV
receu como paite da preseole, e oo nal depois de
lido assignou com as leslemanhas pre-eotes.
Eu Manoel Silverio de Barrjs Falcao, escreveoto
juramentado o escrevi.
Eu Manoel de Carvalho Paes de Andrade.Joa .
Caetano de Abren. Amonio Alves da Foaseca Jo-
nior.Elisiario Gomes de Mello.
Seguindo o que as-im se continha esa dMo tona
de protesino, depjs dj qnal seguia-se a relaco dos
devedores ausentes do iheor segoinle :
Joaquim Lemos Pereira A C, por ama letra da
quantia de 22.1*200 rs.. vencida em II de jallo ds
loOaa.
O mesmo, por ama letra da quantia de 13
vencida em 23 de maio de 1865.
[&C.
E para constar se mandou publicar o presente [ Depois do que, produzindo os tfancaaiai
pelo jornal. teslemuohas, que dopuzeram coovea
Secretaria da ihesouraria provincial de Pernera- acerca da ausencia dos supplicados, o 111111I1
escrivao fatendo sellar e preparar os' aaaa, me m
buco, 10 de jnlho de 1865.
O secretario.
A. F, da Annunciarao.
Clausulas especiaes para a arrematacao.
1* O empedramento enlre os marcos de 13 a 14
; mil bragas ser execulado de eonformidade com o
respectivo orgaraento na importancia de3:599*200.
2" O arrematme comegar os trabalhos no pra-
zo de 15 dias e os concluir no.de 5 mezes, ambos
contados da data da approvagao da arrematagao.
3' O? pagamentos serao rntos em Ires presta-
fez conclusos, nos quaes dei prefer a
do theor seguinte :
Hei por justificada a ausencia e
supplicados ausentes sejam citados par
30 das, para o fim requerido a fls i,
cusas ex-causa.
Recife 17 de julho de 1863.-Tristao d
Araripe.
Seguindo o qaa assim se continha em
tenca aqui irauscripla, em observancia da
talo
aU.


"Hbmm
VI
-aa
nm*m
^i
Diarlo de rernamfmeo tnhrta felra de Jnlho de *8*
respecljvo e-crivao que este subscreveu e fez pas-
sar o presente, p:lo qiral e *u t'ieor 'ihamo, cito e
hei por citados aos mencionados supplicados au-
sentes para que dentro do referido prazo de 30 dias
comparecen) ante este juizo, allegando e provando
o que or a bem de seu direito o juslica, sob peaa
de revdia.
Por tanto, toda e. qualquer pessoa, prente, aroi-
Arseual le guerra
O conselho de compras do arsenal de guerra pre-
cisa comprar o seguinie :
Para o deposito do Rio Grande do Norte.
331 mantas de laa.
As pessoas que quizerem vender dito artigo,
aprsente sua propuMa as 11 horas do dia 20 do
go ou contiecido dos referid3S ausentes poer-lhe- eo[,rDle- na sala d' conselho de compras.
bao f.izer sciente de toda o expendido. bala das sessoes do conselho de compras do ar-
Para Lisboa.
Sabe por todo este mez de julho o bem ronheci
do brigue pertuguez llelampago ; para o resto da
carga o passageiros, aos quaes offereee aeeiadus
commodos, tratase com o consignatario Thomaz
de AqmnoFiiseca, na ra do Vigario o. 19, pri-
raeiro andar, ou com e capitao na praca.
LOTERA
AOS 6:0000000.
E para que ciegue ao cjtiheeimento de todos,
mandci pas?ar o presente que ser publicada pela
imprensa e affxado nos lugares do cusame.
Dado e passado nesta cidade do Reaife de Per-
nambuco aos 19 de julho de 18iio.
Eu Manoel de Garvalho Paes de Andrade, escri-
vao o ubscrevi.
Tristao de Alertar Araripe.
BSGLABAgOES.
seal de guerra 17 de julho de 186o.
O encarrilad) da escripturacao
Manoel Jos de Azevedo Santos.
Na sexta-fcira 21 do crreme, as 2 horas da
tarde, irao praca por orden) do Sr. juiz de paz
de Santo Antonio, por parte de Luiz Ferreira, era
execucao que move contra Fernando Gazzoli, duas
i cadeiras e dons fiteiros.
arremalaco.
Perante o Sr. juiz de paz do Io dislrlcto
, guezia da Boa-Vista lem
Para o Porto
Alnga-se xina ama .atrasa para lifo n t*r-
vino de nma casa : a tratar na ra da Imperatriz
numero 77.
Descja-se saber quem o proletario do oF?
do sobrado n. 66 sito na ra de (tortas, freguezia
de Santo Antonio.
Aluga-se urna escrava crioula, moga-, ada,
com muito leite, e mnito carinhosa para criancas:
Convidase as pessoas ine eslo as eondi-
coes do servico militar, a cngajarem no corpo de
polica e gozarein das vantagens da lei provincial
n. 611 d- 2 de maio prximo passado, que sao as
seguintes : lil^oo1-*- diarios de si.ldo, seren seus Francisco de Paula da Silva, ra
Albos menores rebolludos aos estabelecimentos
- o consignatario Joaquim
de ser arrematado em Jos Goncalves Bellrao, na ra do Vigario n. 1
hasta publica, no dia 26 do corrente, um cavallo primeiro andar,
ruco penhoradi a Ricardo Austin, por execucao _______
Corre depois d'amanha.
Sal)bado 2i do corrale mez. se extrahi-
r a Ia parle da 4a loieria f4a) a beneficio
da matriz de Agua Preta, no consistorio da qoemji precisar dirjase a ra Forinosa h. 17'.
sahir por lodo este mez o brigue portuguez Untao, igreja de Nossa Senhoia do Rosario da fre- laga-so a parte da casa n." 92 da ra das
recebe o resto da carga e passageiros, e tratase guezia de Santo Antonio Aguas Verde : a tratar na mesma.
com o consignatario Thomaz do-Aquiuo Fonseca, fu hilhnine ma;n- Q ,,ni -mn ,
ra do Vigario n. 19, primeiro andar, ou como Us beUS, meiOs e quartOS SOO'a ven-
capitao na praca. iaa m respectiva tliesourana a ra do Cres-
~-^Para o Para, cum escala peio Maranhao, ore P numero lo,
teode sabir em poucos dias o lug^e Emilia, capi- Os premios de G.0005000 at 10^000
tao Bernardlno Rodrigues de'Almeida, tem a, SOrSo pagos Utlta llora depois da extracco
maior parte da carga tratada, e para o resto que; al as i
Seranea {Ilustrada do Ki de Janeiro
Assigna-se na ra do Crespo n. 4 : tres mezes
6, seis mezes 115, um anno I8 __________
Precisase de urna ama para casa de duas
pes.-oas: n ra da Penha n. 23, primeiro andar.
da fre- Ihes falta, trata-se com
lioras da tarde, e s oulros depois
'",da distribu gao das listas.
As encotninendas s r
que contra o mesrao movem C Starr & G., sendo
esta a ultima praca : quera pretender arrematar
dito cavallo, pd examina-io na cocneira de
de S. Francisco.
mi Al
O Illra. Sr. inspector da ihsouraria provio-
pr vin lai-s de educacao o lempo que e.-liverem ci!, em cumprimento da ordem do Exm. Sr. pre-
a gu ira ser contado pelo duplo para o caso de s aposentidona, e a em destas, tem todas asomis zer publico, que a jauta da fezenda da mesma the-
vaotagens que sao concedidas aos voluntarios da sourana recebe qualquer proposia acerca da ar-
patna.-O tenenie-c ,ruuel c inundante do cor-' rematacao da fabrica de refinar assucar na povoa-
po de palie a, A exaadre de Barros e Albuquer- co do Monteiro, anda mosmo por venda a pjaso-
Os preleiidentes comparecam na mesma thesuu.
Le lio de movis.
Sexta-feira21 do corrente havera' leilao de mo-
vis, louca e crystaes por Intervencao do agente
Pinto, nomesmo armazem.
Alugam se dons grandes sobrados com com
modos para numerosa familia, novos e acetados
cora jardim, cocheira, estribaria e outras commo-
rao guardadas SO- didades. na travessa de Joao Fernandes Vieira :
mente at a noite da vespera da extracco a lratar na rua da Seuzaia Nava n. 42.
como de costume. { batalbao de voluntarios.
Servindo de thesoureiro, As vistas do 1 batalbao de voluntarios de.-ta
Jos Itdricues deSouza. provincia, ada se venda na lithograpbia do Sr.
-----7T5-----1-------:r-T2--^------- ~ Caris, rua da Cadeia do Recife n. 36, I andar, e
U hr. Apsenio Antonio -Carneiro da as hvraria* dos Srs. (rdoso Ayres, rua da Ca-
Cunba Miranda queira dirigir-se a praca da dcia do Recife n. 3!, do Nogoeira, rua do Crespo
Independencia ir. 6 e 8, que -ee precisa rD:.'v'^^'3' ruastre!la.d?lto>a^ Medei"
fa|iar ^ ro.. rua do Imperador, du Antonio tdrnlDgues, rua
do Imperador, livrarh popular.
GASA DA FORT 4
Aos 6:000^000.
flilfaetes s.iraalldos.
A' RA DO CRESPO N ti K GASAS \) COSfnR
Oabaixo.issignadovenden seas muiti
zes uilhetes garantidos da cieri:i qo* >r arat i
deejlr.bir, a bem -lirio das familias ds t^uii
taos la patria, os MfivlM [#1 -
l:mqiiarton 2770 c.rn a s.rin deBiOOO-JCiO
l ni meiun. H9.) rom a .-orle .!e IrM-.ijtn.
Im meio n. 803 com a lorte >! o.i.i,i
E outras muitas sortes de |O). it)*, () ?
Iti-JOt.
. Os)ossuidores podem Qrretahva sen- re-^-
tivos premios semo-d.- i ,. | na &.-j
da rortuna a rua dt- Crespo n. i.i.
Achan'-se a venda os da I* pan- da Meri
(-O a beneficio da matriz de MH \'rtU un'
se extrabira sabuado 2 ,1.. correm
PI'.KCO.
Osear Mayer vai para o Riu du Janeiro.
Siiit'i (l'.w rt-i \fi^Aiiiifiiq raoa al -dlV3 (i a"0'10 Proximo fu,uro-
OaliLil VJil^cl Utl -U.15C1 J.OL! Ula Secretaria da thesouraria provincial de
nambuco 19 de julho de 1868.O secretario.
ftit:iL
do Kecife.
Per-
206,5000
3005000
A Im.' junta administrativa da Santa Casa da
Misericordia do Recite, manda fazer publico <|ue
no da 27 do corrente pelas 4 horas da tarde, na
sala de soas sessdes contiuuain a pra^a das ren-
das das casas abaixo declaradas por lempo de 1 a
3 annoi a cuutar do Io de jullio do corrente anuo
por diante.
Rua das Laran^eiras.
Casa terrea n. 3 particular i; 17 pu-
blico..........
Rua do Raogel.
dem n. 6 particular e 53 publico. .
Rua do ll'isario da Boa-Visia.
dem n. 14 particular e o'8 publico. .
Rua do Arao-im.
[deo n. 48 particular e 56 publico. .
Hdem ii. 56 particular e l publico. .
Itua do Azeile de Peixe.
Mem n. 63 particular e 14 publico. .
Rua da Gaciiiiba.
dem n. 65 particular e 3 publico. .
dem ii. 67 particular e 10 publico. .
Kua do Vigario.
Sobrado de 2 aojaros n. 72 particular
e 27 publico........
Rua do Encantamento.
Sobrado de 2 andares n. 76 particular
e 11 publico........
[dem idem o. 77 particular e 13 pu-
blico..........
Ruada Senzala Vcllia.
Casa terea u. 81 particular e 18 pu-
blico..........
dem n. 81 particular e 16 publico. .
Rua da Guia,
dem n Si particular e 2!) pal I ico. .
Rui da Crui.
Sobradado 2 andares n. 87 particular
e U publico.......
Rua do Pilar.
Gasa terrea n. 92 particular e 103 pu-
blico...........
I lem n 93 particular e 101 publico. .
dem ii 94 particular e i!i publico. .
Mein n 97 particular e 110 publico.
dem n. 100 particular e 104 publico.
;, n. i til particular e ii) publico.
lem n. 103 paruculare i publico. .
A. F, if Anuunciacoo.
Foi transfer la a ultima praca por venda da
casa terrea sita na rua do Bom Gosto por detraz
da igreja matriz dos Afogad.s, para sexta-feira 21
da julho de 1833, cuja arremataos itera lugar logo nas,:2 pares de laniernas, 2 pares de jar-
qnetiule a audiencia do Illm. Sr. Dr. juiz de or- ros, diversos quadros com fims gravaras,
pbos, sendo a mencinala casa perlencenle ao I mesa elaslicn, 1 gu rda Ioupt, I
aV||
Deura.mobiliadejacaranjTcoml so- S;1"' '
f, l.mosa oval, % consolos com tampos de i
peilra, i cadeiras de bragos 2 de balanco e
18 de guarnigo, t d ta menor, 1 dita de
amarello, 1 toilet de Jacaranda, 2 serpenli-
Sr. Pedro Alexandrino ta Cosa Ma- os Pa'|uetes,spbre
Liaboa.
Porto.
e > da praga da Iodepeudencia. Braga.
Alfred Haas vai para o Rio Janeiro.
O Loudon & Drajilian auk, saca por doos
Antonio Casemiro d i Trltilade vai a l.isbia.
Vai a Portugal a passeio e tratar de sua sau
Joaquim Itaptista N igueira.
espolio do tinado Amaro Jos Gomes.
4005000
9600
600,5000
1445000
835000
3005000
9005000
9005000
2005000
200OU0
apara-
dor de Jacaranda, 1 guarda vestido, 1 cama
Arre na tucn fwn|pai de^aotrrand. 1 ilita de amarello,
Sexta-feira 21 do corrate, depois da audiencia rnarquezas, mesas, cadeiras e muitos on-
juz de orbaos, vai ^ pragade tros objectos existentes ni armazem da rua
da Cadeia n. 62.
HO.IE.
O agente Pinto far leilao por cunta de diversos
dos objectos cima mencionados, a> 10 horas em
ponti.do dia cima dito no armazem da rua da
Cadeia n. 62.
do Illm. Sr. Dr.
venda a parle da casa da rui de Santa Rita n. 44.
ifioxnnri a requerimento do inventar ante dos bens da flna-
iob>wu da Mafia ijla dos pra7eres no vaidr de 2215130.
De ordem do Iilm. Sr. tenente-coronel presi-
dente do conseibo de compras do arsenal de guer-
ra, declaro que o convite para compras dos artigos
precisos para o inesmo arsenal, marcado para o
dia 19 do corrente, tica transferido para hoje 20.
Saladas sessoes do consolho de compras do ar-
senal de guerra 20 de julho de 1863.
O encarregado da escripturacao,
Manoet Jos de Azevedo Sautos.
Corrcin peral.
A pessoa que estiver habilitada para co-
nbceer signaes de navios e quizer ser em-
preiadaLiio servigo de ajudar ao telegra-
pbista da torre do Collegio, dirija-se a ad-
mitiistraco do coerci a foliar com o ad-
ministrador.
Leilflo de ttimlm,
A. C de Abreu contioara o sen leibio de'fazen-
(las por it-vvc ido ote P-iUu.1, buje 20
do corrente a II horas da manha en seu arma-
zem rua da Cadeia
LEILAO
Um rico gtiar
DE
la vestido
de mogno, mo-
S cretaria da Santa Casa
R cife 13 de julho de 1863.
1445000
8825000 ;
2005000
200JOOQ
200-3000
20O,3ot)0
2005000
I"!
de Misericordia do
O esenvao,
F. A. Civalcanti Cousseiro.
. ... -.. .' xjt IM
TJ
O aban i assignado. languor da recebedora
de rendas internas geraea, tendo do dar principio
: i 17 !: orrente mez aos trabalhos dolaoca-
mento lo bairro do \l efe, de conformdade com
o art. 37 e seus 55 do decreto de 17 de margo do
dos im iosIos a que esta i njeitos as lujas e
casas commerciaes, e outras de I diversas elasses e
f5es, :> 'isa aos dono.; dis respectivos es-
labelecimi ni que tenhara presentes no acto da
colleeta os recibos e papis de arrenlamento de
suas easas, visto que ellos ler;,i de servir de base
processo domesmo laoeamebto, o qual princi-
piara uas seguint.'S mas: caes da al.'audega, lar-
go da mesma, arco da Goucerao, Cadeia, Cruz,
Lins l Torres, beceo do Abrn, Tanoeiros, Tra-
piche praca do Gommoreio e Vigario.
Jos Theodaro de Sena.
A thesouraria provincial marca o praso de 30
das para o pagamento do imppjto do calcamento
das i ta s Nova e do Sol.
Pela reparticao das obras publicas se faz pu-
blico para conbecimen'o das pessoas a quero pos-
sa interessar, que o regolamento de 9 de julho de
1861, expedido para execucao da lei n. 38't de 9
do uui de 1864; publicado Deslomaos desta cida-
de, coi lm a seguinte disposicao :
Art. (8. O arrematante so aoier obter proro-
icao iie praxo para comeco ou concluso da obra,
provando a superveniencia de circumstancias ex-
traordinarias e imprevistas, e nunca mais que a
metade dos lempos primilirameaie estabelecidos no
contrato.
As prorogacSes applicavel ludo quanio di.-poe
os artigos precedentes.
Reparticao das obras publ:a, 19 de julho de
1865.
Joao Joaquim di S. Varejao.
O Illm. Sr. inspector da thesouraria provn-;
Cial, en: curnprimt nto da ordem do Exm. Sr. pre
iidente da provincia, manda f,zer publico, qne no O doutor........
dia 20 o crrente, perante a juo'.a da fazenda da yro pagem.
mesma thesouraria, se ha de arrematar a quem
mais drr, um telneiro que existe, junto a ponte do
Motoeulomb, avahado em 18.
A anematagao ter lugar no referido dia pelo
meio da, sondo as propostas em carta fichada.
E para constar se mandou publicar pelo jornal.
Secretaria di thesouraria provincial de Pernam-
bucj II de julho de 1863.
O secretario,
________________A. F. d'Annunciaco.
O adminislradur da recebedoria de rendas
10ternas geraes faz publico, que em virlude da al-
teraeaa do decreto 2719 de 31 de dezembro de i
1860, nao julgando conveniente que continen)
"ni podir dos cobradores os conhecimentos do I"
semestre do exercicao de 186i I&63 dos impostos
e 0 0|0, imposto especial e dcima addicional de parahvha
ma i-morta, ordenou o recolhimento delles, princ- '
piando pelo bairro de Santo Antonio, cuja debito
o) ma
Helaran das carias seguras exislrntesua admijs-
trafo do corteio desta cidade
liuiTs abaixo drclarados :
Agostjnho Gomes da Cunda.
Alfredo Nuoes de Castro Lavor.
Antonio de Souza Noya.
2335000' ''"rai"''^' Ferreira Barges.
,105000 francisca de Mello Bsrreto.
Jacintha Martins de Oliveira Jnior.
Joao Gomes Jardim.
Jos Baarque Lisboa.
Jos Ferreira Dias dos Santos.
J:i- Joaquim de Lima.
Jos Nones de Oliveira.
Manoel Firmho Ferreira.
Vicencia .Mana do Carmo.
Pereira C.
Vicente Francisco de. Oliveira.
bilias de amarello, guarda hura, camas
france/.as de amarello c Jacaranda, apare-
Ihos de loara, obras de ouro e prata, I ca-
vallo de sella andador de baixo a mei), cau-
dieiros u gaz, cadeiras aviilsas, marquezas
largas e estreits, commodas, lavatorios,
Os prenles e amigos do finado acapitao
Pedro Affonso Ferreira, que no dia 1S do
corrente mandaram celebrar missas e can-
tar um memento solemne ua igreja matriz
da Boa-Vista pelo repouso eterno o.mesmo
tinado, venj pelo presente agradecer todas
as pessoas que assistiram acuelle ecto, e
com estiecialidade agralcem a l-los os
Rvms. Srs. sacerdotes e iiienori-ta. ai- Rvds.
Srs guardao do convento de S. Praicisco e
provincial do do ilarmo, e religiosos desta
e d'aquella ordem, a respeitavel irinandade
doSantissimo Sacramento d'aquella matriz,
e finalmente aos Srs. Qiiinb>iro c Agr o au-
xilio efficaz e desinteressado Com que con-
correrm para n referido acto.
Vianna.
Guimarae>.
Villa Real.
Goimbra.
Amarante.
Precisa-se de um forneiro e de trabajadores
de maceira que sejam peritos nesta arte, os i|ue
se acharen) nestas circumstancias dinjamsu a rua
larga do Rosario n. 16 que acharao com quem
tratar.
a mesa raedora da irmandade de ffiwsa
Senhora da Goneelcao dos Militares, tendo
de mandar celebrar urna mi-sa e memento
solemne no da 21 do corrente, as 6 horas
da man'iaa, em sufragio dos fallecidos na
presente guerra : convida a todos os seus ir-
maos para assistirem ao dito acto e a todas
as mais pessoas que a elle quizerem
r cer.
Precisa-se alugar urna casa terrea ou Sobra-
do de um s andir, que tnnha um soffrivel qnio
tal em cacimba, senido nos sfgmntes ras : Au-
rora, Gloria, Santa Grn/, Hospicio ou qualquer
outra di Roa-Vista, tambera servir um pequeo
sino sendo hen) porto da cidade : a tratar ua rua
da Imperatriz n. 33, primeiro andar.
Rilbetes. '. 7Jg
Meios......53<)0
Quartos.....!,':>,
Para as pessoas ijhc coniprarroi ir IV03MO
para cima.
"'Ihe'.es.....Hjajaj
Mei'.s......-..y.;
Quarlr-.....-, ,
Maiobl Marti- !-'. <\.
Club PenMmbucano.
A partida do mez de julho tari hor na
noite do da -20,
Precis. -se de urna ttahora que saiba r -r
toda a qualidade de costaras : miem rti, r .-.-t^
circumstancias appsr-ca ni roa da QaeimMf. n.
*>. que se dir qu.-m qoer.
AMA.
I recisa-se de nma ama para rnzinhar :) r->
de familia : na rua do Brnm n. 55, .,-fr : ,
rhafanz.
a
compa-
Xa praga da Inde|ii.|ncia n. r>:.
ves, conipra->e onrn, praia, pttm it.ti .-- ^
tambera se fai >pialquer obra- d---.m:oi. i.:, i
odoji qualquer concert.
Pieci Teverecontar.fi qm tcnba tfmt prailea .i>
padaria, abonando sua rap.nidade : a lra'r aa
rua do Rosario da Boa-Yuta n. .">
rraiciscn ires Harh
PUrtoHi
MEDICO OPER.\BOfi
~~3i 4iiSU JOtJiU
m
0 D
r*
i
Facnldadc de PmU,
Fnz-se publico
m
que fui traspassada a loja de charol k da rua da JS
Cadeia do Recife n. '.), pelo seu proprietario, hvre )M '/)."';''': ;"!li;'<'':" "''-:-
rogressando a-esta proviwb,
prompt i para o esreicio .e mm
quer n -! i ci lado qorr f r.i
-,i
para m se- banejeinas para junto de cama, quartinhei-
ras, quadros co i finas gravaras, relogios
| de ouro e praia, escravos de ambos os se-
xos, etc., etc.
IInjc 2 > 'o correte ;ts I! hars.
NO GRANDE ARMAZEM DE LE LES
IX) AGENTE
3ti-Una da Cadeia do
LEIlAC
V ."3 .
DE
ESTltAA DE FERRO
DO
Recife a Sao Francisco.
Do dia -I do correle em diante lica
retabaJectdo o trafego desta estrada em
toda a sua exteneao, quer para passageiros,
utier para uiereadniias cujos volumes fo-
rem de um peso inferior a 10 arrobas.
Os Srs. passageiros se poderlo muir de
bilbetes para qualquer das estates, sujei-
tando-se apenas, depois da de Ipojuca, a
jeeife--3t5 anudanea de tre n na visinliam;a da estarao
de Olioda.
l'revine-se igualmente que em viriude
das ultimasocrurrencias, edeaccord.) con
o engenneiro fiscal do governo, lica provi-
e desembaracada para a pessoa (|ue a comprnu :
quem se julfrat com rtfreilos a contestar aquello
tr-i-passe, dentro de tres rtis compareca na rua do
Vipario n. II, primeiro andar, depois do une a ne-
niiuuia reclamacau so atiendera. Recife 18 de ju-
Ihu de 1863.
Joaquim Jos Guimaraes Reltrao bm para ven-
der d ms escravos crioolos, bonitas agotas, de
idade d 29 e 27 tonos : pod-'in ser ralos em Po-
ra de Portas, rua d > Pilar n. 138, taberna ; e nara
tratar em seu escriptorio, rua di Vigario n. "7.
NOVA ESCOLA.
Mara Candida Theodora Alves, habilitada pela
direcioria d' ostrucQo publica, participa aos ae-
abares pas de familias, qne se acba aberta a sua
escola de' ensino primario para o sexo femenino,
rua Velba n. So'.
EMPSEZA--COIMBRA
33a rec'ta da assignatura.
HOJE
Quita-feira 20 de julho.
Subir' a scena pela segunda vez ueste tbeatro '
c bem elaborado e interessante drama em 3 actos |
o 1 prologo original braslleiro do Sr. Dr. Francis-
eo Pmheiro Guimaraes.
trastS, loilCa, eSCraVO, Cali- soriainenie alterada a actaal tabellado mo-
dieiros a gaz, iauternas, *"*>**.**w
etc: etc.
Sabb?do 22 do corre i le as '(; horas
No armazem a rua da Cruz n. 57.
Oordeiro Simoes
fara" leilao por conta de diversos, de trastes novos termo.
Botica
Na botica de Bartbloomeu Francisco de Souza &
G. precisa ^c de um eaixelro que teuba bastante
pratica de.-te estabeleeimento.
E ser aro fgido
tantas, etc..) das tus uiiuan-s
laiiientj de iirettira 'c..i de ...,...,.
ra cuja curativo M ju|fc.., i,
ta a pratica, que tefe i\ h -i han
Par, b s iu-'lern.- iHru -
i ossne.
Encarrega-se de tollocar M art.-
ciaes.
Paleo do Carne u. 2, esqui.a da rua
de. Hullas.
Na ruado Livramenio ln para al
criado, escravo, apto para ledo pcma

1
i
i: :i
outra que se publicar ho jornal de ama-.;
Dhaa, nao sendo em caso algiim mudado pa-. Ainia est fgido o escravo Manoel, crionlo, cr
ra mais cedo ahora departida da esla^o fula, estatura regular, otbar espantado, alndmo-
de CiQCO P.'lltas Cd' e fal|ant|olbe dous denles na frente, veio ha
p iucos nv'Z's de 51 imaoguape para ser vendido
aiui, Julga-se andar pela rua da Concordia, Santo
| Amaro, Olioda : quemoaegar, condosvo a rua
Villa do Cabo, 10 de julho de 1805.
G. 0. Mano
Bogenheiro e superintendente nter
e usados, louca, candieiros a gaz, lanternase oulros ggaB3gMPW'|lillii MWiHriiHIillll i
mnitss artigos. I
Na mesma occasiao se vender' um escravo de
idade 28 annos com habilidades.
A\
|l'EHS0NAGE.\"S.
Julia...........................
Glara.........................
Magdalena.....................
Gommendador Castro..........
Augusto.......................
Joao Manoel....................
Salvador.......................
Guilherme.....................
O vigario.....................
D. Eugenia.
D. Camilla.
D. Joanna.
Coimbra.
Amoedo.
Porto.
Borges.
Lisboa.
Pinto.
Guimaraes.
Peixoto.
Capangas..................... N. N.
A accaopassa se na Rio de Janeiro.
poca aciualidade.
Dar' lim ao espectculo a comedia em 1 acto,
imitacao de Jos Garlos dos Santos
0 viulio doBatalha.
Principiar s 8 horas.
MISOS MARTIMOS.
COMPANHIA PERNAMBUGANA
DR
Xavcgaco costeira por vapor.
Natal, Maco. Aracaty, e Cear.
No da 22 as 5 horas da tarde,
superior ao dos mais, adra de proceder a liaui-''^LSfes, segae y?por Mam.n/oPe
dacao de conformiJade com os artigos '* e 5- das _P ^ Pra os portes acm indicados.
nstruccoes i|ueacompauharam o decreto 2334 de
10 de fevereirode 189, que era quanio se est
organisaodo a relacao dos devedores do referido
bairro, Ibes permettido virem aqu pagar os seus
d titos afim de evitarem a cobranca judicial.
Ueceludoria de Pernambuco 3 de julho de 1865,
Manoel Carneiro de Souza Lacerda.
Pela thesouraria provincial se faz publico,
ijne a ar-emalaea> da obra da concluso da casa
da cmara e cadeia da villa do Bjnito, foi trans-
ferida pf.ra o da 20 de julho prximo vindouro.
Secretaria da thesouraria previncial de Pernam-
buco 28 de juoho de 1865. -O secretario,
A. F. d'Annunciaco.
Pela thesouraria provincial se faz publico,
qne a ar'emalaco da obra da cadeia de Nazareth,
f i tr.Qsferida para o dia 20 de julho proximo vin-
douro.
Secretaria da thesouraria provincial de Pernam-
baco 28 le jonho de 1865 O secretaria,
__________A. F. d'Annunciaco.
Pela thesouraria proviilcial se faz publico,
.mo a arremaiaco da obra do quartel da villa de
S.-rinhaem, foi transferida para o da 20 de julho
prximo vindouro.
Secretaria da thesouraria provincial de Pernam-
buco 28 Je junho de 1865.-O secretario,
A. F. d'Annunciacso.
No da 20 do corrente, depois da audiencia
do Sr. ju>z de paz do -2 dislricto da Boa-Vista, vai
a praca 6 cadeiras, 1 marqueza e 2 bancas, de ma-
d.jra de iraarello. por execuci de Joaquim Jorge
de Sjuza contra P/dro Celestino Mindello.
Recebe carga desde ja' at o dia
21 ; encommendas, passageiros e
dinheiro a frete at as 2 horas da tarde do dia da
sahida : escriptorio no Forte do MalDs n. 1.
Para Lisboa
segu com muita brevidade o brigue portuguez
Flomda, ao qual falla apenas um resto de cargj a
frete : quera-a quizer dar, pode dirigir-se a tratar
no escriptorio de Amorim Irmaos, rua da Cruz n.
3 : para passageiros, aos quaes offerece excelen-
tes commodos, trata-se com o capitao Joaquim Au-
gusto de Souza, na praga do commercio.
" LBI.
DE
Metade do sobrado de dous andares e solao
da rua da Senzalla n t.
Urna mobilia dejtcarand com 18 cadeiras
de guarnir i, 2 ditas de braco, 2 de ba-
lanco, 1 si>f, 2 consolos e 1 mesa de
meio de sala com pedia.
Um toillete com pedra, 1 guarda-roupa, I
par de serpentinas, I candelabro, 2 pares
de figuras de porcela a, I dito >:e jarros,
4 ditos de ditos devidro, 2 dilos de fras-
cos para enfeites.
MARTINS fara' leilao por mandado do Illm. Sr. |
' Dr. juiz municipal da segunda v.ra e a requeri-
' ment do testamenteiro e iuvuntariante dos bens
cima deixados pela fioada D. Mara Bernardina
j da Cunceic/io Lima para pagamento de lecados.
Scgdiula-feira 24 do corrente
Xa rua da Crtiz n. 31 segundo
andar, as i i horas.
Na mesma occasiao sera' vendida a outra meta-
de do sobrado acuna por autorisaco da proprie- '
taria.
Leilao
da barca portugueza Restau-
ra cao
. Scpunda feira 24 do corrente.
O agente Pestaa, iejialmente antorisado, fara'
leilao por conta e risco de quem perteucer, da
barca nacional Reslaura^ao, forrada de cobre, de
18.1 toneladas ; lem algUO) panno e cabos de so
breselente e esta' prompla a navegar para qual-
quer porto. Acha-se aucorada confronte ao trapi-
che do algodao, onde pode ser examinada ; e o in-
ventario acha-se em mo do agente.
O leilao lera'lugar segunda-feira 24 do corren
te pelas 12 horas da manha no largo do Corpo
Santo, junto a associaca commercial.
Na mesma occasiao serio vendidos 3 escravos,
marinheiros, sendo Antonio, de idade de 23 annos-
Guido, de 44 e Manoel de 24.

J .ao Martiniano Goeln i e 51 inoel Antonio
Coelho agradecen cordial'nette a todas as
pessoas que se digoaram acompanbar os
restos mortaes de sua presa a ai Hara
Joaquina das Herti Ferreira, e de novo
convidam a todos os sus pareutes e amigos
para assistirem as missas de stimo da das
6 as 8 horas da manhaa do dia 22 do cor-
rente, na igreja da ordem terceira de Nos-a
Seobora do Garmo, assim como convidam a
todos os Bvmds. sacerdotes regulares e se-
culares que quizerem celebrar por alma da
mesma finaJa para comparecerem no mes-
mo dia as mesmas horas na mesma ordem.
w ii i Ma
da Hadre de Dos n. 32, ijue ser recompensado.
-- A veneravel ordem terceira de S. Francisco
desta cidade pretende encaar agua da compaulua
de Beberibe no seu hospital e saclirislia, e fazer
una casa de banbo, contoneo dous banheiros : as
pessoas que se quizerem eorarregar desta obra,
comparecam na sachrtstia da referida ordem t-r
eeira, domingo 23 do corrento, da> '.i as 12 liras
da inanha),.para exaininarem a localidad e darera
depois seus ornamentos.
Tgase a metade de um sobrado na rua do
Kangel n. (i : a tratar no inesmo.
Precisa-se de una preta escrava ou de urna ,
mulher f jrra que saiba coztnhar para urna casa de i
pouca familia : qex quizer dirija-se a rua do
Aragao n. 27. _______
"^"0 sob da casa n. 66 da rua de Borlas per-
tence a irmandade de S. Pedro
Precisa-se d i uina ama para o servido iDt.*rn>i e
externo deum%asa de praca bmia: rana
Senula Velhan. 22, segando andar.
Alugam se dona qoartoi ind d*
um sobrado da rua da floniah ion. i por I
outro por 6-5 araes : na ^raca da l:i:
da n^. 6 e 8.
Aloja se una casa terrea iMa na ma ,!a C
lia da lioa-Vista n. 36, Coin 3 mnrt -. 1
zinha fra. cacimba e era boa e 11.| > : |f li-
nos Coelnos, rua do Jaso im. c un a viava .\:.i -
nia da Costa RnVira e HeNo.
A tict rao.
Na praca do Forte do M.tti; n. I'l. ; .,, .|^
I9 andar, se dir qiv-m precisa de l:2:k!> a y.,--
mm, dando-se endocinte ne.-i.i praca.
Ama de leitc.
Precisa-sc de urna ama de lelte que ?eja saa
enha bom b-ite : na rua e>treita do loaarto a. M.
egundo andar.
Quem precisar de urna
dirjase a rua de Apolh o. i.
criada poriufarza.
Fc.vni^lo
DO
ViM,
Rua da ISrmn numero :is.
Ncste estabeleeimento aflBaai 1 a vn!a o* s#-
guintes objectos, todos di priineira qua idade. e
construidos especialmente para esta ca.-a. pelo*
mais acreditados fabricantes ingieres
Irmandade de Sant'Amia to "^^"TJ?JLt?/tal_?,S
D. Miquilina de Jess Bego Valenca, seus
lilhos, genros, n iras e netos reeonhecidos a
todos aquelles que assistiram s exequias de
sen presa 11 mando, pai, sagro eav, e agra-
decidos a esla prova de amiza di nvo ro
ga a todos os amigos do liando para assisti-
rem a rnissa do stimo dia que ter lugar
soguida-f-'ira24 do corrente.
Attencfw.
Como a empreza de illumioaco a gaz tenha da-
do licen^a aos roachinistas para trabalharem por
sua propria conta, Garlos Pluyin, raachinista, offe-
rece. seu prestimo ao publico para encaar gaz e
agua, e toda a sorte de servlcis concernenles ao
seu officio, por preeos rauito rasoaveis.
Pode ser procurado a qualquer hora na rua da
Alegra n. 16 (Boa-Vista.)
N. B.
S7- Para prova d< perfelco do seu trabalho o
mesino tTe-rece ao publico o testeraunho de im-
m-n;as pessoas para quem jatrabalhou a mandado
da campanilla do gaz.
Para a Baha pretende sahir
com muita brevidade o velelro
lugre Emilia, capitao Bernardi-
no Bodrigues de Almelda, por
ter a maior parte da carga tra
lada, e para o resto que Ihes
falta tratase com o consignatario Joaquim Jos
Goncalves Bellrao, na rua do Vigario o. 17, pri-
meiro andar.
COMPANHIA PERNAMBUGANA
DE
."iavegaco costeira por vapor.
Presidio de Fernando.
Seguir' um dos vapores da
companhia do dia 29 do correte
as 10 horas da manhaa. Recebe-
ra'carga, encommendas, passa-
geiros no dia 28 at as 4 horas
da tarde : escriptorio no Forte do Mallos n. 1.
AVISOS DIYE1S0S.
AVINO
Os Srs correspondentes dos
ssignantes deste Diario, no
eentro da provincia e as de
mais do imperio, queiram
mandar satisfazer o importe
da assvjnutura para mo ha-i
ver interrupeo nn remessa
Instituto ArnVol xjifo e Geograpbico Pcrnam-
Dentista de ternain-
buco.
I Fu estrella 4o llosa rio n. 3,
ao p da igreja
Colloca dentes artlflelaes
pelossysttmas mais mo-
dernos
Emprega todos os meios scienlificos para
conservar os nturae*. P le ser procura-
do em seu gabinete das 9 horas da raa-
nbaa as 5 da tarde.
a
1
Lino de Faria, nico llquidatario, da massa
fallida de Faria & GY, em virtnde de concerdata
que llie foi concedida e devidamere Homologada,
e Geograpbico
bucano.
llavera sessao ordinaria quinta-feira, 20 do cor- convida a todos os senhores creoVjres que alada
rente, pelas 11 horas da manha. .
ORDEM DO DIA.
Trabalhos e pareceres de commisnoes
Secretaria do instituto, 17 de julho de 1963.
J. Soares de Azevedo,
Secretario perpetuo.
nao procurarara, para que com elle se entendam
uestes 15 dias sendo que necessita saber a im
i portancia dos crditos de cada um dos mesmgs
senhores: mora na rua do Imperador n. 57, e
pode ser procurado de oanha. Beclfe 17 de ja-
I Iho de 1865.
igreja da Madre de Dos.
Por ordem da mesa regedora sao convidados lo-
dos (f irmaos da irmandade da Gloriosa Senhora
Sant'Anna da igreja da Madre de Dos, a compa-
recerem domingo 23 do corrente, pelas 10 112 ho-'
ras da mantisa, paraoflra deeleger os novos func-
cionarios que devem compor a mesa regedora que
tem Je faueelonar no futuro anno de 1863 a 1866.
O escrivao
Msnoel Jos de Souza.
Bernardo de Siqueira de Castro Monteiro e
I Custodia Antonio Soares avisam ao publico c es-
I pecialmente ao respeitavel corpo do commercio,
que de cumraum accordo dissolveram a sociedade
que tinl'.am estabelecido soo a tirina social de Mon-
teiro & Soares na padaria da rua larga do Bosario
n. 46, fleando a cargo do socio Bernardo de C. C.
Monteiro todo o activo e pasivo da extincta socie-
dade. Becife 8 de julho de 1863.
Fugio no dia 16 do correte a escrava mua
ta de nome Suzana, idade 40 aunos, mais ou me-
nos, baixa, cheia do corpo, com falta de denles na
frente, cabellos estirados, levou vestido de chita
escura e panno da Costa : roga-se as autoridade:
Doliciaes e casitaes de campo sna captura entre-
garem-na praca da Independencia ns. 14 e 16.
Proiesta-se contra qualquer pessoa que a tenha
acoutada._____________^_________________
Precisa-se alugar um moleque de 10 a 12
annos para fazer pequeos servicos de urna casa
de pouca familia : a tratar ua praca da Indepen-
dencia ns. 14 e 16.
Pede-se a pesoa que por engao levou um
chapeo de sol, iulgando ser o seu, na noite de 16
de julho, na sala do pateo do Carmo, do Sr. Maga-
Ihes, que tenha a hondada de vir buscar o seu,
pois se acha na mesma sala.
Aluga-se um preto que tem sido muitos an-
uos amassador decadaria : na praca da Boa-Vista
numero 4._______________________________
Aluga-se urna escrava muito fiel para servico
de casa e rua : na rua do Imperador n. 50,terceiro
andar. _____________________________
A professora publica da 3* cadeira da fre-
gnezia de Santo Antonio mu tou a sua residencia
para a rua Direita, sobrado de um andar n. 74,
com a entrada no becco.
i
raoendas, juntas e sem ellas ; e laafcMi | r ;
; para descarocamenlu de algodao, afmalas p~ia
; forlidao, simplicidade e economa era ron.bo4tiv.-i.
j e por nao precisar de obra qualquer para seu as-
, esniamento.
Bodas d'agua de ferro, .-ystenia mu prove! s-
da forca d'agua.
Bodas de espora, e angulares, e de e- ju;dn!ha
para animaes.
Moendas e meia-monndas.
Taixas de ferro balido e fundido, p de CttUl
Machinas para escareoar atjpdMe, >\-;e;na
Platt, com os ltimos melhranienios.
Boceas e crivos de palala para f irnalha', drai-
nuindo muito o gasto do combusiivel.
Machinas e machinismos para moer mandioca.
movidas a vapor, amasa cavallo.
Furuos e chapas de ferro batida para coser fa-
rinha.
Alambiques de ferro, e fundos.
Guindastes, fuos e porttil.
Prensas para copiar cartas.
Bodas para carro de engenho com eixos e man-
gas de patente.
Formas de ferro batido galvanizado para purgar.
Serras de ac e armac5es de serrara.
Arados de ferro singelos e dobrad >$, grades para
cubrir rauna, enxadas a cavallo, e outros in-tru-
mentos de agricultura.
Consultorio met
Instrumentos
Vende-se om iustrum-ntal completo
na rua do Imperadoj n. 12.
a tratar
Vende se a metade da casa terrea n. 31 da
rua do Bom Jess das Crioulas (boje ru dos
Quarteis) por mdico preco .- na rua larga do Bo
sario n. 17.
Vende-se 40 palmos de terreno na rua da
Concordia : a tratar na rua do Alecrim n 10, das
3 horas s S nos dias uleis.
cirurffico.
O Dr. Joao Pedro Maduro da Fonseca
tem sua residencia ni rna do Sol n. 31, q
segundo andar, aonde se presta ao exer-
cicio de sua profissao tanto de dia carao
E de noite, os chaondos quando na>) c.-te-
Sii ja em casa seja por escrir*>, indicando a
S1 morada e nome do cllent.
BlMiUllOTlll aa* Haal3^
A irmandade de N. S. da Aupan da rdaj.-
de Olinda receben no da 17 do corrente, por sa-
mla que fez o Sr. Pedro Gandido l/>pes, subiit.
portuguez, empregado como p.trao em um d<>s e<-
caleres da alfandega desta provincia, a qnantia de
400l, com a roudico de ser empregado na obra da
igreja 300, e com o aceiu do aliar da Senhora
1005000.O thesoureiro da irroanoad ,
_____________Luiz Ji? Pinto da C-ta.
freeisa-se de urna ama cara comprar e eo-
zinhar : na rna de Horlas n. 46.
Precisase de 2:000 a premio de I 0|0 ao
mez, por es paco de dex meses, garant nd se rom
hypotheca em urna casa terrea nesta cidadj do
maior valor, a qual se acha em muit > tora salada
por ser edificada de novo e de paredes dobra la-:
na rua de Santa Theren a. 38, ss dir quem pre-
cisa.
i*fc


Diarlo de
ibuco ... Qulnia lelra tO e Julho de !.
PHOTHOGRAPHIA ARTSTICA
COMPRAS.
DE
25 Ra Nova (esquina da Camboa do Carino) 25.
Os proprietaiios deste esUbelecimento, desojando salisfazer os numerosos pedidos de seus freguezes, acabara de-receber de seus correspondentes de Paris, nm grande
sortimento de retratos (cartes de visita) das.personagens as mais celebres da Europa, assim como receberam tambem urna quantidade de alinetes e cassoletas para reliados, do
mais apurado gosto e por precos muito diminuios.
Os mesmos aproveit^m a occasiao para prevenir ao publico e recordar aos seus numerosos freguezes, que elles trabalham todos os dias, domingos e dias santos, das 9
horas da awnha"a at as 4 da tarde e que os tem os de chuva l3o influem em oada para o bom successo dos retratos, pelo contrario o sol entre nuvens mil vezes preferivel
sobre1 todos os pontos, tanto pela rapidez da operario, como pela commodidade das pessoas.
A grande qu:mtidade de pessoas que lem visitado este estabelecimento nestes dous annos em que se acham establecidos nesta cidade, e que nao ser menos de cerca
de ,900 a 7,000, para elles urna garanta futura, posto que se appliquem todus os dias, para que todos saiam contentes e satisfeitos.
Compra-se etleclivamente ouro e prata em
ooras velhas, pagaodo-se bem : na ra larga do
Rosario n. 84, leja de oarives.
Silvino Guilherme de Barros compra e ven-
de efectivamente escravos de ambos os sexos :
ra do Imperador n. 79, terreiro andar.________
Ouro e prata
em obras velhas : compra-se na praca da Inde-
pendencia n. 22, toja de bllheles.
Compra-se oaro, prata e pedras preciosas,
em obras velhas: na ra da Cadeia do Recite,
leja de ourives no arco da ConceicSo.
Compram-se libras esterlinas a 9*600, na
praca da Independencia n. 22.
Compram-se libras esterlinas
Crespo n. 16, prtmeiro andar.
na ra do
Companhia geral kespankola de seguros mutuos
sobre a vida
AUTORISADA PELO REAL DECRETO DE 21 DE DEZEMBRO DE 1859
ma flanea era dinheirt, depositado nos eofres do estado, garante a boa da
ministraco da eompanhia.
BANQUEIROS DA COMPANHIA
O Banco de Hespanba
DIRECgAO GERAL
Madrid : Riia do Prado n. IO
Esta companhia liga pelo systema mutuo todas as combinares de superviencia dos sfgu
sobre a vida. ... ,
Nella pode se tar.er a subscripto de maneira que em nenhum caso memo | ti utidos
curado se perca o capital nem os juroscorrespondentes a estes.
Sao tao supreheadentes os resultados que produzem as sociedades da ndole de A NACI
DAL,que anda mesmo dimlnuindo urna terca parte do interesse produzido em recentes liquidai
ces eeombinando-f i-om i unrulidade da tabella de Depareieux que e adoptada pela companh-
fiara tea* clcalos le liquidacoes, em segurados de idade de 3 al9 annos, umaimporscaoannua.
de 1005 produz em effectivo metlico:
No fim de 5 annos.......i-.1194300
de 10........3:9425600
de 15........11:2085200
d; 20 .......30:2365000
de 25........80:3315000
Mas dados menrres de 3 annos e maiores de 30, os productos sao mais consideraveis.
Prospecta e mais informacoes serio prestadas pelo sub-director nesta provincia.
Joaquun Piuza de Oliveira, ru da Cadeia n. 32, ou a Boa-Vista rna da Imperatriz n.!2,estabel
ment do* Srs. ltaymundo,Carlos,Leite & Irmao. _________
Engenho.
Arrendase o engenho Jussarde Sant'Anna sito
na freguezia de Ipujuca legua e meia di.-lante das
estacos da Escada e Ipcjuca, Cum trras de ver-
g?os de massap para se safrejar em grande es-
cala : a tratar no paleo do Livramento n. 83, com
o Dr. Ignario Nery da Fonseca. _________
i de GUACO
de N. 1PASCAL
O Alcoholado de Guaco de Pascal urna nova preparacao da qual
basta mencionar suas propriedades para appreciar sua importancia.
Em primeiro lugar um preservativo infalivel do contagio venerio (ver
folbeto para o modo de o impregar).
2# Tem a vantagem de ser o remedio mais certo e mais agradavel para
as molestias syphiliticas de toda a especie, ulceracoes primitivas e secun-
darias, ec.
3" Empregado em injeccSes, o melhor tratamento dos corrimenlos
recentes ou chronicos as pessoas dos dous sexos e da leucorrhea as
mulheres.
4o Emfim como antidoto dos virus, soberano na cura das chagas e f-
tidas de m natureza, chagas gangrenosas, darlros, ulceras das pernos,
ophtalmia purulenta, ou blenhorragica, mordeduras e picadas de ani-
maes venenosos, ec.
Este especifico vegetal, izento de toda a accao mortfera, foi experimen-
tado nos hospitaes de Paris, Lyon, Marcelha, ec, e recebeu a approvac&o
dos distinctos doutores Ricord, Bauchet, A. Richard, Calvo, Diday,
Melcbior Robert, Costilhes, Berenger, ec.
Deposito geral em Pars, botica de CHEVRIER, 21, ru du Faubourg-
Montmartre.Casa de expedicao, PASCAL e C\ 33, ra Monsieur-le-
Prince. Paris.
i obre, bloe chumbo.
Compra-se cobre, la tao e chumbo : no armazem
da bola amarella, no oilao da secretaria de po-
lica._______________________________w
Orna casa.
Compra-se urna casa terrea no barro da Boa-
Visla : a tratar na ra io Vigario n. 13, primeiro
andar, das 9 horas da manhaa as 3 da Urde.
i Compra-se um sellini ioglez, que esteja em
bom estado : na ra de S. Gonzalo n. 16.
Compra-se um sellim em meio uso : na ra
de Santa Thereza n. 38_______________________
Compra-se urna casa terrea propria para fa-
milia : a tratar no paleo de S. Pedro, casa n. 6,
segundo andar,________
Compram-se livros inlezes, Willards Virs'
Ciis Reader, e os diccionarios de Vieira : a tra-
tar na ra do Mondego, olaria n. 13._________
Compra-se urna prensa de espremer caj,
que esteja em bom estado : a tratar na ra da
Crnz n. 42, primeiro andar.
VENDAS.
0 castello de Grasville.
Traduzido do francez por A. J. C. da Croz.
Vende-se este bello romance em quatr
tomos pelo baratissimo preco de 3O0C
ua praca da Independencia, livraria ns.
6 e8.
DEPOSITO

2TRATISTAS
Firmino & Lins
Novo estalielccimc'ito de retra-
tos rna Xova n. 15, Io an-
dar, junte ao Sr. Gautier, 32
dentista.
Tiram retratos todos os das, das 7 horas
*1
s
O Sr. Ignacio Miranda Pinheiro da Cunha I j^
d;ixou de ser caixeiro da caga de Joaquina Jos ajg
Dncalves Beltrao, no dia 17 de Julho de 1803. 'r:
mmm mi m mamsm \ i
O Dr. Carolino Francisco de Lima San- 8Sf tai
tos contina a morar na ra do Impera- ra i S Tiram retratos todos os das, uas 7 oras
dor n. 17, segundo andar, tendo alias seu M \ H da manhaa as 5 da tarde, quer chova ou
gabinete de consullas medicas, logo ao ~"& | tf nSo. W
entrar, do primeiro. y&< I ^s Tambem se offererem para tirar reir- >*
O mesmo doutor, que se tem dado ao 8 i Bg tos de pessoas fallecidas, dentro ou fora gR
i|j| estudo lamo das operacoes como das mo-
lestias inlernas, presta se a qualquer cha
AST
ASTHiMA ASTHMA ASTHMA
SUFFOCgAO NERVOSA E OPPRESSAO
nico remedio efficaz para cominillo- estas molestias, acalmar um attaque d'asma e impedir a
volta o Xarvpe aromtico de Succino [mbar amarello) do Dr Danet. Ilescoberia interamente
recente, este novo producto se tem propagado com extrema rapidez gragas aos admiraveis resul-
tados que tem sempre produzido.
Deposito geral, na botica Chauveaud, :4, ra do Comercio, Paris-Grenelle, e em todas as
boticas de Franca e do eslrangciro.
m.
i
Ira para cavallo, sendo esia com la.-lro .rnente,
propria para carregar barricas de farinha de trigo,
lenba, etc., ambas com aso, por prego muito com
modo :a tratar no palco ile S. Pedro n. i.
i|| Dr. Cosme de S Percha conti-
M na a residir na ra da Cruz n. 53, M
pm Io e 2o andar, onde pode ser procu- j
ff, rado para o exercicio de sua profls-
*j sao medica, e com especialidade
M sobre e seguinte
8 1 molestias de olhos;
, 2o de peito :
3o dos igaosgeni-
ti urinarios.
g Em seu escriptorio os doentes se-
rito examinados na ordem de suas
entradas cornecando o trabalho pe-
los doentes de olhos.
Dar consultas lodos os dias das
6 as 10 da manhaa, menos nos do-
mingos.
Praticar toda e qualquer opera-
cao que julgar conveniente para o
prompto restabelecimento dos seus
doentes.
:--!
AlU}ia-sc
a casa terrea da Ilha do RJtiro (Passagem da Mag
dalena) onde morn o corrector Macedo, com bons
coramodos para familia : trata-se no iaigo do
Corpo Santo n. 19, escriplorio.
Joo da SvaRamos, medico pela Uni- m
versidadede Coimbra, d consultas em Es
sua casa das 9 s 11 horas da manhaa, e SJe
das 4 s 6 da tarde. Visita os doentes -
em suas casas regularmente as horas W
para issu designadas, salvo os casos ur- in-
gentes, que serao soicorridos em qual- .&
quer occasiao. D consultas aos pobres '3k
que o procuraren) no hospital Pedro II,
aonde 6 encontrado diariamente das 6 g^
s 8 horas da manhaa.
Tf m sua casa de sade regularmente M
montada para receber qualquer doente,
anda mesmo os alienados, para o que S,
tem commodos aproptiados e nella pra- c3|
tica qualquer operac.au cirurgica. &&
Para a casa de sade.
Primeira classe 35000diarios.
Segunda dita.... 22500 >
Ternura dita.... 2*000
Este estabelecimento j bem acredi-
tado pelos bons servidos que tem pres-
tado.
O proprietario espera que elle conti-
nu a merecer a conBanca de qne sem-
pre tem gozado.
A luyase
um sitio na campia da (Jasa Forte, com duas ca-
sas, nina a em que moruU o fallecido Thomaz de
Aqaioo Ponseca Jnior, felta a moderna, e conten-
do todas as acccmmodacoes precisas, e outra com
bos cornmodidades para qualquer familia : na
i un do Vigario n. 19, primeiro andar.
Vende-se urna rotula e urna janella em mui-
to bom eslado : ra das Aguas Verdes n. 92.
Precisa-se
de aprendizes para a offleina de marcinero, na ra
do Imperador n. 18.
$&$& Mmwmmwm
M O hachare
Francisco Aneaste da Cosa m
}& ADVOCADO >Sft
m Ra do Imperador numero 69. J^
wwim mm wmmmm
Camas [de ferro.
Grande sortimento das melhores que ha no mer-
cado : na ra Nova n. 33.
S&iS
mmmm mmmmm
ii- Anda se precisa de urna ama para cozi- H
J:; nhar e engommar para tres pessoas : na
lsfe ra das Cruzes n. 37, sendo pessoa mor-
i^ gerada e que se possa entregar urna casa. $
Aluga-
ii-se
Na rna Nova n. M ha para alugar um moleqae,
o quakcozinha e engomm.
Precisa-se de urna boa engommadeira para
casa de duas pessoas : na ra da Cadeia do Recife
n. 27, primeiro andar.
De ordem do Irmao juz da irmandade do
S3. Sacramento da freguezia de S. Jos, convido a
todos os irmos da mesma irmandade para a ren-
nio de mesa geral, domingo 23 do corrente, as 11
bWB8 da manhaa, afim de proceder-se a eleigo
de ihesoureiro, tratarse de negocios importan-
tes a bem da ign ja matriz a da irmandade.
O escrivo
________________Jos Elias de Oliveira.______
"I
O sitio dos Arcos, na estrada dos Remedios, fre-
puezia dos Afogados, esta snjeilo a um crdito j
passadoemjolgado, da quanna de 1:207^ e como
possa m fazer qualquer negocio com o mesmo, e o
dono desse crdito estoja fora da provincia, se faz
o presente aviso para conhecimento do publico, e
nao haver dnvidas do futuro.I. I. S.
Precisa.se alugar urna preta escrava que saiba
ciainhar bem e comprar : na ra de S. Francisco
ou Mundo Novo n. oi.
Togo do ar.
No armazem da bola amarilla no oilao da secre-
tara da polica, recebem-se encommendas de fogo
do ar para dentro e fora da provincia.
Aluga se um sitio perto da prar^a com com-
modos para grande familia : quem pretender diri-
ja se a ra do Crespo n. 8 R.
mmmm mmmm mmm
j*f Companhia idelidade de seguros
S martimos e terrestres
estabelecida no Rio de Jaueiro.
&% AGENTES EM PEHNAMBUC0
j|jg Antonio l.uiz. de Oliveira Azevedo & C,
i} competentemente autorisados peladlrec-
W toria da companhia de seguros Fidelda-
I de, tomam seguros de navios, mercado-
rias e predios no seu escriptorio ra da
Crm n. 1.
mmmmmmmmmm mmm,
Perdeu-se no dia 16 do corrente desde a rna
Nova at o convento do Carmo um pedaco de urna
(lia de curo de nma pulseira de jarrcieira, sendo
provavel ter sido na occasiao do Te-Uenm : quem
achou e quizer restituir, dirija-se a ra do Cabu-
ga n. 7, onde ser gratificado.
Deposito geral em Pernatnbuco ra da Cruz n. 22 em casa de Caros & Barbosa.
DE
EtE
J. VIGNES.
M. 55. RI A DO niPISR.tROR x^. 55.
Os panos desla amiga fabrica sao boje as--s connecldos para que seja necessano insistir sobre a
sua superioridade, vantu^ens e garantas que olerecem aos compradores, qualidades estas incontesla-
veis que elles tem definitivamente conquistado sobre todos os que tem apparecido nesta praca ; pos-
snindo um teclado e maebinsmo qne obedecem todas as vontades e caprichos das pianistas, sem
nunca faihar, por serern fubricados de proposito, e ler-se feito ltimamente melhoramentos importan-
tsimos para o clima deste paii; quanto s vozes, sito melodiosas e flautadas,.- por isso muito agrada-
vei^ aos ouvdos do- apreciadores.
Fazem-se confumo as encommendas, tanto ne.-la fabrica como na do Sr. Blondel, de Paris, socio
correspondente de J. Vignes, em cuja capital foram sempre premiados em todas as exposi^oes.
No mesmo estabelecimento si? achara sempre nm expandido e variado sortimento de msicas dos
melhores autores da Europa, assim como harmnicos e pianos harmnicos, sendo tudo veudido por
precos commodos e razoavels.
CONSUMI MEWCO-CIRIRfilCO
D
MI PEDRO DE ATTAHYDE LOBO MOSCOSO,
MEDICO, P.tRTEIHO l<: OPERADOR.
3 .Ra da Gloria, casa do Fundao 3
O Dr. Lobo Moscoso d consultas gratuitas aos pobres todos os dias das 7 s 11
horas da manlio, e das 6 e meia s 8 horas da noite, excepeo dos dias santificados.
Pharmacia especia l homeopathica
No mesmo consultorio ha sempre o mais appropriado sortimento de carteiras
tubos avulsos, assim como tinturas de varias dymnamisaces e pelos precos seguinles.
Carteiras de 12 tubos grandes. 12*000
de 24 tubos glandes. 18)5000
de :}G tubos grandes. 240000
de 48 tudos grandes. 30,51000
de 60 tubos gran les. 355000
Prepara-se qualquer carteira conforme o pedido que se fizer, e com os remedios
que se pedir.
Um lubo avulso ou frasco de tintura de meia onca 1^000.
Sendo para cima de 12 custaro os precos establecidos para as carteiras.
Ha tubos mais pequeos cada um a 500 ris.
LITROS.
A melhor odra da homeopathia, o Manual de Medicina Homeopathico do Dr. talu-
dos grandes voluntes com diccionario............ 20#000
Medicina domestica do Dr. Bering........... 10$00
Repertorio do Dr. Melk Moraes............ 65000
Diccionario de termos de medicina........... 3?$0OO
Os remedios deste estabelecimento sao por demais conhecidos e dispensam por
tanto de sercm novamente recommendados as pessoas que quizerem usar de remedios
verdadeiros, enrgicos e duradores: ha tudo do melhor que se pode desejar, globos de
verdadeiro assucar de leite, nolaveis pela sui boa conservaco, tintura dos mais acredi-
lados estabelecimentos europeos, a mais exacta e acurada preparaco, e perianto a maior
g I energa e certeza em seus effeitos.
Casa de saude para escravos
Recebe-se escravos para tratar de qualquer enfermidade ou fazer-se-lhe qualquer
operado, p n o que o annunciante julga-se suTicientemente habilitado.
O raUmento o melhor possivel, tanto na parte alimentar, como na medica, e
funecionando a casa ha mais de quatro annos, ha mtiias posoas de cujo conceito se nao
pode duvidar, que podem ser consultados por aquelles que desejarem mandar seus
doentes.
Paga-se 20 por dia durante 60 dias e d'ahi em diante 10500.
As operacoes sero previamente ajustadas, se nao se quizerem sujeitar aos presos
razoaveis que costuma pedirr o annunc ante.
de pao e cestas, ra larga do Rosario
numero 36
A este estabelecimento chegou honlem nova re-
messa de obras de vime e gesta, aqui se acham ao
alcance de todos os freguezes para os rescem-nas-
cidos, bercus de palha, alguns desles de cabeceira
coberla, blaios ou voadores para enancas apren-
derem a andar, cestas Anas de meninas de escola
enliar no braco, cadeiras de vime branco para as
viagens nos vaprese recreio nos terrados, bande-
jas de vime para roupa engommada, cestas para
acondecionar roupas de passar das fr3, dilas
para deposito de roupa suja, azafates pintados com
f para frucla, sobre-me.-a, coudecinhas pequeas
para encher de doces seceos, condejas de todos os
nmeros, acatates brancos de conslru'cao fortee
de lodosos nmeros, obra de Braga, cestas de
arco para compras no mercado, ninhos de gula
para postura e cra^o de canarios do imperio, b-
talos de cores com tampa e sem ella para costura
grossa, actales redondos e compridos de cores
para criadas (amas) fazerem as compras, gigas de
; vime grosso para padana ; estes sortimenlos eos-
tomamos recbelos de tres em ires mezes, suffl-
"ciente prova de que os vendemos a presos muito
razoaveis. ______
Vende-se urna burra de ferro grande
em perfeito etado e por commodo preco :
na ra doApollo n. 20^________________
Senientes.
Vendem-se sementes de hortalicas muito novas :
na ra da Cadeia n. SO.
Potassa da lussk
muito nova e superior : vende-se no escriptorio
de Manoel Ignacio de Oliveira & Filho, largo do
Corpo Sauto n. 19.
Vendem-se palmeiras mperiaes, em estado
de serem Iransplanfcdas: no sitio murado es-
i querda, depois do beco do Espinheiro, nos Af-
flictos.
T\S, VROSE
CHIIYST4S.
A loja de longa da ra do Crespo n. 16 tem para
vender quantidade de azulejos de lindas e variadas
cores, assim como lougas de todas as qualidades,
de bonitas pinturas e goslo moderno, ricos appare-
Ihos de porcelanas brancas douradas e de cores,
vidros de todas as finalidades^ inclusive finissimo
chrysial, dilicados jarros de chrjslal e porcelana
para llores, figuras e outros muilos objcclos de fi-
nssima porcelana denominada biscuito para en-
feites de mesas, ele, guarnicoes de finissima por-'
celana branca douradas e de cores para lavatorios
e tateles, tudo du inellmr gosto, pinnas de louca e
vasos para jardim, candieiros de lamparinas para
gaz, globoso chamineisde vidro, bocraes e lodos
os mais sobrecelentes para os mesmos, caz liquido
de superior qualidade, e muitos oulros artigos que
seria entadonlio mencionar, todo por precos mui-
lissimos razoaveis.
Veode-se urna escrava de cor preta, sabendo
engommar roupa de seohora e de encrespar, e de
homem muito bem, lavar o cozinbar bem, vestir
urna senhora, e os mais arranjos de urna casa, nao
se vende para a cidade, e preferese para engenho
ou para lora da provincia : na ra da Imperatriz
n. it, primeiro andar, das 4 horas da larde em
diante._________________________________________
Vende-se urna escrava de 27 annos, bonita
figura por 400,} por ter um pequeo deleito : na
ma do Gaz casa nova.
Vende-se on aluga-se um sitio na Capunga
Velha, com grande casa para familia : quem pre-;
tender dirija-se Capunga Nova, casa junto do
theatro, a tratar com a viuva do Sr. Joao Evange-
lisia'datCostae Silva.__________________________
Vende-se urna prensa de espremer caj em I
perfeito estado e por commodo preco : qoem a
pretender comprar dirija-se a rna de S. Jos, la-1
berna n. 2.
Rival sem segundo
Ra do Qucimado ns. 49 i 55, Ija it
iniudezas de tres portas, eslqiei-
mamlo tudo boa r barat, %*m ^ii-
zer ver e admirar venkan i Uj i 4%
Bigodinlio.
Caixas de papel amizade, e sem ella liso e pautad*
a 600 rs.
Crozas de bo'.des de loara prateados fazeadi Mo-
derna a 160 rs.
Duzias de penna de ac fazenda boa a 0 rs.
Pecas de tranca de la lisas e de todas ere* a
40 rs.
Escovas flnissimas para limpar deafes aiWe
320 rs.
Pulceiras de contas para m nhoras a .300 r.
Pegas de tila de cs estrellas con 10 varas a
320 rs.
Caixas com clcheles francezes, snperiores finali-
dades a 20 rs.
Tinteiros de barro, rom superior linta a 100 rs.
Pecas de cordo para vestido?, Uzeada boa a
Ors.
Baralbos muito Unos para vollarele a 100 a
2M)rs.
Frascos com agua de Florida a l| e IJ280.
Frascos com superiores bandas a 500 rs. e H.
Frascos com banha, porm peatiew* j SflO e
340 rs.
Latas com superior banha a 200 rs.
Frascos de macaca perula mnilo lino a 200 rs.
Frascos e garrafinbas com atua de Cotona a
OOrs.
Frascos grandes com superior agna de Colonia a
6i0rs.
Frascos com superior oleo de batata a MO e
500 rs.
Caixas com 12 frascos de cheiros mono baos a
1*100.
Sabonetes pequeos de bolla a J40 r?. e |randes a
320 rs.
Saboneles de familia a 120 e 200 r.
Ouza de sabonetes pequeos rom rheiro a 700 rs.
Agua denliflce superior qnalidade a MOO r*.
Caixas coro superior po de arroz a 8U0 rs.
Frascos de superiores essenrias saaul e ootroj a
1*200.
Frascos com essencias para tirar nodaas de ronpa
aSOOrs.
Frascos com ebeiros de lodos os precos a 160 s >
240 e 320.
Frascos bonitos com cheiros finos a 300 rs.
Duzia de meias muito linas para senhora a
4*800.
Gollinhas muito finas para senhora a 200 rs.
Caixas com soldados de chumbo para uieaiaos a
160 rs.
Duzias de colheres de m?ial para cha a 800 r*.
Ditas dita dito para sopa, fazenda boa a |.>>mi.
Varas de cordo branco para esparlilbo a r-.
Pegas de fita de la para debrnm de vrstido. re*
10 varas a 600 rs.
Dilas de bicos superiores, para acabar a 600
800 rs.
Pedras de lonsa para meninos a 160 rs.
Caixas de lamparinas para 3 mezes a O rs.
Baeros do choro e panno a 160 rs.
Caixas com bonitrs estampas para rap> a 100 r*.
Capachos comoridos, boa fazenda a ."iOO rs.
Grosas de bolSjM pequeos prelos para eica a
100 rs.
Todas estas fazendas para liquidar. i>. i< trote
est em perfeito estado, itto garante o dono i!.
tabelecin.enlo.
LOJA DO BE I JA FLOR
Na ra do Quciaiadt a. hZ.
Tendo recebido um sortim^ntu de boni-
cas de choro, que chamam papai e numii,
com cabel'eira de cachos.
Tendo recebido um variado sortimento l
brinquedos para meninos, sendo espadas,
espingardas, pistolas, tambores ; ditos
para meninas : apparelhos de almoro e de
jantar de porcelana e de metal, porta-icor
e faquinlias a 280 rs. o par ; e nao quereo-
do continuar, vende mais barato do qiie em
outra qualquer parte.
Vende-se tiras bordadas de difTeremVs
larguras a l->, e babados, collar inhos e pu-
nhos para senhora, bordados e abertos il<
renda e lisos, os mais modernos qr.e s
podem encontrar.
Vende-se ia para bordar de diver. as
qualidades e de cores claras a 7-'^ a libra, i>-
pelhos de columnas de jaearaml a i*~>00,
ditos brancos de diversos Umanlu i cai\iiia5
para c.stujos de navalhas,
Vende-se penles de alisar com cneb* de
metal a I ditos de difli-ren es qtnln ,
lindas gravalinbas para senhora de diSrrea-
tes postos.
Colheres de nae(a!prio Vende-se colheres de metal principe p?ra
tirar soupa a 2$, ditas para cha a >:.
ditis parasoupa a i->00 a dnzia: aesta
loja se encontrar sempre um grande e va-
riado sortimento de miude/as: ra do Ooei-
mado n. 63, loja do beija-flor.
Samuel Power .loiinslon k Compaohia
Ra da Senzala Nova n. 4.
AGENCIA DA
FundleSo de i,ow Moor.
Machinas a vapor de 4 e 6 cavallos.
Moendas e meias moendas para engenho.
Taixas de ferro coado e batido para enge-
nho,
Arreios d>' carro para um e dous cavallos.
Relogios de ouro patente inglez.
Arados americanos.
Machinas para descarocar algodo.
Motores para ditos.
Machinas de costura._________________
O abaixo assgnado faz publico, <\ue n nguem
contrate com seu irmo Miguel Archaojo Seve por
compra alguns de sene bons, visto come tratase
de Ihe dar curador por se ier tornado prodigo pe-
los seus actos pralicados; servalo o pr>e,Rlt an-
nuocjo para evitar duridas futnran.
Jo? MarUffive.
mmm
\ \$ t^eoo e i^5oo.
I.eques de osso, ultimo gosto, a 1*.
Ceroulas de meia a 1*200.
Diitas muito finas a 1*500.
S na ra da Cadeia do lente n.[S
SEGUROS
MARTIMOS
EMPREZA
CONTRA FOGO.
A Companhia Indemnisadora
estabelecida nesta praca, toma seguros martimos
sobre navios e seus carregamentos e contra fogo em
urna escrava para lodo o servico.
DE
ILLUMINACAO A GAZ
Armazem n. 31, rna do Imperador.
Para mais regulandade do servico tero a eropre-
za resolvido lio -somente vender os apparelhos,
etc., dcixandoque os -rs. consumidores, chamen)
os mactiinlstas que mais ihes agradaren], podendo
os nomes, morada, etc., de todos elles serem indi-
cados no armazem da eropreza.
.-t". reclama^oes por m luz das casas, cujos ap-
edicios, mercadorias o mobilias: no'secTescrpo-' i parelhos honverem sido collocados anteriormente
rio. rna do Vigario n. 4, pavimento terreo. a es,e aviso .serao aendidos pela empreza; outros
-------------------------------___ ____ .____ _____ quaesquer, nao.
Na ra dos Pires n. 54 ha para alugar-se A empreza espera que esta medida ser devida-
mente apreciada pelos senhores consumidores, ten-
dente/como 6 a tornar este servico mais econmi-
co ; visto que ella vender tudo, apenas com um
lucro tal, que cubra as despezas ineviiaveis.
Notas do basco do Brasil e das caixas filiaes
descoattn-se sa pr$a da Independencia n. 22.
Precisa-se de um caixeiro com a idads de 12
a 16 aanos : na ra do Kaogel n. 8*deposito.
Precisa-se de nm rapaz portuguez que tenha
pratiea 4e oberna, dando (ador a sua conducta :
uo CABipe-Vrde o. 56.
Para acabar.
Bal Oes de 20, 30 e 35 arcos de ac a 3a, 3*500 e
4*000 : na loja do Passeio Publico n. 7._________
Carne do serto
muito boa a 400 rs. a libra, queijos do mesmo lu-
gar a 640 : no armazem da Estrella, largo do Pa-
raizo n. 14^_____________________________________
Vende-se urna padaria em casa propria cora
lodosos utenciiios, 1 torno uovo e grande, I cy
lindro americano em bom estado, I balco novo, a
casa de laioa tm bom estado, de boas madeiras e
com bastantes commodos, em ierras foroiras a S.
Jos da Estrema, lugar denominado Demarca-
Saomuito afreguezada, desmancha dus barricas
e farinha diariamente ; vende-se por 600* por
sen dono nao poder continuar por filia de saude :
a tratar na ra Direila n. 55, loja de fazendas.
Vende-se urna cachorra iogleza, casta haixa,
muito rateira : quera pretender dirjase a ra do
Cordoniz n. 7. "mam
em; Na ra Nova n. 47, loja de Justo .de Almeida &
(',. ha sobretodos encorajados, proprios para resis-
tir ao invern.
/Vcka-so
venda na livraria acadmica, na rna do Inri era
dor; na do Sr. Nognein, junto ao arco de Smi>
Antonio ; e na lypnpraphia imparcial, na rea f-
treita do Rosario a ompilacao de tj-la a lei-lac^o
tendente administraco, arrecar!nc5'> e it".;T-
sato dos dinheiros de orplUtos deluctos e su-m-
les, herancas jacenles, legados, tic, runt-ixl-i aao
s o regiment de cusas e a lei geral das riera-
coes, como tambem todas as ordens e aviso do
governo, qne a ludo lem explicado, lano a repel-
lo das obrigacoes inherentes ao cargo dos diifcrrn-
les empregados de jnstica e fazenda, cu dos di-
reitos nacionaes e emolumentos que su 4rvido.
Este livro conteudo mais de 700 paginas en anida
impresso e bom papei, e prestndose a aiihdade
de differenies classes, lomase retmate oda vel.
Seu cusi 10*000 por cada exemplar em don*
lomos.________________________________________
BATATAS.
Vendem-se excedentes batatas pelo diminuto
preco de 400 rs. o gigo, e em poreao faz-s* algont
abalimenio : no armazem doSr, Auvrdo defronie
da escadinha da airandega.
Cal tit LUlh.ti.
Vende-se excellenle cal nova, nliinumeale rke-
gada : na roa do Trapiche n. 14, segando andar,
escriptorio de E. R. Rabello.
Admirera a grande liqai-
datfto
De caudieiros a gaz par Ud trera a
grossa e a retalia.
Rna da Imperalrlz tt.
Farelo
a 4* a sacca, das maiores que ha : aa roa larga
do Rosario n. 50, taberna da esquina.
Vende-se o engenho Jnndiahr, ciato wpa
distante da cidadd do Natal, pfoviacia d R
Grande do Norte, rnoente e corrale, com 20 cap-
tivos, 20 bis e 20 bestas ; assim romo diverso*
lotes de ierra, propria para a rollan de algodio e
mandioca, e mais duas fazendas de gado ao Potea-
gi e Cear-meirim, na mesma provincia, cojas ven-
das se etTecluarao a prasos, mediante boas armas :
quem pretender dirija-se aquella proviarta a ira-
lar rom Pabricio 4 (1
Calungas Anos e brlmtjau
para mrilioo.
(Jiegararo para a loja de miodezas da roa do
Queimado n. 69, os mais finos e liados catangas
tanto para bnnqnedo de meninos romo para rima
de mesa : na mesma loja se encontrara bom sor-
tmenlo de miudezs.
Vmho do Porto sopericr em eaia do
tem para vender Antonio Lniz de Oliveira
do & C, oo sen escriptorio roa da Cruz a. I.
\,-


BNmi
-- .


Diario de pernambuco guila felra SO le lulho de !&.
A molestia ou infeccSo pecu-
' iial conhecida pelo nonio de Es-
crfula ura dos males mais
prevalecentes e universaes que
ha era toda a extensa lista das
enfermidades de que soffre o
genero humano : disse um cela-
mbre escriptor da medicina que
mais de urna terca paite de
todos aquelles que morrem antes
da velbice sao victimas, ou dire-
ta ou indirectamente da Escrofu-
a :por si nao tao des-
tiva, porm a principal causa de muitas
outnis enfermidades que nao lhe sao geral-
mente attribuidas.
E' urna causa directa da phthysica pul-
monar, das molestias do figado, do estoma-
go e affeccoes do cerebro :Entre os seus
numerosos symptomas acham-se os seguin-
tes : falta de appetile ; o semblante pal-
lido e s vezes inchado, s vszes de urna
altura transparente e outras corado e a-
marellento ao redor da bocea; fraquea e
molleza nos msculos: disgesto paca e
appetite irregular, falta de energa, centre
inchado e evacuaco irregular ; quando o
mal tem seu assento sobre os pulmoes, urna
cor azulada mostra-se em roda dos ollios:
quando ataca os orgaos digestivos, os olhos
tornam-se avermelhados : o hlito ftido,
a lingua carregada, dores de cabeca, ton-
teires etc.
as pessoas de disposico escrofulosa ap-
parecem frequentemente erupces na pelle
da cabeca e outras partes do corpo, sao pre-
dispostas s affeccdei dos pulmdei, do /ga-
do, dos rins e dos orgaos digestivos e ute-
rinos. Portanto, nao smente, aquelles
Grande liquidadlo a dinheiro.
i\a toja c armazem do Pauto.
Ra da Imperatriz n. 60 de Ga-
ma fc silva.
Os dones deste estabelecimento lem resolvido li-
quidar suas rateadas por presos baratsimos, s
cora o fira de apurar dinheiro, e previoem as pes-
soas que negociam em pequea escala com fazen-
das, que tiesta luja e armazem enconlraro um
grande sorlimento por precos que muito Ihes ho
de agradar, tanto em pera como a retalho, a sa-
ber :
Chitas largas 200 rs.
Vendem-se chitas francezas, Mstradas muito lar-
gas, padroes escuros, pelo barato preco de 00 rs.
o covado, tendo muilo bom panno ; ditas escuras
p*droes novos, por serem todas escossezas e cor
fiza a 2i0 rs. o covado ; ditas miudinhas escuras
e claras a 240 rs., amaneando se que esta tazenda
nao tem o mais pequeo loqtie de mofo, nem outro
qualquer defeilo. Istoso Pavao, na ra da Im-
peratriz n. 60 de Gama & Silva.
Espariilhoa, na luja do Pavao.
Vende-se um bonito sorlimento de espartilhos
propnos para senhoras, sendo dos mais modernos
e bem feitos que tem vindo ao mercado, tendo de
todos os lmannos e de diversos precos trazendo to-
das as competentes litas para apenar. Islo s na
loja do Pavao, ra da Imperalnz n, 60 de Gama
4 Silva.
Pecbiiicka
Laazinhas a 320.
Laazinhas a 320.
Laazinhas a 320.
_ Chegaram para a loja do Pavo as mais bonitas
laazinhas suissas de quadrinhos e listrazinhas a
imitacao de sedas por terem muilo lustro, sendo os
padroes mais modernos que tem vindo so men-ado
e muito leveziuhas, vendendo-se pelo barato preco
de 320 rs. o covado, sendo Tazenda que sempre se
vendeu por 640 r?. Liquida-se por esle barato
na ra da Im-
2S
o
DE
PEDO <* FLORES
Kua da (adeia do liecife, fsquin:. da Madre le Deus.
AZEV
, f. ', i i preco na loja e armazem do Pavao,
que padecem das formas ulcerosas e tuber-, J,eralriz 0 j0j dl, 6a0M A Sl|v1
enlosas da escrfula que necessilam de. pro-l^gg^i,,^ ,,.., m0 a 240 rs. na loja
teceo contra os seus estragos ; todos as
quelles em cujo sangue existe o virus laten-
te d'este terrivel flagello (e s vezes heri-
ditario) estao expostos tambem a soffrer das
enfermidades que elle causa, que sao:
A phthysica, ulcera cues do figado, do es-
tomago e dos rins : erupces e enfermida-
des eruptivas da cutis ; rosa ou erysipela ;
borbulhas. pstulas nascidas, tumores, rh-
cumacarbunculos, ulceras e chagas, rheu-
malhmo, dores nos ossos, as costas e na
cabeca, debilidades femininas, lores bran-
cas causada pela ulceraco interior, e en-
fermidades uterinas, hydropesia, indiges-
to, enfraquecimenlo e debilidade gerat.
Aos pulmoes a escrfula produz tubrcu-
los e finalmente consumpeo pulmonar :
as glanulas eila produz inchaces e tornam-
se ulceras: nos orgaos digestivos causa
desarranjos que produzem indigesto, dis-
pepsia, molestias do figado e nos rins :
na pelle produz erupces e affeccoes cut-
neas*^__
TodoTestes males tendo a mesma ori-
gem, carecem do mesmo remedio: a sa-
ber : purificar e fortalecer o sangue.
A salsa parrilha de Ayer
composta dos antdotos mais eflicazes que
a sciencia medica tem podido descobrir.
do Pavo.
Vendem-se finissimos lencos brancos com duas
cercaduras, sendo urna de cordao e ootra de cores
matizadas, muito linos, a imitago de tinho, pelo
barato preco de 2,5800 a dada, ou 240 rs. cada
um : ito s na loja e arruazam do Pavao, na ra
da Imperatriz n. 60, de Gama 4 Silva.
Laazinhas a 300 rs.
Laazinhas a 300 rs.
Laazinhas a 300 rs.
Vende-se um bonito sorlimento de laazinhas pro-
prias para vestidos e soulem: arques por serem li-
sas e de quadrinhos pelo barato prego de 300 rs. o
covado, sendo fazenda que sempre se vendeu a
500 rs. o covado, e vende-se a dinheiro a vista pe-
lo baratissimo preco de 300 rs. o covado : na loja
'do Pavao roa da "imperatriz n. 60 de Gama &
Silva.
Pelerinas a 1,5600.
Vendem-se as mais ricas pelerinas ou romeiras
de eambraia bordadas propris para hombros de
senhora pelo baratissimo prego de 15600: na ra
ca Imperatriz n. 60, loja de Gama & Silva.
rgaodv a 240 rs. o covado.
Da loja do Pavo.
Vendem-se as mais bonitas rassas organdys, pa-
droes miudos e grandes, pelo baratissimo proco de
240 rs. o covado (doze vintens), esta pechincba
acaba-se logo : na loja do Pavao ra da Impera-
triz n. 60, de Cama & Silva.
BKKTANHA DE KOLO A 35000.
HadapoIO eufestado a 3$QOO.
Na loja do Pavo
para esta molestia assoladora e para a cura! Vendem-se pegas de bretanha de irlo com 10
de todos os males provenientes d'ella que wrMa3#,ltasdemadapolioife8ttdo a'3*20,
contm virtudes verdaderamente extraordi-i J*?i0 (L Gama^tiS '"* da Imperatriz
narias proyado incontestavelmenle pelas Madapolo com taque de mofo a (tfiOO e 70
curas notavetS e bem COnhecidas que tem Vendem-se superiores pegas de madapolo, ga-
feito de tumores, erupces cutneas, erysi- rantindo-se 20 varas em cada urna, pelo baratissi-
pelas, borbulhas, nascidas. chagas aminas, mo preco de 6X) e 7* por terem um pequeo
ulceras, rheuma sarna parebs, hydrope- STfflft^ffA'AW*
sia, osse quando causada por depsitos tu- Gama & Silva.
berculosos nos pulmoes. Debilidade ge- Cortes de casemiras a 2&WI0 e 3$
ral:Indigesto, Syphilis constitucional e Vendem-se cortes de casemira de urna s cor a
molestias mercuriaes, molestias das mulhe- 2*3. dl!asde quadrinhos a 35 : na lo do Pa-
i _,,.-, a~ ...!>-. i-.- vao, ra da Imperatriz n. CO, de Gama & Si va.
res, ulceragoes do tero, a nevralgia e con-i v cha|(,s % .,Iq0()
volcos epilpticas e em summa, toda serie i Vendem-se chales de merino a 25, 25>00. 5f e
de enfermidades que nascem da impureza 65: na loja do Pavao. ra da Imperatriz n. u, de
do sangue. Vedo as cerlidoes no Alma- Gama & Silva.
nack e .Manual de sade do Dr. Ayer que Laazidhas a 220 rs., na loja do Pavo
se distribue gratuitamente nos lugares onde Vendem-se Hasinlms transparentes de uan s
\ m ne rotnr-ins cor e quadrinlius proprfas ara vestidos de sc-
se venuem os remeoios. nhoras e meninas, pelo baratissimo preco do 220
Este remedio o fructo de longas e labo- rs. o covado, Feudo fazenda que sempre se vendeu
riosas experiencias, e ha abundantes provas aoOOrs.: na k>ja*do Pavo, ra da Imperatrizn.
das suas virtudes: posto que offerecido,^de Gama .Sllva'
ao publico SOb o nome do Salsa parrilha, v Corles !ran.adl0S ** A A
r ,.,.,,, .' Vendem-se os mais ricos cortes de fazenda de
C0m|)0Sl0de dlNer^s plantas, algumas das.mm,a phantaza por ser transparentes e teeldus
quaes sao superiores a melhor salsa parri-: com seda, tendo cada corte 22 covadns, pelo aim-
lha no seu poder alterante. uto preco de 12 : nicamente na loja e arma-
PEITORAL l)E GEREJ1 DE AVER. Jau.*"** rUa ^ lm,'eralrZ D- U' de Ga'"a
Cura promptamenle a asthma, bronchite, I \ramls dc renda na leja do Pajito
tosse, delluxo, angina, coqueluche, i Chegaram os mais ricos bornouts.de renda e se
phthysica primaria, tubrculos vendem por baratissimos precos : na toja e arma-
pul monares e todas as z*m do l'avo, ra da Imperatriz n. 60, de Gama i
molestias pulmo- Sllva- .
r Ricos cuales prelos de renda
...... ... Chegou pelo ultimo vapor francez um grande e
Alttvia os etlicos declarados. variado sorlimento dos mais ricos chales pretos de'
Todas as molestias da garganta, do peito renda, tanto de linho como de seda, tendo entre
e dos pulmoes pdem ser Curadas em DOU- elles muilos de pona redonda a emitago de man-
teletes e muilos com o centro de cor, e vende-se
Baloes de arcos 3^000.
Bales com o primeiro arco grosso de 20, 25 e 30 arcos, a vista so far preco.
Bales de arcos e de pat no para meninas de 2 a 12 annos a 20 e 2*5500,
Chapeos de $< l.
Chapos de sol de seda com 12 asteas 80.
Ditos maiores com 16 asteas 120.
Camisas.
Camisinhas para senhora a 30.
Camisas brancas para homem e com peito de cor a 10800 cada urna.
Camisas com pregas largas muito superiores a 20500.
Camisas de linho a 20800 e 305:0.
Camisas de iinho inglezas a 40, sao muito superiores.
Camisas de l'anella de cores muilo linas a 40.
Cami as de meia superiores, I carto com 6 camisas 100.
Chitas.
Chitas largas a 240 o 280.
Chitas largas escuras finas a 320 rs.
Chitas preclaras superiores a 440 e 500 rs.
Chitas estreitas a 200 rs. o covado.
Sladapoles.
Madapolo muito-^ino a 80 e mais inferior a 60, estes precos 20 menos que o
valor real da fazenda, qiitm duvidar venlia ver, ha muitas ontras qualidades de mada-
poloos, assim como o superior madapolo francez para camisas e saias de senhoras.
\^y Metas.
Superiores meias crus para homem.
Meias pretas e brancas para senhoras.
Certitas.
Superiores ceroulas de linho o melhor que ha.
Ditas de brim de llambuigo foilas na trra.
Ditas de .-guto do algodo a 10600.
l'aletos.
Paletots saceos de casemira.
dem de brim pardo e brancos muilo finos,
dem do alpaka branca minio superior a 50.
dem de alpaka preta a i0.
Calcas.
Calcas de brim branca a 70, 6.>, 50 e 40.
dem de casemira de cores a 7?>. 80 e 105.
Colletes.
Cohetes brancos a 20500 e 30.
dem do casemiras de cores e pretas a 40 e 50.
Vestidos a Harta Fia.
Ricos vestidos de la com barras modernas e os mais finos que pode haver a 200.
Vestidos do mesmo gosto. porm mais simples a 120 e I4#.
Sacos dc vlagcm a 5$.
Por estes precos s vende Azevedo & Flores na loja do
BNET<>
Ths-o IrmAos
Vende! no >eu aruiazen na 4o
Amoiim n :io.
i,
Li -or do Curar o em hulijas e meias U.iijas.
Licores linos sortides em garrafas e-jm rollas i
BARATOS,
Vendem-se em duziase a retalho, sabonc-j!vldr/'^T'm l,n',0i fras,,"s-
tes aromticos e por precos commudjs; n;t os~!j',1,l'1':'-l"\..
ra do Queimadu loja d'Agtiia Branca n. 8.
Agria Hoilffe
para Ungir cabellos. .
Alm do chromacomo, acba-se mais aa-
gua Hoilde, preparaco ingleza para tingir
os cabellos, i s pretendemos comparegam a
ra do Queimado, loja d'Aguia Branca n. 8.
nanitas caixinhas
com perfumaras. "jf<
Aguia Branca na ra do Queimado n.' "8
Ou;:.!* r!in.
lleriiuiMg".
Itorji.
Ohsi'-pa; :.e.
Mi-.m ::: :.
ReMo.
Burdeaux.
Coiac.
Od loo.
AzeitePIsfnM.
I
JUlfil
Mil
mu
3* 5-c o =.tj
8j|."f
iBiliiiii
I*
w
ti"
co lempo pelo perdral de cereja do db.
AYi:n.
A' venda as principaes boticas e droga-
ras do imperio, e na agencia central dc
Rio de Janeiro ra Direita n. 15.
Vende-se em Pernambuco:
na piarmuela i'ranceza de
P.MAURER & C.
______RUA NOVA N. 18._______
Morena de mm Senhora do
Carino e de Satnl'Anna.
Vende-se na ra do Imperador n. 15, oflicina
de eucadernacao : ooHcio, salve e versos, nove-
na e salve de Nossa Senhora do Carm, tres fo-
Ihetus por 500 rs.,e a novena de Sant'Anna por
320 rs.
avantifio.
Francez barrica 5J000
Portiand dem 85O0
Em perfeito estado:
Francez barrica 10*000
Portland dem 12*000
No armazem de Tasso Irmaos caes do'Apollo.
Fio de algodo da Babia.
Vendefse noescriptorio de Antonio Lulz de Oli-
veira Azevedo A C, rna da Cruz n. 1.
Farinha de mandioca : lem para vender Au
tonlo Luiz de Oliveira Azevedo & C, no seu es-
criptorio ra da Cruz u. i.
Vende-se oro carro dc carregar gneros da
alfandega, com uso, e lodos os perlooces de outro
igual, tudo por prego mnito rommodo : a tratar
do paleo de S. Pedro n. 4.
Farelo a 40
Vende-se farelo novo, saccas com 90 libras, pelo
barato prego de 4* : rna da Madre de Dos n-
meros 5 e 9.
Vende-se cerca de 800 palmos de terreno en-
tre a estrada que vai ao Pombal e primeira ponte n ., Au'aa m 90 ami*
da curada de Olinda : a tratar com o solicitador > ue l99 a Z0 a g'OZa
Manuel Luiz da Veiga, roa di Gloria n.9i. anidar.
por precos muito em conla por terem sido manda-
dos vir de conta propria peKs donos da loja do
Pavo, ra da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Laazinhas lisas a 500 rs.
Vendem-se as mais modernas laazinhas, leudo de
todas as cores, pelo barato prego de 500 rs. o co-
vado, larlalana branca e de cores a 800 rs., fil liso
i branco a 800 rs. a vara, corles de fil brancos lisos
alij: na loja do Pavo, ra da Imperalrfz n. 60,
1 de Gama & Silva.
Chapeos de sol de alpaca
Vendem-se superiores chapeos de sol de alpaca
i a 3a00, ditos de seda inglezes com 16 aspas a
! 12& : na loja do Pavao, ra da Imperatriz u. 60,
de Gama & Silva.
I.a/.inhas transparentes a 320.
Vendem-se muito bonitas laazinhas transparen-
tes com palminhas de seda a 320, ditas lisas e de
varias cores a 220 rs. : na loja do Pavo, ra da
Imperatriz n 60, de Gama & Silva.
Cortes de las matizadas.
Vendem-se bonitos corles de las matizadas, leu-
do 15 covados cada corle, a 5*, ditos Maria Pia
a 6* e 8* : na luja do Pavo, roa da Imperatriz
o. 60, de Gama & Si Iva.
HOUfA FEITA
ROUPA FEITA
ROUPA FEITA.
Na loja do Pavo vende-se um grande sor limen-
to de roupas feilas para homem, sendo caigas, pa- {
letots e colletes, tanto de panno como de casemiras
! pretas e de cores ; deixa-se de mencionar os pre-1
! gos para nao se tornar enfadonho o annunclo,
aliaugando-se que o respeitavel publico achara um ,
grande sorlimento por baratissimos pregos : na
! loja e armazem do Pavo, ra da Imperatriz n.
!60,de Gama & Silva. ____
Piche do gaze verniz dogaz.
Vende-se piche do gaz, verniz do gaz e estopa
da trra : no armazem da bola amareila, no oito
da secretarla da polica.
Attenc-o.
Vende-se o deposito da ra Nova n. 6', bem
afreguezado e bem sonido : a tratar na roa do Li-
vramento n. 3i.
""li-
pa ra
Vende-se om escravo de nago, mogo, sadio, Chegaram encllenles palitos de fogo e vende-
acof turnado ao servigo d' casa e roa : a fallar se pelo baratsimo prego de 2 a grbza: na ra
com ose Maria Seve, ca ilha dos Ratos, roa do ad Cadeia do Recife loja de ferragens n. 56 A, de
Ser, casa n. 16.
, Bastos.
A aniipa e bem conhecida leja de mladezan
ra do Queimado ti. 16, acaba de ser novamente
provida de dierenles miudezas, novas e finas per-
fumaras inglezas o francezas, lavas de Joavfn, cn-
feites para senhoras e gos, qoe com prudencia e sisndez serao [latentes ao
comprador, a qoem i>st, e a regolaridade dos pre-
gos nio ser indiiferente para continuar com a sua
boa fregoezia.
Antiga loja de miudezas a
ra do ueimado u. 16.
Ncssa lja vende-se baratamente, alm de mui-
los onlros objeclqs os *egunles :
Vultas de eiysial, grandes e pequeas.
Outras do diversas qualidades.
Crozes grandes de pedras falsas.
Alfinetes de madreperola e outras qualidades.
Brincos a balo.
Cintos a traviata.
N. 16 ra do Queimado.
Pcnnas d'aco, papel e envelopes.
Na antiga loja de miudezas a ra do Queimado
n. 16, acha-se um bello sorlimento de papel al-
masso greve liso e pautado, primeira e segunda
sorle, dito de peso liso, pautado e dc quadrinhos, e
de dilTerentes qualidades at a que se pode encon-
trar de melhor, dito paquete, dito peijueuo em cal-
xinhas, sendo liso, paulado, de quadrinhos, beira
dourada e tarjado de preto, tendo entre elles al-
guns que trazem a envelope na mesma folha, o que
aqu inteirameule novo. Caisa.- de envelopes
maiores e menores e tarjados de preto. Pennas
d'ago inglezas, caligraphicas e outras qualidades,
todas dos afamados fabricantes Perres f (1
Ailiuns baratos na ra do Quei-
mado n. 16.
Vendem-se bonitos albuns para I i retratos a
15'00, outros para 24 a 35000, e alguns maiores
lambein por baratos pregof.
Luvas de p lica a 500 rs. o par.
Apezar de nao serem amigas estao um pouco
mescladas as luvas de clica preta e de cores, as
quaes anda serem para a noite, e mesmo para
montara, e vindem-se a 500 rs. o par na ra do
Queimado n. 16, loja de miudezas.
Ltbyriiilos e ti icos.
Na loja de iniudcas a ra do Queimado n. 16,
vende-se bonitos tabyrinthos e bicos das ilhas, te-
cidos em grade de llnlra o que os torna fortes, e de
muita durago, alm de que os novos e agradaveis
desenbos, e a.commodidade dos pregos concorrem
para a boa extraego dVlles, lano mais quanto
elles nunca sao detnecessarios em casas de fami-
lias, pelo que podem dirigirse a ra do Quemadp
n. 16, loja de mindezas.
Kua do Queimado n. 16, an-
tiga loja de miudezas.
Essa loja j to conhecida. renovou e melhorou
o seu sorlimento de perfumaras, onde os preteo-
denles podem encontrar de novo e bom.
leos philocome, sopeifine e babosa.
Itanha fina em frascos e latas.
Extractos finos inglezes e francezes.
Agua da colonia e florida.
Opiata e poz para den'es.
Extracto de quinquina para ditos.
Agua balsmica para ditos.
Dita denlrifice para ditos.
Leite virginal para sardas.
Vinagre de Venas para refrescar e conservar o
lustre da culis.
Sabonetes camphorados inglezes.
Ditos arlenlos excedentes para mos.
Outros tambem inglezes de diversas qualidades
em caixiohas de tres e sollos.
Albuns com perfumaras.
Farinha de inuribeca fina e alva, mais
barata que se vende no mercado, em sac-
eos : na ruado Vigaripn. 29.
AttenQo, fre^uezes.
Lourenco P reir Mondes Guimaies, com loja
e armazem da Arara, ta ra da Imperatriz n. 50,
est fazendo urna nova liquidago de todas as fa-
zendas que se vende mnito barato, a saber :
CHITAS A 200 lis. O COVADO.
Vendem-se chitas com muilo bom panno e tendo
cores fixss, pelo baratissimo prego de 200 rs. o co-
vado : s Lourengo Pereira Alendes Guimaraes.
AS nilETAMIAS DE ROLO.
Vende-se bretanha de rolo muito boa fazenda,
pelo diminuto prego de 3000 cada pega com 10
varas.
.AZINHAS CBINEZAS.
VendeiN se as mais modernas lzinhas chinezas
pelo barato prego do 280 rs o covado, fazenda esta
que sempre se vendeu a 400 rs. e boje est se ven-
deudo a 280 rs., de todos os padroes e todas as
cores: s Alendes Guimaraes.
CHITAS FRANCEZAS.
Vendem-se chitas francezas escuras e claras a
240, 260 rs. o covado, ditas percalas finas a 280,
300, 320 rs. o covado : na ru da Imperatriz o. 56
loja de Mendes Guimaraes.
GRANDE PECHINCHA DE CHALES DE
MERINO'.
Vendem-se chales de mene eslampados pelo
barato prego de 25 cada um.
CAMISAS FRANCEZAS.
Vendera 25000 cada urr.a, ditas de pregas largas a If, e
25240, ditas de linho a 25300 cada urna : s Men-
des Guimaraes.
MADAPOLO ENFESTAO.
Vende-se madapolo com 12 ardasa 35500, 45
e4500.
CAMISAS PARA SENHORA.
Vendem-se as mais modernas camizinhas enfel-
ladas para senhoras a 45, 45500 e 55000.
GRANDE SORTIMENT UE CAMURAIAS
BRANCAS.
Vendem-se cambraias brancas a 35, 35500, 4,
45500,55, 55500 e 65, e muilo fina a 75000 cada
pega.
CORTES DE CAMBRAIA BRANCA COM
S LPICOS.
Vendem-se cortes de eambraia de salpicos mui-
to miudinlios e cada corte tem 10 vars, pelo bara-
tissimo prego de 55.
COBERTORES ESCARLATES.
Vendem-se cobertores de la escarales a 65, di-
tos de algodo a 15500, ditos escuros a 15800 cada
um : s Mendes Guimaraes.
PECHINCHA DE KNTREMEIOS.
Vendem-se bonitos ntremelos a 800 r. a pega,
ditos finos topados, tendo padroes muilo de gosto a
15, babados a 15 ead.i urna peca : na Arara, ra
da Imperatriz n. 56 de Mendes'Galmares.
CASEMIRAS.
Vendem-se casemiras com listras a 2}5O0 o co-
vado e ditos a 35000.
ROUPAS FEITAS.
Vendem-se roupas feitas de todas as qualidades,
raigas de ganga a 15500,15&00, IjSoO, ditas Anas
a 25, ditas de brim pardo a 25 e 29500, ditas linas
a 25800 e :, dita* de bilm branco a 25, ditas de
linho a 35500, ditas de casemira a 35 e 3 j.'iOO, di-
tas finas a 65 e 75500, ditas prea de casemira a
63 e 85OOO, palitos saceos de meia casemira a 45,
45500, 5? e 65000, ditas finas a 75 c 85000, ditas
de casemira mesclada a 95500/ palitos sobrecasa-
cos de panno prelo a 125, 14a e 165000, jaqaelons
de brim pardo a 2-800, 25500 e JjOOO : s Loa-
rengo Pereira Mendes Guimaraes, roa da impera-
triz o, 56, loja da Arara.
acal
8, recebeu um novo sorlimento de pe fu- l"
marias das excellentes qualidades j bem co- i ^T ol? .^i'le
nhecidas, vindo no mesmo boni;ascaixinhas' gE-sf"
de madeira invernisada, e ouiras de vidro, '|^
todas com finas perfumaras, e, mui pro-
pris paia presentes, as quaes slo vendidas
por precos cotnmodus, na loja d'Aguia Bran-
ca ra do Queimado n. 8.
Toacas de fil enfei
tudas
a aO-J rs. cada urna.
Vendm-se na ra do Queimado, loja da
Aguia Branca n. 8.
Espelkos dourados
A Agu a Branca, recebeu novamente um
grande sortimento de espellios de liifferen-
tes qualidades, sendo de mordura dourada,
dita envernisada, outros de dita envernisa-
da com vivos dourados, tendo diversos ta-
maitos, al grandes para salas, e bem as-
sim outros de armaco com um e dotis pos,
e outros com enconsto, todos os quaes se
vendem | or precos commodos e dinheiro
vista : na ra do Queimado, loja d'Aguia
Branca n. 8.
B< m papel almasso
pautado com 33 linlias.
A Aguia Branc-i acaba de receber a sua
encommenda desse bom papel almasso, liso
e paulado com 33 linhas, assim como del
peso, tambera toperior e igualmente liso e
pautado, c*m cora imperial, e sem ella, e'
outros pequeos conforme os cima, e pa-
quete, tarjado de preto folha grande e pe-
; quena, ele.
Tambem recebeu envelopes correspon-
dentes a lodos os tamaitos do papel, tanto
brancos como tarjados.
A commodidade dos pregos j dc todos
bem conhecida, urna vez que appareca di-
nheiro : na ra do Queimado loja da Aguia
Branca n. 8.
Espunjas finas para rosto
Vendem-se na ra do Queimado, loja da
Aguia Branca 11. 8.
Meias de cores
I'ara creancas de 6 a 12 mezes.
Vendem-se na ra do Queimado, loja da
Aguia Branca n. 8.
Aspas fortes para buido.
Vendem-se na rna do Queimado, loja da
Aguia Branca 11. 8.
Ihosplioros tleseguranga
caixas de 500 palitos a ICO cada urna.
Vendem-se na ra do Q:eimalo, loja ta
Aguia Branca n. 8.
Gollin/ias e pnnkos '
bordadas para senhoras.
A Aguia Branca da ra do Queimado B.
8, vende-se mui bonitas gollinhas e punhos
bordados para^enhora.
Dminos e visporas
em jcaixas de madeira.
A Aguia Branca na ra do Queimado n. 8,
acaba de receber domines em bonitas cai-
xinhas de madeira branca e envernisada, e
visporas dc caixinhas de papelo, e madeira
envernisada, ludo contina a ser vendido
por precos commodos e dinheiro avista.
Lencos pe,lenos
para meninos.
A Aguia Branca, na rna do Queimado n.
8, recebeu um novo sorlimento d'aquelles
lenco brancos, pequeos e com barras de
cores, proprios para meninos e anda serao
uendidos pelo commodo preco de 1#C00 a
dnzia.
Me as pretas
de laia pararpadre.
Vendem-se na ra do Queimado, loja da
Aguia Branca n. 8.
1^2
3 A '. "S "i
s?3 33 35

fiili||
Ig
1
Do D'SERYAX.e Parir
l'harmaceulico de I* cierne, ejr
interno do lin*nitae$, premiad ]
com a tnedal/fi de bronze.
Desde muo lempo o pnb'ico
landonou o uso das prcp-ira.;.**
ni ilutadas depurativas r-inhr-j-l.i-
;:> o nome do Arrobes, Xaropes
dc Salsaparriiba computo* ele
Cuja accao, 1 nar parle das *eze
nulla, e 'alguins ca.-os peri;o-a.|
Os CosrciTiis MHMMHBH aspic
f. o costo acb\b\\ ti t emir sni ta
PlJltSO VOLIME SCI.TA.ICItS aiiT.i ACU-
NAS Ql'E O SEO MOM DE PKEPAR*r tO TOaj
I\AI 7ERAVE1S.
O xtic-''o iii elr <* ron
le (os oEttlvero* rom traa-
f a sol> o patrocinio das princip-ies
celebridades medirs, os poe cima
de ludo quanto lem existido atoe
boje.
Cura rpida sem o socorro! 3*
de nenliuin outro remedio in
lerno, das escrophnlas ,
I herpes, affeccoes sy^h-
!^!lilicas, hypsrtroj:-.". M
Cijcs tesaidos celulares.
hyu5y'^s c em 8cra'
todas as 'Wi produz;d..>
neta altonfM do sangue; Ul
o resultado que
conseguir e que temos ^"Ui-
pre oblido.
Urna eiplicac*o accompabayc'lj
- Muro..
Desconli
tacocs.
Pura as tiicuiHtmtat iriflr-te aed
Sures, auissoit CT c'% }&, D' l'rimtt
Entine, Parix,
f
I
I
I
XAROP
cbLABELON
mcrajwaoo-s tt-'- a o c 0
2 s t -ia" 2 =" 2 ? 5
"i3aiiOc-2.rSoBQ,
a

= 13
O. ai
a. eo v>
m*t3tHliwSu**
a
o
ai
to -I o
i Fumo da Bahia para
charutos.
M
m
machinas americanas de serrote para descarocar
.lgodo : na roa da Senzala .Nova n. 41
Vende-se fumo superior de todas as
qualidades, a retalho e por atacado, e
por precos commodos, no Recife, ra da
Cacimba n. f.
Vendem-s
< ya 3? ._ ea
o o> a 1.3
fi5' ^ts S.-5
o -r s o a, s
* & i-< p "
= -
^la
Impregado com infariaiei tacecaso u< .-ie W aaaaa
pelos Mdicos de todos oa aaizes contra as aMle^'ia*
orgnicas ou nao orgnicas do confia, aa diTeraas aj-
dropisias e a mainr parte daa molaatiaa do p-iu a oa
bronebios (pneumtnias, catarrhos puhsuHUrts, aaWaiii.
n^ammacoej nertoias dos,bronckiot, ceterrkiires.ek...
O XAROFB de labelos YE ni* te ende seaao em
Srrafas com rotnlas de cor e fechadas coa aaaa chapa
'ando a firma da inventor.
Ban PAn. raa Baurkaa llllraratr.
Deposito eral en; l'efnaB-!>!^ t r.:a 4a
Cruz n.''z em casa de Carea .. < .
aa a 0-W
X 3
5Ls8l? S
3: s-C3
3c-iif:i!a
g f _. o."
^ ^
3 "S 13
00 ~. 3
STB| -
S.H1
C 3 C?
i 11 ? o
.2 ^
i
E
03 -
s 1 c
S S?
o
O
O m
as ->
-i _
. 5"
= c
aa
O
"o
8
ce
0<3
'a

A! thZOKMIllOS
l'harol do commercio
Rna do ftingel n. 73.
O proprietario deste esub'lerin.eni> Um a r.otv
ra de avisar aos -eos fr-, cu.-ze< ijo fez riic frraav
de redu. gu uof pri (os &> seus ^""ir r .V piiaai-
ra qualidade : nabUip ingleu I; e l!rif rs. a
librada uiiiiua chcgsdi ao bosso mercad data
franceza a 900 rs. e em barril H (ai al atrmeB*,
qoeijci luneagot i.ovos a UCC, de praio o apa
se pode desdar tai li< tdade a rK> r. a libra,
ameixas fi;.:..- (>... raixinbas a lWO. ttUaV*
IAKOO. fricoa de ditas li*X>,grandes 3 pr.p'ia
para mimas m*i melada das n.rlbrrs narras a
6i0 rs. a libra. amenoM ronfriiadas para serles
do S. Juo a iO rs., vinbu -'oPorl*. a 640 e 7SOr
a garrafa. -Figutira e LbLoa 400,440 e 500 i~..
: em caada l*i u abatimento, caixas i* batistas
com 2 arroba por 3*500 e a libra 80 r. r-1.
caf 1' soito "800 o 7*100 e a libra a 240 MO
bolachinha ingleM a 210 rs. a libra, lonriii!." ce
I Lifboa a 3G0 rs. a libia, vrlas de carnauba a iOV
1 rs., ditas estearioas finas a 60 rs., presunto porus-
tlns fia noria* em frente lo f\'BaMa6Misl,.is.s ^50Qa arabas 110 r.
lias SeiS pOI lUh tlll I > lUG au LI a m,ra% [iaino^ 4? a U.ta UO rs. a dita, cba -
,->.,, np-ntt i nn a **300. *2700 .- r800, frucU es cada a
V/oirtCHiu 640 a lata, pomma a 100 rs. a lit*a e f#410a ar-
Vendem-se chitas francezas escuras e bons pan- roba, JkIIimIi.'S inglezes ata de t libras a i*.
nos a 240, 260 e 280 o covado, cassa franceza de fjllos de ^a grandes iCOO e onlros nan pav-
eares lixas a 240 o covado, nrctanha de rolo a ros que se turna enfadonlri imnci. nar. Oproc.rrt-
2*400 a peca, cortes de casemira de cor escura a ,ar0 epera a CCncnrrcncia dorespeiurel paKics).
44, baldes de arcos a 3, 3i00 e 4>, e muitas .rarantindu a czaclidao do qoe tratar. *
ootras fezeddas por baratissimos precos, e de todo ____ ___________________
se d5o amostras; eambraia para forro a 2*000 a I Vende-fe um escravo moro que ja M h m-
peca genlto : a tratar na roa do afondego, otaria a. IX
I
jOja
L
< ~
ii r**i\/i i



w
1
Diarfe (te Pernainbuco Quinta lelia O de Jirlko de I8a
^^NBh
GNEROS BAR ATOS A DINHEIRO 13
NOS | i]
PGR4NDES ARHiZENS D MOLU.DOSo],
,, DARTE & C. |i
jjj j js Palco do Carm fl. 9 armazem Progresivo ra do Queimado n. 7 jjj Q |
Jjl S | .l'niao e Comaiercio ra do Imperador u. 40, m |
sss! Principal armazem de molhados. Sel
OS PROPRIfiTAllIOS.
Fazera sciente ao respeilavel publico, e com especialidado aos senhores de en-
gen'ios. 1 ivradores c mais pessoas do Cintro, que para mais facilitar suas compras deli-
beraran os proprietarios dos tres grandes armazens, reunir todo; os seus estabeleci-
raentos cm um s anntincio, pe1) qual o preco de um ser de lodos, promette-
roos que n3o infringiremos a tabella que abaixo vai publicado, aantinciar os geleros |
por uta preco, e ni occasio da compra quererem por outro, como socede constante- j
mente em oulras militas casas, porm nos nossos estabelecimento-s nao se dar isto,
ainJa iBesrao com prejuizo nosso, qtnlquer pessoa poder mindar seus fmulos que'
serao t mi ca servidos como viessem pessoalmente fazen.1 o-nos o favor di mandar seus
pedidos era cartas feixadas; para evitar qualquer engaos, remetiendo nos urna conla'
pela qual se ver os precos tal .qual annua;iarm)s, o que senao arrepender pessoa'
aiguma que fizer sua despenca em nossos estabelecimeotos; pois poapar mais de I
5 por ceoto na sua despeza di;rria.
Maoteiga ingleza perfeitamente flor chegada dem com i a 3 ditas a 35200.
ltimamente no vapor Saladim, de 1> dem vasios de todos os tamanhos a 2-?000,
a ltflO a libra e em barril teraba- 1#500,800e640 rs.
ment. Queijos d 23300 a 2#300 os mais frescos.
l q france/.a muilo nova alja libra, e Vinagre puro de Lisboa a 230 a garrafa e
em barril tora abatimento. | 2#000 a caada.
Banlii de porco refinada a 610 a libra e em dem mais baixo a 20} rs. agarrafae IJ1400
barril ter abatimento. a caada.
Ota u.vm de superior quilidade a 2.JC00. Azeite d.;ce de Lisboa muito fino a 609 rs.;
! Je:n pirula miudinlio a 20700 a garrafa e M'JOO a caada,
dem uysson especial qualidade de 2/J300 a Toucinlio de Lisboa novo c muito alto a 400
2'J KiO a libra. a libra, e em barril de 5 arrobas a!
dem pelo muiio especial a 2,-jiOOO e 2$i00 103500 a arroba.
a bbra. Cerveja Base do fabricante Slilers & Bell a I
AURORA BRILHAfTE
camo ES
10LHA DO
! Largo da Santa)
Gz n. 84, es-|
quina da ra do?
m
O no
ISI
ESPECIA.ES
I Largo da Santa!
gCruz n. 84, es-j
jiuina da ra
Sebo.
rora Briha'nte^onMm0,^j muit0 acreditado armazem de mohados denomiado Au-
A .".Au.rJ Dt0 1ue lel". Ja' mesmo porque seu dono s deseja tirar diminutoT-
pelo
ero quantochegu
o ue contas aos portadores,
a mais barato e melhores do que a Aurora Brilhante, ja'
para accumular
proveitar nW.t.wr'i.TT'i as de?Pezas do estabeleci ment por isso deixe se a-
lantes freguezes r loda a dili2cncia> a&m de servir bem os seus cons-
L?M?on8 "br" dech0U"Cas mui.anovas,
postas nteiras,
1*000, 1,5280 e
encllenle petisco para fri-
75300.
Ditas grandes com peixe em
So ,ualidale-s>
Ditas com ostras, c
| gideira, a 720 rs.
lMu! ame".S a l50, 13800 e 3o00.
iSsarsin^d afamad fabr*aute
lni?! ?a"ssade lomaIe>a500 r*-
iiascorafifrosdecomad
25 e 23ooo.
>Ditascorr
23000.
re, novos, a 13500,
<|om bolachinha de soda muilo novas, a
60500 a duzia e 640 a garrafa,
dem Bass do fabricante T. F. Ashea 6.3000
a duzia e .360 a garrafa.
Mem marca II Victoria Alsope e outras
muilas marcas a $ a duzia e 300 rs. a
garra ta.
dem d) Rio em latas de 4$000 e a 800 a
Jibra.
Laias con biscouto de todas as qualidades
a i $-00.
dem da ereditada fabrica de Biato Antonio
(LfebOi) proprias para da; a docntes a
-> e 3^ a ala. Sabio primeira qualidade a 220 rs. a libra
cinlia ingleza muito nova a 3^.j00 a bar- e 210 em caixa.
rica e a 240 rs. a libra. dem segunda qualilade a 200 rs. a libra e
Latas com bolaxinba de oda e oval a 2. 180 s em caixa.
i inglez para fiambre chegado no Sab3o inglea superior a 180 rs. a libra e
ultim > vapor a 8J0 rs. a libra. loo rs. em caixa.
3 e paios muito novos a 000 rs. C;lf p,:nei|.a e segunJa sorte a nm>
! 75500 e 80 a arroba, e de 240 a 280 rs.
laixas ''im macarro tilbarim muilo novo a
550 :> e :20 a libra.
' -i branca e aaarella a 500 a libra,
ol irtugoez de especial qualidade a
.', libra.
. 1S.SS0 de 810a !5>00alibra.
3 aa inl verdadeiroja HW'O a libra
I mi 3 a I $4001
i i isim de % aba em caixoes de 4 e
i li >ra; segur.) a liSOO,
i eaisSes pequeos a 700 rs. e de
i i [i ra cima a i?io.
. i: seceo em bacetas ricamente enfcitadas,
ido pera, pes 'go, ameixa, rainba.
e oulras fiutasa :J;000 cada urna.
o em calda em latas feixadas hermtica-
mente muilo bem enfehadas, contando,
pera pesego, ameisas e outras fruas a
640 e 700 a ata, tambem temos latas
!js a l;):)0.
. oelada dos a eHiores fabricantes, em la-
ts 23000 a I $200.
em litas de 1 1^2 libra a I^.
q em atas de 1 libra a 640 rs.
... rilh is <' n latas cegadas riesle ultimo va-
por a 700 e de -'i1 pura cima a 640 rs.
rer ou carrapato em latas j pre-
parado a 640 rs.
V neixas em frascos de vidro a l-3-'j00.
n em caixinhas ricamenta enfeitadas de
1,5200 a 2*500.
iservas Mcxide muilo novas a 700 rs. o
fra co,
dem de ceblas simples a 700 rs.
i Iho inglez a 641 rs. o frasco com rollia
de vi ro.
' : ii'' i em p a 700 rs. o frasco.
IJ nj preparada a 320 rs.
L is com massa de tomate de i libra a
GO 0 rs.
dem em latas de 1 1(2 libra a 900 rs.
Vi hos em garrafas vindos do Porto, Madei-
ra Secca, Duque do Porto, Duque Semi-
no, Caseavallas, Mara Pia, D. Luiz, Pe-
dro V, Velho Secco, Lagrimas Doces, La-
grimas do Dooro, e outras muitas marcas
a 1$ a garrafa e 0> a 12$ a duzia.
dem Palmeila a l-> a garrafa e II,$000 a
duzia.
dem em pipa de todas as marcas Porto,
Figueira e Lisboa a 400 e 500 rs. a gar-
rafa e 2^(800 a 30300 a esnada.
dem em ancoretas e 8 a 9 caadas com su-
perior vinho Lisbo3 e Figueira a 2 4$ a
ancoreta.
dem branco expecial qualidade proprio para
missa a 5G) rs a garrafa e 4$ a caada.
'. lemmais baixo a 400 rs a garrafa e 3^500
a cana Ja.
dem do Porto especial qulidade a 800 rs.
a garrafa e $$500 a caada.
id m Bordeaox em caixas a 7$ e 700 rs. a
garrafa.
hampanha a melhor do mercado vinda de
nossa encommenda a 30,$ o gigo.
dem mais baixa de 18$ a 20^ e 10300 e
30 a garrafa.
Lie ees portuguezes e francezes a 10000 e
! $500 a garrafa.
la lasquino de Zara, verdadeiroa 10300 a
garrafa.
dem mais abaixo a SOOrs. a garrafa.
(enebra de laranja ver 'adeira a 11$ a du-
zia e 10 o frasco.
Id<'ii de Mollanda vcrdaJeira a 60 a fras-
queira e 6^0 o frasco,
dem Je FIambur.;o a 3,5500 a frasquaira.
I Jem em boligas de Hollancla a 400 e 440
rs. o frasco,
'iarrafoes com gene'ora de Hollanda com 24
garrafas a 80, com garrafo.
Ideal com 14 a 13 garrafas a 6$.
'' '~"' "~^Tf'rrr~ ""'"T^tTt,TiJTa*frg a libra.
Arroz do Maranhao 30203 a arroba e 100
rs. a libra.
dem di India a 20600, 20800 e 100 rs. a
libra.
Charutos Normas de Havana a 50500 a cai-
xa. de Simas (J is Furtado).
I lem Lon trinos a 3$, dem,
dem Parasienses a 405SO,
I lem Delicias a 10500.
dem Traviata do Bio a 3)300.
Mem varetas de Manoel Peixolo da Silva
Nettoa 33300 e 10400 a meia caixa.
dem suspiros do mesmo fabricante a 10100
a meia caixa e 50200 a caixa.
1 lem mece;ipes a 10700 a meia caixa e
30000 a caixa do mesmo fabricante,
dem orientaos do mesmo a 10800 a meia
caixa e 31400 a caixa,
dem {oreos de Castanho A Filho a 20400
acaixi.
dem suspiros do mesmo a 10 ;0) a meia
caixa, e outras m itas marcas de fabrican-
tes.
Passas muito aovas a 15303 o quirto e 50
a caixa de urna arroba Iiespanhola e 320
. a libra.
Vermote bebida para abrir a disposicio de
comer 10500 a garrafa e 110000 a
caixa.
Alpista muito novo a 3.$800 arroba e 140
a libra.
Paioco a 40000 arroba e 140 a libra.
Peixe em latas ja preparado a 10200 a lata
e em porcSo 10000.
Sardinhas de Nantes a 400 a lata.
Tijollo paralimpar facis a 160 rs.
Esparmacete a GOO a libra e em caixa a
380.
Vellas do carnauba a 12 e I0r>000 a arroba
e 360 a 440 rs a libra.
Azeitonas de Lisboa muito novas em anco-
retas grandes a 1$800 e a 400 rs. a gar-
rafa.
Balaios do Porto muito grandes proprios
para guardar roupa suja a 20300, 30000
e 40000
Batatas em gigos de 31 libras muito novas a
800, ea40rs. a libra.
Gomma em paneiros a 40000 arroba e 140
a libra.
Farinda do Maranhao muito alva e nova a
240 a libra.
Sivadinha de Franca para sopa a 200 a li-
bra.
Sevada muito nova a 140 a libra e 40000
arroba.
Caixas com estrelinba, rodinha e pevide a
400 a libra. j
Albos em canastras muito novos e maunfas
grandes a 180 e 200 rs cada urna.
Canella muito nova a 10000.
Cravo muito novo a 300.
Cominho idem a 320.
Ervadoce i lem a 400.
Alfazema flor a 240.
Amen loas a 400 a libra.
Nozes muito novos a 160 a libra.
Papel greve -a 4$203 a resma,
dem lizo a 4$000.
dem de pezo a 30000.
dem de embrulho marca grande a 10200 e
10300.
dem azul para botica a 20000.
Copos lapidados a 50500 e 300 cada um.
Palitos de denles, magos grandes a 120 ]e
16 J cada um.
Fumo americano de chapa, de superior
qualidade a l$300alibra,.em porc5o ter
abatimento.
' ^hd^"^^iflglezes de *
* Chocolate.
np1 COm ameiia5 enfeitadas proprias
i 880 ali3000PenOr mU, U0V' alibrade
{M aCai00Or Dito dito dita branca, a libra a 400 rs.
r^SaCc^ta>PeVJt'eUlraSmaS-
Ditas dita em libras a 6i0 rs.
Sagd, a libra a 360 rs.
f Sevadinha para sopa a libra, a 2i0 rs.
hrviihas seccas, a libra a 160 rs.
amas descascadas, a libra a 200 r<.
[Tapioca muito nova, a libra a 280 rs.
SJ dt ararula verJadeira, a libra a
ooo rs.
A12mA Mara,lnao. em sacco, a arroba a
23100 e a libra a 80 rs.
bra a'foo3 ',T*' a arroba a 33"00 e a li" iCarlas nas par!l ,ogar' a duzia a -^-
1VtS?** a tm a arr0ba 9 a 32 i Clonas novas SSsM vapor,
DijHJeSaSos.a^a 7WK> ea.ibraa: ^^- ^0^
Mlhoseom 125' ceblas grandes a US80 Barriscom azeitonas novas a t|800
'VHsta^da francza ca cora' 2 duziksa1 Jlanteiga.
'3000. j Manteijra superior, a hra a t-5380.
Frascos com mostarda preparada em vinagre,' Dita mais abaixo a 13200.
a tOO rs. Dita menos superior a 13
Ditos com conservas inglezas e francezas, a : Dita franceza nova, a libra a 880
biO e 800 rs. j Dita dita era barris e meios ditos,
Ditos cora sal r-flnado fino, a 610 e a 300 rs. I 830 rs.
a verdaJeira genebra de laranja, a i Dita para tempero a 400 rs.
Vioho verde superior. t'p
A caada a 33000 e a garrafa a 400 rs. *|P
Gomma. 9
Saccas de 4 arrobas, a verdadeira de sec^>
engomraar, a arroba a 33000- e a libra T
120 rs. S>
Sabao massa, a libra a 200, 240 e 280 rs. |rN
Farinba. ^,
Saccasgrandes com farinba de Goianna mui- Sffi
to nova, a 33000. S-^5
Caf. X
Caf do Rio milito superior, a arroba a 83, fila
83500 e 93000. SO
Cb. c^/
Ch.temos nestes gneros o melhor possivel,
hyson, a libra a 23600. *\'
Dito parola a 33000. fe.
Dito uxim a 25700. 9b
Dito hvson muito fino a 23800. rlJP
Dito redondo a 23300. tfc
Dito pretode primeira qualidade a 23300. S*
Dito mais baixo a 23000 e 13600. TT
Erva mate. ^j
Excellente cha medicinal, a libra a 240 rs. cHK)
Espermacete. ^
O masso com 6 vellas de espermacete a 600, ^S
640 e 720 rs.
Passas.
Caixas de 16 e 8 libras de passas novas pro- [
prias para mimos a 45 e 25300.
Nozes. cf
Nozes, a libra 160 rs. e arroba a 43000.
Alpista c painro.
Alpista e painco, a arroba 45000 e a libra a l
GOMMA NOVA.
Em paneiros muito alva a 4,ooo rs. a arroba e ltfo rs. libra e compran-
do de um paneiro para cima se far abatimento na ra do Imperador d. 40.
PRESOS
RA
<^;--
WU3CA
160 rs.
Cartas.
1*000..
ffl Ditos de 2 garrafas de Hollanda verdadeira,a
r 640 rs.
bBloS Cm dta l>rPria Para negocio, a
pGarrafoes com 2 galoes com dita, a 63.
ftServeja boa, marca, a 300 rs. a garrafa, e a
duzia a 6?00.
PVinhomuscateldeSetubal, agarrafa a 13.
* Marrasqmnho verdadeiro, frascos a 80C rs. e
R a 13200.
^Champagne, a duzia 205000, e a garrafa a
O 25000.
K Azeite refinado portuguez e francez,a garrafa
P a 13000.
.Caixa de vinho Bordaux muito superior, a
g 75,83,93 e 103 a caixa.
JjDitas com dito branco, a 73 a Misa.
n Ditas com dito lagrimas dj Douro verdadeiro.
6 a 203.
Ditas com duque do Porto verdadeiro.""a
* 183000.
Ditas com chamlsso superior, a 143.
"Ditas com Porto velho e outras muitas mar-
cas, a 123.
JVinho do Porto da pipa, a garrafa a 640, 720
? e800rs.
. Dito de Lisboa muito bom, a caada a 35200,
k 35300 e 45, e a garrafa a 300 e 360 rs.
Dito da Figueira, das seguales marcas (X.)
(/.A. A.) (J. L. G.) (0. M.) a caada a
j 45300, e a garrafa a 560 e 640 rs., deste
i que j est engarrafado e lacrado com o
' rotulo do armazem.
Ditos de marcas mais desconhecidas, a cana-
) da a 333OO e 40000, e a garrafa a 480 e
520 rs.
Vinho branco fino, agarrafa a 640 rs.
Dito de caj muito superior, a garrafa a
800 rs.
Oifijes.
Queijo novos vioclos neste vapor a 25800 e'rft
33000.
Ditos londrinos muito novos, a libra
15000.
Papel.
Papel almaco paulado, a resma a 43800.
Dito dito lizo de linho, a rosma a 45300.
Dito de peso lizo e pautado, a resma
23-iOO.
Dito de embrulho, bom a 15 e 15200.
Vinho Haileira.
Garrafas com o verdadeiro vinho Xerez e Ma-
deira a 13500 e 23000.
Temperos.
Folhas de louro, pimenta do reino, cominho
e cravo, a libra a 400 rs.
Veta de carnauba.
Massos cora 6 velas de carnauba refinada
480 rs.
Amendoas.
Araendoas com casca, a libra a 320 rs.
Doce.
Caixoes de doce de goiaba, grandes a 15400 f/J
e pequeos a 640 rs.
lijlos de iimpar.
Tijolos de arear facas a 140 rs.
(Jraxa.
Duziasde boioes degraxa n. 97 a 25000, ei
de latas a 15000, e os boi5cs a 240 rs. ca-j
da um, e as latas a 100 rs.
Charutos Anos.
Charutos finos dos melhores fabricantes da
Baha por diversos precos, caixas e meias;
5
GREGORIO PAES DO AMAR AL & C.
RECEBERAM
Alpacas de quadros enfestadas de cores escuras, o covado
^ HO rs!
ALPACAS ESCOCEZAS
dfa%eO0mris'benlOS' Cm HslaS de Seda' fazenda enfestada de daas ""*
HERNN!
POB
cada cbale de fil preto (guipure)
28-000
SEDAS
.ieSKd,e seda branca com florcs raiUlinhas e de diversas cores e sem ellas
para iheatro, bailes e casamentos com 19 covados, largura de chita franceza.
Chapeos para senhora
Bonels
Chapeos a gendarme.
Cliepelinas de palha.
Chapelinas de fil.
Chapos para homem.
Soutamba-ques de cambraia verdadeiramente bordados por precos que odmira
Vestidos feitos.
Vestidos enfeilados com gosto de excellente laa com zuavos, ele a 2550JO
Completo sortimento de fazendas para
mwMMmm toi&et
Os apreciadores do bello visitando este estabelecimenlo, acharao urna importante
e agradavel escolha do que ha de mais primoroso em uyutauve
Os amadores do til, encontrarao as mais solidas fazendas com cores fhhiaas
para uso ordinario. >imiumj
Gregorio Paes do Amoral & Companhia.
1a m 1 tira
Antlga casa d< Cinilhermc da Silva GnlmarSes.
-
I caixas.
E grande quautidade de gneros tendentes
estes estabelecimentos, que deixam de an-
nuneiar-se.
MAMAS BEPATENT
de trabalhar nio par
descarocar aigodo
FABRICADAS
WM
W
Secas grandes com 100 libras de farello superior a
N. 11Ra do Queimado N. 1.1
LOJA DE FAZENDAS DE
Augusto Frederico dos Santos Porto.
Chegou a este estabelecimenlo um grande sortimento de cortinales bordados para
camas fazenda de muito gosto.
Chales de guip muito linos para 225, 355 o 305-
Golxas de seda superiores de diversas cores para camas de noivas.
Colias de laa e seda para cama tambem de bonitas cores.
Rotoode de guip enfeitados com o melhor goslo.
Setim de Pars bella fazenda e de bonitas cores para vestido a 700 rs. o covado.
Moureantlque braoco e preto, grosdenaple preto e de cores,-pannos pretos de todas
[,as qnalidades, ditos azues.
Casemira preta e de cores, merino preto, silistrins, bombazinas, alpacas preUs, e
fia preto para lutos.
Malas, saceos e bolgas de tapete, verniz e conro de 45 a 115.
'. Bros de linho de cores liaos a 15800 a vara.
Chapeos e chapelinas de palha de Iialia para senhora, manguitos bordados chapos
de seda para hornera, chpeos de sol de seda, esguiao de linho, cambraia de linho, brela-
nhas, silesias e muitas outras fazendas que se vendem pir commiios prejos assim como
tambera
Esteiras da ludia para forrar salas
Por Plant Brothers & G.
OLDVd
Estas machina-
. sScrc^. podem descarocar
" iuali|uer especw
Si, de algodao sen
estragar o fie
' sendo bastante
duaspessoaspara
o trabalho; pdi
descarocar ums
arroba de algc-
do em earocc
em 40 minntos.
ou 18 arrobas
por dia ou 5 ar-
robas de algodac
limpo.
Assim como machinas para serem movidas por
animaes, que descarogam 18 arrobas de algod
limpo, por dia; e motores para mover urna, duas,
eutns dessas machinas.
Os mesmos tem para vender nm bellissimo va-
por que pode fazer mover seis deslas machinai
mencionadas ; para o que convMa-se aos Srs.
agricultores a virem ver e examina-lo, no arma
zem de algodao, no largo da ponte nova n.47.
Saun4fii\s Brothers AC.
\. II, prafta do Corpo Santo
RECIFE.
Os aicos agentes neste pais.
Attencdo.
Aenca
u
Grande liquidado he fazendas e roupas fei-
tas nacionaes.
Ra da Imprrairiz n. 72, leja e armazem d.>
Guimarps & irmao.
Ui proprietarios deste novo estabtlfcimento re-
cebera m pelo ultimo vapor francez um gr*nJe NT-
Omento de laasinhas esrocezas, padroVs muito bo-
nito?, que esiao vendando pelo diminuto pr-M 4e
240 o covado; muiio barato !
Laaninhas a 240!
Laasinhas a 40 (I
Laasinhas a 240 '.'.'
Ra da Imperatriz n. 72, lja e armazem de
Guimares & Irmiko.
Tambem receberam um grande ortimenio de
colchas de fustao que estira vendendo por 5&me
Jj-*1"* ch''a a 15M10 e 25, dita* <\* ia a
l*oUO e 25, grande sortimento de cambraia.* hraa-
!& 2**01!?.3*800 e ** !' moito tiius a
*VVn,in e *' dl,as de s'P'cs branco.- a titm
e 05000 : isto s na loja e armazem de Guimares
4 Irmao, ra da Imperatriz o. 71
Chitas largas a 240, 260,280, 300, 320!
Chitas largas a 240. 260, 280, 300, 320!
. Chitas largas a 210, 260, 280, 300,320.'!.'
E muito barato, pe?as de bretanha de rolo roa
16 varas a 35 e 35200, ditas de madapolo com 2i
jardas a 45300 55, 65, 65300 e 75. muilo fino a
a .15, madapoln francez enfe.-tado coro 12 i .nas
a 35200, 35-500, 45 a 45.7OO, chales de mwn es-
?mpfc U' i&m e 3*' dl,os ID0,I linj*
b# e b5o0, cortes de casemiras de cores e prtlas
pelo diminuto preco de 25o00, 35, 35-'00 e 15.
ditas muiio finas a 55, 55500 e 65. grand- sorti-
mento de roupas feitas de todas as qmliales.e
preco que s vista dos compradores qiit- se
podera dizer o prego, amaneando que veode-se
por menos 20 0)0 qup em ootra qoalqaer pane :
Vendem-se pecas de eseiras para forro de sala, ,
tinta branca preparada a oleo, em latas de 2o h- 11 1" ,, da ,mPerari1 '*. 'J de Guimares
bras, para pintar casa, relogios para cima de me- s --------'.________
sa e para pendurar, arreios para I e 2 cavallos, | GRANDE
velas de sperraacete, todo de superior qualidade,
vindo dos Estados Unidos
Trapiche n. 8.
no armazem da roa do
Goke do saz.
pitch do gaz.
Alcatro rio gaz.
tonelladas rs. .
I O proprietano do grande armazem do Baliza,
ininfin g0 do L,vramento n. 38, nao tendo podido ro-
o^-!vr!^ seguir en) temP a mudanca de sea armazem. por
0O3OOO ler de ser mudada a coberta dessa casa, lem resl-'
400 do veoder o grande e magnifico sortimeolo de ao-
0 coke reconhecidamente o carvo mais econo- ,nads e seceos que nelle se acnam por todo o pn-
Goke
Pitch 1
Alcatro caada
Em casa de Tisset Freres ra do Trapiche n.
9, tem para vender :
Vinho B rdeauxem barricas e em eaias.
Dito de Santeras fino.
Dito de Champagne muito superior.
Cerveja franceza marca Bobee.
TaVso IrmSos
vendem gesso em p para estuque de oasas, tijolos
finos de feitlo diversos para ladrilho, azaletjos de
diversos gostos, tijolos vidrados para parede de co-
zinha, canos de barro para esgoto, cemento em
barris de 10 arrobas.
mico, torna-se por isso recoramendavel, bem co-
mo pelo asseio que se nota as cozlnhas aonde
alie usado. Pitch e alcatro.alm das applicac3es
diversas a que se prestam, como para callafetar
embarcacSes, alcatroar madeiras,etc.,teem este a
propriedade de preservar do cuplm, forraigas.etc.
E' entregar na fabrica dogaz 011 mandado por em
qualquer ponto da cldade, segundo a vontade do
comprador.
InstrucQoes para o servido
das guardas do exercito, extrahidas do re-
gulamento de infantaria e accommodadas ao
exercito brasileiro; obra que muito convm
aquellas pessoas que se alistam nos corpos
de voluntarios; vende-se na livraria n. 6 e
8 da praca da Ind pendencia, a 10.
Superior vinbo do Porto.
Na ra do Vigario n. 14, escriptorio de Domin-
gos Alves Matheus, tem para vender muito sone-
rior vinho do Porto em calitas de ama duils, e an-
coretas de 10 em pipa por prejo mdico.
Co, sem aitender ao grande prejnizo que lera, ta-
to que d'outra forma nao o poder eviur.
GAZ GAZ GAZ
Vende-se gaz da melhor quaiid.de a
1 v5 a lata : us armazeosda ruadu Im-
perador _a.i t e ra do Trapiche Novuo. 8.
Bichas deHamburgo
Vendem-se na ra Nova n, 61.
Vende-se
farelo de Lisboa em saccas e barricas, e sarcos
com superior farinha de mandioca, mais tralo 4o
quo em ontra qualquer parte : na nudo Vigarw
n, 17, primeiro andar.
Vende-se urna taberna bem afregnexada vara
o mato,-e bem como para a trra por fiear ao p
do mar, tambem d comidas e dormidas, e receta
passageiros, tendo excellente rommoo para ta-
milia : na ra da Lapa u. 13.
Til l^aafi


I
w
*

Diarlo de Pernatnbnco Quinta felra O de Jnlho de IS5
r1
GERENTE
ESTABELECIDO A RA NOVA N. 60
'313111 & aU>BM 0)3 33 IDUnm
AO
RISPEITAVEIi FIJBI.ICOa
A apreeiago dos habilanies desta heroica provincia existe no grande arma-
zein da Liga estabelecido ra Nova n. 60 um magnifico sortimento de molhados,
que sendo em sua maxrm parte mandados vir directamente do cstranguro podem ser
vendidos por pregos asss razoaveis.
Sem a fatuidade de querer que este novo c nteressante estabeleciment seja o
primeiro e nico em sen genero, pde-se porm .ffianoar, com toda a seguranca de que
nenhum outro o exceder no restricto cun.primento das seguintes promessas:
1/ Delicadeza no trato.
2.] Fidelidade no peso.
3/ Sinceriiade nos presos.
As pessoas que por sua posico social gozam de certo tratamento, acharo nests
casa os melhores queijos londrinos, cerveja, vinhos inissimos manteiga e cha sempre de
primeira qualidade. etc., etc.
Qualquer que sea a condicSo do freguez, elle deve contar que ser sempre mul-
to bena servido.
Aquelles que sao pouco favorecidos da sorte farao mensalmente urna economa de
muitas patacas, afreguezando-se nesta casa, onde se Ihes vender o arroz, o caf, a man-
teiga oassucir, etc., etc. de boa qualidade pelo prego que em algumas partes nao po-
dem ou nao querem vender.
Os senhores de fra da cidade, dos arrebaldes ou centro, que compram para ne-
gociar, devem vir, i elo sen proprio interesse, a este estabelecimento para se convence-
rem do quanto se pode vender barato.
Para os senhon s que compram para tornar a vender existe um sortimento espe-
cial, escolliido por pessoa entendida que certamente muilo deve agr lar aos senhore.-
compradores
Nao se tem poupado sacrificios, nem se deixar de fazer a diligencia para agra-
dar a todos.
PELOS SEGUINTES PRECOS SO SE VENDE
A DIMHEIRO A VISTA:
Graixa em latas, muito nova, a 80 rs. cada
urna.
K
KIRSCH de Wasser a 2 a garrafa.
L.
LATAS com graixa a 80 rs. cada urna.
Letiua a 100 rs. a libra

.MANTEIGA ingleza e franceza de pnmeira
qualidade a 1, 1,51120 e 1280, em bar-
ril se faz grande abatimento; a que ven-
demos por 10280 a lib a, vende-se em
outra qualquer casa por 1(5400 e L>500.
Mahmelada dos mais acreditados fabricantes.
.Macaiuio e TALiiAiii.M a 320 rs. a libra.
Massa de tomate a 600 rs. a lata.
Mostahda ingleza a 800 rs. o frasco.
-Moliio inglez de todas as qualidades.
.Maiuiasquino verdadeiro de Zara a.....
Massas finas para sopa branca e amarella a
GO rs. a libra, em caixas com 9 libras a
3oOO.
Mimo painco e alpista, sendo mais de 8 li-
bras a 100 rs.
m
NOZES a 120 rs. a libra.
Nabos em latas a 800 rs.
O
Osiras inglezas e americanas.
P
PEIXE em posta, latas grandes, a I(.00, de
todas as qualidades, como sejam savel,
goras, corvina, parg<\ salmao, pescado e
pcscadiuha, linguado, sardinha. etc., etc.,
Peras em latas, excellente preparacSo.
Palitos para denles a 120 rs. o maco muito
grande.
Passas era quarto a I,400.
dem muito novas a 400 rs. a libra.
Pomada muito nova a 280 rs. a duzia.
U
QUEIJOS lamengos.
dem prato a 800 rs. a libra.
Mera suissos a 800 rs. a libra.
dem londrinos a 800 rs. a libra.
Quartinhas ou uorinqoes a 6|, 8 e 10^ o
. par.
a
RAPE' Meuron a I a libra.
dem Princeza do Rio a 1#200 a libra.
dem francez a 2#500 a libra.
SABO massa a 160 rs. a libra, em caixa se
faz abatimento.
Sai. refinado em frascos a 500 rs.
Salame de Len a 25.
Sardonias de Nantes de todos os fabricantes,
dem de Setubal em latas muito grandes a
720 rs.
Steaiuxas a 600 rs. o maco.
T
TOUCINHO de Lisboa a 320 rs. a libra.
Tomate em latas a G00 rs.
Tinta azul e preta para escrever.
ALPISTA a 120 rs. a libra.
dem e painco de oito libras para cima a
100 rs.
Arroz de 90 rs. a libra a........
Amendoas, casca molle, a 280 rs. a libra.
Avellaas a 240 rs. a libra.
Ameixas francezas em latas de todo os la-
manhos.
dem idem era potes de lodos os tamanhos.
dem idem em bocetas de todos os tama-
nhos.
dem idem era frascos de todos os tama-
nhos.
Azeite doce de primeira qualidade a 5G0 rs.
a garrafa.
Alhos a 200 rs. o molho.
Ansv.\ruo a 2000 agarrafa.
B
BOLACHINHAS do Beato Antonio em latas
grandes e pequeas.
dem do Principe Alberto a 25000
de cinco para cima a I 800.
a lata, e
dem de soda em latas grandes a 2.5000 e
de cinco para cima a I00.
Biscoitos inglezes de todas as qualidades a
10200, I;)250e I 300.
Bolo francez em caixinhas a 300 rs. cada
urna.
Batatas inglezas.
Bamia de porco refinada.

CHOCOLATE francez a 700 e 800 rs. a li-
bra, e em pon;o a 600 e 700 rs.
dem suisso a 1 a libra.
dem de musgo a lo00 a libra.
Ciioclicas muito novas a 800 rs. a libra.
Caf a" 2 40 e 260 rs. a libra, e em porgo
se for abatimento.
dem de primeira qualidade a 7O00 a ar-
robi.
Conservas em ffascos a 320 is. cada um,
sao muilo novas
dem inglezas, frascos grandes.
Champagne de todas as marcas.
Charope de grosella, orbala, etc., etc.
Cuicaras e pires a lS00a duzia.
Cerveja da superior marca Tenente a 500 rs.
a garrafa, e em duzia se faz grande aba-
timento.
dem Victoria Bas tres X e de oulras marcas.
Ciiaritos das mais acreditadas marcas, co-
mo sejam : Normas d'llavana, Exposico,
Flor do Brasil, Parisienses, Delicias, Gua-
nabaras, Trovadores, Regala, Mississipes,
Panetellos. Apraziveis. Vrelas, Brasilei-
ros. Americanos, Fluminenses.
Cii le todas as qualidades e de todos os
presos, hysson, huxim, aljfar, preto, e
preto ponta branca, etc., etc., a 2;>000,
220, 2).jd0 e 2)800.
Copos lisos de todos os tamanhos de 120 a
320 rs.
dem lapidados de todos os tamanhos a du-
zia a 24000, 30300, 4 e 5.
Cauces de todos os tamanhos;
Cognac superior a 1 e i 300 rs. a garrafa.
Cigarros do Rio, pardos, a 80 rs. o maco
de cinco macinhos.
I
DOCES de todas as qualidades: brasileiros,
portuguu/.es, inglezes, francezes, etc. etc.
13
ERVILIIAS seccas a 120 rs. a libra.
ervadoce a 400 rs. a libra.
FARIXHA S S S de 8 libras para cima a 120
rs. i libra,
dem de araruta a 320, 400, 500 e 800 rs.
Figos de comadre a 160 rs. a libra.
Feijao verde em latas a 600 rs.
Favas em latas a 600 rs.
Fumo Jo Rio a 500 rs. a libra,
dem americano em latas a 2.
Farello ha sempre em deposito de 500 a
800 saceos, de todas as qualidades, de to-
dos os tamanhos e de todos os precos.

GOMMA a 30 rs. a libra.
dem a !40rs. a libra, muito alva.
Grao de bico a 120 rs. a libra, e em porco
se fiz grande abatimento.
Genebu.v de laranja verdadeira a l000 o
frasco.
VINHOS! !!
Principe Alberto, de 1831, a 5000 a gar-
rafa ; d vida aos velhos.
Velho secco a 2 a garrafa.
Lagrimas do Douro a 1300 a garrafa.
Duque do Porto verdadeiro a 2 a garrafa
Duque a 1 e I500.
Chamisso a 1, 1200 e l500 a garrafa.
D. Luiz a 1 a garrafa.
Moscatel verdadeiro de Selubal a 2 a gar-
rafa.
Carcavelos a I.
Colares a 900 rs. a garrafa ; o nico vi-
nho que se pode beber por nao ter com-
posicao alguma.
Lanterne a 800 rs. a garrafa.
Bordeaux Medoc a 800 rs. a garrafa.
dem S. Julien a 600, 800 e 1 agarrafa.
Absynlho a 2 a garrafa.
Kirsch a 2 a garrafa.
Wermouth a2, e a caixa a 18.
Bilter Maurer a 1 a garrafa,
Grave a 800 rs. a garrafa; vende-se por este
preco por liaver sempre em deposito 50
duzias.
De caj, de 1852, a l200 a garrafa.
Velho do Porto, em ancoretas de 9 caadas,
a 3500o ; vinho que, estando engarra-
fado, vende-se a 1280 e 10500 a garrafa.
0 PUBLICO
em o menor eonstran-
gluiento se entregar o
Importe do genero que
nao agradar.
ATTENtaO
. presos da reglete
tabella para todos, pc-
deatdo asim servir de ba-
se para o ajuste de cenia
com os portadores.
A LECiriMA
um?iaii
, ,.._
RA DA CADEIA DO RECIFE N. 53
(Logo passando o areo da ConceicSo)
PARA BEM DE TODOS.
Senhore? choras, o aceio que presidio aos arranjos deste novo estabelecimento, e mais que tudo a prompdlo e intei-
reza com que sera"o tra'r:-.;; "divida a urna visita ao mesmo, certos de que sem duvida me dao a prolecgao e preferencia na com-
pra dos gneros que precisaren e quando nao possam vir podero mandar seus portadores, anda jjue estes sejam pouco praticos,
os ser5o tobem servidos como se viessera pessoalmente, havendo para com estes toda reeommendagao, afim de qoenSovSoem
P Ira rr"e.
LANA* t SEflp.
rrovA yop.k
Composta ()c sil.!;! i.-.
propriedades eminentes er.i< : -
approvada pelas jomas e t .' mt-
Aletria, raacarro e lalharim a 4oo rs. a li- Sal refinado era frascos de f di o com
bra,e .ooo a caixa. do mesmo. a 5oo rs.
r
dieina; usada nos principal -
tani|>a vis militares c da marinha dm \nl *
Massa para sopa : esirelinha, pevide e rodi- Cerveja brancadas m'aixas mais acreditadas fecn't'Jillnf n! 2!S Tl'
nha branca ou amarella a U4o rs.a libra e que vem ao mercado, a ooo, 36o e 64o 5Sf 2 dislmelos tU i
3,500 a cana com 8 libras. a garrafa, e 5,8oo, 6,ooo e 6,3oo a du- ^na^iJBffSit
Vinho do Porto muilo fino proprio para zia. 1>VRA EADICALKEi i ]
engarrafar, em ancoretas de 9 caadas a Cevadinha de Franca muilo nova a'oors 2[?0,as' ri,e"*"i "'' r-
35,000 rs. .Charutos do adamado fabricante Jos Furta- ^'^'cs venreas e Mrenria
Vinho em pipa: Porto, Figueira e Lisboa a
32o, ioo e 5oo rs. a garrafa, e em caada
a 2,5oo, 3,ooo e 3,8oo.
Vinho branco de Lisboa de excellente quali-
dade a 4oo e 5oo rs. a garrafa e em cana-
da a 3,000 e 3,5oo.
Vinho branco para missaem caixas de 1 du-
zia a 8,ooo e 68o rs. a garrafa.
Vinho do Porto das melhores marcas que
vem ao mercado como sejam : Lagrimas
do Douro, Duque do Porto, Rainha de Por-
tugal, Duque genuino, D. Luiz 1, Madei-
raSecca, Malvazia fina a 16,ooo, 15,ooo,
12,ooo e I o,ooo a caixa com I duzia e9oo,
l.ooo e l,5oo rs. a garrafa.
Vinho Cherexde superior qualidade a 16,ooo
a duziae l,5oo rs. a garrafa.
Sardinhas de Nantes a 4oo rs. os quartos e
64o rs. as meias latas.
Bolachinhas inglezas muito novas a 5,ooo a
barrica e 320 rs. a libra.
Bolachinhas de soda em latas de diversas
qualidades a I,3oors.
Cartoes com bolo francez muilo proprios pa-
ra mimo a 64o rs.
Mmteiga ingleza especialmente escollada a
l,ooo e 8oo rs. a libra e em barril se faz
abatimento.
dem franceza a mais nova do mercado a 96o
rs. a libra e 900 rs. em barril ou meios.
Cha hysson de superior qualidade a 2,600
rs. a libra.
Cha perola o mais superior do mercado a
2,8oo rs. a libra,
dem hysson muito superior em latas de 15
libras muito proprio para negocio a 2,ooo
rs. a libra,
dem hysson nacional em latas de 1 e 2 li-
bras a l.Ooors.
dem preto o que se pode desejar neste ge-
ero a 2,ooo e 2,2oo rs. a libra.
Linguicas muilo novas a 8oo rs. a libra e em
barril se faz abatimento.
Chouricas e paios a 8oo rs. a libra.
Costelletas inglezas a 64o rs. a libra, serve
para temperar panella ou para fiambre.
Queijos do reino chegados neste ultimo va-
por a 2,2oo rs., ditos de navio devella a
2,ooo rs.
dem londrinos muito frescos e de superior
qualidade a 8oo rs. a libra,
dem prato a 8oo rs. a libra, e inteiro se faz
abatimento.
dem suisso o mais superior que tem vindo
ao mercado a 64o rs. a libra.
Ervilhas e favas portuguezas j preparadas
em latas hermticamente lacradas a 64o.
Feijao verde muito superior a 640 rs. a lata.
Copos lapidados para agua a 5,ooo e 5,5oo Passas muito novas em caixinhas enfeitadas
rs. a duzia. para mimo a 3,ooo rs.
dem idem para vinho a 24o rs.,e 2,4oo rs.! Passas de carnada a 8,ooo acaixae4oo rs.
a duzia. a libra.
Chocolate francez hespanhol e suisso a 9oo,, Figos de comadre a 24o rs. a libra.
l,ooo e l,2oo rs. a libra. ; Amendoas de casca mole a 4oo rs. a libra.
Espermacete superior a Ooo e 64o rs. a li- Milo de amendoas a ooo rs.
bra e em caixa se faz abatimento. Bolachinha d'agua e sal, da fabrica deJoaol
Peixe em posta em latas hermticamente la- de Brito no Beato Antonio, em lata de 6 li-[ mimo, a l,6oo, 2,(loo e 3,ooo cada urna.
eradas e das melhores qualidades de pei- bras por2,5oors. Bulbos, excellente peixe portuguez, em
xe a 8oo, I.oco e l,2oo rs. i Ameixas francez:!s em fiasco de vidro com j barris pequeos ou a retalho, a vista se
Vinho Bordeaux das marcas mais acredita- lampa do mesmo, a i5oo. far o prego.
das que vem ao nosso mercado a 7,ooo e Ameixas franc zas em caixinhas de diversos; Azeitonas de Rivasem ancoretas grandes de
8,ooo a caixa e 04o e Too ris agar- tamanhos com bonitas estn pas na ca-i 8 garrafas por 6oo e 8oo rs. a garrafa.
raa. xa exterior, a l,4oo, l,6oo, l,8oo e 2,ooo! Azeitonas portuguezas a 5oo rs. a garrafa e
Genebra de Hollanda a 48o rs.a botija de cada urna. l,5oo cada urna ancoreta.
conta certa. Azeitedoce refinado hespanbolou portuguez Champagne da melhor qualidade que vem
Frasqueirasde genebra de Hollanda a 6,8oo a 9oo rs. a garrafa e lorooo a caixa. ao mercado, a 2,ooo e 3,5oo a garrafa, e
e 64o rs. o frasco. i Batatas muito novas a 8o rs. a libra e2,5oo
Genebra de laranja verdadeira em frascos o gigo com 36 libran
grandes a 1,oooeH,ooo rs.a frasqueira. Conservas inglezas a 75o rs. o frasco e
Caf do Rio de ld qualidade a 28o rs. ali- 8,5oo a duzia.
bra e 8,5oo rs. a arroba. Vassouras de escova para esfregar casa a
Caf do Cear muito superior a 24o rs. ali-; 4oo rs.
bra e 7,5oo rs. a arroba. iNozes muito novas a IGo rs. a libra.
Arroz do Maranhao de Ia qualidade a loo Molho inglez em garrafa de vidro com rolha
rs. a libra e 2,8oo a arroba. do mesmo, a 16o rs.
dem da India a loo rs. a libra e 2,8oo a ^lostarda ingleza dos melhores fabricantes,
arroba. I a 8oo rs. o frasco,
dem de Java a 8o rs. a libra e 2,4oo a ar- i Mostarda franceza em potes j preparada a
roba. 4oo rs. o frasco.
Painco e alpista a 14o rs. a libra e4,oooa Lentilhas francezas. expeliente legume para
arroba. sopa, a 2no rs. a libra.
Massa de tomatesde superior qualidade a 64o Marrasquino de Zara propriamente dito a
rs. a lata de urna libra e56o rs. a reta-, I a garrafae 1 l.ooo a duzia.
Iho. I Palitos de dente a 1 io rs. o maco.
piros Delicias, a 4,ooo, 4,5oo, 3,ooo,
6,ooo e 7,ooo a caixa ou em meias.
Charutos finos de diversas marcas e fabri-
cantes, como sejam: Flor do Norte, Ma-
nilhasde Havana, intervallos,Vencedores,
Panatellas e Suspiros, a 2,ooo, 2,5oo e
3,ooo a caixa.
opnac inglez das melhores aarcas, a Sove
l,2oo a garrafa.
Doce da casca de goiaba a 2,ooo a lata com
4 libras.
Farinha de araruta verdadeira a 32o rs. a
libra.
Matte.excellente cha para os navegantes,
2oo rs.
Sebollas de Franca muito grandes e novas
a l,8ooo cento e l,2oo solas.
Palitos do gaz a 2,2oo a prosa.
Toucinho de Lisboa muilo novo a 32o rs. a
libra e 8,5oo a arroba.
Banha de porco refinada a 6to rs. a libra.
Bolahinha Alberto, as melhores que pre-
sentementetem vindo ao mercado, a 2,ooo
a lata.
Farinha do Maranhao muito alva e cheirosa
a 2oo rs. a libra.
Frascos com fructas em calda de diversas
qualidades a 2,ooo e l,5oo o frasco.
Caixinhas com fructas em doce secco de di-
versos tamanhos, muilo proprias para
falsificacoos, preciso a maior caul .. .n
evitar os engaos,
A legitima salsa e Bri>lol \ .
CAORS A IABBOZA
JOAO DA C. BRAVO A .
Joo da C. Bravo & i:.
Vendem-se no Recife ea I ..
Barboza e Joo da C. Bravo C.
Itfdnrri ili>* prrrts.
Vendem-se por pnros ntottfad ;. !.,.. 1,
cicscareQiralROilo tle 'firnsii.'i.i< "ii,
de 14 a 6i .-erras asim cmm nsl m par .i as
3' mesmas, as qaaes se arham rl?la n
i farinha, ra do topera lar, por bsixa i CaMii
Portuguez : a iralar na ra do ftapwfti n. H. no iresmo arrnaiem : Mitro sim Wnmmm **
aos rom oradores <|ue u*nn de ri .. wt
coco para entrarem os elxi.s desia-in.i .bj-. -;t
lupar de azeiie de rarraptta, vi>i<>. -i ai j.. r
contraro do i|ue acuelle que se qu-r.
Liquidadlo de madrinas;mn
algodao:
Chegou grande surlheiito d- rmcMbm pt*
desean far algodo, de I i. Ifi, l. ID, 13 I
serrotes, de superior qulktot, as >;i'- n wi
dem por preco? moil'- reilti'idos : wm* r-
que em oulra (|ual)ii-T parle, par.-. KejMW, Ifli
como motares aaeriraaos nMiai es
quaes se tornam reriisassnswin \> h
qualidade de fcil c ndun-o para t -r.tr i d-
vinria; a tratar no depi sY do sessVA !>p Ri
ou na ra da Cedas do II-rife, loj-i s fafi
n. 56 A.
24,ooo e 26,ooo o gigo.
Gomma de engommar muito alva a 12o rs.
a libra.
Figosem sextinhas a 8o rs, cada urna e 72o
rs. a duzia.
Papel azul para botica a 2,ooo a resma.
Balaios para roupa suja, grandes e peque-
nos, por diversos precos.
Amendoas confeitadas a 64o rs. a libra.
Latas com fructas em calda: pera, pecego,
damasco, rainha -Claudia e cereja, a 8oo
rs.
Vinagre de Lisboa a 2oo e 28o rs. a garra-
fa ea l,4oo e 2,ooo rs. a caada.
Azeite doce de Lisboa a 4,8oo rs. a caada
e 640 rs. a garrafa.
Vinagre branco j engarrafado a ooo rs. a
garrafa.
Chitas baratas
Na ra da Concordia n. (52 um B*ra v sjli
Cao de chitas muito linas a itO o rovad,
mais inferiores a 180 rs., seodo e~tas rflTT
ESGHA7GS FS6IB ,""="
Fugio em prMHfpkM de s n li I rrr*ir' >.
corrate anno e eeasls -star acoaMi sjeeH n ...
O moleque Euzeliio. i-iravu Oa vmva iU !r | ;
nando Affonsode Mello, ,e li aun.
cojnais ou menos, cor prea, serm do rrr p.
regulares e afnmacatos, rtsjeci nm poexe ftnm
e meia chata, beleos las*, eesaks I ^n. atw i
seceos e muito ladino : rofa-se por laaMea low.- -
autoridades policiaes e capii-.- de r,
prehendam e levem-o a ra da Hsfi eira s. t.rds
n. 6 que serio gralileados, protasSaBdi i-" oe
melos judidaes contra qaalqoer presea .|ue eleSJM
em seu poder.
III VAL
Ra do feuelinado ns. 49 e 55.
Contina a vender lodas as rniudezas que abaixo
declara por precos admirareis.
Massos de palitos l'ixados para denles a 100 rs.
Espelhos de molduras douradas a 200,240 e 'JiQ rs.
Bonets de oliado para meninos a 15000.
Ditos de couro superior fazenda a 1,8500.
Frascos com superior tinta rocha a 240 rs.
Meiadas de liara froxa para bordado a 20 e 60 rs.
Babado do Porto, fazenda boa, vara a 80, 100 e
140 rs.
Varas de Iranja branca estreita a 40 rs.
Caixas com 100 envelopes, fazenda fina a 600 rs.
Grozas de peonas deaco, fazenda superior aSOOrs.
Duzias de raeias cruas encorpadas para homem a
3000.
Grozas de botoes madreperola finos a 500 e
e 640 rs.
Caixas com 50 novellos de Cunta do eaz a 700 e
900 rs. *
Caixas com superiores obreias de cola a 40 e 80 rs.
Pecas de fita branca elstica com 9 varas a 280 rs.
Varas de franja de la para enfelles de vestidos a
40 rs.
Baralhos dourados superiores qualidades a 400 rs.
Novellos de linha com 400 jardas a 80 rs.
Liaros para assentos de roupa lavada a 100 rs.
Pares de botoes para punho, fazenda rica a 120 rs.
Tesouras para costuras superiores qualidades a
400 e 1$.
Caixas de peonas de calligraphia, fazenda boa a
1000.
Massos com superiores grampos a 30 rs.
Pares de sapatos de tranca e tapete a 1300.
Pares de sapatos de tranca para meniuos a 15 e
15280.
Caixas com superiores agulhas a 240 rs.
Libras de Lia surtidas de bonitas cores a 75000.
Caixas com superiores obreias de massa a 40 rs.
Rodinhas com allinetes francezes muito superiores
a 20 rs.
Resmas de papel almaco a 25400 e 25800 rs.
Hesmas de papel de peso fino a 25000.
Escovas para roupa, fazenda boa a 720 e 15.
Duzias de tesouras com toque de ferrueem a
600 rs.
Duzias de facas e garios de cabo preto a 35000.
Talheres muito lino para mangas a 240 rs.
Vinho do Porto especial.
O mais generoso e genuino vinho do Porto, mar-
eas novas e especiaos em caixinhas de 12 garra-
fas, sendo marca Rainha de Portugal a 185 a cai-
xa e Pedro V a 165, em porgao far-se-ha nm aba-
te razoavel : no armazem de Ferrelra & Matheus,
na ra da Cadeia do Recife n. 66.
Lagdo para calcadas.
Vende-se moilo bom lagdo para calcadas ear-
mazeos chegado agora : a tratar na ra do Apollo
o. 4.
Vzeite doce refinadoem pequeas latas a 560 rs. a garrafa : no graude armazem
da Liga.
Saceos de 80,100 e 120 libras a 4#, 40500 e 5,5

)$*mi
no grande armazem da Liga.


PECHI\CH

Madapolao muito fino com pequeo toque de avaria, por preco que admira : na ioja f*XQ
das columnas na ra do Crespo n. 13, de Antonio Correa de Vasconcellos & C. W\;
Ausentou-se no ia 2 du forrante 3 mcM 1
dacasa da ruado Imperador n. ni.
do, rrioolo, cheio
de eorpo.
altura r pnlar, H
Grande sortimento de roupas feilas de to-
das asqualidades,
Calcas de casemira a 65 e 75500, ditas pretas a
65 e 85, caigas de ganga a 25 ,15800 e 15600,
dilas brancas a 25, brimde linho a 35, 35500 e
45, paletots do alpaca branca a 45500,_ditos prelos
a 35 e 35sOO, ditos de alpaca de cordao a 45. e
de listra de seda a 45500, ditos sobrecasacos a 55,
paletots de casemira a 55, 55500, 65, 85 e 95,
ditos sobrecasaoos pretos a 125, 15 e 165, ditos fi-
os a 255, de cores a 135, ditos fraques a 145,
paletots de ganga 1 35, 25500 e 25, ditos de brtra
francisco Jos Germano
ranrav.4 x. M,
^nx^OAO
comprido, olhos peejCftJuS e p<>oc brba. 11-
>a e bigode, bastante UdtM, Wpusipu Irr t>
aunos, pouco mais ou menos, e jnlf-a- calca preta ecami>a bnoes : rak ihhh u* l.
prado ao Sr. coronel Galvao, do Liatorire, pra"
de se julpa tenha fgido, mas ha sjBra o ipcba
visto na Passagem da Magdalena. Rnredios e Var-
zea ; e como se descoafia que 1 >t- a ac ..
protesla-se proceder contra q' m u 1 ., a.
e pede-se a quem deile der noticia tm o Sfaf
que dirija-se a sobredita casa. 00 a ra
o. 13, que ser recompensado.
Foio no da 29 de jucho proxiir.o* pagado
do lupar de Gamella de Barra Giai
de Alagoas, o mualo Am^ncio, de idade peejea
mais ou menos de 20 anno, com as sspsM -.
gnintes : estatura regoUr. car rhMa e kritassa
com os denles um sol) os ouir >-, s*>rr> tarba, da.-k
chato, com marcas de letMas n:.s pernas. coc oaa
lalho em cima do i|. ,ij {.o!li'gr da mo direita,
ps chatos e os ded's arrelnt.iilos, levando aque-
ta de panno preto, calca Lram a e chapeo depaika
de Cuncori, julga-> ter alistado em a guns de-r^s
corpos de voluntarios: rogase portanlo as aois-
ridados policiaes e ao< capie de campo oV o
pegar e leva to a seu senhor Mmoel Francisco de
Queiroz Coutlnho, no lug;r cima indicado, ou *o
seu correspondente nesia praga o Sr. Antonio ^
M. Temporal, com t'-criptorio na ra da Cnu u.
30, que generosamente sera' recompensado.
Fagio em principio de jonho ollimo, e sbb-
poese vagueia pela cidade do Hecife e sstJi sobor-
bios, o moleque Manoei. criroio, qoe rrpre.-cnu
ter a idade de 16 auno*, tendo salante signal e
urna cicatriz no dedo pollegar di mo dlreita. pre-
veniente de um panaricio : levou caiga e caasm
de algodozinho gross> : qn--m o aprehender
entrgalo no 1- andar do sobra lo n. 17, na pr-a
do Corpo Santo, ou no silio do >r. Dr. Aueusio Y
de Oliveira, na Ponie de l'chOa. .-era reromsjs
>ado. w
No dia 29 de janho prximo pas-ado fnplram
doengenho CotoveHo, siloado o liu'.r V^riea provincia da Parahiba, dous escravos pardos, na
de neme Zacaras, de idade de ti anno*, poorn
mais ou menos, estatura tedia, reforjado, per***
acangalhdas, cabellos uretos e crespo*, rolo co
prido e picado de Mugas, sem barba, sena
te ; o outro de nome V nancio. idade de 20
ponco mais ou meno-, statura regnlar. seeca d
corpo, cabellos casianhos e crespos, r >-t< ronwri-
do, sem barba, lamiera bem fallar.lev: tftum o*
apprehender e levar a seu senh r m dito engesdn.
on na casa de deten;5o desta nJade, sera reeons-
pardo a 35, jaqueloes de brim pardo a 35, panno acaba do receber um lindo e magnifico sortimento
preto fino a 25, 25*00, 35500 5, 45300 5 e 65 o deoculos, lunetos, binculos, do ultimo e mais
covado, moreantique preto a 25600 o covado, pros- aparado posto da Europa.
denaple preto a (5500, 15800, 25, 25200 e 25500
o covado; e ontras muitas mais fazendas qoe se
deixa de annnnciar, e manda-se levar pelos caixei-,
ros da Ioja da arara casa dos pretendemos. O
e tabelecimento est aherto at as 9 horas da noite, nr*>1cmie nhi,^^ i pensado,
rna da Imperalriz n. 56, Mendes Guimares. <" preciosas c objecfOS de *Z----~
-----------------------------------------------------.1 (Miro. I I*ugio no da 6 do correte na>z de r
Mtnricio Selbeberg & C, Polacos, ultimamente cabra EQfe"'o. de idade d^ 45 annr-s poore oaav
chegados a eU provincia, i fferecera ao respeitavel ou nienos.jom os signaes sepuinl>>s : es talara re
publ co um grande sortimento de joias, bnlhaules, |,,,ar> crT>exigoa. tras barba a Caraaaarb.
relogios e muito? enjertos de ouro, por prego o De"op cac."idos, lev 11 caifa d* casemira e paK-tx
tnais razoavel possivel, e mesmo troca e compra de riscadinhoj velho ; ernsta .jne o dito rscra*
objectos de ooro, prata e diamantes por objectos an"a "*<> qui na cidade : quem deU* eVr -
novos : na ra do Queimado n. 29, entrada pelo l'(''a on >8*rrar, dirija se > buM de Frasca,
Chogaram os superiores
cortes de seda
Superiores cortes de seda de cor, viudos pelo
ultimo vapor francez : na Ioja das columnas a ra
do Crespo n. 13, de Antonio Correia de Vascon-
cellos 4 C.
Farinha de mandioca fina e alva, mais bara-
ta do que em qnalqner parte, arrox da Ierra pila-
do e em conta : para ver e tratar, na ra do Vi-
gario, casa o. 29.
largo de Pedro II n. 27, de manha'at as 9 horas, ra do Trapiche n. II. qq. ra reronspeawad.
e a tarde das 4 hora? em diaute. Os objectos ven Anda fgido na fregnezia u B>>a-Vi*ue se*
didos pelos annunciaoles sao garantidos por e les, arrab3ldes, am escravo. pard<* 1 iadV aeW ea-
e estao proroplos para levar objectos s casas das bellos rente, reforgado do corpo. da aaav Paite
pessoas que desejarem comprar, urna vez que nao quem o pegar leve-o a ra do Livrameolo a. |f"
possam vir a seu eslabelecimenlo. que sera recompensado.


f
;--------------------_J----------
Diario de *ern*aibtico -' Quinta felra 6 de falli de iH5.
L1HER ATURA.
Galera dos bispas brasileos elaborada e ofl'ereei-
da 110 losiilulo Histrico e (ieogra|ibico Ilrasi-
leini era 1S62, pilo padre Liuo do Monte Car-
melo Luna, socio do raesino Instituto.
PIIOVINCIA DE PBMAMBOCO.
IV
D. Fr. Pedro de Santa Marianna.
O ministro da religio enera o dedo provid n-
cial lenba designado para uin da empitonar o lia-
culo episcopal, .anda que elle nio proste as;.enli-
meato aos desejos daquclle, que como (parece) or-
. gao Ja providencia, luja de o elevar esta subli-
ii). dignidade ; aiuda mesmo que sua reluclancia t
alcance urna vez o resultado desejaJo: nm dia, po-
rcm, olle sorprendido ver o couiplimento dos al-
tos destinos victoriosamente lomar o seu posto, e
otao sita voiitadc ja sem energa deoutr'ora, ne-;
rossariaoienle ceder os toaros a vontadade impe- i
riosa, e sugeilar-se-ha submissa decisao, que pa-
rece nao ser obra do hornem Foi o que se den
com o illustre persooagem de que Dos oi-cupamos,
e cojo nome para a provincia de Pernambuco, sig-!
piflca urna gloria immareessivel. para o claustro;
cannelitaoo uin vulto proeminenle, e para as le-i
tas un dos seos maiores cultivadores.
Naseeo o Exm. Kvrn. Sr. 1). Fr. Pedro de Santa
Marianna, na cidade de Recite provincia de Per-!
naaibucj, no dia 30 de dezembro do auno de 17s2,:
e foram seus paes Carlos Jo.- de Souza e D. Ma-
riaoua Machado Freir. Sua eJueciio primaria foj!
perfciia e regular apar dos sentiraentus religiosos i
que seu. progenitores souberain inocular no cora-
cao inlantil.
Sua vocacao se manifestara para a vida sacerdo-
tal. A clausura, aoude os rumores do mundo ape-
uas chegam com longiquos ruidos ; aonde a vaida-
He humana, apsrturbago, e a vanglona parecem
dar-lhe costas, e ceder o lugar para a coHlemplago
das grandezas eternas; a clausura aonde reina a
paz, o silencio e a oracao, foi o lugar que elle es-
coiiieu para dar expausibihdade ao seu geuio lodo
especial, eos talentos que comeeava a desabrochar-
se vigorosamente.
Deu preferencia, ese inclinou ao claustro carine
tao do qual era provincial o seu prente o pa-
dre mestre Fr. Flix de 3aut"Auua, e ^e recolhera
ao convenio da cldade do llecife, no dia 17 de fe-
verciro de 1797, com lo annos de idade : nulle
passou o lempo de pupilo ; enlrou no da provacao;
al que fez sua prosso no dia 7 de levereiro de;
17'J'J, as ataos do padre-mestre Fr. Manoel do
Monte Carmelo, por c ommiss > do respectivo pro-
vincial Fr. Luiz de Santo Antonio.
Realisadas todas suas aspiracoes, o joven Fr. Pe.
dro de Santa Mariauna, encelara os estudos de plii-
losophia e iheolagia, no collegio de seu convento,
aoude mosiroa logo a perspicacia de sua iulelli
gencia.
Neste inieriu. o sabio hispo de Pernambuco, o (
Sr. D. Jos Jo :i]iiiai da Cunta Azevedo Coutiuho,:
acaba va de iuauguiar no dia 1G de fevereiro de
1800, na cidade de Oiinda o Seminario Episcopal
a primeira, e a uns perleita, e completa escola de >
instruceo secundaria, que teve o Brasil seb a ins-'
peccao daqaelle prelado ; por contar eila loda> as j
aulas, e cajo pessoal se compuiilia de uieslres aba-
leados, os quaes, o sabio bispo Unha podido contra-
tar, e trazer da corte de Lisboa, am de derramar
a iustraecao pela mocidade peruambucana.
Neste ncleo de sciencia o Sr. Fr. Pedro recebeu
Olis, e piuveilosas ligdesj eoasagraudo se especial-
mente'ao esludo de geometra, algebra, e Irignome-
tria, e nelle se inostrou lo anieslrado, que rece-
beu nos exaiues empreseuca do (Ilustrado institui-
dor a dislucco cun laude
Comtado, o Sr. Fr. Pedro, arda anda em desejos
de sacrisokr ueste ramo de sciencia, sua predilec-
ta ; e logo que na cidade do ltecie o insigne pro-
fessor de malhemalicas r. Antonio Jos Bastos,
(ha pouco lempo chegado na provincia) abrir au-
la no salo da Igreja do collogio, elle nao perdeu
lempo, fol sugeitar-se com prazer as fadigas que
de eerlo lliealcausariam depois vanlagem trancen-
dencia no calculo.
Seus talentos j conhecidos pelos seus prelados,
apontado entao no convento como nina de suas pri-
meiras capacidades, a cougregacao de sua ordem,
celebrad no anco de 1803, o eseolhera para leitor
de geometra, cuja palate Ihe conferir o respec-
tivo provincial Fr. Flix da Bipectaca).
Anda o Sr. Fr. Peoro de Santa Marianna era
corista quando abrir no convento, um curso de
geometra para os religiosos e a mocidade peruam-
bucana. Teve elle aventara de lecconar muitos jo-
vens, que depois se distiuguiram e flguraram na;
sociedade o entre elle? foram os Srs. D. Ma-1
noel do Monte Rodrigues d'Araujo hoje bispo do
Rio de Janeiro, conde de Iraia, e capello-mr de
S. If. o Imperador, e o seu irmo o ja fallecido co-
nego Joo Rodrigues de Araujo.
Fol na verdade ; urna gloria sem par para o Sr.
Fr. Pedro, e um honra subida para a religio car-
meiitaua, o dia era que ni igreja do convento do
Recife, o lente corista sentado na cadeira mages-;
tral rodeado de descipulos offerecia publica conclu-
fetal de geometra a ura auditorio de personagens,
e de illustracao sobresahindo como deffendentes os!
dos referidos irmaos e admirando todos o talento!
trauscendente do Sr. Fr. Pedro ostentado naquella
lala litteraria e na idade que o inhiba de assumr
ao sacerdocio I I Entretanto, nao se pense que
existia em o Sr. Fr. Pedro a louea vaidade de se |
julgar com diieito ao magesleiio, a que sua ordem
o elevara, e lizera estrear ; sua desconfianga, seus
receios o indusiam adizer qua raseos estudos
mathernaticos ha va um vacuo que era mister pre-
encher I Nesta convice.io solicita elle de seu pre-
lado dispensa de lr a cadeira de geometra, e al-1
canga iicenca para ir a Lisboa, afim de aperfeicoar-
se no calculo integral e defferencial.
De feito, parti anda sendo corista para a Lusi-
tania no anno de 180o, aonde chegou no mez de
novembn, e l"go qoe rerebeo na capella de Bem-
posta, apresbylerato das roaos ds Sr. bispo Paulo-
potino U. Fr. Miguel, foi seu primei.-o cuidado o
maincular-se na academia real de marinha, ou
collegio dos nobres; caso virgem, e a primeira
vez, que aquella academia viu no anno de 1806,
um frade rocando seu habito dos galSes das
fardas I
Nao era por certo, um discpulo que ia fazer sen
tirocinio escolar, era um gemetra, que se quera
acrisolar as sciencias dos Eoclides, Legeodre e
Lacrois.
Os progressos ah feitos foram espantosos. Fa-
zendose ouvir um dia sobre geometra entre seus
collegas, o Sr. Fr. Pedro, raostrou-se abalisado
nella, e c.hamou de tal raaneira a altencao dos len-
tes que, elles logo se convenceram, de que o car-
melita j hava cultivado a scieocia, que modesta-
meute aprenda.
Com urna aecurada appiicacao, louvor e conside-
rara daqnella veneravel corporaco, conclaio o
Sr. padre Fr. Pedro, o curso de mathematicas no
anno de 1809, e recebeu em premio de suas fadi-
gas luteranas, o laurel acadmico, urna carta de
plena approvafao, nao havendo entao uso alli de se
conferir grao dessa facoldade.
Na provincia do Ro de Janeiro, se havla inaugu-
rado no anno de 1810, a academia militar, e nella
se dava a Ma de um leole substituto para a ca-
deira do seguud i auno ; e entao o governo tendo
bellas informacSes a respeilodacapacdado e illus-
tracao do Sr. padre Fr. Pedro, para o magisterio,
sollicita, pelo respectivo ministro e secretario de
estado dos negocios esirangeiros o guerra, D. Ro-
drigo de Souza Coulinho, conde de Liuhares, da re-
gencia de Portugal, a vinda delle, se por ventura
annuisse ao convite.
Deixon portanto o Sr. padre Fr. Pedro, a trra
lusitana no mez de fanero de 1812, e se embarcara
na nao D. Sebasliao, com passagem a cusa do go-
verno, e com destino a curte do Rio de Janeiro,
aonde aportou dos lin- de julho do mesmo anno.
Com hospitalidade e caricia fol recebidj o fllho do
Carmello no cenobio de sua religio, e sua religio
se repas.ara de grandioso jubilo vendo o alhleta,
que conquistara veneraco, e recebra louros no
santuario das sciencias.
No mez de janeiro de 1813, oomeado o Sr. pa-
dre Fr. Pedro, lente substituto das cadeiras de ma-
thematicas A academia real militar do Rio de Ja-
neiro, comefando a reger logo a cadeira do segun-
do anno decalculo -at que em 1818, teve delta
effectividade.
Durante o tempo era que oceupou o magisterio
nioslroa o Sr. padre-mestre Fr. Pedro, urna con-
ducta exemplarissma, e ostenlou-se lo aprofun-
dado as mathematicas, e em outros ramos da
sciencia, que a corte, preslando-lhe seria atlengo,
admirou sobremaneira o seu genio e seu raro ta-
lento. Seus mesmos collegas coaheciain o grande
mrito iliterario que elle possuia, e os discpulos
Ihe tributavam o inaior respeito, profunda venera-
cao e acatamento.
Era, com effpilo, para admirar, ver o hornern*
que so linha como ornato, o simples habilo de car-
melita, do alto da cadeira lecciouaudo em maleria
lo eslranba sua prosso, a homens que em suas
fardas realcavam as drogonas e gales I f
Nestas fadigas magislraes o Sr. padre-mestre Fr.
Pedro, se houve coui zelo, diguidade e aproveita-
menlo de seus alumnos al que no anno de 1833,
Ihe fura pelo governo concedida a jubilacao ; sendo
que pela falta de lente, continuou elle a ler a mes-
ma cadeira, termiuando entao seus Irabalhos calhe
draticos no anno de 1834.
A pureza de seus costumes, e a severidade de
sua moral a par de urna nao affectada modestia,
era de todos coDhecida, e lodos Ihe reudiam e ren-
dem anda hoje preilos sinceros de estima ; tanlo
que, havendo por (orea de circumstaocias impe-
riosas abdicado em 1831, o immortal fundador do
imperio, a corda em seu filho o Sr. D. Pedro II,
hoje augusto imperante do Brasil, elle oo achou
outra pessoa em quera reunissein predicados lo
preciosos para confiar a educarlo scientifica e reli-
giosa de seu augusto filho (I), do que o Sr. padre-
mestre Fr. Pedro, pelo que fra elle nomeado pre-
ceptor de S. M. I. em sua menoridade.
Honrado com to alto embrego, dedicu-se o res-
peilavel carmelita pernambucano, com maior afilo
co ao mister delle, dando provas nao equivocas de
seu zelo, prudencia e desvelo, procurando satisfa-
zer com nteresse a subida confianza que nelle ha-
via depositado aquelle adorado monarcha.
Aos cuidados, pois, do Sr. padre-mestre Fr. Pe-
dro, estevo o joven imperante rerebendo aquella
educarao pora, sabendo elle incutir em seu coracao
a saa moral, aquelles senlimentos pios e orthodo-
xos, o lemor de Dos, que o principio de toda
sciencia; sentlmentos que, na verdade, iara acom-
panhado ao augusto Imperador, e dos quaes lera
elle dado as mais exhuberantes provas.
Declarada, no anno de 1840, a maioridade de S.
M. o Sr. D. Pedro II, e continuando o respectivo
preceptor a residir no pago imperial, foi Ihe coofe-
rido o titulo honorfico de esmoler-mor.
O digno preceptor do Sr. D. Pedro II, nao devia
de ler o simples habito de religioso sacerdote,
quando elle possuia qualidades preciosas para assu-
mr o episcopado. Pareca, que estas eram as vis-
tas e os desejos do augusto monarcha, tanto assim,
logo que se verificou a vaga do bispaHo do Rio de
Janeiro, pela morle de seu diocesano, foi o Sr. pa-
dre-mestre Fr. Pedro de Sania Mariana, nomeado
para succeder a mitra fluminense ; mas a vonlade
imperial enconlrou eulo obstculo na consciencia
nimiamente escrupulosa do distiucto mestre, por-
que nao se conhecia capaz de receber to elevado
ministerio, e nem desempenhar to alta misso.
Grande modestia na verdade I
Com instancia pedio dispensa de acceilar to bon*
rosa nomeaco.
Se porm o Sr. padre-mestre Fr. Pedro, pode
conseguir e achar acquiescencia dessa vez para a
sua modesiia, sua modestia nao enconlrou, nem ob-
teve igual iriumpho, quando a vontade imperial se
manifestara por urna maneira diversa, que o sor-
prender. Apresentam-se Ihe as bullas de conflr-
mago de bispo titular de Chrysopolis, as quaes sem
a sua intervenfo e sciencia, foram previamente
impetradas da sania s pelo governo imperial.
Na verdade, nao pode o modesto Sr. Fr. Pedro,
apresentar mais repulsa, quando via que o proprio
monarcha brasileiro, as augustas prlncezas insta-
vam para que elle accedesse a nomeaco; e ac-
crescentando o Sr. D Pedro II, que Ihe nao pri-
vasse do gosto de dizer, que o seu preceptor era
um bispo.
A vista do que o Sr. padre mestre Fr. Pedro, poz
termo aos seus escrpulos, captivou sua voutade, a
vontade de seu adorado Imperador, e as lagrimas
que em abundancia se deslisivara por sobre suas
faces, erara a expresso mais pura e significativa
da sensibihdade, qne seu espirito recebia, ja pela
prora inconcussa de araisade, que Ihe acabava de
dar o seo imperial discpulo, e ja pelos desejos que
nutria delle anferir urna dignidade, para a qual
se julgava incapaz.
Recebida portanto a bulla de conflrmacao de bis-
po tetular de Chrysopolis, expedida no pontificado
do SS. padre Gregorio XVI, e datadas de 6 de maio
de 1841, o Sr. padre mestre Fr. Pedro, foi receber
a sagraco na capella do pago imperialQuinta da
Boa-Vistaa qual teve lugar no dia 13 de junho
daquelle anoo, seodo ella ministrada pelo Exm. Sr.
bispo do Rio de Janeiro, conde e capello-mr, D-
Manoel do Monte Rodrigues de Araujo, e figuran-
do como assistenles o Exm. Sr. bispo de Pernam-
buco D. Joo da Furificago Marques Perdigo, e
o titular de Anemeina D. Fr. Antonio d'Anabida.
Este acto, com qoanto fosse particular sera ap-
parecerem as galas da osteotaco porque foi esta a
vonlade do venerando Antistele, todava, tornou-se
um desses actos esplendidos e apparalosos, porque
(1) Convm reparar agora urna inexactido, e
qoe o Sr. Fr. Pedro de Santa Mariana foi escolhido
no anno de 1833 preceptor de S. M. I., do governo
da regencia, sendo ministro do imperio o Exm. Sr.
Aureliano de Souza e Oliveira Coulinho, visconde
de Sepliba.
assisliram Sua Magestade o Imperador, as serenis-
slraas princezas, ministros de estado e alguns do
geralaente e por todos.reconhecido como um vulto
respeltavel do Brasil, orna gloria perduravel de
corpo diplomtico, camaristas e mais empreados Pernambuco, e que possue nm carcter irrcpre-i
do pago imperial ; marquez tutor de Sua Magesia- hensivel, urna moral pura, a par de grande sora-
de, o mordomo-rar, o da casa imperial; algnns ma de illustracao e saber,
senadores, deputados, vigario geral da diocese e on- ( (Continuar-se-ha.)
tros ecclesiasticos e pessoas gradas da corle. ,t
Teve o Exm. Sr. D. Fr. Pedro de Santa Marian- '"""" "
na, o grande lgico jubilo de assistir com vestes
epscopaes ao solenissimo acto da coroaco e sa- hM rvw/m va, ituu.
grago de Sua Magestade Imperial, no mesmo an- Transcrevemos o seguate para sciencia dos na-
no em que elle linha tocado ao fastigio do episco- veganles:
pado, sendo nessa occa commeuda da ordem de Christo. L"z do Ca0 Wicklow (costa E. da Irlanda.)
Como lente jubilado, que era da academia mili- Em 30 de junho de 1863 collocar-se-lia um na-
lar, recebeu o grao de doutor em malhemalicas, v'o pharol em frente do cabo de Wicklow, situado
graga especial concedida pelo governo aos lentes na >sla da Irlanda.
ciaes que s admirara as publicares feitas pelo
ministerio das obras publicas para a Franga, e pe-
lo depsito da marinha para o globo ioleiro, publi-
cagoes estas que se vendem por mdico prego.
Quanlo semelhanga das luzes de Sparlel e Ta-
rifa realmente um inconveniente ; mas, obser-
vando bem a carta, v-se qne qaasl impossivel
que o capito que navegar na entrada do estrello
nao Procuro ver a luz de eclipses de Trafalgar
collocada em 1862, a* qual alumia quasi toda a en-
trada O. da passagem.
A vista desla luz tirar qualquer duvida, e per-
mittir navegar no estreito com toda a seguranga.
elfectivos e jubilados.
S condecoragoes e de veres de amizade consa-
grada a pessoas que com elle instavam para ir re-
ceber a borla douloral, como premio de seus ser-
vigos relevantes prestados aquella academia, mo
veriam ao Exm. Sr. D. Fr. Pedro, a acceitar aquel'
O navio mostrar urna luz fixa vermelha, eleva-
da 11 m., 8 cima do nivel do mar, e visvel, em
tempo claro, distancia de 9 milhas. O navio
fundear em 22 metros d'agua, a 8 milhas a E. do
cabo Wicklow.
Extincqao da luz superior de Wicklow.
la graga ; acceilou-a com effeito, mas nunca della Na mesma poca se apagar a luz superior do
fez osteotage I j cbo Wicklow.
Procurar o hornera tornar-se eslimavel aos olhos Modificacocs das luzes do banco Kish.
de seus concidaditos, urna disposico louvavel,
til e virtuosa.
o seu maior clarao de minuto era minuto. Esta
O hornera nao adquire um legitimo direilo es- ,uz subslilur as ,res iuzes ,has que iUi se vlD
tima de seu semelhante so nao pelos sentimenios actualmente.
favoraveis que elle mostr, pelo bem que Ihe faz,
ou pelo bom desempenho das funcgdos de que se
No mesmo dia 30 de junho o navio pharol de
i Ksh mostrara urna luz brauca de rotago, dando
ba encarregado.
O Exm. Sr. D. Fr. Pedro de Sania Marianna no
centro do seu i eco I h i ment, no zenih de sua con-
templago tero sabido conquistar estima, acatamen-
to e venerago.
Modificaco da luz de Arklow.
Na mesma dala a luz do banco Arklow, que faz
na aclualidade uraa rotago de minuio a mir.uto,
ser substituida por urna outra luz de rotago de
meio em meio minuto.
Todas eslas mudangas se nao de effettliiar quan-
do se collocar luz no navio pharol do cabo Wi-
A modestia que doura as perfeigqes das pessoa?, cklow.
lera sido sempre o norte de sua vida e o desapego
das temporalidades do seculo, a bussola que ha di-
rigido os seus passos.
__ MARCHA E OCEAN ATLNTICO NORTE.
Estas qualidades raras, apar de nm profundo ; Balisagem das COta de F|.aitf8<
Os rumos sao verdadeiros: varago, 24 2o'
NO. em 1865.
saber lem devidamenle firmado a repnlago illiba-
Costas do norte.A bal isa do Corbeau na entra-
da do Exm. bispo de Chrvsopoles, esta repuUgao .____ .... ., ,
... t da do no Treguier foi novamente collocada no seu
que na ordem social e nm bem, e o movel mais'
poderoso das aeges humanas.
A fama de seu nome, de sua consumada illus-
tracao e de sua nao affectada modestia, ja havia
feito echo na (erra da Santa Cruz ; convhaha que
ella tocasse oulro bemispberio, e efectivamente
lomou ella sublimado vo, percorreu oulros espa-
gos, saudou novos horlsoDtes e chegou a eidade
eterna I
A curia romana apreciando convenientemente as
alias e nobres qualidades do Exm. Sr. D. Fr. Pe-
dro, quiz distinguir de urna maneir singular ao
esmoler-rar do Imperador do Brasil ; e ento con-
ferio-lhe o soberano pontfice Gregorio XVI, no
anno de 1843, os ttulos mui honorficos desea pre-
lado domestico, bispo assi.-tente ao soleo pontificio
e conde Palatino.
Foi o Exm. Sr. D. Fr. Pedro o priraeiro bispo
brasileiro que tem a gloria de receber da Santa S
pontificia, tanta consideragao e subido aprego, re-
cebando ttulos to honrosos os mais elevados na
curia romana.
Elle lem na verdade lornado-se merecedor de
tantas honras e de respetosos preilos, pelo porte
de sua vida, o pelas virtudes religiosas de que
doplado.
0 venerando bispo de Chrvsopoles com quanto
esteja longe de sua provincia e segregado do coi-
vento aonde professou e recebeu a primeira edu-
cacao religiosa e litteraria, todava nunca se olvr
dou de prestar aoclauslre a quepertencia seus ser-
vigos e servigos reaes e importantes. Aotes delle to-
car cpula do episcopado sempre foi o procura^
dor geral de sua ordem, na corte do Rio de Janei-
ro, promovendo-lhe os beneicios que permittiam as
circumstaocias do tempo, e procurando com maior
interesse tudo quanto Ihe era incumbido pelos seus
respectivos prelados, e hoje mesmo, sen corago se
expande de grande jubilo quando tem occasio de
trocar palavras com algum carmelita de Pernam-
buco que se dirige aquella corle, fazendo elle seu-
lir o amor que sempre e ainda consagra a ordern
que abragou, sendo que alguns desses religiosos
nao podem deixar de confessar os offleios de ami-
zade frateoal manifestada pelo Exm. Sr. O. Fr.
Pedro de Sania Marianna.
Existe na corle do Rb de Janeiro (2) estimado
tugar.
Loire Inferior.Urna boia batel de sino foi coi
locada sobre o escolho de Gove-Vas, situado Da
extremidade sul da plaoura de Four. E' pintad-.
de prelo.
Gironde.Collocou-se ama boia em forma de pi-
pa pintada de prelo para marcar a maslreago do
navio Concordia, que se perdeu a roeia millia pou-
co mais ou menos ao SSO. da boia de Coubre, na
embocadura do Gironde.
OCKANO ATLNTICO NOKTB.
lza de direcgao na entrada do r> Guadalete
(baha de Cadtz.)
A 15 de maio de 1866 collocaram-se duas luzes
de direcgao na nurgem esquerda do rio Guadal-
te, na baha de Cdiz, costa SO. de H^spanha.
As luzes sao fixas e verrnelhas, elevadas 7m. 44
cima do Bivel do mar, e em lempo claro- podero
ver se a 3 milhas de distancia n'um arco de 62
15' desde a pona da Cabezuela da Trocadew at a
parte mais saliente do castollo de Sania Camarina
do Puerto.
Os appareihus sao caloplricos. As luzes esto
collocadas sobre duas peqaenas columnas de ferro
de 4m, 89 de altura, e sus|ensas por dous cader-
oaes de quatro gomes pintados de cor de chumbo.
A casa dos goard is de ferro, pintada de pardo
claro, e est situada a 43 metros da ponte que
existe entre as duas luzes. Posigo 36* 34' t5" N.,
6 14' Greenwich.
MAR MEDITERBAJEO.
Luz previsoria no porto de Almena.
Em la de maio de 1865 collocou-se urna nova
luz para assignalar o porto de Almeria, situado na
cosa S. de Hespanha, provincia de Almeria.
A luz fixa e branca, elevada 8 metros cima
do nivel do mar, e em tempo claro poder avistar-
se a 9 milhas n'um arco de 128 comprehendido
entre a pona da Riheira e o eastello de S. Tlmo.
O apparelbo illuminalorlo dioptrico de 4* or-
dem (6'J.
A lorre de ferro, tem a forma octagonal, 5
metros de altura, est pintada de verde e situada
na extremidade do molhe cto porto. Posigo 36
50' 40" N, 2 33' 30" O. de Greenwich.
A casa dos guardas quaJraugular, de madei-
ra, c situada a 42,50 da esiremidade do moltie.
AUSTRALIA (COSTA SUL.)
Luz fluctuante provisoria na baha Wataro.
Em 1 de abril ultimo collocou-se um navio pha-
rol junto ao banco de rocha que est prximo da
extremidade S. do recife Tpara, situado na baha
de Wallaro, golpho Spencer, costa de S. da Aus-
tralia.
O navio de dous mastros, e raostra no mastro
grande urna luz fixa branca, elevada Tm, 32, visi-
vel ora lempo claro a 7 milhas em lodo o horizon-
te : uo mastro do traquete urna luz fixa vermelha
elevada 3ra, 6,. e visivel era tempo claro a 3 mi
Ihas entre o N. 4 35' E, e S. 4o 35' O. por O. O
navio pintado de vermelho e tem durante o dia
um balo encarnado no mastro grande.
Marcase d'alli a pona Elisabelh fitfS. 32 E.; a
pona Looga ao N. 60 E.
Attengo.Vindo do NNO., nao se deve cerrar
para a extremidade N. do recife emquaoto se avis-
tar a luz vermelha; assim se evitar seguramente
aquelle banco. Se o tempo estiver ennevoado, e
por isso nao se distinguir a luz vermelha, nave-
gar-se-ha at aos 12ra, 8 de fundo emquaoto fr
visvel a luz branca ao S. 18 35' E.
Os rumos sao verdadeiros. Varago : 4 35' E-
em 1865.
Aviso relativo luz do cabo Sparlel.
Houve tres naufragios no cabo Sparlel, depois
que se collocou a luz n'aquelle cabo em novembro
de 1861.
Os capites, ura francez e os outros inglezes, al-
legaran! ignorar a existencia de tal luz n'aquelle
cabo, que elles confundiro com a de Tarifa, a
qual tem os mesmos caracteres e alcance.
< Este; naufragios sao tanto mais lamentaveis,
quanto deve bastar este aviso, ao qual convm dar
a maior publicidade, para evitar a repetigo de se-
vam pela alma do finado, recusando o Imperador I melhanles acontecmentos. Talvez possam attri-
as almofaias que Ihe iroexeram para ajoelhar-M,11 b de negIlgencia dos navega.
Encerrado o caixao foram apreseniadas as cha- v e
ves ao Imperador, qae mandn entrega-las ao Rvd. dortS. em se na0 'mporiarem com as mudangas
prior do convento do Carmo. que se operara uccessivameote na illuminago das
Todos os cornos de lnha e da guarda nacional, cosas e assumptos correlativos,
sob o commaudo do brigadeiro Fonceca Costa, fi- A ^^^ da lul no cabo Spar|e, fo annnn.
zeram as honras do estylo. ._ ,. ,
Neiihum brasileiro gozou anda de tantas honras ciada Pel *owlor do 17 de margo de 1864, n um
de laotas homenageos prodigalisadas pelo impe- aviso do deposito de 15 de abril e n'um segundo
rante. aviso do deposito de 15 de outubro de 1864.
A ultima vez que o Sr. bispo de Chrysopolis ce- nh-ri,i ftst4 marrado enmn em rnnstrurrao
lebrou, no da 25 de dezembro de 1863, para mi- Ls,e pnaro'Lesl* marcaa> con> em conslrucgao
nistrar o sacrameDto da crisma no pago de S. no livro dos phares de deposito de janeiro de 1863
Chrislovo, s serensimas princezas imperiaes : e do de Janeiro de 1864. Se, como diz o relator o
viven no pago imperial, e durante 31 annos que que parlicpa estes sinistros, o pharol do cabo
tttSRStt'ZS&titt SP"el *> "*. fimenut corao era projecio
illustragio e emineoles virtudes que o distin- n om edi?*o de 1864 publicada pela industria
guiara. particular, isso uro erro mu grave e mui laraeo-
Para mostrar o qoanto elle devia ao Imperador, tavel.
morrendo pobre porque muilo despenden com a ,
indigencia, eoutras obras de caridade, deixou-lhe Pr esse mUvo se recommenda novamenle aos
a sua croz, annel episcopal e sua biblia. capites que desejarem tnformagSes exactas e offl-
(2) A-ravan 1 i-se os paJ-ri nenio-; do Exm. bis-
pos de Chrvsopoles, mostrara elle desejo, e pedir
o Sagrado Viatico que o recebera no dia 25 de- abril
de 1864.
Formaram prestito deste solemne acto religioso
S. S. M. M. Imperiaes seguidas de seus semanarios
e damas do lervieo.
A familia imperial prostrada durante aquelle ac-
to mosirava grande humildade repetindoas preces
com o sacerdote, e preslava assim um tributo de
araisade ao seu mestre.
O Imperador sustentava a toalha quando o vir-
tuoso bispo recebia o Sagrado Viatico, elle agrade-
ceu tanta caridade e Qzera esforgos para beijar a
mo de sea augusto hospede.
No dia 6 de uaio do mesmo anno, pelas 6 horas
da manha fallecer no pago da Boa-Visla. O ca-
dver depois de embalsamado por ordem do impe-
rador, fra depositado na igreja do convenio do
Carmo da corte, aonde continuou exposto at o dia
9 em qu-e se celebraram as solemnes exequias.
lio pago de S. Chrislovo sabio o prestito fne-
bre ; o cadver foi conduzido no coche em que
lera servido para os enterros dos principes; acom-
panhado de sua magestade; seus semanarios per-
sonagens e pesstas do pago e prenles do Ilustre
finado, e um esquadro decavallaria. Chegado ao
convento da Lapa S. M. o Imperador pegou era
urna das argolas do caixo como j havia feito ao
sahir do pago de S. Chrislovo (honra de que nao
ha exemplo no Brasil) e bem assim os mordomos
da casa imperial, marquez de Caxias, conde de
Iguassu, visconde de Sapucahy, geeeral Calmon Ca-
lmil e monsenbor Narciso.
Celebrndose no da 9 daquelle mez e anno, o
officio e encommendagoes do estylo, a que assisli-
ra sua mageslade, cooservou exposto o cadver do
veoeraudo bispo durante o dia, e que foi visitado
por um concurso immenso de povo fazendo-lhe as
ultimas despedidas.
A igreja convenientemente preparada irajava pe-
sado luto, e o cenaphio era de apurado gosto. Fin-
das as ceremonias religiosas as quaes fizera a ora-
cao fnebre o conego Jos Joaquim da Fonceca Li-
ma ; sua magestade anda quiz assistir o ultim-
tum.
Levantado o fretro da ega e deposto jooto ao
carneiro no centre da capella mor, sua magestade
e altezas proslradcs defronte desse carneiro ora
}
O padre V.... de Oiinda nos remelle o seguate :
ASlUl^O.
Que premios nao teriain os horneas, se elles
Irabalhassem para adquerir a gloria de Deus, as-
sim como trabalbam para adquerir as glorias do
mundo I
Sao eslas as que fazem todo o objecto das suas
aitengoes ; porque levados pelos estmulos da am-
bigo, asplram cora vehementes desejos ai honras
e dignidades mundanas, para podaran distinguir-
se e t.rnarem-se superiores a outros, que "por me-
reciraentes talvez que nao possam igua'ar.
Qii'rem saciaros seus apetites, e para est-; fim
abandonara as le da razo, e desejam que se
airopeltein as da justica, valeodo so de meios Il-
citos e sempre criminosos ; e por estes degros da
iniquidade querem subir as maiores alturas da so-
beraua, sera advertirem qne as mais altas emi
nencias estuo sempre sujeitas a maiores precipi-
cipios; o que l do cun-; das maiores honras po-
dero despenliar-se, a cahirem debaixo do maior
desprezo ; assim como awmleceu a Lucifer, que
por causa da sua ambigao passou de aojo de iuz a
ser principe das trevas.
Nao lia genero de tyraania- e erueldade, que ao
coman:Ha o ambicioso.
Elle s olba para aquelle termo, a que se diri-
gem os seus desejos; e nao repara em conduzir-
se por este ou por aquelle caminho, para chegar
ao desejado lim.
Est apio para praticar quaesque? injuslicas, as
raais enormes; e reputa por bagatoHa as infideli-
dades, as traijdes, as vilezas, ainda as mais infa-
mes.
Nenaum caso faz de transformar a verdade,
fazendo a mudar de figura pela falsidade dos tes-
temunhos: nem de dar libellos dilfimalorios, ain-
da que estes prejudquem a honra, o- crdito, a
vida e a fazenda do seu prximo.
As usuras, ou se>ira reaes ou paleadas, as simo
nas, e outras quaesquer negociace, aiuda
que dolosas, sacrilegas e impas, nunca o ambicio-
so as sujeita ao escrpulo, antes as repula por amas
Mlageos da sua industria.
E' um mal subtil, dU S. 1!-ruarlo, uro- veneno
secreto, urna peale oceulta, o artfice dos engaos,
a corrupcao da sanlidade, a mi da hypooresia; o
pai da invi-ja, a origera dos vicios, e eegueira
dos coracoes; pois, preoecupaodo-se o ambioso
desta .' :ri- paixo, a mesma o inclina para- prati-
car o iii" mao em lo.'n o genero de mal.
Tal o carcter de ora ambicioso.
Ello deixa-se possuir desta domioante -wixo
que sempre se oppoe aas desigoios da iocimpre-
hensivel providencia, e faz desordenar todo o bom
regolamanto, que leria o goverao do mundey se os
empregos se oonfiassem- a aquelles, que para o
mesmo governo foram destinados pela Divina Pro-
videncia..
Dos nunca dexa de crear homens capazes pa-
ra quakjuer ministerio;. mas como a eleigso dos
homens muitas vezes se nao ajusta com a eleigo
de Dos ; por isso se observa muitas vezes a vir-
tude abatida, e a ignorancia exaltada ; do que re-
sulta tanta confuso nos-erapregos, e tantas des-
orden-; no mundo.
As houras e as dignidades nao se devem procu-
rar pelos meios illicilos : devera-se esperar pela
mo de Dos, como adverte um sabio esoriplor
quaprepter veri honores- de manu Dei expeatandi
sunt, e s ento as podemos julgar viudas pela
mo de Dos, quando nao sao adquerdas pela am-
bigao iIds homens.
Esta a mxima raais segura e verdadeira :
mas nao a mais ke^uida ; porque a maior parte
dos pretendentes oa a-valia as dignidades e hon-
ras do inundo, comoempregos dispostos potos desi-
gnios da Providencia, para premio dos beoomerilos;
mas, como tractos da sua industria, ou como bens
da fortuua exposlosao lucro da sua diligencia : e
assim applicaui todos os meios, (ainda os mais cri-
minosos) para conseguirem aquelles empregos, a
que se inclinara, sem advertirem no penco, que as
honras valein a quera nao as chega a merecer.
A virtude, portanto,a sciencia, a capacidade, o va-
lor, e iiaalmeote a rectidio dos costumes, sao as
bazes fundameniaes, em que se fundara os mere-
cimeulos : e esies sao os degraos mais seguros
por onde qualquer deve subir ao mais alto cume
das honras ; mas uo sao estes os degraos por ou-
de os ambiciosos querem elevar-se eminencia
das dignidades : ellescaminharo pelos atalhos tor-
tuosos dos seus enredos, e nao chegam a dar pas-
so algum pelas estradas direitas da virtude : ecomo
Ihes faltam estes degros do inerecimento, preten-
dem subir de momento a aquelle alvo, a que alira
a sua ambigao; e fazem as maiores di igencias pa-
ra se firmarera sobre as azas dos erapenhos daquel-
les, que engaados pelas suas maliciosas indus-
trias, empenham todo o seu valimento para del tes
alcangar aquella honra, aquelle emprego ou aquel-
la dignidade, qne elles nao deveriara alcangar,
se se attendesse a rectido da justiga, qae manda
altender .103 merecimentos proprios, e nao aos
respeitos aiheios. Assim, pois, devera os ambiciosos
das honras e dignidades do mundo fazer as mais
senas refl^xues sobre as penosas obrigages e In
dispensaveis cuidados, que andam anecias a estes
empregos.
O bom pastor, diz Jess Christo (1), o que d
a sua vida pelas sua< oveloas ; donde se conclue
que deve vigiar de dia e de noule sobre o seu re-
banho todo aquelle, que pela dignidade de prelado
deve cumpr.r com as obrigagSes de paslor.
Deve ser elle, bem como outro Jacob, que viga-
va de dia e de noute as ovelhas de seu lio Labo,
e nao se poopava ao fri nem a calma, corao nos
declara a Escriplora Sagrada (2) : pelo que diz
S. Gregorio Magno (3); que se assim trabalha, e
viga, o que guarda as ovelhas de Labo, com
muilo maior cuidado deve vigiar, e Irabalhar, o
que tem a seu cargo as ovelhas do Seohor.
Esta reflexo devem fazer todos, os que pela
obrigago do seu ministerio, hio de dar contas a
Dos do rebanho, que Ihe conflou ; e esla mesma
reflexo devem fazer todo3 os que aspirara aos
mandos, goveraos, e mais dignidades do mando,
qae trazem comsigo aquellas obrigagSes, de que
ho de dar coma, quando o Senhor Ih'a pedir.
l'm jornal esirangeiro ella, a proposito da oab-
su do enviado italiano em Roma, Vegeni, o se-
Kuinte facto att-iboido ao papa Beato XIV qne ret-
dou desde 1724 at 1730.
No lempo em que amia havia diplomlas, Purtav
gal linha por embaixador em Roma nm frade t es-
se frade3foi ler nm o payo, ajoelhoa pnate elle e
Ihe disse :
Santissimo padre, eslou encarregado pelo l
governo de fazer a vossa sacdale om pedido
portaotissimo.
Que vem a ser esse pedido T
Santissimo padre, ni < sei d-va......rece
o,ue......nao me atrevo a......
Fallai, eu vk-Io ordeno.
Pois bem I O mea goveroo pede a vo*a saa-
tidade a santa escada por onde subi e deseen X
Senhor.
A estas palavras, o grande pontfice BeaoaVto
XIV levantou se de um palo da cadeira e emo pe>
deu um forte encooiro no frade ajo?loado, o ni
coulenlou-se cmn dizer, sem se K-vauar :
Santissimo padre, direi ao a.-u goverao aao
em re-;o.-ta ao meu pedido, vossa aMi nou se apenas dar-me um ponta-p.
Esla resposta foi bastante para serenar o papa
que exclaraon :
Deveis perdoar-me este m< i meato, rara eha-
mare artas himinis, e romprehenJer qne f -i a
enormidade do viwso pedido que o pruroroo. fe-
dir-me m escada sagrada! Se vos livesse con-
tentado com ura degrao, d.io dira qoe ae'.
Ah I santo padre, replicn o embaisador sa-
lisfeiio, ped a escada para alcangar ara egro
della, e vo-lo agradego. O raen gjverao dar e
maior apreco a esle inequvoco lestemunbo da vov>
sa generosa benevolencia.
Ten aparenta e seis anoo* S. M. AlexanJre II
a sua estatura ainda maior db qoe a de sea pai
o imperador Nicolao.
Tem os olhos azues, o rosto redonJ>> e corada
a sua phys'ioooniia respira boodfte.
A imperairiz tem quarenla e doo, aito pal-
uda ; ha na ssua physionomia ordtoariarae*te aara
expresso de solli uiieuio, us os s-u. olho lera
o>m bulbo que revela urna grande ikaex de ta-
rarte r.
Nasceu prolesHant-, mas abracoa religio xre-
ga, qual se Beata muilo dedicad era ledas as
circumstaocias.
S. M. a imperaOriz da Kussia lera expemeaiado
allivios nos seus padecimentos, depois-qoe cttegio
Nica.
E' naito querida e festejada por leda cena?,
especialmente pelos pobres, para os qnaes osa da
inaior caridade.
Anda- couserva o ltalo que lomou para viajar,
de condsssa de Barodinski.
(I) S. Joao cap. 10.
fi) Gen. cap. 31.
(i) Lib. espist. epist c. IV
lina pobre vellia de Langesse, Franra.
em torturas com a apprximacao do S- Xarilaao.
sem ler meios- de pagar a renda da casa qne baa*-
tava.
Orno era- bemquista entre os visiaho, M par
casa delles e a-cada om pedio algaraa crasa para.
construir urna barraca, onde se abripasw.
Todos c>::c rreram com o qoe poderaai dar.
E-te deu inadeira ; aquelle a cal e a aar ; aaa
deu os meio de transporte par? os materaes-, oav
tro pftrtHMI a ir irabalhar, e i junta im paraatn
de l cedeu uin bocado de terreno qae Uto aao aar
via para coosaalgurna.
Em uraa semana foi improvisada a barraca, a
qual est feila rom bstanles rommodo,. e a veana-
contenta como-um ralo dentro de ara qceijo.
Quando o propnetario leociooava expr a potre
mulher aos rigores da esugo, a candada dea-Mte
um abrigo muilo melhor di qoe aquelle qoe ate ala-
havia lido a' cusa de sacrificios.
Santa virtude t
e-a
No relatorio apreseotado ao impera Jor pelo ai-
nistro da jn.-tiga .quando trata das ooenraagiVsa
pena ultima,, ha um paragrapho qne faz lerattrar
um aconiecimenlo que passou deapprretMd>.
Sobre 20 coodeinnados a' mone, dw o retaiorj
do Sr. Barocbe, e 11 aaraa exei-uladbs g Urna
perdoados e o vigsimo evadise.
Este homein que, por meio da evrso. eon^egaio-
escapar aocadafalso. cham i-s l..-rmol; ats-
apparectu uiai nmle e nanea foi cacoatrada
E' lalves a primeira vez, de aste
secuto, que ura condemoado a' nvxte foge daaois
da senlenca, e certameole a primeira vez qo aaer-
ca de ssaielluoie drama se guarda lo graode atys-
lerio.
Fallotr-se no dia seguale a' ovasao era rtfcreeer
um pntmio a qnem o prendes-^.
Na knpreosa levantaram-se vozes r|-qnoaini pe-
dmdo-aquello, que podiam ecirrfar aeakecada
condemoado ao carrasco, qoe tal nao izessea ; a
nieguera o fez I
Todava deve haver sem davida alpnera, parta"
tes ou amigos, amante ou irma. qae *abe nade M
esconde esle evadido sobre o qual pende alado o
culello da guilhotioa.
Ai que nunca ningacm o diga '.
Sej irnos todos pelo humano MR oraua a les
cruel.
Abrio-se ltimamente em aples om aovo *as-
pagoso hospital coalendo 300 camas, ao local.
e Maria.
Este hospital foi fundado, ba doas
Vctor Emmanael qae fez por essa oreasuto, v.
lioso donativo de sessonla contos de ris para
objeclo.
A Prussia cuja extengao territorial aio ntt
.>:00 milhas quadradas, com orna popularlo de II
milhoes de habitantes, sustenta era lempo de paz,
um exercito de 200:000 borneas, a gasta para as
sustentar 40 milhoes de tballers.
A Austria, com um territorio de 12:000 mimas
quadradas, e ama popalacao de 37 milhoes, lea sa
oxercilo de 300 mil horneas, e gasta 122 .
de florios.
A Franga com um territorio de 10000
quadradas, e ama popalacao de 38 milhoes,
ta um exercito de 400 mil homens qoe Iba eusfit
370 milhoes de francos.
A Gr-Bretaoba, com um territorio da 3,000 at-
ibas quadradas, e com ama populagao de 30 ai -
Ihoes, sustenta um exercito de 139:000, qoe
cusa lo milhoes de libras esterlinas,
com o exercilo da India.
A Russia proporconalmenle lea meaos tropas
que todos os paites citados, e todava a
sao territorial tamaita como a do
jautos.
PERNAMBUCO.-TYP. DE M. F. DE F. &


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EQJBLWZVX_GFJTU2 INGEST_TIME 2013-08-27T21:19:12Z PACKAGE AA00011611_10721
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES