Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:10719


This item is only available as the following downloads:


Full Text
AUNO ILl. gMjftj 162
Par qaartel pago dentro de 10 das do i.mez i .
dem depoisdosi.'lUdiasdo comecoedeutrodo|tartel. .
Porte ao corre'" por tres mezes............:
||^kgfe.^i
,jjg-&
5$000
6|000
7^0
Por auna pago dentro de 10 das do 1. mez
Porte ao eorreio pr un auno ........
TEBG& FEIRA 18 D JLH0 DE 1865.
?
. 49|000
. aiuou
ENCARREGADOS DA SUBSCRIPQO DO NORTE
Parahyba, o *r. Antonio Aiex?odrin<> de Lima;
Natal, ii Sr. Antonio Maraes da Silva ; Aracaiy, o
Sr. A. de Lemos Braga; Cear, o Sr. J. Jos de
Olivrtira ; Mannhn, o Sr. Joaqun) Marques Ro-
drigues ; Para, os Srs. Geraldo Antonio Alves A
Pilhos; Amazonas, o Sr. Jeronymo da Costa.
ENCARREGADOS DA 5IJBSCRIPCAO DO SUL.
Alagoas, o Sr. Claodno Falco Uias; Bahia, o
Sr. Jos. Martina Alves; Rio de Janeiro, e Sr. Jos
Ribeiro Gasparioho.
PARTIDA DOS ESTAFETAS.
Olinda, Cabo, Eseada e estaedes da va frrea at
Agoa Preta, todos os das.
Iguarass e Goyanna as segundas e sextas feiras.
Santo Anto, Grvala, Bezsrros, Bonito, Caruar,
Altiuho, Garanhuns, liuiqoe, S. Bento, Bom
Consellio. Aguas Bella e Tacarat, naslergas
feiras.
Pod'Alho, Nazareth, Limoeiro, Brejo, Pesqneira
Ingazeira, Flores, Villa Bella, Cabrob, Boa Vis-
ta, Ouricury, Salgueho e Ex, nas quartas
feiras.
Serinhem, Rio Formoso,Tamandar, Una, Bar-
reiros, Agua Preta e Pimenteiras, nas quintas
feiras.
AUDIENCIAS DOS TRHtt'NAES DA CAPITAL.
Tribunal do commercio : segundas e quiutas.
Relago: tergas e sbados s 10 ho'ras.
Fazenda ; quintas s 10 horas.
Julzo do commercio: segundas as 11 horas.
Dito de orphos : tercas e sextas s 10 horas.
Priaeira vara do civel: tercas e semas ao meio
da.
Segund-a vara do clvel: quartas e-sabbades a 1
hora da tarde.
EPHEMER1DES DO MEZ UE. JULHO.
S La ebeia as 6 h., 7 m. e 22 s. da t
13 Quarto- ming. as 2 h., 6 m. e-46- s. da t.
22 La nova as 4 h., 9 m. e 40-s. da t.
30 Quarto cresc. as 4 li., 49 m. e 16 s. da t.
DAS DA SEMANA.
17. Seganda. S. Mariana v.; S. Aleixo.
18. Terca. S. Rufino b.; S. Frederico b.
19. Qiiirta. Ss. urea e Justa vv.; S. Macr.ina v.
20. Quinta. S Jeronymo Emiliano; S. Elias, prof.
21. Sexta. S. Henrique imperador.; S. Prxedes v.
22. Sabbado. S. Mara Magdalena; S. Menelio ab
23. Domingo. S. Apolinario b. m.; S. Libara b.
PRRAMAR DE HOJE.
Prirseira as 0 horas e 30 m. da tarde.
Segunda as 0 horas e 54 minutos da maohaa.
PARTIDA DOS VAPORES CCeTEIROS.
Para o sul at Alagnas a 14 e 30; para o
ata a Granja a 7 e 22 de cada mez-, para Fe
do nos das 14 dos mezes de Janeiro, marco,
jolho, setembro e novembro.
ASSIGNA-SE
no Recite, na livraria da praga d? Independencia
ns. 6 e 8, dos propietarios Manoel Figueiroa d*
Paria & Filho.
PRTii tffilML
fiO'i'BSNO ttt rROIWCl
! \ i.'.heme do dia 11 e j iliiu de IMS.
Dito ao conselho de compras do arsenal de guer- I
ra.Autoriso o conselho de compras do arsenal de ]
guerra, a comprar para fornecimenlo dos respecli-
vos almoxarifados os objectos mencionados no in- !
cluso pedido. Communicou-se a ihesouraria de
fazenda.
Dito ao chefe da reparligo das obras publicas.
Pode Vmc, conforme indica em seu oflkio de
Ufflcio ao coiouel cum'name ***" J* hontem, n. 2I3, incumbir o arrendamenlo dos
-Q.ie.ra \. b. i ufo. mar fabre oque pede*>* r )S da eslrada'da velorta, entre os marcos de
ao requerimento o sargenlo -lo ******* 8 l ,| braca, de reparar nos termos do arl.
kiutarius da patria Manoel >eves de Albuquer
que.
Dito ao Dr. clieft- de policia. Envi V. S. os
exemplaies inipressos da proclamado e portaras
solicitadas etn seu oflicio, n. 959 de 10 do cor-
reme. .
Dito ao mesmo. Devolvo V. S. os offleio?, ou
MMos de corpo de delicio, e interrogatorios fetos
pelo subdelegado da Varaba aGBer*a.Eufr'* d* | para lvrar o termo d
e Mauoel oa Cruz Coeiho, pelos ferimen- i omnB,,
5 das clausulas especia* s do seu contracto n. 202,
brabas que se arham arruinadas naquella estrada,
segundo consta doofflcio do conductor Julio Oompen
ilc Barros Luna, que por copia veio annexo ao seo
citado oflicio, que fica assim respondidoCommu-
nicou-se ao inspector da ihesouiaria provincial.
Dito ao mesmo.Concedo a autorisago que
Vmc pedio em sen offleio de honlem, sob n. 212,
; reparos do empedrameuto da estrada da Victoria
ament ie SS^I^LSLZ entre os marcos de 8 a 12 rail bracas, os quaes
esrao S^EEZE segundo consia do citado officio, ja se acharo con-
v.ndoa^xrlir-lheque seo dem- idosd(; eoofformjdaide com '0'respectivo orea
Couceleao e
tos que reciptocaiuenie >e
commeiide ao me
forma da lei, deVe,,u"-u"c'""" J"V~ ;;-;-0jcluidos de conformiJade com o respectivo orga
quemes loram presos em flagrante *****^* menU)> cerl0 de que nesla dala, recommendo, cer-
de-reiende da parle *
do
ell
cri
vrar sollos.
Dito ao inspector da thesouraria de fazenda. -
Transmiti a V. s. os jpclusps documentos, que
vieran) annexos ao oflicio que me dirigi o com-
mandante superior deste municipio em 8 do cr-
reme, sob. 177, alim de que, nao havendo incon-
veniente, mande pagar, nao so os vencimenlos re-
iativos ao mez dejuuDo prximo passado, dos offl-
ciaes, tambores, cmelas e clarius, empreados uos
eorpoS da guarda nacional desla capital, mas tam-
Communicou-se thesouraria provincial.
Dii.j ao juiz de direito do Bouilo.Para cumpri
menlo do aviso do ministerio da juslica de 3 de ju-
nho prximo findo, reci-nimendo a Vine, que re-
inella-me copia das senlencas que forem proferi-
das contra o juiz municipal do termo de Caruar,
bacbarel Miguel Bernardo Vieira de Amorim.
Dito ao delegado do tormo de Pao d'Alho.In-
forme Vmc. sobre a materia do incluso offleio, e
niais papis a elle juntos e por copia, que com a
da
de
rior do Recife.
Dito ao mesmo. Respondendo ao Offleio que V.
S. me uingio em 8 do correle, sob n. 459, leuho a
dizer que o auioriso a mandar pagar sob inhiba
re.-ponsabilidade, visto nao baver crdito para esse
tm, iodos os veucimenios do continente da guar-
da
8
de
didas ao 1" b.a.iilia < de mfantaria aquarle
ta capital para o servieo da guarnlgo.
Diio ao inspector da iliesouraria provincial.
Resultando da interpretaeo lillerai dosarts. o, 6 e
7 da le provincial u. 611, o absurdo de careiu os
juenores do corpo de policia Jesde que embarca-
ren), com vencimentos menores do que os sidos,
nao podeudo ser essa a mente do legi.-j.idur, e de-
vendo-s.i antes suppOf que a diSpusl^Su do art.
tein por lim garantir-lhes vantaROS superiores,
como de ra/.ao, aquellas que lem as mais pravas de
pret, e compelindo a estas, pelo arl. 7, uina grati-
lieaeao diaria, paga pelos cofres provinciaes, que
elevou seus vencimetos a li00, declaro V. S.,
em additamento ao meu
preso em flagrante de delicio ou em
virtude de pronuncia ou indiciameuto em crime
inaliancavel.
Diio so subdelegado do primeirodislriclo da fre-
guezia dos Afogados.-Remello inclusa por copia
a informarlo ministrada pelo parodio ilessa fre-
explique a divergencia em que se aelta o attestado
dessa subdelegada de 16 de junho ultimo, com
aquella informacao, devendo Vmc. dar a razao por
que omittio-se no mesmo alicatado circunstancias
que a seren exaclas, como a de viver a suppli-
canle com seu marido, de ler mais dous hlhos e
um asfabelecimenlo, distroem a aliegaclo de ser o
filho designado o seu arrimo.Iguil ao juiz de
pa7 dos Afogados,
Portara.O presidente da provincia, tendo em ,
vista o que requeren o segundo conferenle da al-1
fandega desla capital Benjamn), Antonio da Rocha
Faria, e bem assim o que a esse respeil informa |
queaos mencionados inferiores, desde que embar- >"'; "". ^ TrSE veuL,u,B.u'
carem, .-e deve pa^ar por ess thesouraria urna nada le. para ir cuite e a provincia
gratifica, o igual a que (or paga aos soldados a Camarina traiar de seos negon-particti
e 7 do correte ram as reparticoes competentes, resol ve conceder-
, ...... uh.^ Jlie tres roces de lieen^a com vencimeulos na fr-
provinria de Santa
ados a -"- "--'' particulares,
qual adoiciouada aos que receberem, como inferi- fcipedieule do secretario .ru joveroo.
re- pelos cofres gfracs, lomaia seus veoeimentoa I Offleio ao commandante supuiiur da guarda na-
superiores aos que terao os simples soldados. cional de Olinda. Deordem do S. Exc. o Sr. pre-
Uilu ao iu< sino. Autjriso V. S. de conlorrai-1 sidente da proviucia, communico a V. S. para seu |
dade com a idformacau doldireetor geral interino eonbecimento,e para fazer constar ao agraciado
da instruccao publica, de 7 do crreme, sol n. 206, qne por decreto de 14 de junho prximo lindo, S.
a mandar pagar a i prefessor da l- cadena de ins- M. o Imperador houve por bem noinear o lente
trueca o elementar da frrgasia de S. Jos d^sta ci- i Jos G?raldo de Lima, para capilo secretario ge-
dade, Beojauuui Constan! dj Cnuln Salles, a quan-: ral dessa commando superior, deixaodo de ser ap-,
ta que se lite estivef a devr, correspondente ao provada a proposta na parle relativa ao cirumiao-
eipedientede soa aola, acornar dodia em que en- mor por nao residir nesse dislrielo, como exige o
trou em exerciciu, e na razio de l$30 meusaes, art. 53 da lei de 19 de setembro de 1^50, o Dr.
por estar ella contemplada entre as de segunda Alexandre de Souza Pereira do Carmo.
Classe. i "i'0 a0 commandaue superior da guarda na-
Du a i mesmo. Man I V. 5. por em hasta pu- cional de Goianoa.jDe ordem de, S. Exe. o Sr.
bliea i obra dos reparos e 2 095 bracas corrutes, presidente da provincia commumeo a V-. S. para ;
na estra la do sul, servindo base a essa arrema- seu eonbecimento, e alim de que faca constar ao
laca > o ornamento 6 clausulas consiaotes das in- agraciado, que por decreto de 7 de junho prximo
clsa- copias, e que pira esse lim me remetteu o lindo, S. M.#o Imperador houve por bem nomear o.
Chefe da reparlico das obrai publicas eoin offleio lente Amonio Francisco Pereira Jnior, majar|
de 8 Jo correte, sob u W8.- Coinmuuieou-se ao commandante doesquadro de cavallaria n. 3 da
abefe d,. repai tiraodas obras publicas. guarda nacional desse municipio.
DiU ao commandaote superior da guarda naci- Dito ao uiz de direilo do Rio Formozo.De or-
nal d i Recite.
que uin dos corp.
commando superior, v) assfetir aos actos da fe.-ta em 22 de juoho prximo lindo, o exercicio de seu
iiioame superior ua guarna naci- i"1' "o "' """ < rvmrav.^oui-
Kxpeca V. S. as suas ordens para dem de S. Exc. oSr. presidente da provineia, ac-
pos- d guarda nacional, sob seu cuso a recepcao do olllcio em que V. S. reassumio
de Nossa Senbora .o Carmo no respectivo conven-
to desta cidada n) da 16 do brrenle.
Dito ao mesmo. Em visb lo paracer da junta
de sade, que inspeoionou e julgou incapazes do
servieo os guardas Jo l>bataihao deartilhara Mar-
tiniano Clements de Saina Rosa, e do 3" de infan-
taria Manoel II)giuo de Camino, ambos do mtioi
cargo, o qual havia deixado por doeule ein 11 do
mesmo mez.
- 12
Offleio ao coronel commandante das armas.
Mande V. S. dar baixa ao soldado do 2o corpo de
vduutarios Manoel Agapito Corro da Silva, visto
que, segundo o seu offleio de 7 do correte, foi
cipiodo Recife, resolv nesta data dispensa-Ios do julgado incapaz do servieo em inspeccao de sade.
servieo de destacamento, para que eslejam desig- Dito ao mesmo. -Qtieira V. s. mandar inspec-
nados. cionar o recruta loao Rodrigues Bezerra, logo que I
O que declaro V. S. para sen conlucimento e seja posto asua disposico.
expedicao das convenientes ordens. Dito ao Dr. chefe de polica.Nao podendo o
Dito ao commandante superior da guarda naci- corpo de polica, por estar muito reduzido, e pro-
nal d; Barreiros Agua Pre. Deferindo o re- xima a embarcar uina ala para a corte, continuar
qnerimento do guarda do batalbo n. 43 de infan- em fazer o servieo das rondas da cidade, convtn ,
taria do municipio uo Barraros Flix Jos Alvos que V. S. para ello aproveite o offerecimento pa
dos Sanios, a que alinde a sua informacao de 6 do trotieo doscidadaos, signatarios da representagao
correte, resolv conceder-lhe dispensa do servieo que Ihe remetli em 4 de margo ultimo, procurando
de destacamento para que eslava designado, at de combinagao com elles organisr um corpo de
que seja preciso recorrer a cla=se a que elle per- guarda cvica e distribuir as rondas da maneira
lenco. mais commoda aos mesmos cidados, e proveilosa
O que communico V. Exc. para seu onheci a seguranza publica dispensando-se assim o aug-
mento e expedicao das convenientes ordens. ment dos sacrificios da guarda nacional,
Dito ao commandante do crpo de polica. Em Dito ao mesmo.Em vi-ta das ponderagoes fei-
soluco ao seu offleio n. 349, de 10 do correte te-
nbo a declarar-lhe que o indulto de 21 de maio ul-
timo extensivo s praeas dos ebrpos de polica, pelo
tas pelo desembarjiador provedor da Santa Casa de
Misericordia no oflicio incluso por copia de 10 do
crreme, sob n. 267, expega V. S. as suas ordens.
decreto de 6 de juulio prximo lido, para as alim de que o subdelegado supplente em exercicio
praeas que se apres nlarem e mi para os que fo- nesta freguezia, nao remeta aquella provedoria,
rem capturados, sendo que nao pode aproveilar ao alim de ser recolhido ao hospital Pedro II, enfermo
desertor Joaquim Jos dos IVateres, que veio pre- alguin sem que seja requesitado por lotermedio de
se do termo de Limoeiro, e segundo V. S. declara V. S. a respectiva admissao. -Communicoase ao
em dito oflicio. desembargador provedor da Santa Casa de Mise-
Dilo ao mesmo. Em deferm-nlo do reqoeri- ricordia.
ment do cabo d esqoadra do corpo sob seu com- Dito vo inspector da thesouraria de fazenda.
mando Manoel Maria Pitombura, autoriso V S. a Constando de officio do coronel" commandante das
dar-loo baixa do servigo, aceitando em seu lugar o ajinas datado de hontem, e sob n. 1,198, que por
paisano Joaquim los de Santa Anna, que foi con- falla de crdito d-ixou essa thesouraria de pagar a
siderado apto para o substituir, segundo V. S. de- quanlia de 66JMS66 rs., correspondente a ultima
ciaron em sua Informacs desia dala. presiago do premio qne elle tem direilo o msico
Dito lo mesmo. Mam'.e V. S. alistar no corpo do 4o batalhao de artilharia a p, Maneel Escoci do
sob s;u commando, se fr julgado apto para isso Nascimenlo, que ja linalisou o seu lempo de servi-
em irisecc;io de sade, o paisano Antonio Pereira go, recommendo a V. S. que mande pagar essa
da Silva, qVfe se destina a marchar voluntario para quantia sob minha responsablidade nos termos do
o sul, segundo declarou-me o juiz de paz do Io dis- decrelo n. 28S4 do Io de feverelro de 1862.Fize-
irielo da Boa-Vi.-ta. ram se as necessarias communicacoes.
Dito ao me,smo.Mande V S. apresentar aosub- Dito ao mesmo.Annuindo ao qu delegado do districto da Caininga. n soldado do offleio n. 1197. o coronel commaodanie das armas,
corpo sob sen commando Manoel Rodrigues Chri- e tendo em vista o qne V. S. informou a esse res-
sostrrao, aflm de servir de ordenanca ao mesmo peilo em oflicio de 10 do crreme, sob n. 465, re-
subcelegado. Communicou-se ao Dr. chefe de solvi autorsar essa repartigao a pagar sob minha
polica. responsablidade a quantia de 735500 rs., que co-
Dito jo mesmo.Tendo sido julgados aptos para mo saldo de contas se est a de ver ao agente do
o servii) do corpo sob seu commando os paisanos conselho econmico ao 4o batalhao de artilharia
apresen tados com o seu oflicio o. 537, desta data, a pe, 2 lente Felippe Marques dos Sanios que
Flix Quiriuo da Cmceigo. e Aotonio Pereira da tem de seguir para a corte. O que declaro a V. S.
Silva, autoriso V. S. aos mandar engajar. para seu conheclmento e lim conveniente.Cora-
Diio jo director das obras militares.- Declaro municou-se ao commandante das armas.
V. S. qje forara entregues ao Exra. Sr presidente
da provincia os relatorios a quealludem os seus of-
tlcios da 3 e 10 do crreme.
Dito ao mesmo. -Devolvo a V. S. o requerimento
documentado, que veio annexo ao seu offleio de
honlem, sOb n. 468, aflm de que nao obstante o
que pondera a conladoria dessa thesouraria, no pa-
recer que por copia acompanhou o seu citado offl-
eio, mande pagar a Francisco Jos da Fonsca,sob
minha responsablidade, visto uo haver crdito
para isso, a quantia de 25000 que se Ihe est a
dever de aluguel de carrogas para a condued da
bagasen) do Io corpo de voluntarios desla provin-
cia, do quartel do Hospicio para o arsenal de ma-
rmita.
Dito ao mesmo. Devolvo a Y. S. o requerimen-
to sobre que versa a sua informago de hontem, n.
467, a fin de que mande pagar sob minbaraspon-
sabilidade, visto nao haver crdito para esse paga-
mento a quantia do 56J000 que se est adover ao
2o cirurgio do corpo de saude doexercitoDr. Joo
Honorio Bezerra de Menezes, proveniente de vanla-
gens correspondentns ao mez de junho ultimo, co-
mo se v do parecer da conladoria dessa ihosou-
raria.
Dito a thesouraria provincial.De conformidade
com os meus officios, datados de 8, tO e 11 do cor-
rente, mande V. S. abonar a cada una das praeas
do corpo de policia mencionadas na inclusa relago
e que lera de seguir para o sul brevemente a im-
portancia da gratificacao de que trata o art. 7 da
le provincial n. 611 de 2 de maio ultimo.
Dito a mesma.Respondendo aos offlcios que V.
S. me dirigi em 14 e 19 de junho ultimo, sob ns.
235 e 241, tenho a dizer que mande por novamentc
em praga o fornecimento de medicamentos para a
enfermara da casa de detengao no exercicio cor-;
rentp, servindo de baso a essa arrematago o offe-
recimento felto pelo pharmaceulico Jos da Cruz
Sanios de -20 "l de abale sobre o preg do respec-
tivo formulario.
Dito a mesma Reliiuindo a V. S. a conla, que
na importancia de91J>600 veio annexa ao seu offl-
eio de 10 do correte, sob n. 258 e relativa a des-
peza feita durante os rnezes de outubro a dezembro
do anno prximo passado com o sustento dos pre-|
sos pobres da cadeia da villa do Bonito, tenbo a di-
zer en) resposta, que de conformidade com o pare-
cer da conladoria dessa thesouraria, a que se refe-
re o seu citado offleio, mande pagar a Aleixo Jos
da Silva Jnior, semiente a quanlia de 515800 por
se ler de glosar a de 395800 correspondente aos
presos Manoel Bezerra da Silva, Manoel Fej de
Mello, e Manoel Joaquim Floresta, que nao se
acham contemplados na respectiva relagto nominal.
Neste sentido offlciou se ao Dr. chefe de po-
licia.
Dito ao commandanle superior do Recife. -De
conformidade com oque solieltou o Dr.chefe de!
polica em oflicio n. 942 de 7 do corrente expega |
V. S. suas ordens para que da guarda nacional!
aquartellada nesle municipio destaquem 6 praeas j
e um cabo na freguezia do Po;o da Panella a requi-!
sigo do respectivo subdelegado.Communicou-se j
ao Dr. chefe de policia.
Dito ao commandante superior do Rio Formoso.
Para cumprimento do aviso do ministerio da jus-
tiga de 20 de junho prximo lindo, informe V. S.
sobre o incluso requerimento documentado em que
0 lente-coronel reformado da guada nacional
Thomaz Cavalcanle da Silveira Lina, ped ao go-
verno imperial a conlirmagao da dita reforma de-
clarndole ao supplicante foi feita a comniunica-
go de que trata o art. 85 do decreto de 2o de ou-
tubro de 1850.
Dito ao commandante superior do Ronito e Ci-
ruar Em vista do parecer di junta de saude
que inspeccionou e julgou incapaz do servieo o
guarda do batalhao n. 27 de infamara do munici-
pio de Caraar Florentino Lima de Carralho resol-
v dispnsalo do destacamento para que eslava de-
signado ; o que declaro a V. S. para execugao das
convenientes ordens.
Dito ao commandante do corpo de policia.Man-
de V. S. alistir no corpo sob seu commando o pai-
sano Manoel Fernaodes da Silva visto que foi elle
considerado apio para Isso em inspeegao d .-ande,
segundo V. S. declara em sua informago n. 561
desla dala.
Dito ao mesmo. Uii V. S. baixa ao soldado do
corpo sob seu commaad Francisco Paulino Lopes
de Alm -i Ja sobre que versa a sua iuormago n.
562 desta data.
Dito ao mesmo.A vista da sua nformagao n.
544 de 10 d> correte autoriso V. S. a dar baixa
ao soldado do corpo sob seu commando Jos Igna-
cio de Pigueiredo que serve de arrimo a sja fa-
milia.
Dito ao mesmo. Deferindo o re.iuerimente do
cabo de esquadra Antonio Ferreira Lobo e dos sol-
dados Joao Titomaz Vianna do Nasciment. Marce-
lino Paos Brrelo e Aniouio Hygmo de Carvalho
Couto, tolos do corpo sob seu eemmando, e sobre
que versara as suas informtcoes desla dala, sob ns.
565,568, 569 e 570, autoriso V. S. a dar-Ibes baixa
de servigo como soiicilaram.
Dilo ao mesmo.Mande V. S. tirar da thesoura-
ria provincial de conformidade com o meu oflicio
de 8 do corrente, a importancia de 2 mezes da gra-;
tideagao de que traa o art. 7o da lei provincial n.
611 de -1 de maio ultimo, para cada uina das pra-
gas do corpo sob seu commando mencionada- na I
relacao junta, visto que tem ellas de seguir para a
corte brevemente.
Dito ao director geral interino da instruego pu-'
blica. Devolvendo Vmc. as provas escripias, que)
acompanhain o seu offleio de 3 do crreme sob n.
195, approvo a opioio do conselho director dado
acerca do exame de halnlitagao a que se sugeitou
Joao Jos Ribeiro, cumprindo que se Ihe cuntir o
respectivo titulo de capacidade.
Dilo ao mesmo.Devolvendo Vmc. as provas
escripias que acompanltaram o seu officio de 26 de
junho ultimo sob n. 191, tenho a dizer que appro- j
vo a opinio da.maioria do conselho director acer-
ca dos exames de babililagao para o magisterio do i
sexo femimno, a que ltimamente se precedeu,;
cumprindo que se conliram os respectivos litulos i
de capacidade as cinco candidadas propostas pela
maloria do referido couselho.
Dilo ao Chefe da reparligo das obras publicas.
Recommendo a Vmc que enlendendo-se com o di-
rector da escola normal, mande fazer com urgen-
cia a diviso que se faz precisa na sala da casa
alugada para aqnellc eslabelecimento.
Dilo ao mesmo.Mande Vmc. orear a despeza a
fazer-se com a obra que segundo a sua informago
; de 4 do corrale sob n. 201, torna-se indispensa-
vel para esgolo das aguas pluviaes, que innndam
a ra do Lima em Santo Amaro, e a que se refere
a cmara municipal desla cidade no offleio de 23
de junho ultimo, n. 42 sobre que versa a sua infor-
! macan acuna citada.
Dilo ao cngenheiro fiscl da estrada de ferro-
Pelo seu offlr.io datado de \\oy, fleo scienle das oc-
currencias que se me tem dado de honlem para ho-
je nas obras da estrada de ferro, proveniente das
chovas cabidas ltimamente no interior, bem como
das providencias que se tem empregado para ser
restabelecido o mais breve posslvel o trafego da
mesma estrada.
Dito ao boticario Joaquim de Almeida Pinto
Tendo designado a Vmc. e aos Srs. Joaquim Igna-
cio Ribeiro Jnior, Augusto Cesar d'Azevedo Gue-
, des, para reunidos darem prego com a possivel
' brevidade aos medicamentos constante do formula-
rio da enfermara militar permanente, assim o
communico a Vmc. esperando que aceitar esla
commisso, entendendo-se para os devidos efleilos
com os demais nomeados.
Dito ao gerente da compaohia Pernarabucana.
1 Pode Vmc fazer seguir para os porlos do sul al A-
racaj o vapor Pwahyba uo da 14 do correle, a
hora indicada em seu offlmde hontem.
Portara.-O presidente da provincia, tendo em
visla o offleio do commaodanie superior da guarda
nacional do municipio do Edecife datado de 23 de
junho ulfimo, resol ve privar do posto de alferes do
2a batalhao de infamara, da mesma guarda nacio-
nal Seoasiio Paes de Soaza, que est comprehen-
dtdo nas disposigoes dos 2 e 3 do art. 65 da lei
n 602, de 19 de setembro de 1850.
43
Offleio ao coronel commandante das armas. -De-
vendo o vapor enconragado demorar-se neste porto!
mais de dous dias, convm que V. S. expega as ne-!
cessarias ordens para qne uelle embarquen lodos:
o> recrulas n praeas que conforme o mea offleio
de 7 do correle itaviam estar promptos para se-
guir uo primeiro vapor que se espera do norte,
coulinuando esia ordem para os que emo estiva-
rem em ciicumsiancia de partir.
Dito au mesmo.Concordo em que se demore
por mais algims das nesla capital, como V. S. pro-
poz em seu offleio de hontem n. 1,199 a que ros-
pondo, o 2" sargenlo do 1' corpo de voluntarios da
patria Manoel Nevos de Albuquerque, visto que
aiuda nao esla perfeilainente re^ubelecido das mo-
lesiias que o accommetteram.
Dito ao mesmo.Mande V. S. inspeccionar os
voluntarios Antonio Francisco do Espirito Santo e
Pedro Alves de Arajo e informe com que data elles
assentaraii) praga.
Dito ao Dr. chefe de polica.Sendo iuformado
de que um individuo de nome Manoel Pegamao,
fura preso por pessoas do povo, na freguezia do
Poco em flagrante delicio de furto de roupa a lava-
deiras que o perseguirn) at que realisou-se a pri-
so, recommendo a V. S. que d suas ordens para
que sendo exacta aquella informago, se proceda
criminalmente ex offleio contra lal individuo, que
acensado de outros furtos.
Dito a thesouraria de fazenda -Em vista dos
grandes inconvenientes exposlos pelo juiz munici-
pal supplente do termo de Ouricury em offleio de
8 de maio ultimo junto por copia, por falta de col-
lectorias naqueelle e n'nutros municipios da pro-
vincia, recommendo. a V. S. que procure com lodo
o empenho fazer cessar sementantes inconvenien-
tes conforme se rocommendoD em offleio de 27 de
jaueiro do correle aneo.
Dito a mesma.Maude V. S. pagar sob minha
responsablidade os vencimientos, relativos ao mez
de junho uliimo, dos empregados da enfermara
permanente desta capital, visto nao haver crdito
para esse lim, segundo consta de offl:io do coronel
commandante das armas datado de hoje, e sob n.
1206 Communicou-se ao coronel commandanle
das armas.
Dito ao mesmo.Respondendo ao officio que V.
S. me dirigi hontem sob n. 481, relativamente a
remessa de diuheiros aos juizes de direilo deTaca-
l, Biavisl e Cabrob para pagamento dos res-
pectivos destamentos, lenho a dizer que nao obstan-
te as puoderagoos fetas pelo procurador fiscal des-
sa thesouraria no parecer que por copia veio an-
nexo ao >eu citado oflicio, faga V. S. effectuar essa
remessa sob minha responsablidade, visto nao ba-
ver ouiro ineio para satisfazer-se taes vencimetos
e nao ser possivel deixar essa dependente de que-
rerem ou nao a |uelles juizes ou algum outro cida-
do prestar il mea para receberem as quantias des-
tinadas a esse servigo, que n^nhum interesse teem
de prestar.
Dito ao mesmo. -S >b minha responsablidade,
mande V. S. adiaular com urgencia a importancia
de um mez de sold, de conformidade com a tabel-
la por que sao regul idos os vencimetos dos offl-
ciaes do exerciio aos alferes do corpo de polica
Francisco Xavier Rodrigues do Miranda e Joaquim
Mililo Alves Lima, que tem de seguir para a cor-
te brevemente.
Dito ao mesmo.Inleirado do conledo do olll-
cio que V. S. me dirigi houtem sob n. 48, lenho a
dizer em resposta que approvo a nomoagae que (-"Z
o inspector da all'andega do Io conferenle Pedro
Alexandrino de Baros Cavalcanle de Lcerda para
oceupar interiuamente o lugar de Ihesoureiro da
mesma afandega, vsioachar-se suspenso o respec-
tivo proprielano e seu llel em consequencia do
desfalque de 2S:2l503o qne se encontrou no co-
fre daquella repartigao.
iloao mesmo.Fica V. S. autorisado, em visla
do sua informago de hoje sob n. 485, dada com re-
ferencia a da contadura dessa thesouraria, a man-
dar descender sob minha responsablidade, uos
termos do decreto n. 2884 do 1" de fevereiro de
i86 mais a quanlia de i:4i2042, com os paga-
mentos que Corren) pela rubricaIV-lagoes do mi-
nisterio da justiga n i exercicio de 1864 a 1865, vis-
to ter sido insnffleente o crdito de 6:3065232
aberto para esse lim por offleio da presidencia de
3 do crreme mez.
Dito ao mesmo Insto pela informago que exigi
de V. S. por despacho de 19 do mez passado, pro-
ferido em um requerimiento do Dr. Joao Pedro
Maduro da Fonseca.
Dilo ao inspertor da thesonraria provincial.
Mande V. S. fornecer ao corpo de policia o livro de
papel paulado de que trata o incluso pedido.
Dito ao mesmo.Mediante as camelias do eslylo,
e nao havendo inconveniente, mande V. S. entregar
ao vinario de Caruar, Antonio Freir de Carvalho,
ou ao seu procurador nesla praga, o cnnio de ris,
votado pelo o artigo 14 7o da lei n. 596 de 13 de
malo do anno prximo passado, para as obras da
igreja mairiz daquella freguezia.
Dito ao mesmo.Mande V. S. vender em hasta
publica urna porgo de madeira velha e arruina-
da que licou da obra da ponte \ Ta.mrana, adia-
se junta a mesma ponte e foi avallada em oitenta
mil ris, segundo consta de oflicio do director das
obras publicas datado de hontem e sob n. 216.
Communicou-se ao chefe da reparligo das obras
publicas.
Dito ao commandante superior da guarda nacio-
nal do Recife.Expega V. S. as suas ordens para
a guaroigao que esla prestando diariamente a pra-
ga o Io batalhao da guarda nacional aquartelado,
seja feita de amanha em diante de canformidade
com o roteiro incluso. Picando dispensado do servi-
go o destacamento que ora guarnece a fortaleza do
Brum.
Dilo ao mesmo.Expega V. S. as suas ordens
para que se v recolhendiao arsenal de guerra e
seja trocado por outro a proporgo que for sendo
concertarlo todo o armamento estragado da guarda
nacional do seu commando superior, cerlo V. S.
de que nesta data se espedem a semelhante respei-
lo as necessarias ordens ao director do arsenal de
guerra.Expediram-se as ordens de que se trata.
Dito ao mesmo.Exigindo as actuaes circ.ums-
lanc.ias do paiz, que marchen) quant anles para o
campo as ovas que nella devem tomar parte em
defeza do imperio, compre que V. S. expega ter-
minantes ordens, para que aquartelle no dia25 do
corrente o contingente da guarda nacional sobre
seu commando superior, iue tiver sido designado
para aquella im, fazeodo sentir aos que a isso se
recusaren), que incorrem nas penas do art. 133 da
lei n. 602 de 19 de setembro de 1850, isto de
serem obrigados a servir no exercito o dobro de
lempo que durar o destacamento, ou reerntados,
se nao '.iverera motivo legal de isengo. Para que
cheguem ao conhecimento de todos os guardas de-
signados aquella pena da lei que eslo sujeitos,
recommeude a V. S. que faga publicar este meu
salino, nao so em ordem do da, roas tambero re-
mettendo-o por copia a todos os offlciaes com par
Ocular recomroendagao de o commanicarem aos
guardas de suas companhlas, empregando para,
com elles toda a sua influencia, alim de que sel
prestern voluntariamente ao sacrificio que deesj
exige o paii. Para serem igualmente publicado re-
mello tambem a V. S. nos Inclusos exemplares im-;
pressos a proclamago que dirigi guarda naci-1
nal. Confio, que V. S. no empenho de auxiliar o go
'verno envidar tambem todo o seu prestigio para
| convencer os designados de que cumprem tm de-
vor prestan .I..-se aos justos reclamos da patria, aflm
de que o governo nao se veja na dura necessidade
de lane-ir mao de meios coercetivos, o que ser so-
bre modo desagradavel ao mesmo governo e de-
sainsoao guarda nacional Se, nao obstante al
gum deixar de apresentar-so V. S. me os remetie-
ra seu nome e signaes caractersticos, como 161
recommendado em circular de 30 do maio prxi-
mo findo, para a espedieo das ordens necessarias
a sna puoigo.
Dito ao mesmo.Tendo em 3 do corrente deter-
minado que a guarda da casa de dclpngo fosse for-
nocida pela guarda nacional do seu commando, pe- j
la necessidade de alliviar desse servigo o corpo de
policia, que se acha rauito reduzido, e tem de em-
barcar no primeiro vapor urna ala, acabo de saber
que nao foi ainda enmprida aquella ordem, que
reitero, e exijo leona prompta execugao.
Dilo ao commandante superior da guarda nacio-
nal de Santo Anto e Eseada.Deferindo o reque-
rimento de Antonio Carlos do Almeida sobre que
versa a sua informago de 6 do correte, resolv
dispensar do destacamento para que estava desig-
nado o guarda do batalhao 23 de infamara do mu-
nicipio de Santo Anl, Felippe Nery de MendoDga,
filho do supplicante, em quanto se nao recorrer aos
da classe a que pertence o mesmo'guarda, o que '
communico a V. S. para seu conhecimento e exe-
cugao das convenientes ordens.
Dito ao provincial do CarmoAfim de que pos-
sa ter execugao as ordens do governo imperial, sir-
va-se V. Rvma. de darme sua resposta ao offleio
que Ihe dirig em 17 de junho prximo lindo, acer-.
ca do alluguel da parte desse convento que se pre-
tende para a faculdade de direito e aulas prepara-
torias annexas.
Dilo ao conselho de compras do arsenal de guer-
ra.Recommendo ao conselho de compras do ar-
senal de guerra, que independenle de annuncios
contrate quanto anles com algum pharmaceutico o
fornecimenlo provisorio dos medicamentos neces-
saros a enfermarla militar permanente desta ca-
pital, que dever ter principio amanha.
Dito ao chefe da reparligo das obras publicas.
Inteirado pelo sen oflicio de honlem sob n. 217,
de haver Vmc solicitado da capitana do porto o
auxilio necessario de botes e catraeiros para mandar
salvar as pessoas moradoras a margem do rio Ca-
pibaribe, que pedem soccorro em onsequencia da
grande endiente que ora se d no mesmo rio, le-
nho a dizer, em resposta, que approvo esse seu pro-
ced ment.
Dito o mesmo.Tomando em cousideragao o
que Vmc. expoz em seu oflicio de 11 do corrente
son n. 215, tenho a dizer em resposta que o auto-
riso a despender pela verba de 20:0005 volada pe-
lo 6o do artigo 15 da lei do orgamento vigente pa-
ra o Gymnasio provincial a quantia necessaria com
a obra que ser feita por arrematago, do soalho
daquelle edificio, e com a substiluigo de algumas
travs que j se acham arruinadas, empregando
para esse fin) as travs e labiado que existe promp
to em deposito, c-mforme indica no seu citado ofli-
cio. Xeste sentido offleio.i-se a thesouraria pro-
vincial.
Dito ao juiz de direilo da vara da comarca do
Brejo.Informe Vmc. em que estado se acha o
processo instaurado pelo subdelegado da freguezia
de Santo Antonio contra Jos Rogerio Marcellino,
declarando a razao por que anda nao foi julgado,
e qttando o pode ser.
Dito ao juiz de direilo de Goianoa.Em respos-
ta ao oflicio de 19 de junho prximo findo, em que
Vmc. informou qne sendo Jos Antonio Correa de
Mello, condemnado pelo jury a pena de 12 annos
de priso, grao medio do art. 193 do Cod. Penal,
. com a appellacio que iuterpuz deixado de ser ex-
pedida por falla de pagamento de sello das cusas,
e por nao ter o supplicante procurado mostrar que
pobre pelo modo determinado em edital do mes-
mo conselheiro presidente da relagao do Io de ju-
. nho de 1863, cabe me dtzer-lhe que em vista da
terminante e clara disposigo do arl. 88 do decre-
to n. 2713 de 26 de dezembro de 1860, e dos arti-
: gos 'i69 e 470 do regulamento n. 120 de 31 de Ja-
neiro ile 1842, nao pode ser retardada a expedicao
e julgamenlo dos processos crimiuaes em qualquer
instancia por falta de pagamento do sello, preparo
i e custas.
Portanto de Vmc. as ordens precizas a fim de
que a appellacao de que se trata seja quanto antes
expedida sob as penas comminadas no art. 468 do
citado regulamento sem que a isto obste o edital do
I ex presidente da relagao o Exm. conselheiro I).
Francisco Balthazar da Silveira, que smenle deve
enlender-se em relago ao modo porque deve ser
fei lo o pagamento das mesmas custas, sello e pre-
: paro.
Quanto a guia do mencionado reo para cumpri-
| ment da pena de 10 annos a que tambem foi con-
i demnado por sentenga que j passou em julgado,
como Vine, declara dever ser quanto antes remet-
lida, para que a sua execugao nao possa suspender-
: se pela pendencia de appellagao por outro crime. I
Dito ao ennenheiro fiscal da estrada de ferro.
Pelo seu offleio de 12 do corrente, fico inteirado
de que em virtude dos estragos causados pelas
agoas nas obras dessa estrada de ferro, fica inter-
rumpido o seu transito por toda esla semana.
Portara. O presidente da provincia lendoem vis-
i ta o que reqtiereu o Io conferenle daalfandega desta
i capital, Manoel Ca'das Brrelo, e bem assim o que
i a esse respeito informa ram os chefes das repartigdes
| competentes, resol ve conceder-lhe tres mezes de
licenga com vencimetos, na formada lei, para
tratar de sua saudp, onde Ihe ronvier.
Dita. O Sr. gerente, da companhia Pernambu-
cana, faga transportar para a capital das Alagas.
por conla do ministerio da guerra, no vapor Para-
hyba, os objeelos mencionados na relago por co-
pia Inclusa.Conimunieou-se ao director do arse
nal de guerra.
Dita.O Sr. gerente da companhia Pernambu-
cana, mande dar transporte para a cidade do Pene-
do, por conla do ministerio da guerra, no vapor
Parahyba, ao alferes ajudante do corpo de guarn-
gao Jos Ignacio Ribeiro Roma, das pragaa que o
acompanham, Io sargento Francisco Nicolao Car-
neiro da Rocha Menezes, anspegada Panlo Antonio
dos Santos e soldados Gomes da Silva e Basilio
Jos de Miranda.
14 -
Offleio ao desembargador provedor da Santa Ca-
sa de Misericordia.informe V. Exc. sobre a pos-
sibilidade de ser admiltido no hospicio de Olinda,
o alienado Jos Cavalcanti do Reg Vasconcelios,
de que traiam os inclusos papis que roe serio de-
volvidos.
Dito ao coronel commandanle das armas, Res-
pondendo ao offleio que V. S: me dirigi hontem,
sob n. 1,202, tenho a deelarar-ihe que dos venci-
metos dos voluntarios da patria 2 sargento Lau-
rindo Messias dos Santos e soldados Felippe Carna-
rio e Pedro Alves de Aranjo, constantes do pret
que Y. 5>. me apreseetoo, s deve ser deduzida,
para indemnisagio de Francisco de Carvalho da
Silva Queiroz, a quaotia que cada um dHle* esti-
ver a dever por si, como determine), e n*> pa-
garem uns pelos outros como parece entender V.
S. em seu offleio de 11 dvste mez, fica expedida a
coaveniente ordem para ser pago o pret mencio-
nado.
Dilo ao inspector da thesouraria de fazenda.
Sob minha responsablidade mande V. S. entr -g-ir
ao capilo encarregado do deposito a quantia de
II5I00, dos vencimetos a que lem direilo o 1*
sargento Launndo Messias dos Santos, Manoel Fe-
lippe Carnario e Pedro Alves de Aranjo, unta ves
que esles dos termos legacs o pret que aqu junto
em duplcala.
Dito ao mesmo.Respondendo ao oflicio que V.
S. me dirigi em 11 do crreme, sob n. 468, lento
a dizer quanto a 1' parte qne deve realisar sob
nunha responsablidade, visto nao haver cn-dito
para esse fim, o pagamento autorisado por oflkio
de 21 de junho ultimo, das despezas na importan-
cia de 2115073, feiras pelo conselho econmico do
4 batalhao de artilharia a p, com a enfermarla
militar permanente, durante o mezde maio ultimo.
Quanto 2* parte que o capilo da guarda nacio-
nal da provincia do Amazonas Pedro de Castro
Brando.que se acha em tratim-nto na mesma
enfermara, veio daquella provincia a servieo do
ministerio da guerra.
Dito ao mesmo. Transmiti i V. S. as tres in-
clusas conlas em duplcala, afim de que, nao haven-
do inconveai'iite, mande pagar a empreza da illu-
minar,, desla capital, a quantia de 2095700, pro-
veniente do gaz consumido com a illuminaco inte-
rior do palacio da presidencia, durante os mezes.
de margo a maio deste ann-.
Dito ao mesmo.Remello iorluso o reqoerimen-
to, que me cirigio o lenle do corpo de potieia
Jomo Francisco da Cunha, destinado a embarcar
para a corte com o mesmo corpo, afim de qne V.
S. mande abonar em os devidos lempos e a com r
de agosto prximo vindouro em diante, o sold que
compete ao supplicante, em vista da tabella por
que sao reputados os vencimetos dos i'ffleiacs do
exercito, e que elle pretende consignar nesta pro-
vincia.
Dito ao mesmo. D V. S. as suas ordens para
que o sold do cirurgiodo corpo de sade do exer-
cito Dr. Francisco Gongalves de Moraes, que vai
servir no presidio de Fernando, seja pago nesta
capital, como elle solicita no incluso requ<>rimenlo.
Dito ao inspector da thesouraria provincial.
Inteirado do cooledo do offleio que V. S me diri-
gi em 12 do corrente, soh n. 264, lenho a dizer
em resposta, que os 2:0005 de que traa o sen ci-
tado offleio, devem ser entregoes ao Rvd. prefeiio
da Peoha, independente de flanea.
Dito ao mesmo. Recommendo V. S. qne, de
conformidade com as ordens j expedidas, mande
alionar com urgencia a cada urna das praeas do
corpo de policia constantes da inclusa relagao, a
importancia de dous mezes de gratificagao, d qoo
trata o art. 7C da lei provincial n. 611 de 2 de maio
ultimo, visto terem de embarcar para o sul breve-
mente.
Nesle sentido offlciou-se ao commandante do
corpo de polica.
Dito ao mesmo.Constando de offleio do chefe
do reparligo das obras publicas datado de hontem,
e sob n. 218, haver o arrematante dos reparos da
ponte de Goianna feito melade das obras do sen
contrato, assim o communico V. S. para sea eo
nhccimenlo, e afim de que, em visla do compelen
te certificado, mande pagar ao mencionado asre-
matante a importancia da prmeira prestaco a qne
elle liver direito. -Communicon se ao chrfe da re-
parligo das obras publicas.
Dito ao mesmo.Autoriso Y. S., de conformida-
de com a sua informago de 12 do corrente, Mi
n. 263, a maudar pagar a Diogo Baplisla Fernan-
des, nao a quantia de 2145, vutada pelo arl. 42 da
le do orgamento vigente, com referencia ao qna-
dro que a acompanhou para pagamento da grabll-
cago que elle venceu cq/no escrivo Interino d >-
fetos da fazenda provincial, e sim a de 1785-i 13.
em qne importa essa gratificagao, como se v do
parecer da conladoria dessa Ihesouraria, a que se
refere a sua citada informago.
Dito ao mesmo. Se nao houver inconveniente,
mande V. S. pagar a Francisco Lndger.i Non*.
Vianu.i, conforme sollicitou o chefe de pol'cia em
offleio de honlem, sob n. 980, a quantia de 815200.
despendida com o sustento dos presos pobres da
cadeia de Ulinda, durante os mezes do maio e jn-
nlio deste auno, como se v da inclusa coota.
Communicou-se ao Dr. chefe de polica.
Dito ao commandante superior da guarda nacio-
nal do Recife.Mande V. S. addir ao batalbo da
guarda nacional aquarle Hado, alim de prestar os
seus servigos oa guarnigo da praca, o lente Ga-
millo Augusto Ferreira da Silva, que esta designa-
do para embarcar com o coutingenle que ten de
dar a provincia, dispensando V. S. do aquartella-
ment um dos offlciaes daquelle batalhao, de igual
patente.
Dito ao commandante superior da guarda nacj>>-
nal de Santo Anto e Eseada.Nesta dala RMM
dispensar do destacamento, para que eslava desig-
nado, o guarda do batalhao n. 23 de infanum m
municipio de Santo Anto, Joaquim de Sooia Ca-
bral, que em inspecgo de sade foi considerado .
incapaz do servigo. O que declare a V. S. para
expedigo das convenientes ordens.
I Dito ao mesmo. Tendo designado o rpita do
I batalnao n. 25 de infantera do municipio da Es
cada, Henrique Marqncs da Silveira Lin-, para
servir na 4* companhia do 1* corpo de guan 1-
nacionaes chamados servigo da guerra ; assim o
communico a V. S. para seu conhecimento, ali-n
de que, de conformidade com as ordens expedid..*.
0 faga seguir para esta capital, com o contingente
designado para o mesmo fim.
Dito a' cmara municipal do Recife. Remello
cmara municipal da cidade do Recife, cineoenta
libras sterlinas, que S. A. real o Sr. conde d'Eo me
eatregou para a mesma cmara distribuir com as
pessoas mais necessitadas do seu municipio
Dilo ao juiz municipal da 1' vara. -Tendo de-
signado a Vmc. para fazer parte do conseibo de
revista da guarda nacional deste municipio, o qual
: tem de reunirse no da 23 do corrente ; assim o
: communico a Vmc. para seu couhecimenlo.
Portara.O presidente da provincia, u-an 1 > da
attribuicio que Ihe confer- o art 5* do decreto n,
3383, de 21 de Janeiro do correte anno, e para
preencher as vagas, qne existen) no 1* corpo de
guardas nacionaes chamados ao servigo da guerra,
' resolve designar os offlciaes segrales :
Para major commandante interino, o mijor do
1 Ia batalbo de artilharia da mesma guarda na-
! cional Alexandre Augusto de Fras Villar.
2* rmpanlo.!.
Capilo, o capilo do 2* batalhao de infantera
Olympio Gongalves da Rosa.
4* companhia.
Capilo, o capilo do batalhao n. 25 Henrique Mar-
ques da Silveira Lins.
6* companhia.
Capilo, o capilo do 3 batalbo Luiz Pereira de
Farias.
7* companhia.
Capitao, o capilo do 4* baialhao Manoel Peres
Campellode Almeida.
Alferes, o alferes do batalhao n. 1, Joao Jos 4e
Almeida Pernambuco.
".
/.



ttd
r

rr

Diarlo de Pernambnco -- cerca letra i de lulho de 18G5.

Communicou-.-e ao coirimandunte -sttp*nor do
Recife.
Dita. Cl Sr. grente de cempanhia Pernsmbu-
rana mande dar transpo'rle'al Pjbedb, no vapor
Parahyba, feritagarde pri-deiIitMdo- a-passagei-
ros de c-tado a Lino Rosa de Amoriui.
Expedirte do secretario do go\crno.
OCDiio aor. Joo GonzagaBacellar, juiz moni
eipalede orphaos do termo do Cabo. -Constando
de participaco da directora geral da seretarla de
astado dos negocios da jusilla de 2 de junho pr-
ximo lindo, que S. M. o Imperador, por portara de
17 do mesmo mez, iiuive por bem prorogar por 6
Mies, 3 com ordenado inteiro e 3 com meio or
.!. ii .do. a hcenca f|"e V, S. blese, afim de tralar
je sua saude na Europa : assim o manda S. Exc
o Sr. presidente da provincia communiear a V. S.
Fizenm-se as dunais co.mrunicacoes a este
respeito.
Foi r-bww>dft,--ffli fonwquencia o ganeral D.
Manuel Ignacio Vi vaneo, para orgamsat ouovo mi-
nisterio, qne licou a.-siip.eorapostu :
t Presidente do conselho e ministro da cnerra e
rnarinha, o brigadelro D. ManseM de Vivanco:
ministro dis negocios estrangairos, o Dr. Pedro J.
Sade publica.
Calderan ; do interior, o Dr. Evaristo Gomes San- que pelo contraste estahelecem a harmona do todo
ches ; da juslica, etc., Dr. Manoel H. I. ira le, e da era sua combnaco geral com as dtfferentes partes
Ihor desempenho que o qmlhes deram alma D. Eu i Marqnas da Silva, Jo-s Aceito, Feliciano Bzerra
genia Cmara e os Srs. Coimbra a Amoedo. da 9ilva, Nicorxedes Maria Freir, Candido Grego-
Estes aisiiuctos anisias embebern) se tanto no rio dos Santos Cerqueira, Antonio da Silva Can- __:,
peosamento do Sr. Dr. Pinlieiro Guimares, qua. pos, D. Francisco Alegra, Nicolao Bello, e 2 escra- 'cafM < rttfuto de alguns dos medieametss
lie deram a expresso caracterstica com todos vos a entregar da casa lirimaull 4 C.
Segnem para o sui : Alguns jornaes publicram urna ordena-,
2 batalho de voluntarios do Para, 4 oIWaes, ^0 (11 conselho de sade portUtfuCZ, que
Vt^^S^^SUffin prevea medicamentos preparados pe'.
os traeos que sem Ihe faltarem essas meias Untas
mada, coronel Francisco Xavier Trrese Filho, al- Casa urimnillt Cr U (le Pars, com 0 pretex-'do semestre fin do em 30 de junto nltimo
eres Carlos Agoslinho dos Sanios, tenente-coronel tO que esses acreditados pharmaceulicos de 123 por ac^o.
m:
<.0\llt\0 DO DIKI'ADO
FKH.WlllllC.
SEE VACAME.
CONCURSO AS FREGUEZIAS VAGAS.
O Dr. Jcaquim Francisco de Faria, conego houora-
rio di capella imperial, lenle jubilado de thealo-
gia, deao da anta igreja cathe iral da cidade de
Olir.da, vigario capitular da dijece de Pernan-
bnco, Mide vacaute, etc.
Por especial manJa lo de S. M. imperial, com-
mnnicadt. p-lo imperial aviso de 14 do marco dp
1821), expedido pela secretaria dj estado dos nego-
cios da juslica, pojtttto em concurso pelo presente
edita! as seguales frcguezias vagas deste bispado,
a saber : a de Nossa Senhora da Conceicao da illia
de Itamarac, a de Sanl'Anna ds. povoacaode Gr-
vala, a de Nossa Senhora da Conceicao do Bo-
nito, a de Nossa Senhora da Conceifaodo Quipai>a'
a de S. Caetauo da ftaposa, a de S. Lourer.QO de Te-
jucupapo. a de Xussa Senliora da Sade de Tacara-
t, a de Nossa Seobura da Conceicao de Cruangy,
a de S. Jos de I! -zerros, a de SS. Cosme e Damio
de Iguarass, a de S. Jos de Ingazeira, a de No-i-
sa Senlufa do osario da Vanea, a de Nossa Se-
nhora do O' de G jianna, a de Sania Maria da Boa-
Vista, nesta provincia ; a de Nossa Senhora da
Gftnewjtao da Jacoea, a de Santa Luzia do Sabugi,
a de S. Miguel da Babia da Traica
fazenda D. Pedro Jos Canetto.
Como se v a excepcSo do presidente do con-
selho, e do ministro da facenda, os tresde mais
lizeram parte do gabinete Allende, em qae eram os
princlpaes earacieret, pela sua illustraco, patrio-
tismo e prudencia.
c A poltica, pois, do gabinete Vlvanco a mes-
ma do anterior; e o provam as medidas enrgicas jan ao des mpeoho
que i ni sido tomadas para castigar os revolto- geral.
sus,
a Traxlllo, Cajamarca e Chachapoyas ja se ti-
nham pronunciado em favor da revoluc,;io, e se re-
eeiava i|ue Moyobamba e mes-nio o litloial, levas-
sera o mesmo caminho, depots de haverem-se ha-
biliado para isso.
t Podem ser hypotheses pouco realisaveis, mas curtir dores fuudas e mascaradas pela frivolidade,
all muitd se receiava, que as providencias do Sr.' dores que smeuie vio terminar no tmulo; a Sra.
Prefeito nao fossem sufflcientes para conler 0 espi-. i). Eugenia, nessas diversas siluacoes, houve-se
rito publico. 'como se sabe haver semprc.
Na provincia litoral do Loreto havla o respec-' lira abi a alma que fllava, e qaando esta se
livo prefeito publicado um bando, que em seguida pronuncia, com eloquencia que o faz; o que ain-
damos aos nossos leitores, porque muilo ronvm, da vimos repetido nos papis de Imjus/o e do Co/-
aos que lenbain a viajar pelo litoral, conhecer as mendudor, este pelo Sr. Coimbra, e aquelle pelo' Gtirgel do Amaral Valente, Francisco Goncalves qae OS concurrentes dos Srs. Grinault & C,
suas disposicoes : Sr. Amoedo. do Amaral Valente. Jacintha Emilia da Purifi- li'/i'ram (li^tiihiiir pm irr-fnilo niimornns inr-
Francisco de Paula Secada, coronel do exer-, A sceoa do prologo entre estas duas per-onagens, ac,ao, Jos D. Goncalves Torres, i segundo temm- ''!,.. b1'""-"- '>"> j
cito e prefeito da provincia litoral do Loreto, consl-' pai e filho, em que este, para repellir a ai-rao da-. e e 6* pracas de pret, Joaquim P. da Costa Mo- JuQ"-"iaes e matldaram ptlDIlcar ein
derando, qu convm segnranca publica, em con- quelle qnerendo bater-lhe com o chicote, arranca reir, os recrutas Albino Jos Gomes de Oliveira. l'VanQa e nos paizes > strangeiros lima deci-
sequoucia do estado anormal em que se acha a re- um punbal sobre o autor de si-us dias, e (uasi que
publica, lomar quantas medidas sejam convenien- ao mesmo lempo retrahe-s dessa hallucinaco, ca- j
les para que esta nao seja alterada. hindo-lhe aos ps sob peso do remorso de urna alma
Decrela : virgeni, que nao leve consciencia do acto que pra- jo
que a con.-tiioem.
A Puntro, pois, est de crdito firmado em nosso
poblico. Todos quanto assisttram a sua represen-
tagao no sabbadopreconi e se alguns lia que sobre esle tcm um peusamento nio Nicolao Baena, Dr. Americo S. Rosa e 1 filho,
menos exlrnso, apreciando rob face diversa cerlos Candido Al ves da Fonseca, Bernardina Mara dos
lados da concepcao, cerlo todava que com rea- Prazeres, Domingos Moreira de Qoeiroz, Joaquim
nao desafinam da orchestra Rodrigues das Neves, sua senhora 3 fllhns e i cria-
da, Raymundo Duarle Lima, Bita Mara da Con-
A execucao, repetimo-lo, foi excellente. ceico, Jos da Sllveira Dutra, Jos Antonio Capo-
A Sra. 1). Eugenia as diferentes pbaes da vida te e sua familia, Maria Izidora do Sacramento, An
de Julia, as transicoes de senlimenlos pnnjne esta tAnio EsteVes Pinto e Silva, Nazario Izdoro de
passa ; quer seja a donzella innocente do iDOttdo Lucena e 40 escravos a entregar.
'a sorrir para o futuro, quer a mulher desilludida Passegniros sabidos no vapor Tocantins pa
pelos guipes da dtsvenlura a cuspir sarcasmos e a ra os portos do sul :
Dr. Ermelino de Lelo, sua senhora, 4 filhos,
sua mi, 5 escravos e 2 criados, E. Martins dos
Santos Cardoso, Joaquim da Silva Barbosa, Dr.
Americo Alves Guimares, Joao Francisco Bitan
court, Claudino Oliveira, Manoel Gregorio de O.
Costa, Joaquim Estevo da Costa Tavares, Manoel
. R. dos Santos Moura, Joo Vallejo, Raymundo
9 por cenlo ao anno at o prazo de qwtrc me
es, e a O 0|0 at o de seis m'ezes
Cala filial do banco do Braftil
em Pernambueo.
De ordem da directora desta caixa se faz publi-
co aos senhores accionistas, que respectivo 11^-
soureiro esta aulorisad i a pairar o 23* dividendo
a razio
foram condemnados pelo tribunal do Seina
por terem vendido medicamentos secretos
e falsificados.
Essa ordenado parecer bem extraordina-
ria quando se tiver lido as seguinlcs cir-
cumstancias:
i." A sentenca de que se trata foi dada
sobre aden^nciafao de um dos concurren-
tes dos Srs. Gi imault & C, e sobre as in-
formaces inteiramente erradas que foram
dadas ao tribunal.
2. A sentenca foi dada por im tribunal
de pnmeira instancia, c nao tem valor al-
gum, logo que se appellou; foi por uma
manobra desleal e contraria a lodos os usos
a de Nessa
Caixa filial do banco do Brasil lo de julbo i-t
I8G5".
O guapiavlivros,
Ignacio 4ues Correia.
AI.FANDEGA.
Hendimenlo do dia I a 15......
dem do dia i"...............
262:371*4 X
IO.tliiJU.l
272:4li*.iM
MOV MEMO DA ALFADE'iA.
Volumes euliadus com fazendas____ MI
t com gneros..... !M>i
Volumes sabidos lom fazenlas.
com gneros.
-------1.288
72
730
-------802
Descarregam uo dia IX do convite.
Barca fraseen5. Jean lUptislemercadorins di-
versas.
Galera francezaAmeliadem.
Barca inglcza-SiW/ubarallio efarinhade trift
Barca ingle/a I'csi'ohIerro, e rarvao.
Aru i." Todo o individuo que entre nesla ca- licou, sublime ; e o jogo da scena por aquel-
pilal procedente de qualquer ponto da repblica, les dous senhores foi um effeito tflo pronunciado
ou do interior deste departamento, se apresentar pela naturalidade e viveza que at provocon nos
a prefeilura, logo que chegue. fas capitaes dos dis- sensafio de doloroso incommodo ; o que vimos
trelos e deinais povoados, se apreseniar a gover- aiuda reproduzido em outros.
naco. Mas, em compensacao, houve quera sorrisse I
c Art. 2. Os que viagem neste departamenlo ou No acto final o Sr."Amoedo exhibi ao nosso pu-
fra delle, como os que se empreguem em assump- tilico uma face do seu talento, nova, de que nao ti-
los mercaulis, o declararao aos ditos funcionarios nbamos conhecimenio, e f-lo que a apparencia
e se muniro dos respectivos passapories.
i Art. 3. Os donos de casas, alojameuios e de-
inais de aluguel, como lambem os moradores em
a do S utior Lom Jess de Quebrangulo, a de Sau-
ta Alaria Magdalena da villa da Imperatriz, a de
Nossa Senhora do Rosario doPenedo, a de S.Fran-
cisco oe Borja de Piassabuss, a de Nossa Senhora
da Graca do Mancy, a de Nossa Seuhora dos Pra-
zeres ile Macei, a de Santa Luzia do Norte, a de
Nossa Seuhora do O" do Traip, a de S. Joo de
nao di(Terencava-se da realidade.
Tendo o pulmo atravessado por uma bala de
tiro, que deslechara em si propro, e preso ao leilo
da morte, trabalha todo esse acto extendido nelle :
E para v-lo ah j nessa tosse de cansaco, pela
Arl. 4." Os conlraventores dos arligos anierio- falta de ar respiravel, ja finalmente nesses mil in-
do Rosario res licam sujeitos as penas que as leis es abelecem. cidentes que se sent, s v, mas nao se explica 1
t E para que chegue noticia de todos publ- No commendador Castro o Sr. Coimbra mo-tiou-
que-se poijbando.alxe se nos lugares do cosime; nos um lypo, que honra a intelligencia do aulor.
licaudo eucarregados da execu^o deste decreto o Nao amesquinhou, ou melhor nao ridicularisou o
iuiendente da polica e os goveruadores. carcter dado a personagem pelo aulor, de sorte
Na cidade de Moyobamba, aos 4 de maio de que, apezar do repul>ivo que nella ha, quasi que
185o. Francisco de Paula Secada. Manoel S. se Ihe perda pela expiacao, de que se corapoe a
Lombard, secretario sua vida domestica. E ni-to esta o grande mrito
A aulurdade superior do litoral de Lorelo, pre- do actor pelo seu des mpeoho, pois longe de tor-
vendo que as provincias viuftbM de Chachapoyas nar cmica a subordinado de um marido fraco
Senliora da Peuha da Taquara, a de S. Jos de Pi- geral, darao parte as referidas autoridades des m-
ranhas, a de Nossa Senhora do Pilar do Tapu, a dividuos que admiltam em suas casas,
de S. Miguel do Tap, a de Nossa Senhora da Luz Arl. 4." Os conlraveotores dos arligos ameno-
de Pedra Lavrada, a de Nossa Senhora
da povoa^o de S. Joo da cidade de Souza, na pro-
vincia da Paraliyl.a ; a ue Sanl'Anna doYpanema,
Anadia, a de Nossa Senhora da Conceigao d'Agua- !e outras estaara propeusas a uoirem se revola- peranie a vontade da mulher, a cujos ps rojava
Brauc;., ras Alagos ; a de Nossa Senhora da Con- j c>, procarava, com as medidas, que acabamos de
ceico de Maceo, a de S. Joo BaptisM do Apody. a deserever, evitar que em Moyobamba appareces-
de Nossa Seuhora das Dores da Palla, a de Santa sem einissarios dos rebeldes, e all po'essem tam-
Anua do Serid, a de Nossa Ser.hora do 0' da Ser- i bem seduzr a populucao. Moyobamba o mu paci-
ra-Negra, a de Sama Hita da Cachoeira, a de S. | lica ; mas nao deixa de cuuler elementos favora-
Joo Bn.usia do Porta-Alegre, a de Nova-Cruz, na veis a revolugao segundo nos consla.
provnola do Ro-Grande do .\orle ; a de Nossa Se- Por decreto de 12 de abril ultimo, foi nomea-
nhora da Penha do Uurity, a de Sanl'Anna da Ce- do o capito de fragata, U. Jenaro Carrillo, cnsul
tinga dos Alegres, a de Nossa Senhora do Ampara ; geral do i'er, para sorvir na capital do Para,
da villa Januaria do Brejo Salgado, na provincia do Somos informados, que era Moyobamba, ai-
Minas Geraes. 8UUS individuos que aiuda mal conhecem os prin-
Todo o llvd. sacerdote, ou clrigo, que queira fa- cipi'os de urbauidade e hospedagem, que os poyos
zer epposicao s igrejas cima referidas, apresen- civilisados guardara para com os eslraogeiros, que
tese com seas papis promptos e correnles, na abandonara seus paizes naiaes, emigrara para ou
forma do eslylo, para ser admiuido, fazendo termo tros, levando suas induMrias, iulelligencia ou capi-
de oppoicao'deutro do prazo de sessenta dias, fin taes, couceberam a louca idea de reunir se e con-
dososquaes, se proceder ao concurso, no qua!
respondero os Rvls. oppositorcs nove_ casos de
moral e consciencia, e faro una exposico, ou ho-
mila do Evaogelho, que eu assi^nar ; para propor
a S. M. o Imperador os que forem julgados mais
dignos. Da forma dos sagrados caones e Concilio
Trientino.
l:,i lo em Olinda, sob o nieu signal e sello capi-
tular, aos 10 ile juho de 1863.
cetar a populaco baixa para expulsarem d'alli to-
dos os eslraogeiros que nessa cidade residem, e
sua loucura chegou ao ponto de lavrarem desse
projeulo inoustruoso uma acta ; mas recelando que
o Sr. prefeito respectivo Ihe desse uma lic,-i couu
Dan mereciam, recuaro do proposito era que es-
tavam I
i L para lastimar tamauha loucura dessas in-
dividuos, que por felicidade e crditos dos b.ibitau-
E i-u, o padre Joaquim da Assumpco, escrivao tes de Moyobamba, sao em pequeo numero
da cmara episcopal o sabscrevi.
Deo Dr. Joaquim Francisco de Faria.
DIAHO DE PERNAMBUCO.
Recebmos jornaes di norte do imperio, pelo
vap ir Tocantins chegado doarugo, con data> : do
Paia al ", do Maiauho al 9, to Piauhy al I, do
Ceara al 13 e da Parahybi at 15 do crrante.
Amazonas. Vallara da comraisslo aqueliuha
id i o vap ir de guerra Piraj, nad.i leudo encon-
trado i|ue collIrmas^e os boatos de que a Bolivia,
de accordo cora o Paraguay, pretenda invadir o
Ao Sr. Manoel del guila, urna das pnraeiras
iutelligencias dessa cidade, se deve o mallogro do
projeclo selvagem de que traamos.
Maiiaxh.vo. Nada occorreu, que raerega
mengo
Pialiiv.Fallecer, de uma paralysia, o abasta-
do fa/.' nd oro Jos B. de Sampaio.
Ceaii.Apresentavam se como candidatos se-
natoria, na vaga pela morte doe nselheiroC. Baptis-
ta, os Srs. couego Piulo, Frederico Pamplona o lla-
tisbonna.
L se no Ce.arcnsc :
Houlem (i>), pelas II horas e um quario da nia-
nha, u teiegiapho fez signal de navio encalhado :
era o hiate nacional G tribaldi procedente do norte,
territorio brasileiro. A\,-it dessas noticias, a pre- 'lUt au elllrar Vorlo> qrendo desviar-se um
sidencia da provincia manda a para Santo Anto-
nio na frouteira daquella repblica, mais 20 pra-
pracas, cartuxarae t armameulo.
Dra-se em Serpa um disturbio que assim
descripl, pela Estrella :
Com a chegada do Tapajs, verificaram-se as
noticias que coruram nesta cidade, e obrigaram o
Exm. Sr. vice-presidente da provincia a fazer
seguir para Serpa no vapor Piroja o Sr. Dr.
chee de polica, e uma forca de 70 pragas sob
o commando do Sr. espillo lunoconcio Eustaquio
Ferreir de Arauio.
H; faci foi aquella villa, assaltada por um
grupo de borneas armados na aoilfl de 17 do cr-
reme, os quaes de^respeitando a le e autoridade
publica laugarain o lerror e a desolaco entre os
insfelzes habitantas daquelle lugar.
pouco da pida do patacho Inglez New Boy orgou
muilo por cima, o que f-lo ir sobre o re ife. A
mar nenia e ent com o soi;corro que Ihe foi de
tena, ao mpio dia liona se elle safado do perigo,
se.m avaria algaraa.
Escrt-vem-nos de Tauh :
A falta de chuvas neste dislriclo do Cococy e
o descuido, que tem havido das planlagoes de man-
dioca, araeaga tima terrivel fom-, principalmente,
oeste rio do Juca onde nao houve invern, nem ao
menos para o pasto, pois os gados j se esto reti-
tudo, mesmo o que Ihe era mais charo, soube ao
contrario despertar a commiserago para aquelle
iio'-ijuinlio. a i|uem espinhava sem do o taco de
uma bolina de selim.
As outras tres parles, Clara, Salvador e Gui-
Iherme, de trabalho comparativamente inferior s
tres primeiras, tiveram o correspondente desempe-
nho pela Sra. D. Camilla e pelos Srs. L'sboa e
Borges, havendose a Sra. D. Joanna em Magdale-
na e o Sr. Porto em Joao Manoel igualmente de
modo a sasl'azer.
Esl designado o dia 1 de agosto prximo
para a reunio da 4* sessao judiciaria do jory des-
la capital, sob presidencia do Sr. Dr. juiz de direito
da 2* vara, Mauoel Jos da Silva Neivas.
A caixa filial est pagando o seu 23 dividen-
do na razo de 12$ por aego.
Foi festejada a Seuhora do Carmo no domin-
go, com a magnificencia com que cosiumam os
Rvds. padres carmelitas celebrar esta festa, hon-
rando assim a sua padroeira.
O Oneida em transiio para a Europa tomnu
neste porto 16 passageiros, cujo numero total sabio
assim 192.
Do norte vierara a bordo do Tocantins, alm
do corpo de voluntarios do Para, 138 pragas loma-
das em differeiiles provincias, e que recolhem se a
corte, alim do ircm para os corpos a que per-
lencem.
Convm que desde ja se deem as providen-
cias para restabelecer o servigo do telegrapho, pois
com a sua inlerrupgao muito soffre o conjmercio,
a quem assim passarA desapercibido todo o movi-
menio do porto, como lem-se dado nestes dias.
Sendo tal oceurrencia causada por ichar-se a
pomo de cahir o raasiro dos signaes, deve ser
elle substituido, ou dar-se oulra qualquer provi-
dencia.
Alm da raissa que boje celebra-se na matriz
da Boa-Vis em suffragio da alma do brioso capito
pernambucano Pedro Alfonso Ferreira, ha na mes-
raa matriz, pelas 7 horas da rranhaa um memento
cantado cora idntico lim pedoso.
BMe memento mandado celebrar por alguns
prenles e amigos, os quaes esperam a concurren-
cia elle de todos, que apreciavam as qu ildades
cvicas do no.so comprovinciano, que tao glorio-
samente- lindou seus dias em Riachuelo.
Addilando a noticia que demos sob a nomea
cao do Sr. Dionisio Ferreira Cavalcanl.d'-claramos
que elle serve nao s perante o Sr. Dr. chefe de
polica, como do Sr. Dr. delegado. O mesmo escri-
vao tem sua residencia na ra deHortas n. 58.
ramio. O povo pelo mo habito de matar gados O digno emprezario do Santa Isabel o Sr.
alheios, sem ordem de seus donos, este anno pare- Antouio Jos Duarle Coimbra nao podondo ser in-
ce, que essa industria sera bstanle augmeulada : dilferente ao movimento, que se manifest em fa-
os fu nos de gados e animaes neste municipio, e vor da siluago da illusire viuva e filhos do cap-
do Saboeiro anda vocontinuaiidj; esle um an- lo Pedro Alfonso Ferreira ; e querendo como hu-
1 no que os fazendeiros devero abrir- a bolea ao po- manitario e grande apreciador do civismo deste
Por alguns momentos estiveain elide senhores' vo> empregando-o em servigos de agude, e cereados, infeliz here pernambucano, concorrer com o seu
da pevjaco, assassinando0Infeliz Rortognez Pian- e mesmo na agricultura afim de uo augmentar o, auxilio para aligeirar a sorte menos favorecida
Cisco Pereira Coelho, e feriudo outro de uorre Jos num-ro dos ladres ; supposto que isso um mal daquelles entes queridos a sua alma, cuida de dar
Pernandes. '! inruravel ; pois rara a autoridade qae os perse-, por expoulanea impul?o, um espectacul >, cujo
O delegado de polica coadjuvado por alguns f?ue, e maior parle dos proprieiarios os apoiam, por: producto seja applicado a augmentar o peculio que
eidadaos, e particularmente pelo alferes Anlonio tinto se o goveruo nao providenciar, nao haver traiam de formar em beneficio da viuva e seus
Jos Berudo Martins consegaio restabelecer all a' mals (luen' 003sa criar em semelhanie sertao. De-: Jilhos.
ordem, fazendo segnir uma e.-cilta de 27 pragas e vo suppr que a assembla proviucial fara lodosos, Nao carecemos de engrandecer a aego do Sr.
o subdelegado de polica em persegoicio dos re- esforieos aflm de remediar e.-ses males. Coimbra : -erhr-feij>ta-lhe com fidelidade o cora-
voltosos. Alguns desses expoiitaneamente j se1 L-se na Constituicao : gao generoso, que abriga no peilo; e o mesmo o-
apresentaram, e os ouiros foram capturados. A I laforma-nos pessoa fidedigna que s (i horas e rago Ihe atiestara a belleza do seu procedimento
presenea do Dr. chefe de polica, e das pragas qne u" Quarto da larde de .* do crreme, houve na vil- com a primera recompensa, que esl na propria
acomiilnliaram, estamos cortos lera concorrido, 'a de CaninJ um pequeo terremoto, acompanha- conscencia de bem haver procedido,
para hzer desapparecer o lerror. restabelecendo do de um estampido como de trovao remolo, fazen-1 Esperamos que o publico o ajudt neste louvavel
completamente a tranquilidade publica. do-se sentir visivelmente o estremecimento geral t intento com a sua concurrencia ao espectculo,
t Tantos e tao diversos sao os commenlarios que de lodos os objectos. principalmente das lougas ar- visto que com ella dar copia do valor que liga ao
correni desse lucloso aconlecimento, que por ora ruinadas em prateleiras. j que nobre, grande e generoso
nao podemos, ou nao devemos avtnturar questo A pessoa que nos deu estas nformagoes, e que Pela dlliculdade de achar distribuidores para
alguma, estes fados esto sobre a vista da aoton- foi teslemuuha presencial, nao soube precisameule] a entrega deste Diario uos lugares dos Afogados,
dado, manda aprudencia que assim aguardadas 1"al o espagoem que o terremoto se fez sentir, e
as providencias desta, para *e poder enlo firmar apenas soube que na fa/.enda Barriguda, de Canin-
um jo izo, d para c 4 a a legoas apenas foi ouvido o estam-
Par \ Na ausencia de caria do nos o corres- pido, ma> nao sentio-se o tremor de ierra.
pudeiite.'estrahimos as noticias dos jornaes. Rio Ghandi- do Norte. Aps a saluda do Ma-
A alfandega rendeu, durante o mez de junho maiijuaie, uenhuma oceurrencia houve.
dos Santos, desertor do lirgue barca Itatnaraca,
Antonio Rbeiro, e varios escravos a entregar.
Casa de detexqao.Movimento do dia 15 de ju-
Ihode 1863 :
Exisliam 333 ; nlraramS; sahiram7 ; exislem
334 a saher : nacionaes 266: estraogeiros 23: mu-
Iheres 6 ; esrangeiras 2 ; escravos 49; escravas
6 total 334.
Alimentados a custa dos cofres pblicos 168.
publicares a mm
1' nm corto advogado desta
cidade.
Pede se-lhe bem de sua repulacao haja de fa-
3." O tribunal imperial nao decidi, mas
sim, por tima sentenca de 17 de maio pr-
ximo p ssado, ordenou nova vistoii;, a que
tinlia motivado a decisao dos jui/.es da pri-
meira instancia Ibes tend i parecido insufli-
ciente, depois das novas experiencias inlei-
ranitnte contradiciorias de um chiniico c
physiologista eminente, o Sr. U. Leconte,
pharmaceotico em chele dos liospitaes, e
piofessor aggregado da faculdade de medi-
cina de Paris.
4. JN'essas circttmslancias admira-nns
que um conselho de sade publica se tenha
decidido sem informares mais certas, a
Brigne portugoez& Josdem.
nrigoe ngtz Ruth carvo.
l'alacho jinglezrrconcarvo.
aLFA.NDECA de peicnamrlco.
paita dos cbecos uos ok.nero- si jeitos a dieltl>
dk ex!m>iita(;<>.semana de l7 a 22 do hez k
JILHO DK 1865.
Mercadorias.
Abanos.........
Agurdenle de cana ....
dem restlada ou do nio .
dem caxaca.......
dem penel.ra......
dem alcool ou espirito de agda-
ardeate ....,..
Algodao em carogo
Unidades. Valora.
c.-nlo
cariada

arroba
1CU
**>
0
JU
pago de dous raezes teem sido infructiferas,-com membros mais dislQClOS do corpo medical,' dem refinado
ludo esperamos que no predio prazo de tres dias, e que tem os tnicos defeitos de serem me- A7-1'.1'" de amendoim ou mondo-
elle os faga apresentar no cartorio, quando nao, re ihoreSi menos caros e m;lis procuraclos (J0 hJI,,-
os promenores desn nna todos qs rcme(,S de scus concur.
crinada
velaremos o seu nome como os promenores de facto menos digno, para por de sobre-aviso, todas "u *
as pessoas empregadas no foro desta cidade, afim rentcS.
de nao rahirem uas ciladas deste here, que por
seusacios vai (oraaado uma triste celebridade I
0 Lonco da Paraliyba
Os abaixo assignados interpretando a geral sen-
sago dos Pernambucanos, c lambem c.ordialmenle
Brjsipclla.
O medicaraenlo que cora mais influencia e ener
|ir tem combatido essa terrivel enfermidade, tem
sdo o xarope aicoolleo de veame.
Uma escrava da ma do Sr Francisco Firmino
maguados pela morte do nosso bravo e honrado Mbnleiro, pessoa bem conhecida nesla cidade,
comprovinciano o capito Pedro Aflbnso Ferreira achando-sede cama, e comas pernas bastante In-
no combate naval de Riachuello e condoidos do es- citadas, e chela de tomores, tomando o xarope de
lado inconsolavel o anuviada sorte de sua infeliz veame, icha-se boje boa, prestando servigos.
viuvaa Exma. Sra. D. Virgina Zenandes Ferre- A mana do Sr. Jos Francisco Pinlo, morador
ra nalural do Po Grande do Sul, e que entre nos na ra Direila n. 31, tendo sido acommeltida do
se acha anda joven, pobre, sem recursos, e distan- mesmo mal, acha-se tambera boa.
tes dos seus prenles e comprovinvianos, lendo a
seu cargo a educago de duas filhinhas herdeiras
unicamenles da estima, e honra d'aquelle finado, se
ho lembrado de promover uma subscnpgo, com
o fim de formarem um pequeo peculio com o qual
possa a mes ua viuva satlsUzer as suas necesida-
des, e garantir a educago de suas ditas filhinhas.
Xeste sentido, e para facilidade dos que quizerem
suhscrever, os mesmos abaixo assignados ho aber-
ra tres folhas de subscripgao por elles assignadas,
e collocadas oas seguintes paites : a 1* no e-labe-
leciraento do Sr. SeDasiiao Marques do Nasciiben-
lo, esquina das ras da Imperatriz e Aurora, a 2'
na roa do Crespo na luja do Sr. Augusto Hygino
de Miranda, e a 3a na ra da Cadea do Recife na
luja do Sr. Joo da Cunha Magalhaes.
Os mesmos abaixo assignados accerdaram
ser o caixa das quantias arrecadadas o Exm.
desembargador Anselmo Francisco Perelti.
Recife, 14 de, julbo de 1863.
Antera Manoel de Medettos Furtudo.
Antonio Carneiro Machado Ros.
Nabor Carneiro Bezerra Cavalcanti.
em
Sr.
H-LLg^-t-^-*-*
Tlieali'o de Santa Isabel.
O emprezario do Iheatro de Santa Isabel, Anto-
nio Jos Duarle Coimbra, constando Ihe que foi
designada nina commisso eucarregada de agen-
ciar uma subscripco em favor da viuva e dlhos
do distinelo capito Pedro Atlmso Ferreira, heroi-
camente fallecido no combate naval de Riachuelo,
A Sra. D. Senhorinba Umbelina dos Santos, mo-
rador na rna das Calcadas n. 38, achando-se ata-
cada de erysipella as cxas. com qualro tumores
bastante volrnosos, no estado indolente, que a prl-
vava de pr-s de p ha muilo lempo, ern o uso
do xarope alcoolico de veame e pilulas purgativas
do mesmo, acha-se res;abelecida, e no uso dos me-
dicamenlas os tumores .terminaran) pela suppura-
gao.
A Sra. D. Rita, moradora na ra de Santa Rila
n. 13, primeiro andar, soffrendo do rnesmo mal ha
mditos annos, pois que a erysipella alacava araiu-
dadamente, depois que lem tomado csse remedio
nunca mais llic deu.
Oujro? mutos fados desta ordem deixo de men-
cionar aqu para nao me tornar prolixo e enfado-
oho.
Sendo a erysipella tima molestia que sem davi-
na effe.iio de' materia gerada no corpo como ex-
pdera alguns escrii'lorcs de medicina, e em cense-
qacncia da febre c langada na nelle, onde produz
inilaminago, e que muilas pessoas, por nao se le-
rem convenienternenle tratado, suecumbem com o
pernicioso uso de que, nos tres dias nao devem
usar de remedio algum, o que faz-se eslender o
mal por nao se ter a principio combatido ; por is-
so, pois, conveniente que, logo que alguem s>'
sentir atacado de tal mal, deve provocar a transpi-
raco tomando ao principio uma collierinba de
cha do xarope alcoolico de vtame dlssolvrdo em
uma chicara de infosode flor de sabugueiro queli-
te, adogando-a com rnais assucar, continuando nos
tres dias oesse tra lamen lo, no fim dos quaes usa
amizade para com aquelle bravo militar seno pe-
los apoucados recursos de que dispoe, resolvea
dar brevemente um espectculo, cujo producto se-
ra' considerado como o contingente que assigna-
ria elle emprezario n'aquella subscripgao, em fa-
vor da referida viuva e dlhos.
e nao pudendo demonstrar os seus bons offiejos de ,ia do xarope de veame na forma prescripia no re-
ceiinario, lendo todo o cuidado de se abalar, afim
sodluar convenientemente, alm de conservar o
aentre corrente, que conseguir tomando uma ou
duas pilulas purgativas do mesmo -elame,
Todos quantos snccumbem desta molestia se diz:
falleceu de erysipella recolhida ; ao contrario
O commuuicanlc, que tanto acompanha de co-j alguns expositores presumen) ser o desenvolvimen-
racao os triumpho> das armas imperiaes e em ge- \ e| da pulrefaegao no sangue, tanto que o lugar u-
ral de todo e qualquer brasileiro, lambem se ins- \ flammado que, emo a sua cor era encarnada, se
pira das emogSes da angustia e chora uma lagri- troca em lvida ou negra, e termina em gangrena, e
ma sincera nos shos transes de dr. por essa razao que conveniente o xarope al-
Confia era que este seu contingente seja nqbre e coolico de veame na infuso de dr desabugo.para
cavalheirosamente robnstecido pela cooperago dos se conseguir resolver a inflammago, ou pelo me-
pernambucanos, serapredisti netos, aos quaes sen-! nos terminar pela suuporaco, impedindo assim a
te-se ligado ha vinle e seis annos, pelos lagos das'gangrena,
mais gratas tradig5es. Os effeifos do xarope alcoolico de veame appli-
Solicila desculpa, aquelles, em cujo beneficio of- cado ua flor de sabugo ao doente, nao s de van- '
ferece essa ardenle prova de sua consideraciio pe-' tagem por sua qualidade diafortica, como pela Salsa parrilta.
coco......
dem de mamona ....
Patatas alimenticias ....
Bolacha oidinaria, propria para
embarque ....."..
dem fina........
Caf bom .......
dem esculla ou restolho. .
dem torrado......
Caibros........um
Cal..........arriba
dem branca .... >
Carne secca (xarque) .
Carneiros .......
Carvo vegetal .....
Cavernas de sienpira .
Cora de carnauba em bruto. .
plcm idem era velas .
Cha .........
Charutos...... .
Cevados (norcos).....
CACOS (seceos)......
Colla........
Couros de boi, salgados^. .
dem idi'in seceos espichados .
dem idem verdes ....
dem idem cabra cortidos .
dem idem de onca ....
Doces seceos .".....
dem em golea ou raassa .
dem em calda .....
Espanadores grandes .
Idem pequeos......
Esleirs para forro de estivas
de navio........
Eslopa nacional .....
Farinha de de mandioca .
dem de aramia ....
Poyan de qualquer qudldade .
Frechaes .......
Fumo ern lolha, bom .
dem ordinario ou rcsiolho
dem em rolo Iwm.....
Idem ordinario ou reslolho. .
Calimbas .......
Goiiiina........
Ipccacuanba (raiz).....
Lenha em adas.....
Toros.........
Lnbas e esteios......
Mil ou nielaco......
Milho.........
Papagaios .......
Pao Brasil.......
Idem de jangada......
Pedias de amolar ....
dem de filtrar .....
Idem de roblo .....
Piassava........
Ponas, ou churas de vaccas ou
novillios.......
Piancbocs de aiiuirdlo de dous
costados.......
Idem de luuro......
Rap.........
Sabao .........
Sal.........
arroba
libra
oro
arroba
uma
libra

i
cento
um
rento
libra
um
libra
um
cenlo
arroba
47.\o
IUJMR>
l.>
MM
9$m
MM
I5)
3*W0
75VO
6<)
kV>
30
20
500
3!00
WIMKI
3fM
.TOO
TOO
IS--.00
UM
istm
600
l.
MI
103
330
105000
I 000
320
300
43000
200
153*100
1-31.00
alqneire 23300
arroba
c
um
arroba
uma
arroba

cento
>
um
ciliada
arroba
um
quintal
um
uma
moldo
4*-00
23*00
53000
14*101)
MtM
um
.33000
i>m
1I30UU
C*K)0
Sil
um
5-3000
MM
8U0
43<)i0
1I<0
120
cenlo MM
134:3413425 rs.
Fallec ra o majoi Juo Francisco Catete.
L-se rio Jornal do Para .
Consia-ncs que na fazena Pernambueo da pro-
priedale do convenio do Carmo toda a escravatu-
ra se revoltn contra o feitor havendo urna horri-
vel retrega e escarainuca em qne escapen o feitor
e mais alguem.
t D) batalhao provisorio marchou uma forga de
90 prScs ao commando do Sr. capito Clemente,
ajudaiii- d'ordem do Exm. Sr. marcchal de campo
e commandante das armas, a bordo
[lores ila companhia do Amazonas.
I Mauguinlio al Apipucos, Olinda e outros pontos,
, em consequencia do pequeo numero de assignan-
| les que temos por ah nao permillir uma paga a
[ elles mais crescida, havemos reunido a cobranga
i entrega do Diario; de sorte que taes individuos
' para receberem o ordenado da distribuigao, eslo
Paiiahva-0 algodao de Ia qualidade venda-se | no dever de reabsarem a cobranga como'condico
a 143300, a V a 123300 e a 3* a 103300 ; o assu-, disto. Solicitamos, portanto, a paga dessa pequea
quaolia ao apreseniar por elles dos recibos impres-
car bruto a 13200, o branco de 33800 43.
Sahio para Liverpool, a 8, a barca ingleza
Bclle Poule, com algodao.
A alfaudega rendeu, durante o mez de junho,
15;3325374.
L-se no Tempo :
De Mamauguape consta-nos o segume impor-
tante aoontecimento, que, entretanto, noticiamos
com as devidas reservas, atiento que nao possui-
dc um dos va- mos fuformagss circumstanciadas a respeito.
O Sr. l)r. Vital de Oliveira, que acha-se na-
Aule. hontein (30), s 5 horas da larde na igre- quella cidade, ha algum lempo, receilou para um
ja das Mercas, i>ur S. Exc. o Sr. bispo de Goyaz, doente de quera (ratava 12 pilulas em cuja compo-
houve sohmuement a bengao da bandeira do cor- -'gao entravara 2 graos de lariaro. Por equivoco
po de voluntarios da patria, ante .ara numeroso do caixeirc da botica onde aviou-se essa receita,
concurso de povo de ambos os sexos. Porinou apoz foro empreados 12 ern lugar de 2 graos daquella
a cere n na o corpo de voluntarios e acompanhou substancia em taes pilulas, cujo uso pelo doente.
sos e asignados ; e a omsso disto dar em re-
sullado a suspenso da entrega ; visto que nao se
Ihes ha de pagar distribuigao de asslgnaturas que
nao recebem.
No domingo tendo se reunido os accionistas
do Gabinete Porlwjuez de Leilura, aconleceu que
por circunstancias especiaos e pouco agradaveis
deixasse do fuuccionar a sessao, convocada para a
leilura da acta anterior da assembla geral e ap-
provago do re.torio da direego.
Tomou honlem posse e enlrou em exercicio
da chefatura interina de polica o Sr. Dr. Manoel
Clementinn Carneiro da Cunha.
Foi uoraead. interinamente para o lugar de
ajudanle do engenheiro director das obras publi-
cas o Sr. Dr. Jos Tiburcio Pereira de Magalhaes.
urna guarda de honra do corpo provisorio. Por es- como fcil de avaliar-se, trouxe-lhe a morte quasi, Conbecendo das habilagoes proGssionaes do Sr.
sa rnt-sma occa-o recebeu p commandante do
corpo a espada que Ibe foi oUerecida.
< .Xa porta da igreja foi entregue ao mesmo
command nie a referida bandeira, ricamente bot-
dada iur Igumas senhora para/enses. Iluiveram
vivas a iuusiiiuicau poltica do inmerio, religio
ealholica, a fumlia imperial e ao batalhu os vo-
luolarios la patria.
< O commandante prestoa e fez prestar o jura-
mento do eslyllo
.No aoartel de polica foi ofbrecido um replec-
to copo 'agua e um baile esplendido.
Dos jornaes do Per copiamos o seguiote ;
E-lando declarado o exercito em campanha,
foi, em o de ai.nl nllimo, upprimida a inspecgo
g-i.il. licando uma s secgo eucarregada do ar-
chivo; cr^ou-se o estado maior zeneral do exereito
la memoria do denodado militar da exiguidade da
offerenda.
Os bilhetes desde ja podem ser procurados no
esrriptorio do theatro, e o espectculo sera' an-
nunciado logo que o numero de bilhetes vendidos
poder garantir uma certa somma em proveilo dos
beneficiados.
anii-seplica para impedir a putrefaeco as rao- ^V''' e,n ''""''
|estias_ ; Idem em velas .
aerysipclla nao deve o enfermo nos pnmeros; ola cin vaqueta.
tres dias nsar de comidas e bellidas que possam
esquentar e inflammar o sangue.
A comida durante esse tempo deve ser do reino
vegetal, como sab', farinha do Maranhao, pao tor-
rado, bolacha, etc.
Anda nao vi axposilor de medicina que aconse-
Ihasse que nos primeiros ires dias de acommelti-
inentos do mal, nao se usasse de medicamentos ;
o que elles repellen) sao os ungentos, unturas qae
obstruem mais e repellen)do que promovem a eva-
cuaco d par fe ;o que couvm irazer o lugar
lacado e bem agazalhado para ajdar a transpira-
gao e defender do ar.
O verdadeiro xarope de veame vende se na bo-
lica da ra Direita n. 88, de Jos da Rocha Para-
uhos.
Tenho recebido carias de algumas pessoas de
outras provincias que me commuuicam ter desta
, cidade sido remedido o meu x'arope falsificado,
asestagoesdoannoosfruciosdessaplaBla,eare-;(Juel(,mdado reS(l|lado ao de,,red'il0 de mj|lha'
preparago, cujo conherimeato se tem verificado
A Jurubeba.
As virtudes llierapeuticas da jurubeba sao desde
muito conhecidas nao s no Brasil, pois que dellas
iralou Pisn em sua excellente obraHistoria na-
tuialts et medica wtiin occidenlalis. senio as
Anlilhas, onde o sueco das folhas e fructos eomo I
aqu, muito estimado e applcado contra as obs-
irucges abdominaes, principalmente do ligado e
bagj ; e se todos os facultativos desta provincia o
nao applicam com frequencla, isto se nao deve a
nao reconhecerem elles essas virtudes, mas slm a
nao serem encontradas rom facilidade e em todas
Tahuas de amacollo. .
Idem diversas. .
Tapiocas......
Talajuba.....
Travs .....
Dabas de boi ...
Vassouras de piassava
Dilas de timb. .
Ditas de carnauba .
Vinagre.
um
libra
>
alqueire
arroba

i
ama
(luzia

arroba
quintal
uma
Cento
>
caada
ill***)
l*H>
120
4im
253 WO
53000
7300
230) tf
1403000
33000
23000
t^NN)
200
I0J00O
D3000
MM
500
immediata. j Dr. Tiburcio nao podemos deixar de louvar a sua
Consta-nos que j est recolhido cadeia o. nomeago, para a qul inspirou se S. Exc. por cer-
caixeiro, que preparou lo desastradamente a re-, lo as conveoieucias do servigo -publico,
ceila. j Acha-se no exercicio interino de thesoureiro
O boticario que o principal culpado,,est ac-, das loteras o Sr. Jos Rodrigues de Souza, por ter. coccao das raizes da jurubeba, e Mrat e Doleos,
lualmeate no Recife. entrado no gozo da iiceoga concedida o respectivo j em seu Diccionario de materia medica e therapeu-
O caueiro menor, e, na ausencia do patro', thesoureiro. | tica, dizem que as An'ilhas se faz uso do sueco
pugnancia, que apresenlam os deentes em fazer
oso do sueco desses fructos, ern consequencia de
ser extremamente amargo.
A jurubeba nao desronhecid* dos botanistas :
esta planta pertence familia das solaneas, e tem
a denominago de solanum paniculatum, que Ihe
foi dada por Lyneo.
Parecendo-nos conveniente facilitar o uso do
sueco dos fructos da jurubeba, que o mais em-
pregado, nos propozemos e conseguimos preparar
com elle nao s um extrao alcoolico que pode ser
applicado em pilulas, mas tambera um vinho, um
xarope, e um emplastro que pode substituir, em
cerlos casos, o de Vigo ; e estamos persuadidos que
com isto prestamos um servigo humanidade e
Iherapeutica.
Pisn, tratando da bydropesia, prescreve a de-
dirigia o eslabeleciraento.
Esl estabelecido o trafego da estrada de.fer-! dos fructos maduros dessa planta contra o catar-
PERMMRUCO.
RKVIST MARI*.
O drama Punicao, do Sr. Dr. Pinbeiro Guima-
res, que sabbado ultimo subi pela primera vez
peruano, sendo nomeado para eorainanda-lo o bri- a sceoa pernaniburaoa, leve uma tradueco apri-
gadeiro D. Jos Allende, que era o presidente do morada era seus differeotes caracteres,
conselho de ministros e ministro 4a guerra .- ma- Foram tries cora effeito devidaoteute sostena-
rinha do gabinete de 13 de ouliibrt do anuo pa- dos, o es tras principaes, que cooiituem a forga
talo, o drama, que ao a sua alma, nao podiain 1er roe-
| ro, com excei cao da parte comprehendida entre
as estacrs de Olinda e Ip .juca, que necessita an-
da de reparos.
Foram promovidos por portara de honlem
para o corpo de polica os Srs.:
Joo Fr.nciscoda Cunha a, capito. -
Francisco Xavier Rodrigues de Miranda lenle.
Jos Francisco de Souza Magalhaes alteres.
Foi transferido da 4* para a 3* companhia o ca-
pito Jos, Pereira Teixeira.
Passageiros entrado dos portos do norte no
vapor Tocanliiu ;
Aulooio Rodrigues Pereira Labra, Joaquim Fran-
cisco de Carvallio, Antonio Pereira Leile, Emilia
rho vesical ; e a autoridade dos nomes desses m-
dicos, merecidamente celebres, nos leva a crer em
suas palavras, e por isto cuidaremos de ter em
nosso estabelecimento essas raizes,para que possam
ser experimentadas.
A repulacao da jurubeba tai, e os .resultados
therapeuticos oblidos ltimamente sao lo impor-
tantes, que nos parece intil dizer mais do que
isto, que fica escripto.
Deposito: pharmacia de
Joaquim de Almeida Pinto.
depois dos effeitos que taes renndios apresentava
assim, pois, tenho a declarar ao publico que no
letreiro que vai pregado na garrafa do xarope,
sompre foi assignado por meu punho, e daqui em
dame, alm desla assignaiura o farei lambem no
paucl que cobre a garrafa. Rogo ao mesmo pu-
blico que quando form assim engaados, lomem
lestemonbas, me relettam os rolulos falsificados e
me participen) para fazer eflectivo o art. 167 do
cdigo criminal do Brasil.
Jos da Rocha Paranhos.
Alfandega de Pernambueo, 13 de jnlho de 186.",.
(Assignados):
O 1. conferente, Jos Affonso Ferretrm.
O 2. conferente./oi> de Frutas Barboza.
Approvo. -Alfandega dePernamnc, 15 de iuDho
de 18G5.A. Eutalto. Jf
Conforme. -O 4. escriplarario, / da Silr Bt-
tencourt Nmnm.
RECEHEDORIA DE RENDAS INTERNAS GE-
IIAES DE PERNAMBUCO.
Itendimenio do dia 1 a 15...... 20:6IMM
Idem do da 17................ 1:3303855
COMMEBCIO.
Caiva filial ilo banco do Brasil em
Pc.i'iiamhueo.
A directora desta caixa saca sobro o banco do
Brasil no Rio de Janeiro e sobre a caixa filial do
mesmo banco na Rahi.
Novo banco de Pernambueo.
Os administradores da massa fallida de Joaquim
JoseSilvelra pagam o Io dividendo de dita massa
na razio de 9 0/0 sobre o valor des ttulos ad-
meliidos : no novo banco de Pernambueo
do Trapiche n. 34.
a ra
Vovo banco de Pernam-
bueo.
O banco desconla letras na presente semana a
2I9493S0O
CONSULA -O PROVINCIAL
Rend.mentododia I a 15.
dem do da 17.
76:1163*92
1:2813411
77:3993TT3
0YIME1IT0 DO PC1T0
Navio saludo uo dta 13.
New-Ym kVapor inglez Saladia, corfhtiandaaie
J. Man, carga a mesroa qae troaxe do Rio de
Janeiro.
Navios entradas no da 16.
Liverpool40 dias, brigne inglez Marmitn, de
204 toneladas, capito Wilbam Slarkiog*, eqni-
pagem 9, carga fazendas e ontros gneros : a
Paln Nash & C.
Para e portos intermedos-6 l|2 dia< vapor brasi-
leiro Tocantins, de 730 toneladas, commandante
! tenenle Pedro H. Doarte, eqnipttem 8.
Liverpool-40 das, barca ingleza H*4alo, de 17t
toneladas, capito D. Robera.eqoinafem car-
pa fazendas : a Johnslon Pater i C.
NewPorl e S. Viceote-50 dias paiaebo hagtn Al-
bino, de 138 toneladas, capito D. L. Bewtellier
equipagem 8, carga carvio ; a Saonders Bro-
thers C,
Barcelona16 dias brigae hespaanol Beatriz, de
A


tarto < PFMlu<" "- *PWI -^4*to4*jdfr#lttlalS5
n. 611 de 1 da.maio prximo pastado, me' sao as
segrales : JI^OG"- arios de Ido, serem seus
menores recolhstos nos eslabelecimentos
~a -
CQftftl GErll
Relafili. das cartas seguras viudas d norte filo
aper Totanlins para os senliuresjbai]
clarados :
258 toneladas, capillo Agostieho Domemech,
3qnipagera 13, carga vlho; a Maory Romaguea
Hijo A C..
Baha-i das, galera QJez. Mally Banks, de 79i provinctos de -edncarao 0" tempo'qeTti^erem
oneladas, caprtSo &*; equlpagem 15, era na gurra ser contado pelo duplo para o cao de
Mira ; a rM*JVMkid( C. Segwopara os por- aposentadora, e a em desias, tem todas as mais
B^-T^'t^^n .miele de .Tito- SrSS31^^
amas &****> ein ,m- s* po,c sswsar a= k arar
.Vic/os Mirtos ,o mpjmo da. ,___________ _____________ {.maso. Melchia-les Barata.
^gZBfaiiap..<**HD* Suito Casa da Misericordia rffiW"?--
- j t i> Ignacio Benlo de Loyola.
do Jieciie. J,u,i.0DrisarG-e castro.
A lllm.-junta administrativa da Sania Casa da 3Mtar?E>
son, carga assucar. Misericordia do Recite, auda az-r publico '
Canal-Patacho hollandez Htndrik a Hernn, ca- no dia 27. do crreme 'pelas 4 horas ff ES.?S SSSrtfcS de Slnna e Luz
pitao. P, Iluisraan, carga, assucar. sala de suas sessdes coulinuam a praca das ren- d- S
Rio de JaueiroCrvela a vapoi nacional Brasil, das das casas abaio deularadas por lempo de 1 a
command.nte o capilao tenente Heurique Anto- 3 annos a contar do Io de julho do corrente anno
por dianle.
. Do 1 re
d'"'f|rell,
\MM)
I
Arraida
f'i.i vci."io de mogno, mobilias na fr
fgurd;. louca, camas pancetas je e
SB O enge
;no Ju-a r> ij o''i'."'.'
|S, )M Ji
Ol.Win.U
araar.riffe Jacaranda, apareHios" de lenca, obras d gen
.............. (iftftANfflm
ia rraiiieziajdH i(,jgi \^in f,,:.'l|il>iani.! o'at A na /;./w >/l c/11/
-lar* ,la ens de massa;. para se safrejar eni grande es
"I0-! "!?.%.8T'" dg elj an-Udor de (gixo cala : a tratar no paleado Li mnenlo o! 2', com A' RCA DO CRESPO .1.5 i:cSs DO OHITSC
IBilheles xarnadlaa*.
a meo, candleiro* a gaz, cadeiras avulsas, mar- o r. Ignacio Nery da Fonseca.
iquezis-Jarga* e ejlccilas, commodas, .lavatorios, "H
O abaixo asignado venden ii.is -cu-
^
banquinhas para junto de cama/ quarlinlieiras,' .^^J^SP.ho* J l0''*a '
madras eom flQas grasuras,-- Sogios de ouro ali'u'^ trna-arcaessob boas gara
ca-
Rio da PrataSumaca hespanhoia Mercedita,
[ na i Jayme Norres, carga agurdente.
CanalBarca ngleza Fawrtte, capitao A. Roberi
iii Baptisla.
Liverpool pela Parahibafirigue ingloz leUta, ca-
pilao Isaac Service, em asiro de assucar.
Navios saludos no dia 17.
Portos do sul Vapor br&sileiro Tocanlms, com-
mandante 1 lente Pedro II. Duarle.
Canal-Escuua holUndeza Tamjso Styse, capilao
R. M. Kleio, carga assucar.
Rio da Prala-Polaca hespaphola Anlilla, capilao
Ra das Larangeiras.
Casa terrea n. o partiuaf e !7 pu-
blico. i.
Ra do Raagel.
dem n. 6 partrcnlar e SB publico. .
Ra do Rosario da lija-Vista.
dem n. 14 particular e 58 publico. .
Rna do Amorim.
I .. i..'..'_____MBMH
TlfEtTIttt
06#000
3005000|
IG8000
Juo Maristany, carga assucar e agurdente. dem n. 48 particular 36 publico.
Obsen-aco Hdem n. 36 particular e SI publico.
Suspendeu do lamaro para Parahiba a barca lina do Azeite de Peixe.
ingleza Artes, capttao Thomaz Reide,com o mesrao 'dem d. 63'particular e 14 publico,
lastro que trouxe do Rio ile Janeiro. I Ba da Cacimba.
Fundeou no lamarao urna escuna ingleza, mas dem n. 6o particular e 5 puWico.
4003000
9650001
s
'logins
prata, escravos de ambos os sexos ele, etc.
-ilini;ll-fer* i9.i|f c^ple as li
horas
NO GRANDE AllMAZEAJ DE LE LE
_______________DQA G ENTE
OLYMPIO.
36-Hna da Cadcia do tteclfe-36
olas.

Leilo de escravus,
I .0 aman Knt4imiU*H*y a-Myinwfwi,- 4o O.
Xa ra dos Gojlhos n. 10, se dir quem faz z.es ""heles garantidos .la lotera qu se acM;-j
deextrahir, a benelirio da annlia- As lun
larios da patria, os egnintes |-r in:n> :
l'm quario n 2770 com a s-re de K:0lh4l).'
Lin rneio o. H9i) com a -i/rt? .: I..
Un meio n. 80o com a sorle de 'toi*u
.S"* cuitas sones de II,, >#, j a
Osiossuidores podem virren.er secs rep-.
livi.s premios sernos des)oli-da? !'.,.,
da rortuua a ra do Crespo i.
Acham-se a venda oa da I* parte da I lotera
{-%') beneficio da matriz de Auna rreta
se extrabir sabbado ii .i rorrenre
PRBO.
Bi I heles.....1nn
Meio!. ..... atol
Qnartos. .... IS5J0
C ementina Tbeodora da Silva e por despacho do
{lmaSr. Dr.-i(jizjjeot;phaos de differenus ,ee?a-
fs,*rite eHs a(juBsteiijlrc4ieos, as i &,irs
f**AM*majiliiMi>auuazdivda ra da>C*kia.
; n. 62.
nao leve cooimumcac.o com a Ierra.
Nao houveram entradas.
EBITASS.
Domingo
dem n. 67 particular e 10 publico. .
Ra do Vigario.
Sobrado de 2 an Jares n. 72 particular
e 27 publico........
Ra do Encantamento.
Sobrado de 2 andares n. 76 particular
e H publico.
13a recita da asslgnatfira.
xtfooo Qaarta-feim 19 de jaMio de
1445000 18fi* !
83*00 ... --,, Um ^^'r^^ euro com 26 podras de bri-'
5005000
LHLVO'
-DE
TeC* al?ons prenles e amibos do finado
major K,l'ro Alfonso Ferreira de fa^er cele-
brar mlssV e ci,i'3r um niement- hoje pelas
7 hpras da nj.'T,a na lgr?ia ,nalriz da Boa-'
Vista pelo repot n Hprttr' do n*esmo flhado,'
lecido e todosquaoTss '"w um tes*
lemuMjo de rei,oubt'CrBe.,',.uafsF''o a mef
moria esse bravo e ntpiu qefensof dd
oasfciacirtiJiiaoVa^'sttain^ 6siaci,
de piedade, mandado celebrar nao "n. e"
hoora a*cnz4S como no proveilo esi>'r'lua
do finado. '''"
::i-
Jira cima. *
Bilhetes. .' .~ wam
Meios......57.10
Qrtcs.....iiii
Ma.xoel !
fara as pesaaa* fue c
c IiWii i
o lLpr
leo
l>wg'*"lw,-lf 4mmamt ,,.4 .^^^ ^j, pra;
imiogos AITonso Nery Ferreira, commendador ldein <^m n. 77 particular e 13 pu-
das imperiaes erdens da Rosa e de Chrlsto, coro- I*"00..........
9OO5OOOI
9005000!
pu-
atl commandanie do I-balalhao de infamara RuadaSenzala Velha.
da guarda naciaual deste municipio, commau- ^a;a terrea n. 81 particular e 18
dante superior interino, 1: presidente do conselho blico.........
de revista-a raesma guarda nacional por S. M. Itl Imperial a quem Dos guarde ele. | Ra da Guia.
Faco saber, que na lerceira dominga do presen- ldfm 84 parlicular e 29 publico. .
te inez (23 do correnle) se reunir o conselho de Ra da Cruz,
revstanla guarda nacional, na sala das sessoes da Sobrado de 2 andares n. 87 particular
cmara municipal desta cidade, as 10 hwas da e '* pubHco.......8825000
manha, afim de lomar cotihecimento dos recursos I Ra do Pilar.
que yersarem sobre os casos no art. 33, e que to- r-asa torrea n. 92 parlicular e 103 pu-
rem intrrposixs pela mam-ira determinada no ari blico..
2005000 :
2OO5OOO Jul*..........
1445000 m*
Ir'!T nrrii!na':,,rB'1,ir'J lJo Sr. Dr. Francis-'vla *mHHmm,6 mrlfc, ttl< 0. o"d Te
PlnbWro Guimaraes, remes pWeeiras, obras de prala, .1o em bule*
fmmAams

D. Eugenia.
D. Camilla.
D. Juanna.
. atna.....................
Comftiendador Cartro.......... Coimbra*
Ali*"5....................... Amoedo.'
Joao'Manoel.................... Porto.
,._ ----------'-------........... u. ,.. 1 niiiaau uu 1111. .wv..........
Jbdas instiuecoes n. 722 de 4Sde outubro de r830. dem n. 9.1 particular e 101 publico .
E para constar mandei publicar pela imprensa. dem n. 94 particular e 99 publico. .
Quartel do commando superior do Recite lo de Wem n. 97-particular e 110 publico.
juiho de 1865. dem n. K)0 particular e 104 publico.
Domingos Affnso Nerv Ferreira. 'dem n. 101 particular e 102 publico.
> lllm. Sr. inspector da ihesouraria provin- Idm 10o particular e 94 publico.
:ial,em,-umprmem-odaordemdo Exm. Sr. "pr- Secretaria da Santa Ca>ar7e"Miserico7dir^ em acl0'
2005000
2005000
2335000
20051X10
20O5000
2005000
2005000
Salvador....................'.
Ouilherme..................'.'
O vigario...................
0 doutor....................
l'm pagem...................
Capangas...................
A aceaopassa se no Rio de Jaai
Epora aclualidade.
Borges.
Lisboa.
Pinto.
Gol maraes.
Peixoto.
N. N.
O astecarejro como em coliieres para soupa e cn.
dnartu-feira 19 de julho.
P->r intervengao do agente Pinio, no arraazem da
ra da Cadeia fl. 62, por occasMo do leilao de e~-
1 era vos.
LeiTo
.De urna frdirfa com ama pnrelha de cavallos.'
^0 ntero Ah do dia i9 do corrente.
Por iotervenc)- do agente Pinto em frente ao
armazem da ra da Cadeia n 62.
Lclo de movis.
Sexta-feira 21 do correnle haver.r leilo de mo-
vis, louca e crystaes por Inierrengao do agente
! I into, no mesmo armazem.
Ama de leite.
Prec^a-se de urna anu* leite que seja sadia e
tenba bom leite : na ra eflreita do Rosario n. 32.
segundo andar.
Alagase ama ama .-scrata pa7,a~todo~o!r-
tiQo de urna casa : a tratar na ra da Imperatriz
numero ??.
Preeisase.de urna ama para comprar e coz-
nhar para casa de urna familia : a tratar na ra
do Hospicio n. 60.
corte
Ctab Pernainhacai).
portilla liudez 4ejuJu lera Ip-ar r,
'lo (fia,20.
Alu^u--e
B mba
a casa terrea na ira ttmJ* n,:?-6*IH *
salas, 2 quartos, cozinlia lora, q>!.r'u, imti
a Iratar na ra do Sebo n. 24.
Precisase de~rha~Mna para 1 ittTT") -
urna casa de duas pes^,, arad i, -
bem : a rqa de Horias n. |:iy.
1
da tin
-- Aluga se um silln perlo a' pirVa rm
nha "iodos para grande familia : iuem urrteB4-r
*ri-
i O Sr. Ignacio firanda l'inheTrc"
deixou de ser caixeire da rasa de Joaquim Jos i so a'ra d'o Crespo n' 8 B
; GoBjjalyes Beltrau, no dia 17 de Julho de 1803. J v. *. ~rr --
, ------r;:------------------------'-------------.__ -'a ru* .-iMompcao, na e-nnn d.i i*
Frecisa-se de um eaixeiro que saiba ler, es- das Carvalha precisase de nm
meniB m i
creyere contar, e que lenha alguna pratlca de anos de idale, se for porlogoez nv-llnr *a,"
padaria, abonando sua capacidade : a tralar na lenha alguma pralica de taberna '
ri do Rosario da Boa-ViMa n. 53. ------.i,..c A------i-------r---------------
fflffl-sn-SSfSB-Miiis >*t** ,. A'W-e nm pnmeiro andar na roa da Pe-
mMMWMm MMM MWM^M nha : a ,raUr n,) mondo andar do mes
siden:e da provincia manda fazer publico que no Recite 15 de julho de 1865.
uia 17 de agosto prximo vind..-uro, perat-te a jun-' 0 escrivo
ln Ja da meSma llle'ou,?ria' se ha de ar- F. A. Cavalcanti CousSero ;
rematar a quem por menos lizer, os reparos de__________________ "-seiru
2,09bracas correntes na estrada do sul, do mar O aba.xo assignado. lancador da recebedoria'
8.000 bracas ale o porlao da barreira da ponte de rendas internas geraes, lendo de da oriaZ o I
dos ..arvalhos, avenados em 5:3135000. no dia 17 docerrente mez aol irabaMios d fS
A r.rrernMapao sera feta na forma da lei pro- memo do bairro do Rrcfe t\ -ootldl m'
v-nna n. 313 de 13 de ralo de 1834, e sob as o arl. 37 e seus do decr to t U de marro oV !
clausulas espcc.aes abaixo copiadas. 1860, dos impostos a f
As pessoasque se propozerem
imitacao de Jos Caribe dos Santos
0 viaho doButalha.
Principiar as 8 horas.
0 Dr- h
mm diversos m
ancisco i i res
Portclla
Machado
MEDICO OPERADOR

que esto sujeitos as tejas e '
Rio Cirnnde do ni
O veleiro patacho C>/rosegne no da 19 do cor-
AVISO
Os Srs correspondentes; tas
< ssignantes (kste Diario, no
eentro da provincia e as de
Wiuis do imperio, queiram
nha : a tratar no segundo andar do mes.
Rernardin > da Costa Ferreira. oV
ptin, vai a Pbrtogal iratar de sua no*, ',v:T i
por seus bastantes procaradores, era ugar e Sr
Joaquim Doroingues F-rnandes, > o Sr. Jf >n
Ferreira da Croi. :|- o -en .*jrio Vart-t-l -, -
n.'u Seixas da Puwcci.
'**'.
PELA
jlgjl Quprn prensar de alujar n- .i
Fculdade de Pars, | cozmha btK,Mpnaa mil ...
rente
com
E p ^constar se mandou publicar o psenle suas ^^SMffSB
buco 13 de julho de 1865.
O secretarlo,
A. F. d'Annunciacao.
Clausulas espciaes para a arremaiagao.
1;' As obras dos reparos da estrada e embarrea-
menlo, entre o marco de 8,000 bragas e a barrei-
de arreadamente de
de base
.ual princi-
aes da alfandega, lar-
onceicao. Cadeia, Cruz
mandar satisfazer o importe
u.w.u ,...,.. i/-ji 1/ svjnc uu uia i uo cor- ; ,
i. Pode anda receber alguma carga : trata-se "d dUSl'pVltUra para nClO /a-
ra da ponte dos Cirvalhos na estrada do sui,sera-
feitas dr conformidade com o orcamenlo mnlo u
imtwriancia de 3:3135.
orcamenlo junio na
go damesma, arco da y,w
Liogoet, Torres, becto do Abren, Tanoeiros, Tra-
piche praca do Commercio e Vigario.
Jos Theodoro de Sena.
Obras publicas.
Pela reparticao das obras publicas se faz scienie
que na ponte da Tacaruna j est livre o transito.
eral principiar as mencio-1 IsSKSSrSrto ^'^ ^"^^'^
approva-l
nadas obras no preso de 13 das e concluidas no
:.-.io la arrema 13(90.
3a 11 pagami nlo ser realisado como determina
o artigo 79do regulameuto de 9 le julho de 1864
e a respoosaWlitlade da eolfega deliniiva s ser
;., piieavel aos caicaineates e aierros dos mangoes.
'f i'ara tudo o mais que n&o se tem especifica-
do nis presentes clausulas, >e.>uir-se-ha o que de-
termina o regulamento cima citado.
C- nformeA. P. d'Annunciai;ao.
O lllm. Sr. inspecior da Ibesooraria provincial,
v;m cumprimento da ordem do Exm Sr. presiden-
:_ da provincia, manda fazer publico que no dia
_'/ do crrenle, peranle a junta d;, fazenda da me-
ma thesoprana, vai novaraente a praca para ser
arrematado a quem por menos rizer o fornecimenio
dos medicamentos e ntencii precisos a enfermara
da casa de deteucao desla cidade, servindo de base
a anvmalaco e offerecimenlo d- 20 % de abale
nos precos do respectivo formulario, feito pelo lici-
lile Jo.- da Cruz Santos.
A a rr.'iii ata cao sera teita por te.npo de 11 mezes
a contar do 1 de agosto prximo vindouro.
E para constar se maudoa publicar o presente
pelo jornal.
S r laria da thesouraria provincial de Peroam-
', i i de julho de 1863.
O secrelario,
A. F. da Annunciacao.
O lllm. Sr. inspector da thesouraria provincial,1
em cara irimento da ordem do Exm. Sr. presidente I
da provincia, manda fazer publico, que no da 20 I
d 1 eorrente, presente a junta da fazenda da mesma
Ihesouraria, se ha de arrematar a quem mais der,
uau porcao di; madtira vella a arruinada, que li-
ca da obra da poule da Tacaruna, avahada em
oOJO'jO.
A maceira acha se junta a mesma ponte, onde
pode ser examinada pelos pretendentes.
A arremaiafo lera lugar ao meio da, sendo as
propostas um carias fechadas.
K para con-lar se mandou publicar o presente
pelo jornal.
Secretaria da thesouraria provincial de Pernam-
buco, 14 de julho de 1863.
0 secrelario,
A. F. da Auuunciaco.
O lllm. Sr. inspector da thesouraria provin-
cial, em cumprimento da ordem do Exm. Sr. pre-
sidente da provincia, manda fazer publico, que no
da 3 de agosto prximo vindouro, perante a junta
da razenda, da mesma thesouraria, se ha de arre-
maiar, a quem por menos fizer a obra do erapedra-
mterino,
Manoel LoureDco de Mallos.
Arsenal de guerra.
0 conselho de compras do arsenal
precisa comprar o segrale :
Em virtude da ordem da presidencia de 11 do
Para provimento do almoxarifado.
20 arrobas de cabo velho de Hubo.
10 ditas de estepa de embira.
2 duzias de costadinhos de pao carga.
1 arroba de rame de ferro.
1 quintal de ferro em verquinhas de 1 Ii2 oitava
DE
avegtca) costeira por vapor.
Parafeyba, Natal, Maco. Aracaly, e Cear.
No dia *2 as o horas da tarde,
segae o vapor Mamanguape
para os-por+os cima indicados.
Recebe carga desde ja' al odia
21 ; enOmmendas, passapeirose
omhyro a frrteai as horas da tarde rfo dia da
sabida : escriplono no Forte do Mattos n. 1.
Para o Para, com -scala peio Maranhao, pre-
lende sabir era poucos das o lugre Emita, capi
lao Bernar.Tfno no'Irigii'es "de Almeid, tem a
maior parte da carga tratada, e para o resto que
raes falta, tratase om o consignatario Joaquim
SGoncalves Bellrao, na ra do Vigario n. 17
Inslituto Archeolugien e lieographico Pernam-
lincano.
Hiver sessao ordimria quinta-feira, 20 do cor-
rente, pelas 11 horas da manhaa.
ORDEM DO DA.
Trabalhos e pareceres de commissoes
Secretaria do ostiiulo, 17 de julho de 1963.
J. Soares de Azevedo,
Secretario perpetuo.
~
8
regressando a esta provinci, acha-se
prompto para o excrcicio de sua profis-
.-io, quer nesti cilade qaer f >ra delta,
especialmente em molestias de olh s (ca-
taratas, etc..) das vas urinarias (eslrel-
lamento de nreihra <<.?.,) e de pelle : pa-
ra cujo curativo se julg-i habilitado,lten-
la a pralica, que leve nos hospitaes de
Par;s, e s modernas instrumento;
possue.
Encarrega-se de collocar olhcs artlfi-
ciaes.
Pateo do Carmo n. 2, esquina da ra
de Hortas.
-crav .
. mmi > rr
ni-.os para enanca-, dirija e *, pateo *,&> u.
Ib. sobrado.
i
1
- Pode
qiH
ver noc.irt-.ri. do Sr. Porftrarniro,
onde 01 passada a rserfcfMre.
J. L it. 1+mm.
juta m- M^
mmm
Jos
de guerra primeiroaudar,
LOTERA
.VOS 0:000-3000.
EStaS ."ift r^^5ffSSa?WflBfti:
[Olera (-S) a beneficio; modidade po*ie o perlence n-. verso da .lila letra
Ao pnblsco.
O abaixo assignado preWoa ao Sr. Antonio Pe-
reira do Lago Guimaes, de nao pagar o salda da
letra da quamia de 1295770 rs., sacada em 1860
por Francisco Jos Coelho e aceita pelo Sr. La^ i
Guimaraes, vencida em 1861, seno ao abaixo as-
signado, visto que ten lo-se dado para cobrar o
saldo, ao Sr. Joaquim Francisco de Albuq .erque
Santiago, aintervencao de-te para cdirar esse sal-
Para a Bahia
com moita *JSStj8> ^t Sanio AmSlo ^ ^^ '" ^
lugre Emilia, capilao Bernardi- f .-m Antonio,
no Itodrigues de Almeida, por s D'">elos, meiOS e quartOS esto a ven-
tera maior parle da carga ira- Ja na respectiva thesouraria a ra do Cres-
tada, e para- o resto que lh*s po numero io,
illa trata-se com o consignatario Joaquim Jos
Sabbado 22 do
r a i*parte da 1
da matriz de Agua Preta, no consistorio da esqueenudo-sHe declarar que s havia a cobrar i)
diio saldo.
E por-jue pensando melbor boje, reconhece que
pode dar-se duvidas futuras faz a presento deca-
racao, rogando ao Sr. Santiago de rectKuir-ihe a
letra, estando o abaixj assigdado prompto a pa-|
gar I lie qualquer trabalho que para COnraaca des- i
mmm imm&
ti O r. Caroliao Praactaen i
yu, los conlina a morar na rui d Imp- ra-
j^ dw 11. 17. >cgundo audar, !-i..i 1
g| gabinete de consullas medicas, logo ao W
M enlrar, no pnmeiro.
^ O mesmo doulor, qne s* ten dad-> ao JK
?^ esludo lano das upe rages cuto. das mu- !
M leslias internas, presta se a q-ialqn-r rhi
'W nudo, quer para dentro qoer para lira IP
wp da cidade. je
mmwtt mmmi* xxmi
Vndese duas carrreas, urna para nal
ira para cavallo, sendo e.ia com la-iro oir-ute,
propria para carregar barrica* de farir.ha de ;h$,,
lenha, etc., ambas com uso, por preco mam rom-
modi' : a tralar nu paten de S. IVdr n. \.
eseja-se saber qa-m o prowrwiari > -1
do sobrado n. 66 siij na roa J- !l>rt... n> zia
de Sanio Antonio.
31
\w
de grossura.
8 ferros para soldar folhs de Flandres.
14 jogos de alicates.
As pessoas que quizerem vender ditos artigo
anresenlem suas pr-postas'na sala do conselho 110
da 19 do orrenie, as II horas do dia.
Sala do conselho de orapras do arsenal de guer-
ra, 13 de julho de 1865. O encarregado da e<-
cripturacao,
_____Manoel J.) de Azevedo santos.
O Il|m. Sr. inspector da thesouraria provin- da tard
nal, em cumprimento da ordem do Exm. Sr pre- -------
sidente da provincia, manda fazer publico, qne no
da 20 do corrente, peranle a junta da fazenda da
mesma thesouraria, se ha de arrematar a quem
mais der. nm lelheiro que existe junto a ponte do
Motocolombo, avallado em 185.
A arremaiacao lera lugar no referido dia pelo
lia. sendo as propostas em carta fechada.
Goncalves Bellrao, na ra do Vigario" n! 17 1
metro andar. '
C01IPA.XHIA l'EKNAMBICA.VA
DE
."Vavegaco costeira por vapor.
Presidio de Fernando.
Seguir' um dos vapores da COlO de coslume.
R8S.%Sn? SS ftSSd0 lhr"eiro'
ra'carga, encommendas, pass.v JOSe itodrigues de Sour.a.
reiros no dia 23 at as 4 horas
escriplorio no Forte do Mallos n. 1.
se saldo lenha tido. Recite 18 de julho de ie65.
____ Estevao Jo.- da Multa.
Os premios de C:0005U0 at lu00
serao pagos una hora depois da extracc3o
at as i horas da tarde, e os outros depois
da As encommendas s rao guardadas so-1 'iuem a aci
mente at a noite da vespera da extraccSo: KOe,a 3*qae ser l,e,n compensado, assim co-1
No dia 13 as 6 horas da tarde fugio urna ara-
ra sendo toda azul por cima e por baixotoda ama-
relia, e levou tres qaalidades d) correte no pe :
achou ou della souber leve-a a ra da Un-
Gariifiro da
mo se pede que ninguem a compre, pjs ella
bem conhecida por todos os visinltos sendo que
baja alguma duvida.
And fgido na fregezia da B>a"-Vista~e seus
laldes. um escravo, prete, Idade 30 annos, ca- j
0 Sr. Arsenio Antonio
SIS" ,n?ir; ver3 pnca da iwtss Tuir ws
inaepemiencia n. 0 e 8, que se precisa que sera recompensado
fallar. 1------v,,.... ... t.____ _:------------------
para alugar mu
Rio (iramle do Sul
Segu nestes qualro dias o bngue nacional Sahu
e recebe carga a frele.
rtirit ljISOO. O Sr- Jos Coulinho do Reg Dantas que mo-
Sahe por todo este mez de julho o bem conhecl r,0^ ""J m"ra no tD8enr"' Goiabeira, lenha a bon-
Osear lyer vai para o Rio d Janeiro.
Xa ra do Livram nlo ha ,
crjado, escravo, apio para lodo servico.
commodos. trata se com o consignatario Thomaz bo,ra do p*'le 19'
O secretario I^Ta Fon*ee*' na TQ\P Vigario n. 19, pri- Alogse nma esnava crioul, moca, sadia,
A. F. d'Aonuociacao "' Com e Cap'tad na Praa- eom oilo-leite, e muito carinhosa para enancas:
Par o Porto q-rn a p""'^r dinja^-a rua tww* ?
O administrador da recebedoria de rendas'
internas geraes faz publico, que em virtude da al- sahir por todo este mez o brigue portuguez Untio
teracao 3 do decreto 2719 de 31 de dezembro de, recebe o resto da carga e paUge.ros e traas
nao julgando conveniente que conlinuem' cm o consignatario Thomaz de Aonlno Fons'ca,' dor fi deserventes.
1860,
LriP.der^03 eot'r;,l,ors os conhecmetes do 1- rua do Vigario n. 19,>rimiro"anr"woii "eom o
semestre do exercino de 1864 1863 dos impostos capilao na praga.
de__20 0|0, imposto especial e decima addicional de
Fuudicao do Bowman.
Precisa-se de serraiheiros, de um molda-
i

UU8SS.
ment, naextensao de 133 bragas no lauco da es-
!.r^ :LBular!' a ci(Jade d ^oiaona, avahada em
::. A arrematado ser feta na forma da lei provin-
cial n. 313 de 13 de mam de 18'to, e sob as clausu-
las espciaes abaixo declaradas.
as pessoas que se propozerem a essa arremata-
. 11 coraparecaoi na sala das sessoes da referida
|o;it;i, no dia cima rneucionadj pelo meio dia e
c-iiupeleniemente habilitadas.
E para constar se mandn publicar o presente
pelo jornal.
.S-rretaria da thesouraria provincial de Peroam-
buco, i de julho de 11*65.
O secretario
A. F. da Annunciacao.
Clausulas epectaes para a arrematacao.
I-' Empedraroento de 153 bracas correntes no
lanco de estrada de Bujary a Goianna na impor-
lanciade 1:364*000, ser telul de conformidade
">m o re;pecttvo orcamenlo, e as instrucgSes do
ngenheiro encarregado da liscalisaco dos traba-
Ihos.
2.' Os pagamentos serao feitos em duas presta-
roes tguae.-, a primeira quando estver executado
n.-iade le todo o servico ; e a ul ima na concluso
do irabalho.
3.* O arrematante comecar os irabalhos at o
dia i. e etembro e os conclaira at o ultimo de
i uiubro do corrt-nte anno.
4.* O arrematante nao ter direito a indemni>a-
cao alguma, qualqner que scja a nalureza di afle-
gacao, alvo nos casos previsto* por lei.
5.a Em ludo o mais que nao vai especificado Das
presentes clausulas, seguir-se-ha p que dispoe 0 re-
gulamento de 9 de julho de 1864.
Conforme.AfP. da Annunciacao,
LELAO
De 1 guarda roupa, 1 mubiba de amarello, 1 ma-
china de costura, 1 guarda louca, 1 secretaria
mao-morta, ordenou o recolhnnento delles, princi-
piando pelo bairro de Sanio Antonio, eujo-debito
e superior ao les miis, allm de proceder a liqui-
dacao de conr#wni'l*le corn osrtigos 4- o- das
instrucQoes que acompanharam o decrete 2334 de
ib de fe veratro de 1859, qpe em quanto se est
organisando a relacao dos dvedores do referido
bairro, Ihes permeitido virem aqu pagar os seus
dbitos abra de evltarem a eobranca judicial.
Recebedoria de Pernambuco 3 de julho de 1863
________Manoel Carneiro de Soaza Lacerda.
Pela thesouraria proviVciai-se "faz~pblco
que a arrematac.Ta da obra da concluso da cas
da cmara e cadeia da villa do Bonito, foi trans-
ferida para o da 20 de julho prximo vindouro. -OnTJ1E3
t^Tinm^^T^m^0^ Te^feipai8^WTOtea8 ll horas
A. F. d'Annunciagiio.
Alnga-se a parle da casa n. 9 da rua das
Aguas Veriles: a tratar na mesma.
Semana lllustrada do Rio de Janeiro
Ass^gna-se na rua do Crespo n. 4: tres mezes
j 6, seis mezes i 1,3, um anno 1S________
Precisa-se de urna ama para casa de duas
pes'oaj_na rua da P|,"ha '3, prtmeiro andar.
Alugam se dous grandes sobrados com com
......- modos para numerosa ramilia, novos e'aceiados
U, i ', cartera, l cama franceza, 1 com- com jardim, coeheira, estribara e utras" commo-
moda 1 lavatorioi, 1 santuario, 2 aparelhos de didades, na travessa de Joo Fernanaes Vieira
porcelana dourado, t dito azul, quadros, eadei- a tralar na roa da Senzala Nova n 42
ras, mesas, candieiros a gaz, lanienja1?, ' relogios de ouro e prata, correles de ouro e i ~" d S,.lva RT0S iose>* ler nolicias de
outros muitos artigos de oslo ,or"e fere,ra ,'*""I P3" P"der tratar de ne-
Precisa-se de urna ama para o servico interno e
externo de urna casa de pouca familia : na rua da
Senzala Velha n. 22, segundo andar.
Alngam se dous quartos independemos de
O Dr. Cosme de Sa Pereira cml-
na a residir na rua da Cruz i M,
Io e 4 andar, onde pude ser procu-
rado para u exercicio de sua fruta
sao medica, e com especiadaile
sobre o seguinte
Io molestias de olhns;
2o de peito :
3" dos Hipnos pfni-
ti orinan'..
Era seu escriptorio os dwntes s.>- |
m rao examinados na on!tn di suas
I entradas comegando o traLam p-.-
' los doentes de olhos.
Dar consultas todos os dias das
6 as 10 da manha, menos nr-s do- j
mingos.
Praticar toda e qualquer opera- i
M
cao que julgar conveniente para o
prompto restabelecimento dos si'us
loentes.
m

5
favalbfurt.-tilo.
No dia 12 de julho furlaram doengenl...
I:n,
um sobrado da rua da Senzala-nova, um por 3-3 e freguezia da Lu, um cavallo ra; > rod*J. i.t^u l.
outro por 65 rnensaes : na praca da Independen a caro, de idale d-- 7 anm s, plmci m
ca ns. 6 e 8 nos, lem os siznaes sfnintes : qnatro prs calra-
deixou de ser caiTeirn d?'uma "l.re"a ua Wil*>deve ler s,oai ** t""''"-
5 r.l e tiradeiras e lem na^rna qm foro : I -
se as autoridad-* i>oli.ipsa aripret-j.,, *, r ...
ir '-
Jos Antonio Basios ^
de Manoel Fernandes Ma;carenha.
Aluga se orna casa terrea sita na rua da Glo- mo.e captura do ladranf eqnem o levar
na da Itoa-Visia n. 36,_com 3 quartos. 2 salas, co- rido engeoho ser receren nha fura, cacimba e em bom estado : trata-se
nos Coelhos rua do Jasmim, cora a viuva de Anto- Precisa-se de uma senhora tur sV',i
i da Cot Ribeiro e Mello. _____ ; p.da a quali-lade de costuras : ym -mv n ..
~~~m^m eircumsiancias appareca na rni &> Qi-im.l- m.
49, que se dir quem quer.
A Henead.
dalena) onde morou o nwVMMr Mawdo, runa i
commodos para familia : lrali-se no la go do
Corpo Sanio n. 19, escriplono.
gocio de seu interesse em consequencia de ter seu
pae fallecido ltimamente em Lisboa.
Precisa-se alugar um escravo para o servico
interno e externo : na rua do Queimado n. 29.
No armazem a rua da |Cfuz o. 57.
Souraria-poviocial se fa^bLco, fara leilao ffUifS^ofSofobjectos aci-' ter"a bufe"? Elarr^o? l^DianoTr
foi te%aSaanCara dV-" SUS? ** W"'r8* ** quanto !^%^m^. M taY&SS.
fo. transferida para o da 20 de julho prximo vin- ... J ^-------------------.. ____ nho a D. Loiza Antonia de Jess Siqoeira
0Se?ear,a da thesouraria provincial de Pernam-! "f? 6 80 SS* COffl "^
buco 28 de junho de 1863.-0 secretario, Hf) IP
rn--------^-F" d'AnnWnacao. I 0 agente Peslana vender em leilao para fechar
I ela thesouraria provincial se faz publico, conta por cont de qtiem perteneer 80 ejnaslras
3U_0:A!rrem,alaca" d ol'ra do quartel da villa de u"0 mauncas d'alhos em um ou mais tetes e sem
Notas do banco do Brasil e das caixas liliaes
descomm-se na praca da Independencia n. 22.
c.,1.1,:__ 7-------1 "" *" oo r. -"y -iiiuj cu, um uu luam liles e sem
Sm?.'1 transfer,da para d'a 20dejulho limites : hoje pelas 10 horas da manhaa no ar-
prximo vindouro. mazem do
Secretaria da thesouraria provincial de Pernam- alfandega.
buco 28 de junho de 1863.O secretario,
Aluga-se urna boa sala e alcova, ambas mo-
buhadas^ em frep'te as prVBflipaas ras da Boa-Vis-
la : qlifem retender annuhcie.
A. F. d"Annunciago.
- A thesouraria provincial marca o praso de 30
das para o pagamento do imposto do calcamento
das ras Nova e do Sol.
. T Soda 20 do correnle, depois da audiencia
mazem do Sr. Azevedo defronte da escadinha da MBUel PWCr Jollliston A Coilinailtlia
airandea- i Rua da Senzala Nova n. 4.
-------7--------- ------1 AGENCIA OA
Leila de caixas com vmlio muscalel. i'-undl^a deiLow Moor.
Uir Machinas a vapor de 4 e 6 cavallos.
nini d-i.., ; i m- IMoendase.meias moendas para erlfeenho.
?aSSS^S^ -Pr_,co.nla e W s de ferro coado e batido pJrieSgJl
.\a 0raca do Forte do Mallos n. 10, sobrado de .,
I* andaf,; se dir quem precisa de 1:2005 a pre-1 AlOjRa-S
io, dando-se endocanle nesta praca. > "'asa terrea da Ilha do lteiir-> (P***at*m a
(ii-ande armazem de tintas.
BA DO IMPERADOR N. 22.
O armazem de tintas um grande deposito de
productos chimicos utensise os maisempregados
e usados na pharmacia,pintura, photoraphia. tin-
turara, pyrotechraia;fogos de artificio) e em outras
industrias.
Montado em grande escala, e supprindo-se di-
rectamente as principaesdrogariasdeParis, Lot-!
dres, Haraburgo, Anvers e Idsboa, pjle otfereiteer
productos de plena confianca e satisfazer qualquer j
encommenda a grosso trato e a relalbo, por precos
raoavels.
Prvidos de machinas nppropriadas satisfar
com prompiliiad i|iitlqu9r pedido de tintas moidas
a oleo, cuja qualidanee pbreza de seus ingredien-
tes poder ser examinada pelo consumidor, o uue
'"-. *""* !ortada,
de quem perteneer de cairas com vinho moscatel
em_lotes a vonlade : hoje pelas 10 horas da ma-
deira de amarello, por execuco de Joaquim Jorge
de Souza conlra Pedro Celestino Mindello.
DSCLABAflS.
Lonvida-se as pessoas que esli as condi-
-.oes do servico miliiar. i eogajarem no corpo de
polica e gorarem das vantagens da lei provincial
Correio gcral,
A pessoa que estiver habilitada para co-
nbecer signaes de navios e quiaer ser em-
pregada no servico de ajudar ao telegra-
phisU da torre do Collegio, dinja-se a ad-
ministraco do correio a fallar com o ad-
ministrador.
"l
LEIIAO
De nm cabriolet americano de 4 re
das.cumarreios e 4 rodas de so-
brecellenle.
QuarU-feir'a \9 de julho ao meio dia
em ponto.
Arreios d carro para un e?dous cavallos.
Relogios de our patente inglez.
Arados americanos.
MI hias para descarocar algodo.
Motores para ditos.
Machina* de costura.
A pessoa^qtt anuOeloo lavar e engommar
muito bem e mais barato do que em oulra qualquer
Aurora n. 60, para contratar.
a\t (441 fa*er cfcm aqul tts me sao i rap
e rru* sncontrata no rherfadb em latas fecnadao.
Tem grande colleccao de vidros de dlfferenws
formatos, desde uma oitava al dezeseis oncas de
capacidade ; de vidros para vidragas e diamantes
para corta-ios; de pioceis para fingir madeira com-
propnedade e onlros; de papis dourados e pra-
teados e folhas de gelatina para ornamento; de
papel grande e pequeo formato de vanas cores
para embrulbo, para forro de casa, para desenho
cora fundo j feito;de papel albuminado e BrisU,
verdadeiro saxe para photograpbia e para filtrar,
e outros ; vernizes de essencia para quadros, de
espirito para madeira, copal para o interior e ex-
teuer; oleo graxo, oleo seccaUvo, oleo de linbaca
,clajicajde Harlim oure
verdadeiro em po ; prala, ero, e estamho em fo-
lhas de varias cores; timas vegetaes, inoffew
vas proprias para conteUarias; la de cores, e
olhos de vidrds para imagens; tintas em tubos e
telas para retratos ; tintas em pastis a em p pa-
ra aqoarella; essencia de rosa superfina, de ne-
roly, jasmioij bergamota, asple, patchouly, mbar,
poaqaet,ljmao, alcaraiva.melissa, ortela pimenla,
loorc-.coreja, alfazema, juinpero, Portugal, lima,
aolsOa Russia, canella, cravo e maitos outros ob-
jectos-qae s com a visu podero ser mostrados.
Joao Prfro rl rente.
Joao da ailva Ramos, medico pela Tni
versidade de Coimbra, da consultas -m
sua casa das 9 as 11 horas da manhaa, e
das 4 s 6 da tarde. Visita os doentes
em suas casas regularmeme as horas
para ism designadas, salvo os caso ar-
gentes, que serao soccorridos em qual-
quer oeeasio. D cossulias aos p.,br^s
que o procuraren! no hospiial Pedro II,
aonde encontrado diariamente: das t
s 8 horas da manl.ia.
Tem sha casa de sade regulrmele
montada para receber qualquer do*nte,
ainda mesmo os alienados, para o qoe
tem eommodus apropriados e nefla pra-
tica qualquer operacao cirurgica.
Par a eva de same.
Primeira rrasse3#n00diarios.
Segunda diia.._ 24.MW
Ter'ceira dita.... 2^000
Este esiabelecinienl'o j bem acredi-
tado pelos boas servico qne tea pac-
tado.
O proprielario espera que Un eontt-
Be* nwreeer a confianca de que sea-
pie tem gozado, i
I
de familia
cnafarii.
AUfA.
na rua do BHwV ,' *VCe
>
Alng se o primeiro andar do sobrado da rna
de Santa Hita n. 35, caiado e pintado, coa coa-
modos para grande familia, e pwpreco moave! :
a tratar no segundo andar do mesao.
, Na praca da Independencia n. 33, teja de oari
ves, compra-se ouro, prala, pedras precio,
tamhem se faz qualquer obras de eicimmenJ*
odo e qualquer concert.
./v
Tu
i\ /r-i


Diarlo 4c reraa
... Tere IclM 1S ote lulhoae 1S&.
PHOTHOGRAPHIA ARTSTICA
DE
25 Ra Nova (esquina da Camboa do armo) 25.
Os propietarios deste estabelecimento, desejando satisfaeer os numerosos.pedidos de seos freguezes,.acabara de receber de seus rrespondentes de Par s, uro grande
sortimento de rebatos (cartees de visita) das personagens as mais celebres da Europa, assim como receberara tambera urna quantidade de alneles e cassoletas para retractos, do
mais apurado gosto e por precos muito diminutos. ,.
Os mesmos aproreitam a occasiao para prevenir ao pnblico e recordar aos seus numerosos freguezes, que ellcs trabalham todos os das,
[la manb5a at as 4 da Urde e que os temr os de cbuva nao influem em nada para o bom successo dos retratos, pelo contrario o sol entrt
domingos e (lias santos das 9
horas da ianb5a at as 4 da tarde e que os temr os ae cnuva nao iniiuem em nana para u uui entre invens ( rivel
snhre todo* os nonio* tanto pela rapidez da operaco, como pela commodidade das pessoas.
sobre ^^ng quaiiidade de pessoas que tem visitado este estabelecimento nestes dous annos era que se acbam estabelec.dos nesta cidade, e que nao sera menos de cerca
de fi,0OO a 7,000, para ellos urna garanta futura, poslo que se appliquem lodos os das, para que todos saiam contentes e satisfeitos.
D'IODURETO DUPLO
de FERROeQUININA
MEDICAMENTOS FRANCEZES AFAMADOS
A VEID1 EM PEA]fIBU0
Em casa dos Srs. Caors e Barboza, ra da Cruz n. 22.
r
Os elementos ferro, o iodo c a quino., a collocao no primeiro
grao das prcparacdcs ferruginosas. Ilasla atteslai
seus resultados btidos pelos Mdicos dos hospi-
laes. e os relavories dos praticos mais eminentes
que conlirmrfw sua poderosa cflicacia as se
guinies affeceoes:
Mlngoa no nuncur^
Prut|iirB.
Viieiiiln.
Clilaraw I Ictericia,
M<-n(ruo,
AITcccOc do tero,
SuaorranoCH ilan re-
BM dciru-:li-n na
infnitruHffl,
Affrcro puliimimr e
plilhUlru,
Mi Ir.I la- d rHlonm&o,
GMHtralKintt,
l'< rdii TapucUle,ata.,
CoinMlcrcncadclon
ftHM IIIOlt*KllU,
HOlt'oilHH CHCIOulO-
aaa,
Paprlrn,
olKirciprn diin ali.n-
.liiln-,
Illimoir Irlo,
Tmiiorcn brunro,
lili' liili.i.m.
.\frc-~*e enWtWim
i ii la 111i ) r-.
FefeMM }|iliolde,
Iii'i lsn>. ele, C PASTIULW
JGESTIVAS
i^y^mmmmmm
[DE PEPSINA!
m
Vejaos'- os bulletins de therapeutica medica
e cirurgica de 30 de iwvembre IKliO; a Gaicta
dos hospitoes de 8 de jutko ISO, etc., ele.
AlOm da* pitillas de iodureto duplo de ferro c de
quinina de liebillon, &s Mdicos aconsclluio
igualmente o Xarope d'iodureto duplo de
ferro de quinina do mesmo aullior para as
pessoas que nao gostao de medicamentos sob fr
ma pilotar c os meninos. F.ste xarope nao tem
como o xarope de alterar-se c de se nao poder conservar.
Pcca-se o folheto que se d de graca em casa
dos pharmaceulicos depositarios.
Para se evitarem falsilicacocs, exija o com-
prador cm cada frasco de Pilulas ou Xarope a as-
signatura do inventor.
Depsito geral em Paris, pbarmacia Rebillon,
li. ruc du Bac, c em todas as boas pliarmacias
de Franca e as dos paizes estrangeiros, etc.
Mrr-nni^ ---"^--__
As pastitlias digestivas com a pepsina de
Wasman, emprog.lo se com successo lia" j
alguns annos |clai5 celebridades medicacs de
Paris. Londres Vienna, etc.. em todas as in-
commodidades em as quaesadigeslao dillicil,
penosa, imperfeta ou mesmo impossivel: cis
o melhor remedio jara cural as.
{ttfcCrulatiM, (HarrhrMM c n con(l-
ItlHUCIINiUH, |lll-O |ir-lUEldUi
Emba-arossrlro* url<> -Inliariirt'N
V -:(,1,!l-. dc*frl(llO**tHdOHUll-
A nWi II aun opcdnl- nicntu.
rmm do -sloiims, I
Sua BCcO vivifica o sanguc c os rgaos de
lal sortc que, atli as pessoas que sem soffrur
as alfeccoes gstricas cima mencionadas sao
nicamente tracas ou d'um temperamento um
pouco dbil, c necessito substancial alimento
para forlilicar-se, aellito no cmprgO das pasiil-
has de pepsina de Wasman,um podero.o tncio
para a isso cliegar.
Aviso importante.--Osoetcssods paslilhas
a pepsina de Wasman leu causa a se fa/.crem
lalsilicai.oes e imiUcoesu'cssu producto qua os
mulos >c qncrem desfazer. Poia por Falta
(Turna lioa preparacao a pepsina que n'ella
entra, j;./. alterada. Seremos ao abrigo d'estc
inconveniente, exigiiulo os compradores que as
paslilhas lenllo as iniciaos D. P. c saiao da
phannacia Chevrier.
Depsito geral em Pars, pliarmacia Chevrier,
21, Fanbourg-Monlmartrn, e mu todas as boas
phannaciasde Franca e dos pai/.csestiangeiros.
^POENGAS
CURADAS PELQS
XAROPES DO DOUTOR DANET
1. CoiiIi-b mu CLICAS DOS MENINOS MHteft
r durante a dcnllro
(Xarope de rynoglosse e de acido succinido)
K 2. Contra a TOSSE CONVULSA e a TOSSE
NEKVOSA
(Xarope de ejnoglosse c de leo voltil i\e raecino]
N 3. Contra n COWtl.CES lOS MENINOS
A CIIOItA
(Xarope de cyuojilosse e de acido volntil de suceinoj
Estes novos productos preconizados na Aca-
demia imperial de Medicina de Paris silo cm-
pregados com grandissimo successo pelos mdicos
de Franca para o tratamento das molestias do
meninos cima indicadas, e yierSo cneber um
vacuo importante na therapeutica, no que loca as
alfeccoes da infancia, para as quaes, atb liojc.
anda se nao pode indicar tratamento racionnal-
neni infallivcl.
[Peca-s o prospecto em casa dos pliarmaceu,
ticos de|)ositarios.)
Prcco do frasco em Paris. 3 Ir.
Para se evitarem as falsilicacocs. exija o com-
prador que cada Irasco tenba sobre os rtulos a
assignalara Chanteaud.
Depsito geral cm Paris, pbarmacia Ghan
teaud c em todas as boas pliarmacias de Framv"
le dos paizes estrangeiros.
MASSA e XAROPE
DF. CODENA
DJ
BERTH
As experiencias clnicas e comparativas
dos Snrs Magendic, Barbier d'Amicns, Wil-
liams Gregor, Martin Soln, Aran, Viga,
C. Dumont, etc., membros do Instituto de
Franca, niedicosdos bospitaes de Paris. tem
provado que a ilassa e Xarope de Berth i
o remedio o mais seguro contra todas as
dores nervosas e tendo a propriedade de
calmar com admiravel rapidez as tosses rebel-
des e extremamente fatigantes da grippe (ca-
tarrlio epidmico defluxo. coqueluche ou
tosse convulsa, bronchilc e tsica pulmonar.
A Massa e Xarope de Berth, se
acliao em todas as boticas.
Para evitar qualquor
falsilicaci''.exigir cm<
cada produto o nomc
c a fuma Iterth.
Deposito eral em Paris, em casa de MENIER,
Ra Ste-Croix-de-la-Bretinnerie.
CompanbJa fidelidade de segaros $
mariiraos e terrestres
estabelecida no Rio de Jaueiro.
AGRNTS KM PERNAMBUCO
m Antonio Luic de liieir \iefdo k G,
MK competentemente antorisados pela dlrec-
?5 toria da companhla de seguros Fidelida- j
jf de, tomam seguros de navios, mercado-1
m ras e predios no seu escriptorio ra da
Perdeu-se no dia 16 do corrente desde a ra
Nova at o avent do Carmo um Maco de urna |
tita de ouro de urna palseira de jarreleira, sendo
provavel ter sido na occasiao do Te-Deum : quem
achou e qoiier restituir, dirija-se a ra do Labu-1
ga n. 7, onde ser gratificado. ___
Na ra dos Pires n. 54 ha para alugar-se
urna escrava para todo o servico.________________
Precis-se de um caixeirocom a tdad? de 12
a 16 annos : na ra do Raugel n. 8, deposito.
Precisa-se
de aprendizes para a oflBcina de marclneiro, na ra
do Imperador n. 18.
CONFIAS.
Compra-se efectivamente ouro e prata em
obras velhas, pagaodo-se bem : na ra larga do
Rosario n. 2i, luja de ourives.
Silvino Guilhenne de Darros compra e ven-
de effcctivamenle escravos de ambos os sexos :
roa do Imperador n. 79, terceiro andar._________
Ouro e prata
em obras vidhas : compra-se na praca da Inde-
pendencia n. 22, loja de bllhetes.
Comprase ouro, prata e pedras
em obras velhas: na na da Cadeta
leja de ourives no arco da Coaeeicio.
Compramse libras esterlinas
praca da Independencia n. 22.
Rival sem segundo
Roa do Queimado ns. 49 e ;>;, Itja de
iniudezas de tres perlas, esl^iei-
, manilo tido hen e barat-, wm q-
zer ver e admirar vea.aai i l*ja H
Bigodinhn.
Caixas de papel amizadp, e sem ella liso Matado
aftOOrs.
Grozas de bo'.oes de loora prateados fa irada ma-
derna a 160 n,
Duzias de penna de ac fazenda boa a VO r>.
Pecas de tranca de la lisas e de todas rurr* a
40 rs.
Escovas finsimas para limpar denles a 210
320 rs.
Pulceiras de conlas para senhnras a 500 r$.
Pecas de tila d cs estrellas com 10 varas a
320 rs.
Caixas coin clcheles fiancezes, soperiores qiuli-
dades a 20 rs.
Tinleiros de barro, com superior liria a 100 r*.
Pecas de cordo para vestido-, Uzrmla boa a
20 rs.
Baralhos muito tinos para vollarete a 200 e
240 rs.
Frascos com agua de Florida a II e 142*0.
Frascos com superiores bauhas a 500 rs. e H.
Frascos com banba, porm pequeaos a 100 e
240 rs.
Latas com superior banba a 200 r-.
Frascos de macaca perola muito tino a 2ti0 rs.
Frascos e garrafinhas com agoa de CohMia a
tOOrs.
com superior agaa de Colonia a
oleo de baboza a (00 e
preciosas,
do llecife,
Compramse libras esterlinas
Crespo n. 16, prtmeiro andar. ^^
oln-e, laln e chambo.
Compra-se cobre, latao e chumbo : no armazem
da bola amarella, no oilo da secretaria de po-
lica.__________________________________
Ima casa.
Compra-se urna casa terrea no bairro da Boa-
Visia : a tratar na ra do Vigario n. 13, primeiro
andar, das 9 horas da manhaa as 3 da tarde.
Compra-se um sellim ioglez, que esteja em
bom estado : na ra de S. Goncalo n. 16.
YENDAS.
Os granulos de bismutli de Chevrier em supe-
riores a todas as outras preparacoes de bismulh
empregadas antes com o maior successo pelos m-
dicos de todos os paizes, para prevenir e curar as
DE CHEVRIER
atontlan de IiuhiIo,
A Irlcricta,
ral plturi'io do contrito
IltirrM IIom rlnn,
lllarrhriiH rhronlcM,
Di enlerlaS,
Doren il''Nioiiiico.
nyupt-pnlan,
Depsito geral em Paris, pliarmacia Chevrier,
Man dlsoMlora,
QmaMiMm,
Gaatralulaa, ele.,
Pelas commissoes em grosso, dirigirse aos S
Oi>|>rr fiiMi,
krritoeiM deheVi^o e c em'todas as pharmacias e Fran?a e dos paizes
da matrim, etc. estrangeiros.
WILLAERT e BERGER, comisarios em drogara, 11, ra Saint-Lazare, Paris.
SnnnBaHnBBnta*a*affallllllllBianatataffaffataH
ASTHMA ASTHMA!] ASTHMA
Sulloeeeii ervo* e ppressao
nico remedio efficaz para combatter estas mo-
lestias, acalmar um attaque d'asma e impedir a
volta o Xarope aromtico de Succino (mbar
amarclloj do Dr Danet. Descobcrla inleiramente
recente, este novo producto se tem propagado
com extrema rapidez gracas aos admiraveis resul-
tados que tem sempre produzido.
Deposito geral, na botica Chauveaud, 54,
ra do Commcrcio, Paris-Grenelle, e em todas as
boticas de Franca e do estrangeiro.
Frascos grandes
640 rs.
Francos com superior
oOOrs.
Canas com 12 frascos de chebo muito fiaos a
14100.
Sabonetes pequeos de bolla a 240 rs. r grandes a
320 rs.
Saboneles de familia a 120 e 200 r*.
Dnzia de saboneles pequeos com rbeiro a 300 r?.
Agua dentiflce superior qualidade a HOO n.
Caixas com superior p de arroz a 800 r*.
a 94600, na Frascos de superiores essenrias saaul e oolros a
____________ 14200.
' na ra do Frascos com essencias para lirar aodoas e roupa
a500rs.
Frascos com ebeiros de lodos os precos a i$, 1Mi,
240 e 320.
Frascos bonitos com cheiro3 fios a 500 rs.
Duzia de meias muito linas para eahora a
44800.
Gollinhas muilo finas para senhora a 200 rs.
Caixas com soldados de chumbo para fiaos a
160 rs.
Duzias de rolheres de m tal para cha a 800 rs.
Ditas dita dito para sopa, fazenda la a \f*i
Varas de cordo bramo para espariilno a 40 r.
Pegas de lita de la para debrum de ve>tMiu, rom
10 varas a 600 rs.
Ditas de bicos superiores, para acabar a 600 e
800 rs.
Pedras de lousa para meninos a 160 rs.
Caixas de lamparinas para 3 mczes a O rs.
Bunecos d' choro e panno a 160 rs.
Caixas com bonitas estampas paraiap* a 100 r*.
Capachos coinpridos, lioa fazenda a .100 r*.
Grosas de boioes pequeos pretos para caica a
100 rs.
Todas estas fazendas para hqoidar, p-1- todc
est em perfeito ilsdo, isio garante o doao do es-
ta belecln.eiito.
LOJA DO BEIJA FLOR
Na ra do Queiaado i 63.
Tendo recebido um sortimento de boni-
cas de churo, que chamam papal e mami,
com cabelleira de cachos.
Tendo recebido tira variado sortimenio de
V NAC10JN AL
Companhia geral hespanhola de seguros mutuos
sobre a vida
AUTORISA.DA PELO REAL DECRETO DE 21 DE DEZEMBRO DE 1859
ma lianc era iHnhein, ministracao da companhia.
W*%Wl.
RANQUEIROS DA COMPANHIA
O llanco de llcspanha
DIRECCAO GERAL
lladrld : Rna do Prado d.IS
Esta companhia liga pelo systema mutuo todas as combinacoes de superviencia dos segu
sobre a vida.
Nella pdesetazer a subscripcaode raaneira que em nenhum caso mf.'iro tri n
DE
J. VIGNES.
!. 5o. RA DO IMPERADOR M. 55.
Os pianos desla amiga fabrica sao boje asss couhecidos para que seja necessario insislir sobre a
sua superioridade, vantugen.se garantas queollerecein aos compradores, qualidades estas iocontesta-
veis que elles tem deliuitivainent; conquistado sobre todos os que tem apparecido nesta praca ; pos-
suindo um teclado e machinismo que obedecen) lodas as vontades e caprichos das pianistas, sem
nunca falhar, por serem fabricados de proposito, e ter-se feito ltimamente melhoramentos Importan-
lissimos para o clima desie paz ; quanto s vozes, iSo melodiosas e flautada*, e. por isso muito agrada*
veis aos ouvidos dos apreciadores.
Fazem-se confoime as encommendas, tanto nesta fabrica como na do Sr. Blondel, de Paris, socio
correspondente de J. Vignes, em cuja capital foram sempre premiados em todas as exposicoes.
No mesmo estabelecimento se achara sempre um explendido e variado sortimento de msicas dos
garado se perca o capital Demos juroscorrespondentes a estes. ,,.,,., ,.,! melhores autores da Europa, assim como harmnicos e pianos harmnicos, sendo tudo vendido por
-'.........*.....A-........* "-edades da ndole de A NACI <, niHn.0 r*,ML\
Sao to suprehendentes os resultados que produzem as soct
DAL que ainda mosmo diminuindo urna terca parte do interesse produzido em recentes liquidai
ees combin-ind i-o com i martalidade da tabella da Oepareieux que e adoptada pela companh-
seaaealnoiose liqaidaeoes, em segnrados de idade de 3 a!9 annos, umaimporsicoannua.
precos commodos e razoavels.
para
de 1004 produz em effectivo metlico:
No tim de '6 annos.
> de 10 > .
de IR > .
de 20 .
de 25 >
1:1194300
3:9424600
11:2084200
30:2564000
80:3314000
as idades menores de 3 annos e maiores de 30, os productos sao mais consideraveis.
Prosp-'ctis e mais informacoes serao prestada* pelo sub-direclor nesta provincia.
Joaqaim Fiuza de Oliveira, rudaCadeia n. 52, ou a Boa-Vista rna da Imperatriz n.12,estahel
ment dos Srs. Raymundo.Carlos.Leite & Irmao.
C01NSLLT0R10 MEDICO-ClItURGICO
0 castello de Grasville.
Traduzido do francez por A. J. C. da Cruz.
Vende-se este bello romance em quatr
tomos pelo hatatissimo proco de 3i00C
ua praca da Independencia, livraria ns.
DEPOSITO "
de pao e cestas, roa largado Rosario
Damero 36
A este estabelecimento chegou hontem nova re-
messa de obras de vime e gesta, aqui se acham ao
alcance de todos os freguezes para os rescem-nas- hpinmiP(in(. nara mPniiios s-n cidos, bercos de palha, alguns destes de cabeceira Drinqueacis para meninos, st noo ep*ia>.
coberta, hlalos ou voadores para criancas apren- espingardas, pistolas, tambores ; lulos
derem a andar, cestas finas de meninas de escola para meninas : apparelhos de alilo e de
eniiar no braco, cadeiras de vime branco para as janlar (Je porce|ana e de metal, porta-licor
viagens nos vaprese recre.to dos terracos, uande- r...,,-,.. jua r ,. Iia, ..s,, .,(.,-.,.
jas de vime para roupa engommada, cestas para elaqumhas a 28U rs. o par ,tUM querefi-
acondecionar roupas de passar das fra, ditas do continuar, vende mais barato do i|oe em
para deposito de roupa suja, acafates pintados com outra qualquer parte.
P para fructa, sobre-mesa, condecinhas pequeas Vende-se tiras bordadas de diferente
para encher de doces seceos, rondecas de todos os a KabnliK rollar iiImk e mi-
nmeros, actales branco* de consiiu.cao Tortee larguras a I,,6 Dat ntios, coiiarmiM e pu
de lodosos nmeros, obra de Braea, cestas de MMM para senhora, bordados e abetos d-'
arco para compras no mercado, mohos de gula renda e lisos, os mais modernos (joe s
para postura e eriaeo de canarios do imperio, ba- pnjern encontrar.
laios de cores com lamia e sen ella para cotura v.-iule-sp la nara hordar ik> diverja
grossa, acafates redondos e compridos de cores Venae-M taa para Dor.iar_ o, imer.as
para criadas (amas) fazerem as compra*, gigas de qualtdades e de cores clara* a i a libra, e*-
vime grosso para padana ; estes sortimentos eos- pelhos d columnas de Jacaranda a sm<">.
ditos brancosde diversos Umunlios, caixiobas
para estajos de navalhas,
Vende-se penles de all*ar com costts metal a l, ditos de dilTercn es qualida'ies.
lindas gravatiuhas para senhora de diferen-
tes gostos.
Colheres de metal prlm ipe.
Vende-se colheres de metal principe para
tirar soupa a 2-3, ditas para cha a >''<*"
ditas para soupa a l.-SOO a duzia : nesta
loja e encontrar sempre om grande e va-
riado sortimento de miudezas: ra do Qnei-
mado n. 63, loja,do beija-flor.
Du
SEGUROS
MARTIMOS ]
CONTRA FOGO.
A Companhia Indemnisadora
estabelecida nesia praca, Uima seguros maritiroosl
si.bre navios eseus carregamentos e contra fogo em
edificios, mercadorias o molilias: no seu escriplo-
rio. roa do Vinario n. 4, pavimento tarreo._______
Alnga-se urna casa-terrea na ra Augusta n,
I2 : a tratar na ra Nova n. 59, primeiro andr.
mmmm mmm-mmmm^wM
fc O bacharel
& Francisco Augusto da Costa
jR ADVOCADO
Ra do Imperador numero 69. ^
mmmm mmm mmmmmmm
Camas Jde ferro.
GrazUe sortimento das melhores que ha no mer-
cado : 0,2 ra Nova n. 33.
m
me
Atiu se precisa de urna ama para coi i-
5 nhar e ogommar para tres pessoas : na
5R iua das,s>-uzes n. 37, sendo pessoa mori-
K perada e ftue se possa entregar urna casa.
WMmmmm iws m\
; mmmmi
O hachara /oo Diniz Ribeiro
da Cunha tem eseriptono de advo-
cado na sala do serrado n 38 da
ra do Queimado.
mmmmwmmmmmmmmm
Precisa se de om rapaz portoguez que.tenha
preUea de taberna, dando fiador a ma conducta :
ri'.G^mpo-Verde n. fio-
RETRATISTAS
Firmino & Lins
' Htf cstabelrcimento de reta-
tosa Mi \ o va n. I :i, rau-
dal-, junto ao Sr. Gaulier, >
dentista. ^
SE Tiram retratos todos os oias, das 7 horas ^S
da manhaa as 5 da tarde, qoer chova ou Jjg
mnio- w
Tambem se offerecem para ti ra retra- g
9 los de pessoas fallecidas, dentro on fra fm\
jjSK da cidade. W
g Os annunciantes desejando acreditar o *
9$ seu estabelecimento, garaniem ao publico
K que nenhum Irabalhosahir de sua otlici-
S na,sem qoeno seja perfeitamenle acaba
{$ do, ea voniade do fregoez.
DR. PEDRO DE ATTAHYDE LORO HOSCOSO,
MEDICO, PARTEIRO 12 OPUR1UOR.
3Ra da Gloria, casa do Fundo 3
Pharmacia especial horneopalluca,
Acha-se
turnamos recbelos de tres i-m Ires mezes, sufO-
ciente prova de que os vendemos a precos muito
razoaveis.__________________
Vende-se urna borra de ferro grande
em per fe i lo estado e por commodo preco :
na ra do Apollo n. tX______________________
Semeules.
Vendem-se gementes de hoi talicas muito novas:
na ra da Cadeia n. 30.________________________
Pofassa da Enssia
milito nova e superior : vende-se no escriptorio
de Manuel Ignacio de Ohwira & Filho, largo do
Corpo Santo n. 19.______________________
Carriteis com 300 jardas.
A loja da Aurora, da ra larga do Rosario n. 38, vpnda na |,vraria acadmica, na roa do Impera-
recebeu grande sortimento de carriteis de linhas ,jor. pa do Sr. Nogoeira, junio ao arroda Sarit i
de 300 jardas, a qual de muito boa qualidade, e Antonio ; e na typographia imparcial, na rna -
tanto seive para cozer com agulha como para ma- ,rejt;i ,j0 p,,,5ar0 a eompilacao u> ixt l^fnlaci;
china : quero pretender comprar desia linha man- tendente adminisiracao, a arrecadario e f* jli-
0 Dr. Lobo Moscoso d consultas gratuitas aos pobres todos osdias das 7 s ti dea 'a -a Aurora na ra argado]Ronrkrn 38 saco dos dtefceirus deorpMos dwunios f ao-en-
Y ""'"" "*""v" o r pois a nica oa que recebeu desU qualidade de tes. heraocas Ucete*, ecados. etc.. roaMnt a;
horas da manhao, e das 6 e meta as 8 horas da noto, a excepcao dos das santificados. ;nha e vende gg J__________ J oTegimen de cusas % a geVa S
Vende-se um escravo moco que j foi de en- coes, como tambem lodas a* ordens e avna 0
goveroo, que a ludo tem explicado, lano a resuel-
to das obrigaces iuhereotes ao careo do antena-
es empreados de jusiica e fazenda. c.mmo **.ii-
reitos oaciooaes e emolumentos qiw aV*i**.
Este livro contendo mais de 700 paginas em aMMat
impressao e bom papel, e prestando -e a oiilida4e
de dlfferentes classes, tornase reroiumraaavH.
Seu cusi lOfOOH por cada eiempiar em V*a
tomos.
JAUTAS.
Vendem-se excelentes batatas pelo diminuto
preco de 400 rs. o gigo, e em poreao ftnVW aignm
genho : a tratar na ra lo Mondego, olaria n. 13.
No mesmo consultorio ha sempre o mais approprtado sortimento de cartetras-----------------------------------------------------------------------
tubos avulsos, asaim^ti^ precos seguintes. ^^tr^
de 24 tubos giandes. 180000
> de 36 tubos grandes. 240000
de 48 tudos grandes. 300000
> de 60 tubos gran les. 350000
Prepara-se qualquer carteira conforme o pedido que se fuer, e com os remedios
que se pedir.
Um tubo avulso ou frasco de tintura de meia onca 10000.
Sendo para cima de ti cuslaro os precos eslabelecidos para as carteiras.
Ha tubos mais pequeos cada um a 500 ris.
LITROS.
Suerda, depois do becca do Espinheiro, nos Af-
ielo?.__________________________________________
~L0l(AS, VIOROS E
A lojadelouca da ra do Crespo n. 16 tem para balimenio : no armazem doSr, Ao-vrdo der-uie
vender quantidade de azulejos de lindas e variadas da escadinha da alfandega.
cores, assim como loucas de todas as qualidade*, f
de bonitas pinturas e go-to moderno, ricos appare- / q( tifi LlSwM.
Ihos de porcelanas brancas douradas e de cores, v ,,. eX(.e||eDte tt, no,^ nltiniinuli c-e-
vidros d todas as qualtdades, inclusive limssimo
EMPREZA
DE
ILLMINACAO A GAZ
Armazem a. 31, raa e Inperaeer.
Para mais regularidade do servieo tem a empre-
za resolvido to somenle vender ou apparelhos,
etc., deixando ijite os-rs. consumidores chamen
os rnachinistas que mais Ihes agradarem, podendo
os nomes, morada, etc., de todos elles serem indi
cados no armazem da empreza.
At ruclamaees por mi luz das casas, cojas ap-
parelhos hooverem sido coUocados anteriorovflte
a este aviso, serio attendidos pela empreza; antros
quaesqner, 030.
A empreza espera qoe esla medida ser devida-
mente apreciada pelo> senhores consumidores, ten-
dent-- romo a tornar este servico mais econmi-
co ; visto qoe ella vender tudo, apenas com um
lucro tai, que rubra as despezas ineviiaveis.
iMlmeira & Delirio mandam celebrar nma
Sissa por almi do seu honrado amigo Antonio
anbas de Bvro?, fallecido na cidade do Porto
erri l? de mez pasMdo rogam, pois, aos eeus
amigos s qsfa Dic'Bi'i finado que qjiKrem assis-
de se acharem
' Alga-se um sobr.Jdo de um andar e Naffl
rialraVessa dos aiW rleis t. 35, bem como om.Jir osle pieoao WP, o obsequio de se acharen
<4 n")v> na Caininaa aifib's' &>m commodos pa- ]$* itiatriz do CorDo S.atfio terca-leira 18 ao wrren
i ftiti" '"no pateo dam|ai'r de Santo Antonio te, be\\s 9 horas da manida, quandrj ter lu?ar a
-Vd": '?..... ~ >' "v-lnl'1" T.!?*?;....." '
A melhor odra da homeopalhia, o Manual de Medicina Homeopathico do Dr. Jahr chry^nt^diiicados jarros dechrystai e porcelana gj*=^" Jjjjjjj1
H, segaado
dous grandes vulumes com diccionario.......... 200000 para llores, figurase outros mu'itos objeblos de ti- c
Medicina domestica do Or. Hering........... iO0O"3 nissima porcelana denominada biscuito> para "" ^djmfgiQ fl fiTade llillll-
nanririn d Hr Mal, Mna0 ftmnn: feites de mesas, ele, goaroicdes de hnissima por- -auimi cm a jiuuxax. uH*mi-
datflo
De ciuilieiros a gai tor U*J prtft a
gross* e a rtela.
Roa da Iaaperatrla ta.
Farelo
Repertorio do Dr. Melt Moraes............ 6O0O
Diccionario de termos de medicina........... 30000
Os remedios deste estabelecimento sito por demais conhecidos e dispensara por
tanto de serem novametile recommendados as pessoas qoe qui/.erem usar de remedios
verdadeiros, enrgicos e duradores: ha tudo do melhor que se pode desejar, globos de
verdadeiro assucar de leite, nolaveis pela sua boa conservaco. tintara dos mais acredi-
tados estabelecimentos europeos, a mais exacta e acurada preparado, e portanto a maior
energa > certeza em seus etfeitos.
Casa de saude para escravos
celana branca douradas e de cores para lavatorios
e tateles, tudo do melhor gosto, pinhas de louca e
vasos para jardim, candieiros de lamparioas para
gaz, globos e chamineisde vid:o, bocraes e todos
os mais sobrecelentes para o* mesmos, saz liquido
de superior qualidade, e muito* outros artigos que
serla eoiadooho mencionar, ludo por precos mui-
lissimos razoavels.
Farelo a 8
Vende-se farelo novo, saecas com 90 libras, pelo
barato preco de 41 : ra da Madre de Dos nu-
Recebe-se escravos para tratar de qualquer enfermidade ou fazer-se-Ihe qualquer meros 5 e 9.
operaco, p rao que o annunciante julga-se sufficienteraente habilitado.
O i rali memo o melhor possivel, tanto na parte alimentar, como na medica, e
Vende-se cerca de 800 palmos de terreno en-
tre a estrada que vai ao Pombal e primeira ponte
funecionando a casa ha mais de qua tro annos, ba m'ui.as pessoas de cujo conceito se nao ^a estrada de Olinda : a mucom o solicitador
pode duvidar. que podera ser consultados por aquelles que deseisrem mandar seus Manoei Loiz da Ve.ga, ra .i, (,iona o. a.---------
(lenles ~" Ven,le"se oma "scrava de cor preta, sabendo
Piga-se 20 por dia durante60 djas e d'ahi em (fiante 10500. ISd.K^
As Operapes sero previamente ajustadas, se nao se quizerem sujeitar aos precos! nma senhora, e os mais arraujos de urna casa, nao gi e Cear-meirim, na mesma erovinru. esjaa -
a M a sacca, das maiores que ha : na roa larga
do Rosario n. 50, taberna da esqoiaa.
Vende-se o eogenho Juad|ahy, etara letna
distante da cidade do Natal, piurtami d IU
Grande do Norte, moente e corrale, com 16 na-
tivos, 20 bois e 20 bestas; assim cosan vrr*a
lotes de ierra, propria para a rallara de alfodiu *
mandioca, e mais duas fazenda ae gado i
razoaveis que costuma pedirr o annunc ante.
A tugase
ota sitio na campia da Casa Porte, com duas ca-
sas, ama a em que morn o fallecido Thomaz de
Aquioo Konwca Jnnior, feila a moderna, e conten-. >zinhar-bem e comprar
do todas as aeeommodac5es precisas, e outra com ic
boas eommodidades para qualquer familia : oa
rna do Vigario o. (9, primeiro andar.
\^\**
Precisa.se alugar urna preU escrava que sai ha
na ra de S. Francisco
Fogo do ar.
i No armazem da bola ginarella no oilo da secre-
VendV.-se urna rotula e uina janella em mu- i tafia da polica, recebem-se encommendas de fogo
lo bom estado i j na das Ajmaf ftffaf ,n. 9. do *T pr 4eBlr fOF* Pro!oc!a.
se vende para a cidade, e prefere-se para engenho
! ou para fra da provincia : na ra da Imperatriz
n. 21, primeiro andar, das I horas da tarde em
diante.______________
Chitas baratas
Na ra da Concordia n. 62 tem para vender por-
cao de chius muilo finas a 210 o corado, ditas
mais inferiores a 180 rs., sendo estas rxas.
das se effectoarao a presos, mediante boa l
1 quem prelendor dirlja-sa aquella proviarU a ira-
r com Fabricio A C._________ _____________
; Catangas Uno-, e brtajaieia>
para meaiata.
t.hegaram para a loja ite miudezas da roa do
Qneimado n. 69, os mais tinos e liadas rakaajr**
tanto para brinqoedo de meninos coaw nara rn*.a
' de mesa : na mesma loja se eacoairait tosa sav-
tmenlo de miude;..
Vende-se urna prensa de espremer cajii em
perfeilo esUdo e por commodo preco : quem a ; Vinho do Porto soperior eai caita de ana,
pretender comprar dinU-se a ra df %, os, u- tem para vender Antonio Luiz de Oliveira Aarvc-
berna n. f,
d.o 4 C, no sen escriptorio roa da Cruz a. I.

aun

/I
1


t- =
Diario de pernambaco Tere lelra 18 Je aullio de !.
Grande liquidado a dinheiro.
Na toja e armazem do Pavo.
Ra da luiperairlz a. GO de Ga-
ma 4k ttllva.
Os dones desle eslabelecirocnib tem resolvido li-
quidar soas fazendas por precos baratissroos, s
com o fim de apurar dinheiro, e previnem as pes-
soas qne negociam em pequea escala com fazen-
das que nesta loja e arma tem enconiraro um
grande sortimento por pregos que muito Ihes ho
de agradar, lanto em peca como a retalho, a sa-
ber '
t Sofln rheumatismo por mu- ChiUg hrg 200 rg<
tas vezes, e vendo annunciad0| yendem-se criitas francezas, listradas mnilo lar-
em um jornal d'esta cidade a gas, padroes escuros, pelo barato prego de :i00 rs.
Salta narrilka de Dr Aver, re- o covado, tendo muito bom panno ; ditas escuras
aisa parmna ae ur. ayer, pildraeg novos> ^ seTem todas escossezas e cor
SALSA PiRRILH DE AYER.
Transcrevemos aqu alguns
:Sydos muitos atteslados que temos
recebido das virtudes da salsa
parrilha do Dr. Ayer.
Rkeuniiatis.no.
DE JOO JOS DOS SANTOS.
Ouro Preto.
solvi-me a comprar um frasco e fazer uso nxa a 240 rs. o covado ditas miudinhas escoras
d'ella ; e antes de concluir O primeiro fras- e claras a 240rs., amaneando se que esta fazenda
pf -jchAi m fnrtA p spm sentir a mais leve nao lem n,a,s tieiaeno l0 co, acnei-me tone e sem sentir 1 nwis ieve dffeJ(o iM0 s 0 |,avae) na rua da lm-
dor nos joelhos ; a parte do corpo que es- ^eral'riz n 60(1e Gama & Sl|va.
tava affectada d'esse terrivel encommodo
que roubou-me tantas noites de somno.
jErup*?es, boi-bulha pstulas,
ulceras, e todas as molestias
Esparlilhos, na loja do Pavo.
Vende-se um bonito sortimento de espartilhos
proprios para senhoras, sendo do mais modernos
e bem feilos que tem vindo ao mercado, tendo de
todos os lmannos e de diversos precos trazendo to-
das as competentes Otas para apartar. Islo s na
loja do Pavo, rua da Imperalriz n, 60 de Gama
& Silva.
' cha
*
eclii
LFiazinhas a .120.
Laazinhas a 320.
Laazinhas a 320.
<
O
o
Q
"1
mmm
11
Saniernes.
Obambertia.
Uermiiage.
Borgon' e.
Champagne.
Moscatel.
Reino.
Bordea i: x.
Cognac.
Od Ton.
AzeitePlagniol.
da pello.
DO SU. JOO PALLA DE ABREU E SOLZA.
Rua de S. Pedro.Rio de Janeiro.
SoTria mais de dotis annos de urna
erupcao syphilitica em todo o corpo, moss
trando-se sempre com mais violencia na ca-
ra, prove muitos medicamentos e consultei
muitos mdicos, e estava quasi desanimado
quando vi os annuncios da Salsa parrilha
do Dr. Ayer : comecei a fazer uso d'ella e
DOS primeirOS dias a *9*jg!f Chegaram para a loja do Pavo as mais botuiu
porem antes de acabar o segundo frasco ti- l5llIin{Ja$ suissas de f|liadrinhos e listrazinhas a
imitaco de sedas por terem muilo lustro, sendo os
padroes mais modernos que tem vindo ao mercado
e muito levezinhas, vendendo-se pelo barato prego
de 320 rs. o covado, sendo razenda que serapre se
vendeu por 640 rs. Liquida-se por este barato
prego na loja e armazem do PavSo, na rua da Im-
peralriz n. 60, de Gama & Silva.
Certifico que he usado la zarzapotril- LCRCinlius pra DO a 240 rs.. na loja
la del Dr. Ayer, y como depurativo he ob- tenido de ella hs mas felices resultados en Vendem-se finissimos lencos brancos com dnas
les CaSOS de ulcera crnica, asi mismo au- cercaduras, sendo ama de cordao e oulra ._ .. i.., ,Ani,ipn i.mn nm nnroanlp rnva matizada-, muilo finos, a imitagao de linho, pelo
tor y las considero como um porgante, cuya, ^^ ^ i&m a dM.v- ou 2i0 rs (.ada
accin ademas de ser segura, na sido muy i nm |l0 s0 na ioja e arraaMtn do Pavao, na rua
eficaz en el iratamento de las eiifennidadesidairoperatrizn 60, de Gama Silva.
nha o mal desapparecido completamente de
todo o corpo.
Doctor Don Josk Valdks Herrera, profes-
sor de medicina y cirl'rjia, subdelegado
em ambas as facultades del sesto dis-
tricto.Habana.
que exsigeu el uso de los porgantes, y on
vacilo en recomendar estas preparaciones.
Y pari los fines que puedan convenir doy
la presente en Regla a 7 de setembro de
1860.
Dr. ios V. Herrera.
tSserophnla.
ATTESTADO DO ILLM. SB, FRANCISCO KERRAZ
dos santos.Ouro Preto.
Laazinhas a 300 rs.
Laazinhas a 300 rs.
Laazinhas a 300 rs.
Vende-se um bonito sortimento de laazinhas pro-
prias para vestidos e soutemtarques por serem li-
sas e de quadrinhos pelo barato prego de 300 rs. o
covado, sendo fazenda que sempre se vendeu a
500 rs. o covado, e vende-se a dinheiro a vista pe-
lo baratissimo prego de 300 rs. o covado : na loja
do Pavo a rua da Imperalriz n. 60 de Gama &
Me acho ba quasi do sannos affectadO; 'va- Pelerinas a 1600.
de escrfulas, e tendo soffrido tanto que al- vendem-se as mais ricas pelerinas ou romeiras
gamas vezes quasi que ChegO a desrnimar de eambraia bordadas proprias para hombros de
da vida e maldizer da minha infeliz sorte;! senhora pelo baraiissimo prego de 15600 : na rua
tenho sido tratado por muitos medies f* ta[fJ- ^ %0 wi ?t.
ta cidade, e nenhum pode vencer i tenaci-l Orgaoily a 4U rs. o C0\au0.
dade de minha molestia, estava sem espe-! loja do pavao.
1 T hJ o minha nHii nmnrln: Vendem-se as mais bonitas cassas organdys, pa-
rangas de recobrar a minha satide quanao dr5es mudos e fnfe^ pe|o barallssjmo pre?0 de
ltimamente resolv fazer uso da salsa par- 340 rs. o covado (doze vintens), esta pechmcha
rilha do Dr. Ayer. Completa;n-se hoje araba-se logo : na loja do Pavo rua da Impera-
trinta e sete diasque comecei com este irix n. TOriRdT^**Ds'lv"-0L0 A um
santo remedio e tantas me.boras teiiho ..^^ fLSdo\"SjNoe.
sentido que tenho convicgao de em breve -
recobrara minha saude. perdida ha tanto ^^ ro!o com I0
tempO. varasa 3, diiasde madapolo enfesladvi a 3520:>,
Wypllil Ss e molestias merrurlaes.! 35500 e 4 : na loja do l'avo, rua da Imperalriz
Do Illm. Sr. Db. Jackso'. n. 60, de Gama & Silva.
Medico muito conhecido as provincias do Madapolo enm toque de mofo a 65100 e 1&
tul dn RrOM Vendem-se superiores pegas de madapolo, ga-
na ao aiuan._____ raniindose 20 varas em cada urna, pelo baratissi-
Tenho receitado a Salsa parntta do mo preco de 6#wo e 7* por terem um pequeo
Dr. Ayer nos casos mais inveterados de toque de mof0 que nada val, e pegas de algodSo a
Syphilis constitucional B sempre com OS 4 : na loja do Pavo, rua da Imperalriz n. 60, de
mais reles resultados; 6 o meilioi alteran- Gama & Silva
Cortes de caserairas a 2o00 e
te que comiedo. ^_________ Vendem-se cortes de casemira de urna s cor a
Leucorrhea e Dores torcicas. ^g^ dltasde quadrinhosa'35 : na loja do Pa-
remos cartas em que nos contam Casos va0) rua da Imperalriz n. 60, de Gama 4 Silva,
inveterados que foram radicalmente curados Chales a 25000
com um OU dous frascos d'esta Salsa par- Vendem-se chales de merino a 25, 25500, US e
rilha.
O esnaco nao nos per mi lie trauscrever
todos os attestados que possuimos las vir-
tudes d'este extracto composto e Salsa
parrilha do Dr. Ayer. Hasta dettarar ao
. DE
AZEVED FLORES
Rua da Cadeia do Kecife, esqoii da Madre de Dos.
Bales de arcos 30000.
Bales com o primeiro arco grosso de 20, 25 e 30 arcos, a vista so far prego.
Bales de arcos e de pa: no para meninas de 2 a 12 annos a 3J e 20500,
Chapeos de St L
Chapeos de sol de seda coin 42 asteas 8$.
Ditos maiores com 16 asteas l.
Camisas.
Camisinhas para senhora a 3$.
Camisas brancas para homem e com peitode cor a 1^800 cada urna.
Camisas com pregas largas muito superiores a 20500.
Camisas de linho a 20800 e 305 O.
Camisas de iinho inglezas a 40, s3o muito superiores.
Camisas de Hanella de cores muito finas a 40.
Cami as de meia superiores. I carto com 6 camisas 100.
Chitas.
Chitas largas a 240 o 280.
Chitas largas escuras finas a 320 rs.
Chitas preclaras superiores a 440 e 500 rs.
Chitas estreitas a 200 rs. o covado.
Hadapoles.
Madapolo muito fino a 80 e mais in'erior a 60, estes precos e 20 menos que o
valor real da fazenda, quera duvidar venha ver, ha muitas ootras quahdades de mada-
poloes, assim como o superior madapolo francez para camisas e saias de senhoras.
Helas.
Superiores meias croas para homem.
Meias pretas e brancas para senhoras.
Ceroulas.
Superiores ceroulas de linho o melhor que ha.
Ditas de brim de Hamburgo feitas na trra.
Ditas de esguio de algodao a 10600.
Paletot s.
Paletots saceos de casemira.
dem de brim pardo e brancos muito finos,
dem de alpaka branca ;noito superior a 50.
dem de alpaka preta a 40.
Caleas.
Caigas de brim branco a 70, 60, 50 e 40.
dem de casemira de cores a 7?>. 80 e 100.
Colletes.
Colletes brancos a 20500 e 30.
dem de casemiras de cores e pretas a 40 e 50.
Vestidos a Mara Pa.
Ricos vestidos de 15a com barras modernas e os mais finos que pode haver a 200.
Vestidos do mesmo gosto. porm mais simples a 120 e 14.
Macos de vlagem a &#.
Por estes precos s vende Azevedo & Flores na loja do
HA KA TON.
Vendem-se em duzias e a reulho, sabone- ^T ^ '
tes aromticos e por precos coramod -s; na,
rua do Queimado loja d'Aguia Branca n. 8.
Agua Hoiide
para Ungir cabellos.
Alm do chromacomo, acha-se mais a a-
tua Hoiide, preparago ingleza para tingir
os cabellos, 1 s pretendentcs coin|)arecam a
rua do Queimado, loja d'Aguia Branca n. 8.
Bonitas eatxtnhas
com perfumaras.
A Agola Branca na rua do Queimado n.
8, recebeu um novo sortimento de pe fu-
marias das excellentes qualidadesj bemeo-
nhecidas, vindo no niesmo boni;as caixinhas
demadeira invernisada, e outras de vidro,
todas cofli finas perfumaras, e mui pro-
prias para presentes, as qtiaes sao vendidas
por pregos comrnod s, na loja d'Aguia Bran-
ca rua do Queimado n. 8.
Toncas de fil enfei -
(a das
a 50 1 rs. cada urna.
Vendem-se na rua do Queimado, loja da
Aguia Branca n. 8.
Espeihos doura dos
A Agu a Branca, recebeu novamente um
grande sortimento de espelhos de differen-
tes quahdades, sendo de mordura domada,
dita envernisada, oulros de dita envernisa-
da com vivos domados, tendo diversos ta-
manhos, al grandes para salas, e bem as-
sim oulros de armaco com um e dous ps,
e oulros com enconsto, todos os quaes se
vendem 1 or pregos commodos e dinheiro a
vista : na rua do Queimado, loja d'Aguia
Branca n. 8.
Bm papel abnasso
pautado com 33 linhas.
A Aguia Branc acaba de receber a s
Tasso Iimaob
Vendem no seu armazem na 4a
Amoi im n 55,
Licor tino Curago em botija* e meia botija.
Licores Anos sortidos em garrafas rom roa *e

'&<< ';'-
Os flemenios qiw com-0rn; es'.a prepara-i, i
ierro, o ir>4e- c n quinm, a cMori no ;
grioiUs preMraetei fensgipo. fcaiaaiM^Ur
sius rosullailos ol'li'lo ppl) .''clicos laes, ( osrcliiiorios il-js pr^'-iicos inaisemn .. -.
quo i'oiHirinrSo sna aA*MM cftkaeta
seguimos affcccxtes :
Mlntiin n iMile.
Krn|iioH.
\n-mlN.
CbtanMC ou Irln Irla.
Menatrv*.
Al.rlii ft iil' i
su |. wc- u'. H. re-
ema r deMrdra na
lurn*lrtiar:ii.
ffi-rrao ^almanar r
r-Wlal-l'--
MnlrallKa rf'rliaa
Gaairnlulna.
I'i-ri'.a d'aiiprtll-, rtr.
Veja* se os bullfli>'f
t cirurgicn de 30 'i* '<
Cn*lr.eeUfa 4r ta
aa taleaclaa
leallaa r-r- :-
m.
ranrlra.
I)l).lriirri* 4laa.
Hn marea Irlas
lliininrra krailK
nrfcHi.nl.
Aff-.-ece% raeeraaaa
c ajpUHIUra.
Feheea (yfkaSaWa,
Varlolr>. ele., el
de llafaMMM l''iife
rmbrt ISt; teMSa
encommendadesse bom papel almasso, liso: 4*hospit*4$9dtjuth%H,tutu.
o r,.>.,li,lA mmll linhas Qem NUMI lft' Ar HuWUlcute MUTtt f>l/rf,''
e pautado com 33 linhas. assim como de
peso, tambera cBperior e igualmente liso e gJf M
pUtiles "f i- l-re:o dtfU ,-rv : Chilln. (i> Mi-.ios MW ^*
Xarcpe dlodure dop>o
m
j
loja de miudezas
A antipa e bem conhecida
rua do Queimado n. 16, acaba de ser novamente
prvida de diferentes miudezas, novas e linas per-
fumaras inglezas e francezas, luvas de Jouvin, en-
6 :"na loja do Pavo. rua da Imperalriz n. 60, de I feiles para senhoras e oulros muitos diversos arli-
Gama & Silva. gos.que rom prudenciae sisudez seio patentes ao
l.aaiidlias a 220 rs., na loja do Pavo : comprador, a qoem isso, e a repnlaridade dos pre
Vendem-se laazinhas transparentes de orna s
cor e de quadrinhos prprias para vestidos de se-
nhoras e meninas, pelo baratissimo preco de T.
publico que tem sido empregado ba mais ^^^^^^Z^r^
de vinte annos pela prolissao medv^ lanto M> de Gama & sjlva
das Americas como da Europa, seui nunca
desmentir a sua alta reputaco.
Corles granadinos a 120
Vendem-se os mais ricos cortes de fazenda de
moita phanUzia por ser transparentes e tecldos
D,r., > ron nrlicil Ip oscrofiilas e ifTecceS corn seda, tendo cada corte 2i covados pelo aimi-
Para a curaraica i e escroiuias e mttgue. nato de ,2> oncamente na loja e arma-
escrofulos, syphilis e molestas sypbi- zetn d0 pav0) rua da im,)erairiz n. 60, de Gama
liticas, ulceras, feridas, chagas, & silva.
erupces cutneas e todo e Boroouts de renda na loja do Pato
qualqutr incommodo que! Chegaram os mais ricos bornools de renda e se
nrnv..m rt'nm pstadn vendem por baralissimos precos: na loja e arma-
provem dura esiaao 7emdoP7vao, rua da Imperalriz n. 60, de Gama &
impuro de sangue, Sj|va
tomkm a Ricos diales prcius de renda
SALSA PARRILHA DE AYER. Chegou peloollimo vapor francez um grande e
' a ____-______ J *- a>lHi>n ntinlnr* rn(il|-i."v rt i\
A' venda na rua ireita, ns. 12
rua
tuic
princi
perio.
Vende-se em Pernambuco:
na pharmaela l'raneeia de
P.MAURER & C.
RUA NOVA N. 18.
qos nao ser indifferenle para continuar com a sua
boa freguezia.
Autiga loja de miudezas a
rua do Queimado n. 16.
Nessa loja vndese baratamente, alm de mui-
tos oulros objeclos os seguinles :
Vollas de crystal, grandes e pequeas.
Outras de diversas qoalidades.
Cruzes grandes de pedras falsas.
Alfinetes de madreperola e oulras qoalidades.
Brincos a balo.
Cintos a traviata.
N. 16 rua do Queimado.
Pennas d'a0, papel t envelopes.
Na aotiga loja de miudezas a rna do Queimado
n. 16, acha-se nm bello sortimento de papel al-
masso greve liso e pantado, primeira e segunda
sorte, dito de peso liso, pautado e de qaadrinhos, e
quena, etc.
Tambem recebeu envelopes correspon-
dentes a todos os tamaitos do papel, tanto
brancos como tarjados.
A commodidade dos precos j de todos
bemconhecida, urna vez que appareca di-
nheiro : na rua do Queimado loja da Aguia
Branca n. 8.
Esponjas finas para rosto
Vendem-se na rua do Queimado, loja da
Aguia Branca n. 8.
Metas de cores
para creancas de 6 a 12 mezes.
Vendem-se na rua do Queimado, loja da
Aguia Branca n. 8.
Aspas fortes para baldo.
Vendem-se na rna do Queimado, loja da.
Aguia Branca n. 8.
I hosphoros de seguranca
caixas de 500 palitos a 160 cada urna.
Vendem-se na rua do Queimado, loja da
Aguia Branca n. 8.
Gollinlias e pun/ios
bordadas para senhoras.
A Aguia Branca da rua do Queimado n.
de alterar-se e de se no poder cons- \ar.
Ivca-se o fallido >\v, se Ai trae en
dos pharmaceulicos dep.-itarios.
Para-se evilarem alsiiicai.oes, exija o -ota-
pnulor e.m cada frasco de Pulas on Xarepe a as-
siiatura do inventor.
DepdsiM gcral em Pari. pharmaCia RetiU*A.
I4, ro- du Bac, e em todas as boas pharnaeae
de Frarv a dos pnizis estrangeiros. evc.
pmCSSwaS^SESBB
Atten^o, fregueze.
Lourengo Prreira Mendes Guimares, com loja
e armazem da Arara, na rua da Imperalriz n. 56,
est fazendo urna nova liquidaco de todas as fa-
i zendas que se vende muilo barato, a saber :
CHITAS A 00 Rs. O COVADO.
Vendem-se chitas com muito bom panno e tendo
cores fixas, pelo baratissimo preco de 200 rs. o co-
vado LoureocoPereira Mendes Guimares. 8, vende-se mili bonitas gollmhas e punhOS
as bretanhas DE ROLO. bordados para senhora.
Vende-se brelanha de rolo muito boa razenda,: .. *%l***%***+*
pelo diminuto preco de 3*000 cada peca com 10 UOMMtOS C VlSpOTuS
vm' lazinhas chinezas. em caixas de madera.
Vendem se as mais modernas laziohas chinezas; A Aguia Branca na rua do Queimado n. 8,
pelo barato prego de 280 rs o covado, razenda esta acaba de receber domines em bonitas cai-
que sempre se vendeu a 100 rs. e hoje est se ven- xjnnas je madeira branca e envernisada, e
dendo a 280 rs.. de lodos os padroes e todas as caivinhas de nanelo e madeira
cores: s Mendes Guimares. visporas e CaiMimas oe papeao, e mautira
CHITAS FRANCEZAS. envernisada, ludo continua a ser vendido
Vendem-se chitas francezas escuras e claras a por precos commodos e dinheiro avista.
Lencos pequeos
o. arrfmlM mi MtmaA <'.e Chevrier liem
miieriOTM a todas as ouiras pr'-pararor 4e
bmuih emprtBulas ani: s rom o miior sr-eeas*
pelos medieoa i ^
curar as
Dlurrhraa ehranleaa. I *** njanemerlaa. 1 .aafrllra.
Ili: .- il'i'Nluiuaua 1 <.II-alKla, ela.
I>jiep*le.
Os piimeiros sy::i|.lomas dVssas iminM
affcccoessc muwtUo ordinariHaWe p Smw
liti laboriosas, niAnvi. falimap;"-ti:e.
.'estmago depois de cada comida, .uimbrv *-
totnofar-*, e, muias vezes, por tmjmtmm e: <*>
com vmitos.
Ksle eslado mrbido, se o desrtiido. tra: ioe-
vitavclmente, que *oja :
Moleallna A leleri.-lu.
ralpllari* de eararita
Drea uaa rio.
0|*arraaaa
Parea ile enl
Irrllarar .ie -<( a
ala malrla rtr.
Os granulos Chevrier sio ordei.a.los pela*
sommidades medicaes para prevenir essas diver-
sas molestias e coral as quando sao loma loa i
lempo. .
0 preco de cada frasco de 4 franejfcs. _
Depsito gcral em Pars, phaTmac^CflieiiljW,
e em todas as ptiarmacias de Fraaca e des peina
estrangeiros.
26 e 76;: vanado sortimento dos mais ricos chales prelos de 4fferme, nuaiidades at a qoe se pode encon-
_ .al a>Aaj i>>ia a ^ iia-.Kn mwvm rtn cufln lAnilti entre ..*
L
CHANDE
\
dos vir de coota propria pelos donos da loja do, jn"sJu?DUljr.ineil,e novu r^i^ de eB,
Pavao, rua da Imperalriz n. 60, de Gama 4 Silva., ^.^ c meooreP e ,arjadog de prt.,0. PeDDas
Laziibas lisas a oOO r. ^^ mglezas, cahgraphicas e outras qoalidades,
Vendem-se as mais modernas laazinhas, tendo de i tod.(!. dos aramados rabricanles Perres A C.
todas as cores, pelo barato preco de 500 rs. o co- iUnins iru-;il vado, tarlatana branca e de cores a 800 rs., fil liso *,uuns na ra uei
branco a 800 rs. a vara, corles de fil brancos lisos mailO II. 10.
a 6 : na loja do Pavao, rua da Imperalriz n. 60, Vendem-se bonitos albuns para ii retratos a
de Gama & Silva. i i500, oulros para 24 a 35000, e alguns maiores
Chapeos de m\ de alpaca tambem por baratos precos.
Vendem-se superiores chapeos de sol de alpaca | LuYilS de D^lica a 500 P8. 0 D*r.
a 35500, ditos de seda inglezes com t6 aspas a \ de n3 serem an, w|io um p^
ili : na loja do Pavao, rua da Imperalriz n. 60, me^|adas as luvas de ^^ prela e de cores, as
h
&
30! 320 rs. o covado : na rua da Imperalriz n. 56
loja de Menes Guimares.
GRANDE PECHINCHA DE CHALES DE
MERINO'.
Vendem-se chales de merino estampados pelo
barato preco de 23 cada nm.
I'RAXCEZAS.
s
FIGADOdeBACAL.AU
ttnim^^hSStSm, 15800e crs proprios para meninos e aiudasero
para meninos.
A Aguia Branca, na rna do Queimado n.
8, recebeu um novo sortimento d'aquelles
lenco* brancos, pequeos e com barras de
P eo preefso de Chtrricr, kar-uffH! em
, ditas de pregas larcas a 2 e^ pendidos pelo commodo preco del 25240, ditas de linho a 25500 cada urna : s Men- "nzia. Este oleo de mn cheiro agradare!, t t
des Guimares. Mo'na it/>// um sabor assiicarado eo anuo t\e nio lem
Ifitf U [Jl ClUd nem o gosto, nem o iheiro do ftijt. Ob-
de laia pararpadre. jecto de numerosos relatnos scientifiros
Vendem-se na rua do Queimado, loja da mdicos, este mdicamente que gota tm
de Gama & Silva.
Lazinbas traaparentes a 320.
Q pwprtat-m io gtajJe JW**_j?^ Vendem-se muito bonitas laazinhas iransparen-
larso do Livramento n. 38, nao tendo podido con- ^ com pa|minhas de eda a 30> dllas sas de
seguir em lempo a mudanca de sen armazen, por ^^^7^ r.. na ,oj. do Pa,ao, rua da
ter de ser modada a robera dessa casa, tem resol- ;"'"."[, m de Gama &Js,|Va.
do v.mder o grande e magnifico sortimento de mo- Imperalriz n. Wl oe bama JJJJ-
!iT.j .,. iia aa -- nnr tridn o nre- Ooiles ae laas iiiauzaaas.
Ihados e seceos qne nelle su ar.bam por todo o pre
co, sen attender ao grande prejuizo que lera, vis-
to que d'otra forma nao o poder evitar._____
GAZ GAZ GAZ
Vende-se gaz da melhor qualidade a
li a I ata: nos armaiensda ruado Im-
perador n.l 6 e rna do Trapiche Novon. 8.
Bichas de Hamburgo
Vendem-se na roa Nova o, 61.___________
Vende-se
farelo de Lisboa em saeca.-. e barricas, e saceos
com superior farinba de nandioca, mais barato do
que em onlra qoslquer parte : na rua do Vigano
n, 17, primeiro andar. _____^
' -"Vende-se urna ubernal-em afrenuezada para
o m:to, e bem como para :i trra por 8r a0 Pe
do mar, tawliem d comidas e dormidas, e recebe
pasfagetros, tendo excelente commodo para fe-
milia : na rua da Lapa d. 13.___________
"f.i e algodio da Baha.
Venderse no escriptorio de Antonio Lolz de Oli-
eira Azevedo & C, rna da Croz n. 1._______
__Farinba de mandioc: tem para vender Au
tonlij Lniz de Olivelra Azevedo Aj C, no sen es-
cripiorio roa da Cruza. 1,
quaes ainda servem para a noile, e mesmo para
montara, e vendem-se a 500 rs. o par na rua do
Queimado n. 16, loja de miudezas.
I.Iim iullios e l'iCOS.
Na loja de miudezas a rua do Queimado n. 16,
vende-se bonitos labyrintbos e bicos das ilhas, te-
i MaTIatha^.o ion eidos em grade de llnha o que os torna fortes, e de
Vendem-se bonitos corles ?elaas roatizadaS ten- ,m de os novo. e agradaves
do 15 covado. cada eorie, a ofc ditos ; Mana P a v ommodldJwle dos precos cSocorrem
a 65 e 85: na loja do Pavao, roa da Imperalriz JJJ J b'oa ex,racgSo dV|legf lant0 ma.s quanto
n. 60, de Gama.3 miva. elles nunca sao desnecessarios ero casas de (mt-
oAim lw-iTi li*t pelo que poaem dirigirse a rua do Queimado
ROUPA FEITA. > ,6-l0'8 de roindeia.s-
Na toja do Pavo vende-se um grande sortimen- }{ua Q Queimado 11. 16, ail-
lo de roupas feitas para homem, sendo calcas, pa-
letnts e colletes, lanto de panno como de casemiras
pretas e de cores ; deixa-se de mencionar os pre-1
eos para nao se tornar enfdooho o annunclo,
aliancando-se qne o respeilavel publico achara um
grande sortimento por baralissimos precos : na
loja armazem do Pavao, rua da Imperalriz n. |
60, de Gama A Silva.________________________:
Piche do gaze verniz do gaz.
Vende-se piche do gaz, verniz do gaz e estopa
da trra : oo armazem da bola amarella, no oliao
da secretarla da polica^_______________________
Attentfo.
Vende-se o deposito da rua Nova n. 6, bem
afreguezado e bem sonido : a tratar na roa do Li-
vramento n. 3i. ___
Palisde fogo a 28 a groza para li-
quidar.
Chegaram excellentes palitos de fogo e vende-
tiga loja de miudezas.
Essa loja j to conhecida, renovou e meihoroo
0 seu sortimento de perfumaras, onde os preten-
demos podem encontrar de novo e bom.
leos philocome, saperne e babosa.
Ranha fina em frascos e latas.
Extractos finos inglezes e francezes.
Agua da colonia e florida.
Opiata e poz para den'es.
Extracto de quinquina para dilos.
Agua balsmica para ditos.
Dita dentrifice para ditos.
Leite virginal para sardas.
Vinagre de Venus para refrescar e conservar o
lustre fia cutis.
Sabooctes camphorados inglezes.
Dilos areienlos excellentes para maos.
1 Oulros tambero inglezes de diversas qoalidades
em caixinhas de tres o sollos.
Albuns com perfumaras._________
~ Farinha de muribeca fina e alva, mais
MADAPOLO ENTESTADO.
Vende-se madapolo com 12 jardas a 35300, 45
ei500.
CAMISAS PARA SENHORA.
Vendem-se as mais modernas camizinhas enrol-
ladas para senhoras a 45, 45500 e 65000.
GRANDE SORTIMENTO UE CAMBI1AIAS
BRANCAS.
Vendem-se cambraias brancas a 35. 35300, 40,
45500,55, 55500 e 65, e muito fina a 75000 cada
"^CORTES DE CAMBRAIA BRANCA COM
SALPICOS.
Vendemse cortes de eambraia de salpicos mul-
to miudinbos e cada corte tem 10 var. s, pelo bara-
tissimo preco de 55-
COBERTORES ESCARLATES.
Vendem-se cobertores de la escarlates a 65, di-
tos de algodao a 15500, dilos escuros a 15800 cada
nm : s Mendes Guimares.
PECHINCHA DE ENTREMEIOS.
Vendem-se bonitos ntremelos a 800 r.'. a peca,
ditos finos topados, tendo padroes multo de gosto a
15, babados a 15 rada nina peca : na Arara, rua
da Imperalriz n. 56 de Mendes Guimares.
CASEMIRAS.
Vendem-se casemiras com lislras a 2{5O0 o co-
vado e ditos a 35000.
ROUPAS FEITAS.
Vendem-se roupas feitas de todas as quahdades,
caltas de ganga a 155Q0,15600, t8O0, ditas finas
a 25, ditas de brim pardo a ti e 1*500, ditas finas
a 25800 e 39, dita* de brim ffrtneo a 25, ditas de
linho a 35500, ditas de casemira a 35 e 39500, di-
las finas a 65 e 75500, ditas prela de casemira a
6 e 85000, palitos saceo. de meia casemira a 45,
45500,39 e 65000, ditas linas a 75 e 85000, ditas
de casemira mesclada a 95500, palitos sobrecasa-
cos de panno preto a 125, 1*9 e 165000, jaquetons
de brim pardo a 2S80O, 25500 e taflOO : s Lon-
renco Pereira Mendes Guimares, roa da Impera-
ir'z n, 56, loja da Arara.
mmm M%m*mmsam
5 Fumo da Babia para
g| charutos.
g: Vende-se fumo superior de todas as
*SR quahdades, a retalho e por atacado, e
J por precos commodos, no Recite, rua da
mx Cacimba n. 1.
Aguia Branca n. 8.
c^
35 t Wl
ssg-n
-
M O 2 o
a-S 55 bS,
t ^5 ^_ re
S ^' "*
<
5 35
Vi t
85 ft> _^ os
g So = 3 ^o c-
0 S as ttM
V. -. -j *
o -< a g _A
C2
" O ? S-'B 3 8 n ^?;-oOai2
S-Pao.0 =- 2 2
?arMi3c,of>"30_a
g*. a 0__ 9 &
5
5Br;r3
<=> aa.
Franca ce um soccesso to raro como btm
merecido, rexeitndo diariamente ptl$
principad mdicos dos ho^pitries de Pmri*.
0 OI.EO DK FICACO DE BACALHO
do FF.nntT.iNoso cmproga-se c< os naitin
successos as molestias em qoe w flM
o oleo quando 3o arouipanhadas de oVifc-
dade atonta.
Deposito geral em Peruainrri. r.s d
Croz n.i em casa de Caro i torl i
s.
* "^ s* n
^ 3 -.2 -
SS 3 -<
o-a =
6
se pelo baratissimo preco do 15 a groza: na rua se venJe n0 mercado, em sac-
mSS* US cos: na rua d0 vigarion-29-
mmmmmmm^
Vendem-se
machinas americanas de serrote para descaroear
algodao : tu rna da Senzala Nova n. 42.
S 5
" <
STBs.
3 2.8 2
&2 |3
2 a
b a o.
C
ai
1FC
-o
aj
P
63 ^
CIQ O
8
' o. -
o.
i
a81
o


aS"

o
s
|
1
P
Loja
das seis portas em frente do Li-
vra ment
Vendem-se chitas francezas escuras e bons pan-
nos a 240, 260 e 280 o covado, eassa ranceza de
cores lixas a 240 o covado, nretanlia de rolo a
15400 a peca, cortes de casemira de cor escura a
45, toldes de arcos a 35, 3*000 e 45, e muilas
outras fezeddas por baratissimos precos, e de ludo
se dio amostras ; eambraia para forro a 25000 a
peca.
33ACH.LVttt
Kediicro des prcres.
Vendem-se por precos r^luikl"? n*
, descareear algo.lo de senas e> l>is >s tor!!*?.
de 14 a 6 serras ; asiia con ntotures (.-r >
mesmas. a quaes M acham tHu n arw'*.tr
farinha, rua do tmpeador. (. Mae ** ia.'n'ir
Portogiicz : a iralar na rna d<> Trapn-He a. H. o
?jj,, no mesmo armazem : ouiso stm r*\"WaaaU--
j2 *os eoropradores que nsew de az-ite iret
d coco para entrarem os eii'W de-ta* taacMBB*. nm
*J i logar de azeile de carrapau, vil<> *ie prafaiw
jr contrario do qoe acuelle qne se nwer.___________
% Liqmd.c\o de machiiia^ \- ira
algodAo:
Chegou grande snrtineMo > iimi aiam pora
deseart-car alfodo, de 14, li, t*,,K.rX.
serrles, de superior quaMatV, a ?? -
dem por precos muilo redozido e per avr. a
1 que em onlra qnalqner parle, para litpaieW. lee
como motores ameriranos da nltima i-!ia>.
1 qnae* se tnrrm reeoramrndavft* fot soa w eflar
i qualidade e tacil oadoa-eo para e r*air-> a (v
vioria; a tratar no deposti do ae# W An.fc> r. 05
oo na roa da Cada do Recite, luja terree--
n.5iA,
avarwdo.
Praacez barrica
Portland dem
Em perfeilo estado:
Francez barrica
Portland idea*
No armazem de Tasto Irataos
"r-.fl
l*:i
lfOU
caes *
K Apck.


s>
*1rW',|HiMwiWnt)?o i>rca letra 4^t<* # X
GNEROS BARATOS A DNHEIRO
NOS

!iGRS AIH.4ZKNS DE MOLIliDOSK
G DE 10
, DUARTE & C. L
111 paleo do Cai*,mo n. 9 armazem Progresivo ra do Qneimado n. 7
|{) % j^j Uaio e Commercio ra do Imperador o. 40,
o^s Principal armazem de mollinos.
OS PRttPMET ARIOS.
Fazem sciente ao respeitavel publico, e com especialidade aos senhores de en-
gento?, I wradorese mais pessoas do centro, que pan mais facilitar suas compras Jeli-
beraram os propnetanos dos tres grandes armazens, reunir todo 5 os seus estabejeci-
locotos em um so annuncio, pelo qual o prego de um ser de lodos, promette-
iqo; que nao infringiremos a tabella que abaixo vai publicado, annunciar os gneros
por u:ii proco, e na oocasiao da compra quererem por outro, como socede constante-
mate em outras muitas casas, porm nos nossos est.ibelecimentos nao se dat islo
onda mosmo com prejuizo nosso, qualquer p>ssoa pilera mandar seus fmulos que'
sanio tam em servidos como viessern pessoalmente lazendo-nos o favor dd mandar seus!
pedidos era cartas fexidas; para evitar qualquer engaos, remetiendo nos urna conia |
pea qual se ver os precos tal qaal annunciarmas, o quo seno arrepender pessoa i
afguma que fizer s ia despenca em nossos estabelecimontos; pois poupar mais de
j por cento na sua despeza diaria.
Manteiga ingleza perfeitamente flor chegada dem com 1 a 3 ditas a 3>200
nltimamenie no vapor Saladim, de 10 dem vasios de todos os lmannos a 2*000,
a 1>120 a libra e em barril terabat- 10500,300e610 rs.
,, xmliiJ' ... Queijos .1 2.3300 a 20500 os mais frescos.
dem trancha muito nova a 10 a libra, e Vinagre puro de Lisboa a 280 a garrafa e
em barril tora abatimeoto. 20000 a caada.
Harria de porco refinada a 640 a libra e em dem mais haixo a 209 rs. a garrafa e 15100:
carril tera abatimento. a caada.
CU uxim de superior qualidade a 20600.' Azeite doce'de Lisboa muito BnoaGOOrsJ
e:n perala miodinho a 20700 a garrafa e 10600 a caada,
l,]..A:!'i01nuespecial IuahJaiJe de 2300 a Toucinlio de Lisboa novo e muito alto a 400
2-5o00alibra a |b,f c em barril de 5 arrobas a
hiera prelo muiloespeoal a 2;>0O0 e 20400 100500 a arroba.
Cerveja Ba?s do fabricante, Shlers & Bell a
1ZE\S
i':
Largo da Santa
84, es-
rua do
vveos
ESJPJSCIAES
A DO
9EaV$a$tal
fO Laraa da Sa
gluma
sSebo.
roralrS^
A leguinie labcUa^irvirv ? ^or1tiraen, de eneros de primeira qualidade.
, Neohum armazem venri,W 22.* blse para a'as pelo grande sorlimento que t-m .?^* tari, e me,no'-es do que a Aurora Brilhante, ja'
ero quantochegue para arv-,m mesmo por1ae seu dono deeja lirar diminuto lu-
proveiiar, o prsprietario Tal ti is ,dfP* eslabeleclmento por sso-deixe se a-
untes fregueses. Da de fazer Ioda a agencia, afim de servir be os seas cons-
Latas com 8 libras de chouricas rau.o novas,
75500.
UiOO 'ua,,dad-% aJOOO, rflatto
>^m>
^9
O
Largo da Santal
"' n. 84, es-a
da ra do
Cruz n. I
* GOMMA NOTA.
Em paneiros mnito.alva a 4,ooors. a arrobao\6o Ubrae eomnrar
ao de um paneiro para cima se far abatimento na ra do Imperador iTo
PRESOS NVXCA VISTOS
RA DO CEESPO
GREGORIO PAES DO AMARAL & C.
RECEBERAM
Alpacas de quadros enfestadas de cores escuras, o covado
V^ rs!
ALPACAS ESCOCEZAS
istas de seda, fazenda entestada de duas larguras o wi-
padrSes muito benitos, cota
do a 500 ris!
a 1*300,
a libra.
Mein do Rio em latas de 40000 e a 800 a
libra.
Lr.is coa biscouto de lodas as qualidades
a 10200.
H< m da creditada fabrica de Biato Antonio
iLisboi) proprias para da; a doentes a
23 e 30 a lata.
Bolaxinha ingle muito nova a 30300 a bar-
rica e a 240 rs. a libra,
s com holaxinha le oda e oval a 20.
60500 a duzia e 640 a garrafa,
dem Bass do fabricante T. F. Ashea 60.000
a du/.ia e 560 a garrafa,
dem marca II Vicloria Alsope e outras
muitas marcas a 30 a du$a e 300 rs. a
garrata.
Sabo primeira qualidade a 220 rs. a libra
e 210 em oaixa.
dem segunda qualidade a 200 rs. a libra e
180 rs em caixa.
;> iS S.S flaml7. chegado Do'Sabio nglea superior a 180 rs. a libra e
uno vapora 8-0 rs. a libra. 10 rs.. em caixa.
e pa,os mulo novos a 900 rs. C;lf prilleI.a e ^ ^ j^
70500 e 80 a arroba, e de 240 a 80 rs.
a libra.
Arroz do aranb|o 30200 a arroba e 100
rs. a libra.
dem di India'a 20600, 20800 e 100 rs. a
libra.
Charutos Normas de Havana a 50300 a cai-
xa, de Simas (Jos Furtado).
. 900 rs.
a libra.
iJaisas com macarriio tilbarua muito novo a
3500 e 3Oa libra.
'-... ira branca e amarella a 500 a libra.
Soclate portaguezde especial qualidadea
8 0 a libra.
1 ; suiss de 8X)a 10000 a libra,
lom hes an'iol verdadeiro a WO00 a libra
j rend"mosa 1040).
1 da asea de g liaba em caixoes de 4 e fdam Londrnes a 50, dem.
neia libras segur, a 10800, dem Pacasieoses a 40500,
em caixSes pquenos a 700 rs. e de
30 para rima a 640.
1
11
Mein Delicias a 10300.
dem Traviata do Rio a 3>300.
s :o em bocetas r .'amonte enfeiladas, 1 'em varetas de Manoel Peixoto da Silva
IjSS! rSvrCe,,eme Pe'^opara.fri-
KIZtSSSfei 'i800 e **m-
Abren 7h amado fabr
ln!afCOm?,assadeto'I'a'e,aoOOrs
f'iSff blac,,iaha de soda rauit MTM
> ara m,mCm ??Ms Propria.
; 8Mai0O.er,or mUl nov.a'ora de
}MaaCaiOOrialharara e aJetria amareJla,.a*lbr^
baixas com estr.linha, pevidt
sas a caixa 3.3300.''
!? i ",\erallbrisa6l0-
;^agd, a libra a 360 rs
Frv7jh Para sipaalfbra, a 2i0 rs.
S* secs. a libra a 160 rs,
tniL, cadas' a libra a 2<>0 rs.
>Farih V nova a libra a -80 rs-
["US"* dt araruta
i oOO rs.
'Ar2n M?ranhao, em sacco,
_ J0 e a l.bra a 80 rs.
Dito da india e Java
I bra a 100 rs.
> rUsdahnbraLSLa & W a arroba e a 31
OjjJeSaotos, a arroba 75000 e a libra a
e outras mas-
verdadeira, a libra a
a arroba a
Viaho Terde su(flriur.
A caada a 3^000 e a garrafa a 400 rs.
,., Uouiuia.
Saccas de 4 arrqbas, a verdadeira de se'
enjoraraar, a arroba a 3^000 e a libra
120 rs.
Sabiomassa, a libra-a 200, 240e 280 rs.
Farinha. -
Baccasgrandes cora farinha de Goianna mui-;
to nova, a oOOO.
Caf.
Caf do Rio muito superior, a arroba a 8,l
8500 e 9500O.
ffifc
Ch*,temos nestes gneros o melhor possivel,]
hyson, a libra .1 24600.
Di 10 parola a 35000.
Dito mira a 25700.
DiToihyson muito ribo a 25800.
Dito redondo a 23500.
Dito pratode prinwira qualidade tiifBQO.
DUo mais baixo a 25OOO e 15600.
Krva mate.
Excellente cb medicinal, a libra a 2i0 rs.
Esperraacete.
O masso com 6 vellas de espermacete a 600,'
640 e 720 rs.
Passas.
Caixas de 16 e 8 libras de passas novas pro- $*
prias para mimos a 45 e 25300.
Nozes. c(
Nozes, a libra 160 rs. e arroba a 45000. bi
Alpisla e painfo.
Alpista e painco, a arroba 5000 e a libra a
160 rs.
HA?)
cada chale de fil preto (guipure)
HERNANI
0^000
28000
SEDAS
Cortes de seda branca com flores miudinhas e de difer <-ArOJ ^
para tl.eatro, bades e casamentes com 19 covados, largura deAifSS..* *" *fil3-
Chapeos para senhora
Bonels
Chapos a gendarme.
Cliepelinas de palha.
Chapelinas de fil.
Chapeos para homem.
^mtiiiijions

Carta*.
1, a arroba a 3520011II- Cartas Anas para logar, a duzia a 25300.
CaslantMs.
Caslanhas novas vindas neste vapor, arro-
ba 45000 e a libra a 200 rs.
Azeitonas.
oirda0^!20" ^^.e^es, a 1*280,
73OOO franceza> ca,xa cw> 2 duziasa
^atoo s"1 mostarda Parada em vinagre,
lendo peta, pes^go, ameixa, rainha.
airas frulasa 30003 cada umi.
:. em calda em latas Imadas bermelica-
te mui'o bem enfeiladas, contundo,
I i n, pesego, araeixas e outras fruas a
840 e 700 a lata, tambem temos latas
n les a 10200.
' Harmeiada dos melhores fabricantes, em la-
s >!o 20000 a 10200.
;. em latas do I Ij2 libra a 10.
1 'atas de 1 libra;. G iO rs.
Ervi tas em latas chegadas ueste ultimo va-
E 1 700 e de 5> para cima a6i0 rs.
Feijo ferde ou carrapat em latas j me-
. Jo a 610 rs.
;:as cm fraseos de video a 10300.
I 15200 a J-3500.
/ :i ras Mjxi.le muito novas a 700 rs. o
.. JCO.
1 de ceblas simples a 70Ors.
hp in^lez a 6i0 rs. o frasoo comiolha
'! vi !ro.
': -:rda emp a 700 rs. o frasco.
. .; 1 preparada a :{20rs.
com massa de turaat 600 rs.
I! .i. em '.alas de I I[ libra a 900 rs.
Vi bbsem garrafas viadas do Porto, Ifadei-
ra Socca, Duque do Porto, Duque Semir
o, Cascavallas, Mara Pa, D. Luiz, Pe-
dro V, Velho Secco, Lagrimas Doces, La-
grimas do Douro, o outras muitas marcas
a 10 a garrafa "o 90 a 120 a duzia.
dem Palmela a 10 a gairafi e 110000 a
duzia.
Mein em pipa de todas as marcas Porto,
Figueira e Lisboa a 100 e 500 rs. a gar-
rafa e 20800 a 30300 a caada,
dem era ancoretas e 8 a 9 caradas com su-
perior vinho Lisboa e Figueira a 210 a
ancoreta.
! tera tranco expedal qtiaidade proprio para
missa a 56') rs. a garrafa e 40 a caada.
dem mais baixo a 40-) rs a garrafa e 30300
a caada.
'Jem do ?orto especial qulidade a 800 rs.
a garrafa e 50500 a cirida.
li m nrdeaux em caixas a 70 e 700 rs. a
garrafa.
Ibampanha a melhor do morcado viada de
n osa encommenda a 300 ogigo.
dem mais baixa de 180 a 200 e 10300 e
30 a 'ai rafa.
Ueores portuguezes e francezes a 10000 e
i >-iOO a garrafa.
Marasqnino de Zara, verdadeiro a 40X00 a
garrafa.
Mein mais abaixo a 800 rs. a garrafa,
'enebra de laranja ver "adeira a 110 a du-
zia e 10 o frasco.
dem 1I0 Hollanda verdadeira a 60 a fras-
queira e 6f'0 o frasco,
dem de riambr0o a 50500 a frasquea.
! Um. e.n botigas de Hullanda ?, 400 e 440
1 s. o fr isco.
GarrafSes com geoebra de Hollanda cora 24
garrafas a 80, com garrafao.
dem com 14 a 15 garrafas a 60.
Nettoa 30300 e l><00a meia caixa.
dem suspiros do mesmo fabricante a 10*00
a meia caixa e 50200 a caixa.
dem meceiipes a 1^700 a meia caixa e
30000 a caixi do mesmo fabricante,
dem orientaos do mesmo a 10800 a meia
caixa e 3100 a caixa,
Mein jovens de Castanho Fillio a 20400
a caixa.
llera suspiros do mesmo a 10'0) a meia
caixa, e outras m litas marcas de fabrican-
tes.
Passas maito novas a 15300 o quwto e SJ
a caixa de u.na arroba bespanhola e 320
a libra.
Vermute bebida para abrir a disposico de
comer 10500 a garrafa e 10OOO a
caixa.
Alpisla muito novo a 30800 arroba e 140
a libra.
Painco a i 3000 arroba e 110 a libra.
Pei.xe em latas j preparado a 10200 a lata
e em porc3o 10000.
Sardinhas de fiantes a 400 a lata.
Tijollo paralimpar facis a 160 rs.
Esparuiacete a 600 a libra e em caixa a
580.
Vellas de carnauba a 12 e 100000 a arroba
e 360 a 410 rs a libra.
Azeitonas de Lisboa muito novas ein anco-
retas grandes a 10SOO e a iOO rs. a gar-
rafa.
Balaios do Porto m lito grandes proprlos
para guardar roupa sua a 20500, 30000
e 40000
Batatas em gigos de 31 libras muito novas a
800, eaiOrs. a libra.
Gomma em paneiros a 40000 arroba e 140
a libra.
Farfnda di Maranho muito alva e nova a
^ 240 a libra.
Sivadinha de Franca para sopa a 200 a Ib
nevada mmto nova a 140 a libra e 40000
arroba.
Caixas com estrelinha, rodinha e pevide a
400 a libra.
Alhos em canastras muito novos e maun$as
grandes a 180 e 200 rs. cada urna.
Canalla muito nova a 10000.
Cravo muito novo a 300.
Cominho idem a 320.
Frvadoce i lem a 400.
Averna flor a 240.
Amendoas a 400 a libra.
Xoaes muito novos a 160 a libra.
Papel greve a 40200 a resma,
dem lizo a 40000.
dem de pezo a 30000.
dem de embrulho marca grande a 10200 e
10300.
dem azul para botica a 20000.
Copos lapidado*- a 55500 -o- 50Oada-um.
Palitos de denles, .masas araUfcs a 120 'e
)D6U.CeO,800O?serVaSng,eZaS e francezas'a
Ditos cora sal afinado fino, a 60 e a 500 rs
i SS?a verJadeira ee"ebr* ^?M
lDig,dl ^rrafas de Hollanda vefdadeira.a
dita propria para negocio, a
.Botijas cora
400 rs.
GarraNfes com 2 galoes com dita, a 65.
Vioho moscatel de Setubal, a garrafa a 15.
^lirrasquinho verdadeiro,frascos a 80C rs. e
,:h2a5n000 De' S JUZa 25000' e a garrafa a
j Azeite refinado portuguez e francez, a garrafa
a itRMJO.
Ca7a8*ni,h0.0.rdeaax rauil superior,a
70, 85, 95 e 105 a caixa.
JUitas com dito branco, a 75 caix?.
.Ditas cora dito lagrimas'do Douro verdadeiro,
V' a 205.
iQStAC/2n duque d0 PoTU> verdadeiro.'a
Ditas cora chamisso superior, a 143.
Dftas com Porto velho e outras muitas mar-
cas, a 123.
{Vinho do Porto da pipa, a garrafa a 640, 720
C Oxn/ [3.
. Dito de Lisboa muito bom, a caada a 33200
' 3 J3GO e 43, e a garrafa a 500 e 560 rs.
DDito da Figueira, das seguintes marcas (.V.)
m (,{JLk) (J- L" G-) M> a caada a
h i3500,-e a garrafa a360e6i0rs., desie
que ja est engarrafado e lacrado cora o
' rotulo do armazem.
Ditos de marcas mais desconnecidas, a cana-
da a 35300 e 45000, e a garrafa a 480 e
o 20 rs.
jVinho branco fino, agarrafa a 640rs.
[Pjto w caj muito superior, a garrafa a
800 rs.
Barriscom azeitonas novas a 15300
^ Manteiga.
Manteiga superior, a libra a 15280.
Dita mais atmixo a 13200.
Dita menos superior a I3\
Dta franceza nova, a libra a.880
Dita dita era barris e meios ditos, a libra
850 rs.
Dita para tempero a 400 rs.
Queijos.
Qaeijos novos vindos neste vapor a 25800 e)
33000.
Ditos londrftios muito novos, a libra
15000.
Papel.
Papel almaco pautado, a resma a 43800.
Dito dito lizo de linho, a resma a 45500.
Dito de peso lizo e pautado, a resma
25500.
Dito de embrulho, bom a-15 e 1-5*00.
Soutambarques de cambra.a verdadeiramente bordados por precos que odna
v ,., i vestidos feitos.
Jestidos enfe.lados com gosto de excellente 15a com zuavos ele a 25*Wo
Completo sortimento de fazendas para **0.
Si % \i>L TOILET
HOlllS
para mJS? ^^^ ^ S'daS n,zen'las **
Gregorio Paes do Aniaral & Gompanhia.
Antlga casa de nlllierme da silva Cnl
maraes.
de
trabalhar
desca
Vinho Hadeira.
Garrafas com o verdadeiro vinho Xerez e ifa-
delra a 15300 e 25000.
Temperos.
Folhas de louro, piraenta do reino, corainho
e cravo, a libra a 400 rs.
Velas de carnauba. &
Massos com 6 velas de carnauba refinada a
480 rs.
Amendoas.
Amendoas com casca, a libra a 320 rs.
Doce.
Caixoes de doce degoiaba, grandes a I5i00
e pequeos a 640 rs.
'fijlos de linpar.
lijlos de arear facas a 140 rs.
Graxa.
Duziasde boioe de graxa u. 97 a 23000, e
d latas a 15000, e"os boioos a 240 rs. ca-
d., um, e as latas a 100 rs.
Charutos finos.
Charutos finos dos melhores fabricantes da
'.H4CDINASDEPATENT g^nde liquidacao"
Lilhar a mo para', us., *"g*>
iroear algodSo 1M ,0Ja.e *ww de Gi.maraes & Ir-
fabricadas mo, t9 a Impcr IHz 72
Os donos deste estabclecimenlo esto re-
solvidos a liquidar suas fazendas porreo
i baratissimo, s com o fim de adquirireni fr-
e previnem s pessoas, que iM>go-
FABRICADAS
Por Plant Brothers & C.
OLDAM
Estas machina;
podera descarocar
qual.juer especi
de algodao sen-
estragar o fio.
sendo bastanti
duas pessoas para
otrabalho; poda
descarocar urna
arroba de algo-
dao em earoco
Baha por diversos precos, caixat e meias'
_ caixas.
h grande pantdade de gneros tendentes
estes estabelecimontos, que deixam de an-
nunciar-se.
i
t
superior
em porcSp lera
m
mmimwmi
Saccas grandes com lOf^libras de farello superror a ^5000 a sacca.
m
N. 11Ra do QueimadoN..11
LOJA DE FAZENDAS DE
Augusto Fredtrico dos Santos Porto.
, Ghegfu a-est esiabelecimento um grande soriimento de cortinadas bordados oara
cama* razeada-.de muito gosto. F
Chales de guip rauito finos para 225, io$ e 305.
Colxasde seda superiores de diversas cores para camss de noivas.
Culxus de ia e seda para cama tambem de bonitas cores.
x Jiotoodes de guip eufeiudgs com o malhor gosto.
Seiim de Pars bella faseada e da bonitas edres para vestido a 700 rs. o covado.
MouiaanUiiue branco e prew, grosdeoaple prelo e de cores, pannos pretos de todas
,, AS qualidades, ditos azuei.
i Casamira preta e de corai, caerio preto, silistrina, borabazinas, alpacas pr^tas, e
laa preta para lutos.
I ,,. Mdas, uceare k>ka de tapete, verniz e couro de 45 a 115.
v rfitmSkmfret Bao a m a vara.
Chapeos e ehapeJinas de palha de Jtaltepara senhora,-manguitos- bordador, chapeos
deseda para hooiam.clupds da sol de seda, esguio de linho, cambraia de lioho, breta-
r nhas, silesias e muitas outras fazendas que s-vendem por commodos precos assira como
tambera
Esteiras da India, para forrar salas
guezia
ciam com fazendas, que'nesia'i, j
encontrarao sempre um grande sorln..-nto
por menos 20 por cento do qne em on'ra
qualquer parte, tanto em peras, como .: re-
talbo. Vejam :
Chitas a 210 rs. rtvadt.
Vendem-se chitas preclaras francezas c> m
assento braceo, ecuro, cor de caima e par-
-- .-,^ a, pelo baratoprecodeiOrs.oco^aio
on iS m'S ^f,anfand-s qe esta fazenda naoesl p
Srd!!oalrf!S e nem tem o menor defdio : ,9,o ,) w
robas de algodao l0J*e ^^^m de Guimares A Irmo
limpo. O. Ti.
para serem movidas por Q^^^SS^ST^
ammaes, que descaroSaail8 arrobas de algodSc dfi snrll^tn flL -!mK T*"10 Bm S1-
limpo, por da; e motores para mover urna duas ^""nento de cambraias brancas de to-
euins dessas machinas. das as qualidades pelos precos reduziilr* a*
Os mesmos tam para vender um bellissimo va- 3*000, 3*500, 4,J. 4oOO e mnim r,L l
porque pode fazer mover seis destas machina. 6, vende-se por este Drem J?ul ","
mencionadas ; para o qne convida-se aos Srs. nnrrita c*h*L r PITJ ^ ,tT gra,hI,J
agricultores a virem ver e examina-lo, no arma- p0rCa0' "" orgamT de W e 300 r<.
. o covado; dito franceza, a mais tina utia
, tena viado a este mercado e dos ma.s de-
cantes padroes, a 400 rs. o covado, c lV3r
tisamo; chaly de seda de apurad, gosio a
000 rs. oxovado : isto so se rend- aa foia
Attencdo. %a*Zde* ^i A fr*- .
Vendem-se pecas de esleirs para forro de sal,, he Vrm I \ fi "**<*
tinta branca preparada a oleo, em latas de 25 li- le!ir*a este Ubelee OKato. i.-el
bras, para pintar casa, relogios para cima de me- UllimO^w- francez, ricos crtri Je inLi.
saeparapendnrar, arreios para i e 2 cavallos, DM cambraia com lindi^simo rhnviit, !
velas de spermacete, tudo de superior qualidade que faz um rtrtn m,^!-r CDnv,5T ,n '-
v.ndo dos Estados unidos: no armazem da ra do 2Sn hira?;2 m!,PBco, e Tende-se
_______ Jf baral'^'mo preco de 5 o curte, tm*-
da que va m em oulra qualquer parte
cortes de laa com barra a 95 e 12 Ros
loja e armazem de Guimares Irmao
zem de algodao, no largo da ponte nova n.47.
Sanntlers Brothers 4 C.
X. II, prava do Corpo ant*
RECIFE.
Os nicos agentes ueste paiz.
Trapiche n. 8.
Coke dogaz.
Pitch do gaz.
A leatrao do gaz.
tonelIadas rs. .
Coke
Pitcb
Alcatro caada
i
105000
805000
400
n. 72.
Bretanha de rolo cwn 10 varas a 36 a oe-
' S^/Saapol3 infest'do con O varas a
O coke reconhecidamente o earvao mais eeono- 300, 3>500 e 45 a peca: rkos l^.!a mico, lorna-se por isso recommendavel, bem eo- em fina cambraia a iin r' ., M*ua<*
mo pelo asse o que se nota as cozinha jnL1! r tdumraia a 800 rs. ; soutemtrque
alie usado. Pitch ^L'S^^X^\^rS!^ ^^ ^ W' '-
diversas a que seprestam, como para callafelar I *,n,ia a 30 e 400 r. o covade: desaseo
tHl,lalw" madeiras.etc, teem este a ^ 2 larguras a 15280 o covado :
p-? de ,p?Mrv" <>o cP"n. formigas,aic. merino estampados
E entregar na fabrica dogaz ou mandado pr em mira S ^anl .
qualquer ponto da ddade, segundo a vontade do 1S V,T '
comprador. y taoto para snho
_ casa de Tjsset Freres ra do Trapiche n.
9, tam para veader :
. vinho B-.rdeauxem barricas e em qaixas.
Dito de Santerne ftno. '
Dito de Champagne muito superior.
Cerveja franceza marca Bobee.
Taso ImuSos
vendem gesso em p para Kfcwaecaas,tHolos
finos de reillo diversos para ladrilho, azlenos de
diversos gostos, lijlos vdrados,para parede de co-
zmha, caaos do barro para esgerto, comento em
barris da 10 arrobas.


----------------------- i 3& tendo 30 arcos.
InstrucQfies para a s$rvi#) !^|,aft,d* t* <* e
das guardas do exercito, extrahidas do re-
gulamento de infamara e accommodadas ao
exercito brasilero; obra que muito convm
aquellas pessoas que se alistara nos corpos
de voluntarios; vende-se na livraria n. 6 e
8 da praca da Ind-pendencia, a 15.
Superior vinko do j^orto.
o^*.rDa".Yifar0 n- W' ^criptorio de Domin-
gos Alves Matheus, tem para veader muito supe-
rior vinho do Porto em calas de urna durla, e an-
corlas de 10 ero pipa por preco mdico.
Qoa.se vende mais barato 25 por rento do
que em outra qualquer parte: -to so para
liquidaco: na loja e armazem de fazendas
de Gui maraes & frmao.
crRUA DA IMPEHATR1Z, N. 72^
9
\oveaa de *o*a
,r **** aalAb.
Vende-se na roa do Imperador a. 5, oaVlaa
de eocadernacao : o offirio, salva e verso*, aave-
na e salve de Nossa Senhora do Carao ues rl
nietos por 500 rs.,e a novena de Saat'Aaaa i
lili r-^
i% #r-i


Bfctt-lo 4c PeaaJmo Terfit 4r i *> a
ESTABELEOIDO A RA NOVA N. 60
TOO HH>H31*\ ID3 S3 imam
AO
RBSPEITAVEIi PUBLICO.
A apreciago dos habitantes desta heroica provincia existe no grande arma-
zem da Liga estabelecido ra Nova n. 60 um magnifico sortimento de molhados,
que sendo em sua roas mi parte mandados vir directamente do estrangaro podem ser
vendidos por presos asss razoaveis.
Sem a fatuidade de querer que este novo c interessante estabelecimento seja o
primeiro e nico em seu genero, pde-se porm afSancr, com toda a seguranca de que
nenhuoi outro o exceder no restricto cu:ipriinento das seguintes promessas:
1/ Delicadeza no trato.
2.] Fidelidade no peso.
8." Sinceridade nos precos.
As pessoas que por sua posico social gozam de certo tratamento, acharo nesta
casa os raelhores queijos londrinos, ceneja, vinhos finissimos manteiga e cha sempre de
primeira qualidade. etc., etc.
Qualquer que seja a condico do freguez, elle deve contar que ser sempre mul-
to bem servido. .
Aquelles que sao pouco favorecidos da sorle faro mensalmente urna economa ae
muitas patacas, afreguezando-se nesta casa, onde se Ihes vender arroz, o caf, a man-
teiga oassuar, etc., etc. de boa qualidade pelo preco que em algumas partes nao po-
dem ou nao querem vender.
Os senhores de fra da cidade, dos arrebaldes ou centro, que comprara para ne-
gociar, devera vir, pelo seu proprio interesse, a este estabelecimento para se convence-
ren! do quanto se pode vender barato.
Para os senhors que compram para tornar a vender existe um sortimento 'spe-
cial, escolhido por pessoa entendida que certamente muito deve agr Jar aos senhore
compradores
:\vao se tem poupado sacrificios, nem se deixar de fazer a diligencia para agra-
dar a todos.
PELOS SEGUINTES PRECOS SO SE VENDE
A DIMHEIRO A VISTA:
Grasa em latas, muito nova, a 80 rs. cada
urna.
ALPiSTA a 120 rs.-a libra.
dem e painco de oito libras para cima a
100 rs.
Amioz de 90 rs. a libra a........
Amkndo.ss, casca mulle, a 8o rs. a libra.
Avell.Us a 2i0 rs. a libra.
Amebas francezas em latas de todo; os la-
man nos.
dem idem em potes de todos os tamanhos.
dem idem em bocetas de todos os tama-
nhos.
dem idem em frascos de todos os tama-
nhos.
Azote doce de primeira qualidade a 560 rs.
a garrafa.
Alhos a 200 rs. o molho.
Ansv.vruo a 2#Q0D a garrafa.
I*
BOLACIli.NlIAS do Beato Antonio em latas
grandes e pequeas.
dem do Principe Alberto a 25000 a lata, e
de cinco para cima a 1&800.
dem de soJa em Iotas grandes a 2-5000 e
de cinco para cima a l?5>OO.
Biscorros inglezes de todas as qualidades a
11200, l0i3Oe 15300.
Bolo francez em caixinhas a 300 rs. cada
urna.
Batatas inglezas.
Baxha de porco renada.
c
CHOCOLATE francez a 700 e 800 rs. a li-
bra, e em porejo a 600 e 700 rs.
dem suisso alia libra:
dem de musgo a i-$'OQ a libra.
CaoRipAS muito novas a 800 rs. a libra.
Cap a 240 e 200 rs. a libra, e em porreo
se far abatiment).
dem de primeira qualidade a 7(5000 a ar-
roba.
Conservas em frascos a 320 rs. cada um,
sao muito novas
dem inglezas, frascos grandes.
Champagne de todas as marcas.
Charope de grosella, rehala, etc., etc.
Chicaras e pires a 13300 a cl.izia.
Cerveja da superior marca Tenente a 300 rs.
a garrafa, e em duzia se faz grande aba-
t ment.
dem Victoria Bas tres X e de oulras marcas.
Ciiaui'tos das mais acreditadas marcas, co-
mo sejam : Normas d'Ilavana, Exposicao,
Flor do Brasil, Parisienses, Delicias, Gua-
nabaras, Trovadores, Regala, Mississipes,
Pndelos, Apraziveis. Varetas, Brasilei-
ros. Americanos, Fluminenses.
Cu de todas as qualidades e de todos os
precos, hysson, huxim, aljfar, preto, e
preto ponta branca, etc., etc., a 2&O00,
2-32 '0, 20580 e 2800.
Coi'os lisos de todos os tamanhos de 120 a
320 rs.
dem lapidados de todos os tamanhos a du-
zia a 20300, 30500, 40 e 50.
Cauces de todos os tamanhos.
Cognac superior a 10 e 10500 rs. a garrafa.
Cigarros V Rio, pardos, a 80 rs. o maco
de cinco macinhos.
1
DOCES de, todas as qualidades: brasileiros,
portugueses, inglezes, fraucezes, etc. etc.
E
EHVILIIAS seccas a 120 rs. a libra.
ervadoce i 400 rs. a libra.
FAIU.NTIA S S S de 8 libras para cima a 120
rs. a libra,
dem de ararnta a 320, 400, 500 e 810 n.
Figos de comadre a 160 rs. a libra.
Feuo verde em latas a GOO rs.
Favas em latas a 600 rs.
Fimo do Rio a 500 rs. a libra,
dem americano em latas a 20.
Farello ha sempre em deposito de 500 a
800 saceos, de todas as qualidades, de to-
dos os tinanhos e de todos os precos.

GOMMA a 50 rs. a libra.
dem a 140rs. a libra, muito a Iva.
Gna'i de rico a 120 rs. a libra, e em porco
se faz glande abatimento.
Ginebra de laranja vertUdeira a 10000 o
frasco.
KIRSCH de Wasser a 20 a garrafa.
L
LATAS com graixa a 80 rs. cada urna.
Letiua a 400 rs. a libra
H
de p;imeira
MANTEIGA ingleza e franceza
qualidade a 10, 1120 e 10280, em bar-
ril se faz grande abatimento; a que ven-
demos por 10280 a lib a, vende-se em
outra qualquer casa por 10400 e 10500.
Maiimelada dos mais acreditados fabricantes.
Macarrao e TAi.iiAiii.M a 320 rs. a libra.
Massa de tomate a tO rs. a lata.
Mostabda ingleza a 800 rs. o frasco.
Momio inglez de todas as qualidades.
Marrasquino verdadeiro de Zara a.....
Massas finas para sopa branca e amarella a
00 rs. a libra, em caixas corn 9 libras a
30500.
Mimo painco- e alpiste, sendo mais de 8 li-
bras a 100 rs.
N
NOZES a 120 rs. a libra.
Nabos em latas a 800 rs.
O
Ostras inglezas e americanas.
P
PEIXE em posta, latas grandes, a 10100, de
todas as qualidades, como sejam savel,
goras, corvina, pargn, salmo, pescado e
pescadidlia, linguado, sardinha. etc., etc.,
Peras em latas, excellente prepararlo.
Palitos para dentes a 120 rs. o maco muito
grande.
Passas em qaarto a 10400.
dem muito novas a 400 rs. a libra. s
Pomada muito nova a 280 rs. a duzia.
I
QUEIJOS flaniengos.
dem prato a 8004*3. a libra,
dem surssos a 800 rs. a libra,
dem londrinos a 800 rs. a libra.
Qtartiniias ou mori.nqles a 00, 80 e 100 o
par.
n
RAPE' Meurona 10 a libra.
dem Princeza do Rio a 10200 a libra.
dem francez a 20500 a libra.
S
SABO massa a 160 rs. a libra, era caixa se
faz abatimento.
Sal relinadj em frascos a 500 rs.
Salame de Len a 25.
Saudimias de Nantes de todos os fabricantes.
Idem de Setubal em latas muito grandes a
720 rs.
Stearinas a 600 rs. o maco.
T
TOUCTNHO de Lisboa a 320 rs. a libra.
Tomate em latas a 600 rs.
Tinta azul e preta para escrever.
VINHOS!!!
Principe Alberto, de 1831, a 50000 a gar-
rafa ; da vida aos velhos.
Vellio secco a 20 a garrafa
Lagrimas do Douro a 10500 a garrafa.
Duque do Porto verdadeiro a 20 a garrafa
Duque a 10 e 10500.
Chamisso a 10, 10200 e 10500 a garrafa.
D. Luiz a 10 agarrafa.
Moscatel verdadeiro de Setubal a 20 a gar-
rafa.
Carcavelos a 10.
Colares a 900 rs. a garrafa; o nico vi-
nlio que se pode beber por nao ter com-j
posigo alguma.
Lanterne a 800 rs. a garrafa.
Bordeaux Medoc a 800 rs. a garrafa.
dem S. Jlien a 600, 800 e 10 agarrafa.
Absynilio a 20 a garrafa.
Kirsch a 20 a garrafa.
Wermoulh a 20, e a caixa a 180.
Bilter Maurer a 10 a garrafa,
Grave a 800 rs. a garrafa; vende-se por este
preco por h'aver sempre em deposito 50
duzias.
De caj, de 1852, a 10200 a garrafa.
Velho do Port, em ancoretas de 9 caadas,
a 35000o ; vinho que, estando engarra-
fado, vende-se a 10280 e 10500 a garrafa.
iva va '' -'


I
10 PUBLICO



Mein o menor conslia'u-
glmento se entregar o
Importe do genero que
uo agradar.
ATTEN&AO
PASTl/5?
O precos da seguate
tabella para todos, po-
deudo asslm servir de ba-
se para o ajnste de contas
com os portadores.
RA DA CADEIA DO RECIFE IV. 53
(Logo passando o areo-da Conceico)
PARA BEM DE TODOS.
rr.hnras, o aceio qne presidio aos arranjos deste novo estabelecimento, e mais que lado a promptidao e ir
atvi^tmvida a urna visita ao me=mo, cortos de que sem duvida me dariSo a proteccao e preferencia na c
DE KEMP,
NOVA YORK.
DE COR CHORO E SABOR AGRAOATBI
ntei- lnliiitamenie n.ais tfJif&zis
Senhores
rezacom que serlio tratvi^i'twvida a urna visita"ao mesmo, certos de qoe sem duvida me darSo a proteegao e preferencia Da com- S mais rfndio? pttiftm <
pra dos gneros que precisarjjtt e quando nopossam vir poderSo mandar seus portadores, ainda que estes sejam pouco praticos, 'l.ue ex'stem para a apabio
nis seno t3o bem servidos como se viessem pessoalmente, havendo para com estes toda recommeridacSo, afim de qnenovaoem
" tra rprte.
io
sem
Mmteiga ingleza especialmente escclhida a
l,ooo e 800 rs. a libra e em barril se faz
abatimento.
dem franceza a mais nova do mercado a 96o
rs. a libra e 900 rs. em barril ou meios.
Cha hysson de supe.-ior qualidade a 2,600
rs. a libra.
Oh perola o mais superior do mercado a
2,800-rs. a libra.
dem hysson moito superior em latas de 15
libras muito proprio para negocio a 2,ooo
rs. a libra.
dem hysson nacional em latas de 1 e 2 li-
bras a l,6oors.
i-
Sal refinado em frascos de vidro com lam a
do
cattsam di.res e prodoz* di rus
precisar logo dtpaa nhum c tao intit; ntes em l| u i ,. j..
mesmo, a ooo rs C10sas em gosto, que as ni..i;,as >iat.
gerveja branca das marcas mais acreditadas fS?*" a lomar maiS do (jL"' m;,u!: re*
que vem ao mercado, a 5oo, 5Go e G4o tjL. .
a garrafa, e 5,8oo, 6,ooo e C,5oo a du- r,t como, um R('" hW
zia. remover as obsti actes do miih. hmbm
engarrafar, em ancoretas d'e 'canadae a Cevadinha de Franca muito nova a2oor. D0 cm> de to e8trei"> ""< w
35'00 rs- i Charutos do affamado fabricante /os Furta- J11^,'11 CASIK kl v' '' -
Aletria, raacarro e talharim a 4oo rs. a
bra e 0,oooa caixa.
Massa para sopa : estrelinha, pevide e rodi-
nha branca ou amarella a 64o rs. a libra e
5,5ooa caixa com 8 libras.
Vinho do Porto muito fino proprio para
Vinho em pipa: Porto. Figueira e-Lisboa a
32o, ioo e 5oo rs. a garrafa, e em caada
a 2,5oo, 3,ooo e 3,8oo.
Vinho branco de Lisboa de excellente quali-
dade a 4oo e 5oo rs. a garrafa e em cana-
da a 3,ooo e 3,5oo.
dem preto o que se pode desejar neste ge- Vinho branco para mise em caixas de 1 du-
nero a 2,ooo e 2,2oo rs. a libra.
Linguicas muito novas a 8oo rs. a libra e em
barril se faz abatimento.
Chouricas e pak>s a 8oo rs. a-libra.
Costelletas inglezas a 64o rs. i libra, serve
para temperar panella ou para fiambre.
Queijos do reino chegados neste ultimo va-
por a 2,2oo rs., ditos de navio devella a
2,ooo rs.
dem londrinos muito frescos e de superior
qualidade a 8oo rs. a libra,
dem prato a 8oo rs. a libra, e inteiro se faz
abatimento.
dem suisso o mais superior que tem vindo
ao mercado a 64o rs. a libra.
Ervilhas e favas portuguezas j preparadas
em latas hermticamente lacradas a 64o.
Feijao verde muito superior a 640 rs. a late.
zia a 8,ooo e 68o rs. agarrafa.
Vinho do Porto das melhores marcas que
vem ao mercado como sejam i Lagrimas
do Douro, Duquedo Porto, Rainha dePor-
tugal, Duque genuino, D. Luiz 1, Madei-
raSecca, Malvazia fina a 16,ooo, 15,ooo,
12,ooo e I o,oooa caixa com 1 duzia e9oo,
l.ooo e l,5oors. a garrafe.
Vinho Cherexde suprior.qnahddeal6,ooo
a duziae l,5oo rs. a garrafa.
Sardinhas de Nantes a 4o rSi'06 quartos e
64o rs. as meias latas.
Bolachinhas inglezas muito novas a-5,ooo a
barrica e 320 rs. a libra.
Bolachinhas de soda em latas- de diversas
qualidades a l,3oors.
Cartoes com bolo francez muito proprios pa-
ra mimo a 64o rs.
Copos lapidados para'agua a 5,ooo e 5,5oo Passas muito novas em caixinhas enfeitedas
rs. a duzia. para mimo a 3,ooo rs.
dem idem para viuho a 24o rs.,e2,4oo rs. Passas decamada a 8,ooo acaixaeioo rs.
a duzia.
a libra.
do de Simas, das seguintes qualidades: 'a* ep '"f IX|,? ,,a f.a P";'
Exposicao Normal de IL.vana, lmperiaes, JtTJJSg P ?*$' '
Londrinos, Guanabaras, Parisienses, Sus- gjj8 tds f" 1 b*,,,aS
: \a-
,
radas nicamente por Lanman
Nova York.
Vendcm-se no Recife em cara u<
Barboza e Jo3o' da C. Bravo & C.
kmm~
I'hato I do
Ba do Iingel n. 7'].
O proprielario dcsie e>lal-ierinnjiiip i^ni a
mi;
(oniiitf re
dos
piros Delicias, a 4,ooo, 4,5oo, 5,ooo,
C,ooo e 7,ooo a caixa ou em meias. .
Charutos finos de diversas marcas e fabri-1
cantes, como sejam: Flor do Norte, Ma-
nilhasdeMavana, intervallos,Vencedores,1
Panatellas e Suspiros, a2,ooo,2,5oo e
3,ooo a caixa.
ognac inglez das melhores marcas, a 8oo
l,2oo a garrafa.
Ooce da casca de goiaba a 2,ooo a lata com
4 libras.
Farinlia de araruta verdadeira a 32o rs.
libra.
Matte.xcellente cha para os navegantes,
2oo rs.
Sebollas de Franca muito grandese novasnde'avbar aos moi (rumtn^-lm
2 1,800 0 cento e 1,200 Solas. de redueco no> pr. <\> de mm;< gMh r PM
Palitos do gaz a 2,2oo a prosa. f* nuahdade : >lpt mgten t? e US <. *
',vf.:.:., m wmm m :. .*
e em bail >* (j alai- n-. -H-
, queijns IbnrBfot novos a 2j:!00, dii btM .1
Banhi de porco refinada a 65n rs. a libra.:se pode desejar m umiadv a su
Bolachinha Alberto, as melhores que pre-' *"'p'*af, 'Mncms niimh. a i***.
sentementetem vindo ao mercado, a 2,ooo !iSrX^^*Z~Z*Jl
Toucinhode Lisboa muito novo a 32o rs. a | j*g*|, ."g*
libra e 8,5oo a arroba.
Chocolate francez hespanhol e suisso a 9oo, Figos de comadre a 2 lo rs. a libra.
1,000 e 1,2oo rs. a libra. j Amendoas de casca mole a 4oo rs. a libra.
Espermacete superior a 600 e 64o rs. a li- (Milo de amendoas a 5oo rs.
bra e em caixa se faz abatimento. \ Bolachinha d'agua e sal, da fabrica deJoo1
Peixe em posta em latas hermticamente la- de Brito no Beato Antonio, em lata de 6 li-
cradas e das melhores qualidades de pei-' bras por 2,5oo rs.
xe a 800, l,ooo e l,2oo rs. Ameixas francezis em fiasco de vidro com
Vinho Bordeaux das marcas mais acredita- lampa do mesmo, a 4800.
das que vem ao nosso mercado a 7,ooo e Ameixas franc zas em csixiribas de diversos
8,000 a caixa e 6 4o e 7oo ris agar-! tamanhos com bonitas estn pas na cai-
ral'a. xa exterior, a 1 ,4oj, 1,60o, 1,80o e 2,000
Genebra de Hollanda a 48o rs. a botija de cada urna.
conta certa. Azeite doce refinado hespanhol ou portuguez
Frasqueirasde genebra de Hollanda a 6,800 a 9oo rs. a garrafa e lo:ooo a caixa.
e 64o rs. o frasco. Batatas muito novas a 80 rs. a libra e2,5oo
Genebra de laranja verdadeira em frascos, o gigo com 36 libra-.
grandes a l,oooe li.ooors.a frasqueira. Conservas inglezas a 75o rs. o frasco e
a lata.
Farinhado Maranhao muito alva e cheirosa
a 2oo rs. a libra.
Frascos com fructas em calda de diversas
qualidades a 2,5oo e l,8oo o frasco.
Caixinhas com fructas em doce secco de di-
versos tamanhos, muito proprias para
m>mo, a i,600,2,600 e 3,5oo cada urna.
Ruihns, excellente peixe portuguez, em
barris pequeos ou a relalho, a vista se
far o preco.
Azeitonas de Rivnsem ancoretas grandes de
8 garrafas por 600 e 800 rs. a garrafa.
Azeitonas portuguezas a 5oo rs. a garrafa e
l,5oo cada urna ancoreta.
Champagne da melhor qualidade que vem
ao mercado, a 2,ooo e 3,5oo a garrafa, e
24,ooo e 26,ooo o gigo.
Gomma de engommar muito alva a 12o rs.
a libra.
Caf do Rio de Ia qualidade a 28o rs. a\i-[ 8,5oo a duzia. |Figosemsextinhas a 80 rs,cada urna e 72o
bra e 8,5oo rs. a arroba. 1 Vassouras de escova para esfregar casa a rs. a duzia.
Caf do Cear muito superior a 24o rs. aH-; 4oo rs.
bra e 7,5oo rs. a arroba. Nozes muito novas a 16o rs. a libra.
Arroz do .Maranhao de Ia qualidade a loo, Molho inglez em garrafa de vidro com rolha
rs. a libra e 2,800 a arroba. > do mesmo, a 16o rs.
dem da India a loo rs. a libra e2,8oo aMostarda ingleza dos melhores fabricantes,
arroba. a 800 rs. o frasco,
dem de Java a 80 rs. a libra e 2,4oo a ar-; Mostarda franceza em potes j preparada a
roba. 4oo rs. o frasco.
Painco e alpiste a 14o rs. a libra e4,oooa Lentilhas francezas. excellente legume para
arroba. sopa, a 2oo rs. a libra.
Massa de tomatesde superior qualidade a 64o Marrasquino de Zara propriamente dito a
rs. a lata de urna libra e56o rs.a reta-! 15 a garrafap 11,000 a duzia.
ttio. Palitos de denle a 14o rs. o maco.
Papel azul para botica a 2,ooo a resma.
Balaios para roupa suja, grandes e peque-
nos, por diversos precos.
Amendoas confeiladas a 64o rs. a libra.
Lates com fructas em calda: pera, pecepo,
damasco, rainha Claudia e cereja, a 800
rs.
Vinagre de Lisboa a 2oo e 28o rs. a garra-
fa e a I .loo e 2.000 rs. a caada.
Azeite doce de Lisboa a 4,800 rs. a caada
e 640 rs. a garrafa.
Vinagre branco engarrafado a 5oo rs. a
garrafa.
ara mimos, maiateada Oaa .,1. m na:ja> a
040 rs. a libra. amerntoM ronfriiada* pava nasa
de S. Me a 640 :.. ciato fio Por* :. 60 7"r-
a jrrala, Fi|neira e LMkoa M0,14t IM r .. i
f-m ranada se hi o :, rao i
com 2 arrollas por 3.**') e a liSra RO r> r
caf 1' j-orl.: 78W e UM e a toh i i" It
boiachiulia inglea i SPG r*. a liba Li.-boa a 300 rs. a libia, telas de i MO
rs., dilas estearinas fins a 60i r.-., jrr-m | r.m-
gue2 a 600 rs., alpina a 7%9Hb ar-. I i .1 i.
a libra, paira a \ a dtU c l ;0 r.-. a \U. c 6-
m> a 2i;00, TIN' 5800. frsela, m : a
G40 a lata, p. ni na a HH r-. a lil r;: .-',"' t-
roba, boliinooa Inf lew* lala de t libra?! 'IVB.
ditos de suda prande- iHm e OMiw na:- f ur
ros que se loma nCai i.ln memr'v n..r. O;.,., i*
lario espera a roaronenra c:- re*|K iiai
garantindo a maciidS' v qoe ira!: r.
\G I.AW;
A \g l?OOc 1^300
I.fjiios de osao, altlim c ,. l.
Oroulas de meia ;i li i}.
Dulas molla fina- a 1J"(h).
S na ra da Cadi ;a d" Reeifa n.'5
Vende-.-e um carro de alfanuVga, com u- I ri .-
igual, ludo por prtfo miuti WMMa: a
no pateo de S. Ped/ n. i.
a
T
raur
ESCMv.
RITA I.
8EM EGU]lTIIO
Itiiti do Queinir.do as. 49 e a&
Contina a vender todas as miudezas que abaixo
declara por presos admira veis.
Masaos de palitos lixados para denles a 100 rs.
Espclhos de molduras douradas a 200,240 320 rs.
Bonets de oliado para meninos a 15000.
Ditos de couro superior fazenda a 1500.
Frascos com superior tinta rocha a 240 rs.
Meladas de linha froxa para bordado a 20 e 60 rs.
Babado do Porto, fazenda boa, vara a 80. 100 e
140 rs.
Varas de franja branca estrella a 40 rs.
Caixas com 100 envelopef, faenda fina a 600 rs.
Grozas de peonas deaijo, fazenda superior aSOOrs.
Duzias de meias cruas encorpadas para bomem a
3,5000.
Grozas de botoes madreperola finos a 500 e
e 640 rs.
Caixas com 50 novellos de lioha do traz a 700 e
900 rs.
Caixas com superiores obreias de cola a 40 e 80 rs.
Pecas de fila branca clstica com 9 varas a 280 rs.
Varas de franja de la para enfeites de vestidos a
40 rs.
Baralhos dourados superiores qualidades a 400 rs.
Novellos de linha com 400 jardas a 80 rs.
Livros para assenlos de roupa lavada a 100 rs.
Pares de botoes para punho, fazenda rioa a 120 rs.
Tesouras para costuras superiores qualidades a
400 e 1$.
Caixas de peonas de cllrgraphia, fazeda boa a
liSOOO.
Massos com superiores grampos a 30 rs.
Pares de sapatos de tranca e tapete a UNO.
Pares de sapatos de Irania para meninos a 12 e
1280.
Caixas com superiores agulhas a 240 rs.
Libras de la sortidas de bonitas cores a 7^000.
Caixas com superiores obreias de massa a 40 rs.
Rjdinnas com alfinetes frncezes inoito soperieres
a 20-rs.
Resmas de papel almaco a 25400 e 24800 rs.
Resmas de papel de peso fino a 24000.
Escovas para roupa, fazenda boa a 720 e \$>.
Duzias de lesouras com loque de ferrugem a
600 rs.
Duzias de facas e garfos de cabo preto a 34000.
Talheros moito lino para enancas a 240 rs.
Vinho do Porto especial.
O mais generoso e genuino vinho do Porto, mar-
ras novas e especiaes em caixinhas de 12 garra-
fas, sendo marca Rainha de Portugal a 184 a cai-
xa e Pedro V a 165, em porrao far-se-ha um aba-
te razoavel : no armazem de Ferreira & Matheus,
na roa da Cadia do Rdlfe o. 66.
Lagedo para calcadas.
Vende-se muito bom lagdo para calgada* e ar-
mazeos ebegado agora : a tratar o ra do Apollo
o. 4.
\zeite doce refinadoem pequeas lates a 560 rs a garrafa : no graud armazem
da Liga.
Saceos de 80,100e 120libras a 4&4(5I500 e 55 ; no grande armazem da Liga.
@2
Safe
DO e 55:
ilfi^lifif
mmm s
{Ai
Fugio em principios d.. nezite I
rnrrenle anuo e consta estar arr.uvn' r' -I-
ti rnoleque Euzebio, eacravo iia vil va i)i [ -
nando Affoosode Mello, de is a unos de idade a
co mais oo meno^, cor preia, m
regulares e afumacados. a! <,_ um pnuri r t
e meia chata, belcos finos, denles htm a!v> a
seceos e muiio ladino : rega-se por latito teijae a
autoridades polieiaes ca iii de ran |. ,;k j$>-
prehendam e levem-o a roa da Kantvrira'sfnin
d. 6 qne aerao gralicados. protcslai -n>
melosjodielaes contra qnaiquerpcaMOfai u -ato
ero seo poder.
A^entou-se no da 2 (\> ciihwj ao r.ie.
da casa da ra do Imperador o 16. u ata
do, criolo, cheio do C'>rpc, liara r gnlar,
comprido, odios penenos e p. ur harto, u'-. |
sa e bigode, bastante ladine. re| resenla
annos, pouco mais ou fTfCoa, |olca-se ler
calca preta e camisa branca ; <- e-rravo
prado ao Sr. coronel Calva.-, d Limoeiro, parai
do se jolga tenha fgido, bum ha qoeo o ti
visto na Passagem da Magdalena, Remedios e |
zea; e como se desconlia que esteja
protestase proceder contra m o liver
e pede-se a qoem deile der no;icla ou oaj
que dirija-se a sobrdita casa, t u a ra do Cresa
n. 13, que ser recompensado.
Fugio no da i'< de junh. "prximo ; -*<
do lugar de Gamella i' Barr. Grande pr /n
de Arageas, o mulat.. MUBMo, de idade i*nca
mis ou menos de O roo?, rom os sign.i. *
guiles : estatura regular, can chala e bs gg,
cum os dentes um sob os outro-, sem barba, ram
chato, com marcas d? feridas r u perna, cor.- ca
larho em cima do dedo poMegar da mi dhriiB,
ps chatos e os dedos arrebila
ta de panno prelo, caifa branca e chapeo de palta
de Ouricori, julga-se ier ali-t*.io em a gjn- d--i
corpos de volnnt.tri -: roga-se ooiunti as auia-
ndados policiaes e a capi'V de campo i; >
pegar e leva to ? Qi'ieiroz Coutlnhi. tu lugar acuna indicado, ooa
seu corresponde! te nesta praca o Sr. AotofMt to
M. Temporal.com c-nplorio'n.i ru- da Crui
30, que anerosamente :>era' r ce:: n>ado.
Fugio em principio de junho uiiimo, e "ia.
poe-se vagueia pela cidade do Recife e seos sober-
bios, o moleqoe Manoel. crenlo, qoe represeaa
ter a dade de 16 ann), tendo r. saliecto irnti >i
pardo a 35, jaquetSes de bnm pardo a 35, panno acaba d receber um lindo e magnifico sortiote*^ uma cica,ri, no f.d(! oaVec.r,., .- rtirrif~.
preto firroa 25; 256o0,35500 8fc 300 5 o deocutos, lunrtoj, binculos, do ultimo eaiulS^Stl1^
covado.moreantique preto a 4600 o eovaao, gros- apurado gosto da Europa
denaple preto a 15500, 15800, 25, 25200 e 25500
/$$ Madapola multo fino com pequeo idque de varia, por preco que admira : na
jS das Coturbffas na ra do Crespo*n. 13, d Antonio Correa de Vasconcelos & C.
'a $*w* 3* '^P'^ p^ W Grande sortimenio de roupas feitas de to-
das as qualidades,
Calcas de casemira a 65 e 75500, ditas pretas a
65 e 85, caifas de ganga a 25 ,15800 e 15600,
ditas brancas a 25, brim de linho a 35, 35500 e
45, paletots do alpaca branca a 44500, ditos pretos
a 35 e 35" 00, ditos de alpaca de cordo a 45. e
de listra de seda a 45500, ditos sobrecasacos a 35,
paletots de casemira a 54, 4500, 65, 84 e 95;
ditos sobrecasacos pretos a 124, i e 165, ditos fi-
nos a 255, de cores a 135, ditos fraques a 145,
paletots de ganga a 35, 25500 e 25, ditos de bnm
iTieisco Jos Germano
ra \ota \. ai.
ocovado ; e ontras muitas mais fazeodas que se
deixa de annunciar, e manda-se levar pelos caixei-
ros da toja da arara casa dos prelendentes. O
e tabelecimenlo est aberto at as 9 horas da noite
ra da Iniperalriz n. 56, Mendes Gulrriaraes.
ATfMliO
Chegaramos superiores
cortes de seda
Supelore corles de seda
ultimo vapor francez ; na laja das columnas a roa
do Crespo n. 13, ae Antonio Corris de Vas con-
cellos & C.
ti "I 'i lli r rt/ilil
Ifa
de algodVizrnho gtoss1 : qnm o ar>pretiec-ler
entrgalo no 1- andar do sobrado n. 17, na pratjn
do Corpo Santo, cu no sitio d Sr. Dr. Aogusfc. F.
de Oliveira, na Ponte de Ccha, ser rmrif
sado. '
. Farinba de mandioca fina e alva, oais bara-
ta do que era qualquer parte, arroz da trra pua-
do e em conta : para ver e tratar, na rita do Vi-
gario, casa n. 29.
Jolas preciosa c objectos de Ha um mei que fugto a evma af**"
ouro. com os signaes sfguinles : preta, baixa, falu to
Mauricio Selheberg & C, Polacos, ltimamente dentes na frente, muito regrista. anea mata -
chegados a esta provincia, cfTerccem ao respeitavel cudida e tem um signal em rima de um koantaa,
potlico om grande sortimento de joias, brilhantes, encarnado, levou qtiasi toda a sua ronpa Tnntf
reiogios e muitos cUjedos de ooro, por prefo o do de vestidos de chita, camisas de atgoda utat*.
de cor vindos pelol ma's razoavel possivel, e mesmo troca e compra e lencoei, nma robera requera dp rhiu, jojra-aa
objectos de ouro, prata e diamantes por objeelos estar acontada aqu oo Recife, o abaixo trgnito
novos: na ra do Quoimado n. 29, entrada pelo protesta contra quera a tiver ac-.uiado oo sedoaato
largo de Pedro II n. 27, de manhaa at as 9 horas, para esta fuga, assm como ropa as aaloridatos
e a urde das 4 horas em diaote. Os objeGto ven policiaes e capites de campo a captora de dita es-
didos_ pelos annucianles sao garantidos por e!les, crtfva e leva-la a ra Nova de Santa Rita m. JB,
e estao promptds para levar objectos s casas das segundo andar ou a roa da Praia n. 78, armatas
pessoas qoe fle*ejarem comprar, rima ve? qoe nBo que serlo generosamente recompensados,
possarn vir sea estabelecimento. Antonio da Silva Ramos.
+*
lli I- **,** Mmm m


Diario de rernanbno Tarf filfa 1S t rfnlho de ii.
LFITERATORA.
l'M POICO DE 111)0.
A N'iqo publica o segrate qoadro do estado da
Dizem de New-York que a divida federal se ele-
va va em i do correte a 11.000:000:000 francos.
Os joros aoooaes pagaveis em metal to de
64.000:0001/2 dollars, e os juros pagaveis em pa.
pe de 60.000:000.
O papel legal em circulagao nao represeata me-
igreja oa Italia mdstra quaoto o catholicismo deve nos ,je 659:oqo dollars.
a Victo Emmanoel, e ao progresso que sol) a pro- Todo o algodo pertencente ao governo confede-
lergaa, das armas fraocezas se estabeleceu na rado, e que eslava alm do Mississipe, foi j ou se-
Italia : r entregue aos federaes.
Bis pos proeessados e condemnados
Cardeal bispo d'Imola Arcebispo de Turim. ,
Bispos de Faenza, Mondovi, Saluzzo, Piacenz.i,: O Inlernuctonal de Londres coma que o Dr. H...,
Panna, Fossombrone e Foggia.Vigario capitular ura do mdicos, nao diremos niais celebres, po-
de Bolonha.Vigarios geraes de aples, suas rm mais janotas de Bayswaler, dizla n'um sarao
lllmas. Maresca e Tipaldi. a alguns amigos que o rodeavam, que acabava de
Btspos processados t absolvaos. i passar oito dias no campo.
Cardeal bispo dAocona, de Jesi.-Arcebispos Eu y. {m Dos jornaeS) disse ara dos eir.
d Urbino. Espoleto, e Camerino,Bispos de I-ano, cuniS|anles
Orvleto, Guastalla, Valle c Capcelo, Anglona, e ^ que ^^ ^ nos- s, ,.
TursL-Arceb.spo de Conza e Campagoa, Rocano cou Q Dr H E gue imnm e||ej ?
e Sofrento.
Btspos detidos em Turim.
Cardeal arcebispo de Pisa.Bispos de Piacenza,
e Faaiogosta.Vigario capitular d Milao.Car-
deal arcebispo de Fermo.Bispo d'Avelioo. Os
doos ltimos esto j na cinco anuos em Turim,
vivendo da caridade dos turinezes.
Se bem me lembro, diziam o segoiote :
< No decurso da semana passada, houve setenta
e sete bitos de menos que Oa semana preceden-
te I
Btspos que morreram de dr.
Cardeal arcebispo de Bolonha.Bspos d'Asti,
Cagli e Prgola, Loreto e Recanati, Osimo e Cin-
goli, Amelia, Simgaglia, Orvieto, Macrala, To-
lentino. Nocera dos Pagaos, Amalfi, Isernia e Ve
nafro, Aquino, Pontecervo e 5ora, Bovino, Mors- i
co e Potenza, e L'gento.S. Illma. Maresca, viga-.
lio geral de aples.
Bispos que esto desterrados.
Cardeaes arcebispos de aples e Benevento.
Arcebispos de Cagliari, Sorrento, Heggio de Cala-
bria, Sessa, Aquila, Castellamare, Teramo, Palli,
Gaela, Acerenza e Matera, Bar, Brindis), Cliieti,
Manfredooia, Salerno e Taranio. Bispos d'Andria,
Angbne e Turci, Ascoli e Cerignola, Avorsa, Bi-
tonto e Rubo, Bova, Cayazzo, Calvi e Teaoo, Ca-
sera. Caianzaro, Terrelo, Cotrune, Gravina e Mon-
tepelust, Lacedonia, Milleto, Nuco, Nicastro, Ni-
cotera e Trope, ola, Oria, Termoli, Troja Galli-
poli, e Valle-Capaccio.Abbade ordinario de Mon-
te-Vergine.
Bispos eilos trquem nao se permitte tomar posse
dt suas ss.
Arcebispo de Milo, Ravena, e Bolonha.Bispos
de Pava, Borgo S. Doncino, Cesena, Comacchio,
Ripalr-nsone, Motefeltre, Rimini, Loreto e Keca-
nati, O-imo e Ciogoli, Nocera, Cilt di Calvi e
Teano, e Orvieto.
E' dt> Sr. Senna Juuior este sooeio :
Mimosa qual a planta que germina
A sombra de maugueira magestosa,
Ou qual a bella estrella que vistosa
Se v no Drmamenlo peregrina ;
Mimosa qual a Vesper matutina
Deslumbrante surgindo primorosa,
Ou qual gentil sereia maviosa
Saudada pelos beijos da boniua;
Mimosa qual a Eva 1 mas que dina
De gozar dessa obra portentosa,
Monumento eterna' que nos domina ;
Assim s, inda mais e mais formosa,
Mais ainda que a propria luz divina.
To ricas sobraoceira e luminosa.
Eslo j em exposico na ra Nova da Palma as
seguiotes feras:
Urso branco, fera iodomesticavel,
do mar glacial.
Bernardo Pedro Maguan uasceu em Paris em 7
da dezembro de 1791.
Depois de ter feilo alguns esludos de direilo, as-
sentou praga em 1809 no 66 de liuha, nelle fez as
campanbas de Hespanba e Portugal de 1809 a
1813.
Sahio alferes em 1811, capitao em 1813, foi in-
corporado na guarda real em 181o, chefe de bata-
llio em 1817, tenente-coronel em 1823 na guerra
de Hespanba, coronel do 49 em 1827, fez parte com
o seu regiment da expadico de Argel, foi posto
em disponibilidade em 1831.
Depois de ter servido no exercito belga enlrou
era Franca com o posto de inarechal de campo em
feroz 1839 e commandou neste posto o departamento do
Norte.
Sahio lenenle-geoeral em l8io e recebeu o bas-
to de inarechal de 185'.
Urso negro da Siberia, nolavel pelo seu tama
nh collossal.
Pelicano do Egvpto.
Lu lelo e duas leoas do Cabo da Boa Esperan
ca. 6001 um recem-nascido em Cordova. O general Fleury um dos personagens mais
Tres tigres reaes de Bengala, dous machos e Consideraveis do imperio actualmente,
urna femea. ^sle 81|"-'ra| e "'lio de um pequeo commer-
Duus pequeos leoes, nascidos recenlemenle na ciaute de Paris : a fortuna que tinha permiltia-lhe
associar-se aos jovens elegantes, e adquiri mu las
relacoes.
Achandose quasi sem fortuna encontrou em ca-
sa de um dos seus amigos, o general Yusuf, arge-
lino, que liuha viudo a Franca no lempo de Luiz
viada para Lisboa.
Duas pantheras da frica, macho c femea.
Duas hyenas da frica.
Q.ialto leoes do Monte Alias
Elefa ite Betzy, das ilhas onentaes.
Panthera negra de Java, aeompanharla do gran- pe|'pr,,.
de Leopardo da India. O general buscava um rapaz de intelligencla e
Tres Guepars da Persia, macho e femea, os mais' de boa appareucia, que podesse servir-lhe de se-
forn.cscs que se tero exposto em colleccao. | cretario ; Fleury lhe foi apreseulado e aceito : M.
Tres laguars do Brasil, Tera a mais sanguina-1 Fleury asseniou praga eolo de simples soldado no
ria das que povoam a America do Sul; tem dous spahis, e perraaneceu muito lempo aggregado ao
a esquadra brilannica de navios couragados para
visitarem os portoa francezes, ao passo que a sua
esquadra iria visitar as costas britanoicas.
Lord Paget declaroa que este convite havia sido
acolhldo pelo almiraotado ioglez com a maior sa-
tisfaco.'
As ultimas correspondencias da cosa occidental
d'Africa nos informam que o re de Dahomey, o
qual tinha atacado com torgas consideraveis o re
dos Achautis, acaba de soffrer orna derrota com-
pleta.
O seo exercito foi batido as margem do rio Vol-
ta, soffrendo graves perdas.
O re pode a muito costo regressar a' sua ca-
pital.
No mesmo dia mandoo chamar o grande sacer-
dote, o qual Ibe aconselboo, aim de esconjurar o
espirito maligno, que Ibe sacrificarse duzentos pri-
sioneiros.
Este horrivel sacrificio leve lugar em 17 de abril
na presenga do povo reunido.
Um jornal inglez noticin que o recemnascido
finio do principe de Galles lera' os nomes de Al.
berto Christiano Manuel, e cbamar-se ha o principe
Christiano.
Diz o Siecle de Paris, que o governo moscovita
acaba de outorgar aos passeiantes de S. Petersbur-
go o direilo de fumarem as roas.
Alexandre Dumas pai e Alexandre Dumas filho
escrevem de collaborago urna comedia para o
thealro.
Foi o pai que tere esta feliz idea, e dirigio-se a
seo fllho, para Ih'a participar, nos segoinies ter-
mos :
i Querido mestre.
< Depois de 30 anuos de lulas, de derrotas e do
triumphos, creio, finalmente, ter alcangado. senao
urna grande celebndade, pelo menos a repulago
de um frtil romancista.
t Honlem mesmo, recebi de Victor Hugo urna
caria cheia de felicitagees e de conselhos.
c Tenho a honra de pertencer a' soeiedade
do bomens de ledras, e a' dos autores dramti-
cos.
< Eis-aqui quaes sao os meus modesto Mulos
para esta primeira distraerlo :
a Munte-Christo ;
Os tres Mosqoeteiro3 -r
Cbevallier d'Harmtaal ;
Jos Balsamo, ele.
c A segunda :
t Henriquc III;
Antony ;
i Tef re de Nesle, etc.
Solieito agora da voss benevolencia & honra
de escrever comvosco orna comedia em' cinco
actos.
Aeeiais-me como collaborador t
Dumas pai recebeu a' volta do crrelo a seguin
le resposta :
Querido senhor.
> A amrzade, o amor, o respeito, e admiraco
que tenho por meu pai, me levara a aceitar com
prazer a vossa graciosa proposla.
Hitaos de dous mezes.
Lobo da Russia.
O railgo, especie de antlope, admiravel por sua
elvala estatura.
tapir ou rhinoceronte, ta America doSul-
uoico que viaja.
Dous gatos tigres da America do Sul, macho e
femea.
Dous chacaes, um da Nova Hollanda e outro da
frica.
Urna familia de porco espinho.
L'ma llama do Per ou camelo das Cordiihei-
ras.
Maquins.
Serpenle boa e serpan.e piln, reptis de 18 a 20
ps de tompndo.
Dous mouos da America, os primeiros que tem
viudo Europa.
lima colleccao de mocos.
A eiposieo verifica-se todos os dias desde as 0
horas da roanliaa al s 10 da noite.
O Sr. Bernab da' de comer s feras, entrando
as jau'as, por volta das 8 hoias e meia da noite.
general Yusuf.
Promovido a alferes de spahis para cagadores de
frica, onde obleve o posto de lente.
Era ajudaule de campo do general Changarnier
na poca da repblica ; vollou cora cll para Fran-
ga al pouco antes do golpe de estado ; o general
Changarnier esleve aggregado ao presidente da
repblica, que lhe reclamou o lente Fleury e o
leve como ajudanlede campo, sem se ter separado
mais delle.
Depois do golpe de estado, M. Fleury foi nomea-
do capitao de guias, depois commandanle, e depois
da guerra da Italia foi promovido a geueral de di-
vhao.
Nao gaohou os seus poslos no campo da batalha,
mas afora o commando de exercitos, as oulras car-
reiras o paroceiu chamar para os mais altos des-
tinos
Um audacioso filho da Gra-Bretanha aposla que
fara' urna viagem aerea de onze leguas com o au-
xilio de um apparelho de invengo sua
Alirar se-ha da galera superior da casa das
Tres Coras, em Granville, na direegao de Jersey,
e atravesara' o mar at ao ponto indicado nos ter-
mos da aposta.
O novo fcaro abona o bom successo do seu com-
meiumjnlo com a roelhor parle de urna boa for-! entre elle e a sua visinha ;
tuna tinha metlido destrmente a mao na algibeira-do
Um vapor rancez acompanhara' a alguma dis" i inglez, porm elle eslava prevenido com o seu ap-
lauda o iiumem-passaro, e recolhe-lo ha se as suas, parelho, de modo que a apanhou em flagrante, mas
azas, como as do seu mythologico predecessor, se tendo d della, unto pela sua pouca idade, como
L'.n inglez que veio a Franja, afim de alcangar
um previlegio de invengo para garantir as algi-1
beiras contra a industria dos larapios, Unha subido
I um mnibus para ir a um determinado ponto de
Paria, e se asseotou ao lado de urna senhora muito
elegante, vestido de seda, chapeo da ultima muda.
e chailes de renda.
De repente se vio a tal dama fazer-se muito ver-
melba e fallar de vagar com o inglez em arde sup-
plica, o inglez respondeu unicamenle com um sor-
riso, de repente a dama fez um signal ao conduc-
tor para parar e sahio apressadamente.
Depois della sahir o iuglez coulou aos seus visi-
nhos o pequeo drama que acabva de occorrer
esta era urna ladra que
Ha em Londres vinte e cinsotheatros, que pdem
comer 41,100 pessoas.
Os espectadores que as qaaronta e uma-princi-
paes salas de msica de Londres, nao indurado
os cafs, conccrlos e o palacio de crystal, podem
admittir, dio quasi o dol.ro deole algarismo, sendo
avahados em 79,300 ; porra, se se incluir o pala-
cio de crystal, o qual peneoce de facto a' jurisdic-
go de Londres, o algarismo eleva-se a 179,300,
que supera mais de qualro vezes aquolle que os
Iheatros fornecem.
AS Mi".. A>
As mogas deviam ser como as-obfeias, porque
servem para guardar segredo; mas nao devemser
como as obreas, porque seriara sempre molhadas
pela lin.'iia dos horneas.
Deviam ser como o espelho, porque diz sempre a
verdade ; mas nao deve ser como eUe, porque era
odas as verdades se dizem.
t
Deviam ser como a rosa, por seu aroma e bolle-
sa; mas nao devera ser como ella, porque cerca-
da de espinhos.
Deviam ser como Marumby, srra altiva e sober-
ba; mas nao devera ser como elle, porque ha um
outro pequeo o que grita muito.
Deviam ser como a raposa, para nao sorerem
dotes, mas nao devem ser como ella, porque gosta
de cachaga.
Deviam ser como as harpas, que sao syrabolo e
emblema de harmona; mas na devem ser como
ellas, porque desafinara a cada momento.
Deviam ler este artigo, porque a leilura deleita
mas nao devem ler este artigo, por langam-se
comigo.
o seguinle artigo do Dr-
fundircm ao sol do canal da Mancha.
O representante da poltica violenta e vingativa
no gab.netede Washington era o ministro da guer-
ra Siatiton."
Foi elle quem, segundo se afflrma, aconselhra
ao presidente e redlgira com elle a proclamago,
em qut. o presidente do sul Davis era aecusado de
ter sido cmplice na premedilagao do assassioato
de Lincoln.
Q jando o ministro Seward se achoo estabeleci-
do, e comegou de novo a lomar parle nos nego-
cios, protestar era conselho contra aquella procla-
mago, e loi apoiado pelos seus collegas, menos
pelo ministro Slanion, que pedio a sua demissSo.
O presidente decidi qoe o ex-presidente do sul
fosse julgado pelos tribunacs civis e nao por om
conselho de guerra.
Temi sido nm membro do coDgresso condemna-
do pelos tribunaes a tres annos de prlslo, por ter
excitado as desergoes no exercito federal para o
sul. o presidente nao iodultou o reo das conse-
qoeoclas civis da senteoga, mas perdoou lhe lodo
o lempo da priso.
Estes e outros tactos indican) que vai predomi-
nando a poltica da raoderago e da tolerancia.
pelo seu ar decente, a largou em vez de a entregar
a auloridade, como devena ter feito.
Depois de ter acabado a sua [oarracao, o inglez
vollou a sua algibeira e mostrou om apparelbo
muito simples que cousiste em um diaphragma
horisonlal de panno muito forle, cosido no ioterior
da algibeira e destinado a guarda-la.
No centro deste diaphragma ba om pequeo bu-
raco circular cuja borda formada por orna tira
annular de caoutehouc (gomma elstica).
Esia tira elstica se estende sempre bastante pa-
ra permiltir que a mao penetre na algibeira e que
all tome o qne qoer, mas quaodo pretender tira-la
enlSo impossivcl faz lo sem esforco, e o propie-
tario da algibeira logo advertido de qoe se alten-
toa contra a sua propriedade.
Moosenhor Maupoint, bispo de S. Diniz, illia da
Reunio, em urna carta ao seo clero, quepoblicam
os joroaes daquella ilha, adbeno a carta que o ar-
cebispo de Cambra i dirigi ao ministro dos callos,
acerca da Eocyclica.
No banquete ltimamente offerecido ao principe
de Galles, pela corporacio dos pescadores de Lon-
dres, lord C. Paget annnnciou qoe o Imperador dos
francezes convidara o governo da rainha a enviar
Traduzimos do Avenir
Borie :
VIVEREMOS SOS DEPOIS DKSTA VIDA?
Parecer talvez a priratira vista esta quesiao
sorprendente por sua originalidade; mas para o
genero humano ella urna questao capital, a que
; devem todas as outras estar subordinadas.
Um profundo pensador, um grande genio,
disse :
i A iramortalidade da alma' urna cousa que
nos inleressa tanto, e lo profundamente nos affec-
ta, que preciso ter perdido todo o sentimento
para conservar-se na indifferenga de saber o que
ella >
Cerlamente desta Idea de immortalidade que a
moral universal deduz a sua forga e o seu presti-
gio; pois explcita ou implcitamente ella o mais
poderoso roovel das acgSes humanas.
A crenga na immortal'dade universal, eocoo-
traodo-se em germen em todos os povos, at
nos mais selvagens; e si universal, porque
assenla n'uma verdad*.
A destroicao absoluta de nosso ser repugna
conscieocia humana, nosso seoso mimo.
Na antiguidade, como em nossos dias, a huma-
Inidade ha lido horror ao nada; e por Isso embal-
samou, dissecou, incincrou e collocou os corpos ao
abrigo da dispersao e do insulto em aposentos
sagrados e monumentaes.
Nota-se, alm disso, que entre lodos os seres
creados, s o hornera que recolho as crazas de
seu semelbaole e lhe tributa um religioso res-
peito.
O oaloralista afflrma que ama partcula da ma-
teria pode desapparecer, mar nao parece; e a
alma, que por sua natureza invisivel, pere-
cera T
Se o proprio metempsyeosista nao acreditasse na
immortalidade do espirito humano, o qoe signifi-
cara a doctrina da transmigracao ?
Sim, tal doatrioa um esbogo da crenga geral
e orthodoxa dos povos.
O phllosopho paniheista admitte, seu modo>
que a substancia do eu, o espirito humano, nao
aniquilado na raorte, mas sim retomado e absorvi-
do pelo grande todo.
Quem nao se tem maravilhado lendo as paginas
sublimes dos philosophos pagaos sobre essa ira-
mortalidade?
Quem oto admira ainda os sabios escriptos dos
nossos maiores genios, de um Pascal, de um Mas-
sillon, de um Bossuel, de um Fenelon, ele. ero
favor desse dogma consolador?
Nao ha duvida, o dogma da pereanidade d'alma
mais que urna verdade; urna necessidade I
A idea do pada urna idea desoladora, que abate
e terriaca a alma I
Como I Pezares to justos e dilacerantes s
teriam o nada por consolago e esperanga?
Como I Tamas affeigoes santas ou sagradas,
tantas aspiragoes ardeoles para aquelles, que te-
mos perdido, (er-se-hiam fatalmeote despedagado'
soterrando-se para sempre no inmolo?
Oh nao !
Seria necessario negar Deus, a creago e a
conscieucia humana.
Nao poucas vezes vemos o espirito humano con-
servar loda a sua plenilude em um corpo decrepi-
t, e todava, no momento supremo, lanear fulgo-
res extraordinarios, oue dos fez crer em >ua im-
mortalidade.
A ardeote aspirago da alma pela verdade, que
seu principio nutridor e co eterno a Deus; seus
desgostos seus cuidados e sua asaeiahilidade no
seio dos prazeres e das riquezas desle muodo; a
necessidade Indispensavel que a todos- nos recon-
duza, de qualquer parle seu tribunal, para ante
elle darmos satisfaga eompleta, satisfago que nao
se effedua sempre, nem integralmente, neste
mundo, attestam ainda essa inimortalida'e.
Finalmente o dogma da pereonidade do espirito
humano ama verdade que conslitue um dos ele-
mentos da natureza oioral do homem; logo nao
pode o nada ser o limite do hornera
A PROPOSITO DA EMPHEZA CoiMBRA.
III
No Iheairo tambem o tedio lem a sua e^phera,
disiinctamente desligada e descrimlaada da- que
abrange o prazer e da que assigoala a dr.
E' certo que se pode assislir execugao de una
pega na msenslbilidade da indifferenga qee o
tedio mesmo.
Ha um desinteresse da alia pelo que vemes- e
ouvimosorna apathia fria, inerte, inactiva do
corado.
Desbragado papel aquelle que em si mesmo
arrasta o tediodesgragado e lamenlavel de serlo
o arsta, que, representando, produz-lo I
E" igualmente cousa por senr duvida que exe-
cugoes dam-se observago, em que a pessea do
espectador traosfere-se, trans-ubstancia-se, t;omo
que amase com ceos typosfalla, manilesu se,
coiiimove-se, como se o proprio typo fura, nos- seus
arrebatamenlos e impressoes.
Coras de gloria immarcescivel para o auto; que
tragou, enebeu e colorio da luz da verdade ?. atii-
tude e a physiognamia do carcter desenhadoro-
das de palmas e suffusao de oraros sobre a cibega
do artista, cujos movimentos flzeram do observa-
dor, pelo goso ou pela magua,, menos que um ho"
memurna creanea, passiva,. adsiricta a emo-
gao f
No drama a Puniro que; sabbado, a empreza
pz em scena no Santa Isabel, o espectador sente-se
Julia. Augusto, Clara ao mesmo. Est neiles e
cora.ellos, identificado pelo espirito, traspassado
oa omposigo, vivendo deltes e com etles mor
rendo I
Averiguadumente o iheairo nao apenas nm
gaoinele de cultura ou un alczar de oolreteni-
raento. Vai alera?
At ondo raais?
Penetra em regioes desconhecidas de eoragao,
descobre mundos uovos para o sentimeato, pulsa
sobre libras latentes e aacorda soos ignotos, sen-
sagoes deliciosas,que rebenlam, como flores, ao con-
tacto, por assim dizer, moral da impressao, per-
corre a gamma intima do espirito, e-esses sons e
esses perfames achados dio urna outra vida vida-
ura eoohcimenio de mais i. natureza, e raais um
vocabuloe um gesto :> arte.
Vejo nelle urna rea sania, o tabernculo, que
acata-nos reservas macias de sea mbito o arcano
que a phanlasia procura ota balde achar por s s,
mas, cora que s depara depois que o sentimenio,
ampliado, elaslecido, o releva na aegao adaptada a
traduegao descrismada delle.
A phaotasia divaga, a alma sent. A cabeca
devaneia e idealisa, em quanlo que o eoragao
expelle o que tem. E' como esses instrumentos de
quo s se destaca um som, orna ola, em virtude
de urna impressao otl de um movimeato pre-
ciso.
Muitas vezes urna creaca > imaginosa, disposta a
fazer desponiar um phenomeno doce, sublime,
neffavel oa exislencia possivel, desagrada sensi-
bilidade, que o repelle. A eloquencia da alma
or a antes do eoragao do que da cabega.
Augusto, Julia, Clara, o commendador, sao ca"
racteres perfeitos, destacados, cada um em seu
orbe.
Comprehende-se no aspecto individual delles
essa feliz firmeza de mestre, consequencia legitima
e lgica, do estudo, da reQexo e do talento.
O amor de Augusto, a despaito da vehemencia
excessiva e louca, possivel.
Em nossa soeiedade temos observado mais de
urna occasio nm filho a oondeinoar um pai, de
quem as raaos esboroou-se o palacio risonha de
sua ventura.
A pbysiouomia irrorada pelos praotos da an-
gustia, a constrigao do desespero, o aperto de fer-
ro era braza de sua juvenlude, lo precocemente
esmaecida, o Sr. Araoedo coraprehendeu e repre-
sentou com a vivacdade luxuosa e incisiva do seu
genio.
Na transigi do jubilo de voltar casa paterna
e julgar em Julia a sua futura consorte, para a
alllicgao indefinida, o desatino pungente de ver
nella a mulher de seu pai, o artista elevou-se a
cos superiores.
Ainda no acto final, a voz do actor natural,
a posigao propria; a voz de ura dosate, cujo pul-
mio foi rasgado pela impuiso de urna bala.
A difflculdade nos movimentos. as palavras tar-
das elle assim as devia dizer e te-Ios. E assim os
leve e disse-as o actor.
Clara- urna creagao rosea, avelludadaflor de
innocencia, que cora como rosapudibunda, tmi-
da, ingenua.
Nao queiram porra profanos dedos arranca-la
de sobre a ribanceira que ibe d vida eom seus
frescores, ou colloca-la b a sombra, que pode
arruirchecer-lhe e exhaorir-lhe a seiva, privando a
da luz.
Do contrario, aquella iogeouidade campesina,
essa natureza vrgem, vigorosa, guardada toda era
si mesma, despeja-se em impulsos arrebatados, e
corre fluente, cheia. Igual, irresisllvel.
Esvaece-se a reserva e a timidez desappareee.
Exprime-se com toda a porgo de resenliraentos
e offensas recebidas, falla claro, seos verbos de ao-
gustia di los de urna vez s.
Abre-se at s entrantes e todos veem-n'as, por-
que ludo quaulo se esconde dentro desses seios de
papoila, tudo pode ser testeraunhado, sern que a
face recele enrubecer-se do calor de una vergo*
nha. Esse amago esiA lmpido, coma o co.
A Sra. D. Camilia deserapenhou cora habiiidade
toda a prova a figura de Clara.
Jla ura fragmento era que ella narra ao amante
os pormenores do iratamento brusco que recebe
de sua madrasta. D. Camilla fe-lo bem, to bem e
hbilmente, que transparecia lhe a alma as pa-
lavras e na casia, porra radiosa, expresso do
semblante.
Bem a>siro com igual ventura se houve no lance
em que a meniua depois de haver seu pai conce-
dido a roo della ao seu dilecto e em seguida re-
trahido o coosenlimento imposigo de Julia, par-
te para esta era prauto e diz-lhe tudo de una vez,
0 desprezo cora que a tratava, as contrariedades
que lhe inflinga, eraquaulo que, para deixar de
iucominodala mais, pede que faga com que seu
pai sustente o assenlimenlo dado.
Nao teuho idea de ter visto j representar neste
thealro, urna iogenna, como a disirncta actriz. A
Sra. D. Camilla deve ser, iocontestavermenle, urna
das primeira ingenuas do imperio, e o papel de
Ciara pode ella fazer delle escolha para o seu re-
pertorio.
Julia e o commendador sao personagens mais
originaes,
Este um pai qoe se apaixona pela mulher com
quera prohibi seu ut casar e com a qual elle
proprio se casa.
Aquella essa mesma senhora que nao rendo
podido evitar unir-se aopai, que roubou-lhe a> hon-
ra por violencia e a qu>jm unio-se para proteger o
desar dessa violayo, vinga-se do seu tyranno; pri
vando-o absolutamente da posse desse thesonro,
centro da felicidade almelada delle.
Oh !' como admiravel e linda essa creagao I
Julia- vlnga-se, pune o commendador.
Cinco annos passaram-se.
Cinao annos a porta de sua alcova fechada sera
pre ao marido infame, ao pai desnaturadoa por-
ta de seuquario, como a de- seu eoragao, segando
aflirma elle mesmo.
Que castigo Sublime t
Mala-lhe as aspiragoes do mesmo modo que
elle raatoa as aspirago.-s de seu til lio e as della.
Aquella mulher como que intimamente encoura-
gou-se de marmore.
Supplicas, blandicias, amor, irritam-na.
Seu olhar sobre o commendador esparge colera,
desdera a odio concentrado.
Onde osis energa de aiiuiw ou obsiinagao- :>
tenacidade \ vin^uica de natureza tal ? !...
Com. a ohegada de Augusto, de volta dos jsb*
esludos,.ao cabo dos cinco a:ruos, ella suicida-se,
depois- do suicidio deste, de cujos labios escapa-va
sobre elraa mildigao, ao morrer.
Coata-lne eolo tudo a misera.
Diz-lhe esse roraauce maldito, moslra-lhe o :'
feroo de seu espirito, a historia das suas angus-
tias, o uurtyroiogio de sua ida dentro do v&iuo.
E depois extermiua-se.
A Sfa. D. Eugenia Cmara^ por vezes dos arre-
ba.tou.um bravo, cheio, impetuoso de enlhusiasmo
V, urna actriz, que se uac.confunde, que se des-
taca polo talento e esludo. Saudamo-la de eoragao.
O Sn Coimbra, representando o commendador,
agradou na proporgao do seu genio.
Fieimente inlerpretou a-ooinposigao do autor.
N ultimo arlo desenhou o idiotismo deUbcom
a propriedade natural do typo,
E'.'pena que o seu papelmo fosse um papel- de
n-ceber palmas, principalmente para a nos ja. pla-
tea, onde nao ha costume de distinguir o deserape-
nho-do que personagem.
Pdese aborrecer e repcllir o papel, sas lau-
rear o actor inlelligeule, que sabe dar-lhe a. vida
iaal o forma lgica.
laja mais perspicacia no publico-
Apparega a de-criminago.
Tudo o mais Li bmUyi excepeo de um ou de
outro papel que muito llovera receber da platea,
se o acior incumbido do seu desempenho nao se
idias-e smenos a forga delle.
Fico aqui.
----------.a
Urna folha de Bueuos-Ayres diz qjtw sao os se-
grales os navios de que dispoe o Paraguay, de-
pois da derrota de 11 de junho, riassificadot> por
sua ordem :
Taquary, rodas.
Igurey, dem.
Ibera, hlice.
Ipor, rodas.
Pirabeb, hlice.
Paran, idem.
Bio Blanco, idem.
Argentino, iSde Mato, rodas.
Olympo, idem.
Argenlioo, Gualeguay, idem,
M. Botetey (antes Vesuvio), idem.
Brasileiro Ankambahy, idem.
Apa, Idem.
Salto Guaira, idem.
Alguns destes eslo as aguas de Matlo-Grosso ;
e de lodos estes smeote 10 ou 11 podero, quando
muito, entrar em combate.
O Sr. Dr. Figueiredo fundamenliu o seguinte
projecto sobre a creagao de Asylos ruraes para
educago dos meninos desvalidos. Esle projecto
de grande inleresse foi a imprimir.
< A assembla gerai legislativa decreta :
ArL 1." Fica o governo autorisadoa promover
a creagao de asylos ruraes destinados educago
moral, religiosa e agrcola dos expostos, orphaos e
meninos desvalidos.
t Art. 2." Para a consecugo desse (ira o gover-
no procurar fundar as provincias e nos munici-
pios mais convenientes associagdes ruraes oo casas
de misericordia, as quaes gosaro dos mesmos di-
rollos e privilegios de que gusara as actuaos casas
de misericordia existentes na curte e as capitaes
das provincias.
Art. 3. A iniciativa e creago dos asylos ru-
raes permitiida igualmente a pessoas particula-
res e a qualquer associago religiosa, com tanto
que seus fundadores se conformem com os regu-
lamentos do governo para os asylos ruraes do im-
perio.
c Art. 4. Os asylos ou colonias ruraes serio di-
1 vididos em colonias preparatorias e colonias de ap-
plicago, comprehendeodo aquellas em suas diver
sas categoras os meninos que por sua Idade per-
tencem ao periodo improductivo, e estas os meninos
j que por sua preparagao, forga e ida le pertenoem
ao periodo productivo.
i ArL 5." As eoloaiaa preparatorias podero ler
como anacas cu* wlroaM a receberea ci-
pos tos e meninos da man leora idade, as qoaai go-
saro dos mesaos direilos e serio refaladas coa
as actuaes casas de expostos.
< ArL 6.a Torio preferencia aos asylos ranos
os orphaos Hlhos legtimos, oa reconhecios eos sai-
litares que fallererea na actual guerra coasra o
Paraguay, bem cuno os filhos dos soldados qao ti.
verem servido na mesma guerra, e qoe por saa
pobreza nao possam educados.
Arl. 7. As ca-as ruraes de misericordia po-
der-i j ad |Uinr, possuir, receber legados e ooacios,
e aceitar qualquer donativo destinado aos sytoo
ruraeitque esliverem sob saa vigilancia e aasaiais'
trago.
i Arl. 8." O governo Oca aotorisado a fazer asa
regulamento geral que maoteoha a anidade t
systema nos asylos ruraes, e a boa aporaeo sa
meios que consiituirem o seu pairnwoio, Scaao
dependente da approvago do corpo legislativo.
Arl. 9* Fica oulro sim o governo aotorisaaa
a conceder Ierras .ru constiluam o dooaio
dos asylos, escolheodo-as de preereacia
terrenos mais lerleis r>as margeos dos rios aavega-
veis, as proalaasa das vas frreas ou das es-
tradas de rodagem, e a despender oa faasflo sa
asylos at a quantia de 200:00(000.
Art. 10.* Ficam revegadas as leis e dispost-
goes em coolrano.
< Paco da cmara dos diputados, 26 de joaac
de 18li5.J- A. de Figueiredo.
l.NCONVESIESTES DE NAO SABER rimriua, jCA.IDxr
SE VIAJA K.M ;i)UTI r, \i..
A com 'da passa-se n'uma eslalagem em Viaaaa:
e os p.-r-ior'-x-m sao um oot^o cuiapalriola e aa*L
go, e om visiolio, mo de escuda, mtw mt rem n-
sinlio.
A ingenua- ( a creada da esulagem ; deaomioa-
gao que cousevvamos, liis as tradicoe, por 40a
tradicional O hespauhoi alegre e loigaso ; a creada aao
meous risonha, mas exiremarneole Dogal; e, jasaos
estes elementos, o re.-ullado por (urea heta t ser
o qaefot.
Todos ou quasi lodos saltero \m esa Hespaaha
a pum-lla ( asMSV ) compoe-se de acatada posta
de vacca, alenladissima porgo de arios ((/reman-
sos ) e rauitas outras cousas qoe casero n urna pa-
nella, mas nao n'esta noticia.
Ora isto posto iwvdso eoihecer anda o Irttor
que em IDspauha a cosido nao se sosa se ao
aconi;andado du coni|>etenle molbo ; t que en Hes-
panlia molbo chama-ye salsa.
O nespauhul ao ver o cosido, que appareria aa
praio s procedido por meio kilo de torrabo, vol-
lou-se para a creada e exclamon :
fita i'' trata HStetl salla...
Uelira-.se a creada,e demorase porte da ao
llora, irazendo n'um pralo doos Iisim* raraiabn*
de salsa...
O hespauliol abre muilo os oihos ; o pediaa osa
aiubo laz um bouquvi salsa, que assa tedtt o dM-
veilo colloca n'uma asa da sobrecasaoa, e votaa-
do-se para a creuda diz :
Es tina ninii'.i'.H U'tisted. ac-m ohtme.
Nao j. 11 ..ii. aqui.
De noite o hespamiol, como natun4 quena r!ei-
tar-sc na cama, e a raaidila creada torna a apos-
tropha-lo.
Olhe, tome sentido com a Irittwsnra; a O
hespanhol conipreheedt-u que a traversa qoe soatV
nha em parle o leito era pouco solida, o qae pro-
duzio dar se fadijeade fazer loria 1 epee dk
gymnaslicas sobre o leilo, i|esaiando ser m a rir,
qua.t<> percebeu o encano, isto qce tioa *0-
fundido almofadiiifca rom travessa.
A scena aaioa por OMB noite en? f.eaxe, o as-
sir acabara tnnii*mi parto fazein dormir; e talvez inesrai asta aocia.
O Nacton'il pohUra o seguiote :
O desejo de poasair nina pnoloprphia das pes-
soas que nos sao mais caras oa vida depuis da
-nvencao das m; .-binas photograficas, urna roo
to natural e le vulgar, que. uc ba aiogAMB qne
boje nao possua -ira relraio, o qual conserva para
memoria como c penhor mais prat io qoe existe.
Ha muos porm que, lendo tido a. drsf >nuaa
de Ide morrer a pessoa que aotavam coom> a luz
de seus olhos, Miles qoe a pholopraphia se instan"
rasse enlre Ba> ti-em nmron 1 ^ijoelbs pessoas
que julgain ssseuielhar-so-llie e coiivkJ,io.l,-as a
deixar-se phoiographar.iem, melburoa pelor, coa-
seguido posauif o que desejam.
lia lempos-deu-se.um caso semelhaate rom aira
pessoa muito nossa eoahMs, ; sjoa .-ra mesmo a
Baso retrato sem tirar nem por.
O caso dm-se assim :
Um homem de avangada idade, pessoa e al-
guma considerago oa sociedad*, que hara perdi-
do ura lilho repentinamente e do qual nao riatir
outra lembranga mais d qce a que a soa nsenoria
lhe suggeria, chegou-se |unio ajfj nosso corJteci-
do e extreraaraenie amgov e disse-lbe :
u. seulior, quena dever-lbe ura graado, isa'
menso favor.
Cora loda a salisfaro, lhe responde*. Em
que poderc ser lhe mil ?
Era urna cousa.
11 as lagrimas do velho cornam-lbe qualro a
qualro pelas faces enjugadas pelos anss, r pelos,
sorimenlos das refriegas a qoe assistio. aa efcxa,
da liberdade.
O mancebo eslava immovel ante as-agnmas a
venerando anciam, a qoem vio pela primeira 7.
Eu, contrauou etle, perd om Blho, nico frncto
que minlia adorada esposa roe deixoa. ha per'* a
cinco annos. Conlava elle, quandu a dora parra
m'o arrebaiou dos dragos, apenas viole aaocs. Era.
de estatura regular, rosto redondo e ara poaeo pal
lido, olhos caslanlios um pouco claros, cabellos cU
mesma exx, porm, um poaeo raais nrregda. hi-
gode c pera de uro lougo escoro, om tanto mudo
do corpo e feigdes. E como, o perdesse se ^ue
delle possua ura nico retrate, qoe obte-lo fsaa
por que prego fosse, e...
Como ha de ser se os photograpnos m'o nao
podem tirar sem om origioal ?
Sei tudo isso. Mas o senhor, qoe asesino a
seu retrato, poda lazer-me om graado favor.
Qual?
Coosenlir em photograpbar-oe para que ea
possa guardar ama copia.
Com rooito post, porm...
f.'ironlra algorra duvida, nao verdad.' 7
Nao senhor. Aeho qo^ nao possivel mm
entre mira e seu filho s encontr a ai
Ihanga, por qae isso moi raro soecoa
J me lembrei disso mesa, mas a i__.
desejava ter urna copia do sen origiaal por atse- s
parece com meu lilho.
Nesse caso... opere... Ea aiada Isa 1
co me phoiographei pesso reder-lbe nasa
Aceit, e agradece
E o boro do velho receben o retrato,
cingio-o ao pello, maodou o encaminar
quadro dourado, e la o lem na soa sala de
romo nica memoria de sen fllho
morte lhe rondara 00 verdor dos ai
O bom velho passa horas felizes 1
retrat que se assemeiha com o sea ame, toi
amigo, que cima photograpbamos,asaseaar
lo feliz em prestar lio grande servico a
soa que nao conhecia, mas por quesa $#
sou.
PERNAMBLTA-TYP. DE M. F. D P. 4 tMMQ


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E60EVKTKJ_IERLZI INGEST_TIME 2013-08-27T22:34:15Z PACKAGE AA00011611_10719
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES