Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:10716


This item is only available as the following downloads:


Full Text
I
AIlilO XU OMERO 159
fw fiairtelMMODtrodelOdiasdol.'niei > j 5J0OO
Me eftis #wi.M 10 lias do centecoe dentro furte!.... 61000
Ftrte etrreioftripesaiexe............. # *7jo
fiNCAItflHGABOS BA SUBSCRIPQO DO NORTE
Parahyba, o ?r. Antonio Alex?ndrino de Lima;
Natal, o Sr. Antonio Marques da Silva; Aracaty, o
Sr. A. de hemos Braga; Ceara, o Sr. J. Jos do
Oliveira ; Maranho, f> Sr. Joaqaim Marqne9 Ro-
drierws ; Para, os Srs. Geraldo Antonio Alves &
Killics; Amazonas, o Sr. Jeronymo da Costa.
ENCARREGADOS DA SUBSCRIPgAO DO SUL.
Alagoas, o Sr. Claudino Falcao Das; Bahia, o
Sr. Jos, M.irlin- Aives; Rio de Janeiro, o Sr. Jos
Ribeiro Gasparinho.
PARTIDA DOS ESTAPETAS.
Serrahaem, Rio Formoso, Tamandar, Vm, Bar-
reros, Agua Prete e Pimentelra, ns quintas
feiras.
Olinda, Cabo, Escida e estacaos da via frrea at
Agoa Preta, todos os das,
Iguarass e Goyapna nassegundas e sextas feiras.
Santo Antao Grvala, Bezerros, Bonito, Caruar, AUDIENCIAS DOS TRIBUNAES DA CAPITAL.
A limbo, i.aranhuns, Buique, S. Bento, Boro
frira#u V* do <*<
dta^T
vara
Oonselho. Afuas Bellas e Tacaratti, as tercas
feiras.
Pod'Alho, Nazareth, Limoeiro, Brejo, Pesquera
Ingaieira, Flores, Villa Bella, Cabrob, Boa Vis-
ta, Ouricury, Sakueiro e Ex, as quartas
feiras.
Tribunal do commercio : segundas e quintas.
Relaco : tercas e sbados s 10 notas.
Fazenda: quintas s 10 horas.
Julzo do commercio: segundas as II boras.
Dito de orphos: tercas e sextas s 10 horas.
tareas e sextas ao meio
lES LO MEZ UE JULHO.
M 6 Jk, 7 m. e n s. da t
h., 6 m. e 46 s. da t.
as 4 to, 9 m. e 40 s. da l.
ereac. as 4 h., 49 m. e 16 di t.
DI AS. DA 8RMMA.
do m: ouartas e sabbades a rf ^t^^ 'tJSt
,12- Quarla. S. Joo Gualberto ab.; S.lason.
13. Galota. S Adelo p.; Ss. Jpel e Edras-pro
Ir -e.x*'JS5-F,or e Ju5U mm- i S. Optaciano.
:.t- i1^"- s- (;arail10 Lel's rundader..
16. Dod^o. N. Seora do Garmo
i PrVSAMAR fi* HOJE.
Prlmeira as 9 horas e IB a., a manhaa.
Segunda atljt 4 minutos da larde-
PARTIDA DO VAPORES COSTE3W.
Para o sol at AJegoas a 14 e 30; tara- o mm
ata a Granja a 7 e M de cada mex; pao Im
do nos dias 14 do?, metes de Janeiro, marco, sato,
jullin, setembro e jovembro.
ASS1GNASE
no Recite, na livyaria da pra? da ladenradeaea
ns. 6 e 8, dos proprietarios Mauoel Figueiroa tk
Faria & Filbo.
PiRTE 6FFICUL
A nosicao em que enealhou, debaixo do fugo das urna brilhanle reuniao em casa do nosso consol
oleras, tornnu Impossivet sua salvado; mas est geraL
-^mpleta igQie perdido, privado de balas e metra- Escrevo-lhe pressa, e tanto teoho a dizer-lhe
Iba, e o d.stincto commandante do Amazonas foi que devo ser lueooico. Tambem a salvacao do va-
encravar a sua artilharia debaixo do mais vivo por Oyapotk (oi um facto providencial, de que de-
fbgo. vemos render graeas a Dos.
O Paraguary. Salto e Jejui esto no fundo. O O delegado do almirante Tamandar, 1
commandanie do segundo e seu lilho se acham na Anlunts, foi incansav--! as providencias
hia
atautauedo, deiaaodo.se inulilisada sua
a Muxavada toda artilharia.
Era oomo poder fkaram cinco chatas c-n toda
aartilharia, Wndo urna sido meliida pique.
Os priseneires paraguayos que adiara-se a bor-
w de nssa escuadrada tem sido tratados eoaao
S?bi faxes as oajoVs civilisadas.
.Ha eutre eites dous nolaveis; o comnuadaate
t- do >alto, Aleara?, e do Mrquez Utmt*,
Uvales, tjodo perecido este, apelar dea cuidado''
dt^rdlcaoii con oas graves fendas.
EsU vai pelo (hfapoek.
Acabo de saber qoe as nos no Galgo e 9sapork nao segoiran mais para o
to, e sim para o Paraa.
Nao garanto rertexa.
Estnii fatigado.
Adeos.
6 l/t horas da rnanMa,. depols de havermos iraz-1
^-S2LM'",!.*W ? V* d!t Pon <>e leste, em
SM|Dnciade achaiMa o Hemipo-enrregado, rei-
l.1Mi;il\0 DO BINP.^nO DE encravar a sua artilharia debaixo do mais vivo por Oyapock foi um facto providencial, de que de- Os prisoneires paraguayos que achamM" bor- lartimaA! ."Li^'^u* da norchsle ,9m tmis
... v tilIII < fon- vemos render graeas a Dos. dt nssa escuadrada tem sido IraUdos eoaio htmilnau. u.. *H e-c"ra' encallamos 00
fittuDwii'vrc O Paraguary, Salto e Jejui esto no fundo. O O delegado do almirante Tamandar, 1 lente afn faxes as oaeoes civilisadas. ^^ cm^i, nffl.,^ T^ e ^ eommMdiu,tfl
SKt'K VAi-AlI. commandante do segundo e seu lilho se acham na Antunts, foi incansat'-l as providencias qoe to- Ma eutre elies dous ooiaveis^ o commanoaate vnme n= tja iir-J.''ne'n de Frenas, acha-
i )NCiIRSO S FRSGFZIAS VAGAS. Mearim, ambos feridos, porm e.-tn gravemente. O mou coni loda a rapidez para salvar tao preciosas b- do >aUo, Alearaz, e do Mrquez
Qfimfj, e andar airtoL "nmedwlain'':t,J niandou parar -------
O Hr Joaaoim l;ra'nci^co de F.ria, eonego honora- medico e dous machiuisus inglezes do pnraeiro se vidas. Uvales, feodu perecido este, apelar dos cuidado'' XtmAn nor^m *.^^ ^ aauws-AiaM,
rio da nal imperial, lento jubilado de theolo- J^aranV'? '''>, assimeo-oo um soldado de in- Os cnmmaBdaaiet*_CQqgs izia deaoda santa rea eafiedral da cldade de tammjo 3', qoe declarwirue cada chata tlnha m vos eato moi tratos aeaae oTBrtal, e em corpora- O almirante Mesa stcombo no cobaie. I baria ventor!* S^K9KS?^ ro **' "*" commnnicar-me aa aoawias ^
Oinda,"gario capitular da Mese de Pernam- phfM4infa.arra:e que o vaporeo Blanco Uoha cao Ihe forarn nedir o seu retrato, para lerem urna O ParagMaj-y foi por nd< entregue as ebammas. do pe on^aTpm mfdHat'm'd^^. tT^ qaaDd .e8 que Sur^ *
boro sede vacante etc ncado om Assumpcao. O Mrquez ie Olinda. tam- recordacao de seu salvador, como Ihe chamam. A perda dos Paraguayos ealeolada Me 1.100 pericos,* *, ln K!! D dos ma,< "ne *"e 5er especialmente eftrto per ma
Por'especlal mndalo de S. M. imperial, com- hem tomado pelo Amazonas,estt jchelo d'agoa, A capitana do porto foi activa e prevldente, e a 11,600 hemens na esquadra, e crea de 500 na ; Assim eaperou ana clarease a i nr ,. inerr*' r**"
municado oHo imperial aviso de 14 de marro de e encalhado abaixo da posigao que ficou oceupan- as eslagues estrangeiras, menos a fraoeexa, cor- batera. orovidencias -m" Z Vi P dar as
1829, expedido pela secretarla de estado dos neg- s* esquadra. Ficaram muitos feridos e pri- reram em auxilio de nossos infelizes nufragos. Lopes descera ao Humalt, e alli, audacioso, es- Claro o sr'no ftZTTZT^T^Ur m
dos la justica.ponTO era concurso pelo presente loneiros em nosso poder e entrei os pr.meiros o Bera se ve que aqu nao se acha o contra almi- perava o resultado do combate, eanuudo to por offlcial para trra .q ^ Liw Zm nlZ.T
edi.al as segrales freguez.as vagas deste bispado, commandante Roble, do Mrquez de Olmda, irmao'. rante Chaignau, que sena o pr.me.ro a .r em rto, a victoria, que havia prvido seus navios de iranpnienreriso mMembrea?
a saber : a de No-a Senhora da Conceico da ilha do general que devasta a provincia de Corrientes nosso auxilio. tabas de rearo para rebocar os nossos. conduzia alim de almar o navm
de Itamarac, a de Sant'Anna da povoagode Gra-1 com anas bordee. Os negociantes brasileiros Lonce.cao 4 L. e o lirogme a borrivol decepcao porque passara, ao Pelas horas deste da av stamos .
vat, a de Nssa Senhora da Conceico do Bo- Este desgracado pagou a candade do chefe Bar- Argent.no Matheus MarUnez meiecem os ma.ores leceoer a nova fatal da destruicao de seus navios qoejr MM^ndiaTmi tem^M.tSS^S
Dito, a de Nossa Seuhora da Conce.cao do Qoipapi, J"ft 1e por SOJU proprias maos Ihe pensou as ; elogios ; ass.m com o commandanie Maciel, do da cons.deravH perda de seus soldados. lado do barco atracada ao
a de S. Caetano da Raposa, a de S. Lourenco de Te- i fendas com um acto de venladeira selvageria ar- Imperador, e Ornellas, do S. Paulo. Esles com- Para ostentar ;r>nde numero de forcas, dissera Depois do commandanie freta la .um o ser.; .
iucupapo. a de Nossa Senhora da Sade de Tacara raneando com os denles as ligaduras e deixando-se, mandantes tonta promptos em cumpnr as ordens M receber a nol.ca com o riso nos labios: pouco do mesmo tomn um iirati.- i\ ,Jn,\L m^.C P^3/1" dqwMle rio, le
t, a de N*ossa Senhora da Conce.cao de Cruangv, correr. do seeretar.o Antunes e era segu.r com este se- ..aporta ao Paraguay t*r perdido 3,000 homens e video para o in cima di P" S?" b",,lelri,c qM ,rh"am a SM "*
a de S Jos de Bexerros a de SS. Cosme e Damia'o As chatas eram verdadeiras machinas de goer- nhor para o banco icglez, e aquelles negociantes pairo vapores.
Ha tanmnaaA a itu < Ins.'. ae incraipira a de Nos- ra> e os Paraguayos mais urna vez mostraran) que foram os primeiros que acudiram aos nufragos Tal a feroci
!. SMhSradoItaMrf.Tm VarxSroe NoSe Se-: f valen.es, arrojados e activos. Foram derrota-; guando elle, desembocaran, d.aoto do espectculo de singue d seus^concida': xM^STICr Setas duas da nre^0 Cneearam M
nhora do O' de Go.anna, a de Santa liarla da Boa- dos l"r'iu<-' Sfrem Bna causa coudemnada, e O commandante do 0apocA", digno 1 lente dios, derramado .. urna uerra que injusiamen Eolio Iriosporlada a IMna^nar os vanre5 i
VlsU, nesta provine.a ; a de Nossa Senhora da : Prqae enconlraram anda mate valenta, arrojo e Teixeira eslava com o ma.or sangue fr.o uaquella provocara, o sflrr.so anida assoma-lhe uos la- on-AMi- eS Paulo ane K fnnl liT
actividade do que os que possuera nos hroes de posicao desgracada, assim como loda a guarnicao. Lio*. I .____,:..J.!. q ier.'lP' ,ar}ao a mui Pfi"
a tropa quj
urna vela
esta curta correspondencia
Qaal essa noticia j o sabe o leitor ; e.
naval do Paran.
Mas, romo del e exacto coronisla, i
secupar-me rom ella mencionar ooiw. Mi
carcter, se hem oio menos Imporuate qMek
Ei-la. Cheg; n nos do Urugoav. per a'IMJii
ca tas e passageims, a desaradavet nava t m
as for<;as paraguayas de S. Tbome MaJaam hrpli
a passagern daquelle rio,'levando per duato a
provincia
Conc?ieao da Jacoca, a de Santa Luzia do Sabugi,
a de S Miguel da Baha da Traiga a de Nossa m*** f-'iuadra. I Encalbou por um equivoco, por lomar o pharol do
Senhora da Penha da Taquara, a de S. Jos de Pi i Bllea obedecem cegamente a seus superiores, e Ponto pelo da ilha de Flores,
ranhas a de \os*a Senhora d) Pilar do Taip, a preferern tnorrer perejaado a se enlregarem ; por- Os pobres voluntarios ha dous dias que esta-
de S Miguel do Taip a de Nossa Senhora da Luz 'l"6 vln-os o rio coalhado de Paraguayos, que se' vam solTreudo urna violenta sede, por falla absolu-
de IVdra Lavrada,' a de Nossa Senhora do Rosario tlnha,m **> a aua. aPar da correnteza, para ta d'agua.
da povoacao de S. Joo da c.dade de Souza, na pro-: waim o que poneos conseguiram por causa
vincia da Parahyba ; a oe Sant'Anna do Ypanema, \ doa!5Ae. os.s.us Dm!?s-_
a do Senhor Bom Je'us de Quobrangulo, a de San-
e apossando-se logo de S. Borja.
."-. a,segum,e .Par"rm d aquelle porlo varias A talo se redox todo o que sabemos, pota, se as
; quena distancia, logo que ahio a ultima nraca do
^T.t^lrJ^****!*.f" ,,om90s' en" i e^rcilo, o commandanie mandn virar i cabres-
ta Maria Magdalena da villa da Imperalriz, a de
Nossa Senhora do Rosario do Penedo, n tle S. Fran-
cisco de Borja de Piassabuss, a de Nossa Senhora
da Graca do Muricy, a de Nossa Senhora dos Pra-
seres de Macei, a de Sania l.uzia do Norte, a de
Nossa Senhora do O' do Traip, a de S. Joo de
Anadia, a de Nossa Senhora da Conceico d'Agua-
Branca, as Alagdas ; a de Nos-a Senhora da Con-: as ,es?a??s de bo,n.aC0 ''em corlantes.
Todos os nossos ofDciaes e marioheirns se porta
ram bem, com denodo e ardor, entrando neste nu-
mero o Io lente Jos Antonio Lope que procu-
ravam a roerle ou a gloria para lavar a mancha
que o uodoava desde os brilhantes dias de Pay-
sand.
As armas de que usarn os Paraguayos sao ingle-
Quando chegaram aos vapores Imperadoras, tose Grerobalgaz.
Paulo, nao havia agua que Ibes chegasse i Feridos, chefe fiomensdro, lenles Coimbra,
Desembarcarara aqui, e esto descansando por Frenas e Lacerda, e guarda marinha Castro Silva'
alguns dias. i U.< viercilo :
Hontem embarcaram 1,500 homens orientaes uos Morios, major Aedro Alfooso, cadetes Bandeira
vapores S. toman e Imperatriz, e seguirn) para a de Mello e Pacheci.
Concordia. Hoje parle o general Flores no vapor Feridos, tenentt Lcba, alferes Sa' Brrelo e
Taquari/. EwerCn.
legacoes impriaes extraordinaria e ordiairia,o
vice-almirante ou mesmo egoverno arnenlieo toen
communicaeoes offlciaes, riles as reservaran, dei-
x indo a imprensa e aoplnio popular savapar petos
espacos da pliantasia.
Entretanto evidente o moefleo qae Mjto pro-
ceicao de Maco, a de S. Joo Baptisla do Apody, a
de Nossa Senhora das Dores do Pat, a de Santa
Anna do Serid, a de Nossa Senhora do O' da! Ser-
ra-Xegra, a de Sania Rila da Cachoeira, a de S.
Joo Baplista'do Port i-Alegre, a de Nova-Cruz, na
provincia do Rio-Grande do .Norte; a de Nossa Se-
nhora da Penha do Burily, a de Sant'Anna da Ce-
tiuga dos Alegres, a de Nossa Senhora do Ampara
da villa Januaria do Brejo Salgado, na provincia do
Minas Genes.
Todo o llvd. sacerdote, ou clrigo, que queira fa-
zer *pposcao s igrejas cima referidas, apresen-
le-se corn seus papis promptos e eorrenles, na
forma do estylo, para ser admitlido, fazendo termo
de opposico dentro do prazo de sessenla dias, fin
dos os qoaes, se proceder ao concurso, no qual
respoodero os Hv ls. oppositores nove casos de
moral e consciencia, e faro nma exposieao, ou ho-
rnilla do Evangelho, i.me eu assignar ; fiara propor
a S. M. o Imperador o.- que (orea julgados mai>
dignos, na forma dos sagrado* caones e Concilio
Tridentino.
Dado em Olinda, sob o meu signal e sello capi-
tular, aos 10 de julho de 1863.
Ei-u, o padre, Joaquim da Assumpcao, escrivao
da cmara episcopal o subscrevi.
Deo l)r. Joaquim Francisco de Faria.
immediatainento demanlou o e receben, por or
deui do roinmandaule d'aquelle em seu bordo, os
doer.tes da marinha e guerra, mulheres e meninos,
Antes de embarcr dirigi aos seus concidados i 0 lente Paco**, de polica, dcsappareceu de pelo"'rewlivos Soteo? ft,8?d0"0$- ar0mpanhar
zas, de adarme^!7, e oulras antigs de pederne.ras, urna notavel proclaroavao. Houve muito enthusias- bordo na eccasio jo cmbale. Dona os ciuaes checaram
mo na occasiao do embarque, e os molhes estavam Ao herosmo e bravura do chefe de div.sfio Bar- menor incidente.
os mais, de d-rtamar eaasra a
arda de nnssas tropa 4> Ierra.
..<>ssoao Rio-Grande sao levadas de
e, preciso notar que depois de haver feto atra- vencida pelas do Paraguay
nLil.c,oalra,a anParece1r*-'h' I* de guerra A esta hora deve haver na c6rle commnn.rr.>>
Hjuassu procedente do Rio de Janeiro, cujo com- directas da presidencia do Rio-Grande, e >afar e
mandante, cenhecendo a critica posigo do vapor, que ha de exacto na desastrosa noticia.
Ur. Horacio Cesar e Dr.
a Montevideo sem
Se, todava, ella verdadeira, romo di ir apar
deleixo das autoridades superiores daMnesa pro-
vincia T
Ha alguem to puco perpirax neseea eargoe.
que nao antevi-,, como lofamvel sesmMaMs>ha-
o vasao ? E, se assim era, onde a resistoadn Mpa-
A perda do immig foi espantosa. Do vapor Sal-1 coalhados de espectadores," entre os quaes "baviaoi rosVdo ca'pio "ie'mar"e mei^GonWMoro'e "o^tratom^nin' no n, n n, lS"da ? 1,de f ,?.ou ,*'flfl* !"m,"lw *e*"m au"
to, cujo commandanie, irmao de Roble, foi nosso I mullas senhoras. ao valor e intrepez de nos -os offlciaes d.(dn n. f lLq a0S d?entesi mo,h re/ e-me" ,haJ a 0U5adia dos V&V* '
prisioneiro .noneram dous mdicos paraguayos e! Os Paraguayos passaram no d.a 10 o Uruguay to assignalad r.impho. *" ^ clmandan e toM5*?s S.T ?Tm r ?7 TZ"1* '" ^T *^W onl d> "-
'embalsan chatas o canOas e ataca ram S. Borja J}^^^^^^^^. SWAS-SS ST^S:^ ZZ
haviam 60 homens entre offlciaes, mariheiros e nella debaixo d mais vivo fogo. Canabrro ja es- Quatro bandas de msica* aromuanhadat do hoie1 h,' p", 1* "e.re"ram-|neil no da II, no. oo tres dias que u breas ao rommaedo da hnga-
soldados,e quees.es queriam vir para bordo, po- lava muilo prximo, e provavel que d urna li- cidadaos bZZTeTorl&s^Kram al m irot de''nn '' IBM demMe alrao5-'dejroO;, rio ja oso as aram Immci
es nao !nJ!.w"*n.,iam- E'les reco-icSomeslraao inimig_o, que ouiros d.zemd>e,a se ras desta bella edade. locando s hymnos da na-, A bordo do oSck do Rio al Montevideo en-
clobrasileiraeoiienial a' porta das casas de re- fermaran, onzedoen.es r*rtencenlefaarnVa4
nosi d.gno ministro encarregado de de marinha e dezeseis do exerc.to. Aquelles fo-
\lTi ,r cavalhe.ro, o Sr. cnsul ram tratados pelo dislincto medico Dr! Horacio
udu para a Con- Em seguida fuos compnmentar o nosso amigo *Se ^0^0^^^" t^fara
tropas argem- o bravo general Flores outra, auUTdades da re- de pneumona, XSo rK JujoTio"
Apresentou-se ao escurecer um Paraguayo, que com forcas superiores de infantaria e artilharia.
veio a na lo de urna ilha deserta, em frente qual Esta villa no da 10 anda res.slia, e o Io batalhao
se acha o Paraguary encalhado, e disse que nella de voluntarios, que voou a seu soccorro, penetrou
rem que aque
nhecem que nao somos degolladores, pois j o che-! diriga para l.aqui. Todas as familias do litoral do
fe Barroso tem um criado paraguayo desde 2fi do Uruguay, ja abandonaram suas casas. A'vista dis- sldeoca do
passado, o qual logo que vio Robles fallou-lhe e Ihe lo, mu provavel que o general Ozorio marche
disseque j era Brasileiro. ; agora doDaiman para os pontos invadidos.
para
'., too eroel-
0 Paraguary nao foi medido a pique pelo Ama-
zonas, mas sira pela Parnahyba.
Sabe-se que em Assumpcao so tiuham ficado duas
chata* eoa o vapor uto Blanco: esles tres navios,
reunidos ao Taquary, que fugio, coostituem hoje
loda a esquadra loimiga, nao valendo a pena fallar
O general Mitre parti no
cordia, e ja se arhava a frente das
as, acampadas naquella localidade. 0 genera1 Ro- nablica notaveis nar^ii.^'iMt^t'nmV-i'i''
bles (paraguayo,) fazia n movimenlo retratado P-?'s. SmuI ddale oPia ^Srimeotado ^ ^L^ foram tratados pelo Dr. r mais e tos. e talv lenie cherar
sobre a traoqueira do Loreto, e os cheles argen-
tinos, em Corrientes, avancavam na sua relapuar-
Entre-Rios. mas acudiram ao Rio G
mente sacrificado.
Se tal mndanea se dr aas resosocae* o general
Ozorio, o general JJitre Reara tonsMlitado M a*a-
car sobre o exereito paragnavo do no Saau Lmia.
porque s disijn de 4 a 5,000 homens M infanta-
ria contri ViJswD delles.
Em compedaacao o exereito paraguayo avaBea-
ftecta, que se oceupra tambera de nma mtrtner
que abortara um'feto morlo, consegulndo melho-
Orieol
que, digam
shi pi
o qoe ifoizerem, nada
INTERIOR.
KIO lE JAMKIIIO
23 de junho de iMo.
Grande triumpho da civilisacao contra a barbaria.
Brilhanle victoria da esquadra brasilelra no
da 11 de junho.Vivara os hroes do Riachue-
lo ISalvagao do vopor Qyaaoci; e dos volunta-
rios da patria.Invasao da
provincia do Rio-
Grande.s. Borja anda resiste.
Sao estas as grandes noticias que hoje leva o va- offlcial paraguayo se tinha apoderado do leme. Nes-
por Oyapoch; to milagrosamente salvo, do Ihealro las criticas circunstancias )a o commandante da
i)" Pedro Alfonso, um lenle e um cadete do mes-
mo batalhao,.entre merlos 33, feridos 28 e extra-
viados 22. Foi o navio que mais soffreu, porque
em seu acanbado espago se reproduzram scenas;
dignas dos lempos heroicos. Tres vapores para-
guayos o abordaram, e lancaram na sua tolda um '
tormgueiro de gente. Toda a guarnicao do rodizio
de r e os oficiaes que ah estavam, e que sao os!
frjmi^' ugo eslava senhor de me.o navio ja e um ,ier,,ismo e Valar de nossos bravos soldados.
A historia Contempornea val registrar um dos
berdade nos mageslos'is rios com
estas regoes.
Vivan) os hroes do Riachuelo I
Viva a esquadra brasileira I
Vivam os adiados I
22 de lomn
I
Escrevolhe apressadamento, abrazado
guerra, ou parto delle, nao ha sentimento mais
que Heos dotou gostoso ou vivificador do que o enthusiasmo pela
.cansa nacional.
aos temporaes,
O homem senle um n.io sei que de grande e
Este acontecimento foi devido
com os quaes tambem lutra.
Hospital militar.Levados de curiosidade
VISI-
le grande e ma- tamos minuciosamente o edificio que serve de hos-
tstoso que o ennobrece, e arrasta-o a todos os plul militar, do qual director o 2 cirurgio Dr.
perigos, sem medir o alcance delles.
C nfesso-lhe que aos cuidados de minha familia
Augusto Carlos.
Os doentes sao a
irurgiao
li tratados pelo bem conhecido
no en
wasorciei a causa da patria com interesse tal, que Dr. Portugal, Dr. Cupertino; r. Augusto Carlos,
- as saudades sao suavisadas pilo desejo de bem ser- Dr. Russi Dr. Bru.nel. 8 '
da guerra. Em Buenos-Ayres e aqui a victoria da
esqaaJ'a brasil-ira as aguas do Paran deserto
um.i alegra louca, urn enthusiasmo que chega ao
delirio Calculo o que succedera em lodo u im-
perio.
N issos detractores esli eabisbaixos: a honra
militar brasHeira, tantas vexes insultada no Rio da
Pra la, elevou-se lao alio que ninguein mais ousar
manchar.
A Providencia dando-nos esta opportunidade de
provar o nosso valor foi prodiza para comnosco,
porque a gloria do da II dejttnho smenle nos-
sa, dos njssos valenles mariheiros e soldados.
Nao ha expresso para se elogiar o valor, sangue
fro e intrepidez do chefe Barroso. Foi o hroe, e a
Pamahyba tinha dado ordem para fazer voar o
navio, quando os erras no Imperador li/.eram no-
tar que os vapores inimigos se desatracavam a fu
giam vendo assomar-lhes o lerrivel Amazonas, no-
vo Merrmae d* America. Era o chefe Barroso que
acuda por toda a parte onde sua presenca era ne-
cessaria, e que com o seu syslema de combale, I
bem comprehendido no momento da aeco, tornou |
impotentes lodos os esforcos do audaz inimigo.
A Belmonte, commandada pelo Io teneute Joa-
qulni Francisco de Abreu, na occasiao, foi a pri-
meira canhoneira que rompen o fogo sobre o ini-
migo, e por algum lempo soffreu ella s todo o fo-
go delle, que eaosou bastante avanas. O intrpido
Abreu foi encalhar, tapou os rombos que tinha e
mais brilhantes e intrpidos feitos d'armas das
forjas brasileiras.
O aconlecimento de que nos vamos ocenpar Irea*
xe luto para algumas familias brasileiras ; mas,
em compensacao do martyrio e da dr, a certeza
de que seus caros prenles souberam morrer como
hroes, legando aos seus e patria um nome im-
morredouro o digno da gratido e bengos do
paz.
O Tevere. paquete a vapor, de nacao italiana, foi
portador das importantes noticias, que passo a
narrar.
A esquadra brasileira derrotoo completamente a
paraguaya.
Qnair navios paraguayos liearam fra de com-
balo : dous foram meltidos a pique, o Salto e o
esjuadra o admira e respetia Elevou-se altura que o ameacavam de ir a pique, e vollou ao com-' M*i ':e o Mantua de Otinda eclhitn
de um Nelsonl Eis como os hemens de honra ede bale. E' um joven Uto modesto quo corajoso, que 'zentos Pranuavo ton t-Um narto
bro responden, a acensaos ingratas! Como se jaem P.yssand reve.ou suas br.lban.es Sulli-aX^cl^TJ^X^ta^ro^u
Ihe ha de pagar o da de gloria que alcancou para dades. 'nuiuhenlos morios n feridos na hataria Z Ra
o Brasil? O commanlanie da/jmofrmy, 1 lente Coim- chelo na batera de Ria-
Mas vsmos aos detalhes, que os leitores esli en- bra, foi fondo logj no comeco da acQo em um p,; Magestoso foi o triumuho da causa da civilisa-
riososdeconhecer. eixe fallar a urna teMe.nunha c deve soffrer ampulacao da perna. Eotregoiio rao centra a barbaria
ocular do combate, que me escreveu quando a sce- commando ao immediato i tenente Pimentel, que Eis os pormenores da lula
na anda eslava palpitante de interesse, quando os cahio morlo pouco instantes depois. A forca jnjmiga compUuh'a-se dos seguintes va-
navios jnneados do cadveres de destrocos mos- Rw inlormaroes dadas pelo tenente Alearae, poros : Taquari; (navio almirante) Paramara
travam .nd em lodo o sea horror o drama de commandante do vapor Salto, se soube que a es- Marques de Olinda, toar. Ibera Salto la Jei e
que acabavam di-ser o Iheatro: qoadra .n.m.ga, alm de sua guarnicao, trazia ,es chalas, artilhadas com pecas de 68 a 80.
Hontem as 8 horas da manhaa avisiarnos os na- >.wO homens de abordagem.
vios inimigos, a's 8 Vi nas piand. logo vivo foso de parte a parle. O /mase-, SaUot '.nha J.10 f" o Taquary 180, o Pn-
nas estava com fogo aba fado, espertou-o immedia- ''Z'xH.lf .Marm" de Olinda IV), todos so-
lamente e depois de prompto seguio acompanhado ', ae auor'laPe,n. homens que desprezam a es-
por toda a esquadra a balero inimigo. que se acha- P^1'. at.rai.i-se cora seus grandes faces
bera amolados, com os quaes cortaram Irincheiras,
eilio: uto
Wa*SL- ju. a .^ O servico feto regularmente; muitas enferma-
A lobuna ie Buenos-Ayres diz que no da 10 ras sao dignas de ser visitadas por seu muilo
f, 'a"8""'",5 emn,.!m'ro de 6 a17'000 lj iwm, a notar a pouca capacidade que
him-ns atacado a villa de S Borja, e que, depois tem o edilicio para comportar lio grande numero
, af^S fes,ilencii,> (ue lnes oppuiera una for- de doentes : mas, se atindele que o estabeleci-
ca de 700 homens, que a guarneca, tomaram-a. ment um dos maiores e melhores da trra en-
seidq obngados seus defensores a retr.irem-se, coolrar-se-ha a razo do facto
ralo inrorporarem.se as forcas do coronel Assump- Km nossa humilde opiniao emendemos que as
i.a, que se compunham de 2,600 homens, aguar- enfermarlas de bexigosos devem ser isoladas, e que
dando o general Canabrro com toda sua eavalla- seus leitos devem guardar o maior espaco uns do
ni para os obrigar a evacuar a praCa. outros, para que se nossa fazer regularmente o
bsta noticia, porm, e destituida de veracidade, servico hvgienico, e sejam convenientemente are-
irtes offlciaes que aqui chegaram hon- jados para evitar-se as febres que commummente
ten (21) dizem que urna forca paraguaya de S,0l)0
a 6,000 homens atacara S. Borja ; mas que as nos-
s?s tropa-, que guardavam esta villa, oppuzeram-
Ifo vigorosa resistencia, e que sendo auxiliadas
pelo corpo n. 1 de voluntarios da patria, lograram
d.'sbaraw los, dirigindo-se elles para Itaqui com o
Im de ataca-la por julgarem desguarnecida.
reina.n nos hospi.aes de pouco aceio.
E Notamos tambem que se nao fizesse organisar
urna enfermara de cirurgia especialmente, que
poderia ser urna das salas, conforme a nalureza
d s casos.
SSo dignos de elogio por seu zelo e humanidade
va pairando abaixo do ponto onde estovamos, no
Riachuelo. Nao se pode imaginar o lerrivel fogo
que se trecou de lado a lado
A esquadra paraguaya compunha-se de oito va-
pores e seis chatas com 47 boceas de fogo, alguma
de calibre 80, e f^i apoiar-se em urna batera que
estava oceulta sobre a barranca, que tinha nada me-
nos do que 40 boceas de fogo de calibre 80 e 68 !
A nossa esquadra se compunha de nove navios com
62 boceas de fogo de 30, 32 e 68.
As chatas, em raaos de verdadeiros anilheiros,
podiam ter medido a pique todos os nossos navios,
porque faziam um tiro raso, com pecas de 80, e
seus soldados estavam encobertos. Mas a justca
de nossa causa e a pericia de nosso ebefo, que,
sempre firme no passadlco, mnndava a manobra e
o fogo, com o intrpido pralico Bernardino a seu
lado, assi'gurou-nos a victoria, que foi disputada
com verdadeiro encarii(aniento de parte a parte.
S o Amazonas, converlendose em um navio
ariete, levea gloria de metier a pique ires vapores
mmicos e urna chata, e, sempre continuando o fo-
go, o inimigo leve de render-se, perdendo qualro
vapores e as seis chatas, cinco das quae> ficaram
cabos, ele.
Tomaram-se varias bandeiras, um piano e muito
armamento.
Para mais detalhes lam-se as partes offlciaes
que abaixo transcrevo, as quaes confirmam ludo
quanto acuna descrevo.
O almirante Tamandar ja mandou um
buscar lodos os feridos
pores para Irein reforcar a nossa esquadra, os
quaes reunidos s duas canhoneras que nao lo-
maram parle ua accao, por eslarem na Equina, a
Mili carao em um p anda mais respeilavel.
Alm disto parle boje o Apa desle porto com os
de ierra compunha-se de trinla ca-
dos onze
pelas
tarde,
A balera
nhoes.
Os nossos navios eram nove, pois que
douahavum ficado na Esquina.
A accao comeeou no dia 11 do andante
9 e raeia da manhaa, e durou al s 4 da
sendo renhido e porfiado o combale.
O Pamahyba foi abordado pelo Taquari, por um
lado ; o Mrquez de Olinda o abordou por outro, e
o Salto pela popa, despejaojo-lhe na tolda duzen-
tos Paraguayos. x
Apossados da popa do navio, conseguirn) ar-
riar a bandeira, e dirigir o leme um offlcial para-
B prepara mais quatro va- ^uavo, que o agarrara no momento da invasjo.
A lula travou-se renhida e desesperada, sendo
sustentada por nossos bravos mariheiros al a
chegada do Amazonas, que prompto voou em seu
auxilio
Bem depressa foi
vapor
a bandeira icada, e os, Para-
voluntarios da palria que chegaram rio vapor Gal- i 8U1a.yos. ronipleiamenie desbaratados.
go, os quaes vao embarcar na esquadra e subsli-1 i,er'l?0 em 'IUI! esliverara. que o bravo
tuir aos bravos que suecumbiram ; honrosa mis- eomman(lan:e do Pamahyba, o Sr. Garcindo, che-
sao que muilo apreciou o dluno tenenlecoronel 0U ,a ^ar ^aeni a nm offlcial para tancar fogo ao
Pinto, commandante do batalhao da Cachoeira pa da plvora, antes que ver o navio de seu
O bino mais velho do nosso almirante portador comsiana, l're" d nossos inimigos.
da bandeira que fluctuava no vapor Mrquez de < tes esta executada vio que aproximava-se o
Olinda. que vai ser apresentada a Sua Magestade o mazofas' e eDfa. lando parte ao commandante,
Hnr levanlaram-se vivas ao Imperador e a nac5o
sileira.
Imperador.
bra-
Os offlciaes que aqu se acham actualmente, reu-
em nosso poder, fngindo para cima smenle quatro nidos no paiz, como o Dr. Porlogal, Mariatb, Ma-
vapores, e estes mismos mui maltratados. chado e minios outros disilnctos cavaiheiros, e pre-
0 Jequitinhonha com o chefe Segundino Gomen- cedidos pela banda de msica do corpo de volun-
soro, segundo da esquadra, foi infeliz, porque en- taros auxiliares, com as tres bandeiras ajiladas,' te commandante
calhou logo quando preleodeu cortar a tinha inl- foram legaeo, ao consulado, a casa do chefe i 0 vapor Jequitinhonha tendo perdido seu prati-
miga. 0 arrojo desle chefe foi indisivel e elle ftcou Barroso e do secretario Antunes, e ah pwrtjixpe- oo enealhou debaixo da' bateria inimiga e delta
contuso em urna perna. O pra ico do navio morreu. ram nos mais entusisticos vivas. A note IwVe aoffrsu fogo vivissimo al o dia t2 em que foi
Neste comeos chegou o Amazonas, e deu tao
terriveis narigadas nos navios contrarios, que os
lamjou pique.
Recoromendo-lhe a leitura da parte offlcial des-
Felizmente o general Canabrro rom suas tropas os Urs. Porlogal, Cupertino, Augusto Carlos e
lima se posto em movim-nlo para com as que ali Rosal, sendo, porm, reparavel o pouco cuidado
e.istem inallograr o intento de nossos inimigos. que dislribue com seus doentes o Dr. Brumel.
Por toda a parte as victorias nos vao succeden- Ha enfermara to dignas de serem visitadas por
m; pelo que, e provavel que o exereito di Lpez sua limpeza como as da corte.
vi sentmdo desanimo, e reconhecendo que inuteis Visiiamo-la analyticamente, e damos a ver-
sirao quaesquer tentativas diante das forcas al- dade.
58; a i, Todos os leitos estao prvidos de rooparias pro-
uo lado do Paran as noticias que temos sao : prias para a estaeo fra.
Que o general Paunero havia marchado da Es- U servico culinario se faz com aceio e limpeza, e
ruina, achando-se no dia lo a duas leguas distan- as dietas sao distribuidas devidamente.
13 desle ponto sobre o Rio de Corrientes e que con- Quizeramos tambem que as enfermaras estives-
inuava sua marcha. sem organisadas conforme a classificacao das mo-
Que o governador Lagrana, que tambem se nena- leguas, isto molestias das visceras abdominaes ;
va na Esquina, parta no dia seguidle a incorpo- molestias das visceras loraxicas, molestias syphili-
rar suas torgas s corhenlinas que commandao cas, ndemicas, epidmicas, etc., ele.; e como sao
general (.aceres, com o lim de baler as paraguayas molestias contagiosas, treze as enfermarlas, serta
que commanda Robles. fcil de conseguirse.
O general Flores embarcou hoje com suas forcas Se dirigirmos algum dia nm hospital se-lo-ha,
i com os voluntarios aqui organisados sob o cora- por certo, organisado segundo que temos lido da
liando do coronel Fidelis. organisaco dos hospilaes de Franca, Prussia e In-
Vi-rs; sao todos mocos, cheios de enthusiasmo, glalerra. Nao pedimos entretanto, nem aspiramos
dos qtues muilo se deve esperar por sua discipll- essa honra.
Id pericia. Nao vemos razio aleuma para a censura que se
Concorreram a este embarque o general Flores, tem feilo a este hospital; o que sentimos, dissemos
>s autoridades do paz e o Sr. cnsul geral, apezar francamente, porque, como disse Lamartine : a ver-
de seu estado morboso, reinando nesta occasiao o dade a consciencia do homem.
maior enthusiasmo. Movimento do hospital.De 18 de abril at esta
Os offlciaes desle corpo no acto de abracarem ao dala tem recebido esie eslabelecimenlo mil e lanos
Sr. cnsul, disseram que haviam de tornarse, por enfermos, tendo perecido 112 individuos, isto 11
nham nos punhos ; agradecendo ao rresmo tempo da epidemia aos individuos nao aclimatados, a
ao Sr. cnsul os esforcos e concurso valioso que Iransplantaco de um clima temperado para um
prestara para a organisaco deste corpo. inmensamente fri, a mndanea de comidas, e o
O ultimo abraco que recebra o coesul foi do uso de fructas sem regularidade.
coronel Fidelis, qu Ihe dissera : t meu cnsul Apezar de tudo isto, tomos informados de que as
geral. ou eu trago a victoria, ou adeos at o outro enfermaras que mais tem concorrido para este ob-
mundo. tuario sao as que sao dirigidas pelo Dr. Brumel,
Redillcacao.O Sr. piloto Francisco Marques pelas razoes cima ditas.
Lisboa, com quem conversamos no hotel da Paz, E>crevemos isto com o nm nicamente de escla-
informou-nos que o capito de mar e guerra Go- recermes o digno Sr. conselhelro Manoel Feliciano,
mensuro nao fra ferido, mas que soffrra urna e ao patritico e Ilustrado governo do paiz ; pois
contusao por urna lasca de roadeira, arremessada
por um projectil, no tornozello do ad^squerdo.
Alegramo-nos com esta noticia, porque folgamos
sempre de saber que este bravo da patria esl ca-
paz de entrar em novo combale.
Eacalhe do vapor Oyapock.No dia 15 pelas
que nao conhecemos individualmente o medico de
quem nos oceupamos.
Repelimos, sao as informales que tivemos.
Sao estas as noticias que temos por hoje a dar-
Ihe ; continuaremos a ser minucioso todas as vexes
que escrever-lhe. .
A esquadra brasileira achava-se fondeada meu
legua abaixo da cidade de Corriente?, e nao as
Tres-Boceas, como nos estavam a repetir na nm
mez.
No dia II do crreme, pela- 9 horas da manb.u,
deixou-sn ver Paran cima, e de-rendo rom gran-
de rapidez, a froia paraguaya, composta de esto va-
pores, a saber : o Taquanf (rapitana) cosa a in-
signia do capitao de mar e guerra Mesa, o Para-
guay', o Mrquez de Olinda, o Ygnrd. o Sallo (to-
mado aos Argentinos), o Ipor, o Jejmhil e o de h-
lice Ibera. Seis fastos va|>ores traiiam a relean-
outras tantas canhoneras flmioantes, rhamaaa-*
aqui chutas, cada urna rom um rodizio de 68 oo
80. Quer os vapores, quer as chalas, traziam
ahundantissiraa dripolaco e rauila forra de des-
embarque.
Ao enfrentar esquadra brasileira, qne eslava
em linha de combate, e com os fogos accesos, fez-
ihes esta muitos tiros, que os vaos paragnavn
conlestaram, sem todava demorar sua rpida mar-
cha agnas-abaixo.
A esquadra brasileira, segurado a urna hora de-
pois, foi acha-la tundeada do lugar chamada Ria-
chuelo, muito prximo a barranca do rio, obre a
qual. e como que continuando a linha dos vapores,
acha va se nina balera Oe 22 pecas raiadas de grov
so calibre. Nos dous extremos da ilha paraguaya,
e occultando-se na mata, perrebiam-se forcas de in-
fantaria em numero consideravel.
A esquadra brasileira deu o signal de combale,
em que lodos os navios lomaram parte ao mesmo
teirpo.
Eis seos nomes :
dsMMSMf. 8 pecas, commandanie Theolonio de
Brilo. Levava a insignia do chefe Barroso.
Jequitinhonha, 8, eommandanle Pinto, com a in-
signia do chefe Gomensoro.
Belmonte, 8, commandanie interino Abreu.
Araguary, 7, commandanie lloonhollz.
Iguatemy, 7, commandante Coimbra.
Pamahyba, 8, commandanie Garcindo.
Bebenbe, 7, commandanie Sant'Anna.
Ypiranga, 6, commandanie Alvaro de Carvamo.
Mearim, 7, commandanie Barbosa
A vatios va na fraola a Btlmontr. e fechara a liana
a Jequitinhonha.
De parle a parle rompen o fogo com verdadeiro
fugar, e as 82 pecas paraguayas (pois eos vapores
tinham 6 cadaum), inclusive as 21 da bateria,des-
pejavam sobre os vasos imperlaes bomba* e talas
de grande calibre como ama chuva do inferno,
alm dos fogueles i congreve e as descargas soe-
cessivas da infamara da mala.
Era talvez duvidoso antever o resoltado, ou a
termo dessa dispula mortfera, quando um infiden-
te o precipilou. A Jequitinhonha ao lempo que ato-
cava a balera de ierra enealhou debaixo de setas
fogos ( a tiro de pistola I) e ah conlinnoo a te-
ter-se.
Islo que viram os paraguayos, trataran de apos-
sar-se da Parnahyba, ultima eolio da linha e arro-
jaran! contra ella os vapores Taquary, Salla e Mr-
quez de Olinda.
O primeiro abordou por 11. B., o segundo por E.
II., e o tercero pela popa, deserndo na l'arnakfba
como 100 homens de tropa.
Outros podem ter sido os factos de vanlagem no
combale de 11 de jnnh* : mas o de inexredivr-i
gloria para o nome brasile ro foi esse, foi o conven
da Parnahyba.
Encravada entre tres vapores, era um diluvio
de balas que cahia sobre ella. Depota o combate
se fez corpo a corpo, a saber, a faca, a Iota, sendo
os brasileiros om contra tre-, paraguayos.
Os heroicos offlciaes do navio, negros de fuaso,
cobertos de sangue, erguiam-se como vultos ho-


i i*#%i% j'r-i


ftlarlo de rernatubnoo Sexta elr 14 de Julho de 1SG&
I
t
crieos, com a espato ero m no meie da carm-
Ce i na.
Os paraguayos se sutinbam apossados do navia
da popa ao masiro grande, e a peleja cncentrando-
se era pencas varas de etraaoo, -con roatsde.3,000
borneo, era aterradora.
Os brasileiros tem sucoumbir ao numero que of-
ficiaes e soldados cahiam uris aps outros. Ento
o commandante d orna ordena o iinmediito, que
a transmiite ao escrivo do navio ; a de pr rogo
Sauta Barbara.
Nesse instante tremendo vio-se os paraguayos
esitarein os da ParmUkyba nada podiain ver,
cercados por tres navios e urna- rauralh* de rogo;
era que o Amazonas Belmonte acudiam a Par-
MMM.
A hestaco dos paraguayos os brasileiros sen-
tem maior denude, precipitam-se sobre elles, os
exterminara, e e escapara os que se atirara ao
rL1- .
Um bravo I dura os hroes da Parnakyba antes
de ir adianto.
S Belmonte, que tinha avancado dosucadamente
vanguarda, avia soffrido urna, duas, varias des
cargas da artilharia inimiga, seu costado estova
crivado de balas ; ia afeudarse; no entanto com-
bata anda, e combateu ainla at que oi preciso
encallada. Eslava cheia d'agua.
A lguetemt/ vio cahir seu comraandante ferido
em urna perna ; sucrede-lhe o immediato, e urna
bala de artilharia leva-lhe a caneca. Um joven
de 20-annos toma o commando echega nelle a vic-
toria.
Na Ymranga, na Bebere, em todos os navios
emfim, succ.edcmse episodios varios, todos subli-
mes ; mas eis que surge a tremenda manobra do
navio-chefe o Amazonas. j
Atira-se elle sobre o vapor Mrquez de Olinda, e
com a proa o esmigalha e afonda. Repele o farto
com o Salto, e ainda cora outro vapor. Dirige-se
depois aos quatro que restara, inclusive o chele
Jaquar. Todos- fogem espavoridos abandonando
as canhoneiras flueiuaiiifs, que sua vez sao todas
afondadas, ou apresadas.- Sua uarnlcao atira-se
ao rio, onde em parle perece sob a metralha dos
vaporea
Ah termnou o glorioso triumpho I
A esqnadra paraguaya aniquilada em parte, e o
reao fugindo descalabrada; mais de 1,000 morios
paraguayos, toda sua artilharia de bordo lomada,
grande numero de prisioneiros ; entre os mortos
todos os chefes superiores iuiungosv, bandeiras,
munices, petrecbos ein summa um grande mate-
rial de combale, ludo caldo em poder da esquadra
brasileira.
Mas nao foi sem sacrificios dolorosos.
Perdemos varios ofllciaes de trra e de mar,
guardas-marinrias, uns Cm morios de marinhagein
e tropa, outros tantos ferido-.
A Jrqatttnhonha foi abandonada, a Belmonte es-
t anda encallada, e a ,Parnahyba, Amazonas e
oulros navios carecen) de grande reparos.
Que import ? Se alto o proco, por elle alcan-
cemos urna gloria que sera eterna.
Hontera a cdade de Buenos-Ayres electrsava ao
ouvir o detalhes da homrica peleja. Mas logo as
salvas, os repiques dos sinos, as bandas de msica
percorrendo as ras, apenas davam idea do geral
enihusiasmo.
O povo que se juutou porta da missao brasilei-
ra, ao ver apparecer na sacada o conselheiro Oct-
viano e vice-almirante, prorompeu em-vivas ao im-
perio, sua marinha, allianca, etc.
Esia noite canta-se o hymno brasilelro no thea-
tro ; prepara-se urna brillante ovacao nesse nio-
men'.o
Palta-me o lempo para mais. Eis ah juntas as
purtes officiaes do chefe e a do Parnahyba.
Nao tera um coracao brasileiro quen as nao ler
com os olbos rasos pelas lagrimas da emocao, em-
quanto o coracao Ihe palpitar de enlhusiasrao, e se
arranque dos labios o hrado
Hossana ao Brasil!
i i rrx i i
DAIMAN, 19 DE JUNHO DE 1865.
Com effeiloo general Osoiiochegou a 13 ao Uru-
guay, segurado nesse me>ino da para o Salto, aliin
de resolver a questo do hospital, que acha-e boje
concluido por terem os mdicos daquelle lugar de-
clarado que as molestias nao eram epidmicas.
Continan) a passar tropas argentinas para a
Concordia, transportadas nos nossos vapores de
guerra e das companhias brasileira.-.
O general Mitre passou por aqu no Rio da Pia-
la no dia 17. Concia que ainauha ira ler com elle
O nosso general Osuno.
Espalhou-se por aqu a noticia de ler sido a nos-
sa fruuteira de S Borja invadida pelos paraguayos
encontrando contra elles grande resisteacia da pe-
quena forca all existente. Esta noticia foi a 16; e
nesse mesmo dia parti para Buenos-Ayres a ca-
nhoneira Taquard com djBcic-8 do general para o
vizconde de Taniandar.
Acredilavamos todos que vista de tal boato,
qual o da Invaso, learnos de marchar logo para
ai.i, msate hoje nada nesse sentido tem appare-
cido.
Consta apenas que amanhaa se pora em marcha
a quinta brigada, a encouracada, como por c Ihe
chamara, para Santo Antonia, adianle do Sallo um
pouco
Se isso se verificar acreditamos que uvera di-
vi.-ao do nosso exercito, seguindo urna parte para
S. Borja.
Jugamos, no caso de que se de essa diviso
iucouveiiieule, pois que devenios primeiro atleoder
ao que nosso para entio fazermos favores.
Os Argentinos ja leni na Concorda mis 6 a
8,000 hoiueos; Urquiza dispoe de uas 10,000 ;
Paiinoro e Lagraa de oulros lanos, segundo an-
nuiciam as fullas argentinas, Plores brevemente
apparecer com seus o a 6,000 hoinens; por tanto,
para que havemos nos de distraliir nosso pequeo
exercito, quando elles com aquella gente podem at-
lac.ir o mundo inteiro f
E de mais, de rigoroso dever nosso, sob pena
de. passarmos por imbecis, salvarmosem primeiro
lugar o i|ue nos pertence.
Nos nao acreditamos na laLJnvaso; mas por
isso nao devemos despreaar tarnotieia, por quanlo
lera .s hoje consciencia de que aquelles brutos ati-
ram-se sem calcular com as consequoncias.
II je correu a noticia de que com eSeitd elles
quizeram invadir ; mas que foram heroicamente
reocllidos pelos dous bal; Ihoes de linlia que all se
arhavaii), e pelo 1." de voluntarios que chegra.
Em lodo o caso cumpre quanlo antes altender
para aquelle ponto, que nao pode reunir mais do
que quatro carpos de infamara, que sao o 2." e 10.
de linlia, o 1. e o. de voluntarios que anda es-
tar ca marcha.
Sao corpos que cliegam all fraccionadas, como
acontece aos que aqu se acham, verilicando-$e o
caso com o 10. de voluntarios, o do Para, que sa-
bio d'aquella provincia com seis cenias e tintas
pracas, achando-se hoje com cento e tantas 111
Ha 19 das que aqu nos achamos, vendo passar
os Argentinos e brevemente os Orientaes ; e nos
mudos e quedos, esperando nao sei o que. Os
doentes menos graves que se achavam em S. Fran-
ciso acham-se neste porto em um ponto, que deve
ser rebocado amanhaa para o Sallo.
Os mais graves l Acarara ; podernos rezar-lhe o
de prafuwUs. Continuara a apparecer faltas no
form cimento de gneros. O governo geral que at-
ienda a estes avisos, filos todos de quein vejo para
aqu por amor da patria t nao para e.-pecular com
i crise do paiz.
N-, que sabemos dos esforcos supremos umpre-
gados pel governo geral para o bom estado do sol-
8a!o brasileiro, eommelleriamos um crime, e um
crune grave, se occullassemos os abasos que por
aqu se do.
Crea o governo geral, ;;reia o paiz, e crea fi-
Dabnent* o nosso querido imperador, que o exer-
cito nao fara qnesio de consa alguma desde que
tivi r frente o inimigo. Elle combater com ener-
ga, elle sab-ra repellir essa sucia de estpidos,
atrevidos por ignorancia, seniindo que sua frente
naoseaehe o velliaco gaucho que collocou esse po-
bre povo] naque.lla posieao.
Ani osos aguardamos noticias da esquadra. E'
de presumir que, se houve eocontro, tcabaraos ob-
tido grande tnmupho.

B0I1DO DA BOLM05TB, SCRTA DO RIACHUELO, 11 DE
JINHO Di: 1865.
O din II de junlio de 1865 raiou.luminoso a D-
uos os hiiri=on:e-, e n* perdamos a esperanza de
que a esquadra paraguaya descesse a "mpenhar
combate com os nossos vasos de guerra, que eonli-
noavam ancorados defronte de Corrientes, mais
prximas raargem direita tjae esquadra.
Pjlas 8 i/i ho:*a da mantia as vigas de todos
os navios gritavam. Esquadra paraguaya pela
proa Acaba va de soar o momento seri de os-
tenlarmos nosso valor e dignidade nacional I To-
coo-se a postos, guarnecemos a artilharia, e come-
camos a easbonear a esquadra inimfga distancia
de urna mha pouco maig ira menos. Os ferros de
HMM navios suspendlam i urna, fazendo e rece-' Barata, perdeo meia hora depois do combat o
beodo fogo : a esquadra paraguaya corapos.ta de braco esquerdo : foi inmediatamente amputado, e
oito vapores de rodas e oiio bateras Hucluaoles,
montando cada ama um canhode oiienta, de aguas
abaixo e superior em velocidad, tomoa-nos o flan-
co direito e eccupoa a bocea do rio.
O navio chefe, o Amazona*, trazendo a seu cer-
do o chefe de diviso Barroso, passou imraediata
apenas manifesto-se o incendio no hospital, me
ao con vez sosinho, lvido corno a estatua da resig-
nacao e da coragem, fumando um cigarro, e foi
deitar-se r. E' a crealura de mais eoragera e
espirito que bei onhecido. Quando foi baleado
disse : Como que minha ttwdriuha Nossa Se
mente vanguarda, ordena aos vasos em columna nhora da Conceicio deixou-rae suceder lsoT
Belmonte que passe frente, e Val bem da amputtcao : nem febre leve I
de attaque, ordena Belmonte que pas
travou-se nesta occasiao um combate renbindo e
sangrento 1
As canhoueiras que dviam seguir a Bmonfe
retardam o passo, e ella passou avante a loda a
Torca 11
Os Paraguayos t.nham tomado aquella posieao,
por que, intelligenciados ( necessarimente ) com
O foguista da Belmonte Jos Baptista da Suva
da machina onde se ach iva sobe ao con vez, jarra
a espingarda e faz alguns liros sobre os Paraguayas,
que abandonavam um navio : volta-se muit
ti-feito para ara e dii : Ora se'su nao subo c
em- cima nao ahohavava aquellos doust ; e desee
para seu lugar.
a ierra, procura"vam abrigarse Bis flancos de urna O soldado do contingente Peiwto raatou dasga-
bateria de trra mascarada por arvoredos, e que de vas o comraandante do Taquart quando fugia em
bordo nao era possivel ver. A esquadra levou urna seu navio a bandeiras despregadas; esse soldado
hora a passar, o nesse trajelo nao soffremos, e chama se Leandro.
A guaroico de abordagem da Belmonte era
coraposta do contingente d artilharia ao marido
do Tiburco, e de um destacamenlo do corpo poli-
cial do Rio ao mando do capillo Antonio dos $an-
nem causamos grandes avarias ; a distancia era
grande, e isso era de esperar.
Depois que a esquadra suspenden, e que fomos
arrancar de junto das bateras traicoeiras, sira, o
perigo toruo-se sublime, nio obstante os sensiveis tos Rocha. Nunca fomos abordados : a guarnc&o
prejuizos e as perdas de vida de um punhado va- durante a arcao ficou toda era cima, apezar do ogo.
len(e | : activo que soliviamos ; mas como repenliuamrate
A principio as balas, bombas, foguetes a congre- podamos sedrer a abordagem. valeu apena san-
ve e granadas do inimigo, em resposta aos nossos ficar mais vidas, comtanto que estivessemos sem-
tiros, cruzavara por cima das vergas, mastaros e pre promptos a repellir.
cordame ; depois as direccSes foram abaixando, e O capitao Rocha portou se sempre com vahr e
comecavam a attogir borda e casco de nossos va- enmusiasmo. Eu portei-me bem, deitndo rarle
sos; o commandante da Belmonte manda a meia a modestia. O commandante da Belmonte a cu
forca dispara una banda com rodizios de 68 no respeito disse : co tenente Tiburco, commanrUnte
inimigo elle responde forte, e dessa resposta resul- do contingente de artilharia, durante toda accao
tou a morte ao bravo 2. tenente da armada Julio portou se valorosamenle e prestou-rae senicos
Carlos Teixeira Pinto, um soldado do 1. de arti-
lharia e dous do corpo policial do Rio de Janeiro.
E' do modo porque se morre mais rpidamente.
A Bcfinonftf, navio de nomeada, cheia de orgu-
Iho, oecupando a vanguarda e a grande, distancia
dos outros, expoz-se Sozlnha aquelle fogo mortfero,
como para urna experiencia lulou com ofto navios,
oito bateras fluetuanles e urna batera de ierra,
que se soccorria tambern do fogo de fuzilaria con-
tinuado I A Belmonte acreditava o pavilho ; de
raros ntervallos a morte passeiava em nossas ta-
boas ; 0 chao do navio ficou escorregadio do san-
gue de nossos irmaos de armas. Erara os Olhos de
Santa Cruz, que se sacrificavam nos aliares da pa-
tria, cora o mximo valor possivel '
t Assevera que os morios e ferldos pela parte pelo territorio do Ro Gfude at onde Ibes aprou-
dos Paraguay sao era numero multo maior do que ver.
a principio se tinha dito, pois os navios escapados' Comjam a apparecer indicios de que o Para-
iam cheios de uns e oulros. Diz que as baleras de guay vai fazer nessa provincia o theatro principal
trra ficaram completamente inutibsadas, teodo-sf- da guerra.
do o maior numero das pecas desmontadas pela Dez mil homes tem j hl; oatros tantos veem
artilharia brasileira. talvex emeaminho, e os 2a a 30,000 que tintum
O procediraento dos Brasileiros nessa grande em Corrientes retirante para a Tranqneira de Lo-
jornada elogiado pelo commandante da Dotterell, reto, que s dista da fronteira de S. Borja 28 a
em termos ramio honrosos e enthnsia-las. O juizo 30 leguas.
imparcial do marntieiro inglez. a melhor prova Vejamos : nao poderao os paraguayos chamar
do herosmo a pericia da marinha imperial no o exercito brasileiro argentino para aquelle ponto,
combate naval de II de juoho. e emquanto hi o demoram apresentando-lhe urna
E>ta observado do digno jornallsta argentino barreira inexpugnavel, furiar-lhe a volta e virpara
resume quanlo eu poderia dizer sobre o universal o Uruguay em 5 das, onde o exercito alliado pre-
applauso que sob lodas as formas a esquadra bra- asara' 30 ou mais para chegar depois Y
stleira tem aqui merecido. Digne-se o Sr. ministro da guerra laoear os olhns
Nos circuios polticos, na imprensa de todas as para um mappa da provincia de Corrientes, e ahi
cores, no estrado dassenhoritas, nos grupos da ra, ver que a essa e a outras combinares estrategi-
por onde quer a loda a hora, a qualquer proposito, cas, prestase a reparlicao da provincia de Corrien-
o thema da conversacao sempre o mesmo, e tes (pela lagoa Ibera' e rio Aguapv), e tambein o
sempre unnime nos encomios a nossa valente es- plano adoptado para a campanha dos exercitos al-
quadra. liados, qualquer que elle seja,' urna vez que tem a
Para nao repisar sobre istn encerrarei meus Concordia por ponto de partida,
commentarios cora um testemunho asis expressi-
valorosamenle e
rcaes.i Eu tenho consciencia disso.
O primeiro tenente Alvarim portou-se rauito oeni
durante o combate.
O immediato do navio, primeiro tenente GtUlar
Holim, desenvolveu na artilharia actividade e va-
lor durante o combate.
Os tenentes da armada Carlos e Julio de Miro
tilia foram a guarda da bau I-ira no AmaznAf.
Hoonholtz, commandante da Araguary, prestou
relevantes servicos. ./
12 e 13 DE JUNHO.
Tudo o que fica dito bonito, sublime. Agora
vai um episodio-negro Como ja disse, os Pira-
guayos teem na capital muita gente. stabelece-
ram urna batera de 10 ou 12 boceas de fogo, e
vo : a ordem do diado general Urquiza'felici
lando ao seu exercito por semelhante acontec-
ment.
Ei-la :
Quartel general em Basualdo, 18 de juoho de
1865.
O chefe da esquadra argentina d parte que no
da 11 do correte s 8 horas da mauhaa, a esqua-
dra dos nossos alijados, os Brasileiros, foi atacada
por oito vapores paraguayos o seis bateras flue-
tuanles fchalas) cada urna deltas cora uraa peca
de 80.
Depois de um porfiado combate, desde a hora in-
dicada al as seis da noite, cahiram era poder das
armas brasileiras as seis chatas, e os vapores Tu-
quari, Salto, Mrquez de ulai e Paraguarq.
A raorlandade dos Paraguayos grande ; dos
vapores Salto e Mrquez de Olinda
senao o commandante de um delles.
Voltando ao ataque de S. Borja, direi que corre
a noticia de ler sido essa villa abandonada no dia
12. c, se nao consta de urna raaneira offl :LI, tem
carcter de verosimllhanca. O que ultima hora
souber eu o cotnmnnlcarei.
Passarei agora a fallar das operacoes em Cor-
rientes.
O exercito paraguayo tem recebido cada dia no-
vos contingentes, de forma que os proprios jornaes
desla capital j Ihe do de 23 a 30 mil homensl
Qaanto s suas operacoa<, sao to vagas e con-
tradilorias as noticias que correm, e nao menos as
publicadas nos jornaes, que nada pode acrh-
lar-se.
O que eu posso deduzir dolas qne o exercito
i paraguayo oceupa-se em alguna irabalho grande, e
1 especial, sera incommoJar se multo com 10, 12 ou
mais mil homens que dzem ter o general Urquiza,
nao escapou ; de Entre-Ros e Corrientes.,
Ora, esse trabalho nao pode ser ntro do que le-
Nas horas em que mais Imminente se antholha- protegern) assim os seos navios contra os noisos
va o perigo, e que a morte era quasi una certeza, ataques. O Jequitmhonha, onde eslava o Gomen-
eu levantava vivas a sna magestadeo imperador a sor, um dos oossbs maiores navios, perdeu o pra-
nacao brasileira, a civilisacfioe as liberdades pa- tico no combate, e por consequencia andand ao
jg ]| azar encalhou n um baneo, dahi fazia o fogo que
Os officiaes da guamicao, a marrahagem.os sol- Ihe era possivel, mas sempre em pessima posieao.
dados e todos finalmente correspondan) enlhusias- O contingente Peixolo repellu all a abordagem
ticamente a saudago da guerra I Depois o resto por duas vetes.
de nossos vasos atacou impmliosamente, o Barroso Termnou o combate de 11, a esquadra recoheu-
a frente na caixa da roda do Amazortas, a artilhl- se a urna enseada, deiiandu dous navios de finar-
ra de proa a posto?, o immediato Delfn) barios de da Jequitmhonlia, e tralou ie enterrar os morios,
Caruiho no castello, fundiam contra os navios pa- que chegara a cincoenla e tantos, pensar os fcri ;
raguayos, a metralha a proa guiz. de encourado; dos, que sbem cima de ICO, e recolher alguns
e quando muito prximo se acbava, disparava os despojos das chalas tomadas, pavios a pique, etc.'
rodizios a varrer com a metralha, e em seguida, O da 12 passou se assim, e no da 13 pelas 2 i/t
urna binada I O .4wazoMiss por sua conia met- da larde, o Araguary, que en urna das senimellas
leu tres navios inimigis a pique em menos de tres do Jequitmhonlia, descubrir em Ierra a situacao j
horas : os oulros navios menores davam bandas de urna batera mascarada rao a antiga ; mas
inteirasou para os navios ou para as bateras de descubri uraa peca s; fezlhe um liro de 68, e;
Ierra, ou perseguamos que fngiam. nao leve lempo de observar effeito, porque onze i
A canhoneira Parnahyba facilitn em seu arrojo, boceas de fogo aos flancos ella jogavam gro.-sos |
e foi cercada por quatro vapores que Ihe sacudiam projectis I As senlinellas marobrarara, mas o in-
um furioso golpe de abordagem dentro Perlo de feliz Jrquitinlionha, ficou inmovel, e sobre elle
seis rentos homens II Reiriou n'un momento a choveu o fogo at 4 horas. Prssaram-lhe a guarn-
confuso, um official paraguayo dirigio-se a popa, e cao para bordo dos dou:-, lud issodebaixode fogo,
ordena ao guarda marinha Creenhalgh que arreie encravaram a artilharia, ntirarara a bandeira e
o pavilho brasileiro, Creenhalgh responde cora um trata-se de o incendiar.
Por lao impo.tante triumpho S. Exc o Sr. var os gados e toda a especie de recursos que os
caplao general felicita aos Srs. generaes cheles, filiados podessem achar ern Corrientes, o que de-
olkiaes e tropa di exercito Benjamn Virasoro. ()0is nao podera deixar de demorar rauito as suas
Dei>ois de celebrar a gloria da nossa esquadra operaedes.
no dia 11, todos os nimos comeemm a preoccu- De resto, nao acredito eu fe parece que. a todos
par-se com a idea de que, tendo os Paraguayos aqu acontece o mesmo) as noticias, que do as
anda um certo numero de vapores e-muita tropa folltas de victorias parciaes, sorprezas.apanhamen-
de desembarque a mao, podiam arriscar um novo i0 de bigagens obidas pelos Corrindoos sobre os
combate, vmdo apandar nossa esquadra no estajo Paraguayos. Sao noticias da meia noite,
pouco satisfactorio em que a deixon aquelle pri- Tive mesmo occasiao de lr urna carta da pro-
meiro, e diminuida pela perda absoluta da lequiti- viocia de Corrientes escripia por pessa circums-
nhonha. Vieran) mesmo officios da esquadra ar
gemina, que se acha mais abaixo do que a nossa
no Paran, duende que no dia 12 se ouviam mal-
los liros de artilharia de grosso calibre. Felizmente
a essa hora o vice-almirante recebia noticias cir-
lecla, que dizia : Esperamos anciosos o exercito
brasileiro e o de Buenos-Ayres, pois aqui sotemos
montonetras.
O que verdade que o peneral Mitre julgou
indispensavel a sua presenca no theatro da guerra,
eumstanciadas, e mesmo copia do diario da esqua- e sobretodo das forras de Buenos-Ayres, para po
der se. fazer a go.
Ja S. Exc. acha-se na Concordia, onde foi confe-
renciar cora elle o brigadeiro O-orio.
De Buenos-Ayres tem havdo bastante movimen-
to de tropas. Nesies lo das eis os corpos que mar-
dra al o dia 1&
Nenhuraa novidade havia, estavam reparndose
apressadamenle os estragos do combate,
Assim a be:la canhom-ira Belmonte, que se vira
obrigada a enealhar n'uma ilha por ter 37 rombos
em ura e outro costado, se achava outra veza nado charam para o Uruguay e alguns para o Paran :
sendo-os tapado todos.
A Parnahyba, que perder o leme, estavao re-
pondo ; e nos oulros navios que tambern bastante
baviara solfrido, sobre tudo nos apparelhos cobras-
inorias, tambein eram rpidos os concertos.
6o e 9o batalhes de tinha, 4 batalhoes da guarda
nacional da campanha de Buenos-Ayres, 3 ditos da
cdade, 2 regimentos de cavallaria de linlia, urna
balera de artilharia raiada.
Amanhaa embarca o ultimo batalho que da esla
As descargas de artilharia ouvidas no dia 13 ti- cdade.
nhain um motivo especial ; era a batera de Ierra j Cum psses corpos e as forras do general Pionero
dos paraguayos que fazia fogo para despedacar a creo que o exercito argentino completar de 6 a 7
tiro de revolve, e mata o. Outro porm que se
aproximava decolou nessa occasiao o guarda mari-
nha, com um furioso golpe de sabr 1 Nesse mo-
mento, era quanto, a tolda da Parnahqba estava
mareada por aquellos vndalos, e a honra nacional
principava a oscillar, Pedro Alfonso, capitn i>er-
namhueano muito bravo (9. de infamara ) len-
te Feliciano Ignacio de Andrade Maia fluminense,
valente, baliara-se a espada contra aquella vaga
movedica, phanaticae bravia, que se anima va de
um furor satnico, e se fazia sequiosa de sangoe.
Mo reram ambos desse mal, succumhlram ao
peso de urna chava de golpe de sabr e de micha-
dos, al que a guarnicao de abordagem subisse as
escotillas, visto laver recebido ordem no comeco
do combate de descer as cobertas, nao s para dei-
xar toda a liberdade a manobra da artilharia, como
para nao perder muita gente ( o que f > um erro. )
O Amazonas reconhece a imminencia do perigo era
que est a Parnahqba, soccorre-a ; nesla raesma
occasiao a guarnicao da Parnahqba sobe as f scoti
Ihas, e leva baioneta ludo quanto infeclava a pu-
reza da risonha Parnahqba. O ronvs da canho-
neira foi juncado de mortos, que a guarnicao lan-
fou ao mar Entre os feridos ficou o comman-
dante do Salto, um dos vapores que abordara, pe-
rigosaraente ferido, e na propria Varnahqba est
curando-se : dizera os mdicos que nao escapar.
O nosso antigo vapor o Mrquez de Olmda, fez a
vanguarda da esquadra inimiga : foi um dos que
ficaram fra do combate ; seu commandante foi re-
colhido bordo do Amazonas muito ferido : j fal-
lecen. E' irmao de Rubes, chefe da expedicao pa-
raguaya na provincia de Corrientes.
Au plus fort de la mele, as guarnigoes dos na-
vios paraguayos e das baleras fluetuanles lanea-
ram-se ao ri. Apezar de ordem contraria de'al-
guns comtnandantes de nos-os navios, foi impossi-
vel durante alguns minutos Impedir a guarnicao
de Ibes fazer fogo.
A's 5 3/i da larde, quatro navios paraguayos
estavam fra do combate ou a pique, quatro fu-
giran : seis bateras fluetuanles (chalas, nome es-
pecial) esto em nosso poder, as outras toram ao
fuodo. Temos recolhido nniiios trophos, bandeiras,
prisioneiros, municoes de guerra, espingardas, es-
padas de bordagem, algutn dinheiro ern papel,
eorreiame-, etc. etc.
A Belmonte, quasi no fim do combate, leva urna
bomba nos paies de pra, que, matando os doen-
les, alguns, que estavam no hospital, que con-
tiguo ao paul, produzo o incendio inmediata-
mente. O intrpido commandante distribuio o
servico de modo que funcciutiassem as bombas de
incendio, sem prejudicar as bombas que de-
viaraos tancar sobre o Paraguay. O l)r. 4o
s Pereira Gaimares, qne nesta occasiao exer-
cia corajosamente seu sacerdocio, escapou de
ser morto. Um estiihaco chegou a tocar-lhe na
cosa.
Quando o incendio comecava a tomar propor-
Um dos navio inimigos, o laraguas, que eslava
a pique, foi incendiado pelo loonholiz.
A Jequitinho/iha encheu de luto a nossa vic-
toria II
Calcula-se cima de l,00( o prejuizo dos Para-
guayos.'
Entre 300 e 600 abordaran) a Parnahyba, e
desies o que nao morrea atiou-se ao rio ou ficou
prisioneiro. A correnleza inmensa, as margeus
retiradas, e a fuzilaria sobre tiles contina.
A esquadra sofreu serias varias.
A Parnahyba parti o leme
A Belmonte alagou-se ; roa: est a nado e ainda
em reparaces.
A Mearan sera proa e sem parte dos mastros.
A Iguatemy sem proa e cora ura grande buraco
na borda.
O Amazonas cora a proa ura pouco estragada,
etc., etc.
Em eoncluso, o rei da fesla de 11 de junho foi
o Amazonas I V*
RelaQao dos ofjiriaes morios.
Capitao de intautaria (9) Pedro Alfonso, morbo
ferro fro.
Io tenente da armada Joaquira Xavier de Ofivei-
ra Pimentel, urna bala na eabeca.
Teoente de infamara Feliciano Ignacio d An-
drade Maia, mutilado a sabr.
2o tenente da armada Julio Carlos Telxera Pin-
to, ura dos bravos de Paysand, mna bala na bar-
riga.
Tenente do corpo policial Amonio da Silva Pa-
checo.
Guarda-marnha JoaoGuilherme Greenhalgh, de-
golado a sabr.
Dito Francisco Jos de Lima Barros, bala de arti-
lharia.
Dito Antonio Augusto de Araujo Torreo, dita.
Io cadete do 9o Baziliano Bandeira de Mello Ce-
sar Loureiro, bala de fuzil na barriga.
Relacao dos feridos.
i tenente Justino" Jos deMacedo Coimbra.uma
bala no tornozelo.
2o tenente da armada Manoel Nogueira de La-
cerda, nos escrotos.
Io tenente da armada Francisco Jos de Freitas,
na nuca, face, braco e perna direita.
Alferes Sebastiio Raymundo Ewerlon, na barri-
ga da perna. E' um dos bravas dePaysaud.
Contutos.
Capiio de fragata Tbeolonio Raymundo dt Bri-
to, levemente no dedo.
1." lente Joaquira Francisco de Abren, na
perna.
Guarda-marnha Manoel do Nascimento Cesta e
Silva. i I
Jequitinltonlta, que encallara durante o combate
do dia 11.
E' que os paraguayos perceberam os esforcos in-
criveis, que fazia a nossa esquadra para safar esse
bello navio.
Tres das melhores canhoneiras juntaram sua
{orea para espiar, apromptando o mortfero fogo de
batera ; mas o rio Paran, baixando rpidamente,
inut'li-ou lodo esse empenho, e apenas houve tem-
po para salvar alguma cousa que eslava mais a
mao.
Depois os paraguayos principiaran) sua obra pos-
thuina, sua tarefa e abutres. Encarnicaram-se
sobre a desditosa Jequelinhonha, e reduziratn a um
esqueleto.
Entretanto, se a actividade do digno chefe da es-
mil homens de infanlaria e 12 mil de cavaliaria
contando Eotre-Rios e Corrientes.
E' evidenlemente pouco para alTrontar o dos pa-
raguayos, e como j disse, sera o exercito brasilei-
ro nao podera prmeipiar-se as operacoes com re-
gularidade.
E marchar o exercito brasileiro? Os jornaes
d'aqui j dao passando para a Concordia; mas
sto inverosiir.il, quando ura exercito paraguayo
invade o Hio Grande.
O que fr deve constar na n*ssa legacao, mas
ella o guarda para si, com receio de que algum jor-
nal appareca publicando-o, e pondo assim os Para-
guayos de sobre-aviso.
Ilesta-me fallar do general Flores.
Elle esteve anle-hontem neste porto, levando
quadra e seus infatgaveis ofllciaes reparou breve comsigo os tres batalhes (d-ius de linha e um de
o maiores damnos da esquadra brasileira, e ella ijnba) que por ora tem organisado. Sao pequeos
foi logo reforcada com as canhoneiras Itajahy e mas de um pessoal excellenie e muito aguer-
Icahy, que se achavam Paran'abaixo, alera de um rido.
pequeo vapor da esquadra argenliua que se Ihe | o general dirige-se ao Truguav, e diz-se que elle
foi juntar ; se, conforme se diz, o Sr. vice-alini-.' entrar no Hio Grande a ajudar a rechazar os Pa-
rante fez logo seguir para'a o vapor Baj, nico ragua vos se isso lr uecessano.
1'cecisavauios de auxilio para defender nossa ca-
sa, se em terapo e como cumpria, msso se cura-
prisse.
Afora as noticias da guerra, o que ha in-
signi ficante.
Apenas vejo ha dous das publicado ura tratado
a Coufedcracao
que linha aqui disponivel ; com ludo isso os timo-
ralos nao eslo bstanle tranquillos.
Os paraguayos salvaran) quatro vapores, quepo
dum logo ser reparados: tem seis ou sete.peque-
os, sim, e fracos, porm que alguma colisa aju-
dam : tem canhoneiras a vela, mullas chatas ou
bateras fluciuantes como as seis que se Ihes toma- de eitradirco de criminosos entr
rani : emlm tem baleras podero-as e 10,000 ho-, e a Uepublica Oriental.
meas de excellenie infantria. Com isso tudo po-1 Parece que urna iuvso de indgenas reuni-
dem ainda provocaren) combate em que a nossa dos com alguns emigrados federaes ameacavaaa a
esquadra nao se ache superior em forjas materiaes, provincia argentina deMeadonca, cr-se, porm.
devendo qualquer inferioridade ser supprida pelo que cousa sem importancia,
denodo de nossos mariuheiros. 29 de junho.
E' bom que o governo nao o olvide, e que garan- Paludas sao as noticias de que ora portador o
ta a dominacao que conquistamos nos ros com Merseq i vista da que levou o Oqapock.
meios proporctonaveis aos que o tenaz inimigo pos-
sa querer empregar.
Sobre a nossa esquadra s me resta dizer que o
numero de nossos feridos a bordo delta sobe a 160
com certeza, pelo que nao sera' muilo elevar de
250 a 300 o dos homens fra de cmbale, inclusive
alguns- que cahiram ao rio as lulas da aborda-
gem. Este numero, crescido para ocoiacftoda
patria, diminuto comparado com as perdas do
inimigo, que est verificado subirara
2,000.
Na talla, porm de fados imporiautes para exal-
tar o espirito publico, esto reflecte sobre o brillan-
te triumpho naval do dia 11, e a pericia, as conse-
quencias de grande alcance que elle tem para a
causa da llianga.
Suppondo por un momento que a esquadra bra-
sileira livesse solfrido um revez, e vena logo a pa-
raguaya dominando os ros, e apoderando da ilha
de Mariim Garca com pouca resistencia, e vmdo
de 1,500 a desembarcar um exercito poderoso em Buenos-
Ayres e Montevideo, onde este exerciio poderia en-
Deste modo perderamos estas duas bases e nos-
sas operacoes e os vapores paraguayos poderiara
at ler o arrojo de cruzar na barra do Rio Grande
e bloquea-la, emquanto o Brasil preparase una
neva esquadra.
A guerra lomara assim uina face sumtnaraenle
BUENOS AYHES 20 DE JUNHO 0K 1865.
O Oyapock que daqui sahio ha 3 dias, levou nao
smenle todas as noticias que poderiam dizir-se
coes exageradas, a Providencia enviou urna bala (ordinarias) destes paizes, roas a extraordinaria e
inimiga qu abri um rombo ao lume da agua no rauito jubilosa do triumpho alcanzado por nossa
lugar do iiiceodio II O navio couieca a fazer
agua, alagou-se em menos de i horas; "mas o in-
cendio exiinguio-se. Esse momento em que a
; grandeza de Dos revelou-se em nosso favor,
trouxe tambern a imminencia do naufragio I Sol-
dados doentes (pouco) morreain afogados pela
inundaco I grande quantdade de plvora fica
inutilisada I A machina sem poder funecionar, e
o navio eocalha n'um banco fra do aleauce da
artilharia de ierra, que nunca se calou O com-
mandante da Belmonte, primeiro tenente da ar-
mada Joaquira Francisco do Abreu, rauito distinc-
to, bravo Rio-Gtandense, se mostrou durante todo
o combate (como sempre presenciei) a maior bra-
vura e sangue fro, mesmo as occasSes em que
as malas desmaotelavam o passadico era .redor de
sen carpo ; mais insensibilidade e valor apresen-
] lou naquella hora suprema em que so aguarda o
i naufragio, e etn que a alma estremece de horror
pela natureza iugloriada morte III
O pratieo Ja ^elmonle Joo Baptista Pozzo, ita-
liano muito corajoso, ferido por um estiinaco no
rosto, prestara mais atteneo ao canal e a direc-
co que devia dar a canhoueii a para nao eucalha-
la, do que s balas.
Offereceo-se ao almirante lamandar para ser-
vir de graga na Belmonte, na presente guerra. O
almirante aceitn os servicos mas Pozzo ganha co-
I mo os outro praticos.
Toda a esquadra portou-se bem ; nao estou ao
fado de todos os episodios dados as demais ca-
nhoneiras.
Alguns officiaes prisioneiros ronfessam que L-
pez asslstira de Hnmayt partida da esquadra,
que animara fervorosa ment seus olciaas e solda-
dos, e prometiera que os esperavam com ama sal-
va de 21 tiros dada por elle proprio em cada
peca. Que recommendou a derrota completa, e o
aprisionamenio sobre tudo do Jcquilmlionlm. pep-
savam que aquella canhoneira era o navio almi-
rante.
No Iguatemy foi ferido n'uma perna o bravo
commrndante Coimbra, sem muito perig'", e o
immediato, o primeiro lente Pimentel, quando
suba para substilui-lo perdeu 5" minutos depois a
eabeca por urna bala de artilharia Abaixo ir a
relaco dos officiaes morios e feridos.
O imperial majiobeiro da Belmonte Nascimento' ?o.
esquadra contra a do Paraguay, no da il do sor-
rente.
Accresce que esse grande acontecimento, e os
detalhes e commentarios que depois foram cheran-
do, absorviam todas as altencoes e faziam desde-
ntar o que com elle nao se bgava. Tudo istt d
motivo a que eu tenha pouca materia para a )re-
sente correspondencia, ou para que ella seja me-
nos extenso que das outras vozes. Sera a mtnor
duvida ja devem ler alu conhecimento do preciado
combate naval, e da inmensa gloria que elle ora-
quistou para a marinha imperial. Nos dous pazes
das raargens do Prata tem sido elle applauoido
com a mesma sincendade e enthusiasmo.
E' que nao ha va raeio de contestar a sua jm-
mensa importancia e heroismode nossa esquadra.
Antes que as panes officiaes' do combatelVu
quaesquer nformacoes de igual carcter fossfm
dada a ciiculacao, achavam-se as mos do pjro
os boletins impressos no Rosario, e logo aqui por
todos os jornaes e a unanimidade com que os ]r-
naes dos diversos partidos exaltam a victoria o
denodo e pericia de nossa marinha nao deixo o
minimo refugio incredulidade pessimsta, neir a
prevencio sysiematica.
Posteriormente conrorreram novos elementosde
persuaso.
Entre elles um testemanho de muita autoridade:
o do commandante e officiaes da canhoeira ingle-
za Dolterell, que se achava era Humait quando lili
ebegaram os restos da derrot-.da esquadra para-
guaya, e que esteve com a nossa horas depois da
refrega, e lanto que recolheu e trouxe a seu bordo
16 ferido- paraguayos que achou no casco do Mtr-
quez de Olinda. Para o testemunho desses officiaes
appellavam em extremo recurso os que se obstiaa-
vam em duvidar que o fado fosse tal qual se dizla,
ei-lo que ello conflrmou, se nao exaltou, tudo o que
se dizia.
Todos os jornaes de ta cidade publicaran), traas-
crevendo o uns de oolros um artigo que den, o
Cosmopolita, e que breve como tem aqui lugir.
Dizem :
. t A Dotterell corrobora todos os detalhes que
demos em nos-o bolelim de domingo sobre o rom-
bato Jo dia 11. Accrescenla que os navios para-
guyaos que escaparan) do combate afhara-se des-
, pedayaios e iuutels para tornar a entrar era ac-
Depois de amanhaa os Brasileiros aqui residen- coaltar algum apoio nos partidos decahidos, /Me-
tes, presididos pelos representantes do imperio, fa- ral e blanco.
zem um funeral pelos nossos irinos monos naquel-
le combate.
Conta-se que ser magnfico.
Como ha cinco das Ihe dizia, ao mesmo lem-
po que celebravamos a victoria naval do dia 11,
recebamos a noticia dequo a provincia do Rio-
Grande era affrontada com a avaso dos para- deploravel para nos, e o cacique do Paraguay mais
guayos no seu territorio. arrogante e audaz se tornara.
Mas s em parte coufirraou-se o que eslo cor- Coucene-se, pois, naturalmente o despeno do que
ft- deve achar-se hoje possuido vendo perdida a flor
Tinham elles de fado transposto o Uruguay, era de sua armada, c ainda mais de que isso, fruslado
baleas felias de canoas, e com forca, primeirainen- o seu temerario projecto pela valenta e deuodo da
ta de 4 a 3,000 homens de infantria ; mas oo nossa marinha, cuja gloria o chefe Barroso elevou
era exacto que elles tivessem levado de vencida lao alio.
dous batalhes nossos entrando sera resistencia na Embora os seus partidistas esperem a todo rao-
v'"a- ment r.-ceber a noticia de um novo combate na-
Eu presumo sempre que na corte terao noticias val em uue a esquadra brasileira suecumba, lora
diversas do Hio Grande mais molernas e mais po- de toda "a duvida que isla nao podera ter lugar, por
sitivas do que aqu as pode haver, mas ainda as- que nao resta ao Paraguay senao vapores mais pe
sira darei as que souber do Uruguay. queuos e ordinarios do que os perdidos na jornada
Eis por agora o que consta. do da 11.
O indicado desembarque se fez pouco abaixo do Cora effeito, segundo o proprio Semanario a es-
Passo de S. Borja, que tambera um nascente po- quadia foi classiticada pelo governo da seguinte
voado sobre a propria margem do Uruguay. A maneira
villa fica em una camp na mais de meia legua af-
fastaJa desse rio.
Ao terapo que effectuavam o desembarque mais
abaixo, bombardeavara os paraguayos o Passo, lat
Navios de 1* classe : Taquar.y, Para/Han per-
dido uo combate, Igurey, dem Mrquez de Uliwla,
dem, Sallo, dem, seis bateras fluetuanles, dem.
2a classe. Sallo de Guaya, l'irabtb, (artes
candolhe toda a especie de projectis, o que s he fi"W* /t",', (antes raron;), Vmte Cinco de
tornava muilo fcil, por ser all muito estreno o M".' Paraguay.
mo estallo, e se drz que um delle e>i completa
mente perdido. Ipor, Paran e Vcsuno.
O Passo defendla-o o tenente-coronel Assurap 3" classe. Jejuq, Olimpo, Anhambuhq (erara bra-
cio, coramandando 400 voluntarios, e nao eslava stleiro.J
disposto a aband.ina-lo, quando recebeu noticias de Navios de vellaPatacho General Lopes, dem
que grandes forcas paraguayas, tendo transposto o Paraguay.
rio, vinnam cortal o 4 villa.'conlro dos seus recur- i Leudse com atteneo, v-se que a famosa es-
sos. S Ihe reala va terapo para retirar-se apresa- quadra do almirante balo (icou reduzida a Taqua-
raio o fez, ralo Juntarse com o primei- 'V- lpor, Paran, Visucio, Jejuq, Olimpo e Anhum-
damente, como
ro baialbo de Voluntarios da Patria, que as or-
dens do leneulecorooel Carlos Nery chegava nes-
se rnomenlo villa.
Reunirara-se as duas .forcas, formando como
1,000 homens, e, viudo sobre elles os paraguayos
em numero quintuplo, foram estes repellidos.
Tres dias, segundo as noticias que temos, ress-
bahq. Anda concertando os quatro vapores, que
fngiram, esta foir;a fica composia de II navios, que
nao podem conduzr mais de 1,300 pracas, e cuja
artilharia de pequeo calibre e insignificante.
hinircianlo a nossa esquadra se arhaj mais for-
te que antes do combale em que gauhou tao v-
renles louros.
Pelo Jequilinhonha. que fferdeu se, recebeu ella
tiram nossos bravos compatriotas, illustrando o o Magf da mesma forca daquelle, e a Ivahq e a l
primeiro batalho essa briosa phalange, que o paiz Uajakq, que oao entraram em arco, porque esla-!
admirar logo sob o nome de voluntarios da pa- vaiu era coinnnsso em Goya, J se achara a ellas
Para tirar e Jequinnhonha do poma tm ejae v
I roa, empregaram-se durante 2 dias lodos es fr-
eos iraaginaveis, chegando-se a esperimeaur at a
forca de tres vapores, mas todo foi intil, serejn o
rio b ixra consideravelmeote e o deixou ejoasi
em secco.
Vendo a batera de ierra este eropntho trooxe-
ram para a barranca do ro araitas peca* de gros-
so calibre, e no mesmo espado de lempo tztnm *o-
bre esse pobre navio lal fogo ejue se pode conside-
rado inteiramenic perdido.
Estes li/erarn persuadir aos que os ooviam Jo
longe que estava empenhado ootro comate, e esta
cireumslancia deu logar a nata licia que fliKtu.,u
na bolsa de Roenos-Ayres.
A nossa esqnadra tirn as pecas das chatas dos
vapore* paraguayos, assim romo grande porra {%>
petrechos de guerra e ontro* ol.jeflos. qoe (r>ram
depositados era urna ilha por tao eaberrsn a kur-
do.
Reinara nella m.it alegra e enthosia^aao, nob
que al tinham carne fresca em abundancia, teva-
vada pela ItPjnhy, que rebocou orna chata rom *0
bois vivos.
Os nossos officiaes de marinha e divarliai d-
zendo qne o Amazonas, tinha destruido a empadra
paraguaya a beijos.
Ja se v tambern que, emquanto na Caree* Laiz
Napoleo faz con-truir navios encuoracadus we-
ciaes para combaler as bi.-adas, nos por c ttsol
vemos o problema praticamente na seguate pr. -
porfo: o Amazonas esla para nm vip,r aora-
guayo, c mo um enconrafado (.un artilharia.
- Pelo machinistado vapor S-ii/n, qne reiode p. -
sngem na canhoneira Dolterell, se sabe atis al-
guns detalhes curiosos.
Os vapores paraguayos que deseraai para bafcr
a nossa esquadra foram V, alm das chatas. Em
I Corrientes llcm um delles por ter soflhdo sau
avara na machina
A esquadra sahio de Humait para o rosbale no
dia 10 as 3 horas da manha. E* preciso not^r fM
no mesmo dia o exercito paraguayo lovxlia S.
liorji, para se r .nhecer que havia ora pUaoroav
binado nos dous movimelos por mar e por terra.
Lpez julitava urna cou-a lofallivel o triuoipl o
de seus navios.
O- Paraguayos ronfes.sam rjne perdern i,0f 0
homens.
A guarnicao do ParajMrtry, do Mh e do* ca-
iros vapores que foram a pique p.-receo nasi toda.
No dia segninte ao do combate se oernparam
em desembarcar em Humait o* ferido* e saort' s
dos navios que all poderain rlwgar, e oue eram
numeroios.
(fodia 13 se poz muita rente a reparar a* ala-
rias destes navio-, e se dizia qni Ijo-k-x bllava era
urna nova tentativa, embarrando quatro ou rio
rail homens, nos vapores que Ihe re-uro para abor-
dar a esqnadra brasileira.
Tendo fallado lano da marinha, porque as hon-
ras da actualidade inl-iramente lh* penenrwi
Mas nem |>or isso dero deixar sem menrao o que
se passou de heroico e brilhante em S. Borja al o
dia lo do crreme.
A nossa leca.ao em Buenos-Ayres rerM*c rom-
municaces officiaes du consol bra-iU-iro no Pi-
dos Libres com aquella data/cojo reson se-
guinte:
As forras imperiaes que se acham na vina de
S. Borja se estao defendendo rom o heroisno rua-
tra a invaso dos irahidpres paraguayos, aprtar de
estar sitiada por o.lKM) inimigos.
No da 10 do corrente, quando os Paragrm s
bombardearan) o Passo de S. Borja para rbanar a
attenc/w do tenente-coronel Assumpro e de ana
torca, eontposn apenas de 400 volontarios, Barran
o desembarque em uro ponto mais abaixo r m ff
canoas. Neste momento chegava a povoa^o de S.
Borja o tenente-coronel Carlos Nery rom o I I a-
talbo de voluntarios da patria, que coate 7W ara-
gas, o que sendo sabido pelo lenle roraaet As-
sumpgo, e achando-se oa impssibilida>de feater-
se eui campo abertocom forcas imroensameole su-
periores, resolvcu unir-se rom elle.
Os dous chefes def-ndem hoje con grande de-
nodo a povo.ico, e at agora tera conseguido re-
sistir.
O coronel Fernandes marrhou de Iiaqni ra
direceo a S. B >rja cora 2,0o horoeos de cavalla-
ria e alguma ofant ira.
O general limaborro, que eslava en Ibiroeay
com 4,000 soldados das duas armas, se havia posto
era marcha em direceo de S. B nja.
So da 16 era all esperado Caoaharro com cer-
teza, e, nao obstante urna carta do Sallo, de 19, pu-
blicado ni Tiibuna. annunciar a tomada daqaella
villa, estou na ereaca de qne ella resisti e oae o
inimigo foi recharado.
O qo i me fez pensar desie modo qoe o *>f ~x
PMidtntr, h-gado do Salle no dia J7, aaaaacia
que, o general Ozono estava passaado lodo o exer-
cito para a Concordia, onde ja se acham o g-ne-
raes Mitre e Plores.
Ora, se elle nao nvesse certeza de que a frontei-
ra de nossa provincia do Kio-Grande eslava per-
feitaiiiente defendida, nao a abandonara para ir
procurar o inimigo na provincia argentina de Cor-
rientes.
Nosso exercilo tem soffrido muilo de enfernida-
des, mas ha exageraco no que diz-in alguns BW-
rosos que o lem abandonado.
Os soldados eslo animados e anciosos por entrar
era accao.
O general acaba de dar urna prova de grande
tino, reduziudo as bauagens ao estrirlamente ne-
i'essano. Havia oflicial que linha quatro malas!
E' preciso que lodos se convencam que aa guer-
ra nao se pode ler commodidades.
E' urna vida loda de privaedes e de sacrifi
que s a gloria e o amor da patria tornara sopaos*
tavel.
No dia 26 embarcou no vapor Imperador o iSf
batalho de voluntarios e seguio logo para o Salto,
e o 21 e'alguns contingentes que aqu exista,n no
Galgo, que liontem seguio o mesmo ramioho.
lloulem tambein embarcaran) nu vapor P*ai-I"n-
te cerca de quindenios homens de cavallaria da
contingente orient.-.l, que vio reonir-se a seos cn-
panheiros na Concordia.
,-j i g j i' ----------------
Sobre o ataque de S. II aja eis a verso da .Vi-
rion Argentina, jornal de ordinario muilo toen in-
formado '
As foreae de S. Borja salvaram-se do ataque
que os Paraguayos lucrara aquella povoarao.
c Os Paraguyos entraira ahi do da 12, tendo
dado lempo para aquella retirada, e salvaadv-se
tambein todas as familias, de antemao ronden na-
das aos horrores da vi ilencia.
A infamara eslava uo Passo de Buluy com o
batalho de volulai l s.
A brigada do coronel Fernande, que feasailiaaai
os invasores em S. Borja, tendo estado m Passo de
Sanl'Anna do Ituluy, cngara a Raqui no da 15.
i Segundo as noticias que ba, tambern se iietuan
retirado as familias e mais habitantes desla villa
(Raqui.)
(Jornal do Comuurcio, do Rio).
tria.
Dizia-se que em seu auxilio tinham marchado
de Raqui o coronel Fernandes com 2,000 [iracas da
guarda nacional, que tambein para la' iam 9o0
(raetade infantria da Uruguayanna), e emfim o
brigadeiro Cannabarro cora 4,000 das suas ar-
mas.
incorporadas. Grata, perianto, o chefe Barroso
cora dous mais navios do que anteriormente.
A Belmonte j estava* nado, e reparada as ava-
rias de todos os navios. Alm disso, para substi-
tuir as pracas que tiveram baixa naquelle comba-
te, que oreara por duzentos, entre mortos e feri-
, dos, levou o Apa, no dia 24 os 700 bravos que vie-
l'erao ehegado a tempo ? Nao provavel, e de- ram no Ca'g, que a esta h^ra j devem estar mu
pois de to heroica resistencia o mais que pode prximos a Corrientes. Nao lia, portan to, que re-
ter conseguido a guarnicao de S. Borja, escapar cetar de una nova tentativa, e, se o cacique do
das mos de um inimigo agora dez vezes superior Paraguay fr bastante imbcil para faz-la me-
em numero. Ihor.
E-tenl lera' aido o sacrificio, o sangue vertido 0> nossos cfJkiaes de marinha prometleram cor-
era S. Borja; os paraguayos, fazendo raais essa tat a esquadra inimiga como aqueijos, e se bem o
presa sobre territorio brasileiro, adiaotaro quic disseraru melhor o fuerano.
DIARIO DE PEBlfAMBGO.
Pelo vapor francez Exlrtmadure, ehegado bco-
tem da Europa recbenos jornaes e carias con
daUsde Haraburgo 20, de Pars e Bruxellas 24 e
de Lou lies 23 e de Li.-b >a 28 do passada
Chegarain a Lisboa no dia 21 de junho. pelas 3
horas da larde S. A. imperial a prinreza D. Hara
Christina, e seu marido o conde d'Eu. na volta do
su i breve viagera ao Porte e a Cu-libra. Vo.itro
lugar desla folla publicamos as noticias rirc
lanciadas da visita dos augustos viajantes qt
cidades. Dirigiram-se logo ao pago d> Beln __-
sisiindo S. A. o conde d'Eu a urna parada de loda
a guarnicao da capital, seado a revista pastada por
S. M. el re, acompanhado por SS. AA o conde de
Eu e o infante l) Augu.-lo, e acouipanhad. de ah-
ilante esa lo-naior ; passando era seguida as tro-
pas era marcha de c miinenca pela trente do pa-
lacio de Belem, onde se achava a nossa augusta
phnceza imperial.
S. A. real o duque de Nemours tinha rbegadoa
Lisboa no dia 20, para se encontrar con seus au-
gusto lilhos, e se acha hospedado no mesmo paro
de Belem.
El re e os augustos hospedes partirn para o
paco de Mafra, onde se acha S. M. a rainna,ojoe
nao pode ir (Lisboa receber a augusta viajante,
pelo estado melindroso da sua sade.
Os principes imperiaes e o duque de N raours,
tencionam visitar Cintra, onde serio hospedados
por S. M. el-rei D. Fernando.
Na dia 24 chegaram a Lisboa os Srs. inbales D.
Sebastiio Gabriel, e D. Christina sua esposa, e os
principia seus lilhos; SS. AA. f >ran coadaaata
em carroagem da casa real para o palacio do nar-
quez de Vianna era Pedricas, onde foram hospeda-
da. S. A. a Sra. infanta D. Isabel Mara, sua au-
T
T
rr?i\


Diario rfc T rmamlm^ *eU letra 14 fe rnlho e i *
gosia tia ; o presidente do conselho de ministros \
. T, ?a^ ssi-sars? jsr: ssssrstt^^B^ tasas as."- -* -*** -*
5f.T V'* SS*6-1 CO!I,I?a"da"te da dl- "l>Cao a aboligao dos d.reilos sobre a drdche,para projecto, deram a entender me
VI Hall Mnilf* fio Si iri \1jrii ,i ini.diitii ilu iimni n^ri ifin ;r >...- ..i^- 1 ^ .____:. i.__ _.
reg cirio do projecto urna quasto de forma entre a
cmara -e o ministerio.
le jomo, e que africano, pelos prejuizos causados ao commercio Eraqnaoto a Prussia quer desenvolver o systeraa i O couros seceos do Rio de 6da8l/'d or tanrtaX im7.. Z, ll .1 .IBa COaS'
opiniao publica j do norte pelos navios conlederados construidos dos exerctos permanentes em opposigo cora a ca- lira. 8 V" d' por f, de 3"L' r esperado na casa
central docamioho de ferro de leste, interpellagQes sobre negocios commerciaes. A pri-
Lonlinuavam os preparativos para a nova raeira cr acerca das reclamages do governo
lula eleitoral qne lera lugar 9 de jolho, e que ] aroericano, pelos prpjuizos causados ao commercio
absorvem quasi completamente a opinio publica do norte, pelos navios conlederados construidos nos exercilos permanentes em opposigo
enA,!S5?i ia* a a *. \e ailraads era Inglaterra. Lord Ralraerston res- mar e com a opinio liberal do paiz ; os patriotas I i O cal de primeira onalidade de 71 s a 81
m,^? JrVdiad' P"a se,tmbro nroximo, Ipondeu-lhe que effectivaraene se achcenla- allemes propSem se co,n os seus esforgos conseguir percwt, secundadita de 6i 70V e Sordina
em cou.-equeocu de se esperar para agosto o bom bolada urna correspondencia a este ; respe.to a suppressao completa do exercito permanente, tt de 53 a?a 63 5r cwt
entao os gabinetes americano e o inglez, mas qne pela organisagao da milicia nacional. < O assucar braneo de pernambuco e Parahih
essa correspondencia seguio nos termos mais arai- A opposicao dos operarios allemes est empe- 33 s. 6 d. a 36 6 d malvado 18 a S
gaveis e benvolos entre ambas as partes. -'--------
em vida, e oode esm 8an.ilicada 5 ImS'ciftSitf*"' Afrie'. **
- Da carta de nosso correspondite de Londres dep&is de sua morte.
C? ni"/0 eR0Jn,e-.: I-* Amystificacopormdlogararealidade.
* 2 a! i iS oaS,'\l,ro!.de S % ficam 99 0/o' O mono para Julia resuscila, e antes na i hotife-
j n L- a iJi e 8'- ra leixado 9oa tumba f
? g, n sobio em LiT)l 1/: d- por ,lbra Aiis'o. clepois de alguns annos, regresa a
fleanio o de Pernambuco a 17 1/2 d., do Maranho patria, e chelo de esperarlas, contando receber o
orna a 16 1/2 d. galardo da sua obediencia Qlial e da soa
soccesso de S. M. a ralnha. Era esperado em Lis-
boa para essa festa S. M. el-rel Vctor Emmanuel
pai da augusta rainha de Portugal.
Espera se que depois das eloigoes e constituida a
nova cmara, se reconstruisso o ministerio, sendo
Horneados os membros que faltam da tratara da
nova cmara.
Falla-setambem qne o ministerio ser reconstrui-
do, lomando a presidencia do conselho o marelhal
duque de Saldanha qae se achava em Lisboa.
O ministerio hespanhol presidido pelo duque
de Valencia pedio a sua demisso, sendo o duque
de Tetuo, general O'Donnell, encarregado da
ormago do novo gabinete, que foi nomeado a 21
de janho.
O novo gabinete liespanhol composlo do se-
guinte modo :
Presidente do conselho e ministro da guerra, du-
que de Teluao.
Mini-tro de estado, D. Manoel Berraudez de
Catro, senador.
Ministro da marrana, D. Juan de Zabala, mar-
quez de Sierra Bullones, tenente-general.
Ministro da fazenda, D. Manuel Along Martnez,
depulado.
Ministro da guarnico, D Jos Posado Iferrera,
depulado.
Ministro do fomento, D. Antonio Aguilar e Co-
nea, marquei de la Vega de Annijo, deputado;
Ministro do ultramar, D. Antonio Cauave del
Castillo, depulado.
A rainha concedeu amnista geral a todas as
pessoas processadas, sentenciadas, ou sujeitas a
responsabilidade por delictos, a excepgo dos par-
ticulares ; e mandando suspender un pagamento
de cusas, todos os processos instaurados, e man-
dando por em iiberdade as pessoas presas ou que
estvessem soffrendo qualquer pena, litando sera
nota alguma, fleando os seus bens livres de todo e
qualquer embargo.
O cuque de Sello foi nomeado governador da
provincia de Madrid, e o duque de Tone, capito
general e senador, foi nomeado capito general de
Castalia Nova.
O novo ministerio liespanhol lera urna feico li-
beral ; os jornaes hespanhes considerara esta
mudauga de gabinete como nm golpe de estado li-
beral neces.-ano as actuaes circunstancias, para
que o -ystoma representativo recupere as suas na-
turaes e legitimas aitribuieoes.
As bases da nova situagao sero, segundo a opi-
paterna ; e ahi em face os amantes um do oulro,
aclara-ae o mysterio para Julia, emqoanlo que Au
gustoarraocado de suas illusdes, enredado pelas ap-
parencia, eondemna a misera Julia desmechando
em si um tiro mortal, que anda Ihe deixon lem-
Francisco, Pernambuc >, 9 annos, Sinto Antonio,
coovulses.
- 13
Antonio, Pernambnco, 13 annos, Boa-TUta ;lr-
ritafo dos intestinos.
Augusto, Pernambuco, 2 annos, Santo AMuna -
vermes.
Maria, Pernambuco, 3 mezes, s. Jos ; ronvul-
coes.
Pedro Marcelino Riheiro da Silva, Prrnawh u,
72 annos, vino, S. Jos ; inlerile enronica.
Juaquim Gomes Pereira, Penumb'ore, 35 ao
solleiro, Boa-Vista ; tubrculos pulmonar*.
que navegam nos mares da ilta. de Cuba para im
pedir o trafico dos negros. Um dos membros da
cmara pergunlou se o governo americano ia to-
mar parte nesse cruzeiro do accordo com a Ingla- O rei Jorge da Grecia regressou a Alhenas
trra. Nesta parte Lord Palmerston declarou que depois de urna digresso pelas provincias do reino, I
o governo americano tinha sido convidado pela onde lem sido victoriosamente recebido.
Gra-Bretanba a tomar parte nos privilegios con- No da 36 de maio devera comecar as eleigops
cedi-los as naedes, que prestara o seu apoio para a eleitoraes. O numero de candidatos extraordi-
repressao do trafico. nario. Das manifestares que precederam o es-
os jornaes hespanhees faz*m algumas conoide- crutinio, parece que s da cidade de Nauplia era
racoes sobre esta discusso e chama a altengo hostil ao novo estado de cousas; tendo havido pas-
do seu governo sobre a necessidade de resolver quins republicanos; mas esta demonsiraco isola-
quesUi i da escravido, porque delle depende o fu- da nao conta com o apoio do resto das povoacoes
turo da ilha de Cuba. helleoicas, nem se esperava que apresentasse con-
A capital da Italia esta dinitivamente esta- sequencias graves ; devemos porm recordar que
belecida era Florenca. No dia 23]de maio parti foi de Nauplia que ha tres annos parti o grito re-
para all o general La Marmora com todo o pes- volunonario que produzio a quedado rei Othon.
soa I do miuisieno dos negocios estrangeros. O. As ultimas noticias do Mxico lem prodnzi do
ministro da fazenda com todos os funcionarios da urna certa irapresso. Nao s o movimento das
reparticao parti no da 2i. tropas que Jurez anda conserva, mas o efTeito
O primeiro acto do governo naqnella capital foi que naquelle imperio causara a queda de Bien
formular as novas instrnecoes de que deve ser mond, e a sua uceupaeo pelas Irmas federaes.
portador o commendador Vegez na sua prxima Diz-se que apenas imperador Maximiliano sou-.
PEBNAMRUCQ,
aSTST DIARIA.
Poi hontem de novo honrada esta cidade com as
augustas presencas de SS. AT II. a Sra. D. Isabel
e sea esposo, que de volta de sua viagem a Euro-
pa, em seguimenlo corte, dignaram-se de desem-
barcar.
Apenas fondeou o vapor francez. seguio a galeo-
ta imperial sob o nominando do Sr. capito do mar Wos, e com todo esse cortejo
?3UGAC02* i PEDIDO
Baroosa de Al
que entre as
e guerra Hermenegildo Antonio
meida, afim de receber SS. AA.,
sauacoes de. grande nnmero de po'vo,' apmhadj ao
loiigi do caes da Lingueta, vieram desembarcar
na rampa de palacio, onde foram recebidos por
dinerentes senhoras e cavalleiros, recolhendo-se
em seguida ao palacio,
hfliois de algnm repongo, SS. AA. II. dirigirn
amarguras. A desgravada levou cinco annos a su-
bir o calvario ; hoje esl na cruz I
Ento o commendador, tendo a um lado o filho
morto^e aoutro a Julia dormindo um somno de
que nao despertara jamis, cahe em si, e aprecia a
realidade na exclamarlo : ambos morios I
Aps isto vem o grito da consciencia -E quem
me ha de perdoar ? e ao grito da consciencia, res-
ponde a religiao Dos I
D'aqui imagine se quanto nao vai de bello no
desenvolvmento da aeco com os seus lances di
de incidentes que
Noticias de SeriuhAf u.
Implique! com o Serinhem por er a tern A ..
maravilhas; e por i.-so, quando as nwnhas ,|.-
gres>es pela viaferrea au interior loco ijc all,
nao me esqueco, de solicitar o que de nuro ha oe-
corrido ; principalmente, a respeilo do antavrl *>
invencivel Portes dos Fortes.
No meu primeiro rommunieado dei srienria ao
publico da existencia de urna denuncia, que havia
um mez, ou mais, llnha sido dada a cena aoinri-
dade da comarca do Bio Formoso contra ess* ns-
nio hei e, p()r haver occasionado aborto a' ?uj
concubina, dando-lhe ama boa e.-covadella dw ea-
episcopad > italiano, e quera ao inesmo lempo ter-
minar o negocio relativo aos hispos, para obstar a
continuaco de incessantes lulas por parte dos
seus familiares, qne sao absolutamente hostis a
qualquer accordo com a corle de Florenga, que
possa ter o carcter de negociacoes.
A caria authographa que se dizia dirigida pelo
. era couununicar ao imperad
Napoleo a resolico em que est o imperador Ma-;
ximiliano de abdicar a coroa do Mxico se por-
veniura a Franca pela sua influencia bio conse-
guir fazer recouhecer pelo governo dos E-tados-
Unidos o novo imperio mexicano.
Os patriotas mexicanos conduzidos pelo chefe
pulaciio.
Era face de palacio tocaram at obra das 9 ho-
ras differentes bandas de msica ; e em saudago
d-i to faustoso motivo o emprezario do Santa Isa-
bel, o Sr. Antonio Jos Duarte Coimbra, deu um
espectculo, que foi honrado com a assistencie de
SS. AA. II.
se prendem a ella como matizes para furmsr a gra
dago natural das er.'s e entreter a harmona
conveniente entre as differentes partes, que devem atadas, de que abortn d'ah a poueo* mtmtm,
compor o todo. deilando ja' noria a criaaga cm o crasa* mi pe-*
Pesta compo-lgo o Sr. Dr. Pinheiro Guimaraes dagos ; ueuuncia i|ue at \\e anda de>cani;a na
se nao excedeuse. mosuou-se o me-mo era vigor e paveta Vssa autorid ide (talvex qiie p.r muit.i
explendidez ; h isto meihor apreciar amauhia.o allluencia de trabjlho), nao oi-tinte o inaliiiost>
nosso publico concorrendo ao Santa Isabel, i nde subern que, segundo me disseram e iekn-
mos, lintou fazer aquelle b-im lioiiwui.
O tal Portea, ou nasceu nnpiillicad., com di/em
as partelras do mano, e por hm nada o inr imiMo-
da ; ou devoto de S. Ba y mundo, e por is? ima a
pMMcio dos santos e dos bomeiM ca' b>i mun-
do III
Mas essa autoridale, zebsa de soa repnii.-.i>, e
solicita no cumprimenii de Ia tnwm, JIIML
Ouvio na quaila-feira o nosso publico ao fue graves cen uras se Ihe lem feito por r*s* de-
pianista Hermenegildo Ltgnori, e saiH-lax-nos dixer
com todos que a prova corre.-pundeu especia-
gao.
No teclado do seu piano folga o menino inspi-
rado derramando torrentes de harmona ni espa-
papa ao rei da ,,aa, existe realmente, mas urna V2&t SS^S\^7t^St I ^'^ZuI^TJ'aTTZ n?-
respostaa coraraunicagao do rei da Italia, que en- ,.es Matamoros, porto importante do mar das Anll- sTu a s^Tnfr^ud cao meii, /f; 7
cetou espontneamente o pr.raero passo de ne- ihas, onde o general Me .a eommanda as torgas HniVsrPnrda de sST VTSL^LTlZ
ciacao. I do imperado? Maximiliano. O chefe Negreta na "I016--1" de s!>- ** digBaram se de non-
No da 2i de |unho eslavam concluidas as neg- primeira tentativa dispunha de uns quatro mil ho-
ciagoes deque eslava encarregado Mr. Vegezii, mense dezeseis pegas de artilharia, eraquanto que
sendo recebido pelo santo padre em audiencia de Meta imita sua disposigo urnas cincuenta pecas
despedida. Os gabinetes de Boma e de Florenga e forgas de infantaria, correspondentes. Em Ma'la-
concluiram um accordo, pelo qual todos os bispos moros foi estabelecido o estad de sitio, tendo-se .
do remo da Italia sao dispensados de prestarera cortado todas as communicages: dizendo os ulli-
niao do jornalismo hespanho : Lrgalidade estricta juramento poltico, mas devem-se obrigar por es- mos telegrammas que os Juaristas se haviam reti-
a cuta das maiorei dificutdaats, e nenhum receto criplo a respailar as leis do paiz. rado depois de urna violenta balalha no i de maio.
aaltotruatte. Em aples por occasio da procissao do Corpo Falla-se em augmentar a estaco franceza no
uiz-s^e que o novo gabinete chegou a um acco/do : de eus houve um tumulto promovido por 100 golpho mexicano, e na partid de alguns mil ho-
i>re a queslao da liana, eque rara comegar as ne-1 homens do partido borbnico, soltando gritos de
rar ao poeta
mesma
maudando-lhe pedir urna copia da
soore a queslao da liaiia, eque iara comegar as ne-1 homens do partido borbnico, soltando gritos de mens para reforgar as tropas que a Franca all con
gociagoes indispen>aveis para se ubter um resul- viva a religiao, e'viva Jess Cr.risto, sendo per-: serva.
sati>iatorio, dmdo o governo encarregar seguidos pelo doto foram obrigados a fugir. Pelas noticias recebidas da China, consta que
O emprestimo nacional toma na Italia proporgoes a sitnaeo daquelle imperio nao malta hsongei-
muito lisongeiras, o que produz favoravel impres- ra, Eslavam quasi desvanecidos os recelos suscita-
sao. As provincias mendionaes lomaram urna dos em coosequencia do triumpho alcancado pelos
parle importante no empreMimo, e esta circuraslan- restos das
taJo sali.-ialorio, d;v-endo o
dessa mi-sao um alto personagera, cujas opinies'
libertes, ninguem podo por em duvida, e quo pro-
fessa bem conliecidas opiuies sobre o reconheci-
menio da Italia.
Quando a rainha no dia 21 regressava ao pago
com o principe das Asturias, foram calorosamente
victoriados pelo povo as ras do transito. Beina
absoluta tranquilidade em todas as provincias hes-
pandlas.
Ja' regressou a Paris de sua viagem a Argel
o imperador Napoleo III. Terminou a regencia da
imperatriz que duiou seis semanas. Nestas seis
semanas comegou e coucluio na cmara a discus-
sao do orgamento, depois de urna discusso em
que lomaran parte os mais distinctos oradores da
opposicao; formaram-se coligagoes de operarios
que felizmente se dispersaram depois de haverem
discutido acerca dos interesses tanto dos mestres,
como dos operarios ; e fallecou o general Maguan,
commandaute em chefe do exercito de Paris.
O ini|erador tave a'sua chegada a Pars urna
recepgao eniliusiastica.
Fez excellente iinpress.io em Paris a annullacao
das advertencias applieadas a alguns jornaes frn-
cezes.
O imperador recebeu em audiencia o principe i
Napolea, que no dia 23 parti para a Suissa.
O general Couroberl foi nomeado commandanle
em chele 4o exercito de Paris.
No corpo legislativo francez foi adoptado o pro-
jecto de lei relativo as associagoes de syndicancia,
para pr ver a' execugao e couservago dos traba-
llios de meihoramentos agrcolas.
O projjcto do senado eslabelecia 3 classes de
associacoesde syndicancia,urnas livres estabeleci-
das sem n inlervengo do governo, oulras auton-
sadas por esta ; mas nestas ulimas se comprehen-
di:.in as associagoes forgadas que podlam por um
decreto ser ira
sua resislencia,
parlamento por
radas.
As a.-sociagoes de syndlcanria autorisadas ded-
cam-se a is trabalhos de defeza no mar, ros e cor-
reles, a' limpeza e abertura a regularisa.o dos
canses, que actualmente nao sao navegaveis; ao
esgotameuto dos pantanos; aos trabalhos necessa-
n is para a explorago das margeos; e ao desse-
camento dos terrenos hmidos e insalubres.As
assoeiagdes livres dedicam-seaos trabalhos de aber-
turas ele nos ; trabalhos de drainagem ; cons-
irnecao de caminlos de exploso e execugao de
quihiuer outro melhoramento agrcola que lenha o
caracinr de interesse collectivo.
Comeg >n a discusso do orgamento ; demons-
trando n Sr. Girnier Pags que a divida do thesou-
ro lem augmentado, aconselhou que se realisassem
ec inomias, especialmente nos ramos dependentes
do- ministerios da guerra e da marinha.
O ministro Mr. (Jouin respondeu que a sitnago
da fazenda publica tem melhorado consideravel-
raente desde 1861, e embrou, para justificar o
augmento da divida, a pre|ionderancia e os gran-
de- resu lados alcang dos pela Franga lano no
paiz, como no estrangriro.
Larga a espada, Maurica,
Toma d'ouro a eu laurel,
Rasga-tu ptrea epopea
Aos ps da grande Isabel.
Grande ... Sinie essa grandeza
Nao noi ser prmceza
E sim dona de raas possuir,
E' ser de hroes um renov,
Ser a esperanca de um povo,
Que abre a e>irada do porvir.
certamenle sorprende pela si-iencia que se tem do
sua idade, e da falta de estados regulares, que
nelle se da dobrando-lhe o mrito.
E pois, nao vamos instiluir-lne nesla3 palavras
um juramento como a um artista consumm.idj ;
mas vamos fallar de urna esperanga que desponta
no horisonta da arta com nralirillu r-f.ilg'iite co-
mo o do sol, mas ao iih-siiio lempo acariciador co-
mo o da la em um co sereno das bellas noules
da nos-a America.
Tres foram as pegas em que se fez elle apreciar
mora, iraduzida por muila gente em proteerao : eu
nao sou quera o digo, smente repu. o que ouo>
correr por essas ras de bocra em borra.
Soube em Gametaira que n'am d.>* da* da ema-
na passada amanecer loabada a lah.-rna do Sr. do
primeiro dos Fortes (sem o segundo); mas all
mesino espalhou-se logo que o tal rooi< foi ron*e-
qnencia de um plano, uu e^lratagia, em ao- fer-
lilissnno o lal cavalleirode___para nma pi. lira
vanlajosa. Valha a vt-rdad- : oque CMt*t>nm
os que assim dizem, se fundara nao so uu que a
amanhecer do dia antecdeme ao do tal roano, ap-
parecera principio de excavago por bnfenj n t-
lenle ou calgada da taberna, minio rvi.|^me
tentativa do ronbo, que nao pode ser rx. rutad
naquella noite ; e nao irhrtaala i'i' rninaiaa, a
sua paira, ja' se .-ahe, a madama Porte.-. l\ rs-
pel publico enlhu-m=ia, que freqnenta o Santa bordeada) na ausencia do pairan, njH and
E' ser a fi'ha de saldos
Reparej bem -no Brasil
De um tillio do povo os labios
Nao queim* a lisonja vil
E' ser a neta do bravo
Qne vira o gigante escravo
E lvre apertou-lhe a mo,
Bel que amou a liberdade
Aguia sem rapaoidade
Grande hroe sem ambiguo.

_ guerrilhas que depois da tomada de
ca significa que o principio unitario se desenvol- Nankin tiuha conseguido refugiarse em Vo Kiin.
ve, ahrangendo tarabem as transagoes mondarias I A insurreigo musulmana adquerio porm um
e os negocios bancanos, as suas transages com eerlo progresso; o Tuke-iau chino rictima de
o estado. ...,., '"na completa anarchia, e to grane o temor
Consta que o parlamento italiano sera dissolvido que aquellas povoagoes inspiram quolo proprio
apenas estiverem assignadas as bases do convenio exercito vacilla em pr-e em marcha cintra ees.
com a corta de Boma. O re Vctor Emmanuel: Repelem-se todos os dias as queixas da parte da
tenciona dirigir entao um manifest ao paiz expon-: RUSsia rnjo torntorio est send) constantemente
do a poltica.seguida pelo gabinete. As novas. invadido petas rebeldes
eleigoes devem-se verificar debaixo da impressao o governo ingtaz parece resolvido a retiraras
que este manifest deve produzr no publico, tropas que anda conserva em Shanghai! e na em-
Italia pode pronunciar-se %'- modo, e a nova ca-! hocadura da Peine, mas pretende proceder de ac-:
mar segundo a sua fegao poltica, e o carcter Cordo com a Franca
dos homens chamados pela eleigo a representar os 0 g ,verno janonei resolven considerar como
diversos circuios a apprtvacan ou regeigao do |e do remo os tratados celebrados com as polen-:
co"veni?". ... cias estrangeiras, decidindo ao mesmo lempo
As c.dades venezianas festejaran, o aniversario dingr um cmvhe as dem Qei aJ0.
de i. Marlinho. Lm Paclone houve algumas pri-, da nao tem tratados com o Japo, para que ira-1
SOp"',s :-. j i. n 'tem de as propr, por isso que o Japo abrindo os i Em nutra parte, soba rubrica interior, damos
E-tao interromp.das as relagoes entre Roma e_o seus portas ao commercio estrangeiro convem-lhe transcriptos do Joma do Gmmercu da corle, as
Mxico por causa da quesiao da desamortisagao ^slar em relacao eom n m,i dos ben. BceUnlnsitCOS. Monunhas Mexia. nuncio, cia3. Ayrefe U.SZuio, uas quaes vem depani^.m.n.
deixara o Mxico, e a missao mexicana abandona-1 Esl (ambem determinado estabe.lecer um tele- ta narradas todas s oc\.Jr,.o-t ,u ni, de que
r Roma. grapho elctrico entre as duas capitana onde resi- hontem demos em apandado aos nossos leilores.
As eleigoes que na Dinamarca se renovaram dem o soberano espiritual e lemporal. Ao ter-se seienea do feito d'armas da nossa es-
para a segunda cmara do Rig-raad, produziram ( q presidente des Estado-Unidos, M:. Jehnson qnadfa em Riachuelo, percorreu o povo flumineu-
uma assembleaem geral composta dos membros j publicou finalmente urna amnista, mas tiocheia se as '<*** da cidade ao sora de msicas e por en-
da antiga cmara. Este resultado da eleigao deve necessanamente,' ?e comprehendem na amnista todos os que occu- approvado um requerimento do deputado Manoel
segundo as tendencias do paiz e as opinies man- pa|.am p0siges de alguma importancia na guerra '
festadas as ultimas discussoes, fazer chegar a re-
forma constitucional.
Na cmara exi-le um projecto de revisao apre-
sentado pelo governo, e o accordo que era indis-
Que importa o festim de horrores
Que se celebra no sul ?
Vindes lempo, senhores
Limpar este ceu azul.
Vindes ver que denodados
Manejara nossos soldados
As mais romanas acgSes,
Langai nos pellos guerr.jiros,
Heroicos e brasileros
Mais esses dous coracoes.
I-abel; ea diffl-uldade recoiihecida do Grande Ca-
prirho de concert sobre motivos di Trnvinta, do
maestro Archer, do Carnaval de VrwM, do maes-
tro SchtilliolT. e da grande aria final do Trocador,
do maestro lTeilfer, fez-nos notar o grao das >uas
dispo.-icjjes naturaes para aqnelle instrumento; de
sorte que na vivacidade da execuco, na exprs-
sao dos cantos e na clareza das notas revolou ao
grande auditorio, que penda enterado dos ;eus
dedos, que nelle ha sem duvida un genio, que
deixandoa chrysalidade da infancia e da deficien-
cia das ligues dos grandes mestres, se desenvolve-
r com o lempo at converter-se em Urna notabili-
dade arlilica, p^ssando por essas tran>formagoes
providencaes a que nem os genios se exiraem.
Com cfT-dto, no Brande Capricho, tocado em pri-
meiro laxar com a emogo das duvidas, que una
estra sempre infiltra no espirito do que se apr-
senla ao publico, pareceu-nos ver a alma desse
menino transportada para as cordas que elle dedi-
Ihava, tirando dahi sons tan bnlhanles, que se ca-
sam por ventura com o fuluro, que se Ihe abre
s aspiragoes intimas.
A brilhanle inspirag) de Schulh ff, o Cantaral
de Veneza, sera embargo da rica escala de difflcul-
dades que conl'D, foi executada com aquelle es-
pecialismo le expres.-uo, que tem ronstiiuido e-la
phanlasi.1 como um aparte do g'-ral da msica, ar-
rebatando assim o concertista a auna em nina sen-
sagas inebriante de vivacidade, e conservan lo
"ilusamente *" >-" >^- -
MU WU
va nw-
la praga, uao di-ram a naw provi.teen, r i>,
em que na manhaa argoMa i-|mIIioii a \i-'-
lencia, ou consuiniiMc o do miiIii. v.riii.- -m I
qne o buraco, por onde inlWH -ii|>p..-i laiapi
(irmo germano) ora feito de eniio pan (ora da
ca aila hojeas avessas...
Quando voltar de oulra vez a Oimeleira. nv ia-
formare meihor de.-ie faci, que me f referid
muito a pressa, e tudo levarei aos olhos, e ao* on-
vidos dos leitores.
Passageiro ifa uipor.
Magoado por um tocto que me aconteceo com o
retratista da ra do Imperador, o irago ao eoohe-
cimento do publico, para que mais ninguem seja
victima da esparrela em que cahi.
Tendo fallecido um meu filho, deixou ara retrato
era miniatura, e querendo eu tirar orna epia, ca-
sualmente fui a casa desse retratista, e apreseuian-
do-lhe o retrato, pedi-lhe que tirasse conia fiel.
sem que toeaaaa por maneira alguma no retrato,
que eu Ihe apresentava, recomraendago que Ihe
liz por muilas vezes.
Voltei a casa desse retratista por mullas exes,
e nunca achei a copia tira ia, dando-e me tfescol-
pas frivolas, e afinal me eutregaram o retrato, que
eu tinha apreseniado, todo inililisado, u-U o re-
trato apresentado por urna senhora a M nada
o pude dizer em atlencao a seu .ia. i>- w i .-i >
'- cuuiuo, ou iiuc cic re
Dantas no sentido de felicitar-so a Torea naval por
civil. : essa victoria assignalada, suscitando se por essa
A aprecago da imprensa estrangeira nao Ibe occasio urna discusso importante alli, onde ap-
projecto
favoravel.
O Jornal dos Debates
postas aos interessados, apezar da pensavel enlre as quatro asserablas deliberativas, ae rgor emprendas por Mr Johnson diz que ja
quando mesmo fosse unnime. 0 de que se compoe a representago nacional do rei- era ruito a priso ejulgamento de Mr JelTerson
in nao admittio as associagoes for- no, tornuu impossivel o reconheciniento e acceita- Davis, mas quando os amigos da uniao americana
ru desse projecto, em consecuencia das considera
g5es siilimi'tuda- pela opposigao.
Vai-se reunir a dieta da Hungra ; o impera-
dor d'Auslria chegou a Pe>lh a 6 de junho, sup-
poe-se que esta visita lem por Ora tranquilizar os
espiritos, mas acredita-se que se nao conseguiro
restabrlecer as antigs relagoe- entre o reino da
llungria e a monarchia austraca.
O imperador d'Auslria dirigi a seguiule caria
ao conde de Zichy :
t Caro conde Zichy.Como a irisle situagao que qnj"ij^'ar 0
me levou a adoptar a resolugo de 15 de maio de' ]
1861, e o meu uilhete autogfapho de S de novem-
liro de 1861, limitando provisoriamente as altri-
buigoes do meu conselho de governo da Hungra, e
submetiendo excepcionalmente aos conselhos da
guerra no meu reinado da Hungra certas crimes
e delicies contra a ordem publica, seguranga das
pessoas edas propriedade?, e finalmente tornando
exteusiva a jurisdiego desses conselhos aos em-
pregados civis deste paiz, foi substituido pela or-
dem e tranqnillidade geral; e como creio poder
contar que todas as intrigas que possam tramar-se
para que lal situagao se repita, seno de nenhum
provou se era 1" discusso sem debate o
esligmaiisando as medidas de autonsago ao governo, para promover no exer
cito e armada at aos postos de raarechal do exer-
cito e almirante inclu-ivaraente, mesrao estando
completos os quadros respectivos.
se contristavaui por um acto, que, primeira que tu- ] u Cruzeiro do Sul chegara na corte a 2 do cor-
do era impoltico, estavam longe de pensar que renta e alli foi recebido devidamenle o 2o corpo
seria o preludio de oulros actos anda raais vio- da voluntarios de-la provincia, ao mando do Sr.
lentos, mas desgragados e condemnaveis, debaixo tanente-coronel Apolonio. Achase aqnartellado na
Gamboa, conjuntamente com o da guarda nacional
da Babia.
Os batalhos de voluntarios n. 21 da Bahia e do
Bio Grande do Norte seguiram para o sul nos va-
M.
de todos os pontos de visia ; que o novo presi-
dente decreta agora se pode dizer a proscnpgo de
um povo intciro, no fim de urna guerra civil que
havia levado a Uuio quasi sua perda, e man-
do o primeiro cuidado de um governo intellgente Ports Jaguaeibe, Brusil e Falcan, assistindo S.
e animado de verdadeiro patriotismo seria tran- Imperador ao embarqne.
e desvanecer os ltimos ves- A corveta Imperial Martnheiro hava-se perdido,
ligios da lula, extinguir entre os reunidos a amar- lenJo chegado a corte bordo do vapor de rebo-
ga recordagao da sua derrota, tranquilisar os inte- 'Iue Incansavel parte da sua gente, licando anda
resses ameagados e dispertar no sul os sentimen- no ,06*f do sinistro o commandante e mais gente
tos de solidariedade e de unidade nacional, que o com. 1*"n de peclher o que o mar fr atirando
lago moral e a pripria vida de qualquer federago. praia.
Que permittdo pensar que o Ilustre presidente Criase que o Exm. ministro da guerra acompa
Lincoln, que j linha dado Untas provas de bom nhwa tambera a S. M. o Imperador ao Rio Gran-
de do Sut.
Ensaia se no Santa Isabel para subir scena
amanhaa o drama Punirno, composigao feliz do Sr.
Dr. Francisco Pinheiro Guimaraes, a qaem deve a
1 litleratura dramtica a Historia de urna moca rica,
O grande jury do districto da Columbia pronun- que >) bem aceita foi do nosso publico, e que lem
senso e de firmeza, uuida mais judicosa mode
rago tena seguido oulra poltica, e que desde j
se pode calcular agrande fella que fez aos Estados
Unidos.
Mr. Tniers atacou o orgamento, pretendendo que effeto em presenga do bom senso da fiel popula- | ciou contra Mr. JelTerson Davis a aecusago pelo a Puntido urna rival na bellexa'das formas pas
se dimtnnisse a verba proposta para obras publi- gao do meu reino da Hungra, e da vigilancia das crirae de alta traiga.,; o ex presidente confedera- ticas, uraa competidora na elevago do pensamento
cas, pedindo a evacuago das tropas do Mxico, e a
redugao do exercito.
O principe Napolea recebeu a carta Imperial
da mo do ministro Mr. Rouher, a quem o princi-
pe pergunlou se aquelle documento deveria ser
eniregue a publicidade, declarando que nesse caso
seria inalalavel na resolugo de pedir a deraisso
dos dous cargos que exercia. O ministro nao res-
pondeu iramediatameni", mas aaenas constou ao
principe Napolea que em conselho se resolver a
publiraco, fez chegar s mos da imperatriz o
pedido da demissao de tados os seos cargos, de
vice-presidente do conselho privado, e de presiden-
te da rixposigo internacional de 1867.
O principe resalveo fazer publicar o seu discur-
so em ful lelo separado, e effectivamente se extra-
luram cera mil exemplares que foram postos a'
venda, apezar das instancias da imperatriz, para
que o principe desisiisse daquelle intento.
Nao tendo a imperatriz concedido a exonerago
pedida pelo principe Napoleo, resolveu esta demo-
rarse era Paris al a chegada do imperador, e
seudo por este recebido em audiencia, retirou-se
para a Suissa a 23 de junho.
A imprensa franceza mostron nma certa absten-
gao em vista desle incidente.
Como ja dissemos falleceu o general Magnan
commandante em chefe do exercito de Paris. Ti-
nha 7i annos de idade e 56 de servgo.
tira gr i cruz da legao de honra e senador.
Pelo seu carcter e qoalidades tinha conseguido
conquistar as sytnpathias do exercito. Era ara
-dos funccumarfos que o imperador mais distingua.
Dedicado a' poltica do presidente da repblica, foi
urna das primeiras figuras dos acontecimentos de
2 de dezembro.
Os seus funeraes celebram-se cora a raaior
pompa.
A pop lugo israelita de Argel pedio n'uma men-
sagem ao Imperador Napoleo que Ihe fosse conce-
dido o direito de nacionalidade. v O governo pare-
ce disposlo a annuir a este pedido.
Comecou em Inglaterra a lu'.a" eleitoral. Os
hotos candidatos organisam as suas commisses e
autoridades; entendo dever alargar a esphera das j do sera'julgado em Washington, logo que seta- que nella predomina,
altribuicoes do meu conselho de governo da Hun-. nham r unido as testemunbas. Julgava-se tam- O theatro de Pernambuco lem apresentado em
gna limitadas temporariamente; pelo dito bilhele; bem ineviiavel a priso do general Lee. Davis es- seu proscenio muitos dramas em varios gneros e
autographo, fazendo cessar do Io de julho prximo la' em ferros e foi transferido para as prisoes de de escolas diversas, mas nenhum delles excede em
em dianle, a acgo excepcional dos tribunaes mili
(ares que se deu em virlude das resolngoes supra-
mencionadas, e pasar o julgainento dos actas cri-
minosos para os tribunaes civs, que, em materia
de delictos como com relgo a imprensa deveri
proceder de accordo com a instruego, que deve | para Nova 0> leans pelo g meral Kisby-Sinith, cora de ficticia. Mas na expo'sigo des-es modelos r
apphcar-se em appendice a le sobre a imprensa salvcs-cooductos passados pelas autoridades fede-1 saicos, nessa analyse de pstulas do corpo social,
de 27 de roaio de 1852, era vigor na Hungra, ins- raes. 10 Sr. Dr. Pinheiro Guimaraes nao deixon de inva-
Washington.
As recentes capitulago"es dos governos confede-
rados nao suspendern! os preparativos do exercito
federal para a oceupago de Texas.
Os chefes separatistas, tindam sido mandados
merecimento Punigo, cujo enredo delineado
cora vigor e conduzdo em suas differentes situa-
goes adrairavelmenle.
A Punigo filia-se escola realista, e retrata um
perfil da socieilade real, e nao o de tima socieda-
trueg) a que diz respeito o projecto junto e que
menciono pela presente carta.
t Encarrego ao mesmo tempo o meu ministro
da guerra de concluir anles do referido dia as ins-
trurgoes comegadas em virtude das nossas resolu-
gdes de 15 de maio e de 5 de novembro de 1861,
contra os empregados civis; e as denuncias e ins-
troeges que se nao acharem conclu las passaro
ao tribunal real de Pesth, que d'ellas se oceupar
sendo de sua competencia, e no caso contrario se-
ro julgados por tribunaes competentes.
< Para o cumprimento das obrigages impostas
e directora das causas, que dizem respeito as re-
galas da corda de que sao excluidas as questoes
commerciaes e civis, approvo a instiluico do pes-
soal proposto, tal qual se actia previsto no orga-
mento de 1865, e encarrego a minha chancellara
ulica de adoptar as providencias necessarias para
a organisagao d'este servigo.
< Alm d'isto, permiti que os processos que o
tribunal julgar em primeira instancia sejam de-
signados no sentido do meu escripto de 23 de ju-
nho de 18ti i, por oito juizes e um presidente.
Bude, 8 de junbo de 1865.
Francisco Jos.
A gra duqueza de Badn den a luz om prin-
cipe que rei.ebt-u os nomes de Luiz Guilherme Car-
los Frederico Berthold. A rainha da RussIa assis-
tio ao nascimento do sea neto.
A cmara prussiana regeitou por ama grande
matara o projecto de le relativo aos crditos ex-
traordinarios pedidos para a marinha. Mr. de Bis-
0 departamento doTrans-MississipI, cujo chefe dir os dominios da idealisago, para extrahir d'ahl
capitulou ha pouco, comprehendia os districtos de o aroma que deu as flores inodoras colhidas no jar-
Missouri. d'Arkansas, Luiziania occidental, Texas, dimvda escola de Balzac.
Novo Mxico e Arizona, anda oceupados pelos con- Algumas palavras de explicago preliminar,
federados ; mas o grosso das tropas de Sraith es-1 Augusto, filho do commendador Castro, ama e
tava reunido era Schrevepot, na raargem dorio amado extremosamente por Julia, filha de Joo
Vermelho. Manoel, amigo arreador e aggregado actual do
Estas forgas nao sao inferiores a 25 mil ho- mesmo commendador ; mas este, cheio de si, ao
mens. ter conhecimento deste mutuo allecto dos dous mo-
A situagao da Virginia muito grave : eos, oppe-lhe a barreira da sua dcsapprovago ; e
Os negros all eramfiis partidarios da Unilo, e'paradar-lhe o golpe da extinego, expatria o filho
quando rebentou a guerra urna grande parle d'elles para a Europa, mesmo quando este raptando a don-
estabeleceu-se por sua conta as trras abanSona- zella, procurava nos lagos do hyraino a sanego
dos pelos separatistas. do sea amor.
Hoje os plantadores apparecem de novo com a Separados os amantes, com os dias enlutados,
sua altivez disposlosa repellir os negros d'aqnellas mas com a esperanga no corago, eslava satisfeita
terrenos, privndoos do fruelo dos seus trabalhos. a vaidosa sobrancerla do commendador ; o qual
Este estado j suscitou a publicrgao de urna ordem todava ao aspirar as auras da sua satisfago, as-
do da do general que alli eommanda, mas as cou- pirou tambera o principio nocivo que Ih'a havia de
sas parece ameagar serias conseqnencias. envenenar.
Descobrio-se urna conspirago promovida pelas, O commendador apaixona-se por Julia I e elle
tropas de cor aquartefladas no forte Pillone, que li- que, por motivos alias honrosos, fechara em mogo
cepgao
A grande transcripeo finalmente dj Miserere,
do Trovador, executada somante pela mo esquer-
da, foi a cora com que o meuiuo Hermenegildo
ornou as suas victorias dessa noute com demons-
trago do seu talento ; pois sobre ter traduzido as
bellezas da grande composigao de Verdi.a ninguem
desconhecido o quanto diificil a execugao de
urna peca a um s mo, mxime sendo esla a
esquerda.
O nosso publico em presenga de lal prova de
nm talento precoce, a quem eslo fadados bri-
Idantes deslinos na ditii il arle, a que se lem de-
dicado o menino artista, deu Ihe fervoroso as ni-
cas demonslraroes que pode se deferir ao genio em
taes exhibigoeso applauso consciencioso, ron-
quistado pelo mrito. Isto rizeram a platea e os ca-
marotes ; isto vimo-lo realzado uessas poesas re-
passadas de enthusiasmo, que tarara recitadas, e
damo-las na oitava pagina ; isto vimo-lo anda re-
presentado nesse ramalhete de flores naturaes que
se Ihe offertou, symbolisando-lhe assim o tlenlo
que anda infante, j d flores lo olo'osas.
E a ludo isto, quando um dos bardos evocou-lhe
naquelle momento solemne o amor patrio, respon-
deu -Ihe o menino artista na linguagem da tarmo
na com o dymno nacional, que a todos electrisan-
do, era a protesiago mais expressiva daqnella al-
ma virgen) de que era brasileiro, e nao Ihe era in-
differente a gloria da Ierra em que nscera.
Do Cabo escrevem-nos o seguinto em dst de
12 do correnle :
Appareceu antes de hontem e hontem nos
ros laboalo, Pirapama e Gurja urna fermidavel
cheia, que nao obstante ter sido menor palmo e
meio da de 1854, cointudo causou matares prejui-
zos, nao s na estrada de ferro, como na do gover-
no e as propriedades particulares, como sejam
predios e lavouras. O tenente-coronel Jos de Ma-
raes Gomes Ferreira soffreu um prejuizo de 60 a
70 cont i= : a sua offlcina de looga no Barbalho
foi toda abaixo, quebrando se mais de 20:0005 de
taca taita, e Meando lodo o machinismo estragado;
alm de estar debaixo d'agua umi plantario de
cannas para tres mil pies de assucar.
Felizmente nao tamos de lastimar vida al- ]
guma.
Passageiros do vapor francez Estremadure
vindo da Europa :
l'araio Giorann e 1 filho, Fiorenzano Biase, SI-
monzi Danscle, Paralo Michele, Stephanie, Julie,
Angelique, Felicit e Louise, Prat, Bibeiro, Mada-r
motsellas Dumbar Annil e Dumbar Erailie, Geor-
gine, Goberville Charles Ameda e sua mulhar
Antran Lous, Antonio Joaquira Pereira Vatan-
te, Jos Martins da Silva, R. F. Burton.
Repaiitiqao da polica :
Extracto da parte do dia 13 de jnlho de 1865.
Foram recolhidos casa de detengo no dia 12
do correte:
A' ordem do Dr. delegado da cepital, Luiz da
Costa Santos, por (er sido encontrado alta noite;
munido de um escopro.
A' ordem do subdelegado de Santo Antonio, F-
lix de Cantalice, para correegao.
A' ordem do de S. Jos, Emiliano Izidro do Sa-
cramento, a disposigo do delegado da capital.
A' ordem do da Ba-Vista, Tertuliano Ferreira
Lima, para recruta.
O ehefe da 2.* secgo.
J. G. de Mesquila.
Casa de DETENgo.Movimento do dia 12 de ju-
lho de 1865 :
Existiam 357 ; entraran) 4; sahirara 6 ; existem ,
355 a saber : naciooaes 265 ; mulheres 6 : es
ta rc v n ii iit
tOUUUU, UU l|uc CIC rcuai
I ur-me estragando o retrato, que Ihe a.re-eutavj
para tirar copia, e isto por ser obra perfciu do Sr.
' Vllela, ou que esse retratista nm saltirobanco,
que nada entende darle que profes-a, tendo orna
esj arrela armada para haver o dmiiero Uaqoeikes
que o nao conhece.
Infelizmente isso me acont. reu, porque tenuo a
pressa da copia, fui a casa do Sr. Vllela. cuja pe
i ricia geralmenle reconhteida, e porque o achei
bastante alarefado, com a ca-a ch^ia de irenle ti-
rando retratos, fui ter a ra do- Imperador para
, ser victima da perfidia desse embu-ti-iro, qu* nao
i sabe tirar retratos, nem copias, e s mIc estragar
\ e inutilisar o retratos que se Ihe aprsenla ; a
assim fiquei eu sem o retrato de um filho, que ja
nao existe, e que para mira era um objeelo de va-
lor inestimavel.
Recife, 12 de julho de 1865.
Manuel Antonio Virgos.
i i. i.Q- r .J-------
A phtysiea eircnaelnsa.
Nao s se curar radicalmente mediante o oso
do l'eitoral de Anacakmla de Kemp. tolos s rases
ordinarios de tosse rhromea, bronrhites. c itarrrew,
astlima. ele, mas sim (ambem mesmo quando a
molestia haja affectado seriamente osnrgsda
respirago, seus progresso* pod^m-se atalhar pefc
espago de annos inl-iros, e a appliraro .lo reme-
dio proporcionar um allivio instantneo e iad-fi-
nita.
Nao ha necessidade de abrigar nu ter o menor
receio relativamente aos seas rfenos m-smo du-
rante os periodos mais avangartos o> dohili4a>.
Na sua elaborada comn.>*igo nao entra apta >*.
nem acido afueteo, era antimonta, nem neaJiama
outra droga nauseabunda, e sim to soment
composta e preparada da extrargo do> ruceo* de
urna arvore balsmica do Mixiro, a qnal |.x*ne as
propriedades as mais admiraveis e mratia*. e as
suas curas sao realmente inaiailWwe.
Acha-se a vrnda as pharmacias de Caors A Bar-
bosa e J. da C. Bravo 4 C.
COMMEiCIO.
Cai\a filial do haiicn do Brasil *
Peina uiBuco.
A directora desta cala saca sobro obanrodo
Brasil no Bio de Janeiro e sobre a caixa filial do
mesmo banco na Baha.
Novo bnBT de pernambf.
Os administradores da massa fallida de Joaqnim
Jos Silvera pagaro o fe dividendo de dita ani
na razo de '.i 0/0 sobre o valor de* tiiolos atf-
meltidos : no novo banco de Pernambuco ra
do Trapiche n. -il.
ALFANDEGA.
Rendimentodo dia I a 12......
dem do dia 13...............
187F03J3.-3
SS848j06tf
2i:t.75l*V21
MOVIME.VTO DA ALFADEGA.
Volumes entrados com fazendas.... 34
< t cora geoeros..... 34a
Volumes sabidos cora fazendas..... 7i
t i com gneros..... 388
37*
nhapor fim malar todos os prisioneros que eslavara o corago s effasSes do amor ; elle que no casa- trangeiros 25 ; mulheres ; escravos51; escravas
enchem os jornaes com circulares e declaragoes, mark leve o desgosto de ver este resultado do vo-
aos eleitires, afflxando ao inesmo tempo cartazes
para exporem os seus sentimenlos polticos.
O parlamento ainda esta' era exercicio, mas nao
tem para resolver qaesio alguma de importancia.
O orgameolo, que ainda se nao acha votado, apre
senta um excedente de receitas, e nao natura!
rjue susc.te objeeges. .
to da cmara, mas a discusso forneceu ao minis-
tro occasio para novas declarago:;, Mr. de Bis-
raark den a entender que era "ifHcil comprehender
os projectos do governo, e pretendeu penetrar
em Memphis, como represalia da morte dos sida- menta s vira um negocio de cifras, com que na
negros pelas tropas do general Forest, por occa- da tinha qne ver o corago : ello finalmente que
sio da tomada daquelle forte. Quando os negros quebrara as illuses do filho, desee a tudo para
sahiam do quarlel para dar execugao aoseu plano haver a querida dasle I Desee a mentira, propa-
encontrarara urna forga imponente de tropas bran- lando a morte de Angosto Desee por hm ao rap-
cas, que os obrigou a regressar ao seu quarlel, de- to de Julia, e a violago d > seu pudor virginal 1
pois de um combate era que .houve alguns morios i Mor tu Augusto, como Ihe tara feito crer, deshon-
e feridot. I rada brutalmente, a victima foi levada a aceitar a
Levantaram se as restrigoes que pesavam sobre reparago do casamenta que Ihe offerecia o seu
o commercio de Mississipi. amoroso algoz. Mas d'ahi por diante lambem co-
Poi nomeado um governo provisorio em Mississi- megou para este urna vida de amarguras : Julia
pi para reorganisar aquelle estado oas raesmas ba- suhjugava o de sua vontade imperiosa, e quanto
ses da Carolina do Norte. mais humilde tornava-se elle, tanto maiores eram
Os federaes oceuparam Brownsville; os confede-, os desdens com qne ella o tratava.
6 ;total 335.
Alimentados cusa dos cofres pblicos 158.
GImitikio kbuco. bituarto do dia 11 de Brigue porluguethlorindalagedo e riohos.
-------46i
Descarregam uo dia 13 do correle.
Escnna dinamarqueza Hoster mercadors di-
versas.
julho:
Auna Joaquina da Silva Lins, Pernambuco, 31
annos, sol te ir a, Sa ato Antonio, entente ch romea.
Maria Alexaodrina Paz Brrelo Beierra. Per-
nambuco, 2*. annos, casada, Muribeca, febre per-
niciosa.
Barca inglezaVesionmercadorias, ferros car-
vo.
Escuna portuguesaD. Jiorhar jue.
Brigue nacioualCardia dem.
Escuna diuaniarqueza -Dorana dem.
grigne ingiez Ruthcarvo.
Joanna Maria de Mello, Pernambuco, 25 annos, Patacho inglez Tiaradem.
casada, S.. Jos, tubrculos. i Patacho inglezZei conidem.
Luiz Pereira, Portugal, 30 annos, casado, Boa- BECEBEDOBJA DE RENDAS INTERNAS GE-
Vista, hypotrophia no corago. RAES DE PERNAMBUCO.
Joaquira Jos di Sant'Anna, 38 annos, casado, Rendiroento do dia t a'12...... 15:17944'7
nos!
>eus segredos, que abrigara pensamentos e planos [ rados tinham vendidos previamente a artilharia Era a vinganga" da mnlher que descria, e fra' S. Jos, congesto cerebral,
lo vastos, que seria difflcil comrauoica-los a sim- aos imperialistas Mexicanos. fatalmente ligada aquelle, que tornando Impossivel, Pedro, liberto, frica, 6? annos, Santo Antonio,
pies deputados I mas os deputadosentenderam que Diz um telegritnrna de Nora-York que o gene- o seu amor, com ludo nao podera matar os affesios- erysipella nos escrotos. (
dem do dia 13.
3:5*7i*
18 806*16
1
T
II
^^l\ /II


Ji
H
te ?ernanbn<* -. fita letra 14 de Mul de i S&.
CONSULADO PROVINCIAL.
Rendim nio do dta 1 a<*2...... 68-.6W1*
dem do dia 13..,........... 3:2Gb#>0
7 i: 467J994
llOVIMEOTO 10 POETO
Navie mitrados no dia 12.
Bordean! e portos intermedios17 das, vapor
franca Extrtmndttrc. de 1,179 toneladas com-
maiulanle H. deSoraer, equipagem 116, arga
fazer las o nutres gneros. '
Terra-Nova21 dias, Barr.a irigleza Stella, de 31d
toneladas, captlo JM. Keusie, equipagem 10,
caiga 1,470 banrlcs com b;,ealho e 825 ditas
rom farinha de trigo ; a Sannders Brothers
& C.
Havre~36 dias, galera franceza Amelia, de
toneladas, eapiao'Lemeise, eqnipagem II,
ga differeules gneros ; a E. Burle & ,
Nao houve saluda*.
lOS.OGCWi.
Julia............................ IB. Eugenia.
Clara-___:.................. D. Camilla.
Magdalena..'................... D. Joauna.
Comrmmdador Castro............ Coimbra.
Augusto......................... Amoedo.
Joo Manoel.................... Porto.
Salvador................,......-. Borges.
Guilherme................----- Lisboa.
Ovigario...................... Pinto.
0 doutor.................. Guimaraes.
Uro pagem....................., Peixoto.
Capaogas.......................... N. N.
A achilo passa se ao Rio de Janeiro.
poca aciualiilade.
Dar' lim ao espectculo a nova comedia em
1 acto, imitaco de Jos Carlos dos Santos
0 viiiho doBatallia.
car-
EDITAES.

AVISOS DIVERSOS.
KJS 6:000r?000.
Cerr amanha.
CASA DAFORTOiU
Aos 6:0000000.
Biihetet garantidos.
A beneficio das familias dos
briosos voluntarios da
Na ra de Santa Hila n. 13, compra-se
ouro e peala e retogios velliss de todas as dua-
lidades.
Voluntarios da patria.
O thesoureiro das loteras, abaixo
O thesoureiro das loteras, abaixo welgf- Oabaixoassignadovend
nado, temoprazer de anuunciar ao ro&DBl-! "s bilbeies garantidos da
tavel publico, que tem expoatt a v^dtV ^Tl^JS^Zi
Teixeira.
Pinto.
Guimaraes.
-anta Rda.
O Dr. Tristo da imperial ordem da Rosa e jais espe-
cial do commercio desta cidade do Reqife
de Pernatnbuco -e-seu termo, por S. M.I.,
que Deus guarde, etc.
Faco saber aos que o prese i te edital v\-
rem, edelle noticia, ti verem, que no dia 14
do corrente raez, pelas 11 horas do dia, na
sala dos auditorios, lera lugar a reuni0des
credores da massa fallida de Caminha & Fi-
lhos, afim de se proceder a verlfieacao de
crditos, deliberarse s>bre a concordata,
caso os fallidos apresdntem, o i frmar-se o
contrato de unio e nomeacao de adminis-
tra lores da massa em questo, observadas
as formalidades de que trata o art. 842 do
cdigo commercial; visto os credores Pa-
tente Vianna <& C. noterem aceitado o car-
go de administradores, conforme foram no-
meados, na reuna j que leve lugar no dia 3
de marco do corrente aano.
E para que o presente cliegue ao conbe-
cimonlo de todos, ser publicado pe'a im-
prensa e affixado na forma da lei.
Itecife, 6 de julho de 1*65.
Eu Manoel Mara Rodrigues doNascimen-
to escrivo o subscrevi.
Tristo de Alencar Araripe.
PEIISONACRNS.
Roberto Tinoco, proprietario......
Antonio Simao.................
Francisco, primo de Tinoco......
Jos, criado de Tinoco.-.........
Luiza, mullier de Tinoco..........
A scena passa-se em Lisboa em casa de Tinoco, abaiko
Este lindo e novo espectculo recommenda-se
ao (Ilustrado publico pernantfeucano.
Principiar s 8 horas.
patria.
A' RA'DO CRESPO N. 23 E CASAS DO COSTUME
O abaixoassignado vendeu nos seus muito eli-
olen que se acabou '
da mairii de S. Pedro,
~nuintes premios :
bilnetes, metos e quartos da primeira parte, um meio n. 332 com a sorte de C:000oco.
da lotera em beneficio das familias dos %a-' Dous quartos n 121 com a sorte de l-,MO|000.
luntarios-da patria desta provincia, que m 50US nuanos n. azes com a sorte de 4uo
E nutras umitas surtes de 100$, 40, 20* e
J090O,
Osoossuidores podem virreceber seus respec-
acbam no theatro da guerra, bena buria-
nilaria a-concesso desla lotera. e_ o pv
pernambucano se acba to enthusiasmado.livos'premios semus desconlosdas leis na Casa
D. Leopoldina em prol de to justa causa, que o messjM da,Fo1rtuna rua df crespn.23.
aio-nadn Psrnsa ifvommpmlafr^ Acham-se a venda os da f parte da lotera
assignaoo escusa i euommenuar* (23l) benenci das f?mi|,as dos voluntarios da
promptaconcurrencia aos referidos billietes. patria, que se extrabir sabbado 15 do corrente.
O andamento das rodas sabtiado 15 do iMtE0.
crtente, no consistorio da igreja do Rasa- 'heles.....700
no de S. Antonio
A disiribuico da< listas e os pagamentos fm
dos dremios serio feitos com a prompti4So
do costume.
O thesoureiro, ,
Antonio Jos Rodrigues de Souza.
O Sr. Anecio Antonio Carneiro da
AYISOS MARTIMOS.
COMPANHIA BUSILEIBA
DE
PAQUETES A VAPOR
Dos portos do sui esperado Cunba Miranda queira dirigir-se a praca.da
Independencia n. 6 e 8, que se preflwa
m
fallar.
Convidase a;, pessoas que esto lias eondi-
ees d-i rervico militar, a atajaren no ci.rpo de
polica e gozarem il^s vantagens da tei provincial
n. CU dS de maio prximo passado, que .-o as
seguintes: liuors- diarios de sold, eerem seus
fillios menores recomidos aos estabHecimentos
prvviaeiaet de edaeaeSo o tempo que esliverem
na go-rra ser contado pelo duplo. part o caso de
aposentadora, e a m destas, tem todas as mais
rintageae <(ue sio concedidas aos voluntarios da
patriaO lenenle-coronel comrnandante do cor-
po de polic a, A exandre de Barros e Albuquer-
que.
No dia 14 do correle depois da audiencia
do juiz de pai dafreguezia a braca os objeclos seguinies : um reloglo de pn-
dula em bom estado, dous fiteiros com vidros, t
cadeiras de amarelio com assentode palhinha, em
hom estado, penhorados a Fernando Garzoli por
execacSo que Ihe [romove Luiz Ferro.
Obras pubticas.
Pela reparticao elas oln-as publicas se faz cenle
que na ponte daTacaruna ja esti livre o transito.
Ilepanicao das obras publicas 13 de julho de
185.0 secretario interino,
Manoel Lourenco de Mallos.
Wmuiu i:... .
J. Jv
1 o al M3
Rcif.
O F'lm. Sr. thesoureiro da Sania Casa de Mise-
ricordia do Itecife, commendador Jos Pires Fer-
reira, manda [azar publico, que no dia 17 do fr-
rente, pelas 10 horas da manhiia, no salo da casa
dos ezposlos far pagamenlo das mensalidades ven-
cidas no qnartel de abril a junho as amas que se
at da 14 d) corrente um dos
vapores da companhia,, o qual
depois da demora do costume se-
guir para es porlos do norle.
Desdeja receben) se passagetros c engaja-se a
carga oue o vapor poder eoxutacir, a qual dever
ser embarcada no dia desua cliegada, encommen-
das e dinheiro a frele al o dia ,1 \ sabida as i ho-
ras da tarde : agencia rua da Cruz n. 1, escrito-
rio de Antonio Luiz de Oliveira Azevedo & C.
Lisboa pela llha do. S. fligeel.
Pretende sabir em poocee dias a barca
Mara recebe carga e passageiros para
estes dous portos. a tratar com os consig-
natarios Garvalbo dr Nogueira, rua do Apol-
lo n. 20 ou com o capitSo na praca.
COMPANHIA BRASILEIRA
- DE
PAQUETES A VAPOR.
Dos porlos do norte esperado
al o dia 17 do corrente o vapor
Tucimtins, commandanle o pri-
_ meiro lenle Pedro Hyppolilo
J^a8S* Duarte, o qual depois da demora
do costme s-ginr pora os ai ros do sal.
Desde j recebem-se passapeiros e engaja-se a!
carga que o vapor poder conduzir, a qual devora
ser embarcada no dia de sua cnegada, encom-:
mendas e dinheiro a frele at o dia da sahida as
2 horas : agencia rua da Cruz n. 1, eseriplorio de
Aniogio Luiz de Oliveira Azevedo & C.
' COMPXHA PERiNAMUCAXA
DE
Xavegaeo costelra por vapor.
Portos do sul.
Si-gue o vapor Parahytia, com-
rnandante Martin5, al Aracaj
no da 14 do corrente as 5 heras
da tarde. Recebe c^rga at o
da 13. encommendas, passagei-
ros e dmheiro a frele at o dia da sahida as 2 ho-
ras: eseriplorio no Forte do Mallos n. 1.
Para o Rio de Janeiro segu
com muita brevidade por ler
prompta a maior parla do car-
regameDlo o brigue brasilero
Imperador, o qual recebe o reslo
da carpa a freie.para o que tra-
la-se no eseriplorio de Amorim Irmos, rua da
Cruz n. 3. Tambern recebe escravos de passa-
gem a tratar com o capullo Joanuim Pinto de Sou- ^ P
za rasso>, na inuya n coiuinercio. .\ r
Dpvid Klach, prussiano, relira-se da pro-
vincia._________________________________
ios'PereiiA da Caoba val a Portugal, levaa-
do em sna companhia tres nelos menores.
Meios. ..... 3JS00
Quartos.....1*900
as pessoas que eomprarem de 100(5000
para cima.
Bl Ihetes.....6*300
Meios......3*750
Quartos.....1*700
Manoel Martins Fioza.
, Club Pernarabucauo.
A partida domez de julho ter lugar na
Mite do dia 20,
Companhia "fidelidade de seguros
martimos e terrestres
estabelecida no Ilio de Jaueiro.
AGENTES em pkunambuco
Antonio l.niz de Oliveira Azevedo A C,
competentemente autorlsados pela direc-
tora da companhia de seguros Fldelida-
de,tomam seguros de navios, mercado-
rias e predios no seu eseriplorio rua da
Cruz n. 1.
Samuel Power Joliuston k Companhia
Ruada SenzalaNova n. 4.
AGENCIA DA
Fnndi^ao de i.ow Moor.
Machinas a vapor de 4 e 6 cavados.
Moendas e meias moendas para engenbo.
Taxas de ferro coado e batido para enge-
nbo,
Arreios d carro para um e dous cavallos.
Relogios de o^ro patente inglez.
Arados americanos.
Machinas para descarocar algodo.
Motores para ditos.
Machinas t. costura._______________
AHA.
Precisa-se de urna ama para cozmhar em rasa
de familia : na rua do Uruin n. 35, defronte do
cbafariz.
- Dr. F. Schuliz vai fazer
ropa.
urna viagein a Eu-
11C
%i
Mara Emilia Teixeira vai para Portupal.
GABINETE
PORTWiDBZ HELHTUKi EM PER-
XAHBUC*.
De ordem di llm. Sr, presidente convocada a
reuniao da assemtila geral dos senhores socios
elleclivos deste Gabinete par a primeira sesso
ordinaria deste anno, domingo 16 do rorrele, as
10 horas da manhaa, no re-perlivo salao.
Secretaria do conselho do ilabinete Portuguez
de Leitura em Pernambuco 12 de julho de 1885.
A. A. dos Santos Porto
Io secretario.
Precisa-se de 1:200* a premio, dando-se como '
garante pessoa habilitadisuna : a pessoa que
: quizer pode dallar o n. de sua casa e rua na rua
l do Crespo n. 17, loja.____________________
de
Precisa-se de una ina
urna casa de duas pessoas,
bem : a rua de Hortas n. 130.
para o servico
agradando paga-se
ESTRADA DE FERRO
DO
Recite a Sao Francisco.
Em consequencia dos estragos causados nesta
eslrada de ferro pelas chuvas torrenciaes que tem
cabido no interior, fica Interrompido o transito da
mesma estrada por (oda esia semana.
Eseriplorio da superintendencia 12 de julho de
1863.
G. O. Mann,
Engenheiro e superintendente interino-
Aluga-se
a casa lerrea na travessa da Rumba n. 10, com 2
salas, 2 qoarlos, cozioha ra, quintal e cacimba :
a tratar na rua do Sebo n. 24.
Da-se morada gratis em urn sitio a uina pes-
soa casada, que sirva para botar sculido : a tra-
tar na roa da Imperatriz n. 62.
Na rua de S. Francisco ou Mundo Novo n. 34,
quer-se urna ama para ce mprar e eozinhar._____
wi).....
DE CAVALLO.
Na noite do dia 8 do crreme mez furtaram do
engenho Ronca um burro e umcavallo, sendo o
burro castanho escuro, est carnudo, passeiro e
ferrado no quarto e carimbado na qneixada cora
X, tem um calo ao esplnhaco, o cavallo casta-
i nho escuro foveiro, tem tres ps calcados, tem una
i marca de ferida ao p do casco, e mais urna mar-
ca ou cicilriz cima da cauda, e o tpete lem pou-
co cabello ; suppoe se ler vlndo para a praca por
se ter visto passar em Tygipi : roga-se as autori-
dades a apprehenso dos ditos cavallos ; e quem
dellcs der noticia, ser gratificado generosamente
na rua de Apollo n. 33, segundo andar.
CRIADO.
Na rua da Madre de Dos n. 36, primeiro an-
dar, precisa-se de um criado que d coohecimento
de sua conducta._________________________
O London & Brazillan Bank, saca por doos
os paquetes,sobre
Lisboa.
Porto.
Braga.
Vianna.
Guimaraes.
Villa Real.
Coimbra.
Amarante.
RETRATISTAS
Firmino & Lilis
Novo eslabelfcimento de retin-
tos roa Xova n. 15, i an-
dar, junte ao Sr. Gantier,
dentista.
Tiram relratos lodos os dias, d-is 7 horas
da manhaa as 5 da tarde, quer chova eu
Bao.
Tanibcm se offererem para tirai retra-
tos de pessoas fallecidas, dentro ou fra
da cidade.
Os annunciantes desejando acreditar o
seu estabelecimento, garanlem ao publico
que nenhum trabalhosahir de sua offlei-
na.sem que nao seja perfeitamente acaba
do, e a vontade do freguez.
A luyase
nm sitio na campia da Casa Forte, com duas ca
sas, urna a em que morn o fallecido Thomaz de
Aquioo Fonseca Jnior, feila a moderna, e conten-
do todas as accommodacoes preebaa, e outra com
boas commodidades para qualquer familia : na
rua do Vigario n. 19, primeiro andar.

Castriciano Marques de Gooveia, arrematan*
das dividas activas da massa fallida de Cammto,
Irmos & C, declara ao publico qu<- oe-ia *M
delxou de ser seu bastante procurador o Sr. Ber-
nardo de Barros Brrelo, e para qoe nao luja ig-
norancia, faz o presente annunrio. Vilia da Jar-
dn), na provincia do Cear, 20 de abril de 1865.
Precisa-se para urna casa estraoffeira de nm
bom rozinheiro e de um copeiro, qoe s*jam forros
ou escravos, garante-se um bom salarii : m roa
da Cruz n. 6.
Precisa-se de nm feitor para o eogenlto Li-
moeiriolui na freguezia gar habiliado para (raiar na travessa do Qnetma-
do n. 1.
Trocam-ee
Perfeitas imagens do mais apurado ir aba I ao
11 o,' pode ha ver nesle genero cora linas pialaras :
a rua da Cruz do Recite n. 57.
Ama
Precisase de urna ama forra para casa de pooea
familia e com pouco servico : do paleo de S.
n. 3, sobrado.
4 ttenea.
Precisa-se da qoaotia de 600* a 1:000*. daado-
se por garanta bens de raz: quero liver para
dar, dirija-se a rua de Sania Thereza n. 20, qne s
dir quem precisa.
Precisa-se alugar ama rozinheira rafva pa-
ra casa de familia : na roa da Uao a U.
AlgiMii amigo do li|ail,> Joo Ramos da Cruz
convida a familia do mesmo e mais amifs at-
sislir na malriz do Corpo Santo orna musa resida
por sua alma, no dia 15 do correte, pelas 7 Ra-
ras da roaiiha._________'______________
Josepha da Silva Campo- Lima a^raOVcea to-
das as pe.-soas que se dignaram assislir e aroav
,anliar ao cemlteriopublico os restos moriae da
seu muito prezado consorte Luiz Pereira Lima :
de novo roga o especial favor a todas a pessoas
de sua amizadn e do fallecido assislirem a mista
do elimo dia, qoe ter locar na matriz do Corp*
arito, sabbado 14 do crreme, as 7 IrS toras da
maoha ; mais um rcconhecimeoto por um acto*
de tanta candade.
Aluga-.-e urna sala ou gabinete n.s roas
prinripaesde Sauto Antonio: annnaviando
ser procurado.
GOMJBAS.
Anda se precisa de urna ama paracozi- jas
nhar e engommar para tres pessoas : na 9
rua das Cruzes n. 37, sendo pessoa mor- ]8
gerada e que se possa entregar urna casa. WL
Vende-se urna adula e urna janella em mui-
to bom estado : rua das Aguas Verdes n. 92.
Quem precisar de urna pessoa habilitada a
ensinar primeiras letras, latim, francez c msica,
denln ou fora desta cidade, dirija-se a rua do
Queimado n. 8, breeiro andar._______________
Engenbo.
Precisa-se alngnr un escravo para o servico
interno e externo : na rua do Queimado n. 29: ,
- ..casa de hornero solteiro ou depouca familia.
Offerece-se urna mulher para ama de
Para a B^hia pretende sabir
com muita ibrevidade a velelro
lugre Emilia, capitao Bernardi-
no Rudrigues de Almeida, por
ter a maior parle da carga ira-
Precisa r de duas amas, urna cO/.luii'W v,
"Kmmadeira : na n ** numero 27.
a qual lava e engomma : a tratar na rua Au-
gusta n. 94.
Nulas do banco do Rrasil e das caixas filmes, Alugamse dous grandes sobrados com com
tada, c para o resto que Ihes
falta traase com o consignatario Joaqun) Jos
apresentafem acompanliada's das criancas que Ihes Goncalves Beltrao, na rua do Vigario n. 17, pri-
foram confiada. nu-iro andar.
Secretaria da Sania Casa de Misericordia do Re-
cite 8 de julho d 1865.
desconum-se na praca da Independencia n. 22.
A!ujia-se
a casa lerrea da llha do Retiro (Passagem da Mag-
dalena) onde morou o corrector Macedo, com bons
coirirnodos para familia : trata-se no la go do
Corpo Sanio n. 19, escriptorio.
modos para numerosa familia, novos e aceiados
rom jardim, cocheira, estribara e oulras commo-
didades, na travessa de Joo Fernandes Vieira :
a tratar na rua da Senzala Nova n. 42.
ama de casa de
engomma,
Arrenda-se o engenbo Jussara de Sani'Anna, sito
na freguezia delpjjuca, legoa e meia distante da
eslaco da Escada e Ipojuca, com trras de var-
io9 de massap para se sorrejar em (irame esca-
la : a tratar no pateo do Livramenlo n. 23 com o
Dr. Ignacio Nery da Fonseca.
A pessoa que quizer mandar criar urna
crianca que nao mame nia-, dirija-se a rua de S.
Francisco n. 30, que achara com quem tratar.
Compra-se effectivamenle ooro e prata eat
obras velhas, pagaudo-se bem : na roa larga do
Rosario n. 24, loja de ourives.
Silviiio Guilherme de Barros roropra e ven-
de effeclivamente escravos de amtx s os sexos : x
rua do Imperador n. 79, terreiro andar._______
Ouro c prata
em obras velhM : compra-se na prara da Inde-
pendemia n. 22, loja de Mnele*.
Comprase ouro, prata e pedras preriosa*,
em obras velhas : na rua da Cadea do Itecife,
leja de ourives no arco da Cooreieo.
Compram-se libras estprlioas a 9*400, aa
praca da Independencia n. 22.______^^
Compram-se libras esterlinas : aa roa de
Crespo n. 16, primeiro andar.________________
t obre, latan e tkaaba.
Comprase cobre, lato e chumbo : no armazem
da bola amarella, no oiio da secretaria de po-
lica^_______________________________^_
Compra-se urna balanca grande ou um braco
Romo : a tralar no caes da companhia Peraara-
bucana, armazem n. 4, ou na rua Imperial 2 7
lisa casa.
Compra-se urna casa terrea no bairrn da Roa-
Vista : a tratar na roa do Vigario n. 13, primeiro
andar, das 9 horas da manhaa as 3 da tarde.
Comprase nm crioulinho ou rriooliaha le
2 a 3 annos de Idade : na rua do Cres^j a. 19.
terceiro andar.
YENDAS.
O escrivo,
F. A. Cavalcanli Cousseiro.
Arsenal de guerra.
0 conselho de compras do arsena
precisa comprar o seguinle :
Em virtude da ordem da presidencia de 11 do
crreme.
Para provimenlo do almixarifado.
20 arrobas de cabo velho de linio,.
10 ditas de eslop di embira.
2 duz>s de eostadiflhos de pao carga.
i arroba de rame de ferro.
1 quintal de forro em verqoinbas de 1 1|2 oitava
dairrossura.
8 ferros para soldar folhas de Flandres.
14 jogos de alicates.
As pessoas que quizerem vender ditos artigos,
apresentem suas proposlas na sala do ron-. Iho, no
dia 19 do corrente, as 11 hoias do dia.
Sala do conselho de cimpra- do arsenal de guer-
ra. 13 de Iullio de 1865. 0 encarregado da es-
criptnracao,
M-inoel Jjs de Azevelo sanios.
losperxo lo arsenal de marinba.
Faz se publico que a comn.ssao de per,los exa-
minando na forma determinada no regulamemo
a'inexo ao decreto n. 1324 de 5 de fevtreiro de
toi, o casco, machina, catdeiras, apparelho, mas
ireacao, veame, amarras e sn oras do vapor Pa-
rahiba da companhia Pernambjcana de navega-
do costeira, achou todos psle.s objeclos eme-lado
de poder o vapor navegar.
Inspecco doarsenal de marimba dj Pernambu
co 13 de julho de 1805.
0 inspector,
H. A. Barbosa de Almai1a.
He ordem do IIItn. Sr. inspector da thesoura-
ria de fazenda desta provincia se faz publico a
quem inleressar possa, que no dia 17 do corrente
mez comecaro na referida ihesouraria os paga-
mentos das pensoes do monte po dos servidores
do estado, vencidas at 30 de junho ultimo.
Secretaiia da Ihesouraria fie fazenda de Pernam-
buco em 12 de julho de 186v.Servindo de offl-
cial-maiorManoel Jos Pinto.
(orreio ,eral.
Pela adminislracJo do correio desta cidade se
az publico que as malas que lem de, conduzir o
vapor francaz Exiremadure para a Babia e Rio de
Janeiro, fecham-.'e hoje 14 as 9 horas do dia.
LEILOES
Leilao
Na rua do Cabupa n. 3,
para se alugar urna escrava.
Aluga se urna ama para casa de pouca fami-
lia : na rua Direila n. 18.
- Na praca da Independencia n. 33, loja de ouri
ves, compra-se ouro, prala, pedras preciosas e
Alupa-se urna muala para
familia, com as habilidades seguintes
_______________ cozlnhaycose, borda, marca com perfeico : quem
.-egundo andar, ha pretender dirija-se a rua da Palma n. 11.
JOO FISK
Precisa-se de nina peseoa qne sirva para bo-
tar sentido a um sitio na Capuoga, e para isto da-
se morada gratis : a tratar na rua da Imperatriz
n. 62. ________________________________
luga-se o sitio da lavagem de roupa e o ma-
de guerra'Da nai'te odo e qualquer concert.________________ i ge| n. 4. Tambem se vende.
Hachi'iisla da cnmpaiiliia dogaz,
faz obras de bombas, latrinas, eucanamenios de
agua, ele.; sempre prompto na rua da Palma uu-
mero 53.' ___________^^_____^
Precisa-se saber quem o correspondente do
engenho Quilnduba, para entregar urna carta na
livraria ns. 6 e 8 da praca da Independencia.
Aluga-se uina casa terrea na rua Augusta n,
112 : a tratar ua rua Nova o. 59, primeiro andar.
0 castello de Gmsville.
Trailuzido do francrz por A. J. C. da f.raz.
Vende-se este helio ronoance em -jniti
tomos pelo haratissimo prer;) le 3JOX
ua 1 ir ai; a da Independencia, livraria ns.
e8.
rua das Convertidas h. 15, eio que
. Aluga-se a parle da casa r. 92 da rua das
(!\ISte 11111 CSla ItelCCI IlieiltO, a I liguis Aguas Verdea : a tratar na mesma._________
da mesma Cerc (ic 2 a 3 ailllOS. I ~ Semina (Ilustrada do Rio de Janeiro
2 Casas terreas de tuina a llCirada es- /ssigna-se na ruado Crespn. 4
- ,6*, seis mezes 11*, um anno 18*
Precisase de rima escrava na"ra~ todo o sai ~ Aluga-se o segundo andar do sobrado na
1 Claudio Dubeux faz scieote ao publico que
trada do Giqui,
Sexla-feira ti do corrente as i! horas.
Cotsielro Miuies
autorisado pelo liquidalario da casa commercial
de Antonio Joaqun] de Mello, levara' novamente a
leilo os predios e alugueis cima descriptos, cu-
jo leilao ser elleciuado no da e hora cima men-
cionado no armazem do referido agente a rua da
Cruz u. 57.
Leilao de o meia-agiias.
Na rua Imperial junto ao chafara n. 1, 3,
5 7 e 0.
iio.ii:
meto da.
O agente Pestaa legalmeotd autorisado far
lei oo, por conia e risco de quem perlencer, de 5
m'ia-aguas em chaos prbprios na rua Imperial de
ns. 1, 3, 5, 7 e 9, cujas t-m n. 1, 2 salas, 1 cosi-
nha e 1 caiuarinha, a. 3 tem 2 salas, 2 camarinhas
e 1 cesinha e assim a- outras todas, ja renderam
cada uina I2f, mais agora ronlem' uirnsaes,
os comprado-es podem examina las com lempo e
o leilao ter lucrar no larro do Corpo Santo junio
a Associagiio Commercial : quinta feira 14 do cr-
rente pelas 12 horas da manhaa.
Aluga-se urna escrava que sabe fazer todo o
servico de uina casa de familia : na rua do Cres-
po n. 18, .-egundo andar Na mesma casa aluga-
se urna excellente machina de colara das que co-
sem ponto de cadeia.
mwm-\

)K O bnckarcl
Wi Francisco Augusto da Costa
ADVOCADO
Hua do Imperador numero 69.
m
Vendem~.se
machinas americanas.de serrote para docarorar
algodo : na rua da Senzala .Nova n. 41.
Vende-se tima horra de ferro grarxle
em perfeiio e:-tado e por cmmudo prm>:
na na do Apollo n. 20.
Na rua do Queimado n. 5 precisa-se
urna preta para comprar e eoziohar.
al upar
A professora publica da 3* cadeira da fregue-
zia il'> .santo Antonio mudou a sua residencia para
a rua Direita, sobrada de um andar n. 74, corri a
entrada no beco.
Claudio Dubeux faz scienle ao
do dia 17 do corrente contina o omuibus para
Olinda a sua carreira do cotuine.
Precisa-se de urna ama para casa de duas
pessoas: n rua da Penha n. 23, primeiro andar.
Aluga-se um mulato bom boteeiro : a tra-
tar na rua da Cadeia n. 41.
m
httencao.
Aluga-se um escravo para todo o servico, com
preferencia as fabricas de sabo ou fundicoes de
ferro : quem precisar dirija-se a rua do Hospicio
n. 38, on armazem na travessa da Madre de Dos
numero 14.
Precisa-se de um rapaz portuguez que tenha
pralica de taberna, dando fiador a sua couducla
no Campo-Verde n. 56.
ama que
Precisa-se de um feitor para engenho sendo
que tenha algoma pratica : a tralar na rua da
Praia, armazem n. 3.
fesKa8 mmmmum mmnM&M
|jj 0 Dr. Carollno Francisco de Lima San-
*j tos contina a morar na rua do Impera-
dor n. 17, segundo andar, tendo alias seu
gabinete de consullas medicas, logo ao
entrar, no primeiro.
SR O mesmo doutor, que se tem dado ao
|K estudo tanto das operacSes como das mo- |
x lestias internas, prestase a qualquer cha S
7Sk niado, quer para deulro quer para fra ?x
*& da cidade. jH|
mmmm mm.rn.mwM mmm
D. Luiza Francisca de Paula Cavalcanli de
i Albuquerque Lacerda lendo arrendado por 6 an
' nos o engenho Piu-ass, sito na freguezia de S.
B' Lourenfo de Tejucupapo da comarca de Goianna,
Quem liver conlas cem o Dr. F. schuliz quei
ra eutecdiT-se a respeito n rua (la Cruz n. 4.
Canias de ferro.
Grande sortimento das melhores que ha no mer-
cado : na rua Nova n. 33.
^
sos
GUROS
MARTIMOS
CONTRA FOGO.
A Compinhiti Indemnisadora
estabelecida npsta praca, toma seguros marilimos
sobre navios eseus carregamentos e contra fogo em
edificios, mercadorias e molilias: no seu escripto^
rio. rua do Vigario n. t, pavimento tarreo.
a pessoa somenle, e que d co- a Jose "Uoda LV !"^ KUr"e,ro
Leilao de urn carro e 4 .cavallosT BBW9Bwnw flB sua MnM: a lri,lar na **** ^f^^^^m. **
HUwJcii Precisa-se de urna senhora que saiba coser
O agenie Pestaa fara' leilao por conla de quem toda a qualidade de costuras : quem estiver nestas
l perlencer de um carro de passeio e 4 cavallos bo- circunstancias appareca n rua do Queimado n.
nita Dgora proprios para sella e carro : sexl>-feira 49, que se dir quem quer.
' Associa^o1' Commercial \ ***** ml ~. He.dese. a Alhen,!.u f&S* LitleranV^e ^^imalMrajk
DE
EMPREZA-OOIMBRA
2-1 recita da atsMlgoatura.
Sabbado 15 de jullio de 1865
Subir' a scena pela primsira vez nesle Ihealro
c bem elaborado e ioleressante drama em 3 actos
o I prologo original brasileiro do Sr. Dr. Francis-
co Pinheiro Guimaraes.
De tima mobilia de amarelio, um rico guar-
da vestido demogno, guarda roupa, guar-
da loucas, aparadores, marquezas, can-
dieiros a gaz, relogios de ouro e prata.
Precisa-se de urna .
engomme, para urna pessoa somenle, e que d co- a Jo-e ',,llt! da L"'lJ-"* Fedr K^rlro e "u-
nheciiiieulu de sua conducta : a tratar na praca lr consenhores da referido eogenlAo, pela guan-
do Corpo Sauto n. 4, primeiro andar. "-e^annual de 1:300* pagos em G prostacoes ven-
civeis, a primeira em maio do correiue anno de
1855 e a ultima em maio de 1870, aeeitou letras
das rendas de cada annoem favor Ho sohredilo Jo-
s Pinto, que licou con-lituido caixa para arreca
dar esses arrendamentos e subdividi-los com os
Portanto declara e faz pu-
expilla do seio da sociedade um pigmeu que exis- bllco que essas letras se acham penhoradas por
te oella. que nao sabendo oceupar o seu lugar. Domingos Franoisco Itamalho e previno desde Ja
i assentou ae reprovar os que sao mais intelligenle! oue pessoa alguma commeiia negocio com as re-
Isto pede o jferidasletras, sob pena de seren nullas quaes-
I Amigo da boa ordem. [ quer Irnsaccdes que com ellas faca.
------1 Aluga-se nina meia-agua muito limpa na
: rua do Progresso do bairro da Boa-Vista : quem
a pretender dirija-se a rua da Praia armazem de
paira carne seca n. 34, junto a ribeira do peixe.
Desappareceu dt cima de urna mesa no se-
gundo andar da casa sita na rua larga do Rosario
Fog(
Perdeu-se na praca da Boa*Vista urna gali-
nha malteza : quem a liver adiado, querondo en-
Iregala no segundo andar da casa n. 8C, confron-
te a matriz, se Ihe gralilicar.
o do ar.
No armazem da bola amarella no oitaoda secre-
taria da polica, recebem-se encommendas de fogo
do ar para dentro e fora da provincia._________
Qnern precisar de um pequeo portuguez,
de idade de 12 annos, bastante desembarazado pa-
ra qualquer arrumara,) nesta cidade, dinja--e ao
caes 22 de Novembro n. 24, armazem de mate-
rlaes
Alugase um pequeo armazem ua rua da
Paz, proprio para qualquer estabelecimento em
poolo pequeo : a tralar no pateo de. S. Pedro n. 4.
NO GRANDE ARMAZEM 1)0 AGENTE
OLYMPIO*
36--1tiia da Cadeia do Keelf4>--3G
E.UPREZA
DE
sem fllhos ou solteiro: quem pretender dirija-se a: rentao pesando l nita as, tendo dous passadores
praca da Bja-Vlsia, sobrado n. 5, segundo andar,e urna chave de travessao : pede-se as pessoas a
das 6 horas da manhaa s 10, e das 3 s 6 da quem for offerecido, que o apprehendam e leve o
Aluga-se
a casa n. 18 da praca da Boa-Vista, propria
Objectos de ouro e prata e OUtros mullos, qualquer negocio : a tratar na rua eslreiu do Ro
artigos. sario n. 47.
Carla f;.... l /, ,|A laaMala as I i lim o I Preci:;a St! de urn homem para feitor de en-; n. 33, nm relogio de ouro patente inglez, sendo as
i que seja nacional ou portuguez, casado, .caixas Imadas c falla do eixo da lampa, com cor- 1 IMIIV A CAO A fiAZ-
Armazem n. 31, rua do Imperador.
Para mais regulandade do servico lem a empre-
za resolvido to soinente vender os apparelhos,
etc., deixandoque os -rs. consumidores rbamem
os machioislas que mais.Ihes agradarem, podendo
os nomes, morada, ele, de todos elles serem indi-
cados no armazem da empreza.
i4s rerlamagoes por m luz das casas, cujos ap-
parelhos houverem sido collocados auleriormente
a esle aviso, serao atlendidos pela empreza; oulros
quaesquer, nao.
A empreza espera que esla m-dida ser devida-
mente apreciada gelos senhores consumidores, ten-
dente como a tornar este servico mais economi
co ; vi.-to que ella vender ludo, apenas com um
lucro tal, que cubra as despezas inevilaveis.,
tarde. ___________________
Offerece-se uina ama de bom leite :
da Imperatriz n 9, primeiro andar.
na rua
Leilao de fazendas e roupas feitas.
Manas fara' leilao a requerimento dos curado-
res liscaes da massa fallida de Joo Baptista Goa-
calves Pastos, c por mandado do Illm. Sr. Dr. juiz
especial do commercio de chitas, madapoloes, al-
godo, diversas pecas de roup< feila, cortes de ca-
semira e chapeos de. fellro, tudo pertenecnte a
mesma ma'sa.
Sabbado 15 do corrente.
No armazem da rua da Cadeia n. 62, as II horas.
O s>r. Jos Coutmho do Reto Dantas que nkr
ronjeu mora no engenho Goiabeira, lenha a bon-
dade e appareeer, ou o seu correspondente nesta
.praca, no armazem do SlmSes, rua da Praia, M-
(boira do peine n. 19.
Vende-fe duas carrejas, urna para boi e ou-
tra, paca cavallo, sendo esta com lastro somenle,
prqpcaj'ara carrejar barricas de farinha de trigo,
leolia, utcu ambas com uso, por preco muito com-
molx< .:fK\ir ae paleo de S. Pedro n. 4.
a casa cima que se gratificar generosamente.
Precisase de urna pessoa habilitada para en-
sinar primeiras lelras em lugar mili prximo a es-
ta cidade : a fallar na rua de Santa Cecilia n. 21,
das 3 as 9 horas da manhaa, e das 4 as 5 da larde.
Ama
Precisa se alugar urna escrava que compre e se-
ja boa rozinheira e eagomme, paga-se bem : na
rua do Queimado n. 46, loja.
Lava-se e engomma-se com perfeico por
commodo preco : na rua das Cinco Ponas nume-
ro 140.
- Vende-se orna negr nha de 10 asm .
esperta e sadia : oo paleo da malriz de Sano Am-
tonio n. 8.
Seen les.
Vendem-se semeutes de h jrtalicas moilo aovas :
na rua da Cadeia n. 50.
- Vcnde-se uro bonito chouio com 20 anuos
de idade, proprio para engenbo ; no paleo do Ter-
co n. 139._______________________________
Al Ir n cao fre-uezes.
E' chegado a taberna da travessa do Queimado
n. I, o ja bem conhecido doce da c*sea de gotaba,
vende-se em conla por haver porcao Ualo esa la-
tas como em ca monas.
- Vinho do Porto superior em caixa de anzta,
lem para vender Anlonio Loiz de Oliveira Ai
do & C, no seu escriptorio roa da Crnz n. I.
BATATAS.
Vendem-se excellentes btalas pelo ka
preco de 400 rs. o gigo : no armazem do Sr. Aze-
vedo ilefron'' da esradinha da alfandefx_______
MACHIMAS
Rtdneraa i* arefia.
Vendem-se por precos rednzidos marbtaa aa
iie-mreear a1iro.iao de serras de todos os tarnaastea,
de 14 a 6' .-erras ; assim como moiorix cara aa
mesmas, as quaes, se acham vista no armazem de
farinha, roa do Imperador, por haixo do Gabinete
Portuguez : a tratar na roa do Trapiche o. aa
no mesmo armazem : ontro sim recommenda-se
aos compradores que i-ern de azei'e dore ea de
coro para enirarem os eixos deslas maritiaas tai
lugar de azeile de carrapato, visto esle prodjur a
contrario do qne aqaelleque se qoer.
Bichas deHamburgo
Vendem-se na rua Nova n, 61.
Garriteis com 300 jardas.
A loja da Aurora, da rua larga do Rosario a. 3a,
recebeu grande sortimento de carrile* de -inhas
de 300 jardas, a qual de muilo boa qn ibdde.
laoto serve para cozer rom aguiha ri>a>-para ata-
china : quem pretender comprar desla lii.ha aa-
de a loja da Aurora na rua larira do Rosario o. ""*.
pois c a nica loja qoe rerebeu desta qualidade tV
I nha e vende barato.
Vende-se urna taberna das primeiras sua
negocio a realho, na rea da Cadeia aova o. 15,
porque o dono lem de ir tratar de sua saude.
Vende-se a casa lerrea na roa Isaeeriai m.
270, chao proprio, quintal murado : a tratar a*
rua da Roda n..6.
Vndese a mrtaa da ca?a terrea n 31 da
rua do Bom Jess das Cnonlas, ti,ije dos Qoarieis :
a tratar na rua larga do Rosario n. 17, junto aa
quarlel.
Vendem se saceos rom f-rinha da Ierra ami-
to boa, com 22 roas, a 35O0 cada ama, e ama
erra aparilhada de serrar madeira, eas serte*
estado, muilo barata : na taberna dio cua d>> l,a-
perador o. 83.





.
Diarlo le peiuawbuco acxta felra 14 Je Julo de l&ttft.


Tasso Innos
Ye n de id no sea aimizem roa do
Amorini n 35,
Licor fino Carasio em botijas e meias botijas.
Licores tinos sonidos em garrafas com rolhas de
Tidro e ero lindos frascos.
Vinhos Cheres.
Santernes.
Chambertin.
Hermitage.
Borgonhe.
Champagne.
Muscatel.
Reino.
Bordeaos.
Cognac.
Od Toe.
AzeitePlagniol.
Approv.das pas Academia Ot Medicina de Pars.
Resulta pelos ilous relatorio., adoitiadus |.cla dita
Academia ein 1X40 e em 1858, que as <.H Ac.i.as de
Gl i- e cunte sao o melhor e mais cflica rcmediu
ferrupiDnsu para curar a cliloroiis (alias fluor-albo), os
fluins brancas, a fraqueza de cowpleixe nos doue
seius, e lambem para ajudar a nicns.ruui.ao das mocas.
Estas Grageas nao sao Tendidas senao em caixinhas
od vidros cobertos cen rotulo e fecbados com urna tira
levando a firma do depositario peral : L\BF.I.0\ve,
aharmaceuco, rua llourbon-Viiittiute, 19. Part.
Deposito geral em Pemamnnco ra da
Cruz n.22 em casa de Caros & Rarboza
Grande liquidado a dinheiro.
Na loja earmazem do Pavo.
Rua da luiperairir a. o de Sa-
ma & Uva.
Os dones desleesiabelecimcnto iem resolvido li-
quidar soas fazendas por pregos baratissimos, s
com o fim de apurar dinheiro, e previnera as pes-
soas que negocian) em pequea escala com fazeo-
das, que nesta loja e armazem enconiraro um
grande sorlimento por precos que muito Ibes bao
de agradar, tanto em pega como a retalho, a sa-
ber :
Chitas largas a 200 rs.
Vendem-se editas francezas, listradas muilo lar-
ga?, padrOes escuros, pelo barato prego de 200 rs.
o covado, tendo muito bom panno ; ditas escuras
p-droes no vos, por serem todas escossezas e cor
lixa a 240 rs. o covado ; ditas miudinhas escuras
e claras a 240 rs, amanendose que esta fazenda
nao tem o mais pequeo toque de mofo, nem ootro
qualquer de fe i lo. Istos o Pavo, na ra da Im-
peratriz n. 60 de Gama & Silva.
Espartilhos, na loja do Paiio.
Vende-se um bonito sorlimento de espartilhos
proprios para senhoras, sendo dos mais modernos
e bem feilos que Iem vindo ao mercado, tendo de
lodos os tamaitos e de diversos precos trazendo to-
das as competentes utas para apenar. Uto ? na
loja do Pavao, ra da Imperatriz n, 60 de Gama
& Silva.

Salsa parrilha de Ayer
PARA A CURA DA
3
o
1
O
Q
<-itt\m
echan cha
Laazinhas a 320.
Lazinhas a 320.
Laazinhas a 320.
. Chegara* para a loja d8 Pavo as mais bonitas
w-,4, ig-^-m |-rlTT laazinhas suissas de qnadnnhos e listrazinhas a
KSIC/Mmll'jDUMJJm. mitacao de sedas por terem rotulo lustro, sendo os
padroes mais modernos que tem vindo ao mercado
e muito leveziuhas, vendendo-se pelo barato prego
de 320 rs. o covado, sendo fazenda
e todas as molestias
provenientes lela
todas as molestias da
pe le
etaensi pellas, tumores, ulceras,
sarnas,
naseidas, empingens,
REUMATISMO
S1PIIIIIS
em todas as seas formas, assim como todo
o mal que provm do uso excessivo do
MERCURIO
I lccr:ic;"io do ligado
rem summa todos os males que tem sua
e igem na
IMPUREZA DO SANGUE
um alterante poderoso para a
RENOVACO DO SANGUE
e para dar nova torca e vigor ao corpo j
enfraquecido pela doenca.
Vende-se na ra ireita ns. i 2 e 76 e
Hospicio n. 40.
Vende-se em Pernambuco:
oa pharmacia franeeza de
P.MAURER & C.
____________RA NCWA N. 18._________
Espartilhos a pregnieosa.
A loja da Aurora na ra larga do Rosario n. 38,
recebeu espartilhos a preguigosa, os quaes sao os
de mais commodo que tem rhegado para qualquer
senhora >e vestir sem trabalho algum ; grande
soriiinento de franjas brancas e de cores para cor-
tinados de cama, bonitas bvelas de madreperola
para sintos, sorlimento de estampas de santos de
dilTerenles qualidades e tintas muito linas; final-
mente lera grande soilmenlo di miudezas ; quem
duvidar rnande ver para justificar, a verdade, e
sempre se encontrar pessoas.qara despachar
qualquer freguez neste eslabeleeimento com mais
agrado que for possivel: ludo Isla s se eocontra
nalojadiAurora, na ra larga, do Rosario n. 38.
Planta da cidade do Recife o seus arrabaldes
pelo Dr. J. Mame.de A. Ferreira, urna folba em
grande formato, e primorosamente gravada : ven-
de-se na livraria econmica defronte do arco de
Santo Antonio.
-se
farelo de Lisboa em saccas e barricas, e saceos
com superior fariutia de mandioca, mais barato do
que em oulra qualquer parte : na ra do Vigano
n, 17, primeiro andar.
Ferros para engomm>r
Vendem se caixinhas contendo o mais completo
sorlimento de ferros para enganimar, encrespar
babados, pafus e loda roupa de senhora : na ra
Nova n. 21
loja.
CallIMgas flU9S e lirio Oj necios I zem do Pavo, ra da Imperatriz n. Cu', de Gama
que sempre se
vendeu por 640 rs. Liquida-se por este baialo
prego na loja e armazem do Pavao, na ra da Im-
peratriz a. 60, de Gama & Silva.
Lencinhos pa mo a 240 rs.. na loja
do Pavo.
Vendem-se finissimos lencos hrancos com dnas
cercaduras, sendo urna de cordao e outra de eores
matizadas muito finos, a unilacao de linho, pelo
barato preco de 28800 a duzia', ou 210 rs. cada
um : i.-to s na loja e armazom do Pavo, na ra
da Imperatriz n 60, de Gama A Silva.
Laazinhas a 300 rs.
Laazinhas a 300 rs.
Laazinhas a 300 rs.
Vende-se um bonito sorlimento de laazinhas pro-
prias para vestidos e soDterm aniues por serem li-
sas e de quadrmhos pelo barato preco de 300 rs. o
covado, sendo fazenda que sempre' se vendeu a
500 rs. o covado, e vende-se a dinheiro a vista pe-
lo baratissimo preco de 300 rs. o covado : na loja
do Pavao a ra da Imperatriz n. C0 de Gama &
Silva.
Pelerinas a 1(5600.
Vendem-se as mais ricas pelerinas ou romeiras
de carnhraia bordadas propnas para hombros de
senhora pelo baratissimo preco de 15600: na ra
ca Imperatriz n. 60, loja de Gama & Silva.
Orgaody a 240 rs. o covado.
na loja do Pavo.
Vendem-se as mais bonitas cassas organdys, pa-
droes miudos e grandes, pelo baratissimo preco de
240 rs. o covado (doze vintens), esta pechincha
acaba-se logo : na loja do Pavo ra da Impera-
triz n. 60, de Cama & Silva.
BRETAXHA DE ROLO A 38000.
Madapoln enfestado a :t#000
Na luja do Pavo
Vendem-se pegas de hretanha de rolo com 10
varas a 38, ditas de madapolao enfeslado a 3,820,
35500 e 45 : na loja do Pavo, ra da Imperatriz
n. 60, de Gama & Silva.
Madapolao eom (oque de mofo a 60100 e 7
Vendem-se superiores pecas de madapolao, ga-
rantindo-se 20 varas em cada urna, pelo baratissi-
mo preco de 68400 e 78 por terem uro pequeo
loque de mofo que nada val, e pegas de algodo a
45 : na loja do Pavo, ra da Imperatriz n. 60, de
Gama & Silva.
Cortes de casemiras a 2,-S'iOII e II >
Vendem-se corles de casemira de urna s cor a
25300, ditas de quadrmhos a 35 : na loja do Pa-
vo, ra da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Chales a 2,5000
Vendem-se chales de meriu a 25, 25-500, 58 e
65 : na loja do Pavo. na da Imperatriz 11. 60, de
Gama & Silva.
Lazidliasa 220 rs., na loja do Pavo
Vendem-se lazinhas transparentes de ucna s
cor e de quadrmhos propiias 1 ara vestidos de se-
nhora- e meninas, pelo baratissimo prego de 220
re. o covado, sendo fazenda que sempre se vendeu
a 500 re.: na loja do Pavo, rua da Imperatriz n.
60, de Gama t\ Silva.
irlcs granadinos a 12$
Vendem-se os mais ricos corles de fazenda de
muia phantazia por ser Iransparentes e tecidos
com seda, temi rada corle 22 covados, pelo dimi-
nuto preco de 12j : nicamente na loja e arma-
O
BARATOS,
IB7ll9
A ntij>a e ben-fonhecili loj.i te rrln !w_
,'rua do-Queimado n. 16, cana de ser m.r>.r~
naca
^
1
<
DE
AZEVEDO FLORES
Rua da fritin do Kecifc, esquia da Madre de Deas,
BALOjES
Raloes de arcos 3^000. /\
Rales com o primeiro arco grosso de 20, 25 e 30 arcos, a vista so far prego.
Raloes de arcos e de pa: no para meninasjrte 2 a 12 annfcs a # e 2)lo00,
Chapeos (Le st L
Chapeos de sol de seda com 12 asteas 8.
Ditos maiores com 16 asteas iift. ** v
CatMtMM*
Camisinhas para senhora a 3. 4
Camisas brancas para h imem e com peitode cor a 1)5800 cada urna.
Camisas com pregas largas muito superiores a 20500.
Camisas de linho a 2^800 e 3#5 0.
Camisas de iinho inglezas a 40, sao muito superiores.
Camisas de anella de cores muito finas a 40.
Cami as de meia sujeriores, I cart5o com 6 camisas 100.
Chitas.
Chitas largas a 240 o 280.
Chitas largas escuras finas a 320 rs. i
Chitas preclaras superiures a 440 e 500 rs.
Chitas estreitas a 200 rs. o covado.
Sladapoloes. ,
Madapolao muito fino a 80 e mais in'erior a 60, estes precos 20 menos que o
valor real da fazenda, quem duvidar venha ver, ha muitas oulras qualidades de mada-
poloes, assim como o superior madapolao francez para camisas e saias de senhoras.
Meias.
Superiores meias cruas para homem.
Meias pretas e brancas para senhoras.
Ceroulas.
Superiores ceroulas de linho o melhor que ha.
Ditas de brim de llatnburgo fcitas na trra
Ditas de esguto do algodao a 10600.
Paletos s.
Paletots saceos de casemira.
dem de brim pardo e blancos muito finos,
dem de alpaka branca nimio superior a 50.
dem de alpaka preta a 40.
Calcas.
Calcas de brim branca a 7-5, G% 50 e 40.
dem de casemira de cores a 70 80 e 100.
Colletes.
Golletes brancos a 20500 e 30.
dem de casemiras de cores e pretas a 40 e 50.
Vestidos a Mara Pa.
Ricos vestidos de 15a com barras modernas e os mais finos que pode haver a 200.
Vestidos do mesmo gosto. porm mais simples a 120 e 14.
Macos de viagen a &#.
Por estes precos s vende Azevedo & Flores na loja do
Agua Hoilde
para lingir cabello?.
Alm dochromacoino, uclia-se mais aa- AlltigU ljl (le mlideZaS a
comprador, a qnnn i-sr, e a reri!lri*rf> pi*.
fos nao ser hnflITci r.te para ruttoMf rw, -m*
boa fre:oeza.
gua Hoilde, p;e[iai,irao inglcza para tmgjir1
os cabellos, s pretpndentes comparecam a
rua do Queimado, loja d'Aguia Branca n. 8.'
lio hitas caixinhas
com perfumaras.
A Aguia Branca na rua do Oueimado n. 1
8, recebeu um novo sorlimento deperfu-l
marias das excellentes qualidades j bemco-
nhecidas, vindo nn mesmo bonijas caixinhas j
demadeira invemisada, e oulras de vidro, | l>Cnnas rt'aea, papel e imillMl
todas com finas perlumnas. e mu pro-; N.tf lojT(fcla* a roa d-, il,-a.,
pnas para presentes, as quaes sao vendidas arita-se um bello ;oriimeni de aaaai a*-
por precos comnudos,.na luja d'Aguia Bran-'ma"" ..8r*e '''0 '" i^n'^^'t inm ir, '...
o Queiojad.) n. 8.
Toacas de fil enfei
tudas
rua do Queimado n. 16.
Nrssa loja vende-se baratanutu-, alrat a>
los oulros ohjerios os sepuintes :
Voll-js de eryslal, grandes e peqiieoa>.
Oulras de diversas oniHdadaa.
CrotM randes de pedra* fal-a?.
A.'linel- de madrep rulae ouirs qaaliiia^rs
Brincos a balo.
Cilos a traviaia.
N. 16 rua do Qaeimado.
a 50 rs. cada urna.
Vendcni-se na rua do Queimado, loja da
Aguia Branca n. 8. .
Espelfios dormidos
A Agu a Branca, recebeu novamenle um
grande, sorlimento de espelhos de tfferen-
tes qualidades, sendo de mordura domada,
dita envernisada, oulros de dita envernisa-
da com vivos dourados, tendo diversos ta-
manhos, al grandes para salas, e bem as-
, sortc, do de p.so lito, jamado e o> padMati v
j de difterenles qualidades al a qne se pode tmn
Tai- de nrihor, dito paqoele, dilo pequeo ea a-
liakas, sendo Imi, imuiadn, de i|uadnnt>n.<. tetra
doaradac tarjado de pr.|.>, tendo eaire riles ai-
j puns que trazem a envei. pt na me-inr. '.; I-,., o q
aqu inti iramenle novo. Caita- de H>vrioa,i
ir.aiur. s e menores, e tarjados de pr i., i'.'auas
d"ac,o ingiwas, raligFaphica? e oor;; fHMadaB,
todas dos afamados fabricantes Perr-s \ i,
Albus NrtUl na raa da Qif-i-
mado n. {(>.
V.ndein-se hcnitus ;.IIuii< para 12 rei :, a
5000, oulros para 2i a 3,5000, e alguss m.>= 1.
lanihiiii por haralos presos.
I.mas de p tica a oO n. p.
Aperar de nao serem antipas mfli um pa*
modadas as lavas de peltca
prela de r,-r-
sim oulros de armago com um e dous ps, |uaes a.inda fery P4"". ""''e, no -o
e oulros com enconsio, todos os quaes se r
vendem i or precos commodos e dinheiro a
vista : na rua do Queimado, loja d'Aguia
Branca n. 8.
: ..a *
ll
Attenoao, fregueze^.
para meuinos.
(>hegaram para a loja de miudezas da rua do
Queimado n. 69, os mais finos e lindos calungas
tanto para brinquedn de meninos romo para cima
de mesa : na mesma loja se encontrar bom sor-
timento de mitidez.s.
Vendem-se palmeiras imperiaes, em estado
de serem Iransplantadas: no sitio murado es
querda, depois do Ijcccd do Espinheiro. dos Af- variad" sorlimento dos mais ricos chales pretos de
flclo
& Silva.
lluriiMiils de renda na loja do Pavo
Chegaram os mais ricos bornouts de renda e se
vendem |ior baratissimos precos : na loja e arma-
zem do Pavo, rua da Imperatriz n. 60, de Gama
Silva.
tiros chales pretos de renda
Chegou pelo ultimo vapor francez um grande e
renda, tanto de linho como de seda, tendo entre
elies muitos de pona redonda a emitaco de man-
teletes o muitos com o centro de cor, e vende-se
por precos muilo em conla por terem sido manda-
dos vir de conla propria pelos donos da loja do
Pavao, rua da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Laazinhas lisas a 500 n.
Vendem-se as mais modernas laazinhas, tendo de
( O lie LlSlHia. ,odas as nores- Pe|o barato prego de 500 rs. o co-
Vende-sc cllenle cal nova, ltimamente che- A^Im^^^rt^T'r?3? rs-fi,1-,lso
gada : na rua do Trapiche n. 44, segundo andar, ,rr?L. *8, ,,' o*"' eor,eR ?' brancos llS0S
escriptorio de K. R. i bello. \ : nai0J do Pava0> rua da mperalrlzn. 60,
Potassa da llussia
muito nova e superior : vrnde-se no escriptorio
de Manuel Ignacio de Oluvira & Filho, largo do
Corpo Santo n. 19.
Vende-se urna casa a moderna de ura
andar e sotan na rua das Cruzes n. 7 : a
tratar na praca da lodepundencia loja de
relojoeiro n. 12.
0 liarateii-o est queimando por todo
preco.
J^acas de cascas proprias para cortinados com
10 varas por 25, chitas francezas a 240, madapo-;
I5es finos a pec.a com 2 jardas por 6J1, 6*500 e Imperatriz n 60, de Gama & Silvj.
de Gama & Silva.
Chapeos de sol de alpaca
Vendem-se superiores chapeos de sol de alpaca
a 3o00, ditos de seda inlezes com 16 aspas a
125 : na loja do Pavo, rua da Imperatriz n. 00,
de Gama & Silva.
Lazinbas, transparentes a 320.
Vendem-se muito bonitas laazinhas transparen-
tes, com pal ruin lia- de seda a 320, ditas lisas e de
parias cores a 220 rs.: na ioja du. Pavo, rua da
i
Corles de las matizadas.
Vendem-se bonitos cortes de las matizadas, ten-
do 15 covados cada corte, a 5*1, ditos Mana Pia
a 65 e H$ : na loja do Pavo, rua da Imperatriz
n. 60, de Gama \ Silva.
R0lTt>A FEITA
ROPA FEITA
ROUPA FEITA.
Na loja do Pavo vende-se um grande sortimen-
| to de roupas feilas para homem, sendo calcas, pa-
do mar, tambera da comidas e dormidas, e recebe |etts e colletes, tanto de panno como de casemiras
pasageiros, teodo^ excellente commodo para fe- ^ pretas e de cores ; deixa-se de mencionaros pre-
((os para nao se tornar enfadoiiho o annuncio,
aGancando-se que o respeitavel publico achara um
J grande sortimento por baratissimos precos : na
1 loja e armazem do Pavao, rua da Imperatriz n.
60, de Gama & Silva. _________
Piche do gaze verniz dogaz.
Vende-se piche do gaz, verniz do gaz e estopa
da ierra : no armazem da bola amarella, nn oilao
da secretarla da polica.
75, chapeos de feliro a 15 : na loia da rua da
Madre de Dos n. 16, defronte da guarda da al-
fandega,_____________________
Vende-se um carro de carregar gneros da
alfandega,; com uso, e lodos os purtences de outro
igual, tudo por prefo muito commodo : a tratar
no pateo dei>. Pedro n. 4.
Vende-te urna taberna bem afreguezada para
o mato, e beta como para a trra por licar ao p
tilia : na rua da Lapa o. 13.
oja
das seis portas em frente do hi-
ero ment
Vendem-se chitas francezas escuras e bons pan-
nos a 2i0, 2(!0 e 280 o covado, cassa franeeza de
ores fixas a 2i0 o covado, nreanfia de rolo a
25100 a pega, cortes de casemira de cor escura a
45, balees de arcos a 38, 3JT>00 e 45, e mutas
oulras fezeddas por baratissimos precos, e de tudo
Attencjto.
Vende-se o deposito da rua Nova n. 6', bem
afreguezado e bem sonido : a tratar na rua do Li-
vramento n. 3't.
se do amostras; eambraia para forro a 25000 a! Palitos de fgO a 2$ 8 gPOZa para -
quidar.
Chegaram excellentes palitos de fogo e vepde-
se pelo baratissimo prego do 28 a groza: na rua
peca
Lagcdo para calcadas.
Viadt-s-. muito bom lagdo para calcada* ear
mazeos clu'gfido agora : a tratar n raa do Apollo da Cadeia 0-4. [Bastos,
Lourenco P.-reua Mondes Guimaraes, rom loja
e armazem da Arara, La rua da Imperatriz n. 56,
esl fazendo urna nova liqnidayao de todas as fa-
zeudas qoese vende muilo barato, a saber :
CHITAS A 200 Rs. O COVADO.
Vendem-so chitas com muito bom panno e tendo
cores lixas, pelo baratissimo preco de 200 rs o co-
vado : s Lourenco Pereira Melles Guimaraes.
AS BRETANHAS DE ROLO.
Vende-se brelauha de rolo muilo boa fazenda,
pelo diminuto prego de 35000 cada pega com 10
varas.
LAZIMIAS CBIJEZAS.
Vendem se as mais modernas lizinhas chinezas
pelo barato preco de 280 rs o covado, fazenda e.-la
que sempre se vendeu a 400 rs. e boje esl se ven-
dando a 280 rs., de lodos os padroes e todas as
cores: s .Mendes Guimaraes.
CHITAS FRANCEZAS.
Vendem-se chitas francezas escuras e claras a
240, 260 rs. o covado, ditas percalas finas a 280,
300, 320 rs. o covado : na rua da Imperatriz n. 56
loja de Mendes Guimaraes.
GRANDE PECHINCHA DE CHALES DE
MERINO1.
Vendem-se chales de mene estampados pelo
barato prego de 25 cada um.
CAMISAS FRANCEZAS.
Vendem-e camisas francezes a 18500, 18800 e
25000 cada .uir.a, ditas de pregas largas a 25 e
25240, ditas de iinho a 25500 cada urna : s Men-
des Guimaraes.
MADAPOLAO ENFESTADO.
Vende-se madapolao com 12 ardasa 35500, 45
e 4-3500.
CAMISAS PARA SENHORA.
Vendem-se as mais modernas ramizinhas enfei-
tadas para senhoras a 4-3, 48500 e 55000,
GRANDE SORTIMENTO uE CAMBRAIAS
BRANCAS.
Vendem-se umbralas brancas a 35, 35500, 4,
45500,55, 55500 e 65, e muito lina a 78000 cada
pega.
CORTES DE CAMRRAIA BRANCA COM
SALPICOS.
Vendem-se cortes de eambraia de salpicos mni-
to iniudinhos e cada corle Iem 10 var.s, pelo bara-
tissimo prego de 55.
COBERTORES ESCARLATES.
Vendem-se coberiores de escarales a 68, di-
tos de algodao a 18500, ditos escuros a 18800 cada
um : so Mendes Guimaraes.
PECHINCHA DE ENTRE.MEIOS. ..
Vendem-se bonitos ntremelos a 800 rs. i pega,
ditos linos tofidos, tendo padroes muito de gosto a
18. babados a 18 cada urna pega : na Arara, rua
da Imperatriz n. 5*0 de Mende,, Guimaraes.
CASEMIRAS.
Vendem-se casemiras com hsiras a 2*500 o co-
vado e ditos a 35000.
ROUPAS FEITAS.
Vendem-se roupas feilas de tudas as qualidades,
raigas de ganga a 15500,18600, I8u0, ditas finas
a 25, dilas a 25800 e 3#, dita* de brim brama a 25, dilas de
linho a 35500, ditas de casemira a 38 e 350O, di-
las linas a 68 e 78500, ditas prela- de casemira a
6 e 88000, palitos saceos de meia casimira a 45,
45500, 55 e 65000, dilas finas a 75 e 88000, dilas
de casemira me-clada a 98500, palitos sobrecasa-
cos de paano prelo a 128. 14 e 168000, jaquelons
de brim pardo a 2t800, 28500 e 2ff00 : s Lou-
renco Pereira Mendes Guimaraes, rua da Impra-
tr'z n, 56, loja da Arara.
rarinha de mor beca fi a e alva, mais
barata que se vende no mercado, em sac-
eos : na rua do Vigarion. 29.
Raa du .Madre de Dos n79
Vende-se milito a 48500 o sacro, muito novo a
arelo a 45200.
ranga
linissimas para limpar dentes a 240 e
NOURADE
A l# * e iff-OO.
l-eques de osso, ultimo gosto, a i$.
Ceroulas de meia a 15200.
Dulas muilo finas a 15500.
S na rua da Cadeja do Recife o.'S
Rival sem segundo
Rua do Queimado os. 49 e55, loja de
miudezas de tres portas, estaquei-
mamlo ludo boro e barato, quem qni-
zer ver eAdmirar venbam loja do
Bigodioiio.
Caixas de papel amizade, e sem ella liso e paulado
a 600 rs.
Grozas de botoes de louga praleados fazenda mo-
derna a 160 rs.
Duzias de penna de ac fazenda boa a 40 rs.
Pegas de iranga de laa lisas e de todas cores
40 rs.
Escovas
320 rs.
Pulceiras de coatas para senhoras a 500 rs.
Pegas de fila de cs estreilas com 10 varas a
320 rs.
Caixas com clcheles francezes, superiores auali-
dadesa20rs. H
Tinleiros de barro, com superior tinta a 100 rs.
Pegas de cordo para vestido?, fazenda boa a
20 rs.
Baralhos muilo linos para vollarele a 200 e
240 rs.
Frasees com aj;tia de Florida a 15 e 15280.
Frascos com superiores banhas a 500 rs. e 25.
Frascos com banha, porm pequeos a 200 e
240 rs.
Laia"sfom superior banha a 200 rs.
Frascos de macag perula muilo lino a 200 rs.
Frascos e garralinhas com agua de Colonia a
400 rs.
Frascos grandes com superior agua de Colonia a
640 rs.
Fracos com superior oleo de baboza a 400 e
500 rs.
Caixas com 12 frascos de cheiros muilo finos a
15400.
Sahonetes pequeos de bolla a 240 rs. e grandes a
320 rs.
Sabonetes de familia a I2 e 200 rs.
Duzia de sahonetes pequeos com eheiro a 700 rs.
Agua denlifice superior qualidadea ROO rs.
Caixas com superior p de arroz a 800 rs.
Frascos de superiores essencias santal e outros a
15300.
Frascos com essencias para lirar noduas de rouna
a 500 rs.
Frasccp com cheiros de todos os precos a 160. 200.
240,e 320.
fraseas bonitos com cheiros finos a 500 rs.
Duzia de meias muito finas para seubora a
45800.
Golliobas muito finas para senhora a 200 rs.
Caixas com soldados de chumbo para meninos a
160 rs.
Duziajde colber.es de mstal para cha a 800 rs.
Ditas dita dito para sopa, fazenda boa a 18600.
Varas de cordao bramo para esparnlho a 40 rs.
Pegas de lita de la para debrum de vestido, com
10 varas a 600 rs.
Ditas de bicos superiores, .para acabar a 600 e
800 rs.
Pcdras de lousa para meninos a 160 rs.
Caixas de lampannas para 3 mezes a 50 rs.
Bunecos de choro e panno a 160 rs.
Caixas com bonitas estampas para rap a 100 rs.
Capachos coropridos, boa fazenda a 500 rs.
Grosas de bolSes pequeos pretos para caiga a
Todas estas fazendas para liquidar, pois todo
est em perfeiio estado, isto garante o dono do es-
labelocisr.enlo.
Brn papel a/mas so
pautado com 33 liabas,
A Aguia Branc araba de receber a
encommenda desse bom papel almasso, liso
e paulado com 33 linhas, assim como de
peso, tambem superior e igualmente liso e
pautado, cum corda Material, c sem ella, e
outros pequeos conforme os cima, e pa-
quete, tarjado de prelo folha grande e pe-
quena, ele.
Tambem recebeu envelopes correspon-
dentes a lodos os laiiinlios do papel, lano
brancos como tarjados.
A commodidade dos precos j de todos
bem condecida, nina vez que appareca di-!
nheiro: na rua do Queimado loja da Aguia
Branca n. 8.
Esponjas finas para rosto
Vendem-se na rua do Queimado, loja da
Aguia Branca n. 8. >
Meias de cores
para creancas de G a 12 mezes.
niieu.-so a 500 rs. o par c,
Queimado n. 16, loja de miudezas.
I.nl'vnnlhos e beev
Na loja de miudezas a roa do Qn- i:-.n:o f
vende-fe bonitos labyrinibos e Mor* da- iiha, .
eidos em grade de Un ha o qne a loma f.-i dr
mui.. doraeao, alm d que es nuv.i- r.. *
dtennos, e a eommodidade dos \:< i >.i. : rrem
para a boa r-xiracgo d'elles, unto' n i nr. rnr>
11 elles nunca sao domvessario em r.-.- :
(-;.-
iias, pelo que podem cingir-sc a roa d (/oeiifit.
n. 16, loja do BiBdczaa,
Rua do Queimado n. 10, tit-
tiga loja de miudezas.
Es.-a loj:t ja lao ci.nhu-ida, renown: ;i i
o seu soilin:enio de perfumaras, ondeos prim-
dentes podem encontrar de novo e bom.
Olios pbilocome, su,, iline e baliosa.
Banha lina em frascos c latas.
E'.raei s (nos inglezes e francezes.
Aguada colonia e florida.
| ala e poz para dtafH.
Ex relo de quin juina pira ditos.
Agua baiaaaica para diu.-.
Dila denirifice p.ir.-. dil' s,
Li ile virginal par sardas.
Vinagre de Venu-. para refrescar y. ata r. \
lustre da cutis.
Saboneus camphor.idos ingiezrs.
Ditos areienlos nreOeUta para mo*.
Oulros lambem inglezes de diversa qualMade*
em caixinhas de tres e sollos.
Albuns com perfumaras.
9 -.
? ? S3 ?s
S B -: 3 2 3
1 c^ g
a c: as
M E
2 3 2.
Vendem-se na rna do Queimado, loja da' c g, 1T
Aguia Branca n. 8.
i hosphoros de seguranza
caixas de 500 palitos a 160 cada urna.
Vendem-se na rua do Queimado, loja da
Aguia Branca n. 8.
Gotiinhas e pan /ios
bordadas para senhoras.
A Aguia Branca da rua do Queimado a.
8, vende-se mui bonitas gnltinhas e ponhos
bordados para senhora.
Dominas e visparas
em caixas de madeira.
A Aguia Branca na rua do Queimado n. 8,
acaba de receber domines em bonilas cai-
xinhas de madeira branca e envernisada, e
visporas de caixinhas de papelao, e madeira
envernisada, ludo contina a ser vendido
por pregos commodos e dinheiro avista.
Lencos penenos
para meninos.
A Aguia Branca, na roa do Queimado n.
8, recebeu nm novo sorlimento d'aquelles
lenco i brancos, pequeos e com barras de
cores, proprios para meninos e aluda ser5o
uendidos pelo commodo prego de I8C00 a
dnzia.
Meas pretas
de laia pararpadre.
Vendem-se na rua do Queimado, loja da
Aguia Branca n. 8.
o
= 1-2
-i
a
z
_ n
5 ir
o
Guarda nacional.
s
5

Formulario do processo perante o conselho de
disciplina no julgameuio dos olloiaes, ofllciaes in-
feriores, cabos e mais prieas da guarda nacional
do imperio do Brasil, e do recurso das deci.-oes do
mesmo conselho acompanhado de advertencias oaargunaja i >. e u
olas remissivas, de conformidade com a lei n. nhos para senli.ia. iiordad-is
602 de 19 de setenibro de 1850, decielo n 1335 renda C ISOS, os mais BO4S1KM
de 18 de fcverc.ro de 18a, o mais d.spesic5es k- D0(j,.m encolrar
gisiativas concoruehles a maleria. Acaba de che-' v -j. '
gar esle formulario, e acha-se a venda na livraria
Econmica, defront
LOJA 00 BE I JA FLOR
Na roa do Qucimah 63.
Tendo recebido um sorlimento de boni-
cas de choro, que chamam papai e mam:.
com cabelleira de cachos.
Tendo recebido um variado orment dV
brinquedos para meninos, semlo MHaJta,
espingardas, pistolas, tambores ,',.ur
para meninas : uppi.relhos de alinoco ( I
jantar de porcelana e de metal, porU-'kor
efaquinhas a 280re. o par ;e naj qiierfi-
do continuar, vende mais haralo de i,... >,-.
outra qualquer arle.
Vende-se liras bordadas de MtmlB
largaras a l\ e bab-ulos, clla:.:. a c m
e ;:!,!. i!,
a/M
e do arco de Santo Antonio e
vende-se por 28500.
Presidentes de provincia
Altribuicoes dos presidentes de provincia, estu-
do feto pelo juizde direito C. 1. de Andrade Pin-
to. Chegou nliimament do Rio de Janeiro esta
obra, e acha-se a venda na livraria Econmica,
defronle do arco de Sanio Ani .nio, c vende-se por
68000.
Liquida^) de machinas para
algodao:
Chegou grande sorlioenlo de machinas para
descargar algodao, de 14, 16, I8 20, 25. 30 e 33
serrotes, de sn-erior qualidade, as quaes se ven-
dem por pregos muito reduzidos e por menos do
que em outra qualquer parte, para liquidar, bem
como motores americanos da ultima invencao, os
quaes f e tornam recommendaveis por sua superior
qualidade de fcil cmducgao para o centro da pro-
vincia; a tratar no deposito do caes de Apolo n. 63
ou na rua da Csda do Recife, loja de ferragens
Fumo da Babia para
charutos.
Vende-se fumo superior de todas as fik
qualidades, a telalho e por atacado, e 9
por pregos commodos, no Recife, rua da ?
Carimba n. I.
ava >iado.
Francez barrica 58000
Portland idem 88500
Em perfeito estado:
Francez barrica 108000
Portland idem 1280C0
No armazem de Tasso Irmaos caes do'Apollo.
-i- Vende-se urna bomba de Japy n. 2. propria
para cacimba por estar com canos : ta praga da
Independencia n. 33.
Fio de algodo da Babia.
Vendefse no escriptorio de Antonio Luiz de Oli-
veira Azevedo & C, rua da Croz o. 1.
Vende-se ia para bordar de ene.*
qunlid;nles o de d i es clara-, a 7 .i lihr. .
pelhos de columnas de Jacaranda a i.
ditos brancos de diversos tamaitos, cauchas
para esl-jus .le navalhas,
Vende-se pentes de alisar com CM
metal a !, Jilo* Je dilTerenes qoaJi';...,
lindas gravalinhas para senliora de dillerei.-
tes gosics.
Colhercs de metal prlaripr.
Vende-se colheres de metal prncipi p n
tirar suupa a 2, dilas para cha a 23H .
ditrs larasoupa a 4^200 a duzia: i>nta
loja se eiiccntrad|^inp;c um giaoft e va-
riado sorlimento de miudezas: rua do Quei-
mado n. ti.*l, loja do beija-flur.
GRANDE
O proprielano do grande arnuzeu. do Balua.
largo do Livramenlo u. G8, nao Un Jo 11
seguir em lempo a muiiahga de sea ariuinm, pt
ler de ser mudada a coLcrla dessa casa, Iem r;-
do vender o grande e magoitko sorlimenio de *.-
I hados e seceos que nelle se acharo por ledo u pre-
go, sem attender ao grande prejuizu que arta, ^-
to que d'oulra forma nao o peder evitar.
GAZ~GZ GA
Verde-se gaz da meJ^H
\\> a lata : uos
perador n.16 a
------------"


Diarfe de Pernambuco Scifa eira 14 de Jnlho de 86A

T
Q3
I
GNEROS BARATOS A DINHEIRO
NOS
GRANDES 4RU4ZCNS DE MOLDADOS1
DE
DUARTE & C.
patea do Carra n. 9 ariuazetu Progressivo ra lo Queimado d. 7
Unio e Commercio ra do Imperador n. 40,
Principal armazem de molhados.
OH PROPRIETARIOS,
Fazeni scienle ao respeitavel publico, e com espcialidade aos senhores de en-
gentas, livradores e mis pessoas Jo ontro, que paramis facilitar suas compras deli-
beraran! os proprielarios dos tres grandes armazens, reunir todo; os seus estabeleci-|
montos cm um s annuncio, pelo qual o prego de um ser de lodos, promette-:
mos que nao infringiremos a tabella que abaixo vai publicado, annunciar os ge '.eros;
por um prego, e na occasio da compra quererem por outro, como soeede constante-1
menle em oulras muitas casas, porm nos nossos estabelecimentos nao se dar isto,
linda mesmo com prejuizo nosso, qualquer pessoa poder mandar seus fmulos que
jerc tam em serviilos como viessem pessoalmente fazendo-nos o favor de mandar seus;
pedidos em carias feixadas; para evitar quadjuer engaos, remetiendo nos urna conta
peia qual se ver os presos tal qual annunciarmjs, o que senao arrepender pessoa i
a'guma que fizer sia despenca em nossos estabelecimentos; pois poupar mais de
S por cenlo na sua despeza diaria.
Manteiga ingleza peifeitamente flor chegada dem com 4 a 3 ditas a 3,5200.
nltimamenle QO vapor Saladim, de 13 dem vasios de todos os tamanhos a 23000,
a 15120 a libra e em barril terabaii- I35U0.800 eGiO rs.
ment. Queijos d 23300 a 23500 os mais frescos.
I lem franceza muilo nova a 15 a libra, e Vinagre puro de Lisboa a 280 a garrafa e
em barril lera abatimento. \ 23000 a caada.
taba de porco refinada a GiO a libra c em dem mais baixo a 200 rs. a garrafa e 13400
barril ter abatimento. a caada.
C l uxim de superior qualidade a 2.3600. Azeite doce de Lisboa muito fino a 600 rs.
llera perola miudinho a 23700 a garrafa e t600 a casada,
dem bysson especial qualidade de 23300 a Toucinho de Lisboa novo e muito alto a 400
2;$i300 a libra. a libra, e em barril de 5 arrobas a
dem prelo muilo especial a 25000 e 25*00 105500 a arroba.
a libra. Gerveja Bass do fabricante Sblers & Bell a
dem do Rio em latas de 45000 e a 800 a' 63300 a duzia e 640 a garrafa.
libra. dem Bass do fabricante T. P. Asbe a 630OO
Latas com biscouto de todas as qualidades:, a duzia e 360 a garrafa.
a 15^00.
Marmelada dos menores fabricantes, em la-
tas de 2-5000
11 iin da creditada fabrica de Bialo Antonio
(Liboi) proprias para da; a doeotes a
23 e 33 a laia.
Bolaxioha inglez*. muito nova a 35300 a bar-
rica e a 240 rs. a libra.
Latas com holaxinlia de oda e oval a 23.
Presunto inglez para fiambre chegado no
ultimo vapora 8j0 rs. a libra.
. ninfos e paios muito no vos a 900 rs.
a libra.
ilaixas com macarro tdharim muito novo a
53000 e 320 a libra.
Vtetria branca e amareila a 300 a libra.
. icuiate portQguezde especial qualidade a
0 a libra.
!] m suissode 8">0a 13100 a libra.
. ,. ios -anhol rerdaaeiro a IflOOO a libra
I e j vendemos a 15400.
1 Ja casca de goiaba em caixoes de 4 e
1 ia libras seguro a 15800,
em caixBes pequeos a 700 rs. e de
30 para cima a Pi.
; i.;:n secco em bocetas ricamente enfiladas,
cootendo pera, pesgo, ameixa, rainha.
e pairas frutas a 35000 cada urna.
em em calda em latas feixadas hermtica-
mente muilo bem enl'eitadas, contendo,
pera, pesego, ameixas e outras fruas a
U40 c 700 a lata, lambem temos latas
grandes a 15200.
me. hores
a 152OO.
dem em lulas de I l [-2 libra a 13.
Ideui em alas de 1 libra a 640 rs.
Ervilhas em latas chegaias neste ultimo va-
11 a 700 e de 'i' para cima a 640 rs.
Fcijao verde 011 carrapaio em lalas j pre-
parado a 640 rs.
ameixas em frascos de viJro a 15300.
Uem em eaixinhas jmente enfeitadas de
i600 a 5300.
nse vas Mexide imito novas a 700 rs, o
fraseo.
hlom de ceblas simples a 700 rs.
Melba inglez a 640 rs. o frasco com rolha
ie vidro.
Mi starda em p a 700 rs. o frasco.
. aja preparada a 320 rs;
Latas com massa de tomate de 1 libra a
13 10 re.
: lem em latas de I 1(2 libra a 900 rs.
Vi aos era garrafas viudos do Porto, Madei-
ra Secca, Duque do Porto, Duque Semi-
no, Cascavallas, Mara Pa, D. Luiz, Pe-
dro V, Velho Secco, Lagrimas Doces, La-
grimas do Donro, e oulras muitas marcas
a 15 a garrafa e 93 a 123 a duzia.
dem Palmeila a 13 a garrafa e 115000 a
1 ua.
lem em pipa de tolas as marcas Porto,
rigaeib e Lisboa a 100 e 300 rs. a gar-
rafa e 25800 a 35300 a caada.
dem jm ancoretas e 8 a 9 caadas com su-
perior vinho Lisboa e Figueira a 2 45 a
aacrete.
dem branco expecial qualidade proprio para
taissa a 360 rs. a garrafa e 45 a caada.
I lem mais baixo a -400 rs a garrafa e 33300
a caada.
i.iem do ?orto especia! qudidade a 800 rs.
2 garrafa e 33300 a nada.
: i n Borqeaux em caixas a 73 e 700 rs. a
garrafa.
Cbampanha a melhor do mercado viuda de
13ssa cncommenda a 305 o gigo.
dem mais baixa de 185 a 205 e 13300 e
33 1 garrafa.
Licores portuguezes e francezes a 15000 e
13500 a, garrafa.
\fai rasquino de Zara, verdadeiro a 15500 a
garrafa,
dem mais abaixo a 800 rs. a garrafa.
enebra de laranja ver adeira a 115 a du-
zia e 15 o frasco.
.1 de Hollanda verdadaira a 65 a fras-
queira e 8t0 o frasco.
dem de iIamburc;o a 55300 a frasqueira.
! Je 11 em botigas de Hollanda a 400 e 440
rs. o frasco.
iJarrafoea com genebra Je Hollanda com 24
"garrafas a 85, com garr&fao.
dem com 14a !3 garrafas a 63-
dem marca II Vicloria Alsope e outras
muitas marcas a 33 a duzia e 300 rs. a
garrata.
Sabio primeira qualidade a 220 rs. a libra
e 210 em caixa.
dem segunda qualidade a 200 rs. a libra e
180 rs em caixa.
Sabao inglez superior a 180 rs. a libra e
160 rs. em caixa.
Caf primeira e segunda sorte a 73000,
73300 e 85 a arroba, e de 240 a 280 rs.
a libra.
Arroz do Maranbao 33200 a arroba e 100
rs. a libra.
dem da India a 25600, 25800 e 100 rs. a
libra.
Charutos Normas de Havana a 53300 a cai-
xa, de Simas (Jos Furtado).
dem Londrinos a 55, dem.
dem Parasienses a 45300, .
I lem Delicias a 15300.
dem Traviata do Rio a 35300.
Ilem varetas de Manoel Peixoto da Silva
Nettoa 35300 e 1 >S00 a meia caixa.
dem suspiros do mesmo fabricante a 10300
a meia caixa e 35200 a caixa.
dem meee:ipes a 15700 a meia caixa e
35000 a caita do mesmo fabricante,
dem orientaos do mesmo a 15800 a meia
caixa e 33400 a caixa.
dem joveiis de Castanlio & Filbo a 25400
a caixa.
dem suspiros do mesmo a 15 WD a meia
caixa, e outras m a i tas marcas de fabrican-
tes.
Passas m-iito n ivas a 13300 o quarto e 53
a caixa de urna arroba hespanhola e 320
a libra.
Yermute bebida para abrir a disposigo de
comer 15300 a garrafa e 145000 a
caixa.
Alpiste muito novo a 35800 arroba e 140
a libra.
Painco a 45000 arroba e 140 a libra.
Peixe em lalas j preparado a 15200 a lata
e em porgo 15000.
Sardinhas de Nantes a 400 a lata.
Tijollo para limpar facas a 160 rs.
Esparmacete a 600 a libra e em caixa a
580.
Vellas de carnauba a 12 e 105000 a arroba
e 300 a 440 rs a libra.
Azeitonas de Lisboa muito novas em anco-
retas grandes a 13800 e a 400 rs. a gar-
rafa.
Balaios do Porto muito grandes proprios
para guardar roupa suja a 25300, 35000
e 45000
Batatas em gigos de 31 libras muito novas a
800, eaiOrs. a libra.
Gomma em paneiros a 43000 arroba e 140
a libra.
Farinda do Maranbao muito alva e nova a
240 a libra.
Savadioba de Franca para sopa a 200 a li-
bra.
Sevada muilo nova a 140 a libra e 43000
arroba.
Caixas com estrelinba, rodiaha e pevide a
400 a libra. [
Alhos em cartastras muito novos e maungas
grande? a 180 e 200 rs. cada urna.
Canella muito nova a 15000.
Cravo muito novo a 500.
Corainbo idem a 320.
Ervadoce ilem a 400. .
Alfazema flor a 240.
Amendoas a 400 a libra.
N'ozes muito novos a 160 a libra.
Papel greve a 45200 a resma,
dem fizo a 43000.
dem de pezo a 35000.
dem de embrulho marca grande a 15200 e
13300.
dem azul para botica a 23000.
Copos lapidados a 53500 e 500 oada um.
Palitos de dentes, magos grandes a 120 e
160 cada um.
Fumo americano de chapa, de superior
qualidade a 15500 a libra, em porgao ter
abatimento.
AURORA BRILHANTE
1
GRANDES ARMAZENS
DE
lLHADOSi
GOMMA NOVA.
Em paneiros muito alva a 4,ooo rs. a arroba e 16o rs. libra e compren-
do de um paneiro para cima se far abatimento na ra do Imperador o. 40.
ev
Largo da Santal
Cruz n. 84, es-|
quina da ra doj
igSebo. I
rora BrUhantl!ri)prltfari0 do>i muKo acreditado armazem de molhados denominado Au-
x lt.,*.c.u!}i ter 'nesno sortimento de gneros de primeira qualidade.
vnh,? Ia sirvira' a todos de base para ajusle de comas aos portadores.
pelo S*m *rmazem veadera' mai> b"mo e melhres c
9 Largo da Santal
|Cruz n. 84, es-||
ESPECIAE8lSJarMaI
do que a Aurora Brilhante, ja
io s deseja tirar diminuto lu-
_de?j>ezas' do estabelecimenlo por isso deije se a-
tod a diligencia, alim de servir bem os seuscons-
ipsoieisul m
Saccas grandes com 100 libras de farello superior a 43000 a sacca.
01
dechourijas muito evas,
n".an, Cbl>gae para accamalar
P. ?r' ^PNetario ba de faz,
tantes freruezes.
Latas com 8 libras
a 7^300.
Dm;Sigcran1is ft0?>P"*e em postasintiras,
JJ'JJ6 l- calidades, a 1.J0O0, 1*280 e
TSB! ?S vfce,leme pe,isco para fri-
8S com ?arva:aaS VBtlT9'^ '"
Ditas com ameixas a 15200, 15800 e 35300.
unas com marmelada do afamado fabricante
Abreu, a 720 rs.
Ditas com massa de tomate, a 300 rs.
25 e25300S ** coinare' novos' a **"*
Dl250C()OmbOlaCllnha de SOda mUt0 n0VaS' a
Ditascorabiscoitinhos inglezes de muitas qua-
lidades, a 150O.
Cliocolale.
uaixinn^s com ameixa3 enfeitadas proprias
>r-h Si* mimo a '5200,2-5800 e 35200.
' 880 a I50oneri0r mU't0 n0V' a "bra de
|Maca,rra.1all>ariam e aletria amareila, a libra
i a 400 rs.
Dito dito dita branca, a libra a 400 rs.
canas com estrelinha. pevide, e oulras mas-
sas, a caixa 35300.
Ditas dita em libras a 6i0 rs.
LSag, a libra a 360 rs.
Sevadinha para sopa a libra, a 2i0 rs.
Ervilhas suecas, a libra a 160 rs.
Dilas descascadas, a libra a 200 rs.
JTapioca maito nova, a libra a 280 rs.
Farinha de araruta verdadeira, a libra-a
oOO rs.
'ArI2 A0 3faranhao, em sacco, a arroba a
25i00ea libra a 80 rs.
Dito da india e Java, a arroba a 35200 e a li-
bra a 100 rs.
'Toucinho de Lisboa a 93300 a arroba e a 320
rs. a libra.
Dito de Sautos, a arroba 75000 e a libra a
2G0 rs.
Molhoscom 123 ceblas grandes, a 13280.
{Mostarda franceza, caixa com 2 dtizias a
73,000.
Frascos com mostarda preparada em vinagre, I Dita mais abaixo a 15200
a 400 rs. I Dita menos superior a 15 -
Ditos com conservas inglezas e francezas. a Dila franceza nova, a libra a
CiOeSOOrs. Dita dita era barris e meios ditos,
Ditos com sal refinado fino, a 610 e a 500 rs. | 830 rs.
Ditos com a verdadeira genebra de laranja, a Dtta para tempero a 400 rs.
Vinho Terde superior. H
A caada a 35000 e a garrafa a 400 rs. 3g
Gomraa. w
Saccas de 4 arrobas, a verdadeira de seCg?
engommar, a arroba a 35000 e a libra T
120 rs. ft
Sabio massa, a libra a 200, 240 e 280 rs. -^
Farinha. rJfr>
Saccasgrandes cora farinha de Goianna mui-'ff
to nova, a 55000. Caf. a
Caf .lo Rio milito superior, a arroba a 85,'^^
85300 e 95000. GlFJ
Cba' $
Ch.temos nestes gneros o melhor possivel.JgjS
hyson, a libra a 25600. V
Dito perola a 35000. J?.
Dito uxim a 25700. GjE
Dito hyson muito tino a 25800. tlfj
Dito redondo a 25-""0. CfjG
Dito preto de primeira qualidade a 25300. w^
Dito mais baixo a 25000 e 15600.
Erva mate.
Excellente cha medicinal, a libra a 240 rs.
Espermacete.
O masso com 6 vellas de espermacete a 600,3
640 e 720 rs. <%
Passas. 3
Caixas de 16 e 8 libras de passas notas pro- M
prias para mimos a 45 e 25300.
Xozes. r(
Nozes, a libra 160 rs. e arroba a 45000. g|
Al-iista e painco.
Alplsta e painco, a arroba 45000 e a libra i
160 rs.
Cartas.
Cartas finas para jogar. a duzia a 25300.
Castanhas. flp
Castaohas novas vindas neste vapor, arro- ^
ba 45000 e a libra a 200 rs-. Mjj
Azeitonas. ^ rjjg
Barris com azeitonas novas a 15300 jfr
Manteiga. jgffl
Manteiga superior, a libra a 15-80.
PREPON jU.A VISTOS
PC 5
GREGORIO PEAS DO AMARAL & C.
I RECEBERAM
Alpacas de quadros enfestadas de cores escuras, o covado
240 rs!
ALPACAS ESCOCEZAS
padroes muito benitos, com listas de seda, fazenda enfestada de duas larguras o cola-
do a 500 ris t
UIUSSELItftS DE CORES
a 240 rs.!
_ Mussellinas em corles com 11 covados de igual fazenda a 25600 f
de algodao oscuros a 800 rs.l {
HERNANI
fazenda de linho e seda transparente, pura pbantasia, propria para vestidos de bailes,
pelo barato prego de 1$ o covado!
POR 0S000
cada chale de fil preto (guipure)
SEDAS
880
a libra
Cortes de seda branca com flores miudinhas e de diversas cores, e sem ella?,
para tbeatro, bailes e casamentos com 19 covados, largura de chita franceza.
28??000
Chapeos para ten hora
Bonets
Chapos a gendarme.
Cliepelinas de palha.
Cbapelinas de fil.
Chapeos para homem.
SOUTA7JR IRQUES
Soutambarques de cambraia verdadeiramenle bordados por pregos que odmira.
Vestidos feitos.
Vestidos enfeilados com gosto de excellente lacom zuavos, etc a 25000.
Completo sortimento de fazendas para
GIIAXDE rOILE*'
Os apreciadores do bello, visitando este estabelecimento, acharo urna impDrtante
e agradavel escola do que ba de mais primoroso em
MODAS
Os amadores do til, encontrarao as mais solidas fazendas com cores ftxissim 13
para uso ordinario.
Gregorio Paes do Amaral & Companhia.
1J000.
SDitos de 2 garrafas de Hollanda verdadeira,a
640 rs.
Botijas com dita propria para negocio, a
400 rs.
GarrafSes com 2 gales com dita, a 65-
(Serveja boa, marca, a 500 rs. a garrafa, e a 1
duzia a 6.3OOO. %
'Vinho muscateldeSetubal, a garrafa a 15.
Marrasquinho verdadeiro. frascos a 80C rs. e
a 15200.
fChampagne, a duzia 205000, e a garrafa a
Queijos.
viudos neste
vapor a 25800 e^
libra
jAzeite refinado portuguez e francez,a garrafa
' ^ a 15000.
Caixa de vinho Bordeaux muito superior, a
t 75,85,95 e 105 a caixa.
[Ditas com dito branco, a 75 a caixi.
. Ditas cora dito laarimas do Douro verdadeiro,
a 205.
'Ditas com duque do Porto verdadeiro'a
185000.
> Ditas com chamisso superior, al45-
Ditas com Porto velho e outras muitas mar-
cas, a 125-
>Vinho do Porto Ja pipa, a garrafa a 640, 720
l e 800 rs.
Dito de Lisboa muito bom, a caada a 35200,
l 35300 e 45, e a garrafa a 500 e 560 rs.
Dito da Figueira, das seguintes marcas(.V)
(J. A. A.) (J. L. G.) (O. M.) a caada a
45300, e a garrafa a 360 e 640 rs., deste
} que j est engarrafado e lacrado com o
rotulo do armazem.
Ditos de marcas mais desconhecidas, acana-
i da a 35500 e 45000, e a garrafa a 480 e
520 rs.
Vinho branco fino, agarrafa a 640 rs.
Dito de caj muito superior, a garrafa a
800 rs.
Queijos novos
35000.
Ditos londrinos muito novos, a
15000.
Papel.
Papel almago pautado, a resma a WOO.
Dito dito lizo de linho, a resma a 45300.
Dito de peso lizo e pautado, a resma
25500.
Dito de embrulho, bom a 15 e 15200.
11

ulica casa de Gullherme da Silva Giiiinares.
Vinho Madeira.
Garrafas com o verdadeiro vinho Xerez e Ma-l
deira a 15300 e 25000.
Temperos.
Folhas de louro, pimenta do reino, corainho
e cravo, a libra a 400 rs. tf\
Velas de carnauba. ^j
Massos com 6 velas de carnauba refinada a^j
480 rs. c4l
Amendoas.
Amendoas com casca, a libra a 320 rs.
Doce.
CaixSs de doce de goiaba, grandes a 15400
e pequeos a 640 rs.
Tijolos de limpar.
Tijolos de arear facas a 140 rs.
Craxa.
Duzias de boioes de graxa n. 97 a 25000,
de latas a 15000, e os boioes a 240 rs. ca-(
da um, e as latas a 100 rs.
Charutos Gnos.
Charutos finos dos melhores fabricantes da.
Bahia por diversos precos, caixas e meias^
caixas.
E grande quantidade de gneros tendentes
estes estabelecimentos, que deixam de an-
nunciar-se.
GRANDE LIQU1DACAO
A Bi I Mil: IR O.
Xa luja e armazem de Guiarse i Ir-
mo, roa da ImperMnz i. 72.
Os donos deste estabelecimento esto re-
sol vidos a liquidar suas fazendas por preco
baratissimo, s com o fim de adquiriris fre-
guesa ; e previnem s pessoa?, qoe wgo-
ciam com fazendas, que nesta I. ja e armaiem
encontraio sempre um grande torlimento
por menos 20 por cento do que em ouira
qualquer parle, tanto em pegas, como a re-
talho. Vejam :
Chitas a 210 rs. em*.
Vendem-se chitas preclaras francezas com
assento braceo, escuro, cor de carina e par-
da, pelo barato prego de 2iO rs. o covado,
em 40 minuto^ afiancando-se que esta fazenda nao esl po-
ou arroba; dre, e nem tem o menor defeilo: isto na
loja e armazem de Guimares A Irmo,
n. 72.
Cambraia braoca, graidr .-irlifii.
Cliegoit a este estabt lecimento um gran-
de sortimento de cambraias brancas de lo-
limpo, oor da; B motores para mover urna, duas, das as quaiidades pelos precos redu2t|os je
M.4CIIIN4SDEPATENT
de trabalhar mo pars
descarla ralgodo
FABRICADAS
Por Plant Brothers & C.
OLDS
Estas machinai
^ podemdescarocar
| qualquer especi*
5jde algodao sen;
estragar o fio?
sendo bastant*
duaspessoaspara
otrabalho; poda
descaro^ar um
arroba de algo-
dao em earocc
por dia ou 5 ar-
robas de algodc
limpo.
Assim como machinas para serem movidas por
animaes, que descarogam 18 arrobas de algodc
M. 11Ra do QueimadoN. 11
LOJA DG FAZENDAS DE
Augusto Frederieo dos Santos Porto.
para
Chegou a este estabelecimenlo um grande sortimento de cortinados bordados
camas fazenda de muilo gosto.
Chales de guip muilo tinos para 325,235 e 30-
Colxas de seda superiores de diversas cores para carass de noivas.
Colxas de la e seda para cama tambera de bonitas cores.
Kotondes de guip enfeilados com o melhor gosto.
Setim de Paris bella fazenda e de bonitas cOres para vestido a 700 rs. o covado.
Moureantlqae branco e prelo, grosdenaple preto e de cores, pannos pretos de todas
as qualidades, ditos azues. .... ,
Casemira preta e de cores, merino preto, silistnaa, bombaztnas, alpacas pretas, e
I5a pret. para lulos. *.
Malas, saceos e boleas de tapete, verniz e coaro ae 45 a 11#.
Brins de linho de cores finos a 15800 a vara.
Chapeos e chapelmas de palha de Italia para senhora, manguitos bordado?, chapeos
de seda para hornera, chapeos de sol de seda, esguio de linho, carabraia de linho, breta-
nhas, silesias e muitas outras fazendas que se vendem por commodos pre$os assim como
tarabem n .
Esteiras da India para forrar salas
eutns dessas machinas. ,iinn -0 .,. .-
Os mesmoslem para vender um bellissimo va- J>uu". Jsow, *0. 4ioOO, e muito fina a
por que pode fazer mover seis destas machina 6$, vende-se por este preco por ter grande
mencionadas ; para o que convida-se aos Srs. -
agricultores a virem ver e examina-lo, no arma-
zem de algodo, no largo da ponte nova n.47.
Saunders Brothers &C.
\. II, praca do Gorpo Santo
RECIFE.
Os nicos agentes neste paiz.______________
Attenco.
Vendem-se pegas de esteiras para forro de sala,
tinta branca preparada a oleo, em latas de 2o li-
bras, para pintar casa, relogios para cima de me-
sa e para pendurar, arreios para I e 2 cavallos,
vetas de spermacete, tudo de superior qualidade,
vindo dos Estados Unidos : no armazem da ra do
Trapiche n. 8.________
Coke do gaz.
pilch do gaz,
Aleatro do
tonelladas rs. .
gaz.
Em casa de Tisset Freres ra do Trapiche n.
9, tem para vender :
Vinho Brdeauxem barricas e em caixas.
Dito de Santerne fino.
Dito da Champagne muito superior.
Cerveja francea marca Bobee.
TaSso Irmios
vendem gesso em p para estaque de casas, tijolos
finos de feitto diversos para ladrilho, azuleijos de
diversos gostos, tijolos vidrados para parede de co-
zinha, canos de- barro para esgoto, cemento em
barris de 10 arrobas.
porc5o ; cambraia organdy de 240 e oOOrs.
o covado; dita fianceza, a mais fina que
tem vindo a este mercado e dos mais ele-
gantes padroes, a 400 rs. o covado, bara-
tissimo; cbaly de seda de apurad gosto a
900 rs. o covado : isto s so vend na laja
e armazem de Guimares A Irmao, n. 72.
Para a frsla de S. Joo !!! bailes r ps>riw.
hegaram a este estabelec ment, pelo
ultimo vapor francez, ricos cortes de lilsi-
ma cambraia com lindissimo chuvisqi.inho,
que faz um elTeilo magnifico, e vemo-se
pelo baratissimo prceo de 53 o corle, fazen-
da que val 103 em outra qualquer parle ;
cortes de la com barra a 93 e 12 : isto s
na loja e armazem de Guimares & Irmao,
n. 72.
Para acabr por ( Bretanha de rolo com 10 varas a 33 a pe-
ca ; madapolao infestado com 10 Taras a
33200, 3500 e 43 a peca; ricos bordadas
em fina cambraia a 800 rs.; soutembarque
magnficamente enfeitado a 53 e W; hn-
zinha a 300 e 400 rs. o corado; damasco
de 2 larguras a 13280 o corado; chales de
merino estampados a 25 i cortes de case-
mira a 23500 e 33; baldes americanos,
tanto para senhoras, como para meninas a
33, tendo 30 arcos.
Coke tonel ladas rs. .". 103000
Pitch ..... 803000
Aleatro caada..... 400
O coke reconhecidamente o carvo mais econ-
mico, torna-se por isso recomraendavel, bem co-
mo pelo asseio que se nota as cozinhas aonde
alie usado. Pitch e alcatro.alm das applicacdes
diversas a que se prestam, como para callafetar
embarcares, airatroar madeiras,etc.,teem este a
propnedade de preservar do cupim, formigas.elc.
E' entregar na fabrica dogaz ou mandado por em
qualquer ponto da cidade, segundo a vontade do
comprador.
Instruyes para o servido iTd^Jl Ss ZXwlS cemo +
das guardas do exercito, extrahidas do re- que em outra qualquer parte: >to s para
gulamento de infamara e accommodadas ao liquidaco: na loja e armazem de fa?^!
exercito brasileiro; obra que muito convm de Guimares & Irmao.
aquellas pessoas que se alistara nos cor pos
de voluntarios; vende-se na livraria n. 6 e
8 da praca da Ind pendencia, a 15-
Superior vinbo do Porto.
Na ra do Vigario n. 14, escriptorio de Domin-
gos Alves Mathens, tem para vender muito supe-
rior vinho do Porto em caixas de ama duzia, e an-
coretas de 10 em pipa por prego mdico.
cyRA DA IMPERATRIZ, R, 72-m
\oveua de \oh fteamora do
Carato e de Man' % moa.
Vende-se na ra do Imperador a. 15, oartaa
de encadernaclo : o oflBcio, salve e versos, aove-
na e salve de Xossa Senbora do Carao, tres fo-
Ihetos por 500 rs., e a novena de SaafAaaa um
3J0 rs.

i



>
Diarlo de rernaaibnco sexta lelra 14 de aulho de tse&

1
-l
0 NOVO GERENTE
AO PUBLICO
Sem o menor constran-
glmento se entregar o
Importe do genero que
nao agradar.
ESTABELECIDO A RA NOVA N. 60
AO
RESPEITAVEL I'IKI.KO.
A apreciadlo dos habitantes desta heroica provincia existe no grande arma-
zem da Liga estabelecido ra Nova n. 60 um magnifico sortimento de molhados,
que sendo em sua maxirm parte mandados vir directamente do estrang-iro podem ser
vendidos por precos asss razoaveis.
Sem a faluidade de querer que este novo e interessante estabelecimento seja o
primeiro e nico em seu genero, pde-se porm .iffiancar, com toda a seguranca de que
nenhum outro o exceder no restricto cumprimento das seguintes promessas:
1/ Delicadeza no trato.
2.; Fidelidade no peso.
3. Sinceridade nos presos.
As pessoas que por sua posicao social- gozara de certo tratamento, acharSo nesta
casa os melhores queijos londrinos, cerveja, vinhos linissimos manteiga, e cha sempre de
primeira qualidade. etc., etc.
Qualquer que sej a condifao do freguez, elle deve contar que ser sempre mui-
to bem servido.
Aquelles que sao pouco favorecidos da sorte farao mensalmente urna economa de
militas patacas, afreguezando-se nesta casa, onde se Ibes vender o arroz, o caf, a man-
teiga oassucir, etc., etc. de boa qualidade pelo prego que em algumas partes nao po-
dem ou nao querera vender.
Os senhores de fra da cidade, dos arrebaldes ou centro, que comprara para ne-
gociar, devem vir, pelo sen proprio interesse, a este estabelecimento para se convence-
rem do quanto se pode vender barato.
Para os senhor s que compram para tornar a vender existe um sortimento i'spe-
cial, escolhido por pessoa entendida que certamente muito deve agr Jar aos senhore-
compradores
Nao se teai poupado sacrificios, nem se deixar de fazer a diligencia para agra-
dar a todos.
PELOS SEGUINTES PRECOS S SE VENDE
A DIMHEIRO A VISTA:
latas, muilo nova, a 80 rs. cada
ATTENQAO
O* precos da seguate
tabella para todos, po-
dendo asslm servir de be-
se para o ajaste de cenias
com os portadores.
AZEM UN
A
a libra,
oito libras
ALPISTA a 120 rs.
dem e painco de oito libras para cima a
dOOrs.
Aimoz de 90 rs. a libra a........
Amendoas, casca molle, a 28-) rs. a libra.
Avellas a 210 rs. a libra.
Ameixas francesas em latas de todo; os la-
man los,
dem idem em potes de lodos os tamanhos.
dem iJem em bocelas de lodos os tama-
nhos.
dem dem em frascos de lodos os tama-
nhos.
Azkite doce de primeira qua'idade a oGO rs.
a garrafa.
Almos a 200 rs. o molho.
Abstntho a 2->00'J a garrafa.
II
BOLAGHINHAS do Beato Antonio em latas
grandes e pequeas,
dem do Principe Alberto a 25000 a lata, e
de cinco para cima a I 800.
dem de soJa em latas grandes a 200Q &,
de cinco para cima a (800.
fosenos inglezes de todas as qualidades a
I #200, 10250 e I 5300.
Bolo francez em caixinhas a 300 rs. cada
urna.
Batatas nglczas.
Bami.v de porco refinada.
C
CHOCOLATE francez a 700 e 800 rs. a li-
bra, e em porco a 600 e 70J rs.
dem suisso a ij a.libra,
dem de musgo a 1Sj00 a libra.
Cbopricas muit<> novas a 800 rs. a libra.
Caf a 210 e 200 rs. a libra, e em porco
se fura abalimento.
Iden de primeira qualidade a 7)5000 a ar-
roba.
Conservas em frascos a 320 rs. cada um,
sao muilo novas
dem ingieras, frascos grandes.
Champagne de todas as marcas.
Charope de grosella, orcbaia, etc., etc.
Chicaras e pires a 15300 a duzia.
Cerveja da superior marca Teuente a 500 rs.
a garrafa, e em duzia se faz grande aba-
limento.
dem Victoria Das tres X e de outras marcas.
Charutos das mais acreditadas marcas, co-
mo sejam : Normas d'lhivana, Exposico,
Flor do Brasd, Parisienses, Delicias, Gua-
nabaras, Trovadores, Hegalia, Mississipes,
Panetellos, Aprazivvis, Vrelas, Brasilei-
ros. Americanos, Fluminenses.
Cha de todas as qualidades e de todos os
precos, hysson, huxim, aljfar, preto, e
preto ponta branca, ele etc., a 2000,
2f>2 0, 2>:i'50 e 2,9800.
Copos lisos de todos os laraanhos de 120 a
320 rs.
dem lapidados de todos os tamanhos a du-
zia a 2-5300, 30300, 45 e 55.
Clices de lodos os tamanhos.
Cognac saperior a 15 e 15303 rs. a garrafa.
Cigarros do Rio, pardos, a 8o rs. o maco
de cinco macinhos.
Guaixa em
urna.
KIRSCH de Wasser
a garrafa,
cada urna.
a 25
L
LATAS com graixa a 80 rs
Letria a 400 rs. a libra

MANTEIGA ingleza e franceza de pimeira
qualidade a 15, 15120 e 15280, em bar-
ril se faz grande abalimento; a que ven-
demos por 1)5280 a I ib a, vende-se em
outra qualquer casa por 15400 e 1500.
Marmelada dos mais acreditados fabricantes.
Macarro e talharim a 320 rs. a libra.
Massa de tomate a 600 rs. a lata.
Mostarda ingleza a 800 rs. o frasco.
Molho inglez de todas as qualidades.
Marrasquino verdadeiro de Zara a.....
Massas finas para sopa branca e amarella a
60 rs. a libra, em caixas com 9 libras a
-M-nteiga ingleza especialmente escclhida a
l.ooo e 8oo rs. a libra e em barril se faz
abatimento.
dem franceza a mais nova do mercado a 96o
rs. a libra e 900 rs. em barril ou meios.
Cha hysson de supe.ior qualidade a 2,600
rs. a libra.
Cha perola o mais superior do mercado a
2,8oo rs. a libra,
dem hysson muito superior em latas de 15
libras muiloproprioparanegocioa 2,ooo
rs. a libra,
dem hysson nacional em latas de \ e 2 li-
bras a l,6oors.
dem preto o que se pode dsejar neste ge-
ero a 2,ooo e 2,2oo rs. a libra.
Linguicas muito novas a 8oo rs. a libra e em
barril se faz abatimento.
Chouricas e paios a 8oo rs. a libra.
Costelletas inglezas a 64o rs. a libra, serve
para temperar panella ou para fiambre. |
Queijos do reino chegados neste ultimo va-
por a 2,2oo rs., ditos de navio devella a |
2,ooo rs.
pouco prat
ao em
Sa
RA DA CADEIA DO RECIPE N. 53
(Logo passando o areo da Concelco)
PARA BEK DE TODOS.
Senhore?.
reza com que ser3o trat
pra dos gneros que preci
pois sero to bem sen-idos como se v'iessem pessoalmente, h'avendo par com "estes ^'nttm^^T^^ que" So va'
Aleiria, macarro e talharim a 4oo rs a li-
bra e .ooo a caixa.
Massa para sopa : estrelinha, pevide e rodi-
nha branca ou amarella a (Uo rs.a libra el
3,^00 a caisa com 8 libras.
Vnhb do Porto muito fino proprio para
engarrafar, em ancoreras de 9 caadas a
3a,ooo rs.
Vinho em pipa : Porto, Figueira e Lisboa a
32o, 4oo e 5oo rs. a garrafa, e em caada
a 2,5oo, 3,ooo e 3,8oo.
Vinho branco de Lisboa de excellente quali-
dade a 4oo e 5oo rs. a garrafa e em cana-
da a 3,ooo e 3,5oo.
Vinho branco para missaem caixas de 1 du-
zia a 8,ooo e 68o rs. a garrafa.
Vinho do Porto das melhores marcas que
vem ao mercado como sejam : Lagrimas
do Douro, Duque do Porto, Rainha de Por-
tugal, Duque genuino, D. Luiz 1, Madei-
ra Secca, Malvara fina a 16,ooo, 15,ooo,
12,ooo e I o,oooa caixa cora 1 duzia e9oo,
l.ooo e l,5oo rs. a garrafa.
, Vinho Cherexde superiorqualidadea16,ooo
laem londnnos muito frescos e de superior! a duziae l,5oo rs. a garrafa,
qualidade a 8oo rs. a libra. Sardinhas de Nantes a loo rs. os quartos e
em prato a 8oo rs. a libra, e inleiro se faz' 64o rs. as meias latas,
abatimento. Bolachinhas inglezas muito novas a 5,ooo a
dem suisso o mais superior que tem vindo | barrica e 320 rs. a libra,
ao mercado a 64o rs. a libra.
GRANDE
ABM.lZkl-MiLnmS
Pharol do cominera >
fua do Rangel d. 7:3.
O proprielario deste ertabelarfcaent i n i
ra de avisar aos seus freguez^s qU- (,-. liUt m\
de redurcao nos precos de eu ger r. .-rt* ,ur>-
ra qualidade : manteiga ingleza I? e i$>n r. -,
il ra da uliima cliegadj ao m
l:*nrezaa900 rs. e em t.arrll se teaHat-,,rii
ffiieijos flamengos novos a 3'I0U. dii ,-
>e pode dtit-pr no boedade a >> r>
i -ixas franceza raiunba* a I
MjO, frascos de dita. ld400,praiMi % r -
a mimos mar melada oas Hnwi R.rrana
itji rs. a libra, ameiioai mmMmj* \*\* nt^
de ^. Jiao a 640 rs., vinho do Pon
a f-arrafa, Figueira e Lisboa t', 4io e <> r
rn caada se faz o abalimento, teteu i
I, notas.
e
Li.-boa a :iC rs a libra, vias'dr c'rr i ',,' .ti
rs., dilas tearioa> Dnas a Ctx. r.-.. |
tuez a 600 ts., alpina a 3*8Ua an-i., .
alibra iainc,.aia dila < l'.o .>
no a UbOb, ?7G0 e 800. fruria, ,.* ft
0*0 a lata, gnmma a 100 rs. a lil ra < ir: rfl r-
rota, bollinbus loglezcs lata de i ni ra- a
ditos de -oda grandes 2t.00 n oi:?r '.
em canana se raz o abalimento, raii.< I |
rom 2 arrobas Dor3jSIH)e a Uva (
(ale 1* soilo "48ti(i ,. 7*^,, e a ll(/I. a .
. botarbinhi irple?z fu rs. a btra.
1
r
f
I
DOCES de todas as qualidades: brasileiros,
portugi.e/.es, inglezes, francezes, etc. etc.
E
ERVILIIAS seccas a 120 rs. a libra.
ervadoce a 400 rs. a libra.
FARINIIA S S S de 8 libras para cima a 120
rs. a libra,
dem de aramia a 320, 400. 500 e 810 ri.
Figos de comadre a 160 rs. a libra.
Fkijo verde em latas a 6G0 rs.
Favas em latas a 600 rs.
Fumo do Rio a 500 rs. a libr?.
dem americano em latas a 23.
Fabello ha sempre em deptsito de 500 a
800 saceos, de todas as qualidades, de to-
dos os tamanhos e de todos os precos.

GOMMA a 50 rs. a libra.
dem a lOrs. a libra, muito alva.
Grao de bico a 120 rs. a libra, e em porcao
se f;iz grande abatimento.
Genediu de laranja verdadeira a I 000 o
frasco.
MtLito painco e alpista, sendo mais de 8 li-
bras a 100 rs.
NOZES a 120 rs. a libra.
Nabos em latas a 800 rs.
O
Osiius ngleas e americanas.
P
PEIXE em posta, latas grandes, a 1&00, de
todas as qualidades, como sejam savel,
goras, corvina, parg.<, salmao, pescado e
pescadiriha, linguado, sardinha. etc., etc.,
Peras em latas, excellente preparaclo.
Palitos para denles a 120 rs. o maco muilo
grande.
Passas em q tarto a (400.
dem muito novas a 400 rs. a libra.
Pomada muito nova a 280 rs. a duzia.
a
QUEIJOS flamengos.
dem prato a 800 rs. a libra.
dem suissos a 800 rs. a libra.
Mem londrinos a 800 rs. a libra.
QrAitTi.MiAs ou mordiques a 61, 8(3 e 10,S o
par.
R
RAPE' Meuron a 1$ a libra.
Mem Princeza do Rio a 15200 a libra.
dem francez a 2500 a libra.
SARAO massa a 160 rs. a libra, em caixa se
faz abatimento.
Sai. refiaado em frascos a 500 rs.
Salame de Len a 23.
Saiidimias de Nantes de todos os fabricantes,
dem de Setubal em latas muito grandes a
720 rs.
Stearinas a 600 rs. o maco.
v
TOUCINIIO de Lisboa a 320 rs. a libra.
Tomate em latas a 600 rs.
Tinta azul e prela para escrever.
a
Paulos do gaz a 2,2oo a grosa.
Bolachinhas de soda em latas de diversas Toucinhode Lisboa muilo novo a 32o rs a
brumas e favas portuguezas ja preparadas t qualidades a 1,3oo rs.
em latas hermticamente lacradas a 64o. Cartoes com bolo francez muilo propriospa-
Feijao verde muilo superior a 640 rs. a lata.' ra mimo a 64o rs.
Copos lapidados para agua a 5,ooo e 5,5oo Passas muito novas em caixinhas enfeitadas
rs.a duzia. para mimo a 3,ooo rs.
dem dem para vinho a 24o rs., e 2,4oo rs. Passas de carnada a 8,ooo a caixa e 4oo rs.
, a duzia. a libra.
Chocolate francez hespanhol e suisso a 9oo, Figos de comadre a 24o rs. a libra. f
l,ooo e l,2oo rs. a libra. Amendoas de casca mole a 4oo rs. a libra
Espermaccte superior a 6oo e 64o rs. a 1- Milo de amendoas a 5oo rs.
bra e em caixa se faz abatimento. Bolachinha d'agua e sal, da fabrica de Joo
Peixe em posta em latas hermticamente la- ] de Brito no Beato Antonio, em lata de 6 1-
cradas e das melhores qualidades de pei- bras por 2,5oo rs.
xe a 8oo, l,ooo e l,2oo rs. Ameixas francez is em frasee de vidro com
Vinho Bordeaux das que vem ao nosso mercado a 7,oooe Ameixas franc zas em caixinhas de diversos
tamaitos com bonilas estn pas na ca-1
1 refinado em frascos de vidro com lam a
do mesmo, a 5oo rs.
Cerveja branca das marcas mais acreditadas T,rTe se lorna ""M001"' """ "
< fcarraia, e o,8oo, 6,ooo e (,5oo a du-
zia.
Cevadinha de Franca muito nova, a 2oors.
Charutos do affamado fabrcame Jos Fua-
do de Simas, das seguintes qualidades:
Exposicao Normal de Havana, Imperiaes,
Londrinos, Guanabaras, Parisienses, Sus-
piros Delicias, a 4,ooo, 4,5oo, 5,ooo,e.totlasas innumeravei molcslias
6,ooo e 7,ooo a caixa ou em meias. ij5 aos orgos da respiraraofgp
Charutos finos de diversas marcas e fabri-' KAPPAHKC'Kal
canles, como sejam: Flor do Norte, Ma-j mediante a accao da balsmica e ir
minas de Havana, intervallos. Vencedores,
Panatellas e Suspiros, a 2,ooo, 2,5oo e
3,ooo a caixa.
of>nac inglez das melhores narras, a 8ooe
l,2oo a garrafa.
Doce da casca de goaba a 2,ooo a lata com
4 libras.
Farinha de araruta verdadeira a 32o rs. a
libra.
Matte.excellente cha para os navegantes, a
2oo rs.
Sebollas de Franca muilo grandes e novas
l,8oo o cento e l,2oo solas.
a caixa e04o e 7oo ris a gar-
a 48o rs. a bolija de
xa exterior, a l,4oo, l,6oo, l,8oo e 2,ooo
cada, urna.,
A^eite/loce refinado hespanhol ou portuguez
a 9oo rs. a garrafa e lorooo a caixa.
Batatas muito novas a 8o rs. a libra e2,5oo
o gigo com 36 libra-.
a 75o rs. o frasco
8,ooo
rafa. *
Genebra de Hollanda
conta certa.
Frasqueirasde genebra de Hollanda a 6,8oo
e 64o rs. o frasco.
Genebra de laranja verdadeira em frascos
grandes a l.ooo e H,ooors. a frasqueira. Conservas inglezas
Caf do Rio de Ia qualidade a 28o rs. ali- 8,5oo a dura.
bra e 8,5oo rs. a arroba. Vassouras de escova para esfregar casa a
Caf do Cear muito superior a 24o rs. a 1- \ 4oo rs.
bra e 7,5oo rs. a arroba. j Nozes muito novas a 16o rs. a libra.
Arroz do Maranhao de Ia qualidade a loo Molho inglez em garrafa de vidro com rolha
rs. a libra e 2,8oo a arroba. do mesmo, a 16o rs.
dem da India a loo rs. a libra e2,8oo a Mostarda ingleza dos melhores fabricantes
arroba. | a 8oo rs. o frasco,
dem de Java a 8o rs. a libra e 2,4oo a ar- j Mostarda franceza em potes j preparada a
r0Da- 4oo rs. o frasco.
Painco e alpista a 14o rs. a libra e4,oooa Lentilhas francezas. excellente legume para
arroba. | SOpa, a 2oo rs. a libra.
Massa de tomatesde superior qualidade a 61o Marrasquino de Zara propriamente dito a
rs. a lata de urna libra e56o rs. a reta- I;? a garrafa.; 1 l.ooo a duzia.
lh0- Palitos de dente a 14o
libra e 8,5oo a arroba.
Banha de porco refinada a 65o rs. a libra.
Bolachinha Alberto, as melhores que pre-
sentemenletem vindo ao mercado, a 2,ooo
a lata.
Farinha do Maranhao muito alva e cheirosa
a 2oo rs. a libra.
Frascos com fructas em calda de diversas
qualidades a 2,5oo e l,5oo o frasco.
Caixinhas com fructas em doce secco de di-
versos tamaitos, muilo proprias para
mimo, a l,6oo, 2,Coo e 3,5oo cada urna.
Ruibos, excellente peixe portuguez, em
barris pequeos ou a relalho, a vista se
far o preco.
Azeitonas de Rivasem ancoretas grandes de
8 garrafas por 6oo e 8oo rs. a garrafa.
Initacio dospulmoer. uuu\-
uas, tosse, mmm* e
sangne, cnipo on girro-
tilho, catarro, Timqmd&n
a.V-
ANAGAHUITA
Azeitonas portuguezas a 5oo rs. a garrafa e
l,5oo cada urna ancorela.
Champagne da melhor qualidade que vem
ao mercado, a 2,ooo e 3,5oo a garrafa, e
24,ooo e 26,ooo o gigo.
rs. o maco.
Gomma de engommar muito alva a 12o rs.
B a libra.
Figos em sextinhas a 8o rs, cada urna e 72o
rs. a duzia.
Papel a?ul para botica a 2,ooo a resma.
Balaios para roupa soja, grandes e peque-
nos, por diversos precos.
Amendoas confeiladas a 64o rs. a libra.
Latas com frtelas em calda: pera, pecego,
damasco, rainha Claudia e cereja, a 8oo
rs.
Vinagre de Lisboa a 2oo e 28o rs. a garra-
fa e a l,4oo e 2.000 rs. a caada.
Azeitn doce de Lisboa a 4,8oo rs. a caada
e 640 rs. a garrafa. [
Vinagre brancoj engarrafado a 5oo rs. a
garrafa.
PEITORAL de KEMP.
a anacalmita mexicana que da e n. m* m-
pecial este inconparavel mnedic. t uu*
aore, cm> madeira per bMMr Irapm
ha usado no Tampieo para a ora bm i>
fermidades cima mencieMiM. 1 11.
bem ensaiada e appiuvada j-ea a.a. m
medica de Berlim OpeHoeel .' Kin.r.
um xarope delicioso inteiramenle livrt o>
opio, acido hydrr cyanico e cun
dientes nocivos.
A' venda as drogaras de Caors Bar-
boza, Bravo A C. c em lodos es nftfe
mentos pharmaceutcos do ferio.
Vendem-se no Recife em casi de Cawi
Barboza e Jo5o da C. Bravo & C.
Farinha de mandioca : icir para v,rl \
tonlo Luiz de Oliweiri Atfrto A, '-. M H a -
criotirio ra da Crin n. I.
HSnBA?C mu :
Fuiiu em principas do niez de f-tirer a.
torrenteanno e .on.-u Mar arootoeneu r(tM.
o molecpie Euzebio. Pcravo ,ia tioti do fr P-
n.indo Affonsode Mello, uh 12 annos ,. lrta,J(.
V
VINHOSI
Principe Aberto, de 1831, a 5;)000 a gar-
rafa ; d vida aos velhos.
Velho secco a 2# a garrafa.
Lagrimas do Douro a l,-)500 a garrafa.
Duque do Porlo verdadeiro a 2;$ a garrafa
Duque a I,-) e 1(5500.
Chamisso a 1, 1200 e 1;>500 a garrafa.
ti. Luiz a 1(51 agarrafa
Mcscatel verdadeiro de Selubal a 2)5 a gar-
rafa.
Carca velos a i$.
Colares a 900 rs. a garrafa; o nico vi-
nho que se pode beber por n3o ter com-
posico alguma.
Lanlerne a 800 rs. a garrafa.
Bordeaux Medoc a 800 rs. a garrafa.
dem S. Julien a 600, 800 e 1^ agarrafa.
Absyniho a 2 a garrafa.
Kirsch a 25 a garrafa.
Wermoulh a 2-5, e a caixa a 185.
Bitier Maurer a 15 a garrafa,
Grave a 803 rs. a garrafa; vende-se por este
preco por haver sempre em dpposito 50
donas.
De caj, de 1832, a 15200 a garrafa.
Velho do Porto, era ancorelas de 9 caadas,
a 35500 ; vinho que, estando engarra-
HIVAL
Ra do Qneimado ns. 49 e 55
Continua a vender todas as miudezas que abaixo
declara por presos admiraveis.
Hassos de patitos lixados para dentes-a 100 r<
Espelhos de molduras douradas a 200^240 e 320 rs
Bonete de oliado para meninos a 1,8000.
Ditos de couro superior fazenda a 50
Frascos com superior tinla rocha a 210 rs.
Meiadas de Imha froxa para bordado a 20 e 60 r=
Babado do Porto, fazenda boa, vara a 80 100 c
140 rs. '
Varas de Tranja branca estreita a 40 rs.
Caixas com 100 envelopes, fazenda fina a 600 rs.
Grozas de pennas de ano, fazenda superior a 500 rs
DUoZia^e meias cruas euCOrPadas para hornera a
JipOU.
Grozas de botoes madreperota finos a 500 e
e 640 rs.
Caixas com O novellos
900 rs.
Caixas com superiores obrejas de cola a 40 e 80 rs
Pecas de fila branca elaslica com 9 varas a 280 rs'
\ aras de fraDja de laa para enreites de vestidos a
40 rs.
Baralhos dourados superiores qualidades a 400 n
.Novellos de linha cbm 400 jardas a 80 rs.
LtvroS para assenlos de roupa lavada a 100 rs
Pares de boiSes para punho, fazenda rica a 120 rs
Tesouras para costuras superiores qualidades a
400 e 1-3.
Cax.nSe tennas de fallgraphia, fazenda Loa a
IjUOO.
Massos com superiores grampos a 30 rs.
Pares de sapatos de tranca, e tapete a i300
PY80e >ai,a'S de ,raDa para meDinos a '* e
Caixas com superiores agulhas a 240 rs.
Libras de laa sorlidasde bonitas cores a 7000
Caixas com superiores brelas de massa a 40 r
Ridinhas com alfinetes francezes
a 20 rs.
I
auiondades pollciae' e capilesoVrM pf fine oaa-
prehendam e levem-o a na da .Mantunra ..b'a-ki
n. 6 que sero gratificad,-,,, protestan,!...,,- o^r-ji
melosjudiciaescouira qiljwr|wMjw '"ou-
em sen poder.
Azeite dote refinadoem pequeas latas a 560 rs. a garrafa : no graude armazem
da Liga.
Saceos de 80,100 e 120 libras a 45,45500 e 55 ; no grande armazem
de linha do gaz a 700 e
es muito superiores
Resmas de papel almaoo a 2,5400 e 25800 rs.
Resmas de papel de peso fino a 2000.
Escovas para roupa, fazenda boa a 720 e 1
Duzas de tesouras com toque de ferrutrem a
600 rs.
Dnzias de facas e garfos de cabo preto a 3,5000.
Talheres muito fino para criancas a 240 rs.
Vinho do Podo especial.
O mais generoso e genuino vinho do Porto, mar-
cas novas e especiaes em caixinhas de 12 garra-
fas, sendo marca Rainha de Portugal a 18 a cai-
xa e Pedro V a 16,8, em porcao far-se-ha um aba-
le razoavel : no armazem de Ferreira & Matheus
na ra da Cadeia do Recife n. 66.
^'M a MladaPl5 mni'o fino com pequeo toque de tvaria, pir preco que admira : na
*S& das Zuranas na ra do Crespo n. 13, de Antoni) Corren de Vascoacellos & C.

IV
mmzm
mmm^m
Saceas de farinha a J.^OO
com 22 cuias de farinha da trra, e nao querendo
a sacra, a 45 : na ra do Imperador n. 26 defron-
fado, vende-se a 15280 e 15500 a garrafa, j te da casa das audiencias.
Grandff sorlimento de roupas feitas 'de to-
das asqualdades,
Caigas de casemira a 63 e 75300, ditas prelas a
65 e 85, caigas de ganga a 25 ,15800 e 15000,
ditas brancas a 25, brim de linho a 35, 33300 e
43, paletots do alpaca branca a 45300, ditos pretos
a 35 e 33300, ditos de alpaca de cordo a 45, e
de listra de seda a 45300, ditos sobrecasacos a 35,
paletou de casemira a 33, 35300, 65, 8 e 95,
ditos sobrecasacos pretos a 125, lo e 165, ditos fi-
nos a 2S3, de cores a 135, ditos fraques a 143,
paletots de ganga a 33, 25300 e 25, ditos de brim
pardo a 35, jaquetoes de brim pardo a 35, panno
preto fino a 25. 25600, 35500 o, 43500 3 e 65 o
covado, moreantique preto a 25600 o covado, pros-
denaple preto a 15500, 15800, 25, 23200 e 25500
o covado ; e outras umitas mais fazendas que se
deixa de annunciar, emanda-se levar pelos caixei-
ros da loja da arara casa dos pretendentes. O
e tabelecimento est aherto at as 9 horas da noite,
ruada Imperairiz n. 66, Menes Guimares.
Chegaram os superiores
cortes de seda
Superiores cortes de seda de cor, viudos pelo
ultimo vapor francez : na .loja das columna? a roa 0DJec">s de ourn, praia
Francisco Jos Germano
RA \OTA !t. 91,
acaba de receber um lindo e magnifico sortimento
deoculos, lunetos, binculos, do ultimo e mais
apurado gosto da Europa.
ATURDA
Jolas preciosas c objectos de
OIII'O.
Manririo Slbeberg & C, Polacos, ltimamente
-Ausentou-se n< diId, rorrrMt iMfe~S
i^a casa da ra d.. Imperador n. 16. o [ ret i '.mch-
do, crioulo, cheio do enrpo. .-- ,- r, *,,,
comprido, (Ihos peqoenoi e pnaca barba u-a -o.--
^a e bigode, bstanle ldio<>, NpMMMi ir i*,
anno, pouco mais ou menos, e julga-.-.' ier '
calca prela e camisa bratca : este t~mra fo. ccib-
prado ao Sr. coronel Gal van. d<> Lian i m in
de se julga tenha fuguK |a bmMi
visto na Passagem da Magt'al.na. ReircJii Var-
zea; e como se do.ic, ofia nue e.-' a,i,,
rotesta-se proceder centra qofm o ti\^r sr
e pede-se a quem dUe der n. li.ia on o garrar"
que dinja-se a snbr.'dn.-i ca-a. u a ra <"cCt-'
n. 13, que sera recompensad.'. '
- Kugio no da de julho -. rr.nteo M iU-
qnim, de nacao Cosa, idad^ 40 ann> i pouro m*
c_u menos, de estatura regular. o.m algnma falta
de cabellos na cabefa. cantos t. m entrados baa
nao muilo espe.-sa; esteescravo 1.1 do Sr. Tattorrit.
e comprado ulliman,. nio Sr. Sou7a r, m ra-a d
commis^ao de esorav. < na ra do Imperador ttm-
la que ja em outro lempo iraUlhno. em Amonen
com o Sr. Jos Sesar... : qunn o pegar leveoa
ra da Concordia n. 8. retinara., que sera iraim.
smente gratificado. H "^
- Pogio do d"ia ? d~ jaiba pnmm wmk
placar de Gamrlbd.' Barra Grande r.. ,
Alagoas, o molaio Amaneo. de idade ,
mais on menos de 10 amo*, ron os venae
gumtes : esialura regul.r, car.-. < hala '.> b.
js um sol. os oulD-. ?em larba, nariz
com um
ps chatos e os ded s arrebiia.1^. levando \zmJ.
ta de panno preo. ca:.> bran.- r H
de Ouncon, miga-*,, er aliMa
corposdoyoluntai,.- roga- ponS a aoftv
ndados polinaes e ao* rapae, ie ramnn
pegar e tova to a seu sem; r M
QoeiroiCoulInho.n.. loga-a.-ima ii
en correspondeute nesia pra,; r. Am
M. Temporal,com e-.riptnri. n. rna da Cruz t
30, aja geoerotanjeme sera" '
_ Fugio em principio de~jonho a'.umo o 5np-
p5e.se vaguea pela cidade d, I!,, : e sen, uUir-
b.os, o moleque Mano-!, cr;i ,u .. ,;; represla
ter a idade de 16 an: ,,|'leLl( a,"
urna cicatriz no dedo MUgar da mi rtS^ut
veniente de am Daarle ., .,;,., e fa2,
de algodaozlnho r,,<- ,,,,..,., ^pttkt^
entrgalo no 1- andar do sobra n. 17, >a orara
do Corpo Santo, cu r. silio do Sr. Dr. Aua. kT
do Ve'ra' na J" L" h''3- ?era '^
Ha um mez qc. fugi ,a ^t a" Mar a
com os signaes KgnifjjM \ prrla. baa. falta de
denles na frente, mu aula
chato, com manas de f-rida- i.,"< pprna-
talho em cima do de i egar da 5$
do Crespo n. 13, de Antonio
cellos 4 C.
Correia de Vascon-
Farinha de mandioca fina e alva, mais bara-
ta do que em qualquer parte, arroz da trra pila-
do e em conta : para ver e tratar, na ra do Vi-
gario, casa d. 29.
por objectos
novos : na ra do Qneimadn n. 29, entrada pelo
bertt
estar acoutada aqu
protesta entra quem
**s*>,P,i;mlf,08.Paralevr objectos s casas das segundo andar ou .
chita,
\) JM
lonn fedutM
s as autoridades
ira de dita es-
San'a Bita n. 55.
n. 78, armazem
pensado.
y
Antonio da Suva Kaaws.
.--^
11 r-**\ /
i


Diarlo de reraamhnro Kexa letra 14 de Jnlho de 185.
LITTEBiTOHi.
{de?, e decldio-se finalmente a aceitar a recom .
pensa.
E agora, accrescentoa a actriz, peeo-vos que
nao percais un mnalo.
A astuto ladro deu-se ressa em obedecer, e deu
as de Villa Diogo, ainda mais depressa, por isso
que acaba de roobar a joven artista, achando
anda meto da lite extorquir diuheiro para operar
IJM POUCO DE TUGO.
Este artigo do Rvm. Sr. F. t- de Souia:
A Ol 10*0.
Gloria a Deus, que em bern d;i pobre humauila
de, collocou o aulldolo no lado do veneno, o iftm a sua faga,
to lado do mal, e a palrh nospitaleira que o nau-
fragu demanda bem piito as ondas rcvoltas e
dj-.eucadeiadas do ocano. Damos as poesas que foram recitadas
Gloria a Deas, que m corago que soffre as no S. Isabel noile e quarta-feiri por oc-
agonias da dr, no desalent da vida,, deu as lagri- cas,0 do COitcert) do jovem pianista bra-
mas que suavisam e o balsamo do lempo que cica- fMn Hermenegi|J() L!fnori. sendo a pr-
trisa pouco e pouco as mais |iung;utes e dolorosas m ,
...',,. v metra do Sr. Almeida Cunlia, a segunila
fendas d almaI I .,, .,.
do Sr. G. A. Machado e a terceira e ultima
A flor delicada que enmurchece aos raios abra-
sijores do sol do estio, tera o orvalbo da noute,
brando e suave, que Ihe regenera asforgas e d-lhe
atentos para supportar o calor do dia.
Sem esse orvalho do cu que a regenera, a po-
bresinha enlangueclda mingua de seiva, pendera
reseccada da haste, e seria atirada ao chao, desto-
linda e morta pela ventana que Ihe agoulasse as
pealas delicadas.
E o homem como a flor dos campos; queima-
do M sol ardente das paixes da vida ; vai vem das
tempestades deste mundo; em lacla aborta com os
elementos conjurados, aliiuonlaudo-se do dores,
acahruuhado ao peso das magoas, dilacerado pelo
acaula do destioo, atirado nesse valle de lagrimas,
(Jo decepgoes e do miserias, o que seria delle, se
lite nao dera Deus as lagrimas -com que a dr se
desabafa, e a oragaoque, como o orvalho do cu,
Ihe reiempera as forjas e Ihe consola e suavisa as
agn as do peilo I
Uli! salve, thesouro enexgoavel de bondade?,
qae nos deste o praato que se desusa dos
olios I Salve, tu, que nos deste as lagrimas, esses
respiradouros por onde saem as affliegoes do peito;!
quando l dentro bramem deseocadeiadas as lera-
pest ides da paixo; quando a alma se estorce na :
vijhucia da dr, quando a magoa punge nos bem
funoa, quaudo o dedo da jesgraga nos tem marcado
a fronte !
Oh! as lagrimas I
Qaanto allvo se nao sent qaando o pranto
desabrocha dos olhos I
Ai daquelles que nao sabem cu que nao podem
chorar I
Ai daquelles aos quaes a dr refloe para dentro,
aos quaes seceou-essa fonle abeugoada de consola*-
:-fe e de allivio I
Abrasados pelo fogo da dr qae os consomm'
esmagados pela violencia da magoa, que Ihes les-
plaga o coragao, o que Ibes resta seno o deses-
pero e a morlc I
Planta que o orvalho nao humedece, flor cresta-
da pela violencia do sol, curva a fronte para o chao
o morre, porque a dr tambem mata as convulses
extremas da agona
Mas a org.io !......
Felizes os que podem chorar, mas tres vezes
felizes. ires vezes abengo.idos os qae podem
orar!
A dr pug^nte, a magoa intensa, o calix da
agonia toi expiado, o sp ;-trr do desespero assoma
a porta d'alma,mas o pon-amento se eleva ao
cea, os labios murmurara nao sei que palmas
misteriosas o santas, o o espirito atravessa o espa-
niir-eria, as augustas do coragao.....
E por mais horrivel que seja a .Jr, o por mais
violenta que seja a magoa, e por mais profundo
que seja u desatonto, elle eede consolado da ora-
cao, u abranda as furias, como otitr'ora ao sorn da
paiavra imponenle do Filho do Homem abranda-
ra n-se as aguas revollas e encapulladas do
l'erguntai-o pobre viuva, que acaba de pjrder
o (M'iipanheiro de sua vida, a alma de sua alma, o
esposo querido que recebera em face dos al-
tares......
Perguntai o orphaa que vio cair pesada pedra
da sepultura e encerrar para sempre a mi extre.
Diosa, o pai iolatrado, e que tica s no mundo,
Ulere do deslioo, sem prolccgao e sem ara-
do Sr. labias Barreito de Menezes.
A harmona que li/.este
Ettcheo completa o salo ;
Emenda mente inda existe
Suavissima impressao.
O fogo que lens no crneo
Remontu-se subitneo
Do sublime as regide.
Novo genio em mundo novo,
Pudesles mostrar ao povo
Como se lurpejam candes.
Genio novo em novo inundo,
Fizeste-o nobre e jocundo
Prestar-te preito e oblaces t
Avaute Qaando tito cedo
Sabes tanto conquistar,
Que ser, quando, mancebo,
Teu talento se apurar I
Tenbo-le ouvido e pensado
Que s ente predestinado
A subir como o cndor ;
Que podesvolvendo as vistas
Aspirar nobres conquistas
Com teus cnticos de amor.
Pens assim mais tambem creio
Que esse ten genio proveio
D'alguma luz do Scnbor I
Liguori u3o te constranges
Por ver a patria solTrer ?
Nao te d;s, nao te confranges
Por ve-la aos poneos morrer ?
David suspira gemidos,
Baleos negros saecudidos
Vio toldando o ceu azul,
O Brasil posto em mortalhas
Corre ao meio das batalhas,
Nao como o infame Abdul ;
Sangue imigo as moa Ihe ensopa...
Vai tu vinga-lo na Europa
Como elle agora no sol I
Redrenle primavera
Mavioso sabia
Avante o Brasil te espera
Quand) voltares de l.
Vai na tua fronte aberta
O genio altivo despena,
Rehtmpeja a inspiracao;
Vai quando um (lia vallares
Mostra ao Brasil os altires
Que ergusle em cada naco ;
Por despresos d-lhe louros,
Por vilipendiosibesouros,
E a gloria em vez do baldo!
Sentem-se n'alma as tuas maos divinas
Bandadas no esplendor que sahe do. piano,
Ligeira? como as duras vespertinas
Que acarinhama juba doocceano.
E da vida dissipam-se as cabigens
Ante essas notas ctlidas, anciosas,
Qual o bafo confuso, de com virgens
Ebrias de amores n'um tapiz de rosas.
Menino-genio que tao cedo vas,
Que j sbbes to alto, e do cansaco
Vais dormir, machucando .almas cor&as,
De la mai no anglico regace,
Aspira a flor que jw porvir se expande,
Dos louvores d'aqui nao, nao le fartes,
E' sopor vos que a natureza grande
Aguias, genios, apostlos das artes.
E' para vos que os dias alvorecem.
Que desbrocham paixes no peilo nosso;
E' para vos que as rozas amanhecem
Boquiabertas pedindo um beijo vosso.
A' ti cabe tambem muita victoria.
Manda as trras de a!m tua alma accezi
Trars no peito as emoces da gloria
E na fronte algttm beijo de princeza.
Foram estes os segtnatoa: S. SNmtrt, aau ga-
vernou a igreja desde 314 a 336; S. Leia a |
de, desde 4*0 a MI; Adriano I, desde 771 a !
Alexandre III, desde 1159 a 1IM,
aind ostava Iraca, e seria talvez ,expr a saude, sistirei que o precelto : amar a Dos sobre todas
sujeitandoa, a sementante experiencia. as coasas e ao prximo como a nos mesaos : e
Oh, responden alia, Mana que me curou, ser assim qae ama a Dos eao prximo qaalqaer
dar-me-ho bastante torga para levar a sua imagem que nao precisa de indulgencias ?...
em um dia em que eu quero mostrar os effeitos da Veja l oque diz, olhe que a resposta delicada ; desde 1613 a 1S4I; Clemente i:
saa bondade para com a sua indigna serva. | mu va. COBeedo qae seja assim; senhor da sua 17zi; Po VI, desde 1775 a 1800, e'
Nao insistiram mais; Margarida foi buscar a coOsciencia, deve saber o que diz e o motivo por
imagem da Nossa Senhora, pola aos hombros, que o diz.
Mas embora
>raga publica. Ceden eolio a outros a hon* consloto-me que Iba lembre a comm
ra de levar a imagem : mas, com um cirio na mao santos-e que Ihe faga ver que se nao prec.sa de
foi andando ao lado da imagem da sua augusta "du'gencus P^a si, e justo a am tal ponto, de-
bemreitora durante loda a procissao. I ve era loio caso ""Pregar todos os meios de ob-
Toda a raultido litava os olhos na feliz rapa- P"ra as 'nmunicar a algum prximo seu,
muito prximo, como pai, mai, irmao, etc., e que
Pi VII, desde 1800 a I8B.
Estes dous ltimos sao os
que
JZZZ^ST+L TH^aZ:t I Po : o prime.ro M ,^ .
C'esl nn enfttnt sublime.
(Chateaubriand)
E' minh'alma que diz: vaireverenle
paro........
Pergnnta.-o a todos os que soffrera, a todos os Bater palmas ao Genio o menino
(|ue gemem, a todos os que chorara, onde acharam Que tita do piano as harmonas
torgas para resistirem, onde aciuram armas para D'um cntico divino 1
combalerem I.....
Sim; beraaventurados, .res vezes bemaventura- Quando os le"s ^dos, mageslOSO artista
dos os que sabem orar i Correm sobre q teclado do instrumento,
Os labios balbuciam, o espirito eleva-se, as pre- E' eslasis Pifando, ludo esqueco
ees sobem ao cu, e o aojo da esperanga, baixando E admiro O talento !
do seio de Deus, desprende as azas cor de nev e
leva a paz e o conforto aquellas que estavam pres LffOOril 03 010C0 ainda. .mas que importa ?
tes a suecumbir ao desespero. Na la fronte juvenil transluz
Gloria a Deus, que ao coragao que soffre as Santo fogo de DflOS, que nos innunda
agonas da dr, no desalent da vida, dea as lagri- Com torrentes de luz !
mas que suavisam e a oragao que cicatrisa as mais
pungentes e dolorosas tondas d'alma! Caminha..Omundo teu, e o mundo -vasto!
Bate as azas, Cndor, que ao ten talento
i llo de erigir as geragoes vindouras
Perennal monumento !
Conta um jornal franeez, que urna joven e formo-
sa actriz acaba de ser victima do um roubo revs-
iJo de mysti(icago. ------~-------
Ao entrar era sua casa, depois do espectculo, Qa(ja secu|0 0 seu genio,
ichou a fechadura fo.gada, a porta aberU e nm Ca(Ja ^^ Q &m ^^ ,
onmcm iranquillaraente assentado num sora. ;
- Ainda bem I rainha senhora, que chegaes, E falso ;-qoe esse proscenio
dissoo de.-conhecido. Eusouum dos vo>sosvisiohos; J vio callir ITiuia llr
ouvi meeber e remecher no voseo aposento, e no De preito, de pasmo e Culto
momento em que en descia os ittferus qualro a Sobre mais de um grande vulto
quatro, para ver o que seria, sahiAum homem pre- yue neUe erguj0 se tem_
e.pitadainente da voss, casa exaudo os vossos \ s_,,a p0UC0_.)aSiaram
movis no estado em que vedes. i r ....
E ao fulgor que elles detxaram
A artista laogou os olhos em redor; as gavetas iUnlar-se vem
das comwodas eslavara abortas,os bas vastos,o que ieu IU18UI JUIlldr se vera.
|i era de surada gravidade, mas ^,, que anda mais k& encandecidas
grave se lornava, era o desapparec!mento de urna
aagoilica cruz de brilhantes. j *** ^ves presses,
-Senhor, disse ella ao sea visinho, com ama Como fibras doloridas
,oz supplicante, vistes o ladrao; por consegainte, De profundas emogoes,
podereis reconhecelo, nao assim ? Palpitam, choram affave'lS
- Provavelmente. ; Mo||eSj ternas> jrrtaveS
- Posbem! em nome do cu, ajudai-me a!Ao l0(jUe meg0 e subt[
rehaver a minha preciosa jola, correi alraz do la- Dos ^^ teug pressurosos .
dro, apanhalo-heis talvez, e em todo o caso pede-
ris dar os signaes delle ao chele da polica.
Como os rithmos maviosos
De um corac5o infantil.
Cunipnrta os vossos desetcs com multo gosto* i
minha senhora; infelizmente, eu sou um simples, Abre.no3 esse thesouro,
operario.
qne me obriga a perder a
prebendis? TraU-se de ganhar pao
Olhos.
E quanto que vos rende o vosso thibalho?
e amanhaa tere de entregar urna obra,.
. .nm Mais um punhado de sons
noate inteira, com- \ ,
para meas Arcbanjo I em la taca de ouro
Dez francs.
Tomai estes vinte francos.
Ohl senbora!.....
Aceiiai-os por favor, o maior s^rvigo que
podis prestarme.
O honrado trabalhador fez ainda algunas objec- De estrellas e cherubins.
II!
Quesorvos demel... to bons!!
Sobre estas frontes profanas
Estende as, mos sobre humanas,
Que dos cos colhem jasmins;
Derrama o teu oleo santo,
D-nos beber esse pranto
Colhemos sobre a devogao Mara Santissima o
faci segrate, que leve lugar a 31 de maio de 1853,
o dia ultimo do mez de Mara, na aldia de Plestim
em Franca, sendo esta a narragao do acontecimen-
to mandada pelo prior ao seu bispo.
Margarida Lucas, joven menina de 23 anuos,
soffria havia sete ann.s d'uraa doenga d'abatimen-
to, que a pnvava do uso dos seus membros e a
condemnava a estar qaasi sempre de cama.
Apenas nos seus melhores momentos poda ella
dar alguos passos com a ajuda de urna muleta ou
dando o brago a algaem.
Aqu est como todos dafreguezia conheceram a
posigo durante sete annos, de Margarida Lucas.
Um medico a tractou, mas em vo ; o mal resis-
ta a todos os e:forgos, a lodos os segredos da arle>
e fazia sempre progressos.
Margarida deveu enlao levar mais alto suas es-
peranzas e nao esperou a sua cura senao do cu,
pela intercessao de Mara, qual se encommendon
com um fervor e ama conQanga adroiravets.
Sua esperanga n.o foi baldada.
Na segunda feira de Pentecosts, o ultimo dia
do mez abengoado, ella exprimi um vivo desejo
de ir rezar aos ps do throno levantado na igreja
Mi de Dos.
Os pais cedendo s suas instancias, fazera-na le-
var nos bracos dos criados da rasa, era o nico
meio de transporte, de que ella se poda servir, por
causa da sua fraqueza.
Margarida cenfessou-se, commongou, e rezou
algum lempo jauto do aliar de Maria ; emflm ex-
tenuada de fadiga, fez-se levar a urna casa visinha
da igreja.
All deiiou-se para descangar e sentiudo-se nm
pouco melhor pe lio um livro, o mei de Maria; de-
ram-lhe o devoto livro do Senhor de Bussi no qual
ella leu um bocado : eram quasi qnatro horas. O
ivro rabio-he logo das m3os; eento diz ella
(repito as suas proprias palavras) enlao senli, o
quer que foi, que eu nao posso exprimir, senlime
livre d'um grande pezo, respire! mais vontade :
flz diligencia para voltar a rabeca para todos os la-
dos, e pude ; para mexer os ps e tambera pude f-
cilmente. Oh I disse eu ento pessoa, que trac-
tava de mira, e'que estava sentada ao p da mi-
nha cama, sinto-me tao bem I eslou curada; esta
tarde poderei assistir procissao.
A amiga de Margarida estava longe do suspetlar
o que acabava de se passar, e sorriudo, induzio a
pobre doente a renunciar aquella esperanga, e a
conservar-se era descango.
S Ihe permitlio, um instante antes da procissao,
que se levantasse para ver da janella a saida de
Nossa Senhora da igreja.
No momento em que a sama imagera passava o
limiar da reja, parecia-me, disse ella, que Mar
sorria para mira, porque en j senta, que tinha re-
cebido o beneficio, que esperava da sua bondade, a
minha cura.
No dia segninte accordando cedo de um somno
socegado, disse corasigo.
Nao querem acreditar na rainha cura, pors vou
dar provas d'ella, e nao de render-se evidencia
Veste-se sosinha, o que ha sete annos sao poda
fazer, salta da cama, e desee a escada gilmente.
Assim que a viram, eorreram para a ajudar.
eixem-me, disse ella, j nao necessitode biago
nem de muleta ; eslou curada.
E poz-se a andar.
As pessoas de casa ao ver isio, fteam maravilha-
das, e estupefactas.
Depressa chegam os visinhos; de lodos os olhos
correm lagrimas, todas as boceas repetem : mi-
iagre I
Um instante depois Margarida eslava ijoelhada
no altar de Mara, donde se levantou para ir ter
com o seu director.
Conhecels-me, dii-lhe ella em transporte de
alegra 1
Sim, miuha fllha, respondeu o padre, mas
desconhego essa agilidade, que admiro, e que ha
tanto lempo imbus perdido.
Ja nao tenho muleta l agora nao me preci-
sa, e sabis o que quero facer d'ella I OITerece-la
a Nossa Senhora, porque me curou : vie como
eu ando.
Pos bem, se o fado se contlrmar, respondeu
o ministro do Seuhor, o vosso desejo ser cumpn-
do, e para o anno o melbor ornato do throno de
Maria ser a vossa muleta.
Margarida foi pois mostrar a sua felicidade a um
grande numero de seus amigos d'aquella povoago,
e a sua presenga por toda a parte fazia correr la-
grimas de alegra.
Depois fra a p, e sem encesto a casa de seus
pais, situada distancia de um kilmetro.
No sabbado seguinte veto pedir-me que Ihe lan-
gasse o escapulario.
Maria curou-rae, perlengo-lhe, diz ella, devo ves-
tir a sua libr.
Em quanto Ihe langei o bentinh, reparel, que
eslava derramando copiosas lagrimas.
N'esse dia cantava-se missa solemne em aegao
de gragas.
Ao outro dia, domingo da Tnndade, segundo um
antiquissimo uso d'aquella freguezia.sahia da igreja
urna procissao para um capella distancia do tres
kilmetros.
Margarida apresentou-se, pedindo por favor, que
Ihe deixaassem levar na procissao urna imagem de
Nossa Senhora era um andor. Responderaralhe
que apezar de ter recobrado o uso de seus membros
nga.
Notavara-lhe palltdez, excessiva magreza, resul-
tados de lio tonga doenga, porm admiravam a fa-
cilidade dos seus movimentos, o a agilidade do
andar.
Tendo-se espalhado rpidamente a noticia da sua
cura inesperada, velo muita gente das cidades v-
sinhas para ver aquella rapariga privilegiado, e
voliarara vivamente commovidos. e bemdizendo a
Maris.
Ei- aqai a narragao Sel d'um aconiecimento que
tem feito n'e^te paiz iao viva sensago.
O facto incontestavel. Expliquem-no outros
differentemenle ; quanto a mim, que o presencei,
digo : fez-se a cuca depois de reconhecida a inuti-
lidade dos rcursos da arte, fez-se no flm das ora-
ges dirigidas Mi de Dos, foi repentina, com-
plet, duradoura, pols Margarida nao conservou
signal algum da sua antiga enfermidad--, senao
talvez a cabega um pooc> inclinada para o hombro
direilo, e nao podemos deixar de ver n'isto urna
obra sobrenatural, um signal de alta proteceo de
Maria.
Pelo que me diz respeito, nao posso assz louvar
Santissima Virgem por ter escoltado a minha
parochia para dar urna nova prova do seu poder, e
bondade.
Margarida Lucas eonfirmou a narragao do ec-
cleslastico : alm disso nnguem negou o facto.
al por sua causa, talvez seja que mais carega de
indulgencias, e se demore ainda atormentado no
purgatorio, porquanto cerlo que, os que eslao em
viago ainda, leem rigorosa obrigagao de ajudarem,
por meio da esmola e da oragao e de todas as es-
pecies de boas obras, as almas de todos os fleis, e
anda mais as dos seus prenles, na salisfago da
pena temporal, que o llm das indulgencias, para
poderem subir presenga de Dos e entraren) no
goso da bemavenluranga eterna, onde euto se cons-
liluem advogados de quera os ajudar a pagar a pe-
nalidade devida s suas culpas.
Devoraos pois, em lodo o caso, aproveitar as in-
dulgencias, que a Santa igreja, por mao de seus
ministros c dispenseiros, o papa e os blspos nos
concede por tantos e to diversos modos.
Quanto mais que. em ludo quanto diz respeito a
este objecto, intelra e absolutamente livre e ex-
pontaneo.
Mas nos como bons limos, varaos sempre entien-
do os tractos, que no i m menso campo da miseri-
cordia divina, a igreja, nossa carraosa mii, nos
do vnle e ires annos cons'cativos.
Todos sabem que s ao pontifeado da S.
que 09 chronislas assignam urna doraeao da
e cinco annos.
Em presenga do estado floreseeate da sada da
Pi IX, predizem os romaaos que ser* Na rpe
com os seiii dous Ilustres aaraooymos mos de citar levar a tres o Baero d*
teem reinado mais lempo depois da S.
Usando assim o adagio latino : Oam* i
feclum.
Tanto mais qne 9, numero ehroootogko da |
tilico reinante, o qoadrado do numero sj
co 3. >
Observa um amador os tele taerametmt
pintados pelo celebre Poussin, e ao concen-
trar mais a sua attenco sobre o qeadro q
represen la va o sacramento do i
abanava a cabega.
Que adiis, sao magnifico !
Ihe u.n amigo.
Acbo, respondeu-lhe, qrttr rOoham-
offerece por tantos e to diversos modos, por qae i da mais d fflcil do que fazer om boa Mas-
a vira lempo, em que, por mais que najamos toito, menl0f mesmo m pntnra.
tudo nos parecer pouco, e clamaremos entao ji i
sem remedio. n | g |
un 1 .e en soubera.
Melhor ser porlanto dizer Bem flz eu ; e por
isso habilitemo-nos, quanto possivel, fazendo por
conseguir as gragas de Nosso Senhor Je-us Christo
Transcrevemos da Estrella do Sul o seguinle :
AS INDULGRHCIAS.
I
Dos Dos, Jess Christo o filho de Dos, e
Dos Elle mesmo, e com o Espirito Santo, anula
que Ires pessoas distnctas, fazem ura s Dos ver-
dadeiro, o Seuhor omnipotente, o Aulor omniscien-
te, o Pai de misericordia e de justiga, que, haveu-
do langado a trra a humanidade, livre era seus
pensamentos como em suas aeges, necessanameo-
te leria que premiar os que, usando bem da lber
dade, que Elle Ihes dera, pralicaram sempre bem ;
assim como necessariamente leria que punir os
que, abusando dessa mesraa liberdade, algum as
vezes e por diversos modos, extraviados do verda-
dero caminho, commeiteram o mal.
Mas esses culpados arrependem-se do mal, que
fizeram ; nao teem sobre elles a jostiga de Dos,
tambem leem em seu favor a misericordia ulLnla
de um Dos lodo bondade.
Claro e.-ti pois que Dos pode alliviar a pena de-
vida culpa, quando o culpado, por alum motivo
qualquer, merece commiseragao e indulgencia, isto
remisso da pena temporal devida a cutpa ; a in-
dulgencia, ialo perdi.
A indulgencia plenaria, quando perda todo o
castigo devido aos peccados parcial quando per-
da soraente urna parte maior ou menor da pena
temporal.
A igreja, como esposa de Jess Christo, e por
couseguinle como boa mi e sabia meslra, lem o
poder de conceder as indulgencias por que deltas
depositara.
Islo claro e assentado, sem embargo de que
tantos opugnemesta douirna, do mesmo modo iue
opugnara tudo quanio lue nao toa a seu geito : por-
quauo para esses nem a igreja mi, nem Jess
Christo Filho de Dos, era Dos Dos r Mas
nos, querido leilor, qae eremos em Dos, em Jess
Chrisio e na sua santa igreja, nao opugnamos, mas
anles eremos, abracamos e defendemos o que dei-
xamos dito, por que assim necessariamente, visto
que quem o enslnon, nem errou nem poda errar
Tudo quanto desalardes na trra, ser desatado
no co : palavras expressas de que o Divino Mos-
tr se servio para dar aos apostlos e na pessoa
destes, aos seus successores o poder de perdoar ou
nao perdoar, de dar ou deixar de conceder indul-
gencias.
Ora o summo ponlilice, como vgario de Christo
na ierra, e chele priacipal de toda a sociedade ca-
tholica e presidente da igreja de Dos, pode sobre
Ali! si lis- vos, mestre* Emrptim
posso ser uli I ? diz um j anota vo'lando-se
deixou depositara sua esposa a Santa igreja, e que! na cama (era urna hora da tarde) e caata-
esla nos offerecs por mil maneiras,. sendo urna das prJmentando um Iriaem qiie Ihe &* m-
prtncipaes a indulgencia plenaria ein forma de ju-
beln, que acaba de ser-nos outorgada pelo immor
tal cheto da igreja.
Um eogenhero prussiaoo, Mr. Eyber, iavenlou e
ensaiou om apjiaretbo para levantar os navios au
fragados e trae-lo at a superficie d'agua.
Este apparelho eoosisle em um navio de dez me-
tros de extensio fechado por lodas as partes com
urna tela impermeavel e cuja resistencia per cada
centmetro quadrado de 500 klogrammas-.
Este navio dobra-se e transporta-se com. muita
facllidade.
O meio de fazer applicagao delle para o flm a
qne se deslina i o seguinte : deixar-se ir ao fundo
uo mesmo local Ui> siui.-lco; depois, por meio de
um tubo, uilrodui ae-lhe ar comprimido ai o fazer
alargar e euclier.
Em. viriude da differenga do peso especilico do
*r cuntido uo navio, este adquire inmediatamente
una grande torga de ascenso e pode arrasiar a
flor 'agua navios do porte de 150 toneladas.
troduzido no quarto, oa qoe aM entrara
sem. ser annunciado.
Trago a conta de todo o fado qae se
deveis, e nesta occasiao muilo me otucaaia
res, dando-me algum diheim.
Abri, abr a minha secretaria, a aa
dessas gavetinhas de baixo...
0 alfoitte abre urna gaveta.
Mu essa, a outra,
O alfeiaU: abre segunda gaveta.
Tambera nao essa, a imaaediatt.-,.
excellente; acresecnta agora. nessa gaveta !
Papis, dizocredor.
Nao ha duvida ; sSo oonlas. e poda
tambem ahi mellt-r a vossa. Adeus!
E voltou-se para o outro lado.
g> ^-^<^
A famosa torre de porcelana de Nankio,.diz um
diario hespanhol, lem nove andares e a sua eleva-
gao tal que para chegar ao seu como- preciso
subir 881 degraos; torma-lhe remate nina pinha
de ouro macisso.
Com o tiUilo di illuses perdidas aa
um bello livro de Balzac (Honorio : e cav
U-se que seguinte ancdota qoe suscita-
ra ao grande romancista a idea de aaere-
ve-lo.
N'um baile de mascaras no theatro da
Pekn circuiada por urna muralha de 30 Hajm estava nina dama, que deseisrra
vados de alto e de tal espessura que as sentinellas
passeiara a cavallo por rima della.
A grande moraUa que separa a China da Tarta-
ria esteude-se por niuutauhas, valles e precipicios,
na distancia do 430 leguas, tendo 40 ps- de altara
e O de largura v toi construida ha mais de 2,000
annos e ainda subsi;te.
Varios ensaios feilos em Ardon, no Valais (Suis-
sa ) demonslraram a possibilidade de converter
a anihracit n'uma substancia tao combuslvel
com a boina, por meio de um precesso que ainda
segredo do seu inventor.
Esta descobert, susceplivel de urna infinidade
todos, assim como os demais bispos, successores i de applicagoes diversas, destinada, entre oairaf>
dos apostlos sobre aquelles que Ibes estao subjei-a reduzi/ cousideravelmente as despezas do. cona-
tos, administrar jusiiga, punindo as culpas com buslivol as locomotivas,
penas, como natural e coherente, ou indulgen-
ciando essas penas, tanto quanto os indulgenciados
o merecerera, por boas obras, que pratiquem, em
conlraposigo das ms, que commelleram, e pelas 0 imperador de Marroco* tem um precesso seu
quaes se tornaram culpados. p^a niroduzir nos estados que rege as descober-
Pois que, se a igreja a legitima depositara das las modernas, as quae deve dizer-se em abono da
ndulgencias, o papa eos bispos, tanto por si, como verdade, encontrara 08 nimos dos seu* subditos
por seus delegados, sao del las os dispensadores. um pouco recalcitrantes.
Itequere-se para que possara ser validas e effica-1 Ha poucos mezes, nao obslanl os clamores do
es as indulgencias, cousa justa e tendente a um partido fantico, aquelle soberano inandou dar co-
lina agradavel a Dos, por meio de obra conducen- meCo ao> trabalhos de urna linha telegraptoa que |
le a esse lim, que tambem deve ser legitimo, tal ,],,ve r ae pa7. a Teluan.
como a converso dos inflis, a extirpago das he- i ochava se esta linha construida j n'uma exten-
resias, e a exaltago da Santa igreja, o augmento sa0 de. 10 kilmetros, quando, apezar de decreto
da devogo e do fervor piedoso, a reparagao das mperal que puna seraelbante delicio com a pena
igrejas e de tudo quanto concorre para bem do es- je morle.os habitantes da aldea de Mahoruy se in-
plendor do culto, a fundago e raanutengo dos se- surgiram e deslruiram os los elctricos,
minarios.etc. a aldea foi immodiatamente cercada edoz indi-
Com esias condigoes serao legtimas e nao pode- viduos foram decapitados, sendo as suas cabegas
rao deixar de ser effleazes. collocadas nos posles que sustentan os os.
As indulgencias sao locaes, quanio concedidas a | Parece que este facto, como nao difflcil de acre-
um reino, a urna cidade, ou a um ediflco ; sao dtar, causou viva impressao no paiz.
reaes, quando concedidas sobre um objeclo qu.l-.
quer tal como tergos, coras ou rosarios de cont?,! ------- a
medalhas, ele ; pessoaes quando concedidas a urna
' ,h i Descobrio se ltimamente a amas dozentas le-
n a roanas pessoas. ^ de Buenos.Ayres> a0 p da grande cordllhei-
Os meios para se obterem as indulgencias sao to- Andes uraa regio argenlifera que j tem
das as obras meritorias agradaveis a Dos, laes sido reconhecida em ama ^**M *
como sao a esmola, o jejara e a oragao. o leguas de cornprlmento por dez de largara.
Devendo no.ar tambera que o maior ou menor &* reg^o, lano pela abundancia de seus ]azi-
fructo etfflcacla das indulgencias somente depen-.P como Pela ri,ueia do m,ner, nas "P6"6""
de das boas ou mis dlsposigoes do individuo, que cas que se teem feito, prometle ser o grupo de
as pretende mDas de prala mais rico que ex D0 raando-
Por isso, querido leltor, deve cada um qne quer Algons mmeiros praticos do Chili j foram arta-
e precisa indulgencias, por, da sua parte, lodos os belecerse n'aquella regiao p em Buenos-Ayres es-
meios tanto para obte-las, como para torna-las ef- tva-se tormando urna grande sociedade para coos-
flcazes, o que se consegue reformndonos, e em- truir no referido ponto grandes fabricas de fund-
pregando todos os meios para nos desprendemos gao, providas das melhores machinas tnglezas que
de todos os hbitos, que tinhamos de, por algum aclualmehte se conhecem.
modo, irmos de encontr ao preceito mximo:
amars a Dos sobre lodas as cousas e ao prximo I...........
como a ti mesmo.
Nao preciso indulgencias, parece-me estar ouvin-
do algum desses entes perfeilos, e nao as preciso
por que amo a Dos e por qae amo ao prximo.
to ver- Bafatac.
l/.cnilii-llie alguem que elle es'anr ala,
pedio a um civalheiro sea C'nhe-iY> qae
Ih'o moslrasse.
K' esse, responden o ca atacara, a-
pontando para Balzac, qoe por acaar sea
va pouco distante da dama cariosa.
Este! Um hornean Co nsatfetto r
K Balzac,
To mal ves'ido I A* botas i
Ora!
OV
Pode ser, nao veu contra isso, porm sempre in-
L-se na FVance :
Do numero total de 259 papas que se leem suc-
cedido desde S. Pedro, apenas 8 teem excedido a
duragao do reinado do actual pontfice.
poetra:

Affianco-lhe qne Balzac.
Nao pode ser. Davido qae o aotor de
tao bonitos livros seja t3o rustico.
Balzac, que ouvira tudo, voltoa-se e per-
gontou-lhe :
Bella mascara, quem procaras t *
Honorio Balzac.
Pois sou eu.
Est zomhando!
Tanto verdade que nao zonto aaaa
verdade que me pareces bella.
Forte pena! exelamoo a dan a reti-
rou-se.
E o romancista sahindo do baile tmfm
o bello livro qae se intitula Illmitt per-
didas.
Urna menina milito romntica, alma
ao rio esteve a ponto de se afogar. I a a-
berlador que por acaso alli se achava, laar
cou-se agua, e conseguio salvada, aran-
do-a da correte j sem sentidos.
Conduztram-na a casa, e logo qae raeo-
brou o conhecimento declarou a faaaiaa qae
quera esposar a pessoa que a liona ai
cado morte. Era gratido senao
amor.
Impossivel, diz-lhe o pai.
Impossivel! Pois ser j casado
Nao.
velho?
Nao.
aquelle rapaz, qae assiste ai
fronte ?
Nao.

- Pois quem ? a qaem devo en a
A quem? A um cSo de Terra
respondeu-lhe o pai.
:
PERNAMBIT.O.-TYP. DB M. f. D F. \


.--------------..fci-'-
..- i .
J
aJ


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID ECOMMZOG8_QQSPG3 INGEST_TIME 2013-08-28T00:06:29Z PACKAGE AA00011611_10716
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES