<%BANNER%>

Diario de Pernambuco ( Tuesday, July 11, 1865 )

Permanent Link: http://ufdc.ufl.edu/AA00011611/10713

Material Information

Title: Diario de Pernambuco
Physical Description: Newspaper
Language: Portuguese
Publication Date: Tuesday, July 11, 1865

Subjects

Genre: newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage: Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract: The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding: Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation: Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities: Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution: University of Florida
Holding Location: UF Latin American Collections
Rights Management: Applicable rights reserved.
Resource Identifier: aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID: AA00011611:10713

Permanent Link: http://ufdc.ufl.edu/AA00011611/10713

Material Information

Title: Diario de Pernambuco
Physical Description: Newspaper
Language: Portuguese
Publication Date: Tuesday, July 11, 1865

Subjects

Genre: newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage: Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract: The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding: Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation: Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities: Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution: University of Florida
Holding Location: UF Latin American Collections
Rights Management: Applicable rights reserved.
Resource Identifier: aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID: AA00011611:10713

Full Text

I
amo m imm w
Por qnarlel pago dentro de 1 Odias do l.mez ...:.. 5$Q00
dem depois dos i.M ludias do comeeoe dentro do quarlel. . 61000
Porte ao crrelo por tres mezes . ,.......... jq
ENCARREGADOS T>A SUBSCRIPTO DO NORTE
Parahyba, o ?r. Antonio Alex?ndriu de Lima;
Natal, o Sr. Antonio Marques da Silva; Aracaty, o
Sr. A. de Lomos Braga; Cear, o Sr. J. Jos de
Oliveira; Marnnhao, o Sr. Joaquim Marques Ro-
drigues; Para, os Srs. Geraldo Antonio Alves &
Filhos ; Amazonas, o Sr. Jeronymo da Costa.
ENCARREGADOS DA Sl'BSCRIPCAO DO SOL.
Alagoas, o Sr. Clandino Caleo Uias; Bahia, o
Sr. Jos Mirtins Alves; Rio de Janeiro, e Sr. Jos
Ribeiro Gasparinho.
PARTIDA DOS ESTAFETAS.
Olinda, Cabo, Escada e estaeoes da via frrea at
Agoa Preta, todos os das.
Iguarass e Goyanna nassegundas e sextas feiras.
Santo Antao, Grvala, liezerros, Bonito, Caruar,
Altinho, Garanhuns, Buique, S. Rento, Rom
OBselbo, Aguas Relias e Tacarat, as tergas
feiras.
Pod'Alho, Xazareth, Limoeiro, Rrejo, Pesqueira
Ingazeira, Flores, Villa Bella, Cabrob, Boa Vis
TERCA FEIRA U DE JLHO DE 1865.
Por anno pago dentro de 10 da do 1. mei ,,.,.. 19J000
Porte ao correio por um anno . ,......... 3JUIH)
la, Ouric'ury, Salgueiro e'Ex, as quarlas'ulz0 docommercio: segundas as 11 hora
feiras.
Serinhera, Rio Formoso.Tamandar, Una, Bar-
reiros, Agua Preta e Pimenteiras, as quintas
feiras.
AUDIENCIAS DOS TRIBUNAES DA CAPITAL.
Tribunal do commerci : segundas e quintas.
Relacao : tercas e sbados s 10 horas.
Fazenda : quintas s 10 horas.
Dito de orpbaos: tercas e sextas s 10 horas.
Primeira vara do civel: tercas e sextas ao meio
dia.
Segunda vara do civel: quartas e sabbados a I
bora da tarde.
EPHEMERIDES DO MEZ DE JL'LIIO.
8 Lna ebeia as G h., 7 m. e 22 s. da t
15 Quarto ming. as 2 h., 6 m. e 46 s. da t.
22 La nova as 4 h.,!) m. e 40 s. da t.
30 Quarto cresc. as i h., 49 m. e 16 s. da t.
DAS DA'SEMANA.
10. Segunda. S. Silvano m.; S. fiawr b.
11. Terca. S. Sabino m.; S. Abcendio m.
12. Qutrta. S. Joo Gualberlo ab.; S. Jason.
13. Quinta. S Anaciera p.;Ss. Joel e Edras prof.
14. Sexta. Ss. Flora e Justa mm.; S. Optaciano.
13. Sabbado. S. Gamillo de Lelis undador.
16. Domingo. N. Senhora do Carmo.
PREAMAR DE HOJE.
Primeira as 6 horas e 54 m. da manhaa.
Segunda as 7 horas e 18 minutos da tarde. ,
PARTIDA DOS VAPORES COSTEIR
Para o snl at Alagoas alie 30: para o norta
ata a Granja a 7 22 de cada mp?; para Pencu-
do nos dias 11 dos mezes de Janeiro, marro, malo,
julho, setembro e novembro.
ASSIG.XA-SE
no Recife, na livraria da pr.ra da Independencia
ns. 6 e 8, dos propietarios Manocl Fiiciroa -
Faria & Filho.
GOVSRrft' DA LHNHfilifiU.
Continuar;) do expediente do dia 6 de
de 1865.
Ofllcio ao ct-mmandante superior da guarda
cional do Bonito. Informe
da Costa Amorim, ou ao seu procurador, se nao se v das demonstracoes que viera.ni annexas ao que se contraran), qoe, as vezes.se equilibrara
houver incopveniente, a quantia de 33,5, provenien- citado ofllcio. ah est o drama.
te do aluguel de tres mezes vencidos no ultimo de Remellen-se copia da portara supra ao inspec-! A energa,- a forca de, espirilo ou a forca de ca-
junho prximo lindo, da casa que serve de quartel tor da thesouraria provincial. (rociar, na phrase do Manual, enche as sltoaedes
ao destacamento da povoaco da Capunga.Cora- Dita.O presidente da provipcia, attendendo a povoa niais de,nm lance para nao dizer lodos e
poz o delegado do termo de Bonito no officio por
copia incluso, dirigido ao Dr. chele de polica, em
13 de junho prximo findo, litando scicute c fa.
zendo saber-se aos comraamlantes de corpos da
guarda nacional sob seu commando superior, que
o favor concedido aos guardas promplos, farcl;iiii-s
e de boa conducta, de nao seren recruiado*, nao
autorzaos respectivos commandantes a se oppo-
rem iiO recrutamento dos que acham-se em cir-
cunislancias oppostas, como fez o commandante in-
terino do natalhao n. 26 da infamara do munici-
pio do Bonito, capito Antonio Francisco Torres
Gailiucio, por occasiao do recrutamento do de. nomo
Joaquim Luiz de Franca, que o referido delegado
informa ser turbulento, de m conducta e seh
isencao legal, em cousequeneia do que ordeno nes-
ta data que seja o refutado remettido para esta
capital.
Conven) anda dizer que so o zeio em defender
do recrutamento o guarda nacional fardado e mo-
rigerado, principalmente se llie assislem outras
jsen'.oes, merece ser aitendido, so de censura
digna a opposico que, sem cousideraco as gra-
ves cirenmsiancias do pai/, fazem algn* comman-'
danles so por patronato ao recrutamento de indi-
viduos, que nenhuma isengao teera.
Dito ao commandante superior interino da guar-
da nacional de Goianoa. Respondendo ao ollicio
de V. S. de 7 do Diez passado, cora referencia ao
cabo de esquadra Mariano Perelra Maciel, tenho a
dizer-lhe que as autoridades pohciaes sao compe-
tentes para recrutar na guarda nacional, deveudo
porm como se ha recummendado. e de novo re-
conunendei em porlaria de 3 do coi rente, enlen-
der-se com os respectivos commandantes,'os qua<'S
nao devem oppr-lhe embararo algum, e ames de-
ven) auxilia-las quando se traiar de guardas nao
fardad jH remissos ou de ma couducta Entretanto
nesia data me dirijo ao Exm. presidente da pro-
vincia da l'arahyba sobre o recrutamento do refe-
ndo Maciel.
Dito ao lenente-coronel Jos Afro de Albuquer-'
que Maranhuo Inteirado de se terem ultimado
os trabalbos
gignaeio d
quo devem
dizer-lhe em resposia ao sea officio di 8 do moz
passado, que empregue toilcs os meios suasorios
afim xle que a guarda nacional so preste ao servico
a que chamada, independ ule de recorrer-se a
.meios extremos, como recommjudei a todos os,
commandantes superiores em circulares de l e
23 de junho prximo findo.
municou-se ao Dr. chefe de polica.
jiiliso i Dilo ao cnsul de Portugal.Respondo ao officio
| que om 26 de junho ultimo me dirigi o Sr. Dr.
na-! Claudino de Araujo Guimariies. cnsul de S. M.
V. S. sob"re"o"que ?x- i Fidelissima nesia provincia, remetiendo Ihe por c-
___ t t b 1 l 1 O l Tt 1 l* f 1 \ f\ i* \ -^ Irt TV 1 * t * r L 1 L t i^ L f l\ *- I I t I i ;ln
de paz, alera do* ijuatro mais votados, fura convi
Jado pr.lo presidente da junta ocidadao Polis do
Reg Pinto, que por sui vez convidou o cidadio
Francisco de Paula Rufino, os q :aes com os deas
(dadnos nomeads pelos eleitores compozeram a
citada junta, quano nos termos do aligo 14 das
instruyos de 23 de agesto de 1836, deviam ser
Chamados dOOS cidados que tivessem as qualiila-
des de eleitor, aflm de eleserem os memhros da
junta por parte da turnia, que represen(assem, re-
solve em vista do aviso de 9 de setembro Je 186-2
annullar os trabalbos;dasupracita.Ia junta, e deter-
mina que se expecam as conveniente* ordens para
se proceder nos termos'da lei sua nova organi-
sacao, no dia 3 de setembro provimo vindouro,
que para isso llca'designado.
pa as Informacies m rastradas pela reparti^o da
polica, sobre fados, que se tem dado com subditos
portuguezes na freguezia de S. Jos desta cidade,
e de que trata o rilado officio.
Renov ao mesmo Sr. cnsul os meas protestos
de estima e conr-ideracao.
Dito ao Sr. Richard Auslin.Acensando recebido
o ofllcio com que em 3 do correle, apreseniou
me o -r. Richard Auslin o imperial exequtur
nomeaco que obleve para o cnsul interino da
Graa-Hretanha ne.-ta provincia, e na Parahyba, Ala-
goas, Rio Grande do Norte e Cear, tenho a deca-
rar-lhe em resposta que ne desse acto as reparticoes competentes.Fez-se o
necessaro expediente este respeilo.
Dito ao commandante superior da guarda nacio-
nal do Recife.Logo que se aprsente a V. S. o
lente do baialho n. 18 de infamara Amaro Go-
mes de Oliveira Coulinho, que deve ser addido ao
1" baialho actualmente aquartellado, em conse-
qoencla de estar designado para marchar com o
contingente que esta provincia tem de dar para a
uuerra, mande V. S. dispensar do aqiiartellameiilo
algnns dos olLYiaes de igual patente do referido Io
baialho.
Dito ao i%esmo.A' vista do parecer da inspec-
tora de sade, a que foi sujeito o guarda do 6o ba-
talho de infamara deste municipio, Thom Perei-
ra Lagos, resolv dispensa-lo do servico de desla- i meiro
menio, para que eslava designado Oque declaro al Santo ; sendo esta a sgod vez que dentro &>
V. S. para seu conhecimento e expedicao das con-, tres mezes se da alli semelbaote fado
venientes ordens. Os ladroes subiram p:-las casas era' con Dio ao commandante superior da guarda naci- no fundo desta e penetrarn! nuarmazem por dous
nal de Obnda.-A vista de sna informacSo de 23 ; rombos que pratcarain um no telhado o oulro no
de junho ultimo e do parecer da nspecgo de sau- forro da sala, justamente no mesmo lugar em me
dea que foi sujeilo o guarda nacional do 10 bata-1 da primeira vez o izeram, e desceran) por metoi de
Ihao de mfantaria do municipio de Iguarass, re- uma corda de chales de la, quo pozeram n'uma
solv dispensa-lo do servico de aquartellamento, Ijanslla lateral, qu deila para o qtiiuul do sobrado
cara que esuva designado; o que communico a era que est o Lowln Bank, e, salanlo O muro
safaramse pelo caes.
da provipcia, attenJendo a pova mais de,nm lance para nao dizer todos,
que a junta de qualiliracao da freguezia de Cabroh suslenta-se as figuras escripias lao franca e na-
frairregularmente organisada, como so verifica turalmenio que, sem sentir-se, o espectadora atien-
da respectiva acia, que a junta transmiti a secre-1 to no silencio da observago, preso aejao, enn-
taria da presidencia em 21 de majo ultimo, por briado de ludo aquillo, como de um perfume ce-
qnanto, tendo deixdo de comparecer todos oleste.
eleilores supplentes' que havam afdo convocados, Mais de uma vez sobe lao alto a forca de mot-
e nao exislndo cidadao algum na lista dos jnizes, vos oppostos, e penetra tiio fundo a intensidado da
umn dUiu.
emoli, que o espectador chora.
E' SOblime o trabalho !
Scenas eiicerra de verdadeira inspiracao.
A que concine o acto primeiro do drama, a que
conclue o segundo, a em que depara com afilha
moca em casa de Lormel, e principalmente aquel-
la final, em qne, ilepois de julga la mora, dosco-
bre que ella pode anda voliar vida por mej de
uma gravo operacao, a qual precede a raais natu-
ral e intersssantH uta .lo prazer de t-la achado
viva, do receto da operacao arriscada, da esperan-
za de sna salvacao, sao de um'mrito superior.
O carcter de Lormel aJim'ravel o venerando.
O do medico, primando pelo amor de pai, su-
blime.
0 de Jeronymo, peh dedicaca i rudo e sincera,
santo.
u Sr. Araodo elevon-se, no desempenho, como
u.n es;iinto dcil ao abandono di escola, que .
Esie hoiiiem fez-Aos chorar e a inuitos. Por oc-
casies dilTerenies arrebatados bravos se nos des-
tacavam dos labios, pelo imputo de um enthnsns-
ni.) riv.sisiivel. Arle, natureza, sympalhia, sua vi -
_ A ordem do do Peres, Amaro $omts de Abren c
Fortunato Francisco Amonio, para recrutas; e
'rnardino Gomes da Silva, para correeeo.
O chefe da 2. seceo.
, J. G. de Mesqm'ta.
Lasa dr ortimcao.Movimento do dia 8 de ju-
lho de I8().* :
Existiam -Aoi; entraran) 3 ; sahlo ; existem
3o3 a saber: oaeionaes 269 : innlheres 6 ; es- ,
trangelros 23 ; mulher?s 2 ; esoravos 50; escravas n'ra '
6 ;-lotal 338.
Alimentados casta dos cofres pblicos 163.
Mvintenio da enfermara do dia ) de julho de
1865.
Tiveram biaza :
R inifacio (escravo) sentenciado ; febre.
Haneel Joaqnlm de Lima; indigestlo.
- 9 "
Existiam 33S; entraram 14; existem 372, a
saber: nacionaes 280; mulheres 6; e-lraofrei-
ros 2^; mulheres 2 : escravos 33 ; escravas 6 -
total 373.
Alimentados a custa dos cofres pblicos 164.
Movimenlo da enfermara do dia 10 de iulho '
de 1863.
Teve alta :
Marianno (escravo) sentenciado.
Falleceu :
Francisco Thomaz de Assis.
CMARA MOfCIPAL.
nem a mesma legisla para taes elifii>>, e epre-
gados da admiaistrafia da kMp.
Phci da cmara municipal nllaajfa. 27 I-
marco de 1863.-Tiiomaz de Aqui.i. F Bs*-a.
Dr. Joaquim Jos de Miranda.
Mandou se remetter ao advogalo nma iwir>>
na qual Ba-ilio Alvares d.- Miraml.t Tanta - i-
o pagameulo da qnintia d- 2:(JJ070 de nM i- c -n-
que cora o mesm > luigr i
Mandou-se tamben) reraetter corarais^ > 4* pa-
licia uma peliei de Jos d.>- SantiH P>r> r
candlo despacho do 22 do corr rat., qu :i. .-
g>n permissao paraeipAr a vaada no^ mercal
pblicos o parte apachado em ata eamL
Asaifnon-se uma procarae>>, conferin.1 \
res ao Dr. Jos Bernardo Gatvi \\. i.f .n !> ,,
solicitador Jos Codlbeda Silva Araaajs p n irati
rem das juestoes jodinae< que f.r-ra pr..
pela cmara, e que a mesma propoz-r.
Ilivvnlo o Dr. Jiijuiin Amono 'Urn .roda
C'iDha Miranda requerido pira -d, lic.tr un mnr
ni ra do Desdao, o Sr. Dr. Mr na d^u- I
snspeito na naetmia da li.-enea p t ser a ju.il-
seu primo.
Entra em discussao a proposta do Sr. Th>mi -l*
Aquino, addiada na sessio de 22 di cnrrsaPx, r-
laiivara-nlo a revogaca > da pmun atannpai
approvada pela lei provincial n. 52 *> JO d-
abnl da 1883.
O Sr. Gustavo do Reg pede a pal iv.-a. .,
do-se a rcvoiMcao de-?a postan, -u- rii
opinio, apre>entando para isso MMaa r.u
conclue* declarando voiar contra semellkinb- ^rf>-
posla por entender extempornea, mronvenirntc
ser incompetente a cmara para revoga-U.
O Sr. Aqumo Foneeca pele a palavra, e apr-
V. S. para seu conhecimento e.expedtoao das con
venientes ordens.
Dito ao mesmo.Deferindo. o reqnerimento do
guarda do Io baialho de infantaria do municipio
Alm de diversas fazendas finas, levaran) os la-
dros algnmas pecas de Qhosguio e alguns cha-
les de lii de seda branca, fazenda que linha vin o
para que estava designado, visto ser filho nico de
viuva e nao gozar perfeita sade, como prova com
documentos.
Dilo ao comman lame superior da guarda nacio-
nal de Pao d'Alho.A' vista do |parecer da junta
de sade, que inspecciono o guarda do 16* bata-
sepullura como oo-
- do primeiro districto do tr-
Ihao de mfanUna dese mdnicipw-Jw Frandsco-jTi desta cidade, era companhia do subJeleaado em
de Mendonca, e o consi^erou incapaz ^do servico
por si.rfrer de hernia ingennal, resolv nesla dala
dispensa-lodo fazer parte do destacamento que tem
esta ptovincia.de dar para o servigo da guerra. O
declara no attestado a que alinde a sua informa-
jao, n. 50^, de 3 do crreme.
il'iu ni" UAiii. .:. : -o................ iuua u
i 23 de junho Ullu * ('!,ef,! (,a rppa""Jo das obras publicas.- pravas do corpo de polica.
i Inleirado de quanto Vmr. expoz em seu ofUcio de a canoa n. 103 que c
Offino ao coronel commandante das armas.
Do- recrutas e pravas de differentes corpos que
aqui licaram pelos motv is constantes d*a relaca, |
que aeompanhon o ofllcio de V. S. de 26 do paisa' 'u': d .claro a V S. para sen conhecimento e expe-
do, para embarcar no 1" vapor que se esperado "^}! das convenientes ordens.
norte, lodosaquelles, cujo e..q.elmenlo h00ver L*? ""*&?** ')de polica.-D
cessado, devendu quanto a coropaohla de artfice, } s- ljaixa o soldado do corpo sob seu comman-
seguiem todas as pracas qne se houverem rece * rnS^-*. Panl* e V1' v|sio que se acha
Ihido informe as ordens dadas, aos dest-acamen-1 .'po^ibiiitauo de continuar no serv.co, como se
tos era que esiavam, e mais os precisos para com-
pletar o numero de 40 pracas exigido pelo Exm.
Sr. ministro da guerra, em aviso de
ulumc.
Dito ao mesmo. Queira V. S. mandar inspec-
cionar os guardas nacionaes Vicente Per reir Al-
ves de Barros. Florentina Lima le Larvalbo e An-
tonio de Barros Barbosa, remeltendo-me o parecer
da juma de sande.
Dito ao inspector da tbesaoraria le fazenda.
Pica approvado o contrato que, sob as condx's
constant-s da copia annexa ao seu ofllcio n. 448]
de o do crrente, a que estou respondendo, cele-;
brou o inspector da alfndega com Joaquim Aojo-
nio Radrigues, para fazer este, mediante a quantia:
de 1605, os concerlos de um dos escaleres da-1
quella repartido.
Dito ao inspector da thesourana provincial.i
Tomando em considerado o que expoz o director'
- Na
raersan,
porlugueza
nos, ijue
bre.
- O Dr. delegado
Os Sis. ojmbra o Lisboa, este era Lormel, e
aquello era Jeronymo, e a Sra.'D. Eugenia em Lui-
za e Luoi I la, es tiveram ineonlesjanafanente apreeia-
veis ; e em repetidos ensejoa vino-los dignos de
applansos incon testa veis.
A Si a. U. Eugenia, no Bnal do acto primeiro, sol-
lou um grito natural, a tola a prova naiur.il, o gri-
to de, terror, quando vio no salvador de sua liiha a
pessoa iuip-sssive e calma de s.u marido ; o Sr.
Goirabra inanifesion sen launlo no decurso do dra-
ma, e com espeeiadade no final do quarto acto ;
o Sr. Lisboa na sced i ein que vai a abracar Lu-
ciiia, e rpidamente se desprende deila pela super-
veniencia da idea da sna illegftimidade, ou antes
Jas rergonhosas tradiedes, que se ligavam aos pri-
meiros annos de seu li.iscimoiito, f-l i com alma!
Tndo foi assim. Dramas de Ul fundo de mereci-
2. SESsAO ORDINARIA AOS 8 DE MARCO
DE 183.
Presidencia do Sr Pereim Simes.
Presentes os Sr-. : Thomiz de Aquino, Dr. Mi
, randa, Gustavo do Reg, Costa Monieiro, Santos e sonta diversas con>idera<;6Vs em suh-titnn
Silva ilo Brasil, faltan.lo cora cau-a o Sr. Dr. Sar-1 mesma proposta,
memo, e sem ella o Sr. Barros Reg, abre-se a ses-i O Sr Dr. Miranda pede tamWm p!in. *
sao, e lida e approvada a acta da antecedente ; depois (le fazer diver>a~ reflexiV- sobre a '|ietVi
cora a -eclamacao feita pelo Sr. Dr. Miranda de; defemleu a proposta pelo lado da incnv-mVccia
se declarar os Srs. vereadores que votaram contra I pratica da empresa, eeeapelead i da m aan para
o parecer da commissao de polica na parte que revogar aquella pealara.
obrigava aos donos dos-esabelecimentos era frente N.io havendo raais quera t>>nias is i^rejis, varrerera o irrigaren) al as testadas posta a v.jtos a proposta, e ipprovMd.. m I
remoller a nova pastura com 'ifi i > m Exm. pr -
Lili-1' ~- luli l'di UO ^U i_l \ ii U l l i i i < | ,, .^. a I--------------------------- w .- .,......-, i ... iUv i.ii.i.i MU l'l
)s do conselbo de qnalincacao para de- e !. <;>'vasio Pires de Moraes, sobre que apenas para o ariliazein e qu nao ha anda ven
dos suardas nacionas deste municipio, versa a sua informagao de o do correte, resolv | da no mercado, Circumsiancia que poder deseo-
i destacar em defesa do imperio, tenho a nesla (l'la di "-i noite de 8 ralieceo de stthixia, por sob- rn';"1" i,ullK' ll,?v'-'"1 ,raIl!r e hr^ "wrl empre
no Cipibaribe, districto da Capunga, a za e ate iiecuniana.
3za Marta-Jos, solleira e maior da W an-': ~ ''-''""em-nos o segrate :
B foi vistorada e leve seiiuitura como oo-l *t redactores.Tenhara a bondade de inse
das raesmas, pelo que recado a obrigac.ao, que se
impanba aquellos, nosrespaeiivossachrtstes, ten-
do votado a favor soliente do parecer nesta parle
os dous Srs. vereadores membros da commissao, e
os de mais contra.
L-se o seguinle
EXPEDIENTE.
Um officio do inspector' da sade publica, com-
municando que tendo examinado conjunctamente ;
sidenle da provincia, e peilind.- n qu- l-va-
se ao conhecimento da ass-inbla rovinriji par
apnrova-la, se aasln entender.
O Sr. Santos pode a palavra, ajan faaaaMi c-m-
cedida, procura sab-r do Sr. Aqumo PeattM
resultado da commissao tle que lora eiKarregal ,
como meinbr da eoannrtaiio dep-i.ieii, v lati
liiformacj
exercicio do primeiro districto da Bi-a-Vista, Decio
de Aquino Ponseca, caplnrarara tfes escravos fti-1
gidos e um individuo suspeito,' sendo este* dous
escravos acontados dentro do forno da olaria que!
lica na margen) do Caplbaribe, fundos do sobrado
conhecido como proprieJado de um fulano ttuuiz,
na freguezia de S. Jos, e o -ulro escravo em um :
dos mocambbsj)rozimo3 a ponte da Tacarupa.
E-sas diligencias effectuaram-se entre ama hora'
e quatro e meia" da madrugada de 9 do correte,!
e a ella esUveram presentes inspectores' da subde-
legada referida o um da de Santo Antonio, alm de'
lontem, sob n. 203, relativamente ao mo estado
em que se acha o caminho do Campo Grande le-
nho a d'zer em resposta que mande fazer com ur-
gencia os reparos de que neressita aquelle cami-
. uho, despendendo para esse tim a quantia de 1003
constante do seu citado ofllcio.Note sentido ofli-
: ciou-se a thesouraiia provincial.
Dito ao juiz de direito da comarca do Rio Por-
; moso.Examinando Vmr. o processo pelo qual
i foi sobmettido a julgamento do jury de Se-,
rinhiin Hanoel Carlos Leito de Albuquerque,
me informe :
1. Qual o facto criminoso e suas circumstan-
cias; :
2. Qual a autoridade processante, como come-
geral interino da instrneco publica,' em sua T j ou u Pcesso, e se foram inquiridas todas as tes-
formfo do l-'do corrcn'le, soi n. 193, recommen- i'nubas, no caso contrario, qual a razao;
do a V. S. que mande pagar ap professor adjunto I .f Quesos pronunciados, e se acham-se deh-
Eranciseo Silveno de Farias Jhnior. a gratifleacao mtivamento julgados r *
a que liver direito, em vista do artigo 40 da le n.' *- Se reo cima mencionado fez perante o
369 de 14 de maio de 1H53. por haver substituido J"r-V a declarado a que allude Fructuoso Das Al
o professor da i' cadeira de instruccao primaria I68 l|a SlTa. "" ,J""'"> de lin)''' de 1ae bacharel
da frejuezia da Boa-Vista nesta cidade, Simplicio
da Cruz Ribeiro, durante o lempo em qne esle es-
leve impedido eomoinii de ficto.
Dito .o mesmo Resttuo a V. S. j reformada,
a con a quo veio annexa ao seu ollicio le 21 dj
maio uinmo, sob n. 103, afim de que, conforme so-
Guilherme Cordeiro Coelho Cintra he dera uma
procuracao em branco, que bavia recebido do pai
do mesmo rea, com assgnatnra de-^te, e que o es-
crivo Rigueira a encheu com poderes para a ven-
da ilee>cravos ;
[ue, carregada de arfia, des
moronoo a pequea punte do Hospicio, nao
propriedade do Sr. Francisco Bjtelho do Andrade,
e nao Ihe perlence o canoeiro. A arda ia para um
aterro que es-e senhor est fazeuJo, mas por conta
e risco iio fornecedor.
Tendo procedido no domingo passado a so-
ciedade dramtica Thalia Pernatobucana a elelco
paraos novos membros de seu conselhoadministra-
tivo, foram eleitos os segaintes senhores :
Luiz Francisco de Paula llamos (reeieito), presi-
dente.
Hyppolito Jos Roberto, vice-presidente.
Epaininoudas Pinto Raudeira Aceioi de Vascon-
cellos, primeiro-secretario.
Bernardina de Senna Muoiz, segundo-secretario.
Ailulpho Roberto Koop, thesoureiro.
Luiz de Franca e Souza (reeieito), censor.
A bordo do vapor inglez Paran fugio desta
provincia para a Europa um escravo de nome Bra-
siliano, perteneente ao Sr. Juvino Ban leira, sendo
para uotar nisio que fosse elle recebido naquelle
navio sem ir as condigdes lgaos de poder sabir
do imperio, uma vez que nao tinha ublido passapor-
le pela polica, nem portara pela presidencia, co-
mo foi verificado pelo exame dos livros compelen
tes, e mesmo nao consta pela agencia da respectiva
[jrna Revista Otoa do seu bem aire Jitado jor-
nal, as segninies |tahas,para assim fazer sanar os
aliuposde que todos ns J'a< eslamot sendo i-ste-
mnnbas, n que sens atores poderao resultar
d'.'-aiiradaveis occurreiicias :
Pede-se a alguns Srs. guardas, nacionaes, que
transitan) j-las ruis, na occisio era quo vao ou
voltain de ron ler a guarda, que se cohiban) do
proposito de rasgaram com as ponas das ha ra-
netas as empanadas dos eslabekcimentos; pois
devem |embrar-se que se entas esiao collocadas,
com llcenca da Iilm-. cmara, o por tanto cumpre
que estes Srs. so abstenhar da rominuagao de
semelhantes aboso*, drizando de passar pelas cl-
calas, ou ab'aixamra a< .espingardas, alias recor-
rer-se ha a pessoa competente..
Amanh.aa tonos no Santa Isabel o corcert o
j I do joven pianista'nrasileiro Uermenegildo Lignori,
mente as luformaco's sobre o pror-Ji rx-nt -i
com a eommissio de sade da cmara a fabrica, fiscal da freguezia do P050.
de cigarros montada a vapor na casa da ra larga O'Sr. Aquino Foneeca, resp a len lo a > \\
do Rosario, proprloJade de Antonio de Brito Maia; ha de expor o Sr. veread.>r ajw o prwviHi, 4-
en parecer q ie o mesma deve levantar quanto clara que tomando laformaees da cmtt uloru
for preciso o boeiro, e feito isso nao ha raconve-| nheceu que aquelle fiscal diirante quatr > aun.,- >
deu de mullas dzentos e tantos mil ri- ,.
uada tinha a declarar.
O Sr. Costa Monleiro pade a pahvn. r
para poder com consciencia dar o -iu v 1 > M
ainda o seu parecer a respeilo,, quesio, ijue se Ihe apre.-enle a Htm da raate-
addlamento do mesmo offlefo. | doria onde se achao laucadas as mol >- * !a-;.-
lo Bscal. e sendo cumprUa esta, re pnvci.... xi-
niaol em continuar, atiento a que a machina de
pequea forca.Posto em disenssaa, o Sr. Silva
do BrasN pede a palavra, e faz ver na qualidade
de membro da commissao de sade, que e?ta nao
havia formulado
pedia portanto o
mas a cmara jnlgando conveniente qne o referido
officio fosse remettido aquella commissao, assim o minando o lan^amenio, declaran o m >m> ir. ve-
resol ven.
O.uro do fiieal snpplente da freguezia de S. Prei
Pedro Goncalves, Man el Antonio Ferreira Gomes,
dizendo qne tendo sido demtiido seu cuchado o
Cidadao Hanoel Ignacio d'Oliveira Lobo do lugar
de fiscal da mesma freguezia, e sendo smente em
attenco 1 elle que teceitou o lugar de snpplente,
read r estar satisfeito.
Era seguida o Sr. Santos propoz a disp-n-.a .
fiscal.
O Sr. Gustavo, pedinlo a pal.ivra, o,>. V
proposta, a qaal foi posta a votos, par u>oi
quera raais failaMe, appr--vada.
Ai:iiando-se sobre a BMsa tres re |Mfi M '-, !
3. Se do mesmo processo, ou de algum oulro
licilon' chefe de~po"lici eiii olliel.rd'e 30 de junho I a|,, " l'e?a Judicial constara quaesquer outras de-
proximo Sedo, sob n. 910, e nao havendo ioconve- i elarajSes O indicios contra os mencionados Cin-
niente, mande pagar a Miguel Lucio de Albuquer-;lra e Rigueira, ou alguma outra pessoa. cmo quer que seja, este um facto em cuja
que Mello, a quanlia de 53600 despendida com o '. Vmc. me remetiera por certidao nao so o acto 'apreciaran a autoridade competeute sedevedemo-
sustento das preos pobres da cadeia da villa de ini|,,al do processo, como a pronuncia,quesitos, e rar ; um fado qna convm ser ventilado e uao
Darreiros, a contar de 2 de setembro do anno pro- senlenca do julgamento (ha ter havido) e declara- negligenciado pelos seus efleitos perniciosos, que
use, Coes de que resuitem indicios ou provas contra ra- alTectam directamente propriedade particular,
e assim chega-nos tambara a hora d gozarmos os
d 11 es momentos, que era seu piano lera elle pro-
porcionado aos amantes da msica no Rio da Praia
e no Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul o na Ba-
bia, sua provincia natal
O piano Ihe familiar,e se nao licito exigir
delle oma ezecnco magistral, que repugna com a
sua iJade e ausencia de escola entre nos, em coro-
pansaeao offe'reee este menino artista urna nsture-
za rica, uma natureza que brota espontanea, uma
nata reza que era sua forja vivaz de expansao.snbs-
litue a arte.
No entreanto, podemos asseverar que o menino
artista evocar as recordacoes de Arthur Mapoleio,
pois isto uos garante essa concatenaco de applau-
sos, que tem elle recebido em seus concertos, e o
juizo que delle forma a imprensa de todos os lu-
gares em que se tem aposentado ;o publico, con-
siderando-e a do Rio di Prala urna verdadeira no-
tabilidade com attenco sua idade de doze innos,
e a nfo ter tido at agora outro mestrt
fosse o proprjo pai.
Com effeilo, as diilculdades qu; elle vence des'-
emharacadameute sao daqnnllas ante as quaes tre-
pidara os mais adiantado-; discpulos, bastando di-
ente, outras picas, executa o Carnaval de
por pessoa desta cidade que o ""'-'. Il,r Schulolf. e as variacoes da Somnnm-
conhece desembarcar em Southampton, dizendo-lhe o/-i por Rosellen e da Norma par Hanri Herz, e
at que ia de criado de ucna franceza. f"'"> enmpre dize-lo, ensaiando os vjs da gloria
com as azas do um talento pr-coce, ijueosagra
artista antes d'elle ter disto consciencia.
por Isso qna sement nelle tinha plena confianza, I Pedro Americo da Gama Duarte, J Parta
Com mmica cmara que (em resolvjdo nao conii- Qneiroga e Auguio Carlos d- n'.\ W.-ilha--.
nnir mais no dito lugar, qna exerce a drsenove: pediudo todos o lugar de riscal da fregu/i 1 1
anuos com inteira consciencia de haver cumprido l'ojo, e po>to a votos o primeiro, diu-j euipaie
que nao
companhia que fosse paga a sua passagem, ao jias- '"r 1ua
so que foi elle visto por pessoa desta cidade que o i'''n''3".
ximo passado al 20 de Janeiro. Com;nunieou
ao Dr. cheli de polica.
Dita ao mesmo Mande V. S. por em hasta pu-
blica rs reparos de que precisa o empedramento
da estrada da Victoria, entre os marcos de 3 a 4
mil bracas, de 5 a 8 mil bracas e de 13 a 11 mil
alm
paiz.
do desprezo que com elle se d as leis de
j dividuos que nao foram pronunciados, informan-
I do me com ludo o mais qne tnha chegado ao seu
: conheeimento, po-sa esclarecerme sobre o crime
I e seus autores.
Dito ao juiz de direito do Limoeiro.Informe
bracas, "servlndo de, base a essa arremalacao as Vmc.,oovindo10 4 sappleote do delegado de poli- de de reprodoiir-se tal sabida, que bem pode ter
clausulase orea ment juntos por copia, e que para!cia .* ctonnn An-hm do Reg Parias, sobre a ve- sido tambem^filha da astucia daquelle escravo in
esseftra me foram remltidos pelo chefe da repar '
Nelle a virilidado da intelligneia preceden a do
corpo, tornando-o um desses pimpolhos vigorosos
que tem prensa de produzir, o abundancia de seiva
para esperar a sazao dos amo-.
E', pois, um pianista menino, qne ja vai avanoa-
A niio haver uma providencia, uma porta que do em sa* carreira.lmasquo ainda nao tooon a m
se abre ao abuso ; e este sempre mo. Portanto
' conveniente preveni-lo, evitndose a possioilida- "l*
tica das obras publicas, com ofllcio de 4 do cr-
reme, sob n. 200.Comraunicou-so ao chefe da Te-
parlieio da; obras publicas.
Dito ao mesmo.Constando do officio junto por
copia, que me dirigi o ehefe da reiiartico das
obras publicas, em 3 do correte, sob n. 203, ha-
ver o empreiteiro do calamento desta cidade eje-
cutado durante o mez de junho ultimo, service
correspondente a quantia de 10:3335200, assim o
declaro a V. S. para seu conhecimento e atim de
qne mande pagar aquella quantia em vista do in-
cluso certificado, que velo annexo ao predilo officio.
Cornmunlcou-se ao chefe Ja reparticao das obras
publicas.
Dito ao mesmo.Recomrnendo a V. S., que, em
vista do competente certificado, pague ao emprei-
teiro do calcamento desla cidade, a quantia de
23:I'i35, a que lera direito por haver executado no
mez de malo ultimo, servico correspondente aquel-
la quantia, como se v do oCuVio, jauto por copla,
que me dirigi o chefe da reparticao das obras pu-
blica*, era 7 de junho prximo findo, sob n. 163.
Comraunicou-se ao chefe da reparticao das obras
publicas.
Dilo ao mesmo.Em visla da inclusa folha, que
me remellen o commandante ylo corpo de polica,
com ofllcio do Io do correte, sob n. 493, e nao ha-
vendo inconveniente, mande V. S. pagar a quantia'
de 86^880, proveniente das diarias abonadas aos
calcetas erapregados no servico do quartel daquel-
le corpo desde Janeiro at jiinho deste anno.
Communicou-se ao crtr.mandante do-rorpo de po-
lica.
Dito ao hiesmo.Annnindo ao que solieilou o
chefe de polica, em ofllcio do hontem, sob n. 933,
recomrnendo a V. S. que mande pagar a Luiz Jos
ta ; e isto procura pela applicaQao a que se vai dar,
nspirando-so na< grandes obras o ouvindo as li-
c5es dos grandes mestres na Europa.
E para tal lira a sua patria qu* eile pede os
racidade do que reala Celestino Ferreira da Silva, troduzindos no vapor furtivamente e ahi se es- mmos> eztendendoao povobrasileiro a mo fadada
em urna correspondencia publicada no Diario de comiendo at levantar ferro o mesmo vapor. P" a S1'"'- (
hoje, ex.g.ndo daquella autoridade as raides por- 0 conselho de revisan da qualilicaco da E os Pernambucanos nao omittirao aVsua genc-
que inutihsou a ordem de pnsao que expedir guarda nacional da par.achia da Baa-Vista designoQ rosidailo nesta oceasiao, para se orjulharem a seu
contra Jos Antonio Gomes, e porque demora em | os dias de hoje e de amanhaa para a nspeccao de turno de terem concorrido para mais uma gloria
sua conclusao, desde lo \ mam, o processo con- sade. do Brasil. '"
Tendo-se verificado no cofre cargo do fiel
do thesoureiro da alfndega, Sr. Hanoel Rarroso de
Mello, no sabbado ultimo, um desfalque de ris
28:213?030, foi elle recolhido casa de deten-
Ira este instaurado, c rcraettendo-me copia do in-
terrogatorio feito ao mesmo Gomes.
Ditoao Dr. curador geal. Remello por copia as
infornucSes do juiz municipal da 2* vara e do
desembargador procurador da coroa, 'soberana e ; cao.
fazenda nacional, afim de que em vista d'ellas e do i A ihesouraria de fazenda marcou o prazo de 21
que se refere na Revista Diaria do Diarto ae Per-1 horas ao respectivo thesoureiro, o Sr. Joaquim Jos
nambuco, n. 146, de 28 do mez passado, aeerqa d de Miranda, nico responsavel para mm os cofres
Joo Benlo de Vasc.oncellos. Vmc. prortova pelos pblicos, para entrar com o importe do desfal-
meios raais convenientes o melhoramento da sorte que.
d'esse infeliz que se acha preso na casa de deten-! Acha-se exercen Jo interinamente o lugar de ihe-
cao desde 8 de marco de 1864, indigente e se sonrelro o Sr. feitor conferente Pedro Aexandrino
acha era estado de loucura como so afflrhu na
mencionada Revista.
Dito no administrador do correio D Vmc. as
de Rarros f.avalcanle.
Acabamos de ser procurados pelo Sr. ins-
pector da ra das Cruzes, para que declaremos nao
convenientes providencias para que seja nnndnzi- ter ido o portador, que o foi chamar no sabbado,
da por estafeta do correio da villa da Escada, para loja de que proprietano ra do Grespo, e sin) a
a de Ipijuca, a correspondencia official dapresi-juma visinha. Accedendo semelhanle pedido,
dencia j rectifiquemos a noticia que hontem demos.
Portara.O presidente da provincia, tomandr O Medico das Crumras que a empreza Coim-
em considerago o que ezpoz o inspector da the- bra levon sabbado scen no Santa Isabel, uma
souraria provincial, em ofllcio de 30 de junho ul- dessas poucas coucepeoes do movimenlo que domi-
timo, sob n. 243, resolve abrir um crdito supple- na o espirito mais forte, e ruja impressao grava-se
mentar, na importancia de 2335330, para conli- incisiva e profunda, nao "Da intelligneia, porm no
nnaeao das despezas do 4. do art. 31, da le do corarao.
orcamenlo do ezercicio prximo findo, e mais Agita-se alli uma lula de senlimentos vivos, af-
dons (alm dos que j foram concedidos) sendo' feigSos vehementes, principios grandes,
um-de 2:2665031, para occorrer-se aos pagamen- Amor de pai, di amante ; amor edireito de ma-
los que ainda se lem de realisar per costa do ar- rido, dever de raulher, vergonha, deshonra, resig-
tigo43 d'aquella lei, e outro de 8095636, para os nacao, esforc, embate de todas essas manifesta-
correspondenes ao 3. do predlto artigo 31, como coes agudas," que se modificara urnas por outras.
Repartiqao da polica :
Extracto das partes dos dias 9 e 10 de julho de I
1863.
Peram recolhidos casa de detengao no dia 8
do torrente:
A' ordera do Illm. Sr. Dr. chefe de polica, Jos
Cavalcanti do Reg Vasconcellos, viudo de Olinda
como Indiciado em crime de ferimentos.
A' ordera do Dr. juiz municipal da 1 vara, Ha-
noel Gregorio Rarroso de Mello, por se ter dado um
desfalque de 28:0003000 na alfndega.
A' ordem do Dr. delegado da capital, Roberto e
Renedicto, escravos, este de Antonio Jos Vieira e
aqnelle de Joao Francisco Padilha, o 1o por feri-
mentos e o 2o por fjffensas physicas.
A' ordem do subdelegado da Roa-Vista, Jos Tho-
maz do Nascimento, para recruta ; e Antonio Ri-
beiro de Albuquerque, por ferimentos leves.
- 9
A' ordem do Dr. delegado da capital Joao Re-'
venuto de Carvalho, para recruta ; Antonio e Luiz,
escravos, esie do padre Feliz de tal e aquello de
Antonio Guedes, ambos por se acharem ausentes
da casa de seus senhores.
A' ordera do subdelegado de Santo Antonio, Ha-
noel Jos Carneiro, por uso de armas prohibidas.
A' ordera do de S. Jos, Severo Jos Francisco
Cavalcanti, por embriaguez; e Dionizio Jos Anto-
nio de Lima, por briga.
A' ordem do da Boa-Vita, Jos Joaquim Nogaei-
ra, para correccio.
os seus deveres.Inleirada.
Outro do fiscal de'Sao Jos, informando a p>l-
caa ua qual Antonio da Silva Ros pede icenca
para concertar sua casa n. 31. sita a ra do Poci-
nho, tem a dizer que nao v inconveniente em se
Ihe conceder a licenc1.Permittio-se.
O uro do administrador do cemiterio publico da
freguezia do P050, remetiendo um mappa das pes-
soas qiv durante o mez de fevereiro ultime foram
sepultadas n'aquelle eslabelecimento.Ao procu-
rador.
Outro do administrador do cemiterio da fregue-
zia de rao Lourenco da Malta, communicanda que
de 21 28 de fevereiro passado nenhum enterra-
mento se lizera no dito estabelecimento.Inlei-
rada.
A eommissio de edificamos apresentou dous pa-
receres, os quaes foram pprovados, e sao os se-
guintes:
l. A eommissio de edifleagoes, tendo ezami-
rtado -a casa qne est levantando Antonio Joaquim
dos Sanios An.lrade, na ra da Concordia, cuja
cordeaco Ihe fui dada em 1837, igual /das casas
que Iha ficam ao sul, e mais baixo das,que Ihe li-
cara ao norie; de parecer que conserve o mes-
rao nivellamento que lera, visto que de outra for-
ma nao remediar o deffeito que por ventura te-
nha em dilo nivellamento.
Recife, 28 de marco de J860.Costa Montei-
ro.Gustavo do Reg.
t 2." A commissao de edificac^es, examinando
a presencio de Victorino Jos Monleiro, o qual
quer levantar nm muro nos fundos de sua casa na
ra do Sebo, cuja muro deve ser no mesmo ali-
nhamento em que se achim os das casas visinhas;
de parecer que, com quanto esse predio espeja
destinado na planta da cidade para ser desappro-
priado para abrimento de orna ra, o que por cer-
to nao se far.i de prompto, se conceda a licenca
pedida, mesmo porque com a factura de tal mure
nao se augmenta o valor do predio, visto que. pa-
ra levania-lo, ser preciso fleitar ahaixo outro
igual, seodo o mteresso do proprielario com (al
obra, s fazer desapparecer os recantos formados
pela saliencia dos muros lateraes.
t Recife, 28 de marco de 1863.Costa Monlei-
ro.Gustavo do Reg. >
Foi approvado o seguiote parecer da commissao
de policia:
t A commissao de policia acerca do officio do
fiscal de Santo Antonio Caetano Pinto de Veras, da-
tado de 10 de marco do corrente anno, em que de-
clara, que devendo fazer ctimprir-so o que est de-
terminado no 2 do artigo 5. das posturas mu-
nicipaes do l. de novembro de 1833, cujo cumpri-
mento quer fazer sem qne naja de qualquer pessoa
do povo a menor reclamacao, por isso se faz mis-
ter que seja esclarecido a quem compete mandar
varrer, e irrigar as testadas da casa das audien-
cias, lelaeao, da policia. dos escrivaes e tabelliaes,
na ra do Imperador. 011 em outra qualquer ra
que tenhara seus cartorios, porque, os donos dos
estabeleciraentos existentes na mesma ra do Im-
perador, dizem nao serem obrigados a mandar fa-
zer toda a varredura, e irrigacao como quer o
mesmo !, porque consideran), que as casas
cima aponta.las sao para elles tidas como estabe-
lecimenlos, o que outros negam, em vi>ta da dis-
posicao do mesmo 2. cima referido: de pare-
cer, que todos aquelles que estiverem esabelleci-
dos. em frente da casa das audiencias, relacao,
polica, e cartorios de escrivaes e tabelliaes, devem
varrer toda a largura da ra ; visto como nao ha
disposicao em sentido contraro no artigo 3." 1."
e 2." dessa postura a que se refere o dito Uscal,
ua volaco, e o Sr. presidente uand.< d v:
qualidade desempato!), sendo p r roo.-eg i>ni
meado Pedro Americo da Gama Duarte.
O >r. Dr. Miranda, logo qi- prmn.nu a qn- -
tiio de qoe se trata deu-se de napaNi co 1.;.
ella como j o havia feito na -e.-o de K Jo cr-
rente, por ser nito s o fiscal dispensado seu p-
renle, como um dos pretndeme* ao lu.'..r.
O Sr. Santos, pediudo ainda a patarra, de lara.
que nao leudo a coramis.-.io de paria, dado aiu! 1
o seu parecer sobre a resi>o?ta do fiscal Je S. J
com referencia a represeniat.-o do Dr. JelegaJ ,
propunha a dispenca do me O Sr. Dr. Miranda, depois de ter pedhlo a 1
vra, que a desenvolveu em favor dom-smo li-cal.
pedio o adiamento em cunequ->ncia de na : 1
dado o parecer, por nao ter em seu padH a offi-
cio do Dr. delegado, e mesmo por estar a b 1
adianlada.
Despacbaram-se as petieSes d> E iuardo Fer-
reira Bailar, c;onselheiro Firiniuo Ani nio ale Siu-
za. Gaspar Lopes Velar, Dr. Joaquim Antn: >
Carneiro da Cunha Miranda, Justino Partan d 1
Faria, mordomo da Santa Casa da Misericordia t
Recife, Joo Donnely (2) Fr. Joao Baptisla d- Es-
pirito Santo, Manoel Ignacio de Oliveira, Pa,.
Mana Bastos e levantou-se a >e-sao.
Eu Francisco Canuto da Biaviageni .-cereta-
a escrevi Pereira Simo.-s, pro MaeMeI
SantosDr. Miranda(aista MonteiroF-uc-
eaSilva do Brasil.
SESSAO ORDINARIA AOS 29 DE HAMO
DE 186o.
Presidencia do Sr. Pereira Simoe:
Presentes os Srs. Thomaz d'Aquino, Dr. Miran-
da, Costa MoMeiro, Gustavo do Reg, Santa.e SMv
do Brasil, faltando com causa a Sr. Dr S.irm-i .
e sem ella o Sr. Barros R >, abre-se a sejsii e
lida e approvada a acta da antecedente.
L-se o segrale
EXPEDIENTE :
Um ofllcio do solicitador, pedind a cantara li.
mande entregar a quantia de 1005, para de$p*za<
jndiciaes, que tem de fazer com as acc5-s que mi
propor por parte da cmara. Q'ie se ordena**
ao procurador interino para fomec-r a oaenma
quantia.
Outro do fiscal da freguezia de Santo Amonio.
communicaodo que por traz da casa, qne otu*<>ra
lora cadeia, sita a ra do Imperador, e em que hje
dao audiencia os juizes do civel. e orpbaos, e fnne-
cionam os tribunaes da relacao e jury, ex.steni
cinco grades de ferro, e e Irw grande* pe l.-a< u.-
foram liradas do mesmo edilicin. quando deixim ser cadeia, as quaes diviara e.-tar rn-,.11. l.a* aos
armazens da reparticao das obras publicas; 1 roar
a conlinuacio desses objectos no lugar *m qu se
achara, prive o asseio da ra, pois qoe se nao p-.l*
varrer aquelle lugar, roe. a cmara que se 4igne
pedir ao Exm. presidente da provincia, para pr -vi
denciar afim de serem ellas removida*.
Posto em discussao, resolven-se mandar 1 hViar
ao director interino da reparticao Jas .*ras puMf-
cas para determinar a renv>sso.
A commissao de edlfic.acoes apre5eolmi o synin-
(e parecer, que posto em discn*5o foi apnrevad,
deliberande-se requerimento do Sr. Dr. Miranda,
que o proprietano do predio a que o mesaao pare-
cer se refere; na exeeueao la obra observas-*
tambem a disposicao do 6* do arl. 13 til. 7#an
posturas citadas no dilo parecer.
< A commissao de edifleacoe, examinando a
prelenco de Marcelino Jet Goocalve* da Pona-, o
qaal pede para Ihe ser concedida, licenca para
/
Vil CfMCI


Diarlo de ? crnamhiico -- Terca felra 11 de JiiEho de 185.
levantar urna trapeira em .
de sua propred.id sita na ra Nova n 14, -de
opiui que sendo a obra qje pretende fazer o
supplicante equivalente a um segundo andar, pode
ser concedida a licenc^, unia.vei.qoe seja observa-
da a dsposlcao do Io do art. 13 tit. 7o das posturas
toda a largura dacasa: Dada .a paJasra.-aa afate do ministerio publico,
' oo poda occulur oa j a ooramoco de seu es-
pirito ; umad perora o primeiro impulso, as suas
facilidades se deseuvolveram com for?a e vigor :
tsua Jroio elegante e ligurada, a escolhade termos
'ap'ropnados e expressivos, sua clevacao de pensa-
mentos, preuderam de sua palavra por um Oo elc-
trico ao auditorio, que absorto estremeca abalado
tres dias nsar de comidas e bebidas que possam grigne ingiez Ruthcarvao.
esquentar e intlammar o sangu'e. Pataeho ingiezZerconideva.
A comida duranteesselempo deve sardo reino/ ------
vegetal, comn sag, fartnha do Maranho, pao tbe4 aLFANDEGA DE PERNAMBCO.
rado, bolacha, ele. pauta dos pbeqos dos gneros sijeitos a dibeitos
Anda nao vi axpositor de medicina que aconse-, di kxportacao.semana de 10 a 15 do mezde
Ihasse que nos primeiros tres dias de acommeiti- julho de 1865. v
mentos do mal, nao |se usasse de medicamentos ;' _, Mercadorias. Unidades. Valores.
posic,
de 30 de junho de'1840.
Recite, 2Sl de marco de 1863.-Cosia Montei-
ro.Gustavo do Reg.
A commissao de polica apresentou tambera o ti percorreu todo o campo da aecusacao, sem des-
parecer, que se segu, o qual tendo sido posto era cer nunca da altura, em que desferio o primeiro
discussao, foi approvado. e mandou-se expedir as v&o do sua robustaintelligencia; e sem se demorar
ordeiis necessanas, cuiiforrae o mesmo parecer era nenhum dos pontos que por um momento pa- cao e defender do ar. , dem genebra
indicou recia attrahir sua maior attenco. O verdadeiro xarope de veame vende se na bo- dem alcoeJ ou espirito de agua-
. A commissao de polica, acerca do requer- No histrico descreveu o facto com tanta clareza tica da ra Direita n. 88, de Jos da Rocha Para- ardente. .......
ment Je Jos Antonio da Costa Siqueira, no quat e preciso, que o auditorio transportado ao theatro nhos. Algodao em carolo ....
declarando oue tendo aleancf.do llcenca no dia 23 do crime pareca assistir a todos os actos sem Ihe Tenho recebido cartas de algamas pessoas de dem em rama ou em la .
de setembro de 1863, para abrir urna casa com es apar a m^nor circunstancia : mais claro e evi- outras provincias que me communTcam ter desta Arroz com casca.....
estahel.'cimenlo de Miiiacao de assucar, na ra do dente se lornou anda no jogo do raecliaoisaio das cidade sido remellido o meu xarope falsificado, dem descascado ou pilado .
Apollo n. d; acontece que mu querendo continuar provas. que tem dado resultado ao descrdito de roraha Assucar mascavado ; .
na mesma casa anona se servio pelo praso do Em suas rpidas transi-coes, por tal forma arre- preparacao, cujo conhccimeato se tem verificado dem branco.......
cinco mezes 00V0 mais ou menos, tendo aleo batana a ltenlo para de novo prende-la ao se- depois dos effeitos que taes rem 3dios apresentava ; dem refinado......
ore*enie coB-ervado a porta fechada, e pede que guimeuto da causa, que nao se percebia mudanca assim, pois, tenho a declarar ao publico que no Azeite de amendoim ou mendo-
se mande dar baixa no respectivo livro do no curso das ideas : asimples exposicao de um letreiro que vai pregado na garrafa do xarope,1 bim ........
laocamento d..s impestos de porta aherta, ficando' facto ligava lo diversos sentimenKs, quantas eram sempre foi assignado por met punho, e daqui em
por diversas e profundas emocoas. Fcil e promp- o qne ellesrepellem sao os ungentos, unturas que 1 Abanos.........cento
obstrue.11 mais o repellemdo que proraovera a eva- Agurdente de cana .... caada
cuacao d parfe ; o que convm trazer o lugar; dem restilada ou do reino
atacado e bem agazalhado para ajdar a transpira-1 dem caxaca.......
50 e defender do ar.
O verdadeiro xarope de veame vende se na bo-
tica da ra Direita n. 88, de Jos da Rocha Para-
arroba

<
c
caada
desonerado de qualquer debito ou tributo que se
lhe pos-a attribuir, e passando-selhequitac5o para
a sua desoneracaos passa a emittir o seu parecer
nos termos em que abaixo se segu.
c O art. 5o da postura de 26 de agosto de 1831,
assim concebido:
Tolos os estabelecimenlos comprehendidos
nesie legulftmento, pagarao o referido imposto,
dentro dos mezes de fevereiro e marco do anno
linanceiro municipal, os infractores inrorrerao
na pena e disposicoes do art. 33 do regulamento
f o. 300 de 15 de jnho de 1844, que se referi
t a predlia lei provincial n. 284.
t Ora, se o peticionario, aos 23 de setembre de
1863, |iagou este imposto de &, correspondente ao
anno linanceiro municipal de 1862 a 1863, e se,
aeccitando-se mesmo o lempo que declara que li-
ma a porta abena do seu estabelecimento se vi-,
que entrara no auno linanceiro municipal de 1863
a 1864, cujo imposto devena, ter sido pago dentro
dos mezes de fevereiro e marco daquelle anno pr-
ximo passado, claro est que com referencia a esse
tempo, a sua preteneao est no caso de ser inde-
ferida.
E porque tambem nao esteja verificado, que o
peticionario e-teja desonerado do pagamento desse
imposto do anuo financeiro municipal prximo
passado,-at o correte, com relacao e. esse lempo,
a sua peticao deve ser igualmmte indefenda. nesta
parte, at que prove exactamente o tempo em que
con-ervou o estabelecimento por sua conta, pois
que, o fado de nao ter sido o mesmo collectado nos
anms seguintes aquella em qne foi pago esse im-
posto, como foi informado pela contadoria, nao
estabelece forte presufflpfio ce nao estar o mesmo
peticionario sojeito o pagamento dos impostes
desses ltimos annos; porque tendo entrado no
exerclcio do anno de 1863 a 1861, quando seja vr-
dadeiro o tempo era que allega haver conservado o
dito seu estitielecimento de porta aberla-, nao hou-
ve a colleta desse anno; o que prova qne houve
omlssao no lanjamenlo des-es impostes.
Assim pois*, para que no appareja prejuizo
confa o cofre da muoicipalidide, o respectivo pro-
curador, quaiito ant;s deve tomar ronhecimento de
todo este debito, e promover a sua arrecaJacao.
Pa^o da cmara munlc pal do Recife, 22 de
marco de. 1865.Thomai d'Aqumo Fonseca.-Dr.
Joaquim Jos de Miranda.
Tendo o procurador geral. U veneravel Ordem
Terceira do conventu do Catmo, requerido em vir
lude de haver, o fiscal da freguezia de Santo Anto-
nio, obstado a continuacao d;. obra do muro que a
mesma veneravel ordem esta fazendo na ra dos
Ossos da dita freguezia, por eligir que fosse feita
como para frente de casa, allegara que esse muro
era provisorio porqaanio naqnelle terreno preten-
da a Ordem edificar o seu hospital, em vista do
que tem a seu favor a dispo-igao do art. 2o da pos-
tura addiflonal de 10 de nevembro de 183, que
manda cercar com muro os terrenos devoluto?, por
isso podia permisso para poder cooslro-lo de
conf.'imiJade com aquella po-tura.
Posto em discussfio, o Sr. Gu-tavo do Reg, pede
a palavra, e pronuncia-se em favor dapreten-
Cao.
Os Srs. Silva do Brasil, S?.ntos, Or. Miranda, e
Costa Hoateiro, confor nam-se com a opmio do Sr.
Gusta vi do Reg, de se conceder a licenca pedida,
e sendo posta a votos, foi approvada.
O Sr. presidente, declarou votar contra, e bem
assim o Sr- Thomaz d'Aquino. declarando este que
apesar de reconhecer ser de equidade a preteneao,
nao polia votar por ella por ser contraria a lettra
do art. 2i do tit. ~f das postulas de 30 de junho de
1839.
O Sr. Gustavo do llego, apresentou a segrate
postura -, que sendo posta em discussao, maudouse
remetter commissao de polica.
A disposicao do art. 21 til. 7o das posturas de
30 d i junho de 1819, s applicavel aos muros
sobre os quaes nao se possa ou nao se deva edi-
ficar.
Paco da cmara municipal, eleO vereador
Gustavo' do Reg.
D-.-;acharam-se as petigoes de Antonio Goncal-
ves de Moraes, Antonio Ranos, Dr. Antonio Joa-
quim de Mor: es e Silva, Antonia Leopoldina de
Barros Langa, e outros, Antonio Ferreira da Silva
Jnior, Andr L. Delouche, Augusto Carlos deSou-
za M salliae-, baro do Livramento, Bernardino
Alves I'inheiro, Diogo Jos da Costa. Francisco Eu-
genio Ferreira, Francisco Antonio das Chagas,
FraucM-s] J..s Regalo Braga, Francisco Jos de
Souza Almeida, Dr. Francisco Goncalves de Mo
raes, Juldiin Bndheres, Justino Justo, JosFrancis
co de Itritto o Silva, Isidoro dos Anjos da Porciun-
cula, Ignacia Maria das Vfrgens, Jos Pacheco de
Qaeirogal Joao Baptista de Oliveira, Jos Jacome
Tasso, Jos Antonio Ferrao de Figueiredo, Jok dos
Santos llamos de Oliveira, Jos Dias dos Santos,
Jos Lucio Llns, Joaqnim Amaro da Silva Barros,
Jos Franciseo de Maitos, Lourenfo de Albuquer-
3no M'llo, Lud;ero Teixeira Lopes, Monica Maria
o Espirito-Smto, Pedro Alexandrino Rodrigues
Lins, e P.-dro Americo da Gama Duarte.
E levantou-se a sessao.
Eu Francisco Canuto da Boi-Viagem, secretario
a subscrevi.
Paco da cmara municipal to Recife, 29 de mar-
go de 186'i.l'ereira Simes, pro presidente.Re-
g.ur. Miranda.Costa Mcnteiro.Santos Fon-
seca.
-GQMMUHICADQS.
EnceTou-se no dia 7 a sessao do jury com o
jntgameDlo de reo Joaquim Gomes de Souza. Foi
seu advogado o Sr. Dr. Francisco Leopoldino de
Gurr..io Libo occapn a cadeira do minisierio
puhlicj o Sr. Dr, Jaeintho Pereira do Reg.
O numeroso auditorio, que assislio a-discussao,
nao f Ji attrahido, nem por urna simples curiosida
de, nnm pelo interesse poltico, que inspirasse o
criminoso ; comquanto o crime se revistisse de co-
res poli tipas, gaiihando por isso a causa lignina
importaqeia.
O criminoso eraum des;o sceleratos communs,
que arrastrados por seus intinctos crueis se envol-
vem em todos oa tumultos em busca de alguma
facanha ; assisOo a eleicao dos Afogados' armado
de un ritinli.il ; e a victima tambem ah se acha-
va com inteneoes nao menos sinisiras ; o que um
ia all fazer, encontrou quem Ihefizesse ; urna fra
extinguir! outra fra.
A sociedad" porlanlo nada bavia perdido ; tra-
tavaso smente de punir um malfeitor; j se v.
pois, que nao era esse o maior interesse que se
ligava i quesillo.
A eontenda havia-se tornado de summa impor-
tancia nao pela nalureza da causa, ms pelaqua-
lidade dos contendores.
Nessa lula em que se discuta ora interesse da
socielade oiTendida, se envolva um certame de
outra especie.
Essa lula olferecia um campo vasto, em que se
poda n medir a forjas de deus alentados cam-
pe6es ; eontenda esta, qne por certo muito mais
HMeressava ao publico, do que o facto que era sub-
mettido ao julgamento do tribunal.
E, po|Sj um oatro tribunal e havia instituido,
perante o qua! rompareriam duas entidades Intel
leetoaes, disputando os lonros do triumpbo.
Na 1a ma-, difcil do qne emittir com acert
um juizo crilico sobre materias das quaes nao se
tem estudos consummados, e n;m louga pratica ;
faltando me taes habilitagoes, deixarei de analysar
a questao junc'ica, fallando smente das impres-
soes qne recebi, e do movimento do anditorio.
A sensaco intima das faculdades, que se con-
centram, prestes a se desenvolveren! em urna ac-
cao decisiva, ?e revelava as fefjSes do? ous an-
tagonistas."
diversas as circumstancias de que bb revestia. diante, alm desta assignatura o farei tambem no dem de mamona ....
Nada fallava o discurso, todo era supprido com papel que cobre a garrafa. Rogo ao mesmo pu- Batatas alimenticias .... arroba
previdencia admiravel, pela ordem e nexo das blico que quando forem assim engaados, toraem Bolacha ordinaria, propria para
phrases, o distribulcao das inais bellas figuras de testemuohas, me remellara os rtulos falsificados e embarque.......
me particHiem para fazer elTeclivo o art. 167 do dem fina.........
cdigo criminal do Brasil. Caf bom .......
Jos da lioclia Paranlios. dem escolha ou restoho.
dem torrado libra
Caibros........ um
A jurnbeba. Cal.......... arroba
As virtudes therapeuticas da jurnbeba sao desde dem branca ....
vida pallidez cubri a face do reo, cheia de agonia muito couhecidas nao s no Brasil, pois que dellas Carne secca (xarque) ...
e terror 1... O auditorio tambera soffria pela ex- tratou Pisn em sua excellente obra Historia na- Carneiros ....... um
presso idionda do crime tao vivamente estampado turaltt et medica India; occtdtntalis, sendo as Carvao vegetal ...... arroba
as feicoes de um homem culpado I soffria porque Anlilhas, onde o sueco das folhas e fructos .como Cavernas de sicupira tima
todos se conduiam, a Justina tiuha triumphado I aqui, muito estimado e apphrado contra as obs- Cera de carnauba em bruto. libra
l'ouco dire sobre a defeza. Nioguem descouhe- truegoes abdomlnaes,-principalmente do ligado e jdem idem em velas ...
Francisco Leopol- baca ; e se todos os facultativos desta provincia o Cha .........
nao applicam com frequencia, isto se nao deve a Charutos ....... cento
o aisinumcao uas mais ue
pensamento, e diccao.
Em urna dessas vivas imagens em que se pinta
ociimeewi seu remorso, rendendo homenagem a
verdade ; o orador transportado pelo scntimento
lornou-se verdadeiramente sublime I Sua voz elo-
quente, lomando mais fogo e calor, vibrou no re-
cinto com eslremecimento derepulso e horror...li
ce o talento oratorio do Sr. Or.
dio de Gusinao Lobo. *
Sua eloquencia, mantendo-se sempre em urna
allilade pomposa, nunca fria ; mas de>sa vez nao
se exprimi cora os enrgicos acentos de intima
convieco: collocanlo a questao no terreno polti-
co, princpiou por urnadeclamacld empbatica con-
tra o administrador, que o havia demittido ; o que
foi de pessimo elTeito, porque amesquinhou a defe-1
za implicando a com o rescentimeoto pes=oal do
orador; e dtil por diante nao lhe foi possivel er- '
guer-se da pruneira queda : oauitorio era ape-
nas complceme era ouvi-io, commemorando seus
triompbos anteriores.
Quizera anda urna vez conceder-lhe a pal-
nao reconhecerem elles essas virtudes, mas slm a Cevados (porcos).....
nao seren encontradas rom facilidade e em todas ; Cocos (seceos)......
as estacoes do anno os frucios dessa planta, e re-; Colla........
pugnaucia, que apresentam os deentes em fazer Couros de boi, salgados. .
uso do sueco desses fructos, em consequenca de dem idem seceos espichados .
ser extremamente amargo. : dem idem verdes ....
A jurubeba nao descouhecida dos botanistas : dem idem cabra corti'dos
esta planta perlence familia das solaneas, e lem .dem dem de onra .
a denominado de solanum paniculalum, que lhe Doces seceos
foi dada por Lyneo. dem em golea ou'mss "T '.
P^recendo-nos conveniente facilitar o uso do dem em calda
sueco dos fructos da jurubeba, que o mais em- Espanadores grandes '
pregado, nos proponemos e conseguimos preparar dem pequeos ......
raa do triumpho, mas forenso confessaro homem com elle nao s um extracto alcoolico que pode ser Esteiras para forro de estivas
um
cento
libra
>
um
libra
>
i
um
i
- O Illm. Sr inspector da tliesourarla provln- em audiencia do dia 14 do novembro me fez o re-
cial em camprjmento da ordem do Exm. Sr. pre- querimento do theor segulnle :
sidente da provincia, manda fazer publico, que no
dia 3 de agosto prximo vinuro, perante a junta
da fazenda, da mesma thesouraria, se ha de arre-
matar, a quem por menb fizer a obra do empedra-
niento, na extenso de 155 bracas no lanco la es-
irada de Bujary cidade de Goianna, avahada em
i#00 1:364,5000.
800 A arremataco ser feila na forma da le p-ovn-
800 cial n. 343 de 15 de maio de 1845, e sob as clausu-
3 las especiaes abaixo declaradas.
as pessoas que se propozerem a essa arremata-
900 cao comparecam na sala das sessoes da referida
junta, no dia cima mencionado pelo meio dia e
3750 competentemente habilitadas.
lofiOOO E para constar se mandou publicar o presente
l.'OO pelo jornal.
2600 Secretaria da thesouraria provincial de Pernam-
25000 buco, 4 de julho de 1865.
355OO O secretario
55120 .1. F. da Annunciacao.
Clausulas especiaes para a arremataco.
25000 !. Eropedramento de 155 bracas correles no
15600 laDeo de estrada de Bujary a Goianna na impor-
15000 tancia de 1:3645000, ser feito de conformidade
15200 com o respectivo orcamento, e as inslruccoes do
engenheiro enc'arregado da (iscalisaco dos traba-
35000 Ihos.
75000 2.a Os pagamentos serao feitos em duas presta-
75400 goes iguaes, a primeira quando estiver executado
5000 metade de todo o servio ; e a uliima na conclusao
440 do trabalbo.
360 3.* O arremaiante comegar os trabalhos at o
280 dia 1." de setemhro e es concluir al o ultimo de
500 oulubro do correte anno.
352OO 4." O arrematante nao ter direito a indemnisa-
45000 CSo alguma, qualquer que seja a nalureza da aile-
15000 gacao, salvo nos casos previstos por lei.
35OOO 5." Em ludo o mais que nao vai especificado as
300 presentes clausulas, seguir-se-ha o que dispoe o re-
300 go.lamento de 9 de julho de 1864.
15500 Conforme.A. F. da Anunnciaco,
25500; O Dr. Hermogenes Scrates 'lavares de Vasconcel-
15-50001 los, juiz municipal da primeira vara, nesta cida-
65000 ^e do Recife de I'ernartbufo e seu termo, por
000 sua magestade imperial e constitucional o Sr. D.
150 Podro II, que Deus guarde, etc.
2401 ''"''0 saber aos que aprsente carta de editos vi-
103 rem, que Jos Bernaido de Figueiredo por seu
350' bastante procurador, me fez a peligao do theor se-
105000! 8,,inte :
15000' "lm- Slj ^r- uiz municipal da primeira vara.
Je tantas sympatbias na tribuna foi supplanlado.
E o resto Polymuia manda calar.
Um espectador.
b. w*;wff!T:-,
>})
III

tiJ
-
applicado em pilulas, mas tambem ura vinho, um i de navio........cento
xarope, eum emplastro que pode substituir, em Estopa nacional .' .' .' .' .' arroba
cerlos casos, o de Vigo ; e oslamos persuadidos que Farinha de deWndioca alqueire
com isto prestamos um servlco humanidade e ; dem de araruta
therapeuca. i Feijao de qualquer qudlidade
Pisn, tratando da hydropesia, prescreve a de- Frechaes
coeco das raizes da jurubeba, e Mrat e Delens,
em seu Diccionario de materia medica e therapeu-
tica, dizem que n s An'ilhas se faz uso do sueco
i dos fructos maduros dessa planta contra o catar-
das provincias rho vesical ; e a aotoridade dos nomes desses me-
u
N.266Aviso circular do Io de outubro de
1859.
Determina que os presidentes
sujeitem ao conhecimento da asserabl geral le-i dicos, merecidamente celebres, nos leva a crer em
gislaliva, e do goverm imperial nao s a approva-j suas palavras, e por isto cuidaremos de ter em
eao que derem aos compromisos da irmandades, nos-0 estabelecimento essas raizes, para que possam
alteracoes que nelles se lizerem, como tambem ser experimentadas.
os regulamentos, que expedirem para execugao das; a reputacao da jurubeba tal, e os jesultados
leis provinciaes. i therapeuticos obtidos ltimamente sao to impor-
3" SeecaO.Rio de Janeiro.Ministerio dos ne-1 (antes, que nos parece intil dizer mais do que
goeios do imperio em Io de outubro de 1859. g|o, que tica escripto.
Illm. e Exm. Sr. Foi ouvida a seccao dos ne-; Deposito : pharmacla de
gocios do imperio do couselno de eMado sobre as
leis dessa provincia promulgadas no anno passa-
do ; e Sua Magestade o Imperador, conformndo-
se por sua mmediata resolucao de 28 de setemhro
ultimo, cora o parecer da dita seccao, exarado em
consulta de 18 Je maio deste anno : manda recom-
mendar a essa presidencia, que snjeile ao ronhe-
cimento da assembla geral legislativa e do gu-
veruo imperial nao s a approvacc que det aos
compromissos Je irmandades, e as aUerago-'S que
se lizerem nos mesmos compromissos, e em yirtu-
de da autorisaco que lhe confere a lei n. 88 de
25 de oulubro, como tambem os reglamelos que
expedir para execuc-lo das leis provinciaes. O
que communico a V. Exc. para seu conhecimento
e execugao.
Dos guarde a V. Exc.-Angelo Moni! da Silva
FerrazSr. vice-presidente da provincia do Ama-
zonas.
arroba
1
um
arroba
>
>
urna
arroba
Joaquim de Almeida Pinto.
------ jj a
Sade publica.
Purificaco a respeilo de alijuns dos medicamentos
da casa (riinault \ G.
Alguns jornaes publicaran! urna ordena-
gao d 1 consfciho de sade portuguez, que
prescreveu os medicamentos preparados pea g^'|0
casa Grimault A C. de Paris, com o pretex- sal.' .'
Fumo em iolha, bom .
dem ordinario ou restoho
;Idem em rolo bom ....
dem ordinario ou restoho. .
iGallinhas ......
IGomma.......
Ipecacuanha (raz) ....
I Lenha em achas.....cento
! Toros......... >
Lindas e esteos......um
Mel ou metano......caada
Milito.........arroba
: Papagaios .......um
Pao Brasil...... quintal
dem de jangada......um
Pedras de amolar .... urna
dem de filtrar .....
dem de rebolo ..... .
Piassava........molho
Pontas, ou chifres de vaccas ou
novihos ... ,. .
Pranchoes de amarelo de dous
coslados.......um
dem de louro...... >
500:
45000;
25000
155000
15C00
25500
45000
25800
55000
145000
85000
85060
600
25500
255000
25000
115000
05000
240
. 900
35000
55000
55000
800
45000
15000
120
Rap
libra
1
alqueire
arroba
1
i
urna
duzifc
1
Pastilias Vermfugas de Kemp
Chamamos a allengo de Mas as mius para o
remodio mais agradavel e til que se conhece pa-
ra fazer expellir as lombrigas : as Pastilhas Ver-
mfugas de Kemp. Em vez de todos esses immun-
dos e perigosos remedios vermfugos compostos
de toda a casta de miueraes apresentamos um
delicioso confeito vegetal prumplo e Infallivel na
sua operaejio, nao causando nauseas nem incora-
modos dequalidade alguma, produzindosempreo
seu elfeito de urna maneira suave e completa, nao
carreando depois a assistencia de qualquer um
ouiro prgame : mil como um excellente meio de (,ue os concurrentes dos Srs. Grinaultii C,
fazer remover as obstruccoes do ventre, mesmo , rlwirirmif pm oranclp nnmproos or-
no caso de nao existirem vermes alguns e final- uzeram lStliDuir em granue numtroobjoi
mente tomam-se ellas dignas por todos os respei- naes judiciaes e mandaram publicar em
tos da cnianca e approvacao de lodos os pas de FrariQa e nos paizes 1 strangeiros urna deci-
familias, os quaes acharao estas pastilhss elegan- s5() que nu||a sem nenbum valor CIlKilian-
temente acondicionadas dentro de frasqu.nhos de [Q ^^ imperial nao a tiv, r approva-
Vendemse as boticas de Caors & Brrbosa e do, e depois delle O tribunal supremo.
Joao da C. Bravo & C.
to que esses acreditados pharmaceulicos Salsa parrilha. .
forana condemnados pelo tribunal do Seina Sebo em rama .
por terem vendido medicamentos secretos s0a"eem vaqueta! !
e falsificados. < Taboas de amarelo!
Essa ordenacSo parecer bem extraordina- dem diversas. .
ria quando se tiver lido as seguintes cir- Tapiocas.........arroba
cumstancias: Tatajuba........quintal
1. Asentenca deque se trata foi dada ESudebot' !!*.!!! So
sobre a denunciagao de um dos concurren- Vassouras de piassava ...
les dos Srs. Giimault &C, esobre as in- Ditas de timb....... ,
furmacoes inteiramente erradas que foram vlfntr carnaulja
dadas ao tribunal.
2. A sentenga foi dada por um tribunal
de primeira instancia, e nao tem valor al-
gum, logo que se appellou; foi por urna
manobra desleal e contraria a todas os usos
32Q: Diz Jos Bernardo de Figueiredo por seu bastante
' procurador, que sendo-lhe Guilherme Frederico de
Souza Carvalho, devedirr da quantia 3:6395764 rs.,
alm dos juros da ola promissoria junta, vencida
desde Janeiro de 1863. quer faze-lo cnar, para que
na primeira deste juizo veja assignarem-se-lhe os
dez dias da le, afim de que allegue a defeza, que
liver, e seja alinal condtnmado no principal, juros,
e rustas.
E como o suppllrado esteja ausente e era lugar
nao sabido, requer a V. S. que mande citar por edi
los, visto que ja foi justificada a ausencia pelo jnizo i
de paz, e nomear curador, que por elle falle no fei-
to, sendo tambem rilado o curador nomeado a
rJmassa fallida de dito Guilherme, e sendo a c.tacao
edital para os termos de accao e execucao at real
embolso.
B pede defenraenlo e receber raerc.Alcofo-
rado.
Na qual petieaa dei o despacho seguinte :
li. justifique a ausencia. Recife, 19 de maio de
1865. Tavares de Vasconcellos.
Em virtude do qual se procedeu, depois da des-
trihnico ao escrivo que osle ha de subscrevr, a
inquinco das lestemunhas, que deposeram sob o
furamento dos santos Evangelhos, da ausencia e in-
certeza do lugar da residencia do justificado Gui-
lherme Frederico de Souza Carvalho, e sendo ludo
aulhoadoe preparado me foram os autos conclusos,
os quaes sendo por mim lidos e examinados nelles
profer a sentenga do theor seguinte :
Vistos estes autos julgo provada a ausenc.a de
Guilherme Frederico de Souza Carvalho, pelo que
se passe carta de editos por 30 dias, citado o cura-
dor da massa fallida do ausente, e Dr. Pereira de
I S, a quem nomeio curador a iide, e pague o sup
pilcarle as cusas.
Recife, 20 de junho.Hermogenes Scrates Ta-
ivares de Vasconcellos.
tinAfl i ^aila ma's se C0D,inna em d'la senlena> Por nem
55000'da qual se passon ao justificante o presente edital
75000, com 0 prazo de30 dias, pelo qual se chama, e cila
25000. o referjdojustificado, para que dentro dos mesmos
1405000 30 di^s compareca por si, por seu procurador bas-
875000 unte, prenles e amigos) para a acgo que Iha pro-
35000 pn7. por este juizo o mesmo justificante, e allegue a
25000 defeza que liver na furnia da petigo supra, e a
65OOO qualquer pessoa para que lhe faga saber J'esta
200 mesma citacao, afim de que elle nao fique indefezo.
105000 1 O porteiro interino do auditorio publicara este
850001 nos lugares mais pblicos, e aflixar, passaudo cer-
65000 ticAo em forma.
cento 35500
205000 i
105000
15000
120
4001
Vinagre.........caada 500 'Dado e passado nesta cidade do Recife do/ ler-
Allandcga de Pernambuco, 8 de julho de 1865.; nambuco, aos 27 dias do raez de junha de 1865.
(Assignado?): Eu Joaquim Jos Pereira dos Sanios, escrivo o
Os 1." conferentes, Jos Miguel de Lyra e Tho- subscrevi.
maz Domingues da Silva. Hermogenes Scrates Tavares de Vasconcellos.
Approvo. Alfandega dePernamuc, 8 de julho O Dr. Tnslao de Ale.ncar Aranpe, offleial da im
Aos 14 de novembro de 1864 nosla cidade do Re-
cife de Pernambuco, em publica audiencia que aos
feitos e as partes fazia o Dr. juiz de direito especial
do commercio Trisiao de Alencar Araripe, nella
pelo solicitador Ignacio Barroso de Mello procura-
dor do exequenle Henrique Jos Alves Ferreira,
fofa aecusada a penhora qne se legue feila em i-
nheiro pertencente aos execatados, reqnerendo que
nio s aos mesmos fieassem assignidos os seis dias
da le, como ot dez dias aos credores incertos, pas-
sando-seoseditaes do estylo.n requerendo na mes-
ma occasio que se passasso mandado de remor,
para o deposito publico e acbando-se presente o
solicitador Mignel Jos de Almeida Pernamboeo
procurador dos execulados, por parte destes pedio
vista.
Termos em que houve dito juiz ambos os reque-
rimontos por deferidos.
Extrah o presente do prolocollo de audiencias, e
junto o mandado e tormo de penhora.
Eu Faustino Jos da Fonceca, escrevente jnra-
mtnlado o escrevi.
Eu Manoel de Carvalho Paes de And rado, escri-
vo o subscrevi.
Seguindo o que assim se continha em dito re-
querimento de audiencias, depois do qoal o rofwrw
solicitador Ignacio Barroso de Mello, procurador do
exoquente, em audiencia do dia 19 de innno do cor-
rele anno, me fez o requerimento do theor le-
guinte :
Aos 19 de junhn de 1865 nesta cidade do Rente
de Pernambuco, em publica audiencia qne aos fei-
tos e as partes fazia o Dr. juiz de direito especial
do commercio, Trisito de Alen' ar Araripe, nella
pelo solicitador Ignacio fiar roso de Mello proeora-
dor do exequenle Henrique Jos AUes rorroira,
requerido que havendo-se dsencamnhado os pri-
meiros edilaes, se lhe mandasse outros eom salva
do primeiro, e que lancava de prava, e reqoeria
que fossera os aillos com vista alinal.
O que ouvido pelo juiz assim o delerio.
Extrahi o presente do prolocollo de audiencia*.
Eu Manoel Silvino de Barros Falco, escrevenlc
juramentado o esrrevi.
Eu Manoel de Carvalho Paes de Andrade, escri-
vo o subscrevi.
Seguindo o que assim se continha om dito reque-
rimento de audiencia aqui transcripto, depois do
qual o mencionado escrivo Manoel de Carvaiko
Paes de Andrade, que osle subreven e fea ps*ar
o presente edital com o prazo de 10 dia, pelo qoal
e sen theor chamo, cilo e hei por rilad.* a lodo* rs
credores incertos dos ditos ex* rutados, para que
dentro do referido prazo comparecam ante este
juizo, allegando e provando que f>>r a bem de
seus (lucilos e jusilla sob pena de se proceder as
suas revelias.
E para que rhogue ao conhecimento de lodos
mandei fazer o presente edital con o praio de 10
dias, que sera affixado nos lugares do cosan-e
publicados pela impretisa.
Dado e passado nosla cidade do Recife de Per-
nambuco aos 21 de junbo de 1864.
Eu Manoel de Carvalho Paes de Andrade, escri-
vo o subscrevi.
Tristo de Alencar Araripe.
O Dr. Trislao de Alencar Araripe, official da impe-
rial ordem da Rosa, juiz de direito especial do
commercio desla cidade do Recife de Pernam-
buco e seu tormo, por S. M. Imperial e Consti-
tucional o Sr. D. Podro 11, a quem Dens guar-
do, etc.
Faco sabor pelo prsenle que, no dia 24 do nw
de julio do correte anno se ha de arrematar de
renda annual a quem mais der, em praca publica
desie juizo, depois da audiencia respectiva o se-
guinte :
O engenho Quizanga, sito na freguezia de S. Lon-
renco da Malta, mnente e correnle com agua, eom
casa" de caldeiras, 5 tachas no assenlamento, em
bom estado, casa de purgar por acabar, contento
300 formas, com furos para 550 paes, eom algamas
correnb s, distilacao com um pequeo alambique
de cobre em mo oslado, senzala com 12 calinitas
para escravos, casa do viveoda de sobrado em b'.ra
oslado, dous acudes, sendo um para acabar, fal-
lando-lhe a porta n'agtia, trras do engenbo de boa
qualidade com algumas maltas, 8 bois mansos e 3
quarlos, avahado por 2:0005008 ris annuaes;
14 escravos deservco avallados em 1005 o serv;.)
de cada um dos escravos annualmtole, que lodo
prefax a avaliacio de 3:4005000 por cada anno de
renda, o qual engenho e seus pertences e eseravos
foi peuhorado a Jos Francisco de Barros Rogo e
sua mulber por execueo de Oclaviano de Souza
Franca.
E a falta de licitantes ser a arremataco foia
pelo prec d adjudicaco como abaiimeut res-
pectivo da lei.
E para que cliegue ao conhecimento de lotos
mandei fazer o prsenle edital que ser atnxado
dos lugares do costurae e publicado pela impreus
Dado e passado n>sta cidade do Recife de Per-
nambuco, aos 30 de junho de 1863.Eu Vane!
de Carvalho Paes de Andrade, escrivo o subs-
crevi.
Tristo de Alencar Araripe.
de 1865..4. Eulaho.
Conforme. -O 4."eseriplurario, J. da Silva Di-
lencourt Nenas.
RECEREOOIUA DE RENDAS INTERNAS GE-
RAES DE PERNAMBUCO.
Rendimento do dia 1 a 8...... 11:2435283
dem do dia 10------1........... 2:3075266
penal ordem da Rosa e juiz esp-cial do com-
mercio d'esta cioade do Recife de Pernambuco
seu termo, por sua magestade imperial, que Dos
Kuarde, etc.
Faco saber aos que o presente ediial virem, e
d'elle noticia tiverem, que no da 14 do correnle
mez, pelas II horas do da na sala dos auditorios,
-1 lera lugar a reunio dos credores da massa fallida
13:5525549 | de Caminha & Filhos, afim do se proceder verifi
-
Ervsipelhi.
O medicamento que com mais influencia eener-
gir tem combatido essa lerrivel enfermidade, tem
isdo o xarope alcoolico de veame.
Urna escrava da mai do Sr Francisco Firmino
1" A'irthunii mnoriii n3n rWl.lin mu: ====== cacao de crditos, deliberar-se-sobre a concordata,
3. O tribunal impetial llJO dCCUllO, mas CONSULADO PROVINCIAL. < caso os fallidos apresentem,on formar se o contra-
Sim, por uma sentenga de I/demaioprO- Rendimenlododial a 7 ...... 49:6685825 to de unio e nomeaco de administradores da
xiuiO p ssado, ordenou nova vistoria, a que dem do dia 8.....1........ 7:4905323 massa em questao, observadas as formalidades de
--------------1 que traa o artigo 852 do cdigo commercial; vis-
57:1595148! 10 os credores Prenle Vianna & C, nao terom
-.. I aceitado o cargo de administradores, confirme fo-
I rain nomeados na reunio, que leve lugai no dia 3
linba motivado a decisao dos^uizes da pri-
meira instancia Ihes tend> parecido insuflt-
ciente, depois das novas experiencias intei-
ramente contradiciorias de um chimico e
DECLmCCES.
Monleiro, pessoa bem conhecida nesta cidade, phvsiologista eminente, 0 Sr. D. Leconte,
aehando-sede cama, e com aspernas bastante in-.*, '_.. _ .l.i. ,i_0 i,.,n;.,e a
diadas, e cheia de tomores, tomando o xarope de pbarmaceutico em chee do bopitc
veame, acha-se boje boa, pre>lando servicos.
Amana do Sr. Jos Francisco Pinto, morador
na ra Direita n. 51, "tendo sido acommettida do
mesmo mal, acba-se tambem boa.
A Sra. D. Senhorinha Umbelina dos Santos, mo-
rador na ra das Calcadas n. 38, achandp-se ata-
>i!
i a j.afiil ji w
m POETO
Xavios saludos no dia 10.
cia de Paris.
4. N'essas circumstancias admira-nos
que um conselho de sade publica se lenha
decidido sem informacoes mais certas, a
cada de erysipeiia as cxas, com quatro4umores mandar prescrever ou mesmo a por em sus-
bastante v dumosos, no estado indolente, que a pr- j pecg0 medicamentos, cujas excellentes qua-
vava de por-se de pe ha muito tempe,, com o oso. {.,*. nprfpila nrpnario lem sido des-
do xarope alcoolico de veame e pilulas purgativas '.maes JO, 0
do mesmo, acha-se resiabelecida, e no uso dos me-
dieamentas os tomores>rminaram pela suppura-
co. ^
A Sra. D. Rita, moradora na ra de Santa Rila
professor aggregado da faculdade de med- Lisboa-Brigue portuguez Soberano, capitao Ma-
Bugigaoga. carga assucar e ou-
Johannes,
noel Bernardo
tros gneros.
Rio de Janeiro Brigue dinamarquez
capitao Diedrichsen. em lastro.
Observaro.
Nao houveram entradas. '
I
DI-TU.
de muitos annos, r. conhecidas por todos os1
membros mais distincios do corpo medical, Q tenenle Manoel Jos pereira
e que tem os nicos defettos deTserem me-
n 01a. v. nua, iiiuiiuoi na la uu .-ama ma .. ______ __j^__j
n. 13, primeiro andar, soffrendo do mesmo mal ha' Inores, menos caros emais procurados do
que todos
rentes.
os remedios de seus concur-
;*1
UMMEIGIO.
Cai\a
em
muitos anuos, pois que a orysipella atacava amiu-
dadamento, depois que tem tomado esse remedio
nunca mais lhe deu.
Ouiros muitos factos desla ordem deixo de men-
cionar aqui para nao me tornar prolixo e enfado-
nho.
Sendo a orysipella urna moleslia que sem davi-
na efleito de materia gerada no corpo como ex-
poem alguns escritores de medicina, e em conse- j
quencia da febre laucada na pelle, onde produz'
inflammacao, e que muitas pessoas, por nlo se te-
rem convenientemente tratado, succombem com o'
pernicioso uso de que, nos tres dias nao devem
n.-ar de remedio algum, o que faz-se estender o
mal por nao se ter a principio combatido ; por is-
so, puis, conveniente que, logo que alguem se
sentir atacado de tal mal, deve provocar a Iranspi-
racao tomando ao principio urna colherinha de Jos Silveira pagara o Io dividendo de dita massa
cha do xarope alcoolico de veame dissolvldo era! na razao de 9 0/0 sobre o valor des titules ad-
nma chicara de infusaode flor de sabugueiro quen- mettidos : no novo banco de Pernambuco ra
te, adocando-a conj mais assucar, continuando nos do Trapiche n. 34.
tres dias nesse tralamento, no fim dos quaes usa-
Bor-'es, ca-
valleiro da imperial ordem da Rosa, juiz
municipal e de orphaos supplente em ex-
ercic o, nesti cidade da Victoria e seu
termo da comarca de Santo Ant5o di
provincia de Pernambuco, por Sua Ma-
gestade Imperial e constitucional, o Sr.
L>. Pedro II "que Deus guarde por muitos
annos.
Faco saber aos que o presente edital vi-
de marco do correte auno.
E para que o prsenle chegue ao conhecimento
de todos, ser pubicado pela imprensa, e alLxado
na forma da lei.
Recife, 6 de julho de 1865.
Eu Manoel Mara Rodrigues do Nascimento, es-
crivo o subscrevi.
Trislao de Alencar Araripe.
O Dr. Tristo de Alencar Araripe, official
da imperial ordem da Rosa, juiz de direi-
to especial do commercio desta cidade do
Recife de Pernambuco e seu termo, por
Sua Magestade Imperial e constitucional,
o Sr. D. Pedro II, a quem Lieos guarde
etc.
Faco saber pelo presente, que no dia 24
do mez de julho do crrente anno, se ha de
arrematar por venda a quem mais der em
praca publica depois da audiencia respectiva
I os escravos seguintes:
Tliereza, de nacao, maior de 50 annos*
avaliada em 250,5000. Jerimias, pardo, de
2(i annos de idade, avahado em 60.^000.
a
j do xarope de veame na forma proscripta no re
ceituario, tendo todo o cuidado de se abafar, afim
sodtuar convenientemente, alm de conservar o
aentre correnle, que conseguir lomando urna ou
duas pilulas purgativas do mesmo 'clame,
Todosquantos snccumbem desta molestiase diz:
- Htlleceu de erysipellar recolhida ; ao eontrano
alguns expositores presumem ser o desenvolvimen-
e| da pntrefaccao no sangue, tanto que o lugar in-
flammado que, enio a sua cor era encarnada, se
troca om lvida ou negra, e termina em gangrena, e Volamos saludos com fazendas..... 10
por essa razao que conveniente o xarope al-' cora gneros..... 277
coolico de veame na infusan de flor de sabugo.para
se conseguir resolver a inflammacao, ou pelo me-' Descarrogam no da U do correnle.
nos terminar pela supporacao, Impedindo assim a Patacho ingiezTiaramercaduras,
gangrena. Barca inglesaVesion mercadorias e ferro;
Us offeitos do xarope alcoolico de veame appli- Brigue portuguez hlorindadiversos gneros
cado na flor de sabugo ao doente, nao s de van- Escuba draamarqueza//osiormercadorias.
filial do banco do Brasi
Pernambuco. rem e delle noticia tiverem, que lindos os Cujos escravos furam penhorades 11 Joo
a directora desia caixa saca sobro o banco do das de pregues de le, se nao de arrematar Baptista do Reco por execucao de Frederi-
Brasil no Uio de Janeiro e sobre a caixafllialdo em praca publica, por via de venda, a quem'c0QMler '
mesmo banco na Bah.a^ | mas r> peios escravos crioulos de nomes, j E na filta de iic,anteS ser a arremata-
Novo banco de pernambuco. F/mtZai A^S S T^0 feita Pel Pref0 da a(1Ju-i'cacai> com o
Os administradores da massa fallida de Joaquim l^00^0 e JSe, J5*f 2 a,nn0S df ,da" abatimento respectivo da lei.
de, avabado por 1:000^000, sadios e de op- E para qie cbegue ao conl.ecimento d
; timas figuras, os quaes sao perlencentes a-todos mandei fazer o presente edital, que
/viuva e filbos do fallecido Antonio Barbosa seca affixado nos lugares do costme e pu-
I da Silva, e vo a praca ex-officio para ser: blicados pela imprensa.
arrecadada com seguranca a parte que e.n | Dado e passado nesta cidade do Recife de
Pernambuco, aos 0 de julho de 18(33.
ALFANDEGA.
Rendimento do dia I a 8......
dem do dia 10...............
V
MOVIMENTO DA ALFADEGA.
Volumes entrados com fazendas___
c f com gneros..... .87
ser:
e.n!
133:662,887o cada um dellcs tem o orplio Manoel; de-
15:317687 vendo ter lugar a ultima praga de arremata-1
130^980556' cao no d'a de Ju'n ^ corrente anno,!
== das 10 s H horas da manhla, a porta da i
casa de residencia deste juizo.
E para que chegue a noticia de todos, fiz I
passar o presente que se afixar no lugar
publico do costme, e publicado pela im-
prensa.
Dado e passado sob o signal e sello deste
87
-------287
Fu Manoel de Carvalho Paes d'Andrade,
escrivo o subscrevi.
Tristo de Alencar Araripe.
O Dr. Tristo de Alencar Araripe, oflieial da im-
perial ordem da llosa, juiz de direilo especial do
commercio desta cidade do Recife de Pernam-
buco seu lermo, por sua mage.slade imperial e
constitucional o Sr. D. Pedro II, a quem Dos
guarde etc.
Paco saber pelo presente que por este juizo e
juizo que ante mim serve, OU vaiha sem sel- i CArlor'10 d "ivao que este subscreveu e fez pas-
sar o prsenle, corre urna execucao de senlenca,
enlre paites como exequente Henrique Jos Alves
ue Ferreira e como execulados os administradores da
tagem por sua qualidade diafortica, como pela
anti-septica para impedir a putrefacto as mo-
1 e f 11 a s.
N.i orysipella nao deve o enfermo nos primeiros Escuna diuamarqueza-oranadem.
Encuna porluguezaD. J0S0charque.
Brigue nacionalCardiaidem.
Patacho hollandezDenyidem.
io ex-causa.
Cidade da Vic!oria, 27 de junho
1865. : massa fallida de Amorim, Fragoso, Sanios & C, e
E eu Antonio Ludgero da Silva Costa, es- Procoguindoa execucao os seus devidos termos,
, prostdeurse a penhora em dinheiros perlencentes
!,aos mesmos execntados, pelo que o solicitador Ig-
' naci Barrozo de Mello, procurador do exequenle
crivao de orphaos, o escrevi.
J Manoel Jos Pereira Borges.
Convidase as pessoas que esli as coli-
ces do servigo militar, a ongnjarcm no e* rpo de
polica e gozarora das vantagens da lei provinci.il
n. lili d: i de maio prximo passado, que .-ao M
seguintes : l4^oors. diarios de Mito, serem seos
nios menores rocoll.iJos aos estabelecimenUs
pr^vinciats de educa^iu o tempo que Cliverera
na gu rra ser coutacio pelo duplo para o caso de
aposentadora, e a ni de.-tas, tem todas as mais
vantagens que sao concedidas aos voluntarios da
patria.O tenente-c ,roneI commandante do cor-
po de polic a, A exandre de Barros e Albuqi;er-
que.
Santa (Jasa da Misericordia
do llecife.
A Illm.' junta administrativa da Sania Casa da
Misericordia do Recife, manda fazer publico que
no dia 13 do corrento pelas 4 horas da tarde, na
sala de >uas sessoes conlinuain a prac,a das rea-
das das casas abaixo declaradas por tempo de I a
3 annos a contar do 1" de julho do correte anr,
por diante.
Ra das Laningeins.
Casa terrea n. o particular e 17 pu-
blico.......... 20600C
Ra do Rangel. ,
dem n. 6 particular e 53 publico. 300J0G*.
Ra do Rosario da Boa-Vista,
dem n. 14 particular e 38 publico. IG8JOO,
Ba da Lapa.
Casa terrea n. 41 particular e 2 pu-
blico.......... ISOJuOO
Ra do Amorim.
dem n. 48 particular e 56 publico. 40OO0O
Iidem n. 56 particular e 26 publico. 7uuo
RuadoAzeilo de Poxe.
dem 0. 63 particular e 14 publico. 600000
Ra da Cacimba.
dem n. 63 particular e 3 publico. I44JOOO.
dem n. 67 particular e 10 publico. KtfOgo
Ra do Vlgario. -
Sobrado del aojares n. 72 particular
e 27 publico........500JOOO
Ra do Encantamento.
Sobrado de 2* andares n. 76 particular
e 11 publico........900,1000
dem idem n. 77 particular e 13 pu-
blico........*. 9004000
Ra da Senzala Velha.
Casa terrea u. 81 particular e 18 pu-
blico.......... 2004000
dem u. 82 particular e 16 publico. 2O04OUO
Ra da Guia,
dem n. 84 particular e 29 pubiieo. 1444000
Ra da Cruz,
dem idem n. 87 particular e 11 pu-
blico.......... 8824000
Ra do Pilar,
dem n. 93 particular e 101 publico. 2004000
dem n. 94 particular e 99 publico. 2354000
dem n. 97 particular e 110 publico. 20040UO
dem n. 100 particular e 104 publico. 20040)
dem n. 101 particular e 102 publico. 2004000
dem n. 103 particular e93 publico.. J004000
dem n. 103 particular e 94 publico... 2004000
Secretaria da Santa Casa de Misericordia do
Recife 8 de julho de 1863.
O escrivo,
__________________F. A. Cavalcanti Cofe.
A thesouraria provincial marca o praso 30
das para o pagamento do imposto do nlciflo
das ras Nova e do Sol.
r
\
*
{

\


Diarlo de feria i*** Werfa Jctr t 4t Tnlho *e SsS
Santa Casa de Misericordia do
Recite.
O Illm. Sr. thesonreiro da Santa Casa de Mise-
ricordia do Recita, commendador Jos Pires Fer-
rera, manda fazer publico, qu no da 17 do cor-i
rente, pitias 10 horas da manha, no salae da casa
QUAB.TA PARTE.
Carnaval de Vmeza (do maestro Schulhoil) exe-
cutado pelo beneficiado.
QUINTA PARTE.
Terceiro acto da comedia.
SEXA E ULTIMA PARTE.
O Trovador, grande transcripto brilhante do
Por huervenco do agente Piulo,
da roa-da Cadeia m 9.
TSSOf
no
-
armazem
4 f
. e.L'A DO IMPERADOR J. B.
rrawzam d11
dos expostos far pagamento das meosalidadef ven- Mtzerere (do maestro G. Ptaiffer), executada uni- M<)TS C 0UP0S heCtS de t-'Stn.
i-i.lnc nn misrlnl i1a ahril a iitnlhi a ffls flUP. Sft Camt'lltt'. C.om a man PinnaMn rtal,-i hanufli'inrin '
cidas no quarlol de abril a junlio as amas trae se
apresentarein acompanhadas das crianzas que Ihes
foram confiadas. T
Secretaria da Santa Casa de Misericordia dolle-
cife 8 de julho de 1865.
O oscrivao,
F. A. Cavalcanti Cousseiro.
O administrador da recebeaoria de rendas
internas geraes faz publico, que em virtude da al-
teraco 3" do decreto 2719 de 31 de dezembro de
1860, nao julgando conveniente que continen)
em poder dos cobradores os coahecimentos do i"
semestre do^exercicio de 1864 1865 dos impostos
de 20 0|0, imposto especial e decima addicional de
mao-morta, ordenou o recolhimcnto delles, princi-
piando pelo bairro de Santo Antonio, cujo debito
superior ao dos mais, alira de proceder a liqui-
dacao de conformiiade com os artigos 4* e o- das
rastrurcoes queacompanharam o decreto 23oi de
16 de feveroirode Ifa, que em qflanto se est
organisando a relacao dos devedores do referido
bairro, Ihes permettido virem aqui pagar os seus
dbitos a i:n de evitaren! a Cbranla judicial.
Recebedoria de Pernambuco 3 de julho de 186o,
Manoel Carneiro de Souza Lacerda.
Pela thesouraria provincial se faz-publico,
que a arremataba > da obra da oncluso da casa
da cmara e cadeia da villa djo Bonito, fui trans-
ferida para da 20 de julho prximo vindouro.
Secretaria da ihesonraria provincial de Pernam-
buco 28 de junho de 1865.O secretario,
A. F. d'Aniiunciago.
Acham-se recolnidos casa de detengo or
fgidos. Palo, escravo de dominaos Francisco Ca-
valcanii, senhor do engenho Retiro, e Manoel, es-
cravo de Jos Pereira Copo, residente no Brejo da
Madre de Dos : quem pois se julgar cum direitu
aos mesmos escravos, pruvando, ser-lhes-ha en-
tregue.
Subdelegara de polica da freguezia da Boa
Vista 7 de juiho de 1863.
Decio de Aqaino Fonseca.
Pela thesonraria provincial se faz publico,
que a arremataran da obra da cdeia de Xazarelh,
foi transferida para o dia 20 de julho prximo vin-
douro.
Secretaria da thesouraria provincial de Pernam-
buco 28 de jenho de 186-T O secretario,
A. F. d*Anntinnacao.
Fiscaiisaco in freguezia de Santo n-
tonio do Rccife.
Pelo presente se faz sciente a todos os
moradores desta freguezia de Santo Anto-
nio que, em virtude da deliberadlo da tilma,
cantara municipal desta mesma cidade, de
21 de junho finito, se tem determinado que
o despejo publico de todo o lixo e inmun-
dicias, que tenliam de tancar fra todos os
moradores da mesma freguezia, sei feito :
primeiro.no fita do beccoem que termina a
ra do Ilangel pelo lado do sul (fim do'caes
do liarnos); segundo, do lado do norte no
alagado do fundo da casa de detcncao, prin-
cipiando do seguimenlo da ra denominada
do Pocinho, ou do Bartholomeu. do norte
ao sul, sendo o despejo feito as horas de-
terminadas do art. 5o do tit. 5o das postu-
ras municipaes de 150 de junho de 1819, ja
t anscriplo neste Diario n. 120 de 2 de ju-
nho prximo lindo: quem assim nao o cum-
prir, incorrer as penas especificadas no
mesmo arTgo.
Fiscalisaclo da freguezia de Santo Anto-
nio, de julho de 1865.
O fiscal
. Caelatio Piulo de Veras.
O conselho de compras do arsenal de
rra precisa comprar o seguate, em vir-
tude da ordeno da presidencia de 21 de
marco prximo -fui :
6000 varas de algodSozinho.
1000 ditas ie aniagem,
As pessoas que quizerem vender ditos
artigos apresentem suas propostas na sala
do conselho, s H horas do dia 12 do cor
rente.
Sala do conselho de coinoras do arsenal
de guerra, de julho de lStio.
O encatregado d'esc ipluraco,
Manoel Jos d'Azevedo Sanios.
O lencnte-coronel Francisco de Mi-
randa Leal Seve, presidente do conselho de
reviso da freguezia da Boa-Vista, faz saber
aos guardas nacionaes cualificados na mesma
freguezia, que nos dias 11 e 12 do corrente
ter lugar a inspeccao de sataie do mesmo
conselho.
M(
DE
OVariiaznn d tunas u grande depostfb ..
psWdqs>s cfci rdlcos uiensseos mais enipregados
e tffatTrjsuaiiriarnraciaipfnrara, photorf'rapha, tin-
turara, pyrotechioiaifogos de artificio) e em outras:
industrias.
Montado em grande escala, e sup|rindo-se di-
JuTWIIDE UrTIFrOT l ETP0S8 DE LOTOHES
t TtlQMM TEIXEWM BASTOS
N. CO-Eua da Oudeii do BecifeN. 60.
Todos os artigos abaixo mencionados, taran comprados rerentemeBte pelo deno do estte e-
Londre, Uirnuiihfim, MancheMer, e en diversa* liana
inores condtefos por ser a dirrtieiro, por i*so veade t>*>
a rau principalmente por querer iDU'traroeMe li.joi-
Comegara' as 8 horas.
?IS0S
Coinpauhia das Hensageries Im-
periales.
At o dia 14
do corrente mez,
espera-se da Eu-
ropa o vapor
francez Estrema
dure, o qual de-
pois da demora
do costume se-
guir para Baha
e Rio de Janeiro.
Os passageiros de Pernambuco para os portos
da Europa que queiram segurar as suas passagens
a bordo dos paquetes desta companhia nos mezes
de maior affluencia, tem a ftcuidada de os tomar
no dia que os vapores segueta pira o sul, pegan-
do porm como se fosse do Rio de Janeiro.
Para condicco^s, freiei e passagens trata-se na
agencia ra do Trapiche n. 9.
COMPANHIA BUSimU
DE
PAQUETES A. VAPOR
Dos portos do sul esperado
at o dia 14 dj corrente um dos
vapores da companhia, o qual
depois da demora do costume se-
guir para os portos do norte.
Desdeja recebein se passageiros e engaja-se a
carga que o vapor poder conduzir, a qual dever
ser embarcada no dia de sua chegada, encommen-
das e dinheiro a frete at o dia di sahida as z ho-
ras da larde : agencia ra da Cruz n. 1, escripto-
ri) de Antonio Luiz de Oliveira Azevedo & C.
C0MP13HA 3HASILEIRA
DE
PAQUETES A VAPOR.
. Dos portos do norte esperado
at o dia 17 do corrente o vapor
Tucantins, commandante o pri-
. meiro lente Pedro Hyppolito
' t'.3* Duarte, o qual depois da demora
do costume seguir pora os Dorios do sul.
Desde j recebem-se passageiros e engaja-se a
carga que o vapor poder conduzir, a qual dever
ser embarrada no dia de sna chegada, encom-
mendas e dinheiro a frete al o da da sahida as
2 horas : agencia ra da Cruz n. 1, escriptorio de
Antogio Luiz de Oliveira Azevedo & C. I
Para o Rio de Janeiro segu
com muita brevidade por ter
prompta a maior parte do car-
regamenio o brigue brasilero
Imperador, o qual recebe o resto
da carga a frete,para o que tra-
ta-se no escriptorio de Amorim Irmaos, ra da
Cruz n. 3. Tambem recebe escravos de passa-
gema tratar com o capitn Joaquim Pinto de Sou-
za Passos, na praca do commercio.
Para a Baha pretende sahir
com muita |brevdade o velelro
lugre Emilia, capilao Bernardi-
no Rodrigues de Almeida, por
ter a maior parte da carga tra-
tada, e para o resto que Ihes
falla trata-se com o consignatario Joaquim Jos
Gongalves Beltrao, na ra do Vgario n. 17, pri-
meiro andar.
i pof couM dff dfTersa pewsj
' amizad* do i mobilia de amarello, 1 guarda lou
ca, 1 carteira e moxo, 1 secretaria, 1 unjua elMii
ca, 1 guarda roupa, 1 commoda, 1 lavatorio, 1 ma
china de costura, 2 aparadores, 1 nma franceza, 1
j realejo, 2 sofaes usados e outros muios objectos
, que esta rao patntenles no acto do leilao.
Leilo de calcados.
Quarta-feira 12 pe julho.
O agente Pinto far leilao por conta e riseo de
quem pertenoer de urna caixa com borzeguins de
phaniasia para senhoras e sapatoi de trauc> para
homens e senboras, as lt horas do dia aciaia, no
armazem da ra da Cadeia n. 62.
rszoaveis.
Prvido*
Ha ueste vasto armazem neo objecin eom br.lfcmte*, como botoes, a
bera assim, diversas obras de ouro, como traneeHns, correnloes, oculos, face-mams, anoe e'mu;
^^ Feim semanal
de machinas appropriadas satisfar
compremptMao qualquer pedido de tintas moidas I outros artigos, relogios de ouro, inglezes," do afamado rVbVicaote^lieaDe : tomate* MfiMl d"-
a oleo, cuja qualidadee pureza de seus ingredien- zendas linas e modernas-, miudezas, perfumes, perfumaras linas dos primipae, f.ibncanfc >ocl-nBC
tes poder* ser examinada pelo consumidor, o que! francezes, como L. T. PIVEB, Lubio, L. Legrand, Ed. Pioaud ^ Mryer, lielfttrez (Parfumari da
nao fcil fazer com aquellas que sao importadas, mond lgant), VkK Sociel Hygleuique, Monpelas, Mailly, Regnier, P. GueUnd i inuiexas di
e Tem grande collecco de vidros de dlrlerentef I ricas pegas de crvsial lino como anda nao appareceram nesla cidade, e bem aiim modernos lu-tres
formatos, desda urna oitava at dezeseis on?as de para velas, ditos para gaz e+iara petrleo, serpentinas, casti.aes, entalles e adornos tara cima ia^Z
rapacidade ; de vidros para vidracas e diamantes solos e para grande toilette,o que se tem feito de mais elegante em Paris em Londres Ihrmn
para corla-los; de pinceispara fingir madfeira com etc. ; modernos apparelhos de metal fino inglez para cha caf, os atan nada lem d^ infwor a wam
propnedade e outros; de papis dourados e pra- e muilas outras pegas do mesmo metal, ricos piules de tartaruga da oltima moda ptra trancas d- sa-
leados e tal has de gelatina para ornamento; de nhoras, excelleules luvas de pellica do afamado Jouvio, apparelhos de porcellana tina para cha e rato
papel grande e pequeo frmalo de varias cores dilospara jamar e immensos artigos fe porcalana liua donrada, como r.ros vasos para florr* ligor*
para emlirulho, para tarro de casa, para desenho etc.; calgade dos priucipaes fabncautes de Paris e ditos de panno com sola .i borracha, pau* a'
para se liH-ar na roa, Atoe
ilos m|ruinenlos d- phy>i-
com fundo ja feito; de papel albununado e Brisiul, eelebres rabricantes Pleyel, Wolf Si C, realejos modernos do Gavioli & C,
verdadeiro saxe para photographia e para filtrar, com figuras para saldes e ditos com figuras em tnoviineuto ; modernos e bon...
DetraslPSnftVOS C Usados OhPctOS de LSS.;,rrn'fe-8deeSSerC,"para ,|Uadros'de (mgica) para thealros ou sal oes, ditos de phantasmagoria ; lauternas BWfbia, r^muraraa, c
uc uabies II*OS eUddOs, U.iJtUtis ue espirito para madeira, copal para o interior e ex- vistas novas, da e noile; stereocopo de nova luveocioffcooi bello sortunentu de TOtaa das pnociu
ouro e prat*, charutos, relogios
e miiitos ohjeetos*
Quarta-feira i2 do corrente as tt horas.
NO GRANDE ARMAZEM DO AGENTE
OLYMPIO
C-Rua la cadeia do
teiior
Leilao.
De Hv-os dedireito e lit'eitora.
Quinta-fei a 15 to corrente as 10 horas.
NO GltANDE ARMAZEM DE LE LOES
1)0 AGENTE
OLYMPIO
3(i--Rna da Cadeia do Reclfe--3G
Leilo de cauro de lustre tiu duzas.
Quarta feira 12 de julho.
*o aruiaxem da rna da Cadeia
n. 62.
Por intervencao do ageole Pinto.
. Leilao
Da parte de uuiu cum ua Parahiba a
ra das Couvcitilas n 15, era que
existe un cstaliclcciment, alaguis
da mcsiiia cerca de 2 a 3 anuos. *
2 casas terreas de taipa a beii-a da es-
trada do Giqui.
Sexta-feira 1 i do corrente as 11 horas.
- Cordeiro Siuies
antorisado pelo liquidatario da casa commercial
de Amonio Joaquim de Mello, levara' novamente a
leilao os predios e aluiiueis cima descriptOS, cu-
jo leilao ser elfe'ciuado no da e hora cima men-
cionado no armazem do referido agente a ra da
Cruz n. 57.
aaa*
oleo graxo, oleo seccalivo, oleo de linhaga cidades da Europa ; grande, sortnm-nlo di urmqu.;dJs linus p cranea^, e"boaJnT bado oioa?
claruicado, oleo de toiele, secativo de Harlim, ouro mami ; grande sorlimento de caudieiros a az os que e lem feito de mais elrguui* e que tea aw--*
verdadeiro em p ; prata, euro, e estanho em fo- cido toda a aceitarlo na Europa, grande a Btagiiilqp soriiinentu de eaiiiakv, ce.-tinl,..> ? Mr** Kaiia-
inas de varias cores ; tintas vegetaes, inolTens- lerias taitas do criaa e seda, proprios para presenten; grande nriiaauate de esumpa^ lina- r^ori-ia*
vas propnas para contaitarias ; la de cores, e cerno fundo preto e de outras de todos os >aotos, dita, c un figuras e ditas rom tu i iranaaaaa taal
olhos Ue vidros para imagens ; tintas em tubos e cosmoramas, finos e bem raduados vidros para c isiimrainu, un I.; l> cliaf m d- rrv'u!
telas para retratos ; tintas em pastis e em p pa- para mel de mesa de janear ou para jardka ; entelara Una, romo lalberes cota rafeu d^ aactal m
ra aquarella ; essencia de rosa superfina, de ne-; colheres, tlu-souras linas, ditas modernas para ltame.-, uavalnas fina-, canivet- s e oatros rer-
;roly,jasmnn,bergamota, aspice, patchouly, mbar, sos artigo^ feiio de rame; completo sortiraenW do mascaras de vallado, i -lin, rra. ca|*ioi- arar.se,
aniaahn-, lava-
reiraius : j-
jectos que s com a vista poderao ser mostrados, j para quem"taz po-de-l, bolinhos, etc.; belio's ^riinad ,s'arrendados",'lentas/ "JiTcarD^'J^'i
Joo Pedro das Neves, pannos para cobrir mesas, boleas grandes e pequeas para viagens, e otrmsj artiei n :re*
____________________erente-_____ I >alas, etc. ; soriiineiilo de VlOlOes linos; figuras linas e jarros de alabastro ;' g|i(L.; u ntr ; as*
O escrivao da fazenda mudou seu cartorio'decnaro Para toilette ; machinas para varre- u ch.io, exc--llentes machinas para aJaMapaal I V ra
para a ra do Imperador n. 35. ,Iirar retratos, grandes e pequeos ; lindos baldes de papel lino transparent e lanternas rotan
"^"oTFa'ixo ass'iBna"rf._ex-r^i7H'im^r7"'j1^-' lllumin:,C5es a '"oda de Par", salva vida de Sirracrn, para homeos e senhoras, arafrtos aata .utaa
quim Man ho da Cru f ro*ea ed^ao mmj' T* ^0b0S eD? ,n,res r,,D,1os ; ameMS nom em **"<. ^'^ '""- -
So? como elle annim-u a sua desne d? n ne gle" 97 ; CerVea el" l':in'""as da8 M"*m* ,! " O" L'""lres, qneijos, ele, e mu.los .....ru- ai
'ftS 'o favor d de I. a ao publico,uEo mUi iUC-Para en^^a-los sena um nanea acabar, e todos se vende, barato e muito 1,
j ~ # * ..'*, *---------------"O- .w.v >> ) i.viupibiu >-v;iiiiiibMi ui/ ui(i.-i.uiai UC C;iH'IO, ,'i H ,H. I C| ,i l' 11*^
Iteeife--3t U,,ue ao. taaraiva.melissa, orteiaapimenta, doces contaitados e chocolate em caixinhas ee:n vidrus ; camas de tarro do loitos lama
-----------------louro cereja, alfazema, juinpero, Portugal, lima, torios, ele.; ricos quadros. para carles Je visitas e ditos grand< a aMOrnos para nana
ans da Kussia, canella, cravo e muitos outros ob- de sol, bengalas, chicotes Utos para carros; machinas para fazer caf, dita oara bat-r ov
IPrttW (1lli> 5A *rrii Q if ictl nn/iir-iA car mnlrirtnc mam mm*m !> ! J* II L.U.L.. -- * _a.-_ ... .____ .... *
ALISOS MlBMt.
AOS 6:000;?000.
T
nERI
A
i
DGS
Lisboa pela llli.i deS. Iliguel.
Voluntarios dx patria.
O tliesoureiro das loteras, abaixo assijj-
vos que a isso deu logar.
Recita, 10 de julho de 1865.
____________Silvestre Correa de Carvalho.
Luiz Antonio da Silva, por seu procurador
nesta cidade, faz publico que nada deve a pessoa
alguma, porm se alguem se julgar seu credor,
apresente-se na tramas das Cru/.es n 16, esquina
que vclta para o qnarlel de polica, islo no nraso
de tres dias, lindo os quaes o annunciante nao se
respjnsabilisa por qualquur debito quo appare^a.
GUIADO.
yn roa da Midre de Dos n. 36, prlmeiro an-
dar, precisase de um criado que d conheeimerjlo
de sua conducta.
niazem da Exoosigao de Londres, na ra da adeu do lecife ti CO.
DINHEIRO FRANCEZ.
Aenieni-so moedat de ourg r- notas do fi.inco, e bem assim nmi r-dleceo t mil francos : veade-se borato no Recita, rea da Cyd' ia n. 60, no arm. z>. ni c E\|.o-ic.i.. a> !. i
EMPBEZA
c
K ~~
Tara romplita lii|uidac,rio ve:)|,;-.', por nuilo menos de sen va>r. acrfaaaamj n,: i a\M e
novas, chafadan receniememe de Parw e du Londres dos nuis ataotado Un...;... . v.ng
Runmel, R> Matneo* & C. Lubin, Soeiedade Hyglenlea, Piver, VWel, L kWrand, Deletrtt. P aan 1 Jt
Me\er, Regnerc, Maill), ilicl ir. i. i ic, etc.. .1...S quaes ha^'iande .-oi-iiiiiniio d'agiw uc r. i rm
vidros e garrafas, agua d.- lavande, aua para llmpar denles, oleo bal,o>a, exirac|..s em garr
vidros de difT r n!"S modelos, pos jara limpi.r dente.*, banJu ;: i ; e iin Jro : .-. re
caixinhas ebalainhos enm perfumaras para tazer presantes, e minios outros artiga ijue sa asaa per
menos de sen valor, bem como todos os artigos em geral existentes no grande arm-zeui da Eipo-Mea
ruaC a Loiid'nare'seddeia do itecife n. 60.
DE
ILLUMINACAO A GAZ
Armazem n. 31, ra do Imperador.
Para mais regulandade do servico tem a empre-
za resolvulo to somenle vender os apparelhos,
etc., deixando que os-rs. consumidores chamen)
os machi os tas que mais Ihes agradaren), podendo
os nomes, morada, etc., de todos ellos serem indi-
cados no armazem da empreza.
As reclamacoes por m luz das casas, cujos ap-1 Ricos e modernos pentes de tartaruga para tranca de senhora, o que se lem taito de ma
parelhos honverem sido colocados anleriormente gante al o prsenle : veade-w por menos de sen valor para se liquidar, no grande armazem da
a este aviso, serao altendidos pela empreza; outros p0sicao de Londres, ra da Cadeia do llecita n 60
quaesquer, nao.
Para senhoras.
ele-
Eft>
Pi-etemle salnr em poucos das a barca nad()) tem oprazerde annunciar ao respe!-
Mana recebe carga e passageiros para lavc| publico# que tem exposlo a venda os
estes dous portos a tratar cora os consig- bi|heteS) meios e (luarlS da prmcjra parte
ltanos Larvalho & Nogueira, ra do Apol- da loteria em beneficio das familias dos vo-
l n. 20 ou com o capito na praca.
Para o Porto.
Sohe com a possivel presteza o brgue portuez
guez Uniao : para carga e passageiros trrla-se
com o consignatario Thomaz d'Aquino Eonseca;
ra do Vigarlo n. 19, Io andar.
.FltETA-SE
para os portos do sul e para os do Rio da Prata o
brigue nacional Sn/iy : a tratar na ra do Trapiche
numero i.
' fJ
k Si

De movis, obras de prla, louca, crys-
laes e livros.
Como sejam
Pela thesonraria provincial se faz publico,
qno a arrematado da olira do quartel da villa de I
Serinhem, tal transferida para o da 20 de julho Urna solida mobilia de jaca'rand com 1 sof, 2
prximo vindouro. cadeiras de braco, 1 mesa oval, 2 consolos com
Secretaria da thesonraria provincial de Pernam- lampos de pedra, 18 cadeiras de guarnicao, toilet
buco 28 do junho de 1865.O secretario, com lampo de pedra e espelho, 2 cadeiras de ba-
A. F. d'Annunciago. lanco, 1 costureira, 1 excellente cama franceza, tu-
-----=-----------------------------------------------ido de Jacaranda.
Sexta-retra I do corrente fmda a audiencia i rcos quadros com finas gravaras, bonitas figu-
diSr. Dr.juizde orphaos se hao de arrematar ras para ornato de mesa, linos jarros, 1 tapete, 2
por venia, por ser a ulliina praga, as casas per- escarradeiras. 2 descancos de ps.
tnsenles ao espolio d Boato Amaro Jos Gomes,! urna excelienie mesa elstica de amarello, 1
asquea sao assegojntes: una casa de taipa sita sof, 2 cadeiras de bracos, 18 ditas de guarnicao,
Irnpenaln 190, avaliatli ,>m 3005, urna 2 ditasde blanco, 1 rico aparador envidracado,
dita de pedra e, cal eooUgua a mesma sem Trente ludo de amarello, 1 guarda vestido de raogno e
ra de palha da comieira pan a frente por uma excellente machina de costura.
So '3. i-Jira dita em segaimeato no mesmo estado Vm mrelt]0 para cha, 1 dito de porcelana para
p [ J,05,'utra dita na na do Rom basto por de- jantor,* garrafas, 2 compoteiras, 6 clices, 12 co-
az da matriz dos Afogados anda por acabar por ; po5 e j (l0rla nueijo ludo de crvla|.
-" '^W- 26 colheres de prata para cha e soupa e diver-
sos livros.
(orreifl serat. IIOJE.
Pela a lministr.icao do correo desla cidade se faz Ra da Cadeia armazem numero 62.
publico, que, era virtud.; da convencao postal cele-; O agente Piolo autorisado por um estrangeiro
lirada pelos .)vernos brasileiro e francez, serao ex-! que retira-se para Europa, far leilj dos objectos
I is malas para Europa no dia 13 do corrente cima mencionados e existentes no armazem da
.a i pelo vapor inglez Onmhi. \ ra da Cadeia o. 62. On ie se effecluara' o leilao
As cartas serao recebida* al 3 horas antes as 10 horas do da cima dito, os objectos poderao
que tar marcada para a sabida do vanor ; e os serem examiuados no dia e vespera do leilo.
raa*s at i horas antes.
lunlariosdn patria desta provincia, ijue se
acham no llieatro da guerra, bem huma-
nitaria a concessao desta loteria, e o pov
pernambucano se acba tao entlmsiasmado
em prol de to justa causa, que o mesmo
abaixo assignado escusa rejommendar a
prompta concurrencia aos referidos bilhetes.
0 andamento das rodas sabbado i Ti do
corrente, no consistorio da greja do Rosa-
rio de S. Antonio
A distribuido das listas e os pagamentos
dos dremios seo feitos com a promplidao
do costume.
O thesoureiro,
Antonio Jos Rodrigues de Souza
O Sr. Arsenio Antonio Carneiro da
Cunha Miranda queira dirigir-se a praca da
Independencia n. G e 8, que se precisa
fallar.
Joaquim Pinto da Rocha, subdito portuguez
rolira-se para fra do imperio.
Dpvid Flach, prussiano, retira-se da pro-
vincia.
Jos Pereira da Cunha val a Portugal, levan-
do em sna companhia tres netos menores.
Dr. F. Schuliz vai fazer
ropa.
uma viagem a En-
%


da
i "
Admnisiraco do correio de Pernambuco 10 de
Je I86-.
O adminislrador,
Domingos dos Passos Miranda.
DE
LELAO
EMPREZA-CODIBRA
Quarta-feira 12 de julho de
1865.
Concert em beuelicia do joven pianista brasileiro
I1E!'.HE.\EGIMUI LICCOR!.
Repcesentar-se-ha a sempre applaudida comedia
em tres actos, original brasileiro, do Sr. Dr. Ma-
De um grande realejo que toca 30 pe ellas bymnos, ianceiros, quadrilhas, schoiz, polkas
etc. ao Mira do qual se pode dansar, com 8 [guras
tocando differentes instrumentos.
Uma excellente e perfeita machina de coser, 1
commoda, 1 secretaria, 1 santuario, mesas, cadei-
ras e
UM PIANO.
jTIOJE.
Por intervengo do agente Piuto, no armazem
da rna da Cadeia n... onde havera' anteriormen-
te outro leilao de movis, louca e cryslaes.
ced i
C
iv.ill s'
PHIMEIRA PAPTS.
Primeiro acto da comedia.
SEOl'XDA PARTE.
Grande capricho de concert sobre motivos da
Tratiata (do maestro I. Archer) executado pelo
bcueliciado.
TERCEIRA 'PARTE.
Segundo acto da comedia.
LEILAO
De um adereco de bi-ilhantes, um fa-
queirode prata do Porto e oulros
objectos de uro prata.
iioji;
Terca-feira 11 do correte as 11 horas.
No armazem da ra da Cadeia do Recife
numero 62.
O agente Pinto vender era leilao um adereco de
ouro com 26 brilhantese diversas perolas (obra
de gosto) i faqueiro de prata de lei e outros ob-
jectos de ouro e prata. ^_____________
GASA DA FORT
Aos 6:000$000.
Dilhetes garantidos.
A beneficio das familias dos
briosos voluntarios da
patria.
A' RA DO CRESPO X. 23 E CASAS DO COSTUME
Oabaixo-issignadovendeu nos seus rauitofeli
zes bilhetes garantidos da lotera que se acabou
de extrahir, a beneficio d^ matriz de S. Pedro
Manyr de Olinda, os segrales premios :
Um raeio n. 332 com a son de 6:0005000.
ous quartos n 121 com a sorte de 1;2005000.
Dous quarlos n. 2798 com a sorte de 400,5000.
E outras muitas sorles de 100, 40, 20$ e
toaooo.
Ospossuidores podem virreceber seus respec-
tivos premios sernos descontosdas leisnaCasa
da Fortuna ra do Crespo n. 23.
Acham-se a venda os da 1" parte da loteria
(23*) beneficio das frmilias dos voluntarios da
patria, que se extrahir sabbado 15 do corrente.
PREGO.
Bilhetes.....700t
Meios......35300
Quartos.....1*900
Para as pessoas que compraren) del00000
para cima.
Bilhetes.....65500
Meios......35750
Quartos.....15700
Manoel Martins Fiza.
LEILAO
De obras de ouro com brilhantes, 1 mesa redon-
da toda de raarraore, 2 pares de jarros tambem
de marmore, espelhos grandes e pequeos, 2 re-
logios de cima de masa e uma burra de ferro.
Semana lustrada do Rio de Janetro
Assigna-se na roa do Crespo n. 4; tres mezes
65, seis mezes 115, um anno 1&5
Precisase de uma escrava para todo o sei-
vico de uma casa de familia : quem tiver annun-
cie, ou dirija-se a ra de Santa Rita n. I.
Precisase de um caixeiro para taberna qne
tenha pratica deste negocio e que d fiador a sua
conducta : a tratar na ra Imperial n. 37.
ISa ra do Queimado n. 5 precisa-se alugar
uma preta para comprar e cozinhar.
N*tas do banco do Brasil e das caixas fihaes,
descontm-se na praca da Independencia n. 22.
A empreza espera que esta medida ser devida-
menle apreciada pelos senhores consumidores, ten-
dente como a tornar este servico mais econmi-
co ; visto quo ella vender todo, apenas com um ;
lucro tal, que cubra as despeas inevitaveis, e que
dentre os machinsias poder ser escolhido aquel-
le que mais garanta olcreca.
Ama
Xa rna Nova n. 37, primeiro andar, precisa-se
de urna ama que saina cozinhar e engommar. para
casa de pouca familia, pretare-sc escrava.
Xa praca da Independencia n. 33, loja de ouri
ves, compra-se ouro, prata, pedras preciosas e
tambem se f.*z. qoaJsjner obras de ecommenda e
odo e qnalqner onceno.
Precisa-se fallar com o Sr. Jos de Souza
Oio a negocio que nSo ignora : na ra Xova n.
20, loja do Carneiro Vianna.
Th A. Dammeyer deixa durante a sua au-
ssucia pur seus procuradores em Io lugar o Sr.
Adolpho Curio, em 2o o Sr. Man Hamburger, e em
3o o Sr. Th. Just.
Luvas novas de Jouvin.
Vendem-se excellentes luvas de pellica recentemeole chafadas de Paris, tanto para bomem ro-
mo para senhora, por menos de seu valor, para se liquidar ; no grande armazem da E*poirio .e !..n-
dres, na ra da Cadeia do Recita n 60.
J
I
Precisa-se de um preto ou prela captiva para
vender na ra com um taboleiro, paga-se bem : a '
tratar na ra da Senzala nova n. 39, taberna da
esquina.
Alugiicl Aluga se uma escrava morja para servigo inter-
no de casa de familia, a qual cose, cozinha e en-
gomma : quem pretender dirija-se em Santo Ama-
ro, sobrado junto ao cemiterio ioglez.
Alujta-sc
a casa terrea da Ilha do Retiro (Passagem da Mag-
dalena) onde morn o corrector Macedo, com bons
commodos para familia: trata-se no lago do
Corpo Santo n. 19, escriptorio.
LC0H0LAD0 de GUACO
de N. i? AS GAL
Xa ra do Cabuga n. "3,
para se alugar uma escrava.
.-egundo andar, ha
Aluga-sc
Aguas Verdes:
a parte da casa i:. 92 da ra das
a tratar na mesma.
O Alcoholado de Guaco de Pascal uma nova preparaco da qual
basta mencionar suas propriedades para apprcciar sua importancia.
Em primeiro lugar um preservativo inalivel do contagio cenerio (ver
folheto para o modo de o impregar).
2o Tem a vantagem de ser o remedio mais certo e mais agradavcl para
as molestias syphiliticas de toda a especie, ulcc,rac5es primitivas e secun-
darias, ec. '
3 Empregado em injeccOes, o melhor tratamento dos corrimientos
recentes ou chronicos as pessoas dos dous sexos e da leucorrhea MU
mulheres. I
4o Emfim como antidoto dos virus, soberano na cura das chagat e fe-
riaos de m tudureza, chagas gangrenosas, darlros, ulceras das pernas,
ophtalmia purulenta, ou blenhorragica, mordeduras e picadas de ani-
maes venenosos, ec.
Este especifico vegetal, izenlo de toda a ac?So mortfera, foi experimen-
tado nos hospitaes de Paris, Lyon, Marcelha, ec, e recebeu a approvae5r>
dos distinctos doutores Ricord, Bauchet, A. Richard, Calvo, Didav.
Melchior Robert, Costilhes, Berenger, ec.
Deposito geral em Paris, botica de CHEVRIER, 21, ru du Faubourg-
Montmartre.Casa de expedidlo, PASCAL e C, 33, ra Monsicur-le-
Prince. Paris.
Xa na de S. Francisco ou Mundo Xovo n. 54, ]
quer-se uma ama para comprar e cozinhar.
Na padaria da Torre precisa-se de um
portuguez para feilor de ca po.
Aiugam-se dous grandes sobrados cbm com
modos para numerosa familia, n.ovos e aceiados
com jardim, cocheira, estribara e outras conimo-
didades, na travessa de Joao Fernandos Vieira :
a tratar na ra da Senzala Xova n. 42.
Offerece-se tima mulher para ama de
casa dehomem solteiro ou de pouca familia, i
a qual lava e engomma: a tratar na rita Au-
gusta n. 94.
Joo Siiverio de Souza, seus manos e cu-
nhado Gamillo Pinto de Lemos, cordialmeote
agradecem a todas as pessoas, que se digna
ram assistir as exequias de seu presado pai
e sogro Joaquim Siiverio de Souza, de novo
convidan) aos seus prenles, amigos e do fi-
nado para assistirem a missa do stimo dia,
que ha de celebrar-se na capella do cemite
rio publico terga-taira II do corrente pelas
7 horas da manha, confessando desde j
nossas eternas gratidoes.
ASTHME
ASTHMA ASTHMA ASTHMA
SUFFOCgO NERVOSA E OPPRESSlO
Unico remedio efficaz para combattir estas molestias, acalmar nm attaqoe d'asma e impedir a
volta o Xarpe aromtico de Succino (mbar amarello) do D' Danet. Descoberta inteiramenle
recente, este novo producto se tem propagado com extrema rapidez gracas aos admiraveis resal-
tados que tem sempre produzido.
Deposito geral, na botica Chauveaud, 51, rna do Comercio, Paris-GreneUe, e em todas aa
boticas de Tranca e do estrangeiro.
ztmmwamwtBsmMummmmmBaMWB

-
A 95650 pagam-se libras sterlinas : na tra-
vessa das Cruzes n. 8, taberna.
Aluga-se uma sala as ras priucipaes de
Sanio Antonio ou (loa.Vista : annunciando-se para
ser procurada.
Caixeiro.
Precisa-se de um menino para caixeiro de ta-
berna : a traiar na ra Nova n. 53 ou na praca da
Independencia n. 3i.
Sarnas jjde Ierro.
Grande sortimento das melhores que ha no mer-
cado : na ra Nova n.. 33.
Aluga-se uma rasa terrea n. 92 na ra Au'
gusta com 6 quartos, 2 salas, quintal, cacimba e
ponao para a ra do Alecrim : na roa do Vicario
n. 20.
Alguns amigos do finado Antonio Carlos
Collin, mandan) celebrar uma missa pelo
seu eterno repouso no dia quarta-feira 12 do
corrente, peLs 7 horas da manha, na igreja
da Madre de Dos; e convidan) quelles
que tocados do sentimento religioso quize-
rem assistir a este acto solemne, de compa-
recerem.
Recita, 8 de julho de 1865.
Quem se julgar credor da firma de Maga-
Ih3es Bastos t C., tenha a bondade de apresentar
a sua conta na ra Xova n. 10. ______
Qnem precisar de um pequeo portuguez,
de idade de 12annos, bastante desembarazado pa-
ra qualquer armmacao nesta cidade, dirija-se i0
caes 22 de Xovembro n. 24, armazem de mate-
riaes
KARiTliOS
4 tenva.
Uma pessoa competentemente habilitada pro-
pSe-se a ensinar primeiras letras, lingua nacional,
msica e piano, tara desta cidade, preferindose
para tara desla provincia : na ra do Imperadir
n. 8, cartorio do tabellio Porto Carreiro, se dir
quem .
Aluga-se um mulattnho de 13 annos que tem
pratica de servico de casa, muito fiel: na ra do
Imperador n. 50, terceiro andar.
- Na padaria da Torre precisa-se de um j L.-Are~15nT pequeo armazem na ra ta
an.asador e que tenha pratica de vender paZi pr,iprio para qualquer esiabeiecimenio em
p3o. I pouto pequeuo : a tratar uo pateo de S. Pedro n. i.
CONTRA FOGO.
A Companhia Indemnisam
eslahrlei'i'Va arata prafa.tosaa .-iiu.n- :i,. sobre navi >s eseus carr< :.nn 'nt>>s > -.ta ')fu -ra
edificios, mercaduras e mol iliis: 0" seo e*criii>
rio, rna do Vigario n. 4. pavimento t-rrei>.
Alnta-seonu ama para rasa d<- puoca bm-
lia : na roa Direila n. 18.___________________
Ou tuda ou nada.
Ou sorius apivmh/rs.
Perguiila se a razo pertjM tim -m havido
nem ao maoa ha no dia d Raai i S;'n!x)ra ti*
Carmo, como era do BMipa cc-iiim.-. p.irii.ta n#'
esplendida si cii-di'ln (por itcnuo e |u>r tora m-s-
tre de danca, sobre o marmor-) deoon.in,"l i ;t
ereio da Velhice.
Diro os aprendizesdo mei,
Vmc. que se Ih'impoua,
Com as minhas quehradatra'.
Que acnmpanha-me ale o Tirlest
Rependid.i rstou desta vez,
Xio ter asamos 11 reta |
Para a compra das cadeiras
Que prtes.i o MagaUA .
O voiunlarto ila pmtrm.
Yogo do ar.
Xo armazem da bola amart-ila ao il*>a i
laria da polica, receben se en^ommenla* d-f' >
do ar para dentro e fora da proiacia._
Quem tiver comas cm o Dr. F. Srhnlti juv..
ra euter-der-se a respeito na ra da Cruz n. i.



Diario de Pernambnco ... rerea tira 11 de fulho de 19tt&.
D'IODUREFO DUPLO
de fERROijQUININA
MEDICAMENTOS FRANCEZES AFAMADOS
A VEHDA E9l PERtf A19IBITCO
Ein casa dos Srs. Caors e Barboza, ra da Cruz p. 22.
Os elementos que compoem esla preparacao. o
ferro, o iodo c a quina, a collocflo no primeiro
grao das preparados ferruginosas. Hasta altcslar
scus Pcsullados obtidos pelos Mdicos dos hospi-
laes, e os relatnos dos prticos mais eminentes
que confirmrao sua poderosa efticacia as se
guintes affeccocs:
Mlnsoit no ftun^nc,
Fritiiiurr.jt.
.Aiuinit.
ChlorOHC ni Irlci'li'lii.
MenMtruo,
Attei'foen do tero,
-Sn|i,.i tumic du* rc-
ani* c ili-Minlen na
nienutruaciio,
Affrecit pulmonar r
putb laica,
MoIrMtlaad IMl GaatralKlaa,
rcnla d'appelltc,!<- ,
Convalciioeiirufif Ion
Rll* IIIOlCHlllia,
MOleMtlUH OSClOflllo-
aun,
Papi'lro,
ObMrurro du* gtan-
diilaa,
Uumorra l'i-los,
Tumores liruuroN.
ItarliKlsr.io.
Affeccoc citnrrronn*
r Myphllltlciifi,
FebrcN (yplioiilea,
Bexl|ui>, ole, ele.
Vcjio-st os bulletins de therapeutica medica
e cinirgica de 30 de novembre 1X60; a Caseta
dos hospititcs de 28 dejullio 186', ote, ote.
Alcm das pitillas de lodurelo duplo 'le faroc d,
quinina de Rebillon, o~ .Medios aconsclko
igualmente o Xarope cTiodureto duplo de
ferro de quinina do ucsnio atilhor para as
pessoas que nao goslio de medicamentos sob for J
na pilular c os meninos. F.stc xarope nao te
como o xa ropo d'i olu re to de ferro, o inconveniente
de altcrar-se c de se nao poder conservar.
Peca-se o follieto que se di de graca em casa
dos pharniaceulicos depositarios.
Para se evitaren) falsifica-oes, exija o com-
prador em cada Irasco de Pillas ou Xarope a as-
signatura do inventor.
Depsito gcral em Pars, pharmacia ebillon,
il- me du Rae, c em todas as boas pliarmacias
de Franca c as dos paizes tstrangeiros. etc.
r
PASTILHA5IJ
iESTIYAslHHI
DE WASMAN
Durrltcn c a conntl-
puriio proiliixlilnN
|ii'l i' clalirniiri't'*
el eft-1 tu nMift do ni I-
iiu-nto.
As pusltlhas (Tiifcstivas cun a pepsina de
Waunan, cniprcgo se com successo lid j.1
alguns annos pelas celebridades medicacs de
Caris. Lomlres. Vienna, etc., cni todas as in-
commodidades em as quaesadigestao 6 dillicil,
penosa, imperfeia ou inesmo impossivel: eis
o mclhor rewdio para cura! as.
r>uHli*iil|l;ia,
I>11c|nii*,
Eatoaracuii utalilf
A (taafrtlr,
Aa iilt-ccofH orgucil-
ms do eMom.iuo,
Sua aceito vivifica o sanguc c os rgaos de
tal sortc que, alhc as pessoas <|uc sem sollivr
as affeccocs gstricas cima mencionadas sao
imita i'enie Tracas ou d'um temperamento um
pouco dbil, c necessilao substancial alimento
para forlilicar-sc, achao no omprgo das paslil-
lias de pepsina de U asman,um poderoso rock)
para a isso chegar.
Aviso imp.nlu^*.Osuccessodas paslilhas
(i pepsina de Wasmancu causa a se fazcrcui
(afsifieac5es e imilacocs uVessc producto que os
eDHllOS se quereni dqptzcr. I'uis por falta
d'uma boa preparacao a pepsina que n'ella
entra, jaz alterada. Seremos ao abrigo d'estc
inconveniente, cxigindo os compradores que as
pastilhas lenbSo as iuiciacs B. P. c saio da
pharmacia Chevrier.
Depsito gcral em l'aris, pharmacia Chevrier,
21, Faubourg-Montniarlrc, e em todas as boas
pliarmacias de Franca c tos paizes eslr.ingeiros.
DOENGAS
dos MENINOS
COI ADAS PELOS
XARGPES DC
V 2. Contra a
DOUTOR DANET
1. Contra aa Cir.ICAS DOS Mi:\l\os miles
durante n ilcullca*
(Xarope de oynogl osse e de acido succinido)
TOSSE CONVULSA
>LDVOSA
e a tosse
i e de leo voltil de succino]
(Xarope de cynogloss
V 3. Contra un convii.CES DOS MEMXOs
cuonA
(Xarope de cynogloss e de acido voltil de succino;
Estes novos productos preconizados na Aca-
demia imperial de Medicina de tari sao cm-
pivgados com grandsimo successo pelos mdicos
de Franca para o tralamento das molestias do-
meninos cima indicadas, e vicrao cnclicr um
vacuo importante na therapeutica, no que toca as
aflecedes da infancia, para as quacs, albo boje,
aiuda se nao pode indicar tralamento racionnal-
ni'ii! iufallivel.
(Peca-so o prospecto cm casa dos pharmaccn,
ticos depositarios.)
Preco do frasco cm Paris, 3 (r.
Para se evitaren) as falsilicacoes. exija o com-
prador ipic cada frasco tcnba sobre os rtulos a
assignainra CJianteuucl.
Depsito geral em l'aris, pharmacia Chan-
teaud e em todas as boas pliarmacias de Francr
e dos paizes cslrangeiros.
MASSA e XAROPE
DF. CODENA
DI
BERTH
As experiencias clnicas e comparativas
dos Snrs Magcndie, Barbier d'Amens, Wil-
liams Grcgor, Martin Soln, Aran, Viga,
C. Dumont, etc., membros do Instituto de
Franca, mdicos dos bospilacs de Paris, tem
provado que a Massa e Xarope de Bertli
o remedio o mais seguro contra todas as
dores nervosas c tendo a propriedade de
calmarcom admiravel rapidez as tosses rebel-
des e extremamente fatigantes da grippc (ca-
tarrho epidmico dcfiuxo, coqueluche ou
tosse convulsa, bronchitc e tsica pulmonar.
A Massa e Xarope de Berth, se
achao cm todas as boticas.
Para evitar qualquer
alsificaco,exigir eme
cada produlo o nomc
c a firma Iicrth.
Deposito gcral cm l'aris, cm casa de MENIER,
ilua Sle-Cruixde-la-Bretinuerie.
Os granulos de bismuth de Chevrier cm supe-
riores a todas as outras preparacocs de bismuth
einpregadas antes com o maier successo pelos m-
dicos de todos os paizes, para prevenir e curar as
MM dlgCHlOC,
(fastrltCH,
1. .i -I ni I i;ias etc.,
fliiirlicas rhroulcuM,
llyMHentcrlaS,
lloren d'eKtomgo,
IljHpepHlaH,
TSSSt ^"' TD^rrabcea, Deptd gcralem Pars, pharmacia Chevrier,
paipitaeuo do corueo I i 11iucuc de beziga e c m todas as pliarmacias ae t ranea e dos paizes
Dores uom rlnw, | da matrls, etc. CStrangeirOS.
Pelas commissoes em grosso, dirigirse aos S'" WILLAERT e BERGER. comisarios em drogara, 11, ra Saint-Lazare, Paris.
ASTHMA ASTHMA ASTHMA
Suffoeccao nervosa e Oppreso
nico remedio cfficaz para combatler estas mo-
lestias, acalmar um atiaque d'asma e impedir a
volta c o Xarope aromtico de Succino (mbar
amarcllo) do D1 Danet. Dcscobcrta nlciramcnle
recente, este novo producto se tem propagado
com extrema rapidez gracas aos admiraves resul-
tados que tem sempre produzido.
Deposito geral, na botica Chauveaud, 54,
ra do Commcrco, Pars-Grcnclle, e em todas as
boticas de Franca e do estrangeiro.
ca
Aluga-se
a casa terrea na iravesst da Bomba n. 10, com 2
salas, 2 quartos, cozioha fra, quintal e cacimba :
a tratar ua ra do Sebo d. 2i.
D-se m rada gratis em um sitio a urna pes-
soa casada, que sirva para botar sentido : a tra-
tar na ra da Imperatru n. 61________^^____
Precisa-se alugar um moleqoe para o sorvico
interno e externo : na ra do Queimado n. 29.
" Perdeu-se ua prari da"Boa-Vista urna, gali-
nha inalteza : quem a tiver adiado, querenclo en-
trega la no segundo andar da casa n. 86, confron-
te a nutriz, se Ihe gratificar. ____
Avia
Precisa se alugar urna tscrava que compre e se-
ja boa cozioheira e eagomme, paga-se bern : na
roa do Queimado n. Precisa se de duas amas, urna cozinhcira e
nutra engoinmadeira : na ra da Cadeia do Hecife
numero 27.
PASTILHAS
VERMFUGAS
{{
COMPRAS.
Compra-se elTectivamente ouro e prata em
obras velhas, pagando-se bem : na ra larga do
Rosario n. 24, loja de ourives.
Silvino Guilherine de Barros compra e ven-
I de effectvanienle escravos de ambos os sexos :
ra do Imperador n. 79, terceiro andar.
Ouro e prata
em obras velhas : compra-se na praca da Inde-
pendencia n. 22, loja de bilbeles.
Compra-se ouro, prata e pedras preciosas,
em obras vdhas : na ra da Cadeia do Hecife,
leja de ourives no arco da Conceicao.
Comprainse libras esterlinas a 9>600, na
pra$a da Independencia n. 22._______________
Compram-se patacSes mexicanos : na prac,a
da Independencia n. 22.
Compram-se libras esterlinas : na ra do
Crespo n. 16, prtmeiro andar. __________
< obre, lalaoe chumbo.
Compra-se cobre, latao e chumbo : no armazem
da bola amarella, no oilao da secretaria je po-
l licia. _______________'____________________
Compra-se urna balanga grande ou um bra^o
Bomao : a tratar no caes da companhia Pernam-
bucana, armazem n. 4, ou na ra Impem^ o. 27
Comprase urna casa terrea em bom estado,
e que seja grande : a tratar na rna da Imperatriz
n. 43, no primeiro andar. __________
Deposito geral em Pernambuco ra da Cruz n. 22 em casa de Caros & Barbosa.
[ O Dr. Cosme de S Pereira conti-
na a residir na ra a Cruz n. 53,
ic e 2o andar, onde pode ser procu-
rado para o exercicio de sua profls-
so medica, e com especialidade
sobre e seguinte
Io molestias de olhos;
de peito :
3o dos orgaos geni-
ti urinarios.
Em scu escriptorio os doentes se-
ro examinados na ordem de suas
entradas comecando o trabalho pe-
los doentes de olhos.
Dar consultas todos os dias das
6 as 10 da manha, menos nos do-
mingos.
Praticar toda e qualquer opera-
cao que julgar conveniente para o
prompto restabeleciraento dos seus g
doentes. j
m
^^^%\^%
de"*"
.H. 55.
DE
J. VIGNES.
RA DO Ili;ii.tliOlt W. 55.
Os pianos destaanliga fabrica sao hoje asss couhecidos para que seja necessario insistir sobre a
sua superioridade, vantufiense garantas queouVrecem aos compradores, qualidades estas incontesta- 9
?kMm mMtmmAik mmm
|jg Coinpanbia fidelidade de seguros
S martimos e terrestres
Sj estabelecida no Rio de Janeiro.
AGENTES EM PEIINAMDCO
H Vnlouio Luii de Oliveira Azevedo k C,
B competentemente autorisados peladirec-
^ loria da companhia de seguros Fidelida-
jf de, tomam seguros de navios, mercado-
gj? rias e predios no seu escriptorio ra da
9 Crtu n. i.
toa casa.
Compra-se urna casa terrea no bairro da Boa-
Vista : a tratar na rua lo Vigario n. 13, primeire
andar, das 9 horas da inanha as 3 da tarde.
Libras esterlinas
assim como qualquer outra especie de ouro amoe-
dado nacional e eslrangeiro ; compra-se com bom
premio : ua roa do Trapiche no hotel de Frar.ca.
VENDAS.
aSJ
- Tendo-.-e perdido em o da 27 de junho pro-
ximo passado do crrente aoao, una letra da
quantia de 1U05, sacada por Manoei Feliciano da
Rocha e aceita por Joaquim Jos Cavalcanti em
data do 30 de maio do me.-mo inno, em occasiao
que Fui remullida a ser sellada : avisa-se, ponan-
o, ao publico, que onde for apparecda ?--ja conside-
rada sem valor algum, ainda mesmo no caso que
a lenbam zeformado com outras Urinas, pois sao
iiiicii bnente falsa=. __________________
Xa niii de Santa Rila n. 13, compra-se
orno e piis e rclojios vcl!io> de todas as qua-
lidades.
fl Joao da Silva Ramos, medico pela Un
i versidadede Coimbra, d consultas em .
| sua casa das 9 s 11 horas da manhaa, e
a das 4 as 6 da tarde. Visita os doentes
Sgpem suas casas regularmente as horas
'M, "'""a b- designadas, salvo os casos ur- i
"-< gentes, que serio soccorridos em qnal- !
quer oceasio. D consultas aos pobres
..* queo prncurarem no hospital Pedro II,
&Q aonde eucontradq_ diariamente das 6
M s 8 horas da manhaa.
gjg; Ttra sea casa de sad. regularmente
B montada para receber qualquer doente,
HJ ainda mesmo os alienados, para o que
| tem commod>s aproprif.dos e nella pra-.
_ y tica qualquer operario cirurgica.
Par a casa de Kttide.
!|v j ffrimeira classe 3jooo diarios,
na] Segunda dita.... 24300 >
la| Terceira dita.... 2^000 >
Este estabelecimento j bem acredi-
1 tado pelos bons servicos que lem pres-
iSi O proprietario espera que elle conti-
I nue a merecer a conflaaca de que sem-
pre tem gozado.
veis que elles tem definitivamente conquistado sobre todos os que lem apparecido nesla praca ; pos-
suindo um teclado e machinismo que obedecen) todas as vontades e caprichos das pianistas, soxn
nunca falhar, por seren fabricados de proposito, e ter-se feito ltimamente melhoramentos importan-
tsimos para o clima deste paiz ; quanto s vous, sao melodiosas e flautadas, e por,isso muito agrada-
veis aos ouvidos dos apreciadores.
Fazem-se conforme as encomniendas, taolo nesta fabrica como na do Sr. Blondel, de Paris, socio
correspondenle de J. Vignes, era cuja capital foram sempre premiados em todas as exposicoes.
No mesmo estabelecimento se achara sempre um explendi Jo e variado sortrmento de msicas dos
Samuel Power Johnston & Companhia
Ruada Vnzala Nova n. 4.
AGENCIA DA
Fundido de Lov Hoor.
Machinas a vapor de 4 e G cavallos.
Moendas e meias moendas para engenho.
0 castello de Grasville.
Traduzido do francez por A. J. C. da Cruz.
Vende-se este bello romance em quati
tomos pelo baratissimo preco de 2J50C
aa praca da Independencia. livraria ns.
6 6 8.
NOVA YORK.
DE COR CHEIRO E SABOR AGRADAYEI8
Iiiliiiilamenie mais eOlcazes do que todos
os mais remedios perigosos e imsiatundos
que existem para a expuIsSo das lombrigas.
Nao causam dores e produzem seu effeito
sem precisar logo depois de purgante ne-
iiluiin e tao incitantes em apparencia e deu-
dosas em gosto, que as crianras esto
promptas a lomar mais do que marca a re-
ceita.
Uteis como um ixcellenle meio de faztr
remover as obstructes do venlre, me>Bo
no caso de ulio existirem verme algn, as
PASTILHAS VKRMIFIGAS DE KKMPS .30 prf Bp-
tas e infalliveis na sua operafo e por todos
os respeitos dignas de cenfianca e approva-
co de todos os paes de familias. Prepa-
radas nicamente por Lanman & d.
Nova York.
Vendem-se no Recife em casa de Caors
Barboza e Jlo da_C. Bravo & C._______
piLlLa tecetaes"
DO
DR. AYER.
melhores autores da Europa, assim como harmnicos e pianos harmnicos, sendo tudo vendido por. Taixas de ferro coado e balido para enge-
precos conimouose razoaveis.
nlio,
Na loja da rua da Imperatriz n. 54, vendem-
se ricos binculos de 12 vidros, e-tampas repre-
sentando diversas sciencias e arles ; machinas de
crystal e porcelana pira caf.
i Vende-se urna taberna com poucos fundos e
cauoas para familia : na rua das Calcadas n. 2,
ou na rua de Santa Rila n. 64.
sMlJLTOIHO MEWCO-C
DU
DR. PEDRO DE ATTAHYDE LOBO VfOSGOSO,
NEDICO, PAIIiiIKO V OPBiKAOR.
3 Eua da Gloria, casa do Fundao 3
O Dr. Lobo Moscoso d consultas gratuitas aos pobres lodos os dias das 7 s H
lloras da manlio, e das G e meia s 8 horas da noite, excepto dos dias santificados.
Pharmacia especial homeopathica
No mesmo consultorio lia sempre o mais appropriado surlimento de carteiras
tubos avulsos, assim como tinturas de varias dymnauaisacoes e pelos ptecos seguinles.
12^000
18(5000
24,5000
de 48 tudos grandes. 305000
de 60 tubos gran les. 35,5000
Prepara-se qualquer carteira conforme o pedido que se fizer, e com os remedios
que se pedir.
Un tubo avulso ou frasco de tintura de meia onca 15000.
Sendo para cima de \ cuslarao os precos estabelecidos para as carteiras.
Ha tubos mais pequeos cada um a 500 ris.
IJVKOS.
A mellior oilra da bomeopathia, o Manual de Medicina Homeopathico do Dr. Jabr
Arreios d carro para um e dous cavallos.
i Relogios de o;;ro patente inglez.
; Arados americanos.
[Ma binas para descarofar algodo.
Motores para ditos.
Machinas de costura.
Vendem-se
machiuas americanas de serrote para descarocar
algodo : na rua da Seuzala ova n. 42.
Carteiras de l tubos grandes.
de 24 tubos grandes.
> de 'G tubos grandes.
Farinha de mandioca : lem para vender Au
Ionio Luiz de Oliveira Azevedo & C, no seu es-
criptorio rua da Cruz u. i. _______
_J Ferros para engommir
Urna mulher porlugueza offerece-se para ser Vendem se caixinhas contendo o mais completo
ama de qualquer casa de homem solteiro ou mes- sortimenio de ferros para engommar, encrespar
mo familia : irata-se na rua da Cadeia do Becife babados. patos e toda roupa de senhora : na rua
n. 7, loja de mindezas.________________________ Nova n. 24, loja.
ATJ JL Vende-se um carro de carregar gneros da
Precisa-se de nma ama para rozmhar em casa alfandega, cora uso, e todos o? pertences de oulro
de. familia : na rua do Brum n. oo, defronte do ''. >" i,'or I"'1'?0 muita commodo : a tratar
chafara. no Pale0 dt h- Peoro n. 4. _______
WMmwwmmmwm
Vende-se urna taberna bem afreguezada para
o malo, e bem como para a trra por flear ao p
do mar, tambem da comidas e dormidas, e recebe
passageiros, tendo excellente commodo para fe-1
milia : na rua da Lapa n. 13.
dous grandes voluntes com diccionario
Medicina domestica do Ur. Hering
Repertorio do Dr. Melt- Moraes .
Diccionario de termos de medicina
Firmino 4 Lis
Novo eslabelecimenlo tos rua Xova o. \', i an-
dar, jante ao Sr. Gautier,
denlista.
k Tiram retratos todos os das, das 7 horas
g| da manhaa s 5 da larde, quer chova ou
10,5000
65000
35000
m
nio.
Tambem se offereeem para tirar retra-
K tos de pessoas fallecida?, dentro ou fra
Os remedios deste estabelecimento sao por demais conhecidos e dispensara por .& a^ ^nuncianies desejando-acreditar o
tanto de sercm noyamente recommendados as pessoas que quizerem usar de remedios i IR seu estabelecimento, garantem ao publico
verdadeiros, enrgicos e duradores: lia tudo do melborque se pode desejar, globos de M quenenhumirabalhosahir desuaofBci-
verdadeiro assucar de leite, notaveis pela sua boa conservacao, tintura dos mais acredi-'ag na.sem que nao soja perfeitan
lados eslabelecimentos europeos, a mais exacta e acurada preparacao, e portauto# maior ''
energa e certeza em seus effeitos.
Offerece-se urna mulher pira o servirn de tima
casa, que sabe muilo bem bzer todas as qualidades
de eoniidas, en^omma (em falta, com informarse*
di -na conducta : a tratar na travessa da Carva-
Iha n. 7.

mm
A luyase
Precisa-se do urna ana que cozinhe e en-
eomme" para casa de pouca familia : na rua da
l'raia n. 03, segn 1o andar.
mmm %mmm 'mmmm
**. O Br. Carolno Francisco de Lima San- %%'
^K tos contina a inorar na rua do Impera- M
" dorn. 17, segundo andar, lendo alias seu -^
j^; gabiaete de consultas medicas, logo ao itf
'*' i i.irwr, no primeiro. -^
I) m sido doutor, que se lem dado ao *
estado lano das operacCes como das mo- ?J-
\ b'-i:s internas, presta se a qualquer cha- Cs
*< madOi quer para dentro quer para fra Ws
^ d cidade. M
mmmm mmmm wmm
OIHm. Sr. Pedro Jos Pinho tenha a bonda-
de de amiunciar o lujar d sua morada para ihe
ser entregue urna caria viuda d,i sul, ou ento fa-
zer o obsequio de mandar buca-la rua da Auro-
ra u. 46, segundo audar.
Casa de saude p ira escravos
Keeebc-se escravos para tratar de quafquer enfermidade ou fazer-se-lhe qualquer
operaco, para o que o annttncianie julga-se sufficientemente habilitado.
O rahmcnto o meihor possivel, (anto na parte alimentar, como na medica, e
funecionaado a casa ha mais de quatro anuos, ha mui-as pessoas de cujo conceito se nao! boas commodidades pa
pode duvidar, qae podem ser consultados por aquelles que desejapem mandar seus,rua do ^it " ,9, p
doentes. HffWifliH
Paga-se 2,5 por dia durante GO dias e d'ahi em diante 1,5500. | g^ Amda se Prensa de nma ama paracozl-
As operaees senu previamente ajustadas, se nao se uuizerem suieilar aos precos y "!!**l?n,"? Pr* lf "!Sioas: na
razoaveis que costuma penirr o annunc ante.____________^____________________ B ^^^^SSjSrT^S
um sitio na campia da Casa Forle, com duas ca-
sas, urna a em que mor\>u o fallecido Thomnz de na rua da Cadeia n. 50.
Aquioo Fonseca Jnior, fcila a moderna, c conten-
do todas as accommodacoes precisas, e outra cora
ara qualquer familia : na
rimeiro andar.
Lagdo pan, ealcaeas.
Vende-se muito bom lagdo para calcadas car-
mazeos chegado agora : a tratar na rua do Apollo
D._4._____________"_________________________
Vende-se urna burra de ferro grande
em pe feito estado e por commodo preco :
na rua do Apollo n. 20.
Vende-se una negr tilia de 10 anuos, muilu
esperta e sadia : no pateo da matriz de S.iuU An-
tonio n. 8.______________
Vende-se urna negra crioula ainda moca,
sabe cozmhar o diario de urna casa, ensahoa, lava
e engomma com perfeieao : a trrtar no hecco do
Marisco n. 7, primeiro andar.
Ferros de hostias
Na rua do Imperador n. 29 vendem-se uous fer-
ros de hostias, de urna s hostia cada um, tao leves
que qualquer pessoa pode com elles trabalhar.
Seiueules.
Vofldem-se sementes de hortalicas muilo novas:
\Vnde-se urna escrava crioula de t anuos,
que sabe cozinhar e cozer : a tratar na rua du
Imperador o. 22, primeiro audar.
Precisase de urna ama que taiba engommar
f coser, e fazer o servico de < asa para urna s pes-
4.j;i : ua rua do Imperador n. 1, armazem de
Jmica.
M O MmIm;.rel
Vendo-se. urna a' lula e urna janella em mui-
lo bom estado: rua das Aguas Verdes n. 02.
Quem precisar de nma pessoa habilitada a
( ensinar (iriiheiras letras, l.iUm, francez e msica,
dentr-oii fora desta cidade, dirija-se a rua do
; Queimado n. 8, terceiro andar.
loga-se um ioin sitio coju casa de vivend,
I cocheira, estribara, quartos para pretos, lauque,
j latrina, etc., com bstanles arvoredo=, e lodo mu-
. rado, ua Capunga velha, casa qne foi do Sr. Se-
ma flanea em dinheirj, depositado nos cofres do estado, garante a boa da bastiioPonoa: a tratar na rua do imperador n.
geral hespanhola de seguros mutuos
sobre a vida
AUTOISADA PELO REAL DECRETO DE 21 DE DEZEMBRO DE 1859
Cahicgas finos e brlnqucdos
l>ara iiteuioos.
Lh'igaram para a luja de miudezas da na du
Queimado n. 69, os mais linos e lindos calun^a.-
tanto para bnnquedo.de meninos como para' cima
de mesa : na mesma loja se encontrar bom sor-
limenlo de miudezas.
BATATAS. "
Vendem-se escolenles batatas pelo diminuto
preco de 'i00 rs. ogigo : no armazem do Sr. Aze-
vdo delronte da escadinha da alfandega.
ministracao da companhia.
BANQL'EIBOS DA COMPANHIA DIREC^AO GERAL
O ISaaeo le He$ganba Madric!: Rna do Prado n. I
Francisco Augusto da Costa
m
ADVGADO
fUu lo Imperador numero 09.
Mmmmmmmmmm
Aluga-se urna casa terrea na rua Augusta n.
112 : a tratar ai rai Svva n. til), prtaem toi-r..
Esla companhia liga pelo systema mutuo todas as comb/nages de supervieucia dos segu
sobre a vida.
Nella pode se lazer a subscripeode maneira que em nenhum caso n i.-n 11 rrciti des
gurado se perca o capital nem os juroscorrespondentes a esles.
Solo suprehendentes os resultados que (iroduzem as sociedades da ndole de A NACI
DAL,que ainda mesmo dirnlnuindo ama terca parte do interesse produzido um rcenles liquidai
ces eeamblaando-o cora a mortalidad^ da tabella do Depareieus qae e adoptada pela compauh-
para sea esculos e liquidacSs, em segurados de idadfl da 2 al9 anuos, umaimporsigaoauuua.
de 100$ prodozem cffectivo metlico:
No fim de annos.......1:1195-100
de 10........3:9425000
. de 15 .......11:20*5200
i de 20 f ...... 30:230,5000
de 25 ...,,... 80:3315000
as idades menores de 3 annos e maiore.s di 30, o productos sao mais consideraveis.
Proveeos e mais nformaei>es s^-rio pre-ta.'i'' pt;.'o.su-drec!or cesta provincia.
Joaquim Fiuzi de Oliveira, ruadaCadeia n. o2,.h l.n-YnT* roa da mperairiz n,12,eslabel
ment dos .Srs. Baynundo,Carios,Leiie 4 IrmSo.
46, armazem.
Eugoniio.
Arrenda-se o engenho Jussara da Sanl'Anna, sito
na fregnezia de I|ujuca, legoa e meia distante da
estacao da Escadn e fpojura, com ierras de var-
zeas do massap para se safrejar em grande esca-:
la : a tratar o pateo do I.ivramento n. 23 ora o
Dr. Ignacio Nery da Fonseca.
O London & Braziiiau Bank, saca por dcos
os paqaetes,sobre
Lisboa.
Porto.
Braga.
Vianna.
Guia raes.
Villa Beal.
Coimbra.
___________Amarante.
Precisa-se saber quera o correspondente 3o
engenho Quitinduba, para entregar nma caria na
livraria ns. C e 8 da praca da Independencia.
Vende-se um bonito crioulo com 20 aunos
de idade, proprio para eugeuho ; no paleo do Ter-
co n. 139.
Sal do Asstr
Vende se superior sal do Ass a bordo do biau
Sermpuno : a tratar com o capito, ou com Jos
Luiz de souza. ^^___^_^_____
Vende-se urna casa a moderna de um
andar c solo n.-. rua das Crozas n. 7 : a
tratar na pra?a da Independencia loja de
relojoeiro n. 12.
0 har. teii-o est qncimanito por tod <
preco.
Pecas de cas=as proprias para cortinados com
10 varas por 25, chitas franeezas a 240, midapo-
les linos a peca cora 2i jardas por 65, 65500 e
75, chapeos de fe I tro a 15 : na loja da rua da
Madre de Dos n. 16, defronle da guarda da al-
fandega^_______________________________
INJECCAO SHOW.-
Remedio infallivel contra as gnorrhbo-
antigas e recentes, nico deposito raeas
ica franceza, rua da Cruz n. 22 pre-
co 35
Nao ha necessidade mais ge-
ral em lodos os paizes do que a
Sfe>di um purgante que seja ao
mesmo lempo innocente, eBcaz
e digno de loda a confianra.
As pi lulas que ora offerece-
mos ao publico preenchem estas
condices ; pois pdem ser to-
madas pelas pessoas mais iracas
sem perigo algum, nao temi em
sua composico mercurio nem
outro ingrediente nocivo sau-
**"* de, mas sendo composto de a-
gentes vegelaes mu i fortes, sao bastante
efficientes e activas para purificar os corpos
mais robustos.
Estas pilulas exploram e purificara toda
a extensao do canal alimenticio, e do vigor
a todas as parles do organismo, corrigindo
sua accao viciada e fazendo recuperar sua
vilalidade
Um remedio inestimavel contra dr de
cabeca nervosa, enxaqueca, yrisao do te-
ir, hemorhuidas, molestias do fiyadot fe-
bre gastro-lwpalica, e todas as moleas,
biliosas que teem sua origetn no entorpeci-
mento do ligado que causa a escassez da
bilis na inflwnmrTm d'esle orgo que prc-
duz derramamento da bilis no estomago oq
em um desarranjo geral dos orgos diges-
tivos.
A Ictericia
produzida pela absorpro da bilis no
sangue, dando pollo e aos olhos urna cor
amarellenta ; nao smenle doloinsa por
si, porm conduz aos mais serios sofTrimec-
tos.
Para cura-la toma-se de 1 ?> pillas te-
das as maobias, isto bastante para ruover-
o ventre smenle al que se recupere a ac-
cao sa do systema.
Mal do lijada, febre gastro-keptica,
diurrhea biliosa, indigisto, a ncrralgia
ou tic doulcureux, sao todas molestias que
tem seu comeco n'um desarranjo da bilis.
A observaco dos duelos da bilis faz esta
vol er ao sangue, com que circula dpoi3
vem todo o corpo e causa estragos desas-
trosos saude e produz urna serie inn-
mera ve I de males.
Todos estes incommodos sao curados com
as pilulas do Dr. Ayer.
Direcces minuciosas acompanham cada
irasco.
Vende-se na pharmacia franceza de Mao-
rer & C, rua Nova n. 18.
AGENCIA CENTRAL
15 Rna irelta 1
RIO ii: ja\i:iro.
Vende-se em Pernamboeo:
na pharmacia franceza Ce
P.MAURER i C.
RUA NOVA N. 18.
Palitos to, fogo a 2$ a groza para li-
quidar.
Cliegaram exceiei:tes palitos de fgo e vnde-
se pelo baratissimo preco de ii pma: na roa
da Cadeia do itteife loj de ferrados n. 56 A, de
Bastos.
Cal de Lisb a
Vende* expeliente cal nova, ltimamente rhe-
^ada : na rua du Trapiche n. ii, seguno andar,
escriptorio de E. Ii. liabello.______
Potiissa da Rtosh
muito nova e superior : vende-se no escriptorio
de .M.inocl Ignacio de O iviira i Fulw, lar^o do
Corpo Sanio n. 19.______________________
Vinho do Porto superior em raixa de dnzia,
tem para veoder Antonio Luiz de Oliveira Azeve-
do i\ C, no seu escriptorio roa da Cruz n. I.
Ateiicfio.
Vende-se o deposito da rua Nova n. 6', tm
afreguezado e bem surtid > : a tratar na rua do Li-
vramento n. 34.
Hediit-rae tos preces.
Vendem-se por precos redtim m.-.chinas de
descarecar aljzodiio de serras de todos os ramanho,
de li a 6C serras ; a*im como inntore-; para as
mesmas, as quaes se acham vista no armazem de
farinha, rua do Imperador, por hsito do Gabinete
Portoguez : a tratar na rna do Trapiche ti. 9, oo
no mesmo armazem : oulro sira recommenda-ne
aos compradores que usenwde aziite dere ouU
coco para entraron os eivos destaa m.i-binr', ii
lugar de azeite de ca rpalo, vl.-ti fsie |>n.iazir o
cunlrarlo do que aquelle ijfle se quer.
_Vendem-se por pr.co commodo cincj rarrr>s
de mao, tres rabos com carreis e om Mr, iodo
em bom uso : a tralar com Fredfirco Claves, na
rua da Imperatriz n. 19.
Bichas deamburgo
Veudem-se na rua Xova n, 61.

1
\
f 11 r"*^% # i I


s
Diario de peraainbueo Terca feira 11 le Jullio de !&.

Tasso Irmos
Yeudcui no scu arniazem ra do
Anioiiiu o Ao,
Licor fino Curasao em botijas e meias botijas.
Licores finos sortidos em garrafas coro rollias de
vdro e em. lindos frascos.
VinhosCheres.
Santernes.
Cbamberlio.
Hermitage.
llorgonhe.
Champagne.
Moscatel.
Reino.
Bordeaux.
Cognac.
Od Tod.
AzeitePlagniol.
D'IODU RETO DUPLO
DE-
UININA
Mln^oa no m-ii^ur.
Fraqueza.
Anemia.
CltlnrONC ou Ictericia.
MenMti'iio.
Arrcccocn do litera.
SupprchNOi- do rc-
fcrm c di'*ordoH ni
IlICCAll'llilCtI.
Aireoi-ac- pnlnioiiur c
phlbldle.
Molr>*tla ii'<*NtftiaK.
<.aNlrul;liiN.
Pfnla d'i*|>uelHc, etc.
COiivmlcncenca de loo*
y,art inolcadaa-
Moleatlaa eacrafula-
Pape-Ira.
Otmtrucro daa glnn
ilutan.
Hu inoro* filo
Un morca irsneoii.
Um UICIkiuo.
Af'Vorc ranceroau
e -> lilil lira.
Fcltrra typholdea.
Varlolm, ele, etc.
Ve.jiio se os balletins de teraputica medica
e ciiurtr.ca de30 de novembre ISO; a Cateto
dos hospitaet de. i> dcjullw ISGO, ele, etc.
Atan daspilulat de iodurelo duplo de ferro e de
quinina de Rebillon, os Mdicos aconselhao
igualmente o Xarope diodure duplo de
t'tsrro e de quinina do mesmo aulhor para as
pesseas que nao goslo de medicamentos sob for-
ma puntar e os meninos. EsW xarope nao lem
como o xarope d'indure de ftrro, o inconveniente
de aherar-se e ilc se nao poder conservar.
Pe-ca-se o folhelo que se d de graca em casa
o-., harmaceuticos depositarios.
a-se cvitaim falsificacSes, exija o com-
prsdor cin cada frasco de Pilulas ou Xarope a as-
s.i'1 latura do inventor.
Depsito eral em Paria, pnarinacia Rebillon,
'.i-z, ru du Uac, e em todas as boas pharmacias
de Tranca a dos pubes esiraii|eiros, etc.
-'- Vj.
Ol
* BISMTH
" -;; L3L ^^JL-'!
M.)t<-sil;i A Iclrroiat.
rul|.ttMco le rariri.
Doren non rlns.
Os elementos que compoem esta preparado,
ferro, o iode e a quina, a r.oliocSo no primeiro
grao das prciiaracoes ferruginosas. Basta atlestar
seus resultados olitidos pelos Mdicos dos hospi-
taes, e os relatnos dos prcticos mais eminentes,
que confirmado sua poderosa eflicacidade as
sefointcs affeccs: i
Grande liquidado a diiiiieiro.
.\a loja cariuazcm do Pavao.
Ra da lui|terair.z n. OO de Sa-
ma & Silva.
Os dones deste estabelecimento tem resolvido li-
quidar suas fazendas por precos baratissimos, s
com o fim de apurar dinheiro, e previnem as pes-
soas que nejfociam em pequea escala com fazen-
das, que nesta loja e armazem encontrarao um
grande sortimento por precos que muito Ihes hao
de agradar, tanto em pega como a retallio, a sa-
ber :
Chitas largas a 200 rs.
Vendem-se chitas francezas, listradas muilo lar-
gas, padroes escuros, pelo barato prego de 00 rs.
: o covado, tendo niuilo bom panno ; ditas escuras
pdroes no vos, por serem todas escossezas e cor
lila a 240 rs. o covado ; ditas miudinhas escuras
e ciaras a 240 rs., afliancando-se que esta fazenda
nao tem o mais pequeo loque de mofo, nem outro
qualquer deleito. Islo so o Pavo, na ra da Iai-
peratriz n. 60 de Gama & Silva.
Esparlilnos, na luja do Pavo.
Vende-se um bonito sortimento de esparliihos
propnos para senhoras, sendo dos mais modernos
e bem feilos que tem vindo ao mercado, tendo de
todos os lmannos e de diversos precos trazendo to-
das as competentes fitas para apenar. Isto s na
loja do l'avao, ra da Imperatnz n, (JO de Gama
& Silva.
ORARE]
eciii cha
O
1
o
Q
^ilJLillal?
18AJi*ATS,
ii!J
i.\( .1 -
i A anliga c bem conhecida loja de mNade/a* i
tua do Queimado n. 10, acaba de .-ir u>a>e*te
1
PQ
DE
"^P"

/tratados au bisutth de Chevrier bem
ores, a todas as ontraa preparacoea de
las .: is rom o maior successo
i eli s mdicos de todos as paizes, para prevenir e
curar as
Iilurrhra elironlrar. ''.':. dV^CNtca.
l>yM(-iitcrta. s (liKilrlu-a.
Dore a'etAaa.ge. I aUralsla, ele.
Dyapepalaa.
Os primeiros sympttinas d'cssas formidaveis
affeccocssc manilestAe erdin8riamente por diges-
loes laboriosas, usidttmet, falla d'appetite, pesos
d'estmago depois de cada comida, caimbras es-
toma', oes, c, muilas vezes, ]ior espasmos nervosos
com vmitos.
Este estado mdubido, se o dcscuidao, traz ine-
vitavclmcnte, qu<; soja:
Ot>lrr*ca.
Doiea de cabera.
li rliacoc-H de bezlga e
fia nuii Ir, etc.
Laazinhas a 320.
Lazinlias a 320.
Laazinhas a 320.
Chegaram para a loja do Pavao as mais bonitas;
laazinhas suissas de quadnnhos e lislrazlnlias a i
iniitafio de sedas por terem muito lustro, sendo os I
padroes mais modernos que tem vindo ao mercado \
e Quito ievexinhas, vendendo-se pelo barato preco
de 320 rs. o covado, sendo raztnda que sempre se
vendeu por G40 rs. Llquida-se por este barato
prego na loja e armazem do l'avao, na ra da Im-
peratriz n. 60, de Garai & Silva.
Leociulios p-ra mo a 240 rs.. ua loja
do l'avao.
Vendem se finissimos longos brancos com duas
cercaduras, sendo una de curdiio o ouira de cores
matizada-, muito finos, a imitacao de linho, pelo
barato prego de 2800 a dnzia, ou 240 rs. cada
um : \Ao s na loja e armazam do Patrio, na ra
da Imperatrii n 60, de G-ma i Silva.
LJaziohas a 300 rs.
Laazinhas a 300 rs.
Lazinlias a 300 rs.
Vende-se um. bonito sur.imento de laazinhas pro-
prias pira vesiidos e soutem arques por seren li-
sas e de quadnnhos pelo barato prego de 300 rs. o
covado, sendo fazenda que sempre se vendeu a
500 rs. o covado, e vende-se a dinheiro a vista pe-
lo haratissimo preco de 300 rs. o covado : na luja
do Pavo ra da Imperatriz n. 60 de Gama &
Silva.
Pelerinas a 1;)00.
Venderr.-se as mais ricas pelerinas ou romeiras
de cambraia bordadas prprias para hombros de
senhora pe.'o baralissimo prego de 15600 : na ra
ra Imperatriz n. 60, loja de Gama & Silva.
Organdy a 240 rs. o covado.
na loja do Pavo.
Vendetn-se as mais bonitas eassas organdys, pa-
droes miudos e grandes, pelo baralissimo prego de j
2i0 rs. o covado (doze vinlens), esta pecluncia
acaba-se logo : na loja do Pavao ra da Impera-
triz n. 60, de Cama <\ Silva.
BRETANBA DE UOLO A 3000.
3la Ka loja do !*avao
Vendem-se pegas de bieanha de rolo rom 10
varas a 35, ditas de madapolao entestado a 3^20",
3^800 e '& : na luja do l'avao, ra da Imperatriz
n.'60, de (jama & Silva.
Mdapolo eom toutit. de mofo a 6->i0 c 7-S
Vendem-se superiores pecas de madajiolao, ga-
rantindo-se 20 varas em cada urna, pelo baxatissi-
nio prego de 6500 e 5 por terem um piqueno
toque de mofo que nada val, e pegas de algodiio a
k& : na loja do Pavo, ra da Imperatriz n. 60, de
Gaiea & Silva.
Corles de casemiras a 2^300 e 3
Vendem-se cortes de casimira de una s cor a
25500, ditas de qnadrinhosa 35 " na loja do Pa-
vo, ra da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Chales a 2000
AZEVEDO FLORES
lina da (adeia do l.ccife, esquina da jllndre de Deas.
BAIiOES
Baloes de arcos 30OO
Baloes com o primeiro arco grosso de 20, 2o e 30 arcos, a vistaso far preco. J
Bales de arcos e de pa: no para meninas de 2 a i2 annos a 20 e 20500,
Chapeos de s<. 1.
Chapeos de sol de seda com 12 asteas 80.
Ditos maiores com 16 asteas 120.
Camisas.
Camisinhas para senhora a 30.
Camisas brancas para h'>mem e com peito de cor a 10800 cada urna.
Camisas com pregas largas milito superiores a 20500.
Camisas de linho a 20800 e 305 JO.
Camisas de i'mho inglezas a 40, sao muilo superiores.
Camisas de llanelia de cores muilo finas a 40.*
Cami as de meia superiores, 1 carlao com 6 camisas 100.
Chitas.
Coilas largas a 240 o 280.
Chitas largas escuras finas a 320 rs.
Chitas preclaras superiores a 440 e 500 rs.
Chitas estrellas a 203 rs. o covado.
Mat!;oles.
Madapolao muito fino a 80 e mais in'erior a 60, estes precos 20 menos que o
valor real da fazenda, quera duvidar venha ver, ha muitas outras qualidades de mada-
poloes, assim como o superior madapolao francez para camisas e saias de senhoras.
.Helas.
Superiores meias cruas para homem.
Meias pretas e brancas para senhoras.
Ceroulas.
Superiores ceroulas de linho o melhor que ha.
Ditas de brm de llainbtugo feilas na trra. .
Ditas de esgmao de algodao a 10600.
Paletofs.
Paletots saceos de casemira.
dem de brim pardo e brancos muilo finos,
dem de alpaka branca minio superior a 50.
dem de alpaka preta a 40,
Calcas.
Caigas de Lrim branco a 70, 60, 60 e 40.
dem de casemira de cores a 70 80 e 100.
Colletes.
Golletes broncos a 2500 e 30,
dem de casemiras de cores e pretas a 40 e 50.
Vestidos a Maria Pia.
Ricos vestidos de laa com barras modernas e os mais finos que pode liaver a 200.
Vestidos do mesmo gosto. porm mais simples a 120 e 149.
Sacos de ?facen a 5.
Por estes precos s vende Azevedo & Flores na loja do
Agua 1/oi de
para lingir cabellos.
Alm do chroniacomo, acua-se mais a a-
gua Hoilde, preparac3o ingleza para ttngir
os cabellos, i s prtejidenles comparegam a
rua do Queimado, loja d'Aguia Branca n. 8.
Ho n i tu s ca (X U t ii as
com pei'luiarias.
A Aguia Branca na rua do Queimado n.
8, recebeu um novo sortimento de pe fu-
marias das excedentes qualidades ja bemeo-
nhecidas, vindo no mesmo boni;as caixinhas
de madeira invernisada, e oulras de vidro,
todas com finas perfumrias, e mu: pr-
prias pata prsenles, as qtiaes sao vendidas
comprador, a qtem i i
go; nao srr indlfteren'r
boa frecuezia.
e a r ii '
[ara i .' n mw
Autig-a loja de miudeza? .,
ruado Queimadon. M.
N".-sa loja ende-se baratai.m.: alini
los iiulros olij.;ctus o? sepuiiilis :
VoUas de rrystal, grand'-s t ptfMMt.
Outras de diversas qualidades.
Crozes fraudes de pedraa bit)
Alneles de madrep:roia e uulris qu;.:id*dts
Brincos a bailo.
Cinlus a traviata.
X. 10 na do Qaeimado.
Pentae '-'aro, pape! e Mfdt|
Na ;n!:pa I -j-i de DiiNMiH a rua d'i Q wtaMc
n. 16, acha-se un ln-llo soriiinent'i i ,.,. -
por precoscummod-s, na load*Aguia Bran-i"iaf" ,l-rHV: i'"0,'' i;,ala'!".J r "-. -'"-
7 rx I sorie, dilo de peso liso, paulado e
j de. difieren ti-.- ijasHitadH at a que n lOdf
: trar de meilioi, diu paquete, di; p i..-i o ra c i
I xintiaf, seodo liso, paulado, de ajuadml --, toara
' duurada e t.nj:..; i de pr :, leudo (Mn
. guns que tr-zcii. a i uvei. >pe na BMfaaa '
aqu ir.MraineiilH novo. (jiza-
' maiorri menores, e tarjados de ir.: ,
! d'aco nglezas, raiigraphiu eoakrM ;.:
todas das afamados fabricantes Firma A '-
ibans !raUs na m do Qi
,a
ca rua do Queiaado n. 8.
Toucas de fil enfei-
tudas
a 50 i rs. cada urna.
Vendem-se na rua do Queimado, loja
Aguia Branca n. 8.
Espelhos delirados
A Agu a Branca, recebeu novamentc urn
grande sortimento d espedios de dififeren-j
tes qualidades, sendo de mordura domada,
dita envernisada, oulros de dita envernisa- Lavas de |> lita a iitO rs
da com vivos dourados, tendo diversos ia-l Aperar do nao serem antigs -.-i,
maohos, al grandes para salas, c bem as- awcladta as lavas de peliea prtia
sim oulros de armago com um e dous ps. JfJ* SSJTA r^
e outros com enconslo, todos os quaes se Qoeimado n. 16, luja e nuodeaa.
vendem or prefos commodos e dinheiro j Labjrlthtl t i:"*-
vista: na rua do Queimado, loja d'Aguia! r bja de'miudoa* a roa o Quti
| vende-se bonito; lal yrinthof i Meas i
cidos em grade de ludia o que
muit:. dur * >, 16 a de qo os nasj c
deseoln >. es imm ::'.? dos an 5
para ; boa extraffo 'eHes, mnto
ellos nanea sao desr essirios esa rasa
has, telo i'i' |todeni diriair-sc .1 rua d >.
U. i(J, ;- ...... I -;-.
itia io ..
nimio 1. 16.
Vendelll-.- 1UI1 albui ,r II m
I^SOO, t;: ,..::-: a '',', W, a l|
lambem .. i.aial i-rig..-.
e a r
11 -
aw na .
sua
liso
de
Atienen, freguezes.
LotireiK-o Pi-reira Mondes itiinaiaes, co:n !
e armazem da Atare, na rua da Imperatriz.-86,
est fazrado una nova liquidaran de todas as fa-
zendas o;k'se vende muilo barato, a saber :
CUITAS A 200 lis. O COVADO.
Vendem-se dulas eom muito ',0111 panno ofendo
Vendem-se chales e merino a 2, 25300, ty cores ticas, pelo baralissimo preeo de 200 rs. o co
Os granulos Chevrier sflo ordenados pelas
sommidades medicacs para pVcvenir essas diver-
sas molestias .e cural as quando sao tomados a
lempo.
O preco de cada frasco de 4 francos.
Depsito geral em Pars, pharmacia Chevrier,
e em todas as pharmacias de Franca e doc paizes
.estrangeiros.
1 i, 11 1 im 11 nfiiiii, 11 i, 'i/iisn>
MASS E XAROPE ^
BERTH
COM CODEINA
!' econizados uor todos (13 mdicos contra
as U'fluxos, a Grippa e tocas as Irritaposs
'.'< peito. "
AVISO
Fi ls ficaeocs reprchensiveis excitadas peloe
succcsos .lo Xarope e da Slassa de Berth^
nos obt gao a recordar que esses productos
to justamente
jionicadas nao se
entregue senaoem
rboeetase em fras-
iOSS com a assigna-
dlnra aqu iedicada. '* ('Hi"IIjMih
ASI, ru Stint-Honor, na pharmacia. no
I t'VHK, e em todas as pharmacias.
Deposito geral em Pernambnco rea da
Cruz xi.-li em casa de Caros 4 Barboza
i:'!,'riISioj a pregul^osa.
A kja da Aurora oa rua lar^a do Rosario n. 38,
recebeu es,partilhos a preguicosa, os quaes sao os
de mais comrnodo que tem chegado para qualquer
ssnliora n% vestir sem iraballio algum; grande
sartintento de franjas brancas o de cores para cor-
tinados de cami, bonitas fivelas de madreperola
para sin'.os, ortimeuto de estampas de sanios de
dilleKnies qualidades e lintzs muito linas: Anal-
mente tem grande rorlimenia ci miudezas ; ((.itera
duvidar mande rw para jui-liQcar a verdade,, e
sempre se encontrar pessoag qara despae.iar
qualquer freguez oeste esiabcUcimento com mais
aj^radu que for posivel; ludo Uto s se encontr
na toja da Aurora.'.na rua larg do Posarlo 11. 38.
t Loureiicii l'ereira Mendes fiuimar.es. |
ASIll'.I.VANIIASnE UOLO.
Vende-so brelanha de rolo muilo boa fazenda,
pelo diminuto pre^o de 3U00 cada peca cen 10
varas.
LA2ISBAS ChXEZAS.
Ven4era se as mais modernas laiiobas chsnezaa
63 : na loja do Pavao. rua da Imperatriz n. O, e vado :
Gama ; Silva. .
Lfuuidlias a 20 rs., na lnja.de P;nfio
V^adem-se liaamfjas transparentes de uma-c-
cor e de quadnnhos prprias para vestidos de-se-
nhoras e meninas, pelo baralissimo preco de 30
rs. o covado, sendoduzenda que secapre se vendeu
a 5 CO, i Gama < Silva. 1 que sempre se venden a 400 r. e hye est se ven-
Crlcs franadMS a ** dendo a 280 rs., de lodos os padroes. e todas as
Vendem-se os mais ricos cortes "de fazenda de ('6res : 8 ^^SSfmSmnwkk \
muiU phantazia por sur transparentse teeldos! ,. l.mua& titAiMAA!). .
com seda, tendo cada corle 22 covados, pelo aira;- a.}'"~m'Se Cbrt tre61AS ""SFH? cL
nulo preco de I23 : u?.camente na o a e arma-' **, |o() rs. o covado, ditas percalas linas 280
zem to Pavao, rua da Imperatnz n.-('0, de G-Lia !m- PQ-n- covado : na rua da Imperatriz -n.06
iS; Sit-3.
. Rival s&n segundo
j Rua de Qitciuado ns. 49 e 3S, loja de
miudezas le tres portas, est quei-
uiauio Uido Im>id etiarato, quera qui-
ier ver e admirar veuliam \oy<\ lo
Hiietlinlio.
Caizas de papel amizade, e sem ella liso e pautado
loja de Menes Guimaraes.
ANDE PECIH.W.HA 'BE CHALES DE
MEHINO'. .
Venem-se chales de merm eslam[>ados pelo
barate preco de 2 cda um.
CAMISAS PRANCEZAS.
Vendem-se camisas francezes a lJiiOO, Ij3fi00 e
25000 eada ^ui^a, ditas de pregas largas a 25 e
(iornouls de renda na loja di Pa\o
Gheparam os mais risos bornouts -de renda ese
vendem por baratissimos precos : na loja e arma-
zem do4?avo, rua da [mperatrlz n. 6G, de Gama5c
Silva.
HicnsrJialfir?relos dcrentU
Ghegcu pelo ultimo vapor francez um grande e 25240,-ditas de liohs a 25500 cada urna : s ideo
variado rortinenio dos raais ricos chales prelos ? des Gutmaraes.
renda,tanto de linho como de seda, hiendo entro,! MADAPOLAO EXFESTADO.
elies muKos de poma redonda a emitar-So de man1 j Vende-se madapolao com 12 jardas a 3S5'0Q. i$
teletes e muilos com o entro de cor, e vonde-ee \ e 4gii00.
por precoc muito era conta por terem sido manda-; CAMISAS -PA11A SEXHOltA.
dos vir de conta propria pales donos da loja do \ Vendem-se as mai< modernas camizinhas eui-
Pavao, rua .'-a Imperatriz n. 0, de Gama i Silva. | ladas par, senhoras a /-5, 5500 "5000.
Laziobas Isk a OO rs.
Vendem-ce as mais modenuas laazinhas, tendo de
todas as cores, pelo barato preco de 500 re. o co-
GHA.YJE SOHTi.MEATO .UE CAMBKAJAS
BRANCAS.
Vendem-se cmbralas.braucas a.S5. 35300, 4S,
vado, tarlauna branca e de-cores a 800 rs, fil liso 5500, o'5,5<)00 e 65, e muito lina a 75000 cada
branco a 800 rs. a vara, carias de fil brancos lisos -peca.
a 05 : na loja do Pavao, roa .a ImperalrU-. 11. 60,; COHTE-S DE CAMBRAIA Bit ANCA COM
Planta da cidade do ltecie e seus' arrabaldes
pelo l;r. J. Mamede A. Ferreira, urna folha em
grande formato, e primorosamente gravada : ven-
de-se na livraria econmica de'ronle do arco de
Santo Atonio^________________________________
Vende-se
farel de Li-boa em saccas e barricas, e saceos
com superior farcha de mandioca, mais barato do
que em ouira qualquer parte : na ruado Vigario
n. 17, primeiro andar.______________________
Aos aradores.
Vende-se ouro de Lisboa superior em pites : na
rua Direita c. 4, a 2500 o livrinho, e em milhei
ros a 225-
NOVAbE
A \$ t$20 e 1^500.
Leqnes de osso, ultimo gosto, .1 15- ,
Ceroulas de meia a I JO.
Dulas muito finas a 15300.
S na rua da Gadeia do Recife n. S.
de Gama Silva.
Cha icos de sol e *!paca
Vendem-se superiores chapeos de sol de^a a 300, ditos de seda ioglexee. com 16 aspas a
125 " oa loja do Pavao, rua da imperatriz 11. 60,
de Gama i Silva.
LJannnai transparentes s 320.
Vendem-se muile bonitas laazinhas transparen-
tes cora lalrainhas de seda a 320, Utas lisas e de
varias cores a 220 rs.: na loja dn Payo, rua da
Imperatriz n 60, de.Gama & Silva.
Curies de Mas matizadas.
Vendem-se bonitos cortes de laas matizadas, len-
; do lo covados cada corie, a 5, ditos a Mana Pia
a 65 e 85 ' ni l->ja do Pavao, rua da iaafleratriz
c. 60, de Gama ; Silva.
HOUf A FKITA
HOIJI'A FEITA
UOUPA FEITA.
Na (oja do Pavo vende-se um grande sortimen-
to de rqupas feilas para hornera, sendo calcas, pa-
letots e colletes, lanto de panno como de casemirai
pretase de cores ; d.'ixa-so de mencionaros pre
SALP1GOS.
Vendem se cortes de cambraia de-safnlcos mili-
te oiiudinlios.e cada corle tea 10 var-5.4)elo bara-
lissimo precio de 35-
COBERTORES ESCARLATES.
Veadeni-se eoertores de i escarlatas t 65, di-
tos de algodao a 35300, ditos 6u'ros a i5*00 cada
um : c Mendes Guimaraes.
PECHIXCKA DE KNTKEMEI03.
Vendem-se bonito* enlrerneiosa 800rs. jpela,
ditos fino- topados, tendo padroes muilo de &asto a
15, bailados a 15 cada urna peca : xia Arara, rua
da Imperatriz 11. 36 de Alendes Gaimires.
CASEMIRAS.
Veadera-se casemiras com listras a 2J300 o ao-
vado e ditos 3. 351-00.
ROL'PAS FEITAS.
Vendem-se roupas feilas de todas as qua/idades,
calcas de ganga a 15300,15600, IJ80, ditas finas
a 25, duas de brim pardo a 25 e 2.3500, dilas finas
a 25800 e 30, dita' de brim branco a 25, dilis de
linho a 35500, dilas de cas-mira & 35 e 39500, di-
tas linas a 65 e 75300, ditas pre(a de casemira a
6tf e 85000, palitos saceos de meia easemira a 45,
Cos para nao se tornar cnfadonbo o annuncin,, 45509, 5r>e 65000, ditas fioas a 75 e 5000, ditas
afianc.ando-c que o respeitavel publieo achara um de casemira mezclada a 95500, palitos sobrecasa-
grande ortimento por baralissimos precos : na eos de panno preto a 125. 149 e 165000, jaquetons
loja e armazem do Pavao, rua da Imperatriz n. d:> brim pardo a 2;800, 25500 e 2?000 : s Lou-
60, de. Gama & Silva. | rengo Pereira Mendos Guimares, rua da Impera
tr-z n, 56, loja da Arara.
BraDca 11 8.
B m papel a masso
pautado com 33 bribas.
A Aguia Branc acaba de receber a
encommenda desse bom papel almasso,
e paulado cora 33 linhas, assim como .
peso, tambem superior e igualmente liso e'^lUl U U lUlildO 11. 16,
pautado, com cora i nperial, c sem ella, e'
outros pequenos conforme os cima, e pa-'.
quete, tarjado de preto folba grande e pe-
quena, etc.
Tambem recebeu envelopes correspon-
dentes a todos os. lamanlios do pape!, tanto
brancos como tarjados.
A commodidaiie dos precos ji de todos
bem conhecida, tima vez que appareca di-
nheiro : na rua do Queimado loja da Aguia
Branca n. 8.
Esponjas finas para rosto
Vendem-se na rita do Queimado, loja da
Aguia Branca 11. 8.
Metas de cores
para creancas de 6 a ii mezes.
Vendem-se na rua do Queimado, loja da
Aguia Branca 11. 8.
hispas fortes para baldo.
Vendem-se na roa do Queimado, loja da
Aguia Branca n. 8.
i"hosphuros de seguranga
caixas de 500 palitos a ItiO cada urna.
Vendem-se na rua do Queimado, loja da
Aguia Branca n. 8.
Gollinhas e punhos
bordadas para senhoras.
A Aguia Branca da rua do Queimado r.
:8, vende-se mu bonitas gullinbas e punhos
bordados para senhora.
Dominas e visporas
cm caixas de madeira.
A Aguia Branca na rua do Queimado n. 8,
acaba de receber domines im bonitas cai-

m
tiga loja de mii-dez
Essa !oj:i j:i '.'.' .... 1 da, :.. sen :.
o seu tortimenti d ; 1. m
denles podem encentrar le a m I 1
Oleo* philorome,.-::. .. uttC 6 ira' 03
Banlta Una ttu - I tta*.
Estretos tin. s inale -
Asnada eolonfa
Opiata e pot para ; n' .
Ettracl d. id .
Agua l 1 crnica ara lile.
D.i dentrilk ;: r I -.
l>tt virtcinal ;; as.
Vii agn de Vena 1 Ireseai
lastiyi da 1..;-.
Salioncics . rad
Di: : . :.' I: '
Oulros lam tem ingl n d- divtaaki
en. eaixiuhas de ti coIm.
AILuns eom ; rfi.....ras.

c ;-. < r x
2 =T = = ~ ~
T. 2 ~
ce.

Al g"g ' ~-
C q, vs S O r: -.
p f, -J 5T
.2 3 v. -]=
_ -

Z-' = ' -. ~
~ V.

o
I i
z- = s r =
3*S-2 j
S" S. 3 F
y 35 1=V* g 5 2
|c|f; s s. .
: g*P8 ?c - -
' es
I:- ;
a 600 t.
Grozas de to'.oes de loOQa praleados fazenda mo-
derna r. tOO rs.
Dtuias de penna de ac,c fazenda boa a^O rs.
Pecas de .ranea de laa lisas e de ledas cores a
40 rs.
Estovas finissimas pura limpar dectes a 240-e
320 .w.
lt\cT* dr,?a!,as 5? se!",0,ras a '30,!;s- I visporas de caixinhas de papefo, e matlelra
Pecas de lita de eos estrellas cora 10 varas-a. .. .- ' ,-.
'Mti'K. i envernisaua, tuuo conliiiua a ser vendido
Caixas com clcheles francezes, superiores quali-' por pregos commodos e dinheiro avista.
Lencos pequeos
a j.
a s\ 3 9
2 ' -
-z
r
Ij. -
3' "
jxinhas de madeira branca e envernisada, e;
Tinteiros de barro, cora superior tinte, a 100 rs.
Pecas -te cordo para vestidos, fazenda boa a
20 ra.
Baralhos muito linos para voltarete a 200 >e
240 rs.
Frasco* com agua de Florida a 15 e ''5280.
Frascos eom snnerMMS bambas a 580 :s. e 25-
Frasees com banha, porm pequonos a 200-e
240 rs.
Latas com superior nanita a 200 rs.
Frascos de macana perula muito lino a 200 rs.
Frascos e garralinlies com agua de Golonia a
100 rs.
Frascos grandes cora superior agua de Golonia a
640 rs.
V-
3
-
para meninos.
A Aguia Branca, na rua do Queimado n. j
8, recebeu um novo sortimento d*aquelles|
lenco brancos, pequeos e com barras de
cores, proprios para meninos e aiuda serao i
uendidos i>elo commodo preco de 1^000 a
idnzia.
LOJA DO EIJA FLi
\ rua lo QfiCMW f 1

Frascos coriHs
500 rs.
Gaixas com 12 fraseas de
45400.
Meias pretas
de laia pararpadre.
Vendem-se un rua (o Queimada,
uperior oleo de babaza a 400 e Aguia Branea n. 8.
cheiros-nuiito finos a i Guarda nacional.
Tendo recibido um sonimer.iu ia
, cas de choro, que el ituam .,
com cabelieiiTi de caca
Tendo rocebido un variaaii aaal 11
brinquedos par.-. Baanaw, em
oia da espingardas, piahtiaa, taaoftatn :
para meoios: apparc)iMa de
------jantar de porcelana e de urI.-.1.
efaquinlias a :8ir;.e par ;e
p -
_


_____. ,. atA Formulario do processo perante o coosolo de
MO rs Q FS' *"**"* iiseipllnn no julgamento d3s offlcaes, offleaes in-
S-ihiineleVde familia a ttl\ p "nn r< eriore. cabo;i e Mla'f P'"?*8 da gunrda nacional
Jabneles e ramilla a 120 e 200 rs. imperio do iira.-il, e do recurso das rtd-Sas do
Caixas com ipenor p de arroz a 800 rs.
i6tt do l'J d seietirfjro de
Fraseos de superiores essencias sanlal 1 de J8 de fenttQ fa im< lHnis dl>|..tl,5e5
gielativaa oonconiebte a materia. Acaba de etai
Karinha de muribeea II a e alva, mais
jarata que se vende no mercado, em sac-
eos : na ruado Vigarion. 29.
Vende-se uina armarn de taberna desorga-
nisada, em bom estado, que contera, alem de al-
guns ntencilios, dons depsitos para agurdente e
um para azeite de carrapato, e se tende ramio ba-
rato : a tratar na ru.i do Principe n. 32, taberna.
Vende-se. 011 trocase um sitio junto ao pala- { j. n-t-.nTl r\
ci episcopal, em Olinda, com bstanles arvoredos AlLcIiv. \).
de fructo, bafxa para capim e cacimba com boa Na rua do Qneimado I j d. 41, esquina do bec-
agua de beber ; assim coso urna pequea casa co da Congregaclo, vendem se riquissimos cortes
na bica dos Quatro Cantos n. 7 : a traiar na mes- de chita franceza com 10 eovaisa denominados dos
ma cjdade com Francisco Lud>ero Nunes Vianna,; v(.luniaaios da patria, pelo diminnto preco de
e no Recife na rua da Cruz, botica n. 24. 25800 e outras muitas fazendas por baratissimos
Piche do gaze veruz tlogaz.* i ^- ^-^-------
Vende-se piche do gaz, verniz do gaz e estopa : '13 0 lilKll'e de Ueos n, \f
da trra : no srmazem da bela amarella, no oito' Vende-se miliiC a 45500 o ach, uiuto novo, e
di secretaria da polica. i arelo a 45-200.
I8SQ. 'decreto n.
5200.
Francos com esencias para tirar noduas de roupa I Z^SS^JtoZ a
Fra^s cora claros de todc os pre5os a ICO, 200, ggS^JjB '" "'" *
Frasees bonitos .oam cheiros finos a 500 rs.
Duzia de meias muilo Tinas para .-cutio a
45800.
GoHinnas omito finas para senfcora a 200 rs.
Caixas eom otilados de chuino para meninos .al
ICO rs.
Duzias de eoSiaeres de tnelal para cha a 800 rs.
Dilas dita dito para sopa, fazenda boa a 15600.
Varas de cordo branco jcara espattilho a 40 rs.
Pecas de tila do ia para debrnm de vestido, cora
10 varas a 600 rs.
Ditas de Lieos superiores, para acabar a COO e
8W rs.
Pedra* do lonsa para me nios a 160 rs.
Caitas de lampar toas para 3 mezes a SO rs.
Dunecos de choro e panno a 160 rs.
Caixas cora bonitas estampas para rap a 100 rs.
Capachos compridos, boa fazenda a 500 r.
Grosas de boldes pequenos prelos para calca a
100 rs.
Todas estas fazendas e para liquidar, pois ludo
est em perfeito etfdo, isio garante o dono do es-
tabelecimento.
a let
t;
do continuar. t*i de:.:.;.~ barate
outra qualquer ; ai ie.
Veode-ee lii ..- de
largaras a !.,.
ribos para senil > bontedu
isi :. s : ;as ,;
l
1.
rend:i e
Ljf poden ene fu -.
randa na livraru Vende-se la para bnltr .
Santo Antonio e'qualidadesede 1 :
petboade eoleanaa lejacBHftii -.
rresiueiites de provincia ditosii^ncs-iediv,;-1^1^1.1.-....
Atlrfcaicoes dos presidentes de provincia, estu- Par;' C!*' 0* ':t' naw UM,
Vende-se pestes de alisar 11
metal a 1,-S, ditoafie dinen
do feto pelo juiz de direite C. J. dj A'idrade Pin-
to. ChfiU ultifiamente iU Rio dn Janeiro esta ,
obra, e ae4a-se a venda na linaria Econmica, i:n.ic ni-iviiini.-ic n...... ^ h,!^
defronle iU ano de Santo Anl uio, e rande-sa por ,naa ",''xa'ni"-,v I - J >>
iCjooo. i es gost


Liquidadlo de machinas para
algodiio;
Chrgou grande sortijonlo de machinas para
desearogar algodao, da 14, 16, 18, 20, 23. 30 e 33
serrotes, de superior qualidade, as quaes se ven-
dem por precos muilo reduzidos e por* menos do
que cm oulra qualquer parte, para liquidar, bem
como motores americanos da ultima invencao, os
quaes se lornam recommendaveis por sua superior
qualidade de fcil canSareio para 0 centro da pro
vfnria; a traiar no deposito do caes de Apolo n. t}$
ou na ras da Cada do Recife. loia de ferracens
0,00 A,
| Fumo da Calila para
a^ Vtnde-se fun.o superior de tedas a'l
>& ooaltdades, a retalho e por atacado, a ;
)H i)r i,r<^s commodd?, no Recife, rua da ;
;. (jeimba n. 1. m
averiado
Francez barrica 55000
l'orlland idera SuOO
Em perfeito estado:
Francez barrica 105000
Porlland idem 125000
No armazem de Tasso Irmos raes do'ApoI!;.
C'otes o ck- fcur! |rlr.f-. .
Veniie-- e >llires .' m l".l m
tirar sonpa a 24, lilas pan cha .
(litdS
para soi:j a iyiOO a r
loja ;c euct ti ir semp:e rr* (vi
rudoorlimecld< mtudeaas: :na-.
,mado. Go, ky'a do bejHhr.
'ttJ.
X"
Vende-se urna bomba de Jifv n. i, propria
para cacimba por estar com canos : na praca da
Independencia n. 33. i
roprietano do prande arm.-.zrr. .> fc lar^o do LivrSmeblo u. 3<*, nao Kn.U. aeH
seguir em enpo a mudanoa de seu ..:..: ,
ler de ser nadada a colerla dessa c?.
do vender o grande e magnifico sornu
, hados e seceos que nelle se arham or l- ro, sem atlendcr so rrr:.de prejnizJ
lo que d'oulra forma nao o poder eviur.
Fio de nlgadno da Rabia.
Vendefse no escriptorio de Antonio Luiz de O!
velra Awvedo ft C,, rn? da Croz c. I.
GAZ GAZ GAZ
Venderse gaz da melhor q\
lia late: nos armazensda ru.
pe^adf 1.16 e roa do Trapiche No

v.
f.. .-.
1%


Oiarfc* i~3 3
GNEROS BARATOS A DINHEIRO
NOS
grades mmim de molidos
&G.
x a H patea do Carm n. 9 armazeru Progresivo ra do Qaeimado n. 71
rj n | Uoio e Conimcrcro ra do Imperador o. 40,
3 -Priacipal armazem de moldados.
OS fPROPRIETARIOS.
Fazcm scienle ao respeitavel publico, e com especialidade aos senhores de en-
gentaos, ljvradores e mais pessoas do cintro, que para mais facilitar suas compras deli-
beraram os proprietarios dos tres grandes armazens, reunir todo? os seus estabeleci-
meatos era am s arinuncio, pelo qaal o prego de um ser de lodos, promette-i
mos que nao infringiremos a tabella que abaixo vai publicado, annunciar os ge eros
por am prego, e na o-:asio da compra quererem por outro, como socede constante-;
mente ftm outras muas casas, porem nos nossos cstabolecimentos n3o se dar istoj
; mesmo com prejuiz nos*o, quilquer pessoa poder mandar seus fmulos que
ser3o tam em servidos como viessem pessoalmente fazeivlo-nos o favor de mandar seus
to cartas feixadas; para evitar qualquer engaos, remetiendo nos urna conta
pela [nal se ver os precos tal qual annuuciarrms, o que senao arrepender pessoai
aa que fizer sua despenca em nossos estabelecimentos; pois poupar mais de
r cento na sua despeza diaria.
teiga ingleza |:erfeitamente flor chegada dem com i a o ditas a 35200.
nllimamente no"\apor Saladim, de 15 dem vasios de todos os tamanhos a 25000,
a 15200 a libra\ em barril ter abat- 15500,800 e GIO rs.
ment. Queijos d 25300 a 25300 os mais frescos.
i!1 iceza muito aova a 900 a libra, e Vinagre puro de Lisboa a 230 a garrafa e
830 em barris. 25000 a caada. -
B tcha de porco refinada a 720 a libra e 700 Ideal mais baixo a 200 rs. a garrafa e 15100
em barris. I a caada.
uxim de superior qualidade a 25800. Azeite doce de Lisboa muito fino a 600 rs.
i iem i j:ula miodinho a 700 a garrafa e 45800 a caada,
: i.vsson especial qualidade de 25400 a Toucinlio de Lisboa novo e muito alto a 320
_ .ido a libra. a libra, e em barril de 5 arrobas a 95'i00
dem prelo muito especial a. 25000 e 25*00 arroba.
a libra. Ceneja Bass do fabricante Shlers & Bell a
dem do Rio em latas le 'oOOO e a 800 a' 65300 a duzia e 640 a garrafa.
libra. dem Bass do fabricante T. F. Asbe a 65000
Lal is co Q biscouto de todas as qualidades a duzia e 380 a garrafa.
'a 10200. dem marca II Victoria AIsope e outras
i un da creditada fabrica de Biato Antonio' militas marcas a 3$ a duzia e 3(50 rs. a
Lisboa) proprias para dar a doeutes a' garrafa.
' e 35 a lata. Sabio primeira qualidade a 220 rs. a libra
., laxioua rogleza muito aova a 35300 a bar- -e 210 em, cauta,
: ica e a 210 rs. a libra.
AURORA BRUJANTE
GIWS ARMAZENS
HE
mmmm
Largo da Santa
Cruz n. 84, es-
quina da ra do'
Sebo. i
GOMMA NOyA.
Em paneiros muito alva a 4,ooo rs. a arroba e i6o rs. libra e compran-
do de um paneiro para cima se far abatimento na ra do Imperador n. 40.
r&
mwMimMmm
Largo da SantaSR%?
iCruzn. 84, es-mt
wpiina da ra doj|H|
sSebo. ^1"
jKmm..
molhados denominado Au-
!MIESPEC,AES
rora BrUhln%?*"0 do muito acreditado armazem de
T2, T ter mes sortimento de gneros de primeira qualidade.
! Nenhnm-.rm?6 S""V.ra' a todos de base Para aJuste de contas aos Portadore.
Dlo SSf andera' mais barato e melhores do que a Aurora Brilhante, ja1
> ero ouAntn XII qae tem- **' mesrao Pr,IDfi seu dono s deseja tirar diminuto lu-
Droveitar t pa.ra ,ac'ar as despezas do estabelecimento por isso deixe se a-
tantes freguezes fazer toda a dili&encia> afim de servir bem os seus cons-
>Latas|om 8 libras' dechouricas muito novas,
ii bolaxinba de oda e oval a 23.
ebegado
DO
P.esunto ing!cz para fiambre
Itimo vapor a 800 rs. a libra.
>: i iirigos c paios muito oovos a 640 rs.
li ra.
. mu macarro I ilharim muito novo a
i.JOiX) e 320 a libra
r i branca e amarelia a 300 a libra.
liate portuguez de especial qualidade a
i a libra,
i suissode 8-?0a 15100 a libra.
a 180 rs. a libra e

dem segunda qualidade a 200 rs. a libra e
180 rs em caixa.
Sabao inglez superior
160 rs. em caixa.
Gaf primeira e segunda sorte a 65300,
75300 e 8) a arroba, e de 220 a 280 rs.
a libra.
Arroz do MarauSo 3.5200 a arroba e 100
rs. a libra.
dem da India a 2,5600, 25800 e 100 rs. a
libra,
r iol verdadeirVibOO a libra Cbarutos Normas de Havana a 55300 a cai-
. ; ven I m is a 1 HOO. sa-flt! Simas (J"s Furtado).
i i asea de ia >a em caixoes de 6 li- Wem Londrmos a U, idem.
ras seguro a l(800, Wem Parasienses a 4300,
700 rs. e de ''^em Delicias a 1^300.
em caixoes pequeos a
ira ci na a ?iO.
dem Traviata do Rio a 3 >30O.
i iem occo em bocetas ament enf .-itadas, dem varetas de Manoel Pexoto da Silva
do pera, pes go, amcixa, rainha. Ne!t0 ;1 3^0!) e 1,^00 a meia caixa.
i]li is i' itas a 3.^000 cada urna.
. im calda em latas feixadas hermetica-
- mente muo bem enl'eiladas, contendo,
;. pesego, ameisas e outras frutas a
.) c 700 a I a (2, tambem temos latas
indesa i >200.
'. melada dos m fabricantes, em la-
de 2^000 a t&OO.
dem em latas de 1 i, libra a 1$.
em :!as>;.j 1 libra a 6i0 rs.
;; ilhas em latas i b I is oeste ultimo va-
: a 700 j do >' para cima a 640 rs.
v rde oa carrapato em latas j pre-
parado a G 40 rs.
isas em frascos te vidro a 15300.
. lu e o caixinhas ricaalente enfeitadas de
lOa |500.
as Mexide maita novas a 700 rs. o
frasco. '
: a le bolas simples a 700 rs.
inglez a 640 rs. o frasco com io!lia
!ro.
m p a 700 rs. o frasco.
reparada a 320 rs.
La com uiassa Je hate de 1 libra a
i rs.
. latas de 1 !j2 libra a 900 rs.
- ni garrafas vindos do Porto, Madei-
i >e a, Duque d Pi rto, Duque Semi-
no, Cascavallas, Maria Pia, D. Luiz, Pe-
dro V, Vellio Secco, Lagr mas Doces, La-
grimas do Dooro, e uutras militas marcas
a i j a garrafa i "- 125 a duzia.
dem Palmella a l> a garrafa e 11/jOOO a
uia.
dem em pipa de todas as marcas Porto,
F o teira n Lisboa a ^0 c 500 rs. a gar-
. ifae 2>800 a3^300 acunada.
.. ra ancorlas e 8 a 0 caadas com s'i-
dem suspiros
Figueira a 2i a
a garrafa e 3.J300
or finho Lisbca
treta.
. Iem branco expecial qualidade proprio para
a 5 i' rs a garrafa e 4 a caada,
dem mais baixo a 03
;anada.
: iem do Porto especia! qudidade a 800 rs.
irrafa e 3)300 a caada.
' ; leaos em caixas a 7,5 e 700 rs. a
- rafa. *
nba a meliior do morcado vinda de
-1 encommenda a30 ogigo.
: I" a mais baixa de 18> a 20| e 15300 e
do mesmo fabricante a 1^00
a meia caixa e 3>200 a caixa.
dem mece'ipes a 10700 a meia caixa e
35000 a caixa do mesmo fabricante,
dem orientaos do mesmo a 15800 a meia
caixa e 33400 a caixa. (
dem jovens de Castanbo* Filho a 25400
a caixa.
dem suspiros do mesmo a 15 >0) a meia
ca'rxa, e outras muitas marcas de fabrican-
te^
Passas muito novas a 1J30D o quarto e 55
a caixa de urna arroba bespanhola e 320
a libra.
Yermte bebida para abrir a disposico de
comer a 15300 a garrafa e 145000 a
caixa.
Alpisla muito novo a 3.^800 arroba e 140
a libra.
Painco a 45000 arroba e 140 a libra.
Peixe em latas j preparado a 15200 a lata
e em porcao 15000.
Sardinbas do Nantes a 400 a lata.
Tijollo para limpar facas a 100 rs.
Esparmacete a 000 a libra e em caixa a
380.
Vcllas de carnauba a I45OO0 arroba e 440
a libra.-
Azeitonas de Lisboa muito novas em anco-
,Dmffif>7? co!n,p*ixe emP stasinteiras,
So! J 'a lm>,j;280e
|DgCr, aSS'rseXCelleme Pe,SC para fri"
; US! com 5Sft n6?l0a^ensopadas'a 72rs-
lD1i2sPfl2ame,Xa.S2 ,5200' 3800 e 3*300.
AbSLmls d0afamad0 fabricaQte
jDitascom massad tomate, a 300 rs.
? 25Ce023"oo.S,leCOmadre' nV0S' a 1S00'
f^uSf b0lachinha de soda muil novas. a
t*h!gg*i5SJfw ln8eze9de ranitasqua-
. Chocolate.
oaixinnas com ameias enfeitadas proprias
lrhP i3 m,m a '3200,25800 e 3;200.
8Ma?oSoerOr mU't0 D0V' alibrade
.Ma^arrSo, taJhariara e aletria amarelia, a lra
Dito dito dita branca, a libra a 100 rs.
taixas com estreliuha, pevide, e outras mas-
sas, a caixa 33300.
pas dita em libras a 6i0 rs.
Lhag, a libra a 3G0 rs.
jSevadinha-para sopa a libra, a 2i0 rs.
Ervilhas seccas, a libra a 160 rs.
Uitas descascadas, a libra a 200 rs.
[Tapioca muito nova, a libra a 230 rs.
rannha de araruta verdadeira, a libra a
' oOO rs.
*Arr2 HaraaMto. em sacco. a arroba a
25400 e a libra a 80 rs.
.Dito da India e Java, a arroba a 35200 e a li-
bra a 100 rs.
>Toucinho de Lisboa a 9J300 a arroba e a 320
i rs. a libra.
>Diirne Sanlos> a arroba 730 a ''bra a
260 rs.
.Molhoscom 123 ceblas grandes, a 1J280.
JMostarda franceza, caixa com 2 duziasa
7O00.
I Frascos com mostarda proparada em viaagre,
j a 400 rs.
Ditos com conservas inglezas
6i0e800rs.
f Ditos com sal r.-nado fino
e francezas, a
a 6i0 e a 300 rs.
V'inhe verde superior. K
A caada a 3*000 e a garrafa a 400 rs. Jar
Gouima. SK
Saccas de 4 arrobas, a verdadeira de sei^1
engoramar, a arroba a 3*000 e a libra X
120 rs. m
Sabao massa, a libra a 200, 240 e 280 rs. |gj
Farinha. rife
Saccasgraudes com farinha de Goianna mui-jiSn
to nova, a 3*000. ^
Caf. Jl
Caf do Rio mnrto superior, a arroba a 8*,4HR
85300 e 9*000. C?>5
Cha. Cf
Gh.teraos nestes generoso melhor possivel,^^
hyson, a libra a 2*600.
Dito perola a 35000.
Dito uxira a 2*700.
Dito hyson muito fino a 2*800.
Dito redondo a 2J300.
Dito preto de primeira qualidade a 2*500. JaG
Dito mais baixo a 2*000 e 1*600. V
Erva mate. ^j
Excellenle cha medicinal, a libra a 240 rs. OB
Espermacete. ?.c
O masso com 6 vellas de espermacete a 600, tfjfc
640 e 720 rs. C^
Passas.
Caixas de 16 e 8 libras de passas novas pro-
prias para miraos a 4* e 2*300. jf
Nozes. r^jn
Nozes, a libra 160 rs. e arroba a 4*000.
Alpista e painco. yf
Alpistae painco, a arroba 4*000 e a libra a Jt
160 rs. ra
Cartas. ^ 4>
Cartas finas para logar, a duzia a 2*500. C??*
Cutaikaa.
Castanhas novas vindas neste vapor,
ba 4*000 e a libra a 200 rs.
Azeitonas.
Barris com azeitonas novas a 1*500
Manteirja.
Manteiga superior, a libra a 1*280.
Dita mais abaixo a 1*200.
Dita menos superior a 15 .
Dita franceza nova, a libra a 880
Dita dita em barris e meios ditos, a
arro-
libra
Ditos com a verdadeira genebra dolaranja, a, Dita para tempero a 400 rs.
00. Queijos.
Qupjos novas vindos ueste vapor a 2*800 e8|;S
35000.
Ditos londrinos muito novos, a libra
1*000.
Papel.
Papel al maco pautado, a resma a 45800.
Dito dito lizo de linho, a resma a 4*300.
Di lo de peso lizo e paulado, a resma
2*500.
Dito deembrulho.bom a 1* e 15200.
;- a garrafa.
'.. c ires portugueses e francezes a 1 51000 e
1 "-.300 a garrafa.
i [uino de Zara, verdadeiro a t#5O0 a
irrafa.
.. is abaixo a 800 rs. a garrafa,
bra de laraoja ver adeira a 115 a du-
1 > o frasco.
t de Hllanda vcraleir: a 6-5 a fras-
eira e641) o frasco,
lile :ambiro a 5*HO0 a frasqueira.
; em botigas de lljllanda a 400 e 440
. o frasco.
com genebra de lollanda com 24
Ij inafas a 8, com garrafao.
com 14 a 13 garraCas a 65.
retas grandes a i?800 e a 400 rs. a gar-
rafa.
Balaios do Porto muito grandes proprios
para guardar roupa suja a 2o00, 35000
e 45000
Batatas em gigos de 3 i libras muito novas a
800,'ea40rs. a libra.
Gomma em paneiros a 45000 arroba e 140
a libra.
Farinda do Maranhio muito alva e nova a
40 a libra.
Ssvadiona de Franga para sopa a 200 a li-
bra.
Sevada muito nova a 140 a libra e 45000
arroba.
Caixas com estrelinlia, rodiaha e pevide a
400 a libra.
Alhos em canastras muito novos e maungas
grandes a 80 e 200 rs cada urna.
Canella muito nova a 15000.
Cravo muito novo a 500.
Cominho idem a 320.
Ervadoce i Iem a 400.
Alfazema flor a 240.
Amendoas a 400 a libra.
Nozes muito novos a 160.a libra.
Papel greve a 45200 a resma.
dem lizo a 45000.
dem de pezo a 35000.
dem de embrulbo marca grande a 152f*0 e
15300.
dem azul para botica a 25000.
Copos lapidados a 55300 e 300 cada um.
Palitos de dentes, magos grandes a 120 ^e
160 cada um.
Fumo americano de chapa, de superior
qualidade a 15300 a libra, em porejo ter
abatimento.
l
Ditos de2 garrafas de lollanda verdadeira,a
o 40 rs.
Botijas com dita propria para negocio, a
400 rs.
f Garrafoes com 2 galoes com dita, a 6*.
iServeja boa, marca, a 500 rs. agarrafa, e ai
| duzia a 63OOO.
'Vinho muscatel de Setubal, a garrafa a 15.
Marrasquinho verdadeiro, frascos a 8CC rs. e
a 15200.
fChampagne,'a duzia 20*000, e a garrafa a
, 25000.
\ Azeite refinado portuguez e francez, a garrafa
' a 15000.
Caixa de vinho Bordeaux muito superior, a
> 75, 85,93 e 105 a caixa.
I Ditas com dito branco, a 75 a caixa.
Ditas com dito lagrimas do Douro verdadeiro,
a 205.
Ditas cora duque do Porto verdadeiro.'a
183000.
k Ditas com chamlssn superior, a 145.
SDitas com Porto velho e outras muitas mar-
cas, a 12*.
>Vinho do Porto da pipa, a garrafa a 640, 720
? e800rs.
Dito de Lisboa muito bom, a caada a 3*200,
{ 33500 e 43, e a garrafa a 300 e 560 rs.
Dito da Figueira, dasseguintes marcas (.\.)
(J. A. A.) (J. L. G.) (O. M.) a caada a
j 45500, e a garrafa a 560 e 640 rs., deste
t que j est engarrafado e lacrado com o
rotulo do armazem.
Ditos de marcas mais desconhecidas, a cana-
) da a 3*300 e 4*000, e a garrafa a 480 e
520 rs.
.Vinho branco fino, a garrafa a 640 rs.
Dito de caj muito superior, a garrafa a
i 800 rs.
ANTIGA CASA
DE
5
GTJILHERME DA SILVA GUIMARES.
CRESPO 5
NOV1DADE
ras
nQinC?teS d^ a!paki| escceza, cores brilhantes com listas de seda de .
pelo diminutissimo preco de 95 cora 13 covados, que vem a sal.ir a 600 rs.
ig'-
Veslido de pura
CORTES DE TARLATANA
DDa2a nafr?rLd,a froxa.,com flores, de cambraia em releuo.
pnantasia para casamento, partidas, etc., etc.
Vest mentas para creancas
objectos de gosto com primorosos desenhos de tranciohas sobre fifyao.
r CORTES DE SEDA A 30^000.
tissimo prS CrteS de fllard de seda com lindas barr s malisadas l** estedimma-
Capas- Paletos. Linbos
Loulambarques. Caigas. Algodes.
Manteletes. .. Colletes. Las
Cbapelinas. Camisas, Sedas.
Chapeos. Ceroulas. Selins.
AOS SENHORES DE ENGENHO
Excellentes cobertores de algodo escuros pelo barato preco de,
800 iEIS.
Algodoas americanos.
Cobertores brancos de algodo. 1
Chitas escuras a 240 rs.
Algodo de Minas.
f, CHALES I>E Fili DE SEDA
campo azul, magenta e roxo com barras pretas e brancas.
Fazenda de infinito gosto.
Vinho Kadeira.
Garrafas com o verdadeiro vinho Xerez e Ifa-H]
deira a 1*500 e 23000.
Temperos.
Folhas de louro, pimenta do reino, cominho j
e cravo, a libra a 400 rs.
Velas de carnauba.
Massos com 6 velas de carnauba refinada a
480 rs. k'
Amendoas.
Amendoas com casca, a libra a 320 rs.
Doce.
Caixoes de doce de goiaba, grandes a 1*400$]
e pequeos a 640 rs.
lijlos de limpar.
Tijolos de arear facas "T40 rs.
Graxav
Duzias de boioes dfegrra n. 97 a 2*000, e Xi\
de latas aTSOXJoTe os boioes a 240 rs. ca-rn
da ura, e as lalas a 100 rs. i3U
Charutos linos. Sgjl
Charutos Anos dos liielhores fabricantes da k
Bahia por diversos presos, caixa: e raeias^j
caixas.
3&\mm wM&%
DE
Gregorio Paes do Amaral & Compauhia.
3
i
UCHIN48 BEPAf W
de trabalhar mo parr
descarocar alg-odo
FABRICADAS
Por Plant Brothers & C#
OLiAl
^_2T'
E grande quantidade de gneros tendentes
estes estabelecimentos, que deixam de an-
nunciar-se.

.estragar o fio
'-fi^k^-^T^' sendo bastant
MrjllM W__. duas pessoas para
o trabalho; pode
descansar ums
arroba de algo-
do em earoct
em 40 minutc.v
ou 18 arroba;
por da ou 5 ar
robas de algodi
limpo.
Saccas grandes com 100 libras de farello superior
:j mmmmmm
mmmk
43000 a sacca.
N. IIRa do QueimadoN. 11
LOJA DE FAZENDAS DE
Augusto Frederico dos Santos Porto.
Chegou a este estabelecimento um grande sortimento de cortinadas bordados para
camas fazenda de muito gasto.
diales de guip muito Unos para 22*, 23* e 30*.
Colias de seda superiores de diversas cores para carass da noivas.
^vColxas de laa e seda para cama tambem de bonitas cores,
fiotondes de guip enfeitados com o melhor gosto.
Setim de Paris bella fazenda e de bonitas cores para vestido a 700 rs. o covado.
Moureanllque brauco e prelo, grosdeuapte preto e de cores, pannos pretos de todas
as qualidades, ditos azues. .
Casemira preta e de cores, merino preto, silistrina, bombazinas, alpacas pretas, e
laa preta para lutos.
Malas, saceos e boleas de tapete, verniz e couro de 4 a ll~>.
Brins de linho de cores finos a 1*800 a vara.
Chapeos e chapelinas de palha de Italia para senhora, manguitos bordado?, cnapuos
de seda para homem, chapeos de sol de seda, esguio de linho, cambraia de linho, breta-
nhas, silesias e muitas outras fazendas que se voadem por coramoios pregos assim como
tambem .
Esteiras da India para forrar salas
Em casa de Tisset Freres ra do Trapiche n.
, tem para vender :
Vinho B rdeauxem barricas e era caixas.
Dito de Santerne fino.
Dito d^ Champagne muito superior.
Cerveja franceza marca Bobee.
TaStso Irnaios
venden) gesso em p para estuque de casas, tijolos
finos de feitlo diversos para ladrilho, azlenos de
diversos gostos, tijolos vidrados para parede de co-
zinha, canos de barro para esgoto, cemento em
barris de 10 arrobas.
Assim como machinas para serem movidas poi
animae?, que descarogatn 18 arrobas de algoda
lirapo, por dia; e motores para mover urna, duas,
utrjs dessas machinas.
Os raesmos tem para vender um bellissimo va-
por que pode fazer mover seis destas machina!
mencionadas; para o que convida-se aos Sr..
agricultores a virem ver e exmina-!o, no arma-
zem de algodo, no largo da ponte nova u .17.
Saunders Brothers & C.
X. II, praca do Corpo Santo
; RECIFE.
Os nicos agentes neste paiz. ________
Attenco.
o
Vendem-se pegas de esteiras para forro de sala,
tinta branca preparada a oleo, em latas de 2o li-
bras, para pintar casa, relogios para cima de me-
sa e para pendurar, arreios para 1 e 2 cavallos,
velas de spermacete, tudo de superior qualidade,
vindo dos Estados Unidos : no armazem da ra do
Trapiche n. 8.__________
Goke do gaz.
pitch do gaz.
Alcatro do gaz.
Coke tonelladas rs. 10#000
Pitch ..... 80,5000
Alcatro caada..... 400
O coke reconhecidamente o carvao mais econ-
mico, torna-se por isso recoramendavel, bem co-
mo pelo asseio que se nota as cozinhas aonde
lie usado. Pitch e alcatra.alm das applicacSes
diversas a que se prestam, como para callafetar
embarcacSes.alcatroar madeiras,etc.,teem este a
propnedade de preservar do cuplm, forraigas.etc.
E' entregar na fabrica dogaz ou mandado por em
qualquer ponto da cidade, segundo a vontade do
comprador.
Instrucooes para o servido
das guardas do exercito, extrahidas do re-
gulamento de infantaria e accommodadas ao
exercito brasileiro; obra que muito convin
aquellas pessoas que se alistam nos corpos
de voluntarios; vende-se na livraria n. 6 e
8 da praca da Independencia, a ifi.
Superior yinbo do Porto.
-N'a ra do Vlgario n. 1*, escriptorio de Domin-
gos Alves Matheus, tem para vender muito supe-
rior vinho do Porto em calas de urna duzia, e an-
coretas de 10 em pipa por prego mdico.
GEANDE LIQIDACAO
A DI.MIEIRO,
i\a loja c armazem de Grinares 4 Ir-
mo, roa da Impertriz . 72.
Os dorios deste estabelecimento eslo re-
solvidos a liquidar suas fazendas por prero
baratissimo, s com o fim de ad juirireni fre-
: guezia ; e previnem s pessoas, que nf go-
Estasmachmai ;'ciam com fazendas, que nesla loja e arnraein
'- _^ podem descarocar jencontraro seaipre um grande sortimento
auaiquer espo'ci- por menos 20 por cento do que em outra
qualquer parle, tanto em pecas, como a re-
talho. Vejam :
Chitas a 210 rs. o rara*.
Vendem-se chitas preclaras francezas com
assento braceo, escuro, cor de carina e par-
da, pelo barato preco de 240 rs. o covado,
afiancando-se que esta fazenda no est;i po-
dre, e nem tem o menor deleito: isio s na
loja e armazem de Guimaraes A Irmo,
n. 72.
Cambraia branca, grande .'ruara!*.
Chepo a este eslabt lecimento um gran-
de sortimento de cambraias brancas de le-
das as qualidades pelos precos reduzidns de
.15000, 3^300, 45, 45O0, e muito Tina a
05, vende-se por este prefo por ter grande
porcao ; cambraia organdy de 2O e :00rT
o covado; dita franceza,"a mais fina que
tem virido a este mercado e dos mais ele-
gantes padroes, a 400 rs. o cavado, bara-
tissimo; chaly de seda de apurad) gosio a
900 rs. o covado : isto s se vend na loja
e armazem de Guimaraes & Irmao. n. 7
Para a festa de S. Joao.' I! bailes e jm*rm.
i hegaram a este estabelec ment, pelo
ultimo vapor francez, ricos cortes de finsi-
ma cambraia com lindissimo chuvisq inlro,
que faz um elTeilo magnifico, e mmi
pelo baratissimo preco de ?i-J o corle, Taaen-
da que val 10^ em culra qualquer parte ;
cortes de la com barra a 95 e 12 : isto s
na loja e armazem de Guimaraes Irmao.
n. 72.
Para acabar por leda prec.'.'.'
Bretanha de rolo com 10 varas a 35 a pe-
ca ; madapolo infestado com 10 raras a
35200, 3>00 e 45 a peca; ricos bordados
em fina cambraia a 800 rs.; soutembarque
magnficamente enfeitado a 55 e 65; lan-
zinha a 300 e 400 rs. o covado; damasco
do 2 larguras a 15280 o covado; chales de
merino estampados a 25; cortes de case-
mira a 25500 e 35; bales americanos,
tanto para senhoras, como para meninas a
35, tendo 30 arcos.
Roupa feita de todas as qualidades e hBaaas
Que se vende mais barato 25 por cento do
que em outra qualquer parte: ito sopara
liquidaco: na loja e armazem de fazendas
de Guimaraes & Irmo.
xsrRUA DAIMPERATRIZ, N. 7xa
Vovena de Xssa Meafcora di
Carmo e de *ani' lana.
Vend^-se na roa do Imperador o. 15, offi-isa
de encadernaco : o officio, salve e versos, nove-
na e salve d Nossa Senhora -> Carm \ tros f Ihetos per 300 rs.,e a novena de Sant'Ana roe
350 rs.

c.


Diario de Pernawbuco -- Terfa lelra 11 de tlnlho de 5 565.
NOVO GERENTE
0 PUBLICO
Sem o niCDor eonsii an
gimento se entregar
importe q genero que
nao agradar.
ESTABELECIDO A RA NOVA N. 60 ;
AO
RESPEITATEfi PUBLICO.
A apreciac3o dos habitantes desta heroica provincia existe no grande arma-
zem da Lisa estabeleciclo roe Nova n. 60 um magnifico sortimento de molnados
que sendo em sua roaxim. parte mandados vir directamente do estrangaro podem ser
vendidos por precos asssrazoaveis. __ ..
Sem a fatuidade de querer que este novo e interessante estabelecimento seja o
primeiro e nico em seu genero, pde-se porm affiancar, com toda a seguranca de que
nenhum outro o exceder no restricto cumprimento das seguintes promessas:
l; Delicadeza no trato.
2: Fdelidade no peso.
3/ Sinceridade nos precos.
As pessoas que por sua posico social gozam de certo tratamento, acharao nestn
casa os melhores queijos londrinos, cerveja, vinhos fmissimos manteiga e cha sempre de
primeira qualidade. ete., etc.
Qualquer que seja a condico do freguez, elle deve contar que sera sempre mul-
to bem servido.
\quelles que sao pouco favorecidos da sorte farao mensalmente urna economa ae
muitas patacas, afreguezando-se nesta casa, onde se Ibes vender o arroz, o cafe, a man-
teiga oassucir, etc., etc. de boa quadade pelo preco que em algumas partes nao po-
dem ou nao querem vender. ___no _a
Os senhores de fra da cidade, dos arrebaldes ou centro, que compran) para ne-
gociar, devem vir, pelo seu proprio interesse, a esle estabelecimento para se convence-
rem do quanto se pode vender barato.
Para os senhores que compram para tornar a vender existe um sortimento rspe-
cial, escoltado por pessoa entendida que certamente muito deve agradar aos sennore-
compradores. L. _
Nao se tem poupado sacrificios, nem se deixar de fazer a diligencia para agra-
dar a todos. ) ^.,,-^-n
PELOS SEGU1NTES PRECOS SO SE \ENDE
A DIMHEIRO A VISTA:
ATIENDO
O presos da seguate
tabella para todo, po-
decdo asslra servir de ba-
se para o ajuste de coaitas
com os portadores.
GRANDE
MItZEI-itiUhMS
Hiatol docommerei)
I* O.
RA DA CADEIA DO RECIFE N. 53
(Logo passando o areo da Concelc*)
PARA BEM DE TODOS.
Senhore?- 'horas, o aceio que presidio aos arranjos deste novo estabelecimento. e mais que tudo a promptida'o e tei-
reza com que'serio tratf i isa"envida a urna visita ao mesmo, certos de que sem duvida me daro a proteceo e preferencia na com-
nra dos geneifos que precisar^ e quando nao possam vir poderao mandar seus portadores, ainda que estes pOis serao tac
tra rsrfe.
Mmleiga ingbza especialmente esctlbida a
bem servidos como seviessem pessoalmente, havendo para com estes toda recommendaca"o, afim jde que novocm
l.ooo e 8oo rs. a libra e em barril se faz
abatimento
dem franceza a mais nova do mercado a 96o
rs. a libra o 900 rs. em barril ou meios.
Cha hysson de superior qualidade a 2,600
rs. a libra.
Cha perola o mais superior do mercado a
2,8oo rs. a libra.
dem hysson-nimio superior em latas de 15
libras muito proprio para negocio a 2,ooo
rs. a libra.
dem hysson acional em latas de 1 e 2 li-
bras a l,6oc rs.
dem preto o que se pode desejar neste ge-
nero a 2,ooo e 2,2oo rs. a libra.
A
ALPISTA a 120 rs. a libra.
dem e painco de oito libras para cima a
100 rs.
Arroz de 90 rs. a libra a........
Amendoas. casca melle, a 280 rs. a libra.
AvellaS a 210 rs. a libra.
Ameixas francezas em latas de todos os ta-
annos.
dem idem em potes de todos os tamanhos.
dem idem em bocetas de todos os tama-
nhos.
dem idem em frascos de todos os tama-
nhos.
Azhte doce de primeira qualidade a 560 rs.
a garrafa.
Albos a 200 rs. o molh.
Absyntho a 2->OO0 a garrafa.
II
B0LACIIINIIA3 do Beato Antonio em latas
grandes e pequeas.
dem do Principa Alberto, a 25000 a lata, c
de cinco para cima a 1800.
dem de so la em latas grandes a 2s000 e
de cinc para cima a iSOO.
Biscciros inglezes de todas as qualidades a
|eOO, 15250 c 15300.
Bolo francez em caixinlias a 300 rs. cada
urna.
Batatas inglezas.
Baniia de porco refinada.
C
CHOCOLATE francez a 700 e 800 rs. a li-
bra, e em porgao a 600 e 700 rs.
dem suisso a 1> a libra.
dem de musgo a 15500 a libra.
Chocricas muito novas a 800 rs. a libra.
Cat a'210 e 260 rs. a libra, e em porco
se far abatimeulo.
dem de primeira qualidade a 75000 a ar-
roba.
Conservas em frascos a 320 rs. cada um,
sao muito novas
dem inglezas, frascos grandes.
Champagne de todas as marcas.
Cuaiioi i: de grosella, orehata, etc., etc.
Chicaras e pires a I 300 a duzia.
Cerveja da superior marca Tenente a 500 rs.
a garrafa, e em duzia se faz grande aba-
timento.
dem Victoria Bas tres X e deoutras marcas.
Charutos das mais acreditadas marcas, co-
mo sejam : Normas d'IJavana, Exposico,
Flor do Brasil, Parisienses, Delicias, Gua-
nabaras, Trovadores, Uegalia, Mississipes,
Panetellos, Aprazivas, Varetas, Brasilei-
ros. Americanos, Fluminenses.
Cii de todas as qualidades e de todos os
precos, hysson, huxim, aljfar, preto, e
preto pona branca, etc., etc., a 25000,
252 0, 25560 e 25800.
Coi'os lisos de todos os tamanhos de 120 a
- 320 rs.
dem lapidados de todos os tamanhos a du-
zia a 25500, 35500, 4 e 55-
Clices de todos os tamanhos.
Cognac superior a 15 e 15500 rs. a garrafa.
Cigarros do Rio, pardos, a 80 rs. o mago
de cinco macinhos.
1>
DOCES de todas as qualiades: brasileiros,
portuguezes, inglezes, francezes, etc. etc.
. 13
ERVIUIAS seccas a 120 rs. a libra.
ervadoce a 400 rs. a libra.
FARINMA SSSde 8 libras para cima a 120
rs. a libra,
dem de araruta a 320, 400, 500 e 810 rs.
Figos de comadre a 160 rs. a libra.
Feijo verde em latas a 000 rs.
Favas em latas a 000 rs.
Fumo do Rio a 500 rs. a libra,
dem americano em latas a 2-5-
Fareleo ha sempre em deposito de 500 a
800 saceos, de todas as qualidades, de to-
dos os tamanhos e de todos os pregos.
6
GOMMA a 50 rs. a libra.
dem a 140rs. a libra, m jilo alva.
Grao de bico a 120 rs. a libra, e em porgo
se faz grande abatim.er.to.
Genesra de laranja venMeira a 10000 o
fras,
Graixa em latas, muito nova, a 80 rs. cada
urna.
K
KIRSCH de Wasseb a 25 a garrafa.
LATAS com graixa a 80 rs cada urna.
Letria a 400 rs. a libra
SI
MANTEIGA ingleza e franceza de primeira
qualidade a 15, 15120 e 15280, em bar-
ril se faz grande abatimento; a que ven-
demos por i #280 a I ib: a, vende-se em
outra qualquer casa por 15400 e 15500.
Marmelaba dos mais acreditados fabricantes.
Macarrao e talhari.m a 320 rs. a libra.
Massa de tomate a 600 rs. a lata.
Mostarda ingleza a 800 rs. o frasco.
Momio inglez de todas as qualidades.
Marrasquino verdadeiro de Zara a.....
Massas finas para sopa branca e amarella a
60 rs. a libra, em caixas com 9 libras a
OoOO.
Miliio paingo e alpista, sendo mais de 8 li-
bras a 100 rs.

NOZES a 120 rs. a libra.
INabos em latas a 800 rs.
O
e americanas.
Alelria, macarrao e talharim a 4oo rs. a li-
bra e 6,ooo a caixa.
Sal refinado c-m frascos de vidro com tan.a
do
mesmo, a 5oo rs.
Massa para sopa : estrelinha, pevide e rodi- Cerveja branca das marcas mais acreditadas
nba branca ou amarella a 64o rs.a libra e que \cm ao mercado, a boo, 56o e 04o
3,5oo a caixa com 8 libras! a garrafa, e 5,8oo, 6,000 e 0,5oo a du-
Vinho do Porto muito fino proprio para zia.
engarrafar, em ancoretas de S caadas a Cevadinha de Franca muito nova, aSocrs.
35,000 rs. Charutos do aflamado fabricante Jos Furta-
Vinho em pipa : Porto, Figueira e Lisboa a do de Simas, das seguintes qualidaoes:
32o, 4oo e 5oo rs. a garrafa, e em caada Exposigao Normal de Havana, Imperiaes,
a 2,ooo, 3,ooo e 3,8oo.
Vinho branco de Lisboa de excellente quali-
dade a 4oo e 5oo rs. a garrafa e em cana-
da a 3,000 e 3,3oo.
Vinho branco para missa em caixas de 1 du-
zia a 8,000 e 680 rs. a garrafa.
Linguigas muilo novas a 800 rs.a libra eem Vinho do Porto das melhores marcas que
vem ao mercado como sejam : Lagrimas
barril se faz!abatimento.
Chourigas e-paios a 800 rs. a libra.
Costelletas inglezas a 64o rs. i libra, serve
para temperar panella ou para fiambre.
Queijos do reino chegados neste ultimo va-
pora 2,2oo rs., ditos de navio devella a
2,ooo rs.
dem londrinos muito frescos e de superior
qualidade a 800 rs. a libra,
dem prato a 800 rs. a libra, e inteiro se faz
abatimento.' I Bolachmhas inglezas muito novas a 5,ooo a
dem suisso o mais superior que tem vindo barrica e 320 rs. a libra.
como sejam
do Douro, Duque do Porto, Rainha de Por-
tugal, Duque genuino, D. Luiz 1, Madei-
raSecca, Malvazia fina a 16,000,15,000,
12,ooo e lo,oooacaixacom 1 duzia e9oo,
l,ooo e l,5oo rs. a garrafa.
Vinho Cherexde superiorqualidadea16,ooo
a duziae l,5oo rs. a garrafa.
Sardinhas de Nantes a 4oo ts. os quartos e
64o rs. as meias latas.
Londrinos, Guanabaras, Parisienses, Sus-
piros Delicias, a 4,ooo, 4,5oo, 5,000,
6,000 e 7,ooo a caixa ou em meias.
Charutos finos de diversas marcas e fabri-
cantes, como sejam: Flor do Norte, Ma-
nilhasde Havana, intervallos,Vencedores,
Panatellas e Suspiros, a 2,ooo,2,5oo e
3,ooo a caixa.
opnac inglez das melhores marcas, a 800 e
l,2oo a garrafa.
Doce da casca de goiaba a 2,000 a lata com
4 libras.
Farinba de araruta verdadeira a 32o r--. al
libra.
Matte,excellente cha para os navegantes, a|
2oo rs.
Sebollas de Franga muito grandese novas
a l,8ooo cento e l,2oo solas.
Palitos do gaz a 2,2oo a gr^sa.
Ra do Eangel n.
O proprielario desie MaMec-in 1' >.
ra de avisar aos sen frvKUPZrg ')u- le :t-
te redurcao uos precos de .--eus p^-i i
ra qaalidade : nianttiga ingleza Ir e \i-' r-- a
libra da ultima cliejia'd. ao mmd : '< u
linreza a 900 rs. c em oarril ub:
f|ueiJoi flamengos hotos a 2A30U, di ,
se pode desejar em bDdade a *) :
: ''isas ArMeetas raixinhas a !,'
iH0, frascos de ditas !iu,graii.: i
;; ra mimos, marn.< ala das p.< \\< r-
1 I) rs. a libra, auieoot.as riii...,.- arafritn
'le S. Joao a 640 rs., ftafco lo Pon t '.
.1 j-arrafa, Figueira e Lii-boa 400. \'.u 300 i-., e
i-t ranada se faz o aliaiinienlc, rail bal
toro 2 arrobas por3j3DOe a libra -
caf 1" sorte 7800 e 70 e i i ti >
tiolachinha ingic7H 2' 0 rs.a libra.'
Li>boa a 360 rs. a hbra, velas rs., dilase>teariaa> lina- a 60" rs-, (>reooifl < '
guez a 600 rs., alpisia : 3500aan U ...
a libra, pataco a t#a d la t iO n
no a 2:0O, l#700 e iJMO, frofia-
640 a lata, gnmri'"1 a 100 rs. a libra
roba, buliuihos ing eies lata da "2 k i..- l 60,
ditos le soda grandes SgViOO o ou:
ros fjue se terna enfadosbo mencin r. . :, ri*
(ario espera a ronrurrenria doi -;;'
garanlindo a cxactii.;io do que trai;.r.
Vtnrtem-se paWmras nii|iri. .
de serem iransplaniad: >: bo ti:i" '
querda, depois d'. Leerj do Es| aben -
nietos.
ao mercado a; 64o rs. a libra. iBolachinhas de soda em latas de diversas Toucinho de Lisboa muito novo a 32o rs.'a:
Ervilhas e favat portuguezas j preparadas qualidades a l,3oors. | libra*8,5oo a arroba,
em latas hermticamente lacradas a 64o. Cartes com bolo francez muito propries pa-, Baniia de porco refinada a 65o rs.
E^t ftigid
Em 9 de jntho aosenlon-M a bM i->
nifaeia, de Oanni-.'-ialura recul.ir. t (!. n.
dij e breos bastante ianzi dos, e.t
eravana ra Veilu B Vbto, m
rua das Flores, do Si. J..- Kbtsi i
eonstt ter sido encontrada na barreii
eoni urna trouxa de roopa pera v. nwm
boa eosinbeira ooV estar a liiuln
gada em algnma cara: reeseBBwada-i
as autoridades po ic . e
appreliengo e levar a ra do Gm es
tor r. Naselmeuto, e |ratri
Fngio em ;..,.-
crreme anno e conste retar acootr
o moleque Eotebio. escravo da
nando A Sonso de Mello, de 12 asos pftf>
en mais ou mpno-, nor preta, s-cci. ' n i 'kfls
reculares e afurni idos, rabfj nm i
e nieia chata, belc ti <\ i.:.- !.
seceose muito ladino: reya-ae seri - >
Feijo verde muito superior a 640 rs.a lata. ra mimo a 64o rs.
Copos lapidado* para agua a 5,ooo e 5,5oo Passas muito novas em caixinhas enfeitadas
rs. a duzia. para mimo a 3,ooo rs.
Bolacbinba Alberto, as melhores que pre-
sentementelem vindo ao mercado, a 2,ooo
a lata.
aut'->ridarte> policae< a ilae de cae
i preheturrri e le*em- :. rna da Mat v
a libra. I *' f" eerio sjrai fl ido, pret
'' meios judieiaescoi, |oalqaerpt>
em sen poder.
U-
Ostras inglezas
PEIXE em posta, latas grandes, a l^COO, de
lodas as qualidades, como sejam savel,
goras, corvina, pargp, salmo, pescado e
poscadhha, linguado, sardinha. etc., etc..
Peras em latas, excellente preparago.
Palitos para dentes a 120 rs. o mago muko
grande.
Passas em qaarlo a I840OL
dem muito novas a 400 rs. a libra.
Pomada muito nova a 280 rs. a duzia.
Q
QUEIJOS flamengos.
dem prato a 800 rs. a libra.
dem suissos a 800 rs. a libra.
dem londrinos a 800 rs. a libra.
Qlabtinhas ou moiunquics a 6;>, 8$ e I0 o
par.
R
RAPE' Meuron a 15 a libra,
dem Princeza do Rio a 1-5200 a libra,
dem francez a 2500 a libra.
H
SABO massa a 160 rs. a libra, em caixa se
faz abatimento.
Sal refinado em frascos a 500 rs.
Salame de Len a 23?.
Sardinhas de Nantes de todos os fabricantes,
dem de Setubal em latas muito grandes a
720 rs.
Stkarinas a 600 rs. o mago.
T
TOUCINHO de Lisboa a 320 rs. a libra.
Tomate em latas a 600 rs.
Tinta azul e prela para escrever.
Idemidempara vinho a 24o rs.,e2,4oors. Passas decamada a 8,ooo a caixa e 4oo ts. FarinhadoMaranho muito alva e cheirosa
a duzia. a libra. a 2oo rs. a libra.
Chocolate francez hespanhol e suisso a 9oo, Figos de comadre a 24o rs. a libra. Frascos com fructas em calda de diversas
l,ooo e l,2oo rs. a libra. Amendoas de casca mole a 4oo rs. a libra. I qualidades a 2,5oo e l,8oo o frasco.
Espermacete superior a 6oo e 64o rs. a li- Milo de amendoas a 5oo rs. Caixinhas com fructas em doce secco de di-
bra e em caixa se faz abatimento. Bolachinha d'agua e sal, da fabrica de Joao versos tamanhos, muito proprias para
Peixe em posta em latas hermticamente la- j de Brito no Beato Antonio, em lata de 6 li-
cradas e das melhores qualidades de pei- bras por 2,5oo rs.
xe a 8oo, i.ooo e l,2oo rs. | Ameixas francez n em fasco de vidro com
Vinho Rordeaux das marcas mais acredita- tampa do mesmo, a i#8oo.
o gigo com 36 libra-.
a 75o
rs. o frasco e
das que vem ao nosso mercado a 7,ooo e
8,ooo a caixa e 6 4o e 7oo ris a gar-
ro fo.
Genebra de Hollanda a 48o rs. a botija de
con lacerta.
Frasqneirasde genebra de Hollanda a 6,8oo
e 64o rs. o frasco.
Genebra de laranja verdadeira em frascos
grandes a l,ooo eU,ooors.a frasqueira. Conservas inglezas
Caf do Rio de l1 qualidade a 28o rs. ali- 8,ooo a duzia.
bra e 8,5oo rs. a arroba. Vassouras de escova para esfregar casa a
Caf do Cear muito superior a 24o rs. ali- 4oo rs.
bra e 7,5oo rs. a arroba. ; Nozes muito novas a 16o rs. a libra.
Arroz do Maranho de Ia quadade a loo Molho inglez em garrafa de vidro comrolha
rs. a libra e 2,8oo a arroba, do mesmo, a 16o rs.
dem da India a loo rs. a libra e2,8oo a Mostarda ingleza dos melhores fabricantes,
arroba. i a 8oo rs. o frasco,
dem de Java a 8o rs. a libra e 2,4oo a ar- Mostarda franceza em potes j preparada a
roba. 4oo rs. o frasco.
Paingo e alpista a 14o rs. a libra e4,oooa Lentilhas francezas. excellente legme para
arroba. sopa, a 2oo rs. a libra.
Massa de tomatesdesuperior qualidade a 64o Marrasquino de Zara propiamente dito a
rs. a lata de urna libra e56o rs. a reta- I! a garrafae 1 l.ooo a duzia.
lho. l Palitos de dente a 14o rs. o mago.
mimo, a l,6oo, 2,600 e 3,5oo cada urna.
Ruibos, excellente peixe portuguez, em
barris pequeos ou a retalho, a vista se
far o prego.
Ameixas franc zas em CEixinbas de diversos1 Azeitonas de Rivasem ancoretas grandes de
tamanhos com bonitas estn pas na ca- j 8 garrafas por 600 e 8oo rs. a garrafa,
xa exterior, a l,4o->, l,6oo, l,8oo e 2,ooo Azeitonas portuguezas a 800 rs. a garrafa e
cada urna. l,5oo cada urna ancorela.
Azeitedoce refinado hespanhol ou portuguez Champagne da melhor. qualidade que vem
a 9oo rs. a garrafa e 10:000 a caixa. ao mercado, a 2,ooo e 3,5uo a garrafa, e
Oatatas muito novasa 80 rs. a libra e2,5oo 24,000 e 26,ooo o gigp.
Gomma de engommar muito alva a 12o rs.
a libra.
Figos emsextinhas a 80 rs,cada urna e 72o
rs. a duzia.
Papel azul para botica a 2,ooo a resma.
Balaios para roupa suja, grandes e peque-
nos, por diversos pregos.
Amendoas confeitadas a 64o rs.'a libra.
Latas com fructas em calda: pera, pecego,
damasco, rainha Claudia e cereja, a 800
rs.
Vinagre de Lisboa a 2oo e 28o rs. a garra-
fa e a 1,4oo e 2,000 rs. a caada.
Azeitedoce de Lisboa a 4,800 rs. ajanada
e 640 rs. a garrafa.
Vinagre branco j engarrafado a 5oo rs. a
garrafa.
VINHOS
!!l
Principe Alberto, de 1831, a
rafa ; da vida aos velhos.
Vellio'secco a 25 a garrafa-
Lagrimas do Douro a I#SOO a garrafa.
Duque do Porto verdadeiro a 2,-5 a garrafa
Duque al|e I#500.
Chamisso a 15, 1200 e 1500 a garrafa.
D. Luiz a 1$ a garrafa.
Moscatel verdadeiro de Setubal a 25 a gar-
rafa.
Carcavelos a 1;?.
Colares a 900 rs. a garrafa; o nico vi-
KIVAL
SE3I sis&Ujirno
Ra do Uneluiado ns. 49 e &5.
Conllna a vender lodas as rniudezas que abaixo
declara por precos admiraveis.
Massos de palitos iixados para denles a 100 rs.
Espelhos do molduras douradas a 200,240 e 320 rs.
Bonets de oliado para meninos a 15000.
Ditos de couro superior fazenda a 1S300.
Frascos com superior tinta rocha a 240 rs.
Meiadas de linha irosa para bordado a 20 e 60 rs.
Dabado do Porto, fazenda boa, vara a 80,100 e
140 rs.
Varas de franja branca estreita a 40 rs.
Caixas com 100 envelopes, fazenda fina a 600 rs.
Grozas de pencas de ac, fazeuda superior a O rs.
Duzias de meias cruas encorpadas para homem a
3*000.
Grozas de botoes madreperola finos a 500 e
e 640 rs.
Caixas com 50 novellos de linha do gaz a 700 e
900 rs.
Caixas com superiores obreias de cola a 40 e 80 rs.
Petas de fita branca elstica com 9 varas a 280 rs.
Varas de franja de la para enfeites de vestidos a
40 rs.
Baraihos dourados superiores qualidades a 400 rs.
i Novellos de linha com 400 jardas a 80 rs.
u#000 a gar- Livros para assentos de roupa lavada a 100 rs.
Pares de botoes para punho, fazenda rica a 120 rs.
Tesouras para costuras superiores qualidades a
400 e 1*.
Caixas de pennas de calligraphia, fazenda boa a
15000.
Massos com superiores grampos a 30 rs.
Pares de sapatos de tranca e tapete a 1S500.
Pares de sapatos de trauma para meninos a ti e
15280.
Caixas com superiores agulhas a 240 rs.
Libras de Lia sortidasde bonitas cores a 75000.
Caixas com superiores obreias de massa a 40 rs.
Rodinhas com alneles francezes muito superiores
a 20 rs.
I
.\zeite doce refinadoem pequeas latas a 560 rs. a garrafa : no graude armazem
da Liga.
Saceos de 80,100 e 120 libras a 40,40300 e
no grande armazem
V-
da Liga.
m
5v-

Madapolao muito Bnocom pequea toque de ayaria, por prego que admira :
columnas na ra do Crespo n. 13, de Autoni) Crrela de Vascoocellos & C.
na toja
-,
ltesmas de papel de peso fino .a 25000.
Escovas para roupa, fazenda boa a 720 e 15-
Duzias de tesouras com toque de ferrugem a
600 rs.
Duzias de facas e garios de cabo preto a 35000.
Talhercs muito fino para mangas a 240 rs.
nho que se pode beber por nao ter com- Resmas de papel almago a 25400 e 25800 rs.
posigo alguma.
Lanterne a 800 rs. a garrafa.
Bordeanx Medoc a 800 rs. a garrafa.
dem S. Julien a 600, 800 e 10 agarrafa.
Absyntho a 20 a garrafa.
Kirsch a 20 a garrafa.
Wermouth a 20, e a caixa a 180.
Bitter Maurer a 10 a garrafa,
Grave a 800 rs. a garrafa; vende-se por este
prego por haver sempre em deposito 50
duzias.
De caj, de 1852, a 10200 a garrafa.
Velho do Porto, em ancoretas de 9 caadas,
a 350000 ; vinho que, estando engarra-
fado, vende-se a 10280 e 10500 a garrafa.
Vinho do Porto especial.
O mais generoso e genuino vinho do Porto, mar-
eas novas e especiaes em caixinhas de 12 garra-
fas, sendo marca Rainha de Portugal a 185 a cai-
xa e Pedro V a 165, em porgao far-se-ha um aba-
te razoavel : no armazem de Ferreira & Matheus,
na ra da Cadeia do Recife n. 66.__________ __
Saceas de farlnha a 4&00
com if cuias de farinha da trra, e nao querendo
a sacra, a 45 : na ra do Imperador n. 26 defron-
te da casa das audiencias.
Grande sortimento de roupas feitas de to-
das as qualidades,
Calcas de casemira a 65 e 75300, ditas pretas a
65 e 85, caigas de ganga a 25 ,15800 e 15600,
ditas brancas a 25, brim de linho a 35, .'SoOO e
45, paletots do alpaca branca a 45300, ditos pretos
a 35 e 35500, ditos de alpaca de cordao a 45. e
de listra de seda a 45500, ditos sobrecasacos a 55,
paletots de casemira a 5'5, 35500, 65, 85 e 95,
ditos sobrecasacos pretos a 125,15 e 165, ditos fi-
nos a 255, de cores a 135, ditos fraques a 145,
paletots de ganga a 35, 25300 e 25, ditos de brim
pardo a 35, jaquales de brim pardo a 35, panno
preto fino a 25. 256(10, 35500 3?, 45500 5 e 65 o
covado, moreantique preto a 25600 o covado, gros-
denaple preto a 15500,15800, 25, 25200 e 25300
ocovado ; eootras muitas mais fazendas que se
deixa de annnneiar, e manda-se levar pelos caixei-
ros da toja da arara casa dos pretendentes. O
e tabelecimento est aberto at as 9 horas da noite,
ra da Imperairiz n. 56, Mendes Guimares.
Cheguram os superiores
cortes de seda
Superiores cortes de seda de cor, vindos pelo
nltimo vapor francez : na loja das columnas a ra
do Crespo n. 13, de Antonio Correia de Vascon-
cellos 4 C.
Farinba de mandioca fina e alva, mais bara-
ta do que em qoalqner parte, arroz da trra pila-
do e em conta : para ver e tratar, na ra do Vi-
gario, casa n. 29.
Francisco Jos Germano
ra so va X. ti,
acaba de receber um lindo e magnifico sortimento
deoculos, lunetos, binculos, do ultimo e mais
apurado gosto da Europa.
Jolas preciosas c objeetos c
o tiro.
Mauricio Selbeberp & C, Polacos, ltimamente
chegados a esta provincia, cfferecem ao respeitavel
publico nm grande sortimento de joias, bullanles,
relogios e muitos objeetos de ouro, por prego o
mais razoavel possivel, e mesmo troca e compra j
objeetos de ouro, prata e diamantes por objeetos i
oovos: na ra do Queimado n. 29," enlrads pelo
larfo de Pedro II n. 27, de manha at as 9 horas, (
e a tarde das i Lora; em diante. Os objecto; ven |
diidos pelos annunciantes sao garantidos por e les,
e eslao promntos para levar objeetos s casas das
pessoas que desejarem comprar, urna vez qce nao
possam vir a seu estabelecimento.
AuteniiiU-M' no i '1 do eorrrnir
da rasa da ra do Ir- pi rr.il> r- te".
do. erfonlo, rlwjo c-- carpo, altti
coroprid". Ihos peqni W>* \ < on I i.-
sa e bigode. bastante I iino, ie,
annos, pouco mai- ,; menoe, t ji:'..
calca preta e car...-- bracea ; ttk -( .
prado ao Sr. coronel Galtio, d Lhieciro. i i -n
de se julga tenha fogidr, nS 11 i i n
visto na Pas.-aecn, d MagdaleBa, li' r -
zea; e emo ?e descosa qm eel
prdesta-se proceder roatra qmm o irrer ac
e pede-se a qm n der mii'ia 11
qpe dirija-se a sobredita eoa. ou a tv.u ;
n. 13, que ser recompensado.
Fngio no dia '. -i. |o r,rrn
quim. de nacan dade 40 ataos
ou meos, d estatora regular, c i i n
de cabeMus na ca! (. i snl I m '
nao muito eepetea; - *o r i S T
e comprado ltimamente ae Sr. Soc?.-11 > .
commissao de earrav s ra rna r" H*f#rad r --
la queja em outro lempo Irab I no i
como Sr. Jos Sesario : qwn > aegar I ' ^
roa da Conrcrdir. r s .. qi le
smenle cratilicaii".
i
*
ene,
e -a
Pedo-se a todas as ai i -
quaesquer parucolares rjn- in n re I .
acha bottisiado o p.ird Gal ri-1. m i
nio Rufino Ara;!.;.. C. i.t; o. da V. i . .
la fugira embarcad ni. v.ip r Puiou
te em soa nltima va; m eondoilri Hopa ^erao
sul. Esse e>cravo pardo claro, AV -
nos qu; regular, i l m ; n |> at, I
los corridos e eres| >. de 18 am oY ,.i .
co mais ou mein. -. ci ni es| isbas m r> Me, s i f
rial de alfaiate. C sta qne s ..-
sentar pneaeomo voloniario: a qui.n o aapas-
beuder, ou delle d-i noticia exacta j.ara -uj jir
prebenso, dar-se-!;. exci ente gralc ea
ra do Queimado n. 5.
Desde o ia 0 de juobo pnoai :.
do ausentou-se di am d tMktamettm
do Exm. Sr, bara i do L\ anelo, i..
acliava a orvico, .a mais de aoi
cravo Paritalei. de proprieda
sembargador Co&todk) Mancii da Sil
maraes. No di 9 do supraditu Btl o
adiado, junio a>'
(liio, no Forte do Mattos, c ctmm it um
liomem preto, que esteve, liuranie ludo if>
tedia, eiposto ero freote daigreja da i
dre de utos, cs a!hand'-so logo a no
de que esse cadver era do referido escravo
Pantaleo, o que logo fui dismenlido pela
informac/io dada pelo sobdeiefe4odo bterre
do Recife, que assistio a vesttr, qoe se
fez, e declaruu sei i cadver do un.
dor, morador em Foia de Pintas, tan
que alguem, c >m m Cu iDlenfJto i
sa, no se aproveite deeta circumslanjij.
reconliecidanu-nt!' a!sa, ata | na: I
monte lograr sel: inteoto, faz-seo
annuncio, prol -se c 'titra
noticia em vista das minu
a que se procedeu. E, coaohl ti"!:
liabilida le de acl '.-- diti r wi
por algum espi coiadi r, rr authoridades poi iaes i
campo, njoeappi lehdam oaMaKWfMM]
cravo (qae no .... 9 d !!>
mezfoi eacoDlrado em Api-tucos, onda - *
r talvez forcadamente acoutado) e o *-nre-
gue:a ao seu referido ranbor, na na Ja Au-
rora n. l0, quo gratific ra gener saanlt,
protestando igualmente osar dos n:.i.- pa-
diciaes contra o acontador de dll tacrav
tendo estis seguioli es: aati
pouco mimos que regular, cheio do arpo,
idade de 32annos, '<. ibra, cal
um pouco redonda e pequea, olhos nm
tanlopequeos, esfumarais e Termel!
beicos regulares, pes larg e apalheta
e tem o andar inclinado -ara rraz e cam-
baleante. Conveui declai ar-se que dito e>-
cravo rjoando ansenloo-se foi featids de cai-
ca e camisa brancas de algodld grosso da
Babia,.leudo do lade direilo da primeira e
aoesquesdo da segunda as inkiaesB. L.
de tinta bem preta e tilo >-:<\. que -era
quasi impossivei desvanecer por mais
que se lave,
i

\
nr
i%/r-i


Diarlo de Pernambnco -- Terca elra 11 de Jiilho de 14G5.
!. i .3 a
ATOE A.
1 de torneadores e armadores de machinisra o,
1 d? malhar ferro.
UM POUCO OE TiJO.
P.>r urna materia'de nleresse publico, ofi'erece-
nid i leitara ara offi. o do Exm. conselheiro Jos
B h Ganno Pi?ujredi),endafejada ao gover- j
a) imperial quando S. Exc. era prsd "Ofo de Mi-
as Graos era ora) differentos intiKtuagoes oo-
l'ii s pe) mesrao Sr. a respailo drfabriea ingleza
I uneracS) do Morro Velln, n> > rtta provincia. ;
l'llni. e Exm. Sr.Ten lo feito tima pequea via-
gem desla capitil at a nidada de S. Lolz do Sabara,
julgo do meu dever comrnunicar a,V. Bate, o quan-
1i p r alli ohservei era reiago a industria e nave
gac2o do rio das Velhas.
Do Doro Prelo at chegar a freguezia de anto
21 Total numero de rodas movidas
a forga de 367 cavallos.
1 Offle na grande, cora 19 forjas e 1 malho gran-
de de ferreiros;e oficina de carpinteiros com '
5 bancos;e i fornalhas para fundir brome :
tudo debaixo de um telhado.
2 OiHcinas pequeas de carpinteiros para os tra-
balboa relativos a' mina.
1 Tenda de ferreiro com 21 forjas, aonde se
aponiam as brees,unem-se e concertam cor-1
rentes etc. etc.
1 Offieina de armador com 2 tornospara o fa-
brico das obras de ferro da mina.
5 Offieina?.
doentes......................... 2:7664060
I Soccorro s viuvas, orphaos, etc___ 1674240
' Esmolas enfermos.............. 325860
por agua com Enterros e emo|umeDlos de greja. 1034*60
3:069^420
A pedra que entra cada da para os ongenhos ou
em 200 lo-
ir ro do rio cima nao cneontrei sanio lindos
ha: i- rales, ora de mintanhas sobro.tostas urnas as pi|5es ,je f0?(.ar rega|a ,ermo ra(i0
Ultras, ora baUissimos valles, regidos por torren- De|a(ias
lafs od menos abundantes d'agua. sempre po-
tavel e alera disso cobcrtis de pastagam, mas sem
. ido, p sem lavoura, nao obstante parecer-me,
ri: i terreno de grande produeco, como bem
' 'ara as piucas arvores de fruto que se cncon-
. I |ui c acola.
As officinas que trabalham para sustentar os en-
gentaos e apuraren) o ouro et Ocar em barra, sao:
2 grandes paies.aonde se rralha e quebra a
pedra.
8 engen!"ios d-> piloespara pulverisar a pedra.
4 arrastres c;m 22 chiqueiros, para moer aras.
A industria da mine-aco, rutineramente exc- I i ca3a dfl aa.,a|arnaQao .com diversos mafh(.
cunda, foi do que muilo se culdon, jiihiuJo bavia nismo?.
ib in lamia de bracos esclavos: boje que estes vo offll,,na p?n (;1.lllfia0 de onro
faaffdo, ser necessario q e a constmceo de mil ( j;,., [)ara eB4ajg#
estradas,ede outros indos de transporte, que facill-
:3in ; sabida dos productos man volnmesos e mais -J
jai ) do que o ouro. vejoha animar a gente mi-'
.i gar-se aos diversos e mu variados ra-
mos de trabaiho, que a provincia, lio rica de tudo,
W I mni ventajosamente alimentar.
gaezia, de que failei, enconlrei-me com o
rio das Velhas, convidando uavegjco ; e fui in-
form ido de que d'alli at Sabara, mais de 6 leguas
t m navegado canoa-, e descido madeiras. Seuti
vj achar qualquer canoa para nella navegar sem
raed o de cach.ielras.
1'. .-gando a Congonbas vlsilei o aforro Yelho, on-
de -' acba o grande esiabejecimento ingle/, de mi-
neracio; e fiquei sorprendido de sua importancia e ratura 6.
regularidade: Digo sorprendido, pirque di II; nin-'. Gastoa-se
ga :: rae bavia fallado no llio de Jaaeirol |g6l :
0 superintendente do esiabeleeimento. Mr. Gor-iFerro do MMi...............
don, recebeu-me com o maior ioteresse, honrando- dem foslexes wi
se ranito com a visita do delegado do goveroo im-! ..............._____
10,548
AC........................... 401
Salitre viudo de Inglaterra........ 1,635
Enxofre idero idera.............. 313 .
Atengtie dem dem.............. 898 libras.
o costo do eccanamento de ferro posto em
Morro-Verao de 61:88i4000, independente de
Deixando Morro-Velhr, c'ngaei a cidade de Sa-|
har, oode erobarqoei-ma no rio das Velhas. des
1' v Santa Lnzia em tima pequea barca, nao 5
'ii
producto diario do esiabeleeimento regula 1600
cita vas.
A profundidade da mina onde trabalham as cas-
sambas de 143 I/i bracas inglezas, verticaes da
superlicie.
Os outros metaes encontrados as firraagoes au-
rferas alffl de ouro, sao prata e cobre.
O volme d'agua empregado no trabaiho, mais
00 m nos 3,200 ps cbicos por minuto.
Hoje a temperalura era s C. I. M. na superficie
73.', e no fundo d;i mina 81., differenca de [empe-
o cosleio do estabelecimento em
Em Janeiro de 1849 hooveram na companhia
empregados 103 Brasilelros.
Era Janeiro de 1862, 800.
Rroqtieiros em Janeiro de 1849, 23.
dem dem de 1862, 560.
Aos mineiros assiduospaga-sealm galardao.
Entre os nacionaes somente 7 forara multados
durante 1861, sommando em !l.
A quaotia despendida pelos euro-
peus no emprego da companhia
em 1861 foi de................ 154:4554000
dem idem idem pelos nacionaes
(mais ou menos).............. 192:0004000
346:4554000
Quantia paga por alugneis de es-
cravos....................... 127:7664000
Gratificaco por boa conducta e so-
bre servido a escravatura em
1861....."..................
Despeza total da companhia em
Morro-Velho em 1861..........
Direitos da alfandega sobre mate-
rias, raacbinismo, etc., vindo de
Iuglalerra...................
dem sobre exporlacao de ouro...
se ranilo com a visita do delegao no governo
.iia!. prodigallsandolbe as mais .cucadas att*n-'
toas o uc aoimoa-me a pedir-lhe, por meio de
rraesitos, as mais minuciosas informacSes, quede
1 mtade me foram dadas, habilitando-me assira
liara oler comrnunicar a V. Exc o valor immen- 1
nn.i empreza, que vite qnasi desapercabida |
par nias pessoas.
33:693,5000
1,015:2644183
18:5034010
36:7124660
Ura da robrou alent.
A reseco da vinganca fez-se sentir, e ge man
maneira terrivel.
Mad. D tratou de indagar quera fora o barbar
que ceifara a exisiencia preciosa daqnelle galo me
orna por^o de
Acabaremos a descripgao de chapeas redondos regenerador, que reabilitasse a humanidade a reen-
apresentando as leitoras um a que o engenho litte- lar naqnella possessol
rario da moda nao se dignoa dar nome. o que tor- Foi a ingratidao que fez o hornera desconhecer
nana difflcn qualquer apresenlagaoquenao fosse a este Libertador sacrilicando-o cora o raaior e des-
de ura chapeo. | communhavel fWr ao seu orgnlho, sua ambigo .
Oanonymo de palha de Italia, guarnecidas as e sua soberba, deslembrando se das proraessas ella tanto estremeca
abas por urna fita de velludo roxo a copa re-divinas, dos orculos e vaticinios dos prophetas Soabeoe caloose.
donda e alta enfeitada cora valllo azul, f.rmando ensurdecendoso para nab ouvir a sua celestial Dna$ semanas andou pelas casas da Ti.nhai--a
um cinto fechado sobre o lado direito por alguraas doutrina, e fazendo-se cgos para nao verem o pedindo que Ihe deixassem enllocar
pennas roas, que sao engrasado ninho de ama ave extraordinario de suas obras com que confinnava ratoeiras que comprara.
pr*t,,ada- 1a sua d">''im, e consommar o mais laiquo alten- -No fim desse lempo t.nha ama formo^issima rol-
De lodos os tecidos de seda I foulard o que a lado contra .odas as le.s divinas e humanas, sus- lecc.o de ralos, em numero de quatrocento,
moda mais favorece. Ipendendo em um ignominioso patitulo o Sanio P^ra que quena ella istof
Para os vestuarios muito elegantes do verao te- dos Santos I y.i) V(s.|0
mos visto lindissinios foulurds, com muita varieda- , ifatu- tnd, ,nsii. --- -
j a _ .-,,_ \ u E anda a mgra idao aua Ta7 con nna nAc o Jietieu toda aquella bicharda n orna eaixa
de de desenhos, que briham sobre fundos brancos, .. ,8 "" que iaz co. qoe nos, n- ,.-,., ,c, . ... ,
amarello cor de aro roxo verdes nardos crd S reenepaJos Pel Precioso sangue dessa victi- mandou- levar a casa do seo v.s.nho, matador do
s, verdes, pardos, cor emamrnacu|ada) ^^ ^ ^ ^^ ^ gato.com recado de que era para a senhora.
. recepeo do sagrado baplismo, nao querames ouvir Ma'- c-> a esposa do visinbo, jolgando r)a.. ..
urna so cor e sem ae- a voz (l0 no3S() iniserjcordJOSO Libertado caixa continha objectos de moda, como inculcara,
sentaos, sao o. qoe mais agradara a elegancia, por lem preparado Q sm CUjas iros abrioa-
que se prestara admiravelmente a serera entallados lguria3 s3o sua ^^ ^ M Al},,.,a 0 sahirem desta ^ fc fman
com Utas de differentes coros, cobertas por entre- bebidas sito o seu proprio sangue, para que aauel- ,odas !" damninhas cnatnras, foi obra .le
meios de rendas, ou segundo o mais recente ca- /, que conur dignamnte essa carM f \ebJ esse u.n momento.
rosa ou azues.
Entretanto os foulards de
pricho da moda, bordadas cora ac e as vezes com , ,,,7,. ,oni,n ..,, c j '
1 sangue, nao lenm mus forne nem sede elcrnamen-
p I*, o entretanto nos nos escusamos do convite com
Multas senhoras usara com vestidos de foulard a roaior 0 ,nais cla[norosa nralidao
paleto!s do mesmo tecido.
Eulretanlo anda a moda nao abandonou cora- O seu banquete est promplo e a sua mesa pre-
pletamenle os poletots de sedapreta. porada, nos diz os evangelhos de hoje, e os seus
Os mais elegantes desses palelots sao enfeitados servos nos chamam a tomar parte no seu festim.
com passamanaria e ac. Ma?> qua| ,em sido e conlinQa a ser Q Q05 .o a._
Tambera alguns sao guarnecidos por eslreitas senso tanta bundade, a lauta misericordia senao
rendas e lagos de fita. 1 a mais provocadora recusa, sob rail frivolos pre-
vimos ltimamente um aprimorado vestuario ^ textos como os convidados da parbola do Evange
proprio para fazer visita, mas que s pode convir |ho do boje, que uu- se desculpam por ter cora-
Carretos pagos companhia Uniio
e Industria at arbacena..... 26:4764480
Ouro eiporlado era 1861 509,898 oitavas.
Morro-Velho, 15 de feverei o de 1862.
55.2154670 Jqunndo as leitoras sahirem para esse effeilo em
carruagem, ou na classica cadeirinha portuense.
O vestuario a que nos .referimos consiste era
urna saia de seda cor de rosa com um folho nao
muito estrello ; a .>aia do vestido de seda cor
de cinza recortada e guarnecidos os recortes por
urna fita de seda cor de rosa ; o corpo de seda
cor de rosa cora mangas eslreitas e compridas; o
As nossas amaveis leitoras oTerecemos a des- Cl deseda c0r de dnza e muit0 a" chaile
crlpc&o dos vestuarios actualmente em voga, colin-
da dos jornaes eslrangeiros :
A moda parece dar treguas a imaginacao.
Quasi lodos os vestuarios inaugurados durante a
de rendas pretas e chapu de tulle branco eofeita-
do com algumas rosas, completan) o vestuario.
Vamos descrecer um lindo vertido propris para
apparecer em reunies nociurnas. o
E' esse vestido de cassa branca, o panno dianlei
primavera lendem para a eleganle simplicidade. ro forma ura avental, sendo coberlo por pequeos
As rendas, o velludo e os ricos e complicados or-! rufos de cassa, s#parados por enlremeios de renda
natos de passamanaria, repousam das fadigas do branca sobre fita de seda azul e collocados em viez
invern ao lado dos tecidos proprios dessa esta-! formando um grande le jue.
gao.
pegoe?, pedreiras, ferro, madeiras, mo d'obra,
c.. etc., que se calcula era ^0:0004000, total....'
--\344O0'\ sendo 2 encanamentos de 12, e 1 de
lo cachoe.ras nem obstacolo algum no} l4 p>pgadM de gaoietro.
O pessoal administrativo comuoe-se de :
de cinco legoas.
i i.-.i j,;.i-: oo -11 tad lormal, e assim
n icoi trei urna bar-a demaiotes dimencSes,
mella era que ea otvgpva, e vinha bem r
arreada O sen propriptario di??c-me que da
ni. o palmos de rom.irim.'nto. o onze de largo-
bocea, e (iez no fundo: : para mais de'
V arrobas; e assim carregada, .-be de Trahiras
1 1.1 "m 13 dias, enm nove pessoas de tripola-l
. e desee em 5 das, com 7 pesssoas; percor-
muito mais de 24 leguas. As aboas de que:
is! nstroida a dita barca s|_o d urna pollegada.
de e ora, e as cavernas de tres pi llegadas de 1
face ; as lab >as sao do vinhatieo, o as cavernas del
1 |ui: o que imporia diznr que a obra nui tosca I
e p -ada.
L^proprietario da barca assnvara a fcil navega-1
lili iade do rio das Velhas, mesmo afm de Trabi-
ra ^ade elle mora; e iifflanga o teatemnnho de
jo Pereira e Honorato Gomes, que navega
rain j 1 desde Sabara at a barra do :o das Velhas
no de . Francisco; e a'ai i al a Janoaria, era ajo
jos, cairegadus de assuca e varios generes: e diz
que a mais oolavel, ou antes a cachoeira oni-
ea ,ue existe, a chamada do Pica, 12 ou 15 le-
gu abaixo de Trahiras; obstculo que ainda as-
sim conseale a navegajo, e mui desiractivel sem
grande trabaiho.
Uo que leubo dito coiligira' V. Etc., jue a con-'
tar je Santo Antonio al-Trahiras sao actoalmeole
na v.'ga veis mnias legoas; o queso o afierro dos
iros ao CQSlumeiru transito por meio de can-
gaihas, lem i'eiio desaproveitar din 1 navegacao lio
1 soperiolendente.
1 capellao caiholico apostlico romano.
1 dito protstame.
1 medico-mr. s
1 anidante.
1 capito em Phefe da mina.
t engenbeiro.
1 chefa de redoccao.
I ajudante idem e ensaiador.
1 encarregado dos negros,
i do do arm izem u furuecimeatos.
2 ajudaok-s idem.
1 tbesonreiro oo caixa.
1 gaarda-livros.
1 ajudante.
Total 16.
Empregados subalternos :
1 mecbaofeo-mr.
3 capitaes de mina e reduegao.
1 ajudante do encarregado^los negros.
3 ajudantes do armazem.
Total 10.
Os jornaleiros Ja companhia consistera de :
94 Inglezes.
800 Brasileiros
Escravos :
857 bomens.
526 muliieres.
145 crianjas.
Total -',i22.
Residindo em seis povoacoes a saber :
Morro-Velho, Retiro, Djm-Ser, Ming, Arratal
Com a primavera appareeeram tecidos modestos
mas graciosose variados, e-que apenas supportam
para enfele folhos do mesmo tecido do vestido, ro-
los de seda, galSes de la, oa para os vestuarios
mais aprimorados, ntremelos de renda preta sobre
lilas de seda.
A moda impoe o oso de palotots mesmo as se-
nhoras mais indifferentes aos preceitos da ele-
O corpo do vestido em qne fallamos a meio
decole e guarnecido adiante como a saia; as man-
gas sao estrellas e composias unicamento de ru-
fos de cassa iguaes aos da saia, que tambem
guarnecida por um folho franzido e ornado de ren-
da, o qual principia de cada um dos lados do pan
no dianteiro augmentando gradualmente a lar-
gura.
Acompanha o vestido de ca^sa branca, um cinlo
gancia.
D nu.1,,1,,... k. ,, , .. de seda azul com franjas, atado do lado esquerdo
u manteletes, ha tanto lempo quasi indispensa- d C|niun
veis no verao, foram obrigados a retirar aute a vic-
toria dos corpos de cassa branca que substituem
agora os corpos dos vestidos iguaes ao tecido da
saia.
O vestuario mais moderno para passeio e que
chegou a ser regra geral.a que nao faltara as compe-
tentes e costumadas excepcoes, do simples des-
cripeao.
O recente uniforme das elegantes compoe-se de
urna saia de qualquer lecido de lia ligeiro e de cor
A moda lamben) lem inflnencia no vestuario das
crianzas.
As meninas at idade de nove annos sahem
com vestidos decoiados sobre um corpo de cassa
branca com mangas compridas e o ventoario com-
pleta-so com um cinto muito largo, fechado alraz
n'um lago.
A moda favorece muilo o emprego de iniciaes.
Os aunis, as pulseiras e al as fivellas dos cin-
clara ; corpo branco de cassa, eofeilado cora al- t05 das senhoras rauilo elegantes teem gravadas as
guns eutremeios e pregas; cilo de seda com li- miciaes dos nomes de suas donas.
velta muito alta, ou fita larga e comprida de seda, 0;' punimos de 050 ou d.^ bronze donrado conli-
formando cinto fechado por um lago da mesma fin nuara a ser muito favoravelraente acolhidos pelas
do lado esquerdo ou alraz; paletol de tecido igual senhoras para sosterem o chapu, e quando liram
ao da saia e, se esla enfeitada, o que poucas ve- este empregam os pequeos punbaes para adorna-
zes acontece, os adornos da sala repetem-se no rem o cabello.
paleto/. s Tambem appareceram algumas settas, mas ere-
Algnmas senhoras que ainda nao adoptaram os mos que nao chegarao a ter a voga que alcan^a-
corpos brancos, que os reservam nicamente para ram os punhaes, prineipulmenle desdo que algtws
os dias muito calmosos, continan] a fazer os cor- poetas, fingindo-se assuslados, pediram a inspira-
pos dos vestidos de fazenda igual a da saia mas doras de lamentosas endeixas que se contenlassera
como o paletol deve ser do mesmo tecido, fazem-no com os olhos sctalillantes e uao quizessem usar
sem mangas e com pequeas dragonas cabindo so- outros punhaes.
bre as mangas do vestido, que servara assim tam- O espirito de conlradicco, caracterstico de al-
bem para o paletot. gomas senhoras, ou talvez mesmo o desejo qne
muilas teem de inspiraren) versos, que julgam li-
nouc?vor0nnrcC0^rr'V^POreraqUanl,> ^ongeiros, generasaram o uso dos punhaes, que, |ce os meios de noMornarmos dignos pela peni
poucavoga, mas como offerece algurnacom.no- seja dito sem intervene) do poohal hervado da'
v'ulSr.6 PrUVaVCl qUl5 brevera&ale se lrne ma's ronia, muilo mais engranado do que o das duas
espheras, que se denominan) allinetes italianos.
prado urna quinta e que linham necessidade a ir
ver : outros por terem comprado cinco juntas de
bois, que linham preciso de as ir experimentar:
outros porque se tiuhara casado e que por sso l
nao podiam ir I
O que provocou a ira do pai de familias, que
eolio mandou seus servos pelas ras da cida le a
apanharem quaotos encontrassem pobres, abija-
dos, cgos e coxos, e que os forcassera a enlrar
para, que fir.asso ehoia a sua mesa I
Que oulro banquete este senao o da Sagrada
Eucharistia no Sanlissimo Sacramento do altar,
em que o uosso Divino Salvador nos deixou para
alimento o seu corpo o para bebida o seu sangue,
dizendo.
Comei e bel).-i, este o meu corpo, este o meu
sangue. Quem comer o meu corpo e beber o meu
sangue vivir em mim e ea nelle.
Pois nem a generosdade do convite, nem a
magestade de um semelbanle banquete nos move
a participarmos de tantas grecas, e e lao elevada
honra da qual ticara invejosos os proprios aojos
do co, para delle nos escusarmos sob frivolos pre-
textos, como fizeram os que nos menciona a para-
bola do presente Evangelho
O que nos detem a participarmos de lao mise-
ricordioso convite ?...
Sao os nossos negocios mundanos, sao os nossos
viios passa-tempos, sao as nossas caducas prospe-
ridades ?
O que vale ludo sso a urna paz eterna, a urna
felicidade perpetua, de que peohor este divino
alimento de nossas almas ?
Ser a nossa indignidada que nos affasta des-
ta participaeao, que causa inveja aos proprios
anjos ?
Mas, o que nos pode deter, quando vemos o pai
de familias determinar aos seus servos, que facara
enlrar para sua mesa a quantos enconlrarem pelas
mas, pobres, aleijados coxos e cgos?
Qnaes seriio estes senao aqueiies a quera os vi-
cios, i:-' 1 c, o pecrado os tem tornado cgos, eoxoa
e paralticos, no caminho da virtud?, e por sso
pobres completamente da graca divina, para qu,
revertidos de urna eontricSo perfeita, so venhara
refazer de forcas, alimentndose deste salutfero
manjar, queda a forca da grac.a para marchamaos
na estrada das virtudes chrislias?...
E' preciso cortamente chegarmos dignamente a
este sagrado banquete, para nao commeitermos o
horrivel crime do prfido Judas, que a nos mesmos
ainda nos enche de indigna^ao qnando nos recor-
damos de io atroz attentado; mas a divina mise-
ricordia tem nos facilitado, e posto a nosso alean-
A pobre senhora soltoo ora grito de atierra 11 o
desraaiou.
Acudi o marido a indagar do faeto.
Imagine-se que recepcad teria,
Pouco falln que os ratos nao sobissem por elle
a morder-lhe o nariz, lao desesperados se v Com a porta aberta, porm, derramarara-e ptli
casa c elle pode prestar a soa mulher os soceorros
necessanos.
Quando ella, restabelecida do susto e elle naais
senbor seu, trataran) de examinar aquella machina
infernal de nova especie, encontraran) no fundo
um bilhele com as segnintes paiavras :
Mraha senhora. Seo marido matoa-m n
galo ; envio-lhe agora de presente os aaeus ra-
tos.
O caso ficou plenamente explicado.
Era urna vingan;a femioil.
Esta historia justifica o odio que certa geste tena
aos gatos.
Effeciivamenle. animaes qae arranham ainda de
pois de morios, quem os nao ter em horror *
..-a, aind^i qoando imperfeta. Presentemente de Coogoohas de Sabara, e a fazenda da Bella-
a baroneza de Sabara', e o vinculo do Jaguan' Fama.
duas peqoenas barcas de passeio. Hornera
j)ais coraioso, o capilao Juio Babtista Moreira Net-
to tem utea embarcaco do malar capacfdade, com
que irabaha rioacimae rio abaixo, conduzindo v-
veres e madeiras.
Conelnirei observando, que as ierras do vinculo
Jagnara', e as proximidades di I>a?o:.| Santa (que
sent uo poder visitar) existera axcellentes e abun-
dan ;s sdade de salitre, mediante pouco trabaiho e des-
peza. Perguntando eu a Mr. Gprdoa quanto con-
suma do salitre o -i 11 stabelefiraento, leve elle
occasiao de asseverar-m jue a nao ser lio oecn-
pado noservico da mineracao, nao deixaria por
ceno de explorar essa grande ramo de riqueza por
saa propria coota, sem dividar um s momento!
dos grandes lucros que d'ahl llio resuliariam. Co-!
mo Mr. Lilis tem, segando as nstronedes, de ir a
Lagoa Santa, recommendei-lhe rauiij que exami-
i as nureiras, remeltendo-jne circumstancia-
das informiQoes.
Deas guarde a V. Exc. roito; anuos. Ouro Pre-
lo, 3 de marco de 1863.- Illm. e Exm. Sr. conse-
l'ueiro Manoel Felis.irdo de SoozB e Mello, ministro
e secretario de estado dos negocios do commercio
e agricultura.-'Jote Beuto da Cunlia e FigueiJedo.
rls osia sproobstas db s. exc. o sn. conselhf.i-
ho Jos Uento da Ci.siia Figleirkdo. dignissimo
phesidcrtb desta pltovivcia, acekca do estabe-
Li: IMENTO DEMlNEHAi;.UJ DO MOIIRO-VeLHO.
0 nomero de rodas que se movem sao 21, a
saber :
2 nra esgoto da mina-grandes
1 dem dem dempequna.
6 para socar a pedra da mina cora 13/epil5o
2 ilem idem idem da Prala com 56
Pessoas que morreram nos accideoles do traba-
iho em 1861, 4.
As molestias que tem origem no trabaiho espe-
cial das peruracoes, sao :
" .Ir os negros alugados: tosse, diarrha, pneu-
mona, phlbss.
Entre os da companhia : coasiipago, pneu-
mona.
E os da amaigamacao : bronchites, plenriz e af-
feccio do ulero.
O artstico comoese de :
Ferreiros.
i Carpinteiros.
Armadores de ferro e bronze.
Pedreiros.
Serralheiro.
Folhiero.
Torneiro.
Fabricador de estopim (ou canudo ao dar fogo
na mina.)
Serradores.
Cortidores.
Desenhador.
Marcineire.
Doulor em medicina.
Cirurgiao.
B ticario.
J. N. Gordon,
Superintendente.
Morro-Velho, 20 de fevereiro de 1862.
II
191
3 para car pedral da n
1 para arrastres cn......... 8 chiqueiros
I para a casa de amalgamado caro. 4 idem.
Arrastres no engenho de Serrae ua
Prala com.................. 10 idem.
Chiqueiros... 22
1 para o moiano de Juba'
1 para o engeuho de Sem-a qual tambem mo-
ve um grande torno, e machina te furar bom-
bas de madeira para a mina.
1 na tonda de ferreiros, que move a machina de
vento para as forjas.
Ha sempre victimas da moda e os corpos brancos
triumpbanes fizeram acabar como ja dssetnos o
antigo doraiuio de rendas e franjas, porque sendo
de mo effeito que o corpete seja visto foi de casa
s o paletot pode convir ao ambicioso, qus tendo
conquistado a alta posicao em que esl, nao con-
servou bstanlo coragem para apparecer em pu
blico.
Comecamos pelo vestuario proprio para passeio,
como sendo o que mais interessa as senhoras ueste
lempo.
Oque indicamos para esse aso aerve tambem
para viagera, mas os vestido que teem a forma
chamada princeza, que consiste ora ser o corpo do
vestido cortado juntamente com a saia e para os'
quaes nao necessario cioto, sao os mais conve-
lentes para viajar, sendo tambem Dreferiveis
neste caso os p.elols sem mangas, que j mencio-
namos.
Os chapeos redondos e com pequeas abas de-
vem reinar sem nvaes durante o verao nos pas-
M. fra em alleri tempi urna grande cantora ; ti-
nha cincoenla annos e ainda teimava em cantar
no theatro de... na Italia.
Soffreram-a em urna poca, em attenco ao que
ella tinha sido.
O emprezano do theatro escrpturou-a para a
seguinte poca.
Os dittetantt juraran) vinganca.
No seu debut patearam-a.
Foi prohibida, pelo chefe da polica, a pateada.
Na noute seguate era que M. cantava, assobia-
ram-a.
{ Foi ainda prohibida pelo chefe da polica a asso-
' biadela no theatro.
Assim M. cantou urna noite e os dilletanti nao
pudendo patea-la nem assobia-la, aiiram-lhe cora
batatas ; baiaiearam-a quando ella appareceu em
setna.
seios campestres e as viagens era caminho de Tornou o clWe de polica a inter por osen voto
nrro- A nada a bruta se movia.
Esses chapeos sao os nicos que as senhoras Apresentouse a cantar.
elegantes usam desdo que transpoem os muros doj Os desgranados espectadores estavam peados, bo-
grandes cidades para irem ao encontr das dls. quiatadose maniatados.
Um poeta vingou-os I
. Quando M. soltava a primeira nota falsa, excla-
mou o vate:
tencia sacramental.
Ah I nao nos -acontera sernos mantudos para
as trevas inferiores, eomo succedeu em oulra oc-
casiao ao que alli se apresentou sem as vestes
supciaes. '
Nao sejamos mais ingratos: preparmonos em
quanto lempo, por estes neffaveis meios, che-
gucraos com urna humilde conlianca Divina
Mesa a refazermo-nos nella das forcas espirtuaes
de que necessitamos, para nao ficarmos compre-
hendidos na sentenc,a proferida pelo pai de familias
no final da parbola do presente Evangelho :
Eu vos declaro, que nenhum dos que foram con-
vidados, provar da minha cea.
traccao que forraam o prazenleiro cortejo do ve-
rao.
Descreveremos alguns deschapos redondos mais
modernos.
Vimos um a que davam a graciosa denominacao
de 4//1 o do ar.
Este chapeo era de palha de llalla com abas
Na companhia ingleza de minerago denominada 11aasi invisiveis e guarnecidas de velludo azul;
de S. Joo de El-Rei, limitada, e establecida em j uma lira mai, larBa de tulle branco envolve o
Morro-Velho, ha 800 Brasileiros empregados, a sa- funi10 do enapo e acaba em duas pontas sobre os
bar : 560 que trabalham as minas na qualidade 1 hombros; algumas pennas de fais5o collocadas
de broqueiros; o restante silo carpinteiros, ferrei-1 *dlante e do lado direito completaos os adornos do
ros, pedreiros, arrieiros e tropeins, campeiros, po- !/"*" (' *"
licias e trabajadores de todo servigo. Depois do chapeo que priraeiro nos prenden a
O termo medio dos salarios pagos mensalmente | ^enco, que mais deve agradar as elegantes um
imponara em 16:0004.
Os trabajadores regulares ganham para cima
de 404 por mez, e alguns mesmo at 604-
Ha eslabeieiido entre os broqueiros um cf6
para soccorrer aos doentes, enfermos, e qnelles
que se tornam merecedores de serem ajudados
pela fiaternidade.
A quantia subscrevidaem 1861, foi de 3:0724200
(entrando rada um com 600 rs. mensaes), e de qual
quanlia dispendeu-se em soceorros, ele, 3:0694420.
deixando um saldo de 24780.
O seguinte raostra a natureza do soccorro cima
mencionado ;
Monumentos para os broqueiros
de palha de Italia, que tem o nome de uma das
praias mala frequentadas em Franca na estacao
propria para banhos do mar.
O chapeo Trouville, a que nos estamos referindo
tem abas maiores do que o filho do ar a guarneci-
das de velludo azul, bordado com alguns Pos de
contas azues e brancas; uma tira larga de tulle
azul cinge a copa do chapeo Trouville e forma um
lago, sobre o qual pousa graciosamente nm passa-
rinho com pennas aznes.
O chapeo a que chamam Imperio moito bonito
para o campo.
i Esse chapeo oe palha ingleza ; um rolo de se'
da pr.ta cjnge a copa e sustem um ramo de flore*
I campestres.
Con cincuenta anni al dorso
Fare la primma donna
Ringrazi a la Madona
Ed a quello che sta l.
Nisto apontou para o chefe de polica, que orgu-
Ihosamente se repinpava no seu camarote.
M. que tinha resistido pateada, ao assobio e s
batatas, nao pode resistir ao ridiculo, desmaiou e
largou para sempre a suena.
Sobre o evangelho de de S. Lucas, Cap. XIV v.
XVI a XVII. Quando fo~a hora da cea, enviou
o pai de familias a um de seus servos, a dizer aos
convidados que viessem ; porque tudo estava apa-
relhado. Porra todos a uma comegaram a escu
Ollensasao bello sexo nao ficamsem punicao.
No fel azedo de vinganca vai elle hervando as
suas arma, e quando chegado o momento, ai f do
que se ahalancou a coulrariar-lho uma velleci Iade
a ridicalasar-lbe um capricho, lolher-lhe os meios
do seu despotismo galante ou lyranaico.
Um jornal estrangeiro nos foroece urna prova na
seguiute chistosa anedocta :
Mad. D. tinha um gato soberbo, um gatarro,
desles de pello avelludado e malhas graciosamente
combinadas, que team uns olhos que scintillamna^
trevas como carbnculos e que quando se Ihes pas-
sa a mo encrespim preguicosamenle o lombo, to-
mando a feigo de um dromedario em miniatura.
O galo de Mad. D. tinha todas as hellezis ima-
gnaveis, mas um deleito terrvel as deslustrava
todas.
Miava, miava horrivelraente aquello gato em que
Mad. D. empregava uma affeico iouca.
. A dona Indo Ihe soffria, porm nao tinha a mes-
ma resinageo ura visjnho de Mad. D que pelos
modos nao gostava da especie de estudos musicaes
a que elle as vezes se entrecava cora ceno deses-
pero, incomraodando ainda os de ouvido menos
sensivel.
O resollado disto foi uma deliberago desespera-
da o barbara..
O visioho de Mad. D. um dia nao estove contem-
'. placoes : pegou n'uraa arma, carregou-a, escor-
1 vou-a, mclteu-lha o fulminante, fez todos os prepa-
rativos necessarios com am sangue fro iocrivel,
postou-se em sitio apropriado, lobrigou o seu in-
I migo, apontou e... urna scana horrivel se passou
sar-sa disserta o Cruzeiro do Brasil ;
. enlao, como se diz nos romanoes de grande el-
Foi sempre, desde o origem do mundo, a ingra- ..0
tidaoacausa principal dos maiores males que, A'bala a^ravessara-lhe a cabega.
tem sobrevindo ao horaem I I Mad D Mtm ansente
Foi ella que o arrastou a commelter no Paraso' Quando voltou o den cora os olhos naquolle hor-
Terrestre o priraeiro peccado, comprometiendo no roroso espectculo, cuidou de enlouquecer de pai-
seu crime toda saa descendencia, qae flcoa desde xo pelo biehinho.
logo privada da heranga da gloria eterna; mas
qae a misericordia divina, contrabalangando-se
com a instiga, vio enj sea soccorro dando-lhe. am
Teve cinco ataques nervosos e chorou por es-
pago de tres semanas mais do que. liona chorado
at entio.
JESS CIlniSTO CONSIDERADO CdlO F'.MDAOuR 1>K
IGREJA,
I
F' um bello espectculo vera religiio revelad*
descender, virgen de todo o erro, de Adi ale aV
sus Quisto.
Se queris ter uma idea justa e sensivel test;
espectculo imponente, ligurai-vos ja ora ra > de
luz qne a vista pode acompanhar atravs de lotUs
as desordens do antigo mundo ; ja ama vasta ra-
da que contina sem inlen apgo, e 'jue avaho n
revez pedera quebrar ; ja um rio immenso qu r -
la suas magestosas ondas ao lado de lamagaes in-
fectos, sera jaraais perder a limpidez de -uas
aguas.
Porm ainda mais sublime espectacalo ver es-
osla mesma reiigio lomar em Jess Citrislo e p>r
lesos Chrislo seu desenvolvimento corapi -t >, sua
forma definitiva e sua manifestago nniversal.
Aqu nao sao mais raios qae esclarecen e que
reaniman) uue canlo do globo, sa > torralas tu
luz que se escapan) da Diviadade e que se espalh)
por toda a parte.
Aqui nao mais um comego de graga, oo ama
graga preparatoria, a graga qae superaban 11.
a graga que derramase raargens cheias, : gra-
ca (jue se olferece a todos os individuos e a !los
os poras para regenerados e salva-lo*.
Segando as leis que fcil ob.-ervar na ord m
natural, ua ordern humana e na ordem sobrenatu-
ral, ludo o i|Qoha d^ ilurai^, da fort-i il esplen-
dor, nao se produz senao cora o auxilio do lempo.
do trabaiho e dogemo.
Vede este robusto e frondoso pe : ocrulto na se-
ment era um gerran imperceptivel.
Cpesceu pouco a pouco sombra da floresta:
profundou no solo suas poderosas raizes e este-
deu ao longe seus ramos vigorosos.
Hoje elle enorme. Arrosta os ventos ; mai-
de dez geragSes vieram abrigar-se sob soa imm ra-
sa folhagem.
E' uma maravilha da natureza.
Vede este palacio que se admira por soa solidez
por sua magnificencia : foi edificado sobre boasali-
cerces, cora maleriaes escolhido e por batis
obreiros.
O lempo, o terrivel inimigo das coosas deste.
mundo respeita-lo ha durante algons seclos.
E' uma maravilba da arle.
Vede aquella nacao : desconhecida em *ua ori-
gen) como o truco arroio que desee da moolanha,
ella se forma priraeiraraeule na obscuridad*, de
urna man.ira lenta.
Favorecida, por ideas e fados qae se raedera,
ella se eleva progressivaraente e se faz eooneee? ;
promulga leis era relago cora seos cosime e lo-
ma seu lugar no mondo, para, ir fazer o sea
papel mais ou menos longo, mais oo menos glorioso.
E' uma raaravilha da providencia de razio a
ordem social.
Remontaj agora a rellgio primitiva, examina i
as tradigoes e ascreogas dos seclos que precede-
rn) o Christanisnio : esiuda maisparticalarmen-
te a historia do povo encarregado de conservar o
deposito das verdades reveladas, e encontrare ah
constan teniente o eterno pensamento de Dos so-
bre a igreja.
Com efleito, quando Dos as profundizas sua sabedoria, decreta que o verbo se fara canse;
quando Deus annucia pela boca dos prophetas seos
designios de misericordia e de amor ; qoando Dos
suscita horneas, e que permuto acoolecimentos que
mudo de repente a face dos imperios ; qoando
dcixa os romanos marchar, por orna looga serio
de triuraphos, conquista do universo : o qae :z
elle?
Trabalha para a igreja, traga o plano, p6e o; fun-
damentos da igreja, prepara os caminhos *ra a
igreja.
Dos v na igreja o centro, o logar, o Um de lo-
dos os grandes tnysierios.
Dos v na igreja a obra que elle concebea an-
tes de todos os seculos; v ali a aego inmensa de
seu filho incarnado, de seo filho sacerdote, re *
victima ; v a operacao fecunda e perpeloa do
Espirito Santo.
E" pela igreja e na igreja qoe ello qoer sor boc
rado, glorificado de uma maneira infinita eaa Soda*
as gerages.
E" por ella qae elle qaer parificar, transformar,
santificar a natureza humana al o lio dos lempos!
Nao bajis medo qne elle a conloada com as
creagoes frageis e perec veii f
. O velho ip cahe, o monumento de granito so
aloe, a nago a melhor consumida desapparere
como ora rio que, depois de ter bandado bellas
campias, se perde no itoin,
Form a igreja, maravilha de Dos na ordena
da graga, nao conheca decadencia, escapa i acrao
do lempo ; ella sa conserva firme no meio das rei-
nas que o marulho das idades amoratan a sen* pea.
Em tudo o que ella tem de essencial, participada
iramutabilidade do sea Divino Fundador.


PERXAMBL'CO.-TYP DE M. F. DE P.gj Fimo
-w------!-----w
111 l^%l% JaT
*'