Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:10712


This item is only available as the following downloads:


Full Text

\
AflIIO 111, JfflMERO M
Por qaarlcl pago deutro de 10 diasdo 1. mez t J000
dem depois dos 1.0< 1 ditis ducoiucroe deutro do qaartel. 6JJU0
Porte ao correio por ir:, mezes............ 7o0
r
"S

if m
ca $3
SEGUNDA FEIRA 10 D JLHO DE 1865.
Por anno pago dentro dc/io das do 1. mez ,,,.,.. 19$000
Porteo correio por aiu (anuo ,\ ,......... Sflu
l^-rp v ersTjcn

ENCARREGADOS DA SUBSCIIIPCO DO NORTE
Parahyba, o Sr. Antonio Alejandrino de Lima;
Natal, o 3r. Aatooio Marques ila Silva; Aracaly, o
Sr. A. de hemos Braga; Cear, o Sr. J. Jos de
Oiiveira; Maranhao, o Sr. Joaquim Marqnes Ro-
drigues; Pr, os Srs. Gera do Antonio Alves &
Fi I ios; Amazonas, o Sr. Jeronymo da Costa.
ENC.\n REGADOS DA SUBSCRIPCAO DO SUL.
Alagoas, o Sr. Cladiuo Falco Das; Babia,o
Sr. Je.se M irtlns Alves; Rio d Janeiro, a Sr. Jos
Rib iiro Gasparlnho.
PARTIDA DOS ESTAFETAS.
Olida, Cabo, Escada e eslacoes da via frrea al
Agoa Pela, lodos os das,
iguarass e Goyauna nasegundas e sextas feiras.
Santo Antao, Grvala, Bezsrros, Bonito, Caruar,
Allinho, Garanliuns, Boiqoe, S. liento, Bom
Conselho. Aguas Bellas e Tacaral, uas tercas
feiras.
Pod'Alho, Nazareth, Limoeiro, lirejo, Pesqoeira
Ingazcira, Flores, Villa Bella, Cabrob, BoaVHs-
ta, Oaricury, Salgueiro e Ex, as quarla>
feiras. '
Seriohom, Rio Formoso.Tamandnr, Una, Ba>-
reiros, Agual'reta e Pimenteiras,as quintas
feiras.
AUDIENCIAS DOS TRfBi'NAES DA CAPITAL.
Tribunal do commercio : segundas e quintas.
Relago : tercas e sbados s 10 horas.
Fazenda : quintas s 10 horas.
Juizo do commercio: segundas as 11 horas.
Dito de orphaos: tergas e sextas s 10 horas.
Primeira vara do civrr: terca? e sextas ao meio
da.
Segunda vara do civel: quartas e sabbadtss a 1
hora da tarde.
EPHEMEIIDES DO MEZ DE JLBO.
8 La cbeia as C h., 7 m. e 22 s. da t
lo Qaarto ming. as 2 h., 6 m. e 46 s. da t.
2 La nova as i h., 'J in. e 40 s. da t.
30 Quarto cresc. as 4 b., 49 m. e 16 s. da i.
DAS DA SEMANA.
10. Segunda. S. Silvano rr.; S. Biancr b.
11. Terca. S. Sabino m.; S Abrendio nt.
12. Qnsrta. S. Joo GualU-rio ab.; S. Jasan.
i:. Quinta. S Anacleto p.;Ss. Joel e Edras prof.
14. Sexta. Ss. Flora e Justa mm.; S. Cptaciam;.
lo. Sabbado. S. Gamillo de Lilis fuudador.
16. Domingo. N. Senhon do Carmo.
PRBAMAR DE IIOJE.
Primeira as 6 horas e C m. da manhaa.
Segunda as 6 horas e 30 minutos da tarde.
PARTIDA DOS VAPORES C I:..:: ..=.
Para o sul at Alagees a 14 a :>'. pira o Bom
ala a Granja a 7 e 22 de cada mez; para Manto-
do nos dia? 14 dos mezes de Janeiro, BMfea, mai..
julho, setembrb e Bovembro.
ASSIGNA-SE
noRecife, nalivraria da praca i :nder>r..}?Dea
ns. 6 o S, dos propietarios Macee! Pujaotrea 4a
Faria & Fillw. i

Fin .'
I U&J iii
mmm da reavmciA.
Expediente do dia 6 de julho de lSG-'i.
Offlcio ao Exm. Sr. presidente di Parahyba.
Passo por copia as mos de V. Etc., o offkio que
em data de 7 de jnnho prximo ndo, dirigio-me
o commandante superior interino da guarda na-
cional do municipio de Goianna para que se digne
tomar na conslderacao que merecer o que elle re-
presenta acerca do' cabo de esjuadra di 3.* com-
panhia dj batalhao n. lo de infamara, Mariano
Pereira Maciel rccrulado pelas autoridades poli-
ciaes d'esta provincia.
Dito ao Exm. desenibargador provedor da Santa
Ca-a de Misericordia.Srvase V. Exc de man-
dar adimittir no coileio Jas orphaas, nos termos
da lei n. til, de 2 de maio ultimo, as menores
Juvina e Alexandrina, Albas do sargento de polica
Auiuuio Saraiva de Araujo, que leudo de marchar
para o sul, nao lem a quero as deixar, visto
liaver perdido .-ua mullier, mai das mesmas me-
nores.
I).lo ao coronel comm nlante das armas. Sir-
va-re V. S. de mandar inspeccionar o guarda na-
cional Manuel Hegino de Camino Couio, remet-
tendo-me O parecer d;i junli de saude.
Dito ao r. ehefe de polica.Par ter o corpo de
polica di embarcar brevemente para a corle, re-
solv despensa-lo do servico de mudas a noile
n'esta cidade, e ulfieiei ao commandanle superior
da guarda nacional d'este monisipio, para mandar
prestar pelo bataih actualminte destacado as
patrulhas i|ue forera necessaras para aquello ser-
vigdj as quaes devem ser apre.-intadas a autorida
de policial competente, o que declaro a v. S. para
seueoubedmento.N'este senJo offlciouse ao
commandante superior do Recife.
Dito ao mesmo. Em resposta ao seu olcio n.
931, de j do correnle, teuhoa dizer-lhc que baven-
do-se expedido ordem em 3 d'e.-te mez, para des
tacaren) na poToacSo da Magdalena 1 cabo e 4
guardas nacionaes, deve o re.-pectivo subdelegado
tirar mn d'estes para Ihe servir de ordeoanca. O
que V S. Ihe eommuuicara em resposta ao ufBcio,
em que elle requisitoo o soldado do cor|io de po-
lica .1 aqoim Jos d'Oliveira.
Dito ao inspector da Ihesouraria de fazenda.
Para os convenientes exanies transmiti V. S. as
inclusas actas do conselho de compras do arsenal
d' guerra, datadas de 19, 24 3 31 u mez de maio
ultimo.
Dito ao mesmo.Transmilto a V. S. os inclusos
documentos, que vierain annexos ao olcio do
commandante superior d'este municipio, dalado de
4 do eorrente, e sob n. 170, aflm de "que, nao ha-
vende iocoaveaienle, mande pagar o- veocimeuios
relativos aos das decorridos de 20 a 30 de julho
ultimo, da forca do i." batalho de artilhana da
guarda nacional d'esta capital, deseada na for-
taleza do Brum e forte do Buraco. Communicou-
se ao commandante superior do Rece.
Dito ao mesmo Achando-se aquarielladas na
'villa do lirejo desde -20 de aljril ultimo, um 2."
.-argento e 11 guardas do batalhao n. 3o de infan-
taria, assim o declaro V. S. par. su conheci-
mento, e aflm de que mandando pagar a vista do
iin-Ki.-i.i pret, a importancia dos veneimentos
d'aq lellas pracasat 20 de maio prximo passado,
a Jo- Luiz Guaiaco procurador do commandante
iniermo do batalhao, providencia convenientemen-
te ii" sentido de ser aquello destacamento pago
pela Cllectoria de reii las da referida villa, de 20
di 'iiado mez de maio em dianle. Ccmmunicou
.-1 ao delegado do Brejo.
Dito ao mesmo.Para os convenientes exames,
remeti as melisas cenias documentadas d.t re-
ceitaj o despeza da enfermara militar de Tacaral,
relativamente ao mez >', abril dVst-i anno.
D.to ao mesmo.Recommendo V. S. que, em
vi.-i i dos inclusos documentos, e no ha vendo in-
conveniente, mande pagar os veneimentos relati-
vos a 2.a qumzena do mez de julho ultimo, da
forja do L* batalhao de infamarla da guarda na-
c nal d'este municipio, chmala a destacam nt i
para auxiliar a tropa de i.* Ilnba no servico da
guarnQuo, e bem assim a importancia d<-spendida
com o forneciment d'agua n'aquelle mez, confor-
m'elsoliciiou o respectiva commandante superior,'
em officio de honlem, sub n. 173.
Dito ao mesmo. Remello Y. S. para os con-
ven.enie,- exames, as inclusas tontas documenta
das da recita e despeza la enfermara militar do
presidio de Fernando, relativamente aos mezes de
marco e abril d'este uno.
Dito ao mesmo.Declaro V. S. que o enpe-
nfaeiro Antonio Vicente do Nascimenlo Feitosa Fi-
Iho, entrn do extreicio de engenheiro das obras
do melh< ramelo do porto em i do correnle, como
me communicou em officio d'esta data.
Dito ao inspector da Ihesouraria provincial.
Pela verba evenlnaes no rhrrente exercicio, man-
de Y. S. enlrepar a Ernesto Antonio da Silva
Lins, que se ada incumban de agenciar volunia-
rlos para o Carpo de polica, a quantia de 303000
rs., como ajuda de custo pata as despezas de
viagero.
Dito ao mesmo.Recommendo V. S., que me-
d me as camellas do estyllo, mande entregara
Antonio de Lemos e Vasconcellos, na qualidade de
procurador do vigario cncommendado da fregu-
zia de Grvala, padre Tito de Barro* Correa, o
eonlo de ris, volado pelo 5 .* do arl 15 da lei
do orcamento vigente p ra a; obras da matriz
d!aquella freguezia.
Dito a mesmo.Mediante nanea idnea, man-
de Y. S. entregar ao ihesoureiru da ir .andado de
\ -a Senhora do Livramento da freguezia da Var-
zea, Antero Carneiro de Lacerda, o producto que
se acha recolhido a essa ihesouraria, do beneficio
da parle de lotera exiralnda em 13 de juulio ul-
liu.j, a favor das obras da igreja matriz d'aquella
fn gu^zia.
Dito ao mesmoA Andr Avelino Pereira de
Souza mande V. S. pagsr a quanlia de 243, pro-
veniente do alugui'l de C raez^-s vencidos a 14 de
junho u;lm>, da casa que serve de prl-ao no dis-
trlclo de Santo Amaro de Jaboa.o, como se v do
recibo unto em duplcala, que, para esse lim. me
remellen o ehefe de polica com officio de 4 do
correnle. sob n. 958.
Dito ao mesmo. Nao havendo inconveniente,
mande V. S pagar ao tenente-inarle|-me>ire do
corpo d Dolicia Luiz de Franca M-ll > Jnior, con-
forme Rolicilou o respectivo comunnlente em olTi-
ei de t! dj correnf, sob n. 92!, a qoantia de rs.
|4|480, despenlida dur.nte o S'nvsire de Janeiro
junho desle anno, com o f jraecimento d'agua
aos presos p .bres recolhidi)s a quaitel daquell >
corpo, como se v da inclusa folla. (kxnmunicou-
se ao comm.ndinti! do corpo de pjlicii.
Dito ao commandante supi rior d- Recite. Em
resp sta ao officio n. 13o, que V S. mo dirig) em
22 de maio tiltimo, com referencia ao guarda do
6" batalhao de iufanlaria deste municipio, Jos Pa-
tricio da SIv.h, que foi recrut3r!o para o exercto,
tenho a declarar-lhe que nao pode ser cencedida a
escusa por V. S. selicitada, nao so por ter sido
indeferido em 16 do citado mez, o.requerimentoera
qoe aquelle guarda allega ser menor de 18 anno;,
como tambera por ter deorrid i mais de 2 mezes
de sus prafi, estn lo por tsso fra do prazo de que
trata o ait. 83 do regulamento do Io de mai) de
1858.
Dito ao meamo.Avista do parecer da unta de
sade de 5 deste mez, que considerou incapaz de
lodo o servico por soffrer de epilepsia o guarda do
primeiro batalhao.de infamara deste municipio
Severiano Duarle Yieira, resolv dispensado do ser- j
vico de destacamenio para que eslava designado :
o que communico a V. S. para seu conhecimento .
e expedico das convenientes ordens.
Dito ao commandante superior do Brejo e Cim-
bres. Teiido todo considerado incapaz ao servico
em inspeceo de saude o capilao do baialhao n. 36
do infamara da guarda nacional do municipio do,
lirejo, Francisco de Sales Tenorio, resolv dispen-
sado, como solicitoo, do servico de destacamento,
para que eslava designado : o que communico
V. S. para seu conhecimento.
Dito ao cominondanto superiorWa guarda nacio-
nal da comarca de Garanliuns.Avista do que pon-
dera em sua informaco n. 41, de 22,de junho ul-
timo, acerca dos requerimento> dos guardas na-
cionaes Antonio Jor.quim azario, Manoel Jos
dos Sautos, Tnomaz Lopes Galvo e Henrique Jos
de Luceua, resolv despensar o primeiro do servico
do aijuaiiellamenlo, para que e.-tava designado, por
ser casado, em quauto nao fr preciso designar os
guardas da classe a que elle perlence.
Qnanto, porm, aos demais nonieados, devem
vir a esta capital quablo antes, alim de serem sub-
niellidos a exame de saude, sem'o que nao pdem
ser alleiidido.-.
Dito ao commandadte superior da guarda nacio-
nal do Liraueiro. Inteirado de quanlo V. S. rae
coininuiiica em seu officio de 3 do correnle, tenho
a declarar-llie relativamente a ultima parle do mes-
mo ortelo, que os guardas nacionaes dispensados
pela presidencia de fazer parte do contingente cha-
mado a servico de destacamento na forma das or ,
dens imperiaes.devem ser substituidos pelos con-
templados na lista mpplementar, segundo a ordem
em que estiverera seis nomes na mesma lista.
Dito ao mesmo.Recebi o seu oflicio d< 20 de
junho uiiimo, e sciente da falta que commetleram
os guardas nacionaes desiguados para o servico da
guerra deixaudo de comparecer no dia lo daquelle
mez, que para i?so Ihes foi designado, tenho a di-
zer a V. S. em resposta, que espero a lista dos que
faltaran!, com deelaracao dos signaes caracieristi-
eos, aflm de se providenciar como o caso exige.
Dito ao commandante do corpo de polica. -De-1
volvo a V. S. o proeesso do coaselho de invesliga-;
cao a que foi submettido o soldado Felippe Alves
de Oiiveira, cora a portara de nomeaco para o
conselho de jnlgamento, alim de que este d come-
co a seusHra-balhos, cora a promplido que convm.
Dito ao mesmo.Eip vista do que represenlou-!
me a cmara municipal desta cidade, em officio de
27 de junho ultimo, sob n 43, recommendo a V.
S. que mande estacionar diariamente no matadou-
ro publico 3. Cabanga, a disposicao do respectivo
administrador, una praca do corpo sob seu cora-
mando.
Dilo ao mesmo.-Respondo ao seo officio n. 806,
de ucolem, declarando-lhe que em 3 do correte
exped ordem para ser a guarda da casa de deten-
gao feita por pracas do batalhao da guarda nacio-
nal aquartelado, e agora recommendo que o mes-
mo Sr. preste as patrulhas eco-irias para o ser-
vigo de rondas a uoile nosta ci.. -.
Dito ao mesmo. Defenndo os reiiueriraenlos
dos soldados do corpo sob seu commando Joao
Francisco tlegis Lobo, Manoel Rodrigues de Almei-
da e Francisco Honorio da Silva, sobre que versara
as suas nformacSes desta data, sob ns. 513, 516 e
519, autonsojV. S. a dir-lhes baixa do servico como
solicitaram.
Dilo ao ehefe da reparticSo das obras publicas,
Pode Yinc. conformo indica em sua in"
de 4 do correnle, sob n. 198, niandirfcrtr por em-
preilada o lapamento do rombo, que aiqiarecpu no
aterro c|ue da passagem aos moradores do Campo-
Grande para e.-ta cidade, despendendo-se para esse
lim a: a qumtia de 18r52o0.Neste sentido ofli-
ciou-se a Ihesouraria provincial.
Dilo ao mesmo.Considerando Vmc. rescendido
o contrato feto com o barao do Livramento, relati-
vamente a obra do caes do canal da ra da Auro-
ra, mande lavrar o competente certificado, afini de
que possa elle receber da Ihesouraria provincial,
para o que ficarn expedidas as convenientes ordens,
a quantia de 2:267.-3650, que anda se Ihe resta
das obras j feilas, como se v do officio que Vmc.
me dn itfio em 16 de junhoyultirao, sob n. 177.
Expediram-se as necessarfas ordens a este res-
pello.
Dito ao thesooreiro das loteras. Em resposta
ao sen officio de 28 de junho ultimo, declaro Ihe
que approvo a tabella que Vmc submelteu a mi-
nha apprvagao, para as lotenas que devem ser ex-
UaliiJas no exercicio correnle, confeccionada de
conformidade com os arts. 53 e 54 da lei n. 635, de
l do ,naio prximo Ando.
Portara.O presidente di provincia, pela pre-
sente autorisa a Jeo Joaqalin de Figueiredo Bar-
bosa a ir ao centro da provincia, promover o alis-
tamento de voluntarios para o corpo de polica, e
encommend i as autoridades poliches e locaes que
Un prestem lo lo o auxilio para o bora desempenh
di! sua commlsslo.Fez-se o necessano expedien-
te a este respeilo.
Dita.Para conselho de jiilgampnlo a que sub-
metto o soldado da 1* companhia do corpo de po-
lica Felippe Alves de Oiiveira, nomeo :
Presidente.
O Sr. capitao Manoel Germano de Miranda.
Auditor.
0 Sr. Dr. Jacintho Pereira do Reg, promotor pu-
blico interino da comarca.
Vogaes.
O Sr. lente clrnrgiio J-..- Joaquim de Souza.
Dito quartel-meslre Luiz d.- Franca Mello Jnior.
Tenente Joo Francisco da Cunta.*
Alferes Francisco Xavier Rodrigues de Miranda.
Dito Antonio Muniz Tavares"
-Ji>i\:..^j.'v:t- .T-saouw
PERNAiRUCO,
pviST mm.
Em nossa oitava pagina, damos om perfil lute-
rano da historia patria, relativo s faganhas e aos
rasgos de virtude e patriotismo de Joo Fernandes
Vieira.
E' um traharho que fot lido em sessio do Insti-
tuto Archeologico e Geographico Pernambncano
pelo respectivo spgundo secretario, major Salvador
Henrique de Albuquerque, e vem na Revista do
mesmo Instillo, junto ao retrato daquelle hefe da
illiala pernamboeana.
Era Ierras do engenbo Buranhem, termo de
Serinhaem, Joo Marnhn Gomes matou rm das do
mez findo a Jos Herculanod.i Rocha Wandeiley,
a ^uem ao depois lancou no rio desee no ne.
No dia seguinte a polica local pode capturar ao
homicida, conseguindo tarnbem descubrir o cada-
ver, no qual procedeu ao compleme corpo de
delicio, resultando verificarem-se varios fenmentos
comprehendidos desde o abdomen at a cabeca do
Infeliz assassinado.
Cr se que prenle-se a causa deste enme
ciumps.
Foi resolvido pela cmara municipal, que o
despejo publico s seja feto ao sul no flm do caes
do Ramos, e ao norte no alagado do fundo da casa
de detencao. Esta roedidj, alias de toda a ulilida-
de, ha de ser illudida ou ueglk'enciada; e o despejo
continuar a ser feilo nos caes da Aurora, do Sol, de
Apollo, do Passadigo, etc., ele, entulhaudo-se as-
sim o rio em pontos que. istoe" prejudicial, e incom-
modando-se aos moradores prximos esses lu-
gares.
As pracas do corpo de polica que obtiverem
baixa, e por conseguinte findein o seu engajamen-
to, nao poderlo ser de novo engajadas no corpo
provisorio, que se ha de crear com a retirada do
corpo de polica para o sul, segundo o disposto na
lei n. 611 art. 8 j
Em sesso da junta de juslica do corpo de
polica cm ultimo recurso, a que foi submettido sob
presidencia de S. Exc. o Sr. presidente da provin-
cia no sabbado ultimo o proeesso do lenle do
mesmo corpo. o Sr. Joo Eduardo Pereira Birges,
rpformou-se matonea absolutoria, que Ihe foi la-
vrada no conselho do julgamenlo, rundemnando-se
ao mesmo lente a ser reprehendido no circulo
dos offl iaes e a soffrer 8 das de pri>ao, pela falla
de disciplina que commettera para com o ex-com-
mandante d'aquelle corpo o Sr. coronel Sebastio
Lopes Gumares.
Eutrou de semana o escrivo interino dos
protestos de letras o Sr. Iuuocenclo Antunes de Pa-
rias Torres.
Numeraos > dos'bilhetes da lotera 23.', offe-
recidos pelo thesoureiro o Sr. Antonio Jo.- Rodri-
gues de Souza, para auxilio das .espezas da guerra-
Burieles 644, 1121, 1649,2635.
Meios 5 0, 864,1521 915, 2510, 2838.
Quartos 34. 140, 712,952. 1050, 1259, 1853,
2070, -288, 2439, 2785 e 2968.
Os bilhetes das loteras 11.* a 22." produziram
3545500.
Amanhli 11 do correnle, vQVctuar o agente
Pinto o sea lei lio de movis, obras de praia e ouro
com brilhanles, loucaecryslaes, os quaes objectos
aehain-se desde j ao exarae dos pretendentes, no
armazem da ra da Cadeian. 62, ouir'ora de Hen-
ry Gybson.
" lnformamnos que, em tima das noites passa
das, entrando una barcaga, cujo meslre nao vlnha
algum lempo ao nosso porto e por conseguinte
ignorava a perda da barca Felubelta, bateu de en
conlro ais inastrosda mesma que se arham flor
d'agua no mesmo porto, e perdeu-se totalmente,
salvndose a tripolagio as ponas dos mi.-tro-.
Tendo sido arrematado o casco desse navio, ha
mais de mez, parece rasoavel que a eslaco com-
petente Intime de prompto ao arrematante para sa-
fado, aflm nao s de evitar desastres semelbant-s,
como de fornrar-se um banco no lugar.
Acaba de ser confiada a gerencia d > consu-
lado dos Estados Pontificios nesta provincia ao Sr.
Antonio Luiz de Oiiveira Azevedo. Felicilamo-lo
por essa escolha tanto mais honrosa que parti ella
do ehefe da igreja calholica.
Chamamos a allengo dos respectivos subde-
legados para que nao nomtjem_inspecuires de qunr-
prompfaniente aos successos que Vderern ; por
quanto o resultado ficarem sempre impunes os
criminosos, como acontecen sabbado s 6 horas da
tarde na ra das Cruzes, onde um africano ebrio
insulten bastante aos moradores da casa n. 1, sera
nenhnni castigo, por que o inspector de quarteiro
anda va a recado de seu patro !!
Reniettem nos o seguinte, pedndo a sua pu-
blicaeao :
t o sabbado s 5 horas e ineia da tarde, um
canoeiro d*Sr. Francisco Boiellio de Audrade, que
dirigia^tffna canoa de carregar arda de u. 103, quiz
(pra passar por balxo de urna pequea ponte
ronte do qtiartel do Hospicio^ quando a mar
eslava superior a dar aquella passagem; recebendo
de tena reclamacocs que esperasse ; vasante da
mar para reahsar sua passagem nada atienden,
e sobre a mesma pon: metteu a cu, que a der-
riben.
c A ponte em questao foi manJaila construir
pila cmara municipal do Recife, para o transito
publico pela grande necessidade da concurrencia
de pessoas que por ella transitara. Pedimos a
mesma cmara ou a aulordade a quera compele o
reparo, que elia necessila.
Remllemenos o seguinte :
t Dispondo a lei n. 634 de 16 de maio prximo
passado, artigo 46 15, e a de mais anteriores re-
lativa a mesma materiaque os premios das feli-
nas maioret ie 40u<3000 estatu sugeitos ao imiiosto
provincial de 5 po1 cenlo perguiuo si os premios
de 400-3000 sanente este lambein sugeilos ao mes-
mo imposto ?
Apezar de poder parecer ociosa esta pergunta,
com tado convem que os entendidos dem asna
resposta, porque tem-se-llie legado urna inteligen-
cia, que tenho para mim ser muito original, dedo-
zindo-se aqiille. imposto logo do premio de 4005
e uo -rnenle do,- maiores de 400^000 etc.
Rici'.uiTicvo DA polica :
Extracto das partes do dia 8 de julho de 1865.
Foram rec libidos casa de detencao no dia 7
do correnle:
A' ordem do lllin. Sr. Dr. ehefe de polica, Joa-
quim Francisco da Costa, Jos Rodrigues Ilezerra,
Manoel Ferreira da Silva e Manoel Joo Pedro ou
Manoel Pedro de santa Auna, para recrutas.
A' ordem do Drvjuiz especial do commercio,
Joo Baptista do Reg, por se adiar c.omprehendi-
do as disposicoes dos artigos 343 I e 2, e 525
do regulamento n. 737.
A' ordem do Dr. delegado da capital, Joao, es-
cravo de Hathias Lopes da Costa Maia, para averl-
guaces em crime de offensas physicas leves.
A' ordem do subdelegado do Recife, Luz, escra-
vo de Samuel Felippe de Souza, requerimenlo
d'este.
A' ordem do de Sao Jos, Joo Antonio Marques,
para correigao.
A' ordem do da Boa-Vista, Clemente Ferreira,
Jo> Pedro e Manoel Joaquim dos Sautos, por bri-
ga ; Francisco Gomes da Silva, Bernard > Gomes da
Silva e Joo Francisco dos Res, para correegao ;
Joio Baplista do Rosario, para remita; < Paulo, es-
cravo de Domingos Francisco Cavalcanti, por fu
gido.
O elWe da 2." seceo.
J. G. de Mesquita.
CMARA MIMCIPAL.
Ao? 24 oe marco de 1865, comparecendo smen-
te os Srs. Pereira Simoes, Thomaz de Aquino, Gus-
tavo do llego e Dr. Miranda, nao houve sesso por
falla de.numero.
Eu Francisco Canuto da Boaviagem, speretario a
escrevi. Pereira Sim5es, pro presidente.-Reg
Fonceca. Dr. Miranda.
i.' SESSA" ORDINARIA AOS 27 DE MARCO
DE 1865.
Presidencia do Sr. Pereira Simoes.
Presentes os Srs. : Thumsz de Aquino Gusta-
vo do Reg, Dr. Miranda, Santos e Co-ta Monteiro,
faltando com causa os Srs. Dr. Sarniento, e Silva
do Brasil, e sem ella o Sr. Barros Reg, brese a
sesso, e lida e approvada a acta da antece-
dente.
O Sr. Santos pede a palavra, e declara que tendo
estado encoramodado no dia 24 do correnle, nao
pSde por is=o comparecer a sesso d'aquelle dia, e
havia offlciado. ma" contando que o officio nao che-
gara a ser entregue em lempo, fazia semelhantede
elaracao para scientilicar a cmara, e evitar duvi-
das futuras.
L-se o seguinte
EXPEDIENTE.
Um officio do Exm. presidente da provincia, de
22 do Correte, dizendo ser de reconhecdo interes-
se pubiieo a medida tdoptada ppla cmara, como
consta de seu officio de 15 do presente mez, sob n.
16, em ordem de e.vitar o atravessamento de gene-
ros de primeira necessidade, bem como opeixe, fa-
cilitando gmente aos productores venda de taes
gneros-nos mercados pblicos ; nao todava jus-
to, nem conveniente, que. individuos munidos de
tilulos para lerem entraos e jangadas, destinadas a
pescara, deixem de ser considerados productores,
e excluidos de vendasen] S"us producios dos mer-
cados pblicos, lamo mais que nenhuma diflerenea
existe_ entre elles, eos pescadores matriculados,'
que sao admiiii.los.nos mesmos mercados; rei-om-
monda por tanto a mesma cmara que eslenda a-
quelles a faculdade que a e-tes concede, entre-
gando toda a liscalisago ao.seu alcance |>ara evi-
tar os alravessadore?.
Posto em discusfo, resolveu-se responder, que
a cmara, lomando em considerago a recommen-
dago de S. Exc. no citado officio, vai reconsiderar
na materia, e tomar medidas para levar a effeitn
o pensamento de.S. Exc., e de evitaros abusos
que necessarameote deve trazer semelhante con-
cesso.
Oulro do mesmo, de igua.1 data, dizendo que para
satisfazer a deliberarAo da issembla provincial,
informe a cmara aceren do que requer Basilio
Alvares de Miranda YarejSo, no requerimenlo in-
cluso.
Poslo em discussao, dellberou-seque fosse ouvido
o advogado a respeilo.
O'uiro do Sr. vereador Feliciano Joaquim dos
Santos, de 24 do correnle, communicando i|ue
achando-se encommoda lo nao poda comparecer
sesso d'aquelle dia.luteuada.
Oulro do capitao do porto, dizendo constar-lhe
que nos mercados pblicos principalmente no de
S. Jos, tera os respectivos ti-eaes consentido que
Individuos que nao eslo matriculados vendara pe
x^, e ontros que, munidos de matriculas, que Ihes
nao pertencem se aprcsenlam em ditos lugares
para semelhante flu, e para que.seje obstado esses
abusos, roga a cmara se digne determinar aos
mesmos Baes, que examinando as matriculas, re-
mellara aquella capitana todas as que nao lenham
os vistos mensaes, e que examinen) os signaes, e
Oliacdes de taes individuos, remetiendo igualmen-
te ditas matriculas.quando recon.hecerem nao pe*-
tencer aos individuos que as aprsenla.
Posto em dscusso, d/liberou.se (fflciar nesle
sentido aos Dscaes de S. Jos e Boa-Vista, c res-
ponder ao capitao do Porto, que ficavam expedidas
as ordens convenientes.
Outro do juiz de paz do quarto districto da fre-
guezia dos Afogados, Manoel Jos de Oiiveira Li-
ma, propendo ao ciddao Joo Mauricio de Sena,
para csrrivo daquelle districto, visto achar-se
exercendo interinamente o mesmo cargo, roga a
cmara se digne mandar conferr-llie o respectivo
tulo.Mandou-se passar.
Outro do Oscal da freguezia de Santo Antonio,
repres- litando contra a obra d > muro, que na na
da Praia do ualdereiro est fazendo a mesa rege-
doura da ordem tercera do Carino, em consequen-
ca de sor o mesmo singello, e haver-lhe dito o
mestre da obra, qn; divia o dito muro ter altura
de dez palmos, e pareivndo a elle fiscal, que dita
obra nao vai de arcordo com a disposgo do ar-
l'go -24 do titulo 7. dis posturas de 30 de junho de
1849, visto que fica em frente de urna ra, e por
conseguinte a altura deve ser de urna casa terrea
regular, e com cornija, consulta se esse muro pode
continuar, pois que tendo leilo a *ua construego,
aguarda decisSo final da cmara a respeilo. -Que
se respondesse ao fiscal, que cumprisse a disposi-
g.ai) do artiga 24 das riladas posturas.
Outro d i mesm \ representado tambem que a
Iravessa da ra das Aguas Verdes, a qual da sabi-
da para a de Hurtas e Direita, na divi-ao da fre-
guezia de Santo Antonio con a de S Jos, acha-se
em um eslado inslransitavel, devi lo segundo se
diz a existencia de urna peona d'agua na loja do
solirado de dous andares n. 46, onde mora o Dr.
Francisco Laceas de Souza Rangel, o que foi j por
elle fiscal verifica lo ; bem como que exisle na
mesma loja um tanque de pedra e cal para a ser-
venta de banho do referido doutor, mas diz este
que ha meses nao faz u>o desse ian pi e que as
aguas all eslagnadas, alora das que correm at o
oitao da igreja do Terco, sao laucada?, pelos mora-
dores do sobrado de dous andares n. 43 da dita fre-
guezia de S. Jos, e por ontros moradores das ras
que as de-pejam noite, o que na verdade (o por
elle observado era occasiSo cm que chegava a-
quella Iravessa, sendo que nao multou a quem as-
sim proceda por nao ser o sobrado do lado da sua
freguezia, entretanto, como parte da citada tra-
vessa, perlence a freguezia de S. Jos, e tenhi re-
cebido diversas reclama\'oes de pessoas do povo
para tomar em conslderacao o estado della, alim de
que se possa por ahi transitar, pe le a camira que
Ihe declare a maneira por qoe se deve haver, visto
que nao p le multar os moradores de urna fregue-
zia qoe Ihe nao perlence.
Po.-lo era discueso, o Sr. Gustavo do Reg, pede
a palavra,e diz que a cmara transida em sesso
de 17 de feverefro do annno passado, re|uen-
mento seu, havia deliberado que qualquer fiscal
encontrando infracgoes em alguma freguezia que
nao fosse a sua, poda mandar fazer termo de adia-
da contra o infractor, e nesle sentido se devia res-
ponder a consulta f-ita pelo fiscal de Santo Anto-
nio.Asiin se resolveu, dando se ordem ao fiscal
para multar a todos aquelles que encontrasse in-
fringindo as posloras, embora esiivessem em fre-
guezia que nao fosse de sua jurisdico.
Oulro do mesmo, trazendo ao conhecimento da
cmara o seguiole, pede as necessaras providen-
cias :
Io Que nb caes de 22 de novembro em frente do
arsenal de guerra, exisle urna porcao de travs e
oulros objectos, que impedem o IranilO publico, c
nao Ihe parecendo isto conveniente, visto pertencer
ao dit) arsenal, como eslava informado, devem ser
removidas as mesmas travs,e os de mais objectos,
alim de que o transito publico fique desembar-
gado.
2o Que sena muito conveniente que a cmara
fizesse desapparecer do caes do Ramos dous tdhei-
ros all ex.-tentes, os quaes sao perfeitos focos de
corrupgo e imrnoralidades no centro da cidade,
alm de que, do lado do sul de taes lelheiros, leem
os escravos feilo lugar de despejo publico, o que
muito prejudicial.
3 Que exisliodo um grande monte de immun-
dicias naquelle lugar, de necessidade remove-Io,
para o que pede aulonsago.
Quanto ao Io, que se oficiasse ao Inspector do
arsenal de guerra.
Quanto ao 2o. que se respondesse ao fiscal, qoe
os lelheiros sao de proprledade particular, e achar-
se em quesla e sobre a existencia dos qnaes j a
cmara represenlou presidencia, mas nao houve
decisao ainda.
Quanto ao 3 finalmente, que pode mandar fa-
zer a remoco das linmundicias, e nesta data se ex-
ped rao as "ordens necessaras ao procurador para
fazer a de-peza.
Outro do fiscal da freguezia de S. Jos, pedndo
cmara qu maodasse pagar ao Dr. Joao Keporon-
ceno Dias Fernandes, a Importancia de urna corri-
da sanitaria que proceden no dia I'i do correnle no
acongue publico da mesma freguezia, a qual roca-
hio em Manoel de Souza Tavares. Maniou-se
pagar.
Ou'ro do fiscal da freguezia da Varaea, Infor-
mando o querimento no qual Antonio Pedro da
Costa pede licenca para malar um hu lodos os sali-
vados na mesma freguezia ; declara adiar attendi-
vel a pretenco do sopplicMte-, urna vez que seja o
bol morto em lugar designado para este fim.una-
cedeu-se a licenga requerida, indicando o fiscal o
lugar mais apropriado.
A commisso de edlcagoes, apreser.lou o segain-
10 parecer, qoe foi approvado :
A commisso de emHcacde?, examinando o ali-
nhamento da casa que pretende edificar Bernardino
da Costa Campos, na ra da Soledade, esquina da
ra da Esperanca, cujo allcerce j se acha feilo,
de parecer que seja dita casa levantada sobre o
mesmo allcerce, e no mesmo aliohamenlo em |oe
est, visto que a dar-lhe o das casas que Ihe licam
ao norte, actualmente seria o mais inconveniente
possivel, pois que nao s ticariam eutaipada* todas
as que Ihe ficarn ao sul, que. sao multas e novas,
com a saliencia da parede da casa que se pretende
levantar, saliencia de mais de dez palmos, com i
que o recanto formado por essa saliencia prestar-
se-hia a actos immoraes.e mesmo de perversdude.
Recife 24 de margo de 186-3. Costa Monteiro.
Gustavo Jos do R4go.
A commisso de polica apresentou tres parece-
res, os quaes sendo postos em discussao, os dous
pruneiros foram approvados, e o ultimo dndose
empate na votaco, o Sr. presidente qne se havia
pronunciado contra o dito parecer, deserojotou
com o seu vol de quali lade no sentido em que >e
pro&uucra, ficando por cousequinte prejudicado,
e os papis a que elle se refere, voltario para a
dlia commisso, aflm de dar o ultimo parecer :
Io A commisso de polica, acerca do ollleio do
trocurador deida cmara Jorge Yicior Ferreira
opes, que exercia este cargo aos tres de margo do
correnle anno, dentro do qual acompanha o balan-
nados pela cmara e irrigar eos das I sol m
mesmas testadas, immediaUmeoteejae faena varri-
das:os inlraclopes de qmfju.-r das uamiriV*
deste e do | I pagaro a mulla de SjOW o o'du
po na reincidencia. A cam ira 0m-Mc17.il ma 1 lara
varrer,as ras, onde nao bajara eslal>ele:iir.cn-
tos. j '
Va, se na ra Nova, ou eai qualqn-r ouira. em
frente da igreja da Conceigio dos Miln.ir-. O
qual uer outra, ou de oiio de qualqu-T entra i.-re-
ja i-xistem eslabeleeimenlos, para os mmm :>\
plieavel aquclie art 2 da enada peetM ; evi-
dente que os seus donos nao sao -om.-nt.- enra
dos a varrerem as suas testadas at o meio da ra
mas toda a sua largura, parata do lado nppo*n
nao ha igual oforigacio, isto O, nao exisii-m e-iab^-
cimenios, e como lees devera >er multados apel-
les que neste caso se limitaren) a vamr as i ,tl.
das dis seus esUhelecimentos at o meio da roa.
E para que o respectivo fiscal a es*; resp-ito se|a
esclarec.I,> com presten se dtve officiar ao mesm.-
neste sentido para que quanto antes faca s.r cnm.
prida li denle essa postura.
Paro da cmara municipal do kVaa, 15 de mar-
de 1865.Thomaz de Aquino Fonseci.Dr. Joa-
quim Jos de Miranda.Levantou--se a sama.
Eu Francisco Canuto da Boa-Viagem, secretan
a escrevi.
Declaro em lempo, que o Sr. Gustavo do R-go.
volou a favor do parecer da comini-so de polica
a respeilo da exlubico d mais d-x:um-nt< qoe
pnvcm aidmeidade do fiador do procurador Bo-
rneado.
Boa-Viagem, o declarei.Pereira Sim'>s. ar-
presidente.- Santos. Fons-ca.Dr. Miranda.
Costa.Monteiro.-Reg.Silva do Brasil.
cete relativo ao mez de fevereiro prximo passado,
de paree que seja o mesmo approvado, visto
como procedendo ao exame em todas as mais par-
celias, quer da receila, quer da despeza, achou
exacto com os bvros, e documentos que estoreco-
Ihidos na respectiva contadona.
Pago da cmara municipal do Recife, 22 de
margo de 1865.Tiiomaz de Aquino Fouseca. -Dr.
Joaquim Jos de Miranda.
2* A commisso de polica, acerca do officio do
procarador Jorge Vctor Ferreira Lopes, dalado de
6 do correnle, lempo em |que exercia esse ear^o,
no que declara que foram Ihe remellidos pela dele-
gada do t districto desle termo, era 15 e 26 de
dezembro prximo passado, trinta autos ou termos
de achada de Infracgoes de posturas municipaes
desla cidade, folios pela mesma delegacia, alim de
ser por ello promovida a cobranga das multas, e
tratando de promover a arrecadagao pelos meios
amigaveis, polo effectuar nicamente a cobranga
de duas, cujos multados nao se oppuzeram ao pa-
gamento, e os outros querem ir juizo para seren
julgados; de parecer que quanto antes, exlrafain-
do-se copias autenticas destes viole oito termos de
infraccoes que acompanbarSo aquelle officio, e de-
vero li:ar archivados na respectiva secretaria,
para em lodo o lempo constar, sejain os mesmos
orlginaes entregues ao solicitador desta illuslre c-
mara, i-ara que este com toda a brevidade, de ac-
cordo Coin o advogado, promova judicialmenle a
cobranca dessas multas perante a propria delega-
cia, que a esse respeilo proceder como for de di-
reilo.
J>go da cmara municipal do Recife, 27 de mar-
go de 1805.Thomaz d'Aqoino Foiiseua Dr. Joa-
quim Jos de Miranda.
3o A commisso de polica, para que possa dar
o sen parecer acerca da idoneida.de da flanea de
Jesuino Ferreira da Silva, que foi ofierecida por
Francisco de Paula e Silva, para exercer o cargo
de procurador de-ta Ilustre cauara, ltimamente
Borneado pela mesma, a bem dos direitos desle
municipio, requer que se offlcle ao noraeado para
que exhiba os segnintes documentos :
Io Certides de lodos os escrives do civel e
commercio desta capital da Ia e 2a instancia, jm
Vista das quaes se reconbeca que sobre o sobrado
n. 4 sito ra do Caldereiro da freguezia do Pogo
da Panella, e casas terreas sitas a de n. 19 na ra
do Re daquella freguezia, e as de ns. 2 e 3 na
ra da Poeara daquella mesma freguezia ; uo pan-
dera queslSes de especie alguma, nem esses pre-
dios se acham penhorados em qualquer daquelles
dous juizos.
2o Certido do depositario geral, que demonstre
que tolos esses predios nao foram postos em depo-
sito, quer pelo civel, quer pelo commercio, e quer
mesmo pelo juizo de orphaos.
3* Ceriido de todos os escrives do juizo de or-
phaos desta cidade, em face das quaes tambem se
reconiiega que o fiador offerecido nao est de modo
algum responsavel para com esse mesmo juizo,
quer directamente por si, e quer por lerceiros.
4o Finalmente, ceriido do distribuidor e conta-
dor do juizo, que prove nao haver sido proposta
acgo alguma contra o proprietario des as casas,
em que actualmente o dominio das mesmas esteja
contestado, ou o seu valor esteja sujeilo a algum
pagamento.
Pago da cmara municipal do Recife, 27 de mar-
go de 1865. Thomaz de Aquino Fonseca. r.
Joaquim Jos de Miranda.
Entra em discussao um parecer da mesma com-
misso de polica, o qual achava-se addiado des-de
a sesso de lo do correte, foram approvadas ai
gomas de i uas parles, menos aquella era que os
saertstaes das Igrejas nao erara obrigados a varrer
e irrigar as testadas das mesmas, e tambem que
aquelles que livessem seus estabelpcimentos, cu, as
frenles ficassem para os oitois das mesmas igre-
jas fossem o obrigados a varrer e irrigar at os re-
feridos oilSes.
A commisso de polica, acerca do officio do fis-
cal da freguezia de Santo Antonio, Cietano Pinto
de Veras, datado d; 27 de fevereiro prximo pas-
sado, no qual declara que devendo dar inteiro
cumprimento aoque dhpoeo arl 5o 2o, das pos-
turas municipaes de 10 de novembro de 1855, em
que trata da limpeza das ras, pracas e de sua ir-
rigago, encontra embaracos no cumprimento do
mesmo artigo, porque os estabelecidos na ra Nova
em frente da igreja da Concdco dos Militares e
S. Francisco, prestando-se a eumprir o determina-
do no mesmo artigo at o meio da ra, nao o que-
rem fazer al junto das respectivas igrejas e cm
vista do xposto, pede que se Ihe esdarega se deve
multar a esses individuos; passa a dar o seu pare-
cer nos termos 'em que vai Ser exposlo.
O arl. 5o da citada postura de 10 de nevemhro
de 1855, depois de ter consignado, que todos os do-
nos de estabelecimentos de portas abenas, de qual-
quer natureza que sejam, artistas de quaesquer n-
tidos, sacristes de igrejas, etc., estao sugeitos as
seguintes disposigoes, no 2o accrescenla o que
abaixose transcreve :
Todas as manhaas at as 7 horas mandaro
varrer as testadas dos seus eslabeleciraanlos e cin-
emas at ao meio da ra, sedo lado opposto houter
igual obrignrao. alias toda a largura della, fazendo
conduzir o lixo e varredura para os lugares desig-
aillOMJlDILIAIIU
TBIBVXIL >.%. IU I M O.
SESSO DE 8 DE JLBO DE I*i5.
PnESIE.NCIA DO EXM. SR. 0).V-?EI.'IF.I*o
SUIZA.
As 10 horas da manha, presentes os Srs. d --
embarcadores Santiago, Gilirana, I,ourengo Santia-
go, Almeida Albuipuerque, Assis, Doria, Mt'i
Uch Cavalcanti, Domingues da Silva e Man -
Vasconcellos, fallando o Sr. d.-emlurgador Guerra
procurador da corda, abrio-se i aesete.
Passados os fetos, deram-se o* seguintes
JILGAME.NTOS
'egrucode peticao.
Aggravante, Iginrio Jorge d Souza ; aggrava-
do, o juizo.Relator o Sr. desembargad.* Domin-
gues da Silva Sorteados os Srs. d>->embargadana
L'chua Cavaicante a Barros Yasconcellos. D u j:u
provimento.
ApiwUaees criines.
Appellanle, o juizo ," appellado, Francisco HBB-
leiroA novo jury.
Appellanle, o juizo appellado, Jos Aleandr-*
Hez-rra.A novo jury.
Appellanle, Alexandre Ilezerra dos Sanios: ap-
pellada, a juslica.Improcedente.
Appellaiyes ricis.
Appellanle, Dr. Joao Jos Pinto; appellado, Joi >
Ribeiro da Costa.Confirmada a BBBtaafB.
Appellantee, Honorato Jos de Oiiveira Figueire-
do e outro; appellada, D.Jeeepha Joaquina n Bnj
Confirmada a sentenga.
Appellanle, Jos Rento d oiiveira ; BfaB*aeV,
Jos-Joaquim de Araujo Pinheiro e oulros. PJe
tomaram conhecimento da apeiellB;! i
Appellanle, Dr. Felippe Carneiro de Olinda Cam-
pello : appellado, Manoel do Na'cimento da Coala
Monteiro. Desprezaram se os embargo-
Appellanle, D. Joanaa Pranetees aeleis; ap-
pellados, Jos Malheiros de Alba juerque e oatios.
Desprezaram-se o- eaabergos.
Appellanle, Vicente Ferreira di CeeM Miranda-'
appellado, Ilermeoegildo Eduardo do llego Mon-
teiro.Desprezaram-se os embargos.
Appellanle, bacharel Luiz Rodrigues Villar.is
appellada, a Santa Can de Misericordia De-pre-
zarani-se os embargos.
Appellanle, Jos Gabriel Pereira de L>ra ; ap-
pellado, Antero Vieira da Cunda.D >, nzaram os
embargos.
Appellanle, D. Emilia Cardira Cavalcaote de (H-
veira ; appellado, o preto Jos. Desprezaram--e
os embargos.
Appellanle, D. Jo uma Mana das Dores : appel-
lado, Antonio Alves de Miranda Guimar.-s.
Desprezaram-se os embarco .
Appellanle, Jos Luiz Pereira Lima : appelial...
VktoriDO Pereira Maia. ReettteuM i os em
bargos.
DILIGENCIA CRIVE.
Com vista ao Sr. deserabargador promotor da
justiga
As appellagoes crimes.
Appellanle, Raymun lo Jos de Santa Anna ; ap-
pellado, o juizo.
Appellanle, Ignacio Jos dos Santos ; appplla-h.
a juslica.
Appellanle, e promotor ; appellado, Manoel a*
Preitas rlogoeira.
Appellanle, o promotor ; appellado, Jacintho Ma-
noel da Hora Mondes.
Appellanle, o juizo ; appellado, Antonio Barbosa
Guarida.
Appellanle. Francisco Jet do Nsciro ?nt >; ap-
pellado, ojuizo.
DII-lfiEXCIA CIVEL.
Com visla ao Dr. curador geral
A appellago civel.
Appellanle, a preta Thereza; appellado, Joao
Ta vares de Mello.
Appellanle, i^ourengo Bezerra de Siqueira Ca-
valcante ; appellado, Dr. Amaro Joaqjim Fonseca
de Altuquerque.
DESIGNACAO DE DIA.
Assignou-se dia para jalgameato das segua-
les :
A appellago crime.
Appellanle, Mara Joaquina de Souza Bobm ; ap-
pellada, a justiga.
Appellagoes elveis.
Appellanle, a fazenda; appel'ados, Joao Vieira da
Cunda e outros.
Appellanle, Jos Joaquim Anlunes ; appellado,
Manoel Firmino Ferreira.
Appellanle, Manoel Palro do Nascimenlo ; ap-
pellada, 1). Margarda Mara da Paixo.
A podanle, Dr. Manoel Carlos de Gooveia : ap-
pellado, o vigario Jos Anlunes Brando.
PASSAGE.IS.
Do Sr. desenibargador Santiago ao Sr. desembar-
rador Gilirana
A appellago civel.
Appellanle, Joo Cavalranle de Alhoqoerque ;
appeliado, Luiz Francisco de Vasconcellos.
Do Sr. desenibargador Gilirana ao Sr. desenibar-
gador Lourengo Santiago
As appellagoes civeis.
Appellanle, Geraldo Jos ; appeado, Jos de
Mendonga Alarcao.
Appellanle, D. Joaona da Silva Medeiros ; ap-
pellada, a fazenda.
Do Sr. desenibargador Lourenco Santiago ao Sr.
Jesembargador Alraeida e Albuquerque
. V
..U
1 11 w- ++i\ in



Diarlo de 7 crnanahuco Segunda felra O de Julho de 2G5.
I
A appellajao crlrr.e.
Appollante, pjulio ; ajfreHado, Au'.onio Barbo-
sa de Souza Periiutfo.
Do Sr. desembargador Alraeidae Albuquerque ao
Sr desembargador Bolla
A appellacao civel.
Appellante, Francisco Mariano de Albuquerque
Mello : .appellado, Francisco Jos Vianna.
Do Sr. desemburgador Assis ao Sr. desembarga-
dor Doria
A appellajo civel.
Appellantes, Flix Soavage & C; appellado,
Leandro Lpes Dias.
Do Sr. desembargador Doria ao Sr. desembar-
gador Molla
As appellacSes civeis.
Appellante, Dr. Manorl Corlos de Gouveia ; ap-
pe lado, vlgaria Jus Anlunes Brando.
Appellante, Manuel Patrio do Nascimenlo; ap-
pellada, Margarida Mara da Paixu.
A appellajo crime.
Appellante, Lino Ferrara da Silva
o JUIZO.
Os effeitos do xarope alcoolico de veame eopti-
cado na flor de sabugo ao docnte, nao s c ris van-
lagem por sua qualidade diafortica, como pela
auti-septica para impedir a putrefacto as mo-
lestias.
Na erysipella nao devo o enfermo nos primeiros
tres dias nsar de comidas e bebidas que possara
esquenlar e inflammar n sangue.
A comida durante esse lempo deve ser do reino
vegetal, como sag, farinha do Maranho, pao tor-
rado, bolacha, etc.
Anda nao vi axpositor de medicina qne aconse-
Ihasse que nos prrtneiros tres dias de acommetti-
mentos do mal, nao [se usasse de medicamentos;
o que ellesrepeliera sao os ungentos, uuturasque
obstruem mais e repellemdo qne promovem a eva-
cuacao d parfe ;o que convm trazer o lugar
atacado e bem agazalhado para ajiidar a iranspira-
cjio e defender do ar.
O verdadeiro xarope de veame vende se na bo-
tica da ra Direita o. 88, de Jos da Rocha Para-
appellado, nhos.
Tenho recebido cartas de algumas pessoas de
com gneros..... 379
------- 433
Volumes sabidos com fazendas..... 64
t c com gneros..... 583
-------647
Descarregarn no dia 10 do correte.
Patacho ioglezTiara-mercadortas.
Barca ingleza Vesion mercadoris e ferro.
Brigue portuguez f/orindadiversos gneros.
Escuna portuguezaD. JoSocharque.
Brigue nacionalCan/raidee
Patacho hollaodezenyide
Escuna diuamarqueza Uorafadem.
ISrigne ingiez Ruthcarvo
Patacho in?lezZerconider
Dado e passado nesta cidade do Recife de
"5300 o sacro com cem libras ;
Dcando em deposito 800 barri-, pul._ami, R An ,. IOl.-
cas da primeira, 3,000 da segn-1 Pe! M>*>0, aos 6 de julho de I8bo.
da, 10,200 da terceirae .OOOsac
Do Sr. desembargador Motta ao Sr. desembar- futras provincias que me communieam ter desta
gaJor L'cha Cavalcante
A appellacao civel.
Appellante, Domingos Jos de Oliveira Dias; ap-
pe.lada, a cmara municipal.
A' 2 horas enceccc a sessao.
!3ai2320ES i FHttBD
CURA
Espanto/a c Admirare!
DE UMA CHAGA
GANCHOSA E ROEDORA
oc
PLIPO m NARIZ.
Urna creada de servir residente em Pemam
buco e pertencente Ex'?.' Seiir?. Viscondessa
DE Goianna, foi Bttacaca d'nma terrivel cha-
fa cancrosa e roedoraou Polypo no Nariz.
A mesma involvia e tomava todo a parte in-
ferior do nariz, ameacando ja distruir tanto a
parte cartilaginosa como o mesmo oso ; Come-
Cou primeiro por nppareccr sob o beic,o supo
rior e parte da face, cstendendo-se por tal
forma e com trl rapidez, que em pouco amen-
?ava transformar todo o rosto n'uma enorme
charga viva e asquerosr.. Durante todo este
terrivel estado, todos os recursos medicnaos
que em taes cazos se nzao torno abundante-
mente empregados, sem que de leve fizesse
parar a marcha lenta e distruidora de to bor-
rivel enfermidade, e todos os meios e esfon;os
forao baldados, e no em tanto o mal crcscn eis
que por milagrosa fortuna da infeliz estando
ns couzas neste ponto, fe experimentou pela
vez primeira a
SALSAPAREILHA
DE BRESTOL.
O emito produzido, quasi que instantneo
por este incstimavel remedio foi verdadeira-
monte maravillioso o sem igual; este grande
purificador do sangue c dos humores do sys-
tema, immediatamente pis um termo mar-
cha disastroza e fatal da molestia, derramndo-
se e infiltrando-se atravc's dos tecidos os maie
delicados do corpo, expellindo ate ultima
propriedade ou vestigio virulento da molestia,
e. dentro il'um curto esporo de tempo produzio
urna
CUBA
Completa e Radical.
Este feliz quao admiravel resultado foi obti
co apenas com o Simples uso
D'nma so ntica Garrafa!
d'esteincompnravel e inapreciavel depuratorio,
recommendan.os portante i todos os Docntes
que procurein obter com o maior cuidado a
mca e verdadeira Salsaparrilha de Bristol,
tnicamente preparada por
LANMAN & KEMP,
De NOY A 10RK,
na certeza de que, todas as mais preprac,5es
imitativas nao valem para couza alguma
Vemle-se as boticas de Caors Barbosa
e C. Bravo A- C.
Er)!
ysipeihi.
O medicamento que com mus influencia e ener-
gir lam combatido essa terrivel enfermidade, lem
isdo o xarope alcoolico de veame.
Urna escrava da mai do Sr Francisco Firmirio
Mouieiro, pessoa bem coobectda nesta cidade,
achando-sede cama, e com a> pernas bastante ja-
chadas, e ebeia ile tumores, tomando o xarope de
veame, cha-se lioje boa, prestando servidos.
Amana do Sr. Jos Francisco Pinto, morador
na ra Direita n. ai, tendo sido acommeltida do
mesmo mal, acna-se tambem boa.
A Sra. D. Senliorinha Umbelina dos Santos, mo-
rador na ra das ('.aleadas n. 38, acbando-se ata-
cada de erysipella as coxis, com quatro tumores
bastante volrnosos, no estado indolente, que a pri-
va va de pr-se de p ha muilo lempo, com o uso
do xarope alcoolico de Velarte e pitillas purgativas
do mesmo, acha-se retabelecida, e no uso dos me-
dicanienlas os tumores.terminaram pela suppura-
{o.
A Sra. D. liita. moradora na ra de Santa Rita
n. 13, primeiro andar, sollrendo do mesmo mal ha
Mulos annos. pois que a erysipella atacava amiu-
dadamente, depois que lem lomado esse remedio
nunca mais Ihe (leu.
Outros muitos lacios desta ordem deixo de men-
cionar aqu para uao me lanar prutixo e enfado-
nho.
Sendo a erysipella urna molestia que sem duvi-
na elfeito de materia gerada no Corpo como ex-
p5em alguns escribieres de medicina, eem conse-
qoeneia da febea lancada na palle, onde produi
inDaiiimac^ao, e que muitas pessoas, por nao se le-
rem convenientemente tratado. Hiccumbem com o
pernicioso uso de que, nos tres dias nao devem
u.-ar de remedio aigum, o que faz-se eslender o
mal por nao se tur a principio combatido ; por is-
so, pois, conveniente que, logo que alguem se
sentir atacado de tal mal, deve provocar a trnspi-
raeo tornando ao principio urna comerinha de
cha do xarope alcoolico de veame dlssolvldo era
una chicara de iiifasode flor de sabegaeiro qnen-
te, adueando-a com mais stiwar, continuando nos
tres dias nesse tratamento, no fim dos quaes ma-
j do xarope de veame na rrna prescripta no re-
ceiluario, teodo todo o rnidido de se abafar, aftm
sodtuar convenientemente, alm de conservar o
aenl-e corrente, rpie conseguir lomando urna ou
duas pilulas purgativas do mesmo "elame,
Todos quanios .sriccumbem desta mololia se diz:
-falleceu de erv.sipelia reowihid*- ; o eonirano
alguns expositores presumen ser o de#evolvimen-
cidade sido remeltido o meu xarope falsificado,
que lem dado resultado ao descredilo de minha
preparaban, cujo conherimeato se lem verificado
depois dos effeitos que taes rem.'dios apresentava ;
assim, pois, tenho a declarar ao publico que no
letreiro que vai pregado na garrafa do xarope,
sempre foi assignado por meu punho, e daqui em
dianle, alm desta assignatura o fare tambem no
papel que cobre a garrafa. Rogo ao mesmo pu-
blico que quando forem assim engaados, tomem
testemunhas, me remetiam os rtulos falsificados e
me particlpem para fazer eflectivo o art. 107 do
cdigo criminal do Brasil.
Jos da Rocha Paranhos.
..-^w------
A jumbebn.
As virtudes therapeuticas da jurubeba sao desdo
muilo conhecidas nao s no Brasil, pois que dellas
iratoo Pisn em soa excelente obra Historia na-
turaits et medica India; occidenlalis, seno as
Anilinas, onde o sueco das folhas e fructos como
aqui, nmito estimado e appbcado contra as obs-
iraCQes abdominaes, principalmente do ligado e
bcj ; e se todos os facultativos desta provincia o
nao applicam rom frequecla, i>io seno deve a
no recuohecerem elles essas virtudes, mas sim a
nao seren encontradas rom farilidade e em todas
as estacoes do anno os ffucios des?a planta, e re-
pugnancia, que spresriHam os doentes em fazer
uso do sueco desses fructos, em consequencia de
ser extremamente amargo.
A jurubeba nao descouhecida dos botanistas :
esta planta perlence familia das solancas, e lem
a deunminaco de solanum pamculatum, que lbe
foi dada por Lyneo.
Parecendo-nus conveniente facilitar o uso do
sueco dos fructos da jurubeba, que o mais em-
pegado, nos propozemos e conseguimos preparar
com elle nao s um extracto alcoolico que pode ser
applicado em pillas, mas tambem um yiuho, um
xarope, e um emplastro que pode substituir, em
cerlos casos, o de Vigo ; e estamos persuadidos que
com isto prestamos um servlgo humanidade e
ibera peuu'ca.
l'ison, Iratando da hidropesa, prescreve a de-
coccao das raizes da jurubeba, e Moral e Delens,
em seu Diccionario de materia medica e therapeu-
tica, dizem que n?s An'ilhas se faz uso do sueco
dos fructos maduros dessa planta contra o catar-
rho vesical ; e a auloridadc dos nomes desses m-
dicos, merecidamente celebres, nos leva a crer em
suas palavras, e por isto cuitlaremos de ter em
nosso estabelecimento essas raizes,para que possam
ser experimentadas.
A repulacao da jurubeba 6 tal, e os .resultados
Ihcrapeuticus obtidos ltimamente sao to impor-
tantes, r|Ur nos parece intil dizer mais do que
isto, que fica escripto.
Deposito: pharmacla de
Joaquim de Almcida Pinto.
eos da quarta.
Louga.......... A ingleza vendeu-se com .120
por cenlo de premio sobre a fac-
tura.
Hanteiga.......Vendeu-se a ingleza de 830 a
900 rs. a libra, e a franceza a
680 rs. a dita.
ALFANDEGA de PERNAMBUCO.
PACTA DOS PBEgOS DOS GNEROS SUJEITOS A D1REIT0S QueijOS........O.S
DE EXPOKTAQAO.SEMANA DE 10 A la OO UEZ DE
JUL1IO DE 1865.
Mercadoris. Unidades. Valores.
Bd .Manoel de Carvlho Paes d'Andrade,
esenvo o subscrevi.
Tristao de Alencar Araripe.
O Dr. Tristao de Alencar Araripe, olli-ial da im-
perial ordem da Rosa e juiz especial do com-
mercio dota cidade do Recife de Pernaiubuco e
seu termo, per S. II. I., que Deus guari ele.
Faco saber aos que o presente edital virem, o
Ma-5Sas......... Venderam-sc de 800 a oSOOO, dee nolicia livereID) que n dja |4 fa ^^
ru..j. i:_u a caixa. mez, pelas onze horas do dia, na sala dos audilo-
pieode linhaca.. Vendeu-e al\Sm o galao. riON ttr ,ugar a reu|liao du;credres lla nnssi
irl ? ',;:...... va & *.^ fallida d, Caminha & Filhos, aBm de se proceder
Presunlos......Venderarn-se a 16,5000 por ar-! a verflcaCa0 de crditos, deliberar se sc*re a con-
cordata, caso os fallidos apresentem, omformar-se
o contrato de uniao e noinea^ao de administrado-
res da massa em rfoesto, observadas s f^rma-
Sade publica.
PuriGcacao a respeito de alguns dos medie montos
da casa tiriiiiaiill \ C.
Alguns" jornaes publicaram urna ordena-
Co d i conselho de sade portuguez, que
prescreveu os medicamentos preparados pc'a
casa (rimault & G. de Pars, com o pretex-
to que csses acreditados pliarmaceuticos
foiam condemnados pelo tribunal do Seina
por terem vendido medicamentos secretos
e falsificados.
Essa ordenacao parecer bem extraordina-
ria quand'j se tiver iido as seguinlcs cir-
cumstancias: ,
1. A sentenfa de que se trata foi dada
sobre a denuncacao de um dos concurren-
tes dos Srs. Giimault & C, e sobre as in-
furmacoes in'eiratnente erradas que foram
dadas ao tribunal.
2. A sentenca foi dada por >m tribunal
de primeira instancia, e nao tem valor al-
gum, logo que se appellou; foi por urna
manobra desleal e contraria a lodos os usos
que os concurrentes dos Srs. Grinaultti C,
tzeram distribuir em grande numero os jor-
naes jadiciaes e mandaram publicar em
Franca e nos paizes < strangeiros urna deci-
so quenulla, sem nenlium valor emquan-
to o tribunal imperial nao a tiv. r approva-
do, e depois delle o tribunal supremo.
3." O tribunal imperial nao decidi, mas
sim, por urna seotenca de 17 demaio pr-
ximo pistado, ordenou nova vistori?, a que
tinlia motivado a decisao dos juizes da pri-
meira instancia Ihes tend i parecido nstilTi-
ciente, depois das novas experiencias intei-
ramenle contradic orias de um cbimico e
physiologista eminente, o Sr. D. Leconte,
pliarmaceutico em chefe dos hospitaes, e
professor aggregado da faculdade "de medi-
cina de l'aris.
4." N'essas cirenmstancias admira-nns
que um conselho de sade publica selenha
decidido sem informagoes mais certas, a
matidar prescrever ou mesmo a por em sos-
peicao medicamentos, cujas excedentes qua-
lidades e perfeita prepararlo tem sido, des-
de muitos annos, r conbecid nembros mais distinc'os do corpo medical,
e que lem os nicos defeitos de serem me-
Ihores, menos caros e mais procurados do
que ^tpdos os remedios de seus concur-
rentes.
Abanos........: eento
Agurdente de cana .... caada
dem restilada ou do reino
dem caxaca.......
dem geacbra......
dem alcool ou espirito de agua-
ardente........
Algodao em caroco .... arroba
dem em rama ou em laa
Arroz com casca.....
dem descascado ou pilado t
Assucar mascavado.....
dem branco.......
dem refinado.......
Azeite de amendoim ou mendo-
im ........ caada
dem de ceo...... a
dein de mamona .... >
Batatas alimenticias .... arroba
Bolacha ordinaria, propria para
embarque....... >
dem lina........ j
Caf boin ....... i
dem escolha ou restolho. i
dem torrado ...... libra
Caibros ....*.... um
Gal........... arroba
dem branca ....
.Carne secca (xarque) ...
Carneiros ....... um
Carvao vegelal ..... arroba
Cavernas de sicupira urna
Cera de carnauba em bruto. libra
dem idein em velas ...
Cha .........
Charutos ....... cento
Cevados (porcos)..... um
Cocos (seceos)...... cento
Colla........ bra
Couros de boi, salgados *
Mein idem seceos espichados
dem idem verdes ....
dem idem cabra cortidos um
dem idem de onca ....
Doces seceos ...... libra
dem em gela ou massa
dem em calda ..... >
Espanadores grandes um
dem pequeos...... >
Esleirs p'ara forro de estivas
de navio........ cento
Estopa nacional ..... arroba
Farinha de de mandioca alqneire
dem de araruta .... arroba
Feijao de qualquer qudlidade t
Frechaes ....... um
Fumo em tolha, bom arroba
Idem ordinario ou restolho
dem em rolo bom.....
Idem ordinario ou restolho.
Gallinhas ....... urna
Gonma........ arroba
Ipecacuana (raz).....
..... cento
roba.
flameogos venderam-se a
25000 cada um.
Sab5.......... O inlez \ea*aA: a ,i0 lidades de que trata o ari. 8i2 do cdigo com.ner-
libra, e o do Mediterrneo a 2i0 cia, vjl0 os credore8 parnie, Vianna & C. nao
TnncinhA vA^ ,', !' ji.i Aa jn* ; ,erem a('eila,|n CiirJ-' adniinistradore,, confor-
Touc,Dho....... VRtee G Llsuoa d8 5 me foram nomeados, nafeooiio que leve lugar no
a 10o00 arroba, e o do Rio- dja g de mar?0 do corren[(, anQ0'
Grande do Sul de 65500 a 7000
a dita.
Vinagre........o de Portugal vendeu-se de
90 a 1005 a pipa.
Violtos.........Venderam-se os de Lisboa de
1805 a 1905 a pipa,, e os de ou- crjva0) Q snbscrev
tros paizes de 1765000 a 180500
dita.
Velas..........As de composicao venderam-se
a 5'40 rs. por pacote de seis ve-
las.
Descontos.......O rebate de letras regulou de
9 a 10 por cento ao anno.
Freles.......... Para o Canal 5/s a }{ por cento
l#500
800
800
:t80
800
900
357S0
lo5"00
15-jOO
25600
25000
3*600
55120
25000
15600
15000
15200
35000
75000
750
65OOO
440'
360
280
500
35200
45000
150O0
350OO
300
300
15500
25500
155000
65000
600
150
240
105 j
350,
105000:
15000;
320
500 .
45OOO O Im. Sr. inspector da thesouraria provin-
25000 c'a'' em cumpriniento da ordem do Exm. Sr. pre-
jsidente da provincia, manda fazer publico, qne no
155000| d'a ^ de agosto prximo viudouro, perante a junta
15600 aa fazenda, da mesma thesouraria, se ha de arre-
25500 malar, a quem por menos lizer a obra do empedra-
45 trada de Bujary cidade de Goianna, avahada em
1:3645000.
A arremataran era feila na forma da lei provin-
cial n. 343 de lo de maio de 184a, e sob as clausu-
las especiaes abaixo declaradas.
as pessoas que se propuzerem a essa arremata-
cao coinparecam na sala das sessoes da referida
junta, no dia cima mencionado pelo meio da e
E para que o presente chegne ao conhecimento
de todos, ser publicado pela imprensa e aflJxado
ua forma da le.
Recife, 6 de julho de 1865.
Eu Manoel aria Rodrigues do Nascimento, es-
Trisiai de Alencar Araripe.
O Dr. Tristo de Alencar Araripe, oflicial da im-
perial ordem da Rosa, juiz de direito especial d
coinmercio desta cidade do Recife de IVroam-
buco seu termo, por sua magestade imperial e
constitucional o Sr. D. Ptdro II, a quem Dos
guarde etc.
Fago saber pelo presente que por este juizo e
um
caada
arroba
um
quintal
um
urna
molho
25800
55000
145000
85000
850W)
55000
600
25500
255000
25000
HSOOO
05000
240
900
35000
55000
55000
800
45000
15000
120
por libra a /. pelo algodao, e cartorio do escrivaoque este subscreveu c ez pas-
2//0 a % por tonelada. iar 0 preeote, corre urna ex^cuco de sentenca,
ni.........i .i mu. i mnmmmm entre parles como eseqotnte ibnrique Jos Alves
Ferreira e como exeendos os admiuislraciores da
1 massa fallida de Amorim, Fragoso, Sanios 4 C., e
proceguindo a execucao os seus devidos termos,
prosedeu-se a penbora em dinheiros perlenrentes
aos inesmos execulalos, pelo (|u^ o solicitador Ig-
nacio Uarrozo de Mello, procurador do eo-qnenle
em audiencia do dia 14 de novembro me (ex o re-
querinienlo do theor seguinte :
Aos 14 de novembro de 1864 nesta cidade do Re-
cife de Pernamliuco, em publica audiencia que aos
feltos e as partes fazia o Dr. juiz de direito especial
do commerrio Tristao de Alencar Araripe, nella
pelo solicitador Ignacio llanoso de Mello procura-
dor do exequenle Hcuriipie Jos Alves Ferreira,
fora acensada a penhora que se segu feila em di-
nheiro perlehcente aos execulados, requerendo que
nao s aos mesmns Hcassem assignados os seis dias
da lei, como os uez dias aos credores mceitos, pas-
sando-se es editaos do estvlo, e requerendo na mes-
ma occasiao ijue se passasse mandado de remocao,
para o deposito publico e acbando-se presaste o
soliciador Miguel Jos de Almcida Pernamliuco
procurador dos execulados, por parte destes pedio
vista.
Termos em que houve dilo juiz ambos os reque-
rimenios por deferidos.
Extrahi o presente do prolocollo de audiencias, e
junio o mandado e termo de peuhora.
Eu Faustino Jos da Fonceca, escrevcnla jura-
mentado o escrevi.
Eu Manoel de Carvlho Paes de Andraco, escri-
vao o subscrevi.
Seguiudo o que assim se conlinba em dito re
qucrimenlo de audiencias, depois do qual o mesmo
solicitador Ignacio Barroso de Mello, procurador do
I exequenle, em audiencia do dia 19 de juuho do cor-
rente anno, me fez o requerimento do iheor se-
guinte :
Aos 19 de junho de 1865 nesta cidade do Recife
de Pernambuco, em publica audiencia que aos fei-
los e as partes fazia o Dr. juiz de direito especial
docommeirio, Tristao de Alencar Araripe, nell
Navios saludos no dia 8.
Rio de Janeiro Patacho hanoveriano Melline, ca-
pitao V. von Loh, em lastro.
Assu' Lancha brasileira Morena, espitiio Joao
Theobaldo das Neves, carga farinha de man-
dioca.
Rioda Prala Sumaca hespanhola Dolores, capi-
llo Silvestre martyr, carga agurdente e as
sucar.
GibraltarBrigue hanoveriano Johannes, capito
Jonyeblont, carga assucar.
Observarao.
Nao hou vera ni entradas."
Navio sabido no dia 9.
Paraescuna nacional Ernestina, capillo Francis-
co E. Rodrigues, carga differentes gneros.
Obmrvaro.
Nao houveram entradas.
SlIfES.
O autor da pergunta feila neste Diario, no da 5
do corrente, sobre a Igreja do poviado dos Montes,
se nao qaer passar por calumniador infame, res-
ponsabilise dita pergunta com a assignatura de
seu nome.
O ccmmendador.

ida
8IIIBGI0.
Caixa filial do naneo do Brasil em
v__^-Pemambeco.
A directora desta caixa saca sobro o banco do
Brasil no Rio de Janeiro e sobre a caixa tibaldo
mesmo banco na Bahi.
Novo bneo de pernambneo.
Os administradores da massa fallida de Joaqnim
JosSilvsira pagam o Io dividendo de dita amsa
na razo de 9 0/0 sobre o valor des tilolos ad-
mettidos : no novo banco de Peroambeo ra
do Trapiche n. 34.
el da putrefaeco no sangue, lnto que o lugar in- ALFAXDEGA.
flanmado que, enio a sua cor era encarnada, se Rendimentodo dia 1 a 7
troea em lvida ou negra, e termina era gangrena, e dem do dia 8........
por essa raiu rrne conveniente o tarop al-
coolico de veame na infuso de flor desabugo.para
se conseguir resolver a inflammaco, ou pelo me-'
nos terminar pela sspporacao, imnedado asswn a MOVIME.NTO DA ALFADEGA.
gangrena. Volumes entrados com fazendas___ 76
118:4775841
17:1855034
135:66*5873
Lenha etn achas
Toros..........
Linhas e esteios......
Mel ou melaco......
Milito .........
Papagaios .......
Pao Brasil.......
dem de jangada......
Pedias de amolar ....
Idem de filtrar .....
Idem de rebolo .....
Piassava........
Ponas, ou chifres de vaccas ou
novilhos.......cento
Pranch5es de amarello de dous
coslados ....... um
dem de louro...... >
Rap.........bra
Sabao......... >
Sal...........alqur-ire
Salsa parrilha. ....... arroba
Sebo em rama.......
dem em reas...... 1
Sola em vaqueta......urna
Taboas de amarello.....duzia
dem diversas....... >
Tapiocas.........arroba
Tatajuba........auintal
Travs......... fima
Unhas de boi ......Cento
Vassouras de piassava ... 1
Ditas de timb.......
Ditas de carnauba......
Vinagre.........caada
Alfandega de Pernambuco, 8 de julho de 1865.1
(Assigoados):
Os 1." conferentes, Jos Miguel de Lyra e Vio-
mas Domingues da Silva.
Approvo. Alfandega dePernamuc, 8 de julho
de 1865.A. Eulaho.
Conforme. O 4." escriplurario, J. da Silva Bi
35500 -
20-5000
105000
15000
120
400
255000
55OOO
75000
25000
1405000
875000
competentemente habilitadas.
E para constar se mandou publicar o presente
pelo jornal.
Secretaria da thesouraria provincial de Pernam-
buco, 4 de julho de 1865.
O secretario
f^ A. F. da Annunciarao.
Clausulas esp"eciaes para a arremalayo.
1." Eropedramenlo de 155 bracas correnles no
lango de estrada de Bujary a Goianna na impor-
tancia de 1:3645000, sera feito de conformidade
com o respectivo orcamento, e as instruccoes do
engenheiro encarregado da liscalisaeao dos iraba-
Ihos.
Os pagamentos seriio feitos em duas presta-
goes iguaes, a primeira quando esliver executado
inelade de todo o servido ; e a ultima na concluso
do trabalho.
3.' O arremtame comecar os Irabalhos at o
dia 1. de setembro e os concluir al o ultimo de
outubro do corrente anno.
4.' O arrematante nao ter direito a iuJenii.i-a-
cao alguma, qualquer que seja a natureza da alle-
ga^o, salvo nos casos previsto* por lei.
.'i.' Em Indo o mais que nao vai especificado as
presentes clausulas, seguir-se-ha o que dispoe o re-1 gw nUe serj aflixado
gulamento de 9 de julho de 1864.
Conforme.A. F. da Annunctacao,
pelo solicitador Ignacio Barroso de Mello procura-
dor do exequenle Ilenrique Jos Alves Ferreira,
requerido que liavendo-se desencamiuliado os pri-
, metros editaes, se Ihe mandasse outros com salva
! do primeiro, e que laneava de prova, e requera
que fossem os autos com visla afina).
O que ouvido pelo juiz assim o deferio.
Extrahi o presente do prutocollo de audiencias.
Eu Manoel Silvino de Barros Falcao, escrevente
juramentado o escrevi.
Eu Manoel de Carvlho Paes de Andrade, escri-
vo o subscrevi.
Seguindo o que-assim se contiuha em dilo reque-
ririi. ni de audiencia aqui transcripto, depois do
qual o nieucionad ^senvao Manoel de Carvlho ; f"i tr nsferida para o dia 20 de jnlho prximo vin
l'aes de Andrade, qne este sobreven e fez passar douro.
o presente edilal com o prazo de 10 dias, pelo i|ual! Seeretana da thesonraria provincial d- Pernam-
e seu theor chamo, cito e hei por citados a lodos os' buco 28 de junho de 1865 O serr tari 1
Santa Casa da Misericordia
do Recife.
A Illm.* junta administrativa da Santa Casa *
Misericordia do R-rife, manda fazer poWic qne
no dia 13 do corrente pelas 4 horas da larde, na
sala de suas se.->oes continnam a pra<;a das rea-
das das casas abaixo declaradas por tmpo de I a
3 annos a contar do 1 de julho do correte ano
por diante.
Ra das Larangeiras.
Casa terrea n. 5 particular e 17 pu-
blico..........206*)
Ra do Rangel.
dem n. 6 particular e 55 paWiro. 300500
Ra do Rosario da ee-Ttott.
dem a. 14 particular e publico. IG85000
Ra da l..;ei.
Casa terrea n. 41 particular e 2 pu-
blico.......... I5O5O0U
Ra do Amorim.
dem n. 48 particular e 56 uo. ,. 1005004
Ildem n. 56 particular e 26 pul lira. "til*)
Ra do Azeite de IVixe.
Uem n. 63 particular e 14 pnblie-... 600-5000
Ra da Cacimba,
dem n. 6a particular e I publico. IHJOO
Idem n. 67 particular e 10 pablico. KIJOOj
ROS do Vicario.
Sobrado de 2 anlares n. li particular
e 27 publico........500->.i
Ra do Encantamento.
Sobrado de 2 andares n. 76 particular
e II publico........NQfOOO
Idem idem n. 77 particular e 13 pu-
blico.......... 9005000
Ra da Senzala Velha.
Casa terrea n. 81 particular e 18 pu-
blico..........ano-jou)
dem n. 82 particular e 16 publico. **>'.
Ra da Guia.
dem n. 84 particular e 29 pub.ico. 1445000
Ra da Cruz,
dem idem n. 87 particular e II pu-
blico.......... 8825000
Ra do Pilar,
dem n. 93 particular e 101 oublica. 2005000
dem n. 94 particular e 99 publico. 255i>*>0
dem n. 97 particular e 110 publico. SUOjOOO
dem 11. 100 particular e 101 publico. i(I3M 0
dem 11. 101 particular e 102 publico. 2liu5t"iO
Idem n. 103 particular e US publico.. W-5W)
dem n. 105 particular e 94 publico. 2f)0M9
Secretaria da Santa Casi de Misericordia de
Recife 8 de julho de 1863.
O escri vo,
________________F. A. Cavalcanti (^ousseiro.
0 administrador da recebefloria dr renda
internas geraes fu |Hililico, qoe em virlnde da ai-
teraco 3" do decreto 2719 de 31 de de/
1860, nao julgando conveniente que rontinnrm
em poder dos cobradores os conluvimenv ^ |-
semesire do exerriem de 1864 1865 -)* impo-i. -
de i0 0|0, imposto especial e decima addirional d.
mavmnrta, ordenou o recolhinvnto delles, priari-
piando pelo bairro de Santo Antonio, rujo debite
superior ao dos mais, aflm de proceder a HfBft-
dacao de conformidade com os arligos V e da-
BMraee9ea qneacomnanharam o decreto 2354 de
16 de fevereirode 1859, que em qnaoio se rstt
organisando a relacao dos deved. res da referido
bairro, Ibes perrnetlido virem aqnl pagar os seos
dbitos alim de erilarem a rubranra pilirial.
Recebedoria de Pernamhuro 3 de jnlho de 1865,
Manoel Cameiro de Soma Laerrda.
Pela thesouraria provincial se faz publico,
que a arremataba"! da obra da eoatlMflo da casa
da cmara e caleia da villa do Bonilo, f >\ tr;n-
ferida para o dia 20 de jnlho prximo vin I M.
Secretaria da thesouraria prevmcial de Pernam-
buco 28 de junho de 1865.O secretario,
A. F. dWnnunciacao.
Acham-se reculhidos casa de Heneo sor
fgidos. Palo, escravo de domingos Franrisro tli-
valcanii, SHiihor do engenho Retiro, e Xano^l, rs-
cravo de Jns Pereira Coto, residente no Brejn da
Madre de Heos : quem |k>s se julgar rom direilo
aos Memos escravos, provando, ser-lhes-ha ee>-
tregue.
Subdelegacia de polica da fregnezia da Boa-
Vista 7 de julho de 1865.
Decio de Aquino Fonsera.
Pela thesouraria provincial e faz pribl-m.
que a arrematacao da obra da radria de 5azareih,
credores insertos dos ditos execulados, para que
dentro do referido prazo coinparecam ante este
juizo, allegando e provando o que for a bem de
seus direitos e juslica sob pena de se proceder as
suas revelias.
E para que chegue ao conhecimento de lodos
mandei fazer o presente edilal cun o praz.i de 10
nos lugares do tostonee
A. F. d'Anntineiai-'io.
35000
2500a 0 lente Manoel Jos Pereira Bor es, ca-
05000
200
105000
85000
65000,
500
valleiro da imperial ordem da Rosa, juiz.
municipal e le orpbaos supplente emex-
ercic o, nestt cidde da Victoria e seu
termo da comarca de Sanio Anlao di
provincia de Pernambuco, por Sua Ma-
gestade Imperial e constitucional, o Sr.
. Pedro II que Deus guarde por muitos
annos.
Faco saber aos que o presente edital vi-
rem e delle noticia liverem, que (indos os
Fiscalisac la frique/w t SaiU 4i-
toiiio dnlerife.
Pelo presente se faz sciente a Unios os
moradores desta fregnezia de Sanio Anto-
nio que, em virlude da deliberarlo da illm 1
cmara municipal desta mesma ci-Iad.',
l de junho (indo, se lem determina J. ii
ier|. o despejo publico de lodo o liso e imman-
dicias, que tenham de lanrnr fora IoIos os
moradores da mesma freguezia,' ser feilo :
*' ",.c'a7ldo"' primeiro.no lim do bei-ceemque termina a
publicados pela imprensa.
Dado e passado nesta cidade do Recife de Per-
nambuco aos 21 de junho de 1864.
Eu Manoel de Carvlho Paes de Andrade, escr
vo o subscrevi.
Tristao de Alencar. Araripe.
O Dr. Tristao de Alencar Araripe, oflicial da impe-
rial ordem da Rosa, juiz de direito especial do -
commercio desta cidade do Recife de IVruam- rua|do Rangel pelo lado do sol illm d>Jeam
buco e seu lermo, por S. M.. Imperial e Consti-ido Ramos); segundo, dolado do norte no
lucional o Sr. D. Pedro II, a quem Deus guar-1 alagado do fundo da casa de detenrio, [ rin-
fc'Taber pelo presente que, no"dia 2i do mez' Jftjj l'0 seguimenlo da rna dem minada
de julho do corrente anno se ha de arrematar de 00 l'ocitiho, OU do K.irtnolomeii. do nr-rte
leuda annual a quem mais der, em praca publica ao sul. Sendo 0 despejo feito as hnras tle-
deste juizo, depois da audiencia respectiva o se- terminadas do art. 5" do tit. 5" das poMu-
tencourt Neivas. I oas ae pregues tte le, se nao ue arrematar bw I ras municipao de 30 de junho de Iftt,
recebedoria DE RENDAS nternas GE-, em praCa pubbca, por v.a de venda, a quem tJfgt^&TJSSSS:S com' t anscrtp.o neste Diarr- n. MI dej
liendimenio do dia 1 a 7 R- "-"..........:::::; j#-5c^^ nas penas ***
_Ui2455283 de, avallado por i:000000, sadios e de op- i EttJESSEl SLSSTlfSSC! Fisca.isao' da freguesa de Santo A*-
timas Uguras, OS quaes saj perlencentes a |para escravos, casa do vi venda de sobrado em bom' nio, 5 de julho de ISti-*i.
Rendimentodo da 1
Idem do dia 8
CONSULADO PROVINCIAL.
a 7
49:6685825
7:4905323
PRA(?A LO RECIFE
8 i-: .it 1 110 ii: 1 s5.
a'S TRES HORAS DA TARDE.
Revista semanal.
Cambios........Saccon-se sobre Londres de 24
}i a 24 A d. por 15; sobre
viuva e fillios do fallecido Antonio Bmbosa
da Silva, e vo a praca ex-oflieio para ser
arrecadada com seguranga a parte que e.n
57:1595148 ca(ja um elles lem oorpho Manoel; de-
vendo ter lugar a ultima praga de arremata-
Cao no dia 11 de julho
das 10 s 11 horas da manliaa,
casa de residencia
estado, dous acudes, sendo um para acabar, fal-
lando-lhe a porta ii'agua, trras do engenho de boa
i|ualidade com algumas mallas, 8 hois mansos e 3
q-uartos, avaliaiTo por 2:000500i ris annuaes ;
14 escravos de servico avahados em 1005 o servico i
de cada um dos escravos annualmenle, qne ludo'
docorrente anno Prefaz a walieoje de 3:4005000 por cada anno de
inli nnrlT .l renda' 1ual e"8,,,,no e seus perlences e escravos
dtiiidd, a porta ua fui ppnnorado a ju., Francisco d IJarros Reg e
deste juizo. suamulher por execucao de Octavian de Souza
Caetano
O fiscal
l'iiilu le Veras.
E para que chegue a tjpticia de todos, fiz Franca,
passar o prsenle que se afixar no lugar'
Pars a 395 rs. por fr.; e sobre publico do costme, e publicado pela im-
Lisboa de 114 a 118 por cento jrensa.
Dado e passado sob o signal e sello desle
juizo que ante mim serve, ou vaha sem sel-
lo ex-causa.
Cidade da Vic'oria, 27 de junho de
1865.
E eu Antonio Ludgero da Silva Costa, es-
de premio: sendo de pouca mon-
ta as transac(oeseflectuadas du-
rante a semana.
Algodao......... O de Pernambuco escolhido ven-
deu-se a 165000 por arroba, e
o regalar a 155500 ; o de Ma-
cei, posto a bordo, a 165800, e
o da Parahyba a 175500.
Assucar........O mascavado purgado veedeu- crivSo de orphos, O escrevi.
se a 25150 por arroba, e o broto
a 25OOO.
Couros ........Os seceos e salgados venderam-
se de 155 a 160 rs. a libra.
Arroi.......... Vendeu-se o pilado da India a
2590O a arroba ; e o do Mara-
nho a 35200.
Azeite ddee...... Vendeu-se a 25000 o galo do
do Estrello, e o de Lisboa a
25300.
Ilacalho.......Em atacadovendea-se a 125000
por barrica, e a retalho de 75000
Manoel Jos Pereira Borges.
O Dr. Trislao de Alencar Araripe, oflicial
da imperial ordem da Rosa, juiz de direi-
tO; especial do commercio desta cidade do
Recife de Pernambuco e seu termo, por
Sut Magestade Imperial e constitucional,
o Sr. D. Pedro II, a quem Dos guarde
etc.
Faco saber pelo presente, que no dia 24
a 135000 j'havendo em deosito do mez de julho do correte anno, se ha de
3 500 barricas. arrematar p r venda a quem mais der em
Batalas......... Jaderamse de 15000 a -400 prac, publica depois da aujjenca respectiva
Bolaxinhas.....Venderam-s'e a 25300 a barri-, os escravos seguinles :
qnioha. Thereza, de naco, maior de 50 annos,
^""oesecca.....A do Rio Grande do Sul venden- avahada em 25'tfOOO. Jcrimias, pardo, de
irroba, 26 annos de jadej ava|,a(j0 em 60;>,$000.
}
se de 25500 a 35300
e a do Rio da Prata de 25400 a
a 35000, flcando em aposito
197,000 arrobas da primeira e
66,000 da segunda.
Caf.......... Vendeo-se de 65200 a 75000 a
arroba.
Cha............ dem de 15800 a 2*300 a libra.
Cerveja........Vendeu-se de 45500 a 55000 a abatimento respectivo da lei.
p...i. *. dA0zia S2.?ara?# r -_, I E Para qe chegue ao conhecimento
Farialiadelngo. As de Philadelphia e New-York ,od' man(je razpp 0 nrMflnte Piiai np
retalharam-se de 185 a 205000 tou. 5dn"e' ,dZy PrefQaie eUa' ^
por barriea, a de Trieste de ser;1 aiuxado nos lugares do COStume e pu-
I85000 a 195000 e a do Chile a blicados pela imprensa.
Cojos escravos foram penhorades a Joo
Baptista do Reg, por execucao de Frederi-
co Gutier.
E na falta de licitantes ser a arremata- .
cao fpila rudo nrpen ila arlinrlieaen m n *9 OTP0S,0S fara pagamento das mensalidades ven-
V?".?!._.pel pre? ? adjudicacao com o cidas no quarle, aeabril janno as aras que se
apresentarem acompaohadas das criaofas que Ihes
ser a arrematado feita
adjudicac^ao como abalimento res-
0 conselho de compras do arsenal de
guerra precisa comprar o seguinte, en vir-
lude da onlem da presidencia de 21 d<
marro prximo lindo :
6000 varas de algodoziiihn.
1000 ditas i'e auiagem.
pelopreco da adjudicado como abatimento res- ,As Pessoas ,lui'erem 2" **
pectivo da lei. arttgos apresentem suas proposlas na sala
E para (fie chegue ao conhecimento de todos do conselho, s 11 horas do dia 12 do C r-
mandei fazer o presente edital que ser afnxado rente.
Sala do conselho de compras do arsena^
de guerra, 0 de julho de 1865
O encarregado d'esc ipluraro,
Manoel Jos d'Azereib/ Santos.
dos lugares do costume e publicado pela imprensa.
ado e passado nesta cidade do Recife de Per-
nambuco, aos 30 de juuho de 1865.-Eu Manoel
de Carvlho Paes de Andrade, escrivo o subs-
crevi.
Tristao de Alencar Araripe.
Coovida-se as pessoas que esto nas condi-
coes di servico militar, a engajarem no curpo de
polica e gozarem das vantagens da lei provincial
n.611 d- 2 de maio prximo passado, que to as
seguintes: I?4^oor:i- diarios de sold, sercm seus
filhos menores recolhidos aos stabelecimentos
pr vincracs de educacao o tempo que estiverem
na gu rra ser contado pelo duplo para o caso de
aposerrtadoria, e a m desias, tem todas as mais
vantagens que sao concedidas ao' voluntarlos da
patria.O lenente-oronel commandante do cor-
po de polic a, A exandre de Barros e Albuquer-
que.
Santa Casa de Misericordia do
Recife,
O lita. Sr. thesourelro da Santa Casa de Mise-
ricordia do Recife, commendador Jos Pires Fer-
reira, manda fazer pnblico, qne no dia 17 do cor
rente, pelas 10 horas da maohaa, no salao da casa
0 lenente-coronel Francisco de Mi-
randa Leal Seve, presdeme do conseibo 9e
reviso da fregue/ii da Boa-Visla, faz saber
aos guardas nacionaes qualicados na mean
freguezia. que nos dias II e 12 do crrela
ter lugar a inspeccao de sade do memo
conselho.
de
foram confiadas.
Secretaria da Santa Casa de Misericordia do Re-
cife 8 de julho de 1865.
O escrivo,
F. A. Cavalcanti Cousseiro.
A thesouraria provincial marra o pr*o de 3t
das para o pagamento do imposta do caleaoMMe
das ras Xova e do Sol.
Pela :liimirara provincial se tn pafilin,
1110 a arremaiac da obra do qoarl-1 da villa de
Serinhem, foi transferida para o da M t jaM
prximo vindouro.
Secretaria da Ihesonrarla provincial de Peraaav
bnco 28 de junho de 1863.-0 secretario,
_________________A. F. d'Annantiacao.
C'ounlado prorluHa!
Pela mesa do consulado provincial se fax potico
qne os trinta dias atis marcados para a marean
a bnrea do cofre do 2* semestre do anao aaaeei-
ro de 1864 a 1863 dos imposto* da decima dos are-
dios urbanos, de 20 OjO do consumo de ;
e de 5 0|0 sobre a renda dos beas de n
centes eorporacoes de mao mora,
dia 10 do crreme, flcando snjeilos
multa os qne pagarem depois darraelle dia.
Mesa do consalado provincial de ruraia^aui 4
de jnlho de 1865.
Antonio Cameiro Machado Rm
Administrador.
S


r
I tarto
trnimbneo rgu4n f ir: f ate fnlho de 805.
.. .
Gorreio geral.
Pela administradlo do correio desta cidade se faz
pnblico, que, era virtude da coivencao postal cele-
brada pelba goveroos hrasileiro e francez, sero ex-
pedidas malas para Europa no dia 13 do corrate
aiez peb vapor uiglez Onndn.
As cartas seri recebida; at 3 horas ante3
da i|ue for marcada para a sabida do vapor ; e-os
jomaos al 4 horas antes.
Admitiistracao do correio de Peroambuco 10 de
julho da 1863.
O administrado',
Domingos dos Passos Miranda.

CoumuIii:! Hensagerles Im-
periales.
Al o dia 11
do crrente mez,
epera-se da Eu-
ropa o vapor
frauepz Estrena-
dure, o qual de-
pois da demora
do costume se-
guir para iiahia
e Rio de Janeiro.
Os passageiros de Pernambtico para os porlos
da Euro,n j le queiram segurar as suas passagens
a bordo d is o:iqMte* desta o npinhia nos mezes
de raaior afllaeOBte, lem i ficnvl.vle de o- tomar
no dia que os vapires sequera para 0 sul, pegan-
do- por n iviini sil fosfe d > Hi) de Janeiro
Para c indiceos, freies e passagens trata-se, na
agencia ra do'Trapiche n. 1)._________________
COMPMHA BalSILEIBA
DE
PAQUETES \ VAPOR,
D'js portos do sul ti esperado
at o dia 14 d) crreme um dos
vapores da companhia, o qual
dep ils da demora do co.-lume se-
guir para os portos do norte.
ibera be passageiros e engaja-se a
Desdeja re
LEtLAO
De um adureco de briliiautes, um fa-
queim de prata do Porto e ontros
objectosdepuro p prata.
Terca-feira M do corrente as 11 horas.
No arniazern da ra da Cadeia do Recife
numero 62.
O agente Pinto vender em leilo um adereco de
ourocuin26brilliante.se diversas perolas (obra
de gosto) 1 faquero de prata de le e outros ob-
jectos de ouro e prata.
LEU iO
De obras de ouro cora bribiaotes, 1 mesa redon-
da toda de marmoro. i pares de jarros tambera
de marmore, espedios grandes e pequeos, 2 re-
logios de cima de mesa e ama burra de ferro.
Terci-leira i\ re julho.
Por lutervencao do agente Pinto, no armazem
da ra da Cadeia n. 62.
TEILO"
DE
Movis e ootros objeefas de gstt.
Quarta-feira 12 do corrente as 11 horas.
Na armazem a na da Cruz n. 57.
Cordeiro tt lines
far leilo por coma de diversas pessias de sna
amizade de 1 mobilia d -. amarelio, 1 guarda lou-
ga, 1 carteira e mov, 1 secretaria,, l mesa elasti
ca, 1 guarda roupa, 1 co nmodt, I lavatorio, 1 ma
china ile costura, 2 aparadores, I cama franceza, 1
realejo, 2 sofaes usados e outros muilos objeclos
que esiaro patntenles n i acto do leilo.______
Leilo de calcados.
Quarta-feira 12 pe julho.
O agente Pinto far leilao por c rata e risco de
qoem portencer de urna caita cora horzeguiis de
phautasia para senhoras e sapaio* ile tranc para
homens e senhoras, as 11 horas do da cima, no
armazem da ra da Cadeia n. 62.
g*" Feir semanal
A
-1

ieii'n
V
EflPnTZt
DE
Fat-se a odas as .^^l5 I^TnillNitCAO A GXl
quaesV|uer particulares queiram it.coijrir unaese
acha homisiado o pardo Gibriel, esc J*%0 ae Anl"
nio Rufino Aranha, da cidade da Parahiba, I
i filfira embarcado no vapor .Paran, quando u*"
te era sua ultima viagem eoodoxira tropa para o
sul. Esse escravo pardo claro, do estatura me-
nos qoe redla?, e bem proTlf rtolraro, tem cfie-
los corridos e crespos, de 18 airaos de idade, pou-
co mais o'ti meaos, com espiabas no rosto, e offl-
cial de alfaiale. Consta que se offerecera para as-
sentar pfaja como voluntario : a quhi o appre-
hender, ou delle der noticia exacta para sna ap-
prehenso, dar-se-ha excellente gratificado, na
ra do Queimado n. ii.
m
m
mmmmmsmm
O Uv. Cosme de S Pereira comi-
nea a residir na ra da Cruz n. 53,
Io e 2o andar, onde pode ser procu-
rado para o exercicio de sua prois-
sao medica, e com especialidade
sobre a seguinte
i molestias de olhos ;
2o de pcito :
3o dos orgaos geni-
ti urinarios. i
Em seu escriptorio os doentes se-1
rao examinados na ordom de suas i
entradas comecando o traballio pe- j
los doentes de olhos.
Dar consultas lodos os di das j
6 as 10 da manhaa, menos nos do- ]
Arcnama o. 31, rna do Imperador.
Para mais regulandade.do servieo tema tnipre-
I za resojvitle lo fomente'vender os apparelhos,
r.'"- faivio que os 5rs. Consumiilorcs rhamem
os mauoista uje mais Ihes agradarem, |>odendo
os nq'mes, mor.Ta, etc., de todos elles sprem indi-
cados no armazem da empreza.
AJ rerlamacoes por mi Inz das casas, cujos ap-
parellos houverem sido collucados anteriormente
a este aviso, serab attendidos pela empreza ; outros
quasquer, nao.
A empreza espera que esta medida ser devida-
mente apreciada pelos senhores consumidores, ten-
dente como a tornar este servido mais econmi-
co ; visto que ella vender ludo, apenas com um
lucro tal, que cubra as despezis inevilaveis, e que
dentre os machinistas poder ser escollado acuel-
le que mais garanta ofTf reca.
A. NACIONAL .
Compaliia geral hespaiikola de seguros mutuos
sobre a vida
AUTORISADA PELO REAL DECRETO DE 21 DE DEZEMBRO DE 1859
ma flanea em dinbeir *, depositado nos corres do estado, garante a boa 4
niinistraco da companhia.
OIRECgAO GERAL
Madrid i Rna do Prado n. 19
Ama
v-
Na ra Nova o. 37, primeiro andar, precisa-se de 100J produz em offe tivo metlico:
BANQUEIItOS DA COMPANHIA
O Raneo de Hespanha
Estacorapaohia liga pelo systema mutuo todas as combinagoes de snperviei.fja av;
sobre a vida.
Nella pode se tazer a subscripeo de maneira que em nenhum casf nr.-r.i |'***'*< a
garado se perca o capital era os jnroscorrespondentes a estes.
Sao to suprehendenles os resultados ru prodnzem as sociedades da indo.'r d- A SAO
DAL,que ainda mesmo dirainutndo urna terga parte do interesse prodDzidn em rpcertes liqnilai
coes ecombinando-o com i mirtalidade da t^ bella de l)eparei<>iix qae c adoptada ;-*:a raaafkaV-
para seas Balelo? <- liq ii laces, em segurados de idade de 3 .119 anuos, urna Impvrsieaossaaa.
1
carga ipi; o vapor polerromlii'.ir, a qual dever Dl tl'aslCS IIUVOS C SailOS, Olftlt0> 'C
ser emnareada no dia de sua chegada, cncornmen- ,
ouroe pr*t
das e dinheiro a" frea at o dia d i sabida as 2 ho-
ras da larde : agencia ra da Cruz a. 1, escriplo-
ri de Antonio l.uiz de Olfveira Azevedo & C.
GO IFAMIA BBASILEIR
DE
PAQUETES A VAPOR.
Dos portos o norte esperado
al o dia 17 d i crrente o vapor
Toeantint, corimandante o pri-
:j metro lente Pedro Hyppolito
J Duai le, o qual depois da demora
do rstame s-gair pura os o rtos do sul.
D ': reeebem-se passageiros e engaja-se a
cargaqiiio vapor poder condazir, a qual devera
ser embarcada no dia de sua chegada, encom-
mendasi linheiro a frete at o dia da sabida as
2 horas : agencia ra da Cruz n. I, escriptorio de
Antogio Luiz de Oliveira Azevedo & C.
Para o Itio de Janeiro segu
rom mnita brevidade por ter
prompta a maior parte do car-
i. paraenlo o brigoe brasileiro
bnf rador, o qual recebe o reslo
da carga a frete,para o que tra-
ta-se no escriptorio de Amoro) rmaos, ra da
Cruz ii. :. Tambem receba escraos de passa-
gem a tratar rom o capilo Joaqoim Pinto de Sou-
/i Passos, na praja no commercio.
Para a Babia pretende san
com muiia (brevidade o velelro
lugre Emilia, capitao Bernarili-
no lioJrigues de Almeida, por
ter a maior parle da carga tra-
tada, e para o resto que lhes
falta trata-se com o consignatario Joaqntm Jos
:'. mcalves Bellro, na ra do Vigario n. 17, pn-
nn-iro amlar.
clirulos, relogios
e muilos ojectov
Quarta-foira 12 do orrente as II horas.
NOGUAN'DE ABMaZEM DO AGENTE
OLYVIPIO
l'li-Kna Praticar toda e qualquer opera- I
Cao que julgar conveniente para o M
prompto restabelecircento dos seus ^
doentes. / 43
l % 'M MIAU % ?S Ws 22 Wm
Semana Illustrada do Rio de Janeiro
Assigna-se na ra do Crespo n. 4 : tres mezes
i, seis mezes 11-3, um auno l'--3
Leiifto.
De liv* os de direito <
lit'eralsra
O inta-fei a lo do c irrente as 10 lloras.
NO GRANDE ARMAZEM DE LE LOES
1)0 AGENTE
OLYMPIO
3()-Ruada Cadeia do Bccifc--3G
MRMD -:-
mm
AOS 6:000^000.
iLOTRU
DOS
Voluntarios da patria.
0 Ihesoureiro das loteras, abako assig-
mdo, tem oprazerde annunciar ao respei-
lavel publico, que tem exposto a venda os
bilhetes, meios e quartos da primeira parte
Lisboa eiii Illia deS. HigQOl. Ida lotera em beneficio das familias dos vo-
Pretende sanir em poocos das a barca lunlarios da pattia desta provincia, que se
Marta recebe carga e passageiros para acham no theatro da guerra, bem huma-
estes dous portos, a tratar cota os consg-i nitaria a concesso desta lotera, e o pov
natarios Garvalho & Nogueira, roa do Apol- pernamlmcano se "aclia .tao enthusiasmado
lo n. -2o uu com ocapitao na praca. etu prol de lo justa causa, (|ue o mesmo
Para o B*crto. : abaixo assignado escusa rejommendar a
Sobe com a possirel presteza o brigoe portuez prompta concurrencia aos referidos billietes.
goez L'niio : para carga e passageiros trrta-se O andamento das radas sabbado 18 do
un o consignatario Thomaz d'Aqoino Konseca COrrente, no consistorio da igreia do Rosa-
rua do \,ganen. 19, Pandar._____________ i|0 dc ^^
PHETA-SE A disiribuicodl listas eos pagamentos
para os portos do fdI e para os do Rio da Prata o dosdremios sero feitos com a promplido
brigae nacional i>aliy: a tratar na ra do Trapiche 1 '
nomero 't. ,uu LUSlullie-
O ihesoureiro,
Antonio .los Rodrigues de Souza
de urna ama que saiba cozinhar e engommar, para I
casa de pouca familia. prpfHrf-Si- escrava.
Alnga-so um nioleque de 10 a 18 anuos,;
muito llel : quem pretender dirija-se a Boa-Vista,
ra do Hosano n. 6.
- Na praca da independencia n. 33, loja de ouri !
ves, rompra-se ouro, prata, pedras preeiosns e
i tamhfin se tn qualquer obras de cLconiinenda e
: 01I0 e qualquer concert.
Alnga-se urna casa terrea na ra Augnsta n.
112 : a tratar ni rna Nova n. o!), primeiro and r.
Precisa-se saber qoem o correspondente do
engenho Quiinduba, para e'ilrtgar urna caria na
livraria ns. 6 e 8 da praca da Independencia.
Desde o dia 0 ce junho prximo fin-
do ausentou-se de um dos estabelecimenlos
do Exm. Sr, baro do Liv amento, onde se
achara a ervico, ha mais de 2 annos, o es-
cravo Panialeo, de propriedade do de-
Isembargador Custodio Slanoel da Silva Gui-
' maraes. No dia 9 do supradilo mez foi
lachado, junio aocaes do trapiche do algo
I dao, no Forte do Matlos, o cadver de um
homem prelo, que estove, durante todo es-
te dia, ex posto em frente da igreja da Ma-
dre de utos, espalhando-se Iojjo a noticia
de que esse cadver era do referido esc avu
PantalOio, o que logo foi dismentido pela
No fim de 3 anuos.
de 10
de lo 1
. de 20 .
1 de 23
1:410*300
3:94**600
iirwoasm
30:250*000
80:331*000
as i Liles menores de '! anuos a maiores de30, os proluctos sao mais c.,n-il>rare>s.
Prosp.'ctis e mais InformacSes serio prestadas pelo >ub-director n'-sta i>roTir!ria
Joaquim Fiuza de Oliveira, ruada Cadeia n. o2,ou a Boa-Vista rna da fmperairh p.'2,e-til.-t
ment d>s Srs. Raymundo.Carlos.I.eite & Irmao.
Grande armazen de tintas.
RA DO IMPERADOR N. 22.
O armazera de tintas um grande deposito de
productos chimicos utensis e-os mais empre.:dos
e usados napharmacia,pintura! pliutograplii. tin-
turara, pyroteehinia(fogosdeaVBcio)eemoD'.rai
industrias.
Montado em grande escala, e snpprindo-si' di-
rectamente as principaes drogaras de Paris. Lon-
dres, liainburgu, Anvers e Lisboa, pode oilereceei
productos de plena conflanca a s.u-fazer qualquer nor Coni0 ,,11,,
encommenda a grusso tratoea retalbo, porpncos
razoaveis.
Prvidos do machinas appropriadas satisfar
com promplido qualqu"r pedido de tintas muidas
a uleo.cuja qnalidadee pureza de seas ingredien-
tes puderA ser examinada pelo consumidor, o (|ue
nao fcil fazr com aquellas que sao importadas,
e que se eueotilrain no niereadu em latas fecha as.
Tem grande collecciio ou vidrs do differentet
[oniiatos, desde urna oitava at dezeseis oncas de
capacidade ; de vidros para vtdracas e diamantes
Os abaixo assignados partirir-nmao r rp" do
commercio que eslabi'b'i-i rain un..- prcn-1 i m-
odao na rna da Mo-da ti. ii, Mina l;-iad
Kiavio Clao t\ Gabriel.
Klavjo Fi rreira Caiiio.
_________________Jo-c fialrii-l Cairt-ir. d 1 Q
O escriVilo da azenda mu >,, seu i~ T
para a ra do lm orador n. :)'',.
O abaixo as-inad<> ex-raise*ro Oa ir. J-
qnim Mariiubo da Cruz ij m- pn ;. n
annun-ii u a -u> >. 1 e M .
faca o favor de decl rar ao publico quaes < moti-
vos Recife, 10 de julh<> de I8fi'(.
Silvestre Corr'-i *< Carnlho.
Precisase de urna ma que saiba m." m-nar
e coser, e fazer o servico de casa 1 ara urna -> p-
s a: na ma do Imperador n. 51, anuazem de
looca.
do Itecife, ijue assistro a vcsloria, que se
fe/., e deolaru ser o radaver de um [>esca-
dor, morador em Fora de Poetas. Para
que algueuvcsjn m le e intenco crimino-
sa, t.o se aproveite desta -circumstancia,
reconhecidamente falsa, afini de mai. facil-
tnente lograr seu intento, faz-seo presente
Precisa-se de urna escrava para todo o sei- anillado, prolotando-se conllM semelhnnle
vico de urna casa de familia : quem liver annun- noticia em vista das minuciosas intlagar5~S
ci, ou dirija-se a ra de Santa Rila n. I. a qae se procedetl. E, como ha toda prn-
Wl^Wl^M v.'-VM bahilidade de achar-se dito escravo acoutado
:ONTRA FOGO.
A Companhia Indemnisudora
estabi-lerida nesta praca, loma seguros martimos
sobre navios eseus carregamentos e contra fugo em
edificios, mercadorias e moldlias: no seu escripto-
rio. rna do Vigario n. 4, pi.vimtnto l rreo.
informaco dada pelo subdelegado do bairro ara Clia-los; depinceispara fingir madeiraedm
rlon'ados e jira-
Lii
O Dr. Carolino l'Vancisco de Lima San-
tos contina a morar na ra do Impera-
dor 11. 17, segundo andar, tendo alias seu
gabinete de consultas medicas, logo ao
entrar, no primeiro.
por algum especulador, roga-se. a todas as
atithoridades policiaes e aos capiles de
campo, qae apprehendam o mencionado es-
cravo (que no dia 8 ou 9 d'aquelle mesmo
O niesmo,''(ioutor; que se tem dado ao i j niezfoi encontrado em Apipucos, onde esla-
^ estodo tanto 'las operagoes como das mo- ,' r talvez foifa lamente acoutado) e o entre-
1 se a qualquer cha vg? gUe a ao seu referido senhor, na ra da Au-
rora n. 00, que gratificar generosamente,
protestando igualmente usar dos meios ja-
33
m
1
m
i
i I
rr -t. jnam<-r*Tam33*?x&*jK^srit*rmmua wmmacabrsrrmag
,:
E

L-
Leilao de 80 canaslias cora
albos.
O asente Pestaa f.ira leilao por conta e risco
de quem pertencer de 8 canastras com albos em
- i vonlade dos compradores: segunda-feira
10 do corrente pelas 10 horas da manhaa no ar-
n de 3r. Azevedo, defroole da e.-cadinha da
alfandega.
Leilo de una victoria com cava!los c
al^mis cabriolis. .
OJE
Ni praca do con-imerc:oas 11 horas.
0 Sr. Arsenio Antonio Carneiro da
iGunha Miranda queira dirigir-sea praca da
Independencia n. (5 e 8, que se precisa
fallar.
Qne.n precisar de um pequeo portuguez,
de idade de 12 annos, bastante desembarazado pa-
ra qualquer arramacSo nesta cidade, dirita-se ao
caes ii de Novembro n. 2i, armazem de mate-
riaes
Joaquim Pinto da Rocha, subdito portugaez
rolira-se para fra do imperio.
LYNPIO,
GASA DA FORT
Aos 6:000$00.

Vender urna victoria om arelos e cayabos
aleaos cabriolis.
JLtJIL.lft
Oilbetes garantidos.
IA beneficio das familias dos
briosos voluntarios da
patria.
A" RA DO CRESPO X. 23 E CASAS DO COSTl'ME
O abaixo issignadovendeu nos seus muito feli
es bilhetes garantidos da lotera que se acabou
De movis, obras de pr >la, lonca, cpvs- wH "lra!'""/l* J""eci ma,riz s- Pedro
Manyr de Olinda, os segrales premios :
m meio n. 22:1 com a sorte de 6:0005000.
Dous quartos n ll com a sorte de l;200g000.
Dous quartos n. 2798 cora a sorte de 40o\5000.
E outras muitas sorles de 100, 40, 20g e
105000.
Ospossuidores podem virreceber seus respec-
tivos premios sem os descontos das leis na Casa
da Fortuna ra du Crespo n. 23.
Acham-se a venda os da 1* parle da lotera
(23*) a beneficio das irradias dos voluntarlos da
patria, que se extrahir sabbado lo do correle.
PREGO.
Bilhetes.....75000
Meios...... 3SO0
Quartos.....1900
Para as pessoas que compraren! de 100:5000
para cima.
Bilhetes.....6*300
Meios......35730
Quartos.....1*.700
Ma.noki. Martins Piuza.

Sk mado, quer para dentro quer para fra
j da cidade.
mmm mmmmmm
Precisase de urna ama que eoziobe, lave e
engomme : na ra do Imperador n. 71, begondo
andar.
m mwm-
M Francisco Aligaste da Cosa
ADVOCADO
Ra do Imperador numero (59.
:---' ''
Alugam-se dous grandes sobrados com com
modos para numerosa familia, BOTOS e aceiados
com jardim, coebeira, estribara e ostras commo-
didades, na travessa de JoSo Fernn tes Vieira :
a tratar na ra da Senzala Xova n. 42.
Offerece-se urna mulher para ama de
casa de homem solteiro ou de pouca familia,
a qual lava e engomma : a tratar na rna Au-
gusta n. 94.
propriedade e ontros; de papis
lentos e follias de gelatina para ornamento: de
papel grande e pequeo formato de vanas cores
para embriilho, para forro "I" ca**, para desenlio
cum (lindo ja feito;de papel albuu.iuadue Bnsi.l,
verdadeiro sase para photographia e para filtrar,
e ontros ; vernizes de esspncia para qnartrus, de
espirito !>ara madeira. cojial para o ini>ri teiior; oleo graxti, oleo seccalivo, oleo de liuliaca
clarificado, o|po de toiel-, speativo de Rarlim, ^iro
verdadeiro im i< ; prata, ouro, e estanto em fa-
llas de varias cores ; Untas vegelaes, inofensi-
vas pioprias para cuiifeiuna ; laa de cures, c
olhos de, vidros para imagens tintas em tul> >s e
telas para retratos ; tintas em pastis e em p lia-
ra aquarella ; essencia de rosa superfina, dn ne-
roly, jasinim, bergamota, aspice, patchouly, mbar,
bouquet.liinao, alcaraiva, melissa, orteiia pimcnla,
louro, cereja, alfazema, juinpero, Portugal, lima,
aiiis da Itussia, canella, cravo e niuitos outros ob-
jectos que scom a -vista podero ser mostrados.
Joao Pedro las Neves,
Gerente.

>*
\:
f
dici.'ics contra oacoutador do dito escravo, i
tendo este os segnintes signaos : estatura !
poaco menos que regular, cheio do eorpo,
idade de .'$2 annos, cor preta-cabra, cabida abaixo assignado roga s autoridades policiaes,
um ni.uco redonda e pequea, olhos ain emnrejados das barcas de vigas, estagoes daes-
, r _, i il Irada de ferro, e mais pessoas, de mandaiem pren-
anlo pequeos, eslumacados c vermelhos, der ao meo escravo, com os signaes abaixo deela-
beicos regulares, pes largos e apalhetaJos,Irados,que faiendo-me um crime, fugio de men
e tem o andar inclinado para traz e catn-;SItrada estrada do Arraial, no da 28 de junho de
baleante. Convm lleclarar-Se qilC dito es-j'8f -Salvador cabra fula, estatura regular, de
_..,., i .,-. r ...i-i i i idade 2b annos, tem um braco turto da queda de
cra\oqiiandoausenlou-sefoi vestido dccal-;um no enKl.nh0t u>in (alias de demosoo
ca ecamisa brancas de algOdao grosso da!quebrados na frente: tem mai de nome Hara,
Baha, tendo do lado direito da primeira e ; mulata, e urna irmaa de nome Auta, forras, tem
aoesquerdo da segunda as iniciaes B. L. i nais"'" "9 no,"e Pae,flco> e dnas.irmaas
.,.,._',_ ,_____ ._. .. Lucinda e Adriana todos ineus escravos, e pagem,
e'*,', levou vestido caiga de estopa, camisa de azulan, ou
Os elementos qne compoemesu prepa aeSo.a
,-rro, o iode e a fuim, a coliocao no p-ir.^iro
jro il preparai b ferrugino I
lena resollados obti los p di i
i?.es, c osrelaiorios dos prcticos miMSMMSMM,
que cooSrmra sua poderosa c!';:rariila.te na
segnintcs affeecdes:
Hlncea no .an;;ur.
Fl ::i;ll*'T.i.
*.l>-|:llil.
i: l^4- ou lolrrlrl.
I r -.iiio.
Aff<-rrt-i4 lo ulero.
4npr SPIM i* <1c-orili'^ na
iicnli-iKn;:i .
ArTi-i i-;io |lil.iiii.inr f
!iihl^lp.
UoliSMlkM i^mlraljclnfi.
I't-ni. iriipiJi-Hle, etc.
Veje M w bulle lint
C>"iv;:l*'.rrflM r !-
rus moli-^:l4*
ole:!.i- r-rratulf
ns.
lli|l-.-If.i.
Il!>-Irlic.-3 <\ :.!-
ili'lM*.
ii: I., .-r .Vil*!
i..rm iirunifO
l-.i. I -..>.
.\ ,-.' fMNrlMi
,- ., :..:.:.. -
r* Viirl.ili-, rlc. i-r
/, therafi alte.
de tinta bem preta e tao segura
qoasi tmpossivel desvanecer-se por mais
que se lave,
Joao Siiverio de Souza, seus manos e cu-
nhado Gamillo Pinto d i Lomos, cordialraeote
agradecen a tilas as pessoas, que se digna
rara assistir as ezeqaias de seu presado pai
e sogro Joa |Uira Siiverio de Souza, de novo
eonvidam aos seus prenles, amigos o do Ti-
nado para asslstirei a missa do stimo dia,
que ha de celebrar-se na capella do cemite
rio publico terca feira II do corrente Dlas
7 horas da manhaa, confessando desde j
nossas eternas gralidoes.
A 936o.) pagam-se libras sterlinas
vessa das Crutes n. 8, taberna.
na tra-
taes e iivpos.
Como sejnm :
fina solida mobilia d-^ Jacaranda cora 1 sof, 2
cadeiras de braco, 1 mesa oval, 2 consolos com
lampos de pedra, 18 cadeiras de guarnigao, loilet
com lampo de pedra e esjwm \ 2 cadeiras de ba-
Ianco, 1 cosiureira, 1 excellente cama franceza, to-
do de Jacaranda.
Ricos quadros com fins gravuras, bonitas figu-
ras para ornato de mesa, finos jarros, 1 tapete, 2
-cirradeiras, 2 descangos de ps.
(im i excellente mesa elstica de amareo, 1
s if, i cadeiras de bragos, 18 ditas de guarnigao,
2 ditas de batane, 1 rico aparador envidragdo,
ludo de amarelio, 1 guarda vestido de mogao e
nina ei-ellente machina de costura.
I'm aparelho pira cha, 1 dito de porcelana para
jantar, 2 garrafas, 2compoteira, 6 clices, l co-
pos e I porta qneijo tudo de crystal.
M coheres de prata para cha e soupa e diver-
sos livros.
TercH-feira 11 de julho
Roa da Cadeia armazem numero 62.
O agente Pinto autorisado por nm estrangeiro
que retira-se para Europa, fara leil> dos ohjectos
afilma mencionados e exstenles no armazem da
rui da'Cadeia n. 62. Onde se effetoara' o leilao
as |) ho-asdo da a>'ima dito, os ohj -ctos poderao
serem esamioados no dia e vespera do leilo.
LEILO
De ura grande realejo que toca 30 pegas entre
ellas hyranos, lanceiros, qindr,lhas, schotz, polkas
etc. ao sira do qual Be poda dansar, com 8 figuras
tiesndo diferentes insirnraenlos.
L'ma excellente e perfeita machina de coser, I
commoda, 1 secretaria, 1 santuario, mesas, cadei-
ras e
M PIANO.
Terca-feira 11 ele julho.
Por intervengo do agente Piuto, no armazem
da na da Cileia n... onde llavera' anteriormen-
te outro leilaj de movis, lou'/a o crystaes.
Algunas amigos do finado Antonio Carlos
Collin, mandam celebrar urna missa pelo
seu eterno repouso no dia qaarta-feira 12 do
crreme, peUs 7 horas da manhaa, na igreja
da Madre de Dos; e eonvidam aquellos
que locados do sentlmenta religioso quize-
rem assistir a este acto solemne, de corapa-
recerem.
Recife. 8 de julho de I86.
Aluga-se uraa sala as ras principaes de
8anto Antinio ou Boa.Vista : annunciando-se para
ser procurada.
Caixeiro.
Precisase de um menino para caixeiro de ta-
berna : a tratar na ra Nova n. 5'3 ou ua praga da
Independencia n. 31.
Camas de ferro.
Grande sortimento das melliores que ha no mer-
cado : na ra Nova n. 33.
Aluga-.,e a nrna ajiii da ra do Calabouce
n. 1 por 105 meusies: a tratar na ra uireita n.
St, fofa,
Precisa-se de nm caixeiro para taberna que
lenha pratica 'lesie negocio e que d liailor a sua |
conducta : a tratar na ra Imn-rial n 37.
As 9 l|2 horas da noite do dia "i do corrente fur-
larara da sala detraz do sobrado do largo do Pa-
raizo n. 26 urna cadeira de amarelio bastante fur-
inda e be.m feita, que se achava junto da porta da
sala de detraz : a pessoa que a apprebender e le-
va-la ao mesmo Sobrado, ser gratificada ; e ro-
commenda se aos senhores marcineiros, caso seja
ella olferecida venda, de a nao comprar e appre-
bende-la, mandando-a levar ao referido sobrado.
Quem precisar de urna pessoa habilitada a
ensillar nrimems letras, latim, francez e msica,
dentr > ou fora desta cidade, dirija-se a rna do
Queimado n. 8, t-rceiro andar.
Aluga-se um bem sitio com casa de vivenda
coebeira, estribarla, quartos para pretos, tanque,
latrina, ele, com bastantes arvoredos, e todo mu-
rado, na Capunga velha, cas'a que foi do Sr. Se-
bastiao Ponna : a tratar na ra do Imperader n.
46, armazem. _____
Eiigonio.
Aluga-se urna ea-a terrea n. 92 na ra Au-
gusta com 6 quartos 2 salas, quintal, cacimba e
porto para a ra do Alecrim na ra
n. 20.
Arrenda-seo engenho Jussara de Sant'Anni, sito
na freguezia de Ipijuca, legoa .e meia distante da
estace da Escada e Ipujuca, com trras de var-
zeas de massapc para se safrejar era grande esca-
la : a tratar no pateo do Livramenlo n. 23 om o
Dr. Ignacio Nery da Fonseca.
O Loadon & Brazillan Bank, saca por doos
os paquetes.sobre
Lisboa.
Porto.
Braga.
Vianna.
Guimares.
Villa Real.
Coimbra.
Amarante.
Precisase fallar com o
o vicario kr a negocio que n3o ignora
20, loja do Carneiro Vianna.
Sr. Jos de Souza
: na ra Nova n.
Ma ra do Queimado n. 5 precisa-so
urna preta para comprar e cozinhar.
alugar
Th A. Dammeyer deixa durante a sua au -
sencia por seus procuradores em Io lugar o Sr.
Adulpho Curio, em 2 o Sr. Man Ilamburger, e era
Na padana da Torre precisa-se de um 3 o sr. Th. Just.
a 1 assador e que tenlia pratica de vender Precisa-se de um prtoTu"preta capti"v7pa7a
p5o. vender na ra com um tabeleiro, paga-se bem : a
- Notas do banco do Brasil e das caixas Olaos, jgg raa da Senzala nova n- 39' Uberna da
desconnra-se na praga da Independencia n. 22. esquina.___________________________________
Augusto Jos de Azevedo & C. declaram ao Alngliel de escrava.
respeilavel publico principalmente ao corpo com- Alnga-se urna escrava moga para servigo mter-
mercial, que compraram no dia 30 de junho pro- no Je ?*** ^ familia, a qual cose, corintia e en-
ximo passado, as fazendas e armago existentes na gomma : quem pretender dirija-se em Santo Ama-
loja da roa Direita n. 37. pertencenle a Izidoro dos ro, sobrado junto ao cemiterio raglez.________
Aojos da Porcioncula. Recife 7 de julho de 1865. i i|n"a SP
- Precisa-se de"umT ama para" eisa'de ponu' a rasa Ierrea da iihldo neliro fPassaeem da Ma- .Rfferece'*! omamnlherpar o servico de ama
famil a rir na rna ton rtn R,arlA n IR 1 "sa ierrea aa una ao euro (rassaRem u.i raa casa, que sabe multo l)em Tazer lodas as qualidades
.a tratar na ra larga do Rosarlo n. 18, da|ena) onde moapu correclorWacedo, cora bons & comidas, engomraa sem falta, com informagSes
commodos para familia : trata-se uo lago do d sua condocta : a tratar na travessa d* Carva-
calca e jaqneta branca, e chapeo de palhinhr. ve-
Iho. F.ii escravo do engenho do finado Henrique
Poppe Girao, e boje do Sr. Dr. Prancisco Joo Car-
neiro da Cunha, no lugar do termo de Iguaras?, c
talvez siga para esses lugares d'onde Olho ; foi
visto de farda verde a sobreeasaco, velha, com vi-
vos encarnados : qoem o pecar, poder leva-lo
miaba olaria n. 13, rna do Mondego, freguezia da
Boa-Vista da cidade do Recife, que pagarei o ira-
balho e dspezas.
Marcelino Jos Lopes.
lilni. Sr. Pe lro Jos Piobo lenha a boada- j
de de annunciar o lugar de sua morada [tara Ihe
ser entregue una caita vinda do sul, ou eulo fa-
zer o obsequio de mandar busca-la a ra da Auro-
ra n. fi, segundo andar.__________
Teudo-se perdido em o dia 27 de junho pro"
ximo passado do corrente anno, urna letra da
quantia de, 100,5, sacada por Manoel Feliciano da
Rocha e aceita por Joaquim Jos Cavalcanti em
dala de 30 de maio do mesmo anno, em occisiSo
que foi remedida a ser sellada : avisa-se, portan-
te, ao publico, que onde for apparecida seja conside-
rada sem valor algum, ainda mesmo no caso que
a tenham reformado com outras firmas, pois sao
inteiramente falsas.___________________
Xa ra de Santa Rita n. Ib, compra-se
ouro e prata e relogios vellios de lodas as cua-
lidades.
Joo da Silva' Ramos, medico pela ni J
versidade de Coimbra, d consultas em jjg
sua casa das 9 s 11 horas da manhaa, e
das 4 s 6 da tarde. Visita os doentes
em suas casas regularmente as horas
para isse designadas, salvo os casos ur-
gentes, que sero soccorridos em qual-
quer ocoasio. D consullas aos pobres
que o procurarem no hospital Pedro II,
aonde encontrado diariamente das (i
s 8 horas da manhaa.
Tem sua casa de sade regularmente
montada para receber qualquer doente,
ainda mesmo os alienados, para o que
tem commodos apropriados e nella pra-
tica qualquer operagao cirurgica.
Para a casa de sade.
Primeira classe 3,5000diarios.
Segunda dita.... 25500
Terceira dita.... 2*000
Este estabelecimento j bem acredi-
tado pelos bons servigos que tem pres-
tado.
O proprietario espera que elle conti-
nu a merecer a conflanga de que sem-
pre tem gozado.
e clrurgtca de3U i e m lw0; C
dos hnspUaa dr 1 /. julho tal''. etc., etc.
Alm datpitula.- de i
quinina d Ai i.....
ignalmiraie o Xaropn d'ktdaro duplo de
i< i-o a de i aiuii do im>>nM i i
l> ,p:i- n.ui g I.-, pitnlar c os meaisio. iMt Hfsr i I
comeo xarojied'i.>'inv de. (,-rru. u ini-oiivenitrnte
de a utrar-se s t* nao pott< rcnww.
;nst o Dicto que at d dnptp em casa
dos pharmaceucoa d|isit*noa.
Para-se evilarein falslca^des. exija o com-
pradur em i la fraseo de Pihua ou Xarope a as-
siguaiun do inventor.
I iio geral etu Paria, pharniaciaRbiHon.
142, roe de Bac, e eni lodas as boas pharmacia
. PVaac < do pin/i* estrangeinn. etc.
^W%,
iJill.
(ik BISMBTH
.._-
-V;
AM1
Offerece-se urna mulher para o
(h ir niitns *m Liswutb de Chevrier boa
snpiiiores a lodas as ouiras preparacoe de
bitmuth emprendas antes com o maior srecesso
pelos mdicos de lodos os paizes, para prevenir
curar as
lilun-hra* rhronlr*. I W. r.*..riu.-.
!> i-nI-rlHH. I 'i..ipiii-..
DAraa r<-.>tma^w I nllralsiaa, ri
DynjiCjifilMa.
Os primeiros s\-mplomas d'essa.i brm I
affeccoes se manifestdo onlinarianmit por
t taaoriOWS, aiisfw, allaii'njipei.ie. p**o*
d'estdmayo depois de cada couda, cnimhras et-
tomncae-, c, mnitasvaaes, por sapavaaai ntrvenot
con vnmilos.
Esta estado mrbido, se o desruidao, Iraz iri-
viiavclmeuie, que leja:
Mnlrtl>i de llxadv. Oppri-MOrli.
A Irii-r.-la. li.'nr dr 'ubrn.
Pal ,.l luruo dr rorarao Irrliaro.-*. dr iirxlaca m
Darra no rlna. da laairlx. rtc.
Os granulos Chevrier s;i:> ordenados pelas
sommidades medicaes para prevenir essas diver-
sas molestias e cural as quando sao lomados a
lempo.
O preco dc cada frasco de 4 francos.
Depsito gcral em Paris, pharmacia Cii 11 Iw,
e em lodas as pharmacias de Franca e dos
esirangeiros.
taberna.
Alaga se urna ama para casa de pouca fami-
lia : na ra Direita n. 18.
Alagase ,um pequeo armazem na ra da
Paz, proprio para qualquer estabelecimento em
ponto peqneno : a tratar no pateo de S. Pedro n. 4.
C-jrp j Santn n. 19, escriptorio.
A tlenca.
Urna pessoa competentemente habilitada pro-
p5e se a ensinar primeiras letras, lingua nacional,
msica e piano, fora desta cidade, preferindo-se
para fora desta provincia : na ra do Imperador
n. 8, carlorio do tabelliao Porto Carreiro, so dir
qoem .
Na ra do Cabuga n. 3,
para se alugar urna escrava.
Aluga-se
Aguas Verdes :
segundo andar, ha
Iban. 7.
a parte da casa n. 92 da ra das
a tratar na mesma.
L\
Quem se julgar credor da firma de Maga- Aluga-se ummulattnho de 13 annos que Um
Mes Bastos & O, tenha a bondade de apresentar pratica de servico de casa, muito fiel: na raa do
a sua conta na ra Xova n. 10. | Imperador n. SO", terceiro andar.
Na ra de S. Francisco oo Mundo Novo n. 54,
quer-se urna ama para comprare cozinhar.
Na padana da Torre precisa-se de uta
portugus para feitor de casnpo.
Preeisa-se de urna ama para casa de posea
Precisa-se de um ama qoe cozinhe .o en-
gomme para casa de pouca familia : na rna da
Praia n. }'t, segundo andar.
Luis Antonio da Silva, por seu procurador
nesta cidade, faz publico que' nada deve a pessoa
alguraa, porra se alguem se julgar seu credor,
apresente-se na travessa das Cruzes n 16, esquina
que volta para o quarlel de' polica, isto no praso
de tres das, fiado os quaes o annuneiante nao se
responsabilisa por qualquer debito- que appareca.
CRIADO.
Na roa da Madre dc Dos a. 36, primeiro an-
familia : na travessa dos Quarteis sobrado n. 3,' dar, precisase de um cria ii que do coohecimeoto
1 amigamente roa de S. Bom Jess das Crioulas. I de sua conducta.
IslASSA E XAROPE
BERTH
COM CODEINA
Preconizados por todos os mdicos contra
as Defluxos, a Grippa e todas aa IrrUacin
do peito.
AVISO
Falsificacdes reprebensiveis excitadas petas
successos do Xarope e da Maum e hvrtk,
nos obrigSo a recardar ajae esees praaataa
lia justamente
nomeados nao se
enlrcgo seuo era
bocetas e em fras-
cos com a asigna-
tura aqu indicada. <*
.151, ru Saint-Bonor, NA pharmacu OO
luvre, e em todas as pharmacias.
INJECCAO BROW.
Remedio tnfallivel contra as gnoi rkfeav
antigs e recentes, nico deposito ia-a
:.ca franceza, rna da Cruz n. 22 pre-
co 3
/
II I .dBBW aTw. mmmmm
I


r*--
. .'Y' -
Diarlo de Pernantbnco ... Segunda elra JO ce lulho de tStt
r
DIODIJRETO DUPLO
MEDICAMENTOS FRANCEZES AFAMADOS
A YE.YDA BM PEBUVAUIBITCO
Ein casa dos Srs. Caors e Barboza, ra lia Cruz n. 22.

Os elementos que ?ompocm esta preparavao i
[erro, o iodo c a quina, a collocao no primein
grao das preparacoes ferruginosas. Dasta attcslai
seus resultados obtidos pelos Mdicos dos liospi-
taes. e os rclalorios dos pnitices niais eminentes
que confirmrao sua poderosa eficacia as se
guales affoccoes.:
Mlnsoa o Mangue,
Fraquc*.
Am-culn,
ClilbrOMC *>* leict-lclu,
Menstruo,
AITecciu'i da ulrru,
Sii|[n'<'soc* dita re-
[ di-enritt-uh un
nicnstr^ura,
Affcc-:io uuliuoaur e
phtblitlca,
Molrmiasd i-mIoiuiik,
GoNlralgia*,
I'cnlu il"iip|irlilr, ('ti'..
Convalepcetirnile Ina
gtix IIIOlCNdlIS,
Molc*tluN CMCI Ofllll)
Han,
rnpclrn,
Obxirucriio ditH rIaii-
(Itlluk,
Iliiiuori'* frlnn,
Tiiinorc bruncow,
RnchltlmilO,
ACfeefc esaecrMm*
r yphllltlt-l,
Febi-CN i, pltoIiloM,
iu-\i^iis, ele, etc.
Vcjao-i'- os bulletins de, therapeutica medica
c ciruryiea de 30 de nove.mbrc I MU; a Gaxeta
dos hospihws de 8 de julho (8G', etc., etc.
AK'm das piiulas de iodureto Atiplo de ferro c de
quinina .(<; Itcbillor, os Mdicos aconselho
igualmente o Xarope d'iodureto duplo de
ferro de quinina do mesmo autlior para as
pessoas que nao gosio de medicamentos sob tor
na piular c os meninos. Rste xarope nSo lem
como o:jarope d'iodureto de ferro, o inconveniente
de alterar-sc c de se nao poder conservar.
IVi.a-sc o lo!helo que se d; de graca em casa
dos pliarniacciilicos'depositarios.
Para se evilarem falsiticarOcs, exija o com-
prador em cada frasco de Piiulas -ou Xarope a as-
signatura do inventor.
Depsilo gcral em Pars, pharmacia Rebillon,
142. ruc-du Bac, c em todas as boas pharmacias
de Franca e as dos paizes eslrangeiros, etc.
DOENCAS
Db&MENINOS
Dlnri'IieiiM o a conMI-
.[u;:'io pro'inr.IdiiN
|i**.. c-ImIiui-iicoom
cU-r.-UooMUKflGj.uII-
llH-fl4 As fwtiUKU digestivas eom a pqm.na de
W asman., omprogao se eom successo hi j;
alguas ranos pelas celebridades medcaos de
l'aris. Londres.. Vienna, etc., em todas as in-
commodidades ornas quaesadigcslo 6 dilficil,
penosa, imperfeia ou nicsino impossivel: cis
o melbor remedio para cu ral ae.
Gastralgia*',
DlHpcpKlnN,
Kriibt>r4.oMf;Mtrli*os
A gaatrUr,
A* uffi'coooM orsnal-
rns to c(iiijt;r<, I
Sua aceito vivifica o ganguee os rgaos de
lal sorle que, atli as pessoas que sem soffivr
as alTeeoDes gstricas cima mencionadas sao
nicamente iracas ou d'uin lemperamenio um
pouco dbil, c necessilao substancial alimento
para fortificar-se, acido no em prego das pas!il-
lius de pepsina de Wasmun,am poderoso nnio
para a isso fihegnr.
Aviso importante.0 successo das paslilltas
ii pepsina ae fVasinancu causas se fazerem
lal.Mticacdefi-e iinila.,ocs d'esse produelo que os
mulos se qncrem desfazer. Pois por faha
d'uma boa preparavao a pepsina pie n'ella
entra, ja/, alterada. Seremos ao abrigo d'estc
inconveniente, exigmdo os cora oradores que as
paslilltas lenbo as iniciaes B. P. e saido-da
pharmacia Chevrier.
Depsito geral era l'aris, pharmacia Chevrier,
21, l'aubourg-.Moulmarlrc, c em lodas as boas
diarmacias de Tranca e dos paizes eslrangeiros.
CIRAUAS PELOS
XARQPES DO DOUTOR DANET
S* 1. Contra na CLICAS 1)03 mi:m\os a
c durante u ilcndrao
iX.ivope de rynoglosse e do .acido succiaido)
N" 2. Conrn
IIC
(Xarop
.V 3.
TOSSE (OMM.-iA e a TOSSE
NERVOSA
de cynoglossc c de leo voltil de succino)
Contra un cowli.coes nos MENINO*
A c.iiiinr: V
(Xarope de cyuoglosse c de acido voltil de succino)
Estes nevos productos preconizados na Aca-
lemia imperial de Medicina de l'aris sao em-
preados eom grandissimo successo pelos mlicos
de Franca para o iratamenlo das molestias do-
meninos acuna indicadas, e vicrao encher um
vacuo importante na therapeutica, no que toca as
aITcceoes da infancia, para as quacs, albo boje
ainda se no pode indicar iratamenlo racionnal-
nem iufalliveL
(Peca-seo prospecto cm casa dos pharmaccu,
ticos depositarios.)
Prego do frasco em Paris. 3 fr.
Para se evilarem as falstficacScs. exija o com-
prador que cada frasco tcnlia sobre os rtulo^ a
assignalnra Chanteaud.
Depsito geral cm Paris, pbarmacia Chan-
teaud c em todas as boas pliannacias de Francp
1 des paizes eslrangeiros.
Os granulos de bismulh de Chevrier em supe-
riores a todas as oulras prepararles de bismulh
empreadas anlcscom o maior successo pelos m-
dicos tic todos os paizes, para prevenir e curar as
OinrrlicjiH claroulcMH,
O.iNHCutcrliiS,
Dore (I .(imiat'.c,
>Ii)c>lar de lleudo,
A Irlerirla,
U (i;i'l()c,
GuKlrilrM,
(a.stral^iiiH. i-Ir.,
U|ipi-t'!*eo,-,
llares de r.'ili.cii,
Depsito geral em Paris, pharmacia Chevrier,
rulplli.raodororaro | in ilaricN de beslga e c om todas as pharniaeias ne Franca e dos paizes
Dore no rln, da matriz, ce. estrangcirOS.
11ASSA e XAROPE
DF CODEiNA
DB
BERTH
As experiencias clnicas c comparativas
dos Snrs Magcndic, Barbier d'Amiens, Wil-
liams Gregor, Martin Soln, Aran, Viga,
C. Dumont, etc., membros o Instituto de
Franca, mdicos dos bospilacs de Paris, tem
provado que a Massa e Xarope de Berth
o remedo o mais seguro contra todas as
dores nervosas c tendo a propriedade de
calmarcom admirare! rapidez as tossesrebel- I
des e extremamente fatigantes da grippc (ca- I
larrho epidmico delluxo, coqueluche ou
tosse convulsa, bronebile e tsica pulmonar.
A Massa e Xarope de Berth, se
acliao era todas as boticas.
Para evitar cpialqmr
falsificacan, exigir MM
cada prodato o uuiue
e a Irma Berth.
Ucposilo geral em l'aris, cm casa de MENIER,
Itua Sle-Croix-Ue-la-Bretinnerie-
Pul i tus de fugo a 2 qoiar.
Chegaram excollentes palitos de f>go e vnde-
se pelo baralissimo preco de a gru2h: na ra
da Cadeia do Recife loi de ferragens n. 36 A, de
Bastos.__________________________________'
Cal Eivilsem segando
Ra luiutlezas u> lies porlns, fsl %wei-
mantlo todo boni e [t.irat-, qttn ^ui-
zcr ver e admirar veobam Uh >f
BigMiiht.
Vndese exrellente cal nova, uliimamcnle che- raiasii il. a
gada : na rea do Trapicho n. H, segundo andar, i 600 r anulad, c ^"T, "l--------------sde^esdetoncaprateados farenda o-
tuto nova e superior : vende-se no escriplorio Pecas de tranca de la lisas rftum IJlH
finssimas para limpar d-nlcs a2;0e
de Manoel Ignacio de Olivi-ira & Fnlio, largo do! 40rs.
Curpo Sanio n. 19. : Estovas
Vende-se um carro de carregar gneros da D 'I20. r?- ,
alfandega, eom uso, e todos os pertences de outro P ''- l'f,alas- l,:,r* Sl nhnras
igual, tudo por preco muito commodo : a tratar / e%t* rte ,,u de ,0* Hitim
no paleo de S. Pedro a. 4. r2" r--
I oadesra^0r"e"'S '"'"*"' m "r r"* *V"
a >*> n.
rom 10 taras a
Aos douradores.
Vende-se ouro de Lisboa superior em paes : na Tiulciros de barro, crin superior iu 'a a IPO r
ra Direila n. i, a 2ji00 o livrioho, e em milhei -, Pefas '' curdo para vestid,-, i.ieooa boa
ros a 225- *"rs-
Espartllhos a pregni^ST" l^ilfS. raU' "D09 pira T0,,4rte
t no e
A loja da Aurora na ra larga do Rosario n. 38,, Frascos eom agua de Florida a
recebeu esparlilhos a """""-" *. j. d..r
Pelas commissoes em grosso, dirigirse aos S'" WILLAERT e BERGER, comisarios em drogara, 11, ra Saint-Lazare Paris.
ASTHMA A9THMA ASTHMA
SulIV(cec:,o nervosa e Oppre.No
nico remedio efficaz para combatier estas mo-
lestias, acalmar um aitaque (Pasma c impedir a
volta o Xarope aromtico de Succino (mbar
aiuarello) do Dr Danet. Deseobena inleiramcnle
recente, este novo producto se tem propagado
cora extrema rapidez gravas aos admiraveis resul-
lados que tem sempre produzdo.
Deposito geral, na botica Chauveaud, ">4,
ra do Commcrco, Paris-Grcnclle, e em todas as
boticas de Frani;a e do estrangeiro.

recebeu esparlilhos a preguicosa, os quaes sao os; Frascos cora superiores banhas a M ,TVi
de mais commodo que tem chegado para qualquer Frascos cora banha, portn i>piiiu>mb
senhora se vestir sem Irabalho algum ; grande 2*0 rs. lenos a
") de franjas brancas ede cores para cor- Latas eom superior banha a 200 rs
cama, bonitas bvelas de madreperola Frascos de macaca perula mutlo Bn a 200 n
s, sorlimenio de estampas de santos de Frascos e garraflnhas coin aana de Col'i
i qualidades e tintas muito linas; final- 400 rs. ^^
2*
200e
CuWaia a
mente tem grande soriirnenlo de raiudezas ; quem Fra?cos grandes cora soperior asna de P^nnia
duvidar mande ver para justificar a verdad*, e 6*0 rs. '-otonia a
semp/re se encontrar pessoas (ara despachar
qualquer freguez neste estabelecimento eom mais
agrado que for pu>sivel : tudo Uto .' se cnconlra
na loja da Aurora, na ra larga do usuio n. 38.
Planta da eidade do Recife e seos arrabaldes
pelo Dr. J. Mmele A. Ferreira, urna folha em
grande formato, e primorosamente gravada : ven-
de-se na linaria econmica defronie do arco de
Santo Antonio.
Ra da Vadrc de lieos n, 9
Vende-se milito a 400 o sacco, muito novo, e
, farelo a i200.
8
RUNRTI
DmiEi i iji
im-se em dnams e a retalho,
Frascos eom superior oleo de baboza s K> e
oO rs.
^Sm?"1 lt friSCOS de cheiros moito fiaos a
Sabnneies pequeos de bolla a 210 rs. r grandes a
Sabosetei de familia a I2d e 200 rs.
uia-de saboeetes pequeos eom heiro a 700 rs.
Agua dentihee superior qualidade a f>0 rs.
(.aixas cora soperior p de arroi a eMW r*
ijSSft cupPriores ""w<" "' e oatro* a
Frascos rom essenclas para tirar codoas de roupa
Frascos eom metan de todos os precr.* a IGO, 2fiO
para senhora a
Deposito geral era Pernambuco ra da Cruz n. 22 em casa de Caros & Barbosa.

K*S'?^,,%J
J.
DE
VIGNES.
Compaiihia idelidde de seguros
martimos e terrestres
estabelecida no Rio' de Jaueiro.
AGENTES EM PEIINAMDLCO
j$fe Antonio Luiz de Oliveira Azevedo i C,
ya competentemente autorisados peladirec-
240 e 320.
Frascos bonitos eom cheiros finos a 500 r
Dnzia de meias muito linas
4800.
Gullinhas muito finas para senhora a 200 r*.
__ ^'^s eom soldados de chumbo para meaiaos a
Vendem-se em dWks e a retalho, sabonc- Duziasle comeres de mM pir. cha m m
tes aromaltcos e por precos commodos; na Dias dita dito para sopa, faznda b-a a 1.3&W
ra do Queimado loja dWguia Branca n. 8. yaras de fordo branro para esparnino a w r*
A gua Hoilde tri!SftTdebrum = r'om
para tingir cabellos. 'm b'eos sut*eriores> "r a 6001
Alm do chromacomo', acha-se mais a a- Pedras de late, para mfninr.s a 16o r<
gua Hoilde, preparacito ingleza para tingir };aixas de lampannas para 3 mezes a 50 rs.
os cabellos, i s pretendentes comparecam a ?""e,cos de !'hor" e paDnoa 16 "
s eom bonil.-s estompas para raed a 100 rs.
m
.Formulario do processo perante o co'nselho de ra do Queimado, loja d'Aguia Branca'n. 8. ^^^^SS^SSim'J.
isciplina no julgamento dos ofOciaes, ofilciaes in- lid i til < t'{iw'mhri inores, cabos e mais pracas da guarda nacional ffUfilUO i.Uidjllilllb 100 rs. v
\. 55. RIM DO 111PERADOR 21. 55.
1 PlaS5.d??U"".te* fi,brica s5 nJe asss cot-hecidos para que seja neeessarto insistir sobre a ^'$'&'MMl
toria da companhia de seguros Fidelida- ^
de, tomam seguros de navios, mercado-a^
rias e predios no seu escriplorio ra da HS
Cruz n. 1.
d
fer
do imperio do Brasil, e do recurso das deci.-oes do cun perfumaras
mesmo conselho acompanhado de advertencias e A iunia Rranra m n.t ,ln'WmiHd n
notas remissivas, de conformidade cora a lei n. 0 A *" Branca M ra.*> Queimado n.
602 de 19 de setembro de 1850, decreto n. 1335 **' recebeu um novo sortimento de per fu-
de 18 de fevereiro de 1854, e mais disposicoes le- marias das excellenles qualidadesj bem co-
ra Ira a
Todas e-las azendas para liquidar, p esta em perfeilo e.-lado, i.-to garante o dono do es-
labeleciueiilo.
?u.i supenoridade, vantugense garantas queofferecem aos compradores, qualidades estas incontesta- Sainipl Piiwpp I manlii
%eis que elles-em deli.i.vaucnte conquistado sobre Iodos os que tem /parecido nesla praca nos- wmoei fc~ suindo um teclado, e madiinismo que obedecem todas as voritades e caprichos das pianistas puoca ralhar, por serem fabricados de proposito, e ler-se feito uliimam-nte melhoramenios Impo'rlau-
ssimos para o clima Ueste paiz ; quauto s trozts, sao melodiosas e flautadas, e por isso muito asrada-
veis aos uttvidos dos apreciadores.
Fazem-se confotme as encommendas, tanto nesla fabrica como na do Sr. Blondel. de ParN ocio
correspondente de J. Vigiles, em cuja capital foram sempre premiad is en toda* as exposiefies '
.No ra. sino e>UbeleciraentO se achara sempre um explendido .: variado sortirtento de'msicas d
raeitiores autores da turopa, asstm como hartnooicjs e pianos
precos con.modosc razoavels.
Iiarmoiticos, sendo tudo vendido por! n'1^
IrfisilAnfofl fia nrAArinnia Prias pa-a presentes, as quaes sao vendidas
a nzala Nova i 7,,r w u VIUUil por precos commodos, na loja d'Aguia Bran-
nua ad tnzaiai>ova n. t. Atlnbuicoes dos presidentes de provincia, esta- ra do Oiieiimdn n 8
agencia da do feito pelo juiz de direito C. J. de Andrade Pin- C
i-lia Machinas a vapor de 4 e 6 cavailos. 'I'", e acha-se a venda na livraria Econmica,
Mocadas e meias raoendas para engenho.' $ff*d0 ,reo de San!o Anl nio'e vende"se Pr |
t,3:Taix3s de ferro coado e balido para enge- ^mM rf>:&-a,l .-,-,<
Toncas de fil encar
nada
hot
m
: Arreios d carro para um e dous cavallos. W$
[ Relogios de o :ro patente inglez.
Arados americanos.
Ma binas para descarocar algodo.
\ Motores para ditos.
, Machinas de costura.
Vende-se duas carneas, urna para boi e ou-
tra para cavallo, sendo e.-ta eom lastro somcnle,
propria para carregar barricas de farinha de trigo,
leona, etc., ambas eom uso, por proco muito Com-
modo : a tratar no pateo de S. Pedro n. 4.
Urna mulher porlugueza offereee-se para ser
ama de qualquer casa dehoinem solleiro ou mes-
Fumo da Babia para
charutos.
5*g \ende-se
{** qualidades,
fumo superior de todas as
a retalho e por atacado, e
'. :
DR. PEDRO DE.ITT.UIYDE LOBO HOSCOSO.
UKOICO, IMR1EIKO E Ol'EfitAfJOil.
3 Kua da Gloria, casa do Fuudao -- 3
< 0 Dr. Lobo Moscoso da consullas gratuitas aos pobres lodos os das das 7 s 11
iras da manltao, edas 0 e meia as 8 horas da noite, cxcep.o dos das santificados.
Pharmacia especial homeopalhica
No mesmo co sultorio ba sfinpre o mais appropriado sortimento de mtemsW'SteSlaSl** da Cadeia d0 Recife:em perfeilo e.^tado e por commodo prego:
avalsos, assm como tintaras de varias dymnamisacoes e pelos precos seguinte. ;~J "----------------------na ra do Apollo n. W.____________
L'arteiras de 12'lubos grandes. 12,5000 kSm.m.m Vinho do Porto superior em caixa de dnzia,
tem para vender Antonio Luiz de Oliveira Azeve-
do & C, no seu escriplorio ra da Cruz n. 1.
Liquidado de machinas para
algodfto:
a 50 rs. cada urna.
Venibm-se na ra do Queimado, loja da
Agina Branca n. 8.
Espellios don vados
A Agu a Branca, recebeu novamente um
grande sortimento de espelhos do differeit-
Attencjo, fre#ueze.
reir Mendes Guimares, rom loja
Arara; ia na da Imp-ratriz n. :^>,
urna nava liquidacao de lodas as fa-
qu- se vende muito barato, a saber
CHITAS A 200 Rs. O COVADO.
Vendera-se chitas coin muito bom panno e irndo
cores lixas, pelo baralissimo preco de J00 r* o ro-
vado : s Lourenco Pereira Mendes Gu-mar. -
AS [ItETAMlAS DE ROI.O.
Vende-se breanba de rolo mon.. boa far-nfa
pelo diminuto preco de :JJ0U0 cada peca rom lf>
varas. '
i.AZLXHAS CIII.NEZAS.
Vendcni se as m:.is aiDdariUi kUafesj rhinezas
pelo barato preco de 280rs o rund, fasaa M e-ta
que sempre se vendeu a iO rs. e h j- aatt -e t n-
dendo a aso rs., de iodos m padies e teda* a*
cores : s .Memb-s Guimares.
CHITAS FliAXC.EZAS.
Vendem-se caitas france?as escuras e rara* a
> de 'Q tubos grandes. 245000
de 48 tudos grandes. 30000
de 60 tubos gran es. 35J000
Prepara-se qualquer carteira conforme o pedido que se fizer, e eom os remedios
qae se pedir.
L'ni lubo avulso ou frasco de tintura de meia onca I000.
Sendo pata cima de 12 cuslarao os precos eslabe.'ecidos para as carteiras.
Ha tubos mais pequeos cada um a 5(10 res.
. u LITROS.
A melhor odra da bomeopathia, o .Manual de Medicina Ilomeopathico do Dr. Jahr
dous grandes voluntes eom diccionario...... 20000
Medicina domestica do Dr. Hering ...!.' 10-^00
Ri'perlorio do Dr. Mein Moraes ........' G'OOO
Diccionario de termos de medicina ....'..'.''.'' 3->000
Os remedios deste estibelecimento sao por demas conhecido's e dispensara por
lano de serem novamente recommendados as pessoas que quizerem usar de remedios
ver. a. etros, enrgicos e durado.es: ha tudo do melhor que se pode desojar, globos de
yenladeiro assucar de leite, nolaves pela sua boa conservagao, tintura dos mais acredi-
tados cslabelectmentos europeos, a mais exacta e acurada preparacao, e portanto a maior
energa r certeza em seos eleitos. '
Casa de saud<> para escravos
Becebc-se escravos para tratar de qualquer enfermidade ou fazcr-se-lhe qualquer.
operagao, para 0 que o annunciat.ie julga-se sufficientcmente habilitado.
O Irahmeoto e o melhor possivel, lauto-na parte alimentar, c..mo na medica, e
fur.ccionando a casa ha mais de quatro annos, ha nmiiss pessoas de cujo conceito se nao
atontes! '' P SCr consu,,ados Por I>wHes que desjarem mandar seus
laga-se 2-3 por dia durante GO das e d'ahi era liante 1^500.
As operares serao previamente ajustadas, se n5o se quizerem sujeitar aos precos
veis que costuma pedirr o anntmc ante.
AMA.
Precisa-se de urna arna iara co7inhar em casa
de familia : na ra do Brura n. 5o, defronte do
chafarte.
COMPRAS.
Compra-se elTectivamcnte ouro e prata em
obras velhas, pagaudo-se bem: na ra larga do
Rosario n. 24, loja de ourives.
Silviuo Guilherme de liarros compra e ven-
de f-lfeclivamenle escravos de ambos os sexos :
ra do Imperador n. 79, terceiro andar.
La(lo para calcadas manhos, at grandes para salas, e bem as-
Vende-se mutlo born lagdo para calcadas ear- Sim Ulros lie a^ eom um e dous ps,
inazens chegado agora : a traiar na ra do Apollo e OUtros COm encotislo, todos OS quaes se
"*_____________________________ vendem i or precos commodos e dinheiro
Vende-se urna burra de ferro grande vista : "a rua do Queimado, loja d'Aguia
Branca n. 8.
B< m papel almasso
paulado eom 33 liabas.
A Aguia Branca acaba de receber a sua
encommenda desse bom papel almasso, liso
e pautado eom 33 Indias, assm como de
peso, tambera superior e igualmente liso e
pautado, eom corda i nr erial, e sem ella, e
ta^OStf!|"tf S&lSK8 ^os pequeos conforme os cima, e pa-
serrotes, de superior qualidade, as quaes se ven- quete, tarjado de preto. olha grande e pe-.
dem por precos muito reduzidos e por menos do quena, etc.
que em outra qualquer parte, para liquidar, bem Tambera recebeu envelopes correspon-
''ainpjj.v pelo

Ouro e prata
em ohras"velhas : compra-se na praca da Inde-
pendencia n. 22, loja de bilhetes.
Cor,pra-se ouro, prata e pedras preciosas,
em obras velhas : na rua da Cadeia do Recife,
leja de ourives no arco da Conceicao.
("ompram-se libras esterlinas a 95600, na
praga da Independencia n. 22.
Compram-se palares mexicanos : na praca
da Independencia n. 22.
Comprain se libras esterlinas : na rua do
Crespo n. IC, prlmeiro andar.
MERINO'.
Vendem-se chatas de ment
barato preco (! -j-Z cada um.
CAMISAS PHAXCEZAS.
Vendem-e camisa francezes ;. i-;::i i, l>flo
2*000 cada u'..-.a, ditas e avrt< torras a -X t
JiiO, ditas de litiho a 25300 cad.. una :
di s Gaimaries.
maDapolao e.xpest ina
?~tm'Se *a*Nw,o cm 12 jardas a 3Zt, \y
CAMISAS PARA SBMHORA.
Veadem-se as mU modernas ramizinha* enfei-
tadas para senboras a i. WOO :ioiO.
GRANDE SORTIMENTO uE CAMBilALVS
BRA.XCAS.
\endem-se cambraias brancas a :t, XjSW l?
4do0,o5, j'OO e 63, e mol fina a 7Su<0 ruda'
peca.
' CORTES LE CAMRRAIA BRANCA COM
SALI'ICOS.
\ endem-se corles de rambraia de s.toicw Mal-
como motores americanos da uiltma iuvencao, os ini. ,.i ,___i ,,, lo nuudinhos e cada corlo tem 10 var, < oei.i lar
quaes se torntil recommendaveis por sua superior ^eDlei a l0(los ,,s ailKillll0S do pape tanto ssit prP dt. -,:
(inalidade de fcil cmduccao para o centro da pro- brancos Como tarjados.
vmeia; a traiar no deposito do raes de Apolo n. 63 A commodidade dos precos ja de todos
COBERTORES BSCARLATE5.
Vendem-se coberlorHs de .i esc; rlat- s a di, di-
ouna rua da (.idea do Recife, loja de ferragens bem Conbecida, lima vez que apparfica d- de a.|P',lJao1 a'f^, ditos escuros a l->o rada
" 6 A> nhaim h. n, A n..:mn. L J? .. _..:. um soMende (..iiir.araes.
Vendem-se
__ nheiro: na rua do Queimado loja da Aguia
Branca n. 8.
Esponjas finas para rosto !
machinas americanas de serrle para descarocar
algodao : na rua da Senzala Aova n.^____Vendem-se na rua do Queimado. ioja da
Farinha de mandioca : lem para vender Au Aguia Branca II. 8.
touio Luiz de Oliveira Azevedo & C, no seu es- > *
Meias de cores
< ubre, lula c (hiitulio.
Compra-se o-bre, iaio e chumbo : no armazem
da bola amarella, no ottao da secretaria de po-
lica.
razoave
ocheira.
Aluca-se a grande cocheira da rna da Roda n.
ZH a 50 : a tratar na rua larga do Rosario n. 34,
botica.
Ama
Precisase de urna ama paTa o servjco interno e
estenio de casa de pruca familia : a iratar na roa
Direa n. 28, segundo andar.
A tugase
um sitio na campia da Casa Forte, eom duas ca-
sas, ama a era que moruu o fallecido Thomaz de
Aquioo Fonseca Jnior, feita a moderna, e conten-
do todas as accommodacoes precisas, e outra rom
boas comroodidades para qjalquor familia: na
rua de Vigario n. 19, primeiro aadar.
&t Au.da se precisa de urna amaipaM-cozi-
^ nhar e engoromar tiara Ires pessoas.: na
2R rua das Cruzes n. 37, sendo pessoa iziow-
Xfk gi rada e que so possa enlregarumacase.
KETRATISTfS
Firmino & Lins
Novo estabelccimeulo de retra-
tos roa Nova n. 15, Io ao-
S dar, junto ao Sr. Gauiiep,
w dentista.
Tiram retratos todos os dias, das 7 horas
yr$ da manha s 5 da larde, quer cbova oa
nio.
S Tambem se oTererem para tirar retra-
W tos de pessoas fallecida?, dentro on fra
3| da ridade.
^ Os annunciantes desojando acreditar o
J8S: seu e.-Iabelecimenlo. garantm ao publico
SR que nenhum trahalhosahira de sua offlci-
"r< naisem que nao seja perfeUmuento acaba
'fo> do, e a ventarte do frefore
MOBILIA.
Compra-se urna mobilia de sala, sendo de Jaca-
randa e em bom uso : na rua da Cadeia n. 57.
Compra-se urna halanca grande ou um braco
Romfio : a traiar no caes da companhia Pernam-
bucana, armazem n. 4, ou na rua Imperial n. 27
Compra-se urna casa terrea em bom estado,
e que seja grande : a tratar na roa da Imperatriz
d. 43, no primeiro andar.
Ira a casa.
Compra-se urna casa terrea no balrro da Boa-
Vista : a tratar na rna do Vigario n. 13, primeiro
andar, das 9 horas da manhaa as 3 da tarde.
Libras esterlinas
assm como qualquer outra especie de ouro ame-
dado nacional > estrangeiro ; compra-se eom bom
premio : na la do Trape he no hotel de Frar.c'.
oriptorio rua da Cruz o. 1.
Vendem-se palmeiras imperiaes, em estado
de serem fransplanladas: no sitio murado es-.
querda, depuis do beccj do Espinheiro, nos Af-
ilelos.
Ferros para engmm r
Vendem se caixinhas conlendo o mais completo
sortimento de ferros para engommar, encrespar Affuil Rranra r 8
babados. paros e toda roupa de senhora : n r,.a AKUI
Nova n. 24, loja.
I ara creancas de G a 12 mezes.
PECHI.NCIIA DE EVTREMEIOS.
vendem-se bonitos entremeios a 00 rs. a peca
ditos linos topados, teudo padroes muito de gostJ a'
1,8, babados a l cada orna pera : na Arara roa
da Imperatriz n.o6 de MsaHai Qatmmtm.
CASEMIRAS.
Vendem-se casemiras eom listras a izX o ce-
vado e ditos a 3(.O0.
ROUPAS FEITAS.
Vendem-se roupas felas de Indas a qnalbla.ir*,
Vndeme na rua do Queraado, toja da fiffJ^^W.Sff
Aguia Branca n. 8.
Aspas fortes para baldo.
Vendem-se na rna do Queimado, loja
na rua
1 liosplwros de sequranca
caixas de 500 palitos a 100 cada urna.
Vendem-se na rua do Queimado, loja da
Aguia Branca n. 8.
Gollintias e pan/ios
bordads para senhoras.
A Aguia Branca da rua do Queimado n.
FeTOS de llOStiaS 8> vende-se raui bonitas gnlliabas e punhos
ia do Imperador n. 29 vendem-se dous fer- bordatJos Para >enbora.
Dminos e visporas
... z-------------------- j em caixas de madeira.
AlteilfaO. A Aguia Branca na rtia do Queimado n. 8, i
Vndese urna negra crioula ainda moca,
sabe cozmhar o diario de urna casa, ensaboa, lava
e engomma eom perfeicSo : a trrlar no becco do
Marisco n. 7, prumiro andar.
BATATAS] i
Vendem-se excellenles batatas pelo diminuto
preco de 400 rs. ogigo : no armazem do Sr. Aze-
vedo detronte da e>cadinha da alfandega.
ros de hostias, de urna s bo>lia cada um, lao leves
que qualquer pessoa pode eom elles irabalhar.
pardo a 25 e JjiOO, Jilas lina*
a 25800 e J, dita* de brlm branco a 2-3, ilius de
linho a 35*iOO, lilas de casimira a 3-5 e 3'300 rti-
2f "SVni5* 6> 1+m' d"aS p,eta* d" *
da ?';,v>8i5.. pal,,os 'acC0i de mfia c*- mira a 4i
45600,aje 6*000, dius finas a 7eis/(00, d.t
de casemira me-clada a 95-500, paln.V< cos de panno preto a I >i. i e MpHt ja.roek.Bj
de bnm pardo a 2;800, 25300 e ^WO : s L
renco Pereira Mendes Guimaiaes, rua da Imi.. ,-a-
triz n, 36, loja da Arara. ^^
VBHDA&.
0 castello de Grasville.
Tradtizido do francez per A. J. C. da Cruz.
Farinha de muribeca fi a e alia, aaais
barata que se vende no mercado, en sac-
______eos : na ruado Vigarion. 29.
Sement*.
Vendem-se semenles de hwialicas r.oila nons :
na^ua_da_Cadeia n. 0. '
. Peonas de ema
Vcndem-se na rua da Cadeia o. 27, armaze.n de
Prente Vianna & C.
Vende-se "orna
que sabe cozinhar
Vendr o deposiio da rua Xova d. 6, bem acaba de receber Contines em bonitas cai-^mDerador Tt*LlC01<
afreguezado e bem sonido : a tratar na rua do Li- xinhas de madeira hranga e envernisada, e eiro
vramento n. 34.______________________ visporas de caixinhas de papelao, e madeira <*'Haga Ones
iflACHIMAiS
Redimi des prefos.
Vendem-se por precos reduzidos machinas de
descarecar algodao de sorras de todos os tamanhos,
V&udt-se este bello romance em quttr i de 14 a 60 serras; assim como motores para as
temo* pelo baratissimo preco de 2tuC
jua ptay da Independencia, livraria ns.
6e.
Na doja da rua da Imperatriz n. 34, vendem-
- O abzixo assignado tendo perdido -o taeic bi- "na-lnhrf 'Se ,rif0.s'bjP,>oul8 oe l ****> et|ainpas reiire-
i'-ete cirantido da lotera me se tem de -emui-r n ,BBe,ro' sentando diversas -ciencias e arles ; machinas de
StffiKS^S am CZ,Dhe,r bCm : M fi *\"P**9m*m*n-t.
ibes niriro (jue, caso saia algum premio, uo pa- .. _L_;_____________________________^ i Vnoa-se um.iabaroa cora poroTftind'V o
fue seui er ojvido o mesmo abaixo assignado- Vende-se urna aitola e urna jsnt!t.<,emiitfti- canoas paraTamilfa-: na ta d.u Calcadas ti. 2,
envernisada, tudo contina' a ser vendido
por pregos commodos e dinheiro avista.
Lencos pequeos
para meninos.
A Aguia Branca, na rua do Queimado n?
8, recebeu um novo sortimento tfaqueHes
lenco brancos, pequeos e eom barras de
escrava crioula de M anaos
cozer : a miar aa rea do
andar.
Anselmo Avies de A'.evedo- 'M bom estado : rua das Aguas Verdes-a.-QS. iou ua rua^ettaoia'Siu n.,C4.
mesmas, as quaes se acham visia no armazem de
rarinha, rua do Imperador, por baixo do Gabinete
Portuguez : a iratar na rua do Trapiche n. 8, ou
no mesmo armazem : ouiro sim recomraenda-se cores, proprios para meninos e ainda serSo
aos comprador'es que usem de azeite doce ou de uendidos pelo commodo rreco de IA0OO a
coco para entrarem os eixos dess machinas, em dnzia HH" uciwud
lugar de azeite de carrapato, visto este produjir o ., .
contrario do que aquelle que se quer. fie S DVetfl^
tfeodem-se por prego commodo cinco earros a* i., _,_, ._,
le mao. emboniuw: a traiar eom Frederieo Chaves, na Ven4em-sena rua do Quemado, loja da
e hriaHii<
|>ira meuiaioie.
Chegaram para a loja de miudexa^ da
Queimado o. 69, os mais finos e liadas cali
tanto para brinquedo de meninos como para ci
de mesa : na mesma loja se encontrar* tca> er-
nieolo de miudczis.
m *>
a 15.
A 1# \**OGe
Leques de osso, ultimo costo,
Ceroolas de meia a 15i O.
Dus muito finas a 15300.
S na rua da Cadeia do Recite a. 5.
I rna 4'Impaalriz n. 19.
j Aguia Branca n. 8.
ntremelos
a lOO e HOO rs. a peca:
da cartela m. 36.
A
i



L
Diario de pernaubuco segunda elra tO Je jiiiUo de 1&.
40 PSLtC
Hein o menor consfinn-
giuieuto se entregar
importe do genero
nao agradar.
A
! ;


iflj!KJ
TTEK^O
o
s iirevo a egiifoto'
utttela para iodos, |>c-
cao asalta servir de k.-
f.c para o ajlate A? cotiA*
csn o portn.oi es.
A aA

. < r'7JZ" ''-,


v
2
y*
k>-.' vr v


I lili
/
'VT
.; -
E8TABELE0ID0 A RA NOVA N. 60
*tm & sima m 33 iDoa-aaia
AO
IIESPEITAVKli PUBLICO.
A apreciadlo dos habitantes desta heroica provincia existe no grande arma-
leui da Liga estabelecido ra Nova ti. 60 ura magnifico sorlimento de molhados,
que sendo em sua max m i parte mandados vir directamente do estrangtiro podem ser
vendidos por precos asss razoaveis.
Sem a fatuidade de querer que este novo e interessante estabelecimento seja o
primeiro e nico em seu genero, pde-se porm IBancar, coa toda a seguranca de que
Qeoh'im oalro o exceder no restricta cumprimeuto das segaintes promessas:
1.' Delicadeza no trato.
2. Fidelidado no peso.
3.' Sinceridad^ nos precos.
As pessoas que por sua posico social goram casa os melbores qeeijos londrinos, cerveja, vinhos Ifeussimos manteiga -etb sempre de
primeira qualidade. ote, etc.
Qualquer que seja a condicao do fregu, eUs leve contar que ser sempre m-
?o bem servido.
Aquelles que soipoiico favorecidos da sorte farao mensalrrrente urna economiza de
' murtas patacas, afreg>:eza;ido-se nesta casa, onde-se Ibes vender o arroz, o caf, a no-
'eiga oassucir, etc., etc. de boa qualklads pelo {refo que em algumas partes nae po-
den) ou nao quenem vender.
Os senhores de fra da cidade, dos arrebsldes ou centro. que compran para ne-
gociar, devera Tir, pelo seu proprio rntaressO, :a este eslaoelecimeRto para se correence-
rem do quamto se pode vender barato.
Para os senhor- s que comprara para tornar a vender existe iim sortimen'o i spe-
cial, escoltado ,por pessoa entendida -que cortamente muito de-Te agr Jar aossenhore-
compradores.
Nao se tcm poupado sicriGe';^, nem-se deixar de faz^c a diligencia para agra-
dar ?. todos.
PELOS SEGUINTES PRECOS S SE VENDE
A DMMERO A VISTA:
RA DA CADEIA DO RECIFE N. 53
(Logo passando o areo da Coneeleo)
PARA BEM DE TODOS.
i horas o aceio que presidio aos rranjos deste novo pstaheleeimerito, e mais que tudo a promptidao e intei-
rati-J>^;,jnvida a urna visita ao mesmo, cerfos de que sem duvid? me darfo a proterrao e preferencia lia cem-
ALPISTA a l6 rs. a libra.
dem e paince de oito libras ptra cima a
100 rs.
Anuo?, de 90 rs. a libra a.........
Ambndoas, easca inlle, a 8u rs. a libra.
Avfxlas a 210 rs. a libra.
Amuxvs francezas em latas de todo; os 1a-
manbos.
dem idem em potes de todos os tamanlos.
dem dem em boectas de todos os-Sema-
nbos.
Idenk idem em frascos de ledos os lma-
nnos.
Avicitk oficc de primeira qualidade a 600 re.
a garrafa.
amos a 360 rs. o molho.
Aiisyntik; a jiOOi) a garrafe.
K
COLACIIlMIAS do Beato Antonio em latas
grandes e pequeas,
idem do Principe Alberto a 5000 a tata, e
de cinco para cima a l800.
dem de so ia em latas grandes -a 2->000 e! brasa I0C rs.
de cinco para cima a 1*800. .\
Becerros inglez.es de todas as qualidadcs a NOZES a 120 rs. a ibra.
iWOO. I>o0e 15300.
Bolo fraooet: em caixinhas a 300 rs. cada
urna.
Batatas inglezas.
ika dftpereo refinada.
Graixa em lates, muito nova, a 80 rs. cada
urna.
K
KIRSCH de'Wasser a U a garrafa.
L
LATAS com gras'xa a 80 rs cada urna.
Letbia a 400 rs. a libra
n
MANTEIGAingleza e franceza de p DMMn
quakdade a i$, 15120 e 15-280, em bar-
ril se faz grande ahatimenio; a que ven-
demos per l5yo a liba, vende-ae em
outra qoalijaer casa por 15400 c l^OO.
Mabklada dos mais acreditados fabricantes.
Macamo e TALiiARisia :<20 rs. a libra.
Massa be tcmate a 806 rs. a lata.
Mostakba ingleza a 800 rs. a Irasco.
Molo orofesz de todas as qualidades.
MAaaASQDWOverdadefiro dejara a......
Massas linasrara sopa branca e amare!Ir., a
00 rs. a libra, em caixas com 9 libras a
Milu painco e alpTsta, sendo mais de S I;-
Senbnre?.
rezarnm que serio tratlJj^;;jiviua a una Msnd au ujcmii, itrios np qup spm ouvio;' me aarao a protercao e p
pra dos teneros que prec;sari:a e quando n3o possam vir podero mandar seus poriadores, anda que estes rejan pouco pralifc,
pmsserao tio bem servidos como seviessem pessoalmente, havendo para com estes toda recommenilad, afim J.le que nlovSoc-m

IkMk k KKtfP
ra pfrte.
M.nteiga ingleza especialirenteescdbidaa
l.ooo e 8oo->s^aJjbra e em barril se faz
.iltatimento. >/-
dem franceza avmais nova do mercado a 96o
rs. a libra e^ rs. em barril ou meios.
Gb liysson do supe ior qualidade a ,G00
rs. a libra,
h perola o mais superior do mercado a
2,8oo rs. a libra.
dem liyss-jn muito superior-em latas de lo
libras muito proprio para negocio a 2,ooo
rs. a 'libra.
dem bysson nacional em latos de 1 e 2 li-
bras a 1,6oo rs.
dem ;pretoo que se pode dscjar neste ge-
noro a 2,000 e 2,2oo rs. a libra.
Urifuicas muito novas a 8oor?. a libra em
barril se faz n^atimento. S
Gbcuricas e patos a 8oo rs. a libra.
Gestelletas ingiezas a Glo rs. i libra, serve
'para temperar -ponella ou para tambre.
Queijos do re-ino -rhegados neste iifcimn va-
pora ,2oo rs., ditos de navio devella a
2,ooo rs.
'dem [onrfrmas mnitc frescos e ilc superior
qaalidade* Soo'rs. a libra.
dem pratfl t Seo rs. a libra, e RVciro se faz
ahatimcHki.
dem suisso o m?.;ssuperior qnetcm vindo
KOYA YCBK.
Grnposta i!e u>\ t\ i *
prrprii!!:- !es rmEd trBtn
ii rovada 11 las ai tai .-
mZ[ZZim : eslre'niia' P^ide e rodi- mja bwSca^asm^cas maisacreJadas KS^ JSKf!
nna branuouamareila a 64o rs.a libra e, que *em ao mercado, a iioo, 56o e 4o
3,5oo a caixa com 8 libras.
Viubo do Porto muito lino proprio para
engarrafar, em ancoretas de 9 caadas a
3,ooo rs.
Vioho em pipa: Porto, Figueira e Lisboa a
32o, leo e ooo rs. agarrafa, e em cariada
a 2,000, 3,ooo e 3,8oo.
Vioho branco de Lisboa de excellente quali-
dade a 4oo e 5oo rs. a garrafa e em cana-
da a 3,000 e 3,5oo.
Vinbo branco para missa em caixas de 1 du-
zia a 8,ooo e 68o rs. a garrafa.
Vinho do Porto das melbores marcas que
vera ao mercado como sejam : Lagrimas
do Oouro, Duque do Porto, Rainba de Por-
tugal, Duque genuino, D. Luiz 1, Madei-
raSecca, Malvazia fina a 16,ooo, lo.ooo,
12,ooo e I o.oooa caixa cora I duziae9oo,
l.ooo c l,5oo rs. a garrafa.
Vinbo Gherexde superior qualidadeal6,ooo
a duziae l,5oo rs. a garrafa.
Sardinbas de Nantes a 4oo rs. os quartos e
64o rs. as meias latas.
Bolachiiibas ingle?as muito novas a 5,ooo a
barrica e 320 ts. a libra.
ao mercado a 64o rs. a libra. Bolachinlias de soda em latas de diversas
Srvilhas e fttvas pirtnguezasJ* preparadas i qualidades a l,3oors.
em kat;-'iienaaticanierite laenda a 64o.
FeijSo verde muito superior a i 10 rs. a lata.
Cartes com bolo francezmuito proprios pa-
ra mimo a 64o ts.

CBOCOLATE francez a 7U8 e SOO.re. a li-
bra, e eui porcio a 6 .dem saisso a 15 a libra.
bmn ue musgo a 15500 a libra.
GiionupAs milito novas a SOO rs. a libra.
Cai-i a 240 e 260 rs. a libra, e em porcio
se fir abatunent).
Idem de primeira qaalidade a 700G u ar-
rob'i.
GonsaavAS em f. ascos a 320 r. cada.um,
-sao muito aovas
I Jem -ingiezas,' tascos grande.
C!ttAifftMs do ledas as marcas.
Gharors de grosella, orebata, etc., eic.
ClHCAflAC e pires n l:)SOO;: duzia.
Gsaveja da superkc marca Tenente a 300 rs.
garrofa, eem duzia se faz grande aba-
lmenla.
Uei Victtiia IJas tres X e deoutras marcas,
i'HAkXTCS das mais .acredita las marcas, co-
ma sejam.: NuWUtt d'llavana, Exposicao,
Flor do.L!ra.s:|, Per sienses, Delicias, Gua-
nabarae, Ii-ovadore. Kegaiia, ilississipes,
PaneteUos. Apraziyjs, Varetas, Brasilei-
ros, Aiieiiiauos, Fluminenses.
]ii de todas as qualkJades e de todos os
precos, bjsfloa, bnm, aljfar, preto., e
preto ioata branca, etc etc., a 25000,
252 ().2.)360e 25800.
Copos jos datados os .tamaitos de 120 a
.20 rs.
dem lapidados de todos os tamanhos a du-
,zic a 25OO, 3/500, 4l s U.
GtVUflBB de lodos os tamanbos.
Coc.nac superior a 15 e 15o00 rs. a garrafa.
/garrvs do Rio, pardos, a o rs. o mace
de ciccomacinhos.
Nabos em latas a 800 rs.
o
Osiu-ts inglesas e araerieaoes.

PEIXE em posta, latas grandes, a I $l (K, fj
todas as qualidades, coho sejam saee!
Coposlapi rs.a hTia. i para mimo a 3,ooo rs.
dem dem para riaho a 24o rc.,e2,4oo rs. Passas de carnada a 8,000 acaixae4oo rs.
a duzia. a libra.
Chcetele francez aespanhol e suisso a Ooo, Figos de comadre a 24o rs. a libra.
l,ooo c i ,2on rs. a libra. Amcndoas de casca mole a 4oo rs. a libra.
Esperaaaoete superior a 600 o 64o rs. a li- Milo de amendoasa 5oo rs.
bra e em caixa se faz abat-nenio. Bolachinlia d'agua e sal, da fabrica de Joao
I'eixe em posta em latas hermticamente la-; de Brito, no Beato Antonio, em lata-de 6 !i-
cradas e das-melbores qdades de pei- bras por 2.5oo rs.
xea 800, l,oooe l,2oo pg, Amoixas francez is em Pasco de vidro com
Vmlio Iterdeaux las marcas mais acredita- lampa do mesmo, a l^co.
das que vem so riosso lietrado a 7,ooo c Ameixas franc zas -em cixinl as de diversos
i- g( ras, corvina, paW, salmao, pescado ,.! Arroz afi.\:sranhao ce l1 qnaiidade
peseadinha, kngusjdo, sardinla. etc., etcJ re" ,.**B" e ~>S(,is a arroba,
PEBksem late,excoHente pneparacao. ,(lern ,u fi:iUn ;| *'s- :1 ''il'^ e2,
lirepaiac;
Pautos para denles a 120 re. o maco multe
graae.
Passas em q ir.rto a I$400.
dem muito novas a 400 rs. idibra.
Pomada muito nova a 280 r>..a duzia.
QEUOS flamenges.
dem prata a 800 rs. a libra,
dem suissos a 800 rs.a libra,
dem londrinos a 800 rs. a libra.
Ql.UITIXIlAS ou moi,-xques a 6,-i 85 e 105
par.
II
IWl'E' Meurana Ij.a libra.
Mein Princeza do Rio a 15200 a rubra,
dem francez a 25300 a libra.
SABAO massa a 160 rs. a libra, em-caixa se
fjz batimento.
Sai. relinado era frascos a 500 rs.
Salame de Len a 39.
Saudinuas de Naates de ledos os fabrcenles,
dem le Setubal em latas muito grades a
720 rs.
-Stearias a 600 v. o maco.
TOUCNIIO de Lisboa a 320 rs. a libra.
Toma.-k em latas a 600 rs.
Tunta zul c prea para escrei-er.
8,eae -1 caixa-eOio eTea ris .
raa.
Genefera de Irlanda a 48c rs. a botija rk
conta-oerta.
Frastfaehasdo geaebra deHiilanda a ,80c
e O.fl-rs. o frasea.
Genebra de larai;;; verdadeira em frascoc
craades a 1,eeae I l.ooors a frasqueira.. -Conservas inclezas a
Gaf Jo ilio de-t* qualitlndea 28o rs.ali-' 8,000 a duzia.
bra 8,.'ion rs. a-.irroba. Tassouras de escova para esfregar casa a
Cafe do Casfl maito superior24o rs. al- 400 rs.
:" '* ''-: arroba. Tfozes milite novas a 16o rs. a libra.
a toe i Molbo ingto: om garrafa .le vidro comTolha
do mesmo. a 16o rs. ,
.800 a Wostarrra iv&eza dos melbores fabriiantes^
} arroka. | a 800.rs. o frasco.
1 dem de fava a 8o.rc a libra e-J,4oo a ar- Mostarda rranceza em pfTtes j preparada a
! rol)a- t i 4oo rs. o frasco.
Paincoe alpista a lio rs. a libre e 4,oooa' Lerdibas fraaetaas. eeeflente lgame para
sopa..a 2oo rs. a libra.
a
tamabes com bonitas estai' pas na cai-
xa exterior, a l,4oo, l.fioo, 1.800 e 2,ooo
cada urna.
Azeite doce refinado hespanbolon portnguez
a O.io rs. a garrafa e 10:000 a caixa. *
Batatas muito novas a 80 rs. a libra e2,5oo
o gigo-ecm 36 libra-.
7ro rs. o frasco e
arroba.
i Massa le tomstesdesuperior qnalidade a 64o Marrasquino le Zara propriamente dito
rs. a ala de urna libra e 060 fe. a reta-, 1>S' a garrafa i 1.000 dnzia.
'Plito-s de dente a 14o rs. o maco.
lio.
a garrafa, e -'.,8oo, 6,000 e 6,50 ra-
zia.
Cevadinba de Tranca moilo nova a ioors.
Charutos do aflamado fabrici rite Jos Porta-
do de Simas, das segrales qualidades :
Exposicao Normal de Ha vana, lmperiats,
Londrinos, Guanabaras, Parisienses, Si s-
piros Delicias, a 4,ooo, 4,000, 3,000,
6,000 e 7,ooo a caixa 00 em n eias.
Charutos finos de diversas marcas e fabri-
cantes, como sejam: Flor do Norte, Ma-
n ibas de Havana, intervallos, vencedores,
Panatellas e Suspiros, a 2,000,2,000 e
3,ooo a caixa.
otnac inglez das melbores n anas, 8 6coe
l,2oo a garrafa.
Doce da casca de guiaba a 2,ooo a lata com
4 libras.
Farinba de aramia verdadeira a 32o rs. a
libra.
Matte,excellente cha para os navegantes, a
2oo rs.
Sebollas de Franca muito grandes e novas
a l,8oo o cento e l,2oo solas.
Palitos do gaz a 2,2co a grosa. -v
Toucinbode Lisboa muito nevo a 32c rs.! a
libra e 8,foo a arroba.
Banba de porro refinada a 63o rs. a rra.
Bolachinlia Alberto, as melbores que pre-
sentementetcm vindo ao mercado, a 2,ooo
a lata.
Farinba de Maranho muito alva e chefrosa
a 2oo rs. a libra.
Frascos com fructas em calda de diversas
qualidades a 2,;ioo e 1,8(0 O frasco.
I Caixinhas com fructas em doce secco de di-
versos tamar.hos, muito proprias para
mimo, a l.Ooo, 2,600 e 3.ooo cada urna.
Buibos, excellente peixe porlugnez, em
barris pequeos ou a relalho, a vista se
far o prego.
Azeitonas de Bvasem ancoretas grandes de
8 garrafas por 600 e 8oo rs. a garrafa.
Azeitonas portuguezas a 000 rs. a garrafa e
!,5oo cada urna ancorla.
Champagne da molhor qaalidade que vei
ao mercado, a 2,ooo e 3,Soo a garrafa, t
24,ooo e 26,ooo o gigo.
Gomma deengommar muito alva a 12o rs.
a libra.
Figosem sextinbas ; 80 rs,cada urna e 72o
rs. a duzia.
Papel azul para botica a 2,000 a resma.
Balaios para roupa saja, grandes e peque-
os, por diversos precos.
Amendoas ennfeitadas a 6io rs. a libra.
Latas com fructas em calda: pera, pecego,
damasco, rainha Claudia ecereja. a Seo
rs.
Vinagre de Lisboa a 200 e 28o rs. a carra-
fa e a I ,4oo e 2.000 rs. a caada.
Azeite doce de Lisboa a 4.800 rs. a nna da
e 640 rs. a garrafa.
Vinagre branco engarrafado a 000 rs. a
garrafa.
Brasil
t

:
vos os mais i'-tu ;
11 e da Amerca : 1
CURA KABIGAIMIHI
escrop,;.!;>. rbeomatisw 1
ermidades venreas Kerrariai
antigs, morpbea e iw n asi : -
renientes ^'.i .-.id. .:. i 1 t. ..
Ernquanto existem varita '
falsi/icacoos, preciso a n,ai 1 1 .;t'<:. -i.
evitar os enpaaos,
A legitima salsa de Brislol win'e. 1
CAORS A BAHB- ZA
JOAO DA G. BRA Vi V ( .
J-5o da C. Bravo & C
Vcndem-se no Reiiieaa rasa -i.
Br.i I oza e Jolio "a C. Bravo & C.
FIGADOoe BAGALri.Arj
P *o |iiiu-ess'i d r. rrrirr. ^kara 1
Pars, rra do i'snhMrf iHtai rl
Este oteo de nm dkni ../-''
mu i&boronucareio o ni
h:; 1 o 'oslo, vem o <.-'. -

I
DOCES de todas as qualidades: brasileros,
porluguezes, nglezes, franeezes, tc. etc.
K
ERVILIIAS seocas a 120 rs. a libra.
ERVADOCB a 400 rs. a libra.
FARINHA S8S de 8 libras para cima a 120
rs. a libra,
dem de araruta a 320, 400. 500 e 8">0 ti,
Fkos de comadre a 160 rs. a libra.
Funjo verde em latas a 600 rs.
Fava; era litas a 600 rs.
Ft'wo do.Rio a 500 rs. a libra,
dem aawr.'cano em latas a 25-
Faueixo ha sempre em deposito de iOO a
800 sarcos, de todas as qualidades, de to-
dos o* tamaitos e de todo> os precos.
t
GOMMA a 50 rg, a libra.
Id^-rn a I Or. a libra, muito alva.
GnAo )e bico a 120 rs, a libra, e era porgo
se faz uTande abatimenio.
G&QSBk q Jaranja ^er'j'-'.'eira a lOOO o
frasco.
v
VINHOS
AI VAL
Kii lo ueitiiado us. 49 e a.
Cor.ilnua a veader- todas as rniudezas que abaixo
declara por prncos admiraveis.
Marios de palitos lixaos para (leales a 100 fs
E.^.'lios de niolturas.douradas a 390, 240 e "ii( r<
tiuntts de oliado para meninos a ^UOO.
Dilos de couro fuperior fazenda a 1^300
Frasees com superior tima rocha a 260 rs.
Meadas da liona fuxa para bordado m 6 o.60
Buhado do l'orlo, (azenda boa, vara a 80 10
1401^. '
Varas de franja branra estreila a 40 rs.
Caixas m 1U0 enve!opes,azenda fiaa'a.-GOO rs.
Groo* de pennas dn*en, fazyjda superior a 500 r=
Duzas de /neias cruas encardadas para fcoinem a'
>0O.
Grozas de LolOes
e 640 r.
matreiiois.'a linos a 300
!!!
Principe Aiberto, de 1831, a 5JOOO a gar-
rafa ; da vida aos reines.
Velbo secco a 2)5 a garrafa.
Lagrimas do Douro a i$oOQ a garrafa.
Dti(|ue do Porto verdadeiro a 25 a garrafa
Duque a 15 e 15500.
Cbarnisso a 15, 5200 e 15500 a garrafa.
0. Luiz a 15 a garrafa.
Moscatel verdadeiro de Setubal a 25 a gar-
rafa.
Carcavelos a i 5.
Colares a 900 rs. a garrafa ; o nico si-
nbo que se pode beber por naotereom-
posigao alguma.
Lanterne a 800 rs. a garrafa.
Bordeanx Medoc a 800 rs. a garrafa,
dem 6. Jnlien a 600, 800 e 15 agirrafa.
Absyniho a 5 a garrafa.
Ktrscb a 25 a garrafa.
Wermouib a 25, e a caixa a 185.
Biller Maurer a 15 agarrafa,
Grave a 800 rs. a garrafa; vende-se por este
preco por baver sempre em deposito 30
duzias.
De Cj, de 1852, a 15200 a garrafa.
Velho do Porto, em ancoretas de 9 caadas,
CaonnS C00: nove"os de -lia,a do gaz a 700 e
Caixas corii uperiores obreias de ola a 40 e 80 r?.
Ppcas de Iha Aranea elastira coni varas a 280 rs!
Varas de franja de 15a para eofeii.es de vesiidos a
4o rs. ;
dar I hos doura^-js superiores qualidades a 400 rs
iMoveltos de liuhft com 400 jardas a 80.
Uros para assealos de roupa lavada a JOOrs.
Pares de boioes para punlio, fzenda riua 120 rs.
Tefouras para eo^uras superiores rjuajidades a
*'J0 e l|J.
Ca^vJle 'onnas ^ "'grapliia, fazenda Jioa a
Massos com superiores jrrampos a 30 rs.
Pares d sapatos de tranca e lapete a I
"*ISLS? ;ia| alcs de ,r;,ila I ara meninos a t
Ifji^O.
Caixas coai superiores agitas a 240 rs.
Libras Oe la sirlidasde boiiilas eres a 7J00O.
Caixas com superiores obreias de massa a 40 rs.
tlodinhas rom alflnetes francees moilo superiores
a 20 rs.
Resmas de papel almaeo a 2400 e 2800 rs.
He-mas de papel de peso, fino a 2fjfl)0.
Escovas para roupa, fazenda boa a 720 e i.
Dozias de tescuras rom loque de ferrugem a
Durias de facas e garfos de rabo preto a 3#0,
Talliert-s muilo uo para crianzas a-240 re.
Vinho do l'orlo especial.
O mais generoso e genuio.i vinho do Purlo, mar.
ras novas e especiaos em caixinhas de 12 garra-
fas, sen o marea Rainha de Portugal a 18f a cai-
xa e Pedro V a 165, em porcao far-se-ha ura aba-
le razoavel : no armazem de Ferrera A Malheu
na ra da Cadeia do Rerife n. 66.
gaceas de farfnha a *&**0
I
je 10 de numero- s ie atnos
mediens, este me. kamean q
Fi ai fa de um sm ti >>" to p'
mi rec do, i-' ludo Um 1 u
fl WCiyatt mtilicos tlo$ hnspili. 1
O 01 ko de riOAro i>. 1 .
do rEjtarGiNoso emprefiHW c at '
successesas tummXm a mii .-
o oleo qaando sao arompaabj
tladp e ol/mia.
Deposito gara] n Penamti
Crnz n.22 em casa de Cares rr i-
'
Salsa parrilha de :
PARA A CUBA DA
ESC KO. '


c or!as ra ir-"
ranmlfisM
nNRfa
to*$ ai nifioff* ,
tfcfr Has, ti mmrt 11
som,
wsriisa, en.
REUMATISMO

Aseste doce refnadoem pequeas latas a.560jB. a garrafa : no grande armazem
da Liga.
Saceos de :80.100* 120 libras a 45,4ul e 55.; no grande armazem da Liga.
ti
IJEll
S I 1 / rr.
em todas as.-.. rraus, ansia re
o mal que provm do uso eiresva
MERCURIO
l'lcci.ivo do QgS'lo
erem siimma todos os malea qae
e igcm na
IMPUREZA 00 SAM.LC
E um alterante poderoao pmra a
RENOVACAO DO SAKC1 E
e para dar ora farra c i
enfraqoetiido ; i-a.
Vende-se na ra DireiU ns. i
Hospicio n. 40.
Vende-se em Pernambuco:
a pliarmaela fraaceza Je
P.MWREII C.
.HA NOVA N. IS.
Madapolao muito fino com pequea toque de avuria, pir preco que jJinira : na
das columnas na ra do Crespo &. 13, de Amonio forrea il VuenaetMot & C.
's/t
hn-lo '!e L! I. ..-i ,11; it |...,
eom perinr farioha r! raid
queem ontrs.iu.v ;aer ,'- 1 1 -;
n. 1/. priiueiro simar.
Grande irtimento de roupas feias de to-
das asqualidades,
Calcas defasemira a fi e 7500, ditas prelas a
65 e. 84,eal?a de ganga a 2 I800 e 1,5600,
ditas brancas a 25, hrim de linho 35, 35600 e
45. paletols do alpara branca a 45500, dilos pretos
a 35 e 35.00, dilos de alpaca de cordao a 45. e
de listra de seda a 45500, dilos sobrecasacos a I5,
paletots de cawmira a 55, 55500, 65. 85 e 95,___________________________________
ditos sobrecaros !? a l?5, 13 e 165, ditos fl-1 U\... ,i(.jcnA n
nos a 255, de cores a i35. ditos fraques a 45 TI'iltOI.SU) ,.JO?e ufjriTlinO
- Vende-se nm negrota de 10 .
e>|-orla t; -ada ; no p|o j-, mtTi
ionio n. 8.
VeiKl,-.,. ilt.^!a .le r :;, "
nna o diarii de ui>a -.1-1
preco barato
1
e lava .
a ra I) reila n. 17.
v
145
paleloU de ganga a 35. 25500 e 25, dfos de bnm
RUI *'OVA V

'a
ti,
lii'D ;
BlHmo e mas
.iBfiSSfcisSi^^
o covadii; e oulras mudas mais fazendas que se
deixa de aunnnciar, e maada.se levar pelos caixei-
ros da toja da arara casa dos nretendentes. O
e tahelecimenlo e?l aberio al as 9 horas da nolle, ,
ra da liriperalriz n. 56. alendes Gulmares. #oias precieSS
de
Chegram os superiores
cortes da seda
Superiores orles de seda de cor, vindos pelo
ultimo vapor frneez : na loja das rolnmnas a roa
do Crespo n. 13, de Antonio uorrel de Vascoo-
cellos* C.
- Farinha de mandioca fina e alva,
a 38500o ; vinho que, estando engarra- -??fu,d* f,!.ri?h5 d.a ,erra,.e *0*w"aAo ,,l d i""em noalinw parte, ua No", vende-.se a 1*280 e 15300 a ^.|ftfTS/l/X*,BFr^r D'20 {m'^VT^m VPr e lra:,r' Bft "
mais tara-
trra il.i-
c objeto,
OIII'O.
redi <1, Pv'acos, i:lt;p amerle
Mauricio Stlfce
clisados a e.-ia provTnria, i'ffererem'a(> reVpr'itivel
publico um grande soitiinento de j.-Jas, brhante*
reimos e muitos i bie< (ns de r-uroi por pr#et) o
njais raioavel possivel, f mesmo troca f watpn
objrclos de ouro, prata e diamanre* por bj^rt;
rovos: na roa do Qtu ir, ado n. 80, eclrada nelo
larpo de Pedro II n. 27, de mafrliaa vi- as 9 horas,
e a tarde das 4 hora,- rm diante. Os objectos ven-
dido* pelos aDnanciantes.s5o garantidos por e le =
,p eslaopremptoe.para levar ohjfctos s casas da
Lia do Vi-1 peisoas que de/ejanm comprar, urna vei que dio
pof?m ir I cu ?Slabelec|meBio.
Vender
nas rasas ternas rn-lrMa rt qualidade, enilo as frentes de j.i'o
na roa do Comm.tnio do povoado djs 'it*
tratar na ra da Traia p. 3.
T.'isso nitS
Vindcm a seu anua/tiu j.
Ame ii u. 3.
Uci r flno Cor; r o em i.. ;;a* meias b
LlCOI CS U00S5UI dtl .11 s..;..;.... -fc
vidro e em lindo* ras- -.
Vinhos- <;he;r\
Sanlerres.
Cliairjlwrlin.
Iti-rn.it.ige.
Burgoiil e.
Champagne.
Muscatel.
Reino.
Bordeaus.
Cognac.
Od Too.
Azeite Plagniol.
Pennas de en a.
Cera amarella-
Relies de cabr
Cya de carnauba.
Velas lo Aracaty.
Vendera-se na roa d addu a. :7, af-
mazem de Prente Viama d O.
m


\
Dtarfe 11
GNEROS BARATOS A DIXHEIRO
NOS
PGRWES AK1NZOS DE MOLII DOS
ffl DE
DUART
AURORA BRILHAKTE
v GOMMA NOVA.
Em paneiros muito al va a 4,ooors. a arroba e IGo rs. libra e compran-
do de un paneiro para cima se far abatiineuto na ra do Imperador n. 40.
-3 -3
Pateo do Carino n. 9 armazem Progresivo ra l ni o e Gommercio roa do Imperador o. 40, 11
Principal armazem de moldados. o3
OS MEtOPRIETAHIOS.
Fazera scientc ao respeitavel publico, c com especialidade aos senhores de en-
geohos, Iivradores e maispessoas do csnlro, que para mais facilitar suas compras deli-
beraran! os propietarios dos tres grandes armazens, reunir todo; os seus estabeleci-
meotos em um s annuncio, pelo qual o prego de um ser do lodos, promette-
in.is ju3 nlo infringiremos a tabella que abaixo vai publicado, annunciar osgeeros
por un prego, e na occasiao da compra quererem por outro, orno socjde consta nte-
mente en ouiras muitas casas, porm nos nossos estabelecimenlos nao se dar islo
linda raesiao com prejuizo nosso, qualquer passoa pilera nvindar seus fmulos que
serio tam em servidos como viessem pessoalmente fazend>-nos o favor d$ mandar seus
pedidos em cartas feixadas; para evitar qualquer engaos, rematndonos urna conta
pela qual se ver os presos tal qual aununoianms, o que seno arrepender pessoa
agunij que fizer s.ta despenca em nossos estabelecimenlos; pois poupar mais de
5 pur cento na sua despeza diaria.
Manteiga ibgleza perfeitarnente flor chegada dem com i a 3 ditas a 3.5200.
ltimamente no vapor Saladim, de 15 dem vasios de todos os lmannos a 25009,
a 1.230 a libra e em barril lera abat- 15500,800 e 610 rs.
ment. Queijos d 2.5300 a 25500 os mais frescos.
dem franceza muito nova a 900 a libra, e Vinagre puro de Lisboa a 280 a garrafa e
8JO em barr. 25000 a caada.
Banha de porco refinada a 720 a libra e 700 dem mais baixo a 209 rs. a garrafa e 15400
em barr. a caada.
i",:.'! ux!m de superior qualidade a 25000. Azeite doce de Lisboa muito n} a 609 rs.;
I le n perula miudinlio a 25700
a garrafa e i 5090 a caada,
dem tiysson especial qualidade de 25i00 a Toucinho de Lisboa novo c muito alto a 320
5 100 a libra.
1 ib o relo muo especial a 2;>JO0 e 25*00
i libra.
dem da IVio em latas de 45000 e a 800 a
libra.
La 5 coa biscouto de todas as quadades
a MiOO.
IJjm da creditada fabrica de Biato Antonio
(Lisboa) proprias para da; a doentes a
.:-') e 35 a lata.
Bolaxin a ingle muito nova a 35500 a bar-
: ica e a 240 rs. a libra.
Lal s com iiohxinha de oda e oval a 25.
P mo inglez para Qambre ebegado no
ao vapor a 8-0 rs. a libra,
ricos e paios muito novos a OiO rs.
. ira.
i! is mii macarrio tdharim muito novo a
. > O e 320 a libra
branca e amarella a 500 a libra.
Liiocol i.' | trtagaez de especial qualidade a
I Oa ibra.
td ra r.sso de 8X)a 15000 a libra.
I isiaobol verdadeiro a 19Q')Q a libra
vendamos a I #400.
i-i de goiaba em caixes de 6 li-
seguro a I >S00.
i :aixoei pequeos a 700rs..ede
ira cima a P40.
em b celas ricamente enf Hadas,
ido pera, pesago, ameixa, rainba.
liras f ul is a 35000 cada urna.
in calda em latas feixadas hermeliea-
m.mle mui'o bem enfeitadas, contendo,
esego, ameixas e oulras frutas a
640 e 700 a lata, timbem temos latas
les a 15200.
: ida dos melhores fabricantes, em la-
. 25000 a 15200.
Ilem em latas de I I[ilibra a 15.
i ai 0 atas >!o I libra a 640 rs.
Ervi h em latas chegadas nesle ultimo va-
l ra 700 e de 51 para cima a040 rs.
Foij'i verde ou carrapalo em latas j pre-
parado a 640 rs.
Ara ixa i ni frascos de vidro a 15500.
I. .. aixinbas ricamente enfeitadas de
1521 3 a 20500.
)ii srvas Mexido muito novas a 700 rs. o

i i .i Je ceblas simples a 700 rs.
Mol ib inglez a 04"> rs. o frasco com io!ba
d : vi lro.
Mo irda em p a 700 rs. o frasco.
I i i'in j iceparada a 320 rs.
Lal ; c im massa de tomate de I libra a
600 rs.
dem em latas de 1 1|2 libra a 900 rs.
v*i i. isem garrafas vindos do Porto, Madei-
ra Socca, Duque do Porto, Duque Semi-
no, Cascaradas, Mara Pa, D. Luiz, Pe-
dro V, Velho Secco, Lagrimas Doces, La-
grimas do Douro, e oulras muitas marcas
a 15 a garrafa e 95 a 125 a duzia.
a 15 a garrafa e 11.5000 a
a libra, e e:n iurril de 5 arrobas a 95400
arroba.
Cerveja 3a>s do fa incaute Sblers & Bell a
6550) a duzia e 640 a garrafa,
dem Bass do fabricante T. F. Ashe a 65000
a du/.ia e 360 a garrafa.
Mera marca II Villora Alsope e oulras
muitas marcas a 55 a duzia e 500 rs. a
garrata.
Sabao primeira qualidade a 220 rs. a libra
lade a 200 rs. a libra e
a 180 rs. a libra e
dem Palmella
luzia.
dem em pipi de todas as marcas Porto,
Figueira e Lisboa a 400 e 500 rs. a gar-
ca e 2)300 a 35500 a caada.
Id ... e n ancorlas e 8 a 9 caadas com su-
perior vinlio Lisboa e Figueira a 2i5a
ancoreta.
dem branco especial qualidade proprio para
ai: -a a 560 rs a garrafa e 45 a caada.
dem mais baixo a 400 rs a garrafa e 35500
a cauada.
dem do Porto especial qirlidade a 800 rs.
a garrafa e 55506 a caada.
Ul .i -rdeaux em caixas a 75 e 700 rs. a
garrafa.
Champanhaa melbor do mercado vinda'de
nossa encommenda a 305 ogigo.
, lem mais baixa de 185 a 205 e 15500 e
. a gal rafa.
ires portuguezes e francezes a 15000 e
15500 a garrafa.
Marrasquino de Zara, verdadeiro a 15500 a
garrafa.
dem mais abaixo a 800 rs. a garrafa.
(lenebra de laranja ver a Jeira a 115 a du-
zia e 15 o frasco.
dem de llollanda verdadeira a 65 a fras-
,i ira e 640 o frasco.
I lem de Hamburo0 a 55500 a frasqueira.
I Jem em boligas de Holanda a 400 e 440
rs. o frasco.
Garrames com genebra de llollanda com 24
garrafas a 85, com garnifo.
Idea) corn 14 a 15 garrafas a 65.
i 523**
e 21 ; em caixi.
dem segunda qual
180 rs em caixal
Sabo inglez superior
16" rs. em caixal.
Caf primeira c segunda sorte a 65500,
75500 e 85 a arroba, e de 220 a 280 rs.
a libra.
Arroz do Maraa) 35203 a arroba e 100
rs. a libra.
dem dA India a 25600, 2.5800 e 100 rs. a
libra.
Charutos Normas de llavana a 55500 a cai-
xa, de Simas (Jos Furlado).
dem Londrinos a 55, idem.
dem Parisienses a fc56Q,
I lem Delicias a 15500.
dem Traviata il i Bio a 55500.
I lem varetas de Manoel Peixoto da Silva
Nettoa 33500 e 15^00 a meia caixa.
dem suspiros do mesmo fabricante a 15300
a meia caixa e 5>200 a caixa.
dem mece.-ipes a 40700 a meia caixa e
35000 a caix do mesmo fabricante,
dem orientaos do mesmo a 15800 a meia
caixa e 35400 a caixa.
dem jovens de Castanlio & Filho a 25400
a caixa.
dem suspiros do mesmo a 15-0) a meia
caixa, c oirtras m litas marcas de fabrican-
tes.
Passas muito navas a 15503 o quirto e 53
a caixa de urna arroba hespmhola e 320
a libra.
Vermute bebida para abrir a disposico de
comer 13500 a garrafa e U5003 a
caixa.
Alpisla muito novo a 35809 arroba e 140
a libra.
Pataco a 45003 arroba e 140 a libra.
Peixe em latas j preparado a 15200 j lata
' e em porcSo 15000.
Sardinhas de Nantes a 400 a lata.
Tijollo para limpar "acis a 100 rs. .
Esparmacete a 600 a libra c em caixa a
580.
Vellas de carnauba a 145600 arroba e 440
a libra.
Azeitonas de Lisboa muito novas em anco-
retas grandes a 15800 e a 400 rs. a gar-
rafa.
Balaios do Porto muito grandes proprios
para guardar roupa suja a 25500, 35000
e 45003 '
Btalas em gigos de 31 libras muito novas a
800, ea40rs. a libra.
Gomma em paneiros a 45000 arroba e 140
a libra.
Farinda do Maranho muito alva e nova a
240 a libra.
S'.vadinba de Franca para sopa a 200 a li-
bra.
3evada muito nova a 143 a libra e 45000
arroba.
Caixas com estrelinha, rodinha e pevide a
400 a libra.
Albos em canastras muito novos e mauncas.
grandes a 180 e 200 rs cada urna.
Canella muito nova a 15000.
Cravo muito novo a WO.
Cominho idem a 320.
Ervadoce i lem a 400.
Alfazema flor a 240.
Amendoas a 400 a libra.
Nozes muito novos a IGO a libra.
Papel greve a 45200 a resma,
dem lizo a 45000.
dem de pezo a 35000.
Idem de embrulho marca grande a 15200 e
15300.
dem azul para botica a 25000.
Copos lapidados a 55500 e 500 cada um.
Palitos de dentes, macos grandes a 120 e
160 cada um.
Fumo americano de cbapa, de superior
qualidade a 15500 a libra, em porc3o ter
abat ltenlo.
GflWES
ZENS
ipnransira^aii!-
Saccas grandes com 100 libras de farello superior a 45000 a sacca.
KMJMga
R>/3*
lLHADOSI
| mmm
Largo da Santa
^Cruz n. 84, es-'_
juina da ra dojg
Sebo.

m^mm*^^
^jS*
Cvy5
w_<^
ANTIGA CASA
DE
5
GILHEBME DA SILVA GULMARES.
Largo da Santa;!* y p
Cruz n. 84, es-^ry
juina da ra doV^^i
~ -I
i 11.1 lili WM-^WWM
rora BrHhaniI!r,>iI,?lari0 doj m'"''o acreditado armazem de molbados denominado Au- W
i,;,1, ,?a *,ter n,esmo sortimento de gneros de primeira qualidade. -,
Wn'hnm i Iat,ella "irvira a todo* de base para ajuste de coalas aos portadores/ 9E
oelo -ran,??azCm vendera' mais barato e melhores do que a Aurora Brilliante, ja' VP
i";.?:.6 ')r"men, 1ue em, ja' mesmo porque su dono s deseja tirar diminuto lu- f
ligue para aceumular as despezas do estabelecimento por isso deixe se a- fjj
prsprietario lia de azer toda a diligencia, afim de servir bem os seus cons- v1"
Vinbo terde superior.
NOV1DADE
5
j proveitar,
lantes frefruezs.
F?7m 'braS dechoarCas muito novas,
Dtsirf*js om peixe em postas inteiras,
l;i ] a l*m' l280e
lD,gfL?rrasSv:xce,,eniepe,iscoParafri-
;musSS:anReasopadas,a720rs-
.Ditas com ameixas a tO,
? unas com irwrmelada do afamado fabricante
ADreu, a 70 rs.
{Ditascom massa de tomate, a 300 rs
' 23e?55ooSlleCOU,a,Jre' novos> a300.
|D30C00m b0lacIlinha de soda rauit novas, a
D.tascombi\scoinnhos inglezes de muitas cua-
lidades, a 13400.
. Chocolate.
Gaixinhas com ameixas enfeitadas proprias
,r. Dara mimo a 13200,2}80a e 3j200.
f sB foo.arior muit0 D0V0' a libra de
A caada a 30000 e a garrafa a 400 rs.
Gomma.
Saccas de 4 arrobas, a verdadeira de se
engommar, a arroba a 3^000 e a libra
120 rs.
Sabao massa, a libra a 200, 240 e 280 rs.
Farinha. -r-
15800 e 3*300. Saccasgrandes com farinha de Goianna mui- K
to nova, a 35000. V_T
Caf.
Caf do Rio muito superior, a arrobas 85,
85300 e 95000.
Cha.
Ch.temos nestes gneros o melhor possivel,
hyson, a libra a 25600.
Dito parola a 35000.
Dito uxim a 25700.
Dito hyson muito finla 25^00.
Dito redondo a 25300.
Dito preto de primeira qualidade a 25300.
Dito mais baixo a 25000 e 15600.
Una mate.
Excellente cha medicinal, a libra a 240 rs.
Espermacete
a arroba a
Macarr5o,ialharam ealetria amarella, a libra
a k\)\) rs.
Dito dito dita branca, a libra a 400 rs.
taixas com estrellotia. pevide, e outras mas-
sas, a caixa 34300.
Ditas dita em libras a G40 rs.
sag, a libra a 3C0 rs.
Sevadinha para spa a libra, a 240 rs.
Emilias seccas, a libra a IfiO rs.
!Ditas descascadas, a libra a 200 rs.
Tapioca mailo nova, a libra a 280 rs.
~>lia dt "aruta verdadeira, a libra a
oOO rs.
Arroz do Jlaranhao, em sacco,
25100 e a libra a 80 rs.'
Dito da India e Java, a arroba a 35200 e a li- Cartas finas para logar, a duzia a 1
bra a 100 rs. Castanhas.
Toucinho de Lisboa a 9J500 a arroba e a 320 Castanhas novas vindas neste vapor
Dltodl Sanios, a arroba 75000 e a libra ai ba iJ0O 6 a '*" & 2 "
2G0 rs.
Molhos com 123 ceblas grandes, a 1^280.
Mostarda franceza, caixa com 2" duzias a
7;000.
Frascos com mostarda preparada em vinagre,
a 400 rs.
Ditos com conservas inglezas e francezas, a
640e800rs.
Ditos com sal refinado fino, a 640 e a 300 rs.;
O raao cora 6 vellas de espermacete a 600,
640 e 720 rs. Sj
Passas.
Caixas de 16 e 8 libras de passas novas pro-
prias para mimos a 45 e 25300.
Nozes.
Nozes, a libra 160 rs. e arroba a 45000. vtt>
Alpisla e painro.
i Alpista e painro, a arroba 45000 e a libra a
160 rs.
Cartas.
5300.

si

arro-
Azeitonas.
Barriscom azeitonas novas a 1S300
Manteiga.
Manteiga superior, a libra a 15280.
Dita mais abmxo a 15200.
Dita menos superior a 15.
Dita franceza nova, a libra a 880
Dita dita em barris e meios ditos, a libra a
830 rs.

I Ditos cora a verdadeira genebra de laranja, a! Dita para tempero a 400 r?.
Queijos.
jrralas de llollanda verdadeira,a
dita propria para negocio, a
15000.
Ditos de 2
640 rs.
1 Botijas cora
3 400 rs.
JGarrafoes com 2 galoes com dita, a 60.
jServnja boa, marca, a 300 rs. a garrafa, e al
O duzia a 65OOO.
'Vinho muscatedeSetubal, a garrafa a 15-
i Marrasquinho verdadeiro, frascos a 80C rs. e
S a 15200.
jChampagne, a duzia 205000, e a garrafa a
j 25000.
h Azeite refinado portuguez e francez, a garrafa
9 a 15000.
.Caixa de vinlio Bordeaux muito superior, a
3 75, 85, 93 e 105 a caixa.
5 Ditas com dito branco, a 75 a caixa.
Ditas com dito lagrimas do Douro verdadeiro,
b a 205.
3 Ditas com duque do Porto verdadeiro.'a
. 183000.
Ditas com chamlsso superior, a 145-
Ditas com Porto velho e outras muitas mar-
cas, a 123.
Vinho do Porto da pipa, a garrafa a 640, 720
i e 800 rs.
Dito de Lisboa muito bom, a caada a 35200,
i 35300 e 45, e a garrafa a 300 ^360 rs.
Dito da Figueira, das seguinles marcas (S.)
(i. A.. A.) (J. L. G.) (O. M.) a caada a
\ 45300, e a garrafa a 360 e 640 rs., deste
r que j est engarrafado e lacrado com o
' rotulo do armazem.
Ditos de marcas mais desconhecidas, a cana-
) da a 35300 e 45000, e a garrafa a 480 e
520 rs.
? Vinbo branco fino, agarrafa a 640 rs.
Dito de caj muito superior, a garrafa a
- 800 rs.
--/"
^
Queijos novos vindos neste vapor a 25800 en
33000.
Ditos londrinos muito novos, a libra a
15000.
Papel.
Papel al maco pautado, a resma a 45800.
Dito dito lizo de linho, a resma a 45300.
Dito de peso lizo e pautado, a resma a
25300. mann ,
Dito de embrulho, bom a 15 e 15200.
Vinho ladeira.
Garrafas com o verdadeiro vinho Xerez e Ma- (
deira a 15300 e 25000.
Temperos.
Folhas de Iouro, pimenta do reino, cominho
o cravo, a libra a 400 rs. ti?
Velas de carnauba. <$8
Massos cora 6 velas de carnauba refinada
480 rs.
Aoiendoas.
Amendoas com casca, a libra a 320 rs.
Doce. v
#@
\
ras
ffit*
CriC:S_ d.la!pak'5 escoceza. cores brilhantes com listas de seda de .luas |. rgii-
V'.'stido de pura
pelo diminulissimo preco de 9jl com 13 covados, que vera a sabir a GOOr-.
CORTES DE TARLATANA
riOSUla fr0C e seda froxa com florcs' de cambraia em releuo.
poantasia para casamento, partidas, etc., etc.
Vest mentas para creancas
objectos de gosto com primorosos desenhos de trancinbas sobre fustao.
CORTES DE SEDA A 30000.
tissimo prego.
Bonitos cortes de follard de seda com lindas barr
Capas.
Loulambarques.
Manteletes.
Chapelinas.
Chapos.
J
Paletos.
Caigas.
Golletes.
Camisas,
Ceroulas.
s matisadas por este diniou-
Linhos
"AlgodOes.
Laas,
S'das.
Selins.
AOS SENHOES DE ENGENHO
Excellentes cobertores de algedo oscuros pelo barato prego de,
-
EiS.
A'godis americanos.
Cobertores brancos de algodao.
Chitas escuras a 240 rs.
Algodio de Minas.
CHALES HE FIL DE SEDA
campo azul, magenta e roxo com barras prona e brancas.
Fazenda de infinito gosto.
DE y
Gregorio Paes do Amaral & Compaiibia.
T

de
i\4SEPTENT GBANPS.i22A^0
pam
rabalhar mao
dcscaro^ar algodo
FABRICADAS
Por Plant Brothers & C.
0LDA1
15400
n
Caixoes de doce de goiaba, grandes a
e pequeos a 640 rs.
Tijolos de limpar.
Tijoios de arear facas a 140 rs.
Graia.
Duzas de boioes detraa n. 97 a 25000, e gj
de latas a 15000. e os boiocs a 240 rs. ca-
da um, e as laias a 100 rs.
Charutos finos.
Charutos finos dos melhores fabricantes da j
Bahia por diversos precos, caixas e meias^j
caixas.
E graade quantidade de gneros tendentes
estes estabelecimentos, que deixam de an-
nunciar-se.
N. 11Ba do QueimadoN. 11
LOJA DE FAZENDAS DE
Augusto Frederico dos Santos Porto.
Chegou a este estabelecimento um grande sortimento de cortinados bordados para
camas fazenda de amito gosto.
(.hales de guip muilo finos para 225, 2o e 30*.
Golxasde seda superiores de diversas cores para camss de noivas.
Golxas de la e seda para cama tambera de bonitas cores.
Rotondas de guip enditados com o melhor gosto.
Setim de Paria bella fazenda e de5 bonitas cores para vestido a 700 rs. o covado.
Moureantlque branco e preto, grosdenaple preto e de c6res, pannos pretos de todas
as qualidades, ditos azues. ,,, .
Casemira preta e de cores, merino preto, silistnna, borabaainas, alpacas pretas, e
laa preta para latos.
Matas, saceos e boleas de tapete, verniz e eouro Brins de linho de cores finos a 158OO a vara. ^ -. -.- ,
Chapeos e chapelinas de paiha de Italia para rahora, manguitos bordados chapeos
de seda para hornero, chapeos de sol de seda, esgu.ao de linho, ca nhas, silesias e muitas oulras fazendas que se veadem por coraawJo, prego* uiai como
Esteiras da India para forrar salas
estragar o fie.
J sendo bastante
duaspessoas para
o I rabal ho; pode
descarogar um>
arroba de alge-
do em earocc
em 40 miriuto'i.
ou 18 arroba.'
por dia ou o ar-
robas de al(;od'
limpo.
Assim como machinas para serem movidas po:
animaes, que descarogam 18 arrobas de al|;oda'
limpo, por dia; e motores para mover urna, luas,
entras dessas machinas.
Os raesmos lem para vender um bellissimo va-
por que pode fazer mover seis destas machina.*
mencionadas ; para o que convida-se aos Srs.
agricultores a virem ver e examina-Io, no ?rma-
zem de algodo, no largo da ponte nova n.47.
Saunders Brothers & C.
X. II, pra-pa do Corpo sanio
RECIFE.
Os nicos agentes neste paiz.
Attengo.
Vendem-se pegas de esteiras para forro de sala,
tinta branca preparada a oleo, em latas de 25 li-
bras, para pintar casa, relogios para cima de me-
sa e para pendurar, arreios para I e "2 cavallos,
velas de spermacete, tudo de superior qualidade,
vindo dos Estados Unidos : no armazem da ra do
Trapiche n. 8.
A IJIXIIE1RO.
I Ka toja c armazem de Guia raes !r-
iiio, ra da Imper Iriz n. 72.
Os docos deste estabelecimento esto re-
solvidos a liquidar suas fazendas por prero
, baratissimo, s com o fim de adqnirireu. Crc-
guezia ; e previnem s pessoas, que rwgo-
ciam com fazendas, que nesla lija e aima;em
podemdescaroga, iencontraro sempre um grande sortimento
5^ aualquer esoeci .p0r menos 20 por cento do que em outra
qualquer parte, tanto em pecas, como a re-
talbo.
Estas mach'na;
Goke do gaz.
pitch do gaz.
Alcatro do gaz.
tonelladas rs. .
I0000
80,5000
400
j jyr oSo C8cr ww \2cSr 8B" v.
Em casa de Tisset Freres ra do Trapiche n.
9, lem para vender:
Vinho B rdeaux em barricas e em caixas.
Dito de Santerne fino.
Dito di Champagne muito superior.
Cerveja franceza marca Bobee.
TaSso I roa ios
vendem gesso em p para estuque de casas, tijolos
finos de feitto diversos para ladrilho, azuleijos de
diversos gostos, tijolos vldrados para parede do co-
rintia, canos de barro para esgoto, cemento era
barris de 10 arrobas,
Coke
Pitch ..
Aloatriio caada. .
O coke reconhecidamente o carvo mais econ-
mico, torna-se por isso recoramendavel, bem co-
mo pelo asseio que se nota as cozinhas aonde
alie usado. Pitch e alcatro,alm das applicagdes
diversas a que se prestam, como para callaletar
embarcagoes.ali-atroar madeiras,etc.,teem este a
propriedade de nreservar do cuplm, formigas.etc.
E' entregar na fahrica dogaz ou mandado por em
qaalquer ponto da cidade, segundo a voatade do
comprador.
InstrucQoes para o servido
das guardas do exercito, extrahidas do re-
gulamento de infantaria e accommodadas ao
exercito brasileiro; obra que muito convm
aquellas pessoas que se alistam nos coi pos
de voluntarios; vende-se na livraria n. 6 e
8 da praca da Ind pendencia, a 1#.
Superior vinbo do Porto."
Na ra do Vigario n. li, escriptorio de Douio-
gos Alves Matheus, tero para vender muito mido-
rior vinho do Porto em calas de urna duzia, e an-
coretas de 10 em pipa por prego mdico.
Vejam
Chitas, a 210 rs. e ronde.
Vendem-se chitas preclaras francezas coa
assento branco, escuro, cr de canna e par-
da, pelo barato preco de lO rs. o covado,
afiancando-se que esta fazenda nuesl po-
dre, e nem tem o menor defeilo: isto ti na
loja e armazem de Guimares 4 Irmo.
n. 72.
Cambraia branca, graifr .rBfiie.
Chegou a este estab. lecimento um gran-
de sortimento de cambraias brancas de to-
das as qualidadts pelos precos reduzklos de
35000, 3:>oOO, 4,5. 4,5500, e muilo fina a
65, vende-se por este prero por ler grande
porcao ; cambraia organdy de20 e :OOrs.
o covado; dita fianceza, a mais fina que
tem vindo a este mercado e dos mais ele-
gantes padroes, a 400 rs. o cavado, bara-
tissimo ; chai v do seda de apurad > gosto a
900 rs. o covado : isto s se vend na loja
e armazem de Guimares <\ Irmo, n. 72.
Para a fesla de S. Jo .'!.' bailes e aas-m*.
1 begaram a este eslabeler ment pelo
ultimo vapor francez. ricos cortes de finsi-
ma cambraia com lindissimo chuvi>. n! 1,
que faz um efleilo magnifico, e Trinle-se
pelo baratissimo prefo de 55 o corte, fazen-
da que val 105 em outra qualquer parle ;
cortes de laa com barra a 95 e 12 : isto s
na loja e armazem de Guimares & Irmo
n. 72.
Para acabar per lede trece f?!
Bretanha de rolo com 10 varas a 35 a pe-
ca ; madapolao infest do com 10 Taras a
35O(>, 36500 e 45 a peca; ricos bordados
em fina cambraia a 800 rs.; soutembarqoe
magnficamente enfeitado a 55 e (35; lan-
zioha a 300 e 400 rs. o corad; damasco
de 2 larguras a 15280 o corado; chales de
merino estampados a 25; corles de 1
mira a 25500 e 35; baies
tanto para senhoras, como para
35, ten lo 30 arcos.
Itoupa feila de ladas as anltaaci t
Que se vende mais barato 25 por cento do
que em outra qualquer parle: bto s pera
liquidaco: na loja e armazem de faTinra
de Guimares A Irmo.
tyRUA DA IMPERATRB, N. 7a\a
Morena de \ossa Semhi
C'ariaio e de Saal \i
Vende-se na roa do Imperador n. 15,
de encadersacao : o offlcio, alva e versos, sme-
na e salve de Xossa Senbora do Carao, tres fs
I he tos por 500 rs., e a novena de San'Ai
350 rs.
r\
.
ni i.
...-a


Htoi
un
**
Diario de Peraamlmco Segunda felra iO <*e ulbo t!e 18G&.
.
Gnmde liquidacilo a dinheiro.
Ka leja e armazem do Pavao.
Ra da Emperatriz n. O de Ca-
na l Silva.
Os donas deste estabeleciracnto lem resolvido li-
quidar suas fazendas por precos baratissimos, s
com o Ora de apurar dinheiro, e previoem as pes-
soas que negociara era pequeDa escala coro fazen-
das, f|ue nesta toja e armazera encontraro um
grande sorlimenlo por precos que muito Ihes nao
de agradar, Unt era pera" como a retalho, a sa-
ber :
Cbtas largas a 200 rs.
Vendem-se chitas francesas, lislradas muito lar-
gas, ;jadroes escures, peo burato prego de 00 rs.
o covado, tendo mnito bom panno ; ditas escuras
padries novos, por serem todas escossezas e cor
ixa a 240 rs. o covado ; ditas miudinhas escuras
e claras a 240rs,afflangando so que esta fazenda
nao tem o raais pequeo loque de mofo, nem outro
qualquer defeito. Istoso Pavao, na ra da Ifti-
perai.iz n. 60 de Gama & Silva.
Lsparlillios, na I, a do Pa\ao.
Vende-se ura bonito sorlimenlo de esparlilhos
proprios para senhoras, sendo dos mais modernos
e beri! feilos que tem vindo ao merndo, lendo de
todos os tamanhos e de diversos pregos irazendo to-
das a:> competentes Otas para apenar. Isto s na
loja do Pavao, ra da Imperatriz n, 60 de Gama
& Silva.
cha

O
"1
Wi
eCi
.>
Laazinhas a 320.
Laazinhas a 320.
Laziiihas a 320.
Cnegaram para a loj.i do Pavao as mais bonitas
laazinhas suissas de quadnnhos e listrazinhas a
imitar, o de sedas por terem muito Inslro, sendo os
padroes mais modernos que tem vindo ao mercado
e mnito levezinhas, vendendo-se pelo barato preco
de 320 rs. o rotado, sendo razenda que sempre se
veodeu por 640 rs. Liquida-se_ por este barato
preco na loja e armazem do Pavao, na ra da Im-
peratriz n. 60, de Gama & Silva.
Lcnciulios p ra mo a 240 rs.. na loja
do Pavao.
Vendem-se flnissimos lencos brancos com duas
cercaduras, sendo urna de cordao e outea de eores
maleada-, mnito finos, a imitacao de linho, pelo
barato preco de 25800 a duzia, 011 210 rs. cada
um : isto > na loja e arntazam do Pavao, na ra
da Iraperatriz n 60, de Gama & Silva.
Lfwitiilias a 300 rs. .
Laasinhas a 300 rs.
Laazinhas a 300 rs.
Vende-se um bonito soramento de laazinhas pro-
prias para vestidos e soutem! arques por serem li-
sas e de quadrinbos pilo barato prego de 300 rs. o
covado, sendo fazenda que sempre se vendeu a
500 rs. o covado, e vende-se a dinheiro a vista pe-
lo baratissimo preco de 30U rs. o covado : na loja
do 1'avo ra da Imperatriz n. 60 de Gama &
Silva.
Pelerinas a 4 000.
Vendem-se as mais ricas pelerinas ou romeiras
de cambraia bordadas proprias para hombros de
S6Dhura pelo baratissimo prego de 15600 : na ra
ra Impiratriz n. 60, loja de Gama & Silva.
Organdv a 240 rs. o covado.
ha loja do 8cavo.
Vendem-se as mais bonitas cassas organdys, pa-
droes miiidos e grandes, pelo baratissimo prego de
240 rs. o covado ( doze viniens ), esta pechincha
acallase logo : na loja do Pavao ra da Irapera-
triz d. 60. de Cama & Silva.
BRETANBA DE ROLO A 35000.
UadlapoO eufestado a 3^000
Ka loja do l'avao
Verdem-se pegas de Lrelanha de rolo com 10
varas a 35, ditas Jemadapolao enfeslado a 3520o,
35300 e 45 : na luja do Pavao, ra da Imperatriz
n. 60, de Gama & Silva.
Uadapolo com loque de uiofo a (OO e 7$
Vendem-se superiores pegas de madapolao, ga-
rantiiulo-se 20 varas era rada urna, pelo baratissi-
mo pr?go de 654 toque de mofo que oada val, e pegas de algodo a
45 : na loja do Pavao, ra da Imperatriz n. 60, de
Gama & Silva.
Cortes de easemiras a 2SQ0 e 3)5
Vendem-se cortes de casimira de urna s cor a
25300, ditas de qrt;.dnnho> a 35 : na loja do Pa-
vao, r'ja da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Chales a 2,5060
Vendem-se chales de merino a 25, 25300, 55 e
65 : na loja do Pavao. ra da Imperatriz n. 60, de
Gama & Silva.
I.azidas a 220 rs., na loja do Pavao
Vendem-se laazinhas transparentes de utra s
cor e de quadnnhos proprias para vestidos de se-
nhoras e meninas, pelo baratissimo prego de 220
rs. o covado, seodo faada que sempre se vendeu
a 306 rs.: na loja di Pavao, ra da Imperatriz n.
60, de Gama & Silva.
Corles granadinos a 12 j
Vendem-se os mais ricos corles de fazenda de
muia phantazia por ser transparentes e tecidos
com seda, tendo cada corte 22 cuvados, pelo dimi-
nuto prego de 12 : nicamente na loja e arma-
zem do Pavao, ra da Imperatriz n. 60, de Gama
& Silva.
Uornouts de renda na loja do Pavao
'Cnegaram os mais ricos bornuuts de renda e se
veudea por baratsimos pregos: na loja e arma-
zem de Pavo, ra da Imperatriz n. 60, de Gama &
Silva.
Ricos diales p re tos de renda
Chegou pelo ultimo v?por francez um grande e
variad i sortiaenlo dos mais ricos chales preos de
renda, tanto de linho como de seda, tendo entre
elics riiuitus de pon a redonda a emitagao de man-
teletes e muiros" com o centro de cor, o vende-se
por presos muito ern conta por terem sido manda-
dos vil de coala propria pelos donos da loja do
Pavao, ra da Imperatriz n. 60, de Gama 4 Silva.
Laazinhas lisas a 500 rs.
Vendem-se as mais modernas laazinhas, tendo de
todas .s cores, pelo barato prego de 300 rs. o co-
vado, larlaiana branca e de cores a 800 rs., fil liso
brance a 800 rs. a vara, cortes de fil brancos lisos
a 65 : na loja do Pavao, ra da Imperalriz n. 60,
de Gama & Silva.
Chapeos de sol de alpaca
Vendem-se superiores chapeos de sol de alpaca
a 35510, ditos de seda infieles com 16 aspas a
125 : na loja do Pavao, ra da Imperatriz n. 60,
de Gama A Silva.
Laazinhas transparentes a 320.
Venlem-sc muito bonftas tirazinhas transparen-
tes cora palminhas de seda a 320, ditas lisas e de
varias cores a 220 r?.: na loja do Pavao, ra da
Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Curies de liias matizadas.
Vendem-se bonitos cortes de litas matizadas, ten-
do 13 eovados cada corte, a ;>5, ditos Maria Pia
a 65 e 85 : na 1 >ja do Pavao, ra da Imperatriz
n. 60, le Gama S S\\va.
ROUPA FEITA
ROUPA 1'KITA
ROI'PA PEITA.
Na loja do Pavo vende-se um grande sortimen-
to de roupas feitas para hornero, sendo calcas, pa-
letots ( colleles, tanto de panno como de easemiras
pretas e de cores; dixa-sc de mencionaros pre-
cos para nao se tornar enfadonho o annuncio,
aQangando-.se que o respeitavol-publico adiar um
grande sortimento por baratissimos pregos : na
loja e rmazert do Pavao, na da Imperatriz n.
60, de Gama A Silva.
~^~ Vende-se umYarmago de taberna desorga-
nisada, em bom estado, que conlm, alem de al-
guns i .teneln?, dins depsitos para agurdente e
um para azeite de carrapato, e se vende muito ba-
rato : a tratar na ra do Principe n. 32, taberna.
Vende-se ou troca-se um sitio junto ao pala-
cio episcopal, em Olinda, com bastantes arvoredos
de frueto, baixa para capim e cacimba com boa
casa
1 na mes-
lanna,
e no P..;rfe na ra da Cruz, botica n. 21. ____
DE
AZEVEDO FLORES
Ra da (adeia d R*cil>, esquina da Madre de Dcus.
BALOES
Baldes de arcos 3^000
Baloes com o pritneiro arco grosso Je 20, 25 e 30 arcos, a vista so far preco.
Baloes de arcos e de pa no para meoirm tic 2 a 12 annos a2e 2jj500,
Chapeos de s> l.
Chapeos de sol Je se Ja com 42 as. teas 8$.
Ditos maiores com 10 asteas 12*.
Camisas.
Camisinhas para senhora a 3$.
Camisas brancas para humera e com peito de cor a i $800 cada urna.
Camisas com pregas largas muito superiores a 20500.
Camisas de linho a 2800 e 3>5 ^0.
Camisas de iinho inglezas a 45, sao muilo superiores.
Camisas de llanella Je cores muito finas a i#.
Cami as Je meta superiores, I carlio com 6 caminas 10!.
Chitas.
Chitas largas a 240 o 280.
Chitas largas escuras finas a 320 rs.
Chitas preclaras superiores a 440 e 500 rs.
Chitas cstreitas a 200 rs. o covado.
Madapoles.
MaJapolo muito fino a 8 e uuis m eriur a Gfi!, estes precos 25 menos que o
valor real da fazenda, quera JuviJar venda ver, ha muitas outras qualidatles de mada-
poloes, assim como o superior madapolao francez para camisas e satas de senhoras.
Jleias.
Superiores meias cruas para homem.
Meias pretas e brancas para senhoras.
Cerenlas.
Superiores ceroulas de linho o melhor que ha.
Ditas de brim de Hambtirgo feitas na tena.
Ditas de esgutao Je algoJao a l'OOO.
Paleiots.
Paletots saceos Je casemira.
dem de brim pardo e brancos muito finos.'
Uem Je alpaka branca muito superior a 55.
dem de alpaka preta a 43.
Calcas.
Caigas de brim branco a 70, 6?, H e 45.
dem de casemira de cores a 70 ^5 e 10?.
Coiletcs.
Cohetes brancos a 2r>500 e 3.
dem de easemiras de cores e pretas a 45 e 5$.
Vestidos a Mara I*ia.
Bicos vestidos Je laa com barras mu Jemas e os mais finos que pJe haver a 20;?.
Vestidos do mesmo gosto. porm mais simples a 12-S e 14.
Nacos de viagem a 5$.
Por estes precos s vende Azevedo & Flores na loja do
A antiga e bem conhecida loja de mladezas
ra do Queiroado n. 16, acaba de ser novamente
provida de differentes miudezas, novas e Tinas per-
fumaras inglezas e franeezas, luvas de Jouvin, en-
feites para senhoras e outros muilos diversos arti-
go, que com prudencia e sisudez seriio patentes ao
comprador, a qnem isso, e a regularidade dos pre-
sos nao ser indifferenle para continuar com a sua
boa freguezia.
Antiga loja de miudezas a
ra do Queimado n. 16.
Nessa loja vende-se baratamente, alera de mui-
tos outros objeetos os seguintes:
Vollas de crysial, grandes e pequeas.
Outras de diversas qualidades.
Crnzes grandes de pedras falsas.
Alflnetes de madreperola e outras qnalidades.
Brincos a baliio.
Cintos a traviata.
N. 16 ra do Queimado.
Pennas d'aco, papel e envelopes.
Xa antiga loja efe mjudezas a ra do Queimado
n. 16, aeha-ge um bello serltiHHUa de .papel al-
masso greve liso e paulado, primeira e segunda
sorte, dito de peso liso, paulado e de quadrinhos, e
de differentes qualidades at a que se pode encon-
trar de melhor, dito paquete, dito pequeo em cai-
xmhas, sendo liso, pautado, de quadrinhos, Letra
dourada e tarjado de prelo, tendo entre elles al-
guns que trazem a envelope na mesma folha, o que
aqu inteiramente novo. Caixas de envelopes
maiores e menores, e tarjados de preto. Pennas
d'ago inglezas, caligrapbieas e outras qualidades,
todas dos afamados fabricantes Perres A (-
lbuns Ku-iiUis ua ra do Quei-
miiilo a. 16.
Vendem-se bonitos albuns para 12 retratos a
1J500, outros para 24 a 3rJ000, e alguns maiores
tambem por baratos presos.
Luvas de ptica a 500 rs. c par.
Apezar de nao serem antigs esto um pouco
mescladas as luvas de pelica preta e de cores, as
quaes arada servem para a noite, e mesmo para
montara, e vendem-sa a 500 rs. o par na ra do
Queimadu n.'16, loja de miudezas.
i.ihHnllios e bicos.
Na loja de miudezas a ra do Queimado n. 16,
vende-se bonitos labyrinlhos e bicos das ilhas, te-
cidos em grade de llnha o que os torna fortes, e de
muita duragao, alm de que os novos e agradaveis
desenhos, e a commodldade dos precos concorrem
para a boa extracto d'elles, tanto' mais quanto
elles nunca sao desnecessarios em casas de fami-
lias, pelo que podera dirigir-se a ra do Queimado
n. 16, loja de miudezas.
Ra do Queimado n. 16, an-
tiga loja de miudezas.
Essa loja ja tao conhecida, renovou e melhorou
o seu sortimento de perfumaras, onde os preten-
deres podem encontrar de novo e bora.
leos phlocome, suierfine e babosa.
Banha Qna em frascos e latas.
Extractos finos inglezes e francezes.
Aguada colonia e Oorida.
Opiata e poz para den'es.
Extracto de quinquina para ditos.
Agua balsmica para ditos.
Dita dentrilice para ditos.
Leite virginal para sardas.
Vinagre de Vena para refrescar e conservar o
lustre da cutis.
Sabonetes camphorados inglezes.
Ditos areientos excellentes para maos.
Outros tambem inglezes de diversas qualidades
em caixinhas de tres e soitos.
Albuns com perfumaras.
LOJA DO BEIJA FLOR
Na roa do Queimado u. 03.
Tendo receido um sortimento de bone-
cas de choro, que chamam papai e mami, I
com cabelleira Je cachos.
' TenJo recebiJo um variado sortimento de
brinquedos para meninos, senJo espadas, j
espingardas, pistolas, tambores ; ditos,
para meninas: apparelhos Je ahnoco e Je
jantar Je porcelana e Je metal, porta-eor |
e faquinhas a 280 rs. o par ; e nao queren-
GRANDE
V WtZrM-M Lli DOS
Charol do commerrn
Ra do Rangel b. 7->.
O proprieiario deste esiabWerimer
ra de avisar aos seus Wtmtut ift naw gra-
Jo continuar, vende mais barato do _que em de reduccao nos precos d
outra qualquer parte. '
Vende-se tiras bordadas Je Jiffei entes
largurasa 1,5, e baba Jos, collatinhos e pu-
nhos para senhora, bordados e abertos de
renJa e lisos, os mais moJernos que se
podem encontrar.
Vende-se la para bordar de diversas
qualidaJes e de cores claras a 7-3 a libra, es- 9. Joao a 640 rs., vini. do p.rt
pelhos de columnas de Jacaranda a 2,31300,
ditos brancosde diversos tamanhos, caixinhas
para estojos Je navalhas,
Vende-se pentes Je alisar com costas Je
metal a 15, Jitos Je dilTercnes qualidades,
lindas gravatinhas para senhora Je difieren-
tes gostns.
Colheres de metal principe.
Vende-se colheres de metal principe para
tirar soupa a 2s, ditas para cha a 2:>300,
Jitas para soupa a 4*200 a Juzia: nesta
loja se encntrala sempre um grande e va-
riaJo sortimento de miudezas : ra do Quei-
mado n. G:i, loja Jo beija-lor.
ra qualidade : man, iga ingleza 1? e l*>
libra da ultima chegadi a un .
frniircza a 900 rs. e em barril -c faz ..: m nt-,
i,.Hijos flamengos novos a 2-5^M)0, dii ib.-
s-'.|iole desejar em bondade a Rk) i
; n xas franeezas caixinhis a HW>. !.j.
'" U, frascos de ditas I5i00,grarnl |
i mimos, marmelrnia 0a< neUtores pm isa
t kl rs. a libra, amendoas luBMidii pm
;.a '.ii 7:
agarrafa, Figueira e Lisboa 400, i H) t
eni taada se faz o abalimenlo, ra
com i arrobas por 3*500 e a libra 80 i
c.if 1" sorte "8(10 e 75200 e a libra a Mi) Stt
bolai-hinha inglen a 2t>0 ra. a btira. ;
Ij-Ii .i a 360 rs. a libra, \ ii an V.-
rs., ditas estearinas finas a I0n r>.. pr mM
guez a G00 rs., alpisla a 3-;5(HI a :.r.
a libra, paine.o a k& a dita ( ItO r>. a dMa. ri a I-
no a |J."iO0, SJ700 e 24800, fru.i.i
(iiO lata, gemina a 100 rs. a libra '. r-
roba, bolliobo* inglezes lata de 2 !i '*
ditos de soda grandes 2,4000 e Mira rr.ii- pnor
PM que se torna enfadonho mencionar. () i tario espera a concurrencia do mpt* wel
garanlindo a exaclMio do que tratar.
cfi'n n -< 5 5 = >>Q KgSSB
recrasM-oo-s sr a o o o
I
= aa
r-i X "'
OT S" 2 -
YinLo verde
-OQ

09
a
c- t "O re
o S 3.
!1Klli
i!t
o en ca

^
o a
a. s
a>
en
S.8--B
S
ce -j
=. o
avariado
3 o o
2
f "
s
V-
o-
o
O 05
-1
a.
1
i
I
SI
3
O
i
* js S 2
3 M 2
= -r -
sis
o
o
9
>
o
ill
9**
o
o
u
o"
i o
3 s? *r5
. 3
>
C
>
V.
GRASUE
Ancoretas com superior tintn r!
o meihor que ven a e>le mere* w : ,,
n. 1S, armazera de Jos Joaqu Um
: -
nmm mm:.__
Est fgida
Em 9 de jutho austiitou-*e'a preta '< ;-
Bifaeia, de 40annos. matan nguUr.rale i
do e bragus bastante lanzodos, esta pr 'a ?--
cravana'rna Wihad.i : .a-Vi-t., i
ra das Fioies, do Sr. Jor Raen de Ote ra, e
consta ter sido i nrontrada na liam.r^ i1 > -> ,,-
com urna trouxa de maM t-ara lavar, v. ai- .
boa rosinheira pode estar a iilul>> > I r a
gada em alguma ca;a : reci/iniiicni.. -.
as autoridades puliciae* e capiles eV na
apprelienfiio e levar a ra do Gaz ra-j m aMa>
tor Sr. Nascimeuto, Fngio em principios do rr.-7 : f
crreme anno e consta pslar aata*i P' -'
o moleque Euzebio. escravo da vinva do ."r c^r.
liando Alfon-ode MelKr.de 12 aaBM '- l ha] -
co mais ou menos, cor |>r*la, cci. rfr, mr|
reculares e afuinacados. raheca rm "n^t
e meia chata, heicos tinos. dVnte* lem arva*, pj
seceos e muil'' ladina : rcea-?e |or KMf i I
autoridades puliciaes e r| HaV t de ca .<. >.-
prehendam e levem-' ;. roa da Btaararir; t 'aO..
n. 6 que serao gratificados. paataNM ''- i -ir4aa
metos judiclaes contra qaalqaer prs.r em seu poder.


AttenQuo.
Bichas deHamburgo
Vendfm-se na ra Nova n, 61.
Francez barrica 'SOOO
l'ortland dem 8500
Em perfetto estado:
Francez barrica 10,8000
Porlland idem 12*000
N'o armazem de Tasso Irmaos caes do Apollo.
Xa ra do Qneimado loja n. 41, esquina do bec-
co da Congregacao, vendem-se riquissimos cortes Vende-se urna taberna bem afreguezada para
de chita franceza cata 10 eovados denominados dos \ o mato, e bem como para a trra por ficar ao pe
vtluntaaios da patria, pelo diminuto preco de do mar, tambem d comidas e dormidas, e recebe
2^800 e outras multas fazendas por baratissimos passageiros, tendo excelleute commodo para fe-
pregos. milia : na ra da Lapa n. 13.
O proprieiario do grande arm.-.zem do Baliza,
largo do Livramento n. 38, nao tendo podido con-
seguir em lempo a mudanca de seu armazem, por
ter de ser mudada a coberia dessa casa, tem resoJ-
do vender o grande e magnifico sortimento de mo
Ihados e seceos que nelle se acham por todo o pre-
go, sem altender ao grande prejuizo que ter, vis-
to que d'ontra forma nao o poder evitar.
GAZ GAZ GAZ
AusentuU-se no da 2 1- rorr^ni- .'. i na i iu
da casa da ra do Imperador n. Ifi. 11 .!.mun-
do, rrioulo, cheio do dirpo, altura i
comprido, "Ihos pequeos e aaan aarba, --
sa e bigode. bastante ladino, reare. r ".
annos, pouco raais ou aataar, ejulga- k i
caiga preta e camisa braaea ; este e*n re la
prado ao Sr. coronel Galvi, di Lim n -
de se julga tenha fgido, mas ha i ->aa
vislona Passagem da Magdalena. H.
zea; e como se d-;?cootia ajea eri i
protesta-se proceder contra pan a ti-
e pede-sc a quem delle der nniia nu >
que dirija-se a labfaiaia ci-a. ea a ra i
n. 13, que ser recompensado.
Fugio no dia 4 de julho < rrenb" > ajaja Joa-
quim, de uago Costa, idade 40 aaaaa, aeaaa m.-H
, on menos, de estatura recular, e-xa l
Vende-se gaz.da melhor qnalidade a mbeltoeaaeateea,eaanaaraamtai>, bwaa
- Vende-se urna bomba de Japv n. 2, proprlal W *!* : D0S armazensda TUSido Im- nao muito espessa; este escravo f..i do Sr.T.b ru.
para cacimba por estar com canos: na praga da perador n.lB e ra do Trapiche Novon. 8. e compradoltimamente ao Sr. Soua i
independencia n. 33. I ....,. _____*_ i_____ I commfefo de eaaravoa aa raa > hajarailor. enav
Fio de algedo da Babia.
Vendefse no escriptorio de Antonio Lniz de Oli-
veira Azevedo & C, ra da Cruz n. 1.
Piche do ?;7.c verniz do gaz.
Vende-se piche do gaz, verniz do gaz e estopa
da ierra : no armazem da bola amarella, no oito
da secretaria da polica.
ta que j em ontro t-:mp) trabaltim e ..
com o Sr. Jo- Sesario : qn-ia o aapv lev.-. o a
ra da Concordia n. 8, rei'i _' aja *tti a r
smente gratificado.
DOS PREMIOS DA
4. PARTE DA O. El.
LISTA

DA
(i. LOTERA, CONCEDIDA POR LE PROVINCIAL N. 106, A RENEFICIO DA MATRIZ DE S. PEDRO MARTVR DA CIDADE DE OLINDA.
EXTRAHIDA EM 8 DE JULHO DE 1865.
\'S. PREUS.
05
W
6*
m. PREMS. RS. PREMS. NS. PREMS. NS. PREMS.
Na ra do Queimado loja Esperanca n. 33 A,
-vendem-se saceos de estopa a 500 rs. cada um.
1
3
6
7
9
13
21
22
23
30
33
3o
38
39
41
42
46
47
49
SI
53
71
74
81
81
86
92
97
100
3
10
11
12
20
21 1:2005
23 65
26
31
32
34
35
37
38
39
41
44
46
48
49
105
205
184
63
64
69
70
71
77
78
81
82
84
87
93
99
208
14
16
21
23
24
2o
28
29
31
32
37
47
49
62
65
69
74
79
80
81
81
85
88
91
93
98
99
300
1
4
9
10
22
24
25
65
65
330
32 6
36
38
44
45
46
47
53
154
65"
0005
65
105
11 :
205
65
GO
64
66
67
C9
70
78
87
89
90
98
403
6
8
13
17
27
28
29
34
37
38
42
47
49
50
52
53
61
62
64
66
67
69
71
73
74
79
80
105
65
105
65
205
486 G5 647
89 53
92 105 54
94 65 59
96 60
508 61
10 65
12 105 66
14 65 69
19 72
24 73
27 77
29 85
35 105 90
48 65 93
51 _ 94
57 __ 98
58 99
65 700
71 1
76 105 9
77 65 12
79 28
82 205 31
86 65 32
88 34
89 37
92 41
93 105 46
99 65 49
600 50
1 51

2 52

4 _ 55
5 __ 56
6 63

7 70

8 _^ 73
10 __ 74
11 __ 80
13 ^ 86
17 87
21 807
25 8
30 11
32 16
34 19
37 20
44 21
45 23
105
405
1005
NS. PREMS. NS. PREMS. NS. PREMS. NS.
826 65 999 65 1190 65 1340
29 1012 105 93 45
34 16 65 96 50
40 17 __ 97 57
42 20 99 62
48 24 1203 b
49 1005 28 4 69
-53 65 31 6 83
54 33 8 8o
62 105 39 __ 10 8V
63 65 40 14 98
66 45 15 1404
67 46 205 22 5
68 48 65 25 15
69 _ 49 - 27 17
70 _ 51 30 19
72 __ 61 '34 28
86 63 105 37 105 31
88 70 65 38 65 32
89 88 39 33
90 105 89 45 36
95 65 90 50 40
900 91 53 44
3 6 92 56 51
98 64 53
9 10 13 1005 65 1100 1 10 - 66 68 69 55 62 64
14 12 70 73
17 13 76 74
19 16 83 76
23 19 84 79
26 20 85 80
32 _ 28 105 88 82
36 29 65 89 8J
37 ^^ 31 91 92
38 ^ 34 1305 94
42 205 38 10 1500
43 65 46 11 5
47 48 19 105 7
50 _ 53 20 65 9
51 54 23 10
60 62 24 - 1*
67 73 105 27 15
68 76 405 28 20
71 77 65 30 22
80 79 32 23
90 ~ 80 33 24
91 __ 82 105 36 26
97 89 65 39 27
405
65
105
105
65
105
65
205
65
NS. PREMS.
1529 65
32 -
33
38
40
45
52
53
62
63
70
71
75
78
79
81
82
83
90
91
94
96
97
98
1604
6
14
27
30
40
44
47
49
2
55
60
64
68
71
82
85
86
92
93
1700
4
7
9
12
205
65
405
65
105
65
105
65
NS. PREMS.
1714 65
15
17
19
24
26
27
31
35
36
41
42
60
62
68
74
75
88
89
99
1802
6
8
17
10
24
29
31
34
40
43
45 -
46
55
59
60
63
68
71
73
79
80
94
1903
*
9
17
18
22
26
105
65
205
NS. PREMS.
1928
32
34
37
57
58
60
62
63
65
67
69
71
77
78
79
86
95
2001
12
14
19
20
22
23
33
39
44
47
48
49
51
55
59
68
74
76
77
79
81
91
93
%
2103
5
6
7
9
19
25
205
65
NS.
2!28
35
37
40
48
53
39
62
70
77
81
85
86
95
97
2200
1
6
12
26
28
32
33
38
39
40
41
48
52
54
58
70
78
79
89
91
92
96
98
99
2300
8
9
18
19
II
2o
:J3
34
io
PREMS.,NS. PREMS.
65
105
105
65
65
1005
65
405
65
233
38
39
43
45
46
47
49
32
56
64
65
67
69
71
72
73
82
88
8'J
93
94
2462
3
4
7
10
11
14
17
18
21
22
23
25
27
29
33
34
35
38
39
44
46
87
58
63*
76
80
105
105
65
NS. PREMS.
2482 65
83
84
8
87
89
92
97
99
2502
4
6
10
17
23
NS. PREMS. -NS. PI.EMS.
105
65
205
65
31
35
3"
50
37
61
66
70
71
72
74
77
79
84
96
98
99
2601
2
3
11
12
14
19
22
28
31
32
39
42
43
47
48
49
205
65
105
105
65
405
65
2650
55
63
65
66
67
69
70
71
80
83
84
91
94
96
97
98
2701
2
6
7
8
12
14
23
29
39
40
46
48
49
31
oi
56
39
61
64
66
75
76
86
8*
92
95
98
2802
14
13
18
21
65
205
65
4005
65
282H
30
M
36
39
46
48
50
52
54
58
59
60
61
68
75
78
:;
81
82
85
88
99
2900
1
3
7
8
23
24
23

29
35
44
47
48
57
58
64
67
69
70
73
74
78
79
8}
87
90
65
205

105
105
5
405


O escrivao, Jos Pedro das Neves.
Pern.~Typ. de M. de F. Faria 6c Filho.1865.



Dla?lo de rcrnanthueo -- Segunda felra lo de lullio de i s.
X
w
*M
nhesem 1640, e a demisslo e retirada do princi-
Peraaroburo. Na parla em qne trata dos actos da- as virtudes e saber do bispo do Rio de Janeiro e
quelle respeitavel prelado Cosa, a foitias 26 e 27 seu capellao-ror, e recoahecendo os servigos por pe Mauricio do governo de Pernambnco em 1643.
a?Sim diz : elle prestados agracioo-o cora o titulo de conde de fizeram despertar nos vencidos a esperanza de re-
finera dos bispos brasileiros elaborada e oflereci- A 12 de agosto de 1715 se recolhera a Lisbi Ira'a' e com a B^nde dignitaria da imperial ordem conquistar a sua independencia.
(!:i no Instituto Histrico c (ieographico Brasi- chamado pelo Sr. D. Joio V, cun permisso da da Rosa' e a commenda da de Christo. Por S. M- O supremo conselho hollandez que flcou no go-
triro era IS62, pilo padre Liao do Monte Car Santa S, deixando por goyer'nador do bispado ao rel de lNaP0,es fji condecorado com a iusignu de verno da colonia, s aspirava o augmento de ren-
> Sr. D. Fr. Manoel de Santa Camarina, religioso da gran craz das ordens de s Januarl- e s- Prancis- das; pelo que poz em pralica todas as tyrannias
ordem de Soasa Souhora do Monte do Carmo que C0' primei!'0 rei das'DiJ" Cecilias. Do SS. padre contra os habitantes, j perseguindo a religiao ca-
fra sea provisor, e depois fra di"uissimo bisno Pio ,X' Tecobm elle M honrosos ttulos de seu pre- tbolica e os seus ministros, ja acosando com vio.
relo Luna, socio do niesmo Instituto
rilOVJNCIA DE FERXAMDUCO. (*)
I
D. Fr. Bernardo de Nossa Seiwra, nasceu na pro-
vieta de Pernambuco.
Vario de variados conhecimenlos o illustrago,
!;i esuoHdo para bispo de- Meleapor na India ; em
ruja diooesr-, e no servico do episcopado, fallecen.
".. i.temos dados sunViente para desrrever as
(luaJidWes singulares c feitos nobres de D. Fr. Ber-
as pelo que referia o Euro. Sr. bispo quj
P.-rnambuco t). Thomaz de Noronha, e an-
: .i ciclse de Cochioi, na India, pde-se sm
:'i'!j de errar dizer que, l). Fr. Bernardo de Nos-
. garhora, era lid prelado dotado de predicados
mes, que possaia um saber e erudiguo pro
lado domestico e de bispo asslstente ao soleo pon-
tificio.
de Angola... NeUa (corte) residi algns annos
e assistio so Sr. patriarcha em varias sagrarles
de bispos. Em '4 dejnlho de 1720 a doSr. D Fr. O hornera, que se consagra vida das leltras,
Manoel de Santa Gatharina, que f-a seu provisor Jiunca euxerga embaragos para cultiva-la?, anda
e gobernador do bispado de Pemambuco para bis- mesmo sobreearregado de trabalhos pesadissimos,
po de Angela. ou atenuado pelos annos.
lentos processos os devedores porluguzes e brasi-
leros, e finalmente consentin Jo em toda a especie
de extorsoes e injosticas.
Assim tratados, resolveram os habitantes de Per-
nambuco derribar o governo hollandez, preparando
em segredo os meios de levar ao cabo esta patrio-
Na sua_diocese fal.eceu, depol de haver wL?**&: Man?' *!* nS *A*l Z7SL Joao Fernandes V.eira
do a ign ja e a bumauidade servidos iniporlautis
gimos.
ni
. Manoel do Motile Rodrigues de Araujo.
II homens a quem basta apuntar o nome para
\irtudes singulares que lhegrangearara ve- formarse o seu encomio. E' em balde que militas
nerago, respeito e estima feral. j vezes re langa mi dos engenhosos rodeios da elo-
0 elogio do venerando Antistelo j fura tecido' 9uend P*i fm bello e bum tecido panegrico,
p i ..... Jornal imparciale bem Cuuceituado Diario lflM-M o qoe elles foram, e o que fizeram
Ramoneo de
iraU udo de algu
de 17 de agosto de 1857, quaudo ^^ sem fruc, 1 se adoa P'3 de chegar
JOS biasileins Ilustres, naluraes "> eouhocimeato dos contemporneos descrevendo-
aCm o ...smi Pr iiurn^r.i,, M CU1 ""r''-'" bt iliiaiit.-s o avullado de suas ac-
ireparatorios c nelles
Sr. D. Tiioruaz de Noronha, que era tanto o saber
iliustracao, e as virtudes d&quelle bispo, que ha-
?ia deiXAdo uma veneracio profunua em toda a
).. lia, e |uo liana morrido em odor de sanlidade.
......mi D. Thomaz vio o seu retrato de corpo in-
iciro em baixo do qual se declarava que era lilho
.i 1 .. adUibuco.
II
D. Fr. Manoel de Santa CalkattM.
Q-Aula a diecese d' Pemambuco vio urna parte
de sua grey latear mo das armas da ambicio e
uo odio, e quasi diiacerar-.-.e mutuamente, na la-
mdtavel poca de 1710 ; gu.nJo ella passou pela
dec< prao de ver que, as lavas de tima guerra, que
r iiii:..i v nome dosMascates chegavam a pes-
soa sagrada de seu pastor, e este chamado a Lb-
;j.., pela:, falsas aecusacoss e virulentas ealnmm -
<:.-so? f jtosjs insurgmtss, foi coagido a deixar o
g ivemp da sua igreja ; sua dr foi mitigada quao-
iu foi escolhido por aquelle respjitavel diocesano o
p Ir Fr. Maaal de Santa Calhanna. seu provisor
e amigo devotado ara tomar conta do bispado na
jUdlidade de goveruador.
N'asdea Fr. Manoel de Santa Gatharina, na cida
: (Miada, de legitimo matrimonio de Antonio
< Mcinti de Albnqaerqae e de 0. Isabel de Goez.
Su., voaco o chamara ao estado religioso, e elle
jou o Instituto Carmelitano ofiservante da pro-
viscia da Baha, prefessando no convento carmeli-
ta da cjdade de Oliada, peitencente aquella ordem.
i'ez ah os seus estudos
ttroa iuteltigencia
:iJo expaosao ao
lenas litfOlogias faz:
dona sagrada constiloia o seu maior prazer.
Gozando em sua orden; a em todo o bi pado de
Peroampueo, os foros de sacerdote Je grande illus-
tra-,5 i, asigne ieologo e excelteuto pregador foi
chai&alb palo bupo ). Manoel A.vares da Co.~ta,
pa.\. oceupar o lugar-de provisor do bispado na
ni morajvel poca de 1710, quando em Pernambu-
:rgia a revolaeie do- Porluguzes donomina-
dja-.Ujv Mes -guerra civil que liaba por fim
abatei aniquilara avbria do paiz para lhes en-
tregar k honras, izenco-s, adjueridas com o san-
. peijuan bucano.
Scrvios Importa o tes prestou nessa coojuuctura
u padre JFr .Manoel ue Santa .Catiiarina, ja no de
senpenho do lugar que cciij ava, e ja na tribuna
sagrada onde sempre ostenton crudijap e saber
Pregou com inuita ooco e elocuencia em todos
os das de novena de Nossa Seuhora do O', imagem
que o clero Nobreta e p->vo de Olinda transferirara
da igreja de S. oij para :. catbedral, e festejavam
com grande giaudilo jua dcvoeio e fervor, em cu-
: nnidi)e implorara elie o patrociare da mes-
ra Senbora, afim de aniquilar a :errivel catastro-
phs .jue se ulgava eminente.
Gompoz uma obra eugentiosa a qual intitulou
Suave harmona sobre as cinco voies de Nossa Se"7
oboraobra qne se conservou manuscripta e fui
recabida cora mu lo apreco.
lumou cunta da diocese de P rnambaeo e a go-
veraon quando leve o respeettvi ;: ices.ino D. Ha-
noel Alvares Ja Costa, \ seguir o auno de i7ij'
paia a corte de Lubdi, em viinie das calumnias
e clamorosas aleivosias, que contra o virtuoso An-
tislde levantaram os Miscates e seus comparsas.
Teve de iaelar com graves embaracis e com a
indignagao dos insurg. ;:'- Mascates na qualidade
degovernador do bispado mas enmprindo brio-
samente as funegoes inherentes a to importante
)u.ir sopetn as matares dffioaldades, anda que
algumas ac^usagoes iniquas Boffresse da parte da-
quedes revoltosos. (1
roes e o esplendor de suas virtudes : seu retrato
pde-se em verdade debuxar, mas diflicullosamen-
te termina-Io, p.irque nao se encontra Da palhela
tintas proprias para apreseolar em primoroso rele-
vo a belleza do quadro ; entretanto que, offereceii-
do-se o uoine do persouagem, que se preconisa,
lem-se coucluido o seu elogio, porque o nome a
sua maior recommendagj ou antes o espelno em
que se v lodos os seus feitos nobres, todas as vir-
tudes cvicas, setnela, todos os mais predicados
i que o oruam.
A provincia de Pernambuco, que ha muito, nao
centava a gluria de ter um sacerdote revistido do
carcter episcopal se desvaneceu de jubilo, quando
o mooarcha brasileiro escolheo para lomar conta
da mitra fluminense o pad/e Manoel do Monte Ro-
drigues de Araujo.
Foi na cidade do fiecife, que nasceu Manoel do
Monte Rodrigues de Araujo, a 17 de margo de
1798. do consorcio de Joao Rodrigues de Araujo
com I). Catiiarina Ferreira de Araujo.
Cursando as aulas de humanidades deu provas
de seu esclarecido engenho.
No convento do Carino do Recife, havia o Rvd.
Fr. Pedro de Santa Marianna, anerlo um curso de
geometra para instruegao de seus irmos religio-
sos e lambem da mocidade Pernambucana, e ento
o joven Manoel do Mente, com desejos de instruir-
se naquetle ramo de sciencia, frequentou o referi-
do curso conjuramente seu irmao Joao Rodrigues
de Araujo, e lauto elle aproveitou, e eslava to
abalisado na geomelria, que do duvidou defender
taute os aturados servigos de sua diocese, apezar
dos incommdos de satide que o impossibilitavam
de dar expansao aos seus desejos, comtudo, nina
prova de amor s leltras acabou de apresentar;
porque separando alguns momentos que deveria
empregar em seu repouso, entreganio os anles
resida no
Recife entre os Hollandezes j na posse de sua
avultada fortuna e gozando de grande crdito, pe-
lo que convidado para a coojuragao, eujo plano
assentaram seus membros communicar primeiro
ao govemador gerat da Baha Antonio Telles da
vigilia, pode uo centro de seu lecolhimenta, e no Silva' ''ual "laudando o mestre de campo Andr
zenita de sua contemplago, dar um fruclo de seu Vidal de Nelrelroe para sondar o espirito do paiz'
espirito creador, e do seu genio perspicaz, confec- esle deseinPenha a sua commsso com a maior
cionaDdo a excelente obra deElementos de di- Prudeocia e l,no-
reito ecclesiastico publico e particular em relago Cne8a ao Ilecife com simulado designio de ir
adisciplioa da igreja-; a qual corre impressa ; v'sar seii velho pai, que ainda exista na Parahi-
obra em que, na verdade, se encontra a toman de La' e proveilando se da tregua que eolio havia,
variados conhecimenlos e profundo saber. reuDe os conjurados secretamente e dirige todo o
Seu nome tem receb.do na repblica das letlra* gjLda revolta, nomeando por chefe da mesma a
gloriosas ovagoes. Suaerudigao e saber nao s tem Joao I'ernaades ^'e""a-
sido preconisados pelos genios esclarecidos do Bra- D.rige-se a Parahiba, e all d tambom impulso
sil como at mesmo dos da Europa, e todos fazem e direegao ; c de regressso Bahia comrnunica ao
jusliga ao mrito litterario do Exm. Sr. bispo Moo- govemador geral ludo quanlo havia observado e
le, lanas vezes comprovado pelas suas obras, ex- 'ei'o.
cellentes pasloraes e por outros bellos escriptos. A Divina Providencia, com alguma vista myste-
Respeilado profundamente em sua diocese elle riosa, permitte que os mos prosperem, e militas
lem sab'do corresponder a essa benevoleocia. A vezes, que at prosigam em suas crueldades; mas
candura e araabilidade com que recebe as suppli- por meios quasi sempreadmiravei3 prepara os sue-
cas de suasovelhas; ossoccorros que lhes presta a cessos que os tem de aniquilar,
o balsamo de consolagao, que esparge por sobre ; E'que njusliga nao pode aproveitar aos ho-
indigencia opprimida ; o zelo e selicitude pastoral mens. embora a sua cegueira os leve a esse falso
que em prol de seus diocesanos, tanto quanlo suas conceilo 1
forgas podom comportar, por sem duvida uma [ HI
prova irrecusavel e inequvoca de sua bem forma-
da alma, e da ingenuidade de seu corago.
Para seu completo elogio basta o que j disse
a bella peona que escreveu a Gloria dos Brasilei-
ros Ilustres : ella falla por esta maneira :Seu
nome um titulo de consideragao, a que se cur-
Para o da 24 de junho de 1645 eslava aprazulo
o rompimenlo da insurreigao, mas antes dessa
poca dous conjurados denunciam ao sapremo
conselho do governo hollandez todo aquelle plano.
Vieira avisado poe-se em campo, e rene mais
de mil combatentes no dia 13 de junho, aos asaos
vam os grandes e os pequeos sabios e os igno- mmediaiameate armn e muDiciouou
rantes ; porque aos prlmeiros fascina eom o bri-
Iho de seu immenso saber e profunda ,-eieueia o
Eis o primeiro rompimenlo da guerra mernora-
vel que liberloa o BrasH do dominio hollandez ;
fecunda, engenho esclarecido.! '""'/"^ 9B a'luel padre mestre Fr. Pedro do
sea genio perspicaz, as ma- fanl* """'*Je hispo de Ghrysopoles, e esmo-
am as suas delicias e a ca- ''' ^T"* "' pMkB illU,rado; Stndo
que na igreja do convento do Garmo em pleno au-
ditorio de mestres da sciencia e doutos sacerdotes
recebeu o Sr. Manoel dojMonle applau>os sinceros,
e tura laureado de gloria.
Uepuis que cursuu as aulas do seminario episco
pal de liuda preparou se para o sacerdocio, a que
t.-u'ia grande vccaeao, o com elfeilo foi receber na
curte do Rio de Janeiro as ordens sacras das mos
do respectivo diocesano o Exm. Sr. D Jos Caela-
uo- de Suuza Coutiui.o, no anuo de 1822.
Pernambuco, que Ihe dera o bergo, se gloriava
de apreseuta-lo como um dos sacerdotes ornado de
qualidades exeellentes j pela sua imprehensivel
conducta, e j pela somma de illustragSo, que pos-
suia.
Primando as sciencias iheologicas regeu por
muitos anuos a cadeira de theologia moral do se-
miuario episcopal de Olinda e tal era sua predec-
ga i esta sciencia, e o estado profundo que nella
havia feito, que poJe orginisar, o deu publicidade
a um compendio de moral, obra to clara e metho-
dica que fra logo adoptada para uso do mesmo se-
minario, e de outras dioceses do imperio.
O aprego e acolhimento que tem lido esta obra,
o conceilo que lia recebido geralmente se manifes-
ta pelo faci de que leudo sido exhausta a primeira
e segunda ediccid mais correcta e aiigineutada, o
seu autor, por condescendencia vonlade de ami-
gos, e memo pelo desojo de ver dillundido no cle-
ro os conhecimenlos destas materias eclesisticas,
serevolveu a dar terceira edigo do seu precioso
e proficuo trabalho.
Na academia de Olinda, boje faculdade de direi-
lo do Recife, o Sr. padre mestre Manoel do Monte
foi adquirir maior illustrago. Nella matriculou-se,
cursou as suas aulas; mas poderosos motivos o
i n. !liram de continuar as fadigas escolares.
O Sr. padre mestre Monte, pelo recolhmento de
sua vida, pela gravidade de seu porte, pelas manei-
ras affaveis e Ihanas, pelo goslo, cmfim, e assidua
aos segundos attrahe com os tftesouros das mais; cojo governo atterrado eom a revolia emprega os
bellas das virtudes, acaridide, que enche o seu meios de seduego, mandando offerecer a Vieira,
nobre coragao sempre disposio a fazer o bem e de quem se lemia. 200,000 ducados em dinheire-,
langar o balsamo de consolagao sobre as ehagas, para abandonar o partido e retira-se qualquer
que acabrunham, e dilaceram o espirito de seus parle do mundo que eseolhesse.
irmaos infelizes. Repelhda a offerta com a mais justa ndignacao,.
xiste na corte do Ro de Janeiro, desempenban- responde Vieira que, nao venda por taobaixc-
do as nobres funecoes do episcopado. Pr'.' honm de oaMigar tymnnos.
Morreu no dia II de junho de 1863 fortificado (Jue bello exemplo de digoidade I
com todos os sacramentos da igreja. Seu corno **
embalsado esleve exposto na sala do docel do pa-' Na querendo o govemador geral daB.hia.se-
exercilo a outrem, nomeado por aquelle mesmo go-
verno que I lie havia negado at a approvagao do
seu procedimento ?
Vieira reconhece o novo chefe e o primeiro que
Ihe Jura obediencia, com admiracao geral.
Que exemplo de moderagao e de fldehdade I
* VIII
A segunda baialha dos Guararapes em 19 de fe.
vereiro de 1649, foi to funesta para os Hollande-
zes, que nunca mais uusaram medir-se em campo
raso com os nossos.
A peleja fui encarnigada e furiosa de ambos os
lados, e o general Brinr-k sustentando com Inaudi-
to valor o seu posU fui moro por uma bala de suas
mesmas bateras j rendidas.
Vieira assallado porum troco de inimigos perdeu
o seu cavallo, e podendo montar em oulro, salvou-
se, eSDalhando-se todava entre os Hollandezes a
noticia de sua morle.
Concedida aos Inimigos a suspenso de armas
por alguns das, para enterrar os morios, e acredi-
tando ainda elles na morte de Vieira, o comman-
dante da escolta de batedores, com benvolas ex-
presses dirigidas aos nossos ofDeiaes mostrou o
seu sentimento, por lao infausto successo ; porm
Vi ira avisado apparece-lhe de repente e diz-lhe
com uma dignidade severa : Dizei a Segismundo
nosso general que, se os Hollandezes em quanlo
vivo me olhuram como seu flagello, nao cessareide
o ser depois da minha resurreieao.
Que bello exemplo de elegante bizarra I
IX
Quasi cinco annos decorreram depois desta im
portaute victoria, sem que as nossas armas estives-
sem no descango um so dia.
Os Rollan ;ezes eucurralados no Recife, apenas
faziam algumas sorlidas, as quaes eram sempre
desbaratados, at que diminoindo es seus fracos
recursos, a sua penuria chegou ao maior auge.
Os nossos estrellando o sitio da praga com a mais
exacta disciplina, tratavam de preservarse de toda
a sorpreza, visto que nao podan tentar um ataquo
decisivo.
Entretanto chega a esquadra de Pedro Jacques
de Magalhes, que resolve-se a coadjuvar o exer-
Ato pernambucano.
Bloquear o porto do Recife e atacar por trra to-
das as forlificagSes exteriores dos IMandeics foi
obra que tanto teve de feliz na concepgao do plano,
como no resultado da execugao.
Cahiram, puis.em poder dos nossos todos os for*
tes e educios do ioimigo, uns com resistencia, ou-
tros por abandono ; at que chegados ao ultimo e
mais importante baluarte da andga Mauriea, a
fortaleza das- Cinco-Pontas, foi esta assallada e to-
mada pelo dosso tlenle e denodado mes-tre de
campo Andr Vidal da Negrciros.
Como esle revez, contndose perdidos e sen re-
medio, capitularan! os-Hollandezes, e no memora-
vel dia 27 de Janeiro de 1654 coube a Joao Fer-
nandes Vieira a gloria,.como chefe da vanguarda,
de lomar posse do Recife, depois de uma lula de S
I annos, 7 meses e li da?, em que consumi grande
lacio episcopal por espago de Ires das, receben*. eud a ordens que tinha da corle de Lisboa, j ,arle d(J sua furU|Ml Q me,hor de sua ei3_
todas as honras dividas sua alta digaidade. Seu comprometter a sua autondade ; Joao Fernandes
cadver, depois das ceremonias da igreja, fra en Vieira declara a guerra a Hilanda em seu pro-
cerrado em urna sepultura na capella do mesmo Prio nome e supremo conselho do governo hol-
palacio episcopal. landez assombrado com este prosedimeoto, pdfl em
Grandioso foi o concurso dos fiis quo vinham flmoeda a cabe,-'a de Vieira-' f31 em represa-
lia avalia as cabegas dos membros do supremo
Depuis que plenamente desempenhou os deveres. applicacao s leltras, era em Olinda, onde resida,
despedirse pela ultima vez de seu virtuosa pastor,
que deixava abencoada heranga da fama de suas
virtudes. Estas foram asss demonstradas na ora-
gao fnebre que recitou o Sr. conego Jos Joaqun
da Fonseca Lima : cujo funeral assistiram os-mi-
nistros de estado, a nunciatura apostlica, orden
religiosas todo clero e commisses de diversas oor-
poragoes Iliterarias.
(Continuar-ie-lia.)
"^
sus i >m \ i'timt
dos
conselho, offerecendo por cada cuna dellas doze
mil flortns.
Que maravilloso exemplo de arrojada con-
fianga I
Esta qualidade, uma das que mais distingue os
grandes capites- dos homens wlgares, supera-
bundou completamente em Vieira.
Nella baseou-se o seu esforgado valor, para que
no meio dos perigos superasse tedas as difllculda-
des, convertenbo muitas vezes em vantagem pro-
pra, aquillo mesmo que se Ihe raostrava contrario
e adverso.
.. ... ..^ (-om a fama-de seu nome, e eom esle impor-
1 acantas rasgos de virtudee patriotismo de-Jbaa UDle predicado, fortalece Vieira o seu braco, sus-
Fernaod'es Vieira. : lenta a guerra aomegada. e marcha impvido ao
' Ha homens que, ao passar por este mundo, apre- termo feliz de lao patritica empreza.
sentam em sua vida, um carcter to elevado e; y
proporges taes, quo de lies se apodera a imagina-; Nao podia VJeira con|ar com auxi,J0 a, de
gao para flxar a exnr..ssao ea grandeza desses Prl ,. aljva fijrma| ^ obld
vultos predestinados; lomando mafestas odas as quelle govern n5d SQ Q e ,. ,
suas bella, qualidades e virtudes. | como lrMilimt0 ordem psUiva de desjtir da
Com ste typo, iodelevel, sao elles conservados na empreza.
memoria de todos; e passando com admiraeao : n. ,,... ...
.,^j.i.^. .- u ,t Uanlem. diante coutou viaira somante rumos
poslendade vao enriquecer e abrilhaotar as paginas _....... a .
A.w, a. r propios recursos, firmando anda suas esperan-
da histeria, loroando-se figuras eminentes, que ser- ... ,., D Z -
. ., ... ',' | ?as no govemador geral da Batwa, que com simu-
vem de-modelo sublime e de bello exemplo-as ge-!.-,...... ... .; ,
_ i laSad portegia a revolta, e no intuito de enfraqne-
; .. cer o ioimigo, ordena a Vieira que faga cortar e
A estas sombras pa idas e mudas devemos er- ,,Qm. ,, rf .... A n
* I queimar todas as cannas de assucar de Pernam-
guer monumentos, commemorar seus grandiosos kuc
feitos, para que a par do estimulo que desperta o m:____. ,
a a u a i ,-r > vieira porem, vendo que, a execucaodesta cr-
desejo da imilagao, haja de-fortificar-se o sent- ,,,-, H, ,.._. 1, ,
| dem nao devia ter lugar senao parcialmente, polo
prejuiao (jue lambem soffriam os porluguzes pa-
tencia.
Tinha Vieira 17 annos, finando os Hollandezes
hivadiram Pernambuco-;-jinha 32, quando pz-se
em campo e ergueu o estandarte da revolta ; e '>
quando conseguio expulaa-los de uma vez desta
Ierra que adoptou por patria, e a qual amou de
veras.
Eis um homem filho do-povo, nascidona escravi-
dao e elevado pelo seu merfcimenlo, para dar-ees
o eiemplo da maiur grandeza d'alma, aboegacac
patrioliea, e de muitas outras qualidades raras qye
possuia.
Venreo a posleridadeesejam suas virtudes
imiadas.
i S H.de Henrique.
^a--<
UM POUCO DE TUPO.
Le-se na Estrella do Norte o segunte :
WO IX E 0 ESTADISTA IN JLEZ DISnAELI.
Ha pouco pronunciou o Sr. Disraeli um discurso
em um meeting, de Oxford, do qual o Monde, e-
trahindo alguns pontos, comoara-os com alfroanaa
das proposigoes fulminadas pe|a santa s.
i.-i a:-li diz :
melo de venerago e reconnecimento que lhes de-
vemos, por suas magnnimas dedicagdes.
E* o que vamos fazer a respejlo de Joao Fernn
primeiro quemar ai
de soa nobfe missao, foi cscolbldo pelo soberano apoutado como um sacerdote de erudigao e saber, des Vieira, cujo retrato aili Oca collocado antes
monarcha para bispo da riiocest de S. Paulo de j de qualidades inapreciaveis a par de outras virtu-
Loaoda, em Angola, no o.. 20 de margo de 1729. j des; virtudes que ihe conquistaram a estima e res-
De Pernambuco parti para Lisboa e recebeu a peilo de seus concidadaos.
sagragao na igreja patriarehal de Listii das mios! Apreciados por estes os talentos do Sr. padre
dacardeal pajtriarcha, do da 14d'julho daquelle, Monte nao duvidaramem fazer recahir nelleos suf-
anno, assirtuidoa e-;.';:;, u bi.-o. qoe liuha sido fragios, e electivamenle foi eleilo depuUdo a as-
de -'ernamiiuco, D. Manoel Alvares da Cosa, ramo [semble*, geral legislativa.
ra un li vio de memorias do bispado de
desle rpido bosquejo.
I
Os Hollandezes invadem Pernambuco, e no dia 16
ra dar o exemplo, manda
suas planiarpes.
Quo rasgo de desinleresse e de grandeza d'aDi-
mo r
VI
Os>lnumpl)os succsssLvos obtidos por Vieira so-
() A provincia do Cear acaba de possuir-se de
juhilode vtr um seu ti:ho escolhido para empu-
niiar a mit.a do episcopado, e foi o Exm. Sr. D.
Manoel d.) Reg de Meleiro?, natural da mesma
provincia, nomeado t-Np:> da diocese de Pernam-
bu^o por decret. de S dj abril de 1865.
O novo hispo fez j.-us estados uo seminario epis-
copal de Olinda i receben todas as ordens das
dj finadu btspo D. Joao da Purificago Mar-
ques Perdigan.
Bxercia elle o lugar e capellao da repartigao
eclesistica do exorciti, e achdva-se na Bahia, de
quando lora escolhido ; ele Exm. Sr. hispo do Pa-
ra D. Antonio de Macedo Cosa, ara servir de seu ^ abnl de ,8i0-
secretario. Com elh d'ahi parti para a diocese do' Como prelado diocesano e capcllo-mr de S.
Para.
Pura a corte seguio, e tomou assenio do parla-
mento brasileiro, e ahi se houve com aquella digoi-
dade propria de seu carcter, e da missao de que
fra eocarregado.
Escolhido pelo mooarcha brasileiro para bispo
do Rio de Janeiro, por decreto de 10 de fevereiro I
de 1839, foi confiado pelo SS. padre Gregorio XVI j
por bullas datadas de 23 de dezembro daquelle
anoo.
de fevereiro de 1630, oceupam a villa de Olinda. bre os invasores, haviam-lho augmentado a repu-
Para poder ganliar a povoagaado Recife, reslava tago e influencia ; mas lambem tinliam. grangea-
ao ioimigo tomar o forte de & Jorge, simado no is- do rivalidades, odio a inveja.
thmo, pouco mais ou menos, onte se acha hoja edi- a c njurago mais indigna trama sa contra elle
ficada a capella de Nossa Sennora do Pilar de F- que apezar de avisado poz em duvida a veracida-
ra de Perlas. de do facto, por uo acreditar que tj negra in-
0 forte assaltado por 4,500 Hollandezes *o gratido podesse partir das pessoas Lndigitadas(
capilao Antonio de Lima que o commandava, aire- Que t&al lhe deviam.
ve-se com a sua pequea goarnigo e com o aaxi- Sua UOure confianga porm, nao desarmou os
lio de vinte homens mais entreter o inimtgo por traidores, e em um da em que elle entrava no
cinco dias, capitulando afloal com as honras da campo, tres negros sahem d'enlre.- as caimas e fa-
guerra. zem-lhe fogo> foi indo o no brago direito com dua^
Entre os vinte mancebos que voluntariamente se balas,
offereceram a Mathias de Albuquerque, e vieram Nestas oircumstancias e na sua posigao, poucos
Receb.da a sagragao na capella imperial do Rio. em soccorro do Ule de S. Jorge achava-se um com seriam os que recusassem a vinganca to exigida
Janeiro, tomou posse de sua diocese do dia 27 o nome de Joao Fernandes Vieira, lilho da ilha da pela tropa e por todos os seus verdadeiros amigos
Madeira, d'onde, com 11 annos de idade, tinha vn- que 0 cercavam ; mas Vieira sabendo d'onde Ihe
do para Pernambuco e j aqu exista ha seis an-
Com desejos de sdquerir conhecimenlos maiores
,1 M.o Imperador, assistio ao solemnissimo acto da,nos contando a esse lempo 17 de sua idade.
vnha o golpe, contentase com reprehender os de*
hnqutntes e expu sa-los d'entre os seus companhn*
parfio para a^Enropa^ e'em Pars'lbi prepararse sagragao do mesmo augusto monarcha, o qual teve Vieira, depois da capltulago da guarnigo do rosi'armas.
devidamenle no acreditado collegio de S. Sulpicio, lugar no dia 18 de julho de 1841, e bem assim as forte, sanio com os seus compaoheiros, trazendo a Que sublime rasgo de generosidade e de cle-
deixandr. ahi as mt-lhora- rtcordagSes. Empre- nujcas do Sr. principe de Joinville com a serenis- bandeira porlugueza, com a qual se havia cingido menCia I
S* rspaa*: Sis "sus r price'a J: %a Sra-- F!'oci!ca ss
muito proveilosa. Cheg.ndo a Roma no mez de ju- lina no anno de 18 Na capella do Pago de S.
o
por baixo de suas vestes, afkn de evitar que cahisse
ella em poder dos vencedores.
VII
Corra o anno de 16*7, quando el-rei D. Joao
nho de 1863, vmos o prazer de abraga-lo, por- Christovao deu aos imperiaes nuhentes as bengaos Eis o pnmiro feilode armas em queentrou Viei- IV de Portugal vendo a pertinacia de Vieira na
lindo catholice, estavamos
Oe viagem, e vimos ento qtiao fatigado se achava
,n,os da igreja. Da mesma forma, o Sr. bispo Monte as-! > e que sem ninguem o pensar, levantava a pon- proseguigo da'guerra com as vanlagens conse-
( Ma! sistio pomposa cerimonia do Sacramento roalri- JJ 'ddo. ulur, para osU" 4ue. honorfico gudas, e ssndo sabedor de que uma formidavel
trirulou se depois na academia romana, para to
mar o grc em direito cannico, c achando-se pre-
sentemente n^sse ncleo de sciencias tem dado
prova? exhpberante? de illustrago, intelligencia e
moralidadeJ
O SS. Paire Pio IX dual vigariode Jess Chris-
to, na ierra, informado do? raros merecimentos,
monal do Sr. D. Pedro II, com a augusta Impera-' "lulo de restaurador de Pernambuco era-lae des- armada hollandeza preparava-se com destino
triz do Bnasil a Sra. D. Thereza Christina ; e foi' 'Dado. Pernambuco, lomou a resolugo de mandar Fran-
elle quem deu as bengaos nupciaes que liveram Mal sabiam os Hollandezes que, entre aqueiles cSCj Brrelo dMMeoezes codi 300 horneo para
lugar oa capella imperial, do dia 4 de setembro soldados valorosos eslava um homem qoe ficaria assumir o comnando do exercito Pernambucano,
de 1843. entre elles, para adquirir avultada fortuna, e d'ahi com a patente de mestre de campo general; o qual
No mesmo carcter tem ministrado o Sacramen- noinze annos por se em campo e constituir-se seil|j0 prisioneiro na altura da Parahiba foi pelos
que ornam onovo bispo c-Sr D Manoe?'doTeg t0do LaP,ismo as serenissimas procezas Impe-1 |"rmo da liberdade patria, sustentando uma hollandezes conduzilo paVa o Recife, de cuja pri-
de Medeiros louvou com vivo contentameoto a sa- riaes-
O governo do paiz comprehende a importan-
;cia dos principios religiosos, o que serla com ef-
feito do povo inglez sem soa igreja e sua f ?
Pio IX em sua eneyelica aos bispos diz :
Ensinai que os reinos se apoiam no funda-
mento da f catholica :: Rcete catholica ftdehfim-
dmenlo regna snbsMunt*
Disraeli diz :
A opinio geral 6 a que a ruptura da allian
ga entre a Veja e o estado poe em perigo nao
s a herdide religiosa, como lambem a liber-
dade poltica. Tal- a concluso pratizi a que
chegou o paiz depois de muitos annos- de dis-
cusso.
Por seu lado o pontfice falla-nos quasLaos mes-
mos termos de beneficios polticos e- religiosos
que produz a concordia do sacerdocio a- do impe-
rio :
Devem-se detestar as opiniojs falsas que pro-
curam destruir aquella mutua nnio. e concordia
do sacerd ci e do imperio, lao salutar sempre
nao s a igreja como ao estado : Mutua tila inter
sacerdotium et imperium consiliorum socftas et
concordia qtus re tum sacra {um, ctviti fausta
sem per extitil et salutaris.
Disraeli diz ainda :
O povo inglez coraprehendea que aqui acn
leceria o que tem acontecido nos paizes, em que as
igrejas foram confiscadas e roubadas, em que
os ministros da religiao sao. assatariados pelo es-
tado,
E Po IX diz :
- Oulros ha que tem a insigne impudencia de
afllimar, que conformo aos principios da theolo-
gia e do direito publico conferir e mantar ao go-
verno civil a propriedade dos bens possuidos pela
igreja : Ipsos minime- pudet affirmare.....canfor
me esse sacra Theologia jmitque publict principm
bonorum proprietatem. qna ab Ecclesia.... possi-
dentur, civili gubernio asserere et vindicare.
Disraeli dizia em seu discurso :
O homem nasceu para crer.
E Pio IX condemna esta proposieo :
A razo humana considera sem relago algu-
ma a Dos, o nico arbitro do verdadeiro e do
falso, do bem e do mal, a sua propria lei : Hu-
mana vatio, nullo prorsus De vespeclu habilo, uni-
rs est veri et fatsi, boni et rnalt aibiter, sibi ipsi
est lex.
De 1,8(0 ministros, 1,300 adherirn pnica-
mente ao hvro de Renn ; e vista de semeftanv
te espectculo um senador protestante Mr T
dizia ha pouco :
No mundo *>; ha futuro para o ealbonosoo
A lempestade que arrebata as folhas seeeas con-
solida o enraiza as arvores velhas ; somos nos as
folhas seccas, e os calholi os as arvores velhas.
Eis o estado a que naquetle paiz chegarans w
espiritos, e Renn eslava longe de pensar qoe l-
nha por missao alloir as nltimas ruinas protestan-
tes e firmar o edificio de Jesos Quisto cas mas
eternas bases.
Q ie admiraves esperangas I
Q.iaiito bello i Dos ajudando sen onra 1
Os M us u I manos centam jue quando Constanti-
nopla foi lomada, um padre caiholico, qna dizia
missa em Santa Sophia, levou eomsigo o SanttMi-
ido Sacrameulo para o impedir que o prnfmni
sem ; e nao sabendo onde occuliar-se, um do* pi-
I.res da immensa baslica por milagre abrise
dianle delle para servir-lhe de refugio, logo depois
fechoa-se.
Conforme a legenda dos mesmos Musnisaanoa, o
padre cunserva-se sempre no pilar, chega mesmo
a ablalo de lempo em lempo q lando se more den-
tro delle, mas um dia sabira para acabar a missa
interrumpida; ento se acabar o islamismo e o
mundo inteiro sera' catbolico.
Ha nessa legenda orna bella imagem.
Ha iretontoi anuos depois do apparecimento do
protestantismo, o sacrificio eocharistico foi inter-
rompido em muitos pontos do globj, mas o padre
permanece, move o mun lo, e em breve por la-
da a parte continuara' a missa interrompida, c
ento s havera' um sacrificio, nraa religiao e na
s6 Dos. (
-----m...... -
E' do Sr. X esla poesa :
HORAS DE DESALESTu.
Quando alia noite solitario velo.
as horas moras a geiner affeitu,
Ougo gemidos to crueis, funreos...
Sinlo raorrer-mo o corago no peilo...
Vejo cadav'res i sonhar mysterio-,
Descoriinando-os do eterno leilo.
Que de phaniasmas d'illuses despidas
Do p se erguem, eamiohando p...
Cuno indecisas... volve'a visia lousa,
Da vida o espelho que de glo t
Alli na campa despertar qnem ousa,
Quando da vida jai perdida a f ?
E o mundo roda cora vendados olhos
Teudo por guia s do lempo a mao ;
Mil existencias, que perfuma o co.
Elle as eiivulve vom o p do cbo
Faces oceultas em espesso veo
Riera p'ra vida I.... Que cruel iraieao I
E eu to rente o?, il'.aso djurad i,
Quando dos dias apertava o n...
Louco que fui a destembrar o mondo t
Pasto em que a mena nos corroe sem d,
Meu peilo amiiio a palpitar profundo,
Treme cadver... vui deseer ao p
E a la triste derramando mies
Por entre as fendas que o cypreste tem,
Mostra oas campas uma c'roa... ora nome.
Como lemhrangas aos-que vao alea...
E o velho tempo que :udo consom,
Cobrir de lodo essa lembraogas vem t
E os vermes folgam tragar os torpos,
Que a negra morte para aili conoto, v.
Onde as lagrimas mais ardenles regara
Hervas, fl .rinhas, qn& sombrea a croa I
Alli, meu Deus, os mortaes to entregara
Almas... p'ra ellas s le pedea Inz !
E duas sombras qne erradias vagam,
Unidas dao-se fralernaes abragos...
L'ma de rrespes envoivendo a vida,
Gom a mo da morte Ihe impriminilo os traca.
Paluda a ootra, que osle mundo olvida,
J desligada dos mais caros lacos.
Soltara as velas nomardo destinos,
E n'um gemido ellas iranspdna o norte...
Assim viajam neste glebo eato,
E assim decidem dos mortaes a orle...
E quem sao ellas ? !.....Irmas pfeBjaa sio
Disse uma voz :E"a vida e a morte f
Que associadas, a sonhar engaos,
Nao compenetram-se da humanidade;
Urna illude-nos m amor... eariohos..
A oulra ceifa-nos, oh I fatalidade l
E teem por fino trilhar os caminhos
Para o viver... e p'ra etaraidade t
Oh 1 mirle! en I morle I ob molher de br
Xingoem resiste a leu querer de f^rro 1
Quem ple ver-te sen que sinia o vulto
Gahir as dores-do Qual desterro T
Teu corago um penhasco oecolto,
Marco da idade do primeiro erro I
Com que audacia nao eaminbas sempre
Ceifando vidas de mortaes queridos I
E nem ao menos te retrahes um passo,
Ouviudo dores e crueis gemidos !
Oh I meiher cynici, lutu braco i braca...
E a-sini nos roubas nossos dias Qdo..
Oh I vida oh vida I oh I illusio somoaataali.
Ergue esta fronte va;a e macilenta ;
A braga o tmulo, qie branqna a loa ;
Da-Iba esse pranto, que o viver *'-"Ua ;
Ao mundo mostra tua face noa,
Que- desta ierra a contingencia ostenta f

^*-*av-*<
O CATHOXICISMO NA HOLLAXDA.
A Hollanda caminha visivelmente para a uni-
encamicada lula de mais de oito annos, em a qual S5o s pode evadir-se em fins de Janeiro de 1648, dade religiosa, e sem se ser propheta pdese an-
bia eleigo que delle f o governo de S. M. o Im- Dos Fluminenses recebeu o Exm. Sr. D. Manoel revelara a coostanca eabnegago mais assombro- e apresenlar-se no campo dos porluguzes.
perador I ,
doECearariner ""^ qQe apreSe"'a provinc,a sincera ded.cagao, quaudo o elegeram deputado a
(I) Vide a obra do Mariyres de Pernambuco, assembla geral.
pelo padre loaqnim Dias Marlins. i O monarcha do Brasil tem apreciado devidamenle
do Monte, uma prova inequvoca de estima e de sas, al totalmente expulsados de Pernambuco.
E' que ha ceos homens predestinados
II
Qual seria o homem que, como Vieira, tendo com
tanta gloria sustentado at ento semelhante em-
preza, cuja responSabilidade havia elle tomado so-
A restaorago de Portugal do poder dos Hespa* bre si, de bom. grado entregasse o comroando do
nonciar j pruximo o dia em que ella ser com-
pletamente catholica.
O protestantismo dividido, relalhado e pulveri-
sado em mil senas diversas, caminha a largos pas-
sos para o racionalismo absoluto.
V'ai haver na Inglaterra ara. proeesso que na da
tornar-se celebre pelo principio qne tosa de tur.
Lord Roben Montagu possoe grande qaantidade
de cartas do fallecido lord Wellington.
Orno toda a gente deseja oiiter um aunnsetlntn
do illuslre general, lord Roben annnncioo a *es>
da em leilao das cartas que tem era seo peder.
Dispo'.a-lhe esle direito o actual doqne da Wet-
lingtOD na qualidade de herdeiro, e pretende qna
desde o momento que se d um valor venas an>
cripios do seu ascendente, a elle snecesnor non
pertence nsufruir o producto dos esenptos,
Ao mesmo tempo ventila-se a qoeslo iraplitiu
de saber-se quem o propnetario das carian, sa
quem as es-creve ou quem as recebe.
Se as carias fossem de um vivo nao haveria dn-
vidas, depois do que resol veo um congresso de env
baixadores etn Alhenas, npropostia das actas ds
rei Olhon quando foi obrigado a rugir da Grecia.
O senhor Pereire, celebre banqueiro, aarja eri-
gir um monumento as sciencias e litleratnra cana
a Grande enciclopedia cuja publicago IsncsH b-
zer a sua costa.
O Sr. Saiot Beuve, encarregado de eserevm o
prologo destinado a aareciar a influencia das
na sociedade moderna, receben aada
30 000 francos por este trabalho.
Por muito superior qne seja
conseguir demonstrar raeibor esta t
que o Sr. Pereire pagando lio ge
escripte.
PEft.KAMBUQO.-TTP. DE r.DRfA n|lf0

II ^nwin an


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID ER85FM976_2ARYGR INGEST_TIME 2013-08-28T03:26:30Z PACKAGE AA00011611_10712
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES