Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:10707


This item is only available as the following downloads:


Full Text
'i
s<
i

iljl ILL gDMBO ISO.
Por quartel pago deutro de 10 dias do 1. mez
dem depois dos 1.' ludias do comecoe deiilro do quartel. .
Porte 10 correio por l
TERCA FEIRA i D JDLHO DE 1865.
Por anno pago dentro de 10 dias do 1. mez ,,,.,.. 19$000
Porte ao correio por uiu auno........... ? 3} BNCARREGADOS DA SUBSCRIPQAO DO NORTE
Parahyba, o Sr. Antonio Alex?ndrinu de Cima;
Natal, o Sr. ADtoaio Marques da Silva; Aracaty, o
Sr. A. de Cerns Braga; Cear, o Sr. J. Jos d
Olivara; Maranhan, o Sr. Joaqaioi Marques. Ro-
dri'-r !-; 'ara, os ara. Heraldo Antonia Al ves &
Pilhos ; Amazonas, o Sr. Jeronymo da Costa.
BNCARREGADOS DA SUBSCHIPCAO DO SUL.
Alagoas, o Sr. Clandino Palco Dias; Babia,o
Sr. Jiis" Mirlius Al ves; Rio de Janeiro, e Sr. Jos
Ribeiro Gasparinho.
PARTIDA DOS ESTAFETAS.
Olinda, Cabo, Eseada e estacoes da via frrea at
A^oa Preta, lodos os dias.
Iguaiass e Goyanna as segundas e seitasfeiras.
Samo Antao, Grvala, ezsrros, Bonito, Caruar,
Altinho, GaranlTuns, Buique, S. Bento, Bon
Conselho. Aguas Beilas e Tacarat, as lerdas
feiras.
Pt> d'Alho, Nazarelh, Limoeiro, Brejo, Pesqoeira
Ingazeira, Flores, Villa Bell?, Gabrob, Boa Vis-
ta, Ouricury, Salgueiro e Ex, as quartas
feiras.
Segunda vara do civel: quartas e sabbados a i
hora da tarde.
Seriohaem, Ric-Formoso.Tamaudar, Una, Bar-
reiros, Agua Preta e Pimeuteiras, uas quintas
feiras.
EPIIEMERIDES DO MEZ DE JL'LHO.
8 La clieia as 6 h., 7 m. e 22 s. da t
15 Quarto ming. as 2 h., ( m. e 46 s. da t.
22 La Dova as 4 h.,!) m. e 40 s. da t.
30 (narto cresc. as 4 h., 49 m. e 16 s. da t.
AUDIENCIAS DOS TRl'NAES DA CAPITAL
Tribunal do commercio : segundas e quintas.
Relaco : tercas e sbados as 10 boras.
Fazenda : quimas s 10 boras.
Julzo do commercio: segundas as 11 horas.
Dito de orpbaos: trras e sextas s 10 horas.
Primeira vara do civel: tercas e sextas ao meto
dia.
Segunda vara do c vil: quartas e sabbados a 1
hora da tarde.
DIAS DA SEMANA.
3. Segunda. S. Eulogio m.; S. Analholio m.
4. Terca. S. Isabel rainha de Portugal viuva.
o. Qurla. S. Philomena v.; S. Tiilina m.
6. Quinta. S Domingas v. m.; S. Isaas prof.
7. Sexta. S. Pulcheria v. Unperatrit.
8. Sabbado. Ss. Prccopio o Priscilla inm.
9. Domingo. Ss. Gyrillo e Bricio bb.
PREAMAR DE HOJE.
Primeira as 1 horas e 18 m. da larde.
Segunda as I horas e 42 minutos da manhaa.
PARTIDA DOS VAPORES COSTEAOS.
Para o sul at Alagoas a 141 "'); para o a >.
ata a Granja a 7 e 22 de cada mez; para Fernan-
do nos dias 14 dos mezes de Janeiro, marro, mai-,
juiho, selembro e novembro.
ASSIG.A-SE
no Recife, na livraria da praca da Indepndasei
ns. 6 e 8, dos propietarios Manoel Figueiroa d*
Faria A Filho.

QFFKlil
mmm m mmm.
LE N. 636.
Antonio BorgesLel Castalio Branco, presidente
da provincia de Pernambuco.
Fao saber a todos os seus habitantes que a as-
sembla legislativa provincial decreloo eeu sane-
cionei a resolucao sguinle :
Art. i." Pica concedida urna lotera de duzentos
e rineoenta conlos de ris a Santa Ca^a da Miseri-
cordia.
Art. 2. Ficain igualmente concedidas tres
rias de rento e vinte conlos de ris, sendo
1. Urna para o concert do convento do Car-
me de Olinda.
2. Una a favor das obras da igreja da Boa-
Viagem.
5 3." Urna a favor da irmandade de Santa Anna
da igreja da Madre de Di os.
Art. 3." Ficam revogadasas disposicoes em con-
trario .
Mando, portento, a todas as autoridades a qnem o
terio da guerra, que fora approvada a licencia de
tres mezes concedida por esta presidencia, em 21
de Janeiro ultimo, ao soldado particular do 4." ba-
lalhao deariilhaiia a p, Manoel de Camino Paes
de Andrade para Iraiar de sua saude fora do
hospital militar, onde se achava em iratamento,
assim o cominunico a V. S. para seu conheeimen-
lo, recomioeodando-lhe que, n > caso de nao ter em
particular acompanhado o seu batalho. que se-
guio para o sul, faca o V. S. embarcar para all
na primeira occasiao, conforme determiua o Exm.
Sr. ministro da guerra no linal ilo citada aviso.
Dito ao mesmo. Cuinpre que V. S/dando as
suas ordens para que sigam, sem demora, a reu-
nir-se aos eorpos a que pertencerem as pravas
arregimentadas que porvenlura existan fra d'el-
les, qualquer que seja o pretexl) salvo o caso de
molestia provada, renietla-me eoin brevidade,
alim de ser traiisinetlida a secretaria de estado
dos negocios da guerra, conforme exige o aviso
circular de 23 do correte, una relaco das
mesmas pracas que lenham licado n'esla provin-1
ca, rom declaiacao do destino em que se adiam,
e bem assim da razao porque nao marcharam con
seos corps.
Dito ao mesmo.Em cumprimenlo do aviso cir-
contieciimnlo e execucao da presente resolucao i cular do ministro da guerra de 12 do correnle,
pertencer, que a curapram e facam cumprir lio in-
teiramente como uella se contm. .
0 secretario do governo desta provincia a facu
Imprimir, publicar e correr.
Palacio do governo de Pernambuco, aos 3 de
joohu ile 1865, quadragesimo-quarto da indepen-
dencia a do imperio.
L. S.
Antonio Borges Leal Castello Branco.
Sellada e publicada a presente resolucao nesta
secretaria do governo de Pernambuco aos 3 do
junho Je 1865.
O secretario.
l)r. Francisco de Puna SalUes.
Registrada a fl. do livro 7." de leis provin-
ciae
recommendo novamenle V. S. que faca vaccinar !
todas as pracas dus eorpos de linlia e onlras, bem
como os recrulas, que anda o uiio lenham sido,
e que houvirem de partir d'esla provincia, com I
qualquer destino.
Dito ao mesmo. Mande V. S. inspeccionar os
guardas nacionaes Severiauo Duarte Vieira e Gre-
gorio Amonio das Chagas, remetiendo o parecer
da junta de saude.
Dito ao mesmo.Queira V. S. informar sobre o
que pede o hachare! Pergentine Sarai"de Araujo
Gahuo,ni reqoerimento que aqu ajunt, coberto
com o officio do rbefe de polica.
ilo ao mesmo. tx|) i;a V. S. as oecessartaS
ordena para (pie as pracas do corpo de nuarBicao
destacadas em Tacarat', e na comarca de Flores,
"Secretaria do governo de Pern imbuoo, aos 3 de | em numero de cem pracas .e recolham a esta ca-
junho de 1865. P|lal eom ,tKla a urgeucia, alim de seguirem para
O escripturarioda 4a seccao, : a corte, de coufurmidade com o aviso expedido!
Theoiloro Jos Tacares. i pela reparlicao da guerra, em 23 do torrente, e
LE N. 637. determinando V. S. que os destae menlos de Ou-1
Antonio Borge* Le-I Castello Branco, presidente \ ricury e Ba-VTsia sajan Iransferidos para Flores,'
da urovincia de Pernambuco : ; onde ciniinuarao sol o cummando do otBcial que
Paco saber a lodos os seus habitantes que a as-' os comiuandav em Ouricury. N'este sentido of
sembles legislativa provincial deeretoo e eu sane- liciou-se ao inspector da llicsonraria de fazenda.
cionei a resolucao seguinte. Dito ao mesmo.Para satisfazer a exigencia do
Art. I." Fica'creado mais um eserivo do crime aviso circular do ministerio da guerra de 23 do cor-
no termo d> Itecife, para servir exclusivamente pe- reme, sirva ae V. S. de enviar-me com urgencia
rante o Dr. chufe de polica e delegado do Io dis- urna relaco dos voluntarios d'esta proviucia, que
trirto. liveraui baixa, com declaracao das datas era que
- Art. 2 Fieam revogadas as disposicSes era con- liveram ellas lugar e os motivos porque foram con-
traria. ., cdulas.
Mando, wtatito, a todas.as autoridades a qnem Dilo ao Dr. ebefe de polica. Remello inclusos
o conheeiteoto e execucao da prsenle resolucao o offlcio que me dirigi em 26 dj coi rente, o con- i
pertencer, que a cumpram e facam cumprir lio in-' sal de S. M. Fidelis-ima n'esla provincia? -.
exemplar do peridico Constitucional n. 18 a que '
provincia a faga elle allude, alim de que V. S. ouvindo o subdele-
gado da freguezia de S. Jos desla cidade, sobre o
tetramente como oella se contm.
O secretario do governo desta
imprimir publicar e correr.
Palacio do governo de Pernambuco, 3 de junho
de 1S65, quadraesima quarto da iudependencia e
do Imperio.
L. S.
Antonio Borges Leal Castello Branco.
Sellada e publicada nesta secretaria do governo
de Pernambuco, aos 3 de junho 'le 1865.
O secretario,
Dr. Francisco de Paula Salles.
Registrada a II. do livro 7o de leis provinriaes.
Seeretaria do governo do Pernambuco, 3 ds junlio
do 1863.
O eseripturano da 4* seccao,
TlteO'loro Jos Tacares.
LE N. 638.
que representa o mesmo cnsul, me informe com
o que Ihe constar, dando logo providencias que
julgar necessarias.
Dilo ao inspector da ihesouraria de fazenda.
Expega V. S. as suas orden* para que um enture-
gado d'essa reparlicao, va passar revista de mustia
amanhaa a. 8 horas do dia. ao balaliao de guar-
das nacionaes aquarlellado e aos destacamentos da
fortaleza do Brum e forte do Buraco. Comrauni-
cou-se ao tornmandanle superior da guarda nacio-
nal do Recife.
Dilo ao mesmo.Autorso V. S. em vista .te una
iufoi'inacao de 27 do correle, sob n. 634, dada
eom referencia a da contadoria d'essa thesooraria,
acerca do ofllcio do director das obras militares,!
Antonio Borges Leal Castello Branco, presidente n. 24 de 14 d'este mez, a mandar pagar a Joaqnin
da previucia de Pernambuco : Jos Ferreira IV tilia a quantia de 733200 que se
Faco salwr a todos os seus habitantes, que a as- Ihe est a dever, segundo con^ta das duas iuclu-
sem ble a legislatida provincial decretou e eu sane- sas contasem duplcala, por haver feiio, em virtu-
Cionei a resolucao seguidle : de de autoiisacoes dadas por osla presidencia, os
Art. 1." O presid ule da provincia fica autorisa- concerlos de que necessitavam o cbafariz e lainna
do a rescindir o contrato celebrado com Joio Fal- do quartel do hospicio, onde e-teve alojado o l.
qoo e Ah mi Machado Gomes da Silva, para o es- corpo de voluntarios.Commuuicou-se ao director
beleciin -ninde carros de praca nesta culada das obras militares.
Art. 2." Ficam revogadas as disposicoes era con- Dito ao mesmo. R> stiluo V. S. a conta em
Irario. duplcala, qne me lemetteu o director das obras
Mando, portanlo, a todas autoridades a quemo militares com offlcio de 14 do correnle, n. 23, e
conhecimtnto e execucao da presente resolucao tobre (|ue versa a sua informacaon. 419, de 20
pertencer (pie a cnm|>ram e fa;am cumplir lao in- do correnle mez. alim de qne inaudc pagar a Joa-
teiramente como nella se contm. quim Jos Ferreira lVuha a quabtia de 3500,
O secretario do governo desta provincia a faca por elle despendida com a extineco do cnpim na
imprimir, publicar o correr. secretaria do caminando das armas d'esta provin-
Palaeio do governo de Pernambuco, 3 de junho ca. Communicoo-se ao director das obras mili-
do 1S65, i4 da independencia e do iui| crio. tares.
L. S.
Antonio Borges Un Casi ello-Branco.
Sellada e publica a presente resolucao nesta se-
cp taria do governo de Pernambuco, aos 3 de ju-
nho de 185.
O secretario,
Dr. Francisco tic Paula Salles.
Registrada a lis... do liv. 7 de leis provinciaes.
Secretaria do governo de Pernambuco, 3 de junho
de 1865.
O escriptorario da V seccao,
Tlieodoro Jos Tacures.
LE H. 639.
Dito ao mesmo.Declarando-me o Exm. Sr. ]
ministro da agricultura, cuinmercio e obras pu-1
Lucas, em aviso de 17 do correnle, haver nao s
approvado a proposta que fez o engenheiro fiscal
da estrada de ferro d'esta provincia, de um escrip-
lurario com o venciinento annual de 800^000,
visto ler-se retirado um dos seus ajulanles; en-
genheiro 'Adriauo Pereira da Cunha e Mello, e exi-
gir a respectiva esenptnracao esse auxilio, bem
como solicitar o'aquella data do ministerio da |
fazeitila'as necessarias ordens. para que o dito es-
criplurario .seja pago de sua gralilicacao n'essa
thesouraria, assim o coromunico V. S. para sen
Antonio Borges Leal t;astello Llranco. presidente conhecimento. Igual cniimuiiicacao se fez ao
da provincia de Penambuco
Faco saber a lodos os seus habitsntps, que a as-
sembii legislativa provincial decretou e cu sanc-
eionei a resolucao segointe :
Art. 1." Wrn restituida ao povoado de Alag.i de
Baixo a sede da fi" guezia daqoelle non .
Art. -" Fici\tt". revogadasas d sposicoes em con-
trario.
Mando, portanlo, a todas as autoridades a quem
o c me cimento e execucao da presente resolocao
engenheiro fiscal da estrada de ferro.
Dilo ao mesmo. Para que eu possa resolver
acerca do pagamento a que se julga com direilo o
arrematante da collocaeio dos trilhos de ferro na
alfaiidega desta capitai, Jos Augusto de Araujo,
proveniente de mandar tima mesa rodizia que col-
locou a iequisi^ao do inspector da mesma alian-
dega, faz-se preciso ijue V. S. ouvindo a este acer-
ca da informaeo da contadoria d'essa thesouraria,
que se refere a sua datada de 21 de maio ultimo,
pertencer, que a cumpram e la^am cumprir t" sob n. 364, e exigindo d'elle urna copia do pare-
inteiramente como nella se conten. cer dado pela cummisso que nomcou e de que
O secretario do governo desta provincia a fa^a trata a predita contadoria, me informe novamenle
imprimir, publicar b correr. a esse reapeito.
Palacio do (enverno de Pernambuco aos 3 de ju- Dito ao mesmo.Respondendo ao offlcio, que V.
nh i de 18*5-3, 44" da independencia e do imperio. s. me dirigi, era 27 do correnle, sob n. 421, tenho
L. S. a dizer que pode autorizar a collectoria da cidade
Antunio Borges Leal Castello-Branco. de Nazarelh, a pagar sob minha responsabiliJade.
Sellada e publicada a presente resolucao nesta nos devidos terapos, e em vista dos competentes
secretaria do governo de Pernambuco, aos 3 de prets, os vencimentos de II pravas da guarda na-
junho de 1865. cional mandados destacar u'aijuella cidade, visto
O secretario, nao haver crdito para esse pagamento.
Dr. francisco i'e Paula Salles. D,0 ao mpe-(or da thesouraria provincial. -
Registrada a Os... do Jv. 7 dolis provinciaes. Em vista da inclusa coma, que me remetteti o
Secretaria do geverno de Penambuco, 3 de junho c|1Pfe depolicia.com oflloio de 27 do crrente, sob u
de 1863.
O escripturario da 4* ?cc?o,
Tlieodoro Jos Tacares.
Expediente do dia 30 dejuuho de 1865.
813, e nao haveodo inconveniente, mande V. S. pa-
gar a Antonio Dorningues de Almeida Pocas, a
qunutia de 56^600 rs., despendida, durante o mez
de maio ultimo, com o sustento dos presos pobres
da cadeia do termo de Santo Anlo.
ito ao mesmo.A Antonio Francisco Bezerra,
ou ao seu procurador, Symphclo Jos de Mello,
mande V. S. pagar, nao havend" inconveniente, a
quantia de 121^000 rs., despendida durante o
mezes de abril e maio ri'esle anno, com o sustento
Offi do ao coronel commandante das armas.
Transmiti V. S. o incluso terreo du inspecco
de saude, que me foi devolvido com aviso da re-1
piinicio da gueira de 22 do correnle, alim de que | dos presos pobres da cadeia do termo de Cimbres,
a jun'n do saude declare se o cabo de esquadra como se v da inclusa conta, que, para esse fim,
do i balalhao de artillara a p, Amaro Leite de rae remetteu o chefe de polica com offlcio n. 812,
Oliveira, a que se refere o mesmo termo, est inha- de 27 do crrente.
bullado de continuar ao ser vico por soffrer rao-1 Dito ao rnesmo.Annuindoao que solicitou o
lestla ncnravel ou curavel, conforme preiceilua chefe de polica, em olllcio de 27 do correnle, sob
a ordem do da, n. 444, de 2 de maio ultimo. n. 818, recommendo a V. S., que em vista do in-
Dito ao mesrao.Declarando o aviso do minis-! (luso recibo, e nSo bavendo Inconveniente, maude
pagar ao alferes J.ts Le-nguinho da Costa Leite, a
Iuamia de 30)3000 rs., proveniente do aluguel de
um cavallo, ipie conduzio de Villa Bella para esta
capital o criminoso de nome Pedro Jos Avelhn,
alejado de urna perna.Comraunicou-se ao Dr.
chefe de polica.
Dito ao director do arsenal de guerra.Forneca
V. S., com urgencia, ao commandante do corpo de
polica, os objeelos mencionados no incluso pe-
dido.
Dilo ao inspector do arsenal de mrinha.Decla-
rando-me o Exm. Sr. ministro da marinha, era
aviso de 21 do correnle, que para se poder deli-
berar a rospeto da obra que, em offlcio de 16 de
fevereiro ultimo, julga V. S. necessaria a collocacao
no eatalleiro da quilha do transporte, que se tem
de construir n'esse arsenal, tornarse mysler que
V. S. mande organisar o plano e orc.amenlo da re-
ferida obra ; assim o communico a S. S. para seu
conhecimento o devida execucao.
Dito ao mesmo.Constando de aviso do ministe-
rio da mariuha de 20 do correnle, que na meflna
data fora nomeado para dirigir as obras do melho-
ramento do porto desta provincia, o engenheiro
Antonio Vicente do Nasciroento Feitoza Jnior, em
substituido do engenheiro Gervasio Rodrigues
Campello, que fora despensado d'aqueile servico,
assim o communico a V. S. para seu conhecimen-
to.Igual coramunicacao se fez ao inspector de
marinha.
Dito ao director da escola normal. Em vista de
sua pioposia de hoje datada, resolv designar, de
conformnlade, com o artigo 3 do reglamento de 28
de juuho do anno passado, o mestre d'essa escola,
o bacharel Maximano Lopes Machado, para servir
0 lugar de secretario, o que Ibe communico para
seu conhecimento.
Dilo ao engeuheiro fiscal da estrada de ferro.
Contando de aviso da repartiera da agricultura,
commereio o obras publicas, de 16 do correnle, sob
n. 20, quo os vencmeiiios do empregado da estra1
da de ferro d'esta provincia, Jos Luis Netlo de
Ifendonea, fieam elevados a 2065000 rs., marcados
aos conductores da primeira classe com transporte
pelo mximo, na forma da tabella annexa ao de-
creto n. 2122, do 10 de maio de 1862, assim o de
claro a Vine, para seu conhecimento e direccao.
Dilo ae Chefe da repartigfio das obras publicas.
Tendo, em vista o parecer da commissa,>, que
examinou a obra do atierro da ra Jo Lima, de
que arrematante Andr de Abreu Porto, indefe-
rindo o requerimeuto era que pedia o prazo de 8
dias para provar o contrario do que se declara ua-
quelle parecer, assim o communico a Vmc para
seu conhecimento, e aOra de que faca ellecliva a
encampacao d'aquella obra.
Dito ao mesrao.Concedo a autorsacao, que
Vmc pedio em seu oficip dj 28 do correte, sob
n. 192, para lavrar o termo de recebimento defini-
tivo da pintura da ponte por detraz do theatro de
Santa Isabel, queja se acha concluida de con fot*
-idado cora o respectivo Contrato, Re and,-, na r.
lelligencia de que n'esla data recoriimndo a the-
souraria provincial, que, em vista do compelente
certificado, pague ao arremtame de~ lal pintura a i
quantia, que selheeslivcr a dever,
O que declaro a Vmc. para seu conhecimento, e
em resposla ao seu citado olhVio.Fez-se a recom- i
mendaca > de que se trata.
Dito a cmara municipal da cidade de Olinda.
Transmuto a cmara municipal da cidade de Olin-
da para seu conhecimen!", copia do aviso expedi-
do pelo ministerio da juslica, em 23 de maio ul-
timo, declarando que a mesma cmara proceden
regularmente eliminando o cidado Jo Polycarpo
de Froilas da lista dos supplentcs de juiz de paz
da fregnezia de S. Pedro Martyr, pela Ineompalibi-
lidade manifest.i, que existe entre o lugar que oc-
cupa de escrivao dos felos da fazenda, e o cargo
de juiz do paz.
Dito a i juiz dos feitos da fuente.Transmiti
a Vmc, para seu conhecimento, e para que faca
constar ao escrivao dos feitos da fazenda nacional,
copia do aviso expedido pelo ministerio da justica,
em 23 de maio prximo lindo, dedelarando que o
referido escrivao nao pode ser comprehondido en-
tre os csrrvaes de civel pan lavrar as escripturas
de que tratara os decretos n. 2699, de 28 de no-
vembro de 18:0 e u. 2133 de 12 do outubro de
1861.
Dito ao juiz de direito da BOa-Vista.Informe
Vmc. sobre o resultado do processo instaurado
contri! Francisco Barboza dos Santos, pelu furto de
nina escrava do Antonia Rosa das Virgen?, e que
esta presidencia em IS de agosto de 1863, em res
posta ao offlcio dess jnlzo de 3 de juiho do mesmo
anno, determinon que se proseguisso nos termos
do instaurado pelo subdelegado de Granito por ler
sido o primeiro que tomn conhecimento do fado,
antes da queixa apresentada pela mesma Antonia {
Rosa das Virgen* ao juiz municipal supplento do
termo do ExIgual informaco foi exigida do
juiz de direi.o de Cahrob.
Dilo ao bacharel.JoauBaptistado Amarale Mello.
Mandei alistar com destino ao 2 corpo de volunta-
rios da patria ao seu irmao Do i i gos Linch do
Aniaral e Mello, que me foi apresentado para sso
com o seu ollic.i i de 27 de maio, a que respondo,
igradccendo-lhe muito esta pruva de patriotismo
digna de elogios.
Dilo ao director da colonia militar de Pimcntei*
ras.Transmiti a Vmc. a inclusa copia do aviso
circular do ministerio da guerra de 13 do, corren-.
te, recommendando-lhe que por sua parle preste os
esclarecimentos exigidos nos dilf, rentes qnesitos do
citado aviso.Igual copia foi remettida ao com-j
mandante do presidio de Fernando.
Dito a Flix Ferreira da Silva.Pelo juiz de di-
reilo dessa comarca Dr. Joo Rodrigues Chaves, mi-
me entregue a quantia de 200$, produelo da subs-
cripcio por Vine, agenciada para as despezss da
guerra. Remetiendo essa ipiantia a thesouraria de
fazenda, para ter a conveniente applicacio, cbe-
me agradeeer-lhe esse acto d>^ elevado patriotismo,
e espero que continuar nesse empenho digno de
lonvore/.
Dilo ao juiz de pa^ mais votado do qnadrienio
lindo da freguezia do Bonito.Tenho presente o
offlcio de 9 do correnle, o era resposla cabe-mu
dizer-lhe que estando anda sujeita a decisao do
governo imperial as eleicj-s de juiz de paz e vo-
readvres, qne se procedeu ultimamenle nesga fre-
guezia, i ole Vmc. entrar em exenicio indepen-
denle de coramunicacao da respectiva cmara mu-
nicipal, a qoal todava devtrt Vme. offlciar m-
meoiatamenle, e b m aanni ao juiz de paz que es-
tver em exercicio, participando quo contina a
servir o cargo de jniz de paz, como foi deliberado
por esta presidencia.
Acerca da presidencia da junta revisora de qua-
| lificacan no caso de achar se Vmc. impedido^ deve
chamar o seu immcdiato em votos, embora rore
elle em um lugar, que segundo a deviso posterior
1 eleiQo foi de.-meinbrado do Io riistricto para for-
mar um oulro, m vista da doutriua do aviso n.
203 de 6 de agosto do anno passado.
Quanto finalmente a ultima parte do seu citado
offlcio, de. laro-lhe lambem que s no caso de acha-
rem rapedirfos.lodos os supplenles do juiz de paz
do distrteto e da matriz, deve ser convidado para
presidir a referida junta, o jniz de paz do distri-
to mais vizinho, nos termos do aviso n. i I do 6 de
anero de 1860 e art. 4o das Instroccdes annexas
ao aviso n. 168 de 28 de junho de 1849.
Dito ao commissario vaccioadorRemetta-rae
Vmc. cem urgencia, afim de serem enviadas ao
Exm. Sr. presidente das Alagoas que as requisttout
em offlcio de 28 do correnle, algumas laminas ou i
tubos de ;.us vaccinieo de boa qnalidade.
Dito ao gerente da companhia Pernambucana. !
Partiripando-me o Exm. Sr. presdeme da provin-!
cia das Alagoas, em offlcio de 26 do correnle, que
o capitao do porto daquella provincia Ihe declarara
em data de 23, que a barra do rio S. Francisco
tem melhorado, tanto em largura, como em pro
fondidade, off^recendo 13 a 16 palmos d'agua na
preiamar, assim o communico a Vmc. para seu
conhecimento.
Dito aos agenles da companhia Brasilera.-Po I
dem Vmcs. fazer seguir para os portas do norte, o
vapor Tocantins, boje, hora indicada em seu offl-
cio de honiem.
Portara.O Sr. gerente da companhia Pernam-
botana, mande dar transporte, at Macei, no va-
por Paralaba, em lugar de r, destinado passa-',
(eiaj de estado, ao juiz municipal do termo do Ro-
sario do Catite, bacharel Domingos Jos Alves da
Silva.
Dita.O Sr. gerente da companhia Pernamhn-
can, mande dnriransporle at Macei, no vapor
Paralaba, em lu^-ar de r, destinado passageiro
de estado, Jos de Albuquerque Hollanda Ca-
valcanli.
Dita.Os Srs. agenles da companhia Brasileira
de paquetes a vapor, mandem dar transporto at-^ o
Para, por conta do ministerio da guerra, no vapor
Tocantins, ao capitao da guarda nacional do Ama-
zonas, Emilio Ayres Palhela, se, como acaba de
apresenlar me, veio elle no Cruzeiro do Sal, qu-
deixou de seguir para o norte, c era passagem dada
por conta daquelle ministerio.
Dita.Os Srs. agentes da companhia Brasileira
de paquetes i vapor, mandem comluzir para o Ma-
ranhao, no vapor Tocanlins, dous eaixVs contengo
i calzas de guerra e 4 ernetaa de toque, que se-
rao mandadas para bordo do dito vapor pelo di-
rector tlu arsenal de guerra, com deslino aquella
provincia.Communicou se ao director do arsenal
de guerra. ,
Dita.-Os Srs. agentes da companhia Brasileira
de paquetes, mandem dar transporte para o Mara-
nhao, por conta do ministerio da guerra, no vapor
Tocantins, n alferes. reformado do exercito, Anto-
nio Rayinnudo Campello e sua familia, composta
de mulher e sete fllhos de I a 10 anuos de idade.
os qnaes tendo viudo da corte com destino aquella
provincia no vapor Cruzeiro do Sul, foi a sua pas-
sagem interrumpida nesta capital.
Dita Os Srs. agentes da companhia Brasileira
de paquetes, mandem dar transporte para o Mara-
nlia.t, era um' dos vapores dessa companhia, por
conla do ministerio da guerra, conforme se deter-
mina em aviso de 20 do correnle, familia do ci-
rurgiao-mr de brigada, Dr. Jos Sergio Ferreira,
cofttposla de sua senhoia e 4 fllhos.
Dita.Os Srs. agentes da companhia Brasileira
e paquetes, facam transportar seus deslios por
coega d* governo, no vapor/ Tocantins. ns ohk-.iaes
o mais pessoas nremtonadil nareloo inclusa, as
quaes leudo vinpo da corle no Cruzeiro do Sul, fo-
ram aqui interrumpidas as suas passagens, como
consta do offlcio dos mesma* Sis. agentes, de hon-
lem, em rnnseqnencia de vollar desta provincia o
vapor (|ue os cnudnzia.
Expediente do secretario do governo.
OiuVio ao inspector da thesooraria de fazenda.
Participando o Dr. Pergentmo Saraiva de Araujo
Galv.io, em 16 do crrente, ter sido nomeado pelo
respectivo juiz de direito para exercer interinamen-
te o cargo de promotor publico da comarca d: Pao
d'Alho, durante o Impedimento .1-) Dr. Bartholomeu
Frano seo de Souza e Silva : assim o communico a
V. S. de ordem de S. Exe. o Sr. presidente da pro-
vincia.
Diio ao mesmo. Participando o Dr. Bartbolo-
incu Torquato de Souza e Silva mu deixou por
doenle o exercicio da cargo de promotor publico
da comarca de Pao d'Alho no da 16 do cadente,
assim o communico a V. S. de ordem de S. Exe. o
Sr. presdeme la provincia.
Dito 83 mesmo.S. Etc. o Sr. presidente da pro-
vincia manda transmitir a V. s. as oito inclusa
orden-, sendo seis do ihesouro nacional, sob ns. 73
a 78, e duas em duplicata exueJidas pelo ajudanlo,
general do exercito, sob ns. 453 e. 4'i'i.
Dilo ao juiz de direito de Tacarat, Dr. Marcos
Correa da Cmara Tamarindo. -Acenso a recep-
cio do offlcio de 2 de rano ultimo, coramunicau-
do ler ntralo no exercicio do cargo de jniz de di--
reilo da comarca de Tacarat. E agradecendo as
obsequisas expresses de que V. S. nelle se ser-
vio, lomo a opportunidade i ara assegurar-lhe qne
me encontrara sempre [irompto para o que for do
servico publico e particular de V. S.
Despachos do dia 30 de junho de 1865.
/teqiierimentos.
Amonio Carlos de Ifendonca.Informo o Sr.
cominan-lante superior da guarda nacional dos
municipios de ^aolo Ama i e Espada.
Antonia Mara da Cinceicao.Informe o Sr.
commandante do corpo de policia.
Antonio de Barros Barbo-a.-Informe o Sr. com-
mandante superior da guarda nacional do muuici-
pio de Pao d'Alho.
Amonio J.iaquira de Vasconcellos. luforme dSr.
inspector da thesouraria da fazenda.
Am'r de Abreu Porto.Iiidefori lo em vista do
parecer da commissao.
Basilio Alves do Miranda Varejao.Informe a
cam.ua municipal do Recife.
Candida Jesuina Fanslor Informe o Sr. inspec-
tor da thesouraria da fazenda.
Diogo Baplistt Fernandos.Informo o Sr. ins-
pector da thesouraria provincial.
Francisco Paulino Lopes de Almeida.Informe
o Sr. c-onmandante do corpo de polica.
Francisco Jos das Neves.Informe o Sr. com-
mandante do corpo de policia.
Gervasio Pires de Muraes.Informe o Sr. com-
mandanie superior da guarda nacional de Olinda e
Iguarass.
Gregorio Francisco das Chagas. Apresenle-se
no quartel do commando das armas, para ser ins-
peccionado.
Jos Duarte Calisto. lndeferido em vista da n-
formaco.
Jos Dias da Silva.Concedo o pras de 20 dias i
para o fim que requer, devendo ser este aprsenla- i
do ao Sr. capitao do porto.
Joao Correa de Mello.-Informe o Sr. comman-
dante superior da guarda nacional dos municipios
municipios de Santo Antao e Escada.
Joao Virissimo da Rocha.Informe o Sr. com-
mandante superior da guarda nacional do Re-
cife.
Joao Baplisia de Almeida Penha.Informe o Sr.
commandante superior da guarda nacional do
Recife.
Jos Maria Placido de Magalhaes.Informe o Sr.
inspector da thesouraria da fazenda
Jos Nunes de Monra.Informe o Sr. Dr. chefe
de policia, onvindo o 4o supplenle do termo do Li-
moeiro.
Jos Antonio Guedes.Informe o Sr. inspector da
thesouraria da fazenda.
Jos Francisco Matheus.lndeferido por nao ter
provado crcnmslancia que deva raseniar o filho do
snpplicante da I* classe.
! Jos Lopes Carneiro da Cunna. Informe o Sr-
engepheiro chefe da reparlicao das obras publi.
cas.
Mariano Francisco Uelem CavalcantcFnforn"
o Sr. inspector da thesouraria da fazenda se a
accao foi intentada; no caso contrario" declare as
razfes para que nao o foi.
Bacharel Nabor Carneiro Bezerra Cavalcan-
le.Informe o Sr. Dr. chefe de pojicia dando logo
as providencias qne o caso pede.
Prxedes da Silva Gusmao. Informe com ur-
gencia o Sr. inspector da thesouraria provin-
cial.
Rodnphno Florencio de Camino Calura
by.-Passe portara coaeedendo mss sem venci-
mento a licenea pedida.
Severiano Duarte Vieira. Apresente-se no
quartel do commando das armas para ser in=[ ac-
cionado.
Segunda secca.i. Palacio do governo de Per-
nambuco, 23 de junho de 186o.O presidente da
provincia, em observancia de ordens imprtaos,
rechmmenda a ludas as autoridades cvis o milita-
res dc-ta provincia, que nos distrctos de sua ju-
risiiiccodeem a maior publcidade ao decreto de
6 do corrate, que fez extensivas as pravas dos
eorpos de policia aos guardas nacionaes que tive-
rem incorrido as penas do art. 133 da le n. 602
do 19 do si-tenibro de 1850, e em g'-ral a todas a-
pracasdo exercito, polica ou guarda nacional as
disposicoes do decreto de 31 de maio ultimo, quo
perdoa o crime de primeira descrean, e o do se-
gunda simples, aos reos qne se apresentarem no
prazo du tres mezes, contados da poblicaco da-
quelle primeiro decreto, em cada municipio ou
circuito militar, como foi declarado por aviso cir-
cular de 7 do correte pela forma nelles declara-
da, fazendo afflxar nos lugares mais pblicos das
cidades e villas, e ende mais convier, para conlie-
cimenti do todos a qnem interessar possa, a pre-
sente portarla, acompanhada dos referidos decre-
tos, que abaixo van transcriptos, devendo as mo-
mas autoridades communicar o dia em que tizerein
a publicacao rcccinmendada.
DECBBTO.
He i por bem decretar que as disposicoes do de-
creto de 31 de maio do correnle anno fiquera ex-
tensivas : Io s pracas dos eorpos de policia 2o
aos guardad nacionaes, que liverem incorrido as
penas do art. 133 da lei n. 602 de 19 de seterabro
de 1850 ; 3 a todas as pracas em geral, de qoaos-
quer eorpos de linha, de polica ou da guarda na-
cional, comprehendidas as disposiedes do artigo
uni das deseryoes aggravadas pelas eircumstan-
cias ns. I, 2,3 e 5 do titulo 4 da ordenanza de 9
de abril de ISO-'i, salva a reslriccao ou indemnisa-
pao de que trata o deereto n. 1671 de 7 de novem-
bro de 18oo.
Angelo Muniz da Silva Ferraz, do meu conselho,
senador do imperio, ministro e secrelario de esta-
do ds negocios da "uerra, assim o unha entendi-
do e faca execular:
Palacio do Ro de Janeiro, em 6 de junho <1p
1863, 44 da Independencia e do imperio.Angelo
Muniz da Silva Ferraz.
DF.atETO.
Cummiserando-me das circurastancias em que se
acham os militare- dos ('ilfrenles eorpos do exer-
cito, e os da guarda nacional em destacamento que
liveram a infelicidade de desertar apartando-se
das suas bandeiras, hei por bem perdoar Ihes o
crime de primeira desercao e o de segunda sim-
ples, apresentando se os reos dentro do prazo de 3
mezes, cunlados da publicacao do presente decreto
em cada urna das comarcas do imperio, incluin-
do-se lambem ueste indulto es que j estiveiem
sentenciados e para sentenciar.
Angelo Muniz da Silva Ferraz, do meu conse-
lho, >eiiador do imperio, raini-iro e secretario de
estad ) dos negocios da guerra, assim o tenha en-
tendido e faca execular.
Palacio do Rio de Janeiro em 31 de malo de
1863, 44 da independoncia o do Imperio.
Com a rubrica de S. M. o Imperador.Angelo
Muniz ita Silva Ferraz.
Antonio Borges Leal Castello-Branco.
ITEROR.
IUi;\0< AYRES.
13 de junho de IS63.
Ignoro se as correspondencias do Rio da Prata,
que ultimamenle deve ler publicado o Jornal, Ihe
terao descripto com bastante precisan a actuandade
deste paiz em referencia .4 guerra do Paraguay.
Para o caso que assim nao tenha acontecido a -
guia cousa dire, que servir ao mesmo lempo de
introduccio minha correspondencia desta capital.
E' innegavel que a aggressao praticada pelo Pa-
raguay contra a Repblica Argentina irritou os
nimos da populayao bonaereose porm errara
qu ni suopuzesse grande enlhisiasmo nella, pord?-
bellar a guerra que o despota daquelle paiz trouxe
ao solo argentino.
Quer seja poique Buenos-A y res, retrahiudo-se
por muitos annos sua vida de provincia, se tenha
costumado a doer-se punco dus negocios nacionaes,
qui.T seja porque os gozos da paz e a immensa
prospendade que cora ella vai adquirindo tornas-
sem este povo avesso a novos pleitos militares, ou
seja euto que se olhe com pouco caso o poder do
Paraguay, e por isso se julgu impossivel outra
cousa da sua parte que urna aggressao moment-
nea o estril, o que em todo caso nao se pode con-
testar certa tibieza em aecudir ao chamado co
governo.
De facto, se exceptuarmos a administraco pu-
blica, geral e provincial, s algumas carnadas ma.s
disiinctas da sociedade argentina, nao so descubra,
nao se palenlea pelo menos, a animar: bellicosa
que fra para desejar.
Ao contrario, geral a reluctancia, que todava
a aclividade e energa do governo vio vencendo, e
que acabar por desappareeer logo que alguns
successos militares, favorawis ou adversos, venhara
excitar oespiii. publico, que de ordinario aqui
tao impressionavel.
Um grande auxiliar tem para isto na imprensa
a administraco publica.
Desde primeira noticia da provocarlo para-
guaya poe se todo o jornalismoao lad i do governo,
e se do alguma cousa pderia este queixar-se da
sobeja offlpiosidade.
Prompios sempre a exaltar tudo quanlo elle fez
de bom, e silenciando muito do que seria repara-
vd, os jomaos argentinos hao de convencer aas
que fra do paiz os lerem da infallibilidade absu-
luta na marcha do governo. Quem deraao do impe-
rio urna siluaco to cnmmodal
Desceendo agora ao exame mais preciso dos
fados, dire que eu considero o general Mitre al-
guma cousa arrepenJido de ter encartado tinto os
prazos ao desforc que pretenda tirar da aggros-
sao paraguaya.
J l vai decorrido o triplo dos l-'i dias que elle
determinava para e.iar em marcha o exercito, e
ainda agora vio salando os eorpos organisados oes
la cidade e provincia.
E' certo que Corrientes tem.reunidos cinco ou
seis mil horaens, porm nao ha q e Iludir se con-
siderando isso tercas militares.
Tudo nao passa de urna agglomenc.o numerosa
e enihusiasta, porm sera carcter algum de tropa.
Presciudindo mesmo da nstruccao e di-cipina.
a gente de Corriente est sem vesnari. a, ern ar-
mamento, sem munices. ConUm-se por dezenas h
armas de fugo que lem cada orpo, e por unidades
os tiros que lem cada arma de fogo. O resto dos
soldados esta armado de laucas, e destas muitas
sao fcitas de Uceas amarradas em paos.
Eis o que explica nao terern os CurrenliDO-". qoe
sao valenles e contam com cheles aud.ize-. alean-
gado contra os Paraguayos a mais p. uuenina van-
tagera.
Ao contrario, anda entre algumas pessoas, em-
bora nenhum jornal a (enha publicado, a noticia A?
(|e una f,.rca de 600 a 8()i) G.rrenlioos, qn^ ruin
os coronis Reguera e Paiva uceupava o departa-
. ento de S. Thora, foi sorpremlida. e portanlo
completamente balida pelos Paraguay s, Meando
aquulles dous chefes pri.-uneiru-.
Melhorsein duvida do que o exercito rorren-
tiuo, alm de mais numeroso, o quede Enlre-Ktos
lera o general l'rquiza, e ruja forca as gazetas ar-
fe: linas elevara a 8, ou 9.000 homer*s.
Calculando sem optimismo, eu recato noder-lhe
dar 6,000, porm vai regularmente vespdo, car-
inado, para o qne de Bueuos-Ayresse llie leem (ti-
lo importante remessa.
E', eniretant". verdad* que, sem r >ntar os 1,06
boniens do general l'aunero, (|iiesobem ou desce
o Parrna, al agora nao i-in a lonfederaco em
frente dos Paraguayos senioas milicias correMinas
e entrerianas, sendo mui p quena parte dVllas de
infamarla, e sem artilharii alguma.
Sondo notorio que forjas laes nao poderiam af-
rontar as do Paraguav (nje constara de 18 a 20.UOO
homens, o maior numero infamara), que p. r la-
so nao se refera ao exercito correniino-enirerian .
a promesas do Sr. general Mitre de marchar era 0
das e entrar aos ires mezes na Assiimp^ao, -me
devrnos concluir ? Que Os pr>z>s esli temido*
com largo excosso.
Eu faco estas obs.-r vagoes sem espirito algnm d--
censura ao governo argentino ; pul o < onirari", re-
coohego que muito lem feilo elle; alm do que ra-
zoavelmente poderia exigir se, sendo, CHM foi. lo-
mado de improviso ()or urna guerra no sen propriu
territorio. Mas, posto que nao se leem aqu n pa-
do crticas Irnltauo, imrcia, delriro, e nao M
que mais cousas do governo imperial, boro verifi-
car qne i e c boas favas ha, uu, .pie o m- >m..
, reconhecer que nao se improvisara element-s de
guerra comu se alinhavam discursos ou artigo* de
gazela.
Porm fallemos da guerra era sua marcha
circunstanciada.
O ataque da cidade de Corrientes pelo general
Paunero (88 de maio), que boje esla verilicado t^r
custado 300 homens entre morios e feridos das
melhores tropas argenliuas, a iuqiossibli ia i em
que se achou aquello gem-ral de raant-r-se na ci-
dade conquistada, e emliin a maior u la ;i que
moslraram os Paraguayos, passando aqueui dj rio
Sania Luzia, que at ha pouco pareca defendido
com vanlagem pohii li qu rom II' in.ii-t >
parece ter concorrido : ira a impaciencia de entrar
em operacoes que mo-lra o general Mitre.
Ha quem supponha tambrm, .pie. vendo o gene-
ral L'rquiza avanzar ra damenie para a provincia
de Corrientes, o Sr. Mitre deseja ebegar a mtmt
de a-segurar a victoria,estando elle plesete, bem
entendido.
Nada mais lonvavel do que lal inwjo, sem con-
tar que a conlederacao s. ITre dwar t ^ran le pre-
uizo na prolongada necupago de Con entes- por
um exercito paraguayo, que alias parece ter vinJo
s para aclimatar se."
De facto. nao consta da menor op. rafia f ita
por elle, e, a menos de que a unpreosa ocru
que tenha occorrido, e eu nao cn-io, deve deduzr-
se que os 20.000 homens de Robles e.-lfu em kf-
bernardo militar.
O mesmo desastre do coronel R.-iruera. a ser
exacto, nao Ihe perlence a esse exercito, mas >im
s forcas que oceupam o norte de Corrieules, i.-t>
, a zona alera do Aguapy, e laga Ibera, condeci-
da com o nome de Mis?es.
O que parece fora de duvida que a esla hora
as forcas entre-riauas e correutinas tero lito
jnneeao, o acaso tambera a iufamaria do general
Paunero, o que ludo dara ao general Irquiza 13 a
14,000 homens. Sendo menos de um qunto de in-
famara, nao com tudo de suppor que leona lu-
gar qualquer recontro serio.
As trepas argentinas procurarn molestar as
paraguayas, mas esias hao de ronservar-se na res-
peiiavel defensiva que Ihes permute o maior nu-
mero, a superior!dade de armamento, e sua nume-
rosa e bem servida artilharia.
Com ludo, de pouca duracio deve ser esle cria-
do de cousas.
De Buenos-Ayres t-sto embarcando t partindo
successivamente para a Concordia todos os eorpos
que se vio adiando promptos.
No dia 10 partirn) nos vapores lra-il ir s 7 guanj o Maracana, e no vapor argentino Hio de In
Piala e brigue Rio Bamba, M seguales (; *.
qu- formara mais de 1,200 homens : Io esqnauro
de artilharia commandado pelo enente-coronel
Frederico Mitre, balalhao 9" de linha corraanda-
do pelo lenenle-corooel C Ivele, regiment Ge-
neral v. Martin sob as ordeos do coronel Es!
Gaicia.
Na mesma occasiao seguiram a reparlicao de
saude, pelrechos bellicos, etc.
II y' pareca que emba carao no vapur imperial
Apa os dous balalhes da diviso Buenos-A>
cun mandados pelos drenis Arenase Manoel obli-
gado.
Ainda restara uniros eorpos, que i ra tihm.l i
para a Concurdia a medida que vollem aqu 'Me* rn-
pores, pois uo ba outros em que powam egnir.
0_ proprio general Mitre parece i|iie partir rsta
tarde para o mesmo destine em companhia do Sr.
viscoode de Taraandar, e acompanhado o sen
estado-maior, e secretaria militar, que acaba de
ser organsada, por decreto do governo, com nm
secretario e .pairo offlciaes. Do-se Ihes pra la
ces militares.
Cabe aqui de passagera ama observacao. Cora-
quanto pequeo era relaco ao do imperio, o exer-
cito argentino vai apresentando em todos m -ens
ramos de servico maio-r carcter de regulari Mi
que o nosso.
Assim, lm elle?, como o nosso, uini corpircio
medica cora seu h spital e ambulancias pvrl i'.a-
mente servidas ; lera, anda como nos. sua c.uxi
militar, porm lm mais do que nos um cominis-
sariado de guerra, e agora a secretara miiur. Nio
falla, pois, quem receie o pirallelo entre as duas
administraces, urna vez entrados os exercitos em
operafes.
Para marchar compaoha entn gou honii-m
o general Mure a presidencia da repblica au vice-
presidente della, que o Dr. D. Marcos Paz, presi-
dente do senado.
Anle-hontcra o corpo diplomtico despedio-se do
presidente Mitre, compareeendo nesie artaan re-
presentantes da Inglaterra, de Hespanha. dos E '' dos-Unidos, da Fraoga, do Bra-il (o Sr. Leal), da
Rolivia, do Per e da Repblica Oriental. Bata i,,
Sr. Heftor Vrela, nm dos proprietari>s e red.ni i-
res da Tribuna. Coube a paiavra a > Sr. Tliroolvn,
ministro da Inglaterra, que. se eiprimio em ternos
da maior syrapalhia o cousiderai;o pelo di-tu*:
general Mitre.
i Antes de deixar a presidencia linha Mi

r

(
/
/
X.
^..... A
^0..
ii r-^*f
_i
i\ /r-i


. -3>.
Jim
Diarlo de Pernambnco Terca fe'ra 4 de Julho de SQ5
KT
A
pedido varios decretos sobre objectos m!Hare% en-
tre elles os segrales :
Ura que augmenta a torga pedida s provincias
de S. loan, Mendoza, Tueumao, Salta e Jajuy, de-
ven Jo dar ellas um batalhao, em lugar do"cOntin-
genie que a principio fe Ibes assignalr A da
GorJova dar dous batalhoes em lugar de um.
Outro decreto manda formar 11 batalhoes de re-
serva, com 500 pravas rada um, e repartidamente
por todas as provincias, na rato de um, ou de raeio
bataldao. So a de Entre Rios d dous (?)
Para terminar sobre a acgo da Repblica Ar-
gemina na guerra ao Paraguay accrescenlarei que
o ongresso tem sanecionado todas as medidas pe-
didas pelo g'.vprno, e tiera assitn teni-o habilitado
com as resolagdes que della lera solicitado para
emprstanos, etc. Em geral as votacoes sao un-
nimes, e a discusso breve e benvola. .
Passarci agora Repblica Oriental.
Evidentemente a da do conselheiro O.laviano
Montevideo parece ter lido por objecto certas com-
biaagSes com o governo daquelto estado para o
habilitar a mover suas torgas. Xaluralmenie se
llie fariam novas concessoe;, assigoando se |Tolo-
colos, etc.
Em C(>nseqnencia o general Ftres, passando o
governo ao Dr. (medico) I). Francisco A. Vidal,
marcliou logo campanha afim de activar as reu-
nios da gente expedicionaria.
Os deus balalhoes de liona que ha em Monte-
video, brra como os de voluntarios que eomman-
dam o Ijiiente-coronel bra>ileiro Fideliae oSr. Jos
Candido Bu.-tamanle, devem passar revista no dia
lo do crreme ; no dia 20 reet-bero o pagamento
de seas sollos, e dah em diante devem esiar em
ordein de marcha. Caleula-se que a partida ter
lugar co dia 30.
Sgnndo totas as probabilidades, ogenpr.il Flo-
res levar de 3,300 a 4,000 homens, sendo 1,500 de
infaniaria.
E?ta columna, comquanto pequea, deve prestar
muito bous servidos, por ser gente aguerrida e mu-
to bem commandada. Os dous batalhoes de liuha
eslo inesmo bem uniformisados, e os olliciaes at
com luio.
Voltenio-nos para o nosso exercito.
J ah devem .-aber que o gi-neral Osorio tomou
aresclugo de transportar pelo Uruguay tolas as
forcas que se .chavara em S. Francisco para vinte
leguas Dais cima, a um campo chamado Corrali-
tos (por estar lodo cercado de rame) : tica elle
peuco cima do rio Dain.an e pouco abaixo do
Sallo.
O transporte, como tudo nesta guerra, se le com
bastante dispendio, excedendo talvez de 60:0005.
O exercito deixou em roda do seu ex-acampa-
mento de S. Francisco alguns centos de sepulturas,
e levou para inais de eitoceotos doentes. Era Mon-
tevideo existe ainda entretanto outro hospital com
muito mais de (retentas cunas.
Parece que o piano do general Osorio era Irse
approxitnando a fronteira da provincia, aproveitan
do todo o lempo disponivel para exercilar as infan-
tarias.
Ainda assim ougo dizer que os corpos de volun-
tarios nao estao bacante adestrados, excepgao feila
. do batalhao da guarda nacional da corte, a que 10-
\ dos fazcm elogios.
Dizia eu, pois, que o general Osorio pareca cn-
camuihar-se ao Rio Graude, quando se espalhou
a noticia de que o general Milre solicitava com
instancia a pass gem do exercito imperial para
Entre-Ros, verilicando-se ella pelo passo da Con-
cordia.
Accreseenta se que par?, convencer ao general
Osorio desta neeeseidade que para o Uruguay se-
gu boje o Sr. visconde de Tamandar, e bem as-
sim para remover quaesquer tropegos materiaes
que a esta passagem se opponham.
Alguns persimistas entendem, sem embargo,
que o brigadeiro Osorio nao pode julgar seu ex-
ercito prompto para operar em paz estrangeiro,
e n^ -le caso na la de elcaz eniprehendena o gene-
ral Mitre.
Se ao contrare o general brasileiro aceitar o con-
vite, em todo o mez dejulho tero ocrorrido alguns
saccessos de Importancia, nosqnaes 6 justo que ao
Brasil caiba muila gloria, posto que tantos sacrifi-
cios taz em bera da allianga.
De resto nada indica que o exercito paraguayo
ao su I de Corrientes, e ao qual os raais exagerados
apenas do 20,000 homens, possa esperar a p fir-
me ura exercito de 32,000, ou mas, que formarlo
os tres exercito- alliados.
A nossa esquacra, que, como j devem sbe-
lo, subi o Paran al s Tres-Boceas, nao tem da-
do rr.ais noticias suas, sendo decrr que limite sua
acgo a nao deixar os navios do Paraguay assomr
naquellas paragens.
Ainda assim presta ella imprtame servlgo, obs-
tando a que as forcas paraguayas de Corrientes
recebam auxilios e sopprirnentos por agua. Se-
ra anda possivel que algamas pequtnas canho-
olieiras ou lanchoes, subindo o Paran-mirim,
Ibes cortassem a communicagao pelo passo da Pa-
tria, e outros, que Ibes prestam grande .commodi-
dade.
Antes de passar a oulros objeelos direi que dou
sem comraentarios as noticias sobre a guerra, e a
parle que nella loca ao Brasil, porque os que izesse
poderiam nao parecer contenientes hoje.
Nao esqueeam, todava, os que dirigen! os neg
Cios do imperio que a sua responsabildade peran
te a opino nacional, e peranle a historia, Ire-
nieuda, e que, do desperdicio de mlieiro ao sacri
b'cio da dignidade do Brasil ha tma gradacao de
erros, cada um mais funesto,cada um maisimper-
doavcl para Todos....
As novidades que rreiestam a noticiar ti-
las:
A junta 'jovemaliva de Corrientes, por casuah-
dade, no mesmo dia 2o de maio, em que as armas
argentinas d'alli a expulsaran), deu um decreto de-
clarando traidor o governo do general Mure, e re
cobrando a representago externa que tinha da
provincia. E' urna parodia do que o general Ur-
quiza fez em maio de 1851 contra Rosas. Lesjours
passenl el ne se russembleat pas.
O espirito democrtico repassado de america-
nismo (yaokee) que predomina na sociedade ar
gemina fez que causasse profunda sensago a mor
te de Linelo.
Numerosas foram as deraonstragoes de sentimen
to que appaiceeram, mas entre ellas parece-me
mais sigoilicauva a resoincao das cmaras provin-
ciaes para que se denominarse Poco de Lincoln a
primeira povoago a fuudar-se ua provincia de
Buenos-A y res.
. O grande conselho dos macos argentinos, dos
qua -'u general Mitre a mais alia ou urna das
niais altas personagens (nao o sel bem), despedra-
se oleronemeiite de 5. Esc, leudo para isto urna
sesso magna. Os discursos veem publicados nos
jornaes.
Chegou ante-hontera de Montevideo, e conti-
na a hospedar-se no hotel da Paz, o Sr. conselhei-
ro Oetaviano, que parece restabelecido do incom-
modo de sade sondo na sua viagem para Monte-
video. S. Exc. loi logo visitado pelos numerosos
amigos que aqui tem sabido adquirir.
Se antes da partida do vapor, em que vai o
alcance mala do paquete, occorrer alguma novi-
dade, tere cuidado de a trausmitlr ao Jornal em
ultima hora.
i de junho.
Con-la que o general Mitre adiou a sua viagem
para amanha, sem duvida para com sua preven-
ga dar impulso a orgaoisa<.o dos quatro batalhoes
de guardas nacionaes que devem partir desta ci-
dade.
lionlcm noile che versas familias das que emigraram logo depois da
expulso dos Paraguayos.
Estes nao tinham oceupado permanentemente
aquella cidade, mas estavain construindo sobre o
rij ortiflcanSes, que muilo podem emharagar as
commnnnages da esquadra brasik-ira que se acba
as fres Bocas.
Acaba de ser offlcalmenle confirmada urna
noticia que corra vagamente, e que de grande
transcendencia.
Es-lava em Corrientes a canhonheira da marinha
britannica otorell, que tem n-cebido a seu bordo
n.uia- familias emigradas. Tendo ella demandar
una lancha Ierra commandada por um oficial,
sem nenbum apparato hostil, procurou para atra-
car o ponto mais romraodo e publico; mas eis se-
nao quanda urna forte guarda paraguaya que ahi
se acliava recebeu-os cora urna descarga morlifera.
Dous marinhelros e o official cahiraro mortaltnente
fendo>, e Do lardaram a suceumbir. O eomman-
danle da Dotorell exigi inmediatamente urna sa-
ti.-larao completa; porm o delegado de Lpez, Ber-
ges, declarou que s o governo podia da-la, de ma-
neira que a canhonheira subi i inmediatamente
para a Assumpgo, e presmese algum gravissi-
mo conflicto.
Xos subditos inglezes aqui residenles cau-
saran! esses (actos grande sensago, e provavel-
aeolo fario alguma deoiiisirago muilo siguii-
iva.
Publicamos jornacs de hoje que as Torgas de j ADVERTENCIA. tro ; aggravado, FranciscoTvares Pessoa de Arau-
Robles retiraram-se de Goya, ate onde havura che- Xa loialidade dos doentes exstem 178, sendo 121 jo Juuior.
gado,comenirandose agora as proximidades do homens e 57 mulheres. j O Exm. Sr. presidente negou provimento.
povo de S. Roque. Foram visitadas as enfermaras estes dias : Nada mais havendo a tratar-se o Exm. Sr. pre -
Altribjem esse movimento approximago das As 7 6 3|i. 7, 6 3|i, 7, 7, 7, pelo Dr. Bamos. dente encerrou a sesso urna hora eumquarlo da
forgas eutre-rianas. As 9, 9 i|i, 9 l|2, 9 l|i, 9 1|4, 9 l|i, 10 1|2,' tarde.
Tambem dizem que as tropas paraguayas que pelo Dr. Sarment.
se achavam era S. Thom tomam a mesma direc- Falleceram :
gao, deixando assim desassombrada a margem do Pauliiu Xavier de M;llo, tubrculos pulmo-
alto Uruguay. nares.
Para mira esta segunda parte exige confirma- Lazars Sebastio Muniz Wanderley ; myclile.
Adriano Jos de Moura ; tubrculos pulmo-
gao.
Fechando esta a ultima hora do alcance, na-
da occoFre que trona a comraunicar ao Jornal.
PERWAMRUCOs
Umii KAKI.
Seria talvez de conveniencia, que se fizesse des- pravas 5 total 360.
nares.
Luiz; nlerile chronica.
Herculano Ferreira Penna ; apoplexia.
Cornelio Kloss ; gastro enlerite chronica.
Casa de detencao.Movimento do dia 2 de ja-
: Iho de 1805 :
Existiam 3S5; entraram 6 ; sahio 1 ; exs-
tem 360, a saber : nacionaes 274 ; mulheres 7;
\ e trangeiros 2o; mulheres 2; escravos 47 ; es
EDgenio
rhea.
de j a aomeago ou desigoago do commaudanie
para o 1" batalhao de guarda nacional, que deve
destacar para as fronteiras, chamando se logo os
conliBgenles dos municipios mais prximos, afim
de dar-se com raaior facilidade a organisagao do
corpo.
Ao entretanto, esta lembranga que nos parece
conveniente, pode ter motivos que a obsiem; e por
isto subordinamo-la apreciago do Exm. Sr. pre-
sidente.
Chamamos a attencSo do Sr. fiscal dos Afo-
gados, para o estado em que seacha o corredor ou
estrada de entrada para a Torre. All ha precisao
da sua presenta, afim de dar as providencias tenden-
tes ao decolle das cercas nativas que incommodo
o transito, e mesmo para ordenar pequeos traba-
llio que fagain escoar as aguas ench&rcadas, que
difflculto o mesma transito.
A progne pedido foi exonerado da promoto-
ra de Pao d'AIlto o Sr. Dr. liartholoineu Toiquato.
de Soua e Silva, em cujo cargo foi snbstuido pelo | ,("p
Sr. Dr. Joo Alve; Merguibao, que foi removido da
comarca de Flores.
Foi nomeado promotor publico da coraorca
de Pajeh du Flores o Sr. Dr. Antonio C. da Silva
Miudello.
Recoinraenda-se a polica local ura jogo de
capoeira, que ha na ribeira. Rom sera dar algu-
ma oceupagao aos parearos.
Pcdeui-uos esta publicago :
i Sr. redactor.Faga mais este servigo, alm
dos muitos que j lera prestado ; e publiear em
sua Revista, que apezar de augusta era suas
propore&a, acha-se urna ra desta cidade incapaz
de ser habitada por pe quencia de escndalos de alguem, que sem respei-
lo a casa paterna, digna de toda a con.-iderago
deixa os livros da sciencia para ir estudar as tfieo-
ri-is da seduego, cujapatrica enteude dever appli-
car a visiuha que todava a ella se presta, sem era
bargo de seu estado.
t As experimeniagoes cada um faga-as para si,
e deixe-se de offeuder amoralidad; publica, que
tem direilo a todo o acatamenlo.
Est de semana nos protestos o Sr. esc ivo
Jos Mariano de Albuquerqne.
Tem hoje lugar no Sauta Isabel um especia-
culo era beneficio do Sr. Jorge Vctor Juuior, uosso
comprovinciano. E' um joveo de talento, que me-
rece a protecgo publica, por diversos titules, e ao
qual desejamus feliz resultado.
Xo dia Io do correte principou a funcionar
a aula de dezeuho do gyinnasio provincial, sob a
direcgao do Sr. professor Francisco Joo de Aze-
vedo.
Hoje effectuam se os leiloes aununciados por
nlereuco do geme Pinto, de machinas a vapor,
dividas, terrenos e casas no monleiro, ura orgo
e escravos, no eseriptono do mesmo agente, ra
da Cruz n. 38.
Numerago dos billietcsda lotera 22aoffereci-
doj pelo abaixo assignado para auxilio das despeas
da guerra.
Bilheies ns.636,1446, 2335, 2619.
Meios n, 877, 134, 1711, 1941, 1953, 2o3i.
Quarlos ns. 62, 171, 433, 787, 999, 10io. U49,
1843. 2089, -2282, 2472, 2747.
Osbilhete-- das loteras 11a a 21* produzi i 3310.
Tliesouraria das loteras de Pernambuco 3 de
julho de 18o.
O thcsoureiro, Antonio Rodrigues de Souza.
Do exame dado na.differentes caixas da the-
sonraria provincial no mez de junho do correule
auno verificouse as seguiiles sommas
Caixa do exercicio de litia 1860 112:0115'iOS.
Ca xa de depsitos.
Acedes... 31:3335800
Letras... 233:336;2o9
Diuheiro. 27:820>723
Caixa d apolices da lei n. 488
Diuheiro. 4:0483399
Caixa docalgamento.
Diuheiro. 1:8215431
Informam-uos que da diligencia de que non-
tem damos noticia, procedida peloSr. Deeio'Aqui-
no Fonceca, subdelegado da Boa-Vista, em 29 do
mez (indo, resultou serera presos 12 escravos fgi-
dos, 7 dos quaes deixarara de ser recolhidos a de-
leiico, sendo, pprm, recoluidos ao calabougo da
ribeira d'onde foram entregues aos respectivos se-
ohores
Deu se principio aos trabalhos do caigamento
da ra daCadeia, cuja preferencia por certo.mui-
lo conveniente, morraeute estando prxima a con-
cluu-se a ponte do Reufe.
Estamos aulorisado pelo Sr. Manoel Joaquim
.la Silva Rlbeiro, ex fiscal desfa freguezia de S.
Antonio, para declarar que nao com elle que se
entenie a correspondencia inceria neste Diario de
hontein, assignada o tagradectdo.
IlF.PARTigAO DA POLICA :
Extracto da parte dos dias 2 e3de julho de 1863.
Foram ice dhidos casa de detengo no dia Io
do correle :
A' ordem do illm. Sr. Dr. chefe de polica, Anto-
nio GoncalveS da Silva e Joao Soares da Silva,
como criminosos de orarte ; Horlencia Maria da
Conceigo sem declarago do motivo, e posta logo
em liberdade ; e Damio Arijos dos Santos Pereira
Cunha, como disertor e suspeito de ser criminoso.
A' ordem do subdeTegdotsanto Antonio, Jos | ^fSe^im
Alimentaos custados cofres pnblicos, 168.
Movimento da enfermara do dia 2 de julho
de 186o.
Tiveram alta :
M. P. do. Monte,
e. J. pos Santos.
Cemiteiuo publico. Obituario do dia 30
de junho de 1863.
Manoel Pereira Lopes Ribeiro, Portugal, 43, annos,
casado, S Antonio ; tubrculos pulmonares.
Ignacia Francisca da Conceigo, Pernambuco, 60
annos, casada, S. Antonio ; graogrena expon-
tanca.
Pernambuco, 6 mezes, Boa-Vista ; diar-
CHRONICAJlDICIAIi
TRISir.VlVj IIO COHIMERCIO
DA SESSO ADMINISTRATIVA DE 30 DE
JIMIO DE 1863.
PRESIDENCIA DO EXM. SR. DESEMBARGADO!
. ANSELMO FRANCISCO 1'ERBTTI.
s 10 horas da manha, estando reunidos os Srs.
depulados Rosa, C. Alcoforado, Basto e Miranda
Leal, e presente o Sr. desembargador fiscal, o
Exm. Sr. presidente declarou aberta a sesso.
Lidas, foram ar.provadas as actas das duas ses=oes
antecedentes.
EXPEDIENTE.
Foram distribuido' pelos senhores deputados os
livros Diario e Copiador de Santos Mello & C, os
de Siqneira & Irmao, e o Diario da hquidago da
massa de Francisco Antonio Correia (Jardoso.
DESPACHOS.
No requerimento adiado da sesso passada de
Manoel Fernandesda Costa & C, pm que pedem o
registro do seu contrato de sociedade:Registre-se.
Xo de Rabe Srhamltau &C, pedindo que a
junta dos corretores certifique : 1., qual o uso
desti praga a respeito dos dias corridos, marcados
n'uma ca'-la de fretaraento de um navio para to-
mar a sua carga ; 2o, se, tendo o fretador a carga
prompta para embarcar, e o capito nao podendo
toma-la por ser dia feriado, ou porque o lempo
cha-voso ou tempestuoso, de maneira a nao per-
miitir o embarque, os das passados, nestes dous
casos, entram ou nao na,conta dos dias corridos
marcados na carta de fretameuto. Pode al-
tes lar.
Xo de Rodolpho Krnckemberg, pedindo que se
ajante aos autos de rehabilitago da firma de C. J.
Aslley ,S; C, o documento que aprsenla : Como
requer, sendo os autos conclusos.
1 Com informaro doSr. desembargador fiscal :
No de Chrisiiano Jos Tavares e Joaquim da
Cota Ramos, pedindo o registro do seu contrato de
soebdade :Na forma do parecer fiscal.
Xo de Manoel Theotono da Silva, socio gerente
da firma de Silva & Sangriman, pedindo o registro
do seu contrato de sociedade :Registre-se.
Nada mais havendo a tratar, o Exm. Sr. presi-
dente encerrou a sesso s onze horas e raeia da
manha.
SES5AO
30 DE JUNHO
TRIBUNAL .V RELAMI.
SESSO DE 1 DE JULHO DE 1863.
PRESIDENCIA DO EXM. SR. CONSELHEIRO
SOUZA.
s 10 horas da manha, presentes os Srs. des-
embargadores Santiago, Gitirana, Lourengo Santia-
go, Almeida Albuquerque, Doria, Molla, Uehoa
Cavalcanli, Domingues da Silva, e Barros Vascon-
celos, faltando os Srs. desembargadores Assis e
Guerra procurador da cora, abrio-se a sesso.
Passados os feitos, deram-se os seguales
JULGAMENTOS.
AppeUacSes crimes.
Appellante, Domingdes Fraucisco de Moura ;
appeljado.o juizo. A novo jury.
Appellaute, Jos Leile Ferreira da Silva ; appel-
da, a justiga.A novo jury.
Appellaca'o civel.
Appellante, Vicente Antanio do Espirito Santo ;
appellado, Caetano Lenidas Duarte Gara.
Desprezaram os embargo-.
tlabeas-corpus.
Concedeu-se ordem a Fraucisco Gomes da Silva
e Antonio Leite de Magalhaes Bastos para o da 4
do correule, e a Manoel Carlos Lelao de Albu-
querque para o dia 8, ouvidas as autoridades res-
pectivas.
DESIGNACAO DB DIA.
Assignou-se dia para julgameuto das seguin-
tes :
Appellacdes elveis.
Appellante, Jos Gabriel Pereira de Lyra ; ap-
pellado, Amero Vieira da Cunha.
Appellaates, Guimares 6 Alcoforado ; appella
da, Mara do Carino Rocha Costa.
Appellaute, Anna Josepha Pereira dos San-
ios ; appellado, Domingos da Silva Campos
Appellante, Manoel Joaquim Rodrigues de Sou-
za ; appellado, Jo- Gomes da Silveira.
Appellante, Vicente Ferreira da Cosa Miranda ;
appellado, Hermenegildo Eduatdo do Reg Mon-
teiro.
Appellante, Candido Franklin de Lima ; ap-
pellado, Joaquim Franklin de Souza Pinheiro.
Appellaute, Joaquim Manoel Ferreira de Souza ;
appellada, a faz-nda.
DILIGENCIA CHIME.
Com vista ao Sr. desembargador promotor da
ju'stiga
As appellagoes crimes.
Appellante, o promotor ; appellado, Manoel Vi-
cente de Carvalho.
Appellante. o promotor ; appellado, Francisco
Baptista Calaga.
PASSAGENS.
Do Sr. desembargador Santiago ao Sr. desembar-
gador Gmrana
As appellagoes crimes.
Appellante, o juizo ; appellado, Antonio Barbo-
sa de Souza Periquito.
Appellante, o juizo ; appellado, Antonio Ferreira
dos Sanios.
Do Sr. desembargador Gitiraua ao Sr. desembar-
gador Lourengo Santiago
A appellagao crirae.
Appellante, o juizo ; appellado, Joaquim Marian-
no de Araujo.
Ao Sr. desembargador Almeida Albuquerque
A appellagao civel.
Appellante, Francisco Marinho de Albuquerque
Mello ; appellado, Francisco Jos Vianna.
Do Sr. desembargador Lourengo Santiago ao Sr.
desembargador Almeida e Albuquerque
As appellagoes civeis.
Appellantes, Pantaleo" e Margarida, escravos ;
appellados, Joo da Silva Farias e outro.
Appellantes, Prudente Ribeiro Pessoa Lins e ou-
tros; appellado, Ricardo Rogers.
Appellante, Dr. Beoto Jos da Costa Jnior; ap-
pellada, a irmandade de Santa Anna.
Appellante, Antonio Virialo de Medeiros ; ap-
pellada, D. Rosa Maria de Albuquerque.
Do Sr. desembargador Almeidae Albuquerque ao
Sr desembargador Assis
As appellagoes civeis.
JUDICIARfA EM
DE 1863.
PRESIDENCIA DO EXM. SR. DF.SF.MBARGADOR
A. F. PEHF.TTI.
Secretario, Julio Guimares.
As 11 'i horas da manha o Exm. Sr. presidente Appellante, Joo Ferreira da Costa Imbuzeiro
declarou aberta a sesso, estando reunidos o.Srs. appellados, JoSoJos da Silva e outro.
desffmbarbadores Rete e Silva, Silva Cnimates.f Appellantes, Flix Souvage & C.; appellado,
Accioli e Birros Vasencellos, e os Srs deputados Leandro Lopes Dias.
Rosa, Candido Alcoforado, Ba.-to e Miranda Leal. I
_ Lida, foi approvada a acta da precedente ses-1 A appellagao crlme.
Foi apresentado um offlcio datado de hoje, do Sr. Appellante, Alexandre Bezerra dos Sanios; ap-
Josc Baptista da Fonseca Jnnior, communicando Pe"i",,l> Julz0- ,
que, por incommodado nao pode tomar parte no' Do sr. desembargador Dona ao Sr. desembar-
1 gador Molta
juigamento do frito entre partes : appellantes os
administradores da massa fallida de Seve, Filhos &
C, appellado Francisco Xavier de Oliveira. E o
Exm. Sr. presidente ordenou que se chamasse ou-
tro Sr. deputado supplente.
JULGAMENTOS.
Appellantes, os administradores da massa falli-
da de Amorim, Fragoso, Santos & Companhia ;
appellado, o bae.harel Manoel Gentil da Co Adiado na s-sso de 19 deste mez.Despreza-
ram-se os embargos.
Appellantes, silva & Alves ; appellados, os cu-
radores fiscaes da massa fallida de Jos Marques
dos Santos Aguiar & C. Adiado na sesso de 19
do crreme. Foi confirmada a senteuga appel-
lada.
Appellante, Francisco Antonio Pontual; appel-
lado, Antonio Gom-s da Cunha e Silva. Adiado
na sesso de 19 do correte.Ordenou-se urna di-
ligencia.
Appellante, Joo Joaquim da Costa Lelle ; ap-
pellado, Manoel de Souza Pereira. Foi confir-
mada a senlenga appellada.
Appellante, Jos GuiInerme Guimares ; appel-
lada, Mria Venaucia de Abreu Lima Bastos.
Des^rezaram-se os embargos.
Recorrentes e recorridos simultneamente Ma-
noel Moreira Tavares e D. Leopoldina Maria da
Costa, mulher de. Manoel da Costa Costivella com
A appellagao civel.
Appellante, Jos de Barros Pimenlel; appellado,
Joaquim Marinho Falco.
Ao Sr. desembargador Gitirana
A appellagao civel.
Appellante, D. Joanna da Silva Medeiros ; ap-
pellada, a fazenda.
Do Sr. desembargador Barros Vasencellos ao
Sr. desembargador Caetano Santiago
As appellagoes crimes.
Appellante, o juizo appellado, Francisco Mon-
leiro.
Appellante, o juizo ; appellados, Joo Ferreira da
Guerra e outro:
A' 1 ,' horas encer"-u se a sesso.
CORRESPONDENCIAS
Felippe Santiago, por ser dizertor. JST^SSSSSSUSl^SS ** ^^
A' Un, doVs. Jos, Trajano Nunes, por em- ^^^S^cL*** de Moraes e
A'Vd'em do da Boa-Visia, Theofioria Maria da ""2 i gg{5fc5Jj"* Vb^
Conceigo, para correego.
A' erdein do da Capunga, Tertuliano Antonio d
Cosa, sem declarago de motivo, e (cando dis-
posigo do Dr. delegado ; Thomaz Antonio Pereira
e Leonardo Jos da Costa, por suspeito em furto de
cavallos.
O chefe da 2." secgo.
J. G. de Mesquia.
Passageiros do brigue brasileiro Trovador,
(anido para o Rio de Janeiro :Jos J. G. Rosa, e
Jos dos Santos.
Appellante,
D. Thcodora Maria Quitara e oulros.
Appellantes, Guimares & Bastos
os administradores da massa fallida
Fragoso, Sanios & C.
Srs. redactores.Pete primeira vez venho ao seu
muito conceiluado jornal para dar ao publico (a
quem respeito muito) urna satisfaco a respeilo da
minha demis.ao de quinto supplente de subdelega-
do desta freguezia, e tanihein a dos meus rompa-
nlteiros demiltidos os Srs. major Joo Bezerra Vas-
concellos Torres, de subdelegado, e Jos Paulino
Pereira da Costa, de 2o supelente, e o eapilao
Joo Capistrano Torres Gallindo, de 3o supplen-
te ; eu Srs. redactores, nao sei qual o motivo de
Exm. Sr. presidente da provincia me demillr, pois
nunca exerci o lugar e nem ao menos pre.-tei ju-
appellados, I ramento, e os meus companheros demiltidos, tam-
| bem nao consta nesta freguezia factos que os desa-
appellados, bonem.o maior crime que commettemos foi em ser-
de Amorim, mos progressisias, aos jenuinos como o Dr. juiz
i de direilo desta coman-a, Intereca-se pela derrota
appel-;
w 2
M o
i

~-a ai 03


: :
I VI E?
I 3 I =
I : I
I '
I : I
i :
o
>
i*
>
o
g
>
OS
O I ip- -Jl >
Masculino
1 I I
SI -I 4-1 ~,
1) I
Feminino.
Masculino. 2
i
v. z
Feminino. | m
-
"i
Masculino. "
<
o
en
Feminino.
Masculino.
Feminino.
s
>
-I
>* l
I -
I Q
Masculino.
-a
Feminino.
TOTAL.
Appellante, D. Maria Magdalena de Almeida Ca-; dos progresststas desia freguexla, como de fado
tanho ; appellada, D. Anna Josepha Pereira dos assim val acontecendo, e para conseguir os seus
Santos. flns atormenlam as primeiras autoridades da pro-
Appellaote, o Dr. Ignacio Xery da Fonseca ; ap-' vincia, com ijueixas e denuncias falsas contra a
pellados, os administradores da massa fallida de .polica daqui para serem demitiidas as auterida-
iqueira Pereira. des deste lugar e ser noraeados pessoas de sua
Appellantes, Adriano & Castro ; appellado, Joao parcialidade, como aqui tem propalado o Sr. An-
Antonio dos Sanios Pacheco. ionio de Lemos de Va-coneellos, que diz que a elle
Foram adiados a pedido dos senhores depu- se deve estas demissOcs e que ja declarara os no-
e
-<
I
a
es
E

m
lados.
DESIGNAQAO DE DIA.
Appellante, Jos Francisco Barrle ; appellados,
os administradores da massa fallida de Amorim,
Fragoso, Santos & C.
Appellante, Jos Domingues Maia; appellados,
os administradores da massa fallida de Amorim,
Fragoso, Santos <$ C.
Appellante, Jos Duarte das Neves ; appellados,
os curadores fiscaes da massa fallida de Jos Mar-
ques dos Santos Aguiar & C.
Primeiro dia til.
O Sr. desembargador Silva Guimares averbou
seu impedimento no feiio entre partes :
mes de pessoas suas para serem nomeadas, cujos
nomes sao os seguintes : para subdelegado Alexan-
dre Manoel de Oliveira, 2o snpplente Bento Jos de
Araujo (que era setembro do anno passado foi de-
raittido a bem do servigo publico,) 3o Bellarmino
Soares de Oliveira Sezudo e 5o Laurentino de Frias
Costa, Srs. redactores, o que se passa aqui, a po-
lica deste lugar nao agrada aos jenuinos porque
quasi sempre os seus correligionarios eslo com-
meltendo crimes e a polica nao passa a mao pela
cabeca dos criminosos e os vai punindo, com i.-to
grilam ellesquea polica esta os perseguiado.nesta
freguezia deu-se os factos seguintes.praticados pplos
jenuinos, els os factos em abril deste anno : Gul-
?lBLI5AgOES A PEDIDO
SOXETO
OOereciilo ao Eini. Sr. Dr. Antonio Borges
Leal Caslello (raneo
POR UM ADMIRADOR DE SDA ADMINISTRACA3
Depois de tanto lempo ter passado
Por grande, e inhumana agilago,
J Pernambuco exulta venturoso
Por contar em seu seio ura caropeito.
Homem justo, fiel, s,bio profundo,
Horaem recto em seus actos e aeges;
O qual soube tanger sem pao nem pedra
Deta trra Infeliz a* corrupgoes I
Um concilio infernal tirio dispunha,
Contra esse povo dcil snbmisso,
Que as mais terriveis leis se Ihe impunha.
Mas hoje Pernambuco erpue altaneiro
Um hymno de louvor ao Ser Supremo,
Porque Ihe deu um homem justlceiro I
ALFAXDEGA.
Rendimenlo do dia 1.......... T:lW#22
dem do dia 3............... i7:36i*7
54:655*109
M'tVIME.sTO DA ALPADE'iA.
Volumes entrados cora fazendas----- 117
t com gneros..... 134
Volumes sabidos com fazendas.
com geaeros.
-------25!
51
511
-------5; 2
Descarregam uo dia 4 do correnle.
Brigue dinaiuarquez Joanesresto 'fe farinha de
trigo.
Barca ingleza Vrsion merradorias e ferro.
jBrigne ingl<-z fluH iUbum mercadortas.
Escuna porluguezaD. Juocharque.
Brigue nacional Cardiadem.
. Patacho hollandezUmijdem.
. Escuna diuamarqueza Doranndem.
, Brigue hdspanholKiji/an/-idem.
Brigue porluguezS. Josdem.
Brigue iuglezMelita carvo.
Recife, 30 de junho de 1863.
C.
Unidades. Talares
ALFAXDEGA DE PERNAMBUCO.
PAITA DOS PREC0S DOS OBREROS Sl'JEITOS A WltFrTi-
DE BXPOBTAClO. SEMANA DE 3 A 8 DO HEZ l>E
JILIIO DE 1863.
Mercadorias.
Abanos.
ana
ou do reino
dem eaxaca.......
O representante do Sr. Guaja, e seus dignos con-; demat'u espirito de a
socios no acesso do maior desespero, por nao po-; .... i,..,,,, """u "*
derem obter o que aspiravam na guarda naciona1:
Respostaao representante do &*%***
r n A dem resillada ou
br. duaj.
rento
caada
li*)
ajaj
MiO
WD
lll
de Cabo, e est provado com os annuncios publi-: tu'!Le^,^r^?tm
cadosneste jornal e no Jornal do Recife, smente ,'^m..Iama.0U
liveram por fim um completo de#ab;.fo, e por esta
mineira illudirem ao respelavel publico, o qual
mu bem licar coulieredor de laes bichos. Se o
arroba
aa
ArrozTom casca
dem descascado ou pilado .
Assucar masca vado ....
representante do Sr. Guaja dentro de tres dias nao J1)01" ,rj!n.......
Tizer publicar neste mesmo jornal aeertrttaode \, "', a1,0 ; ,-
idade do lilho do Sr. Manoel Jos de Santa Anna ; *" "e amendomi cu Inendo-
e Araujo, que diz ler em seu poder para contestar..,''" ;.......
o ter elle 18 annos, ser lido por um mentiroso e '(,c"1 ,e c"ro......
BnadO tratante, como por tal (pelo rosto e bater '(uc mamona .
caada
nao
re
das orelha."), anda que de ponea idade, ja bem
conhecido por suas iraicancias em todos os luga-
res aonde tem posto os cascos.
P. Muxilla.
Hlalas alimenticia! .... arroba
Bolacha ordinaria, propria para
embarque ..,... -
dem lina........ >
Caf bom ....... >
; dem escolha ou restolho.
Paslilkas veriuifasgas de Kcanp. {dem torrado...... libra
Criaugas atormentadas por vermes podem ser Caibros........ ura
......... arroba
branca
alliviadas com urna s dose de pastilhas vermifu- ^j1'
gas de Kcmp, que sao incilantes era apparencia e '"era
deliciosas de raais uo seu goslo para serem n-jei- Carne secoa (xarque)
tadas. E-tas pastilhas sao rnuio procurada; porCarneiros ......
juatro motivos 5 ellas nao contm nnneraes, nao Carvao vegetal .
precisan) depois de purgaito, 1 irectuam o que se Cavernas de sicupira .
deseja sem causar dor as crangas, eslo promptas Cera de carnauba em bruto,
a tomar mais do que marca a receba.
Xenhuma mi que j as tenha experimentado
urna vez quer outro vermfugo na sua casa.
A venda por todos os jirmeiros droguistas no
imperio, em Pernambuco por Caors & Barbosa e J.
da Costa Bravo t\ C.
|dem idem era velas
Cha ........
Charutos ......
Cevados (porcos) ....
Cocos (seceos).....
Colla.......
Coaros de boi, salgados A. .
dem idem seceos espichados
dem idem verdes .
idem idem cabra eortidos .
dem idem de onga .
Doces seceos .....
dem em golea ou massa .
I dem em calda
Erysipftlla.
O medicamento que cora mais influencia e cner-
gir lera combatido essa terrivel enfermidace, tem
isdo o xarojie alcoolico de veame.
Urna escrava da mai do Sr Francisco Firmno
Monteiro, pessoa bem conhecida nesta cidade, I
achando-se de cama, e com as pernas bstanle in- Espanadores grandes .
chadas, e chela de tomores, tomando o xarope de I '(Ioin pequeos......
veame, acha-se boje boa, prestando servigos. I Esleirs para forro de estivas
A mana do Sr. Jos Francisco Piulo, morador! "e navio........
narua Direita n. 51, tendo sido acommeliida do Eslopa nacional .....
mesmo mal, acha-se tambero boa. Farinha de de mandioca .
A Sra. D. Senhorinha Umhelina dos Samo?, rao- dem de araruta ....
rador na ra das Calcadas n. 38, achando-se ata- Feijao de qualquer qudlidade .
cada de erysipella as cxas, com quatro tumores f .......
bastante v iluraoos, no estado indolente, qoe a pri-
vava de pr-se de p ha muilo lempo, com o uso
do xarope alcoolico de veame e pilulas purgativas
do mesmo, acha-se res abelecida, e no uso dos me-
dicanientas os (amores (erniinarara pela suppura-
go.
A Sra. D. Rila, moradora na ra de Sania Rila
n. 13, primeiro andar, soffrendo do mesmo mal fa
muitos annos, pois que a erysipella alaeavu amiu-
dadamente, depois que tem tomado esse remedio
nunca mais Ihe deu.
Oulros muitos factos desta ordem deixo de men-
cionar aqui para nao me tornar prolixo e enfado-
oho.
SenJo a erysipella urna molestia que sem duvi-
na elfeito de materia gerada no corpo como ex-
poem alguns escriplores de medicina, e em conse-
quencia da febre langada na pelle, onde produz
inllaminagao, e que muitas pessoas, por nilo se te-
rem convenientemente tratado, succumbeni cora o
pernicioso uso de que, nos tres dias nao devem
asar de remedio algara, o que faz-se estender o
mal por nao se ter a principio combatido ; por is-
so, pois, conveniente que, logo que algnera se
sentir atacado de tal mal, deve provocar a traaspi-
rago tomando ao principio urna colherinha de
cha do xarope alcoolico'de veame dissolvldo em
uina chicara de infusode flor de sabugueiro quen-
te, adogando-a com mais assucar, continuando nos
tres dia< nesse tratamento, no fim dos quaes usa-
aa do xarojie de veame na forma prescrip'a no re-
oeituario, tendo todo o cuidado de se abalar, alim
de suar convenienlemente, alera de conservar o
ventre corrente, que conseguir lomando urna ou
duas pilulas purgativas do mesmo ''clame,
Todos quantos snccnmbem desta molestia se diz :
falleceu de erysipella recolhida ; ao contrario
alguns expositores presumem serodesenvolvimnn-
to da pntrefacco no sangue, tanto que o lugar in-
II mimado que, emo a sua cor era encarnada, se
troca em lvida ou negra, e termina em gangrena, e
por essa razio que conveniente o xarope al-
coolico de veame na infusao de flor desabngo.para
se conseguir resolver a infltmmacXo ou pelo me-
nos terminar pela supporac/io, inqiedindo assim a
gangrena.
Os effeilos do xarope alcoolico de velarr-e appli-
cado na flor de sabugo ao doente, nao s de van-
lagem por sua quahdade diafortica, como pela
anli-seplica para impedir a puirefacgo as mo-
lestias.
a'erysiprlla nao deve o enfermo nosjrimriros
tres dias osar de comidas e bebidas que possam
esquentar c inflammar sangue.
A comida durante esse lempo deve ser do reino
vegetal, como sag, farinha do Maranho,' pao tor-
rado, bolacha, etc.
Ainda mo vi axpositor de medicina que aconse-
Ihasse que nos primeiras Ires dias de acommetii-
mentos do mal, nao se usasse de medicamentos ;
o que elles repeliera sao os ungentos, unturas que
obsiruea mais e repellemdo que promovern a eva-
cuago d parfe ; o que convm trazer o lugar
atacado e bem agazalhadopara ajdar a transpira-
gao e defender do ar.
O verdadeiro xarope de veame vende so na bo-
tica da ra Direita 0. 88, de Jos da Rocha Pra-
nlas.
Tenho receido carias de algumas pessoas de
oulras proviucias que me communicam ter desta
cidade sido reraetlido o meu xarope falsificado,
que tem dado resultado ao descrdito de minha
preparagao, cujo conherimeato se lem verificado
depois dos cffeitos que taes remTdios apresenlava ;
assim, pois, tenho a declarar ao publico que no
letreiro que vai pregado na garrafa do xarope,
sempre foi assignado por meu punho, e daqui em
diante, alm desta assignatura o fare tambem
um
arroba
urna
libra

>
cento
um
cento
libra
um
libra
um
cento
arroba
alqueire
arroba
t
um
arrola
Fumo em lolha, bom .
dem ordinario ou reslolho
dem era rolo bom.....
dem ordinario ou restolho. .
Gallinbas .......
Gomma........
[peeacoanha (raz).....
Leulia em achas.....
Toros.........
Liabas e esteios......
Mel ou melaco......
Milho '.......
Papagaios .......
Pao Brasil.......
Idem de jangada......
Pedras de amolar ....
dem de filtrar .....
idem de rebolo .....
Piassava........
Pontas, ou chifres de vaccas ou
novilhos.......cento
Pranclioes de aniarello de dous
costados ...
dem de louro .
Rap.....
Sabo .....
Sal.......
Salsa parrilha. .
Sebo em rama .
dem era velas .
Sola era raqueta. .
Taboas de amarello.
dem dirersas. .
Tapiocas.........arroba
Tatajuba........quintal
Travs ........urna
Cnhas de boi ......Cento
Vassouras de piassava ...
Di las de timb....... >
Di las de carnauba.....
Vinagre.........ranada
urna
arroba

cenlo

um
caada
arroba
um
quintal
um
urna
molho
um
libra
1
alqueire
arrota


ama
duzia
35i <
lii:iMi
iit U
|:i:
5i-c
5Jfr..
ir,t (\
i-'i* >
tfabv
33000
7JOQ0
7*!0
Mi
m
M
1 i
153110
nt
ZlK)
i y>
tfSM
131000
CIH,
150
IH
105
:::
MfBM
i$m
320
500
IflMt
IPH
P
1-360)
U3DC
U0m
5H<|0
Sfttt
142000
HdOOO
XIK-,0
um
oo
s;^io
S3g0t
mu
1M0M>
6^000
li-
nn
5-5000
otm
800
OiiO
iim
liO
3^500
205000
I-:-m;
120
too
235000
55000
75000
25000
IWJOM
875000
35000
25OOO
85000
200
K^JOOO
R5O00
ajo
500
Appellantes, os administradores da massa fall- inerme Pantaleo Danlas, resisti a ordem de pri- Q'aT' ,l,m a^'Rn^iura o iare. moem ne
da de Amorim, Fragoso, Santos & C.; appellados,! sao e ferio gravemente a Francisco Xavier de Li- Pfpel que cobre a garrafa. Rogo ao mesrao pu-
Costa & Filhos. ma. No dia 5 de maio Joaquim Jos da Fonseca,1 ,bl,? (ue, *maAo tore ass,m e.n^afd^r tomem
epi>n rnrfu testemunhas, me remetlam os rtulos falsiTcados e
me participen) para fazer effeclivo o art. 167 do
E exislindo nos mesmos anlos o impedimento j'ameagou a Manoel Ferreira da Conceigo, no dia
averbado pelo Sr.desembargador Res e Silva, o! 14 do mesmo mez Jos Rodrigues de Souza no a
QMMEICIG.
y.
P
Exm. Sr. presidente offlciou ao Exm. Sr. conse-! to do rio, pelas sele horas da noute entrou dentro cudl8o enminal do Brasil.
Iheiro presidente da relago requisitando adesig-'da casa da viuva Rosa Maria de Sant'Anna e ferio1 raannos.
nwjo de um juiz. ] gravemente a escrava Mnoella depois de espanca-' ------
parsagbns. la e esta esta mortal, instaurou-se o processo ex-
Do Sr. desembargad.ir Rcis e Silva ao Sr. des- offlcio. Xo dia 28 Joaquim de tal, morador na Ver-
embargador Silva Guimares: tente, deu urna facada em Raymando Jos de Arau-
Appellante, Francisco Jos de Campos Pamplo-1 jo ; a 14 do correle mez, Cosme de tal e Manoel
: na ; appellados, Roberto Lighlborn & C. Pedro de tal, deram urna sorra na parda Anna Ma-
Do Sr. desembargador Accioli ao Sr. desembar- f ria da Conceigo. Todos este?, Srs. redactores, sao
gador Barros Vasencellos : J jenuioos.eis o motivo norqae estes senhores qnerem
Appellante, Francisco Jos da Costa Barros ; ap- urna polica sua que para os crimes augment ir-
pellados os administradores da ma.-sa fallida de Pa-1 se mais e a seguranga de vida e de proprieade,
checo & Hendee. ser nenhuma ; estou bem certo que o digno Sr.
diligpncia. [Dr. chefe de policia nao propoz as nossas demis-
Appellante, Jos Ribeiro Bastos; appellado, Joa-; 5e, e o maior prazer que me acompanha, esle co-
quim Luiz Vieira. j mo mea chele teria de apreciar dos meas feitos, e
Haja vista o Dr. curador ad litera. o Exm. Sr. presidente da provincia talvez de boa
aggeavo de i.vTiu.\\iSNTO i.NTERPOSTO do jcizo mu- f isto fez. Son, Srs. redactores, de VV. SS. cria-
mcipal E commebcio de nazareth. do obrigado Manoel Soares de Almeida.
Aggf arante, o major Aleaodre Correia de Cas- Grvala, 29 de junho de 163.
Caixa filial lo Raneo do Brasil em
Pernambuco.
A directora desta caixa saca sobro o banco do
Brasil no Rio de Janeiro e sobre a caixa Glial do
mesmo banco na Baha.
Novo banco de pernambuco.
Os administradores da massa fallida de Joaquim
Jos Sijveira pagara o Io dividendo de dita nnss>
na razao de ii 0/0 sobre o valor des tralos ad-
! metildns : no novo banco Je Pernambuco na
. do Trjpiche n. 34.
All'andega de Pernambuco, i. de julhj de 186.3.
(Assignadoa):
O 1." conferente, Joaquim Amelio Wanderley.
O 2." conferente, Augusto lins de Souza.
Approvo. Alfandega de Pernamuc, I de iuhV
de 1865.A. Eulalio.
Conforme. -O 4." escriplnrario, /. de Acila D.
tencourt Nenas.
RECEBEDORIA DE. REN'DAS INTERNAS GE-
I1AE3 DE PERNAMBUCO.
Rendimenlo do dia 1.......... 7725105
dem do dia 3 ................ 1:4i052.5
2:2635320
CONSULADO PROVINCI.AlT
Rendimcotododia I.......... 10:5745578
dem do dia 3.............. 12:129578
22:8045246
MOVIMEHTO BO PORTO
^w
Navio entrado no da 2.
Bombay-90 dias. galera mgleza Lord Lymmrst
de 1187 toneladas, capuo William Gra*am!
equipagem 28, carga linhaca e ontrus gneros
a Saunders Brothers & C. Veio receber or-
dens.
Navios entrados no dia 3.
Lisboa 30 da-, brigue portnguei Flori%da,it
227 toneladas, capito Joaquim Augusto de Scn-
za, equ.pagera 13, carga vinho e outros gneros
a Amorim Irmo.
Liverpool 45 das patacho inglez Torra, de 148
toneladas, capito Joseph Colgu, equipagem 8
carga fazendas ; a Mills Latham & ii
Nanos sahidos no mesmo du.
Ro de Janeiro Brigoe brasileiro Trovador, capi-
to Joao Francisco Belin, carga assucar e ou-
tros gneros.
Babia-Patacho nacional D. Luiz, capito Jos Fer-
reira de Azevedo, carga difireme gneros.
Rio Grande doSulPatacho brasileiro Elvira, ea-
pilao Manoel Albino de Barros, earga differntes
gneros.
EDITIS.
O Dr. Tnsiao de Alencar Araripe, offlcial da im-
perial ordem da Rosa, juiz de direilo especial in
commercio desta cidade do Recife de Pernam-
buco seu termo, por sua magesude imperial e
consiiiucional o Sr. D. Pedro II, a qnem
guarde ele.
Fago saber pelo presente que por esle juizo
cartorio do escrivo que este subscreven e fez pa



i
)
L
,
r ^ mzrr
/
;m-z r- "i


Mwgn <> ia>

V
Diario de Fernaffibuco Tei^a t*< 4 ce Sulho de 8.
sar o presente, corre urna execugao de sentenga, I
entre parles como exeqoenle Hrarique Jos Alves
Ferreira e como executados os administradores da ,
massa fallida de Araorim, Fragoso, Sanios A C, e,
proceguindoa execugao os seus devidos termos,'
prosod-m-se a penhora em doheiros pertencentes
aos mesmos executados, pelo que o solicitador Ig-
nacio Barnizo de Mello, procurador do exequente
em audiencia do dia 14 de novembro me fez o re-
querimento do theor seguinte :
Aos 14 de novembro de 1864 nesta cidade do Re-1
cife de Pernambuco, em publ ca audiencia que aos
feltos c as partes fazia o Dr. juiz de direito especial
do commercio Tristao de Alancar Araripe, nella
pelo solicitador Ignacio Barrcso de Mello procura-
dor do exequente Henrique Jos Alves Ferreira,
fora accusada a penhora que se segu feita era di-
nheiro pertcncente aos executados, requerendo que
nao so aos mesmos flcassem assignados os seis dias
da le, como os dez dias aos credores lacertos, pas-
sando-sc oseditaes do estylo, e requerendo na mes-
na oecasio que se passasse mandad) de remogao,
para o deposito publico e achando-se presente o
solicitador Miguel Jos de Almcida Pernambuco
procurador dos executados, por parte destes pedio
vista.
Termos em que houve dito juiz ambos os reque-
rineotos por deferidos.
Extr.ihi o preseute do p^otocollo de audiencias, e
junto o mandado e termo de peuhora.
Eu Faustino Jos da Fenceea, escrevente jura-
mentado o escrevi.
En Manoel de Carvalho Paes de Andrade, escn-
vao o sub-crevi.
Seguindo o que assim se conlinha em dito re
querimento do audiencias, depois do quai o mesmi
solicitador Ignacio Barroso de Mello, procarador do
exequente, em audiencia do dia 19 de junho do cor-
rente anno, me fez o requerimento do theor se-
grate : m ,
Aos 19 de junho de 1863 nesta cidade do Recife
de Pernambuco, em publica audiencia que aos fei-
tos e as partes fazia o Dr. juiz de direito especial
do commercio, Tristao do Menear Araripe, nella
polo solicitador Ignacio Barroso de Mello procura-
dor do exequente H-nrique Jos Alves Ferreira,
requerido que havendose des-neaminhado os pri-
maros editaes, se Ihe mandaste outros com salva
do primeiro, e que I uicava de prava, e requera
qae fos-em os autos com vista anual.
O qae ouvido pelo juiz assim o deferio.
Extrahi o presente lo protocollo de audiencias.
Eu Manoel Silvino de Rarros Falcio, escrevente
juramentado o escrevi.
Eu Hanoel de Carvalho Paes de Andrade, escri-
vao o subseren.
Segu ndo o que assim se contluha em dito reque-
rimeiitt de audiencia aqui transcripto, depois do
.mal o mencionado escrivao Manoel de Carvalho
Paea le Andrade, qae este sulireveu e fez passar
o presente edilal com o prazo de lO dias, pelo qual
e seu theor chamo, cito e hei ror citad, s a todos os
credores incertos dos ditos executados, para que
dentro do referido prazo compnreram ante este
juizo, allegando e provand i-d jue for a hem de
seus direitos e juslica sob pena de se proceder as
suas revelias. .
E para que crwgue ao con'iecimento de lodos
mandei fazer o presente edital com o prazo de 10
dias, que ser afiliado nos lugares do costumee
publicados pela impreca.
Dado e passado nesta cidade do Recite de Per-'
Bambuco aos 21 de junho de 1S54.
Eu Manoel de Carvalho Paes de Andrade, escri-
vao o subserevi.
Ti islao de Alencar Araripe.
0 Dr. Tristao de Alcncar Araripe, official da impe-
rial ordem da I.vsa, juiz de direito especial do
commercio desla cidade do Recife de Pernam-
buco e seu termo, por S. M. Imperial e Consti-
tucional o Sr. D. Pedro II, a quem Deus guar-
de, etc.
V.u-1 saber pelo presente que, no dia 2i do mez
de jui'io do correte anno se ha de arrematar de
renda annual a quem mais der, em praga publica
d-slejuizo, depois da audiencia respectiva o so-
guinle :
eng'rilioQuizanga, sito na Ireguezia de Ss. Lou-
r o d;. Malta, moente e correte com agua, cora
casa de caldeiras, 5 tachas nu a-sentamento, em
:, ;i e: i ido, casa de purgar por acabar, conleudo
300 formas, co:n furos paraooO paes, com alguma>
correntes, distilagao com um pequeo alambique
cobre em mo estado, senzala com 12 casinhasj
para esclavos, casa do vi venda desocado e;n bom.
estado dons acudes, sendo um para acabar, fal-
1 ii lo- he. a porta d'agua, trras do engenho de boa |
pulid ide com algumas maltas, 8 bois mansos e 3
luartos, avahado por 2:0000O) ris aouuaes; |
I i escravos deservico avahados em 1005 o servico
:ada um dos escravos annualmente, que tuto
prefaz a avaliaco de 3:400|006 por cada aono de
; nda, o qual engenho e seus pertences e escravos
; ij peo horado a Jos Francisco de Bao os Reg e
sua raorher por execugao de Ociaviano de Souza
Franca. .
E ua falta d licitantes ser a arrematagao tena
pelo preco d adjudicado como abaiimeulo res-
; ectivo da le.
E para que chegue ao conheci ment de lodos
mandei fazer o preseute edital que ser afixado
: is io.;ares do costume e publicado pela imprensa.
Dado e passado n^ta cidade do Recife de Per-
namboeo, aos 30 de junho de 186o.Eu Manoel
le Carvalho Paes de Andrade, escrivao o subs-
erevi. |
Tristao de Alencar Araripe.
Ra do Pilar,
dem n. !I3 particular e 101 publico. 2005000
dem n. 94 particular e 99 publico. 2335000
dem n. 97 particular e 110 publico. 2003000
Mein n. 100 particular e 104 publico. 2005000
dem n. 101 particular e 102 publico. 200,5000
dem n. 103 particular e 93 publico.. 2003000
dem n. 10o particular e 94 publico. 2005000
Secretaria da Santa Casa de Misericordia do
Recife 1* de julbo de 1863.
O escrivao,
_________________F. A. Cavalcanti Coosseiro.
Pela thesouraria provincial se faz publico,
que a arrematagao da obra da cadeia de Nazareth,
foi transferida para o dia 20 de julho prximo vin-
douro.
Secretaria da thesouraria provincial de Pernam-
buco 28 de junho de 1863 O secretario,
A. F. d'Annunciagao.______
O conselho de compras do arsenal de guerra,
precisa comprar o seguinte :
210 capotes de panno azul.
240 frdelas de brira.
240 caigas de dito.
240 camisas de algodozinho.
240 grvalas decouro de lustro
As pessoas que quizerem vender ditos artigos,
apresenlem suas propostas na sala do conselho, no
dia 6 do correte, as 11 horas do 4a- Declarn-
dole aos proponentes, que ditos arligos sero re-
colhidos uo dia 10 do correte imprejerivelmente.
Sala do conselho de ompra< do arsenal de guer-
ra, 1 de junho de 1863. O encarregado da es-
cripluraclo,
Manoel Jos de Azevedo santos.
~ H"je (4) depois da audiencia do Illm. Sr. Dr.
juiz municipal da Ia vara, ir a praca por uenda
um sitio no Barro, freguezia dos Alegados, com
urna pequea casa de taipa, a requerimento de Der-
mino Domingues dos Sanios, inventarame dos
bens de Anto Jeronymo da Costa. O terreno fo-
reiro, e essa a ultima praga, teuJo por base a ar-
rematago o prego de 2405-_______________
O administrador da recebedoria de rendas
internas geraes fiz publico, que em virtude da al-
teracao 3' do decreto 2719 de 31 de dezembro de
18G, nao julgando convemente qua. continuem
em poder dos cobradores os eonheelmentos do !
semestre do iexercicio de 1814 1863 disimpostos
de -20 0|0, imposto especial e decima addicional de
mao-morta, ordenou o recolhimento delles, princi-
piando pelo bairro de Santo Antonio, cujo debito
superior ao dos mais, alim de proceder a liqui-
dacao de conformi lade com os artigos ir e 5; das
instruccoes queacoran^nharam o decreto 2334 de
16 de fevo.reiro de 1839, que em quanto se est
organisando a relacao dos devedores do referido
bairro, Ihes perm'ettido virem aqui-pagar os seus
dbitos alim de evitarem a Cubranca judicial.
Recebedoria de Pernambuco 3 de julho de 1863,
Manoel Carneiro de Souza Lacerda.
-Tpea thesouraria provincial se faz publico,
que a arrematara) da obra da concluso da casa
da cmara e cadeia da villa do Bonito, foi trans-
ferida para o da 20 de julho prximo vindouro.
Secretaria da ihesouraria previncial de Pernam-
buco 28 de junho de 1863.-0 secretario,
A. F. d'Annunciagao.____
Pela thesouraria provincial se faz publico,
gao a arrematago da obra do quarlel da villa de
Serinhem, foi transferida para o da 20 de julho
prximo vindouro.
Secretaria da thesouraria provincial de Pernam-
buco 28 de junho de 1863.O secretario,
A. F. d'Annunciagao.
Por ordem do Illm. Sr. Dr. chele de polica,
fago publico os arligos 6o do titulo 7o das posturas
maniripaes de 30 de junho de 1849, e 12 Jo legu-
lamento da cmara municipal desta cidade de 26
de agosto de 1831, pira que ninguem possa alle-
gar ignorancia de suas disposigoes.
Art. 6 Fjca prohibido dentro da cidade o uso
de roqueiras, bombas e fo?o solt (buscap) : os
infractores serao multados em 103. e soffrero
dous dias de prisao. A cmara por editaes desig-
nar os logares em que se possa soltar os basca-
ps, roqueiras e bombas de que trata e?te artigo.
Art. 12. Nao se poder soltar f.go algom, sonao
em palcos espaeosos, ou qnintaes, nunca em lugar
de adjuntos : os infractores iucorrero na multa
de 10301)0:
Secretaria da polica de Pernambuco 22 de ju-
nho de 1863.."So impedimento do secretario,
Jos Xavier Faustino Ramos.
A subdelegada da Caponga faz sciente, que
no poler de Amonio Jos de Mattos Braga foram
apprehendidas 23 pegas de roupa, como bem ca-
misas, lenges, tualhas, meia-, lencos, etc., assim
como um par de dragonas de oflicial e urna capa
de oleado : quem se julgar com direito a taes ob-
jectos, provando, Ihe serao entregues. Recife, 30
de junho de 1863. Francisco Amonio da Silva Ca-
valcanti.
| TKHCEIRO INTERVALI.O.
Grande phantasla sobre motivos da opera Filha
do Regiment, com acompanhamenlo de orchestra.
QUARTO INTEHVALLO.
Phantasia sobre motivos da opera Ln Shaniera
por S, Tnalberg.
Principiar s 8 horas.
AYISQS M1ITIM0S.
COMPANHIA PEKNAMBUCAXA
DE
Navegacao costeira por vapor.
Parahyba, 3tal, Maco, Aracaty, Cear,
Acarac e Granja.
No dia 7 do crrente, as 5 ho-
ras da tarde seguir' para os por-
tos cima indicados o vajoor Per-
sinunga, commandante Ralis. Re-
cebe carta al o dia 6 ao meio
dia. Eucommendas, passageiros e dioheiro a frete
al o dia da sahida as 2 horas da tarde : escrlp-
terio no Forte do Matos n. 1._________________
"" Para o Rio de Janeiro segu
com muita brevidade por ter
prompta a maior parte do car-
regamenio o brigne brasileiro
Impei'ador, o qual recebe o resto
da carga a frete,para o que tra-
ta-se no e.-criptorio de Amorim Irmaos, ra da
Cruz n. 3. Tambem recebe escravos fe passa-
gem a tratar com o esputo Joaquim Pinto de Sou-
za Passos, na praga do commercio.
Para-a Bahia pretende sahir
com muita '.brevidade o velelro
lugre Emilia, rapitao Rernardi-
no Rodrigues de Almeida, por
ter a maior parle da carga tra-
tada, e para o resto que Ihes
falta traase com o consignatario Joaquim Jos
Goncalvea Beliro, na ra do \ gario n. 17, pri-
meiro andar.
Para Lisboa.
Segu com a possivel brevidade o bem conde-
cido briguc portuguez Relmpago : tem a maior
parte da carga prompta e para o resto e passagei-
ros, trata-se com o consignatario Thomaz d'Aquioo
Fonseca,na ra do Vigario n. 19, Io andar,ou com
o capitao na praga.
Venda de navio.
Vndese p |brigue brasileiro tJmperador de
conslrucg.io.americana, forrado de cobre e com
todos os seus pertences, e do porte de 8,00 i arro-
bas e acha-se tundeado defronte da alfaudega, aon-
de pode ser visto e examinado, e para tratar no
escriptorio de Amorim Irmitos ra da Cruz n. 3.
Rio Grande do Sul
Segu com muil? brevidade por ler parte do car-
regamemo prompto, o veleiro patacho Cyro, capi-
to Casemiro Ribeiro Gomes ; a tratar com Miguel
Jos Alves, ra da Cruz. 19._________________
FKETA-SE
para os portos do ful e para os do Rio da l'rata o
brigue nacional Saliy : a tratar na ra do Trapiche
numero 4._______________________^_^__
|it firaode c Assu'
Segu por estes dias a barcaga Dous Amigos,
recebe carga : a tratar com o mestre na escadi-
nha ou no cace, do Ramos n. 24.
Lisboa pela lili a de S. Migoel. -
Prctcmle sabir em poucos dias a barca
Maria rec-jbe carga e passageiros para
estes dous portos. a tratar com os consig-
natarios Carvalho & Nogueira, roa do Apol-
lo n. 20 ou com ocapitaona praca.______
Para o Poro.
Sohe com a possivel presteza o brigue portnez
guez Umo : para carga e passageiros tirta se
com o consignatario-Tnoriai d'Aquino Foaseca:
ru do Vigario n. 19, 1" andar.
LEIJ.O
De l secretaria de mogno, 1 dita de amarello,
2 mesas elstica-, 1 cama franceza de Jacaranda,
1 dita de amarello, 1 guarda-roupa, 2 guarda-lou-1
cas, l tocador rom espHho, 1 commoda de jaca-'
rauda, I santuario pequeo, 1 machina de costura,!
carteiras, marquezas lavatorios, cadeiras de faia e
de amarello e outros objectos de goslo.
Cordelro Simdes
far dos objectos acuna mencionados, terga-feira 4
do crreme, s 11 horas, na ra da Cruz n. 57.
-3?"
-
ANACIOSAL
Leilao.
i
DE
l'm terreno em Papaga.
Um dito e unn casa em respaldo no Afflitos.
Um dito com duas casas pequeas, sendo urna
em construego e mais bemfeitorias dentro do
mesmo terreno.
Um e*cravo velho.
Dividas.
Martios far leilao por ordem d).s redores do
Rvfj. D. Jos Anlonio dos Santos Lena de um ter-
reno cercado em Papacaga, um dito e urna casa
em respaldo nos AnTilos, um dito com duas casas
pequeas, sendo urna em construego e mais bera-
fetorias dentro do mesmo tetreoo sito na rua.lm.
perial, o qual foi hypothecado por Manoel Luiz
Coelho de Almeida, un escravo velho e diver.-as
dividas na importancia de 6:9363470 rs., em do-
cumentos c letras, ludo perlencente a mesma
massa.
v 3r"BF52
Em seu escriptorio ra da Cadeia d. 9, as 11
horas.
Lcilo de escravos.
iaoJ
Terga feira 4 de juulio ao meio dia (1803).
O agente Piulo fara leilao, a requerimento de
| D. Hara Carolina de Brito Carvalho e por despa-
1 cho do Illm. Sr. Dr. juiz de orphos, da escrava Ja-
cimha com urna lllha pornomeChrlstina.e o escra-
vo JooS, ambos com habilidades, e pertencentes a
orpha Arminda; o leilao sera elleetuado n.elo
dia do dia cima dito no escriptorio do referido
agente ra da Cruz ir. 38, onde poderao obter os
pretendenles qualquer informago a respeilo.__
Leilao de GO qneijos de timas.
Cordelro Slmes
por conta e risco de quem pertencer far leilao
de c rea de 60 qneijos de Minas chegados ltima-
mente pelo tTocantins isto
Conipanhia geral hespanhola de seguros mutuos
sobre a nda
AUTOIUSAD.A PELO REAL DECRETO DE 21 DE DEZEMBRO DE 185!)
ma Ganca em dinheiro, depositad. nos cofres do estado, prali I boa i*
mDistraco da companhia.
BANQUEIROS DA COMPANHIA
O Banco de Ilespanha
DIRECCO GERAL
Madrid : Una do Prrfoi. 11
Esta companhia liga pelo systema mutuo todas as combinagoes de SOMmieBCil do svnft
sobre a vida.
Nella pdese tazer a subseripgao de maneira que em nenhum raso b<:b < |< i t<> > ti s
gurado sje perca o capital nem os juroseorrespondentes a estes.
Sao to suprehenientes os resultados que produzem as sociedades da ndole a* A NAfTf
DAL,que ainda mesmo JimlnuinJo urna terga parte do interesse produzule **> retenes liqoria;
ces ecombinan! )-> con l mortalilade da tabella de Depareieux qne e adoptada fVa ciripanh--
para seusealnalose llqiidacSes, em segurados de idade de :l al9 annos, urna im|>or>i<-aDnoa.
de 100J produz em effectlvo metlico:
No 8m de 3 annos.......1:119-5300
de 10........3:9420O
de 15 *.......!l:20ft20
; de 20 .......3f:2."C50fo
de 23 .......80:33I#0M
as idades menores de 3 annos e mabres de 30, os producto* sao mai- mmwHwbwI.
Prospectos e mais informacoesserao prestadas pelo suh-direclor nesia provincia.
Joaquim Pinza de Oliveira, ru da Cadeia n. 32, ou a Boa-Vista rna da Imperatriz n.'2,etobtl
ment dos Srs. Raymundo.Carlos.Leite & Irmao.
HOJE
i^r.-.K-TT-t
.l-.-TS***^ '-"-"i" ~ *' -'
f E ai - ; , Vi '.-
L w u L-
Correio
J1JBI..IMLII W.-M*ffT- '
DSeLM(BS.
Convidase as pessoas que estao as condi-
- di servico militar, a engajarem no corpo de
l"i ilicia e gozaren) das vantagens da lei provincial
u. 611 d; 2 de maio prximo passado, que sao as
segumos : lSiU rs. diarios de s.ddo, serena seus
i i ps menores re^olhidos aos eslabelecimentos
^rjvinciaes de educagaj o tempo que esliverem
na gu Tra ser contado pelo Jupio para o caso de
aposcnUdoria, e a m desias, lem todas as mais
vantagens que sao concedidas aos voluntarios da
a.O tenente-c onel commandante do Cor-
p i de polic a, A exandre de Barros e Albuquer-
'l";- ___________________________________
Saata Cusa da Misericordia
do Eecife.
A Illm." junta administrativa ia Santa Casada
Misericordia do Recife, manda fazer publico que
n) dia 6 do correte pelas i horas da tarde, ua
sala de suas sessoes conlinuam a praga das ren-
slas das casas abaixo declaradas por tempo de 1 a
'i aunos a contar do Io de julho do correnle anno
por dianle.
Ruadas Larange ras.
Casa terrea n. 3 particular e 17 pu-
blico.......... 2085000
Ra do Raogel.
! I.:m n. i? particular e 33 publico. 300-3000
Ra do Rosario da Boa-Vista.
I lem n. 14 particular e 5S publico. 1685000
Ra da Lapa.
C.-a terrean. 41 particular e 2 pu-
buco..........130J000
Ra da Mocda.
i i a ii n. U particular e 21 publico. 330^000
Ra do Amorim.
I lem n. 48 particular e 36 publico. 4005000
i n. 50 particular e 52 publico. 4205000
n u. 56 particular e 26 publico. 723000
Ra do Azeile de I'ixe.
co.....'......6005000
Ra da Cacimba.
M-m o. 63 particular e 5 publico. 1415000
. ..i u. (17 particular e 10 publico. 835000
Ra do Vigario.
Sobrado de 2 andares n. 72 particular
e 27 pjblico........3005000
Ra do Encantamento.
Siliradode2 andares n. 76 particular
e 11 publico........9005000
[Jera idem n. 77 particular e 13 pu-
blico..........9005000
Rna da Senzala Velha.
Gasa terrea n. 81 particular e 18 pu-
blicr)..........2005000
llemn. 82particular e 16 publico. 2005000
Ra da Guia.
I em n. 8i particular e 29 publico. 1445000
Ra do Trapiche.
Sobrauo de 3 andares n. 83 particular
e 30 publico........7205000
Ra da Lingoeta.
I: -n de andares n. 86 particular e
publico........6005000
Roa da Cruz.
IJem ideal n. S7 particular e 11 pu-
blico.......... 8825000
Pela adminisiracao do correio desla cidade se
faz publico para filis convenientes, que em virtude
do disposto no art. 138 do regulamento geral dos
crrelos de 21 de dezembro d-> 1844, e arl. 9 do
decreto n. 185 di 13 do maio de 1831, se proce-
der o consumo das carias existentes na admiras-
tragao pertencentes ao mez de junho de 1864, no
dia i de julho prximo, as 11 horas da mauhaa,
na porta do mesmo correio ; e a respectiva lista
se acha desde j exposta aos inleressados.
Administracao do crrelo de Pernambuco 30 de
junho de 1863.O administrador
Domingos dos Passos Miranda.
m&m 6m ~
llelaco das carias seguras exislentes na admiais-
trago do coneio desta cidade para os se-
nliores abaixo declarados :
Alfredo Nunes de Castro Lavor.
Dr. Alvaro Caminha Tavares da Silva.
Armindio & Saraiva
AgosUnhu Gomes da Cunha.
Dr. Antonio da Costa Ribeiro.
Capito Antonio Luiz Duarte Nunes.
Bent' Jos Alves Vianna.
Castrciano Marques de Gonvea.
Christovo Guilherme Breckenfeld.
Chrstovo Gomes Pereira.
Dr. Carolino Francisco de Lima Santos.
Francisco Ferreira Borges.
Francisca Feij de Helio (Serlnh.vm).
Francisco de Mello Brrelo.
Justiofano Antonio Alves Soares.
Jacintho Marlins de Oliveira Jnior.
Padre Joaquim Mauricio Wanderley.
Joao Francisco da Silva Novaes.
Joao Nepomuceno Alves Maciel.
Jos Buarque Lisboa.
Jos Gongalves de Medeiros.
Jos Garca da Silveira Junioi.
Jos Joaquim de Lima.
Lino Antonio Saraiva.
Manoel Bento de Oliveira Braga (2).
Nicomedes Maria Freir.
Thomaz Antonio Maciel Monteiro.
Strut Blak.
Visconde de Suassuna.
Vicente Francisco da Costa.
Leilao
De du.s machinas a vapor.
Sendo
Urna portavel (broa 14cavados sobre rodas, com
cal-leira, patente e todos os seus pertences.
Outra fixa e orizontal, forca de 12 crvallos, com
caldeira e mais pertences.
HOJE.
O agente Pinto far leilao por conta de quem
perlencer das duas machinas a vapor cima men-
cionadas proprias para engenhos, as quaes se tor-
nam recommendadas pelas suas perfeicoes e por
serem dos melhons fabricantes de Inglaterra ; os
pretendenles poderao desde j examinaren) ditas
machinas para o que poder > entenderem-se com
o mesmo agente em seu escriptorio a ra da Cruz
n. 38, aonde se effectuar o dito leilao as 10 horas
do da cima dito.
LEILAO
De terrenos ecasas de eampo no
Monteiro
A saber :
Urna casa de pedra e cal com 27 palm s de fren-
te e 47 de fundo com 2 salas, 3 quarlos, cozinha
fra, terrago, cacimba e juntamente o terreno em
que se acha" edificada dita rasa, na estrada do Mon-
teiro, com 92 palmos de frente e 320 de fundo,
dando os fundos para a estrada do Arraial.
Urna casa de taipa com a frente para a estrada
' do Arraial. com 34 palmas de frente ^e 34 de fun-
do, contendo 2 salas, um gabinete, o quartos, es-
\ tribaria ao lado, cacimba com bomba, e juntamen-
te o terreno com 1,030 palmos de frente e 428 de
fundos, o qual poder' ser dividido em sitios.
Um terreno com 350 palmos de frente e 370 de
; fundos, em que esta' edificada a casa do Sr. Bar-
reto, em frenle a casa e sitiojdo Sr. Manoel Jos
Carneiro.
Um dito com 282 palmos de fren!e em seguimen-
to ao de cima, e em que esta' edificada a casa dos
herdeiros de J-.emiti de Souza Tra va-so, e nao
estrada do Monteiro. 4
HOJX.
O agente Pinto fara' leilao, precedida a comp-
leme autorisago, dos terrenos e casa cima men
donados, as quaes se tornam recommendadas por
serem em um arrabalde perto da cidade, e para
onde vai haver estrada de ferro : o leilao sera' ef-
fectuado as 11 horas do dia cima dito, em o es-
criptorio do mesmo agente, a' ra da Cruz nume-
eo 38.
Leilao (1 um orgao.
HOJE
O agente Pinto legalmente autorisado fara leilao
do orgo existente e pertenrenle a igreja ingleza,
as 10 horas em ponto no armazem do Sr. Aunes
largo da alfaudega. ___________________
LeiSo de 192 latas com gigos.
HOJE.
O agente Pestaa fara' leilao por centa e risco
de quem perlencer de 193 latas com peiie em to-
tes a voniade : boje pelas 10 1|2 horas da manhaa
no armazem do Sr. Azevedo, dufronle da escadi-
uha daalfandega.____________
LEILAO
Notas do banco do Brasil e das caixas fi'iaes,
descontm-se na praca da Independencia n. 22.
Alagase um pequeo anriazem na ra da
Paz, proprio para qualquer e.-tabelenrpen'o em
ponto pequeo : a tratar no pateo de S. Pedro n. 4.
Precisa-se fallar ao Sr. Joao Salustiano Coe-
Iho, na praga da Independencia ns. 6 e 8.
Albino Jos da Cruz, subdito portuguez. vai
a Portugal a tratar de sua saude.
Precisa se de urna ama para o servigo Inter-
no de casa de pouca familia : na ra da Concor-
dia n. 8, refinagao.
njn-se
a casa terrea da Ilha do Betiro (Passagem da Mag-
dalena) onde morn o corrector Macedo, com bous
commodo* para familia : irata-se no largo do
Corpo Sanio n. 19, escriptorio.
Sao convidad s os amigos do fallecido
Manoel da Costa Ramos, para assisiirem a
urna missa por alma do mesmo finado,
quarta-feira 3 do frrente, a- 7 horas da
manhaa na igreja do Corpo Santo.
de
Um escravo c urna \*cca com cria
Cordelro Sluies
far leilao de um e:-cravo mulato de idade 22 an-
dos pouco mais ou menos, com habilidades e de
urna vacca cora cria.
mu:;
Terga-feira 4 de julho as 11 horas,
mazem da ra da Cruz n. 37.
No ar
Lela-) de 2G0 Islas'con frncias em
calila.
HOJE.
O agente Pestaa fara leilao por conta e risco
de quem perteucer de 260 latas com ructas em
calda em um ou mais toles : terga-feira 4 do cor-
renle pelas 10 horas da manhaa no armazem do
Sr. Azevedodefroule di escadinha da alfaudega.
tirao.de feha de movis, objaetos de
ouro e prala nov s e uiailos arli-
gos de gosto.
\ Qprta feira S do corrente as 11 horas.-
NO GRANDE AtUIAZEM DE LE LOES
DO AGENTE
O LY NI PI
3()--ttua da Cadeia do Recifc--3(5
leslAo
Lima casa Ierres na llapanga.
Martina far leilao a requerimento dos deposi-
tarios di massa fallida de J iaquim Antonio Lopes
Gomes e por mandado do Illm. r. Ur. juiz espe-
cial ao commercio de urna casa terrea sila na Ca-
punga e perlencente a mesma massa.
Quarta-feira 3 do corrente.
Em seu escriptorio ra da Cadtii n. 9, as 11
horas.
Liilao de fa/.cudis avariadas.
A 5 do corrente.
Rabe, Schmeltau & C. fari leilao por interven
gao do agen'e Oliveira e por (tanta e risco de
quem p-rtencer de algurais porgo'S de algodozi-
nhos crs ezoes, avariados.
Qoarla-feira 5 do corre::t
s 11 horas da manhaa era ponto, uo seu ann.v
ze 'i da ra da Cadeia.
AfISOS BIYEESOS.
O Sr. Arienio Antonio Carneiro da
Cunha Miranda queira dirigir-sea praga da
independencia n. ^e 8, que se precisa
fallar.____________________________
Iiistitalo Archeologieo e Geographico Pernam-
luicana.
Hiver sessao ordinaria quinta-feira 6 do cor
rente, as 11 horas da manhaa.
Ordem do dia.
Trabalhos e pareceres de commissoes e votages
adiadas.
Secretaria do Instituto 3 de julho de 186o.No
impedimento do secretario perpetuo,
Salvador Henrique de Albuquerque
2 secretario.
T..IE vriii)
EMPREZA--COIMBRA
Ter^a-feira 4 de jullio de
1865.
Concert em beneficio do pianista peraambucano
Jorge Vctor Ferreira Lop:s Jnior.
Subir a scena o muilo applaudido drama era
3 actos, no qual toma parte toda a companhia
0 CEG E 0 CARCUNDA
Esecotando o beneciado nos intervallos do
mesmo drama, as difficeis e brilbantes phantasias
de piano, na ordem seguinte
PRIMERIO INTERV'ALLO.
Phantasia sobre motivjs da opera U Corsario,
por A. Goria.
SEGUNDO JINTERVALLO.
Phantasia sobre motivos da opera Lucie de la
Lamermoor, por E. Prudent.
LOTERA
AOS 6:000#000.
Sabbado 8 do correnle mez, se extrahir
a 4a parle da 5a e Ia da 6a lotera f22a) a
beneficio da malriz de S. Pedro Martyr de
Olinda, no consistorio da igreja de Nossa
na ra da Aurora, onde poder desde ja ser exa- Senhoia do RoSario da freguezia de Santo
minado pelos pretendentes ao mesmo, devendo;"
comparecerem ao leilao que dever ter lugar as 11 Antonio.
Os bilhetos, metos e quartos eslao a ven-
da na respec iva thesouraria a ra do Cres-
po numero 15,
Os premios de G.-0005000 at 105000
ser3o pagos urna hora depois da extracc5o
at as i horas da tarde, e os outros depois
da distribuido das lisias,
servindo de ba^-e o maior prego obtido, o leilao j As encornmendas S r5o guardadas so-
sera effectuado as 10 horas do dia cima dito em merite at a noite da vespera daextracc3o
o escriptorio do mesm agente ra da Cruz n. 38. com(J je costume.
/ O tbesoureiro,
horas do dia cima dito na ra da Cruz n. 38, es-
criptorio do referido agente.
Leilao de dividas.
iioji;
O agente Pinto levara novamente a leilao as di-
vidas activas da massa fallida de Joss Anlonio Al-
ves de Miranda na importancia de l:13t29 rs.,
Antonio Jos Rodrigues de Souza.
a labrrua a praca di Ba'Vsta nu-
mero 15.
Terca-feira 4.de julho as II hojas.
OLYMPIO
! requerimento de Reg & Lobo e mandado do -nni'cas, dirjase ra Direta n. 14.
Sr. Dr. juiz especial do commercio, fara leilao dos, 'v^j^j^-------->----->--------------------
gneros, armagao e uteucilios existentes oa taber-1 Na ra de Hortas a lo, segundo andar, pre-
a de Fernando Jos de Oiiveira sia ux pragi ia cisa-se de urna criada para QS set vigos de urna se-
Jos Joaquim Moreira,
subdito portuguez e coramer-
ciante nesta praQi, vai a Eu-
I ropa tratar de sua saude.
Quem precisar de urna ama para todo o ser-


Desappareceu no dia 19 do prximo passado, o
negro Marlins, estatura regular, com una ferida
grande n'uraa canella a peroa enchada, ful com-
prado ao Sr. Carvalho Paes de Andrade, senhor do
engenho S. Paulo, supoese que anda pelos eoge-
nhos perto do Barro, quera o pegir, faca-o coudu-
zir a botica da ra do Cabug u. 11, que jera
recompensado. _________
Ao commercio.
O negociante que tiver contas legaes com Mara
da Conceigo Jess, moradora na cidade de Garua-
ra, e queira fazer um abatimento commodo, diri-
ja-se a ra da Praia n. 43, que achara com qjem
tratar; visto esta senhora ter facilitado.
Manoel Ribeiro Fernandes, londo de fazer
tran-acao com a actual casa de molhados, sita na
ra do Cabug n. 18 debaixo da firma social de
Lima & C, "sucessores da firma Lima & Cinha,
pede por favor a lodos os senhores credores de
qualquer dustas iroias hajam de apresentar
seus ttulos, (u declarar o porque se consideram
credores, em casa do aonuncianto na traversa do
Queimado n. 9, quina da ra Larga do Ho-ario,
para se lomar a devida nota, Isto no praso de tres
dias, lindo o qual o anuunciante nfio se responsa-
biiisar por qnatquer debito das duas firmas sociaes
cima declaradas. Recife, 4 de junho de 1863.
Precii-a-se do urna ama para casa de duas
pessoas, para cosinhar e engomma: na ilha dos
Ralos n. 3._____________________________
~~Z. Precisa-se de urna ama ; na ra Eslreita do
Ro ario n. 24, prtmeira andar.
Precisa se de um feilr que entenda de plan-
tag5es, prefere se solteiro : a tratar na Capunga
Velha, sitio do fallecida Joao Leite de Azevede.
Na typographia da Ordem precisa-se de um
compositor.
^ O r. Cosme de S Pereira conti-
H| na a residir na ra da Cruz n. 53,
m l" e 2o andar, onde pode ser procu-
| rado para o exercicio de sua profis-
g sao medica, e com especialidade
m sobre a seguinte
Io molestias de olhos;
2o de peito :
3o dos orgos geni-
ti urinarios.
Era seu escriptorio os doentes se-
rao examinados na ordem de suas
entradas comecando o trabalho pe-
los doentes de olhos.
Dar consultas todos os dias das
6 as 10 da manhaa, menos nos do-
mingos.
Praticar toda e qualquer opera-
cao que julgar conveniente para o
prompto restabelecimento dos seus
doentes.
Inrlifira.
Alocase a grande c ,cheira da rm ZH a 60 : a tratar na ra larga ti Ito-ar, n. 34.
botica._______
C'ozlnhffr*.
Precisa-se Je um cozioheiro bom : na ra i
Cadeia n. 37.
Auseiilou-se linje ao me il.^.il.i rm d Cruz
n. 26, omoleqne Vencesl >, de id.d-' de 10 anr.>>-,
de cor fula, venta chala, e le*u rjm -a e caira
de chita azul, t-ndo no pecogo am rosario, bas-
tante ladino e esparto, f >i escravo cria tle ea*a ik
Sr. Jos Baptisla Rih'iro d- Firia-, e c.nw s n-
confia esteja ac mudo, protesla-se proceder n-ntra
quem o tiver acdhido ; e pe le se a QMM oVll*
der noticia, ou o agarr.ir, leva-lo a sobrediu ran
que ser recompemado.
Precisase de nma ama qne eng>mm'. cnzi-
nhe e compre, para urna >o pes-oa : na rna d*
Cruz n. 13, primeiro Mttr.________
Preclsa.se ile urna aru |iara i lo <>rvii;n
de urna casa : na ra do Livramento n. iO, se-
gundo andar. __
Precisa-sede 1:000-3 a premio, d.nlo-se p
garanlia beus de rah : quem qafeft hmi aM
(tocio, duijt se a praga da laVpea !jf! i I ;. a.
17, que se dir com ipiein se teva Irular.
A
7,
iuga-^e
o primeiro an lar o sobrado da na Imp-'ri.ii n.
193, com busl nles commodo.
Na ra dos Coctbos n. 10 se lira quem faz
algumas iransaccdaa sob bi>as garanta*.
Fabrica de chapeos de sol
Ra do Crespo n. -1.
Nesla fabrica acha-se sempre o miis cu.
sortimento de chapeos de sol francezes e imieze<
para hornees e senhoras,' tanto de seda como alpa-
ca, e panno de todas as cores; as-im nmo u:;i
grande sortimento de jieras d superior -ela, al-
i paca e pannos de linho algolao para oirtf ar-
I magoes servidas, ludo por pregos minio raz^arp*.
Cobre se e coiicerta-se to la e qualquer quaii I ite
i de chapeos de sol, com perteigao, pre-teza int
modo (irei.-o.: ra do Crespo n. 4.
Convidam-.-e os creilores do finad
! min Prancisco da Silva Arauj >, eom loja de [ni-
[ Iciro na ra eslreita do R vario, apiuaalaiiiB m
eontas ua merma toja, ou na serrara de F.mb
Jos Gomes, roa nova Ue S.tiilatt:: i i. 1 .
serem verificadas.
H -;
l lenca o,
O abaixo assgnadodeclara no rcsp*itar.! pnbB-
co que desde odia 30 de abril prximo pa-
que dissolveu amigavelmenie aawMar^wH'
nha em urna loja de charut s, ritl rm 'a Ci-
deia do Recife n 9, sob a firma de S l\ ,\ 'i.mi i
rae, litando o activo epa#l a cary* d> .*<:>
Ignacio Gomes da Stai e cunsiaudo-liie q-i ii
ex-socio anda comprando em n me da m**m > fir-
ma, por isso que faz esle aviso para que depois
ninguem se chame a ignorancia.
Recife, 4 de julho de 1863.
Joed Alves Mirlado SataBWW.
' A
Na ra do Banhel n. 38, se.'iin i) anlar, pre-
sa-se de urna ama forra ou e interno e externo de nma casa J- poir< fa-ntiia.
O abaixo asignado t ndo ir M 'ininjuv
pe, afim de 1 qmdar os genero- que all rxi.-t m
em seus armazens, fazendi rom-in d- atfI del-
les para esta praca, e como esta demora sera !
:30 a 60 dias, deixa por seus pro-urad^re- u -'
praga aos Srs. Amorim & Irmao P1i:':s, Ira >* A
1 C, e Joao Qoirino de Aguilar & '., 111- c" P'
j nos poderes. Recife 3 de julho de Is3.
Francisco Jos de Campos P.mplona.
--;-:-
Bja-Yistan. 13.
nhora.
Aluga-se o sobrado da ra do Seve n... (Ilha
dos Ratos por detraz da nova casa do Gymnasio)
com 6 salas, 11 quartos, quartos p?ra criados e es-
cravos, com bom quintal e cacimba, e cocheira pa-
ra 6 cavallos: a tratar na ra da Cadeia n. 36,
primeiro andar, ou na ra da Saudade, casa n. 1.
__Ignorando-se onde est assistindo o Sr. Joa-
quim Salvador Pessoa de Siqoeira Cavalcanti, ro-
ga-se-lhe tenha a bondade de apparecer a llvrarla
os 6 e 8 da praga da Independencia, afim de re-
ceber urna carta de importancia._____________
Acha-se justa a taberna da ra dos Pescado-
res n. 43, com o proprielaro da mesma, livre de
qualquer transaegao, e quem tiver alguma roela-
mago a fazer v a iravessa de S. Jos n. 22, no
praso de tres dias, contados desta data. Recife 3
de julho de 1863.
Sociedade_Bella-Harmouia
A reoniao familiar que eslava marcada para o
dia 1- do correnle, nao leve lugar em consequen-
cia do mao lempo havldo nesse dia, e foi designa-
do novamente o dia 8 do corrente (sabbado). Os
cartoes de convite sao os raesmos.
Secretaria da socedade Bella-Harmonia 3 de ju-
lho de 4R63.
J. Ribeiro da Fonseca
1- secretario.
Quem precisar de ropa engommada e lava-
da muilo bem, mandando buscar e entregando em
sua casa, mais barato do que em oulra qualquer
parte, dando fiador da roupa que recebe : quem
quizer annuncie por esta folha para ser procuiado.
Do poder do abaixo assgnado desapparece-
ram tres carteiras, contendo diversos documentos
e deplomas de sua profissao : quem Ih'as restituir
ser generosamente recompensado..
Njcolo Peilel.
Alten cao
O Intel italiano precisa de u:n cozioheiro, copel-
ro e urna ama : na ra do Trapiche n. 5.
IfcP..
p Joao da Silva Ramos, m-dico pela t ni
J) versidade de Cotabra, da cmsul'as em
JH sua casa das 9 s 11 horas da manha, e
tt das 4 s 6 da tarde. Visita os doentes
\ em suas casas regularmente as horas
i para isas designadas, salvo os casos nr-
f gentes, que sero socc^rridos em fHl-
quer occasio. D rm-ulias aos pobres
que o procuraren) no hospital Pedro I!,
f aonde encontrado diariamente da* 6
s 8 horas da manhaa.
Trm MU casa de sade regularmente
j montada para rereber qualquer toe
S ainda mesmo os alienados, para o ajaa
5 tem commodas apropriados e nella pra-
l tica qualquer operagao cirnrgica.
I Para a casa de saile.
I Primeira classe HimiOdianoa.
Segunda dita.... 25300
Terceira dita.... 2^000
Este estabelecimenlo j bem acredi-
;g tado pelos bons serviros que leu pre-
m tado.
9 O proprietario espera que elle r
gl nue a merecer a contianga de, que seci-
* pre tem gozado.
L'
I
^
FIGADOoe BACAL! J
P eo proetsso de Chrrrirr, pbaimacratir c
Pars, rna do Fauhonrg llonlnarte 21.
Este oleo de um cheiro agrailarel, e t
uva sabor assucaratlo o nico que nao Mi
nm o-gosto, nem o ahetrn Htt petr*. Ob-
jecto de numerosos relatorios srientifiros e
mdicos, este medicamenie que goza em
Franca de um socceso to raro como lem
merecido, receitarfo diariamente pelo
principaes mdicos dos hospitaes de Pari.
O" OLEO DE FIGADO M BACAI.llO DESINFECTA-
DO ferruginoso emprega-se com os maiores
successos ns molestias em que e empresa
o oleo quando silo acompanhadas d* iet
dade e atona.


e



L_-
>^m-
J.


Diarlo de Pecaambuco ... Ter \
encao.
CASA DA F0RT1
\
Pede-se a todas as autoridades policiaes e a
quaesquer particulares queirara descolirir onde se
acna homisiado o pardo Gabriel, escravo de Anto-
nio Rufino Aranha, da cidade da Parahiba, que de
l fugira embarcado no vapor Paran, quando es-
te em m ultima viagem conduzira tropa para o
sul. Esse escravo pardo claro, de estatura me-
nos que regular, e bem proporcionado, lera cabel-
los corridos e crespos, de 18 anuos de idade, pou-
co mais ou menos, com espiohas no rosto, e offl-
cial de alfaiate. Consta que se offerecera para as-
sentar prfa como voluntario : a quem o appre-
beuder, ou delle der noticia exacta para sua ap-
prehenso, dar-se-ha excullente gratilicacio, na
ra do Queimado n. S._________________
Aos 6:000^000.
Bilhetes garantidos.
A* VA DO Crbspo n. 23 e casas do cost.uiie.
O abaixoassignado vendeu nos seus muito fcu-
res bilhetes garantidos da lotera que se acabou
de extrahir, a beneficio do tbeatro de Santa isa-
bel, os sognlntes premios :
ous quartos n 1281 com a.sorle de 6:0005
Uro quarto n. 2990 com a sorte de 1:20000.
B outras militas surtes de 100*, 40*, 20* e
100o0.
spo.ssuidores podem vir receber scus respec-
tivos premios sem os descontos das leis na Casa
da Fortuna ra do Crespo n. 23.
Acham-se a venda os da 4* parle da 5" e 1"
da 6" lotera (22') beneficio da matriz tle S. Pe-
dro Martyr de OUnda, que se extrabiri: sabbado 8
do corrente.
PRECO.
llhetes. .... 7*000
lieioe......35500
Quartos.....1*900
Para as pessoas que coiu|rareni de IG)$000
para citoa.
Bilhetes.....65500
Helos......3*730
Quartos.....1*700
Manoel Mabtins Pidxa.
0 bacharel Joao Ditiiz Ribeiro jjgj
2 ila Cunda turo, escriptorio de advo- I
Isa padu na sala do BObrado n. 38, da r_n
|| na do (Judimado.
Semana lllustrada do Rio de Janeiro
Assigna-se na ra do Crespo n. 4 : tres mezes
6*, seis mezes II*, um anuo 18*
A lugm-se
om sitio na campia da Casa Forte, com doasoa-
sas, urna a em que moruu o fallecido Tilomas de
Aquino Fonseca Jnior, feita a moderna, e conten-
do todas as accommodaces precitas, e outra com
boas commodidades para qualquer familia : n.
ra do Vigario n. 19, primeiro andar.
Anda se precisa de urna ama paracoii-
I nhar e engommar para tres pessoas : na
Jfg ra das untes n. 37, sendo pessoa mon-
as girada e que se possa entregar urna casa.
m
iMlm
Aviso importante.
O abaixo assignado, receben do Sr. Manoel Car-
los dos Santos, do Rio de Janeiro, cartas e ordens,
para supprir a seu (ilho menor Alberto Carlos dos
Santos, que em Janeiro do anno corrente, s ausen-
lou daquella cidade, e que se suppde existir nesta
provincia, de tudo quanto carecer, e mesmo para
voltar ao seio de sua familia. O Sr. Carlos, ou
qualquer de seus amigos, dinjam-se por obsequio
praca do Paraizo n. 24.
Salustiano A. P. de Souza Prez.
Precisa-se saber quem o correspondente do
engenlio Quitlnduba, para entregar urna carta na
livraria ns. e 8 da praca da Independencia.
Engentio.
BRANDE ARMAZEM DA EXPOSICO DE LONDRES RSmffV
DE
THOMAZ TJEIXEIRA BASTOS
N. 60Ra da fJadeia do Recife-N. 60.
Todos os artigos abaixo menciona
cimento as prioeipaes fabricas de Pars,
s, foram comprados recentemente pelo d;no do eslabele-
ndres, Birminhgam, Manchesier, e em diversas r.idades
K SfflSI
Companhia idelidade de seguros
martimos e terrestres
estabelecida no Rio de Jaueiro.
AGENTES EM PEIINAMBCCO
| Antonio Luiz de Olive ira Azevedo & C,
competentemente autorisados pela direc-
tora da companhia de seguros Fidelida- ?
Rival sem seguudo
:? fiua do Queimado ns. 49 > 55, loja it
miudezas de tres porta, esl qiei-
mando tudo liom e barate, t\nrn ai-
zer ver e admirar vcubaw i laja 4a
Bigatfilha.
da Allemanha, e tendo comprado tudo as iieihores romlieoes por ser a dinheiro, por isso vende todo &* de.tomam seguros de navios, mercado- jfe; Caixas de papel amizade e sem ella liso t paota*>
e qualquer artigo barato, por menos do seujvalor, e mu piincipaliiieute por querer inteiramenie liqui- ?, rias e predios no seu escriptorio ra da ? a 600 rs.
Samuel Power .lolinston & (lompanhia
Rua da -erzala Nova n. 4.
AGENCIA DA
Fuadico de Low tloor.
Arrenda-se o engenho Jussara de Sant'Anna, sito
na freguezia de Ipojuca, legoa e meia distante da
eslaco u"a Escada e Ipojuca, com Ierras de var-
zeas de massap para se safrejar em grande esca-
la : a tratar no pateo do Livramenlo n. 23 oin o
Dr. Ignacio Nery da Fonseca.
Precisa-se de um trabaloador de padaria que
entenda bem da todo o servico : na rua Oireita nu-
mero 69.
Precisase fallar com o Sr. Jos de Souza
Leao a negocio que nio ignori : na rua Nova u.
20, loja do Carneiro Vianna.
O London d liraziliau Bank, saca por doos
os paquetesjsobre
Lisboa.
Porto.
lraga.
Vianna.
Guimares.
Villa Real.
Coimbra.
Amarante.
dar e ter de partir muito breve para a Europa.
Ha neste vasto armazem neos objdcios com brabantes, como botues, aunis, rosetas, etc., e
bem assim, diversas obras de ouro, como (rancelius, eorrentdex, ocales, face-mains, anneis o muitos
outros artigos, relogios de ouro, inglezes, do afamado fabricante Renete ; completo sorlimento de fa-
zendas linas e modernas; miudezas, perfumes, perfumaras linas do prinaipaed fabricantes nglezes o
francezes, como L. T. P1VEU, Labio, L. Legrand, EJ. Pioand (S M.-yer, Uelettrez (l'arfumai ie du
mond lgant), Violel, Societ Hyglenique, Monpelas, Mailly, Regnier, P. Gneland, e InglQzas de Bug.
Rimmel e outros; ricas galantanas em uiarliin, madreperola, etc., fabricadas na China e no JapSo;
ricas pegas de crystal lino como anda nao appareeeram nesta ciliado, e bem assim modernos lusiics Machinas a vapor de 4 e G cavallos
para velas, ditos para gaz e para petrleo, serpentinas, castl.aes, enfulles e adornos para cima do en- \lnpn,ias P m(,ja(. mftpnflaq nara me*ui
solos e para grande toilette, o que se tem feito de mais elegante em Paris, n Londres, Birmingliam, .eilUd!' e metas muenuas para engemio.
etc.; modernos apparellios de metal lino iuglez paradla caf, os'quaes nada tem da inferior .prata Taixas de ierro COadO e balido para erige-
e muitas outras pecas do mesmo metal, riejs pentes de tartaruga da ultima moda para trancas de se- nb O,
nhoras, excelleiiles luvas de pellica do afamado Jouvb, apparelhos de purcellana lina para cha e caf, l ____:
dito*parajantare immeasos artigos de porcelana lina'donrada, como ricos vasos para llores, figuras, Arrftns.i rarrn nara nm p ,iftn< avallns
etc.; calcad* dos pnacipaes fabricantes de Paris e ditos de panno com sola de borracha, pianos dos u, Odrro *,ara D e i0U!5 l'd%ai"JS-
celebres fabricantes.Pleyel, Wolll & C, realejos modera a de Gavioli C, para se. locar na rua, ditos RelOglOS de Ouro patente inglez.
com figuras para salos e ditos com figuras em movimenio; modernos e bonitos Instnimaolos de. physi- Arados americanos.
ca (mgica) para tbeatros ou saloes, ditos de phantasinagoria ; lanternas mgicas, cosmoramas com Machinas oara de^CarOCar algodo
vistas novas, da e notle ; stereocopo- de nova inveucao e com bello surtimento .le vistas das prioeipaes Hnlnrp '.' Hitne'
cldades da Europa ; grande sorlimento di brinquedos tiuos para criancas, e bonecas fallando papai, '""'"', paid utius.
mami ; grande sorlimento de candieiros a gaz os que se tem feito de mais elegante e que tem mere- Machinas de costura.
cido toda a aceilaco na Europa, grande e magnifico sormeolo de caixinlia-:, cestinhas ^ outras j;alan-,
lerias feitas de crina e seda, proprii-s para presentes; grande gortimento de estampas Roas coloridas
com o fundo preto e de outras d,- todo-os santos, diUs cjm figuras^ ditas com m.vas paysaj-eiis para No dia 4 do crreme, as 10 horas da man'iaa,!
cosmoramas, linos e bem graduados v.dros para cosmoramas, um bello chafanz de cryslal, proprio defronle da r.beira do peixe, serao arrematado^ os
(torcos apjiiehendidos pelo fiscal desta freguezia,
com assislencia do juiz de paz. Fi^calisacao da
fraguazia de S. Jos 1 'o jolho de 1863.
Joao Pacheco Alves.
Attenclo.
Grozas de bo'.oes de louga prateados fazenda ao-
derna a 100 rs.
Dazias de penna de ac fazenda boa a 10 re.
Pecas de tranca de la lisas e de Mi core a
40 rs.
Escovas fini.-simas (tara limpar trales a iW e
320 rs.
Pulceiras de coalas para si -nhoras a 500 re.
Pecas ile lita de eos estrenas cora 10 Taras a
320 rs.
Caixas cora clcheles francezes, superiores nuli-
dades a 20 rs.
Tinleiros de barro, com superior ln.ta a 100 rs.
Pege ile curdao para vestido.-, ;.,zenda boa a
20 rs.
Ilaralhos muito linos para voliarele a SOO e
240 rs.
Frascos com agua de Florida a I i e 11280.
Frascos com superiores banhas a 500 rs. e 9$,
Frascos com hanha, porm pequeos a 200 e
2i0 rs.
Latas com superior banha a 200 rs.
Frascos de macaca perula muiio lino a 200 rs.
Frascos e garrafinhas com agua de Loteis a
400 rs.
A Ooinp
MARTIMOS
CONTRA F060.
anida Indemuisadora
estabelecida nesia praija, loma seguros martimos
sobre navios eseus carregamenlos e contra fogo em
edificios, mercaduras e mobilias: no seu escripto-
rio, roa do Vigario n. i, pavimento terreo.
Precisa-sede 1:000$,daedo-se por seguran-
za urna escravaqtie coznha o diario de urna casa,
lava e erigomma muito bem : quem ti ver annun-
cie sua inorada.
Precisa-se de urna escrava para lodo o ser-
vico do urna casa de familia : quem liver annun-
cie, ou dirija-se a rua de Santa Rila n. I.
Xa rua do Livramento n. 3, deseja-so saber
onde ora a Sra. i). Tliereza Rosa de Jess para
negocio que muito Iba pode ioteressar.
GABINETE"
POftTUGUEZ m LBITl'llA EM PE L-
IUHBUC0.
De ordem do Illm. Sr. presidente do conselho,
convoco os membros do mesrxo conselho para se
reunirein em sessao ordinaria na sala das respec-
tivas sessdes, qu>rta-feira 5 do corrente, as G ho-
ras da tarde.
Secretaria do conelho deliberativo do Gabinete
PortiiKuez de L'ilura em Pernarabuco Io de julho
de 1805.
A. A. dos Santos Porto
Io secretario.
gj 0 Dr. Carolloo Francisco oVtHHa^San- g
>j los contina a morar na rua do Impera- jgj
>?K dor n. 17, segundo andar, tendo alias seu
gabinete Ge consultas medicas, logo ao
>s entrar, no primeiro.
>S< O mesmo doulor, que se tem dado ao
^t estodo lano das opera^oes como das mo-
tty lestias internas, prestase a qualquer cha-
Wk mado, quer para dentro quer para fra
&5$ di cidade.
Convida-re aos credores do Sr. Antonio Joa-
quim de Mello a virem receber o primeiro divi-
dendo de 25 0|0 rua do Livramento n. 38.
Detcucaminhou se na semana finda um riio
galgo, com os signaos seguimos : cor amarellada e
embranquicada, com unn orla braiica no pescoco,
ponta da cauda branca e quebrada, ps calcados
de branca : qu^mopegar leve casa de detenyu,
j'ie.s-ra gratificado.
Vendc-se urna aotula c nina janelia em mui-
to bom estado : rua das Aguas Verdes n. 92.
Alugase urna parte da casa n. 92 da rua
das Aguas Verdes: a tratar na inesma.
Precisa-se do um caixeiro com pratica ou
sem ella de laoerna : na rua do Sebo n. 54.
Freguezia de S. Jos.
A professora da lerceira cadeira de insiruccao
primaria do sexo feminino da freguezia de S. Jos
participa ao publico que a sua aula achar-se-ha
abena do 1 de juiho vindonro em oianle, na rua
de Santa Rita n. 27, primeiro andar.
a pituco
O abaixo assignado declara que nesla data tem
passado procnracSo bastante ao Sr. Manoel Joa-
quim da Silva para fazer Ihe compras de gado, lan-
o nos mercados pblicos como as estradas, e pa-
ra dito lim soprir rom aquelia quanlia que o
mesmo Sr. Manoel Joaquim da Silva exigir para
para meio de mesa de janfar ou para jardim ; cutelaria fina, corao talheres com cabo le metal fino,
collieres, thesouras finas, ditas modernas para alfaiate^, navaihas linas, caivetes e outros artigos, diver-
sos artigos feilo de rame; completo sorlimento de mascaras ile velludo, sctiin, cera, papeln e rame,
doces confeitados e chocolate emcaixinlias eem vidros ; camas de ferro de lodos os lmannos lava-
torios, ec.; ricos quadros para carines Je visitas e ditos grandes e pequeos para retratos ; chapeos
de sol, bengalas, chicotes e ditos para carros; machinas para fater caf, ditas para bater ovos, proprias
para quem faz po-de-l, bohnhos, etc.; bellos cortinados arrendados, verdes, encarnados e brancos :
pauuos para cobrir mesas, boleas grandes e pequeas para viageus, e outros artigos, como cobertores,
ni,ila% etc. ; sorlimento de Violos finos; ligaras unas e jarros Je alabastro ; galantarias e outras pecas
de charao para toilette ; machinas para varrer o chao, excellentes machinas para photoirapliia (tara
lirar relratis, grandes e pequunos ; lindos baldes de papel Bao transparente e lanternas coloridas para
illuminacoes a moda de Pars, salva-vida de b-nracha, para homens e senhoras, proprias para quem
toma banhos em lunares fundos ; ameizas novas em caixmhas, hi>couijs ioplezes em latas, graxa in-
gleza97; cerveja em barricas das* prioeipaes mareas de Londies, qoeijos, ele, e muitos oulr ts artigs
que para enumera-Jos seria um nunca acabar, e todos se vendem barato e muito barato no grande ar-
mazem da Exposigo de Londres, na rua da Cadea do Recife n 60.
a 400e
DINHEIRO FRANCEZ.
Vendem-se moedas de ouro e olas do Manco, e bem assim urna colleceao desde nm centesimo
lmil francos : vndese barato rio Recife, rua da Cadeia n. 00, noarmazem na Exposigao de Londres.
Fraseos grandes com superior agua de Colonia
640 rs.
Frascos com superior oleo de balioza
500 rs.
Caixas com 12 frascos de rheiros rooito baos a
7-j IA'00.
AlU^a-Se Sabmieies pequeos de bolla a 240 rs. e grandes a
por 165 mensaes a casa da ru dos Prazeres n 1 c .' c ...
R do bairro da R,a-Vista : a tratar na rua es.rei-1 ?'b"ne es d* fam,lla *> 0 rs.
ta no Rosario n. 28. rtl7ld f*01"" pequeos com I.eiro a 700 rs.
f-----------M i .u-------.---------------- -- | Agua dentihee superior qualidadea .-IK) rs.
I'Ugio em o da 3 de mam o escrava Jacob,: Caixas com superior p de arroz a Hoo r-
cnoulo, representa 30 anuos, alio, bonito, bai ba-; Frascos de superiores essencias santal e'ooiros a
do, falla mansa, mullo conhecido por vendedor de j {200.
leite, e vender agua do chafariz do paleo do (Sr- Frascos rom osenrias para lirar nodnas de roo&a
mo; ha pouco tempo Irahalhava em carros da al-1 a 500 rs.
fandega : quem o pegar leve o a sua seabora D. Frascos com rheiros de todos os oreos a 160 lia)
Anna Joaquina do Monto Fonseca, em seu sitio ua 4o e 320.
ser recomp.ju-
estrada nova do Cachanga, que
sado.
COMPRAS.
O
c a
m
te
Para completa liqnidacao vende-se, por mnito menos de seu valor, perfumaras muito linas e i
novas, ebegadas recentemente de Paris e de Londres dos mais afamados fabricantes seguinles : Eug,,
Runmel, R. Matheus A; C., Lubin, Sociedade Hygienica, Piver, Violel, L. Legrand, Deletrez. Pinand & |
Ueyer, Regnere, Mailly, Gillet frere. etc., etc., dos quaes ha crande sorlimento d'agua de mioma em '
vidrose garrafas, agua de lavande, agua para limpar dente.-, oleo babosa, extractos em garralinlias e|
vidrns de differenles modelos, pos para limpar deoles, banha em potes e em vidros, pomadas, ricas
eaixinbas e balainbos eotn perfumaras para fazer presentes, e mnilos outros artigos que se vende por
menos de seu valor, bem como todos ns arigos em geral existentes no grande armazem da Exposicao
de Londres, na rua da Cadeia do Recife n. 60.
Para senhoras.
Ricos e modernos pentes de tartaruga para tranca de senhora, o que se tem feito de mais ele-
ditas compras, protestando ao abaixo assignado: gante at o presente : vende-se por menos de seu valor para se liquidar, no grande armazem da Ex-
nM *_.-ln n *-------- -- latAMMBAZlI 1 .. Lri,m'. I|AP 1 I I l : I .' I I 1 flQ I I 1 I. I I I" 11 I I I H iN, i 'i| il..ln .1.. 1) ...,f.. .. l'i I
com toda e qualquer intervencao que alguma pes-
soa queira ler como credor do mesmo Manoel J ja
quim da Silva no capital de que est d posse, e
lofro que nao me convenha dito negocio larei pu-
blico. Escada 26 dejunho de 1865.
posico de Londres, rua da Cadeia do Recife n. 60.
Comnra-se effectivamente ouro e praia em
ornas velhas, pairando-se bem : na rua larga do
Rosario n. 24, loja de ourives.
Silvino Guilherme de Marros compra e ven-
de effectivamente escravos de ambos os sexos :
rua do Imperador n. 79, tcrceiro andar.
* Ouro e patita
em obras velnas : compra-se na praca da Inde-
pendencia n. 22, loja de bilhetes.
Coropra-se ouro, prata e pedras preciosas,
em obras velhas : na rua da Cadea do Recife, *
loja do ourives no arco da Conceico.
Compram-sc pennas de ema e pagam-se bem:
na ruado Livramento n. II, segundo andar.
Luvas novas de Jouvin.
Vendem-se excellentes luvas de pellica recentemente chegadas de Paris, tanto para homem co-
Joaquim Francisco de Souza Chaves, j mo para senhora, por menos de seu valor, para se liquidar ; no grande armazem da Exposicao de Lon-
m
$mmx m^mmmrn \
Desejamns saber se o Sr. P. que virou de C.
pan o Forte do Mallos, ignora que seu estaiieleci-
ment eonstantemete aberto alia noitc e minias
vezes de madrugada, para recolher urna grande ,
quanlidade de monstruosas saceos sabidas de cer-
ta fabrica, diz o europeo Vicente que vio cheias
de algodao, no eniret mo era de bem que se ave-
riguasse, porque a ser verdade, confirma a voz
publica que diz eslar o J. A. empregado na agen-
cia e regencia, e que para mellior regularidade
tambem correge os erros da caixa, cediendo assim
ptimas vantagens para Sme. Sentimos bastante
termos de voltar, se acaso nao tomarem em con-
sideradlo o que dizemos, porm havemos de ter
menos paciencia porque esta em servico activo o
oculo do telegrapho,
dres, na rua da Cadeia do Recife n. 60.
*%%i
J.
t. 55. RUA |
DE
VIGNES.
vO IMPERADOR X.
55.
Os pianos desta amiga fabrica sao hoje asss mohecidos para que seja necessario insistir sobre a
sua superioridade, vantagense garantas qoeoftVreccm aos com.iradores, qualidades oslas incontrsia-
vels que ellos tem definitivamente conquistado sobre todos os que tem apparecido nesla praca ; pos-
suindo um teclado e machinismo que obedecem lodas as vontades e caprichos das pianis'tas, sem
nunca falhar, por serem fabricados de proposito, e ter-se feilo ltimamente melhoramenios impo'rtan.-
tissimos para o clima (leste paiz ; quanto s votes, sao melodiosas e flautadas, i> por isso muito agrada-
veis aos ouvidos do apreciadores.
Fazem-se conforme as eneommendas, tanto nesta fabrica como na do Sr. Blondel, do Paris, socio
correspondente de J Vignes, em cuja capital foram sempre premiados em todas as exposigoes.
No mesmo estahelec.imento se achara sempre um explemlido e variado sorlimento de msicas dos
melhores amores da Europa, assim como harmnicos e pianos harmnicos, sendo tudo vendido por
Compram-se libras esterlinas a 9>6O0, na
praca da Independencia n. 22.
Compram-se pataeSes mexicanos: ua praca
da Independencia n. 22.
. Compram se dous consolos de mopno com
pedra marmore branca, assim como um toilet tam-
bem de magno com espelho e pedra marmore bran-
ca, tudo de gosto moderno (Luiz XV) e em perfef-
to estado : a fallar na rua do Crespo n. 4, fabrica
de cha |ieos de sol.
Compram-se libras esterlinas : na rua do
Crespo n. 16, primeiro andar.
? K N fi S.
0 castelio de Grasville.
Trailuzido do franecz por A. J. C. da Cruz.
Vernle-se este helio romance eia quiti
tomos pelo baratissirao preco de 2J50C
ua praca da Indeoen-lencia. livraria as.
6 e8.
Frascos bonitos com cheiros finos a 500 rs.
Duzia de meias muito linas para senhora a
4800.
Gollinhas/mnito finas para senhora a 200 rs.
Caixas cum soldados de chumbo para menino- o
160 rs.
Duzias de collieres de m Dita* dita dito para sopa, fazenda boa a lis>.
Varas de rnrdo branco [ara espartiltio a W rs.
Pecas de lita de la para debrum de vestido, cora
10 varas a 600 rs.
Ditas de bicos superiores, para acabar a 600 e
800 rs.
Pedras de loosa para m nios a ICO rs.
Caixas de lamparillas para 3 mezes a .'l rs.
Bunecos d-i enera e panno a 160 rs.
Caixas com boatos estampas para rap a lu) rs.
Capaehos comnrioos, boa fiieoda ? :m rs.
peaje antas pan caira a
100 rs.
Tolas p;tas fazenda* 6 pan liquidar, p < ti.'.i
esla em perfeim e.-lalo, isto pranle o oa i do --
tabeleelmenio.
VinLo verde
Ancorelas com superior vioho verd< de Bast?
o melhor que vem a este merca lo : a rna dailruz
n. 18, armazem de Jos Joaqinm Lima Ka rao.
Vende-se urna prea de meia idade i|ue -i-
nha o diario de una casa e lava |M-reiUmenl-e
prego barato : a rua Direita n. 17.
Pennas de pma. \
Cera amarella. \
Prlle- de cabra, \
Cera d^. arnauSa.
Velas do Aracaly.
Vendem se na rua da CaoMI n. 57, armax-m
de Prenle Vianna & <'..
Batatas.
Vendem se ex-rellentes batatas cein diminuta
preco de .'iO'.i r. o pipo : m armazer., rio Sr. Ase-
vedo defronle da escadintia da alfandega.
Atteucao, fregpezea.
Lourenco P.reir scmles Gnenran*, nsnssji
e armazem da Arara, ca rua da luq^ralriz n. :,
esl fazendo urna nava liqnidarao de mtm as b-
Vende-se urna mulata de 18 anno de idade, i rendas qu- se venoV malla baraii. mar* :
DO Y
Precisase de urna ama
gundo andar.
Ama
na rua Bella n. 14, se-
Aluga seo f andar do sobrado n. 26, na rua
do Qaeunad, |ia'ra escriptorio.
ifW* O hacha re I j|$
riROfiseo Augusto da Costa I
AnVf-GADO
j*J Roa do Imperador numero 69.
W.
Alugam se dous grandes sobrados com com-
modos para numerosa familia, novos e aceiados,
com jardim, oocbeira, estribara e ooiras commo-
didades. na travessa de Joo Fernandes Vieira :
a tratar na rua da Senzala Nova n. 42.
Roa-se a quem receben ordens para a gale-
ra ingle Tamaa, procedente de Manilha, ca-
pilao Main, o obsequio de dirigir-se a casa de
Mills, li;itham i't C. para dar alguma informaco
sobre o mesmo navio.
-"-
tugue l'
0 arrematante das dividas da massa do fallido
Francisco Gomes Castellao, declara a quem for de-
vedor da mesma, e que quizer pagar independente
de justica, entenda-se nestes lo dias com p procu-
rador Hermenegildo Eduardo Reg Monteiio na
rua do Rosario E-trelta n. 17 Io andar, das 9 horas! preccis comrnodose razoav-ei's.
do dia as 3 da tarde.
Recife, 30 dejunho de 186o. _________
^ AH A.
Precisa-se alugar urna escrava para todo o ser-
vico de urna casa de pouca familia : na rua do
Rangel n. 41.
O advogado Francisco de Paula Penna mu- ^^-^ ^-^ w w K*ztKsjQ30<9
don seu escrplorio para a sala da freele do 1 an- Rua da Hi'liui nillliei'O 28.
dar do sohrado n. 38 da rna do Queimado._______, Neste eslabclecimento acham-se venda os se-
Jos Teixeira da Costa undo de fuer urna Bototos.objeetbs, lodos da primeira qualidade, e
viagem para fra da cidade a" Iratar da cobranca: to".slruillos especialmente para esta casa, pelos
de seus devedores, em sua ausencia deixa encarre- ma's '"-'editados fabricantes inglezes :
gado da sua prensa a seu procurador e caixeiro: *'a<'hinas a vapor de 2 1|2 a 8 cavallos, com
Jos Ferreira Penlia, coro quem se devem entender moe'mas, juntas e sem ellas ; e tambem proprias
aquellas pessoas que teera iransaccoes com elle ;
e quanto a seus negocios jodlclaes icam delles en-
carrefradns seus procuradores Dr. Deodoro Ulpiano
Coelbo Catanbo e solicitador Balbioo Simdes de
Carvalho Camelio Pessoa.

para descaro(;amento de algodao, afamadas pela
fortidao, simplicidade e economa em combustivel,
e por nao precisar de obra qualquer para seu as-
ontamenio.
Rodas d'agua de ferro, sfftema mol proveitoso
Antonio de Carvalho de boje em dlante Orara
se chamando Antonio Francisco Jos da Cunta.
Precisase alagar um moleque de '2 a 14
annos, paga-se 12$ mensaes : a tratar na rua do
Cabng n. 2 R.
da forca d'agua.
mnm^Mmmmi
imm
Rodas de espora, e angulares, e de esquadnlha
para animaes. '
oendas e meia-mooudas.
Taitas de ferro batido e fundido, e de cobre. '
.Machinas para descarocar algodao, systema
Plan, coro os ltimos mclhoramenlos.
Roccas e crivos de patente para fjrnalhas, dimi-
abaivo assignado, nao uodendo -i inuin,lu ,miil" p:>sio do combustivel.
snedir-sfi rio. linios ns seus ami- SI Mafh,Bas e maohlotonio para moer mandioca,
i!espedir-se de todos os seus ami
g is, pela rapidez de sua viagem,
vem pelo presente offerecer-lhes
seu presumo em Portugal, onde se
(leve demorar. Aproveiti a occa-
s 3o para agradecer ao Sr. teen te-
coronel Joaquim Manoel do Reg
lierreto a amizade com que sempre
o tratou e assegurar-lhe que sem-
pre o encontrar prompto ao seu
servico.
J. aquimda Silva Costa.
m
i
*
RETRATISTAS
Firmiuo & Lins
m
m
de bonita figura, e sem achaques : i-ara ver e tra-
tar, uo paleo do Terco, sobrado n. 2.
Vinlio do Porto especial.
0 mais genero-o p genuino vinho do Porto, mar-
cas novas 3 especiaos em caixmhas de 12 garra-
fas, senli marca Rainha de Portugal a 185 a cai-
xa e Pedro V a 165, em porcilo far-se-ha nm ana-
fe razoavel : no armazem de' Ferreira & Malheus.
na rua da Cadeia do Recife n. fi6.
Bichas deHamburgo
Vend -m-se na rua Nova n, 01.
Farinha de mandioca : tem para vender An
Ionio Luiz de Oliveira Azevedo & C., no seu es-
criptorio rua da Cruz u. 1.
Novo estelecimc tosa rna Xova 15,1l- j
dar, jiiito ao Se. Gantier, m
dentista. O
Tiram retratos lodosos dias, das 7 horas (2
da manhaa as 5 da tarde, qaer chova cu ,%
nao. y.
Tambem se offerecem para tirar reir-
"Vendem-se palmelras imperiaes, em estado
de seren transplantadas: no sitio murado es
querda, depois do beccj do Espinheiro, nos Af-
fliclos.
I7lo de alirndo da fiBakia.
Vendefse no escriptorio de Antonio Luiz de Oli-
veira Azevedo A C, rua da Cruz n. 1.
RIVAL
SEM SaEttUJtHlO
Rua do Queimado ns. 4 e 5.
1 Contina a vender lodas as miudezas que abaixo
tos de pessoas fallecidas, dentro ou fra MI ? Pi ,pref-"S fdroJrmjs-
K da cidade. jjj' *
Os annnnciantes desojando acreditar o gS
Sf seu eslabelecimento, garantem ao publico jH
Z que nenhum trabalhosahira de sua offiri- .jnjf
na, sem que nao seja perfeitamenle acaba H
do, e a vonlade do treguez. H
m>&..$x M^mm Ltk&fkm
Ainga-se a casa da iravessa da Bomba n. 10 : a
tralar na rua do Sefoo n. 2.___________________
Appareceu e casa do coronel Joo Mauricio
Wanderley, engenho Cavalcanti em Narelh, o es-
cravo Amonio, diz ser de Joso Ferreira Taborda
do engenho verteirte em Caruar. Por tanto pre
1:
No largo da Peuha n. 10, se dir quem da'
premio a quanlia cima.
Urna senhora habilitada pela directora geral
vine-se ai senhor do mesmo qae o mande bascar, I da insiruccao publica par ensmar primeiras te
poia o coronel nao se rosoonsabelisa pela morte ou i tra?. ollerece seu prestimo para leeeionar : na rua
de lionas n. 102.
g I movidas a vapor, aguaou cavallo.
fcdj Fornos e chapas de ferro batido para coser fa-
M rinba.
fg Alambiques de ferro, e fundos.
Guindastes, fuos e jiortalils.
Prensas para ciqnar cartas.
Rodas para carro de engenho com eixos e man-
gas de patente.
Farias de ferro batido galvanizado para purgar.
Serras de ac e armaQes de serrara.
Arados de ferro singelos e dobrados, grades para
cubrir raima, enxadas a cavallo, e outros instru-
mentos de ayriculiura.
Eu abaixo assignado faco publico a quem
convier ou interossar possa, que nao del autorisa-
co nenhuma a Joo Luiz da Costa Leite para ven-
der nein alugar a casa n. 117 na rna Imperial,
nem o s lio na rua de Joo Fernandes Vieira n. 34:
quem quizer comprar a casa n. 117 na roa Impe-
rial, dirija-se a rua de Horlas n. 26, para tratar
comigo, legitima heroeira do finado meu pai, Luiz
da Costa Leite.
Faostina Thereza Leite.
O abaixo assignado, revestido de poderes ge
I Massos de palitos lixados para denles a 100 rs.
i Espelhos de molduras douradas a 200,240 e 320 rs.
, onets de olado para meninos a 15000.
. Ditos de rnuro superior fazenda a 15300.
Frascos com superior finta rocha a 240 rs.
Meiadas de hnha frota para bordado a 20 o 60 rs.
i llahado do Porto, fazenda boa, vara a 80, 1(0 e
140 rs.
Varas de Irania branca eslreita a 40 rs.
Caixas rom 100 envelopes, fazenda fina a 600 rs.
raes pelos nerdeiros do finado capitao Julo Frau-! Grozas de pennas de ac, fazenda snpenor a 500 rs.
cisco de Alqaquerque Mello para vender os solos Duzias de meias cruas encornadas para humein a
e propiedades que possdem na povoaco dos Afo- i 3f00Q
gados, em diversas ras, abaixo descriptas, eonvi-1 Grozas de botoes madreperola finos a 500 e
da as pessoas que quizerem comprar ditas proprie-; e 640 rs.
dades a entenierem-se com o mesmo abaixo assig- i Caixas com 50 novellos de Clinha do gaz a 700 e
nado, a rua Direila, bolica n. 81 d* Sr. Jos da 900 rs.
Itocha Paranhos. Oulro sim previne aquellas pes- i Caixas com superiores obreias de cola a 40 e 80 rs.
soas que. al o presente nao teem pago os respec-1 Pecas de fila branca elstica com 9 varas a 280 rs.
tivos foros que o facam da pubhcacao deste a 30 Varas de franja de la para enteiles de vestidos a
das, lindos os quaes se proceder judicialmente a 40 rs.
cobranza. Baralhos delirados superiores qualidades a 400 rs.
fuga "el e.
mmmm
414
Preeisa-se de urna a ca que saiba
lieni cottnhar com limpeza e que
fa<;a compra para pouca familia:
na rua da Cadeia do Recife n. '8,
primeiro ai>dar.
Acha-se ausente o escravo Joflo, que foi da
fallecida D. Leonor Jorge, levou calca e camisa
branca, o muilo picado da bexiga, reprsenla 40
annos :.quem o pegar leve o a rua do Crespo n.
i 18,segando ou lereeiro andar, que sera' gralifi-
' cado.______________________________________
Roza-se ao Sr. Ignacio Pinto dos Santos Sa-
zes, itu^s consta aehar s<* nesta cidade, que antes
de reNrvr-se comprela na rna da Cruz 5, a
negocio de seu inleresse.
A ma ie leite.
* A liin Precisarse d urna ama de leite
'a//<'u' 'Caideireiron.M.'
Precisa-se de urna ama que saiba engommar : ; __ Ji;i"ilS
na rua do Trapicho n. 36, seguro anda
Ama de leite.
Precisase de urna ama sadia e com bom leite :
na rua Imperial, sobrado n. 87.
Estrada de ferro
O Sr. J. Kreuzer pela sua resposia parece igno-
rar qual o negocio porque o chama o solicitador
Pedro A. da Cusa Machado, pois para traannos
a respeito da defeza que Ihe liz quando Vmc. este-
ve prestiM cadeia do Cabo, e como me. seja peno-
su procn'a-lo em ptrte i|U* Vmc. incerto, rego-
Ihe me (nocure ao meuos urna vez, pois deve lein-
ibrar-se c.unx) sempre estive prompto a geu chama-
na rua do Ido quando de mim precisou.
OITereca-se urna mulher para ama de
Aloga-se um sobrado de um anda
jinda n. 2 ; a faliar pa rua UireiUt B-. 3-.
M-mmar Antonio j. _ ca e a uuem cijn'jer,. wue dnia dala em dmute as- '
ar~bicco signarse-ba tolmto'm Fmtin "" Recife, 3 a Wl ** e engoixuna '. 3 tratar na riiAu-
t*m Novellos de linha com 400 jardas a 80 rs.
Livms para assenlos de mona lavada a 100 rs.
Pares de boioes para pnnho, fazenda rica a 120 rs.
Tesouras para costuras superiores qualidades a
400 e 15.
Caixas de pennas de ralMgraphia, fazenda boa a
15000.
Joaquim Jos dos Santos Barraca.
Propriedades : Dous solos ao sul da povoaco
dos Afoliados, rua do Motocolomh, com dua* casas,
vendidos por Luiz de Carvalho Paes de Andrade e
sua mulher D. Rita Zeferina Paes de Andrade (es-
criptura n. 1)
Um solo na mesma povoaco e roa com urna
casa, da qual foi ou dono Luiz Jos do Patroc-1 Massos com superiores crampos a 30 rs.
mo, vendido por Joo de Sa e Albuquerque e sua Pares de sapatos de tranca e tapete a 15500.
mulher I). Anna Victorma Coelho da Silva. (Es-' Pares de sapatos de tranca para meninos a 15 e
cnptun n. 2.) 1^(280.
Um solo na roa da Senhora da Paz, ao sol da de' Caixas eora superiores agulhas a 240 rs.
S.Mijroel, corn urna casa de n. 123, vendido por Libras de la sortidasde bonitas cores a 75000
Joao Mannho de Souza Leao e sua mulher D. Ma- Caixas com superiores obreias de massa a 40 rs.
na Guilhermiua Coelho da silva.a (Escriptura nu- Ridinhas comallinetes francezes muilo superiores
mero 3.) a jn rs.
Um solo na mesma povoaco e ao sul da rua de Besroas de papel almaco a 25400 e 2&800 rs.
S. Migoel com urna casa de n. 5, vendido por Resmas de papel de peso lino a 24000.
Francisco de Paola Sonza Leao e sna mulher D. E5Mvas para ronpa, bzenda boa a 720 e 15-
Thereza Sophia Paes Brrelo. (Escnpiura n. 4.) ])uzas de tesouras cora loque de ferrugem a
Um solo na mesma rna e povoaco com urna
rasa de n. 124, veudido por Joo de S e Albu-
querque e sua mulher D. Anua Victoriha Coelho
da Silva (K.-criplura n. 5.)
Duas casas em chaos foreiros de ns. 30 e 31,ven-
didas por Francisco Luiz (uedese sna mulher Joa-
600 rs.
Duzias de facas e garfos de cabo preto a 35000.
Talheres muitj lino para criancas a 240 r.
Vend'-se
farelo de Lisboa em sacras e barrica*, e afu_.
com superior tahona de mandioca, mais hars fe
tamnem se. Ut qualquer guras, ge escomraenda e cordia n. 02 : a tratar ua mesma, oq no pateo- da que em outra qaalquer parte : na roa do V>~am
Pennas de emo
Vendem-se na rua da Cadeia n. 27, armazem de
quina Mana do Espirito Santo. (Escriptur a) n. 6. Prente Vianna 4 C.
- Na praca da Inden?ndencia n. 33, loja de our! Vende-se urna taberna bem afreguezada para
ves, compra-se ouro, prsta, pedras preciosas e a trra por estar muilo acreditada', na rua d* Con-
vend
CHITAS A OO l'.s.) nDVADa
Vendem-sc ctriUM rom n,uito la** aaasn a ternio
cores lisas, pelo baralissirno prero i!e Jim r
vado : s Lourenco I' reir M-iuies Batnaati -
asrretamiasde rulo.
Vendc-se breiauha do rala ajana boa barfldla,
pelo diminuto preco de 35000 cada peca tas 10
var-s.
LZIXHAS CIIINEZAS.
Vendem se as mais modernas lzinbas rbineiss
j peln barato pieco de 280 rs o euvad, fazen ta e-ta
, que sempre se vendeu a MO rs. e b e-t >- n-
dendo a 2S0 rs., de asios es padnV- e luda- *<
cures : s Uendex Gnimar' s.
CHITAS FRANCEZAS.
Vendem-se chitas framezas ornras e eiaras a
240, 200 rs. o euva-ln, ditas perc.las finas 10.
300. 320 rs. o cmarlo : na rna da Imperanu o. o*
loja de Mendes Guimaraes.
GRANDE PECHINCIIA DE CHALES DE
MERINO".
Vendem-se chales iiK merm estamplos neto
barato preco de 25 cada um.
CAMISAS FRANCEZAS.
Vendem-e tamisa- francezes a l00, 15W1) e
2,5000 cada nca, ditas t pregas larpa a tle
25^40, dias de linho a 25-500 cada uma : so anas-
des Guimaraes.
MADAPOLAO ENFESTADi).
Vende-se madapolo com 12 ardasa 35500. 45.
e 43500. '
CAMISAS PARA 9B3HU0A.
Vendem-se as mais modernas rami/inhas mfei-
ladas [iara senhoras a 45, 45^00 e 55000.
GRANDE SORTIME.NTO l>E CAMIlrtAIAS
RUANCAS.
Vendem-se tasabraias brancas a 35. .15500. '?,
45500,55, 5550O e (i5, e muito lina a 7O0Q rada
peca. ,
" CORTES DE CA.VIBRAIA BRANCA COM
SALPICOS.
Vendem-se cortes de cambraia de slticos mni-
to iniudinhos a cada corle tem 10 var .-, j^io bara-
lissimo pieco de 55.
(OBFRTOUES ESCARLATES.
Vendem-se eoliei iotm de ; escariar--.< a 65. di-
tos de aleo l a 1-3500, ditos escuros a IjMf rada
um : so Mendes floimfta.
PECHINCIIA DE ENTREMlOS.
Vend-m-se bonitos entremeios a 80O r. a prp,
ditos linos topados, tendo padro-s minio de p.*t.. i
15, habado* a 15 cada uma atfa : na Arjra, roa
da bu;.eral 1 iz n. 56 de Mendn-'GHlmares.
/ CASBMaUS.
Veudem-se cisemiras com listras a 2)300 o eo-
vado e ditos a 35000.
HOUPAS FEITAS.
Vendem-se ronpas feitas de todas as quali-brfe-
calcas de panga a 15500. 150O0, I.58110, ,l,ia< finas
a 25, ditas de hrim pardo a 25 e 2950o. din. fina-
a 25800 e 3j, dita de brlm branco a 25, dotas d>
lindo a 35-'i00, ditas de as-mira a 35 e .15UO. di-
tas linas a 05 e 75500, diUs |ireU- Me rasosastl
63 8 85OOO, palitos sacros de meia casimira 3 44,
4550H, 5| e 65000, ditas finas a 75 e 8*000, Um
de casemira me ciada a 9-5300, palitos *+r*r*.
eos de panao preto a 125. II5 e 165W0, uiiuri.ma
de brim pardo a 2i800, 25500 e iaOOO : L-
renco Pereira Meudes Gininaraes, rua da lmi*ra-
lr-z n, 56, loja da Arara^__________
Fomo ra l^liia par rhnrulos.
Vende-se fumo superior de todas as qnaliiiaoV*
a reralho e por atacado, e por precos 1
no Recife, roa da (Jirimba n. I.

1


.
0(Jo e qualquer copnerlo.
. Santa Cruz n. 84.
'O, |7, prjtneira andar.
L
Til!

\
I II sT ^^. mmmm I


Diario de pernambuco -Terca felra 4 Je lulho de l&tt.
i

i
PILL'LAS CATHARTICAS DE AVER.
Estas pilulas vegetaes sao a-
dapladas a todos os usos de um
purgante as familias, pois sSo
perfeitamente innocentes, e em
quanto fqilhares de pessoas con-
lessam com gralidao que foram
curadas por ellas de molestias
severas e perigosas;nao ha
Grande liquidadlo a dinheiro.
Na loja e armazem do Pavao.
Itna da Iiuperarlz n. O de Ga-
ma fc Mlva.
Os donas desleestabelecimento tcm resolvido li-
quidar suas fazendas por presos baratissimos, s
com o liin de apurar dinheiro, e previuem as pes
soas que negociam em pequea escala com fazen-
das, que nesia loja e armazem encontrarao um
grande sortimento por precos que muito Ihes hao
um so caso em que naja suspe- j de agradar, tanto em peca" como a retalho, a sa-
tas do mais leve resultado inju- ber :
rioso por seu uso. Chitas largas a 200 rs.
Publicamos aqu alguns dos Vendcm-se chitas francezas, lislradas muito lar-
altPstadn-j mu tPmns Ip curas 8aS padroes escures, pelo barato preco de 00 rs.
so covado, leudo muilo bom panno; ditas esanras
pdr5es novos, por serem todas eseossezas e cor
tx.t a 240 rs. o corado ; ditas nudmhas escuras
e claras a 240rs,amaneando se que esta tonada
Afleccao chcouica do liqado. na" ,em mals P*jueoo lome de mofo, nern outro
, qualquer defeito. Isto so o Pavao, na ra da Im-
. ,_ 1Q|,, peratrizn.GOde Gama & Silva.
Jmi de Fora, 17 de feveretro de I8b4. Espartiltaos, na loja do Pava.
Tendo fcilo uso das pilulas catharticas Vende-seum bonito sortimento de espartilhos
de A ver, que me fez favor de (lar um vi- psoprios para senhoras, sendo dos mais modernos
dro, tendo tirado um resultado nao espera- fbpm reitos que remvjndo ao mercado, lendo de
, todos os lmanlos e de diversos precostrazendo lo-
padecendo ha mais de doze anuos en- da, as ,..ompelell,es |ilas para a,,eriar. isto s na
loja do Pavao, ra da Imperatnz d, 60 de Gama
notaveis feitas ltimamente.
Um caso nota ve l de
& Silva.
Cambraias brancas.
Vende-se um bonito sortimento de pegas de cam-
braia brancas lizas, tendo lapadas e transparente-.
pelo preco de 4$, 45"0O, 8$ e 6j5, havendo muito
superior da Escossia por 105 e 125- Isto s na lo
fermidades do ligado e naco, corn o uso
dis pilulas posso Ihe assegurar que estou
bom, pois tenlo clesapparecido um grande
engor^itamento que soffria, muitas dores
sobre a regie do figado e costas, dores de
cabera, inchacio do ventre, nao podendo
deitar-me senao do lado direito, isso mes- i |o Pavao. na ra da imperatriz d. 60 de Gama
mu procurando posicao para ter socego, lio- Sllva- ., ... e<>nn
je aCo tvre SS. Ucm,o \ como I ^.J? *SSS?S i. ***
por aqu anda as nao baja, eu como tenho Dbos, proprios para vesUdos de senhoras o n.en-
este proprio que (le casa, Ihe rogo man- as, sendo.estes pros dos mais modernos que lera
dar-me alguns vidros, e o custo elle Ihe sa-
tisfar, assim bem como do charope de
cereja, que Uve occasiiin de experimentar;
em un ataque de guellas que leve urna
Tasso Irmos
Ven do iu no seu aruiazein ra do
Ainorim n. 35,
Ucor fino Ourac'o ern liotijas e meias botijas.
Licores linos surlidos em garrafas com rolhas de
vidro e em lindos frascos.
VinliosUieres.
Sanlernes.
Ohamberliu.
v Hermitage.
Borgonhe.
Champagne.
Moscatel.
Reino.
Bordeaax.
Cognac.
Od Ton.
AieilePlagniol. ___________________
brande amaten de, tintas.
RUADO IMPERADOR N. 22.
O armazem de tintas um grande deposito de
productos chimicos utensisc os maisempregados
e usados na pharmaeia, pintura, pholographia. tin-
turara, pyrotechiniafogos de artificio) e em oulras
industrias.
.Montado em grande escala, e supprindo-se di-
rectamente as principaesdrogariasdeParis, Lon-
dres, Hamburgo, Anvers e Lisboa, pode offereceer
productos de plena confianza e salisfazer qualquer
encommenda a grosso trato e a retalho, por precos
razoaveis.
Prvidos de machinas appropriadas satisfar
com

^ItPl-MH IW8
b. 73.
DE
preta que com elle curei, taco uso d'elles
as tosses em minha familia sempre em
bom resultado, e por isso que peco para
mandar alguns frasquinhos, e mesmo as pi-
lulas pode montar a doze, porque tenho
feito uso d'ellas para uso da familia e al-
gumas pessoas, la d i ,mt e
resultado; sou btdooroieandeoda
De V S. attensgPs.ar
Francisco Feiireait:raiI
g e
Khouraalismo e ataques uciiiorrlioidaes.
Ii.lm. Sit.
Ortro-Prelo, 30 de marco de 18(14.
Posso certilicar-lhe que as pilulas ca-
tharticas d i D* Ayer sao excelentes, pois I
que soffrendo eu dores pelo corpo, e que j
suppunha ser rheumatismo, (molestia esta;
que ja havia soffrido ha annos) e soffrendo ]
tambero, de ataques hemorrhoidaes, e de
un oovido, pois que al ja pouco ouvia, e
acompanhado de tuna dr no. qneixo, con-
sultei a um dos nossos mdicos, e este me'
vincio ao mercado, veiidcndo-se pelo ba alo prego
de 600 r>. o covado. Isio s na loja do Pavao, ra
da Imperalnz n. 60 de Gama Silva.
Ricos botizuoiils de Gui|iiirc.
Vendem-se os mais ricos houzrionis de Guipure,
sendo os mais modernos que tem vindo ao morca-
do, pelo baratissimo preco de 2.*ir5, cada om, :.s-
sim com chales de .' e 4' ponas (a mesma fazen-
da, sendo de varios precos. Isto s na loja do Pa-
vao, roa da Imperatriz n. C de Gama & Silva.
Admiren*
Admirem
Admiren! Bem!!
As peehinchas que eslo venda na loja e ama-
zem do Pavao. na ra da Imperatriz n. 60 de Ga-
ma cV Silva, onde se venden) todas as fazendas,
lano de luxo como de primeira nocessidadi por
precos rnuito rasaveis, e com especialldade as se-
guiinvs, dando-se amostras deixando flear penhor
ou nvando-se levar em casa das familias pelos
caixfiros da mesma loja.
rL-ude pecMnehn, vestidos a
Sjf- O.
Acalia de ehegar um bonito sortimento dos mais
lindos vestidos transparentes, multo proprlos para
passfios e naifes, por serem de primorosos dese-
nhos, sendo todos os padres lecidos e nao pinta-
dos, e vendem-se pelo baratissimo prego de ;t-3"00,
sondo fazenda que val muilomais dinheiro: isto na
loja do Pavao, ra da Imperatriz n. 60, de Gama &
disso que devta fazer uso da salsa ; porm Silva.
len-lo eu o almanack do mesmo doutor, Capas pretas t sonfembarques,
COmprei em SU? casa um vrdrinho das mes-' Vendem-se as mais modernas capas pretas lisas
mas pilulas e por minha conta principiei a e !l0r,la,1a?. os mais bonitos soatembarqnespretose
toma-las. e sem as finalisar aeho-me sem as "T'lT,*' laii, ti "eda pl'e,a e !ue l,a dt' f,,,ais
.. '. .. go.-io no mercado, por pregos muilo em conta:
dores pelo corpo ; e sem sentir, sare do na loja do Pavo, ra da imperatriz n. 60, de Ga-
ouvido, e mesmo dos ataques hemorrlioi- 'a & Silva.
daes : portanto sio para mim as taes pilu- Qft q PavflO Vende
melhores que tenho experimentado; j QVa^ (a a 240
Chitas largxs a 40
Chitas largas a 240.
Acaba de ehegar para a loja do Pavao um gran-
de sortimento de chitas largas garibaldinas, por
s rem todas lislradas e padrees escaros e de cores
lixas que se vendem pelo liaiatissium prego de40
o oovado, feudo que em ontra qualipier parte cas-
ta, a 360 orovado, Botando que os Fregueses que
compraren! porcao de pecas, terao um pequeo
batimento: isto na loja do Pavao a ra da Im;K!-
ratriz n.CO, de Cama tV Silva.
Liiazinhas a 300 rs.
Laazinhas a ;00 rs.
Llazinhas a .100 rs.
Vende-se um bonito sor monto de laazinhas pro-
prias p.ra vestidos e sontem arques por serem li-
sas e de quadrinlios pelo barato preco de 3C0 rs. o
rovado, sendo fazenda que setr.fire se venden a
500 rs. o covado, e vende-se a dinheiro a vista p
lo baratissimo prego de 300 rs. o covado : na loja
do Pavao roa da Imperatriz n. GO de Gama
Silva.
Pelerinas a !$8G0.
Vendem-se .as mais ricas peleskias ou romeiras
de cambraia bordadas proprias para hombros de
toda a minha circumsfe-
e por procos que convi-
AZEVEDO FLORES
Ra da (atleia do Reciff, osqain d;> B-isre de Dens,
Excellentissimas senhoras o Balao parfeipa a Vv. Exc. que reduzio os precos* de
, todas as suas fazendas, e pede a Vv. Excs. que nao o esquecam, pois o Ba!5o enipenha
,o^^^^^et^^\^ esforgos para bem as servn e alm de tu,!,/isto minhas senhoras, m
tes poder ser examinada pelo consumidor, o que objecto indispensavel as senhoras amantes do progresso.
nao fcil fazer com aquellas que sao importadas, Agora minhas senhoras peco que l;iem suas vistas em
e que se enconiram no mercado em talas fechadas. renea e ver0 que encontram nmitos objecios que necessitam
Tem grande collecgao de vidros de dilTerente; Pr,mnr,P rnmn cplam-
formatos, desde urna iiava al dezeseis ongas de 4am.a comprar, como sejam.
capacidade ; de vidros para vidragas e diamantes | Os ricos baloes de 40 arcos, com nma roda que admira,
para corta-Ios; depinceispara fingir madeira com dem com menos arcos a 2;550 e 3&.
propiicdadeeoutros; de papis dourados e pra- dem para meninas de 2 annos. at 12 annos.
teados e folhaj de gelatina para ornamento; de r -:-_!,- nnp pra ,1a nti n 7
papel grande e pequeo formato de vanas cores jamrala. DDISSUna para embrulho, para forro de casa, para desenlio 'uem as (le o5 por 0^).
com fundo ja feiio;de papel albuminadoe BrisU, Os mais lindos padroes de cambraias de cores, verdadeiras francezas.
verdadeiro saxe para photographia e para filtrar, I Tailatana branca muito fina e larga.
]^U!S^SSt^JSS^i f!litas esTas a a4e 280 ';s;,que eram de 360'tam,,em l,a 8uperores-
leiior; oleo graxo, oleo seccalivo. oleo de linhaea dem perclaras superiores a 440 rs.
clarificado, oieodetoiele, secativo de Kariim, ouro La preta para luto e de todas as mais cores.
verdadeiro em p ; prata, euro, e esianho em fo- chita encarnada adamascada muito superior a 5<0 s. o covado, 7 covados d tuna co-
Ihas de varias cores; tintas vegetaes, inolTens-1 h franrp/a
vas proprias para confortarlas; la de cores, e L. Berta para cama irance/a. ui im.'mu
olhos de vidros para imagens; limas em tubos e Vestidos a Mana Pa os mais ricos que ha de I4#, I8,> e O-?,
telas para retratos ; tintas em pastis e em p pa-1 Calcas de casemira de muito bonitas cores,
ra aquareiia; essencia de rosa superfina, de ne- Golletes de casemira prelo e de cores,
roly.jasmim, bergamota, aspice.patchouly, mbar, ,d hranm
bouqaet,limio, aleara!va, mellssa.ortelapimenu, aem ae nnm Dranco.
iouro,ce.eja, aifazema, juiopero, Portugal, lima, Paletos de casemira sacco a 10 e 12).
ans da tlussia, canella, eravo e muitos ouiros ob- dem de brim branco.
jectos que scom a vista poderlo ser mostrados. Jem de alpaka branca a 5?.
Joao Pedro das Neves, ,dem pre[os a ^ fl ^
'. Calcas de brim branco, pardo e de outras cores.
Ceroulas de linho com duas costuras a 2^500.
dem a 15600.
Cohetes de casemira a.4f5 e Ml.
Camisas com peitos de cor.
dem brancas a It^OO cada urna.
dem brancas finas pregas largas a 2(52-10 e 2#i00.
dem de linho superiores a ;'.
dem de linho inglesas muito finas de nmeros 3i, ''-i, 37 e 39.
/ Itarol e'o amimerei
Ra do Btiri!
O propriciario dc>ie c>i:.|r< .. -itii: mu
ra di avisar aos seus frcBtirz. s ;.. ,'. .
de redurgaii nos pr> go" di- sens : ti, r : ;: m :-
r.i qo iiidad : nuafrifa ii 1
lii f.i da ultima ebegada M I
franeetaaMQ re. ae*barril i-ebaali
qoeijOS tlamcngos novo- a -'O'I'io, i; 1 .
se pode desejar en. bondade a 8
;.u.. ixas francezas raixinlus a !;.;..
13KlH>, frascos de ditas 15i';(, l> i : -
para mimos, marmelada das praatw BMira 1
OiO r;. a libra, amendoas conf-u.^Ia- ni r
de S. Joao a 640 rs., nnho dt P ti-. a 640
agarrafa, Figueira 1 Lisboa 460,MI
em ranada *- faz e abalimeatf>, ..is> : 1 .,!-
com 2 arrobas por 3; 300 a libre 10 r*. .
i sorb USGO 7&V bra 1 ,
botad haba uglaaa ; UO re. a Ufen,
\ Lisboa a 360 rs a libra, retal ib ra V
i rs., ditas Mtaariaas finas a tb 1 .
; gnez a 600 rs., alpisia a 3?3bU rroka ..
a ibre, Mineo a \<> a dlla e l?t 1.-. 1 li
! n a 2-";0,"2f5700 e 2588, fru -
640 a lata, gomo 1 i
roba, bollltthM inglezes i;ii >; _'
ditos de soda grandes SJUOO t 1 Iri 1 r.-
r. s qu- k loma enfadonbo menciMi 1. < ,,
tari-1 c-|ier:t a coiicun tocia do ri -|. : .
garai.lindo a exactida du ojne Irattr.


-
- .-
-
. I
-.


-
.:
-
.

v.,;. -'
!

-
i'_ -
Gerente.
Ra u Cadeia do ((ccife n. 5
Knfeites Hara Pa, espartilhos a preguigosa,
sao os mais modernos que tem vindo ao mercado.
. .-. ntos ; v
ti '.-.: '.- c ; I
U :,.. '
ieus resi liailds ol ti
e .. osr'! il ;
l :: :-j:<;.i I si! I rOi .
un :;'.'., ;, ^/
isto em abono da ventado. Sou
De V. S.
Amigo cerlo, venerador e obligado,
O brigafleifo
Joo Ronntf.fES VtT df. Gartalm.
liaslrile.
aro-Prelo, 29 de marro de 18G4.
Atiesto que tendo feito uso, aconselhado
por um amigo, das pilulas do Dr. Ayer,
iquei perfeitamente bom de urna gaslrie 1
que solivia e que pi ivava-rue de andar ajier-1
tado, boje felizmente nada sinto.
AUGCSI'0 GOLLATJNO DF. MELLO.
Falla de apetite.
Ouro-Preto, 24 de fecereiro de I8G4.
Sendo eu alfecado do gado ha muitos
annos, e ltimamente soffri falta'de apetite,
hoje dou gracas a Deus por achar-me sao
e perfeito com o uso das plalas catharticas
do L:r. Ayer.
Aktoxio Bexto VieirA.
Conslipagae, ores tic cafcvga.
Quro-Preto, 28 de marro de 18(54.
Atiesto que acbando-me atacado de urna!
sen hora p>-lo baratissimo prego de ISHOO
1 a Imperatriz n.
Francisco Jos Geriuano
RII.i\'OVA X. 8H,
acaba de receber un indo e magnifico sortimento
deoculos, lunetc-, binculos, do ultimo e mais
apurado posto da Europa.
Vende-se urna bomba de japy n. 2, propria
para cacimba por estar com canos.
Vende-seum cabnolet de duas rodas, de mo-
delo elegante, cun os competentes arreios, e com
muito poneo oso : para ver e tratar, na travessa
do Ouvidor, loja de corrteiro de Krancisco Ribeiro
Pavao Jnior.
Vende-se una parle de um sobrado no Hair-
ro do Recite : quem [iretender dirija-se na praca '
da Independencia ns. I c l.
RA! ATO.
li.MlATO,
t BABAT1SSIMO I! I
Acaba de rhepar a nova loja de fazendas e rol*
pa feita nacional mu praniln sortimento de laazi-
iiIihs esoceezas viudas ltimamente pelo vapor
francez, qc estau vendendo por 280 o covado 19
fazendn que. j'i se veudeu por .'00 rs. : isto s na
nova loja de fazendas e roopa feita, ra da Impe-
ra! riz ti. 71
Vende-se om eseravo pardo, muito moco,
sadio, de bonita figura, sem vicios e proprio para
todo servien ; quem o pretender dirij-se a ra da
Florentina n. 20.
Vende-se ama escrava niog.s-.-in vicios, que:
cozinha, lava e enguuma liso, ese dir os motivos'
por iiiie se rende : a tratar ua ra do Rosario da
dem de meia abertas fazenda superior.
CIIAPLOS
Chapeos de sol de seda de 12 asteas a 8J.
dem superiores de 10 asteas a l#.
dem de seda trancada asteas de meia cana a 14$.
Que ludo se vende na luja do
DE SOL
iwtMiai
iit-xa,
. .1. .
1 .-.-. ou letrlcia
Vv:-.--' r-t't.
A'.- ;-<^i.- ~ rt nterft.
'-l : ; 1 f- C.- 4M TC-
v aunM !-ii'::r' i :i.vc:a.
ir:...: 1. pulaonar r
IWatr.
ItnteMIlM -t'o^lor^r.-;;!.
aairitl; "..
Perda d"mmprtHe, .-.
>',_,',i. ..-' 11 I:.!

Mo-. .
I
rmptl

.- .'
Ba '.. -
ir?.
r H.
: c
1



-
s*
--.
LOJA DO BEUA FLOR
Na ra Tendo recebido utn sortimento de hone-'
cas de choro, que chamam papai e mamai,
com cabelleira ele cachos.
Tendo recebido um variado sortimento de'
espadas,
gos, que com prudencia e ssudez serio patentes o espingardas, pislqlas, tambores ; ditos
Sfffi^f:**, SSfi i Z fregu".,nd"Terente para *^"" a *, jantar de porcelana e de metal, porta- cor
e faquinhas a 280 rs. o par ;'e nao quaren-
A untiga e bem conhecida loja de mludeza
ra do Queimado u. 16, acaba de ser uovamente
prvida de-digerelMes miudezas, novas e finas per-
fumaras ingieras o francezas, luvas de Jouvin, en-
feites para senhoras e outros muitos diversos arti- brinquedOS para meninos, sendo
urgUe deZi (;.(
m hotpitati Alm dasfiluU i
quinina de ebiLun, os lledicw aeoo
igualmenie o Zaropa oTiodtare dnpio te
Ierro c de quinina do m
pes; oos one nao y '
na pilalar o os n m -. t te 1
como sarojied' trerfi fm^t'wa.....
de alterar-see de e '- r c
Pcea-oa o fotbi 10 oai ; *
dos pbannaecatii 1 s dcpaaiu
"ara-sc evitarem '
pradar em cada a-aan de Platai 00 lanpi
signatnra do invrntor.
i'episito gera! rni
t. ru du Bae. t
tic l'ranva a do- | 'es eslrangaaa. Bu .
CU, loja de Gama ,& Silva.
a 240 rs. o covado.
na loja o Pao.
Vendem-se as mais bonitas cassas orpandys, pa
igaiitlv
na roat Boa-Vista n. :t, das 6 horas as 8 da manhaa
4 as G na larrle.
e des
forte osnstipaco que trouxe-me dores por droes miados e graudes, pelo baraesimo prego de
todo o corpo e na caber, soffri horrivel- >*** "covado (doze vimens}, esta pechincha
mente por espaco de quatro dias: entau T2lT^]T k^t^^0 ra& A lmp^-
por espaco de quatro dias; entao SZCK &ma & Stlre.
um amigo aconselhou-me qoe tomasse pi- BRETANfLA de roi.O a 3S000.
Idas catharticas do Dr. Ayer 1 com ellas fi- isadapoZo eafcslud a S|9eo.
quei s?.o-e completamente reslabelwido em Ka |u| do PaTM
tres dias, de sorte que estou no firme pro- Vendem-se pecas de bretanba de rolo com 10
psito de aCODSelbar o uso das ditas pillas varasa :5. dnas'de madapoln enfesiado a 30-',
a todas as petsoas que forem aTectadas de 3*598?** : DiM*.te Pavao, ra da imperatriz
AGOsiSfjosK da Silva, negociante de fa.;1^
zendas.
Saeeag de farxiha a 4.OO
com 22 cuias de farinha da Ierra, e nao qu>rendo
a sacra, a 45 : na ru-i do Imperador n. 26 defrou-
le da casa das audiencias.
Aiitiga loja de miadezas a
ruado Queimadon. 16.
Nessa loja vende-se baratamente, alm de mui-
tos outro- odqectos os seguinles :
' \ ultas fie crv.-ial, grandes e pi-ipienas.
Oulras de diversas qaalidades.
CrozH i candes de pedras falsas.
AI6netes4tf madreperola e outras qualidades.
Brincos a balan.
Cintos a Iraviata.
N. 16 ra do Queimado.
Peoims t'aco, |ia|cl c envelopes.
Na anliga loja de miuoezas a ra do Queimado
n. 10, acha-se um bello sonimenlo de papel al-
-. -;.. -
' .. pharma> i Re
::: i "l's as bo y
d
'-... :.
Initagao do estomaga.
Ouro-Prelo, 29 de marco de 1864.
Atiesto e juro, se necessario fr, que. sof-
frendo Iri muito teuipo excessiv irritacao
de estomago, pnucp apetite e dificil di<;es-
n, d ella tentic- experimentado sensiveis ae Gama & Silva
raelhoras depjis que tenho feito uso das p-
telas catharticas do Or Ayer.
Antonio Hirmocenes Pebeiba Rosa.
n. 60, do (ama & Silva.
12-5, para as estas
de S. Joo e S. Pedro, na loja do Pavo.
Acaham de ehegar para este estabelecimeirto os
mais ricos corles de gazla granadina com 2cova-
dos cada um, sendo" esta fa&enda do melhor gosto
possivel per ser transparentes e lecidos com seda,
e por isso sao de muita fantezia, e vende-se pelo
baratissimo prego de 12,5 cada erte, sendo fazen-
da que .val 255: esla pechincha e>t. a venda na
loja e armazf m do Pavao, ra da Imperatriz n. (0,
masso greve liso e paulado, primeira e segunda
Vende-se ana escrava mulata, de 23 anno6 80rte> di, de Pe-i I!i' pautado e de quadrnhos, e
do idade, cozioli2perfeilameRie e sabe eiigomutar de dilferentes qualidades al a que se pode encou-
alguma coosa : a tratar na ra Nova n. 43. trar de melhor. dito paqnete, dito pequeo em cai-
xinhas, rondo liso, pautado, Je quadru.-hos, i^ira
dourada e tarjado de prrto, tendo entre elles al-
guns que trazem a envelope na mesma fo;ha, o que
4 aqu ioteiramente novo. Caixa- de cnvelopes
maiores e menores, e tarjados de. preto. Peonas
(Taico inglesas, ragraph-as t nntras qualidades,
toda-; dos afamados fabricantes Perres tS. <;.
lia ralos
Letubryas.
Ouro-Prelo, 26 demarco de 1864.
A pilulas do Dr. Ayer (catharticas), fo-
La/.in has
Pcchinclia
Vendem-se superiores
proprias para vestidos e
ratissimo preco de 300 rs. o covado, sendo fazenda
Vende-se uirui meia eabaehe coro arreios pa-
ra t'ous cavados, teda prompta de novo, fajando
nanas forra-la, de uioito boas molas, por 2605 :
para ver e tratar, naocheira da ra do Hospicio
do Se Cyrillo.
- Vende-se urna ne^r nha de 10 annos, muito
esperta e sadia : no pateo da matriz de Santo An-
tonio n. S.
illlllS
- Na na da Ponte Vetfca n. 8, fiiirica de car-
ros, vende se nma victoria com poueo uso : a Ira
tar ua meana fabrica.
Vende-se urna burra de ferro
em perfeito estado e por commodo
na ra do Apollo
na ra do Qjei-
mado o. 16.
Vendem-se bonitos albuns para 1J retratos a
15500, outros para U a 35000, e alguns maiores
----------- lambem por baratos prejos.
grande Luvaa de p-licii a 500 rs c
n. 20
prego
Lafda para ralea-ias.
Vende-se muit'i l>om lagdo para calcadas ear-
mazeos chegado ag.ra : a iraiar ua ra'do Apollo
n.4.
a 300 rs.
do Pavao.
nazinhas mossamniquos,.
s0uiembarques, peio ba-; j\|o oi'mazem de ikzen das ba-
que sempre se vjndeu a 500 rs., fazenda esla mui-
to propria para vestido de sahir a passeo. e prin-
cipalmente para tempo de invern or nao se es-
ram empregsfdas tom grande vantagem por tra};ar COm faciidade : isto s na loja do Pavao,
tnim em urna menina de dez annos que ra da imperatriz n. 60, de Gama <& Silva,
soffria do vermes inteslinaes, nolando-sej Madapolao com toque de mofo a 05100 c 7)5
que OS symptomas que ento apresentava Vendem-se superiores pecas de madapolao, ga-1
eram de molestia bastante perigosa. ??,i,,?0^5 ^/S8 Tcaili' l""3' pel baralis?i-
ci um c -p i : mo l,re? fl( W o 75 por terern um pequeo I
Hay.mimio Nonato de b. 1HIACO, pliarma- toque de mofo que nada val, e pe<;a de algodao a
ceutiCO. 45 : na loja do l'avo, ra da Imperatriz n. 00, de
-------------------- Gama & Silva.
.Vvral|a. Curtes de case miras a 2o00 e 35
Uma carta do Illm. Sr. Francisco Alva- Vendem-se corles de casemira de urna seicor a !
,. ,,..!. i 25o00, duas de quadrnhos a J5 : na loja do Pa-
renga e Aze\eao. ^ vo> rua da Impi.ralril n. 6, de liana & Silva.
-------- Chales a 2000
Ha mais de sete annos que soffria dores | Vendem-se chales de merino a 25, 25300, 55 e !
par.
Apezar de nao serem antigs estn um pouco
mescladas as (uvas de Blica preta e de cores as
quaes ainda servem para a noite, e mesmo p'ara
montara, e vendem-se a 500 rs. o par ua rua do
Queimado n. 16, loja de miuilezas.
i.ali}rinliins e hicos.
Na loja de miudezas a rua do Queimado n. 16
vende-se bonitos labyriothos e bicos das libas, le-
cidos em grate de linha o que os torna fortes, e de
muita duraco, alm de que os novos o agradaveis
deseuhos, e a commoddadu dos pregos concorrem
do continuar, vende mais barato do que em
outra qualquer parte.
Vende-se tiras bordadas de diffei entes
larguras a' I& e babados, collar olios e pu-
uhosparasenhora, bordados e abarlos de,
renda e lisos, os mais modernos que se!
podem encontrar.
Vende-se laa para bordar de diveras
qualidades e de cores claras a "3 a lihra. es-
pellios de columnas de Jacaranda a 2 j'oOO,
ditos brancos de diversos tamanbos, caixinnas
para estnjos de navalhas,
Vende-se pentes de alisar com costis de
metal a 18, ditos de difieren'es qualidades,
lindas gmalinhas para senhora de differen-
tes gostos.
dJolliercs de metal principa.
Vende-se colheres de metal principe para
tirar soupa a %$, ditas para cha a 2300,
ditas parasoupa a 4;>200 a duzia: nesta
loja se encontrar sempre om grande e va-
riado sortimento de miudezas: rua do Quei-
mado n. 03, loja do beija-flor. ____
.
.- .
.... '.
." .: .-...:
. .1>
< :.. I h : i-l.i-ci. I*- n -e .u-i-l .. .... i.
. < :...: l .1
" i '. .' >lf*H 1

.
.
se o .

c
;
o c 5 S =. -"
*'a'iS.*C2*a-
S" S = 2
grsfrilE
Cx. co ^
o S.
o -
o i> w
%
C CD 09
O
ratas de Santos (>oelho,rua
do QtlAmfliiA TI 1Q van i pra a ,JOa e,xlr?CfSn d'e".es' Unt0 mais (iuaDt0
uu v^tlv^lllitiuu 11. IV, VcJJ"!elles nunca sao desnecessanos em casas de Un
! lias, pelo que podem dirigirse a rua do Queimado
i n. 16, loja de rnindezas.
Ditos de-bramante de linho d'um s panno a "^ ~ UueitliaUO 11. 16, ail-
CoberS'do chita a India a 25509. tg ljl de ffiiudeZOS.
lingos de camhraia brancos proprios pura algi- ^ssa loja j;i lao conh -cida, renovou e melhorou
boira, pelo baralo preco de jOOO a duzia. i seu soriimeuto de perfumaras, onde os pret-n-
Pecas de bretanba de roio com 10 varas a 35800.! denles podem encontrar de novo e bom.
leos philoeome, superfine e babosa.
Ilanha lina em frascas e latas.
de-seoseguinte:
Lences de panno de linho a 25100.
de um
Ditas de camhraia para forro de vestido, com 8
vara?, ..-io baratissimo oreen de 55C00.
adamascados pelo baratissimo prego
Guardamanos
de 35300 a duzia.
Algodio enastado com 7 02 palmos de larearaa
13-200 a vara.
no hombro e as costas, tomei uma infini- 63 ; na loja do l'avo, rua da Imperatriz n. 60, de i Cdrwj de lia de lindos costos com 15 covdos a I
dade de remedios sem achar alivio algum. Gama & silva._______________________________: 6*000.
Dr, angustia, tormento sao palavras for- Karinha de mur, eca f, a e alva, mais ^ffgSSVltS SvQl
tes, porm nao exprimem o que tenho sof- barata que se vende no mercado, em sac- fi liso uno a 800 rs. a vara. i
frido: ltimamente tomei as pilulas ca- eos: na ruado Vigarion. 29. !Dito com saipcosa ij a vara.
tharticas do Dr. A ver. S faz oito dias, e es- ------------ _r -. r ----- i ^i^^r*"""-*^ "*;
tou completamente restablecido ; ha tres letldem-Se Wto HSmtSS!^ Var'-!
dias que nao sinto a mais leve dr no hom-1 machinas americanas de serrote para descarocar' Laazinhas lisas de todas as cores, pelo baralissimo
bro nem lias COStas. algodn : na rua da Scnzala ivova n. 42._______ j l'rrV" de 500 rs. o covado.
Estas pilulas ad.am-se venda as prin-1 r Vende-se urna taberna bem afreguezada para i ^-V"? w.?' pelfbaraSimo \rtcTH
Cipaes boticas e drogaras do imperio, e no ; o mato, e bem como para a trra por ficar aop J.000 ,|J va"-' pP' Daratlssimo PreC0 de
R0 de Janeiro, rua Diroita n. 15 ; Jo 'ar, lambem d comidas(o dormidas, e recebe MSoi rt 20 3rrns a 23no fle 2g a de ^
3J500, do :(5 43, de 40 43500.
Vende-se em Pern?rabuco:
na pitarmacl fraaceza de
P.WflURER i C.
RUA NOVA N, <8.
i do mar, lambem d cernidas o dormidas, e recebe
passageiros, tendo excelleuto commodo para fe-
milia : na rua da Lapa n. 13.
Vende-se um sobrado de um andar com com-
modos, chaos proprios, na travessa do Veras, fre-
janeata da Boa-Vista, n. 13 : quem pretender dirl-
I ja-se a rua de ao!9 Amaro, tc andar n. 6.
Toalhas felpudas a 133 a duzia.
Esleirs da India de 4, 5 e 6 p.ilmos por menos
preco do que em outra qualquer parte.
Neste armazem se encontrar ura grande sorti-
BlfDiO d? FJUj'a feita e por medida.
Extractos linos Inglazes e francezes.
Apua da colonia e florida.
Opiata e poz para den'es.
Extracto de quinquina para dilo-.
Agua balsmica para ditos.
Dita denlrifice para ditos.
Leile Virginal para sardas.
Vinagre, de Venu para refroscar e conservar o
lustre da cutis.
Sabonetes camphorados inglazes.
Ditos areientos excellenles par niSot.
Outros lambem inglezes de diversas qualidades
era caixiuhas de tres o sollos.
Albuns com perfumaras.
^Z~GAZ GAZ
Vende-se gaz da melhor qualidade
lifl a lata : nos armazensda ruado Im-
perador n.16 e roa do Trapiche Novon.8.
Vende-se um carro de carresar peneros da
alfandega, eorn uso, c lodos os porlnnces de outro
ipual, tudo por preco muito commodo : a tratar
no pateo de S. Pedro o. 4.
as
errB.
3 B =: T w
fij ct ^. -%
ce O
rsg
OS I '.-.!':. _
des se ::.; ni
toe* laboi jju.'-, .-.........
at mago depois >....
: ce-, c, ri:":*:
rom vmitos.
Este* estado m' I
vilavelmentc, ojne *..:
.ImMmi de f-.. i :,.,.
.. Ictericia. I o,irr. ,:v-
'i;.Iih(:iu rurnro Irritara
Dore no.i rlin j 4*mm*rU.*e.
Os granulos Qunrrier
sommidadas nudicaas par.: prwreoir nm --
s?s molestias e cural as qnaadf s um.
tempo.
O preco de cada fr.,sco de i francos.
riepsitogcral om P.iris, pharmaeia Chevnsr,
e em todas as pharmacias de Franca e dos
"iros.

paiMf
.-'

g
5
p
a a >- r, u l__
a
o.'
T3-&3
B*
"" S <
Fe?
M r. B Z.r3
.. g. S: o
i o Q-S? es
o a P
T5 a
"2 ce
SJ
v.
Vi
-
03
"I
3
3
EL
et
tn
L
a
OQ
c
a

^33
8
>
o
09
09 -1 ~
0Q o 2
s i
as '
s
->-
-1
c
s
o

o
fia
a-:
z
>
a
re
o
>
Madapolao barato.
Madapolao barato
A 310O a peca de madapolao fino pan
na loja do barateiro. rua do Crespo n. I.
a".,.
FARELO
Vende-se farello a 4000 o sarco de Usb.-a,
marca N, no palco do Paraizo n.'6, esquina da rua
da Florentina. _
Vende-se a taberna e casa de pas:o da rua
da Upa n. 13, bem afreguezada para a iraca e
mato, tem bastantes commodos para m;radia : a
tratar ha mesma.
Vinho.do Porto superior em caixa de duzia,
lem para vender Antonio Luiz de Oliveira Azev.-
do & C, no seu escriptorio rua da Cruz d. 1.
GRAGEAS eCUBEBINA
;omCGPABAdeLABL
Estes confetos que tem por base o pnn.
cipio activo da vrimeira ciibeba juuto ecm
a cupnhyba pura, nao nauseo o estomaga.
Elles fazem parar inmediatamente as mais
rebehies gonorrhas, mesmo as qoe res st
ram a cubeba o a cupabyba isoladamenle.
Deposito geral em Pernambnce ma os
Cruz n.22 em casa Je Caros & Barbou
LiquidQa) de machinas pai a
a!godflo:
Chegou grande sortimento de macbina< r.-.
descarocar algodSo, de 14, 16, 18. 20. tS
serrotes, de so?erier qualidade, as qna >
dem por precos mnilo redazidos e por m. i
que em outra nualqncr parle, para Bfiiiii Im
como motin'es americanas da iiitim iafrat;j i.
quas se tornam ri'comrivndaveis porsoa -':
qualidade do fcil c >ndm cao para o cent.-' d.. -n-
vincia; a tratar no deposito do caes di Anata i
on na roa da Cada di Kecife, loja de fcn
c. 56 A,
%m

avariado.
Francez barrica 5i
l'ortland dem 8S5C0
Era perfeito estado:
Francez barrica 10OW
Portiand i dem 13GCG
No armazem de Tasso Irmos caes do A
Vndese ou arrendase por preco coi;.,
o engenho Mariann.-, sito na. fregmzia e S
nhaem, me cora agua, cercad.' de vaiado,
na para moer mandioca com agua, a ia Irs
tante do embarque : os preti ndenles in
Recife ao Srs. Leal i Irmao, iti .
Francisco Antonio Bandeira de Mello, lo eogifch i
Agua Fra do termo de Ipojuca.
1
'
r
\L
r.. ____*____I


o
Diarfo de Per Bambuco T*rra felfa 4 de liillio de I 86*
A
rvfl
GNEROS BARATOS A DINHEIRO
NOS
GR4NDE8 ARJZKNS DE MOUhDOS
AURORA BRILHKTE
G 8 i !\,0 E S
ZEftS
fe | Paleo do Garmo n. 9 armazem Progrcssivo roa do Qaehnado n. 7
s s S Unio c Commercio rua do Imperador o. 40,
^ Principal armazem de molliados.
OS PROPRIETARIOS,
Fazcm sciente ao respeitavel publico, e cora especialidade aos senhores de en-
gn.os, hvradorese mais pessoas do centro, que para mais facilitar suas compras deli-
iram os proprielarios dos tres grandes armazens, reunir todo; os seus estabele-
mentos cm um s annuncio, pelo qual o prego de um ser de lodos, prometie-
ra js que d3o infringiremos a tabella que abaixo vai publicado, annunciar os geieros
ara preso, e na occasio da compra quererem por outro, como socede constante-
m ale em outras militas casas, porem nos nossos estabelecimentos nao se dar isto
. mesmo com prejoize nosso, qualquer pessoa poder mandar seus fmulos que
serao tam era servidos como viessem pessoalmenle fazendo-nos o favor da mandar seus
los em cartas fexadas; para evitar qualquer engaos, remetiendo nos urna conta
qual se ver os pregos tal qual annunciarmjsj o que seao arrepender pessoa
mi que fier s.ia despenda em nossos estabelecimentos; pois poupar raais de
S por cento na sua despeza diaria.
Ha iteiga iogleza perfeitamente flor chegada dem cora a 3 ditas a 35200.
Diurnamente no vapor Sa!adim, de 15 dem vastos de todos os tamanhos a 23000,
a 10200 a libra e em barril ter abad- 15500,800 e 610 rs.
monto. Queijos d 5300 a 25500 os mais frescos.
I' a francesa muito nova a 900 a libra, e Vinagre puro de Lisboa a 230 a garrafa e
' 0 em barris. I 25000 a caada.
Biaba de porco refinada a 720 a libra e 700 dem mais baixo a 20) rs. a garrafa e 15100
em barris. i a caada.
C axim de superior qu.lidade a 26O0. Azelte doce de Lisboa maito fino a 603 rs.
i i m perala miudir.ho a 5700 | a garrafa e i$609 a caada,
: i a bysson especial qualidade de 25100 a Too*raho de Lisboa novo e muito alto a 320
25600 a libra. I a libra, o em barril de 5 arrobas a 9,5100
i: m preto muito especial a 25000 e 25100 arroba.
i. titira. 'Cerveja Bass do fabricante Sblers & Bell a
: o Rio em latas de 45000 e a 800 a 6550.) a duzia e 610 a garrafa.
luir;. dem Bass do fabricante T. P. Ashe a 65000
>a biscobto de todas as qualidades a duzia e 580 a garrafa.
a l; -00. 11 lera marca II Victoria Alsope e outras
da creditada fabrica de Ciato Antonio' mudas marcas a 55 a duzia e 500 rs. a
iLisboa) proprias para da: a doentes a' garrafa.
25 e 35 a ata.
Sabao primeira qualidade a 220 rs. a libra
B axiuba iogleza muito nova a 35500 a bar- e 21o em caixa.
; i e a 210 rs. a libra. dem segunda qualidade a 200 rs. a libra e
5 com bolaxinha de oda e oval a 25- | 180 rs em caixa.
mto inglez para fiambre ebegado o Sabio inglez superior a 180 rs. a libra e
mo vapor a 8 0 rs. a libra.
s c paios muito novas a 010 rs.
ra.
16'* rs. em caixa.
Caf primeira e segunda sorte a 6550),
. .:-. com macarrao tdharim muito novo a
i i' e '2 a b'bra.
ria branca e amarea a 500 a libra.
ilute portuguezde especial qualidade a
.i a libra.
B-.1 sso de 8'O a 1^)00 a libra.
75500 c 85 a arroba, e de 220 a 280 rs.
a libra.
Arroz do Maralo 35200 a arroba e 100
rs. a libra.
dem da ludia a 25600, 25800 e 103 rs. a
libra.
. : es an'iol verdadeiro a 19000 a libra Charutos Normas de Havana a 55500 a cai-
;, i m s a 15100. xa. de Simas (.1 fi Farlado).
,l' casca de g iba em caixes de 6 li- dem Londrmos a 55, dem.
3e [uro a i-jSOO. dem Parasienses a 45500.
i caixe p i menos a 700 rs. e de Uem Delicias a 15500.
.". > para cima a <:i>. dem Traviata do Rio a 55500.
5(;cco embcelas ricamente enfeitadasi dem vrelas de Manoel Peixoto da Silva
a, pes-go, ameixa, rainba. Netto a 35500 e 1.^03 a meta caixa.
nUendo pera,
: ras frutas a 35000 cada urna.
: em calda e.u latas feixadas hermtica-
mente muilo bem enfeitadas, contendo,
i, pesego, ameixas e outras fruas a
640 e 700 a lata, tambem temos latas
grandes a 15200.
ida dos melh ires fabricantes, em la-
tas de 25000 a 152)0.
q em latas de 1 1 2 libra a 15.
I I a e a atas de I libra a 640 rs.
ias em tatas chegadas neste ultimo va-
7 )0 c de 5 para cima a lO rs.
o verde ou carrapalo em atas j pre-
ndo a 640 rs.
isas em frasco- de vidro.a 15500.
i b n calimbas ricamente enfeitadas de
5200 a 550.).
ei vas Mexide muito novas a 700 rs. o
seo.
i de ceblas simples a 700 rs.
.. Ii3 inglez a 640 rs. o frasco com iolba
le vi Iro.
ii em p a 700 rs. o frasco.
. :' preparada a 320 rs
com massa de tomate de 1 libra a
I rs.
i em latas de I l|2 libra a 900 rs.
hosem garrafas viudos do Porto, Midei-
i,i StCCa, Duque du Porto, Duque Semi-
no, Cascavalfcs^ Mario Pia, D. Luiz, Pe-
dro V, VellurSccco, Lagrimas Doces, La-
grimas do Douro; e outras muitas marcas
a 15 a garrafa e OS a 125 a duzia.
dem Palmella a 15 a garrafa e 115000 a
duzia.
idem em pipa de todas as marcas Porto,
Figueira eLisboa a 400 e 500 rs. a gar-
rafa e 25 00 a 35500 a caada.
I Jera em ancoretas e 8 a 9 caadas com su-
perior vinho Lisboa e Figueira a 215 a
an.oreta.
m branco especial qualidade proprio para
missa a 50 rs a garrafa e 45 a caada.
mais baixo a 100 rs a garrafa c 35500
a caada.
m do Por',o especial qu lidade a 800 rs.
a garrafa e 55530 a caada. ..
I. m Bordeaux ern coixas a 75 e 700 rs. a
uraa.
Ibampanha a melbor do mercado vinda de
n usa encommenda a 305 ogigo.
a mais baixa de 185 a 205 e 15500 e
35 a garrafa,
res portugueses e francezes a 15000 e
I $500 a g n rafa.
. rasquino de Zara, verdadeiro a 5500 a
garrafa.
m mais abaiso a 800 rs. a garrafa.
bra (1j laraDja ver 'adeira a 115 a du-
zi fi 15 o frasco.
o i! i lloltanda verdaleira a 65 a fras-
q a ira e 040 o frasco.
n de!Iamburo a '>''>(
m de Hamburo0 a .'i $500 a frasqueira.
a en bol gas de Ildlanda a 400 e 440
rs. o frasco.
r, com genebra de Hollanda com 24
8. com garrsfo.
com lia 18 garrafas a 65.
dem suspiros domesmo fabricante a 15300
a meia caixa e 55200 a caixa.
dem mece.Mpes a 15700 a meia caixa e
35000 a caixi do mesmo fabricante.
Ldem orientaos do mesmo a 15800 a meia
caixa e 3 5100 a caixa,
dem jovens de Gastanho A- Filho a 25100
a caixa.
dem suspiros do mesan a 15'0) a meia
caixa, e outras m litas marcas de fabrican-
tes.
Passas muito uwas a 13500 o quirto e ^5
a caixa de uaia arroba hespanbola e 320
a 1 bra.
Vermote bebida para abrir a disposigo de
comer 15'iOO a garrafa e 115000 a
caixa.
Alpisla muit) novo a 35S00 arroba e 110
a libra.
Pa'uro a 15000 arroba e 110 a libra.
Peixe em latas j preparado a 15200 a lata
e em porcSo 15J00.
Sardinhas de liantes a 40.) a lata.
Tijollo para limpar Tac is a 160 rs.
Esparmacete a 600 a libra e era caixa a
580.
Vellas*de carnauba a I4JOO0 arroba e410
f a libra
.zeitonas de Lisboa muito novas em anco-
retas grandes a 15800 e a 403 rs. a gar-
rafa.
Balaios do Porto miito grandes proprios
para guardar roupa suja a 25500, 35000
e 11000
Btalas em gigos de 31 libras muito novas a
800,eal0rs. a libra.
Gomma em paneiros a 45000 arroba e 140
a libra.
Parlada do Maranbo muito alva e nova a
. 210 a libra.
Sivadinlia de Franca para sop a 200 a li-
bra.
Sevada muito.nova a II) a libra e 45000
arroba.
Caixas com estrelinba, rodinha e pevide a
400 a libra.
Albos em can3stras muito novos e mauncas
grandes a 180 e 200.rs cada urna.
Canella muito nova a 1 >000.
Cravo muito novo a ?.00.
Cominho idem a 320.
Ervadoce i !em a 100.
Alfazema flora 210
Amenloas a 100 a libra.
Nozes muito novos a 16') a libra.
Papelgreve a 4>20) a resma,
dem I izo a 45000.
dem de pezo a 350)0.
dem de embrulho marca grande a 15200 e
15300.
dem azul para botica a 25000.
Copos lapidados a 55500 e 580 cada um.
Palitos de dentes, magos grandes a 120 >
16 J cada um.
Fumo americano de chapa, de superior
qualidade a 15500 a libra, em porg5o ter
abat ment.
Htaw
ti
mmwmik i
Suecas grandes com 100 libras, de farelfe superior a 45000 a sacca.
m*mw*wm
m Largo da Santa!T
Croa n. 84, es-^
juina da rua do^[
jSebo. 3
!l
Largo da Santal
ruz n. 84, es-%
juina da rua dojj^
Sebo. B-
GOMMA NOVA.
Em paneiros muito alva a l.ooo rs. a arroba e 16o rs. libra e compran-
do de um paneiro para cima se far abatimenlo na rua do Imperador d. 40.
ANTIGA CASA
DE
3
tu
O novij
E9PECIA.E8
' proprfetariu do j muito acreditado armazem de molhad'bs denominado Au-
rora isrimanie continua a ter o mesmo sortimento de gneros de primeira qualidade.
Vonh S1"ira' a todo* de base para ajuste de contas aos portadores,
nein r i a.l!maem 'endera' mais barato e melhores do qne a Aurora Brilhante, ja'
I,S f "ment que lem, ja' mesmo porque seu dono so deseja tirar diminuto lu-
nroviiAr gU" "a" acrumular as despegas do estabelecimento por isso deixe se a-
tantes fre'-'uezes 3 faZer t0da a dili8encia.afim de servir bem os se8C0DS-
LaS8"'ibra'' dechouricas moitonovas,
Ditasgranes eom peixe
- em postas inteiras,
?AooI 7uaIldades' a 1*000 ^280e
Ditas eom ostras, excellente petisco para fri-
> gideira, a 720 rs.
P'as C"'T ervllhs novas, ensopadas, a 720 rs.
Ditas com favas, a 610 rs.
.Ditas com ameixas a 15200, 15800 e 35300.
i uitas com marmolada do afamado fabricante
Abreu. a 720 rs.
Ditascom massa de tomate, aoOO rs.
["'^^"mfijros de comadre, novos, a 500,
P'ViSSI" b::,lacnnha de soda muito novas, a
2^000.
Vinho verde superior.
A caada a 35000 e a garrafa a 400 rs. 3F
Gomma. f^h
Saccas de 4 arrobas, a verdadeira de se^OE
engommar, a arroba a 35000 e a libra
120 rs.
Sabao massa, a libra a 200, 240 e 280 rs. H
Farinha. ^r
Saccasgrandes com farinha de Goianna mui-a^
to nova, a 55000. *B
Caf.
Cafdo Rio muito superior, a arroba a 85, M
85300 e 95000. ?3LS
Cha. tfr
Ch,temos nestes gneros o melhor posslvel, j D.tascorabiscoitinhos inglezes de muitasqua- nihfn0"',aa lb,n55600-
idades. a 1300 Ult0 Pcro|a a >3,,(,o.
ChneaUU Dit0 Ulim a 2^700-
, pnm ,ale' ., Dito hyson muito lino a 2JS00.
taixinhas com amenas enfeita.1as proprias Dito redondo a 21300
ChoStai^Tnr l-0' ^80 e *"&. B S to e pr rnein goalidade a 25300. |
880 f J00 ma 0V0' allbrade Dilo mais baixo a 25000 e 15600. W
Macarrao,,albariam e atetria amare.la, a libra ^.^ ch JJjJ-^ ,bra 2i0 r, A
Dito dito dita branca, a libra a iOO rs. Espermacete. ^:;
Caixas com estreKnha, pevide, e outras mas- O masso com 6 vellas de espermacete a b, i
sas, a caixa 35300. 610 e 720 rs. WP
Ditas dita em libras a 610 rs. Passas. X
Sag, a hbra a 360 rs. Caixas de 16 e 8 libras de passas novas pro- a*
sssaafl&"tf ?rs- prus para mimo*i%e *** k
Farinha de araruta verdadera, a l.bra a ., A,P,sla e ffS^ hpa %
500 rs. r Alpista e paingo, a arroba 5000 e a libra IA.
ArI2do Mwaaho, em sacco, a arroba a 160 rs. (%p
25100-e a libra a 80 rs. Cartas. ^W
Dito da India e Java, a arroba a 3-5200 e a II- Cartas finas para )"gar. a duzia a 25500. bra a 100 rs. | Caslanlias. :.
Toucinho de Lisboa a 9>300 a arroba e a 320 Castanhas novas vindas ne=te vapor, arro-
nul'L > ba 45000 e a libra a 200 rs.
Dito decanto*, a arroba 75000 e a libra a Azeitonas.
Molhos com 125 ceblas grandes, a 1*280. Barris com ****** n0.va? a l*SB0
Mostarda franceza, caixa com 2 duzias a .flan Mfja.
7-jOOO. I Manleiga superior, a libra a I#380.
Frascos com mostarda preparada em vinagre, Dita mais abaixo a 15200. f.V
a 400 rs. j Dita menos superior a 15.
Ditos i?om conservas inglezas e francezas, a Dita franceza nova, a libra a 8S0
6i0 e 800 rs. Dita dita em barris e meios ditos,
Ditos com sal refinado fino, a 610 e a 300 rs.' 850 rs.
Ditos cora a verdadeira genebra de laranja, a Dita para tempero a 400 rs.
Qaeijo:;.
Queijos novos viudos neste vapor a 2500 ejjg
3SO00. (9
Ditos londrinos muito novos, a libra
15000.
Papel.
5800.
a libra a
1*000.
{Ditos de2 garrafas de Hollanda verdadeira,a
' 640 rs.
Botijas com dita propria para negocio, a
? 400 rs.
faarrafes com 2 galdes com dita, a 63.
(Serveja boa, marca, a 500 rs. a garrafa, e a 1
a/3
duzia a 65OOO.
'Vinho muscateldeSetubal, a garrafa a 15-
Marrasqmnho verdadeiro,frascos a 80C rs. e
a 15200.
iChampagne, a duzia 20-5000, e a garrafa a
j 25000.
nAzeite refinado portuguez e francez,a garrafa
* a 15000.
Caixa de vinho Bordeaux muito superior, a
75, 85, 95 e 105 a caixa.
5 Ditas com dito branco, a 75 a caixi.
. Dilas com dito lagrimas do Douro verdadeiro,
S -a 205.
'Ditas com duque do Porto verdadeiro,"a
. 185000.
\Ditas com chamisso superior, a 145.
'Ditas com Porto velho e outras muitas mar-
cas, a 125-
>Vinho do Porto da pipa, a garrafa a 640, 720
? e 800 rs.
Dito de Lisboa muito bom, a caada a 35200,
! 33300 e 43, e a garrafa a 500 e 560 rs."
f Dito da Figueira, das seguintes marcas (N.)
(i. A. A.) (J. L. G.) (O. M.) a caada a
> 45300, e a garrafa a 360 e 640 rs., desle
{ que j est engarrafado e lacrado com o
rotulo do.armazem.
IDitos de marcas irais desconhecidas, a cana-
) da a 35500 e 45000, e a garraa a 480 e
520 rs.
.Vinho branco fino, agarrafa a 640 rs.
Dito de caj muito superior, a garrafa a
I 800 rs.
Papel almaco pautado, a resma a t-ywo.
Dito dito lizo de linho, a resma a 43301).
Dito de peso lizo e pautado, a resma
25500. ._
Dito deembrulho,bom a 15 e 15200.
Vinho Madeira.
Garrafas com o verdadeiro vinho Xerez e Ma-^j
deira a 15300 e 25000.
Temperos.
Folhas de louro, pinjenU do reino, corainho
e cravo, a libra a 400 rs. t A*?
Velas de carnauba.
Massos cora 6 velas de carnauba refinada a
480 rs.
Amendoas.
Amendoas com casca, a libra a 320 rs.
Doce.
CaixSes de doce d* goiaba, grandes a tiiOO
e pequeos a 640 rs.
Tijolos de limpar. 1
Tijolos de arear facas a 140 rs.
Graxa.
Dnz'asde boioes de graxa n. 97 a 25000, e3
de latas a 15000, e os boi5cs a 240 rs. ca-^jy
da um, e as latas a 100 rs.
Charutos finos. -\fr
Charutos finos dos melhores fabricantes da A
Bahia por diversos precos, caixas e meias^^
caixas.
GUILHERME DA SILVA GIMARES.
RUADO CRE PO 5
NO VID ABE
Vestido -i pora
Cortes de alpak i escocen, cores brilhanles com listas de seda de dtias 1 .rea-
ras ; pelo diminulissimo precn de 9 com iS covados, que vera a sabir a 600 rs.
CORTES DE TARLATANA
bordados a froco e seda froxa com flores, de cambraia em releuo.
pnantasia para casamento, partidas, etc., etc.
Vest mentas para crcancas
objectos de gosto com primorosos desenhos de trancinbas sobre fustao.
CORTES DE SEDA A 30^1000.
Bonitos cortes de fullard de seda com lindas barr s matisadas por este d
ttssimo preco. *
Capas. Paletos. Linbos
Loutambarrjues. Calcas. Alfodow.
Manteletes. Colleles. Las,
Chapelinas. Camisas, B das.
Cbapos. Ceroulas. Selins.
AOS SENHORES DE ENGENHO
Excellentes cobertores de algodao escuros pelo barato prega i .
Mr
Algodes americafios.
Cobertores brancos de algodo.
Chitas escuras a 2i0 rs.
Algodo de Minas.
campo azul, magenta e roso c
DE FII. DE SEDA
m barras preas e bran:as.
Fazenda de infinito gosto.
BM WMM
DE
Gregorio Paes do Amaral & Conipanhi.'.
,.& su
UMilimSItEriWi
de trabalhar mo |>ar
descarocar aigodo
FABRICADAS
Por Plant Brothers & C.
OLDAM

^
E grande quantidade de gneros tendentes
estes estabelecimentos, qne deixam de an-
nunciar-se.
v^ex
T. 11Rua do Queimado N. 11
A ete estabelecimento chegou ltimamente da Europa um grande e variado sorti-
mento de coriinados bordados o que ha de mais gosto em desenhos e bordados.
Lindos bonets de palha de Italia para senhoras.
Chapeos e chapelinas de palha de Uia ricamente entenados.
Chapeos finos de seda para cabeja de hoinens e chapeos de sjl de seda inglezes _,de
8,12 e 16 astes.
Bournus e chales de renda pretos superiores.
Pelisses e soutembarques de seda preta para sen-horas.
Cortes de laa de barras de 145 a 225 de moito gosto.
BalSes de arcos e de musselina finos, manguitos e camisinhas.
Salas bordabas muito superiores. .
Moireantique preto, grosdenaple preto e de cores, panno preto fino de diversas qua-
lidades e casemiras prelas e de cores.
Luvas de pellica para honnm e senhoras.
B muitas outras faz-mdas que tudo se vende barato na loja de Augusto Fredenco
dos Santos Porto, aonde tambem se vendem as melhores e mais bratas
Esteiras da India para forrar salas
N. 1 i-Ra doQaeimada--N.il
I GRANDE LIQUIDACAO
! A DIXllHIRO,
i Ka loja e armazem de GQm*res 1 Ir-
ma o, roa da Imperlriz n. 72.
Os donos deste estabelecimento eslo re-
solvidos a liquidar suas fuzendas por j.rero
baratissimo, s com o fim de adquirirem re-
guezia ; e previnem s pessoas, que i,
ciam com fazendas, que nesla loja e arma.wm
encontrar o sempre um grande sortimento
por menos 20 por cento du que em Mtn
qualquer parte, tanto em pecas, como i re-
talho. Vejam :
Chitas 20 rs. o rondo.
Vendem-se chitas preclaras francezas cr.m
assento branco, escuro, cor de canna e par-
da, pelo barato preco de 240 rs. o covado,
afiancando-se que esta fazenda rtoflNf po-
dre, e nem tem o menor defeilo : isto s na
loja e armazem de Cuimares & Irmo,
n. 72.
Cambraia branca, grai> .'rlimeilc.
Assim como machinas para serem movidas po; Chetrou a este estabelecimento um gran-
animaes, que descarocam 18 arrobas de algoda< de sortimento de cambraias brancas de lo-
SKSss m\chnarse para mver ""**' *"**' da.s as (Iualidadts PeIos precos reduzidos de

'--.; 4

Estas machina
podemdescaroc?.-
qualquer especi
de algodao sen
estragar o fie.
sendo bastante
duas pessoas para
o trabalho; p-i
descarocar umi
arroba de algo-
dao em earoa
em 40 minuto-,
ou 18 arroba;
por dia ou 5 ar-
robas de algodi
limpo.
Os mesmos tem para vender um bellissimc va
por que pode fazer mover seis destas machina:
mencionadas ; para o que convida-se aos Srs.
agricultores a virem ver e examma-lo, no arma-
zem de algodo, no largo da ponte nova n'.47.
Sauoders Brolhers &C.
N. II, pra^a do Corpo Santo
ItECIFE.
Os nicos agentes neste paiz._____________
ttencdo

Vendem-se pecas de esteiras para forro de sala,
3000, 3500, i5, 4500, e muito fina a
65, vende-se por este preco por ter grande
porcao ; cambraia organdy de 250 e 300 rs.
o covado; dita fianceza, a mais fina que
tem vindo a esle mercado e dos mais ele-
gantes padroes, a 400 rs. o covado, bara-
tissimo ; chaly de seda de apurad gosto a
900 rs. o covado : isto s se vend na luja
e armazem de Guimares A Irmo, n. 72.
Para a Testa de S. Joao !!! bailes r ps$eis.
ibegaram a este eslabelec ment, pelo
tinta branca preparada a oleo, em latas de 2o li- : ultjmo"vaD"r francez ricos cortes do finK^i-
bras, para pintar casa, relogios para cima de me- ""'"*" tl l,dllte1/:' \\lu= lun5s a.e '''-M-
saepara pendurar, arreios para t e 2cavallos, i cambraia com bndissimo cbuvisqi.inho,
velas de spermacete, tudo de superior qualidade, que faz um efJeito magnifico, e vende-se
vindo dos Estados Unidos : no armazem da rua do : pelo baratissimo preco de 55 o erte, fazen-
Trapichen.8. -------------'da que val 105 emoutra qualquer park-:
Goke do gaz.
pilch do gaz.
Alcatro do gaz.
tonelladas rs. .
<
105000:
805000
400
TTaSso Irmos
vendem pe>so em p para estuque de casas, tijolos
finos de feillo diversos para ladrilho, azuleijos de
diversos gostus, tijolos vidrados para parede de co-
zinha, canos de barro para esgoto, cemento em
barris de 10 arrobas.
Cahmgas Unos e brin quedos
para meninos.
Lhegaram para a loja de miudezas da rna do
Jucimado n. 69, os mais finos e lindos calungas
tanto para brmquedo de meninos como para cima
de mesa : na mesma loja se encontrar bom sor-
59g7s^ I limento de miudeus.
NOilMDE
A 1^ l^SOO e l^5O0.
Loques de osso, ultimo gosto, a 15
Ceroulas de meia a 15?iX).
Diitas muit) finas a 15500.
S na rua da Cadeia do Becife n. 5.
Em casa de Tisset Freres rua do Trapiche n.
9, tem para vender :
Vinho B rdeauxem barricas e em caixas.
Dito de Santere fino.
Dito de Champagne muito superior.
Cerveja franceza marca Bobee.
Coke
Pitch
Alcatro caada.
O coke reconhecidamente o carvao mais econ-
mico, torna-se por isso recommendavel, bem co-
mo pelo asseio que se nota as cozinhas aonde
alie usado. Pitch* alcatro.alm das applicacfes
diversas a que se prestam, como para callafeiar
embarcaijoes, alcatroar madeiras,etc.,teem este a
propriedade de preservar do cupfm, f)rmigas,etc.
E' entregar na fabrica dogaz ou mindado por em
qualquer ponto da cidade, segundo a vontade do
comprador.______________________________
cortes de 15a com barra a 95 e 12 : isto s
1 na loja e armazem de Guimares & Irmiio,
n. 72.
Para acab.r por lodo pref!!!
Bretanha de rolo com 10 varas a 35 a pe-
ca; madapolo infest do com 10 varas a
35OO, 3>500 e 45 a peca; ricos bordados
em fina cambraia a 800 rs.; soutembarque
magnficamente enfeitado a 55 e 5; lan-
zinha a 300 e 400 rs. o covado ; damasco
de 2 larguras a 15280 o covado; chales de
merino estampados a 25 ; cortes de case-
mira a 25500 e 35; bales americanos.
tanto para senhoras, como para meninas a
35, tenio 30 arcos.
Instru($>es para o servir,*) RonPa >* <* udi8 as quaiidado e t,ab.
,u m.4U a .r.n.itn nvirohMoc n m. Que se vende mais barato 25 por cento do
que em outra qualquer parle: i.-to s para
liquidarn: na loja e armazem de fazendas
de Guimares & Irmo.
C7-RUA DAIMPERATRIZ, N. 72-ta
das guardas do exercito, extrahidas do re-
gulamento de infantaria e accommodadas ao
exercito brasileuo; obra que muito convm
aquellas pessoas que se alistam nos corpos
de voluntarios; vende-se na livraria n. 0 e,
8 da praga da Ind pendencia, a 15- !-------
- Vende-se ou troca-se o ebgenho S. Vicenie", novena de Xossa Wenhora 4
sito na freguezia de Ssrinhaem, distante tres legras Carato e de Mllll lona.
ila estacao da Escada, rae com agua, com boa Vendi-se na rua do Imperador n. |>, oOlina
casa de vlvenda : os pretendentes dirijamse ao [ de encaleroaco : o ofMo, salve e versos, Bove-
seu proprietario, no engenho Camaragibe, na fre- 'na e salve de NossaSenhora do C*rnv>. fes fo-
gnezia de Serinhem. ou na rua da Moeda n. 5, Ihetos por 300 rs., e a aoven de Sant'.Vwi for
segundo andar. 320 rs.
.X.


\


Alarlo de Pernanibuco "ferca felra 4 de Jnlho de 05
*
0 NOVO GERENTE
*0 PUBLICO
Sem o menor constran-
glmento se entregar o
importe do genero que
nao agradar.
ATTEfago
tabella para todos, ;po-
dendo asslm servir de ba-
se para o ajuste de con tas
com os portadores.
ESTABELECIDO A RA NOVA N. 60
sana auraa 3)3 sa iminnra
AO
RESPEIT.lVEIi PVBLICOi
A apreciago dos habitantes desta heroica provincia existe no grande arnia-
zeni da Liga estabelecidu ra Nova n. 60 um magnifico sortimento de molbados,
que sendo em sua max m parte mandados vir directamente do estrangtiro podem ser
vendidos por precos asss razoaveis.
Sem a faluidade de querer que este no\o e interessante estabelecimento seja o
primeiro e nico em seu genero, pde-se porm ;:ffianear, com toda a seguranza de que
neabum outro o exceder no restricto cumplimento das seguintes promessas:
1/ Delicadeza no trato.
2.] Fidelidade no peso.
3/ Siuceridade nos presos. j
As pessoas que por sua posicao social gozam de certo tratamento, acharao ntstn
casa os methores queijos londrinos, cerveja, vinhos finissimos manteiga e cha sempre de
primeira qualidade. etc., etc.
Qualquer que seja a condicao do freguez, elle deve contar que ser sempre mul-
to bem servido. .
Aquelles que sao pouco favorecidos da sorle farao mensalmente urna economa e
militas patacas, afreguezando-se nesta casa, onde se lhes vender o arroz, o caf, a man-
teiga oassuar, etc., etc. de boa qualidade pelo prego que em algumas partes nao po-
dem ou nao querem vender.
Os senhores de fra da cidade, dos arrebaldes ou centro, que comprara para ne-
gociar, devera vir, elo seu proprio interesse, a este estabelecimento para se convence-
rem do quanto se pode vender barato.
Para os senhor rs que comprara para tornar a vender existe um sortimento i spe-
cial, escolado por pessoa entendida que cortamente muito deve agr iar aos senhore-
V/- compradores
Nao se lera poupado sacrificios, nem se deixar de fazer a diligencia frara agra-
dar a todos.
PELOS SEGUINTES PRECOS SO SE VENDE
A MMHEIRO A VISTA:
Senhore?
reza com que ser3o trl
pra dos gneros que prl
RA DA CADEIA DO RECIFE N. 53
(Logo passando o areo da Concelco)
PARA BEM DE TODOS,
mu o aceio que presidio aos arranjos deste novo estabelecimento, e mais que tudo a promptidao e intei-
pOnvirta a urna visita ao mesmo, certos de que sem duvida me darao a proteceo e preferencia na com-
a e quando nilo possam vir podero mandar seus portadores, ainda que estes sejam pouco pralicos,
' os sero tao bem servidos como se viessem pessoalmente, havendo para rom estes toda recommendago, afim |de que nao vo en-
Ira parte.
M nteiga ingleza especialmente escdliida a
l.ooo e 8oo rs. a libra e em barril se faz
abatimento.
Idemfrancezaa mais nova do mercado a 96o
rs. a libra e 900 rs. em barril ou meios.
Cha hysson de superior qualidade a 2,600
rs. a libra.
Cha perola o mais superior do mercado a
2,8oo rs. a libra,
dem hysson muito superior em latas de 15
libras muito preprio para negocio a 2,ooo
rs. a libra,
dem hysson nacional em latas de 1 e 2 li-
bras a l,6oors.
Git.uxA em lata?, muito nova, a 80 rs. cada
urna.
K
KIRSCH de Wasser a H a garrafa.
I,
LATAS com graixa a 80 rs cada urna.
Letria a 400 rs. a libra

MANTEIGA ingleza e franceza de p'imeira
qualidade a 10, t|120 e 15280, em bar-
ril se faz grande abatimento; a que ven-
demos por l#2S0 a lib a, vende-se em
outra qual pier casa por 15400 e 15500.
nhos. Maumelada dos mais acreditados fabricantes.
Azote doce de primeira qualidade a 3C0 rs. Macahrao e TALHAnma 320 rs. a libra.
a garrafa. Massa de tomate a 6(0 rs. a lata.
Almos a 200 rs. o molho. Mostarda ingleza a 800 rs. o frasco.
AiisYsruo a 2.50OD a garrafa. .Momio inglez de todas as qualidades.
s ; Marrasquino verdadeiro de Zara a.....
BOLACIIINTIAS do Beato Antonio em latas Massas tinas para sopa branca e amarella a
gran Jes e pequeas. 60 rs. a libra, em caixas com 9 libras a
dem do Principe Alberto a 2.-5000 a lata, e1 35300.
de cnco para cima a 15800. Mimio painco e alpista, sendo mais de 8 li-
Idem de so la em latas grandes a 25000 e1 bras a 100 rs.
de cinco para cima a I->00. %
Biscgitos inglezes de todas as qualidades a'NOZES a 120 rs. a libra.
A
ALPISTA a 120rs. a libra.
Idera e painco de oito libras para cima a
100 rs.
Arroz de 90 rs. a libra a........
Amendoas, casca molle, a 28)rs a libra.
Avell.Ias a 210 rs. a libra.
Ameixas francezas era latas de todo- os la-
man los.
dem idem em potes de lodos os lmannos.
dem idem em bocetas de todos os tama-
itos.
dem ionuem frascos de lodos os tama-
10200, 10230 e 15300.
Boto francez em caixinlias a 300 rs. cada
urna
Batatas inglezas.
Bamia de porco refinada.
C
CHOCOLATE francez a 700 e 800 rs. a li-
bra, e em porcio a 6u0 e 70 j rs,
dem suisso a 15 a libra.
dem t'e musgo a 15500 a libra.
Chocricas muito novasta S00 rs. a libra.
Caf a'210 e 260 rs. libra, e em porgao
se Para abatimenty.
dem de primeira qualidade a 75000 a ar-
roba.
Conservas em f-ascos a 320 rs. cada um,
sao muito novas
dem inglezas, fr. seos grandes.
Champagne d-j todas as marcas.
Ciiaroi'e de grosella, orebata, etc., etc.
Chicaras e pires a 15^00 a duzia.
Cerveja da superior marca Tenente a 500 rs.
a garrafa, c era duzia se faz grande aba-
timento.
dem Victoria Bas tresX e deoulras marcas.
Charetos das mais acreditadas marcas, co-
mo sejam : Normas d'llavana, Exposicao,
Flor do Brasil, Par tenses. Delicias, Gua-
nabaras, Trovadores, ftegaiia, Mississipes,
Panetllos. Apraziv.ds. Caretas, Brasilei-
ros. Americanos, Fluminenses.
Cn de todas as qualidades e de todos os
precos, hysson, huxim, aljfar, preto, e
preto pota branca, et etc., a 25000,
252 0, 255O e 25800.
Copos lisos de todos os lamanhos de 120 a
320 rs.
dem lapidados de todos os tamanhos a du-
zia a 25500, 35500, 45 e 55.
Cauces de lodos os tamanhos.
Cognac Superior a 15 e 15500 rs. a garrafa.
Cigarros da Rio, pardos, a'8t) rs. o maco
de cinco macinhos.-
I
DOCES de lodas as qualidades: brasileiros,
portuguezes, ingleses, francezes, etc. etc.
E
ERVILIIAS seecas a 120 rs. a libra.
ebvadoce a 400 rs. a libra.
FAIUMIA S S S de 8 libras para cima a 120
rs. a libra,
dem de araruta a 320, 400, 500 e 800 n.
Figos de comadre a 160 rs. a libra.
Feuo verde em latas a 600 rs.
Favas em latas a 600 rs.
Fumo do Rio a 500 rs. a libra,
dem americano em latas a 25.
Pabbllo ha sempre em deposito de 500 a
800 saceos, de todas as qualidades, de to-
dos os tamanhos e de todos os precos.
a
GOMMA a 0 rs. a libra.
dem a 140 rs. a libra, muito alva.
-Grao de bico a 120 rs. a libra, e em porco
se fiz grande abatimento.
Gbibba da laranja verdideira a I 090 o
irasco.
Nabos em
latas a 800 rs.
O
'Vlhlr?; ?arSnr? -6 Mhuim 4rs>a Sal,refinado frascos devidro com lampa
Dra e o,ooo a caixa. do mesmo, a 5oo rs.
ha^lr,anipa : estre!ln,ia' Pevide e rodi- Cerveja branca das marcas mais acreditadas
nha branca ou amarella a 64o rs.a libra e1 que vem ao mercado, a boo, 56o e 64o
v, ?",* Cm 8 libIas- a garrafa, e 5,8oo, 6,ooo e 6,5oo a du-
Vmho do Purlo muito fino proprio para zia.
engarrafar, em ancoretas de 9 caadas a Cevadinha de Franca muito nova, a 2co rs.
Charutos do affamado fabricante Jos Fort*
35,ooo rs.
Vino em pipa: Porto, Figuaira e Lisboa a
32o, 4oo e 5oo rs. a garrafa, e em caada
a 2,5oo, 3,ooo e 3,8oo.
Vmhobranco de Lisboa de excellente quali-
dade a 4oo e 5oo rs. a garrafa e em cana-
da a 3,ooo e 3,5oo.
dem preto o que se pode desojar neste ge-, Vinhobrancopara missaemcaixas de 1 du-
ero a 2,ooo e 2,2oo rs. a libra.
Lingoicas muito novas a 8oo rs. a libra e em
barril se faz abatimento.
Chouricas e paios a 8oo rs. a-libra.
Costelletas inglezas a 64o rs. i libra, serve
para temperar panella ou para fiambre.
Queijos do reino chegados neste ultimo va-
por a 2,2oo rs., ditos de navio devella a
2,ooo rs.
zia a 8,ooo e 68o rs. a garrafa.
VLnho do Porto das melhores marcas que
vem ao mercado como sejam : Lagrimas
do Douro, Duquedo Porto, Ratnha de Por-
tugal, Duque genuino, D. Luiz 1, Madei-
raSecca,Malvaza fina a I6,ooo, lo.ooo,
12,ooo e lo.oooacaixacom I duzia e9oo,
l.oooc l.ooors. a garrafa.
Vinho Cherexde superiorquadadea 16,ooo
dem londrinos muito frescos e de superior' a duzia e l,ooo rs. a garrafa.
qualidade a 8oo rs. a libra. Sardinhas de Nantes a 4oo rs. os quartos e
dem prato a 8oo rs. a libra, e inleiro se faz' 64o rs. as meias latas.
abatimento. Bolachinhas inglezas muito novas a 5,ooo a
dem suisso o mais superior que tem vindo; barrica e 320 rs. a libra.
ao mercado a 64o rs. a libra. Bolachinhas de soda em latas de diversas
Brvilhas e favas portuguezas j preparadas qualidades a 1,3oo rs.
em latas hermticamente lacradas a 64o. Cartoes com bolo francez muito proprios pa-
Feijao verde muito superior a 640 rs. a lata. | ra mimo a 64o rs.
Copos lapidados para agua a 5,ooo e 5,5oo Passas muito novas em caixinhas enfeitadas
rs. a duzia. para mimo a 3,ooo rs.
dem dem para vinho a 2ors.,e 2,4oors. Passas de carnada a 8,ooo a caixr e 4oo rs.
a duzia.
Chocolate francez 'espanhol e suisso a 9oo,
l.oooel,2oors. a libra.
Espermacete superior a 6oo e 64o rs. a li-
bra e em caixa se faz abatimento.
Peixe em posta em latas hermticamente la-
cradas e das melhores qualidades de pei-
xe a 8oo, l.ooo e l,2oo rs.
Vinho Bordear das mareas mais acredita-
a libra.
Figos de comadre a 24o rs. a libra.
Amendoas de casca mole a 4oo rs. a libra.
Milo de amendoas a ooo rs.
Bolachinha d'agua e sal, da fabrica de Joao
de Brito no Beato Antonio, em lata de 6 li-
bras por2,5oors.
Ameixas francezas em f asco de vidro com
lampa do mesmo, a i55co.
das que vem ao nosso mercado a 7,oooe Ameixas franc zas em caixinbas de diversos
8,ooo a caixa e64o e 7oo ris agar-
rafa.
Genebra
Ostras inglezas e americanas.
P
PESE em posta, latas grandes, a 15? 00, de
todas as qualidades, como sejam savel,
goras, corvina, pargo, salmo, pescado e
pescadiiha, linguado, sardinha. etc., etc.,
Peras em latas, excellente preparagao.
Palitos para dentes a 120 rs. o maco muito
grande.
Passas em q.iarto a 15400.
dem muilo novas a 400 rs. i libra.
Pomada muito nova a 280 rs. a duzia.
a
QUEIJOS fianiengos.
dem prato a 800 rs. a libra,
dem snissos a 800 rs. a libra,
dem londrinos a 800 rs. a libra.
Qlartiniias ou jiori.noues a 65, 85 e 105 o
par.
R
RAPE' Meurona 15 a libra,
dem Priuceza do Rio a 15200 a libra,
dem francez a 25500 a libra.
SABO massa a 160 rs. a libra, em caixa se
faz abatimento.
Sal refinado em frascos a 500 rs.
Salame de Len a 25.
Sardinhas de Nantes de todos os fabricantes,
dem de Setubal em latas muito grandes a
720 rs.
Stearinas a 600 rs. o maco.
T
TOUCINIIO de Lisboa a 320 rs. a libra.
Tomate em latas a 600 rs.
Tinta azul e preta para escrever.
V
YINHOSI
Principe Alberto, de 1831, a 55000 a gar-
rafa ; da vida aos velhos.
Velho secco a 25 a garrafa.
Lagrimas do Douro a 15500 a garrafa.
Duque do Porto verdadeiro a 25 a garrafa
Duque a 15 e 15500.
ChamLsso a 15, 15200 e 15300 a garrafa.
D. Luiz a 15 a garrafa.
Moscatel verdadeiro de Setubal a 25 a gar-
rafa.
Carcavelos a 15.
Colares a 900 rs. a garrafa; o nico vi-
nho que se pode beber por nao ter com-
posicao alpuma.
Lanlerne a 800 rs. a garrafa.
Bordeaux Medoc a 800 rs. a garrafa.
dem S. Julien a 600, 800 e 15 agarrafa.
Absynlho a 25 a garrafa.
Kirsch a 25 a garrafa.
Wermoulh a 25, e a caixa a 185.
Bitter Maurer a 15 a garrafa,
Grave a SOO rs. a garrafa; vende-se por este
prego por haver-sempre em deposito 50
duzias.
De caj, de 1852, a 15200 a garrafa.
Velho do Porto, em ancoretas de 9 caadas,
a 33500o ; vinho que, estando engarra-
fado, vende-se a 15280 e 15300 a garrafa.
75o rs. o frasco e
de Hollanda a 48o rs. a botija de
con i a certa.
Frasqueirasde genebra de Hollanda a 6,8oo
e 64o rs. o frasco.
Genebra de laranja verdadeira em frascos
grandes a l.oooe 11, ooo rs.a frasqueira. Conservas inglezas a
Caf do Rio de -Ia qualidade a 28o rs. ali- 8,5oo a duzia.
bra e 8,5oo rs. a arroba. | Vassouras de escova para esfregar casa a
Caf do Cear muito superior a 24o rs. ali-: 4oo rs.
bra e 7,5oo rs. a arroba. Nozes muito novas a 16o rs. a libra.
Arroz do Maranhao de Ia qualidade a loo Molho inglez em garrafa de vidro com rolha
rs. a libra e 2,8oo a arroba. do mesmo, a 16o rs.
dem da India a loo rs. a libra e 2,8oo a Mostarda ingleza dos melhores fabricantes,
arroba. a 8oo rs. o frasco,
dem de Java a 8o rs. a libra e 2,4oo a ar- Mostarda franceza em potes j preparada a
roba. 4no rs. o frasco.
Painco e alpista a I io rs. a libra e 4,oooa Lentilhas francezas. excellente legume para
arroba. j sopa, a 2oo rs. a libra.
Massa ile tomatesde superior qualidade a 6 lo Marrasquino de Zara propriamente dito a
rs. a lata de urna libra eoGo rs. a reta- 15 a garrafae 11,ooo a duzia..
Iho. Palitos de dente a 14o rs. o maco.
do de Simas, das seguintes qualidades:
Exposicao Normal de Hnvana, Imperiaes,
Londrinos, Guanabaras, Parisienses, Sus-
piros Delicias, a 4,000, 4,5oo, 5,000,
6,ooo e 7,ooo a caixa ou em meias.
Charutos finos de diversas marcas e fabri-
cantes, como sejam: Flor do Norte, Ma-
rtinas de Havana, intervallos,Vencedores,
Panatellas e Suspiros, a 2,ooo,2,5oo e
3,ooo a caixa.
ofinac inglez das melhores marcas, a*8or[e
I,Seo a garrafa.
Doce da casca de goiaba a 2,ooo a tatarjeom
4 libras.
Farinha de araruta verdadeira a 32o rs. a
libra.
Matte,excellente cha para os navegantes, a
2oo rs.
Sebollas de Franca muito grandes e novas
a l,8ooo cento e l,2oo solas.
Palitos do gaz a 2,2oo a grosa.'
Toucinhode Lisboa muito novo a 32o rs.' a
libra e 8,5oo a arroba.
Banha de porco refinada a 63o rs. a libra.
Bolachinha Alberto, as melhores que pre-
sentementetem vindo ao mercado, a 2,ooo
a lata.
Farinha do Maranhao muito alva e cheirosa
a 2oo rs. a libra.
Frascos com fructas em calda de diversas
qualidades a 2,5oo e l,5oo o frasco.
Caixinhas com fructas em doce secco de di-
versos tamanhos, ynuito proprias para
mimo, a l,6oo, 2,(ion e 3,Soo cada urna.
Rodos, excellente peixe portuguez, em
barris pequeos ou a retalho, a vista se
far o preco-
Azeitonas de Rivasem ancoretas grandes de
8 garrafas por 6oo e 8oo rs. a garrafa.
arrafa e
tama.hos com bonitas estar pas na ca-
xa exterior, a l,4oo, l.fioo, l,8oo e 2,ooo! Azeitonas portuguezas a 5oo rs. c
cada urna. l,5oo cada urna ancoreta.
Azeite doce refinado hespanholou portnguezi Champagne da melhor qualidade que vem
a 9oo rs. a garrafa e lo:ooo a caixa. ao mercado, a 2,ooo e 3,5oo a garrafa, e
Batatas muito novas a 8o rs. a libra e2,5oo 24,ooo e 26,ooo o gigo.
o gigo com 36 libra;. Gomma de engommar muito alva a 12o rs.
PA$HLH8

t
I -J
NOTA YORK.
DE COR CIIEIRO'E SABOR AGRADAVDl
iDpJlamtDte mai: i cazcs
os mais remedios pfrigoe* e ;
que existim para a expulsSo ..,.-
Nao cansam dores e pn dazen
sem precisar logo depois de | ; n*-
nhum e to incitantes en ippan -
ciosas em gosto, que as cri i
promptas a lomar mais do qvc n .
ceita.
Uteis como i;m excecnlc kci
remover as obsti un.es do vu mt
no caso de nio existirem vun u
I'ASTIIHAS VEIIXHUCAS DE Kl M
tas e infalliveisna soa|r>perf(Sn e rrr i
os respeitos dignas de n nfiai i
cao de todos os paes de Entil as. I pa-
radas nicamente por Laamau .1,
Nova York.
Vendem-se nollocile rm casa d< C
Barhoza e Joo da C. Braw A C.
blUMJE
O proprielario d< firtr.'le arBwiiDi .a.
lareo (!o Livrarrier!'.. n. .';, a in i f' *
.eguir em ifDipo a mudtoca tt w II /; H
ter de sor nud;.da v toberU ittn
do vender o grande e n api iPro .-< r' r 11
Ihados e seceos -iue ril- H n I M i l ; :-
eo, sem aiipndtr'an urtride prej^izi ; | .i-
lo que d'r.nlra frn a po o prdera vrr
&WTEmM
ol>Jc-

Jotas prccir.s::s c
o uro.
Manririo Selber.trp &- V... P. 'un .
chegados a e>ia provinria. i lTfnc i I
publico om grande n m i,ki di j. i i
relqgios e muito- litetot mais razoavel posfvel, e mesmo troca ec ; -
objeclos de ouro, tnla e dian ;. ii
r.ovos : ia ra do Qoeimado n. 19, refrai
largo de Pedro II n. 7. te maiihia
e a larde das 4 lioi;: un dianie. O I --
didoe pelos UDiuwiaDlf sm farraiii
esto promplos para \ rar ol;
pesoas que derejaren crmpm, um?. vt, <,.
possam vir a seu eMbeleriBMMA.
a libra.
Figosem sextinhas a 8o rs, cada urna e 72o
rs. a duzia.
Papel azul para botica a 2,ooo a resma.
Balaios para roupa suja, grandes e peque-
nos, por diversos precos.
Amendoas confeitadas a 6lo rs. a lhra\_
Latas com fructas em calda: pera, pecego,
damasco, rainha Claudia e cereja, a 8oo
rs.
Vinagre de Lisboa a 2oo e 28o rs. a garra-
fa e a 1,4oo e 2,ooo rs. a caada.
Azeite doce de Lisboa a 4,8oo rs. a cnada
e640 rs. agarrafa.
Vinagre brancoj engarrafado a 5oo rs. a
garrafa.
0 i-
1 .X
Atiendo.
Fugio no da 24 do nuz prximo pi .! i
laliuho Joiio, idade, puoo mais ou mu
annos, cor parda, porm u uiio \;.\ ,
mui ruivos, porm carapinbes, mmP r> _i -
vou camisa de risea lo ;>?.ijI de n.-lra-,
godio azul, co.-iuma reader upicras m<
ulumamente venueu sortri : pedeac os
de campo ou algutm da polica, de ippi ..
e Icva-lo a ra do Sebo u. 3."!, que : : +
men'.e recompensad-1.
i
1
SO
Ama-florida e tnico orieii-
da Liga.
tal de Kemp..
Continua-se a vender em porco e a retalho :
na ra do Queimado, loja d'aguia branca n. 8.
Chromacomo
A aguia branca, na ra do Queimado n. 8, acaba
de receber um novo sortimento de caixinhas com
chromaeomo para tingir cabellos, e bem assim
frascos com hydrocallelrichina, agua para desen-
grasar os ditos, coloncomo para luslrar os ditos,
e onychromaiiiina para limpar as unhas. Essa
tintura, cujo effeito 6 rpido e eicaz, est bem co-
nhecida e apreciada para todos quantos d. lia tem
usado, e os que de dovo a quizerem apreciar, po-
dem, assim como aquelles, dingir-se munidos de
diuheiro ra do Queimado, loja d'aguia branca
numero 8.
Papel efolhas para rosas
Acaba de chegar para a loja d'aguia branca, na
ra do Queimado n. 8, um bello sortimento de pa-
pel de cores para rosas, dito verde para folhas, e
dito tambem verde e mui fino para cobrir o ra-
me, assim como folhas de panno e avelludadas
para ditas.
Aspas de baleia para vestidos
Vendem-se na ra do Queimado, loja d'aguia
branca n. 8.
Superiores penas d'ago ingle-
zas e, francezas
A aguia branca alm do grande sortimento de
penas d'aco qua constantemente lem, acaba de
receber mais outro de superior qualidade e dosj^^Ve^TsVmVaTw'oM?!
afamados fabricantes Perres A C, assim como as *
verdadeiras blco de langa n. 134 eoutras de pon-
la dourada, continuando porm a vende-las por
precos commodos, com tanto que o comprador com-
parega munido de dinheiro : na ra do Queimado
loja da aguia branca n. 8, onde tambera achar-se-
ha a venda pastas para papis.
Vzeite doce reflnadoem pequeas latas a 560 rs. a garrafa : no graude armazem
Saceos de 80, 100 e 120 libras a 4$, 40500 e 53 ; no grande armazem da Liga.
1
****

:
Madapolo muito fino com pequeo toque de avaria, por prego que admira :
? das clurnQas na ra do Crespo n. 13, de Antoai) Cofrea de V'asconcellos & C.
I
na loja ^^>
Ausentouse o escravo M.->n el, fHljfci di
Sr. Joo Fencira Tavo>a. i.a roara k tari
e depois do seu fillio Joo Perrclra TasoM Ja r,
rendeiro do CDgenho llede da coniarca d ?..^io
An-o, cujo escravo i rr. os F'gnaes
levou ceroula e can;i.-a de alpodla braMD, mas
muito sojas, chapeo de iota '. Ih t, i II >, :
nariz chata, falta de dente;, rara lar^j. o paj
ufado para fra, qui o n elfo r .- ..-<.
conhecer: quem o pegar lete a roa i
Rosario n. o, que sera' bem reeMMaMMft
b
I-
Grande sortimento de roupas feilas de to-
das asqualidades,
Calcas de casemira a 65 e 7$iiOO, ditas prefas a
65 e 85, caigas de ganga a 1& 15800 e 15600,.
ditas brancas a 25, brim de linho a 35, 35500 e
45, paletots do alpaca branca a 45300, ditos pretos
a 35 e 35500, ditos de alpaca de cordao a i-3. e
de listra de seda a 45300, ditos sobrecasacos a 35,
e 9A.
chincha
igual
A aguia branca na ra do.
Queimado n 8, receben:
Bonitos e graudos aljofares de cores para rollas.
Pulseiras de ditos de iguaes e agradaveis cores.
Voltas pretas maiores e menores todas de conus
grossas.
Polcelras pretas tambem de contas.
Outras de differentes qualidades e'gostos.
Brincos de aljofares de cores e dourados.
Fivelas d'ago grandes e pequeas com cinto pre-
to e de madreperola.
Outras graudes de differentes qualidades e re-
dondas com pedras.
Bonitos leques de (madreperola redondos e de
outra forma.
Ditos de sndalo Interigos e corredizos.
Capellas brancas para meninas.
sem ,6
Preclaras Bnissimas a 28( rs. o covado com pe-
queo toque de mofo, fazenda de 300 rs., qaem
go.-ta do bom e barato agora pode sortir-se din-
ditos sobrecasacos prelos a 1?5, 18 e 165, d.tos fl- |indo.e a rua do Quemfdo nsP y e t) esquina
nos a 255, de cores a 135, d.tos fraques a 1i5, ^ue volta para a Omgregagao. .
paletots de ganga a 35, 25500 e 25, ditos de bnm ^------ h \----------------------
pardo a 35, jaquetoes de brim pardo a 35, panno VlTltlOS MllVl70 flO Portl
preto fino a 25- 25600, 35500 5. 45300 5 e 65 o i V limuo ^^ "^^ uu -1 ^L 1{J
covado, moreatique preto a 25600 o covado, gros-1 < Luiz Ferreira Ribeiro tem para vender em
denaple preto a 15500, 15800,25, 25200 e 25500 sea escriptorio na praga da Santa Cruz ns. 6 e 8,
o covado ; e ontras muitas mais fazendas que se excellente vinho malvazia do Porto em caixas de
deixa de annanciar, emanda-se levar pelos caixei-,duiia- recebido pelo bngue tniao, o melhor
ros da loja da arara casa dos pretendenles. O vinno 1ue tem vndoa este mercado desta qualida-
' e tabelecimento est aberio al as 9 horas da noite, de. por ser especial e recommendado pelo agri-
cultor do mesmo na quiata de S. Gongalo de Lom-
brigos, do Douro, pois o proprio que o remette e
garante sua qualidade sem confecgo, apenas com
agurdenle fela do mesmo vinho, por ss^ lorna-se
recommendavel para os Srs. apreciadores de bella
pinga. t_________________________________
Val de Lisboa.
Vende-se excellente cal nova, ltimamente che-
gada : na rua do Trapiche n. 44, segando andar,
escriptorio de E. R. Rabello.
SeniOHles.
Vendem-se sementes de hortagas muito tovas:
na na da Cadeia n. 50.
rua da Imperatriz n. 56, Mendes Guiraares.
Cfregramos superiores
cortes de seda.
Superiores cortes de seda de cor, vindos pelo
ultimo vapor francez : na loja das columnas a rua
do Crespo n. 13, de Antonio Uorreia de Vascon-
cellos 4 C.
Farinha de mandioca fina e alva, mais bara-
ta do que em qualquer parte, arroz da trra pila-
do e em conta : para ver e tratar, na rua do Vi-
gario, casa n. 29. >
O abaixo assignjo roga s autorid. de.-1
empregados das barcas de rigia, da- p*| iroes J*
estrada de fero q mais pessoa, de u id ..
prender ao meu escraro, rom os signa-
declarados, que (aundo-me oa crine,
meo sitio da estrada do Ai rai; I, no da:
nho de 1865 : Salvador, caira fula, estatun r -
lar, idade 26 annos, tem ;.m I raco torio da <\a- Ja
de um cavado no engenho, lem fallas de dente* os
quebrados na frente, tem dmm da noroe Mana oa>
lata, euinairma por nomo Ana, forr.^, ;
um irmao de neme Parifico e .'ta* irmaas Locinda
e Adriana, todos meu* esrravo* ; resudo de cal^a
de estopa, cam'sa de azal:' >, ou caiga e camina
branca e chapeo de palbini t srun>, rel'.o ; Im
visto com farda sobreeattca com riros encaro; lo
e verde, e relha. Fo; aae n.enho deas-
minado d'Agua, do finad > lleurique Poppe j.r^, a
hoje do Dr. Francii-co Joo Carntiro t'a Conna, i-
lo no termo de Igaarass ; talraz siga para
lugares d'onde Albo, e que auJe de roupas. rra-
leslo proceder contra >;ueaj o azilr.r :
M poder lvalo a mraha otaria n. 13 na iua io
Mondego, freguezia da Coa-Vista da cidade do Dar'
cife, que pagara o trabalbo e dMinaa.
matea Jos Lopes.
- Fugio no da l e BU o piuximo ; ..
preto crioulo de nome "rarihano. idac de 16 as-
nos, estatura regular, cor fola, tendo um dos deav
tes da frente quebrad st-m tarta, apenas slaas
cabellos a roda da garganta e elbar amortecido,
bem fallante, sabe ler en rrr e bil uro ^ooee
o inglez, boa copeiro, cosioba e lava bem, lev
vestido camisa de algodc tranco e ca'ga de dilo
azul, conduzindo al;.un i roa fina, ioiej b-.a
caigas de casemira- de ii-ia*. jaqoela branca e ca-
misa de madapoliic, nge* e BaM nofi q ioj
marcada com a letra 1' de liuha demai a,alfosia
pegas e outras com o ivn..j por rateace m liata
de marcar, leron chapeo de palba irritando naa-
Iha, chapeo de sel de seda verde ja asado, .-palos
e meias, de supror que *e inculque de forro :
quem o apprehendcr condnzindo ao sitio de Jje
Matheus, no Poco da PaneIJa, ser genrroLBielt
gratificado por sen senhor Juvioo Bandeia.
Fugio em principios do mez de feTereiro o
corrente anno e consta estar amulad nesta eiate
o moleque Euzebio. eserare da viova do Dr. Fer-
nando Affonsode Mello, de 12 ann->s de idade pav-
eo mais on menos, cor ;: da curro, olhoa
regulares e afumaendos. rabeca um poneo tranda
e meia chata, belgs finos, tntet bom airea, pea
seceos e muito ladino : roga-se por tantoa lodaaaa
autoridades policiaes e eapitaes de can pe qn* oap-
prehendam e levem-o a roa da Mangneira sobrad*
n. 6 que sero gratificados, pro;e-fando-sc osar das
melos judiclaes contra qaalqoer ps?oa qse o Kaki
em seu poder.
-
I\ #1-1
-k


^*V* '""' "T

N
*

Diarlo de Pernambneo Torea felra 4 de Inlho de 1SS5.
imiu
El POUCO DE TliDO.
Nao ha quem trale de peixes, peixinhos e pei-
xoes, que nao queira ter por ouvintes as suas ri-
vaes.
A's sessoes, minhas leitoras.
L acharis para vos despender assucaraios dis-
velos e saudar-vos com devidas salamals o
Dr. Semana.
outros, assira corno os proprios orgos esta su-
hordinados uns aos outros.
CORBEIO DA SEMANA ILLUSTnADA.
Miro, Srs. vereadores da Illma. cmara.Ne
B i tm:eira vez que lomo a liberdade de dingir-me
a VV. Si. era nomo do bem estar desta gran le ca-
pila! que, de quatro em qu?.lro nones, azafama-se
na esJolba de nove edis modelas, como devem de
se; os membros da illuslrissima, que VV. SS. re-
Mam a conteni de uns e a desagrado de ou- dfl ?uas a|(ezas e de ^ numer0so e esColhldo con-
lro- curso de especladores.
Nao possvel contentar a todos, permitan) que o Ilustre sbelo J encerrou na corte taes ses-
o diga entre parenthesis. soes ou conversages com a qnarta, visto preten-
0 desdo de utilisar polica municipal que der aegnir para portos. do norte do imperio.
ag me tange a deliberacio. iii'lr3 sabl Principiando por urna ligeira
Nao cuidera Vv. Ss. que pretendo solicitar a resenha dos phenomenos, de que havia tratado na
crearlo de umpanlheou, o.ide se perpetu a me- primeira noile, e em seguida transportndose aos
marta dos fiscaes e de seas vigilantes guardas, ****** unidos da America, raostrou que os ge-
acrrimos partidarios do (o/nano no tocante a leiros vinham do norte para o sul, porque daquel-
ubc-nas, a acougue,, a frece-mosca*, a ailando* l<*> achavam-se pohdas e estriadas as collinas,
ras a vendedores de leite com polvilho e a outros j coja direcco era de leste a oeste, emqnaoto que
muros desinteresados amitos da salubridade pu- ^ parle do sal estavam intactas que os calhaos
., errticos cavalgavam os espigues; que as cadeas
- :> ., r i*. oiu mide montaohas, que correm de norte a sul tinham
,;Ja Ulusn.s.mos; .ou toNmpiMUJ3rta*s lougiiudlnal.nente, havendo estrias
m> de nharlas, .uro .na,long a bar dos, J J^rtE e d'abi lirn pro-
m.'U; anhelo?, movida pelo impulso do civismo. 1....., _____,_,__
Do que ora me occupo, illuslrissimos, de ira-
la:1 pela peona duquillo, que iraiei a lapis em o ul-
lirno numero do uitu jornlete hebdomadarioda
de gafanhotosque infesta a nosa cara Sc-
basiianopole.
Estes auioialejos, enfastiados de couves e de ou-
iros producios da horticultura, aproveitando a ac-
lividade da* trombas, andam a dar ferroada velha
uoa cobres de quem est pelas jan-Has, de quem
viajava pelos vapores, de quem toma caf em bo-
je juras,, e at de quem aspira ar fresco no passeio
publico e no prado do Roci.
B*m compreiiendeni VV. SS. que isto um tri-
buto, de cuja cxaego os tributados colhem contra
DI vcnlade ofensas physicas nos conductos auri-
ealares, ciime punido desde o ait. 201 usque 206
di cdigo uiminal.
Comprehendeui anda raelhor VV. SS. que estes
'oselos colepteros nao tem a atiribuigo de crear
imposlos c menos a de arrecada los, como fazem
- depois de cantilenas indgenas e de musca inslru.
mental do genero alurde-oncidos.
Assim que, illustrissimos, misler prompta pro
videncia em ordem a desinfeslar esta cdade da
praga do loavadeoses, encarainhando-a s mallas
Jo ialerior, aoade, com os ferrbes, podem derribar
sapueaias, roassarandubas, eaneleiras e jeqoelibs
'n provedo da eoloulsago, que exigeni os cara-
Votem VV. SS. urna postara enrgica a este res-
peito, que eu, em nome dos ouvidos pblicos de-
sarraobados o das algibeaas garantidas, eiguerei
h"nios em louvor da soiutude e civismo da ae-
toal Illma. municipal da corle.
De guarde a VV. SS. Instituto artstico, em 8
de innbo de 1865.
Dr. Semana.
La-seo tRegne animal distribu d'aprs ton or-
gantsation; essa grande obra onde a nova dou-
trinado illustre zologo francei se acha reproduzi-
da em seu complexo e coordenada em todas as
suas partes, u se vi aquellos principios em pie-
: na aecao.
Assim a subordinado dos grupos entre si,
A proposito offerecemos aos nossos leitores o conrruil3 a importancia relativa dos orgos, que
histrico de.sasses-oes sclenlificas, as quaes tem formam os iaraeieres distinctivos desses grupos,
sido honrr.das com a presenga de Suns Magestades,
-c- ; i-m
At ol serrador vulgar nao oflercem interesse as
noticias ehegadas do theatro da guerra, por seren
iii complexo de evoluges militares, de marchas,
ntra-roarchas e acampamentos.
Qaem esmerilbar, porrn essas novas e cavar
steo oo esgaravatamento, vera que ellas nao tem a
nifleancia que, primeira leilura inculcam.
r. r,i nos, que trazemus oavidos acautelados e
,,i atos no Paraguay, aquella marchar contiour.
lualrooacionaiidades belllgerantes, nao so-
m nte i' go de lempo sera, representa negocie ruis
i q .- ^a-nos a exclamar nous sommes
la (''' de ffrfldl eenif!
A's grandes tempestades preced sempre silen-
sinistro i qu", por mulo conhecido, s illule
a igos |u? nao querem r.
Ouvimos de longe uns bramidos, que nao sao de
,,', porque uu Paraguay nao ha dessas fras, ba
Ugrts .:..:. ieiros,qaedosignaesde si quaudo ac-
comrnettem as presas e as Jevoram.
Em principio pareeia-nos isto capricho de ervos
m is depois reconheeemos |ue nao era engao de
nessa enerraco perexcitada.
Quante mais ramos apurando a atteocao tanto
mal; distinctos se lornm os rugidos, ,i, ni ^er se nao roncos da !-mpestade, prxima a
desfaser-se em tufes, reiampagos e raios, como
-.-Mima quando campa de .rchlecta de estragos.
1; benta, tempestado ; u'io facas ceremonia.
Saeode das negras atas. ;oJo o mal, de que po-
der -.'s dlspor eoutra o arrogante snliao de Humana
c os seos embrutecidos anisaros I
Nem deixes pedra sobre pedra nessa Assuropc
iu amada 1 lo refugio que offerece ao mais brutal
J s lespolas, une earargonLa a America do Sul.
ssamp^ao, nova cidade maldita, baquee para
ni oca mais levantar-se.
As soas reliquias sirvam Je allestar poslerida-
de que a America, em aualqner de suas regioes,
nao tolera tyrannos.
vas de que os calhaos foram levados por gelelros,
e uao por massas de gelo flucluanles. Pela exten-
so dos gelelros mostrou, que os seus lmites che-
gavam at os 30 graos de latitude boreal, os quaes
tinham enlo a mesma temperatura que hoje os
30 graos; e alBrmou que o limite da nev perpe-
tua nos Andes, que hoje est a 15,000 ps cima
da nivel do mar elevavase ento a 7,000.
Passando Asia, meojcionou os animaos das re-
gioes' iropicaes, que foram encontrados na Siberia
perfeitamente conservados debaixo do gelo, e quo
nao foram transportados das regides equatoriaes
pelo perfeito estado de conservaiao, como por
exemplo, os mamoulbs, etc.
E concluindo declarou, que na Tijuca e alguos
pontos de Minas encontrara o pheiiomeno errtico,
provado por cachaos de arestas bem conservadas,
e collocados sobre terreno-, de natureza differente.
O Dr. Agassiz deu flm a esta conversago, no
meio de applausos, dizeudo que ha gloria a colher
no esludo desies pheuomenos, ainda que nao fosse
senio pelo amor a verdade.
Na seguinte conversagao tomou por assumpto
do seu discurso o esludo dos seres organisados, o
reino animal.
O professor Agassiz prop5e-se a fazer e estudo
dos seres organisados, que actualmente vivem nos
diversos pontos do globo, considerando-os as re-
lacoes, que apresentam nos seres, que povoaram o
globo nos diversos periodos geolgicos, essas ida-
des do Dosso planeta.
Deste estado passar a mostrar, como conse-
queucia lgica, as ligacSe, que os seres teem en-
tre si, as aflinidades, a subordiuacau de toda a
obra do Creador, a planos geraes, cada um diffe-
rindo essencialmente dos outros, mas cada um
conservando-se fixo c invariavel relativamente aos
seres, que llie sao subordiuados.
D'abi deriva naturalmente a questao da origem
dos seres, das especies.
Nao pode, no breve espaco de una hora, desen-
volver tao fasto assumpto : oceupou-se ueste dis-
curso um estabelecer as bases do verdadeiro estu-
dj zoolgico :a diviso do reino animal em gru-
pos successivos, ramos, classes, ordens, familias e
divisSes inferiores.
De fa'.H, o illostre professor, adepto da philoso-
phia moderna, que asseutou as bases de suas ope-
raroes lgicas sobre a observaeao da natureza, so-
br.i os fados, que eila nos aprsenla sob mil faces
diversas, nao poda deixar de cingir-se aos prr-
ceitos, que o Ilustre autor da l'lulosopliia das setn-
elas, Ampere, formulara :que no estudo de cada
phenomeno, dos fados de qualquer cathegoria que
sejam, o meio uuloplico deve sempre (receder ao
meio cnjplnislico, isto do conhecimento daquil-
lo que patate, manifest, geral, fcil, deve-se
passar depois intestigaco do que recoudilo,
complexo e diflkil.
Assim as bases da Paleontologa, essa pnderosa
auxiliar da geoanosia, creada pelo immortal (Ja-
vier, assentam sobro o profundo conhecimento dos
seres vi.vs, na confrontaco dos organismos, na
comparaeao da estructura orgnica dos diversos
entes" animaos.!
A grande questao da origem das especies, que o
Ilustre professor considerara, tao antga como
a propna humanidades aresolucae dclla oceupou
as mais sabias intelligencias, em todas as pocas,
dividio-as em duasopinies, dous arraiaes se for-
maram, e a pugna entre elles se travou, trava-se
nle momento, e praza aos reos que a idea que o
u.uessor defende, elevo o pendao da victoria, por-
que a mais alta expressao da philosophia mo-
uove horas de intenso
Ora, os orgos mais importantes sao tambem
aquelles que aearretam as semelhancas (hotnolo- '
gias) as mais geraes.
D'abi se segu que, estabelecendo os grupo*
inferiores sobre os orgos subordinados, e os gru-
pos superiores sobre os orgos dominadores, os
grupos superiores comprehendero sempre e ne-
cessariamente os inferiores, ou por outra, poder-
se-ha sempre passar de uns para eutros por gra-
dares, cada vez mais geraes, medida que se
for avancando de grupos inferiores para os supe-
riores.
Tomando por base o systema nervoso, que um
orgo, ou melhor, um apparelbo mui importante
dominador, v-se que a primeira forma deste sys-
tema rene todos os animaes vertebrados u'um
mesmo grupo : urna segunda forma rene todos
os animaes annelados (os insectos e os vermes de
sangue rubro assim como os crustceos) ; urna
terceira forma cougrega toaos os molluscos, e fi-
nalmente, urna ultima liga, por um lago commum
todos os radiados.
Assim nos quatro ramos estabelecidos, o mo-
do de conformago do systema nervoso
idntico, e ainda, como o systema nervoso domina
lodos os orgos da vida nutritiva da vida orgnica'
os apparelhos que dizem respeito s funegoes da
vida orgnica, sero tambem conformados homo-
tongamente.
A na ureza, diz o professor Agassiz, creou qua
tro formas lypicas, quatro lanas de estructura,
que o borneo] pode resonhecer era suas investiga-
1 cues, denominndoosramos ; em cada um des-
ses ramos jamis se da a desviago do plano pri-
mitivo ; o modo de rejlisago do plano pode diffe-
nr e difiere sem comludo alterar a idea essencial,
como por exemplo no ramo dos vertebrados, temos
as classes dos mamferos, das aves, dos peixes, dos
replis e dos batracios.
Portante as classes proceden) da rnodificago na
construego do systema orgaoico, material por as-
sim dizer, e jamis infringindo as sabias leis que
presidem manulengo do systema nervoso.
Estas regnlam os planos que servem de base aos
ramos.
Em sua quarta e ultima conversago, resumindo
a prelecgo auterior, o Ilustre sabio percorreu
rpidamente as dlfferenles classes, em que se sub-
dividem as ramiflcagoes primordiaes, estabelecidas
por Cnvier; para o reino animal; e deraonstrou,
que essas dilTerentes classes sao anda o resultado
desse mesmo plano intencional, que havia presidi-
do aos lypos geraes das Niniticagoes zoolgicas de
Cuvier.
Para reforgar esta idea, que preside ao desen-
volvmentodos seres animados, o Sr. Dr. Agassiz
foi procurar as faunas anli-diluvianas a prova
igualmente convincente desse desenvolvimento ly-
pico, que forma o fundo das classificagSes natu-
raes. Fezohservar.com esta ligag) lgica e ele-
gante descripgo, que constitue a originalidade do
seuesiylo, que lanto no que respeita s ramifica-
goes primordiaes do reino animal, como na sua
subdivlso em classes, subsista anda o plano
Intencional, que revela urna intelligencia creadora.
Passaudo a descreer por ordem chronologica
as differentes carnadas ou formagoes geolgicas do
globo terrestre, o sr. Dr. Agassiz mostrou, que
dando-se urna gradago evidente no que toca
perfeico dos typo, segundo as idades ou pocas
ascendentes dessas carnadas, comtudo as quatro
ramifleacSes primordiaes da escala zoolgica e
suas sub livisois em classes conservavam entre si
esse parallelismo de typos da fauna actualmente
viva. E se algumas excepgoes havia na classe dos
insectos e dos animaes que lhe sao superiores em
organisac", erara devidas a que, sendo por exem-
plo os insectos habitantes exclu.-ivamente terres-
tres, s deixaram trago de sua existencia depois
da formacao dos terrenos carhoniferos.
Quanloaos mamferos a mesma le de gradago
ascendente se manifestava, al que emfim appare-
cera o genero Inmuno como a coroaco de toda a
creago.
Elevndose a' ideas mais geraes e philosophia
da scieoria, o Sr. Dr. Agassiz, era urna especie de
enlevo scienlilico e como que deixando o terreno
solido, porrn modesto, do seu estylo habilualmen;
te descriptivo, partindo da posigo horisontal dos
peixes, typo o mais imperfeito dos vertebrados,
chegou ao re da creagaoo homein ultima ex-
pressao da perfeigo orgnica, que pela sua atli-
lude vertical, nico, pode olhar era face os seus
Um coragao, onde a chamma,
Que um peilo puro abrazou,
Urna s corda oe vibra,
Um echo s nao achou,
Nem febril e delirante
Urna s nota arrancn,
E' coragao de descrente...
Vele-o bem que nunca amou I
Um coragao que nao ama
E' como algente vulcSo ;
ludagai que s tem zinzas,
E brazas l nunca estira ;
Seus seutimenlos sao icios,
Nao sao sinceros ; oh nao I
Os coragoes, que nao amam,
Soffrem muito e soffrero I
Has um peito, onde se encontra
Fido amor, paixio real,
Tem celestes harmonas;
Tem belleza sem rival :
Tem thesouros escondidos,
E' verdadeiro, leal;
E' bello, puro, divino
Como um cauto angelical I
E' como um riso faguefro
Sobre uns labios de carmn ;
E' come olhar qu prornetle
Delicias de amor sem flm ;
Tantas virludes encerra,
Quaes perfumes ojardim ;
E' como o canlo dos aojos
Em lyras d'ouro e marim I
Um coragao amoroso
Tem perfumas, que nao tem
Nem a rosa solitaria,
era dos campos a cecem ;
E' como a pyra, que, ardendo,
Sagrado lume conlem I
E' das virtudes sacrario;
E' riso de Dos tambem I
Um coragao que nao ama
E' como j murcha flor,
v E' como um co, onde a la
Nao brilha, nao tem fulgor;
ET como a lyra que estala
S de gemidos e dr -
E' como um tmulo; triste
Um coragao sem amor !
exuberantes de saber sacrificar as suas vaidades
aos seotimentos do coragao.
Deu-se ha poucos das um caso que revela toda
a delicadeza de sentir, de que suseep.ivel a
mulher.
Jess Christo, doulor supremo, autor da limfru
celeste.
Detraz do Christo e a soa diretts, est o papa
era pe cora a cruz pastoral, e a soa esqaerda o
imperador, tambem de p, com a espada na aaio ;
Um serralheiro bem comportado tinha-se agr-: por Daixo Ut) uus e de ou,roise ieem esttspaU-
vras :
dado de urna rapariga muito modesta e que havia
recebido excedente educagao.
Ajustou-se o casamento e no dia aprazado com-
pareceram os nolvos na igreja.
Quando se lavrou o assentamento competente o
serralheiro, que nao sabia ler nem escrever, assg-
nou de cruz.
A noiva affeetou que Tiem sabia pegar na penna
e tambem assignou de cruz.
Estrauhou a madrinha quo a sua alilhadi, para
cuja educagao ella tmha concorrido, dsse urna
prova publica de ignorancia, que nao era verda-
deira.
A nciva respondeu que nao queria humilhar
seu marido, e que desde o dia seguinte tratara de
fazer com que elle soubesso ler e escrever.
.\o um aclo heroico, mas um bonito ras^
de delicadeza e dedicago.
Um dos mais civilisados representantes do cou-
grssso da Assumpgo, honrado com a privanga do
glorioso marechai Lpez, contralu comuoseo, me-
diante alguns patacos de gratifleago mensal, man-
dar-nos copias da correspondencia de seu podero-
so senhor com o aujo decahido.
EmJesempenho do contrato, recebemos d'aquel-
le iio.-so agi'iiii' assalariado a seguinte mis.- va, cu-
ja leitura recommendamos curlosidade de quem
nos l por dinbeiro e de graga, com liceoca do es-
timavel Sr. Sauches Monteiro, do Gymnasio.
-
Publica o Siglo de Montevideo o seguinte :
Um amigo facilitou-nos urna carta do Rosario
com dalas de 2i de malo, do pessoa de crdito, da
qual extrahimos estes paragraphos, que dao deta-
lladamente o numero dos infantes que at a ulti-
ma data tinha mandado Buenos-Ayres.
Sao 1,600 homens, sendo um batalhao de 500
pragas ao mando de major Panelo, ao qual se reu-
niram 21 oflicises voluntarios, todos jovens de Boa
posigao.
Outros 500 pertencem a campanha, e sero com-
mandados pelo coronel Esquivel, amigo chete do
general Hivera.
Os seguintes didos sao exactissimos a respeito
do uumero de pracas que contam todes os bata-
Ihes de Buenos-Ayres, que se tem dirigido para
o theatro da guerra passaudo pelo Rosario.
Io de linha, commandaute Roselti, pragas o8.
2o de linha, commandante Orina, idein 38.
3o de linha, commandaute Ribas, idein 285.
Legio militar, commandante Gharlone, dem
428.
Ganbaldlnos, commandante Geribone, idem 380-
Legio Suzine, commandante Suzmi, idem 2i0.
2 regimeulos de artimaa, dem 500.
Tolal 2,7o7 pragas.
Pegas de artihaiia 22.
O corpo de artilharia que sahio no Hercules
couslava de 100 pragas com 12 pegas.
dorna, posto que os propugnadores da fixalez das semelliantes, contemplar o co, e de alguma sorte
especies tornera por egide da sua opinio a crenga enl .reador.
religiosa.
Todos os seres vivos procederam por via de ge-
rago mais ou menos regular uns dos outros, e por
ti 111 de una nica forma primitiva : ou cada forma
cspeciea fui creada independeuleuiente, ex-
abrupto, por urna potencia sobrenatural qual-
quer ?
Taes sao as duas opinies antagonistas : o illus-
;\'a glacial Siberia bouv
calor.
E o phenomeno nao causou espanto, porque na-
queila zona frgida do parlamento, onde se abriga !tre Agassiz no-Ios desenvolver com a si^a habitual
tanta Hlualraco, de quando em quando ha sea i proficiencia.
lempo queute. Quanto diviso dos seres animaes em grupos
O senectus est rnorbus tma verdade multas ve-: definidos o professor deraora-se em expor com sua
palavra autorisada os fundamentos da memoravel
classilicagao de Georges Cuvier.
ees mentirosa.
Os colendi siraos padres conscriptos, na sessao
m; na mostraran) maior folego do que aquelle de
que basofea a rapazada gmle el parfume, que
na) aquece lugar, fazen-b suppor a quero a v
sempre em movimenf, que tem bicho carpin-
teiro.
i fliscorso do Sr. conselheiro Paranhos deve dar
um livro de 200 paginas pelo menos. Estamos a
limpir o pince-nez para l-lo em raeia duzia de io-
v Udas. s'L'reinosse os Esehines de S. Exc. dizem
delle o que de alguns dos de Demosthenes disse o
primitivo Escome.
Quatro planos de estructura, quatro formas ty-
picas, encontram-se no reino animal, cada forma
dallas corresponde um ramo.
Ha, pois, quatro ramos: 1." dos vertebrados ; 2.
dos annelados ou articulados; 3. dos moluscos
ou malacozoarios ; 4. dos radiados ou zoophytos.
Ha um seculoantes de Cui'i>/-,preoccupava os es-
pritus a questao formulada nos seguintes termos '
quantos planos de organisago aprsenla o reino
animai-um ou muilos 1
Esta questao fora estabelecida em termos mu
vagos; Cuvier, por urna feliz inspiracao, substitua
por outra que por isso mesmo, que fra posta cem
lucidez, eslava j meio reslvida e :quanlas
formas distindas aprosenla o systema nervoso dos i
animaes '
A solugo era fcil, depois de modo positivo,
1 porque o grande restaurador das especies exlinctas
Parabeos aos amigos de banquetes-scientificos, e
portaalo, parabens a nos mesraos.
Nao estamos era quaresma, mas teremos rega-
bofe de peixe.
O superintendente da festa o eminente nalura-
ista o Sr. Dr. Agassis, o successor de ilumboldt,
aue 0 Ro de Janeiro tem a lberdado de hospedar.,
H .. ... estabe ecera a questao.
O amav;l sabio vat estabelecer conversares: '. .
se entfleas era urna das salas do extrnalo de D. I fecundh ^T
como mu bem diz um enthuslasta de Cuvier, nao
poda ser introduzido na zoologa seno precedido
pelos trabalhos de anatoma.
O fecundo principio da snbordinacao dos orgos,
Pedro II.
Profundamente visto em ichtyjlogia, como pro
fundo ern outros ramos das ciencias oaturaes, vai
moatrar que Aristteles disse muito, mas nao pode
dizer ludo.
Na sesso que o Ilustre sabio destinar a esta
ispeealida.e de to difflcil trato, teremos de ver
muita moga lioda como os imores. ,
E pois, o prirneiro passo a dar era conhecer os
orgos : a diterminagao da importancia relativa
delles vina depois.
Vencidos estes dous grandes principios, nada
mais havia do que assootar os caracteres nos aos
O illusire professor bem claro deixou entrever,
que suas ideas nao sao por certo favoravcis
transformago panlheislica, adratida por certas
escolas.
O Sr. Dr. Agassiz parece conciliar, com seu es.
pirilo penetrante e delicados senlimentos, a philo-
sophia chrlsta e as conquistas da sciencia.
Esta poesa do acadmico Joaquina Yillela :
COBAgAO SEM ASIOH.
E' como extenso deserto
Em que nao brota urna Qor ;
E' romo um cu onde a la
Nao brilha, nao tem fulgor ;
E' como a lyra que estala
S de gemidos e dor ;
E' como ura tmulo; triste
Um coragao sem amor I
Nao sent castos palpites,
Nao sent anhelos febris;
Nflo pode lr os myslerios
Que a la, noute, nos diz ;
Nao pode sentir espr'augas,
Nem sonhar sonbos gentis ;
Um coragao que nao ama
Nunca pode ser feliz I
Nao pode ter harmonas
Das brisas o ciciar ;
Nem os lougiquos gemidos
Que sola queixoso o mar
Pdem nelle doces crenga?,
Melodas acordar;
Nao pode ser venturoso
Um coragao sem amar !
Encanto na natureza
P'ra elle nao pode baver ;
Nao lhe murmura aaudades
Da meiga lonte o correr I
Ura coragao que nao ama
Nao pode sentir prazer,
Nao pode gozar delicias,
Nem chorar, nem bem querer I
Na capital do mundo catholico celebra-se a ado-
rago da Cruz, na sexta feira da Paixo pela ma-
neira seguinte :
No lim da raissa dos presanlificados ura cardeal
pega na imagem do Santo Christo, que asta co-
berta com um veo de cor negra, volta-se para o po-
vo e descobrindo-a dizEcce hgmtm eructo!
Ento o papa prosira-se em trra e faz a adora-
gao com as mitos postas.
Antes de levanjar-se e de ir para o seu lugar, o
santo padre langa em urna bacia de prata dourada
urna bolsa de seda rM com escudos de ouro.
Em quanto isto se passa, o coro canta os cele-
bres improperios da Palestina, o Agios o Thcs, e
as mais orages do rilo.
Depois os cardeaee vj a dous e dous pela or-
dem da sua aotiguidade adorar a cruz, e antes de
se levantarem depositara na mesma bada de pra-
ta, que se acha ao lado da Imagem, um escudo de
ouro.
O imperador Napoleo III, segundo conta um
jornal francez, oceupa em Compigue o quarlo em
que Luiz XV assignou em 7 de agosto de 17(54, o
prirneiro tratado para a cesso da Gorsega
Franga.
A repblica de Genova nao pode subjugar os
Corsos; depois de tres revollas com pequeos in-
tervalos, vendeu Franca o direito que ella tinha
'ilha.
Era ento ministro de Luiz xV o duque de
Choiseu.
Napoleo III, pois, oceupa em Compigue o quar-
to, onde se firmou o seu direito nacionalidade
franceza.
Em Nagpur, India, existe um homem gigante.
Tem de altura sete ps e quatro pollegadas, e
bragos compridos e robustos, quatro vetes mais de
que o braco ordinario.
Um padre pergunlou um dia a um roceiro se Je-
ss Christo era Dos como seu divino pai :
Nao por ora, respondeu elle, mas por morte
do pai nateral que ell6 herde o titulo,
Estado do Paraguay. Assnmpco em 2 de maio
de 1865.
Inflammadissimo compadre Saanaz. Estou em
caminbo da realeza, e j com os ps no quinto dc-
gro do throno, alvo que miro com os olhos da I-
ma c a que atiro cora superiondade minha em re-
lagao aos brutos de meus dominios.
Para mostrar aos paizes monarchicos que nao
sao elles os nicos que podem ornar de eradlas e
de filas as fardas, as togas e as casacas de suas no-
tabilidades como as de amitos subditos de nagoes
amigas, uslitai a ordem do Mrito; do mrito,
compadre, palavra que por si s moslra de quanto
capaz ir.eu bestunto.
J promulgad o respectivo regulamento: e co-
mo o compadre est perfeitamente no caso de ser
condecorado com o prirneiro grao da ordem, re-
melto-lhe as insignias, que por sua causa denomi-
nei grande cordo, e naograo pao atravessado de
outropara nao faze-lo pinoiear, et0rtegar-Se e
espumar de desesperago, como sei que lhe aconte-
ce quando algum imprudente lhe falla no rude ma.
deiro, em que expirou o filln de Mara entre Ge-
mas e Dimas, vulgo bora e mo ladro, dos quaes
sabemos a historia.
As nossas estrenas relagoes, os conselhns qoe
me tem dado; o immenso ascendente, que sobre
mim exerce; e os numerosos servigos, que ha
prestado a causa do meo engrandecimento. funda-
ram o seu direito ao grao elevado, em que o collo-
co na minha ordem.
Depois do compadre, porrn menos graduados
(esia bem visto) condecoTet~o magnnimo Rosas,
ex-didador da coufederago, to ingrata com elle ;
modesto barrigudo que, pudendo deixa-la a tocar
malinas, apenas roubou-lbe uns miseraveis dez
milhoes de pataeoes de prala sem liga e ao rei de
Benin, por ser essa potencia, depois do Paraguay,
o nico lugar do mundo, aunde adualmeu'.e se fa-
zem sac (icios humanos.
Pretendo tambera nomear commendadores os
Orientaes Aguirre, Susvida, Juanic, Linea Rae-
ca, Servando Gomes, Lamas, Munhoz e Apparicio,
para fazer ligas a Flores e a Mitre, aos quaes pro-
testo desinflorecer e desmitrar dentro em pouco
tempo.
Tenho em vistas despachar muilos cavalleiros
da ordem ; mas de meu dever ainda obsequiar
o compadre e por isso Ibe pego que me mande
urna relacio dos doenles, trasgos e tteres seus,
que mais importancia tiverem no reino das trevas.
O compadre nao repare na limitaCSO da cllerta.
Principe e commandante de tantas legies de de-
monios, para .i u objecto da n.aior veneraeo.
Nem o autor da Sorciere o respeita lauto.
Continue-me com os seus bons offlcios, e prepa-
re-me a mais ardenle das suas caldeiras para
quando tiver de descer aos seus estados, o que
talve soja mais breve do que o compadre pensa.
Sou, como nao deve duvidar, do poderossimo
compadre
Compadre e amigo muito obrigado respeiladur
D. Solano Lpez, quasi-rel.
0 papCvigario de Jess Christo ; o imperador
defensor da igreja.
Nos arcos lateraesesto pioladas figuras sjmbo-
licas e urna dellas dii:
Credo; fat.
No centro, sobra, as quatro frentes dos pilare*
esta > as imagens dos inventores das escrplonu l-
caos ; na parede da direila apparecem as acusaos
concilios ecumnicos ; na da esqnerda a fundagao
das grandes bibliotecas de todos os paizes.
Em torno d*s pilares do centro ha maxl.nas da
Escripia, que recordara a ulilidade e b.m oso
das siencias ; eis aqui algumas :
Quero que saibes o que e bem.
O impo ignora a sciencia.
A sciencia descanece, a caridade edifica.
O que tiver necessidaie de instrucro, pecu-u a
Dos.
O homem prudente animoso; o homem samo
forte.
Na alma do malvado nao se encontra a sabe-
dor,''!.
E' necessaro sobrielade na sciencia.
Os inventores da Escriptura teem a sui freue
os filhos de Seth, que escrevem era duas columnas
os cantares celestes.
Veem logo Moyss, inventor da Escripia an-
tga. ,
Abraham, inventor da syrica e chaldaiea.
Esdras, da hebraioa.
Mercurio escreve para os et-ypcios as lettras sa-
gradas.
A rainha Isis, inventora da escripia egyp-
cia.
Alaim Chartler, poeta celebre do seculo XV, e
que assistio aos reinados de Carlos V, VI, VII e
Luiz XI, estando um dia adormecido sobre urna
cadeira, vio-o Margarida d'Escossia, mulher do
delphm de Franga (depois Luiz XI), e inclinndo-
se para elle, deu-llie ura beijo.
Cliariier era feio, j entrado em annos,; o beijo
nao foi dado s escondidas, o ento j se v que
havia de ser censurado esso acto polos cavalleiros
e damas que acompanbavam a princeza.
Que Ihes havia elle de responder?
Que se nao deviam admirar, porque nao ha-
via beijado o homem, que de mais a mais era feio;
mas os labios de que linhara saludo tantas palavras
douradas
l moa
Os homens sao ge ramente injustos attribuindo
s mulheres urna valdade excessiva, o bello sexs
em toda a escala social tem sempre dada provao
A bibliotbeca do Vaticano foi fundada pelo papa
Sixto V, como o recorda o quadro que se acha a
direita ao entrar nella.
Naquellas paredes apparece expressado o pensa-
menlo do fundador, o qual desejava t;io ardenle-
mente levar a cabo a sua resolugo que concedeu
smente um anno para que tivesse effeito.
Quando lhe manifestavam que era muito pouco
lempo para a ornamentaco do salo e lhe declara-
vara os inconvenientes que resultaran! disto, res-
ponda.
Trabalhai, trabalha depressa, porque depois
de mira podero nascer novas ideas e traustoruar
os meus planos, e por isso quero que elles sejam
realisados a miuha vista.
A bibliolheca vaticana tem a figura de um T,
verdideira f>rma de oruz; a linha vertical tem
duas lateraes, separadas por seis pilares macissos
que susteniam as arcadas das abobadas.
A' direila, a osquerda e no centro da sala, ha ar-
marios fechados, de seis pos de altura prxima-
mente, em que se guardara os raaouscriptos pre-
cisos.
Na parle superior ha pinturas a fresco, que re
cordam os fastos ineraoraveis da sabedoria divina
e humana, eraquauto que a abobada represen-
ta os pnmeirus successos da vida de Sixto V.
Phenix, Cadmo, Cecrope, Lino, Pylhajro*, Epi-
charmo, Palamede<, Simonidis. Evandro. o impe-
rador Claudio, Carmenta, Desraarattes, l.'lphilau.
S, Cyrillo, com a indicag'to de ludo o qoe fizeram
em favor da escriptnra dos diversos p tos.
Na parede lateral da esquerda exisiem foraaoaaa
frescos que recordara a fundagao das (iranes bi-
bliuthecas e os servigos que os seus fundadores
prestaram a humanidade.
Desde logo apparece a bibliotheea h-braica em
que se v Moyss, confiando os livros santos aos
levitas que os encerrara ni tabernculo.
Depois Esdras, sacerdote e escriba res'abeleef-
do a bibliotbeca dos padres.
Veem em seguida a bibliotbeca babyInica, em
que Daniel eseus companheirosaprendem alingoa
e a sciencia dos chaldeos : a bibliotbeca alheniea-
se em que Pisistrato foi fundador de urna primeira
bibliotheca publica enlre os gregus, e em qu* Se-
leiu-i) restitua a bibulhera arrebatada por Xerxes.
Soguera depois :
A bibliolheca alexandrina.
A bibliolheca romana.
A bibliotheca de Jerusalm.
A bililiotheca de Cesrea.
Finalmente, a bibliolheca apostlica, confiada por
S. Pedro ao cuidado da igreja reinan.-.
Os frescos era que se perpetuara aquelles impor-
tantes successos, achain-se adornados com inscrip-
ges que explicaui as nslrucgdes que bonraraa o
genio do hornera durante o decarso dos scalos.
Em frente, na parede da direila desenvolvem-se
as actas dos concilios.
O que mais excita a admirago na mella pagina
monumental a constante allianga do sacerdocio -.
do imperio.
Em todos os concilios o papa e o imperador *-
to nomeados na iuscripgo e representados aos
frescos.
O papa, rodeado dos hispos, pronuncia o decreto.
O imperador, ora sentado no seu throno coro o
sceplro na mo, ora u'um escabello com a espada
nua, est disposto a .-ua exeengao, qne s ajaj
assumpto de um quadro espacial.
A serie comeea no prirneiro concilio de Ni.rea,
por esta forma, sendo a seguinte : a in-enp.;',.>.
Sendo S. Silvestre papa e Constantino imperador.
o Christo de Dos declarado substancial com o
padre e condemnada a impiettade dos arumos.
Ao lado desle quadro" v-se omro com esse dis-
tica :
Conforme ao decreto dttt concilio, Constantino
faz queimar os icios dos alanos.
A inscri|>go da sala central que enlaca os bra-
gos lateraes no salo da entrada diz
Sentlo papa Alexandre l, $ imperador Henrifue
I, os costantes dos trigos e dos ckrijos detoiveram
sua primitiva pureza.
Outros quadros recordara as hostilidades de al-
guns imperadores contra a igreja o a autoridade es-
piritual do vigario de Chnslo.
Os bragos lateraes olTerecein igual espirito do il-
lusiragao.
All se encontrara Plata), Aristteles, Toeophras-
to, Eschynes, Herodolo, ahueca, Fersio, Suiluso,
Horacio, Cicero, Sarate*, P) ttiagora-, Soln, Apu-
leio, Gatia, Cesar.
Grandes quadios recordara os servicos ^oe as
sciencias devem a Polln, Trajano, Local, Mailua3
Corvmo, rei de Hungra, etc., etc., fazeedo frente
aos que indicara os favores que prestaram Nicolao
II, Sixto IV e Paulo V.
As ultimas salas lateraes cont.im a vida soffrt-
meiitos de Po VI e Po Vil e a entrada inuraptu!
| dos sagrados ponlilices pela porta do povo.
Po VI tornou a entrar como martyr, cuja* reli-
quias se venerara, Po Vil como v,gario flori.so
de Jess Christo no meio das enlbasiasticas accia-
maedes dus romanos.
Eis ura fado irisleraeotj siogulsr, caja narra-
eo encontramos n'um jornal estrangeiro :
Ha cerca de dozi annos foi as.-assina'o e rooba-
do, sera que indicio algum se podesse descobrir do
assassino, um negociaue de gado da Silesia.
Ura anno depois do crime, urna liha da victima
casou cora um corlador.
ltimamente, esta descobrio enlre os objecta
pertencenles a seu marido una bolsa bordada a
Entre os pilares do centro acham-se os presentes' prata que e||a tU|U f,.jta ^n sea p, e fpe j,,,^
mais magnficos feitos aos ponlilices, sendo dos parecer depois do assassinato.
mais ricos um crucifixo de ouro e inalachites, dado ; Ura, horrivel sospeita lhe perpassou pelo espi-
rito ; leve a coragem de exprimir aquelle qua ara
o objecto d'ella, e havendo colhido declan^ea
completas, a infeliz mulher vio-se forgada a ser el-
la piopria a entregar a jnstiga o assawmo de sea
pai, que nao era outro seno sea marido.
i > rrji i
pelo imperador da Russia, e alguns formse vaso
de Sevres.
Os dous peroagens principaes da bibliotheca sao
Ado e Jess Christo.
Prximo da porta da entrada, no meio des qua-
dros e fazeulo Trente aos pilares, encontra-se a ima-
gem do nosso prirneiro pai cora a seguinte iuscrip-
go em latina : x alma religiosa, diz ura autor, atrai
Ado, instruido por Dos, inventor das sciencias mnmU a carrera da vi(Ja entfe 9tlmm^ ,
e das lettras. res.guago.
Na outra exlreraidade do salo esl a Imajem de
Chisto, sentado, com as raaos esteniidas em gesto A Primeira ennra> Prfama e >"na-e a via-
de abengoar e cora o Evangelho aberto sobre os. iem-
oelhos. A se8uda fortifica-a centra as asaerexas Aa ea-
.,,. ,,t. n____-;-.. minho, e preserva a das quedas,a que i
All se Ieem as palavras Alpha e Omega, prmci-' .' j ^
ptum et ms, e por baixo dos ps do Salvador a a '"""'* lev'r- _________________
seguinte loscripgo : I PERXAMBCQ.-TYP. DE M. F. DE F. 4


t


.

I


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EIKWWH49Y_JROLV9 INGEST_TIME 2013-08-28T00:55:32Z PACKAGE AA00011611_10707
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES