Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:10704


This item is only available as the following downloads:


Full Text
ANUO Ul JMERO W
Pt tjuwtel pago dentro de 10 dias do i. mez ]
dem deptis des l.'MO dias do cemecoe dentro do qiarte)
Porte aoeorreioior tres nezes ".....

3JQ00
61000
751
ENCARMGAOS DA SUBSCRIPCO DO NORTE
Parahyha, o Sr. Antonio Alex?ndrnu de Lima;-
Natal, o Sr. Antonio Marques da Silva ; Aracatv;o
Sr. A. de Lentos Braga; Gear, o Sr. J./os de
OKveira; Maranho, o Sr. Joaqnim Marques Ro-
dnjne*; Para, os Srs. Gualdo Antonio Al ves <&
Filhos ; Amazonas, o Sr. Jeronymo da Costa.
EXCAURF.GADOS DA SUBSSRIPQAO DO SUL.
Alagoas, o Sr.Claadino Falco Uias; Bahia, o)
Sr. Jos Uartins Alvos; Rio de Janeiro, e Sr. Jos
llibeiro Gasparinho.
PARTIDA DOS ESTAFETAS.
Ofinda, Cabo, Bscada e estagdes da via frrea at
Agoa Preta, lodos os dias.
Igoarass e Goyanna nasegundas e sextas feiras.
Santo Antao, Gravat, liezsrros, Uonito, Caruar,
Alunho, Garanhuns, Buique, S. Bento, Bom
Conselho. Aguas Bellas e Tacarai, Das tercas
feiras.
Pod'Alho, Natarethj LimoeJro, Braja, Pesqneira
Ingaieira, Ploras, Villa Beffa, Cabrob, -Boa Vis
ta, Ouricnry, Salgueiro e Exu, Das qnartas
eiras.
Segunda vara do civel: quartas e sabbades al
hora da tarde..
Sennhem, Rio Fownoso.Tamandar, Una, fia*
reros, Agua l'reu Pimentelras, Das quintas Relaf
feiras.
EPHEMERIDES DO MEZ DE JUNHO.
i Quarto rese as O h., 1 m. e 38 s. da ni.
9 Loa elisia as 7 !>., 21 bj. e 16 s. da m
16 Quarto ming. as 4 h., 93 n
23 La Dova as 5 h., 37 m
30 Quarto cresc. as 11 h.,'
P1RTE QFFH3L
.III.YBSTEBIO 10 IMPERIO
UEOtlElQ .3,471 DK i DB JUK80.JM 1863.
Convoca nova astmbthi atri pareara.
Designando expressameotn a coosliiajao do wn-
ptrio na Io do art. 102 o da 3 de jotfh to anno
terreiro de cada legistta-* para a coavocacao da
nova assembla geral ordinaria, hei por bem con-
vocar a mesma assembla, procedendo-se para es1
se lira s eleices dos depatados das differeni.es prq-
vlncias, na forma das leis e instraeges que as re-
guiara.
O marqnei de Olinda, conselheiro de estado, i n0 dtvem xr Tmn\os
repartigo da guerra de 5 do crreme, constante
da copia junta, alim de que V. S. se sirva de mi-
nistrar os esclareeimentos, que se exige acere do
nome de sacerdote Caelano Jos Pereira Pinto de
Lemos. que pe^e ser noineado capello da reparti-
do eeclesias|n\do exercito. _
pedido arriera para wrja a-^a^rovneBrW
vapor qas pasear do norte, o-disertar do 2o bata-
lho de artiiharia a p Manoei Francisco dos Sal-
tos, que foi apturado no distrielo de Agua Branca
daquella provincia, no da 20 de marco ultimo.
Dito ao masmaHeclafaado o Exu^Sr. ininU-
i tro da guerra em aviso de 6 de maio Biflnro, que
para a tfot?, e sim ac-
Manoel Joaqalm Netto f
ella nesse presidio, ss
seu offlcio n. 213, de 30 u
Quanto porm a do reo ...
que a V. S. deolarou ter sido u.
SEXTA
Per anuo pago estro de 10 das do 1/ ez
Porte ao eorreie. por
> i

191000
ZnAn
DAS DA EMANA.
fOpOa. f*. JfoSo-s Parton*. S. Vrcilio m
** S. La#l*4, r*j Hangria. '
Argei
Htoogri
Sapr
* fa*is' "5al S.ti Luciana
i- mbiio.$ -titoioYlett ab., g. Gallo b.
. Bomiogo. 8,.Oumb i. { Bjrarniano m.
HMAHAH tQJE.
WPrtmwa m 10 horas e bj. da mnhfa.
ISeguBd m W%czMf minotos da urde.
PAOTIBA DOS VAPORES GOSTE1B08.
Para o sol at Alagoas a 14 e 30; para o norU
at* a Granja a 7 e i de cada mei; para Penan-
do nos dias 14 dos metes de Janeiro, margo, malo,
julho, setembro e novembro.
ASSIGJSA-8JE
o Beclfe, na Hrraria da praea da Indepeadencia
s. O e g, dos propietarios Manoei Pigueiroa de
Paria & PHho.
Ti
couimodados em algum edificio perteocente ao es-
tado nesta provincia o archivo do exincto hospi-
tal regimenial, bem como os papis elivros do
hospital militar, que ltimamente se mandn redo-
xir a enfermara permanente: assim tweommanico
a V. S. para seu condecmenfix
Dito ao mesmo. Itemttp incloso o termo de
inspeccao de sade do furriel do 4o batalho de ar-
tilba ta a p Manoei Monteiro dos Santos, alim de
que V. S. o mande reformar pela junta de sade,
prudente do conseiho de ministros, ministro e se-
cretario de estado dos negocios do imperio, assim
o lenha entendido e faca exentar.
Palacio do Rio de Janeiro em 3 de junho de
1865', 44* ija independencia e do imperio.Cotn
a rubrica de S. M. o Imperador. Mrquez de
Ottnda.
^ ii
MINISTERIO DA JUSTINA.
DRnnETO k. 3.*82 be 42-dk junho dr 186o.
Altera o ar/. 13 do decreto n 345 i de 26 de abril
.' de 1863.
Usando da attribico que me c nfere o art. 1C2
12 da constitnic5o do imperio, hel por bem de-
terminar qje os livros de 1." classn do registro ge-
ral, creado pela le n. 1237 de 4 de setembro de.
ISti'i, t nham metade das folhas designadas no art.
13 do decreto n. 3453 de 16 de abril do correle
.anno, devendo por conseqnencia o numero de fo-
lhas dos livros de 2. e 3" classes ser reduzido na,
projiorcao estabelecida no artigo 21 dfjtMtnio de-
crcto ; revogadas as dispo^icSes era cdnfrario.
Jos Thomai Nabuco de Arojoi do me conse-
lho, ministro e secretario de estado dos negocios
da jusilla, assim o tenha entendido e faca executar
Palacio do Rio de Janeiro, em 12 de junho de
186o, 44." da independencia e do imperio.Cnm a
rubrica de S.M. o Imperador. Jos Thomiz Na-
buco de Araujo.
Circular.
Illm. e Exm. Sr.Na circular dirigida por es-
te ministerio aos presidenifes de provincia, em 1
de agosto de 1861, declamo o governo imperial
que manteria a mais extricta neutralidade na luta
que infelizmente se manifestara m seio dos Esta-
dos-Unidos da America.
t Declarando essa neutralidade, entendeu o go-
verno imperial que, embora nao livessem existen-
cia poliiica reconhecida os Estados que pretendiam
constitnir-se em confederacao separada, nao portia
recusar-lhes, com as necesarias restric^oes, o ca-
rcter de belligerantes que assumiram.
Efessa base foram assentadas as instrucges
que deviam guiar as autoridades do imperio na
pratica da sua neutralidade. Mas estas instruc-
ces nao podem ser appliradas as circumstancias
cluacs.
A guerra ehegou ao seu termo, e os Estados
que a provoenram nao se acham mais no caso de! solicitoa respectivo Exm. presidene em officio
assumir o carcter de belligerantes. O governo : de 31 de maio ultimo. Fizeram se as necessanas
imperial assim o enlende e o declara a V. Exc. I r.ommunicacoes.
para sua intelligeneia. Dito ao mesmo.-Transmuto V. S. competen-
n
____ Je 18 de
las-a -i..), .-onsiante "da "copia inclosa.-
Ditoao mesmo.-Declaro V. S. qn.
de 6 do eorrente, participoa-me o a,
arsenal de guerra terem sido entregues
parle do gerente da companhia Pernambucana,
caixoes-contendb 924 parea de calcado. l^?^***
Dito ao commandante superior da guarda na- j ienda,
ctoni d Olinda eJguarass.- Devolvo incluso ol Di
pret dos vencimentis do destaesmento da villa de'.qmte
arssd, a qtro alinde o seo offtrio de 18 do cor-
ittlda com oflkio do Bxm. presiden-
lado de 9 do correte.
paz presidenta da junta de quali-
zia do Buiquft.~No tendo acom-
ias cjdado qnalificados volantes
"Wa. no crreme anno e que veio ao-
^o de 3 de maio ultimo do secretario '
ionio Gomes oa suv, ** ->iaC?Hs'
,&eereto n. 2863 de 21 de dezeitibro
jre me sejam*e)ra8 enviadas
wu trpassivel^^
director da colonia militar do Pimentei-
cedp permissao pare Vmc. vlr a esta ca-
solicitou em seu offlcio de 22 do cor-
de prestar cuntas na thesouraria ile fa
2923353
mentel................
Francisco Berenger Ce-
sar de Menezos......... 153.WO0
113896
rente,- para qae V. S. o mande apresentar ao col-
leflbr de rendas geraes do municipio de Olioda,
me seaciia autorisado para j>atisfazer arospecM-
va importancia, segundo deolaroo-me o infctor
da thesouraria de fazenda em offlcio de '22 deste
mez.
Dito ao mesmo.Para qoe o governo imperial
possa reeover acerca das alteracdes que V. S. jul-
seu>
de ve
horas 1
Dit<]
de conformidade com as disposicSes da ordem do ga de neewsidade fazer se na guarda nacional sol>
dia n. 444, como se determinon no aviso da repar- sea commando superior, segundo o eu offlcio de c
ticao da guerra de 8 do corrente, constante da co- 15 de marco de 1863, faz-se necessario que a sua j
pa jonta. 'profiesta para semeldante lm, seja organisada de
Ditoao mesmo.Habilite-me V. S. coma' sna coafoyinldade com a circular da repartieo da jus-j
informago, Oe modo a poder salisfazer o qae exi- ^tiga de 27 de maio aRimo, de qoe Ihe remello c-J
ge o Exm. Sr. ministro da guerra no aviso deSOae, pfa.
maio ultimo, constante da Inclusa co;>ia, inamf*nto: Dito ao eoomnodanie da corpo dspolicia.D '
V. S. inspeccionar no va meo te o furriel do 4o bala-, V. S. baixa ao soldado do rpo sob sen commando!
bao de artilharia a pe Manoei Montiro dos Santos, Chrispim Micirdo Soares, sobre que versa a sua meso]
*obre que versa o ctudo avjso. informajo n. 466 desta dau. de eri_
Dito ao Dr. t*fe de p9eia.^-Q5iau.niea V. Dito ao me'mo.M*t)ds V. S- apresentar ao Dr. Rodng
J. que nesr* dita offlciei aocounnanlaate superior 'eheW"tle polica amanhaa a urna hora da .tarde "> Dita.
4a guarda nacional de Marareth, para destacar n'a- prags do co.rpo sob seu commando, para e!ofti-/j.i]'i req
quella villa 1 sargento, 1 &4 8 guardas para rem at a villa do Brejo o criminoso Jos Gomes ciw
auxiliar a polica: N'est'e sentido ofliciou-se ao de Carvalho.Commuoicou se ao Dr. chefe de pb-, tlieca
commandante superior da guarda nacional de Na- j Una. Souza
zaretli e communicou-se a' thesouraria de fa- Dito ao inspector do arsenal de marlnha.Tendo ceo zenda. resolvido transferir para amanha a hora j Indica- Dita.
Dito ao mesmo. Remello incluso por copia o da a partida do vapor Paran e o embarque da tro- que ilv,.
efficio, que, em 19 do corrente dirigi me o cnsul i pa que uelle veio do noria : assim o declaro a V. Ihao de
de s. M. Pidelissima, para que V. S. informe acer- S. para seu conhecimento.Fizeram-se as demais pi do ll
commuoicacSes. consid
Dito ao mesmo.Mande V. S. admiltir na com- cao de
panhia de aprondizes ailificeadesse arsenal se non- a lista
ver vaga, ao menor Augusto, filho de Henriqueta que he
Uftrgarida do Nascimenlo, urna vez que eaUja as lesuperi
condicSes do respectivo regnlameniol manrianii
Dito ao mesmo.A vista do que pondou V. S. !>ita.
em seu offlcio n. 913 de 13 do corrente, o autonso de paque
a mandar construir nesse arsenal a baiieira de que rano, ,p<
necessita a reparticao de saude do porto, procuran- rio alfni
do V. S. pelos modos que Ibe parecerem mais pro-
ficuos ttfectuar essa construccao coro a brevidade
e sem prejuizo das que ja esto incumbidas ao
mesmo arsenal.Commuaicou-se ao iuspector da
ca dos tactos relatados pelo subdito portuguez Dio-
go Pereira de Souza na representado tambera por
copia inclusa a que se ref re o citado olflcio, dan-
do lo,so as providencias, que eoteoder necessarias.
mujo | uCuieou-se ao cnsul de Portugal.
Dito ao inspector da thesouraria de fazenda.
A' vista do pret que aqui junto mande V. S. abo-
nar as pracas do contingente da goarda nacional
da Parahyha, vindas no vaporP cia da etapa correspondente a 4 dias indicados no
mesmo pret. Conimuuicou-se ao commandante
das armas.
Dito ao mesmo. Remeta V. S. a thesouraria
de rendas do Rio Grande do Norte, no 1." vapor
agentes da companhia Brasileira de pa-
?apor.Declaro a Vmcs. em regosta ao
de 24 do correute, que o vapor"P(ir r deste porto no dia 27 do corrente, as 4
tarde. |
gerente da companhia Pernambucana.
fazer seguir para os nortos de seus
s vapores Mumanguapc e PtuaHuba dos
is4eslga(los em sea ofOeio de hoje.
O presidente da provincia, atteg|-'
vnoaw Mara Chnstra CavaicttUe
e tendo em vista o resoltado do soa-
se preceden ao da 22 de maUvtttaau,,
fssora da cadfdra de instroc-
de Serio haem.
da prourtcia, attendendo ao
^jis R km*** 4m* previncia, resalte
Me* de Jmhks ara ir a algumas
aorta cniar M* interessea das
hitando sob soa respoasabiMa-
aaas emprego o sea irmao Jos
. 4a proviacia attendendo ao '
t* taaaMo de notas, escrivao do
-4* angsiro de hvpo- i
iPraoklia Ai ves de
r*Mn 3 atetes de ti-;
de m saode mi las coovier.
da provioci*, iteedeado o
capitro agarbado aft 7 hata-
da guarda aacto&ai omqfltci-
Iwll Ssatos, qae foi
do serviea aelrro em taspee-
passagem para
regado ao batalho
Jos Francisco de Souza
rll0\r-~-....... 37^333
Llaudino dos Santos
Lopes Castello Branoo.. 61*333
Martinho Jos de Jess 779'f7
com a v Motw Stlveira......... 256duuu
Felismio Claudemira
de Mello Lins.......... 77*000
Alexandrino Ayres da
Paix3o................ 887*800
Dina de Santa Rosa... 3*495
Manoei Correia de Al-
buquerque............ 451*000
Liberato Tiburtino de
Miranda Maciel,........ 628*665
3:703*994
Obras publicas.
Jos Mamede Alves
Ferreira.............. 16:300*000
Dito................ 6003000
Dito................ 1-.653M24
Dito................ 16:500*000
Dito..........
Dito..............
Antonio Malaquias
Ifaeeoo Lima.....
de
16:500*000
6:600*000
604*020 50:017*444
i i
Segoranca publica.
Lowehco Jas di Silva
Jos da Costa Agfa...
Fraaeuco das Coagas
Almg...........
aooel Jo^ulm......
Bar.>fctTyoga......
aaeAto Jorga aa Silva.
Juvenc da Barros Cor-
reia..................
Alexandrino Martas
Correia de Barros......
Bacharei Vicente Jan-
sen de Castro e Albu-
querque..............
Antonio Mvnteiro. de
Siqueira, representado
pek) Dr. Manoei do as-
cimento Machado Por-
ttil..................
Coronel Jos de Carva-
"88
da companhia Pernambucana, que para all segnir I saude do Perlo e a thesouraria de fazenda.
o saldo, -qu xisttr Bessa- reparticao, 'pravanmntoj rta.ao r.ai dn uorto.Faca Vmc. apresentar'
dos direitos de exportacao de gneros d aquella no arsenal de marinha, aum uu o^.v.n amiviias os
tratou pa
Dita.
da pai|ue
por l'ah
provincia, arrecadados pela alfandega desta com
teniente legalisados os 2 inclusos prets, que me
E' entretanto "possivel que aos porMs do im-
perio venham navios dos referides Estados na ig-
norancia da presente declaracao e por isso, para
que ella chegue ao conheeimenlo dos interessados,
justo que se lixe iim prazo raznavel.
t S. M. o Imperador ordena que se marque o de
quatro mezas, o que seja elle contado, da dala da
presente circular.
t Communicando a V. Esc. esta resolocao, de-
vo accrescentar que por este, ministerio llie sarao
brevemente transmitidas as mstruccoes que o do-
vem guiar na execuco della.
c Tenho a honra de reiterar a V. Exc. as segu-
ranzas da niinlia perfeita estima e distincta consi-
dercao.Jos Antonio Saraiva,& S. Exc. o -r. or. chef(> de polica, em offlcio de 23*
presidente da provincia de...
pedidos de gneros qae forem necessarios para sus-
teni.icae dos recrutas de marinha que se acham
depositados na fortaleza do Brum e dos que forem
sendo mandados para all de ora em dianlcGora-
municou-se ao inspector do arsenal de marinha.
Dito ao presdeme e mais membros da commis-
remetteu o chefe de polica cora offlcio de 23 do! sao da praea do commercio na capital do Maranho.
corrente, sob n. 878, alim de que, nao havendo1 Qaando recebi oolIHoque Vs. Ss. me dirigirn)
inconveniente, mande pagar ao cabo Jos Rufino' em l da correte, solicitando a reraessa por al-
GO.ESNO 04 riOfICIi
Expediente do dia 23 de junho de 186o.
Offlcio ao coronel commandante das armas.Ex-
pela V. Exc. as necessarias ordens para que em-
barquem amanhaa ao raeio dia, no vapor Paran,
com destino corte, toda a Torga que veio do nor-
te no referido vapor, e se acha aquartelada no
hospicio, Soledad o quartel de polica, devendo
esse embarque ter logar no arrenal de marinha,
para que se expedem as precisas providencias.
Outro sim, mande V. S. recolher enfermara
militar para serem convenientemente tratadas to-
das as pracas pertencentes aquella forca, e que se
aehareiii duenles em estado de nao poderem se-
guir flageo). Oflicou-se ao inspector do arsenal
de marinha para fazer apromplar todas as ernhar-
cacoes disponiveis daquelle arsenal para o trans-
porte das preditas ortigas.
Portara.Os Srs. gerentes da companhia brasi-
leira de paquetes a vapor facam transportar para
a corte no vapor Paran toda a tropa, que o refe-
rido vapor irouxe do norte, com excepgao das pra-
vas qne por doentes forem rerolhidas enfermara
militar de ordem do romuiandantc das armas.
26
Offlcio ao Exm. Sr. Dr. Francisco Ignacio Mar-
condes Hornera de Mello, presidente da provincia
do Cear Fico sciente de haver V. Exc como
me communicou em seu offlcio de 10 do corrente,
entrada no exerciejo do cargo de presidente dessa
provincia naquella data.
Aprovoito.c-ta opportunidade para apresentar a
V. Exc. os meus protestos de estima e considerarlo,
assegurando-li.e que me achara sempre prorapto a
salisfazer as suas exigencias, tanto a bem *
vico publico, como do particular de V. Exc
de Oliveira, conforme recommendou-se em 31 de
maio ultimo, a qjoaolia de 230*700 em que impor-
tara os vencimentos de urna escolta, que conduzio
diversos recrutas do termo de Cimbres para esla
capital, em Janeiro e mareo deste anno, os quaes
foram aproveitados para "o servico do exemto,
com excepcao somente do de nome" Manoei Vicente
da Silva, que por doente deu-se-lhe liberdade.
Communicou-se ao Dr. chefe de polica.
Dilo ao mesmn. Annuindo ao que soliciten o
do crrante,
sob n. 880, recommendo V. S., que, em vista do
i pret junto em duplcala, mande abonar, sob minlia
respnnsaliilidade, urna quinzena de sold e etapa
na importancia de 20*250 a 3 pracas da guarda
nacional destacadas na provincia da Paiahyba e
que vieram a esta capital, escoltando 2 sentencia-
dos com deslino ao presidio de Feroaodo, as quaes
acharase sem meios para sna alimentacjio.Fize-
ram-se as necessarias communicacSes.
Dito ao mesmo.Transmiti por copia V. S.
para seu conhecimento e execuco, na parte que
Ihe toca, o aviso circular do ministerio da guerra
do 1." do corrente, resolvendo as dnvidas suscita-
das sobre o abono do sold dos offlciaes do corpo
de engenheiros do exercto, quando empregados
em conimisso do ministerio da agricultura, com-
mercio e obras publicas.Communicou-se ao di-
rector das obras militares.
Dito ao mesmo.Remetiendo inclusas as con-
tas do conselho econmico do 4." batalho de arti-
lharia a p, relativas ao mez corrente, tenho a re-
commendar V. S. que as mande examinar com
brevidade afim de que o 2. lente do mesmo
halalhSi Felippe Marques dos Santos Jnior, en-
carregado do ajuste das ditas conlas possa ficar
desembarazado para reunir-se ao seu corpo na
primeira opporlunidade.
Dito ao mesmo. Recommendo V. S. que, sob
minha responsabilidade, mande adiantar um mez
de sold ao major de commissao Joao Bernardino
de Vasconcellos Coimbra, que. na forma das or-
dens imperiaes, lem de seguir amanha para a
rorte.
- Dito au inesuiu. commuhico a V. S. para os
flns convenientes que em offlcio de 23 do corrente,
participou-me o coronel commandante das armas
ter nomeado o tenente reformado Manoei Carneiro
gum navio de vella das malas que com destino a
essa provincia vieram da Europa, vi-to le falhado
o vapor da companhia Brasileira que as devia con-
aal'*ipactivo coramaHdan- tfc> Anuna. Cavalcanli...
se ao respectivo com-
dagaarda nacioaal do Reetfe. Soccorros de beneficencia.
%rt. ageatas da companhia Brasileira i Fanstino de Souza Fer-
inaadem dar transporte no vapor Pa- xzi
4a minilerio da guerra, ao opera-
Maaael aa Roelia Nunes, que se con-
serr aoaneual de guerra da corte.
Srs. agentes da companhia Brasileira
fe facam transportar para a cftrte, no va-
'. por cont i da ministerio da guerra, as
1 jaaiWif sdaa aa rataoao partopta
Dita.-fjs Srs. agentes da companhia BrasileirA
de paquetes fagam transportar para a corte a dis-
poslcao doiExiii. Sr. ministro da guerra, 173 armas
a Mini acondicionadas em 9 caix5es que o direc-
tor do ^arsenal de guerra lem remetier para
bordo d mesmo vapor.Offlciou-se ao director do
arsenal de guerra.
Dit.OsjSrs. sgentes da companhia Brasileira
de paquetes mandeiu dar transporte para a corte
no vapor Puran por conta do ministerio da guer-
ra, a muHier e urna lilha do major de commissao
Joo Bernardino de Vasconcellos Coimbra e por
conta deste a duas escravas.
Olvmpio Tbeodoro da
Silva.................
Manoei do Azevedo do
Nascimento. ..........
Simplicio Jos de Mella.
Mauoet Ribciro de Car-
valho. ..
Iho......
duzir a seu destino, j havia remettido taes malas Expediento do secretario do governo do dia 26 de
pelo hiaii! nacional Amelia, que parti daqui no dia
23 do corrente, sendo para essi! flm frelado por
esta presidencia. E' quanto me cafc a salisfacao
de assegurar a Vs. Ss. em resposta ao citado of-
flcio.
Dito ao administrador do correioConstando de
offlcio da secretaria de estado dos negocios da agri-
cultura, commercio e obras publicas do 9 do cor-
rete, haver sido por portara dessa data nomeado
Antonio Gomes de Sa para o luuar de agente do
crrelo da villa de Floresla nesta provincia, com o
venciniento de 50 % do readirnento da agencia, e
sendo fixada a gratificaeo annual de 120* para
lde ser enchida no caso de que nao prefaca esta
qoantia ; assim o communico a Vmc. para seu co-
juniro de 1863.
Offlcio ao inspector da thesouraria de fazenda.
Participando o promotor publico da comarca do
Limoeiro, Dr. Jos Joaquim de Souto Lima, em 29
de mais prximo (indo, que havendo-se encerrado
os iralulhos da assembla legislativa provincial,
onde lintig assento, entrara naquella data no gozo
da licenja de 30 das, sem vencimentos que obte-
ve : assiuro communico a V. S. de ordem de S.
Exc. o Sr. presidente da provincia.
Despachos do dia 26 de junho de 1861.
fieflum'wit'n/os.
Antonio Porfirio Ferreira.Informe o Sr. tenen-
te-corosel commandante do corpo de polica.
Antonio Joaquim Goncalves d Mello. -Compe
Culto publico.
Padre Francisco Perei-
ra Ferraz .............
Padre Jos Veira de
Sampaio..............
Padre Francisco Anto-
nio Pereira tiastos......
Padre Jos de Lima ;e
Silva.................
Padre Manoei Gomes de
Brl'o.................
Padre Francisco Tava-
res Arco Verde........
Padre Ignacio Alves da
Cunda Sonto Maior.....
57*3po
33*666
72*000
500*')00
240*800
18*0(0
73*400
48*0.0
. 33*000.
3005000
17*221
122*777
17*222
67*777
63*369
83*3)3
13*320
1:145*399
481
787*205
Arrecadaeoe fiscalisaco
das rendas.
Thomiz de Almeida
Aniones...............
Joao FirminoCarreia de
Araujo............... 48*240
1*631
495871
Aluguel da casa para
barreiras
Manoei Joaquim do
; Reg e Albuquerquo-----
nltecimeulo.Communicou-se a thesouraria de fa-
zenda. tindo aos*commaudanles superiores, pelo art. 48 do | Aposentados e jubilados.
Dito a cmara municipal do Recife.-Em raspo- decreto de 12 de marc de 1853, conceder- a passa i>adre Manoei Tlinnaz
gem requerida pelo supplicante, nada tem que I ,ja gj|va
providenciar esta presidencia.
Alexaodre Carneiro Maciel. Concedo oito dias
de licenca para o lim que requer.
CaeanuMana Salomea.=Informe o Sr. comman-
danle do corpo de polica.
Francisco Augusto de Almeida. Informe o Sr.
ta ao offlcio que me dirigi a cmara municipal
desta cidade, em 14 do corrente, tenho a declarar-
Ihe que em data de 21 deste raez participou-me o
engendeiro edefe da reparlico das obras publicas,
terem sido feitas as obras reclamadas era dilo of-
ficio-
Dilo ao eogenheiro chefe da reparticao das obras
publicas. -Appruvo a nomeaco que, sob proposta inspector, da thesouraria de fazenda.
do conductor Julio Pompeo de Barros Lima, fez Francolina Mara dos Santo?. -Informe o Sr.
Vmc. de Jo> Canco Rbeiro da Amaral para guar- nente-coronel ex recrutador.
da conservador do 5o termo d estrada da Victoria, i Franklin Alves de Souza Paiva.Passe-se por
segundo consta de seu offlcio de 23 do correle, laria concedendo a licenca requerida,
sob n. 186, a que respondo. J Honriquela Margarda do Nascimento.Apresen-
Diio ao mesmo. Respondendo ao offlcio que te a supphcante o seu tildo Augusto ao Sr. iuspec-
Vrac. me dirigi em 20 do crreme, sod n. 183, le- tor do arsenal de marinha.
PuhlicacoeseimpressS s.
Jos de Vasconcellos..
48$000
_______ 48*000
758*888 73
181*920 181*920
te-
Restituico?s.
Jos TheodofoGomes.
Manoei Lopes da Silva.
31
17*820
EraprezNamede:...: 24:000*000 24:049*640
Eventuaes.
D'logo Baptista Fernn-
nlio a dizer que convide offlcialmenle aos propie-
tarios das casas sitas na ra da Aurora, e cujas ca.
nos de esgoto precisen) de repa os, afim de que os
mandem.concerlar, e no caso de que o nao quei
ram fazer sejam laes reparos execulados por essa
reparlico, apresentando Vmc. opportunamente as
COnl'^ "' Hw.'OUPftria t rovino al |.i.l I StV a mpOT-
tancia deltas cobrada pelos meios convenientes.
Dito ao mesmo.Visto achar-se em mo estado
a conservaco do langa da estrada do norte, a par-
tir de Buja'ry at a cidade de Goianna,
Machado Freir, para encarregar-se do deposito de
bem do ser- recrutas destinados ao exercito-e das pracas dos jarrematante, Manoei Gongalves Nunes Machado,!
differentcs corpos, que seguiram para a corte. segundo consta do offlcio que Vmc. me dirigi em
Dito ao mesmo.Attendendo ao que no in.-.luso: 17 do corrente, sob o. 180, o autoriso a mandar or-
ira da Silva Gus-: car os reparos de que precisa aquello lanco de es-
sade do exercito, irada, afim de serem [ostos em arremalacao con-
e facullalivo da colonia militar de Pimenleiras, forme Vmc. indica em seu citado offlcio a que re-
recommendo V. S. que sob minha responsabili- i pondo.
dade, nos termos do decreto n. 2884 do 1. de fe-1 Dito ao juiz municipal do Bonito. Remello a
vereiro de 1862, mande pagar os vencimentos a Vmc. para seu conhecimento, copia do aviso expe
Jos Jeronymo de Souza Limoeiro.Informo o
Sr. inspetor da thesouraria de fazenda.
Bacharei Jos do Patrocinio Pereira e Silva.
Passe-se portara concedendo a licenga que requr
o supfttean>.
Joo Hypolito de Lima.Ideerido por nao jun-
tar prova em contrario dc ras5o> on ijum se ruu-
dou o ciwstlho de revista.
Jos ftcquiel da Silva.-Informe o Sr. comman-
dante superior da guarda nacional do Limoeiro.
Jos broiogues Goncalves.Informe o Sr. com-
a cidade de ooianna, em conse
quencia do abandono era que a deixou o respectivo mandante do "corpo de polica
Luiz Francisco da Cunha Informe o
mandante do corpo de polica.
Sr. com-
Dim ao Exm. desembargado,; provedor da Santa t JJJ
sa de Misericordia.- De conformidade com a le. rener,ment iexpoz o 'Vj'in
.vincial n. 611, de 2 de maionliimo, s.rva-se. V *ZJS&J2PlL!
Casa
prov.
Etc. de mandar admitlir no cullegio das orphaas a
menor Maria, fllha de Henriqueta Margarda do
Nascimento, de que trata os inclusos papis.
Dito ao coronel commandante das armas. e-
clare-me V. S. com urgencia quaes as pracas que
tendo delxado de seguir para a corle no vapor Cru-
zato do sul, podem ser enviadas amanhaa no Pa-
r"mo ao mesmo. Remmetto V. S., por copia,
parasen conhecimento o aviso circular de 27 de offlcio de 24 de maio ultimo. --.----
maio ultimo, estabelecendo regra geral para os ca- peza, na importancia de 113*800 rs, fe.ta nos
"os em aue as thesourarias de fazenda e pagado- roezes de dezembro do anno prximo passado a
rias militares abonara sidos indevidos aos offlciaes abril ultimo, corn o sdenlo dos presos pobres da
e mais pracas do exercito conlra a lei, disposicoes cadea da cidade de Olinda, aflm de que i
reanlamentares e ordens do governo.
i rnmmnne.n a V. .: y. .
cima indicados,
que elle tjver direito, relativos aos mezes de mar-
go a maio deste anno, visto nao haver crdito para
esse pagamento.
Dito ao inspector da thesouraria provincial.
Devolvo V. S. a conta que veio annexa ao sen
dido pelo ministerio da justiga em 20 de maio pr-
ximo Ando, declarando que por compeiirem as as-
semblas provinciaes a creagao e snppressao dos
offlcios de justiga, nople o governo imperial
prover as medidas indicadas por esse juizo em feve-
pagar essa importancia, visto como a relagao dos
me -r_..._ j- k .i ,nm, indipaHns f0 remeltida a essa thesouraria
sob n. 206 da des- reiro de 1863, relativamente a snppressao dos offl-
' cios de escrivao privativos do jnry e escrives crl-
minaes e sua substiluicao por escrives privativos
dosjuizes de direito.
Dito ao regedor do gymnasio provincial.Deca
ro a Vmc. para seu conhecimento, que a permissao
concedida ao padre Francisco Joao de Azevedo foi
para eccionar geometra durante o impedimento
r^7i di 7 de laneiro de*te anno, para os.volno- Dilo ao mesmo.-Declaro a V. S. para sen-co-
arS1ori ^KSta'suVita asdespezas de nhee.mento e finiconveolenfe qae nesta data ap-
L ., Pn, nremarias militare devendo por prove a noroeaglo, que fez o chefe da repartigao
hosp.taes oa enfermarias m ii are ae e v j vr de ^ Canpjo RJbeiro do Ama_
uSS*7 Speg com sold e ral, para guar^conservador do 8.- termo da es-
etapa. Cuin" t'te" ^. '"nfto ao comiMdaBte do presidio de Fernando.- .expedida a Vmc. pelo Exra. preMdente do supremo
Dito ao naesmo.-Keroecro '^^J^^^i Remetto melosa a gula do sentenciado de jastlga tribunal de justiga em 13 de maio ultimo, a qual
do respectivo professor, ficando ella por conseguin
to de nenhum effeito com o comparecimenlo do
dito professor.
Entretanto pode o referido padre Azevedo, se
quizef, contlnnar no ensino de desenho para que
tambem se offerecea.
Dilo ao Dr. Gervasio Goncalves da-Silva.Re-
mello incluso para os devids eff-itos a portara
Manoei Francisco da Silva.-Informe o Sr. com-
mandante superior da guarda nacional do Limoei-
ro, juntsndo o parecer da inspecgo :de sade que
deve mamiar sujeitar o supplicante.
Maria Christina (iavalcanti Pessoa Cesar.Passe-
se portara nomeando a supplicante professora da
cadeira da villa de Serinhaem.
Mana* Candida Theodora Alves.Remettido ao
Sr. director geral interino da inslrucgao publica,
para aiituder a supplicante de conformidade com
a sua informacao de 23 do corrente.
Qtiadro ja divida passiva provincial, a qne se re-
fere o art. 42 da lei n. 635.
Clauts e nomes.
Assembla provincial. Subsidio dos depatados prvtaduesv........... Instruegao publica. Martinho da Silva Costa Joaqnim Theoionio Fer-E.loardo Jos de Santa Anna................. Ricardo de Souza Ra- 210*000 313*821 85*991 382*777 8*316
Totahdade Importancia
dadivida. da classe.
210*000
Archanjo Pi-
des
Joo Antonio de Olivei-
ra.
214*000
235971 237*971
90:912*132
palacio do Governo de Pernambuco 3 de junho
de t86a. ^ Borgeg ^ Castello Bronco.
c~v-<8>-*^^""
Quartel do eommtulo das armas na cidade do Rccifc, 28 de junho de 1865.
Orden do dia n. 83.
O coronel commandante das armas interino de-
termina, que as 8 horas da manhaa do dia 4 de
juldo prximo vindnuro, se passe revista de raoslra
as pragas de linha, e v.duniarios da patria, actual-
mente existentes nesta provincia, cncorporados ao
deposito, estabelecldo no quartel da Solidade, sob
a direcgo do Sr. tenente reformado Manoei Car-
neiro Machado Freir. Determina outro sim que o
Sr. 2o tenente da companhia de artfices Antonio
Francisco Duarte, fique encarpetado no referido
deposito. ... ,
(Assignado)Jo' Maria Ildefonso Jacome da
Veiga Pessoa e Mello.
Est conforme-Antonio Francisco Duarte, 2
tenente ajudante de ordens interino, eearregado
do detalhe.
EXTERIOR.
OeRRESPOWnENCIAS DOBIA
BIO DE PERNAJIIllirO
IIAHIH RfeiO
5 dejunho de 1865.
O objecto, ao redor do qual se vram as nego-
ciagSes entre Berlin e Vienna acerca dos ducados,
sempre anda a convocago dos estados Schles-
wig-llolsteinezes. Como os nossos leitores, sabem
a Austria tioba exigida a inmediata couvocagao
da representago geral dos dois ducados, segundo
LTl*0 de18t- Pr"ss> Porm em urna
u.c? ?T-d5 mat0 ProtesIava energimenle contra
isso, mslslmdo em que fossem chamados primei-
ramente os estados provinciaes separados do
Schleswig e do Holslein da Id do anno de 1831, e
que s depois disso, de accordo com estes, se ef-
rectoasfe a reuniao de nma assembla comraum
sob base da le eleitoral de 1818.
A^^oJjejajajtfmJ)iajBie..em Berlin, que
maior pressa pussivel.
Quando a Austria se declarou de accordo com a
convocago, houve raudanga repentina.
Desde esse memento s se iratou de demorar o
negocio quanlo possivel, e a insistencia sobre a
chamada provisoria, des estados provinciaes sepa-
rados, para snppri-los raais tarde pela representa-
gao coramun do anno de 18-48, tambem s tenda
a isso.
Em Vienna tomou-se isso em ponderago, e
vendo, que pela recusa repellida dos estados pro-
vinciaes exigidos pela Prussia, apenas se conse-
guira outra cousa do que dar Prussia nova oc-
casio para novas negociagSes delatorias, favore-
cendo assim os seus planos, resolveu-se de acce-
der s prop stas do Gabinete Prussiano.
No dia 2 parti de Vienna a resposta ao despa-
cdo Prussiano de 24 de maio. A mesma nao oc-
culta, que a Austria cadera contra sua melhor con-
vicgao, nicamente para encontrar nma nova de-
mora, e empenha-se de novo pela chamada da as-
| semblca de 1848, acceitando porm eventualmente
a proposta Prnssiana, mas recusando toda a res-
, ponsabiiidade para o futuro. Toma-se entretanto
pela palivra a declarago dada pela Prnssia, que
aos estados provinciaes de 1854 s dever ser
apre.-eniada a qaeslao da convjcacao da repre-
senlacio comuium, e que s esla ol tima ser re -
servado olreito de ser consultada acerca da fo-
tuta ocostituigao e posigSo dos ducados. Fica a
espera qoe no vos meios o Sr. de Bissnrek, aoezar
disso tudo, descobrir para dilatar alada mais o
negocio. Mas o negocio rferdade, Wha-?e actoal-
menie em ama aosicao, qfre tao grande qae seja o
desej da Austria de ver a qaestao dos ducados
resol vida finalmente, e removida da ordem do dia,
nio ha pengo aa deraara. Desde qne a mndan-
ga das coasas no norte da America, por causa da
Jueslo Mexieana, collocara a Kranea na necessi-
ade de dedicar toda a sua alinelo aos negocios
a|m do mar e de evitar ludo qae podesse enga-
ja-la na europa, cessaram todas as difflcoldades
senas da posicao Austraca o Mincio, e nao ha
d'alli de recalar mais nenhum embarago para o
imperio, e por isso pode-se em Vienna sustentar
mais livremente a sua posigo no 8chleswig-Hols-
tein, tanto raais como isso nao cansa despezas, por
que as despezas da oceupagao ficam a cargo dos
ducados.
Em posicao difireme acha-se oSr. de Bismaick
E' verdade que exteriormente tambem nada obli-
ga a Prussia a abandonar a posigao dos ducados.
Porm a simples e tranquilla persistencia no
vi TO^rtrrfyf r1?concTTaVeT icTof'i'f"' ol'Sfih'n"cfo entre
ella e o povo Prussiano no interior, tanto mais
urgentemente v-se a necessidade de obter quai
quer resultado para fra. E' isso o nico meio
para ella poder sustentar-se, nao pode coovir ao
Sr. de Bismarck de suslenlar nicamente sua po-
sigo actual nos ducados, completamente parausa-
da pelo condominio da Austria ; elle deve conse-
guir mais ; por isso do seu principal inleresse
de sadir ) provisorio actual. Do outro lado
verdade que nada tem de esperar para seus pla-
nos debaixo de nenhuma circnmslanca, de uraa
solugo momentnea da quesiu dos ducados, a
de sicao singular, de um lado, de dever obrar, e d'ou-
ro, de nao ter outro expediente do que dilatar a
decisao quanto possivel.
Durante algum lempo a poliiica Bismarck soobe
ganhar certo esplendor entre a grande massa na
Prussia ; conllava-se raoito na sua audacia appa-
rente nos negocios estrangeros.
Desde que os negocios no Schleswig-Holstein
ficaram parados, e desde que o Sr. de Bismarck
se vio obrigado a recuar da Austria, ora nesle, ,
ora naquelle ponto, essa aureola desvaneceu for-
temente. Urna prova evidente disso, foi urna re-
solngao tomada ua dia 3, na cmara das depula-
dos Prussiana.
Tratava-se da proposta do governo acerca da
marinha, e prncipalmeute de concessoes para o
lim da furtificago de Kiel. A grande maioria da
cmara dos depulados aedava-se animada do mes-
mo desejo como o ministerio, de adquirir esse por-
to. Ha algumas semanas pareca fra de toda a
duvida, que a cmara, anda que negara ao mi-
nisterio o empreslimo pedido por motivo do con-
llicto pendente acerca do orcamento, aproveilaria
todava a occasio para approvar expresamente
o lim daquella arquislgo. Disso p >rm nao foi
nenhuma quesio no dia 3. Sement algumas vo-
zes propuzeram urna declaracao da cmara nesse
sentido e queriam que se lizcssc constar que a
cmara do mesmo modo como n ministerio recla-
mava o porto de Kiel para a Prussia. Na vola-
go porm a resolugo recommendada a esse res-
peito pela deputado de Carlowitz nao obteve ne-
nhuma maioria.
O emprestirao exigido pelo governo foi rejeitado
cora grande maioria, debaixo da declarago, que a
cmara nao se achava em eslado de conceder em-
prestimos ao actual ministerio, seja por qualquer
motivo, e do mesmo modo ella recusou de declarar
que a acqnisico do porto de Kiel era um fim a
que tinha direito a poltica Prussiana. A cmara
julgava dever repelhr tola a solidariedade com a
poltica do ministerio, e como todos os oradores da
maioria o declararam, porque tinha perdido toda
f no governo. O Sr. de Bismarck, que al agora
s apparecera pessoalmente na cmara por duas
ou tres occasioes, tomou parle as discusses do
dia 2 e do dia 3, e fez todos os esforgos para con-
vencer a cmara das esperangas da sua poltica,
nao foi bem succedido porm.
A opposigao observou mui simplesmente, que as
suas declaragoes Ihe eram completamente nullas.
Urna semana antes, porm, e.-sa derrota do mnis
terio foi precedida d'um golpe, ainda muito mais
sensivel. Um objecto da gloria tradicional da Prus-
sia, desde secnlos, a independencia e integridade
de seus tribunaes. E' verdade que, desde os annos
de quarenta do presente seclo, diversas tentativas
se fizeram de ferir esses bens. Tambem aqui e all
se levantara alguraa duvida, se a tradigao ainda
mereca valor, completamente, em toda a parle.
- Debaixo do gabinete de ManteufJel, nomeada-
mente, essa duvida tinha-se feilo ouvir militas ve-
zes; mas nunca se quera saber na Prussia seno
de casos excepcionaes de corrupgao, sendo o afer-
ramento a aotiga gloria des tribunaes lo grande,
que, apesar de sempre novas apparigoes do contra-
rio, a confianca nelles se sustentava. Ao deputado
Twesten, um dos juizes mais respeitados da Prus-
sia, e o qual na sna posigo poliiica gosa da repu-
tago benemeria de moderaga politica, foi reser-
vado de descobrir o chimerico dessa confianga.
A occasio para isso offereceu-lhe o debate so-
bre o orgamento do ministerio da justiga. J n'uma
qqesto amigamente discutida, o deputado Wal-
deck fallara do systema de corrupgao exercido pe-
lo governo, declarando francamente, como membro
do tribunal supremo, que as decisoes desse tribu-
f

'
I
I
11
MELHOR EXEMPLAR ENCONTRDO~Hm)TlLADO ILEGVEL
mBRi^Hil^HEH^BIBSBB^H
usa M
^is&&'*fflia'if;,w


Blarte de Fer&amtinco sexta felr 30 de Jnnho de 16&.
-rr.
na! em todas as quices polticas etam dictadas o .va|w fiwwitjt, '* g^.0tem *' no,tedoS
exclusivamente por tendencias particulares. Essa
declarago de Waldcck, vista a tonsideragnodo
orador, linha cansado grande sensato roas Wai-
portos do su l, como Ja* dissemos,
Relat'vameute a' noticia da invasao paraguaya
na provincia de S. Pedro, noticia que eatratiimos
deck nao entraraTraeuTesVeToVlsVo .os adver- das (olhas do Rio Grande de 1, temos que ecwi-
sarios podiam combat-la cerno nao provada e fun-. ceutar o que se l no Commeraal deji. *?**0m
dada sufflcientemente. O deputado Twesten, po- Iha dando o resumo das noticias
rm, citou (actos e factos, provando com os mes- receidas pelo Gerente, diz
mos, q-e a independencia dos tribunaes prussianos Segundo a revista meu
era un llusao ero todos os negocios .que nteres- narto do da 7 de maio, certa a inv.
savam o governo, expondo em todos os.seusdeta- tada pelos Paraguayos na provincia
lhes o systeraa de corrupgo, como eiercido pelo Rio Grande, calculando se
actual ministro da justiga, o conde dei,ippe. Elle
provon com decretos do tribunal supremo e do tri-
bunal d'appellacao, que em todas as quesies pol-
ticas na Prussia nao valia ais o direiio, e apre-
sentou factos. E o que fez o ministro da justicia 7
Elle esteve prosete na sessao, e toda a sua respos-
ta fui levantar protesto tootra as accusaeoes fe-
ta? 5 nenhuma palavra de refulago, as segu
se
do Rio da Prata
Segundo a revista mensal publicada no Sema-
*- vasao projec-
brasileira do
em 15,000 borneas a
(orea destinada para esse fino. >
E accresceota :
4 At a data de hoje nao nos enasta one eua se
tenba realisado. .
O Echo do Sul diz tambem em r*lacao a mesma
noticia: ... ,.
t O Progresso ie Pelotas distnbuto em data de
antes de hontem um Boletm assustador, an
mili ailem&a smtnte para lito rouliareii.ajguai enera! Paunero na Esquina; o general Urquiza fundeadas fra da barra, do lado do Pao de Assu-
dinheiro. toreando marchas parase Iba reunir e o general car, a galera ingleza Bonnu Dundet e a barea por-
0 governo peruano linha feito seguir por mar Gaceres hostilisando Robles na margem esquerda tugueza Hei Salomao, garraram cora a correnteza
urna pequea expedicao contra as sublevabas pro- do Santa Lnzia, cujo lado direito, bem como a po- da agua, e iriam talvez prala se o vapor de re-
vincias do sul. voaco do mesmo nome ero oceupados pelos Pa- boque nao Ibes prestasse auxilio, rebocando-as pa-
c^ffii mi i raguayos. Entretanto nao tinham estes anda toma- ra dentro do porto.
Consta-nos qne fot eseoHildo senador pon pro- do Gpya nem reocupado a cldade de Corrrientes. 21
viuda do Rio de Janeiro o Sr. coaselheiro Antonio I Tinham se j incorporado a general Paunero a Foram hontem adoptadas pelo senado em 3'dis-
Pinte Chichorfo da Gama. legiao Giribonee o 4*delinha levados pelo vapor Es- cusso as duas propostas que abrem crditos ei- r
----- s. meratda. O vapor Guardia Nacional encalhou acl- 4raordinarios, foin as emendas da cmara dos de- se}rU enio sobre este ponta e tive a grande saii
Kmbarcou hontem efectivamente ronjgfeji: ma. de Danjaute com o balalho S. Nicolao, mas putados.
ranos, para bordo da corveta imperial luratmav trauva de safar com ajuda do Pavn. Os bata- Continuou a 1* discussao do voto de graca com
o 8 corno de voluntarios da patria. Ihes Santa Fe 6o e 9o de linha, e o i refimenW as emerflas apoiadas Oraram os Srs. viscoode de
A'a 8bom da manta chegou S. M. o impera- de cavallari* s aguardavam ordem d marcha. Abaet, Ferraz e Souza Franco.
dor ao arsenal de mannha onde, acompanhaVdos Dza se que o general Mitre sahiria a campo ---------=s5SS-SM seus semanarios edoMSrs. ministros damarirtia e n0 dia J2, dirigindo-se ^otcordia, e que no mes- Hontem nao houve sessao na cmara dos denu-
da guerra, viee-nlroirante Paiker, aspecto- do mo dia saniria lambem o general Flores. O nosso tados por falta de numero legal.
c De urna carta viuda da S. Gorja com data de S
de maio extrahimos o leguinte :
c... Tendo chegado a Raqui houtem, segni im-
mediatamente em procura do coronel Fernandez
que bavia seguido para S. Borja, por se terern mos-
trado os Paraguayos do outro lado do Uruguay ; a
8 leguas de distancia encontramos o acampamento
anda com fogos acesos e sem gente, mas ouvindo
perto d'alli na margem do Uruguay, ura tiroteio.
as -, n-eonuma paiavra oe leiuia^au, n> r.,.~- ..v.vu-..-. ------------ ,, ^ .MC,C frnn-
sessVs da cmara dos deputados elle, pelo seu si- ciando a invasao dos P""^ ^?.
-:- ------:-ia porm a basa o Progresso em
triel de 21 do passado que Uva
coroprehen-: transmittem ; e tendo nos recebido jornaesi_ ew
ion sua impotencia de confutar a falla te.ras. Essai noticia porm a basa .oflreo em 10
Quem conhece o povo prussiano^e o cartas de S. Gabnd dex*1^,.P^adArJ" '"j^ovao.
arsenal e eacarregado do qoartl-general, en*ar- exer<.ii0) acampado ltimamente pouco abaixo do
cou na sua galeota a remos e dirigio-se ajswe- Salto, pareca dever pssar tambem Concordia.
All assislioSna Magestade ao embarque d*odas | segundo as folhas de Montevideo linha o Sr.
as pragas, visitando depols os seus alojamlatos; jjea(> mmstro brasileiro em Buenos-Avres, rene-
terminado o que, regressou ao mesmo arswpl as De do general Cannavarro com mun'ica(;5es data-
a horas, segoindo logo para S. tjrio-
i
de Twesten.
orgulho que ^m tojeus tribuuaes,^-.^^ Communicam-nos osegu.nte extracto diurna
deElla fiSSS JS 2'Sil. contra o systema! R^lSS tt ? **~ ^^STStSSlSA ^ ^ ^% '
nao deixon de co-nprehen- foi victima de algum grande canard. >na seDhon
< Cosa do BekBonte, junto ao Passo das ledras,
reinante. O ministerio ______
Entrou hontem do Rio da prata o paquete fran-
coz Carmel, cun datas de Buenos-Ayres at li e
Montevideo at lo do correte.
O general Mitre entregando a presidencia da
, Repblica Argentina ao vice-presidente coronel D.
das de Azupa, 29 de maio, em que este Ihe duia M pa dlspunha.se a marcnar para a campa-
ter viudo aquello ponto prximo da fronteira de nha dirj jado.se para a Concordiai 0nde devia reu-
Corneittej. para entreter se inmediatamente com to*do exerci(0 a||jad0 0 nosso para alli
o coronel argentino Paiva, que all commauda urna-assava atraTessaaao 0 rio Uruguay. O general
torca. .. _-i._l Flores aguarda va transportes .para levar as suas
Por meio desta combraaeio enerm^e poder a* m9smo As f argentinas ,.
bater os Paraguayos sobre o Uruguay a inda antes ,jd de Uuonos.Ayres taham seguido
dialamente a dissolucao da cmara.
da falla c Twesten, com mais certeza s devia-
vo dos feitos da fazenda.
Por decretos de 2, 5 e 7 do
correte concedeu-;
se esperar das novas eleigoes.urna camarade- M'^.,^CTua7S 'Soarea 1
putados amda mais anti ministerial. ^uu^...r. -- -- ^ .
de ministrosJez.se pois valer a ^^^l^^^^TL^
nuar as tess5es, am de deixar expirar a impres-
sao daquella falla as discussoes subsequentcs. Ao
mesmo lempo induzio-se um numero de membros
da cmara alia para apresentar urna propnsta con-
tra o allegado desenfreamento do& oradores da c-
mara dos deputados, aflm de que o governo limite
a liberdade da falla parlamentar.
Nos das de 7 at 9 deste mez tem de haver lu-
gar na capital da Ungrla, Pesth, as corridas de ca-
vallos annuae_su na&.fluagg,Jgdj^ qftftlfflMr'a.flj
pessoas mais nota veis da Ungria, a sociedade da
agricultura, tomou motivo para convidar o impera-
visita em Pestn, e o imperador re- ;
municipal e de or-
phaosdo'termodo Poraba, na provincia de Minas-
Geraes.
Foram nomeados : .
O bacharel Luciano Rangel de Aievedo, juiz
municipal e de orph3os do termo do Pomba, na
provincia de Minas-Geraes ;
O bacharel Claudio Herculaoo Duarte, juiz mu-
nicipal e de orphos do lefrao de Jacuhy, na mes-
ma provincia.
Z&Mftn!aMi' Rodrigues do Prado, no lu-
gar de juiz municipal e orpliaos do termo de Mo-
gy-mirim, na provincia de S. Paul ;
O bacharel Bernardo Jacintho da Veiga, no lu-
c' Da'fregezia de-'S.'Francisco resolvnlrigir
para Itaqui a miona viagem, am de entenebr-me j
com o coronel Fernandei, commandante da^riga- i
da que guarnece esta fronteira, e que linbj aqu,
2,000 e lanos bomens, quando em S. Bdrja jpenas
haveria 300 pracas. Foi urna excellenie lijoira-
eao, porque se nao a dar comigo n'um of oado
onde apenas houvera achado 3 familias, poi
todas as mais emigrado, em consquencia
gada dos Paraguayos a S. Thom, povo da
ca de Corrientes fronieiro a vi da.S. B<
a rjpci" -m viam-se disl4ociau*ile aaPfjas
u^quelles. Meu cempanheiro N., que l,sieve
paciencia dos horneas do RiO'da Prala.
O geueral Urquiza linha chamailo s armas mais
6,0P0 hompns, elevando assim a 14,000 pragas o
exercilo entre-r^o. Asoutras provincias argenti-
nas organisavaj, fprgas cada qual segundo os seus
meios.
Da noss? sniViidra sabemos apenas que bloquea-
va a* fres-Bocc
No
de Corrientes esta-
; va a* iioo-ixni-y. uu porlO
lijn_:conavam duas; canhoneiras, urna ingleza e outra
italiana.
dor para lima visita em resm, e u iif"""" ,v-~ : _:------.-----~~:r~ v, -,-. Hriloi-mn it
solveu de satisfacer esse desejo. No da 6 elle che- wr de JO.r municipal e fg..
ara na capital da Hungra, onde ficar at o dia 9. Caldas, na provincia de Minas Geraes.
Oralmente cnn acSSel d'imoaancia poltica8 e v-se nisso [ OSS^SSSKWPK^S f >r Cbegar as maos' ^'^ n,K persUad 1
opiimeiro passo para a conciliacao Dnal entre a mandante do batalhao de infanta .a n. 18 da {,uar-, lero esse ( 0 oimigo oo te/l
Austria e a Hunan Se o uegucio entretanto se da nacional da provincia de Sergipe ,_____'
mn ra ao de etsa, como selagina em Vien-: O leuente Antonio P^ Jn"XS
irJEXRSSZ -ramCQle- Cm Tior Mariano Bandeira. da Gama^nte-co-
O Reichsraln em Vienna contiua anda em suas
far-
de
e o
deste
gente
moga e boa, porm psimamente vestidos Arma- p^iednTAstfafO
dos a mor parle de lancas, por nao ler arnimento CavaMt!ros da Rosa major Joo Jos Lopes e
tente. Anda assim, collados! estaoajcio5os Manoe| Jns dos San[os Via Nova> subditos de
aJ S. M. Fidelissima
uns dias.'io ocullo como 700 homens,
dados e armados. Dzem que a forga tota1
7,000 homens, mas nada se sabe com certl
coronel marchou para S. Borja no da
com 200 guardas nacionaes de cavallari
Por cajias imperiaes de 14 do corrente mez fo-
ram nomeados :
Commendadores da ordem de Christo o Or. Car-
los Vieira-da Motta e o Dr. Manoel Adelino de Fi-
gueiredo, subditos de S. M. Fidelissima ;
OlBciaes da ordem da Kosa, Albano de Miranda
Lemos, subdito de S. M. Fidelissima ; e Fernando
ronel commandaule do btlhao de infamara n.
ST?7E^= ,E?-r..-T^,KS.SSSSSi
passagem em razo de estar o rio muito cheio, ser o
objecio real da invasao dos Paraguayos a esa par-
te de Corrientes, levantar gado, ovelhasj cava-
Ihada, recursos necessarios nesta crise pan o fa-
minlo Paraguav. \
Esperase alli o Canavarrocom a sua foiga de-
vendo passar aqu nesles ires dias.
tualmente nacaniara alta. Os debates da mesma
tem de comecar nes'es da?, e julga-se que a cma-
ra conseguir resolver a contenda doorcamenio cu-
tre o governo e a cmara dos deputados por meio
d'um compromisso, o que tambem o desejo oa
opp.osicao na cmara Laixa. Entretanto un de-
creto imperial convocou a dieta da Croatia para o
dia 17 de julho, e de suppor que o Reichsrath
ser encerrado em principios de juiho.
O bom successo da princeza George da Saxonia
de un principe causou grande alegra na Saxonia.
Aos fiilios do rei reinante da Saxonia faltavam
at agora successores ma.-euhnos; toda a sucecs-
s3o reduzia-se a urna nica filha do principe Geor-
ge, em quanto que o principe real nao tem lilhos. j
Havia pois perigo d'extiocgao, e a Saxonia nesse
caso cahiria a linha de Sise-Ernestina, cujo ramo,
mais antigo reina actualmente em Meioingen. O
novo principe, remnve esse perigo, e, para mani-
festar sua alegra, el-rei Joao deu amnista sem re-
serva a todas as pessoas comprometidas na insur-
reigo de rraio de 1849.
l\ ucos dias antes a cmara dos deputados em
Munich aceitou o projecto de urna lei, apresentada
. pelo governo, de perdoar completamente e sem re-
serva, tambem na naviera, a todas as pessoas com-
prometlidas pelo Icvautamunto do anuo de 1849 no
Palatinado.
O tratado de commercio entre o Zollverein e a
Inglaterra foi Analmente assignado em Bcrlio no
da 31 de maio.
Entretanto tambem foi concluido, no dia 28 de
maio em Stutigard, o tralad de commercio alli
convencionado com a Sussa, e do mesmo modo fo-
am cordadas com successo as negociagoes polili-
co-commercaes ci-m a Blgica, e o tratado com
ps-AW7aaGfea-lSfi,rieaMdQJC ,,......---------- |
Mauuel Antonio de Miranda Ozorio, tenente-co
ronel commandante do 2" corpo de cavallana da
guarda nacional da provincia doPiauhy;
O lente coronel Procoplo Antonio Rola Sobri-
nho, coronel commandante. superior da guarda na-
cioual dos municipios de Macap e annexos da pro-
vincia do Para ;
O capitao Romualdo Antonio Martins, tenente-
coronel commandante do balalho de infantaria n.
17 da guarda nacional da mesma provincia.
Foi aceita a desistencia que David Martins de
Ges Fontes fez da serventa vitalicia dos officios de
tabellio do publico, judicial e notas e escrivo de
capellas e residuos e mais annexos do termo do
Lagarto, na provincia de Sergipe.
Foi declarado que ao serventuario vitalicio do
No acampamento de Fernandes ficaam^
doentes a cargo do cirurglio Gemide, que trata
com muita humanidade.
Estamos.a 17 de maio.Os Paraguay
raram se. O rio est muito cheio, e gragai
estamos livres de que venham a este lado.
- 16 -
Por decreto de 7 do corrente vollou
classe do respectivo quadro o 1 tenenle di abaja-
da Geraldo Candido Martins, por haveremtessado
os motivos pelos quaes fura transferido pa2a
classe.
Por decreto de 8 do corrente foi reforjado no
mesmo posto, como pedir de conformidad) com o
que dipoe o art. 106 do regulamento auiexo ao
decreto n. 2,163 do Io 'le maio de 1858, afapttao-
officio de partidor do termo'de Ara, na provincia lt,nente rjr. Joaquim Alexandre Manso Saylo, lente
d Parahyba, Ignacio Evaristo Monteiro Jnior, per-, cathedratico da escola de marinha, perciendo o
lenco tambem o ofDcio de_contador. respectivo sold, nos termos do alvar de $ dede
- 15 zembro de 1790, por contar mais de 23 ainos de
O senado approvou hontem em 3" discussao as
propo.-ic.oes sobre a naturalisagao de Antonio Al-
fredo da Silveira e outros,.e approvando a penso
concedida ao capitao Jos Francisco da "Uva.
Continuando a 3a discussao da proposico relati-'
va ao estabelecimento de urna linha de navegacao
a vapor para os Estados-Unidos, oraram os Srs.
Nabuco evisconde de Itaorahy, e ficou a discus-
sao adiada.
Passou em Ia discussao a proposta da lixacao ue
forcas de trra, depois de terem orad" os Srs. vis-
conde de Jequilinhonha e Ferraz. Entn.uimme-
diatamenle em 2a discussao e foi aprovada a pro- '
pota com as emendas da cmara dos deputados,!
bem como o art. 4o additivo da mesma cmara.
Sebre o art. 5o additivo oraram os Srs. Manoel Fe-1
lizardo e Ferraz, sendo afinal approvado. Entrou
Prosigui a Ia discus.-o do voto de gracas, e
lia esl-se negr>ciando entre a Italia e a Prussia de
um lado, e a Ptussia e os outros estodos de outro rou 0 Sr. Furtado, (leaodo a discussao adiada.
,aA SOSFffSrSSSfS a ...Ha encon- \ -mar dos depuUdosapprovou hontem sem
debate, as emendas do senado a proposicao de>ta
tra-se na recusa da maior parte dos estados alie
mes de recoohecer a actuai ordem poltica alli. A | J2S2L2S. i
Prussia pensava remover essas difficnldades, pro-
pondo Italia de concluir um tratado com ella
particularmente, para depois offerecer aos outros
estados do Zollverein de adherir ou nao a esse tra-
tado. A Italia, porm, insiste sobre um tratado com
todo o Zollverein. precedendoo seu reconhecimen-
lo formal de parte de todus os seus membros.
NTERiO
duas novas freguezias, urna coro
a invocago do Espirito-Santo, no lugar denomina-
do Malaporcos, desmembrada das freguezias do
Engenho-Velho e Sant'Anna, e outra com a invoca-
go de Rossa Senhora da t^onecigo, desmembrada
da de S. JoSo Baptista da Laga.
Continuou depois a 3a discussao do projecto so-
bre a navegacao de cabotagem. Oraram os Srs.
Alfonso Celso, Tavares Bastos e Junqueira, que li-
' nalisou ollerei^endo um requerirnento de adiamen-
to, que nao foi votado por nao haver numero
legal.
13 de j mili o de 180S.
O senado approvou hontem, sem debate, em 3"
discussao a fixago de forgas navaes para 1866 a
1867, como passou na cmara temporaria.
Tratando depois da 3* discussao da proposigao
relativa ao estabelecimento de urna linha de nave-
gacao a vapor ntreos Estados-Unidos e o Brasil,
oraram os Srs. Dantas, Nabuco e visconde de Ita-
boraliy, Meando a discussao adiada.
Proseguio a Ia discussao do voto de gragas e
orou o Sr. Pimenla Bueno.
Acamara dos deputados approvou hontem as .
emendas do senado proposta do poder executivo abaixo escoliados pela nossa canhoneira Itajahy,
nn.r,9 Huc,, a nrno rii, ,.rai ,in im. desembarcando o general Paunero a 7 leguas de
Entrou hontem de Montevideo o vapor de guer-
ra Paraense, com datas al 7 do corrente.
Tendo acudido do Humana pelo Passo da Patria
algumas tropas paraguayas, que reunidas as ex-
pulsas da cidade de Corrientes bem podiam asso-
berbar a forga do general Paunero, domis a mais
desprovido de vveres, julgou este prudente eva-
cuar a praca, e no da 26 reembarcou a sua gente
para bordo dos vapores argentinos Pampero e Pa-
vn, irazendo comsigo o armamento e os prisionei-
ros pela maior parle feridos, tomados ao inimigo.
Na manha de 27 os dous vapores argentinos com
algumas embarcagoes a reboque, largaram rio
abaixo, escoltados
que (xa a despeza eorga a receita geral do impe-
rio para o exereicio de 1864 a 1865, depois de
orarem os Srs. ministro da fazendae Liberato.
Occupouse depois com a anlinuago da 3a dis-
cussao do projeclo sobre a navegago de cabota-
gem. Depois de serem offereridas algumas emen-
das, licou a discussao adiada pela hora.
Entrou hontem noite o vapor Gerente, prece-
dente do Rio da Prata e portos do sul do imperio,
trazendo datas al 6 de junho. Achando-se j fecha-
do o correio hora que veio para trra a mala,
apenas podemes obter algumas folhas do Rio Gran- entreriano a marchas toreadas
Corrientes no Hincn de Ceballos, aonde tambem
tinba chegado a nossa fragata Amazonas subindo o
no com duas embarcagoes a reboque e urna forga
de artilbaria argentina a bordo.
O governador Lagraa licava en Goya a tres le-
guas mais cima o general Hornos com as tropas
de Corrientes do commando de Gaceres, que com
a vanguarda tiroteava a columna paraguaya de
Robles, postada na margem direila do arroio Santa
Luzia.
O general Urquiza adiantavase com o exercito
a incorporar-se s
de, das quaes extrahimos o seguinte : forgas correntinas ; supuuha-se, porm, que se
Diz o Coinmercial do Io do corrente : nao arriscara batalha emquanto nao chegasse a
Temos em nosso poder um bolelim do Jornal i infatuara de Buenos-Ayres. Esta reunia-se no
Progresso, que se publica na cidade de Pelotas,
um negociante de S. Gabriel, sabia-se que o exer-
cito paraguayo, em numero de 6,000 horneo?, li-
nha invadido a fronteira de Missdes.
Respeitando a fonte donde parti urna tal no-
ticia, permita-nos o collega que isso duvidemos,
Rosario, e em breve se poria em marcha com oge-
neral Mitre a frente. Entretanto j tinham partido
alguns reforgos.
O general Flores tambem nao tardara a por-se
em campo, para o que ja aeie^ara o governo pro-
visorio da Repblica Oriental ao Dr. D. Francisco
Antonio Vidal, interina ; ente substituido na pasta
porquanto temos dados para crer na impossibilida- do interior por D. Daniel Zorzilla.
de de urna tal invasao. A maior parle da nossa esquadra, deixando blo-
0 Diario do Rto Grande da mesma data diz o queado o porto da cidade de Corrientes pela Bel-
seguinte : i monte, subi al as Tres Rocas, d'onde destacara
t E*la noticia, que foi transmittida de Algrete algumas canhoneiras at ao Passo da Patria, para
para S. Gabriel, leve cooGrmago official do coro- impedir a passagem de mais forgas paraguayas e
nel Fernandes, em oflicio ao coronel Argolo, com-
mandante da guarnigo de S. Uabriel.
As folhas da ultima data nada accrescentam a
este resneito.
t O vanor de guerra AmWi7i,do commando
do Sr. capitao de fragata Lamer, regressou do
servigo de ballsamento, collocando as seguintei
certar talvez a retirada as j internadas na provin
cia de Corrientes.
Espalhara-se em Buen s-Ayres que emquanto
Paunero toma va a cidade de Corrientes, o eom-
mandante Villet>as com sos 200 soldados balia nos
campos de S. Cosme 2,000 paraguayos, matando-
ihes 300 homens. Foi mnl festejada a nova ; mas
bausas: urna balisa de 31 1/S palmos na entrada ebegou o Pampero, que vinha traier os feridos do
de Cangussu', ficando cima do nivel d'agoa 14 ataque de Corrientes, e nada saba desta proeza,
palmos ; urna dita de 3J i/i ditos no Cangussu' D0SS0 exercilo acampado em S. Francisco de-
Velho, dem, idem, 10 palmos e 7 pollegadas; via ainda seKuir Pr a$ua at Salto, d'onde se po-
nmaditade 27 1/2 ditos, na Cordado Pobre, rta em marcha para a Uruguayana. Arespellodo
dem, idem, 8 palmos ; urna dita de 27 1/2 ditas,
na barra do Rio S. Gongalo junto ao Casco, idem,
idem, 8 palmos e 7 pollegadas urna dita de 30
1/2 ditas na Setia, idem, idem, 6 palmse 7 pol-
legadas; nma dita de 27 1/2 ditos no Mosquito,
dem, loan, 7 palmos e 6 pollegadas.
Havia tambem no Rio Grande datas de Baj at
l* do corrente.
Eslava-se organisando alli um corpo de volun-
tarios de quatrocentas pragas.
noato da derrota dos Paraguayos pelas forgas do
baro de Jacuhy, nenhumas informagoes mais ha-
viam chegado, nem em tal se tornou a fallar.
O almirant- Tarnandar parti na crvela Nithe-
rohy, de Montevideo para Buenos-Ayres, d onde
coustava que subira o Uruguay para ir ver o nosso
exercito.
Das repblicas do Pacifico havia algumas noti-
| cias em Montevideo.
No Chile continuavam as conferencias entre os
Foram assassinados n'uma venda da mesma ci- commissionados do governo e o ministro hespanhol
dade o guarda nacional Jos Magarino6 e o Orien- Tavira, sem que anda se tivesse podido chegar a
tal Celestino. I um accordo. O almirante Pareja devia ir all com
__ 14 a sua esquadra, mas dizia-se que era smente para
Hontem nao houve sessio no senado nem na ca-1 aPoiar as negoclagoes de Tavira, e oao para inter-
inara dos deputados por falta de numero legal. vir na qs diplomtica.
ii i, ou 11 mi .Yurna pequea colonia de Chamizo perto de
Completamos as poucas noticias que nos trouxe : Llanquibue (n brbaramente assassinada urna fa-1
servigo.
. -17-
Continuou hontem em segunda discusiao, no
senado, a propotta de fixacao de forgas te trra
para 1866 a 1867, e, depois de oiaremlsobre o
art. 7." os Srs. Manoel Felizardo e Ferraz foi ap-
provada com todas as emendas da outra cmara,
vencendo-se a urgencia para a tercena dis-
cussao
Proseguio a terceira discussao da propo-igao re-
lativa ao estabelecimento de urna linha dt navega-
gao a vapor para os Estados Unidos, e oraram os
Sre. Paranagu, Candido Borges, Das (te Cirva-
Iho e barao de Muriliba, propoudo este iltime se-
nhor o adiamento para ir commsso de fa-
zeuda, Ficou a discussao deste requerirnento
adiada.
gas, e orou o Sr. Jobim.
Occupou-se depois comji segunda discussao da
proposla do governo que coufere S. A. Real o
Sr. conde d'Eu o posto effeclivo de maiechal do
exercito. Depois de algumas observagoeadosSrs.
Martinho Campos, ministro da marinha, Hartim
Francisco, Itatishona, Godoy e Liberato, fui appro-
vada por votago nominal, que deu. o sguinie re-
sultado : volaram a-lavor os Srs. Moreira, Leito
da Cunha, Raiol, Ffanco de Almeida, arvalbo
Iteis, Almeida Rraga, Tavares Beliorl, Fiaibo, Piu-
lo de Mendonga, Pamplona, Liberato, Duartj Bran-
dan, Cunea das Nevos, Juo Leite, Feto.'a, Pere-
ra de Brito, Souza Carvalho, Barros Brrelo, Luiz
Felippe, Epaminondas, Brando, Serapluw, Am
brosio Machado, Esperidiao, Aristides Lob, Lopes
Nelto, Barros Pimenlel, Barbosa de Almeida, Pe
dro Moniz, C. Madureira, Pedro Brando, Per reir
de Moura, Dantas, Espinla, Junqueira, Ro/ta de
Araujo, Pereira de Vasconcellos, Saldanh Mari
nho, Eduardo de Andrade, Pedro Luiz, lacedo,
Fonseca Vianna, Jos Jorge, Brtas, Cssar;jMartfni
Francisco, Nebias, Fltury, Theodoro de famare,
Silveira de Souza, Alvira e Flores ; e contra os
Sr?. Rodrigues Jnior, Figueirdo, Urbano, Sil-
vino Cavalcanti, Godoy, Tavares Bastos, Silveira
Lobo, Mello Franco, Martinho Campos, C. Oiloni,
Lima Duarte, Chagas Lobato, Rabello, Liropo de
Abreu, Costa Pinto, barao de S. Joao do Rio-Claro,
Abelardo de Brito eNery.
Approvou em s-guida, sem dbale, tambem em
segunda discussao, a proposta do guverno que con-
fere a eTeclividade do posto de almirante a S. A.
Real o Sr. duque de Saxe.
Tratando em ultimo lugar da terceira dfccusso
do projecto que approva as condigovs do qontrato
celebrado entre o governo imperial e a companhia
Biasileira de Paquetes a Vapor, o Sr. Tavares
Bastos, depois de algumas observacoes, offereceu
um requerirnento de adiamento, que nao foi vota-
do por falta de numero legal.
18-
0 senado adoptou hontem em terceira discussao,
sem debate, com as emendas da cmara dos depu-
tados, a proposigao que Usa as forgas de Ierra no
anno de 1866-1867.
Continuou a discussao do requerirnento'do Sr.
baro de Muriliba, para que fosse commtsao de
fazenda a proposigao relativa ao estabelecimento de
urna linha de navegagu entre o Brasil e os Esta-
dos-Unidos, sendo o adiamento regeilado depois de
orarem os Srs. Dias de Carvalho o oaraolje Mu-
riliba. Em seguida proseguio a terceira diwnssn
docta |iro|.usu;.; p f,,i adnplada sora irais debate
para subir sanego imperial. "**iv
Entrando em primeira discussao a proposcao
relativa empreza de navegago do no S-Fran-
cisco, oraram os Srs. Dantas e baro de j. Lou-
rengo, e passou segunda, na qual entro^ logo.
O Sr. Dantas requereu o adiamento pata Ir
commbso de emprezas privilegiadas, e asjim se
venceu.
Sem debate foi regeilado em primeira aisusso
o projecto que prohibe os eslrangeiros posioir es-
cravos.
Prosigui a primeira discussao do voto de gra-
gas, e orou o Sr. Penna.
A discussao ficou adiada pela hora.
-19
Entrn hontem de Montevideo o transpifte de
guerra Piinceza com datas at 11 do rorrenje.
Do theatro da guerra nao ha noticia denpor-
tancia. Parece que o general Paunero snente
desembarcou no Rincn de Ceballos parajlatar
rezes para o exercito, pois que reembarc|de-?e
com a forga de artilhana argentina que diremos!
ler ido a bordo do vaper Amazona, j tinhaidesc-
doat Esquina, onde licava ullima dala. ,A esle
respeilo refere urna carta publicada pela Tfjnna,
de Montevideo : V
< Esquina, 3 de junho de 1865.
Aqui desembarcamos com a legiao milftir, os
batalhoes I, 2 e 3 e tres compaohias de art(harif.
com 26 pegas de campanhas, que Ueste raoipento
tratamos de montar. Esperamos que breve/tiente
se nos rena mais qualro ou seis batalhoes, entre
elles o do Rosario.
Assim qu fizermos juncelo com o geaera.1 Ur
quiza, com quem estamos m correspondencia,
iremos coinprimenlar o Sr. D. Venceslao Rebles.
A posico do eiercite argentino era, pois^'testa:

Cavalleiro de Aviz, o capitao Dr. Henrique de
Amorim Bezerra.
Por decreto do mesmo dia .14 foram concedidas
as pensoes de 4U0 rs. diarios aos soldados Ignacio
Alves de Carvalho, do terceiro batalhao de lufan-
taria ; Francisco Manoel Joaquim da Conceico, do
quarto batalhao de, infanUna, e Antonio Raj mun-
do das Chagas do dcimo-segundo batalhao da
1 mesma arma, por terem perdido, os dous primei-
ros o brago esquerdo, e o lerceiro o brago direto
no ataque de Paysand, pelo que ficaram impossi*
bullados de procurar os meios de subsistencia.
Foi aceita e confirmada a renuncia que o padre
Jos Antonio Braga fez da igreja parochial de An-
tonio Dias Abaixo, da provincia de Minas-Geraes e
bispado de Marianna.
Foram apreseniados : o padre Joaquim Eugenio
de Souza Breves, na igreja parochial de Nossa Se-
nhora da ConceigSo da cidade de Angra dos Res,
da diocese e provincia do Rio de Janeiro, e o padre
Dr. Raimundo Jos de Maltos, na igreja de S. Pedro
Velho, no arcebispado e provincia da Baha.
Por decretes de 12, 13 e 14 do corrente foram
nomeados : O juiz de direito Henrique Jorge Ra-
bello desembargador da relago do Maranh* ;
O tenenle Jos Geraldo de Lima, ca pito secreta-
rio geral do commando superior da guarda nacio-
nal dos municipios de Olinda e Iguarass da pro-
vincia de Pernambuco.
Tiveram merc d serventa vitalicia :
O bacharel Carlos Angust da Silveira Lobo, do
offlcio de primeiro tabellio de notas do municipio
da corle ;
Foi perdoada a Luiz Maria de Carvalho, a pena
de 4 l| annos de priso com irabalho e multa
correspondente metade do lempo, a que foi con-
demnado pelo jury do termo da capital e provin
ca do Amazonas.
Directora do correio.Rio de Janeiro.Minis-
terio dos negocios da agricultura, commercio e
obras publicas, (m 16 de junho de 1863.
Illm. e Exm. Sr.Para boa e fcil execugo das
ordens do governo relativas a-j trausito livre de
pone nos.correios do imperio, e entrega da corres-
wmdcncia destinada 4s praca.* da rmoi* coh ou
uominanao, e ua que por essas pragas fr dirigida
a outrem, ser conveniente que se observen) as
seguiutes nstruegoes :
O comraaudaote da esquadra designar um offi
cial, que a seu bordlo junto sua pessoa se in-
cumba do servigo do necetumento e expedigo das
malas
Os commandantes de companhias reuniro em
um mago a correspondencia que as pragas tiverem
de dirigir a outrem, e a envirio ao commaudaiile
do navio, declarando as companhias a que per-
tencem.
Recebidos tolos os magos dos differentes corpos
ou navios, o ofBoial incumbido do servigo da expe-
digo Cilleccionara os que forein dirigidos ao mes-
mo destino, e os remetiera' com as devidas deca
ragoes no sobrescripto.
evero ser promptiCicadas separadamente as
malas com a correspondencia para as provincias
do S. Pedro e Santa Cathariua, aim de serem en-
tregues as respectivas admiuistragoes pelos pa
quetes que alii tizerem escala.
Do mesmo m o Jo, loD'o que cheguem as malas que
forem dirigidas ao commandante em chefe. da es-
quadra, as quaes devero ir convenientemente di
vididas em magos: de conformidade com as ordens
expedidas, o offlcial separara' os que forem dirigi
dos aos diTerentes corpos ou navios, e os comman-
dantes desles os faro distribuir pelas diversas
companhias, por intermedio dos respectivos com
mandantes.
Alm destas providencias, V. Exc. tomara'
aquellas que julgar acertadas para o bom desem
penho de-ta parle do servigo publico.
Dos guarde a V. Exc.Dr. Antonio Francisco
de Paula Souza. Sr. visconde de Tarnandar,
commandante da esquadra em operages no Pa-
raguay.
Fer-se igual communicagao ao general em chefe
commandante do exercito do Paraguay.
Circular. -Directora do correio.Rio de Janei-
ro, secretaria de estado dos negocios da agricul-
tura, commercio e ebras publicas, em 14 de junho
de 1865.
Para boa execugao das ordens do governo relati-
vas ao transiio livre de porte nos crrelos do im-
perio, e entrega da correspondencia dirigida s
pragas do exercito e armada em campanha no Pa-
raguay, cumpre que se observem as seguintes
inslrucgoes :
As cartas devero indicar no sobrescripto alm
do nome do destiualario, o corpo, e senado possi-
vel a companhia ou navio em que servir.
UeVOraO Ser CUIIIgaJa.^ om ato o utftoo ao oar
lar das pragas de urna mesma companhia ; e reu-
nidos em um outro todos os magos das companhias
que forraarem um corpo.
De todos os magos dos differentes corpos se for-
mar um (ou mais. se o volume assim o exigir)
que pela estago que o tver de reinetter sera di-
rigido ao general commandante em chefe do exer-
cito, e outro ao commandante em chefe da es-
quadra.
Alm destas providencias, tomara' Vmc. aquel-
las que parecerem couvenieutes para melhor des-
empenho desta parle do servigo publico.
Deus guarde a VmcMarcos Antonio Ribeiro
Monteiro de Barros, servindo de director.-Sr. ad-
ministrador do correio da provincia de
20
Passaram hontem no senado em primeira e se-
gunda discussao as propostas que abrem crditos
extraordinarios dasquantias de 40,743:847^580 e
12,517:525^116, fazeodo sobre aquella algumas
observagSes os Srs. Penna, Das de Carvalho e Pa
rauhos. A requerirnento do Sr. Paranagu dispen-
sou-se o intersticio para a 3 a discussao.
Proseguio depois a 1.* discussao do voto de gra-
gas. Ouro o Sr. Candido Borges.
Fui apoiada a seguinte emenda da cemmisso :
No periodo que comeca: O senado lamenta o
grave allantado, etc.em lugar das palavrasdos
Estados Confederados, diga-so dos estados enlo
confederados.
I' I MU ......
A cmara dos depulados oceupou se hontem com
a contlnuagao da terceira discussao do projecto
sobre cabotagem. Depois de algumas observacoes
dos Srs. Martinho Campos e Tavares Bastos, ficou
a discussao encerrada.
o mesmo rumo, e finalmente suppunha-se que o
general Urquiza tambem l se acharia, bem como
o general Paunero, que retirara da Es juina ap-
proximago dos Paraguyos, que passaodo o Santa
Luzia com 16,000 homens e oceupando Goya com
4,000, tinham obrigado a recuar Caceres e La-
grana.
Os Paraguayos tinham feito fogo a um escaler
da canhoneira jngleza MolloreU, e recusando o ge-
neral Robles qualquer satisfago provocou talvez
mais um conflicto.
A nossa esquadra continuara a bloquear as Tres
Boceas, tendo trocado tiros com alguus furtes de
trra, que-ficaram arrazados.
Segundo folhas de Montevideo o generot N
autorisado pelo Sr. conselheiro Oetavano, sobre*
proposta do general Ozorio, reuna no JaguarSo Ir
sua brigada ligeira, devendo ser reconhecidos os
postos conferidos por ageite chefe na campanha
oriental.
A reunio dos Brasileiros residentes na repbli-
ca do Uruguay eapios para o servigo faziase ao
norte e sul do Rio Negro, lendo o general Flores
expedido ordens aos cheles polilicos para auxilla-
rem este alistamento.
A 27 de maio licava no Jaguaro o barao de Ja-
cuhy, diz agora o Siglo.
Do relatono apresenlado ao congresso argentino
pelo ministro de estrangeiros reproducimos a par
le relativa ao Brasil :
A repblica iinha assumptos importantes que
tratar com o governo imperial e enviou uina mis-
sao com esle lim. Porm foram adiados em conse
queuca das questoes com a Repblica Oriental.
A attitude que assumio o Brasil para com
aquella repblica obrigou a pedir-lhe as explica-
ges que foram dadas da maL-eira mais satisfacto-
ria e amistosa, como veris no annexo F.
Relativamente questo do Per com a Hes-
panha, o governo imperial, a pedidj do Argentino
declarou a poltica que leneionava seguir como ve
reis do annexo.
Tendose malogrado a negociagao de paz con-
fiada particularmente ao ministro de relagoes ex-
teriores da repblica juutodo presidente D. Atha-
nasio Aguirre, o conselheiro Jos Antonio Saraiva,
enviado extraordinario e ministro plenipotenciario
de S. M. o Imperador do Brasil em inisso especial
junio do governo de Montevideo, foi acreditado no
mesmo carcter perante o governo argentino.
t Esta misso fui da maior impoitaucia, pois fi-
xou a poltica dos governos argentino e brasileiro
na questo da Repblica Oriental do Uruguay e
laucou as bases solidas em que assenta a harmo-
na de ideas da poltica internacional dos dous pai-
tes que lautos beneficios deve produzir de fu-
turo.
t A circumstancia de. ser nesta occasao o repre-
sentante do imperio do Brasil um do5 seus homens
do estado mais notaveis pela sua iulelligencia e ca-
racier.contribuio efflcazmenlu para fazer desappa-
recer ideas e apprehenses que perlencem ao pas-
sado e que j nao tem razo de ser, estabeleceodo'
se a conli.inga em que repousam as relagSes amis-
tosas e cordiaes que felizmente unem a repblica
ao imperio.
t Em consquencia disto o governo argentino
conservou-se ucutro na questo do Brasil cun ogo-
fagao de verde um lance o bello Uruguay, a tropa
paraguaya em retirada diante dos nosso's aerado-
res, que do lado de c tiroteavam com elles para
proteger algumas familias correntinas que vinham
fugindopassando o Uruguay. Enconirei a nos-a
gente animada do melbor espirito e enthnsiasmada
pela bella cau^a que defende. Sgui depois para
S. Borja ; esta povoacao aprsenla o mais triste es-
pectculo ; aeha-se abandonada pelas familias, qoe,
com excepgo de duas, fugiram todas para o itte-
rlor, com medo de urna invasao dos Paraguayos.
t No dia seguinte o Sr. coroael Fernandes le-
vou-raeao acampamento e mosirou-me a sua di-
viso em armas, 2,400 homens, quasi mis mvte
tempo terrivel, mal armados, mas todos mogo?,
robustos e alegres. Emquanto e>tava na Cochha
com o Sr. coronel Fernandes e o seu estado maior,
appareceu do outro lado do Uruguay nma forga
paraguaya, pouco mais ou meos de'700 homens,
bem vestidos, blusas encarnada*, caigas pretas,
bonet a eavignac e armada de mosqueloes; era
infaniaria montada, que marchava em columna
cerrada, precedida de urna guerrilha de 50 a 69
homens, e os peoes que andavam levantando o ga-
do correntino, nao Ibes escapando capao ou res-
tinga alguma. Ea nos vermos islo, e os offiVui-s
e so'dados tremendo de impaciencia, e nao po tendo
passar para castigar estes insolentes, que a nossa
vista vinham roubar, porque o coronel nao tem or-
dem de pnssar I I
t De repente appareceu de longe um grnpo p2-
queno, provavelmenle alguma guerrilha, e toda
aquella canalha paraguaya fez meia volia a direita
E desta gente que se lera medo 1
L. -M'.-tra-se diariamente a roubar em Corrientes,
a perseguir familias, mas s atacara quando sao
100 contra um ; esteja o meu amigo certo que no
da em que os nossos forem aju.-tar contas com
estes bandidos nao teo muilo irahalh i.
t 16 de mi).03 Paraguayos .juanto a
mim, s vieram saquear os pobres Cirreulinos. Os
Correntinos est ivam com 2,000 homens era arma-,
posea orno a nossa gente, tambem em armas e
mal vestidos.
A nossa gen!e nao foi accu lir lhes, embora
animada dos melhores desejo-, porque o comman-
daule tem ordem para nao passsar o rio.
Mil armados os nossos, ainda assim um gos-
to ver a dedicago que mostram e seu enthusias-
mo ; a;ie/.ar disto, passaram no campo urna uoute
de fri e chova, e iogo que tiveram noticias que
os Paraguayos corriam sobre S. Borja, marcha-
ran) alegres, e di contentes davara vivas uago.
Hoje 17, segundo aviso de Corrientes e 'i V
ronel Fernandes, de S. Boria, os Paraguayos sj
reliraram das margens do Uruguay, que est pre-
sentemente cheio alca barranca, sendo hoje mais
um ob-taculo para o inimigo. >
Na mesma folha de 4 l-se:
t Fomos obsequiados com o seguinte boletim
dos movimentos das forgas do Sr. coronel Fernan-
dos, que operava em sentido de oppor-se m Pa-
raguayos se elles iuteutassera Invadir o nosso ter-
niorio :
t Dia 16 de maio de 1865.Marcharam do
acampamento do Passo das Pedras, distante de
Raqui ires leguas, s 6 1|2 horas da manha,
quatro corpos de cavallaria ; lempo em movimen-
to s- stiou-se na Guardinha s 9 1|2 horas; or-
dem para marchar I da larde, maichou-se pas-
sando Buluhy de vo ; ja' comegava a cahir algu-
ma chuva. A's 7 1|2 da noute melleu-se era luha
ao norte da restinga de Manoel Candi o, divisa
com os campos do capitao Rufino Rodrigues des
Santos, to escura era a noule que os corpos .o
claro dos relmpagos que se poderam alinhar
desanJou copiosa chuva no momento de apear-se
a brigada. A's 1P horas da uoute cessou a chuva.
Da 12.Marchou s o da manha a mesma
brigada, tempo nublado, fez-se alto ao norte do
passo de Santa Luzia a's 8 da manha, ameagando
chuva ; largaram-se os cavallos, com a ordeiu
para marchar a' 1 hora da tarde : carnense, e
achava-se a gente principiando a comer, quando
se ouviram alguns tiros a pouco mais de legua de
distancia do Campo no Uruguav, para os lados do
vvrii de Montevideo, limit indo-se as raedidas-trae-j-oosso chamado Proenca. Veio parle que se achava
pula %ua part; linha lomado para librgsr aquelle
governo a dar-lhe as reparacoes devidas.
A legago imperial tem' dado ao giverno as
mais sinceras provas da sua sincera amizade, lor-
nando-se o verdadeiro representante de um gover-
no que, como o do Brasil, tanto empenho faz em
estrellar suas relagoes comnosco. Pela sua parte
nada onuttio o governo para corresponder digna-
mente a este procedunento amigo
Resolvendo o governo imperial enviar outra mis-
so especial perante o governo argentino, acredi-
tou para isso o conselheiro Jos Maria da Silva Pa-
ranhos, no carcter de enviado extraordinario e
ministro plenipotenciario.
lnOuiu esle hbil e dislinclodiplomata podero-
samente para estreitar mais as relagoes e conso-
lidar a poltica combinada com o conselheiro Sa-
raiva.
Tendo decidido o governo imperial retirar es-
ta misso, reconheceu o Argentino por todos os
meios que pode os impDrtantes servigos prestados
por to nolavel representante de um governo
amigo.
Communicada pela misso especial a guerra
que desgrag-idamenle surgi entre o imperio e o
Paraguay, declarou o governo argentino a sua (ir-
me resolugo de manter-se neutro nella, fazendo
os mais ardentes votos pela sua terminaco. Nega-
da a passagem que o governo do Paraguay solici-
lou pelo territorio argentino, communicou-se isso
misso especial.
Transmltlidos ao conhecimento do governo ar-
gentino os convenios que pozeram lira gueira n.i
Repblica Oriental e s questoes com o Brasil,
communicou lambem o governo misso especial
as notas (rocadas com o governo oriental, e que
restabeleceram as nossas relagoes de amizade.
t O governo imperial acreditou em misso espe-
cial junto do argentino o dislinclo conselheiro
Franciso Octaviano de Almeida Rosa, com quem
tem tratado assumptos importantes de que 00
porlunamente se vos darconta.
No Carmel veio de passagem o Sr. Io tenente
Antonio Carlos de Mariz Barros, qne consta ser
portador dos tratados assignados da trplice al-
lianga.
22
O Sr. Silveira da Motta fez hontem no senado al-
gumas consideragoes sobre a uecessidade de ser
cummunicado a assemtda geral o texto do tratado
da trplice allianga celebrada entre o Brasil, a con-
federago argentina e a repblica do Uruguay ;
mas desistio'de apresentar requerirnento neste sen-
tido, por ter o Sr. prasidente declarado que por
01 a nao i;oih iuli.i Oar publioidudo v.- o. lipuiueo >
desse tratado.
Procedendo-sc a votago em Ia discussao do pro
jecto de resposta a falla" do throno, foi este appro-
vado com as emendas do Sr. Jobim ao Io perodo,
e da commsso *n 6o periodo, sendo julgadas pre-
judicadas ou rejeiladas todas as outras emendas,
excepto a do Sr. Jobim, para que em lugar das
palavrasbrilhante desenlacese diga -xito fe-
liza qual ficou empatada na votago, e portanto
adiada.
Entrando em Ia discussao urna proposigao sobre
naturalisaces, verificou-se nao haver casa.
Entrou hontem de Montevideo e portos do sul o
vapor Brasil.
As dalas do eslado Oriental sao anteriores s
que nos trouxe aute-hontem o Carmel; as de Pur-
to-Alegre chegam a 14, do Rie Grande a 17 e de
Santa Catharina a 19 do corrente.
Da provincia de S. Pedro do Sul nao ha noticia
de grande interesse.
No da 5 marchara do Rio Pardo para S. Borja e
5o batalhao de voluntarios. O general Cadwel se-
guio tambem para a mesma fronleira no dia imme-
diato
Tinha sido chamado a destacamento o 43 corpo
da guarda nacional da Cruz-Alta, de que o com-
mandante o lente coronel Jos Antonio Antunes.
Prosegua na capital da provincia o alistamento
para o corpo de voluntarios da patria, e aetivava-
se o recrutamento para o exercito e armada.
Pareciam desvanecidos os recelos de urna Inva-
sao da fronteira do Uruguay pelos Paraguayos.
Sobr,e a approximago desles referida 'frontei-
ra, no mez passado, eis o que se l no Correio do
Sul de 2 :
um% forca paraguaya passando para a Iha d
Vargas era frente ao mesmo passo : ordem de pe-
gar cavallos immediatamente e marcharam dous
esquadroes de clavineiros, nm ao mando do capi-
tao Francisco Rodrigues Lima do 1" corpo, e o ou-
tro ao mando do capitao Emygdio Rodrigues da
Silva, e ambos cominaiidados pelo major Jos Fer-
nandes de Souza Doco. Ao mesmo passo onde
suppunha-se o ataque chegou o mesmo major com
esta forga ; eoconirou o brasileiro Antonio Proen-
pa, que se achava coinmandando com dez horneas
naquelle ponto.
A ilha chamada do Vargas grande e povoa-
da de Correntinos e Brasileiros ; pelo lado de tor-
neles ha um eslreiio canal, e porque para alli
haviam trazido alguns entalles, parece que o ini-
migo s leve por plano vir saquea la. Veio urna
forga de 30 homens sobre a barranca, e, reconhe-
cendo que eslava sem defeza, porque tinha urna
pequea guarda para a mesma ilha, e os inlis-i
batalhao provisorio, ao mando do majur Joo Ro-
drigues Ramos.
Urna outra carta de S. Borja Jiz o srguinte :
Quem trocon os primeiros tiros cornos Para-"
guayos foi o Almadie, que, diletanti, rondava
aquellas paragens, e vendo os efvageiM perseguir
as familias correntinas enlo acudio-lhes com ca-
noas, salv.iu as passando-as para o nosso territo-
rio, e fez frente aos perseguidores, que depois de
urna descarga se melteram no malo.
O Uruguay esta cheio e nao d mais vo al-
gum. .Nao pd", pois,. haver sorpresa, porque a
costa est bem patrulhada.
Tinham fallecido : no Jaguaro o commendador
Jos Goncalves da S.lva, capitalista abastado, eem
Porto-Alegre o commendador Jos Dias de SouzJ
legando cerca de 2.000:0005.
Por decreto de 17 do corrente mez foi nomeado
o l)r. Jos Maria Correia de S e Renevides para o
lugar de lente substituto da faculdade de direito
de S. Paulo.
-----" "' "
Por avuo de 16 do corrente foi nomeado para
commandar o vapor Princeza o 1 lente Coliali-
no Marques de Souza. Hoje deve armar esle trans-
porte de guerra, cuja cilhegona de crvela.
Amanha a's 2 horas da tarde, em presenga de
S. M. O Imperador, sopo* iniicndo no mp, do e*ta-
leiro da ilha das Cobras, o novo vapor encoura-
gado alli fabricado.
23
Entrou hontem era discussao no senado a emen-
da do Sr. J,bim ao 9. periodo do voto de gracas,
que ficra empatada na sessao anterior. O'Sr.
Candido Birges, por parte da maioria da commis-
sao, aceitn a emenda, que consiste era substituir
as palavras brilhante desenlacepor eslasxi-
to feliz. Orou o Sr. visconde de Jequilinhonha, e
foi approvada a emenda, passando o voto de gragas
para a 2.a discnssao com as emendas approvadas.
Passaram depois em !. e 2.a discussao duas pro-
posiges sobre naturalisages, e urna concedendo
luenga ao desembargador Inoocencio Marques de
Araujo Ges, venc.endo se dispensa de intersticio
para a 3.a discussao desta ultima.
Entrando successivamenie em 1.a discussao as
proposiedes autorisando a alleragao dos regula-
mentos do corpo de saude do exercito e da arma-
da, foram adiadas, a requerirnento dos Srs. Penua
e visconde de Jequilinhonha, al comparecer! os
Srs. ministros das respeclivas repartigoes.
Tratando-se da 1.a discussao da proposigao que
manda considerar divida privilegiada as porcenta-
gens dos correctores, passou um requerirnento do
Sr. visconde de Jequilinhonha para a ouvida a
commsso de legislago.
Hontem nao houve sessao na cmara dos depu-
tados por falta de numero legal.
Entrou hontem do Rio da Prata o vapor inglez
AVit/on, com datas de Buenos-Ayres at 15 e Mon-
tevideo at 17 do corrente.
A respeilo da partida do general Mitre diz a
Tribuna de Buenos-Ayres:
A partida do presidente da repblica ficou defi-
nitivamente fixada para sabbado 17 do corrente.ao
meio-dia. Ir nc vapor /fio de la Plata, com o seu
estado maior, secretaria, corpo de engenheiros e
escolta.
O motivo desta demora
MUTILADO i



afeitonnritauiMirt ttit&itirwwzdfoit ;*
..
tadoovapor /'con, que est faiendoUguns con-
cert.*, e no qual embarcar um das batalhSes de
guarda nacional que aeorapauna o presidente da
repblica.
Seguodo a Nacin Argentina, estaVam ja as
immediages da ciJade da Concordia mais de 20
mil horaen> do exordio brasileiro, principando a
Mediocres apeadores, expomos as noaias im-lestrangeiros 27; mulneros 2; eseravos 48 ; es-
pressoes. hm Instrumento stlsflzeram-nos bastante cravas 3total 366.
o Sr. Pereira da Costa e o Sr. Manir Brrelo J-
nior, a quera antes ouviramos tambem.
Pedemos o Sr. Dr. Jos Mara Ramos Gurjao
qae d curamos apresenlar-se S. S. candidatura
de deputado geral pelo 2 districto eleitoral da pro-
reuuir-se naquelle ponto as forjas alliadas, de sor-' vincia.
,e aSfri.?rS XlLV*? alli ch9gasse ea-' ~ enn's a nota das pessoas que subscre-
coQtraru JOOOO horneas de todas as armas. veram para a compra dos instrumentos da msica
A esquadra rasileira continua va a bloquelar as do 2- corpo de voluntario*-
Tres Boceas, deseando as tripolagoes lodos os das Juljo da Cosu Ribeiro
iha do Atajo para proverem-se de leoha. Jos Caetano de Camino
Trocaram-se eulre os plenipotenciarios brasile-' Manoel Ribeiro Fernandos
ro e oriental e o governo argentino as ratifleacues Antonio Jos de Oliveira Miranda'.'.'.'.'.'
do tratado da trplice alliaoga, aclo qae foi segoi- Jos Mara Monleiro
do deste decreto : Manoel Maria Rodrigues'doNa'scimt.
. Ministerio das relagoes exteriores. Buenos- Joaquim Manoel Ferreira de Souza..... 5*000
Ayres, 1* da mnho de t86;>. Tendo-se verificado Joaquim Tbeodoro da Silva........... HOOO
a troca do tratado de allianca otTonsiva e deftjjnsi- Jos Joaquim da Silva............... 10*000
va celebrado no 1. de raaio do corrente anno entre Antonio Ferreira da Silva Maia........ 55000
a Repblica Argentina, o Imperio do Brasil e a Be- B. G. de C.......................... 5A00O
publica Oriental do Uruguay, na guerra a que fo- 1.1. L. B......................... 205000
raru provocados pelo governo do Paraguay, o Vice- Um anonymo....................... 205000
prosidente da repblica no exercicio do poder exe- Antonio de Soma Oliveira............. 25000
35000
55090
55000
55000
55000
55000
708:1935792
Passivo.
Gjjmissiio dos directores

500:0005000
19t:5i 5604
6495320
6:0045868
f0:000500fi
cutivo resol vea e decreta:
e Art. 1." No dia 16 do corrente se arvorarao
na casa do governo, na batera Onza de Setembro,
e nos navios de guerra nacionaes que estiverem
no porto as bandeiras nacional, brasileira e orien-
tal, que sero saudadas ao meio dia com urna sal-
va de 21 tiros de pega pelos referidos navios e ba
teria.
Art. 2." Era todos os estabelecmentos nacio-
naes se arvorar a bandeira da repblica.
t Arl. 3." As legagoes de S. M. o Imperador do
Brasil c da Repblica Oriental do Uruguay sero
1025000
No dia 24 do corrente, na enfermara da casa
de detencao, falleceu, de congesto cerebral, pro-
veniente de urna queda que dera dos andaimes das
obras em construegao, Jos Florentino Alves da Sil-
va, pardo, viuvo, idade de 32 annos, natural do
Brejo, estaturao ps, cabellos pretos corridos, ros-
to comprido, nariz afilado, bocea pequea, barbado,
corpo regular. Kecolhido em lo de fevereiro de
1865, ordera do Sr. Dr. ebefe de polica, vindo de
couvdadas a associarem-se a esta demonstrago, [ Santo Aoto, por se achar pronunciado no art. 20o
arvorando as suas bandeiras e mandando dar as do Cod. Crim. no termo do Brejo.
de verifkacao
salva- nos navios da sua nago saltos no porto.
Art. 4." Ser convidado o governo da provn
ch de Buenos-Ayres a assoclar-se est a deinons-
tracao, mandando arvorar o pavilho nacional nos
eslabelecimeulos pblicos da provincia.
c Art. 5.u Communique-se a quem competir,
publique-se e d-se ao registro nacional.
t (Assignados) Paz, Rufino Elizalde, Guilherme
Rawson, Lucas Gonzlez, Eduardo Costa Joo A.
Gelly y Obes..
Do Montevideo temoso Siglo de 17.
Procedeu o exame de verifkacao de identidade
do pessoa o subdelegado da freguezia de Santo An-
tonio.
Na terca-feira seguio para o sul a bordo do
Paran o corpo de voluntarios da patria do Pianhy,
a quem S. Exc. o Sr. presidente honrou, a pedido
de alguns acadmicos daquella provincia, mandan-
do acompanha-lo pela msica do 1 batalho da
guarda nacional.
Em sua desfilada, por occasio de passar o corpo
em frente do (.alacio da presidencia, trocaram-se
Sigilado elle, os agentes paraguayos, D. Jos* vivas entre o commandante e alguns offlciaes e S.
Caminos eseu lilho, que estavam presos na eidadejExc., cuja familia atirava flores sobre aquella por
do Paran com ordena de serem remetlidos para : gao de bravos, proprgo que passv.'ara em fren-
te das janellas do mesmo palacio.
Em seu trajelo fol o corpo acompanhado por
grande numero de acadmicos, que levaram-no at
a bordo; e ah os acadmicos Segismundo Antonio
Goncalves, Simplicio Coelho de Rezende e Manoel
Pinheiro de Miranda Ozono, recitaram varios dis-
De Paysand noticiam que ja alli nao havia for- j cursos, um dos quaes damos em seguida, bem como
Buenos Ayres, evadiram-se sera que se sonbesse
como, em despello da vigilancia da aoloridade.
Diz a referida folha que se esperava all a tolo
o momento um navio do Rio de Janeiro com ar-
mameuto para 6,000 homens, remettido pelo go-
verno brasileiroao argentino.
cas brasileiras.
O governo oriental tinha mandado sortear os
guardas nacionaes que deviam destacar. Parece
que ltimamente se revogou esta ordem, que en-
eoutrava reluctancia, substitundo-se o tributo por
oulro pecuniario pago pela mesma guarda nacio-
nal, c que servira para contratar gente para a
guerra.
DIARIO DE PEBNAMBUCO.
Temos vista jornaes do slu do imperio, traz-
dos pelo Tocantins, alcanzando do Rio de Janeiro
23, da Baha 27 e'de Alagoas 28 do cor-
rente.
Sob as rubricas Parte 0/ficial e Interior vo por
extenso as noticias mais importantes, as quaes
apenas accresceniamos o que segu.
aio du i&NBiao. Foi publicado o decreto h.
3'71 de C do corrente, concedendo ao capitao J. E. urna grande gloria que leudes
o Dr. Lycurgo Jos Henriques de Paiva urna poesa
I exallando-llies os bros e o valor, que vo to he-
roicamente ser postos prova.
Bravos Piauhyenses voluntarios da patria IMi-
: litares briosos que ides reunir-vos aos cem valen
1 les e immortaes defensores de Coimbra, aos hroes
de Paysand e Corrientes, e qnelles que com a fa-
j ma de seu nome flzeram capitular Montevideo 1
i a vos que fallo I
Ides em busca dos louros que galardoam aos
j magnnimos defensores da patria, e no momento
l augusto em que vos toma em seu seio o orgulhoso
corlador dos mares para levar-vos a esses campos,
que vo ser teslemunhas do vosso valor quando hu-
milhardes o arrogante nimigo, que vos peco con-
sintis que da minha obscuridade tambem vos seja
dirigida urna saudaco, humilde erahora, mas sin-
cera e pura como o' o meu amor a vos e a patria.
A patria reclamou o vosso auxilio e a vossa bra-
vura nao consento que a vsses insultada sem cor-
rerdes a desaffronta-la. E' j este ra para transmiltr aos
708:1955792
i-Demonstracao da conta de lucros e perdas.
Despeas geraes................. 3:14351*4-
DedncSoaa conta de segurados.... 1:2275654
Conmiso -dos directores......... 6:0045868
DajMendos..................... 10:0005000
de reserva................ 33:5045986
Alimentaos casta dos cofres pblicos, 147.
MoviraeBto da enfermara do dia 27 de juuho
de 1865.
Ti veram baixa: L
Manoel do Nascimento ; rheumatismo. CajfWl
Joaqnim Jos dds Santos; intermitente. Fundo de reserva..................
Teve alta : Aceces-ero liqoidagao.
Amonio Ceser Mannho Faleo.
27 -
Existiam 366; ntraram 3 ; sahiram 6; fallecen
1 ; existen 364 a saber : nacionaes 277 ; mulhe-
res 7 ; estrangeiros 26 ; mulheres 2 ; eseravos 47
escravas 5 ;total 364.
Alimentados a cnsta dos cofres pblicos, 146.
Movimento da enfermara do dia 26 do juuho
de 1865.
Teve baxa:
Moriau, (escravo sentenciado); febre.
Falleceu :
Manoel, escravo deAourenco.noi itou
Passageiros do vapor brasileiro Mamanguape
sabido para os portos do norte :
Manoel Oliveira Castro, Jos Modesto'Pereira
Bnto e 1 escrava, Fr. David da Natividade de Nos-
sa Senhora, Augusto H. Jorge, lente da armada |
Manoel Lourenco Castro Rocha, Joo S. Peretti,
Joseph Aron e Macer, Carlos Ernesto de Mesquita!
Falco, Antonio Alexandrno Lima, Antonio Bap-.
tista Delbao, Jos Marlins Fernandes Nogueira, Jo-
s de Oliveira Costa, Bombet Samuel, Jos Benio '
Graba, 3 presos e 6 pragas, Antonio da Silva Cam-
pos, Guisseppe Jovenco, Antonio Qu:lt, Gabiiel
Marianno, Domenico Littola, Leraonge Geovannio.
Passageiros do vapor brasileiro Tocantins,
vndo para o Ro de Janeiro e portos intermedios :
Antonio Jo Pereira de Cerqoeira e i criado,
Joaquim Luiz Alves Vianna e 1 irmSo, Acurcio
Ramalho de Luna Alencar, Fred-erico Chaves, Dr.
Agostinho Ermelino de
Castro Andra.de, Joao
nior, Joaquim da Silva Barboza, Francisco Gil Cas- tud se acoa feito, nao s com regularjdade e nl-
t lio Branco e 1 escravo, Dr. Araerico Alvares Gni- tideriomo eom a exatido devida, e de harmona
maraes, Pierre Cassemajon, Jackes Scljeyen, Gui-. coio^ balango que vos aprsenla a digna direc-
seppe Rebooy, Luiz Favre, Joo Manoel Barroso, ,,r'^J .
Ricardo Jos de Carvalho e 2 ex-pracas. Ert vista desse documento podereis rapidamen-
Seguera para o norte : te ob ervar, que satisfeas todas as despezas e de-
Major Aureliano AnUnio Delgado, lente Joo duzn i odvidendode 20 por cento pelos accionis-
StS'descon^::;:::::::;:;:: JJjSl:^^^.^^^ seroso *,
- nC 103 particular e98 publico.. MMMt- -
dos frnclos madnros dessa phnta contra o catar- uem L 104 particular e 96 publico.,
rho vesical; a a antoridade dos nomes desses me- uem q, .'Oa particular e 94 publico 20DJUhmi
dicos, merecidamente celebres nos leva a crer em = Serrelir? ^aU Casa de MisericoTdudo
suas palavras, e por isto cuidaremos de ter em'Reci/8 23 dei^nho-de 1863.
O escrivo,
F. A. Cavalcaoli Coosselro.
nosso estabelecimentoessas ralzes.par qne possarn
ser experimentadas.
A reputaco da jurubtba tal, e aos resultados
therapeuticos obtidos ltimamente sao to impor-
tantes, que nos parece inul dizer mais do qne
isto, que flca escripto.
Deposito pharmacia de
Joaquim de Almeida Pinto.
43:8805672
ios de seguros.............. 33:5995042
4375000
19:8445630
53:8805672
ambaco, 31 de dezembro de 1861.
Jos Paulo Sh Fonseca,
JT Guarda livros.
v 5.- accionistas da Companhia Indemnsadora.
h sitos por vos para o cumprimento das dispo-
sic s dos arts. 33 e 36 dos estatutos qne nos tem
reg corre-nos o dever de apresentar-vos hoje
os issos trabalhos em satisfago do honroso en-
cartodeque Qos revestistes:
1: aminados precisamente lodos es lancamentos
dos Wros da C)inpanhia, confrontndoos com o
Leao, Antonio Mana de res lado que aprsenla cada conta, e verificado o
de Sa Albuquerque Ju- esft o da carteira, concluimos por conhecer que
GOMBIE10IO.
PRAQA DO REfJFE.
Cetafes ofeiaes.
28 de junho.
Algodo primeira sorle 155500 e 13530O por
arroba.
Dubourcq Jnior,
Presidente.
Guimares,
Secretario.
-\ovo banco de Pernam-
bneo.
O banco desconta letras na presente semana a
9 por cento ao anno at o prazo de quatro me
tes, e a 10 OjO at o de seis mtes
Caixa filia! do banco do Brasil em
Pei'iiamliuco.
Santa Casa de iJiserifordia do
Beeift.
A fflm* janta adminbiraiiv da Santa Casa de
Mi.-ericordia do Recife manda fazer pablico qae no
da 30 do corrente, petes 4 horas da larde, oa sala
de suas sesses, ir praea por lempo de tres an-
nos. a contar do f de julno de 1866 a 30 de jnnbo
de 1869, as rendas das casas terreas da ra do
Amorim n. 47 pnbhco e 51 particular, pertenceo-
les ao patrimonio de orphos, pela quaniia de*
4o2000 annuaes e fazendo o arren atante a sua
custa as obras abaixo declaradas, as quaes se otori-
ga a fazer o actual locatario, a saber :
Ladrilhar todo o armazem com lijlo de atona-
ra batida assentados em cal, igualar o telhadoao
do armazem visinlio, dear o frechal na parede do
lado do sul, altear o canio da mesma parede e fa-
zer outres reparos indispensaveis a couservaco
de predio.
Secretaria da Santa Casa de Misericordia do Re
cife 23 de junho de 1865.
O escrivo,
,____ F. A. Cavalcrmti Coussetro.
O conselho de compras do arsenal de guerra,
precisa comprar o segninte :
Para-<2_rancho dos aprendizes menores do raesmn
arsenal, nos mezes de jnlho e agosto
vindouros.
n A directora des.a caixa saca sobro o banco do UnSiSfonltZ? SOr'e'
Brasil no Rio de Janeiro e sobre a caixa filial do Toucinho de Lisboa.
da Gnerra Passos, alferes Joaquim Felicio de Al-
meida Castro, idem Zeflroo Antonio Brando,
dem Antonio Bezerra de Menezes, cadete Fernan-
do Joaquim de Mallos, idem Vicente Alves de Al-
meida Castro, Jos Ferreira Bitencourt, escrivo
Fernando Ribeiro do Araaral, Mara, Belizario Jos
Custodia, Iclererico Narbal Pamplona, Dr. Tor-
quato Teixeira Mendes e 1 escravo, Ignacio Fra-
zao Varella, F. Francisco Jos Borges, Jos C. G.
de Almeida, Julio Isidoro, Len Caurin, B. Alfen-
ce, Dr. Manoel Alves Ferreira Ferro e 1 escravo,
Antonio Esteves Pinto e a familia, 7 ex-pragas e 1
preso.
Relatorio da direecao da companhia de
Viriato de Jledeiros e John Willfield privilegio por | vossos descendentes, e tambera um seguro penhor
tres anuos para explorarem as minas de ouro o dos actos brilhantissimos que a vossa dedicago val
O meu corago esl to cheo de enlhusiasmo
por ver-vos to pressurosos e destimidos, correr ao
outros mineraes, no Sobral, Ip, Granja e Vigosa,
da provincia do Ceara.
Foi reformado o alferes da companlii de ca-! appello da patria, que nao eucontro palavras com
vallara de Pernambuco, Ignacio Pereira Serra,
por estar compreliendido no 3 do art. 2o da lei
n. 2(30 de 6 de dezembro de 1841.
Foi removido para o lugar de crurgiao-mr
do exercito, em Pernambuco, o cirurgio-mr d
divisito de. saude Dr. Joo Manoel d'Oliveira, que
exercia igual cargo no Para.
A Companhia Brasileira de Vapores comprou
o vapor in^lez Falcon por St 20,000, e poz-lhe o
nome de Corra.
O bar'o de Mau deu para as despezas da
guerra 20:0005-
- Pelo vapor francez Guienne vieram para a
corle mais 51 caixoes de armamento.
A canhoueira encorouracada lamandar, pn-
meira das construidas na corte, devia cahir no!
mar no dia 23 do corrente. Na carreira d'onJe j
sae esta, ia ser posta a quilha d'uma outra caobo-
neira encoutagada.
que saudarvos,-sois to grandes que os meusdic
I tos nao vos podem chegar, posto que tambem par-
tam do grande ardor do amor patrio que em mim
' sinto.
Mas.se os meus dictos nao sao to grandes que
meregam ser-^os applicados,eu consolo-me em po-
I der comparar-vos aos soldados romanos que tanta
I hravura mostraram a Pyrr'io, seu vencedor, em
' seus semblantes ja de cadveres volados defeza
! da patria, que arrancaram Ihe as palavras que eu
j agota tomo niprestada para cou ellas dizer.-vos o
I meu adeus de despedida, ja que nenhumas entras
eu sei que vos possam quadrar : Com laes sol-
dados eu seria vencedor do mundo inteiro.
Bravos directores de to brava gente I vos sois
outros Pyrrho?, a que nao fallara como ao rei do
Epirn, os soldados; vos, pois, podis vencer o mun
do inteiro !
A arrogancia anda arroja-se a querer provar o
O cambio regulava : sobre Londres 23 I[2 e vosso valor; mostrai-lh'o, e em ligo to tremenda
tas, tassou ao fuBdo de reserva a quantia de
33,5*5986, que junto ao balango desta conta, cons
tita* bom algarismo de 191,5415600, em 31 de
dezehbro de 1864.
A iommisso de exame, atiento o lisongeiro es-
m que se acha a companhia, se congratula
seo por semelhante arontecimenlo, sem du-
vido ao acert eom que se tem havido a
no desenvolvimento dos inleresses desta
gao.
Fijda a primeira poca da duragao desta com-
panrla, convra agora procurar o meio mais til
para* respectiva liquidaco do primeiro decennio,
e esa commis-o lembra" que de grande vanta-
gemique della liqaem encarregados os tres mem-
brosijae compSe a actual direecao, por serem
SegnPOS Indemnsadora apresentadO ellesps mais habHitados para semelhante realisa-
assembla geral dos accionistas ^: Lra .A .
ai 9f Ha ;.,,;,. A 4 C; A irec5ao em um tpico de seu relatorio, apre
em O ae janeil'0 OC IODO. senis conveniencia de passarem para o novo de-
Senhores accionistas da companhia Indemnisado- cpnn), por mel de re seguro, todos os riscos peo-
ra.Honrados com a vossa benvola conflanga para denti, assim como as letras descontadas, median
administrar este estabelecimento, temos a satisfa- te a eduego dos respectivos juros pelo tempo a
go de vr hoje, em desempenho do preceiio do venejr.
arl. 40 dos estatutos, prestar vos conta das opera- Arommisso de contas, depois de considerar
goes realisadas durante o anno ndo em 31 de de- este Issnmpto, de opinio que este ser o meio
sembr prximo passado; dever que ha mais tem- maisatil e apropriado para tal liqnidagao.
Apbsenta tambera a drecgo um projecto das
apoliik dos seguros terrestres, e oulro do regula-
msnwiatrtrno para serem por vos approvados
provBonamente, at que a experiencia reclame
a|guda alterago a fazer ; e depois desta commis-
sot* prestado toda allenco forma porque se
achah reduzidos, entende bem satisfazer o fim a
que ttingem.
Chvou o termo do primeiro periodo da duragSo
desiajompanhia : do nosso dever tributar m
voto < agradecimento aos dignos directores, fa-
zendofespecial mensao do3 bons servigos que sera-
slou o Illm. Sr. Joo da Silva Regidas na
nterrornpida gerencia, empregando a mais
solicilude e dedicaco para a prosperida-
e esta companhia pode attingir.
mbuco, 22 de junho de 1863.
Luiz Jos da Costa Amorim.
Jos da Silva Layo.
po teriamos cumprido, se a taso nao nos tlvesse
obstado- a demora oocorrida na oblengo do Bene
plcito Imperial aos novos estatutos desta compa-
nhia, apesar de havermos empregado as mais cons-
tantes e assiduas deligencias para a prompta solu-
go deste' assampto, que felirmente acaba de ser
resolvido pelo decreto n. 3,462 de 29 de abril e carta
imperial de 17 de raaio prximo pausado.
Apenas o art. 9o foi alterado pelo governo impe-
rial, determinando que os dividendos sejara semes-
traes, em lugar de annuaes como se continha no
respectivo projerto por vos appresentado.
Tomaram se no anno findo seguros na importan
ca de t. 3,141:3205064, cojos premios montaram
33:0B95042
3705'JOO
a res..
Externos.
Renderam as apoliecs.
Obteve-se em descoutos
DedQz-se.
Desbezas geraes.....
Segurados fallidos___
Commisso e garanda
da direegao.......
Devidendo 20/0 sobre
o capital realisado..
de letras..
3:l'.33l6i
1:2275654
6:00i58G8
10:0005000
33:59950'i2
4375000
19:8445630
53.8805672;
mesmo banco na Bahi.
>Novo baaco de Pernambuco.
Os administradores da massa faliiQa d Joqam
Jos Silveira pagara o Io dividendo de dita missa
na razo de 9 0/0 sobre o valor des ttulos ad-
meltidos : no novo banco de Pernambuco ra
do Trapiche n. 34.
ALFANDEGA.
Rendimentodo dia 1 a 27......
dem do dia 28...............
MOVIME.NTO DA ALFADEGA.
Volaraes entrados com fazendas___ 16
t com gneros..... 278
Carne verde.
, Dita secca.
I Bacalho.
Aseite doce.
Vinagre.
Farinha da trra.
Feijo.
Caf.
Cha'.
Pao de 4 ongas.
Bolachas.
As pessoas que quizerem vender ditos artigos,
--------------1 apresentem suas pr-'postas na sala do consrlho, ao'
411:6055115 mein dia do aia 30 Jo correte.
"ala do conselho de ompras do arsenal de guer-
ra, 20 de junho de 1863. O encarregado da es~
crpturago,
_____ Manoel Jos de As*vedo Sanios.
'I
394:5825619
17:022579b'
------- 294
Volumes sabidos com fazendas..... 62
com gneros..... 377
-------439
Descarregam no dia 30 do corrente.
Brigue dinamarquezJoanesfarinha de trigo
Brigue portuguezRelmpago -diverses gneros.
Barca inglezamirandapedras.
Escuna porluguezaD. J0S0charque.
Sumaca hespanholaMerceditaidem.
Brigue nacionalCardiaidem.
Brigue nacional hnporador-idem.
Patacho hollandezl)enyidem.
Escuna diuamarqueza Dormaidem.
Brigue nglez-31Wi/a carvao.
Barca inglezaFavoriteidem.
HECEBEDORIA DE, RENDAS INTERNAS
RAES DE PERNAMBUCO.
Rendmeulo do da 1 a 27.....
Idem do dia -28...............
Arrem atacan
No da 30 do corrente, depois da audiencia do
Dr. juiz municipal da 1* vara, tem de ir praca
de venda a casa terrea n. 79 da ra de Borlas, pe-
nhorada a Emeteno Jos dos Sanios e sua mulher,
porexecugo de Ignacio arroso d-- Mello, cessio-'
nario do.Exm. Mrrasenhor Muniz Tavares. avaha-
da por 1:000j : os pretendenles acharao dita cai
aberta para examinarem.
GE
_^88WB8id.tena
GIBESPOUBENSIAS
23 3|4 2i d., sohre Franga 392 a 406 rs., sobre
Ramburgo 740 718 e sobre Portugal 125 130
por rento.
As Sf ficavam de 105600 105800.
Chegaram, procedentes de Pernambuco :
14. o paUcho Poli/cena com 15 dias e o brigue
Hnnqne com 20; e 20 o palhabote Piedade.
i.uiiv. Fallecer o tenente-coronel Jos Maria
Su liii reto, veterano da ind pendencia.
Chegaram ali o vapor de guerra inglez Mar-
Une, o o vapor mercante New Times era viagem
para o Ro de Janeiro.
que mais se nao lembre de atrever se a fazer vos
levantar, e comvosco todos os Brasileiros, dignos
I da mais reverente admirago pelas manifestagoes
sem conta que tem dado do seu amor causa da
patria.
Bravos Piauhyenses voluntarios da patria F
Em vos tem nossa chara provincia e o Brasil to-
. do grandes esperangas, reaiisai-as.
Tendes um bonito futuro diante de vos; traba-
: lliai, continuai a-merecer por vossos actos as ben-
[ gaos de vossos irmos, e esse futuro to risonho,
to doce, to encantador ser um da amis a,rra-
20:3735686
33:3015986
Saldo levado fundo do reserva rs.
Sendo este em 31 de dezembro de
1863 de...................... 138:0365618
Ficou em 31 de dezemoro de 1864
elevado quanlia de rs......... 191:5415604
O vapor Jaguaribe seguir para a corle, de- davel, a ma s alegre, a mais fagueira de todas as \
pois den-, frescar. : realidades, ser a mais gloriosa e a mais honrosa
Seguir pira a corte, bardo do vapor Sala- de todas as recompen-as ; e adoraco e respeto I
din, o 24" corpo de voluntarios com 498 pragas.! que mereceris de todo o Brasil representado por
O tenente-coronel Jos Joaquim Rodrigues ; lodos os Brasileiros far-vos nao esquecer todos os .
Lopes assumo o comraando das armas, no dia 16. desaostos que tendes soffrido 00 tenhaes de soffrer.
0 vapor Cruzeiro do Sul foi demorado at o! Hroes 1 Que prazer, que satisfago, que verda-
dia 2), adra de conduzir o 2 corpo de voluntarios: deiro jubilo nao sentiris quando em vossa volta
da guarda nacional. j Diana fordos victoriados como os distinctos brasi-,
__A' bordo do vapor Kepler seguio para a cor- leiros vencedores de Humaita e Assumpgo ?
te o capito de mar e guerra Alvim, commandante | Mas, para que vos estou antecipando gosos ? Es-
do 2" di.slrlelo naval, com lodos os arlilheiros do ; p*ra por elles que nao sao duvidosos, vos mesmos
Srs.beiaclores. Quem pergunta qujr saber.
Votoua assembla provincial para o inuseu do
gymnuio 1:2005, a saber 8005 para umeonserva-
' dor e 4105 para despezas do museu em drogas,
uteni'ilbs, etc., pergunta-se em quem devera reca-
hir aqipll nomeago f Em pessoa competente de
conheciiieatos e habilitagSes que possa collocar,
collecMinar, remediar estragos do tempo, concer-
tar e plicar os meios para evitar futuras damni-
ficagof, ou um escova-botas de alguem, servente
de vasoura? A esta perttunta d lugar a ostenta-
cao qtp o tal servente faz da sua nomeacao e quola
para iqnelle m. Nao obstante, pois, a excen-
Como vedes senhores accionistas, nenhum paga- tricda\e;do caso, e como taes moitas vezes aconte-
mento tivemos a fazer durante o anno findo, por c?m f*nos a pergunta, pelo espanto que o nego-
no ter occorrldo sinistro algum nesse periodo; (
neste auno, porm, j temos satisfeito as seguinles
sommas:
De mercadorias seguras no hate
Snnt'Anna naufragado em via-
gem do Aracaly para este porto,
apalice n. 5,018............... 1:8505280
Deavarias no carregamento do pa
tacho Viamao em viagem do Rio
Grande do Sul para aqui apolice
n. 4,885...................... 3:7675580
dem em^mercadorias na sumaca
Espertm'ca da Babia para este
porto, apolice n. 4,962..........
dem idem idem idem idem 4,964..
Quiradar tugara estas
magiral.
nhas no seu peridico
Um qudam.
mmk -r-iram 11m
brigu-) Maranliao.
Regulava o eambio : sobre Londres 24 7|8 e
85 d sobre Paris 380 rs., sobre Hamburgo 720 rs.
e s ifore Portugal 113 120 por cent j.
seuc.ipe. Nada occorreu, que mereca meny'o.
alagoas.A' bordo do vapor Cruzeiro seguio a
ultima companhia de vsluutarios da patria, _qual
os asseguraes
Viva a religo catholica!
Viva a naco brasilaira 1
Viva a costituigao poltica !
Viva o defensor perpetuo do Brasil I
Vivara os tabios e patriticos estadistas
crearam os corpos de voluntarios da patria
que
fui reunida a familia Mello ( pai, irma, tres filhos | Vivara os bravos Piauhyenses voluntarios da pa
e Iros lhas).
nrv ao: -M^iiwf*MWFigw
PERNAMRUCO.
REVISTA DUIIA.
Damos na 8a pagina o processo instituido nos
E-i 1 ios Unidos sobre o asssassinato do presidente nbo de 1865.
tria
Recife, 27 de junho de 1865. Sigismundo An-
tonio Goncalves.
Amanha se extrahir ultima parte da 4"-
e 1.* da 5.' lotera, do theatro de SaDta Isabel (21a),
sendo o maior premio 6:0005000.
Lincoln e tentativa de morte no ministro Seward.
A imjoriancia de tal pega reclama a leitura publi-
ca, 'inal recommendarao-la.
tomos presenteados com um exemplar da ar-
vore genealgica da familia Leal, e a este obsequio
somos recouhecidos profundamente, cumprindo-
nos dizer a respeito algumas palavras era noticia
ao publico.
A familia Leal urna das mais consideradas, nu-
merosas e respeitaves da nossa provincia, e por
RPAllTigAO DA POLICA
Extracto das partes dos dias 27, e 28 de ju-
do detencao no dia 23
Ris.
1:3855982
2355716
7:2395358
Foram recolhidos casa
do corrente :-
A' ordem do Illm. Sr. Dr. chele d polica, Clau-
dino Gomes da Silva, como criminoso em tentativa
de morte, no termo de Goianna ; Manoel Garca
' do Nascimento, como pronunciada as penas do
art. 222 do cod. crim.; Manoel Francisco de Ol-
veira e Joaquim Ignacio de Mello, sera declarago
! do motivo e pstos logo em liberdade; Bonifacio e
! Julio, escravo.-, este de Alexandre de tal, e aquel-
lsso este inter'essante trabalho principiado a orga- le de Antonio de tal; como pronunciados as penas
nsar lia bastante tempo pelo vigaro Joo Evange-! do art. 193 do cod. crim.; e Vicente Ferreira da
lisia Leal Perequito, continuado pelo coronel Anto-,' Silva, cono recruta.
nio G .mes Leal, e concluido e entregue ao buril,' A' ordem do Dr. delegado da capital, Francisco
pelo Sr. Antonio Gomes de Miranda Leal, com a Bufino Batinga Braga, para averiguagoes em crime
data de 31 de dezembro de 1864, merece ser apre- ; de morte.
ca lo, tanto mais quanto a mor parte desta familia A, ordem do subdelegada do Becife, Antonio nossa
tem i.'rcupado lagares importantes na magistratura, Moreira Pinto, por desobediencia, e Lodonique actual,
na poltica, na medicina, no comraercio,na militan- Aruzique, para correego.
ca achaudo-se anda hoje testa do commando do A' ordem do de Santo Antonio, Leopoldino Mar-
-.....-----'-" "- tins Ribeiro, como desertor de marinha.
A' ordem do de S. Jos, Donata Maria de Santa
Anna, e Bemardino Gomes da Silva, por dis-
turbio.
Achando-se terminado o primeiro periodo da
existencia desta companhia, tasemos sinceros votos
para que no extenso desenvolvimento das novas
operagoes em que vai entrar, possa ella attingir o
alto gru de prosperidade a que parece ser chama-
da per um auspicioso futuro, a que de cerlo tem
bom direito, pela franqueza e lealdade com que
sempre* ha cumprido os seus compromissos, tendo
tido a rara fortunagrato nos anda repeti-lo
mais urna vezde nao haver sido constrangida a
sustentar um s pleito, nem a recorrer a iuterven-
go arbitral, em todo esse longo periodo de dez
anuos que acaba de atravessar, no decurso do qual
sansfez sommas muito importantes, era resultado
de riscos que garanta.
Para esse feliz acontec ment; justo confes-
sa-lo, muito cooperou tambera 0. honroso procedi-
menlo dos nossos segurados, os quaes bem com-,
prebendendo que principalmente esta especie de
contratos deve repousar na mais illibada boa nao
nos flzeram exigencias injustas.
Para que possa ser teita com mais brevidade a
llquidago do decennio findo, parece-nos conve
niente passar para o novo nao s os riscos penden-
tes, por meio de re-seguro, como tambera as letras
descontadas mediante a dedicago dos respectivos
juros pelo tempo a vencer.
Juntamos os projectos da apolice dos seguros
terrestres e do regulamento interno, os quaes jal-
gamos que podem ser approvados provisoriamente.

Gratidao
< mais sagrado dever das crcaturas por
sed duvida o reconhecimento sincero para
coa aquel les que nos nao desamparam na
Ivm extrema das nossas amarguras e alllie-
goa, tal o que nos aconteceu e por isso vem
prs-urosa a viu'va D. Maria do Carmo Lins
Peiuto, filhos, filhas e mais prenles do fal-
lera 1 e sempre lembrado cirurgio-mr Ma-
nojl Jos Peixoto dos Guimares, agradecer
coialraente aos senhores abaixo.transcrip-
to^ os offkios c'aridosos que prestaram ao
sei esposo, pai e prente.
Este facto, qne alias est de accordo com
asuobres tradiegoes da an iguidade, nosobri-
gapor um dever sagrado de drigirmo-nos
aoiExms Srs. Drs. Tristo do Alencar Ara-
ra, Jeronymo Vilella de Castro Tavares, Ma-
no! Jos Barbosa Guimares, Jos Joaquim
dcima Bairo, cirurgo Francisco JosC-
ryjo Leal, Dr. Pedro d'Athayde Lobo Mosco-
sobse Caetano de Carvalho e outros, cujos
nones ignoramos, que to dignamente se
pttearam neste acto caridoso, e mu panicu-
la'raeiile ao Exm. Rvm. Sr. padre-mestre
prjvmcial Fr. Jorge de Sant'Anna Locio, pela
.frquaia com que prestouse.
jou'emos a todos eternamente gratos por
tctnimportantes servigos nao s no acto da
enbrnndade, como a outros no enterro e na
misa do stimo da.
CONSULADO PROVINCIAL.
Rendimento do da 1 a 27.
dem do dia 28.........
MI T3T^c^*rr w.vr'.si.vx,
*0?IMEITO BO POETO
Navios saludos no dia 28.
Philadelphia Barca ingleza Imperador, capito
Power, carga assucar.
S. MatheusLancha nacional Ficfonu, capito Fre-
derieo-|uzebio Pinto de Azevedo, carga ditferen-
tu- Qanoroe.
LiverpoolBarca ingleza Mary Bond, capito Tho-
maz Chappman, carga assucar e algolo.
Portos do norte Vapor brasileiro Mamanguape,
commandante Moura.
Observando.
Saspendeu do laraaro para o Canal a barca in-
gleza sabella Rulley, capito u. Bully.
Suspenden tambem para West lodies a barca
ingleza El-Dorado, capito J lio Coffery, com o
mesmo lastro que trouxe da Baha.
Nao houveram entradas.
Navio entrado no da 29.
Rio de Janeiro e porto* intermedios 5 dias e
meio, vapor brasileiro Tocantins, de 757 lonela
das.commandaole o Io lente P. X. Duarte.
Navio saludo no mesmo dia.
Gbraltar Escuna hannoverlauna Anna, capito
J. H. Bartels, carga assucar.
COMPANHIA
DO
No dio 30 do corrente petas 12 borai do
35:7725663 ia, ter lugar no escriptorio da companhia
3:1145005 ra doCabug n. 16, a arremalaro dos
~^^7 chafarizes existentes na Passagem da Mag-
e por espago de um anno ; os Srs.
[licitantes convarecm com seus fiadores ou
98:0285396' declaracoes dos mesmos no mencionado dia,
13^0605-38: devendo ser as propostas em carta fechada
111:0885634 aPresenlada na mesma occasio ou antes o*
escripiorio onde melhor se deverao escla e-
cer e informar das condicoes do contrato
da arremalaco.
Obras publicas.
Pela Tepartigo das obra* publicas se faz publi-
co aos proprietanos dos predios das roas do Sol e
Flores, que Ihes marcado o praso le 30 dias para
a construego dos respectivos pisseios das suas
propnedades.
Secretaria das obras publicas ao de junho ae
idoo\usecrelrio interino,
_____________Manoel Lourcngo de Mattos.
No da 4 de julho prximo, linda a audien-
cia do Sr. Dr. juiz municipal da 1" vara, ira a pra-
ga por venda um sitio no lugar do Barro, freguezia
dos Afogados, com urna pequea casa de laipa, a
requerimento de Dermino Domingos dos Sanios,
inveniariante dos. bens deixados por Anlo Jero-
nymo da Costa. a ultima praga.
Capitula do porto de Pernanibuco, 19
de.junho de 1865.
Era virtnde do disposto no aviso do ministerio da"
marinha de 30 de maio do corrente anno, manda o
Illm. Sr. capitao do porto fazer publico, que esla
capitana promove o alistameoto ae pragas para
guarnigo dos navios de guerra, (sendo pagos os
respectivos premios na razo seguintes:
1." Aos marinheiros que se coniraiarem por um
anno 1005, e aos que o ferem pordous 2005 ;
aos grumetes no primeiro caso 305, e no segundo
605000.
2." Aos individuos que se apresentarem volun-
Sint'l VlSO fia 1TIArfAT>fllfl tariamente, alm dopremio que Ibes competir, o
oautil VJttOtl UU AU.13C1 Vj\jl u.lt prometiido aos eegajadores, entregue na oc.-asio :
fifi TiPPlfp ist0 > 2Q*000'nor cada mariuheiro, e 105000 por
UU JA.CUU.O. I caja grumeie, recebendo laes quantias quando se
A Illm.' junta administrativa da Santa Casa da. verificar que eslo inteiramente livres e desemba-
Misericonlia do Recite, manda fazer publico que ragados.
JiblaJiJS^aiA.
3505000
4004000,
1205000
4205000
725000'
A jurnbeba.
As'irtudes therapeutcas da jurubeba sao desde
muitqconhecidas nao s no Brasil, pois que dellas
tratouPisou em sua excellente
obra Historia a-
u que a experiencia indique as alteragSes que turalti medica index occidentahssendo as An
CiIlVinhl f'lior An'il.i convinha fazer. Quanto aos seguros martimos,
opinio que pode vigorar a apolice
a testa do commando do
batalho de voluntarios desta provincia, nos cam-
pos do Paraguay, o dislincto coronel Antonio Gomes
Leal.
A idelidade na organisagao desta arvore genea-
lgica attestada por documentos auihenticos exis-
tentes em mo dos adunes descendentes, e por ou-
tros extraados dos assentamentos de nassimentos e
bitos, consultados e examinados minuciosamente
pelos tres organisadores de to importante trabalho.
Na terga-feira realisou-se o segundo concert ,
do vMonista portuguez FrkiCisco Pereira da Costa, i
que c oirtrmou cada vez mais a reputagao de talen- (
to transcendente, de que merecidamente goza.
.endo a ultima vez era que se faria ouvirdo
nosso publico, como o cysne a depedlr se da vida,-
guarJ n para essa noite as suas inspiragdes melo-
dosas de mais arrebaumento, de mais vida, d
Terminando este breve relatorio, consent,senho-
res accionistas, que congratulando nos comvosco
pelo estado prospero desta companhia, compramos
o agradavel dever de agradecer-vos as repetidas
provas de conflanga cora que nos tendes honrado,
encarregando-nos da sua gerencia; cerlifleando-vos
A' ordem do da Boa-Vista, Liberato, escravo de que, se no desempenho" de vosso mandato nao
Simphronio lympio de Queiroi, requerimento temos correspondido plenamente s vossas espe-
deste; e Joo, africano livre, p^r embriaguez. rangas, deve ser isso allribnido circumslancias
A' .ordem do da Capunga, Antonio Sebaslio superiores s nossas torgas, mas nunca falta de
Dias, para correego. | \ bOa vontade, zelo e dedicago'em prol do estabele-
Dia 27 4- cimento,, cuja adininis'tragao livestes a bohdade de
A' ordem do Dr. juiz especial do comraercio, confhr-nos.
Antonio Marques d'Amorim, pomo pronunciado Pernambuco, 22 de Junho de 1865.
por crime de tallencia.
A' ordem do Dr. delegado da capital, Boque,
escravo do desembargador Custodio Manoel da Sil-
va Guimares, requerimento deste.
A' ordem do subdelegado do Recife, Luiz Mar-
ecar-o mais dlftidiTe"Cornelias enchea as almas' tins, por briga. .
Su ai, esuvarn So "que impel.idas pelas ondas Casa oHTaNCAO.-Mov.raento do dia 26 de ju-
de harmona de ama rebeca que em suas mltipla* nlto le 8 pntraram -, ..hiram .. .,
Os directores,
Joao da Silva Pegada.
Francisco Jos de Cairos.
Miguel Jos Alves
BALAXQO DA COMPANHIA DE SEGUROS MAMTIMOS
1NDEMS1SAD0I1A EU 31 DS DEZEMBRO DE 1864.
Activo.
Accionistas..................... 450:0005000
Bens movis.................... 9995240
Segurados..................... 17:4005572
lilbasjfQde o sueco das folhas e fructos como
aqui, amito estimado e appbcado contra as obs-
truegs abdomlnaes, principalmente do flgado e
bago je se todos os facultativos desta provincia o
nao aplicam com frequencia, isto se nio deve a
nao rconhecerera elles essas virtudes, mas slm a
nao Firein encontradas com facilfdade e ora todas
as est5es do anno os frucios dessa planta, e re-
pugnancia, qae apresentam os deenles m fazer
uso di sueco desses fructos, em consequencia de
ser extremamente amargo.
A embeba nao descoohecida dos botanistas :
esta (lana pertcnce familia das sotaneas, e tem
a deriminaco de solanum pamculatum, que ihe \
fol dla por Lyneo.
PaFeendo-nos corlvetiiehte facilitar o uso do
succddos fructos ijtirubeba, qde o mais em-
pregrto, nos propozemos e conseguimos preparar
com le oas um extracto alcoolico que pode ser
appIHado em pilulas, mas tambem um vinho, nm |
xaroji, e ntnumplastro que pode substituir, em i
cerloi casos, o de Vigo ; e estamos persuadidos que
com to prestamos um servigo a humanidade e a'
therapeuiica.
no dia 30 do corrente pelas 4 horas da tarde, na
sala de suas sessoes continuara a praga das ren-
das das casas abaixo declaradas por lempo de 1 a
3 annos a contar do 1 de julho do corrente anno
por diante, e adverte-se aos respectivos jnqullinos
que norenavarera os seus contratos at o m do
presente mez Qcaro pagando do dia Io de julho
a renda porque eslo em praga as preditas casas.
Ba das Larangeiras.
Casa terrea n. 5 particular e 17 pu-
blico.......... 2065000
Roa do Rangel.
dem n. 43 particular e 55 publico. 3005000
Ra do Rosario da Boa-Vista,
dem n. 14 particular e 58 publico. 1685000
Ra da Lapa.
Casa terrea n. 41 particular e 2 pu-
blico......... 1505000
Ra da Moeda.
dem n. 4i particular e 21 publico. .
Ra do Amorim.
dem n. 48 particular e 56 publico. .
llera n. 50 particular e 52 publico. .
i idera n. 53 particular e 43 publico. .
Ildem n. 56 particular e 26 publico. .
Ra do Azeite de Peixe.
co...........
Ra da Cacimba,
dem n. 65 particular e 5 publico. .
dem n. 67 particular e 10 publico. .
Ra do Vigaro.
Sobrado de 2 andares n. 72 particular
e 27 publico........5005000
Ra do Encantamento.
Sobrado de 2 andares n. 76 particular
e 11 publico........9005000
dem idera n. 77 particular e 13 pu-
blico.......... 9005000
RuadaSeazala Velha.
Casa terrea n. 81 particular e 18 pu-
blico..........2005000
Idera n. 82 particular e 16 publico. 2005000,
Ra da Guia,
dem n. 84 particular e 29 publico. 1445000
Ra do Trapiche. e
Sobrado de 3 andares n. 85 particular
e 30 publico........7205000
Ra da Liogoeta.
Idera de 2 andares n. 86 particular e
14 publico........6005000
Ra da Cadeia.
Os premios serj pagos aos contralados pelo
maior prazo, metade na occasio do asseotamento
de praga, e metade no fim do primeiro anno ; e
aos outros entregar-se-ha a importancia total ao
alistarem-se.
O secretario,
________Decio de Aquino Fonseca.
Pela administrago do correo desta cidade
se faz publico que hoje (30) as 3 horas da tarde,
fechar-se-ho as malas que o vapor Tocantins tem
de conduzir para os portos do norte. As cartas se-
ro admiltidas a seguros at as 2 horas da tarde,
s os jornaes sero recebidos at o meio da.
Til
?n**
6005000!
EMPREZA--COIMBRA
SO* recita da asslgnatnra.
i445ooo Sabbado 1." de julho de 1865.
835000 Representar-se-ha o muito apparatoso e applau-
dido drama em 4 actos e 1 prologo
AS
MULHRES DE MARMOE
Todo scenario e vestuario acha so retocado cora
esmero e gosto.
Dar fim ao espectculo o novo duelo ornado de
msica
0 PERDO D'ACT
EM
PERSPECTIVA.
Personagens.
arlos estudante................. Guimares,
Cesar, ex-estudante............ Lisboa.
fdlredo estudanle-----....... D. Eugenia.
u^gusto, idem.......-----...... Borges.
mynonga, cascabulho........... Teixeira.
A Mcenteleiro................. Santa Rosa.
Principiar s 8 horas.
Sobrado de 2 andares o. 21 particular
e 44 publico........1:OCO#000
Ra da Cruz.
dem Idera n. 87 particular e 11 pu-
blico..........8825000
Roa do Pilar.
dem n. 93 particular e 101 publico. .
dem n. 94 particular e"99 publico. .
Idera n. 97 particular e 110 publico.
Idera n. 99 particular e 106 pablico.
Piu, tratando da hydropesia, prescreve a de-1 dem n. 100 particular e 104" publico.
cocgSo das raizes di;urii6cfto, e Mrat e Delens, Idera n. 101 particular e 102 publico.
em sM Diccionario de materia medica e tlurapeu- dem n. 102 particular e 100 publico..
2001000
2555000
2005000
2005000
2005000
2005000
MISOS MMITIMOS.
Para o Porto
O brigue portuguez Laia I, capito Alexandre
Jos Correia, vai sahir at o dia 30 do corrente por
ter a maior parte do carregamento engajado, rece-
be carga a frote barato.e passageiros, para os quaes
tem excellentes commodns : tratase com Euzebo
Raphael Rabello, ra ilo.Trapiche u. 44, ou cora o
2005000. respectivo capito.
fefcB Mm MJk y>#3 Jfciiir


C"

Diario de reraambueo ;.. exU lelr SO e Juaho de &&.
-i-
PARA O
lente autorisaco, dos terrenos e casa cima mea
cionados, as quaes te tornara recommendadas por
serem em m arrabalde perto da cidade, e para
onde vai haver estrada de ferro : o leilao sera' ef-
ectuado as II horas do da cima dito, em o es-
prompta : para oxeslo da carga que Ihe falta e criptorio do mesrao agente, a' ra da Crui nume-
escravos a frete. trala-se com o consignatario Da- j eo 38. % {
vid Ferreira Bailar, ra da Brum o. 6o, oa com o,
capito na praca. _____________
tW) de Janeiro
* Sabe nt o finrta presente semana- o brigae na-
cional Sequeiia,iera duas tercas parles da carga
Veuda de navio.
Vndese o Irrigue brasileiro .Imperador de
construido americana, forrado de cpbre e com
todos os seus pertences, do porte de 18,00} arro
bas e acha-se fondeado defronte da alfandega, aon-
de pode ser visto e examinado, e para tratar no
escriptorio de Amorim Irinilos roa da fcrnz n. 3.
Para a Babia
Leilao de um orgo.
Terca-feira 4 de julho.
O ageste Pinto legalmente aatorisado fara leilao
do orgao existente e pertencente a igreja iogleza,
na ra da Aurora, onde poder desd j ser exa-
minado pelos pretendentes ao mesmo, devendo
comparecerem ao leilao que dever ler lugar as 11
horas do dia cima dito na ra da Cruz n. 38, es-
criptorio do referido agente. ______________
Leilao de dividas.
Terca-feira 4 dejulho.
O ageBte Pinto levara novamente a leilao as di-
vidas activas da massa fallida de Joss Antonio Al-
pretende sahir com muita brevidade i veleira es-
cuna Eliza por ter a maior parte da c rga, e para
o resto que Ins falta trata-se com o consignatario ves de Miranda na Importancia de 1:1535290 rs
Joaquim Jos Goncalves Beltro na ro do Vigario servindo de base o maior preco obtido, o leilao
n. 10, primeiro andan______________________ ser effectuado as 10 horas do dia cima dito em
-----------------l*ara Lisboa o escriptorio do mesmo agente ra da Cruz n. 38.
Segu com a possivel brevidade o !>em conhe-
cido brigue portuguez Relmpago: tem a maior
parle da carga prompta e para o restp e passagei-
ros, trata-se com o consignaiario Thonlaz d'Aqurao
Fonseca, na ra do Vigario n. 19, Io andar, ou com
o capito na praga. ^^^^_
Da taberna a prara da Boa'Vista Da-
mero 15.
Terca-feira 4 de jullio as i i horas.
Engenho..
Arrenda-seoengenho-Jussara de Sant'Annl, sito
na freguezia delpajuca, legoa o meia distante da
esiacao da Escada e Ipujuca, com terrl~o> var-
itit de massap parase safrejar em grande eacar
la ; a tratar no pateo do Livrameulo o. w om o
Dr. Ignacio Nery da Fonseca;
ft-ecisa-se de uro trabalhador 'd"'pWMa que
eotenda bem de todo o servico : na roa
mero 69.
Offerece-se urna nulher "pSra
cas* de homem solteiro ou de pouca
a qual lava e engomma: a tratar na
gusta n. 94. _J____.__
Precisa-se fallar com o Sr. J
Lea a negocio que n3o ignora : na
20, loja do Carneir Yarin.___
GASA DA FQRTli
Aos 6:000$000.
Iiilhetcs garaatidos.
A* ba no Crespn. 23 e casas no costume.
O abaixoassignado venden pos sens muito feli-
zes bilhetes garantidos da lotera que se acabou
de extrahir, a beneficio da Santa Casa da Miseri-
cordia, os seguintes premios :
Um ntlo n. 238;com a sorte' de 10:000^000.
Um meio n. 212o com a sorte de 2:000*000.
Un quarto n. 190 com a sorte de 80000.
Um quarto n. 2214 com a sorte de 400,5000.
E outras umitas sortes de 1005, 402, 20 e
loaooo.
Lisboa
A barca portugueza Maria sahe para
Lisboa em piucos das, recebe caiga afrete
OLYMPIO
requenmento de llego & Lobo e mandado do
Precisa-se de urna senbora francesilla in-
gleza que esteja no caso de educar meoM*e que
quena sugeitar-se a educar duss n'uraajittjsa de
familia nesta praja^. jjueira annunciafl i "Birl-
gir-se a ra do Imperador sobrado n. 63,lUBuodo
andar, que se tratar do ajuste e protfcjfcir pa-
gar bem correspondente as disciplinas ^tft lee-
cionar.______________________ t, ...
Precisase de urna ama para o servfco inter-
no de casa de pouca familia : na ra daConcor-
dia n. 8, retinacao. ____
M-
\ovi escola de mcniuai.
Francisca Amalia Moreira tendo obtido j conve-
niente licencia da directora geral da Mttriicco
publica, participa aos seuhores pas de Emilias,
que se acha aberla a sua escola de ensinocjrimario
Fo^Ojfog-
9
Para os festejados dias de S. Joan
existe na mnito acreditada fabrica de
e S. Pedro
fogos de ar-
111UI
Vende-se esta linda colleccao de sortes,
da viuva Rufino, um completo soriimento de pis- ^unidas em umpequeilo volume, Cora i5
tolas, craveiros, rodinhas e fogo busrap : como assurrjptos, e mais 59 novas charadas, pela
seja penoso a algumas pessoas irem a fabrica pela diminuto preCO de \$ cada exemplar enea-
distancia, os pretendentes podem deixar suas en- .iprnarln na niara .1 Ir,.tunan,W,.;.,
commendas no armazem da bola amarella no oilao ernaao na P'*?* <* Independencia ns. 6
tiflcio da oslrada de Joo de Barros, propriedade ,, ,
lelo sortimente depis- reunidas era um pequeo volume,
da secretaria da polica.
e8.
- Ka praca da Independencia n. 33, loja de our
ves, compra-sc ouro, prata, pedras preciosa! e
tambem se faz qualquer obras de eLCummcnda e
Os-possuidores podem vir receber seus respec- odo aualuuer c0nerto
tivos premios sem os descontos das leis na Casa '
da Fortuna a ra do Crespo n. 23.
Acham-se a venda os da ultima parte da 4a e n
i* da o* lotera (21*) beneficio do theatro de San
la Isabel, que se extrahir a 1* dejulho.
PRECO.
Bilhetes.....7000
Meios. ..... ;."i00
Quartos.....1^900
as pessoas que comprarem de 100^000
para cima.
Para
W&M
Bilhetes.....CS500
Meios......;57;i0
Quartos.....1*700
MANOEL MaRTINS flL'ZA.
O bacharel
Francisco Augusto da Costa S
ADVefiADO
Ra do Imperador numero 69. ^
Alugam-se dous grandes sobrados com com-
modos para numerosa familia, novos e acetados,
Vende-se urna burra de ferro grande
em perfeilo estado e por commodo preco :
na ra do Apollo n. 10.
0 cisteo de feisvleT"
Traduzido do francez por A. J. C. da Cruz.
este bello romance em quatr
Vende-se
tomos pelo baratissimo prego de i}50
ua praija da Independencia, ivaria ns.
6 e8.
Vendem-so
Bata t s.
excellentes batatas
pelo diminuto
didades, na travessa de Juao Fernandes Vieira
a tratar na ra da Senzala Nova n. 42.
barato e passageiros para OS quaes tem ex- Sr.Dr juiz especial" d cmmercio, fara' leilao dos para o sexo femenino,* ra larga do Bodrio, so-
Cellent3S COmmoduS : a tratar com OS con- gneros, arraacao e uteucilios existentes na taber-
Precisa-se de urna ama que saiba comprar
e cosiohar, para casa de pouca familia; ua ra
do Queimado n. 22.
A fugase
signatarios Carvallio & Nogueira, na ra do
Apollo n. 20 ou como capito na praga.
Rio Grande e Assu'
Segu por estes dia a bareaja .Dooo Amigos,
recebe carga : a tratar com o mestre na escadi-
nha ou no caes do llamos n. 2i.
Lisboa pela lllia deS. Miguel.
na ae Fernando Jo?.de Oiiveira sita na praga da
Boa-Vista n. 15.
AVISOS BIYEBSQS.
Pretende sair em poucos dias a barca; UwriO, que
Ossenhores assignanks deste
se acho deven
i do suas assignaturas, queiram
satis fazer
um sitio na campia da Casa Forte, com duas ca-
sas, urna a em que moroo. o fallecido Thomaz de
Aluga-se o segundo andar e sotao do sobrado Aquioo Fonseca Jnior, feita a muderna, e conten-
n. 7, sito na travessa da Madre de Dos ; quein do lodas as accommodagoes precifas, e outra com
pretender dirija-se a mesma ra n. lo. boas commodidades p?ra qualquer familia: na
ra do Vigario n. 19, primeiro andar.
brado n. 16, primeiro andar, onde-se prjmplilica
a leccionar cora esmero as suas alumna'nas se-
guintes materias : inslruocio moral e ligiosa, Pede se mu encarecidamente a pessoa cari
leitura e escripia, grammatica uaciomil, a^Khmeti- dosa, que agasalhou em sua casa a parda livre Ma-,1 Akiga'se urna sala do primeiro andar da ra Becife ra da Cada.
cora jardim, cocheira, estribara.e outras commo- Preto de 500 rs. o gigo: no armazem do Sr. Ae-
vedo defronte da escadinha da alfandega.
Vende-se um carro de carregar gneros da
alfandega, com uso, e todos os perlences de outro
igual, tudo por prego mu lo commodo : a tratar
no pateo de S. Pedro n. 4.
Acacia.
Vende se a barcaca cima denominada, construi-
da com solidez, de boa marcha, e de lotacio i>0
caixas; a tratar com Andrade 4 Ileso, a roa do
Crespo, ou com Jos Joaquim da Silva Gomes, no
ca, syslema de posos e medidas do imperio; lingoa ra do Caruio Alves Varella, ja quasi de 80 asnos,
franceza, msica, desenho, bordados, llore?, e de- enferma e desmemoriada, haja de ter a bondade
raais prendas proprias e necessarias ao sen sexo, de mandar indicar a
Desappareceu da ponte de Uchoa nharanoa : ":, 6}> ou alias11a ^ua do IIysP'cio n-M
de carreira com a poupa quebrada, impelida pela | dias que ella desappareceu sem motivo- algum
cheia no dia 24 do corrente : queni dellafeer no-1Qesta ullim.a **, onde era bem tratad;
liria na ra do Imperador n. 69, ser griflcado. | Presente nao tem havido quera, delta d noticias
a so morada, rua da Palma n Aluga-se na Passagem da Magdalena,
a do Hospicio n. 11, pois, lia 2 fcuE^L!?'..
sappareceu sem motivo- algum
desta ultima casa, onde era bem tratada, e at o
Maria recebe carga e passageiros
estes dous portos. a tratar com os consig- ffmndaf
naturios Carvalbo & Nogueira, ra do Apol-; ^ rf() ^^ ^^ cQmQ fmven ,
antes
lo n. 20 ou com o capito na praca.
do dificuldades de os encontrar andar?'
Precisa-se de urna ama que saibajoslnhar
; para casa de pouca familia : na ra do Oespo n.
aO 118, primeiro andar._______ I
um feitor para engeiho que
na ra Direita n. 30, ;eguudo
esta
tiri o Porto
No domingo 2 dejulho saldr precisa- :?m de ser chamados poi
mente para o Porto a nova barca portugue- follia para pagarem.
za Arminda d) capilo Antonio Francisco ~ ~r~fr\'~irw~l' W~\~~'Wi\ W~
da Silva Noves, o que se communica aos. M G h i #y. m~ i /M
Na ra da Cadeia do Becife n. 50 e: rte urna
caria para Antouio Joaquim da Costa e.S va
Srs. passugeiros para que despachera as
suas bsgagens no sabbado Io do referido
mez.
------------------------j.-----------.----------------------j----------------------------
E'ara o Portel.
AOS 6:000#000.
Corre amanha.
Sabbado Io de julho do corrente
Sohe com a possivel presteza o brigue portuez ; t br ullraa pnr[e ja 4a e {
eiros trrlase ...,
guez Unido : para carga e passait'
com o consignatario Thomaz d'Aquino Fonseca
ra do Vigario n. 19,1 andar.
anno,
da 5l
LEILAO
DE
Um terreno em Papacaca.
Um dito e urna casa em respaldo nos Afiliclos.
Ura diio com duas casas pequeas, sendo urna
em construco e mais bemfeitorias dentro do mes-
mo do mesmo terreno silo na ra Imperial.
Um escravo velho.
Dividas.
Martins far leilao por ordera dos credores do
Rvd. D. Jos Autonio dos Santos Lessa de um ter-
reno cercado em fapacaya, um dito e una casa
em respaldo nos Afflictos, um dito com duas casas
pequeas, sondo urna em conslruccao e raais bem-
feitorias dentro do mesmo terreno silo na ra Im-
perial, a qual fui hypothecado por Manoel Lniz
Coelho de Almeida, um escravo velho e diversas
dividas na importaucia de G.936^470 em docu-
mentos o letras, tudo [lertencenl-j a mesma massa.
llOtPU.
Em seu escriptono ra da oauea u. o, 3 11 ho-
ras do dia.______________________________
LEILAO
De I escravo mualo de idade 22 Mi-
nos com as habilidades
bolieii'oc cosinhoro.
Cortleiro wuies
far leilao por coma e risco de quera pertencer do
escravo cima mencionado bto
Sabbado Io de julho
as 12 horas a porta do armazem do Sr. Annes lar-
go da alfandega.
seguinlcs
LEILAO
De escravos de i6 a 40 anuos
Sabbado 30 do corrente as i i horas.
No armazem dos Srs. Annes confronte a alfandega.
Cordeiro Simoe.s vender emi leilao um moleque
de 16 anuos de idade, da habilidades, um preto de ,
38 a 40 annos entendedor de padaria o com outras
habilidades, cujos escravos serio vendidos pelo
maior preco ao correr do maitello, por conta e
risco de quem pertencer.
lotera (21*) a beneficio do iheatro d Santa
Isabel, no consistorio da igreja de Nossa
Senhora do Rosario da freguezia de Sauto
Antonio.
Para que depois ninguem se chamba igno
rancia, declara-se que ninguem compre tem em-
penhe una pequeua salva de prata que etiste em
poder de Felippe Santiago, preto, pedreirdj mora-
dor na ra do Ouro da freguezia de S. Josf anda
mesmo que elle aprsente autorisaco do seu le-
gitimo dono com a data de 23 do crrenle ou ou-
ira qualquer, se a emendar. ______-<
Jos Rodrigues Gaspar por haver putro de
igual nome, de hoje emdianle assignar-sejha Jos
Martins Gaspar Teixeira.
Ama
Na ra do Rangel n. 38, primeiro anda, preci-
sa-se de urna ama Os bilhetos, meios e quartos estao a ven- me paara ^asa de pouea rarn?|ia;
da na respec iva thesouraria a ra do Cres-
po numero 13,
Ama
Precisa-se de urna ama que
Os premios de G.-OOO0OOO at iOfliOOO
serao pagos urna hora depois da extraccao ieoainhe, e que tenha boa conducta -.
at as 4 horas da tarde, e os outros depois | n- 37. ou na ra da Soiedade n. 31.
da distribuic5odas listas.
As encommendas s rao guardadas so-
mente al a noite da vespera da exlraccSo
como de costume.
O thesoureiro,
Antonio Jos Rodrigues de Souza
lave, o
na
*
mme e
rka Nova
Urna muiher capaz e de boa conduda, offe-
; rece-se para engommar em qualquer casa pe fami-
llia : quem precisar dirjase a rna de Saiflo Ama-
ro n. 16.
isrtj
l3af,lU|
Perdeu-se no dia 27, na ra da Caix^ d'Agna,
urna cruz com 7 brillianla c 418 perolasjem duas
volias, guardada em urna caixa de vellido encar-
nado : a pessoa que der noticia da arlada ser
generosamente gratificada, na ra do Cabug nu-
mero 61 : roga-se as autoridades de rocia que
tenham a devida aiteocao a este fado. Ique pelo
Coiifeitaria dos amuiazes.
Rna la Cruz n. 16.
Acaba de che^ar a este novo estabelecimento um
lindo sortiinento do licas caixinhs para amen-
doas, proprias para presente ; ha amendoas boas e
boas paslilhas etc., para eucliimenlos^das niesmas, .
tambem se vendera uaneis de estal^para sortea, valor do objecto perdido pronrio patimerecar-
prepara-se pao de l enfeilado, gaiveau ae aiversas rhes diligencia,
qualidades, simples e eufeilados, tambem ha ver
nos dias 22, 23 e 24 bolos de S. Joo simples e en-
feitados, nestes dias como scuipre ha ver empadas,
pastis de varias qualidades, doces para cha, figu-
ras para bandeijas, ramos artificiaos para ditas.
Recerje-se encommendas de tudo quanto coucer-
nente a este negocio.
por raais diligencias que ho sido empiegadas.
Kspera-se da caiidade ciuista de quem quer que
seja esse acto benfico, alim de poupar-se profun-
do pezar, e as dolorosas lagrimas dos mfeiizes li-
nios dessa pobre muiher, os quaes dirigem este
fervoroso pedido, sendo que pela sabida lineza
dessa dectaraco ticaro eternamente agradecidos.
Precisa-se de urna ama para servico mterior
de urna casa de pouca familia : a ra Ue Hortas
n. 130__________________________
Quem precisar de urna ama que ungomma e
coze, dinja-se ao beccode S. Pedro n. t.
Precisa-se de dous trabalha lores para pada-
ria : na ra larga do Rosario n. 16.
Miguel Gomes da Silva deixa de ser caixeiro
dos Srs. Antonio Pedro de Mello & C, do armazem
da liga, na ra Nova u. 60, por uiolivos jiutos;
assira como agradece o novo gerente o tralamenlo
que Ihe deu durante o lempo de ser caixeiro.____
Precisa-se de urna ama para coz nhar e mais
outros servicos internos para casa de urna pessoa :
u travessa de S. Pedro u. 10, segundo audar, en-
trada pela ra do Fugo.________________
de
do Queimado n. 41 : a tratar na mesma.
ra do
7 e 9, com bous commo-
dos para familia : tratase ua ra do Trapiche
numero 4.
a Anda se precisa de urna ama paracozi-
H nhar e engommar para tres pessoas : na
$gg ra das Crnzes n. 37, sendo pessoa mori-
gerada e que se possa entregar urna casa.
np
m
Descontam-se notas
caixas liliaes: na praga
Roga-se ao Sr. passageiro vapor. precisa-se saberqufm o correspondente do
inglez La Plata ChegadO m 28 de maio engenho Quitinduba, para entregar urna caria na
prximo tlldo, que por engao levou entre livraria ns. 6 e 8 da praca da Independencia.
a sua bagagem uma caixtnha COUtendo uma Na ra larga do Rosario n. 31, seguudo an-
moleta, o obsequio de a mandar entregar dar, sobrado que faz esquina, precisa-se de urna
j /- oi -? ama uue saiba coznhar e engommar, para uma so
napragadoCorpO Sanio n. 17, primeiro Jessoa, pagase bem, dando-se preferencia a es-
andar, crava.
Na ra da Ponte Velha n. 8, fabrica de car-
ro?, vendo se uma victoria com pouco uso : a tra-
tar na mesma fabrica.
Vende-se a taberna e casa do pasto da ra
da Lapa n. 13, bem afreguezada para a praca e
malo, tem bastantes commodos para inoradla : a
tratar ha iresma.
roliilia para vender.
Uma pessoa que se retira da cidade vende por
preco commodo o seguinte : l par de consolos, i
sof', 6 cadeiras, 1 loucador, 1 guarda-roupa, I ca-
ma de armaco com lastro de palhinha, sendo tu-
do banco do Brasil e das do de amarello e em perfeilo estado : na ra Au-
da Independencia n. 22 gusta, tenda de marcineiro n. 5o.
A VIGA TTtTt rtflTI TI tP Vende-se o dep isilo de charutu<, na ra es-
n.\lSV lllipui taiii-c. treita do Rosario n. 6, bastante afreguezado, pro-
0 abaiso assignado, receben do Sr. Manoel Car- prio para qualquer principiante por existirem pou-
los dos Santos, do Rio de Janeiro, carias e ordens, icos futidos. O deposito cima mencionado olfere-
para supprir a seujlltio menor Alberto Carlos dos ce na0 so vantagem ao negocio que existe, como
Santos, que em Janeiro do anno corrente, se ausen-1 tambem para vender bilhetes por ser uma das
tou daquella cidade, e que se suppoe existir nesta prmeipaes partes para tal genero : a tratar na ra
provincia, de tudo quanlo carecer, e mesmo para Augusta n. 1.
Vende-se por prego muito razoawl urna meia
caleche prompta de tudo, com os competentes ar-
reios, fallando apenas forra-la : para ver e tratar,
na cocheira da ra do Hospicio do Sr. Cyrillo.
Veodem-se 6 a 12,000 iilheiros de lijlos de
alvenaria batida, sendo do melhor barro do Mon-
teiro, em quMidade e fabrico nao ha melhor : na
olaria das Barreiras n. 10.
Vendse ou arrenda.-se fior prego commodo
o engenho Mariano*, sito na fregnezia de Ser-
nhaem, me com agua, cercado de valado, machi-
na para moer mandioca com agua, meia legoa (lis-
tante do embarque : os pretndeme.-- dirijani-s? ao
Recife aos Srs. Leal & Irmao, ou ao proprietario
Francisco Antonio Bandeira de Mello, no engeaho
Agua-Fra do termo de Ipojuca.
voltar ao seio de sua familia. O Sr. Carlos, ou
qualquer de seus amigos, dinjam-se por obsequio
a praca do t'araizo n. 24.
; ____________Salustiano A. P. de Souza Prez.
Ama de leite.
Precisa-se de uma ama de leite : na ra estrei-
ta do Rosario n. 3, 2o andar.______________
Fadaria,
Aluga-se a da ra dos Pescaderos n. 1 : a
lar com Tasso Irmos, ra da Aurora n. 33.
Quem precisar de uma pessoa habilitada a
ensinar primeiras letras, laim, francez e msica,
'ra" dentro ou fra desta cidade, dirja-se a ra do
Queimado n 8, terceiro audar._______________
Aluga-se um mulato perfeito copeiro e bo- Quem for dono de uma canoa aberta de car-
leeiro, aliancando-se seu comportamento: quem regar lamilla, com banco de proa, com dous as-
precisar dirija-se a ra da Cadeia do Recife n. senios no meio, pintada de verde, queira dingir-
41, toja. ____________ ge a iiha da Retiro ao p do sitio do Sr. Evaristo,
Caixeiro a fa"ar coin Manoel Antonio dos Sanios, que est
Quem precisar de um rapaz "portuguez de 15 de Posse Jella Por a ier aj>renajdono_rio._______
j fS------.r----------rTT '5 ; ra ao Amorim n.
Ao Sr. Manoel Hornea de i >$ww-m m
Carvallio.
annos para caixeiro de taberna, chegado ha pouco Na fabrica de charutos da ra de Hortas n.
e cuj conducta afflanca : dirija-se a ra do Apollo 1, precisa-se de um menino para caixeiro que seja
U.4. ______ natural dos arrabaldes ou portuguez dos chegades
P"i;saTB~d'r'mircaleln> para- a ahorna' .'la ultamenty. t __________
na do Amorim n. 36.
LEILAO
Ue una taberna t dividas.
Ra das Gruzes i. 22.
Cordeiro fctoies
a requerimento de francisco J'
pacho do Illra. Sr. Dr. juiz^spe
far leilao dos eeueros arraacao]
berna cima dila, a qual fui restada
drigues Fornandes, assim como
da mesma.
Segooda-fcira 3 dej
as 11. horas na mesma taberna.
Leili
o Carneir e des-
ial do cmmercio
e uteneilios da la-
a Jos Ro-
fts dividas activas
julho
Semana (Ilustrada do Kio de Janeiro
Assigna-se na ra do Crespo n. 4 : tres mezes
6, seis mezes 11,5, um auno 18^.
Freguezia de S. Jos.
A professora da terceira cadeira de lustrucyo
primaria do sexo feminino da freguezia de S. Jos
participa ao publico que a sua aula achar-seha
aberta do Io de julho vindouro em dianle, na ra
de Santa Rila n. 27, primeiro andar.__________
Para o cynselho de recurso do Cabo ver
e providenciar.
O filho do Sr Manoel Jos de Sant'Anna Araujo
escrivaode orphaos do termo do Cabo, nao tem a
idade de 20 annos como o inculca e affirraa ao ,
conselho era uma peticao que Ihe dirigi pedindo
para ser quaiificado, e deste modo obter a patente j
de alferes como pretende. Para o Sr. Araujo con-
guir a patente de offlcial para seu lilho necessa-,
rio provar i|ue elle tem 18 annos, o que contesta-
mos em vista da certiiao de idade, de seu filho,!
que temos era nosso poder u que dola usaremos i
em lempo competente.
O guaja.
Como al hoje nenhuma solucao tenhadado, ain-
l da se chama por meio deste aviso ao Sr.Carvalho,
afim de que compareca na ra da Cruz ). O para
; ultimar o negocio que nao ignora, por quanto o
Sr. Estima al boje nada lem podido hzer, nao
obstante os muitos desejos que o anibava (ou
anima.)________________'________________
"^Precisa-se de uma muiher de meia idade pa-
ra cozinhar, para uma casa de pouca familia :
quem quizer dirija-se a ra do Aragao n.27.
'
U London & Brazillau Bank, saca por doos
os paquetes,sobre
Lisboa.
Porto.
Braga.
Vianna.
Guimares.
Villa Real.
Coimbra.
Amarante.
.'
-
Estrada de ferro
O Sr. J. Kreuzer pela sua resposta parece igno-
rar qual o negocio porque o chama o solicitador
Pedro A. da Costa Machado, pois para tratarnos
a respeito da defeza qu Ihe liz quando Vine, este-
ve preso na cadeia do Cabo, e como me seja [peno-
so procura-lo em pirte qun Vine, incerto, rogo-
Ihe me procure ao menos uma vez, pois deve lem-
-* Vende-se uma aolula e uma janelfaim mul-
lo bom estado : ra das Aguas Verdes \. 92.
Aluga se uma parte da casa n. 93 da ra
'das Aguas Verdes: a tratar na mesma. I
Sexta-feira 23 do corrente, do escritorio do
j Sr. Dr. Fonseca para o carlorio do Sr. M^ioel Ma- .
i ra, e dahi para a ra estreita do Rosario, Oerdeu- Motores para altos.
se ura rolo de papel contendo urnas razwde as Machinas de costura.
autos de Moreira : quem o achar levar escrip- \
'. torio do referido Sr. Dr. Fonseca, que o mesmo
pagara' o achado.
precisa w do um caixeiro com Pptica ou
sem ella de latierna : na ra do Sebo n. 5.
SRSsJL
Compaubia lidelidade de
martimos e terrestres
estabelecida no Rio de Jaueiro.
AGENTES EM PEHNAMIIUCO SSl
Antouio Luiz de Oiiveira Azevedo .V C, j|
competentemente autorisados peladirec- '-l:
loria da corapanhia de seguros Fidelida- *||
de, tomam seguros de navios, mercado- ff[
Tias e predios no seu escriplorio ra da gg
Cruz n. 1. ^
Samuel Power Johnston & Gonipanhia
Ruada -enzalaNova n. 4.
AGENCIA DA
l'undieo dcLow .Hoor.
Machinas a vapor de 4 e G cavallos.
Moendas e meias moendas para engenho.
Taixas de ferro coado e batido para enge-
nho.
Arreios d carro para um e dous cavallos.
Relogios de o:ro patente inglez.
Arados americanos.
Ma ninas para descarocar algodo.
m\
a vapor.
lao
De dms machinas
Sendo
Uma portavel forca 14cavallis sobre rodas, com
catdeira, patente lodos os seu> perteoces.
Ouira fisa e orizootal. forca de 12 crvailos, com i previna sua familia (on cosa que tem o nome)
caldeira e mais perteuces. I para que se ab.-lunha de continuar com lanas re-
Terca-feira 4 deljuiho. petidas gracas ie mao gosto, para com uma fami-
0 agente Pinlo far leilao por conta de quem lia visinha, qua na sua idea sendo esta dita fami-
pertencer das duas machinas a vapor cima raen-'. iia de lao baixa posicao, lem mais seniimentos ;
cionadas proprias para engennos, as quaes se lor-': nao quer nemjneseja relribuirlhe com os memos
nam recommendadas. pelas suas perfeicoes e por gracejos aquella de lo alta nobreza I I!. '.
serem dos melhorrs fabricantes de Inglaterra ; os para odios ou vingancas a outros meios e nao es-
pretendentes poderao desde j examiuarem ditas les, ques-to proprios d creaturas que residem
Iluliroii-se todas as pracas das Barreras core
grande prejnizo dos arrematantes, porra conser-
va-se Rufino Paes Barrera, guarda da coipanhia
brar-se como sempre eslive prorapto a seu chama- urbana, na barreira de Motocolomb, se praca,
do quando de num precisou.________________ e cobrador, recebendo os cobres da polF.ia e do
A Quem toen. arrematante. Tome mais essa nota, Sr. bdactor
Pede-se a umjmorador da ra que nao e.-trei- do Constitucional.___________________B__
ta doRo.sario ou travessa que nao tem Crozes, ipie I u(Terece-se uma ama para casa de familia ou
u(Terece-se uma ama para casa de
homem solteiro : a tratar na ra de Aguaverdes,
loja do sobrado n. 22. "j
Roga-se a quem recaben ordens par*A gaie-
ra inglez cTamaaai, precdanle- de-Maail'ia, ca-
pito Maiii, o obsequio d dirigirse a djsa de
Mills, Datham &C. para dar alguma iptirragao
sobre o mesmo navio.
Precisa-se de urna ama que saiba
bem cosinhar com limpeza e que
faga compra pa a pouca familia: |
na ra da Cadeia do Recife n. '8, I
primeiro andar. S
Ama de leite.
Precisase de uma ama sadia c com bom leite :
na ra Imperial, sobrado n. 87.
O abaixo assignado, revestido de poderes ge-
raes pelos herdeiros do tinado capito Juao Fran-
cisco de Alququerque Mello para vender os solos
e propriedades que possuem na povoagao dos Ala-
gados, em diversas ras, abaixo descripta*, convi-
c v A ttenco
Na bem conhecida casa da aboboda da Penha
n. 37 tem para veader continuadamente niara para
fazer bolos preparadas com muita perfeicao._____
Aluga-se
um moleque de 18 annos de idade para lodo o ser
vico : quera precisar dirija se a ra do Imperador,
segundo andar do sobrado n. 1(5, prximo a traves-
a do Ouvidor.
O abaixo assignado tendo visto no
Diario de Pernambuco de qtiiula-l'eira 22
do corrente, dous annuncios pediixlo-lhc
um que nao pague ca o saia premiado o
quarto de bilhete n. 2290 e" o outro o meio
bilheie tambem n. 2290 da mesma lotera
(quarta parle da quarla de Santa Casa da
Misericordia que se extrado sexta-feira 23
do corrente) decltra que nao pode haver
exactido no dito annuncio do meio bilhete,
visto ser de quartos a casa de 2201 a 23 JO.
O abaixo assignado smente para desviar
juizosmenosfavoraveisa sua reputago faz
o presente annuncio. Recife 20 de jtinho
de 1803.
O thesoureiro da; loteras,
Antonio Jos Rodrigues de Souza.
Precisa-se de urna ama para comprar, e que
coziuhe bem e lave : na ra Nova n. 30.
COMPRAS.
Baldes
A loja de calungas, na ra do Rangel n. 24, aca-
ba de receber um completo sorlimeuto de baloes
de todas as cores para os festejos de S. Joo, Santo
Antonio e S. Pedro, vende-se muito barato.
Ra oa Ca eia do Recife n. 5
linfeiles Maria Pia, espartilhos a pregmeosa,
sao os mais modernos que lem vindo ao mercado.
Vende se a taberca sita no becc i Largo do
Recife n. 1 : a ira lar na mesma.
Vende-se.uma parte de nm sobrado no bair-
ro do Becife : quem pretender dirjale ua praca
da Independencia ns. 14 e 16.
Madapolao barato.
Madapoln barato
A 5'ilOO a pega de madapolao lino para acabar :
na loja do barateiro, ra do Crespo n. I.
Milho
a 4009 a saccae i'M rs. acuia, c novo : no sr-
raazeni da estrella, largo do Paraizo, n. 14.
Vende-se urna ovclha com uma cria nascfda
lia poueo lempo : na ra das Cruzes, taberna nu-
mero 41.
Vende-se
Comprase uma ou duas negras mogas e que
sejam quitandeiras, qno nio Lnham vicios e nem
achaques : na ra das Fiores n. 33, se dir quem
compra ; na mesma casa precisa-se alugar um so-
brado de um andar od mesmo um prirr.firo andar
que tenlia quintal c cacimba, sendo em boa ra.
= Corapra-se uma canoa pequeua de carreira :
a tratar na ra do Imperador n. 6a.
i'-ompram-se. libras sterlinas e qualquer ouro
amoedado a bom preco : no hotel de Franca ra
do Trapiche
machinas para o que poderao' entenderera-se com
o mesmo agente em seu escriptono a ra da Cruz
n. 38, aonde se effectuar o dito leilao as 10 horas
do da cima dito.
4
De terrenos e casis de eambo no
lonteiro.
A salier :
Uma casa de pedra e cal com 27 paira )S de fren-
te e 47 de fundo com 2 salas, 3 quartos, cozinha
fra, terraco, carimba e juntamente o terreno em
qae se acha' edificada dita'casa, na estrada do Mon-
leiro, com 92 palmos d frente e 320 de fundo,
dndoos fundos para a estrada do Arraial.
Uma casa detaipa com a frente para a estrada
do Arraial. com 54 palms de frente e 54 de fun-
do, cdntendo 2 salas, urji gabinete, o quartos, es-
tribara ao lado, cacimba corn bomba, e juntamen-
te o terreno com 1,000 palmos de frente e 428 de
toados, o qual podera' sifr dividido em sitios.
Um terreno com 350 palmos de freutd e 370 de
fundos, em que esta' unificada a casa do Sr. Br-
relo, em frente a casa e sino do Sr. Manoel Jos
Carneir.
Ura dito com 282 palmos de frente em segumen-
n'ouiras localidades....
Lembre-se do adagio, quem lem tediado de vi-
dro nao atira pedras ao do visiiiho.
Caetauo da Rocha Pereira luec.iona.rtrasiea da as pessoas que quizerem comprar ditas propne-
il c piano por > mensaes : a tratar fna ra des a entenderera-se com o mesmo abaixo assig-
de Hortas n. 27.
i
enea
Pf ecisasc de uma ama que cozmhe I
me bem : a tratar na ra da Cadeia do I
40, loja.
engom-
teife n.
A tugue i'
Aiuga-se a casa da travessa da Bomba
tratar na ra do Sebo 24.
Precisa-sede tima ama secca : a UKar na
ra dos Marlyrios n. 4, segundo andar.
*Uiro de
fallar
Os abaixo assipnados caixeiros do Sr. Jos Mon
teiro de Siqueira tendo si jo despedidos pelo mes-1
mo senhor, chamamos a attengao do publico nue '
nao toi senao pelo -simple- facto de outras pessoas i
estarem soltando fogo na noite de S. Joao e alguns i A peaso qne se offorece para ca
visinhos se porsuadirem que foram os mesmos ; taberna, dirljse a ra do H.ispicio n. 24,
abaixo asirnados,e ao mesmo tempo agradecemos com Jos Rodrigues. Peixoto.
a toda a sua familia pelo bom tralamenlo que re-'
cebemos durante o lempo que eslivemos em sua
pQCJl
Recife 28 de junho de 1865.
JoaoXioncalves Pereira.
Antonio Joaquim Goncalves de Oiiveira.
Antonio Joaqnm de Rrito.
10
Compra-se effectivaraente ouro e prata em
ooras'vqlhas, pigando-se bem: na ra larga do
Rosario n. 24, loja de oarives.
Silvino Guilherme de Marros compra e ven-
de effectivaraente escravos de ambos os seoa :
ra do Imperador n. 79, terceiro andar.
Ouro e (>'ita
em obras vclhas : compra-se na praca da Inde-
dias, (Indos os quaes se proceder judicialme ite a pen,leocia n. 22, luja de bilhet^.
nado, ra Din-ita, botica o. 88 do Sr. Jos da
Rocha Paranhos. Outro sim previne aquellas pes
soas que al o presente nao team pago os respec
tivos foros que o facam d. publicacao deste a 30
um magnifico cylindro de padaria qoasi novo, por
preco commodo : quem pretender dirjase a raa
da Roda n. 53 a tratar com Jos Fernandes Maga-
llies, ou a ra da Madre de Dos n. 22, com An-
tonio Agoslinho Seixas da Fonseca.
Xa ra da Emperatriz n. 2, vedem-se bons
candieiros a gaz pelo diminuto preco de 4, 2-j e
1,5500 ; clieguera, autos que se acab'em, qce nao
ha pechincha tao boa.
Vende-se ou troca-se o engenUo^"'. Vicenle",
sito na freguezia de Serinhem, distanle^res legoa
da estacao da lscada, me com agua, rom Loa
casa de vivenda : os pretendentes dirijam-se ao
seu proprietario, no engenho Cmaragibe, na fre-
gnezia de Serinhem, ou na ra da Moeda n. ,
segundo andar.
Cal de Lisboa.
Vende-se excedente cal nova, ltimamente che-
gada : na ra do Trapiche n. H, seguudo andar,
escriptorio de C. R. Rabcllo.
Vende-se ura escravo moco propno para en-
genho: a tratar das 10 horas at ao meio da
ra do Mundego olaria n. 13.
Semen es.
Vendem-se sementes de bbrlalicas muito novas:
na ra da Cadeia n. 50.
Vendem-so saceos com farinha da trra mui-
to boa a 3200 cada uma : na taberna da ra do
Imperador n. 83.

lo ao de cima, e em que
cst.' edificada a casa dos
herdeiros de J;cintbo de Souza Trava>so, e nao
estrada do Monteiro.
Terca-feira 4 le jolho de 1865.
. O agente Pinto fara' Lilao, precedida a compe-
Precisa-se de u.u,cjsinhei'o ua ra da Cruz
n. 11, casa de pasto, c na mesma se precisa de um
moleque______~_______________________
Precisa-se de um peqn-no para caixeiro com'
alguma pratica do moihado-, dirija-se a ra da
Praia em casa de Genuino Jos da Rosa.
Afoga se na_ ra do Rangel n. 60, segundo
andar, tima escrava para tod > o servico interno e
externo de cas, e ama negriuha c >ra condicojde
nao sahir a ra.
Veoderp-se 10 esclavas, entre ellas ;
i com habilidades, e 4 escravo, sendo 1 par.
, co, coziuheiijo e cojieiro
I mero 18. /
*mmmm
O Dr. Carolino Francisco de Lima I
tos coatina a morar na ra do Impejj
dor n. 17, segundo andar, tendo alias
gabinete de consultas medicas, logoj
entrar, no primeiro.
O mesmo doutor, que se teai dan
esludo lauto das operarles como das ri
lestias internas, presta .-e i qualquer
madi, quer para dentro quer para fq"
da i/idade.
im aRjissaRSiisi se
cobranza.
Joaquim Jos dos Sanios barraca.
Propriedads : Dous solos ao sul da povoacao
dos Afogados, ra doMolocolo:.ib, com duas casa-,
vendidos por Luiz de Carvalbo Raes de Andrade e
sua muiher D. Rita-Zeferina Paes
criptuja n. 1.)
Um solo na mesma povoacao e ra com uma
casa, da'qual foi ou dono Luiz Jos do Patroci-
nio, vendido por Joo de S e Albuquerque e sua
muiher D. Auna Victorina Coellio da Silva. (Es-
cripluri n. 2.)
' Um solo na ra da Senhora da Paz, ao sul da de
S. Miguel, com uma casa de u. 123, vendido.por
Joao Marinho de Souza Leo e sua muiher I). Ma-
ria Guilhermiua Guaio da silva. (Escriptura nu-
mero 3.)
Ura solo na mesma povoacao c ao sul da ra de
S. Mignei cora uma casa de n. 5, vendido por
Francisco de Paula Souza Leo e sua muiher D.
TJwffza Sophia'Paes brrelo. (Escripiura n. 4.)
Umsel pa mesma ra e povuaco cora uma
casa de n. "124, vendido por Joo de S e Albu-
querque e sua^nulher D. Anna Viclorina Coelho
da Silva (fJ Duas casas era chaos foreiros de ns. 30 e 31,ven-
Compram-se libras storlins a 9510o : na
praga da Independencia, luja n. 22.
Compra-s ouro, prata e pedras preciosas,
em obras vclhas : na ra da Cadeia do Recife,
de Audrade (es- |0ja do ourives no treo da Conceico.
Comprase tira bom bo para carroja ainda
mesmo c-lando magro; n\ ra das Tnncheiras
n. 48..
Compr&ra-se libras sterlinas a 9^600, hoje :
na praca da Independencia n. 22.
Compram-se pennas deemae pagam-se bem:
na ruado Livramento n. 11, segudo audar.
IBUaBRCu-i
YBIiUS.
Vende-se uma mulata de 18 annos de idade,
de bonita figura, e sera achaques: para ver e tra-
tar, no paleo do Terco, sobrado n. 2.
Vende-se um cabriole! de duas rodas, de mo-
delo elegante, com os competentes arreios, e com
muito pouco uso
. |iara ver e tratar, na travessa
Odas pori-rancisco Lurz Guedes e sua muiher Joa- do Ouvilor, loja de corrieiro de Praucis-o Ribeiro
quina Maria do-Espirito Santo. (Escriptur a) n. 6. Pavao Jnior.
BCOIIIC
sem igual
Preclaras linissimas a 28. rs. o tovado com pe-
queo loque de mofo, fazenda de 500 rs., quem
go.-ta do boro e barato agora pode- sortir-se din-
gindo-se a ra do Queimado ns. 43 e 43, esquina
que volta para a Coogregacao.
Vinlios Malvazia do Porto
Joo Luiz Ferreira Ribeiro t-m para vender era
seu escriptorio na prsca da Santa Cruz n<. 6 e 8,
o excellente vinho malvazia do Porto em caixas de
duzia, recebido pelo brigue fUnio. ,o raclhtr
vinho que tem vindoa ote Aereado de.-ia qu-tlida-
de. por ser especial e rtcommen.iado pelo agri-
cultor do mesmo ni quinta de S. funcalo do Lom-
brigas, do Honro, pois o proprlo que o rem.-tr.'.e
garante sua qmlidade sgra (MiifeccAo, apenw eom
agurdente feita di mesmo vinho, por isso Uirna-se
recommendavel |iara os Srs. apreciadores de bella
Pjrajj____________________________________
Senientesnovas--.
Vendem-se sementes novas de horta!ii;i, chepu-
das da Europa uo ultimo vapor: na ra do Quei-
mado n. 47.
Vnde-se
por preco commodo urna per feita e completa ma-
china de cozer costuras finas o grossas, a qual tra-
balha com as milos ou com s p-, tem mais de
meia arroba de liona, lam'.mm vende-se uma rutti-
a com bandeira envilracada j pintaJa, propria
para casa de negocio a tratar na.rna Uireita nu-
mero 47.
'/


'
'
\
S4LSA PARRILHA DE AYER. ,
TranscRevemos aqui algfeoS
dos muitos aitestados que temos
recebido das virtudes da salsa
parrilha do Dr. Ayer.
Rheumatlsmo.
DE JOO JOS DOS SANTOS.
Ouro Preto.
| Grande liquidadlo a dinheiro.
i\ toja eai'Oiazem do l'avao.
Una da liupei-a; rlz n. ma k Uva.
Os dones deste estab'elecimento tem resolvido li-
quidar suasfaiendas por precos baratissiroos, s
cora o flm de apurar dinheiro, e previoem as pes
sos que negocian) em pequea' escala com fazen
das, que nesta loja e armazem encontraro un
, ; grande sortimenio por piceos ipie mnilo Ibes ho
Ji de agradar, lamo em pe<;a como a retalho,- a sa-
'* ^ Chille l.r.. e 9Aftr-
tas vezes, e vendo annunciado vendem-se cSSSciTisSda, muito lar-
em UDl JOmal d esta Cldade a gi^ padroes escuro?, pelo barato prego de 00 rs.
Salsa parrilha de Dr. Ayer, re- o covado, tendo muito bom panno ; ditas escuras
solvi-me a comprar um frasco e fazer uso ^i^'^^o^^^S'l!^
d'ella ; e ames de Concluir O primeiro fras- o claras a-240 rs, amanendose que esta fazen.la
co, achei-me forte e sem sentir a mais leve iem o mais pequeo toque de mofo, nem outro
dr nos joellios ; aparte do corpq_que es- iu quer deleito.>to> o Pavao,
tava affectada d'esse terrivel encmmodo
que roubou-me tantas noites de somno.
Erupccs, hoi-biilhas piistulas,
ulceras, e todas as molestias
da pelle.
Diario de pernambuco ftieataleira SO de luuho

ua rua da
peralriz d. 60 de Gama & Silva.
Esparlilhos, ua loja do Pavio.
Vende-se um bouilo sortimento de esparlilhos
propnos para senhoras, sendo dos mais modernos
e bera feitos que tem vindo ao mercado, tendo de
I todos os tamanhos e do diversos precos trazendo lo
I das as competentes fitas para apenar. I;
. apenar. Isto so na
DO su. JOAO PAULA de ABBE E sot'ZA. i0ja do Pavo, ra da Itnperatnz n, 60 de Gama
Ra de S. Pedro.Rio de Janeiro. & Silva.
Soffria mais de dous anuos de ama ; Cambraias brancas.
erupcao SVpllililica em todo O COrpo, niOSS Vende-se um'bonito sortimento depende cam-
t,-.1n.i,l co comnrp r.ini m-iis vinlonrin na ra braia brancs lizas, tendo tapadas e transparente.
tianUo-se aeinpre com mais violencia na ca- pel0 precode 4,5,45500, s& e a&, havendo mono
ra, prove muitos medicamentos e consultei superior da Escossia por 105 e 125. isto s na 10-
mililOS mediCOS, e estava quasi desanimado ja do Pavio. na ra da Imperatriz O. 6) de Gama.
quando vi ts annuncios da Salsa parrilha & Sllva-
do Dr. Ayer : comecei a fazer uso d'ella e
<
O
o
echinchus
l*>ja e armaziwn
peratri
Hendcs Goima-
IE
AZE VEDO J* FLORES
Roa da (]adeia do Itecife, t^fluin* da liadre de Dos.
Excedentsimas senhoras o Balito para >pa a Vv. Exc. que reduzio os precos do
todas as suas fazendas, e pede a Vv. Excs. qju.anao o esque^am, pois o Ba'o empenha
todos os seus esforcos para bem as servir tm de tudo isto minbas senhoras, um
objecto indispensavel s senhoras amantes do?progresso.
Agora minbas senhoras pego que lancero suas vistas en> toda a minha circumsfe-
rencia e verao queenconlram muitos objectoVque necessitam e por precos que convi-
dam a comprar, como sejam: j.
Os ticos baloesde 40 ateos, com urna roda'Jae admira.
porm antes de acabar o segundo frasco ti-;as,"sendo'esesgrosdos'nias modernos que temI(|em com menos arcos a 2#5l) e 30.
nba o mal desapparecido completamente de viudo ao mercado, vendendo-se pelo ba ato preco dem para meninas de 2 annos ale lanos.,-,
tnHn n i-nrnn m 'de G0 r?- cva(!o- Isl -v na loia do l'avao, ra Cambraia finissima que era de v& a /#.
louo o oorpu. da |mperIIriI n_ m de Gama /i s,iva. 1 i.lpm ,iai{ ,ifl aa nftI. S
""SKSSL J^^^^' v *rlSS2?- r- JS indosKde cambraias de core.,, verdadeiras francezas.
SOR DE MEDICINA Y UHLKJIA, SLUDfcLfcU/DU Vende01-Se OS mais TICOS liOUZnOUtS de (iUI""rp
Admira
qne estao a ve
da Araw, ru
(Je Lsorencu
res.
Brdanii i!e:nife a 3.
Vendem-se pecas d* : i- im ,a com 10
lo baratissimo prego i^JA peca
Madapolao 1
Vende-se madapoln
355OO, 45 e 400, A
oSoOO, 654K),75. N. '.i
8Ji,-Elephante 85300. I
Soutambarqtl
Vendem-se soulemba
85, ditos de seda a 18
Chapeos para liomm a 1^800.
Vendem-se ehapeos para hjineni a i800
um, chapeos de sol'de panno a 2;, ditos d
para bomem a 65 e 75 : s Arara, ra da
ralriz n. 56, de Mendes Guimaraes.
S Arara vende cbitas franee zas a 210 rs.
vad.
Vendem-se chitas franceza3 sendo cores
assim como sejam padrdes delicados sendo
de cana e rxas. se vende por baratissimo
de 240 o covado, ditas a 260, 280 e oOO rs.,
malisadas tinas a o2 e 360u covado.
varas pe-
, a 90M).
t lo cortl 12 Jardas a
c i 21 jar.tas a ii5.
LL. 10 750'J, -N- Bfcsa O.).
:ores a o
I- .
Rival sem segundo
llua do fjucimado n. 40, esta vend'eudo
muito liaraii> comu v.>r aLamo.
Caixasde [i.'nnas dokaiegijiliia a I5f0l).
il.-.s.-os com superior, s (rrwnpos a 30 rs.
Pares de sapalos de trantae lajitle a 5500.
fraseos do inacac periri a 00 m.
(',:>;..- r.im mprjii u-j sguiJws a 200 rs.
Libras i'e laa -ciii'!;:s ruin tudas as crel 750iU.
Caixacom m:" ri. r-.- otuei..- a Vi) rs.
Dtuia* do ptioplu.rhade sfioia.n.a a I20rs.
Metas garrafas com :iita a 2{0r>.
i! 'diidias com .'iliioi |"> frain i >..< rf i't) T".
Curtas de a fiai />> r. ,i i00 r?.
R -.-mas de .,.; el alnucj a 25 .
: I'o-io.k de a,..: d i-.-i 25000.
Papis Jo afuiil. <- fiuctza; a balao a 60 rs.
75 e <' [ mnfto i.-: iu.< para meninos a 15000.
| EnMiM para seunora; fa/enda ouiito moderna a
25000.
Escovas para rotrpa tnperlor quaJWade a 15000.
nos prtmeiros dias a erupcao aggravou-se,
Gros de qtiadrmhos a 1 600.
Vendera-se os mais moiernos gros de quadri-
nhos, proprios para vestidos de senhoras e met
EM AMBAS AS FACULTADES
tricto.Habana.
DEL SESTO D1S-
s.ndo os mais modernos que tem vindo ao merca- Tailalana branca mu.to fina e larga.
do, pelo baratissimo preco de 255, cada um. as- Chitas escuras a 240 e 280 rs., que eram ue.
30,
tambem ba superiores.
Certifico que be u sado la zarza parril-' jfSg jfjJ 1^^ S ntTto"*. \(l-em pe,rClaraS ?eo}est a,'' 't0crs' ..
. r^ ...?.. ____ a_____.:.._ u k i aa, senau ae vanos precos. i.mo so na leja oo i a- i.ria nrp.tn nara ntn ft (le totas as na S
la del Dr. Ayer, y como depurativo he ob-
tenido de ella los mas felices resultados en
les casos de ulcera crnica, asi mismo au-
tor y las considero como um porgante, cuya
accin ademas de ser segura, ha sido muy
eficaz en el tratamento de las enfermidades
que exsigeu el uso de los porgantes, y on
vacilo en recomendar estas preparaciones.
Y para los fines que puedan convenir doy
la presente en Regla a 7 de setembro de
1860.
Dr. ios: V. Herueba.
Escrophula.
ATTESTADO DO H.LM. SU, FRANCISCO FERRAZ
dos santos. Ouro Preto.
Me acho ba quasi dois annos affectado
de escrfulas, e tendo sofft ido tanto que al-
gumas vezes quasi que diego a desfnimar
da vida e maldizer da minha infeliz sotte;
tenlio sido tratado por muitos mediros d'es-
ta cidade, e nenhum pode vencer i tenaci-
dade de minha molestia, eslava s.em espe-
vo, ra da Imperatriz n. 60 de Gama & Silva.
Admirem
Admiren)
Admirem Bein!!
As pechinchas qu estao venda na loja e ama-
zem do l'avao, na roa da Imperatriz n. 60 de Ga-
ma i Silva, onde ?e venflem todas as fazendas,
tanto de luxo como de primeira necessidade por
presos muito rasoaveis, e com especialidade as se-
guinits, dando-se amostras deixando licar ptuhor
ou mandao-se leyar em casa das familias pelos
caixeiros da mesma lja.
Ciraudc pechincha, vestidos a
La preta para luto e de todas as mais cores.
Chita encarnada adamascada muito superior.a 5<>0 rs. o covado, 7 covados d urna co-
berta para cama franceza.
Vestidos a Hara Pia os mais ricos que ha dtfi4#, 18$ e 200.
Calcas de casemira de muito bonitas cores.
Colletes de casemira preto e de cores.
dem de brim branco.
Paletos de casemira sacco a 10 e 12^.
dem de brim branco.
dem de alpaka branca a 5$.
dem prelos a 4 Calcas de brim branco, pardo e de outras corcf
Ceroulas de linho com duas costuras a 2#500.
dem a 10600.
Golletes de casemira a 4$ e 50.

3$5ttO.
Acaba de chepar um bonito sortimento dos mais.
lindos vestidos transparentes, muito proprios para omisas com pellos (te coi.
passelos c bailes, por seren de primorosos dse- dem brancas a 1;>00 cada uma.
nhos, sendo todos os padroes tecidos e nao ninta- Idern brancas finas pregas largas a 22i0 e 20500.
dos, e vendem-se pelo baratissimo preco de 35500 ,,, m lilho upcrores a :>&.
sendo fazenda que val muitomais dinheiro: isto ua ,,,,., m f.,.. j. r,mr,t.na *j 'k 11 a
loja do l'avo, roa da imperatriz n. 60, de Gama & dem de linho mglezas multo futas de nmeros 31, 5, d/ e
Silva. dem de meta abertas fazenda superior- 4
Capas pretas e soalembarques. CHAPEOS, D SOiL
39.
rangas de recobrar a minha saude ; quando
ltimamente resolv fazer uso da 'aalsa par-' manU.
rilha do Dr. Ayer. Completa n-se boje I gosto _.
trala e sete dias que comecei com este nai?ifop*'5oiruada imperatriz n.eo,deGa-
sauto remedio, e tantas melboras tenbo
sentido que tenbo convic?ao de em breve
recobrar a minha saude, perdkla ha tanto
tempo.
SypkEEis e uiolesltas merciii'iacs.
Do Illm. Sr. Dr. Jackso;'.
Medico muito conhecido nos provincias do
sul do Brasil.
Tenbo receitado a Salsa panilha do
Dr. Ayer nos casos mais inveterados de
Syphilis constitucional e sejnure.^com os
mais felizesresultados; 6 o melWor alteran-
te que conllevo.
Lcucoi'i'ha e flores branca*.
Temos cartas em que nos conlam casos
inveterados que foram radicalmente curados
com um ou dous frascos d'esta Salsa par-
rilha. ^
O espaco nao nos nermitte trauscrever
todos os atlestados que possuimos jas vir-
tudes d'este extracto* composto ce Salsa
panilha do Dr. AyeL liasta declarar ao
publico que tem siao empregado ha mais
de vinte annos pela profissiio med ,a tanto
das Americas como ck Europa, sao nunca
desmentir a sua alta repulat-ao.
ma & Silva.
Se-
o Paviio vende
Chitas largas a 240
Chitas largas a 240
Chitas largas a 240..
Acaba de chegar para a loja do Pavo um grao-1
de sortimento de chitas largas garibaldinas, por |
s rem todas itstradas e padiSes escoras e de cores
flxas que se vendem pelo baratissimo preco de 2i0
o covado, sendo que em outra quabjuer parte cus-1
ta a 360 o covado, potando que os freguezes que
comprarern
abat
Para a cura radical de escrfulas e iffcccoes
escrofulos, syphilis e molestias syphi-
liticas, ulceras, feridas, chagas,
erupcoes cutneas e todo e
qualquer incomff-odo que
provm d'um estado
impuro de sangue,
TOMI-M A
ALSA P.lRUtLHADE AYER.
A' venda na rua Direrta^as. 12 26 e 76;
;..0P3ca da Consti-
E na-
do im-
^ ^a
tlazfflhas
LSazinhSts a
Laazinhas%i
Vende-se um bonito sor
RIVAL
Hua do Queimado n. 9, loja de Jos & Azevedo
ilaia c Silva.
Polseiras e voltas muito bonitas a 500 rs.
Malas delinba para bordados d^superior qua-
liddc CO rh ^ q q #
I' i mi\l >W ~ T ff;. Tl.tf >rTto muito
rua da Quitanda n. 51 :..pp5t;a
tuico, n. 30 e Hospicio, n. 40.
principatis pliarmacias c drogaras
perio.
Vende-se em Pernambuco:
ua hatt*fiiacia franceza
prias pira vestidos e soulom arques pur seren I
sas e de quadnnhos pelo barato preco de oOU rs. o
covado, sendo fazenda que sempre se wndeu
500 rs. o covado, e vende-se a dinheiro a vista p
lo baratissimo prende 300 rs. o covado : na loja
do Pavo rua da Imperatriz n. 60 de Gama
Silva. \ m
Pelewiwt*a iGOO.
Vendec-se as mai^Vas paserinas *\a
de cambraia bord^dal prbpim naraiio
lissiBo'pcece'lfi
i a Imperatriz n. I|11 ciAG^a & Mlv
rgandy a jKTrs? o cova
na loja do l^vao.
Vendem-se as mais bonitas cassas organdy
droesmiudos e grandes, pelo baratissno tjfl
2i0 rs. o covado (doze vintens), esla pmiii
acaba-se logo : na loja do l'avao 'rua M. -Tniac
triz n. 60, de Cama \' Silva. Sjf
DRETANHA DE UOLQ^/5U08.
.ISadapoEO cuest^tio a SgCC.
Ka luja d.(rl,a\H0
VendenvS'e pe^as de bretanha de rolo cnmJO
varas a 35, ditas de madapelo entestado a 35-0
35500 e 45 : na loja do Pavo, rua
no
mpe-
aroo linlia froxa para bordar a 20 rs.
Meiadas de uha azulada gaperior a 00 rs.
Baado do Porto muito superior a 100, 120
160 rs.
monto de laazinhas pro- Varas de franja de lihd branca a 40 rs
inelhor qualidade a
iapel .superior a
Carcas com 100 euvelopes da
60 rs.
*Ctfixas com 20 quadernos do
600 rs.
Grozas de peonas de a50 muito finas a 500 rs.
Pecas de tranca" lisa preta o decores a 40 rs.
Grozas de boUMe droperta para camisas a
^m*o0 novellos
Tasso Irmos
Vendem no seo armazem roa do
Amoi-im d. 35,
Licor fino Curasao em botijas e meias botijas.
Licores linos sortido em garrafas com iolbas de
Tld e*cm liados frascos.
VinbosUheres.
Santernes.
Ghambertin.
Hermitage.
Borgonhe.
Champagne.
Muscatel. .
Reino.
Bordea^.'
Coguao.
Od Ton.
jlzeilePlagniol.
Mr
S| f Ti;
/ ktorol do cvmmereio
Rui do Bangel n. 73,
o piopiietario desie Olabelecimento tem a bou-
Chilos francezas escuras.
Vendem-Si BtHfas frauezas sondo padroes escu-
res o cores Guasa :ui)e V o covado, ditas otiu-
dinhas claras a 360 e 400 rs; o cuvado : isto oa
loja e armazem u Arara rua da Imperatriz u. 50. j ra de avisar aos seus fr |Oezes qu. fez uma gran-
Corlcs a Ba-a Pia a 1S. ', de reuoryo nos precos de .-cus ge m dn primei-
Vendem-se os inais modernos renes a Mara ni qttalidadp : niauteiga ingleea 1$ o 15280 r.-. a
Pia a 185, dito a 145, 15, 115, 105 e 85, cortes I libra da u.tima Chegada ao no.-so mercad -, (.la
d*Ia?em';barta a Sjl lem 15 covados o coi te.
Damasco de duas latyuras a 1-V2M'.
Vende-se damasco de duas largura? a 15280 u
covaio, duo de uoia largura a 800 e 640 rs. o co-
vado, lengos de linho a 55, 05 e 75 a duza.
Camisas francezas a 15C00.
Vendem-se camisas francesas a 1580, 25. dita
de pregas largas a 25 e 25210, ditas do linho a
25500, 25800 e 35 cada uma, serouias francezas a
15280 e 15500, dita de linho a 15800 e 25, lo-
beras de chita a 25 e 2550j cada uma, cambraia
nranca a 35, 3-5500 e 45 a peca, ditas de cores a
35000.
Cambraias de cores a 300 rs.
Vende-se cambraia de cor a 300, 320, 360 o 100
rs. o covado, cambraia de salpicos a 25500 e 35 : la libra, patnco a 45 a dita e HO rs. a dita, cha ti-
na rua da Imperatriz n. 50. I no a 25500, 25700 e 2-5800, frwtas n ca!di a
Ctales de merino a 2. 640 a lata, goman a 100 rs. a libra e 25500 a ...-
mua
franceza a 900 rs. e em barril se Caz abatemi-nt',
queij'os ftafflengos novos a 25300, dito prato o que
se prule desejar em l>..ndade a 00 rs. a libra,
ameixas franceas caixnbas a 1521K). 15500 c
1580f, frnM de ditas I5400,gpndes 3 pr .
para miraos, mafmelada das tnrlbores im.i,...- -
010 r-. a li' ra. amendoas confeltadas para ti
de 5. Joao :> 640 rs., vinho o Porto a 640 i- 72 ts.
a garrsta, Figueira r Lisboa 400, 440 e 5O .>., l
em caada se faz n abaiimeUlo, c.-.ixas So i.
co:n 2 arrobas por 3,50O e a libra 80 r?. ti
caf Ia Mirto 75800 e 75200 e a libra a 240
boiacbinha ingiera a 200 rs. a libra, toucinbo co
Lu-b.u a :6 rs. a libra, velas do i arnaki a 400
rs., ditas e.'toarioas linas a 600 rs., presunto porta-
guei a 600 rs., alpista a 3500 a arroba e 120 is.
IMS
raras ae
de linha do gaz a
franja de cores a 80 rs.
aTua : Nellos com 400 jardas superior qu^lidadA
^Carriteis de linha com 200 jartbQdA^s
200 a !00 rs. **.. *
;Lnr..'S pafia assentodfi*roupa lifcad^a iOOTs
i Pares de trotoes de punlio muitoWTos a 120 rs.
^LThesouraa |wra unhas e'costura muio finas
500 n> _________________
de
RUA
1!
NOVA
N. 18.
Rival sem segundo
Ba do Queimado n. 19, loja de miudezas de Jos
& Azevedo Mala e Slivaesta disposto a vender mui-
to barato que admira, pois seus freguezes ja estao
scientes que nao ba segeodo competidor.
Pecas de cordo para vestidos a 20 rs.
'.apachos redondos e con'pridos a 500 rs.
Talheres para meninos a 240 rs.
Duzas de facas e garfos a 25400.
Ouas de cabo preto cravado a 35000.
Baralhos francezes muito finos a 200 c 240 rs.
Grozas de bo'.dcs de louca a ICO e 200 rs.
Caixas com soldados de chumbo a 120 e 200 rs.
Bunecos do choro pequeos a 160 rs.
Varas de cordo para espartilb a 20 rs.
Duzias do colheres par cha a 800 r=.
Duzias de colheres para sopa a 15500.
Ditas de metal principe de cha a 25000.
Ditas para sopa a 45000-____________________
Bichas deHamburgo
Vendem-se na rua Nova n, 61.__________
'o '"" 1 Z^%- w 2
45 : na loja do Pavo, rua da Impefttriz
o. 60, de Gama & Silva.
Novos corles de vestidos a A2-?, para
I
as
Farinha de mandioca : tem para vender Au
tonlo Luiz de Oliveira Azevedo t C, no seu. es-
criplorio rua da Cruz u. 1. ____________
""^"Vedem-se palmeiras imperiaes, em estado
de serem transplantadas: no sitio murado a es-
querda, depois dj beccj do Espinheiro, nos
tlictos.-_____________
Af-
Dado?
a rua lio* Qfcimado ji. *(i3.
Tdido rdftbido um sortimento de bone-
cas de choro, que cbamam papai e raami,
con cabelleira de cachos.
Tendo recebido um variado soitmqto de
bfimiucdos, para meninos, sendo espatTas,
fesjas'espingardas* pistolas^ tambores ; .ditos
ri^t*: a|pare"
! rjorcelan de metal, porta-:icor
rnais ri?os cortes de g'azla granadina com 2i cova- e faijuitibs* ,a 280 r. 0 par ; e#i3o queren-
dos cada um, sendo esta fazenda do inelhor gosto
possivel pul" ser transparentes e tecidos com seda,
c por taso sao de muita faotezia, e vende-se pelo
baraiissimo preco de 125 cada corte, sendo fazen-
da que val 255 esta pechiucha e^.. venda na
loja e armazem dj Pavo, rua da Imperatriz n. 60,
de Gama & Silva.
Laazinhas a 30(1 rs.
Pechincha ,do Pava.
Vendem-se superiorelisazinhas mosambiques,
proprias para vestidos e fcoutlparques, pelo ba-
ratissimo preco de 300 mo corado, sendo fazenda
que sempre se-vondeu a IJOOrs., fazenda esta mui-
to propria para vestido desahlr a pawio. u prin-
cipalmente para tempo de invern yat aao s>% es-
tragar com facilidad.' : isto f: na loja rio Pavo,
rua da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Madapolao com tope i!e mofo a 65100 c 75
Vendem-se superioies pegas de madapolao, ga-
raniindo-se 20 varas em cada uma, pelo baratissi-
mo prego de 65400 e 75 por terem um pequeo
toque de mofo que nada val, e pecas de algodo a
45 : na loja do Pavio, rua da Imperatriz u. 60, de
Gama & Silva.
Cortes de casemiras a 25o00 e 35
Vendem-se cites de casemira de uma s cor a
25500, ditas de quadnnhos a 35 : na loja do Pa-
vo, rua da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Chales a 25000
Vendera-se chales de merino a 35, 25300, 55 e
65 : na loja do Pavo, rua da Imperatriz n. 60, de
Gama Silva.
Agua de Vichy
Vende-se a verdadeira agua de Vichy em garra-
fas : na rua da Cruz n. 23, primriro andar.
A loja da Aurora, na rua larga do Rosario n. 38,
recebou sortimento de dados tanto de osso como de
marfim, ass.m como tem livros de sortes.para
qnem quier se divertir da de S. Joao, S. Pedro e
S? ota Anna.______________________________
Lgdo para calcadas.
Vende-se muito bom lagdo para calcada* e ai-
mazeos chegado agora : a tratar na rua do Apollo
n^___________________________,--------------
Fio de algodSo da Babia;
Vendefse no escriptorio de Antonio LnJz de Oli-
veira Azevedo 4 C, rua da Cruz a. L
de S. Joo e.S. Pedro, na loja do Pfvo.i 'I M* memo**: la|Pael'10S d f*C *
Acabara de chegar pr.ra este esiabeleoimento os Jantar^le pottelaTl .f-dc metal,
e fa(jiiitihs5
do continuar vende mais barato do que em
oulra qualquer parte.
Vende-se liras bordadas de differentes
larguras a 1$, e babados, colfaritibos e pu-
nhos para scnbora, ^bordados e abertos de
renda clisos, os jnais modernos que se
podem encontrar.
Vende-se laa para bordar de di veri as
qualidatles e de cores claras a ~& a libra, es-
pelhos de columnas de Jacaranda a 25oOQ,
ditos brancosde diversos tamanhos, caixinbas
para est-ijos de navalhas,
Vende-se pentes de alisar com costas de
motad a 1, ditos de differcn'es qualidades,
lindas gravalinlias para senhora de differen-
tes gostos.
Co&Iicre? de metal principe.
Vende-se colberes de metal'principe para
tirar soupa a 2$, ditas para cha a 25300,
dit-s parasoupa a 4#200 a duzia: nesta
luja fe encontrar sempre um grande e va-
riado sortimento de miude^ps: rua do Quei-
mado n. 03, loja do beija-flor.
Farinha de murileca fi' a e alva, mais
barata que se vende no mercado, em sac-
eos : na ruado Vigarion. 29.
Vendem-se
madrinas americanas de serrote para descansar
algodo : na rua da Senzala wova p. 42._______
Vende-se uma taberna bem afregnezada para
o mato, e bem como para a trra por ficar ao p
do mar, tambem d comidas e dormidas-, e recebe
passageiros, tendo excelleute comraodo para fe-
inilia : na rua da Lapa n. 13.
(i ru m o 3 i ar*< o o
: s r-=-ca2 =051
3 53 pi^ g -3 ^"
o -
ap
a
B
s
c
3
V
CG
3 -TT3 Co
5-P 3 o %
2 B ==:_
&*^ y
-T 2
tfffl
aq O a; o
PPI
n
a
-s
j
O
s
el3
9
f23
" "2 g
K
-a
u -1
rrS'n
o

s
f
wm
de
>
9
o
5S3
lo armazem de fazen das ba-
< ratas de Santos Coellio,rua
a do Queimado n. 19, ven-
de-s o seguate:
I.tnces de panno de lintro a 25400.
I>hps de bramante de linho de um s panno a
4*300.
Gftertas de chita na India a 25509.
Lucos de cambraia brancas proprios para algi-
-?eir, pelo barato preco de 2J;000 a duzia.
ftffas de bretanha de rolo com 10 varas a 35800.
DJlas de cambraia para forro de vestido, com 8
juaras, pelo baratsimo preco de 25600.
Gardaaapos adamascados pelo baratissimo preco
Jo .15-iOO a duzia.
Atftcdio entestado com 7 l|2 palmos de largura a
OO a vara.
18-de la de lindos gostos com 15 covados a
eloias preciosas c objectos
OIII'O.
Mauricio Selbeberg & C, Polacos, ltimamente
chegados a esta provincia, offerecem ao respettavel
publico um grande sortimento de joias, brilbautes,
rel.gios e muitos objectos de ouro, por prejo o
mai-i razoavel possivel, e mesmo troca e comp
objpctos de ouro, prata e diamantes por objecres
novo.- : na rua do Queimado n. 29, entrada peto
larpo de Pedro II n. 27, de manhaa at as 9 horas,
e a tarde da* i hora; em diante. Os objeglos ven-
dido- pelos aonuncianles sao garantidos por e les,
e estao promplos para levar objectos s casas das
pe^soas que desejarem comprar, urna vez que nao
possam vir a seu estabeleclmeuta
Vinho do Porto superior em caixa de duzia,
tem para vener Antonio Luiz de Oliveira Azeve-
Jo C, no seu escriptorio rua da Cru*-n. 1.
I't^as de cambraia adamascada com 20 varas, pro-
pria para cortinado, pelo barato prego de 115
so ftno a 800 rs. a vara,
salpicos a 15 a Wi.
T^rlatana branca fina a 800 rs. a vara.
Jtoaihado de algodo adamascado a 25200 a vara.
St e-tinho a 35200 a vara.
HiitiOHBs lisas de todas as cores, pelo baratissimo
preco de 500 rs. o covado.
r%as de cambraia de salpico? braceos e de cores
. com 8 li2 varas, pelo baratissimo pre?o de
45500.""
nlo*s de^SO arcos a 25500, de 25 a 35, de.30
/^>500,tb 35 45, de 40 45500.
Toalhas felpudas a 135 a duzia.
EUeiras da-India de 4, 5 e6 palmos por menos
fpreoo do que em outra qualquer parte.
-. Nest armazem se encontrar um grande sorti-
atento de rxipa feita e por medida.
Vendem-se chales de merino a 25, ditos de chi-
ta a 15600, 1^280 e 15 cada um, chales fiaos cora
ponta redonda e borlota de seda a 65 6 75 cada
um, cobertores de algodo a 15 cada um : na rua
da Imperatriz n. 56.
GAZ 'GAZ6Z "
Vende-se gaz da melhor qualidade a
ii.5alata: nos armazei.sda ruado Im-
perador n.t6 e rua do Trapiche Novon.8.
" GRANDE "HQUIDAOAO"
A UEXIIIRO,
.Va ioja c aniizcui de Guimaraes & Ir-
raao, rua da Imperatriz n. 72.
Os (Joos deste estabelecimento estao re-
sol vidos a liquidar suas fazendas por preco
baratissimo, s com o ftm de adquirirem fre-
guezia ; e previnem s pessoas, que nego-
ciam com fazendas, que nesia loja e armazem
encontraro sempre um grande sortimento
por menos 20 por cento do que em outra
qualquer parle, tanto em pegas, como a re-
talho. Vejam:
Chitas a 2 0 rs. o covado.
Vendem-se chitas preclaras francezas com
assento branco, escuro, cor de canna e par-
da, pelo barato prego de 240 rs. o covado,
afiangando-se que esta fazenda nao est po-
dre, e nem tem o menor deleito : islo suud
loia e armazem do Guimar5c^"&liiiuiu.
n. 72.
Cambraia branca, grande sorliuienlo.
Chetjot a este eslabclecimento um gran-
de sortimento de cambraias brancas de to-
das as qualidades pelos-pregos reduzidos de
3?5OO0, 3)00, 4#, 4/1500, e muito fina a
6$, vende-se por este prego por ter grande
porgao; cambraia organdy de2't0 e 300 rs.
o covado; dita fianceza, a mais lina que
tem vindo a esle mercado e dos mais ele-
gantes padroes, a 400 rs. o evado, 6 bara-
tissimo-; cbaly de seda de apurad gosto a
900 rs. o covado : isto s se vend na loja
earmazem de Guimaraes & limito, n. 72.
Para a festa de S. Joao !!! bailes c paseios.
hegaram a este estabelec ment, pelo
ultimo vapor francez, ticos cortes de finissi-
ma cambraia com lindissimo chuvisq.iinho,
que faz um effeito magnifico, e vende-se
pelo baratissimo prego de {> o corle, fazen-
da que val 10 em outra qualquer parte ;
cortes de laa com barra a e 12 : isto s
najoja e armazem de Guimaraes dr limito,
n. 72.
Para acalrr por lodo o preco!!!
lrelaulia de rolo com 10 varas a 3$ a pe-
ca; madapolao infest do com 10 varas a
30200,3500 e 4# a pega; ricos bordados
em fina cambraia a 800 rs.; soutembarque
magnficamente enlodado a 5> e 0$; lan-
zinba a 300 e 400 rs. o covado : damasco
de 2 larguras a 1)5280 o covado ; chalas de
merino estampados a 2(5; cortes de case-
mira a 2i5oOO e 35; bales americanos,
trito para senhoras, como para meninas a
30, tenio 30 arcos.
Itoupa feita de tudas as qualidades e tananhus,
Que se vende mais barato 25 por cento do
que em outra qualquer patn: i.-to -s para
liquidagao: na loja e armazem de fazendas
de Guimaraes cv Irmo..
EJ-RUA DA IMPERATRIZ, N. 72-m
Grande sortimento de roanas fertas de to-
llas' asqualfdades,
Calcas de casemira a 65 e 75500, ditas pretas a
65 e 85, caigas de ganga a 25 ,15800 e 15600,
ditas brancas ;. 2,-5, brim de linho a 35, 35300 e
45, paletots do alpaca branca a 45300, ditos prelos
a 35 e 35,*00, ditos de alpaca de cordo a 45- 6
de litra de seda a 5"00, ditn? sobrecasacos a 55,
p:.lf tota de casemira a .'.:5> 55500, C$, .Sj e 95,
ditos sobrecasacos pretis a. 15, 15 e 105, (lites li
nos a 2^5, de cores a-135. ditos fraques a 115,
paletots de ganga a 35, 25300 e 25, dit s de brim
pardo a 3, jaquelSes de hrim pardo a 35, panno
preto fino a 25. 2f6*0, 35300 SI, 45300 3 e (5 "
covado, moreartique preto a 25G00 o covado, pros-
denaple preto a 15300, 15800, 25, 35500 o ^SOO
o covado ; outras muits mais fazendas que fe
deixa de annuiiciar, emanda- ros da loja da arara casa dos pretendentes. O
i: tjbelecim^titi; est iberio at as 9 iiorasda noite,
rua da Imperatriz n. 50, Hendes Guimaraes.
roba, bollinbos ioglezes lata de 2 libras a 15 :'
ditps de. soda grandes 25008 outrosmais|
ros i~;io se torna enfac'oniu me'nciouar. O i-
tario espera a concuricncia do resj.euavol put,..^,
garantindo a cxaciioj,. do que tratar.
g,EBiiJ <
o.ggc
GSB-'JJI-^S g>
- O -i
n w 3
3 a o re S
D
80 5
o
ilplllll!
i3
PRATIVO
DoD'SERVAX, de Pariz.
Pharmaceutico de 1* ciaste, ex-
interno dos hospitaes, premiado
com a mtdatlta de bronze.
Desde muito tempo o publico
abandonou o uso das preparares
itituladas depurativas condecidas
sob o noms do Arrobes, Xaropes
de Salsaparrilha composlos, etc.
Cuja accao, maior parle das vezes
nulla, e n'algunas casos perigosa
OsCo.NFElTOSDF.PLEATIVOSTEMO ASPECTO
,E O COSTO AGIUDAVEIS E CONTEH SOB tM
IPEQl'E^O^OLUllE Sl'BSTiNCIASMtITO ACTI-
VAS QIE O SEO MODO DE PI'.EI'ABACAO TBNA
l^ALTRRAVEIS.
O siif ccfeMO qn esto con-
feitoM oltllverao vm Fran-
ca sob o patrocinio das principaes
celebridades medicas, os poe cima
de ludo quaulo loni existido alli
boje.
Cura rpida sem o socorro
de nenuu'm outro remedio iu
lerno, das escrophuias
herpes, affeccoes syphi-
[liticas hyperrophias
Idos tessidos celulares
[hydrop3a8 e em geral
todas as molcslias produzidas '.,"
GRANDE
m
o
O propietario do grande arm.-.zem do Baliza,
largo do Livramenti n, ?.B. nao tendo podido con-
seguir em lempo a nnwtnCa de seu armazem, por
ter de ser mudada a-coberla dessa casa, tem resol-
do vender o grande e magnifico sortimento de mo-
Ihados e seceos ijuc nelle se acbam per todo o pre-
co, sem allender ao grande prejuiz que ter, vis-
1 to. que d'outra forma nao o poder evitar.
pela ailercao do sangue ; ta
o resultado que queramos
nseguir e que temos sem-
pre obtido.
Urna explicacao accuipanlia
vidro.
Doscouliar-se, das facilica?ocscl imi-
lacoes.
Para (is ciuoiucihIus dii'g;i'-sc ac
5ii.cs. Bnissos bt c'*, 18, 8' Piincc
Eusene, Pariu
cada


s
:;
...... -' 1; :-.v.irti
!&MCfs49Bi
1 -; r..-. a.J (m lu Ac d uuk i. <'--< rts.
',. v.:| ,. .. .1..- fi \i I'!'*, lili I l:- '' '"
....,., .. tu. IK10 e tu.>'>, 'i-i- lili IGSAS Ot
r.f.iMj e O.NT s4o o n.eliiur e ni<.. c:i..../. reni :u
nf.-.on p.ira curara chloroiis (allufloor-allK -. os
'. \.i- l.roiir.-J i fr.-:.'.:o;.r. de coi:yilex3e nos U0..0
.,-... 1 111 ":-.: p*ti ;:ju.!ar a meiisl'ruaio das me. as.
;.s:.in l'.iur-.-as uftu siio vendidas senno cm caixiuua
:. .tro i-ubertm cuta rotulo e fechado com uma lira
fvsm!-> a Ursa do depositario ger&l : i..iF.i.or>YE,
.'..;...-r.co, r" Uo-.irbon-Vil'entuvf. 19. PTit-
Deposito geral em PerDamlicct, roa da
Cruz n.22 em casa de Caros & Barbn

r
>.i

MOTILADDI
ILEGIVEL
BBW/aammkwttkmmBtSmm


**m
\
V1*>rr***f+fruaim1mL seita eira O de Junbo de soa
ea
GNEROS BARATOS A MNHElRO
NOS
GRADES AH4ZBNS DE M0LH\D0S
DARTE&C.
H % Patco do Carmo d. 9 arinazciu Progresivo roa do Queimado n. 7
h % uiao e Commercio roa do Imperador d. 40,
eg JJ Principal armazem de molhados.
OS rilOPRIETlRIOSo
Fazem sciente ao respeitavel publico, e com especialidade aos senhores de en-
jnri'ios, l ivradores e mais pessoas do centro, que paramis facilitar suas compras deli-
l-oraram os proprietarios dos tres grandes armazens, reunir todos os seus estabeleci-
mentos em ura s anniincio, pelo qual o preco de um ser de lodos, promette-i
ii. jae nao infringiremos a tabella que abaixo val publicado, annunciar os gneros
p h ira preco, e na occasiao da compra quererem por outro, como socede constante-
mente em outras muilas casas, porm nos nossos estabelecimentos nao se dar isto,
anda mesmo com prejuizo nosso, qualquer pessoa poder mandar seus fmulos que!
serSo tam em servidos como viessem pessoalmente fazendo-nos o favor de mandar seus
pedidos em cartas feixadas; para evitar qualquer engaos, remetiendo nos urna conta'
peia qual se ver os presos tal qual annunciarmos, o que senao arrepender pessoa
alguma que fizer saa despenca em nossos estabelecimentos; pois pflupar mais de
5 por cento na sua despeza diaria.
anteiga ingleza perfeitamente flor chegada dem com 4 a 5 ditas a 3#200.
nltimamente no vapor Saladim, de 1-? dem vasios de todos os tamanhos a 2^000,
a i$200 a libra e em barril ter abat- 15300,800 e G40 rs.
meato. Queijos d 25300 a 20500 os mais frescos.
Ide n franceta muito nova a 900 a libra, e Vinagre puro de Lisboa a 280 a garrafa e1
80 em barris. | 2,5(000 a caada.
Banha de porco refinada a 720 a libra e 700 dem mais baixo a 200 rs. a garrafa e 10400
em barris. | a caada.
Cha uxim de superior qualidade a 2(5(600. Aze'.te doce de Lisboa muito fino a 600 rs.
1 lem perilla miudinho a 20700 a garrafa e 40600 a caada,
lien hysson especial qualidade de 2)5400 a Toucinho de Lisboa novo e muito alto a 320
2|600 a libra. | a libra, e em barril de 5 arrobas a 90400
dem prelo muilo especial a 20000 e 20400 arroba.
a libra. iCerveja Bass do fabricante Shlers & Bell a
fi-IA'HB
AIXAZI\S
OTE
ADOS;
! Largo da Santal
jCruz 84, es-
quina da na do]
sSebo.
VIMOS
? Largo da Santal
jCruz n. 84, es-$|
quina da ra do|
ESPECIii.ES isebo.
ror Bflhantp S 10ja muit4wedtado armaze
AMniS le-r 1 raes *>"ln>eo de gneros de primeira qualidade.
Nenhnm armliLa "J* a todl!*de base Para Juste de conas aos portadores,
pelo Se rflSSI? Ddera n?aibarat0 e melhores do que a Aurora Brilhaote, la-
cro ScnS,?^'106 ,enVa "FB' Pr1ue seu dono s deseja tirar diminuto lu-
provea? SiTT'f Mespezas do estabeleciraento por isso deixe se a-
Untes freguezes ***** Wa a dilie*> aBm de servir bem os seus cons-
L"a7nn8 1br" dechouriCas muito novas,
6^(300 a duzia e 640 a garrafa.
dem do Rio em latas de 40000 e a 800 a
libra. j dem Bass do fabricante T. F. Ashe a 65000
Latas erra biscouto de todas as qualidades a duzia e 360 a garrafa.
a 10200. | dem marca H Victoria Alsope e outras
dem da creditada fabrica de Biato Antonio' muitas marcas a 50 a duzia e 500 rs. a
(Li>bojj proprias para da.' a doentes a' garrata.
2$ t 35 a lata. I Sabao primeira qualidade a 220 rs. a libra
Bolaxmha ingleza muito nova a 3(5(500 a bar-, e 210 em caixa.
tica e a 40 rs. a libra. :idem segunda qualidade a 200 rs. a libra e
Latas cora l.olaxinba de oda e oval a 2
Presunto inglez para fiambre
llegado
no
ultimo vapor a 80 rs. a libra.
.. uirien e paios muito novos a 640 rs.
a libra.
Clisas com macarrao tilharim muilo novo a
vi)0 e 320 a libra.
'. .i branca o amarella a 500 a libra.
;ulate purtuguez de especial qualidade a
8 O a libra.
Idi n su-KO de 8-'0a 10000 a libra.
a 180 rs. a libra e
180 rs em caixa.
Sabao inglez superior
i6(> rs. em caixa.
Cafo primeira e segunda sorta a G05O3,
7(5500 e 80 a arroba, e de 220 a 280 rs.
a libra.
Arroz do Maranho 30200 a arroba e 100
rs. a libra.
.a 75300.
,Dmigsrn\.D!8 ooraP*xe era postas inteiras,
So qaa,,dades> a lm> 1*280
!siSS.^!^a,,,B|^7Sln-
.Ditas coraameixas a 1320, 1
? unas com marmelada do afamado
Abreu, a 720 rs.
|n!ascom massade tomate, a 500 rs.
Dl?,scA0?Asd* comadre, novos, a
ad e 25)00.
e 35*00.
fabriciQte
ftDl250o7' b0lachinha de soda
D'tasc.on,biscoitinhos inglezes de muitas
lidade
a 13100.
Chocolate.

dem da India
libra.
a 2.5600, 23800 e 100 15. a
i'i vondinos a 15400.
11 casca de guiaba era caixoes de 6 li-
a seguro a 1^800.
: i em caijwes pequeaps a 700 'i) para cima a t"40.
;. i secco em bocetas ricamej
contendo pera, pes?go,
n lies an'iol verdadeiro a IJWOO a libra Charutos Normas de Havana a 5#>00 a cai-
xa, de Simas (Jos Furtado).
dem Londrinos a 53, idem.
dem Parasienses a 43500.
dem Delicias a 13500.
dem Traviata do Rio a 53500.
e eafeitadas, Uein varetas de Manoel Peixoto da Silva
ha..1 Netto a 33500 e 1.3*00 a meia caixa.
'Wfm.u>iros do mesmo fabricante a 13300
a meia caixa e 3320ft a i"iixn.
dem mece lipes a 137'0 a meia caixa e
33000 a caixa do mesmo fabricante.
dem orientaes do mesmo a 13800 a meia
caixa e 33400 a caixa.
dem jovens de Castanlio Filho a 23400
a caixa.
dem suspiros do mesmo a 13)0) a meia
caixa, e outras muitas marcas de fabrican-
tes.
Passas muito novas a 13500 o quirto e 53
a caixa de urna arroba hespanhola e 320
a libra.
Vermute bebida para abrir a disposicio de
comer a 13300 a garrafa e 143000 a
caixa.
Alpisla muito novo a 33800 arroba e 140
a libra.
Painco a 43000 arroba e 140 a libra.
Peixe era Jalas j preparado a 13200 a lata
e em porgao 13000.
Sardinhas de filantes a 400 a lata.
Tijollo para limpar facas a 100 rs.
Esparmacete a 600 a libra e era caixa a
580.
Vellas de carnauba a 14$000 arrobare 440
a libra.
Azeitonas de Lisboa muito novas era anco-
retas grandes a 13800 e a 400 rs. a gar-
rafa.
Balaios do Porto muito grandes proprios
para guardar roupa suja a 23500, 33000
e 43900
Batatas em gigos de 31 libras muito novas a
800,.ea40rs. a libra.
e outras frutas a 33000 cada
!;n em calda em talas eixadasTiSrmeiica-
mente muilo bem enfeitadas, csmtendo,
pera, pesego, ameixas e outras-frutas a
S40 e 7u(J a lata, timbem temos latas
grandes a 13200.
M rmefada dos melhores fabricantes, em la-
tas de 23000 a 13200.
dem em latas de 1 1 2 libra a 1$.
dem era atas de I libra a 640 rs.
Ervilhas em latas chegadas neste ultimo va-
por a 700 e de 5 para cima a 640 rs.
i", .lo verde 011 Garrapato em latas j pre-
parado a 640 rs.
Ameixas em frascos de vidro a 13500.
dem em caixinbas ricamente enfeitadas de
1200 a 23500.
Conservas Mexide muilo novas a 700 rs. o
frasco,
dem de ceblas simples a 700 rs.
Molho inglez a 640 rs. o frasco com ro'.ha
de vidro.
' indi em p a 700 rs. o frasco.
I lem j preparada a 320 rs.
Latas com massa de tomate de i libra a
GOOrs.
I rn em latas de I I|2 libra a 900 rs.
Vi .los em garrafas vindos do Porto, Madei-
r'a Sccca, Duque do Porto, Duque Semi-
no, Cascavallas, Mara Pia, D. Luiz, Pe-
dro V, Velho Secco, Lagrimas Doces, La-
grimas do Douro, e outras muitas marcas
a 13 a garrafa e 93 a 123 a duzia.
dem Palmella a 13 a garrafa e H3000 a
duzia.
dem em pipa de todas as marcas Porto,
Figaeira e Lisboa a 400 e 500 rs. a gar-
rafa e 23800 a 33500 a caada.
I !i:.ii em ancoretas e 8 a 9 caadas com su-
perior vinho Lisboa e Figueira a 243 a
ancoreta.
:i 'uranco expecial qualidade proprio para
niis*a a 560 rs. a garrafa e 4$ a caada.
dem mais baixo a 400 rs a garrafa e 33500
a caada.
dem do ?orto especial quilidade a 800 rs.
a garrafa e 53500 a caada.
M m Bordeaux em caixas a 73 e 700 rs. a
garrafa.
Champanha a melnor do mercado v'rada de
nossa encommenda a 303 o gigo.
dem mais baixa de 183 a 203 e 13500 e
33 a garrafa.
LicoMS portuguezes e francezes a 13000 e
1 300 a garrafa.
.5 fa rasquino de Zara, verdadtiroa 13500 a
garrafa.
1 i ,11 mais abaixo a 800 rs. a garrafa.
ora de laranja ver 'adeira a 113 a du-
zia e 13 o frasco.
i de Hollanda verdadeira a 63 a fras-
queiiM e 640 o frasco,
llera de Hambur'o a 55500 a frasqueira.
I em botigas de Hollanda a 400 e 440
rs. o frasco.
Gj.YfOes com genebra de Hollanda com 24
garrafas a 83, cora garrafao.
Caixinhas com ameixas enfeitadas proptias
L. Para m|rao a 1J200,2}800 e 3J200. :
I 880aat?5M0PerOr mUt0 U0V' a '^ d
|M^C400'-aIharam e aletra araarella, i libra
Dito dito dita branca, a libra a 400 rs.
Laisas com estrelinha, pevide, e outras ftas-
| sas, a caixa 3.5300.
pitas dita em libras a 610 rs.
LSag, a libra a 360 rs.
JSevadinha para sopa a libra, a 2i0 rs.
Ervilhas seccas, a libra a 160 rs.
Ditas descascadas, a libra a 200 rs.
[Tapioca muito nova, a libra a 280 rs.
. J5Lha de ararula verdadeira, a iihra a
500 rs.
'A12a iIaranhao, em sacco, a arroba a
2400 e a libra a 80 rs.
.Dito da India e Java, a arroba a 3S200 e II-
| braalOOrs.
'Toucinho de Lisboa a 9^300 a arroba e a 320
1 rs. a libra.
lDi'de Santos, a arroba 7^000 e a libra a
260 rs. /
Mollios com 123 ceblas grandes, a 1J280.
[Mostarda franceza, caixa com 2 duzias a
7#000.
(Frascos com mostarda proparada em vinagre,
{ a 400 rs.
Ditos com conservas intlezas
6i0e800rs.
{Ditos com sal refinado Ano, a 610 e a 500 rs.
FDitoscoraa verdadeira genebra delarania. a
15000. .!
{Ditos de9 garrafas de Hullaada verdadelrS.a
' 640 rs.
';n com 14a 15 garrafas a 63.
Gomraa em paneiros a 43000 arroba e 140
a libra.
Farinda do Maranho muito alva e nova a
240 a libra.
Sivadinha de Franca para sopa a 200 a li-
bra.
Sevada muito aova a 140 a libra e 43000
arroba.
Caixas cora estrelinha, rodinba e pevide a
400 a libra.
Alhos em canastras muito novos e mauncas
grandes a 180 e 200 rs. cada urna.
Canella muito nova a 13000.
Cravo muito novo a 500.
Cominho idem a 320.
Ervadoce idem a 400. ,
Alfazema flor a 240.
Amendoas a 400 a libra.
Nozes muito novos a 160 a libra.
Papel greve a 43200 a resma,
dem lizo a 43000.
dem de pezo a 33000.
Idem de embrulho marca grande a 13200 e
13300.
dem azul para botica a 23000.
Copos lapidados a 535O0 e 500 cada um.
Palitos de denles, macos grandes a 120e
160 cada um.
Fumo americano de chapa, Qe superior
qualidade a 13500 a libra, em plorg5o ter
abat liento;
Botijas com dita proprla para negocio, a
< 400 rs.
)Garrafoes com 2 galoes com dita, a 65.
(Serveja boa, marca, a 500 rs. a garrafa, e a
) duzia a SfOOO.
'Vinho muscatel de Setubal, a garrafa a l&.
Marrasqumho verdadeiro, frascos a 80C rs. e
? a 1 -j.'Hii.
> Champagne, a duzia 200000. e a garrafa a
I 25000.
iAzeite refinado portuguez e francez. a garrafa
> a 15000. .
Caixa de vinho Bordeaux muito superor,.a
> 75, 85,95 e 105 a caixa.
f Ditas com dito branco, a 75 a caix3. ai
.Ditas com dito lagrimas do Douro verda4.W?3pl|ia
a 205. WLb*
Ditas cora duque do Porto verdadeuora
185000. Jv
Ditas cora chamisso superior, a 145- i'
?Ditas com Porto velho e outras muitas/mar-
?cas, a 125.
Vinho do Porto da pipa, a garrafa a 64(1*720
e 800 rs.
Dito de Lisboa muito bom, a caada a $3300,
35500 e 45, e a garrafa a 500 e 560 rt.
(Dito da Figueira, dasseguintes marcas(N.)
(J.A. A.) (J. L. G.) (O. M.) a.caada a
45500, e a garrafa a 360 e 640 rs., diste
que j est engarrafado e lacrado cem o
rotulo do armazem.
LDitosde marcas raais desconhecidas, afflna-
i da a 35500 e 45000, e a garrafa a 0 e
520 rs.
.Vinho branco fino, agarrafa a 640 rs.
IDito de caj muito superior, a garra
i 800 rs.
Vinho verde superior.
A caada a 35000 e a garrafa a 400 rs.
Gomraa.
Saccas de 4 arrobas, a verdadeira de se*
eneommar, a arroba a 35000 e a libra
120 rs.
Sabao massa, a libra a 200,240 e 280 rs.
Farioha.
Saccasgrandes com farinha de Goianna mui-'
to nova, a 55000. <
Caf.
Gaf do Rio muito superior, a arroba a 85,'
85500 e 95000.
Cha. 1
Ch,temos nestes gneros o melhor possivel,|
hyson, a libra a 25600.
Dito parola a 35000.
Dito uxim a 25700.
Dito hyson muito fino a 25800.
Dito redondo a 25500.
Dito preto de primeira qualidade a 25300.
Dito mais baixo a 25000 e 15600.
Erva mate.
Excellente cha medicinal, a libra a 210 rs.
Espermacete.
O raasfo com 6 vellas de espermacete a 600,1
610 e 720 rs.
Passas.
Caixas de 16 e 8 libras de passas novas pro-
prias para mimos a 45 e 25500. j
Nozes.
Nozes, a libra 160 rs. e arroba a 45000.
Alpisla e painco.
Alpista e painco, a arroba 45000 e a libra a
160 rs.
Cartas.
Cartas finas para jogar. a duzia a 25500.
Castanhas.
Castanhas novas vindas neste vapor,
ba 450OO e a libra a 200 rs.
Azeitonas.
Barris com azeitonas novas a 15500
Manleiga.
Manteiga superior, a libra a 15280.
Dita mais abaixo a 15200.
, Dita menos superior a 15
e francezasj a Dita franceza nova, a libra a 880
Dita dita era barris e meios ditos,
830 rs.
Dita para tempero a 400 rs.
Qneijos.
Quciosf!o\fs n muo novos, a "!
arro-
1
GOMMA NOVA.
Em paneiros muito alva a 4,000 rs. a arroba e 60 rs. libra e compran-
do de um paneiro para cima se far abatiment na ra do Imperador n. 40.
4NTIGA CASA
DE
GTJILHERME DA SILVA GIMARES.
8 RA DO CRESPO 5
NOV1DADE
E
fKG
mT,m
ras
Cortes de alpaka escoceza, cores brilhantes com listas de seda de duas largu-
pelo diminutissimo preco de 93 com 15 covados, que vera a sabir a 600 rs.
CORTES DE TARLATANA
bordados a froco e seda froxa com flores, de cambraia em releuo. Vestido de nura
phantasia para casamento, partidas, etc., etc. v
Vest mentas para creancas
objectos de gosto com primorosos desenhos de trancinbas sobre fusto.
CORTES DE SEDA A 30#000.
Bonitos cortes de follare! de seda com lindas barr. s matisadas por esv diminu-
tissimo prego.
-Capas. Paletos. Linhos
Loutambarques. Caifas. Algodes.
Manteletes. Golletes. Laas,
Chapelinas. Camisas, Sedas.
Chapeos. Ceroulas. Setins.
AOS SENHORES DE ENGENHO
Excellentes cobertores de algodo escuros pelo barato prego de,
800 JIS.
Algodes americanos.
Cobertores brancos de algodo.
Chitas escuras a 240 rs.
Algodo de Minas.
CHAILES DE FIL DE SEDA
campo azul, magenta e roxo com barras pretas e brancas..
Fazenda
a libra
de infinito gosto.
v
H,
$&
DE
Gregorio Paes do Amaral & Compauhia.
35000. 'w*t|
Ditos londrinos muo novos, a
15000.
Papel.
Papel al maco pautado, a-resma a 45800.
Dito dito lizo de linho, a resma a 45300.
Dito de peso lizo e pautado,, a resma a
25500.
Dito de embrulho, bom a 15 e 15200.
Xerez e Ma-
iffW
Vinho Madeira.
Garrafas com'o wrdarteiro viaho S
deira a 15500 e 25000 p*
Temperos. 4 % <&
as de louro, pimenta do reino, cominho
Cao, a libra a 400 rs. _
^fe-teiaijle carnauba.
Ma>s com.ff'^erasnB carnauba refinada a
4bu rs. #" -. m
^Amendoas.
Amendoas cora casca'a libra a 320Ts.
Dtfee. ^ I
Caixoes de doce de. goiabf fand4s<1#Q0{
e pequeos a 640 rj., -0
' Tijolos *d*ffmf ar.#
Tijolos de arear facas a 140 rs.
Graxa.
Duzias de. boioes de graxa n. 97 a 25000, e(j
deJatas a 15000, e os boioes a 240 rs. ca-j
4am, e as latas a 100 rs.
Charutos finos.
Charutos fin dos melhores fabrtaantes da
* Bahia polWiversos preos,aixii p' raeias;
caixas.
E grande quantidad de gneros tendeles
estes estabeleciine|itos, que deixam de an-
nunciar-se.
MCI^feDP4TENT
de trabalkar nio para
descaroca ralgodo
FABRICADAS
!' Por Plant Brothers & C.
OLDAM
^.
Estas machinas
poderadescaroca?
qualquer especi*
de algodo sem
estragar o fio,
sendo. bastante
duas pessoas para
otrabalho; pode
descansar urna
arroba de algo-
do em earoco
em 40 minutos,
ou 18 arrobas
por dia ou 5 ar-
robas de algodc :
limpo.
Iftsira como machinas paraserem movidas por
animaes, que descarocam 18 arrobas de algodo I
limpo, por dia; e motores para mover urna, duas,
eutns4essas machinas.
AGUA
DE
F l'o rida.
para restabelecer e conservar acd& natural dos ca-
bellos. %
A agua de Florida nao urna tintura, fado es-
sencial a contestar, mesma agua dando a cor
j primitiva de cabello. Compostas de plalitas exti-
cas e de substancias i^pffensiveis, ella tem a prc-
priedade de restituir aos cabellos o principio co-
rante que elles tem perdido.
De urna salubridade incontestavel, a agna de
Florida entrelem a lindeza da cabera, destroe as
caspas e empede os cabellos de cahir.
Oleo de Florida
Composto de substancias vegetaes exticas, elle
contribue poderosamente, com a agua de Flo-
rida a torga, a belleza e a conservago dos cabel-
los.
Em Paris casa de Guilaur n. 112 ra de Rechi-
lieu e 21 boulevard Montmartre.
Todos os frascos nao tendo intacto e claro, e Un-
cir prateado da casa, reputado falso.
Deposito ra do Imperador pharmacia n. 38.
Admiravel pecliincha!
Mocambiqnfta 300 rs. o covado, na toja
do pavo.
Vendem-se os mais bonitos mocambiques de pu-
te
N. 11Ra dueimado~N. 11
A este estabelecira*nto chegou uUifflra'ente da Europa ura grande e variado sorti-
mento de coriinados bordados o que tanle raaia gosto em desenhos e bordados.
Lindos bonets de palha de Italia pjra senhoras.
Chapeos e chapelinas de palha de Mlia ricamente enfeiudos.
Chapeos finos de seda para cabega & horneas e chapeos de sol de seda inglezes de
8,12 e 16 astes.
Bournus e chales de renda pretos superiores.
Pelisses e souterabarques de seda greta para senioras.
Corles de la de barras de 145 a 2ij de maito gosto.
Baldes de arcos e de musselina linos, manguitos e camisinhas.
Saias bordadas muilo superiores.
Meireantlque preto, grosdenaple pretp e de cores, panno preto Gno de diversas qua-
lidades e casemiras pretas e de cores. /
Lavas de pellica para homaro e senioras.
E muitas outras fazendas qae lado se vende barato na loja da Augusto Frederico
dos Santos Porto, aonde tambera se vendm as melhores e mais baratas
Esteiras da India para forrar salas
N. i\ --Ro te Queiraado-N. \\
Os mesmos tem para vender um bellissimo va- ra jia Proprios para vestidos e soufembarques,
porque^ide fazer mover seis destas machinas f. de Quadrinhos de listras e lisos, fazenda n-
mencionadas; para o que convida-se aos Srs. teiramente Dova em padroes e muito proprias pa-
agricultoresa.virem vr e exarama-lo, no arma- ra as senno,'as flue frequentam o mez Mariano,
zem de algodo, no largo da ponte nova n.47.
Saunders Brolhers&C.
\. II, praca do Corpo Santo
RECIPE.
Os aicos agentes neste paiz.
Attengo
Vendera-se pegas de esteiras para forro de sala,
tinta branca preparada a oleo, em latas de 2 li-
bras, para pintar casa, relogios para cima de me-
sa e para pendurar, arreios para I e 2 cavallos,
porqne est fazenda lhes facilita fazerem por pou-
( co dinheiro vestidos muito decentes para qualquer
acto, advertindo-se que este brfratissimo preco
devido a grande compra que se fez desta nova fa-
:enda, que se vende a freze tusibes o covado : na
lojado pavo, ra da Imperatriz n. 60, de Gama &
5i Iva.
Ga
z,
A 1IJJ800 a lata rom 26 a 27 garrafas, e 480 a
fnArafa' vinhPuro da Figueira, e verde especial a
velas de spermacete, tudo de superior qualidadi; Z^wlfXS^A Tw^VSSS.
, do becco do Serigado.
91, esqui c
Goke dogaz.
pitch do gaz.
Alcatro do gaz.
tonelladas rs. .
: Instruccoes para o servido
| das guardas do exercito, extrabidas do re-
' gulamento de infantaria e accommodadas ao
10^000 exercito brasileiro; obra que muito convm
80^000 aquellas pessoas que se alistam nos corpos
400 de voluntarios; vende-se na livraria n. 6 e
,0 coke reconhecidaraente o carvao mais econo-
Coke
Pitch i b
Alcatro caada.
>H(gIlSM
Saccas grandes com 100 libras de farello superior a
TaSio Ir mos
vendem gesso em p para estuque de casas, tija
finos de feitfo diversos para ladrilho, azuleijo.
diversos, gostos, tijolos vldrados para parede de c
zinha, canos de barro para esgoto, cement ero
barris de 10 arrobas.
mico, torna-se por isso recommendavel, bem co-
mo pelo asseio que se nota as cozlnhas aonde
slle-usado. Pitch e alcatro.alra das applicacSes
diversas a que se prestam, como para callafetar
embarcagoes.alcatroar roadeiras,etc.,teem este a '
propriedade de preservar do cupim, forraigas,etc.!
E' entregar na fabrica dogaz ou mandado por em
qualquer ponto da cidade, segundo a vontade do
8 da praga da Independencia, a t|.
comprador.
Em casa de Tisset Freres ra do Trapiche n.
9, tem para vender :
Vinho Bordeaux em barricas e em caixas.
Dito de Santerne fino.
Dito d* Champagne muito superior.
Cerveja franceza marca Bobee.
Xovena
mmm
Catangas Unos e I>rIai|nedos
para meniuos.
chegaram para a loja de miudezas da* roa io
Qupimado n. 69, os mais finos e lindos calungaS
tanto para brioquedo de meninos como para cima
de mesa : na mesma loja se encontrar bom sor-'
timento de raiudezis.
A 149 isso e i500.
Leqnes de osso, ultimo gosto, a 15-
Ceroulas de meia a 15200.
Diitas muito finas a 15500.
S na ra da Cadeia do Recife n. o.
OPHEMSIA
PARA SIXTO ANTONIO E
SAO JOlO
Vendem-se sortes muito bem feitas e de
papel muito bom 4$ o cento : na ra das
ICruzes n. 41, taberna da porta larga.
QUADROS
\\ i i:\it \ ii:
AQCARELLA
; Uaia sceaa de nossos dias.
Drama
Por Pedro de Calasans
Veodem-se estas obras imprecas ei Braxellas
e Leipig : na livraria de Jos Nogueira de Souza,
ra do Crespo.
Vende-se orna negr nha de 10 annos, muito
esperta e sadia : no pateo da raatrii de Santo An-
tonio n. 8.
de Xo.ssa Senhora
Carozo e de ftaul'Anna.
j Vende-se na roa do Imperador n. 13, offlclna
de encadernacao : ooBcio, salve e versos, nove-
I na e salve de Nossa Senhora do Carmo, tres fo-
i ]}\e}os Pr SOO rs., e a novena de SanfAnna
-izO rs.
de
por
3><
avariado.
Francez barrica 55000
Portland idem 8500
Em perfeito estado:
Francez barrica 105000
Portland idem 125000
No armazem de Tasso Irmos caes do'Apollo.
1
MUTILADO


ILEGVEL
%M ^afeS^;fi&!ail^^^


Diario de Peraambneo sexta felra 99 e lambo de 18&.
"-^&
i AO PUBLICO
Hem o menor constran-
glmeato se entregar o
importe do genero que
So agradar.
ATTEHQAO ,
O presos da eguintc
cabella 6 para todos, po-
rteado assim servir de ba-
se para o ajuste de contas
eom os portadores.
I 1
Mtova
s habitar.
'' m sui m.i rte mandada
fr
o
1JP1JBI.TCO*
,tpro\i'icia^xiste no grande arma-
ct fMjpfico nrtimento de molhados,
u .-'t pente d cstrangtiro podem ser
._|ifcir \ .'a razoavoii.
de qaarer que esto uu > : !oi larntabelecimento seja o
l iuifjiro f Raice 3tMttt ?t^8r?ft po"fm ..ffiaiiar, cJ4$a a seguranca de que
fjajliMik oi.trcf o exceder'tWfBSrrtt'o cumprimento das seguintes promessas:
1/ Delicadeza "no. trato.
% FideUdade no peso.
3/ Sincridade nos presos.
As pessoas qtje por sua posico socfel gozara de certo tratamento, acharao nesta
casa os melhores quaijos londrinos, cerveja, vinhos linissimos manteiga e cb semprede
primeira qualidade. |tc, etc.
Q;iali]uer quej seja a condico do freguez, elle deve contar que ser sempre mul-
to bem servido.
Aquelles queo pouco favorecidos da sorte farao mensalmente urna economa de
militas patacas, afregpezando-se nesta casa, onde se lhes vender o arroz, o caf, a man
teiga oassuc-.r, etc., etc. de boa qualidade pelo preco que em algumas partes nao po-
dem ou nao querem vender.
Os -senhores de fra da cidade, dos arrebaldes ou centro, que compram para ne-
gociar, devem vir, pelo seu proprio inleresse, a este estabelecimento para se convence-
ren! do quanto se pode vender barato.
Para os senhores que compram para tornar a vender existe um sortimento espe-
cial, escolhido por pessoa entendida que cerlamente muito deve agr lar aos senhore*
ompradores.
Nao se tem poupado sacrificios, nem se deixar de fazer a diligencia para agra-
lar ? todos.
PELOS SEGINTES PRECOS S SE VENDE
DINHEIRO A VISTA!
Giiaixa em latas, muito nova, a 80 rs. cada
urna.
K
KIRSCH de Wasser a 2 a garrafa.
L
LATAS com graixa a 80 rs cada urna.
Letiiia a 400 rs. a libra.

MANTEIGA ingleza e franceza de p imeira
qualidade a 1#, 1$120 e 1$280, em bar-
ril se faz grande abalimento; a que ven-
demos por l#28 a lib a, vende-se em
outra qualquer casa por 15400 e 1&500.
i Marmelada dos mais acreditados fabricantes.
Azkite doce de primeira qualidade a 560 rs. Macaiuio e talhaium a 320.rs. a libra,
a garrafa. Massa de tomate a 6tO rs. a lata.
ZEM NI
RA DA CADEIA DO RECIFE N. 53
(Logo passando o a re o da ConceleSo)
,. PARA BEM DE TODOS.
ILr
pfasidio aos arranjos destenovo estabelecimento, e mais que tudo a promptido e iniei-
reza com' que serao trat**f *wvtda a urna visita ao mesmo, certos de que sem duvida me dar5o a protecejo e preferencia na com-
pra dos gneros que precisara e qnando nie possam vir poder3o mandar seus portadores, ainda que estes sejam pouco pratiecs,
pOisserSo tobem servidos como seviessera pessoalmente, havendo para com estes toda recommendacSo, afim Jde que n3o vao em
Ajetria, macarro
Senhore' 'horas, o aceio que p<
A
\LP;5TA a 120 rs. a libra.
Mem e painco de oito libras para cima a
400 rs.
.\rroz de 90 rs. a libra a ......
Amendoas, casca molle, a 280 rs. a libra.
utxLAS a 2l0_rs. a libra.
Ameixas francezas em latas de todo; os. ta-
manhos.
Moni dem era potes de lodos os tamanhos.
I lem i iem em bocetas de todos os taraa-
nlios.
Idcm idem em frascos de lodos os tama-
unos.
Autos a 200 rs. o molho.
Aisvntho a 2#000 agarrafa.
B
Mostarda ingleza a 800 rs. o frasco.
Momio inglez de todas as qualidades.
Marrasquino verdadeiro de Zara a .
BOLACHINflAS do Beato Antonia em latas Massas finas para sopa branca e amarella a
grandes e pequeas. GO rs. a libra, em caixas com 9 libras a
idem do Prncipe Alberto a 20OOQ a lata, e j 3500.
de cinco para cima.a ISDO.' V MfcHo&iinco q^lpista, sendo m^js. ^e 8 l-
Idem de sola em latas grandes aSlOOO e bra a iqp-rs. '
de cinco para cima a |?800.
Bisamos inlezes de todas as qualidades a
10200, 1 >:i0 e 1,5300.
Bji.o franco/, cm caixinhas.a 300 rs. cada
urna.
Batatas inglezas.

.
I lem de primeira qualidade
/Toba.
conservas em tascos a 320 rs. cada um,
sao muito novas
dem inglews, frascos grandt*.
iiAMPA.\i:de todas as marc.
Cuarope de grosella, orchatajetc, etc.
Chicaras e oires a l#800a (zia.
Cervbia da superior marca Ttente a 500 rs.
agarrafa, eem duzia se fk grande aba-
timento. !
I lem Vicaria Bas tres X e dejutras marcas.
jiARLTOS das mais acreditada marcas, co-
mo sejam : Normas d'llavaa, Exposicao,
Flor do Brasilj Parisiense-jelcas, Gua-
nabaras, Trovadores, Kegai, Mississipes,
Panetellos, Aprazveis, Vzetas, Brasilei-
ros, Americanos, Flumineiies.
CiiA de todas as qualidadete de todos os
procos, bysson, huxm, fcfar, preto, e
preto ponta branca, etc,ftc, a 2$000,
iM 0,2;>30 e 23800.
Copos lisos^de lodos os lamamos de 120 a
320 rs. I L
Idem lapidados de todos'os pannos a du-
zia a 25500, 3,?500, 45 ffl.
Clices de todos os tamanrp.
Cognac superior a 1 & e 10 rs. a garrafa.
Cigarros do Rio, pardos,
de cinco macinbos.
1>
DOCES de todas as qualds : brasileiros,
portugueses, inglezes, fthcezes, etc. etc.
ERVILIAS seccas a 120 i( a libra.
ervadoce a 400 rs. a libra
* \
FARINHA SSSde 8.librjpara cima a 120
rs. a libra.
llera .teatarula a
' fieos de wfaairejri
FniM^erde emi3rn
F\\Asemlat*a6fiOrs.
Fimo do Rio a 500 rs. a
dem americano em latas p.
Farello ha tempre em psito de 500 a
800saccoi, de todas.aaalidades, de to-
dos os tamanhos e,*Je i s os precos.
GOMMA a 50 rs. a libra:
Id-raa liOrs. alira>alva.
Grao de bico a 120l* a ra> e em Porcao
f se faz grande abalftei
/Geneira de laranpre eir a
. frasco.*
H
NOZES a 120 rs. a libra.
Naros em latas a 800 rs.
O
Osiras ;:>l'":. e americanas.
P
;a, latas grandes, a 1$C00, de
lades, como sejam savel,
_*^ : pargo, salmo, pescado e
guado, sardinha. etc., etc.,
il- cellente preparagao.
wScritfi es a 120 rs. o mago muito
i .o a 15400.
(dem muito novas a 400 rs. n libra.
75000 a ar- Pomada muito nova a 280 rs. a duzia.
;<*".
Tf"tv
80 rs. o maco
500 e 800 rs.
libra.
!
QUEIJOS flamengos.
dem prato a 800 rs. a libra.
dem suissos a 800 rs. a libra.
dem londrinos a 800 rs. a libra.
Qi.-arti.mias ou morinques a 05, 85 e 105 o
par.
U
RAPE' Meuron a 15 a libra,
dem Princeza do Rio a 15200 a libra,
dem francez a 25500 a libra.
S
SABO massa a 160 rs. a libra, em caixa se
faz abatimento.
Sal refinado em frascos a 500 rs.
Salame de Len a 23?.
Sardinhas de Nantes de todos os fabricantes,
dem de Setubal em latas muito grandes a
720 rs.
Stearhsas a 600 rs. o mac/).
T
TOUCINHO de Lisboa a 320 rs. a libra.
Tomate em la l as a 600 rs.
Tinta azul e preta para escrever.
V
VINHOS!!!
Principe Alberto, del83W- a -55000a gar-
rafa ; d vida aos velhos.
Velho secco a 25 a garrafa.
Lagrimas do Douro a 15300 a garrafa.
Duque do Porto verdadeiro a 25 a garrafa
Duque a 15 e 15500.
Cliamisso a 15, 15200 e 15500 a garrafa.
D. Luiz a 15 agarrafa.
Moscatel verdadeiro de Setubal a 25 a gar-
rafa.
Carcavelos a 15.
Colares a 900'rs. a garrafa; o nico vi-
nho que se pode beber por nao ter com-
posicao alguma.
Lanlerne a 800 rs. a garrafa.
Bordeaux Medoc a 800 rs. a garrafa.
dem S. Julieo a 600, 800 e 15 agarrafa.
Absynlho a 25 a garrafa..
Kirsch a 25 a garrafa.
Wermoulh a 25, e a caixa a 185.
Btter Maurer a 15 a garrafa,
Grave a 800 rs. a garrafa; vende-se por este
preco por liaver sempre em deposito 50
duzias.
De caj, de 1852, a 15200 a garrafa.
Velho do Porto, em ancorelas de 9 caadas,
a 35^000 ; vinho que, estando engarra-
fado, vende-se a 15280 e 15500 a garrafa.

tra fPiie.
Manteiga ingleza especialirente escollada a
l.ooo e 8oo rs. a libra e em barril se faz
abatimento.
dem franceza a mais nova do mercado a 96o
rs. a libra e 900 rs. em barril ou meios.
Cha hysson de superior qualidade a 2,600
rs. a libra.
Cha perola o mais superior do mercado a
2,8oo rs. a libra.
dem hysson muito superior em latas de 15
libras muito proprio para negocio a 2,ooo
rs. a libra.
dem hysson nacional em latas de 1 e 2 li-
bras a l,6oors.
dem preto o que se pode desejar neste ge-
nero a 2,ooo e 2,2oo rs. a libra.
Linguicas muito novas a 8oo rs. a 1
barril se faz abatimento.
Chouricas e paios a 8oo rs. a libra.
Costelletas inglezas a 64o rs.libra, serve
para temperar panella ou para fiambre. I
Queijos do reino chegados neste ultimo va-i
por a 2,2oo rs., ditos de navio de vella a
e talharim a 4oo rs. a li- Sal refinado em frascos de vidro com
o,ooo a caixa. do mesmo. a 5oo rs.
lamia
- mesmo, a 5oi
nTaPhr?nra nV,m^!Dh%?evide 6,-',di' ^^ branca das marcas mais acreditadas
\ -Soo i 3?S n 3 G4 rS-a 1,bra e que vem ao mercad0> a 5oo. 5fio e <4o
V nlm do n,n m t "' g3rrafa' e 5'80' 6'000 e G'3o a dl"
Vjiiuo do Porto muito fino proprio para zia.
ir, em ancoretas de S caadas a Cevadinha de Franca muito nova, a 2oo rs.
Charutos do affamado fabricante Jos Furta-
-'35,ooo rs.
Vinho em pipa : Porto, Figueira e Lisboa a
32o, 4oo e 5oo rs. agarrafa, e em caada
a 2,5oo, 3,ooo e 3,8oo.
Vinho branco de Lisboa de excellente quali-
idade a 4oo e 5oo rs. a garrafa e em caa-
da a 3,ooo e 3,5oo.
Vinho branco para missa em caixas de 1 du-
t zia a 8,ooo e 68o rs. a garrafa,
ibra e em Vicho do Porto das melhores marcas que
yem ao mercado como sejam : Lagrimas
do Douro, Duque do Porto, Rainha de Por-
tugal, Duque genuino, D. Luiz 1, Madei-
TaSecca, Malvazia fina a 16,ooo, 15,ooo,
12,ooo e lo,oooa caixa com I duzia e9oo,
1,ooo e l,5oors. a garrafa.
do de Simas, das seguintes qualidades:
Exposiciio Normal de Havana, Impeiiaes,
Londrinos, Gnanabaras. Parisienses, Sus-
piros Delicias, a 4,ooo, 4,5oo, 5,ooo,
6,ooo e 7,ooo a caixa ou em n eias.
Charutos finos de diversas marcas e fabri-
cantes, como sejam: Flor do Norte, Ma-
nilhasde Havana, intervallos. Vencedores,
Panatellas e Suspiros, a 2,ooo, 2,5oo e
3,ooo a caixa.
opnac ingle-/ das melhores marcas, a ooe
l,2oo a garrafa.
Doce da casca de gciaba a 2,ooo a lata rom
4 libras.
1 Farinha de araruta verdadeira a 32o rs. a
2,ooo rs. Viho Cherex de superior qualidade a 16,ooo libra,
dem londrinos muito frescos e de superior | a duzia e l,5oo rs. a garrafa. Matte.excellente cha para os navegantes, a
qualidade a 8oo rs. a libra. Sardinhas de Nantes a 4oo rs. os quartos e
dem prato a 8oo rs. a libra, e inleiro se faz' 64o rs. as meias latas.
abatimento. t Botachinhas inglezas muito novas a 5,ooo a
dem suisso o mais superior que tem vindo \ barrica e 320 rs. a libra.
ao mercado a 64o rs. a libra. Bolachinlias de soda em latas de diversas
Ervilhas e favas portuguezas j preparadas qualidades a 1,3oo rs.
em latas hermticamente lacradas a 64o. Cartes com bolo francezmuilo proprios pa-
Feijao verde muito superior a 640 rs. a lata. \ ra mimo a 64o rs.
Copos lapidados para agua a 5,ooo e 5,5oo! Paisas muito novas em caixinhas enfeitadas
rs. a duzia. para mimo a 3,ooo rs.
dem dem para vinho a 24o rs.,e2,4oors. Passas de carnada a 8,coo a caixa c 4oo rs.
a duzia. a libra.
Chocolate francez 'espanhol e suisso a 9oo, Figos de comadre a 24o rs. a libra.
l.ooo e l,2oo rs. a libra. Amendoas de casca mole a 4oo rs. a libra.
Espermacete superior a 6oo e 64o rs. a li- Milo de amendoas a 5oo rs.
bra e em caixa se faz abatimento. BolacMnha d'agua e sal, da fabrica deJooj
Peixc em posta em latas hermticamente la- de Brito no Beato Antonio, em lata de 6 li-1
2oo rs.
Sebollas de Franca muito grandese novas
a l,8oo o cento e l,2oo solas.
Palitos do gaz a 2,2oo a grosa.)
Toucinho de Lisboa muito novo a 32o rs.' a
libra e 8,5oo a arroba.
Banha de poico refinada a 65o rs. a libra.
Bolachinba Alberto, as melhores que pre-
sentementetem vindo ao mercado, a 2,ooo
a lata.
Farinha do Maranho muito alva e cheirosa
a 2oo rs. a libra.
Frascos com fructas em calda de diversas
qualidades a 2,5oo e l,5oo o frasco.
Caixinhas com fructas em doce secco de di-
versos tamanhos, muito proprias para
mimo, a l,6oo, 2,6oo e 3,5oo cada urna.
eradas e das melhores qualidades de pei-' bras por2,5oors. Ruibos, excellente peixe portuguez, em
xe a 8oo, l.ooo e l,2oo rs. Ameixas francezs em fiasco, de vidro com- barris pequeos ou a relalho, a vista se
Vinho Bordeaux das marcas mais acredita- lampa do mesmo, a 155oo. far o prego.
das que vem ao nosso mercado a 7,oooe Ameixas franc zas em ixinbas de diversos; Azeitonas de Rivasem ancoretas grandes de
8,ooo a caixa e 64o e 7oo ris a gar- tamanhos com bonitas estn pas na ca-1 8 garrafas por 6oo e Soors. a garrafa.
rafa. xa exterior, a l,4o:>, l,6oo, l,8oo e 2,ooo Azeitonas portuguezas a 5oo rs. a garrafa e
Genebra de JIollanda a 48o rs. a botija de cada urna. ; l.5oo cada,Jimaancorela.
conta^erta.-* "A2Kedoee refinado hespanholou portuguez Champagne da melhor qualidade que vem
Frasqueirasde genebra de flollanda a 6,8oo a 9oo rs. a garrafa e lo:ooo a caixa. ao mercado, a 2,ooo e 3,5oo a garrafa, e
e 64o rs. o frasco. j Batatas muito novas a 8o rs. a libra e2,5oo 24,ooo e 26,ooo o gigo.
Genebra de laranja verdadeira era frascos o gigo com 86 libra-. Gomma de engommar muito alva a 12o rs.
grandes a l.oooell.ooors. a frasquera. Conservas inglezas a 75o rs. o frasco e a libra.
Caf do Rio de Ia qualidade a 28o rs. ali-, 8,5oo a duzia.
bra e 8,5oo rs. a arroba. Vassouras de escova para esfregar casa a
Caf do Cear muito superior a 24o rs. a li-; 4oo rs!
bra e 7,5oo rs. a arroba. ] Noztfs muito novas a 16o rs. a libra.
Arroz do Maranho de Ia qualidade a loo, Molho inglez em garrafa de vidro comrolha
rs. a libra e 2,8oo a arroba. do mesmo, a 16o rs.
dem da India a loo rs. a libra e 2,8oo a ; Mostarda ingleza dos melhores fabricantes,
arroba. i ^ 8oo rs. o frasco,
dem de Java a 8o rs. a libra e 2,4oo a ar-1 Mostarda franceza em potes j preparada a
roba. 4ao rs. o frasco.
Painco e alpista ajio rs. a libra e4,oooa Lenlilhas francezas. excellente legume para
.arroba. siQpa, a 2oo rs. a libra. *
Massa de tomatesde superior qualidade a 64o Marrasquino de Zara propriamente dito a
rs. a lata de urna libra e56o rs. a reta-, l^a garrafae H,ooo a duzia.
Iho. ; Palitos de dente a 14o rs. o maco.
Rival sem segundo
r.ua'do Qneimado n. 49, loja de mludeas de Jos
A Aievedo Maia e Silva, eia queimaudo uuc ad-
mira, a saber :
Frascos com superior tanha a 200, 2?0 WO rs. -
Laus com superior baoha a 200 rs, '
Frascos cora superior asua der**'6"'3 a l0 e
400 rs.'. S
Frascos com superior oleo^ baLoza a 210, J^o a
400 rs. ^^-^.--------
Garrafas da verdadeC-!?Ua T'lcrida a- l2S0.
Frascos de superior oleo da sociedade Rici uuiue
a GO rs.
Frascos de superiores cheiros santal e mr< f Bu4-
los a 10(J0.
Saboneles de familia a 210 e 200 rs.
Saboueles de superior qualidade-a 00. 120 el Or$.
Caitas com 12 frascos de cheiros uioilc faaa i
15 i 00.
Caixas dilo com 6 frascos melhor h?-r.'. i 11,.
Nos de pomada franceza grandes a 501 rs.
Saboneles de bolla pequeos e grande; a ^;u e
320 rs.
Frascos com superior opiata a 800 rs.
Frascos com superior agua para deules a 130CO.

W
Rua a Brunn BiiiKft 38.
Neste eslabrleoimerilo acham-st a v ua <.,..
guinlcs objeclos, lodos da primeira qaftidaoe. e
icnsiruidos especialmente para esta >.-,. eios
nais acreditados fabricantes inglezes :
Machinas a vapor de 2 1|2 a 8 cava t. rcm
moendas, juntas e sem ellas ; e lamn di pn ras
para descarogamento de alpodao, abmadas pea
fortidao, sirr.plicidaie eeconoma ti n u l: -i.vi .,
e por nao prtci.-ar de obia qualquer para -
esntamenio.
Rodas d'agua de ferro, systenia nuii pi ili so
da forja d'agua.
Rodas de espora, e angulares, e de i .
para amniaes.
Moendas e meia-moondas.
Taixas de ferro batido e fundido, e de cobre.
Machinas para descaro$ar algodSo, s):Um
Platt, com es ltimos methoramenl ,.
Boceas e crivos de patente para f maltas,
nuindo muito o gasto do combostive .
Machinas e niaehinismos para moer n andioui,
movidas a vapor, agua oo cavallo.
Fornos e chapas de ferro batido para t ;,
rinha.
Alambiques de ferio, e fundos.
Guindastes, fuos e | ortatils.
Prensas para copiar cartas.
Rodas para carro de eugeuho coro cixos e man-
gas de patente.
Formas de ferro balido galvanizado ara
S'-rras de ac e armaroes de serrarla.
Arados de ferro singelos edil t; i' s.grad
cubrir canna, cnxadas a cavallo, e ootros iusli .-
mentos de agriculiura.
Vinho do Porto cstceial.
O mais generoso e geni'ino vinlu do Pon ,
cas novas e especi.'.es em caixiiihis de l..
fas, sendo marra Hinha de Portugal a ...
xa e Pedro V a 165,i-m porcao far-se-ba nm lja-
te razoavel : no armazcm de Feri. Ira & Mal
na rua da Cadeia do Hecile n. 06.
i ..... ...
Cheyarattt os superan <
cortes de sida
Superiores cortes de seda de cor, vi:.i
ultimo vapor francez : na luja da- columnas
do Crespo n. 13, de Antonio Correia de v
cellos & C.
Farinha de maudiooa fiua e alva, mais
ta do que em qualquer parte, arroz da ierra, la-
do e ern couta : para ver e tratar, i a roa d
gario, casa n. 29.
escutas iniDss.
Figosem sextinhas a 8o rs, cada urna e 72o
rs. a duzia.
Papel azul para botica a 2,ooo a resma.
Balaios para roupa suja, grandes e peque-
os, por diversos precos.
Amendoas confeitadas a 6io rs. a libra.
Latas com fructas em calda: pera, pecego,
damasco, rainha Claudia e cereja, a 800
rs.
Vinagre de Lisboa a 2oo e 28o rs. a garra-
fa e a l,4oo e 2,000 rs. a caada.
Azeite doce de Lisboa a 4,800 rs. a caada
e 640 rs. a garrafa.
Vinagre brancoj engarrafado a 5oo rs. a
garrafa.
Agua florida e tnico orien-
tal de Kemp.
Continua-se a vender em porcao e a relalho :
na rua do Queimado, loja d'aguia branca u. 8.
Cliromacomo
A aguia branca, na rua do Queimado n. 8, acaba
de receber um novo sortimenlo de caixinhas cora
chromacomo para Ungir cabellos, e bem assim
frascos com hydrocalletrichina, agua para desen-
grasar os ditos, coloncomo para lustrar os ditos,
e onychromaotina para limpar as unhas. Essa
tintura, cujo effeito rpido e efficaz, est bem co-
nheeida e apreciada para lodos quantos delta tem
usado, eos que de novo a quizerem apreciar, po-
dem, assim como aquelles, dingir-se munidos de
dinheiro rua do Queimado, loja d'aguia branca
numero 8.
Papel e folhas para rosas
Acaba de chegar para a loja d'aguia branca, na
rua do Queimado n. 8, um bello sortimento de pa-
pel de cores para rosas, dito verde para folhas, e
dito tambem verde e mui fino para cobrir o ra-
me, assim como folhas de panno e avelludadas
para ditas.
Aspas de baleia para vestidos
Vedem-se na rua do Queimado, loja d'aguia
branca n. 8.
Superiores penas d'aco ingle-
zas t francezas
A aguia branca alm do grande sortimento de
penas d'aco que constantemente tem, scaba de
rtceber mais outro de superior qualidade e dos
afamados fabricantes Perres & C, assim como as
verdadeiras blco de labca n. 134 contras de pon-
ta dourada, continuando porm a vende-las por
precos commodos, cora taaloque o comprador com-
pareca munido de dinheiro : na rua do Queimado
loja da aguia branca n. 8, onde tambem achar-se-
ha a venda pastas para papis.
A aguia branca na rua do
Queimado n 8, receben 1
Bonitos e graudos aljofares de cores para voltas.
Pulseiras de ditos de igoaes e agradaveis cores.
Voltas pretas maiores e menores todas de eont:s
grossas.
Pulcelras pretas tambera de contas.
Outras de diferentes qualidades e gostos.
Brincos de aljofares de cores e dourados.
Fiveias d'aco grandes e pequeas com cinto pre-
to e de madreperola.
Ouiras graudes de dlfferentes qualidades e re-
dondas com pedras.
Bonitosleques de {madreperola redondos e de
outra forma.
Ditos de sndalo inte/icos e corredizos.
Capellas brancas para meninas.
DINHEIRO FRANCEZ.
Vendera-se moedas de ouro e notas do Banco, e bem assim urna colleccao desde um centesimo
tmilfrancos : vende-se barato rio Recife, rua da Cadeia n. 60, noarmazem da Exposicao de Londres.
ce
1
fa
o
75 3
m a,
s?s
63
a
Para completa liquidacao vende-se, por muito menos de seu valor, perfumaras muito finas e
novas, chegadas recentemente de Paris e de Londres dos mais afamados fabricantes seguintes : Eug,
Rimmel, R. Matheus & C, Lubin, Sociedade Hygienica, Piver, Viole!, L. Legrand, Deletrez, Pinaud &
Meyer, Regnere, Mailly, Gillet frere etc., etc., dos quaes ha grande sortimento d'agua de colonia em
vidrps e garrafas, agua de lavande, agua para I impar denles, oleo babosa, extractos em garrafinhas e
vidas de differentes modelos, pos para limpar deotes, banha em potes e em vidro?, pomadas, ricas
cai^nbas ebalainhos com perfumaras para fazer presentes, e muitos outros artigos que se vende por
menos de seu valor, bem como todos os artigos em geral existentes no grande armazem da Exposicao
de Ddndres, na rua da Cadeia do Recife n. 60.
i
Para senhoras.
Ricos e modernos pentes de tartaruga para tranca de senhora, o que se tem felo de mais
at o presente : vende-se por menos de seu valor para se liquidar, no grande armazem da
o de Londres, rua da Cadeia do Recife n. 60.
ele-
Ex-
Luvas novas de Jouvin.
Vendem-se exc.ellentes luvas de pellica recentemente chegadas de Pars, tanto para homem co-
mo para senhora, por menos de seo valor, para se liquidar ; no grande armazem da Exposicao de Lon-
dres, na rua da Cadeia do Recife n, 60.
\zeite doce refinadoem pequeas latas a 560 rs. a garrafa
da Liga.
,<
Saceos de 80,100 e 120 libras a 4$, 40500 e 50 ; no grande armazem
Bptt
I
no graude armazem
da Liga.
MfGwbv/k>^ \.ii *&&X \&Xz> Ei
No dia 2 do correte mez de junho fugio
do sitio Recreio de Itapessuma, leimo de gi a
s, o nioeque de nonie Agricio, Ce idade de ;.''
annos, com ferro no p e os signaes seguiul -
bem preto, magro e espigado, permntflnrs,
compridos, seceos e limpo", cabera rtgular, 1 ihos
grandes, olhar espantado, heicodo, ten
de baixo mais cnido. Levoncamisa de brim :
co remendada, e mangas curtas, calca dei
azul grandes per nao seren dellc, e" um chapeo
de feltroj velho. SuppSe-se estar acontado eoi .tl-
gum lugar, ooter-se aggregado a algnm mboio
de matutos. Recomuieuda se aos capilaes e.
po e as autoridades polieiaee a captura <\ Qiesn o
melequ, pagando-se quaesquer despezas i gi Pill-
eando se a quem o dtsfobnr e entregar a m a se-
nhor na rua das Triucheiras 11. i8, ou no mesmo
sitio Recreio, de onde ellefugira.
No dia 25 docorrente, ansenton-se de casa de
seusiSrs. o preto de nome Izidro, de idade <\e 24
annos, pouco mais ou menos, com os signaes se-
guintes : alto, cor fulla, pouca barba, esta apon-
tando, cabello cortado a nazareno, lem una peque-
na ferida em um p, do lado de lora do p osqt i -
do, foi com o p um pouco inchado. Levou duas
calcas urna branca e outia azul, camisa branca,
bonet preto, natural do logar de ftaoanelras da
Parahiba ; lem ofll^io de padeiro. B ga se poi I oto
a todas as autoridades policiies, e rapites de am-
po, que logo que seja encontrado o apprebendam e
levem-n'o a seus senbores na praea da Saina
t^ruz n. 6, padaria, que pagarlo as despeza?, as
despezas, assim como giatiticaio a qualquer pes-
soa que o trouxer.
Cscrava fogida.
No dia 14 do crreme fugio a escrava de nome
Joanna, crioula, de idade 30 anns, tmdo os sig-
naes seguinies caractersticos: mal encarada, no
rosto tem um signal um tanto saliente, estatura
regular e gorda, levou vestido de chita claia, cha-
les de merino estampado de assento n xicado .,1
em meio uso, e levou mais um vestido de caita es-
cora, negra do mato, tem urna falla muito des-
cantada e falla mal : quem a pegar leve-a a ru.i
do Queimado 39, loja de fazendas que ser bem
recompensado.
CH
GU4
Madapolao muito fino com pequea toque de avaria, por pre?o que admira : na
das columnas na rua do Crespo n. 13, de Antonio Correa de Vasconcellos & C.
loja

9
A iso
Ausenton-se o escravo Manoel, o qu;.l j loi do
Sr. JooFerreira Tavosa. na comarca de Caruai,
e depois do seu fllho Joo Ferreira Tarse Jnior,
rendeiro do eugenho Rede da comarca de Santo
Anto, cujo escravo tem os signaes seguintes :
levou ceroula e camisa de algodao branco, mas
muito sujas, chapeo de Laeta velho, alio, cor fola,
nariz chale, falla de dente;, cara larga, o pe lo es-
tufado para fra, que o melhor signal para se
conhecer : quem o pegar leve a rua' estrella do
Rosario n. o, que sera' bem recompensado.
Fugio no dia 6 de n:ao prximo paseado o
preto cnoulo de nome Braziliaue, idade de 26 an-
nos, estatura regular, cor fula, tendo um dos den-
les da frente quebrado, sem barba, apenas algxms
cabellos a roda da garganta e olhar amortecid
bera fallante, sabe 1er e escrever e falla um 1
o inglez, bom copeirc, cosinha e ,'ava bem, levon
vestido camisa de algodao branco e -ealca de
azul, conduzindo algnma roupa lina, como 1 m
caigas de casemras de iisias, jaquela bracea e ca-
misa de madapolao, lences e mais roupa (ne tea
marcada com a letra B de linha deman-a,algn as
pegas e outras com o nome por extenso em tinta
de marcar, leveu chapeo de palha imitando 1: ani-
ma, chapeo de sol de seda verdeja osado, sapatos
e meias, de suppor que se inculque de forro :
quem o apprehender conduzindo ao sitio de Joao
Matheus, no Poco da Panella, ser generosamente
gratificado por seu senhor Juvino Bandeira.____
Fugio em principios do mez~de~fev( reiro do
correte anno e consta estar acoulado nesta cidade
o moleque Euzehio, escravo da viuva do Dr. Fer-
nando Affonsode Mello, de 12 aonos de idade pou-
co mais ou menos, cor preta, secco do corpo, oihos
regulares e afumacados. cabera um pouco grande
e meia chata, beicos finos, denles bem alvos, es
seceos e muito ladino : roga-se por tanto a ledas as
autoridades policiaes e capilaes de campo que o ap-
prehendam e levem-o a rua da Mangueira sobrado
n. 6 que serao gratificado?, protestando-so usar dos
melos judiciaes contra qualquer pessoa que oteaba
em seu poder.
MELHOR EXEMPLAR ENCONTRADO TOUTIL


Diario de Pernambn^o fttU letra SO de Jnnho de 18H&.

URSPRDENCIA
?*>o
dos assassinoi de
Xcward.
WASHINGTON.
discpulo de John Surratt e estadou cora elle theo-
pgia em Maryland. Algum lempo antes do assas-
sinalo, esleve hospedado om casa de madama Sur-
ratt. Em Janeiro foi apresenlado por madama Sur-
ratt ao Dr. Mudd. Em evereiro ou marco, stan-
Notty quo resida all Ihe devia dinhelro havia tre parle de commisses miniares para o julgamento
ze annos, que elle testemanha Ihe escreveo ama
caria e Ihe fet conlas sobre este objeeto, e que de-
pois de militas diligencias Notty pagon.
Depor mais que o Dr. Mndd tinha freqoentes en
do com Surratt e HuM na 7. ra encontraram trevlstas com Booth e Surratt em que fallavam em
:. rroWP,iyueDr. Motld-SpaugJer-G^Lao
gi Atzeroth-Arno!d-e mrdama Surrall.
O RR. estavam sentados em lugares elevado?,
Booth, a quem Snrratt o apresentou ; Booth con-
ato. vidou-os para o hotel Nacional; estiveram no quar-
gredo. Depois fo.,'0 delle behendo vinho e fumando. Passados al-
i ocias os joruas- Suns momentos, Booth sabio para o corredor, cha-
mou Surratt e ambos conversaram alguns mlnu-
los, depois sahlram com o Dr. Mudd e voltaram
todos tres, depois de conversaren) nns dez minu-
tos. Surratt o Mudd desculparam-se para com a
tcstemunha, dizendo ihe que Boolh quera comprar
e. parados uus dos ouiros pelos agentes da torca i a fazeDd|a de Mudd> mas 1ue este Queri multo
ca-
puLjea. Madama Surratt eslava mais loDge e li-
aba diante de si urna mesa.
Braja advogados dos accusado* : Mr. Thomaz
ing, lilho do ex-senador de Ohio; Stuke; Mr-
W dter S. Cox ; lteverdy Johnson ; c Mrs. Aiken
e Ciampclt.
J ]>r. Mudd conservou-se tranquillo, concentra-
do e ltenlo, e encosioa-se mesa, cuino para al-
i ar as m.ios do peso das algemas.
Arnold moa trmi-se agitado, levava de repente as
s aos cabellos, e scm fizar a vista, ora encara-
v.i o tribunal cun urna immoblidadc extraordina-
;::, ora descansa a a cabefa na mios acorrenla-
das, sendo os ferros que as prendlam separados
um varn, que impedia quo scjuntassem.
Payue pareca mais occupado tin ver o co na
; >gem do que atlender ao piocesso.
O'Langbttn uio tirava os cilios do tribunal. En-
costOQ-M parede com a cabera deitada para traz.
Atzeroth tem cinco pez e Joze pollegadas de al-
to) e se nao fossem os ferros que Ihe prenam
ios, qoalquer o lomara por um simples es-
peculador. E' um lypo de allemao do meio-dia.
r i o cabello e a barba encarnados.
Madama Surratt eslava vestida de preto e pare-
ca tranquilla.
Os RR. sao acensadas :
i. Dj terem maliciosa e traicooiramente, ido
em auxilio da rtbelliao armada ex.-t.:iile contra os
Estados-Unidas da America, em 6 de marco de
I '. on antes, combinido e conspirado juntamen-
te com um cerlo John II.' Surratt, John Vilkes
Booth, effersofl Davis, George N. Sanders, Bever-
y i'ucker, Jacob Thompson, William C. Cleary,
lent G. Cfay, George Harpcr, George Young, e
'.ios desoonhecidos para assassiuar no departa-
mento militar de Washington o as liuhas forlili.
cadas desta eidade, AbrahSo Lincoln, entilo presi-
deate dos Estados-Unidos e commandante em chefe
do eiercito e da armada; Andrew Johuson, vire
presidente; Wililam H. Seward, secretario d'esta-
do; Ulysses S. Grant, tenente-general do eiercito,
leado, como cmplices de Johns Wilkes Boolh e J
H. r-urralt, traicoeu amento morto Abrabo Lin-
coln, atacado com iolencao de matar W. H. Seward.
e espionado Andrew Johns en e H. Grant para
mesmo lm.
2. Os ii. excitados por Jefferson Davis, San-
ders, Beverty Tmker, Jacob Thompson, W. Cleal
ry. C. Glay, G. Harper, G. Young e outros deseo
nhdcidos, alstalos na rebellio armada contra os
Estados-Unido?, ajudaram a dita rebelo, e ira-
fcaTaoi oscrimes que licam referidos, para pela
i', rt de Lincoln e Johnson privaren) o exercito do
commandante em chefe constitucional e impedirem
a eieieao legal lio presidente e rice-presidente, que
deriva ser indicados pelo secretario d'estado
S .vard, uo cas) de morle dos actuaes presidente
e vice-presidente, esperando por estes melos aju-
d*r o sublevados e UflU?lornar.ft.pponilio e as
leu dos Estados-Unidos,
Em irtnde desta Boaspraco, na noitc de 2i de
abril o 18G", as 10 horas e meia, J. \V. Booth, no
ib-.tro Ford, na eidade de Washington, dispaicu
ur.. lirt de pistola na caben de A. Lincoln por de-
tra'. fazpndo-lhe um ferimenlo mortal, de que
me tou no dia segoiote.
K. %-i!ig!jr ajudou Booth para entrar no esma-
ici onde eslava o presidente, impedlndo que che-
gassem soccorros e facilitando a fuga do assassino.
D. Herald auxlioa Booth a matar Lincoln e fa-
ro por ella.
A testemun ha reconhecen Harold, por Ihe ter
sido apresenlado por Surratt.
Harold fez um signal afflrmartivo com a ca-
beca.
Tarabem reconheceu Payne, que se apresentou
com o nome de Wood.
Foi recebido pelos Surratts e flcou em casa del-
les. Algumas semanas depois Payne tomou o sea
verdadeiro nome, e inculcou-se pregador catho-
lico.
(Harold esforcon-se por conter o riso.)
A lestotnunha, pouco lempo antes do assassina-
to, vio Payne e Surratt sentados n'uma cama brin-
cando com facas-punhaes.
A testemobla conduzio madama Surratt a Snr-
rattsvill no da do assassinato.
Esta circumstancia deu occasiao a um longo in-
terrogatorio feilo pelo general Holt, juiz-advogado
pelos Estados-Unidos, e a varias instancias de
Mr. Reverdy Johnson, advogado de madama Sur-
ratt.
As viagens de John Surratt ao Ganada e a Ri-
chmond foram objeeto de urna vigorosa investiga-
cao, sendo este um dos pontos mais importantes,
porqne nelles se funda a aecnsacao de complicida-
de de Jefferson Davis.
General Holt.O que sabe da viagem de Sur-
rati a Richmond ?
T. No dia 17 de margo urna mulher chamada
Slader veio a casa de Surratt, oi ao Canad e vol-
lou no dia 23, Mr. Surratt levou-a de carroagem
para o campo as 8 horas da manhaa ; soube qne
tinha estado em Richmond com madama Sadler ;
Sadler devia encontrar um homem chamado Howe
qual foi preso com ella.
3
(eneraI. Entao ella passava correspondencias
pelo bioqueio ?
T. Sm senhor.
General. Foi madama Surratt que lh' o disse ?
T. Foi.
General. Quando volton Surratt?
T. No dia 3 de abril.
General. Sabe se trouxe ouro comsigo ?
T. Treoxe 9 a II moedas de 20 dollars em ou-
ro. nluns greehbacks, qoasi 30 dollars. Demo-
roa-se urna hora pouco mais ou menos em casa, e
disse-me que ia a Montreal.
General. E parti ?
T. Parti es.-a noile e nunca mais o vi.
General. Otate-Iba algnma cousa a respeito da
tomada de Richmond ?
T* Dsse-me que nao a acredilava.qne tinha visto
Benjamn e Davis, e que eiles Ihe haviam dito que
a eidade nao seria evacuada.
G. E-leve depois no Canad ?
T. Estive.
G. E que soube a respeito de Surratt?
T. Que chegou a Hontreal no dia C, que tomou
fMi|- Loureuco Hall. Parti na mesma noite as 10 horas
e meia.
Foi risto sair de casa de um certo Butterliel em
companhia de tres pessoas mais.
Instancias de Mr. Reverdy Johnson
Revery. Surratt dsse-lhe que ia a Montreal em
abni ?
Te.-lemunha. Disse.
Reverdy. Soubt se elle l tinha estado antes ?
T. .Vio senhor. No invern de 1864 a 1865 au-
sentou-se algumas vetas, principalmente em no-
cilitoa-Uie a .'uga.
L. Payno atacou W. Seward e ferio o com urna 1vembr do 186i eslava ?empre D0 camP0' al?umas
faca com tntenejio de o matar, e cJm a mesma fa-!mes e*,ava tres ou faa,ro semana8 fra-
a e com urna pistola teatou matar Frederico! Keveri,.v- N decurso do invern esleve ausente
ard, Augusto Seward, E. Hiesdl. o G: Robin- \ len,P ^'auIa Para l'oJtr r ao Ganada sera son, que defenderam \Y. Sew.uJ. a testemanha o soubesse ?
G. Atzeroth Cperou o vica-wesidente Johnson T' EUve' poJia ir' "ias na0 vollar em que ea
, soubesse.
esperou o vice-presidente
cirj intenQ,"i de o matar.
M. O'Langn esperou o tenente-general Grant
com a mesma tenco.
S. Arnoid aconselhou e ajudou os RR. para a
exeeueao da conspiracao.
Mary E. Surratt receheu, alojoo, e ajudou es
RR. tendo conhecimento dos seus projectos, com
Reverdy. Soube se elie esteve em Canad ?
T. Nao senhor.
Reyerdy. Tinha inliraidade com o reo ?
T. Bastante.
Reverdy. Elle fez alguma nsinuaco sobre o
i ;ecto de assassinar o presidente ?
T. Nao, senhor. Disse-me a mira e a minha Ir*
ir.: raeao de os auxiar na realisacao delles e na mi qUt tencionava ir a Europa para urna especu-
faga posterior exeeueao dos crimes. ; acao de algodo ; diia que alguem Ihe tinha adian-
S. A. Mudd aconselhou, animou, recebeu, alojou lado tres mil dollars ; que precisava ira Liverpool,
e esjondeu os RR., e tendo conhecimento da cons- a Nassau, e de l a Mataxoros para encontrar seu
piracao, ajudou-os a assassinar Lincoln e a escapa- irmo, que eslava no exercito rebelde de Ma-
gruder.
Reverdy. O irmao esteve em Texas antes da re-
beliio ?
i T. Nao sei, nunca vi o irmao.
Reverdy. Via Surratt todos os das ?
T. Sim senhor, e estavaraos no mesmo quarto e
comamos a mesma mesa.
Reverdy. Via alguma cousa que o flzesse saspei-
tar do projecto de assassinato ?
(Um membro do conselho oppoz-se a esta per-
gunta.)
Reverdy. Ouvio fallar alguem deste objeeto des-
de novembro ?
T. Nao senhor, Surratt apenas disse urna vez
que la com Booth para se fazer actor; e que par-
ta para Richmond. Elle era bem educado e estu-
rem-se depois do crime.
Houve urna acalorada discussiio entre o general
de brigada P. \V. Harris, membro do conselho, e
R.'vqrdy Johnson, advogado de madama Surratt
Mr. H.r queri recusar Mr. Johnson, por elle
ter declai .: em urna carta escripia no lempo da
convenci de Maryland, que o juramento nao obr-
gava os que o prestavam em certas occasioes.
O con.-elho declarou que a recusa nao tinha fun-
damento.
Procedeu-se em seguida ao depoimento das leste-
munhas.
A i.' foi John Lee, agente da polica secreta.
Contou a visita que fez no dia 18 de abril no hotel
K kwooJ. Depois de ter subido aos andares su-
periores e ao telhado para ver as sahidas qae po-
dan) dar passagem do interior da casa, deseen ao dan[e era iheologia.
salo, e soube pelo administrador do hotel, qne no
da 14, um homem de aspecto suspeito e phisiono-! Reverdy. Esteve no mesmo collegio com elle ?
ruia vnlgar deu o nome de G. A. Atzeroth, e tomou | T" Sira> senhor> e fi(laei mais nra anno dePis
o quarto n. 126, que flcava raesrao por cima do delle sair. ,
que oceupava o vice-presldente Johnson. Subi Heverdy- Como se COHDPortava elle 7
ao quarto, arrombou a porta e fez um exame mi- T- Tinna excelleotesqualidades. Qaando parti
nucioso. Na parede estavam pendurados um pa-: chorou- e direclor d,sse-lbe 1 os mestres se ha-
letot guarnecido de pelles e um grande revolver de,T,am de lembrar 8empre de,le-
raarinba. Em urna das algibeiras do paletot achou i Weichman foi depois perguntado a respeito de
um iivro do banco com o nome de J. W. Booth,' madama Surratt.
tendo ua data de outubro de 1863 um crdito de p. Esteve hospedado em casa della desde no-
450 dollars n'um banco do Canad. Entre os leo- vembro ?
cues e o colxo eslava escondida urna faca-pnnhal R. Estive. .
do comprimento de um p, com manchas de fer- P. Que juizo fazia dalla ?
rugem. Todos estes objectos estavam no tribunal. R. Era urna senhora bem educada, e exemplar a
R. A. Jones, administrador do hotel Kirkwood, iodos os respeitos. *
s accrescentou ao depoimento anterior, que no P. E' catholica ?
dia do assassinato ao meio dia e meia hora Atze-
roth perguntou-lhe se alguem o tinha procurado.
Nao o tornou depois a ver. Atzeroth havia pago
um dia adiantado. A testemanha, sendo perguota-
da se reconhecia Atzeroth, tlxou os RR. e indicou-
o immediatamente.
R. Sim, senhor.
P. Era devota ?
R. Sim, senhor.
P. Foi aigrejcomella ?
R. Ia todos os domingos.
Sendo depois perguntado sobre a jornada de
de pessoas do Maryland, e que nao pertencem ao
exercito, nem marinha, estao ou nao sujeitas a
seren por esse facto acensadas
Urna senhora de Nova-York disse que se encon-
trara com Booth e Johnson, e que onvra parte da
voz baixa e de que no tinha ouvido nada. Tam-'ina conversacao. Apanhou duas cartas, que Ihes
bem l vio Harold, Atzeroth e Payne. ;cahiram, amadasqnaes comecava assim : Charo
F. J. Lloyd disse : que morava em Srratla^ I^iz e dizia que Booth eslava destinado para ser
ville, e reconheceu Harold e Atzeroth. Harold, a Carlota Corday do seculo XIX. Lincoln, conti-
velo muitas vezes s a loja de bebidas, e depois'- nuava a caria, deve morre, podis escolher as ar-
com Surratt e Atzeroth. Pouco lempo antes do as- mas, a faca, o punhal ou a bala... a carta tinha a
sassinato, os dous ltimos deixaram all duas ca- assignaturade Carlos Selby.
rabinas emunicoes, dizendo que viriam era breve Duas testemunhas depozeram qne estando no
bnsca-las o que no entretanto Ib'as gnardassem es- Caoad) v|ram Bomh a conversaroom G San(||ers,
condidas entre o vigaroenlo e o sobrado.
Na segunda feira antes do assassinato, encon-
trou madama Surratt perto de sua casa. Nao po-
da atinar com o que ella qaeria ; fallou-fhe tje
armas de fogo, dizendo-lhe que dentro em pouco
seriara precisas; na tarde de 14 madama Surrall
veio a sua casa s 5 horas, e disse-lhe que tivess
promptos os objectos que l estavam, que os ha-
viam de vir buscar.
Deixou urna espingarda de munico envolvida
parecendo-lhe t-lo visto tambem fallar com Clay,
Holcombe e Thompson.
Dia 16 de tnaio.
^ Continuon o depoimento das testemunhas.
Mr. Browning, secretario particular do presi-
dente Johnson, declarou que na noite do assassina-
to achou urna carta dirigida ao presidente, que di-
zia,: i\ao quero incommoda-lo, est em casa? I.
W. Bootn.
O major Knox e o sargento Hutter declararam
que na noile de 13 de abril a casa do secretan o de
em papel para as mesmas pessoas.e disse que Ihes- guerra estava |1|aminada para festejar as uUimas
dsse urna garrafa de sonlskey. A meia noite cha-
maram-me, disse a tesiemunha, e vi porta dous
homens a cavallo, um era Harold, que me apreJ
senlou Boolh, o qnal ficou montado ; o cavallo era
branco ou russo claro, de 66 polegadas de altura ;
o cavallo de Harold era baio. Harold pedio a garra-
fa sohiskey, bebeu, deu a Booh, e disse : Lloyd;
por amor de Dos, avie-se, d-me essas consas.r
como se eu soubesse o que quera dizer. Dei-lhes
as armas. Apenas se demoraran) 5 minutos, e s
levaram urna carabina, dizendo Booth que nao po-
da levar a outra, porque tinha umaperna quebra-
victorias. O general Grant, a senhora deste e ou-
tras pessoas estavam l.
O. Lanfchlin introduzio-se na casa, e sendo inter-
rogado disse ser um homem de lei, qne conhecia
perfeitameute Stanton. O reo pareca embriagado,
e pedio para fallar ao general Grant. Isto passou-
se s nove horas.
O Dr. Stone relatou o estado de Lincoln dpois
do crime. Reconheceu a bala, que marcou comas
iniciaos A. L. com um caivete.
O sargento Cobb estava de guarda na ponte do
arsenal da marinha na noite do assassinato, vio
da. Ao partir, disse-me Booth : Vou dar-lhe upa >,.,, __ .,
Booln e seu companheiro passar no Maryland.
Perguutado pela lestemunha, disse que ia para sua
casa no campo perto de Greensbore.
A pbtola que se achou no theatro eslava no tri-
bunal, e veriticou-se ser a mesma.
O tenente Lavett, mandado en) perseguicao do
assassino, relatou a sua commisso, e referi toda a
cura que o Dr. Mudd fez perna de Booth. A
bota que foi cortada, estava no tribunal, tinha no
forro : J. Wilkes.
novidade, estou certo qne matamos o presidente- e
provavelmente Mr. Seward tambero.
Harold montou a cavallo e partirn).
No dia seguinte, s 9 horas, soube do assassina-
to do presidente. Nunca vi o Dr. Mudd, nem At-
nold. (
s 6 horas e meia, o conselho adiou a sessijo
para o dia 15, s 10 horas.
Falla se da priso de Caroll, que forneceu o ba
co a Boolh e Harold para atravessarem o Potoma
Foi o major Burcs, agente secreto do governo, que
o prendeu em Delphou, no Ohio.
O offlcial Lloyd, que tambem perseguio os fugi-
tivo?, declarou quo o Dr. Mudd ao principio negou
t-Ios visto; mas depois recordou-se de ter tratado
Burns perdeu a perna esquerda em urna bataa Booth, apezar que este nao quena que o conhe-
M. Weichman, chamado depois Joves, fot con- madama Snrratt a Surrattsville, disse qae nm tal
*
e depois do assassinato, foi empregado em procu-
rar os culpados. Vestido de soldado pobre, com
um bordo e urna muleta, e munido de urna gma
para as autoridades militares Ihe darem todo o au
xilio de qne precisasse para dirigirse a Alean-
dria, e ah teve noticia de Caroll : seguindo-lhea
pista, soube que elle tinha tima prenla em D<>1
phon no Ohio, e para l se encaminhou. Ahi re-
cebeu dinheiro, e andou por um e outro ladj da
eidade sem despertar suspeitas, at que enpontrou
Caroll, e desde enlo nao o perdeu de vista ; se-
guio-o, e ao entrar para urna casa o prendeu. Cr-
roll, apantiado por sorproza. nao resisti, antes cho-
rou amargamente, estendendo os bracos, e dizen-
do : t Vao enforcar-me com certeza.
Carroll foi conduzido para Washington.
' D. J. Reed vio Surratt passar pela frente do
hotel nacional, em Washington, no dia do assassi-
nato.
A testemunha deu os signaes de Surrall, e des-
creveu o vestuario, que levava.
John M. Buckingham, porteiro do theatro Fort,
disse, que E. Spangler, carpinteiro do theatro, nao
passou pela porta principal ao tempo da represen-
tarlo de i\ de abril. ,
M. Fergusen, dono de urna casa de pasto, estiva
em um camarote defronte do que oceupava o pre-
sidente, vio toda a scena do assassinato, que referi
minuciosamente.
Jos Dye, empregado de polica, estava >orta
do theatro ao tempo da representac,ao;,no flfti-do
2o acto, vio tres homens a conversarem na entra-
da, em qnanto o presidente se apeava. Um distes
homens estava elegantemente vestido. Parec qoo
era Booth. Oulro estava com um vestuario rdi-
nario, snppoe-se ser Spangler. O tercero eJtva
vestido de pardo, e tinha um chapeo redonda;%
testemunha nao vio bem para dar os signaes. .
Rufus Stables, com carruagens de alugueh/co-
nhecia Booth. No dia 14, alugou-lhe um cavilo,
que nao Ihe foi restituido. Booth procurouJj a
primeira vez acompanbado de Snrratt, qut th'O
apresentou seis semanas antes do assassinato. e-
pois nao tornou a vef Sorra. Booth volton slm-
pre s. Deu os signaes de Surratt.
O major H. Ratteburn estava no camarote d
sidentc na occasiao do assassinato.
M. W. Witers, chefe da orchestra do tb^lro
Ford, eslava por acaso na scena, quando Bou a
atravessou. Boolh fez-lhe duas fertdas cora urna
faca que levava, urna no pescoco e outra ao lado
Nao vio ninguemdar-lh auxilio na.fuga, nenJ satfr
por onde elle foi, porque as passagens ornas
estavam obstruidas e oulras desembarazadas;
Joe Simmons, preto, moco do theatro, vio,
gler entrar na casa de pasto prxima, beflfeCft
copo de vinho com Booth, no dia 14 de abriK Spaa
gler estava encarregado do scenario, o noite-es-
lava no sen posto como era cosame.
Jobo Miles, tambem preto, vio entre as 9 aiO
hora?, Booth trazer um cavallo porla trazeiraf lo
theatro, e chamar Spangler duas ou (res vezes fcra.
Nao sabe mais nada, al qne ouvio um tiro, i
Nessa occasiao splangler eslava fra da poeta
por onde fugio Booth. A' porta do theatro tevia
muitas pessoas, empregados do theatro e curte**?.
Job Selecman, outro empregado do theatn
Booth s 9 horas com um cavallo a' porla traz"!
do theatro, Spangler estava ao p delle, Booth s-
se-lhe : i Queres ajudar-me. D muito boa (n-
tade, responden Spangler. > Isto foi talvez hm e
meia antes do assassinato do presidente. Pelqiia
adiante vio Booth na casa de pasto prxima, km
companhia de mnitas outras pessoas, notando Spin-
gler, Maddox Peanots e Modden, elle mesmo beben
com eiles.
O conselho levanlou a sesso, determinando reu-
nir se no dia seguinte s 9 horas e meia, no ilus-
tro Ford.
No dia 16 os membros da commisso ra)li|ar,
vesitaram o sitio onde se pratlcou o crime. io
se tinha alterado cousa alguma, alim dse poderern
colher todos os esclarecimentos precisos para elu-
cidar a dtscusso.
Na ultima sesso os presos pareciam mais' aba-
tidos do qne ao principio. Madama Surratt per-
deu toda a sua firmeza. Inteiramente cobem com
um veo dava signaes frequentes de urna agitaco
nervosa.
Pareca to fraca, que foi preciso ampara-la para
a trazer ao tribunal.
A respeito de jurisdicao hoava um raciMue
guiar. Um telegramma de Washington annanciou
qae o jaiz Bond de Baltimore, formoa um jury
para resolver a qoestao : Se as pessoas qoe fazem
cessem.
Depozeram rnuitos empregados do theatro Ford,
que viram no dia 14 Spangler entrar e sahir gui-
tas vezes, conferenciar com Boolh, e dispor as coa-
sas para Ihe facilitar a fuga.
(Jornal do Commercio, de Lisboa).
negro crep a tgreja
primaz e metropolita a
falla de ura de seus extr
sores e zelosos ministros
'a om talento transcenda
clareeida j s lauras, q
seus mais dedicados culli
vio privada de sea prei
Para, emfim, que sento-g* ferldo
com a mjite de um de seus mais di
pe'oseu Carcter, pelo seas ancr,
nenies virtu d s que o ornavam.
Eis o que falla a expresso fflfen
nal Diario da lialiia no epicedio, qwM
finado arcecispo Romualdo :
O Rvm. marquez de Santa (n*. foi lu
tinelo e illustrou a poca em qae flafescla
dote digno da vigarariadaChri-to, od '
seu exemplo as ovelhas quo forai
seu cuidado ; horaem honesto e proteo
suas rendas em obras de candado sem econt
real para sua familia, que ahi fica pob
a minguadis simos recursos. Occupon
prestou servicos durante os diffi^is :eini)os da m* i.t
dependencia, pregn a palavra .uta 3oeange!hc, torM-- s icro ido

i ec mi *f;
1-re i--' -..lij
,.,. C,?.'..l!!}
pugnou pela liberdado da
morreu pobre.
O Exm. Sr. arceliispo da^ahia n>a'^iirz de
Santa Cruz, D. Romualdo ArnVo oe S.. xou na trra seus vestiglos mamidos per aegSes
meritorias, recordacoes bem vivas d" lautos fu-itos
gloriosos, de tantos actos de erdadeita can amor, e dedicaeo de um extremoso pastor, os
qnaes serao imniorredouros, e passarao assim
posleridade (1).
(Continuar-se-hu.)
DV POICO DE Tl'DO.
e par
t ta Hcspan
para a ',mn'f t.
ar-se 'n:,,.
i., i ia. e icpetimo-ir i somonte at tres aoaaa, aMrelaoto que", "L
lados Uoi'Ios, quando nuito, >i
A PROPOSITO I)A KHPRBZACOIBBia.
I
A arto de representar nao somente nma profis-
so sanio tambem um professorato.
iNo theatro nao se irabalha apenas com o fira de
ganhar, poro igualmente com o de instruir.
A arle o resultado de um esforco scientilico, a
chafada de urna viagem, um desenvolvimento, um
progresso, mais que nma cosa que s aprecia pe-
ios seus meios : um faci que se aprecia princi-
palmente pelo seu tim.
Qoem compra um bilhete de espectculo com.o
pensamento .^ e nico de distrahir-se por algumas
horas, ou nao sabe que o theatro tambem ensina e
aperfeica, ou desdenha a primeira e a mais ut! e
(oralmente bella cunsejuencia da arte.
E' principio de direito social que antes prechxir
o mal, qne mni-lo.
N theatro previne-se o mal pelo exemplo; pelo
exemplo pune-se tambem o mal.
E previamente, sem mal, sem prevengao, sem
pena, o dugma supremo do direilo amplia-se em
sua execuco, corrigindo costumes, pela phantasia,
modificando instinctos emendando fallas pela re-
Galeria dos bisos brasileiros e'.alioraila e ofTcrcci- Prduc5ao.
da ao Instilulo Hislorico e Geonraphico Brasi- O jogador, o bebado, o ladro e o assassino vao
Ieiro em IS62, pelo padre Lino do Monte Car- ver no theatro a sanecao penal condemnando os
bil ta. *tJ KA
nielo Luna, socio do mesmo Instituto.
PD0V1NCIA DO PARA.
D. Romualdo Anlon'O de Seixas.
seus desvos e ndoles, embora eiles se.simulen)
accao da justiga publica.
Em sua consciencia, conhecendo-se idnticos aos
lypos creados na scena, em consciencia, concentra-
(Lontinuacaoj dos no silencio de si mesmos, medindo o alcance
So na plirase do grande Chateaubriand, o elogio: da sua relaxado e dos seus crimes, temendo de
nunca deu vida a quem deve morrer, tambem a antemao.a cuudemoaco do poder social, caso eiles
simples narracao que apresentamos neste esboco i sejam descoberios a vista d'elle, refleeltndo sobre
biographico de vasta acodicio, das nobres qualida-: 'das eslas peripecias, modilicam-se, arrependem-
des e altas virtudes, que durante urna longa vida i ^j moralisara-se.
T^WSntcmKnte Seixas,
_. eminentemente,
augmentar ira- utilitaria, que pela palayra indica fcaminfeo do
raa de seu nome, qaando seu nome haria recebido! lmxt .,., 7;pla ..,,= ,u ."'!^T *
uti, que pea aegao severamente castiga a expan-
sao e a vida do mal.
conslaalemente de bem aparadas pennas os mais
pomposos elogios e merecidos encomios.
as grandes relaces, que entrejoye com pessoas
distiuetas, em ignidado o saber, recebeu os mais
lisongeiros testemunhos de estima e admiracao.
Durante 32 anuos que exereeu dignamente as
funegoes do episcopado, o Exm. Sr. U. Romualdo
E'
Mas o theatro est qoasi morto, entre nos.
urna vesdade pungente.
A capital de Peroambnco ou j tem attingid
aquetie grao de perfeieo moral, que dispensa o\
ensino; ou desdenhando pretender attingi-lo, por
impulso de m ventura, foge dos baacciS dagramlt
receben da santa s as provas mais Significativas escola, para engolpliar-se ^ua obstinada esa.ioua-
de alio concedo e cousideraeo, sendo honrado-| rixdade iutellecwal, que mala os mais elevados es-
pelos soberanos pontfices Gregorio XVI ePio IX, limlos de engrandecimento social.
com breves epistolares, contando palvras bem li-
songeiras e encomisticas. A aureola que devia
cingir-lhe a froale ollereeerain aquelles dous vene
A primeira hyu.ihc.-o intuitivamente se repelle,
ponjue, embora o seculo actual seja o das luzes
randos powicaa, qaando o primero chamara ap parte 0^hBroa d "-Bndu civi,isado ^ca a
Sr.D.RomQalao^oa^du.o-^a,Wi^--!^J;,?rtasao P^'^cal-apogeu da perfeicio
o segundo que elle honrava o episcopado cathotice. v I
rn.., n,n 0 .. E mais accresce qoe aquehes mesmos qfe mat
^TrZ i!i, -?b,SP' 6 ma'^Je Rucios de melhoramen.o e progresso exbiLmTs
Sania Cruz no Sea albura, ,4 annos ; ejmta i*** Inum) Qa goa nNMl ^ Van,
de provecta, nunca se conhecea arrefecMo era seu aber[,^, ^ ^^ prolJ8.sSfab,-
zelo e rervor qae sempre manifestara nos nteres- neles delUino" teagsteno : m PartaTdPlem-
po, as casas de theatro sao, talyez, |hnanreros e
quotidiamenle Irabalham. "*
Acceito a segunda hypothese.
O espectador, desapaixonado e zeloso do ajrer-
fegoaoienlo seu e'dos seus, nota sem difflculdade
rebanho.
Ura morbo, porm, veio por termo a carreira
gloriosa de seu augusto mysleno, e prostrar-lhe no
leito das dores.
Era, sim, ocredor supremo que ia chamar o seu que a eidade do Recite tem cabido em um como
ministro para dar-rtie o primero de seus labores torpor de desanimo, attehtatoro da sua pos i cao e
episcopaes. do sen estado de cultura.
Era a mo do omnipotente que ia recompensar
as virtudes e fadigas do seu prelado. Soou o hora
no sino fatal da morte. A ampulheta fatdica 0
paroa. O venenado arcebispo tocen a extrema do, A compaoja 3o m?
fio da vida, e desapparecea da regio dos vivos no < o desempeoho desagrada ?
dia M de dezembro de 1860, pelo meio dia. Fra urna talsidade o affirata lo
Apenas espalnou-se a noltcia do-paaamento, o1 Vejo e todo o mundo v qne a empreza tem pos-
povodaBah,a,queamava o s* pastor, reomose l0 e,n scena d.ama, da forea e mrito ii.terario
da B'Utta do Lavrau; Medico das enancas e ou-
Por ventura os trabalhps lillerarlos, qoe aenl-
locados apreeiaao -o pabllco, desnfrecem para
em grupo por'lodos os arredores. A dor e o sent-
meato se manifestara no semblante de todos.
tTM.
Acompanbado o corpo por um immenso concur- Eu ll!!ll)0 lesltn,unnado ^r dvetaas occasifies
fo de pujj^de o palacio arohrepiscopal da Pe- qae SB ae 1-0 ^rello ,inmumr oUwalr
Mde haw o cadver, ato cabedral, *. 6ait^ 1>aiial que a por^d&lliSJ^dortfa es-
era admiravel 'de ver como todas as flacos o so>- ;fcflflaK &&SI
ciedade iam pela ultima vez beijar o ano s ^^ S^dopSoal SSmpan'hia
do virtuoso arcebispo O desojo ardente da popu-
laco em prestar ao Ilustre finado as ultimas lio-
menagens de respeito, s terrarou quando o cor-
po fra encerrado no segundo dia n'uma humilde e
modesta sepultura abena na capaila do Sacramen.
to da respeclivcalhedral. Ura officio cora a maior
solemmdado possivel foi celebrado no trigsimo
dia na mesma igreja da cathedral, acto este a qu
nos seus respectivos papis.
Eu sei que o Medico das enancas produz phre
nesi a todos os respelos,expresso dramtica e
representaco artstica.
4 Ninguera contesta a importancia verdadeira de
todas estas circumstancias, por s bastantes a da-
rem urna vida animada e vigorosa a um theatro
assistiram todas as autoridades e mais funeciona- qualquer.
nos pblicos da provincia da Bahia ; e nessa oc- ~ Vistes ^dico das ,f"-t--Pergunia-se.
caso foram feitas as honras militares (porque clr- VL Excellente. Magnifico. E' um primor
curaslancias obstaram a que ellas fossem presadas 'arle- desempenho foi optimo.-Responde-se.
E donde o marasmo, a indi|ferenca ?
Qnal a causa ?
Voliareraos.
no dia do enlerramento) devdo s altas posic/Ses
que o sabio finado gosava, qur na Igreja, qur na
sociedade.
Ura outro officio nao menos solemne celebrda-se
no da 7 de feverelro do anno seguinte, anniversa- j
rio natalicio do Exm. Sr. arcebispo, na igreja ma- '
trz de S. Pedro, e promovido pela verdadeira gra-
tidao o acrisolada amisade do conego vigario da-
quella freguezia, Jos Joaquira da Fonseca Lima ; (1) A proVjDCa do Part wnU mais um flln0j
urna prova irrefragravel da grata recordaco e que ltimamente foi nomeado bispo, e o Sr. co-
sincero affecto, que consagrava elle quelle llus- neg Joaquim Goncalves de Azevedo, natural da-
.,,, viruwwt inmm-rt chorado arcebisno D 1DeUa Pr<>v ira do e virtuoso, e sempre cnorauo areemspo u. ^.^ dfl lrcetf|ag0_e era vigorio geral daquelle
Romualdo. bispado. Por decreto de 10 de dezembro de 1864
-A morte do Sr. arcebispo da Baha, envolveu em foi ello nomeado bispo para |jliocese de Goyaz.
Um jornal de Londres dar a seguinte noticia :
Correspondencias particulares do Brasil fazem-
nos esperar a- prxima continuadlo das relagoes di-
plomticas entra aquello paiz e a Inglaterra.
Kcs elevou-se
MSQ a 1860.
De 18,1a iSWdeixMram oaW^
gas. j^
(> numero dos -emigcadll Wtv^-
i 30:000 TTde I So I a 18.57.
Nao se ,.Je tixar com exaelidao a cifra dos emi-
grantes suecos e dinaraarquezes; sabe-se, porm
que l':0O pessoas munidas de passaport'es deixa'
ram a Suecia desde 18o 1 a 1860, e que desde 1820
a 1860, o numero dos emigrados dinaraarquezes
nao passa de 6:000, que pela maior parte foram
reunirse aos Murmons de Utab.
No dia 17docorrente foi assi^nada em Par
no ministerio dos negocios eatraageiros, pelos pi.
nipotenciarios dos diversos estados representade
na conferencia internacional, a couvencio telesri
phica, accordada em 13 do mez de abril ultimo.
As potencias contractaotes em numero de vint
sao as seguinte :
Austria, gram-ducado de Bade, Barecia, BelgiV
Dinamarca, Franca, Grecia, eidade livre de Haban
go, llanover, Hespanha, Italia, Pazes-Bai'.os, p
gal, Prussia, Rossia, Saxonia, reinos onidos
Suecia e Noruega, Soissa, Turqua e Wurlae.
berg.
Na Chromque du Courrier de lu Gironda, '. -s. )
segoiote :
Ha nesie momento urna petiejio apreseatada ao
senado por urna senhora md. G)rond de Yilleli,
queixando-se da conducta arbitraria da policr.,, ;
que a tem impedido era diversas ocefesies le exer-
cer a sua pcofisso de cantora, sem Ihe dar ne-
ohuui motivo.
A peticionaria, que sobrinha neta da defur.la
pnnceza de Canino, cunhada de Napoleo 1, pede
ao senado que ua sua qualidade de guarda das II-
oerdades publicas, encarregado de manter ou an-
uullar os actos denunciados como contrarios
constiluicao, sobre a iniciativa, seja do governo se-
ja dos cidados pela va de pelico, repre^ncM as
autoridades, que ha dois annos tem violado os di-
reito,- mais sagrados da liberdade das pessoas, m-
pedindo-a, como artista lyrica.de dar concerlos no
theatro italiano, como o fizeram em Coplegne, era
Vechy e em outras partea.
Parece-nos que o parentesco desta dama com o
imperador Ura sido a causa das difficuldades, que
enconira pai poder eiercer a sua profisso.
Mr. Saiate Reuve aonla longos servicos na litte-
ratnra revolucionarla.
Foi no Globe que lz, sob a restauraeao ou antes
contra a restaurado, os seus priroeiros salos
do Glube oassoi. para o Cnalle em companhia de
Muss^.-de Deschamps e de Victor Hugo, para tor-
nar a entrar no Globe feilo sansimoniano debaixo
da dir'iceo de Pierre Leroux.
Mr. Vappereau pretende que o eminente critico
**? adoptou sena o as ideas do sansimonismo e
nao o uobito ; mas seja o que for, a sua piTria.n.8u> ^i
ca no GloU rut do-rurta auraeji^-pojs sooBssrra-
mente |>assou pira a Revnndri deis Montes des-
ta para a Reate ie Parts, e para o Nahona *
Depois de 1851.tem escr.ptoalterndivamente no
Canstttutionel ef<>lotul priados nara razetera es.jue.er que o norosenad-^
sha amigamet as de Pierre Leroiix e ^
Carrel.
Mr. Satnte Beu-t foi, depois do golpfde Estado,
nomeado professbnle poesa latina no collegio de
Franca, mas o so curso f,i injerron pido" peles
clamores de umarapaziada hostn e nao se conti-
nuou mais.
.Mr. Sainte Beuv nasceu em Bologne sur. IcMer
em.23 de dezemb) de 1801.

Transcrevemoslo Jornal de Lisboa |o seguinte:
Ajoelhando um tgauo aos ps do confesar, per-
guntou-lhe este :
- O que sabe d morte (fe Jess Christo ?
- Sr. padre, rclicou o oigano cheio do sust.\
eu nao sei nada dko.
* LavMKftto,Tise embora, disse o padre com
Sr severo. *
O cigano ia aplas sainado' da igreja, ntiando
esbarron com umla sua ra^a.
- Onde vais, ^.perguntou aquello.
- Confessar-rmrespondeu o recem-viudo.
- Pois cmara-^ volta para traz, que andata
averiguando da m& de um homem.
No dia 1 de jnlhcproxmo, ha de inaugurar-se
em Bobeas, uma ^ooscao geral dos productos
4a iodttstra -ifefidjMr** PBca, Hwp.mha e
Portugal.
philomatiea de 1>.
E' promotora a siedade
dos.
Parece que os emxadores de Hespanha e Por-
tugal vao recommenr a exposicao, alim de que
nao deixem de concrer a ella os productos de
suas respectivas nac,c.
Um membro de
S'"'-'-!roo, o con:
o de piaiola su
a: acer'a rua;
iCfS li.l psfl
1^,'zat Cs-tefiB
couseguiu captora-lo.
-------. IIIM
' primearas
a, p
faOWIti
" -om i..

o cr'.ni;, *podefp.$e 3
pWeftjrfa.
ediatamente, a polica
Segundo o Ihoahdmsso verificaram-se Ja qaa-
tro operacoes dasati.o em 34 go vernos do im.
peno
Medise uma extlo de 34,030 milhas-qaa-
dradas equivalentes Klmaderaente a uns tres
milhdes de kilometroinadrados o que consttue
uma superpelicie cinftzes maior do que a Fran-
ca e dez vezes maior le as ilhas britannicas.
PERXAMBCO.-J\bE M. F. DE F. &FILHO
MELHOR EXEMPLAR ENCONTRADO


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EP2UR8DF1_6BL92U INGEST_TIME 2013-08-28T00:43:51Z PACKAGE AA00011611_10704
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES