Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:10696


This item is only available as the following downloads:


Full Text
AMM lil KBjEBO M
Per quHMd^^iOdii8*l^Mi : .
Hefe JrtpifsdW 1.a' l$#hs Porto m coffeif^or tfitaezes ,.,,.', *jw
-""
M^
ENCARREGADOS DA SUBSCRIPCO DO NORTE
Parahyba, o ?r. Antonio Alex?odrinu de Lima;
Natal, o Sr. Antonio Marques da Silva; Aracaty, o
Sr. A. de hemos Braga ; Cear, o Sr. J. Jos de
Oliveira ; Maranhao, o Sr. Joaquim Marques Ro-
drigues ; Para, os Srs. Geraldo Antonio Alves &
Filaos ; Amazonas, o Sr. Jeronymo da Costa.
ENCARREGADOS DA 5UBSCRIPQAO DO SUL.
Alagoas, o Sr. Ciandino Falco Uias; Baha, o
Sr. Jos Mdrtins Alves^ Rio de Janeiro, e Sr. Jos
Ribeiro Gasparinho..
PARTIDA DOS ESTAFETAS.
Olinda, Cabo, Escaria e estages da via frrea ate
Agoa Preta, todos os dias.
Igurassti e Goyanna as segundas e sextas feiras.
Santo Antao, Grvala, Be tarros, Bonito, Garuar,
Altiaho,. Garanhuns, Buique, Rento, .Bom
CeseHio, Aguas Bellas e Taearat, as tercas
feiras.
Pao d'Alho, Nazareth, Limoeiro, Brejo, J>esqpelra
Ingazeira, Plores, Viila Bella, Cabrbbo", Boa Vis-
ta, Ouricury, Salguero e Ex'fias'qajtas
feiras.-
^.. ____
U w ttu JDflflv Uii IODO.
Por anno pago dentro de 10 dias do i. mu ,,,.,.. 191000
Porte ao correio por la auo ............., SfOOO
Segunda vara do civel: quartas e sabbades a 1
Hora da tarde.
Serinhiem. Rio Formoso.Tamandar, Una, Bar-
reiros, Agua Preta e Pimenteras, as quintas
- feiras. -
EPHEMERIDES DOMEZ 1>E JCNHO.
1 Qoarto cresc. as 6 b., i m. e 38 s. da m.
9 Loa.Miela as 7 h., ti m. e 16*. da ni
(6 Quarto ming. as i h., 33 m. e 28 s: da m.
23 LUa nova as 5 h., fom. e 34 s. da m.
30 Quarto cresc. as 11 h 20 m. e 51 s. da
!IAfr DO THfftNAES DA CAPITAL.
Jjjo coprnirtfo : sgndas quimas.
': tergas e sbados s l horas. .
: quintars.'iOTwtts. '.''
ommerno: segundas as 11 horas,
phaos: tercas e extas is 10 horas: .
vaca do civel: lergas e sextas ao meio
vara do evil: quartas e satbados al
Urde.
MAg A-SfeftA. ~
^19. Sejranda. S: Juliana de Palconieri v.
20. .-Terca/S. Silverip p. m.; S. Silvino m.
21. Quarta. S. Luiz Goozaga; S. Albano m.
22. Qofnia.S. Paulino b.; S. Niceas b.
23. Sexta.' S. Agripina v.; S. Zebon m.
24. Sabbado. cfa Nascimento de S. Joao Baptsta.
*5. Domingo. 5. Febronia v.; S. Galicano m.
PREAMAR DE HOJE.
Primeira as 0 oras e 30 ra. da tarde.
Segunda as 0 horas e 54 minutos da manhaa.
PARTIDA DOS VAPQBES COSTEIROS.
Din o sul at Alagoag a 14 e. 30; para o norte
ata a-Granja a 7 e 22 de cada mes; para Fernan-
do nos dias 14 dos mezes de Janeiro, marco, malo,
julbo, setembro e noverabro.
| ASSIGNA-SB
no iecife, na livraria da. praea da Independencia
ns. 8 e 8, dos proprietarios Maooel Figueiroa de
Farta & Filho.
_^------
PAUTE OFFICIAL
ministerio iv gii:hkh.v
DECRETO.
Cominiserando-me das circunstancias em que se
achara os militares dos diferentes corpos do ejer-
cito, e os da guarda nacronal em destacamento, que
liveram a iofelieidade de desertar, apartndose das
suas baudeiras, hei por bem perdoar-lhes o crime
de primeira desergo e o de segunda simples, apre-
seotando-se os reos dentro do praso de tres mezes,
contados da publieago do presente decreto, em ca
da urna das comarcas do imperio, incluindo-se
tamben) ueste indulto os que j esltverem senten-
cilos e para sentenciar.
Angelo ftfoniz da Silva Ferraz, do meu conselho,
senador do imperio, ministro e secretario de-esta-
do dos negocios da gu.-rra, assim o teuha entendi-
do e o faca executar. Palacio do Rio di Janeiro,
31 de maio de 1865, 44 d independencia e do im-
perio.Cora a rubrica de S. M. o Imperador.An-
gelo Motai da Silva Ferraz.
Continuariio do expediente, do din 43 de j aaho de
4863.
Offlcio ap coronel commaodante das, armas.
Informe V. S. sobre p que pede no incluso reque-
rimento, os Voluntarios do Rio-Grande do Norte,
l'rcicio Ramos de Alencar Llmeirae Ursulino Ores-
tes de Oliveira Marques, ouvindo o respectivo cora-
mandante.
Circular todos os unes de direito da provin-
cia.Chegando ao meu conhecime&to que diversas
autoridades polir-iae e judiciarias, nao se tem ha
vido com o preciso zel) e actividade na formagao
dos procesaos criminaes e nos respectivos jura-
mentos, resultando d'ah que o seu andamento
geralmente moroso, Arando at as vezs ditos pro-
cesaos esquecidos por mnitos annos nos cartorios
antes de ultimados, ou anda depois de julgados,
por se nao expedirem os recursos inlerpostos, ou

agenciar voluntarios na qaalldade de eapitao da art *fJ"do decreto n. 2K51 de 17 de marco de 1860,
guarda nacional. ; deflirtir a Mano I Joaqun Correa de Almeida do
Dltoo mesmo.D V. S. as Ms- ordens para lugSf;*e continuo da recebtfbria de rendas desla
que a bagagem do corpo d voluntarios da patria
do Rio Grande do Norte festeja embarcada no va-
por Jtiguribe at o meio da de amanhaa, o mes-
mo corpo, hora, como os reentras ftndoi daquella
prrrrUwawenfcM mietft as 3 hora em ponjo^uim de
que o mesnw vapor possa seguir s 'rcSao pre-
tende o gerente da compannia Pernap^fmcana.
Fizeram-se as necessarias communicajees^--
Dito ao inspector da thesoorara Em vista da guia junta em duplcala, e nao hacen-
d inconviente, mande V. S. pagar a Custodroos
Alves, conforme solicitou o Chefe de polica era of-
ficio de 12 do [correte, sofrn. 830, a quantia de
405320, proveniente da etap abonada aos rerru-
tas Joao Leite da Silva, Pedro Victorino de ^ouza,
Manoel Antonio dos Santos
prevlncfa.Commuuicou-se thesouraria de fa-
zenda.
DiU^O precideote da provincia, conformando-
e tovft* proposta apresentada pelo tenente-coro-
nel cozimBndariir(i*aiMlio p. 4 de infamara da
tep^M^td^t6 e r fizerr ,?ui, es,r3 dm dh*os- Ao
i.ii*k ocupaaa peio inimigo rrelia. os pflr .-. ,..., Aa ,ihJ., \.na,,
hontem s 3 1/2 horas da tarde
So?S&Sle2aSlSTS.Te SoeestaM T*'** legiao e orca de linha Vaypoeta
tldo e dispersado em todas as direcijSes.
A' %>ra mdieada dei principio atkdesembar
guarda nacional (io mwllrlpo do Recite, sobre que enlao oceupava, e
informt o respectivo co'aamandanle superior, em os seus elementos,
que de nossas forcas pelo ponto,denominad
ter%-.ffft enisl) urn vasto quSrtel, que o
o a 15a-
nio'riflO
cujo ponto aecudift com todos
, apenas conheceu o nosso propo-
clcio n. 152, de 13 dolcorrentej resolve, nao s i silo de all desembarcar.
MINISTERIO VA I AIII \II V
t l" secgao. Ministerio dos negocios da mari-
cha.Rio de Janeiro, 30 de maio de 1865.
Illm. e Exm. Sr-. Convindo promover com a
maio- urgencia o alislamento de pracas para guar-
nicao dos navios de guerra, mande V. Exc. proce-
der aos meios legaes e convenientes para a couse-
cui,-.o le tal lltn, lazeodo pagar os respectivos pre-
mios na razao segrate :
1" Aos marinheiros que se contralarem por
um anno 100l, e aos. que o lizerempordous 200,
aos grumetes no primeiro caso 30, e no segundo
W&. rs.
2o Aos individuos que se apresentarem volun-
tariamente, alm do premio que Ih'es competir, o
fromettido aos eugajadores, eu'iregue ua occa
iao. ......
< Os premios serao pagos, aos contralados pelo
maior prazo, inetade na oc'casiao do assenlamenlo
de praga, e luetad n lim do primeiro anno; e aos
oulros entrecar-se-ha a importancia total ao alis- paraiyj-agao.
...^J, 4. Dos pr
por nao lerem estes prompta deciso nos trlbunaes d d B ^ foram remet.
superibres; recommenuo^a Vmcjae lindodo u0 ao cororwl %%&& ,' arnus para le.
promotor, autoridades e escrivaes dessa comarca
transferir da terceira para primeira compannia o
aleres.Melquades Manoel dos Santos Lima, e da
Campe de Almeida, mas tambem promover a
olhViaeMo referido baulhao os cidados abaixo
declarados :
2a compannia.
e Jos Antonio More-' Alferes,i guarda da mesma Joaquim Custodio de
Oliveira.
3" comnanhia.
rem o conveniente destino segundo consta do pro- Alferes, guarda da mesma Antonio da Rocha Ac-
exaclas e minuciosas informacoes, organise e me IJ- ocro.-To"m"m"un"ico-e'' o~Dr. chefelto'po- cioli fcTs.
remella com a possivel brevidade, urna relaeao de- ma H juiere^rancisco Carneiro Monteiro.
moustratrva
I.* Dos processos em que, tendo ja' decorrido o
prazo legal, nao se acha ultimada a formaran da
culpa, com declaracao da data em que comecaram;
se ex ofhVio, por qoeixa ou denuseia, de quem ;
juizo em que correm, uomes das autoridades que
nelles tem fuuccionado ; embarazos liavjdos para
sua conclusao ; estado em que se acham ; quaes
os crimes; se os reos foram presos, desde quando,
se em Ihgranle delicio ou por indiciamento em
crime mafllaneavel, e neste caso qual o fundamen-
to do iniciamento ; se se conservara presos, ou re-
quereram anca e se esta ihes foi ou nao conce-
dida.
2.a Dos processos que, achando se com pronun-
cia nao recorrida, iio foram anda julgados'pelo
jury ou pelo juizo de direito, com declaracao da
data da pronuucia.
3." Daqut'Hes que, devendo ser julgados pelas
autoridades procesanles, independenle de pronun-
cia, como infraeco de posturas e contrabando,
anda o no foram, e se acham parados, com. de-
clarado da data do ultimo acto, e dos motivos da
4' compannia.
Caplfio, o lenle da mesma Manoel Francisco de
Camino Faes de Andrade
Tenenie, alferes da 3* Joao Joaquim de Souza
Abren Lima.
5' rompa nhia.
mesma Manoel Juvencio Be-
,. v processos de cujas pronuncias ou julga-
' oVeugajadores lero de gralificagao 20.3 por i inenlos forajn interposiosrecursos.que nSo tenham
cada marluheiro, e 105 por cada grumete, rece- | sido expedidos, oul que, no caso contrario, nao te-
ben lo laes quantias quaud se veriticar que os in-: nham sido decididps, com declaragao c
divdaos apresenlados estao inleiramente livrese ;
sentengas delinitivas, nao
uda cumprimenlo, com
considera nos deVids termos as circumslancias
crticas em que se acha empenhaJa a honra nacio-
nal, espera neste importante servico nova> provas
de sen recoohecido zelo e patriotismo.
jen-lo laes quantias quando se verilicar que os in- nnai" siuo aeciuiups, com
lividuos apresenlados estao inleiramenle livrese i mlerposicao e ex| lesembaracados. 5- l>aguelles cujas se.
. E o governo imperial, certo de qne V Exc. recorridas, nao librara ai
Dito ao mesmo.Tranmitto a V. S., para oflm
conveniente, as inclusas 2" vias que me remetteu
o commandante superior de Olinda e (guarass
com offlcio de 10 do correte, dos prets relativos
aos mezes de Janeiro a margo deste anno do cor-
neta mor do 9o batalhao da guarda nacional, dol
daquelles municipios Clemente Jos da Silva, visto Tenente alferes di
haverem-se desencaminado as I*?, segundo cons-; zerr\Oe Menezes.
la do citado offlcio.Comrauriicoo-se ao comman- 6" companhia.
danle superior da guarda nacional de Olinda e Capitao, o te nenie da mesma Jos Thomaz Caval-
Iguarass. i canil Pessoa.
Dito ao mesmo.Transmiti a V. S. o pret es- Tenente, alferes da mesma Francisco
pecial junio em .duplcala, que me remetteu o co- Puntual Jnior,
ronel commandante das armas com offlcio de '0 Commonicou-se
do corrente, sob n. 1019, tirando.vencimentos a que
lera direlo o soldado do 2 corpo de voluntarios
da patria Julio Cesar de Carvalhe Araujo, acontar
do Io de abril ultimo em que se alislou ate o da
anterior ao em que assentou praga nesta capital, a geiro de estado, a Aogusto Cesar da Cunha e a sua
O bravo commandante Charlone foi o primei-
ro que desembarcando com duas companhas da
sua leglao recebeu o fogo de mais de 1,500 ho-
mens de infamara, que se acha va m parapeitados
no referido quartel, e Ihes responden inmediata-
mente, langando-se com sua parca forga sobre el-
les, e fazendo-os retrogradar em desorden).
c Nestes momentos acudi o valente coronol Ri-
vas com duas com;anhias do seu balalhao que ac-
bavain de desembarcar, o apoiando vigorosamente
o commandante Charlone, cuja critica posico com-
prehondeu logo, contrbuio elleazmenie para en-
volver o inimigo, que espantado de tama bravura,
e dos estragos que via em suas Bleiras, cedeu o
terreno em completa desordera, porm sempre fa-
zendo fogo. Muito opportuna foi tambem a coo-
peracao qne prestou o commandante Roselli com
una parle do seu balalhao, pois chegou ao lugar
do combale em momentos anda orillos, e portou-
se com bravura, como o fez tambem parle do 23
balalhao de linha com o capilao Saens sua fren-
te, que pode desembarcar durante o combate.
t O 9o balalhao de Itrasileiros leve parle na pe-
leja, contribuindo poderosamente para dispersar
Antonio ; urnas guerrilhas inimigas, que mais larde appare-
j ceram pelo nosso flanco esquerdo com a pretengao
ao commandante superior da ostensiva de nos flanquear, distinguindo-se o Io le-
guarda nacional do Reci fe. nenie de artilharia Tibnrcio Ferrera de Souza,
Dita; Sr. gerente da compannia Pernambu-! que com duas pegas obuzes fez um fogo activissi-
cana mande dar trausporie at o Penedo, no vapor \ mo sobre o inimigo.
Mainanqilape em lugar de r destinado a passa- A Cjquadra brasileira, do nominando do Sr.
Deus guarde a V. ExcJosi' Antonio Siiraiva.
Sr. presidente da provincia de..
(iOVKJKM- PROVWUA.
-----'7.1*1 N.63L
Antonio BorgesLeal Castello Branco, presidente
da provincia de Pernambuco.
Fago saber a todos os seus habitantes que a as-
sembla legislativa provincial, sob proposta da c-
mara municipal de Garauhuns, decreta osseguiutes
artigos addiciouaes de posturas da mesma c-
mara : .
Art. 1. Ficam consideradas ierras de cultura
Ueste termo as que estao ao sul da estrada do Sal-
gado at o riacho da Pallia iio districto de Corren-
tes, e ao sul do mesmo riacho at onde faz barra
para a ponte de .Manipoeira, d'onde seguir em li-
nba recta para o riacho S. Joao, onde atravessa a
estrada que vem da povoacao de Crrente para a
de P.ilmeira, pela qual seguir em direcco a esta
povoagao at a poma da sesra de Camaratulia e
d'ah em linha recia ao sitio Janeiro, desle ao ro
Auliuinas, no lugar Po-Ferro,' d'oode subir pelo
dito rio at a povoagao da Palmeira, desla para a
de Pogo Coinprido pela estrada dos Locos. De Po-
co Comp ido seguir para o sitio Amelia, deste pe-
a estrada do SaqUinho at 0 silio deste norae,
dahi para Bananeiras ao Olho d'Agui de Pedro Lo-
pes, d'onde seguir para Agrestes do Pires, e nes-
sa direecio at o riacho Sueco, no lugar denomi-
nado Grudes, onde divide este termo com o de Pa-
paeaga, icando todo o terreno' que se acha denlro
desta comprehenso destinado a creagao. Do lu-
declaracao das datas das mesmas sentengas, das
diligencias' feitas para seu cumprimento, e dosem-
baragos encontrados.
As declaragoes!exigidas no primeiro quesilo se-
rao feitas as resistas de todos os oulros.
Nos casos precisos Vine, far dar busca era
qualquer cartorio, ou ordenar que venham os pro-
cessos a sua preseuca, alim de melhor examina-los
e poder dar-me ;uma informagao completa e fiel,!
fim de que na falta de crdito mande pagar a im-
portancia de tal pret. sob minha responsablidade,
nos tprmos do decreto n. 2884 do Io de fevcreiru
de 1862.Coinrunlcou-se ao coronel commandan-
te das armas.
Dito ao mesmo.Declaro a V. para seu conhe-
cimento e fim conveniente.) que, segundo constou
de offlcio do vice presidente da caixa filial do ban-
co do Brasil uesla capital datado de hontem duran-
te o mez de maio ultimo, entiaram em circulaco
as olas dos estabelecimenios cujos valores e par-
ticularidades va o desenptas na relagao junta por-
cpia.Communicou-se a thesouraria provincial.
Dito ao mesmo.Ao commandante do 2o corpo
de voluntarios da patria mande V. S. entregar a
importancia do pret d(u vencimentos, a que tiver
direito o voluntario da patria Jorge Joaquim de
Oliveira desde o dia era que se alistou no centro
da provincia at o em que jurou bandeira.
Dito ao mesmo.Auloriso V. S. em visla de sua
mulher, e de proa a urna sua criada.
Dita.OSr. gerente dacompanhia Pernambuca
general Francisco Mauoel Barroso, que lanos ser-
vigs tem j prestado ao exercito, auxiliou-nos
tambem de una maneira importante, dirigindo ti-
na mande dar transporte at o Penedo, no vapor ros certeiros sobre o quartel que a inimigo oceupa-
Mamnguape, em lugar de r, destinado a passa- va; e o Sr. general Gomeusoro, segundo chefe da
geiro de estado, ao bacharel Antonio Rangel de i mesma, que desceu (erra n'aquelles momentos,
Torres Randei rae de proa a um seu criado. prestou tambera servicos eslimaveis, enlhusias-
Expedinlo do secrelario do novrruo do dia ii de mH.ndo suus eompanheiros e attendendo a nossos
... .o,... feridos.
. junno ue lot. Nossas pedas entre morios e fondos passam
Offlcio ao inspector da thesouraria de lateada. |e ijuhomens, e as do iuimigo calculam-se em
S. Exc. o Sr. presidente da provincia manda gOO, pois o campo ficou coberto com seus cada-
Iransmittir a V. S. s 6 inclusas ordeus do thesou-
ro uacional sob n. 64 a 69.
COMANDO DAS AMAS.
tsforcos d'alll foram desalojados.
Nossas perdassero de 180 homeos, feridos os
mais as fiemas, e chefes e offlciaes 20.
Paritw'W ferido levemente, e Pico, o empre-
gado do correio, tambem. Os Pnraguayos nao sei
onde esiarao agora precisamente, pem quaes serao
as suas perdas, mas caicala-se em 400 homeos,
eotre morios e feridos, pois n'uma valia enlerrou-se
um consideravel numero delles.
Toinaram-se-Bw urna bandeira, armamento e
um grande numero de prisioneros. At s 7 estl-
ve recolhendo os feridos, levndoos aos vapores
Pampeo e Pavn, e como nao cabiam, teem ido
para algumas escunas; solfrem muito por nao ha-
ver recursos mdicos, e se nao tivesse sido os che-
fes brasileros mandaren) os mdicos que tinham
de mais, pois eslo com uns 50 feridos, nao sei
como nos leria ido.
O Dr. Bailes foi quem tomou a bandeira
paraguaya.
Multas familias se acham nos navios estran-
geiros, pois diz-so que se os Paraguayos retornam
a cidade a vinganga ser terrivel.
Outra noticia de iguai ou talvez maior importan-
cia, mas que infelizmente nos nao chega de modo
to auluentico, a de haver o baro de Jacuhv,
sobre a fronteira do Rio-Grande, com nns 13,000
homens, atacado e posto em desordenada fuga os
Paraguayos n'um lugar chamado Hormiguero,
tomando-lhes tres pegas de artilharia e amitos pri-
sioneros. Pelo Rio-Grande devemos ter breve-
mente noticias mais positivas a este respeito.
A Tribuna publica a ultima hora :
t As noticias sabidas ultima hora de Corrien-
tes dizem que ficava em trra o general Paunero
tesia de todas as Torgas da expedico. Nao seria
estranho, pois, que as operagoes vo adiante e se
realise em toda a sua extensas o plano combinado
enlre os generaes Urquiza e Caceres.
A mosma folha publica a s^guinte ordem do dia
do nosso exercito em .Montevideo :
j Quarlel general do comisando interino do
exercito do sul cm operagfles no E>tado Oriental
junto do Cerro de Montevideo, 10 de maio de
186o.-Ordera do dia n. 26.-Em virlude da auto-
risago que em offlcio de lo do abril ultimo me foi
dada pelo Exm. eonselheiro Francisco Oclaviano
de Almeida Rosa, enviado extraordinario e minis-
tro plenipotenciario do Brasil, mandando aqoarte-
lar os estrangeiros de diversas nacionalidades que
se offereceram voluntariamente para concorrer
Vi'f't <
. com o exercito brasileiro na guerra coutra o Para-
dera cla-e guay' s?Dd? Promovido o seu alistamenio pelo co-
e intelligencia.
Dito a cmara municipal do Recfe. Remello
incluso por copia o olflcio que me dirigi o enge-
nheiro Dr. Gervasio Rodrigues Campello, para que i
a cmara municipal desta cidade, r.-commende aos :
respectivos liscacs que nao consintam que se deite
lxo e objeclos arruinados junto aos caes desla ci-!
dade e sobretodo entre o theatr de Santa Isabel e
a casa de detengo, mas sim nos lugares por essa
cmara designados, afnn de evilar-se a accumula-
go de lixo, que se observa no caes do Apollo, o que
concurre para a sua damnilicacao.
-14-
Olflcio ao Exm. Sr. Dr. Augusto Ferreira Fran-
ca, presidente da provincia de Goyaz. Picando iu-
leirado pelo seu offleiu de 28 de abril ultimo, sob
u. 29, de haver V. Exc. no dia 27 prestado jura-
mento e lomado posse da adminislrago dessa pro-
vincia, tenlio a duer V. Exc. que me encontrara
sempre prorapto a cumprir suas ordeus, qur so-
jam relativas ao servigo publico qur ao particular
de V. Exc.
Dito ao Exm. desembargador provedor da Santa
Casa de Misericordia. De couformidade com a
sua informagao de 12 do corrente, sob o. 2i7, pode
V. Exc. mandar admittir como serva no Hospital
Pedro II a sobrinha de Anoa Luca de Hollanda
Araujo, de nome Francisca, visto nao poder ser
reculhida aocollegio das orpbas, por ser de idade
Quarlel do commaudo das armas de Pernambuco
na cidade do lieoife, 17 de junno de 186o.
e poner oar-me urna iniormagao couipi it)ia^ .de do cnoeala-s^ *390..-4a4 -' >* '* ^**> *on. Wt
como se faz neeessww, 4 maMo eonatr di ^l"comreferencla'a da contadori dessathe3ouraria O coronefommildaute das arnlas interino
acerca do requenmento qne devolv, a manda/ publico para conhecimento da puarnigao, que
pagar sob minha responsablidade nos devidos teiif- gundo constou de olliciu da presidencia
pos e durante o corrente exercicio, visto nao ha- hontem, o governo imperial approvou por avisos do purtunamenle dirigirei a V. Exc.
iaco de 605 ministerio da guerra de 30 e31 de maio ultimo, as o grande dia da patria foi assigualado no seu
nomeagO-s que a mesma presidencia^ fizera dos ultimo auniversario por urna victoria muito glorio-
t Entre ns nossas perdas temos a
e dous oScLes morios, e uns vinte desla classe
feridos.
t O comportamento de lodos os chefes, offlciaes
e tropas que lomaram parto no combate foi mais
que brilhante e heruico, com especialidade, do Sr.
corom-l iguacio Rivas e lenente-corou.l J. t. t^bar-
. lofle, tenJo esto recebido urna (rutilada na cabera^
0^ tenentes-eooeis Ahiecaa e Pajela mercem
'iZ recommendagilo particular por sua bravura, bem
Sti- como outros chefes e offlciaes de quera farei a
da presidencia datado de mengao que merecen) na parte detalhada, que op-
gar Grudes subir pelo riacho Secco at a barra do SU(jerur a marcada no respectivo reguls
riacho Baixa da Lama, pelo qual subir ate a es- Dl0 ao mesmo. Queira V. Exc. m
lamento
Queira V. Exc. informar se
trada que vem de Papacaga para a fazenda locas pQS,vei ser admittido em algum dos esiabeleci-
do Finado Joao Cirios, de^ta fazenda atravessara a raeiUos je caridade o menor de que trata o Dr.
serra Outeiro di N-gro, em direccao a fazenda Mi- cnefe de p0|lda no jnc|,1S0 0fljc0 que rae ser d_-
mosinho, e na mesma direegao at a estrada que yy^.^,,,
vem da fazenda Caetano para esta villa, e segurado Dt0 a0 meSmo.-Em vista do que V. Exc. p3n-
a dita estrada em direccao a esta villa ate a sorra dera em seu ofljco e ^ j0 crreme, sob n. 225,
do Magano, e d'alii em linha recta a estrada da aU[0riso- a mandar recolher provisoriamente na
Serra dos Bois, e pela mesma estrada da berra dos casa dos exposlos a m.or Carolina Antonia da
Bois em direccao a povoagao de Lanhotinho ate Sl| fl|ha de Francisca Antonia da Silva, que se
. .------------ .-----. -a., u I ..>., ii...in.! % f...c.. acra > ,, ,
acha gravemente enferma no Hospital Pedro II.
exercicio,
ver crdito para esse fim, a consignado de 60$
que de seu sold deixou a sua familia nenia pro'
vincia o Io eirurgiao do corpo de saude do exer-
cito, Dr. Jos Zachariasde Carvalho.
Dito ao mesmo.Communico a V. S para seu
conheciraento que, segundo constou de offlcio da
secretaria de estado dos negocios da agricultura,
commercio e obras publicas, de 3 do corrente, f-i
mandada crear por portara daquella data urna
agencia de correio na villa de Floresta desta pro-
vincia.
Dilo ao inspector da thesouraria provincial. do detalhe.
Nao havendo iaconveniente, mande Y. S. pagar a
Joaquim Carneiro de Andrade, ou ao seu procura-
dor Luiz de Franca de Oliveira Lima, conforme so-
licitou o chefe de polica em offleio de 12 do cr-
reme, sob u. 831, a quantia de 80O despendida
durante o mez de abril ultimo, com o sustento dos
presos pobres da cadeia de Vi la-Bella, como se v
da inclusa conla, que. veio annexa aquelle offlcio.
Communicou-se ao Dr. chefe de polica.
Dito ao commandante superior da guarda nacio-
Srs. teentes reformados do exercito Francisco de
Paula Meira Lima e Jos Caetano da Silva para
exercerem os lugares de ajudanles, esle da direc-
tora do arsenal de guerra, e aquelle da colonia
militarde Pimenteiras;
(Assignado) Jos Mana Ildefonso Jacome da
Veiga Pessoa e Mello.
Et .conforme. -Antonio
lente ajudanle de ordens
Francisco Duarte, 2o
interino, encarregado
IBERIO
RIO
DE JtMllBO
9 de junho.
O senado approvou hontem em 1* discussao a
proposigao sobre concesso provincia do Rio-
sa, obiida pelos nossos invenciveis balalhoes sobre
forgas olo vezes maiores, e que nao foi completa-
mente p'oveilosa, porque a falta de cavallaria e a
cliegada da noite obstaram a qualquer perseguigao,
de modo que sineiite podemos lomar 80 prisionei-
ros, Ires pegas de artilharia, grande porcao de ar-
mamento e de carvao de podra e ama bandeira.
t Felicitando a V. tixe. por este notavel trium-
pho, lorna-se me gpato offerecer a V. Exc. a ex-
prtssao de minha maior eon-ideragao e respe i lo.
Dos guarde a V. Exc W. Paunero.
Sendo em to m.-moravel felo interessabtes as
menores circunstancias, trauscreveremos as se-
guinies cartas :
Corrientes, 26 de maiu de 1865.Meu querido
amigo.Nao Ihe tonho usciipto antes por nao ter
! nada de interesse que communicar-lhe, mas hoje o
1 felicito pelo triumpho das nossas armas nesta cida-
de. A 17 chegamos ao Ricon de Solo; onde se
aiinunciou que eu caminaudara urna brigada cor
encontrar o termo de S. Bento, icando todo este
terreno que se acha entre esta linha divisoria e a
que vai de Palmeira a Grudes, destinada a cultura,
e o mais para a creaco. '
Art. 2." Nos terrenos do municipio destinados a
creagao, ninguem situara fazendas novas para crea-
cao de gado vaceum ou cavaliar sem que lenha
previamente construido -acodos ou cacimbas em
condiges apropriadas para serventa dos proprios p7o7ncFal,~e s
gados, e aquelle que actualmente possuir fazendas, djzer a y Exc
j eslabelecldas, nao as poder conservar por mais
de um anno sem as referidas con^trucgSes, poden-
Dito ao Exm. desembargador procurador da co-
ra, soberana e fazenda nacional. Com o seu
offlcio de 16 do crrente, Irouxe o procurador fis-
cal da thesouraria ao meu conhecimento ootro que
dirigi V. Exc. sobre o accordo preferido nos
aulos, em que appellanle D Tliemotea Josepha
Carueiro Maciel da Silva, e appellada a fazeuda
semelhanle respeilo cumpre me
que estando mui certo do zelo e
intelligencia com que V. Exc. exerce as importan-
tes fuucgoes de procuradsr da cora, cono que
do faz-las com outros creadores visrnnos, se o nu- w caso verlenle Da. de 0i,rar cotao ,nas acerfido
merodas cabegasde gado-desuacreag*! nao exce- f-f -
der de novenia : os infractores pagarao a multa Djl0 ao corone| commandanto das ar'mas.Pode
de 305000 pela primeira vez e o- duplo na rerac- v s autorisar o commandante da corapanhia de
dencia. cavallaria a fazer a despeza necessaria com a con-
Art. 3." Niogu peder queimar rogados, par- duucaiJ do material da mesma compannia para o
tidos de canas, etc., sem fazer uma concesso a .
nal do Recife.-Mande V. S. postar em frente da Graud*4aSul de tnei'a legua quadrada de trra do renlina; mas como era necessario desmoutar a
capella da Casa-Forte amanhaa as 3 horas da rlncSo do Saicau ; -entrando logo em 2" discus- cavallaria, o que se nio pode elTectuar por a p pro-
tarde, urna guarda._ de boura dobatalhao n. 4 de sao, orarem os Srs. Jobim c visconde de Jequiti- xiinarem-se os Paraguayos, a 21 nos embarcamos,
infantaria deste municipio, alim deacompanhar era nhonh*,'sendo approvado urn requerimento do Sr.' e eu flquei cora os mens offlciaes ao lado dogene-
Nossa marcha dirigia-se a Corrientes; lodos
chegamos hontem pela manhaa ao
esta cidade guarnecida por 1,600
a 2,000 infantes paraguayos. Comegamos a de-
sembarcar cima urnas duas quadras do quartel
denominado a Batera. Priocipiou o desembarque
pela divisao militar, e immediataraente se reuni-
tas para ouvir-se sobre este obj-cto a commissao rain os Paraguayos e coraegou um forte troteio. A
de fazenda, e passaudo a proposigo a t discus- legio desembarcou cinco companhas, o 1 bala-
sao, na qual entrou, oraram os Srs. Jobim, Piraem- Iho 90 homens, o 3o duas companhas; por isto
la Bueno, viseonde de Jequitinhonha e Nabuco, e esta s forga com seus chefes frenle carregou
procis-o as imagens que tem de ser trasladadas Jobim Para pedir se informages ao governo a res- ral. Nossa marcl
da mesma capella para a matriz da freguezta do peit dl* concesso. coiiteniissmos el
Pogo da Panelia. i Teveflugat 1* discussao da propo>igao relativa porto, e acharaos
i i bk ... 1> m-. t *. ^.> n a ib A > _. .. .4* b !* i i. a__________^ .. n n.-^M nn Dito ao commandante superior da guarda nacio-
nal de Goianna.Mande V. S. dispensar do.servi-
a empreza de urna linha de navegago a vapor en
tre o Brasil e os Estados Unidos. Oraram os Srs.
go de destacamento para que estao designados os Damas, Nabuco, Pimenta Bueno e barao de Muri-
guardas Manoel Pedro da Paixao e Manoel Flix liba, sendo regeitado um requenmento do Sr. Dan-
te para que as chammas nao passem para ootro
lado, assim como nao tocar fogo as maltas das
trras destinadas cultura pastos de crear, sob
peua de multa de 205000, o,-o duplo ua reinciden-
cia, e os que nao liverem cem que pagar a multa,
soffrerao oito das de priso, fleando salvo o direito
de terceiro, pelo damno causado, e sendo escravo
pagar a multa o seu senhor.
Art. 4." Ficam revogadas as disposiges em con-
trario
Uva conla competentemente authenticada, ati.n de
ser satisfeita.
Fica assim respondido o seu offlcio n. 1023 de
12 do eorrente.
Dilo ao mesmo.Sirva-se V. S. ,de mandar alis
tar no segundo corpo de voluntarios da patria, a
Domingos Jos Ferreira, Fortunato Jos Thomaz e
Manoel Antonio dos Santos.
Dito ao mesmo. Queira V. S. mandar inspec-
cionar pela junta do sade, o capitao do baulhao
Mando, portanto, a'todasas autoridades a quemo D jg de infantaria da guarda nacional do munici-
conhecmeolo e execugo da presente resoloeao : da gscada Joo Pereira de Araajo Cardoso.
pertencer, que a cumpram e fagara cumprir tao in- Dj,0 ^ mesm0. Convm que V. S. mande
teiramente como nella se contm. a msica do quarlo balalhao de artilharia a p
O secretarlo do governo desU provincia a tag acompanr,ar o corpo de voluotarios do Rio Grande
imprimir, publicar e correr._____ _^ (t ^ do Norte at o ponto de embarque, devBOd elle
sabir do quartel urna hora antes da indicada em
16 de
pen\ meo efflci'o desta data.
Dito ao mosmo.Sirva se V. S. demandar
Palacio do governo de Pernambuco, aos
maio de 1865, quadrageslmo-quarto da
dencia e do imperio. Djio ao m88mo__Sirva se v. s. deraan(r prf a
Anfonio Borges Lal Castello Branco. nisar nm pret tirando os vencimentos a qo* tiver
Sellada enublicada aprsente resolaco nesta direito o voluntario da patria Jorge Joaquim de
secreuria do governo de Pernambuco, aos 16 de OHve.ra, vndo do centro da provincia com o cap.-
secretaria oo goveruu uo ^ jog pereira da Si|va) devendo tenente-eoro-
maio de na. Q MCreMrj0j I ne| commandante do 2 corpo de voluntarios da
Dr Francisco de Paula SalUet. patria ajuslar a conta das despezas de alimeqtagao
R<.itri4a. a fl do livro 7. de leis provin- do mesmo individuo, fe.ta em sua viagern para es-
Registrada a ti. ao iivro f ^ ^ ^ ^ferido capitao,a quem V. scien-
e'seecretariadooverno de Pernambuco,aos 16 de tincar de qne s tem direlo ao sidoe untagena
-,,!. M 80verno ae ror,w do posto qne ora occapa no predito corpo do da
M- .... em ojae se juratoeniou e entrou em exercicio, nao
O escripturario da 4" secjao,
Theoioro Jos Tavaret.
competindo por coosegulnte vencimenio algum du-
rante o tempo ora qae esteve encarregado de ir
da Silva, esle por ter sido julgado incapaz do ser-
vigo era inspeegao de saude e aquelle do balalhao
n. 15 de Itamb, por haver provado ser casado o
com 3 tilhus.
Dito ao commandante superior da guarda nacio-
nal do Limoeiro.Mande V. S. dispensar do ser-
vigo de deslacaraento, para que foi designado, o
guarda do balalhao n. 21 de infantaria desse mu-
nicipio, Sabino Americo Pessoa de Mello, que foi
considerado incapaz em rnspecgao de saude.
Dito ao inspector do arsenal de marraba.Man-
de V*. S. postar no lugar e hora que indicar o ge-
rente da corapanhia Pernambucana as embarcages
pequeas que forero necessarias para o embarque
tanto do corpo de voluntarios da patria do Rio
Grande do Norte, como da respectiva bagagem.
Dito ao director do arsenal de guerra. Faca V.
S. embarcar no vapor Jaguaribe at amanhaa ao
meio dia o armamento mencionado na relagao an-
nexa ao seu offlcio n. 285 d* 5 do corrente, menos
as 467 espingardas do adarme 17.
Dilo ao Dr. juiz de direito da comarca da Boa-
Vista. Remello incluso por copia os offloios do
Dr. chele d polica de 9 do corrente, do juiz moni
cipal e do delegado do termo da Boa-Visia, datados
de 20 de maio ultimo, para que Vmc. ouvindo o
se'bdelegado do dislricto de Petrolina, Miguel Con-
galves Barbosa, informe com o que Ihe constar so-
bre a fuga do preso Joo Gon gal ves Barbosa, ir mi
do mesmo subdelegado.
Dito ao chefe da reparilgo das obras publicas.
Autoriso Vmc. em vista do que expoz o seu ante-
cessor em offlcio de 7 do corrente, sob n. 166, a
despender at a quantia de Ii0 rs. com a snbiti-
uiigSo de mais tres estivas, que appareceram ar-
ruinadas no lastro da pontezinha do Caiar, de nm
corremo, e tres crozetas na respectiva varanda,
e bem assim com a pintura de taes made ras, ser-
vico este que sera' feito por empreluda, como foi
indicado no citado offlcio, que fica assim respon-
dido. -Communicou-se ao inspector* thesouraria
provincial.
Dfto ao mesmo.Convenho, em visla de soa pro-
posta comida em offlcio de hoje, sob n. 174, era
que a estrada de Nazareth e a parte da de Pao
d'Alho, comprehenaida entre a ponte do Cachanga
e o riacho Timbi, estejam sob a di receso do engt-
nlieiro encarregado do terceiro dislricto, fleando
nesta parte alterado o regoleraecio de 9 de iulho
do anno prximo passado : o que declaro a Vmc.
em resposta ao citado offlcio.
Porlaria.-O presidente da provincia, tomando
em consideracin qae em offlcio de 8 do correa-
te, sob n. 389, expoz o inspector da thesouraria de
fazenda, resolve, d* conformidade com o 1* do
para passar 3" dis-
foi a proposigao approvada
cussao.
Continuou a 1* discussao do voto de gragas; orou
o Sr. barao de S. Lourefb, e licoa a discussao
adiada..
A cmara dos depuudos approvou hentem em
! discussao o projecto que aulonsa o governo a
mandar abonar viuva do brigadeiro Vicente Jos
com um denodo admiravel, cu.-tandoa demais forga
muito Irabalho a desembarcar.
t Esta carga dada pelo coronel Rivas, chefe da
iufaniaria, Rosseli e Charlone, e de mais soldados
nossos qne foram uns hroes, fez retroceder o
inimigo at urna poole prxima.
All fizeram p e bateram-se, porra os nossos,
bem que mui inferiores em numero, vencerara,
passando por sobre cadveres e os fizeram encerrar
ronel Fidelis Paes da Silva; esta forga que lera
sido fornecida como as pragas do exercito, se de-
nominarBatalho de voluntarios auxiliar, e
formar por agora quatro companhas com os
offlciaes de commissao ataixo mencionados, pro-
movidos nesta data:
Estado-maior. Cwnmandantc, coronel Fidelis
Paes da Silva; major, Jof Groppl; tenente-secre-
taro, Francisco Polycarpo Guimaraes ; (alferes
ajudanle, Emilio Cantiini; dito qnariel-mestre, Cle-
mente Arantin ; capilo da 1' compannia, Pedro
Peruchino, da 2* Thomaz Pzovano.da 3" Jos Mar-
finbti e da 4* Femando Lesnes ; tenerte., Antonio
Sivos, Fernando (japello, Domingo Bei loli, Casimir
Arnold Leme ; alferes, Jos Besilla, Antonio Cas-
telli, Gulielme Sturrc e Pedro Moro.
< A este batalho se abonaro os vencimentos
de voluotarios da patria e desde j mandar o res-
pectivo coi.mandante apresentar na caixa militar
deste exercilo o pret, e fecha dos offlciaes, relati-
vos ao mez de abril prximamente lindo, cujos pa-
pis serao rubricados pelo Sr. coronel deputado do
ajudautegeneral.
a Os individuos que antes desta promogo nao
eram offlciaes, percebero os vencimentos de Vo-
luntarios da Patria. Manoel Lu Oiorio, briga-
deiro.
O Gerente tiuha levado a Montevideo jornaes do
Rio Grande al 28 do passado, dos quaes as folhas
da ierra apenas extraen) a noticia de ir a divisao
de Canavarro em marcha de Santa Anua para Ibi-
rocahy, donde lomara a direegao que as circuns-
tancias aconselhassera.
Das repblicas do Pacifico temos noticias at 20
de abril.
A revolugo gaohava constantemente terreno no
Per'. Segundo uraa correspondencia da Patria,
linham-se ltimamente iusurreccienado tambera
Cajamarca, Piuza e Libertad, icando anda sujei-
tas ao governo do presidente Pezet a cidade de Li-
ma e a parte do departamento de Juuin oceupada
pela divisao de Frisancbo. Segundo outras noticias
porm, conservava-se tranquillo todo o territorio
ao norte da capital.
No Chile continuava se a receiar um conflicto
com a Hespanha. Entretanto continuavam as ne-
gociagoes diplomticas, e, seguudo pareca, com es-
pirito conciliador.
Dizem as folhas de Montevideo que a legagao
brasileira recebeu commuoicagoes offlciaes de que
est era Arica, na Bolivia, desmentindo positiva-
mente o boato de urna allianga chilena como Pa-
raguay contra o Brasil. A este respeilo j nao ha-
via duvidas.
da Costa Almeida o meio sold, sem prejuizo da na praga.
quantia que percebe do monte-pio. t Nestas circunstancias desembarcou o general
Adoploo depois as propostas do governo pedin-; Com urna corapanhia de Brasileiros, com urna pega
crditos extraordinarios, destinados principal dl} campanha e duas companhas do 2o batalho, e
do
Pelo ministerio da guerra ex pedio-se o segninte
decreto :|.
c Hei por bem decretar que as disposigoes do
decreto de 31 de maio do corrente anno fiquem ex-
tensivas : Io, s pracas dos corpos de polica ; 2o,
aos guaTdas naciohaes que tiverem racorrido as
penas do art. 133 da lei n. 602 de 19 de setembro de
1856; 3o, a todas as pragas em geral de quaesquer
corpos dejlinha, de polica ou da guarda nacional
comprehendidas as disposiges do art. nico das
'" lanc a, peui venia au geuerai, e cuuictei o winm S "ii V.;...r lo j.n.4nnnnn> j.qj. Kri j. lons
si- i as,brrrsdae uraa compaQhla o au9-se eslendea *Sx*w^%^^%
Mraar-arCnradU,oconsegai que os Paraguayos retro- decreto rxl,daZ^T^AV^^.
mente para as despezas da guerra actual com o 0 resi0 seguio al que os Brasileiros se estende-
Parajfeay^, rara em guerrilha sobre urna forga que tirotea va
Oceupon-ie em ultimo lugar com a discussao ameagando a nossa esquerda.
das emendas feitas e approvadas pelo senado (jomo eslava a mais de quatro quadras de dis- .. .
proposta do poder exec.utivo quetlxi a despeza e lancia, pedi venia ao general, e comecei a formar 2e8W?.S^^^P^rr2S2r!^ ?r.S'
orea a receita geral daimperi) para o exercicio'
de 18*i1865. Oraram os Srs. franco de Aimei
da, ministro da fazenda, Martim Francisco e
tinho Campos, fleando a discussao adiada pela j Cedessem. Meu amigo, all o negocio esteve
hora. quenle 1
> t A' noute os Paraguayos desoccuparam a praga
O transporte de guerra S. Francisco, entrado e e-to neste momento a tres quartos de legua, com
hontem 'de Montevideo com datas ate 2 do corren- uns 4,400 infantes e 500 cavallos I Nao podemos
te, trax-nos importante e mu grata nova. ; persegui-los por nao termos cavallaria, e teremos
A 23. de maio toram os Paraguayos desalojados que relirar-nos peta pouca forga que temos, e so-
da cidade' de Corrientes. I bretudo por carecerraos de vveres.
Chegadas all as div5es da nossa esqaadr, | t Mais dia menos dia receberemos reforgos, e
eompostag das caohoneiras Belmonle, Iguatemy. Je- -seria urna imprudencia sacrificar esta tropa.
quitinhonha, Mearim, Beberibe, Itajalty, Parnahy-, t Amigo, os taes Paraguayos sao valentes, porm
la, Ypiranga e Aragwry com os vapores argenti- levaram urna boa ligao; e asseguro-lhe que n am
nos, desembarcou o general Paunero nos 600 ho-1 campo de batalha sao nossos.
mens da soa gente, que denodadamente aUearam t Concluo esta, que vai muito pressa, por
os Paragnayo.i, cujo numero diversamente cal- oo ter tempo para mais.-Seu amigo, Malinas
culado de 1,600 a 2,500. O fogo da nossa esqua- j Rivero. D~ ,
dra e nm contingente das nossas forgas de ierra, o I t Corrientes, 26 de maio de 186o.Nao estra-
9d#flBailvta, que desembarcando com algoma i nhes que as- minhas cartas sejam um barulno,
artilhaia-"de campanha, repellio galhrdameote pois todos estamos assim; dar-te hei alguns deU-
um ataque de flanco dirigido pelos Paraguayos 1 Ihes mais. ,
contra os Argentinos, contribfrara poderosamen- J t Os Paraguayos estavam margen do rto n um
le para a vicwfia deste dia, qae terminoa pela oc-' quarlel que foi desfeilo pelos certeiros tiros da
cupaco descrnenles e tomada de muitos despo- esquadra. Logo priocipiou o tiroteio e o fogo da
jos aoiniraip). esquadra, que elles sustentaran por espago de urna
Eii a parle offlcial do general Paunero: hora, sempre Internndose pelas quintas, de modo
-Corrientes, 26 de maio de 1865.-Exm. Sr. que sendo ellas-nao menos de 2,500 causavam
ministro da guerra emarinha da repblica, gene- muito estrago aos nossos. Meia hora depois de
ral a Joo a. Gelly y Obes.Tenhe a honra de j principiar o tiroteio, chegaram.duas companhas
levar ao conbeeimenio de V. Exc, para que se dig-; do f de linha e alguns reforcos que em numero de
ne fate-le chegar ao dotxm. Sr. presidente, que 1200 desembarcaran) os Brasileiros com dnas pegas
Angelo Moniz da Silva Ferraz, do meu conse-
lho, senador do imperio, ministro e secrelario de
estado dos negocios da guerra, assim o tenha en-
tendido e faga execalar.
< Palacio do Rio de Janeiro, em 6 de junho de
1865, 44 da independencia e do imperio. Com a
rubrica de S. M. o Imperador. Angelo Monii da
Silva Ferraz.
- Por aviso de 2 do corrente foi nomeado com-
mandante do vapor Oyapok, o t. tenente Antonio
da Silva Teixeira de Freitas.
Por aviso de 3 do corrente foi nomeado o capi-
to-tenente Franciaco Freir de Borja Salema Gar-
gao commandante do vapor Apa.
----------------- i -> ii igi ** i
Por decreto de 6 do corrente foram nomeados :
1. escripturario do thesouro nacional, o 2. dito
Jos Brasilino da Silva :
i.; o 3 dito Raymundo Joao dos Reis:
3., o 4." dito Emilio Gomes da Costa Miranda;
Ajudanle do thesoureiro da seccao de sobstitoi-
cao do papel moeda da caixa da amortisago da
corte, o trocadoi da mesma seccao, Antonio Morel-
ra de Oliveira e Silva.
Trocador da mesma secgo, Carlos Carneiro de
Campos Jnior.
i.a escripturario da thesoorara do Maranhao, o
3. dito Antonio Bernardino Jorge Sobrioho;
Tliesoareiro da thesourararia da Parahyba, Vi-
cente do Rege Toscano de Bnto.
/
I
4
_
>i
m '
!
?i
i
m
m


Diarlo de Peraumbneo segunda lelra id de Jtinho de 18*.
'<.
Foi concedida a demlssao qaa:$a4lo deste ulti-
mo eroprego Manoel Joaquim de Oliveira.
Foi (kMltidu o pagador da (hesoararia do Per-
nambuco, Vhnoel Jos Teixeir Bastos.
E poripM escripturario do thesouro nacional, o 3. da the-
souraria de S. Pedro, Leandro Ferreira Campos.
---------- r~3-~* m
orobnTqnc-S. M. o Imperador aoom-
panhado de seus semanarios, ministro da guerra e
inarinha, general Gabral, aiudaute-general, almi-
rante Parker, inspector do arsenal, e chefe do
quarH-general da armada, ole.
S. M depois de embarcada a tropa, visitn os
doas vapores, retirando se do arsenal ao meio-dia.
5* Da ordem do dia n. 45 l*e*o cao do ajudaute general em do corrente, corola e de Paramigu al 3 do corrente.
o seeuiule legtaiiva provincial eneerrou se
Nomeaeds. Dos Srs.-^rire Americo Augusto depoffi no ter votado o orcamento da provincia.
i Carvalhal l'oelho dos 9Wtos, pan* capello al-' ^^_^<|a^BifiigBMBMafca^ajM,j^,, Rflcebems folhas da Coritiba at 31 do passado
A assembla
a 27 de'maio,
Freics.-Freto-se a barca agiote -itrio, a'Hjres Ihas ? A misericordia de Dos, que nunca
car regar no Uruguay couros sapilhis :|Wr Lrv?r-' Wapara a quera trilha os camiuhos do Seohor.
do
MAMO BE FEBNAMBUCO.
teres da repartigo ecclesiaetrca do esercito.De-
cret) de 31 de maio finio.
Dr. em mediciua Joaquim Beraardino da Silva i
Baha Gualler, pan segundo Birnrgiao do eropo ___..
de saude; e Joao fwDorea, para pharmaceutteo Rentemos hootem Jornaes do sol do imperio,
alteres do mesme torpo.-Decreto de 31 de maro trazidos pelo vapor Crumro do Sul, alcaacando
lindo. ; do Rio de Janeiro 12, da Baha a lo e de Ala-
Do 1. sargento do 1. batalho de ariilliaria a gas 17 do corrente.
;. Gaulat Joseili Marius, para amanuense da 2.a Sob a rubrica Interior vai por extenso o qne de
directora geral desta secretaria de estado.Por-! mais importante ha, alm do que encontramos nos
laria de 3 do corrente mes. jornaes mais o segrate.
pool directamente a 40 sh. e 5 0/g.
< Montevideo, Idejmko
Cambio.Inglaterra 50 3/4 a <51. VpangalH
1/2 a 82. Rio de Janeiro nominal. Btreaoswl-yres
ao par 25 d. e 10 O/o de premio a 3 Divida publica.-Bodus 25 ra, O/q. Exigrvel,
sem operagSes. Fondada 72 O/o. Franco ingleza
52 0/0. Interna 42 O/o- Qotmouibon 6 O/o.
t Descont*.11/4 0/r>
Fretes.-Inglaterra, confos salgados 40-sh. a 5
0/0,fardos 30th. e 5 O/o Havre, eooros salgados:
Homens caridosos I Serv de amparo a essas
desvalidas orphas, nao consintaes que ellas caiam
nolnsondavel plago da prostitulgo ; amparai-as
emqaanto lempo, emquanlo o genio do mal nao
adeja com suas negras azas em derredor da mise-
ra choopana, em que sua pobre mal, conformada
as deixou, voaodo ao ceo da eternidade.
O escrivo Mariano est de semana nos pro-
testos. CaTtorio, travessa do Ouvidor n. 12.
Aeha se recolhido casa de deleogao um tal
Pern*flota. muito conhecido per soa amestrad*
GQBBESPuSBICIAS
rrac
CASO IQRfilVEL
l mente fallar de certas prlses feitas por esse ro
quando o seu bom e manso protector era inspector
1 de quarteirae, termino per boje, assigoando
O malulo petxeiro.
Nazarelb, f d? jonho de 1865.
D'niA
SO fr. e 10 Q/o, 60 fr.elO O/o, fardos 50 fr. e H) /0-Marsella, de sen proprio dono; seria mnito uttl para bera da
conros salgados 60 fr. e 10 O/o, ditos seceos SOA 'seguranca individual que o*lm.-8r. Dr. chefe e 10 0/rj,pip*s60 fr. e 10 O/o, fartJos 559r*^e|B polica aproveitasse a propicia oceasto para*yUdi-
O/oAntuerpia, couros salgados 40sh. *0/o,Tcancia de fraudes, que este larapio tem commetti-
fardos 50 sh. e 5 O/o, pipas 45 sh. e 5 0/j.Hava- do no recinto desta cidade, j mesmo havendo urna
na, 9 a lo fortes, com navio hespanhol, e 10 O/o de j denuncia ou queixa do bello cavalleiro de indus-
capa..Brasil, Rio de Janeiro, 4 1/2 jr. fortes, Ba- ] tria, e seus cmplices... das quaes ltimamente
Molestia Ukers
Curada.
Demisso do servico militar.Foi concedida aos
Srs. 2. eirurgio do corpo de saude Dr. Joao Cu-
pertino da Silva e alfares do 13. batalho de in-
fanlaria Autonio Pires Gomes. Decreto de 31 de
n .i i" ("tu! .
Transferencias. 'Do Sr. capito do l. batalho
de iufanlaria Innoceecio Jos Ca-valcante de Albu-
querque, para a 1." companhia do batalho de ca-
ladores da Bahia.-Decreto de 31 do mez lindo.
Bo soldado do curpo de artilhar do Amazonas,
Joao Francisco des Santos, para o corpo policial
da corte, na coofurmldade do artigo 2. do decreto
Rio de JAtreino.- Foram nomearios :
Raymundo de Paula llego, ajndante do crrelo
da villa-do Pao dos Ferros, no Rio Srande do Nor-
te ;
Manoel da Cunha Machado, dito da villa da
Unio, no Piauhy.
Acerca do combate liavido em Corrientes,
l-sc no Correo Mercantil:
Chegra Buenos-Ayres, no dia 30 do passa-
do, o vapor inglez Espigador, procedente de Cor-
rientes, com a imporiantissima noticia de haver
sido retomada a cidade de Corrientes no dia 23 de
2,081 de 16 de Janeiro de 1858. Aviso de 2 do maio as 5 horas da tarde, depois de um combate
corrente mez. que durou3 horas .
Recuicacao.-OSr. major do corpo de polica do Gomo territorio argentino, e aniversario da
Cear Jos Fernandes de Araujo Yianua deve ficar maior glora nacional da caufederagao, concedeu o
addido ao 9. corpo de voluntarios da patria e nao Sr. Chele de divisao Barroso que fosse o desem-
ao 19. como-por entrao se publicou na preceden.- barque de forcas argentinas (600 homens) auxilia-
te ordem do dia,-no artigoNouiearoes. do.u.or240 do 9 batalho de inlanlana brasi-
Condecorcfio. Foi ut meado ctivalheiro da or-
dem de S. Bt-nto de Aviz oSr. capilKo do 16." ba-
talho de infau aria, Joaquim Ignacio Rlbeiro de
Lima. Decreto de 19 de abril do corrente auno e
diploma de 22 do di lo mez.
Communica o comniaiidaute do transporte S.
Francisco, que no dta 5 s o e 1|2 horas da tarde,
fallecer a bordo daquelle navio o padre Henrique
Josino Ferreira, capello capilo do exercito, que
embarcara ern Montevideo doento_ de diarrha e
liatia com Ikvnea tratar-se nesta corle.
Adiantandose a decomposlfao do cadver, no
dia seguinte as 7 horas da inanlia, fermada na
tolda a equipagem e depois de urna curta allocu-
cao pronuociaila pelo crinmaudunie, foi o corpo
levado pelos olliciaes do navio at borda e lauca-
do ao mar, ds-s|ipareeendo logo.
Foram determinadas as coordenadas do ponto as seguimos
Icira.
Acerca deste memoravel feto de armas da o
Nacional de Buenos-Ayres os seguintes porme-
nores :
t A's duas horas da tarde apresentou-se no por-
to a esquadra brasileira, conipoSta de nove canho-
neiras e os vapores argentinos Pampero e Paren,
lendo a seu bordo as tropas de desembarque s
ordens do general Paunero.
t A's 3 horas da tarde desembarcou parte dessas
torgas, as quaes foram divididas em grrimas, e
marcharan) sobre a povoa$3o.
Ao constar que os Paraguayos punham-se em
movimeuto, desembarcou o resto das forcas, com-
posta em sua lotalidade de 800 homens.
t A lula emuenhou-se entao sanguinolenta e
i desigual.
t As forjas que lomaran) parte no combate sao
hia, 5 1/2 r. fortes, Pernambuco, 6 1/2 o 5 O/o de
capa.
Rio de Janeiro, 11 de junlto.
t Cambio.Londres, 24 d. a 90 d/v. hontem, 23
3/4 e 24 d. a 90 d/v. hoje.
t Descontos.A 9 e a 10 O/o-
Acedes.Banco do Brasil a 12 de premio,
companhia Brasileira de paquetes vapora 40$ de
descont.
Saccaram-se sommas avultadas sobre Londres
a 24 e 23 3/4 d. a 90 d/v.
t Negociarara-se 123 accoes do Banco do Brasil
a 125 de premio, e um lote de ditas da companhia
Brasileira de paquetes vapor a 40$ de descont.
t Veuderam-se 10,000 .accos de caf.
Chegararo, procedentes de Pernambuco :
8 o patacho Garibaldi com 20 dias, e 9 o brigue
Damao coro 23 e a barca lito de Janeiro com 20.
PaiuniPreslou juramento do cargo de 1 vico
presidente da provincia o Dr. Manoel Aires de
Azevedo.
Para Santa Cathariaa seguir no vapor Pedro II,
o contingente de voluntarios que se acliava acuar-
telado na cidade de Antonina.
O Sr. coronel Jos Antonio Pereira Al ves, assu-
mira no dia 30 do passado, o eommando superior
da guarda nacional, que compreheude Paraoagu,
Guarckessava e Guaratuba.
S.Paulo.De urna carta, escripta d*colonia
doAvanhandava transcrevemos as seguintes lionas,
que pedem loda a attengo pelas noticias jjue en
cerrara daquella parte.
< No dia 25 de abril chegaram colonia miiitar
em que foi sepultado o cadver, achaudo-se a 30*
7' lat. S. e 47, 20' e 46" loo*. O. Grenwick.
Por comnlbiiicaeao offlenl de 28 de abril salie-
se que chgou capital da provincia de Goyaz, o Sr.
Dr. Augusto Ferreira f ranea, e que depois de pres-
tar juramento perante a cmara municipal, enirou
noexercicio doargo de.presidente da mesma pro-
vincia.
10
No senado, depois de serem nontem approv ias
em Ia e 2a discussao duas proposicoes sobre nalu-
ralisacoes e prisoes, entrou em Ia discussa o pro-
jecio aboliudo a pena de norte nos casos dos arts.
113,114 eoutros do cdigo penal. Orou o Sr.
visconde de Jequitinlionlia, e concluio pedmdo que
fosse ouvida a comuussao de legisU-.ao, o que se
venceu.
Proseguio a i* discussao do voto de gracas e
orou o Sr. Oltoni, sendo apoiadas as seguintes
emendas :
i Ao 6. O senado iameuia o grave-allenlado
commettido em outubro do auno pa>sado pelo va-
por Wassuchet da Unio Americana, apresando as
suas aguas da Babia de Todos os Santos o corsario
blonda.
' Mas D cordialidade com que o gabinete de
Washington acolheu nossas justas reclamacoes, e
na satisfago decorosa que nos esta garantida, v
o senado eom prazer o muito que nos aprecia e
considera aquella governo amigo, correspondeudo
s syinpalliias que pela grande uaciuaalidade ame-
ricana nutre o povo brasileiro e o seu iliustremo-
narcha. >
Ao 12. O senado fica inteirado de que o im-
perio do Mxico foi reconbecido.Otluni.
.Xinguem mais pedindo a palavra, consultou o
Sr. presidente ao senado se julgava a materia dis-
cutida, e decidio-se que nao. E, declarando o Sr.
presidente qne ficaria a di.-cusso encerrada se
ninguem mais quizesse discutir, suscitou esta de-
cisao de S. Exc. algumas otiservacoes (pela ordem)
dos Srs visconde de Jequitinhonha e Silveira da
Motta.
Arinal foi approvado um requerimento do Sr.
Silveira da Motta propondo o adiamento da discus-
sao at serem impressas no jornal da casa as emen-
das hontem apoiadas.
- mi n
A cmara dos deputados approvou hontem em
urna s discussao, com varias emendas, o prefecto
que autorisa o governo a conceder carta de natu-
ralisago Joao Luiz Germauo Bruhus, natural de
Luleck.
Approvou em seguida, tambem em urna s dis-
cussao, o |irojectoqueautorisa o goveruo a conce-
der ao desembargador Innoceuclo Marques de
Araujo Ges, um anno de licen^a com o respec-
tivo ordenado para tratar de sua sade na Eu-
ropa.
Coniinuou em ultimo lugar a discussao das emen-
dar feitas e approvadas pelo senado a proposta rfo
poder executivo, que fixa a dos-peza e orga a receita
geral do imperio para otercicio de 186186o.
Oraram os Srs. Mailinho Cani|ios, ministro da ma-
rinha, Marlim Francisco, Tavares Bastos e Brbano,
ticando adiscussao adiada pela hora.
jiolo governo para
sabe boje para o
O vapor S. Paulo foi frutado
conduzir material de guerra, e
Rio-Grande e Montevideo.
A corveta Imperial Marinheiro, entrada hontem
de Santa Cathariua, d'onde largou a 3 do correte,
d noticia de haverem ali chegado naque I le. dia a
corveta Berenice e a barca lamarac, que tinham
saludo d"aqu com ella levando tropa.
O senado approvou hontem, depois de algauas
observa toes do Sr. Ottoni, o requerimento do Sr.
Zacbarias pedindo copia do rotatorio dos engenta-
ros capito Bulhoes e Neate respeito das conlas
das obras da 2' seceo da estrada de ferro de D.
Pedro II, com um aditamento do Sr. Ottoni, para
serem tambem requisitados todos os mais documen-
tos que possam ter servido de fundamento .deci-
so do governo.
Foram depois regeitadas era Ia discussao as pro-
posicoes sobre prttencoes do estudaote Ernesto
Alvim da Silva, padre Manoel Thomaz de Oliveira
o Fr. Raymondo Nonato da Madre de eus.
Continuando a Ia discussao do voto de gracas,
oraram os Srs. Zacharias e.marquez deOlinda,
scodo'^apoiadas as seguintes emendas :
Emenda ao fl.E aqui, senhor, nao pode o
senado eximir-se de tributar s nossas forcas de
mar e de trra, a que tem direito pela bravura
eom que se houveram. Z. de Ges e Vocoh-
cellos. i
< Emenda ao 13. O senado onvio, senhor,
com a devida atlencao a noticia do reconbecimento
do imperio do Mxico pelo governo brasileiro.Z.
de Ges e Vasconcellos.
A's duas horas da tarde approvou-se um reque-
rimento do Sr. Candido Borges, pedindo o adia-
mento da discussao at serem impressas estas
emendas.
Hontem nao houve sessao na cmara dos depu-
tados por falta de numero legal.
Por portara de 9 do corrente foram nomeados:
Antonio Gomes de S para o kigar de agente do
orreio da villa da Floresta, e Joaqulm Goncalves
do Lavor Ayres para o de ajudaate do de Villa-
Bella, na provincia de Pernambuco.
Na mesma data foi sopprimfda a agencia do cr-
relo do Ex, e creada cutra na villa do Granito,
sen lo nomeado Antonio Silverio de Alentar parao
lugar de agente.
Foi nomeado cornmaudante das armas Interino
da provincia da Babia o Sr. conselheiro teuente-
coronel Jos Joaquim Rodrigues Lopes.
12
Embarcaram hontem s 9 horas da manba no
arsenal de marinha para bordo dos vapores Ouapock
e Galgo, 1,770 pravas dos btaHiCes os. 14,15 e 21
de Volunlarios da Palrw, 18 de Lba e urna com-
panhia do 5.
. Duas bateras de artiiaria.
A legiao militar, s ordens do commandante
Charlone"
i Duas companhias do 1 de linha, as ordens do
major Basaviibnso.
t Duas do 2o de linha.
f Grande parle do 3 de linha, commandante
Aldecoa.
A esquadra brasileira prolegeu o desembarque
fazendofogo de artilharla e fnzilaria.
c A's 5 1|2 da tarde verificouse a derrota do
mimigo, obleRdo urna brilliante victoria nossa
forca.
O resultado deste trinmpho foi flear em nosso
poder duas pegas, duas bandeiras e 500 homens
Jo inimigo, entre morios, feridos e prisioneros.
As forgas restantes paraguayas, depois de ha-
verem lutado as ras da povoagao, donde foram
desalojadas, acamparan} tres quartos de legua da
cidade.
c Ao sahir o Espigador de Corrientes, ficava
naquelle porto a esquadra brasileira, c o general
P.unero forlificava a cidade.
< A nossa esquadra, depois de metralh.tr o qawr-
tel onde os Paraguayos se haviam entrfncheirado,
auxiliou o desembarque.
Os Paraguayos eram em numero de l.'iOOmals
ou menos. Bai"'ram-se encarnicadame::; perde-
r m muita genle e fueram bastantes p-tragos nos
nosssos alliados argentinos.
t Por Boa pretetideram, por um movimeuto de
flanco, por a estes entre dous fogos ; mas os Srs.
capito de mar e guerra Secundino o lente do 9o
Herculano, e a forga brasileira que havia desem-
barcado impedio esse movimenlo, atacando o ini-
m%o com furor, o qu# o fez recuar. I ,
t Com a tomada de Corrientes animou se o es]-
rito de resistencia e quebrou-se o encauto dos Pa-
raguayos.
Nao se saba ultima hora do dia 25 se nave-
ra necessidade de se reemliarcarem os Argenti-
nos na nossa esquadra, caso os Paraguayos tires-
sem ido dar aviso a algumas das partidas de Ba-
bles, que tem s suas ordens 16 ou 17 mil homens
em Bella-Vista, e mais pontos do Paran ahaixo.
t Todava, como as aguas deste riocresceram, o
vapor Amazonas e ni3is duas canhoneiras brjsilei-
ras, cora 500 homens de desembarque iam subindo
rumo de Corrientes.
Com esta forca a infantaria que commanda
Pipo Giribone e a rlilharia argentina de Nelson, o
general Paunero recebe um reforgo de 1,200 com-
bteme?, e pode guardar o ponto da cidade de Cor-
rientes.
No dia 2o puzeram-se em marcha para Man-
disov o exercito commandando pelo general Ur-
quiza.
t Antes do feto de armas de 25 de maio, a es-
quadra Paraguaya tinha subido toda at Assump-
gao ou Humaita a buscar 6,000 homens comman-
dados por Lpez.
a No porto de Corrientes achava-se no dia 25
smente o vapor paraguayo Ranger, o qual ao avis-
tar a esquadra brasileira disparou dous tiros de
pega, fngindo em seguida aguas cima.
t Muitas familias correntinas haviam-se refugia-
do a bordo de urna canhoneira ingleza e oulras ti-
nham emigrado para Buenos-Ayres no vapor Es-
pigador.
a Fallam as folhas argentinas, nao sabemos com
que fundamento, em urna brilhante victoria alean-
cada peb Sr. baro de Jacuhy lesla de 13,000
soldados sobre os Paraguayos que deixaram 2,000
homens fra de combate.
o As duas cmaras legislativas de Buenos-Ayres
haviam aulorisado o banco provincial a abrir ao
governo um crdito em conta corrente al a som-
ma de 1,000,000 de pesos fortes.
Em Buenos-Ayres recebera-se noticias de As-
sumpgo.
Lpez preparava novos elementos para enviar
ao territorio de Corrientes.
Calculava-se em 30,000 homens as forcas pa-
raguayas existentes naquella provincia.
i Pn noite de 25, 6,000 Paraguayos haviam alra-
vessadr o passo de la Patria.
t O assassinato de Lincoln fra em ambas as
margens do Prata motivo para vivas demonstragoes
de sympathia pela grande repblica da America do
Norte.
f A cmara dos senadores de Buenos-Ayres, em
sessao de 30, resolver tomar luto por tres das,
durante os quaes a bandeira argentina se conser-
var era funeral, e dirigir urna carta de pezames
ao congresso norte-americano.
t A cmara provincial saneciosra per acclnma-
co um prdjecto dando o nome da Lincoln prl-
meira povoagao que se fundar.
Os subditos americanos ali residentes cetebra-
ram um meehng alim de manifestaran o seu pro-
fundo sentimento e dor por to infausto acontec-
ment.
t Em Montevideo, o governo decretara para o
dia 4 do corrente os funeres ao grande patriota
norte-americ2no. De meia em meia hora o forte
de S. Jos disparar um tiro, todas as reparti-
eres publicas igaro a bandeira oriental a rae o
pao.
c Para o continente com que repblica deve
cOBjjorrer na guerra do Paraguay, fra resolvld)
que "os commandanles da guarda nacional de todos
os departamentos, exeepgao da capital, organi-
sassem em cada nm delles um regiment de dous
esquadroes eom o pessoa de 250 soldados, que se
conservarao promptos para marchar primeira
ordem.
t O contingente de -rlilharia oriental levar oito
pegas de campanha, duas das quaes raiadas.
No dia 30 do passado subiam o Uruguay com
direccao a Paysandu dous navios de guerra brasi-
leiros conrluzindo tropa.
De MorHevido Buenos-Ayres levara o vapor
S. Francisco 1 200 homens para o exercito expedi-
cionario do Paraguay.
Do Jornal do Commercio transcrevemos as
seguintes noticias rommerciaes:
i Bimgt-Ayres, 30 de maio.
Pesos fortes.Ultima venda 29. 20. -e 29. 15.
Pesos bolivianos 21 l/ por onga'.
elle den seu tiro engaoso.
Remettem-nos as seguintes linhas :
-J l ve seus trinla dias, seno mais, que con-
clulo-se o cano, para ceja obra foi preciso desfa-
zer urna porgo do calgamento da ra do Cabug
al entrada da ra das Larangeiras ; e qual a ra-
zo de nao tor-se restabelecido anda o calgamento
neste ponto ?
< O incomraodo que isto causa ao publico, pao
pode ser desconhecido ; visto que com o tempo de
invern, em que estamos, o transito alli torna-se
difflcil qur para os vehculos pela porgao d'areia
frouxa em qne elles afundam, qur para os tran-
sentes pela agua que empopando, converte tal
ponto era um lamaral completo.
Fsnja V... lembrar a necessidade de nao con-
tinuar a perdurar tal estado, pois isto aconselham
as razes que licam apuntadas.
Arrlbou o patacho brasHeiro Espadarte, que
tinha sahido no 16 para Sanla^Catharina. Por ha-
ver desarvorado no dia 17 s 2 horas da manliaa
na lat. S 8o 34' e long. O. do Meridiano de Green-
vixe 34' 40 com vento S. E. fresco, velas auxilia-
res ferrados, lendo bastante mar doS. S. E. Par-
ti o maslaro do velacho pela pega, trazendo com
elle o mastareo do gafetape.
O vapor Crmeiro do Sul volta nesles doos
dias, para o Bio de Janeiro pela Babia, em cum-
primeBto da ordem imperial.
Passageiros do vapor Cruzeiro do Sf,'Vindo
do Itio de Janeiro e portos intermedios :Jos Do-
mingos dos Santos, Jos Mendes da Cruz Guima-
ros, Jos Maria Ramos Gurjo, Dr. Joao Honorio
; do Avanhandava, viudos, segundo dizlam, do rio B. de Menezes, Dr. Jos Antonio Ceelho Ramalho,
Avinhema, em um batelo de qullha, obra muito sua senhora e 1 3lho, Manoel Ploch, Jaeob Lah
i bem feita, 14 bugres dos quaes s um fallava mal rn^n, sua senhora e 2 lllhos, Micheles Wolf Loren,
I o porluguez e outro pouro entenda; os mais nada | Jseph Aron, Isaac Gabriel, Mayar Bamck, ex-
: fallavam era entendiam. Diziain que andavara prapa Joao Malaquias de Souza, Generoso escravo
Ipasseiando. |do Dr. Antonio Joaquim Ribas, Mauricio Blocn,
c Estes bugres chegaram a esta colonia e foram Luiz Linder, Sadoc, capito Antonio Lourengo da
aqui hospedados pelo Sr. tenente director Gaspar I Silva Castro e 6 filhos, Dr. Domingos Antonio Al
Todos aqu-11 es que se achilo sniitoe sof-
frer molestias scrofolosas, ulcerosas, ou ayphi-
liticas, anda mesmo as reputadas de peior
natura, apenas necessito de 1er o seguinte
coso maravilhoso, para que se sinti inteira-
mente convencidos que a sua propria cura,,
nao s meramente possivel mas sim absolu-
tamente certa.
Joao Jos i: Fehueika Bakboza, residente
na Cidade de MaranhSo, tinha todo o seu
corpo coberto de chagas ulcerosas, e durante
algunos annoe se achava dchaixo do trotamento
de mdicos os mais afamados, tendo usado
durante todo este teinpo qimsi toda a especia
de medecinas que em taes casos 6 empregada
pela faculdade medica, portm debalde sem
obter o menor beneficio ou alivio: achando-se
pois em taes apuros elle finalmente resolveu-
e, depois de repetidos e baldados esforcoe
fazer uso da'
Jos Menna Baireto, o qual immedialameiite raan-
necessario para seu alimento durante quatro dias
(de seu boNioho.) No lira dos quatro di? estive-
ram estes hospedes todos vestidos, para o que es-
pontneamente concorreram o Sr. Dr. Marcos Jos
Pereira do Bomlim (cirurgio da colonia) e o cida-
ilo Jos Izidro Gongalves Neves, fazendo os mes-
mosalguns presentes aos referidos hospedes; como
facas, isqueiros, etc.
t Ao retirarem-se foram todos elles casa do Sr.
director, e logo que esto senhor appareceu todos
ao mesmo lempo baleram as palmas como demons-
tragiio, entre elles, de agradeciraento, prometiendo
o interprete que d'ahi a duas las voltariara com
suas mulheres e filhos. Nesse acto de despedida
o Sr. director offereceulhes um longo com a bao-
dira nacional que elles muito apreciaran).
' Entre os peucos moradores da colonia tem-se
interpretado por diversas formas esta estranlia
visita. Uns sao de opiuio que sejam espas de
alguna tribu que, pretendendo roubar pof estes
sei toes, mandou esta caravana sondar a ver se ha
possibilidada, porque dizem ser esle o cestume
delles. Outros julgara quo sejam boinbeiros dos
ves de Brito, Procopio escravo de J. B. de Souza
Aodrade, Joao Biplista Carneiro da Cunha, sua
senhora e 1 filho, Vielor Annibal de Mallos, Dr.
Aotono Pacheco, alferes Antonio Raymundo Cam-
pello, sua senhora e 7 fiihos, Jos Prancisco Tabo-
ca, padre Francisco Peixolo Duarte e i criado, Je-
zumo C da Luz, Manoel Joaquim de Magalhaes
Aniorim, Jos da Silva Tavares e 1 esoravo, Jorge
Alfredo e -sua senhora, Prooistina, Biagio Antonio
Masn, Francisco Duarte das Neves, Antonio Be-
zerra Monte Negro, Victurino Candido Pereira de j
Magalhaes, Jos Manoel de Araujo, padre Manoel I
Pereira B iracho, Nuoo Pereira Pimenta, Jos Gon-
galves Torres, Joao Epyphanio Almeida Pavo,
sua senhora, 2 Olhos e 1 escrava, Francisco Tei-'
xeira da Costa, Guilherme Baptista dos Santos,
Jos Wanderley, Jos Nunes Trigueiro.
ItEPAnTIQAO nA polica :
Extracto das partes do dia 17 de junho de
1865.
Foram recomidos casa de detengo no dia 10
do corrente :
A' ordem do Illin. Sr. Dr. chefe de polica, An-
tonio Flix da Rocha, como desertor ; Severino
Jos Victorino da Silva, para recrutas ; Antonio
Paraguayos, que, seuhores de Coimbra, Corumb, Germano e Gabriel Jos da Natividade, sem deca
etc., os mandassem, Paran cima, a ver i que
descobriara.
Sejam la como fr, o corto q_ue a barca em que
ragode motivo e postos logo em liberdade ; e Joao,
menor, para ser conservado em custodia.
A' ordem do subdelesrado do Becife, Fructuoso,
elies vieran) nao pode ser senao obra de grande africano livre, Antonio Luiz Dias e Francisco Flix
offielal ou mesire, e elles, brutos e sem erramen- \ Gongalves, para correcgo ; e Manoel Caetano de
las proprias, jamis a poderiam construir com lama Mello, por ferimentos.
perfeigo; de duas urna : ou furlarain ou alguein
ibes proporc.ionou.
A' ordem do de Santo Antonio, Miguel e Ma-
noela, escrjvos, esta do Antonio Boberto, e aqnel-
t Tivemos hontem noticia por pessoa de toda \ le de Francisco das Chagas. o Io sem declaraco do
confiauga que pslava para a argolA. yp^osta do motivo e posto logo enulibei dado, e o ultimo a re-,
rio Tiel, que ro dia 26 a tribu Chavantes, que a i querlmoato de seu respectivo senhor.
No todo elle apenas chegon a tomar Cinco
Garrafas de Salsaparrlha e quatro frascos das
Pilulas Vegetaes Assuearadas, c o resultado
foi elle obter una completa e perfeita cura.
Os Sers. Femieip.a & Cin., Droguistas de
Maranho, forao quem suppriro os medica-
mentos, e ac!iao-se perfelamente ao facto
d'este caso, o os mesmos Scnhores, nao s so
achSo promptos (i confirmar o mesmo, como
tambem em forneccr o actual adressodo Ser.
Baiboza, toda e qualquer pessoa que por
ventura se desej informar da verdade.
Recommenda-se mui particularmente nos
Doentes que tenho o maior cuidado na escolha
deste excellente remedio, niio usando outro
nao ser a Genuiaa Salsaparrilha de Bristol,
a qual exclusivamente preparada por
LANMAN & KEMP,
De KOTA YORK,
pois que todas as mais sao inefficaees e de nen
hum pr-atimo
Ventle-se as boticas do Caors & Barbosa
e C. Bravo & C.
CQMMI1CI0.
Rovo franco de1*crnam-
Imco.
O banco desconta letras napresente semana a
9 por Hilo ao anno al o^prazo de quatro me-
zes.-e a rO-OjO at o de seis eses
Girita filial do banco do Brasil em
rema ni buco.
A directora desiacaixa saca sobro o banco do
Brasil no Rio de Janeiro e sobre a caixa lial do
raesmo banco na Babia.
Novo banco de pernambuco.
Os administradores da massa fallida de Jr m
Jos Silveira pagam o Io dividendo de dita mg?a
na razao de 9 0/0 sobre o valor des ttulos ad-
metiidos : no novo banco de Pernambuco ra
do Trapiche n. 34.
ALFANDEGA.
Rendimento do dia 1 a 16......
dem do dia 17...............
67:888fl83i
25:9ilrG
93:300$7f0
MOVIMEMO DA ALFADEGA.
Volumes entrados com 'fazendas___
com gneros..... 214
H>-(2r>-cri
A' ordem do juiz de" paz do Io di-tricto da fre-
guezia do Recife, Autonio Gomes Pinho, por nio
ter cumprido os deveres de fiel depositario.
O chefe da 2* secgao.
J. G. de Mesquita.
Casa oe detenc.vo.-Movimentodo dia 16 de ju-
nho de 1865 :
Exisliam 353; cntraram 13 ; sahiram 24; exis-
ten), 344a saber : naciouaes 267, mulheres 4, e>-
tnngeiros 26, mulheres 2, escravos 50, escravas
5-total 344.
Alimentaos cusa dos cofres pblicos, 128.
que apparece por aquelles lugares"," approxima-
ra-se muito do lugar, onde elle noticiador eslava, e
queimara grande pedacode campo, que pe > clarao
oareceu-lhe ser as cabiceiras do ribeiro dos
Palos.
t Em toda a colonia nao ha talvez meia arroba
de plvora, e desprevenidos como estamos, nao
deixa de causar-nos algura receto, porque se os
bugres derera aqui um assalto podem deixar ludo
raso, visto que sendo as casas distantes urnas das
outras, e a maior parte de palha, poderao elles ir
matando de um era ura e queimando as casas, como
costunum fazer.
Baha.Tomara o grao de doutor em medicina,
na respectiva Faculdade, Fraucisco Jos de Matlos,
no da 10, o qual navadeixado de fazer aelo em
noveinbro ultimo por doente.
0 vapor inglez La Plata conduo para a Eu-
ropa 8o oitavas e 3 graos de dimantes. As arcoes boas nao devem passar desapercebi
L-se no/orna/: das; por isso mister que se saiba do quanto se
t A barca ingleza Norman foi encontrada desar- torna credor da eslima e consideragao publica o
vorada, no da 10 de maio s 10h.-. 52', peio brigue Illm. Sr. Jos da Silva Ley, negociante nesta el-
Mannho III, em lat. sul l, 54'e long. O de Gre- dade, e genro dodistincto coronel Leal,
enwich 37". 21', 46", demorando Ihe a ponta de i ., ,, .
Santo Antonio da Babia por 21. N. 0. nn distan- ') om'neo, 11 do corrente, havendo desembar-
ca como de 190 milhas. Foram Ihe railos todos os i cai,- a? l^^l?s do. d'a ?TcnrP de voluntarios da
IV]
velaxo, joancte de proa ejoanete grande; tambem
linha partido o calce: do mastareo de gayea. Sup-
po-se, que desarvorara naquella raauhaa, porque
cstavam anda em principio da fachina. O mar es-
lava muito agitado.
t A bandeira fo;-nos mostrada na mo.
Consta-nos que o 2o de voluntarios organsado
nesla cam'tal (24 da nova numeragao) embarca no
sabbado 17 do corrente no vapor inglez Scdadm. recend o(Bca|Jdade e cadetes ura almoco con-
t E, segundo um annuncio que hoje puldicamos, I,'."'", decente
da companhia Bahiaua, na segunda-feira 19 segui-, ,. ," ",="a
rao tambera com tropa os vapores Goncalves Mar-
do sol, no vasto trapiche do dito Sr. Loyo, sito no
Forte do Mallo.
Achando-se n'esse interim aquelles valentes bra-
vos sob o peso anda dos encommodos inherente a
viagem do mar, o Sr. Loyo com a maior bondade
os acolheu, pondo a disposieo do dito corpo os
meios, que no momento estiveram a seu alcance,
franqueando-lhe o seu armazem de assucar, e offe-
recendo a' offlcialidade e cadetes
A' este ra'go de reconhecida generosidade ren-
nio tilo offlcioso hospede a mais cordeal amabili-
marf ^EJSift Z'oX* ^ \ e^Ka^qne"'bem demons^T S
s
o L
O cambio sobroT/radres regnlava a 24 7/8 e
25 d., sobre Paris 380 ris, sobre Hraburgo 720 e
sobre Portugal 115 a 10 %. \
Alagoas.-Houve um pequeo incendio de casas
de oalha na ra do Hospital, sem maiores conse-
quencias.
O 1 corno de voluntarios da patria,, desta
provincia, passou a ter fenumerago do batalho
n. fl de voluntarios.
No dia qnarta-feira 21 do corrente ter logar
ao meio dia, na igreja de Nossa Senhora da Concei-
go dos Militares, a bencao da-bandeira destinada
ao 2o corpo de Voluntarios da Patria desla provin-
cia, que embarcar nesse mesmo dia, com o resto
j das pragas do 4o batalho de aitilharia ap e com-
panhias de Volunlarios de homens pnttos, no ca-
vallaria e deartitices, cora destino acrvno vapor
Cruzeiro df Sul.
Achare aberia a matricula da cadena de ins-
irurej primaria, para o sexo masculino, da po-
voagao de Sanio Amaro das Salinas, na estrada de
.Olioda defronte do-hospital inglez.
Comniunicam nos a seguinte noticia, cuja ma-
teria nao pode deixar de interessar s almas cora-
passivas e bera formadas.em quem os males alheios
acham sempre urna corda que fere eij} Mndolente
harmona. A ellas, pois, recommondamos mise-
ras orphas desvalidas.
Vespera do dia de Corpo de Deas, eplregou a
alma a i Creador a viuva Manoola The reza de Je-
ss, victima de urna phtyslca pulmonar, jleixando
em rigoroso desamparo e miseria duas filnas e urna
sobrinha orphas e donzellas.
.< Essa pobre mulher ltimamente habitava
roa da Senzala n. 21, era lodo tempo de sua pere-
grinagao'nesle mundo, censia que sempre vivera
com honesdade, e rerato com suas fllha$ criando
a es las no temor de Dos e nos dictames da honra.
Segrcggscte do mundo, o que resta a suas po-
da patria.
Levando o oecorrido ao dominio da publicidad?,
nos constituimos interprete fiel dos sontimentos,
que animara o commandante e offlcialidade de dito
corpo, dos quaes ouvimos a narrago exacta, que
i acabamos de fazer ; restando de nossa parte tain-
l bera o grato dever de felcilarmos, como rio gran-
dense, que somos, o dito Sr. Loyo por um procedi-
mento to digno de louvores.
R.C.
Tendo do provincia da Parahyba, afim de pro-
mover a cobranga das dividas da casa coramercial,
que gyra nesta praga, sob a firmaDavym & Ca-
valcantida qual fago parte, coco seu merabro,
tendo antes de sahir para aquella provincia, feto
publico por este Diario, de que la ella aquello
flm, causou-me sorpreza, quando hontem soube che-
gando a esta cidade, qne meu socio Jos Lopes Da-
vym tinha feito publicar no Diario de Pernambuco
ura annuncio, em que se firmara, dizendo que ten-
do eu sahido para o norte cobranga no dia 12 de
maio prximo lindo, nao havia anda regressado,
nem dado noticias apezar de ter-me sido diripidas
algumas cartas, em que se pedia arainha volta ou
a camessa das quantias rerebidas para ir occorren-
do os empenhos da dita fuma, por cuja faltase
achava esta em estado de nao poder proseguir em
suas transacgSes.
Como quer que esse annuncio involva urna inju-
ria feita mim, e tenha com elle o meu socio des-
acredilado dita firma, inhabilitando-a para conti-
nuar em suas transaegoes, venho perante o publir
co protestar contra seraelhante annuncio, e outros
passos que dou o meu socio, e que tambem tende-
rn) ao descrdito da dita firma,; e limitando-rae
pqr ora isto, devo todava, tambera dizer, que a
dita firma nao ficava em circuraslancias de paraly-
sarsuas transaegoes pelo facto de rainha ida pro-
vincia da Parahyba, onde eslava e sempre me em-
preguei na cobranga da casa commercial, a que
pertengo cora > merabro da firmaDavym & CavaJ-
canti.
Recife, 16 de junho do 1865.
Antonio Bezerra dwalcanli de Albuquerque.
Srs. redactores.Desprezando por momento os
meus irabalhos de campo, liz-me escriptor publico,
e venho a Imnrensa oceupar a vossa attengo, e
comego por fazer um appello a vossa benevolen-
cia, da qual lanas vezes me tendes dado exube
rantes provas.
A nao ser e desejo de manifestar um patronato
escarnalozo, eu nao ousaria abusar da vossa atten-
go, c solicitar a vossa renevolencia.
Fallo-vos com (ida a franqueza e sincendade, e
por isso espero ser attendido.
Ha dias mbalhava o jury desta comarca, e enire
outros reos que. foram snbmettidos a julgamento,
foi irazido perante o tribunal o celebro Benedicto
Indgena Lima, pelo crime de tentativa de moite,
perpetrado na pessa de um cidado, morador em
trras desta mesma comarca.
Logo que se propalou o di de seu julgamento,
a opiniao publica se ergueu, e una voce affirmava
ser elle condemnado, em vista da gravidade do
crime de que se tratava, e da certeza de. seu ver-
dadeiro autor. Porm este juizo previo da opiniao
publica foi uffoeado, por isso que contra loda a
espectativa, esse homem mo, coberto decrimis e
com a consciencia jacauterisada, foi absolvido I 11
Kssa absolvicito, que arraocou um grito de ad-
mirado e de pasmo a todos os homens bons, que
conherem a fundo o reo, os seus negros e ternveis
precedentes, a sua vida toda manchada de sangue
foi consideradanao como um reconheciniento
de sua "innocencia, mas sim,como consequenca da
lastimavel protecgo operada em seu favor I
Felizmente, o muito digno e Ilustrado magistra-
do que se aclia a frente da justiga da comarca, o in-
tegro juiz de direito, presidente, do tribunal do ju-
ry, convicto da criininalidade do reo, appellou da
sentenga. para o egregio tribunal da relaco, por
ter sitio dada a absolvico contra a evidencia d-ss
autos.
Este procedimenlo do distiucto magistrado, a
quem me retiro, desagradou ao prolector do reo, o
qual recelando a condemnaco do seo protegido,
e nao podendo encontrar entre os inlelligentes ad-
vogados deste foro um que se quizesse prestar a
patentear a reconltecida innocencia d'aquelle seu
predilecto, foi a essa capital, e ttouxe como advo-
gado um bacharel, que nao somraenos aos de c,
mas lambern nao Ihe 6 superior em intelligencia,
e o encarregou da defea. De feito foi b--m servi-
do, porque o advogado tratou da defeza como Ihe
aprouve, e prescindindo inteiraraente da aprecia-
gao.dos autos por nao poder refutar os argumentos
da accusac>, e por nao poder ir de encontr as
provas inconcussas que exhtem nos autos do seu
constituinte, limilou-se a massar os ouvintes cora
palavroes bombsticas, fazendo a biographia e nar-
rando as excellentes qualidades desse famigerado
assassino, que na muito lempo ja devia estar em
Fernando de Noronha, cumpnndo a pena de vinte
annos de gales, grao mximo do art. 193, combi-
nado com o art. 34 do cdigo criminal.
O proprio reo confessa a sua crirainalidade, po
rcmalardeia, que sera' posto emliberdade, porque
tem em seu favor certas cartas de empeuhos, com
as quaes conta, o que nos dnvidamos, se bem que
elle aqu ostente muita protecgo, com a qual ob-
teve demorarse na cadela desta cidade, a pretexto
de uzarde han los, entretanto que os seus compa-
nheiros de prisao nao conlarao a mesma elicida-
de, e l se acham cora mais seguranga na casa de
detengo.
O processo tem de ser submettido a considera-
cao do merelissimo tribunal da relaco, e nos, con-
vencidos da revoliante crirainalidade do reo, e ba-
scados as provas dos autos, que se apresenia'm re-
vestidos de toda a forga e solemnidade, esperamos,
que aquelle Ilustre tribunal nao consentir' que
esse homem esquecido da lei, do dever moral, sem
crenga, sera religifl sera amorao prximoseja
restituido a sociedade, e venha a ser o terror dos
cidadaos pacficos o amigos do trabalho. Niio :
contamos que elle sera' submettido a novo julga-
mento, e este procedimenlo se tornara' digno dos
louvores de todos os homens que amara a vii tude
e odeiara o crime.
No segundo julgamento, a sociedade ficara' mo-
ralisada, porque certamente o tribunal do jury nao
sera' mais composto de homem sem consciencla,
e sem a forga precisa para se olevarem a altura
de sua verdadeira misso,. maniendo o juramento
qpeprestam cora os olhos em Dos.
Aindattndo de voltar a imprensa para larga-
214
Volumes sabidos com fazendas..... 56
cora gneros..... 224
------280
Descarrcgam uo dia 19 do corrente.
Barca ingleza- 3f?'rau/amercflorias.
Brigue pertuguezf/Hiiiopedras para ladrilho.
Brigne porluguezRelmpago diverses generes.
Brigue sueco Argo dem.
Patacho hanoveriano Mettene farinha de trigo.
Patacho bollaudez Ilendrika Huisman farinha
de trigo.
Barca francezaFgaromere."dorias.
Patacho hollandezFumino Sytse farelo e outros
gneros.
Brigue inglezMilliecnt-bzcalho.
Escuna portuguezaD. Joocharque.
Sumaca hespanholaMcrcedtta idem.
Brigue nacionalCardiaidem.
Brigue nacionalJmporadoridem.
Pataclio holtaatlezenyidem.
Brigue iuglez-AMiZacarvo.
Barra inglezaFutori/idem.
Barca inglezaAvenaidem.
ALFANDEGA DE PERNAMBUCO.
PAUTA DOS PBEgOS DOS GNEROS SL'JEITOS A DIREITC
DE EXPORTAgO. SEMANA DE 19 A 24 DO MEZ
DE JIMIO DE 1865.
Mercaderas. .unidades. Valores.
Abanos......... cenlo lyC
Agurdente de cana .... caada 800
dem rcstilada ou do reino 800
dem caxaga........ 380
dem genebra....... 8Q0
dem alcool eu espirito de agua- 900
ardenle........
Algodao cm carogo .... arroba 332'0
dem em rama ou cm laa 135000
Arroz com casca..... loUO
dem descascado ou pilado 260
Assucar mascavado..... 25CC0
dem branco........ 35oO)
dem refinado....... 5120
Azeite de amendoim ou mendo-
bim ........ caada 25000
dem de coco...... > 16C0
dem de mamona .... > 1000
Balatas alimenticias k arroba Ij'iO
Bolacha ordinaria, propria para
embarque.......
dem lina........
Caf bom ....... >
dem escolha ou rcslolho.
dem torrado...... libra
Caibros........ um
Cal....."..... arroba
dem branca .... "
Carne secca (xarque) ...
Carnoiros ....... um
Carvo vegetal ..... arroba
Cavernas de sicupira urna
Cera de carnauba em bruto. libra
dem dem era velas ...
Cha ......... i
Charutos ....... cenlo
Ccvados (porcos)..... um
Cocos (seceos)...... cento
Colla........ libra
Conros de boi, salgados.
dem idem seceos espichados
dem idem verdes ....
dem idem cabra eortidos um
Idem idem de onca ....
Doces seceos .'..... libra
dem em gela ou massa >
Idem em calda .....
Espanadorcs grandes um
dem pequeos...... >
Esleirs para forro de estivas
de navio........ cento
. arrolia
um
arroba
urna
Estopa nacional
Farinha de de mandioca .
dem de ararnta ....
Fejaa de qualquer qudlidade
Frecbaos ......
Fumo em tolha, bom .
dem ordinario ou rcslolho
dem cm rolo bom ....
idem ordinario ourestolho. .
Gallinhas ......
Gomraa........arroba
Ipecacuanha (raiz)..... >
Lenha em adas.....cento
Toros......... >
Linhas e esteios......um
Mel ou melago......caada
Milho.........arroba
Papagaios .......um
Pao Brasil.......quintal
dem de jangada......um
Podras de amolar ....
dem de filtrar .....
dem de rebolo .....
l'iassava........
Puntas, ou chifres de vaccas ou
novilhos.......
Pranchoes de amarello de dous
coslados.......um
dem de louro...... >
Rap.........libra
Sabio.........
Sal...........alqueire
35000
7J000
75C0
0000
UO
360
280
500
35200
4500o
1500O
35OOO
300
300
15300
25500
155000
65000
600
150
240
105
350
105000
150011
320
500
45000
25000
155000
15G0O
alqueire 25500
arroba 45000
t 25800
55000
145O00
85000
85060
55000
600
25500
255000
25000
115000
65000
240
900
35000
55000
55000
800
45000
15001-'
120
urna
molho
cento
35500
205000
105000
15000
120
400
Salsa parrilba....... arroba 255000
Sebo em rama...... 1 55000
dem em volas...... > 75000
Sola cm vaqueta......urna 25000
Tabeas de ainarollo.....duzia 1405000
[dem diversas. ....... 875000
Tapiocas......' arroba 35000
Tatajnba........quintal 25006
Travos ........ urna 65000
nh.is de boi ......Cento 200
Vassouras de piassava ... > 105000
Ditas de limbo....... > 85000
Ditas de carnauba..... > 65000
Vinagre.........caada 500
Alfandega de Pernambuco, 17 de junho de 1865.
(Assignados):
O 1. conferenlc, Antonio Carlos de Pinho Borges.
O 2. conferente, Cycero Brasileiro de Mello.
Approvo. -Alfandegade Pernamuc, 17 de junho
de 1865.A. Eulalto.
Conforme. 0 4. escriplurario, J. de Avila Bi-
tencourt Neivas.
RECEBEDORIA DE RENDAS INTERNAS GE-
RAES DE PERNAMBUCO.
Rendimenlo do dia 1 a 16...... 17:9655182
dem do dia 17................ 1:1615466
19:1265648
"CONSULADO PROVINCIAL"
Rendimentododiala 16...... 53:6005288
dem dojdia 17.............. 6:2215708
59:8215996
L
(LErVELL

>.-ii_


{n^nBHH&G UUMHg :Jg$@i SBBM %SS
iMarh rfr mad*tif '***? ** PRAQA DO BECIFE
A'S TRES HORAS da tarde.
Wevtoia seinaul.
Cimkioi-.......Saecotuse sabr* PaWa a 38o rs.
par fe; o sobsfrLjahna.da 108
a 114 por canto de premio:
AlgJdact........ O'de Pernambuco escolhldo ven-
deu-s a 1420O oar. arroba, e
o regular a 14fMfc
Assacar........O maseavade purgado vendeu-
se de 2*209 a 2400 por arroba,
' eo-bruodaaOOO aJktO.
Agaardenie.....Vondeu-se de 70*000 a 75000
a pipa.
Couros........Os seceos e salgados venderara-
se de 155 a 160 rs. a libra.
Arroz.......... Vendeu-se o pilado da Indiada
2,5600 a 2*900 a arroba, ha fal-
la do do Maranhao.
Azeitedce...... 0 de Lisboa vendeu-se a 25300
ogalo, eo do Estrello a 2*000.
Bacalho.......Em atacado vendeu-se a 11*300
por barrica, e a retaluo de 4*000
a 13*000.
Batatas......... Venderam-se a 1*000 rs. a ar-
roba.
Bolaxmbfts.....Venderam-se a 2*300 a barri-
qaioha.
Carne secca.....O deposito actual de 173,000
arrobas da do Rio-Grande doSul
e 65,000 da do Rio daPrata,
vendendo-se de 2*000 a 2*800
arroba daquella, e de 2* a
a2*5X>0 dadsu.
Caf.......... Vendeu-se de 6*000 a 7*000 a
arroba.
Cha............dem de 1*300 a 2*200 a libra.
Csrveja........Vendeu-se de 4*300 a 6*000 a
duzia de garrafas.
Fanuha de trizo. A de Philadelpha e New-York
retaihou-se de 19*000 a 20*000
por barrica, a de Trieste a 20*
e a do Chile a 7*300 o sacco- de
cem libras-, Picando em deposita
3,000 da primelra, 6,000 da se-J
gunda, 10,500 da terceirae 4,000
saceos da quar.ta.
Pila de mandioca Vendeu-se a 5*000 sacco.
Ivijo.......... Vendeu-se a 14*000 o sacco.
Louca.......... A ingleza vendeu-se com 320
por cento de premio sobre a fac-
tura, da ordinaria,
Manteiga.......Vendeu-se a ingleza a 9G0 a
libra, e a franceza a 770 rs. a
dita.
"', i sas......... Venderam-sc a 3*000 a caixa.
Oleo de linhaca.. dem a 1*70' o galn.
Passas.........dem a 4*000 a caixa.
Queijos........Os flamengos venderam-se a
1*600 cada um.
Sabio.......... O inglez vendeu-se a 140 rs. a
libra, e o do Mediterrneo a 260
rs. a dila.
Tuucinho.......Vendeu-se o do Rio-Grande do
Sul de 6*300 a 7*000 por arro-
ba e o de Lisboa a 10*500.
Vinagre........O de Portugal vendeu-se de
90* a 105* a pipa.
Viobos.........Venderam-se os de Lisboa a
180*000 a pipa, e os de oulros
paizes de 176* a 180* a dita.
Velas..........As de eomposico venderam-se
a 540 rs. por pacota de seis ve-
la.
Descontos.......O rebate de letras regulou de
8 a 10 por cento ao anno.
OTIMEBffi
Santa gaa da Miserieosia
do Recife.
A Illm. junta administrativa da Santa Casa da
Misericordia do-Recife, manda fazer publico que
no dia 22 do correte palas 4 horas da tarde, na
sala de aias sessoas oniiouam a praca das ren-
das das casas abaixo declaradas por lempo de 1 a
3 anuos auttatar por diante, etadrerta-se aos respectivos ioqullinos
que nao penmrera os seas contratos at o flra do
presente mez ficaro pagando do dia Io de julho
a renda posqaa eslo em pra$a as preditas casas
Ra das Larangeiras.
Gasa terrea n. 3 particular e 17 pu-
blico.......... 206*000
Ra do Rangel.
dem n. 43 particular e 33 publico. 300*000
Ra do Rosario da Boa-Visia.
dem n. 14 particular e 58 publico. 168*000
Ra da Lapa.
Casa terrea n. 41 particular e 2 pu-
blico. ....... 150*000
Ra'da Moeda.
dem n. 44 particular e 2t publico. 350*000
Ra do Amorim.
dem n. 48 particular e 56 publico. 4O05OOO
Idara n. 50 particular e 52..publico. 420*000
dem n. 53 particular a 43 publico. 500*000
Ildem n. 56 particular e 26 publico. 72300o
Ra do Azeite de Peixe.
Uem n. 61 particular e 15 publico. 450*000
dem terrea n. 63 particular e 14 publi-
co...........600*000
I Ra da Cacimba,
dem o. 65 particular e 5 publico. 144*000
dem n. 67 particular e 10 publico. 83*000
Ra do Vigario.
Sobrado de 2 andares n. 72 particular
e 27 publico........500*000
Ra do Encantamento.
Sobrado de 2 andares n. 76 particular
e 11 publico. .'......900*000
dem id-em u. 77 particular e 13 pu-
blico.......... 900*000
RadaSenzala Velha.
dem idem n. 79 particular e 134 pu-
blico.......... 5u0*000
Casa terrea n. 81 particular e 18 pu-
blico.......... 2005000
dem n. 82 particular a 16 publico. 200*000
Ra da Guia,
dem n. 81 particular e 29 publico. 144*000
Ra da Lingoela.
dem de 2 andares n. 86 particular e
14 publico........600*000
Ra do Trapiche.
Sobrado de 3 andares n. 85 particular
e 30 publico........720*000
Ra da Cruz,
dem idem n. 87 particular e 11 pu-
blico.......... 882*000
Ra do Pilar.
Casa terrea n. 92 particular e 103 pu-
blico.......... 200*000
-=z
:; '
Navio entrado no dia 17.
Terra Nova38 dia?, patacho inglez Portia, de 197
toneladas, capitao D. G. Down, equipagem 10,
carga, 2,876 barrica* com bacalho ; a Johnslon
Palor Si C.
Navios sahidos no mesmo dia.
Rio de Janeiro Barca bra-ileira[Joven Palmyra,
capitao Manoel Alfonso da Costa, carga assucar
e outros gneros, e 1 escravo a entregar.
H unburgoPatacho hamburgu'Z Hunbnrg Packet,
capitao H. A Jacobsoa, carga a mesma que
trooxe de Sanios.
Porte-Alegre Brigoe brasilero Flamngo, capitao
Domingos Francisco di Silva, carga assucar e
outros gneros.
Observacao.
Suspendes do lamaro para Cork a barca in-
gleza Gladeolus, capitao Taylor, com a mesma car-
ga qaa trouxa deCalho de Lima.
Nios entrados no dia 18.
Rio de Janeiro e Macei 5 dias, e do ultimo
porto 11 horas, vapor brasileiro Cruzeiro do Sul,
de 1,017 toneladas, comuna Jante J. P. G. Alco-
>;ul>, equipagera 62
Bi'ii i -3 da-, vapor inglez Clealor, de 205 tone-
Ulas, coa nandaate Jihn Jaekson, equipagem
17, carga fumo a ontros genero*, a Sawaders
Br ithers & C.; veio recebar carvao e segu para
Bromeo.
Observadlo.
Nao houveram saludas.
EDITIS.
O Illm. Sr. inspector da thesouraria provin-
cia!, em cumprimento da ordem do Exm. Sr. pre-
sdeme da prpvincia de 22 do correte, manda fa-
zer publico, que no dia 22 de junho preximo vin-
douro, parante a junta da fazenda da mesma the-
souraria, vai novamente a praga para ser arrema-
tada a quem por menos lizer a obra ua concluso
da casa da cmara e cadeia da villa do Bonito,
avahada em 8:309*.
A arrematado ser feita na forma da lei pro-
vincial n. 343"de 15 de maio de 1834, e sob as
clausulas especiaes publicadas anteriormente.
pra constar se mandou publicar o presente
pelo jornal.
S"crelaria da thesouraria provincial de Pernam-
buco 24 de maio de 1865.O secretario,
A. F. d'Annunciaco.
O Br. Trislo de Alencar Araripe, offlcial da impe-
rial ordem da Rosa, e juiz especial do commer-
ci, por Sua Magestaee Imperial, a quera Deus
guarde, etc.
Paco saber aos que o presente edital virem e
dello noticia tiverem, que por este juizo pendem
dos autos de execuco de sentenSa de James Crab-
'i C, contra os administradores da massa fal-
lida de Amorim, Fragozo, Sanios & C. E tendo-se
feito pnhora em dinheiro pertencente aos execu-
tados, fura pelo solicitador Rodolpho Joo Barata de
Almeida, procurador do autor, feito o requerimenlo
do seguinte termo :
Aos 12 de junho de 1863, em publica audiencia
que aos feitos e partes dava o Dr. juiz especial do
commerclo, Trislo de Alencar Araripe, pelo soli-
cita ,r Itodolpho Joo Barata de Almeida, por par-
te dos exequentes, aecusou a penhora feita em di-
nheiro pertencente aos executados, e requereu que
ibes ticassem assignados os seis dias da le, e dez
aos credore iucertos, passando-se os respectivos
edilaes; o que ouvido pelo dito juiz assim Ihe de
ferio.
E para constar lavrei este do protocolo das au-
diencias, a que junlei o mandado e termo de pe-
nhora, que seguem. Eu Adolpho Liberato Pereira
de Oliveira, escrevente juramento o escrevi. Eu
Manoel Maria Rodrigues do Nascimento, escrivo o
subscrevi.
Por forja do meu despacho, o referido escrivo
fez passar o presente pelo qual chamo, cito e hel
por intimado os credores incertos dos dito* execu-
tados, para que comprela ueste juizo dentro do
dito nrazo, afim de allegarem o quo fo de jnstica.
E para que ebegue ao conhecimento de todos
mandei passar o presente, que ser publicado pela
imprensa e afflxado no lugar do costume. Recife
li de junho de 1865. _Eu Manoel Marta Rodrigues
do Nascimento, escrivo o subscrevi.
Tnstao de Alencar Araripe.
DECLiBICOEL
Tribuna do commerco
lio de Janeiro
Pela secretarla do tribunal do commerco de! O brigoe nacional Trovador sahir para o Rio
Pernanibaco se fax podlico, que nesta data fot ins- de Janeiro nesies oilo dias por tar o seu carrega-
cripto no competente livro o theor do distrete da meato prowpto : para alguma carg miada, en-
scciedadft de Jos de Castro Reiteado e Joio de Al- commMflas-a escra)o*, podam dirlgir-8 aos saus
meida Lima, que gyrava nesta cidade sol a (Irma con(goaiatnAMar^oe, Barras i C, nolaego-da
do Castra & Lima, em virtade do qoal ca o ex- praga do commefcio n. 6, segundo andar,
socio Castro encarregado da liqoidaco de dita so-
ciedades Lima embolsado do seu capital e lucros.
Secretaria, do tribenal do eommercio de P.er-
nambuco 14 de junho de 1865.
O ofOcial-maior,
Julio Guimardettiv
dem n. 93 particular e 101 publico. 200*000
dem n. 94 particular e 99 publico. 2335000
dem n. 97 particular e 110 publico. 2008000
dem n. 99 particular e 108 publico. 200*000
Uem n. 100 particular e 104 publico. 200*000
dem u. 101 particular e 102 publico. 2003000
Idem n. 102 particular e 100 publico.. 2005000
dem n. 103 particular e 98 publico.. 2005000
dem n. 104 particular e 96 publico.. 2003000
dem n. 103 particular e 94 publico... 200*000
Secretaria da Santa Casa de Misericordia do
Recife 17 de junho de 1863.
O escrivo,
F. A. Cavalcanti Cousseiro.
COMPANffll
No dio 21 do corrente pelas 12 horas do
dia, tora lujar no escriptorio da companhia
rita doCabug n. 16, a arrematarlo dos
chafarizes e bicas por bairros, nao se ad-
mittindo propostas que comprchendam mais
que um bairro nem por espaco maior de
um anno; os Srs. licuantes com;>arerm
com seos fiadores ou declaraces dos mes-
mos no mencionado dia, devendo ser as pro-
postas em carta Jechada apreseutada oa
mesma occasiioou antes no escripiorio on-
de melhor se deverao escla ecer e Informar
das condices do contrato da arremataco,
Bazes sobre as quaes se Bairro do Recife.
Chafariz e bica do caes da al-
fandega................. 6:0000000
Dito da ra da Cruz......... 7:200^000
Dito da ra do Brum........ 5:000003
Dito do Furto do Matos e bica
do mesmo............... 4:500,?000
A praca do engenho. Constantino flcou trans-
ferida para o dia 20 de junho, na sala das audien-
cias, perante o Illm. Sr. Dr. juiz de orphos. -
Pela recebedoria de rendas internas geraes
se faz pnblioo que oeste corrente mez que os de-
vedores dos impostes seguintes : renda dos pro-
prios nacionaes, decima a.dicional de mo-mor a,
imposto de 20 0/0 e dito especial, relativos ao 2o
semestre do exercicio corrente, teem de pagar seus
debite3 sem multa, depois do qne serao pagos com
ella. Recebedoria de Pernambuco 2 de maio'de
1865.O administrador,
Manoel Caraeiro de Souza Lacerda.
Pela secretaria da cmara municipal desta
cidade se taz publico que a mesma cmara prin-
cipia a sua segunda sessao ordinaria deste anno
em o dia 19 do corrente e nos seguintes.
Secretaria da oamara municipal do Recife 14 de
junho de 1863.O secretario,
____ Francisco Canuto da Boaviagem.
Convida-se as pessoas queestiverem as con-
digSes do servico militar, a engajarem-se no corpo
de polica, e gozarem das vantagens que .'ollewe
a lei provincial n. 611 de 2 do corrente.______
O Illm. Sr. inspector da thesouraria de fazen-
da manda fazer publico a todos os habitantes desta
provincia, jjue em virtude. da circular dothesonro
nacional n. 20 de 29 de maio prximo Ando, fica
prorogado at o flm de agosto futuro o prsso mar-
cado pira a substituico das notas de 100* da 3J
estampa, principiando da Io daselambro em diante
o descont progressivo na forma da lei.
Secretaria da thesouraria de fazenda de Pernam-
buco 14 de junho de 1865. Manoel Jos Pmto,
servindo de oficial-maior^________^__^_
Relaco das cartas senaras vindas do sul pelo
vapor Cruzeiro do Sul para os senhores abaixo
declarados:
D. Alexandrina Francisca de Magalhaes.
D. Anna Francisca de Paula Botelho.
Alexandnno de Araujo Coelho.
Arsenio Simoes da Silva Cisneiro.
Abreu & Veras.
AntoDio de Castro Alves
Antonio Goncalves de Barros.
Antonio Henoch dos Reis.
Antonio Joaquim Ribas Jnior.
Dr. Carolino Francisco de Lima Santos
Frederico Marinho Jnior.
Julio Cesar Guimares de Castro.
Joaquim ilseno de Mesquita.
Dr. Joao Baptista Pinheiro Corte Real.
Dr. Joo Jos Ferreira de Aguiar.
Jos de Aquino Fonseca.
J. Gongalves Beltro.
Dr. J s Gomes Pereira.
J. Joaquim Ferreira de Carvalho.
Jos Serapiao Ferreira.
Marcolino Pinto Cabral.
Manoel Soares de Albergara.
Pedro Carneiro da Silva.
Victorino Jos de Souza Travasso Jnior.
ISii) Grande do Sul.
Preu-se o velero patacho Cyro, de excellente'
conslruco, e de lote de 237 toneladas : a tratar '
QPtgrJfiguel Jos Alves, ra da Cruz n. 19.
dar4 irenni '
PAR\ LISBOA
O palhaDote 19 de Junho pretende seguir conj a
carga qne tivar at o dia 20 do corrale : para o
*sto que Ihe falta, o qual se receba a frote barato,
>traie com os seus consignatarios Amonio Luiz
de oliveira Azevedo & C, no seu escriptorio ra
da Cruz n, 1.
Para a Baha
pretende sabir em poucos dias o veleiro hiala.O/-
vtwa por ter a maior parte da carga pcom*ia, e
para a pouca,qus,IJies fadu^lrala-se com o consig-
natario Joaquim Jo- Goo^alves Beltro, na ra
do Vigario n.. 1Q, primeiro andar.
Leilo das divWsrt activas leftraieisto
GonescliaMellio.
Quarlft-feij it do. correute.
Por despacho do, film- Sr. Dr. juiz especial do1
eommercio irode-o*a-teillo as dividas activas
perleticentes, a massa.tallida de Ffmcsco Gomes
Castellao na importancia de 22:088*733 rs., con-
forme a relacde* tm mo do agente, os licuantes
podaos examiaa-laa e o leilo ter lofar qaarta-
feira 21 do corrente palas 10 1|2 horas da ma-
nha no largo 4o- Carpo Santo junto a Associaco
Couunej-cial.
*8t>
LSIlftEL
TJilll'tt
DE
22:700^000
Bairro de Santo Antonio.
Chafariz do largo do Carma.. 10:000^000
Dito do largo do Paraizo___ 8:000)51000,
Dito do largo do Passeio Pu-
blico.................. 4:000#000;
Dito da ra do Sol......... 3:000^000
Dito da ra da Concordia___ 5:0O0#O;:O
EMPREZA--COIMBRA
Ter^a-feira 20 do correute.
Recita extraordinaria.
Sob a impresso do natural regosijo que domina
o espirito publico, em consequencta do brrlhante
triumpho ltimamente oblido em Corrientes pelas
briosas armas do imperio, a empreza offereee em
honra ao segundo batalhao de Voluntarios da Pa-
tria de Pernambuco, cuja ofcialidade em compa-
nhia do Illm. Sr. tenentc-coronel Appolonio estar
presente, o espectculo seguinte :
Logo que a orchestra haja dado Qm patritica
polka
OSLEOEK DO X551TE.
O artista Lisboa recitar urna alegora nacional
que comemora aquella victoria, composico em
verso doSr. Dr. Franklin Tavora, sb o titulo
BRAVUEA E GLORIA
a qual nalisar com o apparecimento de um qua-
dro Iluminado, symbolisando o Paraguay pros-
Irado aos ps do Brasil.
tim seguida a companhia dramtica representa-
r o interessanle drama em 3 actos :
O PODER DO OURO
Os bilhetes acham-se a venda no lugar do cos-
tume.
30:000^000
Bairro da Boa-Vista.
Chafariz e bica do caes do Ca-
pujarme................ 3:5005000
Dito da ra da Aurora junto ao
Gymnasio.............. 2:000,5000
Dito da praga da Boa-vista___ 0:000,5030
Dito da caixa d'agua dos Pires. 5;500000
Dito da ra de S. Goncalo.. .. 1:200=5000
Dito do largo da Soledade.. .. 2:1000000
O~300!00"0
Bairro de S. Jos.
Chafariz do largo da Ribeira..' 13:000,5000
Dito da ra Imperial........ 7:000#000
Dito dito defronte da Cabanga. 3:5003000
23.500^000
Bairro dos Afogados.
Chafariz do largo de Nossa Se-
nhora da Paz.....,...... 3;000#000
Cidade Nova de Smto Amaro.
Chafariz junto a rampa do
Starr 4 C.............. 2:0000000
Passagem da Magdalena.
Chafrriz do largo do viveiro.. 2000000:
Dito entre as duas pontes .. 3600000
No da 20 do corrente, depois da audiencia
do Sr. Dr. juiz municipal da 1* vara, a ultima
praca da proprledade sita na ra dos Guararapes,
pela avaliacjto de 11:430*. e tem de ser arremata-
da ;,. i.i a.ljudicaco com o abatimento da lei, por
' exo.-;rao de Joaquim Lopes de Almeida contra
Domingos Jos Pereira da Costa e sua mulber ;
como relhor se ver do escrlpto em mo do por-
leiro. I
5600000
Escriptorio da Companhia do Beberibe
17 de junho de 1865,
O secretario,
Dr. Joo Jos Pinto Jnior.
Consolado provincial-
Pela mesa do consulado provincial se faz publico
que os trila dias uteis marcados para a cobranac.
bocea do cofre dos imposlos da decima dos pre-
dios urbanos de 20 OnO do consumo de agurdente,
e de 5 0(0 sobre os bens de raz pertencenles
corporacoes de mo mona, se principiam a contar
do da 1 de junho vindouro, ficando sujeitos a
multa decretada no art. 50 do ercamento vigente,
todos os que pagarem depois de (indos os ditos 30
dias.
Mesa do consulado provincial do Pernambuco 26
de maio de 1865.
Antonio Carneiro Machado Rios
Administrador.
Acha-se recolhido i casa de detencao Manoel,
que declarou ser escravo de Jos Pereira Copo,
residente no Brejo da Madre de Dos, e aehar-se
fgido : quem pois se julgar com dirello ao mes-
rao escravo, provando o seu dominio serdhe-ha
entregue.
Subdelepacia de policia da freguezia da Boa-Vis-
ta 16 de junho de 1865.
Decio de Aquino Fonseca.
COMPANHIA BRASILERA
DE
PAQUETES A VAPOR.
E' esperado dos portes do norte
at o dia 23 do corrente, o vapor
Paran, commandante o capitao
de fragata Antonio Joaquim de
Santa Barbara, o qual depois da
demora do costume seguir' para os portes do
sul.
Desdej recebem se passagelros e engaja-se a
carga que o vapor poder conduzir, a qoal dever
ser embarcada no dia de sua chegada, encommen-
das a dinheiro a frete at o dia di sahida as 2 ho-
ras da tarde : agencia ra da Cruz n. 1, escripto-
rio de Antonio Luiz de Oliveira Azevedo & C.
Para o Rio de Janeiro.
Pretende seguir com muita brevidade o palha-
bote Ptedade, tem parte do seu carregamento a
bordo, para o resto que Ihe falta e escravos a fre
te para os quaes lera excellentes coramodos, tra-
ta-se cora os seus consignatarios Antonio Lniz de
Oliveira Azevedo & C, no sen escriptorio ra da
Cruz n. 1.
Para o Porto~
Sohe com a possivel presteza o brigue portuez
guez Unido : para carga e passageiros trrta-se
como consignatario Thomaz d'Aquino Fonseca;
roa do Vigario n. 19, 1 andar.
Para Lisboa.
Segu com a possivel brevidade o bem conhe-
cldo brigue portuguez Relmpago : tem a maior
parte da carga prompta e para o resto e passagei-
ros, trata-se com o consignatario Thomaz d'Aquino
Fonseca, na ra do Vigario n. 19, Io andar, ou com
o capitao na prac,a.
Para Lisboa.
O brigue portuguez S'ooerano, capitao U. B. Bu-
gigange, vai sahir breve, recebe carga e passagel-
ros ; trata-se com E. R. Rabeilo, ra do Trapiche
o. 44 ou com o capitao.
Para a Baha
pretende sahir com muita brevidade a veleira es-
cuna Eliza por ter a maior parte da carga, e para
o resto que Ihes falla tratase com o consignatario
Joaquim Jos Goncalves Beltro na ra do Vigario
n. 10, primeiro andar.
liElIaftfiS
todas as semanas
No grande annazem do agente
OLYMPIO.
3l)-Rua da Cadria do RecIfe-36
liEILAd
De cerca de 8U a 1,000 caixas cora
charutos marcas acreditada.
IfOJE
O agente Peslana far leilo por conta de quem
pertetcr de 800 a 1,000 caixas com charulos de
diversas marcas todas acreditadas neste mercado
em um ou mais lotes a vontade dos comprado-
res : segunda feira 19 do corrente as 10 1|2 horas
no armazem do Sr. Azevedo, defronte da eseadi-
nha da afandega._______________________
Leilo de 11 pipas cora vinagre de
Lisboa.
Seguada-feira 19 do corrente.
O agente Pestaa vender por conta e risco de
quem pertencer 11 pipas com vinagre de Li>boa
em um ou mais lotes : segnnda^tir* 19 do cor-
rente pelas lu horas da mauha no largo da al-
fandega.
Leilao
Da parte de orna casa na Parahiba a ra das
Convertidas n. 15, em que existe um es-
tabelecimento, avallado loflo predio em
2:(00j3, e cuja parte em 707^303 rs.,
como tambem os alugueis de cerca de 2
a 3 annos
Terra-feira 20 de juulio as 11 horas.
Coi'deiro Slmdes
authorisado pelo liquidatario da casa commercial
de Antonio Joaquim de Mello, far leilo da parte
e alugueis do predio cima descriptor podendodes
de j safisfazer aos pretendentes todo esclareci-
mento, cujo leilo sera elfectuado no dia e hora
cima dito a porta de armazem do Sr. Annes lar-
go da alfandega.
Leiid'i
De urna taberna ua ra dos Pires n. 1.
Harttos far leilo a requerimento dos deposi-
tarios da ma>sa fallida de Joaquim Antonio Lwpes
Gomes e mandado do Illm. Sr. Dr. juiz especial
do eommercio, da armaco, gneros e pertences,
existentes na taberna d ra dos Pires n. 1 per-
tencenles a mesma massa.
Terca-feira 20 do corrente.
As 11 horas do dia na mesma taberna, os pre-
tendentes jiodem examinar o balauco em o es-
eri;>t-?ro |> referido Martius a rtia da Cadeia nu-
mero 9.
LELAO"
e 50 barra cora chambo de raanicao
Terca-feira 20 do correle.
O agente Pestaa far leilo por conla e risco
de quem pertencer de 50 barris com chumbo de
melo prejudicado pelo cupim, os quaes sero
vendidos em um ou mais lotes a vontade dos lici-
tantes : terca-feira 20 do corrente pelas 10 horas
da manba no armazem do Sr. Azevedo, defronle
da escadinha da alfandega.
Leilo quinta-feira 22 as 1*1 hom.
Pelo agente Euzetio.
De um sobrado de um andar n. 95 na ra Im-
perial.
dem casa terrea n.Ol, na mesma rua..e derao-
te do viveiro do Muniz.
dem dita n. 12 na. ra, da Maugneira.
Os doenmentos se acharo em poder do asente,
sao convidados os pretendentes ao previo exame.
LOTERA
Aoa 'KfcOG#$OGd e 2#08$80e.
corre no dia 23 vespera deS.
Joo.
Acham-se a venda os billietes, meios e
quartos da 4a parte da 4a lotera (0*) a
beneficio da Santa Casa da Misericordia, na
respec iva thesouraria a ra do Crespo nu-
mero 15,
Os premios de 10:0004000 at 2ft$GO0
serao pagos una hora depois da extrac?ao
at as 4 horas da tarde, e os outros depoi
da distribuyan das lisias.
As encommendas s rao guardadas- so-
mente at a noite da vespera da extracto
como de costume.
0 thesoureiro,
Antonio Jos Rodrigues de Souza
Vitaliana Claudiana do llego e urna lha me-
nor de nome Zulmira, Brasileira, retira-se para
fra do imperio.
Precisa-se de tima ama para comprar e co
zinhar : na ra do Torres n. 14, segundo andar
John Quitam, subdito inglez. vai a Babia,
Joo Pinto da Costa Lima, subdito portuguez,
retira-se para fra da provincia._____________
Cosme Jos dos Santos continua a sa-
car para a prara do Porto.
|.4diniiiitra?i publico 16 de junho de 1865.
As pessoas mteressadas pidos restos mor-
laes e que tem reconimendado as exhnma-
coes, havendo j decurrido o lempo fixado
pelo regulamento, qu^iram providenciar at
o flm do corrente mez, visto que por falta de
catacumbas, sero abortes as mais antigs.
O administrador,
Manoel Luiz Virfies.
~~-
?&:
Dolos,
De mandioca para vespera de S. Joao, faz-se de
encommenda : na travessa dos Ezposlos n. 18,
primeiro andar.
Aa ra da Imperatriz n. 2, vende-se mochos
com assento de palha e outros com encost, ro-
dando sobre parafnzos, proprios para escriptorio e
cadeiras com bracos e assento de palha de forma
elegante por 8$ cada una.
Leiluo.
De I mesa elstica, 2 amparadores, 1 aparelho
de porcelana para janlar, 2 ditos para almoco, 1
guarda roupa, 1 galeudro, 1 rica cama de Jacaran-
da, 1 secretaria de mogno, 2 guardas louca, 1 ca-
nia franceza de Jacaranda, 1 mobilia de amarello,
1 carrinho para menino, 1 lavatorio cem espelho,
1 secretaria de amarello, 12 cadeiras de faia, re-
logios de algibeira e de parede, isto
Terca-feira 20 do corrente as 11 horas.
Cordelro Simoes
far leilo por conts_.de diversos amigos, de todos
os objectos cima mencionados, cujos movis sero
vendidos pelo maior prego ao correr do martello.
Ser elfectuado o leilo no armazem da ra da
Cruz n.57.
Na mesma occasio se vender um bonito ca-
vallo caslanho com andares e um rico adereco de
o uro.
Para o Porto
Sahir para o Porto, por estes oito dias, a muito
voleira e nova barca portugueza Arminda, capitao
Antonio Francisco da Silva Nunes ; ainda recebe
algnma carga e passageiros : a tratar com o ca-
pitao oa seas consignatarios Marques, Barros t
C, largo do Corpo Santo n. 6.
Leilo garrafes com cevadnha
Terca-feira 20 do corrente.
O agente Pestaa far leilo por conta e risco
de quem pertencer de 40 caixas com passas e 20
garrjfoes com cevadioha em lotes a voniade dos
compradores : terija-feira 21 do corrente pelas 11
horas da manha no armazem do Sr. Azevedo
confronte a escadinha da alfandega.
LEILO
De objectos para e&crijlorio canto
sejara
1 cofre de ferro, 2 secretarias de amarello, 2
guarda roupas de dito, 1 mesa com armario, 1
carteira com mocho, 2 mesas pequeas, 6 cadei-
ras,, fcaWre 1'lavatorio.
Quintalera 22 d junha.
No primeiro andan do sobrada da ra.do
Apollo n. 30..
O agente Pinto far leilo a requerimento. do-
tutor da orpha filhado fallecido Manoel Goveia
de Souza, e por despacho do Illm. Sr. Dr. juiz do
orpos, dos movis cima declarados, pertencen-
les ao mesmo fallecido e existentes no primeiro
andar, do optado da,ra.a do Apollo n. 30, onde se
(.'ffectuar o- leiliaa,lO horas da dia.cima dito.
LEILA.O
MefMrfrdfliastte chacas pieos.
Quarta-feira 20' de junho.
O agente Pinto fara leilo a requerimento de
Carnerroi'Noguelra, com antorlsacjit) e era pre-
sencj de'Consnl'd^ Frange ^porconta e" risco de
quem pertencer, de urna caixa marca diamante
G B-n. W, eeoteftd*-100- duriw d chapeos dr
felino, aVSyfRRft-' a ffordrdo navio francez Santo
And<; capia Goinlt, s 11 horas do dia cima
dito'f ni d*tieJrpt*ilolrt*?tolKfcNu. 3&',, pi+
meieb andar.
Precisa-se de orna ama para todo servico
de urna casa de pouca familia : na ra Velha n-
mero 52.
Jos Paulo da Fonseca declara que continua
a str o proprlelario da botica na ra do Imperador
n. 38, e a ter nella sociedade com Honorato Cae-
tao de Abreu, nao tendo parte no annuncio que
sahiono Diario de Pernambuco de 13 e 14 do cor
rente mez, o qual sem duvlda foi a typographia
por engao.
Relopeiroe dourador, portuguez
Albino Baptista da Rocha, com loja
na pra^a da Independencia n. 12,
faz qunlquer concert de relogios e
dourado por precos mais baratos do
que outro qualquer e responsabili-
zase pelo seu ira bal ho, por isso es-
pera prote.ee:1o dos seas amigle compatriota*.
No da frdo corrente aoseirfoii'Sfi a prfitar
Bunifacia e por isso lembra-se a quera a
tem.ao seu- servico, de a ent egar quanto
a*os a sea senher; do contrari proeeder-
se-ba como for de lei.
Os abaixo atpMdDs agradecem a
todas a9 pessoas, patentes e amigos,
por terem assistdo ao acto fnebre
que no dia 17 do corre, te teve lugar
no convento do Carato, pelo falleci-
mento de sua mui presada mi e sogra;
e rogam por esta occasi5o a seus pa
rentes e amigos de assjstirem missa
do stimo dia, que ser celebrada no
mesmo templo na sexta-feira 23 de ju-
nho de 1865. Pedro de Alcntara
das Guimares Peixoto. Mirandolt-
m de Oliven a Jacome Peixotn.l'ra*
nia Hirmener/ilda Peixoto Gadanlt.
Eduardo Gadull.

Pretende-se fa/.er estabelecer legal-
mente em urna das provine'as una casa de
veada de bilhetes das loteras-desta, forne-
cendo-se os bilhetes, negocio este bastante
vantajoso: quem pretender tendo os quisi-
to< nece&acios pata tal negreo e dando
lianza idnea compareca para tratar com
Antonio Jos. Rodrigues de Sooza, na roa
do Crespo n, 15, primeiro andar.
WL
O grande anuaitiH de tinias ra do
Imperador n. 22, tem a venda :
Papel prateado e dolado proprio para
sones.
Tiras e guarnieres para caixas.
Papel gflatino transparente para Cubrir
doces.
Limalha de ferro e de ac em agulhas ou
redonda.
Enxofre.
Salitre refinado.
Papel de embrutho e para saceos grande
e pequeo formato colado ou sem cola.
CARTAS.
No escriptorio de Marques, Barros & C, no lar-
go da praca do eommercio n. 6, segundo andar,
existem as seguinte? carias para os senhores :
tina*. Sra. D. Anglica Wyatt.
P. Jos Luiz Lerveira.
Joo Chrisostomo Pacheco Soares.
Izaac Esnaty.
Antonio Jos de Sonza Freitas.
Estrada de ferro.
O Sr. J, Krenzer pela sua resposta parece igno-
rar qual o negocio por que o chama o solicitador
Pedro A. da Costa Machado, pois para tratarmos
arespeito da defeza que Ihe fiz quando Vmc. este-
ve preso na cadeia do Cabo, e como me seja peno-
so procura-lo em parte que Vmc. incerto, rogo-
Ihe me procure ao menos urna vez, pois deve lem-
brar-se como sempre estiva prompto a seu chama-
do quando de mim preclsou.
A pesaos que anntmeioo no dia 17 que pre-
cisava de 980$ a juros, dirija-ce a ra do Vigario
numero 27.
Santo Amaro das Salinas
Acha se aberta a matricula de aula publica de
Sante Amaro das Salinas : os pretendentes podam
comparecer em a casa terrea sita na estrada nova
de Ulinda, defronte do hospital inglez-
Qnern precisar de urna ama para cozinhar,
dirija-se a ra do Jardira n. 29.
Offerece-se urna pessoa para casa d fSmrlia,
sendo para tratar de meninos, lavar e engoramar
para os mesmo* : na praca de Pedro II n. i.
Lava-se e engomma-se com perfelco a per
preco enmmodo : na ra da Cacimoa n. 4, primei-
ro andar.
>
Oflerece-se urna mulher para ama de servigo
ou secca para menino : na travessa do Monteiro
n. 2.
Antonio Jos Gomes-faz sciente ao respeitavel
publ'co qne por achar igual nome nesta praca,
d'or-a em diaotc a-signa-se Antonio Jos Moreifi
Gomes-.
Leit tutrw e M8 ftwricas cDin
faritbft-e-.ti^o-axaiiiaias a bordo
da te:ffiaicanr aiteD(la.ii
Quarta-feira 20 d jdnho.
Hatiry Eustqt-& C. arite Joiiao'por intar'renQo
do aente Pinto, de cerca du 2b0 barricas com fa-
rinlia de trigo avariadas a bordo da barca araeri-!
cana lAnacrjtnm, as fThoras do da cima dito
em sen armazem da roa do Imperador por baixo
do Gabinete Portguei de Lettura.
m p- buco
Francisco G Ramos Jnior, tendo ido ao cemi-
ferio publico por diversas vezes aconpanhar ca-
dveres de" amigos e prenlas seus, e nunca ten-
do sido encomendado os tees cad avores, e hoje
acompanhando um, e reclamarnda a eScorrrMHtof b,
'disse-algiaenj do camiterio qna o capstlo. esteVa
doente, e-;rftconheendo qu par ufteas* imprt-
visto nao deva soffrer a religio, pedo providencia
a quem competir.
tsr Na ra da praia de Santa Rita, con-
fronte a ribeira do peixe, easa n. 13 se#ondo an-
dar, rpcebe-te encommendas de b01os-da>baoia pana
as vesparas de Santo Antonio, 5. Joao e S. Pedro,
afiangando-se nao s a berofciloria pela pioliea
que ha, como tambem comraodidade nos pregas,
em vista da boa qualdade : as pessoas quequize-
rem, podem ali se dirigir a qualquer hora do dia,
que acharo cora quem rtatar.
tittMMie iwawi tte ['mim.
UUA DO IMPEHADOll N. 22.
O armazem de tintas um grande deposito de
productos chimicos utensis e os mai* empreados
e usados napharmacia,pintura, photographia,Hd-
turaria, pyrotechinia(rogosdcariiiico)eeiiioutra
industrias.
Montado em grande escala, e supprindo-se di-
rectamente uas prlncipaesdrogaras de Pars, Lon-
dres, llamhurgo, Anvers e Hsboa, pode ollereceer
productos de plenacontianca e satistazer qualquer
encommenda a grosso trato ea-retalo, por piejos
razoavois.
Prvidos de machinas appropriadas satisfar
com promptido qualquer pedido de tintas moidas
a oleo,cuja qnalidadee pureza de seus ingredien-
tes poder sor examiDoda pelo consumidor, o que
uo fcil fazer com aquellas que sao Importadas,
o que se enconlram no mercado em latas fechadas.
Tem grande ooUecco de vidros de dilerentes
formatos, desde urna oitava at dezeseis oncas de
capacidadfi ; de vidros para vidracas e diamantes
para corta-Ios; depinceispara fingir madeira com
propriedade e oulros; de papis dourados e pra-
teados e folhas de gelatina para ornamento; de
papel grande e pequeo formato de varias cores
para embrulho, para forro de casa, para desenho
com fundo j feito; de papel albumioadoe Drisi.l,
verdadeiro saxe para photographia a para filtrar,
e oulros ; vernizes de essencia para quadros, de
espirito para niadeira, copal para o interior e ex-
teiior ; oleo graxo, oleo seccativo, oleo de linhaca
clarificado) oleo de toele, secalivo de Harlm, ouro
verdadeiro em p ; prata, ouro, e estanho em fo-
lhas de varias cores ; tintas vegelaes, inoffensi-
vas proprias para oonfeitaras ; la de cores, e
olhos de vidros para imagens ; tintas em tubos e
telas para retratos ; tintas em pastis e em p pa-
ra aquarella; essencia de rosa superfina, de ne-
roly, jasmim, bergamote, aspice, patchouly, mbar,
bouquet,lmo, alcaraiva,melissa, ortelapimenta,
louro, cereja, alfazema, juinpero, Portugal, lima,
anis da Bussia, canella, cravo e muitos outros ob-
jectos que scom a vista poderoser mosteados.
Joao Pedro das Neves,
Gerente.
Joao da .silva Ramos, medico pela Un
| versidade de Coimfcra, d consultas em
sua casa das 9 s 11 horas da manha, e
i das 4 s 6 da tarde. Visita os doentes
i}1 em suas casas regularmente as horas
| para isso designadas, salvo os casos ur-
|< gentes, que sero soccorridos era qual-
| quer occasio. D consultas aos pobres
|. que o procuraren) no hospital Pedro II,
i aonde encontrado diariamente das 6
i s 8 horas da manha.
I' Tem sea casa de sade regularmente
i montada para receber qualquer doente,
I ainda raesmo os alienados, para o que
| tem commodos apropriados e nella pra-
l tica qualquer operaco cirurgica.
Para a casa de sade.
I, Primeira classe 3^000 diarios.
Segunda dita.... 2,8500
Terceira dita.... 200O
Este estabelecimento j bem acredi-
tado pelos bons servidos que tem pres-
tado.
O proprietario espera que elle conti-
nu a merecer a confianza de que sem-
pre tem gozado.
BOTICA E DROGARA
Barthoiomeu Fraocssco de Souza & C.
31Ra larga do Rosario31
Vendem :
PilnlusIIolloway.
Pilulas do Dr. Lavlie.
Pilulasdo Dr. Alian.
Pilulas do Pobre-hornera
Pilulas americanas.
Pilulas vegetaes.
Pilulasvegetaes assucaradas de Kemp.
Salsa de Bristol.
Remedios do Dr. Chable.
Eiexir de Pepsina de Grimauli.
VinhodeSalsaparrilhadeGh Albert.
Injecgo Feaugas.
Agua dentilicade Desirabode.
Papelchimico, para talhos.
Xarope depurativo de Chable.
Licor aromtico de Raspail.
Pos anti-epileticos de Brest.
Rob L'Affecteur.
Zarope do Bosque.
Ungento Holloway.
O London A Brazillan Bank, sa^a por doos
os paquetes.sobre
Lisboa.
Porto.
Braga.
Vianna.
Guimares.
Villa Real.
Coimbra.
Amarante.
Vende-se um carro de carregar gneros da
alfandega-, conv uso, e todos orpieitfenees de outeo
igual, ludo por preijo muto commode : a tratar
no pateo de S. Pedro n. 4.
Vende-se duas carrocas, urna para bol e on-
tra para cavallo, sendo esta com lastro somente,
propria para carregar barricas de farinha de tri#o,
lenha, etc., ambas com uso, por pretjo muito com-
modo : a tratar no pateo de S. Pedro o. 4.
[' i
i,
I
|:

1 I
'
I
I

y
Aluga-se um pequano armazem na ra da
Paz, proprio para qualquer estabeleetmento em
ponto pequoao; a tratar no pateo de S. Pedro n. 4.
ILEGIVEL


p ..


DUri de Pernambaeo ... Segunda letra tO e funho de !&.
A MencctS*
Quem pergunta quer saber: pergonla-se ao ISr.
fiscal da treguezia___se as vendas de carne sec-
ca na ra da Praia ja sao francas pela respeitajvel
cmara, nao constando que sejatn nos domingos e
das santos, venderem-se franco cohio das de se-
mana, a ponto do uitimo dia santo venderem-se
publicamente e amarrarem-se na calcad do eua-
beleeimento ; nesse caso acho bom que a respe ta
vl cmara mande abrir os armazeus para seiiem
francas as vendas.Um carne secca qne j pa jou
105 por 20 libras de carne que venden.
Saques.
Saca-se sobre a praca da Bahia, no largo do (for-
po Santo, escriptorio de Jos Mara Palmeira.
Aluga-se a casa terrea na ra da Conqu sta
n. 8 : a tratar na ra do Sebo n. 51, taberna]
"^Tprecisa-se alugar urna preta cozmheira e eu-
gommideira, sadia e sem vicios : no largo da Mi-
beira n. 19.___________________________
"Z- Precisase de urna ama para o servico ip'ter
no e externo : na ra das Cruzes n. 33.
"O r Carolino Francisco de Lima San-
2 tos, contina a residir na ra do Impera
I dor n. 17, sfegundo andar, onde pode ser
procurado a qualquer hora do dia e da
noite para o exercicio de sua protissode
m& medico; sendo (jue os chamados depois
* de mi'io dia at 4 horas da tarde devem
^ ser deixados por escripto. O referido
^| Dr. nao abandonando nunca o estudo das
v|* molestias do interior, prosegue, coral
o maior affinco, no das mais ditDceis
Sfi delicadas operares, como sejam dos or
gaos urinarios, dos olnos, partos etc.
Precisa-se de urna ama para cosinhar
ra do Imperador n. 46, primeiro andar.
ESTRADA DE FERRO
DO
Recife a Sao Francisco.
AVISO
O abaixo assignado na qoalidade de chefe da
administracao desta estrada de ferro, e a nica
pessoa da parte da companhia que pode dar urna
deciso final, roga a todos os seohores passagei-
ros, expeditores de gneros etc., qne afim de nao
perderem sen tempo, tragara ao conhecimento do
abaixo assignadoquaesquer reclmac,5es por dam-
nos, indemnisacSes ete., a que se julguem com
direito, o que lera immediata altencao.
Escriptorio da superintendencia Villa do Cabo,
13 dejunhode 1865.
G. O. Mann,
_______Engenheiro e superintendente interino.
Fogio da casa da ra da Penha n. 23, na
noite de sabbdo 10 do cerrente, urna ovelha toda
branca, mansa, levando urna corda no pescoco :
quem a prenden e quizer restitu-la a seu do'no,
leve-a mesma casa, que ser recompensado.
Samuel Power Johnston Comf anhia
Ra da >enzala Nova n. 4.
AGENCIA DA
FundlcSo deLowMgor,
t^acliinas a vapor de 4 e 6 cavaltes.
FOgO.fogt.
Srlvino Gurlherme de Barros compra e ven-
de effectivament escravos de ambos os sexos :
ra do Imperador n. 79, terceiro andar.________
Our e prata
em obras velhas : compra-se na praca da Inde-
Para os festejados das de S. Joao e S. Pedro,
existe na mullo acreditada fabrica de fogos de ar- pendenc.a n. 22, loja de bllhetes.
na
\m j .T_- _nnnii'nl. r..vKA existe na muitoacreauaaa laonca ae ipgos ue ar-1 r-------------
Moendas e meias moendas para engono. tific0 da oslrada de Joio de Barr0Si pr* prjed,u6 oompram.Se libras sterimas a 95400
Taixas de ferro COadO: e DO para enge- da viuva Rufino, um completo sortimente de pis-1 praca da Independencia, loja n. 22.
tola, oraveiros rodinhas e fogo bus-rap: como: -_ ^pnj.sa ouro prata e pedras preciosas,
seja penoso a algumas pessoas irem a fabrica pela em obras elhas na rua da (:adla ^ Recife,
, carro para um e docalilos, S^^^^^mm;*.^ de ourives no 3rco daconce.cao.------------
da secretaria da polica.
A LEGITIMA
SAISAPAREIIHI
nli o,
.elogios de o uro patente ioglez. -*-
Arados americanos.
Machinas para descaroca,r algqdo.
Motores para ditos.
Machinas de costura.
:*+
A Mmgo
Na
bem conhecida casa da aboboda da Penha
- Na praga da Independencia n. 33, loja de our
ves, comprare ouro, prata, pedrasj preciosas e
tambem se faz qualquer obras de eipommenda e
.odo'e qualqoer concert.
Aluga.se o segundo andar do sobrado d. 62
da rna da Gua : no 1 andar.
n. 37 tem para vender continuadamente malpara
fazer bolos preparadas coin mnitaperfeicio.
CASA DA FORTf
Aos 10:000^000.
M O bacharel
Francisco Angosto da Costa
ADV80AD0
Rua do Imperador numero 69.
M
na
Mgica.
Na rua Nova n. 11, ha para vender-se
um apparelho de mgicas propno para
alguem que deseje ganhar dinheiro, Ira-
balhando fora da cidade, ou mesmo para
divertimento de salta. Na mesma casa
dao-se todas as explicacoes necessarias
ao trabalho do mesmo apparelho a pessoa
que o compran
Monte Pi Popular Periijim-
bucano.
A directora do Monte Pi penhorada pelos senti-
mentos nobres quecaractirisam aquellas pessoas e
sociedades que se dignaram comparecer ao seu
convite, assistindo ao aclo da bengao do emblema
do seu padroeiro, que leve lugar no dia 11 do cor-
rente, na igreja de Nossa Senhora do Livn ment,
manda cordealmente agradecer, e bem ; issira a
confraria d'aquella mesma Senhora, e ai socio
Simplicio da Silva Barbosa, este por haver ofere-
cido urna ladainha em honra do mesmo pa< roeiro,
e aquella por se prestar nao s com o cinsenso
para a celebraco do acto, como tambem po- assis-
tir, cooperando para o maior brilbantism) e de-
cencia ao culto Divino.
A mesma directora faltara ao mais sagr ido de-
ver se do alto da imprensa nao fizesse ch?gar ao
conhecimento do Exm. mensenhor Joaquim Pinto
de Campos o quanto Ihe c grata pelo obsequio de
se haver presiado ao acto da beucao e ftjhciiar a
mesma sociedade aprescnlando um importante dis-
curso digno do mais subido aprimo.
Secretaria do Mooie Pi Popular Pernambucano,
16 de junho de 1865. j
Bernardo Falcao de Sduza,
1. secretario. I______
Fundi#o de Eowman.
Precisa-se de algimsser-
ralheiros e de um moldador;
paga-se bem a bou$ offi-
ciaes.____________
O abaixo asignado, leodo no idrio de Per-
nambuco de 13 e 14 do correle, um annuncio do
Sr. Dr. Joao Pedro Maduro da Fonseca, no qual
declara que de accordo com o Sr. Honorato Cae-
lano de Abren, socio na terca parte rua do Imperaeor n. 38, a tem veddid ao .""r. An-
tonio de, Souza e Silva ; apressa-se a leclarar que
tendo sido conlratado pelo Sr. Jos Pa lio da Fon
sei-H, proprietario da indicada bolici, cuulra o
qual encaminhou a competente accao Ipara haver
os seus salarios pela mesma botica, aepo que est
dependente da deciso de urna consulta dirigida
ao consellio de estado, e nao Ihe constando que
dito Sr. Jos Paulo tenha feito venda na referida
botica aos Srs. que apresentam o anni qco de ven-
da, tanto mais quanlo positivamente prohibido a
qualquer medico ter sociedade em bot ca, salvo se
pela forca de vontade do r. Dr. Maduro, foi seme-
Ihante disposicao abolida; mas qu" sim, qur
nao, a verdade que decedida a qusstao do coo-
flicto que se deu, tem o abaixo assijDado dieito
irrecusavel a ser pago pela referida jotica, passe
ella a quem quer que seju, visto que seus salarios
tem previlegio a qualquer outro endito. Recife
16 de junho de 1865.
Firmino Antonio Soutonaior Raposo
Adolpho Tiago de Faria
Arlisla relojoeiro
Faz sciente a todos os seus antigos ; repuezes que
acha-se com loja na rua das Flores a. 2, que faz
esquina com a camboa do Carino, e qs seus traha- j
Ihos sao os seguintes : concerta tod: e qualquer
qualidaae de relogio, chronometros, latente ioglez,
suisso, cylindros, de mesa, parede, eir., faz todas
as pecas que sejam necessarias para fp refugios por j
mais dilkeU que sejam, a ficar um relogio novo, j
pule caixas de relogios de ouro ou prita que licam
novas, mesmo estando machucadas, djura tambem
as caixas da maneira que o freguez qnizer, faz lo j
do e qualquer concert as caixas, nota aros para
vidro, canivois, tacos e molas, tudo pir preijo que
nao faro em outra parte.
tingen lio
Arrenda-se o engenho d'agua, na freguezia de
Ipojuca, denominado Jussar de SanfAnna, urna
legoa e meia distante das estafes da Escada e Ipo-
juca, com trras excellentes de massap para se
safrejar em grande escala : a tratar no paleo do
Livramento n. 23 com o Dr. Ignacio Nery da Fon-
seca.
Sortea de S. Jcao "
Vendem-se lindos papis i com estalo para as
sortes de S. Joao : na rua tfova n. 61 defronte da
lima, cmara municipal.
Roga-se a quem tiver noticia de Mara do
Carmo Varella, vmva, parda e velha, qoeira part
cipar na rua do Hospicio n. II.
Ama para casa
Precisa-se de urna ama para cozinhar e enpom-
mar para urna casa qne s tem duas pessoas : no
becco das B-ias n. 2, 1- anJar.
meudoas
amendoas confeiladas: na roa da
Vendera-se
Cruz n. 13.
Alnpa-se a metade da casa n. 92 da rua das
Aguas Verdes: a tratar na mesma.
Uilhetes garantidos.
A* rua no Crespo n. 23 e casas no costcmk.
O abaixoassignado vendeu nos seus rouito feli-
zes bilhetes garantidos da lotera que se ac bou
de extrahir, a beneficio da igreja de N. S. do Li-
vramento da Varzea, os seguintes premios :
Um quarlo n. 7 com a sorte de 6:000WK). Alugam se dous grandes sobrados com com-
Um quarlo n. 1086 com a sorle de 1:200,5000. modos para numerosa familia, novos e aceiados,
Um mel n. 832 cora a sorte de 400,8000. com jardm, cocheira, estribara e oulras commo-
E outras muitas sortes de 100, 40, 20 e didades, na travessa de Joao Fernandes Vieira :
lOjOOO. I a tratar na rua da Senzala Nova n. 42.
Ospossuidores podem vr receber seus respec-
tivospremios sernos descontos das leis na Casa
da Fortuna rua do Crespo n. 23.
Acham-se a
(20-) benefi
que se extrahir
PRECO.
Bilhetes.....125000
Meios......1)5000 fc
Quartos.....3^000
Para as pessoas que comprarem de 100^000
para cima.
Bilhetes.....115000
Meios......55300
Quartos.....25730
Manoel Martins Fiuza.
No caes do Apollo armazem n. 55,
compram-seduas escravas mocas que sai-
bam cosinhar e engomman^___________
Compra-se urna casa terrea com quintal bas-
1 lante grande, mas que seja perto da praga, sendo
de 1:0005 : quem tiver annuncle.____________
! Compra-se nra barro para carroca, j traba-
Ihado e manso : na rua da Cruz n. 66._______
-Comprale_uraTcasa terrea na freguezia da
Bo-Vista que nao exceda a 1:6005: quem tiver
equzer vender annuncie.___________________
Libras sterlinas
ouro nacional e de to'la e qualquer especie,
compra-se com premio alto: na rua do Tra-
piche, no hotel de Franca.
TENSAS.
DE BRISTQL.
PREPARADA NICAMENTE POR
LAMAN k KEMP,
NOVA YORK.
Composta de substancias, gozando de
propriedades eminentemente depurativas;
approvada pelas juntas e academias de me-
dicina ; usada nos principaes hospitaes, ci-
| vis militares e da marinha as Anlillias e
no continente americano ;. receitula pelos
facultativos os mais distinctos do imperio do
I Brasil c da America bespanhol
CURA RADICALMENTE
Precisa-se alugar urna esefava de boa Vei)(le.se es conducta que emenda bem de costura e en-' reonj(las e pe ueno V0|umej com 25 escrophulas, rheumatismo, escorbuto, eD-
a venda os da V pane da 4- lotera gomDDado, paga-se bem agradando os seus assumpt0s, e mais iiD novas taradas, pelo tenuidades venreas e mercuriaes, chagas
r a*3^di corre'nte Mlserlcora'a- servicos: a tratar na C punga porto do La- dlmn0 preCo de U cada exemplar enea- antigs, morphea e todas as molestias pro-
cerrecasa dolado dtreito que tem a cornijaidernado :.na.praca da Independencia ns. 6 venientes d'um estado vicioso do sangue.
de arcos. e g_ Emquanto existem varias imilaces e
falsificacoos, preciso a maior cautela para
evitar os engaos,
A legitima salsa de Bristol vende-se por
CAORS & BARBOZA
JOAO DA C. BRAVO & C.
Joo da C. Bravo & C.
Vendem-se no Recife em casa de Caors &
O bacharel Lourengo Avelino de Albu-
querque Mrtlo continua a ter seu escrip-
torio de advogado nos auditorios e tribu
naes desta cidade : na rua do imperador
n. 40.
CLIB PKRII MIIICWO
^4 luyase
Aos Srs. acadmicos.
Vendem-se os seguintes livros quasi no-
vos : Manuel de droit romnin por Mackel
dey, i volume, por fiOOo; Diccionaire
du contertieiix cmmer'cial por Mass, 1
volume por G0( 00; La femme por ma-
dama A Seglas, 4 volume, com estampas Barboza e Jo5o da C. Bravo & C.
(Entres de Racine, 1
um sitio na campia da Usa Forte, com duas ca- finas por 55000 ;
A partida do mez de iunho ter lugar na sas-uma a em 'iue mrou > fallecido Tnomaz de vtlume, com estampas linas por b0Oi o ;
^,ta ,}n A\* i Aquioo Fonseca Jnior, feita a moderna, e conten- QEuvres choisis de iufon, 1 volume, com
do todas as accommodacoes precitas, e outra com p(.tnmnai; fina<5 nnr a.ooo Codicio de cre-
boas commodidades para qualquer familia : na "L*
rua do Vigario n. 19, primeiro andar.
noite do dia 21.
Ama de leite.
Precisa-se de uma ama sadia e com bom Jeile
na rua Imperial, sobrado n. 87.
Alagase uma sala do primeiro andar da rua
do Queimado n. 41 : a tratar na mesma.
dito predial, i volume, por l#0u ; Flores
singelas,'poesas por Paes d'Andrad?,! vo-
lume, por #; A velhice de Camoes, roman-
ce por Trigueiros, por 2)51000 ; La vie des
A NACIONAL
Companhia
Precisa se de uma ama para casa de duas
pessoas para cozinhar : na rua da Penha n. 23, samls, i volume, por i5200; Economiepo-
primeiro andar. litique, por Garnier, i volume, por 2> ;
- Aluga-se na PassagenTda Magdalena, rua do ^gras da escriptnracao mercantil, por Go-
Rival sem segundo
Rua do Queimado n. 49, loja de miudezas de Jos
& Azevedo Mala e Silva esta disposto a vender mili-
to barato que admira, pois seus.freguezes ja esto
scientes qne nao ha segundo competidor.
Pecas de cordo para vestidos a 20 rs.
lapachos redondos e compridbs a 500 rs.
Talheres para meninos a 240 rs.
Duzias de facas e garios a 25400.
Ditas de cabo preto cravado a 35000.
Baralbos moretes muito finos a 200 e 210 rs.
Grozas de botSes de louca a 160 e 200 rs.
Aluga-se na Passagem da Maguaiena, ruano -"---" r r > f-iixas com =nlilado dp rhumtm a i-'Oo Bemfica, os sobrados ns 7 e 9, com bons commo- mes Jnior, 1 volume, por 2#>00 ; Orgam- uui!ol7e rmT^qeXm k
dos para familia : trata-se na rua do Trapiche sation 'du travail, por Louis Blanc, 1 volu- Varasde cordao para espariilho a 20 rs.
geral hespanhola de seguros mutuos
sobre a vida
numero 4.
AUTORISADA PELO REAL DECRETO DE 21
DE DEZEMBRO DE 1859
lioa da
Anda se precisa de uma ama para cozi-
nhar e engommar para tres pessoas : na
rua das Cruzes n. 37, sendo pessoa mori-
gerada e que se possa entregar uma casa.
ma fianca em dinheiro, depositado nos cofres do estado, garante a
ministraco Ha companhia.
BANQUEIROS DA COMPANHIA
O R;inc le llcspanha
DIRECgO GERAL
Hadrid : Rua do Prado n. 19
me, por 10200 ; L'Epiphame, pelo padre
Ventura, 1 volume, por 15000; Lejaidt-
nier des salons, 1 volume, por 640 rs.: na
rua do C'abug n. 2 A, loja.___________
Bichas deflamburgo
Vendem-se na rua Nova n, 61.
Vende-se uma negr nha de 10 annos, muito
dar, deseja-se fallar aos Srs. Dr. Antonio Pinto esperta e sadia : no pateo da matriz de Santo An-
! da Rocha, Francisco de Paula Cavalcanti Wander- temi n. 8._________________ ________
i ley Lins, Jos Francisco Graciano, Lourenco de JTFaTinha de mandioca : tem para venderAu
Lamino de Araujo Lavalcanti.Jos Francisco Mar- de 0liwra AzeVedo & C, no seu es-
I tins de Almeida, a negocio que nao igooram.____cril)lor0 rua da Cruz u. 1.
Na rua das Trincheiras n. 48, primeiro an-
Bstacompanbia liga pelo systema mutuo todas as combinacoes de supervivencia dos segu
sobre a vida.
Nella pode se lazer a suiscripco de maneira que em nenhum caso nrefBio f cr n(rn dos
gurado se perca o capital nem os juroscorrespondentes a estes.
Sao to suprehendentes os resultados que produzem as sociedades da ndole rie A NAGlO
DAL,queain la rnusmo diminuindo uma terca parte do interesse produzido em recates liquida
ees ecoSl1)inan*l)-o mtjn i m rtalilide da tab'uda de Depareieu que e adoptaba 'pecompanh-
para seaseale-rilosj liquid^<;oes, em segurados de idade de 3 al9 annos, uma imporsioannu'a
de 1005 produz em cffectivo metlico:
No fim de H apnos.......1:1195300
de 10 .......3:9425600
de 18........11:2085200
j de 20 .......30:2565000
de 25 ...... 80:3315000
Xas idades menores de 3 annos e maores de 30, os productos sao mais consideraveis.
Prospectas e mais informacoes seriio prestadas pelo suh-director nesta provincia.
Joaqnim Fiuza de Oliveira, ru daCadea n. 32, ou a Boa-Vista
ment dos Srs. Raymundo,Carlos,Leite & Irmao.
Na rua do Livramento n. 19 ha
um criado escravo, e 1 moleque.
para alugar Na fua da imperalrz n. igt segundo andar,
: vende-se urna escrava boa para todo o servico de
Descontam-se notas do banco do Brasil e das urna casa de familia. Na mesma casa comprase
caixas filiaes: na pra$a da Independencia n. 22 um moleque para copeiro, e paga-se bem sendo
0 abaixo assignado declara pelo presente a bom^__________________________________.
todas aquellas pessoas a quem o abaixo assignado Vinho do Porto superior em caixa de duzia,
deu dinheiro por emprestimo sobre letras e outros \em para vender Antonio Lu/, de Oliveira Azeve-
litulos, que, se com a maior brevidade nao os vie- do & C, no seu escriptorio rna da Cruz n. 1.
fTlS&ff1 aSS0DadS'e l8,Sem reserva| ~ Farinha de inuribeoa H-a e aira, mais
Antonio de Faras Brando Lordeiro. barata que se vende no mercado, em sac-
provinci
rna da Imperatriz n.12,esiabel
Precisa-se da quantia de 9005 pelo espago
de um anno, pagando-se mensalmer te 305 pelos
juros, dando-se boas firmas : annuncie.
Precica >e de dous trabalhadones para pada-
ra : na rua larga do Rosario n. 16.
- l'e le-se ao Sr. Ignacio Pinto das Santos Sazes
que tenha a bjndade de vir a rua dp Cruz n. 35,
a negocio que nao ignora.
Adverte ?e ao publico que tonie-rnid.-do com
um carroceiro lho qne j estove m um sitio em
Lrnz de Almas e um outro em Olitida, d'onde tl-
rou nao pouc.as cousas, de que se tez a competente
vestoria, e agora vollanil das ilhasjanda se fazen-
do santo, quando 6 um nom lanrpia e pregnigoso.
Por esla occasio se adverte au mesmg ilti) que
se andar levantando falso ir provira cadeia.
Aluga-se nm mulato perfeitol copeiro e bo-
leeiro, afiangando-se seu compontaraento: quem
precisar dirija-se a rua da Cadeife do Recife u.
41, loja.
AVI 0
fii?guez
0 abaixo assignado, fiscal da
Antonio desta cidade, faz sciente
sar, que de presente sao guarda
mesma fregnezia Francisco Antotio
fanio os de Sonza e Miguel Jos
outros.O fiscal,
Caetano Pinte
Caixeiro.i
ia de Santo
a quem interes-
municipaes da
Saraiva, Epi
Ramos, e nao
de Veras.
fa-
XAROPE BEPIIRATIVO
DE
GOUX
KU
ett
\*k
Este novo producto resultado de uma trplice com,b.inacao de tres mctalloides cujas proprie-
dades sao mu condecidas, o Bromo, o Euxofre e o lodo, oceupa hoje a prinicira ordem de
entre todos os depurativos dos quaes o mais poderoso.
As experiencias dos mdicos mais nolaveis dos hospitaes de Pars, os scnliorcs Cazenave,
Puche, Bazin, Blaclie, Guihoul, Baroschcl, Dnet, Legroux, Vasse e Aubry, etc., dcmonslrira
sua poderosa efficacia as affec^oes seguientes:
Duenru de pello,
Darlru* <- boibiilhaa de toda a espacie,
l'ln.a- IIHICOKaH,
ObNlruece* lyiuphatlcoa,
rapelras,
Escrfulas,
AbcexKo*, postema*,
Cuneros,
Ulceras,
Tlnha,
Escorbuto,
Plan ou uoubas (do Brazil),
Franiboeala,
Humores frloa,
Iliirlilllaiiici.
Ophtbaliula escrofulosa e ehroulea,
Tsica escrofulosa,
Affcrces kj phllltlcas,
Elepliantlasla ilos Greyos,
E todas as doenfas occasionadas por um xicio do
sangue, e ja tratadas sem nenhum successo pelas
preparavSes vegetaes, iodadas e o oleo de figado
de bacalbo.
O Xarpe de Le Goux, de nma fcil digestSo e de gosto delicioso, se emprega tambem
com muita vantagem e aconselhado pelo doutor Barthe, do hospital dos meninos, para as
criancas debis, escrofulosas e rachiticas ou sobre a influencia de um vicio hereditario, e .mui
superior neste emprego ao oleo de figado de bacalho e aos xarpes depurativos e anti-esepr-
buticos que se administravSo at agora.
Deposito geral, em Parts, na botica Boullay, memoro da Academia imperial de Medicina de
Paris, official da Legiao de Honra, e em todas as boticas de Franca e dos paizes estrangeiros.
!
O Dr. Cosme de S Pereira conti-
na a residir na rua da Cruz n. 53,.
Io e 2o andar, onde pode ser procu-
rado para o exercicio de sua profis-
sao medica, e com especialidade
sobre o seguinte
Io molestias de olhos;
2o de peito :
3o dos igaos geni-
ti urinarios.
Em seu escriptorio os doentes se-
rlo examinados na ordem de suas
entradas comecando o trabalho pe-
los doentes de olhos.
Dar consultas todos os dias das
6 as 10 da manha, menos nos do-
mingos.
Praticar toda e qualquer opera-
co que julgar conveniente para o
prompto restabelecimento dos seus
doentes.
5
eos
alva,
mercado, em
na ruado Vigarion. 29.
kgm de Vichy
Vende-se a verdadeira agua de Vichy em garra<
fas : na rua da Cruz n. 23, primeiro andar.
~'grande'
Duzias de colheres pura cha a 800 rs.
Duzias de colheres para sopa a 15.WO.
Ditas de metal principe de rh a 25000.
Ditas para sopa a 45000.
Vende-se um negro de -10 annos, ponco mais
ou menos, bom offirial de carapina : no escripto-
rio da praca do Corpo Santo n. 4.
Vende-se um escravo idade 25 annos insigne
official de carpina e bon'ta figura : na travessa op
Carmo n. 1.
Fio de nlgodo f!a Blabla.
Vendefse no escriptorio de Antonio Loiz de Oli-
veira Azevedo & C, rna da Cruz n. 1.
SAL DOASSU*~
A bordo do brigue escuna nacional Graciosa ;
vende-se na rua da Cruz n. 23, escriptorio.
Vendan-Be palmeiras iinperiaes, em estado
de serem Iransplanladas: no sitio murado es-
querda, depois do beccj do Espinheiro, nos Af-
fliclos._______________________
Vende-se vinho de caj a 500 rs. a garrafa
na rua Augusta n. 76.
Familia de mandioca fiua e alva, mais bara-
ta do que em qualquer parte, arroz da Ierra pila-
do e em conta : para ver e tratar, na rua do Vi-
gario, rasa n. 29.
NOVA EXWM
1
Companhia Gdelidade de seguros
martimos e terrestres
estabelecida no Rio de Jaueiro.
AfiKNTES EM PEUNAMBC0
Antonio Lniz de Oliveira Azevedo \- C, |p
competentemente autorisados pela direc- ^
toria da companhia de seguros Fidelida- ^
de, tomam seguros de navios, mercado- B
rias e predios no seu escriptorio rua da U
Crui n. 1. 8R
mmmwmm m wm*
O f
O proprieta no do grande arnv./.em do Baliza, |
l, largo do Livramento 11. 38, nao tendo podio con- \
\ seguir ern lempo a mudanca re seu armazem, por
' ter de ser mudada a coberla dessa casa, tem resol-
1 i do vender o grande e magnriieo sortimento de mo
i 1 Ihados e seceos itue nelle se achaui por todo o pre-
co, sem atteoder ao grande prejuizo que ter, vis-
I j to que d'oulra forma nao opodur evitar.
I Vendem-se lodos os pertences da casa de bi-
Ihar da na da Imperatriz n. 17. constando de um
1 bilbar de Jacaranda com pouco uso, banca de pe-
i dra, dita de mdeira, cadeiras de faia, lteiro e ou-
1; tros objectos existentes na mesma. vndese tam-
, bem uma bagatclla (jogo): os pretendenles po-
I, dem dirigir-.se a dita casa que achara com quem
tratar.______ _____. .______
Vinho do Poilo especial.
O mais generoso e genuino vinho do Porto, mar-
eas novas e espeeiaes em caixinhas de 12 garra-
fas, sendo marca' Rainha de Portugal a 185 a cai-
xa e Pedro V a 165,em porrito far-se-ha um aba-
te razoavel : no armazem de Ferreira & Matheus,
na rua da fadeia do Recife n. f>6.
confeitadas : na rua do Raogel n. 43.________
SURTES AVLSAS.
Vendem-se sortes para as noites de S. Joao, S.
Joaquim e Sanl'Anna, em pequeos cartoes, por
- Aluga-se um escravo que serve para todo o pergnntas e respostas, tanto em baralhos como
servico, menos carrear peso, porque pucha por j avnlsos : na rua do Imperador n-lo, defronle de
uma perna, porm enlende decozena, compra na
! S. Francisco.
Precisa-se de um caixeiro qne' entenda de
yendas : na rna da Imperatriz n. 22. ^^^^^
Precisa-so de um caixeird portuguez que
saiba bem 1er e escrever e que tenha pratica de
molhados: no pateo do Hospital n. 20.
Custodio Alves Rodrigues da Costa faz scien-
te ao respeilavel publico e com especialidade ao
corpo do commercio que vf ndeo ao Sr. Antunio
Jos Gomes a sua laberaa da rua! da Aurora n. 48
com todos os fundos na mesma ejtistente inclusive
dividas activas pertencentes ao mesmo estabeleci-
mento, coja venda Ihe fez livre e desembarazada.
Recife 14 de junho de 1863. j
Aluga-se uma cocbira alua da Uoio nos
fundos da casa do fallecido desembargador Rocha
Bastas : no sobrado na 'mesma rua #, 32.
I
Deseja-se contratar, mediante te* gratifica-
do, alguma senhora nacional ou e.-u-acjwura, nao
muito maga, c qne lenba as precisas iiabiljtacf.es
para em um engenho ensinar a algumas prinwiras |
letras, franeez e piano : a tratar na rna da Aurora
d. 74, segundo andar.__________________^ ^ 1
Precisa-se de urna ama que cosmhe bem '
compre para casa 6e ponca familia : na rua do!
Oueimado o. 22, loja. i
XAROPE D'ETHER
DE BOULLAY
Doutor da Faculdade de Sciencias, membre da Academia imperial de Medicina,
Official da Legiao de Honra, '
Rua des Fosss-Montmartre, 17, Paris.
Este xardpe composto mais de vinte annos pelo sabio lente Boullay, constitue a melbor
maneira de administrar o Ether. Re empregdo com successo em todas as doencas qne tirio iua
origem de um erithismo nervoso, como sao as:
Enxaqueea,
Nen-alglas,
Espasmo*,
Attaqucs ale nrvea,
Vertlcema,
Sfacapea,
Deposito geral, em Paris, na botica de Boullay, doutor em Sciencias, membro da Academia
imperial de Medicina de Paris, official da Legiao de Honra, rua des Fosss-Montmartre, 17te
em todas as boticas de Franca e dos paizes estrangeiros.
Calmbros ate estomago,
Indlgeatdes,
Coavaladea,
Aeeessea histricas e hypo-
eendrlacos,
Csllcas ventosas ou nei-T*-
sas, hepticas natulentaa,
Aecesaaa e ceta e ae rata-
me, Mame,
Ceaea eaTenenlementa,
etc., etc., etc.
rua e nao tem vicios, muito fiel, serve para qnal
quer mandad" ou trato de uma casa : quem qui-
zer dirija-se a rua dos Martyrios p. 2, primeiro
andar, que achara com quem irataft___________
"Precisa se de um fetr poriuguezque enten-
, da de plantagoes : na rua da Cruz n. 66.
ASTHME
ASTHMA ASTHMA ASTHWA
SFFOCglO NERVOSA E OPPRESSiO
nico remedio efftcaz para combattir estas molestias, acalmar nm atlaque d'asma e inpedir _
volu o Xarpe aromtico de Succino (mbar amarello) do Dr Danet. Uescoberta inleiramente
recente, este novo producto se tem propagado com extrema rapidez grecas aos dmiraveis resal-
tados que tem sempre produzido. '
Deposito geral, na botica Ghauveaud, 54, rna do Comercio, Paris-Grenelle, e em todas ai
boticas de Franca e do estrangeiro.
9?
Precisa-sede uma mulhor para caa de familia
que consta de duas pessoas, dando-se emula e
bom tratamento : quem quizer prestar se a estas
condicaes deixe carta fechada nesta livraria ns.
6 e 8, na praga da Independencia, com as iniciaos
M. (1 L., declarando sua morada para ;er procu-
rado.
Precisa-se aligar uma pessoa para vender
miudezas, que seja fele diligente, basta que venha
as 9 horas da manliSa, e que as 5 horas entregan-
do o laboleirovolte para casa.______________
Aluga-se um moleque de 20 annos para ser-
vidos domsticos : na rua Nova n. 32, segundo
audar, a tralar das 6 horas as 9 da nanha.
Ama de leite.
Precisa-se de uma ama de leite : na rua eslrei-
ta do Rosario u. 32, 2 andar.
. "-' -i_______________
Vendem-se tres escravas efim|hablidades, de
idade de 18* 20 annos, uma linda mulatinha mui
bem educada, um moleque de idade 13 annos, um
escravo carapina : na travessa do Carmo n. 1.
Vende-se farinha da trra em sacca e a re-
talho : junto a esla ofO>-ina n. 42, Na mesma com-
pran! se garrafas e botijas.___________
Naruadalnieratiizn. 2 vendem-se bons
candieiros a gaz pelo diiniunto preco de 45, 25 e
153OO : chegnem antes que se acabem, que nao
ha pechincha lo boa.
Vende-se um sobrado de um andar com com-
modos, em chaos proprios, na travessa do Veras
n. 13 : quem o pretend r dirija-se a rua de Santo
Amaro em Santo Antonio, primeiro andar n. 6.
Vende-se
peposit'i (feral en Hein ui-btico ra i CW: H- 2^ em casa de Caros & Barbosf.
COMPRAS.
Compra-se effectiwfmente ouro e prata em
obras velbas, pagando-se bero : na rua larga do
Rosario q, 24. loja. de ourives;
uma escrava de naco, idade 40 annos que lava e
vende na rna : a f-Par na ilh.i dos Ratos, rua do
Seve, casa terrea n. 16, junto ao sobrado com 5
varandas e prximo a ponte de Ierro, quem vem
do toeatro de Santa Isabel para a mesma ilha.
Attenc&o.
Na rua do Trapiche o. 18, segundo andar, veu-
de se :
Folhas de Flandres.
Cerveja Bass.
Champanha.
Frascos com conservas.
ATTEUCAO
Vendem-se as partes das casas terreas da rua
da Assmpco n. 34 e Padre Floriauo n- 67 : a tra-
tra pa rua qa? Cruzes n. %2;
de 2.000 candieiros de zu colmillos,
com globos de crvslal e delicadas
gravuias, novo gsto, Gn^indo lan-
lernus, por todo o preco, cima da
faclara, un amazen da rna da
Imperatriz n. 22.
O proprielario desle importante e>tahelecimento,
tendo muito breve de relirar-se para a Europa, re-
solveu fazer uma liquidacao a dinheiro a risia por
todo o prego, contentando se rnente com urna pe-
quea porcenlagem cima do custo da factura. Es-
pera que o respeilavel publico o eoadjnve com sua
presi.nca a honrar seu o.tabelecimento e admira-
re m os precos de seme/hanlesobjectos de candiei-
ros de gaz.
Trastes com uso.
Vende-se I sof, 3 consolos, 1 mesa redonda. 9
cadeiras de amarello, 6 cadeirns americanas, 1
bea marqueza de Jacaranda, 2 cartearas de va-
gem e 1 carteira grande propria para taberna :
quem pretender dirija-se a rua das Cinco Ponas
o. 140 defronte da estacao.
IMU.%' .IXIO AVI'0.\IO 13
SAO lOAO
Vendem se sones muito bem feilas c de
papel muito bom i 4$ o cetito : na rua das
Cruzes n. 41, taberna da porta larga.
Gaz, ga yaz
A 1IS800 a lata rom 26 a 27 garrafa?, e 480 a
garrafa, vinho puro da Figueira, e verde especial a
300 rs. a garrafa, e 35300 a caada, verdadeiro
Porto a 800 rs., superior caf a 75200 a arroba ,u
240 rs. a libra : s na rua Direita n. 91, esqu fg
do becco do Serigado.
Che y a i a m os tupen mes
enres de seda.
Superiores cortes de seda de cor, vindos pelo
ultimo vapor francez : na loja das columnas a rua
do Crespo n. 13, de Antonio Corris de Viscan-
cellos* C.
Vende-se uma parte de um sobrado no bair-
ro do Recife : quem pretender dirija-se praca da
Independencia ns. 14 e 16, que achara com quem
tratar.
Veudi'-se o engenho toicaoa, situado no ter
mo de Serinhaem, meia legoa distante da cidade
do Rio Formoso, um quarlo de legoa do porto de
embarque, ptimo d'agua, de hoa produeco, boas
obras, tendo anda matas, bons lugares para cri-
co de gado, um silio de coqueiros novos comecan-
do a dar fruc.tos, e podendo anda augmentar-s?,
ainda com grandes partidos a criarse, dependen-
do de fcil comporta que suspenda a aguas saiga-
das em terrenos planos de massap, e prximo ao
engenho, e mais ontras vanpigens que se farao pl-
lente a quem o quizer negociar, podeado para es^e-
flm dirigir-se ao mesmo engenho, ou no Recife a
entender-se com Anl-mio Jor- Teiieira Bastos.
Vendem-se oO acedes do Novo Raor.u : a tra-
tar em casa de Mellu Lobo Vende se a taberna sita na rua de S. Miguel
dos Afogados q. 68, muito afreguezada para a tr-
ra, com poucs fundos : quem a pretender dirja-
se a mesma para ajil .so diier quem a vende.
. Vende-se nm boniio escravo com 22anii0
de jdade : no pateo do Terco o. 141.
&m
AEU
i>
_i


.1
33*
-*-
Dlari* le pernambuco efunda felra 19 Je Junho de i *.
PIULAS CAHAR1TOI8 BS MBR.
Estas plalas regetaes s3o a-
"daptadas a todos os uso de un
purgante as familias, pois sat
perfetamnte innocentes, e en
quanio milhres de pessoas con-
fessara com gcaldo que foram
curadas por ellas de molestias
^severas e perigosas;nao ha
rom su caso em que haja suspei-
Us do mais leve resultado inju-
rioso por seu uso.
Publicamos aqu alguna dos
atestados que temos de curas
notaveis feitas ltimamente.
Um caso notavel de
ATwo chronica do ligado.
LLM. $R.
Mi de Fra, 17 de fevereiro de 1864.
Tendo feito uso das pilulas catharticas
de Ayer, "que rae fez fevor de dar um vi-
dro, tendo tirado um resultado nao espera-
do ; padecendo ha mais de doze annos en-
fermidades do gado e bago, com o uso
das pilulas poaso lhe assegurar que estou
bom, pois ten engorgitamento que soffria, muitas dores
sobre a. regiS do flgado e costas, dores de
cabeca, inch$lo-%) ventre, nao podendo
deitar-mr'seno do lado direito, isso me>-
mo procurando papgSo para ter socego, ho-
je me acho livre d*esse padecimento ; como
por aqu anda iy nao haja, eu como tenho
este proprio quff'Lde casa, lhe.rogo man-
dar-me alguns fldros, e o custo elle lhe sa-
tisfar, assim bem como do charope de
cereja, que tiv ooeasiSo de experimentar;
em um ataque do sueltas que teve urna
preta que com elle ctrei, faco uso d'elles
as tosses em minha familia sernpre era
bom resultado, e por isso que peco para
mandar alguns frasquinhos, e mesmo as pi-
lulas pode montar a doze, porqoe tenhe
feito uso d'ellas para uso da familia e al-'
gumas pessoas, ia d i ,mt e g e
resultado; sou btdooroieandeoda
De V. s. attensgPs.ar
Francisco Frreas raiI
Rheuraalismo e ataqnes lieinorrlioidaM.
Il.I.M. Sit.
Ouro-Preto, 30 de marco de 1864.
Posso certificar-lhe que as piulas ca-
tharticas do Dr. Ayer sao excelentes, pois
que soffrendo eu dores pelo corpo, e que
suppunha ser rheumatismo, (molestia esta
que j havia soffrido ha annos) e soffrendo
tambem de ataques hemorrhoidaes, e de
um ouvido, pois que al j pouco ouvia, e
acompanhado de uma dr no queixo, con-
sult a um dos nossos mdicos, e este me
disse que devia fazer uso da salsa ; porm
lenilo eu o almanack do mesmo doutor,
comprei em sua casa um vidrinho das mes-
mas pilulas e por minha conta principiei a
tnma-las, e sem as finalisar acho-me sem as
dores pelo corpo; e sem sentir, sarei do
ouvido, e mesmo dos ataques hemorrhoi-
daes : portanto sao para mira as taes pun-
as as melhores que tenho experimentado ;
isto em abono da verdade. Sou
De V. S.
Amigo certo, venerador e obrigado,
0 brigadeiro
JoAo Ronmr.rES Feu de Cakvalho.
Gaslrile.
Ouro-Preto, 29 de marco de 1864.
Atteslo que leudo feito uso, aconselhado
por um amigo, das pilulas do Dr. Ayer,
tiquei perfeilamente bom de uma gastrite
que solfria e que privava-me de andar aper-
lado, hoje felizmente nada sinlo.
Augusto Gollatino de Meixo.
iro.
Grande liquidadlo a
earmazera dori
Ra da Imperatriz a. oo de Ca-
ma <& Ntlva.
Os dotes deto estabelecimento (em resolvido li-
quidar saas fatJMas por presos-baratissimos, s
coro e flro Mnirar dirtheir^'jtjirewinem as pes-
soas que negftlam ni .pequea escala com azen
das, qae nestt toja e armazem encontraro um
grande sortiroenlo por precos que muito Ihes nao
de agradar, lano em peca como a relalho, a sa-
ber :
Chita* largas a 200 rs.
Vendem-se. chitas francesa, letradas muito lar-
gas, padroes escures, polo tralo preco de 00 rs-.
o covado, lendo muiio bom panno ; ditas escuras
padroes novos, por serem todas escossezas e eflr
lixa a 240 rs. o covado'; ditas miudinhas escuras
e claras a 140rs.,afflancando-se que esta fazenda
nao tem o mais pequeo loque de mofo, nem outro
qualquer defeito. Isto s o Pavo, ua ra da Im-
peratriz n. 60 de Gama & Silva.
Esparlilbos, na loja do Pavao.
Vende-seum bonito sortimonto de espartilhos
proprios para senhoras, sendo dos mais modernos
e bem feitos que tem vindo ao mercado, lendo d
todos os tamanhos e de diversos preces trazendo to-
das as competentes filas para apertar. isto s na
loja do Pavao, ra da Imperatriz n, 60 de Gama
& Silva. '
Cambraias brancas.

O
O
*

D
Falta de apetite.
Ouro-Preto, 2 i de feoereiro de 18G4.
Sendo eu affectado do ligado ha muitos
annos, e ltimamente sofTri falta de apetite,
hoje dou gracas a Deus por achar-me sao
e perfeito cora o uso das pilulas catharticas
do Dr. Ayer.
Antonio Bento Yieira.
ecido em
rme pro
Consti|iacao, dores de cabca.
Ouro-Preto., 28 de marco de, 1804.
AUesto que achando-me atacad) de uma
forte constipaco que trouxe-me dores por
todo o corpo e na cabega, soffri: horrivel-
mente por espado de quatro das; ento
um amigo aconselhou-me que tomasse pi-
lulas catharticas do Dr. Ayer: com ellas fi-
quei sito e completamente reslabe
tres das, de sorte que estou no fl
psito de aconselhar o uso das ditas pilulas
a todas as pessoas que forera affectadas de
constipares.
Agostimio Jos da Silva, negocia ate de fa-
zendas. ___________
lrrilarao do estomago.
Ouro-Preto, 29 de marco d,
Attesto e juro, se necessario fr
frendo ha muito terapo excessiva
de estomago, pouco apetite e diftlcil
to, d'ella tenho experimentado
raehoras depois que tenho feito
lulas catharticas do Dr Ayer.
Antonio Heumogenes Perjura)
braia brancas lizas, tendo tapadas e trasparente
pelo preco de 4, 4o00, 5 e t, hafendo muito
superior da Escossia por 10e 12,8. Isto s na lo-
ja do Pavao. na ra da Imperatriz n. 60 de Gama
& Silva.
Gros de quadrinbos 1-5G00.
Vendem-se os mais modernos gros de quadri-
nbos, proprios para vestidos de senhoras e meni-
nas, sendo este* gros dos majs modernos que rm
vindo ao mercado, vendcmio-se pelo ba ato preco
de 600 rs. o covado. Isto s ra loja do Pavao, ra
da lmpe+ariz n. 60 de Gama 4 Silva.
Ricos bouznnuts de Gnipnrc.
Vendero-se os mais ricos bouznouis de Guipare,
sendo os mais modernos que tem vindo ao merca-
do, pelo baralissimo preco de 23,5, cada um, as-
sim como chales de 3 e 4 pontas da mesma fazen
da, sendo de varios precos. Isto s _.
vio, roa da Imperatriz a. 60 de Gama c Silva.
Admirem
Admirem
Admirem Bem! I
As pechinchas que eslo venda na loja e ama-
len do Pavao, na ra da Imperatriz n. 60 de Ga-
ma Silva, onde se vendem todas as fazendas,
tanto de luxo como de primeira neeessidade por
precos multo rasoaveis, e com especiaiidade as se-
guinies, dando-se amostras deixando ficar penhor
ou mando-se levar em casa das familias
caixeiros da mesma loja.
Grande pechinclia, vestidos a
AZEVEDO a FLORES
Roa da Odcia do Herife, esqain da Madre de Deus,
Excellentissimas seulioraso Balao partecipa a Vv. Exc. que reduzio os pregos de
Vende-se um bonitosortimento de pecas de cam-' todas as suas fazendas, e pede a Vv. Excs. que n8o o esquacam, pois o Balo empenha
todos os seus esforcos para bem as servir e,alm de ludo isto minhas senhoras, um
objecto indispensavel s senhoras amantes do progresso.
Agora minhas senhoras "peco que faa&nn suas vistas em toda a minha circumsfe-
rencia e vero que encontram muitos objectes que necessitam e por precos que convi-
dm a comprar, como sejam:
Os ricos baloesde 40 arcos, com uma roda que admira.
dem fom menos arcos a* 2#8fi.e 3. '. ,
dem para meninas de 2 annos al 12 armos.
Cambraia Gnissima que era de (J a 7^
dem das de 65 por 5$.
Os mais lindos pidres de cambraias de cores, Verdadeiras francezas.
Tarlatana branca muito fina e larga.
Chitas escuras a 240 e 280 rs., que eram de 360, tambem ha superiores.
dem perclaras superiores a 440 rs,
da, sendo de vanos preQos Isto s na loja do Pa- Lga reta para |ut0 e e.tofja9 as roa}s cores..{
Chita encamada adamascada muito superior a SAO rs. o covado, 7 covados d uma co-
berta para cama francesa.
Vestidos a Alaria Pia os mais ricos que ha de 14(5, iW e 20^.
Calcas de casemira de muito bonitas cores.
Colletes de casemira preto e de cores.
dem de brira branco.
Paletos de casemira sacco a 10 e 12*.
dem de brira branco.
dem de alpaka branca a o&.
dem prelos a 4i e 5^.
pe,os Caigas de brim branco, pardo e de outras cores.
Ceroulas de linho com duas costuras a 2i506.
dem a i600.
Acaba de chegar um bonito ortimento dos mais CoHeles da asemira a W 6 W-
lindos vestidos transparentes, muito proprios para camisas tom peitos oe coi.
passeios e bailes, por serem de primorosos dse- dem brancas a lj)-00 cada uma.
unos, sendo todos os padroes lecidos e nao pinta- iQern brancas finas pregas largas a 2j&40 e 25500.
dos, e vendera-se pelo baratissimo preco de 35300,
sendo fazenda que val muito mais dinheiro: isto na
loja do Pavao, ra da Imperatriz n. 60, de Gama &
Silva.
Capas pretas e sonlembarques,
Vendem-se as mais modernas cpas pretas lisas
e bordadas, os mais bonitos soutembarques pretos e
manteletes, tudo de seda preta e o que ha de mais
gosto no mercado, por presos mu i lo em conta :
na loja do Pavao, ra da Imperatriz n. 60, de Ga-
ma de Silva.
S o Pavao vende
Chitas largas a 240
Chitas largas a 240
Chitas largas a 240.
Acaba de chegar para a loja do Pavao um gran-
de sortimento de chitas largas garibaldioas, por
s rem todas listradas e padies escuros e de cores
fixas que se vendem pelo haiatissimo proco de 240
o covado, sendo que em oiitra qualquer parle cus
dem de linho niperiores a .'$.
dem de linho inglezas muito linas de nmeros 34, 35, 37 o 39.
dem de meia bertas fazenda superior-
CHAPEOS DE SOL
Chapos de sol de seda de 12 asteas a 8&.
dem superiores de 16 asteas a l:>.
dem de seda trancada asteas de meia cana a 14$.
Que ludo se vende na loja do
Rival sem segundo
vendendo
Ra do Queimado ri. 49, est
muito barato como ver nbaixo.
Caixasde ppnnas d< kalegraphia a 15000.
Massos com superiores (ramios a 30 rs.
I Pares de sapatos de tranca e apele a '5500.
la a 360 o covado, notando ooe M reguwes que Fra d ,J S0J
comprarem porao de P'cas, terao um .pequenoj^ (!om nB^9t uita^a S00 r*.-
abatimento : isto na Inja do Pavaa a ra
rairiz n.60, (fe Gama f SITva.
LOJA DO BEIJft FLOR
Na roa do Queimado n. 63.
Tendo recebido um sortimento de bone-
cas de choro, que chamam papai e maraai,
com cabelleira de cachos.
Tendo recebido um variado sortimento de
A dmiraveis pechinchas
que esta a \eiula na toja e armazciu
da 4rTrf, ra a Imporalriz ;>li,
de Uurenco Perera llendes Guima-
res.
Brelanha de rolo a 3.
Vendem-se pe?s de bretafrlta com 10 varas pe-
lo baratissimo pn cu de a pera.
Madapolao enfesiado a 3>3'X).
Vende-se madapolao enfeMado com 12 jardas a
35300,45 e 45600, dito com 24 jardas a 55,
S5300, 65500,75. \. 40 75iOO, L. 10 75o00, Ji. 6
85, Elepnante ^->"i().
Soulembarquesdecoresa (\y
Vendem-se soutembarques de cores a 6J, 75 e
85, ditos de xeda a 18, 205 e 255-
Chapeos para homem a 15800.
Vendem-se eh;i|ieos para homem a 15800 cada
um, chapeos do sul de panno a 2;, ditos de seda
para homem a 65 e 75 : s Arara, ra da Impe-
ratriz o. 56, de Mendes Guimares.
S Arara vende chitas francezas a 210 rs. o co-
vada.
Vendem-se chitas frMazas sendo cores tiws,
assim como sejam padrSps delioados sendo core*
de cana e rxas, se vende por baratissimo preco
de 240 o covado, ditas a 160, 280 e 300 rs., ditas
matisadas rias a 320 e 360o covado.
Chitas francezas escaras.
Vendem-sj chitas francesas sendo padroes escu-
ros e cores fixas a 360 e 400 o covado, ditas rmi-
dinhas claras a 360 e 400 rs. o covado : isto na
loja e armazem da Arara ra da Imperatriz n. 56.
Corles a Hara Pia a \$S.
Vendem-se os ruis modernos cortes a-Marte
Pia a 185, dito a 145, 125, 115, 105 e 85, cortes
de laa sem barra a 55 tem lo covados o corte.
Damasco de duas latguras a I2SQ.
Vende--e damasco de duas larguras a 15^l* o
covado, dito de uma largara a 8i0 e 640 r^ o co-
vado, lencos de linho a 5)8, (5 e 75 a diniai
Camisas francezas a I AiKi.
Vendem-se camisas francezas a 15800, 25- dita
de pregas largas a 25 e 25250, ditas de linho a
25500, 2800 e 35 cada uma, seroulas francezas a
15280 e 15500, dita de linho a 15800 e 25, co-
berias de chita a 25 e 2550J cada uma, camhruia
nranca a 35, 35500 e 45 a peca, ditas de cores a
35000.
Cambraias de cores a 300 rs.
Vende-se cambraia de cor a 300, 320, 360 e iOO
rs. o covado, cambraia de salpicos a 25500 e 35 :
na ra da Imperatriz n. 56.
Chales de merino a ty.
Vendem-se chales de merino a 25, ditos de chi-
ta a 15600, I?280 e 15 cada nm, chales 6nos rom
ponta redonda e borlla de sedirn C5 e 75 cada
nm, cobertores de algodo a 15 cada um : na ra
da Imperatriz n. 56. ____ __
Coke ogaz.
pilcli do gaz.
Alcatro do gaz.
Coke tonelladas rs. 105000
Pitch 80*000
Alcatro caada. .... 400,
O coke reconhecidamente o carv3o mais eeono-
toteo, lorna-se por isso recomrnendavel, bem c-
mo pelo asseio que se nota as cozinhas aonde j
olle usado. Pitch e alcatro.alm das applicacoes
diversas a que se prestam, como para callafetar
embarcaroes,alcatroar made\ras,elc.,leem este a ,
propriedade de preservar do cupim, formigas.elc.
E' entregar na fabrica dogaz ou mandado pr em :
qnalquer ponto da cidade, segundo a voniade do |
comprador.
PROPRIO PAR SEMIORA.
Vende-se um excellente cavado muito no-
vo e manso com todos os andares: na co-
cheira do Paulino, rua de Santo Amaro.
cr w u o o -s =r< c = -. ~
IVA.
Rna ii'i Qtwniado n. -59, l-"ia de Jos & vedo
Mam Silva.
PH?eiVa : voltas muii>O0 rs.
Ubuas delmlin para l.or.'ados d
lidad.- a 00 rs.
Dtiziisii- f3c'-H<.i* ghvtis de cabo nret'
boa a :i,
Mpiailas d.- l.niKi ..ti pura bordar a 20 rs.
Mi-ia-las de licha :izi:tida -':;."ii-^ 'I'1 1-.
Baba.l.i do 1'uiKi mui'.o Miiifiiur 1 100.
180 rs.
Varas de irtti.pt .e" uho branca a 4 rs.
Ca;xas rrorn Hhi en.v..-.. da melb-.r fjua l^.'- a
000 r. 4
Laixas com 2t) iioadwnwi de pai>el mjoi rn a
60O rs.
GTczaJ de penna r) r.co muilo finas a 380 1 -.
Pifas de tranca lisa pn>(a decoresa 1
Grozas de b'iles i.-aircpii> la para a:i- -
e 720 rs.
Oixas com 50 novados de linha do paz a
Varas de franja de 1 ufes a 80 rs.
Vovellos rom 400 jardas suprior |i..: ;.. .
Carr'-is d" lnlia coiiw-2u0 tarda.-, !.- -
i mi.j (H| ,..
Li'-r-s para aftji4ni rtfi rr.i 1;:;r lav.id 1 |r.t' -.
Pares de hoVs de punbo mnilo lim.s til .
Thesonras para urinas e costura r Knas 1
500 r..
OO rs.
I

S8
jt|'ie.mf
S.2,5 1- o S
S3P,i-Snt2g.-o
<* a 3 S R-:
1
Sjte 3
o 5
SP?S

o.
o
9
n
13
1
1
r
o
8
I I
a.
o
a
a.
A
a
o
xi 2, '- 5. s
3-f 0.3 S-g g-s
o ^ ce
-8 3 1' &S s"
5 s 5
?1
99
U>0
1864.
que. sof-
irritacao
diges-
sensiveis
das pi-
Rosa.
Lombiiyas.
Ouro-Preto, 28' de margo de J1804.
As pilulas do Dr. Ayer (catharucas), fo-
ram empregadas com grande vantagem por
raiEi era urna menina de dez annos que
soffria de vermes inteslinaes, nptando-se
que os symptotnas que ento apresentava
eram de molestia bastante per/gosa.
Raymunbo Nonato nE S. Thiago, pharma-
ceutico.
Nevralgia.
Uma carta do IUm, Sr. Francisco Alva-
raga de Azevedo.
Ha mais de sete annos qae soffria dores
no hombro e as costas, lomei unja iofinj-
dade de remedios sem achar alivio algum.
D6r, angustia, tormento sao palavras for-
tes, porm nao exprimem o que tenho sof-
frido: ltimamente tomei as pilulas ca-
tharticas do Dr. Ayer. S faz oito das, e e-
tou completamente restabelecido; ha tres
das que n5o sinto a mais leredr no hom-
bro nem as costas.
Estas pilulas acham-se venda as prin-
cipaes boticas e drogdrias do imperio, e no-
Rio de Janeiro, ra Diroita n. 15
Vende-se em Pernambuco:
na pharmacla fraeza a
P.MAURER & C
RA NOVA N. 18.
Lazinhas a 300 rs.
Laazinhas a 300 rs.
Lazinhas a 300 rs.
Vende-se um bonito sor i ment de laazinhas pro-
prias para vestidos e soulem aripies por serem li-
sas e de quadrinhos pelo barato prego de 300 rs. o
covado, seudo fazenda que sernpre se vendeu a
500 rs. o covado, e vende-se a dinheiro a vista pe-
lo baratissimo preco de 300 rs. o novado : na loja
do Pavao ra da Imperatriz 11. 60 de Gama di
Silva.
Pelerinas a 1>GOO.
Vendem-se as mais ricas pelerinas ou romeras
de cambraia bordadas proprias para hombros de
senhora pelo baratissimo preco de 15600 : na ra
da Imperatriz a. 00, loja de Gama & Silva.
Organdy a 240 rs. o covado.
na loja do Pavao.
Vendem-se as mais bonitas cassas organdys, pa-
droes miudos e grandes, pe.lo baratissimo prego de
240 rs. o covado (duze vinlens), esta pechincha
acaba-se logo : na loja do Pavao ra da Impera-
triz d. 60, de Cama & Silva.
BRETAKHA DE ROLO A 3#000.
lladnpolO entestado a 30OOO.
Ka luja do Pavao
Vendem-se pecas de brelanha de rolo com 10
varas a 3, ditas de madapolao entestado a 320",
3SjiiO e 15 : na loja do Pavao, ra da Imperatriz
n. 60, de Gama & Silva.
Novos corles de vestidos a 125, para as festas
de S. Joo f S. Pedro, na loja do Pavo.
Acabam de chegar para este estabelecimento os
mais ricos cortes de gazla granadina com 22 cova-
dos cada um, sendo esta fazenda do melhor gosto
possivel por ser transparentes e tecidos com seda,
e por isso sao de muia fantezia, e vende-se peto
baralissimo preco de 125 cada corte, sendo fazen-
da que va| 235 : esta pechincha est< renda na
loja e armazem do Pavao, roa da Imperatriz n. 60,
de Gama & Silva.
Laazinhas a 300 rs.
Pechiocha do Pavo.
Vendem-se superiores hiazinhas mossambiques,
proprias para vestidos e soutembarques, pelo ba-
ratissimo prego de 300 rs. o covado, sendo fazenda
que sernpre se vendeu a 500 rs., fazenda esta mui-
to propria fra vestido de sahir a passeo. e prin-
cipalmente para lempo de nvrao por nao se es-
iragar com facilidade : isto s oa loja do Pavo,
ra da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Madapolao com loque de mofo a t^OO e 7$
Vendem-se superiores pegas de madapolao, ga-
ranlindo-se 20 varas em cada uma, pelo baralissi-
mo preco de 6^400 e 7* por terem um pequeo
toque de mofo que nada val, e pegas de algodo a
4 : na loja do Pavo, ra da Imperatriz n. 60, de
Gama & Silva.
Corles de easemiras a 2^500 e 3$
Vendem-se cortes de casemira de uma s cor a
25300, ditas de quadrinbos a 35 : na loja do Pa-
vo, roa da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Chales a 2,5000
Vendem-se chales de merino a H, 25'>00, 55 e
65: na loja do Pavo, ru da Imperatriz a. 60, de
Gama & SBra._____________________._______
~Na~padaria da ra Oireita n. 84 ba para ven-
der cyliDdros americanos para pttaria, chegados
ba ppeos das.
^-a ra da Eadeia do RectfrnTo, veodem-se
.nietos Maria Pia, espartilhos preguigoso rW'pVW pSa75a. relogioYpara eim
sao os mais modernos qo leiq.yndn ao mercado 5ae p:ira pendurar, arreos para 1 e 3
Vendi-se na ra do- Vkar)o n. 8 nm bom es-
cravo d eor prei, muiwrsatHO-e prpi i'

Calzas com superiores obreias a 10 r*.
Duzias de phosphoros de.seguranca a 120 rs.
Meias garrafas com lima a 210 t.
R dinhas-com allineles francezes a 20^rs.
Carlas de allineles franceses mullo linos a (00 rs.
Resmas de papel almaco a 25400.
Resmas de papel de peso a 5000.
Papis de agulhas francezas a balo a 60 rs.
Bonets milito bonitos para meninos a 15000.
Enfeite* para senltoras fazenda muito moderna a
25OOO.
Escovas para roupa superior qnalidade a 15000.
Tasso Irmaos
Vendem no >ea arma zea ra do
Amo'-im n. 85,
Licor lino Curagao em botijas e meias botijas.
Licores linos sonidos em garrafas com rolhas de
vidro e em lindos frascos.
Vinhosdieres.
Sanlernes.
Chamberlin.
Hermitage.
Borgonhe.
Champagne.
Muscatel.
Reino.
Borden ux.
Cognac.
Od Ton.
AzeitePlagniol.
GAZ GAZ GAZ
Vende-se gaz da melhor qnalidi-.de a
lifiaiata: nos armazensda ruado Im-
perador n.16 e roa do Trapiche Novon 8.
Oonfeitaria dos ananazes.
Rna da Cruz n. 16.
Acaba de chegar a ecie novo eslabelecimenloum
lindo sortimento de icas caixinhs, para amen-
doas, proprias para presente ; ha araendoas boas e
boas paslilhas, ele, etc., para enchementos das
mesmas, tambem se vende papis de estalo para
sortes, prepara-se pao de l enfetados, Gatheaus
de diversas qualidades, simples e enfeitados, rece-
oe-se encommendas de tudo quanto concernenle
a este negocio.
--
---------------------------------------------------------------------1-------------_._^_
>!ete0''Caxis (iom suikeii"res auulUasa 200 te..- -l+ /v""". '""l "". -
da impe- Ljbras ,, R r|j(1;ls Pw loflas a^fo,, a 75000. 1wwtoed09 para meninos, sendo espalas,
espingardas, pistolas, tambores ; ditos
para meninas : apparelhos de almoco e de
jantar de porcelana e de metal, porta-licor
e faquinhas a 280 rs. o par ; e nao queren-
do continuar, vende mais liarato do que em
outra qualquer parle.
Vende-se tiras bordadas de differentes
larguras a Ir?, e babados, collar olios e pu-
nhos para senhora bordados e abertos de
renda e lisos, os mais modernos que se
podem encontrar.
Vende-se 15a para bordar de diversas
qualidades ede cores claras a 7?? a libra, es-
pellros de columnas, de Jacaranda a 25500,
ditos brancosde diversos tamanhos, caixinhs
para estjos d navalhas,
Vnde-se pentes de alisar com costas de
metal a 15; ditos de diflerenles qualidades,
lindas gravalinhas para senhora de differen-
tes gostos.
folriei*K de meta I principe.
-Vende-se collieres-de metal principe para
tirar soupa a 25, ditas para cli a 25300,
djlas para soupa a 45200 a duzia : nesta
loja se encontrar sernpre um grande e va-
riado sortimento de miudezas: ra do Quei-
mado n. 63, loja do beija-flor. .
cao.
s
Manteiga ingleza a 15000 a lilip, garrafdes de S
garrafas cora vinagre a 15oX>0, Darrrsde azeiloua
nov a 15500 : ua rna da cencordia-n*33. -*t
A 5^500 O SACCO. -
De fariulia da tena c5h
22 cuias, jia ra do Impe-
rador n. 26, defronte da ca-
sa em que-foi a eadeia.
1 prpi io para agri-
cultura.
_ Vende-se a/taberoad*bcco Largo do Reci
fe n. I, cora pemeos fundo? e Asta afreguezaoU a
tratar na metra* j ttWa se dir' o mofivo.
Vendem-se
machinas-americanas e wrote part descaro^-
aigdlo ; n roa da-6ifiala n?v| b. kt.
Attcngo.
Vendem-se pegas de estpiras para forro desala,
tinta branca preparada a oleo, em latas de t li-
irna <3e me-
2 cavallos,
velas de spermacete, tudo de superior rjualdade,
vindo dos Estados-Unidos : do armazem da ra do
Trapiche a. 8.
novena de \assa enhora
Caroso e de Man'Auna.
Vend-se na rna do Imperad r 15. 13, riHcini
de encadernagSo : ooiBcio, salve o versos, nove-
na e salve de Nossa Senhora do Carm". t'.'-; fo;
lhetos por ?00 rs. e a novena de Sant'-Apna por
'320rs.
DO BOW-
Ra da ltrimi numero 38.
Neste estabelecimento acham-se venda os se-
guintes objectos, todos da primeira qualidade, e
construidos especialmenie fiara esla casa, pelos
mais acreditados fabricamos inglezes :
'.-Machinas a vapor de i l|2 a 8 cavados, com
moehdas, juntas e sem ellas ; e tambem proprias
para descaro^amenlo de algodo, afamadas pela
fortidao, simplicidaoe e economa em combustivel,
e por nao precisar de obra i|ualquer para seu as-
esntamenlo. '
Rodas d'agua de ferro, sysioma mui proveitoso
da forc,a d'agua. ^
Rodas de espora, e angulares, e tle esquadrilha-
para aniniaes.
Moendas e meia-m-iondas.
Taias de ferro balido e fundido, e de cobre.
Machinas para des.carocar algodo, systema
Platt, com os ltimos niclhoramenlos.
Boceas e crivos de patente para fornalhas, dimi-
nuindo muito o gasio do coiDmativel.
'.Machinas n macbinismos para moer mandioca,
movidas a vapor, agua ou cavado.
Fornos e chapas de ferro balido para coser fa-
/juba.
. Alambique* de ferro, e fundos. .
Guindastes, fuos e porlatils.
*i Prensas para copiar cartas.
Rodas para carro de engeulio com eixos e man-
gas de patente.
Formas de ferro batido galvanizado para purgar.
Serras de a Arados de ferro singlos e dobrados, grades para
cubrir caona, enxadas a cavallo, e ouiros instro-
melos de agriculiura.
mmm
QL'ADfiOS
wii.siivin:
AQUAHELL-V
Laa secn de nossos das.
Drama
Por Pedro de Calasans
Vendem-se estas obras impressas on Bruxellas
e Leipig : na livrarU de Jos Nogueira de Souza,
rija do Crespo.
co
CD

o
g 3.9 l> S
w 5, &
O
ce
a>
9
CD W 2,3 (D -
c^
S ^ g c 5
g cS a. S a
^3 t 5 ^
C=" 3 v- 3
DEPURATIVOS
Do Dr SERVAX, dePariz.
Pharmaccvtico de 1 clatse, ex-
interno dos hospiiaes, premiado
com a medalha de bronze.
C/3 CD
o
8
8'SIH
_ CD
CD
i.3
CD
_ a a.w c6
o 3 ro c?S
"O "^ r*D ^
s ^
S o'S

a. o
O
en
ir.
2. cd 0.2. B:
3 5 a -"p-b 1j

.i. = -i

!S>
CD
as
en
03 iE. 3 -
C^ ^ ^. ^*
* o 3
"O
- ?
o;
2
-3 _
o
o
~
c
o
'O.
o
3
o_
c
CD
CO
s.
CD
JQ
~

CD
I >
Kival sm secando
Rna'do Queimado n. i9, loja de miudezas de Jos
4 Azevedo Maia e Silva, esla queimando que ad-
mira, a saber :
Frascos com superior banha a 209/340 e oOO rs.
Latas com superior banha. a. 50Q rs.
Frascos com superior agna de Colima a 120 e
500 rs.
Frascos com superior oleo de baboza a 2'i0. 320 e
400 rs.
Garrafas da verdadeira agua Florida a 1JW0.
Frascos de superior oleo da sociedade Higknique
a 640 rs.
Fraseos de superiores cheiros santal o outros mui-
tos a 1*000.
Sabonetes de familia a 210 e 200 rs.
Saboneles de superior qualidades a 00, 120 e 160 rs.
Caitas com 12 frascos de cheiros muito linos a
Desde muilo lempo o publico:
ibandonou o uso das preparacoesj
inliluladas depuralivas conhecidasj
sob o nome do Arrobes, Xaropesj *.
le Salsaparrilha compostos, ele
Cuja accao, maior parle das veze
milla." e n'alguras casos perigosa.f E|
Oi COXF1ICSDEPUPAT1V05TIUI0 ASPECTO i
E O COSTO AGRADAVr.rS E COXTBM SOB CU
PEQIEO VOLIUIBJVBSTiSCIAS UtlTl) ACTI-
VAS Ql'E O SFO MODO DK PBEPAIlArAO TORNA
IXALTEI'.AVLl.
0.w:;t''.'r-.r<> qilfl CMtONCOIl-
pitos!il)|-.cr.:iom Fran-
5a sol o paliocinio las princip :c-ij
celebridades medicas, os poc cima'
de tudo quanlo (cm existido alhc
boje.
Cura rpida sem o socorro
de iiciihiim outro remedio in-
lento, das escrophulas ,
herpes, affeccoes syphi-
liticrts hypertrophia3j =,
dos tessidos celulare3,|,
hydropisias e em geral
todas as molestias produzida
,~i
pela al lera cao do sanguc ; tal
o resultado que queriamo
conseguir e que temos sern-
pre oblido.
Uma expHcacao accompanlia cad;
vidro.
Dcscoiifiar-sc, das falcificuncscl imi
ta<;oes.
Para a aicomeiidas dirigirse nos
Sures. BDISSOM BT O1*, 18, ti' PlICC
Eugne, Parix.
Caias dito com 6 frascos melhor fazenda a 900 rs.
Paos de pomada franeeza grandes a oOO rs.
Sabonetes de bolla pequeos e grandes a 240 e
320 rs.
Frascos cem superior opiata a 800 rs.
Frascos com superior agua para denles a 13000-
Grande sortimento de roupas feitas .ce to-
das asqaalidades,
Calcas de casemira a un e 7.8300, ditas pretal a
65 e 85, calcas'de ganga a 25 ,15800 e 15600,
ditas brancas a 25, brlm de linho a 35. 35300 e
45, paletots do alpaca branca a45oOO, ditos prelos
a 35 e 35^00, ditos de alpaca de cordao a i, e
dc listra de seda a 45100, ditos sobrecasacos'5 55,
paletots de casemira a 55, 55300, C5, 8 e 95,'
ditos sob recasa eos pretos a 1*5, loe 165, ditos *]
dos a 2?5, de cores a 135, ditos fraques a 14jjL
paletots de ganga a 35, 2'00 e 25, dit;s desbciri)
pardo a 35, jaqnelfies de brim pardo a 3, pannrf
preto lino a 25. 25600, 35500 5. 45300 e, 65*
covado, moreantfqne prpto a 25600 o cr.vado', gros-
GEANLGS t XAR0
DWDROMTYU ASIAT|
llesulla pelas experiencias feitas as Indias e em
Franca pelos mais afamados mdicos que as GRANU-
LAS e o x Ann: de hvdrocotyla asttica dt
/. .riNE sao o opiimo remedio contra todas as espe-
cies de IMMGENS on herpes* outras molestias di
pelle, at as mais inveteradas, assim como a LETRA
OU MOIIPHEA, a SIPIIIMS, as MOLESTIAS ESCRO-
FULOSAS, os iiiir.i matismos chronicos, ele.
Deposito geral em Paris,'tm casa de FOCRJIB S
LABLOXYE. ra Botirbon-Villeneuve. 19.
XAROPE
etBELONy '3
Empregado com invariavel successo desde 30~:innai
pelos Mdicos de todos o* paiies^, eoatra as molestia
orgnicas ou uio orgnicas do corela, as diversas hy-
dro^isias e a mainr parte da* molestias do peito e dos
brorithios(pnewnwnias, cslarr/ioipulmonares.attkmar.
in/lammacoct nervosasdot'bronchiot, catarrheircs,ctc...
O XAROPE deLABEEONTE nao se vendesenio em,.
En
denaple prelo a 15300, 15800, 25, 2520fTe -5->00 arrufas com ro.ulaj de cor e foebadas com uma chapa
0 covado; e outras militas mais fazenda?- que se" "Uvande a firma do inventor,
deixa de annunciar, o inauda-se levar pelos Srxei-
ros da loja da arara casa dos prctfmdenies. 0
e labelecimpnto est alerto al as 9 horas da noile,
ra da Imperatriz n. 56. Mendei Gumarao<'
ova riada.
Francez barrica 55000
Friland dem 85500
Em perfeito estado:
Francez barrica 105000
Portland dem 125000
No armazem de Tasso Irmos caes do Apollo.
Fariolia de maiMlioca|
da Baha, S. Matlieus e Santa Caiarina, era saccas
de algodo da. Baha, d? 2 e 3 aliucirps : vende sp
no largo da Grpo Santo n. 4. escripcrio de Jos
Mara Pahaem,
PARW. ruH BoMrbn-VIUencuTe, 19.
Deposito gera! em PerBamimce rra da
Craz a.22 em casa de Caros & Barboza
A f 1^800 e i^&G.
Keques de mso, ultima ?! >, i i -j.
Ceroulas de m. ia n i i .
Dulas mu Sflas a l'
S oa ra d.i Cadeia do Uanife n. 5.
Na rt'.i do Qaviroade, loj de f; -r^'
eende-se mBiioem coWH nm |iar de
Mho tOO
Fareilo IJXM
Xa toa larga di Jrlarp n. 59, rah ir
quina.
.i e;
ILEG1VEL
b m


IMarto de crinin*aco ... Segnda eira 19 de lunfao de i8a.
i
/
GNEROS BARATOS A DINHEIRO
NOS
AUhZBNS DE
&
H0LH\D6Sa|>
j I palco do Carino n. 9 armazeni Progresivo roa d Queiniado h. 7 U y
Lnio e Commercio roa do Imperador b. 40,
Principal armazem de mol hados.
m PROPRiETAme.
@ ai
Fazera scienle ao respeitavel publico, e com especialidade aos senhores de en-
tornos, lavradores e mais pessoas do centro, que para inais facilitar suas compras deli-
beraram os proprietarios dos tres grandes armazens, reunir todos os seos estabaleci-
menos em um so anmmcio, pelo qual o preco de ura ser de todos, prometta-
juo tiao infringiremos- a tabella que abaixo vai publicado, annunciar os ge eros
por tai preco, e na occasio-da campea quererem por outro. como socede conslante-
tii iie em oulras maitas easas, poro m nos nossos estabelecimentos nao se dar isto
masiao com prejuizo nosso, quaJquer pessoa poder mandar seus fmulos que
Stfwi tam em servidos como viessempessoalmente fazendo-nos o favor de mandar seus
I >s em cartas feixadas; para evitar qualquer engaos, remetiendo nos urna conta!
pial se ver os precos tal qaal annunciarmos, o que senao arrepender pessoa
- ma pe fuer saa despenca em nossos estabelecimentos; pois poupar mais de.
') por costo na sua despeza diaria.
Manteiga ingleza perfeitamente flor chiega ia dem com i a 5 ditas a 3i200.
1 Largo da Santa
Cruz n. 84, es-
equina da ra do
gSebo.
IMCLEZA FL.0R
Para
Os bolos de Santo Antonio, S. Jo&> e. S, Pedro.
Vende-se manteiga ingleza flor de 1#000 a 10200 a libra, nos seguin-
tes lugares: Pat o do Carrao n. 9, ra do Queimado n. 7, e ra do Im-
perador n. 40, armazem de Duarte & C.
viraos.
E0PECIAES
rora BrtCt^rnnH^0,Ioi ""^aceditado armazem de moJhadoYdeominadft u
A seguint!ISbelhsirvta? -S s-ortiraento de enfiros de Brimeia 4^dade.
Largo da Santa|
Cruz n. 84, es-"""
quina da. roa
Sebo.
GOMMA NOVA.
Em paneiros muito alva a 4,ooors. a arroba e 16o rs. libra e compran-
do de um paneiro para cima se far abatimento na ra do Imperador n. 40.
Sh
ltimamente no vapor Saladim,
a 1^(200 a libra e em barril ter
ment.
de 1# dem vastos de todos os tamanhos a 20000,
abat- 10500,800 e 040 rs.
Queijos d 241300 a 23500 os mais frescos.
Ida a francesa multo nova a 900 a-libia, e Vinagre puro de Lisboa a 280 a garrafa.
Ne^owMzVmvi^ de conUS aos PLla,lores-
grande sormento que tem, Ja
nrn-,an.locheue Pa" accumular as despezas" do estabelecimento'por is
pelo irranlH 7nr7m^",^ ,CUUBra mais batato e melhores do que a Aurora Brilhante, ja'
ero 31i0.010.1^8 m.jH' raesmo porque seu dono so deseja tirar diminuto lu-
fantesfregaeM8.SPrietor, ha de lmi t"d4*dligMaTm 'dTsrvirbem o/sauscons-
SBrvC
8 o em barris.
20000 a caada.
Bada de porco refinada a 720 a libra 700 dem mais baixo a 200 rs. a garrafa e 141400
em barris.
C ,. uxim de superior qualidado a 2ffi00.
dem perula miudinln a 2||706>
Moa iivsson especial quaiidade. de 2
J-5'OO a ibea.
l.iera preto muilo especial a 20900-e 2|#i00
a libra.
dem lo lo em latas do 44-000 e a 800
a caada.
Aze'.te doce de Lisboa muito fino a 600 rs.
a garrafa e 44*000 a caada,
Toucinho de Lisboa novo e muito alto a 320
a libra, e em barril de 5 arrobas a 00400
arroba.
j Ceneja Bass do fabricante Shlers & Bol a
a1 641500 a duzia e 610 a garrafa.
Laaa7S8 'braS dech0uri^3 muito novas,
,Dm!iffl?S C0!W" em postas inteiras,
So lual,dades' a 15000, i280e
Dgade1OrT,OaSt7r2a0SVre^B,e Pe,8CPara ^
S!;rsS;^ta6;o^rs^aa*a720:^s
ln!!acomamexas a !^2. 4800 e 3A500.
Abwo?a"I7a2,;Lada d afamad0 fabrCante
Ditascom massad tomate, oOO rs.
r*To?ASaeCOm!idi*> n0VQ8> a WW
iura. ; dem Bass do fabricante T. F. Asae a 60000
com biscoiito de todas as qnaliqbdes a duzia e 560 a garrafa,
a 10^00. dem marca II Victoria Alsope e outras
lita da creditada fabrica de BiatAntonio' muilas marcas a 50 a duzia e 500 rs. a
.Liiboj). proprias par* da; a doentes a garrata.
8 3$ a lata. Sabao primeira qualidade a 220 rs. a libra
;ioha ingleza milito.nova a 34(5.00 abar-
ra e a 240 rs. a libra..
La! s com bolaxinha de oda e oval a 2f.
unto ijglez para fiambre chegado no
ultimo vapora 8u0 rs. a libra.
s c patos muito novos a 646 rs.
i ,a.
com macarro t^lharim muito nqvo a
O.e 380 a libra.
i branca e amarella a 500 a libra'.
Uit porluguez de especial qualidade a
i libra.
e210 era caixa.
dem segunda qualidade a 200 rs. a libra e
180 rs em caisa.
Sabo inglez superior a 180 rs. a libra e
160 rs. em caixa. :J|
Caf primeira e segunda sorte a 641500,
74(500 e 8$ a arroba, e de2O a 280 rs.
a libra.
Arroz do Maranho 34(200 a arroba e 100
rs. a libra.
: spde 8-0 a 10000 a libra.
..
dem da India a 24000, 24(800 e 100 rs. a
libra.
es anbol verdadeiro a lOOO a libra Charutos Normas de llavana a 5#500 a cai-
vunJ-inosa 14(400. xa.de Simas (J la csea de g'jiaba era caixoes de 6 li- Wem Lomlrinos a 54, idem.
seguro a 14(800, dem Parasienses a -5.500.
o eaixoos pequeos a 700 rs. e de Wem Delicias a 14*500.
25 e 25500.
Dita?combolachinha de soda muito novas, a
23000.
|Ditascombscotinhos inglezes de muitasqua-
Iidades, a {,5400.
_ Chocolate.
Laixmhas com ameixas enfeitadas proprias
Lh P" m"no a 15200,23800 e 3-5200.
i^nocoiate superior mnim nnv.i ii
880 a 15000.
muito novo, a libra de
"i 40ro'-alhariam e a,etria amarella'a l't)ra-
Dito dito dita branca, a libra a 400 rs.
canas com estrelinha, pevide, e outras mas-
sas, a caixa 33500.
Ditas dita era libras a 640 rs.
jSag, a libra a 360 rs.
fSfivadinha para sopa a libra, a 240 rs.
Ervilhasseccas, a libra a 160 rs.
Ditas descascadas, a libra a 200 rs.
^Tapioca muito nova, a libra a 280 rs.
bannha de ararula verdadeira, a libra a
oOO rs.
'Ara2?n Maraihao, em sacco, a arroba a
2500 e a libra a 80 rs.
Vinho verde superior.
A caada a 35000 e a garrafa a 400 rs.
Gomma.
Saccas de 4 arrobas, a verdadeira de se'
enjromraar, a arroba a 35000. e a libra
120 rs. .
Sabomassa, a libra a 200, 240 e 280 rs.
Fariuha.
Saccasgrandes com farinha de Goianna mui-'
to nova, a 55000. <
Cafe.
Caf do Rio muito superior, a arroba a 85,'
85500 e 95000. i
Cha. <
Chacemos nestes generes o melbor possivel,.'
hyson, a libra a 25600.
Dito peroia a 35000.
Dito uxim a 25700.
Dito hvson muito fino a 25800.
Dito redondo a 25300.
Dito preto de primeira qualidade a 25300.
Dito mais baixo a 25000 e 15600.
Erva mate.
Excellente cha medicinal, a libra a 240 rs.
Espermacete.
O masso com 6 vellas de espermacete a 600, J1
640 e 720 rs.
Passas.
Gaixas de 16 e 8 libras de passas novas pro-
prias para mimos a 45 e 25300.
Nozes.
Nozes, a libra 160 rs. e arroba a 45000.
Alpista e painro.
Alpistae paingo, a arroba 45000 e a libra a
160 rs.
Cartas.
ANTIGA CASA
DE
5
GILHERME DA SILVA GIMARES.
5
MI MU
de

) para cima a 640. dem Traviata do Rio a 5#500.
:) em bocetas ricamente enfeitaJas, dem varetas de Manoel Peixoto da
Silva
uniendo pera, pes^go, ameixa, rainha.
e outras frutas a 3^000 cada uraa.
m calda em latas feixadas bermetica-
tte rauo bem eni'eitadas, contendo,
i era, pesego, ameixas e outras frutas a
.) e 700 a lata, tambera temos latas
andes a 1^200.
Marmelada dos melhores fabricantes, emla-
tas de 25000 a 1(200.
(Je .1 em latas de 1 f{2 libra a 1.-J.
, sm alas de 1 libra a 640 rs.
Erviiaas em latas chogadas neste ultimo va-
r a 700 e de 5o para cima a 640 rs.
. .; verde ou carrapalo em latas j pre-
ado a 640 rs.
ixas em frascos de vidro a 1^500.
11 em caixiribaB ricamente enfeitadas de
15200 a 2^500.
rvas Mexide muito novas a 700 rs. o
seo.
I: le ceblas simples a 700 rs.
Maleo inglez a 640 rs. o irasco cora rolha
uj vidro.
MostaFda cm p a 700 rs; o frasco.
j preparada a 320 rs.
Latas cora massa de tomate de 1 libra a
000 rs.
ira em latas de 1 Ir2 libra a 900 rs.
)s em garrafas vindos do Porto, Madei-
ra Secca, Duque do Porto, Duque Semi-
no, Cascavallas, Mara Pia, D. Luiz, Pe-
dro V, Velho Secco, Lagrimas Doces, La-
crimas do Douro, e outras muitas marcas
a 14 a garrafa e 9$ a 12$ a duzia.
!jem Palmella a -1 a garrafa e H#0Q
iuzia.
dem era pipa de todas as marcas Porto,
(ueira e Lisboa a 400 e 500 rs. a gar-
nfa e 2#800 a 30500 a caada.
Jera em ancoretas e 8 a 9 caadas com su-
I }nor vinho Lisboa e Figueira a 24^1 a
:fncoreta.
dem branco expecial qualidade proprio paira
. saa a 56u rs. a garrafa e 4$ a caad.
dem mais baixo a 400 rs a garrafa e 30500
a caada.
1 lera do Porto espeeial qualidade, a 800 rs.
a garrafa e 53500 a caada.
Nettoa 33300 e I300 a meia caixa.
dem suspiros do raesmo fabricante a 1?51S00
a meia caixa e 50200 a caixa.
dem mececipes a 1-5700 a meia caisa e
30000 a caixa do raesmo fabricante,
dem orientaos do raesmo a 10800 a meia
caixa e 3 >400 a caixa.
dem jovens de Castanho 4 Filho a 20400
a caixa.
dem suspiros do mesmo a 1050) a meia
caixa, e outras muitas marcas de fabrican-
tes.
Passas muito novas a 10300 o parto e 50
a caixa de urna arroba hespanhola e 320
a libra.
Vermute bebida para abrir a disposico de
comer a 10300 a garrafa e 140000 a
caixa.
Alpista muito novo a 30800 arroba e 140
a libra.
Painco a 40003 arroba e 140 a libra.
Peixe em latas j preparado a 10200 a lata
e em porco 10000.
Sardinhas de Nantes a 400 a lata.
Tijollo para limpar facas a *160 rs.
Esparmacete a 600 a libra e era caixa a
580.
Vellas de carnauba a 14 >000 arrobare 440
a libra.
Azeitonas de Lisboa muito novas em anco-
retas grandes a 1800 e a 400 rs. a gar-
rafa.
Balaios do Porto muito grandes proprios
para guardar roupa suja a 20500, 30000
e 40000
Batatas em gigos de 3 i libras muito novas a
800, ea40rs. a libra.
Gomma em paneiros a 40000 arroba e 140
a libra.
Farinda do Maranho muito alva e nova a
240 a libra.
Sivadinha de Franca paca sopa a 200 a li-
bra.
Sevada muito nova a 140 a libra e 40000
arroba.
Caixas cora estrelinha, rodinha e pevide a
400 a libra.
Albos em canastras muito novos e mauncas
grandes a 180 e 200 rs. cada urna.
Canella muito nova a 10000.
Cravo muito novo a 500.
Cominho idem a 320.
00-e Ervadoce idem a 400.
lAlfazema flora 240.
,Dito da India e Java, a arroba a 35200 e a li- Cartas finas para jogar. a duzia a 25300.
< ora a 100 rs. Caslanhas
fSmS LSba a "500 a arroba e a 3' I Castanhas novas vindas nes'te vapor,
Di, desanda arroba 75000 ealibraaj ^ 00 a HJjMJJ .
Molhoscom 123 ceblas grandes a l-f280. Barris cora azeitonas novas a 15500
Moslar 71*000. Manteiga superior, a libra a 15"280.
Frascos cora mostarda preparada em vinagre, Dita mais abaixo a 15200.
a.40G rs. Dita menos superior a 15
Ditos i-ora conef vas iaglezas e francezas, a Dita franceza nova, a libra a 880
6*0 e 800 rs. ; Dita dita era barris e meios ditos, a
itoscom sal refinado fino, a 640 e a 500 rs. | 830 rs.
Dit,SnC^.m a verdadeira genebra de laranja, a | Dita para tempero a 400 rs.
arro-
libra
Id ... Bordeaux em caixas a 70 e 700 rs.
g irrafa.
Champanha a meliior do mercado vinda de
i encommenda a 300 ogigo.
mais baixa de 180 a 200 e 105
3 5 a garrafa.
Llores portuguezes e francezes a 10000 e! Araendoas a 400 a libra.
100 a garrafa. p,' j Nozes muito novos a 160 a libra.
asqamo de ZaFa, verdadeiro al JSOfJa Papel greve a 4-5200 a resma.
afa. dem lizo a 40000.
. mais abaiso-a 8 bra de laraDja ver.'adeira a 1.L0 a du- idem de embrulho marca grande a 10200 e
zia e 10 o frasco. 10300.
1#000.
iDitos de2 garrafas dallollanda verdadeira.-a
\ 640 rs. i
Botijas com dita propria para negocio, a
I 400 rs.
Garrafies com 2 galees com dita, a 65.
(Serveja boa,marca, a 500 rs. a garrafa, e ai
| duzia a 6j>000.
'VinhomuscateldeSetubal, agarrafa a 15.
Marrasquinho verdadeiro,frascos a 80C rs. e
a 15200.
Champagne, a duzia 205000, e a garrafa a
, 2^000.
lAzeite refinado portuguez e francez,a garrafa
' a 15000.
Caixa de vinlio Bordeaux muito superior, a
J 1&, 85, 95 e 105 a caixa.
(Ditas com dito branco, a 75 a caixa.
.Ditas com dito lagrimas do Douro verdadeiro,
a2Q5.
Ditas com duque do Porto verdadeiro'a
185000.
iDitas cora chamisso superior, a 145-
? Ditas com Porto velho e outras muitas mar-
cas, a 12:5.
?Vinho do Porto da pipa, a garrafa a 640, 720
\ e800rs.
Dito de Lisboa muito bom, a caada a 35200,
[ 35500 e 45, e a garrafa a 500 e 360 rs.
rDito da Figueira, dasseguintes marcas (iV)
(J.A. A.) (J. L. G.) (O. H.) a caada a
45300, e a garrafa a560e640rs., deste
que j est engarrafado e lacrado com o
rotulo do arraazem.
iDitosde marcas mais desconhecidas, acanV
r daa 35500 e 45000, e a garrafa a 480 e
520 rs.
i Vinho branco fino, agarrafa a 640 rs.
Wto de caj muito superior, a garrafa a
800 rs.
Queijos.
Queijos novos vindos neste vapor a 25800 eHj
3,5000.
Ditos londrinos muito novos, a libra ar|
15000. <^
Papel. ^
1 Papel almaco pautado, a resma a 45800.
Dito dito lizo de linho, a resma a 45300.
Dito de peso lizo e pautado, a resma
25500.
Dito de embrulho, bom a 15 e 15200.
CHALES DE CUIPUltE DECORES
Fazenda anda nao vista
e que vera operar urna completa revolucao as modas.
Chegou urna pequea porclo
para amostras.
CHAPEIiILl.8
fi e pal ha de Italia.
Chegadas pelo ultimo "paquete
de esplendido gosto e
qualidade especial.
BttarETS BE PAIflLl
e chapeos enfeitados para senioras e meninas.
Capas.
Soutembarques.
Polonezas.
Roupa franceza para homem.
camisas para nomera e senhora.
Sedas, linhos e
Algodoes.
Completo sorimcnlo de riqnlssimos e sumptaoso ar(iro
PARA fe
QUADE TOIIiET
Como sejam enchovaes para casamentos, b.itisados etc., etc. Vestidos
de phantasia, grinaldas, enfeites camisi-
nhas, manguitos e godas pri-
morosamente bordados.
Assira como
FAZENDAS BARATAS PARA USO ORDINARIO.
A 6j?000
Chegou novo soitimentimento de
Cortes matisados a liara Pia.
A 300 rs.
O covado de musselinas de cores.
A 240 rs.
O covado de chitas largas francezas
escuras e claras.
A 280 rs.
O covado de chita de linho cor de palba.
A 2,|I300 rs.
Cortes de chitas largas francezas com 10 covados escuras e claras
I PAIA ROUPA DE ESCRAVOS
l Os senhores de engenho economisarao muito visitando na occasio de suas compras para este Gm este
Vinho Madeira. eO%)
Garrafas com o verdadeiro vinho Xerez e Ma- gffi |
deira a 15500 e 25000.
Temperos.
Folhas de louro, pimenu do reino, cominho
e cravo, a libra a 400 rs.
Velas de carnaia.
Massos com 6 velas de carnauba refinada a
480 rs.
Amendoas.
Amendoas com casca, a libra a 320 rs.
Doce.
Caixoes de doce de goiaba, grandes a 1$400'(7
e pequeos a 640 rs.
lijlos de limpar.
Tijolos de arear facas a 140 rs.
Grana.
Duziasde boioes de graxa n. 97 a 25000, e 1
de latas a 1:3000, e os boioes a 240 rs. ca-
da um, e as latas a 100 rs.
Charutos finos.
Charutos finos dos melhores fabricantes da
Bahia por diversos presos, caixas e meias;
caixas.
estabelecimento pois alm de fortes e encorpados algodoes americanos
de listas da Bahia, inglezes etc., ah encontrarlo o
Famoso algodfio mineiro
e mine sas oniras fazeodas
NA
a
azues e
Gregorio Paes do Amoral & Oompanhia.
uccesorcs de
M ^RCEIiMO A C*
E grande quantidade de gneros tendentes
estes estabelecimentos, que deixam de an-
nunciar-se.
.03&.2&1 ^ssaoaft^ fliftfiti
k9>
a 60 a fras- Wem azu] para ,)0t|Ca a ^m^
o do Hollnda verdadeira
eir e 640-0 fraseo.
Mam de Hamborgo a 56S00 a frasqueira. | Copmlaprdados a 55O0 e 50Dadfl um,
IJem em botigas do Hollaoda a 400 e 440 palltos de denles, magos grandes a 120 e
rs. o fosco. I 16ucada um.
iks com genebra de Hollanda com 24 Fumo americano de chapa, de superior
CORTIMADOS RIRB.1DOS
N". ll~Eua do QueimadoN. 11
A este estabelecimento chegou ltimamente da Europa um grande e variado sorti-
mento de coriinados bordados o que hal mais gosto emdesenhos e bordados.
Lindos bonets de palba de Italia para senhoras.
Chapeos e chapelinas de palha de Ituia ricamente enfeitados.
Chapeos finos de seda para cabeca de homens e chapeos de sol de seda inglezes ^de
8,12 e 16 astes.
Bournus e chales de renda pretos superiores.
Pelisses e souterabarcjes de seda preta pifa senhoras.
Cortes de lila de barras de 145 a 225 de muiro gosto.
Baloes de arcos e de musselina finos, manguitos e camisinhas.
Saias bordadas muito superiores.
Moireantlque preto, grosdenaple preto e de edres, panno preto fino de diversas qua-
lidades e casemiras pretas e de cores.
Lavas de pellica para hornera e senhoras.
E muitas ontras fazimdas que ludo se vende barato na loja de Augusto Frederico
dos Santos Porto, aonde tambem se vendem as melhores e mais baratas
Esteiras da India, para forrar salas
K. ilRa doQaeiraado-X.il
I4CII!i\\S 0EP4TEIXT
de trabalhar Ko par?
descarocar algodo
FABRICADAS
rafas a 8^, com garraf3o.
Ideai .'ora 14 a 15 garrafas a 60.
qualidade a 15500 a libra, em porco ter
abatimento.

Saccas grandes com 100 libras de farello superior
TaSso IrmSos
vendem gesso em p para estuque de casas, lijlos
finos de feitlo diversos para ladriho, azuleijos w
0 castello de Grasville.
Traduzido do francez por A. J. C. da Cruz.
diversos gostos, tijolos vidrados para parede da co-f Vpnde-se hplln roriancft m str
zinha, canos de barro para esgoto, cemento em L venae ,fsie,.De."0 romance emquatr
barris de to arrobas. tomos pelo baratissimo preco de 2*oOC
aa pra?a da Independencia, livrariaas.
Calnogas Daos e brincaedos G
para montaos.
Lhegaram para a loja de miadezas da ra do
Queimado n. 69, os mais finos e lindos caiungas
tanto para brinquedo de meninos como para cima
de mesa : na raesma loja se encontrar bom sor-
(ment do miudezss.
e8.
Vende ~se
na ra das Cnues n. 23 junco e palha, mais bara-
to do que em outra qualquer parte.
Por Plant Brothers & C.
OLDAH
Estas machina!
podem descarocar
glf|.qualquer espec
de algodao sea
estragar o fio.
sendo bastante
duas pessoas para
o trabalho; pode
descaroQar ums
arroba de algo-
dao em earoct
em 40 minutos,
ou 18 arrobas
por dia ou 5 ar-
robas de algodac
limpo.
Assim como machinas para serem movidas por
animaos, que descarocam 18 arrobas de algodt
limpo, por dia; e motores para mover urna, duas,
eutns dessas machinas.
Os raesmos tem para vender um bellissimo va-
por que pode fazer mover seis destas machina
mencionadas; para o que convida-se aos Srs.
agricultores a virem ver e examina-lo, no arma-
zem de algodo, no largo da ponte nova n.47.
Sanndcrs Brothers k C.
IV. II, praca do Corpo Santo
RECIPE.
Os aicos agestes neste paiz.
DROGARA.
34Rna] larga do Rosario34
Bartholoraeo Francisco deSonza & C.
Vendem:
Acido actico puro para retratistas.
Esmaltes para ourives.
Papel para forrar casas.
Guarnicoes avelludadas.
Tinta branca superior em lata.
AlvaiadeVeneza, fino.em pes.
AGUA
DE
Florida.
para restabelecer e conservar a cor natural dos ca-
bellos.
A agua de Florida nao urna tintura, fado es-
sencial a contestar, a mesma agua dando a cor
primitiva de cabello. Compostas de plantas exti-
cas e de substancias inoffensiveis, ella tem a pro-
priedade de restituir aos cabellos o principio co-
rante que elles tem perdido.
De urna salubridade incontestavel, a agua de
Florida entretem a limpeza da cabeca, destroe as
caspas e empede os cabellos de cahir.
Oleo de Florida
Composto de substancias vegetaes eioticas, elle
contribue poderosamente, com a agua de Flo-
rida a forf a, a belleza e a conservaco dos cabel-
los.
Em Pars casa de Guilaurn. 112 ra de Rechi-
lieu e 21 boulevard Montmartre.
Todos os frascos nao tendo intacto e claro, e tin-
clre prateado da casa. reputado falso.
Deposito ra do Imperador pharmacia n. 38.
Admira vel peckincha!
Mtfcambique a 300 rs. o covado, na toja
do pavo.
Vendem-se os mais bonitos mocambiques de pu-
ra la proprios para vestidos e soutembarques,
sendo de quadrinhos de listras e lisos, fazenda n-
teiramente nova, em padres e muito proprias pa-
ra as senhoras que frequentam o mez Mariano,
porque esta fazenda Ibes facilita fazerem por poo-
co dinheiro vestidos muito decentes para qualquer
acto, advertindo-se que este baratissimo prego
devido a grande compra que se fez desta nova fa-
:enda, que se vende a freze tustes o covado : na
loja do pavo, ra da Imperatriz n. 60, de Gama &
iSilva.
Vende-se urna taberna bem afreguezada para
o mato, e bem como para a trra por ficar ao p
do mar, tambem da comidas e dormidas, e recebe
passageiros, tendo excelleute commodo para fe-
mia : na roa da Lapa n. 13.
Instruyes para o servido
das guardas do exercito, extrabidas do re-
gulamento de infantaria e accommodadas ao
exercito brasileiro; obra que muito convm
aquellas pessoas que se alistam nos corpos
de voluntarios; vende-se na livraria n. 6 e
8 da praca da Independencia, a 1.
Em casa de Tisset Freres ra do Trapiche n.
9, tem para vender :
Vinho Bcrdeauxem barricas e em caixas.
Dito de Santerne fino.
Dito de Champagne muito superior.
Cerveja franceza marca Bobee.
M
ILEGVEL
; __ ..




I
wmrt***
vrgtrKda felr ftfe nabo de 1S4.
A@ PUBLICO
Sem o menor constran-
giinenio se entregar o
importe do genero que
nao agradar.
i.
ESTBELEOIDO A RA NOVA N. 60
ama & urna a>a si aimaua
AO _____
RESPEITATEIi fflWMCO._____-
A apreciado dos habitantes desta heroica provincia existe no S***"
Zem da ILlga estabelecido ra Nova n. 60 um magn.Gco sortimento de molhados
que sendo emlua maxim*. parte mandados vir directamente de estrangt rro podem ser
"^i^SS^Z^ novo einteressante .ta^ecimento o
, vmico em seu genero, pde-se porm flanear, com toda a segitran^ de (pie
ATTPCAfl
os pre^s da *egtett
tabella para todo*, po-
dendo asslm aervir de ba-
se para o ajuste de cenias
com os portadores.
ZEM UN
fSf
RA DA CADEIA DO EECIFE N. 53
(Logo paasando -arco da ConcelcSo1)
PAftA BEM DE TOOS.
Senhore."
reza com que ser5o
^^^m^^^^^V^^^ ******* para com estestodaT^mmendacIo, afim |de quenco
das seguintes promessas:
primeiro e ._
uenhum outro o exceder no restricto cumprtmento
1/ Delicadeza no trato.
2.* Fidelidad no peso.
a; Smceridade nos presos.
As pessoas qne por sna posico social gozara de certo trayente, *******
casa os melhores quijos londrinos, ceneja, vinhos Qniss.mos manieiga e cha sempree
prmerQffqa^que1eafcondi^ do freguez, elle deve oe*ar ^ se* sempre mui-
10 bem IqSes que sao pouco favorecidos da sorteLo mensalmenje ma economk de
multas patacas, afreguezando-se Mstaon, onde se ^^^*^^Z.
teta oassuoir, etc., etc. de boa qualidade pelo proco que em algumas partes mu v
^"ofseTho^rf&acidade, dos arrebaldes *^gfgg?JB,
Rociar.devem vir, elo seu proprio inleresse, a este estateeuoeato parase convence
^^mjS^^Wn^ a vender ^^^^
cial, escolhido por pessoa entendida que certamente mu.to de/e agradar aos sennore.
comprato ^ ^^ ^.^ ^ ^ ^^ &q ^ dilgfincia ^ agra-
d PELOS SEGUINTES PREOS S SE VENDE
A DIMHEIRO A VISTA:
Grana em latas, muito nova, a 80 ra. cada
A
a libra,
oito libras
para cima a
ALPISTA a 120 rs.
Mera e paiago de
100 rs.
Arroz de 90 rs. a libra a........
\me.ndoas, casca molle, a 280 rs. a libra.
Avellas a 2i0 rs. a libra.
Ymeixas francezas em latas de todos os l-
mannos.
dem idem em potes de lodos os tamanlios.
dem idem em bacetas de todos os tama-
nhos. .
dem idem era frascos de todos os tama-
nhos.
Azore doce de primeira qualidade a 560 rs.
a garrafa.
Albos a 200 rs. o molho.
Absyntho a 2>0OD a garrafa.
B
BOLACHINHAS do Beato Antonio em latas
grandes e pequeas,
idem do Principe Alberto a 25000 a lata, e
de cinco para cima a 1800.
dem de so la em latas grandes a 2^000 e
de cinco para cima a 15800.
Biscorros inglezes de todas as qualidades a
15200, 15250 e 15300.
Bolo francez em caixinlias a 300 rs. cada
urna.
Batatas inglezas.
Baniia de porco refinada.
C
CHOCOLATE francez a 700 e 800 rs. a li-
bra, e era porcao a 600 e 700 rs.
dem suisso a 15 a libra,
dem de musgo a 15500 a libra.
Ciiociucas muito novas a 800 rs. a libra.
Caf a 2i0 e 2G0 rs. a libra, e em porcao
se l'ar abatimento.
dem de primeira qualidade a 70000 a ar-
roba.
Conservas em fiascos a 320 is. cada um,
sao muito novas
dem inglezas, frascos grandes.
Champaos de todas as marcas.
Ch\rope de grosella, orchata, etc., etc.
Chicaras e Dires a 15800 a doza.
Cehvej v da superior marca Teoente a ouurs.
agarrafa, eemduzia se faz grande aba-
tmenlo,
dem Victoria Bas tresX e deoutrasmateas.
"ii utUTOS das mais acreditadas marcas, co-
mo sejam: Normas d'Havana, Expsito,
Flor do Brasil, Parisienses, Delicias, Gua-
nabaras, Trovadores, Uegalia, Mississipes,
Panetellos, Apraziveis, Varetas, Brasilei-
ros, Americanos, Fluminenses.
Ch4 de todas as qualidades e de todos os
" precos, hysson, buxim, aljfar, preto, e
' nreto ponta branca, etc., etc., a 25000,
252 0,25560e00.
Copos lisos -de todos os lmannos de 120 a
320 rs. ,
dem lapidados de todos os tamanhos a au-
zia a 25500, 35500, 45 e 55.
Clices de todos os tamanhos.
Cobxacsuperior a 15 el5509ts. a garrafa.
Cigarros do Rio, pardos, a 80 rs. o maco
de cinco macinhos.
9
DOCES de todas as qualidades : brasileires,
portoguezes, inglezes, francezes, etc. etc
E
EBVILHAS seccas a 120 rs. a libra.
ervadoce a 400 rs. a libra. .
FARINHA S S S de 8 libras para cima a 120
dem de warata a 320, 400,500 e 810 rs.
Figos de comadre a 160 rs a libra.
Feuo verde calatas a 600 rs.
Favas em latas a 600 rs.
Fimo do Rio a 500 rs. a libra.
dem anaertoBDoem latas, a-25.
Farello ha sempre em deposito 'de 500 <
800 saecoVde todas as quaudade*. do toa-
dos os tamanhos e de todos os presos.
GOMMA a 50 rs. aJtbra.
dem a 140 rs. a libra, raotto alva.
Grao be bigo a 420 rs. a libra, e em porgao
se fas grde -alatiiBetJo.
Genbbb* de larafija verdades a l*00(
frasco. .
dem idem a 700 rs. o frasco.
dem de Hollaada eaa frasco i e botijas.
urna.
K
KIRSCH de Wasser a 25 a garrafa.
L
LATAS com graixa a 80ts. cada orna.
Letria a 400 rs. a libra.
M
M \N'fEIGA ingleza e franceza de primeira
quilidade a 15, 15120 e 15280, em bar-
ril se faz grande abathnento; a que ven-
demos por 1&280 a libra, vende-se em
outra qualquer casa por 15400 e 15500.
Marmelada dos mais acreditados fabricantes.
MaclRRo e TALHARisia 320 rs. a libra.
Mas; a de tomate a 6C0 rs. a lata.
Mosvarda ingleza a 800 rs. o frasco.
Momo inglez de todas as qualidades.
Marrasquino verdadeiro de Zara a.....
Mas&as finas para sopa branca e amarella a
60 rs. a libra, em caixas com 9 libras a
3fS500.
MilJio painco e alpista, sendo mais de 8 li-
bras a 100 rs.
NOKES a 120 rs. a libra.
Nahos em latas a 800 rs.
O
Osiras inglezas e americanas.
P
PEIXE em posta, latas grandes, a !5<-00, de
odas as qualidades, como sejam savel,
joras, corvina, pargr>, salmo, pescado e
pescadinba, linguado, sardinha, etc., etc.,
PtRAs em latas, excellente preparago.
Palitos para dentes a 120 rs. o maco muito
grande.
Pj.ssas em qiarlo a 15400.
Idim muito novas a 400 rs. i libra.
Pomada muito nova a 280 rs. a duzia.
QtEIJOS flamengos.
dem prato a 800 rs. a libra.
dem suissos a 800 rs. a libra.
dem londrinos a 800 rs. a libra.
QlARTlNUAS 0U MOR1.NQLES a 65, 85 B 105 0
par.
R
RAPE' Mearon a 15 a libra.
dem Princeza do Rio a 15200 a libra.
dem francez a 25500 a libra.
pois
tra parle.
Mrateiga ingleza especialcentefescclhidaai
l,ooo e 8oo rs. a libra e em barril se faz
abatimento.
dem franceza amaisnova do mercado a 06o
rs. a libra e 900 rs. em barril ou mios.
Cha hysson de superior qualidade a 2,600
rs. a libra.
Cha perola o mais superior do mercado a
2,8oo rs. a libra,
dem hysson muito superior em latas de* 15
libras muito proprio para negocio a 2,ooo
rs. a lrbra.
dem hysson nacional em latas de 1 e 2 li-
bras a l,6oo rs.
dem preto o que se pode desejar neste ge-
nero a ',ooo e 2,2oo rs. a libra.
Linguicas muito novas a 8oo rs.a libra eem
barril se faz abatrmento.
Chourigas e paios a 8oo rs. a libTa.
Costelletas inglezas a 64o ts. a libra, serr
para temperar panella ou para fiambre.
Queijos do reino thegados neste ultimo ^-a-
pora 2,2oo rs., ditos de navio evelta a
2,ooo rs.
dem londrinos muito frescos e de-superior
qualidade a 8oo rs. a libra.
dem prato a 8oo rs. a bbra, e mteiro se faz
abatimento.
dem suisso o mais superior quetem fimo
ao mercado a 64o rs. a Hbra.
Ervilhas e favas portuguesas j prepaaadas
em latas hermticamente lacradas a-64o.
Feijo verde muito superior a 640 rs. a lata.
Copos lapidados para agua a 5,ooo e SySoo
rs. a duzia.
dem idem para vinho a 24o rs., e 2,4oo rs.
a duzia.
Chocolate francez hespanhol e suisso a 9oo,
l,oooel,2oors. a libra.
Espermacete superior a 6oo e 64o rs. a li-
bra e em caixa se faz abatimento.
Peixe em posta em latas hermticamente la-
cradas e das melhores qualidades de pei-
xe a 8oo, l,ooo e l,2oo rs.
Vinho Bordeaux das marcas mais acredita-
das que vera ao nosso mercado a 7,ooo e
8,ooo a caixa eGio e 7oo ris agar-
rafa. i .
Genebra de Hollaada a 48o rs. a botija de
con la certa.
Frasqueirasde genebra de Hollanda a 6,8oo
e 64o rs. o frasco.
Genebra de laranja vordadeira em frascos |
Aleiria, macarno e taTharim a 4oo rs. a li- Sal refinado em frascos de vidro com lam vAlgodSozinlio mtilo encorp?do c bem um
bra e 6,ooo a caixa. | do mesmo, a 5oo rs. 20 Jar??sa. ^S0:*} eJ 1'.a
Massa para sepa; estrtinha, pevide e rodi- Cerveja branca das marcas mais acreditadas .
que van ao mercado, a 5oo, 56o e 84o "az.nna usas e de quadrinbi s a (( o co-
a garrafa, e^,8oo, 6 ooo e 6,5oo a do- <* H 360,400 e 500 rs
za^ 4 po Ouimaraes d- Irmao vende
'engarrafar, em a ^elaT^S^canaa a Cevadinha de Franca muito nova, a 2oors. Coberta^te gosto chinez e doulinc .>;;- a
35,ooo rs. Cliarutos do affamado fabricnte JosFurta-
Vinho empipa : Torto,Figueira eLishoaa do de Simas, dasseguintes qaalidades:
nha branca oamarella a 64o rs.a libra e
3,5oo a caixa com8 fibras.
Vinho do Porto muito fino proprio para
32o, 4oo e 5oo rs. a garrafa, e em caada
a 2,5oo, 3,ooo e 3,8oo.
I VJTihobranco de Lisboa de excellente quali-j
.dade a 4oo e 5oo rs. a garrafa e em cana-1
da a 3,ooo e "3,5oo.
VmhotjTanco para missaem caixas de 1 du-,
zia a 8,ooo e 68o rs. a garrafa.
Vinho do Porto das melhores marcas qne
vemao mercado owosejam : Lagrimas
do Douro, Duquedo Porto, Rainfe* de Por-
tugal, Duque geauifio, D.. Luiz l^Madei-
Exposigo Normal de ILvana, Impenaes,
Londrinos, Guanabaras, Parisienses, Sus-
piros Delicias, a 4,ooo, 4,5oo, 5,ooo,
6,ooo e 7,ooo a caixa ou cm n eias.
Charutos finos de diversas marcas e fabri-
cantes, como sejam: Flor do Norte, Ma-
nilhasde Havana, intervallos,Vencedores,
Panatellas e Suspiros, a2,ooo,2,5oo e
3,ooo a caixa.
ognac inglez das mell.cres marcas, a 8ooe
l,2oo a garrafa.
raSecca, Malvazia fina a 46,ooo, 15^600,' Doce da casca de goiaba a 2,ooo a lata com
12,ooo e lOyOooa caixa a 1 .duzia eSoo, 4 libras.
l.ooo e l,5oo rs. a garrafa. Tarinha de araruta verdadeira a 32o rs. a
Vho Cherexde superiorqaalidaea \6,mo \ libra.
a duziae l,5oo rs. a garrafa. 'itette,excellente cha para os navegantes, a
Sardinhas de Nantes a 4oo rs, os quartos e j 2oo rs.
4o rs. as meias latas. Sebollas de Franca muito grandese novas
Bolachinhas ingleza? rimiteTWvts ,oo al a 1,8oo o cento e 1,2oo soltas.
barrica e920 rs. a libra. Palitos do gaz a 2,2oo a grosa.'
Bolachinhas de soda em latas de divwsas Toucinho de Lisboa ir.uilo novo a32ors.
qualidades a 1,3oots. libra eB,5oo a arroba.
Cartees com balo tamceemuito propriespa- Banha de porco refinada a fioo rs. a nora.
ra mimo a 64o rs. Bolachinha Alberto, as melhores que pre-
Passasmuito novas. m tarinbas enteitadas
sentementetem vindo ao mercado, a 2,ooo
para mimo a 3,ooo rs. a lata. *
Passas de carnada a 8,oeo a caixa e 4eo rs. -parmhado Maranhao mmto alva e cnetrosa
a libra a 2oo rs. a libra.
Figos de comadre a 24o rs. alibra. : Frascos com fructas em calda de diversas
Amendoas de casca mole a 4oo rs. a libra.! qualidades a 2,5oo e l,t-co o irasco.
Milo de amendoas a 5oo rs. Carxinbas com fructas em doce secco de d._-
Fazendas baratissimos.
So Guimaraes &, hm vende :
Ra da laiperatriz u. 72.
Ghitas percallas claras e escuras muito ees
a 240 e 260 rs. o covatio.
S Guimaraes d- Irmao vende
Bretanha de rolo muito superior com 10
varas .> 3^ a pepa.
Si Guimr5es lrmo Teude
Cassa organdys a 240 rs dita frmcza
moitofinaa 300e400rs. o corado!
S GttJBHteb d Irmao vende
MadapolSo infestado com 12 jardas muito
Gno a 35500 e 45 a peca.
Si Guimaraes & lrmo veede
Chales de merino estampados e cok. idus a
2&010.
Si Guimaraes k lrmo vende
Bales americaiios para senhor:s erainias
a 30.
Si Guimaraes lrmo vende
Soutembarques de 15azinba ric?n;t'i!e cinti-
lados a 50 e (i#.
S Guimaies d- Irmao vend
Cambraias li.^as Iracsparentes n.u lo f.iii a
35,4 e 56500 a peca.
S Guimaraes d lrmo vende
Casemiras escuras e claras a 28U) o corte.
S Guimaraes d lrmo vende
S Guimarses d Iimu veuio
26GCO.
S Guimsres d lrmo vende
Panno de linho muito superior a (40
vara.
Si Guimmes 4ie veede
Bramante de liiiho com 10 palmos (k I. ;-
gura a 2$400 a vara.
Si Guirowles d lrmo vende taf* kiit Iv.-.li.
Os freguezes encoritiaiao rn se i si ?1 eii
cimento sempre um grande ;i;ii: i
roupa feita de todas as (jiMdades ]ir n:t-
nos 20 por cento do que em Otilia q8< u i
parte, isto s ne grande aimaznii de
das e roupa feita de Gamcrcs IinT,
Eua da Imperatriz n. 72.
Bolachinha d'agua e sal, da fabrica de Jo5o
de Brito no Beato Antonio, emlata de 6 li-
bras por 2,5oors.
Ameixas francezas em fiasco de vidro com
tampa do mesmo, a l#5oo.
Ameixas franc zas em caixintras de diversos
tamanhos com bonitas estn pas na ca-
xa exterior, a l,4oo, l,6oo, l,8ooe 2,ooo; Azeitonas portuguezas a 5oo rs.
cada urna. !,5oo cada urna ancoreta.
Azeite doce refinado hespanholouportufuezj Champagne da melhor qualidade que
a 9oo rs. a garrafa e 10:000 a caixa.
Batatas muito novas a 80 rs. a libra e2,5oe
versos tamanhos, mnito propnas para
mimo, a l,6oo, 2,Coo e 3,5oo cada urna.
Ruibos, excellente peixe portuguez, em
barris pequeos ou a retalho, a visla se
far o prego.
Azeitonas deRivasem ancoretas grandes de
8 carrafas por 600 e 800 rs. a garrafa.
a garrafa e
vem
o gigo com 36 libfla<
grandes*VlToTe-l7,7o7rI a fpasqoeira.1 Conservas inglezas a 73o rs. o frasco e
Caf do Rio de Ia qualidade a 28o rs. a li-! 8;5oo a duzia
bra e 8,5oo rs. a arroba. Vassouras de escova para esfregar casa a
Caf do Cear muito superior a 24o rs. a h- 4oo rs.
bra e 7 5oo rs a arroba. Nozes muito novas a 16o rs. a libra.
Arroz do Maranhao de Ia qualidade a loo Molho inglez em garrafa de vidro comrolha
rs. a libra e 2,8oo a arroba. do mesmo, a 16o rs.
dem da India a loo rs. alibra e2s8oo ai Mostarda ingleza dos melhores fabricantes,
arroba a, 800 rs. o frasco,
dem de Java a 80 rs. a libra e 2,4oo a ar-1 Mostarda franceza em potes ja preparada a
r0Ka 4oors. o frasco.
Painco e alpista a 14o rs. a libra e 4,ooo a | Lerrtithas francezas, excellente lgame para
arroba sopa, a 2oo rs. a libra.
Alassa de tomatesde superior qualidade a 64o Marrasquino de Zara propiamente dito a
' rs a lata de urna libra e56o rs. a reta-: i a garrafae 1 l.ooo a duzia.
Palitos de dente a 14o rs. o maco.
Lho.
ao mercado, a 2,ooo e 3,5oo a garrafa, e
24,000 e 26,ooo o gigo.
Gamma de engommar muito alva a 120 rs.
a libra. _,
Figosemsextinhas a 80 rs,cada urna e /2o
rs. adunia.
Papel azul para botica a 2,000 a resma.
Balaios para roupa suja, grandes epeque-
nos, por diversos precos.
Amendoas confeitadas a 64o rs. a libra.
Latas com fructas em calda: pera, pecego
damasco, rainha Claudia e cereja, a 800
Yiagre de Lisbfta a 2oo e 28o rs. a garra-
fa e a l,4oo e 2,ooo rs. a caada.
Azeite doce de Lisboa a 4,800 rs. a caada
e 640 rs. a garrafa.
Vinagre brancoj engarrafado
garrafa.
Una familia que se retira vende uma moMlia
de marello ja usada, Inm de roficha. ! alrricco e jamar azo!. uma rr.esa de jar.-'?! v : 1
relio ps icrniado. rr.esas pequinas, i rfi i.-.
cama deeasale noHae eulros obje se vender em cnnia : na ra dos. Kires 1
No armazem de azen fS
ratas de Santo Coello,};;.
do Queimadon, 19, yo
de-se o seguinte:
Lenges de panno de tintn a IA00.
Diios de bramante de linho de um pabftoa
3S00.
Coberl3f de chita da India a SSC0.
Lengos de cambraia (raneas propnos pars
beira.peio baralo preco de jOCO ^ di
Pegas de bretanha de rcio com 10 vatas a ;. '
Ditas de c::mbraia para forro do vestido, 8
varas, pelo taratis?imo prego de 36CG.
Guardanapos adamascados pelo baraiissimo pwco
de 3580 a duzia.
Atgodo enfestado com 7 1|2 palmos de largura
1,5-200 a vara.
Cortes de laa de lindos fottos com lo fov
6&000.
Pegas de camoTaTa aflatiascada cero 20 varas. prc>
pria para cortinado, pelo barato pro.
Fil liso fino a 800 rs. a vara.
Dito cero .lpicos B l$> a vara.
Tarlatana branca fina a 800 rs. a vara.
Atoalhado de algodo adamascado a 326Q a vara.
Dito de linho a 3,3200 a vara.
Laazinhas lisas de todas as cores, pelo baral'-sin
prego de 500 rs. r cevado.
fegas de cambraia de lpicos branoa e fle
com 8 1[2 varas, pelo baralissimo preg de
4^500.
Baloes de 20 arcos a 2oC0, de 23 a 3, d
3J800, de 35 45, de 4C 4J150O.
Toalhas felpudas a 13 a duzia.
Esteiras da India de 4, o e 6 palmos por r
prego de que em oulra qualquer parte.
Neste armazem se encontrar uro prende SMIi-
ment de roupa feita e por mediJa.
a 5oo rs. a
Asnia florida e tnico orien -
SABO massa a 160 rs. a libra, em caixa se
faz abatimento.
Sal retinado em frascos a 500 rs.
Salame de Len a 25.
Sardinhas de Nantes de todos os fabricantes.
Idem de Setubal em tetas muito grandes a
720 rs.
Stearinas a OOOts. o ma?o.
rOUCINHO de Lisboa a 320 ts. a libra.
Tomate em latas a 600 rs.
[Tinta azul e preta para escrever.
Mi
V
V1NH0S1
tal de Kemp.
e a vender em porcao
uetaado, loja d'aguia bpi
Chromaeomo
Continua-se a vender em porcao e a retalho :
na riHtdo Queitnado, loja d'aguia bfanca n. 8.

ATTECHO
EAEUS
PARA
SENHORES
womT
ESOBATtS
fgida
Principe Alberto, de 1831, a 5f000 a gar-
rafa ; d vida aos velhos.
Velho secco a 2# a garrafa.
Lagrimas do Douro a 1*500 a garrafa.
Duque do Porto verdadeiro a 25 a garrafa
Duque a 1$ e 1,5500. ___
Chamisso a U, 10200 e IflSOO a garrafa.
D. Luiz a 1(5 a garrafa.
Moscatel verdadeiro de Selirbal a !
rafa.
Carcavelos a i&. '.
Colares a 900 rs. a garrafa; o-tnico Vi-
nbo que se pode beber por nao ter cem-
posico alguma.
Laoterne a 800 rs. a garrafa.
Bordeaux Medoc a 800 rs. a garrafa.
dem S. Julien a 600, 800 e 1 agarrafa.
Absyntho a 2 a garrafa.
Kirscb a 2^ a garrafa.
Wermouth a 2$, e a caixa a
Bitter Maurer a 15 agarrafa,
Grave a 800 rs. a garrafa; vende-se por este
prego por baver sempre em deposito 50
duzias. ^nn ,
De caj, de 1832, a 1*200 a garrafa.
Veteado Porto, em ancoretas de 9 caadas,
a 35#00o ; vinho que, estando engarra-
fado, vender 110280 e 10500 a garrafa.
A a"ula branca, na ra do Queimado n. 8, acaba
de receber um novo sortimento decaixinhas com
chromaeomo para Ungir cabellos, e bem assim
frascos com hvdrocaltetrlchina, agtia para desen-
oraar os ditos, coloncomo para lustrar os ditos,
e onychromantina para limpar as unhas. Essa
tintura, cujo effeito rpido e efflcaz, esta bem co-
nbecida e apreciada para todos quantos della tera
usado, eos que de novo a quizerem apreciar, po-
dem, assim como aquellos, dirigirse munidos de
dinheiro ra do Queimado, loja d'aguia branca
numero 8.
Papel e fotos para rosas
Acaba de cnegar para a loja d'agnla branca, na
ra do Queimado n. 8, um bello sortimento de pa-
pel de cores para rosas, dito verde para folhas, e
dito tambem verlie e mni flno para c&bnr o aja-
me, assim como folhas de panso e avelludadas
para ditas.
Aspas de balda para vegtidos
Vendem-se na ra do Queimado, loja d'aguia
branea n. 8. .
Superiores penas 4,-ago ingle-
zas e francezas
A agtria branca alm do graatle sorliment de
penas d'ago qoe constantemente tem, tcaba de
receber mais outro de superior qualidade e dos
aamados fabricantes Perres & C, assim como as
verdadeiras bico de lauca n. 134 outras de pon-
ta dourada, ntinuando porm a vende-las por
nrecos commodos.com unto que ocompradorcom-
nareca munido de dinheiro: na roa do Queimado
loja da acuia branca n. 8, onde tambem acbar-se-
Ua a' vate pastas para papis.
riendas baratissimos loja da tu do Crcsjo o. 17 de Jes Gomes
Wlar.
A novacrise commerciat permitte que o povo em peral nao pos?a comprar fazendas
caras. O proprietario deste rtaDelecimwto, amigo que do povo.ra. geral^ttendendo a
i pirenmstaocias esta vendendo fazendas por precos qne na reaiida.le adm ra.
^ Correrbom povo, ^ este estabelecimento, e comprai fazendas, porque all se vende
por menos do que em outra qualquer parte.
Cassas organdyzes a 280 rs. o covado.
Chitas francezas escoras matizadas a 26o rs o covaao.
Ditas escuras muito finas a 240 o covado.
Ditas claras dem a 240 o covado.
Ditas escuras idem a 260 o covado. -
Chites para coterta omito largas matizadas a 240 o co\ado.
Madapoloes finos largos a 6590, 7# e 8*.____
Chales de fil preto muito bons a 10JCW) caa um.
^S^lSSS^SSi 5fnaerfpor_preSosque adrniran^
r Escrau
No dia 14 do corrente fugio a escrava de nomo
Joanna. crionla, de idade 30 aunes, tendo os fig-
naes seguintes caractersticos: mal encarada, uo
rosto tem om signal um tanto saliente, ettstura
regular e gorda, levou vestido de cha clara, cha-
les de merino eslampado de assenlo roxica/to ja
em meio uso, e levou mais um vestido de chita es-
cura, negra do malo, lem urna falla inuiio iles-
caneada e (alia mal : quero a pegar leve a a ra
do Queimado n. 39, loja de fazendas que sera Lem
recompensado^______________
Fugio um mulatinho de nome Adclpho,
annos, cor acaboclada, tem urna cicatriz no alto a
eabe?a, e um dente careado na frete : raga-
quern o pegar que o leve a seu senhor Dr. Feneon
Alcoforado, na travessa de JoSo Fernandes v letra
n. 4, que ser recompensado.
- Fugio no dia 16 de maio prximo passado o
preto crioulo de nome Braziliano, idade de 26 an-
nos, estatura regular, cor fula, tendo um des den-
tes da frente quebrado, sen. barba, apenas algnns
cabellos a roda da garganta e olhr amortecido, e
bem fallante, sabe 1er e escrever e falla um pouco
o inglez, bom copeiro, cosinha e lava bem, levou
vestido camisa de algodo branco e caiga dito
azul, oonduzindo algoma roupa n'na, come bem
calcas de casemiras de lisias, jaqoela branca e ca-
misa de raadapoiao, lentes e mate roupa que tem-
marcada com a letra B de iinba demarca.algurnas
pecas e outras com o nome por extenso em unta
de marcar, levou chapeo de palha irritando n ?ni-
lha, chapeo de sol de seda verde j usado, sapatcs
e meias, de suppor que se inculque de ferro :
quem o apprehender condnzindo ao sitio de Jc-ao
Matheus, no Poco da Panella, ser generosa-
gratificado por seu senhor Juvino Bandcira.
A aguia branca na ra do
Queimado n 8, recebtu;
Bonitos e graudos aljofares de cores para voltas.
Polsetras de ditos-de ignaes e agTBdaveifrores.
Voltas pretas maiores e menores todas de eoUs
grossas.
Pulcelras pretas tambem de contas.
Outras de differentes qualidades e gostqs.
Brincos de aljofares de cores e dourados.
Fivelas d'aco grandes e pequeas com cinto pre-
to e de madreperola.
Outras grauoes de differentes- qualidades e r8'
dondas com pedras.
Bonitos leqries de|madreperola redondos e oe
outra forma.
Ditos de Sndalo interinos e jorreados.
Capellas brancas para meninas.
taeite doce refinadoem pequeas latas a 560 rs. a garrafa : no graude armazem
da Liga.
Saceos de 80,100 e i20 libras a 4^,4^5007 5>Tno"grande armazem da Liga.
Fugio em principios do mez de fevere i
corrente anno e consta estar acoutadonesta cid_a
o moieque EuZebio, esrravo da vinva do Dr. Fer-
nando Alfonso de Mello, de 12 anaos de idade pro-
sa mais ou menos, cor preta, secco do corpo.
regulares e afumagados, cabera um pIlf ifranda
e meia chata, beicos finos, dentes bem alV<
seceos e muito ladino : roga-e por lano a toda- ?s
autoridades policiaes e papitesde campo qne o aj>-
prehendam e levem-o a rna da Mangoeira sobrado
n. 6 que serao gratificados, protestando-se usar .ios
melos judiclaes contra qualquer pessoa que o tecna
em seu poder.
MadapolSo muito flno cora.pequena'togoe te avaria, por PW^J^^JV na lojaf
s celomnasha rul do Crespo n. 13, de Antonio Correu de Yasconcello, & C.________
~ Fugio no da 28 do corrente, a noite, a es-
crava Januaria, pertencente a D. Amelia Fe'.icia
Deschamps senhora de Mr. Len Ghapelin, retra-
tista, cuja escrava houve por compra qne foz ao
Sr. Po Pierres Varclla Barca om abnl ultimo ror
intermedio de seu procurador Joao Francisc
bral, desconfiare que a dita escravi. un:;
~EB guTdo para Pajert do Flores e que procure o ei; -
hs 'tho do Exm. bario de Vera Crnz, a qoem a tem-
( nn Ts=dos rtenenceo : a dita escrava (ero
pos passdos pertencea
mais ou menor 20 annos de Hade, 6 de esi
pequea, de cor futa, tem os dentes limado?, les.a
eolhos muito peqaeDos, grat8ca-se bcn a qncto
apprefiencle-la.
t-j
; B
; I '
II

LGTVEL



h&4
Piarlo de yeraambnco ... .?nda /Ir Je *u*ho de 1S&
LiTTERATORA.
WATERLOO
(Continuando do conscripto de 1813.)
POll
ERCOASW CHATMAN
SEGUNDA PARTE.
XXI11
(Gontinuarao.J
i tmenle toda essa massa tic nimigos, a fren-
te, relia, a isquerda, ergueu-se flanqueada pe-
la Bia cavallaria, e arremessou-se sobre nos.
a herdade de Cailioa eslava
vermelha as trovas
a arder.
Tudo alargava o passo ; o cansago, a fome e a
desesperado esmagavam-nos ; quizeramos morrer,
mas snstentava-uos a esperanga de nos salvarmos.
Buche dizia-me, andando sempre :
Jos, ajudemos om ao outro ; eu nao te dei-
xarei.
E eu rspondia-lhe :
Morreremos juntos. Ja o9o me posso ter em
p...Ofna cousa
uus deilassemos.
Isso nao dizia elle
do i os prussiauos
Rendam-sel
E Bache, em lugar de esperar.corao eo, alirou-lhe
ao peito.
ramos continuar a comer sempre apesar de estarmos
ciados I Ajochamos belra do regato com as
maos na agua e bebemos.
*~ A8ra; vamos, disse Boche, e delxemos ficar
Eolio os outros qnatro arremessaram-se sobre,
nos. Buche levou ama cutilada que ihe abr a as mocnilas-
alto a baixo mas com urna baronets- Apesar do cansado que nos prenda as pernas,
tornamos a partir para a eqoerda, era quaoto qu
da matou o que o ferira. Ainda havia tres. Ea ti-
nha a arma carregada. Buche tlnha se encostado
a urna nogneira. Cada vez que os prussanes ar-
i mlhor que remettiam para nos, eu fazia pontarianeohom
dellea quera ser o prlmelro a morrer! E quando
asstm estacamos, Buche com a baioneta cruzada, e
vamos sempre andan-
no se approxiuiava muito.
firmes e mals seguros.
uaiquerem prisioneiros; ma- en com a arma apontada, ouvimos galopar na es-
0 quatr baialhdes da veiha guarda, rednzidos j 'ain tB do tres mil homeos a mil e duzealos, no poderam' '!Dy' 'd* 9nm >is prussianos, i
sotfrer ul carga, e recuaram vagarosamente, e nos! s^uam0 sempre a estrada com muitos milba-,sos- 0s hussaros descerara entao aos
reeuamos tambem defeudeudo-nos a tiro e a bayo- res de OBlros soldads. sombrios, abatidos, e que Dara a direita, em quanto Buche carregava ontr
anda se voltavam para traz em massa, e se uniam vez-
I-ara fazerem fogo, quando om esquadrao prus8,a- Os nossos iance.ros passaram e corremos atraz
)e r rrS T de"eS- ^DC8 ,nha a PeUe da "teca, mas
sos direita eTesquerna eslavam che L'de m^! ZTrT^ "? "" leD5' e deide em
cbila, de Pa,ronas,qde armas, Lespat.^ 1 ^ ~ enC0tram0S B*3
um deitava tora o que tinha, para poder correr. c .
,. : >eriain Quatro horas da manhaa quando de can-
iTMli terrivel, eram os grandes sados j mal podamos continuar a andar, e vimos
TZi V2- -If nC,*V.par*d" n me0 da es,rada a 1uinhenl* <> seis ceios pasaos, a esqnerda da
l^ostrJZTr h Tda"0res cor- estrada, orna bouca de faias e Buche d.sse-me :
ara ZfS* T 'T S S *"** ~ 01ba' Jos va ** a' um pouco.
serem agarrados. Quando hoje me lem- Era exactamente o que eu quera
desgranados meioj raortos, com os Desceraos, atravessando avas, at a bouca e en-
passar com ar de tramos em urna moita muito (echada de arvores
a pama e hervas
Beta.
J.'. hallamos visto combatos inais torriveis, mas
lalo .-i a o uiliiiio 1
Quando cliegavamos beira da planura para
deater, (oda a planicie em baixo, ja coberla de
senil :'.., eslava na confuso da derrota ; tudo se
ftebanfcva e fugia, uos a p outros a cavallo; s
untatalbio da guarda, em quadrado ao pe da
bureada, e tres baialho-'s mas adianle, com outro
q^J.ado da guarda, no enironcameuio de Plan-
i b&aol, estavam mmoveis como roclias, no meio
le u:a tniindacSo que lvava adianto de si lodos
o ..... i Tudo ratirava : hussaro?, cacadores,
eOuraeeiros, artilharia, infamara, em confusao na
e^r.ia, o alrvez Ge campos, preciam um exer-
iic iie barbaros a fugir. E em lodo o comprimen-
dc barranco de Plauchenois, o c.i ecnro era
-.li.n'ado pela fozileria ; s o quadrado da guar-
a : 5;ba amda contra Buluw e Impedja que nos
):';>-u a estrada, e mais perto de nos, outros
prusoiano, de can-allaria, desciam ao valle, como
i. io que passa por cima dos seus acudes.
o veio Blucher tambem acabava de rhegar com
imrenta mil liomens dobrava-se sobre a nossa
ala ireila e dispersava ludo diante delle.
Q le mais posso dizer ? Era urna inundacao. Es-
..v.,:ios cercados por toda a parte; os Inglezes
laneav&nv&os para o valle, e ao valle chegava
Hu er. Os nossos generaes e oOieiaes, e mesraoo
i.'!rador, nao tinliam outro recurso seno o de
cu i; i>?(-m um quadrado ; e dizem que nos, po-
bres desgranados, iinhamos terror pnico I Nunca
. --.o iiijusiica como esla.
Eu corra para a herdade com Buche e mais cin
co orj seis camaradas; bombas estalavam de redor
de t:;,e diramos como doudos ao p da estrada
jnde inglezes a cavallo ja passavam a todo ogalo-
pe, i-'ritaudo uns para os outros : JV|o quartel! no
n i 1er (nada de quartel I)
- [tiadrado da guarda comecou a retirar ; fazia
fog de todos os lados para afastar os desgranados
|0 ii riam entrar, e s os offlcttes e generaes po-
-iian escapar.
O que nunca hei de esquecer, ainda que viva
nal ano*.*, sao aquelles gritos immensos, inflnilos,
iju-3 enchlam o valle a mais de urna legua, e ram-
io ao longe as cornetas que tocavam como a reba-
te no meio de um incendio ; mas era aiuda mullo
mi' tewlvel, era o ultimo grito da Franja, desse
l rajoso e altivo ; era a voz da patria que di-
-: A inini, meus lillios, porque morro INao,
i posso pintar-vos o que era esse rufar do
tambor da veiha guarda no meio da nossa ruina
era tima cousa que dava lagrimas e terror. Eu
m ''orno urna cream-a ; Buche
n ...e eu gntavalhe :
Joo, deixa-me...
Il'l ludo I...
lea : Oalhanna. do Sr. ouidei, de Phals-
nao me occapava a imaginado. O qae me
iota hoje, que nao tobamos sido csmagados
en etes nessa estrada, onde passavjam meiras
> e prussiancs. Tomavam-no tal vez por
li les, ou talvez corressera atra: do imperador,
le todos espera vam agam-lo.
fronte da pequea herdade de Itossomme, foi
too")-oitar a direita para os campos; era ahi
ultimo quadrado da veiha guarda anda suf-
ra o ata jue dos prussianos ; mas nao resisti
lito lempo, porque vinie minutos depois, os ini-
bram esses
bracos descahidos, que nos viara
desesperacao, comparo-os cora
Snllf T^JZ*"0^**" ca era cima dellas, eja havia mullo lempo que u-
S?AS1fir meS eS,aSre" ^-^-nienocaminho.
Eo que mais me affligia no meio da derrot, o
vez
XXIV
Muitos camaradas feridos Acarara em Gosselie;
que rao diiacerava o coracao, era nao ver de lodo mas a maior parte foi andando sempre, e pelas orto
onossobatalhaosenao omeucamarada. Eu di-: horas comecava-se a descobrir rauilo ao longe a
zia comraigo : Elles nao podem estar todos mor-! torre de Charleroi, quando de repente ouvimos na
tos !-E a Buche dizia : I nossa frente> mais de meja |egQa de djslaBc.
- Joao, se encontrasse Zebedeu, teria mais va- 'gritos, lamentos etiros,
lor do que tcnho 1
Mas elle s responda :
Trataremos de nos salvar, Jos I Eu, se te-
nho a fortuna de tornar a ver o Harberg, nunca
mais me queixarei de comer s batatas. Nao,
isso nao I Foi Deus que me castigou. Por mui-
to feliz me darei em poder trabalhar e em ir s
boucas com o machado ao hombro. O que quero
nao chegar a casa estropiado, e nao ser obriga-
do a estender a raao aos passageiros de urna es-
trada, como acontece a muitos. Tratemos de esca- matan a fome I Estamos trahidos I
par, saos e salvos.
Toda aquella imraensa co-
lumna de desgranados fez alto gritando:
A cidade fecha-nos as portas I nao podemos
passar daqui
A afllicno e a desesperacao estavam em todos os
semblantes. Mas logo correu voz que chegavam
carros de mantiraentos eque nao se quena dar-nos
de comer. Ento o foror subsliluio o terror, e em
toda a estrada nao se ouvia seno um grito : -
Vamos a elles I morrara os paties que nos
puxava por
[riamos perdidosJl... per-
E eu entenda que elle tinha juizo.
Pelas dez horas e meia estavaraos a chegar a
Genappe. Ouviam-se lerriveis gritos de longe.
Como se tinham acendilo fogueiras de palha no
meio da ra principal para alumiar o tamulto,
vamos a alguma distancia as casas e as ras Wo
atulhadas de gente, de cavallos e de bagagens que
nao podamos dar um passo para diante, Imagi-
namos logo que os prussianos nao tardariam a
chegar, e que trariam pecas : e que era melhor
pranos passar de redor da aldea doqueserprl- mos escapado deludo, e nao ha de ser a
sioneiros com todos os mais. Por isso tomamos navemos de morrer as raaos de Francezes. Vem
esquerda atravez das searas, com muitos outros. comi8 '
Passamos o Dyle, com agua pela cima, e chega- Elle debatia-se. Por fim mostrei-lhe urna aldea a
mos pelanoute s duas casas dos Qualro Bra$os. esquerda da estrada, e disse-lhe:
Tinhamos feto bem era nao entrar em Genappe Olha ; all tens o caminho do Harber all
porque ouv.mos logo os tiros de pega dos prussia- ha casas nos Quatro-Ventos I melhor que viraos
nos contra a aldea e o logo de fuzileria ; tambem II pedir pao. Tenbo dinheiro, com dm2eiro tere-
ataa muitos fugitivos estrada, couraceiros, mos pao. Vamos! Melhor ser isso do que atacar
os carros como um bando de lobos.
lanceiros, cacadores. Ninguem pa ava.
A fome alormentava-nos horrivelmente. Era
claro que nos Qualro Bragos tudo tinha sido co-
mido ha muito lempo ; com tudo, entramos na ca-
sa da esquerda. O pavimento eslava coberto de
palha, em que estavam estendidos alguns feridos.
Mal abrimos a porta, logo se poseram todos a gri-
tar, e, para dizer a verdade, o cheiro era to mau
quesahiraosiramediaiamente e fizeraos caminho Z'Zo ""'" V ^ En,ramos nasala
para Charleroi. 18r,iaD00
O luar era raaguifico. Descobriamos direita, ~ No ha a1ui nit>8iem^
as searas, grande quanlidade de morios que nao Baliamos nos movis com as coronhas, mas nin-
tinham sido enterrados. Buche desceu a um re- guem resPndia- O nosso furor recrescia vendo
go em que se viam, a mais alguma distancia, ires 0utros desraados que vinham pelo mesmo can-
iuimdavam a estrada, os cacadores prus-' oa qaaIro inK|ezes deilados uns sobre os otr s. nno e diziamos comnosco :
s coi riam em bandos ao encontr dps que fu I>er8"I'tava eu a tnim mesmo o que ira elle fazer T ^era comer o nosso pao. *
n e dos que ficavam para a retaguarda. Essa ao mei da(luelles morts. 'Jiando voltou com urna Ah I os que n5o leem soffrido privagSas dessas
cabaca de lata, que saccudia aop da orelha e dis- nao sabem onde pode chear o furor dos horneas.
E' horrivel I... horrivel I Tiuhamos j quebrado
que no
estr '.aera como urna ponte, e todos os
MM por ella cahiam ao abysmo.
A- descida do barrano9r por detr^z da estalagem
sse-Avaiit, hussuros, prussianos correram so-
bre r.s ; nao erara mais de cinco ou seis, e grita-
vara que nos rendessemos; mas se tivessemos le-
vanlado as corcnha das armas, acutilavam-nos.
Fijemos pontaria. e vendo que nao estavaraos fe-
n los, retiraram se. Issoobrigou-uos a entrar outra
vez na estrada, onde havia gritos e tumulto que se
ouviam a duas leguas de distancia. A cavallaria, a
infamarla, a artilharia, as ambulancias, as baga-
gens, lado misturado, deslilavam sobre a estrada,
gritando, batendo, relinchando e chorando. No,
oeii! .'ni Leipzig liuha visto una cousa assim. A
iua erguia-se por cima dos bosques, por detraz de
Piauchenois, e alumiava um sem numera de bar-
is, de chapeos felpudos, de espadas, de bayo
nelus.de caixoes deilados, de canhoes parados ; e
de minuto em minuto augmenlava o atravanca-
raento ; gemidos lasiimosos corrian de urna exlre-
mi Jade da linha at outra, e isso suba e descia
Bucwtas, e ia morrer ao longe como um sus-
piro.
Mas o mais triste eram os gritos das mulheres,
j.'.quelas desgragados que vo atraz dos xercitos,
quando eram empurradas e deitadas abaixo dos
taludes pelas carretas ; da vam gritos que eram oo-
pdr cima desse tumulto immenso ; mas nin-
guena olhava para traz ; oing;uem se abaixava pa-
ra Ihe dar amo-
Cada um por si 1 Esmago-te ? lem paciencia,
sou o mais forte.Gritas ? pois grita : arieda ; o
que quero fugir ; os outros fazera o mesmo I
Deixem passar o imperador; deixem passar o raa-
rcchal; o mais forte esmaga b mais fraco; neste
mundo o que mais vale a torga. Vamos... a ca-
miaho I Esmaguem todo as pegas com tanto que
se salvem IAs pegas no podem ir T llrem-se as
pareihas, corlem-se os tirantes, e dd-sfl nos caval-
los para fugirmos depressa.Cirrer, cavallos, Cor-
rer, voar,,. al arrebentar I -Que importa todo o
ciis ? Se no somos os mais fortes, l vu a nos-
sa vez desermos esmagados, e os outros hSo derir
dos nossos gritos.Toca a fugir... e viva o impe-
rador I Mas o imperador esta' morto I
Todo o mundo pensava que o imperador nwrre-
ra com a veiha guarda :-era orna consa que pa-
reca muito natural.
A cavalleria prassiana passa va em colomnab,
com as espadas no ar, gritando : Hurrab I .Pa-
reca que nos escoltava, e ia acornando todo o que
se-me
- Jos...est cheia I.
Mas antes de a destapar, molhou-a no fosso
cheio de agua ; depois abriu-a, e bobeu dizendo :
K' agurdente 1
Deu-m'a e bebi tambera. Senti que a vida se
reanimava, e entreguei-lhe a cabaga ainda meia
dan lo gragas a Dos pela .boa idea que nos dora! comno!co
01 ha vamos para todos os lados lembrando-nos
que os morios tambem teriam pao. Mas como o
a direita/jtraz de nos, do lado de Charleroi, os gri-
tos e os tiros augmenlavam, e em lodo o empr-
menla da estrada no se via se n>a continuago
da futa. Mas era w longe. De lempos a lempos
olha vamos para traz e Buche dizla-me :
Fizeste bem em no me deixar ir, Jos. Se
"f'' toMM'lu, estara eu agora tal vez. estendido
t Prusianos, mas eram lance** nej* -^. beira daquella estrada, morto por um frao-
cez. Tioha moita fome, multa. Mas, diz, para
oode havemos de Ir agora Y
Vemcomigo I
Breve atravessamos urna aldeia graode e bonita,
lambem saqoeada e desamparada. Depois, encon-
tramos aldaos que olhavam para nos desconfiados,
ese chegavam para a beira do caminho. No de-
viamos ler muito boa apparencia, principalmente
Buche com a cabega atada e a barba de eito dias,
espessa e rija como pello de porco.
A' urna hora depois do meio dia J tinhamos pas-
sado outra vez o Sambre na ponte do Chatelet;
mascamo os Prussianos estavam em caminho, nao
fizemos alto nesse sitio. Cora tudo j ia tranquillo
e dizia comigo :
-.Se os Prussfanos continuaren a perseguir os
nossos, hao de ir atraz do maior numero para faze-
rem prisioneiros, e tomarem pegas, caixoes e ba-
gageos.
Ah est como horaens que tres dias antes fa-
zlara temer o mundo, eram obrigados a reOectir
enlo I
Lembra-rae que chegando as tres horas a urna
aldela, paramos porta de urna forja e pedimos
de beber. Logo a gente da ierra cercou-nos, e o
ferreiro, bomem alto e nureno, dissse-nos que en-
trassemos na veuda que ficava defronle, por que
la ira ter para beber comnosco urna caneca de cer-
veja.
Como era natural, Gcamos rauto contentes, por
que araos com medo de ser agarrados, e viamos
que aquella genie ora por nos.
Tambera me lembrou que anda me restava ai-
gura dinheiro e qoe era occasio de rae servir
d'elle.
Entramos, pois, na tal estalagem, que nao era
mais do que urna tasca, com duas janellinhas e urna
porta de arco que abria pela meio, como as nos-
sas aldeias. Quando nos assentamos, a sala en-
cheu-se por tal forma de homens e mulheres ancio-
sos por noticias, que mal podamos respirar.
Chegou o ferreiro; tinha tirado o avental de
coiro e vestido urna camisola azul; e logo que en-
trn, vimos que o seguiam tres ou qnatrobons bur-
guezaf, qoe eram o administrador, os substituios e
os cooselheiros municipaes da localidade
Assentaram-se nos bancos qne ficavam defronle
de ios, e mandaram-nos dar eerveja azeda como a
ha por alli. Buche pedio pao, e a dona da casa
trouxe-nos ama boroa e nm bom pedaco de vaeea
era nm pialo. Todos nos diziam :
Comam I comam I
Quaado alguem nos fazia pergnotas acerca da
batalha, o administrador ou o ferreiro diziam logo :
ueixera os homens acabar de comer, por que
vem de longe.
E s no tira no fizerara perguntas, desejando sa-l
ber se era verdade que os Francezes acabavam de i
perder urna grande batalha. Tmham-lhes dito;
pnmeiro que a victoria era nossa, e agora corra
o boalo do sermos derrotados.
Entendemos que tinliam ouvido allar de Ligny,
e que era isso o qne mes confunda a ideas.
Eu tinha pejo de Ibes confessar o nosso desastre,
e olhava para Buche, que disse :
Fomos trahidos! os traidores descobriram os
nossos planos I O exercilo eslava cheio de traido-
res encarregados de gritar: Toca a fugir! -Como
querem que assim fosse nossa a victoria?
Era a primeira vez-que eu ouvia fallar da trai-
no. E'verdade qoe ouvi alguns feridos que di-
ziam : Estamos trahidos 1-mas nao tinha dado
attengo as suas palavras, e quando Buche nos n-
rou de embaragos por esse meio, Squei contente,
mas tambem espantado.
Aquella gente irntou-se ento contra os nossos
traidores. Foi preciso explicar-lhes a bataiha e a
traigo. Buche dizia que os Prassianos tinham
chegadoat ao lugar da batalha por traino do ge-
neral Grouchy. Isso parecia-me muito duro de
mais; mas os campinos, com as lagrimas nos olhos,
deram-nos ainda mais eerveja e tabaco e cachim-
bos, e por fim foi dizendo como Buche. S
da antes de sabir a nossa escada, esquina de
Fooquet, defroote do tBoi Vermelho. m cons-
cripto nunca deve apressar-se a escrever qoe
est na sua llberdade. Essa felicidade no depende
de nos, e a boa vootade de ir para casa no passa
de boa vontade.
Em Inglaterra obedientes.
Em Franca senhores.
Na Italia respetosos.
Na Hespanha snbmissos.
Era Porlogal velhacos.
MULHERES.
Sao excedentes donas de casa na Allemsnhi
m a minha carta parti pelo crrelo, e em Porlogal. emanha
todo esse dia licaraos na estalagem do tCarneiro de
Ouro.i
Depois de termos ceado bem, fomos deitar-nos.
Eo dizia a Buche :
Ah, Joo I orna cousa a gente fazer o que
quizer, e outra cousa ser obrigado a apparecer
chamada.
E riamos ambos apezar dos malos da patria
bem eoleodido, sem peosarmos nos males da pa-
tria, porque enlo seriamos uns verdadeiros ma-1
rolos.
Bambas em Inglaterra.
Senhoras em Franca.
Captivas na Italia.
Escravas em Hespanha.
E vistas eslas comparages, e consultada a nos-
sa conscienefa, no somos dos peores em tudo e
por tudo I
Imposto e divida publica de dlffereotes nac5es
(Conluiuar-se-lia.)
, com o calclo de qoante toca a cada habitante :
Os mais tmidos, os mals abatidos, alargaran
o passo empunhando a espada oo carregando a
arma.
Bem se via qne seria orna verdadeira carnicera,
se os condoctores e a escolta u5o se rendessero.
At Boche gritava :
E' preciso matar todo. Somos trahidos. Va-
mos Jos. Vingoemos-nos I
Mas eo agarrava nelle pela gola, gritando :
No, Joo, no I J bast de sangue. Te-
OM POUCO DE TUDO.
Publica o Jornal de Njticias que um pachorren-
to investigador descubri as principaes nagoes da
Europa os segrales caracteres:
EM RELIGIAO
O Allerao grande sceplico.
O lnglez devoto (apezar de protestante).
O Francez muito zeloso.
O Italiano ceremonioso.
O Hespanhol beato.
O Porluguez religioso.
EM GUAIIDAH A SUA PALAVRA
O Allemao fiel.
O lnglez muito seguro.
O Francez negligente.
O Italiano grande*trapaeeiro.
O Hespanhol engaador.
O Porluguez consciencioso.
EM OAR COSBLHOS
O Allemao vagaroso.
O lnglez receta sempre.
O Francez precipitado.
O Italiano melindroso.
O Hespanhol muito circumstanciado.
O Portuguez mais prudente.
EM AN>.\RENCIA EXTERNA
O Allemao alto.
O lnglez bem feito e muido corado.
O Francez bem parecido.
O Italiano de mediana estatura.
O Hespanhol regular e grosseiro.
O Portuguez robusto e desembaragado.
EM VESTUARIO
O AllemSo despresivel.
O lnglez luxuoso.
O Francez aprimorado e inconstante.
O Italiano indilerenie.
O Hespanhol decente.
O Porluguez aceiado.
EM MANE I RAS
O Allemao incrivel.
O lnglez brbaro.
O Francez tralavel e franco.
O Italiano poliuo.
O Hespauhol orgulhoso.
O Portuguez obsequiador em demasa.
Fatz Artno Imposto Gasto Diada
Inglaterra.... 1863 244120 243120 2813200
1864 203160 213800 2813200
1862 6^280 73600 353540
1862 83320 103640 663160
1862 11*200 113200 213940
Italia........ 186:i 123360 203200 563620
1863 133040 143700 533620
Hollanda..... 1863 223900 233300 2353580
1860 43780 53700 73160
Dinamarca .. 1862 123000 133600 403620
33860 53100 3540
Hespanha.... 1862 133160 143800 9432OO
Portugal..... > 83340 93400 833540
Estados Uni-
1860 o3500 53620 63000
1864 wmo 713780 1403120
Brasil.. ..... 1861 73840 83400 293860
1860 83920 93100 183160
i ^i 173000 173000 273400
L-se n'um Jornal :
Segundo dados estatisticos rcrentemente publi-
cados, o numero das pessoas presas Das difieren-
tes masmorras da Italia em setembro de 1863 su-
ba a 47:733.
E' a felicidade quo origina a revolugo.
Diz um jornal francez que o general confedera-
do Lee vem com o general Ma'c-Uellan passar com
a sua familia muitos mezes era Franca.
Diz-se que Omer-Pach chegar brevemente
Pars para Se restabelecer do mao estado da sua
saude.
Em
Seguio-rae. Atravessamos ootra vez as searas.
Se nlo fosse a fome que nos apertava, a cada pas-
so nos leriamos assentado a beira do caminho. Mas
ao cabo de orna hora, ebegamos, gragas a Dos, a
orna especie de herdade abandonada, com as janel-
las quebradas, a port' abert at atraz, e grandes
montes do trra preta de redor.
EU GUARDAR UM SE6BD0
O Allemao esquece o que se lhe diz.
O lnglez descobre o que devia divulgar, e
ga o que devia encobrir.
O Francez muilo chocalleiro.
O Italiano conciso.
O Hespanhol mysterioso.
Portuguez tambem o iguala.
consequencia da morte do principe de
Beauvan senador, foi vendida urna pequea mesa
dada pela ranha Maria Anloinele a urna das sua*
damas de honor madanie de Senone, pelo preco
de 60,000 francos. ^
a porta de um armario cheio de panno de linho, e
destruimos ludo com as baionetas, quando urna
veiha sahio de debaixo de urna mesa de cosi-
nha, que cobria a entrada da adega. Solucava e
dizia
- Meu
Dos I meu Deus! lem miserieordia
A casa linha sido saqueada ao romper do dia
Os cavallos tinham sido roubados ; o hornera des-
tumulto augmenlava atraz de nos, e eramos pou-fapparecera'os creads fugiram. Apezar do nosso
eos para um ataque dos prussianos se nos cercas-
sem, posemo nos a -caminho cheios de torga e co-
ragera. A agurdente j nos mostrava tudo cor
de rosa, e eu dizia :
Joo, agora e mais terrivel est passado;
linda tornaremos a ver Phalsburgo e o Harberg;
mais
t tarde, depois de termos sahido d'aquelle sitio, que
furor, a vista da pobre veiha envergonhoo-nos een
disse-lhe:
-Nao tenha medo. Nao comemos gente. D-
nos s algum boceado de pao ou morreremos de
fome.
Ella, assentada em orna cadeira veiha, com a
estamos em boa estrada qoe nos leva a Franga. maos descarnadas cruzadas sobre os joelhos, di-
Se tivessemos ganhado a batalha, seria forgoso ir! zia :
para mais longe, at ao fim da Allemanha. Serial Ns^ianim,- a ^_ 1
preciso combater os austracos e os rossos, e se ID ~ ^LTlT ^"^^ ,udo'mt'
tivessemos a fortuna de escapar, voltariaraos ve-' '
Uve vergonha das nossas abominaveis mentiras, e
disse :
.. ~Z 0'na J5<> 5 as nossas mentiras a respeito de !
traidores nao nos licam bem. Se todos contassem
as cousas como nos, todos por fim seriamos trai I
dores, ejo o imperador seria homem de bem. E'
urna vergonha para a nossa ierra o dizer que en-
tre nos ba tantos traidores. Isso no verdade I
-- Ora adeos i dizia elle ; f jraos trahidos ; se
nao fosse isso, nunca os loglezes e Prossiaoos nos
teriam obrigado a dar as de Villa Diogo.
E at as oito horas da ooite no fizeraos mais do
que questionar. Cliegamos eulo a outra aldea
chamada Boaviguies, em urna elevago. Eslavamos
Uo causados, que tinhamos as pernas hirtas como
estacas, e havia j moito lempo qoe oos era preciso
tinbrvtircarporS: gT**^ "^ ""' ^ "" ^
nigo na Pedrnha ou em outra qualqoer parte.
Vejam que maus pensamentos me passavam pe-
la idea. Mas isso no me impeda de cminbar
com mais animo, e Buche dizia :
t- Os loglezes fazem bem em usar de cabagas
delat; seno tivesse visto a tolha a luzir com qundo atr" da *wij, wesconda^
mi>r,Hn r i, -L. iTl ama coasa branca junto da parede. Parei e a-
Procuremos nos, disse eu a Buche.
E fomos a todos os quartos e entramos na caval-
larlga. No vimos nada. Tudo tinha sido roubado
00 destruido.
o loar, oo me teria lembrado ir ler com os mor-1
tos.
Em quanto assim fallavamos, passavam a cada
instante por nos os soldados de cavallaria; mal se
podiam ter os cavallos, mas a torga de pancadas e
esporadas, taziam-nos trotar sempre. OSfuido da
derrota ao longe comecava outra vez com os
tiros ; felizmente iamos moito adietados em ca-
minho.
tend o brago. Era
sahia da estrada ; nao fazia prnioneiros, era" j
aiacava a columna m massa ; algoas tiros anda
se disparavam sobre ella da direita e da esquerda;
atraz, a grande distancia, via-se urna iavareda
Seriam duas horas da maoha e j nos jol-
gavamos salvos quando de repente me disse Bo-
che :
Jos... olba os prassianos I...
E olhando para tras vi cinco bossaros, de farda-
ment escuro, do regiment daqoelles que no anno
anterior tinham retalhado Klipfel. Pareceo-me isso
nm mao signal.
Tens a arma carregada ? pergontei a Bu-
che.
enho.
Pois eolio, esperemos. E' preciso qoe nos de-
fendamos. Eu por mim nao me rendo.
Nem eu ; antes" morrer do qoe ser prisip-
neiro.
um sacco de panno de linho
com urna fita para o peodorar. Tirei-o logo da pa-
rede, a tremer. '
1
Bache olhava para mim. O sacco era pesado.
Abri-o. Tioha dous grossos rabaoeles, meia b^roa
de pao secco e rijo como pedra, ura graode par tesooras de cortar as sebes, e no fondo algo--
mas ceblas e sal um pouco enxovalhado em om'
papel.
Vendo isso, demos ora grito. O medo de qoe
viesse mais alguem, fez-nos correr logo para longe
d'alli, para os centeios, escondendo-nos e agachan-
do-nos como ladroes. Tiohamos recobradas todas
as nossas torgas, e asseotamos-oos a beira de om
regalo. Buche dizia :
Olba C; pertence-me alguma coosa.
, paos em urna sebe, e pouco a pouco iremos ate
Sim : roeladede todo. Partirel comtigo iml-Jamus casas.
Ao mesmo tempo o oficial prossao grttou-nos
arrogante:
mente, por qoe tambero me deixaste beber da tna
cabaca. :
fciPto socegou.
Part o pi com o roen sabr, dizendo : *
Escolbe, Joao; aqui tens. um rabaoete ; aqu
est raetade das ceblas, e o sai tira o do sacco.
Comemos o pi sem roolha-lo na agua ; coma-
mos oa rabaoetes e as ceblas com o sal. Qol|s-
Pensivamos estar moli longe dos Prussianos.
Como eo tinha dinheiro, entramos em urna venda,
e pedimos cama.
Mostrel urna pega de seis libras para qoe se vis-
se qoe podamos pagar. Tinha resolvan mudar de
vestuario no dia seguinte, deixar ficar a ar-
ma, a mochila e apatrona, e voliar para casa;
porque linha a guerra por acabada, e eslava mui-
lo satistolto, no meio de tamanhas degragas, por
ter salvado as perhai e os bragas.
Bucht e eo, sM ttoile, deilados em um quarto
pequeo, com Santa Vlrgem e o menino Jesos em
om nicho por cima de nos entre conioas, dormi-
mos como abbades.
No .dia seguinte, em logar de continoarmos a
nossa jornada, estavamos to contentes por nos
vermos assentados em urna boa cadeira na cozi-
nha, e par podermos stendar as pernas, fumando
nos nossos cachimbos, a vendo como fervia a pa-
nella, que dissemos :
Piquemos aqui I Amanhaa estaremos bem
tolgados; compraremos dous pares de calnas de
linbo e duas camisolas; cortaremos dous bons
Como tolgavamos de pensar em cousas fia agr-
daveis 1
Foi nessa venda que escrevi Catbarina,
mal e ao 3r. Gouiden, dixendo-lhus s estas pa-
lavras :
f Estoo vivo, gracas Ueos I Brevemente ahi
estarei. Mil abragos de todo o meo coragao. Jos
Berlha.
Mas maltas cousas haviam de acoatecer-me alo-
SM VAIDADK
O Allemao ufana-se pouco.
O lnglez despresa as mais nagdes.
O Francez lisoogeia tudo.
O Banano julga-se acamellado.
O Hespanhol indi (toreo te.
O Porluguez muito ufano.
EM COMER E BEBER
O Allemao guloso.
O lnglez comilo.
O Francez efeminado.
O Italiano mais moderado.
O Hespanhol parco.
O Portuguez rasoavel.
EM OFFENDER E FAZER BEM
O Allemao inactivo.
O lnglez pratica ambas as cousas cora eonsMe-
ragao.
O Italiano muito benelicente; mas vmgativo.
O Hespanhol inconstante.
O Portuguez amigo de fazer bera, porm com
reserva.
IM FALLAR
O Allerao falla solfrivel, e na escripia o mesmo.
O Francez falla e escreve bem.
O lnglez falla desembaragado e escreve bem.
O Italiano falla bem, escreve muito e bem.
O Hespanhol muito tallador e no escreve
mal.
O Portuguez falla muito, mas escreve bem.
EM DESTRESA
O Allemao om basbaque.
O lnglez um meio termo entre om idiota e um
sabio.
O Francez gil e divertido.
O Italiano prudente, mas parece tolo.
O Hespanhol inteiramente o contrario.
O Porluguez matreiro.
KA COHAGEM
O Allemao pareee ura touro.
O lnglez um leo.
O Francez urna aguia.
O Italiano urna raposa.
O Hespanhol um elephante.
O Portuguez urna vbora.
NA GUERRA
O Allemao tmido.
O Francez animoso.
O lnglez arrojado.
O Hespanhol medroso.
O Italiano valoroso.
O Porluguez destemido.
NOS MODOS
O .-llemo limido.
O Francez delicado.
O lnglez obsequiador.
O Italiano intractvel. /
O Hespanhol arrogante.
O Portuguez aliavel.
AS SCIBNGIAS
O Allemao pedante.
O lnglez philosopbo.
O Francez estudioso.
O italiano professor.
O Hespanhol pensador.
O Portuguez calculista e lodoleote.
MAGNIFICENCIA.
Era allemauba consiste nos principes.
Em Inglaterra nos navios.
Era.Franca na corte.
Em Italia as igrrjas.
Em Hespanha nos brases.
Em Portugal nos ttulos.
caiAoos
Na Allemanha sao companheiros.
Hoje o caminho de ferro que de Pars se dirige
a Gu.nguamp, conta urna extenso de 503 kilme-
tros.
A seceo. comprchendida entre Coinguamp e
Bresi em 118 kilmetros o desenvolvimen.o lo-
tal da liaba de Paris a Brest va portaoto ser le-
divu?-, Vad0,e'" v,rlude dl aber""-a da seceo de Guin-
gamp a Brest, a 623 kilmetros ou 136 leguas.
Nesta nova seceo notam-se dez estagoes que
vem a ser, alera de Goiogamp : Belle-Iste, Bgard
Piouaret, Plounrim, Wouigneau, Morlaix, Ployber-'
Chrrs, Saini-Tl,etuuce, Landivsiau, Lardernau
Kerhnou.
As duas primeiras estagoes ieara nos departa-
mentos das costas do norte.
E' a partir de Piouonu que a linha entra
departamento de Finisterra para ganhar o
de Brest.
Entre as localidades atravessadas pelo caminho
de ferro, avulta Morlaix, eidadede quasi 12000
almas, cora um bom pjrto e um seguro ancra-
douro, ant.ga residencia dos duques de Bretanhi e
patria do general Moreaux Landivsiau, cidade
de perto de 5.000 almas ,- Lardernan, que possue
ura vasto porto orlado de- caes espagoso.-, celebre
pelas suas manufacturas de panno de linho.
O ponto de partida de Paris a estaco do bou-
levard Montparnasse.
no
porto
Pela respectiva reparii;o do ministerio das obras
publicas foi publicado, para connecimento docom-
merpio o seguinte ofSe.o, que ao mesmo ministe-
rio fo, dirigido pelo dos negocios eslrangeiros :
Hlro. e Exm. Sr.-Tendo a honra de levar ao
conhecmeniodeV.Eic., para os fias conven^-
les, que o mipistro de sua magesiade em S Pe-
tersburgo parlicipou ao meu antecessor, em cilicio
de 19 e margo uHiujo, haver o governo rmm pu-
blicado uro ukase, prorogando al I de Janeiro de
186b a faculdade de importar sal estrangeiro com
o dire.to reduzco, de 19 kspequespor .pon, con-
cedido ale 1 de Janeiro de 1865 aos portea de Re-
vel, A-eosbargo, Kund Hapsl, Werder, Hsuis
ago.e PerBau.
Dos guarde a V. Exc-Secretana de eslado
dos negocios estraogeiros, em 21 de abril de 1865
-Conde de Avila.Illm. e Exm. Sr: ministro e se-
cretario de estado dos negocios das obras publicas
commercio e industria. '
Ha algumas semanas via-se encostado grade
de Somerset libse um individuo todo vestido de
negro. Pendia-lhe do peito um letreiro, no qnal se
viara tragadas as palavras seguioles :
Urna esmola peto amor de Dos ao pobre cao
surdoemudot
N'oatro da um sujeito que por alli passava e
que de cerlo conhecia o ladino explorador da cari-
dada, publica, approximou-s delle, e meliendo-liio
na mao algumas moedas de dous sbillings ais-
se-lhe :
Ha muito tempo que sois cgo, surdo e mude
meu caro amigo f '
Desde a infancia-respondeu o galune to-
mando rpidamente as de Villa-Diogo.
Desde anuo no tornou a apparecer no seu cos-
tumado pouso.
Em ouiras paragens ria realisar a marav.lha de
om ceg, surdo-mudo, que falla, v e ouve to
bom como os que gosam o pleno usa dos emeo sea-
No dia 25 do correte sahio de Madrid para To-
ledo, Cordova, Sevilha e Cdiz a prioeexa Mana
Luza da Prussia.
A illoslre viajada foi acompanbada al a esta-
gao do caminho de ferro do Mediterrneo pelo rei
de Hespanha, qoe ahi se despedio de S. A. a rai-
oba Isabel, para significar o apreco em qoe tinha
a visit da princeza Maria, conferio-ihe a banda das
damas nobres de Maria Luia, fazendo igual con-
cesso a ratha da Prussia, irmia de S. A.
O rei D. Francisco de Assis presenleon a prince-
za com om magoifhso lbum, cooteodo as princi-
paes vistas de Hespanha, admiravelmente photogra-
pbadas.
PERNAMBCO.-'P. DK M. F. DE I*. '(HLtt


LEGTVL


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E5YIVKV42_MWSSAA INGEST_TIME 2013-08-28T01:59:33Z PACKAGE AA00011611_10696
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES