Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:10692


This item is only available as the following downloads:


Full Text
1
4
i
AMO Ul. NUMERO 35
Par Mrtel pag dentro de 10 das do \. mez i
Itlem deiis dos 1.' 10 dias do com eco e deatro do quartel.
-Porte a correio or tres mezes
TERCA FHRA 13 DE JUNHO DE 1865.
-
Por anno pago dentro de 10dias do \. mez ,,,... 191000
Porte ao correio por um anao............, jj 3|000
Ni
GNCARREGADOS DA SUBSCRIPCO DO NORTE
Parahyha, o *r. Antonio Alaxidrino de Lima;
Natal, o Sr. Antonio Marque da Silva; Aracaty, o
Sr. A. de hemos Braga; Cear, o Sr. J. Jos de
Olivrtira; Maranha, o Sr. Joaquim Marques ro-
drigues ; Para, os Srs. Geraldo Antonio Alves 4
Pinna ; Amaionas, o Sr. Jeronymo da Gosla.
EXCARREGADOS DA SUBSCRIPCO DO SU
Alagoas.-' o &r. Claodino Falco Uias; Baha, o
Sr. Jos Martin* Alves; Rio de Janeiro, e Sr. Jp
tib-iiro Gasparinho.
PARTIDA DOS ESTAFETAS.
Olinda, Cabo, Escada e estarces da via frrea at
Agoa Preta, todos os dias.
Iguarass e Goyanoa as segundas e sextas feiras.
Santo Anto, Grvala, Bezerros, Bonito, Caruard,
Altinho, Garanhuns, Baique, S. Rento, Rom
Conselho,, Aguas Bellas e Tacarat, as tercas
feiras.
Pod'Alho, Nazareth, Limoeiro, Brejo, Pesqoelra
Ingazeira, Flores, Villa Bella, Cabrob, Boa Vis-
ta, Ouricury, Salgueiro e Ex, nas quartas
eiras.
Segunda vara do civel: guanas e sabbades a i
hora da tarde.
Serinhaem, Rio Formoso.Tamandar, Una, Bar-
reiros, Agoa Preta e Pimenteiras, nas quintas
feiras.
EPHEMERIDES DO MEZ DE JUNHO.
1 Quarto cresc. as 6 h., 1 m. e 58 s. da m.
9 La cheia as 7 h., 21 m. e 16 s. da m
16 Quarto ming. as 4 h., 33 m. e 28 s. da m.
23 La nova as 5 h., 37 m. e 34 s. da m.
30 Quarto cresc. as 11 h., 20 m. e SI s. da
AUDlBlCIAS DOS TR1BUNAES DA CAPITAL
Tribuna+do eommercio : segnndas e quintas.
Relag jergas e. sbados s 10 horas.
Fazenda: quintas s tO horas.
Juizo doeommercio: segundas as U horas.
Dito 4* erphos: tergas sextas s 10 horas.
Primeara vara do civel: tercas e sextas ao meio
dia.
Segunda vara do c vil: quartas o sabbados a 1
hora da tarde.
DIAS DA SEMANA.
12. Segunda. S. Jo.lo de S. Facundo; S. Onofre.
13. Terga. S. Antonio de Lisboa f. padr. do bisp.
14. Qurta. S. Basilio magno b. dout. da egr.
15. Quinta, efc Corpo de Deu*. S Modesto m.
16. Sexta. S. Juao Francisco Regis; S. Julia m.
17. Sabbado. S. Thereza r. de Lyao; S. Rainero.
18. Domingo. Ss. Leoncio, Tribuno eTheodolomm
PREAMAR DE HOJE.
Primeira as 7 horas e 42 m. da manhaa.
Segunda as 8 horas e 6 minutos da tarde.
PARTIOA DOS VAPORES COSTEIROS.
Para o sul al Alagoas a 14 e 30; para o norte
ata a Granja a 7 e 22 de cada mez; para Fernan-
do nos dias 14 dos mezes de Janeiro, marco, maio,
julho, setembro e novembro.
ASSIGNA-SE
no Recife, na livraria da praga da Independencia
ns. 6 e 8, dos proprietarios Manoel Figneiroa de
Faria & Filho.
fa-
es-
PARTE 6FFICIAL
GOYKRNO DA PROVINCIA.
LE N. 633.
Antonio Borges Leal Castello Branco, presidente
da nrovincia de l'ernambuco :
Faro saber a todos os seus habitantes que a
sembla legislativa provincial, sob proposta da
mar municipal do Ouricury, decrela os seguinjtes
artigos auditivos as posturas da mesma cmara
Art. 1." At o raez de agosto de cada anno sefo
rogadas todas as estradas gentes e transversas
deste. municipio, devendo ter aquellas a largura de
30 palmos e estas a de 20.
Ari. 2." Os proprietarios, donos de sitios oa
zendas que no praso marcado nao rogarem as
iradas existentes ero suas trras, soffreroa milita
de I O por cada estrada, duplicando-se dita multa
na reincidencia.
Art. 3.' As disposigSes do artigo antecedente es
tendem-se a cada um dos consenhores dos terrenos
possuidos em commum, e quando na proprleiade
nao existam os legtimos donos e nem morem piles
dentro do municipio, o colono ou foreiro, que nella
morar, lica sujeilo a multa estabelecida cima na
falta do cumprimeoto do que exige o art. 1
Art. i. Os proprietarios lazendeiros e agficul
tores residentes neste municipio sao obrigadqs em
todos os aunos at e mez de outubro a entregar ao
respectivi liscal cincoiinta cabegas de aves e ani-
ma.> damninhos lavoura e acreage; os contra-
ventores seriio multados em 85 e no duplo nal reiu
cidenria.
Art. o. Os flscaes sao obrigados a apresehtar a
cmara na sesso immediata a extincgo do I praso
marcado no artigo antecedente, urna relagao das
pessoa* que cnmpriram a determinago desse mes-
mo artigo, contendo igualmente o numero total das
eabegas de aves e animaos distruidos que Ihe tive-
rem sido entregues.
Art. 6.* As frentes das casas desta villa sero
caiadas todos os annos no mez de novembrq, repa-
Tando-se na mesma poca as calgadas que estive-
rem deterioradas; os donos das casas, e na falta
destes os inquilisos iicam sujeitos multa de IOS
pela transgresso deste artigo e ao duplo desta
quanlia na reincidencia.
Art. 7. Os flscaes sao obrigados a examinaren!
x> estado das estradas durante o mez de setembro
de cada anno, cando sujeitos a darem tontas ou
parte a cmara immediatamente das multas que
iouverem imposto, sob pena de suspensq do em-
prego por oito at trinta dias por cada vea que in-
correr em falta ou omisso das determinares deste
artigo.
Art. 8." Os caes que forem encontrad s soltos
nas ras desta villa serio mortos por ordi m do lis-
cal, exceptuados aquellos que irouxeremj colelras
com a marca de seus donos, que licara ob "gados a
multa de 5 por cada vez que fr um do seu cao
encontrado nas ras.
Art. 9. A disposigo do artigo antecedente nao
comprchendeos pequeos caes cabelludos e dogues.
Art 10. Todo aquelle que for encontrado tirando
madeira de cerca alheia sem licenga do respectivo
dono, soffrera' tres das de priso, al
obrigado a reparago do damno causadc
do for o contraventor menor ou escrav
pais, tutores u senhores obrigados a reu
Art. 11. Ficara revogadas as disposigo
trario. *
Mando, portanto, a (odas as autoridades a quem
o conhecimento e execugo da presente resolugo
pertencer, que a cumpraiu e fagam cumprir to in-
teiramente como nella se conlm.
O secretario do goveroo desta provincia a faga
imprimir publicar e correr.
Palacio do gjverno de Peroambuco, 16 de maio
de 1865, quadragesima quarto da independencia e
do imperio.
L. S.
Antonio Borges Leal Castello
Sellada e publicada oe^la secretaria
de Pernambuco, aos 16 de maio de 18'
O secretan
Dr. Francisco de Paula
Registrada a 0. do livro 7o de leis
Secretaria do governo de Pernambuco,
de 1865.
O escripturano da 4 i
ment de 30 pares de chinelas, compradas para a
enfermara militar das Alagoas, mas tambero a
somma necessaria com o pagamento de 1,250 pa-
res de sapatos, que tambem foram comprados para
o Io corpo de voluntarlos desta provincia, e pro-
vimento daquelle arsenal segundo consta do pre-
dlto offlcio.
Dito ao mesmo.Antoriso a V. S, a pedido do
lente reformado do exercito Epiphanio Borges
de Menezes Doria, e visto nao haver crdito para
esse lim, a mandar pagar sob minha responsabill-
dade, nos termos do decreto n. 2,884 do 1" de fe-
vereiro de 1862, os vencimentos do supplicante, re-
lativos ao mez de maio ultimo.
Dito ao mesmo.Sendo necessario ao servigo
qoe fiquem nesta provincia oito das pragas da
compauhia de cavaliaria, que tem de seguir para
a edrte na forma das ordens imperiaes, exped
neste sentido as convenientes ordens ao coronel
commandante das armas e o autorisei a mandar
conservar oito cavallos da mestna companhia para
uso daquellas pragas, sendo os deraais vendidos
peles meios indicados por
DE
OVERWO DO BISPADO
PERNAMBIJO.
SEDE VACANTE
Expediente do da 5 de junlto.
Offlcio ao Exm. presidente da provincia.Che-
gou-me s mos, com o offlcio de V. Exc. de 21 do
prximo passado, copia da lei n. 616 de 9 do mes-
mo, que eleva cathegoria de villa a povoagao de
>. Jos de Bezerrns, cuja freguezia reunida de
Gravat, Oca formando um termo annexo ao do
Bonito, Arando pertencendo a elle a freguezia de
Quipap.
Dito ao mesmo.Tenho presente o offlcio de V.
Exc. de 31 do prximo passado, Iransmitlindo-me
copia da lei n. 620 de 9 do mesmo, que transiere
a sede do termo e comarca de Tacarat para o ter-
mo de Floresta, ficandoaquelle termo annexo aes-
te, bem como restitue ao de Cimbres, a ribeira do
riacho Liberalsinho com todas as suas aguas.
Dito ao coadjutor pro-parocho de Ipioca.Com o
seu offlcio de 21 do prximo passado recebi o rea
. ^nJ'"mel-*nJonio Francisco Duarte, 2 teen- E provavel que para entao as leigSes geraes es-1 var a hoirivel crise nne teayudante de ordens interino encarregado do de-' tejam j concluidas, pois se presme que em prin-! I"? JffiuKKP**! ff*?er,a de Dl
cipio de julho o parlamento ser dissolvido
tal he.
EXTERIOR.
declaro a V.; torio dessa freguezia, conforme eu ped pela circu-
lar de 22 de abril, e nao posso deixar de louvar o
ei, o que
S. para seu conhecimento.
Dito ao mesmo.Nao havendo juiz de direto na zelo e cuidado com que V. Rrma.se houve no des-
comarca de Tacarat, recommendo a V. S. que empenho dessa commissao, euvlando um relatorio
mande entregar ao juiz municipal bacharel Vicen- \ circumsiaBciado, e at curioso sob essa fregueria.
te Ferreira Lima a quantia destinada ao cooiin- Apresenta-sc to smente urna duvida : desejo sa-
de ticar
e quan-
iieam os
ragao.
s em con-
eegao,
Theodoro Jos Tai ares.
Expediente do dia 9 de jonho de 1865.
OfQcio ao coronel commandante d s armas.
'raneo.
o governo
alies.
rovinriaes.
16 de maio
Srvase V. S. de dar as suas ordens,
a msica do 4 batalho de arlilharia i p se apre
sent na companhia de voluntarios de
tes no dia 11 do correte as 7 horasj
para encorporada a mesma companiia ir ouvir
urna missa na igreja de Nossa Sen lora da Es-
tancia.
Dito ao mesmo.Mande V. S. abrir assentamen-
to de praga n. 2o corpo de voluntan >s a Miguel
Francisco de Sant'Anna, que tendo-i e ausentado
da companhia de homens pretos apre entou-se ao!
commandante daquelle corpo onde deseja servir. I
Dito ao mesmo.A vista da su ir formagio n. j
995 de 7 do correte, auloriso V. S. a mandar dar
baixa ao soldado do 2 corpo de volu tarios Fran-
cisco Pereira Maciel, queassim o solici ou allegan- '
do ter olferecido dous fllhos para servi -em no mes-
DO corpo.
Dito ao mesmo.Sirva-se V. S. de nandar sub-
metler a nova iospecgo de saude o viluntano da
patria Ignacio Vicente de Araujo, que assim pede !
no incluso requerimento.
Ditoao mesmo.Pode V. S. manda vender em
basta publica como propoz em seu ofllt io n. 973 de
i do corrente a cavalhada da companl ia de caval-
iaria que tem de segnir para a corte, c onserrando-
se porm oito cavados para o uso das oito pragas j
que devem Picar nesta provincia como declare) em
meu offlcio de hontem.
Ditoao mesmo.Mande V. S. dar biixa aoabo '
de esquadra da companhia de voluntar os da patria
de homeirs petros Henrique Rodrigue! de Seixas, i
visto que segundo o seu offlcio n. 104 de 8 do
corrente, foi considerado incapaz do serrlgo em :
iospecgo do saude.
Dito aomesmo.Expega V. S. as suas ordens
para que a /orea do corpo de guarnigo seja dis-
tribuida pelos termos do Granito, Ouricury, B5a-
Vista, Tacarat e comarca de Flores do modo in-
dicado em a nota junta, continuando a permanecer
no ultimo daquelles termos o restante maior do
mesmo corpo.
Dito ao inspector da thesourara de fazenda.
Na falta de crdito mande V. S. pagar, sob minha
responsabilidado nos termos do decreto n. 2,886,'do
1 de fevereiro de 1862, os vencimentos relativos
ao mez de maio ultimo dos empregados nao so das
fortalezas da provincia com exrepco somente das
desta capital por ja esta' autorisado, mas tambem
da enfermara militar desta capital.Communi-
cou-se ao coronel commandante das armas.
Dito ae mesmo.Certo do contedo de sua in-
formarlo de 9'do corrente, sob n. 381 dada cer-
ca do offlcio do director do arsenal de guerra n.
279 do Io deste mez, antoriso V. S. a despender
sob minha responsabilidade dos termos do decreto
n. 2,884, do 1 de ferereiro de 1862, nao so a .
quantia de 364, qae falla para completar o paga-'
alim de que
homens pre-
da manhaa
gente da guarda nacional, que tem de vir d'aquel-
la comarca.
Dito ao inspector da thesourara provincial.
Constando de offlcio do chefe interino da reparti-
g3o das obras publicas, datado de hontem, e sob
n. 167, que a obra da ponte do Pontal na ilha de
Itamarac deva ser receida provisoriamente e nao
definitivamente, como por engao sollcitou aquel-
le chefe em oulro offlcio n. 156, do Io deste mez :
assim o commuoico a V. S. em additamento ao
meu ofli io de 5, e para o lim conveniente Com-
municou-se ao chefe interino da reparueao das
obras publicas.
Dito ao Dr. chefe de polica.Remetiendo inclu-
so por copia o offlcio de 8 do corrente em que o
director do arsenal de guerra communicou me ter
se apresenlado n'aquella repartigao o Africano
Manoel, dizendo ter sido preso no porto de Gal-
liuhas e conduzido em 1856 para a casa do raajor
Antonio Lourengo, que o deu em dote como escra-
vo a seu genro Jos Felippe Correia de Castro, te-
nho a recommendar a V. S. que mediante as ne-
cessarias averiguagoes proceda a semelhante res-
peito como fr de direito.Comraunicou-se ao Dr.
curador de Africanos.
Dito ao commandante do corpo de polica.De-
volvendo a V. S. os 2 processos a que foram sub-
mettidos os alferes e prag do corpo sob sen com-
mando Leodegano Liberato Pereira Caldas, Joa-
quim Herculano Pereira Caldas Jnior e Ladislao
Marques de Mello para o fin de cumprir-se as
sentencas absolutorias nelles proferidas pela junta
de ultima instancia, recomraetito'H qne em ca-
sos idnticos faga sempre juntar aos mosmos pro-
cessos a f de offlcio dos aecusados.
Dito ao conselho de compras do arsenal de guer-
ra.Autoriso o conselho de compras do arsenal
de guerra a comprar para supprimento do almoxa-
rifaoo do mesmo arsenal os objectos mencionados
no pedido incluso.Communicouse a thesourara
de fazenda.
Dito ao mesmo.-Autoriso o conselho de com-
pras do arsenal de guerra a comprar para sppri-
mento do respectivo almoxarifado os objectos men-
cionados no incluso pedido.Communicou-se a
thesourara de fazenda.
Dito ao directrtr da companhia de Beberibe.
Ficando inteirado de que pela assemb a geral dos
accionistas da companhia de Beberibe, reunida em
31 de maio ultimo, foram eleitos os membros da
directora que deve funcc.ionar no anno financeiro
do Io daquelle mez ao ultimo de abril de 1866, e
cujos nomes vem mencionados no seu offlcio de 6
do corrente, sendo Vmc. director, eu me congra-
tulo pelo cincero desejo que por seu intermedio
manifesta a nova administrago de promover e
coadjuvar qualquer mclhoramento publico, que del-
ta possa depender.
Dito ao director geral interino da instruegao pu-
blica.Designo a professora Joanna Justina de Si-
queira Varejo para fazer parte da commissao de
exames de que trata o seu offlcio de 8 do corrente
sob n. 164.
Circular aos joizes de direito.Achando-se o
lente Thomaz Rodrigues Pereira e alferes Car-
los Jos de Cerqueira enrarregados de, na com-
missao a que vao ao interior da provincia, agen-
ciar voluntarlos para o corpo de polica, recom
mendo a Vmc. qne para esse flm, Ihes facilite os
meios ao seu alcance.
uito ao juiz municipal do termo do Brejo.In-
teirado do que communica-me Vmc. em seu offl-
cio de 20 de maio ultimo, tenho a dizer-Ihe que
designo o dia 12 de julho prximo vindouro para
a reunio do conselho municipal de recurso desse
termo, cuja convocagao dever Vmc. fazer de con-
formidade coma lei.
Portarla.O presidente da provincia attendendo
ao que requereu o arrematante da pintura da
ponte de ferro por detraz do theatro de Santa Isa-
bel, Manoel Antonio Teixeira, resole prorogar
por 15 dias o prazo marcado ao supplicante para a
conclosao daquella pintura, a contar do dia em
se llndou esse prazo.Fizeram-se as
communicagdes.
Dita.O presidente da provincia tomando em
considerago o que expoz o inspector da thesou-
CORRESPOXDEKCIAS DO DBA
mo dr pkrttawnre
liO n i;*.
33 de maio de 186o.
Recebemos hontem nesta capital a mala do Bra-
sil vinda pelo paquete de Brdeos.
As correspondencias do Rio da Prata annunciam
que a guerra seacha immioente entre a Confede-
ragao Argentina e o Paraguay, e alguns jornae* de
Londres tinham mesmo publicado ha dias que es-
se soccesso havia ja lido lugar. Acredita-se poim
para
sem demora proceder-se aquelle acto constitucio-
nal : entreunto qur a eleigao geral esteja feita ou
nao, a viagem da soberana da Gra-Bretanha se
realisar nessa poca, por que est fixada para en-
tao a inaugurago em Gotha de nina estatua eleva-
da ao principe Alberto, solemnidade a que a rai-
nha promelteu assistir.
Chegou com efiito a Londres no dia 16 do cor-
rente, de regresso da sua viagem a Allemanha, sua
! alteza a princeza imperial do Brasil acompanhada
1 do seu augusto marido o conde d'Eu. Suas altezas
acham-se em Claremont, onde permanecerao at o
dia 27 do corrente, em que embarcarao em Sou
thampton a bordo de um dos paquetes da linha de
Malta, que deve tocar em Gibraltar onde aquelles
principes desembarcarao, segoindo para Cdiz, Se-
vilha e Madrid. Portugal ser o ultimo paiz que
.i, -m^s nana ja uuu lUKdT. ACrtSU IM-SC 1)01 tlll ,.. ,1,^.. .. -, .->-- ------------------- r---- -,--
geralmente nesta praga que a loucurado presiden- :???? .!M a *mem' devndo tomar
io ijn nt,nni, __. j. _..... 1 .__... ain a 25 de unlio nroxinio o naonate francez de
entre a Graa-Bretanha e a Unio.
Do Pacifico temos noticias at principios de abril
ultimo, sendo importantes as qoe se referem ao
Chile. Bolivia e Per.
Urna parte da esquadra hespanhola sob o com-
mando do almirante Pareja se achava em Valpa-
raso, por ordem do governo de Madrid, que insiste
cem aquellla repblica pelo pagamento de certas
reclamacoes. O espirito publico all est altamente
irritado rom essa presso, mas agora que a Hespa-
nha acaba de conseguir do Per todo quanto re-
clamou, o governo chileno nao arriscara1 provavel-
mente por urna rerusa a paz entre a repblica e a
potencia reclamante.
Em Valpariso fallava-se na probabilidade da
construegao de um telegrapho elctrico entre esse
ponto e Panam', obra de urna immensa otilidade
publica ecujo custo nao e extraordinario, subindo
apenas a dous milhoes de dollars. Urna companhia
se propoe a realisar aquella idea, mediante urna
ro no decurso do mez de julho.
Em Madrid e Lisboa os principes brasileiros sao
j esperados, e nenhuma duvida ha quanto ao mo-
do brilhante com que sero all recebidos; de parentesco desses personagens com as familias
rio argentino, pirque esse seria o signal de urna
allianga ofTensiva e defensiva entre Bueuos-Ayres
e o Brasil, allianga que determinara mais promp-
tameote a queda do dictador paraguayo.
O desejo que entretanto prevalece neste merca-
do o ,da manntehgo da neolralldade por parte
ber que deuomioagao tem hoje essa freguezia
norte d'onde V. Exc. diz que foi desmembrad |JT '"^2^^'""" w|u syujpauias que minar auaiauer focc^W.rieVVh*,n~i
fre-uezia de Ipioca.-Espero que V. Rvma. me es-' ,"* Por *.> 'ecnndar.as, e porqui aquelle es maif nue eme o Rr'Tf iltXl*2*
clarecer a esse respeito, assim como ser sollicilo '' ud. canv.r.a melhor aos interesses commerciaes exi tem relacTes PSi ni mn i S
em commnnicar-rae d'ora em diante todas as alte-; bntanniros. Pelo que respeta Montevideo, a satis- fSSXtrt^t2SS2^ Q
ragoes que se derem na sua freguezia, como re- fao que aqu se manifesta pelo resultado daul- EnfvSSsn SL ftS^v em
commendei no flm da circular de 22 d abril. itima S8"3 f cmpleta, fazendo-se comprehend.da ca8a do dunue de Saxe f^fih n ? t?Rf, J
Dito ao vigario de Quebrangulo.-Respondo ao *?"" n fom "ue o governo imperial actuou Jue Zp^a no B 5 ei ima nrinma
seu offlcio de 30 do prximo passado, declarando- dna'fiIconfl'c",> ,rovocado l* '""io Uopo'.dina Tenas mSKfSSffZ
o quT vma^eerSdet EM As fas lorzas pub.lcaram igualmente que a ^SS' eTl^tr S SS
impedimento resultante da falta deconsentimento suad br9sileira >ha partido para bloquear as nrimaTKntonW^SSfl^^SK
da mi do contrabente; e V. Rvma. assista ao re- iTres ***. mas ogoverno brltannlco nao intimoo ISoTo^miT^ES^^Z^GfS^rS^
cebimento matrimonial dos nubentes, se aliunde Por emquanto aquelle acto de guerra por onde va- gSSJ COnae d Lu eom uma das GrdoCruzes
nao apparecer ou Ihe nao constar algom outro im- m* cora*?" 'ola contra Lpez. s ,V .. hn(nBll,r .... ,
pedimento cannico oucivil.-Devolvo-lhe o alvar uProJp;cl dt amalganagao entre o banco Mau i^S^t!^tS!^vl^^.
eos proclamas. &Mac regor eo London & Bazillan Bank, de
Dito ao vigario do Bonito.A' vista do que me ?08 "??.** tempos, foi votadofavoravelmente pe-
expde no seu offlcio de 21 do prximo passado a |,a assmbla geral dessa companhia ingleza ; de
que respondo, obrou em regra V. Rvma. declaran-. modo *u.e no de Janeiro de 1866 o Novo Banco
do nullo o casamento de N...} ligados no 3 grao coniegar a fonecionar, tendo como um de seus
de consanguinidade, uma vez que ell^s abertamen- i rectores o barao de Mau. .. .
te recusavam tirar a dispensa e revalidar o casa-1 As acgjs do Lomlon A Bazilian Baok que ha-1 Alm de Vienna i nrincines visiiaram Gotha
ment. Agora, pois. Ihe remeti inclusa a neces- .] v.am subido a II de premio |x>r occ siio de an- n ulZJSTZ 5% driKnha, b^m que"
pidez que apenas tiveram o
lempo bastante para lomarem o conhecimento das
cada uma dessas localidades
que de Saxe hoje muito alliado com a nossa fami-
lia imperial; mas foram constantemente obsequia-
das por suas magestades, qne Ihes oflereceram di-
versos jantares, um concert e mais festas, mos-
trando o maior empenho em agradecerem a seos
e recusavam tirar a dispensa e revalidar o casa- *" CVV; wuuiihou a nazuian oanK que na- i im ,.- vipnna estes
nenio. Agora, pois, Ihe remello inclusa a necessa-' Vl>"> subido a II de premio por occasiio de an- Dresde "'==
ia dispensa, e espero que Rvma., olvidando a pri- ^w^lSQ J;luelia fasao. a^ham-se com o premio 0 fizessem com tal rao i
neira reluctancia dos conlrahentes, e so tendo em dt*J*,3a *,aWez PorfIae publieo depois de le ~ 0flstante oara tom
vistas o bem das suas almas e a docilidade com reflerfp esteja disposlo a esperar pelos resultados e
que se submetteram aos preceitos da igreja, apro- da nova empreza antes de canonisa-la. A verdade encrra 'H
veitar asfelizes disposigoes que ora os animam, e 1" m nao houver urna bda administrago aqui; No pr|ameD[0 britanco ,s m t nniitiras
proceder a reval.dagao do matrimonio, sem qae e emlodos os pontos, os grandes interesses que se mJSSSSSSSt ^SSSJS
nar issn seiam norsrin nn-,B nr^hm H esDett Y rao 3. ser cons deravalmenta annulados : L ? suiao "'mmente grande importancia. Mr.
para isso sejam necossarios noros proclamas.
_ 6
blelo ao Exm. presidente da provincia das Ala-
goasTenhn presente o olHoio do E*. de 9 do
prximo passado, enviando-me por copia o projerto
que crea a freguezia de Cururipe, desmembrada
da do Puxim, atim de que eu d sobre elle ojneu
tal sempre o risco que ha
ranjfnrato'es longiqoas..
uestas emprezas com
Baines apreseniara um pmjecto 6 lei tendente re-
duzir a St 6 o censo dos sobditos britanicoscom di-
na ultima qoinze
parcer,"po'r'assiiii o haver "d"elberado"a assembla na seu descont de 4 Oo a 4 1)2 0|o ; entretanto
provincial dessa prvincia. 9 mercado monetario abundante, sendo que no
14
O banco de Inglaterra elevou
Teve porm de ver aquella medida rejeitada por
74 votos, nos quaes ligoram nomes de ambos os
partidos, sem que a respeito de uma to grande
Informado como loo de que, com a creaglo da Stock Excitan e nos Jaini Stock Banks o descon- ^esio'poWos anda saber qual o verdadeiro I""f" f!Z
obrada toiadado Pu- o tem regu lado a 3 i, Ojq. oq 2redo do. don. grandes grupos oliticos em que se I J? re ffi flf^Z
Os consolidados
rista
inglezes 3 0)0 ficam a 89 1|8 divid(! aGraa-Bretanha.
freguezia de Cururipe, desmembrada
xim, lira esta demasiado pequea, sem poder talvez
proporcionar meios de decente subsistencia aoHvd.
parodio respeclivo, como exigem as leis ecclesias-
ticas: reconhecendo por experiencia os gravissi- s
mos inconvenientes, que de laes freguezias resul- 19,3!4- ardos a "10 a 78. Hespanhoes 3 01o a 47
tam para a administrago ecelesiaslica, visto como 1(4. Portuguezes 3 0|Q a 48 _1|2. Russos > 0|Q a
nleressados e que espera obter. Quando possnire-
mos nos no Brasil uma linha telegraphica que do
sul do imperio se estenda at o Para', abreviando
assim para mnitos flns a distancia que existe entre
ojmpeno e a Europa? A verdade que a execu-
gao de semelhaoleobra havia trazer-nos vantagens
econmicas imensas, desenvolveodo cada vez
mais o nosso eommercio.
Da Bolivia referem em 7 de abril que Belzu fura
morto por um soldado do presidente Melgarejo, de-
pois da tomada de la Paz por esta autorldade, que
alli fra para dehellar aquelle cand.lho. Belzu ha-
via entrado a 22 de margo em la Paz, proclaman-
do a deposigo de Melgarejo que se achava enlo
em Orueco; mas atacado alli pelas forgas legaes,
tevo de entregar aquella cidade, perecendo a's
mos de um simples soldado que Ihe dispara'ra
um tiro no momento em que aquelle rebelde depu-
nha a espada aos ps do vencedor.
Este triste successo causa'ra satisfagao aos es-
trangeiros, que receiavam o dominio daquelle des-
pota pelo odio com que sempre n trata'ra foi as-
sim que a Providencia os livrou de um inimigo
gratuito, sendo que o presidente Melgarejo busca
sempre conciliar os interesses do seu governo com
os dos residentes estrangeiros naquella repblica.
Do Per consta que Cajamaica se revolucionaba
em 4 de abril contra Peiet, declarando este traidor
e proclamando conseguintemente presidente da re-
publica o vicepresidente Canseco. Paita, Puica e
Lambayeque, seguiram o mesmo exemplo ; mas o
general Pezet mantinha todava em Lima a sua au-
toridade legitima.
Depois de haver fechado a minha ultima missiva,
foi aqui recebida a noticia da captura e morte de
Boolh, assassino do presidente Lincoln.
^ No dia 26 de abril foi elle perseguido, e morto
n'uma pequea propriedade nas margeos do Rap-
panock, oa goal se refugia'ra com um certo Haw-
mintte" TF^a Wo jtfeVulaTWlt Mtnt-
do intimado para esse flm.
Apenas fora langado o fogo ao asylo que abriga-
va aquelle malvado, preparou-se este para vender
cara a vida lulando so contra uma forga numerosa;
mas os seus dias estavam contados, e antes de ha-
ver resistido cahio mono.
Os fundos brasileiros 5 Om esto de 99 a 101, e nnnnc~3n
s 4 1|2 0|o de 1863 a 811|1 e 82. Gregos 5 0|0 a ZmiS
nao havendo sacerdote que as queira, nem mesmo
por encommendago, fleam sem provimento, como
iotelizmente j existem algumas na diocese; resul-
tando d'ahi gravissimo damno ao bem espiritual
dos fiei-, nico flm legitimo da creago e diviso
das parochlas; nao posso prestar a minha annuen- ?9 s- a Io.s- Por tonelada. Caf de 1
90 l|2. E turcos garantidos 4 0|0 100 1|2.
O algodo de Pernambuco tica colado em Liver-
pool de 14 d. I|2 a 16 d. por libra ; o do Mar-
nho a 17 d., e o Baha a 15 d. por libra. Cacao
do Brasil de 37 s. a 59 s. per cwt. Pao Brasil de
qualidade de
cia divisao projectada. Mas, reconhecendo que a
reclamago dos habitantes de Cururipe alteodivel,
visto como esta povoagao actualmente, o pooto
mais populoso, e florescenle da freguezia, e supe-
rior a todos os respeitos a' villa do Puxim; de bo.n
grado consinto na transferencia da sede da fregue-
zia para ella, com o que se concilia a commodlda-
de dos povos com os legtimos interesses da igreja.
E' este o meu parecer qu-< V. Exc. se dignar
fazer chegar ao conhecimento da Ilustre assem-
bla dessa provincia
Dito ao mesmo.Tenho presente ojoff) :io de V.
Exc. de 29 do prximo passado, enviando-me por
deliberarlo da assembla legislativa provincial o
projecto que crea a nova freguezia de Jaragua',
71 s. a 80 s. por cwn ; 2a dita de 64 s., 70 j e or-
dinario de 52 s. 63 s. por cwt. Assucar branco de
Pernambuco e da Parahyba de 33 s. 26 s. 6 d. por
cw ; masca vado de 18 s. 22 s. Dito branco da Ba-
ha de 22 s. 26. s. por cwt; mascavado 18 s. 6 d.
21 s. 6 d. Couros seceos do Rio 6 d. 1|2 a 8 d. 1|2
por libra ; ditos salgados do Rio Grande 4. d. a
5 d. 3|4.
Na ultima quinzena houvo o seguinte movimen-
to marjiimo :
De Fernambo chegou a Clyde (8) James Steward,
de Pernambuco Boinagne (10) a Clyde ; da Baha
Harriet (12) aCiverpool ; da Ba Baha Caledonian
(12) a Falmouth;d e Pernambuco Neva(17) a Liver-
pool ; do Rio Grande Melina (17) Clyde ; e da
na populosa e rica povoagao de Ja ragua, e conse-
guintemente presto a minha annuencia creago
projectada.
Dito ao vigario da imperatriz, nas Alagoas.Em
resposta ao seu offlcio de 19 do prximo passado,
tenho a dizer-lhe que bem penseu V. Rvm. que eu
foi mal informado quando Ihemandei que enviasse
os novos livros da sua matriz ao Rvd. vigario de
Sant'Anna de Panema, que dista dessa freguezia 41
necessarias leguas de pessimos caminhos. Todos os dias expe-
rimento a falta de uma |stalistica desta dioceso que
me habilite a coohecer as necessidades locaes e o
meio mais fcil de as remediar. Ja sollicitei as ta-
rara provincial em offlcio de o deste mez sob n. formagoes dos Rvds. parochos, e aguardo o cum-
226, resolve abrir um crdito supplementar na im- primelo da circular de 22 de abril ultimo, afim
portancia de 7:786$888 para occorrer at o flm de prover a uma das primeiras necessidades para
do correte exrcicio s depezas de que tratam i o bora rgimen da diocese.
os artigos 13 2,14 1, 31 3, 33 5, 35 e 43 j Pode, pois, V. Rvma. devolverme o offlcio qne se
ei do orgamento vigente, visto serem insuffl- acha em seu poder para o vigario de Sant'Anna, o
desmembrada da freguezia Macei, capital des- Uahia Gluckauf (18) a Clyde.
sa provincia, afim de que, eu d sobre elle o meu De Inglaterra seguiram : de CardifT Betty (9) pa-
parecer. Em resposta tenho a honra de declarar ra a Baha; de Newport Albina (17) para Per-
V. Exc. para que se digne levar ao conhe- nambuco ; de CardifT Flora (18) para o Rio de Ja-
cimento da illustre assembla provincial, que re- ?eiro ; e de Liverpool Diana (19) para o Rio de
conhego a conveniencia de crear-se uma freguezia
neiro
Janeiro
da
cenles os crditos votados para esse flm, como se
v da demonslragao que velo annexa ao predito
offlcio.Coraraunicou-se a thesonraria provincial.
Dita.O presidente da provincia resolve, de
conformidade com o disposto no 1 do artigo 10
do regulamento que baixou com o decreto n. 2,551
de 17 de margo de 1860, nomear Manoel Pereira
Camello Pessoa para oceupar o lugar de cobrador
da recebedoria de rendas internas desta capital. =
Communicou-se a thesourara de fazenda.
Despachos do dia 9 de junho de 186o.
Requerimnlos.
Antonio do Reg Barros.Informe o Sr. direc-
tor do arsenal de guerra.
Carlos Luiz Verrane.Mostr o supplicante que
se acha rescendido o contrato que celebrou com o
contratante da limpeza e esgoto desta cidade, se-
gundo declara o cnsul da Blgica, sem o que nao
pode ser atteodida a sua pretengo.
Joaquim Pedro da Costa Moreira Informe o
Sr. inspector da thesourara de fazenda.
Manoel Raymundo do Nascimento.Informe o
Sr. commandante superior da guarda nacional do
municipio de Goyanoa.
Manoel Jos dos Santas.Informe o Sr. com-
mandante superior da guarda nacional do
cipio do Recife.
qual tica sem efleilo, por autorisar eu nesta data
e para o mesmo flm, o vigario de Atalaia, qoe fica
mais prximo a essa freguezia.
Dito ao rigario de AtaJaia.Autoriso a V. Rvma
para por esta vez numerar e rubricar os livros
que Ihe forem apresentados para o uso da fregue-
zia da villa da Imperatriz nessa provincia.
COMAM!) das armas.
Quartel do eommando das armas de Pernambuco
ni cidade do Recife, 11 de junho de 1865.
Ordem do dia n. 77.
O coronel commandante das armas interino faz
certo para conhecimento da guarnigo e effeitos
necessarios, que a presidencia nomeou por porta-
ra de 10 do correte paraservirem deofficaes no
2 corpo de Voluntarios da Patria, em organisago
nesta provincia, os senhores abaixo mencionados :
Para o estado maior.
Tenente-ajndante o alferes do 2 batalho de infan-
tarla Jeronymo Ignacio dos Santos.
Para as compaohias.
moni-' Capillo Bernardo Luiz Ferreira Cesar de Loureiro.
Tenente Sabino Cidromo Alves de Castro.
Manoel"Feht da Silva.Apresente-se no qnarlel I Alferes Francisco Mattos da Silva Santiago,
do eommando das armas para ser inspeccionado. Dito Frederico Augusto Velloso da Silveira.
Sabino Americo Pessoa de Mello.Apresente-se' Di Francisco Lopc-s de Siqueira Granja,
no quartel do eommando das armas. Dito Francisca Perewada Cunha.
Salvador do Souza Braga. -Indeferido em vlstai Dito Joao Carollno do Naacimento.
da iofor maco. Dito Joaquim dos Santos Jorge.
i (Assignado.) Jos Mana Ildefonso Jacome da
1 Veiga Pernee Bktlo.
tendo sido ferido na es-
[ pinha dorsal por uma baa da guarda que o havia
Mr.D.sraeli.chefedaoppos.gao, votou contra a nIimati0. Expirou puaco tem6po ie^ e 0 seu
posigao sustentando que as classes operaras a' corpo foi |evado parJ Washington
quem esse expediente beneficiaria nao se acha-; Hawrold enlregoa.se a' forca armada, e levado
vam anda no caso de usufru.-lo; Mr Gladstone e para Washington tem passado por nm inlerrogato-
outros fallaram quasi no mesmo sentido de sorte rio qu ja revelou importantes circumsiancias. O
que nem Torre*, nem Wh'gs, querem buscar urna presidente johnson pretende haver descoberto a
solucao para uma questao em que ambos estao em- CUmplicidade de Jefferson Davis e oulros no hor-
penbados para como publico roroso crime de Boolh peio acaba de 0r
Nas prximas eleigSes todava provavel que alpreco a cabea desses nViduos, offerecendo cem
opiniao publica venha a (orear esses partidos a de- mi| do,|ars pe,a do presidente Davisl
Bnirem claramente suas ideas acerca dessa neces- Esta po|illca de vinganga tem provocado aqu e
em outros pontos geral repnmgao ; mas nem por
isso ninguemousara'impedir a marcha sanguinaria
daquelle chefe republicano, porque se recela as
consequencias de qualquer intervengao nos nego-
I cios internos da Unio Americana.
Alguns dos complicados naquelle assassinato se
ram, nas respectivas cmaras, que o gabinete brl-; acnara no Canad', onde parece haver sido tramado
tnico mantena a sua poltica em relagao aquelle esse Crime, e parece que o governo de Washington
grande successo em quanto o governo federal exer- 0S reclama com o pretexto de extradiegao; mas
eer actos de guerra que anectem de porto os dire- acaso a Inglaterra estara' disposta a entrega-Ios ?
tos dos neutros, taes romo a permanencia do blo-, Nada posso afflrmar, mas se viesse a condescender
queio, o direito de visita etc. por que de tes mes- niSS0 teria por esse modo violado o carcter sagra-
sidade poltica que a Inglaterra sent.
Na cmara dos pares lord Houghton, e na dos
communs Mr. While, interpellaram o governo a
cerca da continuarn do reconheetmento da Con-
federago do Sul como b-lligerante.
O conde de Russell e lord Palmerston responde-
Teve com efTeito lugar no dia 9 do corrente a
abertura da exposigo internacional de Dublim por
sua alteza real o principe de Galles. Essa ceremo-
nia foi executada com toda a pompa, sendo aquel-
le principe acompanhado sempre pelo duque de
Cambridge e pelo vice-rei da Irlanda, lord Wode-
house.
Depois de haver assistido alli a diversos bailes e
a uma grande revista militar, qoe teve lugar no
Park Phoonix no dia 11 do correte, sua alteza
real regressou a Londres a 13 deixando geral sa-
tisfagao naquella parte do Reino Unido, onde alias
nao existe umita sympathia pelo dominio da Gra-
Bretanha.
A exposigo internacional de Dublim promette
ser bem suceedida, possuindo riquezas immensas
e melhoramentos em alguns ramos com relaco a
exposigo do Londres de 1862.
A Inglaterra e a Franca se acham alli digna-
mente representadas por seus productos industriaes
sempre em competencia ; provavel que deste no-
vo esforgo venha a resultar novos beneflcios para
o eommercio e industria do mundo.
Sua mgestade a rainha, que regressou de Os-
borne a Windson no dia 12 do corrente, seguio
hontem deste ultimo ponto para Balmoral na Ba-
cossia. Dias antes essa augusta senhora havia reu-
nido no palacio de Buckingham parte da sua cor-
te a quem deu nma recepgo offlcial sendo a quin-
ta vez que durante a presente estarlo Sua mges-
tade compareceu naquella real residencia de Lon-
dres para semeibante flm. Apezar dos esrorgos que
tem feito para contentar o publico inglez desejoso
sempre de ver a sua soberana, a rainha nao con-
tentou entretanto a maioria por aquelle melhodo
de recepgo, porque parece haver privado muitas ca do expediente tomado pelo presidente Johnson
pessoas do direito que tinham de serem convida- de pV a prego a cabega de Jefferson Davls e ou-
das para taes funegoes ; com esse motivo a con- tros, que o governo de Washington reputa implica-
ducta da rainha tem sido criticada, allegando mu- dos no assassinato de Liocoln ; suggerindo ao ga-
tos que sua mgestade actuara contra os costnmes bnete de Londres a conveniencia deste influir jun-
geralmente praticados pelos soberanos deste Reino lo do gabioete de Washington para impedir aquel
mos actos resulta que o proprio governo federal re-
conhece na rebelliao a qualidade de um belige-
rante.
Assim, pois, a Inglaterra nao mudar a sua po-
ltica, at que o presidente Jonhson haja levantado
o bloqueio e renunciado do exrcicio do direito de
visita sobre os navios das potencias neutras.
O governo inglez arana entretanto de revogar as
restriegues que em 1862 posera aos navios de guer-
ra ou corsarios daquelles belligerantes que tives-
sem de permanecer nas aguas territoriaes da Gra-
Bretanha ; e tanto a lempo, que escapou commi-
nagao da proclamagao de Lincoln, pela qual elle
havia estabelecido a retaliagao para os navios de
guerra de todas as nagdes que mantivessem as aln-
delas restriegues.
O presidente Jonhson acaba porm de collocar a
Inglaterra, bem como todas as potencias neutras,
em maiores difflculdades acerca do modo por que
esses governos tero de tratar nos sens portos os
navios da Confederago. Andrew Johnson publi-
cou recentemeBte urna proclamagao, annunciando
que recusar a entrada nos portos da l'nio aos na-
vios de guerra daquellas potencias que receberem
os navios militares da Confederago; de modo que
por essa iotiraago o governo de Washington busca
altacar pela base a resolugo que as potencias neu-
traes baviam adoptado no sentido favoravel ma-
rinha de guerra do Sul.
Mas o que fara agora a Inglaterra, e o que faro
as demais potencias neutrnes ?
Hoje que o movimento do sul se acha quasi ex-
lincto pela derrota das forgas confederadas fcil
prever que aquella proclamagao nao "ir a ter exe-
cugao, sendo que as forgas navaes do sul se acham
igualmente aniquiladas a nao ser um ou dous cor-
sarios que anda percorrem os mares com a bandei-
ra do Palmelto. Este incidente cansa todava aqui
mnita inqnietacao, e o governo inslez nao deixar
de conduzir-se com toda a cautela em taes circums-
iancias.
Mr. Darby Grifflth, membro da cmara dos com-
muns, interpellou ltimamente este ministro acer-
do do asylo, que esta' offerecendo a'quellas creatu-
ras que se diz sao agora reclamadas.
Dizem de Nova York, a 11 do corrente, que
Dick-Taylor, e|Smith se renderara ao governo fede-
ral com todo o exercito da Florida.
Davis se acha na Carolina do Sul.
O ouro Ccava a 131 em Nova York.
Unido. Deve porm ser dito que ja por vezes a
rainha autorisou a princeza de Galles a receb'er em
seu real oome.e no decurso da ultima semana fez
ontro tanto autorisando sua fllha a princeza Hele-
na a receber ua palacio de S. Jame* todas aquellas
senhoras que tem direito de comoarecerem na cor-
te ; pelo que evidente que o. intento dessa augus-
ta senhora nao fora jamis, desapossar ninguem
dos sens privilegios.
Sua mgestade ficar* em Balmoral algumas se-
manas, devendo depois de regressar a Windeor
antes da sua viagem a Allemanha, que so rao j
disse ter legar.nvagostaproiimo.
la poltica sanguinaria. Lord Palmerston respon-
deu, porm, que o governo de Sua Mgestade a
rainha eslava firmemente resolvido a nao intervr
nos negocios internos da Unio Americana, deixan-
do sabedoria do governo federal o decidir suas
quesidee proprias como melhor entendesse.
E' assim que a Inglaterra, receiosa de qualquer
compiieacao com os Estados-Unidos, acata sempre
as resolugoes daquelle povo ; e anda assim que
poderemos esperir ver removidos os receios da
guerra entre a Inglaterra e aquella repblica, pois
o gabinete de Londres est sempre disposto a fazer
^oncessoes compativeis com a sua honra, para sal-
INTERIOR.
BIO DE J1MIBO
* 25 de maio. ()
Esperei muito de proposito o desfecho da crise
ministerial para Ihe escrever sobre ella. O eclyp-
se prolongou-se alm das previ-oes de todos os as-
trnomos polticos; assestei o oculo nos astros para
observar-lhes os movimentos e nao descancei se-
no quando elle findou. Que espectculo curioso !
E' pena nao ser visivel seno na corte. A's pro-
vincias dado apenas julgar das proporgoes do
phenomeno pelas descripgoes paludas e mais ou
menos exactas dos correspondentes dosjornaes. Eu
farei por ser o mais exacto e minucioso.
O ministerio de 31 de agosto, o mais inepto e
ominoso que tem pesado sobre este desgragado
paiz, entendeu que seria eterno desde que contasse
com o apoio de influencias parlamentares, qoe elle
julgava omnipotentes. Por isso nao cuidou, em-
quanto viveu, seno em fazer a corte a essas in-
fluencias, curvando-se a todos 6s seus acenos, ad-
vinhando-lhes os pensamentos para realisa-los O
Furtado chegava a aceitar at avisos j redigidos
nos escrptorios dos advogados, como succedeu ao
aviso de 27 de dezembro, decidindo uma questao
peodente sobre a concordata sollicitada por uma
das casas bancarias fallidas durante a crise de se-
tembro.
O ministerio entendeu que a maioria da cmara
temporaria eslava enfeudada aos Oltonis, Martinho
Campos, Octaviaoo e Tito, e a do senado a Souza
Franco, Abaet e Ferraz, e suppoz que estes atlan-
tes podiam por si s carregar o mundo s costas.
Para agradar aos Oltonis foi at ao extremo de ap-
provar as contas da estrada de ferro, fulminadas
de malversarles pela pericia e honeslidade incon-
testaveis do capitao Viriato de Medeiros.
O plano do ministerio teria de feliz xito se o po-
dero dos seus escolhidos fosse loefflcaz como elle
suppunha. Enganou-se redondamente. J nao ha
cheles de Unto prestigio poltico que possam
aguentar uma situago.
A maioria da cmara temporaria nma mulli-
dlo e nao um exercito, porque nao tem disciplina.
A disciplina inseparavel dos principios, e as in-
fluencias da situago sao homens apenas dos flns,
sem se importaren) com os principios.
(*) Por afluencia de materia accnmulada temos
deixado de publicar esta importante carta.
OsBR.


LEGVEL
:..


-.
*--------
-
--------------
litarlo de PernambnM Tftr^a 'elra 1S de Jtinbo de 18G*-
*r t
N0 nouve llbleza da parle" o*6s' HBSIWS em T lempo que sT rSTlsasse a propheci do Tal- j Hyapur, regan lo a provincia de
sustentar o gabinete. Pelo contrario, foram em-' Iccido viscoode de Albuquerque", que conhecia seu blica de Nova Granada. Entra n
povo. Deixe estar, disse lie, que tambera ha de
vir para ca. Meu dito, raeu feito, Ao cabo de al-
girmas sessBes, o bacalhoerata era o brago dlreito
do gabinete no parlamento, sea fater mais desem-
pacado. Encerradas as caaras veto elle im-
prensa e com todo o desembarazo, declamo que os
actos posteriores do ministerio tinham feito jus a
todo seu rospeito e veneraco. Acredito que todos
os coelhos que sahiram daquello mallo pouco mais
uta
pregados para esse Ara todos os, erreos humana-
mente possiveis. Tbeopbilo Ottoni apenas chegou
de Minas To o da le Sua'cbSgada assignalado
na data do aviso que approvou as contas da direc-
tora da estrada de ierre, nao socefou ain momen-
to, promoverlo reunioes em qne o Abaet procu
rava demonstrar que nao era digno do tome de
brasilero, nem de liberal, tolo aquella qae fazia
opposicao ao Purtado e a seos collegas. A sua
gratido redebrou quando conloa entre os assisten- on menos orcaram por esse, mais ou menos ins-
tes ao ft-Deum da c^pelKaha i' Conceico, todos lincte de eonservacio, mais oo menos appetite pelas
os ministros de Sua Magostado" o Imperador, ex- envs, mas sempre coelho da mesma especie,
cepte e presidente do conselho que deu parte de Sem receto de errar se .pede asseverar qne a H-
doeote. Para mais demonstrar a necessidade im- a ja nao existe, porque o -partido liberal histrico,
(leosa de sustentar e gabinete, o Ottoni ameagava sedento de dominaco exctasiva, fol punido por en-
sena amigos coma eatamidade amis terrivel. Se de havia peccado. O elemento conservador dissi-
o ministerio succumbir, bradava elle, uo serei -eu dente, vendo prxima a sua ruina tramada pelo-31
serei lambeui derrotado. Abram bem lunda a co- o apoio directo das massas rejgio para nao ser
va em que os ministros teo de ser enterrados, pa- esmagado, recorrendn ao escrutinio na questo da
ra que eu tambern possa caber nelty- presidencia. Victorioso nao se quizde lododesem-
Nada valeu as coitado dofabinele. As $romes- baragar do seu adversario, procurou anda parti-
das e ameacas dos seas agradecido* ada*iradores Ihar com elle o poder, maso Ottoni convidado como
nao Ihe prolongaran) a vida um instante sequer.
Alm do apoio dos noves encebado?, o ministe-
rio prepara va nutro era-que depositava as suas
mais charas esperancas. Na secretaria da Justina,
sob os auspicios do Furtado, e direogo do Tito,
delicias nossas, tratou-se de organisk a populari-
dade em larga escala.
O mwiUTio queria-ioipor provincias a opimao
de qOe a populago desta corte beoia os ares por
elle, admirav.o e o viotoriava como! um beneficio
da Divina Providencia.
Quera por este modo actuar sobl"e os deputa-
dos das provincias e empalmar-Mies, ou lilar-lhes
os votos.
Ne foi oulra a razo de ser dos m
agentes iam a secretaria de juetica r
e a seoha, a'importancia do censnm
do Ciinbustrvel uecessario para alimel
dores o fogo do enthusiasmo. E' por isso que com
a mndanc do ministerio levaram de urna vez
sumisso os meetings e seus prorat lores,
esta phautasmagoria desceu ao ocaso (om o tol que
a allumiav.
Mas a cova do ministerio aberta no m
do seu nascimento j nao poda mais
lizmeole soou a hora anclada. O d
de ve ser contado entre os mais fel
raiadoos horisonles da-trra da San
Miea. na repu-1 Acha-se terminado o Inquento qne mandel pro-
jponas neja ceder as contas das cmaras de Silves e serpa,
tendo a eommisso teconhecido as da primeira o
alcance de 6:9102068, e as da segunda o de-----
4:083*070.
Qnalquer destas quanlias avultada compara!! -
?menle receila de cada urna das municipalida-
fortemenle exigem a
margem esqnerda a 2. 20' 4u" lalbode sul e 4 h.
20' 14" long^itade O. ti. As aguas sao crysttTH-
as; tem o no urna milha de larfnr la embeWN
dura, e va! estrellando pouco alea prhneira ca-
choeira, que tica cima 140 leguas prxima-
mente. des ; e os abasos pratica Jos
Em grande parte do anno, pode ser navegado punicao severa dos culpados.
Hvremente por navios qoe demandem ll a 14 pal-1 Ordene! immediatamente que esta se fliesse ef-
moB at as cachoeira* D'abi por diante a diffe- lectiva, bem como que pelos meios competentes se
renca de nivel lorna-se maior> tendo sido at esse pro'movesse a iodemnsaco dos cofres defrau-
ponio insignieante. O afluente mais nolavel do dados.
baixo Hyupur o Apaporys, que flea na margem' A commlssao incumbida de igual exame nos ne-
direita. Coma elle mais 35 de menor grandeza, de gocios da da capital nao me apresentou anda o re-
ambos os lados, sendo quasi todos os da margem sultado des seus trabalhos, de modo que nada hei
esquerda alimentados pelos grandes lagos do podido fazer em bem da comproroetlida moraiidade
e dos seus tlinheiros extra-
dessa corporacao
vi.idos.
PROJECTOS Dt LE NAO SANCCIONADOS.
Pelos motivos que expend nos respectivos auto-
Secretario, o dito do I.* de arliluaria Francisco
Gomes de Oliveiro Sobrinho:
PorU bandeira, o do 4, de infamara Aurelio
Cryspiniano da Cunha ;
1.a companbia capillo o do 2. Ignacio Pinto dos
Santos Sazes, tenente o do 43 Joaquim Candido
da Veiga Figueiredo, alferes o do 23. Jos Igna-
ci > de Mello;
2/ companhiacapito'o aggregado do 7. Agos-:
tioho Jo= dos Santos, tenente o do 6. Euzebio
Napoleo de Siqueira, alferes o do i9. Jos la-
vares de Lyra;
3.* companhiacapito o do 30." Antonio Vitali-
no de Mello, tenente o do 18.a Amaro Gomes de
Oliveira Coutinho, alferes o do 21." Jos Mauricio
de Almeida Basto ;
4.' companhiacapito o do 36." Francisco de
Salles Tenorio, tenente o do 2. Hermino Egidio de
Figueiredo, alfares o do 47. Andr Nunes de Bar-
ros ;
5.* companhia capito o do 17. Alexandre Cor
iings, cojos
eber o santo
o do gaz, e
lar nos ora-
dia
Fe-
8 de maio
zes que tem
a Cruz.
sperar
a
O ministro contava eom a efiicacla dos meios
empregados, principalmente com a ii fluencia que
Ihe parocia irreslstivel daqnelles cc|as mos ha
via confiado os seus destinos. Ainda io dia do es-
crutinio da cmara temporaria contavt com a vio-
toria.
A epposicao principiou por apresemar o Saraiva
como seu candidato a presidencia, \penas osta
corabinacao chegou aos ouvidos do Furtado, elle
esfregou as mos de contente, e isse, pois uio, o
Saraiva I muilo bom, nos aceitamos o Saraiva. Eu
nao sei se ha fraqueza que se possa con parar a esta
fraqueza.
Mas a opposicao nao podia com est i triste reso-
lucao perder o fruclo de seus esforcos O Saraiva
recusou o cargo. Para eviiar a repet cao de igual
jogo da parle do noverno, a opposiea< tratou de a
tornar impossivel dando ao seu voto
sigoificacao
a populara.i,
\tm toda a ci-
a mais estrotdosa possivel. Procurou o nomeque
expnnns-e a mas enrgica e decisiv: hosiilidade
ao gabinete, e apresentou o Saldanha Marinho. O
resultado do escrutinio trouxe immeliatamenle a
debandada, porque era preciso antes de tudo con
dnzir os mortos sepultura.
Nao faz idea do prazer que sentio
apenas lo feliz nulicia foi propalada
dade. Pareca qne se esteve em satbado de alie
lua- Orrl meu Deus I como o ministerio de 31
de agosto poude viver at ao dia 8 d maio.
Aceita adernissao foi chamado o JAbaet para
organisar o ministerio. O cometa surgi apenas
no horisonte e sumio->e, sem se saber porque appa-
recen nem porque nos favoreceu loj cedo coma
sua ausencia. Seguio-se-lhe o 'araiva, que depois
de 24 horas, dtclinou de si a responsabilidade da
situacao, por nao ter conseguido chegar a um ac-
cordu com o Theophilo Ott.ni que quera para si a
parte do leao.
O Naboco chamado em terceiro lugar recusou a
incumbencia per motivos julgados procedentes.
Seguio-se-lhe o marquez de Olinda. S. Exc. poz
immediatamente mos a obra de co
foi para logo cmmumcaiTo' corear
arrepeodeu-se ao depois e foi retirar
mbinacao com
"Mlis'b'ltoni
a sua palavra,
dauto a entender, segundo corre, que seus amigos
nao linliam confianza no marquez, mas que t-lle
nao se conieulava com ter por companbeiros o Mar-
tinho e Octaviano, quera ter por si a maioria do
conselho.
Fosse como fosse, teve o marquez de regressar a
S. Christovao, afim de participar o malogro da com-
binacao j assentada. Vollou resolvido a tentar
outra coiiibinacao, que a actual, e iraz a dala fa-
tdica de 12 de maio, duplo anniversario da dissolu-
co da cmara conservadora e da apresenlacao das
credenciaes do Saraiva ao governo de Montevi-
deo.
Nao ha memoria entre nos de crise ministerial
to duradoura, nem de recrutaraento em tao vastas
proporedes. mais urna prova das convenien-
cias iedeelinaveis da existencia da liga progres-
sista.
Durante es das do eclipse ministerial, tentou-se
a ressurreicao|do 31 de agosto, por via da reclama-
cao da praga publica. Os agentes dos meetings
nao abandonaram o pago da cmara temporaria,
incitando o povo em applauso dos ministros decahi
dos. Ilouve at quem se lembrasse de suggerir
aos voluntarios a idea de sollicilarem da corda a
resurreicao do 31 de agosto, porsenlimcnto degra-
tidao.
Estes rumores, que j se iam ouvindo dislincta-
mente, concorreram para apressar aorganisayao do
gabinete actual e muito influirn) na entrada de al-
guns de seus membros.
Para se prolongar a crise concorreu em grande
parle a astucia reconhecida do Theophilo Oitoni
que, do acodamento com que era convidado para
urna pasla, concluio que era homem necessario,
dominador legitimo da situacao, e por isso Ihe as-
sistia o dreito inquestionavel de,organisar o gabi
nete; illudio, trapassou, impedi'o loda"! as combi
nacoes no intuito de torear sua nomeagao presi-
dencia do conselho.
Mas enganou se redondamente acerca das causas
porque fura procurado cora-tanto embenho, ponto
de apresentarem o Saraiva e o marquez de 01 nda
a entrada delle para o ministerio* como condicao
indeclinavel i aceilago. de tao importante t-
rela.
As causas eram duas :repellir os caixelros de
S. Exc que, quando Ibes obedecan) servilmente,
eram ameacados de urna derrota parlamentar,
como succedeu ao Zacbarias na ueslo Bramah e
saccederia ao Furtado, se este se nao adianlasse a
approvar as coolas da directora da estrada de
ferro, purificando o engenheiro, protegido pela di-
rectora de toda a culpa e pena. A segunda razo
era a necessidade de conciliar as duas fracgdes da
liga, a que sustentou o 31 de agosto e a que o re-
pellio visio como nenhurna dellas poderla dar por si
representante dos liberaes nao se contenlou com
duas pastas na organisago Saraiva, nem com tres
na organisago Olinda, quera mais, quera a parle
do leso, quena a maioria do conselho para no pr-
ximo combate descartarse da minora e reorgani-
sar elle o ministerio. O Olinda, que macaco ve-
Ibo, nao qniz metter a mao na combuca. Vendo
sen jogo desceberto, Ottoni tratou de impedir toda
e qualquer combinago at ser elle chamado, ao
passo qne se organisava a populandade e se prepa-
rava orna ovago liberal. Os conservadores dissl-
denies apercebendose entao do pengo apressaram-
se em organisar o ministerio, offerecendo a pasta
da fazenda ao Jos Pedro e a da agricultura ao
Paula que aceitaram inmediatamente sem primei-
ro receberem o beneplcito do Ottoni, que sabendo
do desenlace Inesperado da crise, desfez-se em la-
baredas contra tudo e contra todos.
Os liberaos-, aborrecidos pela ambigo desmarca-
da do seu intitulado chefe, retiraram-se da fileira
em completa debandada. O programma da guerra
hbilmente lembrado foi a ponle que Ihes facilitou
a passagem para os arraiaes do ministerio. Mag-
nifica e esplendida ponte I Quem ao v-la nao ser
tentado apassar por ella?
Os conservadores dissidenles leem no gabinete
seus principaes chrfes o Nabuco e o Saraiva; tem a
influencia da capacidade e do numero, darao aos
liberaes apenas o que quizerem dar-lhes, como
quizerem e quando quizerem. E estes ou bao de
aceitar essa posigo de inferioridade, ou nao de ser
langados fora da canoa, pois o anno que vem an-
no de eleigo.
Os vermelnos eontinuam a ser cordialmente exe
erados por uns e por outros. Votaram com a op-
pesigo no escrutinio pzra a nomeagao do presi-
dente, porque a abstengao seria um crime, quando
se tratava da sorte desse ministerio tao abaixo da
nossa illusiragao.
(Carla particular.j
centro.
RIO IC.
Correndo de O. para E., entra este rio no Ama-
zonas, na latitndo de 3 9' S., e 67 52' de longtn-
de O. G. graphos, que j vos foram presentes, deixei de dar' rea de Amorim, tenente o do 27." Manoel Thomaz
Tem perlo de 400 bracas de largura na fz, e execugSo a um e sanego aos outros actos desta as- de Azevedo, alferes o do 21. Jeronymo Cesar de
fondo sufficiente para a navegacao de navios de sembla, que em sua sabedorla, resolver respei- Vasconcellos ;
10 palmos de calado, em urna entensao maior to delles como julgar mais acertado. 6.1 comprnhiacapilao do 2o. Joo Pereira de
de 100 leguas, a excepgio dos mezes de secca. Asj Outros projectos de le as mesraas condigoes Araujo suas cabeceiras acham-se as visinbangas da cida-: dependem ainda de vossa reconsiderago. nba Llns, alferes o do 30.Tago Rodrigues Lins ;
de de Pasto na repnblica do Eqoador, onde, como Reclamo especialmente a solicitude da assembla 7.* companhiacapilao o do 6." Francisco Car-
no Per, conhecido pelo nothe de Putomayo. para o qne regula a aposentdoria dos empregados: neiro Machado Rios : tenente o do 23." Manoel Pe-
Por elle oesciam algomas vezes os nossos vsi- \ proviociaes, e o que estabelece os casos e o pro reir da Silva Lins, alferes o do 9." Joo Francisco
nhos desse lado, para traficaren) no Amazonas. Este eesso por que deve ser pralicada a desapropra-
gao por nliiidade publica provincial e muoi-
." SECRETARIA DA PRESIDENCIA.
Apezar de haver diminuido o pessoal peqoeno e
j incompleto da secreMrj, com a ausencia do Difi-
ri communica com o Hyupur, na parte superior
das cabiceiras, pelo canal Perid, e na inferior, por
meio do Puros, segundo o autor do diccionario
topographlco do Amazonas.
Hoje s habitado pelos indios.
FINANCAS.
FAZBNOA GERAL.
Deve-se ao telo e criterio do actual inspector da
thesouraria de fazenda, Francisco Pedro Gurjao, a
exliocgo das graves irregularidades e abusos que
urna administrago a lodosos respeiios deploravel
tinha ali introdnzido.
Adoecendo gravemente, e viodo a fallecer ponco
depois, o thesouroiro ioierino, Rayraunde Egidio
da Costa Barros, revelou a existencia de um desfal-
que nos cofres a seu cargo, na importancia de
5:I93382, que posteriores exames fizeram subir
a 5:526823.
Conforme declarou elle, os balangw mensaes n3o
da Lapa
8." companhia-capito o do 26." Rufino Baptis-
ta Maranho, tenente o do esquadrAo de ca valla-
ra n.;6 Thomaz Jos da Silva Gusmo, alferes o do
4. de iofantaria Manoel Romo Correa de Araujo.
Quinta-feira 15 do correte, dia do Corpo de
cial-maior, Gabriel Antofte Ribeiro Guimaraes, a! Dos, deve ter lugar a fesla do Orago na matriz de
quem, como dsse em oultO lugar, nomeei para j Santo Antonio. Na vespera a tarde cantar-se-hao
servir em eommisso o emprego de thesourero da vesperas solemnes, depois das quaes seguir se-ha o
fhesouraria de fazenda, nao tem soffrido demora a offlcio de malinas. Pregar no Evangelho o Exm.
expedigo da correspondencia e actos offlciaes, gra- Sr. conego Joaquim Pinto de Campos e no Te Deum
cas ao zelo que distingue o inteligente chefe desta 0 Rvra. pregador da capella imperial frei Joaquim
e a
diligencia dos demais empre-
duas vagas i ama
repartigao,
gados.
Continuam por preencher
nnenses.
O registro acha-se quasi todo em dia.
do Espirito Santo. Depois da festa llavera a pro-
; cisso do eslyllo em torno da igreja e durante todo
o dia o Saotissimo Sacramento estar exposto em
'laus-perenne.
Hoje se extrahir a primeira parte da pri
Expediram-se dorante o semestre prximo Ando meira lotera, de Nos>a Senhora do Livranvnto da
2,301 officios e despachos, alm de grande nnmero Varzea (19), sendo o maior premio 6:00^000.
de copias. Hepartiqao oa polica :
Srs membros da assembla legislativa provn- Extracto das|partes dos dias 11 e 12 de junho de
cialTerminando esta insufflcienle exposigao dos J865.
negocios que vSo ser objecto de vossa solictude e Foram recolhidos casa de detengo no da 10
patentearam nunca o alcance, porque era e>te pro- deliberagao, devo nao s assegurar-vos anda urna de junho
vis-'-riamente snpprido de antemo, as pocas em vez do profundo interesse que tomo pela prosperi-1 a' ordem do Illm. Sr. Dr. chefe de polica. Ma-
que deviam aquelles ter lugar. ; dade da provincia, como de minha decid da coad- noel, escravo de Antonio Loureogo Tavares, para
Do accordo comigo, tomou de prompto o inspec- jovago para o desempenho das elevadas funegoes -
lor as medidas que mais convenientes parecern qae jjes exercer.
Adolpho de Barros Cavalcanli de A. Laccrda.
Vicentina Mara da Coaceieo. e Joao Ferr ira.
Ckitr publico. -Onituarlo do dia 10 de
junho de 1868.
Rosa Francisca dos Passos, Pernambuco 73 anno?,
vlnva. Santo Antonio: gastro interKe.
Joaquim Anglico Bessone, Pernambuco, 24 annos,
solleiro, Boa-Vista ; tubercuioi pulmonares.
Joanna, Pernambuco, 7 maces, Recife ; convul-
g5es.
Jos, frica, 50 annos, solleiro, ascravo, Sanio An-
tonio ; pneumona.
-Dia 11
Lucio Jos Rodrigues, Pernambnjco 38 annos, sol-
leiro, fioa-VisU ; varilas.
Jos Joaquim Marques, Pernambuco, 40 annos ca-
sado, Boa-Vista ; tubrculos pulmonares.
Mara, frica, 64 annos, solteira, Boa-Vista ; bipe-
trophia no corago.
Joaquina Mara da Assumpgo, Pernambuco, 22
annos, solteira, Recife ; phlhysica.
correspondegTas
-^*-
AMAZONAS.
8 de maio de 1865.
Relatorio eom que o Dr. Adol
pho de Barros favalean i
A. Lcenla entregon a admi-
nf straco da pro vi cela do Ama-
zonas, no dia h de 'malo de
186&. ao 4I. vice-presideue.
(ContinuagoJ
RIO HYUPUR.
Dos Andes granadinos descem as vertentes do
para acautelar os interesses da fazenda nacional,
ou ao menos attenuar os seus prejuizos.
Para exercer Interinamente as funcgSes de the-
sourero, nomeei em eommisso o digno ofHeial
maior da secretaria da presidencia, Gibriel Anto-
nio Ribeiro Guimaraes, a coja severa probidade e
sizodo carcter nao ha quem deixe derender devi-
da horaenagem.
A receita geral da provincia neste exercirio foi
orgada pelo thesouro nacional em rs. 17:9695000,
tendo-se arrecado no semestre vencido a somma de
rs. to:473*483.
A despeza do mesmo periodo foi votada em
.i"e rs. 259:6605800, sendo a thesouraria autorisada a
receber da do Para, por supprimento, o excesso de
despeza de rs. 241:6915800.
Posteriormente, foi o supprimento augmentado
com rs. 58:0015196, superior aquellas em
15197.
A este excesso adicionaram-se ainda diversos
augmentos de crdito auterisados, na importancia
total de 127:4865885, o que da o resultado cons-
tante do resumo segointe :
RRVIST DIARIA.
Acaba a sociedade recreativa Coribaittina de fa-
fazer urna excedente acquisigo obtendo para sua
installaco o magnifico predio da ra da Impera-
tnz h. 12, pertencente aq Sr. Manoel Antonio de
o primeiro
o bello jar-
Receita oreada
17:96950(10
RuCEITA
Supprimento auto
risado
299:6915*00
s
p
317:6305800
Crditos destribuidos
e autorisados
445:1475580
Excessos dos crditos
sobre a receita
averiguagSes sobre sua verdadeira condigo.
A' ordem do sudelegado do Recife, Raymundo
Jos de Lima, para corrergao ; Luiz de Franga a
reqnisigo do capito do porto ; e Jonlin Royle, in-
glez a reqnisigo du respeclivo cnsul.
A' ordem do subdelegado da Cpunga, Daniei,
escravo de Jos da Silva Loyo, por infraego de
posturas e uso de armas prohibidas.
Dia 11
A' ordem do Dr. delegado da capital, Antonio de
Medeiros, por infrargao de posturas.
A' ordem do subdelegado, de Santo Antonio, The-
nono Jos da Rocha, uonslantino Liberato, e Jos
escravo, de Mara Praxede d'Albuquerque, por sus-
Azevedo que para esse fim Ihe cedeu o primeiro peitas em crime defnrto ; e Constantino Jos dos
andar, o pavimento terreo posterior e o bello jar- Santos, para correegao.
dim qne o mesmo edificio contm. A ordem, do da Roa-Vista, Jos de Deas Gon-
0 estado de aceio luxuoso do edificio e as acco-! ?lve? Vieira, e Flix Francisco da Cunha, o pri
modac5es que nelle ha, abrem espaco a essa so- meiro por crime de rapto e estupro e o ultimo pa-
ciedade de jovens brasileiros a poder continuar os i ra correegao.
seus recreios com a aprasibilidade, sufficieocia e | O chefe da 2a secgao.
commodos necessarios, e que sempre ella procura; J. G. de Mesquita.
proporcionar aos seus convidados; de sorte que ja I Casa de detexqao.Movimento do da 10 de ju-
a partida deste mez, que dove ter lugar no dia 17, nhode 1865:
sera' dada na sna nova sede. Ex)stiam 343; entraram 5 ; sahiram 4 ; exis-
Felicitamos, pois, a essa sociedade por tal trans- tem 344, a saber : nacionaes 256, mulheres 3, es-
ferencia de situago, que por certo muito importa tringeiros 24, mulheres 2, escravos 53, escravas
ao seu desenvolvimenlo. 6,total 344.
Foram encontrados a 11 de abril prximo Alimentados a distados cofres pblicos, 1J2.
passado, na lat. S. 22" 22' e long. O 71" 37' a ga- a Vl("'l?em da enfermara do da 11 de junho
de 1865.
127:4855885
durante o ]
geral que,
de ris
Rendeu a mesa de rendas da capital,
semestre, 9:2855178 ; e foi a estago
A renda da de Tabalinga nao passou
2595^94.
Em II collectorias geraes que coma a provincia,
a arreeadago apenas chegou a 3:3195664.
as de Serpa e Villa Reliada linperatriz,receben
a renda algum incremento com a arrecago dos
di re tos do exterior; mas em todas as outras os
rendimentos vo em diminulgo.
Moura, Barcellos, Coary, Fonte Boa e S. Paulo
de Olivenga sao estagoes que nenhuns redditos
quasi apreseniam.
Este facto nao pode ser com acert attribuido
seno falta de aptido, junta ao pouco zelo ou
culposa condescendencia, dessns agentes fiscaes.
FAZtSNDA PROVINCIAL.
se acha. disposto, de-
era inglesa Naturalisl indo de Calcuta' para Lon-
dres, achanlo-se a seu bordo tres marinheros e
um carpinteiro da gallera hollandeza Van Capellar,
que naufraga'ra morrendo todos, excepto estes; e
a 26, na lat. S. 31" 10' e long. O 35" 25' a galera
ingleza Seafield, em viagem do porto de Colombo
para Londres, bem como a 7 de maio e na lat. S. |
35" 50' e long. O 20" 38 a galera ingleza Hollinsi-
de, Indo lambem de Colombo para Londres, a 16,
u< lai. jn. t 8" e Long. O. 2o ti a Darca trance-;
za Costa Rica de Bordeaux para Bayville, com 26 i
dias de navegago; e a 22, o brigue ioglez Gtena-
von'o porto de Natal para Londres.
O Sr. Dr. Gervasio Campelio foi nomeado en
mente mais tarde, conforma
verao receber execugao.
provincia teeraseguidoa mesma marcha ascendente
das rendas.
Hoje que estas tomam o rumo contrario e ten-
Jem iocontestavelmente a decrescer, de necessi-
dale refringir lambem os encargos, afim de que genheiro~das~obr7s' pbTiras'drprov"inca".'
nao venham a ultrapassar os recursos do the-
souro.
as circurastancias actaae?, fra contrariar de
frente os dictames da prudencia o derivar do cal-
culo mais que fallivel da futura recata, fundamen-
j to ou razo para a decretaco de urna despeza
equivalente dos ltimos anos.
Tudo, al a balxa do prego da seringa e do pei-
l xe secco, arlgos de principal produegao da provin-
cia, nos annuncia um decrescimento de renda. Eu
Existiam 344; entraram 7 ; sanio 1 ; existem
350, a saber : nacionaes 261 : mulheres 3 ; es-
trangeiros 2* ; mulheres 2 ; escravso 54 ; escra
vas 6 ;total 350.
Alimentados custa dos cofres pblicos, 131.
Movimento da enfermara.
Teve baixa :
Joao (escravo) senlenciado.
Teve alta :
Firmino (escravo). __________________
A arrecadacao complementar do anno financei- vo-lo ndico, como um escolho, a respeito do qual
ro de 1863 a 1864 elevou a renda desse exercicio convm fiqueis prevenidos,
a 112:3865530; restando ainda por cobrar a quan- As vossas luzes e patriotismo vos insprarao os
lia de 6725280, proveniente de decimas, juros e meios de evita-lo.
mullas. E a maior receila que lem tido a provn-1 Pouco adiantamento tem havido na cobranga
ca. A do anno de 1860, que se Ihe aproxima, nao da divida activa da provincia,
passou de 101:9275616. Causas differentes actuaram para isso, sendo a
A despeza no mesmo periodo elevou-se em iden- primeira de todas a falu de escrivo habilitado no
tica proporgo. Foi tamben a maior que se reali- juizo dos feitos da fczend?.
sou al hoje. | A repartigao da fazenda provincial, como est
Orgada em 119:4835107, nao exceden todava organisada, nao satisfaz as necessidades do servigo,
de 103:3095872, faltando apenas pagar 1385060 ; netn preenche convenientemente a dupla tarefa de
o que perfaz a despeza real de 102:4475932. que a incumbe o respectivo regulamento.
Como detalladamente veris do balango definili-1 Convir dispensa-la da arreeadago, oreando
vo, diversos crditos foram augmentados pela pre- para este mister urna estago especial, por onde se
sidenca, na importancia 26:0985345, segundo as | proceder de certo mais proveitosa^e efflcazmente
necessidades dos differentes ramos de servigo pu- fiscalisagao e percepgao dos impostos.
blico a que os mesmos crditos se referem. Talvex essa to til diviso do trabalho fiscal se
Por outro lado, nenhurna quantia se despendeu | possa conseguir sem augmento do pessoal exis.-
por coma das verbas voladas nos 1, II, 21,26, lente.
27 e 29 art. Io da le do orgamento daquelle exer- Occupo-me actualmente com este assompto, e
cicio resultando dahi urna economa de 8:8505- cont poder realisar neste sentido a reforma para
O saldo efferivo que passou para o exercicio que vos dignastes antorisar a presidencia,
eorreole de 1864 a 1865 foi de 10:0765658. ALIMENTACO PUBLICA.
O balango provisorio do Io semestre, de junho a! p.,_._ ,.,. *< ~
dezembro, apresta urna arreeadago de ris.... ^.Jgg Je,favorams as condigoes ali-
34:1335330, e urna despeza de 48:1155395. I n. 2Lft?!f m,-P'?'^- ,.
O excesso de 13:9825065 foi supprido com aquel- nn&e"!^ ,"dl Pensavels f wtealeccia
le saldo e com a somma proveniente do movimen- pUvSrt^m1n^1m,Q,i2r0.-Sen'eSlre ^Ti
todetundos do semestre solado de 1863 para o! nh^dTnnn1 eJ"rraa^freSf'a nPWdMri
exercicio de 1863 a 1864, passando ainda o saldo de ^ZS^Tl^J^"' ^ ^ Pf
6.0545455 para o semestre actual. I S,da ProvlCia. aprmenlos regulares desse
soC^ardo^Sr-1- "SSSs^ "^
Esta eonsiderago autonsa-me a asseverar que a l T..T ,!; ,
receita que presentemente se cobra exceder a que I .IZtl^'Ja^L^T^, qUe V0S f'
entrn para os cofres no antecedente periodo do isubraet[ldi na sessao Pasada, para o fornec.meoto
exercicio.
regular de carnes verdes.
Todava, nao vas devo oceultar as serias appre-
bensoes que me assaltam acerca das (naneas da
provincia, quando considero na paralysago que
ja comega a operar na sna actividade a guerra,
s maioria ao ministerio quesehouvsse de organi- justa po-rm onerosa em que o paz se acha empe-
gar. Ora o Ottoni havia sido o mais denodado cam-1---."
peo da fraego que s leve contra a sna adversa
ria a vantagem da sorte. Sem as suas pcomes-
sas de victoria, o ministerio se terial retirado antes
do escrutinio, conforme opinavam o M-rinho e ou-
tros amarellos.
O certo que elle pensou ter ehegado a sua vez
e quando a imprensa annuociou o nasclmento do
terceiro parto da situacao nascenio, desaiinou gra-
dando que Ihe haviam confiscado a sua situago,
que se elle fosse chamado, organizara um minisU)-
rio em um quarto de hora, pois o trazia na a>gibei-
ra e que o 12 de maio, como o 30 de maio, fra or-
ganizado no pago.
Preparou-se immediatamente par
poucos acudiram chamada, pois
uado.
O immenso desvio de recursos e de torcas pro-
ductivas para a susteotago da lula armada, lia de
influir necessariamente, e de modo mu sensivel,
sobre o trabalho, produego e commereio, e por-
tanto sobre a rqoeza publica, qne vive e se ali-
menta da particular.
Se a nossa situago flnanceira por ora desem-
bargada, uem por isto deix.i de ser melindrosa.
Cumpre nao inlerromper-lhe o equilibrio, se qul
Insisto as ideas que ento expuz relativamente
s modiOcagoes que reclama a le n. 47 de 18 de
junho de 1855 ; posto me parega que, na previso
quasi certa de um decrescimeuto da receila, esse
objecto possa e mesmo deva ser adiado para quan-
do as circumslancias forero menos precarias.
CMARAS MUNICIPAES.
Reporto-me ao que expend no meo precedente
relatorio em relagao s obras para as quaes pedem
auterisaco vossa diversas municipalidades da pro-
vincia.
S a da capital e a de Silves fizeram remessa,
bem que incompleta, dos Malangos e mais docu-
mentos qne sio as cmaras obrigadas a enviar
para vos serem presentes.
Approvei a planta desta cidade que me apresen-
E' urna nomeagao que nao podemos deixar de
especialisar pelas qualidades de que dispos o o-
ngado; e S. Exc. indo-o buscar para i ommetter-lhe
lugar'tao importante, da'copia de que estuda os
caractares que escolhe para incumbencias de al-
canee.
No dia 10 do crreme amanheccu morto na
roa da Amizade o Susso Guillierme Busshardte,
proveniente de urna porgo de arsnico que to-'
mou; e esta triste oceurrencia chegando ao conhe-
cimento do respectivo subdelegado, dirigi se elle,
ao lugar onde mera va o diio Guilherme acompa-1
nhado do Dr. Sa' Pereira, escrivo Barros, e o res-
pectivo cnsul, achando-se all ja'o medico allemo
Dr. Frederico Schallm.
Procedeu-se ento a competente vistona, mas os
referidos mdicos declarando ser necessariaaautop-
sia, afim de verificarse pesitivamente se a morie
fra proveniente de veneno e qual a qualidade des
te, immediatamente o mesmo Sr. subdelegado man-
dn convidar os Drs. Moscoso, e Villas-Boas, os
quaes a isto se preslaram comparecendo sem de.
tenga aili.
Effecluada a autopsia, a capa do estomago, e o
liquido comido no mesmo foram depositados em
tres frascos lacrados e sellados, tendo alera disto a
rubrica do subdelegado e a assignatura dos supra-
indicados Drs. e cnsul; e com igual formalidade
proceieu-se a acerca de uro embrulho contendo
um vdro quebrado, onde eslava depositado o ve-
neno.
Nessa mesma occasio foram Interrogados acer-1
ca do facto una mulher, e um caixeiro, tambem
Suissos, que moravam conjunctamenle com o fina-
do; e dos seus interrogatorios resulta nao ter ha-
vido in'ervengao criminosa de outrem nesse la-1
mentavel aconteciraento, que assim foi filho se-
ment do misero suicida, impellido sem duvida por
desgosto, a qne por tal forma se quiz furtar.
Tinha sido caix'-iro da casa commercial dos Srs.
Linden & Wild, d'onde ha pouco sahira.
O vapor Jaguaribe trouxe do Rio-Grande do
Norte um corpo de voluntarios da patria com qua-
trocentas e quin/e pragas, devidamente fardadas.
Acha-se aquarlelado na Soledade, aguardando
opportudidade de seguir para o sul.
As tabernas n. 5 do pateo do Carma e da es-
quina da ra do Rosario para a ra das Triochei-
ras foram roubadas nos dias 7 e 8 do crreme,
sendo dellas tirados gneros a falta de dinheiro,
que os larapios nao encontraram.
A polica procede a' averiguages, para ver se
chega a haver a? mos esses hroes, que por cerlo -'*ssJ8ei
bem merecem as altengoes da mesma polica.
O vapor confederado Stnewatd acha-se em
PJ M 3 3 O 1 rt> -i a* 3 1 1 : 1 : 1 : i : 3 "i 3 1 5 B : : : : > C! > O O > M
1 -.1 1 -(DI M O i i 1 Masculino. -* 1 co 1 i > i 2 I "* i > n f ^
i I 1 1 1 1 1 1 Feminino. OE 1 iO 1 tS 1 =- 1 O 1
1 I 1 1 = 1 i . i i 1 1 - 1 Masculino. CA
A A m 1 l 1 1 . i Feminino. lo Z a i tq
lili 1 Masculino. w 1 i* 1 1 p> 1 B co O > < O co
** I 1 1 1 1 Feminino.
O 1 1 1 1 M 1 Masculino. -5 1 X M a o o f co 2 : o >
o m 1 I Fouinino. 1 51
1 3 1 1 i 1 Masculino. 1 1 co o >
ex * 1 -* 1 --1 Feminino.
O 00 t -1 5l TOTAL.
n
o
i:
ADVERTENCIA.
Na totalidade dos doentes existem 168, sendo 112
homens e 56 mulheres.
Foram visitadas as enfermaras estes das :
As 7, 6 1|2, 6 1|2, 63|4,6 3|4, 7 1|4, 6 1|2, pelo
Dr. Hamos.
As O l|2,9 3|4, 8 3|4, 9, 8 10, 8 3|i, 8 1|2
pelo Dr. Sarment.
Fallecern) :
Baslia Mana da Conceigo; entente chronica.
Joo Jos Fernandos ; enierite complicada.
Mara do Espirito Santo ; anemia.
Jos Joaquim Marques; tubereoles pulmonares.
Mara ; hypetrophia do coragao.
Passageiros do brigue portuguez Unido, vindo
zerdes, como de certo queris e en me lisongeio de ; ton a da capital, a quem reccommendei o a
reconhecer, preserva-la de compromettimentos, que! ment do aviso de 12 de outubro e circular de 3
viriam entorpecer funestamente, e por longo tem-' de novembro de 1854, alim de Ihe ser concedido
a romper, mas \ po,_a nascenie e relativa prosperidade da provincia.; quanto antes o respectivo patrimonio.
creio que o nao far por falla desoldados. Muito! Certo de qne oulros nao podera seras vossas |
Para poderem as demais cmaras gozar de den-
osta vam quasi \ opinioes nem o vosso mais firme proposito, desde j tico beneficio, trato de fazer levantar a planta e
todos nos sales do Olinda e do abico. Oa eu me j roe offereco cheio de boa vontade para vos coad- plano de edificago das villas e lagares da provin-
engano, ou o inculcado chefe do partido liberal se juvar efficazrreme no ejnpeoho de cercear aquel-! cia, tendo mandado comegar este trabalho, de qne
contentar com atirar um ou outro tiro de plvora las despezas que ou nao estejam justificadas por foram por mlm encarregados o engenheiro Jos
secca, com alguma insinaago maligna, a ver se por \ urna razo de interesse publico asss reconhecida,. Antonio Rodrigues e o agrimensor Von-Bailly, pe-
via della consegue conquistar a tao amada presi- ou -o possam dimiuir sem prejuizo dos servigos a los pqvoados do Solimes.
dencia do conselho. Elle tem a sagacidade de suas que sao destinadas. Covmdo providenciar desdo j respeito do
conveniencias e por isso nao se qnerer apresentar O estado do cofre presentemente de ris___' armamento, assim como dar principio a arborisa-
em campo fazendo o papel de furriel ou cabo de 15:7235580. gao desta cid; de, autorisei a respectiva cmara a
esquadra frente apenas de ama patrulha de meia Jo orgamento, qne ros ser presente, para o an-' despender a quantia de 1:0005 eom a compra e
duzia de soldados. no financeiro de 1865 a 1866, orgada a receita collocagao de pequeos marcos de podra qae de-
ltimamente j se dizia qae elle se havia com-1 em 103:8465226, tomndose por base o termo lerminem o armamento futuro; e quantia igual
poslo com o ministerio. : medio da renda nos tres ltimos exercieios.
O Martinho Campes promelle mundos e fundos, I No mesmo documento, a despeza calculada em
porm macacos me mordam se elle alo se prepara 133:8995870. O dficit de 30:0535644 que abi fi
para representar o mesmo papel que por modo to gura me pareee eiagerado.
brilhante representara em relagao ao 30 de maio. Ha servigos qae nao foram realisados nos exer-
Ha de estar lembrado que elle se delclaroa em uoi- cicios anteriores, e to pouco atvib-bo no vindou '
dade contra aquelle ministerio, mas pao levou mui- ro; ca so&retudo outros que, embott creados, s-' objecto.
com o planto de arvores as roas praeas prin
cipaes,
Giras despezas foram autorizadas e augmenta-
dos algons crditos, por necessidade reconhecida e
urgente do servigo publico, como veris da especi-
ficada relaco qae vos farei presentar sobre este
Carlos Jos da Cruz, Antonio Gongalves de Oli-
Nassau. E' encouragado, e no seu genero talvez \ 'e,"> Manoel_de Oliveira, Manoel de A/.evedo An-
o primeiro. i drade,. Amonio da Silva, Manoel de Miranda Fer-
Provavelmente ha de passar para o poder do go-' r,eira Jnior, Manoel Joaquim Gongalves, Antonio
verno dos Estados-Unidos, visto ter sido vencido o 0Dal!,es. Antonio Jos da Cruz, Constantino
Sul, a caja causa estava affecto este navio. i V>r,. |,^rre,ra da filva, Jos da Costa, Antonio
Foi nomeado commandante de urna compa-1 Correia Gongalves Manoel Rodrigues Fraga, Joa-
nhia do 2 corpo de voluntarios o Sr. maior refor-! 2UI T r'.lva,-J, da Co5.,a F,eri:p,ra. Gypriano
mado da guarda nacional Bernardo Luiz Ferreira,da Vosta Almeida Constanlino Jos Tavares, Fre-
Cesar Loureiro. derico da Gosta' Estanislao de Oliveira, Jos Anto-
Foram nomeados para o mesmo corpo, teen-' n"J Tavares,_JoSo da Silva Moreira, Fraocisco Vi-
te ajudante o Sr. alferes do exercito Jernimo Igna-, ?,ella' Anloni0 Centeio de Aguiar, Jos Joaquim
co dos Santos; tenente o Sr. Sabino Sidronio Al-1, "T0?-' Gon??,10, AlfXedo Alves Pereira, Amonio
ves de Castro; e alteres os Srs. Francisco Maitoso JosiJ d un'ia Vllla' Rafael Baptlsta M. Das, Ma-
da silva Santiago, Frederico Augusto Velloso da | ?el- Fell Pereira. -os Manoel de S, Antonio
Silveira, Francisco Pereira da Cunha, Francisco imoes Antonio Mana Teixeira, Jos Joaquim
Lopes de Siqueira Granja, Joo Carolino do Nasci- i"""?,' Ant0DI? Alves Miranda. Joaquim da
ment e Joaquim Jorge dos Santos. bilva i-seito Monoel de Sa, e um irrno, Jos de
Sa, Manoel Correia Gongalves, Manoel Jos Vaz
O contingente da guarda nacional, que deve \ Jnior, Francisco Jos Nunes Leito e seu irmo,
dar a nossa provincia ser formado de 3 corpos de Domingos Manoel Ribeiro, Jos Cupertno dos San-
infantaria cad3 um com 8companhias e com o se- tos, Antonio Luiz dos Santos, Francisco Rodrigues
guite pessoal :
1 tenente-coronel, 1 major, 2 tenentes nm aju-
dante e outro quartel-mestre, 2 alferes um secre-
tario e outro porta bandeira, 2 sargentos um aju-
dante e outro quartel-mestre e 1 corneta ou tamb r
mor ; e.lcapio, 1 tenente, 1 alferes, 1 l. sargen-
to, 2 2." ditos, 1 furriel, 6 cabos, 89 soldados e 1
corneta oa tambor, por cada companhia.
Para o 1." corpo acabara de ser designados
os segaintts offlciaes :
Ajudante, o tenente do 2." batalhao de iofantaria
Caraillo Augusto Ferreira da Silva ;
Quarlel-mestre, o lenlo do 3. Pedro Alexan-
1 drino Rodrigues Lies;
Frago, Manoel Antonio Gongalves, Manoel Ribeiro.
Passageiro brigue portuguez Relmpago vindo
de Lisboa :
Henrique Thomaz Payante, Domingos Peres Al-
vares, Joo Rodrigues e Bernardo Bello.
Passageiro do vapor francez Gutenne sabido pa-
ra os portos do sul :
Jos Antonio Porto da Bocha, Antonio de Azeve-
do Villa-nova, Antonio Francisco Monteiro, sua
mulher e urna fllha, Miguol de Miranda Vianna.
Ema'jf I. Pereira da Co:ta, Joo Izdoro de Inojosa
Varejao Sudr.
Passageiros do patacho brasileiro Sol, sabido
para o Rio Grande do Sul :
Senlwres redactores. Chegaudo a esla eidade
homem, soube da publieacao que fez o Sr. padre
Manoel Jos de Oliveira Reg contra mim no Dia-
rio de 13 deste mez, dizendo nella qne bavendo
dado urna queixa contra mim, como autor respon-
savel de uma correspondencia, pretextei molestia
por cobarda, para nao comparecer audiencia, e
immediatamente fugi desta cidade.
Devo urna breve resposla a essa falsa arguigo,
que me dirigi o virtuosissimo Sr. padre llego, nao
por aiiengo a Smc, que nenhurna me merece, mas
sim ao publico, por quem, felizmente, nao sou tido
como um devasso, como algum homem pernicioso
sociedade por seus feitos execrandos.
E' mentira o que diz o Sr. padre Reg. E' men-
tira, replo-o. Nao fugi desta cidade. Os factus se
passaram peto modo que vou expr :
Dias depois de publicada a correspondencia a
que allude o honestissimo Sr. padre Reg, vim a
esta cidade iratar de alguns negocios, pois nao ig-
nora o capello de Timbaba que son commercian-
te e tenho iransagoes nesta praga.
Por essa occasio oi citado e nao podendo por
ncommodos comparecer em audiencia no dia que
havia sido marcado, requer a designago de outro
dia, no que fui ailendidopela prova que li de raeus
iocommodos.
Nesse outro dia, embora por parle do Sr. padre
Reg houvessem pretendido alropellar tudo, dei-
xando se de rae procurar para dar-se-me sciencia
do dia designado, visto se nao haver feito a desig-
nago em minha petigao, e fossem fazer a cuago
na pessoa de meu advogado, julgando-se talvez que
me houvesse j relirauo, e nao podesse compare-
cer, nesse outro dia, digo, apresentei-me na audien-
cia ; mas, ou por causa da chuva, ou pelo quer
que fosse, nao comparecen o Sr. Dr. juiz muuici-
pal, e assim, nao havendo audiencia, rctirei-me
duas horas depois da que fra marcada 1 Conser-
vei me ainda por alguns dias nela cidade ; mas
comprehendem todos que nao devia eu permaue-
cer aqui merc do Sr. padre Reg, com prejuizo
de meus negocios, fra de meu domicilio em Tra-
baba, onde resido ha annos. Relirei-me depois.
Esla a verdade dos faclos.
Pretendera o amabilsimo e caniittfo Sr. Reg
que eslivesse eu aqu por lempo iudeterminado ?
Para onde fugi ? Para o lugar de minha residen-
cia ?-----
Admira como se nao respeita mais o bom senso
desle publico to Ilustrado I 11
Nao tenho sim a coragem de quo tanto alardeia
o Sr. padre Reg era sua correspondencia ; nao te-
nho lambem a coragem necessaria para langar a
desorden) no seio de familias, para me atirar a em-
prezas arriscadas, nao a tenho para com cvnismo-
affrootar a moralidade publica ; mas acredite o Sr.
padre Reg que nao recuarei diaole de Smc, ape-
zar da oslentagao que faz de seu podero e do de
seus protectores nesta cidade, apezar de toda sua
riqueza, que poder servir para retribuir com ge-
nerosidade os mercenarios que se tiverem encarre-
gado de maltratar-mc, incitando-o para mais fcil-
mente levarem agua ao moinho; que poder servir
sim para que sua bolsa resista todos os embates...
mas uo para intmidar-me. Prosiga era sua car-
reira, meu padre, prosiga, prosiga.
Nao me oceuparei os abaixo assignados, com
os qua^s tanta algazarra tem feito o manso e can-
dido sacerdole, modelo de virtudes, fonio lem sido
chamado; essas pecas graciosas nao lem a forga
de destruir fados verdadeiros.
Que importa para a prova de ama falla, de um
crime, que no parecer de alguns seja o padre Reg
muito bom, muito honesto, muito candido, muito
bemfazejo, muito virtuoso 1 Se assim esse sa-
cerdote, melhor para elle e para todos os que assim
pensam, os quaes terao nelle mais um amigo em
quem podero depositar plena conlianga, sem re-
cejo de lerem do que arrepender-se ; podero mes-
mo confiar-lhes suas familias; mas d'aiii para a
prova de innocencia em um facto qualquer, vai
grande distancia.
Faz bem o capello de Timbaiiba em esforgar-se
para obter que aquelles que atteslaram contra sea
procedimento nesse negocio, qae deu origem s
publicages, se contradigan), como aconleceu em
relagao ao Sr. alferes Jos Gomes da Silva Couli-
nho ; mas fique cerlo de que todos, ainda mesmo
os que Ihe fornecem documentos graciosos, no in-
tuito de arredar de Smc. a terrivel aecusago, que
se Ihe faz em Timbaba, no inlimo de suas cons-
ciencias formara o devido juizo acerca desse nego-
cio !
E a esse Sr. alferes Coulioho direi, em resposla
sua publicagao, quo nao o Ilud, qae o documen-
to que me forneceu S. S. fe dado sem conslrangi-
raenlo algum, pslo que nao posso deixar de extra-
nhar seu procedimento, negando hoje a verdade do
que j disse. E para prova do que avango poderia
publicar esse documeulo se o brease em meu po-
der, e se nao achasse, como se acha, unido a uns
autos sugeitos ao cooheciraeuto do Exm. e Rvra.
Sr. vigario capitular.
Poderia lambem apresentar oulro documento, era
que o Sr. subdelegado Antonio de Albuquerque-
Monlenegro, um dos que firmaram nm abaixo as-
signado em favor do sacerdote virtuosissimo, nao
duvidou declarar que, apezar de haver firmado essa
pega em favor do tal padre, no intuito de evitar in-
trigas e odiosidades, nao podia furtar-se a dizer-mo
que eram geralmente sabidos em Timbaba os fac-
los de que me oceupava nesse documento, isto c,
os de que se oceupava a correspondencia pela qual
eston respondendo em juizo, em relagao familia
de meu mano Salvador Clementino da Costa. Dei-
xo tambem de o fazer pela mesma razo cima da-
da a respeito da caria do Sr. alferes Coutinho. Tal-
vez, porm, que.em outra occasio tenha de dar
luz da publicidade esses e outros documentos.
Paro aqu, senhores redactores, e tendo de vol-
tar minha residencia, estarei mais tarde nesta
cidade. Felizmente ja fui citado em Timbaba, e
nao poder o verdadeiro sacerdote, a quem respon-
do, diz-T que fugi segunda vez.
Recife, 31 de maio de 1865. (1)
Umbelino Antonio da Costa Leilo.
Sr. redactor da Revista Diaria.Como author
da chronica da festa do Divino Espirito Santo do
convenio de Santo Antonio, inserida no seu Diario
de 9 do correte, cumpre-me corrigir um erro bas-
tante saliente, que no tragar das linhas, nao podo
ser deparado.
As msicas das sociedades Bella Unio, e doli
Commercial, nao foram all, por offericiraentos
como se v na mesma chronica, e sim a convite da
illuslrissima mesa regadora.
Desculpem por tanto os Illms Srs. directores e
mais membros das referidas sociedades, ter se da-
do semelhante engao, certos de que, nao foi filho
de nossas mengues.
Como amante de dar o sea a seu dono, pedimos
a publicagao das seguiotes linhas.

PUBLICARES A PEDIDO
Continuagao das pessoas qae tem subscripto para
a Associago Protectora das Familias dos Volunta-
rios da Patria.
Donativos.
Dr. Joaquim Francisco de Mello Ca-
valcanli .........,............. 505000
Jos Tavares Pessoa de Araujo...... 505000
Antonio Miguel de Barros:......... 255000
Manoel Joo Rodrigues Maris....... 205000
Dr. Jos Ignacio de Andrade Lima.. 205000
Dr. Joo Dias Coutinho de Araujo Pe-
reir.......................... 205000
(1) Por afBuencia de malerias nao foi esta cor-
respondencia pnblicada ha mais lempo.
Os Redactores.
LEGTVEL]
:
r



h
Diario de reriambReo frea l*l/a 1S de Innho le f 905.
ZS3*X?1
*W.
Joao
cell
los Joaqun Alws...............
Accendiuo Goncalves Rodriguts Fran-
ca?...........................
Joaijuim Clemeotiuo Ribeiro de Brtto
Dr. Joo Paulo Monteiro de Andrade.
Dr. Joaquim Elaardo Pina.........
Jos Joai-juim de Sant'Anna.........
Manoel Barroso de Moraes.........
Severino Barroso de Moraes........
Jos Pedro de Oiiveira Mello.,.....
Francisco de Paula Barreto Coutlnho
Um aoonymo.....................
Hanoel Goocatvw 4a Sil va.........
Jas da Barros 4e Andrade Lima....
Joo Hypollto Pereira de Moraes....
Domingos Binaos de Andrade Lima..
Urbano da Silva Pereira...........
Joaquim Cordeiro de Lima.........
Dr. Fabricio Gomes de Andrade Lima
Reinaldo Gimes da Conha Pedrosa..
Joaqaim Bezerra..................
Francisco Gjmes de Araujo Vascoo-
collos.........................
Francisco Lins Caldas....... .....
Francisca M.iriins dos Anjos Paula..
"Manuel Dionizio Gomes do Reg-----
Domingos Suriano Fernandos Soares.
Antonio Ped dos Sanios...........
flos Antonio Soares de Azevedo
Custodio CoH> Pereira Jaolor.....
Joaqaim Alves Camello.............
Bento Francisco Rora^u...........
Francisco Xavier de Moraes.......
Manoel Nunes de Mello............
Antonio Uorges Leal..............
Padre Joaquim da Assampc......
Jase Pedro de Castro...............
Jos FeTicio Pereira de Lyra Jnior..
Manoel Jacintho Pereira...........
Viceate de Hotlanda Cavalcanti.....
Manee! da Trindade Bezerra Jnior.
Por mez e durante a guerra.
Joaquim Cavalcanti de Albuqoerqoe.
Tonentecoronel Hurculan) Cavalcan-
ti de S e Albuqiierqae...........
Jos Polycarpo de Frailas..........
Francisco das Chagas Ribeiro......
Padre Z*ferino Dornellas Cmara...
Amonio Aureliano Lopes Coutinho..
Antonio Aareliano Lopes CotMidho
Jnior .....................
Dr. Ermirio Cesar Continuo........
Dr. Feiippe Jansen de Casipo e Albu-
qnerqne......................
Jos G-raldo de Lima...........
Demetrio de Azevedo Amorim......
Jos Joaquim Xavier Subreira......
Jos de Barros Barreto Coutinho-----
Vigario Antonio Joaquim Soarss, da
congrua .......................
Juiz municipal do Cabo, Dr. Jos Joa-
qumi de Oiiveira Andrade, dos veu-
cimentos.......................
Evaristo Vieira Lins de Albuquerque,
do ordenado...................
Antonio Ferreira L->bo, do ordenado..
Manoel Isidro de Miranda, do orde-
nado ..........................
Marenlino Dias de Araujo, {do orde-
nado.........................
I Dettarregam no da 13 dJ torrate.
20JS0O0 Brigue porluguez-^Relmpago -ceblas e batatas.
tOJOOO Barca americanaAnaconda farinha de irigo.
Brigue lag)eiImperadordiversos gaiteros.'
10*000 Barca logteza -Mirandamercadorias.
105000 Barca francezaEtgaromercadorias.
10000 Brigue portuguezUnido farelo e arcos de pi.
10000 Patacho hollaodez Henirca Huisman farinha
102000 de trigo.
lOJtOOO Escuna portugueza D. Joiocharque.
10000 Sumaca hesnanhola Merceditadem.
105000 Brigue nacional Cardia dem.
iOJOOO Brigne nacionalmporador -idera.
lOiOOO Patacho hollandezDenyidem.
tOJJO1' Brigue inglez -Melita -carvo.
40*000 Barca ingleza Favoriteidem.
0*000 importado.
*0*000 Vapor inglez aladin, entrado de Liverpool,
10*800 consignado a Sauulers Brothers & C, manifeslou
10*000 0 segrate:
10*000 so barris manteiga e 50 ditos baoha de porco ;
10*000 a Mills Lathan & C.
50 ditos manteiga ; a Ferreira & Loureiro.
170 ditos manteiga, 2 fardos fazenda de lialio,
2i ditos e 2 caizas dita de algodao, 5 ditas chales
de lia e algodao ; a Sempson & C.
50 barris manteiga ; a J. Pater & C.
110 ditos manteiga ; a Tasso limaos.
100 ditos manteiga, 1 casco e 3 caixas ferra-
gens, 4 ditas tecido d linho, tO ditas e i fardos
dito de algodao, 2 ditos dito de la ; aos consigna
tarios.
30 barris manteiga, 1 dito vinho, 1 caixa miu-
dezas, 2 ditas fazenda de linho, 7 ditas e 9 fardos
dita de algodao, 2 ditos estopa, I caixa collarinnos
de linho, 1 dita cha, 1 dita loucinho, 1 dita provi- '
soes ; a ordera de diversos.
37 caizas e 19 fardos fazendas de algodao, 1
caixa dita de la, 1 dita dita de algodao e la, 1
fardos dita de laa e algodao, 4 ditos cober
10*800
10*000
10*000
10*000
10*000
10*000
5*000
5*000
5*000
5*000
5*000
5*000
5*000
5*000
*;000
400O
2*000
55000
2*000
20*000
1O*iiO0
5*000
5*O0D
2*000
2*000
2*000
2*000
2*000
2*600
2*090
2*000
1*G00
10 8'/.
10 10
10 %
6 %
Ao lueu amigo Joaquim da Fou-
ceea e Silva.
1DALINA.
as r, iras lao breves de meus devaneios
Eu sonho urna virgem de aromas nos seios
as vozes, na. trancas, na boca de flor ;
E ella inais linda que um quadro de Rubens
Sentada no espaco, vestida de nuvens
Faieca dos olhos scentelhas de amor.
A coroa sidrea que envolve-lhe a fronte
E' bella mais bella que um bello horisonte
Coberto de gallas propicias de re,
Sen leilo de flores que tapam neblinas,
As rendas cerleas as roupas divinas,
Traduzem 9egredos que eu raesrao nao sei ?...
Nao sei se as vezes capricho ou encanto
Qne a despe innocente do seu rozeo manto
E ao mundo a sageita qual outra muiher !..
Nao sei I... mas afflrmo que um dia eu a vira
Fallei Ihp,fallou-me, sorri-rae, sorrija, -
E nesse sorriso deixou-me umsequer !..
Eu pasmo se a vejo na vaga indolencia
Sentada ao piano, to rica de essencia.
Qu:1. ricas as Botas que sabe accordar...
Seus dedos voluvei?, traquinas, fagueiros
Por rima das teclas arrancam ligeiros
Os cantos sublimes dos cos e do mar.
A vezes,nao sei se no crneo da virgem
Algum peosamento, svoaca em vetigem-----
Que eu oucoa cadencia sonora de um ai I..
Minha alma ento va as plagas indas
Ornada das pompas das crencas mais lindas
as izas da brisa dizendoadorai !
E l que ninh'alma nos seus devnelos
Depara essa virgem de aromas nos seios
as votes, as trancis, na boca de flor ;
E a virgem mais bella que um quadro de Rubens
Abraca a miuh'alma suspensa as nuvens
Lancando do t"1o scentelhas de amor.
Junho de 1863.
Belmtro Salgado.
iiTli '-CU- PC------------
Pastillas vermfugas de Kemp.
Chamamos a attenco de todas as mis
pata o remedio mais agradarel e til que
se cmheo, para fezer expellir as lombrigas:
AS PASTII.HAS VERMFUGAS DE KEMP. Em vez
de W>}'is esses immundos e perigosos reme-
dios'vermfugos, compostos de toda a casta
de naineraes, apresentamos um delicioso con-
feito terjetal prompto e infallivel na sua ope-
raco, nao causando nauseas, nem encommo-
dos de qualidade alguma ; produzindo sem-
pre seu effeito de urna maoeira s5a e
completa ; nao carecendo depois a assisten-
cia de qualquer um outro purgante: til
como um excellente meio de fazer remover
as obstrucQes do ventre, mesmo no caso
ment tornam-se ellas dignas por todo os
respeltos da confianca e approvacSo ae to-
dos os pas de familias, os quaes actaWSo cs-
dem de mamona .... *
Batatas alimenticias .... arroba
Bolacha ortioaria, propria par= fc<
embarque .....
dem fina....... *
Caf'bom .......
dem escolha ou restolho.
' dem torrado...... libra
'Caibras ....... um
Cal....., arroba
dem branca ....
Carne secca (xarqua) ...
Carneiros....... um
Carvo vegetal ..... arroba
Cavernas de sicupira tuna
Cera de carnauba em bruto. libra
dem idem em velas ...
Cha ......... i
Charutos ....... cento ,
; Cevados (porcos)..... um
Cocos (seceos)...... cento
, Colla........ libra
' Couros de boi, salgados *
Idera idem seceos espichados
dem idem verdes .
dem idem cabra eortidos .
dem idem de onca ,
Doces seceos .....
dem em gela ou massa .
dem em calda ....
Espanadores grandes .
dem pequeos...... >
Esteiras para forro de estivas
de navio........ cento
Estopa nacional ..... arroba
a
nm
libra

i
um
Farinha de de mandioca
dem de ararnta ....
Feijae de qualquer qudlidade
Frechaes ......
Fumo em lolha, bom
dita e 3
tores de algo lao, 1 caixa chapeos de sol da seda, 2 dem ordinario ou restolho
ditas toalhas de linbo, 1 dita ditas de algodao, 1 dem em rolo bom .
dita saceos de viagem, 1 dita camisas de algodao, 1 dem ordinario ou restolho.
1*000 toneladas, capillo Manoel Francheo Jnior,
1*200 eqopagom .15, carga tinao e oniros genero*) a
Thomaz de A. Fooceca.
3*000 TriestrewWlm' pancho hanaveriano Mettme, d
7*600 163 toneladas, capiao V ton Loh. equipagem 8,
7*400 carga 1,985 "harneas cora farinha e trig ;
6*000 Phppes Brothers & C.
440 Sahulos.
360 Rio Grandeo Sul-patacho brasfleiro Sol, caplto
280 Ricardo Nunes dos Res, carga assucar e car-
COO vo.
3*200 Rio de Janeiropatacho brasilero Dalia, cipi "
4*000 Joaquim Gongalves Cordeiro, carga assucar.
1*000
3*000
300
300
1*500
2*600 O Illm. Sr. inspector d.i bcfodraria provin
15*000 cial, em cumprimenlo da ordem do ttn. Sr. pre
6*000 sidente da provincia de 10 do correte, manda fa
600 zcr publico qne no da 14 de. junho prximo vin
150: douro, perante a junta da fazenda da mesma the-
240! souraria, se ba de arrematar, a quem por menos
105 Oer, a obra da cadeiadacidade de Nazareth, ava-
350 Hada em 18:093*900 rs.'
10*000 A arremalacax) ser feita na forma da lei pro-
1*000 vlncial n. 343 de 1o de mafo de 1854, sob as clau-
320 sulas especiaes abaixo declarada?.
500 As pessoas que se propozerem a essa arremata-
4*000 9a0' comparecam na sala das sessoes da referida
2*000 jonta, no dia cima indicado, pelo meio dia, e com-
petentemente habilitados.
E para constar, se mandn publicar o presente
pelo jornal.
Seeretarin da thesouraria provincial de Per
nambuco, 14 de margo de 1865.O secretario, A-
F. d'Annuociacao.
Clausulas especiaes para a arrematac.o.
1.* O edificio para a cadeia de Nazareth, ser
feito de conformidade com a planta e orcamenlo
13*000
1*600
alqueire 2*500!
arroba 4*0001
2*800
um 5*000
arroba 14*000
q AAA
, 8*000 JunI. na importancia de 18:093*900 rs.
dita leocos de dito ; a T. Christiaosen.
t caixa chapeos de palha ; a Alves Hamborger
&C.
1 dita chapeos de sol de seda, 1 dita tapetes, i
dita fazendas de linho e meias de algodao, 2 far-
dos fazendas de linho, 9 ditos dita de algodao, 1
caixa lencos de dito ; a A. C. Abreu.
1 caixa fazenda de borracha, 1 dita objectos de
escriptorio ; a Wilson Hette.
1 caixa roupa ; a Geo a. Bradley.
4 ditas fazenda de algodao, 1 dita dita de la.; a
J. Keller & C.
1 dita calcado ; a Monteiro Lopes & C.
1 dita ferragens; a F. Dubarry.
'8 ditas cha, 1 dita chapeos de sol de seda, 1 dita
tecido de linho, 2 ditas dito de algodao, 2 ditas
chapeos de sol de algodao : a L. A. Siqueira.
2 ditas tecido de algodao ; a Southali Mellors
&C.
8 ditas dito de dito ; a Ferreira & Matheus.
urna
5*000
6O0
2*500
23*000
2*000
11*000
6*000
240
900
3*000
5*000
5*0OOJ
800
4*000
1*000
120
1 dita miudezas, 2 ditas e 1 casco ferragens; a
Vaz &Leal.
14 ditas fazenda de algodao, 2 ditas dita de la e
algodao, 1 firdo cobertores de la, 1 caixa sabo ;
a Thomaz JerTeries.
1 caixa lencos de linho; a Monhard & C.
2 ditas fazendas de algodao ; a Linden Wild
&C.
10 fardos fazenda de la ; a Henry Gibson.
19 ditos fazenda de algodao, 1 caixa dita de laa
e algodao; a Rabo Schmettau & C.
1 caixa fazenda de algodao ; a Pbipps Brothers
& C.
1 dita fundas, 1 dita obras de selleiro, 6 ditas
fazendas de algodao, 2 fardos ettopa, 4 ditos fazen-
da de la e algodao; a Izidoro Nelto & C.
10 caixas falla galvanizada ; a S. P. Jobnston
4C. |
2 fardos fazenda de algodao ; a R. Lightbourn ,
&C.
1 caixa fazenda de linho, 4 ditas dita de dito e
algodao, 1 dita dita de algodao, 1 fardo cobertores
de dito, 1 dito mantas para cavallo ; a J. 0. C.
Doyle.
1 caixa presuntos; a J. F. Lima.
5 lardos fazenda de algo lao : a J. Heywood.
2 caixas e i fardo fazenda de algodao, 1 caixa
collarinhos de linho e algodao, 2 fardos estopa ; r
J. A. de Araujo.
5 fardos e 2 caixas fazendas de linho ; a Adam-
son Howie & C.
Escuna hollandeza Hendrika Huistnan, entrada
de Trieste, consignada a Saunders Brothers t C,
manif^ston o seguinte:
1,773 barricas farinha de trigo ; aos mesmos.
Barca ingleza Favorita, entrada de Cardiff, con-
signada a Wilson & Hette, manifeslouo seguinte :
363 toneladas carvo de pedra ; aos mesmos.
Brigue portuguez Uniao, viodo de Lisboa, mani-
feslou o seguinte:
42 canastras alhos, 6 barris carne; a Manoel
Ouarte Rodrigues.
26 fardos archotes, 140 rodas arcos de pao, 50
ancoretas azeitonas, 21 barris e 5 caixas carne, 1
dita coxins, 250 saceos farello, 48 volumes ferra-
gens, 40 ditos pomada, 1 dito bicos e rendas, 4 au-
nados vassoras, 107 caixas vinho; a Thomaz do
Aquino Fonseca Jnior.
150 rodas arcos de pao, 15 fardos folhas de lou-
ro, 6 saceos feijo; a J. Vieira de Barros.
3 fardos capachos, 2 ditos pomada, 1 dito pali-
tos; a F. J. Alves Guimares.
1 barril carne: a A. J. Antunes Guimares.
1 dito dita; a T. M. Pinto Barbosa.
1 caixa dita; a V. Jos Monteiro.
2 ditas chapeos, 1 dita doce, 1 sacco feijo, 4
volumes ferragens, 1 dito panno de linho; a P-
rente Vianna & C.
1 caixa chapeos; a F. Duarte Vieira.
25 volumes ferragens, 10 ditos pomada; a Tho-
maz Fernandes da Cunha.
6 ditos ditas; a A. V. da Silva Barroca.
16 ditos ditas, 1 dito livros; a J. J. de Lima
Bal rao.
! Gallinhas
Gomma........arroba
Ipecacuanha (raiz).....i
Lenha em achas.....cento
Toros........; :
Linhas e esteios ...... um
Mel ou melaco......caada
Milho.........arroba
Papagaios .......unr
Pao Brasil.......quintal
dem de jangada......um
Pedras de amolar .... urna
dem de filtrar .....
Idera de rebolo ..... .
Piassava........molho
Pontas, ou chifres de vaccas ou
novilhos.......cento 3*500
Pranchoes de amarello de dous
i costados.......um 20*000
dem de louro......I 10*000
Rap.........libra 1*000
Sabo ........., 120
Sal...........alqueire 400
Salsa parrilla.......arroba 25*000
Sebo em rama...... 5*000
dem em velas ....... 7*000
Sola em vaqueta......urna 2*000
Taboas de amarello.....duzia 140*000
dem diversas....... 87*000
Tapiocas.........arroba 35000
Tatajuba........quintal 2*000
Travs ........urna 6*000
Unhas de boi ......Cento 200
Vassouras de piassava ... i 1,0*000
Ditas de timb....... 8*000
Ditas de carnauba...... 6*000
Vinagre.........caada 500
Atfandega de Pernambuco, 10 de junho de 1863.
(Assignados):
O 1. conferente, Pedro Alexandrino de Barros-
O 2 conferente, Jos Bapluta de Castro e Stlva-
Approvo. -Alfandega de Pernamuc, 10 de junho
; de 1865.A. Eulalto.
Conforme. O 4. escriplurario, J. de Avila Bi-
1 tencourt Neivas.
RECEBEDORIA DE REXDAS INTEUNAS GE-
RAES E PERNAMBUCO.
Rendimento do dia 1 a 10...... 10:937*766
dem do dia 12................ 2:730*791
2.* O arrematante ser obrigado a dar principio
aos trabaihos no prazo de 30 dias, e concluidos
no de um anno, ambos a contar da data da assig*
batura-do contrato.
3.* Os pagamentos sero feitos era 3 prestarles
Iguaes correspondentes a cada terco da obra Duda.
4.* Nao ser em tempo algum attendida qualquer
reclamacao por parte do arrematante tenden-
te indemnisaco, quaesquer que sejam as allega-
res em que se hajam para esse flm, anda mes-
mo por prejnizos provados.
5.' Para ludo o que nao estiver especificado as
presentes clausulas, seguirse-ha o que dipoe or-
gulatnento de 9 de Janeiro de 1864.
Conforme.A F. d'Annunciacao.
13:688*337
CONSULADO PROVINCIAL.
Rendimento do da 1 a
dom do dia 12
10.
tas pastHtm elegantemente acondWBuadas
deolro de frasquirioas de crystal e venda
as boticas de Caors & Barboza, e de Joao
33:402512)
7:966*885
41:369*0
llaniburijo, 20 de maio de 186o.
RELATORIO COMMERCAL.
O negocio para consumo foi animado ; mas sem
mostrar-se vontade para espeeular.
Caf.As entradas na quinzena foram de 62.523
saccas, das 36,070 saccas do Brasil. Venderam->e
17,422 saccas do Rio e de Santos a 5 3/4 e 7 7/8
schillins.
O lei.o hollandez teve um resultado to favora-
vel, que o ultimo despacho d Rio pelo Extremadu-
re, annunciando grandes carregamentos nao cau-
sou mo effeito, e sendo multo favoraveis as noti-
cias da America do norte, os importadores torna-
ram-se mais reservados.
Colamos o caf regular ordinario do Rio a 6 3/1
e 6 i/2 scb.
Assucar. A posicao do assucar firme, sem
mudaoca dos pregos. Venderam-se 300 saccas e
90 caixas e 40 barris de assucar da Babia.
1 Algodao. Precos firmes, mas nao houveram
IransacQoes por falta de deposito.
Couros.- Como sempre acontece nesta estacan
do anno, o mercado acha-se era posigo bastante
frouxa.
Tabaco. -Temas de notar a venda de 467 balas
11 ditos ferragens; a A. J. dos Santss Andrade. de tabaco de S Flix da Baha a 4 3/4 e 6 5/8 sch
1 dito ditas; a A. L. Machado Braodo. e em leihn de28 balas de tabacobrasileiro avanado
so a qnalidade da Babia
da i".. Bravo C,
se
C0M1E1CI0.
.Horo banco de Pernam-
buco.
0 li.nco4eseotltaletrasnapresente semana a
9 por cento ao anno at o prazo de quatro me-
z*s, e a 10 0[0 at o de seis mezes
Caixa filial do banco do Brasil en
Pernambuco.
A directora desta caixa-saea sobro o banco do
Brasil no Rio de Janeiro e sobre a caixa filial do
mesmo banco na Bahi.
Novo kwct 4e pernamlmeo.
Os vlmfnistradores da massa fallida de Jr n
3*Slttra*go dividundo de dita nmsa
na razo de 9 0/0 sable o valor des tilalos ad-
meltid >< : no novo banco de Pernambuco i vua
do Trapiche n. 34.
ALFANDEGA.
RenJiwrioiio. dia i a 40......
IJeiti o.fia*...............
185:758*861
19:496*495
204:935*283
MOV MENT DA ALFADBGA.
Volme* nuadtos eom lateadas----- 17
f c com gneros..... 471
- 588
Volums saludo com fazewlM..-... 56
coa gneros..... 1.038
1 dito pentes e linhas, 8 ditos rolhas: a A. Lopes
Braga & C
6ditosretroz e ditas; a J. F. de Araujo Gui-
mares.
4 ditos lona; a A. L. de Oiiveira Azevedo.
3 ditos louga, e 30 ditos ditos vjnho; a ordem.
2 ditos obras de ferr: a Gomes 4 Silva.
19 ditos ditas de vime; a J. A. dos Santos An-
drade.
1 dito panno de linho; a F. D. Pinto Vieira.
1 dito sementes; a A. da Silva Campos.
16 barris vinho; a J. J. da Costa Moura.
4 ditos dito; a J. F. da Cruz.
<20 caixas dito; a Cunha Irmaos Je C.
1 dita ditos; a H. do Reg Barros.
Vapor nacional Jaguanbe, entrado dos portos do
norte, manifestou o seguinte :
Do Acarac.
138 raeios de sola ; a Joo Jos|de Carvalho
Moraes. .
9 raolhos rouros de cabra com cabello, 1 caixote
Santa (Jasa da Misericordia
do Recife.
A Illm.* junta administrativa da Santa Casa da
Misericordia do Recife, manda fazer publico que
no dia 16 de junho pelas 4 horas da tarde, na
sala de suas sessoes continuara a ir a prai,'a para
serem arrematadas pelo tempo de 1 a 3 annos as
jendas das casas abaixo declaradas.
Os licitantes devem comparecer acompanhados
de seus fiadores ou munidos de cartas destes,
Ra das Larangeiras.
Casa terrea n. o particular e 17 pu-
blico.......... 206*000
Ra do Rangel.
dem n. 43 particular e 55 publico. 300*000
Ra do Rosario da Boa-Visia.
dem n. 14 particular 58 publico. 168*000
Ra da Lapa.
Casa terrea n. 41 particular e 2 pu-
blico. ........ 150*000
Ra da Moeda.
dem n. 44 particular e 21 publico. 330*000
Ra do Amorim.
dem n. 48 particular e 56 publico. 400*000
dem n. 49 particular e 54 publico. 400*000
dem n. 50 particular e 52 publico. 420*000
Idem n. 53 particular e 43 publico. 500*000
Ildem n. 56 particular e 26 publico. 72*000
Ra do A'.eite de Peixe.
IJem n. 61 particular e 15 publico. 450*000
dem terrea n. 63 particular 114 publi-
co...........600*000
Ra da Cacimba.
Wem n. 65 particular e 5 publico. 144*000
Idem n. 67 oarticular e 10 publico. 83*000
tuia do Vigariu.
Sobrado de 2 aniares n. 72 particular
e 27 publico........500*000
Ra do Encantamento.
Sobrado de 2 andares n. 76 particular
e 11 publico........900*000
dem idem n. 77 particular e 13 pu-
blico..........900*000
RuadaSenzala Velha.
dem idera n. 79 particular e 134 pu-
blico.......... 5.0*000
Casa terrea n. 81 particular e 18 pu-
blico.......... 2005000
dem n. 82 particular e 16 publico. 200*000
Ra da Guia,
dem n. 81 particular e 29 publico. 144*000
Ra do Trapiche.
Sobrado de 3 andares n. 8o particular
e 30 publico........720*000
Ra da Lingoeta.
dem de i andares n. 86 particular e
14 publico........600*000
Ra da Cruz,
dem idem n. 87 particular e 11 pu-
blico.......... 882*000
Ra do Pilar.
Casa le rea n. 92 particular e 103 pu-
blico.......... 200*000
200*000
253S000
228*000
228*000
2285000
228*000
228*000
228*000
228*000
228*000
Secretaria da Santa Ca-a" de Misericordia do
Recife 10 dejunho de 1865.
O escnvo,
F. A. Cavalcanti Cousseiro
dem n. 93 particular e 101 publico.
Idera n. 94 particular e 99 publico. .
dem n. 97 particular e 110 publico,
dem n. 99 particular e 106 publico. .
dem n. 100 particular e 104 publico,
dem n. 101 particular e 102 publico.
Idera n. 102 particular e 100 publico.,
dem n. 103 particular e 93 publico.,
dem n. 104 particular e96 publico.,
dem n. 103 particular e 94 publico. -
queijos
a Joo Valente da Cruz.
Do Aracaty.
70 caixas com 70 arrobas de velas de carnau-
ba ; a Jos de S Leito Jnior.
Do Cear.
18 saceos feijo, 10 caixas vinho de caj, 1 cai-
xo papel para cigarros ; ordem.
De Na al.
8 saccas algodao ; a Reg & Silva.
47 saceos feijo ; ordem.
1 caixas cera amarella, 12 saccas algodao, 40
ditos assucar; a Manoel Ignacio de Oiiveira &
Filho.
Brigue inglez Milita, entrado de New-Post, con-
signado a Wilsons 4 Hette, manifestou o se-
guinte :
460 toneladas carvo de pedra ; aos mesmos.
ALFANDEGA DE PERNAMBUCO,
PAUTA DOS PBEQOS DOS GNEROS SIEIT0S A D1REITOS
DE EXPORTACO. SEMANA DE 42 A 17 DO MEZ
DE JCNHO DE 1865. .....
Mercadorias. Unidades. Valores.
Abanos.........eento
Agurdente de cana ....
dem restilada ou do reino
dem caxaca.......
idem genebra......
dem atcool eu espirito de agua-
ardente ....,
Algodao em caroco ....
dem em rama ou em la
Arroz com casca .....
dem descascado ou pilado .
Assucar maacavado ....
dem branca.......
dem retinado......
Azeite de amendoim ou mando-
bim
caada
i
arroba
i

i'
1*500
800
800
400
800
900
3*000
12*000
1*500
2*600
2*000
3*500
5*120
COMPANHIA
DO
a 3 e 6 1/8 sch.
Cacao. Procurado
baixou de preco.
Navios sabidos para o Brasil.
Para Pernambuco Spera.
Para o Cear Fortuna.
Para o Rio Grande do Sul Cornelia Maa.
Para o Maraoho Adele.
Para a Bahia Auna.
Para Porto-Alegre Amanda.
Para o Rio de Janeiro Victoria.
Navios chegados do Brasil.
Da Baha Merck e Jenny.
Do Bio de Janeiro Stientje Romehn, Anna, Ruth,
Rewertdina, Susanne, Mathilde.
De Santos Minnet, Fortuna, Selma, Esther e So-
phie, Arboe, Thekla Schmidt.
Do Rio Grande do Sul Prairie Flower.
Navios fretados para o Brasil.
ParaotoS" lfi' **' caixa desla companhia comtnendador
Para e Rio Grande do Sul Anna Gerlrude, e (Tll03WZ de-lHUiiO_Fonseca aCha-se autori-
liroar. sado a pagar no seu escriptorio roa do Vi-
Para a Bahia Anna, Cato Annetta, Joachime i() Q 19i das ,0 horas as 3 da lar e do
Pa'ra o Rio de Janeiro Nanna, Paulas, Sphyng, da 2 do COrrente em diante 0 34 dividen-
Conrad Uinnch. 1 do desta companhia na proporgao de 3*
Cambios. porcida apolice, previne-se aos Srs. accio-
Sobre Londres 3 m. d., 13 mareos 4 1/2 sch. stag qug egte pagamento jeve ser em moes
'-Trazo orto, 13 marcos 6 1/2 idem. ; da de cobre que na especie que o mesmo
Sobre Pars 3 m.d., 189 3/4 francos por 100 Sr, caixa tem recebido dos arrematantes dos
10 arrobas de fiofre de cor silrinica.
1 taixo de cobre de 19 a 20 libras de peso, e 18
j 20 polegadas de bocea.
1 1 espnmadelra de metal.
13 reimas de papel pardo de forrdato grande.
1 300 achas de lenha de mangue. 4
10 caixas rom foilias d? (landres com 16 polega-
das de comprida e 11 de lif jf 6 ditas ditas, marca pequetM, boa qualidad*.
500 caadas de azeite de carrapalov
10 arrobas de cobre velbo.
As pessoas que quizerem vender ditos artigo^
apreseniam sitas propostas em carta fechada ao
ftW.firfN re Janeiro.
Pfetende seguir f'tAr nWfsr brevldade o palha-
bole PfJoeVlem parle do ot earregamanto a
bordo, parteo testo que Ihe falla e es'ravos a re-
l para os qoaes tein eacellanles ewnmodos, tra-
ta-se com os seus consignatarios Antonio Luiz de
oiiveira Azevedo A C, no tea escriptorio ra da
Uuz a.J._____
Para a Bahia
Pretende seguir para es porto com brevldade o
Valetta e bem conhecid) patacho nacionil D. Miz,
meio da do dia 4 do corrente,na salado conselho. que M j^ com parle da wg prompU >ara 0
arenal de .reilll trausa com Jo-'HiriaPalineira
Sala do conselho da compras
guerra 10 de junho de 1865.
O encarregado da escrlplnracao
Manoel Jas de AzevedoSantos.
Arsenal de guerra,
O conselho de compras do arsenal de guerra
precisa comprar e seguintes :
Para o completo do corpo de voluntarios
1,208 covados da pauoo azul para fardamento.
Para blusas que tem de ir para a corte.
6,000 covados de panno azul.
As pessoas que quizerem vender ditos rticos
apresentem suas propostas na sala do conselho no
dia 14 do correle, ao meio dia.
Sala das sessoes do conselho de compras do
arsenal de guerra 10 dejunho de 1865
O encarregado da escripturaco
anaol Jos4.de Azevedo' Santos.
Companhia de mallaria de Pernambuco.
A mesma companhia tem, em virlude de ordem
superior, de vender em hasta publica 44 cavallo?,
no dia 20 do corrente, pelas 10 horas.
Quartel no Campo das Princezas 10 de junho de
1865. I
Manoel Porfirio "de Castro Araujo
Capitao commandante.
Hoje a ultima praca,-perante o Dr. jQiz de
orpbos, do arrendamento do eBgenbo Con.-lanli-
no, na freguezia de s. Louronco.
O abaixo assignado, juiz de paz do 2' distric-
to da freguezia do Recife, acha-sz em ejercicio do
mesmo juizado em razao de ter dado parte de
doente o Io juiz o capito Manoel Antonio Ribeiro ;
portante faz sciente a quem Interessr, que as au
diencias conlinuam nos mesmos dias e horas do
costme, em sua casa n. 84 na ra Augusta, e
despacha a qualquer hora em qualquer lugar.
Freguezia de S. Jos do "Recife 12 de jnnho de
1865.Joo Jos de Albuquerque.
iBspecco do arsenal de marinka.
Faz-se publico que a commissao de peritos, exa
minando na forma determinada no regolamento
acompanhando o decreto n. 1324 de 5 d fevereiro
de 1854, o caco, machina, caldeira*, apparelho,
mastreagao, veame, amarras e ancoras do vapor
Mamangnape da companhia Pernamhucana de na
vega.o costeira, achou todos estes objectos era es
tado de poder o vapor navegar.
Inspecco do arsenal de marinha de Pernambu-
co 10 de junho de 1865.
O inspector,
H. A. Barbosa de Almelda.
Morreio itera I
Pela administrago do correio desta cidade se faz
publico que, em virtude da convenco postal cele-
brada pelos governos bra*ileiro e francez, sero
expedidas malas para a Europa pelo vapor ingle;.
La Plata no dia 15 do correte.
As cartas sero recebida> at 3 horas antes
da que for marcada para a sahida do vapor ; e os
jornaes at 4 horas antes.
Administraco do correio de Pernambuco 12 de
jnnho de 1865. O adminitrador,
Domingos dos Passos Miranda.
em seu es-
eriptono no largo do Corpo Santo n. 4.
Para Lisboa.
O brigue portuguez >oto-ana, capitio U. fi. Bo-
giganga, val sahir breve, recebe carga e passagei-
ros; trata-se com E. B. Rabello, ra do Trapiche
n. 44 ou cora o capito.____________
Para o Aracaty segu em poneos dias a ba7-
caca Flor de Camaragibe : para o rc-to da carga
que IIiq falta, trata ae na ra da Madre de Daos,
armazem junto a igrejo.
Para o Porto
segu sem maior demora e com a carga qu* tiver
a barca portugueza S.JoCw, capito Manoel Ferrei-
ra Leite : receto carga a freio barato : a tratr no
escriptorio Amorim Irma is, ra da "Cruz n. 3, ni
com o capito na praca do commercio.
Para a Bahia
pretende sabir com mnita brevidade a veleira es-
cuna Eliza por ter a maior parte da "carga, e para
o resto que Ibes falta trata se com o consignatario
Joaquim Jos Goncalves Beltrao na ra do Vigario
n. 10, primeiro andar. _____ '
Para a Baha
pretende sahir em poneos dias o veleiro-btate Oii-
veira por ter a maior parte da carga prometa, e
para a piuca que Ibes falta, trata-se con o consig-
natario Joaquim Jo- Goncalves Beltrao, na ra
do Vigario n 10, primeiro andar.
PA LISBOA
0 palhabote 19 de Junho pretende seguir com a
carga qne tiver at o dia 20 do corrente i para o
resto que llie falta, o qual se recebe a frele barato,
trata-se com os seus consignatarios Antonio Luiz
,le Oiiveira Azevedo & C, no seu escriptorio ra
da Cruz n, 1. ______
Freta-se para qualquer porto do Rio da Pra-
ta o brigue porluguez Lata /, de lote de. 2000 bar-
ricas pono mais ou menos; trata-se cora H. R.
Rabello, ra do Trapiche n. 44.
LBILOES.
IElLdES
todas as semanas
No grande artnarem do agente
OLYMPIO
36-Ra da Cadeia do ecife--3(i
s
X1IE1TRO
DE
marcos banco.
Prazo curto, 188 idem.
Sobre Lisboa 3 m. d., 45 5/8 sch. banco por
mil ris.
Descont 3 a 3 1/2 porcento.
MOTIMESTO DO POETO
chafaries desta companhia.
Escriptorio da Companhia do Beberibe 1
de junho de 1865.
O secretario,
Jos Eustaquio ferreira Jacobiua.
Pela recebedoria de reodas internas geraes
se faz publico que e nesta crrante mez que os de-
vedores dos impostes seguintes : renda dos pro-
prios nacionaes, decima adicional de mao-mor a,
' imposto de 20 0A1 edito especial, relativos ao 2
i semestre do exercino corrente, teera de pagar seus
dbitos sem multa, depois do que sero pagos com
elra. nerebedoria de Pernambuco 2 de maio de
EMPREZA-OOIMBRA
Quart-feir 14 de junho de
1865.
Primeiro e uliimo concert
A BENEFICIO DO HABEQU1STA PORTUGUEZ
Francisco Pereira da Costa.
Msico da real cmara de Sua Mageslade
Yidelissima o Sr. D. Luiz I.
I'rimi'ii-a parte.
O Sr. Amoedo executar a scena dramtica:
Cerrarlo noniar.
Segunda parte.
Grande phantasia pelo beneliciado, sobre moti-
vos da opera
XORB.l.
De D. Alarde.
Terceira parle.
A chistosa comedia em um acto
MAS TflNTA^ftES
linaria parte.
Dtfflcoltosa phantasia pelo beneficiado
SOUVENIRS DE BELLINE
De J. Artol.
Quinta parte.
A Sr." D. Eugenia representar o sempre ap-
pludido entreacto
BERTHA DE CASTIGO.
Sexta e ultima parle.
Brilhante phantasia pelo beneficiado sobre mo-
tivos da opera
TROVADOR
DeD. Alarde.
Urna banda de msica tocara no sallo, em ob-
sequio ao beneliciado.
Principiar s 8 horas.
O resto dosbilhetes estao a disposicao do publi
co no escriptorio do theatro. .
Sabbado 17 de junho vai scena o muito lindo
drama em 5 actos Medico das enancas desde j re-
cebem-se encommendas de camarotes e cadelras no
escriptorio do theatro.
AVISOS MARTIMOS.
enn acern 0 *MW.-0 administrador,
v' ifanoel Carneiro de Souza Lacerda.
-------. l^fi Idetnde coco.......
caada 2JOO0
Navios entrados no dia 11.
New-York 45 das patacho sueco Argo, de 200
toneladas, capito Lonegren, equipagem 10,
carga 1,000 barricas com farinha de trigo e ou-
tros gneros ; a Johnslon Pater & C.
New-Porl 45 dias brigue inglez Melita, de 266
toneladas, capillo Isaac Seroice,
carga carvo ; a WiUson-A Hett.
Navtoi taludo* no 4ia 11. Convida-se as pessoas qne estiverem as eon-
BarbadSes britue inglez Pevktide, capito dic5es do edtivieotnWtW.a engajarfcm-se no>eorpo
Sawyers em lastro d8 polica, e gozarem das vaotagens que-ofcrece
Rio de Janeiro e Babiavapor francez Guienne, a lei provincial u. 611 de 2 do corrente.
commandante A. de la No. i-aanai dp uiifii-i
Navios entrados m da 12. AfSeai Qt peiM.
Lisboa31 das brigue portuguez Rrtampago, de | O eoosedho de compras do arsenal de guerra
235, capito Joao E. da Silveira, eejuipagem 13, prarisa comprar o seguinte :
carga vinho e ootros. gneros Thomaz de A. Para provimento do alraoxarifado.
Fonceca. I 20 arrotas de salitre refutado, pralerindo-se p
COMPANHIA PERNAMBL'CANA
DB
Xavegaco costeira por vapor.
Macei e escalas, Penedo e Aracaj.
O vapor Jf untan guape, segu
no dia 14 do corrente as 5 horas-
da tarde. Recebe carga do dia
10 a 13,; encommendas, passa-
geiros e dinheiro a frele at o dia
da sahida"as 2 horas : escriptorio no Forte do
Matos n. 1._______________
COMPANHIA BRASILERA
DE
PAQUETES A VAPOR.
E' esperado dos portos do norte
at o dia 23 do corrente, o vapor
Paran, commandante o capito
de fragata Antonio Joaquim de
Santa Barbara,.o qual depois da
demora do costme seguir' para os portos do
sol.
Desdej recebem se passagelros e engaja-se
carga que o vapor poder conduzir, a qual devora i
ser embarcada no dia de sua chegada, encommen-1
das e dinheiro a frele at o dia di sahida as 2 bo-,
ras da larda : agencia ra da Cruz n. i, escripto-
rio de Antonio Luiz de Oiiveira Azevedo & C.
LEILAO
De dividas di massa de. Amorim, Fra-
o/.i Sanios k (,.
Cordeiro standes
far ieilo a requtrimenlo dos administradores da~
massa fallida de Amorim, Fragozo Santos 4 (J.,
e mandado do Illm. Sr. Dr. juiz especial do com-
mercio das letras da firma particular do socio ge-
rente daquclla sociedade Joo Baptista Fragozo,
na quantia de 20:807360, cujas letras se acham
em poder d) mesmo agente a exame de quem pre-
tender.
HOJTE
as II horas a pona da Asswciacao Gommercial.
LjEILAO
fe 20 barr as com bacallio.
Martlns fara' b-ilo por conta e risco de qnem
pertencer, de 20 barricas com superior bacallio,
T"\?a,,|,:>nY,n. ""mu dq Sr. Avila, no F.,rle
do Mattos, onde lera lugar o leilao
HOJE
Terga-feira 13 do corrente, s 10 horas.
IM li M>
De uiuL.arnico, balcao e gaz, c 10
/?rrrls cm sal refinado.
Quarta-feira 14 do corrente.
O agente Pestaa vender' por conta de quem
pertencer a armaejo, balciio e gaz existente na loja
da ra do Crespo n. 9, esquina da ra do Impera-
dor, e 10 barris com sal refinado, sem limites :
qtiarta fera 14 do correte, pelas 10 huras da ma-
nhaa, na mesma loja.
ieilan
De movis.
Quarta-feira 14 do corrente.
Cordeiro wiiues
far lellao de diversos movis, como seja urna me-
sa elstica, um guarda-louca, urna commoda, um
guarda-vestido, urna estante para livros, duas se-
cretarias, urna mobilia de amarello, 12 i-adeiras de
Jacaranda, 12 ditas de faia, um porta-licor, diver-
sos trens de cozinha, um lacaz, urna machina para
costura, tres relogios de parede, duas escarradel-
ras, um berco, urna cama franceza, um lavatorio,
orna carteira", um cofre de ferro, urna prensa para
copiar cartas, e outros muitos objertos. Ser ef-
fectuado o Ieilo a ra da Cruz n. 57.
LEILAO
De urna mobilia de Jacaranda constando de 12
cadeiras de guarnico, 2 ditas de balanc. i, 1 sof,
4 consolos com pedra sendo 2 com espedios, mesa
de meio de sala, candelabros, laoi-ras, louga de
porcelana para jamar, 1 apparelho dourado para
almoco, urna cama franceza de amarello, um guar-
da louca, commoda?, garrafas para vinho, clices
e maitos outros objectos que estarao presentes no
acto do Ieilo.
Sexta-feira 16 do corrente.
Martins tara Ieilo dos objectos cima que se
acham no armazem da ra do Imperador n. 37,
onde lera' lugar o leilao as 11 horas do dia cima.
Leillo.
Da loja de fazendas da na Suva.
Massa fcllida de Joao Baptisla Goni-al-
ves Bastos.
Martins far Ieilo a requerimento dos curado-
res fiscaes e depositarios da massa fallida de Joao
Baptista Goncalves Bastos, da armacao, fazendas e
___T._____._:..__._____l~.. J. ... 14!...,. ir
pertences existentes na loja da ra Nova n. 47,
pertencentes a mesma massa.
Sabbado 17 do corrente.
O Ieilo ter lugar na mesma loja as 11 horas
do da. Os pretendentes podem examinar a rela-
cao das fazendas em o escriptorio do referido Mar-
tins a ra da Cadeia n. 9.
Leilfio
Da parte de urna casa na Parahiba a ra das
Convertidas n. 15, ero qtw existe um es-
tabelecimenio. avallado lodo predio em
2:000$, c cuja parte em 7075"U)3 rs.,
como tambem os alugueis de cerca de *
a 3 annos
Terea-frira 40 de joaho as 11 hars.
Cordeiro Nlnes
aalhorisado pelo liquidatario da casa commernal
de Antonio Joaquim do Mello, fir'leilao da parto
l#60O'Porto-35 dias brifae portuguez Unicfo, de 162, de Londres.
COMPANHlV PERNAMBUCANA
DE
Mavegaeio costeira por vapor
Para o Rio de Janeiro em direitura.
Segu no dia 14 as 4 Loras da lardeo elugneis do predio aeinta descript-. .jf* *p
vapor8 Jaguar^ eo.mnd.nl. Martins. **$$^Jtt T^T^
Recebe algum passagetros de re. Escripto- acira, a,0 a porta de rmaiem do Sr. Aunes lar-
rio Forte do Mattos a. I. go da alfandega.


- -
r
ILEGVEL

.
. -



lo de Pe
Verea le Ir a 13 de
de lt.
AVISO! pimos.
LOTERA
Aos lO.OOUSO 9 2;O00.s'000.
Acham-se a venda os bilhetes, meios e
quartos da 4* parte da 4a lotera (20*) a
beneficio da Santa Gasa da Misericordia, na
respec iva thesouraria a ra do Crespo nu-
mero 15,
Os premios de 10:0000000 at 200000
serao pagos urna hora depois da extracto
at as 4 horas da tarde, e os outros depois
da distribuidlo das listas.
As encommendas s ro guardadas so-
mente at a noite da vespera da extracc3o
como de costume.
O thesoureird,
Antonio Jos Rodrigues de Souza.
AH
> Precisa-se de urna.ama para comprar e cosinhar
| n uma casa de muitu .pouca famila, paga-se beo:
, no pateo de S. Pedrc n. 3.
Manoel Jote *ernandes retirase par* Por-
tugal.
USA DA FOEIflfU.
Charles WiHiin Ryder vai para Europa.
Antonio Francisco Monteiro e sua irma Ja-
lla Loopoldina Moateiro e uro fllho menor da mes-
ma retiramse para Montevideo.
Agendas de passapoi'te.
Clandino do Reg Lima, despachante de passa-
porte, tira-os para dentro e fra do imperio por
commodo preco e presteza : na ra da Praia, pri-
meiro andar n. 47.
baques.
Saca-se sobre a praca da Bahia: no largo do
Corpo Santo, escriptorio de Jos Mara Palmeira.
Deseja-se saber quem nesta cidade o cor-
respondente do Sr. Joaqun) Jos Coimera de au-
drade Jnior, do engenho Leo, na Escada.
Precisase de urna ama que saiba cosinhar e
engmmar : na roa da Palma n. 41, taberna.
Convidamos os nossos amigos a lerem no Jornal
do Rectfe de hoje um bello discurso recitado por
um Dig.\ Mac.-, no recinto de urna Loj.\ do 0-
rient.-. Lacradlo, e que oi interrumpido, segundo
nos informa ama carta fidedigna, pelo sabio ma-
Ihete Dr. Menezes Gr.\ 33.-.
_____________________Pissollo & C._______
Joaquim da Silva Cosa vai a Portugal.
Jos Teixeira Luna, subdito porluguei, vai a
Europa tratar de sua saude.________________
Archibald Reid, subdito inglez, retira-se para
Europa.
Zacaras
Aracaty.
Pereira da Cruz retira-se para o
Manuel Ignacio Rodrigo.es Praca, subdito
portuguez, vai a Europa.______________j____
Joao Antonio Gomes Guimares, vai a Europa e
leva em sua companhia sua muiher e urna cha
menor.
Januario Marsecano, subdito italiano, vai pa-
ra Europa. _______^^
" Jayme Esnaty, subdito francez, vai para Bue-
Dos-Ayres.__________________________ *
Antonio de Souza Cunha, subdito portnguez,
relira-se para fcuropa._____________________
Joao Christiam vai a Europa.
Segundo dividendo
da massa fallida de Amor, Fragoso,
Santos & C.
Paga-se o segundo dividendo a razao de 2 por
cento, no escriptorio da administracao da massa, a
Aos frOOOfim
Bilhetes garantid**:
A' ba doCrkspo n. 23 c**a&do costumi.
Oabaixoassignadovendeuosseus -noitofeli- ..
aes mneles garfllHos de extrahir, a benetlcio da Santa Casa 4a Miseri- n ^ u ____
cordia, os segalntes premios : ,T Precisase de um bom.cozioheiro para o ho-
Um quarto n. 338 com a sorte -de .2:0005000. ltl'ano rua do Trapiche n. 8.
jjm-u ..s*... .o , ruado Vigario^n. 13 primeiro andar, as quartas
"o da as 2 horas da urde.
n!p2SSU-dorespodeJm irr*^1^f*Pe- D-se pessoa de boa conducta para morar, o Arados americanos
Samuel Power JolinstoB k Conpauhia
Rua da >enzala-Nova n. 4.
AGENCIA DA
Faadlefio deLow loor.
Maeliinas a vapor de 4 e 6 cavallos.
Moendas e meias moendas para engenho.
Taiws d ferro coado e batido para enge-
nbo,
Arreiosd' carro para um e dous cavallos.
Relogios de ouro patente inglez.
con/eiladas : na rua do Rangel n. 43.
7V8^m*seli ******8eBd0 3 Paridade pou-
co e 2 solteiras : a tratar na ruajaperiafn. 27.
1:8005000.
Vende-se orna lypographia com lodos os uteaci-
iios e preparos ocessarios a poblicaoao de urna
roma de pequeo formato, e mprestes eommer-
ciaes: a tratar na raesraa typographla, no porto
de Tamandar da comarca do Rio-Formaso, ou na
ponte dos Carvallos com o conductor Flix Ramos
dos D. 21, residindo na casa da mesmo sitio,
/(^?hT"SeB*- ve?d* os^/'J^V18, ?' loterl*! *> m que"ea"seUacha7ou eomTlhe aprouver! Motores para ditos.
.(lJla,r?cl-d?J^*Ld^N:^*.Llvramen- comacoodlcode-trtar da conervacao dos ar- Machinas de costura.
para descansar algodo.
to da Varzea, que se nrabira a 13 do corrente. voredes e das cercan, sem nada pagar de aluguel,
FKUgu. _.._- | *t que assim convenha a seu proprietario, poden-
* -t^Sn algnma planiacao : quem assim o quizar,
i dirija-se a rua de S. Francisco, como quem vai
Bilhetes
Meios. .
Quarto?.....i jseo para a rua Bella, sobrado n. 10."
Pana as pesseas que compraren d 1000000
para cima.
Bilhetes.....6*500
Meios......3*250
Quartos.....1*700
Manoel Mabtins Fiuza.
i Aluga-se orna escrava para todo o
. menos engmmar e sabir a rua : no Hospicio ou
merp 24.
COMPBAS.
servico r ~ Corapram-se libras sterllnas : na rua da
Y Cruz n. 18, armazem de Jos Joaquim Lima Balrae.
Compra-se effectivamente ouro e prata em
Offerece-se para caixeiro de armazem ou es- nD/.-!:.v?'hi.8\Ka&a.D0"se bem : na rua larga do
ESTRADA DE FERRO
DO
Recife a Sao Francisco.
AVINO
O superintendente desta estrada de ferro chama
pelo presente a attengao de todos os senhores ex-
Precisa-se de urna ama para o servido inter-
no e externo de casa pequea : na rua das Cruzes
n. 35, primeiro aodar.
Engenho.
cnptorio um rapa portuguez, com boa letra e qoe i nosar, -z* 'oja de ourives.
d fiador a sua conducta : a tratar no largo do Silvino Guilherme de Barros compra even-
chafariz da ruado Brum nL47._________de effectivamente escravos de ambos os sexos :
Na rua do Livranicuto n. 19 ha para alugar rua do |mPerador n. 79, terceiro andar,
um criado escravo, e 1 moleque.______________! Ouro e prata
Desconiam-se ootas do banco do Brasil e das'eii obras velhas : compra-se na praca da Inde-
legoa e meia distante das estagSes da Escada e tpo-
juca, com tetras excedentes de massap para se
safrejar em grande escala : a tratar no pateo do
Livramento n. 23 com o Dr. Ignacio Nery da Fon-
peditores de gneros*que desejem gozar da van- seca-._.
Arrenda-se o engenho d'agua, na fregueria de caixas filiae!: Da P"3?8 da 'odependencia d. 22 pendencia n. 22, loja de bilhetes.
Ipojuea, denominado Jussar de Sant'Anna, urna "
tagem concedida pelo art. 74 do regulamento do
trafago para a necesndade de mencionarem nos
2r Na rua da praia de Sania Rita, con-1
conhecimentos de expedido a rna e numero da I d^ecebe"^Snon^mnH-Vi/J3,^n,!d0M':
casados destinatarios quando estes morarem na, a?'e snerSsde SanT Tnita %M f-de b^'S *!."*'
edade do Recife, ou simplesmente a morada quan- S S SA i Ltt ? S' Ped-ro'
doresid,rem as proximidades das estacSes do JSS?Jft a1"'/5peJa ?" ,ca
Precisase de urna ama que saiba mui-
to bem cosinhar e faja compras para
tratar de urna casa de pouca familia : na
rua da Cadeia do Recife n. 38, primeiro
andar.
Compram-se libras slerlinas a a400 : na
praca da Independencia, loja n. 22.
Compra-se ouro, prata e pedras preciosas,
em obras velhas : na rua da Cadeia do Recife,
loja de ourives no srco da Conceicao.
ewJ?? fiQ"ca e ^ ^ ^**8 de ""raocelino
Jerreira Crespo, na cidade de Goianna, vndese
Salsa parnlha de Bnstot verdadeira.
Pillas assucaradas de Rristol.
Pilulas assucaradas de Kemps.
pastilhas de.Kemps.
Peitoral de Anacahuita de Kerops.
Pilulas reguladoras de"Cadwar.
Prompto alivio.
Resolutivo
Pilulas do Dr. Alizon.
Pilulas americanas contra as intermitentes. Pilu'a
reguladoras.
Pilulas de Holloway.
Ungento de Holloway.
Agua florida de Kempes.
Millio 4^500
Farello 4^000
Na roa larga do Resino n, SO, taberna da es
quina.
LOJA DO BEIJA FLOR
Na rua do Queimado n 63.
Tendo recebdo um sortimento de bone-
que ha, como tambem comraodidade nos precos,
era vista da boa qualidade : as pessoas que quize-
rem, podem aii se dirigir a qualquer hora do dia,
que acharao.com quem rutar.
A
Precisase de um moco de 15 a 20 annos que
tenlia bastante pratica de taberna, paga-se bem :
na.rua de S. Francisco n. 79.
Mgica.
Na rua Nova n. II, ha para vender-sis
um apparelho de mgicas proprio para
alguem que deseje ganhar dinheiro, ira-
balhando fora da cidade, ou m-5.no para
diverlimeuto de salo. Na raesina casa
dao-se todas as explicactes necessaria|s
ao trabalho do mesmo apparelho a pessat
que o comprar.
mmmmmmmmm mmmmm
Francisco Antonio Cabral de Mello, Brasilei-
ro, vai a Europa, levando
seu lho de menor idade.
em sua conipaoh
Offereee se urna ama
na rua dos Marlyrios n. 8.
perleita cozinh
a um
staedes
interior, arim de que os chefes de estacSes possam
avisar a chegada dos gneros.
Sendo contrario aos interesses da companhia a
continuaran das estacos telegraphicas de Frexei-
ras e Agua Prela, estabelecidas o auno passado, ti-
cam ellas snpprimidas do 1 de julho prximo vin-
douro em diante.
Roga-se particularmente aos senhores passagei-
ros, nSo s para sua seguranca pessoal. como a
bem do servido, que nao continen) na pratica de
saliir dos carros para as plataformas em todas as
estacos intermedias durante a viagdm, salvo as
eslacoes principaes, isto Cabo, Escada e Gamel-
lcira, onde ostrens tem maior demora.
Villa do Cabo 12 da juoho de 1865.
G. Q. Mann,
Eogenheiroe superinleode interino.
Reparlico fiscal.
Recife 10 dejnoho de 1865.
O abaixo asslgnado roga aos Srs. passagelros,
expoditores ou outras pessoas que liverem rea- .
coes com esta estrada de ferro, o favor de traze-! n,co aos "nhoies soc's que lera lugar no da 17
conhecimento as irregularidades 0ul^/lc/!i doc?rreP.l,,'.e 9Qe 3 conviles s0 se P
-- Compra-se um cyimdro propna de padana, cas de choro, que chamam papai e mami
anda que seja usado, com tanto que esleja era bom Cotn cabelleira de rarhns luduidi,
esudo; assim como veude-se urna caroca e um tJw i^-"i CaCDoS-. ,
lendo recebdo um vanado sort ment de
carroa
boi: quem pretender vender urna e comprar outra
cousa, dirija se a loja de ferragens n. 4 da rua do bnnquedos para meninos, sendo espadas,
espingardas, pistolas, tambores ; ditos
para meninas: apparelbos de almoco e de
jantar de porcelana e do metal, porta-licor
Do annuncio do Sr. Manoel Ignacio de Siqueira ,iiXcemQtl^er para vender J ?u w milheiros de e faquinbas a 280 rs. o par : e n5o oueren-
irmandade do Divino Espirito San- Cavai.-ant., publicado no Bfcr de 8 do corrente, g^t^VS* Jf?.^ lar,a?.do Monleir. do cbntinuar. vende mais barato do que em
^nXffQAQ
Tjolos
Francisco Jos Coelho.
no
Ama para casa
Precisa-se de nma ama para cozinhar e engm-
mar para urna casa qoe s tem duas pessoas
becco das B gas n. 2, 1- andar.
Sociedade Recreativa toryban-
tina.
De ordem da directora desta sociedade commu-
ico aos senhoies soci
o recreio do corrente.
Ozera alienar para nao papar a Jorge Guerra, e
nao dar cumprimento ao que havia tratado com
seu irmao Joaquim Salvador, de cuja boa f abu-
. sou indignamente.
bordadas de differentes
collarinhos e pu-
bordados e aberlos de
bam cosinhar eengomman. renda e lisos, os mais modernos qoe se
- Compra7se-nrra em terrea com qiottl bas- POj encontrar.
tante grande, mas que seja perto da praca, sendo Venue-se laa para bordar de diveras
de 1:000*1 : quem liver annnncie.
Fg'Ojfog'tl.i TEUPAS.
remaoseu conhecimento as irregularidades ou i ," T'T'. rU D,u,ues S M P"
faltas de toda ordem commettidas no servico da "SlSM? J? I4/0 "";
mesma estrada e de que tiverem sciencia. Previ-' 0 Secretaria da sociedade recreativa Corybantina
eir
Quem precisar de nma criada para servico
interior de urna casa, dirjase a rua Direita n. 17,
que se indicara'.
MmRMI mtWttSaWt WEiWt SBSBtSi HIl
SO Dr. Cosme de S Pereira contii B
na a residir na rua da Cruz n. 53,
Io e 2o andar, onde pode ser procu-
rado para o exercicio de sua pros-j
M sao medica, e com especialidade
5 subre e seguinte
SI Io molestias de olhos;
g| 2o de peito:
3o dos org5os geni-
ti urinarios.
r5o examinados na ordem de suas
entradas comeando o trabalho pe-
los doentes de olhos.
Dar consultas todos os dias das
6 as 10 da nianhaa, menos nos do-
mingos.
Praticar toda e qualquer opera-
Cao que julgar conveniente para o
prompto restabelecimento dos seus 1
doentes.
KMU
A.TTE.HCAO
Aluga se a casada rua do Hospicio que faz qui-
na para a rua do Destino, propria para qual |uer
esta Leleci ment, Ubwna, nadara ou ou tro qual-
quer negocio por ser boa localidade e ter con mo-
dos p.'.ra familia : a tratar na rua da Matr z da
Boa-Vista n. "i.
que
ne igualmente aquelles senhores que podero ap-
pellar para o abaixo assignado ou directamente
para o presdeme da provincia das decisdes profe-
ridas pela administrado desta estrada de ferro so-
bre quaesquer reclamacoes.
Para os fins cima indicados se encontrar o
abaixo assignado ou o seu aldante o Sr. Dr. Car-
8'de junho de 18C5.
F.
M. do Amaral.
1* secrerario,
Precisa-se do urna ama para comprar, cozi-
nhar e engmmar : na travessa da rua das Cru-
zes n. 14, segundo andar.
neiro da Rocha na reparlico fiscal, onde poderao ~ precisa-se de urna ama que saiba
tambem os reclamantes escrever as suas queixas n
em um livro para isto destinado.
M. Buarque de Macedo,
Engenheiro fiscal.
CLUB PEKIhNRlCWO
A partida do mez de junho ter lugar na
noite do dia 21.
O abaixo assignado previne a todos os re-
guezes do e.-tabelecimento de molhados que tem
gyrado na razo social de Davym & Cavalcanti de
l ao pagarem seno ao abaixo assignado, visto que
seu socio Antonio Bezerra Cavalcanti, tendo sahido
para o norte cobranca no dia 12 de maio prox^
Jin nnccailn. -ii,'. n nrp.'nlo nao rogi-c^cou n.-m nin
a se quer se dignou dar noticias suas, apezar de
terlhe o abaixo assignado escripto por diversas
vezes para voltar ou remetter as quantias recebi-
das, para occorrer aos empenhos da referida firma,
por cuja falla e da retirada que fez sem duplcala
de seu capital, se acha em estado de nao poder
proseguir em suas transacedes. Recife, 10 de iu-
nho de 1865'.
Jos Lopes Davym,
SOCIEDADE
Unio Beaeficente Martima.
bem cosi-
e engmmar : a tratar na rua Bella n. 33.
Alug<.-se o primeiro andar do sobrado rua
da Cruz n. 57, proprio para escriptorio : a tratar
no armazem do mesmo.
gj Companhia fidelidade de seguros
I maritimos e terrestres
^ estabelecida no Rio de Jaueiro;
AGENTES BU PKHNAMBC0
Antonio Lniz de Oliveira zevedo & C,
t competentemente autorisadoS peladirec-
g loria da companhia de seguros Fidelida-
r de, tomam seguros de navios, mercado-
I? rias e predios no seu escriptorio roa da
5 Crin o. i.
Para os festejados dias de S. Joao e S. Pedro
existe na muito acreditada falirica de fogos de ar-
tificio da ostrada de Joao de Barros, propriedade
da viuva Rufino, um completo sortimenta de pis-
tolas, craveiros, rodinhas e fogo buscap : como
seja penoso a algumas pessoas irem a fabrica pela'
dislancia, os pretendentes podem deixar suas en-
Vende-se esta
qualidades e de cores claras a 14 a libra, es-
pelhos de columnas de Jacaranda a 2500,
ditos brancosde diversos tamanhos, caixiohas
para estojos de navalhas,
Vende-se pentes de alisar com costas de
metal a 10, ditos de differenies qualidades,
lindas gravatinhas para senhora de diffei en-
tes gostos.
Colheres de metal principe.
Vende-se colhere de metal principe para
la colleccao de sortes, tirar soupa a 20, ditas para cha a 20300,
commendas no armazem da bola amarella no oitao, reunidas em um pequeo volume, com 25 ditas para soupa a 45200
dWttma,p0ci,--------------assumpios.emaisogi novas charadas, pelo loja se encontrar seare um grandeN >a-
SorteS de S. JC aO Zn,T PreC e C?d? exemP'?r enca* riad0 sortimento de miude/as: rua do Quei-
| dernado : na praca da Independencia ns. 6 mado n. 63, loja do beija-flor.
e8.
Vendem-se lindos papis com estalo para as
sortes de S. Joao : na rua Nova n. 61 defronle da
tilma, cmara municipal.____________
Ama de leite.
Precisa-se de urna ama sadia e com bom leite : VOS
na rua Imperial, sobrado n. 87.
Aos Srs. acadmicos.
Vendem-se os seguintes livros quasi no-j
romain por Mackel !
Ama de leite.
Precisa-se de urna ama de leite : na rua estrel-
la do Rosario n. 32, 2o andar.
M. .*V'"'' OEuvres choisis de Bu/Fon, ,
cisque lizemos sociedade no deposito da rua do mo Pr^tal, 1 volume, por 10OU ; ti
Ven ro do Recife : quem pretender dirija se a praca da
Independencia n. 12, que achara com quem tratar.
Manuel de drolt Trasles com aso.
dey, 1 volume, por 0>uuo; Viccionaire cadeiras de amarello, 6 cad'eiras americanaV
au contentieux commercial por Mass, 1 bca marqueza de Jacaranda, 2 carteiras de via-
volume por 60000; La femme or ma- gem e l car,eira Krande P^pria para taberna :
dama A. Seglas, 1 volume, com estampas RMSSf!**-* daS CiDC Ptonu*
finas por 50000; OEuvres de Racine, 1
Eslrada de ferro.
O solicitador Pedro A. da Costa Machado pre .
cisa fallar com oSr. Joao Kreuzer, a negocio qoe' pelo agente Simos
nao ignora : na rua do Rangel n. 38, primeiro
andar,
estarn.
Inas' pr"'0Oo;'' 9, TJ'^elV^ Kttr"rua d TraplChe n'
volume, COm! Xinh0 R-rdeauxem barricas e em caixas.
cr_ i Dito de Santerne fino.
, i Bito d^ Champagne muito superior.
l'ifar, em Fra de Portas n. 76," q"e gyra'r" de Singelas, poesas por Pa'es d'drade. 1 V0-! Cerveja franceta marLa ^^-_____________
hoje em diante debaixo da firma de Bento Jos lume, por 20; A velhice de famfot rA-nan !. T Vend,e"C v,nh" verde muito superior a 500-
Crrela & C, e para a mesma socledade entrou o Ce or Triffnpirn 1f SrrS f~ n' a gar"f*: na uberna do Pi0lenta.
socio Joagoim Jos d Silva-anlos com o capital i:.-?. ,Ri roS' Por2<5000 La vedes raonmn.36.
de 1:2800220, quaotia esta por quanto foi arrema- samls> volume, por 104O; Economiepo-
lado o mesmo deposito, como consta da conta dada ItltQue, por Garnier, 1 volume, por 20
rua do A-
Na praca da Independencia n. 33, loja de our
ves, compra-se ouro, prata, pedras preciosas e
tambem se faz qualquer obras de eixommenda e
odo e qualquer concerta
Aluga-se o segundo andar do sobrado n. 62
fur ordem do br. presidente sao convidados lo- da roa da Guia : no 1 andar
dos os senhores socios a se reunirem em assembla
geral no dia quintafeira 13 do corrente, as 10 ho-1
ras da manha, na sala de suas sessoes, aQra de se
proceder a elei^ao para a nova adminislraco, con-
forme marca o art. 39 dos estatutos.
Secretaria da sociedade Unio Beneficente Mari-
tima 9 de junho de 186o.
Joao Rodrigues Bandeira
2o secretario.
Bal oes
rSS'i? ? cAeJ-anh- de ,865' g'as da escriPtraco mercantil, por Go- A 'Ja e calungas na rua do Rangel n. 24 aca-
ouimJoSi da Silvsaotos meS Ju.n0r' *". Pr 20500 ; Organi- 5a de/eceber um eomplelo sertimenio de balde
qu.m Jos da s,iva Santos. sau0ntyu iravatl, por Louis Blanc 1 volu- tnna^aVT'HParaos/e>,PJI,s^-s Joao-San,s
IIO LO^ ^-po'r 10200 ; 'pipnanl pelo padra 8 Pertr : ***" M, *">
Joaqui
me, por 10200;
Na rua de Sanu Rila n. 10 fazem-se bolos para Ventura, 1 volume, 'po'r 10000 \L$ jai dt-,
S. Joode todas as qualidadee com perfeico, as- nier des salons, 1 volume. por 640 rs na
simcomo pastis de nata, pudins, e preparara-se rua do Cabug n. 2 A loia
ltn /loIiiir.c wxtftt ohA _______P vju
Bichas de Ham burgo
Vendetn-se na rua Nova n, 61.
O bacharel
Francisco Angosto da Costa
ADV0GADO
Rua do Imperador numero 69.
bandejas de bolinhos muito delicados para cha .
quem de ludo isio precisar, procure a sobredita
casa, que achara com quem tratar, e pelo preco
raais barato do que em outra qualquer parte.
Precisa-se alugar urna escrava de boa
Fio de algodo da Bahia.
Vende-se um escravo cosinheiro couoeiro e
com mais habilidades, moco, de idade de 25 a 26
Vendefse no escriptorio de Antonio Loitde Oli-! annos1:, 1Qem pretender dirija-se a rua do Cres-
veira Azevedo & C, rua da Cruz n. 1. P" '*. terceiro andar, que se dir quera vende.
- Vende-se urna negr nha de 10 annos,
O abaixo assignado declara ao Sr. Augusto '
Previne-se ao Sr. thesoureiro das loterias e Milet, que venha casa de abaixo assignado mu-
ais pessoas que vendem bilhetes das mesna<-, nido da carta defianca para receber o restante do
de nao pagarem qualquer premio que sahir n > bi
Ihete inteiro n. 2627 da 1* parte oa 1* lotera da
igreja de N. S. do Livramento da Varzea (19 por
quanto elle se desencaraiuhou do pordr do ataixo
assignado, tendo as costas a sua assignatun.
Jof Antonio de Oliveira Senn.
Precisase de urna ama para cozinhar e azer
raais outros servicos internos para casa de urna
pessoa : na travessa de S. Pedro o. 10, segando
andar, entrada pela rua do Fogo.
aluguel do silo que Ihe flcou devendo o Sr. Clemen-
te Soares de Carvalho.
Amaro Jos dos Prazeres.
Jos Marcelino Alves da Fonsec declarado
Amendoas
Vendem-se amendoas confeitadas : na rua da
Cruz n. 13.
No engenho Morenos paecisase de nm bom
distilador de agurdenle, e que entenda bastante
de sua prorlsso : a pessoa que eslivoi tiestas con
SAL DO ASSU' venoe-se urna negr nha de 10 annos, muito
] conducta que entenda bem de costura een- AJbordo do bri^c- escuna nacional Graciosa : W** e0sadia : no pale0 da malriz de SaDl An
'gommado, paga-se bem agradando os seus Tg*^I!!LJ' 9 escriptorio. l"**^-----------------------------------------
servicos : a tratar na C. mina nnrln t\n X a ~~ VeDdemse palmeiras imperiaes, em estado T "Da ^ : lm Para vender Au
rPrrPrL HnlSln sin l ? ? de ser,'m TansplaDladis: no sitio murado es-1l0Dl? L.niz de 9hvei" Azevedo & C, no seu es-
. cerr casa dolado direito que tem a cornija querda, depois do beccj do Espinheiro nos Af- "I'Ktio rua da Cruz u. 1.
i de arcos. "-'
nietos.
LiKtfl r^iSLSL' ^S^ a Besmo, a en.ender-se com o seu
Ylalm de Santo Aulonio.
A meza regedora da irmandade do SS. Sacra-
mento da matriz de Santo Antonio roga aosjvisi
nhos da referida igreja, sirvam-se ornar as frentes
de suas casas durante o dia da resta, que lera lugar
a lo do corrente, e de illuxina las durante a noite
desse dia e da vespera.__________________|
O abaixo assignado deixou de ser caixeiro do
Srs. Manoel Francisco dos Santos e Silva, curador
de Antonio Jos Dias, desde o dia 2 de junho de
1865. Ao mesmo lempo agradece o bom tratamiento
que receben do mesmo Silva e de sua Exmf fa
mida. Recife 12 de junho de 1865.
Francisco Gomes de Pinho.
ptente, para onde vai levar a S. S., responder
ao sen annuncio publicado neste Diario.
~- O abaixo assignado declara pelcTpresente a
todas atruenas pessoas a quem o abaixo assignado
deu dinheiro por emprestimo sobre letras e outros
llUilos, que, se com a maior brevidade nao os vie-
rem resgatar, seren assionados, e isto sem reserva
de pessoa alguma.
_____ Antonio de Farias Brando Cordeiro.
O bacharel Lourenco Avelino de Albu-
querque Mello continua a ter seu escrip-
torio de advogado uos auditorios e Irib-
naes desta cidade : na rua do Imperador
n. 40.
proprietario.
Alugae a metade da casa n. 92 da rua das
Aguas Verdes: a tratar na mesma.
Vende-se vinho de caj a 500 rs. a garrafa
na rua Augusta n. 76.
Vende se urna taberna na E.-trada Nova no
correr d*s casas da Sr." viuva Villa-seca, com pou-
cos fundos e mesmo se vender a armaco se
convier ao comprador : a tratar na rua da Santa
Cruz n. 7.
ATTENCAO.
Quem precisar de urna ama que sabe lavar, en-
gommar e cozinhar, dirija-se rua da Lapa n. 1.
- Precisase saber onde mora o Sr. Llaudlo
~_ dera"?! sa?8.uesugas de superior qualida-jde Hollanda Cavalcanti afJra de ser entregue urna
de. em caixas ou a retalho, a vontade do compra
de Ciors & Barbosa, roa da c'ru7n7~2C
--------r._ caria vinda do Rio de Janeiro, ou dirija-se a rua
or.y por prego mu razoavel; na botica franceta da Impeealriz n. 40.
Deseja-se coutratar, mediante boa graiica
cao, algumi senhora nacional ou e.-trangeira, nao
muito moca, e que lenha as precisas habil.itafes
para em um engenho ensinar a algumas primearas
letras, francez e piano : a tratar na rua da Aurora
d. 74, segundo andar.
mmms-m-im-mkwmm
M Joao da Silva Ramos, medico pela Un-
versidade de Coimbra, d consultas em
sua casa das 9 as 11 horas da manha, e
das 4 s 6 da tarde. Visita os doentes
em suas casas regularmente as horas
para isse designadas, salvo os casos ur-
gentes, que serao soccorridos em qual-
quer occasio. D consultas aos pobres
que o procuraren) no hospital Pedro II,
aonde encontrado diariamente das 6
s 8 horas da manha.
Tem sea casa de sade regularmente
montada para receber qualquer doente,
anda mesmo os alienados, para o que
tem commodes apropriados e nella pra-
tica qualquer operacao cirurgica.
Para a casa de sade.
Primeira classe 30000 diarios.
Segunda dita.... 20500 >
Terceira dita.... 20000
Este estabelecimento j bem acredi-
tado pelos bons servicos que tem pres-
tado.
O proprietario espera que elle conti-
nua a merecer a conaanca de qne sem-
pre tem gozado.
______ Aluga-se ama preta para lodo o servico da
Respondo pela primeira e ultima vez ao filh.\ casa, e um prelo para irabalnar em sitio : na rua
fllani.'. que, se pode discutir qual o nico e kg-' do Sebo n. 14.
timo oriente, lire a mascara, nao com declara-
c5es rediculas que se |aprena negocios de tanta
iranscedencla. Mostr que um verdadeiro mac.
e que tem acompaohado os aconleeimentos, do
contrario ser desprezado e coohecldo por um dos
sucios da firma Pissolla & Mcnezes.
Alu
MI**.* FNEBRE.
D. Ciementina Mari Bessoni de Almeida,
I. Camilla Bessoni do Almeida Tavora e
Luiz Antonio da Silveira Tavora, convidan).|
pelo presente aos prenles e amigos do fioa-
do Joaquim Anglico Bessoni de Almeida, a
compareceris na matriz da Boa-Vista desta
cidade, a missa que ahi se deve proferir, no
stimo da (sexia-feira prxima vlndoora)
as 6 horas da manha pela alma do mesmo'l
finado, fllho, irmao e cunhados dos annun-
ciantes, agradecerlo cordialraente desde j
aquelles cuja piedade e amizade se manifes-
taran) anda urna vez em prol do destino
moral do fallecido.
gui-se
o andar da casa da rua do Queimado n. 29, pro-
prto para escriptorio de advogado : a tjatar na
loja do mesmo.
O London & Brazillan Bank, saca por doos
os paquetes,sobre
Lisboa.
Porto.
Braga.
Vianna.
Guimares.
Villa Real.
Coimbra.
Amarante.
Attencao.
Vendem-se eslalos para sortes de Sanio Antonio
e S. Joao a 60 rs- a duzia : na livraria universal,
rua do Imperador n. oi.
I Na padaria da rua Direita 781 ha para ven-
dercylradios americanos para padaria, chegados
ba poucos dias.
PASTILHAS
VERMIFU6AS
A tugarse
Na rua da Cadeia do Recie n. o, vendem-se
enfeiles a Maria Pia, e esparlilhos preguicoso,
sao os mais modernos que tem viodo ao mercado.
Vende-se na rua do Vigario n. 8 um bom es"
nm sitio na campia da Casa Forte, com duas ca- cravo de cor prela, muito sadio e propiio para agri-
sas, urna a em que morn o fallecido Thomaz de cullura. _^ ________
dn^SdfnU,?l Saia.d.primeiro aDdar da rua I Farmha de mandioca fina e alva, mais bar~a\ DE C0R CHEIRO E SABOR AGRADAVEK
atar na mesma. t do qU9 em qua|quer parlej arroz 'A ,erra pila.
AOVA YORK.
Infinitamente mais efficazes do que todos
J. Kenier avisa ao Illm. Sr. solicitador Pe-
dro A. da Costa Machado, que pode ser procurado
na rua do Brum n. 34, primeiro andar, ou na es-
lacao de Una.
Alogam e dous grandes sobrados com com-
modos para numerosa familia, uovos e aceiados,
rom jardim, cocheira, estribara e oulras commo-
didades, na travessa de Joao Fernandes Vieira :
a tratar na rua da Senzala Nova n. 41
Precisa-se de ara bom fomero para a pn-
voaco de Trombeta ; d-se 80* mensaes : diri-
ja-se a rua Direita, botica do Sr. faranhos para
tratar. ____ K
' D-se 1:0004 sobre hypotheca em predios :
informacoes na roa da Cruzes n. 42.
ODr. Jiao Pedro Maduro da Fonseca tem
convencionado de accordo com o Sr. Honorato
Caetano de Abreu socio na terca parte da botica
na rua do Imperador n. 38, vende-la ao Sr. Anlo-
KS!vrfflH^"a.VrfeDda f"em flcand(|a A-escravT^a7da Aguida. que se achava ala
r ^ Tr^"1*** Para os comprado- gada na roa do Pilar n. 6, ausenion-se desde-o da
a. '.J^LeDte 0brl8ad aos P"entoa do preco 8 do eorrente, levando comsigo urna porcao de
Aluga-se a casa terrea na rua da Conquist
n. 8 : a tratarjia rua do Sebo n. 54, tabernr.
O abaixo assignado faz sciente ao Illm. Sr.
inspector da thesouraria provtncial.que mndou sua
residencia do lugar do Soccorro, freguexia de Ja-
boatao, para o lagar do Peres, freguezia dos Afo-
gados, isto desde o dia 18 de fevereiro desie cor-
rente, e deixou de continuar com o seu estabele-
cimento desde esta data, e por isso pede ao Illm.
Sr. inspector que Ihe mande dar baixa aos impos-
tos qoe pasou nesta thesouraria. Kecife 8 de ju-
nho de 1865.Antonio Joaquim da Costa.
Precisa se de urna ama para casa de dnas do e em conta : para ver e tratar, na rua do Vi- os mais remedios perigOSOS e nauspahnri
SSJSST : "arUa da PeDha '23' \^ -?:________________ ^existem para a expulsao da "obriR.?
-?~A moleioe Pe?a, de idade 19 annos, Nao causam dores e produzm seTeK
mniS sekm Precisar ,08 deP'S de purgante ne-
por 300* : i n."uin e to incitantes em apparencia e deli-
ciosas em gosto, que as crianzas estao
Aluga-se na Passagem da Magdalena, rua do } ne8ro caraPina- 3 escravas para todo
Bemfica, os sobrados ns. 7 e 9, com bons commo-l *dl,a taH*ne engommadeira, 1 Moda
dos para familia : tratase na rua do Trapiche de ldade ,3 annos' neSra coziuheira
numero 4.
na travessa do Carino n. 1.
s
Anda se precisa de urna ama para cozi-
nhar e engmmar para tres pessoas: na
rua das Cruzes n. 37, sendo pessoa mori-
gerada e que se possa entregar urna casa.
s
j Grande sortimento de roupas feilas de to- Pr?niptas a lomar mais do que marca a re-
das asqualidades, ceita.
Caicas de casemira a 6 e 75500, ditas pretas aj Uteis como um excellente meio de fazer
6 e 85, caigas de ganga a 25 ,15800 e 15600,
dilas brancas a 25, brim de linho a 35, 35500 e
remover as obstruccoes do ventre, mesmo
a rua das Trincheiras n.
dar, deseja-se fallar aos Srs. Dr.
45, palelois doalpaca branca a 45500, ditos pretos CaS0 de n3 exStirem verme algum, as
____________ a 35 e 35500, ditos de alpaca de cordao a 45, e, PASTILHAS vermfugas DE KEMPS Sao promp-
48, primeiro an- de listra de seda a 45500, dnos sobrecasacos a 55, i tas e in&Uiveis na sua OPeracSQ e Dor tnrlnu
_r. Antonio Pinto, paletots de casemira a 55, 55500, 65. 85 e 95, os resneitos diffnas rio LfiiB .!
da Rocha, Francisco de Paula Cavalcanti Wander- ditos sobrecasacos pretos a 15, 15 e 165, ditos fl-l"^ X? .T g connanca e approva-
leyLlns, Jos Francisco Graciano, Lourenco de nos a 255, de cores a 135, ditos fraques, a 145 j OS paes de familias. Prepa-
Carvaihede Araujo Cavalcanti.Jos Francisco Mar- paletots de ganga a 35, 25500 e 25, ditos de brim radas
da compra.
A peesoa qne Ihe falur doos faccos com ar-
roz de casca, dirjase ao pateo do Terc> n. 32, qoe
dando ossignaes Ihe serao entregue?, pagando o
annuncio e carreta
roupa ; faz-se este annuncio por se ignjrar a re-
sidencia da senhora de dita escrava, e para preve-
nir qoalqner eventualidade._________
Offerece-se um moco com pratica databerua
padaria e reOnaco : no paleo do Paraize d. 2.
Bomao de Castro.
GAZ GAZ GAZ
- Na rua da Imperatriz n. 9, segudo~Td7,!, t Y60?6"86 8az da melhor qoalidade a
precisase alugar oa coobeiro para o servico de I *** a lata nos armazensda rus do Im-
pouca familia. j perador D.16 e roa do Trapicho Novod. 8.
nicamente por Lanman & d,
pardo a 35, jaqueles de brim pardo a 35, panno Nova York.
preto fino a 25. 25600, 35500 5, 45500 5 e 65 o vanA,m n ;
covado, moreantique preto a 25600o covado grs-' Venaem-se no Recife em casa de Caors &
denaple preto a 15500,15800,25, 25200 e*25500 Barboza e Jo5o da C. Bravo 4 C.
\ovena de IVossa Senhora do
Carino e de %*nVAnua.
Vendi-se na roa do Imperador n. 15, offl.|na
de encadernaco : o offlcio, salve e versos, nove-
na e salve de Nossa Senhora do Carmn, tres fo-
|lrietos por500rs.,ea novena de Sam'Anna por
320 rs.
Chronomelro ingiez
Vende-se um, e alicea se que bom regula
na ma da Matriz da Boa-Vista n. 4.
tins de Almeida, a negocio qae nao ignoram.
A lten#a.
J?iS.ia? as5'?nado,s dedaram ao publica e es- o covado ;
Penalmentei ao corpo do commerc.o que d.ssolve- deixa de annunciar, e raanda-se levar pelos catxe
ram a socledado entre amos contrahida sob a ra-' ros da loja da arar casa dos pretenden^
0iiLai dS TS, C-' fl"Dd0 a carg0 e abelecimento est aberto al as 9 horas da nolt?
S SSOZ SStb junde S/T", ^da'PP^-^"endes,Gu,marief.n0te'
Joao Luiz dos Santos.
'/
rw -, >
ILEOrVELl


Diario de pernambace rerta ti** A de dunao de !*.
a restabel
wm
florida.
K*f e jpose(var ifcor natura
I dos ca-
l agua de Fforiit nao I ama niura, farto es-
cial a contestar, a mesma agua dando a coi
ortiva de cabello. Compostas de plantas exti-
ca" e de substancias inoffensfreis, ella tera a pro-
priedade darestltuir aos cabellos o principio co
rante que elles tera perdido.
I)e orna salubridade inconlesUvel, a agua de
Florida entreiem a limpeza da rabeca, destroe as
caspas e empede os cabellos de cahir.
(neo de Florla
Composto de substancias vegetaes exticas, elle
eontnbue poderosamente, cora a agua de Flo-
rida a torca, a belleza e a conservaco dos cabel-
los.
Era Pars casa de Gullaur n. 112 roa de Rechi-
nen e 21 bonlevard Montmartre.
Todos os frascos nao tendo intacto e clare, e tin-
elre prateado da easa. reputado biso.
Deposito ra do Imiwrador pharmacia n. 38.
Admirem
Admirem

em Bem!!
ODUREP
u FCRROeQUININA
As pecbinchas qne eito venda na loja e ama-
zona do Pavo, na roa da Imperatriz n. 60 de Ga-
ma (Si Silva, onde se vendem tudas as fazendas,
tanto de luxo como de prlmeira necessidade por
precos multo rasoaveis, e com especialidade as se-
grales, dando-se amostras deixando car penhot
ou mando-se levar em casa das familias pelos
caixeiros da mesma loja.
Madapolo eufeslado a 15, ijSoOO t o>00.
Vendem-se pecas de madapolo enfestado com
12jardas pelo baratissimo preco de i, i^oOO
3, ditas sem serem enfestados demarcas muilo
acreditadas a 7$, 8J, 9J, e 10$ ditas, francej
multo encorpado proprios para satas a 480 ris a
vara, isto na loja do Pavao ra da Imperatriz n.
60 de Gama & Silva.
Vestidos Brancos.
Vendem-se os mals ricos cortes de vestidos de
cambraia branca primorosamente bordados, pela!
barato preco de 12. 16$ e 20 na loja do Pavo,!
ra da Imperatriz n.60de Gama & Silva.
Grande pechincha, vestidos a
80a o.
Acaba de chegar ura bonito sortimento dos mais
lindos vestidos transparentes, muilo proprios para
passeios e bailes, por serem de primorosos desc-
nhos, sendo todos os padrdes tecidos e nao pinla-
O
Q
O

Coke do gaz.
pitch do (i.
Alca i rao do gaz.
tonel ladas rs. .
106000,
8ooo;
400
DE
Os elementos que compoem esta preparado,
ferro, O iede e. a quina, a collocio no primeiro
grao das preparacoes ferruginosas. Basta attestar
seas resultados obtidos pelos Mdicos dos hospi-
Ues, e osrelatorios dos prcticos mais eminentes,
qne confirmrao sna poderosa efficacidade as
seguales affeccoes:
laaaaaaaaaaae. caavaleaeeaea ae laa-
Vraaaeaa. Ras maleadas.
Assala. Maleada, eacrafala-
Cblaraae a* Ictericia.
aVflBCeea ala a tera.
Saaareaaea au re-
axa e aeaardca na
aeaatraaeaa.
Afleeeaa au Imanar e
hthl.lr.
HalaaUaa dCUn...
Gaatralalaa.
Parda aTaaaatMe, etc.
Paaelra.
Oaatraeeaa daa laa-
dnlaa.
Huaaarea frlaa.
Humarea braaeaa.
Itaealtlama.
Affeceaea eaaeeraaaa
e ajahllltlraa.
Fehrea tyahaldea.
Variolea, etc., etc.
Veja te ot bulletins de therapeutica medie
e eirurgica de 30 de novembre 4860; a Gazeta
dos hospitaes de 28 dejulho 1860, etc.. etc.
Alm das pilulas de iodurelo duplo de (erro e de
quinina de Rebillon, os Mdicos aconselhio
igualmente o Xarope d'iodure duplo de
sito e de quinina do mesmo author para as
pessoas que nao gostio de medicamentos sob for-
ma pilular e os meninos. Este xarope nao tem
como o xarope d'iodure de ferro, o inconveniente
de alterar-se e de se nao poder conservar.
Peca-se o folheto que se di de graca em casa
dos pharmaceucos depositarios.
Para-se evitarem falsificacdes, exija o com-
prador en cada frasco de Pilulas oh Xarope a as-
signatura do inventor.
Deposito geral em Paris, pharmacia Rebillon,
4 48, rae dn Bac, em todas as boas pharmacias
k Franca a dos pnizes estrangeires, etc.
GRANULOS
Ide BISMUTH
DE CHEVRIER
60, de Gama & Silva.
Grande sortimento de roupa feita.
Vende-se na loja do Pavo nm grande sortimen-
to de roupas feitas, constando de palitos de panno
preto, sobrecasaros, ditcs saceos, ditos de casemi-
ra, saceos e sobrecasacos, ditos de brim branco e
de cores, ditos decaslneta, calcas de casemira pre-
la de todas as qualidades, ditas de tur, ditas de
brim de linbo branco e de todas as cores, coletes
de brim,casemiras, setim.gorgurio, etc., etc., to-
das estas obras vendem-se por preco mais barato
do que em outra qualquer parte : na loja do Pa-
vo, ra da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Soutembarques He cor
Vendem-se os mais modernos soutembarques de
cor, ricamente enlejiados, e por barato prego : na
loja do Pavo, ra da Imperatriz n. 60, de Gama &
Silva.
AZEVEDO FLORES
Riia da Cadeia do Hecife, esquila da ladre de Deas.
Excellentissimas senhoras o Balao partecipa a Vv. Exc. que reduiio os oreos de
SdoeE.S?S.%S!o"n!5?fflr? SSS. tts8uas fTda8'e veta Vv> Excs-que ?? 2esquefam'pois Bal3 e^eDha
loja do Pavo, ?ua da imperatriz i .60"de ama ^dos os seus esforCos para bem as servir e alm de ludo isto minhas senhoras, um
Silva. jODjecto indispensavel s senhoras amantes do progresso.
Urosdeaaples de edr a IjtaooJ Agora minhas senhoras peco que lancem suas vistas em toda a minha circumsfe-
yende-se superior grosdenapies cor de caf, pro- rencia e verSo que encontrara amitos obiectos que necessitam e dot oreos aue convi-
f,TJ,liyT^ SHendD m,uit0 Srid0-a l*600 dam a comprar, como sejam: P P ^ qU6 C0DVI
.' Ia^m,naJ^.. Pavaoraa da ip" n. os ricos baloes de 40 arcos, com urna roda que admira.
dem com menos arcos a 2I500 e 30.
dem para meninas de 2 anuos al 12 annos.
Cambraia finissima que era de 90 a 70.
dem das de 00 por 50.
Os mais lindos padroes de carabraias de cores, verdadeiras francesas.
Tarlatana branca muito lina e larga.
Chitas escuras a 240 e 280 rs., que eram de 360, tambem ha superiores.
dem perclaras superiores a 440 rs,
La preta para luto e de todas as mais cores.
Chita encarnada adamascada muito superior a 560 rs. o covado, 7 covados d urna co-
berta para cama franceza.
Vestidos a Maria Pia os mais ricos que ha de 140, 180 e 200.
Calcas de casemira de muito bonitas cores.
Colletes de casemira preto e de cores.
dem de brim branco.
| Paletos de casemira sacco a 10 e 420.
;Coke
| Pitch
Alcatrao caada.
O coke recjnheciJarnente o carvo mais econo-.
mico, toroa-se por isso recomojendavei, bem ce-
rno pelo asseio que elle usado. Pitoii c aJcairo.alAm das applicacdes
diversas a que se prestara, como para caliafetar
eiBBircaces.aicatroar madeiras,etc, teem este a
profvnedade de ureseraar do cuplm, fonnigas.etc".
E' entregar na fabrica dogaz ou mandado por em
qualquer ponto da cidade, seguudo a vontade do
comprador.
PI10PR10 PARV SENHORA! "
Vende-se um excellenie cavallo muito no-
vo e manso com todos os andares: na co-
cheira do Paulino, ra de Santo Amaro.
oo>n'sw-*hs ~"
2 Ef a o o i r-"-< m O O &> rZ
liinmiiii
a8!!8.?!.8!;18"'
CD
B-
B9
O (J) Q.=- 5 u 2.
ffl S"D s
3 S
"6 ero,
Pflfl.|a sien
___PT-t_o=-sr asa.
lo

_
o
2 a> 3
3 o
" 2
ai

STB
Capas pretas e soutembarques.
Vendem-se as mais modernas capas pretas lisas dem de brim branco.
e bordadas, os mais bonitos soutembarques pretos e lApm u aln-il.-i hranca n HA
manteletes, tudo de seda preta e o que ha de mais 't*'
goslo no mercado, por precos muito em coota :
na loja do Pavo, ra da Imperatriz n. 60, de Ga-
ma & Silva.
Grande liquidado a dinheiro.
Ka loja earmazem do Pavo.
dem pretos a 40 e 50.
Calcas de brim branco, pardo e de outras cores.
Ceroulas de linho com duas costuras a 20500.
dem a 10600.
| Colletes de casemira a 40 e 50.
Camisas com peitos de cor.
Ra da Imperatriz a. 60 de Ca- dem brancas a 10800 cada urna.
ma L Silva. Mem brancas finas pregas largas a 20240 e 20500.
,|- dem de linho superiores a 30.
dem de linho inglezas muito finas de nmeros 34, 35, 37 e 39.
dem de meia abertas fazenda superior.
CHAPEOS DE SOL
Chapeos de sol de seda de 12 asteas a 80.
dem superiores de 16 asteas a 10.
dem de seda trancada asteas de meia cana a 140.
Que tudo se vende na loja do
Os granulos au bismuth de Ghovrier bem
superiores a todas as outras preparaedes de
bismuth emprendas antes com o maior successo
pelos mdicos de todos os paizes, para prevenir s
curaras
Dlarrtaea* chroalcaa. Ha alseatoea.
Dyaaeaterlaa. Gaatrttea.
Drtm dralmaca GaHralctaa, efe.
Dyaaeaalaa.
Os primeiros symptomas d'essas formidaveii
affeccoes se manifestio ordinariamente per diges-
tores laboriosas, azidumes, falta d'appelite, peso
'estomago depois de cada comida, cambra* es-
tomacaet, e, mu tas vezes, por espasmos nervoso*
com vmitos.
Este estado mrbido, se o descuidao, trez ine-
vilavelmeate, que seja:
Halratlaa le asado.
A Ictericia.
Pal pilaraalr caraca*
Ddrca mi afaa.
Oaarcaaoca.
Drca *t rafceea,
Irrilacoea ae kl|i a
da ntatrla, ate.
Os granuios Ghevrier so ordenados pelas
sommidades nedicaes para prevenir essas diver-
sas molestias -e coral as quando sao tomados a
tempo.
0 preco dcada fraseo de i francos.
Depsito geral em Pars, pharmacia Ch*vrir,
em todas as pnarmacias de Franca dos
strangeiros.
GRAGEASdeCUBEBNA
comCOPABdeLABLONYE
Estes c jnfeilos que tem por base o prin.
cpio activo da nrimeira cubeba juuio com
irmpihybariun, nonausen o estomaga.
Elles fazem parar immediatamente asmis
rebeldes gonorrbeas, mesmo as que res sti-
ram a cubeba o a cupabyba isoladamente.
Deposito geral em Pernamboce roa da
Cruz a.22 em casa de Caroi & Barboza
Adnriravel pechincha!
M ea-attique a 300 rs. o coi ado, na toja
do pavo.
Vendeov*e os mais bonitos mocambiques de pu-
ra I a a proprios para vertidos e soutembarques,
sendo de qadriuhos de listras e lisos, flzenda ra-
teramente ova, em padrees e muito proprias pa-
ra as senboras qne frequentara o mez Mariano,
porqne esta tatenda Ihes facilita fazerem por pon-
co dinheiro vestidos muito decentes para qualquer
acto, adverlindo-se que este baratissimo preco
devjdo a grande eompra que se fez desla nova fa-
zenda, que se vende a freze tustes o covado : na
loja do pavo, raa da Imperatriz n. 60, de Gama &
Silva.______________________________
Instrucc<5es para o servido
das guardas do exercito, extrahidas do rer
gulamento de iofantaria e accommodadas ao
exercito brasileiro: obra que muito convm
aquellas pessoas que se alistam nos corpos
de roluotarios; vende-se na livraria n. 6 e
8 da praca da Independencia, a 10.
quidar suas fazendas por precos baratissimos, s
com o fim de apurar dinheiro, e previnem as pes-
soas que negociam em pequea escala com fazen-
das, que nesta loja e armazem encontraro um
grande sortimento por precos que muito Ihes bao
de agradar, Unto em peca como a retalho, a sa-
ber :
Clitas largas a 200 rs.
Vendem-se chitas francesas, listradas muito lar-
gas, padrSes escaros, pelo barato preco de 00 rs.
o covado, tendo muito bom panno ; dilas escuras
padroes novos, por serem todas escossezas e cor
lixa a 240 rs. o covado ; ditas miudinhas escuras
eclaras a 240rs.,afflancando-se que esta fazenda
nao tem o mais pequeuo toque de mofo, nem outro
qualquer defeito. Isioso Pavo, na ra da Im-
peratriz n. 60de Gama JSilva.
Fazendas raneas baratas veaile o Pavo.
Pecas de algodozinho largo, marca T com 21
jardas a 85, ditas T com 20 jardas a 7-3. ditas de
outras marcas, como sejara sieuoira, carne de vac-
ca, etc., a 49- 55, e 63 ; madapolo Qnissimo cora
24 jardas a 6dS0O o 7*800 ; panno de linho mili-
to inferior proprio para lencoes e toalhas a 7oO
rs, a vara ; bramante de linho com 10 palmos de
largura a 2o00a vara. Isto s na loja do Pavo,'
ra da Imperatriz n. 60 de Gama & Silva.
E&pariiloos, na loja de Pavo.
Vende-se ura bonito sortimento de espartilhos
proprios para senhoras, sendo dos mais modernos
e bem feilos que tem viudo ao mercado, tendo de
ludos os lmannos e de diversos precos trazendo to-
das as competentes Titas para apenar. Isto s na
loja do Pavo, ra da Imperatriz a, 00 de Gama '
& Silva.
Caoliraias brancas.
Vende-se um bonitosortimeoto de pegas de cam-
braja brancas lizas, (endo tapadas e triosparente<.
pelo preco de i&, 4*500, 55 e 65, havendo muito
superior da Escossia por 10e 12*. Isto s na (o-!
ja do Pavo.na ra da Imperatriz n. 60
& Silva.
"O
fi9
"1
B
a
i
te
5
o
s
D
sr
5
s a = "
os o 3 o
o
N
O O)
a -%
t
a;
o, -.
.*
O
O
o
O
MANfEIGA
I\GLBHi FLOR
Para
Os bolos de Santo Autooio, S. Joao e S. Pedro.
Vende-se manteiga ingleza flor de 1J000 a 1-5200 a libra, nos seguin-
tes lugares : Pat o do Carmo n. 9, ra do Queimado n. 7, e ra do Im-
perador n. 40, armazem de Duarte & C.
Rival sem segundo
atua do Queimado n. 49, est vendendo
am i ro**10 barato como ver abaixo.
ae uama Caisasde pennas de ka|egrapnia a 1,5000.
irnt a* n.i.^rinhAe a i fl-Ao Mas60S cm superiores grampos a 30 rs.
Vendem-se o mais modernos gres de quadn-1 Fraseos de macaca perula a 200 rs.
nbos, proprios para vestidos de senhoras e meni- Caixa com superiores agulhas a 200 rs.
52-^Sr eS/r0S 2 "Ia'3 mo(ei "os ZZlZZT^J^JL0! 'o0?,*.*0 Pa,,ao' rua : Pf> Phosphoros de segoranca a 120 rs, do & C, no sen escriptorio ra da Cruz n. 1.
j Attengo.
tudo Vendem-se pecas de esteiras para forro de sala,
tinta branca preparada a oleo, em latas de 25 li-
, bras, para pintar casa, relogios para cima de me-
sa e para pendnrar, arreios para I e 2 cavallos,
velas de spermacete, tudo de superior qualidade,
> vindo dos Estados-Unidos : no armazem da rna do
Trapiche n. 8.
da Imperatriz n. 60 de Gama 4 Silva.
seguranca
I Meias garrafas rom tinta a 210 rs.
Iliees bouznfluts de Gmpare. j Rodinhas cora alfinetes francezes a 20 rs.
Vendem-se os mais ricos bouznouts de Guipare, Cartas de alnetes francezes muilo finos a 100 rs.
sendo os mais modernos que tem vindo ao merca- Resmas de papel almaco a 2*400.
do, pelo baratissimo prec de 25*, cada um. as- j Resmas de papel de peso a 2*000.
sim como chales de 3 e 4 ponas da mesma faten-1 Papis de agulhas francezas a balo a 60 rs.
da, sendo_de_ varios preco-. Isio s na loja do Pa- Bonels muito bonitos para meninos a 1*000.
Eofeites para senhoras fazenda maito moderna a
2*000.
Escovas para roupa superior qualidade a 1*000.
vio, rua da Imperatriz n. 60 de Gama & Silva.
S o Pavo vende
Chitas largas a 240
Chitas largas a 240
Chitas largas a 240.
Acaba de chegar para a loja do Pavao um grao-
de sortimento de chitas largas garibaldinas, por
s rom todas listradas e padroes escuros e de cores
Oas que se vendem pelo ba, alissimo preco de 240
o covado, sendo que em outra qualquer parte cus-
a a 360 o covado, notando que os fregaezes que
compraren) porco de pecas, tero ura pequeo
abalimento: isto na loja do Pavo a rua da Impe-
ratriz n. 60, de Gama & Suva.
Liazinhas a 300 rs.
Liiazinhas a 300 rs.
Liazinhas a 300 rs.
Vende-se nm bonito soriimento de lazinhas pro-
prias para vestidos e soutemoarques por serem li-
sas e de quadnohos pelo barato preco de 300 rs. o
covado, sendo fazenda que sempre se vendeu a
NOVIltADE
A 10 10tOO e I0&OO.
Leques de osso, ultimo gosto, a 1*.
Ceroulas de meia a 1*200.
Dulas muito nas a l*o00.
S na rua da Cadeia do Recife n. 5.________
OPHElSh
QUAOROS
wii:Btui:
AQ0AUU.A.
I ai a sceoa de dossos das.
Drama
Por Pedro de Calasans
Vendem-se estas obras Impressas en Bruxellas
500 rs. o covado, e vende-se a dinheiro a vista pe-1 o Lelpig : na livraria de Jos Nogaeira deSouza
lo baratissimo preco de 300 rs. o covado : na loja rua do Crespo,
do Pavo raa da imperatriz n. 60 de Gama &
Silva.
Kivalsem segundo
Raa do Queimado n. 49, loja de miudezas de Jos
ad-
de fazendas
Madapolfies muito finos, peca de 24 jardas, por
5* e 7*, sane a jarda por 250 e 290 rs. algodo-
zinho, peca de 20jardas, por 2*700 e 4*, a Jarda
por 135 oa 200 rs., chitas francezas a 240 rs., pe-
cas de cseas pa-a cortinados a 1*800 : na loja
do barato, rua da Madre de Dos n. 16, defronte
da guarda da arfandega._________________
Gaz, ga?, gaz
A lijOOOa lata com 26 a 27 garrafas, e 480 a
garrafa, vinhoporo da Figueira, e verde especial a
500 r. a garrafa, e 3*W0 a caad, verdadeiro
Porto a 800 r., superior caf a 7*200 a arroba, e
240 rs. a libra : f na rua Direita o, 91, esquina
(Jo beccp do Serigado.
Pelerinas a 1|51600.
Vendem-se as mais ricas pelerinas oa romeiras
de cambraia bordadas proprias para hombros de & Asevedo Maia e Silva, esta queimando que
senhora pelo baratissimo preco de 1*600: na raa mlra> a saDer :
da Imperatriz n. 60, loja de Gama & Silva. Frascos com sapenor banha a 200,;240 e 500 rs.
Urcaodv a 240 rs rovadu iLat,s com snnerior baQha a 20 rs-
wrgauuj a t a loja do Pari. j joo rs.
Vendem-se as mais bonitas cassas organdys, pa- Frascos com superior ileo de baboz a 240, 320 e
droes miados e grandes, pelo baratissimo preco de 400 rs.
240 rs. o covado (doze vintens), esta pechincha Garrafas da verdadeira agua Florida a 1*280.
acaba-se logo : na loja do Pavo roa da Impera- Fraseos de superior oleo da sociedade Higienique
A 5J50O O SACCO.
De arinha da trra com
22 cuias, na rua do Impe-
rador n. 26, defronte da ca-
sa em qne foi a cadeia.
Tasso Irmos
Venden ao sea armazem roa do
Amoiim n. 35,
Licor fino Curaco em botijas e meias botijas.
Licores fiaos sonidos em garrafas com rolbas de
vidro e em lindos frascos.
VinhosCheres.
Santernes.
Cnambertin.
Hermitage.
Borgonbe.
Champagne.
Moscatel.
Reino.
Bordeaux.
Cognac.
Od Ton.
AzeitePlagniol.
Parinha de mandioca
da Bahia, S. Malheus e Santa Catharina, em saccas
de algodao da Bahia, de 2 e 3 alqueires : vende se
no largo do Corpo Sanio o. 4. escriptorio de Jos
Maria Paltneira.
Vende-se um negro de 40 annos, pouco mais
oa menos, bom official de carapina : no escripto-
rio da praca do Corpo Santo n. 4.
tris n. 60, de Cama & Silva.
Lanzinha transparente,
a 220 rs. : s aa laja do Pavas.
a 640 rs.
! Frascos de superiores cheiros santal e ontros mal-
los a 1*000.
{Sabonetes de familia a 210 e 200 rs.
Vendem-se as mais modernas lanzinhas transpa- Sabonetes de superior qualidades a 60,120 e 160 rs.
rentes, sendo todas de listras qaadros e lisas, fa- Caitas com 12 frascos de cheiros muito finos a
zenda esta que sempre se venden a 400 rs. ; o Pa- 1*100.
vfio vende para liquidar a ouze vileos o covado : Caitas dito com 6 frascos meihor fazenda a 900 rs.
na loja do Pavo, raa da Imperatriz n. 60, de Ga-1 Paos de pomada fraocea grande* a 500 rs.
ma & Silva. '_______________ Sabonetes de bolla pequeos e grandes a 210 e
- Farinha de muribeca fia e alva, mais Frascos'com superior opiata a 800 rs.
barata que 86 vende no mercado, em sac- Frascos com superior agua para denles a 1*000.
eos: na rua do Vigarion. 29. Na rua da Imperi|rb 8egundo andarj
Vende-se um negro moco de bonita figura, vende-se orna escrava boa para todo o servico de
perito eozinheiroede reeonhecida conducta: quem urna casa de familia. Na mesma casa compra-se
o pretender, dirja-se a mi do
lerceiro andar.
NOVA EXPSI-
TO
de S.ooo caadieiros de f,u coloridos,
com globos de cryslal e delicadas
gravuias, novo gesto, fiogiodo lan-
teraas, por todo o preco, cima da
factura, ao armazem da roa da
Imperatriz a. 22.
O propretarlo deste importante estabelecimento,
PARA SANTO ANTONIO K
AO JO AO
Vendem se sortes muito bem feitas e de
papel muito bom 4,5 o cento : na rua das
Cruaesn, 41, taberna da porta larga.
.4 dmiraveis pec/iinchas
que es tito a \ euda oa loja e armazem
da Arara, rua de Loureuco Pereira Mendes Guima-
res.
Bretanha de rolo a 3#.
Vendem-se pecas de bretanha com 10 varas pe-
lo baratissimo preco de 3* a peca.
Madapolo enfestado a 3#500.
Vende-se madapolo enfestado com 12 jardas a
3*500,4* e 4*600, dito cora 21 jardas a o*,
5*300, 6*500,7*. N. 40 7*500, L. 10 7*500, .N. 6
8*, Elephante 8*500.
Soutembarques de cores a 6.
Vendem-se soutembarques de cores a 6$. 7* e
8*, ditos de seda a 18, 20* e 25*.
Chapeos para homem a 1*800.
Vendem-se ehapeos para homem a 1*800 cada
um, chapeos de sol de panno a i- ditos de seda
para homem a 6* e 7* : s Arara, rua da Impe-
ratriz n. 56, de Mendes Guimares.
S Arara vende chitas francezas a 210 rs. o co-
vado.
Vendem-se chitas francezas sendo cores fixas,
assim como sejam padroes delicados sendo cores
de cana e rxas, se vende por baratiscimo preco
de 240 o covado, ditas a 260, 280 e 300 rs., ditas
matisadas finas a 320 e 360 o covado.
Chitas francezas escaras.
Vendem-sa chitas francezas sendo padroes escu-
ros e cores fixas a 360 e 409 o covado, ditas miu-
dinhas claras a 360 e 400 rs. -o covado : isto na
loja e armazem da Arara rua da Imperatriz n. 36.
Corles a Hara Pia a 1S>.
Vendem-se os mais modernos certes a Maria
Pia a 18*, dito a 14*, 12*, 11*, 10* e 8*, cortes
de la sem barra a 5* lera 15 covados o corle.
Damasco de duas largaras a 1*280,
Vende-se damasco de duas larguras a l*i80 o
covado, dito de urna largura a 800 e 640 rs. o co-
vado, lencos de linho a 5*, 6* e 7* a duza.
Camisas francezas a 1*600.
Vendem-se camisas francezas a 1*800, 2*. dita
de pregas largas a 2* e 2*210, ditas de linho a
2*500, 2*800 e 3* cada urna, seroulas francezas a
1*280 e 1*500, dita de linho a 1*800 e 2*, co-
bertas de chita a 2* e 2*50ft cada urna, cambraia
branca a 3*, 3*300 e i* a peca, dilas de cores a
3*000.
Cambraias de cores a 300 rs.
Vende-se cambraia de cor a 300,020, 360 e 400
rs. o covado, camdraia de salpicos a 2*300 e 3* :
na rua da Imperatriz n. 56.
Chales de merino a 2 >.
Vendem-se chales de merino a 2*, ditos de chi-
ta a 1*600, 1^280 e 1* cada um, chales finos com
pona redonda e borlla de seda a e 7* cada
um, cobertores de algodao a I* cada um : na rua
da Imperatriz n. 56.
RIVAL
Roa do Queimado n. 49, loja de Jos & Azevedo
Maia e Silva.
Pulseiras e voltas muito bonitas a 500 rs.
Miadas de liona para bordados de superior qua-
lidade a 60 rs.
Duzias de facas e garfos de cabo preto muilo
boa a 3*.
Meiadas de linha froxa para bordar a 20 rs.
Meiadas de linha azulada superior a 60 rs.
Babado do Porto muilo superior a 100, 120 e
160 rs.
Varas de franja de nho branca a 40 rs.
Caixas com 100 envelopes da meihor qualiiade a
600 rs.
Caixas com 20 quadernos de papel superior a
600 rs.
Crozas de pennas de ac muito finas a 500 rs.
Pecas de tranca lisa preta e de cores a 40 rs.
Grozas de botoes madreperola para camisas a 500
e720rs.
Caixas com 50 novellos de linha do gaz a 700 rs.
Varas de franja de cores a 80 rs.
Novellos com 400 jardas superior qualidade a 70 rs.
Carriteis de linha com 200 jardas dos ns 60 at
200 a 100 rs.
Livros para assentos de roupa lavada a 100 rs.
Pares de botoes de punho muito finos a 120 rs.
Thesouras para unhas e costura muito finas a
500 rs.
avaado.
Prancez barrica 5*000
Porliand dem 8*500
Em perfeito estado:
Prancez barrica 10*000
Portland dem 12*000
N armazem de Tasso Irmos caes do Apollo.
Vende-se caixes vazios proprios pa-
ra bahuleiros, e funileiros, a 2*000 cada
um : e para as pessoas que comprarem do
4 para cima 1*800, nesta lypographia.
A molestia ou infecco pecu-
lialconhecida pelo nome de s-
crofvla um dos males mais
prevalccentes e universaes que
lia em toda a extensa lista das
enormidades de que sofl'ro o
genero humano : disse um celo-
ore escriplor da medicina que
mais de ama ten-a pane de
toaos squeHes qne morrem antes
da velhice sao victimas, ou dire-
ta ou indirectamente da Escrfu-
la :por si nao lao des-
irva, parm a principal causa de muilas
outras enfermidades que nao Ihe so geral-
mentc attribuidas.
E' urna causa directa da phihysica pul-
monar, das molestias do figado, do estoma-
go e affecedes do cerebro :Entre os seus
numerosos symptomas acham-se os seguin-
tes : falta de appetite ; o semblante pai-
lido e s vezes inchado, s vezes de tima
alvura transparente e outras corado e. a-
marellenlo ao redor da bocea ; fraquew t
molleza nos msculos: disgesto raca t
appetite irregular, falla de energa, ventre
inchado e evacuaco irregular; quando o
mal tem seu assento sobre os pumoes, urna
cor azulada mostra-se em roda dos olhos :
quando ataca os orgos digestivos, o< olhos
tornam-se avermelhados: o hlito ftida
a lingua carregada, dores de cabeca, ton-
tetras etc.
as pessoas de disposigao escrofulosa ap-
parecem frequenteraente erup0es na pelte
la cabeca e outras partes do corpo, sao pre-
dispostas h&affeccdet dos pulmOes, do figo-
'lo, dos rins e dos orgos digestivos e ute-
rinos. Portanto, nao smente, aquellos
que padecem das formas ulcerosas e tuba -
calosas da escrfula que necessitam de pro-
teccao contra os seus estragos; todos as
quelles em cujo sangue existe virus laten-
te d'este terrivel flagello (e s vezes heiv
litario) esto exposlos tambem a soffrer das
enfermidades que elle causa, que sao :
A phihysica, ulceracoes do figado, do w-
lomago e dos rins: erupccs e enfermda-
les eruptivas da cutis; rosa ou rysipela ;
borbulhas. pstulas nascidas, tumores, r.'i-
:umacarbunculos, ulceras e chagas, rhu
nalisuio, dores nos ossos, as cofia* c na
cabeca, debilidades femininas, flores bran-
da causada pela ulceraco interior, < en-
fermidades uterinas, hydropesia, indiges-
tado, enfraquecimento e debilidade geral.
Aos pulmes a escrfula produz tubrcu-
los e finalmente consumpeo pulmonar :
as glanulas ella produz nchaces e tornam-
se ulceras: nos orgos digestivos cati.ia
desarranjos que produzem indigestiio, dis-
pepsia, molestias do figado e nos rins __
na pelle produz erupcoes e affeccoes cut-
neas. .
Todos estes males tendo a mesma ori-
gem, carecem do mesmo remedio: a s>-
ber : purificar e fortalecer o sangue.
A salsa parrllha de Ayer
composta dos antidolos mais efficazes i(i
a sciencia medica tem podido descola ir,
para esta molestia assoladora e para a cura
de todos os males provenientes d'ella que
contm virtudes verdaderamente extraordi-
narias provado incontestavelmente pelas
curas notaveis e bem conhecidas que tem
feito de tumores, erupedes cutneas, erisi-
pelas, borbulhas, nascidae, chagua fatigas.,
ulceras, rheuma, sarna, parebas, hydrope'
sia, tosse quando causada por depsitos tu-
berculosos nos pulmoes., Debilidade ge-
ral: Indigesto, Syphilis constitucional e
molestias mercuriaes, molestias das muflie-
res, ulceracoes do ulero, a nevralgia e cor-
vulces epilpticas e em summa, toda sene
de enfermidades que nascem da impureza
do sangue. Vede as certidoes no Alma-
nack e Manual de satk do Dr. Ayer que
se distribue graluitamenft nos lugares onde
se vendem os remedios?
Este remedio o fnieto de tongas e labo-
riosas experiencias, e ha abundantes provee
das suas virtudes: posto que offereciii;
ao publico sob o oonc de Salsa panilha,
composto de diversas plantas, algumas daa
quaes s5o superiores a meihor salsa pan i-
Iha no seu poder alterante.
PE1T0RAL DE CEREJA DE AVER.
Cura promptamenle a asthma, bronchiie.
tosse, defluxo, angina, coqueluche,
phthysica primaria, tubrculos
pulmonares, e todas as
molestias pulmo-
nares.
Allivia os ethicos declarados.
Todas as molestias da garganta, do peito
e dos pulmoes pdem ser curadas em pou-
co tempo pelo peitoral de obreja do mi,
AYER.
A' venda as principaes boticas e droga-
ras do imperio, e na agencia central tc
Rio de Janeiro rua Direita n. 15.
Vende-se em Pernambco:
na pharmacia franceza de
P.MAURER & C.
RUA NOVA N. 18.
FlJADIji D0B0W-
tendo muito breve de retirarse para a Europa, re
salvenTazer urna liquldacao a dinheiro vista por
todo o preco, comentando-se somonte com ama pe- j JEJgS"" a'ra da'senuia NovnTnl
qaena porcentagem cima do casto da factura. Es-
Vendem-se
machinas americanas de serrote para descarocar
Vende-se
pera que o respeitavel publico o coadjuve com sna
presenca aJtonrar seo-estabelecimento e admira-
Imperador n. 40,' um moleqoe para copeiro, e paga-se bem sendo I rem os presos de seminantes objectos de candiei- \ na roa das Cruzes n. 23 junco e palha, mais bara-
bom. ros de gaz. to do que em ontra qualquer parle.
Rna da Btrum numero 38.
Neste estabelecimento acham-se venda os se-
guintes objeelos, lodos da prlmeira qualidade, t
construidos especialmente para sta casa, peos
mais acreditados fabricantes inglezes :
Machinas a vapor de 2 l|2 a 8 cavallos, com
moendas, juntas e sem ellas ; e tambem proprias
para descarucamento de algodao, afamadas pala
fortidan, simplicidade e economa em combustivel,
e por nao precisar de obra qualquer para sen as-
sen tamenio.
Rodas d'agua de ferro, systema inui proveitoso
da for^a d'agua.
Rodas de espora, e angulares, e do. esquadrilha
para animaes.
Moendas e meia-moondas.
Taitas de ferro balido e fundido, e de cobre.
Machioas para descarocar algodao, sys'.ema
Plan, cem os ltimos melhoramenios.
Boceas e crivos de patente para fornalhas, diiti-
naindo muilo o gasto do combustivel.
Machinas e raachinismos para moer mandioca,
movidas a vapor, agua ou cavallo.
Pomos e chapas de ferro batido para coser la- '
riada.
Alambiques de ferro, e fundos.
Guindastes, fuos e porttil?.
Prensas para copiar cartas.
Rodas para carro de engenho com eixos e man-
patente.
Formas de ferro batido galvanizado para purgar.
Serras de ac e armacSes de serrara.
Arados de ferro singelcs e dobradw, grades para
i-ubrir raona, euxadas a cavallo, e outros instru-
roentQs de agricqliura.__________________
Jii rua do Queimado, loja de ferragnns n. i
endose mallo em coma um par de veaetianas.
ILEGTVEL


Marfe de Peraambueo Terca ftlra IS de limbo de I *.
GNEROS BARATOS A DINHEIRO
NOS
mmm de moliiidos
DE
CRIDES
DUARTE & C.
Pateo dodarmo n. 9 armazcm Progressivo roa do Queimado n. 7
I ti i a o c Commercio roa do Imperador o. 40,
=3 J Principal armazem de nolhados.
os proprietarios.
Fazem sciente ao respeitavel publico, e com especia I id ade aos senhores de n-
gt^hos, hvradores e mais pessoas do centro, que para mais facilitar suas compras d*^
beraram os proprietarios dos tres grandes armazens, reunir todos os seus estabetct-
mentos em um s annuncio, pelo qual o prego de um ser de todos, promette-
mns que nao infringiremos a tabella que abxo vai publicado, anaunciar osgeieros
por um proco, e na occasiao da compra quererem por outro, como socede constante-
mente em ouiras muilas casas, porm nos nossos cstabelecimentos nao se dar tste
anda mesmo com prejuizo nosso, qualquer pessoa poder mandar seus fmulos que
serlo tam em servidos como viessem pessoalmente fazendo-nos o favor de mandar seus
pedidos em cartas feixadas; para evitar qualquer engaos, remetiendo nos urna cota
pela qual se ver os pregos tal qual annunciarmos, o que seno arrepender pessoa
alguma que fizer stia despenga em nossos estabelecimentos; pois poupar mais de
5 por cento na sua despeza diaria.
Mmleiga ingleza perfeitamente flor chegada dem com 4 a 5 ditas a 3^200.
ntimamente no vapor Saladim, de 1$ dem vasios de todos os tamanhos a 2^000,
a t#O a libra e em barril terabaii- 10500,800 e 640 rs.
ment. Queijos d 2^300 a 20500 os mais frseos,
dem franceza muito nova a 900 a libra, e Vinagre puro de Lisboa a 280 a garrafa e
8J0 em barris. 20000 a caada.
Banda de porco reQnada 720 a libra e 700 dem mais baixo a 200 rs. a garrafa e 10400
em barris. j a caada.
Cha uxim de superior qualidade a 20600. Azeite doce de Lisboa muito fino a 600 rs.
dem perula miudinho a 20700 a garrafa e 40600 a caada,
dem bysson especial qualidade de 20400 a Toucinho de Lisboa novo e muito alto a 320
20600 a libra. a libra, e em barril de 5 arrobas a 90400
dem preto muilo especial a 20000 e 20100 arroba.
a libra. j Ceneja Bass do fabricante Slilers dr Beff a
dem do Rio em latas de 40000 e a 800 a 60500 a duzia e 640 a garrafa.
libra. dem Bass do fabricante T. F. Ashe a 60000
Latas coo biscouto de todas as qualidades a duzia e 560 a garrafa.
a t,?200. ;Idem marca H Vicloria Alsope e outras
Idra da creditada fabrica de Biato Antonio muitas marcas a 50 a duzia e 500 rs. a
(Lisboa) proprias para da; a doeotes a
_JKfflttRTE
M'WTW 'UlikZBNS
Largo da Santa
Cruz n. 84, e
uina da ra d
Sebo.
Largo da Santa
Jruz n. 84, es-j
nuina da ra dojj
fSebo.
ESPECIAES
rora Rri?h,Vr^I?tiri0 d muito acreditado armazem de m""lhdos"denomino"u-
ATH h ,?a "^ mesmo sortimento de gneros de primelra qualidade.
Nwihnm Slrv,ra a Xoiot ie base Para aJ>is,e <*e comas aos portadores.
elo mrartd- ?2!^m reBdera' carato e melhores do que a Aurora Briraante, ja*
mS> ?,'e lem- Ia' raesmo Pr proveU?r n i !Jpa.ra,acCuamJular despezas do estabelecimento por isso deixe se a-
tantes freguezes fazer t0da a dilienc,a>afim de servir bem os sens cons"
a7*S008 'braS dechoarcas muito novas,
Ditasgrandes com peixe
"* de 12 malidades,
I31OO.
Ditas 1
em postas inteiras,
a 15000, 1J280e
petisco para fri-
20 e 30 a lata.
Bolaxmha ingleza muito nova a 30500 a bar-
rica e a 240 rs. a libra.
Lilis com liolaxinba de oda e oval a 20.
!' esunto inglez para fiambre chegado no
ultimo vapor a 8O rs. a libra.
Chonrieos e paios muito novos a 640 rs.
a libra.
1 i\as com macarro talharim muito novo a
garrata.
Sabao primeira qualidade a 220 rs. a libra
e2I"J em caixa.
dem segunda qualidade a 200 rs. a libra e
180 rs em caixa.
Sabio inglez superior a 180 rs. a libra e
160 rs. em caixa.
Caf primeira e segunda sorte a 605OO,
70500 e 80 a arroba, e de 220 a 280 rs.
a libra.
53000 e 320 a libra. Arroz do Maranbo 30200 a arroba e 100
Ai'jirta branca e amarella a 500 a libra. rs# a iDra-
1 oate portuguez de especial qualidade a
s 0 a libra. dem da India a 20600, 20800 e 100 rs. a
I: ra suissode 80Oa 10000 a libra. libra.
1 bespaonol verdadeiro a HW300 a libra Charutos Normas de Havana a 50500 a cal-
que j vendemos a 10400. xa, de Simas (Jos Furtado).
da ''asea de gmatffl em caixoes de 6 li- dem Londrinos a 50, idem.
liras seguro a 10800, dem Parasienses a 40500.
em caixoes pequeos a 700 rs. e de dem Delicias a 10300.
; para t'ima a 40.
i Iota seece em hcelas ricamente enfeitadas,
uontendo pera, pes"go, ameixa, rainba.
u uutids frutas a 30000 cada urna.
dem em calda em latas feixadas hermtica-
mente muilo bem enfeitadas, contendo,
pera, pesego, ameixas e outras frutas a
640 e 700 a lata, tambem temos latas
grandes a 10200.
Marmelada dos melhores fabricantes, em la-
tas de 25000 a 10200.
dem em I itas de I Ipi libra a 10.
dem em latas de 1 libra a 640 rs. -
Ervilbas em latas chegadas ueste ultimo va-
por a 700 e de 5o para cima a 640 rs.
Feijio verde 011 carrapalo em latas j pre-
parado a 640 rs.
Ameixas em frascos de vidro a 10500.
dem em cairifihas ricamente enfeitadas de
1 -200 a 20500.
Conservas Mexide mnilo novas a 700 rs. o
Irasco.
dem de ceblas simples a 700 rs.
lio inglez a 640 rs. o frasco com rolha
de vidro.
Mostarda em p a 700 rs. o frasco.
dem j preparada a 320 rs
Li is, com massa de tomate de 1 libra a
600 rs.
Ji ai em latas de 1 1|2 libra a 900 rs.
Vi hosem garrafas vindos do Porto, Madei-
. ;i Secca, Duque do Porto, Duque Semi-
no, Cascavallas, Maria Pia, D. Luiz, Pe-
dro V, Velho Secco, Lagrimas Doces, La-
grimas do Douro, c outras muitas marcas
a 10 a garrafa e 90 a 120 a duzia.
dem Palmella a 10 a garrafa e 110000 a
duzia.
idem em pipa d todas as marcas Porto,
Figueira e Lisboa a 400 e 500 rs. a gar-
rafa e 20800 a 30500 a caada.
dem em ancoretas e 8 a 9 caadas com su-
perior vinho Lisboa e Figueira a 240 a
ancoret.
branco expecial qualidade proprio para
mis-a a 56n rs. a garrafa e 40 a caada. Sevada muilo nova a 140
i I m mais baixo a 400 rs a garrafa e 30500 arroba,
a caada. Caixas com estrelinha,
dem do Porto especial quilidade a 800 rs.
a garrafa e 50500 a caada.
I d m Bordeaux em caixas a 70 e 700 rs. a
(jirrafa.
Cliampanba a melhor do mercado vinda de
i issa encommenda a 300 ogigo.
IjVm mais baixa de 180 a 200 e 10500 e
30 a garrafa.
Licores portuguezes e francezes a 10000 e.
10500 a garrafa. j Notes muito novos a 160 a libra.
Marrasquino de Zara, verdadeiro a 10500 a'Papel gre ve a 40200 a resma.
garrafa. dem lizo a 40000.
Id 1 mais abaixo a 800 rs. a garrafa. dem de pezo a 30000.
Gei bra de laranja verJadeira a 110 a do- dem de embrulho marca grande a 10200 e
zia e 10 o frasco. 10300.
dem de Holianda verdadeira a 60 a fras-
quera e 640 o frasco.
dem de Hamburo a 50500 a frasqueira.
dem em boticas de Holianda a 400 e 440 Pallts de, dei"es, magos grandes a 120 e
rs. o frasco. | 1^0 cada ora.
Garrafn com genebra de Holianda com 24 Fumo americano de chapa, de superior
garrafas a 80, com garrafao. qualidade a 10500 a libra, em porcSo tera
dem com 1 i a 15 garra fasa 60. abatimento.
Saccas grandes com 100 libras -de farello snperior a 4H)00 a scca.
dem Traviata do Rio a 50500.
dem varetas de .Manuel Peixoto da Silva
Nettoa 30500 e 10SOOa meia caixa.
dem suspiros do mesmo fabricante a 10*00
a meia caixa e 50200 a caixa.
dem raece:ipes a 10700 a meia caixa (
30000 a caixa do mesmo fabricante,
dem orientaes do mesmo a 10800 a meia
caixa e 3J400 a caixa.
dem jovens de Castanho A Filho a 20100
a caixa.
dem suspiros do mesmo a 1 ,-> '01 a meia
caixa, e outras muitas marcas de fabrican-
tes.
Passas muito novas a 13500 o quirto e 50
a caixa de urna arroba hespanhola e 320
a l.bra.
Vermute bebida para abrir a disposicSo de
comer a 10500 a garrafa e 140000 a
caixa.
Alpista muito novo a 30800 arroba e 140
a libra.
Painro a 40000 arroba e 110 a libra.
Peixe em latas j preparado a 10200 a lata
e em porgas 10000.
Sardinhas de Nantes a 400 a lata.
Tijollo paralimpar facas a 160 rs.
Esparmacete a 600 a libra e em caixa a
580.
Vellas de carnauba a 140000 arroba'e 440
a libra.
Azeitonas de Lisboa muito novas era anco-
retas grandes a 10800 e a 400 rs. a gar-
rafa.
Balaios do Porto muilo grandes proprios
para guardar roupa suja a 20500, 30000
e 40000
Batatas em gigos de 31 libras muito aovas-a
800, ea40rs. a libra.
Gomma em paneiros a 40000 arroba e 140
a libra.
Farinda do Maranbo muito alva e nova a
240 a libra.
Sivadinba de Franga para sopa a 200 a li-
. bra.
a libra e 40000
rodinha e pevide a
400 a libra.
Alhos em canastras muito novos e maungas
grandes a i80 e 200 rs. cada urna.
Canda muito nova a 10000.
Cravo muito novo a 500.
Cominho idem a 320.
Ervadoce idem a 400.
Alfazema flor a 240.
Amendoas a 400 a libra.
e outras mas-
rs.
I dem azul para botica a 20000.
! Copos lapidados a 50500 e 500 cada um.
com ostras, excellenle
gideira, a 720 rs.
'nt! ^m rvilhas "ovas, ensopadas, a 720 rs.
Ditas com favas, -6i0 rs.
w^Ditas com ameixas a 15200, 15800 e 35500.
apunas com marmelada do afamado fabricante
DHascom massa (Te fomale, a 500 rs
e2Soo8 ^ COmadre' novos> a *300-
|feDl25(K)0nb0laChnha d SOda muit0 D0Vas' a
Pitascombiscoitinhos inglezes de muitas qua-
lidades, a 15400.
Chocolate.
Uumhas com ameixas enfeitadas proprias
para mimo a 15200,2*800 e 3#200.
880a5000er,r mU't0 nV' a libra de
Macarftr2o,talhariam e aletria amarella, a libra
a 400 rs.
Dito dito dita branca, a libra a 109 rs.
Uixas com estrelinha, pevide,
sas, a caixa 34500.
Ditas dita em libras a 640 rs.
Sag, a libra a 360 rs.
Sevadinha para sopa a libra, a 2'0
Ervilhasseccas, a libra a 160 rs.
flitas descascadas, a libra a 200 rs.
Tapioca muito nova, a libra a 280 rs.
-P* de arruta verdadeira, a libra a
500 rs.
Arroz do Maranhao, erfl SaC'co, a aFroba a
25400 e a libra a 80 rs.
Dito da India e Java, a arroba a 34200 e a li-
bra a 100 rs.
Toucinho de Lisboa a 98300 a arroba e a 320
rs. a libra.
Dito de Santos, a arroba 75000 e a libra a
260 rs.
Molhoscom 123 ceblas grandes, a 1J280.
Mostarda franceza, caixa com 2 duzias a
73OOO.
Frascos com mostarda preparada em vinagre,
a 400 rs.
Ditos cora conservas inelezas e francezas, a
, 6i0e800rs.
Ditos com sal roado fino, a 640 e a 500 rs.
Ditos com a vertadeira-fenafcra de laranja, a
ijOOO.
Ditos de 2 garrafas de Ifollanda verdadeira .a
640 rs.
Botijas com dita proprla paral negocio, a
400 rs.
Garrafoes com 2 galoes com dita, a 65-
Serveja boa, marca, a 500 rs. a garrafa, e a)
duzia a 6000.
VinhomuscateldeStubal, agarrafa a 13.
Marrasquinho verdadeiro,frascos a 80C rs. e
a 15200.
Champagne, a duzia 204000, e a garrafa a
25000.
Azeite refinado portuguez e francez, a garrafa
a 15000.
Caixa de vinho Bordeaux muito superior, a
75, 85,95 e 105 a caixa.
Ditas com dito branco, a 75 a caix*.
Ditas com dito lacrimas do Douro verdadeiro,
a 205-
Ditas com duque do Porto verdadero,"a
185000.
1 Ditas com chamisso superior, a 145-
Ditas com Porto velho e outras muitas mar-
cas, a 125.
iVinho do Porto da pipa, a garrafa a 640, 720
' e 800 rs.
Dito de Lisboa muito bom, a caada a 35200,
34500 e 43, e a garrafa a 500 e 560 rs.
Dito da Figueira, das seguintes marcas (N".)
(J. A. A.) (J. L. 6.) (0. M.) a caada a
1 45500, e a garrafa a 560 e 640 rs., deste
1 que jest engarrafado elaeradocomo
rotulo do armaiera.
Ditos de marcas mais desconhecidas, a cana-
da a 35500 e 45000, e a garrafa a 480 e
520 rs.
,Vinho branco fino, agarrafa a 640 rs.
Dito de eaj muito superior, a garrafa a
800 rs.
Vinho vrde nperier.
A caada a 35000 e a garrafa a 400 rs.
Gomma.
Saccas de 4 arrobas, a verdadeira de se
enzommar, a arroba a 35000 e a libra
120 rs.
Sabio massa, a libras 200,240 e 280 rs.
Farioha.
Saccasgraudes eom farinha de Goianna mui- \
to nova, a 55000.
Gaf.
Cafdo Rio muito superior, a arroba a 85,!
85500 e 95OOO.
Cha.
Ch.teraos nestes gneros o melhor possivel,<
hyson, a libra a 25600.
Dito perola a 35000.
Dito uxim a 24700.
Dito hyson muito fino a 25800.
Dito redondo a 25500.
Dito preto de primeira qualidade a 25500.
Dito mais baixo a 25000 e 15600.
Erra mate.
Excellente cha medicinal, a libra a 240 rs.
Espermacete.
O masso com 6 vellas de espermacete a 600,1
6i0 e 720 rs.
Passas.
Caixas de 16 e 8 libras de passas novas pro-
prias para mimos a 44 e 25500.
Noies.
Nozes, a libra 160 rs. e arroba a 45000.
Alpista e painco.
Alpista e painco, a arroba 45000 e a libra a.
160 rs.
Cartas.
Cartas finas para logar, a duzia a 25500.
Casta nhas.
Castanhas novas vindas neste vapor, arro-
ba 45000 e a libra a 200 rs.
Azeitonas.
Barris com azeitonas novas a 13500
Intriga.
Manteiga superior, a libra a 15280.
Dita mais abaixo a 13200.
Dita menos superior a 13 .
Dita franceza nova, a libra a 880
Dita dita era barris e meios ditos, a libra
S80 rs.
Dita para trapero a 400 rs.
Qnrijos.
Qoeh'os novos vindos ueste vapor a 23800 e[
35000.
Ditos londrinos muito novos, a libra
15000.
Papel.
Papel almaco pautado, a resma a 43800.
Dito dito lizo de linho, a resma a 43500.
Dito de peso lizo e pautado, a resma
23500.
Dito de embrulho, bom a 15 e 13200.
Vinho Madeira.
Garrafas com o verdadeiro vinho Xerez e Ma-^
deira a 15300 e 23000.
Temperos.
Folhas de louro, pimenta do reino, cominho"
e cravo, a libra a 400 rs.
VeUi de carnauba.
Massos com 6 velas de carnauba refinada a
480 rs.
Amendoas.
Amendoas com casca, a libra a 320 rs.
Doce.
CaixBes de doce de goiaba, grandes a 15400\
e pegenos a 640 rs.
lijlos de limpar.
Tijolos de arear facas a 140 rs.
Grata.
Duzias de boioes de graxa n. 97 a 25000, ei
de latas a 15000, e os boioos a 240 rs. ca-j
da um, e as latas a 100 rs-
Charutos linos.
Charutos finos dos melhores fabricantes da
Babia por diversos precos, caixas e meias!
caixas.
Superiores cortes de moires preto com barra, o qne ha de melhor gosto em
Pernamboco.
dem de gorgurlo preto adamascado com barra a imperatriz Eugenia,
dem do gorgorao de seda bordados com barra.
Superiores moirs pretos e largos 20400, 20600, 30, 30500, 4tf, 50,60,
70 e 80 o covado.
Superior gorgurlo de seda preto, a melhor fazenda que ha para vestido.
Sarja preta de seda,
dem preta hespanhola.
dem idem lavrada a 20o covado. .
dem idem lavrada muito superior.
Completo sortimento de grosdenaple preto a 10500,10800, 20,20500, 30,
30500,4, 40500 e 50. t
Pannos pretos de super'nr qualidade de 30 a 120 o covado.
Casemira preta de 10600 a 50 o covado. __
Lindos chales, bournus, algeriennes e retoudes de iWprete.
Mantas pretes de fil e los pretos.
E muitas outras fazendas de snperior qualidade m teje as Cciutmtas
na ra do Crespo n. 13 de Antonio Correa de Vasconcelos C. successore
de Jos Moreira Lopes.
GOMMA NOVA.
Em paneiros muito alva a 4,000 rs. a arroba e 16o rs. libra e compran-
do de um paneiro para cima se far abatimento na roa do Imperador n. 40.
ANTIGA CASA
DE
5
GUILHERME DA SILVA GUIMARAES.
O CRESPO 5
de
CHALES DE &UIPURE DECORES
Fazenda anda nao vista
e que vem operar urna completa revolucao as modas.
Chegou nma pequea porgao
para amostras.
CHAPEJLINAS
fil e palha de Italia.
Chegadas pelo ultimo 'paquete
de esplendido gosto e
qualidade especial.
BIETN D FALA
e chapeos enfeitados para senhoras e meninas.
Capas.
Soutembarques.
Polonezas.
Roupa franceza para homem.
camisas para homem e senbora.
Sedas, linhos e
Algodoes.
Completo sortimento de riqulsstmos e snmptuosos artigo
PARA
CUtANDE I Oll.i; I
Como sejara eochovaes para casamentos, bilisa'dos etc., etc. Vestidos
de phantasia, grinaldas, enfeites earaisi-
nhas, manguitos e gollas pri-
morosamente bordados.
Assim como
FAZENDAS BARATAS PARA USO ORDINARIO.
A 60000
Chegou novo sortimentimento de
Cortes matisados a Mara Pia.
A 300 rs.
O covado de musselinas de cores.
A 240 rs.
O covado de chitas largas francezas
escuras e claras.
A 280 rs.
O covado de chita de linho cor de palha.
A 20300 rs.
Corles de chitas largas francezas com 10 covados escuras e claras.
PAMA ROUPA l>12 jESCR&AOS
Os senhores de engeoho economisaro muito visitando aa eeeasio de suas compras para este fim este
estabelecimento pois alm de fortes e encorpados aigodSes americanos azues e
de listas da Baha, inglezes etc., ah encontrarlo o
Famoso algodao mineiro
e immensas ontras fazendas
NA
E grande quantidade de gneros tendentes
& estes estabelecimentos, que deixam de an-
nunciar-se.
'.--*
CORTEJAROS BORRADOS
N. 11Boa do QueimadoN. 11
A este estabelecimento chegou ltimamente da Europa um grande e variado sorti-
mento de cortinados bordados 9 que ha de mais gosto em desonhos e bordados.
Lindos bonets de palha de Italia para seahoras.
Chapeos e chapelinas de palha de Iulia ricamente enfeitados. -
Chapeos Anos de seda paawabeca de homens e chapeos de sj! de seda inglezes _de
8,12 e 16 astes.
Bournus e chales de renda pretos superiores.
Pelisses e soutembarques de seda preta para sentioras.
Cortes de laa de barras de 145 a 22$ de mnito gosto.
BalSes de arcos e de musselina finos, manguitos e camisinhas.
Saias bordadas muito superiores.
Moireantlque preto, grosdenaple preto e de cores, panno preto fino de diversas qua-
lidades e casemiras pretas e de cores.
Lttvas de pellica para homim e senhoras. .
E muitas ontras fawBda dos Santos Porto, aonfle tambem se veodem as melhores e mais b-ratas
Esteiras da India para forrar salas
W. H-Rua de Queimado-!V. i 1
Gregorio Paes do Amaral & Companhia.
Succes*ores de
HiRCEEItfO & .
RSI
M
i Clll YtS IIEPATEM
de trabalhar mo para
descaroearalgodSo
FABRICADAS
Por Plant Brothers & C.
OLDAS
TaSto Irmaos
vendem gesso em p para estuque de casas, tijolos
finos de feilfo diversos para ladrilho, azlenos de
diversos -gestos, tijolos vidrados para parede ds co-
zinha, ranos de barro para esgoto, emento em
barris de 10 arrobas.
Catangas fiaos e brlaqnedos
para menino*.
Lhegaram para a loja de miudezas da ra do
Queimado n. 60, os mais fiaos e liados catangas
tanto para bnnquedo de meninos como para cima
de mesa : na mesma loja se encontrar rom sor-
timento de miudezis.
0 castalio de Grasville.
Traduiido do francez por A. J. C. da Crni.
Vende-se este bello romance em qnatr
tomos pel bftrtissimo pre?o de 250C
na praca da Independencia, rtvraria ns.
6e8.
Atten$lo.
Vendem-se sorte? para a 35500 o cento, tambem d-se de vendagam a 801
rs. por pataca : oa ra da Palma
Estas machinai
poderadescarocar
'qualquer .especi
de algodao sen-
estragar o o
sendo bastante
duas pessoas para
o trabalho i pode
descarocar urna
arroba de algo-
dao em earocc
em 40 minutos,
ou 18 arrobas
por dia ou ti ar-
robas de algodc
limpo.
Assim como machinas para serera movidas por
animaes, que descarocam 18 arrobas de algodao
limpo, por dia; e motores para mover urna, duas,
eutns dessas machinas.
Os mesmos tem para vender um hellissimo va-
por que pode fazer mover seis destas machinas
mencionadas ; para o qne convida-se aos Srs.
agrIeultoTe'avirmvr e etamina-lo, no arma-
zem de algodao, no largo da ponte nova n .47.
Saaaders Brothers i C.
. II, praea do Corp Santo
RECIPE.
Os aicos agentes neste paii. ^^____
Vende-se um escravo idado 23 anuos ins'gne
offlcial de carpina e bonU Sgura : na travessa op
n. 41,"taberna. I Carrao n. 1.
Bival sem segundo
Ra do Queimado n. 49, loja de miudezas de Jos
& Azevedo Mala e Silva esta disposto a vender mni-
to barato que admira, pois seus fregnezes ja esto
scientes que nao ha segundo competidor.
Pecas de cordo para vestidos a 20 rs.
Capachos redondos e compridos a 500 rs.
Talheres para meninos a 240 rg.
Duzias de facas e garras a 2,5400.
Ditas de cabo preto cravado a 3000.
Baralhos francezes muito finos a 200 e 240 rs
Grozas de bot5es de louca a 160 e 200 rs.
Calzas com soldados de chumbo a 120 e 200 rs.
Bunecos de choro pequeos a 160 rs. .
Varas de cordao para espartilho a 20 rs.
Duzias de colheres para cha a 800 rs.
Dozias de colheres para sopa a 1,5500.
Ditas de metal principe de cha a 2J000.
Ditas para sopa a 4,5600.
DROGARA.
34Rua< larga da Rosario34 -
Bartholomcu Francisco deSooza C.
Vendem:
Acido actico paro-para retratistas..
Esmaltes para ourives.
Papel para forrar casas.
Guarnicdes avelludadas.
Tinta brancasuperor em lata.
Alvaiade Voneza, fino, em pies.
Cegaramos superiores
cortes de seda.
Superiores cortes de seda de cor, viudos pele
ultimo vapor frineez : na toja das columnas a na
do Crespo n. 13, de Antonio Correia da Vascon-
celos 4 C.
Vendem-se tres moradinhas de casas no bec-
co do Marisco ns. 26. 36 e 38, as quaes rendetn
26 mensaes : a tratar no pateo do Caraw o. 7,
segundo andar.


BltrU
*cra letra 1S te snwM* ifc 1
i.
LIGA.
ESTABELEOIDO A RA NOVA N. 60
AO
RESPEIT WEI, PUBLICO.
A apreciacJo dos habitantes desta heroica provincia existe no grande arma-
zem da Liga estabelecido roa Nova n. 60 um magnifico sortimento de molhados,
que sendo em sua maxirai parte mandados vir directamente de estrangtiro podem ser
vendidos por precos asss razoaveis.
Sem a fatuidade de querer que este novo e interessante estabelecimento seja o
primeiro e nico em seu genero, pde-se porm affiancar, com toda a seguranca de que
nenhum outro o exceder no restricto cumpriraento das seguintes promessas:
V Delicadeza no trato.
2. Fidelidade no peso.
3/ Sinceridade nos precos.
As pessoas que por sua psito social gozam de certo tratamento, .acharo nesta
casa os melhores queijos londrinos, cerveja, vinhos finissimos manteiga e cha sempre de
primeira qualidade. etc., etc.
Qualqer que seja a condico do freguez, elle deve contar que ser sempre mul-
to bera servido.
Aquelles que sao pouco favorecidos da sorte faro mensalmente urna economa de
muitas patacas, afreguezando-se nesta casa, onde se lhes vender o arroz, o caf, a man-
teiga oassucar, etc., etc. de boa qualidade pelo preco que em algumas partes nao po-
dem ou n5o querem vender.
Os senhores de fra da cidade, dos arrebaldes ou centro, que compram para ne-
gociar, devem vir, pelo seu proprio interesse, a este estabelecimento para se convence-
rem do quanto se pode vender barato.
Para os senhors que compram para tornar a vender existe um sortimento espe-
cial, escolhido por pessoa entendida que certamente muito deve agradar aos senhores
compradores.
Nao se tem poupado sacrificios, nem se deixar de fazer a diligencia para agra-
dar a todos.
PELOS SEGUINTES PRECOS S SE VENDE
A DINHEIRO A VISTA:
Graixa em latas, muito nova, a 80 rs. cada
urna.
AO PUBLICO
Sem onenor congtran-
glaieato se entregar o
Importe do genero qne
* agradar.
ATTENQ&O
os preco da seguate
tabella para todos, po-
dendo asslm serrlr de ba-
se para o ajuste de contas
com os portadores:
ARMAZEM UNIAO MERC
RA DA CADEIA DO RECIFE N. 53
(Logo passaudo areo ds Coneelco)
PARA BEM DE TODOS.
ALPISTA a 120 rs. a libra.
dem e painco de oito libras para cima a
100 rs.
Arroz de 90 rs. a libra a........
Amendoas, casca molle, a 280 rs. a libra.
Avellas a 2i0 rs. a libra.
Ameixas francezas em latas de todos os ta-
manhos.
dem idem em potes de todos os tamanhos.
dem idem em bocetas de todos os tama-
nhos.
dem idem em frascos de lodos os tama-
nhos.
Azeite doce de primeira qualidade a 560 rs.
a garrafa.
Alhos a 200 rs. o molho.
Absyntho a 2#000 a garrafa.
B
BOLACHINHAS do Beato Antonio em latas
grandes e pequeas.
dem do Principe Alberto a 25000 a lata, e
de cinco para cima a i#800.
dem de soJa em latas grandes a 2^000 e
de cinco para cima a l#tJ00.
Biscgitos inglezes de todas as qualidades a
10200, 15250 e13300.
Boi.o francez em caixinhas a 300 rs. cada
urna.
Batatas inglezas.
Banua de porco refinada.
C
CHOCOLATE francez a 700 e 800 rsr a li-
bra, e em porco a 600 e 700 rs.
dem suisso a 15 a libra.
dem de musgo a 15500 a libra.
Chocricas muito novas a 800 rs. a libra.
Caf a 240 e 260 rs. a libra, e em porco
se far abatimento.
dem de primeira qualidade a 75000 a ar-
roba.
Conservas em frascos a 320 rs. cada um,
sao muito novas
dem inglezas, frascos grandes.
Champagne de todas as marcas.
Cuarope de grosella, orchata, etc., etc.
Chicaras e pires a 15800 a duzia.
Cerveja da superior marca Tenente a 500 rs.
a garrafa, e em duzia se faz grande aba-
timento.
IJem Victoria Bas tres X e de outras marcas.
Charutos das mais acreditadas marcas, co-
mo sejam: Normas d'Havana, Exposicao,
Flor do Brasil, Parisienses, Delicias, Gua-
nabaras, Trovadores, Regala, Mississipes,
Panetellos. Apraziveis, Varetas, Brasilei-
ros, Americanos, Fluminenses.
CiiA de todas as qualidades e de todos os
precos, hysson, huxim, aljfar, preto, e
preto ponta branca, etc., etc., a 25000,
252"0,25560 e25800.
Copos lisos de todos os tamanhos de 120 a
320 rs.
dem lapidados de todos os tamanhos a du-
zia a 25500, 35500, 45 e 55.
Clices de todos os tamanhos.
Cognac superior a 15 e 15500ts. a garrafa.
Cigarros do Rio, pardos, .a 80 rs. o maco
de cinco macinhos.
I
DOCES de todas as qualidades : brasileiros,
portuguezes, inglezes, francezes, etc. etc

ERVILHAS seccas a 120 rs. a libra.
ervadoce a 400 rs. a libra.
P
FARINHA SSS de 8 libras para cima a 120
rs. a libra.
dem de araruta a 320, 400, 500 e 8?0 n.
Figos de comadle a 160 rs. a libra.
FeuAo verde em latas a 600 rs.
Favas eraiata* a- 800 rs.
Fono do Rio a 500 rs. a libra.
dem americano em latas a 25.
Farello ha sempre em deposito de 500 a
800 saceos; de todas as qualidades, de to-
dos os tamanhos e de todos os precos.
G
-GOMMA a 50 rs. a libra.
Itnfflra'MOrs. a libra, muito alva.
QrAo de bico a 120 rs. a libra, e em porco
se faz grande abatimento.
Celebra de' laranja verdadeira a 15000 o
frasco.
idem idem a 700 rs. o frasco.
dem de Hollanda em frascos e botijas.
KIRSCH de Wasser a 25 a garrafa.
Ii
LATAS com graixa a 80 rs. cada urna.
Letria a 400 rs. a libra.
U
MANTEIGA ingleza e franceza de primeira
qualidade a 15, 15120 e 15280, em bar-
ril se faz grande abatimento; a que ven-
demos por 15280 a liba, vende-se em
outra qualqer casa por 15400 e 15500.
Marmelada dos mais acreditados fabricantes.
Macarrao e talharim a 320 rs. a libra.
Massa de tomate a 6C0 rs. a lata.
Mostarda ingleza a 800 rs. o frasco.
Molho inglez de todas as qualidades.
Marrasquino verdadeiro de Zara a.....
Massas finas para sopa branca e amarella a
60 rs. a libra, em caixas com 9 libras a
35500. '
Milho painco e alpista, sendo mais de 8 li-
bras a 100 rs.

NOZES a 120 rs. a libra.
Nabos em latas a 800 rs.
O
Ostras inglezas e americanas.
P
PEIXE em posta, latas grandes, a !5i00, de
todas as qualidades, como sejam savel,
goras, corvina, pargo, salmo, pescado e
pescadinlia, linguado, sardinha. etc., etc.,
Peras em latas, excellente preparaco.
Palitos para denles a 120 rs. o maco muito
grande.
Passas em quarto a 15400.
dem muito novas a 400 rs. ;t libra.
Pomada muito nova a 280 rs. a duzia.
Q
QUEIJOS flamengos.
dem prato a 800 rs. a libra.
dem suissos a 800 rs. a libra.
dem londrinos a 800 rs. a libra.
Qartiniias ou uobinques a 65, 85 e 105 o
par.
u
RAPE' Meuron a 15 a libra,
dem Princeza do Rio a 15200 a libra,
dem francez a 25500 a libra.
S
SABO massa a 160 rs. a libra, em caixa se
faz abatimento.
Sal refinado em frascos a 500 rs.
Salame de Len a 2$.
Sardiniias de Nantes de todos os fabricantes,
dem de Setubal em latas muito grandes a
720 rs,
Stearinas a 600 rs. o maco.
T
TOUCINIIO de Lisboa a 320 rs. a libra.
Tomate em latas a 600 rs.
Tinta azul e preta para escrever.
viNnosm
Principe Alberto, de 1831, a 55000 a gar-
rafa ; d vida aos velhos.
Vellio secco a 25 a garrafa.
Lagrimas do Douro a 15500 a garrafa.
Duque do Porto verdadeiro a 25 a garrafa.
Duque a 15 e 15500.
Chamisso a 15, 15200 e 15500 a garrafa.
D. Luiz a 15 a garrafa.
Mcscatel verdadeiro de Selubal a 25 a gar-
rafa.
Carcavelos a 15.
Colares a 900 rs. a garrafa; o nico vi-
nho que se pode beber por nao ter com-
posico alguma.
Lanterne a 800 rs. a garrafa.
Bordeaux Medoc a 800 rs. a garrafa.
dem S. Julien a 600, 800 e 15 a garrafa.
Absyntho a 25 a garrafa.
Kirsch a 25 a garrafa.
Wermouth a 25, e a caixa a 185.
Bitter Maurer a 1 a garrafa,
Grave a 800 rs. a garrafa; vende-se por este
preco por luver sempre em deposito 50
daa*
De caj, de 1852, a 15200 a garrafa.
Velho do Porto, em aocoretas de 9 caadas,
a 355000 ; vinho que, estando engarra-
fado, vende-se a 15280 e 15500 a garrafa.
Senhore? ** horas, o aceio que
reza com que serSo trataJ^aenvida a orna
pra dos teneros que precisaren e quando
pois serSo tSo bem servidos como se viessem
Ira parle.
Minteiga ingleza especialmente escolhida a
l,ooo e 800 rs. a libra e em barril se faz
abatimento.
Idemfrancezaa mais nova do mercado a 96o
rs. a libra e 900 rs. era barril ou meios.
Cha hysson de superior qualidade a 2,600
' rs. a libra.
Cha perola o mais superior do mercado a
2,800 rs. a libra.
dem hysson muito superior em latas de 15
libras muito proprio para negocio a 2,ooo
rs. a libra.
dem hysson nacional em latas de 1 e 2 U-
,bras al,6oors.
dem preto o que se pode desejar neste ge-
nero a 2,000 e 2,2oo rs. a libra.
Linguicas muito novas a 800 rs. a libra e em
barril se faz abatimento.
Cbouricas e paios a 800 rs. a libra.
Costelletas inglezas a 64o rs.alibra, serve
para temperar panella ou para fiambre.
Queijos do reino chegados neste ultimo va-
pora 2,2oo rs., ditos de navio devella a
2,ooo rs.
dem londrinos muito frescos e de superior
qualidade a 800 rs. a libra.
dem prato a 800 rs. a libra, e inleiro se faz
abatimento.
dem suisso o mais superior qu tem vindo
ao mercado a 64o rs. a libra.
Ervilhas e favas portuguezasj preparadas
em latas hermticamente lacradas a 64o.
Feijao verde muito superior a 040 rs. a lata.
Copos lapidados para agua a 5,ooo e 5,5oo
rs. a duzia.
dem idem para vinho a 2 4o rs.,e 2,4oo rs.
a duzia.
Chocolate francez hespanhol e suisso a 9oo,
l.oooel,2oors. a libra.
Espermacete superior a 600 e 64o rs. a li-
bra e em caixa se faz abatimento.
Peixe em posta em latas hermticamente la-
cradas e das melhores qualidades de pei-
xe a 800,1,000 e l,2oo rs.
Vinho Bordeaux das marcas mais" acreditar
das que vem ao nosso mercado*a- 7,oooe
8,000 a caixa e64o e 7oo ris agar-
rafa. -
Genebra de Hollanda a 48o rs. a botija de
conta certa.
Frasqueirasde genebra de Hollanda a 6,800
e 04o rs. o frasco.
Genebra de laranja verdadeira em frascos
grandes a 1,000 e H.ooors. a frasqueira.
Caf do Rio de Ia qualidade a 28o rs. a li-
bra e 8,5oo rs. a arroba.
Caf do Cear muito superior a 24o rs. a li-
bra e 7,5oo rs. a arroba.
Arroz do Maranhao de 1* qualidade a loo
rs. a libra e 2,8oo a arroba.
dem da India a loo rs. a libra e2,8oo a
arroba.
dem de Java a 80 rs. a libra e 2,4oo a ar-
roba.
Painco e alpista a 14o rs. a libra e4,oooa
arroba.
Massa de tomatesde superior qualidade a 64o
rs. a lata de urna libra e56o rs. a reta-
mo.
presidio aos arranjos deste novo estabelecimento, e mais que tudo a promptido e intei-
visita ao mesmo, certos de que sem duvida me dar3o a proteceo e preferencia na com-
nlo possam vir podero mandar seus portadores, ainda que estes sejam pouco pratiecs,
pessoalmente, havendo para com estes toda recommendaco, afim |de que n5o v5o em
Aletria, macarrao e talharim a 4oo rs. a li- Sal refinado em frascos de vidro com tamiia
brae b,ooo a caixa. | do mesmo, a 5oo rs.
Massa para sopa : estrehnha, pevide e rodi- Ceroja branca das marcas mais acreditadas
nha branca ou amarella a 64o r$.a libra e que em ao mercado, a 5oo, 56o e 64o
V hnHn PnS.a ^ VH&&' ^"^ 5'8> 6^00 e 6,500 3 dU-
Vinho do Porto muito fino proprio para' zia.
engarrafar, em ancoretas de 9 caadas a Cevadinha de Franca muito nova, a 2oo rs.
... S.ooo rs. Charutos do aflamado fabricante Jos Forta-
Yin upa : Porto, Figueira e Lisboa a do de Simas, das seguintes qualidades:
32o, 4oo e 5oo rs. agarrafa, e em caada
a 2,5oo, 3,ooo e 3,8oo. *
Vinho branco de Lisboa de excellente qua-
dade a 4oo e 5oo rs. a garrafa e em cana-
da a 3,000 e 3,5oo.
Exposicao Normal de ILivana, Imperiaes,
Londrinos, Guanabaras, Parisienses, Sus-
piros Delicias, a 4,ooo, 4,5oo, 5,ooo,
6,ooo e 7,oooa caixa ou em neias.
Charutos finos de diversas marcas e fabri-
cantes, como sejam: Flor do Norte, Ma-
nilhasde Havana, intervallos, Vencedores,
Panatellas e Suspiros, a 2,ooo, 2,5oo e
3,ooo a caixa.
ognac inglez das melhores marcas, a 8oo e
l,2oo a garrafa.
Vinho branco para missa em caixas de 1 du-
zia a 8,ooo e 68o rs. a garrafa.
Vinho do Porto das mejhores marcas que
vem ao mercado como.sejam : Lagrimas
do Douro, Duque do Porto, Rainha de Por-'
tugal, Duque genuino, D. Luiz 1, Madei-!
raSecca,Malvazia fina a 16,ooo,15,ooo, Doce da casca degoiaba a 2,ooo a lata com
12,ooo e 1 o,oooa caixa com 1 duzia e 9oo, 4 fibras.
l.ooo e l,5oo rs. a garrafa. Farinha de araruta verdadeira a 32o rs.. a
Vinho Cherex de superior qualidade a \ 6,ooo | libra.
a duzia e l,5oo rs. a garrafa. ; Matte.excellente cha para os navegantes, a
Sardinbas de Nantes a 4oo rs. os quartos e, 2oo rs.
64o rs. as meias latas. Sebollas de Franca muito grandese novas
Bolachinhas inglezas muito novas a5,oooa; a l,8ooocento el,2oosoltas.
barrica e 320 rs. a libra. Palitos do gaz a 2,2oo a grosa.5
Bolachinhas de soda em latas de diversas .Toucinlio de Lisboa muito novo a32ors. a
qualidades a l,3oors.
Cartes com bolo francezmuilo proprios pa-
ra mimo a 64o rs.
Passas muito novas em caixinhas enfeitadas
para mimo a 3,ooo rs.
Passas de carnada a 8,ooo a caixa e 4oo rs.
a libra.
Figos de comadre a 24o rs. alibra.
Amendoas de casca mole a 4oo rs. a libra.
Milo de amendoas a 5oo rs.
Bolachinha d'agua e sal, da fabrica de Joao
deBrito no Beato Antonio, emlata de 6 li-
bras por2,5oors.
Ameixas francezas em f asco de vidro com
iaropa do mesmo, a !55oo. -
Ameixas franelas em caixinhas de diversos
tamanhos com bonitas estn pas na cai-
xa exterior, a l,4oo, l,6oo, l,8ooe 2,ooo
cada urna
libra e 8,5oo a arroba.
Ranha de porco refiuada a 65o rs. a libra.
Bolachinha Alberto, as melhores que pre-
sentementetem vindo ao mercado, a 2,ooo
a lata.
Farinha do Maranhao muito alva e cheirosa
a 2oo rs. a libra.
Frascos com fructas em calda de diversas
qualidades a 2,5oo e l,5oo o frasco.
Caixinhas com fructas em doce secco de di-
versos tamanhos, muito proprias para
mimo, a l,6oo, 2,6oo e 3,5oo cada urna.
Ruibos, excellente peixe portuguez, em
barris pequeos ou a retalho, a vista se
far o preco.
Azeitonas de Rivasem ancoretas grandes de
8 garrafas por 6oo e 8oo rs. a garrafa.
Azeitonas portuguezas a 5oo rs. a garrafa e
1,500 cada urna ancoreta.
Fondas baratissimas.
S Guimares Sl Irmu veude :
Ra da Imperatrii a. 72.
Chitas percalas claras e escuras muito finas
a 240 e 260 rs. o covado.
S Guimares ie Irmo vende
Bretanha de rolo muito superior com 10
varas a 35 a peca.
S Guimares di Irmo rende
Cassa organdys a 240 rs dita franceza
muito fina a 300 e 4(0 rs. o cavado.
S Guimares d- Irmo u i,V
Madapolo infestado com 12 jardas muilo
dio a 35500 e 45 a peca.
S Guimares A Irmo vende
Chales de merino estampados e coloridos a
25000.
S Guimares A Irma* remle
Baloes americanos para senhoras e mininas
a 35.
S Guimarirs limo a ende
Soutembarques de USaziulia ricamtnle afei-
tados a ?5e P5.
S Guimares A Irmo vende
Cambraias Ibas trarii-partnles mu te f i.as a
35,45 e 5550 a peca.
S Guimares & Irmo vende
Casemiras escuras e claras a 25810 o cono.
S Guimares d- Irmo xude
Algodozinbo muito encorpado e i.(m ccia
20 jardas a 4550P. 55 e 358C0 a j tea.
* S Guimares lima rendo
Lazinha lisas e de quadrinks a 00 o co-
vado II le 360, 400 e500rs.
[S Guimares &- Irmo rende
Coberta de gosto cbinez e do altano gwlo a
25o^O.
S Guimares d- Irmo rende
Panno de linho muito superior a (40 i?, a
vara.
S Guimares Irmo rende
Bramante de linho com 10 palmos de lar-
gura a 25400 a vara.
S Guimares d- Irmo rende roupa fria Lar: te.
Os freguezes enconlrarao ntste estabele-
cimento sempre um grande sortimento de
roupa feita de todas as qualidades por me-
nos 20 por cento do que em outra qualqer
parte, isto s ne grande ai mazem de faz< n-
das e roupa feita de Guimares 6 irmo,
Ra da Imperatriz n. 72.
Urna familia que se retira vende uma mobilia
de amarello j usada, Irem de cosinba, louc<> d
almoco e jantar azul, uma mesa de jamar di- air.;.-
rello ps uorniados, hieas pequeas, cuoim .;:.
cama de casal e muios outros objeclos o qne !udo
se vender tm conia : na ra dos Pires d. 62.
Azeite doce refinado hespanholou portuguez, Champagne da melhor qualidade que vem
a 9oo rs. a garrafa e 10:000 a caixa.
Batatas muito novasa 80 rs. a libra e2,5oo
o gigo com 36 libras.
Conservas inglezas a 75o rs. o frasco e
8,5oo a duzia.
Vassouras de escova para esfregar casa a
4oo rs.
Nozes muito novas a 16o rs. a libra.
Molho inglez em garrafa de vidro com rolha
do mesmo, a 16o rs.
; Mostarda ingleza dos melhores fabricantes,
a 800 rs. o frasco.
Mostarda franceza em potes j preparada a
4oo rs. o frasco.
Lentilhas francezas, excellente legume para
sopa, a 2oo rs. a libra.
Marrasquino de Zara propriamente dito a
15 a garrafae H.ooo a duzia.
Palitos de dente a 14o rs. o maco.
ao mercado, a 2,ooo e 3,5oo a garrafa, e
24,000 e 26,ooo o gigo.
Gomma de engommar muito alva a 12o rs.
a libra.
Figosem sextinhas a 80 rs, cada uma e 72o
rs. a duzia.
Papel azul para botica a 2,ooo a resma.
Balaios para roupa suja, grandes e peque-
nos, por diversos precos.
Amendoas confeiladas a 64o rs. a libra.
Latas com fructas em calda: pera, pecego,
damasco, rainha Claudia e cereja, a 800
rs.
Vinagre de Lisboa a 2oo e 28o rs. a garra-
fa e a l,4oo e 2,ooo rs. a caada.
Azeite doce de Lisboa a 4,800 rs. a caada
e 640 rs. a garrafa.
Vinagre branco j engarrafado a 5oo rs. a
garrafa.
f*-aor r"\ ** *v-a*3
Agua florida e touico orieu -
tal de Kemp.
Continua-se a vender era porco e a retalho :
na ra do Queimado, toja d'aguia branca n. 8.
Chromacomo
A agnia branca, na roa do Queimado n. 8, acaba
de receber um novo sortirneto de caixinhas com
chromacomo para Ungir cabellos, e bera assim
frascos com hydrocalletrichna, agna para desen-
grasar os ditos, coloncomo para lustrar os ditos,
e onychromantina para limpar as unhas. ssa
tintara, cujo effeito rpido e efflcaz, est bem co-
nbeeida e apreciada para todos quantos della tera
usado, eos quede novo a quizerem apreciar, po-
dem, assim como aqaeltes, dingir-se munidos de
dinheiro roa do Queimado, loja d'aguia branea
numero 8.
Papel efolhas para rosas
Acaba de ebegar para a loja d'aguia branca, na
rna do Queimado n. 8, um bello sortimento de pa-
pel de cores para rosas, dito verde para foibas, e
dito tambera verde e mui fino para cobrir o ra-
me, assim como foibas de panno e avelludadas
para ditas.
Aspas de baleia para vettidos
Vendera-se na ra do Queimado, loja d'aguia
branca n. 8:
Superiores penas d'ago ingle-
zas e francezas
A aguia branca alm do grande sortimento de
penas #* receber mais ontro de superior qualidade e dos
afamados fabricantes Perres & C, asslm como as
verdadeiras bico de lansa n. 134 outras de pon-
ta dourada, continuando porm a vende-las por
precos commodos, com tanto que o comprador com-
pareca munido de dinheiro : na roa do Qaeimado
loja da aguia branca n. 8, onde tambem acbar-se-
ha a x^nda pastas para papis.
A aguia branca na ra do
Queimado n 8, receben:
Bonitos e graudos aljofares de cores para voltas.
Pateeiras de ditos de iguaes e agradareis cores.
Voltas pretas maiores e menores todas de conus
grossas.
Polceiras prejas tambera de contas.
Outras de differentes qnalidades e fostos.
Brincos de aljofares de cores e donrados.
Fivelas d'ago grandes e pwjaena9 com cinto pre-
to e de madreperola.
Outras graudes de differentes qualidades re-
dondas com pedras.
Bonitos leques de (madreperola redondos e de
outra forma.
Ditos de sndalo interinos e corredizos.
Capellas brancas para meninas.
ATTENQO MEUS SENHORES
PARA
NOVACALFOR
Pateadas baratissimas loja da raa do Crespo n. 17 de Jos Gomes
Villar.
A nova crise commercial permute que o povo em geral nao possa comprar fazendas
caras. O proprietario deste estabelecimento, amigo que 6 do povo em geral, attendendo a
essas eircHmslancias est vendendo faiendas por precos que na realidade admira.
Correi, bom povo, a este estabelecimento, e cornprai fazendas, porque all se vende
por menos do que em outra qnalquer parte.
Cassas organdyzes a 280 rs. o covado.
Chitas francezas escuras matizadas a 260 rs o covado.
Ditas escuras muito finas a 210 o covado.
Ditas claras dem a 240 o covado.
Ditas escuras idem a 260 o covado.
Chitas para coberta muito largas matizadas a 240 o covado.
Madapoldes finos largos a 6590, 7$ e 8.
Chales de fil preto muito bons a iOjOOO cada um.
Chales de merino estampados a 5500, 6 e 7$.
E ootras muitas fazendas, que tudo se vender* por precos que admirara.
AZEITE DOCE
.Mito doce re'finadoemwuenas latas a 560 rs. a garrafa : no graude armazem
da Liga.
Saceos de 80, iOO e 120libras a 4& 40500 e 55; no grande armazem da Liga.
Madapolio multo flhacom pequeo toque de avaria, por preco qne admira : na loja
das cotemnag na roa da Crespo n. 13, de Antonio Correa de Vasconcellos & C.
Escmos rufiucs.
--Desde odia Io do corren te me de
junho acha-se fgido de um dos eatabelevi-
mentos do Exm. Sr. barao do Livramcnto.
onde permaneca empregado ha 2 anuos o
escravo Panlaleao, de propriedade do de
sembargador Custodio Manoel da Suva Gui-
mares. Foi vestida de roupa rji'cssa, pro-
pria do servigo em que estiva, de rr
preta-cabra, de idadeque representa 22. an-
nos pouco mais (u menos, olhqs um lano
nequenos, enfumafados e vertmiDios.cahcca
um pouco pequea e redonda, b* eos r gu-
iares, de estatura um pouco menos que re-
gular, cheio do corpo, ps largos e apaiLe-
tades. etem o andar inclinada para traz o
cambaleante: roga-se por tanto a todas ?s
authoridades pociaes e cap les de campo
que apprehendam dito escravo que j hi
encontrado emApipucos, onde estar lalvez
acoulado, e o entreguem ao seu referido
senhor, na ra da Aurora n. 60, que grati-
ficar generosamente, protestando enlre-
tanto usar dos meios judiciaes contra ijual-
quer pessoa que tenha dito escravo em seu
poder, _________ '
No dia 9 de maio prximo passado
fugioda ra da Imperatriz casa n. 9. segun-
do andar, o escravo pardo de nome Euge-
nio, que tem os signae* seguintes: magro,
sem barba, tem falta de denles na frente, e
a vista esquerda coberta com uma nevoa
branca, tem sido encontrado a ganliar na
ribeiras e na estacao da estrada de ferro em
S. Jos : quem o levar a casa cima ser
bem gratilicado._______________________
Fugio no da 16 de maio prximo passado o
preto crioulo de nome Braziliano, idaie (!c 2S an-
uos, estatura regular, cor fula, lendo um dos den-
tes da frente quebrado, sem barba, apenas algnns
cabellos a roda da gargauta e olhar amortecido,
bem fallante, sabe ler e escrever e falla rm r. n< o
o inglez, bom copeiro, cosinha e lava bem, levon
vestido camisa de algodo branro e ralea de (uto
azul, conduzindo alguma roupa fina, como'btm
ericas de casemirs de lisias, jaqaela branca e ca-
misa de madapolo, lences e mais rouj a qr leni
marcada com a letra B de linha demarca.algnm;
pecas e outras com o nome por extenso em tinta
de marcar, levou chapeo de palha imitando rraci-
Iha, chapeo de sol de seda verde j usado, sapatos
e meias, de suppor qne se inculque de forro :
quem o apprehender condnzindo ao sitio de J.o
Matheus, no Poco da Panella, ser generosamente
gratificado por seu senhor Juvino Bandeira.
Escravo fgido
loooo.
Ainda se acha fgida a escrava parda, Rufina, a
qual ausentou-se no dia 2 de dezembro de is'.,
com uma cria de nome Mura, de anno e meio de
idade, do sitio da Piraoga da freguezia dos Afola-
dos, pertencente a seu senhor o engenheiro Hen-
rique Augusto Millet. Tinha naquella poca 18
anuos, nlha do Recife, sabe ler e tem os signaes
seguintes : baixa, cara bexigosa, cabello carapi-
nbo, olhar desconfiado, sendo uma perna m.-is
grossa que a outra por Iha ter dado varias vezes
erysipella : dase a gratifiraco ac-ima a quem to-
va-la ao seu senhor no engenho Saliinho da re-
gnezia de Una, ou recolhe-la casa de detenro da
cidade do Recife.
Fngio em principios do mez de evereircr do
correte anno e consta estar acoutado nesta cidad*
o raoleque Euzebio, escravo da viuva do Dr. Fer-
nando AffBspde Mello, de 12 annos de idade pou-
co mais oumenos, Cor preta, secco do corpo, olhes
regulares e afumacados, cabera nm pouco graada
e meia chala, bei;os finos, dentes bem alvos, ps
seceos e muito ladino : roga-se por tanto a todas as
autoridades pociaes e capites de campo que o ap-
prehendam e levem-o a rna da Mangueira sobrado
n. 6 que serao gratificados, proteslando-se usar dos
meios judiciaes contra qualqer pessoa que o tenha
em seu poder.
Fugio no da 28 do corrente, a noite, a es-
crava Januaria, pertencente a D. Amelia Felicia
Deschamps senhora de Mr. Len Chapehn, retra-
tista, cuja escrava houve por compra que te?, ao
Sr. Pi Pierres Varella Barca em abrirallimo por
intermedio de seu procurador Jo-j Francisco Ca-
bral, desconfia-se qne a dita escrava tenha se-
guido para Paje da Flores e" que procure o enge-
nbo do Exm. barao de Vera Cruz, a quem a lem-
pos passados pertenceu : a dita escrava tero pouco
mais ou menos 20 annos de idade, de estatora
pequea, de cor fula, tem os dentes limados, teMa
e olhos multo pequeos, grat9ca-se bem a quem
apprehende-la.
.1.1 !,
-


Mari* e rewmamhnf Tcr<-a felrn 13 de
* !*.
LTfERTRA.
Java passagem para urna granja. Entrara m em de Braxellas a Charleroi, para os pequeos casaes
flleiras como bandos de lobos; e o interior desse da Bella-Allianca e de Rossorame, que a orla va m
uati:rloo
(Conlinuacdo do conscripto de 183.)
roa I
ERCKMANN GHATRIAN '
SECUNDA. PAUTE.
XXII
(Continuaco.)
D) todq^esse horrivel espectculo o que nunca
me pode esquener que o nossos couraceiros
quando v itaram da matauga com os seus compri-
do:. sabr coberlos de sangue at aos copos, riam
ucis para os outros, e um capio, homem entronca-:
do, de grandes bigodes castanhos, quando pasou uma casa da tonha, defendendo-se baioneta de
aop de nos pisca va os olhos cora ares de conten- un? cinco ou seis dos nossos. Vi ao mesmo lempo
i Miento, como quera dizia : Entaol virara? assim Zebedeu, porqae a nossa compaohia eslava nesse
velho edificio, ebeio de palbi, de celleiros de eoo, de longe a longe, para a velba guarda que eslava
com 03 curraes cobertos de colmo, assemelhava-se de arma no braco atravez da calcada para o estado
a um ninho chelo de sangue em que entrou o mi-, maior sobre ama pequea eminencia esquerda, e
Ihafre.
Sobre uma grande eslrumeira, no meio do pa-
teo, aba ooetavara-se allemaes que soltavam gritos
e pragas desesperadas.
Metti-me ao acaso no meio da matanza. Oavia
gritar :
Jos I Jos I
E olhava, dizendo commigo :
E' Buche que chama por mim.
No mesmo instante vio direita, porta de
canto, o correndo em auxilio de Bucbe, gritei:
Zebedeu I
Depois, rompendo por entre os aggressores :
Qua islo t perguntei a Buche.
Querem matar os meus prisioneiros, disse
elle.
Puz-me do lado delle. Os outros, no sea faror,
qiu se Ibes faz.
Era venladc, mas tres rail dos nossos estavam
tendidos no valle I E ainda havia muito que fa-
r; as corapanhias, os batalhoes e as brigadas
tornaran) a formar-se ; do lado da Sebe Santa es-
tata*, a fuzilaria; raais longe, ao p de Hougou-
moai, t roa va a artilharia. Tudo Isso era apenas
principio; os offlciaes diziam :Coraecese ou- carregavam as espingardas para matar-nos; eram
ira vez! | caladores de oulro batalhao. Zebedeu chogoa en-
Era como se a vida do homem nao valesseita com mui,os nomens da compaohia, e sem sa-
:jtja. ber aiUl11 aua era aquillo, agarrou em um dos
Emfim, era preciso tomar a Sebe Santa; era: mais furi030s pel ^"W. BrilaQd =
ireciso forjar a lodo o custo a passagem da estra-! Cliamo-rae Zebedeu, sargento do 6* de ligei-
la uo centro inimigo, como se torca a porta de!ros- Earemos coutas depois da batalha.
uma praga forte, atravez do fogo das linhas avan-' Eato os outros retiraramse, e Zebedeu per-
cadas e dos revelins. Tinhamos sido mal succedi-! guntou-me :
.lo. na pritneira vez mas a batallia eslava travada ; Que islo aqui ?
i liio era possivel recuar. Disse-lhe que tinhamos prisioneiros, e fez-se pal-
: ,, ... liao ae colera contra nos; mas tendo entrado ua
l)eno da arremettida dos cour.ce.ro.. fo, pre-;casa da ^ vi0 fl|h0 na
oalgum lempo para nos tornar a formar. AseDtava a saa espada siIenc eq um Jg
que dizia em allemo :
- .Nao
vida 1
'Era tal
a nMfer distancia, na mesma dtreceio, atril do
barranco de Planehenois, par. o ramo branco qoe
se estendia^ior cima das arvores e se renovara do
continuo, porque era o ataque, do orimeiro corpo
dos prassianos.
Soubemos depols que o Imperador tinha manda"
do dez mil homens s ordens de Lobau para ter
mo n'elles. O combate eslava travado; mas a ve-
Iha e a nova guarda, os couraceiros de Milhaud,
os de Kellermann e os catadores de Lefevre Des-
noel les, emfim toda a nossa magnifica cavallaria,
estavam comnosco; a'grande, a verdadeira bata-
Iba continuava a ser contra os Inglezes.
Que ideas nos vinham na presenga d'esse espec-
tculo grandioso e d'essa inmensa planicie que o
Imperador devia ver na maginacao melhor do que
nos com os nossos olhos I Teriamos estado ahi ho-
ras e horas, se o capito Florentino nao subisse de
repente.
Enlaol que esli afazer? gritn elle. Va-
mos defender a estrada contra a guarda ? Ora va-
mos, depressa, furera-me essa parede do lado do
inimigo.
as expressBes do fiel e constante affcto e da adrai-
racjfo seto limites
Do vosso
G. Meyerbeer.
Sabbado, 9 de Janeiro de 184.
Representa o rei Christiano com ambas as per-
rus cortadas.
Tem na mo a famosa jarreteira, para a qual
olha com ar de desespero.
Afeaixo l se :
i Que querem agora que eu faca com ella.
Acercajla .captura da Booih, e do sea cmplice,
a o Standard :
Parece que Bojth e Harrold tlnham chegado
quinta de Garretts disfarcados com uniformes con-
federados.
Boolli estava ferido.
Conversando, fallou do assassioato de Lincoln, e
disse que as recompensas offerecidas montariam
provavelmente a meio miltio de duros.
Tendo sido presos os Garrelts, declararara igno-
rar que este fosse Booth.
Acbaram-lbes as algibeiras uma quantidade
considerara! de fundos do Canad.
Harrold nao abre bocea.
Booth foi raorto por uma bala, que Iho atraves-
sou a cabega, vi veu ainda tres horas, depois de
ter sido ferido.
A cavallaria que rodeavaocelleiro onde se acha-
vam Booth e Harrold intimou-lhes, que se rendes-
liaialha continuava em Hongoamont; a artilharia
tomecava a trabalhar oulra vez a nossa direita ; ti-
ntura duas bateras de doze para varejar a calcada
a >i Jetraz da Sebe Santa, onde a estrada entra
na encost. Bem se via que ia carrejar tudo
a.i.
me mates, francez I
Deixa-me a
Espe,ravamos com a arma no braco, quando pelas
tres horas Buche, odiando para traz para o lado da
irada, me disse :
L vem o imperador.
& mallos outros diziam ao mesmo lempo:Ahi
sta o imperador I
O fimo era to espesso que no serrosinho de
.' issomtne mal se podiam enxergar os felpudos
.barretes da velha guarda. Eu tambem me tinha
.o! tado para ver o imperador, mas reconhecemos
logo o mareclial Ney com cinco ou seis offlciaes de
-: i'l.i-:n:. r; vinha do quartel-general, a galope e
lireito a nos atravez de campos. Tinhamos as
costas voltadas para elle. Os nossos commandan-
tss foram ao sen encontr, e ouvimo-los, fallar mas
sem enteulermos nada por causado barulho que nos
ilcioavc.
i. mareclial passou logo pela frente dos nossos
dous batalhoes e tirou a espada. Desde a grande
revista de Aschaffenburgo nunca mais o tinha visto
Je la porto; pareciamais velho, mais magro, mais
esi boso, mas erasempre o mesmo hortera ; olhava
para us cora o> seus olhos pardo claros, e pareca
qje nos via todos ao mesrao lempo; cada soldado
pensara ser o observado. Estendeo a espada para
o lado da Sebe Santa e gritou-nos :
Vamos tomar aquillo I... E* preciso firme-
za... E' o n da batalha... Eu mesmo vou guiar-
vos. Batalhoes por filas a esquerda I
Partimos a passo acelerado. Na calcada poze-
ram-nos por companhras em tres filas cada uma
su ilcava ua segunda; o mareclial ia na nossa
frente, a cavallo, com os dous commandantes e o
capito Florenliuo ; tinha embainhado a espada ;
as .ulas assobiavam aos centos; o canhao rugia
por tal modo no fundo de llougoumonl, a esqaer*
da e sobre a nossa direita para o lado da retaguar-
d*i que era como um sino monstro cujas badala-
iia- nao fossem ouvidas, mas s o zumbido surdo.
Aqui cahia um dos nossos, acola outro, e passava
se por cima dos que cahiam.
Duas ou tres vezes o raarechal voltou-se para ver
se iaraos em boa ordem : tinha um ar to sereno,
que por assim dizer pareceu-me natural nao ter
modo : o seu aspecto dava confianza a todo o mun-
do, cada um dizia comsigo:Est Ney comnosco...
ai dos iuin.igos I
Ah est como o genero humano parvoinho,
porque muita gente ia ficando morta na estrada.
BmBn, ao passo que nos approximavamos daquelle
grande edificio, o estalar da fuzilaria tornava-se
mais claro no meio do reboar dos canhues, e tam-
bera se via melhor a labareda rpida de tiros de
espingarda que partiam das janellas, e o grande
teclo escuro por cima no meio do fumo, e a estrada
atulhada de pedras.
limos ao comprido de uma sebe, e atraz delta es-
:alva o fogo dos nossos atlradores, porque a pri-
meira brigada da divisa.) Alix nao tinba sabldodos
[lomares. Vendo-nos desfilar fcobre a calcada, co-
meeoo a griur :Viva o imperador IE como to-
da a fuzilaria dos allemaes cahia enlao sobre nos,
o mareclial Ney, desembalnhando a espada, gri-
tou com uma voz que se ouvio ao longe : Avanca I
L parti a galope pelo meio do fumo com dous
ou tr> fi-iaes. Corramos todos.com a patrona a
baier nos tombos e a arma prompta. Na retaguar-
da em dbtancia, tocava-se a avanzar, j no'se
va o marechal, e s ao p de um alpendre que se-
para o jardim da estrada que o descubrimos, a
cavallo, defronte do porto. Parece que outros j
tioliam qu rido melter dentro essa porta, porqae
montes de monos, de vigas, de pedras e de entu-
Ino erguiam-se ao p della at ao meto da estrada.
O fogo sabia de todos os buracos do edificio, e n5o
se senta seuo o cheiro da plvora.
Essa porta deutro! grltava o marecbal,
cujas feicoes estavam completamente mudadas.
E nos todos, aos quioze, aos vinte, largavamos
as armas, levantavamos as vigas, e batamos com
ellas contra a porta, que rangia e troava como tro-
vao. A cada pancada pareca que ia cahir. Atra-
vez das suas taboas, viam-se pedras pelo lado de
dentro amontoadas at cima. Estava toda criva-
da. Cahindo, ter-nos-hia esmagadfr mas o furor
cegava-nos. Nao parecamos homens; uns j nao
tinham barretinas, outros estavam rotos, quasl em
camisa, correndo o saogue pelas mos e peroas; e
no meio do estalar da fuzilaria, a metralha vareja-
va-nos da encosta, e as pedras de redor de nos sal-
tavam em poeira.
Eu olhava e j nao via Bucbe, nem Zebedeu,
era ningaem da compaohia; o marechal tambem
tinha sabido d'alli, e o nosso furor redobrava-se.
E quando as vigas andavam em vai-vera, e qnasi
ecdoudeciamos de raiva por vermos que a porta
nao cahia, de repente ergueram-se no paleo com
um tumulto espantoso os gritos de: Viva o impe-
rador IComprehenderaos qoe as nossas tropas es-
tavam na herdade ; largamos as vigas, pegamos
as armas, e saltamos pelas brechas para o jardim,
para irmos ver onde tinham entrado os ootros. Poi
por deiraz da herdade, por ama grande porta que
momento, quando os gritos dos qoe
erara passados baioneta ainda eccoavam no pa-
teo, aquillo mova o coracao. Zebedeu disse-lhes :
Esta bora. Sois meus prisioneiros.
Sajiio e echeu a porta. Nao sahimos d'ahi se-
nt quando tocou a reunir. Ento, depois de to-
dos entrarem as flleiras, Zebedeu prevenfo o ca-
pito Florentino de que tinhamos um major e um
soldado prisioneiros. Mandou-se-lhes que sabis-
sem, atravessaram o pateo sera armas, e foram
reunidos era ura quarto a mais tres ou quarlo.
Era tudo o que restava dos dous batalhSes de
Itassau que defendiam a Sebe Santa.
Em quanto isto se passava, outros dous bata-
lhSes de Nassau, que corriara a soccorrer os seas
camaradas, tinham sido retalhados fra pelos nos-
sos couraceiros, de sorte que nesse momento a
victoria era nossa; estavamos senhores da princi-
pal linba avangada dos Inglezes; podamos come-
car os grandes ataques no centro, cortar ao inimi-
go a estrada de Bruxellas, e langa-lo nos mos ca-
minaos da floresta de Soignes. Trabamos suado
muito, mas o principal da baialha estava feito. A
duzentos passos da linha dos loglezes, e bem a co-
berto, podamos c'anir sobre elles, e, sem nos que-
rermosgabar, parece-me que baioneta e auxilia-
dos pela cavallaria, teriamos rompido a sua linha;
nao perdendo tempo, bastava urna hora para levar
tudo ao cabo.
Mas quando estavamos contentsimos, quando
os offlciaes, os soldados, os tambores, o cornetas,
todos raistarados sobre as ruinas, s pensavam em
tomar folego, e cobrar novos bros, de repente cor-
re vos que esiao a chegar os Prussianos, que vao
atacarnos de flanco, que vamos ter duas batalbas
uma pela frente e outra pela direita, e que esta-
mos em risco de sermos cercados por torgas duas
vezes ignaes s nossas.
Era uma noticia terrivel. E comtudo, muitos a
quera faltava bom senso, gntavam:
Mullior I venhara tambem os Prussianos e
mataremos tudo junto.
Mas os que nao tinham perdido a cabega, com-
prehenderam logo quanto tinhamos obrado mal em
nao tirar preveito da victoria em Ligny, deixando
fugir os Prussianos muito a seu salvo durante a
noute, sem mandar cavallaria atraz delles, que
o que se faz serapre. Pode se dizer atoutamenle
que esse grande erro foi a causa da nossa derrota
era Walerloo. O imperador tinha mandado no da
seguate ao meio dia o marechal Groucby com
triota e dous'mil homen* atraz dos Prassianos,
mas era muito tarde; tinham tido tempo para se
reorganisarera nessas quinze horas, para tomarera
a dianteira e para se combinarem com os Inglezes.
E' preciso saber que no dia seguate ao de Ligny
os Prassianos ainda tinham noventa mil homens.
irinta mil dos quaes eram chegados de aovo, e
jjzenlas e setenta e"cinco pegas. Com um exer-
cito assim podiam fazer o que quizessem, podiam
al apresentar segunda batalha ao imperador; mas
o que mais lhes convinha era atacar-nos de flanco,
em quanto tinhamos os Inglezes pela frenle. Isto
to claro e to simples que nao comprehendo
que possa ser de admiragao para alguem.
Blucher j nos tinha feito o mesmo em Leipzig,
e agora repeta a manobra, deixando Grouchy a
grande distancia.
Porventura poderia Grouchy obriga-lo a vollar
para traz, quando Blucher quera ir para a frente ?
A nossa nica esperanca ento estava em que se
tivesse mandado ordem a Grouchy para vir jun-
tarse comnosco, e em que elle nao tardara atraz
dos Prussianos; mas o imperador nao tinha dado
tal ordem.
E' claro qne nao eramos nos, simples soldados,
qoe pensavamos essas coasas, mas sim 03 nossos
offlciaes e generaes ; nos nao sabamos nada; era-
mos como innocentes que nao sabem qne est a
chegar a saa hora.
Emfim, teoho dito tudo o que pens, e agora vou
sem ; este ultimo paremia disposto a fazo-lo, mas
Todos pegaram nos alvl5os e picos que os alie-1Boolb chamoa-lhe cobarde,
mes tiobam deixado, e fizeram buracos na pare- j Herrold r<>ndeu-se, logo que vio que tinham lan-
do. Isso nao levou ura quarto de hora, e vto-se en- j gado fogoao celleiro; porra Booth fez fogo sobre
tao o combate de Hougoumont, os edificios a arder, o brigadeiro e errou-o; este ultimo, a seu turno
as bombas que de minuto em minuto estalavam atirou sobre Booth e matou o.
as ruinas, os cagadores escocezes embuscados no Supp5e-se que Harrold um cmplice do assas-
caminho que passava por detraz ; e a nossa direi-' tnio de Seward.
os Inglezes preparndose para recuarem a sua
priraeira linha para o centro, e para levarem para
ponto mais elevado as suas pegas que os nossos
atiradores comecavam a desmontar. Mas o resto
da sua linha nao se mova ; tinham quadrados ver-
melhos e quadrados pretos em xadrez, uns adian-
to, outros atraz do caminho fundo; esses quadra-
dos prendiam aos com os outros pelos ngulos i
Coota-se qae Booth, ao fagir do theatro onde
commeltera o assassinalo, cahlra do cavallo, frac
turando uma parda, motivo este que o obrigou a
refugiar-se na quinta de Garrelts.
Foi o Dr. Mdd, deMaryland,que tbc fez o cura-
tivo e lne forneceu muletas.
O Dr. Mudd est preso.
O irraao de Booth, Jumus Boolb, la rabera est
Uma correspondencia do jornal parisiense, Opi
nion Nationalt, annunciou ha pouco que Lszt ac
bava de tomar o habito de seminarista e que tinha
sido tonsurado pelo cardeal Hobeolohe.
Dzia-se que na vespera da seremonla tocara
piano era casa da princeza Barberini.
Diz agora o cbronisla de outro jornal francez,
que a resolucao tomada pelo insigne pianista a
ninguem causa espanto, havia mais de dez annos,
que elle viva na companbla dos princepes da igreja
e dos dignatarios das ordens religiosas.
Tmhase retirado para Monte Mario, n'um bairro
deserto de Roma, rodeado de uraa solido qaasi
absoluta nesse convento abandonado, na compauhia
de dominicanos e franciscanos, que quasi constan-
temente o acompanhavam.
Ha dous anuos, fizera-se retratar era hbitos
religiosos, e deu em muitas occasiao pro vas inequ-
vocas de urna piedade profunda.
Todos os que tem residido em Roma, diz o jornal
donde extratamos estes pormenores, poderiam
narrar numerosas e chistosas anedoctas, com refe-
rencia a Lszt.
O presidente Job na nmoa sahe senio
panhado por uma giirdi da amoa. A sua,
dencia est ceraada or asa eordao de tropas qoe
vigiara severamente todas as atgoes e gesto, das
pessoas, qne por acato ou coriosidade concorram
aquelle local. ^^
Alm disto, todos os visitantes estflo sujeitos a
ara exame rigoroso e os pedidos de audiencia nao
se conceden) senao depois de rigorosa iovestigacao
sobre o carcter dos postulantes.
Do Corrier d,s Elals Vnis traduzlmos o segua-
le acerca da captura e morte do celebre Booth, as-
sassino do presidente Lincoln.
A noticia circulaodo hontem em Nova-York,
produzo, como pode supporse, a maior agitagao.
Formaram-se grupos as ras, especialmente em
Wall Street, e durante muitas horas nao se fallou
n'outra cusa.
E como ludo, neste be.-naventurado paiz, se pesa
a dollars, perguottva-se cora curiorisidade quem
sena o feliz mortal, que apanhou Boolb, o que de
repeule euriqueceu com os muoilicenle premios
oflerecidos a quera o eapiurasse.
As convcrsagSes, de certo, erara instructivas, e
reflectiam as impressoes populares.
Unas eram sensatas e humanas, otrtras .patio-
nadas e brutaes.
N'um grupo que estava a esqaina eBroadway
Um dia entrando elle na casa de trabalho de umje de Barclay, ura curioso ouvio o segurte eolio-
pintor conhecido, achou se diante de um magnifico! quie, amostra dos que a essa hora se ourkam par
para ataca-los era preciso passar atravez do seu fo- preso.
go cruzado^ as suas pegas continuavam a estar na
beira da planura, e mais longe, na dobra da neos-
tado Monte de S. Joo, esperara a sua cavalla- 0s jornaes de Florenga publicara numerosos por-
A poslgo d'esses iuglezes pareceu-me aluda ZZZ^vT ^J Pn^m do
mais forte do que pela mauha, e como nao aha-" e'Jlgpo ,l,co e rae, "f"?^ deVe ,ser
mi _____i^- ,,, celebrado em honra de Dante Alighien nos das
mos ja conseguido lado contra a sua ala esquerda, ,K ._ 8
n lo, lo e 17 do correte,
e os Prussianos lam atacar-nos de flanco, veio-rao .
a idea pela primeira vez que nao tinhamos a cer- ^ A eS,alQa graode poeta ja ,esta co,loca,la so'
tezadeganharabatlha. Iraaginei a nossa der-'J086? Pf f ','" Ceatr*?**F* ^
rou espantosa, se por desgraga perdessemos, es-: ""T ""l >!** '^llf ^ CrM-
tre dous exercitos, um na frente e outro pelo lado.; I?le loCal raai bem e9Colh,do'
a segunda iavasao, as contr.buigSes forgadas, o Nao e p0M,vel dar"se ara Passo dentro da vene-
cerco das pragas, a volta dos emigrados -e as vin- ravel basi,ie* nem nas ruas circinvisil>ha9 se
acotovelar nomes que recordara a poca dantesca;
....' ,. na igreja, sobre as pedras tumulares ; nos arre-
Senta que esses pensamentos me coalhavam o ....*.
sangue. dores, e sobre as casas, palacios e fortalezas par-
No mesmo instante ergueram-se de milhares de ticulares jue sao hoje verdadeiros monumentos
boceas, na nossa retaguarda, gritos de viva o Ira- histricos.
perador I Buche estava perto de mira no canto do
celleiro, e gritava com todos os camaradas : Viva
0 Imperador Ie tendo-me inclinado sobre o sen tort\
hombro, vi toda a nossa cavallaria da ala direita i ^ v0 se RrCUrava na cidad cheia deprirao.
j>s couraceiros de M.lhaud, os lanceiros e os caga- res anjsl|C0S nada acbava ljyes.e Qome
dores da guarda, mais de cuco mil homens que do i||as|re MI ^ ser uma
avangavam a trote, atravessaram a calgada obl,- dfl dfa d( ^ ^
quam^nle, e desceram ao va le entre Hougoumont ... .. *
o 0 n ... sobre o qual, segundo dizem, e e se assenlou an-
eo Sebe Santa. Compreheud que lam atacar os ,. ^ .' .,.
, K ^ tes de seguir o camioho do exilio,
quadrados ing ezes e que a nossa sorte estava em i .._ ...i-..u.b ,.
1 H A cmara, muruc pal de Florenga. convidou a ce-
lebre trgica Ristori para declamar versos do Dan -
Os offlciaes de artilharia dos inglezes davara s tena grande solemnidade do dia 16,
vozes de com mando cora um som to penetrante, Ests versos formara a segunda metade do quin-
qu as ouviamos entre e tumulto e os gritos ianu- lo canto do Inferno,
meraveis de : Viva o Imperador I SaWini, na mesma occasiao declamar o epso-
Foi um terrivel momento quando os nosso; coa-! dio de Ugolino (33 canto do Inferno-.)
raceiros passaram ao valle; pareceu-me ver ama Florenga est inaundada de estrangeros que de-
torrente por occasiao do derrelimento das neves sejam assistir aos festejos dantescos,
quando o sol brilha sobre montes de caramelo. Os Diz-se qae mil cmaras municipaes da Italia so
cavados, com as suas grossas gualdrapas de pao- faro representar ueste grande solemidade.
no azul, aloogavam todos a anca ao mesmo tempo N
como veados, escarvando a trra. As cornetas te- ---------
cavara com um som spero no meio daquelle snr-'i
do reboar, e no instante em que passavam, a prf-! Um jornal francez conta a seguinte aoedocta de
Ja' era tempo que Florenga e a Italia se lembras
sem daquelle que foi grande eidado anies de ser
frade de barba comprlda, um Zurbaran vivo j o
qual conversara com o pintor e alguraas pes-
soas. szt precipitou-se sobre a mo do frade e
bejoulha com fervor.
O frade era apenas um modelo qne o artista es-
tava copiando e que o grande pianista lomara pelo
geral dos jesutas.
Seria difflcil de definir neste carcter phantast-
co a parle da conviegao e a parte para armar ao
effeito e atiendendo a que Mr. de Montrond dizia
de Talleyrand:
c Ah o principe de Beneveuto est doeute' Mas
que interesse pode elle ter era fazer-se doetHe?
poder-se-ha dizer de Liszl sem irreverencia: tElle
recebe a tonsura; que interesse tem ellenisso?
O commendatore ( assim que o appelli Jam s
vezes em Boma, por isso que Liszt comraendador
da Legio de Honra) lera-se tornado singular e
bisarro neste. ltimos annos, elle revela evidente-
mente uma profunda exaltage, quer ella seja (11 ha
da religio, da arle ou de sentimentes mais profa*
nos, porque a princeza Witgenstein poderia nao
ser alhera a esta sbita tonsura, a nao ser que s- a
f o guiasse.
Seja como fr, Liszt om grande original.
toda a parte
Quizera que o tivessem apanhado vrve-, razia
um ; tena eonlessado tudo, at os nomes dos filia-
dos na conjuragiio.
Anda bem que morreu, dizia outro, fbsse
como fosse: assim se aquietara o espirito publico,
e acalmar a aailage.
Ah I antes quizera v-lo condemnado e en-
torcado, dizia em voz de falsete uma joven mies
(rapariga) de madeixas loaras cahidas sobraros-
hombros.
Aju.-tou a sua conta ; pagou o que devia.
O que faro do seu cadver t
Devia ser enforcado como se eslivera vivo.
Bem dizia eu que o nao apanhavam vivo; as-
sim acabou o colloquio um propheta posthumo.
meira descarga de metralha fazia tremer o nosso Marlainvillo, o celebre aut-ir da mgica intitulada
velho alpendre. O vento soprava deHougoumoat, e ,?e "** ^ornetro :
enchia de fumo todas as aberturas; deitavamosa! MarlainviUe mandara construir emPecq.uraa
cabega de fra, e'a segunda descarga ouvio-se logo eleSane casa de camP0 com am WV* Pouco ex-
e depois a terceira e mais. jtenso' distribuido, porra* cora mula acte.
Atravez do fumo via os artlheiros inglezes que' Um dia, estando elle janella de saecada da sua
abandonavam as suas pegas e fugiam com as pare- j sala, deu uma ordem ao jardineiro, que estava re-
Ihas; e logo os nossos couraceiros estavam sobre' gando flores a poucos passos dalli.
os quadrados, cojo fogo se desenhava em zig-zag Ficou sorprendido de ounr as suas palavras re
sobre a encost. Nao se ouvia senao um grande pendas uma a uma e cora, a mesma entoago de
rumor, lamentos, tinir de armas, relinchos; de voz.
lempos a lempos uma descarga; depois novos gri-
tos, novos rumores, novos gemidos. E n'esse es-
pesso fumo que se coodensava junto da herdade,
passavam duzas decavallos como sombras, com as
crinas estacadas, e outros arrastando os carallei-
ros presos por uma perna ao estribo.
Isto durou mais de uma hora I
(Continuar-ss-ha.)
H*-
liM POUCO DI TUDO.
Ora essa, dar-se-ha caso que acha echo aqui ?
Echo aqui I foi-ihe respondido.
E' maravilloso l
Maravilhoso I repficou o echo.
Martainvlle desceu, e fallou dessa particulari-
dade ao jardineiro, o qual sorrio-se e drsse-he :
Aqui nao ha echo ; o gaiato de meu filho
qoe est acola empoleirado n'umaarvore entreten-
do se desde alguns dias com este maneja
Martainvillecbamou o rapazinhoe ficou sorpren-
dido da inteligencia e exactido com que de-em-
penhava o seu papel de echo.
Escuta, Ihe disse, espero amaoha grande
10:0003000
2:2005000
7:000#000
6:6405000
5:0105000
5:0205000
duto jeri tai caso
Primo torno : un autgrafo Rossiniano.
Secondo terno : una soave affettuosissima lee-
ra deH'immortale maestro,
Terzo terno : uoa graziosa invitazione colla dol-
ce prospetliva di passare qualche ore col Giove
della msica, alia sua mensa ospitaltora.
Accetto cora altrettanto piacere e rcoooscenza le
contar o resto da batalha, segundo o que vi com os i Tostre bont, ed atiendo con impazienza il prossi-
meus olhos, para qae fiquem sabendo tanto co- mo sabbato, per ripetervi verbalraente le espres-
mo eu.
Um jornal francez publicou a interessante carta,' Dnmero de convidados aos qnaes, direi que aqu ha
que Meyerbeer escreveu Rossini em resposta a um echo _saberbo e lhes daremos uma bella re-
outra em que este o couvidava a jamar : preseniago. Vai collocar-te no bosque e fagamos
Meu divino maestro. |am ensa'-
Guadagnare in nna tirata ir volte il terno al i L80 que o rapazola chegou ao seu posto, oes
lotto, pare quasi impossibile ; e pur mo succe- cPlor S0,t0B ura tormidavel grito de Viva o
Quasi logo depois da noticia da ebegada dos
prussianos, comecon a tocar a reunir; os batalhoes
apartaram-se; o nosso, com ontro da brigada Quiot,
ficoa para guardar a Sebe Santa, e todo o mais oi
juntar se ao corpo do general d'Erlon, que avanga-
sioni del fedelle e constante altacamento, e dell'am-
mirazione senza limite.
Del vostro
G. Meyerberr. #
Sabbado, 9 gen najo 1864.
Tradazlmos do melhor modo possivel esta carta
va outra vez para o valle e iratava
nglezes pela esquerda.
Os nossos dous batalhoes apressaram-se a atran-
car outra vez as portas e a tapar as brechas cerno
foi possivel com vigas e pedras. Pozeram-se ho-
mens emboscados a todos os buracos que o inimi-
go tinha feito do lado do pomar e da estrada.
Foi por cima de um currar, a esquina da herda-
de, a mil ou mil e duzentos passos de Hougou-
mont, qoe Zebedea, Bache e eu tomos posados
cora o resto da companhia. Parece que ainda es-
lou a ver os buracos em linha, a altura de nm ho-
rnera, que os allemaes tinham feito na parede para
defeuderem o pomar.
Ao passo qne subamos, olhavamos por esses bu-
racos para a uossa liqha de batalha, para a estrada
de romper os verdadeirate italiana, escripta por ura allemo
com a grajrde um Qoreolioo ; Meyerbeer tinha o
dom de transformar quando queria o seu genio,
at nis actos menos importntes da vida.
Divino maestro.

j Ganhar n'uraa extraegio tres vezes o terno ao
loto, parece nma eonsa impossivel, e todava foi o
qae me acontecen hontem.
I Primeiro terno : ura autographo de Bossini.
Segundo torno : uma suave e mui affectaosa car-
ta do inmortal maestro.
Tereairo torno: om gracioso convite, com a do-
ce perspectiva de passar algumas horas com o J-
piter da msica i saa mesa hospitaleira.
Acceito os vosso. obsequio, com tanto prazer
como reeoebecimente, e aguardo com impaciencia
re i
O echo, aperfeicoando o seu papel, rep!leou-me
a mesmo ton : Viva o rei, rei.. ei... ei I
Bravo I exclamou MarlainviUe, e, estimulado
por esta ptima ex ecngo, disse toda iateira a di-
visa do seu jornal, o Estandarte bronce : Viva o
rei, apezar de tudo I
O rei apezar de todo, lado... udb... udo I re-
peli fielmente o echo.
Quando no dia seguinte os convidados se acha-
rara reunidos, o publicista Ibes annunciou qae ha-
via um echo maravilhoso na sua propriedade.
Toda a gente foi ao terraco para ouvir essa ran-
"ade* Nao tornes velha a vida preciosa
O rapazinho j estava no seu posto, e a repre- Nos engaos febris dos leas amores
sentgao comegou.
Echo, est tu ahi ? gritn o dono da casa.
Sim, senhor MarlainviUe, responden o echo.
A estas palavras, uma gargalhada gerarTez ex-
plosao.
MarlainviUe, um pouco confuso, acabou por to-
mar parte na hilaridade dos seus convivas.
A pergnnta feita ao echo nao estava no sen re-
pertorio, e o gaiato, julgando qne Ihe era dirigida
pessoalmente, a ella responder sem desconfiar da
scena theatral que ia prodnzir.
A coilecgo de qoadros amigos das escolas nol"-
landela e flamenga que faziam parte da gal'ena db
fallecido bart de Brienen de Gretellndt, camarista
do rei dos Paizes Baixos, foi ha pouco vendida em
Pars.
Esta collecgr.0 era uma das mais bellas e das
mais ricas da Europa.
Eis os pregos dos quadro mais notaveis :
t'aisagem de Gueldre, por Hobbema. 18:0005000
Interior deumahabitagohollandeza,
por Pieter de Hoogh........-.....
Mar tempestuoso, por L. Backhuysen.
Paisagem, por Joo e Andr Bolh...
Urna boa dona de casa, por Gerardo
Dow............................ 7:3105000
O cao de guarda, pelo mesmo....... 4:4005000
Retrato de umfidalgo, por F. Hals... 7:0005000
Vista de uma praca publica da Hol-
(anda, por Jt. Van der Heyden e Ad.
Van deVelde.................. 12:4005000
Scena de interior, por Pieter de Hoogh. 2: 005000
Canal gelado, por A. Van. der Heer..
Vista de uma aldela, por Van. Oslade.
Viajantes descangando, pelo mesmo..
Pastores tomando a sua rafeigao, por
Paulo Poter..................... 8:8205000
Animaes amedrotados pelo temporal,
pelo mesmo..................... 7:0205000
Retrato de hornera, de Rembrant... 5:2005000
Betrato de um rapaz, pelo mesrao... 5:0005000
Allegoria repreM.ut.iudo a entrada de
Henrique LV em Pars, de Rubens.
Vista de uma represa na Hollanda,
por J. Ruysda'el................. 4:1305000
Um castello, pelo mesrao........... 5:2005080
Paisagem na Nortega, pelo mesmo.. 2:0005000
Um interior, por J. Sleen.......... 4:5005000
Incendio de Chalh'am, por W. Van de
Velde.......................... 14:1005000
Entrada de ura porto, pelo mesmo- 6:4005000
O OuIodo, por Ad. Van de Velde.... 0005000
Vista de um parque, por J. Weenix.. 2:0005000
Um grupo de homens a cavallo, por
Ph. Woovarroans............... T:4005000
Scena de vjagera, pelo mesmo...... 5:0205000
Paisagem, por Wynants e Ad. Van de
Velde.......................... 3; 2205OOO
Uma leitura, por Van Tol.......... 9305000
A venda total desta collecgo composta de sessent
e qualro quadros produzio com as despezas cerca
de 800:0005000.
5:400530o
E' do Sr. X. esta poesa;
POETA R COBAQAO.
Corago, (ido amigo, despertaste?
Da infancia os doces sonhos esqueceste ?...
E pulsas por qu' amores te entregaste?
Cynismo acaso na mulhor nao leste?!...
Tu folheaste o lvro dodostino?
E tragable uma pagina sublime?
Sornste loucamente em dlsatino
Nos bragos da mulher c'roando o crime?
Coracao, nao respondes?... e palpitas
Com mais vida que outr'ora te en senta ?
Bem sei que tu es nobre e nao evitas
Sepultar leu presente n'um s dia I
O Commercio do Porto publica.
^ De uma carta escripta de Roma e publicada na
poca de Madrid extrahiraos a seguinte noticia :
Roma, 22 de abril.A iHuminagao de quarta-
feira ultima em raemoria-do regresso do santo pa-
dre de Gaeta e da sua milagrosa salvago no de-
sastre de Santa Ignez, exramuros, foi nm novo e
magnifico testemunho da adhesao do Romanos ao
papa e ao poder pootilkio..
Esta illuininac,, que,, por esplendida e ex-
traordinaria, suriireheodeu a muitos- estraogeiros
que se acham nesta cidade, fot obra espontanea
dos seus habitantes.
O Observador Romano- dedica aigamas colam-
nas descripgo deslas iUuminagoes- DeUas direi
era resumo o seguinte :
Os iarapies do Corso- foram sutetoidos por
candelabros com varios lumes de gai cada ara, e
com centenares de luzes-de gaz estava iHuninado
o obelisco que ha na outra extremidad* do Corso,
bem como a craz da torrado con vente, ds Ara-
Coeli.
No peristilo do Pantheoa produzU um magnifico
effeito urna cruz de S- Pedro formada eom luzes
de gaz.
Era frente desta cruz via.se um enorme transpa-
rente que representava a promulgarlo-a oncycli-
ea de Pi IX e as nagues ajoelhadas em.alwtude de
receber os documentos de 8.de dezembno e de por
aos ps do santo padre o dinheiro de S Pedro.
A praga de la Minerva, a praga Navoaa e a de-
nominada Campo de Rw,.estavam transformadas
por meio de differenles perspectivas- iluminadas
profusamente o com acert.
O Tibre achava-se Iluminado n"uma extensao de
duas milhas e as emborcagSes que as percorriam
disparavam foguetes.
A ra de Buorgo Novo, que coadoz ao Vatica-
no, estava coberta por uma serie de arcos de
triompho figurando uma larga galera.
Nao pode descravex-se o magnifica effeito qua.
produziam o Foro-e>as ruinas-da antiga Roma il--
lurainadas com fogos de Bengala.
O padre santo pancorreu. a cidade para ver a$-
illurainagoes. Sua santidade deleve-se MQjalt
mente no Campo-de Flora, sanio saudado m toda
a parto com entliusiastica* e unnimes acclsuia-
goes.
E' intil diaor que a* pas so achavam af inhar-
das de espectadores.
A rainba de Inglaterra acaba de enviar ao rei
da Dinamarca a ordem da Jarreteira.
Uo jornal satyrlco de Londres publica a este
Nao te atires na orgia noduosa,
Qual se fra n'um leito, sobre flores t
A mulher a quem amas com ardor,
E' indigna de ti... infamante I...
Vende os beijos sera f... ultraja amor...
Pelo ouro"; sua crenea delirante I
Poge dessa mulher... mulheravulsa,
Porque no mundo vive corrompida I...
Do seio das familias foi expulsa
Com a nodoa indelevel ieperdida...
Tendo sido convidados a jantar os celebres com-
positores Moiart e Hayda, o primeiro, qae eramm
galbofeiro e grande anjador do vinho de champag-
ne, disse a ttaydn :
Aposto seis garrafas de champagne qu*> vou
compr uma peca de msica para piano, qu* nao
seris capaz de executar primeira vsla.
Acceito a aposta, responden o maestra rindo-
Mozart assentou-se a uraa mesa, esemvea al-
guns compassos e apresentou-os a ftaydn.
Este, admirado da facilidade da composigo, col-
locou-se ao piano exclamando :
Mozart est indinheirado e qur pagar o
champagne.
E' o que varaos ver, reipoudeu este esfro-
gando as mos.
De repente Haydn, depois de ter preludiado, no-
piano, parou.
Como queris vos que eu toque esta msticar
exclamou elle, as minhas mos devem atoar-s*
oas duas extremidades do piano, e ha, ao mesmo
tempo, uma nota a tocar justamente no centro.
Pois isso que vos fez parar? Mnito bem,
ides ver, responden Mozart, assentando-se ao pia-
no, como en vengo esta difflculdadev Comecou a
preludiar. Chegando famosa passagem, Mozart,
sem parar, tocou a nota do centro bateado com o
nariz sobre a tecla Todos desataras a rir.
Ora, convra sabor-se que H-iydn tinha o nariz
rombo, ao passo que Mozart tioha-o mui comprido.
Haydn pagot, pos, a exiguidade da sea protu-
berancia nasal com seis garrafas de champagne.
o proxirno sabbdo, para repetir-vos Terbalment|respeto ama caricatura cheia de espirito.
Refere um jornal de Nova-York, qne na Nova
Orleans, no dia em que all se receben a noticia
do homicidio de Lincoln, foram assassinados qaa
tro iodividuos por se mostrarem saligfeitos com
aquello saccesjo.
Com referencia noticia do appareclmeaio de
um sapo dentro de urna podra, que demos tu das
l-se n'um jornal de Pars o seguinte :
Parece que o sapo de 6,000 annos ton dado qae
entender aos nossos leitores parisienses. O caso ,
porm, que a phenomenal crealura passa de per-
feita sade, apesar da sua avancadissrna idade, e
logra-se de uma (brscente velhice.
A seu lempo daremos conta do relatorio qne foi
dirigido a sociedade Zoolgica sobre o singular
animal.
PERNAMBUGa^TYP DS M. F. DE F. & VtltQ
i
I
/


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E2HJMK83P_Y32CG3 INGEST_TIME 2013-08-27T21:27:50Z PACKAGE AA00011611_10692
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES