Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:10690


This item is only available as the following downloads:


Full Text
>
AMO IL1. HOMERO )%
Por qaartel pago dentro de 10 dias do 1. mez ...ti
dem depois dos i.0' 10 das do cooiecoe dentro do qaartel.
Porte ao comi por tres mezes
-
SAB6D0 10 D JDNHO DE 1865.
191000
3J00U
ENCARREGADOS DA SURSCRIPCAO DO NORTE
Parahyba, o ?r. Antonio Alex?ndrino de Lima;
Natal, o Sr. Antonio Marques da Silva; Aracaty, o
Sr. A. de Lemos Braga; Cear, o Sr. J. Jos de
Oliveira ; Maranhao, o Sr. Joaquim Marques Ro-
drigues ; Har, os Srs. Geraldo Antonio Alves <&
Filhos ; Amazonas, o Sr. Jeronymo da Costa.
ENCARREGADOS DA SURSCRIPQAO DO SUL.
Alago'as, o Sr. Clandino Falco Oas; Bahia, o
Sr. Jos Marlns Alves; Rio de Janeiro, e Sr. Jos
Uibeiro Gasparinho.
PARTIDA DOS ESTAFETAS.
Olinda, Cabo,.Escada e estacos da va frrea at
Agoa Preta, todos os dias.
Iguarass e Goyanna as segundas e sextas feiras.
Santo Anto, Gravat, Bezerros, Ronito, Caruar,
Altinho, Garanhnns, Buique, S. Bento, Bom
Conselho, Aguas Bellas e Tacarat, as tercas
feiras.
Pod'Alho, Nazareth, Lirooeiro, Brejo, Pesqneira
Ingazeira, Flores, Villa Bella, Cabrob, Boa Vis-
ta, Ouricury, Salgueiro e Ex, as quartas
feiras.
Segunda vara do civel: quartas e sabbades a
bora da urde.
Serinhem, Rio Formoso,Tamandar, Una, Br-
reiros, Agna Preta e Pimenteiras,as quintas
feiras.
EPHEMERIDES DO MEZ DE JUNHO.
1 Quarlo cresc. as 6 h., 1 m. e 58 s. da m.
9 Loa ctieia as 7 h., 21 m. e 16 s. da m
16 Quarto ming. as 4 b., 33 m. e 28 s. da m.
-23 La nova as 5 h., 37 m. e 34 s. da m.
30 Quarto cresc. as 11 h., 20 m. e 51 s. da
AUDIENCIAS DOS TRIBURAES DA CAPITAL.
Tribunal do commercio : segundas e quintas.
Rtiago : tergas e sbados s 10 horas.
Faienda: quintas s 10 horas.
Jafto do commercio: segundas as 11 horas.
Dfto de orphos : tercas e sextas s 10 horas.
Prlmeira vara do civel: tercas e sextas ao meio
ia.
Segunda vara do c vil: quartas e sabba#6 a 1
Mora da tarde.
DIAS DA SEMANA.
o. Segunda. S. Par fleo f.; S. Nicacio m.
6. Terca. S. Norberlo b.; S. Eustorgio b.
7. Quarta. S. Roberto ab.; S. Licano diac. m.
8. Quinta. S. Maxlmiano ab.; S. Gildardo b.
9. Sexta. S. Pelagia v.; S. Feliciano m.
10. Sabbado. S. Margarida rain ha ; S. Getulio.
11. Domingo. Ss.Kelixe Fortunato irs. mm.
PREAMAR DE HOJE.
Priraeira as 5 horas e 18 m. da manha.
Segunda as 5 horas e 42 minutos da tarde.
PARTE QFFICIAL
G0YSRN0 DA PROVINCIA.
LE N. 631.
Anlonio Borges Leal Castello Branco, presidente
da provincia de Pernambuco.
Fago saber a todos os seus habitantes que a as-
sembla legislativa provincial, sob proposta da c-
mara municipal de Buique, decreta osseguintes ar-
tigo additivos de posturas da mesma cmara :
Art. i. Os proprietanos das casas da villa e po-
voagoes do municipio, sao obrigados a trazerem
caiados os muros e oiles que fizereio frente para
as ras, beccos ou travesas, sob pena de 55 de
mnlta.
Art. 2. E' prohibido fazer-se escavagoes as
ras e estradas publicas, sob pena de 105 de multa
e dous dias de pnso. As escavanes para tirarse
areia ou barro para obras, s poderao ser feitas
nos lugares designados pelos scaes.
Art 3." Fica prohibido correr a cavallo ou raes-
mo esquipar nesta villa e povoages, o infractor
ser multado em 25-
Art. 4." Nao poder ser vendida carne secca de
sol su nao tres dias depois de salgada: o infractor
soffrer a pena de 6 de multa e dous dias de
pn.to.
Ait. 5. Fica todo o agricultor deste municipio
obrigado a apresentar ao respectivo fiscal at o dia
14 uV setembro de cada anno, 50 cabegas de aves
que damnifican) as lavouras, passando este ultimo
recibo aos que o exigirem : os infractores soffre-
ro a multa de 85.
Ari.'6. Alcm dos lugares designados para a
cultura pela lei n. 668 de 5 de abril de 1864, Ocar
reservados tambem para o mesmo lim todo o ter-
reno i-i i ni pre hendido desde o lagojde Borrocas, que
a extrema da propriedade Riacho para o norte
at o sitio Mumbuca, dah pela estrada que segne
para Camaral at a Trlncheira, e daln para o
poente seguindo a mesma Trincheira at o sitio no-
vo de Mauoel Dias: deste ponto em liuha recta ao
Ollio d'Agoa do Curto, e dahi pela ilharga da serra
do Coqueiro a Boa-Vista, casa de Maooel Pinto, e
para o sul a encontrar com o ponto j dado na re-
ferida lei; as serias de Cumauati e ^antaMara com
suas fraldas.
Art. 7. Fica prohibido crear-se gado caprnm no
arraial de Palmeirinha e Gritos, bem como na n-
beira de Moror al sus nascengas inclusive as
suas agoas da fazenda Juca para cima.
Art. 8." Nos lugares destinados para rreacao s
se poder plantar com cercas fortes que tenham 7
palmos de altura e tres de distancia de urna a ou-
tra e-taca; lcaudo prohibido maltralar-se com ti-
ros e pancadas os eados que forem casualmente
encontrados as rocas; sob peua de 105 de mulla
alm dos prejuizos causados.
Art. 9. O agricultor que, de conformidade ao
artigo antecedente, tiver sua lavoura cercada, se
enCOntfr gados dentro doli, tar ^mjmcwr o me-
to por duas testemunhas e apresentar os gados
assim encontrados ao respectivo fiscal, para que
este verificando o facto e procedendo as indaga-
coes necessarias, Imponha aos respectivos donos a
anilla de que trata o art. 22 da lei citada, ficando
os mesmos obrigados a indemnisar os prejuizos
causados e que sero avahados por peritos na for-
ma das leis geraes.
Art. 10 Todas as multas e penas sero duplica-
das na reincidencia.
Art. 3." Ficam revogadasas disposicoes em con-
trario
Mando, portanto, a todas as autoridades a qnem o
conliucimenlo e execugao da presente resolugo
pertencor, que a cumpram e facara cumprir tao in-
teiramente como nella se contera.
O secretario do governo desta provincia a fag
Imprimir, publicar e correr.
Palacio Jo governo de Pernambuco, aos 16 de
maio de 1865, quadragesimo-quarto da indepen-
dencia e do imperio.
L. S.
Antonio Borges Leal Castello Branco.
Sellada e publicada aprsente resoluco nesta
secretaria do governo de Pernambuco aos 16 de
maio de 1865.
O secretario,
Dr. Francisco de Paula Salltes.
Registrada a fl. do livro 7. de leis proviu-
ciaes.
Secretaria do governo de Pernambuco, aos 16 de
maio de 1835.
O escripturario da 4* seccao,
Theoioro Jos lavares.
LEI N. 632.
Antonio Borges Leal Castello Branco, presidente
da provincia de Pernambuco.
FuiJo saber a todos os seus habitantes que a as-
sembl legislativa provincial sob proposla da c-
mara municipal da villa do Bom Conselho, decreta
os seguintes artigos aditivos as posturas da mesma
cmara.
Art. 1." Ninguem poder' transitar pelas ras
da villa, nem das povoages do termo correndo a
avallo, mas smente em andares moderados e pe-
lo centro das ras delxando liv"res os passelos ou
aleadas para o transito a pe, sob pena de 53 de
multa. Sendo porm o infractor desconhecido ou
morador fra do termo, devera' pela priraeirA vez
ser avisado s podendo soffrer a multa na reinci-
dencia, e nao a pagando em continente dar fiador
on sera' embargado o animal at saslifaze-la. Es-
tao exceptuadas desta disposicao os officiaes ou
quaesquer pessoascom ordens'especiaes da poli-
ca prra cumprir cem brevidade.
Art. 2. Fica alterado o art. 23 da lei n. 551 e
torna-se extensiva aos lugares destinados a planta-
c > ou prximas a acudes, fontes ou ribeiros de
serventa publica, a prohibidlo de crear porcosj
sollos no municipio. Os infractores soffrero a
multa de 105 e o duplo na reincidencia.
Art. 3. Ninguem poder em trras destinadas a
creago plantar seno dentro de cercados de esta-
cas fortes e de seie palmos de altura ; os infrac-
tores pagarao a malta de 55 e o duplo na reinci-
dencia.
Art. 4 Fica prohibido o corte de carne verde a
machado, e ser este substituido por urna serra
para os osses, faca para a carne; os infractore
soffrero a mulla de 55000.
Art. 3." As medidas de farinha, milho, feijlo,
etc., serlo cuias que conlero dez tijellas, sero affe-
ridas e regularAo em udo o termo. Os infractores
pagarlo a multa de 25000.
Ar. 6." Ninguem poder vender plvora nem
fabricar fogos de artificio dentro desta villa e po-
voages do termo, e sim nos lugares que forem
designados pela cmara; os infractores soffrero a
multa de 205000, pela primeira vez e de 305000 e
oito dias de prisao na reincidencia.
Art. 7. Fica prohibida a compra ou venda do
algodo nesta villa e nos pevoados de termo, depois
das seis horas da tarde e antes das seis da ma-
nha Os infractores pagarlo 105000 de multa.
nico. Na mesma pena incorrerlo os que
compraren) o alto genero a escravos ou fmulos
sem licenca escripia dos senhores ou amos.
Art. 8. Ficam designados para plantacao todos
os lugares de que trata o art. 64 da lei n. 55l_al
o tanque das Lages, d'onde seguir em direcclo a
um cemiterio que ha na estrada que entra para o
Escalvado: d'ahi em ramo direito ao cabero raals
alto da serra do mesmo Escalvado, d'onde seguir com o pessoal desse arsenal al o fim do presente
era linha recta ao sitio das Abobadas e d'ahi a di- exercicio, sendo que por essa providencia flcou
visao de Palmeira dos Indios com este termo, fican aquella repartidlo habilitada para satisfazer a im-
portancia nao s das folbas a que alinde o seu ci-
lado offlcio, mas tambem das que forem all apo-
sentadas at o fim deste mez.
Dito ao director general da instruegao publica.
Em vista de sua Informaclo de 5 do corrente, sob
do o raso da catinga para creago; os infractores
pagarlo 25 de multa por cabega de animal encon-
trado ao sul desta divisle.
Art. 9 Ficam revogadas as disposicoes em con-
trario.
Mando, por tanto, a todas as autoridades a quera
o conhecimenlo e execugo da presente resoluclo
pertencer, que a cumpram e faeam cumprir tao
inteiramenie como nelle se contm.
O secretario do governo desta provincia a faga
imprimir, publicar e correr.
Palacio do governo de Pernambuco, 16 de maio
de 1865, 44 da independencia e do imperio.
L. S.
Antonio Borges Leal Castello-Branco.
Sellada e publicada nesta secretaria do governo
de Pernambuco, 16 de maio de 1865.
O secretario
Dr. Francisco de Paula Salles.
Registrada a fl. do livro 7 de leis provinclaes.
Secretaria do governo de Pernambuco, 16 de
maio de 1865.
O escripturario da 4a seccao,
Tlteodoro Jos Tavares.
n. 161, auloriso V. S. a mandar admittir no gym-
nasio provincial como alumno externo gratuito o
menor de norae Miguel Jos da Cost Meira, filho
de Constancia Carolina de Meira Brum.
Circular a todas as cmaras municipaes da pro-
vincia.Determinando o governo imperial em
aviso expedido pelo ministerio da agricultura, com-
mercio e onbras publicas em 6 de abril prximo
lindo, que esta presidencia em suas relages offi-
ciaes sirva-se sempre dosystema mtrico francez.a
ra de dar quanto antes, como convem, execucao
a loi n. 1157 de 26 aejunho de 1862; assim o declaro
a cmara municipal de........aflm de queem sua
soi figurados na segunda hypMhese. proceda V
Rvma. s possiveis averiguages para cerlilicar-se
se com elfeito slo solteiras, livres e desempedidas;
exija mesmo dellas juramento acerca do sen esta-
do, empregue todo o zelo que como ministro da re-
ligiao deve ter pela salvaclo das almas, e se Ihe
nao constar algom impedimento, proceda ao casa-
mento dos contrahentes. E' possivel, que essas pes-
quizas e diligencias falhem em algum caso ; pos-
sivel mesmo que ora on outro, illudindo a vigilan-
cia de V. Rvma., case indebltmente: mas essa
possibilidade, e o receio de que se faca algum ca-
samento nnllo, nao deve ser motivo para que nes-
se presidio vivam centenares de pessoas em conti-
nuo estado de peccado, sem que Ihes seja possivel
reparar os seas erros e legitimar a sna unilo e a
sua prole por meio do Sacramento do matrimonio.
Dito ao vigario de Quebrangulo.Attendendo ao
que V. Rvma. representan em data de 21 do prxi-
mo passado, concedo-lhe licenga para vir oppr-se
ao concurso, cujos editaos brevemente serio afl
corresDonencia com esta presidencia e com as! xados, e o auloriso para deixar na regencia dessa
demais autoridades a quera tiver de se derigir em-! freguezia o Rvd. Joaquim Manoel da Costa com
pregue aquello syslema, para o que Ihe remetto a i que se deve entender a este respeito.
inclusa tabella impressa contendo a converslo das Dito_ao vigario de S. Benlo.-Estou de posse do
Expediente do dia 7 de junta de 1865.
Offlcio ao Exm. visconde de Camaragibe, direc-
tor da Faculdade de Direito.Attendendo aj que
V. Exc. pondera em seu offlcio de 6 do corrente,
cabe-rae dizer-lhe que approvo a mudanga da hora
para os trabalhos da 1* cadeira do segundo anno
dessa faculdade.
Dito ao Exm. desembargador provedor da Santa
Casa de Misericordia. Em vista do seu offlcio
desta data, sob n. 22 i, autorizo V. Exc. a mandar
entregar ao bacharel Antonio Luiz Cavalcantl de
Albu juerque o menor orphao Luiz de Hollanda
Cavalcanti de Albuquerque, o qual se interessa
pela educago do mesmo menor.
Dito ao coronel commandante das armas.Quei-
ra V. S. mandar inspeccionar pela junta de sade
os so dados do corpo de polica Manoel do Careno
do Nascimeuto, e Trajano Igoacio dos Santos Leal,
que assim o pedem.
Dito ao mesmo. Sirva-se V. S. de informar,
sobre o que pede Feliciana Maria, no incluso re-
querimento documentado, euviando-me ao mesmo
tempo o seu parecer a respeito.
Dito ao mesmo.-Sirva-se V. S. de maodar orga-
nisar o pret dos venciraentos a que lera direito O
voluntario da patria Julio Cesar de Carvalho AraiP
jo, desde o dia de abril al o era que jurdu ella
bandeira, sendo-lhe paga a re pectiva importancia.
Dito ao mesmo.Loave V. S. em meu nome o
acto de abnegago e potriotismo do Io cadete 1
sargento do segundo corpo de voluntarios da pa
tria, Odiion Fiock Romano, renunciando o premio
de 3005 o prazo de terraa iiaa Iha comnatem^m
roa oaaecrenrn. nj/i 35 7 08 Janeiro DesTran--*?
no.Commonicou-se thesouraria de fazenda.
Dito ao inspeelor da thesouraria de faaendaBes-
pondendo ao offlcio que V. S. rae dirigi hoje, sob
n. 387, tenbo a dizer que, nao obstante as pondera-
g5es feitas pelo procurador fiscal dess3 thesoura-
raria, no parecer que por copia veioannexo ao seu
citado offlcio, cumpra a ordeor'peia qual mandei
adiantar dinheiros ao* juizes de direilo de Tacara-
t, Boa-Visia e Cabrob, para abono de venciraen-
tos aos contingentes da guarda nacional, que d'alli
marcharem para esta capital com destino a guerra.
Dito ao mesmo. Transmiti V. S., para seo
conhecimento, copia do aviso expedido pelo minis-
terio da juslica em 20 de maio prximo lindo, de-
clarando que sendo o objecto do deposito dinheiro,
ouro, prata, podras preciosas ou papis de crdito,
s pode ser recolhido ao deposito gerai onde nao
houver publico, como j foi reconhecido por aviso
n. 6, de 15 de Janeiro de 1846. Communicoa-se
ao Dr. juiz especial do commercio.
Dito ao mesmo.Pode V. S. entregar ao teoente
da secgio urbana do corpo de polica, Thomaz Ro-
drigues Pereira, aflm de as conduzir a seus desti-
nos, as qoantias que por essa thesouraria tverem
de ser enviadas s collectorias do centro da provin-
cia, e bem assim aos juizes de direito de Tacara-
t, Boa-Vista e Cabrob, para abonos de venci-
mentos aos contingentes da guarda nacional que
d'alli "marcharem para esta capital com direegao
guerra, fornecendo ao mesmo tempo ao predito l-
ente e ao alteres (Jarlos Jos de Siqueira, que o
acompanha nessa diligencia, o quantitalivo neces-
sario para bestas de bagagem, a que teera elles di-
reito.
Dito ao inspector da thesouraria provincial.
Annuindo ao que solicitou o chefe de polica em
offlcio de 29 de maio ultimo, sob n. 770, rece-
meodo V. S., que da quantia de 2355200 rs.
despendida com o sustento dos presos pobres da
Caruar durante os mezes de
seu offlcio de 16 do prximo passado que acompa-
nha a estatistica da sua freguezia.
Quanto data da lei da creaglo dessa parochia,
responde V Rvma. enviando-me a copia do pro-
Jecto n. 15 de 1852. Eu porm desejo a dat da
medidas mtricas as que Ihe corresponden) no
systema usual de pesos e medidas do paiz.
Dito ao Dr. juiz de direito da 2- vara desta capi-
tal. Designando Vmc. para servir de relator da
junta que em ultima instancia tem de julgar os
2 inclusos processos, a que foram submetlidos os lei 8 nao a dat do projecio, porquanto este poda
alferes do corpo de polica Leodegario Liberato i existir annos antes da le da creaglo, como V.
Pereira Caldas Joaquim Herculano Pereira Cal-, Rvma. muito bem sabe,
das Jnior e o guarda da seccao urbana do mesmo i Espero pos que procedendo as averiguages ne-
corpo Ladislau Marques de Mello, por ter pelo of-' cessarias, me envi a data que exijo no primeiro
ficio constante da copia junt revogado o acto de artigo da circular de 22 de abril. Cumpre igual-
-b de abril uliimo, pelo qual havia mandado cum-1 ment que rae declare os nomes dos tres sacerdo-
pnr a sentenga proferida pelo conselho de julga- i QU diz exstirem na sua freguezia.
ment no processo do referido guarda, assim Ihe! Convm mesmo que V. Rvma. procure obter mals
communico aura de que coraparega neste palacio, algans esclrecimentos, e sobretudo Ihe recom-
as II horas do dia 9 do corrente. mendo que d'ora em diante me coramunique todas
Dito ao Dr, juiz de direito de Cabrob.Remet-! ^ alteragoes e oceurrencias que se derem na sna
to por copia a Vmc. o offlcio de 18 de abril ultimo,! fregnezia, como exigi no m da circular a que me
em que o juiz municipal supplente do termo do rento.
Ex, Ignacio Caetano de Alencar Rodovalho, re- 2 -
present conlra o delegado Jos da Costa Agr, a Offlcio ao vigar da Alaga de Balxo. Fico
Um de que Vmc. mando a este responder sobre as scienie do que em sen offlcio de 19 de maio ultimo,
aecusagoes que lbe faz o mesmo R>dovalho, e en-, me relata a re=peito do procedimento de M... a
vie-me a sua resposta acompanhada de informa- ."jo casamento diz V. Rvma. haverse opposlo im-
gao desse juizo. pedimento. Em resposta cumpre declarar-lhe, que
uo ao juiz municipal supplente do termo do nao devia V. Rvma. limitar-so a dar-me parte do
m v8^!0. t,aelano de Alencar Rodovalho.Ao occorrido, e da existencia do impedimento ; devia
offlcio de 30 de abril ultimo respondo dizendo-lhe sim tomar esto por termo assignado pela parte, e
"] exped ordem para serem recolhidas aoar- remetter-m'o, afim do ser por mira julgado como
le guerra as armas, que fofam apprehendi- ordenara as constituigoes diocesanas, resaltando
o delegado desse termo, e a que Vmc. se re- dessa omisslo de V. Rvraa. nao pequeo grvame
ftor seren granadeiras roladas e clavinotes de ao impedido, porquanto vindo com urna jornada de
cavallaria como declarou o mesmo delegado, a 60 leguas, para parante raira expurgar esse impe-
qoeni no entretanto determino que cumpra o des- dimento, na persuasao de que V. Rvraa. houvesse
pacho pelo qaa4 o juiz de direito dessa comarca or- comprido" com o seu dever, nao pode consgui-lo.
denou que fosse perraittido o exarae por Vmc. re- Pelo qne ordeno a V. Rvma. que me remeta com
querido. __, nrg^gc* ~urerido ,,u,,caiiuutu um forma Ireal
J^w*?> ao .^.jos^pV^w A^r Bjt() ao mesmo.-Inoluso remello a V. Rvma* a
da o despicho, pelo qual o juiz de direito dessa peti$b dos oradores Raymund .1 Ferreira de Brito
comoiaica ordenou que fosse per mi tli do o exame o Calharina Maria de Jess, dispensados por auto-
requerido pelo ciJadao Ignacio Caetano de Alencar rsacio do Exm. e Rvm Sr. internuncio nos graos
Rodovalho as armas apprehendidas em sua casa, de consanguinidad 2 attingente ao 1 e 2 igoal
por essa delegacia, por nao haver razio para isso, simples. Paca V. Rvma. chegar essa petigao aos
deterraino-lhe que logo que receber o presente of- contrahentes, e me participe Ioro que elles a hou-
ficio permita fazer o exame reqeerido pelo mesmo verem recebido, visto achar-sc demorada nesta se-
Rodovalho, crelaria desde mnito tempo, talvez com grave pre-
Portaria.O presidente da provinea resolve con- juizo dos peticionarios.
INTERIOR.
AHt/0\t*t.
8 de maio de 1865.
Relatorlo com que o Dr. Adol-
pho de Barros Cavaleaotl de
A. Lacerda entregon a adiui-
nlstraco da proviucla do Ama- i
zonas, no da 8 de malo de
I8G, ao 4. Tice-presidente.
(GontinuagoJ i
AGRICULTURA, COMMERCIO E NAVE-
GAQO.
COMMEBCIO.
Reduz-se permut >, na praca de Belm,
dos gneros que produz pelos de que pre-
cisa, o commercio d'esla provincia. 1
Nao existe importaca"o directa de merca-
dorias estrangeiras, facto que poderia rea-
lisir-se por via do entreposto do Para. O
mercado suppre-se com os gneros despa-
chados ali para consumo, e navegados
com arta de guia.
Por isto a cotacao dos seus productos
Ihe imposta n'aquella praca com o raesmo
despotismo mercantil com que Ihe sao im-
postes igualmente os precos das mercaduras
que a prov ncia compra e importa.
N'esse systema de plena dependencia e
duplicada tutella, visto que nao poder
prosperar aqui o commercio, o qual, por
isso mesmo que urna da< mais enrgicas
tmnifestacoes da actividade humana, pre-
cisa, mais do que outra alguma industria,
de cara; o livre para se desenvolver.
as condicoes actuaes, permanecer sem-
pre restricto, onerado .e conprimido, co-
mo tem vivido at hoje. 1
AexportacSo da provincia, no exercicio
que acabou em junho passado, montou a
993:56;56i9. Menor que a do exercicio
precedente, que subiu a 1:178:5403666,
excedeu todava a dos annos de 1861 e 1862.'
Dos quadros da mesa do rendas da capi-
tal, relativos iraportaco, v-se que esta,
no semestre dejulho a dezembro ltimos,
chegoua 376: 26#975, sendo assim classi-
.6^i. 1
Gneros nacionaes importaoTfts"
de outras provincias...... 90:361/200
Gneros estrangeiros despa-
chados para consumo e na- i
vegados com carta de guia. 283:839#775
Gneros vindos do Per___ 2:035#000
ceder a Joaquim Maximino Pereira Vianna a exo
norago que pedio do cargo de Io supplente do
subdelogado do distrito de Gurja, 2o da freguezia
de Jaboato.Communicouse ao Dr. chefe de po-
lidia.
Expediente do secretario de governo do dia 7 de
junho de 48:>.
Offlcio ao Dr. Arminio Coriolano Tavares dos
Santos.-De ordom de S. Exc. > Sr. presidente da
provincia, aecuso recebido o offlcio era que V. S.
participu ter entrado era 3 dj crreme no exer-
cicio do cargo de promotor publico da commarca
de Santo Aullo.Commuecou se a thesouraria de
fazenda.
Despachos do dia 6 de junho de 186o.
Requerimntos.
Anna Lucia de Hollanda Araujo.Informe o Sr.
desembargador provedor da Santa Casa da Miseri-
cordia.
- 3 -
Offlcio ao Dr. juiz municipal do Buique.Arra-
sando a recepgao do offlcio de V. S. de 13 do pr-
ximo passado, nao posso dexar de louvar os pios
sentlmentos de qn V. S. se acha animado, e de,
em nome da religiao e do paiz, agradecer o zelo
com que procura reparar o abandono c a indecen-
cia em que se acha a sagrada magem de que tra-
ta, e a ruina em que jaz um templo catholico, que
muito bem se poia conservar com decencia se
houvesse cuidado e vigilancia da parte de quem
devia ser zelozo pela conservagao dos templos, e
pelo esplendor do nosso culto.
Nesta dala me dirijo ao Rvd. vigario do Buique,
recomra?ndando-lhe que quanlo antes proceda
trasladado da imagem de Nossa Senhora da Pe-
nha, o que procurara effectuar por meios brandos,
entendendo se para isso com V. S. se fr necessa-
Calculando, pois, no duplo da conhecida
a importac5o que se fez por Serpa e Villa
Bella, temos que toda ella andou no semes-
tre em 724:453950.
Confrontada esta cifra, que como vis-
tes, relativa quelle periodo, com a da ex-
portarlo do exercicio inteiro, encontrase
em favor desta a insignificante differenca
de 250:8023699.
O commercio de trrnsilo do Para para o
Per, durante o mesmo praso, consistiu em
2,545 volumes, cujo valor nao Dde ser
apreciado, por nao constar dos manifestos
que acompanharam as mercadorias assim
viajadas.
O quadro que segu contm asquantida-
des e valores dos gneros exportados no
uliimo exercicio.
1 TOTAL E Sol 1864
os
OBREROS. LN1DADES Poles GE.NEBOS. IMPORTANCIA.
Azeite vegetal. 40 2605000
Algodlo ...... Arrobas 4o 1/. 118*000
1 50 SI 228505'i
> 14,140 ti 67:8033150
1 41 10 1085210
2 B 2-25080
Couros de boi.. > 1,039 8 2:9505860
Caf.......... 221 21 1.583587Q 36:8515100
Castanha------ Alqueirs. 18,882
Estopa........ Arrobas 1,4997 >/, 1:716,5000
299 1 8:5725000
Madeiras...... Nmeros 200 80500J
Manteiga..... Poles 1,923 10:6865000
1 260 1:4215000
Oleo de cupahi
ba......... Caadas 4,076 44:6225200

Peixe seccoou
salmoura... Arrobas 49,500 1 221:2205400
Piassa va era ra-
ma......... 1 20,186 26-.4JI5200
Dita em obra.. Polegads. 9,284 10:8845100
Pelles de diver Nmeros 940 6075100
sos animaes.
Arrobas 134 21 1:3575200
Redes de raa-
Nmeros 160 6345200
Salsa parrilha. Arrobas 3,678 32:1425000
Seb......... 1 17 765000
Seringa....... 36,674 S 512:5755000
> 778 9 10:3145625
. / '*iar
Total
376:2265975
Cumpre, porm, advertir que esta impor-
tacao refere-se nicamente capital e al-
guns pontos do Rio Negro e Solimes.
Em Villa Bella realisa-se directamente a
importacao para esse e o importante muni-
cipio de Maus ; assim como em Serpa a
que destinada ao lago Uauts e rios Pu-
r, e Madeira, o mais povoado c pro Juctor
de ioda a provincia.
Nos tres outros quadros annexos letras
A. B e C. vem expressados os gneros na-
cionaes importados de outras provincias nes-
ta capital; os estrange ros despachados para
consumo no Para e navegados com carta de
guia; e os vindos do Per, ludo com rela-
cao ao segundo semestre do mesmo exer-
cicio.
Diligenciei obter esclrecimentos exactos
a respei'o do commercio que realisam por
nossas aguas as repblicas vizinhas, mas s
o possuo seguros relativamente provin-
cia litoral de Loreto da do Per, e isto
mesmo pelo que toca exportaco.
Orcooesta no decurso do anno de 1804
om 549. i98,?540, como especificadamente
demonstra o seguinte mappa :
Cosme Damiao dos Prazeres. Coacedo o prazo "'.5 1 i encarre8 J" J^ormar, se e
de 20 dias para o Ora que requer. PSST' CODseJ?Q,r.mosJ a reedificado da capella,
Daniel Pereira de Jess. Informe o Sr. com- "fi" jM? desapparecendo do nosso slo
mandante superior da guarda nacional de Goianna ?s 'eraSlcs c.alhollC05' liando a populagao se va.
tornando cada vez mais numerosa e porconseguin-
te necessta nlo s que se conservem os que exis-
ten), como que se edifiquen) novos.
attendida a supplicante pelas razoes ponderadas
cadeia de Caruar durante os mezes de jaueiro a: na nformaglo do coronel commandante das ar-
abril deste anno, como se v das 4 inclusas contas,! raas de s d crreme, e por ter ja seguido seu fllho
e nlo havendo inconveniente, mande descontar a Para _?orte_
com urgencia a razio porque foi o supplicante de-
signado, estando comprehendido na quarta classe
do artigo 121, como determina o artigo 123 da lei
n' n? 6 {de se,erabro de 183- Certo de que V. S. coadjuvar o Rvd. vigario no
ueipnina francisca das Chagas. INao pode ser desempenho da ralsslo que conflei sollicitude pas-
toral desse digno sacerdote, nutro as mais son-
de 2005 que para esse lim foi entregue ao d .'lega-
do do mencionado termo, pagandose-lhe ou ao s^u
procurador, o saldo na importancia de 2005-
Recommendo outro sim, que faga adiadtantar ao
predito delegado Antonio Vctor da Silva Vielra,
por intermedio do thesoureirodaquella repart gao
outros 2005 para ir occorrendo a taes despezas.
Communicou-se ao Dr. chefe de polica.
Dito ao commandante superior da guarda nacio-
nal de Goianna.Deferindo nesta data o recurso
do guarda Herculano Kodrigues de Rulho-s, des-
pensei a esle do servigo da guerra^ para que esta-
va designado : o que V. S. communico para seu
conhecimento.
Dito ao commandante superior da guarda na-
cional da Boa-Vista.Com o offlcio de 24 de abril
ultimo, recebi urna relaglo dos offlcias da guarda
nacional, que a V. S. parece estarem no caso de
marchar para a guerra, mas recommendn-lhe que
me remeta cora urgencia urna outra relaglo nomi-
nal de lodos os officiaes, de alferes at capillo, dos
corpos s b seu commando superior, pela forma de-
terminada no art. 61 das instruccns de 25 de ou-
tnbro de 1850, addicionando-lhe V. S. as declara-
goes-comidas no capitulo 0 do titulo 6 da le de
19 de setembro do raeuno anno.
Dito ao commandante do corpo de polica,Com
munico a V. S., para fazer constar aos 3 officiaes
superiores, que em vrtude do meu offlcio de hon-
tem tera de fazer parte da junta, que era ultima
instancia deve julgar o processo, a que foram
Dr. Estevlo Cavalcanti de Albuquerque.-Iofor-
me o Sr. inspeelor da thesouraria de fazenda.
Francisco Antonio da Silva. Informe o Sr. Dr.
chefe de polica.
Jorge Marlimano Lopes de Sampalo. Indeferido
em vista da informarlo do corono! commandante
das armas datada de 5 do correle.
Tenenle Manoel Felosa da Silva.-Informe o Sr.
commandante superior da guarda nacional da co-
marca de Garanhuns.
Paulo Francisco de Araujo.Concedo 15 dias de
licenga para o fim que requer o supplicante.
-^h8>^m
DE
PERNAHBI O.
SEDE VACANTE
Expediente do da Io de junho.
Offlcio ao capellao do presidio de Fernando.
Recebi o offlcio de 18 do passado, em que V. Rvma.
diz que leu no Diario de Pernambuco de 18 de
margo ultimo o offlcio que em data de 14 do mes-
mo, dirig ao vigario de Quebrangulo, no qual eu
digo que t entre o Sacramento do matrimonio e o
t concubinato nlo pode haver hesitago nem es-
colha, e se devem aproveitar essas felizes dispo-
c sices; e me consulta se, na qualidade de ca-
pellao desse presidio, onde existen) sentenciados
tanto civis como militares de provincias e lugares
lonKlnquos, e a quem se torna summamente diffi
submetlidos os alferes do corpo de polica Leodega- cil ou impossivel a acquisigao e exhibirlo dedo
rio Liberato Pereira Caldas, e Joaquim Herculano
Pereira Caldas Janior, que a referida junta deve |
julgar tambem o processo do guarda da secgo ur-
bana Ladislao Marques de Meho.
Dito ao mesmo.D V. S. baixa ao soldado do
corpo sob seo eommando, Candido Paula de Sou-
za, visto ser arrimo de sua familia.
Dito ao mesmo.Concedo a auiorisagao que V.
S. solicitou em seu offlcio n. 381 de 6 do corrente,
para fardar o corpo sob seu commando de sobre-
casaca e bonet redondo, visto qne esse fardamento
raals conveuiente do que o jaqu e bonet compri-
do, de que usa actualmente o mesmo :orpo, como
V. S. declara em dito offlcio.
Dito ao director do arenal de guerra. Respon-
dendo ao offlcio de V. S. n. 286 de 6 desie mez,
deciarando-lhe que hontem se abri um credite a
omentos necessanos para se receberem valida e
licitamente em matrimonio, sendo elles ahi pela
maior parte amancebados, censnlla-me digo, se
pode recbelos em matrimonio vista de suas
guias, quando estas declararen) qne slo solteiros.
Perguola-me mals V. Rvraa. como ha de haver-se
quando mulheres nao sentenciadas quizerem casar
com presos, ou rice-versa ; viste que essas nao
tem guias em que V. Rvma. se possa basear.
Quanlo a primeira hypothese, se as guias decla-
raren) que slo solteiros, e aliunie nlo constar com
fundamenta o contrario, pie V. Rvma. recabe-los
em matrimonio, precedendo as denunciaces e ser-
vatis de jnre servandis.
A segunda hypothese sem duvida mais difflcil
e embarazosa; mas nem por isso se devem aban-
donar, essas infelizes e deixa-las no seu lastimoso
thesouraria de fazenda para occorrer as despezas lado.. Quando, pois, se apresentar um desses ca-
geiras esperangas de ver essa capella reparada, e
a Virgera da Penha reconduzida sua antiga mo-
rada, onde continuar a prodigaiisar os seos dons
aos habitantes dessa freguezia, e sobretudo quel-
les que houverem ooncorrido para a reedificagao
do seu templo, que jazia em rumas.
Aproveito a occasiao para apresentar a V. S. os
meus protestos de reconhecimento e eslima.
Dito ao vigario do Buique.Incluso remetto por
copia o offlcio que me dirigi o Dr juiz municipal
do termo de Buique, afim de que V. S., inteirad >
do seu contedo, consiga por meios brandos e sua-
sorios que Imagem de que nelle se trata, seja
transferida para a matriz, onde deve ser conserva-
da com a decencia que Ihe devida. Espero do
zelo e sollicitude que caracterisam a V. S. que se
nlo poupar a esforcos, afim de que a Imagem de
Nossa Senhora da Pcnha seja removida quanto an-
tes do lagar indecente em que actualmente se
acha. Se V. S. julgar necessarlo, pode entender-se
com o Dr. juiz municipal, cujo zelo e cojos senti-
mientos religiosos slo dignos de todoolouvor. Cum-
pre igualmente que V. S. indague se possivel
reedicar-se a capella onde outr'ora exista essa
imagem, urna vez que ella tem patrimonio, como
me informa o meritissimo juiz municipal, e s ca-
hio por incuria e desleixo daqnelles que deviam
vigiar melhor pela conservagao dos templos.
Certo de que V. S. proceder sem perda de tem-
po trasladarlo da imagem e as iudagagoes que
Ihe recommendo, aguardo com brevidade a sua
resposta e as informagoes que frcolhendo.
Dito ao vigario da Misericordia.Tendo en cons-
tantemente recusado conceder que o proprio pa-
rodio numere e rubrique os llvros da sna matriz,
e Isto pelas razdes repelidas vezas expostas e publi-
cadas na mlnha correspondencia offlclal, nao pos-
so acceder ao pedido de V. Rvm.. e para obviar
aos inconvenientes motivados pela distancia em
que se acha, nesta data aatoriso o Rvd. vigario da
freguezia de Serra Talhada que Ihe fica prxima
para qne ello possa numerar e rubricar por esta
vez os llvros qoe V. Rvma. Ihe apresentar para o
uso da sna matriz.
Dito ao vigario da Serra Talhada.Autoriso a
V. Rvma para numerar e rubricar por esta vez os
livros que Ihe forem apresentados da parte do Rvd.
vigario da ftegneza de Nossa Senhora da Concei-
gao da Misericordia para o uso da mesma fre-
guezia.
1 SEMESTRE. 2o SEMESTRE. QUANTIDAOE TO-
PRODUCTOS. QUANT1DADE VALORES. QUANTIDADE VALORES. > E VALORES rAES.
Ctiapeusde palha Farinha de mandioca. Fructas............. Gado vaceum........ 246 t 45,199 1,064 Redes de fio de tucum

Tabaco em rolos..... Diversas obras velhas
208:2215061
A atportacao dos chapos, principal pro-
ducto industrial d'aquella provincia fron-
teira, excedeu, no segundo semestre do
anno, do primeiro em mais de 65 0[0.
Este augmento operou a baixa no preco
medio da duzia. nos dous ltimos mezes,
para o que contribuio de c rto tambem a
noticia da crise bancaria no Rio de Janeiro,
que nao podia dexar de affectar seriamen-
te o commercio de toda a regio do Ama-
zonas ligada praca de Belm, onde os
seus productos acham venda, e onde se
suppre das mercadorias estrangeiras de que
necessta para o seu consumo.
A importancia lotal da exportaco do se-
gundo semestre superior do primeiro
em i33:i50/H2i; e a de todo o anno de
1864 excedeu de 1863 em 199:0000042.
Por via do Amazonas, a exportaco dos
chapeos de palha, nos dous quinquenios de-
corridos de 1855 a 1864, sobe a 593,478,
representando um valor de 3,687:8875050,
como se v do seguinte quadro :
Q o
22
a <
x z
8

id
as
o
<
>
I i5Ss|
1 ^ X O 7- "
i qodPQq
i mi O I <* 9*
1 9* < 00 %p *g
t^ CCXI^
I -~ ;-: i-~ -.-* 11
I-* CC C5 f- o>
< r aj
13
a
H
a
<
s
o
SO O O 30
U 3C CO
i
QO C5 "" t^ V
1^. r^ I--
3 i ?i?3t
00 1 o e-5 to *i
I
I I
*3
i
25
<
> WlSU
.2 I
v 1
3 o >
O I XIODQOOC X
11 3-------
I- I
o
B
a
O
3
O"
a
a
O
#.
Provam estes dados o incremento que vae
sensivelmente tomando o commercio pe-
ruano por nossas aguas ; mas o que elles
sobre tudo demonstram, em rainha opi-
nio, o grandioso desenvolvimento que
reserva o futuro immensa regio banhada
pelo Amazonas e seus afluientes, quasi to-
dos t3o soberbos como elle proprio.

PARTIDA DOS VAPORES COSTEIROS.
Para o sul at Alagoas a 14 e 30; para o norte
ata a Granja a 7 e 22 de cada mez; para Fernan-
do nos dias 14 dos mezes de Janeiro, margo, maio,
julbo, setembro e novembro.
ASSIGNA-SE
1
no Recife, na livraria da praga da Independencia
os. 6 e 8, dos proprietarios Manoel Figueiroa de
Faria & Filho.
-
! ILEGVEL




Diario de Pernambnco Sabbado iO de Juuho de 1864.
,.*

Poderosa arteria que liga um continente; mar a attencSo dos nalurtes paraos bene-j
remoto e quasi virgem a urna costa accessi- ficios que promette o Madeira a vida indus-
vel e a un meruado iguaioaeote aproxima- trial e mercantil de seu paiz, tea* decreta-
do do; grandes onceados, da America e di do varias leis de estimulo e proteccao, entre
Europa, a immensa bacia do Amazonas est'
destinada a representar um esplendido pa-
pel as relacoes commerciaes do globo.
as quaes sobre, sahe a que, ltimamente vo-
tada pelo congresso, iseata de direitos* du-
rante dez annos, os gneros importados do
O dorso gigantesco da cordilheira dos Brazil.
Andes parece ter sido ali erguido de pro Urna vez estabeleidas regularmente pe-
posito pela natureza para indicaj: aos povos los respectivos goveraos as relacoes com-
da planicie o canal de suas transaeces e de merciaes dos dous paizes, as transaccoes
sua vindoura prosperidade. das nossas pracas de Manus e Belm cres-
Maisdo que o proprio Per, mais do que ccrao em escala superior a 6:000:00! (>000,
Venezuella, maisde que-qualqueroutro dos que como ema fiz ver, aquanto sobem
vizinhos estados a Bolivia carece desse cami- actualmente os valores da exportaco e im-
nho e o animar mais tarde como seu com- portaco dos Ires departamentos que se
mercio. O desenvolvimento progressivo prendem ao imperio pelo Madeira e seus af-
que de tres annos a esta parte offerecem, Alientes de origem boliviana,
despeito das cacboeiras do Madeira, as navegaco.
relacoes mercantis da repblica com o impe- A navegaco vela pelo rio Amazonas
rio cabalmente indica o gru a que altingi- di.i inue, proporcao que toma maior in-
ro um dia essas relacoes hoje recentes dos cremento o servico dos transportes por meio
dous estados. de paquetes a vapor.
Ainda que nao possa noticia exacta dos E' certo que o numero destes nao lem
gneros permutados no periodo cima, vis- augmentado. Alm dos da companbia de
to terem girado livremente n'um e n'outro navegaco e commercio, que fazem duas
paiz. pode-.-e todavia calcular que, em 1864, vezes por mez a viagem do Para a esta ca-
excedeu talvcz de 120:0300 a exportaco pital, e urna vez mensalmente Tabatin^a,
da Bulivia. tendo alias principiado em 1861 s os dous transportes de guerra peruanos
n'uma escala inferior a 20:0000 I I Morona e Pasiaza giraram ulimmente de
A descida dos productos bolivianos pelo Belm para o litoral da repblica. Estes
Madeira, que comeca nesta quadra, j tal, mesmos, empregados no servico de sua na-
este anno, que promette exceder muito a cao, foram de mui limitado presumo
dos anteriores.
Este facto mostra que de dia para dia re-
dobra a lenden ia do commercio e industria
navegaco mercante desta parte do
zonas.
Mas se nao tem crescido o numero
A ma-
jos
evitar sinistros, quando, na poca da va- lberes urna folha verde com que oceultam minhos, e atravez de um extenso deserto
de urna parte da republici para se aprovei- transportes, teem estes pelo menos augmen-
taren! da va fcil e burla do Amazonas, tado de capacidade, accommodacoes e ra-
abandonando o extenso e spero carainho pidez.
que separa os seus departamentos cis-andi- De tudo isto vem que os antigos barcos a
nos do porto peruano de Arica, e o ainda vela, tao acanhados, elo morosos em ven-
ina is difficil e dilatado que os separa da pe- cer a inmensa distancia que separa as duas
quena enseada de Cobija, capitaes, tenham ido sendo abandonados a
Esses departamentos sao, pela'fronteira pouco e pouco pelos carregadores.
da provincia, o Bjoi, Santa Cruz e Cocbam- De 57 que se re,'straram em 1860, com
bamba, os quaes, alm de militas tribus er- 1,614 toneladas e 359 tripulantes, somante
rantes, contera urna populacao que as ulti-' 37 se empregaram no commercio de cabo-
masestatisticas offi.i es elevam a 622,817 tagem entre o Para e esta provincia, no
almas. exercicio de 18631864, arqueando 1,057
Alli colhe-se presentemente o cacea em toneladas, e sendo tripulados por 247 pes-
uma quantiade media de 25,000 arrobas soas.
liespanlolas por anuo, Gcanio ainda des-1 Contrario movimento observa-se as ca-
approveitadas, por falta de mercado, abnn- nas empregadas no commercio de regato,
dadles cacuaes sylveslres. a mais fatal e infecunda das industrias que
A criacao do gado, o preparo do charque poderiam introduzir na provincia inimigos
e dos couros, o cultivo do arroz, do milbo, ioteressidos no seu atraso e miseria, ena
da mandioca e outros cereaes da zona torri- miseria e depravaco dos rudes iiabitantes
da, a agricultura da canna e o fabrico do as- do interior d'ella.
sucar, a do algo 1a >, sua liacao e tecilo, sao A despeito do pezado tributo de que sao
as industrias principaes dessa parte dar- oneradas, cresce tod" sos annos a cifra des-
pubbca. sas funestas embarcacoes. Muitas, talvez
Os tres departamentos podem offerecer o maior numero, subtraem-se as exigencias
ao commercio do Brasil, urna vez realisida do tisco, c forram-se ao pagainen o do im-
a navegaco a vapor no Made ra, e facilita- posto. Sem contar as que esto neste caso,
do o pequeo transito terrestre por meio de registrou a reparticao da fazenda provin-
iima estrada que elimine as fadigas, risos e cial, no mesmo exercicio cima, 101 dellas
enormes embaagos das cacboeiras, urna ex-!carregando 4041 neladas, e tripuladas por
portaco de 3,000:0000, ou 1,500:000 pe-266 marinbeiros.
sos liespanbes, que pouco mais ou me- Subiram a 1,302 os passageiros que, naa
n>is, a quanto monta hoje o sen commercio vapores da Ia lidia da companbia do \ma-
de importado por via do Pacifico. As tro-'zonas entraram e sahiram desta ca.ital no
cas realisadas pelo Amazonas elevar-se-ho coirer do anno de 1864. s que transita-
portuito, des le I go, a 6,-K):):OO)0 ram entre ella e os portos da 2a liuln che-
Ora, devendo ser infai ivel o augmento,' garam no mesmo periodo a 893, como de-
assim da produccao como do consumo, tajadamente mostra, em relaco aos ulti-
desde que fr maior o mercado, e mais fa- mos annos, o resumo que se segu :
jguirain 180! '"'''
uspui
ante, se empregarem navios graudet nessa o distinctivpggo sexo. Os horans apanham
navegaco. 'ocabello swNqbouca, atam-no com urna
Em circumstancias normaes, de 15 tira de panno ou de envira, semelhanca de
palmos o menor fundo que se .encontra no'chicote, prendem na ext emidade algumas
canal. Um barco a vapor vence bem as'pennas d* arara ou pajagaip. Slta ao
curvas, mas n descida preciso grande vento deisam as muflieres a madeixa, e uqs
caulella para contorna-las. e outros cortam na frente o cabello. *
Encontrante em diversos pontos algans Descendoao ultimo gru de abjeccao.os
cachopos de gres, perfeitamente conhecidos Caripunas veodem temporariamente mullte-
dos | raticos. Quasi todos esses' cabecos res efllhas, violentando-as ao trauco nefan-
emergem na vasante, e ordinariamente avi- do, quando por ventura a elle se reca-
sinham-se das barreiras. sam.
A natureza de terreno explica essa posi- Essa degradacao, que raro se encentra
Cao. O gres, mais ou menos indnrecido, nos povos selvagens, tem suas raizes mais
escasso em alguns lugares, em outros mais remolas as relacoes dos antigos viajantes
abundante e elevado, forma a base ondeas- de Matto-Grosso.
senta a argila, de que se compoe u as bar-; Estes indios e os Maus constituem es'e
reiras respeito urna excepeo infeliz entre as tri-
Para a navegaco de canoas, muito pou- bus do Amazonas,
co se adiantaria emprehendendo-se qual O Caripuna dado com excesso embria-
quer melhoramenio em algumas cacboeiras, guez, de que faz um motivo de festa. para
e era o resultado compepsaria a despeza, a qual se atavia com os seus melbores en-
porque asmaiores e maisperigosasoecupam feites.
ponWdifferentes em toda a*regio obstru- Extrahera do milho e da mandioca o licor
da. Esta circumslaicia ainda mais concor- predilecto, ni3s usam tambem da pupunha
re para que se no deva peosar na'passa- e outros fructos. Nao fabricam a farinha,
gem de barcos a vapor por aquellesitio. porm fulgam quando %'a do os viajantes
A rocha que constitue as cachoerra* at Extremamente imraundos, coraem os bichos
a de Tres Irmaos o granito de differenles e insectos mais repugnantes. Sao bons re-
especies, apparecendo d'ahi por diaute o madores, e fazem da casca de pan as canoas
micasebisto com vieiros de silex, alguns de de que usam.
grande forca, como na cachoeira de Peder- Fortes e ageis, correm longas horas atraz
neira, onde perfeitamente se distingue o da caca, sem experimentar cansaco, e s
contacto e metamorphismo, empregam a Aecha quando o animal de fa-
lla no Madera 18 saltos e correntezas. ligado j quasi nao foge, Teem para si
Contarara 21 osprimeiros exploradores, e que o homem civilisado nao supporta como
1 os modernos, por distingmrem Guajar- elles'o exercicio, em consequencia do uso
ass de Guaiar-merira, que alias consti- do sal. A feicao do Caripuna, como a do
tuem urna s e a mesraa cachoeira. Mura e a do Mau, assemelh -se da raca
A do Theotonio a maior e a mais bella hebrea,
de todas. Delle differem completamente os Pammas.
Tem ali o rio 250 bracas, e o salto 6 de Trazem estes impressas na pbysionoinia a
50 palmos aproximadamente. docilidade e abrandura d'alma, bons instinc-
Seguem-se a esta, as do Ribeiro, Mj- tos de que sao dotados. *
deira e Bananeira. \ Entre o Caldeiro e Giru, ha tambem
No Theotonio, inevitavel a varacao das urna aldcia de Cariuunas indomaveis.
canoas. No Giru e Ribeiro, onde todos Pouco abaixo da cachoeira de Araras,
coslumam executar igual operacao, toda- existe a aldeia docapito Buxi, iiho dores-
via p -ssivel a passagem_ pelo canal, sendo o peitavel capitao Tupy do Abun. Sao tam-
pratico hbil, e as canoas grandes. De ou- bem Caripunas os indios das duas aldeias,
tro modo corre a tripolacao o risc i de au mas de boa ndole e trabajadores. Tupy
fragio. e o de urna morte quasi certa.
Naufragaram, no decurso do anno passa-
do, cinco canoas, perecendo 8 pessoas entre
ellas o norte-americano Tompson. Com a
vida, perdeu este a quanta de 20:0000000
conti mais de 70 annos. Educado em Matto-
Groso, falla bem o portuguez, e referein
os bolivianos que a sua patente foi-llie con-
cedida por S. M. o Imperador.
Urna estrada qoe, seguindo pela margem
ceis e ufcff hiralns ns IraiiTDortcs. Jora., Passujeiros mo cguiram
de andida que, dentro de poucos annos, ao-, ue .nanaire patd-o
brarao de expanso e va'or as relacoes de
interesse dos d us paiz-s. Talvez nao se-1
ja exageracao o dizer qu-s cora cinco an-
nos de livre e commodo transito por no sas j
aguas, o movimento de importacao e ex-'
portaco da Bolivia attingir a cifra de ris
tes de escala da I'
nha. .......
Passageiros que entraram
em Manus, proceden-
tes dos portos de esca-
la de l'Minha. .
no tCaldeirao do Inferno. O resto da tri- direilade Santo Antonio al Guajar, evite
poaco, depois de errar durante 20 dias os obstculos e perigos das cacboeiras, e
pela Aoresta, chegou a urna aldea do Cari- proporcione accesso franco para a eneantoa-
punas ferozes, onde novos perigos o; aguar- da provincia de Matto-Grosso. e para o co-
davara. Em um dia de folia e embriaguez raco da Bolivia, como demonstrei era ou-
escaparam felizmente os nufragos ao furor tro lugar, melhoramento reclamado alta-
dos selvagens. nao menos /remendj que o mente pelos interesses tanto do Brasil co-
dos turbilhoes da cachoeira. mo dessa repblica e de todo o centro da
Tambem no salto de Bananeira preciso, America do Sul.
na vasante, varar as canoas; mas ah o pas-*f Em 8 dias v e um barco" vapor, sem o
so curto. menor impeedio, da capital do Para a San-
Nos outros menos perigosos, e as cor- to Antonio. De Guajar ao porto de Trini-
rentezas, .conforme a poca, passamespia did, capital do departamento boliviano do
as canoas carregadas; porm ordinariamen- Beni, po lem igualmente, na maior parte
te necessariotirar todo ou parte do car- do anno, navegar vapores que nao deman-
regamento, tendo as vezes o canvnho, como dem m is de 5 a 6 palmos d'agua ; e de
acontece no Giru, tresentas bracas de ex- Guajar cidade do Matto-Grosso, antiga
tenso. capital da provincia do mesmo nome, fran-
A mais dilatada e trabalhosa das cacho- ca a uavejaejo, ainda para navios de maior
.1,. u.,
476
647
434
868
12,000:00 0, admiilindo que o consumo Passageiros que transita-
nao sobrepuje a'li a produccao, e que a re-
publica apenas mpo'te por esta frooteira
valores equivalentes aos que exporta-1.
0 trafico difficil e despendioso que essas
regiis to nossas visinhas hoje manteen.
ra^n entre Manus e os
portos de escala de 2a
linba......530 893
E' digno de atiendo o augmento notavel
que se observa no numero de i assageiros
atravez de urna via terrestre spera e ex-Ida 2a linha durante o anno de 1864, com-
tensissima cirio porto de Cobija na pro- parativamente ao que o aniecedeu. Confron-
Antes de chegar ao salto ou cabeco for- das Pe Iras, que demora lo leguas acuna
Coso desearregar quatro vezes a embarca- do forte do Principe da Beira; mas podem
C3 ser substituidas d'ahi em diante, nessa qua-
0 Bibeirao offerece um curioso pheno- dra do anno, por outros de menor capaci-
meno hydrographico : a desigualdade do dade.
nivel d'agua, na direceo da normal. Assim, dando 7 dias para vencer com
Do alto da cachoeira prolongam-se quem, descanso as 45 leguas de estrada, as mer-
pelo meio do rio, alguns ilhotes de pedra,' cadoi ias sabidas de Belm chegarao a Trini-
I sendo o leito mais elevado do lado direito. dad com 17 dias, e a Matto-Grosso com 19
Por este motivo, o nivelamento das aguas a 20 de viagem, tendo sido esta de 8 dias
nao pode cffectuar-se logo depois da queda.' entre Belm e Santo Antonio, de 7 ent^e
Pela parte inferior da ultima ilhota cor- essepnnto e Guajar, e de 2 entre Guajar
rem ento, da margem direila para a es-1 e Trinidad, ou 4 a 5 entre Guajar e Mal-
querda, as aguas velozes e frem-ntes, por to-Grosso.
priarepblica, e o de Arica na do Pe to-
do se trasladar para o Amazonas, apenas
se lhe faciliten os meios de communicaco,
ese pr-porcine aos gneros de produccao
boliviana, sob o principio de reciprocidade
(que a repblica j de aolemo nos offere-
ceu), os mesmos favores e isenfoes conced
dos aos do Pei e Venezuella.
Alm d-s industrias mencionadas, Co-
chambamba e Santa Cruz possuem importan-
te minas elavras de ouro, prata e estanho.
Cochambamba produz tambem excedente
trigo, e. com urna populacao de 376,770 al-
mas, o celleiro da repblica e de urna par-
te do Per.
Era ambos esses deparlamentos, que con-
finamcom o-Beni na planicie tras-andina,
encontram-se, finalmente, regioes de climas
frgido, temperado e tropical, com as pro-
dueces corre pondenles a essas diversas
temperaturas.
Esse territorio extenso e feracissimo, com
urna populacao essencialmente laborijsa e
pacifica domis de meio milliSo de habitan-
tes, experimentar, por certo, notavel in-
cremento na sua industria, produccao e
commercio quando, embora comprimido tes da corapanhia do Amazonas, na primei-
pela cordilheira, que-o separa do Pacifico,
deixar de se-lo pelo Amazonas, que o ligar
ao Atlntico, aproximando-o sbitamente
dos grandes mercados do mundo.
A navegaco fluvial alli crrente duran-
te todo o anno pelo Mamor eseus afAue;-
tes, e apenas se difficulta nos pequeos rios
tributarios, no decurso da estacao secca,
effectuando-se ordinariamente em canoas e
igarits de 50 al 200 arrobas.
De Guajar, cima das cacboeiras do Ma-
deira, e ponto terminal da estrada de que
tenho fallado como devendo ser o comple-
mento da linha de vapor d'aquelle rio,
podem, na maior parte do anno, ansitar
desembaracadamenle vapores de 5 a 6 pal-
mos de calado at Trinidad, capital do
Beni.
Cochambamba dista daguella cidade 100
leguas, das quaes 60 se navpgam pelo Ma-
mor e pelo Chapare, cabe-eir deste, e 40
fazem-se por ierra. Santa Cruz dista d'alli
92 leguas, 60 de navegaco pelo' mesmo
Mamor, e o Sara e Piray, suas cabeceiras,
e 32 de via terrestre. .
Ligadas, pois, como sao entre si as tres
capitaes por facis vas da communicaco, e
todas ellas pelo Madeira ao Amazonas, e por
este ao ocano, nao pode ser duvidoso o r-
pido desenvolvimento da industria e do com-
mercio d'aquellas regias, tao feriis quoj
pouco conhecidas.
tadas ambas estas cifras, acha-se < m favor
da pnmeira um exce*so de quasi dous
tercos.
Este excesso, (pie nao considero mero ac-
cidente, consequencia, e serve ao mesmo
lempo de segura prova, do desenvolvimen-
to que se vae fazendo sentir naquella parle
da provincia.
Incremento igual experimentou, dentro
do referido periodo, o movimento das car-
g s. S na viagem do mez de dezembro,
transportou o Inca um carregamento do
valor de 117:5880880, sendo 106:2100032
de gneros procedentes da repblica do Pe-
r. Os subsequentes carregamentos do
mesmo paquete teem sido superiores
quelle.
E' fcil descobrir neste prospero acon-
tecimento o resultado do servico que pres-
ta actualmente ao commercio do litoral pe-
ruano o vapor Pastaza as viagens regula-
res que est fazendo de Iquitos a Taba-
tinga.
Julgo de interesse apresentar-vos no map-
pa annexo leltra L) as distancias por I. guas
entre os diversos pontos de escala dos vapo-
causa dessa differenca de nivel e dos cacho-
pos, que constituem outras tantis pequeas
cacboeiras.
Mais para diante, a direceo e forca da
A repblica da Bolivia cora quem, se-
gundo j fiz ver, entretemos as melhores
relacoes, essencialmente interessada como
no aper'eic/>amerito da communicaco pelo
corrente modificam-se, segurado as aguas Madeira, visto como disso depende o desen-
pela diagonal, ale finalmente confundtrem- volvimento e prosperidade a que aspira,
-se com as dasmargens. !nao deixar por certo de prestar todo o
No Giru, a immensa massa d'agua do apoio abertura dessa importante via de
Madeira esca-se por um aperlado canal de communicaco, que interior, e ao mes-
20 bracas de largura. Todo o perigo pro- mo tempe internaciomd.
vm disso, e nao da differenca do nivel,
que nesse lugar nao grande.
Achando-se o rio cora 2|3 de \ asante,
i quando ali esteve o engenheiro Coulinho,
Em favor de semelhante melhoramento,
militara ainda, as condicoes dos deparla-
mentos bolivianos que nos ficam fronte;ros.
Nos do Beni e Santa Cruz da Serra, vae-
que s os camellos podem vencer.
. Da Europa ao Para i viagem incorapa-
ravelmente mais cuita, a navegaco muito
menos travada de -pangos, e portan to os
/retes muito menores do que para Cobija.
Em Chuquisaca, quasi 4/5 do preco por-
que chegam as mercadorias representam o
frete I
Pode-se porabi avaliar o custo fabulosis-
imo dellas nos ricos departamentos que nos
ficam visinhos, e mais distantes da costa do
Pacifico.
Tudo -sto, impossivel desconhece-lo,
contribue poderosamente para que o Madei-
ra e o Amazonas sejam o caminho por onde
se realisar no futuro o melhor do commer-
cio da Bolivia.
Quando a populac i desenvolver-se no
valle do Beni, ser de grande conveniencia
proporcionar-lhe a sahida pelo Prs, que
o caminho natural dest'oulra regio.
Aproveitando alguns affiuentes de um e
outro rio, se econonisar urna grande dis-
tancia por trra, reduzindo-se a travessia
a 12 leguas talvez.
Nao vos desconhecida a importancia das
antigs relacoes entre Matto-Grosso e o Ama-
zonas, por via do Madeira.
Muitos dos seus governadores e princi-
paes magistrados penetraram na provincia
visinha, seguindo as aguas do nosso rio.
O commercio tambem por aqui se enca-
minhava.
Os canhoes que rida hoje guarnecem o
forte do Principe da Beira. e todo o mais
trera bellico d que necessitava a fronteira
foram conduzidos pelo Madeira e Uapor.
No intuito de facilitar e proteger a nave-
gaco, fundaram-se; alm de outras cima
daquelle forte, as povoacoe-s de Trocano, na
fozdo Hyamary, de Theotonio e Ribeiro, as
cachoeira .
Acidado de*Matto-Grosso, antiga Villa-
Rica, c'iegou a conter 12,000 habitantes.
Em suas visinhancas prosperava a criacao
e a agricultura.
Hoje ludo isso desappareceu com a trans-
ferencia da capital para Cuyab. A popula-
Cao indgena, que auxiliava efiieazmente a
navegaco, reduzio-se consideravelmente,
depois que, extractas as misses, surgiram
os regatees e o directores. Das povoacoes
de que cima fallei nem vestigios restam.
D'ahi resuitou, com > era natural, o en-
fraquecimenlo das relacoes pelo Madeira.
Mas o que acabou de malar a sua navega-
do foi de certo o abandono que disso fez a
adminislraco, segura como eslava da fron-
teira por este lado.
Entretanto, o Madeira a melhor via do
communicaco para Matto-Grosso. A excep-
cao das 60 leguas interceptadas pelas ca-
cboeiras, o rio pode ser livremente navega-
do na parte superior, durante talvez nove
mezes do anno, e na inferior, segundo in-
forma o engenheiro Continuo, e o prova a
viagem do Inca no mez de agoto do anno
passado, para que o seja por navios de maior
cala lo, mesmo na quadra da mxima- vasan-
te, bastar desobstruir o canal nos dous pon-
tos indicados anteceden temen te.
A despeza que exige este melhoramento
poder importar, quando muilo, em ......
200:0000, segundo a opinio daquelle dis-
tincto protissional..
Ascichoeinis, como sabis e tenho pon-
j..htiu) puuuiu uw uiinuauupmmero *o
urna estrada, cuja extensao ser, pouco mais
ou menos.de 45 leguas, visto dever seguir
directamente pela margem direila, desde a
primeira atea ultima cachoeira, cortando a
volta que o rio descreve para o poente.
Nem o Tapajoz, nem o Tocantins ofiere-
cem iguaes facilidades : o piimeiro, porque
contm em seu leito emuaracos insupera-
yeis ; o segundo, porque, alm de quasi
idnticos obstculos, deixa sempre entre o
seu ultimo ponto navegavel e a cidade de
Cuyab urna distancia de cerca de 90 le-
guas, isto quasi o duplo da extensao que
deve ter a estrada de que me oceupo.
A falta de indios para a navegaco ha de
suppi i-la o vapor ; os gneros alimenticios
no-Ios ceder a Bolivia, lo interessada co-
mo o Brasil, ou ainda mais do que o Brasil,
no aperfeicoamento dos transportes pelo
Madeira.
O governo imperial lomar cortamente a
iniciativa deste. grande melhoramento, fa-
vore endo os interesses das duas provincias
do Amazonas e Matto-Grosso, e as do im-
perio em geral, bem como as justas aspi-
rares da Bolivia.
(Continuar-se-ha.)
: podem, em vista de suas informaeoes, ser se desenvolvendo satisfactoriamente a agri-
as cacboeiras classificadas em quatro or- cultura. Sao alli excellentes as Ierras para o
deas, segundo os obstculos que apresen 'cultivodo caf, canna, tabaco,algodaoe ou-
' \lmA j -r, -u ilros Seeros. O tabaco rivalisa com o de
1* Ordem.-Theoton o, Girau, ftbeirao e Havana, o caf com o de Moka e o assucar
iraS" a e Caldeiro do Io-.prio tive occasio dereconhecer, examinan-
. i do algumas amostras desses productos, tra
3a Ordem Santo Antonio, Paredes, Pe- zdas pelo engenheiro Coulinho.
derneira, Araras, Lages, Pu- Da Bolivia descerara, no anno passado,
ramle e Guajar. 70 ubs carregadas com a importancia de
cerca de 120:0000 em gneros de lavoura e
2a Ordem.Madeira
ferno.
rae segunda linha desta provincia," desde
Villa-Bella da Imperatriz at a frontera de
Tabalinga.
ESTUDOS SOBRE ROS DA PROVINCIA,
EXPLORADO DO MADEI'A
O engenheiro Joo Martins da Silva Cou-
tinho, cuja illustracao e amor ao trabalho
deve a provincia servaos da maior trans-
cendencia, apresentou-me, ao regressar de
sua viagem, o resumo das observacoes que
o incumb de executar no rio Madeira, con-
forme as instrueces de que j tendes co-
nhecimento.
Quatro mezes gastou elle no desempenho
dessa penosa e arriscada commisso, levan-
do-a a a ultima cachoeira do rio.
^Mesmo durante a secca, pode o Madeira
ser navegado por barcos a vapor que de-
mandem de 6 a 7 palmos, limpando-se o
canal em frente s ilhas de Uru e Ablhas,
nicos pontos que algum obstculo offere-
cem presentemente.
No estado actual, passam livremente, de
dezembro agosto, navios de 8 palmos de
calado.
As melhores cartas de nada servirianr*
navegaco d'este rio,- como geralmenle
acontece com es outros da provincia.
Rpida a odrrenteza durante a enchente,
sera consistencia as margens, to'rnam-se ex-
tremamente variaveis os bancos ; o canal de
hoje j nao o mesmo de hontem ; e s a
criacao, como fossem, couros, graxa, cacu,
charutos, assucar, charque, gado, etc.
Tendo comecado hontem, por assim dj-
zer, o commercio com este visinho estado,
4a Ordem.Morrinhos.
As correntezas sao: Macacos, Tres-Ir-
mos, Perequitos e Misericordia.
D'estas, maior a segunda, e depois
a quarta.
Entre as cacboeiras do Theotonio e Cal-
deiro do Inferno, ha tres aldeias de Cari- v"se Que despeito das delongas, riscos
punas, urna na margem direita, e duas na e despezas de viagem to penosa, o seu fu-
esquerda. Nesta, e para o centro das ter- tur0 promette ser summamente lisongeiro.
1 ras, teem sua morada os Pammas, tribu que' Favorecen io esse commercio, a abertura
tambem se encontra nos affiuentes do Pu- da estrada animar e fomentar por si s a
rus prximos ao Ituxy. [industria e o trabalho naquelle paiz, pro-
0 Caripuna assemelha-se em tudo ao Mu-, porcionar um largo consamo aos seus
ra: como este indolente, depravado e productos, e far desapparecer do nos-
mu. so mercado a escassez e a exftessiva caresta
dos prmcipaes gneros de alimentaco, a
Mudos viajantes teem sido victimas de sua > comecar pe|a carne de gado,
ndole malfazeja, Apresentara-se humildes1
e submissos, se a comitiva grande ; po-1 Nos campos do Mamor, a criacao aug-
rm ostentam-se exigentes, arrogantes e at .ment de urna mencira extraordinaria, e
ferozes, se veem pouca gente. o charque pode ser vendido aqui por 50 a
Pem na frente as mulheres, para mais 60 a arroba; o quesera de um beneficio
incalculavel para a populacao. que nutre-se
exclusivamente depeixe e tar/aruga, alimen-
taco fraca e pouco sadia, alm de relativa-
mente cara
A estrada do Madeira parece destinada a
exercer urna grande inAuencia sobre a Bo-
"ivia, quando I he for' franqueada a navega-
0 governo da Bolivia, ne intuito de cha-jobservaca'oipor assim dizer diaria poder
geito poderera furtar o que Ihes assa-
nha a cabeca ; e adestram as criancas, des-
de os mais tenros annos. nesse vergonhoso
exercicio. Pedem importunamente quanto
veem, e mesmo o que nao Ihes cahe debai-
xo dos (dhos, e. enfadam-se quando nao
sao satisfeitos% Por esta form>, em vez de
auxilio, constituem um verdadeiro obstacu-! cao des'se rio e a do Amazonas,
lo navegaco daquellas desertas paragens. | Ento, as vanlagens que ella promette se
Andam estes indios completamente ns, h5o de estender mor parte do territorio
sendo pequeo o numero dos que vestem a
cascara camisola feita de casca de arvore,
de que usara os da Bolivia.
Por toda a compostura, trazem as mu-
visinho. visto como as comraunicacoes entre
Cobija e os principaes centros de produccao
da repblica, sao lentas e difficilimas, con-
forme j fiz ver. Fazem-se pof speros ca-
BKSTA DIARIA.
Amanhaa pelas 10 horas do dia celebra-se
urna missa solemne em exora^ao de graca ao Tudo
Poderoso, para a companliia de homens pretos des-
la provincia, que breve tem de seguir para o sul,
slim de defender nos campos do Paraguay a causa
nacional.
A commisso encarregada desta solemnidade re-
ligiosa convida a nossa populacao a dar-lhe a ma-
gestade condigna com a sua as.-isteocia na impe-
rial capella da Estancia, onde tem lugar essa func-
cao que tanto tem de piedosa quanto revela o pa-
triotismo dos sens iniciadores.
Acha-se recolhida no Novo Banco, para ter o
devido deslino, a quanlia de 1:1225000, producto
de urna subscripcao para a fundago do asylo de
Invlidos da Patria, promovida entre varios cida-
dos da freguetia de S. Vicente, comarca de Naza-
relh.
Esta idea genorosa nao pode deixar do achar
echo as almas bem formadas, e isto j vai se ma-
nifestando por actos signilicativos, como este que
ahideixamos consignado, e cuja iniciativa perten-
ce aos Srs. padre Joaquina Francisco de Araujo
Vasconcellos Pimenta, Francisco Xavier de Andra-
de, Joo Alves Camello Peteira de Lyra, e Luiz
da Silva Pereira.
A sociedade recreativa Coribantina da a sua
partida deste mez no dia 17 do correte.
Em data de 30. de maio ultimo, fui pelo jniz
municipal supplente de Caruar tenente-coronel
Joao Vieira de Mello e Silva, pronunciado Jos Ne-
grao Villela as penas de art. 193 do tod. crim.
por haver raorto cora dous golpes de facao a Ale-
xandre de Souza Mello, nodi.-irictode Panellas.
O criminoso no mesmo dia da pronuncia fui pre-
so por um inspector de quarleiro, e acha-se Miz-
mente recolhido a cadeia de Carorii; pois corra
que elle tenlava vingar pelo assassinio de alguns
individuos que contra elle depozeram na inslruc-
co do processo.
Differenles portos da Uniao foram declarados
at ulterior ro'oluco fechados ao commercio.
Este acto anda foi do finado presidente Lincoln,
e.tem a data de 11 de abril prximo passado ; de
sorle que por forca delle, todo e qnalquer navio que
tentar entrar nos portos abaixo indicados, ser se-
questrado e conjunctamente o respectivo carrega-
mento.
Os portos defesos sao os seguales :
Riehmond, Rappahannock, Cherrystone, Jfork-
town e Peter.-burg, oa Virginia ;
Camden, Elizabeth City, Edenton, PlimonU),
Washington, Newbero, Ocrecoke e Wilmigton, na
Carolina do Norje ;
.Cbarleston,GejrRetwn Beaufort, na Carolina
do Sul;
Satannah, St. MarV, Rrunswick e Darien, na
Georgia;
MQbila, na Alabama ; -
Pearl River, Shieldsborou|h, Natchez e Virks-
tiurg, no Mississippi ;
St. Agustn, Cayo-Hueso, St. Mark, Port Len,
St. Joan, Jai ksouvilie e Appalachiocola, na Flo-
rida ;
Theche e Franklin, na Luisiana ;
Galveston, Lasalle, Brios deSantago e Poiot
Isabel, no Texas.
Amanhaa lem lugar, na Igreja do Espirito
Santo, a festa do Senhor Santo Christo dos Mila-
gros, orando no Evangelho o Rvm. Leonardo Grego
e no Te-Deum o Rvm. Antonio Manoel d'Assump-
53); precedend-a, pela madrugada, urna missa
cantada a N. S. do Cenculo.
O Sr. Colas Qlho, em obsequio aos devotos, exe-
cutar diver.-as vanac/jes de rabeca antes do ser-
mo da festa.
A' tarde sahir da raesma igreja a procissao do
Espirito Santo, que percorrer as roas do Impera-
dor, das Cruzes, do Queimado. do Livramenlo, Di-
reila, do Terco, Augosta, de Hurtas, da Camboa do
Carmo, das Flores, Nova, Cabug, Independencia,
do Crespo, do Imperador recolher.
Remettem-nos a seguate noticia :
< Ha na ra do Rosario da Boa-Vista algoem
que espanca de modo desalmado a amas enancas
com tanta frequencia. que quando nao est na ja-
nelta, oceupa-se a inflingir taes sevicias I Nao sei
que parentesco haver entre esse algaero. e as
crianzas, mas certo que as pancadas nao cessam.
E nao poder haver para isto alguma providen-
cia ?
c E' o que Ihe peco, senhor redactor, que soli-
cite pela sua Revista, pois brbaro que lal cousa
se d.
O director da sociedade de msica Uutao
Commercial, pede-nos para que declaremos, que a
| mesma sociedade tncou na festivldade do Divino
j Espirito Santo, no convento do Santo Antonio, em
j virtude do honroso convite que Ihe foi dirigido pela
irmandade respectiva e nao por offerecimeuto, como
diz o chronista .1a mesma fesla, no sen communi-
cado publicado em nosso numero de hontem.
Xa noite de quinla-feira o subdelegado do lc
districlo da freguezia da Boa-Vista, providoneiou
de modo, que poode capturar nm cem numero de
autores de disturbios as occosiSes em que locara
mnsicas pelas ras. Muitos delles sendo escravos,
foram castigados, e de esperar qae de semelhan-
te providencia se colha b)m resoltado. A oosadia
desses escravos inquahficavel, e precisara elles
que a polica os nao perca de vista.
Nos abaixo assignados, passageiros do vapor
S. Francisco, sufocaramos os impalsos de nossos
coracoes.rommetteriamosuma falta grave e imper-
doavel se nao raanifesiassemos publicamente o sen-
limenlo de gratidao de que nos acharaos possui-
dos para com o mui digno commandante, im-
mediato, medico e mais dignos oflciaes do referido
vapor.
Conduzindo o mesmo vapor cerca de mil e du-
zentas pessoas dos portos do norte para esta corte,
e trazendo urna viagem de murtos das, esta devora
ser naturalmente incommoda, principalmente para
aquees que pela primeira vez embarcavam mas
estes injommodos eram perfeitamente amenizados
pela delicadeza, desvello e zelo daquclles dignos
cavalleiros que nao poupavam esforgos para miti-
gar nossos soffiimentos. A par da austeridade in-
dspensavel ao martimo, elles sabiam collocar a
delicadeza do homem e os sentimentos de humani-
dade dos coraroes bem formados: os pobres sol-
dados que traziam ao seu bordo faziam particular-
mente objecto principal dos seus cuidados, mesmo
porque, mal accommodidos, reclamavam tnais ur-
gentemente pelos seus soccorros, a todos finalmen-
te, aquelles distinclos olDciaes prodigalisaram seus
benelicios.
u Sr. lente Steple, este moco distiucto que
honra a nossa armada, e que soube inspirar-nos
sympathia e estima pelo muito que nos prestou
digne-se aceitar o nosso siucero e particular agra-
decimenlo.
Acceitem, pois, os Srs. commandante, immediato,
medico e offlciaes do vapor S. Francisco esta pu-
blica manifestado como um vol de reconhecimen-
to e gralidao pelos tanlos e lao repetidos obsequios
de que os abaixo ass;nados jamis se esquccero.
Bordo do vapor 8. Francisco, raaio de 1865.
Aitpael-cnmmandanteApinnio Gomes Leal.
uiz Eduardo CVvalfio, comlUcior do corpo de
voluntarios do Maranhao.
Jos de Cerqueira Lima, major do 1. corpo de
voluntarios de Pernambuco.
Bacharel Jos Paulino da Cmara, capitao do
1. corpo de voluntarios de Pernambuco.
Hermillo Peregrino David Madureira, capi-
lo.
Dr. Jos Zacaras de Camino, 1." cirurgiao.
Jos Luiz Pereira, capitao.
Joo Vicente de Brito Galvo, capitao.
Alexandre Marcellino B.
Francisco Sabino Freitas dos Reis, tenenle.
Joaquim Jos Goncalves de Gouva, tenenle.
Manoel de Carvalho Paes de Andrade Gouvin,
lente.
Manoel Jos da Cmara, alferes.
Miguel Joaquim do Reg Barros, alferes.
Miguel AfTonso Ferreira, alferes.
Joaquim Ribeiro de Aguiar Montarroyos Jnior,
alferes.
Marianno dos Reis Espindola, alferes.
Jo;Jo Ferreira Leite, capitao-mandante.
Joao Capistrano de Aguiar Montarroyos, te-
nenle.
Jos Rodrigues de Oliveira Lima, capitao.
Quiotiliauo Heorique da Silva Primavera, te-
neute.
Antonio de Albuquerqne Maranhao, tenenle.
Francisco Vidal Aranha Montenegro; alferes.
Manoel Gongalves Nunes Machado, capitao.
Manoel Lourenco da Silva, lente.
Francisco Antonio de Oliveira Sobrnho, al-
feres..
Vicente Angosto do Nascimento Fetosa, al-
feres.
Francisco Goncalves de Arruda, capitao do 8.c
TibuilinoPinto de Almeida, tenente.
Francisco Jos da Silva, lente quartel-mestre.
Jos Coriolano Mendes Lina, alferes.
Guilherme Francisco de faula Montenegro, al-
feres.
Jos Antonio Ribeiro de Freitas, tenente-aju-
dante do 1. corpo de voluntarios de Pernam-
buco.
H. da Silva, tenente.
Fernando Pacifico de Aguiar Montarroyos, al-
feres do 1." corpo de voluntarios de Pernambuco.
Jos Francisco Correa de Araujo, cadete.
Virato T. de Mello Barreto, cadete.
Manoel Gomes de Albuquerqne.
Ignacio Camello Pessoa de Slquera Cavalcanti
Jnior.
- Emygdio Pires d'Oliveira.
Joa Nepomuceno Marques.
Jos Cavalcanti de Paula iNonato.
Antonio dos Santos M. de Aguiar.
Joaquim Marques Santiago.
Manoel Carlolano dos Santos, alferes.
------ttEPARTIQAO DA POLICA :
Extracto das partes do dia 9 de jnnho de 1865.
Foram recolhidos casa de detencao no dia 8
de junho:
A' o dem do Illm. Sr. Dr. chefe de polica, Ra-
fael e Cypriano, escravos, este de Joao Silverio de
Souza, e aquello do Dr. Francisco Pinto Pessoa, o
1/ disposicao do subdelegado da Varzea, e o ul-
timo requerimento de seu respectivo senhor.
A' ordem do subdelegado de Santo Antonio.Jos,
escravo de Joao Luiz de Franga, por fgido.
A' ordem do de S. Jos, Jos da Costa e Tniago
da Costa, ambos por briga.
O chefe da 2" seccao.
3. G. de esquita.
Casa de detenqao.Movimento do dia 8 de iu-
nho de 1863 :
Existiam 343; entraram 6 ; sahiram 2 ; exis-
tem 317, a saber : nacionaes 236, mulheres 3, es-
tringeiros 26, mulheres 2, escravos 54, escravas
6,total 317.
Alimentados cusa dos cofres pblicos, 134.
Movimento da enfermara do dia 9 de junho.
de 1865.
Tiveram baixa:
Raymundo Jos de Sani'Anna.
Antonio Florencio da Paixo.
Mara Francisca da Cooceico.
Jos escravo de Joao Loiz de Franja.
Teve alia :
Joaquim Lins Pereira.
Cemiterio pubuco. Obituario do dia 8 de
Junho de 1865.
Jorge, Pernambuco, 1 mez, Boa-Vista; convul-
soes.
>
'
.
i,
IvIUTJL
ILEGIVEL
,: .'-.





i
Otarlo de Pernaniftnco Habhao 1* e #nnho de fS*.
1
Mara de Birros de Lacerda, Pernambuco, 17 ao-
ns, solteira, Boa-Vista ; febre maligna.
Felicia Mara rfe Lima, Peruambuco, 58 anaos, viu-
va. Boa-Vista; apoplexia rulmioante.
Margarida Hara da Cooceigao, Pernambuco, 33
annos, solteira, S. *1os ; hybetrophia do cora-
cao.
Mauoel, Peruambuco, 2 dias, Boa-Vista ; espasmo.
Eleodoro, Peroambuco, i anaos, escravo, S. Jos ;
ioflaramacao intestinal.
Elpidio, Pernambuco, 7 uiezes, S. Jos : pneumo-
na.
AdolpLo, Pernambuco, 1 anno, Boa-Vista
rba.
diar-
*S>0="
York, consonada ; a Henry Forter A C, manifes-
tou o seguate :
2030 barricas 'anonade trigo, 5 caixas ehepos
de palha, 1 peca de cabos, 20 barris carne, 40
caixas machinas e pertences para algodo, 6 vulu-
mes carros e pertences, 200 barriquiohas bolaxt-
nha, 3 caixas drogas, 100 caixas agua de Florida,
100 caixas salsa parrilha, 1 caixa pilulas, 11 bar
ricas candieros, 7 caixas baldes, 100 saccas Tre-
lo, 2 caixas iguora-se, aos mesmos.
Hiate nacional Exkalacao, entredo do Aracaty,
consignado ; a J. de Sa Lcilao Jnior, maufestou
o seguale :
114 caixas velas de carnauba ; a Parele Vian-1
na&C.
25 ditas ditas, 300 esleirs dita ; a Manoel J. de
S Araujo.
28 molhos esleirs, 24 saccas algodo, 8 saccas
cera de carnauba, 93 caixas velas de dila, 667
raeos de sola ; a ordem.
35 caixas velas, 1 embrulho pennas e 130 meios
de sola; a Jos de S Leitao Jnior.
Brigue oacioual Trovador, eolrado do Rio de
Janeiro, consignado ; a Marques Barros & C. ma-
n festou o segu ule :
40 caixas cha, 20 pegas de cabos de cairo, 300
canas velas, 128 rotos e 77 latas fumo, 967 sac-
eos caf, 2532 saceos fanuha de mandioca, 50 ja-
cazes toucinho ; a ordem.
Hiate nacional Sonta Cruz, entrado do Aracatv,
consignado ; a C. C. da Costa Moureira, manifeslou
TKIBl^VL n COMMER1IO
ACTA DA SESSO ADMINISTRATIVA DE 8 DE
JUNHO DE 1865.
PRESIDENCIA DO EXM. SR. DESEMIURGADOR
ANSELMO FRANCISCO PERETTI.
As 10 horas da manha, estando reunidos os Srs.
depuiados Rosa, C. Alcoforado, Basto e Miranda
Leal, o Exm. Sr. presidente declaroa abena a ses-
so.
Lida, foi arprovada a acia da seso antece-
dente.
EXPEDIENTE.
Um officio da juota dos corretores, de 5 do cr-
reme, induindo a colagao dos prego correales da
praga na semana prxima linda.Archive-se.
Foram distribuidos pelos senhores deputados os seguinie :
livros Diario e Copiador de Mello Lobo & C, Dia-
rio de N. O. Bieber & C. successores, Diario de
Marques Gomes & C, e Copiador de Genuino Jos
da Rosa.
DESPACHOS.
No reqnerimento de Joaquim Francisco dos San-
tos Maia, pedindo o requerimeoto da certido de! consignada ; a Palmeira &
escriplura de hypotheca que apresenta : Regis- ieguinle,:
ire-se.
No de Joo Luiz Ferreira Ribeiro, qae satisfez o
despacho do Io do correle, para serem registra-
das as cinco procuragoes quo apresenta : Regis-
trm-se.
No de Amonio Gongalves de Azevedo, pedindo o
registro do urna escriptura de arrendamenlo que
ajunla :Registre-se.
No de Antonio Jos de Oliveira Lobo, apresen-
taodo ao registro a escriptura de sen coolralo ante-
nupcial :Registre-se.
No da direceo da companhia de seguros Indem-
nisadora, pedindo o registro dos seus novos esta
tuios e do decreto e carta imperial que os approvou
e que se faga a respectiva publicago Vista ao
Sr. desemhargador liscal.
Nada mais havendo a Iralar, o Exm. Sr. presi-
dente encerroa a sesso s onze horas e meia da
manilla.
& C, de cu/a liojaklago flea opcarregado o ex-so-!
co Ferreira Valenle, e os ouiros desouerados de!
qualquer responsabilidade, vislo lerem renunciado
em favor da massa em liquidago o principal rom
qaeentraram e os lucros que por ventura Ihes pos-
sa caber.
O conirato de sociedade de Jos Lnlz Gongalves
Ferreira e Manoel Alves Gongalves Ferreira, esla-
belecidos nesla praca sob a 6rma de Jos Luiz Gon-
gal ves Ferreira <& C, que deve gyror por espago
de dous annos, contados do 1 de Janeiro do corren-1
te, com o capital de 46:667833, para o qual entra
o socio Jos Luiz com 30:1199737, e o socio Maooet
Alves com 16:548^096 em commandita, quanlias!
estas havidas do capital e lucros que obtiverain da
extincta sociedade de Gongalves & Cruz, da qual
fizeram parte.
Secretaria do tribunal
kimi MAilTIlOS.
companhia das Heaaagerles Im-
periales.
Al o dia 14
do correle mez
espera-s- da Eu-
ropa o vapor
francez Gvtrnni',
o qual depois da
demora do cos-
ame seguir pa-
ra Baha e Rio
de Janeiro.
AH
e mandado do film. Sr. Dr. juiz especial do com-
mereie das letras da firma particular do sneio ge-
renle daquella MMe Joo .Baptisia F,aguzo, P. erl.-a-se de una ama para comprar e cosiol
a quaona de 20:807*360, cojas letras se acham n urna csa de muilo pooca famila, pagase btm -
em poder d > mesmo agente a exame de quem pre- no pateo de S. Pedro o 3
tender.
a J- Paler C.
e 91 saccas algodo; a Fran-
FilBLIOACGES A PEDIDO
i:m:k;o
Dos irmos que leenide concor-
rer para a fes<; do trago na
matriz do ttautbsimo Sacra-
mento da Boa-Vista, no anuo
de 1605.
Juizes por devoro.
Os Illms. Srs. :
J >s Francisco Lavra Penna.
Joaquim Juvenclo da Silva.
Juizas.
as Exijas. Sras. :
D. Francisca Carolina Ponles Tasso.
D. Joaona Guilhermina dos Sanios Di3?.
Escrives.
Os Illms. Srs. :
JenuDo Jo- Tavares.
Dcio de Aquioo Fuoseca.
Escrivaas.
As Exmas. Sras. .
D. i! illmia Carolina Padilha Lavra.
D. Mara Benedicta Ferreira Jacoboa.
Consistorio da irinandade do Sanlissimo Sacra-
mento da matriz da Boa-Vista, lo de maio de 1854.
O vigario, Manoel Joaquim Xavier Spbreira.
3 saccas algodo
40 meio de sola
cisco Gomes de Mallos Jnior.
11 saccas algodo, 200 meios de sola ; a J. de
S L. Jnior.
Escuna nacional Ernestina, entrada do Assu',
Bellro, manifeslou o
100 barricas e 130 saccas farelo, 2 caixas phos-
phores; a ordem.
1038 alqueres sal; os mesmos.
Exportaco.
Barca ingleza Eleonor, carregou para Liverpool:
2000 saceos com 10,000 arrobas de assncar
mascavado, 1,161 ditos com 6,455 arrobas e 18 li-
bras de algodo.
Lugre porluguez Julio, carregou para Lisboa :
1243 srecas com 6,215 arrobas de assucar
braceo, 2,350 ditos, com 11,750 arrobas de dito
mascavado, 2 cascos com 90 medidas d'aguarden-
te, 231 ditus com 9,256 ditas de mel, e 16 pran-
xdes de vinhalico.
HECEBEDORIA DE REMDAS INTERNAS GE-
RAES DE PERNAMBUCO.
Rendimento do dia 1 a 8...... 6:1543074
dem do da 9 ................ 2:7055792
8:859*866
nambuco 2 de juuho de 1865.
Julio Guimares
___________________________Offliial-malor.
Tribunal do commercio.
Pela secretaria do tribunal do commercio de
Pernambuco se faz publico, que nesla data foi ins-
criptos na matricula dos commerciantes o Sr. Joa-
quim Francisco Lavra, cidado brasileiro, estabe-
leudo nesla cidade com toja de fazendas, e o Sr.
Jos de Azevedo Maia e Silva, portugnez. estable-
cido tambem nesla cidade com loja de miudezas.
Secretaria, do tribenal do commercio de Per-
nambuco 9 de junho de 1865.
O offlrial-maior,
Julio Guimares.
Consolado provincial'
Pela mesa do consulado provincial se fa? publico
que os trinla dias uteis marcados para ,a eobrauag I
bocea do cofre dos imposlos da decima dos pre-
dios urbanos de 20 0(0 do consumo de agurdente,
e de 5 OjO sobre os bens de raz perlencentes
corporages de mo mora, se principiam a coniar
do dia Io de junho vindouro, ficando snjeitos a
mulla decretada no arl. 50 do ergamento vigente,
todos os que pagarem depois de odos os ditos ;0
dias.
Mesa do consulado proviocial da Pernambuco 26
d e maio de 1865.
AdIodo Cameiro Machado Rios
Administrador.
Os passageiros de Pjrnambuco para os porlos
do commercio de Per- raLE,1.roPa 1ue T'Piram segurar as suas passagens
a bordo dos paquetes desla companhia dos niezes
j de maior affluencia, tem a faculdade de os lomar
no da que os vapores seguem para o sul, pagan-
I do porm como se fosse do Rio de Janeiro.
Para condigoes, fretes e passagens trata se na
agencia ra do Trapiche n. 9.
COMPANHIA PERNAMBUCANA
DE
Xavegac costeira por vapor.
Macei e esealas, Penedo e Aracaj.
O vapor Mamanguupe, segu
do dia l4 do correte as 5 horas
da tarde. Recebe carga do dia
10 a 13; enconimendas, passa-
geiros e dinheiro a frete at o dia
horas : escripiorio no Forle do
WM
Terga-feira 13 do trrenle
as 11 horas a porta da Assacagao Commercial.
Leilfto
Ua parte de urna casa na Parahiba a ra das
Convertidas n. 15, em qu-i existe um es-
tabelecimenio. avaliado toao predio em
2:( OOiJ, e cuja parte em 7070303 rs.,
como tambem os alugueis de cerca de 4
a 3 annos
Terga-feira 20 de junho as 11 horas.
Cordelro Minies
aulhorisado pelo liquidatario da casa commercial
de Antonio Joaquim do Mello, fara leilao da parte
e alugueis do predio cima descriptor podendo des
de j safisfazer aos pretondentes lodo esclareci-
mento, enjo leilao sera efftctoado no dia e hera
cima dilo a porta de arinazein do Sr. Annes lar-
go da alfaodega.
fttaaoel
tugal.
Jos Fernandos relira se para Por-
da sahida as 2
Matos o. 1.

30
Agua de Florida de .Hurray e
Lanman.
Na verdade cousa estranha e para admirar
que este delicado e precioso perfume, lendo sido
manufacturado mais de viole annos exclusiva-
mente para os mercados da America do Sul, e das
Antillias, e estimado por toda a populago da Ame- i
Navios entrados no da 9.
Para pelo Ass-35 dias do primeiro e 13 do se-
gundo porto escuna nacional Ernestina, de 170
toneladas, capitao Francisco Eustaquio Rodri-
gues, equipagem 11, carga sal; a Jos Mara
Paimeira.
Trieste125 das, patacho hollandez Rendrika
Ruisman, equipr^em 7, carga 1.775 barricas
com farinha de trigo; a Suuders Brothers
& C.
Cardiff35 dias, barca ingleza Favorita, de 251
toneladas, capitao A. Roberlson, equipagem II,
carga carvo ; a Wilson & Hstt.
Rio de Janeirobarca brasileira Henriqwta, ca-
pitao Vicente Joao de Aquino, carga assucar i
ouiros gneros.
Navios sahidos no mesmo dia.
Ro de Janeirovapor de guerra amerlcaoo Wejo
mina, commandante W. Bankhead.
Liverpool por Lisboa.vapor inglez Gahleo, com-
mandante F. Russell.
COMPANHIA BRASILEIRA
DE
PAQUETES A VAPOR.
i i E esperado dos porlos do norte
*^&te^t^v at o dia 23 do correule, o vapor
*' ^4rakT^- l'arcnu*' commandante o capitao
'^ln lie frazala Antonio Joaquim de
^P Sania Barbara, o qual depois da
demora do cosame seguir' para os porlos do
sul.
Desdej recebem se passageiros e engaja-se a
carga que o vapor poder conduzir, a qual dever
ser embarcada uo dia desua chegada, encommen-
das a dinheiro a frele at o dia di sahida as 2 ho-
ras da larde : agencia roa da Ciuz n. 1, escripto-
rij de Antonio Luiz de Oliveira Azevedo & C.
Para flio de Janeiro.
Prelendrt seguir com muita brevidade o palha-
bote Ptedade, tem parte do seu carregamento a
bordo, para o resio que Ihe falta e escravos a fre
te para os quaes tem excellenles commodos, tra-
a pagar no seu escripiorio ra do Vi-lnii/^m?ss?i,stro,gl,at*ro9 Afllnio Luu de
tl ,L I A a AzeveJo i ^-. no seu esenptono ra da
lar .e do! Cruz o. i.
COMPANHIA
DO
sa
O caixa desta companhia commendadi
Thomaz de .4quino Fonseca acha-se autori-
sado
gario n." 19, das 10 horas as 3 da
dia 2 do corrente em diante o 34 dividen-
do desta companhia ra proporco de 3,3
por dda apolice, previne-se aos Srs. accio-
ii stas que este pagamento deve ser emmoe
da de cobre que na especie que o mesmo
Sr, caixa tem recebido dos arrematantes dos
chafarizes desla companhia.
Escripiorio da Companhia do Beberibe Io
de junho de 4865.
O s-cretario,
Jos Eustaquio fterreira Jacobina.
EBITin.
O Illm. Sr. inspector da thesouraria provin-
cial, por deliberacao da junta da fuenda, manda
fazer publico, que se acha encorporado aos pro-
pri s provinciaes a fabrica do Monteiro de retinar
assucar, por execucao que promoveu contra Jos
Guilherme Guimares, e que essa encorporagao
liouve lugar pela quanlia de 8:1465219.
E porque o e.-labelecimenlo fabril de que se Ira-
rica Ilespanhola em p'rererencia' todas as mais es- \,a seia dt grande importancia para a provincia, e
sencias e aguas de cheiro, s a pouco viesse a ser cunvenha mante-lo, urna vez que bem montado
lnalmenle iutroduzido pela vez urnjieira ueste ; como es| e prvido de todos os apparelhos neces-
|iaz depois de tao largos annos da existencia I O arios, soja dirigido por quem lenha conhecimentos
afTinco e loavavel prompndiio que as nos>as bellas [ profissionaes, e possa dispor de capilaes relativa-
pauieia., mostraram na adoptagoda mesma, pro-; men'e abundantes, manda convidar pelo presente
va que as senhoras hespanliolas, as quaes a prefe-! edl,al aos 1ue se acham em taes circumstancias a
reni propria Eau de Cologue, nao dao mais que '. oomparecerem na mesma Ihesouraria, aonde se
Din ju.-io aprego delicada pureza do artigo. ilnes dar a faculdade de visitar o referido eslabe-
Como um meio preventivo contra quaesquer im-! lecimento, atiin de que bem informados possam
posiges e fraudes, lorna-se necessario o pedirse | apresnlar suas propostas com declarago dos
a agua genuiua de Murray e Lanman, teudo-se o ; raeios lue tem para manejo da dita fabrica. O que
cuidado de examinare ver que dilos nomes se preeochido, e estabelecido por tal meio a iguildade
achem inscriptos sob cada euvoliorio, lelreiro e |de meios era diversos proponentes se abrir entre
(arrafa, pois a falta dos mesmos proya evidente estes a concurrencia linal sobre o prego e mais
Para a Baha
Pretende seguir para este porto com brevidade o
veleiro e bemeonhecid) patacho nacional D. Luiz,
que se acha com parte, da carg prompta : para o
resio traa se com Jo- .Muia Palmeira em seu es-
cripiorio no largo do Corpo Sanio n. 4.
Para Lisboa.
O brigue portuguez Soberano, capitao U. B. Bu-
gigange, vai sahir breve, recebe carga e passagei-
ros; irata-se com E. R. Rabello, ra do Trapiche
n. 4i ou com o capitao.
Para Lisboa.
Pela recebedora de rendas internas geraes
se faz pnblico que nesle correte mez que os de-
vedores dos impostes seguales : reoda dos pro-
prios naciooaes, decima adiciooal de mao-mor^a,
imposto de 20 0/0 e dito especial, relativos aoy
semestre do exercicio corrente, teera de pagar seus [ Rabello, ra do Trapiche n.
dbitos sem mulla, depois do que serao pagos com j tao.
ella. Recebedoria de Pernambuco 2 de maio de.
1865.O administrador,
Manoel Caroeiro de Souza Lacerda.
Vai sahir al o da 12 do corrente o brigue por
tuguez ii //, capitao A. F. Vhim, ainda pode
receber alguma carga a frele; traase com E. R.
44, ou com o capi
Convida-se as pessoas queesliverem nascon-
digSes do servigo militar, a engajarem-se no corpo
de polica, e gozarem das vaniagens que offerece
a lei provincial n. 611 de 2 do crreme.
Para o Aracaty "segu em poucos das a bar-
caga Flor de Camnragibe : para o resto da carga
que Ihe falta, traa se oa ra da Madre de Dos,
armazem junto a igrejo.
Para o Porto
do snafalsiJade.
Vende-se em casa de
Bravo 4 C.
Caors <& Barboza e J. C.
COMMEBOI
I
PRAQA D RECIPE.
Cotaces offlelaes.
9 de junho.
Algodo primeira sorie 132000 por arroba.
Algodo di Paralaba145000 por arroba poslo a
bordo, (com 1|4 de 2a sorte)
ubourcq Jnior,
Presidente.
Guimares,
Secretario.
.\ovoftanco de Pernambuco.
O banco paga o 14* dividendo oa razode8J
dor aego.
\vo banco de Pernam-
buco.
O iaoco descontaletras napreseote semana a
) por cento ao anuo al o prazo de quatro me-
z.!>, e a 10 0|0 al o de seis mezes
Caita Glial do banco do Brasil em
Peruambuco.
A directora desta caixa saca sobro obancodo
Brasil no Rio de Janeiro e sobre a caixa filial do
mesmo banco na Baha.
Novo banco de peruambuco.
Os administradores da massa fallida de J< Jos Silveira pagana o 1 dividendo de dita nrnsa
na razo de 9 0/0 sobre o valor des (ilulos ad-
m nidos : no novo banco de Pernambuco ra
do Trapiche n. 34.
condigoes da sua venda, com a declarago, porm.
de que taes propostas nao sao definitivas, ficando
ao arbitrio do xm. Sr. presidente da provincia
acceita las ou nao, se no seu entender nao ofiVre-
gam os concurrentes meios que garaolam e segu-
ren) a conlinuago de urna industria que a todos
os respeitos mu vamajosa provincia, teudo-se
mais em attengo a animago della, do que o maior
ou menor prego que possa ser alcangado, com lan-
o que elle salde a divida da fazenda.
A fabrica do Mouteiro s tem deixado de medrar
pelas circumstaDcias pccuuiaras de seus possui-
dores, e 6 isio que se pretende evitar, adjudican-
do-a com alteogo para eslacircumslaocia, a quem
melhor prego offerega.
De um valor muilo subido em seu primitivo as-
sentamento, com, apparelhos os maisaperfeicoados,
e todos de grande prego, a fabrica acha-se hje por
seu valor mnimo, e lal que nao pode deixar de
i dar vaniajosos resultados a quem emprehender da-
! riamente, e com ampios meios do execucao o seu
manejo, e a junta s levada do desejo d nao ser
destruida esta industria, que prefere veoder a fa-
brica com as condigdes expostas, a relalha-la, ape-
zar de ser a venda nesta ultima especie, (a que re-
correr, se nao forera preenchidas as suas vislas),
muilo mais vantajosa para a fazenda, segundo o
pensar dos que coohecem o valor da machina, cal-
deiras e outros apparelhos de que ella se compoe.
A junta recebe igualmente quaesquer outras pro-
postas, sem as condigoes cima, ou com differeu-
tes. Dase para apreseulago das proposlas o pra-
zo de 15 dias.
Secretaria da thesouraria provincial de Pernam
buco 26 de maio de 1865. secretario,
A. F. d'Anuunciacao.
ALFANDEGA.
R'-ndimento do dia 1 a 8 ......
dem do dia 9...............
DECURAgE*,
131:392*117
22:676*818
174:068/935
MOVIMENTO DA ALFADEliA.
Volumes entrados com fazendas___ 231
c com gneros..... *93
Volumes sabidos com fazendas.
f com gneros.
4- 724
6
828
------- 924
Descarregam no da 10 do corrente.
fe* rea franceza.Eigaromeroadorlas.
Bina franceza -Colognycemento e asfalto.
Barca americanaAnaconda farinha de irigo e
mais gneros.
Brigu-; inglez Imperadordiversos gneros.
E-cuna hanoverianaAunadiversos gneros.
Barca inglezaAfiran-jninereadur'as.
Barca iogleza -Ann Lizzer-froha de trigo.
Vapor ioglzSa/arf/n -mercaduras,
scuna porluguezaD. Joocharque.
Simara hespanholaMeretdtta idem.
Brigue nacional Cardiaidani.
Br.igne. neional lmporador dem.
Patacho hollandezDcnj/dem.
Barca mgiea Slary Botidcarvo.
Importaco.
O Illm. Sr. inspector da thesouraria de fazen-
da desta provincia, em virtude do aviso do minis-
terio da guerra de 19 de maio ultimo, que acom-
ianhou o reqaerimeoto e mais papis de 1). Ade-
aide Mara Germana de Aguiar, solicitando o meio
sold da patete de sea fioado marido o alferes
Jos Quiotioo da Rocha e Oliveira, coovida a mes-
ma senhora a habililar-se perante esta thesooraria
para a percepgao do dito meio sold, conforme
prescreve o ariigo 3o do decreto a. -i9 de 27 de
juaho de 1840.
Secretaria da thesooraria de fazenda de Peruam-
buco em 9 de juaho de 1865.
Cousellio de compras na va es.
Cootrata o coasellio nos das abalto declarado*,
sob as condigoes do eslylo e vista de proposlas
recebidas at as 11 da manha, o seguinle :
No dia 10 do corrente mez,
O fornecmento de fardamentos no trimestre de
jullioa setembro prximamente vindouro, compos-
lo dos segrales objectos :
Parac aprendizes artfices.
Bonets di uniforme, dilos do servico, blusas de
brim branco, ditas de algodo azul, calcas do pan-
no azul, ditas de brim branco, caigas de algodo
azul, cainitas de algodozinho, cobertores de laa,
colchas de algodo, colchos de linho chotos de
palha, fronhas de algodozinho, frdelas de panno
azul, lengos de seda pria para grvalas, lencoes
de algodozinho, sapatoes feitos no paz, saceos de
guardar roupa, e travesseiros de linho cheios de
palha.
Para os imperiaes marinheiros e aprendizes
ditos.
Bonets de panno azul, camisas de brim branco,
caigas de algodo azul, ditas de brim branco, cal-
gas de panno azul, frdelas de panno azul, lengos
de seda preta para grvalas, sapatoes feitos no
paiz, e saceos de lona de marinhagem.
Para os fuzileiros navaes.
Bonets de chapa e palla, caigas de brim branco,
ditas de panno azu', camisas de brim branco, fr-
delas de panno azul, fardas do brim branco, gr-
valas de couro de lustre e polainas de panno prelo.
Em 12 do correte mez.
O fornecimeoto de ambulaocias para os navios
da armada, servlgos de barbeiro enfermara de
marinha, c o aviamento do receituario da mesma,
tudo por lempo de um anno, a decorrer do Io de
jolhoprximo; e a lavagem de roupa da dita en-
fermara c dos estabelecimentos de mariuha du-
segue sem maior demora e com a carga que liver
a Larca porlugueza S.Jowi, capilo Manoel Perroi-
ra Leifti : recebe carga a frete barato : a trat-r no
escript.rio Amorim Irm.'ns, ra da Cruz n..3, tu
com o capilo na praca do commercio.
Para a Babia
pretende sahir com muita brevidade a veleira es-
cuna Ehza por ter a maior parte da carga, e para
o resto que Ibes falla tratase com O consignatario
Joaquim Jos Gongalves Bellro na ra do Vigario
n. 10, primeiro andar.
Para a Babia
pretenda sahir em pouoos dias o veleiro hiate 0/<-
tvo'n por tera maior pirte da carga prom,ta, e
para a piuca que Ibes falta, traia-se com o consig-
natario Joaquim Jo- Goagalves Bellro, na ra
do Vigario u. 10, primeiro andar.
AVISOS PITEMOS.
Assedaco Typograubica peroam-
bunaua.
Domingo 11 do corrente haver sessao ex-
traordinaria do eonselho director, aflin de tratarse
de negocios de muita importancia social.
Secretara da Assoriacao Typographica Pernam-
bucana 7 de junho de 1863.
i\o Impedimento do Io secretario,
Sympbronio Bastos.
LOTERA
AOS 6:000#000.
Terga-feira 13 do corrente mez, se ex-
trahir a Ia parte da Ia lotera (19a) a
beneficio da groja de Nossa Senhora do Li-
vramento da Varzea, no consistorio da igre-
ja de Nossa Senhora do Rosario da fregue-
zia de Santo Antonio.
Os bilhetes,meios e quartos esto a ven-
da narespectiva thesouraria ruado Cres-
po n. 15.
Os premios de G.0005000 at 10#00G
serao pagos urna hora depois da extraccao
at as i horas da tarde, e os outros depois
da djstrihuifaodas listas.
As encoroinendas s rao guardadas so-
mente al a noite da vespera da extraerlo
como de costume.
0 thesoureiro,
Antonio Jos Rodrigues de Souza.
hh mlimi|
-?fc O bacharel j
Francisco Ausaslo da Cosa
WH ADVGADO
5^ Ra do lroiierador numero 69.
Amendoas
Vendem-se amendoas confeiladas : na ra da
Cruz n. 13.
Noengenho Morenos paecisa-se de um bom
distilador de agurdente, e que entendi bastante
de sua prolisso : a pessoa que estive nestas con-
digoes dirila-se ao mesmo, a entender-se com o seu
propretario.
Desojase fallar ao Sr. Amonio de S Alba-
querque, do engenhn Sanio Andr, a negocio de
seu inleresse : na na ilo Bosario, taberna o. 1.
Charles Williaui Ryder vai para Europa.
Antonio Francisco Mouteiro e sua irmsTju"-
lia Looiioldina Maateiro e um llho menor da mes-
ina retirara se para Monlevido.
Sr. Jos da HUa Oliveira
residente em Goiaona, e de prsenle nesta cidade,
e morador na ra do Bariholomeu n. 45, acudindo
ao seu reclamo no Diario de hje, e s em aittn-
gao ao seu pedido, Ihe f*z ver'qwe o coiivim que se
Ihe fez por este jornal, s ticlra por lim ver se o
sr. Oliveira j est resolva antregac amigavel-
meole a letra aceita pelo Sr Manoel Paulino da
Cuuha Gouveia, do eogenho Pao Amarello do ter-
ao de Goianna, da quanlia de 5615 de principal,
e endogada em 13 de julho de 1861 por Jo< Go-
mes Ferreira da Mlva. cuja letra o Sr. Oliveira era
25 de novembro de 1862 recebeu a do Sr. Vicente
Ferreira da Cosa desta praca. para somente cobra-
la do aceitme, ou na falla della a entrega do prin-
cipal, e premio vencido da mesma. ..nminciante
bemquizera poupar ao Sr. Oliveira a publicidad*
deste oegocio, porm como o Sr. Oliveira no jor-
nal de hoje roga ao annunciante qu* por favor de-
clare por este joroal a qualidade do negocio quo
com elle tenha, por isso que se Iho faz a voniade.
Recife 6 de junho de 1865.
Veneravel orie.m terceira de /V.
S do ('armo.
Haveodo sido tranferida a procs-ao do Divino
Espirito Santo do Collegio para domingo 11 do
corrente, de novo ronvido a todos os chanssimos
irmos a comparecorem em n ssa ordem as 3 ho-
ras da larde desse dia, paramentados cora seus h-
bitos para o lim de acompanharrao la.
Secretaria da veneravel ordem terceira de N. 3.
do Caimo 9 de junho de 1863.
Jeronymo Emiliano de Miranda Castro.
Secretario.
Aluga-se urna me-agua com portie jaoella.
upa sala, um qoarto, quintal cun cacimba e pir-
tao em frente: na ra do Gazometro, progo de 8S:
a tratar cora o Sr. Valenga.
m
1 m
ATTENgao.
Quem precisar de urna ama que sabe lavar, en-
gommar e cozinhar, drija-se a rua da Lapa n. 1.
Joaqui.ii da Silva Cosa vai a PormgaI.
Jos Teixeira Luna, subdiio portuguez, vai a
Europa Iratar de sua saude.
Archibald Red, subdito inglez, retira-se para
Europa.
Zacaras
Aracatv.
Pe eir d i Cruz relira-se para o
PAIU LISBOA
O palhabote 19 de lunlio pretende seguir com a
carga que liver al o dia 20 do corrente : para o
rosto que Ihb falla, o qual se recebe a frete barato,
Irata-se com os seus consignatarios Antonio Luiz
de Oliveira Azevedo & C, no seu escripiorio rua
da Cruz n, 1.
Freta-se para qualquer porto do Rio da Pra-
t. o brigue porluguez Lnia /, de lote de 2000 bar-
ricas poue-j mais ou aleaos ; traase com K. R.
Rabello, rua do Trapiche n. 44.
LEILOES.
Leilao tas dividas da massa fallida de
Francisco domesCasMIo.
HOJE
O agente Pe*tana legalmenie autorisado a reque-
. rmenlo dos administradores da massa fallida de
rapte o mencionado trimestre de julho setembro. prMcjSM Gomes Castellao e despacho do Illm. Sr.
- JA!!? Oa.k0^1J. if .uaI'r-m_a..f522^ I uiz d" comiercio, far leilao de todas as dividas
activas perlencentes a massa do fallido cima, cu-
no referido da 10 do corrente mez a compra nao
s de 100 covados de flelo azul e 100 ditos de dilo
encarnado, como de 420 toneladas ioglezas de
ferro bruto.
Sala do eonselho de compras navaes, 7 de junho
de 1865.
O secretario,
Alexandre Rodrigues dos Alijos.
s
THE 4THO
DE
EMPREZA--COIMBRA
Recita extraordinaria.
Barca americana Anacovda, entrada
Tribunal do commercio
Pela secretarla do tribunal do commercio de
Pernambuco se faz publico, que oesta dala foi ios-
crplo nos livros do registro publico o seguale :
A carta de registro do patacho oacioual Bemfica,
de 207 looeladas, do qual sao proprietarios Bailar
& Oliveira e mestre Ludgero Francisco Mouteiro
Jnior.
O coolrato de sociedade de Manoel Aotonlo Ri-
beiro, Joo Francisco dos Sanios e Belarmino Gon-
galves de Albuquerque, estabelecidos nesta cidade
sob a (Irma de Mauoel Antonio Ribeiro & C, que
deve gyrar por espago de tres annos, contados do
1 de maio lindo, com o capital de 8:60 )0O0, pa-
ra o qual entra o socio Ribeiro com 5:600000 em
dinheiro, escravos e utensilios, e o socio Belarmi-
no coj^3:000$000 em dinheiro.
O dWtrato da sociedade de Jos Luiz Duarte de
Azevedo, Jos Rodrigues de Carvalho c Joaquim
Ferreira Valeole, dlssol.eodo a sociedade que gy-
Sabbado 10 de juaho de 1865
A orchestra dirigida pelo hbil professor Cols-
filbo, tocar como inlroducgo do espectculo a
brilhante polka de sua composigo oderecida, de-
dicada e consagrada aos bravos pernambucanos,
que voluntariamente voam a defender os brios de'
sua patria infamemeote ultrajados pelos bandidos
paraguayos, intitulada
OS KJBOES DO Mltli:
Para o que a orcheslra sera conveoientemeote
augmentada.
Findooqual represehtir-se-ha o muilo applau-
dido drama.em 4 actos
0 PODER DO OURO.
O papel de Joaquim Ribeiro carapinleiro sera'
jas relagoes acham-se em mSo do agente para se
rem examinadas, e o leilSa ter lugar sabbado 11
do correotf, pelas II horas da manhaa, na porta
da Associagilo Commercial.
Leilao
De 142 caixas com batatas marca dia-
mante W e 20 ditas com ceblas
com a mesma marca viuda no vpr
Salailin.
Cordeiro ftimes
far leilfi) por conta e risco de quem pertencer
do 122 caixas com batatas de 2 arrobas cada urna
de marca diamaote W e 20 dilas de dita 4 arroba
cada urna e 20 caixas com ceblas ludo da mesma
marca vinda ullimameute no vapor Saladin isto
HOJE
10 do correte as 11 horas oo armazem do Sr.
Aunes.
Leilao de dividas.
.Mart'ns far leilao por ordem dos credores da
massa do Rvd. psdre D. Jas Antonio dos Santos
Lessa, das dividas activas da mesma massa na m
portinca de 6.936J470 rs., em letras e docu-
mentos.
Segunda-feira 12 do corrente.
No primeiro andar do sobrado da rua da Cadeia
do Recife n. 9, as 11 horas ; a relacao das mesmas
[dividas pode ser examinada pelos pretendentes
em ruo do referido Martns. _______________
Lc.ilt de farinha de Trigo.
Seguoda-feira 12 do corrento as H horas.
Manoel igaacio Rjdrigaes Praga, subdito
porluguez, vai a Europa.
Joao Antonio Gomes Guimares, vai a Europa e
lev,i em sua companhia sua mulher e urna cria
menor.
Januario Marsecano, subdito italiano, vai pa-
ra Europa.
Francisco Jos Lopes, sua senhora e urna
sobrinha menor re iram-se pira Europa, levando
em sua companhia a viuva D. Mara Tbereza Bar-
bosa.
Joaquim da Silva Costa leudo de ir Portu-
gal deixa por seus procuradores em Io lugar oSr.
Antonio J^s de Farias Lino, em 2o Bernardo Al-
ves Pinheiro, era 3' Jos Rodrigues Canhoto.
Jaymc Esnaty, subd.io francez, vai para Bue-
nos-Avres.
Macario Brando, subdito
se para fra da provincia.'
napolitano, retira-
Francisco Carvalho
ra-se para Furopa.
subdito hespanhol reti-
Aluga-se urna escrava moca para o ser?igo
Interno de casa de familia, a qual cose, cozinha e
engomma : quem precisar dirija-se a Santo Ama-
ro, sobrado junto ai) cemiierio inglez.
Preelsa-se saber onle mora o Sr. Llaudlno
de HolUnda Cavalcant aQm de ser entregue urna
carta vinda do Itio de Janeiro, ou dirija-se a rua
da Impeoatriz n. 40.
Monte Pi'Popular PernanilHicano.
De ordem d directora convido aos senhores
socios para no domingo 11 correnta assbtirem a
bengao do emblema do padroeiro desta sociedade,
que'dever ter lugar na igreja de N. S. do Livr'a-
menlo, as 9 l|2 horas da manha.
Secretaria do Monte Pi Popular Pernarabucano
8 dojfcoho de 1865.
B. Falcao de Souza.
1 secretario.
Agencia de passaparte.
Claudino do llego Lima, despacbante do passa-
porle, lira-os para drnlro e fra d> imperio por
commodo prego a presteza: na rua da Praia, pri-
meiro andar n. 47
O abaixo a-signad<> faz scienie ao Illm. Sr.
inspector da ihesouraria provincial.qne mudou sua
residencia do lugar do Socorro, freguezia de Ja-
boalao, para o lugar do Peres, Ffogaezia dos Afo-
gados, isto desde o dia 18 de feveroiro deste cor-
rente, e dexcu de continuar cim o sea enUbVle-
cimento desde esta data, e por isso pe.de ao Illm.
Sr. inspector que Ihe mande dar baixi aos imp<)S-
ios que pasou ne-ti tlH^oorarii. Kecife 8 de ju-
nho do HG'i. Antonio loa oim da C isla.
escrava parda Aguida" quo s.i aclnva a!u*
gada na rua do Pilar n. 0, aosentou-se desde o da
8 do crreme, levando com-igo urna norgao do
roupa ; faz-se esle annnncio por se igmra'r a re-
sidencia da senhora de dita escrava, e pira preve-
nir qnalquer evenlualidade.
OITereco-sii um moco com ortica de taberna,
padaria e rcHnacao : no pateo do Paraizo n. 2.
.va rua das Trincheiras n. 43, primeiro an-
dar, deseja-se fallar aos Srs. Drs. Gncalode A-
gniar Hotto do Menezos e Antonio Pinto da Rocha,
Francisco de Paula Cavilcaoli Wan lorluy Lina, Jj-
s Francisco Graciano, Lonrenco Carvalho de
Araojo Cavalcanli, Jos Francisco Marlns de Al-
meida, a negocio quo uo ignorara.
O abaixo assignado declara pelo presente a
todas aquellas pessoas a quem o abiix" a>signa1o
dea dinheiro por emprestim > sobre letra- e outros
liiulos, que. se com a maior brevidade nao o^ vie-
reraresgaiar, serem assionajos, e isiosom reserva
de pessoa alguma.
Antonio de Parias Branlo Corleiro.
KaiiSe qualquer transaccao cim dnis letras
j vencidas, aceitas urna pelo I)-. Qongalo de A-
guiar It uto de Meneies, a ontra aceita polo Dr.
Antonio Pinto da Rocha (di Bihia) : a ouem con-
vier procure ua rua das Triucheiras n. 43, primei-
ro andar.
JOTMMy
Precisa-se alugar um 1 ou 2o andar em urna
das segninits ras : Imperador, larga do Rosarlo,
Nova, Croles, praga de Pedro II, Concordia, Auro-
ra, Imperatnz e praga da Boa-Vista : a tratar na
rua de Santo Amaro de Santo Antonio n. 6, pri-
meiro andar, das 7 as 9 1|2 horas da raaohaa, ou
a larde, das 4 horas era diante._______________
Precisa-sede urna ama que saiba cozinhar e
engommar, para casa de rapaz solteiro : ua rua
da Praia n. 22._____________________________
O Sr. Jos Antonio Alves de Miranda Guima-
res deixou de ser caixeiro da llquidagao do falle-
cido Thomaz de Aquioo Fonseca Jnior.
Aluga-se urna preta para todo o servigo da
casa, e um preto para trabalhar em sitio : oa rua
do Seho n. 14.____________________________
| ~ Aluga-se um bom moleqile e 18 annos : a
tratar na rua do Crespo n. 24. esquina.______
Precisase de urna ama que saiba coser e
cozinhar: na rua do Imperador o. 71. segundo
andar.
Do aonuncio do Sr. Manoel Ignacio d Siqneira
Cavalcanli, publicado no Divio de 8 do correle,
tendente ao engenho Mussayb i, s se p le prezu-
mir que esse seohor perdeu no tofo a cabega ;
mas com ludo semire diremos ao d nido, que o en-
genho de que se traa, perlenee de hoje para sem-
prc ao Sr. Luiz Antonio Gongalves Ferreira, e que
nao foi vendido com os escravos, que S nc. ag ira
llzera alienar para nao pagar a Jorge Guerra, e
niio dar cnmprimenti ao que bavia tratado com
seu iranio Joaquim Salvador, de cuja b >a fe abu-
sn indignamenie.
Constando nos que pretende relirar-se do nos-
so palco o difracto artista dramtico Lisboa para
fra da provincia afim de eogajar-se em ouira com-
panhia, como apreciadores do mrito do dislincto
artista, rogamos ao digno empresario Sr. Coimhra
queiraempregar seus esforcos, alim de qn nao li-
quemos privados de apreciar por mais lempo o
mencionado actor, e mesmo porque ser bom sen-
sivel empreza, a retirada de um de seus dignos
membros.
Com isto o mesmo Sr. emprezario, a quom o pu-
blico desta cidade Ihe vola muita gralidao, far nao
s um graode servigo a sua empreza, como tam-
bem dedicagao n anecio que o puhljco em geral,
e especialmente dous amigos do mencionado actor
e do mesmo Sr. Coimbra, Ihe consagrara.
Por dous amigos.
Irmandade do Divino Espirito Santo
do convento. Por ordem da mesa cegadora convido a todos os
nossos irmos para comparecerein em o nos-o con-
sistorodorainco II do corrente, pelas 3 horas da
tarde, afim de encorpora'dos arompanharmos apr.v
cisso do Divino Espirito Sanio qu.? lera de sabir
da igren do C dlegio.
Cooslstorio 9 de junho de 1865.
Joao Walfredo de Medeiros,
Secretario.
Saca-se sobre a
Saques.
praga di Baha :
no hrgo d)
de ^ew- rava nesta praga sob a Bruta de Duarte, Carvalho
desempenhado pelo Sr. Amoedo.
Terminar o espectculo a nova e muilo linda
comedia em 1 acto
0 marido no prego.
PERSOSACBNS: ACTOnES
Aleixo Teixo de Azeredo Queixo,
advogado..................... Lisboa.
Joo Cesar Keroandes ......... Pinto.
Bruto da Rocha, criado.......... Teixeira.
D. Lacrela, mulber do advogado* D. Eugenia.
Rosa, criada.................... D. Leopoldina
A scena passa-se em Lisboa, em ca;a do D. Lu-
crecia na actualdade.
Principiar s 8 horas.
OLYMPIO
se
o andar da casada rua do Queiraado n. 29, pro-
pro para escripiorio de advogado : a uatar na
loja do mesmo
vender em leilao cerca de 800 bOrricas de fari-
nha de irigo marca Fontana, era lotes a vontade
dos empradores, oo caes do Apollo em freote da
ponte. ________ _____________________
i LEILAO
De ilhiias dt missa de Amorim, Fra-
2071) S'tliv C Alugara se dous grandes sobrados cora com-
*> i *i' modos para numerosa familia, novos e aceiados,
| COMlell*0 MIlBOes cora ardiro, cocheira, estribara e outras commo
far leilao a requerimento dos administradores da didades, na travessa de Julo Fernanies Vieira :
massa fallida de Amorim, Fragozo Sanios C, a tratar aa rus. da Seuzala Nova n. 42.
Corpo Santo, escripiorio de Jo*
Precisa-sede urna Ana quo s^j*-forra
comprar e co inhar : na rua Dlreila n. 80.
Mara Palmeira.
para
Deseja-se saber qu-m ne^ia cidade o cor-
respondente do Sr. Joaquim J>s Cii-nhra de An-
drade Junior.^oengenhj Leo, na Escada.
Precisa-se do urna ama qae saiba cosinhar o
engommar : na rua da Palma n. i, taberna.
Estrada de ferro.
O solicitador Pedro A. da Oo-ta Machado pre-
cisa fallar com oSr. Joo Krenzer, a negocio quo
nao ignora : na rua do Rangel n. 33, primeiro
andar,
Altencao.
Hotel de Frasca.
Precisa-se para este hotel de ura bom copeiro.
Os abaixo asignados declarara ao publio e es-
pecialmente ao corpo da commercio qne dissolve-
ram a socl^dado entre amo conlrahid.i sob a ra-
tao de Joao Luiz dos Santos A C., Odando acareo
do socio Joo L'ilz-dos Samo-, oai-iivi e passivo
da extracta firma R-cife 9 de innho de 18a5.
J '5o Luiz dos Santos.
R linio de Castro.
Prersa-se de offlciaes de fnnileiro : na rua
Nova n. 38.
INJECCAO BROW.
Remedio infallivel contra as gnoifbbo-
antigas e recentes, nico deposito i a eas
tea franceza, rua da Cruz n. 82 pre
co33

i
^


Oferte ^le rernanttenco nMbndo O e Junno de 1S*.
GRANDE ARMAZEM DA EXPOSigftO DE LONDRES
DE
THOMAZ TE1XEIBA BASTOS
N, 60Ra da Cadeia do RecieN. 60
.
Todos os artigos abaixo mencionados, forara comprados recntenteme pelo dooo do estabele-
cimento as prieoipaes fabricas de Paris, ladres, Birmingham, Mam-hesler, e era diversas cidades
da Allemanha, e tendo comprado ludo as melhores coodiedes por ser a dinheiro, por isso vende lodo
e qualquer artige-baralo, por menos do sea valor, e mtii principalmente por querer loieiramenie liqui-
dar e ter de partir luuilo breve para a Europa.
Ha ueste vasto armazem ricos objeclos com bnlhantes, como bot5es, anneis, rosetas etc., -e
bem assim, diversas obras de ouro, como trancelias,coprentSes, oculos. face-mains, anneis, e muilos
outros artigo*, relogios de ouro, ingleies, do afamado fabricante Bennette ; completo sortimento de zendas finas e modernas ; miudezas, perfumes, perfumaras Anas dos principaes fabricantes ingleses e
francezes, comed,. T. PIVER, Lubin, L- Legraod, E. Plnaud & Meyer, Delettrez (Parfumerie du
raond lgantj, Violet, Societ Hygienique, Monpelas.Mailly, Regnier, P. Gueland, e ragleas de Eug.
liimmel e outros ; ricas galanlarias ein marfim, mar de perola, etc., fabricadas na China e no Japo;
ricas'pecas de oristal fino como ainda nao appareeeram nesta cidade, e bem a>sim modernos lustres
para velas, ditos para gaz e para petrleo, serpentinas, casticaes, enfeites e adornos para cima de con-
solos e para grande toillelte, o que se letn feito de ais elegante em Pars, em Londres, Birmingham
etc.; moderaos apparelhos de metal fine inglez para cl e caf, os quaes nada lem de inferior prata,
e umitas outras pecas do mesmo metal, ricos pentes de tartaruga da ultima moda para trancas de se-
nhoras, excedentes lavas de pellica do s famado Jouvtn, apparelhos de porcelana fina para cha e caf,
ditos para jamar, e immensos artigosde!porcelana fina donrada, como ricos vasos para flores, flgras,
etc.; calcado dos principaes fabricantes *!e Parise ditos de panno ct rosla de borracha, pianos dos
celebres fabricantes Pleyel, Wolf St C, realejos modernos de avioli & C, para se tocar na ra, ditos
com figuras para saldes e ditos com figuras em movimeuto ; modernos e bonitos instrumentos de physi-
ca (mgica) para tbeatros ou sales, ditos de phairtasmagoria ; lanlernas mgicas, cosmoramas cora
vistas novas, diaenoi te; stereocopios de nova iavencao e cora bello sortimento de vistas das principaes
cidades da Europa ; grande sortimento de brinqudos finos para enancas, e bonecas fallando papai,
mami; grande sortimento de candieiros a gaz, os que se tem feito de mais elegante e qae tem Mere-
cido toda a aoettacSo na Europa, grande e magnifico sortimento de caixinhas, cestinhas e outras galan-
teras feitas de orina e seda propnos para presentes ^ grande sortimento de estampas finas coloridas
com o fundo preto e de outras de todos os santos, ditas com figuras e ditas com novas paysagens para
cosmoramas, fiaos e bem graduados vidros para cosmoramas, um bello chafariz de chrlstal, proprio
para raeio de mesa dejantar ou para ja'rdim ; cuteiarra fina, como lalheres com cabo de metal fino, co-
iheres, thesouras finas, ditas modernas para alfaiates, navalhas finas, caivetes e outros artigos, diver
sos artigos feitos de rame; completo sortimento de mascaras de velludo, setim, cera, papelao e ra-
me, doces, confeitos e chocolte em caixinhas e em vidros; camas de ferro de;todos os tamanhos, laya-
torios, etc.; ricos quadros para cartoes de visitas e ditos grandes e pequeos para retrates; chapeos
de sol, bengalas, chicotes e ditos para carros; machinas para fazer caf, ditas para bater ovos, propnas
para quem faz po-de-l,boIinhos,eic.; bellos cortinados arrendados, verdes, encarnados e brancos;
pannos para cobrar mesas, boleas grandes e pequeas fiara viagens, e outros artigos, como cobertores,
malas, etc.; sortimento de violdes linos ;| figuras finas e jarros de alabastro ; galantarias e outras pecas
de charo para toillelte ; machinas para varrer o chao, excellentes machinas para photographia para
lirar retratos, grandes e pequeas ; lindos baloes de papel fino transparente e lanternas coloridas para
illuminac5es moda de Paris, salva-vida de borracha, para homens e senhoras, proprios para quem
toma banhos em lagares fundos ; ameixiJs novas em caixinhas, blscoitos inglezes era latas, grana 10-
gleza 97 ; cerveja em barricas das principaes marcas de Londres, queijos etc., e mullos outros artigos
que para enumera-tos seria um nunca aabar. e todos se vendem barato e muito barato no grande ar-
mazem da Exposico de Londres, na ra da Cadeia do Recife n. 60.
GASA DA FORTdflA.
Aos 6:0000000. /
Bllhetes garantido*.
A' f.uA no Causeo n. 23 r. casas do costomi.
O baixoassignado vendeu nos seos muito feli-
zes bilbetes garantidos da lotera qae se acabou
de extrahir, a beneficio da Santa Casa da Miseri-
cordia, os seguintes premios :
-Um quarlo n. 538 com a sorte de 2:060*000.
E outras muitas sortes de 1005, 40*, 20* e
109000.
Ospossuidores podem virreceber sens respec-
tivospremios sernos descontosdas t-eis na Casa
da Fortuna ra da Crespo n. 23.
Acham-se a venda os da i* parte da i* lotela
(19*) beneficio da igreja de N. S. da Livramen-
to da Varzea, que se extrahir a 13 do crreme.
PRECO.
Bilhetes.....7*000
Meios...... 3*800 -"
Quartos.....1*900
Para as pessoas qne compraren del005000
para cima.
Bilbetes.....6*800
Meios......3*280
Quartos.....1*700
Manqel Martins Fiuza.
Precisa-se de urna ama para o servico inter-
no e externo de casa pequea : na roa das Cruzes
n. 35, primeiro andar. ______________
Aluga-se a casa terrea da ra das Calcadas
o. 48 : a tratar na ra do Queimado n. 32 coro
Azevedo Irraos.
Aluga-se a casa terrea n. 41 da i ua da Glo-
ria, pertencente a irmandade de S. Pedro : no pa-
teo dn Carmo n. 28.
Mesa geral
DINHEIRO FRANCEZ.
Vendem-se moedas de curo e notas do Banco, e bem assim urna colleccao desde um centesimo
at mil francos : vende-se barato no Recife ra da Cadeia o. fiO, no armazem da Exposico de Londres.
gas
o**
o
z
o
25 =
w
Q
Para completa liquidacao vndese, por muito menos de sen valor, perfumaras muito finas e
novas chegadas recentemente de Paris e de Londres dos mais afamados fabricantes seguintes : Eng.
Rimmel, R. Matheus & C, Lubin, Sociedade iiygienica, Piver, Violet, L. Legrand.Delelrez, Pinaud &
Meyer, Regnrer, Mailly, Gillet frere ele, etc., dos quaes ha grande sortimento d'agua de colonia em
vidros e garrafas, agua de lavande, agua para limoar denles, oleo babosa, extraclos em gariafinhas e
vidros de differentes modelos, pos para limpar denles, baohaem potes e em vidros, pomadas, ricas
caixinhas e balainhos com perfumaras para fazer presentes, e muitos ootros artigos que se vende por
menos de seu valor, bem como todos os arlieos em geral existentes no grande armazem da Exposico
de Londres, na ra da Cadeia do Recife n. 60.
Para senhoras.
Ricos e modernos pentes de tartaruga para tranca de senbora, o que se tem feito de mais ele-
gante at o presente : vende-se por menos de seu valor para se liquidar, no grande armazem da Ex-
posico de Londres, na ra da Cadeia do Recife n. "
60
Luvas novas de Jouvin.
Vendem-se excellentes luvas de pellica recentemente chegadas de Paris, tanto para homem co-
mo para senhora por menos de seu valor para se liquidar: no grande armazem da Exposico de Lon-
dres, na ra da Cadeia do Recife o. 60.
ANTM casa
Domingo 11 do corrate, pelas 9 horas da ma-
nha$, no consistorio da irmandade do Santi.-simo
Sacraiento da matriz de Santo Antonio, de confor-
midftfe com o que determina o compromisso da
mesma irmandade, se proceder a eleieao da nova
meta qae tem de funccionar de 1865 a 1866. Reci-
fe, 6 de jonho de 1865. ^^^\
O bacharel Joao Francisco Teixeira tem o
seo escriptorio de advocacia na ra do Queimado
n. 15, primeiro andar, por cima da botica do Sr.
Itibeiro, onde pode ser procurado das 9 boras da'
manha s 3 da (arde e dahi por diante navendo'
de urgencia em casa de sna residencia, na mesma1
ma o. 12, terceiro andar.___________________I
D-se 1:000* sobre hypolheca em predios
ioformacSes na roa da Cruzes n. 42.
Ama de leite.
Precisa-se de urna ama sadia e com bom leite
na ra Imperial, sobrado n. 87.
Ama
GUILHERME DA SILVA GUIMARAES.
5
5
CIIJJLES IMS QUllHJltK DECORES
Fafzenda ainda nao*visla
e que vem operar urna completa revolucao as modas.
Chegou urna pequea porco
para amostras.
CnAPEJLOUS
de fil e pal ha de fa lia.
Cheg:das pelo ultimo paquete
oe esplendido gosto e
qualidade especial.
BOlfETS DE IMLIIl
e chapeos ente Uados para senheras e meninas.
Capas.
Soutsmbarques. /
Polonezas.
Roupa franceza para homem.
utm'isas para tmem e senhora.
Sedas, linhos e
Algodes.
Completo sortimento de riqoissimos e sumptuosos artigos
PAW
QKADf, TOIXET
Como sejam enchovaes piara caamentos, b.tisados etc., etc. Vestidos
de phanwsia, grinaldas, enfeites camisi-
nhas, manguiios e gollas pri-
morosamente bordados.
Assim como
FAZEHDAS B&RRTRS ?m USO ORDINARIO.
A 6$000
Chegcju novo sortimentimento de
Cortes matisados a liarla Pia.
A 300 rs.
O covailo de ransselinas de cores.
A 240 rs.
O covadp de editas largas francezas
escuras e claras.
A 280 rs.
O covado de chita de linho cor de palha.
A 2#300 rs.
Cortes de chitas largas francezas cora 10 eovados escuras e claras.
PARA ROUPA OE ESCRAVOS
Os senhores de engenho ecooomisarao muito visitando na occasiao de snas compras para este fim este
estabelecimento pois alm de fortes e encorpados algodoes americanos azues e
de listas da Babia, inglezes etc., ah encontrarlo o
Famoso algodao mineiro
e irniiensas 0D?ras faiendas
NA
%*m&
Na ra d Assumpcao n. 60 precisa-se de urna
ama para casa de familia de duas pessoas, que
compre ecozlnhe.
Roga-se a pessoa qne foi no da S a ra do
Crespn. 16 para vender 48 libras esterlinas, ter a
bondade de apparecer no mesmo escriptorio para
he ser entregue urna libra.
Precisa-se do urna ama de idade par.i cosi-
nhar para duas pessoas: na ra das Cruzes n. 24,
estabelecimento de molhados.
n.
Precisase de urna ama para o servico de
urna casa de familia : na ra larga do Rasario
primeiro andar da casa n. 40.
Engenho
Arrenda-se o engenho d'agua, na freguezia de'
Ipojuca, denominado Jussar de Sanl'Anna, urna
legoa e raeia distante das eslacoes da Escada e Ipo-
juca, com trras excellentes de massap para se
safrejar em grande escala : a tratar no pateo do,
Livramento n. 23 com o Dr. Ignacio Nery da Fon-'
seca._________________________________
xsr Na ra da praia de Santa Rita, con-
fronte a ribeira do peixe, casa n. 13, segundo an-
dar, recebe-seencommendas de bolos de bacia para
as vesperas de Santo Antonio, S. Joao e S. Pedro,
affiaucando-se nao so a bemfeitoria pela pratica
que ba, como tambem commodidade nos preces,
em vista da boa qualidade : as pessoas que quize-
rem, podem ali se dirigir a qualquer hora do dia,
que acharaocom quera rtatar___________
a ra do Rangel n. 60 ha para se alugar
um ptimo criado muito fiel, e duas pretas com as
habilidades necessarias para o servico interno de
casa de familia, .
A irmandade do Divino Espirito San-'
to de S. Francisco declara que nada deve a
pessoa alguma, mas se alguem se julgar
credor aprsente a conta para ser incon-
tinente pago. Recife 8 de junho d. 1865.
O tnesoareiro,
____________Francisco Jos Coelho.
Attenco.
Ronbaram da casa em frente ao chafariz da So-
ledade, um relogio de ouro, com os signaes segnin-
les : machinismo a cyhndro, da fabrica de Caraa-
cho do Rio de Janeiro n. 170... junto a elle urna
corrente de tres trancelins juntos, seguros por duas
argolas de ouro, um sinete que era um cao peque-
no e urna bola pequea cravada de contas azues :
pede se a quem for offerecido o favor de levar a
ra da Paz o. 12, que ser gratificado.
Ama para casa
Precisa-se de urna ama para cozinhar e engom-
mar para urna casa que s tem duas pessoas : no
becco das B"ias n. 2, 1- anJar. ___________
Sociedade Recreativa l'nryban-
tina.
De ordem da directora desta sociedade commu-
nicoaos senhotes socios que lera lugar no-dia 17
o recreio do correle, e que os convites s se po-
derao fazer al o dia 16 do mesmo.
Secretaria da sociedade recreativa Corybantina
8 'de junho de 1863.
F. M. do Amaral.
____________________1* secre'arlo,
Prog' mina da fasta do Senhor Santo
Christo, eda prorisso do Divino Es-
pililo Santo, na sna igreja do Col-
Icgio
Domingo II do corrente, as 4 1|2 horas da ma-
nha, lera lugar urna missa cantada N. S. do Se-
naculo ; as 10 horas em ponto entrar a testa do
Senhor Santo Christo dos Milagres (Ecce Homo),
sendo orador no Evangelho o Rvm. Sr. Leonardo
Juo Greep. As 3 horas principiar a sahir a pro-
ci-sao do Divino Espirito Santo, subindo ao ar por
occasiu da sabida do andor um lindo carraman-
cho ; as 4 oras da larde seguir a mesma a
percorrer as ras j annuncidas, advertindo de
novo que aquellas que se acharem inlransilaveis
se tomar oulra direccao. Recothida a procisso,
lera lugar o Te-Deum, sendo orador o Rvm. Fr.
Antonio Mantel d'Assumpcao, linalisando todo o
acto pelo tiramento da bandeira, pelos fructos e
dons do Divino Espirito Santo, que servirem na
proci-sao : roga-se a todas as corporaedes religio-
sas enia/s pessoas convidadas para a dita procis-
so de abrilhantarem o acto com o seu compare-
cimento. Ouiro sim roga-se aquellas pessoas que
tem meninos e meninas para servirem de figuras
de as mandarem para igrrja as 10 horas da ma-
nha, afim de se poderera preparar.
Consistorio da irmandade 8 de junho de 1865.
M. L. da Veiga.
Escrivao.
Ama de leite.
Precisa-se de urna ama de leite : na ra estrel-
la do Rosario n. 32, 2* andar.
KttftttBMKBBM
S8 O Dr. Cosme de S Pereira conti-1
H na a residir na ra da Cruz 53,1
i \" e 2o andar, onde pode ser proco- i
rado para o exercicio de sna profis- S
. s5o medica, e com especialidade I
fll sobre o seguinte a
Io molestias de olhos;
2o de peito:
3o dos org5os geni-
ti nrinarios. -
Em seu escriptorio os doentes se-
rao examinados na ordem de suas
entradas comecando o trabalho pe-
los doentes de olhos.
Dar consultas todos os di as das
6 as 10 da manha, menos nos do-
mingos.
Praticar toda e qualquer opera-
q5o que julgar conveniente para o
prompto restabelecimento dos seus
doentes.
Samuel Power Jolmston Companhia
Ra da Senzala Nova n. 4.
AGENCIA DA
Fundido de Low Hoor.
Machinas a vapor de 4 e 6 cavallos.
Moendas e meias moendas para engenho.
Taixas de ferro coado e batido para enge-
nho,
Arreios d carro para um e dous cavallos.
Relogios de ouro patente inglez.
Arados americanos.
Machinas para descansar algodo.
Motores para ditos.
Machinas de costura.
wmmmmmwMzm
Companhia fidelidade de seguros $
martimos e terrestres ra
estabelecida no Rio de Janeiro.
AGENTES EM PBHNAMBUCO
Antonio Luiz de Oliveira Azevedo & G, jp
competentemente autorisados peladirec- xg
loria da companhia de seguros Fidelida- jg
de, tomara seguros de navios, mercado-!
rias e predios no seu escriptorio ra da B
Cru: n. 1.
mmmm mmmm mmm
O Dr Carolmo Francisco de Lima San-
tos, contina a residir na ra do Impera-
dor n. 17, segundo andar, onde pode ser
procurado a qualquer hora do dia e da
noite para o exercicio de sua profissode
medico; sendo que os chamados depois
de meio dia al 4 horas da tarde devem
ser deixados por escriplo. O referido
Dr. nao abandonando nunca o estudo das
molestias do interior, prosegue, cora
o maior atrinco, no das mais difflceis e
delicadas operacoes, como sejam dos or-
gaos urinarios, dos olbos, partos etc.
Segundo dividendo
da massa fallida de Amorioo, Fragoso,
Santos & G.
Paga-se o segundo dividendo a razad de 2 por
cento, no escriptorio da administracao da massa, a
ra do Vigario n. 13 primeiro andar, as quartas
feiras e sabbados do mel dia as 2 horas da tarde.
O bacharel Lourenco Avelino de lbu-
I querque Mello continua a ter seu escrip- J~
K torio de advogado nos auditorios e tribu- 91
vm naes desia cidade : na ra do Imperador ^
mmmmmm mmmmm mmm
O London & Brazillan Bank, saca por doos
os paqueies.sobre
Lisboa.
Porto.
Braga.
Vianna.
Guimaraes.
Villa Real.
Coimbra.
Amarante.
4 luga-se
um sitio na campia da Casa Porte, com duas ca-
sas, urna a em que moruu o fallecido Thomaz de
Aquino Fonseca Jnior, feita a moderna, e conten-
do todas as accommodac5es precisas, e outra com
boas commodidades para qualquer familia : na
, ra do Vigario n. 19, primeiro andar._________
A luga se urna sala do primeiro andar da ra
[ do Queimado n. 41 : a tratar na mesma.______
Precisa se de urna ama para casa de duas
pessoas para cozinhar : na ra da Penba n. 23,
primeiro andar.
Aluga-se na Passagem da Magdalena, ra do
Bemfica, os sobrados ns. 7 e 9, com bons commo-
dos para familia : trata-se na ra do Trapiche
numero 4.
Massa fallida deAmorim,
Fragoso, Santos &C.
Os senhores credores que ainda nao receberam
o primeiro dividendo, queiram vir recbenlo no
prazo de cinco dias, irados os quaes, os abaixo as-
signados recolberflo as quantias exisientes ao de-
posito publico, na forma da lei. Pernambuco, 6 de
junbo de 1865.Os administradores,
Jos Jeronymo Monteiro.
Justino Jos de Souza Campos.
Precisa se de um bom cozirtheiro para o ho"
tel italiano, ra do Trapiche n. 5.
Morada gratis
D-se pessoa de boa conducta para morar, o
sitio da travessa do Remedio, freguezia dos Afoga-
dos n. 21, residindo na casa da mesmo sitio, no
estado em que ella se acba, ou como Ihe aprouver,
com a condico de tratar da conservado dos ar-
voredos e das cercas, sem nada pagar de aluguel,
al que assim convenba a sen proprielario, poden-
do fazer alguma plantagao : quem assim o quizar,
dirija-se a ra de S. Francisco, como quera vai
para a ra Bella, sobrado n. 10._________^_
Aluga-se urna escrava para todo o servico
menos engommar e sahir a ra : no Hospicio nu-
mero 24.
Offerece-se para caixeiro de armazem ou es-
criptorio um rapa: porluguez, com boa letra e que
d fiador a sua conducta: a tratar no largo do
chafariz da ruado Brum n. 47. _________
Na ra do Livramento n. 19 ha para alugar
um criado escravo, e 1 moleque.____________
- Descontam-se notas do banco do Brasil e das
caixas filiaes : na praca da Independencia n. 22t
Cosme Jos dos Santos Callado ainda sacca
sobre a praca do Porto. ___
Constando-me que alguem serve-se
de minlia firma para cartear as festas cos-
tumeiras do convento, e prximamente tej
dado passos para a festa de Santo Antonio,
declaro que a ningaem aatorisei para o fa-
zer e nem mesmo pretendo festejar com
pompa o Santo Padroeiro, por me acoar
oceupado com a obra da igreja e bastante
comprometido. Digo mais que as treze-
nas slo feitas de madrugada pela cantona
das mullures, e no dia 13 as 4 1)2 horas
da manha cantarse-ha urna missa solemne
e as 7 da noite u na ladainha em louvor do
mesmo Santo.
Convento de Santo Antonio do Recife 7
de junho de 1865,
Frei Joao Baptista do Espirito Santo,
GuardiSo.
Aluga se o 1 andar da casa n. 7 da ra do
Burgos : a tratar na Senzala Nova, refinaco nu-
mero 4.
Para os festejados dias de S. Joao e S. Pedro
existe na muito acreditada fabrica de fogos de ar-
tificio da ostrada de Joao de Barros, propriedade
da viuva Rufino, um completo sortimenU de pis-
tolas, craveiros, rodinhas e fogo buscap : como
seja penoso a algumas pessoas irem a fabrica pela
distancia, os pretendentes podem deixar suas en-
commendas no armazem da bola amanilla no oitao
da secretaria da policia.____________________
- Na praca da Independencia n. 33, loja de our
ves, compra-se ouro, prata, pedras preciosas e
tamhem se faz qualquer obras de ecommenda e
odo e qualquer concert. "______
Aos Srs. acadmicos.
Vendem-se 08 seguintes 'livros qnasi no-
vos : Manuel de droit romain po Mackel-
a>y, 1 volme, pofattAQOu; Diccionaire
du contentimx commerctal por Mass, l
volume por 6k00; La femme p*r ma-
dama A Seglas, 1 volume, com estampas
finas por 50000; OEuvres de Racine, 1
?clume, com estampas finas por 60000;
OEuvres choisi$ de Buffon, 1 volme, com
estampas finas, por 4(JOOO;! Cdigo de cr-
dito predial, i volme, por'ltfiOu ; Flores
ngela, poesas por Paes d'Andrade, \ vo-
lume, por U; A velhice de CamSes, roman-
ce por Trigueiros, por 20000 ; La tie des
taitas, i volume, por!0*JO; Economiepo-
Uttque, por Garnier, 1 volume, por 20;
negras da escripturaco mercantil, por Go-
mes Jnior, i volume, por 20500; Organi-
sation |dw travail, por Louis Blanc, l volu-
me, por (0200; L'Epiphanic, pelo padra
Ventura, 1 volume, por 10(00; Leja;di-
nier des salons, i volume, por 640 rs.: na
ra do Cabug n. 2 A, loja.
Vendem-se 5 vaccs, sendo 3 paridas de pou-
co e 2 solteiras: a tratar na ra Imperial n. 27.
Parinha de mandioca
da Bahia, S. Matheus e Santa Catharina, em sacca3
de algodo da Bahia, de 2 e 3 alqueires : vende se
no largo de Corpo Santo n. 4. escriptorio de Jos
Maria Palmeira.
, 1:8004000. :
i Vende-e uraa typographia com todos os ut'enct-
lios e prepares necessarios publicacao de urna
folha de pequeo formato, e impressSes commer-
ciaes: a tratar na mesma typographia, no porto
de Tamandar da comarca do Rio-Formoso, ou na
ponteaos Carvalhos cora o conductor Flix Ramos
Leulier.
Vende-se urna victoria e urna parelha de"bo-
nitos cavallos; na ra do Imperador n. 23.
Na ra do Queimado, loja de ferragens n. 4
eende-se muito em conta um par de vonezianas.
Vendem-se os seguintes ps de frcteiras":
sapotis, pinheiras, condeca, limeiras da Percia, de
umbigo, sidras, no sitio de Beberibe da viuva .
Senhorinha Germana do Espirito Santo.
Vende-se ama escrava moca, a qual cozinha,
compra e ensabua, sabendo um pouco de engom-
mado : na ra do Arago n. 22,
a ra da Imperatriz n. 15, segundo andar,
vende-se urna escrava boa para todo o servico de
urna casa de familia. Na mesma casa compra-se
um moreque para copeiro, e paga-se bem sendo
bom:_________________
Fazendas baratas.
Madapolao muito fino a 400 rs. a vara, algodao-
zioho com 20 jardas a 2600 a peca, chales a
300 rs. cada um, lencos brancos multo finos a
15200. l^oOO e a 2,5000 rs. a duzia, cobertas de
algodo a 1,5000 rs., caf de 1. sorte a 65400 rs.
arroba, ou sacco de 5 arrobas 30J10O0, latinhas de
sardrahas de Nantes a 280 rs. tambem. A um
resto de chitas que se vendem em conta; ra da
Concordia n. 62 taberna.
Vendem-se amendoas confeitados : na ra da
Cruz n. 13.
Sortes de S. Jcao
Vendem-se lindos papis com estalo para as
sortes de S. Joao : na ra Nova n. 61 defronte da
filma, cmara municipal.__________
Aluga-se o segundo andar do sobrado n. 62
da ra da Guia : no 1 andar.
m
Anda se precisa de urna ama para cozi-
nhar c engommar para tres pessoas : na
ra das Cruzes n. 37, sendo pessoa mori-
gerada e que se possa entregar urna casa.
Sabbado, 3 do corrente, junto a casa gran-
de do Sr. Marcelino Lopes no Mondego, se perdeu
urna trouxinha coolendo um par de borzeguins de
mulher, 1 dito de argolas de ouro e coraes, 1 al-
nete de ouro e coraes, 1 annel de ouro, urna blu-
zae calcas azues de um menino, urna camisa do
mesmo com boloes de-vidro eos punlios : quem
achou estes objeclos e os quizer restituir, leve-os
ao collegio da Conceico nos Coelhos, que ser
bem recompensado.
COMPBiS.
Compram-se libras sterlinas : na ra da
Cruz n. 18, armazem de Jos Joaquim Lima Bairo.
Corapra-se efectivamente ouro e prata em
onras velhas, pagando-se bem : na ra larga do
Rosar/o b. 24, loja de ourives. ^^
Silvino Guilherme de Barros compra e ven-
de efTectlvamenle escravos de ambos os sexos : a
ra do imperador n. 79, terceiro andar._______
ARIEMIMMS
confeitadas : na ra do Rangel n. 43
Vende-se um negro moco de bonita figura,
perito cozinheiro ede reconhecida conducta: quem
o pretender, dirija-se a ra do Imperador n. 45,
terceiro andar.
Gaz, gar, yaz
' A 11*800 a lata com 26 a 27 garrafa?, e 480 a
garrafa, vinhopuro da Pigueira, e verde especial a
5001s. a garrafa, e 35500 a caada, verdadeiro
Porto a 800 rs., superior caf a 7500 a arroba, e
240 rs. a libra : s na ra Direita n. 91, esquina
do beceo do Serigado.
Na botica e casa de drogas de Francelrao
Ferreira Crespo, na cidade de Goianna, vende-se :
Salsa parrilha de Bristol verdadeira.
Pilulas assncaradas de Bristol.
Pillas assucaradas de Kemps.
pastilhas de Kemps.
Peitoral de Anacahuita de Kemps.
I'ilulas reguladoras de Cadwar.
Prompto alivio.
Resolutivo
Pilulas do Dr. Alizon.
Pilulas americanas contra as lutermitenles. Pilu'as
reguladoras.
Pilulas de Holloway.
Ungento de Holloway.
Agua florida de Kempes.
Em casa de Rothe & liidoulac, ra do Tra-
piche n. 18, escriptorio, vende-se :
Champaoha chegada pelo Sphere, primeira qua
lidade.
Vinho Xerezfrao em caixa de nma duzia.
Cognac fino em caixa de urna duzia.
Ferro da Suecia.
Estanto era barris.
Cerveja Bass.
Dila preta.
Cemento branco. ^
Plvora.
Ouro e prata
em obras velhas : compra-se na praqa da Inde-
pendencia n. 22, loja de bilbetes.
Compra-sa ou mesmo bypolheca-se urna ne-
gra de meia idade mesmo sem babiliidades, que
sirva para vender na ra : quem tiver annuncie
ou dirija-se enlrada da roa da Casa Forte a fal-
lar com Manoel Joaquim Ribeiro Silva.________
Compram-se libras slerllnas a 5*5-500 : na
prac,a da Independencia, loja n. 22.___________
Compra-se ouro, prata e pedras preciosas,
em obras velhas: na ra da Cadeia do Recife,
loja de ourives no ?rco da Conceico.
Veoeravel ordem tci ccra de S. Fran-
cia
O secretario da mesma, abaixo assignado, de
novo convida a sens charissimos irmaos para com-
parecerera revestidos de seus hbitos no domingo
11 do corrente, na. igreja da nossa ordem, as 2 ho-
ras da larde, para, cm corporagao, acompaitbar-
mos a procisso do Divino Espirito Santo do Colle-
gio, vi>lo nao ter podido ter logar no domingo an-
terior, em consequencia de torca nuior.
Francisco Jos dos Passos Guimaraes.
Compra-se um cylindro propria de padaria,
ainda que seja usado, com tanto que esteja em bom
estado ; assim como vende-se urna carroca e um
boi: quem pretender vender urna e comprar outra
cousa, dirija se a loja de ferragens n. 4 da ra do
Queimado.
AMA
Gregorio Paejj do Amaral & Companhia.
Mu cees ores de
Precisa se alugar urna escrava, ou mesmo forra,
que compre e cozinhe bem pira duas pessoas : na
ra de S. Francisco n154J________________
Precisa se do urna ama para comprar, eoii-
nhar e engommar : na travessa da ra das Cru-
zes n. 14, segundo andar.
~Precisa-se de urna ama que saiba bem cosi-
nhare engommar: a tratar na ra Bella n. 33.
Alag-se o primeiro andar do sobrado roa
da Cruz n. 57, roprio para escripjorio : a tralar
no armazem do mesmo.____________________
Aluga-se urna meia agua sita na ra do Pa-
dre Florlario n. 4 : a tratar na ra da Praia n. 36.
Roga-se ao Sr Jos Marcelino Alves da Fon-
ceca, que venha trazer um espartilhe que levou de
amostra em 18 de Janeiro prximo passado, ou a
sua Imporiancia ; a ra do Crespo n. 17. _____
jjg| Precisase de urna ama que saiba raui- jas
to bem cosinhar e faca eompras para
9*i tratar de urna casa de pouca familia : na fifi
j5 ra da Cadeia do Recife n. 38, primeiro 5
SsMKMlMJlIPttS
Relojoeiro e dourador, prtuguez,
Albino Baptista da Rocha, faz qual-
quer concert de relogios e doura-
do por precos mais baratos do que
oulro qualquer e responsabilisa-se
pelo seu trabalho, por isso espera
'proteceo dos seus amigos e com-
patriotas.
Precisa se de urna ama para todo servico de
urna casa de pouca familia que seja forra ou cap-
tiva : a tratar na ra do Cabug n. 4, loja de miu-
dezas.
VEOAS.
de [agendas
MadapoSes muito finos, peca de 24 jardas, por
55 e 75, sahe a jarda por 250 e 290 rs., algodo-
zinho, peca de 20 jardas, por 25700 e 45, a jarda
por 135 ou 200 rs., chitas francezas a 240 rs., pe-
cas de cassas pa*a cortinados a 15800 : na Joja
do barato, ra da Madre de Dos n. 16, defronte
da guarda da alfandega.
Na ruada Imperatriz n. 9, segundo andar,
precisa-se alugar um cozinheiro para o servico de
pouca familia.
Pede-se a pessoa que levou 2 cadairas de
angico, do convento de S. Francisco, por
occasi5o da festa do Divino Espirito Santo,:
que as bote no lugar aonde as tirou, pois
ja se s^be aonde existem do contrario e-
r5o tiradas pela policia d'onde estito.
Quem quizer vender casas terreas ou um so-!
brado de um a dous and&res, que seja no bairro
da Boa-Vista u Sanio Antonio, dirija-se ra da
Imperatriz n. 5, primeiro andar. >
Vende-sa esta linda collecco de sortes,
reunidas em um pequeo volume, com 25
assumptos, e mais 59 novas charadas, pelo
diminuto preco de 1,? cada exemplar enca-
dernado : na praca da Independencia ns. 6
6 8^_____________________________
Morena de IVossa Senhora do
Carmo e de Sanl'Anna.
Vendc-se na ra do Imperador n. 15, c.fkina
de encadernaco : o offlcio, salve e versos, nove-
na e salve de Nossa Senhora do Carmo, tres o-
Ihelos por 600 rs., e a novena de Sant'Anna por
320_rs._________________________________
Vende se urna taberna na E-irala Nova no
correr das casas da Sr.' viuva Villa-seca, com pon-
eos fundos e mesmo s se vender a armacao se
convier ao comprador : a tralar na ra da Santa
Cruz n. 7._______________________________
Vende-se" um escravo cosinheiro cuiUfeiro e
com mais habilidades, moco, de idade de 25 a 26
annos : quem o pretender dirija-se a ra do Cres-
po n. 14, terceiro andar, que se dir quem vende.
LOJA DO BEUA-FL-MI,
foi roa do Queimado n 63.
Tendo recebido um sortimento de bone-
cas de choro, que chamam papai e mamai,
com cabelleira de cachos.
Tendo recebido um variado ?ortimento de
brinqudos para meninos, sendo espadas,
espingardas, pralinbos, tambores ; ditos
para meninas : apparelhos de alrnoco e de
jantar de porcelana e de metal, porta-licor
e faquinhas a 280 rs. o par ; e n5o queren-
do continuar, Tende mais barato do que em
oulra qualquer parle.
Vende-se tiras bordadas de diUerentes
largurasa l.->, o babados, collarinhos e pu-
nhos para senhora. bordados caberlos de
renda e lisos, os mais modernos. que se
podem encontrar.
Vende-se 13a para bordar de divenas
qualidades e de cores claras aj# a libra, es-
pedios de columnas de Jacaranda a 2-35uO,
ditos brancosde diversos tamanhos, caixinhas
para estojes de navalhas,
Vende-se pentes de alisar com costas de
metal a 1$, ditos de differenles qualidades,
lindas gravalinhas para senhora de difieren-
tes gostos.
Colhere* de metal principe.
Vende-se colheres de metal principe p->ra
tirar soupa a i&, ditas para cha a 25300,
ditas para soupa a 4200 a duzia: nesta
loja se encontrar sempro um grande e va-
riado sortimento de miudezas: ra do Quei-
mado n. 63, loja do beija-flor.
Vende-ee urna parte de um sobrado no bair-
ro do Recife : quem prrtender dirija se a praca da
Independencia n. 12, que achara cora quem tralar.


/

Diarlo de pernaiubuco -tSabbado i O Je luuho de lstt.
Graide ariuazeni de listas.
RA DO IMPERADOR N. 2?.
O armazem de tintas um grande deposito de
productos cbimicos uteosis e os mais empregados
e asados napharmacia.piptura, photographia, tin-
turara, pyrotechinia (fogfts de artificio) $ em outras
industrias.
Montado em grande escala, e supprindo-se di-
rectamente as princlpaes drogaras de Pars, Lon-
dres, Haraburgo, Anvers e Lisboa, pode offereceer
productos de plena confianza e satisfacer qualquer
Admirem
Admirem
Admirem Bem! I
As pechinchas que es;o vf nda na loja e araa-
zem do Pavo, na ra da Imperatriz n. 60 de Ga-
ma & Silva, ondp se vendetn todas as fazendas,
tanto de laxo como de prlmeira necessidade por
presos mallo rasoaveis, e com especiajidade as se-
guimes, dando-se amostras deuando flcar penhor
tmDdaagrOSMtral0eareUlh0Trpr^O!oumnio-^ levar em casa das familias pelos
Icaixeiros da mesma loja.
Madapolo enfeslado a 4, la0 e 55000.
Vendem-se pegas de madapolo enfeslado com
12jardas pelo baratissimo prego de 45, 45300
55, ditas sem seren eofestados demarcas muito
acreditadas a 75, 85, 95, e i5, ditas, francez
multo encorpado proprios para saias a 480 ris a
vara, isto na loja do Pavao ra da Imperatriz n.
60 de Gama & Silva.
Vestidos Brancos.
V*endem-se os mais rlros cortes de vestidas de
cambraia branca primorosamente bordados, pelo
barato prego de 125- lCj> e 20# na loja do Pavo,
ra da Imperatriz n. 60 de Gama & Silva.
Grande pecuincua, vestidos a
S0&OO.
Acaba de cbegar um bonito sortimento dos mais
lindos vestidos transparentes, mnito proprios para
passeios e bailes, por serem de primorosos desc-
nbos, seudo todos os padroes tecidos e nao pinla-
razoavels.
Prvidos de machinas approprladas satisfar
com prompildao qualquer pedido de tintas moidas
a oleo, cuja qaalidadee pureza de seus ingredien-
tes poder ser examinada pelo consumidor, o que
nao fcil fazer com aquellas que sao importadas,
e que se encontrara no mercado em latas fechadas.
Tem grande colleccao de vidros de difireme;
formatos, desde nma oitava al dezeseis oncas de
capacidade ; de vidros para vidracas e diamantes
para corta-Ios; de pinceis para fingir madeira com
propriedade e outros; de papis dourados e pra-
teados e tainas de gelatina para ornamento; de
papel grande e pequeo formato de varias cores
para embralho, para forro de casa, para desenlio
com fondo j feito; de papel albun.iuadoe Brisiul,
verdadeiro saxe para photographia e para filtrar,
e outros ; vernizes de essencia para quadros, de
espirito para madeira, copal para o interior e ex-
teiior ; oleo graxo, oleo seccativo, oleo de linhaca
clarificado, oleo de toiele, secativo de Harlim, onro
verdadeiro em p ; prata, euro, e estanho em fo-
lbas de varias cores ; tintas vegetaes, inoffensi-
vas proprias para confeitarias; la de cores, e
olhos de vidros para imagens; tintas em tubos e
telas para retratos ; tintas em pastis e em p pa-
ra aquarella; essencia de rosa superfina, de ne-
roly, jasmim, bergamota, aspice, patchouly, mbar,
bouquetjlimao, alcaraiva, melissa, ortela pimenta,
louro.cereja, alfazema, juinpero, Portugal, lima,
anis da Russia, canella, cravo e muitos oatros ob-
jectos que s com a vista poderlo ser mostrados.
Joo Pedro das Neta,
'___________________Gerente. I
Grande sortimento de roupas feitas de to-
das asqualidades,
Calcas de casemira a 65 e 75500, ditas pretas a
65 e 85, calcas de ganga a 25 15800 e 15600,
ditas brancas a 25, brim de linho a 35, 35500 e
45, paietots do alpaca branca a 45500, ditos pretos
a 35 e 35500, ditos de alpaca de cordao a 45, e
de listra de seda a 45500, ditos sobrecasacos a 65,
paietots de casemira a 55, 55300, 65. 85 e 95,
ditos sobrecasacos pretos a 125,13 e 165, ditos fi-
nos a 255, de cores a 135, ditos fraques a 145,
paietots de ganga a 35, 25500 e 25, ditos de brim
pardo a 35, jaquetoes de brim pardo a 35, panno
preto fino a 25, 25600, 35500 5, 45500 5 e 65 o
covado, moreantique preto a 25600 o covado, gros-
denaple preto a 15300,15800, 25, 25200 e 25500
o covado ; e outras rauilas mais fazendas que se
deixa de annunciar, e manda-se levar pelos caixei-
ros da loja da arara casa dos pretendentes. O
e tabelecimento est alieno at as 9 horas da nolte,
ra da Imperatriz n. 56, Mndez Guimares. 1
GAZ GZ~GAZ
Vende-se gaz da melhor qualidade a
lif5 a lata : nos armazensda ruado Im-
perador n.16 e roa do Trapiche Novon. 8.
O
o
Q
1
DE
AZEVEDO FLORES
Roa da (aileia do Kecifc, esquina da Madre de Dos,
Excellentissimas senhoras o Balo partecpa: a Vv. Exc. que reduzio os presos de
dos, e vendem-se peo'baratissirao prego de 35500, todas as suas fazendas, e pede a Vv. Eses, que nao o esquecam, pois o Bal5o empenha
in.dlrap* S rJimnl^^!!!0^^11/ td05 os seus esforcos para bem as servir e alm de tudo isto minbas senhoras, um
loja do Pavao, roa da Imperatriz n. 60, de Gama & objecU) in(lispensavVel sl senhoras arnanles do progresso.
Cirosdenaples de cor a lttOO. Agora minhas senhoras peco que lancem suas vistas em toda a minha circumsfe-
Vende-se superior grosdenapies cor de caf, pro-' rencia e verao que encoDtram muitos objectos que necessitam e por precos que convi-
prio para vestido, sendo mito encorpado, a 15600' dam a comprar, como sejam: >
60CdVe Gama1 Vsilva ^^^rUa 3 Impera,rU n' Os ricos bales de 40 arcos, com urna roda que admira.
Virando nrlmenln il r-nuna foila 'Idem com menos arcos a 2,*50 e 3^*
IUH SOPtimeniO lie roupa lena. w meninas de 2 annos at 12 annos.
Vndese na loja do Pavao um grande sortimen- n__ K Ir. ,, -,
to de roupas feitas. constando de palitos de panno, umbrala fintSStma que era de 1)0 a 70.
preto, sobrecasacos, ditas saceos, ditos de casenii- dem das de 00 por 50.
ra, saceos e sobrecasacos, ditos de brim branco e Os mais lindos padroes de cambraias de cores, verdadeiras francezas.
decores, ditos de casineta, calcas de casemira pre-
ta de todas as qualidades, ditas de cor, ditas de
brim de linho branco e de todas as cores, coletes
de brim, casemira, setim, gorguro, etc., etc., to
AROPE
LASELON
Im pregado coa ivariaTel successo desd 30 aaao
pelas Mdicos de todos os paiies contra as molestias
orgnicas ou nio orgnicas do coracao, as diversas hj-
dropisias e a mtior parto du molestias do peito e do*
bronchios (pnewmeniat, etttrrhot pulmonares, lAmai.
infiammatftt ntrvosas dos\bronckios, cttarrktirat.etc...)
O iarpi de LABELONYE nio se rende sent eat
tamfas com rotulas de cor e fechadas com ama chapa
ferando a firma do inventor.
ra FARM, nta Marfcaa-VllleBeave, 19.
Deposito geral em Pernambno ra
Cruz n.22 em casa de Caros & Barboza
Rival sem segundo
Ruado Queimado n. 49, loja de miudezas de Jos
& Azevedo Maia e Silva, est queimaodo que ad-
mira, a saber:
Frascos com superior banha a 200, 240 e 500 rs.
Latas com superior banha a 200 rs.
Frascos com superior agua de Colonia a 120 e
OOrs.
Frascos com superior oleo de itaboza a 240, 320 e
400 rs.
Garrafas da verdadeira agua Florida a 15280.
Frascos de superior oleo da ociedade Higienique
a 640 rs.
Frascos de superiores cheiros santal e outros mui-
tos a 15008.
Sabonetes de familia a 210 e300 rs.
Sabonetes de superior'qualidudes a 60,120 e 160 rs.
Ca xas com 2 frascos de -dieiros muito finos a
15100.
Caixas dito oom 6 frascos melhor fazenda a 900 rs.
Paos de pomada francesa grandes a 500 rs.
Sabonetes de bolla pequeos e grandes a 240 e
320 rs.
Frascos com superior opiatas 800 rs.
Frascos com superior agua .para denles a 15000.
NOVA EXPOSI-
de looo catdieiros de gaz coloridos,
codi globos de cryslal e delicadas
gravaras, ovo gesto, Gogindo laii-
ternas, por todo tareco, cima da
factara, eo armazn da roa da
Imperatriz n. 22.
O proprietario deie importante estabelecimento,
tendo muito breve de retirar-pe para a Europa, re-
oWeu fazer urna liquidado a dinheiro vista por
todo o preco, contentaodo-se somenle com nma pe-
quftfia porcentagnm aoraa do custo da factura. Es-
pera que o respeitavet publico o roadjuve com sua
prweflQa a honrar se e6taheleci i-Hin os precos de semethaatee objectos de candiei-
ros .de gaz.
Etii casa de Tisset Prcres rea do Trapiche a
S, tero para vender :
Viohe B. rdeaux em barricas e ei caixas.
Dito de Santerue fino.
Dito oV Champagne muito superior.
Cerveja franceza marca Bobee.
Tai hiiana branca muito lina e larga.
Chitas escuras a 240 e 280 rs., que erara de 360, tambera ha superiores.
, dem perclaras superiores a 440 rs,
das estas obras vedem-se por prego mais barato' L5a preta para luto e de todas as mais cores.
SoqruaedaimlKraffi^ Pd" ^^ encarnada adamascada muito superior a 5H0 i$. o covado, 7 covados d urna co-
' o*aVa*!lmJmL.- ,. ,*u berta para cama franceza.
boutemoarques de cOr Vestidos a Maria pia os mais ricos que ha de, w> m e 2O0.
Vendem-se os mais modernos soulembarques de rairai! ap /.nqftrniro rip mniln h.initas rorea^
edr, ricamente enfeitados, e por barato prego : na I Ja y8.8 06 asemira ae mmio UoU.ias core^
loja do Pavo, ra da imperatriz n. 60, de Gama & Colletes de casemira preto e de cores.
Silva. dem de brim branco.
Capas pretas e soulembarques. Paletos de casemira sacco a 10 e 12$.
Vendem-se as mais modernas espas pretas lisas dem de brim branco.
e bordadas, os mais bonitos soulembarques pretos. e dem de alpaka branca a 5$.
manteletes, tudo de seda preta e o que ha de mais M m nrplnr A ft a
gosto no mercado, por precos muito em conta : *u, u iJ,eiVb *p Q-
na loja do Pavo, ra da imperatriz n. 60, de Ga- Calcas de brim branco, pardo e de outras cores.
ma & Silva. Croulas de linho com duas costuras a 2500.
Grande liquidatfio a dinheiro.l***a lfm- .kaKtl
,v i -.-. i b Colletes de casemira a 4? e 55.
Na loja e armazem do Pavao. Camisas com peitos de cor.
dem brancas a 1??800 cada urna.
dem brancas finas pregas largas a 2#240 e 2500.
dem de linho superiores a .'#.
dem de linho inglezas muito finas de nmeros 34, 35, 37 e 39.
dem de meia abertas fazenda superior-
CHAPEOS DE SOL
Chapeos de sol de seda de 12 asteas a 85.
dem superiores de 16 asteas a 12)5.
dem de seda trancada asteas de meia cana a i 40.
Que ludo se vende na loja do
Una da Imperatriz a. GO de Ga-
ma & Iva.
Os dones deste estabelecimento tem resolvido li-
quidar suas fazendas por pregos baratsimos, s
com o fim de apurar dinheiro, e previoem as pes -
soas que negocian) em pequea escala com fazen-
das, que nesta loja e armazem encontraro um
grande sortimento por precos que muito Ihes ho
de agradar, tanto em pega' como a retalho, a sa-
ber :
Chitas largas a 200 rs.
Vendem-se chitas francezas, listradas muito lar-
gas, padroes escuros, pelo barato prego de 00 rs.
o covado, tendo muito bom panno -, ditas escuras
padroes novos, por serem todas escossezas e cor
fixa a 240 rs. o covado ; ditas miudinhas escuras
e claras a 240 rs., afflangando se que esta fazenda
nao tem o mais pequeo toque de mofo, nem outro
qnalquer deleito. Istoso Pavo, na ra da Iin-
peratric n. 60 de Gama & Silva.
Faeemlas brancas baratas vende o Pavao.
Pegas de algodozinho largo, marca T com 24
jardas a
1
Rival sem segundo
Ra do Qoeimado n. 49, est vendendo
muito barato como ver abaixo.
,"dltas T com 20'jardas'a 7, ditas de Caixas de peonas de kalegraphia a 1*000.
lado
A 5$50O O SACCO.
De farinlia da trra com
22 cuias, na ra do Impe-
rador n. 26, defronte da ca-
sa em que foi a cadeia.
Ferro* para engommar
Vendem-se caixiotias contendo o mais completo
sortimento de Ierres para engommar, encrespar
baados, pafos e toda r^upa de senhora : na ra
Imperial, fabrica de vinagre,__________
Parinha de mandioca : tem para vender An
Ionio Loiz de Oliveira Azevedo & C, no seu es-
criplorio ra da Cruz u. 1.
Vende-se unaescravo idado 23 annos insigne
ottelal de carplna e bomta figura : na travessa op
Lucho n. 1.
SALDOASSU*
A bordo do brigue esenna nacional Graciosa ;
vender na ra da Cruz n. 23, escriptoriu.
Vinho superior em caixas de urna duzia :
tem para vender Antonio Lulz de Oliveira Azevedo
& C, no sea escriptorio ra da Cruz n. 1,
Vende-se nm negro de 40 annos, pouco mais
ou menos, bom offlcial de carapina : no esefipto-
rio da praca do Gorpo Santo n. 4._____________
Vendem-se palmeiras impenaes, em estado
de serem trasplantadas: no siflo murado es-
querda, depois do beceo do Espinheiro, nos Af-
ilelos.__________________________________
' Vndese vinho de caj a 500 rs. a garrafa i
na roa Aogtuta n. 76.
outras marcas, como sejam sicupira, carne de vac-
ca, etc., a 4$. 5, e 6& ; madapolo finissimo com
24 jardas a 6o00 e 7J800 ; panno de linho mui-
to infeiior proprio para (enges e toalhas a 700
rs, vara ; bramante de linho cora 10 palmos de
largara a 25300 a vara. Istos na loja do Pavo,
rea da Imperatriz n. 0 de Gama & Silva.
Espartitbos, na ioja do Pavo.
Vende-se um bonite sortimento de espartilhos
proprios para senhoras, sendo dos mais modernos
etem feilos que tem vindo ao mercado, tendo de
todos os lmannos e de diversos preces Irazendo to-
das as competentes fitas para apenar. Isto s na
leja do Pavo, ra da Imperatriz n, -60 de Gama
4 Silva.
Cambraias brancas..
Vende-se nm bonitosortimento de pegas de cam-
braia brancas lizas, tendo tapadas e transparente-,
pelo prego de 45, 45300, 35 e 05, havendo muito
superior da Escossia por 105 e 125- Isto s na lo-
ja do Pavo. na ra da Imperatriz n. 60 de Gama
Silva.
Gros de unadrinhos a 1-3008.
Vendem-se os mais modernos gros de quadri-
nhos, proprios para vestidos de senhoras e meni-
nas, sendo estes gros dos mais modernos que tem
vsindo ao mercado, vendeodose pelo ba ato prego
de -600 rs. o covado. Isto s na loja do Pavo, ra
da'Imperatriz n. 60 de Gama 4 Silva.
Ricos bouraouta de Guipare.
Massos com superiores grampos a 30 rs.
Pares de sapatos de tranga o. tapete a 15300.
Frascos de macag perula a 5:00 rs.
Caixas cora superiores agulhas a 200 rs.
Libras de laa sortidas com todas as cores a 75000.
Caixas com superiores obreias a 40 rs.
Duzias de pliosphoros de seguranga a 120 rs.
Meias garrafas com tinta a 250 rs.
R>dinb*s com alfinetes franceses a 20 rs.
Cartas de alfinetes francezes muito linos a 100 rs.
Resmas de papel alinaco a 25tO0.
Resmas de papel de peso a 2^000.
Papis de agulhas frncezas a balo a 60 rs.
Ronets muito bonitos para meninos a 15Q00.
Enfeites para senhoras fazenda muito moderna a
Escovas para roupa superior nnalidade a 15000.
Loja da> 6 portas em frente
do Livramento,
Chita larga escura a 240 rs. o covado.
.\a loja das 6 portas.
Cassas francezas finas a 420 e 240 rs. o covado.
m na ioja das 6 portas.
Pegas de bretanha de rolo com 10 varas a 25(00.
Aa loja das 6 portas.
Cortes de casemira escura e fina a 45-
fi na loja das 6 portas.
Pegas de cambraia branca a 35, 45, 45300, 35,
y?? _-:??_^aJ5J7.0A0!?*"0",!* ^fe_ ?"!?"" 35500 e 65: na loja das 6 portas.
E outras militas fazendas que se vendea por
menos de sen valor, de tudo se d amostras.
[\0VI1IADE
seEdo os mais modernos que tem vindo ao merca-
do, pelo baratissimo prego de 235, cada um, as-
sim eomo chales de 8 e 4 ponas da mesma fazen-
da, sendo de varios .prego-. Isto s na lija do Pa-
vao, -raa da Imperatriz n. 60 de Gama & Silva.
S o Pavo vende
Cbitas largas a 240
Chitas largas a 240
Chitas largas a 240.
Acaba de ehegar para a loja do Pavo um gran-
de sortimento de chitas largas garibaldinas, por
s rem todas listradas e padroes escuros e de ores | vendem-ce pecas de esleirs para forro de sala,
fixas n se vendera pelo fearatiss.mo prego de 240 ,nta brMca parada a oleo, em latas de 23 li-
o covado, sendo que em mura qnalquer parte tus- bras ara ^^ casa relppios pM.aeJm_ de me-
ta a 360 o ovado, notando que os, freguezes que sa e para peoirar, arreios para l e 2 cavallos,
comprarera porgao de pecas, terao um pepeno velas de spenoacele, tudo de superior qualidade,
abat.mento: 4sto_na loja do Pavae a ra da Irape-, vindo dos Estados-Unidos : no armazem da ra do
A 1$ 108OO e **>it
Leqnes de osso, ultimo gosto, a 15-
Ceroulas de meia a 15200.
Diitas muito finas a 15500.
S na ra da Cadeia do Recife n. 5.
Attengdo.
ratriz n.OO, de Gama & Silva.
Lazinhas a 300 rs.
Sazinhas a 300 re.
Lazinhas a 300 rs.
Vende-se um bonito sonimento de lazinhas pro-
prias pira vestidos soutem. arques por serem li-
sas e de quadrinlios pelo barato preco de 300 rs. o
covado, sendo fazenda que sempre se vendeu a
500 rs. o covado, e vndese a dinheiro a vista pe-
lo baratissimo prego de 300 rs. o covado : na loja
do Pavo ra da Imperatriz n. 60 de Gama &
Silva.
Pelerinas a 1&600.
Vendem-se as mais ricas pelerinas ou romeiras
de cambraia bordadas proprias para hombros de
senhora pelo baratissimo prego de 15600: na ra
da Imperatriz n. 60, loja de Gama Si Silva.
rgandY a 240 rs. o covado.
na loja do Pavo.
Vendem-se as mais bonitas cassas organdys, pa-
droes miudos e grandes, pelo baratissimo prego de
240 rs. o covado (doze vintens), esta pechincha
acaba-8e logo : na loja do Pavao ma da Impera-
triz n. 60, de Cama & Silva.
Lanzinha transparente,
a 220 rs. : s Ra Ioja do Pavo.
Trapiche n. 8.
Feijfio preto
Na ra da imperatriz, armazem n. 6.
Tasso Irmios
Yftilem no sen armazem roa do
Amorim n. 35,
Licor fino Curago em botijas e meias botijas.
Licores finos sortidos em garrafas com rolhas de
vidro e em lindos frascos.
Vinhoseneres.
Santernes. "
Chambertin.
Herraitage.
Borgonhe.
Champagne.
Muscatel.
Reino.
Bordea ux.
. Cognac.
Od Ton.
AzeitePlagniol.
Vinbo do Porto superior em caixa de duzia,
tem para vender Antonio Luiz de Oliveira Azeve-
Vendem-se'as mais"modernas laniihu transpa- do & C, no sen escriptorio ra da Crnz p. 1.
sendo todas de
rentes, sendo todas de listra*, quadros e lisas, fa
zenda esta que sempre se vendeu a 400 rs.; o Pa-
vo vende para liquidar a ouze vintens o covado :
pa loja do Pavo, a ra da Imperatriz n. 60, de Ga-
ma & Silva.
Farinha de muribeca fi:a e alva, mais
barata que se vende no mercado, em sac-
eos: na ruado Vigarion. 29.
opns*
QUADROS
WIESBADE
AQUARELL.V
Urna scen de nussos das.
Drama
Por Pedro de Calasans
(jebOlas. Vendem-se estas obras impressas en Brnxellas
Vende-se a 600 rs. despencada, era restia a 15 : e Lelpig : ta livraria de Jos Nogueira de Souza,
na ra do Vigario n. 13. ra do Crespo.
baratissimo!
" T baratissimo!!
baratissimo!!!
As pechinchas que estao se liquidando na nova
loja e armazem de fazendas do roupa feita de Gui-
mares & Irmo, ra da Imperatriz n. 72, aonde
os freguezes encontram um rico sortimento de fa-
zendas de todas asqualidades, que vende-se por
prego mais barato do que em outra qualquer parte
para liquidarem, do-se as amostras ou mandam-
se os caixeiros levar em casa das familias.
.Madapolo enfestado a 30500, 4,5000
e 4^501 a peca.
Vende-se pega de madapoln enfestado com 12
jardas pelo barato prego de 35300, 45 e 453C0,
dita sem ser enfestado com 24 jardas das marcas
mais acreditadas a 65500, 75 e 85, dita elefante
muito fina a 95 : s Guimares & Irmo, ra da
Imperatriz n. 72.
Admirave! pechincha,
Cirila larga a 2401 chita larga a 240 II chila
larga a240l!l Acaba de ehegar a este eslabeteci-
raento bonito sortimento de chita fina percala de
padroes modernos, sendo clara e escura, e sendo
fazenda que val 400 rs. em mitra qnalquer parte,
e vende-se pelo baratissimo prego de 240 o cova-
do, dita ingleza a 220 o covado, organdy dos mais
lindos padroes que tem vindo ao mercado a 240 o
covado, isto para liquidarem : s Guimares A Ir-
mo, ra da Imperatriz n. 72.
Cortes de chita franceza.
Vendem-se cortes de chita franceza com 10 co-
vados a 25500, ditos com 11 covados a 25700, di-
tos com 12 covados a 25880 : sd Gu maraes & Ir-
mo, ra da Imperatriz n. 72
C les Maria Pia.
Vendem-se corles de la Maria Pia com 15
covados a -35 e 55300, ditos com lindas barras a
105 : c numero 71
Fazendas pretas.
Vende-se grosdenaple preto de seda pura a
15600, 25 e.25500 o covado, moreaotique preto a
35, setim da China, fazenda nova e loda de ia,
com um trancado muito fino, proprio para luto,
tendo 6 palmos de largura a 2^200 o covado, e ou-
tras multas fazendas como sejam, princeza e meri-
no, que vende-se por prego baratissimo: istos
Gaimares Soutambarque de cores.
Vende-se soutambarque de cores ricamente en-
feitado a 55 e 65, chale de merino estampado a
25 : 6 Guimares & Irmo, ma da Imperatriz
numero 72.
Bretanha de rolo com 10 varas a 35 a pega : s
Guimares 4 Irmo, ra da Imperatriz n. 72.
Coke do gaz.
. pilcli do gaz.
Aira Irao do gaz.
tonelladas rs. .
Coke tonelladas rs. 100000
Piten ..... 800000;
Alcitr5o caada..... 400
0~coke reconheddainente o carvo mais econo-
mico, torna-sa por san rerommendavui, bem co-
mo palo asseio que se nota as cozinhas aonde
alie usado. Piten e alcatro.alem das appicges
diversas a que se preslam, como para callafetar
embarcaces.alcatroar madeiras,etc.,teem este a (
propriedade de nresorvar do cupim, formigas.etc.; ->
E' entregar na fabrica dogaz ou mandado por em ^n
qnalquer ponto da tidade, segundo a vontade do
comprador.
PROPRIO PAR SENHORA. J
Vende-se um excellenle cavailoiuuito no-
vo e manso com todos os andares: na co-
cheira do Paulino, rua de Santo Amaro.
Salsa parrilha -de Ayer
PARA A CURA DA
ESCROFUlA
e todas as molestias
provenientes del!a
o?fto>r5So^H2
3
CJ
cu
en
13
n sr & o. 3 S
u
o a
09
^ a,tn _,
x a,
o un a?
3,o a -1
i3ffi-C3
a, os 5 r a 1j
aoc-PSotoasa" 2. o 2 o. a
o",3=-T'-SeD -g
' Sft
u O.'
o
T3
OH O' i
2 "2. 3 2 2
*^rS
3 SLS
en
"O

63
as"
i
O.
3
3
o
o.
a
en
o

a
en
s a = s*
c s
1
2 -g|l
o.
o
o

as
0 -
w
a.
o
O
>
S
re

se
PARA MANTO ANTONIO E
SAO *IOAO
Vendem se sones muito bem feitas e de
papel muito bom 4(5 o cento : na ra das
Cruzesn.il, taberna da porta larga.
2M3>$(D29
todas as molestias da
pellc
ehensit ellr-s, tumores, ulceras,
sarnas,
nas.-idas, oni|iingens.
RCMATSMO
SYPHITifN
em todas as suas lrmas, assim como todo
o mal que provm do uo excessivo do
MERCURIO
Ulcratelo do flgado
orem summa todos os males que lem sua
e igein na
IMPUREZA DO SANGE
um alterante poderoso [iara a
HEN'VAC.V) DO SANGE
e pava dar nova forga c vigor ao corp j
enfraquecido pela doenca.
Vende-se na ruaDireita ns. 12 e 76 e
Hospicio n. iO.
Vende-se em Pernambuco:
napltarmaeia fi*aaceza de
P.mftURER & C.
___________RUA NOVA N. 18.________
- Vende-se urna nepr nh.i di 10 anuos, muito
esperta e sadia : no pateo da matriz de Sanio. An-
tonio n. 8.
No armazem de azen das ba-
ratas de Santos Coelio,rt.a
do Queimado 11. 19, ven-
de-se o se.ffiinte:
so panno a
Lenges de panno de linho a 25i00.
Ditcs de bramante do i:iho de um
3300.
Cobertas de chita da India a 25306.
Lengos de cambraia brancos proprios para a!-
beira,pelo barato preco de JjOOO a duzia.
Pegas de bretanha de rolo com 10 vara.- a 34800.
Ditas de cambraia para f>.rro de vestido, con, 8
varas, pelo taratisMrrn prego de 25600.
Guardanapos adamascados pelo baratissimo proco
de 3S300 a duzia.
Algodao enfestado com 7 I -fi palmos de larca a
15-200 a vara.
A dmiraveis pechinchas
que esto a veadn na loja e armazem
da Arara, roa fa Imperatriz n. 56,CGrS,0e **to*w^-* sedosa
de Lonrenco Pereira Mendes Guima- Pegas de cambraia adamascada rom 20 varas, pro-
raes.
Bretanha de rolo a 3$.
Vendem-se pegas de bn tanha com 10 varas pe-
lo baratissimo prego d-. 35 a pega.
Madapolo enfeslado a 3&50O.
Vende-se madapolo enfestado com 12 jardas a
35500,45 e 45600, dito com 2i Jardas a 35.
35300, 65500,75. N. 40 75500, L 10 75300, N. 6
85, Elephante 85500.
. Soutembarques de cores a 6.
Vendem-se soutembarques de rores a 6-3, 75 e
85, ditos de seda a 18?, 205 e 255-
Chapos para homem a 15800.
Vendem-se chapeos para homem a 15800 cada
nm, chapeos de sol de panno a 2j, ditos de seda
para bomem a 65 e 75 : s Arara, ra da Impe-
ratriz n. 56, de Mendes Guimares.
S Arara vende chitas francezas a 240 rs. o co-
vado.
Vendem-se chitas francezas sendo cores fixas,
assim como sejam padroes delicados sendo cores
de cana e rdxas, se vende por baratissimo prego
de 240 o covado, ditas a 260, 280 e 300 rs., ditas
matisadas finas a 320 e 360 o covado.
Chitas francezas escuras.
Vendem-s j chitas francezas sendo padroes escu
pria para cortinado, pelo barato preco de i .
Fil liso fino a 800 rs. a vara.
Dito com salpicos a 15 a vara.
Tarlalana branca fina a 800 rs. a vara.
Atoalhado de aljzodno adamascado a 25200 .. :...
Dito de linho a 35200 a vara.
Lazinhas lisas de todas ns rores, pelo barati-
prego de 500 rs. o c vado.
Pegas de cambraia de salpicos brancos c de ser s
com 8 Ii2 varas, pelo baratissimo preco de
! 45300.
Baloes de 20 arcos s 2-5300, de 25 a 35. de 30
i 3S500, de 35 45, de 40 45300.
Toalhas felpudas a 135 ;> dozla.
Esleirs da India de 4, 3 e 6 palmos pormeus
I prego do que em ontra qualquer parte.
Neste armazem se encontrar um grande .-o: t-
menlo de roupa feita e por medida.
Admira vel pechincha!
flicambiquea 300 rs. o covado, n; toja
do pavao.
Vendem-se os mais bonitos mogambiques do po-
ra la proprios para vestidos e BOQtembatqne?,
sendo de quadrinhos de listras* lisos, fazenda :p-
teiraraente nova, em padroes e muito proprias pa-
i ra as senhoras que frequentam o mez Mariano,
ros e cores fizas a 360 e 400 o covado, ditas miu- porqne esta fazenda Ihes facilita fazerem por pon-
dinhas claras a 360 e 400 rs. o covado : isto na ro dinheiro vestidos mnito decentes para quabiuer
loja e armazem da Arara ra da Imperatriz n. 56. acto, advt-rtiodo-se qik esto baratissimo pr-.\
Corles a Maria Pia a 18J. : dvido a grande compra que se fez desta nova '-
Vendem-se os mais modernos certes a Maria :enda, que se vende a freze tustoes o covado : na
Pia a 185, dito a 145, 125, 115, 105 e 85, curtes lm> do pavo, na da Imperatriz n. 60, de Gama i
de ia sem barra a 55 lem 15 covados o corte. Silva.
Damasco de duas larguras a 102SO.
Vende-se damasco de duas larguras a, 15280 o; !%*J;B. M-iX
covado, dito de urna largura a 800 e 640 rs. o co-'
vado, lengos de linho a 55, t>5 e 75 a duzia.
Camisas francezas a 1$C00.
Vendem-se camisas francesas a 15800, 25. dita
de pregas largas a 25 e 25210, ditas de linho a
25300, 25800 e 35 cada urna, seroula francesas a
15280 e 15300, dita de linho a 15800 e 25, co-
bertas de chita a 25 o 2550o cada urna, cambraia
uranra a 35, 35500 e 45 a peca, ditas de cores a
35000.
Cambraias de cores a 300 rs.
Vende-se cambraia de cor a 300, 320, 360 e 400
rs. o covado, cambraia de salpicos a 25300 e
na ra da Imperatriz n. 56.
Chales de merino a 2-5.
Vendem-se chales de marin a 25, ditos de chi-
ta a 15600, l?280e 15 cada um, chales finos com
ponta redonda e borlla de seda a 65 e 75 cada
nm, cobertores de algodo a 15 cada um : na ra
da Imperatriz n. 56.
RUA MP
nmero 193
RIVAL
SEIff SE&UiVllO
Ra do Queimado n. 49, ioja de Jos & Azevedo
Maia e Silva.
Pulseiras e voltas muito bonitas a 500 rs.
Miadas de lidia para bordados de superior qua-
lidade a 60 rs.
Duzias de facas e garios de cabo preto muilo
boa a 3$.
Meiadas de linha froxa para bordar a 20 rs.
Meiadas de linha azulada superior a 60 r>.
Babado do Porto muito superior a 100, 120 e
160 rs.
Varas de franja de linho brapca a 40 rs.
Caixas com 100 envelopes da melhor qualidade a
600 rs.
Caixas com 20 qnadernos de papel superior a
600 rs.
Grozas de penoas de ago muito finas a 500 rs.
Pegas de tranca lisa preta e de cores a 40 rs.
Grozas de botoes mareperola para camisas a 300
e 720 rs.
VENDE SE
rap imperial, igual ao rap Lisboa, e outro fabri-
cado de novo i-iual ao de ara pela, em porcoes a
500 rs. a libra.
Grande pechincha para os fumadores : quem
quizer fumar bom e barato venha c.
Charutos da Baha de superior qualidade, flor
da Muritiba e de differente? marcas, tanto avolsos
como encaixntados. por oregos mui commodos.
VEXDE-S TAMBEM
: I grande pechincha para os senhores charuteiros,
fumo da Bahia patente de primeira, segunda e ler-
ceira qualidade, por precos mili razoveis.
Instruccoes para o servido
das guardas do exercito, exlrahidas do rp-
gutemento de infantaria e accommodada? &o
exercito brasileiro: obra que muito convpm
aquellas pessoas que se alistam nos corros
de voluntarios; vende-se na vrarip n. 0 c
8 da praca da Ind pendeucia, a 10.
Attencfto.
Vendem-se sortes para anta Antonio e S. Joac
a 35300 o cento, tambem d-s? de vendagem a 80
rs. por pataca : na rna da i'alma n. 41, taberna.
Alt'',nco
Francisco Jos Germano
RUA XOl X. ai,
acaba de receber nm lindo e magnifico sortimento
deoculos, lunetos e binculos, do ultimo e mais
apnrado gosto da Europa.
Trastes com uso.
Vende-se t'soa, 3 consolos, 1 mesa redonda, 9
cadeiras de amarello, 6 cadeiras americanas, i
bea marqueza de Jacaranda, 2 carteiras de via-
gem e 1 carleira grande propria para taberna :
quem pretender dirija-se a ra das Cinco Pontas
n. 140 defronte da esiago.
Ferros.
Chegon um completo sortimento de ferros de di-
versos modelos para encrespar e engommar baba-
dos, pafos e todos os objectos de roupa lina perten-
cente ao toiletde nma seohora, a hoje indispensa-
v/is. e pelo diminuto preco de 500 rs. cada nm,
ditos melhores a 700, 800,15 e IJOO, de diver-
sos tamanhos.
Vendem-selguesugas de superior qualida-
de, em caixas on a retalho, a vontade do compra-
dor, e por prego mui razoavel; na botica franceza
de Ciors & Barbosa, ra da Cruz n. 21
Vende se urna taberna no bairro da Boa-Vista,
j bem afrepuezada para a Ierra, propria para um
i principiante por ter poneos fundos : a tratar na
praca da Boa-Vista n. 7.
Chegaram os sitperiorec
cortes de seda.
Superiores cortes de seda de cor, vindo? pele
ultimo vapor francez : na loja das columnas a ra
Caixas com 50 novellos de linha do gaz a 700 rs. *\PJ,1*- ,3' de An!onio -orreia de Yaseo
Varas de franja de cores a 80 rs. cellos a C.
Novellos com 400 jardas superior qualidade a 70 rs. ~ "
Carriteis de linha com 200 jardas dos ns 60 at tf Q 'OCS
LiSX 'parlamentos de ronpa lavada a 100 rs. tJ^lt ?! "*, ,,0(R;,nf' n" ?-ca"
Pares de botoes de punho muito finos a 120 rs. b ^It^JT^rlVt" l?e.rl"2en' ,d-e- blof
Tliesouras para un"as e costura multa finas a ^^^^^^1^1^
Fio te algurfo c!a Baiaia.
Vendefse no escriptorio de Antonio Luiz de Oli-
veira Azevedo & C. rna da Cruz n. 1.
Foofo. foro
No pateo do Carmo n, 4 vende se qualquer qua-
lidade de foguetes para brinquedos dos menino?,
assim como se recebem enrommendas para os
mandar fabricar fra da cidade. nao pode:o as
encommendas demorar-.-e mais de 24 horas.
Francez barrica 55000
Portland idem 85500
Em perfeito estado:
Francez barrica 105000
Portland idem 125000
No armazem de Tasso Irmaos cies do Apollo.
Vende-se caixoes vazios proprios pa-
ra balinleiros, e funileiros, a 20000 cada
um : e para as pessoas que comprarem do
4 para cima I 800, nesta typographia.
Vendem-se
machinas americanas de serrote para descarocar
algodo : na ra da Senzala ova n. 42. _____
Vende-se
na ra das Cruzes n. 23 janeo e palna, mais bara-
to do que em outra qnalqner parte. _
fllSM
Vendem-sc os utencbs de urna refinago : a
tratar na ra imperial n. 124._______________
' Milho 4$500
Farello 4000
Na ra larga do Basario n. 30, laberna da es
quina.

-MtftffcMlMU

.




Diario de Pcrnambnco sahbado O de Jimho de 18.
I
SS
GNEROS BARATOS A DINHEIRO
NOS
GRANDES AIUUZE\S DE HOLHDOS!
DE
,, DUARTE & C.
'{ 4 jjj pateo do Carmo n. 9 armazeni Progressivo roa do Qoeimado d. 7
l niao e Commercio roa do Imperador d. 40,
Principal armazem de molhados.
i)
G33
OS PROPRIETARIOS.
Fazem sciente ao respeitavel publico, e com especialidade aos senhores de en-
frenaos, Uvradores e raais pessoas do centro, que para mais facilitar suas compras deli-
beraram os propietarios dos tres grandes armazens, reunir lodos os seus estabeleci-
mentos em um so annuncio, pelo qual o prego de ura ser de todos, promette-
mos que nao infringiremos a tabella que abaixo vai publicado, annunciar os ge.rcros
por um preco, e na occasiao da compra quererem por outro, como socede constante-
mente em oulras muitas casas, porm nos nossos estabelecimentos n3o se dar islo
iluda raesmo com prejuizo nosso, qualquer pessoa poder mandar seus fmulos que
sero ta em servidos como viessem pessoalmente fazendo-nos o favor de mandar seos
pedidos em cartas feixadas; para evitar qualquer engaos, remetiendo nos urna conta
pela qual se ver os pregos tal qual annunciarmos, o que senao arrepender pessoa
atgoma que Pfizer sua despenga em nossos estabelecimentos; pois poupar mais de
i por cento na sua despeza diaria.
Manteiga ingleza perfeitamente flor chegada dem com 4 a 5 ditas a 3#2QO.
nltimamenle no vapor Saladim, de 1 dem vasios de todos os tamanhos a 2#Q00,
a 1j52O a libra e em barril ter abat- 1(5500,800 e 640 rs.
ment. Queijos d 20300 a 20500 os mais frescos.
dem franceza muilo nova a 900 a libra, e Vinagre puro de Lisboa a 280 a garrafa e
800 em barris. i 20000 a caada.
Banha de porco refinada a 720 a libra e 700 dem mais baixo a 200 rs. a garrafa e 10400
em barris. a caada.
Coa uxim de superior qualidade a 20600. Aze'.te doce de Lisboa muito fino a 600 rs.
dem perula miudinlio a 20700 a garrafa e 4^600 a caada,
dem hysson especial qualidade de 20400 a Toucinlio de Lisboa novo e muito alto a 320
2600 a libra. i a libra, e em barril de 5 arrobas a 90400
dem preto muilo especial a 20000 e 20400 arroba.
a libra. Cerveja Bass do fabricante Shlers & Bell a
dem do Rio em latas de 40000 e a 800 a 60500 a duzia e 640 a garrafa.
iibra. dem Bass do fabricante T. F. Ashe a 6)5000
Latas coai biscouto de todas as qualidades a duzia e 560 a garrafa.
a 10 00.
dem da creditada fabrica de Biato Antonio
(Lisboa; proprias para da; a doentes a
i;> e 30 a lata.
Bohuinha ingleza muito nova a 30500 a bar-
rica e a 240 rs. a libra.
La las com bolaxinba de -oda e oval a 20.
dem marca II Vicloria Alsope e outras
muitas marcas a 50 a duzia e 500 rs. a
garrafa.
Sabao primeira qualidade a 220 rs. a libra
e 21 em caixa.
dem segunda qualidade a 200 rs. a libra e
180 rs em caixa.
Presante inglez para fiambre chegado no Sabo inglez superior a 180 rs. a libra e
ultimo vapor a 8 Choiiricos e paios muito novos a 640 rs.
a libia.
Caxas com macarro talbarim muito novo a
50000 e 320 a libra. -
Alel a branca e amarella a 500 a libra.
Chocolate portuguez de especial qualidade a
800 a libra.
dem suisso de 8(0 a 10000 a libra,
lem bi:s,janhol verdadeiro a 1O0O a libra
que j vendimos a 10400.
!; ice da casca de guiaba em caixoes de 6 li-
bras seguro a 10800,
:' : em caixe- pegenos a 700 rs. e de
')) para cima a i.
I m secco em bocetas ricamente enfeitadas,
conlendo pera, pes-go, ameixa, rainha.
e outras frutas a 3000 cada urna.
Llem em calda em latas feixadas hermtica-
mente muilo bem enfeitadas, contendo,
I era, pesego, amelxas e outras frutas a
040 e 700 a lata, tambem temos latas
16') rs. em caixa.
Caf primeira e segunda sorte a 60500,
70500 e 80 a arroba, e de 220 a 280 rs.
a libra.
Arroz do IfaraofaSo 30200 a arroba e 100
rs. a libra.
dem da India a 20600, 20800 e 100 rs. a
libra.
Charutos Normas de Havana a 50500 a cai-
xa, de Simas (Jos Furlado).
dem Londrinos a 50, idem.
dem Parasiensqs a 40500.
dem Delicias aVI0500.
dem Traviata do Rio a 50300.
dem varetas de Manoel Peixoto da Silva
Nettoa 30500 e 10300 a meia caixa.
. dem suspiros do mesmo fabricante a 10OO
a meia caixa e 50200 a caixa.
dem mececipes a 10700 a meia caixa e
30000 a caixa do mesmo fabricante,
dem orientaos do mesmo a 10800 a meia
grandes a I200. caixa e 30400 a caixa.
., rmelada dos memores fabricantes, eml- dem jovens de Castanho & Fdho a 20400
las de 20000 a 10200. a caixa.
:: ., em l^tas de 1 l|i libra a 10. dem suspiros do mesmo a 10 0) a meia
: h m em latas de 1 lia a 640 rs. caixa, e outras muitas marcas de fabrican-
Ersilhas em latas chegadas nesle ultimo va- tes.
I : a 70 e de 5 para cuna a 640 rs. Passas muito novas a 1.5500 o quino e 55
FeJjSo verde ou Garrapato em latas j pre- a caixa de urna arroba hespanhola e 320
parado a 640 rs. a l.bra.
Ameixas em fiascos de vidro a 10500. Vermute bebida para abrir a disposico de
1-iem em ca xinuas ricamente enfeitadas de comer 10500 a garrafa e 140000 a
lOOa 20500. i caixa.
Conservas Monde muilo novas a 700 rs. o Alpista muito novo a 30800 arroba e 140
fiasco. | a libra.
dem de ceblas simples a 700 rs. Paingo a 13000 arroba e 140 a libra.
X3< Iho inglez a 040 rs. o frasco com rollia Peixc em latas j preparado a 10OO a lata
e em poigao 10000.
Sardinhas de Nantes a 400 a lata.
Tijollo para limpar facas a 1GO rs.
i Esparmacete a 600 a libra e em caixa a
i 580.
Vellas de carnauba a 140000 arroba e 440
libra
de vidro.
istarda em p a 700 rs. o frasco.
1 lera j preparada a 320 rs
..tas cora massa de tomate de 1
(00 rs.
dem em latas de 1 i 2 libra a 900 rs.
Vinhosem garrafas \indos do Porto, Midei- a libra.
ra Secta, Duque do Porto, Duque Serai- Azeitonas de Lisboa muito novas em anco-
no, Cascavallas, Mara Pia, D. Luiz, Pe- retas grandes a 10800 e a 400 rs. a gar-
dro V, Velho Secco, Lagrimas Doces, La-, rafa.
grimas do Dourc, e outras muitas marcas Balaios do Porto muito grandes proprios
a 10 a garrafa o 90 a 120 a duzia. para guardar roupa suja a 20500, 30000
dem Palmella a 10 a garrafa e 110000 a c 40uOO.
duzia. i Batatas em gigos de 34 libras muito novas a
dem em pipa de todas as marcas Porto, i 800, e a 40 rs. a libra.
i igueira eLisboa a 400 c 500 rs. agar- Gomma em paneiros a 40000 arroba e 140
rafa e 20800 a 30500 a caada. a libra.
! lem ern ancoretas e 8 a 9 caadas com su- Farinda do Maranho milito alva e nova a
penor vinho Lisboa e Iigueira a 240 a 240 a libra.
ancorla. Sivadinha de Franca para sopa a 200 a li-
hieiii branco expscial qualidade proprio para bra.
misa a 56 11 a garra e 40 a caada. Sevada muilo nova a 140 a libra e 40000
dem mais baixo a 400 rs a garrafa e 30500 arroba.
a caada. f Caixas com estrelinha, rodinha e pevide a
dem do Porto especial qu .lidade a 800 rs. 400 a libra.
a garrafa e 50500 a caada. Alhos em canastras muito novos e maungas
id m Bordeaux em caixas a 70 e 700 rs. a grandes a 180 e 200 rs. cada urna.
garrafa. i Canella muito nova a 10000.
Champanba a meliior do mercado viuda de Cravo muito novo a 500.
ABRQA BRILHMTE
Cominho idem a 320.
Ervadoce idem a 400.
Alfazema flor a 240.
Amendoas a 400 a libra.
Nozes muito novos a 160 a libra.
nossa encouunemia a 300 o gigo.
dem mais baixa de 180 a 200 e 10500 e
30 a garrafa.
Licores portuguezes e francezes a 10000 e
1 500 a garrafa.
Marrasquino de Zara, verdadeiro a 10500 a Papel greve a 44200 a resma.
garrafa. dem lizo a 40000.
dem mais abaixo a 800 rs. a garrafa. dem de pezo a 30000.
Cenebra de larjoja ver adeira a ila du- dem de embrulho marca grande a 10200 e
zia e 10 o frase.. 10300.
dem de llolianda verdadeira
queira e 640 o Irasco.
dem de Hambur.o a 55500 a rasqueira.
dem em boiigas de Huanda a 400 e 40 Pa:tos de denles, macos grandes a 120 e
rs. o frasco. lCjcadaum.
'ianafyescom.gene.bra de HoUaoda com 24 Fumo americano de chapa, de superior
garrafa* a 8& com garrafSo. qualidade a 10500 a libra, em porgao ter
dem com 14 a 15 garrafas a 60. : abatimento.
saESSEMUg
a 60 a fias- I(ltmazu, para botica a 20000.
Copos lapidados a 50501) e 500 cada um.
k
BE
MOLHADOS
mmmm
Largo da SantaSI
ruz n. 84, es-
quina da ra doiflC
ESPECULES
Largo daSantai
*T|Cruz n. 84, es-H
Sebo.
uina
sSebo.
da ra do'I
tora nn?h^nt op 1 oj ma|to acreditado armazem de molhados'deominado u-
a n.c Nflnhnm Jf la sirvira' a *> *>ase para ajaste de contas aos portadores,
pelo wandP 2in1?" veader*' mais bara, e melbores do que a Aurora Brilbaote, ja'
ero uat, ohlnT nD que lera' Ja' mesmo Pr1ae seu dono deseja tirar diminuto lu-
Droveitar n Pra coamnlar as de?pezas do estabelecimenlo por isso deixe se a-
tantes freguezes de f"er loda a dili8encia.aBm <*e servir bem os sen cons-
Vioho erde superior.
A caada a 3000 e a garrafa a 400 rs.
Gomma.
Saccas de 4 arrobas, a verdadeira de se ;
engoramar. a arroba a 34000 e a IIY
120 rs.
Uat73008 'braS dechouricas muito novas,
mftrrSs flom,p^ixe em pesiasinteiras,
Soo ',u ,dades' a lmo< l**
}D,ideirT,OaSt7r2a0,'rrCe,lenle PeSCOpara *
Sis; s; K:^Kensopadas' a72rs-
n!!ass^ameixa.sa ,50> 'W 35300.
* hr m,,Imelada d0 afamad0 fabricante
ADreu, a. 720 rs.
iDitascom massa de tomate, a 500 rs.
' Sf e2S8 decoraadre- nvos, a 14500,
Dl24(){)Orab0laChnha de SOda muit0 noVas' a
Ditascorabiscoitiohos inglezes de muitas qua-
lidades, a 15100.
r Chocolate.
L.aixmhas com ameisas enfeitadas proprias
maJ!2jmm a '4200,29800 e 3J200.
aSoajooo01"101" rauit0 novo' alibrade
LMacarr3o,talhariam e aletria amarella, a libra
? a 400 rs.
Dito dito dita branca, a libra a 400 rs.
caixas com estrelinha, pevide, e outras mas-
t sas, a caixa 35300.
itas dita em libras a 640 rs.
Sag, a libra a 300 rs.
ISevadinha para sdpa a libra, a 240 rs.
brvilhas seccas, a libra a 160 rs.
Ditas descascadas, a libra a 200 rs.
Tapioca muito nova, a libra a 280 rs.
i S,"* de araruta verdadeira, a libra a
' 500 rs.
'Ar2? Maranhao, em sacco, a arroba a
24400 e a libra a 80 rs.
.Dito da India e Java, a arroba a 35200 e a li-
bra a 100 rs.
Sabao massa, a libra a 200, 240 e 280 rs.
Farinha.
Saccas^randes com farinha de Goianna mui- ]
to nova, a 55000.
Caf.
Caf do Rio nsito superior, a arroba a 84,!
85300 e 94000.
Cha.
Cb.temos uestes gneros o melhor possivel,
hyson, a libra a 25600.
Dito perola a 35000.
Dito uxim a 25700.
Dito hyson muito fino a 25S00.
Dito redondo a 25500.
Dito preto de primeira qualidade a 25300.
Dito mais baixo a 25000 e 15600.
Erva mate.
Excellente cha medicinal, a libra a 240 rs.
Esperraacete.
O masso com 6 vellas de espermacele a 600,
640 e 720 rs. 4
Passas.
Caixas de 16 e 8 libras de passas novas pro-
prias para mimos a 45 e 25300.
Nozes.
Nozes, a libra 160 rs. e arroba a 45000.
Alpista e paineo.
Alpista e paingo, a arroba 45000 e a libra a.
160 rs.
Cartas.
Cartas finas para jogar, a duzia a 25500.
Castanhas.
T"C"hNKde Lisboa a 9>500 a arroba e a3- Castanhas novas viudas neste vapor, arro-
ba 45000 e a libra a 200 rs.
Azeitonas.
Barris com azeitonas novas a 15500
Manteiga.
Manteiga superior, a libra a 1J230. ^"
Dita mais abaixo a 15200.
j Dita menos superior a !5
Di tos com conservas inzlezas e francezas, a DUa franceza nova, a libra a 880
640e800rs. j Dita dita em barris e meios ditos, a libra a
Ditos com sal refinado fino, a 640 e a 500 rs.! 850 rs.
Ditos cora a verdadeira genebra delaranja, a Dita para tempero a 400 rs.
rs. a libra.
lDi! de Santos, a arroba 75000 e a libra a
260 rs.
.Molhoscom 123 cbolas grandes, a 1*280.
tJIIm? franceza> caia com 2 duziasa
>FraS*CrtftCOm mostar'3aPrpParadaem viuagre,
I5OOO.
Ditos de2 garrafas de Hollanda verdadeira.a
640 rs.
Botijas com dita proprla para negocio, a
i 400 rs.
fGarrafoes com 2 galoes com dita, a 65-
(Servejaboa.marca, a 500 rs. a garrafa, e a
{ duzia a 6J000.
'VinhomuscateldeSetnhal, agarrafa a 15.
Marrasqmnhoverdadeiro.frascos a 80C rs. e
\ a 15200.
[Champagne, a duzia 205000, e a garrafa a
25000.
Azeite refinado portuguez e francez.a garrafa
i a 15000.
Caixa de vinho Bordeaux muito superior, a
75,85,95 e 105 a caixa.
(Ditas com dito branco, a 75 a caixi.
Ditas com dito lagrimas do Douro verdadeiro,
a205-
'Ditas com duque do Porto verdadeiro'a
185000.
\Ditas com chamisso superior, al45-
'Ditas com Porto velho e outras muitas mar-
cas, a 125.
J Vinho do Porto da pipa, a garrafa a 640, 720
f e 800 rs.
Dito de Lisboa muito bom, a caada a 34300,
l 35500 e 45, e a garrafa a 500 e 360 rs.
Ditoda Figneira, dasseguintes marcas (X.)
(J. A. A.) (J. L G.) (0. M.) a caada a
i 45300, e a garrafa a 360 e 640 rs., deste
} que jest engarrafado e lacrado com o
rotulo do armazem.
iDitos de marcas mais desconhecidas, a cana-
i da a 35500 e 45000, e a garrafa a 480 e
520 rs.
; Vinho branco fino, agarrafa a 640rs.
Dito de caj nmito superior, a garrafa a
800 rs.
Queijos.
Queijos novos vindos neste vapor a 25800 e
35000.
Ditos londrinos muito novos, a libra
15000.
Papel.
Papel al mago panudo, a resma a 45800.
Dito dito lizo de linho, a resma a 45300.
Dito de peso lizo e pautado, a resma
25500.
Dito de embrulho, bom a 15 e 15200.
Vinho Hadeira.
Garrafas com o verdadeiro vinho Xerez e Ma-ffE
deira a 15300 e 25000. rfjn
Temperos. H
Folhas de louro, piraenta do reino, cominho W
e cravo, a libra a 400 rs. ,^
Velas de carnauba.
Massos cora 6 velas de carnauba refinada a
480 rs.-
Amendoas.
Amendoas com casca, a libra a 320 rs.
Doce.
Caixoes de doce de goiaba, grandes a 15400
e pequeos a 640 rs. ftj
Tijolos de limpar. $$
Tijolos de arear facas a 140 rs.
(raa.
Duziasde boi5es degraxa n. 97 a 25000, e
de> Utas a 15000, e os boiScs a 240 rs. ca-H
da um, e as latas a 100 rs. 8
Charutos finos.
Charutos finos dos melhores fabricantes da
Baha por diversos precos, caixa e meias^
caixas.
E grande quantidade de gneros tendentes
estes estabelecimentos, que deixam de an-
mmciar-se.
i-*
COUTIMMN
N. ll~E.ua do QueimadoN. 11
A esta eslabelecimento ehegon ltimamente da Europa um grande e variado sorti-
mento de coninados bordados o que ha de mais goslo em desenhos e bordados.
Lindos bonets de palba de tulla para senhoras.
Chapeos e chapelinas de palha de Italia ricamente enfeitados.
Chapeos finos de seda para cabeca de homeus e chapeos de sol da seda inglezes .de
8,12 e 16 astes.
Bournus e chales de renda pretos superiores.
Pelisses e soutembarques de seda preta para senoras.
Cortes de laa de barras de 145 a 225 de milito gosto.
Baloes de arcos e de mnsselina Anos, manguitos e camisinhas.
Saias bordadas muito superiores.
Moireantiqne preto, grosdenaple preto e de cores, panno preto uno de diversas qua-
lidades e casemiras pretas e de cores.
Luvas de pellica para nonnm e senhoras. .
E muitas outras faznndas que ludo se vende barato na loja de Augusto tredenco
dos Santos Porto, aonde tambem se vendem as melhores e mais baratas
Esteiras da India para forrar salas
K. 11-Ra diQaeimado--N.il
0 GASTELLO BE VIRAGS
UA
Saccas grandes com 14^0 libras de farello superior
TaSso limaos
vendem gesso em p para estuque de casas, tijolos
finos de feilfo diversos para ladrilho, azuleijos de i Traduzido do franeez por A. J. C. da Crnz.
diversos gostos.Tijoios vi irados para parede de no- Vende-se este bello romance era quatr
banrhr?sdenfoaerrSuS0 Pm eSg0,' CeraeD, ^mos pelo baratissimo preco de-2350C
aa prac da Independencia, tivraria ns.
6 e8.
CONSULTORIO MEICO-CIRIRGICO
DO
DR. PEDRO DE ATTAHYDE LOBO MOSCOSO,
JfBOXCO, IMtlllllO E OI'KIIADOR.
3 Ra da Gloria, casa do Fund&o 3
O Dr. Lobo Moscoso d consultas gratuitas aos pobres todos os das das 7 s 8
loras da manhaa,e das 6 e meia s 8 horas da noite, exeepgao dos dias santificado
P'arMnii eip'jei&l hotneopathica
No mesmo consultorio ia serapre o mais appropriado sortimento de carteiras
tobosavulsos.assim como tinturas de varias dymnamisaces e pelos precos seguintes
Carteiras de ncubos grandes. 120000
de i i tubos grandes. 180000
IdJiuiHfnaUi. i^OOO
li l< tuVis irn-las. 300000
>le 60 tubos grandes. 350000
Prjpara-sj qualjuercrteira conforme o pedido que se fizer, e com os remed
que se pedir.
Umtubo avulso ou frasco de tfnturade meia onc.a 10000.
Sende para cima de 12, custarSos precos estabelecdos para as carteiras.
Ha.ubos mais pequeos cada um a 500 ris.
LITROS.
V n;! i ir >'in li h) ni))Uhia, o \ImuaI de Medicina Homeopathicodo Dr. Jahr
) oa? fn l)j volunisvora licciomrio *...... 205000
Vf licina domestica do Dr. Hering...........- 100000
joirtorio to Ur. Millo Moraes............. 60000
Diccionario de uno h de medicina. ..,...,,.. 30000
Os'ene lio? deste estabeleciraentosSo por demais conhecidos e dispensam portan-
to de > im n i >vt niate reo nn-iadaios asp issoasjue quizerem usar de remedios ver-
dadeiros.Jiar jicos eduradores.-hatudo do melhor que se pode desejar,globos de ver-
dadeiro assucar deleite.notaveis oela sua boa conservaco.tintura dos mais acreditados
estabelecimentos europos.a maisexacta e aecurada preparacSo, portanto a maior ener-
giae certeza era seus effeitos.
Casa de sade para escravos.
Recebe-seascravospara tratar de tualquer enfermidade ou fazer-se-lhe qualquer
operacao, para o que o tnnunciantejulga-seiuulcieateraente habilitado.
Otratamento o melhor possivel,tanto na arte alimentar, como na medica, e
funecionando a casa a mais de quatro annos, ha muitas pessoas de cujo conceito se nao
pode duvidar, que pdera ser consultados por aquelles que desejarem mandar seus
doentes.
Paga-se 2^000 por dia durante 60 dias e d'ahi em diante 10500.
As operacSes ser5o previamente ajustadas, se n5o se quizerem sujeitar aos precos
azoavels i le nUint o;lir o annunciante.
Laboratorio eaolo^ieo e cliimica de F. P. Lebeuf e C
ra Montmartre, 31, em Pars.
Fabrica em Argenteuil, prs Pars (Franca).
B0MFIC4C0 E FABIIGAGIO
Dos vinhos, agurdenles e licores.
-JSHP^HSft d5s. V'ah0SJ de todas asl AGARDENTES--Essencia de coenac nara dar
f.,de Lisboa, i f.,da Cataln, 2 f.,de Porto,
Xerez, Muscatel, Malaga, dose para 23 ou 30 li-
tros, 41.
Substancia para fabricar com o alcool e agua
os vinhos cima e todos os outros. A dose para
300 litros, 50 f.
CLACIFICACO.-Ps Inglezes, pos dos viuhos
da Hespanha, da Franca, etc. A libra para 500
litros, 3 f.
GOLORACOPurpirigine para colorear os
vinhos brancos e vinhos .laros. As dnas libras
para 500 litros, 16 f.
cognac. A garrafa para 100 litros, f
KIRSCH EASINTHO.-Essenca de kirseh e
de absmtao, para os fazer com alcool e aeua A
garrafa par 100 litros, 5 f. 8
LICOKES.-E*tractospara fabricar se todos os
licores conhecidos sem fogo nem alambique fin-
I'SlS ?S qUe Se deseia^ A dDSfi.nara 20 ou 25
PERFUMES para fabrioar-se os licores finos ou
communs a dose para20 on 15 litros, 1 f. 23
TODOS os outros productos para o trabalhodos
yinhos,aguardentes, licores, vinagres, etc., sao
fabricados de encommenda.
UTENCILIOS de laboratorio e de chimica.
Algans de nossos agentes teodo falsificado e raitado nossas preparares, e encanado nossos
freguezes|dove-sa exigir sobre as rolhas e rtulos as inlciaes F. V. L. Pari !?""
0 molo de usar-so daspreparac5csacha-se indicado no roalo.
As eacoramendas devem ser acompauhadaspor urna letra sobre Pars ou qualquer outra cida-
de- Frang, -vi-,'iririui-w pirana*c**a -.nheeila.-mrlpf-se ansSr>. Lebeuf & C. thimicos ra
memartre,. 31, a ParK om sua fabrici em Arjentenil, prs Paris. cnimicos, ra
Veaii-S'j n hJtica traaoeza, ra do Imperador n. 38.'
Superiores cortes de moirs preto com barra, o qne ha de melhor gosto em
Perca mbuco.
dem de gorgurao preto adamascado com barra a imperatriz Eugenia.
dem de gorgurao de seda bordados com barra.
Superiores moirs pretos e largos 20400, 20600, 30, 30300, 40, 50, G0,
70 e 80 o covado.
Superior gorgurao de seda preto, a melhor fazenda que ha para vestido.
Sarja preta de seda,
dem preta hespanhola.
dem idem lavrada a 20 o covado.
dem idem lavrada muito superior.
Completo sortimento de grosdenaple preto a 10500, 10800. 20.20600 3
30500, 4*. 405OOe50. ^
Pannos pretos de superhr qualidade de 30 a 120 o covado.
Casemira preta de 10600 a 50 o covado.
Lindos chales, bournus, algeriennes e retoudes de fil preto.
Mantas pretBS de fil e los pretos.
E muitas outras fazendas de superior qualidade na loja dasColumuas
na ra do Crespo n. 13 de Antonio Correa de Vasconcellos & C. successores
de Jos Moreira Lopes.

GOMMA NOVA.
Em paneiros muito alva a 4,ooo rs. a arroba e 16o rs. libra e compran-
do de um paneiro para cima se far abatimento na ra do Imperador n. 40

achinas wtmm
de trabalhar mo para
trabalhar mo
descarocaralgodo
FABRICADAS
Por Plant Brothers & G.
0LDA1
Estas machina)
podem descarla;
^qualquer especit
Kival sem segundo
Catangas finos e brlnqnedos
para meninos.
iegaram para a loja de miudezas da ma do
Queimado n. 69, os mais finos e lindos calangas
tanto para bnnquedo de meninos como para cima
de mesa : na mesma loja se encontrar bom sor-
timento de miudezss.
Attenc&o.
Na taberna da ra da Palma n. il vende-se fa-
rinha da trra a 180 rs. a cuia, em saccacom 32
cuias por 5,^305.
arroba "de algo
do em earocc
em 40 minutos,
ou 18 arrobas
por dia ou 5 ar-
robas de algodac
limpo.
Assim como machinas para serem movidas poi
animaos, que desearocam 18 arrobas de algodac
limpo, por dia; o motores para mover ama, duas,
eatns dessas machinas.
Os rnesmos tem para vender um bellissimo va-
por que pode fazer mover seis destas machinas
mencionadas; para o que convida-se aos Srs.
agricultores a virem ver e examinadlo, no arma-
zem de algodo, no largo da ponte nova n.47.
Saanders Brothers & C.
\. II, praca do Corpo Santo
RECIFE.
Os micos agentes neste pai:.
Ra do Queimado n. 49, loja de miudezas de Jos
& Azevedo Maia e Silva esta disposto a vender mui-
to bar?to que admira, pois seus freguezes ja estao
scientes que nao ha segundo competidor.
Pecas de cordo para vestidos a 20 rs.
lapachos redondos e compridos a 500 rs.
Talheres para meninos a 240 rs.
Duzias de facas e garios a 25400.
Ditas de cabo preto cravado a 30000.
Baralhos francezes muito finos a 200 e 210 rs
Grozas de botoes de lonca a ICO e 200 rs
Canas com soldados de chumbo a 120 e 200 rs
de algodao sem Bunecos de choro pequeos a 160 rs.
estragar o fio, Varas de cordao para espartilho a 20 fs
sendo bastante Duzias de eolheres para cha a 800 rs.
duas pessoas para Duzias de eolheres para sopa a 15300.
o trabalho; pode Ditas de metal principe d cha a 2O0O
descarocar urna Ditas para sopa a 40600.
DROGARA.
31Roa] larga do Rasarlo 34
Barlholoraeo Francisco deSouza 4'C.
Vendem:
Acido actico puro para retratistas.
Esmaltes para ourives.
Papel para forrar casas.
Guarnieses avelludadas.
Tinta brancasuperior em lata.
AlvaiadeVeneza, fino, em pes.
Urna familia que se retira vende urna mobilia
de amarello j usada, trem de eoslnha, lonca da
almogo e jantar azul, urna mesa de jantar de ama-
rello pes lorniados, mesas pequeas, commodas,
cama de casal e muites outros objectos o qne tuda
se vender era conta : na ra dos Pires n. 6.

-
I
i
*rv.


:i: ...__
MM-


Diarto de Pernanbaco ftabbado lO de Junho de IS04.
h
i
0
GERENTE
AO PUBLICO
em o menor con&ran-
glmeato se entregar o
Importe do genero que
n5o agradar.
ESTABELECIDO A" BA NOVA N. 60
Vlfll 31DH31 M SI D3S3 mu
AO
RESPEIT1VEL PUBLICO.
A apreciado dos habitantes desta heroica provincia existe no grande arma-
zem da Liga estabelecido ra Nova n. 60 um magnifico sortimento de molhados,
que sendo em sua maxim.i parte mandados vir directamente do estrangnro podem ser
vendidos por preces asss razoaveis.
Sem a fatuidade de querer que este novo e interessante estabelecimento seja o
primeiro e nico em seu genero, pde-se porm ;ifflanQar, com toda a seguranca de que
nenhum oulro o exceder no restricto cumprimento das seguintes promssas:
1/ Delicadeza no trato.
2.; Fidelidade no peso.
3/ Sinceridade nos precos.
As pessoas que por sua posico social gozam de certo tratamento, acharo nesta
casa os melhores queijos londrinos, cerveja, vinhos finissimos manteiga e cha sempre de
primeira qualidade. etc., etc.
Qualquer qae seja a condicSo do freguez, elle deve contar que ser sempre mui-
to bem servido.
Aquellos que sao pouco favorecidos da sorte farao mensalmente urna economa de
mnitss patacas, afreguezando-se nesta casa, onde se lhes vender o arroz, o caf, a man-
teiga oassucir, etc., etc. de boa qualidade pelo preco que em algumas partes nao po-
dem ou nao querem vender.
Os senhores de fra da cidade, dos arrebaldes ou centro, que comprara para ne-
gociar, devera vir, pelo seu proprio interesse, a esle estabelecimento para se convence-
rem do quanto se pode vender barato.
Para os senhor s que comprara para lomar a vender existe um sortimento cspe- \
cial, escolhido por pessoa entendida que certamente muito deve agr lar aos senhore-:
compradores
Nao se tem poupado sacrificios, nem se deixar de fazer a diligencia para agra-
dar a todos. t
PELOS SEGUINTES PRECOS S SE VENDE
ATTENQ0
Os precot da seguale
tabella para todos, po-
dendo asslm servir de ba-
se para o ajuste de contas
com os portadores.
'
AGUA
ARMAZEM UNA
RA DA CADEIA DO RECIFE N. 53
(Logo passando o areo da ConceleSo)
PARA BEM DE TODOS.
e inlei-
na com-
Senhore? horas, o aceio que presidio aos arranjos deste novo estabelecimento, e mais que tudo a promptido
reza com que serSo trat}.l3?j*.3nvida a urna visita ao mesmo, certos de que sem duvida me dar5o a proteccao e preferencia .
pra dos teneros que precisare; e qando nao possam virpoder5o mandar seus portadores, ainda que estes sejam pouco praticos,
pois serSo to bem servidos como se viessem pessoalmente, havendo para com estes toda recommendagao, afim |de quen3ovaoem
tra p?rfe. ,
A,ebSa MoorfcaiLU1,iarm 3 40 U-, Sa,doteaSdmoema 5^ de ^ Cm "*
Z^irtntX^S*0 rS-a hbrae qU6 Nem ao mercad0 a So 56 e G4
ViuYo^STuftrfirnSo proprio para3 i^ ^o, 6,ooo e 6,5oo a du-
iTooo^' emancorelas de s canadasa Cevadinha de Franca tauilonova, a2oors.
:u' 1J: _. Charutos do a/TamadofahrirantPlncp Furia-
F l ori da.
para reatabelecer e conservar a cor natural do ca-
bellos.
A agua de Florida nao 6 urna tintura, faci es-
sencial a contestar, a mesma agua d^ndo ror
primitiva de calieilo. Compostas de plantas exoli-
cas e de substancia? inoflensiveis, ella im a pro-
priedade de restituir aos cabelle o prir.i| i o co-
rante que elles tem perdido.
De urna salubrldade incontestav I. a agua de
Floridaentretem a limpeza da cabeca, deslroe ;;s
caspas e empede os cabellos de tur.
Oleo de Ffonda
Composto de substancias vegetar.- xotn i
contribiie poderosamente, com a auna :. |.~
rida a Torca, a belleza" e a conservari" (ti-
los.
Era Pars casa de (ullaurn. 112 ra de P.ect-
Iieu e 2i boulevard Montmartre.
I.idos os frascos nao u-ndo intacto e clare, e un-
cir praleado da casa. reputado fal.-o.
m Deposito ra do Imperador pharmacia n. 38.
Vende-se 30 palmos de terreno"promplo para
ser edificado na ra Imperial, e flca entre propie-
dades : a tratar na ruado Alecrim, casa com por-
lo de ferro na frente.
Minteiga ingleza especialn enteescclhida a
1,000 e 8oo rs. a libra e em barril se faz
abatimento.
dem franceza a mais nova do mercado a 96o
rs- a 'bra e 901) rs. em barril ou meios.
Cha hysson de superior qualidade a 2,600
rs. a libra.
Cha perola o mais superior do mercadea
2,8oo rs. a libra.
dem hysson muito superior em latas de 15
libras muito proprio para negocio a 2,ooo
rs. a libra.
dem hysson nacional em latas de 1 e 2 li-
bras a I.Goors.
dem preto o que se pode desojar neste ge-
ero a 2,ooo e 2,2oo rs. a libra.
Linguicas muito novas a 8oo rs. a libra e em
barril se faz abatimento.
Chouri^as e paios a 8oo rs. a libra.
Costelletas inglezas a 64o rs. a'libra, serve
para temperar panella ou para fiambre.
Queijos do reino chegados neste ultimo va-
pora 2,2oo rs., ditos de navio devella a
2,ooo rs.
A DINHEIRO A VISTA:
ALPISTA a 120 rs. a libra.
dem e paingo de oito libras para cima a
100 rs.
Annoz de 90 rs. a libra a........
Amendoas, casca molle, i 28rs. a libra,
Avellas a 240 rs. a libra.
Amelias francezas em latas de todos os l-
mannos.
dem dem em potes de lodos os tamanhos.
dem i lem em bocetas de todos os tama-
nhos.
dem idem em frascos de todos os tama-
nhos.
Azeite doce de primeira qualidade a 560 rs.
a garrafa.
Autos a 200 rs. o molho.
Abstntho a 20001 a garrafa.
B
BOLACHINHAS do Beato Antonio em latas
grandes e pequeas.'
dem do Principe Alberto a 20000 a lata, e
de cinco para cima a 10800.
dem de so la em latas grandes a 20000 e
de cinco para cima a 1 0800.
Biscciros inglezes de todas as qualidades a
10200,10250 e10300.
Bolo francez em caixinhas a 300 rs. cada
urna.
Batatas inglezas.
Bamba de porco refinada.
C
CHOCOLATE francez a 700 e 800 rs. a li-
bra, e em porcao a 600 e 700 rs.
dem susso a 10 a libra.
dem de musgo a 10500 a libra.
Choubicas muito novas a 800 rs. a libra.
Caf a 240 e 260 rs. a libra, e em porcao
se far abatimento.
Ilea de primeira qualidade a 70000 a ar-
roba.
Conservas em fiascos a 320 rs. cada um,
sao muito novas
dem inglezas,.frascos grandes.
Champagne de todas as marcas.
Charope de grosella, orcbala, etc., etc.
Chicaras e pires a 10800 a duzia.
Cerneja da superior marca Tenente a 500 rs.
a garrafa, e em duzia se faz grande aba-
timento.
dem Victoria Bas tres X e de outras marcas.
Charutos das mais acreditadas marcas, co-
Idem londrinos muito frescos e de superior
| qualidade a 8oo rs. a libra.
Graixa em latas, muilo nova, a 80 rs. cada,Wera P.ratoa 8o rs- a libra' e inleiro se faz
abatimento.
dem suisso o mais superior que tem vindo
urna.
KIRSCH de Wasser a 20 a garrafa.
ao mercado a 64o rs. a libra.
Ervilhas e favas portuguezas j preparadas
em latas hermticamente lacradas a 64o.
Feijo verde muilo superior a 640 rs. a lata.
Copos lapidados para agua a 5,ooo e 5,5oo
rs. a duzia.
LATAS com graixa a 80 rs. cada urna.
Letiua a 400 rs. a libra -
H
MANTEIGA ingleza e franceza de primeira .
qualidade a 10, 10120 e 108O, em bar- Idem,,dm Para vmho a 2io rs,->e 2'4o rs-
ril se faz grande abalimento; a que ven- n.a ,'a#, ,
demos por I02O a lib a, vende-se em Chocolate francez espanhol e suisso a 9oo,
oulra qualquer casa por 10400 e 10500.' 1,00 e 42o rs- a llbra-
Marmelada dos mais acreditados fabricantes.' Espermacete superior a 6oo e 64o rs. a li-
mo sejam : Normas d'Havana, Exposico," SABAO massa a 160 rs. a libra, em caixa se
Flor do Brasil, Par.sienses, Delicias, Gua-
nabaras, Trovadores, Kegalia, Mississipes,
Panetellos, Apraziveis, Varetas, Brasilei-
ros. Americanos, Fluminenses.
ChA de todas as qualidades e de todos os
precos, hysson, huxim, aljfar, preto, e
preto ponta branca, etc., etc., a 20000,
202 0, 20560 e 20800.
Copos lisos de lodos os lmannos de 120 a
320 rs.
dem lapidados de todos os tamanhos a du-
zia a 20500, 30500, 40 e 50.
Clices de todos os tamanhos.
Cognac superior-a 10 e 10500 rs. a garrafa.
Cigarros do Rio, pardos, a 80 rs. o maco
de cinco macinhos,
1
DOCES de todas as qualidades: brasileiros,
portuguezes, inglezes, francezes, etc. etc
E
ERVILHAS seccas a 120 rs. a libra.
ervadoce a 400 rs. a libra.
F
FARINHA S S S de 8 libras para cima a 120
rs. a libra.
dem de araruta a 320, 400, 500 e 800 n.
Figos de comadre a 160 rs. a libra.
Feuo verde em latas a 600 rs.
Favas em latas a 600 rs.
Fumo do Rio a 500 rs. a libra.
dem americano em latas a 20.
Farello ha sempre era deposito, de 500 a
800 saceos, de todas as qualidades, de to-
dos os tamanhos e de todos os precos.
G
GOMMA a 50 rs. a libra.
dem a 140 rs. a libra, muito alva.
Grao de bico a 120 rs. a libra, e em porc5o
se faz grande abatimento.
Genebka de laranja verdadeira a 10000 o
frasco,
dem idem a 700 rs. o frasco,
dem de Hollanda em frascos e botijas.
Macarro e talharim a 320 rs. a libra.
Massa de tomate a 6u0 rs. a lata.
Mostarda ingleza a 800 rs. o frasco.
Molho ingles de todas as qualidades.
Marrasquino verdadeiro de Zara a.....
Massas linas para sopa branca e amarella a
60. rs. a libra, em caixas com 9 libras a
30500.
Miliio painco e alpista, sendo mais de 8 li-
bras a 100 rs.
m
NOZES a 120 rs. a libra.
Nabos em latas a 800 rs.
O
Osiras ingle/.as e americanas.
P
PEIXE em posla, latas grandes, a 10COO, de
todas as qualidades, como sejam savel,
goras, corvina, parg., salmao, pescado e
pescadiuha, linguado, sardinha. etc., etc..
Peras em latas, excellente preparaco.
Palitos para dentes a 120 rs. o maco muilo
grande.
Passas em qaarto a 10400.
dem muito novas a 4U0 rs. i libra.
Pomada muito nova a 280 rs. a duzia.
QUEIJOS flamengos.
dem prato a 800 rs. a libra,
dem suissos a 800 rs. a libra,
dem londrinos a 800 rs. a libra.
Qlartinhas ou morinques a 60, 80 e 100 o
par.
R
RAPE' Mearon a 10 a libra,
dem Princeza do Rio a 10200 a libra,
dem francez a 2^500 a libra.
m
bra e em caixa se faz abatimento.
Peixe em posta em latas hermticamente la-
cradas e das melhores qualidades de pei-
xe a 8oo, l,ooo e l,2oo rs.
Vinho Rordeaux das mirlas mais acredita-1
Vinho em pipa: Porto, Figueira e Lisboa a
32o, ioo e 5oo rs. agarrafa, e em caada
a 2,5oo, 3,ooo e 3,8oo.
Vinho branco de Lisboa de excellente quali-
dade a 4oo e 5oo rs. a garrafa e em cana-
da a 3,ooo e 3,5oo.
Vinho branco para missa em caixas de 1 du-
zia a 8,ooo e 68o rs. a garrafa.
Vinho do Porto das melhores marcas que
vem ao mercado
do de Simas, das seguintes qualidades:
Exposico Normal de Ha vana, Imperiaes,
Londrinos, Guanabaras, Parisienses, Sus-
, piros Delicias, a 4,ooo, 4,5oo, 5,ooo,
6,ooo e 7,ooo a caixa ou em n eias.
i Charutos-finos de diversas marcas e fabri-
cantes, como sejam: Flor do Norte, Ma-
nilbasde Havana, intervallos,Vencedores,
Panatellas e Suspiros, a 2,ooo, 2,5co e
3,ooo a caixa.
ognac inglez das melhores marcas, a Soo e
l,2oo a garrafa.
como sejam : Lagrimas
do Douro, Duque do Porto, Rainha de Por-
tugal, Duque genuino, D. Luiz 1, Madei-
raSecca, Malvazia fina a 16,ooo, I5,ooo, | Do'c da casc"de goiaba a 2,ooo a lata com
12,ooo e I o,oooa caixa cora 1 duzia e9oo, 4 libras.
1 ooo e i,5oo rs. a garrafa. Farinha d araruta verdadeira a 32o rs.
Vinho Ctierexde superior qualidade a 16,ooo libra.
a duzia e l,5oo rs. a garrafa.
Sardinhas de Nantes a 4oo rs. os quartos e
64o rs. as meias latas.
Bolachinhas inglezas muito novas a5,opoa
barrica e 320 rs. a libra.
Matte,excellente cha para os navegantes, a
2oo rs.
Sebollas de Franga muito grandes e novas
a l,8oo o cento e l,2oo solas.
Palitos do gaz a 2,2oo a grosa.
Bolachinhas de soda em latas de diversas Toucinho de Lisboa muito novo a 32o rs. a
qualidades a 1,3oo rs. libra e 8,5oo a arroba.
Cartes com bolo francezmuito propnospa- Banha de porco refinada a 65o rs. a libra.
ra mimo a 64o rs.
Passas muito novas em caixinhas enfeitadas
para mimo a 3,ooo rs.
Passas de carnada a 8,ooo a caixa e 4oo rs.
a libra.
Figos de comadre a 24o rs. a libra.
Amendoas de casca mole a 4oo rs. a libra.
Milo de amendoas a 5oo rs.
Bolachinha d'agua e sal; da fabrica deJoao
de Brito no Beato Antonio, em lata de 6 li-
bras por2,5oors.
Ameixas francezas em fiasco de vidro com
lampa do mesmo, a 105co.
das que vem ao nosso mercado a 7,ooo e' Ameixas franc zas em caixinhas de diversos
8,ooo a caixa e64o e 7oo ris agar-
rafa.
Genbra-de Hollanda a 48o rs. a botija Efe
conla certa.
Frasqneirasde genebra de Hollanda a 6,8oo
e 64o rs. o frasco.
Genebra de laranja verdadeira era frascos
grandes a l,ooo e H,ooors. a frasqueira.! Conservas inglezas
Caf do Rio de Ia qualidade a 28o rs. ali- 8,5oo a duzia.
tamanhos com bonitas estar pas na cai-
xa.exterior, a 1,4o?, l.floo, l,8ooe 2,ooo
caa urna.
Bolachinha Alberto, as melhores que pre-
sentementetem vindo ao mercado, a 2,ooo
a lata.
Farinha do MaranhSo muito alva e cheirosa
a 2oo rs. a libra.
Frascos com fructas em calda de diversas
qualidades a 2,Soo e l,5oo o frasco.
Caixinhas com fructas em doce secco de di-
versos tamanhos, muito proprias para
mimo, a l,6oo, 2,6oo e 3,5oo cada urna.
Ruibos, excellente peixe portuguez, em
barris pequeos ou a retalho, a vista se
far o preco.
Azeitonas de Rivasem ancoretas grandes de
8 garrafas por 6oo e 8oo rs. a garrafa.
Azeitonas porluguezas a 5oo rs. a garrafa e
l,5oo cada urna ancorela.
No da 9 de maio prximo passado
fngioda ra dalmperatriz casa n. 9, segun-
do andar, o escrio pardo de nome Euge-
nb, que tem os signae- seguinles: magro,
sem barba, tem falta de dentes na "rente, e
a vista esquerda coberta m un a nevoa
branca, tem sido encontrado a ganhar na
Yiheiras e na estaco da estrada de erro cm
S. Jos : quem o levar a casa cima ser
bem gratifleado.
- Fngio no da 16 de maio prximo | :i. prelo crtoulo de nome Rraziliano, Idae de '.'6 au-
no?. eMatura regular, cor fula, leudo uro dos dril-
les da frente quebrado, fem batba, apri as alpun;
cabellos a roda da garganta e olhar amorb rldd
bem fallante, sabe Icr e esnever e falla era jouco
o inglez, bon: ropeiro. rosinha e lava I i-m, levi i
vestido camisa de afcodo branco e calca di dili
azul, conduindo alguma renia fin-., roir.o bti
raleas de casemiras de lisias, jaquela branca e ra-
miea de madapolao, Innes e mais feuia que icm
marcada cim a letra B de licita de marca,8lpot at
pecas e outras cem o rome por exicn-o m tinta
de marrar, levou rliajo de palha in lando n ui-
ll.a, chapeo de sol de seda verde j usado, safdlos
e meias, de suppor que se inculque de forro .
quem o apprehendrr ccndnzindo ao sitio de I
Matheus, no Poco da Panella, ser genersamm!".
gratificado por seu senhor Juvino Bandeira.
bra e 8,5oo rs. a arroba.
Caf do Cear muito superior a 24o rs. a li-
bra e 7,5oo rs. a arroba.
Arroz do Maranh3o de Ia qualidade a loo
rs. a libra e 2,800 a arroba.
dem da India a loo rs. a libra e2,8oo a
arroba.
dem de Java a 80 rs. a libra e 2,4oo a ar-
roba.
Pain?o e alpista a 14o rs. a libra ei,oooa
arroba.
Azeite doce refinado hespanhol ou portuguez (Champagne da melhor qualidade que v?m
a Ooo rs. a garrafa e 10:000 a caixa. : ao mercado, a 2,000 e 3,5oo a garrafa, e
Batatas muito novasa 80 rs. a libra e2,5oo 24,000 e 26,ooo o gigo.
o gigo com 36 libra-. | Gomma de engommar muito alva a 12o rs.
a 75o rs. o frasco e a libra.
Figosem sextinhas a 80 rs, cada urna e 72o
100$ de gratifica$io.
Fogio no dia 7 de maio de 1865, da casa doauai-
xo assignado, o seu escravo Francisco, caba, esta-
tura regular, grossodo rorpo, cabellos nao carapi-
nhados, denles perfeitos, sem barba, ps e mac,
regulares, levando vestido calca de casemira | re-
ta, camisa branca pateiot de alpaca e chapeo iie.
taeta, pretos; alm. dos referidos sighaes lea
elle no braco direito um sino Saloman, abano
do qual lem um coracao feito com tinta azo!, im
cujo centro tem as seis iniciaos sf guintes: MAM
IMX, tem elle 23 anuos de idade, pouco mais ou
menos. Consta ler .'e);uido a estrada do norte,
em busca da casa de sen antigo senhor o lente-
coronel Joaqulm Carnelro da Costa, \ qual no
lugar denominado urrai Grande da villa de San-
t'Anna, provincia do Cear. O abaixo assigoadu
recommenda nao s as autoridades, coma aos ca-
pilaes de campo de qualquer lugar, a captara du
referido escravo, o qual poder ser enliegue no
primeiro andar do sobrado n. 81 da na d Impe-
rador, cidade do Becife, ou no sitio da estrada de
Joao de Barros, resider ca do abaixo assignadO :
a pessoa que o Irenxer ter a gratificacSo cima.
______ Joaquim Manoel de Mira Wfinderlcv.
Vassouras de escova para esfregar casa a
4oo rs.
Nozes muito novas a 16o rs. a libra.
Molho inglez em garrafa de vidro com rolha
do mesmo, a 16o rs.
Mostarda ingleza dos melhores fabricantes,
a 800 rs. o frasco.
Mostarda franceza em potes j preparada a
4oo rs. o frasco.
Lentilhas francezas, excellente legume paraj
sopa, a 2oo rs. a libra.
Massa de tomatesdesuperior qnalidadea 64o Marrasquino de Zara propriamente dito a
rs. a lata de urna libra e56o rs. a reta-J 10 a garrafa e 11,000 a duzia.
lho. 'Palitos de dente a 14o rs. o maco.
rs. a duzia.
Papel azul para botica a 2,ooo a resma.
Balaios para roupa suja, grandes e peque-
nos, por diversos precos.
Amendoas confeitadas a 64o rs. a libra.
Latas com fructas em calda: pera, pecego,
damasco, rainha Claudia e cereja, a 800
rs.
Vinagre de Lisboa a 2oo e 28o rs. a garra-
fa e a 1 ,4oo e 2,000 rs. a caada.
Azeite doce de Lisboa a 4,800 rs. a caada
e 640 rs. a garrafa.
Vinagre branco j engarrafado a 5oo rs. a
garrafa.
Escravo fgido
100^000.
Ainda se acha fugid.-i a escrava parda, Rufina, a
qual auseeleu-se no dia 2 do dezemlro de 18!).
com urna cria de nome Jioria. de anno e meio di:
idade, do sitio da Hraoga da freguezta dos Al
dos, pertencente a seu senhor o engenheno H-.n-
rique Augusto Mtllrt. Tinha naquella poca 18
anuos, lha do Rey.fe, sabe ler e tem os sigues
seguintes : baixa, cara bexigosa, cabello carapi-
nho, olhar desconfiad:-, seudo una perna ni is
grossa que a outra per Ihe ler dado varias veies
erysipella : dase a graliflcacio cima a quem le-
va-la ao seu senhor no enge'nho Saliinho da Ire-
guezia de Una, ou recoihe-la casa du deteucio *
cidade do Recife.
faz abatimento.
Sal refinado em frascos a 500 rs.
Salame de Len a 29.
Sardinhas de Nantes de todos os fabricantes.
Agua florida e tnico orien -
tal de Kemp.
Continuase a vender em porcao e a retalho :
na rna do Queimado, loja d'agui branca n. 8.
Chromacomo
A aguia branca; na ra do Queimado n. 8, acaba
de receber um novo sortimento de caixinhas com
chromacomo para tingir cabellos, e bem assim
frascos com hydrocalletrichina, agua para desen-
grasar os ditos, coloncomo para lustrar os ditos,
e onychromantina para Itmpar as unhas. Essa
tintura, cujo effeito rpido e efficaz, est bem co-
nheeida e apreciada para todos quantos delta tem
dem de Setubal em latas muito grandes a; usado, eos que de novo a quizerem apreciar, po-
' dem, assim como aquelles, dingir-se munidos de
dinheiro ra do Queimado, loja d'aguia branca
numero 8.
Papel e folhas para rosas
Acaba de ebegar para a loja d'aguia branca, na
ra do Queimado n. 8, um bello sortimento de pa-
pel de cores para rosas, dito verde para folhas, e
dito tambera verde e mui fino para cobrir o ara-
: me, asslm como folhas de panno e avelludadas
para ditas.
Aspas de baleia para vertidos
50000 a gar- j Vendem-se na ra do Queimado, loja d'aguia
I branca n. 8.
Superiores penas d'aco ingle-
zas e francezas
A aguia branca alera do grande sortimento de
penas d'aco qua constantemente tem, tcaba de
receber mais outro de superior qualidade e dos
720 rs.
Steamnas a 600 rs. o maco.
T
TOUCINHO de Lisboa a 320 rs. a libra.
Tomate em latas a 600 rs.
Tinta azul e prela para escrever.
v
VINHOSI
Principe Alberto, de 1831, a
rafa; d vida aos velhos.
Vellio secco a 2$ a garrafa.
Lagrimas do Douro a 10500 a garrafa.
Duque do Porlo verdadeiro a 20 a garrafa
Duque a 10 e 10500.
Chamissoa 10, 10200 e 10500 a garrafa.
D. Luiz a 10 agarrafa. I afamados fabricantes Perres & C, "asslm como as
Moscatel verdadeiro de Setubal a 20 a ear- >erdadeiras blco de langa n. 134 s outras de pon-
- t*> ^Amailii /innimninrlA nnrm 9 vrmna.tac nnr
rafa.
Carcavelos a 10.
Colares a 900 rs.
ATTENQAO MEUS SENHORES
PARA
NOVA CALIFO
a garrafa; o nico vi-
nho que se pode beber por nao ter com-
posico alguma.
Lanterne a 800 rs. a garrafa.
Bordeaux Medoc a 800 rs. a garrafa.
dem S. Julien a 600, 800'e 10 agarrafa.
Absynlho a 20 a garrafa.
Kirsch a 20 a garrafa.
Wermoulh a 20, e a caixa a 180.
Bilter Maurer a 10 a garrafa,
Grave a 800vrs. a garrafa; vende-se por este
preco por ha ver sempre em deposito 50
' duzias.
la domada, continuando porm a vende-las por
precos comroodos, com tanto que o comprador com-
parera munido de dinheiro : na roa do Queimado
loja da aguia branca n. 8, on le tambera achar-se-
haa venda pastas para papis.
do
A aguia branca na ra
Queimado n 8, recebeu:
Bonitos "e graudos aljofares de cores para voltas.
Pnlseiras de ditos de ignaes e agradaveis cores.
Voltas pretas maiores e menores todas de contas
grossas.
Pulc.eiras pretas tambem de contas.
Outras de diferentes qualidades e gostos.
Brincos de aljofares de cores e donrados.
Fi velas d'aco grandes e pequeas com cinto pre-
to e de madreperola.
Outras graudes de dlfferentes qualidades e re-
dondas com pedras.
redondos e de
De caj, de 1852, a 10200 a garrafa.
Velho do Porto, em ancorelas de 9 canadas,! ^DSJqaes ,leIma,lrePe^0,*
a 35/fcOo ; vinho que, estando engarra- 0DdU),0 ndalo intericos e corredicos.
fado, vende-se a 10280 e 10500 a garrafa. |Capellas brancas para meninas.
Fazeodas baratissimas loja da roa do Crespo i. 17 de Jos Gomes
Villar.
A nova crise commercial permitte que o povo em geral niio possa comprar fazendas
caras. O proprietario deste estabelecimento, amigo qne do povo em geral, attendendo a
essas circunstancias est vendendo fazendas por precos que na realidade admira.
Correi, bom povo, a este estabelecimento, e comprai fazendas, porque alli se vende
por menos do que em outra qualquer parte.
Cassas organdyzes a 280 rs. o covado.
Chitas francezas escuras matizadas a 260 rs o covado.
Ditas escuras mnito finas a 240 o covado.
Ditas claras dem a 240 o covado.
Ditas escuras idem a 260 o covado.
Chitas para coberta muito largas matizadas a 240 o covado.
MadapolCes finos largos a 6590, "i e 8*.
Chales de fil prelo mnito bons a IOjOOO cada um.
Chales de merino estampados a 55500, 6 e 7
E outras muitas fazendas, que ludo se vender por precos que admiram.
AZEITE DOCE
Azeite doce refinadoem pequeas latas a 560 rs. a garrafa : no graude armazem
da Liga.
Saceos de 80,100 e 120 libras a 40,40500 e'50 ; no grande armazem
-
SE IGUA
m
Madapolao mnito fino cora pequea toque de avaria, por preco que admira : na loja
i dto columnas na ra do Crespo n. 13, de Antonio Correa de Vasconcellos & C.
Kugio em principios do mez de fevereiro do
correte anno e consta cstnr acoutado nesta cidada
o moleque Euzebio, escravo da viuva do Dr. Fer-
nando Alfonso de Mello, de 12 anuos do idade pou-
co mais ou cenos, cor prela, secco do corpo, olboa
regulares e afumacados, cabeca um pouco ^ranao
e meia chata, beicos finos, dentes bem alvoa, p=
seceos e muito ladino : rogase por lano a t< das a;
autoridades policiaes e capitesde campo qne oap-
prehendam e levem-o a ra da Mangueira sobrado
n. 6 que serao gratificados, protestando-se usar dos
melos judiciaes contra qualquer pessoa que o tenba
em seu poder.
Fogio no da 28 do correte, a no Te .""Ti
crava Januaria, pertencente a 1). Amelia Felicia
Deschamps senhora de Mr. Len Chapelin, retra-
tista, ca escrava hou*e por compra que fez ao
Sr. PioPierres Varea Barca em abril ultimo por
intermedio de seu procurador Jo3 > Francisco Ca-
bral, desconfla-se que a dita escrava tenha se-
guido para Paje dt- Flores e que procure o enge-
nho do Exm. barao de Vera Cruz, a quem a lem-
pos passados perienceu : a dila escrava tem pouco
mais ou menos 20 annos de idade, de estatura
pequea, de cor fula, lera os denles limados, testa
eplhos muito pequen)-, gratilica-se bera a quem
apprehende-la.
Attencao
No dia 4 de pneiro do anno de 1864, fugio do en-
genho Conceicao, comarca de Pc-d'Alho, o escra
vo Galdino, pertenrenle ao abaixo assignado, com
os signaes seguintes : idade 26 annos, pardo, claro,
corpo, figura e altura regulares, cabellos meios ca-
rapinhados, olhos pardos, sobrancelhas e palpebras
salientes, tem em cada braco um sino de Salomo,
sendo um delles mal feito, e junto a este una cruz,
tem na cabeca urna cicatriz de urna polegada, e em
cima de um quarto urna outra cicatriz de tres po-
legadas, proveniente dj ponta de pao e queda, tem
sobre as costas algumas marcas ou cicatrizes de re-
Ihadas ou chicote; umfpouco desembarazado qnan
do falla, tem principio de carplna e carreiro, toca
viola e barbado. Fui soldado do corpo dejpolicia no
Becife, e levou corasigo a baixa do theor segrate :
Seccao urbana, 2' companhia n. 50, Antonio Caeta-
node Oliveira, filhode Agostinho Ferreira de Bri-
to, natural de ingazeira, cor parda, cabellos cara-
pinhos, olhos pardos, officio nenhum, estado soltei-
ro, com 30 ann js de idade, 60 polegadas de altura,
ao engajar-se. Engajou-se na forma do regula-
mento, era 17 de fevereiro de 1862, por officio do
Exm. Sr. presidente da provincia, dtalo de 28 de
abril do corrente, e publicado ao corpo em ordem
do dia 1 de maio, tudo em 1862; teve baixa do
servico por ter dado era ssu lugar o paisano Joo
Pedro Ferreira da Rocha. Foi escravo do capitao
Joo de Dos Barro-, morador que foi na comarca
do Brejo da Madre de Dos, e hoje morador na
Campia Grande da Parahyba do Norte, que o ven-
den em dias do mez de novembro de 1863 ao abai-
xo assigoado, pelo costume de andar fgido e a ti-
tule de forro com o nome mudado ; pelo que roga-
se a attencao das autoridades civis e militares, nao
s desta provincia como das demais do imperio, a
| napprehensao do dito escravo, qw> a titulo de foro
1 rn ouenha sido recrutaJo ou assenlado praca ai
i ialgtns dos corpos de Voluntarios da Patria, lam-
\ de n pede-s aos capitaes de campo e pessoas par-
' ddmulares amesma apprehenso, e leva-lo ao sen
I .aeteor noreferido engenho Conceicao, ou nesta ci-
eose ao capitao Mauricio Francisco de Lima roa
i be Brum n. 56oue ser gratificado com 200.
Jos MTria dos Santos Cavalcanti.



Diarlo de

neo Sabbado i* de Juaho de i 8&.
LliTOiTCRA.
W.4TERLOO
(Cntninua?ao do conscripto de 1813.)
POR
ERCKMANN CHATRIAN
SEGUNDA PAUTE.
XXII
(Conlinuacao.)
Eu j tinha visto Weissenfelz, Lulzen, Leipzig e
Ligny, e eomegava a comprehender o que querem
diz. r as roas, porque que se toma urna posi.
gao e nao outra, e achava- que os Inglezes se ti-
de cantar.' J nao era pouco que tirassemos os Chegou a nossa vez, disse eu a Buche, minutos chegamos a reunir-nos ao pe da calcada,
botias dos buracos em que os en ierra vamos a cada' E' verdade, responden elle; resistamos sera- por pelotoes de todos os regimentos.
passo; os trigos moldados humedeciamnos as per- pro juntos. O que qnerem eommandar em guerra deveriam
as, e o raais animosos, os mais rijos davam ares O fumo das nossas pecas sabia entio, e vamos ter sempre exemplo destes diante dos olhos, e re-
de pouco contenlaraenlo. i as baleras dos ioglezes que contnuavam o fojo flectir antes de inventaren) cousas novas: essas ln-
E' verdade que as msicas tocavam as marchas em too comprmanlo das sebes qne orlavam o. venges custam caro aos que sao obrigados a en-
dos seus regimentos, e que os cornetins da caval- cnnho. A primelra brigada da dlvlsio Allx a
laria, os tambores da iofantaria, os bombos e as vanava obre a estrada para a Sebe Santa a passo
trompas produziam um elTeito ternvel como sem-. celerado. Roconbeci na retaguarda o marechal
pre. Tambera verdade que todos esses milhares' Ney com a,*uns offlciaes de e^do maior-
de horaens era boa ordem, alargando o passo com! Todas asjanellas do casal, o jardira e as pare
a mochila s costes e a arma ao hombro; as indas des em ^ue 5avia buracos abertos, ludo vomiteva
brancas dos couraceiros qae seguiam as linhas fo|o; a "** Passo ,lcavam al6uns homeDS re-
verraelhas, pardas, verdes dos dragoes, dos hussa- ta8Mrda estendidos na estrada.
res e dos lanceiros que enchiam o ar com as snas
abrigadas na planara, aceotavam naquellesbomens
muito oom senso natural.
nhara arranjado multo bem no seo caminho para; bandeirinhas de cauda de andorinlia; os arthei-
u ros no iolervallo das brigadas, a cavado de redor
das suas pegas que cortavam a trra at aos eisos,
tudo isso atravessando as searas de que nao fl-
Apezar dsso, tres cousas me pareceram entio cava em. p nem urna espiga verdade, isso ,
vantajosas para nos. i que "o se poda ver nada mais e.-pantoso.
Os Ioglezes eom os seus caminhos cobertos e as' e E 5 'j*!8 atate, bem formados, cora o.
suas reservas bem escondidas, estavam como em s*us arl,lhe,ros ^ morrao accezo, tambera eram
uma grande ortificagao. Mas todo o mando sabe aluma cousa aue a"a "r. Mas isso nao de-
leilava a
jii in tempo dejguerra so afrazam lgo, de redor ,c"*,a v,sU Unl como al8uns dizem, porque
fortes, as edificacoes muito prximas a'nda s^o muito raros os que goslam de levar com
balas.
prximas
nao va o inimigo ampa-
. priesa
oai muradlas, para que
rar so com ellas. Bem rae dizia o Sr. Goulden que no sen tempo
O a, justamente no seu centro, ao compndo da o soldados canlavam, mas porque iam volunta-
estrada e uo declive das esplaoadas, ncava uraa riameote, e nao forca. Corabatfam para defen-
herdade no genero da Roulette, nos Quatro Ventos, derem os seus campos e os direitos do homem, que
mas cinco ou seis vezes maior. Bem a va da al- tinbara em mais estimaco do que aos seus olhos
lumonde estavamos : era um grande quadro, a e isso nao era a mesraa cousa que sujeitar se a
caa, os carraos, as cavadlas igas e as granjas em gente a ser estripada s para saber se havia de ba-
iriangulo do lado dos Ioglezes, o a outra metade do ver nobreza antiga ou nobreza moderna. Eu por
triangulo, formada por urna parede e alpendres, mira nunca ouvl cantar em Leipzig nem em Wa-
(tc nosso lado : o pateo licava no interior. Um dos terloo.
panos d;ssa parede dava para os campos por urna Marchavamos e a msica tocava por ordem su-
porta pequea, e o outro para a estrada, com um periur, e quando as msicas se calaram ficou tudo
pjrtao para os carros. Era construido com lijlos no maior silencio. Estavamos entao no alto do pe-
e bem solido. Naturalmente os Inglezes tinham-no queno valle, a mil ou mil e duzentos passos da es-
carnecido de tropas, como urna especie de rev- j querda dos Inglezes. Formavaraos o centr do
li.ii ; mas se nos o tomassemos, ficavamos muito nosso exercito, e pelo nosso flanco esquerdo estn-
peno do seu centro, e podamos arremessar sobre diam-se cacadores com lanceiros.
siles as nossas columnas de ataque, sera estarcios
muilo tempo debaixo do sea fogo.
iNey, a cavaiio cora o sea grande chapeo alraves-
sado, observava a accao do meio da calcada. Eu
disse a Bache :
All est o marechal Ney; a segunda briga-
da val sustentar a primeira, e depeis ire.raos u
Ms enganava-me ; nesse mesmo momento o pri-
raeiro batalho da segunda brigada receben ordem
para marchar em linba direita da estrada, o se-
gando batalho atraz do primeiro, o tereeiro atraz
do segundo, e emfim o quarto como se desQIasse.
NSo havia tempo para nos formar em columnas de
ataqne, mas essa disposico pareca solida. Iamos
a cento e cincoenta ou duzentos horaens de frente,
os capites entre as companhfas e os commandan-
tes entre os batalbes. Dessa maneira as balas
em lugar de levarem dons horaens levavam oito
trar nellas.
1 Olhavamos para a retaguarda tomando folego, e
viamos j os dragues vermelhos subindo a encosta
para tomarem a nossa grande balera de oitenta pe-
Cas; mas, grapas a Deus, tinha chegado a sua vez
de seren -tambera esquartejados. O imperador ti-
nha visto de longe a nossa retirada, e quando os
dragoes subiam, dous regimentos de couraceiros
direita cora um regiment de lanceiros esquerda,
cahiram sobre ellos de flanco como raios foi n'um
abrir e fechar de olbos. Ouviam-se os golpes que
resvalavara as cour.gas e o resfolegar dos caval-
Ios ; viara-se a cem passos as langas a sabir e des-
cer, as espadas estender-se, os lanceiros curvar-se
para picarera por baixo, os cavallos levantar-se fu-
riosos, e morder relinchando de urna maneira ter-
rivel, e depois os dragues, em trra debaixo das
suas patas, tratando de levantar-se e aparando os
golpes com os bracos.
Que cousa horrivel urna balalba I Buche gri-
tava: Bravo I e eu senlia o suor correr-me da
testa. Outros com gilvazes e com os olbos chelos
de mangue, limpavam-se e riam com ar feroz.
Em dez minutos estavam fra de combate sete-
ceios dragoes; os seus cavallos reos corrlam
cosa, agitada, infagavel, s vezes indolente, as presidente, Mr Annibal Huraelem, secretario, a
vezes irritada e como derramando enebentes de Sumter vicepresidente.
Tomaram as distancias convenientes, aperta-
j ram-se os intervallos, a primeira brigada da pri.
i, o que linhamos mellior por nos. Essa fa-j meira divisao obliquou sobre a esquerda e poz-se a
zenda chamava-se a Sebe-Santa, como sonbemos cavado na calcada. O nosso batalho fazia parle
da segunda divlsao; portento Acaraos na primeira
1 linha, tendo s na nossa frente urna brigada da
primeira divisao. As pecas passarara todas para
a vanguarda ; as dos Inglezes viam-se defronte
: mesma altura. E anda durante muito tempo fo-
.euois.
Mais longe, na frente da sua ala direita, em urna
coneavidade, esteva oatra fazenda com urna bou-
', que tambem podamos tratar de tomar. Essa
fa'.emla nao a via eu d'onde esteva, mas devia ser
amia mar segura do que a Sebe Santa, porque era r*m vind0 0Dtras divis5tS Pa nos reforgarem.
e por Pare(,|a 1ue totla a terra marchava. Os soldados
cubera por um vergel cercado de paredes
urna i. jura que cava mais adianle.
0 fogo das janellas dava para o vergel, o fogo
oo vergel dava para a bouga, o da bouga dava pa-
ra ^ eacosta, e o iniraigo poda retirar de urna pa-
ra outra parte.
velhos diziam:
La vem os couraceiros de Milhaud I aquel-
es sao os cacadores de Lefevre Oesnoueltes I o
que vem la em baixo o corpo de Lobau I
De todos os lados, at onde se poda aloDgar os
I olhos, nao se via seno couracas, capacetes, col-
Essas ceusas nao as vi com os meus olhos ; mas tac-k<, sabres, langas, flleiras de baionetas.
algucs soldados velhos contaram-me depois o ala- ,.n ,,..,.. .. ,
" : ^ Que batalba I dizia Buche. Ai dos Inglezes I
que dessa fazenda, chamada de Hougoumont. .- ', .,.._
1 h tu pensava como elle; parecia-me que nem
V preciso explicar indo quando se falla de urna um Inglez escflparja. Pde.S(J dzer que m sorle
battiha como aquella ful ; mas o que a gente v e .nos perseguio nesse da ; se nao fossem os Prus-
o principal, porque se pode dizer :-Vi-as !e'aianSf teriamos dado cabo de ludo,
das utras Uve conhecimenlo por homens de bem, j Durante duas horas que estivemos com a arma
iucapazes de engaar ou de mentir. j em descauso, nao ti vemos tempo para ver metade
-Emlim, na frente da sua ala esquerda, onde des-; dos nossos regimentos e dos nossos esquadies;
ca o caminho de Wavre at perto da Sebe-Santa, era sempre gente nova que ia chegando. Lembra-
ilgcns centos de passos do nosso lado, ticavam me que ao cabo de urna hora se ouvio de repente
v 'wii-Jade de Papelotte, oceupada porallemaes, os na esquera como uraa trovoada o grito deviva
ii,'iconos casaos da Haye. de Smohain, do Cavado o Imperador 1e que esse grito se aproximava
'.'ao, de Joo Loo e outros, que depois eu quiz crescendo sempre, e que todos se levantavam as
coahecer para vir no conhecimenlo deludo o que pontas dos ps eslendendo o pescoco; que na re-
' liaba passado. Esses casaes bem os via entao, taguarda os cavallos relinchavam como se tambem
ma.: nao Ihea dava grande attengao, porque fica- quizessem gritar, e que n'esse momento um turbi-
;ata fra da noVsa linha de batalha, para a direl- Ibao de offlciaes generaes passou na nossa frente a
;a. o porque uo via por l tropas. todo o galope.
uagiOomagoraaposicodos Inglezes na nossa' NapoMo ia entre elles; parecerae que o vi,
trente, a es-rada de Bruxellas que a atravessa, o mas */"! > norria tanto, e eram tantos
Ltaaohoqueacobre,aplanura por deiraz, onde!01Urt levantavam as barretinas as ponas das
t-iao as reservas e as tres edificares de HouSou-,bainetas' 1ue mal tinhamos leraP Para "*?
eaoal da Sebe-Santa, e de Papelotte, na frente, cer Pelas costas arredondadas e pelo capote pardo
bem defendidas. E' claro que nao eram cousa pa-
ra se tomarem assim s priraeiras.
Eu eontemplava tudo isso pelas seis horas da
manhaa, muito aliento, como homem que est em
risco de perder a vida ou de quebrar as pernas
em um eomraetliineuto, e que quer ao menos sa.
ber se ha alguma probabilidade de escapar.
no meio das fardas agaloadas. Emquanto o capilo
gritava:
Brago armas 1 apreseuter armas 1 tudo tinha
passado.
Era assim que elle era sempre visto, excepto
quando o acompanhava a velha guarda.
Depois que passou, quando os vivas se foram es-
lendendo para a direita, cada vez mais longe, veio
a idea de todos que dentro de vinte minutos esta-
Zebedeu, o sargento Rabot, o capitao Florentino,
Buche, emlim lodos, quando se levantaram, deita-' ria travada a batalha. Mas levou muilo raais tem-
rem os olhos para esse lado e nao disseram nada. po. Era a impaciencia que espicacava os nimos;
Bepois examinaran! de redor os grandes quadra- j os soldados novos do corpo de Erlon, que na ves-
dos de infantera, os esquadr6es de couraceiros, de pera nao tinhara entrado em fogo, coraecavam a
dragoes, de cacadores, de lanceiros, acampados no | gritar: A'vante 1 quando emfim, pela volia do
meio da, reboou o canho a esquerda, e no mesmo
instante se seguio o fogo de batalhoes, e logo o de
de cada vez, e os de traz nao podlam atirar porque' desenfrea* em todas as drecSes. Algra ceios
osestorvavam as priraeiras filenas. Tambem se Melles enlravam as suas bateras, ma* muito mal
vio logo que nao era possivel formar-nos em qua- se seguravam agarrando-se s crinas dos cavallos.
rados- Tinham visto que nao est tudo em cabir sobre o
Dever-se-hia ter pensado nisso eom tempo, mas inimigo, porque tambem Ihes poda acooleear o
era muito grande a ancia de cabir sobre os Ingle- qne nao esperavam.
zes e de fazer tudo de urna vez.
Maadon-se marchar a nossa divisao na mesma
ordem : propor^o que avangava o primeiro ba-
talho, o segundo marcuva o passo, e assim por
dianle. E como se comecava pela esquerda, vi
com alegra que licariaraos na vigsima quinta I-
leira, e que muita gente havia de ser espatifada
antes de nos chegar a vez.
As outras duas dlvisoes nossa direita forraarara
igualmente era columnas macissas, a trezealos pas-
sos amas das outras.
Foi assim qne deseemos ao valle apezar do fogo
dos Inglezes. A trra forte era que nos encrava-
mos demorava-nos a mareta, e gritavaraos todos :
A' bayoneta I
Na sabida, recebiamos urna saraivada de balas
por cima da calcada esquerda. Se nao fossemos
to compactos, esse espantoso fuzilar nos leria tai-
vez feito parar. Mas tocava. arrancada, e os efll-
ciaes gritavam : Carregar sobre a esquerda 1-
Porm aquello fogo terrivel fazia-nos involuntaria-
mente estender mais a perna direita do que a es-
querda ; de- maneira que quaudo chegamos ao p
do caminho orlado de sebes-tiohamos perdido-as
nossas distancias, e a nossa divisao nao formava
por assim dizer seno um grande quadrado ebeio
com a terceira.
Entao coraecaram a vareja>nos- duas bateras,, e
a metralha que sahia d'entre as sebes, a cera pas-
sos, rompia-nos- de fra em fra* Todos ergueram
um grito de horror e deiteram a correr sobre as
baleras, derribando os soldados vermelhos qua nos
quenam esiorvar a arremetida.
Nesse momento vi de per pela primeira vez o-
Inglezes, que sao horaens robustos, brancos, bem
barbeados, com sutssas ruivas oomo bons burgue-
zes. Defendera-se bem, mas nos valemos mais de
que elles. BT verdade que nos-vencern, raas-a
culpa nao nos-cabe a nos simples soldados ; todo
o mundo sabe que mostramos- tanto e raais valor
do que elles..
Ha quem diga que j nao eramos os soldados de
Austerlilz, de lena, de Frediand, de Moscow,.
fCon-*a.>
UM POUCO DE TDB.
E' do Sr. Dr. Fraakliu TaVora este escrlpto.
IMPHESSOSS DE MOS0ST0.
I
Eu vi os carneires do cemiterio Atando da
sua inaeco, a irameasidade do vacuo; aquelle
odiar era urna contemBlaco lo indefinida como
os illimes do cu.
Eu H- nesse odiar abstracto a legenda da philoso-
phia raais profunda da bamanidadea> philosophia
das bu-rafe as.
O marmore mudo como a raorte, to-raudo que
s o silencio a sua voz.
E com-wdo falla alli urna-idea de lal sorle gran-
de, que neerra uraa philosophia eternaa idea
do nada.
Virgens-e-velhos, donzellas- e croancas,homens
grandes e-pequeos horaens,. amores e mooidades,
tudo falla e tudo dorme no llvelaraenlo desses re-
p ousos de poeira, e tudo 6 pf>
Cores e posiedes, bellezas, riquezas e oaiunineoes,
ideas e devaneios, senbos e felicidades, esgalha-
ram-se, |desioibaram-se, feoeoeram e se decoro-
pozerara no isolamento da miseria liumana;.
quem o desengao foi arrebatar a nica roup).qtre
possuia, e a mais miseravel de todas com qce uo-
brio as.suaaimpurezasa luaica de carnee ossos
de seu corpo..
Vale raais uraa pedra do que-ura homem.
E homem e pedra, no derradeiro balito de vida,
deixam escapan urna golphada-de cinzas.
Sol, chuvasvnoites, primaverasj cobrem de fogo,
de flores ou egoltas frias a aabeca dos caraeiros
do cemiterio,.qaes ellanao-se curva ao-con-
tacto dessas ronpas do lempo,, na mocidade de sua
existencia.
Sois menos- precarios no vssso destino e raenes
frageis na vosea.compleico, carne iros do. cemite-
rio, to que o re da creacao que Deus fez retomar
do nada cora, o inevitavel destino de ao nada, re-
troceder.
S ha urna, verdade suprema na trra que- a
verdade I as esees, visto que eram to bons,. de- da insignificancia humana.
meio das searas.
Ento ja niaguem tinha medo de que os Ingl"-
tuja a liaba.
Han se vi nada. Era o ataque de Hougoumonl,
do outro lado da estrada.
Estrondearam logeos gritos de :viva o impe-
rador 1Os arlilheiros das nossas quatro divisSes
estavam as suas pecas a vinte passos urna de ou-
tra, em todo o comprimento da encosta. Ao pri-
meiro tiro coraecaram a carregar. Anda os estou
a ver todos em linha, metter o cartucho, atacar, e
bater o morrao no brago; era um s movimento
plvora e barris de aguardante. Cada soldado para todos, e essa vista dava caiafrios^ Os chefes
receben raco dobrada ; com urna codea de pao d Pe?a. na retaguarda, quas. todos offlciaes velhos
poderia ficar satisfeito, raas fal.ava a codea. Iraa- jcoraraandavara corao era uraa parada- e quando
Lp-se cora que caras estaramos todos. E foi o essas mienta.pecas troaram ao mesmo tempo nao
que recebemos era todo esse da, porque logo de- je ouvio mais nada, e todo o valle ficou coberlo de
pois comecaram os grandes movimentos. Os reg-,umo-
meatos rennirara-se s suas brigadas, as brigadas Mal teria passado um segundo quando apezar do
divses, e as divisSes lornaram a formar mmbido nos onvidos, percebemos outra vez a voz
zes deilassera a fagir ; accendiam-se quantas fo-
"iieiras se querlam accender, e o fumo da palha
hmida estendia^e pelos ares. Os que ainoa ti-
nham um resto de arroz penduravam as marmitas
sobre o lume ; os que nao tinham olhavam para os
outros, e diziam i comsigo :
Toca-lhcs hoje a vez; hontem tinhamos car-
ne, mas nao tinhamos arroz ; agora quem nos-d-
ra ao menos o arroz !
Pelas oito horas chegaram carros com cartuchos
as suas
os seus
corpos. Os offlciaes a cavallo corriam a
evar ordens, e tudo eslava em marcha.
O batalho reunio-se divisao Donzelat; as ou-
tras divisoes tinham s oito batelbes; ella teve
nove.
Teubo ouvido contar mudas vezes pela bocea
dos nossos veteranos a ordem de batalha dada pelo
sonora dos offlciaes:
Carregar I atacar I aponter I fogo I
E isso continuou sera interrapgo durante meia
hora. J nao se via nada; raas do outro lado tam-
bera os Ioglezes tinhara comecado o seu fogo; o
assobio das suas balas no r, o rumor seco dasicaDalna
veriam ter sido poupados. Bera quizeraraos nos
qae elles estivessem no nosw lugar.
Os Inglezes nSo perdiara nm tiro, e isso felinos
romper as flleiras; os horaens nao sao estacadas;
precise- que se defendara. quaodo assim os-espin-
gardeam.
Muitos tinham-se, pois, separado do corpo quan-
do milhares de Inglezes se levantaram do meio
dos campos de cevada. e atiraram sobre elles
queima-roupa, do que pesultou grande mortandade ;
a cada segundo corras outras flleiras em.soccor-
ro dos camaradas, e da certo nos feriamos- espalha-
do lodos como forraigas sobre a encost, se nao
ouvissemos gritar :
Altengo t la, tem cavallaria I
K vimos logo chegar urna grande quantidade de
dragoes vermethos sobre cavallos rueoe. Corriam
como o vento. Todos os nossos soldados qae se ti-
nham debandado foram retalhados sem miseri-
cordia.
Mas nao se pense que esses dragSes cahiram so-
bre as nossas columnas para as romper; ellas
eram muito longas e mnito compactas : desceran)
ao meio das nossas divisos, aeutilando direita e
esquerda, e impellindo os cavallos para o flanco
das columnas para as corta; em duas. Mas nao
poderam consegul-lo. S nos mataram muita gen-
te e pozeram tudo em grande desordero.
Foi ora dos raais termeis momentos da minha
vida. Como soldado veiho, en estava direita do
batalho ; tinha visto de longe o que essa gente ia
fazer.
Elles passavam, estendendo se de lado sobre os
seas grandes cavallos tanto quanto pediam, para
acntilarem as fileiras, os seus golpes seguiam nns
aos ootros como relmpagos, e mais de vinte vezes
pensei ter a cabeca fra dos hombros. Felizmente
para mira, o sargento Rabot era serranas e foi elle
qne soffrea esse furaco espantoso, defendendo-se
at a morte. A cada entilada gritava :Canalha I
prazeres e de vida Inextinguivel por sobre lodos e
a todo.
Saadosa e compngeme recordacao a qne relera-
bra gozos pastados, asufruidos, qae nada ser ca-
paz de-fazer voltar I
IV
E ahi tambem repousam, sob a pressao d'essa
tranquillidade inanida, amigos e prenles meas.
Muites afTeigSes caras jazem esquecidas debaixo
Era ento objecto de mofa o rttiU spitler feito
chefe do poder executivo ; as snas maneiras ex-
cntricas, e a sua apre&nlaco multo trivial. Mas
a rectido do sea carcter, a sua escrupulosa ho-
neslidade e a sua inabalavel firmesa, bem depressa
Ibe conciliarara a estima eo respeitodos seos con-
cidados e dos seas adversarios.
Os amigos mais dedicados da Uoio, julgaram
que o melhor meio de assegnrar o tnumpbo da
d'esse remanto pesada, solitario, cloquete ai I, sua causa, era fazer nomear Mr. Lincoln as elei-
muitas affeifes que rae forara caras, que alada o S68* para a nova presidencia de 1865. Os deraocra-
sao e s-lo-hao sempre, n'este minha viuvez de
senlimento, n'esle acerbo doer de intima coos-
triccao I
Que pensaraentear rae absorve n'esle momento
solemne I
- Em diminutos instantes decorridos por esta es-
phera to parte e s en teubo vivido mais pela
dr, do que l fra, no mondo, viverei, sem duvp
da pelo prazer.
Nao sei o que sinto, o que soffro, se me vexo, se
me pesam a atmosphera, a modez, a solido, os car-
nefros do cemiterio.
Mas eo sei que gozo, que gozo eom abundancia
no pranfear mystico de raeu corarao, que a sauda-
de faz chorar, ao mesmo tempo, qae goza pela sau-
dade I
A mdo eu vos olbo, tumbas silenciosas e maci-
lentas, pallidas cruzes de marmore, banhadas an-
da do suor copioso das nuvens.
Mas en soo impeilido a olhar-vos por oro torca
sobreoatural, dominadora dos meus receios, e me
inspiro com a solemoidade- raagestosa das vossas
frontes impassiveis.
Vejo n'essas letlras nogras-e capellas de sempre-
vivas desbotadas pelas intemperies, n'esses rosario*
pendentes por efm das vossas fnebres legendas,
o destino inevitavel que me aguarda.
Talvez, em breve, seja eu temfiem coravosco, tzr-
nelros do cemlterhv I'
BT do Sr. Cyrillo de Leraos este poesa :
o* TMULOS.
Memento homo, qir.a- pulvis es, tf
in ptdvevem reverter.
Os turnlos que sao ? sao marcos fotierarios
Aoade a fronte pousa exliausto o viajar,
E glidb adormece ao som dos campanarios
Ui termo pondo emlim da vida ao triste error.
Sao mudas sentinellas, randas atalajas,
Que a morte em seus humbraes eternos oollocu;
Ninguem os pode ver sera ver tambera as raias,
Que eatre urna e outra vida-a mo de Deus tragn.
No triste e torvo aspecto era branco deseahado
As %-ozes-do silencio raorle Idizer vemy
E o hemem, que as escata,^ente-se hurailliado,
Si at enio desereu, por/linda crenga terej-
Lembraofas desta vida, aoeeios de veulura,.
Alegres bacchanaes, ou grites de prazer,
Va i tu se quebrar de enooatro sepultura -
Que c-lngubre dormir nao. pode sonhos ter !'
Alido orgulho vo acaba-sa-a vaidade
Ao pobre-se nivela o rico aebre o chao,
Aspirara ambos juntos ir a'i Eternidade
Aos pes-do Creador pedir a redempgo.
Si os reos orgulhosos erguam monumentos
Ao mono, que foi rico e iwje s p,
O pobrsy. qae repousa ao p dos opulentos,
O que iar distinguir ?... a falta d'oiro s.
Embaide o homem tenia, :* nuvens topetando.
O orgulho seu langar corao urna affronta ac-o,
Do misa modo a morte fria vai minando
O corpo era simples chao ou rico mausolu.
Pompssas inscripges, coros, oiro e prata
Na pedra turaular conseguem deslumhrar,
Mas s a santa cruz, que- Deus era si retrata,.
Os laces do peccado pode- espedagar.
Apagam-se inscripgoes, a* croas emmurcbeceov
Mardam ouro o prata, e deixam de luzir,
Emquanto sobre a cruz.os aojos nao se esqueeoa
De preces, oragoes e Bore* e3pargir.
Os anuos vo passande. rpidos, velozes :
Succumbem geracocs- depois de geragoes ;
Os peitos j sIj ai^..i., mudas sao as vozes,.
(^ie dessa tnmba zo p- eantarara oragoes.
0 tnmulo esquecido.ao-lempo exposto se aclis-;
A hera se entrelaga-aos mores sepulchraes,.
'Corroe, mina a aarede, o marmor raesmo .raclia
;E pe descobewo os restos foneraes ;
E o vento, que-zunindo, passa sibilante
Os ossos revokvendo, ignora de quem sao,;.
Nem mesmo. a.piedosoe triste viandante
Ligar pode algura nome fnebre oragao t...
O tempo penpassar a cpula opulenta
Alisa ao raz da tumba pobre e sem fulgor;
Emtanto altiva em p a simples cruz so ostenta
Pedindo. cara o morto o d do Redemptor.
tes, ou para melhor dizer, os confederados, os par-
tidarios do sul, oppozerara-lbe o general Mac-Cle-
lan ; um pequeo numero de abolicionistas apre-
sentou tambera a caudidaiora do general Fremont,
mas sem nenbuma probabilidade de bom xito.
t as eleices de noveinbro, fot Mr. Abraham
Linela Borneado, pela segunda vez, presidente
cora ama inmensa rnaioria, que impunha silencio
aos ultra-eonserradores, que qaeriam a paz inme-
diata, mesmo a custa do reconhecimenlo do sol.
Desde entao foi continuada a 'guerra com orna
nova energia pelo general (iran, sendo fcil prever
o triumpho da eausa federal.
Kicumond capitulou efectivamente no dia i de
abril; Lee depos as armas a 9, e cinco das depois-
Abraham Lmeolu caba aos golpes de um assassi-
no, no momento em que a moderaeao, e autoridade
que havia adquirido, eram garantas seguras da or-
dem e da concordia no interior do paiz, e da con-
servago da pai no estrangeiro.
Nos termos da constituigo, o- peder exeeolivo
passou cora pleae direito para Andr Johnson, vi-
ce-presidente eleiso ao mesmo Itrnpo que Abraham
Lincoln.
E' tambem um hornera sabido das- flleiras mais
humildes da sociedade ; foi aprendic de-aifaiale, e
fez ama coasideravel fortuna exereeudo suecessi-
vamenie muitas industrias ; fez parte da legislatu-
ra do Tennesso, e depois do senado federal ~, exer-
ceu tambera as fundages de governador do seu
estado.
E'um ultra-republicano, um polisieo esaggera-
,do, partidario zeloso da-Unio.
Foi devido sua energa que a autoridade fede-
deral se manteve no Tennesse.
O nosso presidente aooosado de ser inoiinado
s bebidas fortes e espirituosas.
E' utna censura que se tem Igualmente dirigido
a> Sliermem e a Grant, que sao ambos horaens de
nina sobnedade exempiar. Taivez ne-haja raai
veidade respeito de Mr. Johnson, aeloalmeato
presidente.
Na occasio da abertura do congresse* pronun-
cien um discurso, que Ibe faz muita honra, o que
os stenograplios supprimiram. Em pouco se co-
nbecer se elle est na altura das suas novas-func-
goes. O que elle deve temer mais, Wr a oabir de-
baixo da influencia das intrigas e dos exagerados..
Esta noticia biograpbica
dos Estados-Unidos :
cclbida de jomaos
que batiam na lama, e o outro raido as flleiras e o seu sangne cahia sobre mim como chava.
quando os soldados eram adrados a vinte passos p0r flm cabio. Eu ainda tinha a arma carregada,
imperador: o corpo de Reille esquerda da ostra- para aretaguarda, com os ossos esmigalhados, ou j e vendo um desses dragoes que olhava para mira
da, em frente de Hougoumont; Erlou direita, i canam com ama perna ou um brago de meaos, e |on([et nclinando-se para me vir dar a sua esto-
em frente da Sebe-Santa; Ney a cavallo sobre a esse ru(lo janiava-se a outro raido surdo. A de- i cada> deitei-o *baixo a quairaa-roupa. Foi o uuico
calgada, e Napoleao atraz com a velha guarda, os moliQo comegava. homem que vi cahir com tir meo.
esquadres de servigo, os lanceiros, os cagadores, A|gans g^g de ferldos cortavam esse grande
etc. E' lado o que coraprehendi, porque quando
os nossos veteranos se pSem a fallar no movimen-
to das onze columnas, na disiancia dos desenvolvi-
mientos, e dizem os noraes de todos os generaes,
parece que ougo fallar de cousas que nao vi. Per-
ianto s contarei aquillo de que me lembro, e
que primeiro, s oito horas e meia, as nossas qua.
tro divisoes receberam ordem para avangarem,
direita da estrada. Eramos quinze a viole mil ho-
raens, marchavamos em duas linbas, de arma
vontade, e entravamos em lama at aos joelhos.
Ninguem dizia ama palavra.
Ha quem cont qae iamos muito alegres e qae
cantavamos. E' falso I Quem tem andado toda a
noute sem receber rago, quem tem dormido so-
bre agua sem licenea para accender ama fogaeira,
e vai metter-se i metralha, nao pode ter vontade
rumor; na retaguarda ouviam-se agudos relinchos
O peior que ho raesmo instante a sua infante-
ra comegon a esplngardear-nos outra vez, levando
de cavallos; um grito ternvel, porque esses am- aauJacia ^ aQ ^ de nQs ^ Wo. ^ g.
maes sao por natureza ferozes; nao estao ben> con- ag dQas prraeiras linnas podiam defender-se. Era
lentes seno no meio de carnicera, e entao d.ffl-, na verda(Je um gran(Je err0 Q modo como nos .
cil cont-ls. Atraz de nos, a mais de meia legos i nnam formad0.
de distancia, nao se ouvia seno esse tumulto : os
cavallos qneriam correr a refrega.
Ento os dragoes vermelhos, misturados tfom as
E quando havia j moito tempo que nao viaraos *fs colnmnas_- desceram ao valle; t J ,
A nossa divisao era.a qae se iraha defendido
seno as sombras dos nossos arlilheiros a mano-
brar no fumo a beira do barranco, ouvimo3 a voz
do comraando para cessar o fogo, e ao mesmo
tempo a voz forte dos coronis das nossas quatro
divisoes mandando onir flleiras.
Os commandntes e capites repetirn): unir fl-
leiras I
Todas as linbas se aproximaran! amas das ou-
tras.
se
melhor, porque conserva varaos as nossas bandeiras;
e as outras duas, qne nos fleavam ao lado, tinham
perdido duas aguias.
Tornamos, pois, a descer desse molo para a la-
ma, atravez das pegas que tinham corrido a auxi-
liar-nos, e cujas parelbas acabavam de sdr acnti-
ladas pelos dragoes. Corramos de todos os lados;
Bache nio me desamparavs ; e s ao cabo de dez
Deus per. ella coherente- at sabedoria,. fazen-
do dissolver-se em lodo o qae o lodo broten*, do si
ao mando imponente de sua voz.
Mi
Vedes a fronte escaveirada dos carneiros- do ce-
miterio?
O castaaheiro.qne o sombris?
O cypreste,.cujo fuste estremece s viraooes-da
sonoile ?:
As casuarioas que getaem rumores dolorosos ao
peso das- geadas do invern ?
Tudo aquillo muilo mais do que vos,, philoso-
phos e homens, o tudo aquillo acha-se tao a_quem
de Deas, quanto vos-vos achais a quera, das lousas
e dos arvoredos.
Os carneiros d ee mi torio tambera, riera.
Mas c um. riso sardo, latente, to intimo e incor>
prehensivel, como a razo do seu sar..
No entanlo eu o comprehendo.
E' urna Irona terrivel que el bes. vibran, como
maldico, como desdem incisivo o pungente sobre
a vossa ambiguo confundida e morte. as ossadas
poeutas do vosso todo, que os eapneiros, por com-
paixo de vos, abrigara no se-io delles.
Ahi est, entre os bracos serles dos tmulos, a
vossa eternidade morte.
Para que creou Deus as iag.es que faaem as pare-
des das sepulturas ?
Para e*treilarem no seu. mbito a immensidade
das vossas pretengoes deUrosas.
Tenbo ouvide mais de urna vez essa harmona
melanclica da sJidaX que se destaca d'entre os
carneiros do cemiterio e qne vai, chorando, derra-
mar sidos mstos por cima das ossadas e das cru
zes ennegrecidas.
O que ella seja dia-m'o o coragao, que a escuta
cem os ouvidos do sentimento suave acstica
essa, que coraprehende a dr pelos sons vagamente
harmnicos dos ermos.
III
Que slgnifieago a sna ? Que expressao tem
ella a mostea, modulada pelo retiro, no abando-
no de si mesmo ?
Sao as campas, que choram, sao os carneiros do
cemiterio, que solugam pelas vaidades humanas, ou
antes, as podras e os ventos a contarera s gera-
goes transentes, a historia mora das dormidas
as covas e catacumbas. o note dava escola de rapases e adultos ; e pos-
Ha urna torrente de impresses ineffaveis, que terlormente entrando na earreira das lettras. Cos-
me banha a fronte, na amorphia d'essa tristeza du- ,a de trabalho e de perseveranga o6teve profundo
vidosa dos tmulos. j conhecimento de direito, estabeleceu-se por sua
N'essas impresses se agite e como que ondola; nta e conseguio reunir ama clieutella impor-
um goso incerto que en nao saberei tradnzir ou',anle-
manifestar, mas de que sinto se inebriar a minha > A sna inteligencia, a sua honestidade, e o seu
cabeca como por influxo do co. I espirito vivo e activo attrahirara Ihe a attengo dos
Minh'alroa se expasde, corao bandeira slta aos seus concidados,.sendo mandado legislatura de
ventos, a poesa dolorosa, sentida, profundamente Illinois, e depois ao congresso, onde teve assento
sentida, que se pendura dos ramos das arvores (epi dois annos, em 1847 e 18&9.
funreas, e vai se espargindo por cima das gra-1 Em 1858, disputou ama eleigo para senador a
des e gavetas marmreas dos carneiros do cemi- Mr. Stephen Douglas; e era novembro de 1860 foi
Mr. Lincoln o terceieo presidente do BStados-
Unidos, que morreu no exercicio das suas onc-
eo es.
; O general Harrison, eulrou em exercisio* 4 de
mareo de 1841, e morreu um mez depois,.a 4.de
abril.
; Mr. Taylor, vice-presidente, que ento so achava
ausent foi logo chamado.. Chegou Washington,
no dia 6 ; no goveruo nao houve muJanca.alguraa.
O general Zacharias lyton entrn era exoroicio
a 5 de margo de 1849, porque no dia 4 era domin-
go, e morreu a 9 de junto de 1850.
O vice-presidente, Mr.Fillmore, que se aoliava.
em Washington, toniou. coala das faneges pre-
sdeuciaes a 10 de judio, e formn um. novo ga-
binete.
O viee-presidente Johnson, loi insudado na Gasa.
Branca a lo de judio, era virtude do artigo 2? da.
constituigo, secgao 1%- 6a classe, que -concebido
oestes lermos:
No caso de demissib ou de raorle dpresidentey
cu no caso de que seja.incomoativel no desempenho
das suas funeges, o vice-presidente deber- snbsoV
tui-lo, e no caso de derasso, morte eu.inespacida.
de do presidente e do vice-presidenie, simultaue>
mente, o congresso dever nomear por. urna \e'\ e
declarar o offlcial r^e dever oceupar a. presiden-
cia. O offlcial desle modo designado dever desam-
penhar estas funegoes at que tonha.ces&a+ a
iucapacidade do presidente, ou que tenha sido
eleito outro presidente.
Abraham Lincoln, presidente-dos Estados Unidos
da America, nasceu noKentuKi, de urna familia de
cultivadores pobres, em fevereiro de 1809.
Nao receben, a menor educagao, e durante toda
a sua mocidade esteve empregado em trabalhos
manuaes.
Como era mullo robusto, foi radiador por espa-
go de muitos annos, e prepara va travessas pata os
caminhos de ferro ; era o qne se chama em iaglex
ratll spitter, e por bastantes annos conservo esta
alcunha.
Depois contratou-se como mogo e servante nos
barcos a vapor qua faziam earreira entro o Missis-
sipe e Nova Orleans.
Costa va muito de 1er, e todas as snas economas
eram erapregadas em comprar revistas e livros ba-
ratos, os qaaes devorava nos seus momentos de
descanco.
Depois abri ama tenda n'uaia pequea cidade,
terio.
Nao este era mim conirahir-me s effusdes da
inspirado fatal d'essa solido, a cuja sombra dor-
mem, para nanea mais acordarem, milhes de vi-
das, algnmas das qaaes eu conheci palpitantes, ani-
madas, rlsonhas, luxuosas, apaixonadas, no torve-
linho das coasas da cidade n'esta cidade bctli-
Sode muita. importancia e iaterasse-a sigui-
les indicages dadas por urna folha. francesa para
se poder avadar a importancia relativa das ba
cias carbonferas condecidas, as, soperfieie do
globo.
As ilhas branoicas possuen um mifto e 570
mil hectares de bacas carbonferas quo produzem
annualmer.te 86 milhes de toneladas ; a Franga,
possue 350^000 hectares que produeem 10 milhe^
de toneladas; Blgica 150.600 hectares que pro--
duzem. oomo a Fraga, lo milhOes. de toneladas >
a Pruss e a Saxonia 30;000i hectares qae d3
12 niilhoes de toneladas; a Austria e a Bohemia
120,000 hectares de quo tirara 2 milhoes e 5000
toneladas ; a Hespanha to0,00O hecires que pro-
duzen 400,000 toneladas; a America do ort-30
milhoes de hectares deque- colhe 20 mllhcjis de
teseladas.
V se que a prod jegao ao carvo na o asta em
neiagao com a exteaso dos terrenos qua a con-
eera.
Um facto muito-notavei na distribngSa dos ter-
renos carbonferos, a sna accuraulacio as re-
gioes septentrionaes.
Com effeito, sao to consideraveis as bacas car-
bonferas do noroeste da Europa, guando, pro-,
porgo que se- desee para o sal,, essas bacas de-.
crescem em- saperficle e importancia.
Acrescentaremos que as mineiras carb in+ftias.
da zona meridional terminan aa Hespanha, jcrq/ije.
ao se cooheoe nenhuma em toda a frica.
O g-az Isoard nm novo invento que resalvo o
problema da luz barata.
E* produzido pele vapor da agua sobre-aqueci-
a decompondo alcatroes e corpos gordos, e tem
uraa forra Iluminadora que pelo meaos dupla da
dos oniros gazes.
E' puro de oxydo de carbono o de lodos os com-
postos sulphurosos, e por consegWBte nao faz cor-
rer o risco das emanages aoeivas nem preduz
ernanaces desagradavis.
Mas o qae especialmente eonstitae o futnro in-
dustrial do gaz Isoard o seu emprego fra do
Franga, e particularmente nos paizes onde ha falta,
de carvo, e onde por consegrante este combosti-
vel s pode ser obtido muito earo quando se trata
da fabricago do gaz de oarvad de pedra.
Alguma agua e materia resinosa ou alcalrao
quanto baste para o fabrico do gaz Isoard.
Portanto pode-se imaginar a gue fabulosas re-
dueges de pregos se deve chegar pelo empre-
go do novo gax nos paizes pobres de carvoes,
como a Italia, por exemplo, e n'aqoelles on-
de ha grandes colheitas de resinas, como na
Russla.
Se slo verdadeiras estas informagdes da In-
venlion, ser isto urna verdadeira revolugo indus-
trial,
adopiadoVomo candidato presidencia pelo partido
republic.uo e pelos abolicionistas, tendo por con-
currente Mr. Seward e o general Fremont. No pri-
meiro escrutinio.alcangou nmnumero de votos igual
o de Mr. Seward ; raas nao tendo nenhum delles
conseguido ento a rnaioria, no segundo escrutinio
obteve Mr. Linelo essa rnaioria e foi proclamado I PRNAMBl"CO,~TYP7QE M.'F. DE F, & FILho

*



Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EYM2MX06G_JJV3UG INGEST_TIME 2013-08-28T02:26:29Z PACKAGE AA00011611_10690
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES