Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:10689


This item is only available as the following downloads:


Full Text
AlfHO Il.
Par quartel pa den* de 10 das de \. mti r
Men de#is dos i. 10 lins do coueco dentro d qnartel.
Porte ao ctfret tor tres nezes
ENARREGADOS DA SUBSCRIPQAO DO NORTE
Parahyba, _o Sr. Antonio Alexaodrinu de Lima;
Natal, o Sr. Antonio Marques da Silva ; Aracaty, o
Sr. A. de liemos Braga; Cear, o Sr. J. Jos de
Oliveira ; Maranho, o Sr. Joaqufm Marques Ro-
drigaea ; Para, os Srs. Geraldo Antonio Alves
Filaos ; Amazonas, o Sr. Jeronymo da Costa.
EN'CARREGADOS DA SUBSCRIPgAO DO SL.
Alagoas, o Sr. Claadino Falco Dias; Babia, o
Sr. Jos Marti ns Alvos; Rio de Janeiro, e Sr. Jos
Ribeiro Gasparinho.
PARTIDA DOS ESTAFETAS.
Oliuda, Cabo, Escada e estagoes da va frrea at
Agoa Preta, lodos os dias.
Igojarass e Goyanna nassegundas e sextasfeiras.
Samo Anto, Gravat, Bezerros, Bonito, Caruar,
Altinho, Garanhnns, Buique, S. liento, Bom
Conselho,, Aguas Bellas e Tacarat, as tercas
feiras.
Pdd'Alho, Nazareth, Limoeiro, Brejo, Pesqneira
Ihgazeira, Flores, Villa Bella, Cabrobo, Boa Vis-
ta, Ouricury, Salgueiro e Ex, as quartas
feiras.
Segunda vara do civel: quartas e sabbadesa 1
bora da tarde.
Serinhem, Rio Formoso,Tamandr, Una, Bar-
reiros, Agoa Preta e Pimenteiras.ns quintas
feiras.
EPHEMERIDES DO MEZ DE JUNHO.
i Quarto crese. as 6 h., 1 m. e 38 s. da m.
9 Lna cheia as 7 h., 21 m. e 16 s. da m
16 Quarto ming. as 4 h., 33 m. e 28 s. da m.
3 La nova as 5 h., 37 m. e 34 s. da m.
30 Quario cresc. as 11 h., 20 m. e 51 s. da
AUDIENCIAS DOS TRIBUNAES DA CAPITAL
Tribunal do commercio : segundas e quintas.
Relagq": tercas e sbados s- 10 horas..
Fazendf; qnintas s 10 horas.
Jalw dr*eommercio: segundas as 11 horas.
Dito de orphos: tercas e sextas s 10 horas.
Primeira vara do civel: tercas e sextas ao meio
da.
Segunda vara do evil: quartas e sabbados al
hora fa tarde.
PREAMAR DE IIOJE.
Primeira as 4 horas e 30 m. da tarde.
Segunda as 4 horas e 54 minutos da manha.
PARTE OFFICIAL
PROVINCIA.
officio n. 139 de 10 de abril ultimo, que o paga- certidoes nao so do que constar do archivo a seu meu nome ao Voluntario da Patria Porfirio Mendes
) da quantia a que em virtude de senlenca cargo, mais tambem mandar passar do que cons- Martine^pela prova de patriotismo e desinieresse
i fazenda provincial, tem dire- tar da contadoria, visto rao o regulamento a que que acaba de manifestar, faaendo abstenco dos
LE N. 630.
Antonio BorgesLeal Castello Branco, presidente
da provincia de Pernambuco.
Paco saber a todos os seus habitantes que a as-
sembia legislativa provincial, sob proposta da c-
mara municipal da villa do Cabo, decreta os se-
g'.tioles artigos de postoras da mesma cmara :
Art. 1." Fica prohibido ter-se as ras dtrHa
c povoagoes deste municipio, animaes cavalltf, ca-
brum ou oveihum, sollos, sob peoa de pagareiu os
seus donos, quanto aos primeiros a multa de 1,
e quanto aos segundos e terceiros a de 15, dupli-
cndole na reincidencia.
Art. i." Os donos dos animaes cavallares encon-
trados as lavouras ou terrenos de lavoura soffre-
rao a multa deoJOOO, duplicando-se na reinciden-
cia.
Art. 3." Os donos de gado oveihum ou cabrum,
encontrado em lavoura oo terreno de lavoura, se-
ra pela primeira vez avisados por duas testemu-
nhas de vista, e na segunda multados em i&, du-
pilcndose na reincidencia.
Art. 3." Ficam revogadas as disposigoes em con-
trario.
Mando portanto a todas as autoridades a quera o
conhecimenlo e execugo da presente resolugo
pertencer, que a cumpram e facara cumprir lao in-
teirainente como nella se conlm.
O secretario do governo desta proviucia a faga
imprimir, publicar e correr.
Palacio do governo de Pernambuco, aos 16 de
maio de 1865, qaadragesimo-qoarto da indepen-
dencia e do imperio.
L. S.
Antonio Borgts Leal Castello Branco.
Sellada e publicada a presente resolugo nesta
secretarla do governo de Pernambuco aos 16 de
maio de 186.).
O secretario,
l)r. Francisco de Paula Sallles.
Registrada a fl. do livro 7." de leis provin-
ciaes.
Secretaria do governo de Pernambuco, aos 16 de
maio de 1805.
O escriturario da 4* seccao,
Theodoro Jos Tavares.
que obleve contra
lo o brigadeiro Gaspar de Meuezes Vasconcellos elle se refere nao pode re vogarou.imitar a eide
de Drummond, como indemnisago do terreno de 28 de outubro de 1848, que no art. 79 Ihe d facul- sul, sen
sua propnedade denominadoEngenho Trapiche dade de passar certido independentemente de des- presi
oceupado pelo canal de junego dos rios Formoso pacho da cmara. g\ q
e Serinhem devia ser feilo pela verbaeventuaes Dito ao conselho de compras navaes.Approvo rio. CtfUmnnicou-se a thesouraria de razemia.
eniende que se irala de urna despeza do exer- os contratos que o conselho de. eoanras navaes se- Diiojw mesino.Queira V. S. mandar avisara
cicio corrente era consequencia do que entrei em gundo o seu officio de 31 e termo i$U 4e 29>1- Ircs oafciaes superiores para fazerem f arte da jun-
do de maio ultimo^ celebrou cona diversas pessoas ta, quem ultima instancia tem de julgar o pro-
para obleogo de varios ohje.-tos necessarlos ao cesso ajgoe foram submettidos os alferes docorpo
alraoxarifado do arsenal do marinha e a conslruc- lie polica Leodegario Liberato Pereira Caldas e
gao fle urna casa de madeira na'forre do collegio Joaquini Herculano Pereira Caldas Jnior, deven-
para abrigo do encarregado de te.egraphe. -Com- ido parajasse Mn cumiiarecerem neste palacio as
municou-se a thesouraria de fazenda. II horas do da 9 do carrete.
Dito ao vigario da freguezia de *. Caetano da Ditoao Dr. chefe de polica.Com o seu offlcio
Rapoza, padre Galdino Firmo da Silveira Cavalcan- n. 748 d 23 de maio prximo findo, recebi a res-
ti.Aceitando com agradecimento o patritico of- posta dp2 supplente ao subdelegado do districto
de 24 de
tellamento um dos capites do referido i" bata
Iho.Commooicou-se a thesouraria de fazenda.
Dito ao commandante superior da guarda nacio-
purano Santiago de Oliveira. Informe o Sr. ins-
pector da ihesouraria provincial.
Dr. Augusto Carneiro Monteiro da Silva Santos,
llflcaodo-o ao mesmo tempo de que a
la o altender como for justo na preten- i 75100 constante do pret em duplicata, que eio i
?ua presenta trouxe o mesmo volunta-1 anDexo ao seu offlcio de 10 de maio oitimo, faz-se te-coronel cnmmna'al.l"^'
I procisn qao V S dpplara n nomo do doeorlnr t|IM
conduzlo a escolta de que
seus wacimentos em quanto nao embarcar para o nal de Santo Antao.para que possa ser paga a I _p. nnrunr^.,"! ir'""' "" """"'""-
Antonio Domingues de Alraeida Pocas, a qoaktiade J cora ordeno. ^ meZeS de "Cen'
ajustes com o mencionado brigadeiro, que daquel-
la quaolia abateu dous conlos de ris, um des
quaesceder provincia para as despecas da guer-
ra na certeza de obter crdito da asskmbla legis-
lativa provincial para esse seu pagamento, oo da
presidencia se por acaso fosse ella encerrada antes
de o volar.
Era vista do-qoe, estaodo aberlo de'conformida-
de com a soa iadicagao, o crdito preciso para o
pagamento de que se trata daye ser por elle rea-
lisado.
Dito ao mesmo.Annuindo ao que solicitou o
chefe interino da reparliqo das obras publicas em
offlcio de 2 do corrente sob n. 160, reconmeodo
a V. S. que, em vista do incluso pedido, mande
entregar ao fiel pagador daqnella reparti^-ao, em
prestares semanaes, a quantia de 7:180$, que se
precisa para cootinuago das obra* em aodamenlo
por administracao no correnle roez.Communi-
cou se au chefe interino da repartico das obras
publicas.
Di lo ao commandante superior da guarda nacio-
nal do Recife.Mande V. S. dispensar do aquarte-
lamento, como solicitou o inspector da alfandega
era olB.'io de 3 ao correnle, os guardas d> 1 bata-
llio de infantaria Prancisco de Assis Chaves Pen-
na e Maneel Rorao' de Carvalho Jnior, que oc
cupam lugares de correios daquella repartico.
Cominunicou-se ao inspector da allandega.
Dito ao commandante superior da guarda nacio-
nal de Palmares.Nao se leodo reun Jo ainda o
conselho de qualicaqo que tem de designar guar-
das nacionaes do baialho n. 46 de infantaria que
devem marchar em defeza do imperio, e eslra-
nhando que s por officio desse commando supe-
rior de 31 de maio prximo Godo chegasse isso ao
coihecimeoto desla presidencia, que por circular
de 120 de fevereiro ultimo, mandou reunir taes con-
seibos sem perda de lempo, recommendo a V. S.
que faga immediaiameote reunir aquelle conselho
para designaco dos guardas do referido bataibo
n. &6, e dez das depois de encerrados os trabalhos
deste o de revista, de con'ormidade com as ordens
j expedidas.
Dito ao commandante superior da guarda nacio-
nal do Brej). -Ao officio de V. S. de 19 de maio
ultimo, respondo dizendo Ihe que faga seguir para
esta capital, os guardas nacionaes designados para
o servigo da guerra, logo depois do conselho de re-
vista, substituindo o mesmo conselho pelos da lista
suppleaeutar, que deve ter sido organisada aquel-
les que f rem dispensados ou que reconliecer nao
exisierem ; e se por ventura nao se liver feilo essa
lista supplementar, rena V. S. para esse fim os
conselhos, havendo somenle o prazo de dez dias
irt o,de qualilicaeao e o de revista, mas em todo
a ruta duvo v. s. fuwr ,v, uiio antes a remessa dos
j apurados.
Dito ao commandante superior da guarda nacio-
nal do Ilio-Formoso.eprehendendo-se do offlcio
de V. S. de 22 de margo ultimo, que pelos motivos
delles constantes, ainda se nao reuni o conselh)
nmemo.__ n.,,;. v q m,nH5r nenon id qualilicaeao que tem de designar os guardas na-
Dito ao me>rao.-Queira V. &^adtrjiinspec- ^^ do ^^ Q> M de iaKfantaria8 devem
ferecimeoto que, segundo o sea offlcio
.maio prximo pretrito, fez V. Rvma. de 10 por
cenlo da sua congrua para auxilio das despezas da
guerra em quanto esla durar, acabo de dar as ne-
cessarias ordeos para qoe seja arrecadada e tenha
o conveniente destino, a importancia de semelhante
olferta: o que declaro a V. Rvma. em resppsta ao
citado offlcio.Comraunicou-se a thesouraria de
fazenda.
Dito ao tenente Dorindo da Cunha Lima.Agra-
decendo com louvor o patritico offerecimento que
Expediente do da :> dejuoho de 1865.
Officio ao Exc. conselheiro presidente do supre-
mo tribunal de justiga.Com offlcio de V. Exc. de
O de maio ultimo, recebi 27 exemplares impres-
sos das listas de revisao de antiguidade de juizes
de direito at dezembro do I86, os quaes flz des-
tribuir pelos que se acham comjurisdiegao e avul-
os nesta provincia.
Dito ao desembargador pravedor da Sania Casa
de Misericordia.Mande V. Exc. admitlir, proviso-
riamente na casa "dos expostos, at que possam ler
o conveniente destino, as desvalidas Bf.lria da "tSTo"-
ria e Mara da ConccigSo, de 10 e 13 annOS de iaa-
de, lilhas de Anna Julia.
Dito ao coronel commandante das armas.Sir-
va-se V. S. de informar acerca do que pede o 2o
tenenle reformado Flix Miguis no incluso reque-
de Catele Ignacio Ferreira de Lima sobre a quei-
xa contra elle dada por Pedro Soares de Mello ;
mas ni* endo V. S. remettido a resposia que tam-
bera exgfo do respectivo delegado, concern que
por elia inste aflm de enviar-m'a o mais breve pos-
sivel.
Dito aamesino.Resliluindoa V. S. o offlcio do
subdelegado supplente em exercicio do districto de
Graval Joao Capistrano Torres Galindo, que
aconn^Bhou o seu officio n. 730,de 20 de malo
proxiiwe -tiiiilo. recommendo ihe que faga averi-
segundo o seu offlcio de 6 de maio ultime, fez Vine.' guar di rimes imputados pelo mesmo Torres Ga-
para ir tomar parte na guerra em que se acha em- lindo Candido Ribelro Pessa, procedendo-se
penhado o paiz, tenho a dizer em resposta, que contra eae nos termos da lei, se para isso houver
aproveitarei seu servigo no contingente da guarda jnsto fanfamenlo.
nacional destacada, qnando nao seja posslvel no Dito ae inspector da thesouraria de Tazenda.
corpo de Voluntarios da Patria. Autoriso V. S. em vista de seus offlcios de 2 e 6 do
Dito ao chefe interino da repartigo das obras correte ns. 380 e 385, a despender sob minha
publicas.De conformidade com a sua informaco responsafeidade nos termos do decreto o. 2,884
de 3 do correte, sob o. 162, teoho resolvido q'ue do ljlefcvereiro de 1862 a quantia de.........
sejam feitis por empreitada e pelos mesmos pregas Il:285j609rs. com o pessoal do arsenal de guer-
dos respectivos orgamentos os reparos de que pn- ra at o fim do correte exercicio, em consequen-
cisara as pontes do Bujary e do Re Formoso, visto eia e achar-se quasi exlincto o crdito aberto pa-
Do haverem apparecido licitantes a taes reparos, ra esse lira por officio desta presidencia de 29 de
traa o predito officio, e
a quem foi elle remetiido.
Dito ao commandante superior de Goyanna.
De conformidade com o que solicitou o Dr. chefe
de policia era offlcio n. 592 de 25 de abril ultimo,
mande V. S. dispensar do servigo da guarda nacio-
nal, se naotiverem sido designados para o da guer-
ra, os guardas mencionados na relaco joota por
copia em qoanto servirera em logares" de inspecto-
res de quarteirao.
Dilo ao commandante superior da guarda nacio-
nal de Barreiros e Agua Preta.Mande V. S. pas-
sar ao alferes porta-bandeira do batalhao n. 46 de
infantaria da guarda nacional do municipio de
Antonio Ferreira da Silva.Informe o Sr. teaen-
corpode polica, ouvin-
do o lonoatcdd saugau uiaud Juau Euuarao Perei-
ra Borges.
Antonio dos Anjos da Porciuncula. Informe o
:>r. director da instrocgo publica.
Antonio Chrispiniano da Paz. Apresente-se no
quartel do commando das armas para ser inspec-
cionado.
Tenente-coronel Francisco Camello Pessoa de
Lacerda.Dirija-se ao Sr. inspector da thesouraria
de fazenda.
Jos Francisco Ribeiro de Souza.Informe o Sr
director geral da instruego publica.
Dr. Joaquim Jos de Campos.Nesta data se de-
termina novamenie a cmara municipal, que man-
Agua Preta Lourengo Jnstiniano Hollaoda e Soau\**JlXyS??S SU|,pllcame no
a guia de que trata o a,.. 45 do decreto o. 1,130 de TSffUS \2 da pT F'? 12 de marco de 1863, visto que pretende lixar a! it^yJaV^^
sua residencia no municipio do Recife, como de- ^me ? P q q SUppU"
3Tm"opeoa que allude offlcio de v"s'de L M Alexandre Gomes de S e S,lva- Davis Bar"
^{arcSLante do oorpo t^^SS!^*-* "^"
to all estiver o sentenciado Francisco Gomes de
Joaquina das Mercs Ferreira.-Passe-se
.'" ra concedendoa remogo pedida.
cionar pela junta militar de saude, o guarda da
secao urbana Luiz Antonio Barbosa, que assim o
solicitou, enviando-me V. S. o termo da inspeego.
Dito ao mesmo.Sirva se V. S. de mandar ins-
peccionar pela junta de saude o soldado do corpo
de policia Antonio Chrispiano da Paz, que assim o
pede, apresentando-rae V. S. o parecer da mesma
junta.
Dito ao mesmo.Loa ve V. S. em meu nome o
acto de abnegagao e patriotismo do 2" cadete do
corpo de volntanos da patria Antonio Cavalcante
i Silveira Lins, renunciando em favor das despe-
zas da guerra a gratificacao de 3005 e a sorte de
trras, aquetemdireilo em face do decreto n.3371
de 7 de Janeiro do corrente anno.Communicou-
se a thesouraria de fazenda.
Dito ao mesmo.Remelto incluso o requerimen-
to do Io sargento do 2o corno de voluntario? da pa-
tria, Ludgero Antonio de Freitas Guerra, aflm de
que V. S. mande organisar o pret do tempo a cujo
pagamento tiver direilo o supplicante.
Dito ao inspector da thesouraria de fazenda.
Transmiti a V. S. os inclusos documentos que me
remetteu o coronel commandante das armas com
offlcio de 3 do corrente sob n. 977, alim de que nao
havendo inconveniente, mande pagar em vista do
offlcio que vai cobrindo os mencionados documen-
tos as despezas feilas, durante o mez de maio ulti-
mo, pelos capites Jos Angelo de Moraes Reg e
Antonio Luiz Duarie Nunes e 2 tenente Antonio
Luiz Teixeira Campos, com o expediente da 2", 3,
4", o* e 8* companhias do 4o batalhao de ariilharia
a p, que coramandaram interinamente.Commu-
nicou se ao coronel commandante das armas.
Dito ao mesmo.Em vista dos inclusos docu-
mentos e nao havendo inconveniente, mande V. S.
pagar os vencimentos relativos ao mez de maio ul-
timo, dos offlciaes de 1* linha, tambores, cornetas
c clarins erapregados nos corpos da guarda nacio-
nal desta capital.Communieouse ao commandan-
te superior da guarda naciooal do Recife.
Dilo ao mesmo.Em vista da declaragao feila
em offlcio de 2 do correte pelo proprietario da
casa em que fuoccionara as aulas preparatorias ao-
nexas a faculdade de direilo da cidade do Recife
Antonio Carlos de Piuho Borges, reeommeodo a
V. S. a expedigao de suas ordens para que ao meo-
qc
marchar em defeza do imperio, recorameodo-lhe a
expedigao de ordens para que se faga aquella de-
sigoago, e dez dias depois de encerrados os traba-
lhos daquelle conselho se rena o de revista, para
o lim determinado por lei e de conformidade com
as ordens j expedidas.
Dito ao presdeme e membros do conselho de
qualifleago da guarda nacional da freguezia de
Ipojuca.Inleirado pelo efflciodo conselho de qua-
lilicago da guarda nacional da fregueua de Ipo-
juca de 30 de maio prximo lido, deje haverem
concluido os trabalhos para a designago dos guar-
das que devem marchar para a guerra, recomien-
do ao mesmo conselho que me remella com brevi-
uade copia aulhenlica das actas e trabalhos para
aquelle Um.
Dito ao tenente-coronel commandante do bata-
lhao n. 44 de infamara do Rio-Formoso, Jos Luiz
Caldas Lins.Nao tendo V. S. era seu offlcio de 8
de maio prximo fiado, respondido precisamente
ao ponto do meu de 18 de abril, em que Ihe per-
gunlei se em maio ejuoho do anno passado e em
margo deste anno, Ihe foram aprescnlados alguns
offlcios do commandante superior da guarda na-
cional dessa comarca, e a razo por que os nao re-
ctbeu, para curnprir o que nelles Ihe fosse ordena-
do, cumpre que o faga cora a maior brevidade.
Dito ao director do arsenal de guerra.-Mande
V. S. entregar ao Dr. chefe de policia, para serem
enviados ao delegado do termo do Cabo, 13 correa-
mes completos, 13 espingardas com bayonetas e um
refl! com tercado. Communicou-se ao Dr. chefe
de policia.
Dilo ao inspector do arsenal de marinha.Man-
de V. S. fornecer com urgencia capitana do por-
to, um ferro de 16 quintaes e 10 bragas de amar-
ra de 10/8 de grossura, com as competentes maoi-
Ihas para amarrago da boia que serve de baliza
entrada do porto de Tamandar. Comraunicou-
se ao capito do porto.
Dito ao commandante do corpo de Dolicia.
Mande V. S. effectuar por meio de descontos nos
vencimentos dos voluntarios Joo Baptisla do Ama-
ral Jnior e Modesto Lins do Amaral e Mello, que
so alistaram no corpo sob seu commando, o paga-
mento da quantia de 50^000, que para as despezas
de seu transporte, de Iogazeira para esta capita"
nao obstante terem elles ido a praga por differentes
vezes : o que declare a Vmc. para seu conheci-
menlo e lim conveniente.Communicou-se a the-
souraria provincial.
Dito ao mesmo.Pode Vmc. conforme solicitou
em seu offlcio do Io do corrente, sob n. 156, man-
dar lavrar o termo de recebimento delinitivo da
obra da ponte do Pombai na ilha de Itamarac, a
qual segundo consta do seu citado offlcio acha-se
concluida nos termos do respectivo orgamento cer-
to de que nesta data reeommeodo a thesouraria
provincial que em vista do competente certificado
pague o arrematante daquella obra a quantia a
que tiver direilo.Nesle sentido offlciou-se a the-
souraria provincial.
Dijo ao mesmo.Concedo a autorisago que Vmc.
pedn) em seu offlcio n. lo do Io do corrente, a que
respondo para lavrar o termo de recebimento de
Unitivo da obra do 12 lango da estrada > Po-
d'Alho a Nazareth (empresa Mamede) a qual se-
gundo consta ao seu
estado de cooservac
rana provincial.'
Dito aos agentes da companhia Brasileira de pa-
qwmcn.ftouwi Viucs. fzer seguir para os portos
do norte o vapor Paran, amanha a hora indicada
em seu offlcio de hoje.
Portara.O presidente da provincia, atlendendo
ao que requereu a professora publica de instruego
primaria da cidade de Caruar Joaquina das Mer-
cs Feneira e tendo em vista a informago do di-
rector geral interino da instruego publica do Io
do correute, sob n. 159, resolve de conformidade
com os arts. 23 da lei n. 598 de 13 de maio do
anno passado e 48 da le n. 6.(5 do orgamento do
1865 a 1866 remover a referida professora daquella
cadeira para a da freguezia da Boa-Vista desia ci-
dade creada pela citada lei n. 598.Fizeram-se as
necessarias comraunicagoes.
margo ultimo.
Dito ao mesmo.Inteirado de
quanto V. S. ex-
Andrade e Coutinho, aflm de ter elle em segn
ranga.
Ditoao mesmo.Reconsiderndolo acto de 26 de
abril ultimo, pelo qual mandei cumprir a senlenga
proferida pelo conselho de jolgamento no processo
a que responden o guarda da secgo urbana do
corpo ssb o commando de V. S. Ladislao Marques
de Mello, revogo aquelle acto; devendo V. S. de-
volver-me com urgencia o dito processo para que
possa seguir seus termos, e ser submettido a junta
de ultima instancia.
Ditoao director do arsenal de guerra.Sendo-
me declarado Dor S. Exc. o Sr. ministro da justiga
Luiz Antonio Barbosa.Apresente-se no quartel
do commando das armas para ser inspeccionado.
Manoel Malaquias Franco.Informe o Sr. direc-
tor Interino das obras publicas.
Martmiano Vieira Borges.Ao Sr. commandante
superior da guarda nacional deGolanna, para man-
dar iuspeccionar de saude o supplicanie, e informar
sobre o que este allega.
Petronila Igaacia de Moraes.Concedo a dispen-
sa pedida, devendo porm a supplicante apresenlar
os documentos de que trata antes do concurso.
COMMANDO DAS ARMAS.
minha responsabilidade, o Sr. ministro da guerra cedeu as eem armas e 150 .._ ^, ------__._ .___ .
n. 2.884 do 1 de feverei- correames fornecidos por esse arsenal ao 1" bata-, I"*1 a """S*" arraas de perna,nl>0
nlo da quantia de....... Iho de infantaria da guarda nacional deste muni-' ia cidade do Recife, 7 de jonho de 186o.
poz em sea offlcio de hontem. rob n. 382, tenho a em aviso de 20 de maio prximo findo, que S. Exc.:
dizer que auiunso sob
dos termos do decreto
ro de 1862, o adiantamenlo da quanlia de....... Iho de infantaria da guarda
12:815j30 rs., que ser necessarto despender-se ciplo, alim de ser considerado como perlencente a I
cora o abono de v.-nciraentos aos diversos contin- esse batalhao : assim o communico a V. S. para
gentes da guarda nacional, que tem de seguir dos
differentes municipios da provincia para esta ca-
pital cora;.deslino ao servigo da guerra.
Tambati autoriso a remessa de l:548ip a cada
ama das culi n-t Tas d Flores e Garaohus; de
2:14iJ ao juiz de direilo de Taoaral ; de 2:556t giram VV. SS. em 15 de maio ultimo, enviando-
ao da Bdjt- Vista ; ede 1:5419 aode Cabrob para ; rae a quantia de 1:1225, producto de urna subs-
na falla-fe collectorias adiantarem-se aos respec- cripeo agenciada eotre algomas pessoas desta fre-
livos gualdas nacionaes o sold e etape relativos guezia com o fin de ser applicada na fundago do
aos dias de viagem daquelles pontos para aqui. I asyle dos fnvalidos da Patria na capital do irape-
Dito aojmesmo. Coramnnico V. s. para sen ; rio, tenho a dizer-lhes que mandei depo.-itar essa
conhecimenlo, que segundo constou de aviso da quantia no Novo Banco de Pernumbuco, alim de
Orden do dia n. 76.
O coronel commandante das armas interino de-
suaintelligencia. termina que flque addido ao 49 batalhao de arii-
Dito ao padre Joaquim Francisco de Araujo Vas- \ Iharia a p, para nelle exercer as funegoes do seu
concellos 'imentel, Francisco Xavier de Andrade, ministerio em quanto nao segu para o presidio
Joo Alves Camello Pereira de Lyra e Luiz da Sil- de Fernando, oSr. capelloda repartico ecclesias-
va Pereira.Respondeodo ao offlcio que me diri- tica/do exercito padra,Manoel da Veracruz, que se
' hoje Ihe a presenlou viudo da corte.
(Assignado.) Jos Mana Ildefonso Jacome da
citado offlcio acha-se em bom repartigo do imperio de 2i de maio ullirao foi ap- opportunamenie aer remettida ac
Dito ao mesmo. Transmuto V. S. os inclusos
pretsem duplcala que me remetteu o coronel
commaodanie das armas com offlcio de 3 do cor-
rente, sob i. 981, tirando veucimenlos para os vo-
luntarios da patria alistados em Aguas Bellas, a
lim de que mande pagar a importancia de taes
prets, sob minha responsabilidade, dos termos do
decreto n. 2884 do Io de fevereiro de 1862, visto
nao haver crdito para esse lim.
Dito ao mesmo. Recommendo V. S., que, nao
Dita.-O presidente da provincia, atlendendo ao havendo inconveniente, mande pagar a Sabino Si-
que requereu o professor publico de instruego dronio Alves de Castro, como pede no incluso re-
primaria da povoago de Ponta de Pedras Antonio querimento documentado, a-qaantia de 45& rs., por
dos Santos Falco e tendo e.n vista a informago elle despendida com aluguel de cavallos para a
do director geral da instruego publica do 29 de condugo da bagagera dos voluntarios da patria
raaio'ultimo, sob n. 157, ouvido o conselho director, viudos de Oaricury.
resolve na conformidade da 1 parle do art. 28 da Dito ao inspector da thesouraria provincial.-
lei n. 369 de 14 de maio d- 1855, combinado com Restituindo V S. o certilicado que veio anuexo
o art. 27 da lei n. 598 de 13 de maio do passado, ao seu offlcio de 26 de maio ultimo, sob n. 211, im-
conceder-lhe a gratiflcagao correspondente a o> par- pugnando o pagamento da quantia ds 2975000 rs.,
.:;.i., a que tem direilo o arrematante da varanda de fer-
rs., que fliarilei fazer sob minha responsabilidade, provincia,
cpra os medica aentos fornecidos por Antonio Go- Nesta occasiao cabe-me agradecer e louvar a
mes Cordeiro de Mello, para irataraento dos indi- VV. SS. e a cada um dos subscriptores menciana-
gentes accommellidos de urna febre epidmica que dos na relagd annexa ao citado offlcio o elevado
se desenvolven ua villa de Iguarassu' desta pro- patriotismo que manifestou nesse seu acto, que
vincja_ lambem revela sentimentos de humanidade para
te dos.seus venciraenlos, visto ter-se destinguido no
ensino por mais de 15 annos.Communicou-se ao
director geral da instruego publica.
Dia 6-
Officio ao Exm. presidente da provincia das Ala-
goas.Fico sciente e agradego a V. Exc. a com-
raunicago que rae fez em seu offlcio de 22 de maio
ro da ponte de Santo Amaro, por haver concluido
a obra do sea contrato, tenho a dizer que em vista
da informago junta por copia, ministrada a este
respeito pelo chele interino da repartigo das obras
publicas era 31 daquelle mez, e sob n. 153, mande
effectuar esse pagamento do conformidade com o
a^a-fa^H P^=r ^^^^5^^
na mesma razo o que disser respeito a exercicios
ja encerrados, a contar do dia em que se findou o
contrato primitivo, celebrado nessa thesouraria,
alim de ser satisfeilo quando houver crdito.
Dito ao mesmo.Auioriso V. S. de conformida-
de com a sua informago de 30 de mato ultimo, sob
devendo essa importancia ser entregue ao procu-
rador daquelle bacharel nesta cidade Jos Joaquim
da Silva Guimares.
Dito ao procurador flseal da thesouraria provin-
cial.Cora o seu offlcio de 31 de maio ultimo rece-
Vciga Pessoa e Mello.
(Conforme) Antonio Francisco Duarte,fr tenen-
te ajudante de ordeos interino eacarregado do de-
talhe.
CORRESPONDENCIAS DO DIA
RIO DE PER?AIIKCC
i'oitri .ai..
Lisboa, 13 de maio ile lSiio.
Na duvida de anda haver urna feoda da mala
com aquelles defensores da patria.
Dito ao Dr. juiz de direilo do Cabo.Procure
Vmc. obter por aluguel, e me informe, se ha na vil- por onde possa deitar-lhe esteP. S.acrescenia-
la do Cabo alguma casa com .ecommodagoes in- rei algumas linhas minha d'hontem.
dispensaveis para servir de cadeia, epelo menor
preco que for possivel.
Dito ao Dr. juiz de direito do Bonito.Transmit-
i a Vmc. copia do offlcio dirigido ao Dr. chefe de
policia em 11'de maio prximo lindo, pelo subdele-
gado supplente em exercicio do districto de Gra-
vat, Joo Capistrano Torres Galindo, aflm de que
respoosabilise a eae pelas violenciss praticadas
para com Candido RilHro Pessoa seu genro.
Dito ao Dr. juiz municipal da 2" vara desta ci-
dade.Respondo ao seu offlcio do Io do corrente,
declarando-lhe que nao pode ser-lhe apresentada a
praga montada que requisita para ser empregada
no servigo preparatorio do jury deste termo, por
ter a companhia de embarcar no Io vapor que
passar do norte.
Dito ao administrador do correio.-Communico
O presidente do conselho de ministros, marquez
de S da Bandeira declarou cmara dos deputa-
dos que eslava resolvida a dissolugo. Era vista
desla deliberago tomada pelas circumslancias po-
lticas o governo pedio que para Ihe evitar a dura
necessidade de urna dictadura, a cmara Ihe votas-
se a le de meios.
O Sr. Fonfes declarou que nao poda deixar de
volar ao governo ama lei, sera a qual nao possi-
vel o governo representativo, e moslrou desejo de
saber do ministerio quando seria convocada a nova
cmara.
O Sr. conde d'Avila, ministro da fazenda dlsse
que eslava as intengSes do governo fazer as elei-
ges em junho se os recenseamentos de 1864 po-
dessem servir para a prxima eleigo. Accrescen-
tou porm, que, estando os recenseamentos vicia-
ultimo deterhavido este anno urna endiente ex- meu offlcio_.de 12 do citado mez de maio tambem
traordinaria no rio S. Francisco, augmentando as- junto por copla.
sm as difficuldades da entrada dos navios pela bar- Dito ao mesmo. Nao havendo inconveniente,
ra d'aquelle rio e bem assim de ter V. Exc. dado mande V. S. pagar a Balbino Simoes de Carvalho
ordera ao agente da companhia Pernambucana, que, Pessoa, logo.que Ihe forem remettidas as relagoes
prohibisse a entrada na dita barra do vapor Per- \ dos presos pobres existentes na cadeia de Tacara-
smunqa, que chegara ao porto dessa capital no tu', a contar de agosto do anno prximo passado
da 19, devendo proseguir sua viagem al Araca- al abril ultimo, as quaes ja foram exigidas pelo
j capital do Sergipe. I cnefe de polica, segundo declarou este em offlcio
Dito ao Exm. desembargador provedor da Santa de 3 do corrente, sob n. 778, a quanlia de_233
Casa da Misericordia.-Transmiti a V. Exc. para' rs, despeudida naquelles mezescom o fornecimen-
seu conhecimenlo e em resposta ao snu offlcio o. to feilo aos mencionados presos como se ve das in-
191 de 15 de maio prximo lindo, copia do offlcio clusas contas que vieram annexas ao predito offl-
em que o Dr. chefe de polica da' a razo porquo ci. -Comraunicou-se ao Dr. chefe de policia.
fol recolhido ao Hospicio de alienados o de nome | Dito ao cnsul da Blgica. Com o fim de nalu-
a Vmc, para seu conhecimenlo e direcgo que se- dos em alguns circuios, e exigindo rectilicago pa-
gundo constou de offlcio da secretaria de estado ra que a eleigo podesse representar a verdadeira
dos negocios da agricultura, commercio e obras opinio legal, poderia ser que a eleigo s podesse
publicas de 24 de maio ultimo, foi nessa data orde- reilisar-se em jullio, devendo o parlamento, nesse
nado que nos correios do Imperio transite livre de caso, reunir-se nos ltimos dias desse mez.
porte toda a correspondencia que fr dirigida a a cmara votou a lei de meios com dous addila-
alguma das pragas do exercito do sul ou por ellas mentos um do Sr. Pinto de Magalhes e outro do
inderegadas a outrem, urna vez que no pnmeiro Sr. Seixas, acerca das provincias da frica occi-
caso o subscripto alm do nome do individuo deca-
re o corpo ou navio a que pertencer; e no segundo j
que seja enviada por intermedio do respectivo
Francisco Carlos
Pedro da Silva.
Teixeira Borges e nao Ignacio
ralisar-se cidado brasileiro Grlos Luiz Virvane,
natura! da Blgica, e que se acha com praga no 2'
Dito ao Exm. conselheiro presidente da relaco. corpo de voluntarios da patria, solicitou a|iuterven-
as 2 represenlagoes juntas em original de Car-1 gao desta presidencia para obieogao das cerlidoes
los Jos Gomes de Oliveira e Jos JanuarioAlvares I de idade e do tempo ae soa residencia no Brasil,
Ferreira, contra o juiz da direito da commarca do e parecendorme razoavel a sua pretengao, eua sub-
Po d'Alho bacharel Delflno Augusto Cavalcante mello a cocsideragao do Sr. Luiz Antonio de Si-
de Albuquerque, este aecusado de decisoes con- queira, cnsul da Blgica nesta provincia, para que
n. 374, dada com referencia a da contadoria dess 5 bi i^^.fjJ^^Si^ltS'S.
fhP*niirarh a mandar abonar ao tenente-corone dor procurador da cora, soneraoiaeazenoanaci
inleresses da fazenda provincial.
Ditoao Dr. padre Aotonio da Cunha e Figueire-
do director da companhia do Beberibe.Agrade-
cerlo muito a patritica, e louvavel deliberago
que segundo V. S. me communicou e
ta de 40 indicada no final da informago da pre-
dita contadoria. .. '.
Dilo ao mesmo.-Nao havendo inconveniente,
mande V. S. pagar a Francisco Jos da Fonseca,
como pede no incluso requerimenlo, sobre que in-
trarias a lei.
Queira V. Exrn. a presenta-las, assim como a
inclusa resposta documentada e tambem em ori-
ginal do mesmo juiz de direito ao tribunal da re-
lago a quem, compele aprecia-las e proceder como
for de direito,
Dito ao coronel commandante das armas.
Remello por copia a V. S., para ler execu-
go na parte que Ihe toca o aviso circular de 23
de meio ultimo, em que o Exm. Sr. ministerio da
guerra manda inspeccionar os offlciaes do corpo
no caso de a julgar attendivel, se digne facilitar ao
referido Virvane o documentos que Ihe fazera
precisos para instruir a petigo que tem de sub-
meiler ao governo imperial.
Renov ao mesmo Sr. cnsul .os raeus protestos
de eima e considerago.
Ditoao cnsul de Dinamarca.-Em resposta ao
offlcio que em 2 do corrente me dirio o Sr. Em Bi-
donlac, cnsul de Dinamaaca nesta provincia, tenho
a dizer-lhe que nesta data raandei passar a porta-1
ria que solicitou para nao
de estado maior de 2* classe, que se acharem nesta i gum a sabida do vice-consul
commandante.
Dito ao mesrao.Sirva-se Vmc. de exigir com
urgencia do agente do correio do Brejo da Madre
de Deus, que declare a quem entregou um offlcio
dirigido pela secretaria desta presidencia a Emilio
Carlos Jordiio, em 31 de maio, e remettido por
esta adminislrago, em 2 de junho, ludo do anno
passado, como consta do recibo passado por um dos
empregados dessa repartigo no livro em que se
relacionara os offlcios expedidos para o correio.
Dito ao chefe interino da repartigo das obras pu-
blicas.Pode Vmc, conforme indica em sea offl-
cio do Io d) corrente sob n. 158, mandar lavrar o
termo de recebimento definitivo da obra do 15
da estrada do norte (erapreza Mamede), visto achar-
se coocluido o prazo de responsabilidade dessa
obra e estar ella convenientemente conservada, se-
gundo consia de seu offlcio a que respondo.Com-
municou-se a thesouraria provincial.
Portara.O presidente da provincia resolve de
conformidade com o 2o do art 55 da lei n. 635
do orgamento do exercicio de 1865 a 1866 remo-
ve- a profesiora publica Porfiria Jesuina Baptisla
da Silveira da instruego primaria da villa do
Cabo para a 3" da freguezia de S. Jos desla cidade
creada pela le n. 624 de 16 de maio do corrente
anno.
Dita.-O presidente da provincia resolve nomear
se por impedimento''al- 'o Dr. Tarquinio Braulio de Souza Amarantho para
de Dinamarca R.C. o cargo de merabro do conselho director ua ins-
formouVcoroneTcommandnVe das armas, em offl- do 1 do correle,
TeU3do corrente, sob n. 980, a quantia de 25*. compaa com anuuenc, a d,t*
tomou a administrago dessa
luencia da assembla geral dos
dessa ihewurana, me informe'acerca da con ve necue 0 respectivo secretario da
nienc.a de ser creada de ^"ade com a le., vos pelo, quaes a o P ^ ^ ^
do orgaraeato no exercicio de 865 a 1866, urna pwar ^ 1 m.raa Mraa 0 ane
"1Kr.^,rr-f V. Uei ^eroi ordenado --A^
ra^r^re^^
provincia tante empregados com desempregados,
remetleodo-se-lhe os termos da inspeego bem como
que slgam immediatamente para a corte aquelles
que forem julgados promptos para o servigo, ou
incapazes por soffrerera molestias curaveis ainda
mesmo que estejam empregados.
Dilo ao raesmo.Mande V. S. dar baixa ao sol-
dado do 2o corpo de Voluntarios da Patria Jos Pe-
dro de Andrade, visto que representa ser maior
de cincoenla aunos e j ter no mesmo corpo 3 fl-
Ihos, segundo V. S. declarou em seu offlcio n. 986
de 5 do corrente. /
Dito ao mesmo.Ex pegi V. S. as suas ordens
para que o commandante da companhia de cavalla-
ria sobrestando na remonta da respectiva cavalha-
da, recolha a thesouraria de fazenda o qaanlilati-
vo que se mandn adiaolar para esse fim por offl-
cio de 22 de maio ultimo, visto ter a mesma com-
panhia de seguir para a corte na fraa. das or-
dens impenaes.Oflocioo-se neste saoiido a the-
souraria de fazeada.
Dito ao mesjKkSirra-se V. S. louvar; m
truego publica.
Dita.Os Srs. agentes da companhia Brasileira
Fincke que tem de seguir para a Europa no vapor
dHae^=acaoCOnSUl MMeSPr0leS,S W^WfS
deDr2,To%eonTraauddarnTsuperior da guarda naci- ** ^Zoanhia PeSSbt
na. do Rec.1 -Mande V. S. dispensar do aquarte.- ^^f^J^KttiSVi?ii
te municipio Flix Velloes de Canlalicio, emquanto a Parahiba no vapor Persmunga a Bento Minervi-
rame"Dto,T|!u"d^ ca2a mha?de dar"lres Passagens de eslado.a r at
te municipio Flix Velloes de Canlalicio, emquanto a Parahiba no vapor P,
estiver empregado como operario na offleina de 6* D va-
classe do arsenal de guerra.
Dito ao raesmo.Scienle pelo seu offlcio n. 142
do Io de corrente, de se haver offerecido o capito
aggregado do 4o batalhao de infantaria deste mu-
nicipio Jos Domingues Codiceira, para aquartel-
lar com o Io batalhao da mesma arma e prestar
todo o servigo de sea posto, resignando para as
despezas da guerra todos os vencimentos que
Ihe competirem por esse servigo, tenho a diur em
resposta ao citado offlcio que deve V. S. nao s
aceitar o offerecimento desse offlcial, oxpediodo
para isso as convenientes ordens, roas lambem
louva-lo em, meu nome, fazendo retirar do aquar-
Sipediente do secretario do governo do dia de
junho de 186o.
Offlcio ao inspecter da thesouraria de faienda.
S. Exc. o Sr.lpresidenle da provincia, manda trans-
mitid a V. S. a inclusa ordem do dia em dopiieata,
sob n. 148, expedida pela repartigo do ajudante
general.
Despachos do dia 5 de junho de 1S6S.
Reqummntos.
Antonio dos Santos Falco. Passe portara na
forana requerida.
. Alvaro Uch&a Cavalcanti Campello e Lydio Pur-
dental e oriental.
Orou ainda o Sr. Vieira de Castro que tanto se
distingui nesia breve legislatura pela arrojada
eloquencia da su palavra.
O Sr. Mendes Leal explicou as suas ideas acerca
da fuso.
O ministro da guerra pedio que ainda Ihe fosse
votada pela cmara a lei que destinada a melho-
rar as condigoes do rgimen alimenticio da tropa.
Falln tambera o Sr. Pinto Coelho, deputado le-
gitimista.
Na cmara dos pares foi lido um offlcio do mi-
nisterio do reino, declarando que n aquella secre-
taria nao existe documento atgum acerca dos desa-
fos do general Aflalo e dos Srs. Lobo d'Avila, San-
ta Anna, Mathias de Carvalho, S Carneiro e Petlil.
A pedido do Sr. marquez de Vallada, foram esses
documentos pedidos pela secrelari da guerra e
bem assim que se pedisse copia da denuncia dada
pelo general Passos acerca do desafio que Ihe exi-
gi o Sr. Aflalo.
Entrando o ministro da fazenda, por parte do
governo pedio que a cmara resolvesse que hoje
(13) houvesse sesso, porque acabava de passar
na onira cmara a lei de meios, e era conveniente
que ella fosse approvada lambem pela cmara ere-
ditaria dentro do praso da prorogago do parla-
mento, o que se resolveu.
Hoje foi approvada na cmara dos pares a lei de
meios, fleando assim o governo em normalissimas
circumstancias constitucionaes.
O decreto da dissolugo sahir no Diario de 15
do corrente.
Pouco acrescenlel pois ao qne Ihe noticiava na
minha do dia 12.
Talvez me esqoecesse dizer-lhes entao que em
ambas as casas do parlamento tra ha das volada
urna manifestago de pezames pela raorle de Mr.
Lincoln, presidente da nio Americana. Em
ambas as cmaras a iniciativa parti do stio del-
tas, ao que o governo portugaez se associou. Em
10 do corrente foi dirigida urna mensagem s c-
maras legislativas de Portugal pelo ministro da
America nesta cdrle Mr. James E. Harvey, cujo
theor o seguinle :
LBGAQAO DOS ESTADOS UXIDOS.
Lisboa, 10 de maio de 1865.-Com profunda
emoco recebi as expresses de sympathia e pesar
proferidas de ama maneira tao sentida e significa-
tiva pelas Exraas. cmaras da nago, por motivo
do deploravel acontecimento que acaba de enlutar
o povo Americano.
No momento em que a paz j estendia saas azas
bemfazejas sobre um paiz dilacerado, o homem
que havia assuraido o grave peso de tamanha res-
1
ir
i i


ILEGVEL


Alarlo de Peraanbaoo seita lelr de Junho de 18G&.
:r.vrz


\
!";
poosabilldade aquello que por snas qualidades,
cordura, e virtudes cvicas, Inspirara por toda a
parte a mas generosa confianca, cahle derrubado
pela mo enastaos* de um resentment fantico.
E-te. reartano, que veto corear to ardua car-
reira, tomea-se legado nao de urna so nago, mas
bem assim da humanidade inteira, pois toi aquella
vida sacrificada no altar do dever.
Cabio um bomem grande^ ua*.toroem V-baav;
seria
nifesto cora decla/jvcao*o que fez impressao
nos arraiaes colligados.
As folhas de bonlcm publicaram urna carta do
Sr. Casal Ribeiro a proposito da candidatura qae
lhe Toi olereeida pela idantu. carta, onde este
notavel estadista, ura tambem dos mais eminentes
membros do partido regenerador explica a sna no-
sigo poltica, e expoe os fundamentos por que se
rett*er *-*oltar *i*M)ri vada, seos seas cons
PERNAMWBL
RBIISTA DUNI.
Acaba de ser prorogada at 31'de agorto-preat
rao, o prazo para serem trocadas sem descont, na
cauta da araertisagao, as notts-foHttfOOO da ter-
cena estarna, por aviso dnMi*terto da faaenda
porra os principios que eHe-tao rectameate-rea#e- utMawes a*mltlm*.etefBe nao insistir m reno- ^ do p0
sentos to valentemente sesee defender-, sobreti- vararte torosamente o mandato. Nestem-la. ^ vs,a 4tMf;s6. comeoMo cite a soffrer*-
vendo por honra de sua meaaom, sarao para sea- manifest, redigida com elegancia e vigorosos ira- >,_ do 0 ^.^^o^,,.,, emdiaaia.
pre mautidos e acatados <)da.-a*arte aonde*ae- 50, expoe o Sr. Caart,Ribeir*s motivos pelos, py1K~,*~r.-m 0 insti*ato.Archeotof e
respeita o governo constitoaianal, a Justina, e a I*- queee na appwa a-faao, nm taraoem. Pod*"-oeoiWphico Pernambucaeo sob ^residencie-do
berdade. conceder e-sen apoto ao overo **. ^^ n^eonor Mnnit Tarares, Mm assisteoeia
O povo dos Estados-Unitos que, ja sabe aval*r be-Tez impfessao.a deelaragao com que de*** Drs, Jeaorteto, Soaeee de>Aae*ario,
pela experiencia asneas diapeeifdos, e oeompor- feste-oppostejon.sta ro asignado pelo Sr. Marti., Rodrj|iW6 (impeli, Witmwo Pinto .Bamfcm, Ci-
tameoto hooroso de**rtuga|.data*te todo esse pe- Frreo, mwto mator effeito produze estacar, cero p joo e goares Brtndao, major Salvador e
-codo de Itrta felizmente agora terminado, ha de donde alm de muitas outras illacoes se come que dre_me7lre LQ0
acolher na hora de afflicgao, as suas expressVs os membros do extracto partido regenerador nao Q Sp M to perpetuo d rata do seguitite
de simpafhia como nm penhor de amisade, que de- consultaram os homens mais prestantes do seu gre- eipediente ^
ve ligar estreilamente os dous paixes. ""o P celebraren! o pacto de reconcihagao, que Cm vo||jme de jas SQD Q nome e'Momco |
Cumpre-me dar immediato conhecimeoto ao go- fizeram com os seas competidores e adversarios da offtrUdo pe,0 Sr D|. Joaqnim Serr!L necebjdo
verno dos fetadosUnidos, dos sentimentos que vespera. ., com agrado, manda-se-arohivar.
acabara de ser raaetfesudes pelas dua cmaras^: De lodosas lados pois se -aspella para* "rna.ji, QS mmeroi do periodieo Emom. LUttrartOv o*-
porm nao posso deixar aaproverta* estaeocasiao em ultima instancia a vontade do pan la*a penoer, ferecido peia retiC;0, Recibido- com agrado,
de fazer contar, tanto da parte das autoridades a balacada nossa politwa-raierna. -.'manda-se archivar.
constituidas, como indlvidaaiaaente, quanto apre- No donante-(it) [ez-se a annnal desiriDui*} ^^ mmwos. do Brasil Histrico, orTerecido
ciamos tao dutincta prova de consdera^ao e res- dos premios oa escola Casal-Ribeiro em XaDrega'-., consocio Dr. FgUeira.-Recebido cora agr-1
! Esta escota, ha cmeo annos instituida e datada 5.-----a......u. ._
pelo illnstrc t-stadista, memoria de son chocada
mai, realisa progressos verdadeiros no ensino.
peilo.
James E. Harvty
O centro promotor dos melwramenios das das-
ses laboriosas, tambem voteu urna sentida mani-
fesiacao da magoa pete m'rte do raeWogrado presi-
dente dos Estados-Unidos.
Folhas de .Newa-Yerok, ultimainenJe chegulas
nos tratam muito mal palo-scraleoimeoto dos tiros
da torre-de Balen sobre- a fragata anwricana Ww-
gra.
i do, manda-se archivar.
Um opuscnlo sob o titulo O Coronel Francis- j
co Joaquim Pereira Lobo ao publico. Recebido |
methodo all adoptado o melhodo Castilho. CQQ anda-se arfhWar
A sessofoiipresidida,pelQ Sr..M.-61110'.Cmmil Em seguida faz-se a leilura de um offlcio do
sano dos estados dodistricto de Lisboa. O Sr. Lar- E%m ^. Q c jtu|aF soijeijao^o a ooporaeao do I
los Jos Caldeira, inspector da mesina escola eir- lnet(lttte.+ara a eooser*cao da cape 11 Mm da Casa
mxo do Sr. Casal Ribeiro, ton um relatorio bem1 ela- For[e visU) a|fl] daptedt(le ^giog, ref8e.
porado e coa bastantes dados cariosos sobre o mof^ a f g|oriOMS da nistora perQambu.
traiwfhos escolares. O Sr. Chira fez urna breve caM *
De Inglaterra, foi remetlida urna espada d'honra allocueo ; depois orou o Sr. Casal Ribeiro, e usa- o-'br.-De. Witrnvio Pinto Baodeira tome''a-pa-
ao ex-governador da torre de Belm, que foi de- ram tambem da palavra os Srs. Joao M. Goncalves. ,Wft e fai.varJM consideracoes, em.ordem'a es-
mittido do comwaadoeB sattofago ao governo dos vice-presidente do Centro promotor dos memora- citrt1t)r oqua oocopria Com a referita capella e
E-taaoe 044,. a co(h.4 ^m refirofo> r- moi<,6 AwctaMw a&oiwa, c o 3r. A. J. de un- seo.estada-aotaal, dando coohecinwnta ao-lnsiituto
mellida em signa! de apreco pelo proeed+mento veira, um dos redactores da Federacao, jornal Qf de- d*aqaeu*.oflleiai. Divewo modos de encarar as ha dez annos advoga cora denodo e circumspecQao goas da ,|a locaMdade a fretHe das qmes fl(a.
cousas. Aacgoewanentepuiwdaereprovada, os interesses legtimos das classes operaras eos Q firL fiapilao jog Doimngaes Codeteira ; o
leve com ludo admwadoros nas-^inargens do Ta- da industria nanona Lu/. Felippe Leite, d rec- haVjaan[epor,mente,oblK)o. qae a mesma ca-
misa. tor - Transcrevo-lhes a resposta de el re. o Sr. I). referi a inslita.cao, que o governo ha tres annos: 0 ces;iao.6m par(e gr9aiu e em Kparle 0Kner0.
Luii 1 ao disctwso que o Sr. marqnoz do Sabtigosa lhe confina e que tao presta veis servicos faz a es-. sa navendo a|m Sisso e0 mesmo ca ,5o organiga.
proferio no dia 7 do corrente por occasiao da so- cola modelo cuja festa se eslava solemuisando. (yi a(R coraproraisso para a frmaco de urna ir- i
lemne distribuido dos premios aos expositores Fallaram tambem os Srs; Raposo1 alumno mestre ^,,3^ se enoarregasse da administracao !
agrcolas ua sala da academia. O sympalliico mar- da escola normal, e L. da Costa e Souza, ex-alum-^ ppoinove8se sua ^onserv quez era presidente da, commiesao promotora da no. O discurso ultimo foi lidoe no da segrate d8vendo em. taes condigoos cifrar-se a coope-
exposi^ao agrieoia
Eis as pal.-.vras d'el re :
a E' para mim ex-lremameote grala esta occa-
siao, que a real associaoao centrai de agricultura
portugueza, da qual ten'ho a saUefacao de ser pro-
tectur, me proporciona, para-dar o remate ao bri-
lhante certame que ella promoveu, em houra e
proveilo da nessa agr-icultera.
o A exposigSo agpicola, realisada no dia 28 de
setembro ultimo, ficar memorevel nos fastos na^
cionaes, nao s porque e.-teiauahou o progreeso
da primeira de nossas ioduelrias, e porque assig-
nalou dignameate os nobres estorbos da real a>so-
no. O discurso ultimo foi lido e no dia segrate
itnpresso pela Revoluto de Setembro. Estavam,
presentes mais de trezentas pessoae:;.
O Sr. padre Rodemaker, que ua igreja. parochial I
tinha dirigida urna allocucao s discipulas que nes-
se dia fizeram a sua primeira communhao,' fallou
tambem, conclumdo o Sr. Casal Ribeiro por algu-
mas consideracSes opportunas.
Estavam presentes os reverendsimos bispos de
Leiria ede Cabo-Verde, o Sr. J. de Andrade Corvo,
e nestas outras pessoas de distiuccao.
Falleceu o Sr. conde da Redinha. Era mui-
to estimado por suas qualidades.
Nao devo omitlir que ao penltimo dia de
wacao centfai de grtcuttaea.porlugueea, mas-ain- sessao parlamentar, o Sr. Mendes Leal propoz um
da porque foi auspiciada peto aiuii-versarie do volodeseotlmentopelaniorte.de Cobden, que foi
principe 1). Carlos, mea minio amado e presado approvado unnimemente, apossando-se o gover
fitoo. no a esta maniestacao. O centro promotor, votou
Acwiwisanoia de ser esta benemrita asso-, psames pelo mesmo motivo,
cacao presidida por meu augusto pai mais ura >.
justo motivo para eu me. iisungear de a ver seguir | ... 1 1
pela s.-nda do progresso, e me honrar de applaudir
os resultados da.sua dedioaeo pela nobre arte de
cultivar a ierra.
t Sinto igualmente vivo prazer pelas expressoes
com que a illutre commissao que to acertada-
mente dirigi os trabalbos da exposicao de 1861,
manifesta o mrito dosoljectos que por parte da
minba real casa concorreram,ajesla agrcola de
que anda hoje eos oceupamos.
c Finalmente o-conteotamento que eu lenho de
retribuir, pela miaba propria mao, as recompen-
sas que competem aos vencedores neste glorioso
certame, licara eternamente gravado no meu cora-
cao ; os louros dt-s-tas victorias, por n$o serem tin-
tos de sangue, nunca perdem o brilho de suas vi
cosas folhas. >
O Sr. Dr. em mathematica Felippe de Figuei-
ra Faria, acha-se entre nos ha paucos das. As
distinctas qualidades pessoaes, variada instruccao
e ameno trato deste cavalheiro, qae por tao ntimos
lacos de sangue pertence a respeitavel familia Fi-
gneira, com quem me preso de manter tao ami-
gaveis relaodes a tantos annos, fazem com que
bastante sioa a pequea demora qu. tem nosta
corte. 11 ~ ~.
-wi. or. Tigaeiroa eSteve algnns das em Coim-
lra, onde toi visitar pareles seus, que a posiejie
DiABIO DE PEft**MfiUCO
O vapor inglez Galdeo, cliegado honlem a tarde
do Rio e Baha, irouxe diversos jornaes de 30 do
passado da corte, e da Baha apenas cartas. Dos
primeros extrabimos o que segu :
O senado nao trabalbou uo dia 29, por falta
de numero.
Xa cmara temporaria conlinuou a iUt-;i->o
da resposta falla do throno, na qual toiuaiam
parte os Srs. Jos Bonifacio, Dantas, ministro da
agricultura e Liberato, Qcando a dis-ussao a-
diada,
-eguirara na barca Guaraim, para as Tres
Boceas, no Rio Paran, petrechos de guerra.
Chcgar, procedente de Pernarabuco, o bri-
gue escuna Joven Arlhur,com 18 das.
Entrara no Rio o vapor S. Paulo, com dalas
de Porto Alegre al 21 e do Rio Grande al 21 do
passado.
A ala direla do quinto batalho de voluntarios
da patria, seguir da capital da provincia de S.
7. i'-wv*
embarque l s'e "o'?.,
social, a idade e o prestigio fazem dignos de grande
respe ito.
Este sympathieo moee, que o estudo pratico e
tlieoriro das InslituigSes, costumes, legisla^o e in-
dustrias da Europa ond* -a viajar no veli.o con-
tinente, parle em poucos dia para a Franca, dei-
xando aqui bem vivos sentimentos de estima entre
as pessoas que tivoram a honra de comprmanla lo
e aportar com tile relagoes que pona nao terem
sido mais tongas.
L.
i." Pott-scrtptum.
Lisboa, 19 i- maio de i860.
Aproveko a sabida do vapor Satadtn para Ihes
rcraetter um alcance de notioias.
Effecuvamente a folha oficial pnblicou o decre-
to da dissoluco das ortes, convocando o novo
parlamento,para o dia 30 de julho prximo futuro,
o nutro raanJando proceder desde ja aos actos elei-
toraes.
A eleieo- geral de depuiados sao a 9 daquelle
A 16
Acerca desse
A's nove horas da mauhaa sabio o batalho
do quartel e seguio pela ra da Ponte. Ao chegar
em freule a casa.daSr. lente coronel Mekelles,
toi alto, e a Exma Sra. D. Malhyldes Merellos
ulfe.receu ao Sr. teneute-corojiel Caldas urna linda
cora pronunciando um eloquente discurso, sau-
dando aos bravos que se juntam na santa cruzada
de defender a patria aviltada.
c O Sr. commandante agradeceu a fineza e de
entre a multidao parlirara gritos vicluriando a
tropa.
Segnindo o batalho, e ao passar em frente a
casa do Sr. Nicolao Beineri, mil flores foram-ihe
lanzadas, cobrindo-lhe a passageiu.
c Subi a praca, e dirigio-se a cathedral para
ouvir a tuissa dita peto Exm. bispo diocesano
coadjuvado pelos conegos Dias Lopes e Pinhero.
t Assstirara a este acto o Exm. presidente da
provincia e seus ajudanles de ordens, o Sr. ge-
neral commandante da guarncao com seus aju-
danles, o Sr. Dr. chefe de polica e muitas outras
pessoas.
Frada a missa S. Exc. Rvm. pronunciou urna
raeao do IitMiiuto em prestar a concurrencia de
seus auxilios queiles encarregados, assim opi-
nav.
O Exm. monsenbor presidente manda responder
ao Exm. Sr. vigario capitular, que seria tomada na
deviua. considcraeao a materia honrosa do seu of-
(icio.
Sao lides duag propostas papa socie9-cofrespon-
denies, assignadas peto Sr. major Salvador Henri-
que e Drs. Koerea Brando e Wilruvio Pto Ban-
deira.A' comaiisso de admisso de socios.
E' designado interinamente o Sr. padre-mestre
Lino para- o lugar de orador, na auser a do effec-
i l'v0-
O'Exmi presidente agradece ao consocio Dr. Soa-
! res Branao. os seue esfore.M empregados na as-
j serabla provincial, afim do obter urna subveneo
j era favor do Instituto ; e agradece-o e louva tanto
mais o seu proceder quanto com elle demonstrou
o digno in-nibro que lhe nao era indifferente a
: prosperidade do Instituto. A' estas palavras res-
ponde o Sr. Dr. Soares Braedao, que, no carcter
dupJo de deputado provincial e memoro do Institu-
l\ fura o seu procedimento paulado pelo dever-de
promover a consecuco dos tas deste, e de sus-
tentar os interesses da provincia que all represen-
tava, e que com aquella subvencao oao fazia seeao
urna despeza productiva.
Procede-se a volagao e approvado socio cor-
resfiondeiit'i o Sr. Dr. Antonio da Cruz Cordeiro.
O Sr. major Salvador Henrique tomando a pala-
vra, faz. a leilura de.ura seu trabalho histrico so-
bre d'uersas facanhas e varios rasgos de civismo
do lier'e Joo Fernandes Vlira, sendo-lhe presta-
da a inawr atlencao, e recebendo de todos as mais
lisongeiras felicitaQdes. E' resolvido que esta me-
moria seja impressa no prximo quinto numero da
/invista, acorapanhando o retrato belmente lilho-
graphado daquelle here.
Eotranvem discussao fioalmente dous pareceres
da coiemssao de fundos e orcameolos, um relativo
as comas do thesoureiro e outro ao proieclo de or-
camenio da receita e despeza no auno social de
1865' a 1866. Sao ambos approvadjs sem raodid-
efio alauma.
ETevanra-se a sessao, se mu mi.u< a,. ..... a.
corrate para a seguinle reunio.
BMracto-4as partes do da 8 de junho de IMo".
Farem recolbidos casa de detenco n*dia 7
**nho:
A'.ort#oa.do Ilion. Sr. Dr. chefe de policio Cy
pmne, eacravo de afolla & Irmos, sera declaca^ao
de- motHro e posto logo em liberdade, e Marcolmo
Jos Baptista, por crime de roubo.
A' orden do subdelegado.dAXapwnga, Joan Vi-
cente Evangelista, e Cassimameainavo IuJiUhi
Oosfa-Ribeiro, por disturbios e insolas.
O chefe da i*-eec|l(a.
J. G. dttm^uita.
Casajjp detkxqao.Movimenla^de din 7 deur
nhode-lSg :
Existan 317; entraran 3; saWnam 7; exea.
tem 313,a saber : nacionao>3ae, mulhe#ee*o\,fr>-
tringeiree- 21, mulheres 2,? oaaentm.53:-eaaaa#aai
6,total 313.
Alimentados cusadis cofres pblicos, 13a.
Moviraento da enfermara do dia 8 de junho
de 1865.
Teve-baixa:
Maneel Jos des Santos, tumor.
Passageiros do vapor inglez Galleo, entrado
do Rio de Janeiro :
Adriano- Angneto de Olrveira-e Raimundo Pinte
de Araojo.
Passageiro dojiiate J>rasileiro Etala0ot en-
trado do Aracaty :
Antonio de Faria Landin.
Passageiros- do biate lirasileiro Nkol-J, sa-
bido para o Aracaty :
Manoel Delfino d Cunha, Manoel Lourenco Vei-
ra, Miguel Pereira do VaUo, Joao-Baptista-de Souza,
Belarmino Jos de Franca.
Cemiteiuo publico..Obituario do dia.6 de
jucho de 186o.
Julia, Pernarabuco, 11 raezes, Santo Antonio, gas-
trile.
Mana Zeferina. Benges de Lima, Parnambuco, 32
annos, casada, Boa Vista, pin h y sica laringe.
Domingos, frica, 50.annos, solteiro, escravo, Boa-
Vista, hydcopesia.
Joao Jos da.Conceico, Pernambaca, 96 annos,
vinvo, Recite, una qucri.
Manoel, Pernambnco, 6 annos, Recife, ( a molestia
ignora-se. )
Antonio de Souza, Portugal -52 annos, solteiro,
Boa-Vista, gastrita entente.
Camarina Mara, da Conceieao, frica, 108 annos,
Boa-Vista, veihice.
Manoel. frica, 40 annos, solteiro, escravo, Boa-
Vista, appplexia.
Benwinda, Pecnarobuco,. 19. mezas, S: Jos, con-
vuJsSes.
Joo Jos Fernandes, Pernambuco,casada, Boa-Vis-
ta, interite chrooica.
Basilia Maria da Conceicao, Pernambuco, 60 an-
nos, solteira, Boa-Viata^nterito chronica.
Antonia Thereza de Jess. Pernambuco, 00 annos,
casada, Boa-Vista, apoplexia.
Francisco, frica, 50 annos soUeiro, escravo, Be-
cite hvperlrnphia.
Senhorinha Maria da Conceicao,. Pernambuco, 49
anuos, viova, Recife, febre perniciosa.
Julia Maria da Concelcao, Pernambuco, 9 annos,
Santo Antonio, dradas verbulas.
Domingos Jos Dias, Portugal, 61 annos, viuvo,
Boa-Vista, tubrculos pulmonares.
Do Sr. desembargador Assis aoSr.desembarga-
dor Doria
Aappellac^ocivel.
Appellanta, Me*ad Paerio do Naselmento ; lp*
pellada, D. Margarida Maria da Paixo.
Do Sr. desembargador Doria ao Sr. desembar-
gador Molla
A appeeco crine.
Appellante, UnoFerreira da Silva, porsea-es-
cravo ; appellae, o juico.
Ai appeliacoes eiveis.
* Appellante, Vieenle Jos de-Bro; anpellado,
Joaquim Antoniel/ereir.
Appellante, J#|uimMairete Waa*rieye*n-
tros appellado,Lmo Berreira-da Silee.
Appellante, Joe4 curador geral.
Do Sr. desembargador Motta ae Sr. desembar-
gador Domiogues da Silva
A appellaco crime.
Appellante, Joao Ferrera de Mello ; appellada a
Justina.
Do Sr. desembargador Guerra ao Sr. desembar-
gada Domingues da Silva
As appeliacoes civeit..
Appellante, Jos Joai|Uim Noves Canella ; appel-
lado, Manoel Nones Bonson.
Appellante, Antonio Torquato Felippe Maia ; ap-
pellado, Maneel liodrigues da Souza.
Appellaete, Ana^tacto Jos de Sil veira ; apoel-
lado, Alexaodrino Martins Correia de Barros.
Do Sr. desembargador Barros Vasconceltos ao
Sr. desembaegadur Caeiano siafiago
A appellajo crime.
Appellante, Manoel Joaquim de Santo- Anna ; ap-
peliada, a justiea.
A' 1 '/2 hora enoer^u ae a sessao.
mez. A 16 e o apnramento dos votos pelas res
liectivas assemlas. Ambos os necretos tem a da-1 ardenVe"a|o"cuo' a tropa, a.umando-a um nobre
L^TIT^a M a a. ,. arrojo de desatfrontar os insultos reilos a patria,
Em seguida ao acto.da-dissolucao das cortes foi: que no ^ pundonor offendido exige um desagra'
publicado pela imprensa om manifest assignado vo solemne
lelos 98 ex,depuudes que .se unir ou fusiona-1 S. Exc*. distribuio depois pelos officiaes ura
ram com a parcuidade dos peeturadm$. Apezar; crucifixo de metal, e pelas pracas vernicas lam-
deste documento ter sido redigido pelo Sr. Mendes qem de meta| v
Leal, sfgundo se affirma, confessam todos que
um papel s aceUavel pela cortezia e modera^o
da phrass, mas.vasto de pensamenlo, o que asiaz
revela a luta em que alias o Ilustre escritor e pu-
c Sahindo da igreja o batalho desfilou pela
praca, rna do Ouvidor, Praia e Alfandega, at o
trapiche da companhia Jacuhi, onde se achava os
! vapores Apa, Sete de Setembro e Irapo para rece-
blicista se enconlxou com a sua propria conscien- b-
cia.
10.
A aggregaco fortuita de elementos heterogneos
como _a dos individuos que pactuaram a chama-
da futao ou colliso, nao pude produzir um mole
poltico, em torno do qual se aggrupem convicQoes
firmes e decididas.
Em quaolo este papel circnlava espalhavam os
adversarios da silttacaa,que o partide|governamen-
tal se aclia associado aos amigos conservadores (ou
cabralistat, na pliuse popular).
E' to pronunciada aioda a repugnancia que a
memoria de tal poltica, hoje anachronica entre
nos, inspira s massas, > vivas sao h-^je mesmo
as repugnancias que a lembranc.a do sysiema sus-
tentado pelo.Sr. conde de Thomar ha mais de-20
annos em .Portugal, que os fueiniuttas ou alligados
se persuadiram.(jue assim faziam br.echa.na upiuio
publica, e descooceituavam de um momento para
Ao largarem os vapores muitos vivas saudaram
os briosos defensores da patria.
t S. Exc. o Sr. presidente da provincia e o Sr.
general commandante da guarnljo, que acompa-
oiiarara o batalho desde a igreja, embarcaram no
Apa t; scguiraiu rio cima, voltando no S. Paulo s
3 horas da larde.
O-referido batalho devia marchar do Rio-Pardo
para S. Borja, formando urna brigada com o corpo
de guardas nacionaes da Encruzilhada.
Tratava-se de organisar o Io corpo de volunta-
rios ro-grandeses. Por acto da presidencia fra
commettida esla tarefa ao Sr. marechal Luiz Ma-
noel de Lima e Silva, commandante superior da
guarda nacional de Porto-Alegre, o qual publicou
era 16 o seguinle edita!:
Tendo de se organisar nesta cidade um bata-
'Foi nomeado miembro do conselho director
da instruccao publica o Sr. Dr. Tarqumio Braulio
de Souza Amaranlho.
Por portara da presidenoa, de honlem, fo-
ram nomeados para o Io batalho de inianlaria da
guarda nacional do municipio do Recife, os se-'
guintes officiaes:
Quartel-mestre o alteres Hermioo Ferrera da
Silva;
* companbacapilo o lente Jos Henriques
da Silva e alferes Lydio Aleirauo Bandeirade;
Mello;
4" ditacapilo o tenente Manoel Gomes de-S,
tenente o alferes Antonio Norberto Malaquias Pa-
checo, e alferes Miguel Arcbanjo da Cruz Muniz;
5* ditacapito o lente Joaquim da Costa Ri-
beiro, tenente o alferes Augusto Cesar Pereira de
Mondonga, e alferes Francisco Affonso Ferrera ;
6* ditacapilo o lenle Joao da Cuena Soares
Guimares, tenente o altores Joaquim Antonio Hen-
riques da Silva, e alferes Joo Jos d'Almeda Per-
nambuco -,
8" ditatenente o alferes Vicente Nuaes de Sou-
za, e alferes Manoel Goncalves Ferrera da Silva
Juuior.
Acaba de ser entregue ao Sr. Hyppolto D >'
raont a quantia de 320000 res, por conta do ins-1
frumental para o 2o corpo de volntanos da pa-;
frirt, importe da subscripcao agenciada entre as'
seguintes pessoas:
Jos Joaquim da Silva Gomes.......... 205000
Reg & Silva......v................ 20^000
Felippe Veedhmer...^................ 205000
Um annimo......................... 2O5UO0
Joo Paulo Horeira Temporal.......... 105000
Joaquim de Souza Leo................. 105000
Aatonio Jos da Silva Brasil........... 105000
Jos Fortunato dos S. Pono............ 105000
Francisco Ildefonso K. China........... 105000
Antonio Manoel Bastos................ 105000
Henrique d'Oliveira Soares,........... 105000,
Um annimo......................... 105000
Luiz Goncalves da Silva,.............. 105000
Alfredo Garcia....................... 105000
Wilload............................. 105000
Um auonimo......................... 105080
Fnao.cisco Xavier dos Santos........... 105000
Joo Carlos B. de Oliveira............. 105000
J. A. de Araujo...................... 105000
Daniel Ramos....................... 105000
Ferreira & Araujo.....................105000
Ferrera & Matheus.................. 105000
Um annimo........................ 55000
Alfredo Jos Antonio Guimares........ 55000
Jos daSHvaLoyo................... 55000
Um annimo........................ 5000
Jos d'Assurapco.Oliveira............. 55000
Francisco Jos da Silva Guimares...... 55000
Lourenco Ribeiro da Cunha Oliveira___ SJMO
Umanonimo......................... 55000
Jenumo Jos da Rosa................. 55000
Ignacio Beoto de Loyolla.............. 55u00
Domingos Ribeiro da Cunha Oliveira___ 55000
Pedro Jos da Costa Castelto:BrancoO___ 55000
Teve lugar no quartel do eorpo de.polioia a
segunda sessao do conselho de julgamento presi
o outro o governo actual dizondo-o ligado.com o lbo de voluntarios da patria com as mesmas con-
conde de Tnoraar e com os seos velhos amigos. dicSes e vantagens com que foram creados iguaes
O pretexto para esta ioaUraaco foi fundado em batalhes em differentes provincias do Imperio,
deelaraces de adhesao que o mesmoja)nde.4ea na, convido pomelo a todos os cidados dos differentes
cmara lierediuria.no penuliinwdia de sessaa.des- municipios da provincia, e bem como aos estran-
ta legi>latura. 1 geiros que se queiram alistar, para comporem o
Os bomensea,situacae.nao be .pediraui to /a-' referido batalho, qne comparegara quanto antes a
nesto fayor; ma-*o Ib'as podiam..nam dewam; darem seus nomes na secretaria do commando
engelar. Ha*ernar ventura algnemque v pe-1 superior da guarda nacional desta capital, em todo
dir a ouirem que.o.afoia, seja quera Jor, que por os das ut-is das 10 horas da manha as 2 da tar-
mero o hostilise ? de ; igualmente convido a todos qae se queiram
Se fosse, curial e copativel cota as convenien- engajar na qualidade de msicos e cornetas para o
cias faier tal requerimeato, devia o go#e*no t-lo mesmo batalho.
feito ao conde, para evitar,as.reitencias de todo o Declaro qne o batalho de voluntarios ha de
genero qnu semeibaate a4iie#ao iha,pde irazer na ser por mim organlsado, disciplinado, armado e.
campanha eleitoral. 1 fardado, como tu entender conveniente, e perten- ^'do PSto.Sr. tenente-coronel Rodolpho Joo Bara-
Esl ludo a jstos paca.as eiaieSaae tralialha- cera arma de catadores. 1 ta de Almeida, que responde o lenle da seceo'
se actiramate em todos os campas. Quem vea- O Sr. general Caldvell, que viera do lo Panto urbana Joo Eduardo Pereira Borges por sp-
cer? : capital conferenciar eom o presidente da provln- P*t desobediencia que lhe foi imputado.
E' provavel que a ucaa,ealTrontada e livre-de cia, tinha regressando aquella cidade. O aeeusado, qae fez-se acerapanoar por seos ad-
presso, como se espera.da ordorae preaedeiafcas I Corra em Montevideo terem 150 corrientinos rogados os.Drs. Gusmo Lobo-e Deodoro Ulpiano,
dos mililitros, traga ao pariameato-quasi igual nu-1 derrotado a 600-Paraguayes. respondeu aos interrogatorios que lhe foram feiios
mero de deputados da^ime outffliaito. Coaaua- L se no Diario doBio: pelo capilo iuteriwganle. Germano de Miranda,
r eniao oqtra crise poltica ? Adiierro ao par-! t Temos a vista urna caria do Sr. Dr. Cassiano sendo adiada a sessao a seu pedido para offerecer a
tido progresista hAerc alguna dos seus ira-ns-t! Bernardo, morador em S. Joo de El-Rei, escripta defeza escripia,
fugas de hoje ? do Corleo, termo de S. Jos de EI-JRei, na tjual uos' 9fflciou como ad'tor o Sr. promotor publico In-
Vei -,-se-lia.; masuaocreto que esto, gabinete, apa-. I comraunica que abrigada mineira ao mando do, termo, Dr. J. Pereira do Reg,
zar de tndo, sirva s de traosiecao para outro.que valente veterano, o coronel Galvb, ebegar ah no | Nuraeracao dos bilhetes da loleria 19' olle"
haja de dissolve a nofApanuca, OaJiomens que, dia 19, segurado no dia seguinle para a Ponte-Alta, 1 recidos pelo thesoureiro das loteras o Sr; Antonio
estao no poder do garantas bastantes na,*oa ton- distante da cidade da Oliveira 8 leguas. I Jos Rodrigues de Souza, para auxilio das despezas
ga carreica pufclica ; a paca saateatu a sitnaoo j O Sr. Dr. Cassiano Bernardo" Informa que
que cr goaaiendo c^MB-aueae rewlaBi.,nn.oofno.legisia
tvo impociaate^e axm g&m qaeees adimoistra,
tivas, qne mos mais fracas nao .pderaa. deslinr
dar.
OSr. Martins Fer#ao, umdos membros maia
da guerra.
Inteiros ns. 626, 1141, 1686, 2650.
Meios ns. 819,850, 134. 1774,1941,1534.
conspJttteinde partido rgmeraa)ert aaajasa o aa,' catoacada-
ambulancia esti bem provida e que os 2 medico*
sao habis e affaae, Qoarios ns. 69, 707.-9", I058J1245,' 1803, 18S2,
< Diz maic que reina fcarnonia entre os officiaes 2073, 2287, 2452, 3732 e 295S.
equaoeomiBaadBte eoaebefe iaeaosarel em Or bilhetes das lotorias ll.,a 18." prodoxiram
tudo aquillo qae diz respeito o be estar easeoa IJ80JW00.
rbpartiao da rotici*:
HR0NI4__J0DIGIARI4
TH1RC.VAL M REL\<1iO.
SESSAO DE 3 DE JUNHO DE 1865.
FRBSIDSC|A DO EXM. SR. CNSELUBIBO
SOUZA,
s 10 horas da manba, presentes os Srs des-
embargadores Santiago, Gilirana, Lourenco San-
tiago, Almeida Albuqaeruue, Assis, Molla, Doria,
Guerra procurador da-cora, Demiogues da Silva,
e Barros Vasconceltos, abrie-se a sessao.
Passados osteiloe, derara-ee os seguales
JULGAMBNTOS.
Appeliares crimes.
Appellante, c juuo ; appellados, Firmlno Rodri-
gues de Freitaso-A novo jury.
Appellante, o juizo ; appellado, Antonio Ferreira
Martins Caxeado.A novo jury.
Appellante, Manoel Antonio Laguna ; appellada,
a juslica.A novo jury.
Appellante, Manoel Vicente de Carvalho Caval-
cante ; appellado, Antonio Jaciolho de Medeiros.
Improcedente.
Appellante, o juizo ; appellado, Severno Rodri-
gues.A novo jury.
Appellanie, Manoel Joaquim do Nasci.nento; ap-
p^u-jj^iwv-.^.iv Jwoe obyaives.PeiijiDpta a ac-
cusafao.
Appellanie, o juizo; appellado, loc a c
Lima.A novo jury.
Appellanie, o juizo ; appellado, Zeferino Aure-
liano de Figueiredo Mello.Improcedente.
Appellante, Vicente Ferreira da Silva ; appella-
do, Jos Rodrigues de Souza Nullo o processo.
Appellante, o juizo; appellado, Manoel Francisco
de Araujo.A novo jury.
Appellanie, Ricardo Lopes da Normandia ; ap-
appellada, a j ustica.Improcedente.
Appeliacoes eiveis.
Appellante, a fazenda ; appellado, Joaquim Gon-
calves Guerra.Confirmada a sentenca.
Appellante, Jos Domingues Correia ; appellada,
a ordem terceira de S. Francisco. Reformada a
sentenca.
Appellante, a fazenda ; appellado, Ponciano Ro-
drigues da Silva.Conbrmada a sentenca.
Appellante, D. Joauna de Jess NevesQuaresma
Duarte ; appellado, Joaquim Francisco Duarle.
Desprezaram os embargo;.
Habeas-corpus.
Concedern) soltara pedida em habeas-corpus a
Severino Jos de Franca.
ESIGNACAO DE DA.
Assignou-se dia para julgamento das segra-
les :
AppellaQoes crimes.
Appellante, o juizo ; appellado, Jos Alexaudre
Bezerra.
Appellante, Francisco de Paula Campos Quares-
ma ; appellada, a Justina.
Appellante, o juizo; appellado, Telesphoro Mar-
ques da Silva Jnior.
Appellante, o promotor ; appellado, Matheus da
Cunha.
Appellante, o juizo ; appellado, Francisco Bap-
tista da Silva.
Appellante, o promotor; appellado, Manoel Joa-
qnim de Lima.
Appellante, o juizo ; appellado, Joao Paulo, es-
cravo.
Appellante, o promotor; appellado, Manoel Jos
de Fre tas.
Appellantes, o juizo e Antonio Rodrigues dos
Santos; appellados, Jos 'Ja SiWaBruno e outros.
Appellante, a cmara municipal ; appellado, Dr.
Pedro Pereira da Silva Guimares.
Appellagoes eiveis.
Appellante, D. Joanna Francisca dos Reis ; ap-
pellado, Jos Malbeiros de Albuquerque.
Appellante, Antonio Alves Vianna ; appellados,
Jos Dias da Silva.
DILIGENCIA CRIME.
Com vista ao Sr. desembargador promotor da
j ustica
Appellante, o juizo ; appellado, Antonio Ferrejra
dos Santos.
DILIGENCIA C1VEL.
Cora vista ao Dr. curador geral
Appellantes, Manoel Camillo Pires Falcao e ou-
tro ; appellado, Paulino Pires Falco.
PASSAGENS.
Do Sr. desembargador Santiago ao Sr. desembar-
gador Gitirana
A appellago crime.
Appellante, o juizo ; appellado, Manoel Joaquim
do Espirito Santo.
Do Sr. desembargador Gitirana ao Sr. desembar-
gador Lourenc.0 Santiago
A appellaco civel.
Appellante, Vicente Ferreira da Costa Miranda ;
appellado, Hermenegildo Eduardo do Reg Mou-
teiro.
Do Sr. desera bargador Lourenco Santiago ao Sr.
desembargador Almeida e Albuquerque
A appellaco crime.
Appellanie, o juizo; appellados, Feliciano Ribei-
ro dos Santos e sua niuiber.
Do Sr. desembargador Almeida e Albuquerque ao
Sr. desembargador Assis
As appellacSes eiveis.
Appellante, Jos Gabriel Pereira de Lyra ; ap-
pellado, Antero Vieira da Cunha.
Appellante, Jos Luiz Pereira Lima ; anpellado,
Joaquim Pereira Maia.
Appellante, Albino Jos Ferreira da Cimba ; ap-
pellada, a fazenda.
Appellante, Trislo.Anlune* de Alencar ; appel-
lada, a fazenda.
G0M!mfMt^S.
O Hv. Duarte Coinibra. *
11
O hornera s pelo facto de ser homem social,
disse ara talento gigante, urna inteligencia robUta,
um-criminalista notavel, procurando mostrar a ori-
gm dj verdadeiro systeraa. penal. Todos os es-
criptores recommendveis pelos seus asios, Ili-
mitados e profundos conhecimentos, aceitando es-
ta proposic/10 do Sr. Tributier, provarn que as so-
ciedades podera ser necessarias e voluntarias.
Voluntarias quando devem a sua existencia
uraa circurastancia toda humana ; quando teera a
sua orgem n'urn facto pertencenle ao mundo ex-
terno ; quando, para existirem, necessliam do fra-
co auxilio que a vontade do h<*mem Ibes pode con-
ceder ; quando ceno numero de individuos, pro-
curando salisfazer a misso providencial que Ihes
imposta, reconhecendo a impossbilidade de con-
seguir isoladameote o seu destino, se reunem, ha-
vendo entre elles um pacto anterior. Mas, for-
50S0 reconhecer, de urgente necessidade que se
advirta, sociedades exiMem independentes da von-
tade, do conseniimenlo c do auxilio humano; socie-
dades ha que gozara urna existencia toda providen-
cial, porque eilas teem a suaonte no braco pode-
roso de Deus, do Creador de todas as cousas. A*
estas sociedades, imitando os nossos muslres, cha-
mamos necessarias.
Neste numero collocamos a familia, o estado e a
humanidade.
Certamente, quando o homem nase, prraoipia a
fazer parte de urna corporac.o, para cuja existen-
cia elle nao concorreu nein .poda concorrer, por-
que, ou nao existia, ou nao tinha vonlade propria ;
viva auxiliado pelos seus progenitores; vegetava,
como as plaas parsitas.
Em phase alguma da sua vida, o homem pode
evitar estas sociedades. Por mais que elle se reti-
re do mundo, por mais que se torne alheio ao mo-
viraento continuo e seinpre crescente da humani-
dade, nao consegue tornar-se insocial. A familia, o
estado e a humanidade vivera onde elle vive, respi-
rara o mesmo ar que elle respira, gosarn das mes-
mas delicias que o dMrahem, solTrem as mesmas
dores que o torturam 1
Tudo isto tem a sua razo de ser na vontade in-
finita do Eterno I
O ser humano, escudado pela torca que lhe con-
cedeu o Creador, peder viver fra da socie-
dade ?
O homem, por mais forte que seja, nao p le dei-
xar de obedecer aos decretos da Provideucia. A
vontade humana um frgil batel, ea vontade di-
vina um ocano era noite de medonha tempes-
tade. Tein-se vi.-to rauita vez ura hornera n'uraa
barca lular heroicamente com os elementos, resis-
tir ao furor da procella e... vencer; mas um im-
possivel absoluto que ellesulijugue o Omnipotente I
Dd i..ir oonira a aesgraca, contra a desventu-
ra, contra a sorte, contra fatalidade, temendo
sempre perder a victoria 1 O esforgo que faz o ho-
rnera para se revoltar contra Deas o mesmo que
necessitava para suecumbir com mais facildade e
presteza 1 Sirva de exemplo s geracoes presen-
tes e futuras o mallo-grado intento dos pretenciosos
e ridiculos constructores da Babel bblica.
Se foi Deus quem creou o individuo ; se os indi-
viduos, formando a familia, concorrem involunta-
riamente para a existencia do estado ; e, se a as-
sociago humana cornposla das grandes corpora-
coes, chamadas uacoes, claro, como a luz meri-
diana, que as sociedades necessarias sao um decre-
to providencial, exislem porque existem, porque ti-
nhara de existir 1
O homem, conseguintemente, nao pode deixar de
fazer parle dellas.
Mas, convm saber, um individuo que habita um
deserto, que vive solitario n'uma llha, estar em
sociedade ?
Se nao pertence a assocaco familiar (o aue nao
admitliinos); se tem conseguido evitar o estado (o
que impossivel), acha-se anda em sociedade,
porque a associaco humana nao tem limites.
Bobinson, abandonado n'uma ilha deshabitada,
enconlrou um companheiro, um amigo insepara-
vel em Sexta-feira ; mas perguntaraos nos, Robn-
son viveria ou noem sociedade?
E' fra de duvida que essa ilha que o obrigou de-
pois do seu naufragio fazer parte de ura estado.
Robinson, estando sujeito legislaco, s instilui-
goes desse estado, partilhava dos diretos garanti-
dos e dos beneficios concedidos por essas institui-
c.es ou leis.
Porlanto, elle vivia em sociedade.
Com ludo, digamos por hypothese (gratuita), essa
ilha perdendo-se na fastidio do ocano, nao fazia
parte de qualquer eorporaco poltica, e que Ro-
binson era livre, materialmente fallando, como os
animaes bravios.
Neste caso.ainda nao podemos dizerque elle nao
vivia em sociedade, porque esse monto de ierra
em que pisava se achava situado no vasio espaco
oceupado pela humanidade.
Provada a existencia de sociedades necessarias,
mostrado que o homem social, procuremos inda-
gar, se ha necessidade de sociedades volun-
tarias.
O homem, servindo-se da torca physica, conse-
gue o seu desenvolvimento material sem offender
a sua organisaco ; utilisando-se da iraca luz que
Deus gravouem o seu cerebro, adqueriu o seu des-
envolvimento intellectual cora a prostrago do seu
corpo. Como a materia, o espirito tambera tem a
sua pocha de aclividade e de inercia. Toda a hu-
manidade, podemos dizer, corre em busca de um
quer que seja que lhe falta para salisfazer as suas
necessidades, para supprir o vacuo do seu espiri-
to. Nesta misso, a humanidade parece animada
por um fogo divino, impeliida por urna torca ex-
tranha. E" a luta do espirito contra a matera ;
o choque do corpo e da alma; e esta querendo ul-
trapassar as raas do seu horisonte, querendo que-
brar os ferros que lhe amarram os pulsos, queren-
do subjugar os seus terrivels adversarios, o corpo
e o mundo sensivel. E' ento que o espirito se ele-
va s regioes abstractas, s regies dopensaiaento
e procura sondar os arcanes da razo Depois de
muito pesquizar, consegue salisfazer, mais ou me-
nos, esse desejo innato no homem, essa paixo que
a humanidade sent peto saber.
Homens que, por suas qualidades, petos seus ta-
lentos, illustracSes e fadigas, se apresentam para
dar moviraento ao mundo iutellectual; apparecem
os philosophos, ossystemas e as diversas opinides;
mas, como natural, como nem todos os homens
teem o mesmo grao de sciencla, como nem todos
dispoem da mesma quanlidade desacenlelha di-
vina, que se chama intolligencia, como nem lodos
teem os mesmos orgos iniellectuaes bem desenvol-
vidoso, se os lera, nao sao perfeitamente iguaes
nao sao jamis inteiramente es mesmos; como, fi-
nalmente, nem todos os homens dispoem de ama
razao bastante cultivada, como nem todos sao do-
minados pelas mesmas paix5es, como nem lodos
incacam as consas, sob todos os seus .pontos de vis-
ta, por todas as suas faees; como, n'uma palavra
nem todos os homens pensara da mesma maneira'
acontece qae os resultados das suas indagares va-
riara tanto quanto dlvergem as suas inuilgenctas
Da*se m*m*am pbeees. porqae pode pasr
o espirito bawano, pa aelividade e na inercia U
acco e no marasmo. '
E* necessario, porm, qae se-procore evitar essa
divergencia de resultados, e o nico meto que tem
0 homem para conseguir esto desidertum formar
associScSes. as assoclagStfida-se o combate das
inteMIgencias, a luta des palentos e por este
maio que pdo-apparecer a veedade; essa Oiba das
sevas essa fermosa indiana, assentada s mar-
geordo rio caadatoseveontenapjtado contra a ygra
qawt* contra- a corrale ; essa vlrgem tsouiva
qatey peawando^a-.poiwHtada a*.alraa, faz subir u>
cfvena-eanticw singpttaav aaappllcas que dirige
ai*Sarter ; ess*-fadavb0afaaifc.que doma a exis-
tencia dantonzeWa, que parweprolongar os dias de
vida do aneio, que suavlsa as maguas da viuva
que enxuga o pranto sentido do orphao, que, enj
sonhos, dicta aos ouvidos da mi extremosa pega-
mentos sublimes que raelamorphoseam este mundo
de miserias e de illuses, n'uma primavera eterna
n'ura sempre Edem ; essa ultima palavra que o'
Redemoter, do alto do Calvario, dirigi lmmaa.
dade petos puros-labios do sua Santssima Mi 1
Daqoi a existencia das sociedades voluntarias,
querellas sejam commerciaes, quer polticas quer
soientitteasi quer-iteraras, quer religiosas.
Todos es membros de qualquer as*ociacao gosan
d beneficios qne podem resullar da sua uniu,
ainda mesmo que esses beneficios bebam a sua vi-
da n'uma fonte extranha, completamente alhela
Tal a razo que nos torga a confessar que o
Sr. Antonio Jos Duarte Coimbra, prestou servi-
dos a todos os memferos em geral, e a cada um en)
particular, de diversas associacoes. A sua gene-
rosida.le aconselhou-o que concedesse beneficio* ao
Hospital Portuguez, a Santa Casa de Misericordia
aos voluntarios da patria, aos Indigentes das pru-
vracias ex-napolitanas, s irmandades do Divino
Espirito Samo, do Terco, de Nossa 5enhora da
Lonceicao dos Militares, e ltimamente de Sau-
ta Rita-de Ca ca.
Um homem, como o Sr. Coimbra, nao ser dig-
no de considerarlo, nao merecer os beuellcios da
gratidao ?
Descance o Sr. Coimbra : a paz da sua cons-
cb-ncia e a tranquilidade do seu espirito tambem
sao uraa recompensa dos seus actos ithilaulro-
picos.
Por ora, consulta que, da nossa parte, lhe esten-
damos a nossa mo de amigo como prova sincera
daamizade e do respeito profundo que lhe consa-
gramos.
Recife, 6 de junho.
A rmandaile do Divino- Bspirrto-Santo, erecta no
coovento-de Santo Antonia, terminen domingo (4)
na mesma igreja, os festejos que lazia ao seu ex-
celso padroeiro, tornndole assim, cada vez m>is
credora da grandes elogios.
Notamos que dessa vez nada popou a Ilustre
me*a regedora, alkn de que seas actos fossen:
nimioalmdaquiUo-que poderiamos imaginar.
O acto da handeir-a, queremos crer, que nossos
olhos ainda nao tivessem observado outro iual
pois a DeHa lembranoa de pefeorrerea) diversas'
ras cora o prestito, acompauhao de um crescido
numero de chernbtns e sacerdotes, leva-nos a que
digamos estas palavras :
Os quarenta e oito anginhos que trajando ron-
pagem branca com facha e grinalda de cores for-
mando alas entre o cordo dos irmaos, moslravam
mesmo de que a graga do Divino Espirito Conso-
lador, liles-tocava naquelle momento de regozijo,
trazendo todos nos labios o riso e a candura.
O templo, dorante as nove noites de novena,
permanecen, de simples, mas de um elegante traje,
sobresaliBdo snas galas, no diada festa, que pas-
raou aos concurrentes.
1 Calculamos sem medo de errar, mil e duzentas
luzes que vimos no todo mbito da igreja.
As U horas do da domingo, principiou o santo
sacrificio da missa cantada, para a qual afumo
muito povo. O sermodo Evangelho, foi encarre-
gado ao grande orador o Illm. e Rvm. Dr. Joaquim
Graciano-de-Aran, que subindo tribuna sagra-
da, desenrolou satisfactoriamente o panegynco,
principiando pelas seguinles palavras do evange-
lista S. Joo : Paclitus autem Sptnlus Sanrtus,
i qutm mettel Pater in nomine meo. Ule vos docebit
'.omnia, e suggeret vobti, ijuacumque dixero
1 rooi.
Foi distribuido o emblema do Divino Parad vio,
< e igualmente pes bentos.
No fin do acto, tambera observamos a mo da
i caridade, estonder se para os pobres necessitados,
j todos quanto se acbavam prsenlos. Tres bandas
do musirs, tnno6avin esse omenlo, cura pe-
dagos difficilimos e agradaveis.
A' noite houve Te-eum Laudamus, eoRvd. Fr.
Joaquim do Espirito-Santo, pregador da capella
imperial, a quem nao se pode negar odireito que
lhe assiste como tal, subi ao pulpito, e deixou
ouvirse sua vozem um aerada bem estudado. As
palavras do eximio orador, eram proferidas com
urna eloquencia to suave, que obrigava ao renle
no catholicismo, erguer sua voz ao mesrao Divino
Espirilo-Santo pedindo para lhe partilhar sua divi-
na sabedoria.
Seguio-se todo o acto do Te-Ucum e depois o re-
colhimento da bandeira, que dessa vei, ainda foi
feito com urna solemne procisso, que vbitou parte
da ra do Imperador.
Permaneceu por algom lempo no coro da igreja
as msicas das sociedades Uniao Commercial e
Bella Unio, que segundo nos consta, offereceu-se
gratuitamente a isto.
a msica do Io batalho de infamara, logo que
recolheu-se a proeisso, parou por algum lempo na
porta do templo tocando boas pegas.
A orchestra foi sempre dirigida pelo hbil pro-
fessor Pedro Justino da Fonceca Barroso, e era
qoamo a esla, nada deixou a desejar. Para o acto
da missa, escolheu urna de composigao do nosso
admirador Colas Pilho, vnlgarmente conhecida
Dogma da Conceigo. E' digno de aprego o ta-
lento do artista, quando chega a escrever urna mu-
sica igual a qae ouviraos domingo no convento de
Sanio Antonio.
Nao podemos ceder de dizer a palma qne per-
lence ao Illm. Sr. Smoltz como regente da orches-
tra, escolhendo aquellas partes mais dlfflcels da
msica, e distribuinde entre aquelles artistas mais
abalizados, para nao cansar algum desarranjo na
consonancia.
Timbem tivemos de observar que entre as dez
rabecas que se achavam no coro por occasio da
missa, onvia-se perfeilamente o canoro som de urna
outra, que tocando urna agradavel variarao, rou-
bou a atteocao dos assstentes, j pela destreza,
como pelo gosto e simplicidade com que era toca-
da. Queremos fallar do Illm. Sr. Francisco Muniz
Brrelo Jnior, natural da Bahia, que segundo nos
consta, tambera prestou-se gratuitamente.
Os Rvds. Joo Jos de Araujo, Primo Feliciano
Ta vares, e os lllms. Srs. Jos Mignel Pereira, An-
tonio Teixeira de Carvalho Lisboa, Trajano Felippe
Nery de Barcellos e Jos Coelho Baelosa Porfirio,
faz-se-nos preciso mencionar seus nomes, como
bons desempenhadores de vozes, que nao obstante
faze-las soar no meto de alguns cincoenta instru-
mentos, ouvia-se perfeilamente, commovendo ao
mais duro corago.
K' o que per boje pede fazer flojas rude penna,
e obrigados peto capricho e gosto da actual mesa
regedora da irmandad do Divino Espirito Santo
erecta no convento de Santo Antonio do Recife,
assignalaraos aqu do alto do orgo da civilisaco,
nossos emboras.
Recife, 6 de junho de 1865'.
bl WLl...lilM!l!Hl.l.!_.l .
CORSESPOPEICUS
Srs. redactores.Vai apparecendo pouco a poo-
co urna transforma gao as autoridades policiaes
deste termo, sem conhecermos os motivos de seme-
Ihante reaego.
Entretanto convm muito que S. Exc. o Sr. Dr-
Castello-Branco, zeloso e intelligente como o apre-
goam, esforce-se em adquirir inteiro conhecimemo
do pessoal denles lugares por onde tem eslenrtido
e ainda continuar a arremessar sua rasoura ad-
ministrativa ; po^sua-se do verdadeiro interesse na
pesquiza de inforraages insuspetas, com o Am de
pr-se a salvo da complicidade de innmeros males
que teremos de lamentar, se porventora os cargos
policiaes vagos forem preeuchidos por algunias
pessoas Inhabeis, e que nao pdem dispensar ac-
cessores, sempre prejudciaes, por que sao irres-
ponsawi.
A noticia da demisso do Sr. Dr. Amorira de de-
legado de polica deste termo foi receida com ga-
ra! desagrado paca os seus habitantes, a eicepgo
de algnns, em nnraero muito pequeo, que sio seus
desaftoctos. E nao ser ama calamidade retirar-^
MUTILADO)
ILEGVL


Diarlo de fiMMhiM ***** MI* Jttftto >9*.
cas e dores de gargantas.
Acha-se a venda as pharmacias de Caors &
Barbosa e J. da C. Bravo & C.
da polica uro bacbarel ioteHipeote, honesto e cui-
dadoso no cumprimento de seus deveras ?
Quem poder sobstitui-lo aqu T Una, como n3,
que fallando ou escrevendo, somante podemos ma-
nifestar a habilidade, deseoberta pelo Marmota era
um padre que havla em Olinda, de dizer sete as-
neiras em quatro palarrat i
Comprehenderaos perfeitamente que a capaclda-
de intellectual, ou a lltustracid nao deve conside-
rar-se nico predicado das boas autoridades ; exis-
Cem pelo contrario muitos talentos perniciosos;
muitas intelligeneias robustas hio chegadoas maio-
res immoralidades e torpezas ; mas o Sr. Dr. Amo-
rim em honradez e moralidade nao somenos a
nenhum des habitantes deste termo, pelo qne ira-
possivel ser o satisfactorio preenchimento do car-
go de delegado de polica que honrosamente era
por elle desempenhado. Este o o juizo que fazemosj
do ex-delegado de Caruar, e comnosco concordara
todos os homens que nao o odeiam por causa das
eleigoes de seterabro do anno passado, e olhara
com iraparcialidaleparaas accusagSes banaes pro-
movidas por seus inimigos, quer na assembla
provincial, quor era repelidas e infadonhas repre-
sentacOes ao Exm. presidente da provincia.
Em um dos processos comegados a instaurar,
em virtude das portaras balxadas pelo Dr. Amo- Caia filial do UMCQ do Brasil 6B1
nra contra Jos dos Santos Silva Jnior, e por cujo m l
procedimento este Dr. foi acremente censurado e r crnaiDDOCO.
apontado como perseguidor, appareceu o mesmo' A directora desta caixa saca sobro o banco do
Silva Jnior interpondo prescripcao, cora o que Brasil no Rio de Janeiro e sobre a caixa filial do
deixa entenderse que elle tem serio-; receios de mesmo banco na Baha.
ser reconhecido autor de um grande crime, qual o '. ------
do processo em queslao crime de morte por- KoVO baBCO de PernaTUbllCO.
2?1I JT esU. Cmlla .,ns!iienia, tranquilla; 0s administradores da massa fallida de Jr
ll?,rTSldTelleindUl10. dale,'l):jr^ Jos Silveira pagara o i dividendo de
J\ZT?,?J ,r5' ,"-nda SUa 'n na a de 0/0 sobre o valor des
proclamara mfalllvelmente sua innocencia. O es- raetudo : no novo banco
toraes on xaropes feitos de fructos acres j oen | A arrematacao ser feita na forma da lei pfff-
wo pouco conten partcula alguma de antimonio vincial n. 343 de 13 de maio de 1834, sob as cla-
de que aqaelles Igualmente se achara impregna- sulas especiaes abaixo declarada?,
doe. O seu usoest-se tornando universal, e os me* i As pessoas que se propozerem a essa arremata-
Jicos os mais eminentes Ihe concedan) sua plena cao, comparecam na sala das sessoes da referida
approvaglo como remedio seguro e efflcaz contra junta, no dia cima indicado, pelo meio dte, e com-
as tosses, catarrbos, bronebites, astamas, esquinen- j pelentemente habilitados.
de
Antonio Carneiro Machado
Administrador.
Rios
aras* pr""d"dj r,n"Umo" rassarauar sr-."tad" jv^" ",m d ***
l'ma tforeJo de livros dediversus autores, obras
escolhidas c as melhores.
40 caixas coa 40 duzias de garrafas cora vinho
de Bordeaox.
COMPANHIA
DO
C0MME1CI0.
Yovobauco de Pernambuco.
O banco paga o 14* dividendo
dor aeco.
lovo banco de Pernam-
bueo.
O banco desconta letras na presente semana a
9 por cento ao anno at o prazo de quatro me-
zes, e a 10 0|0 at o de seis mezes
E para constar, se mandou publicar o presente
pelo jornal.
Secretario da thesouraria provincial de Per-
nambuco, 44 de marco de 18*93.O secretario. A-
F. d'Annunciago. ^ O caixa desta compar/bia commendador
Clausulas especiaes para a arrematagio. Thotnaz de .4quino_Fonseca acba-se autori-
1.' O edificio para a cadea de Nazareih, ser' sado a pagar no se escriplorio ra do Vi- ;
feito de conformidade com a planta e orcaoiento ario n 1Q rla Ifl Imns n 1 junto, na importancia de 18:093*600 rs. | f ?' !* ^ '"% ? o, ? .
na razo de8* j 2-" O arrematante ser obrigado a dar principio dfc 2 do corrente em diante o 3 dividen-
aos trabalhos no prazo de 30 das, e com
no de um anno, ambos a contar da data da
natura do contrato. justas que este pagamento deve ser emmoes 8|bo, tocar como
3.a Os pagamentos serao feitos em 3 prestagoes -
iguaes correspondentes a cada terco da obra Onda.
4.* Nao ser em tempo algum attendida qualquer.
reclamagao por parte do arrematante tenden- chafarles desla companhia.
te indemnisaco, quaesquer que_sejam as allega- Escriplorio da Companhia do Beberibe Io
TUL1 ITHO
DE
S. ISAB
EMPREZA-- SOIMBRA
Recita extraordinaria.
lelfto.
Ivelmeote sua innocencia,
criptor destas linhas, por exemplo, nao lembrou se
de reqnerer prescripcao naquelle pracesso por con-
vencer-so do sua innocencia a respeito do facto
criminoso que Ihe serve de base.
Este e outros fados irao pondo em relevo as
nobres qualidades do Dr. Amorim, cujos valiosos
servicos em Caruar sao anciosamente esperados
por seus amigos.
Cidade de Caruar, 30 de maio de 1865.
m
dita massa
ttulos ad-
de Pernambuco ra
ESE do desta companhia na proporco de 3 SabbdO 10 de jlioho de 1865 ^ES?72KS^
a assig- porcida apolice, previne-se aos Srs. accio- A orchc^ra dirigida pelo hbil professor Col- secretaria, 1 meta dejaotar, 2 apa
' ustas que este pagamento deve ser em rooes B'bo, tocar como introducto do espectculo a "
da de cobre que na especie que o mesmo bvrHh?n,e P,ka de s"a oraposicao eflorecida, de-
Sr caixa tpm rp/>Phi,lri Hn nrrpm;it-.nac a! dlcada e C0Dsa8rada as bravos pernambucanos,
ar, caixa tem receoiao aos arrematantes dos qne voluntariamente voam a defender os brios de
do Trapiche n. 34.
ALFANDEGA.
Rendimento do dia 1 a 7 ......
Idera do dia 8...............
i
PunNAiinucxNOS
destino dos povos,
I! A bravura do genio e o
esta i quasi sempru na propria
129:737*736
21:634*361
131:392*117
MOV MEMO DA ALFADEGA.
Volumes entrados com fazendas.... 97
com gneros..... 979
Volnmes sabidos com fazendas..... 107
t com gneros..... 626
-------1,076
-------733
Descarregam no dia 9 do corrente.
Barca inglezaMirandamercadorias.
raed Quera de hroes descende, para hroe des-, Vapor inglzSn/arfi'n mercadorias.
tinado
Assim, jamis poJereis na historia oceupar um
lugir, que nao seja brilliante, eto brilhante como
o do.- vossos avs I
Mas contra isto, que se revolla o genio da in-
vejao implacavel e abommoso egosmo I
Na ausencia de litlos, como os vossos, recom-
mendaveis historia da patria, nao cessam alguns
individuos, nascidos talvez as trovas, de urdir in-
trigas e de machinar mentiras, cun as quaes pre-
tenden) influir no vo-so animo, e incutir-vos o me-
do ou as preocenpa^oes, afim de que o vosso nome
nao seja cada vez mais coreado de iouros, e repe-
tido a cada momento em nossos hrilhantes fas-
tos!..
Ao principio se prelendeu fazer questo de par-
ti.i,i da causa nacional : tudo se lentou para que
os vossos bracos se nao erguessem na defeza da
patria, e uo conduzissem d'aqui para a campanha
estraogoira o peudo infalhvel do nosso triura-
pho i...
O simstro intento, porm, burlou-se : e de toda
a provincia surgiram bravos trocando o inglorio
e pequenino distinc ivo de partido-pelo grande
e auri-verde da naco ; e o priraeiro corpo de Vo-
luntarios da Patria levantado nesta trra de h-
roes seorgauisou da mais brilhaule mocidade e va-
rona pernambucana I....
Ao solemne embarque marchou essa garboso
corpopisando em palmas, e sob chuva de Dores,'
quv das v.iranda* acolciioadas e oubaodeiradas .
Ih i laacavam as nossas bellas, risonias, e encanta-
doras patricias !...
Cada voluntario se tornou o alvo de cem derra-
tf'is de rosas de Jasmiu e de cravos fragrantissi-
tres l ..:.....,;a< IUaos dos nossos aojos terres-
Os nossos poetas manee...
mejantes de patriotismo, baila n pa.(a,ras cha-
eiiiiiicnci, e rec'tavam poesas tao arrebatadoras',
como outros tantos hymnos no fervor do combate,
6 o completar-se a victoria... e o que a bocea
pao disse de sublime, os chuveiros de impressos;
faliaram alio em louvor dos nossos denodados I... i
As msicas mames e o byrano nacional nao
deixaram un coracao perna'iqpucano s/m pm. '
'r'^r.^SJejIfSiBBf'ai patria l'
l.m enthusiasmo patritico e indefinivel sanlifi-
ou -naquelles momentos -a todos e a tudo, sem
di~iiiiciao de sexo, nmi de idade I
Se o embarqua foi assim, o desembarque na cor-
te nao foi muos pomposo e expansivo de enthu-
siasmo I Entre os cravos, as rosas, e os jasaras,
vio-se tambera as ricas camelias cahirem das
m.I >s das bellas Fluminenses sobre as eabecas dos
nossos amados comprovincianos !..... As msicas,
as gyrandoles, as diferas, os jantares e os brindes,
mu!tiplicaram-se em honra dos nossos patricios i...
Os notis se ihes abriram cora inaudita profusao s
expensas de raaos amigas e generosas, que nem
ao meos se deixaram conliecer, para receberem
se quer os poliJos agradeciraentos___por tudo
quanto corapravam, tinham serapre em resposta
este nico e admiravol prego : iJ est pago I
E foi dianie de taes maravilbas e ralado de in-
fernal ciume, que o genio da inveja rosnou, e os
iniraigos do heroico nomepernambucanoara-
ran de novo oppor bices ao proseguimiento bri-
lhaule e patritico dos valentes Ulhos da provincia,
devotados todos sem dlstincges polticas, e quasi
sem uxcepeao causa do imperio I... e enlao
novas intrigas anda, novas e nojentas mentiras
rnaudadas espalbar em cartas e era jornaes por en-
tre os nossos patricios I... A nudez, a forae, o
fri e a pest<% dizem elles,ceifam horrivelraenle '
os Voluntarios da Puina....i ;
Miseraveis I.... para que ments tanto, e insul-
tis por esse modo a verdade ?!....
Se sois miraigos dos Pernambucanos, que o
me:
ra
[Barca francezaEioaromercadorias.
Brigue toglezimperarlo)-diversos gneros.
Barca inglezaAnn Li'zzic-fariuha de trigo.
Barca americana.lnicoudnfarinha de irigo.
Briee inulezParklidevinhos e cemedto.
Rscuna hanoverianaAmiadiversos gneros.
Escuna portugueza D. JoSo charque.
Sumaca hespanhola.tfercaftra idera.
Brigue nacional Cardia idem.
Brigue nacionallmporador idera.
Patacho hollandezD*nyiiem.
Barca ingieza Mmry Boudcarvao.
Brigue inglezRosalieidem.
RECEBED01UA DE RENDAS INTERNAS GE-
RAES DE PERNAMBUCO.
pendimenlo do dia 1 a 7...... 4:933*148
Idera do dia 8 ................ 1:218*926
6:134*074
CNSUL A no PROVINCIAL.
Rendimento do da 1 a
iem dOjdia 8
21:621*761
3:137*165
24:759*226
110?MENT0 90 POETO
Navios entrados no dia 8.
Rio de Janeiro e Babia 6 dias, e do ultimo porto
2 dias, vapor inglez Galito, de 1631 toneladas,
commandante F. Russele, equipagem 47, car-
1 ga diferentes gneros ; a Sawoders Broters
| jAracaty 14 dias, hiate brasileiro Exalagao, de
38 toneladas, capito Trajano Antunes d Costa,
OTSIMT *- r'aJ:a dfferentes geueros; a Jos
Namos saluda";''-''""- M _
lAracaty- Hiate hraslleirM,f jano Theodomiro de Moura, carga dilTerentes
gneros.
parahyba Barca ingleza B.IU />-"-'- -!-T '
E9IT12S.
O Illm. Sr. inspector da thesouraria provin-
cial, em cumprimento da ordem do Exm. Sr. pre-
sidente da prpvincia de 22 do corrente, manda fa-
zer publico, que no dia 22 de junho preximo vin-
douro, parante a junta da fazenda da mesma the-
souraria, vai novamenle a praga para ser arrema-
tada a quera por menos fizer a obra da conclusao
da casa da cmara e cadeia da villa do Bonito
avahada em 8:309*.
A arrematado ser feita na forma da lei pro-
ymcial n. 343 de 13 de maio de 1854, e sob as
clausulas especiaes publicadas anteriormente.
E para constar se mandou pablicar o presente
elo jornal.
Secretaria da thesouraria provincial de Pernam-
buco 24 de maio de 1863. -O secretario,
A. F. d'Annunciacao.
O film. Sr. inspector da thesouraria" provin-
cial, por deliberado da junta da fazenda, manda
razer publieo, que se acha encorporado aos pro-
pr s provincaes a fabrica do Monteiro de relioar
assucar, por execucao que promoveu conlra Jos
Guilherme Guimares, e que essa encorporaco
houve lugar pela quantia de 8:146*219.
E porque o estabelecimento fabril de que se tra-
ta seja de grande importancia para a provincia,
convenha mante-lo, urna vez que bem mentido
como est e prvido de todos os appargJJjSTieces-
sarios, seja dirigido por qoem ten ha co
(des em que so hajam para esse flm, anda mes-
mo por prejnizos provados.
3.* Para tudo o que nao estiver especificado as
presentes clausulas, seguir-se-ha o que dipre o re-1
gulameoto de 9 de janera de 1864.
Conforme.A F. d'Annanciarao.
O tenente-coronel commandante do terceiro bata-
Iho de infamarla da guarda nacional do muni-
cipio do Recife etc.
Faz saber a todos os moradores da freguezfa da
Boa-Vista, que se acha designado o da 11 do
corrente mez para o conselho de revisao da guar-
da nacional do mesmo batallio, e que funeciona-
r na matriz da Boa-Vista.
Recife 8 de junho de 1866.
Francisco de M. Leal Seve,
Tenente-coronel commandante.
O Dr. Tristo de Alencar Araripe, officiaj
da imperial ordem da Rosa e juiz de di-
reilo especial do com i-ercio desta cidade
do Recife, por S. M. Imperial que Deus
guarde ele.
Faca saber aos que o presente edital v-
reme delle noticia liverem, que no dia 26
de junho do corrente anno, depois da
audiencia, se ha de arrematar por venda a
quem mais der, os escravos seguintes ;
Aquilino, crioulo, de idade 2(i annos, ava-
hado por 1:200#; Chrispo, crioulo, de ida-
de 10 anuos, por l:O00 ; Josepha, criou-
la, de idade 18 annos, por 1:000??; Rita,
de nacfio de idade 45 annos, por 600$ ;
Leandro, crioulo, de idade 40 annos, que-
brado da verila, por 40 & ; Basilia, crioli-
ta, de ida le 45 annos, por 200$ ; Raymun-
da, de nac5o, de idade 50 annos, por 2000.
Os quaes foram penhorados por execucao
do Dr. Jos Joaqun de Souza, contra Fran-
cisco Antonio Pereira da Silva.
E nao havendo lanzador que cubra o pre-
go da avaliaco, a arrematado ser feila pelo prximo vindonro.
de junho de 1865.
O Secretario,
____Jos Eustaquio terreira Jacobina.
Pela recebedoria de rendas ruernas geraes
se faz pnblico que neste corrente mez que os de-
vedores dos impostos seguinles : renda dos pro-
prios nacionaes, decima adicional de mao-mor a,
imposto de 20 0/0 e dito especial, relativos ao 2o
semestre do exercicio corrente, teem de pagar seus
dbitos sem mulla, depois do que serao pagos com
ella. Recebedoria de Pernambuco 2 de maio de
1^63.-0 administrador,
Manod Carneiro de Souza Lacerda.
Pela thesouraria provincial se faz publico
que a arrematacao da obra do empedramento do
logar denominado Areias do Giquia foi transferida
para o dia 14 do corrente
Secretaria da thesouraria provincial de Pernam-
buco 2 do junho de 1863.
O secretario,
A. F. da Annuncragao.
Pela thesouraria provincial se faz publico
qne a arrematacao da obra da reforo a afazer-se
ua casa da cmara municipal de Serinhem, para
que se presse tambem para quartel do destaca-
mento, foi transferida para o dia 22 do corrente.
Secretaria da thesouraria provincial de Pernam-
buco 2 de junno de 1863.
O secretario,
____________F. F. da Annuuciacao.
Pela thesouraria provincial se faz publico
que os 30 dias uteis para o pagamento da primei-
ra prrstacao do imposto de 13 por cento para os
passeios das ras da Aurora, Imperador e Crespo
coraecam a se contar do lc do corrente.
Secretaria da ihesonraria provincial de Pernam-
buco 2 de junho de 1863.
O secretario,
_______________A. F. da Annunciacao.
Pela thesouraria provioml se faz publico,
que a arrematagiio das pinturas das pontes de Una,
Jaboatao, Serafim Pintos, Morenos, Rento Velho e
Tapacur, foi transferida para o da 8 de junho
pre?o da adjudicado na forma da lei.
E para que chege ao conhecimento de to-
dos mandei passar o presente que ser pu-
blicado pela imprensa e afinado no lugar
do costume.
Eu Manoel Mara Rodrigues do Is'asci-
mento, escrivao, o subscrevi.
Recife, 30 de maio de 1865.
TriMo de Alencar Araripe,
O Dr. Tristo de Alencar Araripe, offlcial da im-
perial ordem da Rosa e juiz de direito especial
do commercio, desta cidade do Recife, por Sua
Mageslade Imperial, que Dos guarde, etc.
Fago saber aos que o presente edital virem, e
delle noticia .iverem, que por este juizo pendern
uns autos de execug.io entre partes, a saber, como
exequente Francisco Jos Leite, como executados
Secretaria da thesouraria provincial de Pernam-
buco 24 de maio de 1863.-o secretario,
. A. F. d'Annunciago.
Convida-se as pessoas queestiverem as con-
dig5es do servigo militar, a engajarem-se no corpo
de polica, e gozaren) das vantagens que offerece
a lei provincial n. 611 de 2 do corrente.
O corpo de polica compra 200 bonets redon-
dos de panno azul com tira encarnada, 200 sobre-
casacas cora vistas de dita cor, e 200 caigas do
mesmo pacno : quem quizer fomecer a presente
amostra e suas propostas em carta fechada, as 11
horas do dia 9 do corrente.
Luiz Jeronymo Ignacio dos Santos
Tenente-secretario.
Companhia do Beberibe.
Nao se tendo reunido numero legal dos
os administradores da massa fallida de Amorim, SrS- accionislas para ter lugar a OS embla
sera* coiisuIerTa
Fragoso Santos & C, a qual proseguindo seus de geral annunciada para boie"s5o novamente
t^s^ASSJtr^sjs& &*w? *r*a seiilires a sc reu,ni-
**/,"p rem no da 9 do corrente mez ao ineio da,
^_2?49^^';ne^la peV^ no fiscriptorio da mesma companhia afimde
rosuHe Mello,procuradoraOiui^w'toi re- ^'Vm'j*0 d* reforma, de seus estatutos, pre-
toO-OWe-mit M\SSS,Im'pubfisa audiencia M ^afluOS 8 rflOniS
que aos feitos e
commercio
tador Ignac .
mente aecusou a penhora"*fiu 'era dinhelrodos Escriplorio da Companhia do Beberibe
executados, e requereu que Ihes fleassem assigna- 6 de junho de 1865,
dos os seis dias da lei, e dez aos credores ioeertos. O
passando se os respectivos editaos ; o que ouvido,
pelojndicado juiz, assim Ihe deferio, procedido o
pregao do estylo ; do que fiz o presente do procol- i A subdelegada da Capunga faz sciento a
lo das audiencias a que Juntei o mandado e termo .uem de direito competir, que se acha recolhido
de_penhora queseguem. casa de detengo o prelo Fran seo, por andar fu-
sua patria infamemente ultrajados pelo bandido:
paraguayos, intitulada
O* I I OS DO \ORTK.
Para o que a orchesira ser convenienJemenle
augmentada.
Findo o qual represehtar-se-ha o muito aplau-
dido drama em 4 actos
0 PODER DO OURO.
O papel de Joaqnim Ribeiro carapinteiro sera'!
desempenhado pelo Sr. Amoedo.
Terminar o espectculo a nova e muito linda |
comedia em 1 acto
0 marido no prego.
PKRSONAfiENS. ACTOHES
Aleixo Teixo de Azeredo Queixo,
advogado..................... Lisboa.
Joo Cesar Keruandes ......... Finio.
Bruto da Rocha, criado.......... Teixeira.
D. Lucrecia, mulher do advogado. D.Eugenia.
Rosa, criada...........'......... D. Leopoldina
A scena passa-se era Lisboa, em casa de D. Lu-
crecia na actualidade.
Principiar s 8 horas.
m^HBV^KHdl^H^BVBfcnSI
JP
Companhia das llensageries Im-
periales.
At o dia 14
> ^-- do crrenle mez
espera-se da Eu-
ropa o vapor
francez Gmenne,
o qual depois da
demora d cos-
tume seguir pa-
ra Baha e Rio
de Janeiro.
Os passageiros de Pirnambuco para os portos
da Europa que queiram segurar as suas passagens
a bordo dos paquetes desta companhia nos mezes
de maior affluencia, tem a faculdade de os tomar
no dia que os vapores seguem para o sul, pagan-
do porm como se fosse do Rio de Janeiro.
Para eondiedes, fretes e passagens irala se na
agencia na do Trapiche n. 9.
.- uc iaiu ua moa, em puniia audiencia "> csidiuius a reuniao sera considerada
It Trie,.ffes,!ava Dr- '?lx """P*1 d0 completa e funecionar com o numero de
^ftW*"S tSK 9"e comparecerem neste dia
iccusou a nenhnra f^ia m .i,.hairn ,. rLSLiipiorio da Loiiioanlua do Rfthertho
setretario,
Dr. Joo Jos Pinto Jnior.
COMPANHIA PERXAMBl'CAKA
DE
Uavegaco costefra por vapor.
Ma-ei e escalas, Penedo e Aracaj.
O vaiior Manwngunpf, segu
no dia 14 do corrente as i huras
da tarde. Recebe carga do dia
10 a 13; encommendas, passa-
geiros e dinheiro a [rete at o dia
da sahida as 2 horas : escriplorio no Forte do
Matos n. I.____________^^
GOMP AIHIA "BRISILEIR
DE
PAQUETES A VAPOR.
E' esperado dos portos do norte
at o dia 23 do crrente, o vapor
Paran, commaodante o capito
de fragata Antonio Joaquim de
Sania Barbara, o qual depois da
demora do costume seguir' para os portos do
sul.
carga*rjne1 o vapor poder condiuir,
Eu Adolpho Libralo Pereira de Oliveira. escre- P,l3c)' I"3' diz **r escravo do Sr. Jos Franci
vente juramentado, o escrevi.
Eu Manoel Maria Rodrigues do Nascimento, es-
crivao, o subscrevi.
E nada mais se continha era dito termo aqui cj- '<
piado.
E era cumprimento do mea despacho, o referido
escrivao fez-passar o presente edital com o prazo
de dez dias, pelo qual chamo, cito, e hei por cita
.-.SCO
de Souza Leao, morador na freguezia de Santo
Amaro Jaboatao.
.-ubdelegaeia da Capunga o de junho de 1863.
Francisco Antonio da Silva Cavaicanli.
Conselho de compras navaes.
Contrata o conselho nos dias abaixo deelarados,
sob as condicoes do estylo e vista de propostas
dos os credores incertos dos sapraditos executados, recebidas at as 11 da manhaa, o seguinle :
afim de que dentro do indicado prazo comparecam No dia 10 do corrente mez,
neste juizo, munidos do seus respectivos documen- O fornecimento de fardamentos no trimestre de
tos, para allegaren) o que fr de direito e justica, julhoa setembro prximamente vindouro, compos-
sob pena de revelia. to dos seguintes objectos :
! para que chegue ao conhecimento de quem Para o aprendizes artfices.
IGIP .c-hi .....' ....1-I ,-.1 ..___I-
, a qual devera
ser emharcada no da de sua che?ada, encommen-
das b dinheiro a frete al o da di sahida as 2 ho-
ras da tarde : agencia rm da Cruz n. I, escriplo-
rio de^Antonio Luiz de Oliveira Azevedo & C.
Para n Rio ile Janeiro.
Pretende seguir com muita brevidade o palha-
bote Ptcdade, tem parte do seu carregamento a
bordo, para o resto que Ihe falta e escravos a fre
te para os quae,s tem excedentes commodos, tra-
ta-se com os seus consignatarios Antonio Luiz de
Oliveira Azevedo & C, no seu escriplorio ra da
Cruz n. 1.
De urna mobilia de Jacaranda, i cama ranma
de Jacaranda, 2 consolos com espelho de moldura
preta, 1 toilette de Jacaranda com j>edra, 1 guarda
roupa com espelho, moitos e diversos qnadros com
linas gravuras, espedios, candielros a gaz, casticacs
com mangas, ricos jarros de pedra mar mure, lou-
?a, vidros e crislaes, 2 commodas, ramas de ferro
lili... A.% AMM.Z ..... .----- _. *
rquezas ca-
escrrptorio,
, .laradores p
muitos outros objectos.
HOJE
Mo i" andar do sobrado da ra da Cruz n. 9,
O agente Pinto far leilo por cunta do diverso.*
de todos os objectos cima mencionados existente
no primeiro andar do sobrado ra da Cruz n 9
onde se fffecliur o leilao. \
Em tempo previne-se aos arrematantes que de-
verao retirar seus lotes em 24 horw, pur tornar-se
uecessana a entrega das chaves da referida casa
as mesmas 24 horas.
Principiar s 10 horas em ponto.
Le.lo ile movis.
iioji;
Sexta-feira 9 de junho, s H toras.
O agente Pinto far leillo por mandado do Illm.
Sr. Dr. juiz de orpbios, de nina commoda, quatro
marquetas, um par de castigaes e mangas, e exis-
tentes no primeiro andar do sobrado da ra da
Cruz n. 9, onde haver leilo de movvi-, crystaes,
espelhos e ricos (aadro?, no dia e hora cima
di lo.
LKia.Ad
De mnrmore em jarros, fiucieiras e urna mesa
Quadros dourados cem linas gravuras.
L'ma mesa redonda de ferro.
Camas de ferro de molas.
Crystaes e movis.
as 10 horas em ponto, no primeiro andar do so-
brado da ra da Croz n. 9.
Porintervencao do agente Pinto.
LEILAO
De trases mnos e usados, cavallos,ca-
briolis, i casa ua (.apunga ra das
Criouias d. 37 A e oulros muitos ar-
ligos.
iioji;
Sexta-feira a ti hora.
No grande annazem do agente
O LY NI PI
36-nua da la lela do iaeeifc--3(i
jLjEILAO
HOJE.
Pe I o caixas com q^ueijos.
Martins far lel.io por ennta o risco de quem
pertencer d- 13 caixas cora queijos flamengos
muito frescaes, Chegados no ultimo vapor e os me-
Ihores que ha no mercado.
Em o armazerado Anues defroute da alfandega,
as 1^ horas.
Leilo das dividas da massa fallida de
Francisco Gomes Casi Ili.
Sbbado 11 do corrate.
O agenle Pestaa legalmente auiorisado a reqae-
rimento dos administradores da massa fallida de
Francisco Gomes Castellao e despacho do Illm. Sr.
juiz do commercio, fara leilflo de todas as dividas
activas pertencentes a massa do fallido cima, eri-
jas relaeoes acharase era mo do agente para se-
rem examinadas, eo leillo lera logar sabbadu 41
do corrente, pelas U horas da manhaa, ::a porta
da Associac*) Coramercial.
Leilo de tlividasv
BPMMV
Ir D. jV-
__ecnnenlos
esmo que ser da patria, nao vos simoleis, e deca profissionaes, e possa dispor de canliaes relativa-
i-vos I jgo-Calabares-e correi a alistar-vos as mente abundantes, manda convidjjrpelo presente
filoiras do Lpez Ide I que este affrontador aa-
d.iz dos nossos brios, precisa de ingratos, e de trai-
dores I...
P rnambucaoos, nada de escuta-Ios, fulmnal-
os !.... Despreso, e despreso solemne para esses
edital aos que se acharo em taes circumstancias a
aomparecerem na mesma thesouraria, aonde se
Ihes dar a faculdade de visitar o referido estabe-
lecimento, afim de que bem informados possam
apresentar suas propostas cora declaracao dos
vis, que vos querem levar ao chdco lago do indiffe- meios *Ine tem P3" manejo da dita fabrica. O que
reusmo, quanio a patria vos chama, e vos pro-' preenchido, e estabelecido por tal meio a igualdade
melle bencos cada vez mais iramortalisadoras do ide meios era diversos proponentes se abrir entre
vosso nome I.... Peruarabucaoos, o vosso ponto di estes a concurrencia linal sobre o preco e mais
honra as fileiras dos Voluntarios da Patria : a condicSes da sua venda, com a declararlo, porm.
vossa gloria flucta as snas bandeiras I.... Alis-;de 1ua ,aes propostas nao sao definitivas, ficando
tai-vos, que a hora do combate sa, e a victoria ao af0'11"'0 do Kxm- Sr- presideBte da provincia
marcial vos espera cora novas e imarcesciveis co- acceita-Ias ou n3o, se no seu entender nao offere-
roas para as vossas frontes 11............ j ara s concurrentes meios qne garantam e segu-
ren) a continoacao de ama indostria que a todos
os respeitos mui vantajosa provincia, tendo-se
mais em attengao a animago della, do que o maior
oa menor preco que possa ser alcancado, com tan-
to que elle salde a divida da fazenda.
A fabrica da Monteiro s tem deixado de medrar
pelas circumstancias pecuniarias de seus possui-
dores, e isto qae se pretende evitar, adjudican-
do-a cora allenco para estacircumstancia, a quem
melhor prego offereca.
De um valor muito sabido em sea primitivo as
Bonets de uniforme, ditos do servigo, blusas de
brim braoco, ditas de algodao azul, calcas de pan-
no azul, ditas de brim branco, caigas de algodao
aznl, camisas de algodoziuho, cobertores de la,
^Jiu Manoel Maria Rodrigues do Nascimento, es- colchas de algodao, colchos de linho cheios de
TTI""
inieressar possa, sera' publicado pela impj
araxado nos lugares do costume.
Dado e passada nesta cidade do Rscifo
de maio de 1863.
ivas, o subscrevi.
Para a fa/da
Pretende seguir para este porto com brevidade o
veleiro e l,em conhecidt patacho nacional D. Lutz.
que se acha com parte da carga prumpta : para o
resto trata se com Jos Hara Palmeira em seu es-
criplorio no largo do Corpo Santo n. 4.
Para, Lisboa.
O brigue portuguez soberano, capito U. B. Bu-
gigange, vai sahir breve, recebe carga e passagei-
ros ; trata-se com E. R. Rabello, ra do Trapiche
n. 4'* ou com o capilo.
Para Lisboa.
Trislao de Alencar Araripe.
Vai sabir at o dia 12 do corrente e brigue por-
tuguez Lata l, capito A. F. Vieira, aiuda pode
receber alguma carga a frete; traase com E. R.
Rabello, ra do Trapiche n. 44, ou com o capi-
to.
palha. frontes de algodozinho, frdelas de panno
azul, lengos de seda preta para gravatas, lengoes
n n T de algodozinho, sapatoes feitos no paiz, saceos de
u ur. iristao de Alencar Araripe, offlcial da m- guardar roupa, e travesseiros de linho cheios de
penal ordem da Rosa, e juiz de direito especial palha.
H?J^"merC0' odast w Cidade, d0 Rtcift de Plir- i Para os imPeriaes mannheiros e aprendizes Para o Aracatv segu em poucos das a bar-
H?,n i' Por n MaBrfstadle Imperial e Cns- ditos. caga F'.or de Camar'agibe : para o resto da carga
_ tituc onai o 5>r. u. Pedro II, a quem Dos guar- Bonets de panno azul, camisas do brim branco, que Ihe falla, trata se na roa da Madre de Dos,
e elc- caigas de algodao azul, ditas de brim branco, cal-; armazem junto a igrejo.
pago saber aos que o presente edital virem e cas de panno azul, frdelas de panno azul, lencos
d elle noticia tiverem, que no dia 26 de junho do de seda preta para grvalas, sapatoes feitos
irrente anno se ha de arrematar por venda a paiz, e saceos de lona de marinhagem.
no
Constando-nos que pretende retirar-se do nosso
pal.o o distinelo artista dramtico Lisboa para fra
da provincia afim de engajar-se era outra compa
nliia, como apreciadores do mrito do distincto ar-
tista, rogamos ao digno empresario Sr. Coimbra
queira empregarseus esforcos afim de que nao fi-
queraos privados de apreciar por mais tempo o
mencionado actor, e mesmo porque ser bem sen-
sive! empreza, a retirada de um de seas dignos sentamento, com apparelliosos maisaperfeicoados
memo ros. \ s e todos de grande prego, a fabrica acha-se boje por
Lora isio o mesmo Sr. emprezano, a quem o pu- seu valor mnimo, e tal que nao pode deixar de
Dlici desta cidade Ihe vota muita gradSo, fara nao dar vantajosos resultados a quem emprehender da-
so um grande servigo a sua empreza, como tam- riamente, e com ampios meios de execucao o seu
bem a dedicagao allecto que o publico em geral, manejo, e a junta s levada do deejo d nao ser
pecialmente| dous amigos do mencionado actor destruida esta industria, que prefere vender a fa
quem mais der em praca publica d'este juizo o se-
grate :
Um sobrado de dois andares, sito na ra do
Para os fuzileiros navaes.
Bonets de chapa o palla, caigas de brim branco,
ditas de panno azul, camisas de brim branco, far-
Parao Porto
crespo, com o numero sete, tendo a frente para a detas de pauno aznl, fardas de brim branco, gra-
ma do Imperador e oitao para a ra do Crespo, I vatas de couro de lustre e polainas de panno preto.
e e
e do mesmo Sr. ICoimbra, Ihe consagrara.
Por dous amigos.
Observacdes para os Judlelosos.
Ue todos os orgos pertencentes ao corpo huma-
no, os pulmoes sao os mais delicados e de urna na-
turezi summamente frgil. O menor accesso de los-
se os rrita e inflamma; e qnando para logo nao se
atalhe o mal, produz no fim u.na completa ulcera-
do na substancia qne os consame nteiramente e
apo< de si acarrala a morte.
brlca com as coodigdes ex postas, a retalha-la, ape-
zar do ser a venda nesta ultima especie, (a que re-
correr, se n3o forera preenchidas as suas vistas),
muito mais vantajosa para a fazenda, segundo
pensar dos que conhecem o valor da machina, cal-
deiras e outros apparelhos de quo ella se compe.
A junta recebe igualmente qaaesquerootras pro-
postas, sem as condigOes cima, ou com difieren-
tesj Dase para apresentagao das propostas o pra-
zo de 15 dias.
Secretaria da thesouraria provincial de Pernam
juen ias podem-se fcilmente evitar em todos os
casos, nsando-se em tempo do Peitoral de Anaca-
Istas lerriveis conse-1 buco 26 de maio de 1863. secretario,
cora varanda de ferro em ambos os lados, e m
sotao com janellas para a ra do Imperador, e a
ra do Crespo, com salas e quartos avahado' por
vinte e cinco contos de ris.
O qual fura penhorado por execugao de Joo
Frederico Jorge Kladto contra Miguel Jos Bar-
bosa Guimares.
E nao havendo lancador que cubra o prego da
avaliago, a arrematagao ser feita pelo prego da
adjudicago na forma da lei.
E para que chegae ao conhecimento de todos
mandei passar o presente que ser publicado pela
imprensa, e afflxado nos lugares do costume. Re-
cife, 1." de junho de 1865.
Eu Manoel Mara Rodrigues do Nascimento,^es-
crivao, o subscrevi.
Tristo de Alencar Araripe.
segu sem maior demora e cora a carga que tiver
a barca portugueza S.Joiio, capito Manoel Ferrol-
ra Leite : recebe carga a frete barato : a traur no
escriplorio Amorim Irmaos, ra da Cruz n. 3, ou
com o capito na praga do commercio.
Em 13 do corrente mez/ Piro l ?Rflhn
O fornecimento de ambulancias para os navios x ai a tt jlkmj.iu
da armada, servigos de barbeiro enfermara de pretende sabir com muita brevidade a veleira es-
marinha, e o aviaraento do receituario da mesma,' cuna Eltza por ter a maior parte da carga, e para
ludo por tempo de um anoo, a decorrer do 1 de ; resto que Ihes falta trata-se com o consignatario
julho prximo; e a lavagem de roapa da dita en- Joaquim Jos Gongalves Beltro na ra do Vigario
fermaria e dos estabelecimentos de marinha du- in- 10> primeo andar.
rante o mencionado trimestre de julho i selombrb.!---------------------------------------------------
Tambem o conselho por igual trma promovel Para a Baha
no referido du 10 do corrente mez a compra nao' pretende sahir em poucos dias o veleiro hiate OU-
massa do Rvd. pidre D. JT- Antmio dos Sanios
Lasa, das dividas activas da mama massa, na im-
portancia de 6.936.5170 rs., em letras o docu-
mentos.
Segunda-feira 12 ilo corrente.
No primeiro andar do sobrado da ra da Cadeia
do Recife n. 9, as 11 horas ; a relacao das mesma*
dividas pode ser examinada pelos prekudentes
era mao do referido Martins.
LEILO '""
De dividas d i massa de Amorrai, Fra-
goz. Sanios &C-
Cordelro .Simoe
far leilo a requmenlo dos administradores da
massa fallida de Amorim, Fragozo Santo.-. Cr
e mandado do Illm. Sr. Dr. juiz especial do com-
mercio das letras da firma particular do- socio ge-
rente daquella sociedade Joao B.iptista Fragozo.
cujas letras se achara em poder d i mesmo agente a
exame de quem pretender.
Terga-feira 13 do corrente
as II horas a porta da Assaciagao Commerc al.
Leilo
Da parte de urna casa na Paraliibaarua das
Convertidas n. 15, em qun txisle um es-
tabelecimento. avaliado lodo predio em
2:( 004, e cuja parle em 7070103 rs.,
como tambem os alugueis de cerc de-1
a 3 annos
Terca-feira 20 de junho a* 11 hora.
Cordelro ftlutes
authorisado pelo liquidatario da casa commereial
Antonio Joaquim de .Mello, ara leilo da parte
e alugueis do predio cima descriptor |iodendo-d>s-
de j safisfazer aos pretendentes todo esolareci-
raento.ctijo leilo sera effectuadu no dia e hora
cima dito a porta de armazem do Sr. Aooes- lar-
go da alfandega.
DEOLARiCGES.
si> de 100 covados de flele azul e 100 ditos de dito tetra por 1er a maior parte da carga prometa, e
encarnado, como de 420 toneladas inglesas de para a poaca que Ihes falta, trata-se core, o consig-
ferro broto. ] natario Joaquim Jo- Gongalves Beltro, na ra
Salado conselho de Comoras navaes, 7 de junho do Vigario n. 10, primeiro andar,
de 1865.
O secretario,
Alexandre Rodrigues dos Anos.
Pela administrago do correio desta cidade
se faz publico a quera inieressar possa, o ofllcio
a thesouraria provincial se faz publico,
que a Ifrematagao da pintura da ponte pensil do
Cachang, foi transferida para o dia 8 de jonho
prosimo vindouro.
Secretaria da thesouraria provincial de Pernam-
buco 24 de maio de 1863.O secretario
_________________A. F. d'Annunciacao.
Oasuhdo provincial*
Pela mesa do consulado provincial se- faz publico
que os irinta dias uteis marcados para a eobranga
bocea do cofre dos impostos da dcima dos pre
A. F. d'Annunciago.
tfZJa%rtJS^rtS^S^Si. m^^baBoTd^OtbTc
ico de nma arvores do Mex.co chamada ademe daprovincia Oe 10 do corrente, manda fa- o de 5 0,0 sobre os 'beas de SS pertSncS A
eorporages de mao morta, se princiniam a contar
do dia Io de juoho vindour, ficando sujeitos a
malla decretada no arl. 50"do ergamento vigente,
todos os que pagarem deeois de iodos os ditos 30
Anarahuita, o qual allivia e faz desapparecer den- zer publice'qne no da'lVdeTuhoVro'ximolin-
ero em poucas horas, a tosse a mais vilenla e ln- douro, peranle a jama da (aseada da mesma the-
Aeh.i-se perfeilamente llvre
pru-sic, comido geralmente em todos os mais pei-1 liada et^:093T90&"r7
soararia, se ha de arrematar, a quem pof meaos
e isento de acido fizer, a obra da cadeia da cidade do Nazareth,, ava-
dias.
PARA LISBOA
O palhabote 19 de lunlio pretende seguir com a
cargaque tiver at-o dia 20 do correte : para o
resto que Ihe fallado qual se recebe a-frete barato,
lrala-se com os seus consignatarios- Antonio Lniz
abaixo 'transcripto. ", de Oliveira Azevedo & C, no seu escriplorio-roa
Directora do correio n> 24 Rio de Janeiro, da jErui *____________
secretaria de estado dos negocios da agricultura, j Freta-se para qualquer porto do Rio da Pra-
is publicas em 24 de maio de ta o brigue portuguez Lata I, d lote de 200O bar-
ricas pouco mais ou menos ; Irata-se com tt. R.
Rabello, ra du Trapiche n. 44.
LEILSES.
186S.
Circular.Havendo o goveroo imperial resolv-
do que transite iivre de porle no correio toda a
correspondencia quy, ou se dirija a alguma das
pragas do exercilo-n sul de mar ou ierra, volun-
tario ou nao voluntario, ou pelas mesmas pragas
for enviada de aiguera no imperio; declarando o
subscripto no priraeiro caso alera do nome do indi-
viduo o corpo. ou navio a que pertence, e no se-
gnudo quo seja enviada palo respectivo comman-
dante, cicurastancia esta que ser verileada no
priraeira-corredo impario em que a referida cor-
respondencia entrar : as&ia communico a Vmc. easa terrea n. 3 na esquina do becco
par sea amtooiraento e execago. E desta mes-: rende 300J> por anno.
n ordem dar conheciment aos agentes sabor- De 140 palmos de terreno na ra da Concordia
diados a essa administrago, allm <*e que possam e 130 de fundo junto da casa do Sr. Peixoto
execular na parte que ihe disser Tespello. Deo3 De 140ditos ni na de DeteneSo em freate ao
guarde a Vm.-Pelo conselheiro director, Harcos: gazometro o ebrea' do S00 dilos de Tundo
IIOJU
Leilo sexta-feira 9 de junho de 186a.
Pelo agente Ensebio.
De um sitio na estrada de Joao de Barros cora
do Pomba l
AVISOS DITOSaS.
ssciaca Typographica Peiiww-
liunaiw.
Domingo || do corrente ha ver sassao ex-
traordinaria do conselho director, adra de tratar se
de negocios de muita importancia social.
Secretaria da Assocago Typographioa Pernam-
bu^na7 da itabo de 1853,
No Impedimento do 1" secretario,
Sy.mpbiwuio Barios.
LOTERA
aos ooo#oda
Terpa-feira 13 do corrate- mez, se ex-
trabir a 1 parte da Ia lotera (19a) a
beneficio da igreja de Nossa Senhora do Li-
vramento da Varzea, no coMsistorio da igre-
ja de Nossa Senhora, do Rosario da fregue-
zia de Santo Antonio.
Os bilhete-s,metos e quartos esto a ?.aa-
da narespeeiivatliesourana ruado Cres-
po n. 15.
Os premios de 0.-OOO4000 at I&500G
serSopagos unta hora depois da exiracc5o
at asi horas da lar le, e os outi'CiS. depoi
i da distribuidlo das lisias.
As eaco;nnen.ilas s rao guardadas so-
mjDte al a noite da wspera da extraegat
coso de costume.
0 tbesoureiro,
________Antonio Jos Rodrigues de Soma.
- AnionioFraneisco Mqnteiro e sDa irii'a Jn-
lia Lo.-polaina Monteiro e um fllho menor i-x mes-
ma retirara se para Moateriddo.
- \
MUTILADO I


/
*
Diario de IPe
bneo ... sexta lelra e Ja abo de &*.
ATTENQftO.
Constando-me que alguem. serve-se
de minha lirma para cartear as festis cos-
tumeiras do convento, e prximamente ten
dado passos para a festa de Santo Antonio,
declaro que a ninguem autorisei para o fa-
zer e nem mesmo pretendo festejar com
pompa o Santo Padroeiro, por me acbar
Quem precisar de urna ama que sabe lavar, en-
gommar e cozinhar, dirija-se a,rua da Lapa a. 1.
Joaquim da Silva Costa vai a Portugal.
Jos Teixelra Luna, subdito portugus, val a
Europa tratar de saa saude. ;_____________
Archbald'Reid, subditoinglez, retirase parajoccapadocom a obra da igreja e bastante
< compromettido. Digo mais que as trece-
nas sao feitas de madrugada pela cantoria
das mull res, e no da 13 as 4 i|2 horas
da manhaa cantar-se-ha urna missa solemne
e as 7 da noiteu na ladainha em louvor do
l'ereira di Cruz retira-se para o
Zafarlas
Aracaty.
Manoel Ignacio Rodrigues Praca, subdito
porluguez, vai a Europa._________
Joao Antonio Gomes Guiraaraes, vai a Europa e
leva em sua companhia sua mulher e urna cria
menor.
Januario Marsecano, subdito italiano, vai pa-
ra Europa.
Francisco Jos Lopes, sua senhora e urna
sobrinha menor rc.iram-se pira Enrona, levando
em sua companhia a viuva D. Mara Tliereza Bar-
bosa. I
Joaquim da Silva Costa tendo de ir Portu-
gal deixa por seus procuradores em Io lugar o Sr.
Antonio Js de Parias Lino, em 2o Bernardo Al-
ves Piuheiro, em 3o Jos Rodrigues Canhoto.
Jayme Esnaiy, subdito francez, vai para Bue-
nos-Ayres. ________________
mesmo Santo.
Convenio de Santo Antonio do Recife 7
de juuho de 1865,
Fre Jo3o Baptista do Espirito Santo,
Guardio.
lili
Precisase de urna ama que saiba mili-
to bem cosinhar e faca compras para
tratar de urna casa de pouca familia : na
ra da Cadeia do Recife n. 38, primeiro
andar.
Macario Brando, subdito
se para fura da provincia.
napolitano, rctira-
Francisco Carvalho subdito hespannol reti-
ra-se para Furopa.
Aloga-se urna escrava moca para o serico
interno ile casa engomma : quem precisar dirija-se a Santo Ama-
ro, sobrado unto ao cemilerio inglez.
Precisase satier onde injra o Sr. Uaudino
de lloll inda Ctvalcanii alim de ser entregue urna
carta vinda do Rio de Janeiro, ou dirija-se a ra
da Impeeatriz n. 40.
Monte Pi Popular Pemamimrano.
De ordem da directora convido aos senhores
socios para no domingo 11 crrante assistirem a
bencao do emblema do padroeiro desta sociedade,
que devera ter lugar na igreja de N. S. do Livra-
mento, as 9 1|2 horas da manha.
Secretara do Monte Po Popular Pernambucano
8 de junho de 1863.
B. Falciio de Souza.
Io secretario.
Precisa-se alugar um Io ou andar em urna
das seguidles ras : Imperador, larga do Rosario,
Nova, Crines, praca de Pedro II, Concordia. Anro-
ra, Imperatriz e praca da It ia-Vista : a tratar na
ra de Santo Amaro de Snto Antonio n. 6, pri-
meiro andar, das 7 as 9 1|2 horas da manhaa, ou
a tarde, das 4 horas em diante.
Precisase de urna ama que saiba cozinhar c
engommar, para casa de rapa? solteiro : na ra
da Praia n. 21__________________________
- O Sr. Jos Autouio Alves do Miranda Gnima-
raes dejxou de ser caixeiro da llquidaco do fatle-
cido Thomaz de Aqnino Fonseca Jnior._________
Aluga-se urna preta para lodo o servico da
casa,e um preto para (rabalhar em sitio : na ra
do Sebo n. 11._______________________
Aluga-se mu bora morque de 18 annos : a
tratar na ra do Crespo n. 24. esquina.
patriotas.
Relojoeiro e dourador, porltiguez,
Albino Baptista da Rocha, faz qual-
quer concert de relogios e doura-
do por precos mais baratos do que
outro qualquer e responsabilisa-se
pelo seo trabalho, por isso espera
proteceo dos seus amigos e com-
Precisa se de urna ama para todo servico de
urna casa de pouca familia que seja forra ou cap-
tiva : a tratar na ra do Cabug n. 4, luja de miu-
dezas.
Precisa-se de urna ama que saiba bem cosi-
nhar e engommar : a tratar na ra Bella n. 33.
Aluga-se o primeiro andar do sobrado ra
da Cruz n. 57, proprio para escriptorio : a tratar
no armazem do mesmo.
Aluga-se urna meia agua sita na ra do Pa-
dre Floriano n. 4 : a tratar na ra da Praia n. 36.
k
SS
r
Precisa-se de
cozinhar : na ra
andar.
urna ama que saiba coser e
do Imperador n. 71. segundo
iiga-se
o andar da casa da ra do Queiinado n. 29, pro-
prio para escriptorio do advogaJj : a Uatar na
loja do mesmo.
Holel de Franca.
Precisa-se para este hotel de um bo.n eopeiro.
O representante
da sociedadePrevidente do Banco Allianra do
Portotendo de seguir para o sul do imperio no
prximo vapor francez, e nao podendo pessoalmen-
te despedir-se dos seus amigos o faz por este meio,
agradecendo tantos e inequvocos obsequios que
generosamente Ibe despensaram.pelo que ser sem-
/iim inm rvgrria-
r a esta em principios do mez de novembro pr-
ximo, promptificando-se sempre a dar explicaeoes
respectivas a dita sociedade, para o que se acha
devidamente habilitado.
D'IODRETO DUPLO
de FERROeQUININA
AMA
PEDIDO.
No dia 3 do correte, pelas 8 horas da noite,
desappareceu da ra de S. Goncalo n. 36, urna me-
nina denome Maria, cor franca, IdadelOati pfceclsa se alugar"uma escrava, on mesmo forra,
annos, cabellos curtos, olhos peq'eoos, levoo ves- ieWnpre e cozinhe bem para duas pessoas : na
tido de chita de quadros. Julga-se ter sido seduzi-' ria e g, Francisco n. 54.
da por alguem : pede-se a quem a encontrar dar i ~\---------------!___!__________________
noticias na sobredita casa, que muito se agrade- JJgeclsa-se do uma ama para eomprar, cozi-
cer. i obar e engommar : na travessa da ra das Cru-
Quem quizer vender casas terreas ou um so-
bra Jo de um a dous andares, que seja no bairro \
da Boa-Vista on Santo Antonio, dirija-se ra da
Imperatriz n. 5, primeiro andar. ____
Roga-se ao Sr Jos Marcelino Alves da Fon-
ceca, qoe venha trazer om espartilhe que levou de
amostra em 18 de Janeiro prximo passado, ou a
sua importancia ; a ra do Crespo n. 17.
Na ra da Imperatriz o. 9, segundo andar,
precisa-se alugar um cozinheiro para o servico de
pouca familia.______________________
Roga-se ao Illm. Sr. Amaro Jos dos Prazeres
o obsequio de pagar o que o seu afiancado Clemen-
te Soares de Carvalho licou deveodo dos alugueis
do sitio n. 34 da ra dos Pocos da freguezia dos
Afogados.
Precisase de offlciaes de sapateiro : na ra
da Cruz n 21, sobrado amarello. Sendo de pontos,
paga-se a 25-500, de vira em roda com sola limpa
e de taxa tamhem se precisa, e sendo bons paga-
se a 1^760.
Joo Baptista Gomes Penna querendo tratar
de sua saude gravemente alterada, tem resolvido
vender seu mui acreditado armazem de molhados
da ra do Imperador n. 46 : a quem inieressar,
dirija-se ao mesmo eslabelecimento a qualquer
hora do dia.
Alugam-se dous grandes sobrados com com-
modos para numerosa familia, novos e aceiadus,
com jardim, coebeira, estribara e outras commo-
didades, na travessa de Joo Fernandes Vieira :
a tratar na ra da Senzala Nova n. 42.
Precisa-se
Nova n. 38.
zes n., 14, segundo andar.
Em prova do multo respeito e veneracao
que sempre consagre as virtudes e inteire-
za do dislincto magistrado bahiano, o Exm.
Sr. desembargador metropolitano e vigarlo
da freguezia do Pilar, conego Jos de Souza
Lima, que incontrastavelmente erudicto e
incorruplivel, como soava ser, era urna das
glorias que honrava o tribunal ecclesiastico
a que pertencia, e em extremo sentido pelo
seu fallpcimento, pretendo fazer celebrar por
sua alma, urna missa no dia sexta-feira 9 do
correte mez pelas 7 horas da manhaa, na
matriz da freguezia de S. Jos, rogo portan-
to a cianos do Exm. e veneravel finado de assis-
tirem a umacto de tanta piedade, com o que
lhes flcarei cordialmente agradecido.
Recife 6 de junho de 1865.
_____Antonio liarlos P. de B. Ponce de Len.
Mesa geral
Samuel Power Johnston k Companhia
Ra da Senzala Nova n. 4.
AGENCIA DA
Fnndlco de Low Hoor.
Machinas a vapor de 4 e 6 cava I los.
Moendas e meias moendas para engenho.
Taixas de ferro coado e balido para enge-
nho,
Arreios de carro para ora e dous cavallos.
Relogios de onro patente inglez.
Arados americanos.
Machinas para descarocar algodo.
Motores para ditos.
Machinas de costura.
mmmmmmmmm
|H Companhia Qdelidade de seguros
H martimos e terrestres
estabelecida no Rio de Jaueiro.
jjjP AGENTES EM PEHNAMBUCO
% Antonio Luiz de Oliveira Azevedo C,
sag competentemente autorisados pela direc-
S toria da companhia de seguros Fidelda-
'SR de, tomam seguros de navios, mercado-
Si; rias e predios no seu escriptorio ra da
M T.rui n. 1.
mw^mmmmmmwmm
Compram-se libras stetlloas a 95500 : na
praca da Independencia, loja n. 12.
Compra-se ooro, prata e pedras preciosas,
em obras velhas: na ra da Cadeia do Recife,
loja de ourives no arco da Cooeeicao.
VENDAS.
Vende-se esta linda colleccao de sorles,
reunidas em um pequeo volme, com 28
assumplos, e mais 59 novas charadas, pelo
diminuto proco de 1$ cada exemplar enca-
dernado : na praca da Independencia ns. 6
e8.
de offlciaes de funileiro : na ra
GASA DA FORTiMi
Aos 6:000#000.
llilhetes garantidos.
A' ba do Crespo n. 23 e casas do costme.
O abaixoassignado vendeu nos seus muito feli-
zes bilhetes garantidosda lotera que se acabou
de extrahir, a beneficio da Santa Casa da Miseri-
cordia, os segulntes premios :
Um quarto n. 538 com a sorte de 2:000*000.
E outras muitas sortes de 1005, 405, 205 e
10*000.
Ospossuidores podem virreceber seus respec-
: tivospreraios sernos descontosdas leisna Casa
Domingo 11 do corrente, pelas 9 horas da ma-
nhaa, no consistorio da innandade do Santissimo
Sacramento da matriz de Santo Antonio, de confor-
midade com o que determina o compromisso da
mesma irmandade, se proceder a eleigao da nova
mesa que tem de funecionar de 1865 a 1866. Reci-
fe, 6 de junho de 1865.
Quem precisar de uma ama para cozer e en-
saboar para duas pessoas, ou mesmo para cozi-
nhar : dirija-se a ra do Encantamento, segundo
andar, n. 3.
O bacharel Lourenco Avelino de Albu- Ski
55 querque Mello continua a ter seu escrip- H
Sil tono de advogado nos auditorios e tribu- }JN
_- naes desta cidade : na ra do Imperador >-,
91 n. 40.
mmmmmm mmmmm mmm
U London & Brazillan Oauk,saca por doos
os paquetes,sobre
Lisboa.
Porto.
Braga.
Vianna.
Guimares.
Villa Real.
Coimbra.
Amarante.
A tugase
Offerece-se 23$ a quem prend r um ma-
rinheiro que fugio de bordo do vapor de
guerra americano Wyaning no consulado
dos Estados-Unidos, ra do Trapichen. 8. da Fortuna ra de Crespn. 23.
<~v-----T~~n csil-*--^--------------- A*nam-se a venda os da I* parte da 1" lotera
jOy JO* "^JTmi jIc i,fu i/^a. \ ('9') a beneficio da igreja de N. S. de Livramen-
1 to da Varzea, que se extrahir a 13 do corrente.
PRE0.
Pede-se a pe. angico, do convento de S. Francisco, por
occasio da festa do Divino Espirito Santo,
que ps bote no lugar aonde as tirou, pois
ja se sabe aonde existoal do contrario se-
ro tiradas pela polica d'onde esto.
4- A irmandade do Divino Espirito San-
to (Je S. Francisco declara que nada deve a
pessoa alguma, mas se alguem se julgar
creor aprsente a conta para ser incon-
tinente pago. Recife 8 de junho d 1865.
O thesoureiro,
__________Francisco Jos Coelho.
Attenco.
Jtoubaram da casa em frente ao chafariz da So-
ledade, um relogio de ouro, com os signaes seguin-
tes : machinismo a cylindro, da fabrica de Cama-
cllo do Rio de Janeiro n. 170... junto a elle uma
edrrente de tres irancelins juntos, seguros por duas
argas de ooro, um sinete que era um cao peque-
o e uma bola pequea cravada de contas azues :
pede se a quem for offerecido o favor de levar a
rjua da Paz n. 12 que ser gratificado._________
| Prtcisa-sede urna mulher ja do idade para
qasa de horaem solteiro, para cozinhar, engommar
fazer algumas compras, e que v dormir fra :
o la,rgo do Tergo n. 23.
Bilhetes. ". 75000
Meios......35500
Quartos.....15900
Para as pessoas que compraren] de 1005000
para cima.
Bilhetes.....65300
Meios......35250
Quartos.....15700
______________Manoel Marti.ns Filza.
Precisa-se de uma ama para o servico inter-
no e externo de casa pequea : na ra das Cruzes
n. 35, primeiro andar.
oga-se a casa terrea da ra das Calcadas
n. 45 : a tratar na ra do Queimado n. 32 cora
Azevedo Irmaos.
Aluga-se a casa terrea n. ii da ra da Glo-
ria, pertencente a irmandade de S. Pedro : no pa-
teo do Carmo n. 28._______________________
PEDIDO.
O solicitador Pedro A. da Costa Machado preci-
sa fallar com o Sr. J So Kreuzer a negocio que
nao ignora, na ra do Rangel n. 38, Ia andar.
Lava-se e engomma-=e, (ou s se engomma)
roupa de homem e de sonhora, com brevidade :
na ra da Imperatriz n. 22,1 andar.
Ama
Os elementos que compoem esla preparado,
frro, o iode e a guio, a collocao no primeiro
grao das preparares ferruginosas. Basta attestar
seus resultados obtWos pelos Mdicos dos hospi-
laes, e os relatnos dos prcticos mais eminentes,
que confirmrio sua piderosa efficacidade i
seguintes affecedes:
Miagas aangae.
Fraaarza.
Assala.
ChUra.se ou Ictericia.
Menstrua.
Aff*rrrs aa ter*.
Sasaressaca las re-
gras e a'esera'ea aa
mraslruara.
Aftcccaa auloisaar e
phUilsle.
Nalestlas d>ln>aaa.
6as(ralclas.
Perala a'aaaatlte, ete.
Kj3# te ot buetins
Coaval < mee a em de loa-
as noli.ila
Malestlaa escrfula-
aa.
raprlra
Ob.truccaa 4m (laa
dula.
Huuiores fros
IluMorrs branro.
Itacalllsnio.
Affcrccs eaaeeras
a sj-phllllcas.
Febrea typaaides.
Vareles, ee., ete.
de iherapeutica medie*
e cirurgka de 30 de novembre 1860; a Garata
dos hospitaes de 48 dejulho 4860, etc., eu. J
Atm dtu nlulas de iodureto duplo de ferro de
quinina de Rebillon, os Mdicos aconselhio
igualmente o Xarope d'iodure duplo de
farro e de quinina do mesmo auihor para as
pessoas que nao gosto de medicamentos sob for-
ma pilular e os meninos. Este xarope no tem
como o xarope d'iodure de ferro, o inconveniente
de alterar-se e de se nSo poder conservar.
Peca-se o folheto que se da de graca em
dos pharmaceuticos depositarios.
Para-se evitarem falsificacSes, exija o com-
prador em cada frasco de Pillas oh Xarope a as-
signatura do inventor. .
deposito geral em Pars, phanriaciaRalilUoil,
lit, roe du Bac, t em todas as boas pharmaciai
d Franca a dos puizes estrangeiros, etc. |
Ama para casa
Precisa-se de uma ama para cozinhar e engom-
ar para uma casa que s tem duas pessoas : no
becc das Bulas n. 2, 1- andar.______________
Sociedade Recreativa Coryban-
tma.
De ordem da directora desta sociedade commu-
nico aos senhoies socios que lera lugar no dia 17
o recreio do corrente, e que os convites s se p-
denlo tazer at o dia 16 do mesmo.
Secretara da sociedade recreativa Corybantina
8'de junho de 1865.
F. M. do Amaral.
! secre'ario, ____
Declarase ao reverendo Azevedo Santos que
em Portugal existem dous Gr.\ Ord.\ dissidentes
do leg.\ e verd.-.; sendo que um delles foi quem
reconhecen o geral de sua Ord.\ ; e qnanto ao de
Franga, ou graca ou impostura, que pode dege-
nerar em patota, olhe la, das do cosame.
__________________O lilh.-. lilant.-._________
1'rogi mina da festa do Seulior Santo
Uiristo, eda pro issao do Divino Es-
pirito Santo, na sua igreja do Col-
legio
Domingo 11 do corrente, as 4 1|2 horas da ma-
nhaa, lera lugar uma missa cantada aN. S. do Se-
naculo ; as 10 horas em ponto entrar a festa do
Senhor Santo Crtelo dos Milagres (Ecce Homo),
j sendo orador no Evangelho o Rvm. Sr. Leonardo
Joao Grego. As 3 horas principiar a sahir a pro-
cisso do Divino Espirito Santo, subindo ao ar por
occasio da sabida do andor um lindo carraman-
rho ; as 4 horas da larde seguir a mesma a
percorrer as mas j annuncadas, adveriindo de
novo que aquellas que se acharem intran.-uaveis
se tomar outra direcQo. Recothida a procisso,
ter lugar o Te-Deum, sendo orador o Rvm. Fr.
Antonio Manoel d'Assumpcao, finalisando todo o
acto pelo tiramento da baudeira, pelos fructos o
dons do Divino Espirito Santo, que servirem na
procisso : roga-se a todas as corporales religio-
sas e mais pessoas convidadas para a dita procis-
so de abrilhantarem o acto com o seu compare-
cimento. Outro sim roga-se aquellas pessoas que
tem meninos e meninas para servirem de ligura^
de as mandarem para a igreja as 10 horas da ma-
nhaa, alim de se poderem preparar.
Consistorio da irmandade 8 de junho de 1865.
M. L. da Veiga.
Escrivo.
Na ra d'Assumpcao n. 60 precisa-se jjg
ama para casa do familia de duas peSiJ.
5
yin;
Roga-se a pessoa que fol no dia 5 a ra do
Crespo n. 16 para vender 48 libras esterlinas, ter a
bondade de apparecer no mesmo escriptorio para
Ihe ser entregue uma libra.__________________
tteiico.
Advertese ao Sr. Luiz Goncalves Ferrelra, ou
outro qualquer, que tamhem pretenda fazer nego-
cio com o engenho Mnssaiba, sito na freguezia de
Santo Amaro de Jaboatao, que o dono deste enge-
nho s pode fazer negocio com os terrenos
as obras e seus utensilios, que pertencem
xo assignado.
Manoel Ignacio do Siqueira Cavalcanli.
Precisa-se du uma'ama de idade para cosi-
nhar para duas pessoas: na ra das Cruzes n. 24,
eslabelecimento de molhados.
menos
ao abai-1
Precisase de uma ama para o
uma casa de familia : na ra larga
primeiro andar da casa n. 40.
servico de
do Rasario
f~
MASSfl E XAROPE
BERTH
COsl CODEINA
Preconizados por todos os mdicos contra
as Defluxot, a Grippa e todas as IrritacOet
do peito.
AVISO
Fnlsificacocs reprehensiveis excitadas pelos
ccessos do Xarope e da Massa de Berth,
ju obrgo a recordar qoe esses productos
(fio justamente
naneados nao se
entrega o senSo em
bocetas e em fras-
cos com a assigna-
tura aqui indicada, "'"^"'"'awisj
461, ru MntrRowri, HA pharmacia
lcvre, e em todas as pharmacias.

Sr. Jos da Silva Oliveira
residente em Goianna, e de presente nesta cidade,
e morador na ra do Barlholomeu n. 45, acudindo
ao sea reclamo no Diario de hoje, e s em >llen-
cao ao seu pedido, Ihe faz ver que o convite que se
Ihe fez por este jornal, s tinha por fim ver se o
Sr. Oliveira j esta resolvido entregar amigavel-
mente a letra aceita pelo Sr. Manoel Paulino da
Cunha Gouveia, do eogenho Pao Amarello do ter-
mo de Goianna, da quanlia de 5615 de principai,
e endocada em 13 de julho de 1861 por Jos Go-
Joo da Silva Ramos, medico pela Uni
versidade de Coimbra, d consultas em
sua casa das 9 as 11 horas da manhaa, e
das 4 s 6 da Urde. Visita os doentes
em suas casas regularmente as horas
para isse designadas, salvo os casos ur-
gentes, que serao soccorridos em qual-
quer occasio. D consultas aos pobres
que o procurarem no hospital Pedro II,
aonde encontrado diariamente das 6
s 8 horas da manhaa.
Tem sua casa de sade regularmente
mouda para receber qualquer doente,
anda mesmo os alienados, para o que
tem commodes apropriados e nella pra-
tica qualquer operaco cirurgica.
Para a casa de sade.
Primeira classe 35000 diarios.
Segunda dita.... 25500
Terceira dita.... 25000
Este eslabelecimento j bem acredi-
tado pelos bons servicos que tem pres-
tado.
O proprietario espera que elle conti-
nu a merecer a conianca de que sem-
pre tem gozado.
i
O bacharel Joao Francisco Texera tem o
sea escriptorio de advocada na ra do Queimado
n. 15, primeiro andar, por cima da botica do Sr.
Kibeiro, onde pode ser procurado das 9 horas da
manhaa s 3 da tarde e dahi por diante havendo
de urgencia em casa de sua residencia, na mesma
ra n. 12, terceiro andar.
D-se 1:0005 sobre hypoiheca em predios:
informacoes na ra da Cruzes n. 42.
Ama de leite.
Precisa-se de urna ama sadia e com bom leite :
Da ra Imperial, sobrado n. 87.
Joo Baptista Gomes Penna roga a seus deve-
dores que vnham liquidar seus dbitos na praso
de 15 das ; se nao satistizerem forearoo a entre-
gar ao seu procurador para receber judicial ou
amigavelmente.
Ama de leite.
Precisase de uma ama de leite : na ra eslrei-
ta do Rosario u. 32, 2 andar.
Aluga-se um mulatinho de 14 anuos, proprio
para criado, sabe cozinhar alguma cousa, 6 muito
fiel e de boa conduca : quem pretender dirija-se
a ra da Imperatriz n. 2.
KKjgwifmaM
O Dr. Cosme de S Pereira conti-
Sna a residir na ra da Cruz n. 53,
Io e 2o andar, onde pode ser procu-
ra rado para o exercicio de sua profis-
I sao medica, e com especialidade
m sobre e seguinte
Io molestias de olhos;
2o de peito:
3o .__ IOS.OroSfe con!.
____r ti urinaria.
Em rmi M-&r->ptorio os doentes se-
rao examinados u uiuomuv,~
entradas comecando o trabalho pe-
los doentes de olhos.
Dar consultas todos os dias das
6 as 10 da manhaa, menos nos do-
mingos.
Praticar toda e qualquer opera-
cao que julgar conveniente para o
prompto restabelecimento dos seus
doentes.
laWMMlSMiift
Precisa-se de uma ama para cozinhar; na
ra do Imperador n. 46, primeiro andar.
mmmmm mmmmmmmm
O Dr Carolino Francisco de Lima San- ag
5 tos, contina a residir na ra do Impera- B
$j$ dor n. 17, segundo andar, onde pode ser JH
procurado a qualquer hora do dia e dai|
noite para o exercicio de sua proflsso de S
medico ; sendo que os chamados depois jJR
de meio dia at 4 horas da tarde devem g|f
ser deixados por escripto. O referido 2
Dr. nao abandonando nunca o estudo das >R
molestias .do interior, prosegue, cora S
o nwior afDnco, no das mais difflces e I
delicadas operacoes, como sejam dos or- SR
gaos urinarios, dos olhos, partos ele. g
um sitio na campia da Casa Forte, com duas ca-
! sas, uma a em que morou o fallecido Thomaz de
Aquino Fonseca Jnior, feita a moderna, e conten-
do todas as accommodaces precisas, e outra com
boas commodidades para qualquer familia : na
ra do Vigario n. 19, primeiro andar.
Aluga-se uma sala do primeiro andar da ra
do Queimado n. 41 : a tratar na mesma.
Precisa se de uma ama para casa de duas
pessoas para cozinhar : na ra da Penha n. 23,
primeiro andar.
Aluga-se na Passagem da Magdalena, ra do
Bemflca, os sobrados ns. 7 e 9, com bons commo-
dos para familia : tratase na ra do Trapiche
numero 4.
Aos Srs. acadmicos.
Vendem-se os seguintes livros quasi no-
vos : Manuel de droit romain por Mackel
d*y, i volume, por 6,5fOCk.; Diccionaire
. du conientieux commercial por Mass, i
m I volume por 6#( 00; La femme por ma-
ga i dama A Seglas, 1 volume, com estampas
11 finas por 55000; QEuvres de Hacine, 1
| I vi'lume, com eslampas finas por 60i<0;
l OEuvres choisis de Buffon, 1 volume, com
m estampas finas, por 40000 ;! Cdigo de cre-
\\dito predial, l volume, poM#20u ; Flores
singlas, poesas por Paes d'AndraJe, i vo-
lume, por 2$; A velliice de CainSes, roman-
ce por Tripueiros, por 20000 ; La vie des
sainls, i volume, por I #200; Economiepo~
litigue, por Garnier, l volume, por 20 ;
Regras da escripturacao mercantil, por Go-
mes Jnior, 1 volume, por 20500; Organi-
sation Idu travail, por Louis Blanc, i volu-
me, por 1020.); L'Epiphanie, pelo padre
Ventura, i volume, por 10000; Lejadi-
nier des salons, i volume, por GiO rs.: na
ra do Cabug n. 2 A, loja.
Aluga se o Io andar da casa n. 7 da ra do
Burgos : a tratar na Senzala Nova, refraaeao nu-
mero 4.
Fog'o.fogo.
Para os festejados dias de S. Joao e S. Pedro
existe na muito acreditada fabrica de fogos de ar-
tificio da ostrada de Joo de Barros, propriedade
da viuva Runo, um completo sorlimente de pis-
i tolas, craveiros, rodinhas e fogo busrap : como
sija penoso a algumas pessoas irem a fabrica pela
! distancia, os pretendentes podem deixar snas en-
[ commendas no armazem da bola amarella no oito
da secretaria da polica^___________________
- Na praca da Independencia n. 33, loja de our
. ves, compra-se ouro, prata, pedras preciosas e
tamhem se faz qualquer obras de er.comraenda e
odo e qualquer concert.

Sortes de S. Jejo n,ra as
,. ,. .... elisio para as
iiim,n-e2;^?,""fa* *ova n- 6l defroDle da
Illm? "--ara m"-
....... i,aiu. ...duicipal.______________
do sobrado n. 62
Vendem-se 5 vaccs, sendo 3 paridas de pou-
co e 2 solteiras : a tratar na ra Imperial n. 27.
Farinha de mandioca
da Baha, S. Matheus e Santa Camarina, em saccas
de algodo da Baha, de 2 e 3 alqueres : vende se.
no largo do Corpo Santo n. 4. escriptorio de Jos
Maria Palmeira. ___________________
1:8005000.
Yende-oe uma typographia com todos os utenci-
los e preparos necessarios publicacao de uma
folha de pequeo formato, e impressoes commer-
ciaes: a tratar na mesma typographia, no porto
de Tamandar da comarca do Rio-Formoso, ou na
ponte dos CarValhcs com o conductor Flix Ramos
Leutier.
Vende-sc uma grande otaria prompta, com
dous terrenos para se trabalhar em fazer lijlos e
lelhas, e mesmo louca por ter bom barro e terre-
nos suffirientes para o mesmo trafico-, no lugar de
Santo Amaro Jaboatao, cujos terrenos tem as fren-
tes para a e-trada real e os fundos at o rio, e tem
frente suflcienle para se fazer boas casas, sendo
os referidos terrenos foreros : quem os pretjnder
dirija se a ra do Passeo Publico, loja n. 7, ou na
ra Nova no 2 andar da casa n. 37._________
Vende-se uma victoria e uma parelha de bo-
nitos cavallos; na ra do Imperador n. 23.
Na ra do Queimado, loja de ferragens n. 4
eende-se muito em conta um par de venezianas.
Vendem-se os seguintes ps de fructeiras":
sapotis, pinheiras, condeca, lmeiras da Percia, de
umbigo, sidras, no sitio de Bcberibe da viuva >
Senhorinha Germana do Espirito Santo_____ ~~
Vendi^-fgrio n. 13.
'-cada, em restia a 15 :
Aluga-se o segundo andar
---..-^. nn ,.a4J,.
No pateo no lerco n. 1, precisa-se de uma ama
para lavar alguma roupa e fazer algum servico de
cozinha.
Anda se precisa de uma ama paracozi-
' nhar e engommar para tres pessoas : na
|H ra das Cruzes n. 37, sendo pessoa mori-
B gerada e que se possa entregar uma casa.
Vende-se uma esciavamoca, a qual cozinha,
compra e ensab^a, sabendo um pouco de engom-
mado : na ra do Arago n. 22,________
"Milho 4#500
Na roa larga do Rosario n. 50, taberna aa o*
quina.__________________________
Posto.
fo LO
No pateo do Carmo n, 4 vndese qualquerqna-
lidade de foguetes para brinquedos dos meninos,
assim como se recebem encommendas para os
mandar fabricar fra da cidade. nao podendo as
- Sabbado, 3 do corrente, junto a casa gran- _
de do Sr. Marcelino Lopes no Mondego, se perdeu j encommendas demorar-se mais de 24 horas,
uma trouxinha conlendo um par de borzeguins de |
mulher, 1 dito de argolas de ouro e coraos, 1 al- j
nete de ouro e coraes, 1 annel de ouro, uma blu-!
zae calcas azues de ura menino, uma camisa doj
mesmo com botoes de vidro nos punhos : quem vendem-se os utencilos de urna refinacao :
achou estes objectos e os quizer restituir, leve-os I lra|ar na fua lmperia| n. jj. _____
ao collegio da Conceio nos Coelhos, que sera
bem recompensado:______________
MfM __ Auga-se o sobrado e sitio da ra do Sebo
n. 35*; a tratar com o proprietario no mesmo si-
tio.
Eazendas baratas.
Madapolao muito lino a 100 rs. a vara, algodo-
zinho com 20 jardas a 25000 a peca, chales a
500 rs. cada um, lencos brancos muito finos a
15200. I55U0 e a 25000 rs. a duzia, cobertas de
algodo a 15000 rs., caf de 1." sorte a 65400 rs.
arroba, ou sacco dr. 6 arrobas 305000, latinhas de
Uma pessoa habilitada em escripia se offerece a ;Sardinhas de Naotes a 280 rs. tambem. A um
nos Barros Bai-1 resto de chitas que se vendara em conta; ra da
Concordia n. 62 taberna.
Attengao*
quem de seu preslirao precisar
xos n. 20.
Segundo dividendo
sua
Desejase fallar com o Sr. Bemjamin Ferrei-
ra Bandeira do lugar de S. Francisco da Barra de
Sergipe do Conde : na ra da Gloria n. 91, das 6
(la maSSa fallida de Amonm, PiagOSO, horas da manhaa as 9. Nao se procura em
Santos & C. 'residencia Pr ^ *BQOrar 8nde es,a n
Paga-se o segundo dividendo a razso de 2 por
cento, no escriptorio da administracao da massa, a
ruado Vigario n. 13 primeiro andar, as quartas
feiras e sabbados do mel dia as 2 horas da tarde.
I
SOCIEDADE
Lnio Beelicente Mari lima.
Por ordem do SrT presidente sao pela segnnda
vez convidados todos os senhores socios a se reu-
nirom em assembla geral sexta-feira 9 do corren-
te. pelas 6 l|2 horas da tarde, na sedo de suas ses-
s5es, roa da Cruz n. 13,2o andar. '
Secretaria da sociedade Unio Beneficente Mari-
tima 7 de junho de 186o.
Andr de Abren Porto
1 secretario.
Engenho.
Arrenda-se o engenho d'agua, na freguezia de,
mes Ferreira da Silva, cuja letra o Sr. Oliveira em ipojuca, denominado Jussar de Sant'Anna, uma
do fazer alguma planlacao : quem assim o quizar,
j dirija-se a ra de S. Francisco, como quem vai
15 "de novembro de 1862 >ecebeu-a do Sr. Vicente e^TraeiVdlsuntedasesUcoes da Escada'e Ipo- Pra a ra Bella, sobrado n. 10.
Ferreira da Costa desta praca, para somente cobra- ju,.ai com terras excedentes de massap para se
la do aceiante.on na falla della a entrega do prin- -afrejar em grande escala : a tratar no pateo do
cipal, e premio vencido da mesma. O annanciante Livramento n. 23 com o Dr. Ignacio Nery da Fon-
seca.
Massa fallida deAmorim,
Fragoso, Santos &C.
Os senhores credores que anda nao receberam
o primeiro dividendo, queiram vir recbelo no
prazo de cinco dias, findos os quaes, os abaixo as-
signados recolhero as quantias existentes ao de-
posito publico, na forma da lei. Pernambuco, 6 de
junho de 1863.-Os administradores,
Jos Jeronymo Monteiro.
Justino Jos de Souza Campos._
__Precisa se de um bom cozinheiro para o ho-
i tel italiano, ra do Trapiche n. 5._______^___ j
Morada gratis
D-se pessoa de boa conducta para morar, o
sitio da travessa do Remedio, freguezia dos Afoga-
dos n. 21, residindo na casa da mesmo sitio, no
estado em que ella se acba, ou como Ihe apronver,
com a condiQo de tratar da conservaco dos ar-
voredos e das cercas, sem nada pagar de alugoel, Compramse libras sterlinas : na ra da
at que assim coovenha a seu proprietario, poden- CruiQ 18Kanimem de jos joaquim Lima Bai rao.
O bacharel
Francisco Angosto da Costa fi
ADVOCADO SR
Ra do Imperador numero 69. |
mmmmmmmmmmmmm
mendoas
Vendem-se mendoas confeiladas : na rna da
Cruz n. 13._________________
No engenho Morenos paecisase de nm bom
dstilador de agurdente, e que enlenda bastante
de sua proflsso : a pessoa que estive neslas con-
diedes dirija-se ao mesmo, a entender-se com o seu
proprietario. ___________
Desejase fallar ao Sr. Antonio de S Albu-
querqae, do engenho Santo Andr, a negocio de
sea interesse
%.!.*%**%&
Vendem-se mendoas
Cruz n. 13.
confeilados : na ra da
na ra do Rosario, taberna n. 1.
COMPRAS.
auijEMno s
confeitadas : na na do Rangel n. 43
Vende-se um negro moco de bonita figura,
perito cozinheiro e de reconhecida conduela: quem
o pretender, dirija-se a ra do Imperador n. 45,
terceiro andar.
GaZy gaz, gaz
A ll800 a lata com 26 a 27 garrafas, e 480 a
garrafa, vinhopuro da Figueira, e verde especial a
300 rs. a garraa, e 35300 a caada, verdadeiro
Porto a 800 rs., superior caf a 75200 a arroba, e
240 rs. a libra : s na ra Di relia n. 91, esquina
do becco do Serigado. _____________
Attenco.
Vende se ama taberna no bairro da Boa-Vista,
bem afreguezada para a trra, propria para um
principiante por ter poneos fundos : a tratar na
praca da Boa-Vista n. 17.__________________
Na botica e casa de drogas de Francelino
bem qui'zera poopar ao Sr. Oliveira a publicldade
deste negocio, porm como o Sr. Oliveira no jor-
nal de hoje roga ao annunciante qne por favor de-
clare por este jornal a qnalidade do negocio que
com elle tenba, por isso que se Ihe faz a vontade.
Aluga-se orna escrava para todo o servico
menos engommar e sahir a ra : no Hospicio nu-
mero 24.______________
Offerece-se para caixeiro de armazem ou es-
criptorio ura rapaz portuguez, com boa letra e que
d fiador a sua conducta : a tratar no largo
Veueravel ordem Icrceira
eice
O secretario da mesma, abaixo
novo convida a seus charissimo irmaos para com-
parecerem revestidos de seus hbitos no domingo
i 1 do correle, na igreja da nossa ordem, as 2 ho-
ras da urde, para, em corporaco, acompanhar-
mos a procisso do Divino Espirito Sano do Colle-
gio visto nio ter podido ter lugar no domingo an-
terior m consequencia de furca inaior.
' Francisco Jos dos Passos Guimariies.
Na ra da praia de Sania Rita, con-
fronte a ribeira do peixe, casa n. 13, segando an-1 --
dar, receben encommendas de bolos de baca para chafariz da ruado Uram n. w.
__________ as vesperas de Santo Antonio, S. Joo e S. Pedro,
d S. Fran- ainancando-se nao s a bemfeitoria pela pratica
I que ha, como tamhem commodidade nos precos,
i em vista da boa qualidade : as pessoas que quize-
assignado, de reT0 podem all se dirigir a qualquer bora do dia,
que acharocom quem rtatar.______________(
^~* roa do Rangel n. 60 ha para se alugar
do
Compra-se effectivamente ouro e prata em
oDras velhas, pagando-se bem : na ra larga do
Rosario n. 24, loja de ourives._____________
Silvino Guilherme de Barros compra e ven-
de effectivamente escravos de ambos os sexos :
rna do Imperador n. 79, terceiro andar.________
Ouro e prata
em obras velhas : compra-se na praca da lade-
ara ptimo criado muito fiel, e duas pretas com as
habilidades necessarias para o servico interno de
casa de familia, __________
do
Alaga-sa
Decuso. 0. it.
Qpj criado : a tratar na roa
mmr. I pendencia n. 22, loja de bilhetes.
Na ra do Livramento n. 19 ba para alagar
om criado escrayo, e 1 moleque.______________
Aloga-se ametade da casa n. 92 da ra das
Aguas Verdes: a tratar na mesma.____________
Desconlam-ee notas do banco do Brasil e das _TCompra-se um preto velho pue sirva para
eaixas flliaes : na praca da Independencia n. 22, pastorar g^o : na ra do Padre Fioriano n. 34.
ainda sacca
Botijas vazias
Proprias para genebra, compram-se na ra do
Apollo n. 7. ___________________
Cosme Jos dos Santos Callado
sobre a praca do Porto.
Quem julgar-se credor do abaixo assignado
queira apreseotarsuas contas no praso de 15 das.
Joo Baptista Gomes Penna, .
Compra-sa ou mesmg hypotheca-se uma ne-
gra de meia idade mesmo sem habiliidades, que
sirva para vender na ra : qaem liver aonancie
oadirjase entrada.daroa da tasa Forte a fal-
lar com Manoel Joaquitn Ribeiro Suva.
Ferreira Crespo, na cidade de Goianna, vende-se :
Salsa parrilha de Bristol verdadeira.
Pilulas assucaradas de Bristol.
Pilulas assucaradas de Kemps.
paslilhas de Kemps.
Peitoral de Anacahuita de Kemps.'
Pilulas reguladoras de Cadwar.
Prompto alivio.
Resolutivo
Pilulas do Dr. Alizon.
Pillas americanas contra as intermitentes. Pilu'as
reguladoras.
Plalas de Holloway.
Ungento de Holloway.
Agua florida de Kempes. _________________
Em casa de Rolhe & Bidoulac, ra do Tra-
piche n. 18, escriptorio, vende-se :
Charapaoha chegada pelo Sphere, primeira qua
lidade. ,
Vinho Xerez fino era caixa de uma dona.
Cognac fino era caixa de uma duzia.
Ferro da Suecia.
Estanhoem barris.
Cerveja Bass.
Dita preta.
Cemento branco.
Plvora.
MUTILADO




Diario de pernanbueo ata elra O de dimito de !&.
Grande armazem de Untas.
RUA DO IMPERADOR N. 22.
0 armaren de tintas um grande deposito de
productos chimicos utensis e os mais embregados
e asados na pharmacia, pintura, photographia, tn-
turara, pyrotecbinia(fogos de artificio) e ein outras
industrias.
Montado em grande escala, e supprimto-se di-
rectamente as principaes dres, Haraburgo, Anvcrs e Lisboa, pode o fereceer
productos de plena cunflanca e satisfazer q ualquer
encommenda a grosso trato e a relalho, p< r precos i ^ m
razoaveis.
Admirem
Achmrem
Admirem Beni! 1
As pechinchas que estilo venda na ioja e ama-
zera do Pavo, na ra da Imperairiz n. 60 de Ga-
ma & Silva, onde se vendem todas as fazendas,
tanto de luxo como de primeira necessidade por
precos muito rasoaveis, e com especialidade as se-
guinies, dando-se amostras deixando licar penhor
levar em casa das familias
em casa das ramilias pelos
Prvidos de machinas appropriadas [atisfari "'l^TS.ifl
com promplldao qualquer pedido de tinta; moidas
a oleo, cuja qualidadee pureza de seus ingredien-
tes poder ser examinada pelo consumidor, o que
nao fcil fazer com aquellas que sao im| orlada?,
e que se encontrara no mercado em latas fichadas.
Tem grande collecgao de vidros de di Terentes
formatos, desde urna oitava al dezeseis nicas de
capacidad* ; de vidros para vidracas e diamantes
para corta-Ios; de pinceis para ungir madeira com
propriedadca outros; de papis dourados epra-
teados e fofos de gelatina para ornamento; de
papel grande e pequeo formato de vanas cores
para embrulho, para forro de casa, para desenho
com fnndo j feito; de papel albumipado el Brisiul,
verdadeiro saxe para photographia e parla filtrar,
e oniros; vernizes de essencia para quadros, de
espirito para madeira, palpara o interior e ex-
tei ior; oleo graxo, oleo seccalivo, oleo d? linhaga
clarificado, oleo de toiele, secativo de Harllro, onro
verdadeiro em p ; prata, enro, e estanno em fo-
lhas de varias cores; timas vegelaes, ipoflensi-
vas proprias para confeitarias ; la de cores, e
olhos de vidros para imagens ; tintas em) tubos e
telas para retratos ; tintas em pastis e em p pa-
ra aquarella ; essencia de rosa superfina, de ne-
roly, jasmimbergamota, aspice, palchouly, mbar,
bouquet.limo, alcaraiva, melissa, ortelapimenta,
louro, cereja, alfazema, juinpero, Portugal, lima,
ans da Russia, canella, cravo e muitos outros ob-
jectos que scom a vista poderaoser mostrados.
Joo Pedro das Neves,
_________________________Gerente._______
Grande sorlimento de roupas feilas de to-
das asqualidades,
Calcas de casemira a 65 e 72500, ditas pretas a
62 e 85, calcas de ganga a 23 lt*G0 e 13600,
ditas brancas a 25, brim de linho a 35, 35500 e
43, palelots do alpaca branca a 43500, di^os pretos
a 33 e 33500, ditos de alpaca de cordo a 45, e
de lisira de seda a 45300, ditos sobrecasaCos a 35,
palelots de casemira a 55, 55500, 65, j*2 e 95,
ditossobrecasacos pretos a 125, 15 e 163], ditos fi-
nos a 252, de cores a 135, ditos fraques a 143,
paletots de ganga a 35, 22500 e 25, ditos de brim
pardo a 35, jaqueloes de brim pardo a 33, panno
preto fino a 23. 23600, 33500 5, 45500 o e 63 o
covado, moreantique preto a 23600 o covado, gros-
denaple preto a 13500, 15800,23, 23200 e 25500
o covado; e outras murtas mais fazendas que se
delxa de annunciar, e manda-se levar pelos caixei-
ros da Ioja da arara casa dos pretendentes. O
e tabelecimento est aherto at as 9 horas da nolte,
ra da Imperatriz n. 56, Mendes Guimares.
GAZ GZ~GAZ
Vende-se gaz da melhor qualidade a
Calata: nos armazensda ruado Im-
perador n.16 e roa do Trapiche Nevn. 8.
o
Q
Madapoln entestado a 4$, -13500e 5000.
Vendem-se pecas de madapolao enfestado com
12jardas pelu baratissimo prego de 43, 43300 e
53, ditas sem serem enfestados de marcas muito
acreditadas a 75, 83, 93, e 105, ditas, francez
multo encorpado proprios, para saias a 480 ris a
vara, isto na Ioja do Pavao' ra da Imperatriz n.
60 de Gama t Silva.
Vestidos Brancos.
Vendem-se os mais ricos cortes de vestidas de
cambraia branca primorosamente bordados, pelo
baralo preco de 123- 16J e 20# na Ioja do Pavo,
ra da Imperatriz n. 60 de Gama & Silva.
Grande pechincha, vestidos a
ifi s no
Acaba de chegar um bonito sorlimento dos mais AZE V^EDO <& FLORES
pSoHI^^^^^SSST-&?' R ** d0 ^fc. laare de Dos,
nhos, sendo todos os padroes tecidos e nao pinta- Extellentissimas senlioras o Balo partecipa a Vv. Etc. que reduzio os precos de
dos, e vendem-se pelo baratissimo prego de 33500, todas as suas fazendas, e pede a Vv. Excs. que nao o esquecam, pois o Balao empenha
iS?do*K5S!K51 taSSSifSSfdSoiS & *dos ossr esforc,,s- par\tom as "27a,m de tud0 ist0 minhas senhoras- um
Silva. objecto mdispensavel as senhoras amantes do progresso.
Grosdenaples de cor a I$600. Agora minlias senhoras peco que lancera suas vistas em toda a minha circumsfe-
Vendese superior grosdenapies cr de caf, pro- renda e vero que encontram muitos objectos que necessitam e por precos que eonvi-
prio para vestido, sendo muito encorpado, a 15600 dam a comprar, como sejam:
60Cde G0arnanVsiv0 Pava'rua da Imper"nx D> | Os ricos baloes de 40 arcos, com urna roda que admira.
'finilda sortinipnlo de rmi fuii Idem com menos arcos a 2:5JJO e ^-
v^^Kjs.Sl. 'd" raims de 2 mait \2 s-
to de roupas feitas, constando de palitos de panno t,aml}raia nissima que era de 93 a /0.
preto, sobrecasacos, lites saceos, ditos de casemi-l dem das de 63 por 53.
ra, saceos e sobrecasacos, ditos de brim branco e l Os mais lindos pdroes de cambraias de cores, verJadeiras francezas.
adTtodas'as5 q'ualidad' "'iSs de cOr^dfSs^de"'TarIatana branca muit0 fina e larSa'
brim de linho branco e de todas as cores, fletes >Cllitas escuras a 240 e 280 rs., que eram de 360, tambem ha Superiores.
de brim, casemiras, setim. gorguro, etc., etc., to- dem perclaras superiores a 440 rs,
das estas obras vendem-se por preco mais barato Laa preta para luto e de todas as mais cores.
ao que em outra qualquer parte : na Ioja do Pa -
105000
803000.
400
Coke do gaz.
pilcli do gaz.
Alrati-ao do gaz.
Coke tonelladas rs. .
Pitch .
Alcitr3o caada. ,
O coke reconhecidaaiente o carv mai's econ-
mico, lorna-se por ssj recommendavcl, bem co-'
mo pelo asseio que se ola as eoziabas onde
alie usado. Pitch e alcatrao.alm das applicaees
diversas a que se prestam, coiii para cadafetar
embarcares,alcatroar madeiras,etc.,teB este a
propriedade de nreservar do cuploi, fjnnig.Ts,*tc.
E' entregar na fabrica dogaz ou mandado "jr era
qualquer ponto da cidade, segundo a vootade do
comprador.
PROPR10 PARV SENHORA.""
Vende-se um excedente cavado muito no-!
vo e manso com todos os andares: na co-1
cheira do Paulino, rua de Santo Amaro.
I'ILILAS
VECiHTAU.S
DO
OR. AYER.

o^
s"5
g r a. a
w
SJ
?a
da
2 =
C
O. a. -5
o M
M
5^
3 = i-2pl
=3 a,
9
o ai
a
T 2.

vo, rua da Imperairiz n. 60, de Gama & Silva.
Soutembarques de cor
Vendem-se os mais modernos soutembarques de Calcas rip r-Kpmira p mnitn h tas rorp
cor, ricamente enfeitados, e por barato preco : na ^ ,C. aecasemr* ae muit0 niias cores-
Ioja do Pavo, rua da Imperatriz n. 60, de Gama 4 i Colletes de casemira pretO e de Cores.
Silva. I dem de brim branco.
Capas pretas e soulembarques. Paletos de casemira sacco a 10 e 123.
Vendem-se as mais modernas capas pretas lisas dem de brim branco.
e bordadas, os mais bonitos soutembarques prelose dem de alpaka branca a 53.
manteletes, tudo de seda preta e o que ha de mais ijm .,, ,. u su
Chita encarnada adamascada muito superior a 560 ts. o covado, 7 cavados d urna co-
berta para cama franceza.
Vestidos a Mara Pia os mais ricos que ha de 143, 183 e 20i?.
dem pretos a 43 e 53-
GRAGEAS
GLISE CONT
Approvad4f pala Academia de Medidos de Parle.
Remita pelea doua relatorios, adoptados pela dita
Academia em 1840 e em 1858, que as GRAGEAS da
Glis e CONT ato o melhor e mais cfficaz remedia
ferruginoso para curara chlorosis (alias fluor-albo), oa
fluxoa brancas, a fraqueza de compleixi nos dous
aexos, e tambem para ajudar a menstruacio das mocas.
Satas Grageas nlo sao vendidas senio em caixinhaa
ou vidros cobertos com rotnlo e fechados com urna tira
levando a firma do depositario geral : labeloxye,
jthannacentico, rua Bourbon-VilUneute, 19. Par.
^^ito geral em Pernambuce rna da
imz n.22 em casa oe Caros & Barboza
. ^ua dT^u^n^doTr^TrjrrfteTnVa^-. 4 ias
4 Azevedo Maia e Silva, esta queimando que ad-
mira, a saber :
Frascos com superior banhaa 200,'2i0 e 500 rs.
Latas com superior banha a 200 rs.
ascos com superior agua de Colunia a 191) *
Frascos com superior oleo de baboza a 240, 320 e
400 rs.
Garrafas da verdadeira agua Florida a l5280.
Frascos de superior oleo da sociedade Higienique
a 640 rs.
Frascos de superiores cheiros santal e outros mui-
tos a 15000.
Sabonetes de familia a 210 e 200 rs.
Sabonetes de superior qualidades a 60,120 e 160 rs.
Caius cora 12 fr>scos de cheiros muito finos a
!*ViOO.
Caixas dito com 6 frascos melhor fazenda a 900 rs.
Paos de pomada franceza grandes a 300 rs.
Sabonetes de bolla pequeos e grandes a 240 e
320 rs.
Frascos com superior opiata a 800 ra.
Frascos com superior agua para denles a 15000.
80~ NOVA EXPSI-
TO
de 2.000 candieiros de gaz coloridos,
com globos decrvsla.1 e delicadas
gravuras, novo gosto, fingindo lan-
lernas, por todo o preco, cima da
factura, no aniiazem da rua da
Imperatriz n. 22.
O propietario deste importante estabelecimento,
tendo muito breve de rclirar-se para a Europa, re-
solveu fazer urna Hquldacao a dinheiro vista por
todo o preco, coolentand-se somente com una pe-
qnena porceoiagem cima do custo da factura. Es-
pera que o re.Npeitavel publico o coadjuve com sua
presenca a honrar seu estabelecimento e admira-
rem os pregas de semelhanles objectos de candiei-
ros de gaz.
Em casa de Tisset Freres rua do Trapiche n.
9, tem para vender :
Vioho Bordeauxem barricas e em caixas.
Dito de Santerne fino.
Dito de Champagne muito superior.
Cerveja franceza marca Bobee.
,A 50500 O SACCO.
De armha da trra com
22 cuias, na rua do Impe-
rador n. 26, defronte da ca-
sa em que foi a cadeia.
Ferros para engommar
Vendem-se caixinhas contendo o mais completo
sorlimento de trros para engommar, encrespar
babados, pafos e toda r-'upa de senhora : na rua
Imperial, fabrica de vinagre,______________
vende-se nma orelha com urna cria nasci-
da de pouco lempo : na rua das Cruzes, taberna
n. 41.________________
Farinha de mandioca : tem para vender Au
ionio Lniz de Oliveira Azevedo & C, no sen es-
criptorio rua da Cruz u. 1.
Vende-se um escravo idade 25 annos insigne
offleial de carpma e bon'ta figura : na travessa op
Carmo n. I.
SAL DO ASSD1
A bordo do brigne escuna nacional Graciosa ;
vende-se na rua da Cruz n. 23, escrlptorio.
Vinho superior em caixas de orna duzia :
tem para vender Antonio Lulz de Oliveira Azevedo
A C, no sen esenptorio rua da Cruz n. i,
Vende-se um negro de 40 annos, pouco mais
oa menos, bom official de carapina : no escriplo-
rio da praca do Corpo Santo n. 4.
gosto no mercado, por precos muito em conla .
na ioja do Pavo, rua da imperairiz n. 60, de Ga- Calcas de brim branco, pardo e de outras cores.
ma & Silva. Ceroulas de lioho com duas costuras a 2#500.
Grande liquidaco a dinheiro. l*e*a lfm- lM
b. i;. m j n Colletes de casemira a 4 e 50.
Ra Ioja e armazem do Pavao. Camisas com peitos (le cor.
Rua da Imperatriz u. GO de Ga- dem brancas a lf>800 cada urna.
ma fc Uva. dem brancas finas pregas largas a 20240 e 2(51500.
Os dones deste estabelecimento tem resolvido li- dem de linho Miperiores a a^.
^oTd^Sr'Slnfflr. SSSSSW! |em f lin" nglezas muito bnas de nmeros 34, 35, 37 e 39.
soas que negociam em pequea escala com fazen- mem de meia abertas fazenda superior.
das, que tiesta Ioja e armazem encontraro um C-II k.PKOS DE SOT
grande sorlimento por precos que muito Ihes hao rhinAn, jp ,ni ,i .,, .i., w asiPas a M
de agradar, tanto em peca como a retalho, a sa- JJinaPt0S ae .so1 ae,sea^ (lt 1Z asi^.s,.,a 0ff-
ber: dem superiores de 1G asteas a lid.
Chitas largas a 200 rs. dem de seda trancada asteas de meia cana a I4#.
Vendem-se chitas francezas, listradas muito lar-1 Que ludo se vende na Ioja do
gas, padroes escuros, pelo barato preco de 00 rs. j
o covado, tendo muito bom panno ; ditas escuras i
psdr5es novos, por serem todas escossezas e cor i
tixa a 240 rs. o covado ; ditas mludinhas escuras
e_claras a 240 rs., afliancando se que esta fazenda j
nao tem o mais pequeo toque de mofo, nem outro ]
qualquer defeilo. Istos o Pavo, na rua da Im-;
peralriz n. 60 de Gama & Silva.
Fazendas brancas baratas vende o Pavo.
Pecas de algodozinho largo, marca T com 24
ardas a 8. ditas T com 20 jardas a 7$, ditas de
Rival sem segundo
Rua do Quemado n. 49, est vendendo tudo
muilo baralo como ver abaixo.
Caixas de pennas de kalegrapliia a 1000.
nwjaur ecawra, tajna de vac- Massos rom superiores grampos a 30 rs.
ca, etc., a 4. 5, e 6 ; madapolao frnissTmo com *" de sapsics de tranca e tapete a ]3
24 jardas a 6,5500 e 728110 ; panno de linho mu- Frascos de macaca peruia *""'"
to inferior proprio para lenges e toalhas a 700 Caixas com suporor,.3 agrrtn'n.- <
link. lo
JU
100 rs.
Caixas com superiores obreias a 40 rs.
Duzias de pliosphoros de segnranca a 120 rs.
Meias garrafas com unta a 20 rs.
Rjdinhas com alfinetes francezes a 20 rs.
Carlas de alQneles francezes muito Gnos a
Resmas de papel almaco a 2,5100.
Resmas de papel de peso a 22000.
Papis de agulhas francezas a balito a 60 rs.
Bonets muilo bonitos para meninos a 12000.
Enfeites para senhoras fazenda muito moderna a
22000.
Escovas para roupa superior qualidade a 12000.
lafgura a 2500 a vara. Islo so na Ioja "do Pavao,
rua da Imperatriz n. 60 de Gama & Silva.
Esparlilhos, na Ioja do Pavao.
Vende-se um bonito sorlimento de esparlilhos
proprios para senhoras, sendo dos mais modernos
e bem feitos que tem vindo ao mercado, lendo de
lodos os tamanhos e de diversos precos Irazendo to-
das as competentes fitas para apenar. Islo s na
Ioja do Pavao, rua da Imperatriz n, 60 de Gama
& Silva.
Cambraias brancas.
Vende-se um bonito sorlimento de pecas de cara- ^--------------------------------------------------------
pefoV^ 6 Portas em frente
superior da Escossia por 102o 122- Isto s na lo- Ac\ TvraTlPnto
ja do Pavo. na rua da Imperatriz n. 60 de Gama u" L'i v i uuhju t-v.
Silva. Chita larga escura a 240 rs. o covado.
Gros de qnadriiiliiis a 1 00. *a Ioja das 6 portas.
Vendem-se os mais modernos gros de quadri- Cassas francezas finas a 220 e 240 rs. o covado.
nhos, proprios para vestidos de senhoras e meni- $ na ioja das G portas.
as, sendo esles gros dos mais moder nos que tem Pegas de brelanha de rolo com 10 varas a 22100.
vindo ao mercado, vendendose pelo ba'alo prego J%'a Ioja das 6 portas.
de 600 rs. o covado. Isto s na Ioja do Pavo, rua Cortes de casemira escura e lina a 42-
da Imperatriz n. 60 de Gama 4 Silva. So na ,oJj| das 6 por(as.
R.eos bouznouls de Guipare Pecas de cambra branca ^ 44500 ~
Vendem-se os mais ricos bouznouts de Guipure, 52500 e 62 : na Ioja das 6 portas,
sendo os mais modernos que tem viqdoao merca- E outras muitas fazendas que se venffem por
do, pelo baraissimo preco de 2o2, cada um, as- raei,os de seu valor, de ludo se d amostras,
sim como chales de 3 e 4 ponas da mesma fazen-
da,-sendo de varios preco*. Isto s na Ioja do Pa-
vo,
rua da Imperatriz n. 60 de Gama & Silva.
S o Pavao vende
Chitas largas a 240
Chitas largas a 240
Chitas largas a 240.
Acaba de chegar para a Ioja do Pavo nm gran-
de sortimento de chitas largas garibaldinas, por
s rem todas listradas e padroes escuros e de cores
fixas que se vendem pelo baratissimo prego de 240 MThZZTJZSZZaJTZI" PI
o covado, sendo que em outra qualquer parle cus- LraT ,Z1 ca rP& nT ^. a. mi
&?nd0 QUYS-fregl,ezes qae sa"TpeTdur"s rSifiS'? e.'?.K
comprarem porgao de pfgas, terao um pequeo velas de suermacet mdn d mprinr nTlulA.
\0\IIIADE
A l l^SOO e 1.H.4M
Loques de osso, ultimo gosto, a 12-
Ceroulas de meia a 12200.
Dulas muito finas a 12500.
S na rua da Cadeia do Recife n. S.
Attenco.
Vendem-se pegas de esleirs para forro de sala,
1 Trapiche n. 8.
ratriz n.60, de Gama & Silva.
Laazinhas a 300 rs.
Laazinhas a 300 rs.
Laazinhas a 300 rs.
Vende-se um bonito sorlimento de laazinhas pro-
prias para vestidos e soutembarques por serem li-
sas e de quadrinhos pelo barato prego de 300 rs. o
covado, sendo fazenda que sempre se vendeu a
500 rs. o covado, e vende-se a dinheiro a vista pe-
lo baratissimo prego de 300 rs. o covado : na Ioja
do Pavo rua da Imperatriz n. 60 de Gama &
Silva.
Pelerinas a 1,5600.
Vendem-se as mais ricas pelerinas ou romeiras
de rambraia bordadas proprias para hombros de
senhora pelo baratissimo prego de 12600: na rua
da Imperatriz n. 60, Ioja de Gama & Silva.
Organdy a 240 rs. o covado.
a Ioja do Pavo.
Vendem-se as mais bonitas cassas organdy?, pa*
dres miudos e grandes, pelo baratissimo prego de
240 rs. o covado (doze vintens), esta pechincha
acaba-se logo : na Ioja do Pavo rua da Impera-
triz n. 60, de Cama & Silva.
Lanzinha transparente, vmho do Porto superioFlu~M
a 220 rs. : s na Ioja do Pava*. :lera Para vender Antonio Luiz de Oliveira Azeve-
Vendem-se as mais modernas lanzinhas transpa-, do d C, no seu escriptorio rua da Crmt n. i.
rentes, sendo todas de listras, quadros e lisas, fa-
zenda esta que sempre se venden a 400 rs. ; o Pa-
vo vende para liquidar a ouze vlnlens o covado :
na Ioja do Pavo, a roa da Imperatriz n. 60, de Ga-
ma Feijio preto
Na rua da Imperatriz, armazem n. 6.
Tasso Irmaos
Vendem no seu armazem rua de
Amorim n. 35,
Licor fino Curagao em botijas e meias botijas.
Licores finos sonidos em garrafas com rolbas de
vidro e em lindos frascos.
VinhosCheres.
Santernes.
Chambertin.
Hermitage.
Borgonhe.
Champagne.
Muscalel.
Reino.
Bordeaux.
Cognac.
Od Ton.
AzeitePlagniol.
! baratissimo!
baratissimo!!
baratissimo!!!
As pechinchas que estilo se liquidando na nova
Ioja e armazem de fazendas de roupa feila de Gui
maraes & Irmao, rua da Imperatriz n. 72, aonde
zendas de todas as qualidades, que vende-se por
prego mais barato do que em outra qualquer parte
para liquidaren), do-se as amostras ou mandara-
se os caixeiros levar em casa das familias.
Madapolao enfestado a 3#500, 4)5000
e 4501 a peca.
I Vende-se pega de madapolao enfestado com 12
I jardas pelo barato prego de 32300, 42 e 42300,
dita sem ser enfestado com 24 jardas das marcas
mais acreditadas a 62300, 72 e 82, dita elefante
muito liria a 92 : s Guimares Irmo, rua da
Imperatriz n. 7.
Admiravel pechincha,
C.iia larga a 2401 chita larga a 240II chila
larga a 240!!! Acaba de chegar a este estabeleci-
mento bonito sortimenfo de chila fina percala de
padroes modernos, sendo clara e escura, e sendo
fazenda que val 400 rs. em outra qualquer parle,
evndese pelo baratissimo prego de 240 o cova-
do, dila ingleza a 220 o covado, "organdy dos mais
lindos padroes que tem vindo ao mercado a 240 o
covado, islo paraliquidarem : Guimares & Ir-
mo, rua da Imperatriz n. 72.
Cortes de chita franceza.
Vendem se cortes de chita franceza com 10 co-
vados a 22300, ditos eom 11 covados a 22700, di-
tos com 12 covados a 22880 : s Gu maraes <& Ir-
mao, rua da Imperatriz n. 72.
C les Mara Pia.
Vendem-se cortes de la Maria Pia com 1S
covados a 32 e 32300, ditos com lindas barras a
102 : s Guimares Irmo, rua da Imperatriz
numero 72.
Fazendas pretas.
Vende-se grosdenaple preto de seda pura a
12600, 22 e 22300 o covado, moreantique preto a
32, setim da China, fazenda nova e toda de la,
com um trancado muito fino, proprio para luto,
tendo 6 palmos de largura a 29200 o covado, e ou-
tras muitas fazendas como sejam, princeza e meri-
no; que vende-se por prego baratissimo : isto s
Guimares & Irmo, rua da Imperatriz n. 72.
Soutambarque de cores.
Vende-se soutambarque de cores ricamente en-
feitado a 32 e 62, chale de merino estampado a
22 : s Guimares & Irmo, rua da Imperatriz
numero 72.
Brelanha de rolo com 10 varas a 32 a pega : s
Guimares & Irmo, rua da Imperatriz n. 72.
3-8
ce
I 3
os
s
-o:*

es
3 3 S-2-S.3
r-i-^ -s O & & -s O ^ ra
CB
2 o o
ra
.
O
8
va 2
srl.
2 .

- a
"T -
O a>
>j
o
=:
23
S ? o

-I
o.
5

3
o_
El
CT>
a>
era

~-
Ei ?
r>
09
-!
O
"-5
03

SI
o
S
o
i:
72 e
12800 cada
Nao ha necessidade mais ge-
ral em lodos os paizes do que a
de um purgante que seja ao
mesmo lempo innocente, eficaz
e digno de toda a confianca.
As pi lulas que ora offerece-
mos ao publico preencliem estas
condicocs; pois pdem ser to-
madas pelas pessoas mais fracas
sem perigo algum, nao tendo cm
sua composieo mercurio nem
outro ingrediente nocivo sau-
de, mas sendo composto de a-
gentes vegelaes mu fortes, sao bastante
efieientes e activas para purificar os corpos
mais robustos.
Estas pilulas explorara e puriicam toda
a e.\tens5o do.canal alimenticio, e dao vigor
a todas as partes do organismo, coirigido
sua aeco viciada e fazendo recuperar sua
vii.-idade-
Um remedio inestimavel contra ddir de
eabefa nervosa, cnxaqueca, priso Jo vert-
ir, hemorrhoidas, molestias do figadot /.-
bre (asiro-liepatica, e lodas as molestas,
biliosas que leem sua origetn no enforpet i-
ment do ligado que causa a escassea da
|bis na inllammact) d'este orgin que pre-
das derramamento da bilis no estomago ou
!em um desarranjo geral dos orgaos ages-
! tives.
A ictericia
produzida pela absorpcSo da bilis no
sangue, dando pelle e aos olhos urna cor
amarellenta ; nao c smente dolorosa por
si, pormeonduz aos mais serios soffrimen-
tos.
Para cura-la toma-se de 1 punas to-
das as manhas, isto bastante para mover-
o venire smenle al qtie se recupere a ae-
co sSa do systema.
Mal do lujado, febre, austro-heptica,
diarrhea biliosa, indigtslao, a nevralgia
Oh tic douleureux, sao todas molestias aue
tem seu comeeo n'um desarranjo da bilis.
A observaco dos dtictos da bilis taz esta
vol er ao sangue, com que circula dt pois
vem todo o corpo e causa estragos desas-
trosos saude e produz urna serie innu-
meravel cirnales.
Todos estes incommodos sao curado? com
as pilulas do Dr. Ayer.
Direcgoes minuciosas acompanham cada
frasco.
Vende-se na pharmacia franceza de Mau-
rer A- C, rua Nova n. 18.
AGENCIA CENTRAL
15 Rua nircita !.
RIO di; .lAM.srt.
Vende-se em Pernambuco:
na pharmacia franceza de
P.MAURER l C.
__________RUA NOVA N. 18.________
Irritado dos pimoes. angi-
PAI5A SIXTO A\O\I
SAO IOAO
Vendem-se sones muilo bem feilas e de
papel muito bom 4$ o cento : na rua das
Cruzes n. 41, taberna da porta larga.
.4 dmiraveis pee/linchas
queestsio a venda na l>ja e armazem
da Arara, rua "a Imperatriz n. 36,
de Loarenco Pcreim Hendes Guima-
res.
Brelanha de rolo a 3$.
Vendem-se pecas de bn-tanha com 10 varas pe-
lo baratissimo prego de 35 a pega.
Madapolao enfestado a 3^500.
Vende-se madapolao entestado com 12 jardas a
32300,42 e 42600, dito com 21 Jardas a 52,
32300, 62500,72. N. 40 72500, L. 10 75300, N. 6
82, Elephante 82300.
Soutembarques de cores a 6$.
Vendem-se souteiiibaniues de cores a 6#,
82, ditos de seda a 18?, 205 e 235-
Chapeos para liomem a 1|J800.
Vendem-se chapeos para homem a
um, chapeos de sol de panno a 2;, ditos de seda
para homem a 05 8 72 : s Arara, rua da Impe-
ratriz n. 56, de Mendes Guimares.
S Arara vende chitas francezas a 240 rs. o co-
vado.
Vendem-s chitas francezas sendo cores ixas, e ,odas as innumcravet molestias que afiec-
assim como_sejam padrSes delicados sendo cores jo aos orgilos da respiraco
de
as, tosse, escarres
pingue, crupo ou garro-
tilho, catarro, rouqnido
prego
ditas
de cana e rusas, se vende por baratissimo
de 240 o covado, ditas a 260, 280 e 300 rs.
matisadas Anas a 320 e 360o covado.
Chitas francezas escuras.
ros e cores fixas a 360 e 400 o covado, ditas miu-
dinhas claras a 360 e 400 rs. o covado : sto na
Ioja e armazem da Arara rua da Imperalriz n. 56.
Corles a Maria Pia a i8#.
Vendem-se os mais modernos cortes a Maria
Pia a 182, .tito a 145. 122, 112, 102 e 8-5, .orles
de laa sem barra a 52 tem 13 covados o corte.
Damasco de duas larguras a 1280.
Vende-se damasco de duas largura> a 12580 o
covado, dito de urna largura a 800 e 640 rs. o co-
vado, lengos de. linho a 5'5, 65 e 75 a duzia.
Camisas francezas a 1&600.
Vendem-se camisas francezas a 12800, 22. dita j
de pregas largas a 25 e 25250, ditas de linho a
22300, 22800 e 35 cada urna, seroulas francezas a
122180 e 12300, dita de linho a 15800 e 22, ro-
beras de chita a 25 e 2250 cada urna, cambraia
Manca a 35, 32500 e 45 a pega, ditas de cores a
Cambraias de cores a 300 rs.
Vende-se cambraia de cor a 300, 320, 360 e 400
rs. o covado, cambraia do salpicos a 22500 e 32 :
na rua da Imperatriz n. 56.
Chales de merino a 25.
Vendem-se chales de merino a 25, ditos de chi-
ta a 12600, 1&280 e 12 cada um, chales finos com
ponta redonda e borlla de seda a 62 e 75 cada
um, cobertores de algodo a 12 cada um : na rua
da Imperatriz n. 56.
UI-:WA PPARI2CI2.il
mediante a accao da balsmica e irresistivel
Consolos
Vende se om par de consolos do Jacaranda
rna da Cadeia do Recife n. 15, Ioja.
na
OPHEMSU
Vendem-se 66 palmos de terreno sito na rna
Augusta, prompto para se edificar: a tratar na querda, depois
rna do Alecrn), casa com portao de ferro na frente,
Vendem-se palmeiras impenaes, em estado
de serem transplantadas: no sitio mnrado es-
do neceo do Espinheiro, nos Af-
flicios.
QUADROS
\vii:*baii:
AQl'ARBLLA
Urna seena de nossos da.
Drama
Por Pedro de Calasans
Vendem-se estas obras Impressas em Broxellas
e Lelpig : na livraria de Jos Nogneira de Souza,
rua do Cre-po.
Francisco Jos Germano
RUA \o\ A x. ai,
acaba de receber um lindo e magnifico sortimento
deocnlos, lunetose binculos, do ultimo e mais
apurado gosto da Europa.
Trastes com oso.
Vende-se 1 sof, 3 consolos-, 1 mesa redonda, 9
cadeiras de amarello, 6 cadeiras americanas, 1
bea marqueza de Jacaranda, 2 carteiras de via-
gem e 1 carteira grande propria para taberna :
quem pretender dirjase a rua das Cinco Ponas
n. 140 defronte da eslago.
Ferros.
Chegon nm completo sortimento de ferros de di-
versos modelos para encrespar e engommar baba-
dos, pafos e todos oa objectos de roana fina perten-
cente ao toiletde urna, senhora, s hoje indispensa-
veis, e pelo diminnto pr^go de 500 rs. cada om,
ditos melhores a 700, 800, 12 e 12200, de diver-
sos tamanhos.______________________
Vendem-se sanguesogas de superior qualida-
de, em calas oa a retalho, a vontade do compra-
dor, t> por prego mu razoavel; na botica franceza- a sacca e
de Ciors & Barbosa, roa da Cruz d. 22.
V
RIVAL
SEM SfiCil. Y*0
Rua do Queimado n. 49, Ioja de Jos & Azevedo
Mala e Silva.
Pulseiras e voltas muilo bonitas a 500 rs.
Miadas de lidia para bordados de superior qua-
lidade a 60 rs.
Duzias de facas e garfos de cabo preto muilo
boa a #2-
Meiadas de linha froxa para bordar a 20 rs.
Meiadas de linha azulada superior a 60 rs.
Babado do Porto muilo superior a 100, 120 e
160 rs.
Varas de franja de nho branca a 40 rs.
Caixas com 100 envelopes da melhor qualidade a
600 rs.
Caixas com 20 quadernos do papel superior a
600 rs.
Grozas de pennas de ago muilo finas a 500 rs.
Pegas de Iranga lisa preae de cores a 40 rs.
Grozas de botes madreperola para camisas a 500
e 720 rs.
Caixas com 50 novellos de linha do gaz a 700 rs.
Varas de franja de rres a 80 rs.
Novellos. com 400 jardas superior qualidade a 70 rs.
Carril-is de linha com 200 jarda dos ns 60 at
200 a 100 rs.
Litros para assenlos de roupa lavada a 100 rs.
Pares de boloes de punho muilo finos a 120 rs.
Thesouras para unhas e costura muilo finas a
500 rs.
PEITORAL de KEMP.
avariado.
Francez barrica 52000
Portland idem 82500
Era perfeito estado:
Francez barrica 102000
Portland idem 122000
No armazem de Tasso Irmo.s caes do Apollo.
Vende-se caixes vazios proprios pa-
ra baliuleiros, e funileiros, a 2O0O cada
um : e para as pessoas que comprarem do
4 para cima li&800, nesta lypographia.
Vendem-se
machinas americanas de serrote para descarocar
algodo : na rua da Senzala Nova n. 42._______
Milho a 40000
240 rs. a cula milho novo; no arma-
zem da Estrella largo do Paraso n. 14.
a anacahuita mexicana que d o nome es-
pecial este incomparavel remedio, urna
arwre, cuja madeira por muito lempo fe
ha usado no Tampico j)ara a cura das ''ii-
fermidades cima mencionadas. Foi tam-
ban ensatada e approvada pela academia
medica de Berlim O peiloral de Kemp
um xarope delicioso inteiramenle livrc de
opio, acido hydrocyanico c outros ingre-
dientes nocivos.
A' venda as drogaras de Caors Par-
boza, Bravo & C. c em todos os eslal.e'eci-
mentos pbarmaceuticosdo imperio.
Vendem-se no Recite em casa de Caors -
Barboza e Joo da C. Bravo & C.
A tlO OC O
d
Machina
Reriucco do preco.
Vende m-se por precos redozidus machinas de
descarogar alsodao. de serraste todos os tamanhos
a saber; de 14 a 60 serras, assim como motores
para as mesmas e una machina de 120 serras cora
a compleme machina a vapor, asquaes se achara
a visla no armazem de farinha por baixo do Gabi-
nete Porluguez : a tratar no mesmo armazem ou
na rua do Trapiche n. 8, outro sira recomraenda-
se aos compradores das mesmas que usem do azei-
te doce ou de coco era lugar do azeite de carrapaio.
Farinha de muribeca fi ;a e alva, mais
barata que se vende no mercado, em sac-
________eos: na ruado Vigarion. 29.
Vende-se
na roa das Cruzes n. 23 junco e palha, mais bara-
to do que em outra qualquer parle.
Instrncc-oes para o servico
das guardas do exercito, exlrahidas do re-
gulamento de infantaria e accommodadas ao
exercito brasileiro; obra que muito convm
aquellas pessoas que se alistara nos corf.es
de voluntarios; vende-se na livraria n. li e
8 da praca da Ind pendencia, a 10.
ttencao.
Vendem-se sortes para Santo Antonio e S. Joan
a 32300 o cento, tambem d-se de vendagem a 80
rs. por pataca : na rua da Palma n. 41, taberna.
IfMM4* Imperatriz n. 15, segundo andar,
vende-se oa* escrava boa para todo o servigo de
urna cai' un moleque para copeiro, e paga-se bem sendo
bom.
I
I
JffiTIILADO

ILEGVL


DIar'o de **crnambnco Sexta feh-a 9 de nnho de &.
*
ISJ5E3
I
ea
*| GNEROSBAR ATOSA DINHEIRO
M NS ra '
PGMW AH.4ZENS DE IMOLUVDOSll
DE
DUARTE&_.
' rj Paleo (io Carmo n. 9 armazem Progresivo roa do Queimado 71 Q
AURORA BRILHAWTE
~ roicii uv
Unie e Commercio na do imperador n. 40,
ssijj Principal arraazem de molhados.
OH FROFRIfiTARIOS.
Fazetn sciente ao respeitavel publico, e com especialidade aos senhores de ea-
genhos, lavradoresemaispessoas do centro, que paramis facilitar suas compras deli-
beraran! os proprielarios dos tres grandes armazens, reunir todo* os seus estabeleci-
mentos em um s annuncio, pelo qual o preco de um ser de todos, promette-
nios .jue nao infringiremos a tabella que abaixo vai publicado, annunciar os gneros
por um prego, e na occasio da compra quererem por outro, como socede constante-
mente em outras muitas casas, porm nos nossos estabelecimentos nao se dar islo
anda mesmo com prejuizo nosso, qualquer pessoa poder mandar seus fmulos que
sero tana' em servidos como viessem pessoalmente fazendo-nos o favor de mandar seus
pedidos em cartas feixadas; para evitar qualquer engaos, remetiendo nos urna conta
pela qual se ver os precos tal qual annunciarmos, o que senao arrepender pessoa
aiguma que fzer sna despenca em nossos estabelecimentos; pois poupar raais de
S or cento na sua despeza diaria.
Manteiga ingleza flor a i^oOO rs. a li- dem com 4 a 5 ditas a 3,?200.
bra. dem vasios de todos os tamanhos a 2#000,
dem franceza muito nova a 900 a libra, e 15500,800 e 040 rs.
800 em barris. i Vinagre puro de Lisboa a 280 a garrafa e
Uania de porco refinada a 720 a libra e 700 20000 a caada,
em barris. ,dem mais baixo a 200 rs. a garrafa e I#400
Queijos frescos do ultimo vapor a 2#800. a caada.
Coa uxim de superior qualidade a 20600. Azeite doce de Lisboa muito flno a 600 rs.
dem penda miudinlio a 20700 j a garrafa e 40600 a caada,
dem bysson especial qualidade de 20400 a; Toucinho de Lisboa novo e muito alto a 320
2iH)0 a libra. a libra, e em barril de 5 arrobas a 90400
dem preto limito especial a 2?j000 e 20400' arroba. tSB
a hbra. Ceneja Bass do fabricante Slilers & Bell a
dem do Rio em latas de 40000 e a 800 a i 60300 a duzia e 640 a garrafa.
GRANDES AIUZENS
ME -.49
IMOLHADO.S
Smmmmmmm
Largo da Santal
Cruz n. 84, es-j
quina da ra dol
Sebo.
VIMOS
ESPECM.ES
Largo da Santal >jS
[Cruz n. 84, es-^V
da ra do-a
CONSULTORIO MEDI0-IRURGI0
ni
libra.
Latas com biscouto de todas as qualidades
a i?500.
i .i da credilada fabrica de Biato Antonio
(Lisboa) proprias para da a doentes a
20 e 30 a lata.
dem Bass do fabricante T. F. Aslie a 60000
a duzia e 560 a garrafa,
dem marca H Victoria Alsope e outras
muitas marcas a 50 a duzia e 500 rs. a
garrafa.
'Sabao primeira qualidade a 220 rs. a libra
E xinha ingleza muito nova a 30500 a bar- e 210 em caixa.
i;cn e a 240 rs. a libra. dem segunda qualidade a 200 rs. a libra e
Luis com holaxinba de soda e oval a 20. 180 rs em caixa.
r junto inglez para fiambre chegado no Sabiio inglez superior a 180 rs. a libra e
ultimo vapor a 800 rs. a libra. | 160 rs. em caixa.
Cliourigos c paios muito novos a 640 rs. Caf do Rio primeira sorte a 280 rs. a libra
a libra. e 80 a arroba,
is com macarrao talharim muito novo a dem segunda dita a 240 rs. a libra e 70200
>O0Q e ;20 a libra. | a arroba.
' i branca e amarella a 500 a libra. ; Arroz do Maranhao 30200 a arroba e 100
late portuguez de especial qualidade a rs. a libra.
i a libra. i dem da India a 20600, 20800 e 100 rs. a
ll ii suisso de 800 a 10000 a libra. libra.
bes tanbol verdadeiro a 1000 a libra Charutos Normas de Havana a 50500 a cai-
j vendemos a 10400. xa, de Simas (Jos Furlado).
lia casca de guiaba em caixoes de 6 li- dem Londrinos a ;0, idem.
segara a 10800, dem Parasieoses a 40500.
em caixoes pequeos a 700 rs. e de dem Delicias a 10500.
para cima a t:4. dem Traviata do Rio a 50500.
It.mi sbcco em bocetas ricamente enfeita.las, dem varetas de Jlanoel Peixoto da Silva
totilendo pera, pes-go, amcixa, rainba. Ketto a 30500 e 10-iOOa meia caixa.
0 outras frutas a 30000 cada urna. | dem suspiros do mesmo fabricante a 10iOO
dem em calda em latas feixadas hermtica- a meia caixa e 50200 a caixa.
mente mui'o bem enfeitadas, conferido, dem mececipes a 10700 a meia caixa e
pera, pesego, ameixas e outras frutas a 30000 a caixa do mesmo fabricante.
': 7)0 a lata, lambem temes. ]lU>s dem orientaos animismo Iflunn t mm
granaes a ttrrrxrr caixa e 30400 a caixa.
i i dos memores fabricantes, emla- dem jovens de Castanho & Filho a 20400
tas de 20000 a 10200. i a caixa.
i um i las do 1|2libra a 10. dem suspiros do mesmo a 10O3 a meia
i m em 'atas de 1 libra a 640 rs. caixa, e outras muitas marcas de fabrican-
] lias eu latas chegadas neste ultimo va- tes.
1 a 700 o de 5o para cima a 640 rs. Passas muito novas a 10300 o onarte e 50
F verde ou Garrapato em latas j pre-, a caixa de urna arroba bespanbola e 320 j
parado a 640 rs. I a libra.
Ai. xas em frascos de vidro a 10500. Vermule bebida para abrir a disposico de
rora Rri!h^,rol,rllino dol muit0 acreditado arraazem de molhados denominado Au-
"nanie, continua a ter o mesmo sortimento de eneros de nrlmeira mialidade.
. ~.- ,v. o mesmo sortimento de gneros de primeira qualidade.
NAnhul ,a sirv,ra a t0d0i de ^ase para ajuste de contas aos portadores,
pelo uEffZSEES vendera' mas barato e raelhores do que a Aurora Brilhante, ja'
er ananrn i/'',"16010 que lem' Ja mesn> Porque seu dono M deseja tirar diminuto lu-
provS n &J*?* *Clan\ai" as desPezas d0 estobelecimento por isso deixe se a-
antes fregoezes er loda a dili8encia. ^"* de servir bem os seuscons-
Laat37S8 Ubra dechouric maito novas,
,DmffflS8 coraPxe era postas inteiras,
19400 luahdades, a 1^000, 1^280 e
>D,1l?rraS7r|o'rsXCe,len'epe,SCOparafr-
ln!!a! ^ra amexas a IS^< 'i800 e 3*500.
A^breu n7201?sada d afamad fabricante
}m!acCOm massad tomate, oOO rs.
? 2 e2f)SS d Comadre> novos. a i0|
D,2?0r00n^laChaha de SOda muil n0Vas' a
?DhaddesbSi{nh0S inglezesde cuitas qua-
r Chocolate.
Laixinhas com ameixas enfeitadas proprias
L. Para m'mo a 15200,23803 e 3J200.
j 880aa W00PerOr mU, n0V' a'brade
>Macarr3o,talhariam e alelria amarella, a libra
> a 400 rs.
Dito dito dita branca, a libra a 400 rs.
canas com ustrelinha, pevide, e outras raas-
f sas, a caixa 3,5300.
Ditas dita em libras a 640 rs.
[Sagii, a libra a 3G0 rs.
[Sevadinha para sopa a libra, a 240 rs.
hrvilhas seccas, a libra a 160 rs.
jDitas descascadas, a libra a 200 rs.
[TMioca muito nova, a libra a 280 rs.
, ha de araruta verdadeira, a libra a
[ 500 rs.
'^Tlml.A0 Maranhao, em sacco, a arroba a
2*400 e a libra a 80 rs.
.DitodaIn(!iae Java
Vinho verde superior.
A caada a 30000 e a garrafa a 400 rs.
6mffla.
Saccas de 4 arrobas, a verdadeira dese
engommar, a arroba a 30000 e a libra
120 rs. t
Sabao massa, a libra a 200, 240 e 280 rs.
Fariaha. ,
Saccasgrandes com farinha Je Goianna mui-
to nova, a 50000.
Caf.
Cafdo Rio muito superior, a arroba a 80,-
80300 e 90000. \
Cha. (
Ch.temos nestes gneros o melhor possivel,}
hyson, a libra a 25600.
Dito perola a 30000.
Dito uxim a 20700.
Dito hyson muito fino a 20800.
Dito redondo a 20500. tj
Dito preto de primeira qualidade a 20500.
Dito mais baixo a 20000 e^!06OO.
Erva mete.
Excellente cha medicinal, a libra a 240 rs.
Espermaeete^
O masso com 6 velias de5"spTrraacote a 600, /
640 e 720 rs. q
Passas.
Gaixas de 16 e 8 libras de passas novas pro- i
prias para mimos a 40 e 20300.
Nozes.
Nozes, a libra 160 rs. e arroba a 40000.
Alpista e paineo.
Alpistae paineo, a arroba 40000 e a libra a
160 rs.
Cartas.
Cartas finas para jogar. a duzia a 205nO.
Castaas.
D
DR. PEDRO DE ATTAHYDE LOBO MOSCOSO,
HEDICO, f-llfrmilO E OPERADOR.
3 Ra da Gloria, casa do Fundo 3
O Dr. Lobo Moscoso d consultas gratuitas aos pobres todos os dias das 7 s
aoras da maahaa,e das 6 e meia s 8 boras da noitc, excepto dos dias santificado
v'unnui'i especial lio meo pal lea
No mesmo consultorio na sempre o mais appropriado sortimento de carteirai
tubosavulsos.assim como tinturas de varias dymnamisagSes e pelos precos seguintes
Carteiras de 12 tubos grandes. 12^000
de 2 i tubos grandes. 18^000
i i J )'.j))i ,'ranles. 24^000
le tatuos grandes, 303000
de SO tubos grandes. 350000
Prepara-so qualquer carteira conforme o pedido que se fizer, e com os remedi
que se pedir.
mtnbo avulso ou frasco de tinturado meia onca 1^000.
Sende paracim- de 12, custarois precos estabelecidos para as carteiras.
Hatubos mais pequeos cada um a 500 ris.
LIVROS.
\. ti ;t i t > >Td lt U.ttjjpubia, Mmual de Medicina Homeopatbicodo Dr. Jahr
u n ,'< 11 iii> /olu.njs;o;n iiccionario........... 200000
\jJtcina Joinestica lo Dr. Hering,........... 100000
rtjjertorio lo Dr. Millo Moraes............. 60000
Diccionario de terui)s de medicina........... 30000
Os remedios deste estabelecimentoso por dentis coabecidos e dispensam portan-
te de daderos, vterg icos eduradoresrhatudo do melborque se pode desejar,globos de ver-
dadeiroassucar deleite.notaveis >ela sua boa oonservaco.tintura dos mais acreditados
estabelecimentos europos.a maisexacta e aecurada preparadlo, portanto amaior ener-
giaa cortesa em seus effeitos.
Casa de sade para escravos.
Recebe-soscravospara tratar de iiialquerenfermidade ou fazer-se-lhe qualquer
operago, para o que o *nnunciantejulga-se ^lucientemente habilitado.
Otratamento o melhor possivel, tanto na larte alimentar, como na medica, e
funecionando a casa a mais de quatroannos, ha muitas pessoas decujo conceito se nSo
pode davidar, que pdem ser consaltados por aqoelles que desejarem mandar seus
doentes.
Paga-se20OOO pordia durante 60 dias ed'ahiemdiante 10500.
As operacoes serlo previamente ajustadas, ?e nio se quizerem sujeitar aos precos
azoaveisque ;ou tni pulir o annunciante.
., a arroba a 30200 e a li-
bra a 100 rs. '
WfSL Lisboa a 9*5'00 a arroba e a 32 i Castanhas novas vindas neste vapor,
IiJtAJ ba 40000 e a libra a 200 rs.
' 260 r 3 amba Um 6 3 "bra a i ^"-
.Motaos om 125 ceblas grandes, a 1J280. Barris com ze1tonas novas a 15300
[Mostarda franceza, caixa com 2 duziasa
i 7jj0O0.
i Frascos com mostarda preparada era vinagre,
a 400 rs.
arro-
Manteiga.
Manteiga superior, a libra a 10280.
Dita mais abaixo a 10200.
Dita menos superior a 10.
'Ditos com conservas inglezas e francezas, a Dita franceza nova, a libra a 880
. 640e800rs. j Dita dita em barris e meios ditos, a
jDitoscom sal refinado fino, a 640 e a 500 rs. I 830 rs. _-
I Ditos com a verdadeira genebra delaranja, a ; Dita para tempero a 400 rs.
libra
lOOO.
Ditos de2 garrafas de Hollanda verdadeira,a
640 rs.
r8*
,cnm diiM
.
li; i em caixmbas ricamente enfeitadas de
comer 10oOO a garrafa e 140000 a
tOOa 0300. caixa. j
G irvas Mexide muito novas a 700 rs. o Alpista muito novo a 30800 arroba e 140 (
basco. a libra.
: ti de ceblas simples a 700 rs. : Paineo a 13000 arroba e 140 a libra.
:. : i inglez a GiO rs. o frasco com rollia Peixe em latas ja' preparado a 10200 a lata
,;. vidro. e em porcao 10000.
ida em p a 700 rs. o frasco. \ Sardinhas de Nantes a 400 a lata.
. ni j prepai ada a 3-20 rs. I Tijollo para limpar facas a 160 rs.
L as com massa de tomate de 1 libra a Esparmacete a 600 a libra e em caixa a
1)00 rs. s8-
[den em latas de i l|2 libra a 900 rs. Velias de carnauba a 140000 arroba'e 440
\: bus em garrafas viudos do Porto, Madei-1 a libra.
i.i Secca, Duque do Porto, Duque Semi-' Azeitonas de Lisboa muito novas em anco-
bo, Caravanas, Mara Pia, D. Luiz, Pe-; retas grandes a 10800 e a 400 rs. a gar-
dro V, Vellio Secco, Lagrimas Doces, La-
grimas do Douro, e outras muitas marcas
a 10 a garrafa e 9-j. a 120 a duzia.
dem Palmella a 10 a garrafa e 116000 a
duzia.
rafa.
dem um pipa de todas as marcas Porto,
Balaios do Porto muito grandes proprios
para guardar roupa suja a 20500, 30000
e 40000.
Batatas em gigos de 31 libras muito novas a
800, ea40rs. a libra.
liguiraTLisboa a 400 e 500 rs. a gar-.Gomma em paneiros a 40000 arroba e 140
rafa e 20800 a 30500 a caada. i a libra.
I m em ancoretas e 8 a 9 caadas com su- Farinda do Maranhao muito alva e nova a
penor vinho Lisboa e Figueira a 240 a 240 a libra.
ancoreta. Sevadinha de Franca para sopa a 200 a li-
k.m branco expecial qualidade proprio para bra.
missa a 56o es. a garrafa e 40 a caada. Sevada muito nova a 140 a libra e 40OQO
i, ro mais baixo a 400 rs a garrafa e 30500 arroba.
a caada. Caixascom estrelinba, rodinha e pevide a
dem do Porto especial qualidade a 800 rs. 400 a libra.
a garrafa e 50500 a caada. Albos em camastras muito novos e mauncas
Id ni Bordeaux ern caixas a 70 e 700 rs. ai grandes a 180 e 200 rs. cada urna.
.r.irrafa. Canella muito nova a 10000.
Cl.ampanha a melhor do mercado vinda de Cravo muito novo a 500.
nossa encommenda a 300 o gigo. Cominho idem a 320.
i mais baixa de 180 a 200 e 10500 e Ervadoce idem a 400.
30 a garrafa. I Alfazema flor a 240.
Li.ores portuguozes e francezes a 10000 e Amendoas a 400 a libra.
0SOO a garrafa. I Nozes muito novos a 160 a libra.
Marrasquino de Zara, verdadeiro a 10500 a Papel greve a 4-5200 a resma.
garras. dem I izo a 40000.
: mais abaixo a 800 rs. a garrafa. dem de pezo a 30000.
liew bra de laranja ver adeira a 116 a du- ,dem de embruiho marca grande a 10200 e
zia e 10 o frasco. i 10300
Miffl to'ViESt*' &U a f,aS" Idem azu' Pa botica a 20000.
IdtNndeAOBbv^o a 50800a frasqueira. Copos lapidados a 50500 e 500cada um.
i lem em botigas^de Hollanda a 400 e 440 Pa'^s de denles, macos grandes a 120 e
rs. ofusco I *^cadam.
G.urafoes com genebra de Hollanda com 24 Fumo americano de chapa, de snpenor
garrafas a 80, com garrafao. j qualidade a 10500 a ir. ra, em porg5o ter
dem com 14 a 15 garrafas a 60. I abatimento.
Saccas grandes com 1004fitors*de farello superior a 40000 a sacca.
Garrafoes com 2 paloes com dita, a
(Serveja boa, marca, a 500 rs. a garrafa, e a i
) duna a 6$000.
'VinhomuscateldeSetubal, agarrafa a 10.
Marrasqmnho verdadeiro,frascos a 80C rs. e
? a 10200.
jChampagne, a dazia 200000, e a prarrafa a
, 20000.
nAzeite refinado portuguez e francez,a garrafa
5 a 10000.
Caixa de vinho Bordeanx mnito superior, a
5 70, 80,90 e 100 a caixa.
jDitas com dito branco, a 70 a caix?.
v Ditas com dito lacrimas do Douro verdadeiro,
h a 200.
'Ditas com duque do Porto verdadeiro,"a
, 180000.
sDitas com chamisso superior, a 140.
'Ditas com Porto velho e outras muitas mar-
cas, a 120.
Vinho do Porto da pipa, a garrafa a 640, 720
e 800 rs.
.Dito de Lisboa muito bom, araada a 30200,
l 30300 e 45, e a arrafa a 300 e 360 rs.
JDito da Figueira, da seguintes marcas (N.)
(J. A. A.) (J. L. G.) (O. M.) a caada a
a 40300, e a garrafa a 560 e 640 rs., deste
que j est engarrafado e lacrado com o
rotulo do armazem.
tDitosde marcas mais desconhecidas, cana-
9 da a 30300 e 40000, e a garraa a 480 e
520 rs.
-Vinhobranco fino, agarrafa a 640rs.
Dito de caj muito superior, a garrafa a
> 800 rs.
Queijos.
Queijos novos vi^- Uj>M '"P"1 a i$80 e'
,30OO-!)_,_.---------------^>,.^-. hhra
10000.
Papel.
Papel almaco paulado, a resma a W00.
Dito dito lito de linho, a resma a 40oOO.
Dito de peso tizo e pautado, a resma
Dito deembru!ho,bom a 10 e 10200.
Vinho Hadeira.
Garrafas com o _verdadejro vinho Xerez e Ma-Q(>
Laboratorio eaoiojfteo g chiinico de F. P. Lebeuf e C
ra Moiitniartre, 31, em Pars.
Fabrica em Argenteu, prs Pars (Franca).
E
Dos vinhos, agiiardentes e licores.
VIXHOS.Iraitago dos vinhos de todas as
qualidades, Sttraeto Je Xedae, adose para 230
litros, 1 f.2*,1> B.)rd.ix, 2 f., de Pomard, 3
f.,de Lisboa, t f., de Cataln, 2 f.,de Porto,
Xerez, Moscatel, Malaga, dose para 25 ou 30 li-
tros, 4f.
Substancia para fabricar com o alcool e agua
os vinhos cima e todos os outros. A dose para
500 litros, 50 f.
CLACIFICACOPs Inglezes, pos dos vinhos
da Hespanha, da Franca, etc. A libra para 500
litros, 5 f.
COLORACO.Purpirigine para colorear os
vinhos brancos e vinhos daros. As duas libras
para 500 litros, 16 f.
Algnns de nossos agentes teodo falsificado e mita lo nossas preparaea*
freguezesjleve-se exigir sobre as rolhas e rtulos asioiciaes F. V.L. Pars,
0 modo de nsar-so dasprcparaeesieha-se indicado no rotulo.
AGUARDE.\TES.-Esscia d eoao|Jar
as agurdenles ordinarias o sabor e o aroma de
cognac. A garrafa para 100 litros. 5 f
KIRSCH E ABsINTHO.-Esseacia 4e k'rnxii e
de absintho, para os fazer com akoaJ e neo* a
garrafa para 100 litros, 5 f.
LICRES.-Extractospara abricar se toos os
cores conbecidos sem fogo oem afambiqne. n-
dicar-se os que sedeseja.) A dow para 20 ou 25
litros, 3 f.
PERFUMES para fabricar-sa os Io/os Snos ou
communs a dose para20 ou 23 litros, 1 25.
TODOS os outros pradueios pa/a o trafcalho dos
vinhos,agurdenles, licores, vinagres, ele, s5o
fabricados de encommenda.
UTEXCILIOS de laboratorio e de chiraic
oo^uado nossos
As encommendas devem ser acompanhadaspor urna lutrasobrp >-'" ~**,"T,?','U
anca, ouiicaiui**-ior ama ih*"V -r.i^Rfiiiissrs. LebeuriS L. (
de-Franq
Venia sa n b)t;ci franceza, ra d> Imperador n. 38.
chimcos, ra
mohnas wrmm
de trabalhar mo par
descarocar algodo
FABRICADAS
Por Plant Brothers & C.
OLDAS
deira a 10300 e 20000.
Temperos.
Folhas de louro, pimenta do reino, cominho
e cravo, a libra a 400 rs. f|f;.
Velas de carnauba. ag
Massos cora 6 velas de carnauba refinada a ^
480 rs. &
Amendoas.
Amendoas com casca, a libra a 320 rs.
Doce. ifQ
Caixoes de doce de goiaba, grandes a 10400;?;-.;
e pequeos a 640 rs. e)
Tijolos de limpar. (^'
Tijolos de arear facas a 140 rs.
Graxa.
Duziasde boioes de graxa n. 97 a 20000, i"R
de latas a 10000, e os boioos a 240 rs. ca-gfln
da um, e as latas a 100 rs.
Charutos finos.
Charutos finos dos melhore* fabricantes da
Bahia por diversos presos, caixas e meias
caixas.
Sh j lp
,.a *' *
r
AGUA
E grande quantidade de gneros tendentes ||
estes estabelecimentos, que deixara de an-
v>;^V^ ful
mmv
nunciar-se.


CORTIMADOS BORDADOS
N. 11Ra do Queimado--N. 11
A este eaabeleciawn chega altimamente da Europa um grande e vanado sorti-
mento de coninados bordados o qne ha de raais gosto era desenhos e bordados.
Lindos bonets de palha de Italia para senhoras.
Chapeos e chapelinas de palha de Itf lia ricamente enfeitalos.
Chapeos finos de seda para cabeca de homens e chapeos de sil de seda inglezes ^de
8,12 e 16 astes.
Bournns e chales de renda pretos superiores.
Pelisses e sontembarqo.es de seda preta para senhoras.
Cortes de lia de barras de 140 a 220 de mnito gosto.
Baldes de arcos e de rausselina finos, manguitos e camisinhas.
Saias bordadas muito superiores. .___ ma
Moireantlque preto, grosdenaple preto e de cOres, panno preto fino de diversas qua-
lidades e casemiras pretas e de cores.
Lnvas de pellica para hornera e spnhoras. ... v ---
E rauitas outras faz-mdas que tudo se vende barato na toja de Augusto treaenco
dos Santos Porto, aonde lambem sa vendem as melhors e mais baratas
Esteiras da India para forrar salas
N. il-Riia d Queimado-N. 11
,-st
TaSso Irmos
vendem gesso em p para esluane de casas, tijolos
finos de feitfo diversos para ladrilho, azuleijos de
diversos gostos, tijolos vidrados para parede de co
0 GASTELLO BE VIB1GS
Traduiido do francez por A. J. G. da Crui.
Vende-se este bello romance ero quatr
ba denS8rrSas ^ ^^ CetMal em'tomos pelo baratissimo preco _de 4550C
ua praca da Independencia. Hvraria ns.
bro quedos 6 e 8.
Caluagas Haas e
* para meninos.
Lhegaram para a toja de miudezas da ra do
Queimado a. 69, os mais finos e lindos caluagas
uanjopara brinqoedo de meninos como para cima
de mesa : na mesma toja se encontrara bom sor-
timento de miudezis.
Attengfto.
Na taberoa da ra da Palma n. 41 vend-se fa-
rinha da trra a 180 rs. a caia, era sacca com 32
cuias por 50500.
Estas machinas
podera descarocar
qualquer espe'c
,de algodao sea
p 'estragar o fio.
Mr^""1 sendo bastante
W^^ duas pessoas par
o trabalho; pd
descarocar um:
arroba de algo-
do em earocc
em 40 minutos
ou 18 arroba!
por dia ou 5 ar
robas de a!god(
limpo.
Assim como machinas para serem movidas por
animaes, que descarocam 18 arrobas de algodi
limpo, por dia; e motores para mover urna, duas,
eutris dessas machinas.
Os raesmostera para vender um bellissimo va-
por que pode fazer mover seis destas machina:
mencionadas; para o que convida-se aos Srs.
agricultores a virem ver e examina-lo, no arma-
zem de algodo, no largo da ponte nova u. 47.
Saimders Brothers & C.
X. II, praca do Corpo Santo
RECIFE.
Os aicos agentes neste paiz.
Rival sem segundo
Ra do Queimado n. 49, loja de miudezas de Jos
& Azevedo Mala e Silva esta disposto a vender mui-
to barato que admira, pois seus freguezes ja esto
scientes que nao ha segundo competidor.
Pe^as de cordo para vestidos a 20 rs.
Capachos redondos e compridos a 500 rs.
Talheres para meninos a 240 rs.
Duzias de facas e garfos a 20400.
Ditas de cabo prelo cravado a 30000.
Raralhos francezes muito finos a 200 e 240 rs.
Grozas de botoes de louca a 160 e 200 rs.
Caixas com soldados de chumbo a 120 e 200 rs.
Bunecos de choro pequeos a 160 rs.
Varas de cordo para espartilho a 20 rs.
Duzias de colheres para cha a 800 rs.
Duzias de colheres para sopa a 10300.
Ditas de metal principe de cha a 20000.
Ditas para sopa a 40000.
DROGARA.
34Roa] larga do Rosario34
Bartholoraeu Francisco dcSouza
Vendem:
Acido actico paro para retratistas.
Esmaltes para ourives.
Papel para forrar casas.
GuarnicSes avelladadas.
Tinta branca superior em lata.
AlvaiadeVeneza, flno.em paes.
&c.
Urna familia qus se retira vende ama mobilia
de amarello j usada, trem de cosinha, louga de
almoco e jantar azul, urna mesa de jantar de ama-
relio psorniados, masas pequeas, comraodas,
cama de casal e muitos outros objectos o que todo
se vender em conta: na roa dos fir* o. 62.
Vende-se urna negr nha de 10 annos, muito
esperta e sadia : no pateo da matriz de Santo An-
tonio n. 8.
DE
Florida.
para restabelecer e conservar a cor natural dos ca-
bellos.
A agua de Florida nao urna tintura, fado es-
sencial a contestar, a mesma agua dando a cor
primitiva de cabello. Compostas de plantas exti-
cas e de substancias inoffensiveis, elia km a pro-
priedade de restituir aos cabellos o principio co-
rante que elles tem perdido.
De urna salubridade incontestavel, a agna de
Florida entretem a limpeza da cabeca, destroe as
caspas e empede os cabellos de cahir.
Oleo de Florida
Composto de substancias vegetaes exticas, elle
conlribue poderosamente, com a agua de Flo-
rida aforca, a belleza e a conservajo dos cabel-
los.
Em Paris casa de Guilaurn. 112 ra de Rechi-
lieu e 21 bonlevard Montroartre.
Todos os frascos nao tendo intacto e claro, e Un-
cir prateado da rasa. reputado falso.
Deposito ra do Imperador pharmacia n. 38.
Vende se vinho de caj a 500 rs. a garrafa ;
na ra Augusta n. 76.
No armazem de fazen das ba-
ratas de Santos Coelho,rua
do Queimado n. 19, ven-
de-se o seguinte:
Lpnces de panno de linho a 20400.
Ditos de bramante de linho de um s panno a
30500.
Cobertas de chita da India a 20500.
Lencos de cambraia brancos proprios para algi-
beira, peio barato preco de 2^000 a duzia.
Pegas de bretanha de rolo com 10 varas a 30800.
Ditas de cambraia para forro de vestido, com 8
varas, pelo baratissimo preco de 20600.
Guardanapos adamascados pelo baratissimo preco
de 30500 a duzia.
Algodao enfestado com 7 1(2 palmos de largara a
10200 a vara.
Cortes de laa de lindos gostos com 15 covdos a
60000.
Pegas de cambraia adamascada com 20 varas, pro-
prla para cortinado, pelo barato prego de 110.
Fil liso fino a 800 rs. a vara.
Dito com salpicos a 10 a vara.
Tarlatana branca fina a 800 rs. a vara.
Atoalhado de algodo adamascado a 20200 a vara.
Dito de linho a 30200 a vara.
Lazinhas lisas de todas as cores, pelo baratissimo
prego de 500 rs. o covado.
Pegas de cambraia de salpicos brancos e de cores
com 8 li2 varas, pelo baratissimo preco de
40500.
Rales de 20 arcos a 20500, de 25 a 30, de 30
3*500, de 35 40, de 40 40500.
Toalhas felpudas a 130 a duzia.
Esteiras da India de 4, 5 e 6 palmos por menos
prego do qne em ootra qualquer parte.
Neste armazem se encontrar um grande sorti-
mento de roupa feita e por medida.
Admiravel pechincha!
Socambique a 300 rs. o covado, na toja
do pavao.
Vendem-se os mais benitos mocatnbiqnes de po-
ra la proprios para vestidos e soutembarques,
sendo de quadrinhos de li?tras e lisos, fazenda in-
teiramente nova, em padroes e mnito proprias pa-
ra as senhoras que frequentam o mez Mariano,
porque esta fazenda Ihes facilita fazerem por pou-
co ditheiro vestidos mnito decentes para qnalquer
acto, advertindo-se qne este baratissimo prego
devido a grande compra que se fe desta nova fa-
zenda, que se vende a freze tustes o covado : na
loja do pavao, ra da Imperatriz n. 60, de Gama di
Silva. .
?V
11LEG1VEL i


litarle de Pernaoibaco ... scila fclra de Jirnio de 1SG&
N
*
-v
0 NOVO GERENTE
DO
AO PUBLICO
Sem o menor constran-
j gimento se entregar* o
Importe do genero que
nao agradar.
ESTABELECIDO A RA NOVA N. 60
aaia hidhm id3 sis jDtuaiK&aia
AO
UESPEITAVEIi PUBLICO.
A apreciado dos habitantes desta heroica provincia existe no grande arma-
zem da Liga estabelecido ra Nova n. 60 um magnifico sortimento de molhados,
que sendo em sua maxim parte mandados vir directamente do estrangfiro podem ser
vendidos por precos asss razoaveis.
Sem a fatuidade de querer que este novo e nteressante estabelecimento seja o
primeiro e nico em seu genero, pde-se porm ;iffiancar, com toda a seguranca de que
nenhum outro o exceder no restricto cuiiiprimento das seguintes promessas:
ABMAZEM
ATTENQAO
O prevo da segulnte
tabella para todo, po-
dendo asslm servir de ba-
se para o ajaste de eontas
eom os portadores:
RA IMPERIAL
numero 19 :\
VENDE SE
rap imperial, igual ao rap Lisboa, e ouiro fabri-
cado de novo Igual ao de ara preta, em porces a
SCO rs. a libra.
Grande pechinrha para os fumadores : qier.i
quizar fumar borne barato venha c.
Charutos da Baha de superior qualidade. flor
da Maritiba e de differentes mareas, Unto avulsus
como encaixotados, por precos mui commodi -
VENDE-SE TAMBEM
grande pechincha para os senhores cliarnlelros,
fumo da Babia patente deprimeira. s^puudr. c ter-
eeimjualidade, por precos mu razoaveis.
Vende-se 30^almos^|envm> ; ii
ser edificado na ra Imperial, e Dea enii
darte? : a tratar na ruado Alecrim, casa
tao de ferro na frente.
1.' Delicadeza no trato.
2. Fidelidade no peso.
3.' Sinceridade nos pregos.
As pessoas que por sna posiejo social gozam de certo tratamento, acharo nesta
casa os melhores queijos londrinos, cerveja, vinbos finissimos manteiga e cha sempre de
primeira qualidade. etc., etc.
Qualquer que seja a condigao do freguez, elle deve contar que ser sempre mili-
to bem servido.
RA DA CADEIA DO RECIFE N. 53
(Logo passando areo da ConcelcSo)
PARA BEM DE TODOS.
Senhoro7 smnoras, o aceio qne presidio aos arranjos deste novo estabelecimento, e mais que tudo a promptidSo e inlei-
reza com que serio taUfs^trrida a urna visita ao mesmp, certos de que sem davida me daro a proteegao e preferencia na com-
pra dos teneros que precisares e quando no possam vir poderlo mandar seus portadores, ainda que estes sejam pouco orticos
pois serio t3obem servidos como seviessem pessoalmente, havendo para com estes toda recommendacao, afim |de que naovo en
a
faz
Mjnteiga ingleza especialcente escollada
* ,00o e 800 rs. a libra e em barril sefa
abatimento.
Idemfrancezaa mais nova do mercado a 96o
r.r*' a ''bra e 900 rs. em barril ou meios.
L nysson de superior qualidade a 2,600
( rs. a libra.
t Perola o mais superior do mercado a
2,800 rs. a libra.
dem hysson muito superior em latas de 15
libras muiloproprio para negocio a 2,ooo
rs. a libra.
dem hysson nacional em latas de 1 e 2 li-
bras a I,6oors.
Aquelles que sao pouco favorecidos da sorle faro mensalmente urna economa de nT-^L0 9ue sb pode desejar neste ge-
muitas patacas, afreguezando-se nesta casa, onde se lhes vender o arroz, o caf, a man-
teiga oassucar, etc., etc. de boa qualidade pelo preco que em algumas partes nao po-
dem ou nao querem vender.
Os senhores de fra da cidade, dos arrebaldes ou centro, que comprara para ne-
gociar, devera vir, pelo sen proprio inleresse, a este estabelecimento para se convence-
rem do quanto se pode vender barato.
Para os senhor s que compram para tornar a vender existe um sortimento espe-
cial, escolhido por pessoa entendida que certamente muito deve agradar aos senhor
compradores.
Nao se tem poupado sacrificios, nem se deixar de fazer a diligencia para agra-
dar a todos.
PELOS SEGUINTES PRECOS S SE VENDE
A DINHEIRO VISTA:
ALPISTE E PAINCO a 110 rs, a lib a.
AMENDOAS novas'a 28o rs. a libra.
AVELAES a 240 rs. a libra.
ARROZ de 90 rs, a libra a,..
AMEIXAS francezas em latas, potes, fras-
cos, bocetas, etc etc.
AZEITE doce a 600 rs. a garrafa, cadada a
B
I M
MANTEIGA ingleza efranceza alfl,. 15120
10280 e em barril faz-se grande abati-
mento. _
MACARRO a 400 rs. de 8 libras para cima
a 360 rs. a libra.
MASSA DE TOMATE a 600 rs. a lata.
MOSTARDA ingleza a 800 rs. o frasco.
MARRASQUINO de Zara.
BANDA de porcoa660rs. a libra, em por- MARMELLADA de diversos fabricantes e
fo faz-se abate.
BOLACHINHAS do beato Antonio a
BOLACHINHAS de soda lata grande a 2,000
ris.
r.ISCOITOS ing'ezes em latas de 1,200 rs. a
BOLACHLNHAS principe Alberto a 2,000 rs.
c
CHOURICAS m ito novas a 800 rs. a libra.
CAF de'260 rs. a libra.
CHOCOLATE francez a 800 rs. a libra.
CHAMPAGNE das marcas mais acreditadas
a 25,000 rs. o gigo.
CHARUTOS de todas as qualidades, suissos,
american s, bahiannos, fluminenses, etc.,
de 1,400 a 10,000 o cento.
CHA HYSSON de 2,200 a
COPOS lisos ladidados de todos os tama-
nhos a
O
DOCES de todas as qualidades.

ERVILHAS seccas e em latas portuquezas e
francezas.
F
FARINHA de araruta verdadeira a 800 rs. a
libra.
FARINHA do Maranho ou tapioca a
FARELLO de Lisboa a 4 e 5,UO0 rs. a sacca.
FAVAS portuguezas em lata a 600 rs.
GOMMA muito nova e alva a 140 rs. a libra.
GRAO DE B1CO a 120 rs. a libra.
GENE8RA delaranja a 9 e 10,500 rs.
CENEBRA de Holtanda un botijas, frascos, IVELLAS de
garrafas, etc.. etc. arroba.
diversos presos.
I
PEIXE em latas a 1,000 rs.
PERAS SECCAS a 500 rs. a libra.
PASSAS muito novas a 320 rs. a libra.
PRESUNTO para fiambre.
<*
QUEMO do reino de 2,000 a
DEM londrino.
DEM suisso a 800 rs. a libra.
DEM prato a 800 rs. a libra.
SABO MASSA a 160 rs. a libra e grande
abate em caixa.
SEVADINHA a 200 rs. a libra e 8 libras se
far grande abatimento.
V
VINHO tinto de 360 a.. garrafa.
VINHO tinto em caada de 2,560
VINHO branco em caada de 3.500 a
VINHO verde a 4$ rs. a caada.
VINHO Bordeux em caixa a 6.000, 7,000 e
VINHO de Grave a 6,000 rs. a caixa.
VINHO Cherry a 1,000 rs. a garrafa.
VINHO do Porto de todas as marcas e todos
os presos.
VINHO Collares a 800 rs. a garrafa.
VINHO tinto, neste genero ha constantemen-
te 20 a 30 pipas ao torno de diversas
qualidades e diversos precos.
VINAGRE era ancoretas a 15,000 rs.
VINAGRE em pipa a 160, 200 e 240 rs.
VINAGRE branco a 400 rs. a garrafa.
carnauba a 13 e 13,500 rs. a
. ero a 2,000 e 2,2oo rs. a libra. -
Ltnguics muito novas a 800 rs. a libra e em
barril se faz abatimento.
Chouricas e paios a 800 rs. a libra.
Costelletas inglezas a 64o rs. a libra, serve
para temperar panella ou para fiambre.
Queijos do reino chegados neste ultimo va-
por a 2,2oo rs., ditos de navio devella a
$,000 rs.
dem londrinos muito frescos e de superior
qualidade a 800 rs. a libra,
dem prato a 800 rs. a libra, e inteiro se faz
abatimento.
dem suisso o mais superior que tem vindo
ao mercado a 64o rs. a libra.
Ervilhas e favas portuguezas j preparadas
em latas hermticamente lacradas a 64o.
Feij3o verde muito superior a 640 rs. a lata.
Copos lapidados para agua a 5,ooo e 5,5oo
rs. aduzia.
demidem para vinho a24ors.,e 2,4oors.
a duzia.
Chocolate francez :iespanhol e suisso a 9oo,
l.oooel,2oo rs. a libra.
Espermacete superior a 600 e 64o rs. a li-
bra e em caixa se faz abatimento.
Peixe em posta em latas hermticamente la-
cradas e das melhores qualidades de pei-
xe a 800, l,ooo e l,2oo rs.
Vinho Bordeaux das marcas mais acredita-
das que vem ao nbsso mercado a 7,ooo e
8,000 a caixa e Co e 7oo ris agar-
rafa.
Genebra de Hollanda a 48o rs. a botija de
conta certa.
Frasqueirasde genebra de Hollanda a 6,800
e 64o rs. o frasco.
Genebra de laranja verdadeira era frascos
grandes a l.ooo e H.ooors. a frasqueira.
Caf do Rio de Ia qualidade a 28o rs. a li-
bra e 8,000 rs. a arroba.
Caf do Cear muito superior a 24o rs. a li-
bra e 7,5oo rs. a arroba.
Arroz do Maranho de Ia qualidade a loo
rs. a libra e 2,8oo a arroba.
dem da India a loo rs. a libra e2,8oo a
arroba.
dem de Java a 80 rs. a
roba.
Alelria, macarro e
bra e 6,000 a caixa.
talharim a 4oo rs. a l- Sa^ refinado em frascos de vidro com tampa
3,5oo a caixa com 8 libras.^" I L1 l T^c a 8o 5 e 5"
Vinho do Porto muito fino proprio para' 11 5'8' 6'000 e6'5o a du"
rafar, em ancoretas de 9 caadas a Cevadinha de Franca muito nova, a 2oo rs.
35,ooo rs.
Vinho em pipa: Porto, Figueira e Lisboa a
32o, 4oo e 5oo rs. a garrafa, e em caada
a 2,5oo, 3,ooo e 3,8oo.
Vinho branco de Lisboa de excellente quali-
dade a 4oo e 5oo rs. a garrafa e em cana-
da a 3,000 e 3,5oo.
Vinho branco para missa em caixas de 1 du-
zia a 8,000 e 680 rs. a garrafa.
Vinho do Porto das melhores marcas que
vem ao mercado como sejam : Lagrimas
do Douro, Duque do Porto, Rainha de Por-
tugal, Duque genuino, D. Luiz 1, Madei-
raSecca,Malvazia lina a 16,000,15,ooo,
12,ooo e 10,000a caixa com 1 duzia eOoo,
l.ooo c I,5oo rs. a garrafa.
Vinho Cherexde superior qualidade al 6,000
a duzia e l,5oo rs. a garrafa.
Sardinhas de Nantes a 4oo rs. os quartos e
64o rs. as meias latas.
Bolachinhas inglezas muito novas a 5,ooo a
barrica e 320 rs. a libra.
Bolachinhas de soda em latas de diversas
qualidades a l,3oors.
Cartees com bolo francez muito proprros pa-
ra mimo a 64o rs.
Passas muito novas em caixinhas enfeitadas
para mimo a 3,ooo rs.
Passas de carnada a 8,000 a caixa e 4oo rs.
a libra.
Figos de comadre a 24o rs. a libra.
Amendoas de casca mole a 4oo rs. a libra.
Milo de amendoas a 5oo rs.
Bolachinha d'agua e sal, da fabrica de Joao
deBrito no Beato Antonio, emlata de 6 li-
bras por2,5oors.
Ameixas francez;is em Tasco de vidro com
tampa do mesmo, a l5oo.
Ameixas franc zas em c?.ixinbas de diversos
tamaiihos com bonitas eslai. pas na cai-
xa exterior, a 1,40^, l,6oo, l,8ooe 2,ooo
cada urna.
Azeitedoce refinado hespanholou portnguez
a 9oo rs. a garrafa e 10:000 a caixa.
Batatas muito novas a 80 rs. a libra e2,5oo
o gigo com 36 libra*.
Conservas inglezas a 75o rs. o frasco e
8,5oo a duzia.
Vassouras de escova para esfregar casa a
4oo rs.
Nozes muito novas a 16o rs. a libra.
Molho inglez em garrafa d vidro comrolha
do mesmo, a 16o rs.
Mostarda ingleza dos melhores fabricantes.
Charutos do alfamado fabricante Jos Furta-
do de Simas, das seguintes qualidades:
Exposicao Normal de H^vana. Imperiaes,
Londrinos, Guanabaras, Parisienses, Sus-
piros Delicias, a 4,000, 4,5oo, 5,ooo,
0,000 e 7,ooo a caixa ou em neias.
Charutos finos de diversas marcas e fabri-
cantes' como sejam: Flor do Norte. Ma-
niinasdeHavana, intervallos,Vencedores,
Panatellas e Suspiros, a 2,ooo, 2,5co e
3,ooo a caixa.
ognac inglez das melhores marcas, a 800 e
l,2oo a garrafa.
Doce da casca de goiaba a 2,ooo a lata com
4 libras.
Farinha de araruta verdadeira a 32o rs. a
libra.
Matte,excellente cha para os navegantes, a
2oo rs.
Sebollas de Franca muito grandese novas
a l,8oo o cento e l,2oo solas.
Palitos do gaz a 2,2oo a grosa.
Toucinhode Lisboa muito novo a 32o rs. a
libra e 8,5oo a arroba.
Banha de porco refinada a 65o rs. a libra.
Bolachinha Alberto, as melhores que pre-
sentementetem vindo ao mercado, a 2,000
a lata.
Farinhado Maranho muito alva e cheirosa
a 2oo rs. a libra.
Frascos com fructas em calda de diversas
qualidades a 2,5oo e l,5oo o frasco.
Caixinhas com fructas em doce secco de di-
versos lmannos, muito proprias para
mimo, a l,6oo. 2,6co e 3,5oo cada urna.
Ruibos, excellente peixe portuguez, em
barris pequeos ou a relalho, a visla se
far o preco.
Azeitonas de Rivasem ancoretas grandes de
8 garrafas por 600 e 800 rs. a garrafa.
Azeitonas portuguezas a 5oo rs. a garrafa e
l,5oo cada urna ancorela.
Champagne da melhor qualidade que vem
ao mercado, a 2,ooo e 3,5oo a garrafa, e
24,000 e 26,ooo o gigo.
Gomma de engommar muito alva a 12o rs.
a libra.
.ira
i-pife-
11 pf.r-
ESGBAVOS FMItttt.
No da 9 de maio prximo pasado
rugi da ra da Imperatriz casa n. 9. segao-
do andar, o escravo pardo de nome Eoge-
bk>, que lem os signa* seguintei : magro,
sem ba ba, tem falla de denles na fj eme o
a vista esquerda coberla com uni;i
branca, tem sido encontrado a tonh: r
ribeiras e na eslaco da estrada de ferro ei
S. Jos : quem o levar a
bem gratificado.
u'Yoa
na
caa acuna ser
ce
Escrava futida.
lugio domingo a esclava preta Alaria, Laxa e
ni falta de denles na frente, li vou I sslan ku-
pa sua, suppoe-se eslar acontada a.jui no lkel
roga-se as autoridades polieiaes e espilles di ni-
po a captura de dita escrava, e. lvala a ru.i u.i
rraia 11. /8, que gratificara.
- rapio no di 16 de mato proxinw p*du o
preto crtoulo de nome Braziliano, idae di 6 sn-
nis estatura regular, edr fula, leudo un ,, -
tes da Trente quebrado, sim barba, apenas Icoi
cabellos a reda da garganta e ollu.r in 1 n o.
nem tallante, sabe ler e escrev.r e falla v.n-. um,
o inglez, borc ropeiro, cosiuha e lava I ni. levoo
vestido cmisa de algodu branro e paira de .! lo
azul, conduzndo al^uma roupa Una, coiro bm
cairas de casimiras de lisias,jaqo< la biaoea ra-
n isa de madapolo, lences e m; i: rooi ;i ni
marcada cini a letra D de liaba den ,w,...,.,<,;,<
pecas e ouiras com o nome por esle.-o en Una
de marcar, leven cliaio de talha in itando n ani-
ma, chapeo de sol de seda verde | n-iu., >-\nu>
e meias, de suppor que se inenJque de torro :
quem o apprehender cundnzindo ao sitio de Ji ao
Matheus, no Poco da Panella, sera genersaii ente
gratificado por seu senhor Juvinu andeira.
lj? de gratificafip.
Fogio ne da 7e maio de 1865'. da casa do abat-
i a>signdo, o seu esciavu Francisco, cabra 1 1
tura regular, grossodo corpo, cabello nao laiai.i
nhados, denles pefeiios, sem baiba, |- e ;,
regulares, levando vestido calca de case ni:: ,...
la, camisa branca, paletct e alpaca e cbart 1
baea, preos 5 alen; dos referidos sipra.f t.m
elle no brato direito nm sino Salomao, aiiu
do qual lem um corara., feilo com unta azi !, i.
cojo centro tem as seis ioiciaes segnintes : III
M!, lem elle 23 aooos de idade, pouco n .
menos. Consta ter seguido a estrada du non.
em busca da casa de seu antig.. senhor o um ule
coronel Joaquim Carneiro da Cost, a qu. 1
lagar denominado urr.al iande I Anna, provincia do Cear. O absixo assfcnau
recomn.emla nao s as autoridades, como nos .
pitaes de campo deqnaiquer lugir, a captura di
referido escravo, o qual podet ser enlre ib lo
primeiro andar do sobrado n. 81 da ra do Impe-
rador, eidade do Recite, ou no sitio da estrada ue
Jcau de Barros, residencia do abaiio ; ..-
a pessoa que o trouxer lera a (ratifleacao tu lina
________Joaquim Manoel de Mira YA'a'nderley.
Escravo fgido
10000.
I a 800 rs. o frasco,
ibra e 2,4oo a ar- Mostarda franceza em potes j preparada a
400 rs. o frasco.
Paineo e alpista a 14o rs. a libra e i,oooa, Lentilhas francezas, excellente legume para
arroba. SOpa> a 200 rs. a libra.
Massa de tomatesde superior qualidade a 6 o'Marrasquino le Zara propiamente dito a
rs. a lata de urna libra eo6o rs. a reta-: 15 a garrafae 11,000 a duzia.

AS PITAS
Superiores cortes de moirs preto com barra, o qne ha de melhor gosto em
Pernambuco..
(dem de gorguro preto adamascado com barra a imperatriz Eugenia,
dem de gorguro de seda bordados com barra.
Superiores moirs pretos e largos 2i400, 2#600, 3(5, 3#500, 4#, H, 6,
7# e 8J o covado.
Superior gorguro deseda preto, a melhor fazenda que ha para vestido.
Sarja preta de seda,
dem preta hes;.anhola.
dem idem lavrada a 2# o covado.
dem idem lavrada muito superior.
Completo sortimento de grosdenaple preto a 1(5500, 1^800, U, 2^500, 30,
3,5500, 45, 4,5500 e U. ?
Pannos pretos de superbr qualidade de 3)5 a 12)5 o covado.
Casemira preta de 1)5600 a 5)5 o covado.
Lindos chales, bournus, algeriennes e retoudes de fil preto.
Mantas pretes de fil e los pretos.
E muitas outras fazendas de superior qualidade na leja das Columuas
na ra do Crespo n. 13 de Antonio Correa de Vasconcellos & C. successores
de Jos Moreira Lopes.
Iho.
Palitos de dente a 14o rs. o maco.
Figosemsextinhas a 80 rs.cada urna e 72o
rs. aduzia.
Papel azul para botica a 2,000 a resma.
Balaios para roupa suja, grandes epeque-
nos, por diversos precos.
Amendoas confeitadas a 6o rs. a libra.
Latas com fructas em calda: pera, pecego,
damasco, rainha Claudia e cereja, a 800
rs.
Vinagre de Lisboa a 2oo e 28o rs. a garra-
fa e a l,4oo e 2,000 rs. a caada.
Azeitedoce de Lisboa a 4,800 rs. a caada
e 640 rs. a garrafa.
Vinagre brancoj engarrafado a 5oo rs. a
garrafa.
GOMMA NOVA.
Em paneiros muito alva a 4,ooors. a arroba e 16o rs. libra e compran-
do de um paneiro para cima se far abatimento na ra do Imperador n. 40.
Baldes
A leja de calnngas na ra do Rangel n. 24 aca-
ba de receber um completo sertimento de baldeo
de todas as cores para os festejos de S. Joo, Sants
Antonio e S. Pedro : vendem-se a aito barato.
FU de algodo da Babia.
Vendehe do escriptorio de Antonio Luiz de Ol-
reir Azwedo A C, ra da Cruz n. 1.
Chegaram os superiores
cortes de seda.
Superiores cortes de seda de cor, vindos pele
ultimo vapor francez : na loja das columnas a ra
, do Crespo n. 13, de Antonio Correii de Vascon-
J cellos 4 C.
Agua florida e tnico oriea j gg; {
tal de Kemp.
Continua-se a vender em porgao o a retalho :
na ra do Queimado, loja d'aguia branca n. 8.
Chromacomo
A aguia branca, na ra do Queimado n. 8, acaba
de receber um novo sortimento de caixinhas com
chromacomo para tingir cabellos, e bem assim
frascos com hydrocailetrichina, agua para desen-
grasar os ditos, coloncomo para lustrar os ditos,
e onychromantina para limpar as unhas. Essa
tintura, cojo effeito rpido e efflcaz, est bem co-
nheeida e apreciada para todos qaantos della tem
usado, e os que de novo a quizerem apreciar, po-
dem, assim como aquelles, dingir-se munidos de
dinheiro ra do Queimado, loja d'aguia branca
numero 8.
Papel e folias para rosas
Acaba de ebegar para a loja d'aguia branca, na
ra do Queimado n. 8, um bello sortimento de pa-
pel de cores para rosas, dito verde para folbas, e
dito tambem verde e mui fino para cobrir o ra-
me, assim como folhas de panno e avellndadas
para ditas.
Aspas de baleia para vestidos
Vendem-se na ra do Queimado, loja d'aguia
branca n. 8.
Superiores penas d'ago ingle-
zas e francezas
A aguia branca alm do grande sortimento de
penas d'aco que constantemente tem, acaba de
receber mais outro de superior qualidade e dos
afamados fabricantes Perres & C, asslm como as
verdadeiras bico ddflfeica n. 134 c outras de pon-
a dourada, continuando porm a vende-las por
precos commodos, com tanto que o comprador com-
pareca munido de dinheiro: na ra do Queimado
loja da aguia branca n. 8, onde tambem achar-se-
ha a venda pastas para papis.
A aguia branca na ra do
Queimado n 8, recebeu:
Bonitos e graudos aljofares de cores para voltas.
Palseiras de ditos de Iguaes e agradareis cores.
Voltas pretas maiores e menores todas de couUs
grossas.
Polceiras pretas tambem de eontas.
Outras de differentes qualidades e gostos.
Brincos de aljofares de cores e donrados.
Fivelas d'aco grandese pequeas com cinto pre-
to e de madreperola.
Outras rraudes de diTerentes qualidades e re-
dondas com pedras.
Bonitos leques de madreperola redondos e de
outra forma.
Ditos de sndalo interinos e corredizos.
Capellas brancas para meninas.

^ ATTENQfiO IKIEUS SE1H0RES

PARA
Ainda se. aeha fgida a escrava parda, Rufina, a
qual ausentu-se no da 2 de iiezembro ne .
com urna cria de nomo Maria, de anuo e mei i d
idade, do sitio da Pirauga da freguezia dos J p
dos, pertencente a seu senhor o engenheiro i: n-
rique Augusto Milla. Tiulia uaquelln poea 18
anuos, lilha do Ilecife, sal-e ler e (era ossi
seguintes: baixa, cara lexigosa, cabello car*j
nho, olhar drsconliado, sendo urna j. na ni is
grossa que acuna por llie ter dado arias vejes
erysipella : dase a gratilkacao cima a quem it
va-la ao seu senhor no engenbo Salllnho da fre-
guezia de Una, ou recolhe-la a casa de detenco da
cidade du Recite.
Fugio em principios do mer de'ferereiro do
correle anno e consta t-star acoutad.-: i rt c di :*
o moleque Enzehio. escravo da vinva to Dr. Per-
Dando Affonsode Mello, de 12 anuos de idade pen-
co mais ou menos, cor preta, secco do corpo. olfcoi
regulares e afumajados, rabeca 11 m pouco giai c
e meia chata, beicos nos, denles bem alvos, ps
seceos e muito ladino : roga-se por lanti a ii das as
autoridades polieiaes e capitiesde campo qne o 1-
prehendam e levem-o a ra da Mangm ira sobrado
n. 6 que serao gratificados, protestando-se usar dos
meios judieiaes contra qualquer pessoa que otenba
em seu poder.
^F-
Fazendas bapatissimas loja da roa do Crespo n. 17 de Jos Gomes
Villar.
A nova cnse commercial permitte que o povo em geral nao possa comprar fazendas
caras. O proprietario deste estabelecimento, amigo que c do povo em geral. attendendo a
essas circunstancias est vendendo fazendas por precos que na realidade admira.
Correi, bom povo, a este estabelecimento, e comnrai fazendas, porque all se vende
por menos do que era outra qualquer parte.
Cassas organdyzes a 280 rs. o covado.
ChiUs francezas escoras matizadas a 260 rs o covado.
Ditas escuras muito finas a 240 o covado.
Ditas claras dem a 240 o covado.
Ditas escuras idem a 260 o covado.
Chitas para eoberta muito largas matizadas a 240 o covado.
Madapoloes finos largos a 6590, 74 e 8.
Chales de fil preto muito bons lOjOOO cada um.
Chales de merino estampados a 5500, 64 e 7.
E outras muitas fazendas, que tudo se vender por precos que admiram.
Fugio no dia 28 do correnle, a n:le, Y es-
cravn Jauuaria, pertencente a Amelia I
Deschamps senhora de Mr. Leen Cbapelin, retra-
tista, cuja escrava houve por compra qoe fi
Sr. Pi Pierres Varclla Barca em abril nllimo <
intermedio de seu procurador Jo) Francisco a-
bral, desconfia-se que a dita escrava tenba se-
guido para Paje dr Flores e que procure o enge-
nbo do Exm. bao de Vera Cruz, a quem a lem-
pos passados pertenceu : a da escrava tem pouco
mais ou menos 20 annos de idade, de estatura
pequea, de cor fula, tem os denles limados, i i.,
eolhos muito pequeo-:, giatilica-se bem a quem
apprehende-la.
enc
Azeite doce refinadoem pequeas latas a 560 rs. a garrafa : no graude armazem
da Liga.
Saceos de 80,100 e 120 libras a 4, 40500 e 50 ; no grande armazem da Liga.
Madapolo ranlto fino com pequea toque de avaria, por preco que admira : na loja
das columnas na ra do Crespo n. 13, de Antonio Correw de Vasconcellos & C.
No dia 4 de Janeiro de anno de 1864, fugio do en-
genho Conceifao, comarca de Pc-d'Alho, o eseri
i vo Galdino, pertencente ao abaiio assJgnado, coro
os signaes seguintes : idade 26 annos, pnrdo, claro,
corpo, figura e altura regulares, cabellos meios c?-
rapinhados, olhos pardos, sobrancelhas e palpebras
salientes, tem em cada braco nm sino de Saloman.
sendo um delles mal feto, e junto a este urna cruz
tem na cabeca tima cicatriz de urna polegada, e em
cima de um quarto nma outra cicatriz de tres re-
legadas, proveniente ds pona de pao e queda, tem
sobre as costas algumas marcas on cicatrizes de re-
Ihadas ou chicote; umfpoueo desembarcado qnan-
do falla, tem principio de carplna e carreiro. toca
viola e barbado. Foi soldado do corpo de'policia no
Recite, e levou comsigo a baixa do theor sepninte.:
Secgao urbana, 2* companhia n. 50. Antonio Caet.
no de Oliveira, Hlho de Agostinho Ferreira deBri-
to, natnraMe Ingazeira, cor parda, cabellos cara-
pinhos, olhos pardos, oflicio nenhum, estado soitei-
ro, com 30 anus de idade, 60 pulegadas de aknra,
ao engajar-se. Eupajou-se na forma do regola-
ment, em 17 de fevereiro de 1862, por oflicio do
Exm. Sr. presidente da provincia, dtalo de 28 de
abril do crreme, e publicado ao corpo em ordem
do dia 1 de maio, tudo em 1862 : teve baixa do
servico por ter dado em seu lugar o paisano Joao
Pedro Ferreira da Rocha. Foi escravo do capiao
Joo de Dos Barros, morador que foi na comarca
do Brejo da Madre de Dos, o hojo morador na
Campia Grande da Parahyba do .Norte, qne o ven-
deu em dias do mez de novembro de 1863 ao abai-
' xo assigoado, pelo costume de andar fgido e a ti-
] tulo de forro com o nome mudado ; pel que roga-
se a attenco das autoridades < ivis e militares, nao
, s desta provincia como das cernis do imperio, a
JjSSJ napprehenso do dito escravo, que a titulo de foro
'isim rna'ouenha sido recrutado ou asseniado praca m
' ialgtns dos corpos de Voluntarios da Pairia.'tam-
! de h pede-s aos capitaes de campo e pes=oas par-
ddmulares amesma apprehensao. e leva-lo ao sen
.aeteor noreferido engenho Conceigao, on nesta ci-
: eose ao capitao Mauricio Francisco de Lima ra
(be Brom n. 56, que ser gratificado com 2004.
Jos Maria dos Santos CavalcaDti.
ILEGVL


Diarlo de Pernambiico Aeita fclra de Innfao de 18H5.
'
LITTER ATORA.
se-
UM POUCO DE TUD8.
No Jornal do Commercto de Lisboa l-se o
guinte :
Sr. velador. As coasas polticas da nossajenthusiaslicaraenle acclamado pela populago.
trra aodam bastante embrulhadas, e incita gente
cuida que a origem d'oste mal proven de se nao
fazorem as eleiges com boa f. Os interesses la-
um, mas sao es interesses pessoaes ou partidarios
e u:i j os iDteresses pblicos.
Descobrir am systeraa que -'mova esses in-
convenientes, eqaeio masito lempo seja prove'
uso ao thesouro publico, adiar a pedra philoso-
piul do nosso systema poltico.
Tenho pensado maduramente do meio de exeursoes pelas visinhancas da cidade.
dar remedio a isto, e parece-me ler descoberto o a saude de sua mageslade excellente.
> i'rodo. O imperador dirigi aos habitantes de Argelia a
S; se conseguir dispensar as autoridades, seguinle proclamacao :
grossas e miudas, do mister de galopins eleitoraes,! Venbo ter comvosco para conhecer pessoalmeBte
a raoralidade publica o a forga das leis lucrarao j os vossos interesses, eoadjavar os vossos esforcos,
rauito ; se .se sutljugarm as ambiges dos aspi-
gramma de Argel datado de 4 do correte s de sados tambem reslstirara com coragem a ama ln- r E' verdade ; mu o a tributo......
horas da raanha : I visao estraogeira : e, no entanto, da sua derrota O attributo Nio o adivuhastes ainda ?
Hontera de manha, sua magestade acompanba- data a sua regenerado. Os gaulezes vencidos, Pois nao ba nada mais fcil. Aquellas crean-
do por sua excellencia o marechal de Mac-Mahon, assemelharam-se aos romanos vencedores, e da gas sao as obra do principe Alberto, e visto
governador geral da Argelia, deu um passeio pelas uniio forgada entre as virtudas contrarias de d'uas | seren numerosas...... porque d'aqul cont eu
visinhangas de Argel,nadirecgo deMusUpha. Na civilisagSes opposlas nascea, com o lempo, esta,doze ou qoartoze...... E' preciso que po-
' occasio de regressar cidade, sua magestade foi nacionalidade fraoceza, que a sen turno propagou nbaes
as duas ideas por todo o mundo. Quem sabe se
A' noite o imperador s3ho a p, acompanbado ,vira ainda um dia em qae a raga rabe, regenera"
por sua alteza o principe Murat e por algumas da e confundida com a raga franceza, ter de novo
pessoas da sua comitiva. Sua magestade andou, ama poderosa individualldade, semelbante que,
passeando na praga do Governo, que estava bri- durante seculos, a lornou senbora das margens me-
lhantemente illuminad.i. Repetiram-se ahi as ac- ridionaes do mediterrneo?....
i Aceitai, pois, os factos realisados. O vosso
propheta assim o diz: Deus d o poder a quem
clamares por parto da popuhgo.
O imperador convidou hoje para almogar todos
os aghas e bachagas da provincia de Argel, que se quer (cap. 2, ver. 248"). Ora, esse poder, que me
apresentaram a sua magestade.
Durante s dia, sua magestade continuos as suas
ranu- a deputados, a um systema que acabe com
.r, ; r.igrammas fallases, com as promessas femen-
tida?, com as traiges ; se se elegerem deputados
do bem publico, e nao dos partido?, podereraos ini-
ciar a poca da verdadeira regenerago poltica de
Portugal.
Eu leuho a intima convlcgao de que vou fazer
um relevanlisaimo servigo ao paiz, offerecendo-lhe
a minha descoberla, pelaqual nao pego patente de
i jvengo, neni mesmo qual )uer das medallias anti-
gs, ou das novas do Sr. marquez de S.
Ah vai o graode segredo :
Art. 1. Quaudo lenham de se eleger os deputa-
dos ?: corles, o governo mandara' annunciar que|
na secretaria do reioo se recebem propostas para
candidaturas.
Art. 1.' Todo o ciiadao, que pagar, o mnimo,
15 do impostos directos, e aspirar a ser deputado,
aunar o seu nome secretara do reino, e junta
mente a quantia de 2005, de que syiie passar
recibo. j
Art. 3. As propostas para candidaturas devero
ser entregues no espago de dous mezes, depois do
anuuucio publicado no Diario de Lisboa.
Art. 4 Findos os dous mezes, ou 60 dia?, o go-
verno mandara' fazer tantas espheras quaotos fo-
rera os nomes inscriptos, e que hajam depositado
osfOO, e nessas espheras se rascrevero aquellas
noires.
Art. o. Igualmente mandar fazer 180 espheras,
numeradas de 1 a 180.
Ai t. 6." No ultimo dia d) prazo dos 00 diaj, no
Terreiro do Pogo, se armar um grande tablado,
i-ova sufficienle altura para ser visto do publico, e
ahi se collocarao urnas rodas conforme o systema
das que servem na lotera da misericordia.
i. Em urna das rodas entraro as esphe
rom os uomes dos aspirantes a deputados, e na u-
tra as espheras com os nmeros.
Art. 7." Ao acto a entrada das espheras |ias
rodas assisliro os ministros ,e os conselheiros de
eaado em effeetivo servigo.
Art. 8." Em seguida, e na presenga dos mespio?
uaccionarios, se comegar a exiraego dos nomes
o dos nmeros, e extrahidos os 180 nome?, o pre-
sidente do conselho de ministros proclamar dppu
tados da nagao os individuos, cujos nomes fora(n os
180 que se exlrahram.
Art. 9. lima cerlido passada pelo ministro do
reino sera o diploma de cada deputad:.
Art. 10. Os deputados eleitos por esta forrea se-
rao deputado? da nacao e Tica portanto abolida a
doclarago de deputados por circuios.
Art. 11. 0 deputedos veucerao o subsidio de
:|.& diarios, e 500 rs. por legua as jornadas de ida
e vinda corte.
Art. 12. Fica revogada toda a legislago cm con-
trario.
Parece-me, Sr. redactor, que este plano acaba
com todas as dilDculJades, e o nico meio 'de ha-
ver maior numero de deputados independenjes.
Alm disso, um meio de receita, porque) deve
as
e afliangar-vos que nao vos faltar a prolecgao da
metropole. Lutais com energa ha muilo lempo
rontra dous obstculos temiveis : ama nalureza
vrgem e um povo guerreiro ; porm annunciam-
se raelhores dias. De urna parte sociedades parti-
culares vo pela sua industria e capitaes desen-
volver as riquezas do solo, e de ontra os rabes
contidos e esclarecidos quanto as nossas intencoes
benvolas, nao poderao perturbar a tranquilidade
do paiz.
Tende pois f no futuro; dedicai-vos trra
que cultivaes, como urna nova patria, e tratai os
rabes, com os quaes deveis viver, como compa-
triotas.
Devenios ser os senhores porque somos os mais
civilisados, devemos ser generosos porque somos
os mais fortes. Justiquemos emlim, sem cessar, o
acto glorioso de um dos meus predecessores que,
fazendo implantar ha trinta e cinco annos na trra
d'Africa a bandeira de Franca e a cruz, ahi arvo-
rou ao mesmo lempo o signal de civilsagao, o
symbolo da paz e da caridade. Napoleao.
Ma occasio de apresentar ao imperador as cha-
ves da cidade de Argel, o mane proferio a Seguin-
te allocugo :
Senhor.Aprsenlo vossa mage.tade as cha-
ves da cidade de Argel. Permitli, senhor, que vos
offerega ao mesmo tempo a homenagem de res-
peitosa dedicago dos seus habitantes.
Digne-se vossa mageaiode laucar os olhos para
fessa multido que correu ao vosso encontr, para
a alegra que se divisa em todas as physionomias,
para o enlhusiasmo que anima todos os olhares,
para as aclamages de um povo inteiro desejoso de
ver o seu soberano, e ludo isto vos dir mais elo-
quentemenle do que eu poderia fazo-lo o quanto a
cidade de Argel se reputa feliz e orgulhosa por
possuir o imperador nos seus muros.
A vista de um soberano sempre um alto fa-
vor. A de vossa magestade senhor, mais do que
um favor; um beneficio, e o reconhecimento
urna das virtudes argelinas.
Ha cinco annos, vossa magestade deixou-nos
para consolago a esperanga de que em breve vol.
taria. Desde ento os nossos olhares nao se lea
afastado da oulra margem, e ardentemente deseja-
vamos que se realisasse a volta esperada. Voltas-
tes, senhor, e do corago vos agradecemos. A
Providencia, que regula a sorte dos imperios, ha-
via marcada o da cm que a Fraoga gloriosa reas-
sumiria entre as nagoes o lugar que llie estava
marcado. Este dia chegou a seu tempo. O dia
em que a Argelia deve oceupar o seu lugar no
mundo est tambem marcado. Vossa mageslade
atravessou os mares para estabelecer as bases da
sua grandeza futura. Chegou lambem para nos o
dia providencial.
Viva o imperador I Viva a imperatriz I Viva o
principe imperial I
O imperador dirigi ao povo rabe a seguinle
proclamacao:
Qaando, ha trinta e cinco annos a Franga
entrou no solo africano, nao veio destruir a nacio-
nalidade de um povo, mas, antes pelo contrario,
libertar este povo de urna oppresso secular: sabs-
tiluio ella a domlnagao turca por um governo mais
clemente, mais justo e mais Ilustrado. No entanto,
O que?
A cornucopia da abundancia.
E o resallado d'esta conversagao, ao que parece,
que a estatua do principe Alberto, que se ha de
erigir em Cabarry, lera esculpida no pedestal ama
cornucopia, attributo, talvez significativo de mais,
de urna rara fecundidade.
conferio o Allissimo, quero exerc-lo para vosso
interesse e bem.
i Conheceis as minhas intencoes, flrmei irrevo-
gavelmente as vossas mos a propriedade das
trras, que oceupaes, honrei os vossos chefes, res.
peitei a vossa religlo, quero augmentar o vosso
bem estar, fazer-vos participar cada vez mais da
administragao do vosso paiz como dos beneficios da
civilsagao; porm com a condgo de que, da vossa
parle, respeitareis aquelles que representara a mi-
nha TOtoridade. Dizei aos vossos irmaos mal acn,
selhados, que qaalquer tentativa para novas revol-
tas seria fatal para eiles; 2.000.000 rabes nao
poden) resistir a 40.000:00J francezes. Urna luta
de 1 contra 20 insensata I Alm disto, fizeste-me
juramento, e a vossa conscienca, como o vosso
livro sagrado obrigam-vos a respeitar religiosamen-
te os corapromissos contratados (cap. 8. Do arre-
pendimento, ver. 4.")
t Agradego grande maioria d'entre vos, cuja
fidelidade nao abalaram os conselhos prfidos do
fanatismo e da ignorancia. Comprehendesles que
sendo vosso soberano son vosso protector; todos
aquelles, que vivem sojeitos s nossas leis teem
igualmente direito miaba solicitude. J grandes
recordagoes e poderosos interesses vos uera mai
patria: ha dez annos que partilhaes a gloriadas
nossas armas, e os vossos filhos teem dignamente
combatido ao lado dos nossos na Crimea, na italia-
na China, no Mxico. 0 lagos formados no caro,
po de batalha sao indissoluveis, e aprendestes a
conhecer o que nos valemos como amigos ou como
inimigos.
c Tende pois, confianca nos vossos destinos, por
qoe ellos estao unidos aos da Franga, e recoBhecei
com o alcoro que aquillo que Deus dirige bem
dirigido (cap. 7." El-Araf, ver. 177.)
t Argel, 5 de malo de I8&o.Napoleao.
--tS"-"
mos suppor que concorrerao tres mil candidatos, os (iuranle C5 priroeiros annos, impacientes em resul-
quaes a 200f5 produziram 600 contos.
Com esia quanlia pagam-se os subsidios, tiagens
o empregados, e anda sobra muito dmlieirp.
Com este systema teremos os melhores deputa-
do .-, e arranja-se dinbero pan Ihes pagar ;ipagam
elles a si proprios, e anda concorrem para as ur-
gencias do estado.
Vale bem a pena dar 2005 pela honra de ser
candidato a depulagao por tal systema.
O Monikur Universal publica o seguate tele.
FOLHETIM
0 CONDE DE CHANTELEINE.
Episodio da revolaco. |
V.H
(Contmuago.)
Como! exclamou o conde com lora desesperado,
pois nao ha no paiz urna alma assaz caritativa pa-
ra acolhernos? *
Ah nao, respondeu o cavallelro. Drgir-se
aos camponezes, seria entregar-se a urna morte cer-
ta. Os soldados Azues portam-se de urna maneira
horrivel para com aquelles que dao asylo aos pros-
criptos; cortam-lhes as orelhas oa mandam-nos ao
cadafalso menor suspeita.
Mr. de Tregolaa tem razo, replicou Kernan,
sera arriscar nao a nossa vida, que pouco vale,
mas a desla menina 1
Kernan, disse o conde, s sei que mnha fllha
nao pode passar urna noite ao sereno I Morre de
fri ,
Pois bem I respondeu o cavallero, vou al s
casas da aldea, e verei se o terror Bao matou de
todo o sentlmento de hospitalidade nos ca mponezes
bretoes.
Ide, Mr. de Trcgolan, ide, disse o conde pon-
do as mos, e salvai ainda urna vez a vida minha
fllha I
O cavallero correu aldea; era noi.'e; passado
um quarto de hora, chegou s priraeiras casas; to-
das ellas eslavara fechadas e silenciosas; as portas
e as janellas parecan) tapadas com tanto cuidado,
que nao se via o menor clarao por fra.
Escondem-se aqu como nos outros lagares,
disse o joven.
Bateu a multas portis ; chomou; nao leve nen-
huma resposta; com todo reconheceu pelo fumo
qae, no escaro, escapava das casas, que estas de-
viam ser habitadas; baten de novo s portas e ja-
nellas ; gritn. Havia proposito de nao responder.
O cavallero nao desanimou. O pensamento da
donzella moribunda estava sempre presente a seas
lado da supremaca estraogeira, combastesies os
vossos libertadores.
Longe de miin o pensamento de considerar isto
como umerime; antes pelo contrario respeito o
sentimento de dignidadc guerrelra, que vos levou,
antes de vos submetterdes a invocar pelas armas o
juizo de Deus. Porm Deus pronunciou-se; reco-
nhecei pois os decretos da Provincia, que, nos seus
designios mystenosos, nos conduz umitas vezes ao
bem, illudindo as nossas esperangas e deixando
mal logrados os nossos esforcos.
t Como vos, ha vinte seculos, os nossos antepas
Na cidade de Cabarry (Inglaterra) ha de ser bre-
vemente collocada e benzida urna estatua colossal
erigida em honra do principe Alberto.
A este respeito conta-se a seguinle anedola :
Segudo o programma, o esculptor devia collocar
em redor do principe alguns attributos qae indi-
cassem a posteridade as oceupagoes diarias do
esposo da rainha de Inglaterra, e a natnreza das
funcg5es que desempenhava em beneficio do esta-
do; porm por mais que o artista torturasse a sua
imaginago, nao achava attributo algum que satis-
fizesse completamente os seus desejos.
A fallar a verdade, o negocio nao deixava de
ser melindroso; as funegoes que o principe consor-
te exercia jauto da rainha Victoria, o pintor fazia
urna idea exacta do que ellas eram ; porm como
se podiam symbolisar por urna forma delicada e
precisa, sem feriras nobres tradiegoes da arte, nem
as justas susceptibilidades do povo inglez?
O artista nao achava meio de sair deste apuro, e
eslava quasi desesperado, quando leve a feliz lem-
branca de ir consultar sobre o caso lord Pal-
merston.
Parti, pois, para Londres, o tendo sido recebido
em audiencia pelo ministro, Ihc pedio a sua opinio
acerca do espinhoso attributo: lord Palmerstou
cogou a ponta do nariz, esfregou a testa, percorreu
a largos passos a sala onde se achava, meditou pro"
fundamente, e nao sabia que responder-lbe, quando
machlnalmente se aproximou de urna janella......a
rainha em pessoa, a qual, rodeada, precedida e
seguida pelos seus numerosos filhos, passeiava
naquella occasio nos jardins de Saint-James.
Eureka I exclamou ento o nobre lord; j
achei!
O que que V. Exc. achou ? lhe perguntou
o esculptor.
Vinde c, e veris.
O artista aproximou-se da janella, e o lord con-
tinuou :
Nao vedes all perto d'aquelle arvoredo urna
senbora e alguns meninos ?
Sim, senhor; porm, nao comprehendo......
Pois bem, aquella senhora a rainha.
A rainha?
Sim, a rainha com todos os seus filhos.
O excesso de curiosidade que leva certas pessoas
a quererem observar de perto o Vesuvio, lem cus-
lado a vida a muitos estrangeiros que tem ido para
visila-Io.
Ha pouco, diz um jornal italiano, foi victima
da sua curiosidade ura hollandez, que, com ou-
tras pessoas, tinha feito a ascensao da montanha
de fugo.
i* m ^
Acaba de ser publicado era Londres um relato-
rio, d'onde se v que existem na Inglaterra e
no principado de Galles 5,426 homens e 10,334
mulheres, nos asylos de caridade da unio, e
qae nenhuma enfermidade physica oa mental
os impede de ganbarem a sua vida comtf- as
pessoas que esto no goso de tolas as suas facul-
dades.
w ------
Inuteis sao os esforcos dos Biblias para extirpa-
ren) de nos os sentimentos de religi) quanto I
mais elles pregam ; quanto mais elles gritam es-
pantando folhetos e biblias truncadas, tanto mais
e augmenta o fervor da populagao da corle.
Urna simples vista d'olhos no que se tem passa-
do por estes ltimos dias na igreja de S. Sebastio
do Castello, por occasio do mez de Maria, urna
pr^va bem saliente desta verdade.
O povo all corre em tropel para cheio de f che-
gar ao tribunal da penitencia ; e islo ao passo que
as casas dos Biblias, desses pregado^ do erro,
se vem abandonadas, ou s (requemadas por al-
guns escravos ou calxeiros deserapregados.
A razae simples: ninguem ha, que exudando
com attengao as bases do protestantismo, para logo
nao o rejeite,, in hmine, como urna seita falsa, er-
rnea e absurda.
A palavra do sacerdote catholico. expressa as
clausulas do Evangelho, vivifica e enche de forga ;
a do missionaro protestante tira a f e mata.
Eis-ah os factos e contra elles nao ha argumen-
tos.
Existe em Londres um intrpido especulador de
Bolsa, de urna cor tao morena, que justamente por
isso do-lhe a alcuolia de Bola de Nev.
Posto qae elle arrisca fcilmente os seus capi-
taes, em espeeulagdes de fundos, em iroco disso
excessivamente econmico no seu lar domestico.
Costuma empregar os seus lucros em boas joas,
para poder trocar a dinheiro em caso urgente ;
systema este, como todos, que lem vantagens e in-
convenientes.
Victima de urna especolacao mal 'succedida
Bola de Nev correu da Bolsa loja do ourives, ao'
qual disse :
Cedo-vos por 3:5005000 os diamantes, que ha
pouco me vendesles por 4:0005000, com a cond-
go que haveis de subslitui-ios com pedras falsas
advertindo-vos que minha mulher nao ha de sa-
be-lo.
Ja tarde, responden o ourives ; porque j
Qz essa operagio por incumbencia de vossa esposa
ha mais de qaatro mezes.
as casas vizobas houve grandes estragos ; e os
seas habitantes tomados de modo corrlam espavo-
ridos pela ra.
Fazia horror qnadro tao aflictivo.
O fogo foi dominado nesse mesmo dia. Da casa
Tilleard resta ura monlao do minas.
Ain :a se nao sabe a* certo o numero das victi-
mas, comtudo j se contara mais de 400 pessoas
entre morios e feridos.
Este recitativo do Sr. Hugolino Giraldes
AMO-TB AI.NO.V I
Amo-te anda ; lio perdido e lonco
Jamis no peito tanto amor sent,
E para amar-te rae parece pouco
Ser todo extremos, e morrer por ti.
Amo-te anda ; quando o sol se cora,
E abrisa passa refrescando a flor,
Relembro as phrases, que te disse outr'ora
Por entre as ancias do meu santo amor.
A dar-te cultos a minh'alma affeila
S pensa em ti, que o seu amor s tn,
Como dos indios o collar que enfeita
Moreno eolio palpitante e nu.
Amo-te ainda ; nao se esquecera risos
Que o peito encuerara de esperanga e f,
Nem os perfumes de uus cabellos lisos,
Negros, lo negros corao a noule .

Amo-te ainda ; leu amor lindo
Como os encantos de um loar sem vu ;
Amo-te ainda corao o lino abrindo
Ama os frescores que lhe manda o cu-
Es urna fonle, crystallina e bella
Que em seas deberlos minha vida achou,
Hei de zelar-te como o prado zela
Mimosa planta que em seu chao brotou.
Amol e muito, que preciso ainda
Queimar iniuh'alma n'um olhar dos teus,
E meigo, e lerno, como um som que linda
Bejar-te a fronte nos delirios meus.
E a nao amar-te, mergulhando o seio
No meigo anhelo de amoroso af.
Seria um louco, porque doce o enleio
Qae ha dos amores na gentil manha.
. i i- n ii
olhos; portanto elle dirigio-so a todas as casas, ba-
ledo de porta em porta. Em toda a parte o mes-
mo silencio I Comprehendeu que nenhum dos
habitantes desta aldea, sem duvida habituados a
temer a visita dos Azues, lhe abrirla sua porta. O
terror tornava-os duros e crueis.
Depois desta tentativa, s resta va aHenriqne de
Tregclan ir para junto dos seus companheiros; por-
tanto elle voltou desesperado. Achou o conde e
Maria na posigo era que os deixara ; o pai na bei-
ra de um fosso procurava de continuo aguecer sua
filha entre seus brago?. Mas, nao obstaflle seus es-
forgos, elle a sentia congelar-se pouco a pouco. No
proprio momento em que o joven cliegavj^ o conde,
espantado da immobilidade de Maria, olhou para
ella e vio-a desmaiada.
Meu Dos I meu Dos I exclamou elle.
Pois bem I proseguio, esta aldea um cemi-
terio I
Ento, disse Kernan, vamos para o outro la-
do da estrada, para a floresta de Nevat : passare-
mos a noite atraz de algum tronco de carvalho, e
fareraos fogo com ramos seceos.
Nao temos outro recurso, respondeu o joven,
pondo-se a caminho.
Kernan commnnicoa o sea projecto ao conde,
lornou a lomar a donzella nos bragos e, seguido
dos seus companheiros, atravessou o estrada d'Au-
dierne : alguns minutos mais larde elle enlrava na
nata; os ramos seceos estalavam debaixo dos seus
ps. Henriqne precedia-o para abrir-lhe caminho.
Era preciso entranhar-se no raals fechado do
bosque afim de escapar a lodos os olhos. Depois de
um grande quarto de hora de marcha, Henrique
descobrio um grosso carvalho em cujo tronco ha-
via um ouco quepodia offerecer abrigo donzella;
all, deitaram-na cuidadosamente, depois Kernan,
usaodo do isqueiro, accendeu logo um fogo claro e
crepitante.
A este benfico calor Maria nao lardou em tornar
a si; ella ento teve ura profundo terror; porm
quando vio-se cercada de todos aquelles que ama-
va. sorrio fracamenle, e nao tardou em dormir.
Duranto toda a noite, o conde, Kernan e Henri-

0 Evening Standard publica o seguinte :
No dia 11 de abril, pelas dez horas e meia da
manha, rebentou em Londres um grande in-
cendio.
O Sr. Tilleard, fi.ho, estava tirando benzina de
uns tanques que tinha no subterrneo da sua casa
de coramercio desoflolk-street.ederepente gritn :
fogo I fogo I
Tilleard pae, e sua mulher, tentaran) ir em soc-
corro do fllho, porm o fumo embargou-lhes o
passo.
Corrern) janella onde j estava collocada ucea
escada ; na occasio, porm, emque a Sra. Tilleard
ia comegar a descer, urna terrivel exploso fez es-
tremecer a casa, e todas as da vizinhanga, e a Sra.
Tilleard e os seus dous salvadores cahiram cora o
choque.
Quatro ou cinco explosoes seguirn) a primeira,
e o tecto da casa voou pelos ares; as janellas e as
portas foram todas feitas pedagos.
Publica o seguinte o Commercto do Porto :
Um sujeilo pediu ao criado as botas, e o ao ver
que eslavam corao as havia deixado, Derguntou-
Ibe :
Porque nao as lirapaste ?
Porque est urna lama terrivel, e como den-
tro de cinco minutos se sujariara outra vez, pare
ceu-rae escusado hmpa-las.
Pouco depois sahiu o sujeito para assistir a um
jamar de convite, e tirando a chave da despensa
em presenga do criado, netteu-a no bolso.
O senhor leva a chave ? disse o criado. Se
a despensa fica fechada, que hei-de eu comer ?
E' escusado que comas hoje ; retrucou-lhe o
amo. Ainda que comesses, amanha tenas igual-
mente vontade.
gastrnomos dos mais dislinctos de Paris. Dar-
Ihe-bei trinta francos por talher e espero que s seis
em ponto se ache todo disposto para este ban-
quete.
Brehaut promeiteu servir ama mesa guarnecida
das mais exquisitas produeges do sen talento cu-
linario.
No da seguinte chegoa o sujeito pouco antes
da hora marcada, examinou a mesa, coliocou so-
bre os guardanapos os bilhetes com os nomes dos
seus convidados, den a ultima derao, como se
costuma dizer, aos arraojos da festa, e, puxaado
pelo reloglo, exclamou :
S seis'horas e sem acabar de chegar ne-
nhum I
O sea relogio anda adiantado, replicn o dono
do estabelecimento.
Pois nao ; eu os vou ensinar : tragamme a
sopa.
Aqnelle, porm sahiu em defeza dos ausentes e
rematou o seu eloqueotissimo discurso dizendo :
Se nao vai contra Isso, esperemos cinco mi-
nutos.
Convenho ; replicou o:sajeito. Esperare! mais
cinco minutos.
Aproximou-se da janella, decorreram os cinco
minutse entilo disse deliberadamente :
Sirvam-me a comida ; quera*quer vero a
tempo.
Os pratos succederam se nns aos outros e em
menos da tres horas o nosso homem devorou a co-
mida que eslava para dosc. Porm, para que os
criados nao se assombrassem, em quanto coima
exclamava :
Ora Isto parece incrivel I Logo faltam todos
pancada I A... esse nio poda vir, porque
hoje o da dos annos da mili. Porm B... Agora
me lembro de que pode estar doente ; hontem
noute, quando se despediu de mim, ia alguraa cou-
sa mcommodado. Em quanto a C... nao admira
o seu procedimento, porque gosla muito de melter
a gente n'estes assados. D... esse receiaria ter
de fazer-mo igual convite.
Em resumo, foi desculpando a lodos e ao termi-
nar exclamou, dando um grande murro na meza :
Ao menos deviam ter-me avisado de que fal-
tariam. E' de mais obrigar um s a comer tanto 1
Quando lhe servirn) o eatt, chamon Brehaut e
disse-lhe :
E que tal ? Se eu dera ouvidos aos seus
censelhos, estava bem servido ; veremos como se
porlam para outra vez que os torne a convidar.
Ha poneos dias repetiu-se igual scena.
Pelo visto, exclamou Brehaut, quando elle
vollou costas, este homem, quando come, come
para qulnse dias.
Urna encantadora joven de Paris recebeu de ura
galn, namorado dos seus attraclivos, urna carta
original que merece ser conbecida.
A carta dizia assim.
t SenhoraAmo-a e nio me .atrevo a dizer-lh'o.
Poderei esperar o seu. amor ? Occorre-me um
meio engenhose para que me d a conhecer a sua
vontade. Sao oito horas da manha; por volta
do meio dia passar-ihe-hei era frente da janella ;
as persianas sao cor de chocolate ; se ma der es-
perangas, confio ve-las pintadas de verde.
A joven mandara para o campo este namorado
mancebo, tao apaixonado do verde ?
-o-ig>-*
Escrevem de S. Petersburgo, era data de 4 de
abril, que o governo russo acaba de resolver a
creago de urna esquadra de experieucia, que se
compor das fragatas couragadas Sebastopol e Pe-
tropaulosk, da corveta couragada SmercA, construi-
da segundo o risco da clebre corveta dioamarque-
za Rolf-Krake, o das canhoneiras couragadas Ve-
choun Koldoun c Ehnogor, recentemente cons-
truidas.
Esta esquadra sahir de Cronstadt no principio
do mez de juoho para fazer una campanha, de
tres mezes, durante os quaes visitar os portos de
guerra de Franga e Inglaterra.
^- Ha quinze dias, diz um jornal hespanhol, entrou
no restaurante do clebre Brehaut, em Paris, um
sujeito, o qual, depois de o saudar cortezmenle, lhe
disse :
Meu amigo necessito para manha de um
Jantar de dose talheres, que quero offerecer a dose
A Independance Belge coota o seguinte :
lima ceremonia interessante se prepara para se-
gunda-feira prxima, 1." de maio, na communa de
Borgerhout-lez-Anvers. Trala-se da inauguraco
da estatua do general Carnot, que foi, como se sa-
be, o ultimo defensor de Anvers por pecasio da
queda do imperio em 1814.
Os habitantes de Borgerhout, recordando-se que
o Ilustre general perservou a communa de urna
destruigo inminente, erigem um monumento sua
memoria.
Este tributo de reconhecimento, posto que tarda-
mente prestado, uem por isso deixa de ser valioso,
porque prova que o reconhecimento vivedouro no
corago dos belgas.
A estatua representa o general no momento de
ordenar que seja poupada a povoago, votada a urna
destruigo completa para facilitar os trabadlos de
defeza.
Para fazer justiga a quera a merece, devo dizer
vos que a idea primitiva da ereegao de um monu-
mento a Carnot devida a M. Verhaegen, amigo
conselheiro communal de Anvers, que ha perto de
doze annos trabalha na sua realisago.
A festa terminar por um grande banquete of-
Crecido aos convidados no salo dos pagos muni-
cipaes.
o ii Si
La Nazione, de Florenga. nos informa que Vctor
Hugo escreveu ao gonfalonero de Florenga, em
resposta carta que este lhe dirigir, pedindo-lhe
quetomass parte com a sua penna na solemoidade
qoe est para celebrar-se em honra do divino poe.
ta Dante.
O numero total de agoutes applicados aos mari-
nheiros inglezes, durante o anno do 1863, subiu a
24:513,
A maior dse foi de 48 e a menor de 6.
Tomando a media d'estes dous nmeros, seria de
908 o numero de vezes em que foi applicada e.-la
pena- corporal;
Quando na cantara dos lords sejproeedeu revi-
sao do cdigo militar, sustentou o duque de Wel-
lington que a aboligo das penas corporaes faria
imoossivel a disciplina no exercilo inglez.
que velaran) junto dola; estava bem coberta, bem
abrigada e seu somno foi socegado.
Kernan enlretinha o fogo cora ramos seceos ;
seus companheiros acocorados on estendidos,
aqu entavam-se do melhor modo; quanto a
dormir, ninguem se lembrou disso; era o conde,
nem o cavallero podiam achar somno em seme-
ntante conjunctura; conversaram urna parte da
noite.
O cavallero referi ao conde de Cbanteleine a
historia da sua familia, historia tambem dolorosa.
Os Tregolan, oriundos de Saint-Pol-de Lion, qua-
si todos tinham perecido as sanguinolentas bata-
lhas de que a cidade foi theatro em margo de 1793;
Mr. de Tregolan, pai, cahlo victima da metralha
dos canhdes do general Canclaux, quando este pre-
tenden fazer reslabelecer a ponte cortada peles in-
surgentes de Kerguiduff, na estrada de Lesneven ;
o cavallero debalde procurava morrer ao lado de |
seu pai;as balas republicanas nao qoizeram-no, e
quando elle voltou a Saint-Pol-de-Lioo, achou sua
casa em chammas e sua irma arrastada as prisoes
deQuimper. Pronunciando o nome de sna irmaa,
IX
DOUAIINENEZ.
Douarnenez, no anno 2o da repblica, coutava
nicamente urnas vinte familias de pescadores; a
reuoio destas casas, feitas de lascas de granito
offerecia um golpe de vista pitoresco a quem che-
gava por mar.
A aldea, por muito tempo oceulta atraz das si-
nuosidades da costa, apparecia de repente, domi-
nada pela torre solitaria de urna igreja situada no
cume de nma collina.
Eslendida na extremidade da bahia, vinha ba-
nhar seus ps as altas vagas, e os tectos das suas
casas eram cobertos de grandes pedras, afim de
resistirera aos ventos violentos do noroeste.
A costa da Bretaoha, desde Concarneau at Brest,
cbanfrada por urna conlinuagao de bahas de to-
dos os tamanhos.
As mais importantes sao as de Doaaroenez e de
1 Brest, que chegam a ter vinte e cinco leguas de
circuito ; as bahas d'Audierne, de Trepasss, de
Camaret, de Dian, nao formam seoo enseadas,
propriamente fallando ; entre toda?, bahia de
o eond Houarnenez a peior, e numerosos naufragios as-
abragou-o. segurara-lhe sinistra reputacao.
Sua parle meridional formada por urna lingua
Entao, por sna vez, elle referio-lhe suas proprias de ierra quasi recta, urna pyramide derribada de
infelicidades, o ronbo do seu castello e a morte da oito leguas de extenslo, que vai entranhar-se no
condessa ; as historias de ambos pareciam-se pela mar, no promontorio de Raz.
commum desgraga, e elles podiam misturar junta-, Sua Dase lem poDCO mas 0u menos quatro leguas
mente essas lagrimas que a repblica fazia correr.! de |argUra Do meridiano de Douarnenez; ali con-
Passou-se assim a noite. Kernan velava cora coi- flnam as parcchias de Poullao, de Benzec, de Cle-
dado e baila algnraas vezes os mallos circumvizi- deDj d'Audierne, de Pont-de-Crox, de PlogoCf, e
os fugitivos aigmas aldeas espalhadas.
A parte do norte da bahia feita por urna ira-
Estas poncas horas de repouso e somno forta.e- -ansa ^atura da costa, *&***
ceram a donzella j^ella sentla-se assaz forte para
carainhar; encostou-se ao brago de seu pai, e a es-
trada foi alcancada s oito horas da manha.
constantemente, e ficam dias inteiros a vista do seu
pequeo ancoradouro, sera poderem dar fundo.
A aldea est situada na embocadura de um pe-
queo rio que fica secco na mar vasia. E' acola
que os barcos de pesca vaorefugiar-se no mo tem-
po, porque a molhe que cobre actualmente o pe-
queo porto nao exista ento, e as casas da praia
eram combatidas pelas vagas.
A extremidade do pequeo ro, do lado da aldea
chama-se uet.
E' nesta mesraa volta que elevava-se a casinha
do bom homem Locmaille. De suas janellas lale-
raes, podi-se descobrir toda a chanfradura da ba-
ha, desde o cabo da Cabra at Douarnenez. Esta
casinha distnguia-se pouco das rochas circumvi-
zinhas; ella nao era bella, porm solida
gura.
Compunha-se de urna sala terrea, com larga
chamin ao redor da qual suspendiam-se as redes I Mea charo filho, respondeu o cond,
molhadas e os trens de pesca ; e de tres pequeas! mo-nos em vos; ponho a minha vida e a de minha
quarlos em cima, d'onde se avistava a barca de, filha as vossas mos I
de ramos de vide secca crepi'.ou logo no quarto do
Maria, e meia hora depois da sua chegada era
Douarnenez, ella estava verdaderamente em sua
casa. Pela primeira vez, o pai e a filha podiam
emflm achar:se sos, e retirarara-se. Respeitou-se
a sua isolago.
No entanto, Kernan, ajudado por Locmaille, pre-
parou um almogo frugal, feito de pexe fresco e de
alguns ovos ; quando o conde e sua filha descerara,
os proscriptos reuniram-se na sala terrea ; come-
ram em tlgellas com baixella de pao preto, se
toalha, n'uma mesa escrabosa, porm ao menos em
seguranga nesta casa de pescador.
Meus amigos, disse o cavallero, o co prote-
geu-nos, conduzindo-nos at aqu, mas noquor
se- os ajudar seno com a condigno de ajudarsaos a
nos raesraos ; portanto fallemos dos nossos futuros
projeclos. _______ ___^______
louva-
nhos. Mas, felizmente, amanheceu, e
poderam deixar o seu retiro.
A's nove horas, Kernan, guiando os sens compa-
nheiros, deixou a estrada d'Audierne na aldea de
Plonar; oraa meia hora depois, o pequeo rancho
chegava entrada.de Douarnenez, e o cavallero o
conduzio directamente casa do velho pescador.
rameme no cabo da Cabra. Ali esto situadas as
magnificas gratas de Morgat. Em urna, desco-
brem-se as montauhas d'Aray, esfomadas pela cer-
rago.
A bahia, nao sendo snfficienteraente fechada, fica
exposta a todas as tempestades do irar alto.
Assim, nesse lugar, o mar sempre bravio ; os
pescadores, arriscados nos seus barcos, naufragara
pescador encalhada ou fluctuando no rio, merc
da mar.
Semelhante casinha era habitada pelo bom ho-
mem Locmaille, de sessenta annos de idade, nm
servo dedicado da familia, um outro Kernan, me-
nos na instruccao.
E' nesse lugar que foram recebidos o conde de
Chnteteme e sua filha ; o bom homem Ihes fez
comprebender que estavam em sua casa, e entrando
nao poderam reter um suspiro de salisfago ; esta
humilde cabana Ihes apparecia como nm lagar de
refugio, se nao um asylo.
Posto que a habiiago fosso pequea, Henrique
achou meio de reservar um quarto para a donzella,
um outro para o conde e at urna especie de pe-
queo gabinete para si; segundo o coslume, estes
quartos nao coinraunicavam com a sala terrea, e a
elles ia se ter por urna escada de pedra construida
exteriormente.
sala principal era sufficientissima para o hora
homem Locmaille e para Kernan, decidido a tor-
narse um pescador determinado, esperando me-
lhor tempo.
Os actos de posse foram summarios; um fogo
Sr. conde, disse o cavallero, creioque o tem-
po dos vossos grandes soffrlmentos j>ssou,e nu-
tro boas esperangas para o futuro.
Tambem eu, disse Kernan, sois um digno jo-
ven, Mr. Henrique, e seria dlflleil engaar a nos
cinco; porm, dizei-me', nossa chegada no pas nao
parecer extraordinaria ?
Nao I Locmaille disse a quem quera ouvi-lo
que esperava seus prenles em Douarnenez.
Bem, respondeu o Bretio ; mas nSo se poda
achar singular este augmento de familia ?
Nao ; Mr. de Cbanteleine meo lio, e mado-
moiselle Maria minha prima.
Vossa Irma, Sr. Henrique, disse a moga,
vossa irma 1 nao tenho de substituir junto Oe vos
aquella nobre joven que j nao existe ?
Mademoisella I exclamon Henrique com o
accento da mais viva commogo.
Pode ser 1 pode ser, responden Kernrn :
quanto a mim, serei o primo do bom homem Loc-
maille, se isso lhe agrada.
(CoHhnum-se-ka.)
.*
.
K
IPERNAMBCO.-TYP. DE M. F. DE P. &HLHO
Hr*
-.
\


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID ELHYBK16X_TFARHS INGEST_TIME 2013-08-27T23:29:40Z PACKAGE AA00011611_10689
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES