Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:10687


This item is only available as the following downloads:


Full Text
-
I
AMO III mUEBO 130
Por qnartel jage dentro de 1 Odias do l.mez ...*:.. 81600
I Jem desos dos 1.'i Odias do comecoe dentro do qoartel. 6J000
Porte ao corret por tres Mezes............ 750
DIARIO DE
OAMA FE1RA 7 DE JDHH0 DE 1865.
Por anno pago dentro de 10 das do \ mez ,,,... 191000
Porte ao correio por mu anno........... 3J000
EXCARREADOS DA SUBSCRIPQO DO NORTE
Parahyba, o Sr. Antonio Alex?ndrinu fle Lima;
Natal, o Sr. Antonio Marques da Silva; AJracaty, o
Sr. A. de Lernos Braga: Cear, o Sr. J. Jos de
Oliveira; Maranho, o Sr. Joaquim Marques Ro-
drigues ; Para, os Srs. Geraldo Antonia Aives &
Filhos; Amazonas, o Sr. Jeronymo da Costa.
ENCARREGADOS DA SUBSCRIPCAO EO SUL.
Alagoas, o Sr. Claudino Falco Dias 5 Bahia, o
Sr. Jos Minias Alves; Rio de Janeiro, Sr. Jos
Uibeiro Gaspariaho.
PARTIDA DOS ESTAPETAS.
Olinda, Cabo, Escada e estagdes da via frrea at
Agoa Preta, todos os das.
Iguarass e uyanna as segundas e sextas feiras.
Santo Antao, Grvala, Bez9rros, Bonito, Caruar,
Altinho, Garanhuns, Buique, S. Bento, Bom
Conselho. Aguas Bellas e Tacaral, as lerdas
feiras.
Pod'Alho, Natareth, Limoeiro.Brejo, Pwqneira
Ingazeira, Flores, Villa Bella, Cabrob, Boa Vis-
ta, Ouricury, Salgueiro e Exii, Das quartas
feiras.
Segunda vara do civel: quartas e sabbades a i
hora da tarde.
Serinhaero, Rio Formoso,Tamandar, Una, Bar-
reros, AguaPreta e Pimenteiras,as quintas
feiras.
EPHEMERIDES DO MEZ DE JUNHO.
i Quarto cresc. as 6 h., 1 m. e 58 s. da m.
9 Lna cheia as 7 h., 21 m. e 16 s. da m
16 Quarto ming. as 4 h., 33 m. e 28 s. da ra.
23 Loa nova as 5 h., 37 m. e 34 s. da m.
30 Quarto cresa as 11 h., 20 m. e 31 s. da t.
Al'DlENCfp DOS TIUBUXAES DA CAPITAL.
Tribunal do nmercio : segundas e quintas.
Helago : tercas e sbados as IU horas.
Fazenda : quintas s 10 horas.
Julio do comWri'io: segundas as 11 horas.
Dito de orph^js: lerdas e sextas s 10 horas.
Primeira vara do civel: tercas e sextas ao meio
dia.
Segunda vara do c vil: quartas e sabbados a 1
hora da tarde.
DAS DA SEMANA.
5. Segunda. S. Parifico f.; S. Nicacio m.
6. Terga. S. Norberlo b.; S. Eustorgio b.
7. Q o arla. S. Roberto ab. ; S. Lieano diac. m.
8. Quinta. S. Maximiano ab.; S. Gjldardo b.
9. Sexta. S. Pelagia V.; S. Feliciano ni.
10. Sabbado. S. Margarita rainha ; S. Gelulio.
11. Domingo. Ss. Flix e Fortunato irs. mm.
PREAMAR DE IIOJE.
Primeira as 2 horas e 5'4m. da tarde.
Segunda as 3 horas e 18 minutos da manha.
PARTIDA DOS VAPORES COSTEIROS.
Para o sul at Alagoas a 14 e 30; para o norte
ata a Granja a 7 e 22 de cada mez; para Fernan-
do nos das 14 dos mezes de Janeiro, marco, malo,
julho, setembro e noverabro.
ASSIGNA-SE
noRecife, nalivraria da praga da Independencia
us. 6 e 8, dos propietarios Manoel Figueiroa de
Faria & Filho.
PARTE OFFIGIAL
GOYKBNO DA PROVEA.
Expediente do dia 3 dejunho de 4865.
Olicio ao Exm. presidente daprovincii das Ala-
goas. No vapor Mamanguape foram embarcados
por parte do arsenal di! guerra e cora destino ao
deposito de artigos bellicos dessa provincia, osob-
jectoi mencionados na relagao por copia inclusa
do que dou conliecimento a V. Exc.
Dito ao coronel commandante das arras- Re-
cebi o seu bfflcio n. 964 de 2 do conente e em
re.-posta tenho.a dizer-lhe, que bem resclveu V. S.
a duvida proposta pelo commandante 6a 2o corno
de voluntarios da patria ordenndola que nao
contemplasse no pret especial maDdado organisar
por offli-io de 30 de maio uilimo, os voluntarios do
termo do Ouricury, que esiando comp-ehendidos
na relajo a que allude aquelle offlrio, foram jul
gados incapazes do servigo em inspe^gso de saude
e niio assentaram praga e outros que ainda nao |
comparecern) para serem alistados emldito corpo,. i
Ditoao mesmo.-Haja V. S. de informar acerca
do que pede Mana Florencia das Virgen?, no lo-
dora requerimento.
Dito &) mesmo.Mande V. S. elimidar da com-
panhia de voluntarios da patria de horpens prelos,
e entregar ao Dr. chefe de poliria p
guardes neressarias, o soldado Mane
Sanio?, que reclamado como escr ivo por Jos
Passageiros do hiato brasilero oUs Amigos,
Antonio do
de poucoj mezes devem chegar ao Para. Rro e Mello, Manoel dos Santos Manins Romo e
Importa dizer-vos que cada desea-ogador\ Jaau|m.df fritos loara.
..K.____r.u_:.. ._!-._ .i.oojoa1 Passageiros do lugre poituguez//o, sahido
S. apressar o fardamento dos artigos de fardamen-! eu O submelto s'vossas luzes, evos peco causa, para o geral atrazo, e raesmo deca-i que pela sua .-mplici'dade convm mais a I Pedro Alexandre da Souza ; tubrculo* palm-
lo e equipamento a que tem direuo a companhia ]ne facaes as COrreccoes. que melhor attin- dencia, que se nota em muitos pontos, on- esta provincia. nares.
^^t^t'^l^SS^^^i^om a que desliado, e que por de outr'ora floresceu no seu tanto a agri- Por aviso de 4 de.feverero communicoa-^"^S^^^t^^5" pD'-B,0Mr-
armas, visto quE'tem a mesma companhia de se-1 ventura nao tenha sido alcanzado por defi- cultura. me o Lxtn. mimslrO'- da agricultura que to- sanil0S par 0 Rl0 traude do"sQi
guir brevemente para a corte, como determineu o ciencia minha. CA.TECHBSE K CIV1L1SAA.0 DOS INDIOS, das ellas foram j encommendadas, e dentro Joo Dias Pimenta Juior, Francisco
governo imperial. Acha se na direccao das obras publicas Sobre esteimporiantissimo ramo do serv-
roS'GSy^SsS Scia'- Tranomiuo a capito do estado-maio* de 1" classe Fraa- co publico, que em gru subido despena a
Vmr. um exempiar impresso da lista da- revisao cisco Raphael de Mello Reg, que foi man- minha solicitude e desvelos, sinto nada ler do costo na fabrica, em Londres, de 88-3880 para Lisboa
de antiguidade dos juizes de dirato atjl de de- dado servir n'esta provincia, e aquam no podido adianlar depois de vossa reuuio. < pode Mear, posto qui, por 190.? JOO 2005
meei, porportaria de 31 dedezembrodo Sem missio iarios, qinlquar idea a respe-'
anno passado, para substituir o capitao de to da catechese deve ser despresada por
engenheiros Joao Marlins da Silva Goutinho, improticua.
que pedir exonerado do cargo, por ter No presente, como no passado, e ainda
entre m5os importantes trabalhos de oulra no futura, o sacerdote e o evangellio s5 e
ordem. continuarao a ser os elementos civilisado-
A longa experiencia e os talentos daquel- res da gentidde.
le distincto engenheiro abonam de antemo
zembro de 1864, que Ihe dirigida pelo Exm. con-
selheiro presidente do supremo tribunal de jus-
tija.
Igual aos doutores juizes de direito Joao Jos
Ferreira de Aguiar, Joaquim Goncalves Lima e
Francisco Elias do Reg Dantas.
Dito ao chefe interino da reparticao das obras
publicas. Tomando em con^Uarago o que Vmc.
expoz em sua informacao de jf de majo uilimo,
sob n. 154, o auiorisb a mandar fazer por .adminis-
trado os reparos constantes do orcamepto, que na
importancia de 297$750, velo annexo sua citada
informacao, os quaes fazem-se preciso no zimborio
e coberta da casa de detencao.Fizeram-se as ne-
As prensas soo do preco de 123 dollarsem
New-York, e com as despezas de transporte
nSo exceder a o de 330,5000.
Mandando vir essas machinas, foi mcu
intento iniciar o seu uso na provine! i, e ao
mesmo tempo animar o esforz individual
dos plantad i es, prop >rcionanilo-lhes os
Christiano Jos Tavares, sua mulher e quatro Q-
Ihos, Joo dos Santos 9 Manoel Gomes.
Cemiterio publico. Obituario do dia 2 de
junho de 186o.
Rita Michaela Anlunes Vlllaca, Pernambur.o, 40
aunos, casada, Boa-Vista; tubrculos pulmo-
nares.
Luiz Jomaul de Sant'Anna, Pernambuco, 25 anuos,
solteiro Boa Vista; repentinamente.
Manool Antonio B^zerra, Pernambuco, 19 annos,
solteiro, Recife; Bexigas.
Desgraciadamente, ainda nao poderam ser meios" de tirarem a
os servidos que prestar na sua reparlicjto. satisfitos pelo governo imperial as minhas
Havendo-vos dado conta no relatorio an- reiterad s rogativas de misioriarjos. --^
terior, dos trabalhosje despezas que tiveram NVpefeo, entretanto, a > speratifa, nem | Po-las disposic5o dos mais abastados, Vista; iuiiammacode'itestinos.'
lugar no "ultimo semestre do exercicio pas- abro maoldo emienho de eslabelecer urna marc mdo-lhes praso para dentro delle in- Mana, Pernambuco, 3 mezes, Boa- Vista ; convul-
possivel
de interesse do novo ramo de Cultura que Amaro Clementino, Pernambuco, 25 annos, sollei-
os encaminho. ro' Ua-V'st? tubrculos pulmonares.
sado, tratarei agora do que se fez no pri- ou mais missoes as margen* do Purs.
: J......-*- Circumstancias que ignoro teem infeliz-
demnisarem a fazenda provincial, mediante
gtrantias convenientes, um forte impulso
cessana.s communicacoes.
Portara.O presidente da provincia, usando da
atlribuicao.que Ihe confereo arl. Io da lei n. 622
de 16 de maio do rorrante anno, resolve, a pedido
bacharel Antonio Ranel de Torres Bandeira, pro
fessor de geographia e historia do Gymnasio pro-
Josd'os vincialteonceder-lhe um anno de licenoa com. to-' execucao
dos os seus vencimentos, para goza-Uronde 'ne rupca0 de que vos falleino anno Ando, nao informados:
foi possivel dar-lhe grande impulso naqua- Logo que elle aqui se aprsente, como solicitude qie vos merece o ss umpto, nao
dra do verao. quea mais apropriada aos espero, tratarei com affinco de realisar aquel- hesite i em tomar a responsabilidade de se-
qual contava an-
soes.
Francisco, Pernambuco, 6 mezes, Santo Antonio
cougesto cerebral.
e mais importancia, que se acha em dre Ibiapina, de cuja premurosa acceitafo,lavoura,.sem sacrificio real dos cofres pu-
Cao. Infelizmente, depois da inter- ao convite que Ihe dirig ja fostes por mtmjblicos.
Convencido desla verdade, bem como da
Antonio freir Vinagre.-Neste sen do offleon-1 conv,elI' C0IBlar f l;.d% '
fe ao Dr. chefe de polica enviando se Ihe todos os! espacbos dj^dw J^de jjaho de 186d.
para 'SqueUse prorad^a^necessarias ': ve'rigaagSes' Antonio Alves de Miranda Guimaraes. Dirija-: trabalhos, por causa do estado pbuco lison- je meu proposito, do qual lia de a provincia melbante despeza, para l
Dito ao mesmo.-Mande V. S. dar bbixa ao indio se a thesourana provincia
soldado do 2 corpo de voluntarios, A ntonio Gue- Antonio Valerio dos Santos Neves. Passe por
des Ldte como solicitou o director la Aldeia de | taria concedendo |licenQa para o fim que requer o
Cimbres a que pertencia o mesmo inc io. i supplicante.
Uilo ao mesmo.Expega V. S. as suas ordens;
e fazenda.
ntos em du-
ommanilaiile
n. 965, aflin
licia.
Dito ao inspector da thesouraria
'Transmuto a V. S. o pret e recibos j
pin ata, que me rem^tteu o coronel
das armas com offkio de honlem so
de <|ue mande pagar sob minha resbonsabilidade,
nos termos do decreto n. 2.884 do If de fevereiro
de 1862, visto nao haver crdito para isso, os ven-
mentos relativos a segunda quinzena do mez de
maio ultimo, dos voluntarios da patria da compa
nhia de homens prelos e bem assilm do tenenle
commandante da dita companhia, Flippe Jos da
Exaltarlo Maniva e do respectivo alt res, Joo Bap-
tista do Espirito Sinto, sendo os des.es correspon-
dentes a todo aquelle mez.Commu icou-se ao co-
ronel commandante das armas.
Dito ao mesmo.Nao bavendo crdito para pa-
gamento dos vencimenios relativos as mez de maio
oltimo dos recrutas em deposito a cargo da com-
panhia de artfices, mande V. S. effktuar esse pa-
gamento sob minha responsabilidade, nos termos
do decreto n. 2,884 do Io de feveileiro de 1862 e
m vista do pret junto em duplicaba, que me re-
nietteu o coronel commandante daj armas com o
oflicio incluso por copia, datado de hontem e sob
n. 966.
Dito ao mesmo.Mande V. S. adiantar a Fran-
cisco de Assis Monteiro, que era l1] sargento do 4o
batalhao de artilharia a p e foi nomeado por por-
tara de 23 de maio ultimo, para oceupar o posto
de alferes secretario do 2 corpo de Voluntarios da
Patria, a importancia de 3 mezes, do respectivo
sold, para fardarse, a qual Ihe aera descontada
pela 5a parte do mesmo sold.
Dito ao mesmo. Annuiudo ao jue no incluso,
requerimento solicitou o tenente reformado do
exerrito e aldante da colonia milit; r dePimentei-i Vicente Moreira da Silva. Informe o Sr. direc-
metro do corrente.
Matriz.Como sabis, a obra provin mente retardado a viuda do reverendo pa-j que se presta essa nascente e pruveilosa Prancfs^wp7r0ambuco, 4 meies, S. Joc; faena-
ctal de mais importancia, que se acha em dre Ibiapina, de cuja pressurosa acceitaco, lavoura, sem sacrificio real dos cofres pu- me.
Um prvulo encontrado mortono patioda igreja de
S. Jos.
3e 4
Mara da Prificago, Pernambuco, 70 aunos, viu-
va, S. Jos ; dearrha.
Josepha Mara de Jess, Pernambuco, 74 annos,
vuva, Bj Vista ; gastro euterite.
Joanna Maria Barreto. Pernambuco, 28 annos, sel-
tdira, S. Jos ; phlhysica.
Viceucia Maria da Gloria, Pernambuco, 64 annos,
viuva, Boa Vista ; gastro enterite.
Mara Catliarina de Sena, Pernambuco, 76 annos,
viuva, Santo Antonio ; tubrculos pulmouares.
Maria Joaquina do Amor Divino, Pernambuco, 2o
anuos, solteiro, Recifo; tubrculos pulmonares.
4:74935710 ministerio da agricultura de 31 de oulubro; .. | Mathias Jos, Pernambuco, 60 annos, solteiro, Boa-
Agora, porm, que o referido cofre acha- do atino ultimo. ^Sg^^j^g^jo ^Jfffg^JSgU PernambC0> 68
Keleva, porem, que manaets vigorar, no como da Gama para commandante do 2 corpo de anuos, casado, Boa-Vista; ascite.
tirar seguramente grandiosissimos resulta- tecipaduneate com a vossa autorisaco.
(Continua) -se-lia.)
_ jeiro do cofre provincial.
O servido, tendo continuado em 6 de dos.
agosto, foi suspenso em novembro, liaven Dignando-se tomar em considerarlo o
Alferes Alexandre Ferreira dos Santos. Infor- do-se concluido nao s as du'S paredes de meu pedido, resolveu o governo imperial
" a

PERNJMV1RC0,
[i.i''-.mi'' ser filho de menor idade.
Candido Paulo de Souza.Informe o Sr. tenente
corouel commandante do corpo de polica.
Damiao Correia Lima. Concedo o prazo de 30 se mais desalagado, mandet de novo conlt-
d,as. i miar os trabalhos no presente semesfre, proxuno ornamento, as disposi^oes do 27, voluntarios da patria vai receber una nova man- Plulomeaa, Pernambuco, 12 mezes, S. Jos; dear-
Francisco Antonio das Chagas. Concedo, nao para 0 aae se acha comorada SOfrivel por- do art. Io do utn actualmente rege. esugo em urna partida, que Ihe vaoofferecer pes rha.
havendo inconveniente. f!* a! malpra| ,fim fiP PpPnt!,r ,P ft' O director narctal dos indios do Alto So;,s ,nsiderada5- da nossa ioeieilaJe. no da 14 Candida, Peruambuco, 5 mezes, Santo Antonio, coa-
Faustino Nicolao Toleutiao Remeltido ao Sr. f'30 flt. menai* aUm e exeCUtar-se O u uiretioi p.uudi uu muios uu aiio tt) na rejdenciildo Sr. UippolytoGadaut, vulsoes.
J^mm^sanmTiaui nacional dos arco principal da Capella-mr. Pon da noiicia de que OS da maloca Cupa- a fua do ,;S()C. Alexandrino Pedro de Souza, Parahyba, 30 annos,
municipios de Oliada e Iguarass'. para mandar Casa da cadeia. Attendoodo necessida- quina, dorio lluxy, exterminaran! OS da Quando a alta admiuistraco para o provimento soilelro, Boa-Vista; tubrculos pulmonares.
inspeccionar o supplicante. < de de melhor accommodar OS presos d'esla Apuoiarv, no mesmo rio ; assim romo que, dos cargos se inspira nos principios da dignidade, Um prvulo encontrado na porta da igreja do Ro-
Felismina Maria da Conceicao. Iodeferido por; :., ^m, ,ift..i,.0; na narii rflativa no no Alto Purs OS eeiltioS Pauirvs mitaram JU;illSK emrito, tem o prazer de ver os seus actos sano, Boa-\ isla.
nao ter provado a maiordade. ,Capi tal com) deolare aparle relativa ao oauoruiu^^ wmmu as.jm f;im.cionados pe|a op|niu pub|ica> que sem. Um prvulo que foi encontrado no mar, Recife.
Guilhermina Mara da Conceigo. Remelto estado das pnsoes, mandet proceder a um OS d maloca LaiUdUW. pre cima de tudocollocaaquelles predicados como 5
assoc iqSo protectora das familias dos voluntarios' reparo nesse edilicio, e fazera'gumas alte- E doloroso registrar estes tristes exem-, credures d.t venera$ao g.ral. Damiao, frica, 45 anuos, solteiro, escravo, Bja-
da patria, uara altender supplicante, visto nao ragoes, aproveitmdo aparte em que OU- pos de selvageria, que S deixarao dere-. De 20 a 25 do c.rrenle, deve seguir para a Vista; gastro entente cliromca.
poderserpppororaaconsignacodequetrau.t,oafanccionava acamara mamcipa|) para produ?ir-e qmndo a C.vilisaco, guiada
lodeferido era vista da' estabelecer ahi : pela las do evangelio, conquistar para a
a suppHcauie.
Guilherme Jds Lopes.-
informacao do corouel commandante das armas de
2 do corrente.
Joo Jos Ribeiro.Concedo a dispensa, deven-
do porm apresentar folha corrida antes do con-
curso.
Jos Henriques Machado.- Como requer, sendo
este apresentado ao Sr. engenheiro chefe da repar
licao das obras publicas.
Leongilda Maria da Silva Cordeiro. S.'ja ins-
cripta a supplicante independentemnte dos docu-
Io
2o
Urna prisao para mulheres, socie-Jate essas rudfis populacoes que
Corpo de guarda, que actualmente guea.n perdidas pelo interior do paiz
' corte o 2o corpo de voluntarios da patria desla pro- Felicia do Sacramento, Pernambuco 95 annos, viu-
vincia. | va, Boa-Vista ; velluce.
O Sr. alferes do exercilQ Jeronymo Ignacio Luiz Fernandos Chaves, Pernambuco, 40 annos, ca-
va- dos Santos, segundo nos .iuformam, foi nomeado sado, S. Jos; iuflammagao no tubo intestinal.
nao existe,
3o Urna prisao reservada,
Acliam-se vagas 5 das 38 directoras
existentes. A de Aife foi oxtincta, por ha
4o Sala para os interrogatorios e archivo rem-na os indios abandonado. Fo am exo-
da prisao. nerados pedido os directores dos indios
A parte que presentemente serve de de Tabatinga e do Yuru.
prisao de mulheres fica destinada a moradia O numero de 17,405 indios figurado no
memos a qae allude, e que apresentara' antes do do carcereiro, auntando-se-lhe um qiurto quadro que acompaoha o re torio do direc-
contiguo para habilagao du remadores do .tor geral, parece-me, como a este distincto
escaler da polica. fimecionario, que deve ser acceito com re-
A despeza necessaria para essa obra foi serva, pois que nao possuem os directores
Miguel i'ereira do Valle. Informe o Sr. inspec- oreada pela repartigo das obras publicas, pareiaes meios seguros para realis irem um
tor da thesouraria de fazenda. conforme j disse, em 917-)60. i arrolamento exacto nos extensos dislricios
concurso.
Luiz Caelano Borges.Encaminhe-se.
Manoel da Rocha Nunes. Informe o Sr. inspec-
tor da thesouraria de fazenda.
tor geral interino da inslruccao publica.
(lOMAMiO DAS ARMAS.
Qiiarlcl do eommando das armas de Pernambuco
na cidade do Recife, 6 de junho de 186o.
ras Francisco d^ Paula Meira Lima, recommendo
a V. S., que mande pagar sob minl a responsaluli
dade nos termos do decreto n. 2 881, do Io de
fevereiro de 1862, as vantagen* cue competem a
ess- offlcial, a contar de 26 de ab il at o ultimo
de maio deste anno.
Dito ao mesmoAutoriso V. S. ti mandar pagar
sob minha responsabilidade, nos te -mos de decreto Urdcm do da n. 75.
n 2 884 do 1 de fevereiro de 186, os vencimen-1 O coronel commandante das armas interino, de-
tos relat vos a 2- quizena do mez de maio ultimo, I termina que fique addido ao 4 batalhao de artilha-
das pracas do 2 corpo de Voluntarios desla pro- ra a p o Sr. capito de cacadores da Baha Nica-
vinria bem como os dos offlciaes |lo mesmo corpo ci Alvares de Sou/.a, que hoje se apresentou. o
correspondentes a todo aquelle :mez, visto nao qual pela ordem do dia do exercito n. 443 de 20
haver crdito para esse fim, segundo consta de de abnlultimo, teve permissao do ministerio da
cilicio do coronel commandante das armas datado guerra para vir esperar nesta provincia a reforma
de hoje e sob n. 982, a que vieraml annexos a folha que requereu ao governo imperial,
e pret juntos em duplcala. i (Asignado.)- Jos Mana Ildeftnso acorn da
Dito ao mesmo. -Declaro a V.SJ para seu conhe- i Veiga Pessoa e Mello.
cimento e fim conveniente que 3o obstante as I (Conforme)-An/onioF;jnmcoOum<,2 teen
ponderaees feltas em sua informacao de 20 de te ajudante de ordens Interino encarregado do de-
ultimo.
Algumas ouWas obras provinciaes teem de suas directoras,
sido ejecutadasese eceoutam n'esta cidade
p >r conta do auxilio prestado pelo ministe-
rio da agrien tura, commercio e obras pu-
blicas. Nao vos falUrei dolas, porque nao
tem pesado sobre o cofre da provincia.
malo ultimo, sob n. 352, tenho resulvido que o talhe.
alferes Francisco do Freitas Moreno pague me- mmm
diante consignagoes mensaes de tj>do o seu sold
como pede no requerimento que devolvo, a quan-
tla que se acha a dever a fazenda nacional, prove-
niente de dinheros que receben para pagamento ____
de destacamentos no centro da provincia, visto,
como igoaes concessoes tem sido feitas em casos
anlogos de cmformidade com as informagoes
dessa thesouraria de 2 de juf ho de 1862, sob
n. 504 e de 30 de outubro do mesmo anno.
n. 1,045. M .1
Dit> ao inspector da thesouraria provincial. ;
Transmiti por copia a V. S. a lei|provincial n. 618
de 9 de maio ultimo, afim de que dandolbe execu-
cao na parte que Ihe tocar, manfle entregar a An-
tonio Alves de Miranda Guimaries, teslamenteiro
do Pinado Joo Vieira Lima, e procurador dos her-
deiros desle, a quantia de 8:0005000, que de con-
formidade com a mesma lei, lera de ser restituida
a laes nerdelros.
Dito ao mesmo. Declaro a V. S. para seu conhe
cimento e direccao que de conformidade com
informacao do ebef^ interino da repartida
obras publicas, datado de hontem e sob
acabo de concedei a permissao que pedio o arrema- nariCy0 rjas 0|)ras publicas. I proprias trras ; sendo que O preco poder
taute da bomba da Vanea, do Paulista Jos Henn-11
nue Machado, para fazer as obras do seu contrato,
no mez de agosto prximo vmdouro, allegando sar o servico, procure quanto fot possivel attenua extraordinariamente o hgeiro saon-
par* isso achar-se a Varzea nnundada e o terre- concentrar a a imiuistraeSo, resumindo no Picio pecuniario que a acquisicao impoe.
iaTERIOR.
AHUOMS,
8 de maio de 1865.
Kclatorio eoin que o Dr. Adul-
pho de Barros t uvaleauti de
A. Lacerda eatregon a admi-
uistraco da provincia do Ama-
zonas, no dia 8 de malo de
i Mr. ao 4. vlce-presidente.
(Continuar;oJ
OBRAS PUBLICAS.
TRRAS PUBLICAS.
No intuito de promover o povoamento
dos terrenos prximos as fronteiras, foi
esta presidencia autorisada, pelo aviso do
ministerio da agricultura, commercio e obras
publicas de 5 de Janeiro d'este anno, a
vender a praso trras de criaco elavoura,
na conformidade do disposto no 22 do
art. il da lei n. 1,114 de27 de setembro
de 1800.
Os concessionarios recebero um titulo
provisorio das trras que i edirem, e tero
praso, que nao deve exceder de 10 annos
para medi-las e demarca-las, e pagar o pre-
co que for convendonado.
Depois de satisfeitas as condices da
venda, expressas nos ttulos provisorios,
ser-lhes-bao passados ttulos definitivos de
propriedade.
Por este modo facilitam-se s classes me-
| nos abastadas a acquisicao de ierras e os
: meios de se empregarem na agricultura.
A mora para a medigao e demarcado, e
para o pagamento do preco, pe actual-
mente a propriedade territirial ao alcance
de quasi todos, e constitue por si s urna
Usando da autorisaco conferida presi- concessao valiosissima.
a dencia pelo Io do art. 3o da lei provin- Dentro do praso tao longo, como o que o
igao'das cial n. J23, promulguei o regulamento de aviso autorisa, todas e^sas despezas deve-
n. 159, 7 je jjjjfiro ultimo, que reorganisou a re- rao sem duvida sabir da produccao das
trtiQo das obras publicas. I proprias trras; sendo que o preco poder
No intuito de melhor ordenar e regulan-1 ainda ser indemnisado por prestacoes, o que
no um pouco prximo. n'ln'' chefe a nnidade de actfio indispensavel a boa
Dito ao director das obras militares. Remello ,v .__,_ *, ., *,. ,. c
inclu por copia o offlcio que me dirigi o coro- execucao e inspeccao dos trabalhos, e defi-
nel commandante das armas em 29 de malo uiti- nindo com clareza as f.ihccoes e deveres de
mo, para que V. S. em vista do que elle expo*, cada empregado.
mande com urgencia nao s extinguir o cupim que ; Eslabeiecencj0 os me0S de fiscalisaco
KSr^Z.tB^.f^LtSS^ae meparceram mais proflcuos, /
Cumpre niio desprezar to importante
favor, e promover efilcazmente a creaco
da propriedade territorial, por meio da
compra de terrenos, que to fcil boje se
tornaf
Nao cessarei de repetir: qnestao capital
sEmoS^ os interesses da fazenda, querjpara o Amazonas a fuudaco desse genero
de propriedade
Nasce principalmente do amor ierra o
amor ao traballio, ao trabalho regular, tra-
l,PEMdoViaYpra5aTd^^^ e trabalho aosempre-balho que fructifica, que derrama a pros-
seu comuiando, para escoltarem 2 criminosos ateo ga(jos, do que de garanta ao bom emprego peridade, facilita a educaco, estrena o
ser bem acondicionada a referida plvora, nao ex-i nas obras executadas por administraclo,
cedendo a respectiva despeza a,300 rs. | contracto, dispense todava as
Ju2ykeSSS!t ao^DT'ciiefe d'SiSi'. formalidades nuteis, quemis servem de
termo do Cabo. Communicou-se ao Dr. chefo de ^ iheK0S purjlieos.
PDito'ao mesmo.- Mande V. 8. dar baixa do ser-1 Esse regulamento aclia-se em exejncSo
\1qo ao guarda da seccao urbana do corpo sob sen desd o Io de fevereiro. E cedo, sem
eommando Jos Antonio Pereira de Alcntara, como j dovida, Para bem conhecer-se das vantigens
sol5iiao a mal desie n VXffi'X*!^.?*9 ou inconvenientes de suas disposices.
'^^i}Sffff^^^^?^Y. I Entretanto, como elle vos sSr presente,
eos da familia, adoca os costumes. e desen-
volve a riqueaa, o bem estar e a civilisaco.
A vida nmada, que a feico caracters-
tica das habitantes do interior desla proviD-
cia, prodiw effeitos diametraltnente oppos
AGRICULTURA, COMMERCIO E NAVC-
GACO.
AGItlCfLIUHA.
No curto espacu decorrido depois que
escrevi o relatorio anterio.-, deves com-
prehender que nao pode fferecer mudan-
Ca sensivel o aspecto bem pouco lisongeiro
que apresentava entao a agricultura, di^na
por certo dos mais extremosos cuidados da
adminitracjio e dos favores tiesta ass;m-
bla.
Aproveitando a desillusoe desanimo que
principia felizmente a alcancar muitos de
tantos .que se abandonaram com ardor in-
considerado extracto e preparo da se-
ringa e mais pro luct-iS silvestres, hei-me
esforcado quanto em mim cabe por desva-
los dessa industria improltictiva e fatal,
ntroduzindo e propagando na provincia a
cultura do algodo.
Para o Madera, o Solimes e o Rio-Ne-
gro tenho remettido quantidade de diversas
semenies desse arbusto.
Destrbuidas, como teem sido, por pes-
soas que se mostram dispostas a cultiva-lo,
nutro as mais fundidas esperances de que
nem as sementes, nem o empenlio com que
as tenho espalhado, deixarao de germinar
e produzir os fructos desojados
Fez-se, ha pouco tempo, em um dos ex-
tremos d'esta i idade, urna pequea planta-
cao; e o desenvolvimiento admirave que
tem tdo est patenteando a lodos os olhos a
excellen a desta ierra e desle clima para
semelhante genero de agr cultura.
Nao rec-uo, portanto, assegrar que, na
futura colheita da provincia, e no catalogo
desuaexportaco, o algodo oceupar de
novo um lugar, embora modesto.
Existe na secretara a lista daquelles por
quem foram distribuidas as semenies que
tenho enviado para os differenles districtos.
Tendo-me solicitado o coronel Leo lardo
Ferreira Marques, um dos que, no Rio Ma-
deira, eslo pondo em pratica esta tentati-
va, que Ihe proporcionare a obtenso de
machinas de descalcar e enfardar o fructo
do algodoeiro, reqtnsitei ao governo impe-
rial a compra em Londres e New-York, e a
remessa p ra esta capital, de tres descaro-
cadores. de Dobson 4 Barlow, e tres pren-
sas de Emery, alm das que eram destinadas
aquelle Cidado.
Estas machinas sao reputadas as mais
perfeitas e.dos mais vantajosos resultados
nos msteres differeoles que serven; sen-
tnente ajudante do 2 ceiPpd"de voluntarlos.
Chegaram hontem, da povoagao de Correntes,
mais onze voluntarios da patria.
Hoje se extrahir a 5" parle da 1* lotera da
Santa Casa de Misericordia, para canalisagao d'a-
goae gaz no hospital Pedro II, (18*) sendo os dous
maiores premios 10:0003 e 2:000j).
ItEl'AIlTIQA DA POLICA .
Extracto das partes do dia 6 de junho de 18o.
Foram recolludos casa de deleuyao no dia <>
de junho :
A ordem do Illm. Sr. Dr. chf fo de polica, Luiza,
escrava de Q. Carolina Mara Cavalcaote, sem
declaraco do motivo, e posti logo em liber-
dade.
A ordem do subdelegado do Recife, Manool
Antonio Domingues, para correccao.
A requisigo do depositario geral, Francisco,
escravo dos herdeiros de Anglica Candida d'Albu-
querque, por ser ali conservado.
O chefe da 2a secgao.
J. G. de Mesquita.
Anglica Tnereza Alves da Trindade, Pernambuco,
32 anuos, casado, S. Jos ; bepalile.
Romana Mana da ooceifo, Pernambuco, 45 an-
nos, solteira, S. Jos ; meningite chronica.
Ignacio Co.-me Damiiio, Pernambuco, 49 asnos,
viuvo, S. Jos; espasmo.

COMMUNU
).
Xo vapor Paran, seguo hontem o Exm. Sr. Dr.
Francisco Ignacio MarcondesH.de Mello, presidente
do Cear a lomar posse da administraclo daquella
provincia; S. Exc, mogo de elevadas virtudes, de
inteligencia nao vulgar e ame-trado na carreira
administrativa encetando-a na provincia de S.
Paulo, aonde deu as mais aulheoticas provas de
amor a jusrca.e verdadeiro interesse pelo bem pu-
blico, vai sem duvida contmuarna segunda a senda
honrosa trullada na primeira adminbtracao.
nossos emboras aos Cearenses pela
Damos pois.
Casa de DF.TE.Ng\o.Movimento do dia 5 de ju- feliz escolha de um to recommen lavel e dis
nhode 1865
Exisliam 334; entraran) 3 ; sahiram 6 ; exis-
ten! 341, a saber : naciouaes 257, mulheres 3, es-
trangeiros 22, mulheres 2, escravos 5*1, escravas
7,total 341.
Alimentados cusa dos cofres pblicos, 132.
Movimento da enfermara do dia 7 de junho
de 1865.
Foi removido para a casa de saude do Dr.
Ramos, o sentenciad > Francisco Gomes d'Andra-
deCoutinho; altacado de vanlas.
cavalheiro
/lacia.
para dirigir os destinos de sua pro-
ra S 5? 1 n i H 1 O
- r- 3- 2 ><. >
X 1 ^ 1 1 BB
I 1 S : 3 P | 3 1 ?! 3 8 > o f
: 1 : : 1 : 1 : i 1 : 1 : i : 1 : 1 o > S S o
1 1 ' 1 Masculino. 2 > e
te | co o ~ Clt _ > 1
1 i i CA 13
Xki 1 1 1 Feminino. H S
OS i. 6* 1 00 1 co 1
i 1 1 1 Masculino. M CA H o
(te 1 s 1 -i ~ o
m " 1 o 1
ES
Feminino. g
M A . |J>
1 i 0
1 1 Masculino.
*-! - n . " 1 5

1 Feminino. t
-- m - * e
i 2 a.
Masculino. B m 2 w
m - M *>
1
1 Feminino. o > 1_|
-*- "* 1 s
O m 1 " * o 1 C9
W
1 O
-1 1 I R Masculino. \ v-
1 1 9 1 o 9
H> 1 I m m 1 c-. l -
A>
1 \ ^ oc
1 v j Feminino. ip- 1 p
^1 A a 1
i ?*. TOTAL.
00 1 s
tos'; e contribue, mais do que outra qualquer i do, alat disto, o descarofadoc preferido o
ADVERTENCIA.
Na lotalidade dos doentes existem 168, sendo 111
homens e 57 mulheres.
Foram visitadas as enfermaras estes dias :
As 9, 8 1|4. 8 1|4, 9 10,8 l|,i 8 1|4,8 i|2, pelo
Dr. Hamos.
As 9 t|2, 8 3|4, 8 3t4, 9, 8 1|2, 8 1|2, 9 1|4,
pelo Dr. Sarment.
Fallecern) :
Francisco Roassino da Cosa ; pbtysica pul-
monar.
Josepha Maria de Jesu^; gastro iuterite.
Vicencla Maria da Gloria ; dem.
As informagoes ministradas pelo Sr. Jos Maria
da Cruz, como inspector interino da thesouraria
provincial, baseadas sobre documentos importan-
tes, eram esmagadoras, e deveriam ter feito conter
o Sr. Jos Pedro da Silva ; mas o desmedido or-
gulho de professor de Geometra do Collegio das
I Arles nao Ihe deixou calma para proceder pruden-
temente, e por Isto, em vez de procurar sepultar
essas informacovs as catacumbas das commissoes
I da assembla provincial, fez o seguinte requeri-
mento, suppondo talvez que, tondo sido eleito vi-
ce-presidente dessa assembla,o que sem duvida
altribuio ao reconhecimenlo de seu mrito, e nao
conveniencia do momento, exercia influen-
cia sobre a maiona, e poda contar com decidido
triumpho :
c Requeiro que vo s commissoes reunidas de
legislago e de contas e despezas provinciaes as in-
formacoes e mais documentos que requisitei da
thesouraria provincial, alim de darem o seu pare-
cer sobre a conveniencia e regularidade de meu
despacho proferido em sessao da junta de 17 de
abril prximo indo acerca das contas do ex-col-
leclor Luna Freir, e bem assim, se o actual ins-
pector interino pode sem recorrer para a presiden-
cia, reconsiderar a materia, revogar o dito despa-
cho, e subslitui-Io por outro.
Sendo approvado sem debate, como succede qua-
si sempre, esse requerimento, na sessao de 23 de
maio desse anno, foi remeltido sduas commissoes
reunidas, como quera seu autor. Indo a essas
commissoes o requerimento, de que se trata, acom-
panhado das informaees e documentos que j fo-
ram publicados, s em 16 de junho deram ellas,
depois de esforgos da parle do Sr. Jos Pedro da
Silva, seu parecer, e esse parecer apenas foi
assignado por tres membros, os Srs. Jos Quintino
de Castro Leo, Bento J j- da Costa Jnior e Si-
queira Cavalcanti, declarando-se este vencido ;
mas basta ler-se esse parecer, quando nao bastasse
o saber-se que s foi redigido por dous membros
de duas commissoes reunidas, para ver-se que elle
destituido de importancia pela futilidade de seus
fundamentos, e que sua redaego nao foi extra-
nho o Sr. Jo> Pedro oa Silva, que tinha grande
empenho em que Ihe fosse favoravel Todava esses
dous membros, nao obstante os esforgos que fize-
ram para contentar o Sr. Jos Pedro da Silva, e
os diasque passaram em confecciuna-lo.apenas tira-
ran) de seu importante trabalho a seguinte con-
clusao :
c E' a commisso de parecer que o empregado
que subsfiftro inspector efectivo em seus impe-
dimentos, nao pode revogar os despachos desle ins-
pector sem consentimento do pttsdente da pro-
vincia.
A redaccao das linhas, que ficam citadas, dizem
bem qual a importancia desse parecer, no qual
nem mesmo se attendeu syntaie ; e a con-
cluso que tiraram as commissSes reunidas nao
| poda agradar inteiramente. ao Sr. Jos Pedro da



Atarlo de irernambnco Quarta lelvt de Junho de ISttft.
I


gojm
entretanto que all se disse que s com .consent-, O art. 8o do regulamento de 3 de agosto de 1852, de 17 do dito raez,
corn
ment do Residente A provincia poda tfr lagar a | expVdldo'de co'n7o7mrdadeTc7m"a"utorbacYo "con- p^bicT me" fem'iino SmgTdT^s'oplrtil do
revogaeo. j fecida a presidencia pelo art. 34 da tei n. 300 de 7 subdelegado do districto desta cidade.
mesrao mez, *o na de 21, e provavelmeote a ios- thesenraria provincial sero resolvidos em junta, llluslrado Sr. Dr. JooSilvelra *
gneros..... 1,106
------1,172
Descarregara no da 7 do corrente.
Brigue inglezoa/ieferro e cerveja.
Souza^ quando Barca Ingleza -Ann Lizzie-An-luha de trigo.
e cemedto.
liversos gneros,
oraercadorias.
Nao sendo as contas de collector do Rio Formo- desembargado? nceimoFran'scoKrettr "*""' Sumaca hesna^nfnlaZ Verredlt^t^m'
Z hrtSSe Pr S1 ^erSmcR'encecr-8e10ff? so desses negocioscomprehendidos na excepgo,de Occop i por diversas vezes a snbdeegaria no Sfn^S-C^/S-tdenT
SiKd" a S^S m onn^es' Sr" Dr-. A'"'qaetrataoart.supracirado, e sabendo-se o que empediment dos respectivos propietarios, e me BlM^Jtomator^m
M-JosTavaresdaSriva tequjs.tou esses l.ms, significara ai palams-itrSo volvido*,- est orgulho em dizer que cumpri os meus deveres, Patachon5nd-ffi%em
adiseussaocooifcsde logodd.ada; -oone pro- clare- qaeo r.Cruz, So se tendoconformado com prend diversos criminosos, e desertores, e nanea Barca, n!?e-XarZd-254n
va que toda a assembla evitan de tratar da ques- a ordem irregular do Sr. Jo Pedro da Silva, nem appareccu perante as autoridades superiores da Barca E-fi-dem
tao suscitada pelo Sr. Jos Pedro da Silva, e so devendo dar-ihe comprimento, proceden regular-; comarca ou da provincia queixa ou representacao
condescenda ate certo pona por ser eHeiseu vice- mente sometiendo essas contas a considerago da e.mtra mim por onde se conhece*se a reprovaco
presidente. Sendo a sessae de 21 de jotto a ulti- junta, e que esta achava-se uoseu direilo resolven- dos meus actos por parte dos habitantes do dis-
ma desse anno, deixou pms de ser discutido o pa-1 do a onesto. Baseado sobre isto, o procediraento iricto.
recer das duas commksses retiidas e approvado do Sr. Cruz e o despacho profrrido, de conforml- A lempos nao exercia a subdelegada e oara
ou resellado, oque devta tersido moriifiCador pa- dade com o parecer da contadoria, da procurado- melhor dizer durante a administraeco do actual
i o Sr. Joyo Pedro da Silva que esperavaj sea du-1 ria fiscal e resolugao da junta, sao regulares e dig- presidente nunca exerci, e como poda S Exc ter
vida conseguir, torga de pedidos de votos, a sua nos de elogio, poisque denotam rectido e firmeza motivo para a bem do s'ervico publico demiuir-me
approvacao; e postle figure esse paree* no Ow- de aarter. lancando sobre mim o dezar de ser reputado pesso
1*0 de Pernambueo de 20 desse mez, todava delle No art. desse regulamento se Id o segninte: incapaz de ocenoar careos de nnlicia V
se uo enconlram "vestigios m?m as paslas das
uas commissoes, nem no archivo da apscmbla
provincial.
Nao lendo podido o Sr. Jos Pedro da Silva vol-'
i segninte: incapaz de oceupar cargos de polica'?
Art. 6. A junta celebrar urna sesso ordioa- Sr. Dr. enere de polica tenho a gloria de dizer
na, pelo menos, em cada semana, nos das desig- que V. S. nao foi ouvido sobre a minha demissao
nados pelo inspector, e extraordinariamente as que como se v da portara publicada nos jornae o
' forero necesarias ao expediente dos negocios; de- que sem duvida prova que ella nao foi dada pelos
;ar a assemblea^rovincial, perquo a le dd eleicoes. vendo lavrar-e de cada urna deltas urna arta as- meios regulares e or amor do servico mi-
prohibi que os inspectores de thesourarias fossem signada pelos menbros da mesma junU, na qual se blico vi"
populados provim-iaes, e nSo Ihe sendo rijis per- far meocao de tafo* os negocios de que se tratar, a demissao langa sobre a minha pessoa, o odioso,
mundo exercer influencia sobre os membros da ,dos papis que forem apreseutados, e do destino ou mas nao me disconceitua Denote o nubli'o e as
representagao provincial, nunca mals ve o a dis- decisao que tiverem.
cossao esse parecer, e actualmente, pard qne se j Tendo sido apresentada? as contas na sessao do
saiba o que nelle disseram os dous deput^dosque
o confeccionaram e assignaram, 6
rerse ao Diario de Pernambueo
Importado.
Barca hamburgueza Ann <$ Lizzi, entrada de
New-Yorck, consignada a fhipps Brothers 4 C,
manlfeslou o seguinte:
li caixas machinas, um condensor e 3:100 bar-
ricas familia de trigo aos mesmos.
Iliaie nacional Amelia, entrado das Alagoas, con-
signado ao capilo do mesmo, Antonio Jos Rodri-
gues Pinheiro, manifestou o seguinte :
53 alqaeires milho, 100 pedras de amolar; ao
mesmo.
SS alqueires milho; a Caelano C. da Costa Mo-
reira.
Barca purtugueza Iris, entrad? do Rio-Grande
do Sal, consignada a Amonio Lniz de liveira Aze-
vedo, manifestou o seguinte :
14:286 arrobas de charque e 72 coaros vac-
cuns: a ordaro.
Patacho sueco Jarl, entrado do Rio-Grande do
precisf
mas
reeor
stamos
a dia 17 de abril, e hacend a junta decidido que
- se lesponsabilisado o collector do Rio Formoso
fos- meus concidadaos, e deve suppr que a demissao f ul>.cons|gna,<> M* & Espirito Santo, maoifes-
foi motivada por nao pertencer en ao partido libe-
em
^;eque,'v-.ia (, ''ue era relatlV0 ao erclcw de ral, e sim ao partido progressista do que muito me
convencido que, se alcuem quizesse traze a dis- 1853 a 1834, esta claro .me na acia dessa sessao se honro, e neste prsanoslo muilo acradeco ao
-ca'sao, este anno, esse parecer, nao seria elle ap- devia mencionar o departi, como se fez na de 26 presidente a minha demissao.
Por uliimo agradeco a V. S. a confianza qne
sempre depositou em minha pessoa, e faco votos,
posigao a aecsao para que a provincia continu a ter V. S. por seu
dessa junta, e ainda menos faz lo asignar, por chefe de pollcia.
urna especie de sorpreza, como se deprehende da Deus puardo a V. S. Victoria, 6 de maio de
resposta do Sr. Dr. Fenelon Alcoforado, pelos ou-, 186o.Illm. Sr. Dr. Jos Pereira da Silva MoraesJ
tros membros. 'mo digno chefe de polica.- Guilhermino Paes'
No art. l. das instruccSes dadas pelo Sr. Jos Brrelo, ex-sobdelegado.
Pedro da Suva para as sessoes da junta, e datadas
r.
mulaeVs e foi apiircvada por quati vnanihtida'le
prova que o inspeclor effectico ou tn1erino\da the-
souraria provincial nao exerce influencia algnma,
eso se deve limitar a ver se, por meio de pedidos,
consegue, como dizem que est fazendo, do Exm.
Sr. Dr. Castello Branco, que essa lei nao seja sanc-
cionada, para que elle possa continuar na pisse de
dous lugares, embora sejam elles Incompaliveis en-
tre si.
Nao havendo sido approvado esse parecer, nao
tnha elle forca alguma, e devia ser cons lerado
como nao existente ; mas o Sr. Jos Pedro da Sil-
va, que nao cede fcilmente daquillo que enlra em
seus clculos, nao foi desta opnlo, e, volt! odo a
sua ihesouraria, se deu pressa, segundo dlze n, em
revogaro ilespacho revogador da junta, prc feri lo
na sessao de 28 de abril desse anno, e considerou
como approvadas as_ contas do seu bom amigo, o
lou
11:132 arrobas de charque, 100 ditas de graxa
em bexigas e 70 couros vaceuns seceos; ordem.
Vapor nacional Paian, entrado do Rio de Ja-
neiro, consignado Companhia Brasilera, manifes-
tou :
2 saceos caf; a Sempson S C.
i caixa livros impressos; a J. Walfredo de Me-
deiros, 1 caixofumo picado; a Joaquim Bernar- Datarios.
1 dita ; a J. F. de Vasconcellos.
1 dita a Monhard S C.
1 dita ; a Henriqun & Azevedo.
20 ditas objectos diversos; a Prente Vianna
& C.
21 ditas; a Cors & Barboza.
14 ditas; a F. Dubarry.
13 ditas; a Mello Lobo.
3 ditas i a B. F. de Souza.
10 ditas ; a Carneiro & Nogueiro.
10 ditas ; a Alves Hamburger & C.
8 ditas ; a Ferrreira 4 Araujo.
6 ditas ; a A. Pinto.
a L -Roberts.
a Passos Gmmares.
a Gamillo de Hollanda.
a Manrer & G.
a J. B. dos Res.
a Monhard & C.
, aos consignatarios.
a Roben & Filho.
. Adour & C.
2 ditas ; a Iziduro Nelto & C.
1 dita; a C. Wild & C.
1 dita ; a J. S. de Souza.
a Dammayer & C.
a T. T. Teixeira.
a Medeiros.
a J. Keller C.
a Cunha Medeiros.
.; a Henrique 2 ditos objectos de armarinho ; a A. Ilarabur-
Lger C.
1 dita J. P. Moutinho.
t dito; a F. Duba ry
1 dito ; aos consignatarios.
2 ditas ; a Prenle Viauna & C.
2 ditas ; a Isidoro Nettu & G.
1 dita roupa feila a Ramos e Silva & Genro.
3 ditas porcelana ; a J. P. Moutinho.
3 dias; a Duarte Pereira &. G.
2 dita; a A. J. A. Pereira.
1 dita ; a Alves & Guimaies.
1 dita ; a Alves Hamburger.
4 ditas pianos ; a J. Vignes.
200 fardos papel de einbrulhos;
6 ditas
6 dilas
6 ditas:
6 ditas
4 ditas
4 dilas
4 ditas
3 dilas
2 ditas
1 dita;
1 dita j
1 dita ;
i dita;
1 dita ;
2 ditas
farinha de trigo;
11, carga 2,000 barricas com
a Henry Poner & G.
Aracaty10 dias, Male ferasileiro Santa Cruz, de
101 toneladas, capilo Jos Victorino das Neves,
eqnipagem 10, carga algodio e oatros gneros ;
a C. C. da C. Moreira.
Navtos saludos no mesmo dia.
Liverpoolbarca ingleza Eleonor, capilo Thomaz
Campbel, carga assucar e aigodao.
Rio Grande do Sulbiale bmsMefro Doi Amigos,
capitao Antonio R. de Olivara, carga differentes
gneros.
Lisboalogre portuguez Julio, capilo Francisco
Antonio Meirelles, carga socar e outros g-
neros. \ 8
Rio de Janeiro e portos Intermedios-brigne hol-
landez Aquanus, capitao A. Allomann, era lastro
Baha-escuna hollaedeza Antetope, capilo Panjer
carga parto da que trouxe de Hanvers.
Macei barra ingleza Isabella Rydleij, capilo
Bullej/, em lastro.
Porlos do norte vapor brasileiro Paran, com-
mandanle o capilo de frasata Santa Barbara.
KDIAES.
De ordem do Illm. Sr. inspector da thesonra-
ria de fazenda desta provincia se faz publico, para
conhecimento dos interessados, que o tribunal do
Ihesouru autorisou o pagamento de dividas de
exercicios fludos, cojos credores sao os seguintes :
aos consig-
de 23 de malo de 1853, se l o seguinte
a Art. l. inspector em cada sesso da junta
dar conta da execucao e resultado das delibera-
1 rfs tomadas na sessao anterior, e mencionar as
j diflicnhlades e embaracos que se encontrare.
Isto to claro e positivo, que nao precisa de
, longo desenvolvimento. Tendo o Sr. Cruz de dar
conia, na sesso de 26 d? abril, da execucao que
----------- J-tXgl n r, \ m ----
Ao publico
Tendo-se reunido dorainge 21 do mez prximo
passado os libertinos da Uniao na sala das sessoes
da ra Nova, resolveram por unanlmidade de votos
transferir o baile annunciado para melhor occa-
tfo, por ter de assumir nesse dia as redeas do go-
leve a deliberado da junta na sesso anterior, isto verno um novo d rector, devendo ser a funcrao uo-
c, na de 1/ desse mez, em qne se mandn respnn- Vam.-nte descripta por carlazes, conforme os esty-
sabihsar o collector do Rio Formoso, e havendo ios o etiquetas em voga. '
encontrado embaraco em cumprir o despacho-do j Lancida a nrn "que Sr. Jos Pedro da SiH-a que in'ha mandado lavrar jJSS^StMnSjSiiS T^vasTa-
o Sr. | termo de approvSCao das contas relativas ao exer- /o, e verificando acbarem-se reunidos em numero
je de- cirio de 18aJ a 18ai, e archiva-las, proceden como de-desoll, crdenou que =e procedesse cscolha de
ram por Um causa a que eKe pedisse sua afesen. Ihe determioanm essas inslrncC6es snbmettendo Bm hmem e que melhor os pdese conduzl? ao
ser sobrecarrt gada a reconsideracao da junta e.-se negocio ; e proce- caminho das Glorias '
cado | den sempre bem lodo aquelle que assim proce- j 0 secretario (sola'da'direitaj pedio a palavra e
der, sem precisar para isto do consentimenlo do em um discurso conciso
presidente '
em s
foram engrossando os desges'os,
Cruz, por se ver to injustamente
tadoria, vindi por este modo a
a fazenda rrovinctal com a despota de dupl
ordenad,o que sem isto se leria evitado,t que
o ex collector i-< Rio Formen, animado pela
leecao, que encoulrava, se evadlsse com dinhbiros
que Itnha em seu poder, comprometiendo por este
modo seu liad >r que, confiando as palavras que
Ihe haviam sido transmiltidas por alguem, de xou
de retirar em lempo sua fianc-a, como pretend a, e
vio-se por Hm comprometido ; cum(>nndo rotar
i)ue mais de um fiador se lem adiado as meslmas
condic_oes porque, como temos provado, as^consas
nem
semt
Quiniino de Castro Leo.
Ainda dizem o seguinie no art. 2." essas ios-
irucjoes :
Art. 2." As actas das sessoes da junla serao
approvadas na sesso seguinte, e inscriptas no in
nao lio corrido regularmente na thesouraria pro-1 tervalla de umaaoutra. Neste mesmo lempo se:
vincial.
Sr. Cruz disse em snas informacoes que
contas do ex-collector do Rio Formoso haviam
discutidas em anno anterior (1855) na assemf
provincial, e taxadas all de irregulares ; entretin- a que se seguio de 17 desse
i executarao as dehbcrares que t ornar em, com ex-
as eepcao dos despachos dos requerlmentos, que sero
ido dados na mesma sesso era que forem resclvidos.
lea | E' manifest que, sendo a sesso de 2C- de i'hril
in, se recorrer se ao relatorio do Sr. Jos Pedro da
Silva, de 31 de Janeiro desse anno, ler-se-ha o ;e-
guinte :
Cora excepeo do collector de Gcianna qne se
demorou em prestaras snas contas do exerci lio
protimo lindo por causa de omisses do escrivo
que por isio foi responsabilisado, todos os out -os
mez, a ;.cta desta
nao podia ser definitivamente approviJa seno.
naquella, e devendo no lulervallo de urna a oulra
ser cumpriJa a deci.-o da junta que m-nidou que
fosse Msponsabilisado cae collector, n.j t nd o po-
dido se-lo, vistoque o despacho do Sr. fos Pedro
da Suva eslava em opposicaa essa decisu, cla-
ro que o Sr. Cruz devia levar ao conliecimeulo da
cumpriram em lempo esse dever e se achum em lia junta o occorrido, e aguardar nova deslso, nao
com a entrega da renda que cobruram. | querendo lomar sobre si d^liberaco algnma apoia-
J se v, pois, qne o Sr Jos Pedro da Silva en- do na disposico do art. 4." do regulamenlo, que Ihe nao possuis
siderava no numero dos eollectores, que tinhim dava voto deliberativo. I vestan ca
cnmpndoem lempo o seu dever, e se achavaqi im Nao podendo realisar-se nm exame definitivo! Terminal
da em relaeo entrega dos dinbeiro* arrecada-
dos, o ex-collector do Rio Formoso, e d'ahi se ded i
que elleou ignorara ijue as contas desse funcio-
nario estavam irr'-jrulare, como se disse na asse i-
bla provincial, e alfirmava aquillo de que nao li-
nha certeza, ou piocurava encobrir e proteger a
amigo, e oceultava o que sabia e veio a transpir ir
nessa assembla, como transpirouoqne hara rp|i-
livamente ao collector de Ijiuarass que, sem is
debates, nao viria a ser demitlido; sendo o raesn o
Sr. Jos Pedro da Silva quem, em seu relatorio
datado de 31 de Janeiro de 1857, confessou que fj>
no recinto da representacao provincial que se re-
relou que esse collector havia recebido um valioso
sello do heranga, do qual nao tinha dado conta:,
devendo-^u presidencia da provincia os esforec s
que se Hzeram depois para que se descobrisse qus
Domingos Gonealves Pereira Uastos nosse linhi
apoderado desse sello, sene de parle deoutro;
muitos que anteriormente havia cobrado, alm da
omisses e negligencias por elle eomnMtidas.
Todo o procedimento do Sr. Jos Pedro da Silv
nesse negocio musir que elle sempre teve em vis!
la proteger o ex-collector do Rio Formoso, e su
proteccao tran>pira em todos os seus actos; mas
lendo-se alinal evadido esse seu amigo, e vindo ist<
a fostiiear o procedimento do Sr. Gruz, qoiz o Sr
Jos Pedro da Silva urna victima, para sobre ell;
descarregar snas culpas, e a pessoa que eseolhei
oi o mesmo Sr. Cruz. Eis o que elle disse em set
relatorio datado de 31 de Janeiro de 18o7 :
t Oexercicio de 1853 a -{854 tambera est co-
nhecido, e se promovera actualmente sua cobran-
za, se o contador, depois de concorrer em junta pa
ra o despacho de approvacao do exame das contal
desse exercicio. que foi dado de conformidade com
as informaroes da contadoria, ensobre o qual nenhu
ma quslao elle suscitou, nao pozesse depois em
duvida este exame, e o flzesse depender do dasl
contas do exercicio de 1854 a 1-853, revocando por
isso esse despacho, quando ltimamente me substi-
tuto no lugar da inspector, por me achar com as-
sento na assembla provincial.
Assim procedesdo era seu dever apressar este
ultimo exame que faltava, ras assim nao aconte-
cea, pois at o presente nao est elle nllimado,
nao obstante ter sido ordenado em 2 de maio pr-
ximo findo, ser exigido com urgencia e repelidas
vezes, e poder ser feito em quatrocu seis dias.
Levo ao conheeimeato de V Exc. esta notavel
demora, nao s porque os recursos de que dispo-
nho nao tem sido sufeientes para evila-lo, seno'
tambem porque devo arredar de minha responsa-
bilidade o prejnizo que por causa dea possa ter a
fazenda, ou o fiador do collector, tanto mais im-
portante, quanlo mais tarde se Ihe exigir o paga-
mento desse alcance ; e bem assim, o nao ter-se
pi ocedido criminalmente contra esse collector, o que
depende do conhecimento completo do seu proce-
dimento, conseguintemente do exame de todas as
suas contas. *
as contas do collector do Rio Formoso relativas \
O Sr. Alfonso fila da esquerda) sem obsearec^r
os merecimontos do candidato proposto, apresen-
lou o nome do cidado Papa-vo, homem circuns-
pecto, e de algucn lino e considracao na arte de
pedir.
A sociedade, porm, levando em conta os serv-
gqs prestados por Pai Flix, resolven preferido,
nao obstante figurar em terceiro lugar, lembrando
que a sua opposicao e qualidcuUs permiltiam urna
Justa repensa, como representante do partido dos
pedarastos I
Em seguida foram-lhe entregues as redeas e chi-
cote concernentes ao seu cargo.
Pai Flix com aqaelle riso que Ihe proprio
abrindo a bocea at os algares, e mostrando a lo
dos aquella famosa batana de denles que o fatein
conhecido daqnelles que se desejam ulilisardo seu
preslimo; agradeceu de modo conveniente a honra
cora que o disiinguiram, passando a descorrer com
pioliciencia sobre o motivo porque as mulheres
am barbas, e os rapazes eram esteris c
calcas 1
Terminando este acto que foi eloquente e tocan-
, te, o Orculo que o Amorinho Cambrone pedio o
ao exercicio de t8o3 a 18.,i, sem que estnosseni I encerramento da sesso, depois do que teve lugar
SK JmTJ6'! 'V0S :' eX"rC:" d,i 8bt, a i a ^'remonia da borla que foi celebrada do modo
ljj, que eram necessanos para certas confronta-1 seguinte
coes, e autorisando o art. 67 das instruccoes ao iai Flix defronte de ura caricato igual saa
contador e esmprararios r^j/irc/ os documentos phi.sjonomia, senlou-se em um banco furado no
S-Srt'WSSSJSS e inconfla-; centro, por'baixo do qual depois de sen ado peo
n?Ln-^ "^^"""""'B^W'diaoma borla vermelha e sediga pelo exercicio
hvros, de que se trata ; mas a ludo isto o Sr. Jos : de ceremonias idnticas. Os circumstantes era sig-
Pedro da Silva respundeo prevalecendo-se de seu na| de respeito e considracao aquella reliquia, col-
't 't'I' e "'andf ',ue se la,msse teri?i 'candse de qualro ps, all iara depr humilde-
de approvacao dessa, contas, e que fossem archi- meDle um os,ulo d/pa' d is do ^ e se ,evaQ.
vadas, feto e, que flcassem sepoltaoas as calacum- ,aram e seguiam para ^aa's ca^a5 ,-
bas da thesouraria, so Ihe faltando ordenar que fos-
sem cancellada*.
Em seu discurso, proferido na sessao de 6 de
maio de 1856, disse o Sr. Jos Pedro da Silvaque
recorrer-se para a junta da thesouraria provincial
era recorrer-se para seu inspector,porquanto
destes depeediam todas as decisoes ; mas nao sa-
bemos se o voto deliberativo, de que se prevalece
o Sr. Jo> Pedro da Silva e foi por elle encaixado
no arl. 4. do regulamento, tem o ela.-terio qne Ihe
presta. E' verdade que nesse regulamenlo se diz
que o inspector da thesouraria lera voto delibera-
eguiam para
Aqu tem, pois, es leitores as circumstancias pe-
las quaes deixou de ter lugar no da determ'nado,
o espantoso divertimento que tanta ri-sota produzia
entre o respeitavel publico.
0 Nossimento.
Agoa de Florida de Mnrrav k
la n man.
Atravez de toda America Hespanhola. desde o
iivo em todos os neLmdordaconVp7tecia"da'7ip- norte ,do Me.x,? al ao E*reito de Magalhaes, es-
ta, entretaute que os outros membros s temo le ''.erruine e tldo e considerado como a agua aro-
consultativo, de sorleque o contador e procurador matica a mais hna e delirada,
fiscal consiituem essa especie de conselho de esta-1 As snhjntas hespanholas, nao s della fazem
do do inspector, a quem s falta a irrespon*abil- uso eomo mais dellcl0S0 perfume; mas sim tam-
dade dos seus actos; mas considerar isto tao ab- | b?m habitualmente o usara n'uma forma de dilui-
solutamenle como quer e tem feito o Sr. Jos Pe-1 cao como u.m excellenle m&<> Para al vejar e con-
dro da Silva, seria absurdo que at eerto ponto se servar .s dentes e dar um suave e agradavel gosto
acharia era inteira opposicao cora o que est es-it0|p a.lJar:
cripto nesse regulamento. Tendo esse regulamen-! Servmdo de modesta e agradavcl advertencia,
to sido confeccionado pelo Sr. Jos Pedro da Silva rec'niineadaraos aos senhores, qne a mesma usa-
no de admirar que no art. 4. fizesse esse voto da debaixo d esta mesma forma, e havendo salpi-
deliberativo; porqu.intoo professor de Geometra |ado. eu facto, isto depois do haverem gozado as
do Collegio das Arles nao se esquece nunca de seus dellcl0sas fumagas de um bello charuto de Havana,
interesses, e esl persuadido que, sendo o primeiro s'orna Preseniaveis na presenga e sociedade do
financeiro do imperio e economista poltico da Ame- se0- ,
rica, como elle se er, gyra em rbita distincta; Aquelles do sexo barbudo e que tem nma
mas cumpre qne se nao deixe o Sr. Jos Pedro da
Srlva proceder como Ihe agrada, porquanto pode,
se assim fr, querer imitar a Icaro, e nao convm
que se perca vida to preciosa, principalm nte em
quadra to diffkil quanlo esta.
Para dar alguma farga sua queixa apresenta-
da assemhla provincial, disse o Sr. Jos Pedro
da Silva qne, tendo os membros da junta o direito
do dos Res.
8 feixes ago ; ao baro do Livramento.
2 caixas diversas'memdoriis; a Marques Bar-
ros & G.
1 dita ditas; a Antonio Lopes Braga.
1 caixole livros impressos ; a Jos Nogueira de
Souza. I
1 dito objectos de photographla ; a Jos dos San-
tos Pereira.
1 caixo charutos ; a Coelho & Freitas.
1 caixote livros impressos ; a Guimares & Oli-
ve! ra.
1 cattao fio de algodo, 3 barris tinta de impri-
mir, 2 jacazes queijos, 309 rolos e 30 latas fumo ;
a ordem de diversos.
Hiate nacional Sanfo Rita, entrado do Aracaty,
consignad-) a Tasso Irmos, manifestou :
20 barricas bacaluao, nma porgo de cobre velbo,
261 caixas com 332 arrobas e5 1|2 libras de velas
de carnauba, 183 saceos com cora 596 arrobas e
27 3(4 libras de cera de dita, 286 meios de sola,
143 molhoscora 3:330 courinhos, 26 couros salga-j
dos, 68 molaos coinfO osttra, 20 saceos com 80
arrobas de gomma de mandioca, 4 barricas com 3 i
alqueires de dita, 1 casco cem 50 pares de sapatos,
&OO0 ponas de bol, 21 saceos com 131 arrobas e '
3 libras de algodo, 2 barricas e 1 caixa com 404
libras de cera de abelha, 4 volomes com 82 libras
de pennas de ema; ordem de diversos.
Barca ingleza Miranda, entrada de Liverpool,
consignada a Mills Latham & G., manifestou :
200 saceos arroz; aos tonsignatarios.
300ditos dito; ordem.
10 caixas biscoufos; a M. P. de Mello.
4 fardos barbante: a S. P. Juhnston & C.
10 caixas conservas ; a A. D. Monteiro.
9 cabos (viradouros); a S. P. Johnston.
2 caixas drogas a Caors A Barboza.
1 dita dilas: a B. F. de Souza.
3 amarrados euxadas e 1 barrica ferragens; a freres.
dito i a
mesmo.
Urna porco de asphalto; aos mesmos.
41 barris vioho, e 3 cestos e 5 caixas
A Binet.
1 barril vermulh ; ao mesmo.
5 barris cognac, 1 dito absynthio ; ao
4 caixas perfumara ; a Alves Hamburger
2 ditas ; a Herveline.
1 dita ; a Isidoro Nelto & C.
2 dilas; a Henrique & Azevedo.
I dita ; a Mello Lobo.
1 dita a Vaz & Leal.
C dilas licores; a A. Benet.
8 ditas raobilias ; a Isidoro Netlo & C.
9 dilas couservas ; a Keller.
0 dilas papel ; a Gomen & Oliveira.
10 ditas ; a Tasso Irmos.
5 ditas; a Gardoso Ayros.
2 ditas.; a Carneiro & Guimares.
3 dita j a J. N. de -ouza.
1 diia ; a J. B. dos Reys.
12 fardos ; a A. Hamburger & G.
40 caixas sardiubas ; a J. Keller & G.
20 dilas ; a Alinala G -mes.
0 dilas; a viuva do Gusta.
5 ditas calgado ; a Arantes.
2 dilas ; a Sanios Porto
2 ditas ; a G. S Pereira.
1 dita ; a Multo Lobo.
1 dita vidros ; a V. & Nelto.
3 ditas ditos para vidraga ; a Len Chapelin.
3 dilas objectos de ferro ; a F. Genny.
30 baris e 40 meios mauteiga ; a Almeida
mes.
75 ditos e 73 meios; a Costa & Filhos.
Go-
e 100 meios; o J. Pater & C.
e 25 meios ; a Sodr.
70 ditas
23 ditas
35 ditos e 30 ditos ; a Tasso Irmos.
25 ditas e 25 ditos; a Schafuertlin Si C.
770 ditos inleiros e 600 meios ditos; a Tisset-
T. Jefferies.
1 cofre de fer o; a S. P. J.
1 barrica ferragens; ao mesmo.
100 caixas de folha; a' ordem.
24 ditas; a A. D. Monteiro.
12 barricas canos de chumbo; a c. P. Johnston.
12 ditas ditos de ferro i a D. \V. Bowman.
29 ditas de dito; a Jefferies.
50 caixas cerveja ; a' ordem.
50 barricas e 20 caixas de dita; a A. D. Mon-
teiro.
30 barricas dita; a Monhard.
50 dO ditas dita; a \Vilson6.
t barrica entilara; a Johnston.
5 caixas instrumentos para agricultura; a D.
W. B. le.
3 volumes cobre em folha ; a Jo'ionston.
83 ditos fazendas de algodo ; aos consignata-
rios.
. pe le
delicada, acharo com o maior prazer, qne esta
agua urna verdadeira luxuria usada depois de
haverem feito a barba, pois que ella faz dissipar
toda a ardencia do rosto.
(Vede que os nomes de Murray & Lanman se
achem inscriptos sob cada envoltorio, letreiro e al
raesmo impressos no vidro das proprias garrafas,
visto pois est que na falta dos mesmos toda a mais
Este o caso,m que cabe dizer-se : p*eso por
ter cao e preso .por nao t-lol Mas tudo islo nao
salva o Sr. Jos Pedro da Silva : pelo contrario o
perde, porquant ij se vio que elle, nao obstante a
informago da contadoria e parecer fiscal, mandou
que se lavrasse termo de approvacao das cenias
desse coileeor era relago ao eiercicio de 1833 a
1854, e fossem archivadas; e, nao alisfeilo com -is-
to, faltn de certo modo verdade duendo que es-
sas contas deviam ser consideradas approvadas ea
conformidade da inforraago da contado! a, quando
sta Lo autorisava similhante approvacao e peda
a responsabilidad*) desse eollector. E e que que-
rem ? A impumdade torna audaz, e desde o nego-
cio do cor(.o de polica o Sr. Jos Pedro da Silva
devia ter sido dispensado daommisso,m que se
acha.
Nao obstante as razSes que den o Sr. Gruz em
snas informacoes, nao obstante os argumentos em
que se fundou o Sr. Dr. Fenelon Alcoforado em sua
resposta, eomo procurador scal da thSBouraria, as
commissoes reunidas dvassembla provincial con-
cluirn) seu parecer, como se via, dizendo, que o
empregailo que substituisse o inspector elfeclivo eos-
seos impedimentos, |no poderi revogar os despa
chos deste sem consenlimenio da presidencia da
provincia; e nao obstante ser isto irrisorio, o Sr.
Jos Pedro da Silva ainda contina a sustentar que
ualquer que o substituir nao poder revogar seos
espachos, provavelmeote por ser urna de suas re-
galas. Mas vejamos se no mesmo regulamento da
de levar ao conhecfmento da presideucia da provn-: e ?r :'
cia qualquer negocio que elles julguem contrario! vndem-se as pharraacias de Caors & Barbosa
aos interesses da fazenda, podia o Sr. Gruz usar i e J- Bravo *
essa attribuigo que Ihe deixou o regulamento ;
as nao levar considerago da junta um de seus
ctos e revoga-lo. Isto faz nr, e nos leva a crer
ue o Sr. Jo.- Pedro da Silva, quando falla ou es-
reve, er que se dirige aos rapazes da aula de
Geometra do Collegio das Artes, aos quaes podia,
ob a autoridade de sua palavra, impingir gato por
iebre. Todos veera que os empregados, que sao su-
noedinadosao inspector, nao quererao exporse a
incorrer em seu desagrado, principalmente sendo
esse inspector homem da tempera do Sr. Jos Pe-
ro da Silva, que se irrita fcilmente, e quando
i ao gosta de alguem, nao perde oceasio de preju-
c ca-lo, como podemos prova-lo com alguns em-
pregados que foram de sua repartigo, e por con-
sfequeneia, prevalecer-se elle do recurso, que resta-
va ao Sr. Cruz, de levar ao conhecimento da presi-
dencia da provincia o negocio de que se tratava,
nopassa de urna dessas tristes evasivas, a que
r vezes se occorre o Sr Jos Pedro da Silva
ando se v em difflcnldades; mas, se elle irritou-
lanto e deu tanto vnlto correcgo de ura en
gano, como disse o Sr. Cruz, o que nao faria, se o
cantador, oa mesmo o procarador fiscal tivesse a
ousadia de recorrer para a presidencia ?
Paremos aqu : em outro artigo continuaremos;
mas desde j devenios declarar que novo acto
veto ao nosso conhecimento, e esle nos parece dig-
n de ser levado considerago do Etm. Sr. Dr.
Castello-Branco.
p. B.Por afluencia de materias deixou de sa-
hir este artigo, escripio dosde muitos dias.
_____0OMMEB0IO.
\'ovobanc> de Pernambueo.
O banco paga o 1 i* dividendo na razode8J
dor aeco.
\ovo banco de Pernam-
bueo.
O banco desconta letras na presente semana a
9 por cento ao anno at o prazo de quatro me-
zes, e a 10 0(0 al o de seis mezes
Gaia filial do banco do Brasil en
Pernambueo.
A directora desta caixa saca sobro o banco do
Brasil no Rio de Janeiro e sobre a caixa filial do
mesmo banco na Bahi.
Novo banco de Pernambueo.
Os administradores da massa fallida de Jr >n
Jos Silveira pagara o Io dividendo de dita massa
na razo de 9 0/0 sobre o valor des ttulos ad-
meltidos : no novo banco do Pernambueo ra
do Trapiche n. 34.
fILIOiCOES A PEDIDO
A
ecuso a
Vitoria.
recpeo do offlcio de V. S. firmad)
ALFANDEGA.
Bendimento do dia 1 a 5......
Mam do dia 6...............
82:4895962
19:0135638
101:5035600
MOVIMEiNTO DA ALFADEGA.
Volumes entrados com fazendas___ 237
< com gneros-----. 264
------ 501
18 ditos dila; a A. C. de Abreu.
7 ditos dita ; a Patoo Nash & C.
8 ditos dita ; a Jefferies.
4 ditos dila ; a Carneiro & Nogueira.
2 ditos dita; a ordem.
9 toles de ferreiro; a Johnston.
100 gigos louga ; aos consignatarios.
60 ditos dita; a Krrab Thom B. & Roberts.
5o ditos dita ; a Tasso Irmos.
194 volumes machinismo; a D. W. Bowman.
17 ditos fazendas de linho; J. Pater & C.
13 ditos dita ; a Sempson & C.
6 dilos dita; aos consignatarios.
2 ditos dila ; a Carneiro 5 Nogueira.
1 dito dila ; a ordem.
13^ditos; a Johnston.
135 torradeiras para assucar e farinha ; a Bow-
man.
50 toneladas de pedra para calcamento; a J.
Pater A C.
8 volumes objectos para gaz ; a Jefferies.
2 ditos ditos de escnpiorio ; aos consignatarios.
1 dito dilos ; a J. Pater.
1 caixa reupa feila; aos consignatarios.
140 barras de ferro e 114 chapas de dito: a
Slarr & C.
829 ditas dito; a Johnston & C.
30 barris barrilha ; Johnston.
59 toneladas de carvo ; a J. Pater.
25 caixas phosphoros; ais consignatarios.
1,200 barris de 4. plvora ; a ordem.
20 barris tileo de lnhaga; aos consignatarios.
72 ditos salitre; a Johnston.
50 dilos dito; a Jefferies & C.
Barca franceza Colltgny, entrada do Havre, con
signada; a Tisst-freres, manifestou o seguinte :
1 caixa chapeos de sol ; a Monhard & C
I dila ; a J. Keller & C.
100 cestos cerveja ; aos consignatarios.
5 ditos; a Lehniannfreres.
3 caixas ameixas ; a V. F. da Costa.
II caixas cartas de jogar ; a Vaz & Leal.
6 ditas ; a Silva Barroca.
1 dita ; a Almeida & Guimares.
2 caixa, couros ; a A. Hamborges & C.
1 dita a Bieber & Successores.
1 dita; a D. Monteiro.
200 barris ciment ; aos consignatarios.
3 caixas fazenda de algedo ; Llndeu Wild
4 C
4 ditas ; a Schafheitlim & C.
8 ditas ; a J. Keller & C.
1 dita; a L. & Robertos.
200 barricas; aos consignatarios.
400 cestos batatas ; aos mesaos.
300 ditos ; a J. Keller & C.
45 caixas armas ; a Brender a Brandis
29 ditas ; a Monhard & C.
3 dilas a Manoel & C
10 caixas fazendas mixtas ; a Rabe Schmeltan
& C.
5 ditas ; a Mello Lobo & C.
4 ditas ; a F. Genny.
4 dias ; a Sauvage & C.
1 dila ; a J. Keller & C.
1 dila ; a D. P. Wild & C..
3 das ; a H. & Azevedo.
2 ditas; a L. Wild & C.
7 ditas fazenda de la ; a Joao Keller & C.
2 dilas; a Monhard & C.
1 dita ; a Henriqne & Azevedo.
2 ditas ; a Carneiro & Nogueira.
1 dila ; a Silva Guimares.
1 dita ; a Monteiro 'Lopes.
10 cestos cbampanha ; a Damont.
50 canas velas ; a V. da Costa.
8 dilas; a J, Joachim.
3 ditas lonas; a D. P. Wild.
2 dilas; a Monhard & C.
1 dita ; a A. C. de Abreu.
2 caixas queijos; a Denckcr & Barrozo.
2 ditas modas ; a Carneiro & Nogueira.
2 dilas ; a A. C de Abren.
1 dita; a Mello Lobo
Barca americana Anaconda, entrada de New-
York consignada ; a M. Forslre & C, manifestou
0 seguinte:
1012 barricas farinha de trigo, 200 barnquinhas
bolaxnhas, 100 caixas salsa parrilhas, 1 pega de
cabos manidro, 100 caixas agua de florida," 100
sacos farelo, 1 carro e pertences, 40 machinas pa-
ra algodo, 11 barricas vidros; a H. Forster
&G.
3 caixas drogas ; Caors & Barboza.
7 caixas objectos diversos ; a Wild & C.
Barca franceza Fgaro, entrada do Havre, con-
signado a F. Souvage & C., manifestou o se-
grale :
1 caixa chapeos de sol ; aos consignatarios;
1 dita conros; a E. A. Burle & C.
2 dilas ditos ; a Ramos e Silva & Genros.
2 ditas calgados ; a E. A. Burle & C.
5 barris drogas; aos mesmos.
1 dito ; a J. da Silva Faria.
50 barris farinha; a Ramos e Silva & Genros.
9 caixas fazendas de algodo ; a L. Wtld & C.
1 ditas ; a J. Keller & C.
8 ditas ; a F. Souvage.
3 ditas; a Monhard & C.
2 ditas; a A. C. A.
1 dila ; a Mello Lobo.
1 dila; a Theodoro Chrisiiansen.
t dita a Schafbeitlin & C.
3 volumes fazendas de la a Henrique & Aze-
vedo.
1 ditos ; a Monteiro Lopes & C.
1 dita a L. Wild & C.
1 dita ; a Mello Lobo & C
1 dita ; a Carneiro & Nogueira.
3 ditas mixtas ; aos mesmos.
3 ditas ; a F. Souvage 4 C.
1 dita ; a J. Keller & C.
1 dita ; a Monteiro Lopes.
52 caixas objectos diversos ; a Burle & C.
22 ditas ; a S. Faria.
10 ditas; a Henrique & Azevedo.
9 ditas; a Lindem Wild & C.
7 ditas ; a Vaz & Leal.
4 ditas; a ordem.
4 ditas ; a F. Souvage & C.
3 dilas ; a L. dos Sanios.
3 dilas ; a Bastos & Irmo.
1 dita ; a Maestraly.
1 dita ; a Dumont.
1 dita ; a L. J. Ferreira.
3 ditas a Robert & Filhos.
7 ditas; a Monteiro Lopes.
3 dilas ; a Henrique & Azevedo.
2 ditas; a A. a C. Abreu.
2 ditas ; a D. S. Wild.
1 dita : a D. J. Pereira.
5 barris tinta ; a Caors & C.
50 barris e 50 meios manteiga ; a R. e Silva &
Genros.
100 meios ditos; a Borle & C.
25 barris pregos ; a Henrique & Azevedo.
1 dito; a Ferreira & Malheos.
2 caixas perfumara a ordem.
2 barris vmho ; a F. Souvage.
Exportaco.
Patacho hollandez Femchiena, carregou para o
Rio da Prata :
1,400 barricas com 10,771 arrobas e 23 libras de
assucar braceo, 400 ditas com 2,555 arrobas e 9
libras de dito mascavado.
Brigue inglez Byzantium, carregou para Uru-
guayana:
570 barricas cora 4,280 arrobas e 27 libras de
assucar branco, 300 ditas com 2,422 arrobas e 5
libras de dito mascavado, e 150 cascos cora 27,600
I medidas.
RECEEDORIA DE RENDAS INTERNAS GE-
RAES DE PERNAMBUCO.
Rendimento do dia 1 a 5...... 3:2855618
dem do dia 6................ 8275650
1205000
165667
405903
665666
1835520
345140
O.J5000
6055600
1215000
905000
865460
205000
445906
3955967
3005000
1025822
1025822
145400
905238
225531
695432
125830
4:11
CONSULADO PROVINCIAL.
Rendimento do da I a 5
dem] do:dia 6 ........
12:7505920
3:4675352
16:2185272
MOTIMENTO 30 POMO
Llcinio Purcinio Nestron e Andrade..
Lourengo Jusliniano de Souza Lima..
Antonio Jos da Cunha Guimares...
Luiza Francisca da Costa, viuva de
Francisco Firmo Monteiro.........
Pedro de Alcntara Perrier.........
Joo Po de Senna.................
Alexandrina Franc.-ca Romana, viuva
de Autonio Joaquim de Souza Timb
Antonio Joaquim de Souza Timb
(tres filhos de)..................
Arsenio Gustavo Borges.............
Antonio Luiz Teixera Campos......
Joaquim Mequilinode Souza santiago.
Quinleiro & Agr___ .............
Francisco Jos Falco..............
Guardio do convento dos francisca-
nos, (Fr. Joo Baplista do Espirito
Santo).........................
h C. i Fr. Joo Baptisia do Espirito Santo...
| Ignacia Seuhorinha de Souza Folgado
Carolina Augusta de Morae Folgado.
Dr. Christovo Xavier Lopes........
Empregados dojuizo des fetos.
Jos l'olycarpo de Freitas.........
Francisco Xavier Pereira de Bnto...
Jos Francisco de Paula............
Ricardo Jos Santiago.............
Secretaria da thesouraria de fazenda de Pernam-
bueo em 31 de maio de 1863
Servindo de ofllcial-maior, Manoel Jos Pinto.
O Illm. Sr. inspector da thesouraria provin-
cial, em c.umprimento da ordem do Exm. Sr. pre-
sidente da prpvincia do 22 do correnle, manda fa-
zer publico, que no dia 22 de junho preximo vin-
douro, perante a junla da fazenda da mesma the-
souraria, vai novamenle a praga para ser arrema-
tada a quem por menos fizer a obra da conclusa
da casa da cmara e cadeia da villa do Bonito,
avahada em 8:3095.
A arremataco ser feila na forma da lei pro-
vincial n. 343 de 15 de maio de 1854, e sob as
clausulas especiaes publicadas anteriormente.
E para constar se mandou publicar o prsenle
pelo jornal.
Secretaria da thesouraria provincial de Pernam-
bueo 24 de maio de 1865. -O secretario,
A. F. d'Annunciacao.
O Illm. Sr. inspector da thesouraria provin-
cial, por deliberago da junta da fazenda, manda
azer publico, que se acha encorporailo aos pro-
pri. s provinciaes a fabrica do Monteiro de relinar
assucar, por execugo que promoveu contra Jos
Guillicrme Guimares, e que essa encurporagio
houve lugar pela quanlia de 8:1465219.
E porque o ertabelecimento fabril de qne se tra-
ta seja de grande importancia para a provincia, e
convenha mante-lo, urna vez que bem montado
como est e prvido de todos os apparelhos neces-
sarios, seja dirigido por quem tenha conhecimenlos
profissiouaes, e possa dispor de capitaes relativa-
mente abundautes, manda convidar pelo presente
edital aos que se achara em taes circunislancias a
comparecerem na mesma thesouraria, aonde se
Ibes dar a faculdade de visitar o referido estabe-
lecimeuto, aura de que bem informados possam
apresentar suas propostas com declarago dos
meios que tem para manejo da dila fabrica. O que
preenebido, e estabelecido por tal meto a igualdade
de meios em diversos proponentes se abrir entre
estes a concurrencia final sobre o prego e mais
condiges da sua venda, com a declarago, porm.
de que laes proposlas nao sao definitivas, cando
ao arbitrio do txm. Sr. presideBte da provincia
acceila-las ou nao, se no seu entender nao offere-
gam os coucurrenles meios que garantam e segu-
ren) a conlinuag j de urna indnslria que a todos
os respeilos mui vamajosa provincia, lendo-se
mais em aitengo a animaco della, do que o maior
ou menor prego que possa ser alcangado, com tan-
to que elle salde a divida da fazenda.
A fabrica do Monleiro s tem deixado de medrar
pelas circumstancias pecuniarias de seus possoi-
dores, e isto que se pretende evitar, adjudican-
do-a com aitengo para esla circunstancia, a quem
melhor prego offerega.
De ura valor muito subido em seu primitivo as-
seutamento, com apparelhos os mais aperfeigoados,
e todos de grande prego, a fabrica acha-se hje por
seu valor mnimo, e tal que nao pode deixar de
dar vantajososresultadosaquem eraprehender dia-
riamente, e com ampios meios de execucao o sea
manejo, e a junta s levada do desejo d nao ser
destruida esta industria, que prefere vender a fa-
brica com as condigoes ex postas, a relalba-la, ape-
zar de ser a venda nesta uliima especie, (a que re-
correr, se nao forem preenchidas as suas vistas),
muilo mais vantajosa para a fazenda, segundo
pensar dos que couhecera o valor da machina, cal-
deiras e oolros apparelhos de que ella e compoe.
A junta recebe igualmente quaesqueroulras pro-
poslas, sera as condigoes cima, ou com differen-
tes. Dase para apreseutago das propostas o pra-
zo de 15 dias.
Secretara da thesouraria provincial de Pernam
buco 26 de mato de 1865.O secretario,
A. F. d'Annunciago.
O Illm. Sr. inspector da tbesoararia provin-
cial, em cumprimentn da ordem do Exm. Sr. pre-
sidente da provincia de 10 do corrente, manda fa-
zer publico qne no da 14 de junho prximo vin-
douro, perante a junta da fazenda da mesma the-
souraria, se ha de arrematar, a quem por menos>
lizer, a obra da cadeia da cidade de Nazarelh ava-
llada em 18:0935900 rs.
A arrematago ser feita na forma da lei pro-
vincial n. 343 de 15 de maio de 1854, sob as clau-
sulas especiaes abaixo declaradas.
As pessoas que se propozerem essa arremat-
gao, comparegam na sala das sessoes da referida
junta, no dia cima indicado, pelo meio dia, e com-
petentemente habilitados.
E para constar, se mandou publicar o presente
pelo jornal.
Secretarin da thesouraria provincial de Per-
nambueo, 14 de margo de 1865O secretario A-
F. d'Annunciago. '
Clausulas especiaes para a arremataco
i." O edificio para a cadeia de Nazareth, ser
feito de conformidade com a plant e orcamenlo
junto, na importancia de 18:0935500 rs.
2. O arrematante ser obrigado a dar principio
aos irabalhos no prazo de 30 dias, e concluidos
no de um anno, ambos a contar da data da assig-
natura do contrato.
3." Os pagamentos sero feitos em 3 prestacoes
iguaes correspondentes a cada terco da obra finda.
4." Nao ser em tempo algum attendida qualquer
reclamago por parte do arrematante tenden-
te indemnisago, quaesquer que sejam as aliega-
ges em que so liajam para esse lira, ainda mes-
mo por prejnizos provados.
5." Para tudo o que nao estiver especificado as
presentes clausulas, seguir-se-ba o que dipe o re-
gulamento de 9 de Janeiro de 1864.
Conforme.A F. d'Annunciago.
Navios entrados no dia 6.
R de,.Janeir16 dias brigue nacional Trovador,
de 220 toneladas, capitao Joo Francisco Belm,
equipagem 12, carga 2,000 saceos de farinha de
mandioca e oatros gneros; a Marques Barros
& c.
;''ie.v'YJ?k-3, dias' barca amercana Anaconda,
de 383 toneladas, capitao Cbapmao, equipagem
DSLili?OES.
Pela thesouraria provincial se faz publico,
qne a arrematago da pintura da ponto pensil do
Cachang, foi transferida para o dia 8 de junho
prximo vindouro.
Secretaria da thesouraria provincial de Pernam-
bueo 24 de maio de 1863.O secretario
A. F. d'Annunciago.
u
cr
-


Jl
Atarlo de **MMbac*
(tira 9 fettttflio i> &.
Oompanhia do Beberibft.
NSa se tendo reunido numero legal dos!
Srs. accionistas para ter lugar a as erabla
geni aaouDciada para boje sao novaroente
Santa Casa da Misericordia
do Recife.
A litro.' junta administrativa da Santa Casa da
Misericordia do Recife, manda fazer publico que .
no da 8 de junho pelas 4 horas da tarde, na convidados-os mesaos senliores a se reutli-
sala de uas sesses continuara a ir a praca para remno dia 9 do corrente me? an mpio da I
seren arrematadas pelo tempo do 1 a 3 annos as '. j corrente u17- ao eiO ara, |
jendas das casas abaixo declaradas. no escnptono da mesma companhia afim de
Os licitantes devem comparecer acompanhados tratar-so da reforma de seus estatuios, pfe-'
de seus fladores ou munidos de cartas desies, venindo-se que na conformklade do art 16
Casa terrea n. ""pScffTt^pB, dS ^tUt0,S reunif Ser considerada '
blico.......... 20640DO completa e funccionar com o numero de -
Ra do Rangel. accionistas que comparecerem neste dia.
dem n. 6 particular e 36 publico. 300*0 X) Escriptorio da Companhia do Beberibe'
Idemn.it particRure%Si%nb,t. 192*0)0 6 de JUDh de 186S
IM l A>
DE
1 uiobilia de Jacaranda osada.
1 mobilia de amarello nova.
i santuario de Jacaranda.
1 guarda-louea.
1 guardronla.
i toilette de amarello.
1 secretaria de dito.
i commoda de dito.
1 grande mesa de dito.
i mesa elstica de dito.
2 cadeiras de balance de dito.
1 machina de costura.
2 carleiras de escriptorio.
e outros muitos movis novos < asados.
AQSiSO)n#iaO.
Terca-feira !3-tro corrente mez, se-ex
irabir a 1 parto da i' lotera. (i9|) a
CASA Di mtU
Aos 10:0000000.
Billieteg garantidos.
A' HA DOClUSPU I. 23 E CASAS DOCOSTUMI.
SOCII3DADE
Cunto Bwcicent fctritwa.
Por ordem do Sr. presidente sio pela segand
vez convidados lodos os senbores socios a se ren-
nlrom em assembla geral sexta-feira 9 do corren-
te. pelar, t Ij2-luirs da tarn>, na sedo de suas ses-
c -Naa <1* nra i ab1?ixoasignado vendeu nos seus muitofeli- i flw, ra da Cruz n. 13, 2a andar
T. a. tr-X.f '!._.: 1tWL.1 HD'lheles garantidos da lotera que se acabon I Secretaria da soeiedade IMo Deneficenle Mari-
Wamerrto da Varzea, rw oraorifr da jf re-
ja de Nossa Sttabdra do Roario da fref ue-
zia de Santo Antonio,
Os bilnetes,meiosa quafQi.eAt.ae a Ten
da na r-specii va tiiesuHMria roa Jo Cres-
po n. 15.
Os. premios de.a-QQAOOO at iO|O00
Ra do Rosario da Roa-Vista,
dem n. 14 particular e 58 publico. 168^000
Ra da Madre de Dos.
Casa terrea n. 26 particular e 22 pu-
blico..........8000H)
Ra da Lapa.
Casa terrea n. 41 particular e 2 pu-
blico.........laOiOlK)
Ra da Moeda.
dem n. 41 particular e 21 publico. 3od000
Ra do Amorim.
dem n. 48 particular e 56 publico. 450*0(0
dem n. 49 particular e 54 publico. 4504000
Mein n. 50 particular e 52 publico. 450*010
dem n. 52 particular e 45 publica. 4500( O
dem n. 5.) particular e 43 publico. 5000( 0
Ildem n. 56 particular e 26 publico. 720( 0
Ra do Azeite de Peixe.
Uem n. 61 particular e 15. publico. 450f30( 0
dem terrea u. 63 particular e 2 publi-
co...........600*0(0
Ra da Cacimba.
Mein n. 65 particular e 5 publico. 144*0(0
1 iem u. 66 particular e 12 publico. 144*0(0
Mem ii. 67 particular e 10 publico. 834010
Ra do Vigario.
Sobrado de 3 auiares n. 71 particular
e 22 publico........800*01 0
Mem de 2 andares n. 72 particular e
27 publico........68*0( 0
Ra do Encantamento.
Sobrado de 2 andares n. 76 particular
6 II publico........830*000
Mem idem u. 77 particular e 13 pu-
blico..........839*0(0
Rna da Senzala Velha.
dem idem n. 79 particular e 134
blico........
Casa torrea n. 81 particular o 18
blico.........
Mein ii. 82 particular e 16 publico. .
Ra da Guia,
dem n. 8i particular e 29 publico. .
Ra do Trapiche.
Sobrado de 3 andares n. 85 particular
e 30 publico........
Ra da Litigela.
dem de 2 andares n. 86 particular e
14 publico........600*00
Ruada Cruz,
dem idem n. 87 particular e ti pu-
blico..........
Ra do Pilar.
Casa terrea n. 92 particular e 103 pu-
blico..........200*00f)
dem n. 93 particular e 101 publico. 200500
dem n. 94 particular e 99 publico. 255500
dem n. 97 particular e 110 publico. 228*00
dem n. 99 particular e 06 publico. 228*000
dem n. lu) particular e 104 publico. 228*01
Mem n. 101 particular e 102 publico. 228*u0
dem n. 102 particular e 100 publico.. 228*0u
Urm n. 103 particular e 93 publico.. 228*00
dem n. 104 particular e 96 publico.. 228*00
dem n. 105 particular e 94 publico... 228*u)
O siiio da Mirueira com a condiegao de
nao se fazer carvao nem tirar ienha,
pela quaruia aooual de.....1U0500D
Secretaria la Santa Casa de Misericordia d)
Recite 2 de juubo de 1865.
O escrivao,
F. A. Cavaicanti Cousseir
O secretario,
Dr. Joo Jos Pinto Jnior.
s
THE vrito
DE
Cordelro lines
, ar leilao dos mencionados objeetos, por-conia de seraopagos urna ora depeis da extra^ao
i diversos; isto at as i horas da tarda, e os ou}trq% depois
IIO JE da distribuido das listas.
as u horas era ponto, em seu arraazem, rna da As eneotiHiiendas s rao gartladas so
Lruz n. 57.
de extrahir, a beneficio da igreja de Nossa Senbo' t'1>a 7 da junbo de 18*5.
ra da Boa-viagem, os seguintes premios :
Ura quarto n. 35 com a serte de 6:000*000.
Um quarto n. 703 com asorle de i:2o0*0O.
Im meio n. 591 com a sorie de 400*000.
Andr de Abren Porto
1 secretario.
fie da 9 de maio
EMPREZA--SOIMBJJA
Recita extr.'iurlunaria.
Quiuta-feira 8 de jualio de
1865.
A orchestra dirigida pelo hbil professor Cola?-
LEILAO
De um cabiioJet americano de 4rodas
cora cavallo.
Cordelro Siines
far leilao de um cabriolet americano de 4 rodas cty.'qu^julgT'nada dever"'e'sta psajja.e^zniaTfr'a
para um ou dous cavados e com 4 acentos, com della, d^.ej4iBctas^.utasdAque rol&Qtia6a#iiati.--ia
todos os arreios; e tambera um cavallo para o Joaquip ..da Sjlv? Costa & C./J^aquim da Si i va
mesmo, isto Cosa & [rmo e.Canhoio & C,..porm, s agjjera
mente at a uoite.da vpera d3.e*ijraQc5o
como de costume.
O thesoureiro,
_______Aaionio.Jos liodrignes.da Souza
Joagiin.da Silva Cos^a. faz ver, o pubjico e.
cora especiaJifla#.ao: respei^l corno Mtmmr-
------------, Wlll s,ro .^w. ptwiido passado
e ouu-as muitas sones de 100*, 40*, 20* e ,ue'(,a rua da Imperatriz caja n. 9, segun-
,000- ._, do andar, o escraro pardo de itoine Euge-
soossuidores podein vir receber seas respec-, nu, que lem OS sii^nae; se^niikles : mam-
livospremioB sem os descontdas leis na CaU I h^tTTH. magio,
da Fortuna ra do Crespo n. 23. j e DJ l)a' tem fdll:1 do dentos na frente, e
Acham-se a venda os da ii' parle da Iyteria'a v,sla equerda coberta com
(18a) beneficio d* Santa Casa de Misericordia branca, tem sido encontrado
J para canalisacjiy d agua e gm no hospital Pedro ribeiras e na eslacSo da'esirt
II, que se cxtraiiira a 7 de junho.
Par
aso. a;
Quarta-feira 7 do conwnla as 12 horas.
No armaiem a ra da Cruz n. 57.
LEILAO
aiho, tocar como in.roducgo do espectculo a De 9 taboaS C 2 b.CUI'lollOS ObjeCtOS
pu-
pu-
5j0*0( 0
2005000
200*010
144*000
720*0(0
882*00)
brilhante polka de sua composicao offerecida, de
dicada e consagrada aos bravos pernambucanos,
que voluntariamente voam a defender os brios de
sua patria nfamerai-nte ultrjalos pelos bandidos
paraguayos, intitulada
os i.i:6i:<* do vokii:.
Para o que a orchestra sera convenientemente
augmentada.
Kindo o qual represehtar-se-ha o muito applau-
dido drama em 5 actos]
0 CEG E 0 CARCUNDA.
niuara o espectculo a nova e muito lida
ia em 1 acto
0 marido no prego.
PERSONAOENS. ACTORES.
Aleixo Teixo de Azeredo Queixo,
advogado..................... Lisboa.
Joo Cesar Keroandes ......... Pinto.
Ilruto da Rocha, criado.......... Tuixeira.
D.Lucrecia, mulher do advogado. D. Eugenia.
Rosa, criada.................... D. Leopoldina
A scena passase era Lisboa, em casa de D. Lu-
crecia na actualidade.
Principiarais 8 horas.
fiMOI.
ptwlenceiiles aos salvados da barca
ingleza Pelisbella.
U94E.
a i hora em ponto, na praca do commercio e por
intervencao do agente Pinto
Lcilo de 10o chapeas do Chiii
Quarta-feira 7 do corrente as i2 horzs em
ponto.
Cordelro Simoes vendf r em leilao por conta e
risco de quera perlencer 100 chapeos do Chili em
1 um ou mais lotes a vouta Je dos compradores, pelo
maior prego alim de liquidar contas do venda.
Sera effectuado o leilao no arraaem a ra da
Cruz n. 57.
iTeiio
de cerca de 100 barricas com fariuha
(com avaria.)
iioji:
Quarta-feira, 7 dejuuho as 10 horas em ponto.
O agente Pinto fara' leilao psr cunta c risco de
quem pertencer, de cerca do 100 barricas com fa-
rinha, deaemnarcadas do patactio hollandez Fenne-
china, e existentes no armazeni do caes de Apollo
n. 57, junto ao armazem dos Srs. Jos Duarte&
Quinuo, onde se effecluara' o leilao, as 10 horas
etu ponto do dia cima dito.
se julgaj credot aprsenle a
8 4M>. pago. ________
cxh- no Braso de
PREC.
Rilhetes. ". 12*000
Meios......6*000
Quartos.....3*000
>a pessoas que coniprarem de 100000
para cima.
Rilhetes. .... 11*000
Meios......3*500
Quartos.....2*730
Manoel Martins Fza.
Quem julgar-se creilor do abaixo a>.-xnado,
S Jos : quem o levar a
bem gratificado.
urna nevoa
a ganbar na
estago da estrada de fen-o em
casa cima ser
Iiitil::to .VfflJwftUfw. e Geoywpieo l%tw:;>-
bueano.
Haver sessao ordinaria quinla-fcira 8 do cor-
rente, as II horas (Ja inaiilia.
Oide.ni do da.
Io Wscossao do orcamento para o anno social
deli8(je-66
2o Tiu^iaUps e parnceres de commissoes.
S*croria d^IuslUulj^ 5 de juubo de 1863.
J, Soares de Azeedo,
______________ Secel^io perpetao.
_ JoSMiiCm da SuV* Co>.a vaj a Poua^.
Joao da Silva Ramos, medico '
m versidade de Coimbra, da consultas em
sua casa das 9 s U horas da manhaa, e
das 4 s 6 da tarde. Visita os doentes
S em suas casas regularmente as horas
K para iss"> desi.enadas, salvo os casos ur-
|i gentes, que sero soccorridps em qoal-
B qner ocoasfo. D consultas aos pobres
ser que a apresentar suas cuntas un prao de 13 das.'i ^' Joo Rapilsia Gomes Penna. ?. ?ot"3li encontrado diariamente das 6
IJ1 s 8 horas da raanliita.
Tin si;a casa de sade
de 13 dias, em casa de sua residencia na villa do
Ji*e T^ixtjra Laiia, subduw poriu^u^z, vai a Cabo.
Europa tratar de sna sande.
Joao Baplisia. Gomes Pwma qnerendo Sraiar !
de sua saude gravemente alterada, tem resolvido !
vender sen mu acredhado armazem de raolhados! ra WWII1 os ;i]cmaos> para 0 qae
o commodas apropriados e ne'la pra-
nra qualqucr operado cirurgica.
Para a casa de sade.
Primeira elasse3*000iJiarios.
Segunda dita.. 2*500 .
Terceira dita.... 2*000 >
Esto estabelenmento j bem acredi- ^
?$i tado pelos bons servicos qae tem pres-
Manoel da Hocba rt-iira-se para Portugal eom 'a? ta0'
O proprietano eapera qne elle conti-
nue a merecer a conflanca d3 que sem- n
pre tem gozado. ||
< hi -i-a ia-d uc siuuB regularmente
M montada para receber qualquer dotuile,
- armazem de molhsdos : W ,;ri,];i niesmo os alienados nra
da ra do Imperador n. 46: a quem taleresaar, D3 -' '
dinja-se ao mesmo esai>-lecimenio a qnaluuer
hora do dia.
Alugam se dous grandes sobrados com com-
modos para numerosa familia, novos e arelados,
con jardini, coefaeira, estribara e cutas comino-
didades. na travesea de loo Pernandes Vieira : I
a tratar na ra da Senzal. Nova n. 42.
"- U^m S**6im Momeiro e sua irniaa Ju- *"! 'a"',lia-a !ralar d'' *. *5 W nada de *
lia.Loowldtai Mi)iiU-io. e um llio menor da mes- !" a pe:s"a *lSn, K>dnvm se alguein se jul*ar M
na, retira i iv se para. ifestevidijo. seu credor apreseute-se ao annunciante no prazo J*
^. u r ( - ^ t0:i. contina a residir na rna do Impera- *f
Pereira di cruz rettra-se para o \ | dor a. 17, segundo andar, onde pode ser
ABlhbaUiBiidL suiidvJaglo, reciVe. para
Europa.
Aracaty.
COMPANHIA
DO
&1&
U caixa desta companhia commendador
Thomai de iquino Fonseca acha-se autori
sailo a pagar no seu escriptorio ra do Vi
gafig n. 19, das 10 horas as 3 da tar le d dia 2 do corrente em diante o 31 dividen
do desta companhia na proporefo de 3
por da apolice, previne-se aos Srs. accio
ii stas (|ue este pagamento deve ser em moe>
da de cobre que na especie que o mesmo
Sr, caixa lem recebido dt>s arrematantes do;
cliafarizes desla'companhia.
Escriptorio da Companhia do Beberibe f
de juoho de 1863.
O s cretario,
Jos Eustaquio i-erreira Jacobina
Pela recebedoria de rendas internas gerae
se faz pnbHco qu neste corrente mez qne os de
velloras dos impostos seguintes : renda dos pro
prios nacime*, dcima adicional de mao-mor;a
imposto de 20 0/0 e dito especial, relativos ao 21
semestre do exercicto corrente, teera de pagar seu
dbitos sem multa, depois do que serao pagos con
ella. Recebedoria de Pernambuco 2 de maio de
lio. O administrador,
Manoel Carneiro de Souza Lacerda.
Pela thesonraria provincial se faz publicd
qne a arrematacao da obra do empedramento de
lugar denominado Areias do Giquia foi transferid;
para o dia 14 do corrente
Secretaria da thesonraria provincial de Pernara
bu o 2 de junho de 1865.
O secretario,
A. P. da Annunciaco.
Pela thesouraria provincial se faz publicd
qse a arrematacao da obra da reforja afazer-se
n i casa da cmara municipal de Seriohaem, par?
que se presse tambera para quartel do destaca
Dieni i, foi transferida para o da 22 do corrente.
S c lanada thesouraria provincial de Pernam
iiuco 2 de junho de 1865.
O secretario,
F. P. da Annuociacao.
Pela thesonraria provincial se faz publicq1
que os 30 dias uteis para o pagamento da primei
ra prestacao do imposto de 15 por cento para oi
passeios das mas da Aurora, Imperador e Crespc
comecam a se contar do 1 do corrente.
Secretaria da thesouraria provincial de Pernam
buco 2 de junho de 1865.
O secretario,
A. P. da Annuociacao.
De gigos com batatas e mussas.
Para
Est carga o brigue escuna nacional Graciosa,
capitao Jacimho Aunes da Costa, consignatario
Antouio de Almeida Gomes, ra da Cruz n. 23,
primeiro andar.
?ttk Hio de Janeiro.
Pretende seguir com multa brevidade o palha- en,e Pesana fara lei'l ,de 'Sos wm exrcl-
4e Piedad*, tem parte do seu campamento a entes batatas desembarcadas hontem, em lotes a
vontade dos compradores, a>sun como na mesma
conformidade de caixas com massas, aletria, talhe-
rim e macarrao, boje 7 do corrente, s 10 e meia
horas da manhaa, no armazem do Sr. Azevedo, de-
fronte da escadinha da alfandega.
Leil'i
u batuta
HQJE
bol
bordo, para o resto que Ihe falta e escravos a fre
te para os quaes tem exeellentes coramodos, tra-
ta-se com os seus consignatarios Antonio Luiz de
Oliveira Azevedo & C, no seu escriptorio ra da
Cruz n. 1.
Para a Bahii
Leilao
de 400 dnzias de lencas avarsa-
di.
Quinlafeira, 8 de junho.
O agente Piulo fara' leilao, a' rerraerimento de
Lindera Wild & C, com aulorisaciio e (ni presenea
do cnsul de Pranca, e por conta e risco de qu"in
pertencer, de urna "caixa marca L. \V. t C, n. 23,
com 400 duzias de lencos avallados a bordo da
barca franceza Sphere, as 11 horas do dia cima
Pretende seguir para este porto com brevidade. o
veleiro e bem conhecid patacho nacional D. miz,
que se acha com parte da carga promula : para o
resto tratase cora Jos Mara Palineira em seu es-
criptorio no largo do Corno Santo n. 4.
i'iT'i I mlwVi
O brigue portugus soberano, cap'ito U. B. Bu- J
ggange, vai sabir breve, recebe carga e passagel- ail' era ^"l"0"" rn* aa ^rn* B- *
's,;1lr-ata:slcorn-E;.l\-Ral)''110'rua d0 Tra,lche Leilao sexla-feira 9 fejuuho de 18GS.
B"eIo agcae Enzzblo.
Manoel Iguario l porlugue.:, vai a Europa.
Joo Antonio Gomes fiuimaxes, vai a Europa e
leva em sua companhia sua mulher e urna cria
menor.
Januario Marsecano, subdito italiano, vai pa-
ra Europa.
:'J
& procurado a qualquer hora do dia e da
noite para o ejercicio de sua pros.-iiode f^
medico ; sendo que os chamados depois ^
de meio dia at 4 huras da tarde devem %f
gj ser deixados por escripto. O" referido '^
Js^ Dr. nao abandonando nunca o estudo das Jg
%s| molestias do interior, prosegne, rom ^
^ o maior alSnco, no das mais dMBceis e S
* delicadas operago^s, como sejam dos or- ^
>j& gaos urinarios, dos olhos, partos etc. mu
Escravd fidd.i.
Fii?io domingo a escr.iva pre Mara, baixa e
cora falta de denles n.i (rento, levou bastante roa-
na sua, suppoe-se estar acontada aqni n > Hecife :
roga-se as au! iri.j i los poiieaes h caides de cam-
po a captora de dita escrau, e liva la a rua da
Praia n. 78, que se gratificara.
Ama de leteT
Precisa-sede urna amt da-Jeile : na rua estrei-
la do Hisario o. 3>, 2a andar.
Aluga-se ura inilainlio de 14 anuos, propnV
para criado, sala cozinhar alguma
'vv ^v-vv.^-f ,- --.....- <'"isa, multo
- Antonio de Sou e Silva tu publico que a ru*_da lm-"^^ 2.
roo a botica da roa Imperador n. 38.
ieiiciif.
n. 44 ou com o capitao.
Consulado proviacial*
Pela mesa do consulado provincial se faz publico^
que os irinta dias uteis marcados para a cobraoc a boaoa do cofre dos impostos da decima dos pre
di. urbanos de 20 OjO do consumo de agurdenle
e de 5 0|0 sobre os bens de raz pertencentes i,
corporales de mao morta, se principiam a contar
do dia 1 de junho vindouro, Picando sojeitos
mola decretada no arl. 50 do orcamento vigente
todos os que pagarem depois de lindos os ditos 3
dias.
Mesa do consulado proviocial d Pernambuco 2
de maio de 1863.
Antonio Carneiro Machado Rios
Administrador.___________I
- Pela thesouraria provincial se faz publicd,
que a arrematacao das pinturas das pontes de Una,
J,.init>>, Serafi/n Pintos, Morenos, Bento Velhoe
'Tapacora, foi transferida para o dia 8 de junhjo
priixiino vindouro.
Secretarla da thesonraria provincial de Pernanjr
fcpQo ^4 de roaip de,4865. T-o.secreigrio,
A. P. d'Annuociacao.
Para Lisboa.
Vai sahir at o dia 12 do correte e brigue por
tuguez Lata II, capitao A. F. Vieira, ainda pode
receber alguma carga a frete; trata-se com E. R.
Rabello, rua do Trapiche o. 44, ou com o capi-1
to.
Freta-se para qualquer porto do Rio da Pra-
ta o brigue portnguez Laia I, de lote de 2000 bar-
ricas potico mais ou meqos ; trata-se com & EL
Rabello, rua do Trapiche n. 44.
Para o Porto
De um sitio na estrada de o5o le Barros com
casa terrea n. 3 na esquina do oeeeo do Pombal,
rende 300 por anno.
De 140 palmos de terreno na rua da Concordia
e 130 de fumlo junto da casa do Sr. l'eixoto.
De 140 ditos na rua de Deteneo em frente ao
gazometro a cerca de 200 ditos de fundo.
De 140 ditos na rua do Gaz e cerca de 200 di-
tos de fundo.
Urna porco de livros de diversos autores, obras
escolbidas e as melhores.
40 caixas com 40 duzias de garrafas cora vinho
de Bordeaux.
segu sem maior demora e cora a carga que tiver
a barca porlugueza S. Joo, capitao Manoel Perrci-
raLeite : recebe carga a frele barato : a tratar no
escriptorio Araoriin Irmajs, rua da Cruz n. 3, tu
eom o capitao na praca do commercio.
"COMPAH P ERN A.MBUC AA
DE
XaTegaeao costclra por vapor.
Parahyba, N3tal, Maco. Aracaty,
Cear e Aacrac.
Segu o vapor Persinunga,
commandante Rales, no dia 7 de
junho prximo. Recebe carga
al o dia 6; encomuiendas, pas-
sageros e dinheiro a frete at o
da da saluda as 2 horas da tarde : escriptorio no
Forte do Mallos n. 1.
A. H. Jacobsen, canillo do brigue escuna
hamburguez llamburg Packet, vindo de Santos
com carga de caf, cora destino para Hamburgo,
entrado oeste porto para concertar as avarias que
o dito navio soffren, precisa lomar risco marti-
mo cerca de 12:000Q00 rs., sobre o casco, frete e
carga do mencionado navio. Os pretendentes
queiram fazer suas propostas em carta fecha-
da at o dia 7 do corrente mez, ao meio dia, di-
Leilao.
De urna mobilia de Jacaranda, 1 cama franceza
de Jacaranda, i consolos com espelho de moldara
preta, 1 toilette de Jacaranda com pedra, 1 guarda
roupa com espelho, muitos e diversos quadros com
finas gravura*, esplhos, eapdieiros a gaz, castigaos
com mangas, ricos jarros de pedra marinero, lou-
ea, vid ros e eristaes, 2 commodas, camas de ferro,
aitas de armaco, mesas com abas, marquezas ca-
deiras, guarda louca, 2 carleiras para escriptorio,
1 secretaria, 1 mesa de jantar, 2 apparadores e
muitos outros objeetos.
Sexla-feira 9 de junbo.
No Io andar do sobrado da rua da Cruz n. 9,
O agente Pinto far leilao por conta de diversos
de todos os objeetos cima mencionados existentes
no primeiro andar do sobrado dama da Cruz n. 9,
onde se effectuar o leilao.
Em tempo previne-so aos arrematantes que de-
vero retirar seus lotes em 24 horas, por tornar-se
necessaria a entrega das chaves da referida casa,
as raesmas 2 i horas.
Principiar s 10 horas em ponto.______
Le lao de movis.
Sexta-feira 9 de junho, s 11 horas.
O agente Pinto far leilao por mandado do Illm.
rgidas ao consulado de Hamburgo, rua da Cruz Sr Dr6 juiz de orphos, de urna commoda, quatro
. '__________________________________] marquezas, um par de casticaes e maqgas, e exis-
P'T"I '\ R'lln'l teoles no primeiro andar do sobrado da rua da
J- (U a (l Utlllia Cruz n. 9, onde haver leiiao de movel?, cryslaes,
pretende sahir com muita brevidade a veleira es-1 esplhos e ricos quadros, no dia e hura cima
cuna Eliza por ter a maior parte da carga, e para, dito.
o resto que Ibes falta trata-se com o consignatario ... 'T-Tr--!-----i------------- u. j
Joaquim Jos Goncalves Beltro ua rua do Vigario LeilaO das dnidas da IttaSSa fall Ja C
Cyriaco Alvcs de Jess, Rosa Mara dos
S Prazeres, Josepha do Freitas Ramo;, Boaven-
|| tura Manoel do Nascimento, Thomaz de
E Aquiuo AlvesdoNascimeuto, Athaf.iazio Luiz
y Alves Rrandao, Alartulia de Freita.s Morara
dos Santos, marido, ni, sogra, irmao e en-
nhados, agradcelo cosdialOKBts a todas as
pessoas que se dignaraoi acompanhar aoce-
initerio publico no dia i do corrente a sua
fallecida mulher Anglica Thereza da Trin-
dade.
Especialmente aos Srs. Joo Jos Moreira
dos Santos, Joaqoim Fernn b-s da Risa e
EufrozUw Oibd;i.o da.Sireumcko, pelo6 skf-
vicos que prestaram na occasiao de dirigir-
se o enterro, o de novo roga aos mesmos se-
nitores seus amigos e prenles o caridos.i ob-
sequio de assMireni a missa di stimo dia,
que se. ha de celebrar pelas 6 horas da ma'-
iiha do dia sexla-feira 9 do corrente na
igreja do Senhor Bam Jess dos Martyrios.
engrazada, e formando luntinhas, | jg & b semiint
a das Crines, travessa do Oavi 13 *WIH* ** segumic
Perdeu-se no da 1 do corrente, a' nnile, nma
pulseira ile ouru,
na direcQao da rua
dor, rua do Imperador, e ao sabir na rua da Flo-
rentina : quem a restituir haja de leva-la a' roa
das Cruzes, n. 9, segundo andar, que ser recom-
pensado de seu trabalho.
Engomina-se com multa perfi'ico : quem
precisar dirija-se a' rua da Roda ti. 30.
O Dr. Cosme de S Fereira conti-
jg| na a residir na rua da Gruz n. 53, gg
[ Io e 2" andar, onde pode ser procu- i
rado para o exercicio de sua prois-
sao medica, e com especialidade
t*y Na rua da praia de Sania Rita, con-
fronte a ribefra do peixe, casa n. 3, segundo an-
dar, reccbe-seencommeiidas de bolos de hacia para
as vesperas de Santo Antonio, s. Joao e S. Pedro,
afllancando-se nao s a berafeitoria pela pratica
que ha, como tamliem coinmodidade nos preeos,
em vista da boa qoalidade : as pessoas quequize-
I rem, podein ali se dirigir qualqjvr hora do dia,
i que acha rao com quem tratar.
OITer ce se urna smnora fur.i ama de porta
para dentro, para todo o servico de una casa : a
tratar no becco do Padre n. 14."
yundo dividendo
Morada gratis
D-se pessoa de boa conducta para morar, o
Ja niSSa fallida de Amorilll, Fragoso, sitio da travessa ilo Remedio, fregoezia dos Afoga-
S'inlc' fe V dos n. 21, residindo na casa da mesmo sitio, no
co.iitF-i o. \i. i estado em que ella se acha, ou como Ihe aprouver,
Paga-se o segundo dividendo a razflo de 2 por com a condicao de tratar da conservado dos r-
cente, no escriptorio da^dministiacao da massa, a voredos e das cercas, sem nada pagar de aluguel,
at que as.-ra eommaha a seu propretario, poden-
do fazer alguraa plantacao : quem assim o quizar,
dirija-se a rna de S. Prancisco, como quem vai
para a rua Rtlla. sobrado n. 10.
rua do Vigario n. 13, primeiro andar.
Massa fallida de morira,
Fragoso, Santos &0.
Os senbores credores que ainda nao rece'ieram
o primeiro dividendo, queiram vir recebe lo no
prazo de cinco das, lindos os quaes, os abaixo as-
signados reeolnerai as quantias existentes ao de-
posito publico, na forma da le. Pernambuco, 6 de
juuho de 1883.Oi administradores,
Jo- Jeinnymo Monteiro.
Justino Jos de soza Campos.
Io
-10
3
molestias de olhos;
de peito :
dos o gaos geni-
ti urinarios.
Em seu escriptorio os doentes se- S
ordem de suas Sa
M rao examinados na
y& entradas comecando o trabalho pe-
^ los doentes de olhos.
/,'. ar consultas todos os dias das
< 6 as 10 da manhaa, menos nos do-
:M( mingos.
S Praticar toda e qualquer opera-
cao que julgar convenienle para o
^ prompto restabelecimento dos seus
i'M doentes.
Offerece-se urna molber para lavar ruupa:
quera precisar, dinja-se a rua da Gloria, no becc,
do Ponda) n. 8.
Preei-a-se de mu caixeiro para tomar conta
de una taberna, dando fiador a sua conducta, ou
tendo algura dinheiro para Ihe dar sociedado: a
tratar na rua do Hospicio n. 24.
Wnga-se orna escrava para todo o servico
n. 10, primeiro andar.
Vende-se o patacho nacional Eurico, chega-
do ltimamente do Rio Grande do Sul, o qual se
acha bem prompto a navegar : trala-se na rua do
Trapiche o. 4.
Para a Bahia
pretende sahir em poucos dias o veleiro hiate O/t-
teira por ter a maior parte da carga prompta, e
para a pouca qae Ihes falta, trata-se com o consig-
natario Joaquim Jo- Goncalves Beltrao, na rua
do Vigario n. 10, primeiro andar.
Convida-se as pessoas queestiverem nascon-
4ic0es do servico militar, a engajarem-se no corpo
d pdiicia, e gozarem das vantagens que offerete
a le provincial n. 611 de 2 do crreme.
O corpo de polica compra 200 bonets redon-
dos il panno a/nl com tira encarnada, 900 sobro
am '-tra e suas propostas em carta fechada, as i 1
horas do dia 9 do corrente.
Luiz Jeronymo Ignacio dos Santos
Tenente-secretario.
PAIU LISBOA
O palhabote 19 de iunho pretende seguir com a
carga que liver at o dia 20 do corrente : para o
resto que Ihe falta, o qual se recebe a frete baralo,
trata-se com os seus consignatarios Antonio Luiz
de Oliveira Azevedo & C, uo seu escriptorio rua
da Cruz n, 1.
UILuES.
LEILAO
DE
Ump'lo c dividas
Martins far leilao por ordem dos credores do
Rvd. padre D. Jos Antonio dos Santos Lessa, de
um prlo com seas pertences e dividas, na impor-
tancia de 5:9365470. cuja relaco se acha em po-
Francisco Gomes Casi lia.
Szbbado 11 do corrente.
O agente Pestaa legalmente autorisado a reque-
rimento dos administradores da massa fallida de
Francisco Gomes Castellao e despacho do Illm. Sr.
juiz do commercio, far leilao de todas as dividas
activas pertencentes a massa do fallido cima, cu-
jas reiacoes acham-se em mao do agente para se-
ren examinadas, eo leilai lera lugar sabbado 11
do corrente, pelas 11 horas da manhaa, na porta
da Associacao Commercial.
Leilao
Da parte de urna casa na Parahiba a rua das
Convertidas n. 15, em que existe um es-
tabelecimento. avallado lodo predio em
2:0003, e cuja parte era 707i3i03 rs.,
como tambem os alugueis de cerca de t
a 3 annos
Terca-feira 20 de junbo as 11 horas.
Cordelro ftiuides
Em prova do mnito respeito e veneracao
que sempre consagra as virtudes e inteire-
za do disiincto magistrado bahiano, o Exm.
Sr. desembargador metropolitano e vigario
da freguezia do Pilar, conego Jos de Souza
'Liim, qne inconlrastavelmenle erndicto e
ineorruplivel, como soava ser, era tima das
glorias que honrava o tribunal ecclesiastico
a que pertencia, e era extremo sentido pi-lo
seu Mlecimcnio, pretendo fazer celebrar por
sua alma, urna missa no dia sexta-feira 9 do
corrente mez pi-las 7 horas da manhaa, na
matriz da freguezia de S. Jos, rogo portan-
to aya meus amigos e aos dignos comprovin-
cianos do Exm. e veneravel finado de assis-
tirem a umacto de tanta piedade, com o que
Ihes flearei c ir Ramente agradecido.
Recife 6 de junho de 186).
Antonio Carlos P. de B. Ponce de Len.
menos engornmar e sabir a rua
mero 24.
Precisase de um preto para cozinhar e com-
prar-, preferese escravo : na rua ireita n. 80
padaria.
Mesa geral
Precisase de um caixeiro com a dade do 10
a 12 annos : na rua do Rangel n. 8, deposito.
8 Etisino primario e sccuud >rio
R Pessoa hab litada e j conhecida nesta
} cidade continua a leccionar por casas
B3 particulares, a pessoas de ambos os sexos,
0 mediante razoavel ajuste, tambera pode
|g leccionar era algura cnllegio, das 9 da
B manhaa as 3 da tarde, para o que pode
3 ser procurado na rua do Imperador n.
8 41, loja.
HPI
Esc raro pujido
1005000.
Anda se acha fgida a escrava parda, Rufina, a
qual ansenton-ss no dia 2 do dezembro lie 1859,
cotn urna cria de nome Haria, de anuo e meio de
idade, do sitio da Piranga da fregupzia dos A toga-
dos, pertoncente a seu senhor o engynheiro II n-
rique Augusto Mill-t. Tinha naqnella poca \H
anuos, lilha do Recife, sabe ler e tem os signaes
seguintes : hiixa, cara besigosa, cafcatto carapi-
iihn, olhar desronflAdv, moio urna perna ni is
grossa que a outra por Ihe ler dado- varias vezes
erysipella : dase a gnitili mi_::"i > ai-una a quem le-
va-ia.ao sen senr.or no engenho Saliinho da fre-
guezia de Una, ou recolbe-la a casa de detencilo da
cidade do Recife.
UencAK
no Hospicio DO- lona pessoa habilitada em -scripta se offer.ee a
qnem de seu prestirao precisar: nos Barros Bai-
xos n. 20._________________________________
Deseja-se fallar com o Sr. Bemjimin Ferre-
ra Bandeira do lugar de S. Francisco da Barra de
Sergpe do Conde : na rna da Gloria n. 91, das (i
horas da manhaa as 9. Nao se procura em sua
residencia por se ignorar unde esi inorajido.
Aiuga-se un excelente criado-: a tralar na
rua do Destino n. 12.
ni
?
m
*
Offerece-se para caixeiro de armazem ou es-
; criplorio um rapas portuguez, Com boa letra e que
| d fiador a sua conducta : a tralar no largo do
chafariz da ruado Bruin n. 47.
Precisa-se de urna ama
triz n. 26, loja.
na rua da Impera-
Aviso interessaute.
Pede-se a alguma das pessoas que tomaram em
casa do Sr. Domingos Alves Malheus, urna raz
que veio do Para, remedio para phihisicos, que
tenha alguma porcao, que queira dar ou vender,
dirija-se a rua da Cadeia n. 57, primeiro andar,
que faz nisso urna obra de caridade.
Antonio Jos Moreira Jnior, subdito portu
guez, retira-se para Portugal.
Na rua do Livramcnto n. 19 ha para alugar
um criado escravo, e 1 moleque.
Alnga-so ametade da casa o. 92 da rua das
Aguas Verdes: a tratar na mesma.
Domingo 11 do corrente, pelas 9 horas da ma-
nhna, no consistorio da Innandade do Santissimo
Sacramento da matriz de Santo Antonio, de confor-
midade com o que determina o compromisso da
mesma irmandade, se proceder a eleicSo da nova
mesa que tem de funccionar de 1865 a 1866. Reci-
fe, 6 de junho de 1865.
Quem precisar de urna ama para cozer e en-
saboar para duas pessoas. ou mesmo para cozi-
nhar : dirija-se a rua do Encantamento, segundo
andar, n. 3.
PEDIDO.
No dia 3 do corrente, pelas 8 horas da noite,
desappareceu da rua do S. Goncalo n. 36, nma mo-
nina de nome Maria, cor branca, idade 10a 11 j f/isine~Jorfdo7Sanlos Callado aiada "saTc"a
anuos cabellos curios, olhos pequeos, levou ves-: sobrt Prt0
. tido de chita de quadros. Julga-se ter sido seduzi-1________ Y________________________________
1 da por alguem : pede-se a quem a encontrar dar
Precisa-se de ura pequedo de 12 annos, bra-
sileiro ou portuguez, para caixeiro de taberna : a
tratar na rua Uireita dos Afogado s.casa n.20.
Desconlamse notas do lianco do Bra>il e das
caixas filiaes : na praga da Independencia n. 22,
asacas >om vistas de dita cor e *00 raleas r o1 iaula UB OJ>*>'t'u- L"Ja ">-o se acna em po-
X^!S??^iiJ? Presen eid" do mesmo Martis. onde Pode >' >-
dos.
IIOJE
em o arraazem da rua do Imperador 37, as 11 ho-
! ras do dia.
Imperatriz n. S, primeiro andar. pezase desgostos que diz querer poupar ao an-
Roga-se ao Sr Jos Marcelino Alves da Fon- nuuciante. __
eeca que venha trazer m espar.ilho que levou de i ~ Christiawl^Ttav.ires tendo-se retirado
amostra em 18 de janeiro prximo panado, ou a paM a cil1a,,e ,,e Lisooa e nSo ,8U^0 ZTl
sna,mportanc.a;arBadoCrespon.l7. i e Ue5()e(lir |iess0llmeut'e de Mos ^S
Na rua da Imperatriz n. O, segundo andar, pede-lhes desculpa desta falta involuntaria, e ofc-
Jayme Esnaty, subdito francez, vai jtaja Bue- precisa-se alngar um cozinheiro para o sanaco da reco-lhfcs o seu presumo nessa cidade ou otate a
nos-Ayres. pooca familia, sorle le destinar.
O i acJUaeT?! S
Francisco Augusto 4a Cosa *M
A 0 VAGA DO ,J;:
Rua do Imperador numero (59.
>o engenho Morenos paemsa-se de nra boro
disiilador de agurdente, e que enlenjj bastante
de sua protisso : a pessoa i|iw> estivo njstas con-
dicoes dirija-se ao mesmo, a enten ler-se com o seu
propretario.
Roga-se aolllm. Sr. Amaro Jo.- dos Prazeres
o obsequio de pagar o que o seu apuea lo Clemen-
te Soares de Carvalho licou dorando dos aUtgueis
do sitio n. 34 da rua dos P05 is da freguezia dos
Afogados.
Perdeu se na igreja de S. Francisco, no dia
4 do correle, urna chave de ouro de refagio :
quem a tiver achauo e fuizer restituir, procure seu
dono na rua estrella do Rosario n. 23, segundo an-
dar. que s-r gratificado.._____________
Precisa-se di olflciai-s de sapateiro : na rua,
da Cruz n 21, sobrado amarello. S-nd) d-* ponto.;,
paga-se a 23300, de vira em roda com sola limpa
e de taxa tamhetn se precisa, e sendo bons paga*
se a 1,3760.
Precisase do urna ama para cozinhsr; ua.
rua do Imperador n. 46, primeiro andar.
Largo do- Carreo Kaiutexo 36.
Este L-.-tabeleciiiieulu lo bem montado na saa
orig-m, achv-se de a noito em qus*sj rom^t1^
abandono pcjp< louic* ifilitiMti de sua adoptis-
ira cao.
Iloje qi'e o-|v(> p,-aprietario 1 V/Hff? 'oils ns,
Lpicias para restablecer a grande ntiiidado deste.
es.tabelesiniiQlo.'ijboile. -^ssegnraf. ao i,artj)iw qni
qualquer que seja o numenjdos. oncuTivaes adia-
rlo desde j (>r<>inpt>do < acew nos bonhos fros,
moros ou medicinaes, a casa dws hanhos se adia-
r a-het/ta todos os dias das 6 da maiiiuia as 11 da
noite.
Pwcos.
1 banho fri ou morao......600
I dito de fanello........13000
l dito Medicinal ser segundo a qualidad*.
?5eart5es.........iOOOO
12 ditos...... 5$(XX)
-


1

4
4
Diario de reraaMbnco ... %mta lelm I GRANDE ARMAZEM DA EXPOSIQAO DE LONDRES
DE
THOMAZ TEkXEIRA BASTOS
N. 60Ra da (jadeia do Becie-N. 60
Todos os artigos abaixo mencionados,-[orara comprados recentemente pelo dono doestaiele-
wnto as principaes aoncas de Paris, Ijosdres, Birmingham, Manchester, e em diversas idades
da Allemanha, e tendo comprado ludo as meljbores condiges por sera dinheiro, por isso vende todo
qualquer artigo barato, por menos do seu valor, e mu principalmente por querer Inteiramenle liqui-
dar e ter de partir murto breve para a Europa!
Ha neste vasto armazem ricos objectos! com brilhantes, como botes, aoneis, rosetas etc., e
bem assim, diversas obras de ouro, como tracjelins, correntes, oculos. face-maiDS, aunis, -e muilos
oatros artigo, relogios de ouro, inglezes, do al amado fabricante Becoelte ; completo sortimecio de fa-
zondas finas e modernas ; miudezas, perfumes perfumaras finas dos principaes fabricantes inglezes e
rancezes, como L. T. PIVER, Lubin, L. Lejrand, Ed. Plnaud & Meyer, Deleltrez (Parumerie du
raood lgant), Violet.Societ Hygienique, Hoi pelas, Mailly, Regoter, P. Gneland, e ingletas de Eug.
Kimmel e outros ; ricas galantarias em marflDi, mar de perola, etc., fabricadas na China e no Ja pan;
ricas pegas de cristal fino como anda nao appftreceram nesta cidade, e bem a>sim modernas lastres
para velas, ditos para gaz e para petrleo, sementinas, casligaes, enfeites e adornos para cima de cor-
soios e para grande toillelte, o que se leen feilo de mais elegante em Paris, em Londres, Birmingham
etc. ; modernos apparelhos de metal flno inglez para cha e caf, os quaes nada tem de rnerior prata,
e multas outras pecas do rnesmo metal, ricos penles de tartaruga da ultima moda para trancas de se-
aboras, excellentes luvas de pellica do aamaup Jouvin, apparelhos de porcelana fioa (ara cha c caf,
ditos para jamar, e (inmensos artigos de porce ana lina dourada, como ricos vasos par-a flores, figuras,
etc.; calcado dos principaes fabriotales >le faris e ditos de panno crm sola de torrara, pianos dos
celebres fabricantes Pleyel, Woll & C, realejos modernos de tiavioli & C, para se tocar na ra, ditos
com figuras para saloes e ditos com figuras em movimeuto ; modernos e bonitos instrumentos de physi-
ca (mgica) para theatros ou salces, ditos d phantasmagoria ; lanternas mgicas, oosmoramas com
vistas novas, dia e noite ; stereocopios de nova invencao e com bello sorlimentode vistas das principis
cidades da Europa ; grande sortimento de Lrmquedos tinos para crianzas, e bonecas fallando papai,
raami; grande sortimento de candieiros a ga t, os que se tem feto de mais elegante e que tem mere-
cido toda a aceitaco na Europa, grande e rnag liflco sortimento de caixinhas, cesiinhas e outras galan-
teras feitas de crina e seda proprios para pre entes; grande sortimento de estampas finas coloridas
com o fundo preto e de oulras de todos os san os, ditas com figuras e ditas com novas paysagens para
cosmoramas, finos e bem graduados vidros p; ra cosmoramas, um bello chafariz de-cbrlslal, proprio
para meio de mesa dejantar ou para jardim ; utelaria fina, como ialheres com cabo de metal fino, co-
meres, thesouras finas, ditas modernas para al aiates, navalhas linas, caivetes e outros artigos, dver
sos artigos feitos de rame ; completo sortimer to de mascaras de velludo, seiim, cera, papelo e ra-
me, doces, confeilos e chocoliteem caixihas 9 em vidros; ramas de ferro de.todos os lamanhos, laya-
torios, etc.; ricos qnadros para candes de visi tas e ditos grandes e pf quenos para retrates ; chapeos
de sol, bengalas, chicotes e ditos para carros; machinas para fazer caf, ditas para tater ovos, proprias
paraquem faz pao-de-l, bolinhos, ele.; bellos cortinados arrendados, verdes, encarnados e brancos ;
pannos para cobrir mesas, boleas grandes e pequeas para viagens, e outros artigos, como cobertores,
malas, etc.; sortimento de violoes linos; figuras finas ejarros de alabastro ; galantarias e outras pecas
de charo para toillelte ; machiuas para varrer o chao, excellentes machinas para photographia para
tirar retratos, grandes e pequeas ; lindos balees de papel fino transparente e lanternas coloridas para
illominagoes a moda de Paris, salva-Vida de borracha, para homens e senhoras, proprios para quem
toma banhos em lugares fundos ; ameixas novas em caixinhas, biscoitos ingleses em latas, graixa in-
1 larcas de Londres, queijos etc., e rouitos outros artigos
e todos se vendem barato e muilD barato no grande ar-
MOLESTIAS DA GARGANTA
B Inllammacoes da Booa
PASTILHAS
DETHAN
AO SIL DC BE1TBOUET
(Clralo da PoMsm)
Pretcriptu pelos Mdicos dos topitacs de
Pars, contra as Molestias da Gargnifta as Angi-
nas, o Crupo, as Dlceracese as lullaoiaucdes da
boca. Ellas faiem vollar aflcxibilidade da gar-
ganta, e a frescura a tos, destruem o mau hlito,
curao a irrlacao proveniente do fomo, e anniqui
lao os a (ledos tao perniciosos do mercurio.
OPIATO DE DETHAN
OlT0 AO SAL HE l'ERTHOLLRT
Recommeiidado as pessoascujas denles se des-
calcao e abalio, cujas gengitas sangran e as que
fazem uso o mercurio; elle osnservao a altura
dos denles.
POS E ELIXIR
DBNT1FSH.10S AO SAL PB SERTHOLLET.
Seo perfume, seo sabor agradare!, suas quali
dades tnicas e refrescantes lornao o seo uto
precios para a toilette, e indispensavel para a
sauda da boca.
Dr'-em Por,ftl>BTHAW,90,/^5-/)W.
SODM ET C", J. *. DA roxsaoA,
. 8, ra do Imperador, no Perntmbuco.
gleza 97 ; cerveja em barricas das principae.-
que para enumralos seria um nunca acabar.
mazera da Exposigao de Londres, na ra da Cadeia do Recife n. 60.
DINHE1F
Vendem-se moedas de otiroe notas do
at mil francos : vende-se barato no Recife ra
ii
O
z
O FRANCEZ.
Banco, e bem assim tima rollecro desde um centesimo
da Cadeia n. 10, nearmazem da Exposigao de Londres.

?Q

a
Para completa liquidagao vende se, po mnito menos de seu valor, perfumaras muito finas e
novas chegadas recentemente de Paris e de Londres dos mais afamados fabricantes segurares : Eug.
Rimmel, R. Matheus & C, Lubin, Sociedade llygieaica, Piver, Violet, L. Legrand, Deletrez, Pinaud (
Meyer, Regnrer, Mailly, Gillet frere etc., etc. dos quaes ha grande sortimento d'agua de colonia em
vidros e garrafas, agua de lavande, agua par 1 limpar denles, oleo babosa, extractos em ganalionas e
vidros de differenles modelos, pos para limpar dentes, banha em potes e era vidros, pernadas, ricas
caixinhas e balainbos com perfumaras para
menos de seu valor, bem como todos os ariigd
de Londres, na ra da Cadeia do Recife n. 60
azer presentes, e muitos outros artigos que se vende por
s em geral existentes no grande armazem da Exposico
Para senhoras.
Ricos e modernos pentes de tartaruga
gante at o presente : vende-se por menos de
posicao de Lnndres, na ra da Cadeia do
ic
Venlem-se excellentes luvas de pe
mo parasenhora por menos de seu valor, pa
dres, na ra da Cadeia do Recife n. 60.
recentemente chegadas de Paris, lano para horneen co-
fa se liquidar : no grande armazem da Exposicjio de Lon-
/ i (eir
A pessoa que ti ver para vender ou alugar urna ;
liteira. appareca immediatamente na ra do
ns. 13 ou 34.
para tranca de senhora.o que se tem feilo de mais ele-
seu valor para se liquidar, no grande armazem da Ex-
Rettife o. 60
Luvas novas de Jouvin.
1
AMA
Do ene as. db
x
PEITOE
-o
a"
lili
S B
" *.'
f
s-
. 2. S
> e
e
B O
4tf.
;S3
ts.-o "-a
- o a

i. > M
5 a n
r 99 -

I|1
M:
S S S 5 -

M

B (B
cc.3 2 I
o <% 2.9.
as 1 1 o
Samuel Power Johuslon k Companhia
Ruada vnzala Nota n. 4.
AGENCIA DA
Fundido deLow Mor.
Machinas a vapor de 4 e 6 cava I los.
Moendas e meias moendas para engenho.
Taixas de ferro coado e balido para enge-
nho,
Arreios d carro para nm e doas cavallos.
Relogios de 0:1ro patente inglez.
Arados americanos.
Machinas para descarocar algodo.
Motores para ditos.
Machinas de costura.____________________
Troca-se um moleqtte na idade de lo annos
: por urna mulata ou negra cosiureira : no pateo
do Carmon. 1.
O bacharel Americo Fernandes Trigo de
Loureiro, professor particular de Instrucgo se-
cundana provisionado pelo govermt provincial,
! continua a ensinar preparatorios na casa de sua
residencia, ra da Saudade o. 9 ; assim como en-
sina as mes mas in ieria> por casas particulares e
collegios a pessoas de ambos os sexos, medanle
razuavel pana : para o que pode ser procurado na
dita casa das 7 horas da manha ao meio dia, ou
das 3 as o da tarde.
- mwMm mmmM Wm.
jgg Companhia fidelidade de seguros
martimos e terrestres
estabelecida no Rio de Jaueiro.
AGENTES EM PERNAHBLCO
S
li-maadade d Divino Espirito Santo
do Collegio.
Nao tendo podido ter lugar a proclssio do Divi-
no Espirito Santo no domingo 4 do correte, era
consequencla de ter sido om dia chuvoso, de or-
dena da mesa regedora, faco publico que Gcou
iran.-ferida a referida orocisso para domingo ti
do correte, se o lempo o permilUr. Igualmente
que os devotos da imagem do Senhor Santo Christo
dos Mllagres (Ecce Homo) cuja imagem foi nesla
igreja inaugurada em um dos altares no dia 25 do
mez prximo passado, resolveram fazer e principia-
iam no mesmo domingo ido corrente o setenario da
mesma imagem, o qual devera lindar sabbado 10
do correte, e no domirgo 11, fesia e Te-Deum a
noite. Outro sim que Oca instituida a devoco da
reza do Terco, e todas as quintas feiras as 7 horas
da noite, para lodo* os fiis quo Juizerem tomar
parle nesla devoco. Igualmente que haver mis-
sa no mesmo altar todas as sextasfeiras as 7 ho-
ras da raanhaa, e por lnlenc.ao daquelies fiis que
concorrerem com suas esmolas para a mesma ima-
gem.O escrivo,
________________Manoel Luiz da Veiga.
Aluga-se a casa terrea da ra das Calcadas
n. 45 : a tratar na ra do Queimado n. 32 c m
Azevedo & Irmaos.
Antonio Pedro de Souza
Soares
Ra Nova n. "28.
Acaba de receber enfeiies para senhoras muito
: modernos, pentes enfeilados.rhaposlnhos para bap-
usados, sntos e outros mnos otijectos tendentes ao
sortimento de sua nova loja de miudezas, fe ragens
e quinquilleras, vende por commodos precos.
aas
Antonio Luiz de Oliveira AzcvcdotC, ^ Pnclsa-se de urna muherja do idade para
competentemente autorisados peladirec- |g casa de hornera snlteiro, para cwinhar, engnminar
loria da companhia de seguros Fidelida- ^ e fazer algumas compras, e q e v dormir fra :
de.tomam seguros de navios, mercado- jjf uo |arg0 do Terco n. 23.
ras e predios no seu escriptorio ra da Rg
O abaixo assignado declara que linha em
sua companhia un 1 menina branca de nome Ma-
na, a qual desajipcreceu no dia 3 do correnle, o
para evitar davidas Uz a present-i dec'araCao.
Ladislao Uemvenuto Barros.
O bacharel Lourenfo Avelino de Albu-
querque Mello continua a ter seu escrip-
jpt tuno de advogado nos auditorios e irib- ^g
9m naes desta cidade : na ra do Imperador ^.
IB n. 40. IfiB
mmmmmmmmmmmmmm
Precisa-se de urna ama para engommar e co-
ser, para urna casa de duas pessoas : na ra da
Imperatriz n. 31, primeiro andar.
London & Hrazillan Bank, saca por doos
os paquetes.sobre
Liboa.
Porto.
Braga.
Vianna.
Guimaraes.
Villa Real.
Coimbra.
Amarante.
COMPRAS.
.4 tugase
Compram-se libras sterlinas : na ra da
Cruz n. 18, armazem de Jos Joaquim Lima Balrao.
Compra-se elleclivamente ouro e prata em
miras velhas, pagaodo-se bem : na ra larga do
Rosario n. 24, loja de ourives.
Silvino Guilherme de Barros compra e ven-
de effectivamenle escravos de ambos os sexos :
ra do Imperador n. 79, terceiro andar.
Ouro e prata
em obras velhas : compra-se na praca da Inde-
pendencia n. 22, loja de bilhetes.
Botijas vazias
Proprias para genebra, compram-se na ra do
Apollo o. 7.
sterlinas a 93-j00 : na
Grande armazem de Untas.
RA DO IMPERADOR N. 22.
O armazem de tratas um grande deposito de
productos cbimicos utensis e os mais empregados
e asados napharmacia, pintura, photographia. tin-
turara, pyrotechinia (rogos de artificio) e em outrs
industrias.
Montado em grande escala, e supprindo-se di-
rectamente as principaes drogaras de Paris, Lon-
dres, Haraburgo, Anvers e Lisboa, pode offereceer
productos de plena confianza e satisfazer qnalquer
encommenda a grosso trato e a retalho, por precos
razoaveis.
Prvidos de machinas appropriadas satisfar
com promptldo qualquer pedido de tintas oioidas
a oleo, cuja qualidadee pureza de seus ingn dien-
tes poder sor examinada pelo consumidor, o que
nao fcil fazer com aquellas que sao impoiladas,
e que se encontram no mercado em lalas fechadas.
Tem grande colleccao de vidros de dlfrerentes
frmalos, desde urna oitava al deieseii onc.as de
capacidade ; de vidros para vidrar,as e diamantes
para coria-los; depincelspara fingir madeira coro
propriedade e outros; de papis dourados e pra-
teados e fulhas de gelatina para urnamenlo; de
papel grande e pequeo frmalo de varias cores
para embrulho, para forro de casa, para desenbo
com fundoj feilo;de papel albuninadoe Brisiwl,
verdadeiro saxe para photographia e para filtrar,
e outros ; vernizes de essencia para quadros, de
espirito para madeira, copal para o interior e ex-
teiior ; oleo graxo, oleo seccativo, oleo de linhaca
clarificado, oleo de loele, secativo de Hailim, ouro
verdadeiro em p ; prata, ouro, e eslanho em fo-
Ihas de varias cores; tintas vegelaes, inofensi-
vas proprias para confeilarlas ; la de cores, e
olhos de vidros para imagens ; tintas em tubos e
telas para retratos ; tintas em pastis e em p pa-
ra aquarella ; essencia de rosa superfina, de ne-
roly, jasmim, bergamota, aspire, patrhoulv, mbar,
bouquet.limo, alcaraiva, mellssa, ortela pimenla,
louro, cereja, alfazema, juinpero, Portugal, lima,
ans da Russia, canella, cravo e muilos oulros ob-
jectos que s com a vista poderao ser mostrados.
Joo Pedro das Acves,
_________________________Gerente.______
Vende se vinho de caj a 500 rs. a garrafa ;
na ra Augusta n. 76.
Attengdo.
Vendem-se pecas de esteiras para forro de sala,
(inla branca preparada a oleo, em latas de 26 li-
bras, para pintar casa, relogios para cima de me-
sa e para pendurar, arreios para 1 e 2 cavallos,
velas de spermacete, tudo de superior qualidade,
vindo dos Estados -Unidos : no armazem da ra do
Trapichen. 8.
Feijao preto
Na ra da mperalriz, armazem n. 6.
um sitio na campia da Casa Forte, com duas ca- Compram-se libras
sas, urna a era que morou o fallecido Thomaz de praca da Independencia n. 22.
Pires
Aluga se urna eserava moca que cose
nha e engomma para servico interno de c
amilia : quem precisar dirjase a Sanio
obrado junto ao cemilerio inglez.
cosi-
sa de
Precisa se alugar urna eserava, ou mesmo forra,
que compre e cozinhe bem p ra duas pessoas : na
ra de S. Fraoci:-co n. 54.
Precisa se do urna ama para comprar, cozi-
maro nhar e engommar : na travessa da ra das Cru-
zes n. 14, segundo andar.
AO 1O0URETO
Approvadas pela Acadami
propried.idcs do Iodo e do Ferro; illas co
Tuberculosas Cancroias, na leucori lica, amemn
dica^a das mais enrgicas para modilicar as con tiluicoes lymphaticas, [racas ou debilitadas.
um mediramento infle', irritante-
lolrui Pllulas de Rlanrard, deve
JV. B. O udurc-to de ferro impura ou alu-rada 1
Como prova de puma o di-aullneid.idcds verdad
-se exigir nosso sello rte prala reacllta c'no\s Urina, .ii|ui reproduiida. que se
si ha na pane inferior de um rtflulo verde. Bee(-su desconfiar d falsiOcacoes.
LANCARD
PE FERRO IKAI.TE1IAVEL
ia de Medicina de Pariz
AtlTORISADAS PE10 C( NSE'.BO MEDICAL DB SA-PETESBIR60
EXPERIMENTADAS NOS IIO.-PI 1 Al':s DA PRANfA, DA RELGICA, DA IRLANDA, DA TURQUA, ETC.
Univcrcues de Neai-York, 1855 e de Paris, 1855.
Estas Pilulas cniolvidas n'uma carnada resino balsmica de urna tcnuidade excessiva, tem avanlagcm de
serem inaltcravcis. sem sabor, de um pequeo volume, e de nu cansarcm osorgas digestivos. Gozando das
ivem principalmente as aflVrc es Chlorolicas, Escrofulosa,
rlica, anemia, etc.: enfun, ellas uHerecein as orticos urna me-
Arhain -te em toda a Pliaruiaclas.
Pharmaceulico, ra Ounaparle, *o. I'ariz.
INJECTION BROU
XROPE
DE CASCAS de LARANJAS AMARGAS
de J. P .LAROZE, Chimico,
1BABHACE8TIC0 DA BSC
SC OLA SUPERIOR DR PAR 9.
Este xarope, rcgularisando as (IincQocs do estomago e iniestitios, destroe essas
ndisposicoes proteifoimes, e faz abonar as molestias de que sao indicios prcearso-
res. Mdicos e doentes tem rcconliccido quo restablece as indigotoes, razrn.lo
desapparecer os pesos de estomago, que calma as enxaquccas, espasmos. < caimliras,
que sao resultado de digesles pen>sas. Seu gosto agradavH c :i fncifi lade com injo
se suporu, o tem feilo adoptar como especifico infaJIivel das dooncos nervosa;
gastritis, gastralgias, clicas de utomago e de entraaos, palviaccs, dores de.
coracao, vmitos nervosos; sua e,c mdicos mais Ilustres o tem acopiada por rescipiente real dos dous primeiros
agentes increpen ticos: o Iodurct) de Potassac o Proto-lodureio de ferro, tendo
observado que dcbaixo de sua influencia, o primeiro perde sua accao irritante e o
segundo 6cu effeito adstringente.
XAROPE DEPURATIVO
De cateas de laranjas amargas com Io-
dureto de potassa.
O iedureto de potassa, administrado m
solacio ou debaixo da forma solida, Rusa ao
docnte ama grande repugnancia, ou determina
accidentes que e torci i renunciar a esta
iiiedicicio efficaz.
Unido porm ao Xarope de cascas dt laran-
jas. elle na4 cansa nem gastralgias, nem per-
turbaco do estomago e intestinos, e tracas a
este salragoarda, os tratamentes depirativos
seo continuados sem interrupco, aas affec-
{9es escrofulosas, tuberculosas, cancerosas i
as secundarias $ tercianas, ttesmo reumo-
liismacs, tu quaes elle i o mais seguro espe-
cifico. A dote est definida de tal maneira
qe* medico pode varial-a t si* teattde:
OtVa*o:4fr. 60 o.
Approvada por varias Academias e altas
summidades medicas,
O que occasiona cm g'ra I as molestias nbaixo
designadas i a esla^naco do sangue em certas
parles do corpo, a qual i produzida pelos resfria-
mentos e umitas unirs cauzas, ento declaro-se
os Rlieumalismos, Gota, Pm-alysia, Fraqueta
dos membros, Constipafcs, Elephantiasit ou
Peinas Juchadas, ct Dores .Verrojua.
O uso da escova ELECTRO-MAGN-
TICA tem suceesso certo para a cura de todas
eslas molestias, sem recorrer sea neuhuma oulra
niedicacan. Ella tem urna forma inui mancjavel
c prodnz, ivonlade de quem d'ella usa, seos mais
uteis c felizes resollados. Seo omprego preserra
das molestias cima. Para maisinlormacocscon-
sul-tc-se a noticia que accompatiha cada Escova.
Deposito gbal
Boultvart du Prinee Eugcne, 18, Parii,
Vende-se na ra do Imperador botica
franceza n. 38.
Engenho
Arrenda-se o engenlto d'afua, na freguezia de
Ipojurn, denominado Jussar de Sant'Anna, nma
legoa e meia di>tanledas eslacSes da Escada e Ipo-
juca, om ierras excellentes de massap para se
sa'rejar em irande escala : a tratar, to pateo do
Livramento n. 23 com o Dr. Ignacio Xery da Fon-
seca.
Precisa se de um bom rozinheiro para o ho-
lel italiano, ra do Trapiche n. o.___________
Preci tra e saiba escreyer com corrercao : na roa da
Aurora n. 26.
Aquino Ponseca Jnior, feita a moderna, e conten-
do todas as accommodaces precisas, e outra com
boas commodidades para qualquer familia : na
ra do Vigario n. 19, primeiro andar.
Precisase de um bom cozinheiro, prefere-se
captivo : na ra do Crespn. 4.______________
Aluga-se urna sala do primeiro andar da ra
do Queimado n. 41 : a tratar na mesma.
Precisa se de urna ama para casa de duas n- 2> defronte do arco de Santo Antonio,
pessoas para cozinhar : na ra da Penha n. 23,
primeiro andar.
Compram-se 2 ou 4 casas terreas em boas
roas ou mesme sobrado : quem as liver deixe o
preco, ra e numero em carta fechada na pracioha
da Independencia ns. 6 e 8 com as iniciaes A. A.
Comprase um preto velho pue sirva para
pastorar gado : na ra do Padre Ptoriano n. 34.
Compn-se a obra intituladao Collegio In-
cendiado : na llvraria econmica, rita do Crespo
Fazenda barata.
Madapolao muito flno a400 rs. a vara, lgodaozi-
nho com 20 jardas a 25600 a pega, cbales para es-
cravasa 500 rs. cada um, coserlas de algolao a
IJ000, e 15200 mais limpos, latas de sardinba de
Nantes a 280 rs. cada latinlia, tudo i.-lo por ter tira
pequeo defeilo, caf em grao 1* sorle em sacca3
ou mesmo a retalho a 63400 a arroba : na ra da
Concordia n. 62, iaberna.
1
VENDAS,
raendoas

Aluga-se na Passagem da Magdalena, ra do
Bemfica, os sobrados ns. 7 e 9, com bons commo- i
dos para familia : tratase na ra do Trapiche'
numero 4. ..______
Aluga se o Io andar da ca^a n. 7 da ra do
Burgos : a iratar na Senzala Nova, refinacao nu-
mero 4.____________ |
|Fogo,-ft <'
Para os festejados dias de S. Joao e S. Pedro
exisle na muilo acreditada fabrica de fogos de ar-
tificio da ostrada de Joo de Barros, propriedade
da viuva Buflno, uro completo/sortimento de pis-
tolas, craveiros, rodinhas e fogo buscap : como
seja penoso a algumas pessoas irem a fabrica pela
distancia, os pretendenles podem deixar suas en-
commendas no armazem da bola amarella no oilao
da secretaria da polica.________________
i Na praca da Independencia n. 33, loja de our
ves, compra-se ouro, prata, pedras preciosas e
tambem se faz qualquer obras de eicommenda e
odo e qualquer concert. _______
Precisa-se alugar um escravo para todo o
servico de urna casa de familia : na ra da Cadeia Ti lume, com Cilampas linas por (5()l'0 ;
do Becife n. 52, terceiro andar. OEnvres choisis de Bii/fon, i volme, com
Vende-se esla linda colleccao de sortes,
reunidas em um pequeo volume, com "
assumplos, e mais S novas charadas, pelo
diminuto preco de ifi cada exemplar enca-
dernado : na praga da Independencia ns. 6
e8.
Aos Srs. acadmicos.
Vendem-se os segnirtles
livros qoasi no-
vos : Manuel de droit romain por Macker*
dey, { \olume, por r>00i>; Diccionaire
du contenlteux commercial por Sfass, I
volume por Gi> 00; La femme per ma-
dama A Seglas, I volume, com estampas
linas por 5J0OO; (Miares de Hacine, i
confeitadas : na ra do Rangel d. 43.
TllM \
QUADROS
WIUWKIDi;
AQUARELLA
Urna scena de nossos dias.
Drama
Por Pedro de Calasans
Vendem-se estas obras impressas en Bruxellas
e Leipig : na vraria de Jo> Nogueira de Souza,
ra do Crespo.
Vende-se caixoes vazios proprios pa-
ra bahuleiros, e funileiros, a 2000 cada
um : e para as pessoas que comprarem do
4 para cima l800, jiesla lypographia.
Vinho superior em raixas de urna duzia :
tem para vender Amonio Luiz de liveira Azevedo
& C, no sen_escnptorio ra da Crut n. 1,
Vende-se um negro de 40 annos, pouco mais
ou menos, bom ofllcial de carapina : no escripto-
rio da praca do Corpo ?anto n. 4.
Vendem-se sanguesugas deTperior qualida-
de. em caixas ou a retalbx>, a vontao do compra-
dor, i- por preco mui razoavel; na botica franceza
de Ciors ^ Barbosa, ra da Cruz n. 22.
P
Vendem-se raendoas confeiladas: na ra da
Cruz d. 13.
XAROPE FERRUGINOSO
De cascas de laranjas amargas com
proto-iodureto de ferro.
A associacie do sal ferro ao Xarope de cs-
eas de laranjas tanto mais racional quanto
que este xarope, em pregado s, para esti mo-
lar o apetite, activa a secrecao do sueco g-
strico, c por fim regularisa as fimccCc-s abdo-
minaes, neutraliza as mos cffeitos dos ferru-
ginosos e dos ioduretos (peso de cabeca, pri-
sa a da venire, dores epigstricas) em quinto
5ne facilita sna absorpeao. Uissolvido r.o
arope, elle se tema e se supporta fcilmente,
por achar-se no estad puro mais assim i lar el;
assim pode continuar-se a cura da pallides,
corrimentos brancos, anemia, atTeccies escro-
fulosas e racialismo:
0 frasco: 4 tr. 60 c.
O Xaropes de J.-P. LAROZE estas sempre em frascos especiaes
(nuncatn meias garrafas nem em frascos redondos). Expedirles: em casa
^P. LAROZE, roa dea Liona-Saint-Paul. 3, Pars.
Ral o Imperador n. ffl, botica franceza.
ELIXIR DO DOTOR THERMES
AO CITROLACTATKDE FERRO
.-
Precisa-se de urna boa engommadeira forra:
na ra da Cad-ia do Becife n. 52, terceiro andar.
- Aviaa-se ao Sr. tenente do i." balalhao de ar-
lilharia a pe, Jos Joaquim Ferreira de Paiva, ora
destacado na provincia da Babia, que a pessoa por
S. S. eocarregada do pagamento do aluguel da
casa em Santa Thereza de Olinda, cuja chave o
mesmo Sr. lenle recebeu no dia 16 de setembro
de 1862, nao tem cumprido o que S. S. Ihe orde-
nara, eapeuas deu por conta 10^000 rs., restando
anda por pagar 175000 rs.: e para que o Sr. te-
nente Paiva saiba do que se tem passado e possa
dar as suas providencias, alim de effectuar-se este
pagamtnlo, que se Ihe faz o presente aviso, visto
que as cartas que se Ihe tem dirigido nesle sentido
provavelmentelhe nao lerao chegado mo.
Becife, 4 de junho de 1863.
O interessado.
Irmandade do Santissimo Sacramento
da fregaezia do Recife.
Deordem do Illm. Sr. juiz da irmanda-
dedo Santissimo S.cramento do Recife con-
vido aos irmos da mesa actual, bem como
a todos os que tem feito parte das mesas
anteriores para que tenham a bndaae de
comparecer no consistorio da mesma ir-
mandade quaria-feira 7 do con ente ao meio
dia.afimde traiar-sc de interesses da ir-
mandade. Recife 3 de junho de 1865.
O escrivo,
____M__________A. G. Miranda Leal.
O bacharel Joao Francisco Teixeira tem o
seu escripiorio de advocacia na ra do Queimado
n. 15, primeiro andar, por cima da botica do Sr.
Uibeiro, onde pode ser procurado das 9 horas da
manlia s 3 da tarde e dahi por dianle havendo
de urgencia era casa de sua residencia, na mesma
ra u. 12, terceiro andar. _________
D-se 1:0005 sobre hypotheca em predios:
oformacoes na ra da Cruzes n. 42.
Na ra de Hortas n. 86, lavase e engomma- estampas finas, por irJOOD ;' Cdigo de cre-
so com toda promplidao e por prego muito rasoa- //0 nrdial i volume or l-S-*0i> Flore*
vel, tanto para casas particulares como para qual- "" P'l mm> *oinme, p .r zuo / m es
qur pessoa. singelas, poesas por Paes d Andrade, i v-o
----------^7--------1n5z lume, por t^OOO ; Viagein ao Araguaya
OOrtGS U O. JClO pelo Dr. Couto de Magalhes, 1 volume,
erros.
Chegou um completo sortimen
versos modelos para encrespar e
dos, pafos e todos os oNjectos de
cente ao loiletdo urna senhora,
veis, e p< lo diminuto prego de
ditos melhores a 700, 800, 13 e
sos tamanhos.
Vende-se a taberna sita na
71, muito propria para um pri
poucos fundos e bons commodos
tratar na mesma.
lo de ferros de d-
engommar baba-
roupa lina penen-
a hoje indispensa-
500 rs. cada um,
1*200, de dtver-
rua da Aurora n.
neniante por ler
para familia : a
Vendem-se lindos papis cora estalo para as por 2#000 : A velhice de Cnidos, romance
sortes de S. Joo : na ra Nova n. 61 defronle da por Trigueiros, por 20000 ; La vie des
[lima, cmara municipal. m -^ V()lume> pQr 300; Economie
wlfor^msuMDhir?6 AUSt'U /'^MC' P0f Garnier' 4 V0,ume' P0'' *& "'
Regias da escripturaco mercantil, por (Jo-
mes Jnior, \ volume, por 2^500; Organi-
1 O Sr. Miguel Xavier de Souza Fonseca quei
ra vir a ra Augusta satisfazer certo favor.
-----------------------. crhraAn M sationidu travat por Louis Banc, I vo u-
Aluga se o segundo andar do sobrado n. 02 K f .
a da Guia : no 1 andar. me- Por ^i0) '- L Bfitpkmtu, pelo patlr*
----------;-j------i-------------- Ventura, 1 volume, porldOO; Le ja; di-
) THCl Ce leite nierdessalons, I volume, por 610 rs.: na
da ra
Precisa-se de urna ama de leile
praga do Corpo Santo n. 17.
a tratar na ra do Gabug n. 2 A, loja.
AMA.
No pateo no terco o. 1, precia-se de urna ama
para lavar alguma roupa e fazer algum servico de
cozinha^_______________^_____________
Quem precisar de urna ama de le i le cirija-
se a ra da Imperatriz, sobrado n. 86, primeiro
andar.
Vendem-se 5 vaccs, sendo 3 paridas de pou-
co e 2 solteiras : a tratar na ra Imperial n. 27.
Farinlia de mandioca
da Bahia, S. Matheus e Sania Catharina, em saccas
de algodo da Babia, de 2 e 3 alqueires : vende se
DO largo do Corpo Santo n. 1, escriptorio de Jos
Maria Palmeira.
1:8005000.
Vende-se urna lypographia com todos os utenci-
lios e preparos necessarios publicago de urna
folha de peqneno formato, e impresses contraer-
ciaes: a tratar na mesma lypograpbla, no porto
deTamandar da comarca do Bio-Formoso, ou na
ponte dos Carvalhcs cora o conductor Flix Ramis'
Leutier.
- Sabbado, 3 do corrente, junto a casa gran- Na ra da Imperatriz n. lo, segundo andar,)
de do Sr. Marcelino Lopes no Mondego, se perdeu vende-se nma eserava boa para todo o servico de
urna trouxinha contendo um par de borzeguins de urna casa de familia. Na mesma casa comprase
mulher, 1 dito de argolas de ouro e coraes, 1 al- um moleque para copeiro, e paga-se bem sendo
Qneie de ouro e coraes, 1 annel de ouro, urna blu-, bom.
zae caigas azues de utn menino, urna camisa do| -
m. Anda se precisa de urna ama para cozi-
S; nhar e engommar para tres pessoas : na
25 ra das Crozes n. 37, sendo pessoa mori-
*** gerada e que se possa entregar urna casa.
Vende-se 30 palmos de terreno promptn para
ser edificado na ra Imperial, e fiea enire proprie-
dades : a iratar na ruado Alecrim, casa cora por-
lo de ferro na frente.
Na rna do Queimado, loja do ferrapens n. 4
eende-se muilo em conta um par de vem-zianas.
Farinha de mandioca : tem para veuder Au
tonlo Luiz de Oliveira Azevedo & C, no seu es-
criptorio ra da Cruz u. 1.
A 5fOO O SACCOT"
De tariuha da ierra com
22 cuias, na ra do Impe-
rador n. 26, defronte da ca-
sa em que foi a cadeia.
Vende-se um negro mogo bonita ligura peri-
to canoeiro e de conneeida coniucta : quem o
pretender dirija-se a ra do Imperador n. 4o, ter-
ceiro andar._____________________________
Selecta ingleza
(First Class Reader.)
Por G. S. Hillard.
Chegou esla selecta adoptada de novamente : a,
livraria Universal, ra Co Imperador n. 34.
Ferros para engommar
Vendem-se caixinhas contendo o mais completo
soriimento de trros para engommar, encrespar
balados, pafos e toda r^opa de senhora : na roa
Imperial, fabrica de vinagre,
vende se nma crioula com urna cria nasci-
i de |
n. 41.
mesmo com botSes de vidro nos punhos : quem l d na c ,aberna
achou estes objectos e os qutzer restituir, leve-os
ao c.ollegio da Conceigo nos Coelhos, que ser
bem recompensado.
NOVA EXfOSl
Ama deleite.
Precisa-se de urna ama sadia e com bom leile
na ra Imperial, sobrado n. 87.
Gasa.
Aluga-se urna casa com 2 salas, 3 quartos gran-
des, cozinha fra, cacimba, quintal morado, e por-
ta ao lado para onde tem um terreno pertencente i
a mesma, na Soledade, no tim da rna da Conquis-
la : a iratar nj Camioho Novo n. 8o, ou na ra da
Cadeia do Recife o. 3. Aluga-se tambem o tercei-
ro audar da casa da ra Direila n. 36, com muilos
commodos para grande familia : a tratar na ra
da Cadeia do Recife n. 3.
Ama
Precisase alugar urna ama forra ou captiva que
saiba cozinhar e comprar, para casa de pouca fa-
milia : na loja da ra Nova n. 11.
Joao Baptisia Gomes Peona roga a seus deve-
dores que vnhara liquidar seus dbitos na praso!
de lo dias; se nao satistlzerem forgam o a enire-!
gar ao seu procurador para receber judicial oa i
araigavelmente.
Precisa-se de urna ama que saiba coziohar e i
engommar para servir a um moco soltelro em um
sitio prximo da el lade : a tratar na rna do Im-
perador p. 22,1 andar.
C< nsflos
Vende se um par de consnlns de Jacaranda : na '
ra da Cadeia do Recife n. 15, loja.
Vende-se urna grande olaria prompta, com
dous terrenos para se trabilhar era fazer lijlos e ;
telhas, e mesmo louga por ter bom barro e terre- j
nos sufflcientes para o mesmo trafico, no lugar de
a marca n. 11 por ter pertencldo companhia de 'N ^d d \. J '
cavallaria : quem o pegar ou delle souber, queira "> Jova na z anaaroa casa n. ,.__________
dirigirse ao quariel da raeMna companhia que se- i Vendem-se 66 palmos do terreno sito na roa
ra recompensado. ________ ___l Augusta, prompto para se edificar: a tratar na
"^'JeTTtoio Alves da Miranda Guimaraes raa do Alecrim, casa com portao de ferro na frenlo.
deixou de ser caixeiro da liquidagao de fallencia Vendem-se palmeiras imperiaes, em estado
Thomaz de Aquino Jnior. ________________ | de serem trasplantadas: no sitio murado es-
- OfTerecese nma pessoa de toda a capacida- aerda, depois do beec do Espinheiro, nos M- \
de para tratar de meninas em alguma casa de fa-, nietos.
mtlia decente nesta praga, ou fra em pequea
distancia; a pessoa que precisar annoncie para ser
procorada, que rerebrr loda a informago.
Aluga-se o sobrado e sitio da roa do Sebo
o. 33 a (ratar com o proprietario oo mesmo si-
tio,
Milho a 4#000
a sacca e 240 rs. a cuia milho novo: no arma-
|>zem da Estrella largo do Paraso n. 14.
Vende-se urna victoria e urna parelha de bo-
nitos cavallos na ra do Imperador o. 3.
de 2.000 candieiros de az coloridos,
rom globos de cryslal e delicadas
gravaras, novo gosto, fingi-nlo lan-
ternas, por todo o preco, cima da
factura, no armazem da ra ila
Imperatriz n. 22.
O proprietario deste importaole estabelecimento,
tendo muito breve de retirar-se para a Europa, re-
solveu fazer urna liquidagao a dinheiro a visla por
todo o prego, conteotando-se somente com orna pe-
qnena porcentagem cima do custo da factura. Es-
pera que o respeitavel pubiieo o coadjuve com sua
presenga a honrar seu estabelecimenlo e admira-
rem os precos de semellianles objectos de candiet-
ros de gaz.____________________________
Vendem-se 9 eserava, algumas com habili-
dades, e bem issiro 1 escravo pardo, mojo, proprio-
para o servico de casa, ou mesmo de ongeoho :
na ra das Cruzes o. 18.
Vendem-se 23 acc5es da companhia da estra-
da de ferro e 30 da de vapores costeirbs, por pre-
go mnito razoav-l : a tratar na loja da roa do
Queimado n, 18.
v
i
*


Mari* e peraawbuco Qa*U ftiri j 4* jubIm 4* 4*114.
5


SALSA PRRILHA DE AYEK.
Transcrevemos aqui alguns
dos muitos aiteslados que temos
recebido das virtudes da sais
parrilha do Dr. Ayer.
RhenmatisMO.
DE JOO JOS DOS SANTOS.
Ouro Pretoj
sea

ludo
Rival sem segundo
Ra do Qaelmado n. 49, esl vendendo
mnilo baraio como ver abaixo.
Caixas de peonas de kalegraphia a 1000.
Massos rom soperiore grarnpos a 30 rs.
Pares de sapatos de tranca e tpele a 1#500.
frascos de macaca perula a 200 rs.
Caixas cora superiores agnlhas a 200 rs.
Libras de la soriWa cun todas a cores a 7JO00.
Caixas com superiores brelas a iO rs.
Diuias de phosphoros de seguranza a 120 rs.
Meias garrafas com linia a 250 rs.
Ridiolias com alfineles franceies a 20 rs.
Carlas de allinetes francczes muito liuos a 100 rs.
Resmas de papel almaco a 2'i00.
Resmas de pa.el d peso a 2O.
Papis de agullias franeezas, a balo a 60 rs.
Bonels muito bouilos para meninos a 15000.
Enfeites para seohoras fazenda muiio moderna a
2000.
Escovas para roqpa superior 'iiialidade a t000.
f baratis^inio!
baratissimo!!
Fazem sciente ao respeitavel publico, e cora especialidade aos senhores de en- -^ D.railSSiniO;..
genhos, lavradores e mais pessoas do centro, que paramis facilitar suas compras deli-1, As Pichinchas que eslise liquidando nanoya
beraram os propietarios dos tres grandes armazens, reunir todo, os seus estaba i- ^LT^deri^^dfmera.?ii n 72 aond"
mentos em um s annnncio, pelo qual o prego de ura ser de todos, promette- os freguezes encniram um rico sortimento de fa-
"^ATp9^'mai/rt7rTnnWaTnrdPiimaimos qe "50 infringiremos a tabella que abaixo vai publicado, annunciar OS ge eros zendas de todas as qualidades, que vende-se por
PCYo^ yphilSem todo o cfrp! Z P" um prego, e na ocasiao da compra quererem por outrocomo socede constante- gMi^
.Fu :1M .m m,;c ;ni0ril n, ,,. menie em outras minias casas, porem nos nossos estabelecimentos nao se dar isto ?r*.L&rA,i?'Z JE r.mi!
t So(Tri rheumatismo por mili-
tas vezes, e vendo ainnunciado
em ura jornal d'esta cidade a
Salsa parrilha de Dr. Ayer, re-!
Solvi-me a comprar um frasco e fazer uso i
d'ella ; e ames de concluir o primeiro fras-'
co, achei-rae forte e sem sentir a mais leve
dr nos joelhos ; a parte do corpo que es-
tava affectada d'esse terrivel encommodo
que roubou-me tantas noites de scmno.
unpedes, borbulhas piistulas.
ulceras, e todas as molestias
da pello.
DO Sn. JOAO PAULA DE ABREU E SOUZA.
Ra de S. Pedro.Rio de Janeiro.
3 S>
GNEROS BARATOS A DINHEIRO I i S
98 N0S na
itaDES auazgns de molh dos|
|E| DUARTE&C. !f
m Paleo ^ Carffl0 n- ^ armazeiu Progressivo roa do Qucimado n. 7 M n m
" $ l'Hiao e Commercio ra do Imperador d. 40, m
(TO
E3Q
Principal arinazcm de molhados.
OH I'ROPRIETARIOS.
0
isi
erupcao
trando-se sempre com mais violencia na ca-
ra, prove muitos medicamentos consultei am^a ,mesm0 com PreJulz0 nosso ^ua,qufLSff?Ltt!iinanfdar se.us famu'os 1,ie
raui?os mdicos, e eslava _quasi desanimado SSi" "EftiEff lSrrSS S^^S-^^JS
imenie em oulras minias casas, porm nos
mesmo
5 estabelecimentos nao se dar eos ca-ixeiroS ,evar em casa das familias.
Madapolao entestado a 3#00, 40000
e 4^50 a pega.
mMnHn^rrVnmim'^ cartas feixadas; para evitar qualquer engaos, remetiendo nos urna conta Vende-se peca de madapolao entestado com 12
5K n, AU^-cZ^TuLJTJ^%l\Sl Pela Qual se ver os pregos tal qual annunciarmos, o que seno arrepender pessoa; jardas pelo barato proco de 35-500, 45 e 4CO,
d0 l B algnma que fizer sua despenga em nossos estabelecimentos; pois poupar mais de d"a em r enfeaiado cora' f* jarrt.s das marcas
1 nr,r wnin na cm HMnP7a inrh ma,s acreditadas a 6*a00,.7# e S,, dita elefante
5 por cento na sua nespeza mana. \ mailQ flna a BJi. f tuimares & irmao, ra da
ingleza flor a 16500 rs. a li- dem com 4 a 5 ditas a 30200.
nos primeiros dias a erupcao aggravou-se,
porm antes de acabar o segundo frasco ti-
nha o mal desapparecido completamente de
todo o corpo.
Doctor Don Jos Valdes Heiirera, profes-
sor de medicina y cirurjia, subdelegado
EM AMBAS AS FACULTADES DEL SESTO DIS- j Ban'ia "e P01'c0 aliada a
TRiCTO.-tffl&ana. L eDQ bams- ,. alfonrt
c Certifico que he usado la zarzaparril- ;Qeijos frescos do ultimo vapor a 20800.
la del Dr. Ayer, y como depurativo he o> j G uxim de superior qualidade a 20(500.
tenido de ella loa mas felices resultados "en Mem perala muidinho a 20700
Manteiga
lira.
dem franceza muilo nova a 900 a libra, e
800 em barris.
720 a libra e 700
dem vasios de todos os tamanhos a 20000,
10500,800e640 rs
muito fina a 9
Imperatriza. 72.
dem Iiysson especial qualidade de 20400 a
20600 a libra,
dem preto muilo especial a 20(00 e 20100
a lihra.
dem do Rio era latas de 40000 e a 800 a
libra.
Latas com biscouto de todas as qualidades
a 10100.
dem da creditada fabrica de Bialo Antonio
(Lisboa) proprias para da; a doentes a
20 e 30 a lata.
Bolaxinha ingleza muito nova a 30500 a bar-
dos santos. Ouro Preto. rica e a 240 rs. a libra.
Me acho ha quasi dous annos affectado La,:,s cora bolaxinha de-oda e oval a 20.
de escrfulas, e tendo soffrido tanto q>.e al- Presunto inglez para fiambre chegado no
cumas vezes quasi que diego a desanimar! ultimo vapora 810 rs. a libra,
da vida e maldizer da minha infeliz sorte; Clionricos e paios muito novos a 640 rs.
tenho sido tratado por muitos medietsd'es- a''t,ra- .
ta cidade, e nenhum pode vencer i tenaci- Calxa?Aom ?Acarra. Wharim muito novo a
les casos de ulcera crnica, asi mismo au-
tor y las considero como um porgante, cuya
accin ademas de ser segura, ha sido muy
eficaz en el -tratamento de las enfermidades
que exsigeu el uso de los porgantes, y no
vacilo en recomendar estas preparaciones.
Y para los fines que puedan convenir doy
la presente en Regla a 7 de setembro de
1860.
Dr. ios V. Herrera.
Escropliiila.
ATTESTADO DO 1LLM. SR, FRANCISCO FERR4Z
dade de minha molestia, eslava s.em espe-'
50000 e 320 a libra.
raneas de recobrar a minha saude ; quando Ale,na branca e amarella a 500 a libra
ltimamente resolv fazer uso da Salsa par- Lhocolate portuguez de especial qualidade a
rilha do Dr. Ayer. Completa.n-se hoje ,,800 a llbra; orn IKMn ...
trinla e sete diasque comecei com este dem suisso de 8C0a I0OOOal.bra.
dem hespanhol verdadeiro a 19010 a libra
santo remedio, e tantas melhi-ras tenho
sentido que tenho conviego de em breve n que Ja vendf,mos ***00' .
recobrara minha saude, perdida ha tanto Doce da casca de go.aba em caixoes de 6 li-
bras seguro a 10800,
Admiravel pechincha,
Chita Iarfraa210l chita larga a 240!! chita
Vil delish a 9.R0 ---af- p lrga a40H! Acabada chegar a este estabeteci-
7,nnP i garrara e menl0 bonJlo 8ortimenfo de chita flna percala de
20UOO a caada. padroes modernos, sendo clara e escura, e sendo
dem mais baixo a 200 rs. a garrafa e 10400. fazenda que val 400 rs. em oulra qualquer parte,
a caada e ven(Je se pelo baratlssimo prego de 240 o cova-
.... ,. .. ,. or.. do. dila ioeleza a 220 o covado, oreandv dos mais
Aze.te de ce de Lisboa muito fino a 600 rs. i unC pajees que tem vindo o mercado a 240 o
a garrafa e 40600 a caada, covado, isto para liquidarem : s Guimaraes & Ir-
Toucinho de Lisboa novo e muito alto a 320 mao, ra da Imperatriz n. 72.
a libra, e em barril de 5 arrobas a 90400
arroba.
Ceneja Bass do fabricante Shlers & Bell a
60500 a duzia e 640 a garrafa,
dem Bass do fabricante T. F. Ashe a 60000
a duzia e 560 a garrafa,
dem marca II Vicloria Alsope e outras
muilas marcas a 50 a duzia e 500 rs. a
garrala.
Sabo primeira qualidade a 220 rs. a libra
e210 emcaixa.
dem segunda qualidade a 200 rs. a libra ej
180 rs em caixa.
Sabao inglez superior a 180 rs. a libra
160 rs. em caixa.
Caf do Rio primeira sorte a 280 rs. a libra
e 80 a arroba.
Cortes de chita franceza.
Vendem se cortes de chita franceza com 10 co-
vados a 2S00, ditos com I i covados a 25700, di-,
tos com 12 covados a 2,5880 : s Gu maraes & Ir-
mao, ra da Imperatriz n. 72.
C :es Mara Pia.
Vendem-se cortes de 13a Mara Pia cora lo
covados a 5 e 54300, ditos com lindas barras a
104 : s Guimaraes & Irmo, ra da Imperatriz
numero 72.
Fazendas pretas.
Vende-se grosdenaple preto de seda pura a
14600, 24 e 24300 o covadi, moreantique preto a
34, selira da China, fazenda nova e toda de laa,
I com um trangado muito flno, proprio para luto,
tendo 6 palmos de largura a 22O0 o covado, e ou-
e! tras muitas fazendas como sejam, princeza e merij
n, que vende-se por prego baratissimo : isto s
Guimaraes & Irmao, ra da Imperatriz n. 72.
Soutambarque de cores.
tempo.
Myphilis c molestias niei suiaos.
Do Illm. Sr. Dr. Jacksoi'.
Medico milito conheado as provincias do
sul do Brasil.
Tenho receitado a Salm parrilha do
Dr. Ayer nos casos mais inveterados de
Syphilis constitucional e sempre com os
mais felizes resultados; o melhoi alteran-
te que conhego.
i.cHcoii'lia e flores brataeas.
Temos cartas em que nos conlam casos
inveterados que foram radicalmente curados
com um ou dous frascos d'esta Salsa par-
rilha.
O espaco nao ros permitte traiscrever
Jas
, hrapT.W Vende-se soutambarque de cores ricamente en-
iuem segunua uusazwrs. a rarae '*-"Ujfeitado aS^ o6^ cna|e de merin estampado a
a arroba. 25 s Guimaraes & Irmao, ra da Imperatriz
Arroz do Maranhao 30200 a arroba e 100'numero72.
rs a |i|)ra Bretanha de rolo com 10 varas a 34 a pega : s
dem da India a 20600, 20800 e 100 rs. a Guaraes & Irmao, ra da Imperatriz n. 72.
libra. hoja das seis portas em frente
do Livrament
Existe grande sortimento de diversas fazendas
proprias da poca e por pregos to baixos que ad-
. mira, como sejam : pegas de bretanha de rolo a
, 2J00, chitas franeezas escuras, padroes modernos
Charutos Normas de Havana a 50500 a cai-
xa, de Simas (Jos Furtado).
dem Londrinos a 50, idem.
dem Parasienses a 40500,
700 rs. e de dem Delicias a 10500.
dem em caixoes pequeos a <
Kft TV, ,, A : |,iom Travista ln Uin a KiBSfift e bonitos, cores fixas a 240, 2b0 e 280 o covado,
50 para cima a C40. I dem Irax ata do Uto a o>oQO. fas de>core modernos e cores flxas a
dem secco em bocetas ricamente enfeitadas, dem varetas de Manoel Peixoto da silva 220 o covado, madapoles e aigodaozinhos de di-
conlendo pera, pesego, ameixa, rainha. Netto a 30500 e 10^00 a meia caixa. versas marcas e qualidades, a pregos muilissimos
dem suspiros do mesmo fabricante a 10SOO baratos e muitos outros artigos por pregos muito
e oulras frutas a 30000 cada urna.
dem era calda em latas feixadas hermetica-
<> mente mui'o bem enfeitadas, conlendo,
pera, pesego, ameixas e outras fruas a
640 e 700 a lata, tambem temos latas
grandes a 10200.
Marmelada dos melhores fabricantes, em la-
tas de 20000 a 10200,
dem em latas de I 1(2 libra a 10.
dem em latas de I libra a 610 rs.
Ervilhas em latas chegadas neste ultimo va-
por a 700 e de 5o para cima a 6i0 rs.
em latas j pro-
todos os attestados que possuimos Jas vir- .
tudes ffeste extracto composto ae Salsa r'Ja0 verde oucarrapalo
Hasta deoarar ao L P^ado a 640 rs.
Ameixas em Irascos parrilha do Dr. Ayer.
10500.
publico que tem sido empregado ha mais i\
de vinte anuos pela profissao Inedi a tanto dem em ca.xtnhas carnete enfettauas
das Aaiericas como da Europa, seio nunca 1'-uu a -6,.'yu-
desmentir a sua alta repulacio. Q>JJJ" "* *H,l
Para a curaradical dTcrofu.as e f^A'tgt'ff ^'
escrofulos, syphilis e molestas sypht- "..',?'
liticas., ulceras, feridas, chagas.
de
erupgoes cutneas e todo e
qualquer incomit. provm d'um estado
impuro de sangue,
YiMI'.M A
.lLS.l PARItlI IIA DE AYER.
A' venda na ra Direila, ns. 12 26 e 76;
ra da "Quitanda n. 51 ; praca daConsfci-
tuico, l 30 e Hospicio, n. 40. E na-
principaes .pharmacias e drogaras do im-
perio.
Veode-se -em Pernarabuco:
na pkarmaeia franceza e
P.MADBER & C.
__________RA NOVA N. 18._______
Instrueeoes para o servio
das guardas do exereito, extrahidas do re-
gulamento de infamara e accommodadas ao
exercito brasileirovobra que muito convm
aquellas pessoas que se alistam nos corpos
4e voluntarios; veode-se na livraria n. 6e
g da praca da Ind'pendencia, a 10.
Trastes co aso.
Vende-se I sof, 3 onsolof, 1 mesa redonda, 9
cadeiras de amarlo, .6 cadenas americanas, <
bea marqueza de Jacaranda, 2 carteiras de via-
gera e 1 cartelra grande propria para taberna :
quem pretender dirija-se a ra das Cinco Pontas
n. l%a defronte da estaeao.
novas a 700 rs. o
o frasco cora rolha
loja das 6 portas em frente
do Livramento.
Chita langa escura a 240 rs. o ovado.
\* loja das t portas.
Cassas franeezas finas a 220 e 240 rs. o covado.
Hmma loja das 0 portas.
Fajas debreunba de rolo com 10 varas a 2J00.
Xa loja das 6 portas.
Cotes de caseaiira ecura e tina a 4.
ua toja das 6 portas.
Pecas de cambrau branca a 3), 4, 45tO. Si,
5600 eM: na loja das 6 portas.
E outra* muitas fazendas que se vendern por
meos de u valor, de tudo se d amostras.
Sortes avulsas.
Vendem-se foJhas de sortea para as noutes de S.
Joao e Santo Antonio, a 40 rs. e a 20 rs. e a guns
folhetos pregos diversos; na ra do Imperador
n. .15, defronte Je S. Francisco.
Attenc&o.
Vendem-se sortes parbanlo Antonio e S. Joo
a 34300 o cento, tamhem d-se de vendagemia 80
rs- por pataca ; o ra da Palma n, il, ub-roa
Moslarda em p a 700 rs. o frasco.
dem j preparada a 320 rs.
Latas com massa de tomate de 1 fibra a
600 rs.
dem em latas-de 4 1(2 libra a 900 rs.
Vinhoscm garrafas vindos do Porto, Madei-
ra Secca, Duque do Porto, Duque Semi-
no, Cascaradas, Mara Pia, D. Luiz, Pe-
dro V, Velho Secco, Lagrimas Doces, La-
grimas do Douro, e outras muitas marcas
a 1)9 3 garrafa e 9$ a 1-2-5 a duzia.
dem Palme.la a 15 a garrafa e 11 000 a
duzia.
dem em pipa de todas as marcas Porto,
Figueira e Lisboa a 400 e 500 rs. a gar-
rafa e 25800 a 3,5500 a caada.
dem em ancoretas e 8 a 9 caadas com su-
perior vinho Lisboa e Figueira a 210 a
a neo reta.
dem branco expecial quaiidade proprio para
inissa a 560 rs. a garrafa e 4 dem mais baixo a 400 rs a garrafa e 30500
a caada.
dem do Porto especial qu lidade a 800 rs.
a garrafa e 5$500 a caada.
id m Bordeaux em caixas a 70 e 700 rs. a
garrafa.
Champanha a mellwr do mercado vinda de
nossa encommenda a 300 ogigo.
dem mais baixa de 180 a 200 e 10500 e
30 a garrafa.
Licores portuguezes e francezes a 10000 e
10500 a garrafa. ,
Marrasquino de Zara, verdadeiro a 10500 a
garrafa.
dem mais abaixo a 800 rs. a garrafa.
Genebra de laraDja ver adeira a 110 a du-
zia e 10 o frasco.
dem de Hollanda verdadeira a 60 a fras-
queira e 640 o frasco.
dem de Hamburgo a 50500 a frasqueira.
dem em botigas de Hollanda a 400 e 440
rs. o frasco.
Garrafes com genebra de Hollanda com 21
garrafas a 80, com garrafao.
dem com 14 a 15 garrafas a 60.
A 1 109OO e i500.
I.eques de osso, ultimo goslo, a 15-
Ceronlas de meia a \&0.
Diitas muito finas a l'iO:).
S na ra da Cadeia do Itecife n. 5.
a meia caixa e 5,5200 a caixa.
dem mececipes a 10700 a meia caixa e
30000 a caixa do mesmo fabricante,
dem orientaos do mesmo a 10800 a meia
caixa e 30400 a caixa.
dem jovens de Gaslanho A- Filho a 20400
a caixa.
dem suspiros do mesmo a 10-00 a meia
caixa, e oulras muitas marcas de fabrican-
tes.
Passas muito novas a 10500 o quarto e 50
a caixa de urna arroba hespanhola e 320
-a libra.
Vermuto bebida para abrir a disposico de
comer 10500 a garrafa e 140000 a
Alpfeta" muito novo a 30800 arroba e 140 FmIICSCO Jos Germano
a libra. HIWOVIV 21.
Painco a 40000 arroba e 140 a libra. acaba de receber um lindo e magnifico sortimento
Peixc em latas ja preparado a 10200 a lata de oculos.lunetose binculos, .
e em porgao 10000.
Sardiahas de Nantes a 400 a lata.
Tijollo para limpar facas a 160 rs.
Esparmacete a 600 a libra e em caixa a
580.
Vellas de carnauba a 14O00 arroba e 440
a libra.
Azeitonas de Lisboa muito novas em anco-
, apurado gosto da Europa.
Grande sortimento de roupas feitas de to-
das as qualidades,
Calcas de casemira a 6S e 75300, ditas pretas a
63 e 83, calcas de ganga a 23 1*800 e 1*600,
ditas brancas a 23, brim de linho a .'!3. 33500 e
43, paletols do alpaca branca a 43500, ditos pretos
a 33 e 33?O0, ditos de alpaca de cordao a 43,^ e
de listra de seda a 350O, ditos sobrecasacos a 33,
paletols de casemira a 35, 35500, 63. 83 e 93,
retas grandes a 16800 e a 400 rs. a gar-(iit0sfobrecasacos pretos a i?3, 13 e tes.dnos li.
rafa. 'nos a 253, de cores a 133, ditos fraques a 145,
Balaios do Porto muito grandes proprios paletols de ganga a 33, 25500 e 25, dius de brim
nara mianlar rnuna cnia a Asnn innft i Pardo a 35, pqueloes de brim pardo a -i$, panno
pai a guardar roupa suja a 2,)5, 30000: prel0 flD0 ^ i&mi 3500 ^ 4^300 3 e 6 0
covado, moreantique preto a 25600 o covado. gros-
denaple preto a 15500,45800, 25, 23200 e 23500
o covado ; e outras muitas mais fazendas que se
deixa de annunciar, e manda-se levar pelos caixei-
ros da loja da arara casa dos pretendpnles. O
e tabelecimento est aherto al as 9 horas da noite,
ra da Imperatriz n. 56, Mendes Guimaraes.
Batatas em gigos de 34 libras muito novas a
800,a 40rs. a libra.
Gomma em paneiros a 40000 arroba e 140
a libra.
Farinda do .Maranhao muilo alva e nova a
240 a libra.
Svadinha de Franca para sopa a 200 a li-
bra.
Sevada muilo nova a 140 a libra e 40000
arroba.
Oaixas com estrelinha, rodinha e pevide a
400 a libra.
Alhos em caoastras muito novos e maunfas
grandes a 18O e 200 rs. cada urna.
Caoella muito nova a 1-5000.
Gravo muito novo a i 00.
Cominho idem a 320.
Ervadoce idem a 400.
AJfazema flor a 240.
Amendoas a 400 a libra.
iNozes muito novos a 160 a libra.
Papel greve a 40200 a resma,
dem tizo a 40000.
dem de pezo a 30000.
dem de embrnlho marca grande a 10200 e
10300.
Idi-rn azul para botica a 20000.
Copos lapidados a 50500 e 500ada um.
Palitos de denles, macos grandes a 120 e
16u cada 11 m.
Fumo americano de chapa, de superior
qualidade a 10500 a lie ra, em porc3o ter
abatimenlo.
GAZ GAZ GAZ
Ve,nde-se gaz da melhor qualidade
I i-i a lata: nos armazensda ruado Im-
perador c.l 6 e ra do Trapiche Novon.8.
raareM 111
Saccas grandes com 100 libras de farello superior a 40000 a sacca.
Tasso Irmos
Vendern no seu armazem ra do
Amot-im n. 35,
Licor fino Corceo em botijas e meias botijas.
Licores finos sonidos cm garrafas com rolhas de
vidro e em lindos frascos.
Vinhosheres.
Santerncs.
Chambertin.
ffermitage.
Borgonhe.
Champagne.
Moscatel.
Reino.
Bordeaux.
Cognac.
Od Ton.
AzeitePlagniol._________________
Vinho do Porto superior em caixa de duzia.
tem para vender Antonio Luiz de Oliveira Azeve-
do Si ., no seu escriptoriorua da Crnz n. 1.
avariado.
Francez barrica 55000
l'ortland idem 85500
Em perfeito estado:
Francez barrica 105000
Portland dem 125000
N'o armazem de Tasso Irmaos caes do Apollo.
Vende-se
na rna das Crnzes n. 23 junco e palha, mais bara-
to dj que em oulra quarqaer parle.
Adinirem
Admirem
Admirem Bem!!
As pechinchas que eslo venda na.loja. e ama-
zem do Pavo, na rna da Imperaniz n. 60 de Ga-
ma a; Silva, onde, fe vendern todas as fazenda-,
tanto de luxo como de primeira ncceidade per
pregos milito rasoa veis, e com especialidade as se-
gninies, dndose amostra? deixando flear penher,
ou mando-se levar em casa das familias pelos
caixeiros da merma loja.
Madapoln enfestado a 40, 10aOOo 50000.
Vendem-se pejas de madapolao ei'fesiado ron
12jardas pelu haraiissimo piejo de i5. 45^00 e
35, ditas sem serem en fe. I a dos demarcas UiOito
acreditadas a 75, 85, 95, e 103, ditas, fraoeez
mullo encorpado pruprios para saias a 480 rls a
vara,isto na loja do l'avao ra da Iropeatiiz n.
60 de Gama 4 Silva.
Vestidos Braacos.
Vendem-se os mais ricos cortes de vetd(s de
cambraia branca primorosamente bordados, pelo
barato preco de 133. I6 e 209 na loja do Pavo,
ra da Imperatriz 11.60 de Gima & Silva.
Ciraude pechioch, vestidos a
A OO.
Acaba de ch.-gar um bonito sortimento dos mais
indos vestidos transparentes, muito proprios rara
passeios e bailo.-, pur serem de primorosos dese-
chos, sendo lodos os padroes tecdos e nao pinta-
dos, e vendem-se pelo baratisHRIO prrro de H55Q0,
sendo fazenda loja do Pavao, ra da Imperatriz n. 60, de Gama &
Silva.
Cirosdcnaples .
Vende-se superior grosdenapies ir de caf, pro-
prio para vestido, sendo muito encorpado, a 150(10
o covado : na loja do Pavao, ra da Imperatriz u.
60, de Gama & Silva.
Glande sorlimenlo de roupa feito,
Veudese na loja do Pavao nm grande sorlimen-
to de roupas feitas. con.-lando de palns de panno
preto, sobreeasacos, diks saceos, tito> de casemi-
ra, saceos e sobrecasacos, ditos de brim branro e
de cores, ditos decasinela, calcas de casemira pe-
la de todas as qualidades, ditas de cor, dila de
brim de linho branco e de todas as cores, coletos
de brim, casemira, setim. gorgurao, etc., etc., to-
das estas obras vendem-se por preco mais barato
do que era oulra ijualquer paite : na loja do Pa-
vo, ra da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Soutembarques de cor
Vendem-se os mais modernos soutembarques de
cor, ricamente enfeitados, e por barato preco : n?
loja do Pavo, ra da Imperatriz n. 60, de Gama 4
Silva.
Capas pretas e soutembarques,
Vendem-se as mais modernas opas pretas lisas
e bordadas, os mais bonitos soulembanjues pretos e
manteletes, ludo de seda pela e o que ha de mais
gosto no mercado, por preros muito em conta :
na loja do Pavo, ra da Imperatriz n. 60, de Ga-
ma & Silva.
Grande liquidagao a dinheiro.
Na loja e armazem do Pauo.
Ra da Imperatriz 11. GO de Ga-
ma A Silva.
Os dones desteestabelccimcnto tem rcso'vido li-'
quidar suas fazendas por precos baratissimos, s
com o flm de apurar dinheiro, e previnem as pes-
soas que negociam em pequea escala com fazen-
das, que nesta loja e armazem encontrarlo un
grande sortimento por precos que muilo Ihes ho
de agradar, tanto em peca como a rttalho, a sa-
ber :
Chitas largas a 200 rs.
Vendem-se chitas franeezas, listradas muito lar-1
gas, padroes escuros, peto barato pre?o de 00 rs.
o covado, tendo muilo bom panno ; ditas escuras
P ulroes novos, por serem todas escossezas e lixa a 240 rs. o covado ; ditas miudinhas escoras
e claras a 240rs.,affiancando-se que esta fazenda
nao tem o mais pequeo toque de mofo, nem outro
qualquer defeilo. Istos o Pavo, na ra da Im-
peratriz n. 60 de Gama & Silva.
Fazendas brancas baratas vende o Pavo.
Pegas de algodozinho largo, marca T com 2i
jardas a 85, ditas T com 20 jardas a 75, ditas de
outras marcas, como sejam sicupira, carne de vac-
ca, etc., a 4. 53, e 65 ; madapolao finissimo com
24 jardas a 65500 e 75800 ; panno de linho mui-
lo inferior proprio para lences e toalhas a 710 i
rs, a vara ; bramante de linho com 10 palmos de \
largura a 25500 a vara. Ito s na loja.do Pavo,'
ra da Imperatriz n. 60 de Gama & Silva.
Esparlilhos, na loja do Pavo.
Vende-se um bonito sortimento de esparlilhos
proprios para senhoras, sendo dos mais modernos,
e bem feitos que tem vindo ao merc;do, lendo de ,
todos os tamanhos e de diversos precos traz- ndo to-1
das as eompelentes litas para apertar. Uto s na
loja do Pavo, ra da Imperatriz n, CO de Gama,
& Silva.
Cambraias brancas.
Vende-se um bonito sortimento de pegas de cam-
braia brancas lizas, tendo tapadas e transparente,
pelo prego de 15,43500, 55 e 65, nave ndo muito
superior da Escossia por 105 e 125- Isto s na lo-
ja do Pavo. na ra da Imperatriz n. 60 de Gama
& Silva.
Gros de qiiadrinhos a 10COO.
Vendem-se os mais modernos gros de quadri-
nhos, proprios para vestidos de senhoras e meni-
nas, sendo estes gms dos mais modernos qne tem
vindo ao mercado, vendendose pelo ba alo prego
de 600 rs. o covado. Isto na loja do Pavo, ra
da Imperalriz n. 60 de Gama 4 Silva.
Ricos houznniits de Guipure.
Vendem-se os mais ricos bouznouls de Guipure,
sendo os mais modernos que tem vindo ao merca-
do, pelo baratissimo prego de 255, cada nm, as-
sim como chales de 3 e 4 ponas da mesma fazen-
da, sendo de varios pr go-. Isto s na l vo, ra da Imperatriz n. 00 de Gama A Silva.
S o Pavao vende
Chitas largas a 240
Chitas largas a 240
Chitas largs a 240.
Acaba de chegar para a loja do Pavo um gran-
de sortimento de chitas largas garibaldinas, por
s rem todas listradas e padroes eseuros e de cores
fixas qne se vendern pelo baatissimo prego de 240
o covado, sendo que em oulra qualquer parte cus- i
la a 360 o covado, notando qne os freguezes que |
comprarem porgo de p'gas, teio ura pequeo I
abatimento : isto na loja do Pavo a ra da Impe-:
ralriz n.60, de Gama & Silva.
Lazinhas a 300 rs.
Uazinhas a 300 rs.
Lazinhas a 300 rs.
Vende-se um bonito sortimento de lazinhas pro-
prias para vestidos e soutem arques por serem li-
sas e de quadrinhos pelo barato prego de -OO rs. o
covado, sendo fizenda que sempre se vendeu a
500 rs. o covadn, e vende-se a dinheiro a vista pe
lo baratissimo prego de 300 rs. o covado : na loja
do Pavo ra da Imperatriz n. 60 de Gama <$;
Silva.
Pelerinas a 10600.
Vendem-se as mais ricas pelerinas ou romeiras
de cambraia bordadas proprias para hombros de
senhora pelo baratissimo prego de 15600 : na ra
da Imperatriz n. 00, loja de Gama & Silva.
Orgamly a 240 rs. o ova na loja do Pavao.
Vendem-se as mais bonitas cassas orgaudys, pa
dres miudos e grandes, pelo baratissimo prego de
210 rs. o covado (doze viniens), esta pechincha
acaba-so logo : na loja do Pawo ra da Impera-
triz d. 60, de Cama & Silva.
Lnnzinha transpa ent>',
a 220 rs.: s na loja do Pavo
Vendm-se as mais modernas lanzinhas transpa-
rentes, sendo todas de listra-, quadro e lisas, fa-
zenda esta que sempre se vendeu a 400 rs. ; o Pa-
vo vende pira liquidar a oiue vintn o covado :
na loja do Pavo, a ra Ua Imperatriz n. 60, de Ga-
ma & Silva.
----------------------------fi.- ..---------------------------------
Vende-se umescravo idade 2o annos ins'goe
officlal de carpina e bou'ta figura ; pa travessa op
Carmo n. 1.
Rival sein segundo
Ra do Queimado o. 49, loja de (niodezas de Jos
t Azevedo Mala e Silva, ela qoeimando que ad-
mira, a saber :
Prasros com superior bai.ha a 200, 2<0 e 500 rs.
datad com mperior bauhaa 200 rs.
Fraseos com superior agua de Colenia a 120 e
100 r.
Prados com superior deo de bttora a 240. 320 e
'iOO rs.
Garrafas da reriiadelra ajina Florida a 152S0.
Frascos de superior oleo da >ui b-daJc H'gieirque
a 040 rs.
I'ia.-eos de superiores ehtiros sania! e outros mul-
los a 15000.
Sab. netes de familia ;. 210 e 200 rs.
Sabonties da superior qualidades a 60, |20e IliOrs.
Cakas com i 2 frisas de. rbeiros muito teosa
y 00.
Caixas dito rmn 0 frascos melhor fazenda a l'Ors.
Paos de pomada franeoa grandes a 50C rs.
Sahonetes de bolla pequeos e grandes a 210 e
320 rs.
Frascos com superior opiata a 800 rs.
Fraro com superior asna para di B*> 1 I500O.
1
llfsiflfii8
I 3 tr^S-oaa SS.T3
Ills*iii,f
ijieb|liliI
71
3. P.5T-1 2
." 5 3
8. 2-w2
a.
o
a "2,
o
s
3
a
s.
o
1
a
8
a.
n
a
a 5 3 S m
o
B -
a5
^'55
i im
co
depurativo;
Do Dr SEEVAX, de Pariz.
l'harmacevtieo de I* classe, e.v
interno dos hospilaes, premiado
com a medalha de bronze.
Desde muio lempo o publico
landonou o uso das prepaiaeoes
intituladas depurativas condecidas
sob o nome do Arrobes, Xaropes
de Salsaparrilha cnmposlos ele
Cuja arrao, maior parle das vezci
milla, e u'aliims casos perigosa.
Os CoXFElTOSDtl'tPATlVOSTEMO ASPECTO
E O GUSTO ACRADAVKIS E COXTEM SOB tU
PEQUEO VOLt'UE SECSTA.NCI S MUITO ACTI-
VAS QIE O SEO VODO DE PBEPABACAO TOBSA
ISALTERATE1S.
O mtccvsf, n enton con
elosolillveraoiili Fran-
C sob o patrocinio das principos
celebridades medicas, os poc cima
de ludo quanlo tem existido atb
hoje.
Cura rpida sem o socorro
de nenliiim outro remedio in
temo, das escrophulas ,
jhfpes, affeccoes sypbi-
liiicas hypertropbias
dos tessidos celular/s,
hydropisirs e em ^era
todas as molestias produziihi
[tela alleracao do sangue ; la
o resultado que queramos
conseguir e que temos sem-
pre oblido.
Urna explicarao accompanha cad;
vidro.
Desconfiar-se, das fa'cificaoesel iiui-
tacoes.
Para as cncomendas dirigirse aos
Snrei. BUISSON BT C1*,,*, li'i'iinrc
Eugne, Parit,

f MSSAEXAROPE
DS f
B E R T H E
COM CODEINA
Preconizados por todos os mdicos contra
as De/luxos, a Gripp e todas as Irritafdes
do peito.
AVISO
Falsific.ic.5cs reprchensiveis excitadas pelos
successos do Xarope e da Massa de Berilo1,
nos obrigo a recordar qne esses productos
to justamente
nomeados no se
entrego scnSo em
bocetas e em fras-
cos com a assigna-
tura aqui indicada. !*"*.''<"V*v
151, ru Saint-Honor, NA PHARMACIA r>0
. luvrb, e cm todas as pharmacias.
Deposito gerai em Perna.mbuce rea i'a
Crnz n.22 em casa t Caros & Barbo?;.
SAL.DQ ASSlf
A bordo.da bri^e. escuna nacin! Graciosa ;
vende-se na roa da Cruz n. SULascrir-torio.
HIJA IMPSHUL
numero 9?
VENDE SE
rap imperial,^f nal ao rap Lisboa, e outre fahri-
cado d.> novo Igual ao de ara pela, < m porro-\ a
5T0 rs. a libra.
Grande pechincha para os fumadores : qnem
quier fumar bom e baralo venha c.
Charutos da Baha de superior qualldai'e, flor
da Muritiba c de difTerentcs rrarcas, m to avulsos
como encisotados, por precos mni c mmedus.
VENDE-SE TAMBEM
grande pechincha para os senhores rharateiros,
fumo da Babia latente de primeira, segunda e ler-
ceira qualidade, por pregos mui raioaveis.
Em casa de Tisset Freres rna do Trapiche a.
9, tem para vender :
Vinho B rdeaux em barricas e em caixas.
Dito de Santerne fino.
Dito dn Champagne muito superior.
Cerveja franceta marca lob>;___________
Vende-sc a taberna do pateo da l'az, nos
Afolados,.n. 23, que fjca na quina,- e oii.- ara
ra, de S,. Miguel, proi ri.i para um priWiplr.Dte
por ter poneos fnndos e con mo-fs para familia :
a tratar.na mesma ou na rra dafmpcrairi?. u. 71.
p m
b^IBBBHBHB^H
4&iktS&&MlUfll


>.
Mario de Pwnihuto Qi*fe1ra I de 4nnlto de S*ft.
OMSlJLTOBlO AIEDIGO-GIRURGICO
DR. PSDItO DE ATTAHYDE LOBO HOSCOSO,
ieoico, PAareao e operador.
3 Ra da Gloria, casa'do Fund&o 3
0 ')r. Lobo Hoscoso d consultas gratuitas aos pobres todos os das das 7 s
dona iU manhSa.e das 6 e meias 8 horas da noite, exeepcSo dos dias santificados
J i niil'i ep8cM homeopa/ilca
No mesmo consaltorio na sempre o mais appropriado sortimento de cartearas
Ubos uulsos.assim como unturas de varias dymnamisaces e petos precos seguintes
AURORA BRILHARTE
Carteirasde 12tubosgrardes.
de 24 tubos;'ra: Jes.
1 mi |ra
1; IS tubos rra
de 00 tubos ranl
V p.jrcarteira conforme
<\ H
12(5000
i85000
IOS. 215000
les. 305000
les. 355000
o pedido que se fizer, e com os remed
naeia onca 15000.
Pvj;jin-s
< oiiir.
Um tubo avulso ou frasco de tintura le
Senda para cima de 12, costarn m predos estabelecdos para as carteiras
la ubos mais pequeos cada um a 500 ris.
LITROS.
#
CHANDES ARH
tm
MQLHAI
llUi
;1. ,i. ii' 11 u :i > utliia, i vi aa
; ; i l j ; i l \ !i .o il t JCilCTWiO .
IilijiT l > uistiea D J.1. Sftrf,.
s^fft'irio 1 d 111) tf JffO .
j;; > nri) iIj .mu 1) ojdiovoa.
I
ti ;
i ailhi tost jstabelecimantoo p< r demais conhecidos e dispensam portaa-
! *i rvsneate .-ecoi acidados aspe.-
jo> edara ,on3ervac3o,tintura dos mais acreditados
e icravos.
otra
r enfermidade ou fazer-se-lhe qualquer
Ueateninte 'abitado.
dil; ;)>. 11
dileiro is< iir deleite.notaveis >sa sua boa
osnbiJ.t.j n nas europeas,a maiS'jxact* e accarada preparado, portanto a maior ener-
ga i '..;. n J a a ts elei-tos.
Gaui e mid'i
&o;eb&-se vscravospara tratar de palqa
aparado, para o que o irniiMCiantejulga-se
(i'.ratHioaato 6 o caothor posvel, tanto na )arte alimentar, como na medica, e
fuiccioaando a casa a mais de quatr-o annos, iia militas pessoas de cujo conceito se nao
pjJe lividar, que poden .ser consultados por aquelles que desejarera mandar seas
d. lit^s.
Pa?a-se 2$000 per da-dnrante 60>dias
.4oprac5es ser5 az-*i*a*s iis-.i'.'.ini ;".tir o annuaciaute.
i'))'lt)l,)
roa Moatmartre,
Fabrica em As'geateniS,
&MFHMJ.10 H
3
de .\Ieli;iai Homeoptico do Dr. Jahr
......... 205000
......... 105000
......... 65000}
......... 35000
o
a
Largo da Santa
Cruz n. 84,
saasjue qiuorem osar de remedios ver-
d'ahi em diante 15500.
;e nSo se jnizerero sujeitar aos preco?
fi&^ieo 8 6Uta|tieD da F. P. Lebeuf e 0
31, era Pars.
prs Par* (i<"raaca).
a
Das vinhes, agurdenles e licores.
" )'.-I ni!':">) te* vinhos da todas a?
i. '.l.'ttrMW SMse, adose para 230
1 :;. < <..--.l.
u, i f., lie Poraard, :t
GaUlao, 2 f.. -de
[xtuatel. VaUriVi hue-paa.3B ou
Porto.
30 li-
C\C\
<- -ia >ara fabricar com o alcool e agiis
. cima b todos os ontros. A dose para
tros, 58 f.
"IFICAvAO.P- inctlezes, p-; dos vinhos
in'i:i, da Praoca, ste. \ libra para ."500
: f.
, i i \C\0 Purpir-infi pnra colorear os
. irancnse aha* 'laros. As dr.as libras
.. i i:irw. 16 f.
\\ ; ios d>: i )so; gftntfts tendo falsificado e
AGUAROENTES.Essencia de cognac para dar
ai agurdenlesurliuarias o sabor eo aroma de
>gnac. A garrafa para 100 litros, o f.
KIRSCH E ABSINTHOEssencia da kirsch e
i absintho, para os fazer com alcool e agua. A
firrafa para 100 litros, o f.
LICORES.Extracti,ppara fabricar se todos os
lileores conhecidos sem fogo era alambique, (in-
d car-S os que se toseja.) A dose para 20 ou 25
litros, 3 f.
PERFUMES wa fabricar-se os licores finos ou
e muimos a dose para i;i na 23 itros, 1 f. 25.
TODOS )< oatros productos para o trabalho doi
latios,i','iarlenles, ncores, vinagres, etc., sao
f itiricados le rfri^oi:tnnnila.
UTEXCILIOS le 'ahoratorio ede chimica.
es^L,
quina da ra do3^^
mmmmm
armazem de nmlhados denominado Au-
rora BOrthan?r0prtana do-i*o>o acreditado
A Nanta^. ,rm S,rv!.ra a lodo* de depara ajuste de.contbaos portadores.
pelomudfiZmZESZUPi"* mais barat0 e menores do que a Aurora Brilhante, ja"
ero quanto choJ^ n".que tem'.Ja mesmo Por^e seu don> ^ eseja tirar diminuto lu-
f proveiilr n nnr ,aCuUTlar despezas do estabelecimento por isso deixese a-
untes freguezes fwer loda a ! a
ia de soda rmrita novas, a
"K.8 IblViS dftehoufi?as muitonovas,
EWlfiff!? "T,^6 em postasinteiras,
I So. ,uak,lades a ***** 1*280e
DiSecr,!ast7r^rrce,lenu v* t-
^asPnmaraei*a,S a ,520- ,*800 8 34500.
55tascom massade tmale-, a5O0 rs.
' ISe2j5ooS,leCMBadro' BOVOS- a ,5500'
jDiiascom bolachinh
9 25OOO.
^iSsasiQtodemuias^-
r Chocolate.
" cmameixa3 enfeitadas proprias
I 8$o!Pr,0r mU, nV0' aUI,rade
MaaCa400O's*<,>aram &a,etria amarella, a libra
Dito dito da branca, a libra a 40 rs.
Laixas com strdirma, pevide, e outras mas-
sas, a ca xa 35300.
Ditos dita em libras a 610 rs.
^Sag, a libra a 360 rs.
*peVadJnha para s|JPa abra, a 210 rs.
krvilhas secca*, a libra a 160 rs.
Ojitos descasoadas, a libra a 200 rs.
? tapioca muito nova, a libra a 230 rs.
'awaha de araruta verdadera, a libra a
L ouo rs.
'Arar2Ln Maranhao, em sacco, a arroba a
2^400 e a libra a 80 rs.
jitoda India e Java, a.arroba a 34100 e a li-
bra a 100 rs. Caslanlias.
f rCIS Hh Sb0a a 99300 a arroba e a 30 Cascanhas nova* vindas oeste vapor,
, i ba 4500O e a libra a 200 rs.
a arroba 7,J0OO e a libra a Azcitona.
Barriscom azeitonas novas I \$oQ0
Maotoiga.
VinhtMerde superior. K
A caada a 3000 e a garrafa a 400 rs. QP
Comma. fljR
Saccas de 4 arrobas, a verdadeira de se^5
eneomoiar, a arroba a 3^000 e a libra 5
120 rs. A
Sabao massa, a libra a 200, 2iOe 280 rs. W
Farinha.
Saccasgrandps com farinha de Goianna mui--x
to nova, a 35000. \;
Caf. A;
Cafdo Riomito superior, a arroba a 85,^1,
85500 e 95000. 3?}
Cha. cf'-:
Chacemos oestes gneros o melhor possIvel.^K
hyson, a libra a 23600.
Dito perola a 35080.
Diio uxim a 25700.
Dito hvson muito fino a 2JS00.
Dito redondo a 25500. r
Ditopretode primeira quadade a 25300. |
Dito mais baixo a 25600-e 15000. \:
Erra mate. j?^
Excellento cha medicinal, a libra a 240 rs. l*ff
Espermacete. ^J
O raaso com 6 ve!las de espermacete a 600,
640e720rs. S!
Passas.
Caixas de 16 e 8 libras de passas oras pro- b
prias para mimos a 45 e 25600. jx
Nozes. r/-.
Nozes, a libra 160 rs. e arroba a 45000. ffif^
Alpisla e paia?o. %5"
Alpistae painco, a arroba 45000 e a libra &
160 rs. WJ
Carlas. OTO
Cartas finas para logar, a duzia a 23300. CT
ere
nital) nossis oreparacSes,e engaado nossos
jesjleve-sa exigir >ibre as rolhas e rtulos ajinlciaes F. V.L. Paris,
0 moln de usar-so ilasprepavart esicha-seindicado no roalo.
\; ocommendw leven ser acimpanhadasp >rnma letrasobre Paris ou qualquer outra cida-
im. vi MMiiilis :nr imacasa'iiM?i la.-Wrigtr-se aosSrs. Lebeaf i C. chiraice-s, ra
.,:i. t!. ''iv > 1 1 su fahrici e-n v-. >n-*ml, prs Paris.
1. )-:iM !>>'.*, na di ImnTadir n. 38.
I niraveis pee hinchas]
; ') i vcn!a x\ 1 ja ft armazem
Ar-r:, ra a imperalrix u. 58,
?eira Seniles Guiui-
UllttMica
I .:>.
PARA KA.\TO A.VrO.%30 33
Venrlem se sor .^s muito hom feilns e de
papel muitc bom ':> o cento : na ra das
Cruzos n. 11, taberna da porta larga.
Bcetaaha do rolo a 35-
adera se pepas de brntaoha co:n 10 varas pe-
lo Inrlissim > prego d 35 a pega.
Madaptilo enfestado a 355">0.
V n! se inadpolio eafestado com 12 jardas
i' ,-3 e 43600, du.i com 24 Jardas a 55
h>, 65)00,73. X. ',0 73^00, L. 10 73'00, N.
Bphants 85500.
Soatemtjarqaos de core* a 05-
idem-se sootembarqnes de cores a 6JS,
83, ditos de soda a 18:, 205 255.
Chapeos para lioraem a 1800.
i lom-se chapeos para hornera a I3H)-)
u tpeos le*il dn-panoo a 2;, diios de se
para notaem a ij 73 : s Arara, ra da Im
n. 56, le Ueodes Guimaraes.
c rara faie chitas fianceas a 210 rs. o Tala.
Veo lem-so chitas francezas sendo cores fixhs,
.--. 1 como tejara padroes delicados sendo cores
d .11 .: iiJXiS, se vende por baratissiino preco
de 2U) o covado, ditas a 260, 280 e 300 rs., ditas
madsadas linas a 320 e 360o covado.
Chitas francezas eseHras.
Vendem-se chitos francezas sendo padroes ecu
r 1 acores fixasa 360 e 4O0 o covado, ditas mi-
is claras a 360 e 4oO rs. o covado : istd
loj i o armazem da Aran roa da Imperatriz n.
Corles a Maris Pia a 18$.
Vendr-m-sa os mais modernos cortes a Maria
Pa ., 85, toa 143, 123, H3. 10 e 85, co|rtes
li .i.t -"m barra a SJtlem 15 eovados o corte-.
Danasco de dnas largaras a 1/3280.
VI d le-se damasco de du.js largaras a 15280 o
'0 '! lo, dito 'le urna larcnra a 800 e 640 rs. co-
Ta 1 i -; 1 lioh > a 33, 65 e 75 a duzia.
Caudsaa francezas a 13600.
1 lem-se camisas fpaoccas a i5800,'25Jdita
rejras lariz-is a 23 e IJiO, ditas de liopo a
23""*. "-i-3800 e 35 cada urna, seroulas francezas a
iffl) IJ300,ditode liofioa 13800 e 23, ro-
': de DMM 23 e 23SO'.' cada urna, cambrn
!.-:!.) a 33, 3S500 e 45 a peca, ditas de cores a
I 1. "IV.
Camhraias de cores a 300 rs.
' ndvse cambraiade cor a 300, 320, 360 e 400
rs 1 c ivado, camt.raia de salpicos a 25300 e 35 :
na ra da Imperatriz n. 56.
Chales de merino a 2.
V.jndera se chales ile merino a 25, ditos de chi-
t3 ,1 13600, l280e 15 cada um, chales 8nos|com
poata redonda e borlla de seda a 63 e 75 cada
obertores de algod.ao a 13 cada um : na ra
... emperatriz n. 56.
'"2.
C3 TJ
= --S o
3 r = M 22 ~ -
^ S^3 Q.2 2-3
e a, S; a 2 -s
O.
2! S* 5'
cf9 2 S a. 5" *
*f|B
o ^ o ra
rs. a libra.
Dito de Santos,
260 rs.
.Mlhos com 125 ceblas grandes, a 18280.
WfSZS* franceza, caixa com 2 duzias a '
arro-
7*000. I Manteiga superior, a libra a 13280.
Frascos com mostorda preparada em vinagre,' n'a mais abaixo a 13200.
a 400 rs. 1 Dita menos superior a 13 .
Ditos com conservas inglezas e francezao a I Dita franceza nova, a libra a 880
. 640e800rs. I Dita dita em barris e meios ditos, a
Ditos com sal refinado fino, a 640 e a 500 rs.' 850 rs.
Ditos com a verdadeira genebra delaranja, a Dita para tempero a 400 r.
libra
propria para negocio, a
superior, a
ok dogaz.
pitch do gaz.
Alcatro do gaz.
tonel alas rs. .
o
caada.
10^000
80^000
400
fc
a
Madiin-a
Reitocro do preco.
' 1 :n--. por prepo redolidos machinas de
r ala tdfifl, de sorras de lodos os tomaahos
r: de 14 a 60 serras, assim coma motores
para mnoMS e urna machina de 120 serras Bom
ote machina a vapor, a^quacs se ajrham
a v-t:i no armaz.'tn do farinha pr baixo do Galn-
iMiinyik-z : a tratar no metalo armazem ou
na na do Trapiche 0. 8, oulro jim recommenda-
compralores das mesmas que BSea do azei-
le doce ou de coco em logar do azeitede carrapato.
Farinha de muribeca i a e a!va, mais
barata que se vendo no mercado, em sac-
eos : na ruado Vigaiion. 29.
Coke
PitCil
Alcatro
O coke reconhecidaraente o carvo mais econ-
mico, toraa-se por isao recommendavel, bem co-
mo pelo asseio q-ie >e nota as cozinhas aonde
alie usado. Piten e alcatrao.alm das applicacSes
diversas a que se prestan!, como para callafetar
embarcaeoes.aicatroar madeiras.etc, teem este a
propriedade de nreeervar docuplm, formigas,etc.
E' entregar na fabrica dogaz 011 mandado por em
qualquer ponti da oidade, segundo a vontade do
comprador.
Pede-se (oda a aencao.
Algodiio muito sop^rior, sendo a pera 20 jardas
por 23700 e 45 ; Qjadapolo muito fino' e largo, fa-
zenda de 123000, agora por 73 e 53 a peca de 24
jardas, e multas cuberas a 220 rs. o covado : na
1 loja da ra da Madre de Dos, n. 16, defronte da
guarda da alfandega.
i Bh
eciiici?
43 e 45-RL'A DO QuRIMADO-43 e 4o
Vondem-se cortes de casemira escoceza a 23^00
o rrte, coberta de chita escoceza a 25 e 13800,
cortes de lita indiana para vestido de senh.ra a
45800 ; ludo se vendo por esle preco para aca-
bar restos de farendas, assim < orno chitas largas,
a 200 rs. o covado, cambraia organdy Dnissima a
280 e 260 o covado.
PROPRIO'PAR V SENHORA.
Veade-se um encllente cavallomuito no-
vo e manso enm tod is os andares: na co-
chei'-a do Paulino, rua de Santo Amaro.
15000.
i Ditos de 2 garrafas de Hollanda verdadeira,a
640 rs.
Botijas cora dita
< 400 rs.
jGarrafoes com 2 gaioes com dita, a 63.
(Serveja boa, marca, a 500 rs. a garrafa, e a I
duzia a 6-5000.
'VinhomuscateldeS^tubal, agarraf? a 15.
Marrasqmnhoverdadeiro.frascos a 80C rs. e
a 13200.
fChampagne, a duzia 203000, e agarrafa a
) 23000. *
hAzeile refinado portuguez e fraocez, a garrafa
9 a 15000. .
Caixa de vinho Bordeanx muito
5 73, 83,93 e 103 a caixa.
jDjtas com dito hranco, a 73 a caix'.
. Ditas cora dito lagrimas do Douro verdadeiro,
b a2Q3.
'Ditas com duque do Porto verdadeinVa
. 183000.
SDitas com chamlssn superior, a 143.
'Ditas com Porto velho e outras muas mar-
cas, a 123-
) Vinho do Porto da pipa, a garrafa a 640, 720
] e 800 rs.
.Dito de Lisboa muito bom, a caada a 33200,
{ 35300 e 45, e a narrafa a 500 e 560 rs.
Ditoda Figueira, das seguintes marcas (N.)
(J. A. A.) (I. L. G.) (0. II.] a caada a
v 45300, e a garrafa a 560 e 640 rs., deste
( que ja est engarrafado e lacrado com o
' rotulo do armazem.
Ditosde marcas mais desconhecidas, cana-
) da a 3-3500 e 45000, e a garrafa a 480 e
520 rs.
Vinhohranco fino, a garrafa a 640rs.
Dito de caj muito superior, a garrafa a
? 800 rs.
Queijos novas viudos oeste vapor a 23800 e^-,^
35000. qJ3
Ditos londrinos multo novos, a libra
15000.
Papel.
1 Papel al maco paulado, a resma a 4R00.
Dito dito lizo de linio. a resma a 45300.
Dilo de peso lizo e pautado, a resma
23500.
Dito deembrulho.hom a 13 e 13200.
Viuljo Madeira.
Garrafas com o verdalelro vinho Xerez e]f19
deira a 13500 e 23000.
Temperos.
Folhas de louro, piracnta do reino, 1
e cravo, a libra a 400 rs.
Velas de carnauba.
Massos com 6 velas de carnauba retinad.'
480 rs.
Araeudoas.
Amendoas com casca, a libra a 320 rs.
Doce.
Caixoes de doce de.iroiaba, grandes a 13400"^
e pequeos a 640 rs.
Tijolos de lirnpar.
Tijolos de arear facas a 140 rs.
Gran.
Duzias de boioes de sraxa n. 97 a 23000, e Ctl)
de latas a 1-J000, e os boioes a 240 rs. ca-cm
atas a 100 rs. ttfib
Charutos finos. S^3
Charutos finos dos melhorei fabricantes da A,
Baha por diverso1 precos, caixa> e meias'wi
caixas.
, DE
AZEVEDO a FLORES
Roa da C-'k'ia do lteeifo, esquina da .ll^dre de Deas.
Prestem attencfio ao discurso do Bdo.
A loja do Balo todas as semanas reforma o seu onnuncio em consequencia de
constantemente receber novas fazendas e novo sortimcnio' de roupa feia, os seus precos-
so os mais moderados como j ninguem ignora, as fazendas que nao levm preco marca-
do porque ha diversas qualidades e diversos precos, e em loja alguma encontrar o pu-
blico um to completo sortimento de fazendas e roupas feitas, e nao havendo a obra que
o freguez procurar toma-se a medida e em 24 horas estaro salisfeilas as exigencias do
fregmez.
Pede-se attenco.
Chapeos de sol com 16 asteas a 12$.
dem dem com 12 asteas a 8$.
dem idem denominados acadmicos, fazenda nteiramente nova com 12 asteas a
12$, por este preco s na loja do Balo se encontra.
Baloes de arcos para senhoras, os mellwres que ha a 3$.
dem de arcos edemusselina para meninas a 2^, 2&500 e 3^300.
Vestidos finos a Maria Pia a 145.
dem dos nais modernos que ha de flores matisadas a 18$.
dem com barras, fazenda a inda nao vista em Pernambuco a 24$.
Pecas de cambraias que sempre se vendett por 9(5, o balo v.nde por 70.
Chitas preclaras que todos veodem por 040 rs., o Baiao vende a 560.
dem da m sma qualidade, porm de otiros pa 'roes a 440 rs.
dem escuras a 300 rs. csto-se acabando.
dem eslreitas a 200 rs. s na loja do Balo.
Las de accento escuro com flores matisadas denominada pelas senhoras qoe i
compraram (la econmica.)
Cambraia de cores as mais finas a 800 rs. a vara.
dem de cores com quadros brancos a 300 rs. a var?.
Madapolo a 8 a peca, que vale Oi, tambem ha fino.
dem francez proprio para saia de senhora a 500 rs. a vara.
Camisas de meia muito finas a 223 a duzia.
Meias mas para hornero, de 6f> a 8$ a duzia.
Camisas de pregas largas a 2$500 que todos vendem por 30.
dem inglezas de liho muilo finas a 48;> ou 540 a du;.ia.
dem de flanella de cores muito finas.
Calcas de casemira pretas e de cores de 70 a 120.
Paletos de casemira de coros e pretos, a 100. 110 912-5.
Colletesde casemira e debrira branco os melhores que ha.
Calcas de brim bra- co muito finas a 45300, 50 e 70.
Paletos de alpaca branco a 50.
Mantas modernas para pescoco de homem.
Collarinhos de papel de cores a 800 rs.
dem brancos a 400 rs. a duzia.
Laa preta para lulo e de todas as mais cores a 500 rs. o cov3do.
Ceroulas de linho com dnas costuras.
dem de algodo a 10000.
Cambraias para forro de vestido a 20600 a peca ou a 360 rs. a vara.
Chales de >erin eslampado que custaram 80, vende-se por 30 em raa.o de e*-
tarem un p uco desmaiados por ter estado a moslra, por estes precos s na loja do
de trabalhar tuo par
descarcear aSgodso
FABRICADAS
Por Plant Brothers & C.
OLBAS
da urn, e as I
a
E grande quantidade de gneros tendentes M
estes estabelecimntos, que deixam de an- T
nunciar-se. m
&&&, i^s ^v ^"^ &%$
CORTIUMLOS BORDA'
N. 11 Ra do QueimadoN. 11
A este estabelecimento chegon ollimamento da Europa um grande e variado sorti-
mento de coriinados bordados o que ha de mais gosto em desenhos e bordados.
Lindos bonets de palha de Italia para senhoras.
Chapeos e chapelinas de palha de lulia ricamente enfeitalos.
Chapeos finos de seda paracabeca de horaens e chapeos de sil de seda inglezes _de
8,12 e 16 astes.
Bournus e chales de renda pretos superiores.
Pelisses e soutembarques de seda preta para senboras.
Cortes de laa de barras de 143 a 223 de moito posto.
Baloes de arcos e de mussellna finos, manguitos e camisinhas.
Saias bordadas muito superiores.
Moireantlque preto, grosdenaple preto e de cores, panno preto fino de diversas qua-
lidades e casemiras pretas e de cores.
Lavas de pellica para homem e senhoras.
E muitas outras faznndas que todo se vende barato na loja de Augusto Fredenco
dos Santos Porto, aonde tambem se vendem as melhores e mais biratas
Esteiras da India para forrar salas
N. ii-Hni de Qaeim:ido--X. M
Estas maelvaa!
^^^^ podemdescarocar
pecit
sen
fio
bastante
span
o trabalho; pdt
descarocar mn*
arroba de alg(>
dao em earoa
em 40 minuto'^
ou 18 arroba;
por dia ou 3 ar
robas de algodi
limpo.
Assim como machinas para serem movidas por
animaes, que descarocam 18 arrobas dealgodi
rapo, por dia; e motores para mover urna, duas,
eutrjs dossas machinas.
Os mesmos tem para vender um bellissimo va-
por que pode fazer mover seis destas machina?
mencionadas ; para o que convida-se aos Srs.
agricultores a virem ver e examina-lo, no arma-
zem de algodo, no largo da ponte nova n.47.
Saoodeps Brothers & C.
)$>^m
TaSso Iranio
vendem gesso em p para estuque de casas, tijolos
finos de feitlo diversos para ladrilho, azoleijos de
diversos gostos, tijolos vidrados para parede de co-
zinha, canos de barro para esgoto, cemento em
barris de 10 arrobas.
Catangas flnos e brinqnados
para meninos.
Lhegaram para a loja de miudezas da ra do
Qoeimado n. 69, os mais Bnos e lindos calongas
tanto para bnnquedo de meninos como para cima
de mesa : na mesma loja se encontrar bora sor-
timento de miudezis.
0 G1STELL0 BE VIRAOS
Traduzido do francez por A. J. C. da Crnz.
Vende-se este bello romance em qmtr
tomos pelo baratissimo proco di;2JjOC
ua praca da Independencia, livraria ns.
,6 e8.
Atten$to.
Na taberna da ra da Palma n. 4t vende-se fa-
rinha da trra a 180 rs. a cuia, em sacca com 32
cuias por 53800.
X. II, pra$a do Corpo Santo
RECIFE.
Os aicos agentes neste paiz.
Rival sem segundo
Ra do Queimado n. 49, loja de mlndezas de Jos
& Azevedo Mala e Silva esta disposto a vender mal-
lo barato que admira, pols seus freguezes ja estao
scientes qoe nao ha segundo competidor.
Pecas de cordo para vestidos a 20 rs.
Capachos redondos e compridos a 500 rs.
Talheres para meninos a 240 rs.
Duzias de facas e garfos a 23400.
Ditas de cabo preto cravado a 33000.
Baralhos francezes muito finos a 200 e 240 rs.
Grozas de boioes de louca a 160 e 200 rs.
Caixas com soldados de chumbo a 120 e 200 rs.
Bunecos de choro pequeos a 160 rs.
Varas de cordao para espartilho a 20 rs.
Duzias de colheres para cha a 800 rs.
Duzias de colheres para sopa a 13500.
Ditas de metal principe de cha a 23000.
Di las para sopa a 43800.
1
DE
Florida.
para restabelecer e conservar a cor natural dos ca-
bellos.
A agua de Florida Dao urna tintura, facto es-
sencial a contestar, a mesma agua dando a cor
primitiva de cabello. Compostas de plantas exti-
cas e de substancias inoflensiveis, ella tem a pro-
priedade de restituir aos cabellos o principio co-
rante que elles lem perdido.
De urna salubridade inconteslavel, a agr de
Florida entreten) a lirrpeza da cabeca, distrae as
caspas e empede os cabellos de cahir.
Oleo de Florida
Composto de substancias vegetaes exticas, elle
contribue poderosamente, com a agua de Flo-
rida aforca, a belleza e a conservaco descabel-
los.
Em Paris casa de Gnilaur n. 112 ra de Rechi-
nen e 21 boulevard Montmartre.
Todos os frascos nao tendo iniacto e claro, e Un-
cir prateado da rasa, reputado falso.
eposiio roa do Imperador pharmacia n. 38.
Hixas hamtiurgue/as.
Vende-sena na Nova n. 61.
&c.
DROGARA.
34Ra] larga do Rosario34
Bartlioloraeu Francisco deSoaza
Vendem:
Acido actico puro pra retratistas.
Esmaltes para ourives.
Papel para forrar casas.
Guarmcfws avellanadas.
Tinta brancasuperior em lata.
AlvaiadeVeneza, fino.em pies.
Urna familia que se retira vende urna mobilra
de amarello j usada, trem de cosinha, lou^a de
almoco e janlar azul, orna mesa de jantar de ama-
rello pes torniados, mesas peqi^nas, commodas,
cama de casal e muitos ontros objectos o qne ludo
se vender em conta : na ra dos Pires n. 63.
Vende-se nma negr nha de 10 annos, muito
esperta e sadia : no pateo da matriz d* Sanio An-
tonio n. 8.
No armazem de azen das ba-
ratas de Santos Coelho,rua
do Queimado n. 19, yen-
de-seoseguinte:
Lences de panno de linho a 23400.
Ditos de bramante de linho de um s panno a
33500. v
Cobertas de chila da India a 23308.
Lencos de cambraia brancos proprios para algi-
beira, peio barato preco de 2J0H0 a duzia.
Pegas de breanha de rco com 10 varas a 33800.
Ditas de cambraia para forro de vestido, com 8
varas, pelo fcaralissimo preco de 23C00.
Guardanapos adamascados pe'lo baratissimo preco
de 33500 a duzia. v v
Algodo enfestado com 7 1|3 palmos de largura a
1300 a vata.
Crtfs do laa de lindos gostos com 13 covdos a
63000.
Pegas de cambraia adamascada com 20 varas, pro-
pria para cortinado, pelo barato preco de 113.
Fil liso fino a 800 rs. a vara.
Dito com .lpicos a 13 a vara.
Tarlatana branca fina a 800 rs. a vara.
Atoalhado de algodo adamascado a 23200 a vara.
Dito de linho a 33200 a vara.
Lazinhas lisas de todas as cores, pelo baratissimo
prego de 600 rs. o covado.
Pecas de cambraia de salpicos brancos e de cores
com 8 1|2 varas, pelo baratissimo preco de
43500.
Baloes de 20 arcos a 23500, de 25 a 33, de 30
3*500, de 35 43, de 40 4#50O.
Toalhas felpudas a 133 a duzia.
Esteiras da India de 4, 5 e 6 palmos por menos
prego do qoe em ootra qualquer parte.
Neste armazem se encontrar um grande sorti-
mento de roupa taita e por medida.
Admira vel pecainebaj
Mocambiqne a 300 rs. o covado, na toja
do pavio.
Vendem-se os mais bonitos mocambiqnes de pe-
ra la proprios para vestidos e soutembarques,
sendo de quadrtnhos de listras e lisos, fazeada m-
teiramente nova, em padroes e moilo proprias pa-
ra as senhoras que frequentam o mez Mariano,
porqne esla fazenda Ihes facilita fazerem por poo-
co dinheiro vestidos muflo decentes para qualquer
acto, aovrrtiodose que este baratissiino prego
devido a grande compra que se es desta nova fa-
zenda, qoe se vende a freze tustoes o eovade : na
loja do pavo, ra da Imperatriz n, 60, de Gama 4
Silva.
-... ; ~
ILEGIV


*
I


'
a feir ff
0 de i i.
O
DO
A
ESTABELECIDO A RA NOVA N. 60
ffam & -&91A a as BHMnaa
AO
RESPEITAVEF PUBLICO*
desla heroica provincia existe no grande arma-
Nova d. 60 um magnifico sortimento de molhados,
andados vir directamente do estrang iro podem ser
A apreciaco dos habitant
zem da Liga estabelecido r
que sendo em sua raaxim i parte
vendidos por precos asss razoavei
Sem a fatuidade de querer! que este novo e interessante estabelecimento seja o
pnmeiro e nico em seu genero, )de-se porm nffiancar, com toda a seguranca de que
nenhum outro o exceder no restricto cumprimento das seguintes promessas:
M PUBLICO
Sem o menor eoa&traa-
glmento se entregar o
Imperte do genere que
n5o agradar.
ATTERCjiO
Os precos da segrate
tabella para todos, po-
dendo asslm servir de ba-
se para o ajuste de eoatas
com os portadores;
RA DA CADEIA DO RECIPE N. 53
(Logo passando o arco da Concelco)
PARA BEM DE TODOS.
reza com
L" Delicadeza nc trato.
2. Fidelidade no peso.
3/ Sineeridade ros presos.
As pessoas que por sua posico social gozara de certo tratamento, acharo nesta
casa os melhores queijos londrinos, cerveja, vinlios linissimos manteiga e cli sempre de
primeira qualidade. etc., etc.
Qualquer que seja a condicSo do freguez, elle deve contar que ser sempre mui-
to bem servido.
Aquelles que s5o pouco favorecidos da sorte far3o mensalmente urna economa de
militas patacas, afregaezando-se ne|sta casa, onde se Ibes vender o arroz, o caf, a man-
teiga oassucar, etc., etc. de boa qualidade pelopreco que em algumas partes nao po-
dem ou nao querem vender.
Os senhores de fra da cidajde, dos arrebaldes ou centro, que comprara para ne-
gociar, devem vir, pelo sen proprio inieresse, a este estabelecimento para se convence-
rem do quanto se pode vender bar. to.
Para os senhor s que comparn para tornar a vender existe um sortimento-espe-
cial, escollado por pessoa entendida que certamente muito deve agradar aos senhore?
compradores.
Nao se lem poupado sacrificios, nem se deixar de fazer a diligencia para agra-
dar a todos.
PELOS SEGUINTES PRECOS S SE VENDE
A DIKEffiO A VISTA:
Senhore- S santoras, o aceio que presidio aos arranjos destenovo estabelecimento, e mais que tudo a promptidiSo e intei-
que serSo teta^i&tvwla a urna visita ao mesmo, certos de que sem duvida me dar5o a proteccao e preferencia na com-
pra dos eeneros que precisaras e quando no possam vir poderSo mandar seus portadores, ainda que estes =ejam douco orticos
poisserin tifo bem servidos como seviessem pessoatmente, bavendo para com estestoda recommendaco, afim de que nSo vo en
Minteiga ingleza especalo ente escclliida a
i.ooo e 8oo rs. a libra e em barril se faz
l RIVAL
! SEM SEGUAIIO
i ?ua toQuwnado n. 49, leja do Jos & Azoado
Maia e Silva.
Pulsaras e volus muilo bonitas a 500 rs
I ,-,M!adasJe "Dha P31-* bordados de superior qua-
lidade a 60 rs.
Dks de facas e garios de cabo preto muilo
boa a 3j>.
Meiadas de linha froxa para bordar a 20 rs.
Meiadas de liuha aiulada superior a CO rs. '
Babado do Porto muilo superior a WO, 120 o
160 rs. '
Varas de franja de nho branca a 40 rs.
Cai"s com iOO envelopes da neta ijoalidada a
ou rs
Caixas com 20 quadernos de pap ., Mor a
Grozas de peonas de ajo muilo Dote | 00* rs
Pegas de tranca lisa prea e de roma 40 rs!
Grozas de botoes madreperola para .-;ni,.-..s a O
e 720 rs.
(aixas com SO noveilos de linha do a-.z a 7C rc
Varas de franja de tres a 80 rs.
Novellos com 400 jardas superior qualidade 71; rs.
C8I,r'ie'8.de',Dbacon 2tl J"d dos bsSO si.;
200 a 100 rs.
Lnros para asientos de rcupa lavada a it'Ors
Pares de bol8es de punho muito finos a fia iv
Thesouras para unras e costura n.uio fots a
500 rs.
ALPISTE E PALNQO a 120 rs, a
AMENDOAS novas a 28o rs. a.libra.
AVELES a 210 rs. a libra.
ARROZ de 00 rs, a libra a,..
AMEIXAS francezas era latas, po s,
eos, bocetas, etc etc.
AZEITE doce a 600 rs. a garrafa.
b a.
B
libra,
BANIIA de porco a 660 rs. a
rao faz-se abate.
BOLACHINHAS do beato Antonio a
BOLACHINHAS de soda lata grande
ris.
EISCOITOS ing'ezes em latas de 1,300 rs. a
BOLACHINHAS principe Alberto a 2.000 rs.
II
MANTEIGA ingleza efranceza ai, 1?5120
1)5280 e em barril faz-se grande abati-
mento.
MACARRO a 400 rs. de 8 libras para cima
fras- a 360 rs- a libra.
MASSA DE TOMATE a 600 rs. a lata,
cadada a MOSTARDA ingleza a 800 rs. o frasco.
[MARRASQUINO de Zara,
em por-' MARMULLADA de diversos fabricantes e
diversos precos.
P
PEIXE em latas a 1,000 rs.
PERAS SECCAS a 500 rs. a libra.
PASSAS muito novas a 320 rs. a libra.
PRESUNTO para fiambre.
a 2,000
CHOURICAS m ;ito novas a 800 rs. a libra.
CAF de'260 rs. a libra.
CHOCOLATE francez a 800 rs. a libra.
CHAMPAGNE das marcas mais acreditadas
a 25.000 rs. o gigo.
CHARUTOS de todas as qualidades, suissos,
americanis, bahiannos, fluminenses, etc.,
de 1,400 a 10,000 o cento.
CHA HYSSON de 2,200 a
COPOS lisos kdidados de todos os tama-
nhos a
DOCES de todas as qualidades.
E
ERVILHAS seccas e em latas portuguezas e
francezas.
F
800
FARINHA de araruta verdadeira a 8j rs. a
libra.
FARINHA do Maranho ou tapioca a
FARELLO de Lisboa a 4 e 5,000 rs. fl sacca.
FAVAS portuguezas em lata a 600 rjs.

GOMMA muito nova e alva a 140 rs. a libra.
GRAO DE B1C0 a 120 rs. a libra.
GENEB1M de laranja a 9 e 10,500 rls.
CENEBRA de Hollanda garrafas, etc.. etc.
Q
QEIJO do reino de 2,000 a
DEM londrino.
DEM suisso a 800 rs. a libra.
DEM prato a 800 rs. a libra.
S
SABO MASSA a 160 rs. a libra e grande
abate em caixa,
SEVADINHA a 200 rs. a libra e 8 libras se
far grande abatimento.
v
VTNIIO tinto de 360 a... garrafa.
VINHO tinto em caada de 2,560
VINIIO branco em caada de 3,500 a
VINHO verde a i rs. a caada.
VINHO Bordeux em caixa a 6.000, 7,000 e
VINHO de Grave a 6,000 rs. a caixa.
VINHO Cherry a 1,000 rs. a garrafa.
VINHO do Porto de todas as marcas e todos
os precos.
VINHO Collares a 800 rs. a garrafa.
VINHO tinto, neste genero ha constantemen-
te 20 a 30 pipas ao torno de diversas
qualidades e diversos precos.
VINAGRE era ancoretas a 15,000 rs.
VINAGRE em pipa a 160, 200 e 240 rs.
VINAGRE branco a 400 rs. a garrafa.
VELLAS de carnauba a 13 e 13,500 rs. a
arreba.
Superiores cortes de moirs prito com barra, o qne ha de melhor gosto em
Pernambuco.
dem de gorgur5o preto adamascado com barra a imperatriz Eugenia,
dem do gorgorito de seda bordados com barra.
Superiores moirs pretos e lurgos 2400, 2^600, 30, 30500, 40, 50, 60,
70 e 80 o covado.
Superior gorgurao de seda pret), a melhor fazenda que ha para vestido.
Sarja preta de seda,
dem preta hespanhola.
dem idem lavrada a 20 o covada.
dem dem lavrada muito superior.
Completo sortimento de grosdenaple preto a 10500, 10800, 20,20500, 30,
30300, 45, 40500 e 50. i
Pannos pretos de superior qualidade de 30 a 120 o covado.
Casemira preta Je 10600 a 50 covado.
Lindos chales, bournus, algeriennes e retoudes de fil preto.
Mantas pretcs de fil e los pretos.
E muitas outras fazendas de superior qualidade na loja dasColumuas
na ra do Crespo b. 13 de Antonio Correa de Vasconcellos & C. successores
de Jos Moreia Lopes.
, 0fi|B
abatimento.
dem franceza a mais nova do mercado a 96o
fh*Sh 3 a e 90 r&' em barril ou meios-
LDa nysfon de superior qualidade a 2,600
t rs. a libra.
Cha perola o mais superior do mercado a
2,8oo rs. a libra,
dem hysson muito superior em latas de 15
libras muitoproprioparanegocioa 2,ooo
rs. a libra,
dem hysson nacional em latas de 1 e 2 li-
bras a l,6oors.
dem preto o que se pode desejar neste ge-
.nero a 2,ooo e 2,2oo rs. a libra.
Linguifas muito novas a 8oo rs. a libra e em
barril se faz abatimento.
Chouricas e paios a 8oo rs. a libra.
Costelletas inglezas a 64o rs. a libra, serve
para temperar panella ou para fiambre.
Queijos do reino chegados neste ultimo va-
por a 2,2oo rs., ditos de navio devella a
2,ooo rs.
dem londrinos muito frescos e de superior
qualidade a 8oo rs. a libra,
dem prato? 8oo rs. a libra, e inleiro se faz
abatimento.
dem suisso o mais superior que tem vindo
to mercado a 64o rs. a libra.
Ervilhas e favas portuguezas j preparadas
em latas hermticamente lacradas a 64o.
Feijao verde muito superior a 640 rs. a lata.
Copos lapidados para agua a 5,ooo e 5,5oo
rs. a duzia.
dem idem para vinho a 24ors.,e 2,4oo rs.
a duzia.
Chocolate francez hespanhol e suisso a 9oo,
l.oooel,2oors. a libra.
Espermacete superior a 6oo e 64o rs. a li-
bra e em caixa se faz abatimento.
Peixe em posta em latas hermticamente la-
cradas e das melhores qualidades de pei-
xe a 8oo, 1 ,ooo e 1,2oo rs.
Vinho Bordeaux das marcas mais acredita-
das que vem ao nosso mercado a 7,ooo e
8,ooo a caixae6o e 7oo ris agar-
rafa.
Genebra de Hollanda
conta certa.
Frasqueirasde enebra de Hollanda a 6,8oo
e 64o rs. o frasco.
Genebra de laranja verdadeira em frascos
grandes a l.oooe ll,ooors.a frasqueira.
Caf do Rio de Ia qualidade a 28o rs. a li-
bra e 8,5oo rs. a arroba.
Caf do Cear muito superior a24o rs. a li-
bra e 7,560 rs. a arroba.
Arroz do Maranho de Ia
rs. a libra e 2,8oo a arroba,
dem da India a loo rs. a libra e2,8oo a
arroba,
dem de Java a 8o rs. a libra e 2,4oo a ar-
roba.
Painfoe alpisla a 14o rs. a libra e4,oooa
arroba.
A ttenco dos Sis. aifaiatee,
sapateiros e ti manquen os.
Aletna, macarro e talharim a 4no rs a 1- Sal rfifinartn c P*as de aljrodao larpoe encnrpnrtn. prrnnopa-
bra e 6,000 a caixa. TS' 3 \S *"ad em frascS de vidro com lampa obras daquelles ser.1,0,^ por tfO a eca de
Massaoarasona eiro^K- -, ^ mesmo, a 5oo rs. 20 Jrdas, est em perfeito estado: i.a loi.. d. ra
nhl hTanMnVnm Dha.pevide e rodl- Ce"eja hri das marcas mais acreditadas' d?, Mdre de Deo"' D- ,C- defr,nie "' ^
fS~2!!?5? a 64o x.a Ubra e que em ao mec" SS, 56o f64o I "1!^^____________
a garrafa,
zia.
e 5,8oo, 6,ooo e 6,5oo a du-i
3,5oo a caixa com 8 libras
Vinho do Porto muito fino proprio para
So rs".' emancorelas ** S ^da,a Cevadmha de Franca muilo nova, a2oors.
Vinho era pipa : Porto, Figueira e Lisboa a TTe Sima?"Sf fabrCEn,e JS Furta"
32o, 4oo e 5oo rs. a garrafa, e em caada
Vendem-se
a 48o rs. a botija de
a 2,5oo, 3,ooo e'3,800.
Vinho branco de Lisboa de excellente quali-
dade a 4oo e 5oors. a garrafa e em cana-
da a 3,ooo e'3,500.
Vinhobrancopara missa em caixas de 1 du-
zia a 8,ooo e 68o rs. a garrafa.
Vinho do Porto das melhores marcas croe
vem ao mercado como sejam : Lagrimas
do Douro, Duque do Porto, Rainha de Por-
tugal, Duque genuino, D. Luiz I, Madei-
ra Secca, Malvazia fina a 16,ooo,15,ooo,
12,ooo e 1 o,ooo a caixa com duzia e9oo,
l.ooo e l,5oors. a garrafa.
Vinho Cherexde superiorqualidadeal6,ooo
a duziae l,5oo rs. a garrafa.
Sardinhas de Nantes a 4oo rs. os quartos e
64o rs. as meias latas.
Bolachinhas inglezas muito novas a 5,ooo a
barrica e 320 rs. a libra.
Bolachinhas de soda em latas de diversas
qualidades a l,3oors.
Cartes com bolo francezmuito propriospa-
ra mimo a 64o rs.
Passasmuito novas em caixinbas enfeitadas
para mimo a 3,ooo rs.
Passas de carnada a 8,ooo a caixa e 4oo rs.
a libra.
Figos de comadre a 24o rs. alibra.
Amendoas de casca mole a 4oo rs. a libra.
Milo de amendoas a 5oo rs.
Bolachinha d'agua e sal, da fabrica de Joo
de Brito no Beato Antonio, emlata de 6 li-
bras por2,5oors.
Ameixas francezas em f'a?co de vidro com
tampa do mesmo, a 105oo.
Ameixas franc; zas em caixinhas de diversos
tamanhos- com bonitas estn pas na cai-
xa exterior, a l,4oo, l,6oo, l,8ooe 2,ooo
cada urna.
- seguintes qualidades:
Exposicao Normal de Havana, Imperiaes,
Londrinos, Guanabaras, Parisienses, Sus-
piros Delicias, a 4,ooo, 4,5oo, 5,ooo,
o,ooo e 7,ooo a caixa ou em neias.
Charutos finos de diversas marcas e fabri-
CaI a Como 8Jam: Fl0r do Norle>Ma"
niidasdellavana, intervallos, Vencedores,
Panatellas e Suspiros, a 2,000, 2,5oo e
3,ooo a caixa.
ognacinglcz das melhores marcas, a 8oo e
l,2oo a garrafa.
Dote da casca de goiaha a 2,ooo a lata com
4 turas.
Farinha de araruta verdadeira a 32o rs. a
libra.
Matte.excellente cha para os navegantes, a
2oo rs.
Sebollas de Franca muito grandese novas
a l,8oo o cento e l,2oo solas.
Palitos do gaz a 2,2oo a grosa.
Toucinlio de Lisboa muito novo a 32o rs. a
libra e 8,5uo a arrola.
Banha de porco refinada a 65o rs. a libra.
Bolachinha Alberto, as melhores que pre-
sentementetem vindo ao mercado, a 2,ooo
a lata.
Farinha do Maranho muito alva echeirosa
a 2oo rs. a libra.
Frascos com fructas em calda de diversas
qualidades a 2,5oo e l,5oo o frasco.
Caixinhas com fructas em doce secco de di-
versos tamanhos, muito proprias para
mimo, a l,6oo, 2,Coo e 3,5oo cada urna.
Ruibos, excellente peixe portuguez, em
barris pequeos ou a retalho, a vista se
far o prer;o.
Azeitonas de Rivaf em ancoretas grandesde
8 garrafas por 6oo e 8oo rs. a garrafa.
Azeitonas portuguezas a 5oo rs. a garrafa e
l,5oo cada urna ancorela.
machinas americanas de serrote para desmix car
algodo : na ra da Seuiaia Aova n. 42.

ESCHVG& mnuL
a 9oo rs. a garrafa e lo:ooo a caixa.
Batatas muito novasa8o rs. a libra e2,5oo
o gigo com 36 libra-.
Conservas inglezas a 75o rs. o frasco e
8,5oo a duzia.
Vassouras de escova para esfregar casa a
4oo rs.
Nozes muito novas a 16o rs. a libra,
qualidade a loo Molho inglez em garrafa de vidro com rolha
do mesmo, a 16o rs.
Mostarda ingleza dos melhores fabricantes,
a 8oo rs. o frasco.
Mostarda franceza em potes j preparada a
4oo rs. o frasco.
Lentilhas francezas, excellente legume para
sopa, a 2oo rs. a libra.
Massade tomatesdesupenorqualidadea 64o Marrasquino de Zara propramente dito a
rs. a lata de urna libra e56o rs. a reta-i 10 a garrafae ll.ooo a duzia.
no- 'Palitos de dente a 14o rs. o maco.
Az5i^.d!0?5 rfinado hespanholou portuguez Champagne da melhor qualidade que vem
ao mercado, a 2,ooo e 3,5oo a garrafa,
. e
24, ooo e 26,ooo o gigo.
Gomma de engommar muito alva a 12o rs.
a libra.
Figosem sextinhas a 8o rs, cada urna e 72o
rs. a duzia.
Papel azul para botica a 2,ooo a resma.
Balaios para roupa suja, grandes e peque-
nos, por diversos precos.
Amendoas confeitadas a 64o rs. a libra.
Latas com fructas em calda: pera, pecego,
damasco, rainha Claudia e cereja, a 8oo
rs.
Vinagre de Lisboa a 2oo e 28o rs. a garra-
fa e a l,4oo e 2,ooo rs. a caada.
Azeiledocede Lisboa a 4,8oo rs. a caada
e 640 rs. a garrafa.
Vinagre branco j engarrafado a 5oo rs. a
garrafa.
- Fugio no dia 1G de maio prximo psss*do
preto crioulo de irome Braziliauo. idade de C au-
nes, estatura regular, cor fula, leudo i,m dos den-
lea da frente quebrado, sem barba, penas ligues
cabellos a roda da garganta e olhai aniMltrido
tem fallante, sabe ler e escrever e Lila lid pon o
i o inglez, bor copeiro, cos-mlia e lava I. a, lew U
j vestido cimisa de algodo biaiK o e caifa de sito
azul, conduzindo alguma roupa fin, romo btin
calcas de casemiras de lisias, jaqneta branca e ia-
misa de madapolo, lences e m;is roopii toe tam
marcada cim a letra B de linha demrca,aigunas
pegas e outras com o nomc por ex lento t m lii'ia
le marcar, leven clispo de palhi lu liando n mi-
Iha, chapeo de sol de seda verdeja u^ad', zapatos
e meias, de suppor.que se incuk)ue de forro :
nnem o apprelunder condnzinito ao sitio de Jt-o
Matheus, no Poco da l'anella, sera generosamenle
gratificado por seu senhor Juvino Baudeira.
100/J de graficrcao.
Fugio no dia 7 de maio de 186o, da casa riu ahai-
xo assignado, o seu escravo Francisco, cabra, esta-
tura regular, grossodo corpo, eabelios nao rarajii-
nliados, denles pe feilos, sim barlia, ps e nsaos
regulares, levando vestido calca de casetia pr.-
la, camisa branca, paleto! de alpaca c rhsj i'o d
baeta, pretos; alem dos referidos tigw ir
elle no braco direito um sino Salomio, fbano
do qual lem um corac.ao feiio com tinta atol, n
enjo centro lem as seis iniciaes Sfgnmtfs: MMi
IMN, tem elle 23 annos de idade, p( neo mais ou
menos. Consta ter seguido a estrada do norte,
em busca da casa de seu amigo senhor o lenle-
coronel Joaqulm Carneiro da Costa, a n.ial :o
lugar denominado i'urral Grande ta villa de San-
t'Anna, provincia do dar. O abaiio ass*gnado
recommenda nao s as autoridades, comr. aos ca-
pitaes de campo de qualquer lugar, a cantor* ao
reb-rido escravo, o qual peder ser entregue no
primeiro andar do sor.rado n. 81 da roa i\> Impe-
rador, cidade do Recife, ou no silio da estrada de
Joao de Barros, residencia do abaizo assignado :
a pessoa que o trouxer ter a gratifieaco scima.
^^^^ Joaquim Manoel de Mira Wanderley.
Attenva
Na noiie do dia 23 para 26 do n,i i de maio lu-
gio do engenho Jundi da Escaria o esciavo ciioo.
lo de neme Alexandre, idade de SO inm >, |i neo
mais cu menos, cor preta, dentes sitos, tnatura
regular ; cujo escravo fui arrematado n praea
publica dojuizo de orpbios de Santo Antfio, e a
tentou alislar-se no balalbio ce voluntario; -
sim pede-se as autoridades ppliciaet e aos rapi-
tes de campo a captura do mesmo esclavo a
sua entrega nesta cidade ao Sr. Albino Frrreia
da Cunha, casa da esquina da roa de II. rls para
o pateo de S. Pedro, ou no mesmo engt ni o Jundia
ao seu senhor Manoel Aniunio Das.
GOMMA NOVA.
Em paneiros muito alva a 4,ooors. a arroba e i6o rs. libra e compran-
do de um paneiro para cima se far abatimento na ra do Imperador n. 40.
Agua florida e tnico orien- g|<
tal de Kemp.
Continuase a vender em porcao e a retalho :
na ra do Queimado, loja d'agui branca n. 8.
CJiromacomo
A agtila branca, na ra do Queimado n. 8, acaba
de receber um novo sortimento de caixinhas com
chromacomo para tingir cabellos, e bem assim
frascos com hydrocailetrichina, agua para desen-
grasar os ditos, coloricomo para lustrar os ditos,
e ouychromantina para limpar as unhas. Essa
tintura, cujo effeito rpido e eflcaz, est bem co-
ntienda e apreciada para todos quantos della tem
usado, eos que de novo a quizerem apreciar, po-
dem, assim como aquelles, dingir-se munidos de
dinheiro ra do Queimado, loja d'aguia branca
numero 8.
Papel efolhas para rosas
Acaba de chegar para a loja d'aguia branca, na
ra do Queimado n. 8, um bello sortimento de pa-
pel de cores para rosas, dito verde para folhas, e
dito tambem verde e mui fino para cobrir o ra-
me, assim como folhas de panno e avelludadas
para ditas.
Aspas de baleia para vestidos
Vendem-se na ra do Queimado, loja d'aguia
branca n. 8.
Superiores penas d'ago ingle-
zas e francezas
A aeuia branca alm do grande sortimento de
penas d'ago qna constantemente tem, acaba de
receber mais outro de superior qualidade e dos
afamados fabricantes Perres & C, asslm como as
verdadeiras bico de lanca n. 134 e outras de pon
ta dourada, continuando" porm a vende-las por
precos commodos, com tanto que ocompradorcom-
pareca munido de dinheiro : na ra do Queimado
loja da aguia branca n. 8, onde tambem achar-se-
ba a venda pastas para papis.
>W'-
ATTENgO IHEUS SENHORES
PARA
Fazendas baratissimas loja da rna do Crespo o. 17 de Jos fiemes
Villar.
A novacrise commercial permute que o povo em geral nao possa comprar fazendas
caras. O proprietario deste estabelecimento, amigo que do povo em geral, attendendo a
essas circumstancias est vendendo fazendas por precos que na realidade admira.
Correi, bom povo, a este estabelecimento, e comprai fazendas, porque all se vende
por menos do que em outra qualquer parte.
Cassas organdyzes a 280 rs. o covado.
Chitas francezas escuras matizadas a 260 rs. o covado.
Hitas escuras muito finas a 240 o covado.
Ditas claras dem a 240 o covado.
Ditas escuras idem a 260 o covado.
Chitas para cobert muito largas matizadas a 240 o covado.
Madapoldes finos largos a 6590, ~> e 85-
Chales de fil preto muito bons a 10$000 cada um.
Chales de merino estampados a j'*>j'00, 65 e 7$.
E outras muitas fazendas, qne tudo se vender por precos que admiram.
Fugio em principios do mez de fevereiro do
corrente anno e consta estar acoutadr nesta nidada
o moleque Euzebio, escravo da viuva do Dr. Fer-
nando Affonsode Mello, de 12 annos de idade pou-
co mais ou menos, cor preta, serco do cor,'o. ofnea
regulares e afumacados, cabeca um ponco c;.-nde
e meia chata, beicos finos, dentes r seceos e muilo ladino : roga-se por tantos ledas as
autoridades policiaes e capitaesde campo que oap-
prehendam e le\em-o a ra da Hangneira sobrado
n. 6 que serao gratificados, protestaodo-se us.Tdos
melos judiclaes contra qualquer pessoa que o lerna
em seu poder.
Fugio no dia 28 do corrente, a no i te a es-
crava Januaria, perteneente a D. Amelia Felicia
Deschamps senhora de Mr. Len Chapelin, retra-
tista, cuja escrava houre por compra que fr.? ao
Sr. Pi Pierres Varclla Barca em abril ultimo por
intermedio de seu procurador Joai Francisco Ca-
bral, desconfia-se que a dita escrava tenba se-
guido para Paje de Flores e que procure o enge-
nto do Exm. barao de Vera Cruz, a qoem lem-
pos passados perlenceu : a dita escrava t. n pom s
mais ou menos O annos de idade, de eslatora
pequea, de cor fula, lem os dentes limados, testa
e olhs muito pequeos, gratifica-se bem a quein
apprehende-la.
*

tnam
Baldes
A laja de ealangas na ra do Bangel n. 24 aca-
ba de receber um completo sertimento de b loeo
de todas as cores para os festejos de S. Joo, i ants
Antonio e S. Pedro : vendem-se auito barato.
Chegaram os superiores
cortes de seda.
Fio de algvdSe *% Babia.
Veadefse no escriptorio de Antonio Lnlz de
reir Azevedo A C, roa da Cruz n. 1.
A aguia branca
Queimado n 8,
na ra do
recebeu i
Bonitos e grandes aljofares de cores para voltas.
Pulseiras de ditos de iguaes e agradareis cores.
Voltas pretas maiores e menores todas de comas
grossas.
Polceiras pretas tambera de coalas.
Outras de differentes qualidades e gostos.
Brincos de aljofares de cores e dourados.
Fivelas d'aco grandese pequeas com cinto pre-
to e de madreperola.
Ootras grandes de differentes qualrdades e re-
dondas com pedras.
Bonitos leqnes de {madreperola redondos e de
Oli-
Superiores cortes de seda de cor, viudos pelo
| ultimo vapor francs : na loja das columnas a rna I oulra forma.
do Crespo n. 13, de Antonio Crrela de Vascon-j Ditos de sndalo intericos e corredico?.
1 cellos i C ] Capellas brancas para meninas.
EITE DOCE
Azeite doce reflnadoem pequeas latas a 560 rs. a garrafa : no graude armazem
da Liga.
62

Saceos de
PEMCH
Madapol5o muito fino cora pequeo toque de avaria, por preco que admira
das columnas na ra do Crespo n. 13, de Antonio Corroa-de Vasconcellos St C.
No dia 4 de Janeiro do anno de 1864. fugio do en-
genho Conceico, comarca de Pac-d'Albo, o escra
vo Galdino, perteneente ao abaixo arsigoado, coro
os signaes seguintes : idade 26 annos, pardo, claro,
corpo, figura e altura regulares, cabellos meios ta-
rapinhados, olhos pardos, sobrancelhas e palpebras
salientes, tem em cada bra^o um sino de salon.ao,
sendo um delles mal feto, e junto a este urna cruz,
tem na cabeca urna cicatriz de urna polegada, e em
cima de um quarto urna outra cicatriz de tres po-
legadas, proveniente ds ponta de pao e queda, tem
sobre as costas algumas marcas ou cicatrizes de re-
liadas ou chicote; umfpouco desembarcado qnan-
do falla, tem principio de earpina e carreiro. toca
viola e barbado. Foi soldado do corpo de'polica no
Recife, e levou comsigo a baixa do theor seguinte :
Secco urbana, 2' companhia n. 50. Antonio Cae ta-
o de Oliveira, iilho de Agostinho Ferreira de Bri-
to, natural de Ingazeira, cor parda, cabellos cara-
pinhos, olhos pardos, offlcio nenhum, estado sollei-
ro, com 30 annos de Wade, 60 polegadas de altura,
ao engajar-se. Engajou-se na forma do rcguls-
mento, em 17 de fevereiro de 1862, por offlcio do
Exm. Sr. presidente da provincia, dataio de 28 de
abril do corrente, e publicado ao corpo em ordera
do dia 1 de maio, ludo em 1862; leve baixa do
servico por ter dado em seu lugar o paisano JoSo
Pedro Ferreira da Rocha. Foi escravo do capitao
Joao de Dos Barros, morador que foi na comarca
do Brejo da Madre de Dos, e hoje morador na
Campia Grande da Parahyba do Norte, que o ven-
deu em dias do mez de novembro de 1863 ao abai-
xo assignado, pelo costume de andar fgido e a ti-
tulo de forro com o nome mudado ; pelo que raga
se a atlengao das autoridades eiyis e militares, nao
' s desta provincia como das demais do imperio, a
napprehensao do dito escravo, que a Ululo de f,ro
rna ouenha sido recrutado ou assentado praea m
ialgtns dos corpos de Voluntarios da Patria, tam-
de h pede-s aos capitaes de campo e pessoas par-
ddmulares aroesma apprebenso, e leva-lo ab seu
,aeteor noreferido engenho ConceicSo, ou nesta ci-
ease ao capitao Mauricio Francisco de Urna ra
; be Brum n. 56, que ser gratificado com 2003.
Jos Maria dos Santos Cavalcanti.
I

ImHI



-y ife- -***, ><

J
LiTTEH ATORA.
M POUCO DE TUDB.
L-e na Semana Ilustrada :
EM DMA nEPAilTICO.
Director.E' Iwrnvel! Temos tonto
lw urgcnle, entretanto lia m.iis d
lo Ugo .-i'.'iau ubservar estes dous
mo f.zeo ;.'. vlotainento oada I...
HUTA, SAPAT E CHNELO.
rfi.Pois eu sou mii vees supe
Nao ua baile, nem festej na corle, I
sirvfi de uiiiii; e tu, pobre bota, s inerves quan-
do lia lama.
boiu.E nao se uf raa de calgar-me
.11 h en) gu rra, ornndome coi
OU
ro r-rata? E' mais nobre morrer to campo da
Diario de rrrnambtic6 Itiarta felr 9 de Juaho de t&
trabillu, e
urna hora
VaOS, ffl ior a oss,
nd' na i te
) cavallciro,
esporas de
ma corte,
os O qn3
Re?
ncu Juqui-
a minna
uru.
honra d i que ser pisada no tapete de i
',. -i').Calem-se ambos Fort
vosaa importancia a visia da mulla?
|.i..:oophos, arli.-las e empregados, todis suspirara
di barro do mu poder. Um capricho ineu nao dei-
ij ?aptO ir a corle ou ao baile, era
; u rra.
A KAM1I.1A DE UHA SCLTBIROSa.
Como vai, I. Escolstica? Toda ajsua lamilia
pa>:., beo i
U, a, Sr. Fidelis, tenho andado m lito afilela.
;,..> estacan losse...
E justanieute o que acoutece ao
.tina, diz Fidelis iiiterrumpendo-a.
Tct'ia com urna pieira...
Da mesina molestia esto soflYendb
Maneota, interrompe-a de novo Fidelis.
slansioha eugasgouse hontem om
pinlirt, e i>:bi amauheceu hoje tnaito jui
EntioestiO de cama?
Nao, felizmente eslo todos 4lul> como
v.
GENF.HAL IHQllZA.
P. Jaste justando as coalas
Com D. Solano feroz,
M i ara que em Corrienles
Nao se tifio ponfos setn nos.
O ECLIPSE F. OS LIMBOS.
vau oapocalypse? perguouva bm campo-
Dio a ultra no lago do Roco, uo dia de eclipse.
Sim, \ a galiacS do so! e da la por um vi-
(l,o tutumo ; mas o que nao pode jiergar foi
o imbot em que esto as almas dos i lcenles.
NOVO SYSTEMA DE MEDigAO
.',., dislincto agrimensor que proceda! a urna de.
u, irc .gao de limites em ierras situadas no interior
oa provincia do Rio de Janeiro, ficou c'ieio de s-
s moro, ao ver sahir-lhe ao encontr um dos vizi.
abo- co'jfronUntes, gritando-lhe :
Suspenda a medioao, Sr. eogenheiro, suspen-
da j .'..
E porqueT inierrogou o agrimensor.
Aui'i i o senhor me pergunta ? u rnou-lhe o
houiem. I's nao v que vai errado? Poohoem-
i ,ul' a lodo, porque oseuhor ignora (ue
medico ilcve omegar de returno
do serpentino rara o meto dia.
O q to quena dizer o moderno ArcWUi?
(js COCHBIROS DE (aCTr&SHT.
Oj cocheiros de Nicterdiv costuraam a porgan-
tai aos (reguezes ^e Ocam onvoliam do >ontoonde
vito, alim d" eslabelecerem o prego,
E-t. cosime den lugar ao seguate d aloco
(oda a
park seturno e
Cocheiro, por quanlo
,ie Katuhj l
I-Va on volla?
Val-te para o dalo 1
me levas ai ceonleno
latorio da academia das scieOBlaa! de Fran.
, d ,| j, -i 3 Jo passafle, foram publicadas asse-
guin!=' Ohim-aeoes sobre Oi tatos laticferos de
ag\ ma plankudo Brasil, pelo Sr. Ladislao Netlo,
que 5: aeha na Europa em commissao se entitica do
goveroe imperial .
BNorelatorio de II de ma o c
mi; n ita sobre os laticferos
m; 'Aiho:bi'.i, do Ftcas doUaria e de o
tas pertencentcs igualmenle flora bras!
Nessa nota contestei a presenta dos laticferos
no corpo Mohoso, asslm como o seu trajelo atra-
vez dos raios medulares, sobretodo no Anda Go-
mesii, expondo lambem algumas particularidades
sobre os tubos ou vasos de alguma sorte pontuados
que observei na medula do Ficus doUaria.
A na'.ureza deste conductos e priocipalmento
a sua presenta na medulla desla arvore lactescen-
te, era um phenomeno, do qual n5o descobria
[lerfeita expllcacao.
Oocupei me assiduameote dello quaudo, chegado
a l'aris, tive o prazer de examinar a grande col-
lecgJo de prepara^.-s do Sr. Trcul, feita com o
iiuior cuidado por este hbil plilyloiomista.
Sorprendeji-me agradavelmeole achar laticferos
cujas tnicas largamente pontuadas recordaram-tm
logo a structura dos tubos da medulla do Ficus
duliaria designados na minha nota sob o nome
de vasos pontuados. Evidentemente o3 > Ihes po-
de caber este nome porque acham-se entre cellulas
parenchymatosas da medulla, onde n3o hanenhom
vestigio de tecido prosenchymatoso, e alm disto o
seu corpo, embora um pouco sinuoso e de um di-
metro de dimensao inconstante, nao se equiparara
ao dos vasos da madeira.
Nao na pois vasos laticferos anlogos aos da
Argemona grandifloro (veja-se a nota do Sr. Tr-
cul, relatorio do 13 de malo de 1853; a par de ou-
tros vasos da niesma natureza porum mais sujo
lis e de tnicas mais ou menos lisas que, pelo
que pude ver, sao apenas ramificacSes das prl-
meiras.
Yi-os sempre ramificados ao lado de outros, en-
coiitrando-se Indistinctamenle em todos estes vasos
o mesmo sueco leitoso.
Outro ponto concernente a questoes de maior im-
portancia para a phisiologia vegetal e que attra-
hio a minha attengo quando me dei a observa-
CO;s sobre os vasos do lalex a communicacao
entre estes vasos e os elementos do corpo lignoso
e por ronsequencia a circulacao do sueco leitose
entre elles.
Como disse na minha nota, nao descobri ne-
nhum vestigio desta communicacao.
luterrompra minhas indagagoes a este respeito,
tinha-as at esquecido, quando, ltimamente, oc-
eupando me da structura das bastes das Lianas
intertropicaes, observei um facto que embora
um pouco alheio a queso > parece-mc asss inte-
ressante, relativamente circulagao do ltex nos
couductos proprios, para que o mencione nesta
nota.
t Foi-me fornecido pela haste de um Mikania,
especie approximada do Mikania acadens. Um
golpe transversal dado em um galbo tenro desta
Liana descobre numerosos feixes linhosos, separa-
dos entre si por grandes listas parenchymatosas
que, afim de evitar particularidades estranhas
a esta nota, designarei sob o nome de raios me-
dulares.
Em face de cada um destes raios de cellulas ten
ras, azuladas e estreitamente contrahidas ha no
milo um reselvalorio vasiforme perfeitamente cir-
cular, rodeado de cellulas um pouco mais 'ongas
do que as adjacenles, e sobretudo mais desenvolvi-
das do que estas, o que d ao vacuo a apparencia
de um poco.
Ora procurando-se acompanhar as modificaQ5?s
eo desenvolvimento desla structura em urna par-
te mais annosa, nota-se que cada raio medullar
(iii-se alongado consideravelmente, conservando
entretanto a primitiva largura I
Suas cellulas nao l n, como na idade primitiva,
os caracteres de nm tecido nascenle, amoliflea-
ram-se e unem-se em torno de um conduelo snbtil
e polido, que partindo horisontalmente das regio;s
da medulla termina na tnica do tubo ou vacuo do
milo.
Varaos ter ama oulra exposicao apenas deUr*
sos brancos dos mares glaeiaes, e negros da Sibe-
ria, ledes e leoas do Cabo da Boa esperanca, de
Nubia e da monte Altas ; rhinoceronte de Ameri-
ca do Sal; tigres reaes de Bengala ; pantheras e
hyenas, de frica e de Java ; elephaole, das i Ibas
orientaos ; lobo, da Rassia ; gatos-tigres, da Ame-
rica do Sol; chacaes, da nova Ilollanda e de fri-
ca ; serpentes, porcos espnhos, urna grande collec-
Cjlo de macacos, ele.
O expositor o Sr. Bernab.
milo, assim como os caaaes transversaes, e vi-os
chelos do mesmo sueco esbraoqmcado, cuja abun-
dancia torna esla Liana mui lactescente.
Quanlo ao tubo do milo que designei sob o no-
me de reservatorio, pergunto, qaal a sua natureza,
e qual a ordem de conducios a que pertence ?
E' elle limitado regularmente pelo circulo de
cellulas alongadas que o rodeiam.nao tem diaphrag-
mas ou reparlimenlos internos; em summa, pre
sema como os vasos de madeira passagem vre ao
sueco de que est repleto, e nao poderia conside-
ra-lo como pertencenie aos reservatorios ordinarios
que se enconlram no milo dos vegetaes da mes-
ma familia e de um grande numero de hastes de
pequea importancia, reservatorios tambem obser-.
vados as carnadas medias do milo desta mesma
Liana; delles difhreesse tubo, nao gmente por
sua structura e por suas fuoccoes para com os la-
ticferos da medulla, como pelas cellulas de qoe
formado, e que as hastes mais velhas tem as tu-. ^ casa Qai ^ c^ acaija de apresentar a com-
uicas mais agudas e sao por consequencia exlre- \ mlsso imperia| da exp0siCao universal de 1867, a
mmente densos. j proposta para construir o palacio segundo o risco
Nao poderia, repito, considerar este canal vesi-: apresentado pelo architecto Hctor Horeaco e que
forme como um simples vacuo, porque o sueco obteve era Londres o prlmeiro premio de concurso
Consta que na exposicSo universal, que so ha de
verificar em Paris em 1867, se apresentaro como
grande novidade os specimens de todas as racas
humanas e os productos da industria dos povos
que mais arredados audam da civilisa;ao.
terreno, qoe d'antes valia 1J0 rU, por cada hamaotade a ian jarda quadrada vende-se hoje a 3600.
Organisou-se all urna companhta de responsabii
lidade limitada, cajo capital de 240:000 libras fo-
immediatameate subscripto.
Esla nova compaohia ja assignou nm contracto
com a cmara municipal de St. Nazaire para a
eJitiearu de um templo.
O projerto, que Napoleao linha em visto de crear
um grande porto sobre o Athanlico e abrir um
grande mercado para os productos da Franca occi-
dental, esta-se hoje realizando, e todos os indicios
prometiera a Saint-Nazaire um brilhante futuro.
O Ilustrado Lacordaire descreve desta sorle o
SACERDOTE CATHOLICO.
leitoso nelle circula como nos laticferos.
Nao tenciono, entretanto, apresenta-lo como um
na exposicao de 1851.
A casa Ca! & C, compromette-se a edificar pa-
vao classiQco-o de preferencia na ordem dos I ra dezembro de 1866 esle palacio, cuja disposi-
reservatorios laticferos observados era algumas; cao rene a grandeza com a economa,
pintas lactescentes, notoRdo se nesle que a cora j Esta immensa coastruccao que tem 140,000 me-
mShicagao entre esse meato o os vasos da lalex da, tros de superficie nao custar mais de 10 mi-
raedulla esto eslabelecida de um modo nao equvo-
co por meio de ramificacSes transversaes. Com
effeito, embora esta communicagao rae ficasse en-
coberto maitas vezes nos golpes horisonues por
um deposito membranoso que reveste o interior
dos meatos (o que augmenta o seu carcter vasi-
forme), vi sempre o sueco agitado passar livre-
mente dos laticferos para o interior dejses ca-
naes e accrescentarei que nao sensivel ao lac-
lo mais nenhum repartmento pertencente aos la-
ticferos.
Em resurco tudo o que Oca expendido leva-me a
crr que ha urna circulacao activa e regular entre
os vasos do ltex da medulla e o conducto ou mea-
to laticfero desla Liana.
Ihoas.
-OH3f-J^=
L-se na Clupand Mercanttle Gazette :
O capito Cau Aubm, da Blonde de ieney, che-
gado s docas de Sania Catharina couta o se-
grale : s
No dia 4 de selembro de 186i, acbando me an-
corado a 3 milhas do rio Verminvas, lat. 1119 sui
long. 9 Esle, pelas 7 horas e lo minutos da tarde,
notei assim como urna fita branca de um grande
comprimenlo que se aproximava do navio, e quan-
do esla fita branca estevd a dislaneia de 12 a 13
pido navio, notel que era um peixe de um im-
menso comprimenlo, que pelo menos era de 200
a 250 ps, tendo a forma de umi enguia.
A circunferencia do corpo do auimal era prxi-
ma de tres ps.
Avangava elle por um raoviraento ondulatorio
contra corrate, e seus movimentos erara leales
e nao faziam estrondo algnm.
Toda a equipagem a viu, como eu.
O sacerdote I
Este nome representa-nos o homem encanecido
na idade e na iradicao, o hornera que visitou os
reiuos da verdade, que percorreu por todas as mir-
gens do erro, trazendo de suas viagens, para pro.
veilo dos outros homens, urna sciencia superior
do lempo, urna vista perspicaz que os povos vao
consultar, para ter em seus olhos pensaraentos dig-
n js de veneracio.
A doulrina catholica ousou fundar o sacerdocio
da caftidade, nao para orna porgo escolhida da
sua grey, destinada, como as vestaes, a offerecer ao
mundj urna amostra rara davirlude; mas sim
para todos sera excepgao, para lodos, m todos os
empos, em todos os lugares, em lodos os climas.
Esta doulrina ousou confiar em si a tal ponto,
que exigi por condico suprema do sacerdocio a
continencia absoluta nao qiereud confiar se nao a
innocencia sempre conservada ou para sempre re-
cuprala pelo arrependimenlo.
Com effeito, ninguem pode dar o que nao tem, e
s a caslidade devia ter o privilegio de gerar a cas.
lldade.
E ntese, que a doulrina catholica nao vai esco-
Iher para seus sacerdotes horaejs caducos, reduzi-
dos pelos gelo< da idade impossibilidade de prati"
carera o mal ; nao, a sua escolba reoatie na moci-
dade, no hornera na flor da id^de, era S. Joo recli-
nado uo peilo de seu iviuo Mestre, em S. Paulo
correado redea sola para Damasco, em Santo An-
tuo levando toda a sua primavera para o deserto
de Kolsini.
Eis-aqui o que o sacerdote catholico, geralraen-
'e fallando.
A igreja agarra pe >s cabellos a mocid-ade cheia
de vida, dedicada pelo coraeao, seduzda pela sua
imaginagao ; purifica-a depois na oragao e na pe-
nitencia, educa-a pela meditacao, reprime-a pela
obediencia, transfigura-a pela humildade, e> che-
gando o dia que Ihe tem marcado, langa-a por trra
era suas basificas, derrama sobre ella urna pata-
rra e urna golt de oteo ; ei-ia casta 1
Esses mancebos i rao por toda a ierra, unicaraen-
L'ma cidade se esto actualmente levantando em
Franga, sem que niageum d por isso, a nao ser
nos seus arredores.
Saint-Nazaire, pequea cidade de pescadores,
apenas conhecida ha sete annos, assumiu um de-
senvolvimento prodigioso igual ao de qualquer ci-
dade da America.
Tornou-se urna cidade consideravel, tanto pelo
que respeito populagao como ao mivimento
coramerclal, e classicada boje no imperio fran-
cez como um porto martimo de lerceira classe.
N'uma poca, que nao vai mui distante a Fran-
ga nao linha ponto algum commercial n'uma ex-
lengo de 50!) milhas de costa Biabada pelo Atln-
tico.
As manufacturas n'essa parte da Franga acha-
vam-se por isso collocadas em posigao mui desla-
voravel, nao tendo porto algum prximo, onde po-
dessem embarcar os seus productos.
E' ao imperador actual que a Franga deve Saint-
Nazaire.
Em 1857 fez-se a inaugurago de urna doca
fluetuante de 38 acres.
Esta doca, posto, que podendo admiliir at 500
toneladas d'embarcagoes, tornou-se iosufiBciente
d'ahi a pouco para poder satisfazer as crescentes
necessidades do eoraraercio.
Atlendendo, pois, companhia dos vapores tran-
satlnticos, que se organisou ha poucos annos, e te guardados pela sua virtudvj; penetrarao do san-
que requer espago para aceoraraodar os seus va-ljuario dos santuarios, odas almas ; ouviro conH-
pores, e era vista do progressvo augmento do dencias t-erriveis; verao e saberao ludo ; n>r' tera-
commerelo, um decreto imperial fol-publicado ha pestades- virao assaltar seus coragoes.
dois anuos, era que se inandou proceder cuns-
o furor de seas loiroigos vira sempre quebrar-se
de eaeoolro a esta arca, que descanga em seos
hombros.
O Cruzeiro do Brasil escreve o segainle :
Frei Caetoao de Mes^ina, prefeito dos capuchi-
nhos neste imperio, cada vez se torna mais credor
da gratido dos Brasileiros.
Poucos sao os factos gran-les de nossa historia, a
que nao estejara ligados os Domes deste respeilave1
sacerdote e de seus companheiros de apostolado.
Nos todos bem aquilatamos os seos servigos pres"
todos ao imperio as occasISes de crises, e o Bra-
sil intelro testemuoha do seu deoodo e do seu
amor para cora a Ierra de Santa Cruz.
Um facto vem hoje confirmar o juizo, que razia-
mos ha multo deste venerando capuchinbo.
O ministerio da guerra tendo necessidade de ca-
pellaes afim de marcharen) pira o sul com as tro-
pas, que ltimamente embarcaran), dirigise a frei
Caelaoo, e fez-lhe ver a necessidade do governo.
Immedialamente o venerando prefeito respon-
deu I
Que se achavam a disposico do estado dous fra-
des capuchiohos para servirem no hospital de san-
guo, cora a coudigao de que o governo Ihes nao re-
tribuira com a raiuima paga, e que nessa niesma
dato ia escrever a outro capuenino, que se achava
no Hio Grande do Sul, ordenando-lhequemarchas_
se desde logo ao servigo do governo do Brasil, ac.
crescenlaudo que cumpria um dever como reli-
gioso, e mais aiola urna divida de gratido para
com esse bom povo Pernarabncano, too- eatholko e
lo amigo da causa de Dos.
E de feito no dia 21 do correte, embareram
com as tropas os respectivos capelle;.
Era um espectculo sublime ver esses bons- sol-
dados radientes de alegra, sahirem de suas litei-
ras, e respeitosos oscularein as raaos desses- seue
companheiros de viagera e consoladores doslraba-
Ihos da guerra.
E esta corporacao que foi lo grosseiraaento
insultada na cmara dos deputados em urna das
sessoes da legislatura passada l
de pro-
S- a reltgiao, s o calholicismo capaz
dozir actos tao locantes e to soblimes.
publique!
de .4n itras plan-
ieira.
.mtrJasstamBiaKEmBt aaammna
FOLHETIM
0 CONDE BE CHNTELE 1NE.
Considerando este conducto como nma ramifica-
gao dos laticferos, prescrutei por meio de talhos
veriicaes seos havia na medulla, e nao s encon-
trei-os como ainJa cerlifiquei-me de que o conduc-
to dos raios medullares fazia parte delles aps sua
entrada no estojo medullar.
Eram pouco numerosos, na verdade, mas reple-
tos de ltex.
Examinei depois os reservatorios ou meatos do
A goraga > que pissa avara do seu tempo e po
isso entende que desperdgalo dar muitos pas-
sos em cala da ventura que sorri no casamento.
Foi deceno pelo entender assim que ora origi-
nal se lerabrou de publicar na Opinin Nationate,
o seguinte curioso annuncio :
Um sujeito de muilo bom genio e maito araavel,
novoe possuidor dos seus vinte mil francs, dese-
ja casar com urna senhora de bom comportamento
e que tenha cora que passar (nao importa a
idade).
Qualquer pretenaente pode eslar certa que s?ra
feliz com elle, porque o annuociante far consistir
a sua ventura em torna-1* feliz.
Toda a proposta dever ser dirigida a Eduar-
do B., 36 rtia de Engnien, Pariz.
Faltou-lhe declarar se eram adraillidas preten-
demos de nacionalidades estranhas.
Ha organisages moldadas para todo o genero de
jocosidades I
truego de una segunda doca fluctan!: duas ve-
zes maior do que a prwneira.
Ainda naocst de todo concluida e j o commer-
cio, cada dia mais florescente, requer a construc-
gao de mais duas docas ffuctuaotes.
Estes Goragojs serao de fojo- pela caridade, mas
de gelo e granito pela castidade.
Por esle signal que o> sacerdote ser" sempre
reconbecMo pelos povos.
Seus inimigos o tem visto passar pelas ma<3-ru-
A- populagao tambem leve um incremento nota- des provagoes; elles o estao vendo sem eessar no
vel, e conta hoje 15:000 almas-. | presentee na historia, e naodeixam de apontar Ihe
Um decreto imperial concedeu a Sainl-Nazaize escndalos-parciaes ; porra o- corpo inteiro, o ama-
go substancial tem ficado illbso:
A f das geraes atientas nao se illude sobra-este
pouto : essaf acredito em ama' virtude por-ella
tantas vezes experimentada.
JafetOM a revoioce.
vi
/CoBiu 0 incgnito, 'W joven de trir.ta annoj
camponea, respondeu com voz commonida:
O mesmo que vos.
Orar I
Orar !
Ah I disse Kernan, tundes parent
Sim I respondeu o joven cora voz
O lireao encarou-o atleutament-i e v
no1- seus olhos.
Desculpai rae, di?se elle, eu vos ti
por um espio. Agora, approximai-vos.
E seguido do incgnito, voltou para junio do con-
d.i; este, despertando do seu lorpor, la
quando o joven fez-lhe signal de parar
Viada orar, senhor, disse o conde
pata ambos sobre este tmulo Sou
'chora sua filha I elles raatarara-n'a esta manli
puieram-n'a alli I
Pobre pai I exclamou o joven
Mas, quem sois ? perguutou Kerjaan
O cavalleiro de Tregolan, respordeu o joven
sem hesitar.
O cavalleiro de Tregclan ex:lamou Ker-
mtcamsmum
nma aifandega e lodos- os privilegies de que gosam-
outros- portes francezes.
Segundo as apparencics actuaos, Saint Nazaire
ha de em breve rivalsar com- o Havre e Mar-
selha.
A populagao comega j a pedir a abertura de n9- Essa f traz aos ps do sacerdote, anda nos- m-
vas ras, e a conslrucgao de edificio de utilidade ivores da vida, s confidencias da innocencia, da
publica, I candura e da-verdade ; e isto face do universo e
Saint-Nazaire, arada- ha pouco simples estago da admiracao do implo; seus ps traz e?3a f a
de pilotos e pescadores, nao tem es-recodos neces- > mai e a filha, o intimo sentidos desgostos pierna-
sarios para levar ao cabo os raelhoramentos de' luros e o tetando dissabor, o que o ouvide-do es-
que carece. Fez por conseguinle ora appello aos j poso nao ouve, aquillo que o ouvldo do irroao igno-
ctpialisias e aos banqueiros. |ra, o que o-envido do amigo nunca chegoaasus-
O valorados terrenos tem augmentado com a po- peitar... alli vem tudo ler.
palacio. Por meio desta confianga milagrosa proclama a
Em urna das ultimas sessoes da cmara tempo-
raria um deputado aprese.ntou um projecto, alias de
urna creagao meritoria, mas que nao pouco mostra
o espirito anti-religioso com que fura ideado.
Para a creagao de um asylo dos invlidos, diz
esse representante,, o governo Qcar autonsado a
cobrar mais dez por oonto das corporagoes de mo
mona.
Ora quem ref!Ctir ver que pagando ja es-
las corporag^s decima dobrada de 8eus predios,
este um projecto injusto e arbitrario.
Como hao de taes inatliuicSes sustentar annual"
mente mais de tres mil doentes, sem contar a mise
ricordra, pira cujo cosl'eio o governo nao- concorre
si qur cora um real ?
Como hao de ellas aosudir a obras,. enterra-
menlos>a soccorros de vnnaos pobres e outras des-
pezas inherentes a estas rasas ?
Por que.no propoz S. Esc. um imposto- ao sub-
sidio dos deputados e senadores, os nicos dos
quaes apenas meia duzia oontribuio par guerra
actual ?
Por o.ue nao augmentan-com este ramtc- os d-
reitos as fazendas de luxo, dos thealros & das fa-
bricas de charutos e cigarros ?
Certamente que muiornaior utilidade dao ao
paiz os-bospiaes e ordens lerceiras, du- que lanas
ontras-instituiges, embopa- de le, qoe-nio- pouco
tem contribuido para o descrdito da aafaoy
O* bens de mSo mora nao foranv doados pelo
estado,- elle nada tem dad,- antes com-leie- arb'ura-
riasdoasca por peas e impeeilios au iacreroeato des-
tas esrporagoes.
A provincia de Minas, qae tao catholica, e onde
contornos grande numero de assigaantts, por nos
agradega ao seu represeMante.
vestido
!S?...
iriste.
u lagrimas
aha lomado
Vinde, viada I disse vivamente o joven, vio-
de sem perder um instante I
Alto i I exclamou Kernan, que queris ?
aonde pretendis conduzir nosso amo t
Mas vinde logo I gritou o joven com urna cer-
ta violencia.
O Bretao ia precipitar-se sobre o cavalleiro, que
tioha-se agarrado ao brago do conde, e procurava
arrasta-lo, quando o conde Ihe disse :
Vamos, Kernan I vamos 1 este um homem
vn'iroso 1
Kernan, obedeceodo, collocou-se esquerda do
joven, prompto a feri-lo ao menor indicio de trai-
gao, e todos tres sabiram pela brecha do cemiterio;
rodearam os muros. O cavalleiro de Tregolan nao
fallava, mas suas mos permanecan arrepiadas no-
brago do conde.
Tornaran a entrar na cidade e introduziram-se
nos beccos estreitos em vez de seguirem as ras;
alm disso, estavam absolutamente sos; o que nao
a velha dama e o jo-
levantar-se,
Ha lugar
um pai que
recobrando toda a sua
nome recordava-lhe a
Dan.
E elle poz-se em reserva
descon.fi.mga, porque este
scena da manhaa, o elle nao compre endia o que
ia fazer aquelle joven ao cemiterio.
Sim I respondeu o cavalleiro.
Vos que esta manhaa obliveslesj o perdo de
vosa irma eque a salvastes
Salva I replicou o joven pondo ajs mos
E ella que viodes chorar aqui
Civalleiro, disse o conde que r(ao duvidava,
fustes mais feliz do que eu al me^mo nao che-
goei bstanle cedo para ver urna ultima vez a mi-
nha filha I.. .
Quem sois vos ? perguntou vi+amente o jo-
ven .
Kernan ia langar-se a seu amo parla tapar-lhe a
bocea e impedi-lo de confiar o segredo do ^eu
me, quando esle disse gravemente :
Sou o eonde.de Chanteleine!
Vos 1 exclamou o joven, vsj
Chnteteme?...
Eu, senhor I
Men Dos I meo Dos I bradoa o incgnito
apartando as raaos do conde e procurando ver-lhe o
rosto.
Eoto t perguntou Kernan impacientado
o conde de
impedia que Kernan langasse olhos escrutadores ao
redor de si.
O silencio da noite nao foi perturbado senao urna
vez, quando o cavalleiro e seus companheiros pas-
sarara por junto do palacio do bi-po, cujas janellas
vivamente Iluminadas, davam passagem a gritos de
alegra.
Ah festejiva-se a volta de Kirval; cantavam,
dangavara, os juizes com os carrascos, e Kernan
seutio lerrivel odio aflluir-lhe ao coragao.
Emfim o joven parou diante de nma casa soce-
gada e um pouco separada na exlremidade de um
arrebalde.
E' aqui I disse elle.
E avangou para bater porta. Kernan segnrou-
Ihe o brago no momento om que pega va na al-
drava.
Um instante I disse este.
Deixa-o, Kernan I disse o conde.
Nao, nosso amo 1 Neste tempo de miseria-
toda a casa suspeita I K' preciso saber aonde va,
mos. Porque nos iniroduzs nesta casa 1 disse elle,
olhando para o joven.
Para moslrar-vos minha irmaa I respondeu
este com triste sorriso.
Bateu levemente a porta. Ouvio se passos re-
celosos avangarem para o corredor e pararem. O
cavalleiro bateu urna segunda vez de certo modo e
disse:
Dos e o rei I.... g
A porto abrise ; nma dama velha achava-se, e
pareceu lnqnieta vendo o Joven acompanhado de
dous estranhos.
Amigos, disse este, uao lemaes nada I
A porto fechou-se rapidameole. Urna vela acces-
sa permittio a Keroao entrever urna escada de pao
que voltava no fondo do corredor; o cavalleiro su-
bi, seguido do conde e do Bretao, este sempre ar-
mado.
Todava, devia ter cooBanga a visto das segua-
tes palavras trocadas entre
ven :
Cavalleiro, dissera aquella, qnanto a voss.
ausencia me inquitala I"...
E ella f perguntou elle.
Ella, responden a velha. chora paixo I
Vinde, senhor conde I disse o jpven.
No alto da escada achava-se urna porta por de-
baixo da qual cania urna cscala de luz. O ca-
valleiro escancarau-a e disse estas uaicas pala-
vras :
Senhor ande de Chanteleine, eis minha ir-
ma I...
Antes do conde, Kernan lngara um rpido gol-
pe de vista ao interior dessa. cmara, e dera um
grito, mas um grito de espantosa surpreza!
Mademoisalla de Chanteleine- Maria, sua sobri-
oha, estova diante dos seus clhos, estendida n'uma
cama, porm viva 1 viva t
Ah raeu pai I exclamou a joven, levanlan-
do-se e langando-se nos seus bragos.
Foi um indizivel momento de deliria. Como
pialar as caricias deste pai e de sua filha?"Kernan
chorava em um canto- depois de ter abragado Ma-
na. O cavalleiro de Tregolan conlemplava esta
scena internecida cruzando as raaos.
De repente, Maria deu um grito, e um pensa-
ment lerrivel passou por sua lembranga.
Minha mai I exclamou ella.
Ignorava que sua mai perecer no saque do cas-
lello.
O conde, sem fallar, mostroa eom o dedo o co
sua filha, que tornou a cabir quasi desmaiada
na cama.
Minha filha 1 minha filha I exclamou o con-
de precipitando se sobre ella.
Nao temaes nada, nosso amo, disse Kernan
levantando a cabega da moga; urna cnse que
passar I
Na verdado, alguns insiantes depois, Mara re
cobron os sentidos, e suas lagrimas correram em
abundancia. Finalmente seus solugos pararam e
o conde pode interroga-la.
Mas que mllagre le subiraho mortc, minha
filha ? perguntou elle.
Igaoro-o, mea pai I fui arraslada moribunda
ao cadafalso I nao vi uada, nada ouvi 1 e achei-
me aqu 1
Enlao fallai, M. de Tregolan, fallai I disse o
conde.
Senhor conde, respondeu o cavalUro, minha
irmaa foi langada as prisfies de Quimper; deses-
perado, corra Paris, e depois de tongas sollicila-
goes, obtive o sou perdi de Couthou, a quera mi-
nha familia oulr'ora servir. Voltei a Quimper
com a ordem assigoada, e apesar dos meas esfor-
gos, chegue muito tarde t...
Muilo larde ?...
A cabega de minha pobre irmaa, continu>u
o cavalleiro solugaodo, aeabava de- rolar sobre o
cadafalso na minha propria presenga I... .
On I oh I exclamou o condtt apertanlo as'.leiue.
mos do-joven. Mas
Como nao cahi raorlo ?... como oo griteb?:..
como uao tornei a pedir aquella de quera liona a
vida as mofr?... iVao posso vo-to diz-r, mas o-co
enviou-rae urna inspiragao que lae agradego. To-
das essas iufelizes victimas estovara ali confusa
mente -r os proprios- ejecutores naoas conheoiam I
No momento em subia desmaiada aos bragos do carrasco, avaocei,
fiz ara- esforgo sobre-huraan* e disse : Perdato!
perdo I miaba icmaa... e fOram obngados a m'a
entregar, otransportei-a para.aeasa deslo.boa da-
ma. Ets jarqui- me vistes orando esta noite sobre
o tmulo d'aquolla que nao ex-isle mais r-
O conde tinha se levantado.
Mea fimo! disse ella ao cavalleiro ajo-.-lhan-
do-se diante dlle.
um instante, e necessarro tratar o raais cedo
possivel da.segnranga de madamoazella de Chante-
era Douarnenez, perguntou. o conde,
acharemos um modo de vida-que nao excile sus-1
pellas t
Sira; tenho ali um-aniig. servo da minha
familia que exerce a proRsso de pescador, o bom
homem boemaille ; elle dos- recebera.de boa von-
tade e poderemos ficar ara sua casa at que se of-
fereca urna occasiao de deixar a Franga.
Corx-ardemos cem etle, respondeu Kernaa, e
ponhara*-nos a caminhc- o mais depivssa que fr
possivel.. Estamos a einco leguas de Douarawiez,
e podemos chegar ahi esto noite.
O conde approvou, esla resologao ; elle tinha
pressa- em dar a sua Siha ura pouco dessa traouuil-
lidade de que a pobre- crian; tanto preisav^ :
mas, ao v-la to fraca, temia (jue ella nao-podes
se sapportar as fadigas da vtogem ; as sienas do
... ,.,, cadafa so represenSavam-se faeqnentemenie no es
Kernan, estendido no thlo, Utttffcttm suas la- -**"0 k i ,ron,
' pinto de Mana com tal vuvacidade, que pareca
grimas os ps do joven.
pinto
qne ella ia desmaiar. Trema ao menor ruido;
snppunha os seus algoaes ainda tao perto-de si!
Com tudo, as caricias de seu pai e do- Kernan fi-
YU1.
A FUGA.
Pode-se figurar que noite o cen.le passou junio
de sua Dina lalva da norte. Se ento resentio vi, ^rara-lbe mf^.f^^Z
j j .u.. m..;. sa prompta a ludo encarar, cora tanto que samase
vamente a raorte da condessa se fallou a Mana "F" ____' .. TI
acerca de sua ma, urna santo e urna martyr, an-
da assim lodos estes pozares foram misturados de
urna im mensa alegra ; elle elevou ao co algonws
supplicas de misericordia por sua mulher merta,
de reconheciraeuto por sua filha viva e por seu
salvador 1
Kernan linha dito ao joven :
Senhor cavalleiro, tendes em mira ara cao
dedicado, e todo o meu saogue nao pagar o que
fizesles t
Pobre joveo seutla-se que tola esto alegra de-
via ser aflieliva para elle, parque custora Ihe a
morte de sua irma.
Araanheceu o dia, Kernan tratou do mais neces-
sario; oo se poda ficar nessa casa sem por em
perigo a vida da velha dama; portonto resolveu-se
partir e, provisoriamente, Kernan devia renunciar
sua viogaaga contra Karval. De presente a sal-
vago de sua sobrinha Maria estova ein primeiro
lugar.
Discutise o partido a tomar.
Senhor conde, disse o cavalleiro de Tregolan,
eu tinha tudo disposto para pdr" a minha pobre ir-
ma em salvo n'uma cabana de pescador, na al-
dea de Douarnenez; queris ir ali esperar dias
melhores ou urna occasiao de deixar a Franga ?
O conde olhou para Kernan.
Varaos a Douarnenez, responieuesle; o con-
selho bom, e se nao fdr possivel embarcrme-
nos, procuraremos occultar-nos de tal sorte que
oo se suspeite a oossa presenga
dessa cidade onde deixava raedonhas lembrangas.
Ento aprsiptarara-n'a.
Chamou-se a velha dama, a qneaa, o coode diri-
gi vivas palavras do reconhecimeato. Esto digua
mulher p-i* ornecer vestidos de camponeza. A
donzella, ficando s na cmara coma sua bemfaze-
ja hospeduira, tomou esse vestuario, sob o qual
nao se devia suspeitarque esiivesse Maria de Chan-
teleine, meias de la encarnada desbotadas de fre-
quenie lavagem, urna saia de la de riscado, coi
um avenlal de panno grosso que a rodeava de
todo.
Maria de Cbanteleine era nma donzella de deze-
sete annos; parecia-se muilo com o conde, eom
seus temos olhos azuos, enlo vermelhos por causa
das lagrmias, e sua bocoa encantadora que procu-
rava sorra; ella cruelraeute soffrera durante a sua
deteogo, mas om observador atteoto lea reco-
ubecdo toda a sua real belleza. O resto dos seus
cabellos louros, cortados pela mo do carrasco,
dissimulou-se fcilmente debaixo da louca breta
que Ihe envolva a cabega segundo a moda do
paiz: a parle superior do seu avental estendia-se
al o seu meio corpo, presa por grossos alfraetes ;
suas alvas mos foram esfregadas em aris, adra
de toraarem urna cor monos suspela, e, assim ves-
tida, ella nao seria reconhecida por niaguem, al
mesmo por Karval sea mais lerrivel inimigo.
Meia hora depois, eslava concluida a sua toilet-
te, e ella p6de partir. O relogio da municipalida-
de dava sele horas da manhaa; apenas apparecia
! o dia, o os fugitivos, depois de sympalhicos adea
Soa de parecer que se deve parlir agora de ses a velha dama, doixaram a cidade, oio sendo
manhaa, disse o cavalleiro; uao se deve perder: por ninguem reparada a saa sahida.
I
i
a


'Ytaya-se de ganhiu primeiro aestraa princi-
pal d'iAudierue que coucuz a Dduarntrae*- Kernan
coahecia perfeitamente oipaz; elto-objkgou a pe-
quea- tropa a tomar caminaos- desviados, mais-
compridos porm mai* seguros;, nao. se poda an^
dar depressa, Maria apenas arrastata-se, apolada.
ora.a braco de seu pai, ora ao.de Kernan. Mas-
via-se cora que sacriSoio ella ehsgava a sustentar-
se ; este ar puro de ^ue tinha sidopiivada durante
a sua dolorosa eneaicerago, o q*ie aspirava com
loias as forgas dos-pulmes, Ihe cansava utna.es-
pecie de rertiaera e-eaibriagava-a como um vinte
generoso.
No lira de duas horas d*-marcha, ella foi,cons-
trangidaa parar o pedio alguns insiaaies de repon-
so. Os fugitivos lizerara alto.
Nao chegaremos iuo]p, disse Kernan.
Nao, responden o joven, seremos olrigAdos a
pedir asylo enfealguma casa.
Toda a casa, aie parece suspeita, cespandeu
o Brelo, e se absolutamente oo hoave^se oulro
recurso, eu preferira, antes tomar alg.uraas horas
de repouso debaixp de urna balsa.
Ciiuiauemos, meus amigos, disse Maria, de-
pois de um quaita de hora de destauco, posso ain-
da dar algumas passadas; quaodo.de todo me fr
mpossivel, eu vo-|o direi.
E ptoseguii am a marcha ioterrompida. Cessa.-
ra a nave, porm fazia fri J teraan lirou a sua.
pello de cabra e botou-a sobre os hombros da don-
zella..
A's onze- horas da raaaba, os viajantes tiaiiauj
apenas feito duas leguas; arada estovara aujuem
da aldeia de Piquis; o campo pareca desorto i
al raosrao nao se via ama cabana de coiaio > o sol
desapparecja de todo por debaixo de itomensas
toalhas de oeve. Maria oo poda mais dar ara
pass. Kernan yiose oa necessidade de toma-la e
carrega-la; porn a pobre menino, que o andar
nao agaentava mais, jaza enregelada bus bragos
do Brelo; o cqnde e o cavalloiro tiraram suas
vestes Mom ellas erabruliiai auo-lhd os ps do aiu-
Ihoi modo que poderam.
Emfim, bem ou mal, ooile, depois de se ter
seguido a estrada real, ebegou-se aldeia d i Ker-
mingny ; ainda resta va iaier mais de nina legua e
meia para alcangarse Douarnenez; porm, eto,
o fri tornou-se tal que (.i preciso parar; Maria
desmaiava.
Ella nao pode ir mais adiaote I disse Kernan.
Precisa de algumas horas de repens.
O coode lifiha-se assenlado Da beira da estrada
e sustentava sua filha aos bracos, teulaodo debalde
aquec-la corp seas beijos.
Que fazer I que faier I disse ento Keroao.
Todava nao quero p&dir bospedagem a qnem n.'S
irahiria.
(Continuar-seha.)
PERNAMBVCO.-TYP. pE M. F. DE F. & PJIHO
ILEGIVEP
'
~y


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EOSIWZTW6_IHB38X INGEST_TIME 2013-08-28T01:43:48Z PACKAGE AA00011611_10687
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES