Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:10685


This item is only available as the following downloads:


Full Text
Anuo m numero m
?r qnartel pago dentro de 10 diasdt t. aei ,..:.. 5|ft00
dem depois dos i.ot ludias do conste iatni o qaarte!. 6$000
Ptrte m etrreio ir trts aeies ,........: 780
ENCARRBGADOS DA SUBSCRIPTO
(
V
Parahyba, o Sr. Antonio Alexn.,
Natal, "Sr. Antonio Marques da Silva
Sr. A. de Lemos Braga; Cear, Q S
Oliveira ; MaranhSo, o Sr. Joaqeflfc'lDr'iaes Ro
dri^ues; Para, os Srs. Geraldo **rtnio Alves Filhos; Amazona, o Sr. Jeronymo da Cola.
ENCARREGADOS DA SUBSCRIPgAO DO SUL.
Alagoas, o Sr. Clandino Falcio Dias; Baha, o
Sr. Jos Martins Alves; Rio de Janeiro, e Sr. Jos
Ribeiro Gasparinho.
PARTIDA DOS ESTAFETAS.
1%, Cabo, Escada e eslagSes da via frrea at
;oa Preta, todos os dias.
irass e Goyanna as segundas e sextas feiras.
ito Antao, Grvala, Bezerros, Bonito, Caruar,
Altinho, Garanhuns, Buioue, S. Bento, Bom
Conselho, Aguas Bellas e Tacaral, as tercas
feiras.
P-i'Alho, Nazareth, Limoeiro, Brejo, Pesqoeira
Ingaieira, Flores, Villa Bella, CaMob, Boa Vis-
ta, Ouricury, Salgueiro e Ex, as quarias
feiras.
Segunda vara do civel: quartas e sabbadss a i
hora da tarde.
Serinhem, Rio Fornroso.Tamandar, Una, Bar-
reiros, Agua Preta e Pimenteiras.as quintas
feiras.
EPHEMERIDES DO MEZ DE JUNHO.
1 Quarto cresc. as 6 h., i m. e 58 s. da m.
9 La cheia as 7 h., 21 m. e 16 s. da m
16 Quarto ming. as 4 h., 33 m. e 28 s. da m.
-23 La nova as o h., 37 m. e 34 s. da m.
30 Qoarto cresc. as 11 h., 20 m. e 51 s. da t.
SEGUNDA FEIRA 5 DE JUNHO DE 1865.
ftr auno pago dentro de 10 dias do 1. mez 19$000
Porte ao correio por um ana.........., 3 JOOO
.3
AU||iNCAS DOS TRIBUNAES DA CAPITAL.
Tribunal do commercio : segundas e quintas.
Relacjo: tersase sbados s 10 horas.
Faze&^a; quintas s 10 horas.
Julzo ^o ooramercio: segundas as 11 horas.
Dito d orphaos : tergas e sextas s 10 horas.
Primara vara do civel: tercas e sextas ao meio
dia^
Segunda vara do cvil: quartas e sabbados al
hora da tarde.
DIAS DA SEMANA.
o. Segunda. S. Par i fleo t.; S. Nicacio m.
6. Ter^a. S. Norberto b.; S. Eustorgio b.
7. Quarta. S. Roberto ab.; S. Licano diac. m.
8. Quinta. S. Msxlmiano ab.; S. Gildardo b.
9. Sexta. S. Pelsgia v.; S. Feliciano m.
10. Sabbado. S. Margarida rainha; S. Getulio.
11. Domingo. Ss. Flix e Fortunato irs. mm.
PREAMAR DE BOJE.
Primeira as 1 horas e 18 m. da tarde.
Segunda as 1 horas e 42 minutos da manhaa.
PARTIDA DOS VAPORES COSTEIROS.
Para o sul at Alagoas a 14 e 30; para o norte
ala a Granja a 7 e 22 de cada mez; para Fernan-
do nos dias 14 dos mezes de Janeiro, margo, malo, <~
julho, setembro e novembro.
ASSIGNA-SE .
noRecife, nalivraria da praga da Independencia
ns. 6 e 8, dos propietarios Manoel Figneiroa de
Faria & Filho.
PARTE OFFICIAL
GOVBRNO DA PROlffltlIA.
Expediente do dia i de maio de 1865.
OIHcio ao Exm. r. Francisco Jos de Oliveira>
Io vice-presidente da provincia de. Santa Catharina.
Pelo seu offleio de 24 de abril"' ullimo fiquei in-
teirado de haver V. Ex-, na qi|alidade de seu Io
vicepresidente assumldo a administragSo dessa pro-
vincia.
Dito ao Exm. barao do Livramento. Nao con-
vindo, em vista do pareepr da commisso nomeada
para examinar a obra do canal da ra da Aurora,
de que V. Exc. arrematante, que essa obra seja
ultimada, declare V. Exc. qual a indemmsagaoque'
exifre, afim de que tenha lugar a resciso do res-
pectivo contrato.
Dito ao coronel commandanle das armas. Sir-!
va-se V. S. de informar acerca do que pede no ra-.
luso requenmento Felismina Maria da Conceico. j
De igual theor e data acerca dos requerimentos
de Jorge Marliniano Lopes de SampaioeGuilherme;
Jos Lipes.
Dito ao mesmo. Respondo so ofBcio de V. S. de |
honiem datado, .sob n. 932, declarando-lhe que
nesta data dou as necessarias ordens para que re-
creasen a esta capital com brevidade os 2 cabos e
8 pragas de cavallarla, que foram em delgencia a
cidaile de Goianna.
Duo ao mesmo.Informe V. S. ouvindo o tenen-
tecoronel rommandante do 2o corpo de voluntarios
da patria, acerca da allegago que no requerimen-
to sobre que versa a sua informagao de 29 de maio
ullimo, sob n. 943 faz o voluntario Jos Pedro de
Andrade, de ter 60 annos de idade...
Dito ao l)r. chefe de polica. Declaro V. S.
em resposla ao seu offlcio n. 766 de 27 do mez fin-!
do, que em 8 de margo mandei por a disposigao !
de V. S. no arsenal de guerra 12 grauadeiras para
serem remetiidas ao delegado do lermo do Bom j
Conselho, como !be communiquei em offlcio da-
quella data.
Dito ai inspector da thesooraria de fazenda.Em
additamenlo ao meu offlcio de 28 de marco ultimo,
transmiti V. S. para o lim conveniente a inclusa ,
relagao que me remetteu o iuiz de direilo da co-
marca de Flores com o offlrio de 5 de maio prxi-
mo lindo, das pracas de 1" liona que estando des-
tacadas na povoagao de Baixa-Verde, foram alli
tratadas por Joaquim Duarle Pinto e Silva.
Dito ao mesmo. Nao havendo inconveniente,
mande V. S. pagar ao gerente da companhia Per-j
nambucana, como solicitou este em offlcio de non-1
lem a subvengan mensal de 7:0005, e relativa ao |
mez de maio ultimo, com que o governo imperial
auxilia aquella companhia, a qual cumprio com as j
suas obrigacoes no predito mez, segundo consia do
citado offlcio
Dito ao mesmo. Inleirado do conteudo de sna j
informadlo de 19 de maio ultimo sob n, 348 dada j
acerca do offlcio de 19 de abril, em que o comman- j
dante Maptrfu da comarca do Brejo, faiemloveraa!
di.Tieuldades que eneonlra no pagamento dos ven -I
tmenlos da guarda nacional all destacada, deca-1
ra que maior es embarazos apparecerao quando ti-
verem de marchar os contingentes designadas para
a guerra, tenho a dizer Ihe, que devendo os guar-
das nacionaes designados a este lim perceber o
mesmo sold, etape e mais vencimenlos, que com-
petirem a tropa de 1" linlia desde o dia em que
cada um delles sahir de sua rasa, ou de sna pri-
meira reuniao, como determinara os arts. 91 e 131
da lei n. 602 de 19 de setembro de 1850, expeca V.
S. com urgencia as convenientes ordens s collec-
torias dos differentes municipios da provincia, ha-
bilitando as para que adiante. aos referidos guardas
nacionaes os seus vencimenlos correspondentes aos
dias de viagem para esta capital.
Cumpre, oulro sim, que V. S. reroetta aos juizes
Vista e Cnbroh, se por ventura nao houverem alli
colleclonas, as sommas precisas para t es adian-
tamenius, as quaes V. S calcular em vista do nu-
mero de pracas que tem de vir daquellas localida-
des, e constar da relagiio inclusa.
Dito ao cnsul de Portugal Com a inclusa co-
pia da informagao ministrada pelo juiz municipal
supplente do termo da Escada em 24 de maio ulti-
mo, respondo ao offlcio que em 4 do mesmo mez
me dirigi o Sr. Dr. Claudino de Araujo Guima-
raes, cnsul de S. M. Fidelissima nesta provincia,
relalivamente ao espolio do finado subdito portu-
guez padre BernardinoTeixeira Machado,'fallecido
naquelle lermo.
Renov ao mesmo Sr. cnsul os protestos de mi-
nha eslima e consideraco.
Dito Francisco Xavier da Cosa Aguiar e An-
drade (em Londres).Accuso recebido o offlcio que!
V. S. rne dirigi em 28 de abril ullimo, sob n. 2,1
acompanhado da copia do que naquclla data inde-.
recou V. S. ao ministerjp da agricultura, commer- j
ci e obras publicas, dando conla de haver pago '
companhia da estrado de ferro desta provincia os j
juros garantidos perlencenles ao semestre venc-
do em 31 de dezembro do anno prximo pas-
sado.
Dito ao mesmo.Com o offlcio de V. S. de maio
prximo lindo, s )b n. 3, recebi o relatorio semes-
tral que a directora da estrada de ferro d'esta
provincia, apresentou aos accionistas na as embla
geral do dia 23 de abril ullimo, e o resumo da dis-1
cueto que houvo n'aquella assembla e na extra-
ordinaria do mesmo dia.
Dito ao commandanle superior da guarda na-
cional do Recite. Remello, por copia, V. S.
para os lins convenientes,a. inclusas listas dos tra-
bajadores crapregad*s as conservares dos ter- '
mos de Affogados e Muribeca.
Dito ao commandanle superior da guarda na-
cional de Flores. Constando esta presidencia, I
que, ateo 1." de malo prximo Ando, nao tinbam ;
ainda destacado na villa de Ingazeira as 18 pracas |
e 1 offlcial subalterno, conforme determinei em 15 !
de fevereiro ultimo, informe V. S. a ratao d'essa
/alta.
Dito ao commandanle superior de Goianna.
Teudo n'esla data despensado do servico d'aquar-
tellamento para a guerra, os guardas nacionaes
que para isso haviam sido designados Jo3 Silves-
tre de Araujo e Joan Soares da Silva, este do bata-
Ihao n. 13, e aquello do de n 15 de infantaria
d'esse municipio, em vista do que provaram em
recurso a esta presidencia ; assim o communico
V. S. para sen conhecimento e fias convenientes.
Dito a commisso encarregada de promover o
ali-tamenlo de voluntarios em Goianna. Chega-
ram a esta capital e assentaram praca, no 2." cor-
po de voluntarios da patria, no dia 27 de maio
ultimo, 42 individuos viodos d'essa comarca, enjo
alisiamento deve-se a solicilude e esforcos d'essa
commissto, a quem muito agradego louvo o patrio-
tismo com que proeorou auxiliar o governo na
desaffronta dos bros nacionaes, e confio prosegui-
r com empenho n'essa honrosa tarefa.
Portara. O prndente da provincia, resolve
Bornear provisoriamente para o 2." corpo de vo
lunlarios da patria os offlciaes seguintes:
Capilo Apollnario Florentino de Albuquerque Ma-
ranbio Sobrinho.
Dito o capilo da guarda nacional Jos Pereira da
Silva.
Alferes Joaquim Theolonio Alves da Silva.
Dita.Em addilamento a portara de 24 de maio
ultimo, declaro aos Srs. agentes da compmha Bra-
sileira de paquetes a vapo-, que Aristides Augusto
Cesar Pires 1. cadete e nao soldado como por
engi.no se diz na referida portara.
Despachos do dia i." de junho de 1865.
Requerimntos.
Antonio Jos Teixeirade Mendonga Belem. -En-
caminhe se.
Antonio Birbosa dos Santos. Concedo o pVazo
pedido.
Damiana de Albuquerque Mello.Informe o Sr.
commandanle superior da guarda nacional da co-
marca de Goianna com urgencia a razito porque
foi o filho da supplieanle designado, estando com-
prehendido na 4.a classe do arl. 121, como deter-
mina h art. 123 da lei u. 602, de 19 de setembro
de 1850.
Francisco Lelo da Silveira.- Informe o Sr. ins-
pector da thesouraria da fazenda.
Francisco da Rocha Passos Lins.Use o suppli-
eanle como Ihe parecer, do direilo que julgar
ler.
Joanna Baplista do Corarto de Jess.Em vista
do que ailegh-e prova, tica'o filho da supplicante
dispensado do servigo de aquarlelamento para a
guerra.
Egenheiro Jos Carneiro da Rocha.Remelti-
do ao Sr. inspector da thesouraria da fazenda para
mandar pagar ao supplicante a gratificar;!, a que
alinde.
Jos de Barros Pires Falca"). D se.
Jo- Duarle Galisto.-Informe o Sr. director ge-
ral da instrurgao pnblica.
Jos Francisco Paes Bar. to e Fredarico Paes
Barreto.Passe-se.
Tenenle Joto Eduardo Pereira Borges. Con-
cedo.
Jos Silvestre de Araujo e Silva. Fica dispen-
sado o supplicante do servico de aquarlelamento
para a guerra, por ser menor de 18 anno'.
Manoel Ferreira Lima Jnior, Informe o Sr.
inspector da thsouraria da fazenda.
Olympia de Souza Gomes de Miranda.Remelti-
modo para que teohamos verdadeiros dados para a
confecgo de ama estatistica geral da diocese.
Igual ao coadjucior pro-parocho de N sa Scnho-
ra do O' de Maranguape. -
- 27
Offkio ao vigario da freguezia de...Remetto in-
clusa a estatistica dessa freguezia, que recebi com
o seu offlcio de 16 do crreme, e espero que V.
Rvma. a reforme como convem,e satisfaga aos que-
sitos que propuz na circular de 22 do prximo pas-
eado, que Ihe remetti impressa no Oilo de Dezem-
bro.
Cbeme ponderar V. Rvma que um parocho
jamis deve responder que nao sabeem que estad*)
se acham alguims das capellas que existem na sua
distrieto, que se construisse urna estrada districtal,
que partindo desta cidade ao Esteiro de Campanh
contioge passando por diversas freguezias dos ar-
rebaims do Porto at fiialisar em S. Joo da Foz.
E' u'n| estrada de circuravallago eom que esta
cidadU'^nuilo lucrara, mas dispendiosa como deve
ser a sua construego, s muito tarde se execu-
tar. x
Paraibem se avahar da soa importancia diremos
" estrada, segundo a dita proposta, partir
ao E*leiro de Campanh a curiar a estra-1
|oilo a Peaaliel e a Amarante em S. Roque
a, contina pir Lugares e Conlumil
s Regateiras, onde cortando a estrada de
Je3, segu deste poolo a Lamas na fregu-
freguezia ; porquanto se Infelizmente nao sabe, de- liia d^ff^ranhos, junto a igreja matriz, pelos luga-
ve indagar e procurar sbelo;'deve msmo examl-1 res do Cabo e Coulo, a encontrar aesirada deBra-
nar por si proprlo o estado dessas capellas e dos pa- ga, no sitio do Valle Formoso, contina d'alli a se-
ramentos com que nellas se celebra o sacrificio da guir pelo Monte Pedral, lugares da Bica Velha e
missa etc. ; e nessa visita que fizer aos differentes Regado, a cortar a estrada de Villa do Conde, no
lugares indagar que sacerdotes por ah habilam, sitio do Cirvalhido, segu pela Prelada, Ramaide
qual o seu emprego, a sua conducta, etc., e de tu- do Meio, Seuhora da Hora, S. Gens, Sandiin, a li-
do lomar as competentes nota3 ; para nao apontar gar com Malhosinhos, cabega do concelho de Bou-
smente dous sacerdotes e dizer: t existem alguns gas, teudo um ramal por Francos, Wan-Zeller, Lar-
outros Rvds. padres, que eu nao conhego por mo- dello, Voileiro, alto da Pasteleira, a enironcar na
rarem distantes. villa de 8. Joao da Foz, a corlar a estrada da Foz e
Quero acreditar que V. Rvma. nao comprehen- a Leca, no sobredilo conselho de Bougas. '
deu o que eu exig pela circular de 22 de abril, e A junta geral fez tambera a distribuigo do con-
por isso, abstendo-se de mais observagSe?, Ihe re- tiugenla di contribuigao predial na quanliade___
mello novamente a mesma circular, e Ihe devoivo .152:330^000 designada ao dislricio do Porto para
a sua esialistiea, para que V. Rvma., poudo a ab o correnteanno.
SS anH?ts^etSd^8"31- 5'^mSre0Pa:i^orDor1 t^BS*
O citado jornal nolicia que o Sr. Dr. Raimundo 47 a 47/, nominal P Hambur8
Entraran no Douro :-em 29 de abril a barca
Despique II, de P^rnambuco;em 6 de maio a
f^ncisco da Gama deu por suspeilo te conselho
dos decanos da Universidade e quasi todos os
membros'da facldade d meclna. E m n ,
tamo, suspensos os concursos, e nio se progredir WS""1?* Bah,a '~em.7 as ^^ Adamas-
em trabalhos alguns a tal respeilo em quamo nao l^^\t\AlZ^lrTaZ^^ZJ
baixar do ministerio do reino o respectivo regula- tucVorl'boV-Ira" T^TariaTlmZ
do Aracaj.
Sahiram :em 28 de abril a barca fecreio, para
lamento.
A dire'egao da sso'ciagao dos Artistas de Coimhra
promoveu e levou a effeito um leilao de prendas,
cujo producto reverten em favor Ja nvsma asso-
ciago. As prendas offerecidas foram 569, que
renderam 3615810.
Por decreto de 25 de abril foi agraciado crfm o
titulo de visconde da Quinta das Canas o Sr. D.
Jo.- Maria do Carvajal, presidente aa cmara
nicipal de Coiiubra.
O tribunal do commercio da mesma cida
clarou e.n estado de quebra o Sr. Antonio dos
Santos Monleiro, commerciante, estabelecido na
ra do Viscoode da Luz.
Junto a foz do rio Souza inaugurou-se no dia 9
urna fabrica de papel pertencente a urna sociedade, v... m rr.M,|ai,3rt
coraposta de alguns cavalheiros, e que ser conhe- L"! JSa '
c.da pela firma-Bragas & Sobrinhos.- \ [^ J2S...............
Na villa de Oliveira de Atenis tfata se de mon- LUCrose Pe,s\V""-::;"V-i
Banco [Mercantil.
ra mu-
an de-
o Rio Grande ;-em 29 a barca Tamega, para o Rio
de Janeiro ;em 6 de maio a barca Sania Clara,
para a Babia ; e o brigoe Unido, para Pernambuco.
I Dos balancetes publicados pelas directoras dos
bancos d'esta cidade, abaixo mencionados, com re-
ferencia a 30 de abril prximo passado tomamos o
'. seguinle :
I Banco Commercial.
Existencia em dinheiro metlico.
Letras descontadas e a receber..
, Emprestimo sobre penhores.....
Crditos diversos................
Opositantes......
286:136^707
1,330:7015585
183:7325932
393:8525006
443:2735070
168:190^)00
100:005000
39:0425082
solut mente de parte, me enve um trabalho integ-
ramente, novo, satisfazendo quauto for possivel a to-
dos os quesitos, como convem.
Cumpre-me observar-Ihe, finalmente, que pode
deraorar-se o temp* que razoavelmente Ihe for ne-
cessario para adquerir os dados e as informacoes de
que necessiia para a confecgo da estatistica da sua
parochia, e para responder' circumslanciadamente |
aos quesitos da circular ; pois que, preliro obter
com maior demora um trabalho mais completo e.
j mais aproveitavel, do qne receber cora toda a ores-
estatistica imperfeita, e para assim dizer 1
leza urna
do a Sr. director da instmcgto pubea para at- IwM, como a que V. Rvma. rae envin com o su '
tender a supplieanle nos termos de sua informag.io! offleio de 16 do corrente, que fie a assim respon-
de 27 de maio ultimo, sob n. 154. dido.
Valeriano Joaquim Jos Eustaquio. Iodeferido' Olio ao vigario da villa do Brjo. Ac uso rer.e-
em vi^ia da informagto. bida a estatistica suecinta de>sa freguezia, que V.
Dr. Virginio Carneiro da Cunhae Albuquerque.' S. me envin em data de 8 do corrente para satis-
P. P. concedendo a prazo requerido.
Fui assim dividida :
Conselho do Porto............ 67:98830(10
t de Villa Nova de Gava. 19:5855000
de Penaliei............ 8:t05O0U
de Villa do Conde..... 5:6655<)00
de Felguiiras......... 5:4405080
de Santo Tnyrso...... 5:381501)0
di Amarante........ 5:3785000
de Mareo de Cia vetes. 4:9685000
de Bougis............ 4:8285000
(la Maia........*---- 4:1235000
de Paredes............ 3:909MX)
de Gondomar.......... 3:7125000
da Povoi do Varzim... 3:6255000
t deBaixo............. 3:2115000
do Louzada........... 2:963000
de Pagos de Ferreira... .1:9005000
de Vailongo........... ^1:5345000
No dia 29 de abril, anniversari) da caria cons-
c;ovj:u\o do hisi-iim de
ruH.Winiiro.
SEDE VACASTE
Expediente do dta 22 de maio.
Offlcio ao vigario do Poxim. Em resposla ao
fazer a circular de 22 do prximo pausado.
Espero, porm, que V. S., compenetrando se da I titucional, lUeram se a.i coslumadas demonsiracSes
necessidude que temoi de um trabalho mais minn-' Je regosijo, que constara, como sabido, do em-
cioso nette sentido, me remetiera com vagar escla- bandeirainenio dos edificios e repartieres pubticsT
recimenios mais circumstanciados, e que me habi- a gnarnigo fazer o en-igo de grande uniforme,
litem melhor a proceder na confecgo da estatisti-
ca do bispado ; servindo se para isso da experien
cia e das inforraagoes j recolhidas' no lempo em
que V. S. foi visitador desta provincia, e coadju-
vando-me com as suas luzes na importante tarefa
seu offlcio de 14 do corrente, tenho a dizer-lhe que i a nao pode V. Rvma. assistir ao casamento dos con-1 Dito regente de Igoarassu'.Informe V. S. de
trahentes que nelle menciona, sem que primeira- j^ccordo com o Rvd. capellao desse reco'himento
locarera as msicas regimentaes a alvorada nos
atrios dos quarteis, e a noite ao recolher, a porta
do palacio do general .commandanle da diviso, se-
gurado depois a tocarem, em direced Jos respecti-
vos quartelamentos, o bymno da carta.
Esliveram em exposigo n'uma olllcina de dou-
rador desta cidade os retratos de el-re o Sr. D.
Luiz I e da rainha a Sra. D. Maria Pia, que de-
mente Ihe apresentem o conseniimento paterno, ou IS0Dre conteudo do offlcio que Ihe remello, e que vem ser remettidos para a capital desse imperio e
. .. r _.. J-... i___________ ___ _______-_ ah uan.ii.l.i..
sem que este seja supprido pela autoridade compe-
tente, a maioridade se conta desde 21 annos em
diante, e nao desde 22 annos.
Dito ao vigario do Livramento. Nesta dala au-
toriso o Rvd. vigario da capital dessa provincia,
para numerare rubricar o* livros de que V. Rvm.
trata no seu offlcio de 12 do correte, a que res-
pondo.
Quanto ao livro em que V. Rvma. diz que esto
langadas as pastoraes, os termos das visitas, a re-
ceila e a dspota da fabrica e o inveniario das al-
me devolver com a sua informago.
- 30 -
OfbViri ao vigario da cidade da Parahyba. Pe-
dindo-me o Rvd. Manoel Marques Barbosa que o
exonere do lugar de vigario encommendado da
freguezia da Jacoca, visto achar-se elle atacado e
incapaz de fazer urna viagem a essa provincia e
reger a freguezia para que o nomeei por indicago
ah vendidos.
U prottuctu da venda sera divid'do eoaduas par-
les iyuaos. Urna reverter jra favor da Sociedade
de Beneficencia Porlugueza, e a outra pertencer
ao Sr. Jos Alberto Nuues autor dos dous quadros
que, segundo os entendedores, sao de merecimento
artstico.
A subscripcao aberta particularmente nesta ci-
de V. Rvma., e atttendendo eu igualmente a que dade. pela commisso que_ mencionamos nanossa,
V. Rvma., no estado mrbido em que se acha, nao
pode reger duas parochias, nesta dala me dirijo ao
faias, visto nao poder um s livro servir para oh- Rvd. vigario da Alhandra, e o autoriso para reger
jectos to differentes, deve ser immediatamente a freguezia da Jacoca, o que participo V. Rvma.
substituido por um livro em que se lancera em se-1 para que cesse a sua jurisdiego na mencionada
parado as pastoraes e os termos de visita ; outro freguezia logo que receber a competente participa-
em que se inscreva o inventario das alfaias da ma- gao da parte do Rvd. vigario da Alhandra.
triz, e finalmente um livro que sirva para a receita Dito ao vigario da Alhandr?. Havendo o Rvd.
e despeza da fabrica. vigario da capital da Parahyba, Joaquim Antonio Silul0 2005000 cada um, Francisco Ferreira Zira-
e o exonere da regencia da "rt! 0500, e J. J. de Souza Braga 135500.
ultima missiva, em favor das viuvas e orphaos dos '
militares brasileiros que perecerem na guerra do
Brasil com os estados do sul, contina de urna ma-
neira satisfactoria.
Teem suoscrevido as Exmas. Sras. I). Maria do
Carmo Rodrigues Forbes 3003000, D. Josepha Ca-
rolina Forh-s de Magalhaes 2005000, os Srs. An-!
Ionio Ribeiro Fernaudes Forbes e Manoel da Silva '
Dilo ao vigario da cidade da Parahyba.Autori- Marqu.'s, pedido que
so V. Rvma. para por esta vez numerar e. rubri- freguezia da Jacoca, visto achar-se elle enfermo, e
car os livros qne Ihe forem apresenlados pelo Rvd.: ser-lhe quasi impossivel parochiarduas freguezias,
vicario Canolino Antonio de Lima e Vasconcellos,' curapre que V. Rvma. S3 encarregue da regencia
para o uso da freguezia do Livramento.
- 23 -
Offlcio ao vigario de S. Caetano da Rapesa
Pelo seu offleio de 24 (le abril ullimo, fico certo de
haver V. Rvmla. entrado na regencia dessa fregue-
zia no.dia 23 do mesmo.
Approvo e louvo muito as medidas que V. Rvma.
tem tomado, afim de que, se conserve constante-
mente o Santissimo SaeramenU no Tabernculo
com toda a decencia, e sempre allumiado com atol-
le de Oliveira, e nunca se usando para esse m do
immuudo azeite de carrapalo, como snccedia ou-
tr'ora, e V. Rvma. mu judicosamente prohibi.
Onanle quanlia de um cont de ris, que a as-
sembla provincial transacta consignou para repa-
ros ou augmento da capella-mr, enlendo que se
nao pode dar-lhe outra applicagao; e que designan-
do a assembla o lim para que conceda essa quan-
lia, s a mesma assembla ple dar-lhe outro des-
tino, o que V. Rvma. poder requerer no anno vin-
douro, se assim julgar convenipnle.
A respeilo do quadro de Nossa Senhora do Rosa
da freguezia da Jacoca, como seu parocho mais vi-
sinho; e logo que tomar conta da mesma freguezia
me participe a mira, e igualmente o communique
ao Rvd. vigario Marques, afim de que elle cesse de
exercer alli acto algum de jurisdiego paro-
chial.
Dito ao vigario de S. Jos. No seu offlcio de
27 do corrente me pergunta V. Rvon. quem a
outra parte que, no des-acho dado em 15 do mes-
mo ao requerimento de N... mando que seja citada
por occasio de juslificar-se o allegado no mesmo
requerimento.
Declaro Ihe em resposta que a parte que deve
ser citada a que oppoz impedimen'o ao casamen-
to do referido N..., ou que perante V. Rvma. re-
clamou contra o mesmo casamento.
31 -
O sarao potico no theatro particular do Sr. Da-
vid de Moraes Ca-iro, promovido por alguns man-
cebos estudiosos a favor da familia do fallecido es-
criptor o Sr. Sebasliao Jos Ribeiro de Sa, produ-
zlo 1635'00, que fonin entregues na redaegao do
jornal o Commercio do Porto, em cujo escrlptorio
contina aberta urna subscripgo cora o mesmo
tim.
Ten toa suicidarse, ferindo se gravemente no
pescoco com golpe dado com navalha de barba, um
individuo chamado Antonio Mauras Torres, que
ha pouco lempo regressara do Brasil e se achava
hospedado no hotel da Estrella.
E' segunda lentativa, pois ha Ires annos, antes
de partir para o Brasil tiuha dado um tiro na ca-
bega.
fe' casado e lem filhos.
Os ciuraes pela esposa, segundo dizem, que o
levarain a to deploraveis alternados.
No Asylo de Mendicidade existiam no lim do
Offlcio ao vigario de Aguas Bellas.- Concelo ||.!mei de margo ullimo 67 homens e 91 mulheres.
enga V. Rvm. para se ausentar da sua fregu- A "** mlcim"d,0 saldo aniee denle fo. no d.io
ia por quioze dias, e nesia data autoriso o Rvd "' e, '.0w5834 rs., e a despeza de 3315990 rs.,
cenga
zia poi ,
vigario de Santa Anna par o substituir durante a passanlo por conseguinte para c
sua ausencia, como V. Rvma. pede no seu offlcio 's
de abril o
rio, que serve para a devogo dos pretos, mas que I de 8 do corrente, que tica assimVespondido. Sr- l,isPu de Vizeu.D- AnlOD0 Alves Martins
se acha muito deteriorado, cumpre que V. Rvma.! Dito ao vigario de ^anta Anna Autoriso V i ntmeou uma commisso composta de theulogos,
proceda primeramente, como tenciona, acquisi- Rvma. para reger a freguezia de Aguas Bellas em- i"ristas e Parochos da sua diocese para redigirem
gao '
mar
de
Dito ao vigario da Luz.Ag'radego V. Rvma. a
oceda primeramente, como tenciona, a acquisi- Rvma. para regcr a freguezia de Aguas Bellas em- lBnM>.' P>ciw ua sua mcese para reu,s. e,
o de outro, que o substitna, afim de poder quel-' quauto durar a ausencia do Rvd. parocho respecii-' u,n Pjecw> de constiluigao diocesana, que lera
ar depois o que est inutilizado, sem causar os vo que me pedio quinte dias de licenga, para vir a de ser oportunamente presentado a um jynoo
sgostos, nem os tumultos que V. Rvma. receia. esta capital convocado e presidido por S. Exc. Ilvma. onde se-
:.____. ..:____:_ j. i___ > .!_ ; ir n_____- c5,<* "l"'" rA Hrnlidn ,..,nv..i-li.l., oro lo ,lt niliv.i la lila.
presteza e o cuidado com que se houve na confec- \
gao da estatistica dessa freguezia, que a meu ver,'
preenche sufficicnlemenle o fim para que a exigi.
Espero que V. Rvma. continuar d'ora em dian-
te a dar-me parte de qualquer alleracaoou mudan-
ga que se passar na sua freguezia, coino Ihe rerora-
mendei no fim da circular de 22 de abril. Igual
ao vigario de S. Gongallo.
Dito ao padre..TendomeV. Rvma. respondido
em dala de 4 do corrente, que nenhum obstculo
havia encontrado em realisar o que confiei sua
sollicilude em data de 2 do mesmo, espero que me
responda se j est tudo concluido, aflm de que eu
0 communique ao Rvd. vigario respectivo, e faga
recolher os papis ao archivo da matriz.
Dilo ao vigario de Campia Grande. Sirva-se
V. Rvma. entregar com a brevidade possivel este
offlcio, que vai incluso, ao Sr. Francisco de Albu-
! qoerque Maranho, morador nessa freguezia, e me
participe logo que o houver feito.
- 26 -
Offlcio ao vigario de Sanio Antonio.Atlendendo
aos motivos por V. S. expostos no offlcio de 20 do
corrente, e certo de que V. S. se esforgoa quanlo
era possivel para que es-a preta tivesse as ceceau-
rias nogoes da nossa religio, e se preparasse &Km
1 poda para receber o sacramento do Baptismo, e
achando-se ella por consegunte as circunstancias
: apontadas em o numero 33 das constluigdes doce
| sanas, concedo V. S. a licenga que pede para Ihe
EXTERIOR.
CORRESPONDENCIAS DO DIA
RIO DE PEH.\AHUITC
PORTO.
12 de maio.
No prximo domingo, se antes nao for dissolvi-
da a cmara electiva, effectuar-se-ha a eleigo de
um deputado pelo circulo vigessimo segundo desta
cidade.
Dizemosse nao for dissolvida-porque cartas
recebidas hoje de Lisboa fazem acreditar que os
actuaes representantes do povo sero mandados
descangar das fadigas partidarias em que, sem pro-
veito dos seas representados teem consumido todo
o lempo da presente sessao. Ou appellar para a
urna, dissol vendo a cmara popular, ou pedir a
suademisso, eis as alternativas em que collocon
o ministerio presidido pelo Sr. marques de S da
Bandeira, a mogo do deputado Coelho do Amara!,
que envolva a questo de confianga, e que foi ap-
provada na sessao do dia 10 por 98 votos con-
tra 45-
Se a eleigo de um deputado por esta cidade, ti-
ver lugar no domingo, deve elle ser ara dos dous
conlendoreso Sr. Faria Guimares ou
o Sr. Cus-
1 administrar o baptismo, afim de qu, por falla de i todio Jos Vieira.
1 entendimento, nio continu essa alma separada da As juntas geraes dos diversos distrietos do ret-
i nossa igreja, tendo alias to pronunciada dlsposigao' no, que haviam sido convocadas extraordraana-
para oella entrar. mente para examlnarem e plauo geral. de estradas
i Dito ao mesmo. Acenso recebido o sea offlcio i districtaes confeccionado no mnisterip das obras
de 20 do corrente, acompanhando a estilstica des-' publicas, concluiram os seos trabalnas enviando ao
' sa freguezia, por mim sollicitda pela circular de governo as respectivas consaltas com as alteragoes,
! 22 de abril. | qne as mesmas juntas entendern!, que se deviam
Agradego V. S. a presteza com que desempe- tazer no referido plano
nhon esta eSpinhosa incumbencia, e loavo o telo e ; O Sr. Nascimenlo Leo, procurador pelo coose-
caidado com que salfefez circamstanciadaraente a' Iho do Porto propoz, e foi approvado petajuata de-
todos os quesitos qoepcopoz, eontriboindo deste'poi? deouvido o director d^&oirs paWica9 ofeste
r discutido e convertido em lei definitiva da dio-
cese de Vizeu depois de obter a saneco regia.
Deparamos com esta noticia n'uma das cartas
dirigidas ao Commercio do Porto pelo seu corres-
pondente n'aquella cidade, o qual avahando este
importante commelimenlo do Sr. D. Antonio Alves
Martins, accrescenta:
E' sabido que todas as conslitoicoes dos diffe-
rentes bispados, alm de conlerem em grossos vu-
lumes as leis disciplinares, em parte ja' inappliea-
veis, veem pejadas de doutrlna, alias contida as
ediges e cathecismos do concho de Trento, mas
que nada lem que ver nem com os synodos nem
com as constluigdes puramente-disciplinares, e
por isso sugeitas a variante dos lempos, dos coslu-
raes e das necessidades das igrejas.
Bom que se reconhega que a igreja militan-
te nao deve permanecer estacionaria em frente de
uma outra sociedade, cujo rgimen se aperfeiga
progressivamente, segundo o viver dos povos e as
suas asprages, em frente da poca e dos contem-
porneos.
O Commercio de Cotmbra, em um dos seos olti-
mos nmeros, fallando da reforma emprehendida
no quadro dos estudos da facldade de direilo da
universidade, diz que as ultimas congregagYs, a
mesma facldade, se tem oceupado de importantes
melhoramentos na parte disciplinar : methodo de
ensino, rgimen de trabalhos dorante as frequen-
cias, systema de volacao nos actos, meios de dar
aos alumnos um conhecimento mais longo e pro-
fundo dos differentes ramos de to complexa scien-
cia era harmona com as neeessidades sociaes do
lempo, informagoes Iliterarias e de costumes, todo
alh tem sido discutido e estudado com o Gm de di-
latar e elevar a espbfira do ensino superior da u-
niversidade, sendo as ideas que dominam a facl-
dadeo maior aproveitamenlo dos estudanles e a
necessidade de acommodar o ensino as nossas ins-
tituigoes liberaes, de modo que todos os actos do
corpo docente revistan o maior grao de .berda'de
e pobhcidade.
Cm a. Ccaldad de direilo ten eoocorrido s
lar uma fabrica de lamicios com todas as condi-
ges, que um eslabelecimento de lal ordem de-
manda.
O banco do Minho, instituido em Braga, tem
realisada a primeira entrada do capital pedida aos
seus accionistas. Para comecar as suas operages
bancarias falla nicamente que o fiscal do gover-
no, o Sr. Louzada, verifique se se cumpriram as
disposigoes da lei que autorisou a formaco de.-te
novo eslabelecimento de credilo.
A feira.de S. Marcos, na dita cidade, offereceu
este anno diminutos ganhos aos feiranles. Os ou-
rives flzernm algum negocio, mas as barracas de
quinquilhenas tiveram muilos visitantes, porm
poucos com[iradores.
Nos fins do mez passado, alguns offlciaes hespa-
nhes de uma columna volante que entrou em Tuy,
cidade de Galhza na margera direila do ro Minho,
vieram visitar a praga de Valenga que flea era
frente daqiiella cidade! Cumpriraentaram o gover-
nador civil e examinaram a praga, que a melhor
fortillcagao do norte do reino, e uma das primeiras
de Portugal se exceptuarmos a praga de Elvas.
De Felgueiras escrevem ao Jornal do Porto, que
no Io do corrente, fura assassinado o reitor da
guezia d'Uuho conselho de Kelgueiras com duas
baths que o vararam. Aquelle infeliz clrigo pa-
receVjne eslava processado pelo crime de alienta-
do contra o pudor; uma mulher, que Ibe era
affecta, quapdo soube da raorte sollreu um ataque
apopltico do qual morreu.
Subsequente a esta noticia lemos nos jornaes,
que o governador civil do Porto expedir circula-
res etelegrammas para todos os pontos do remQ
para se proceder a captura do padre Joo A. Barro-
sa, parocho da freguezia deS. Miguel, do concelho
de Louzada e Manoel de SouzaMonleiro, aos quaes
se altribue o assassinato que deixamos refe-
rido.
Em rio de Ifoinboe, concelho de Sallam, distrieto
de Vizeu, commelleu-se um crime horroroso. Eis
como o narra o Virialo jornal publicado na capital
daquelle distrieto:
Um tigre disfargado em trages e figura
humana, mas tigre pai e marido, envenenou sua
mulher e seus innocentes filhos II
O sangue fri, e a premedilaco com que fura
perpetrada lio atroz ferocidade denuncia uma de-
pravago moral, e uma falla de sentimentos de
humanidade inacreditavel.
Por em quanlo s orna crcacinha de qualro
annos foi victima. A mai e mois filhos teem sof-
frido muilo mas nao succnmbiram.
O perverso esta preso as cadeias desta cida-
de. Tem estatura ordinaria. Olhos pequeos e re-
dondo*, cabellos alourado?. As feicoes todas pre-
nuncian! um carcter de estupidez "e cruezi, que
apparece como primeira imprcsso ao olha-lo.
A autoridade lomou conta do crime, e o tigre
soffrer as consequencias infalliveis de lo cruel e
atroz aconteclmento.
O sr. delegado nao achando a outopsia bem
explcita fez recolher o estomago, e intestinos del-
gados da innocenlinha para se proceder aos com-
petentes exames chimicos.
No dia 27 de abril ullimo, na povoagao de Mal-
partida, concelho d'Almeida, uma forte trovoada
produzio a ruina e miseria de um dos habitantes
daquella aldeia. Uma forlssima descarga elctri-
ca matou uma pera de 109 cabegas de gado, per-
tencente a Francisco Ferreira, que hoje se acha
redusido indigencia com mulher e 5 filho?.
Na cidade da Guarda comegou a publicar-se aos
domingos um peridico com o titulo o Distrieto da
Guarda. E' em substiluigao ao Maarica que se
publicava na villa de Tranc.oso. Pertence ao ami-
go partido progressista, modernamente chrismado
em partido histrico.
Falleeeram : no dia 24 de abril, na cidade de
Leiria, o visconde do Amparo, 1). Rodrigo Barba
Alardo de Lencastre e Barros, dalgo da amiga
linhagem e possuidor de urna grande fortuna, que
legou a sua filha, nica ; no dia 27 na freguezia
de Abragao, no concelho de Penafiel, o Dr. Fran-
cisdo Monleiro Guedes Mouro.
O mercado conservou-se sem animagao durante a
quintana.
Os snpprimentos de assncar foram : de Pernam-
buco 5,285 saceos pelo Despique II, 5,290 ditos e
9 barricas pela Nona Fama; do Rio de Janeiro,
pela mesma galera, 10 caixas; da Bahia 391 caixas
e 60 accos, pelOAmW(; do Maranhae, 720 sac-
eos, pelo Adamastor, e 1,515 pelo Aurora; e de
Londres 1.314 saceos pelo vapor Reta.
As vendas foram diminutas. Ha falla do braqco
e somenos do de Pernambuco. O branco desta
procedencia sustenta os pregos de 25200 a 25400,
o somenos 25000 a 25100, e o mascavado 15400 a
15700.
O branco, da Bahia, 15900 a 25150, e o masvado
15400 a 15500.
O masvado do Rio 15500 a 15800 e do Maranho
15400 a 15500.
Existem nosarmazens daalfandega 1,336 caixas,
15,595 saceos, 306 barricas, e 505 cunhetes.
No mez de abril despacharam-se 483,549 k|lo-
grammas de assucar no valor de 63:7165000, que
pagaram de direilos 36:5515220.
Imporlou-se de diversas procedencias, 2,502 cou-
ros seceos. A venda, limilou-se a 320 dos do Rio
Grande.
Nos quatro mezes j decorridos do corrente anno
o desparti de prata em moeda exportada pela al-
fandega do Porto foi de 542,270 kilogrammas, no
valor de 18:5005000, importando os direitos em
2715135.
No mex de margo ultim, o despacho de ooro em
moeda foi de 561,830 kilogrammas, no valor de
317:1005000, Importando os direitos em..........
2:8095100.
A alfandega do Porto renden no mez de abril
242:5489400 a saber:
Importacao...... 207:4435002
Exportagao...... 9:8433175
Reexportadlo 409905
Consumo....... 10:9485560
Tonelagem...... 1:2235500
Diversas receitas. 13:0465998
Existencia em dinheiro melalico. 301:9305095
Letras descontadas e a receber. 1,100:6375398
Erapreslimos sobre peuhores... 309:2525280
evedores...................... 924:4735012
Dedosilanles.................. 522:7655077
Notas emeireulago............. 164:6655000
Fundo de reserva............. 100:0005000
Ganhos e perdas................ 20:005785
Banco Unio.
Existencia em dinheiro metlico. 633:9275213
Letras descontadas e a receber. 3,052:5085076
Emprestimo sobre penhores.. .. 484:2935410
Devedores no paiz.............. 1,105:8713650
Uitos no estrangeiro............ 93:7175667
Effeitos depositados............. 4,223:3245985
Diversos depositantes........... 1,191:3515917
Notas em crculago............ 286:1903000
Fund > de reserva ............ 240:0005000
Lucros e perdas.............. 67:4355422
Banco Allianga.
Existencia em dinheiro metlico. 3*4:5715719
Latras descontadas e a receber.. 2,120:7595)45
Erapreslimos sobre penhores... 416:1005094
Devedores no paiz............ 199:8705446
Ditos no estrangeiro........... 51:6205088
Depositantes................ 335:038164
Fundo de reserva............. 300005000
olas em crculago........... 245:3605 00
Ganhos e perdas.............. 43:768665
Tem emittidas 40 mil aeges do valor nominal de
1003000 cada uma. sendo o desembolso, tambem
por aegao de 605000 reis.
IftTJHOR.
AMAZOVt*.
8 de maio -le 1865.
Relatorio eom que o Dr. Ad>l-
pho Cavaleanti de A. Laeerda
cu fresn a admlulstraeo da
provincia do Amazonas, no
dia de maio de 1805. ao 4.
v i ce- p res i I eu te.
Mm. e Exm. Sr.Tendo obtio. por de-
creto, hontem recebido, de 8 de abril ulti-
mo, exonerarlo do cargo de presidente des-
ta provincia de que acabo de fazer entrega
a V. Exc. ; e devendo relirar-me n'estes
dous dias para o novo deslino que son
chamado pela alta e sempre benvola con-
lianca do governo de S. M. o Imperador;
cumpro o que recommenda o aviso cir ular
de H demarco de 1848, depositando as
maos de V. Exc. a falla que eu ia ler a as-
sembla legislativa provincial 10 do cor-
rente, dia de sua prxima installaco. Ain-
da que imperfeilamente, a leitura d'esta
exposigao pora V. Exc. a par do estado dos
negocios relativos ao ultimo periodo de mi-
nha corta administracao ; durante a qual,
releve V. Exc. dize-lo aqu, nao foi de certo
a menor de minhas vantagens a decidida
coadjuvacao que encontrei sempre da parte
de V. Exc. no importante cargo que ento
exercia. Fazendo votos para que V. Exc.
seja muito feliz no desempenho dos deveres
arduos que acaba de assumir co:n a presi-
dencia, eu me congratulo por v la entre-
gue aos cuidados de 15o distincto cidadao
como zeloso e experimentado servidor."
Queira V. Exc. acceitar, com o offereci-
mento sincero de meus fracos servicos, a
seguranca do meu reconhecimento e a de
minha perfeita estima e elevada considera-
Cao.
Deus guarde V. ExcMm. Exm. Sr.
coronel Innocencio Eustaquio Ferreira de
Araujo, 4o vice-presidente da provincia.
Adolpho de Barros Cavalcanti d'Albuquer-
que Laeerda.
Srs. membros da assembla legislativa
provincial.Vindo expor-vos pela segunda
vez o estado dos negocios da provincia,
cumpro, antes de tudo. o agradavel dever
de congratular-me com ella pela reuniao
sempre auspiciosa de seus representantes.
FAMILIA IMPERIAL.
Conserva se inalteravel, gracas Divina
Providencia, a preciosa saude de SS. M.\f.
II. e de sua augusta familia.
Sinto evrdadeiro jubilo em annunciar-vos
os consorcios das serenissimas princezas do
Brazil,
Realisou-se o de S. A Imperial a Sra.
D. Isabel com S. A. o Sr. conde d'Eu no
dia 15 de outubro do anno prximo passa-
do ; e no dia 15 de dezembro seguinte o
de S. A. a Sra. D. Leopoldina com S A. o
Sr. duque de Saxe.
A naco applaudio unnime a escolha de
t5o illustres principes, que perpetuado,
com a dynastia, as sabias nstituices que
felizmente nos regem; e S. M. o Imperador
pode ver como soberano, n'esses solemnes
momentos em qua o seu coracSo paternal
1
r
trervE
fMmLADOl


Mario de *emmbueo Seda felr* & de Junho de 185.
transbordava das mais vivaiAouices, tda- os.
do o seu thruno do amor e recoubecimenlo
de t dos os seos sbitos.
Cabe-me igualmente a honra departid-
sao- costumam, em gaitas
e ponteiras de fle*as.
Mais tarde, dous tapates alli moradores,
comme tiendo igual imprudencia, foram ac-
par-vos que S. A. Imperial e seu augusto commetdos pelo mesmo gento, vindo a
consorte foram visitar algumas das princi- perecer o mais moco, e escapando milagro-
paes cortes da Europa, eieftwonam jegws- smente o irmSo, apezar de recbado em
sar brevemente ao imperio.
RELACES ENTRE O BRAZ1L E AS RE-
PBLICAS DO U6UGUAY E PARA-
GUAY.
Perdidas as esperanzas de orna soluco
pacifica para as questes que traziamos
cisco partes docorpo.
O destacamento de 15 pracas e um official
que eu tinha feito seguir no Piraj para
proteger aquelles habitantes, apenas rece-
bara noticia do pnmeiro facto, nao pode in-
felizmente evitar a sua reproduccjio, im-
pendentes com o Estado Orienta Uveram possivel alias de prevenir no interior das
comeco as operacoes do nosso exercilo c trras ou dos rios deshabitados, onde os
armada na fronteira e as margens do Uru-j selvagens costumam surprender algum ca-
^uay. Cador ou pescador desgarrado, victima qua-
Esta campanha, iniciada p(r uma brilhan- si sempre de sua imprudencia.
te victoria, longflKtfnte disputada ssbre os A autoridade, cono disse de outra vez,
muros de Paysandu, e que encheu de bri- guando tratef do mesmo asstrmplo, ser
Ibo as armas imperiaes, provando anda ( sempre impatente para evitar estes tristes
urna ver. o valor de nossas tropas, valor no-; aconteeime.Ktos. A persegutcSo dos selva-
bremenle realcado por urna e< trema gene-gens, meie que para isso acode a muitos,
rosidadepara com os vencidos, resolveu-se i ainda Ihes exacerbara mais a natural bra-
pela reodi{5o da praga de Montevideo, se- veza. LKiraano-a pelo mfluxo brando da
guindo-se urna paz honrosa para o BrazA. verdadeka catecliese que se pouparao
Infelizmente, porim, nao est termiada|huaamdade essas scenas que tanto a enlu-
nas aguas do Rio da I'rata a lula armada tam.
a que primitivamente fra arrastrado o im-
perio pelas provocares irritamos dos.entao
dominadores d'aquelle paiz, e pela necessi-
tiade de garantir no presente e no futuro a
vida e a propriedde dos brasileiros domi-
ciliados no Estado do Uruguay.
A repblica efe Paraguay, que j anterior-
mente nos mar.ifestra disposicoes hostis,
lomou por pretexto a invasao do territorio
Oriental para romper as relacoes de paz
com o I5r..z!|. incetaado as suas hostilidades
de guerra pelo mais inqmlificavel abuso da
boa fe internacional.
Em seguida, contando com as vantagens
da surpresa, enviou urna expedicao militar
Extracto da parte do dia 3 d. ** e 185. 1 VUtt, roa do Hospicio, ao lado do canal que por
d/S .recolbidos a *** o******) feto I aaij*ssa, verifleoo que o caes que no mesmo ca-
/.""; .. .. **t se esta constrnindo por parte da repartigao das
Thlnhu6 dofubdel?8a ISll0'lscravosfsle de MaDcelLwjr Cai- jm,^ n> t,laDta da*cidade> pois devendo correr
vi^ A ?qn-rqUe e8qD?"e i****** paralelamente aos dous destordmentos da ra ao
lnhL'Apr,me,ro .^"""neno do respectivo, nascente e ao su I, deixando para cada um destes
A' UVaZI ?-r rU8'd- Ial08 ^ra de Plmos/a*ni nao aconlece.
A ordem do da Caponga, Fraoci&co, escrav de, Desde o principio romegou*c*es a inclinar lra
SotKa Leao, por fu- o lado do sol, de modo a eslreilar i ra desle lado,
Jos
gido.
O chefe da S seceo.
J. G.tU Ifuquita.
e aiarga-la do lado de norte, e caso cotinae na di-
reccao em que vai, ficar a ra do lado do norie a
chegar na do Hospicio com a laceara de 0 palmos
~w-----r-.....- -..v-^ t^m w vopii ru luill A l#*BU<* Ul iOU UdIIlM)5
T a f8**^ ,ap01! M,son41 Hamanguape, pouco makou menos, devendo ler 40, e a do lado
vindo de Maeei e portos inlermedios :
Mannel albino Gomes, Jos Feliciana de Naza-
reth, akfloed PilU Wenceslao, Antonio Ita de Si-
queira Rogers, Joao C. de Oliveira, Antonio Jos
de Almeida Costa, Jos Francisco de Mello Carnei-
ro,Dr. Antonio Buarque de Gusmo e 2criades,Ma-
noel Ignacio Rodrigues Praca, Joo Vieira de Li-
ma, Paulino Jos de Almeida, Bartholomeo de
do sul com 20 smenle, devendo ter outros 40.
Faz ootras ponderales a reipeito da difeecJo
dada ao caes, e conclue pedjndo a tmara queJuia
de tomar as providencias necessarias__Deliberou-
se offlciar ao Exm. presidente da provincia, re-
meiiendose-lhe copia deste offlcio.
Outro do mesmo, informando o requerimenlo
em que Victorino Jos Mo'nteiro, pede para que
o dia, e urna ou outra vez parte das noiles; nesses
telheiros nao ha asseio algum, aesroo na occasiao
da venda dos pelxes e intestinos das rezes; ali ha
causas permanentesle insalubridade, e quem quer
que precisar dirigirse essa localidade, respirar
ar corrompido e sentir certa repulsa cora qual-
quer demora ; durante o dia e principalmente a
noile, servem esses telheiros de abrigo a vadios,
maltrapillos e mendigos chagados e cobartos de
andrajos mundaes; os quaes dormerr sobre esses
bancos eu mesas ; quantas vezes, ao erguer-se o
mendigo, coberto de pustults, desses bancos nao o
far obrigado pela presenca do pombelro, que dos
mesmos precisara para vender opeixa que atraves
son ; e pede urna providencia removeros iaeon-
venientes apontadas; pois, alm dos mesmos, con-
vm evitar, que as familias, que babilam as vi-
nhan^as, nao sejam testemunhas de indecencias e
imraoralidades e torpezas, praticadas por indivi-
duos, que antes de terein o pbysico estragado, j,i
se tinham corrompido moralmenle ; de parecer
que se ofHcie ao respectivo fiscal de S. Jos
Lima,'padre Antonio Jos de Olineira, tlvessede passarVma7uaaque na planti da cidade
Firmino da Silva, 2 pracas e 1 preso se acba projeelada, a. sabir na do Cotovello, ra
- Passageiros do vapor brasileiro Parahyba, sa-; que para ser levada a effeito pbriga a cmara a
n,d. para o* portos do norte : desapropriaroes despendiosas'.
Luiz de Pinho Tavares e Antonio Rangel do as- Para a construccao do muro velbo, parece-lhe
c,m,iUl0- Iqueopeciqoario
esse muro, nao expostos venda o peixe e intestinos das rezes, que
> se matam para o consumo da populacho, estejam
sempre limpos; para o que devem ser lavados dia-
riamente pelos proprios vendedores desses gneros
A estatisca dos crimes commettidos no
segundo semestre de anoo ultimo a se-
gmnte' :* -
Homicidios............... ... 2
Tentativa de bomicidio......... ^
Fe intentos graves............. 1
Ferimentos leves.............. 3
Fugade presos............... 2
.Calumnia e injuria............. 1
Total
10
A do semestre precedente registrou 14
delictos.
Houve, pois, 21 crimes no decurso do
ao territorio de Matto Grosso, onde scenas'anno ; o que estabe'.ece em seu favor a se-
de feroz devastacao e inerivel atrocidade as-
signalaram dolorosamente a pas agem dos
bailiaros invaso es pelas povoacoes quasi
indefeias (J'ai|ueUa remota provincia.
Tao enormes attentados nao (carao im-
punes. A desaffronta do lirazil deve e ha
de ser brilhante e lao completa, quanto foi
atroz e inaudito oliltragc Assim o exi-
gem imperiosar.ente a honra e dignidade
nacionaes ; c no-lo asseguram o denodo de
nossas legies, < patriotismo fecundo dos
brasileros, e a sabedoria e zelo inexcedivel
do governo imperial.
VLUMAUIOS DA PATRIA.
O decreto n. 3,371 de 7 de Janeiro deste
auno creando corpos para oservicod: guer-
ra com a denominacao de Vi lutrtarios da
Patria, tetu levantado phalanges de bra-
vos em todas as provincias do imperio.
Para esta i rozada patritica, a do Ama-
zonas lia con-orrido, seno na medida do
santo amor da patria que anima os seus
briosos jlbos, ao menos cm proporco su-
perior as furcas de sua populaco dimi-
nus.
Tendo dirigido tima proclamaro aos po-
vos da priivincia, e solicitado o auxilia das
cmaras municipaes e pessoas influentes
da* localidades, para chamar as armas o
motor numero possivel de defensores da
cansa sagrada que se pleitcia no outro
extremo do im; eri;i, nomeei urna commis-
sao composta dos majores Francisco Anto-
nio Monteiro Tapajoz, Joiq Jos de Freilas
Guimaraes e Joo A5^ da Silva Cout'r-
nh', que ficou inc4\d(r\.4"de promover o
alis amento e ot^anisacao do respectivo
corpn, iiobre tai efa em que estes cidados
teetn empregado zelo e em[>eid)o dignos de
lo uvor.
E vista, ponto, da grande demora que
baveria na expedicao dos Voluntarios, se
pret ndesse ag.u,rdar os que lerao de vir
de lugares lonfjitujuos, trve por melhor fa-
zer inimediatamente seguir para a corte os
que se fossem alistando.
O numero d'estes generosos fllhos do
Amazonas sobe j a G3 ; e quem considera
'a cifra e anidle (Testas populacoes, em ge-
ral avssas ao servico das armas, niio pode
deixar de collar, como eu exalto, cheio de
satis'aro e orgullio, o tributo de patrio-
tismo pago por esta briosa provincii tri-
buto que nao avulta lanto pelo que effectiva-
meme vale, como pelo generoso sacricio
que encerra.
SAUDE PUBLICA.
Nao tem boJIrido, felizmenle, maior alte-
racao a saude publica.
Ligeiros incommodos que acompanham de
ordinario a endiente do rio, foi tudo quan-
to se fez sentir no periodo de terapo a que
se refere esta exposicjio. Isto confirma o
que disse no meu anterior rela'orio sobre o
clima da provi :cia, mal conbecida n'esta,
como em outras muilas relacoes.
TRAIS'OUILLIDADE PUBLICA.
Nenlium facto veio desmentir a coafianca
que j de outra vez manifestei cerca da
boa ndole d'este povo, boa ndole que a
causa principal da plena tranquillidade que
desnudamos.
Para manter sempre lo lisongeiro es-
tado, a autoridade precisara de recursos
muito mais vastos do que possue, se fossem
menos pacificas as tendencias da popula-
cao.
Igual contentamento me assisle por poder
dizer que permanecen* no p de perfeita
cordialidade os nossas relacoes com os es-
tados vi/.inhos, e nao foi internc-rapido o
socego das fronteiras, objecto do meu maior
desvelo.
A eleicao de veroadores e juizes de,paz
da villa de Silves, que, conforme vo* com-
muniquei, fra ligeiramente perturbada no
dia 8 de setetabro doanno passado, sendo
por isso suspensa pela maioria da respecti-
va mesa parocUial, reaksou-se r,egulariaen-
te no dia 16 de oulubro.
Para impedir os excessos das dnas par-
guinte difterenga na cifra da criminalidade,
em rela<;o aos oito annos anteriores:
Annos .Nmeros dos crimes.
1857 34
1858 38
1859 31
1860 40
1861 44
1862 56
1853 50
1864 24
AFRICANOS LIVRKS.
Dando execuco ao decreto n. 3,310 de
Franga.
Passageiros do hiate braslleiro Gracwio; sa-
hidopra o Aracaty :
Joao Octavio Vieira e Francisco Joaquira No-
gueira.
CMARA MlNftlPAL 00 RECIPE.
facto, parece Ihe que, sojwlaudo se o peticionarlo
a semelhanle condicao, se Iheude conceder oque
pretende.Que se renieilesse commissao de edi-
cages, requerimeqto dp Sr. JJr. Miranda.
Outro do mesmain/ormando- o requerimenU) no
qual Bailar & Oliveira pedem licenga para cons-
truir duas casas terreas com frente para a ra do
Brum, outras duas com frente para a ra do caes
SESSAO EXTRAORDINARIA EM Io DE MARCO DE 1865. c'aCa 1ue segundo as novas posturas sobre a ediQ-
Presidencia do Si: Pereim Simoes. caGao D0,s ^rrenos disvolutos, nada lem que oppr
Presentes os Srs. Thomaz de Aquino, Gustavo do a seminante preteofiio, cumprindo-lhe todava
Reg, Dr. Miraoda, Santos, e Silva do Brasil, fal- observar a cmara que leudo o terreno dos peli-
tando com causa os Srs. Dr. Sarment e Losta Cl0na'l0s 60 palmos de largura, e tendo elles re-
Monieiro, e sem ella o Sr- Barros Reg, abre-se a 1uer,!'0 l"""3 no mesmo terreno edificarem tres
sesso e lida e approvada a acta da antecedente. fasas.c.ora 20 Pa'mos de largura cada urna, o que
L-se o seguintH 'nes '"i negado pela cmara transacta por ser con-
EXPEDIENTE : lrano ^ posturas referidas, rejquerendo agora pa-
Um offlelo do Exm. presidente da provincia, de ra costrujrem duas casas smente coro 22 palmos
28 de fevereiro ultimo, communicarido que deven- c a uma vem a sobrar-lhcs 16 palmos, nos nuacs
do ter lugar no dia t do correnle, a uma hora da
larde a absrtura da sessao ordinaria da asseuibla
provincial, recommenria a cmara que mande pre-
parar a gruja matriz da freguezia do llecife, afim
de celebrarse alli a missa votiva do Divino Espiri-
to Santo.Inteirada por se tT j providenciado.
talvez depols venham pedir nova licenga para edi-
ficaren! uuia outra casa, allegando nao terem mais
terreno.A' cornmisso de ediflcacoes, requeri-
menlo do Sr. Dr. Miranda.
Outro do mesmo, inforreaodo contra a petlgao,
na qual Marcelino Jos Goncalves da Fonte, pro-
Uma peticao vinda do Exm. presidente da pro Prie'ario do sobrado n. 40, sito Roa Nova, pede
vincia, mandando a cmara informar, na qnal Cha- para LeV,nlar os oitoes, e fazer em toda a largura
ves & Vlanna, nao tendo obtido licenca para expo- sotao que existe no dito sobrado.A' requeri-
rem a venda nos mercados pblicos dVta capital, ment0. o Sr. Dr. Miranda, mandou-se remetter
mtbo e feljao, recorreram a S. Exc. pedindo pro- conr>"ssao de edifj: ajoes.
videncias em ordem a nao serem tolhidos da mes- yuIro do fl ma liceaca, allegando que reeeberam da provincia PWindo houyesse a cmara de esrlarecer-lhe sobre
das Alagoas taes gneros, pretenden) vende-los nos a sua interveuco oas coxiras particulares, por-
referidos mercados por menos 200 ris, e mais em 9"e w-Ztn alguns dos proprietarios dellas que nao
24 de setembro ultimo, que liouve por ven-;cuia.-Quese informa'sse ao presidente'cora oque de sua competencia, qumdo acha-se esta attri-
niirao determinada pelos artigos 12 titulo 0o das
do de 28 de de-' dlsP5e a respeito a postura.
rirt-v! do I ^Hro o caP'ao do porto, communlcando ter Ps'uras de 30 de juoho de 1849, 12 e 15 da
s ^! chegado ao seu conhecimento, que o fiscal da fre- lura ^''dicional de 18 de jullio de 185o, 28 do
guezia de S. Jos, al de exigir dos pescadores |alaniento de 4 de agosto de mesmo anno, o e 6'
matriculados naquella capitania as suas matriculas, da Post|ira addicional do Io do dito mez e anno e
nao saUsfeito com isso guarda as, obrigando assim "" da Postura addicional de 10 de novembro do
que seus donos andem a procura do mencionado mes,no anno.A' commissao de polica, reque-
scal para Ihes entregar uin documento que Ihes rmenlo do Sr. Dr. Miranda.
pertence,e queso a mesraa capitana pode conce- Outro do mesmo^ dizendo que para dar cumpri-
der ou cassar ; roga por isso a cmara que se dig- ment0 ao 'ine disi oe o art. 5o 2o das posturas de
ne dar suas ordens alim de que nao continu se- de novenibro de 18oo, que trata da limpeza
melhante abuso.Que a capitana sahendo do arbi- *as ras, pravas e de sua irrigago, e como en-
trio tomado pela mesma cmara a respeito dos pes- contr'' alnuus embarazos no cumprimento do mes-
tao mais particularmente a vossa attencao, | cadores, muito a applaude, e declara que por ora mo arliR; Pr Quanto os estabelecidos na ra No-
cido o praso de 14 annos
zemhro de 1853, mandei passar
emancipacao aos africanus que ainda as nao
possuum. Acham-se e.4as devidamente
registradas, na forma do decreto, e elles no
goso de sua inteira liberdade.
CADEIAS.
E' ainda qual vos descrevi no relalorio do
anno passado o estado das prisoes.
Da cadeia de Teff, para que chamei en-
O Sr. GusUvo do Rego,.yotou contra semelhanle
deliberacao.
A commissao de polica, wca do que requeren
Andr Luiz Delooche, e consiste em que seja exo-
neraoo de qualquer debito, que, por ventura, possa
ler Rosa Hardy, para com o cofre municipal; uma
vez que pretende alugar a casa j). 50, em que na
ra Nova, a mesma Rosa Hardy tam estabelecimen
to de modas, para ahi abrir eu estabelecimento
de relojoaria, de parecer, que wja indiferida essa
peticao, por quanto, esUnda formado pela res-
pectiva contadoria desta cmara no offlcio de II de
fevereiro prximo possado, que a referida Rosa
Hardy deve a mesma a quarja de 30000 de im-
posto* atrazados at o ejercicio Ando de 1863 a
IS04, e em seu nome atada AUisa a ser ennecia-
da aqueHa referida casa, ewno de facto foi no
exercicio crrente de 1864 a 1863; claro est, que
e.-te debito, que provera do impostos de qne trata o
art. i' 1- da po tura de 26 de agosto de 1851, e
suas respectivas multas dos infractores, dos termos
do art. 32 do regulamento n. 360 de 15 dejunho
de 1844, a que se referi a le provincial n. 284 de
9 de malo de 1831, e bem como a colleta do exer-
cicio corrente de 1864 a 1865, que deve ser paga
al margo do auno financeiro municipal, nos ter-
mos do art. 51 da citada postura, ou deve ser pago
directamente pela propria devedora, antes de a
succeder nasle estabelecimeuto o peticionario; ou
eniao deve ser paga por este, caso succeda aquella,
sem que a mesma anteriormente o tiDha pago,
como expresso no art, 8 da citada postara, assim
eoneebido.
Ficam sujeitosao pagamento de impostos atrasa-
dos.e a respectiva multa, todos aquelles que compra-
rem qualquer estabelecimenlo, carros, ou carrosas,
sujeitos ao imposto municipal, que por ventura
nverem deixado de pagar os amigos possui-
dores.
E para que a cmara nao seja Iludida nessa
arrecadaea; se deve offlciar cern urgeDcia, ao
respectivo solicitador para que lomando conbeci-
m'ento desle negocio, proceda de modo que seja
pago esse debite, que nao deve ficar fra de sua
vigilancia.
Pa^o da cmara municipal doReeife, lde marco
de 1865. Thomaz d'Aquiuo Fonseca.Dr. Joaiuira
Jos de Miranda.
A mesma commissao, apreseutando anda o pa-
recer que se segup, o qual posto era discosso foi
approvado com um additivode se mandar embol-
sar o ex-liscaJ da freguezia. de Santo Antouio, lego
que por elle for reclamada a despeza que fez com
a reinorao e enterramento da carne aprehendida a
Rellariiiinio Alves d'Arocha. ainda quando nao seja
paga essa despeza pelo infractor.
t A commissao de polica, acerca dos tres offl-
eios do ex.-li.-cal da freguezia de Santo Antonio,
Mauoel Joaquim da Silva Ribeiro; datados o 1 de
8 de fevereiro prximo passado, e os deus ltimos
de 15 daquelie mesmo. mez; sendo que naquelle Io
participa que desde 2 de Janeiro ultimo, tem proce-
dido a corrida aunual, para verificar se esto
afferidos os pesos, e medidas dos respectivos esta-
bdecimenlos, de conformidade cora o art. 2o lit. 11
das posturas de 30 de junho de 1849, proceder a
corridas sanitarias, nos das 27 e 28 de Janeiro
prximo passado, e 4 de fevareir ullimo; com os
vvDienie nS Mo '< cullallvys ioM Nep.,rooceno Dias Fernandes, e
phantiacos sera recolhidos ao ho J la de No s 5fa"S fif ^\ f" a forva a sua
senhora da nonreic-l.-i rtoe I tui-ac oi>posicao proceder a limpeza das ras ugares,.
I que perteiicem a muuicipah Jade lazer; no da 2 de
lizera enterrar um boi
trou as 7 horas da noute,
1 ni0iat"u^'ae P; 37 da ra do Ranjrel, pertencente a
de forern encontrados nos lugares pblicos
com agua da cacimba que existe nessa mesma ri-
beira, depois de se terem utilisado desses bancas
ifinou termo de depioc.aotqu mesas,, que ali siao; evite cum toda a activida-
m pontos de reuniao de
a noite, trazeudo ao co-
camara o procedimento
daquelles que recalcitraren!, com declara^ao de
seus nomes, para que a lolici! os facji puuir.de
conformidade com as leis dopaiz, e aaoconsinta
que naquelles bancos gn, mesas, durmam mendigos
(.bagados cu cdberto de patalas, porque esses iu-
fehzes, ou tem moradia ou nao tem; se tem, devem
ficar em seus a posemos, e se nao tem, a caridade
publica por todas as ra/oes, deve Ibes ento esten-
der a mao para que uo vivam nesse estado de in-
fortunio, e sejam recolhidos aos respeclivos hospi-
taes, como est providenciado no art. 3o til. 12 das
posturas de 30 de junho de 1849, que determina o
seguinte :
Nao sera' permiltido mendigos chagado* ou
accommeltidos de qua'quer affeccao curavel, per-
maneeerem nos lugares pblicos, como sejam pon-
tes, arcos e mercados, nem vagarem pelas ras
desta cidade; os que as.-im forem encontrados, se-
rao recolhidos ao hosplial de caridade, e nelle tra-
tados convenientemente. E sendo captivos os men-
digos, seus senbores, alm de serem multados em
305000, ficarao sujeitos s despezas que se fi'.er
cura o traiainento, nao se admlttiodo a allegado
de que os abandonaram, nem mesmo de que Ibes
derarn a liberdade, uma vez que se prove que tal
fizeram, depois que os escravos furam accommelti-
dos de molestia.
E art. 4o do citado tit 12 das citadas
que accrescntatn:
t Todo o mendigo accommetdo de affecgao re-
putada incuravel, que for encontrado nos lugares
pblicos cima mencionados, ser rceolhido a hos-
pital da Misericordia de Ollnda,
taneleciaiento que for mais con
posturas,
das Para que essa medida.com igualdade reverta em i ^^"^^^S
pos-. favor daquelles que se acharem nestas tristeslcir-; Saawteiado m e ncon m
ir- cumstancias.deve-se quanto antes offlciar a lodos J2 n adamad,
os fiscaes, para que com a devida humamdade, on-! fj^' ?1. i Jr h,
a* r-om ^.-.j__i_____ _....: ruuno Alve de Arucha, contra o qual fez
evadiram se, favorecidos pelas sombras de s tem concedido matriculas a pescadores de longa va^ em frente da igreja da Coneeifao dos militares
uma noute tempestuosa, a 30 de seletuhro d"14 matriculados, e a muito poucos outros dos que e Francisco, prestndose a cumprir o determi-
dous crtminosos de homicidio, que nao po-1 ra'^0m da pesca- ue8ando ,na'r'clas a w** m- no. n,esn' arli a' o meie da ra nao o
deram ainda ser capturados.
Urgindo dar mais seguranca aquella pri-
sa", autorisei a respectiva cmara munici-
pal despender a quantia de duzenlos mil
ris com os concerlos mais indispensavvs.
CumpreJ porm, que consignis verba
suficiente para o seu completo reparo.
Con-ignaca i idntica reclama a da capital
que licar consideravelmeiile alargada com
as obr;is a que mandei dar comeco, oreadas
em 0172b0.
E' assignalada pelo cliefe de polica, no
relatorio, que vos seta presente, sobre os
negocios de sua reparlicao, a carencia, na
povoacao de Andir, de uma casa onde se-
jam recolhidos os presos da localidade, os
quaes, com grande deirimento, saohoje re-
mettidos para Villa Bella, que fica- d'alli
muito distante. Gonvir autorisar o alu-
guel do um predio destinado a semelhante
mister.
O movimento de todas as prisoes, no se-
mestre a que me tenho referido, foi o se-
guinte :
Cadeia da capital.-........... 196
Prisoes diversas............ 132
mero.
A' requenmento d" Sr. Dr. Miranda, mandou-se
rerretier a commissao de polica.
Outro do Dr. Jacinlho Pereira do Reg, commu-
meando terna data de 28 de fevereiro ultimo, pres-
tado juramento, e entrado no exercicio do cargo de
promotor publico desta comarca, para o qual foi
querem fazer at junto das referidas igrejas, em
. desta
cidade, quer as pontts, arcos, mercados on ras
da mesma ; iudaguem desses mesmos cendigos, se
residem ou nao em alguma casa, onde se possam
ser curados: e no caso negativo, lomem nota dos
seus nomes, que deverao trazer ao conhecimento
desta cmara, para que, de accordo cora as leis do
paiz, a mesma, ei lavar delles, possa prestar-se a
caridade publica, que e=tiver seu alcance.
E porque o Dr. delegado, desde que esta cmara
tomn posse de suas altribuicoes, baja presado va
liosos servicos, em favor desle municipio, deve-se
tambera offlciar ao mesmo, communicando-se-lhe
que se tem tomado os mesmos era toda considera
Tota]
{Continuar-se-ha.)
PERNAIKO,
328
V-tf-Cfi:
bevst mm.
O Instituto Archeologico e Geographico Pernam-
bucano, reune-se quinta-feira.
Depois d'amanlia se extrahir a o" parte da
1* lotera da Santa Casa da Misericordia, para cana-
lisae.ao d'agua e gaz no hospital Pedro II (18'J, sen-
do os dous maiores premios 10:0005 e 2:000.
O escrivo dos protestos, Jos Mariano, est de
semana. Cartorio, travessa do Ouvidor n. 12.
O vapor Mamanguape, chegado h&ntem de
S.-gipe e Alagoas, trouxe as seguales uoticias :
Encerraram-se os trabalhos da asseinbla pro-
vincial sergipense, no dia 16 do passado ; tendo,
na noute de 14, sido offerecido um baile de despedi-
da pelos depulados ao Exm. presidente da pro-
vincia.
Em Macei dra-se um conflicto, na noute de 31
do passado, entre a ronda da guarda cvica e al-
gumas pragas de voluntarios, sem consequencia
grave,
Communicam-se o seguinte facto :
* IIm! 'ni, 1" do correnle, fez oito dias que esta-
vaoios na matriz de Santo Antonio a espera da
missa de onze horas, quando presenciamos entrar
um pardinho de luto a buscar unceao para a casa
do Dr. Francelino Bernardo Quinteiro, afim de ser
minjf trada a uma escrava do mesmo; pouco depois
entrou o mesmo portador com uma rriaoca de dous
a tres annos para ser baptizada, trazend um pa-
pel ; moveu-nos a curiosidade, e procuramos saber
o que signifleava aquelle drama, e ento soubemos
por aver indagado queseado essa enanca filha da
escrava, que poucos minutos [alia tomado une-
cao, o dito doulor por um desses actos de philan-
tropia, e eoohecendo na mai da crianca desejos de
lavrar o compleme termo de acbada, poriofrac-
c-io do art. Io do lit. i das posturas de 30 de Ja-
neiro do 1849; e pede que se mande salisfazer a
despeza de 8#000, que litera cora a remocao e in-
lerramento daquelie boi, e por isso que o iofractor
a uao auiz pagar; e nos dous ltimos offlcius tam-
bera pede que se mande pagar a cada um daquelles
facultativas, Joao Neporaoceoo Dias Fernandes. e
Francisco Jos Lyrillo Leal, a quantia de 125000,
importancia de duas corridas sanitarias, a que
proceder com aquelles mdicos, em eslabolecimen-
tos daquella freguezia, sendo com o pnmeiro nos
dias 27 de Janeiro ullimo, e 7 de fevereiro ultimo,
prximo passado, e com o segundo nos dias 28 de
Janeiro fiado, e 4 de feveiro ultimo; de parecer,
que a despezi feita com a reraocao e enterramento
daquelie boi a que se refere o ex-fiscal.no seja paga
pelo cofre municipal; porquaiito.se esse.boi foi es-
quartejado, haveudo infraego do ait. Io do tit. 4o
das citadas posturas de 30 dejunho 1849, e alinal
fui iulerrado; claro est que a sua carne estava
corrupta; e como tal a despeza da sua remocao,
ou enterramento, deve ser antes por coma do
i trez autos dn' do gue da a,unciPalida(|e; em vista do art. 5
pretende Andr Lmzbelonche'eshTlecerVm^fa"- de calcadas dos predios; pede cmara que resol-1 de infra'ccoes relativos" a carros e mnibus^" adas uuslQras- "Uft detarmi-
vista do exposto, pede cmara que o esclareca (So ; e pede-se-lhe que se digne continuar a'auxi-
se deve multar a esses individuos.A' commissao
de polica requerimenlo rio Sr. Dr. Miranda.
Outro do mesmo, dizendo que querendo dar
cumprimento ao que dispoe o art. 18 do titulo ""
das postaras de 10 de novembro de 183o, sobre
nomeado pelo Dr. ioiz de direito da primeira vara ca!Cai1as e passelos dos predios, e allegando os res-
criminal.Inteirad'a. pectivos propietarios que nao pode presentemente
Outro do Dr. inspector da saude publica, Ignacio ler ,uf>ar a disposicao do referido artigo por se es-
Firmo Xavier, declarando que nao tendo o lugar tar cal(ando as ras desta cidade, e inutilisar esse
da casa de banhos, sita no pateo do Carmo, em.que ca'5'"ento todo e qual quer concert, ou factura
pretende Andr Luiz Delonche estahelecer um fa- de calcadas dos predios ; pede cmara que re
brica de chocolate com a;for(a de 8 cavallos, a ca- va essa duyida afim de poder elle fiscal obrar co-
pacldade necessaria par esse. mister, por ser mi- mo ^or ma's cooveoenle.-A' commissao de poli-
niamenie a candada, e nao comportar rom a for(a c'a a requerimenlo do Sr. Ur. Miranda,
da machina, jnlga que um tal estabelecimento u .Outro do mesmo, dizendo que para dar execu-
conveniente a salubridade publica. cao ao art. 2o do titulo 8 das posturas de 30 de ju-
Outro sim, que nao se deve tomar por norma, nno ae '849, que determina que os predios urba-
eomo diz o engenheiro cordeador, a pndarla da nos deverao dar expedicao s aguas pluviaes una
viuva Machado, por que a machina desta tem me- vez 1ue 'cn'iam snmidouros nos quintaes, cobertos
seu alcance,
deste mesmo
nos de metade da forja da machina que o peticio-
nario pretende montar, e o sitio de sua clloracao
est em melhores conrti(5es, quanto porm a tvpo-
graphia do Diario de Pernambuco, nao sendo elle
ento inspector da saude publica, na Ihe compela
tomar conhecimento desse estabelecimento.
Posto em discasso o Sr. Santos, inembro da eom-
e com ralos; roga cmara que se digne deca-
rar-lhe se devem ser multados os inquilinos que
fazem esgotar as aguas para as ras pelos canos
existentes, que dizem elles, serem fetos antes da
postura.A' commissao de polica requerimen-
to do Sr. Dr. Miranda.
Outro do fiscal da freguezia de S. Jos, aecusan-
misso de saude pedio a palavra, e fez ver que ten- do te.r recebido o offlcio por copia do Dr. delegado,
do a commissao examinado lambem com o inspec- re|alivamente a uma carga de farinha que o mes*
lor de saude a localidad^ onde qur o peticionario mo seo'lur diz ter mandado para a praca d'aquella
estabelecer a fabrica, oodcordava com a opiniao do fre?uezia, acompanhada pelo seu ordenanza; diz
mesmo inspector de saude. 1ue nem almocreve, e nem o ordenanca for m a
O Sr. Gustavo do Reg, pede a palavra, e sosten- sua presenfa, mas indagando do guarda "municipal
ta o coutrario do que expoz o inspector de saude, era servico na mesma praca, disse-lhe que liaba
pois est convencido que a fabrica que pretende De- VQdo o tal almocreve, mas que nao consentio na
louche montar, nao prejudica a salubridade pu- entrada delle para a praja por ser um d'aquelles
blica. que foram retirados della como atravessador, e is-
0 Sr. Dr. Miranda pronuncia-se logo a favor da l0 em consequencia de ordem que da cmara rece-
opiniSo dada pela commissao de saude com refe- bei\ em offlcio de 18 de Janeiro do correnle anno.
rencia ao offlcio do respectivo inspector. Fazendo anda o fiscal militas ponderacoes a res-
Nao havendo quem mais pedisse a palavra, foi Peil0 de tudo Quanto expoz o Dr. delegado no cita-
posto a votos se devia ser indeferida a peticao, pas- do offlcio, conclue pedindo a cmara o desculpe de
sou neste sentido, votando contra o Sr. Gustavo do ter sldo lao estenso.A' commissao de polica a
Reg. requerimenlo do Sr. Dr. Miranda.
Outro do juiz de paz segundo votado da fregu- Outro do fiscal da freguezia da Boa-Vista, requi-
zia de Santo Antonio, Antonio Augusto da Fonceea, atando quatro medidas chamadas de cuia, e duas
communicando achar-se em exercicio do dito cargo de meia dita, para a ribeira da mesma freguezia,
por Ihe haver passado a jurisdigao o primeiro vo- Dem como Para a limpeza das ras dmis facSes,
lado, capit Luiz Cesario do Reg.Inteirada. duas enchadas, duas ps, dous ciscadores e dous
Outro do cirorgia Francisco Jos da Silva di- carrinhos de mao.Manilou-se ordem ao procura-
zendo ter recebido uma communicacao do secre- dor Pa[a fornecer taes objectos, entendeodo se
liar esta cmara, no que estiver ao
para que nao soflram os habitantes
municipio.
Pago da cmara municipal do Reoife, Io de mar-
go de 1865'.-Thomaz de Aquiao Fonceea.Dr.
Joaquim Jos de Miranda.
A commissao de polica, acerca do offlcio do Dr.
delegado do Io districto, Luiz de Albuquerque Mar-
ns Pcreira, datado de 21 de fevereiro
pasado, dentro do qua
cujas
communicagao
tario, em que Ihe declara haver a cmara resolvido
que se Iheoffleiasse para que na qualidade de seu
medico, se prestasse as corridas e exames sanita-
rios, sempre que os tiscaes desta cidade tivessera
de a ellas proceder, oa que iodicasse pessoa que a
com o fiscal para saber se < carrinhos existentes
esto ou nao no caso de serem concertados.
Outro do mesmo. participando que Ihe tendo
constado existir na Capunga uma praga para ven
der farinha e legumes, cuja praga se achava esta-
Ctalidadeb que disputavam O trutmpbo ful anles de morrer ver seu filho liberto, tinha-o nian-
bastanle a | resenca do juiz municipal d'es I-dado baptizar Jibertaado-o.semque para isso rece-
te termo, quem encarreguei de aasistir *
ao processo eleitoral.
SEGURANQ. INDIVIDUAL E DE PRO-
PRIEDADE.
esse importancia alguma.
_ t Pedimos a carta de alforrla ao portador, e en-
to vimos nella ama prova do honem bem formado
Sinto ler de registrar no vos casos de atro-
cidade praticados pelos selvagens do tio
Yaupery.affluentedoRio Negro, contra pa-
cficos babitanies do lago Curjua.
No mez de fevereiro, .um individuo que.
de eoragao e espirito religioso ; e nessa occasio
sua custa o subslituisse em tal exercicio ; em opro- be'ecida no quartel do destacamento do dito lugar,
sicao a (al exigencia seja-lhe perrnitiido apresentar Papa alli se dirigi, e encontrou, nao s as medi-
alguraas consideragoes, e confia que a cmara, l- Qas falsificadas, como foi sabedor que o comman-
lustrada e refleetida como reformar a sua deli- danle do mencionado destacamento, e todos os que
beracao, que jextremaraente sorpreheodeu Ihe por alli tera estado, cobravam dos almocreves em pro-
offender manifestamentea f dos contratos. veit0 delles 80 reis por carga, e uma tigella de ca-
Que em la de junho de 1833 foi nomeado pelo da um dos gneros expostos a venda; e dirigindo-
flnado ex-presldente Manoel Zeferino dos Santos, stf ao respectivo subdelegado para Ihe communicar
cirnrgiao vaccinador, edos presos pobres da cadeia occorrido, este Ihe declarara n.lo ser sabedor de
desta cidade. semelhante facto, e dera ordpm para que fosse co-
Que a 16 de revereiro de 1838 convencionon a brado imposto, e entregue a cmara,
cmara om elle encarregar-se lambem do curati- Gommunicou mais o fiscal que o calgamento da
vo dos pobres e dos presos de todo o municipio,
prestando se aos exames e vestorias dos pobres nos
casos crimes etc.
Ora, se entre as condigoes do contrato com elle
celebrado, nao vem consignada a obrlgagao de
acompanhar os fiscaes em suas corridas, se desde
a data da seu eontrato com a cmara al hoje, ain-
ra da Aurora tinha abatido em alguns lugares
onde foram construidos os canos de esgto, e que
continuando assim poda causar algum mal aos
viandantes.Quanto a 1- parte, a cmara ficou in-
teirada, e quanto a 2* deliberoa que se offlciasse
ao director da repartigao das obras publicas.
Outro do mesmo, informando como Ihe foi de-
da nenhuma tinha entendido que elle estivesse obri- terminado, sobre as padanas da praga da mesma
gado a prestar-se ao que agora se Ihe exige, e obvio freguezia, e ra da Caixa d'Agua, bem como so-
que sem revolante violencia nao pode a cmara
iuipor Ihe uma obrigago nova, e qao fe nao su-
Jeitou.
E' verdade, diz alada o mesmo cirurgiao Silva,
que o seu honorario hoje muito maior do que o
era na poca do eeu mralo, e isto talvez tenha
bre a refinago da ra da Imperatnz.Mandou-se
remetter a commissao de sad'e, requerimento
do Sr. Dr. Miranda, e requerimento do Sr. San-
tos se offlciasse ao Dr. inspector da sade para dar
lambem o seu parecer.
Ontro do administrador do cemiterio publico da
produzido uma impresso desfavoravel, mas alm freguezia de S. Loureogo, remetiendo o mappa dos
deque todas as eoosas tenham subido de prego, enterramentos que no mesmo esta beleeimento se fl-
no era possivel que s os honorarios se conservas- zeram desde 11 20 do corrate.Ao procurador,
jem estacionarios, as obrigagoes que se snjeitou, A commissao de polica apreseatou os quatro se-
se tem tomado maito mais onerosas, principalmen- Riotes pareceres, que sendo poslos em dlscussao,
tea de corar os presos pobre?, visto como s na foram appro vades, e se expediram as ordens no
enfermarla da casa de detengao o movimento an- sentido delles.
nual de peno de 700. a commissao de polica, acerca do offlcio do Dr.
.-, ,_ ...-.....>, Mv, *aimais afgumas ponderagSes, e conclue apre- delegado do dlstricto, Loiz de Albuquerque Mar-
arrajtrado pelo prazer da caca, se internara TFtKoM^wii. -r taan ^ /,ocTloi de ns- *a,6'e d0U8 mapPas Uns PeKira> dalad0 de 8 defeweiro prox mo pas-
h1V. a ..- ,rem Mr levados ao co demonstrativos dos doeotes curados nos annos de sado, no qual participa, -iue ao nascente da riheira
nhecnient do publico, e a Vmccomoura dos que 1862 e 1863, e breve remetteria o de 1864.-A' pelo lado externo, em toda a
soubemos que esse distinelo patricio nosso, desde o
auno passado, que solfre reveses da fortuna, e com
tudo sempre mostrndose tranquillo e indiflereote
ao rbjor da fortuna, que eoatra elle sempre se tem
mostrado.
Foi testerouoha desse faci o Rvd. Sr. padre
Ribeiro, que fra quem esteve cora a carta lendo-a
no mato, fui assaltado por uma grande
borda de indios Yaumerys, que p acaba-
rata ,flexa giru o cadver dissecado, e carregando
com os ossos do infeliz, p'ara sem duvida
mullas impnrtam todos na quantia de 1905000,
de p?.rerer que, extrahindo-se copias auUienticas
desses originaes que dever i ficar archivados na
s-cr--taria desta cmara, se entregue os mesmos
ao respectivo solritador, para que este com ur-
gencia, e de accordo com oadvoga'do, quanto antes
promova judicialmente a arrecadacao dessas mul-
las, caso os infractores uao queiram anda recoihe-
las ao cofre municipal, independente de qualquer
procedimento judicial.
Pago da cmara municipal do Recife, Io de mar-
go de 1863.Thomaz de Aquiuo Fonceea.Dr.
Joaquim Jos de Miranda.
A commissao de polica, acerca da duvida que
foi apresenlada pelo fiscal da freguezia de S. Jos,
Joao Xavier da Fonceea Capibaribe, no offlcio de
13 de fevereiro prximo passado, e consiste em sa-
ber, se qualquer i-utro individuo, que nao estiver
matriculado na capitana do porto como empregado
oa pesca, embora tenha alcangado licenga da mes-
ma repartigao para ter jaacadas empreadas na
pescara, pode vender o peixe no mercado seu
cargo ; de parecer, que s aquelle que estiver
matriculado naquella repartigao, como empregado
ua pesca, possa vender o peixe as ribeiras ou mer-
cados pblicos desta cidade ; porque o contrario
disso trara' abusos, nem sao prejudicados aquelles
que nao estando matriculados, alcangam licenca da-
quella mesma repartigao para terem jangadas na
pescara; porque podem vender o peixe, sem que
seja preciso lvalo para as ribeiras ou cercados
pblicos desta cidade ; onde convm evitat com
toda aclividade o apparecimento dos atravessado-
res, que especulam cora a fome da populaco deste
municipio.
E, para que, respeito da medida, que j loi
tomada por esta illuslrissima cmara, nao appare-
gara duvidas dos outros fiscaes; neste sentido se
deve offlciar aos mesmos para seu governo.
Paco da cmara municipal do Recife, t de margo
de 1863.Thomaz d'Aquiuo Fonseca.Dr. Joaquim
Jos de Miranda.
A commissao de polica, acerca da duvida, que
foi apresentada pelo fiscal da freguezia do Poco da
Panella, Henrique de Miranda Henriques, ao offlcio
de 13 de feveiro prximo passado, e consiste em
saber se a disposigao do art. 16 tit. 9o das posturas
de 30 de junho de 1849, apphcavel aos animaes
que se encoutram a vagar pelas estradas, e cami-
naos dos territorios daquella freguezia; ou se s-
mente enteddida era relaco a cidade, como diz,
que parece depreheuder-s; de parecer, qu
aquelle citado art. 16 do lit. 9o das citada posturas,
nao tendo applicago na cidade, porque na mesraa,
ninguem tern gado vaceum ou cavallar,ou outros
animaes sollos em terrenos destinados para lavou-
ras; claro est, que smente applicavel fra da
cidade, e se em visia deste citado art. 16 do tit. 9
das citadas posturas, toda aquella pessoa, que tiver
gado vaceum, ou cavallar.ou outros animaes sollos
em terrenos destinados para lavouras, sera obla-
da a ter o lugar cercado, e pastores sufflcienles e
com as devidas cauellas, para que os seus aoi
maes nao offendam as lavouras dosvisinhos; claro
e t que essas posturas sao applicaveis aos ani-
maes que estiverem fra dos cercados, sem pao-
res sufflcienles, e sem as devidas camellas, de
modo que offendam as lavouras dos visinhs: e
como taes seus donos esto no caso de serem mul-
tados; pois que nada menos importa do que darem
r a que taes animaes, que assim forem encon-
os a vagar, offendam as lavouras dos visinhs
do que mutas vezes resultara cooflick s, que lam-
bem convm, que sejam com lodo o cuidado evita-
dos ; para que se realise mais esse pensamento I
preventivo, que presidio a confeceo daque.las!
postaras; e neste sentido se deve offlciar ao dito I
fiscal, para qae fique esclarecido a tal respeito.
Paco da cmara municipal do Recife, Io de margo'
de 1863.Thomaz d'A'iuino Fonseca.Dr. Joanuim
Jos de Miranda.
tem prestado relevantes servicos nossa provin-
cia, pedimos qae o faga, para assim servir de lie-
gao aos raaos senbores.
Sou de Vine., etc.
KEPABTigAO DA POLICA :
commissao de poJicia, requerimenlo do Sr.
Miranda.
A mesma commissao apresenton tambera o s-
extengao, mesmo no gninte parecer, que depois de multo discutido, ficou
fronteiro. existem telheiros. em qoantldade e addiado at que o solicitador, a quem se raandou
K5l-J^
que vai edificar Vicente ferreira da Costa na Boa- mortas para o consamo da populaco, isso durante i indicado.5 P
se amigavelmente
no mesmo parecer
daquellas citadas posturas, que determi-
na o seguiote.
Os animaes, que oao tverem dono, sero ater-
rados a cusa da ruuniclpalidade ; os outros e as
carnes corruptas, a de seus respectivos donos.
E para que o infractor uao se furte ao pagamen-
to da respectiva multa, e despeza feita cora o en-
trramelo desse boi, com urgencia, se deve offl-
ciar ao fiscal que succedeu aquelle, que fez essa
represeotago, para que, entendendo-se com o
mesmo, quanto anles, e obtendo o competente ter-
mo de adiada, por infraego dessas posturas, e no-
mes das pessoas, que at foram empregadas ua re-
mocao, e enterramento da carne desse boi, que foi
encontrado esquartejado naquelle agougue; ese-
rao outras tantas teslimunlias, que serviro de
prova dessa iufracgo; se proceda judicialmente
contra o mesmo infractor; caso nao queira pagar
a multa e mais despezas do enterramento dessa
carne, independente de condemoago judicial; pa-
ra que afiual seja embolgado o respectivo ex-liscal,
que pede esse pagamento; assim como receba ain-
da ilo mesmo seu antecessor todos os outros termos
de infraeges, que tverem sido fetos desde o da
2 de Janeiro do correte anno, at o dia em que
deixou de permanecer no exercicio de sen cargo,
com declaraco dos nomes das respectivas testimu-
nhas, urna vez, que era dito offlcio se declara ler-
se lavrado os competentes termos dessas iufrac-
eoes, que foram verificadas; para que lambem se
proceda judicialmente contra os ontros infrac-
tores; caso tambera nao queiram pagar as res-
pectivas multas, independente de procedimento ju-
dicial.
E a respeito do honorario dos mdicos, por cm-
quanto tanibem se deve offlciar a cada um delles,
para que declaren), por escripto, a quantas corri-
das sanitarias se prestaran^ na companhia daquel-
ie ex-scal; porque em um dos ltimos offlcios
datados de 15 de fevereiro prximo passado, se ac-
cresceula urna corrida, que se diz ler sido feita no
dia 7 daquelie mesmo mez; entretanto que sendo
esse da anterior a data do primeiro offlcio de 8
daquelie referido mez de fevereiro, nelle nao se
coinprehende essa outra corrida declarada em ne-
nlium daquelles ltimos offlcios datados de 13 des-
se mesmo mez; e feito isto, depois da inlormago
desses mdicos; se deliberara o que fr de justica.
Pago da cmara muuicipal do Recife, Io de mar-
go de 1863.Thomaz d'Aquiuo Fonceea.Dr. Joa-
quim Jos de Miranda.
Nao leudo sido contratada a publicagao e impres-
so dostraballios muuicipaes por ter someote com-
parecido um pretndeme, mandou-se novamente
annuociar para o dia 8 do crreme.
Despacharam-se as peligoes de Antonio Soares
de Carvalho, Antonio Augusto de Lima, Antonio
Pedro da Costa, Antonio Pedro de Souza Soares,
Antonio Gomes da Silva, Andr Jos Ferreira da
Cunha, Antonio Ramos,-mordomo da junta admi-
nistrativa da Santa Casa da Misericordia, Firmo
Larneiro da Cunha, Francisco Flix Cavalcante,
Jos Manas Lopes, Hearique de Miranda Henri-
ques, Henrique Jorge, Joo Antonio Pereira d'Oii-
veira, Joao Baptisla d'Oliveira (2), Joo Chrysusto-
mo Pacheco Soare, Joaquim Tavares Rodovalho,
Joaquim Fraocisco de Paula Esteves Clemente, Jo-
s dos >antos Ramos d'Oliveira, Joaquim Jos de
Santa Anna, Joao Jos de Macedo, Joaquim Fran-
cisco Alm Jos Antonio da Co.-U Siqueira, Jos
Pedro de Santa Anna, Joo Donnelly, Laiz Ignacio,
Luiz Jos da Costa Amorlm, Lourenco Jos de Mo-
raes Carvalho, Manoel Fructuoso da Silva, Manoel
Jos d'Oliveira Lima, Manoel Antonio da silva
Rios, Miguel Agostinho do Rosario, Miguel Ferreira
Pinto, Miguel Jeronymo Nones, Marcolino Nunes e
outros, Tiburcio Valeriano Baptisla, e levantou-se
a sesso.
Eu Francisco Canuto da Boaviagem, secretario a
sobscrevi.-Pereira Simoes, pro-presidente.Sao-
tos.Dr. Miranda. Fonceea.Reg.Silva do
Brasil.__________
CHR0MC4 JUMARA
TRIBUS AL DO COlIHEiRCIO
ACTA DA SESSAO ADMINISTRATIVA DE 1 DE
JUNHO DE 1865.
PR88IDBSCIA DO EXM. Sn. DBSEMBARGAOOB
ANSELMO FRANCISCO PSRETTI.
As 10 horas da manhaa, estando reunidos os Srs
?V.
I
*
*
,-



depuiados Rosi, C. Aitofwad., Bao e Miranda
Leal, e presente o Sr. desembargador fiscal, o
Eim. Sr. presidente declaron abarla a sesse.
Lida, foi apptpvada a acta da rara amane-
de ate.
EXPKM1NTB.
Um arijo do Exm. Sr. conselheiro Jos Thoam
vaburo de Araujo, de 12 de mu Ilude, eootauni-
cando ter sido comeado ministro e secretarte de
estado dos egueres da justica, por deenewda es-
ma data.Maodouse aceusar a recepeis-a archi-
var.
Outro do Exm. Sr. conselheiro Dr. Antonia Fran-
cisca de Paula Souza, da ursina data, conwouui-
cando tambem ter sido nomeado mioi>tro e secre-
tario da estado dos negocios da agricultura, com-
mercio e obras publicas, por decreto de igual data.
Maodouse aceusar a recepcao e archivar.
Uia offlcio do secretario do tribuaal do coramer-
cfo da capital do imperio de o de maio lindo, re-
metiendo duas relaces de comraerciantes all ma-
triculados no decurso dos mezes de marco e abril
ltimos. Maudou-se acensar a recepcao, e arebi
var.
Disinbuio-se ao Sr. deputado Baste, o livra co-
piador de Jos Joaquim Pereira de Medonca.
DESPACHOS.
No requerimenlo de Jleliodoro Acacjo fiarxairos
Rangel, pediado qoa Ihe sejara Uansenlas os li-
vros de Jos de Sampaio CaeUto, qua campee e se
achara anda neste tribunal :4'rove o que allega,
juntando documento relativo compra da massa
de Coelho.
No de Jnao do Prado Martins Ribeiro Jnior, pe-
dindo certido do nu(ero de .caixriros de l'hipps
Brothers & C, que Jotn leito registraf suas uoaiea-
ces :Passe.
N'outro do msmi, apresentaado a sua noaaea-
cao de caixeiro da Phipps Rrolbers & C, para ser
registrada :_R-gistrc-se.
No de Jlo Luiz Ferreira Jtibeiro, anresentaodo
cinco procurares paja, serem .registradas :Sella-
da urna das procuraefies que.ajunta, volte.
No de Joaquim Mauleiro da Cruz, apresentando
tambem duas procurasoes para serem registradas:
Reiristrem-se.
No de Luiz Amavel Dubouroq, pediade o regis-
tro da [irocuratio No de Jodd A lateada Lima, pedindo o repistro
do distrat j uV sociedad* de Castro ao Sr. destunbarxadoc fiscal.
Coi Hifa-raacao di Sr. desembargador fi-eal :
No de Hilarle CarvalHo & C, pedindo o registro
do distrate de sua sociedad* : lb>gh>tBo-*e-e pu-
blique se.
No de Jos Litis Goncalves ferreira e Manoel
Alves G-catves ferretea, pediado o registro do
sea contrato de sorieaa&e ; tte^istre-se e publi-
qua-se.
No de Joaquim Franasee Lavra, pedindo ser ad-
mettida matricula de coaraierciaau ; Como re-
quer.
No de Manoel Antonio Ritieira, Jne Francisco
dos Santos Belarmmo Goncalves de Albuquerque,
pedindo o registro do s.-u contrato de sociedado :
Regstrc-se e publique-se.
No de Jos de Azevel) Maia e Silva, pedindo
ser admeltdo matricula :Corno requer. '
No de Thumaz Jos da Silva, pedindo o registro
cer fiscal.
i\os autos de rehabilitarlo de Carlos Jos Aslley
<& C, representada pelo socio Rodolpho Krukem-
berg : Aprsente urna certido para provar que
os procuradores que receberam dividendos esla-
vam par* i6so an orisados, bem como para arena
quitaco.
Nos autos de rehabitaeao de Jos Antonio Mo-
reira Dias :Fai concedida a rehabilitacao.
Na duvida proposta pelo Sr. ofllcial-maior da
secretaria sobre o repistro dos documentos apo-
sentadas por Bailar & Oliveira : Ni) procede a
duvida, pelo que saja flfolndn o registro deter-
minado.
Nada mais havendo a tratar, Jo Exm. Sr. presi-
dente, eoeefrou a sessao as nze horas e meia da
raaaba.
SESdAO JL'DICIARIA EM 1 DE JUNIIO
DE 1865.
PRESUreBCU. DO EXJJ. SB. DESF.MBAIWADOU
A. F. Pl.tfill.
Secretario, Julio Guimaraes.
As l|# horas da manlia o Exm. Sr. presidente
abri a sesso estando ramudos os Srs. desembar-
gadas Rei- e SUva, Silva Guimares, Costa Malta
e A xioli, e os Srs. deputadixs Rosj, Candido Aleo-
fonJo, Bast, "MirauJa Leal e suppleute Autonio
Luiz dos Saetos.
Lid, foi approvada a acta da sessiie antece-
dente.
Retirando-se o Exm. Sr. presdanle da sala das
ses-oas assumio a presidencia o Sr. desembarga-
dor Costa .Molla, e antiou em julgaineuto os em-
bargos que pendem da apiiellag.io, em que o Exm.
Sr. presidente suspeite, entre partes :
Appeliante, o Dr. Prxedes Gomes de Souza Pi-
tauga ; apuHado, Oetaviano de Souza Franca.
J)tsprezaram-se os embargos.
Reassuiriiudo a presidencia o Exm. Sr. desem-
bar^ador Perel, seguirau>-se os julgameotos abai-
xo descriptos :
Apiioliaoie, Cailtdii Moreira da Costa ; appella-
do<, Antonio Guedes Goudirn eonlros.O Sr. sup-
plente pedia ada nenio e foi deferido.
App-llanles, os adrBkiistradores da massa fallida
de Amoriin, Fragoso, Santos & C.; apjtaUadft
.:z Jo da Silva Guitnaraes. Foi confirmada
a sesteuca appellada.
Appellantes, Sampaio Silva & C ; appe'lado, An-
Dnio Jos de Castro. Recb ;ram-S3 os embar-
gos.
Appellantes., Sampaio, Silva & Companhia ; ap-
pellados, os administradores da massa fallida de
Manoel de Azcvedo Ponies e outros.Foi reforma-
da a scnleiica appellada.
Appellantes, A. Srhafter & C.; appellados, An-
tonio Luiz de Oliveira Azevedo <& C.
Appeliante, Manoel de Mosquita Cardoso; appel-
lada, a Juvivi do Novo Banco de Pernambuco.
A;ipellante, Manoel Candido Rocha da Andrade ;
appellados, Saupaio, Silva i C.
Appeliante, Manoel Ignacio de Siqueira Caval-
c.ml ; appellado, Joaquim Salvador Pessoa de Si-
queira Cavalcante.
Appeliante, Manoel Antonio de Azevedo ; appel-
lada, Jos Antonio Alves Neivas.
Appellantes, Jas Goagalves Malveira, boje sens
therdeiros e os curadores fiscaes da massa fallida
de Jas Marqoes dos Sames Aguiar & C.; appel-
4ados, Jamos Crantree St C.
Foram adiados a pedido dos senhores
tados.
DESIGNAgO DB DA.
Appeliante, a etnbaagante 3a Esmeralda
da Conceijao ; appellados, SchatTeillin & C.
Primeiro dia til.
PASSAGENS.
Do Sr. desembarca Jor Res e Silva o Sr. des-
embargador Silva Guimaraes:
Appeliante, Manoel Jo. Machado ; appellados,
os curadores fiscaes da massa fallida de Jos Mar-
gues dos Santos Aguiar S C.
Do Sr. desembargado!- Silva Guimaraes ao Sr.
desembargador Accioli :
Appellantes, os administradores d massa fallida
de Arnorim, Fragoso, Santos & C.; appellado,
Joooceocio Garca Chaves.
Do Sr. desembargador Accioli ao Sr. desembar-
gador Res e Silva:
Recorremos e recorridos simultneamente.Ma-
noel Moreira lavares e D. Leopoldina Mara da
Co autorisacao do juizo.
DISUUBU1CAO.
Ao Sr. desembargador fteis e Silva :
Appeliante, Balarmiuo Alves de Ardcha ; appel-
ado, Manoel Pereira .Montetro.
Ao Sr. desembargador Silva Guimaraes :
Appellantes, o^ aiminwtradores da massa falli-
da de Amorim, "ragoso, Santos i C.; appellado,
y Dr. Manoel Franrtsc> reixoira.
Appeliante, D. Mana Magdalena de Alineada Ca-
< 1 abo; appellada, D. Anna Josepha Pcwira dos
Santos.
Ao Sr. desembargador Accioli :
Appellaate*. os adoiinislraderes da massa falli-
da de ah >rim, Pragoso, Sanios \ C.; appellados,
AOOBAVOS INTERPOSTOS DO JUIZO ESPECIAL
DO COUMEBQIO.
Augravante, Beraardino de Miranda Albnquer-
que ; aggravado, Autonio Climaco Moreira Tejn-
JUM-l.
A#gr.ivaote, Jos Antonio Vieira; aggravado,
Domingos jos da Cnnha Ligas.
Aggravante, Ijjnaao Nunes de Oliveira ; aggra-
vado, Jos Ignecie do Val.
Augravaates, Magulhies Bastos & C. ; aggrava-
dos. os caradores fiscaes da masta fallida de J0J0
fiaptisia Goncatoes Bastoj.
O Exm. Sr praeidwite iwgot piutlita. ordem da caixa matriz de 4 da corrente, e da de- Licinlo Poratao Xasfrcn e Asdrade..
Nada mais havendo a -iratar-se o Ktm. Sr. are-' claracSo da caixa da amortisacao, abaixo copiada, Looreoco Jasiaataao de Sonta Lima..
sidente encerrou a sesso as duas horas da tarde, e
declarou que estavatn dadas, as ferias.
13,333:333J330
H^55:335550
4,62:2m0' dem do dia 3
l,tmrlmt Brasfllan Baak (Ll
mltcd).
Capitel do banco 15,000 aeces
a 100.......
Accoes eraittidas 13,000 a 100
Capital pago a a? iO par accao.
BALANCO DA CAIXA FILIAL EM PERNAMBUCO, |
EM 31 DE MAIO DE 18C5.
ACTIVO.
Letras descontadas ....
Crditos diversos, outros ban-
cos-e caixas liliaes ....
Caixa :
Em moeda corren-
te......473:1075250
Depositada na Caixa
Filial e Novo
Baaco .... 300:0005000
contina a receber sem descont s notae do go
veroo do valar de 1005, 3' estampa.
Caixa filial do banco do Brasil 31 de maio. de
1W3.
O guarda-livros,
Ignacio Nunes Crrela.
120500 50 (randelJM tarrada.', 10 arrobas de estopa de" I-
165667 godo, 100 cernios de Alele azul, 1O0 ditos ie di-
Antonio Jos da Contra Gntmaraes... 405903 to encarnado, tonetada? ioglezas de ferro bru-
Lmza FraMisra. da.Cotm, vi uva fe | lo, 4 arroba de mialhanpara faavtaf, 16* tahuas
Francisco Firmo Montelro......... 665666 de cedro de orna pdlcgadi de rossara, 24 ditas
Pedro de-Maattwa Pewiw.-........ 1835320 de tres traartes de pollegada e SOltames.
3451*0
ALFANDEGA.
Rendimento do dia 1 a 2......
2,005:4285^0
1,141:8335730
775:1075430
PASsiro.
Capital forneeido pela caixa ma-
triz....... .
Depsitos.......
Crditos diversas, outros ban-
cos o caixas rtliaes. .
3,922:3695000
88S:8885890
1,38!:529580
1,650:9515020
3,92-2:3695090
Recife, 2 de junho de 1865.
W. J. Haynes,
Accountant.
: f a.,.,,
GOMHNISADOS.
Tendo sido um dos deputados da minora da as-
sembla provincial, que votaram contra a preteu-
cao do Sr. Francisco Pi da Silva Valenca, julgo
conveaente escrever algumas linlias, pira que se
veja que essa minora proceden aceriadameBte.*
Em 1853 foi apresentada assembla proviacial
urna pretengao do Sr. Pi Vaien^a que pedia morato-
ria, e poreiJaeinpenliaodo-seo Sr. desembargador
Figueira de Mello, emseu discurso pronunciado
na sessaa de 8 de mareo desee auno, disse o se-
guirte:
t Domis, o arrer*tale Pi Valenga, nao pede
sanio urna moratoria, e esla moratoria nao defrau-
da a fazenda em nada daquillo que se Ihe deve,
apenas urna demora de pagamento por certo
lempo, e esse pagamento anda as.sim feito com um
juro de 9 por rento cora o que a fazenda ganha.
Attendam-se as circunstancias extraordinarias,
em que se achoa o arrematante Pi Valenca, e se
conhecer qws na realidade uo poda elle deixar
de solTrer grandes prejuzos durante o tompo do
scu ooatrai-to, e que au torna por Unto digno da
graea que requer.
Julgo, pois, muit razoavel a resologao que se
discute; a fazenda sao prejudicada, ao passo que
tambora nao arruina a um cidadao a quem a for-
tuna nao foi. favoravel Por isso voto pelo pra-
jecto.
Oppendo-se o Sr. Correa de Brito pretencSe do
Sr. Pi Valnaoa, e respooderid losoem si^guida ao
Sr. desembargador-Figueira de Mullo, assim se ex-
primi :
t O nobre deputado, que acaba de fallar, disse
que no relatarlo da comrnissao de fazenda e orea-
mente, que prened* M projooto qwe se diw.ate, se
acham suffirientementa desajvolvidas as razSes jus-
tificativas do masmo projecto. Mas vejamos o que
se contm sesee relatorio. (l)
V-se, pois, que todo a fundamento do parecer
que preceda ao projeoto.eque por conseguirte teda
a base deste a dcaslacio da rebtiao rfe 18't8 a
1849: mas, para que este fundamento seja tao soli-
do quantoo querem o parrner o nibreleputado,
supponko iwiispeasavel prov*r-ee que a revoturdo
actuou sobre os termos d* Floresta, Garanhuns,
Cimbres e Bonito, comprehendidos no contrato do
peticionario, de modo a priw-lo da arrecadar aDi
o subsidio das carnes verdes. Entretanto i-to o
que resta averiguar, porque a rebelliao nao lavrou
por todos esses termos, en alguns dos quaes nem ao
menos tocou...*
Do que lica citado se deduz nao so que o arre-
matante se sujeilav a um juro de nova por canto
ao auno, sead que a razad quase dava, isto de
ter a rebellia invadido os termo queeuAravara no
contracto, tornando-s- por istoimpossivel a cobran-
za do imposto, desapparecia.
E' sabido que a thesouroria provincial paga ju-
ros em consecuencia de empreslirnos contrahidos,
e sabido tambe 'ue, se todos pagassem os sens
debites, esaas emprestimos nao seriam avultados,
nem pagara ella tantos juros. Como, pois, pagando
ella juros do que deve, nao ha de cobrar os juros
do que Ihe devido ?
Seja o qua for: votei contra a pretencao do Sr.
Pi Valenca; e todas as vezes que tiver a honra de
ser deputado provincial votare] contra ella, do raes-
mo modo que contra todas as pretenrjoes a abates,
que se no basjarom-nas'ronilrcesdos resptoMos
cofltraotis, embora eu seja excluido dos elugios dos
pretendentes.
Um dos depuladiuosda inoria.
-P!
ffw
mm
m
depu-
nira Se Di*. Manuel Francisco Tci-
xeira.
Por vezes, como que as maos da Providencia,
teniio-me visto na necessidade de recorrer ao pres-
tigio medico de V. S.: graves incommodos soffren-
do em minha saude em diff-rrutes occasioes asr-im
o tam permtiido; procurei-o pois, como um dos
mais jlluttrados mdicos da minha provincia, e
tive sempra a fortuna de auferir bons resultados
em Importantes curativos que V. S. me fez.
A medicina ministrada pelo homcm puramente
da sciencia se torna quasi sempra mais efjficar., as-
sim oiem V. S. provado, prestando a sua provin-
cia um servico iocateulavel de philaolropicos e
admiraveis curativos, valendo cora a mais boa
vontade a classe necessilada, a cujo numero per-
tengo.
Com essa publica manifestacao pretend signifi-
car a V. S. o meu eterno recohecimente, digne-se
de acceita-la, que mais nao posso eu dar.
Recife, 1" de junho de 1865.
Jos Cardozo des Santos.
Mara
a-w -
Tendo alguem, mui de proposito-----, espalhado
a noticia que eu eslava arrepentido da reraogao
que, aedido meu, S. Exc. o Sr. presidente se dig-
nou conceder-me da cadeira da povoagio do Cor-
rente para a de Poota de Padras; e que eu vinha
de novo solicitar de S. Exc. a graga de car no
Corrente, cumpre-me declarar ao respeitavel publi-
co, e, principalmente, as pessdas a quem se teui
dado tal noticia, que falsissima.
Recife, 30 de maio de 1865.
Antonio dos Santos Falcao.
MOV MENT DA ALFADEGA.
Volumes entrados cora fazendas___ 118
com gneros..... 281
Volumes sabidos com fazendas.
cora gneros.
Descarre*am no dia 5 do corrente.
Brigue inglez Rosalieraereadoriae.
Brige ioxte~Pant^#vionos. e cernadlo.
Barca inglezaAnn Lizzie -farmha, de irij^>.
Brlgue hanoveriano Johanes farinna de ti
Brigue inglez Izabella fi(/r/-bacalhao.
Barca iaglezaLomoa/dw resto de vinbo e lijlo, i
Barca ingleza -Mirsiidaplvora.
Escuna portuguezaD. J0S0 charque.
Sumaca hesnanholaMcrceditaidem.
Brigue nacioualCardiadem.
Brigue nacional lmporador -idem.
Barca ingleza MarijBonrlcarvo.
Barca ingleza Atxmaide-m.
RECfUfiDORIA DE RENDAS INTERNAS
P RAES DE PERNAMBUCO.
RendhnerKo do dia i a 2......
dem do dia 3 ................
JefiePtw de Seaiw
AlaxadrJa*'r(>sea Mamaus, viuva
de Antosto JoaqawDde Setna Timb
, Anta ato JoaaaM de Sorna Ti ab
41:7785630 (tres nos de)..................
21:4545051 Arsenw Sstao Borges.............
---------------Ante Luiz Teixtrtra Campos......
63:2S2568& JoaqsHn Meqailiaode Souea ?aatiago.
Qmnteifa & Agr.................
Francisco Jos Falcao..............
Gnardiao do concento dos francisca-
nos; (Fr. JoaO Bapttsia do E?pirito
Santo).........................
Fr. Jold Baps( do Esptnte Santo...
IgnatSa Senhwriaha da Soma Foi gado
345' Carolina Augusta de Maraes Foi gado.
Dr. Cbristovao Xavier Lopes........
Einpregados da juizo dos fetos.
Jos l'olycafno de Freitas.........
Francisco Xavier Pereira de linio...
Jos Fraaewco de Paula............
Riearde Jos Saartage.............
Secretaria da iliesowaru iie fazenda de Pernara-
EffeeKiae coasslha-o coatmto do Mrneciniento
e pramave a cornea dos oitjacio* a fieta de pro
6085WO'! Sala do conselho de compras navaes 31 da maio
12*5000 de *86.
O serralario,
Alexaadre Rodrigues dos Anjos,
armatt ii, i da onfijMWi.ide om o orgamento
e planta n^ie serio presenil os pretendentes: fi-
anda depeadeMe' o contrato da ajiarovatio do
K*iu. Sr. pieaiJearliT da provincia. K para enastar
se paasa a prsenle.
4* sergo da alfansra de Pernambuco 3 de iu-
m de 10S. O 4 ewrrpmrwio,
Jos A*h Bita noearf: Nava.
(JOi5M0; postes em cartas fechadasrecebidas ou eairegaes .e=btrr-r:r;-i--.^-
no refejJdn dia 5 do corrente ma aj as 10 boias .. T w,a snnrtapsgaala do Bebenae foi ppreben-
- 399
94
251
905000
8*5460
445906 Santa Casa da Misericordia
iqW da Ttmife.
wyirinn' A Iltm.'junla administrativa da Santo Casada
S Misericordia do Rwifn, manda fuer pnblico que
10*A2 nodia de i<*0.pia*.4 horas da larda, na
sala de suas sessoes continuam a ir a praja para
serem arrematadas pelo tempo de 1 a 3 annos as
jendas das ca^-as abausdeclaradas
Os licitante* devarn romtiawoer acog paobados
115400
9.
905238
gfioi! de seojs fiadores eu munidos de cartas d^te?,
125830
GE-
710501o
2:6145872
CONSULADO PROVINCIAL.
Rendimento do da I a 2
dem do dia 2........
6:5805125
2:6505915
9:2115040
PRAGA DO RECIFE
ie jimio hi: im;a.
a'STOES HOKAS DA TARDE.
Revista semiitMl.
Azeitedcc.
Bacalho...
Batatas.
Cha............
Cerveja........
Cambios........Saecou-se sobre Londres de 24
3fA a 25 V, d. por 15000? sobre
Lisboa de 108 a H2 por cenlo.
Algodao......... O de Pernambuco vendru-se de
1^5500 a 135'JOO por arroba do
escomido.e de :05->00a 115000
do regular, o de Macet, posto a
bordo, do 125500 a 135200, e o
da Paraliyba, tambera posto a
bordo, de 145301) a 155008.
Assucar......... O masesvado purgado vandeu-
se de 25200 a 25400 por arroba,
e o brah) a 2500a
Couros ........Os seceos e salgadas veaderanv
sa a 153 rs. a libra.
Carne seoca.....A de K-m-Graade do Sul venden-
sede 251)00 a :t500<) arroba,
fieand em deposite 240,000 ar-
robas; ea do Rio da Prata de
25400 a 25800, Picando em de-
posito 60,000 arrobas.
Arroz.......... Vendeu-se o pilado da India a
25850 a arroba, e o do Mara-
nhao a 35200.
O de Lisboa vendeu-se a 2-3'iOO
ogalo, e o do Eslreito a 25000
Em atacado vendeu-se a 115300
a barrica o a relaliw de 125000
a 155000.
Venderam-se a 15500 rs. a ar-
roba.
Bolaxinhas.....Venderam.se a 25500 a banri-
quinb.
Caf..........Vndenle de 65SO0 a "5000 a
arrxiba.
1,1-ni de 15800 a 25000 a libra.
Vendeu-se de 5500 a 65000 a
duzia de garrafas.
Fannlia de trigo. A de Philadelphia e NewYork
retalhou-se de 185000 a 193000
por barrica, a de Trieste a 205,
e a do Chile a 75500 o sanco de
cem libras; Bcaadoem deposito,
3,500 ,1a |vrmetra, 7,000 da se-
gunda, 10,31 da terceira* 6,000
saecos da quarta; chegaram
duraauj a semana tres carre-
gauvubjs, se!Uiudo mu para o
sol; e os outros descaregaram.
A ingleza vendeu-se com 310
a 320 por cento de premio sol>rt'
a factura.
Vendeu se a inglena a 15250 a
libra, e a trancen de 750 a 800
rs. a dita.
Massas......... Venduram-se a 35400 a caixa.
Oleo de linhaga.. dem a 1560H n galn.
Passas.........dem a 35500 a caixa.
Presantes.......Veederam-se a 165000 |>or ar-
roba.
Queijos........Os flamencos venderajo-se a
15600 cada um.
Sabao.......... O inglez veudeu-se a 140 rs. a
libra, e o do Mediterrneo a 240
rs. a dita.
Toucinho.......Vendeu-se o do Rio-Grande do
Sul de 65000 a 75000 por arro-
ba e o (te Lisboa a 105000.
Vinagre........O de Portugal vendeu-se de
905 a 1105 a pipa.
Vinios.........Veudcram-se os de Lisboa a
I8O50OO a pipa, e os de outros
paizes de 1765 a 1805 a dita.
Velas..........As de composicao venderam-se
a 540 rs. por pacota de seis ve-
las.
Descontos....... O rebate de letras regulou de
9 a 10 por cento ao auno.
Fretes..........Para Li-erpool d. por libra
do-a'gudo sern pnmagem.
buco em 1 de maio de 1865
Servanla e oflcial-maior, Manoel. Jas Pinto.
O Htm. Sr. inspector da HiesotJfaria provin-
cial, emfi*nnpriuteuij da. ordem do Exm. Sr. pre-:
sidente da prpvincia de 22 do corrate, manda fa-
izer publico, que no dia 22 de junho preximo vin-
douro, parante a junta da fazenda da mesma ihe-
; sourarta, vai nova mente a nra*a para ser arrema-'
I tada a quem por mena* faer a" obra 1:9045887 da casa da cmara e cadera da villa da Bonilo,
avahad em 8:3095.
A arremataeao ser ioka na forma da lei pro-
vincial n. 343 de 15 de maio de 1854, e sob as;
clausulas especaes publftadas anlenoripente.
E pra constar se manlou pablicar o presente
pelo jornal.
S-cretaria da thesonraria provincial de Pernam-
bnco24 de nvaiode 1HI>5.(I seoreteria,
A. F. d'Annuaoiacao.
O IHra. Sr. inspector da Uie-ouraria provin-
cial, por deliberaea da junta d inania, manda
fazer publica, que se acta eneortorado aos pro-
pr s provmciaes a fabrica do Monleiro de relinar
assucar, por exeencao que promoveu contra Jos
Guilherme Guimaries, o que essa enc.jrporago
bonva lugar pela quaatia da 8:14*52*'9.
E porque o e-latsleeirneBUi fabril de que se tra-
ta Si-ja de urarU* imptiriaucia para a provincia, e
conven* mansa do, urna vez qua bem montado
commi est e prvido de todos os apparelhos neees-
sarios, seja dirigido \x>r ijuem tenlia conbeciinentos
profissionaes, e possa dispar de capilaes relativa-
mente abundantes, inattda convidar pelo presente
ediial aos que se achato em laes circumslaucias a
comparecerera ua mesma itiesouraria, a onde se
IhAS dar a faculda.de de visitar o referido estabe-
lecmento, afim de que bem informados possam
apresentar suas proposlas. com declaragao dos
meios que tem para rmiejo da dita fabrica. O ipie
preenchido, e estabeieado por tal maio a iguiJdado
de meios em diversos proponentes se abrir entre
estes a concurrencia iul sobre o prego e mais
coudigoes da sua venda, Jiom a di'flarario, porm.
de qaa taes proposras na* sao definitivas, ticando
ao arbitrio do Exm. Sr. presideete da provincia
acceitalas oa nao, se ua seu entender nao offere-
gam os concurrentas Bajaes a*e garaotam e sega-
rem a oasiiwnai 1 de urna indnstria que a todos
os respeitos mui vamajosa proviaeia, tendo-se
mais em auaugao a *wma^jo,l>'IU, do que o rnaior
ou menor proco que jiossa ser aleangado, cora taji-
to que fila saldo a divida da iaxemla.
A fabrica do M^xiteiro s tem dejxxlo de medrar
pelas circumstancias pecuniarias de seus aaaani-
dores^e isto que se pretende evitar, a'ljudican-
do-a com atteneao para esta eircamstaneja, a quem
melhor prego offerega.
De um valor muito
sentamento, com appa
2065000
300500O
19250COJ
1685006'^
8OO5OOO;
Louca.
Manteista..
!Uin das i^arangeiras.
Casa terrea n. 5 particular e 17 pu-
blico. .........
)vuh dv Jiaagel.
dem n. 6 particular e 56 publico. .
110 de S. Goicalo.
dem n. 11 particular e 24 publico. .
Ra do Rosa-rio da Bba-Yista.
dem n. 14 particular a 3d publico. .
Ra da Madre de rDeos.
Casa terrea o. 26 particular a i pu-
blica. .........
Ra da Lapa.
Casa terrea n. 41 particular e 2 pu-
blico.......... 15Q5000
Itua da Moeda.
Mera n. 44 particular e 21 publico. .
Ra do Amorrar,
dem n. 48 particular e 36 publico: .
dem n. 49 particular e 34 publico. ,
dem n. 50 particular a 52 publico. .
dem n. 52 particular a 43 piibte'u. .
dem d. 53 particular 43 pnbtwo. .
Hdem n. 36 particular e 26 publico. .
Rna do Azeite de l'eixe.
Mein n. 61 particular e 15 publico. .
dem terrea n. 63 particular 9 2 publi-
co...........
Ba da Cacimba,
dem n. 63 particular e 3 publico. .
dem n. 66 particular e 12 publico. .
Weu) 11. 67 particular e 10 publico. .
Itua do Vigario.
Sobrado de 3 an Jares d. 71 particular
e 22 publico........
dem do 2 andares n 72 particular a
27puMeo........6485000
Rna do Encantamento.
Sobrado de 2 andares n. 76 particular
e 11 publico........
dem idem n. 77 particular e 13 pu-
blico..........
RiudaSenzala Velha.
dem idam n. 79 particular e 134 pu-
blico..........
Casa tarrea u. 81 particular e 18 pu-
blico- .........
dem 11. 82particular e 16 publico. .
Itua da Guia,
dem n. 84 particular a 29 publico. .
Ra do Trapiche.
Sobrado de 3 andares, u. 85 particular
e 30 publico........
lina da Lingoela.
Idera de 2 andaros n. 80 particular e
14pu!.iiro........6OO5OOO
Itua da Cruz.
dem idem n. 87 particular e 11 pu
dio um Bai*Ho runa pedrea, que pastavt.no In-
gar denominado. Paru> da. MauVlra. como nao le-
nba.aiiprec|do dono, se faz publico para quem
interessar pissar Soiidclegaiia de Rencribe ? de
junno da 18(53. O subdelettadn,
Francisi Brederode de Andrade
Pela tnesoumia provincial se faz publico1
que os 30 dias utei para o pagamento.da primei-
ra prssiacao do mpoisio da 13 (ter reglo (tara os
passaioa das mas da Aurora, Imperador e Crespo*
comer/am a se coatar da lc do corrente.
Secretaria da thesonraria provmeial de .Pernam-
buco 2 de junho de 1865.
O secretante,
A. F. da Annupciaco.
s
WWMHUUUB1U1 J. MBJLf. > .pwg
TU !.%.'rito
DE
fW-
EMPREZA--0OIMBRA
llnaika extraoNiJaM-ia
Oj jrMiiiH) paoi iw nkrrs 1* igrej
d^aiitu|iiti)ded!vd.
rerca-feira 6 de juuko de
1865.
A; 'riii'.'i de nmilas pessoas subir a soeaa o in-
ler-rMntc drama em 5 aute .
AMMI m K.
osoati;A.g\o dos actos.
Io acto.,, .. A oraban da familia.
2 d i lo...... O ladr o ao jogo.
3" dito...... A cestinha Ue nupcias.
4* dito...... O perdo da liltia.
5' ditei..... Iteparaifo a niorte.
Dar fu a o espectculo a gfapjosa e muilo ap-
. pl:utdjda comedia em 1 k:Ij ornada de musjea,
i traduccao da Sr.^ D. Eugenia J. da Cunara
80Q5OO0 p^o, p;ini toda obra.
A Ilustre sociedade uiusieal Uiiiiio Cmniercml
para mais brilhantijunodo esnartaenlo tocara lui-
jdas e variadas pecas de msica no salad do
839509O iheatro.
3305OD0
4305000
4301KK)
4-i050nO
4505000
5OO50OOI
725000:
4305000
6005000
V450001
1145000:
8;)50oo!
8395000
5.05000'
200000)
20050UOV;
1445000'i
7205000
Prineipiar s 8 horas.
O pequeo resto de IwHieles eso a venda no
escriptorio do theatro ua vespera e no dia do es-
pecjaculo.
$*
t.
Pai
Est carga o brigoe escuna nacional Graciosu,
capillo Jacmrtw Aune* da Costa, ron>ignalario
Ai.Houio ila Almeida Gomes, ra da Cru/. n. 23,
primeiro andar.
Para o ilio i!e Janeiro.
Pretende seguir com nwita brevidade o paJha
bUco. .*...'. .r 8825000 bela ftadarf, tem parte do sen earrepamento a
Raa do Pilar,
subido em seu primil.vo as-: Casa twwa M oartl(!iilftr a la pu.
relhos os mais aperfei("oados, iiiiun
e torios de grande preco a fabrica acha-se boje por Wm 1 ub,ica
seu valor mnimo, e tal que nao. pode deixar de Idem n 94 uarlt<.U|ar e w llllbllC0. .
dar vania,o>s resultados a quem mpri>hender da-: Illem 97 parU.uUr 4 ia |)Ub|TO.
amte, e nvaarn,^ meros da ,iteUM;ao o seu IJem 9y pafU<.u.Uf m pub,C. .
manejo, e a junta e .-o levada d de^to de nao ser ,l|ein n_ m parliclillf e m puhlico.
deslruids este, indu.tria, que piefcre vender a fa-
brica com as ondieas exuostas, a retalba-la, ape-
zar de ser a venda nesta ultima especie, (a que re-
eorrera, se uo forem preenchidas as suas vistas),
nimio mais aaaajosaj para a fazenda, secundo o
peaaar d-is que contocom o valor da *na<,bi*a, cal-
deiras e anias apparelhos de qua ella a campos.
A pinta reoapa oalrneaM quae^ijuer ouiras pro-
posi;i.s, sem as condigoes cima, oh com differeu-
tes. Dase para apreseatacao das preposlas o pra-
xo de 13 dias.
Secretaria da thesonraria proviacial de Pernam
buco 26 de maio da 1863.O secretario,
A. F. d'Anounoiaeo.
H"<*WfW
200*1 00
2005OO
2355000
2285000
2285000
2285000
238*000
22850O
2285000
22850OU
22850O0
bordo, para o resto que he falla e eseravus a fre-
te para os quaes tem excr>lloote.s caminados, tra-
ta-se com os sens consignatarios Antonio Luiz de
Oliveira Azevedo & C, no seu eseriptno ra da
Cruz n. 1.
Oompauhia doBeberibe.
Sao convidados s Srs accionistas dc.Ua
companhia a se reunirem em assembla ge-
m extraordinaria no tlia 6 do corrente ao
meiuiliaiu escriptorio da mesma compa-
nliLi uim d tiaaj'-se da reforma de seus
estatutos.
particular e 104 publi
dem n. 101 particular a 102 publico.
; dem n. 102 particular a 100 publico..
dem n. 103 particular et)3 publico..
(demB. 10fcparticular ello publico..
; dem n. 05 .parUeular e 9i publico...
O sitio da Mirueira com a condir*(o de
nao se laaar eanata nem tirar leuba,
pela quantia anaual de.....Iii05000
Secretaria da Santa Ca-a da Misericordia do
Recife2 dejunlio de 1865.
O escrivao,
F. A. Cavalcauti Cousseiro
companhI-
DO
O caixa desta companhia commendador
Tlio,jaz de .iquino Fonsoca aclia-se autori-
sado a pagar no seu escripiorio na do Vi-
gario n. i9, das lt horas as 3 da tar e do
dia 2 do corrente em dianleo 34 dividen-
Para a Bahi"
Pretende seguir para este porto com brevidade o
veleiro a bem coonaido patacho nacin 0 I). hnz,
que se acha com parte da carca prompta : para o
resto traa JaV.>m Jo- Jtirr Palnioira em seu es-
cripiorio no lacjo do Corpa- Santo n. 4.
Para o Porto
segu sem malar demora a cora a carga que lver
a barca portugueza S Jod', capitn.Haaoei Ferrei-
ra Leite : recebe arfa a freto tearato : a trater no
escriptario Amorim Irm^s, rna da Cruz n. 3, in
com o capilo na pra^a do coiumercio.
GOMPAN1U
.\Tavcga^5o
Parahvba,
do desta companhia na proporgao de 3/J
por cula apolice, previne-se aos Srs. accio-1
EscrT'torio da Companhia do Beberibe n stos qiie este pagamento deve ser em moos
de iunho de 1865. ^a ('e CuDre,Hie e na especie que o mesmo
PCRNAMBUGANA
DB
costeira por vapor.
Natal, Maeo. Aracaty,
Geari e Aaerae.
Segu o vaoor Persmiinga,
coirnnandaale Rales, no dia 7 de
junho pp simo. Itecibe carga
at o dia lis encaminandas, pas-
aageiros e rlinlViro a fri-te at o
da da satia'as 2 horas da tarde : escriptoXtO no
Forte do Mallos n. I.
Pelo secretid'ift. o escriptur^rio,
.Ma/colino Jos Pupe.
O administrador di recebad orla de rendas
internas gerius faz publten que em virtude da al-
terago 3- do decreto 2710 de 3lde dezembro de
C0H-H11CI0.___
1 I -""I Iji 1 1 mil l^l^ay ni. -
Novobaaeo de Peruambuce.
O banco paga.o U* dividendo na razaode85
dor aeco.
Xov banco de Pernam
bnco.
O banco desconta letras na presente semana a
9 pqr cento ao auno at o prazo de qualro me-
zas, e a 10 0|0 at o de seis mezes
Caixa filial do banco do Brasil'cm
l'pi'imn Mico.
A directora desta caixa saca sobijo o banco do
Brasil no Uio de Janeiro e sobre a caixa filial do
mesmo banoo na Babia.
fltove haac de pcrnamluica.
Os administradores da masaa fallida de l< m
Jos gilveira pagam o 1* dividendo de dita n^ssa
' na razo de !) 0/0 sobre o valor des ttulos ad-
mettldos : no novo banco de Pernambuco i ra
do Trapicha a. 34.
Caixa filial do banco do llrasM
em Pernambuco.
ftOYIMEKTO m P0110
Vamo sahulo no dia 2.
Partos do nortevapor brasileiro Parahyba, com
mandante Aatis.
Navios entradas no da 3.
Rio Grande da Sul19 dias, barca portugueza Ins.
de 245 toneladas, capitao Math-'ii- de Souza Ma-
cieb equipagem 10, carga '4,000 arrobas de
caree, secca ; a Antonio Luiz de Oliveira Azeve-
do & C.
Rio Grande do Sul18 das, barra brasileira Pal-
mara, de 297 toneladas, capitn Denlo Jos da
Almeida, equipagem II, carga 14,600 arrobas de
carne ; a Bailar. Oliveira.
Navios saludos no mesmo dia.
Babiaescuna brasileira Elisa, capilo Jos Mara
Pestaa Jnior, carga dilTerentes gneros.
Rio Grande do Sul patacho brasileiro Bemfica, ca-
pilo Francisco Paulino da Silva, carga assucar
e agurdente.
Aracatyhiate brasileiro Gracioso, capitao Joo
Gomes da Costa, carga dilTerentes gneros.
Navios entrados no dia 4.
Mace i e portos intermedios18 horas, vapor na-
cional Mamanguape, de 337 toneladas, comman-
dante Manoel Rodrigues dos Santos Moura,
eqnipagem 21.
Penedo2 dias, hiate brasileiro Ameha, de 52 to-
neladas, capitao Jos Rodrigues Pinheiro, equi-
pagem 5, carga mi|bo; ao .mesmo capilo.
Hamburgo-r 37 dias, escuna haiiove.riana Anua,
de 92 toneladas, capilo I. H. Barlels, equipagem
6, carga dilfereuics mercaduras; a Raba Sch-
meilau iv C.
Havre-r 30 das, barca franr.eza Cqlinny, de 2
toneladas, capitao avcolas, equipagem 14, carga
fazeadafi-p outros gneros.
Naaos .saludos no mesmo da.
Rio da Prata-Patacho hollandez Tcnnc/iuna, ca-
pilo. Koelse, cargiAssucar.
Uaas*Barca norueguense Tastnama, capitao D.
Nawit, em lastro.
de junho de 1863.
0 s cretario,
186O, feita s instruccSes que baixaram com o de-1 Jos Eustaquio ferreira Jacobina.
creAo 23o4 de 16 defevereiro de 1839 o que regu- j -_- rpphH1inrrdp7eTdaT"nt^a"reraes
lan,4;iqq.1ataoecobraga da divida activa, s ^^.^rqS.ese cente mez que osT
sera, permitida aos receoejores prqmnverem a vedorr-cdos imoostus seiruintes rendados pro-
cob6awa,D0 dvmiicilio dos conuibumlcs dos im- ^S^^^^1^S^'^%A^a^
poslo,,^ 20 0,0 sobre lajas, casas de ^imm,tS!Stl!TS^S& rtlSSX>*
etc. le dito espeoal>obrecasas de move^ roupa ^^ ^jcorrenPe( tSc:m ,1epagAr _$eus
Rio de Vaoeiro.
Segu em poneos dias o patacho nacional Dhu
pie C na especie que o mesmo z;a : para 0 resto da carga rma Hm falta trata-so
Sr, caixa tem recebido dos arrematantes dos na ruadlo Trapjche o^l___________________
chafarles desta Companhia. A. ff. Jaoobsen, eaaMao do brigue escuna
Escriptorio da Companhia do Beberibe Io bambnrguez Hamburg Pnrb-l, vindo ile Santos
imKn ilu Ar\ com carga de caf, com deslino para Hamburgn.
carga
entrado neste porta para conceiiar as avara- qua
o dito navio sofTreii. precisa tomar risco marti-
mo cerca de 12;O0O5000 rs., sobre o casco, freta e
carga do meuckraado navio. Os pretendentes
queiram fazer suas propo>tas em carta fecha-
da at o dia 7 do corrente me/, ao meio dia, di-
rigidas ao consulado de Hamburgo, ra da Cruz
n. 4.
etc., fabricados em ,>az esiraugejro, e dcima ad-
dicional de mo-morta, relativos ao Io semestre do
exercicio correle de 1861-65, at o (im do corren
te mez de junho, depois do que sero recolhidos
todos os conheciraeolos. que existem em poder dos
meamos recebedores para se proceder a liquidaco
e cobranca judicial do que estiver em divida, prin-
cipiando pelo bairre de Santo Antonio, cujo debito
em excesso.
Recebedoria de Pernambuco Io i* unho de 1865
Manoel'Carneiro da Souaa Lacerda.
Pela thsouraria provinci.-.l se faz publico,
que a arrematarlo das pinturas das ponto* de Una,
Jaboato, Serafira Pintos, Morenos, Bento Velho e
Tapacura, foi transferida para o da 8 de junho
prximo vindonro.
Secretaria da thesonraria provincial de Pernam-
buco 24 de maio de 1863. -o secretario,
A. F. d'Aununciaco.
Convid-se as pessoas qua estTverem as coa-,
dicOes do servico militar, a engajarem-se no corpo
de polica, e gozarern das vantageas que offerece
a lei provincial n. 611 de 2 do corrente. ^
Pela thsouraria provincial se faz publico,
que a arremataeao da pintura da ponte pensil do
Cacham-, foi transferida para o dia 8 de junho
prximo vindouro.
Secretaria da ihesourara provincial de Pernam-
buco 24 de maio de 1863.-^0 secretario.
A. F. d'Aunupcrae^o.
dbitos sem multa, depois do que sero pagos com
ella. Recebedoria do .Pernambuco 2 de maio de
1&65. O administrador,
Manoel Carneiro de Souza Lacerda.
Para a Baha
pretende sahir com milita brevidade.a veleira es-
cuna Uliza por ter a inaior parte da carga, e para
o resto que Ihes fajta traase com oconsigiutano
Pela subdelfigacia do 2 districto d<> Curato Joarp:im Jos GoncalveBeltro na ra do Vigatio
da S de Oiinda se faz saber que foi apprehendido n. 10; primeiro andar,
ao dia 30 do mez de maio do correla anno, em i .. ,
Sdw d!. ViValhio Jos de Souza, 3165000, o qual VjJMJ 0 pagebo nacional hunco, ol.ega-
Sto ter achado o entrar das matas de llapiruss ^ 'lamente do KicCranda do Sol, o qual se
em Mnulm'nto de bwmai para Goianna, cma,l ael.ba prompta a navegar: irala-sa na ra do
quantia se acha em deposito : quem for seu dono,
nrovando, Ihe ser entregue.-O subdelegado
Manoel Deonizio Gomes do Reg.
Trapiche n. 4.
roihiil ilu iirovincial-
** ... llrtl d A Ll:'U' |'a" n1" iiua, noto'
Pela mesa do consulado provincial se faz publico J Jaqui!a j,,,,;. (iwicalves
que os trila dias utais marcados para a cobranca, ^ Vigario n.' 1, primeiro andar,
a bocea do cofre dos imposlos da decima dos pre-! "_______ '
Para a Baha
pretende sahir em poneos as o veleira hiaie O'i-
vetra par ter a maior parte da carga prora ita, e
para a poucaqne Ihes Ma, trala-se o-.n o consig-
Beltro, na ra.
dios urbanos de 20 0(0 do consumo de agurdente,
e de 5 0|0 sobre os bens de raiz pertencentes
corporales de mao morta, se principian) a contar,
do dia 1 de junto vindouro, fcaodo snjeitos a.
multa decretada noarl. 50 do armamento vigente,
todos os que pagarem depois de lindos os ditos 3
dias.
Mesa do consulado provincial da Pernambuco 29
de maio de 1835.
Aqtonio Carneiro Machado Rio*
Administrador.
uU
L. ><*
LSILES.
LE1LAO
De um cavallo
HOJE
Conscllii) de compras navae^.
Contrata o conseibo no da 3 do->uaho pro*ima-
mente vindouro sob as comb0>!> do estylo o for-
1 nerimento de vveres, dietas e outros objeetos de ^b^o 5. de junho de 1865.
28A consumo para os navios da armada e eslabeleci-1 o
Pela hesouraria provincial se faz
que a .arremataeao da obra do empedrrnoslo do
lugar denominado Areias do Giquia fui transferida
para o dia 14 do crreme
SacrnUriu da theaouraria provincial doParoam
O ageaie Pectasa vender em leilo sor eonta e
pablico I rsc0 <)p quem p<-rteneer, um caitajlo-moldo, bo-
nita figura proprio para cano e sella : hoje. pelas
10 -i llura? t>a manli, no largo.do.rp. garito.
Junto a associaj/) Cwnmercjat.
ment sde marialu 00.uromcie.da ^Jap .**lem-
bro do corrente anno.
Sao oiijectos d(^ forflftpwn"nUj os segnintes : ar- r-amauod
roxd Saranhao, assucar Wanco grossq, agiiar-;^*"
dente de 20 graos, azeilij doce de Lisboa, azeite
secretario.
A. F. da AnaunciacSo.
Pela thsouraria provinoial se fai
lJL._I.Ui..!JJ
1BI
t-ssarsrs1
ES.
pnWioo
da refor) a afazer-se
1U casa da cmara municipal de Serinbem, para
er.10. carnauba em velas, cav;idjnha, cli, carne-,
verde, caU.e seca AoW Grande oS Sul. feipoj bQC0 2 Je m^ QB ima _
Uiwiha de mandioca, da trra, gallinhas, len,lw, p giSimctecao
inantega ingleza. .)na franceza, mate, pao, sabao, ,___________r .;,U._' '. I _
sal, toucinho de Ljaboa, ta^oo, tijolo do aUenaria De ordem do Illm. Sr. inspector rU alfanda-
Secratariarla thesonraria provincial de Pernam-
LeilU)
Da parto de urna casa na Parai!*.a ra das
Convertidas n. 15, em.jiift >^a um os-
tabelecimento. avaliado \adi> predio m
2:01)0*, e cuja parle em 7u7aVH>:i rs.
coico tambem os alugieis do eenc* le *
a 3 apnos
Terri-feira 20 >\ junao as 11 bax.a^
Cordelvo savK*
authorsado pelo lipuilalano da casa eommeraiai
de Antonio Joaquiado Mello, fJ^elft.)dai^lalle
A caixa filial do banco do Brasil, em vtriade da! exercicios (Indos, cujas crea>re& ao os seguales : pra dos seguintes objectos do mataeal d& anaa-lat: maior brevidail* pas*w*i os unjaulft concert d. go da ai&a^a.
ADO)


Mari* de rernaaabnco .--. Segnada, lelrm ft fe aunht de l*.
De um oratorio de Jacaranda, 2 guardas
roupa de pinho c louro, 2 commodas de
amarello, i mesa rejonda, 5 cadeiras de
amarello, i toucador de Jacaranda, i mesa
de amarello, 12 qtiadros, 2 pares de Un- no, se extrahir pelo novo plano abaixo pu-
LOTERA
Ads 10,000^000 e 2,000>'OO0.
Corre depois d'amanha.
Quarta-feira 7 dejunh do corrente an-
GASA DA FORTOill
AfTOBUA
ternas e l globo, I marqueza, 1 mesa para
jantar, i bah de amarello, I carleira e
mocho, 1 berco, 2 armarios de amarello, 1
cama de ferro, 1 mesa pequea e lavatorio.
ORDE1RO SIMflfiS
a requerimento de Joaquim Francisco Silva J-
nior e mandado do (llm. Sr. Dr juiz especial do
commercio, far leilao dos movis cima descrip
blicado, a 5 parte da Ia lotera (18a) a
beneficio da Santa Casa de Misericordia,
para canalisagao d'agua e gaz no hospital
Pedro II, no consistorio da igreja de Nossa
Senhora do Rosario da freguezia de Santo
Antonio.
Os bilhetes,meiose quartos esto a ven
cuuiuieivii', iiiia irn.iu uua iiiuco *-iia uoai/i ip- -------.
to.os quaes foram arestados ao fallecido Joo oa na respectiva tnesourana a ruado Cres-
Antonio Soares Vivas e existentes no predio da pon. 15.
ra do Brumn. 35, aonde ser effectuado o leilao.: Qs premios de 10:000^000 at 20,5000
, T-feira 6 aocrrente. j serio pagos urna hora depois da extraccao
as io ip oras.------------------------------- I at as 4 horas da tjr(je) e qs outros d g
Leilao da toja c iriiuilezas da rea do da distribuido das listas.
Queimado o. 46. As encommendas s rao guardadas so-
Martins far leilao a requerimento dos curados mente at a noite da vespera da extraccao
res fiscaes da massa fallida de Antonio da Silva como de COStume.
ferreira Santos, e por mandado do I llm. Sr. Dr., ---------- -- .----- -------_J__
juiz especial do commercio, da armaco e fazendas vende-se a armaco da loja da ra Direita
existentes na loja da ra do Queimado n. 16, per- ? Jl por prego muito barato : a tratar na ra da
tenceotes a mesma massa.
Segnnda-feira 5 do corrente.
O leilao ter lugar na mesma loja, as ti horas
em ponto.
1/ ilo de urna taberna e dividas.
A roa de Brnmn. 3o.
CORDEIRO SI.tfOES cuias por 5550).
far leilao a requerimento de Joaquim francisco;
Imperatriz n. 63.
Vendem se estalos a 60 rs. a duzia
da Palman. 41, taberna.
na ra
Attencao.
Xa taberna da ra da Palma n. 4L vende-se fa-
rinha da trra a 180 rs. a cuia, em saccacom 32
Aos 10:000^000.
Bilhetes garantidos.
A'rua no Crespo n. 23 E casas do costum.
Oabaixoassignadovendeunos seus muitofeli ,
es bilhetes garantidos da lotera que se acabou Antonio Js de Araujo Braga,
deextrahir, a beneQcio da igreja de Nossa Senho- c-mnoi nBUI(1, ii,nct. t r. w*.
ra da Boa-viagem, os seguiutes premios : MIDOei MWOr JOBllStOD & Compauilia
Antonio Jos de Araujo Braga, abaixo assigna-
do, declara que se despedio da casa do sen primo
Jos Correia Braga, deixando d'ora em dianle de
ser seu caixeiro.
Ra da Senzala Nova n. 4.
AGENCIA DA
Fundido deLow Hoor.
Um quarto n. 35 com a sorte de 6:000,8000.
Um quarto n. 703 com a sorte de 1:200*000.
Um meio n. 591 com a sorte de 4005000.
ioSooo!"5 mUlaS SOr,eS de mi' 4*' 2* e Machinas a vTpor de 4 e G cavallos"
Os possuidores podem vi r receber seus respec- Moendas e meias moendas para engenho.
tivospremios sem os desconios das Icisna Casa Taixas de ferro coado e batido para enge-
da Fortuna ra do Crespo n. 23. I nho,
Acham-se a venda os da 5* parte da lotera __
(18'J beneficio da Santa Casa de Misericordia .
para canalisagao d'agua e gaz no hospital Pedro Arreos d carro para om e dous cavallos.
, que se extrahir a 7 de juuho. Relogios de o:iro patente inglez.
R-ih PREt- 19fnAn Arados americanos.
Me.os.....etooo Ma ninas para descarocar algodo.
Quartos. .'.'.'. 3*000 Motores para ditos,
as pessoas que compraren! de 100)5000 Machinas de costura.____________________

r Ca>liw"Fran"cscVdeLimaSa
tos, contina a residir na ra do Impera
dor d. 17, segundo andar, onde pode ser
procurado a qualquer hora do dia e da
noite para o exercicio de soa probssode
medico; sendo que os chamados depois
de meio da at 4 horas da tarde devem
ser deixadns por escrlpto. O referido
Dr. nao abandonando nunca o estudo das
molestias ido interior, prosegne, com
o maior aCQnco, no das mais difflceis e
delicadas operaces, como sejam dos or-
gaos urinarios, dos ollios, partos etc.
Para
para cima.
Bilhetes.....11*000
Meios......5*500
Quartos.....2*750
Manoel Martins Fiza.
Deseja-sejfallar com
de Andrade, Da ra
andar.
Antonio Pedro de Souza
Soares
Ra Nova n. 28.
Acaba de receber enfeiles para senhoras muito
modernos, pentesenfeitados.chaposlnhos parabap
Usados, sintos e outros muitos objeclos tendentes ao
sortimento de sua nova loja de miudezas, ferragens
e quinqnilharias, vende por commodos precos.
Precisa-se de urna ama que saiba cozinlaTe
do efesn" n nri Wmar Para servir a um moco solteiro em um
le,r01 sitio prximo da cidade : a tratar na ra do Im-
. perador n. 22, Io andar.
Aluga-se
Troca-se um moleque na idade de 15 annosi ru,....,.,, :r-------5n-----;7~
por urna mulata ou negra coslureira : no paleo! I>escontam se notas do banco do
do Carmon. 1.
- O bacharel Americo
da Silva Jnior e por despacho do lllm. Sr. Dr. juiz j ~ representante da sociedade a Pre<
especial d> commercio, dos peeres, armaco e, dD Banco Allianca do Porto, que se acha de
Presidente
passa-
utensilios da taberna cima dita, em'um ou mais ^m nesla cidade, participa aos seus amigse co-
lotes a vontade dos concurrentes; como tambem nhecidos que seguir para o sul do imperio no pro-
as dividas activas na importancia de 572^810 ; cu- xirao. vaPor francez, d'onde espera rtgressar no
urna casa terrea na ra dos Prazeres da Boa-Vista Loureiro, profesor particular de Instrucco se-
n. 1 A pelo prego de 16* mensaes: a tratar na ra cundana provisionado pelo governo provincial.
estreila do Rosario n. 28.
A M A
jos bens foram arestados ao fallecido Joo Antonio
Soares Vivas.
Terca-feira 6 do corrente, s 10 horas, na mes-
ma taberna.
Leilao de mn deposito c dividas
A' ra do Pilar n. 78, em Fora de Portas.
CORDE1UO SIMOES
A requerimento de Joaquim Francisco da Silva
Jnior e mandado do lllm. Sr. Dr. juiz especial do
commercio, far leilao dos gneros, armaco e
utensilios do deposito cima dito, oqual foi arela-
do ao fallecido Joao Antonio Soares Vivas assim
como as dividas do mesmo na importancia de
636*120.
Terca-f^ira 6 do corrente, as 11 horas, no mes-
mo deposito.
LEILAO
DE
Im p l e dividas
Martins fara leilao por ordem dos credores do
Itvd. padre D. Jos Antonio dos Santos Lessa, de
um prlo com seus pertences e dividas, cuja rela-
co se acha em poder do memo Martins, onde
podem ser examinados.
Quarta-feira 7 do corrente
em o armazem da ra do Imperador 37, as 11 ho-
ras do da.
prximo mez de novembro.
Na ru de Borlas n. 86,1 iva-se e engomma-
se com toda promptido e por prego muito rasoa-
vel, tanto para casas particulares como para qual-
quer pessoa.
El
Do Norte.
Sahio o 8o numero e est a venda
econmica, ra do Imperador n. 79.
na livrana
jleilaO
UE
1 uiobilia de Jacaranda usada.
1 mobilia de amarello nova.
1 santuario de Jacaranda.
1 cuarda-loi.cn.
1 guarda-roupa.
1 toilette de amarello.
1 secretaria de dito.
1 commoda de dito.
1 grande mesa de dito.
1 mesa elstica de dito.
2 cadeiras de bataneo de dito.
1 machina de costura.
2 carteiras de escriptorio.
e outros muitos movis novos *> usados.
cordelro Simdes
far leilao dos mencionados objectos, por coma de
diversos ; is-to
Quarta-feira 7 do corrente
as 11 horas em ponto, em seu armazem, ra da
Cruz n. 57.
Ama da leite
Precisase de urna ama de leite : a tratar na
praca do Corpo Santo n. 17.
Pede-se ao Sr. solicitador Joao Joaquim de
Figueiredo que diga a soa morada aonde se ua
ilha do Pina, ou no Recite para se poder procurar.
Precisa-se de urna ama para comprar e co-
sinliar em casa de hornera solteiro : na ra do
Queimado n. 30, loja.
Aluga se urna escrava propria para o servi-
50 interno de urna casa, porque compra, cozinha
e ensaboa : a tratar no escriptorio da typographia
da Ordem, ra da Praia n. 34.
continua a ensinar preparatorios na casa de sua
residencia, ra da Saudade n. 9 ; as-im como en-
sina as mesmas utileras por casas particulares e
collegios a pessoas de ambos os sexos, mediante
razoavel paga : para o que pode ser procurado na
dita casa das 7 horas da manilla ao meio dia, ou
das 3 as 5 da tarde.
caixas filiaes : na praca da Independencia n. 22,
O Sr. Rodolpho Lanribzen tem urna carta no
Fernandes Trigo de escriptorio da ra da Cadcia n. 18.
Aluga-se a casa terrea da rusTdasTCalcadas
n. 45 : a tratar na ra do Queimado n. 32 cem
Azevedo & Irmaos.
COMPRAS.
Companhia fldelidade de seguros
martimos e terrestres
estabelecida no Rio de Jaueiro.
Quem julgar-se credor do abaixo assignado, 5? agentes em pehnambco
queiraapresentarsuascontasno praso de 15 das. g| Antonio Luiz de Oliveira Azevedo & C,
Joao Baptista Gomes Peona.
SU
Joo Baptista Gomes Penna querendo tratar
de sua saude gravemente alterada, tem resolvido
vender sen mu acreditado armazem de molhados
da ra do Imperador n. 46 : a quem interessar,
dinja-se ao mesmo eslabelecimento a qualquer
hora do dia.
Atten$lo.
De?appareceu da Capunga um cavallo russo,
com piolas de pedrez, frente aberta e lendo em
um dos quartos um ferro bem senslvel que re
presenta a letra B. Roga-se a captura ea
entrega, mediante recompensa, ao seu dono no
sitio do porto do Jacobina.
Casa.
Aluga-se urna casa com 2 salas, 3 quartos gran-
des, cozinha fra, cacimba, quintal murado, e por-
ta ao lado para onde tem um terreno pertencente
a mesma, na Soledade, no fim da ra da Conquis-
ta : a tratar no Caminho Novo n. 85, ou na ra da
Cadeia do Recife n. 3. Aluga-se tambem o tercei-
ro andar da casa da ra Direila n. 36, com muitos
commodos para grande familia : a tratar na ra
da Cadeia do Recife n. 3.
competentemente autorisados pela direc-
g loria da companhia de seguros Fidelida- *
W< de, tomara seguros de navios, mercado- |
*5 ras e predios no seu escriptorio ra da S
mmmmmmm wmm
mmmmmm mmmm in
JH O bacharel Lourenco Avelino de Albu- fc
95 querque Mello continua a ter seu escrip-
Sgi lorio de advogado nos auditorios c tribu WS
^ naes desia cidade : na ra do Imperador ^
mmmmmmmmmmmmm
Precisase de urna ama para engommar e co-
ser, para urna casa de duas pessoas : na ra da
Imperatriz n. 3i, primeiro andar.
Comprara se libras sterlinas. : na ra da
j,, Cruz n. 18, armazem do Jos Jo iquim Lima Balrao.
Compra-se effeciivamcnie "oro e prata em
otrras velhas, pagando-se bem : na ra larga do
Rosario n.24, loja de ourives.
Silvino Guilherme de Barros compra e ven-
de effectivamenle escravos de ambos os sexos :
ra do Imperador n. 79, terceiro andar.
Onro e prata
em obras velhas : compra-se na praca da Inde-
pendencia n. 22, loja de bilhetes.
Botijas vazias
Proprias para genebra, compram-se na ra
Apollo n. 7.
do
Grande armazem de Untas.
RA DO IMPERADOR N. 22.
O armazem de lilas um grande deposito de
productos chimicos utensi? e os mais empregados
e usados napharmaria, pintura, phoioarapbia. tin-
turara, pyrotechinia (fogos de anificioTe ea oulras
industrias.
Montado em grande escala, e supprindo-se di-
rectamente as priuclpaes drogaras de Paris, Lon-
dres, Hamburgo, Auvers e Usboa, pode offereceer
productos de plena confianca e satisfazer qualquer
encommenda a grosso trato e a retalho, por precos
razoaveis. '^ H v
1 Prvidos de machinas appropriadas satisfar
com promptido qualquer pedido de lletas acidas
a oleo,cuja qualidadee pureza de seus ingredien-
tes poder* ser examinada pelo consumidor, o que
nao e acil azer com aquellas que sao importadas,
e que se encontram no mercado em latas fechadas.
Tem grande collcccao de vidros de differentes
frmalos, desde urna oitava at dezmis oncas de
capacidade ; de vidros para vidracas e diamantes
para corta-Ios; depinceispara fingir madeira con
propnedade e outros; de papis dourados e pra-
leados e folhas de gelatina para ornamento; de
papel grande e pequeo formato de vanas cores
para embrulho, para forro de casa, para defenbo
com fundo j feito;de papel albun.ir.ado t BrisiuL
verdadeiro saxe para photographia e para filtrar
e outros ; vernizes de essencia para quadros, de'
espirito para madeira, copal para o interior e ex-
teiior ; oleo graxo, oleo seccalivo, oleo de liuhaca
clarificado, oleo de toiele, secativo de Harlim, ouro
verdadeiro em p ; prata, ouro, e estanho em fo-
lhas de varias cores; tintas vegelaes, inoffensi-
vas proprias para confeitrias ; la de cores, e
olios de vidros para imagens; lintas em tubos e
telas para retratos ; tintas em pastis e em p pa-
ra aquarella ; essencia de rosa superfina, de ne-
rojy.jasmim^ bergamota, aspice, palchoulv, mbar,
bouquet.limao, alcaraiva, melissa, ortela pimenta,
louro cereja, alfazema, juinpero, Portugal, lima'
ans da Russia, canella, cravo e muitos outros ob-
jectos que so com a vista poderao ser mostrados.
Joo Pedio das Keves,
Gerente.
A LEGITIMA
SALSAPAMILH
Compram-se libras sterlinas a 95300, e tam-
bera onro amoedado, brasileiro o portuguez : n
ra da Cadeia do Recife n. 22.
Compram-se libras sterlinas a 95300 : na
praca da Independencia n. 22.
Compram-se 2 ou 4 casas terreas em boas
ras ou mesme sobrado : quem as tiver deixe o
preco, ra e numero em caria fechada na pracinha
da Independencia ns. 6 n 8 com as iniciaes A. A.
AVISOS DIVERSOS.
Joaquim da Silva Costa faz ver o publico e
comespecialidade ao respeilavel corpo do commer-
cio, que julga nada dever nesta praca e neni fra
dola, das estinrias lirmasdeque foi socio capitalista
Joaquim da Silva Cosa & C.. Joaquim da Silva
Cosa & Irinao e Canholo & C, porm se alguem
se julgar credor aprsente a conla no prazo de
8 dias da dala desie, para immediatamente ser
rago._______________________________
Manoel da Rocha relira-se para Portugal com
sua familia, a tratar de sua saude ; julga nada de
ver a pesoa alguma, todava se alguem se julgar
seu credor apresente-se ao annunciante no prazo
de 15 dias, em casa de sua residencia na villa do
Cabo.
I O Dr. Cosme de S Pereira conti-
I na a residir na ra da Cruz n. 53,
i e 2o andar, onde pode ser procu-
' rado para o exercicio de sua pros-
f s5o medica, e com especialidade
sobre e seguinte
i "molestias de olhos;
2 de peito :
3 dos igaos geni-
ti urinarios.
Em seu escriptorio os doentes se-
ro examinados na ordem de suas
entradas comecando o trabalho pe-
los doentes de olhos.
Dar consultas todos os dias das
6 as 10 da manha, menos nos do-
mingos.
Praticar toda e qualquer opera-
co que julgar conveniente para o
prompto restabelecimento dos seus
doentes.
Os abaixo assignados cordealmente agrade-
cen) a todas as pessoas, que acompanhando-
os em sua justa dr pela sentida morle de
seu prezado irmao Antonio da Silva Ferreira,
fallecido em Portugal, se dignaram de assis
tir no dia 4 do corrente, era o convento de
Nossa Senhora do Carmo d'esta cidade,
missa aili celebrada para suffragio da alma
do fallecido ; e al fallariam a um dever de
gratidao nao menos sagrado, se por esta
occasio nao manifestassem oulrosim seu re-
conhecimento para com os dignos membros
da irmandade de S. Jos d'Agonia, erecta
n'aquHle mesmo convento, que em corpora-
cao assislir.im a primeira e a segunda missa
celebradas para o mesmo fim piedoso,
Recife, 5 de junho de 1865.
Jos Joaquim da Silva.
Joo da Silva Ferreira.
Luiz da Silva Ferreira.
Joaquim Jos da Silva.
Avisa-se ao Sr. tenente do 4 batalhao de ar-
lilharia a p, Jos Joaquim Ferreira de Paiva, ora
destacado na provincia da Bahia, que a pessoa por
S. S. encarregada do pagamento do aluguel da
casa em Santa Thereza de Olinda, cuja chave o
mesmo Sr. tenente recebeu no dia 16 de setembro
de 1862, nao tem cumprido o que S. S. Ihe orde
nra.e apenas deu por conta 10$000 rs., restando
anida por pagar 17000 rs.: e para que o Sr. te-
nenie Paiva saiba do que se tem passado e possa
dar as suas provideneas.'afim de effectuar-se este
pasamento, que se Ihe faz o presente aviso, visto
que as cartas que se Ihe tem dirigido neste sentido
provavelmente Ihe nao terao chegado mo.
Recife, 4 de junho de 1863.
O interessado.
Roubaram da casa n. 48 na ra da Impera-
triz, primeiro andar, 1 relogio de'ouro, patente in-
glez, com urna cadeia de conlas pretas, 1 biuoculo
1 chapeo de sol de 16 bastes, de cor verde, 1 bo-
net e urnas lonetas, ao meio dia do ultimo do mez
prximo lindo.
Joo Baptista Gomes Penna roga a seus deve-
i dores que vnham liquidar seus debito* na praso
; de 15 dias; se nao satisfizerem forcaro-o a entre-
gar ao seu procurador para receber judicial ou
amigavelmenle.
Rogase aos Srs. Manoel Custodio Peixoto
Braga e Bricimo Antonio da Cruz Soares, que te-
nhara a hondade de declarar por esle jornal o
lugar de suas residencias, afim de entregarse
duas cartas vindas do sul, o que de alguma sorte
O London & Brazilian Bank, saca or dos ~ n
os paquete sobre ~ ComPra e um Prelo velho pue sirva para
pastorar gado_: jia ra do Padre Fioriano n. 34.
Compn-se a o!>ra intitulada"^) Collegio In-
cendiado : na livraria econmica, rua do Crespo
Lisboa.
Porto.
Braga.
Vianua.
Gu i maraes.
Villa Real.
Coirabra.
Amarante.
n. 2, defronte do arco de Santo Antonio.
bes interessam.
Precisa se do urna ama para comprar,
nhar e engommar
zes
4 luyase
um sitio na campia da Casa Forte, com duas ca-
sas, urna a em que morou o fallecido Thomaz de
Aquioo Fonseca Jnior, feita a moderna, e conten-
do todas as accommodaces precisas, e outra com
bois commodidades para qualquer familia : na
rua do Vigario n. 19, primeiro andar.
VENDAS.
PREPARABA NICAMENTE POR
LA\MA\ & KEJIP,
COZI-
NOVA YORK.
Composta de substancias, gozando de
propnedailes eminentemente depurativas
!approvada pelas juntas e academias de me-
dicina; usada nos principaes hospitaes, ci-
(vis militares e da marinha nasAntilhase
I no continente americano; receitada pelos
facultativos os mais distinctos do imperio do
5 Brasil e da America hespanhola
RA RADICALMENTE
escorbuto, en-
Venile-se esla lin la collcccao de
reunidas em um pequeo volme, com o
VSfSSSiSS"* da ^^^-^^^^^^'ZsAt^:0l. !implos,e mais 59-novas charadas, pdo! ^Zter^tem
n.it, >egundo andar._______________' criptores, desse districto, que elle tinha para co- diminuto preco de l cada exemplar enea- rneumatlsmo,
Ha para alogar-se um bom moleque de 14 brar, declaramos que ficam elles sem vigor algum dernado : na praca da Independencia ns. 6 ,ermiua(|es venreas e mercuriaes, chagas
annos : na rua do Livramento n. 19 e que somente se pagar a quem apresenlar reci- e 8 1 ant,Sas morphea e todas as molestias pro-
- Chri?tiano Jos TavareTreUra"-se com soa, b^-a flrtna da casa Pr extenso;________ -~Vendem-se CO palmos de terreno sito na rua' ve,lientes d'um ps,adO vicioso do sangue.
familia para Lisboa a tratar de sua saude, deixan- Precisa-se de urna ama forra ou captiva pa- Augusta prompto para se edificar : 'tratar nal Em1nantO existem varias imilacoes e
do o seu e> la beleci ment de marcineiria na rua do ra eosiobar e comprar para casa de ranaz soltei- .^ ih..h .. ~~~~.,z~ a~ --------..... f:ik;fi<>ni>nc r>o/.Son o -,.:.......1. ____
Imperador n. 47 a cargo do socio gerente o Sr. ro : no largo do Carino n. 9.
Joaquim da Costa Ramos, e por seus procuradores
os Srs. Domingos da Silva Campos, Paulo Jjs
Gomes e Jos Rufino Ciimaco da Silva.
ATTENCO.
Na rua do Pilar n. 123 lava-se
na
Aos Srs. acadmicos.
Vendem-se os seguintes livros qoasi no-!
romain por Mackel !
Diccionaire!
e engomma-se j vos : Manuel de droil
._ oVy, 1 \olume, por ('m$00..;
ruido Ran? *"* ^^^ ^ ^^^ "' "''com. f>eie]^r" Pr Preco comm'odo.
c^t^TJ'.^ rm b0m cfinheiro' Preferese di*'conlcniieux cmmcnial por Mass," Vend
capujo, na rua do Crespo n.4.------------------- vo|ume por 6J( 00 La femme w mi- Urbmi
Precisa-se de um feitor que seja capaz, e dando dama A St*5*? { v;,lume> com estampas
boas nformacfes, sendo casado d-secasa propria. "nas por o^UUii; (Muars de Reme, 1
OftVrcce-se urna pessoa de toda a capacida-
de para tratar de meninas em alguma casa de fa-
milia decente nesta praca, ou fra em pequea
di>tancia ; a pessoa que precisar annuncie para ser 1
procurada, que receber toda a informado.
Pedro Manoel Daarte God por si por
toda a familia cordialmente agradece as pes-
soas. que se dignaram assistir as exequias e
aermpanhar at o eemiteno publico os res-
tos mortaes de sua mui presada av D. Ma-
ria Joaquina de Miranda H'nriqucs.
Irmandade do Santissimo Sacramento
da freguezia do Recife.
De ordem do lllm. Sr. juiz da irmanda
de do Santissimo Sicramento do Recife con-
vido a)s irtnos da mesa actual, bem como
a todos os que tem feito parte das mesas
anteriores para que tenham a bondade de
comparecer no consistorio da mesma ir-
mandade quarta-feira 7 do correte ao meio
dia, afim de tratar-se de nteresses da ir-
mandade. Recife 3 de junho de 186o.
escrivo,
A. G. Miranda Leal.
D. Henriqueta Elyzia Banks de Miranc'a aca-
ba de propor contra Francisco Jos de Campos
Pamplona e sua mulher, no juizo municipal da Ia;
vara d*sta cidade, escrivo Baptista, aeco de rei-
vindicaco do sitio da Mangabeira em Olinda.
Aluganvse dous grandes sobrados com com-
modos para numerosa familia, novos e aceiados,
com jardim, cocheira. estribara e ootras commo-
didades, na travessa de Joo Fernandes Vieira :
a tratar na rua da Senzala Nova n. 42.
Criado.
Precisa-se de um criado forro ou escravo para
andar pelo malo com urna pessoa que applica-se
em cobrar dividas, cujo trabalho de criado ser
na rua Nova n. 19, primeiro andar.
evitar os engaos,
A legitima salsa de Bristol vende-se por
CAORS RARBOZA
JOAO DA C. BRAVO & C.
Joao da C. Bravo & C.
em-se no Recife em casa de Caors 6
e Joo da G. Bravo A- C.
Attencao.
vi'lume, com Champas Orias por 60000 ; Vendem-se sorles para Santo Amonio e S. Joao
OEuores choisis de Buffon, i volume, com a &o0 0,cenl0< tambera d-se de vendagem a 80-
estampas finas, por 4#Uj Cdigo de rrr r?-"r pataca : na rua da Palma n. 41. taberna.
."1
bem : na rna do Bartholomeu n. 45.
AMA.
Precisase alugar urna escrava ou mesmo forra, dito predial, 1 volunte, por I#(K) ; Florcs\
nen T'% "iS! para(casa de duas pesoas: siiigelas, poesas por Paes d'A ndrade, i v-o n IIIU > f u\J I k
oe s. rrancisco n.oi.------------------------ llm, por t&OOO ; Vinqem ao Aranuai/a'concitadas : na rua do Itangel o. 43.
Aluga se urna sala do primeiro andar da rua nPin nr pmi( ,, Mnnalhoc l vlnmo
do Queimado n. 41 : a tratar ua mesma. P aVLA f. :Ma8a""es' volume,
n..-;___,-___ "-----------:: Por zO : A vel/iice de Caindes, romance
La lie des
primeiro andar. ""' sainls, l volume, por I#2)0; Kconomiepo-
i volume, por 20 ;
Precisa se de urna ama para casa de duas n_ ivimuii..
cuidar no tratameoto de dous cavallos, paga-se pessoas para cozinhar : na rua da Penha n 23 ^ur iriKueir>s, por 2fouu ,
'! sainls, l volume, por 102)0; E<
- Aluga-se na Passagem da Magdalena, ruado lluJ"e> POr Ganiier,
"-^^""V4^* Bemfica, os sobrados ns. 7 e 9, com bos'cmmo" legras da escripturaco mercantil, por Go
n.r".^-G,L,fa.. 1?: lsJe..-l)IosJde_,?as -.*.^Para,familia : tratase na rua do Trapiche mes Jnior, I volume, por 20500; Organi-
salion \du iravail, por Louis Blanc, I volu-
Vencle-se
na rua das Cruies n. 23 junco e palha, mais bara-
to do que em oulra qualquer parle.
[
Joo da ilva Ramos, medico pela Uni
versidade de Coimbra, da consultas em
sua casa das 9 s 11 horas da manha, e
das 4 s 6 da urde. Visita os doentes
em suas casas regularmente nas horas
para isse designadas, salvo os casos ur-
gentes, que serio soccorridos em qual-
quer oeeatiio. D coasulias aos pobres
que o procuraren) no hospital Pedro II,
aonde encontrado diariamente das 6
s 8 horas da manha.
Tem sru casa de saude regularmente
montada para receber quakjuer doente,
ainda raesmo os alienados, para o que
tem commodos apropriados e nella pra-
tica qnalquer operacao cirurgica.
Para a casa de sade.
Primeira classe 35000 diarios.
Segunda dita.... 2500
Terceira dita.... 2*000 >
Este estabeleei meato j bem acredi-
tado pelos bons servidos que tem pres-
tado.
0 proprietario espera qae elle eonti-
nue a merecer a confianza de qae sem-
pre tem gozado.
I
i
I
Alexandre Jos da Silva Leitao como com-
padre e encarregado ao enterro de Antonia
Maria Magdalena, e sua mulher Cilorinda
Thomazia Ribeiro, Antonio Jos Ferreira Re-
finador e sua mulher Maria Espindola de
Mondonga, Manoel E^pindola de Mendonca e
sua mulher Antonia Roa de Mendonca agra-
dt cem cordialmente a todas as pessoas que
se presiram a acompanbar os reslos mor-
taes de Antonia Maria Magdalena para o ce-
miierio publico desia cidade, e de novo con-
vidamos a todas as pessoas que quizerem
comparecer assi-tir a missa no da 7 do
corrente mez, na igreja de Nossa Seuhora do
Livramento s 6 horas da manha.
as qualidades, enfeitam-se bandeijas do melhor numero 4.
gosio, por mais barato preco do que em outra -------r,
qualquer parte, quera quizerdirija-se a dita casa Rl~ *lugafn,^*1E f vsa D- n -ua me, por 4020); LEpiphanie, pelo padr-
que ser servido. ^; a lratar na nzala Nova, refinacao nu- yentura> vo|ume> { { m(].' (, jT} ^
..___________________________\nierdes salons, i volume, por 640 rs.: na
rua doCabug n. 2 A, loja.
Na rua do Queimado, loja de ferragens n. 4
eende-se muito em conta um par de venezianas.
Farinha de mandioca : leni para vender Au
Para os festejados dias de S. Joao e S. Pedro1 ton,,J Luiz de Oliveira Azevedo & C, no seu es-
Precisa-se de dons trabajadores" para pada- existe na muito acreditada fabrica de fogos de ar- criptono rua da Cruzu. 1.
ria : na rua larga do Rosario n 16. Uficio da ostrada de Joo de Barros, propriedade
-------------da viuva Rufino, um completo sorlimenle de pis-
Roubaram de urna imagem de Santo Anto-
nio, do sobradinho do Muniz defronte do viveiro,
encarnado de novo, tendo o menino Dos pegado,
com resplandor de ouro e a cruz lambem de ouro:
roha-se, portanto, aos ourives es pessoas a quem
for oferecido, o favor de o apprehender e levar a
meesma casa, que muito se agradecer.
Fogcsfogo.
Fio de algodo da Baha.
Venderse no escriptorio de Amonio Luiz de Oli-
veira Azevedo & C, rua da Cruz n. 1.
OPHrMSI i
Queijo do serto.
tolas, craveiros, rodiohas e fogo buscap : comoj De manteiga a 610 rs. a libra, ditos do reino
seja penoso a algumas pessoas irem a fabrica pela ; frescos a 2200 rs. cada um, manteiga ingleza
distancia, os pretendentes podem deixar suis en- flor a 1^200 e 1,5120 rs., franceza a O rs.; no
commendas no armazem da bola amarella no oito: armazem ua Estrella, largo dw Paraso n. 14.
da secretaria da polica.
Engenho.
Arrenda-se o engenho d'agua, na freguezia de
Ipojuca, denominado Jussar de Sant'Anna, urna
legoa e meia distante das estaees da Escada e Ipo-
juca, com Ierras excellentes de massap para se
sa'rejar em grande escala : a tratar no pateo do Na praca da Independencia n. 33, loja de our
Livramento n. 23 com o Dr. Ignacio Nery da Fon- ves, compra-se ouro, prata, pedras preciosas e Chegou um completo sortimento de ferros de di-
seca-_______________________________ tambem se faz qualquer obras de encommenda e ; versos modelos para encrespar e engommar baba-
0 abaixo assignado, passageiro cheadoul- odo e 9ua|1uer concert. dos, pufose lodosos objectos de roupa lina perten-
tintamente de Lisboa no vapor inclez Im Plata. iww. .1.,, m ,, .r, ,w ; reme ao toilet d-urna senhora, 9 hoje indispensa
Ferro?.
QUADROS
%vii:wbabi:
^AOt'AnELLA
Urna scena de nossos dias.
Drama
Por Pedro de Calasans
Vendem-se estas obras impressas e"i Bruxellas
e Leipig : na livraria de Jos Nogueira de Souza,
rua do Crespo.
A tteneao dos Srs. aliiates,
sapateiros e t manqueiros.
Pecas de algodo largo e encorpado. proprio pa-
obras daqnelles senhores, por 2700 a peca de
ra
Ama de leite.
f'rec'.vse il? urna ara sadia e cora to* iie
na rua Imper U, sobrado a. 87.
O bacharel Joao Francisco Teixeira tem o
seo. escr|ptorio de advocacia na rua do Queimado
n. la, primeiro andar, por cima da honra do Sr
ttibeiro, onde pode ser procurado das 9 horas da
manlia s 3 da tarde e dar.j por diante em caso
de urgencia em casa de sua residencia, na roe rua n. 12, terceiro andar.
Quem tiver urna escrava de meia idade para
alugar, dirjase ao pateo da Ribeira n. 3, ou an-
nuncie.
D-se 1.000$ sobre bvpoiheca em predios-*
informales na roa da Cr'uzes n. 42.
O Ven.-, da Aug.-. Loj7\Tap7T Unio e Bene-
Hcencia Ofell.-. ao Sapm.-. Gr.\ Orient.-. do Braz.\
do Val dos Beneditnos manda convidar a todos
os seus dig.\ memb.-. para sec.-. Famill.-. terca-
fera 6 do corrente. pelas 6 1|2 horas da tarde, pa-
ra ser apreseoiada a pranx.. de eommioicacao de
que os Sapms.-. Ggr.-. Oorienf. de Franca e Por-
tugal recoohecem o Sapm.-. Gr,-. Orient.-. aoVal
dos Benedictinos como o nico (al
4a Brasil.
Azevedo Santos.'.
:-.'. Secret.-.
ditos melhores a 700, 800, 1$ e t^iOO, de diver-
sos tamanhos.
no vapor inglez Im Plata, Precisa-se alugar um escravo uara todo o
agradece cordealmente ao lllm. Sr. Dr. Maximiano servicode urna ea de familia : na rua da Cadeia JZ' ** ""'-Ut -Pr"0 de 30 tS' ""* Um
Marques de Carvalho a maneira com que o dito do Recife n. S2, terceiro andar.
sennor o tratou a bordo do dito vapor com rome- -----s:-------1-------T ------r~-:-----
dios da sua carteira homeoptica, que izera de P^cisa-se de urna boa engomraadeira forra:
proraplo desapparecer o mal que o mesmo abaixo a rua da Cadeia do Re.-ife n. 52, terceiro andar.
assignado soffria desde o principio da dita viagero. ci .<.. TT~0 X
AntoniiJos:de Parias Lino. OOrifS (16 0. JClO
20 jardas, esl em perfeito estado : na loja da rua
da Madre de Dos, n. 10, defronle da guarda da
alfandega.________
Vende-se caixoes vazios propTios pa-
ra balmleiros, e funileiros, a 2000 cada
um : e para as pessoas que compraren do
4 para cima I 800, nesta lypographia.
Vinho superior em caixas de "urna Tuzia"
Precisa se de um bom cozinheiro para o ho-
lel italiano, rua do Trapiche n. 5.
Precisa-se do urna pessoa que tenha boa le-
tra e saiba escrever com correco : na rua da
Aurora n. 26.
Ama
Precisase de urna ama pira comprar e cozinhar
para casa de homein solteiro : ua rua Nova nu-
mero 6.
Vendem-se lindos papis com estalo para as
sorles de S. Joo : na rua Nova n. 61 defronte da
(lima, cmara municipal.
Aluga-se o armazem da casa n. 53 da rua da
Imperatriz para qualquer e>tabelecimenlo por sua
boa largura e grande fundo, acbando-se com todo
o aceio : para ver, as chaves se achara na loja
con fronte ao Sr. Mendes Guimares.
O abaixo assignado avisa a todos aquelles
que esio devendo a loja que foi de Jos Sampaio
Vende-se a taberoi sita na rua da Aurora n.
74, muito propria para um principiante por'ter 1tem fara vender Amonio Luiz de Oliveira Azevedo
poucos f indo* e bous commodos para familia : a '
tratar na mesma.
Veude-se 30 palmos de terreao prorapto para
ser edificado ni rua Imperial, e Boa entre propie-
dades : a tratar na ruado Alecrim, casa com por-
to de ferro na frente.
Fazenda barata.
no imperio
DOS
ARTISTAS MECHAMOSE LIIIEKiES
DE
PERNAMBCO.
Pela secrelaria desla sociedade por ordem do
lllm. Sr. director se faz sciente aos respectivos so-
cios, que no dia do corrente, as 7 horas da tardo,
haver sessao extraordinaria aliai d; liaui-so ue
negocio de grande trancedencia.
Secretaria da soe.edade dos Artistas Mchameos |f^^ do caraP 1r da
e Liberaes de Pernambuco em 2 de junho de 186. P
Flix de Velois Correia.
ijuc o?.au tramv a lujo uuc mi ue JOfC O.III1UHIO V.>|^ Ort .. .4 l-.-i j- .-------------------
Coolho, que caso nao queiram passar pelo dissabor INan,es *???,* "?" laInl1-' ,udo "l0 por ,9r nm
de verem seus nomes nesle D&rioe irem sujeitar- Pe,q"e de,fe'1?'!lafe T,^10 T'e em sacc?s
se ao rigor das penas que a lei Ihe faculta, hajam f2Z i tZf S! a 3rrjb3 : a rM da
de quanto antes satisfazer seus dbitos na men-'L
clonada loja, visto que s o abaixo assignado o
unfeo autonsado a recebe-los, e para qne ninguem
se chame a ignorancia, faz o presente. Recife, 31
de ma o de 1865'.
H. A. Barreiros Rangel.
ll.i |i.n.i ilugdi-M ua la dos l'ires n. 39
um preto e um moleque de 14 annos, aquelle pro-
& C, no seu escnpiorio rua da Cruz n. 1,
Vendem-se
machinas americanas de serrote para descarooar
i algodo : na rua da Senzala ova n. 42. -^
Vende-se ou troca-se por propriedadeTnesta
praca um silio em chao proprio, com duas rasas
cada uma com commodos para grande familia, ar-
Madapolao muito fino a 400 rs. a vara, algodo-. voredos de fructo e Ierra de planto, na povoaco
zinho com 20 jardas a 25 a prca, chales para es- de Beberibe : a tratar na mesma povoaco com a
.^8 oU.Vs- cala u,n cberias de algolo a propietaria Anna Mana da Luz Dourado, ou no
1*000, e 1*200 mais limaos, latas de sardinha de Recife, roa da Guia n. 23.
Xtlenco,
Vende-se uraa taberna no bairro da Boa-vista,
mnio afrcgupzada para a trra, e propria para um
Preeis se de 1:000* por lempo de lOraeze,
sobre hypoilieca em ura predio nesl praca : a
qnem eovier dirija se ao correio a fallar .com
.)Lniz de Franca I* secrjeario Interino.
Araendoas
O reverendo Cirios Adye
para Europa com sua senhora.
Austin retirase
Vendem-se amend?as confeildas: na rua da
CrtKB. 13.
O Sr. Miguel Xavier de Souza Fonseca quei-
ra vir a rua Augusta satisfazer certo favor.
Aluga se o segundo anJar do sobrado n. 62
lia roa da Guia : no Io andar.
T J~, n i i mnio arrcguzaoa para a ierra, e propria para ui
LOiaaS 0 pOrtaS em trente Principiante por ler poucos fundos: a tratar n
i T i praca da Boa-Vista n. 17.
do Livramento.
praca
Vende-se um negro de 40 annos, pouco mais
ou menos, bom ofJBcial de carapina : no oscripto-
rio da praca do Corpo Santo n. 4.
Chita larga escura a 240 Tf. o covado.
.Ha loja das 6 portas.
Cassas francezas finas a 220 e 240 rs. o covado. ---------772----------"-------------
So na loja das G portas. falOeS
Pecas de bretanha de rolo com 10 varas a 2*00. A leja de calungas na rua do Rangel n. 24 ara-
Ha loja das o portas. ba de receber um completo sortimento de baldeo
Cortes de casemira escura e lioa a 4*. de todas as cores para os festejos de S. Joo, Sants
SO na loja das 6 portas. Antonio e S. Pedro : vendem-se ailo barato.
kiS?s aS carabra,ia abra"ea a 3*> f>5. **^ %' -Vendem-se sanguesugas de soperior quaida-
5*500 e 6* : na loja das 6 portas. de, em caixas ou a relalho, a vontade do compra-
fe. oulras muitas fazendas que se vendem por dor, c por preco mui razoavel: na botica rranceza
menos de seu valor, de tudj se d amostras. de Ciors Barbosa, rua da Cruz n 22
r
(MUTILADO)


DUrio de pernambue* Segunda eU A Je Juau de !*&.
1
A molestia ou infecco peciiv J-SHES
lialconhecida pelo nome de*-,[
crofula um dos males mais '
prevalecentes e oniyersaes qoe j
ha em toda a extensa lista das'
enfermidades de que soffrc o
genero humano : disse um cela- $ f\
|.bre escriptor da medicina que u

GENEBOS BARATOS A BINHEIRO
NOS

1 mais de urna terca parle de
todos aquellos que morrem antes
da velhice sao victimas, oud re-
ta ou indirectamente da Escrfu-
la :por si nao 15o (es-
tiva, porm a principal causa de multas
outras eufermidades que n5o lhe sao geral-
mente attribuidas.
E' urna causa directa da phthysica Pul-
monar, das molestias do figado, do estopia-
go e affeccdes do cerebro:Entre os seus
numerosos symptomas acham-se os segan-
tes : falta de appetite ; o semblante fal-
lido e s vezes inchado, s vezes de urna
alvura transparente e outras corado e a-
marellento ao redor da bocea ; fraquea e
molleza nos msculos: disgesto fraca e
appetite irregular, falta de energa, venir
inchado e evacuaco irregular ; quando o
mal tem seu assento sobre os pulmoes, urna
cor azulada mostra-se em roda dos olhos;
quando ataca os orgos digestivos, os olhos
tornam-se avermelhados: o hlito ftido,
a lingua carregada, dores de cabeca ton-
teiras etc.
as pessoas de disposico escrofulosa ap-
parecem frequentemente erupces na pelle
da cabera e outras partes do corpo, sao pre-
dispostas s affec0es dos pulmoes, do liga-
do, dos rins e dos orgos digestivos e ute-
rinos. Portanto, nao smente, aquelles
que padecem das formas ulcerosas e tuber-
culosas da escrfula que necessilam de pro-
teccae contra os seus estragos; todos as
quelles em cujo sangue existe o virus laten-
te d'este lerrivel flagello (e s vezes heri-
ditario) esto expostos tmbtm a soffrer das
enfermidades que elle causa, que sao :
A phthysica, ulceraedes do figado, do es-
tomago e dos rins: erupedes e enfermida-
des eruptivas da cutis ; rosa ou erysipela ;
borbulhas. pstulas nascidas, tumores, rh-
cumacarbunculos, ulceras e chagas, rheu-
matismo, dores nos ossos, as costas e na
cabeca, debilidades femininas, (lores bran-
cas causada pela ulceraco interior, e en-
taES mmm de molimos
un DE
DUARTE&.C. ..
t>ateo do Carmo n. 9 arraazem Pregressivo roa o Qneiioado n. 7 |J
laio e Commercio roa do Imperador n. 40, 11
Principal armazem de molhados. ge

OS ROl'.KIETARIOlS.
Fazem sciente ao respeitavel publico, e com especialidade aos senhores de en-
Rival.-.sem segundo
Ikfa do Queimailo n. 49, est vendesdo tudo
muilo barato como ver abaiio.
Caixas de pennas de kalegraphia a 1^000.
Massos com superiores grampos a 30 rs.
Pares de cpalos de tranca e taptte a 1$500.
Frascos de macar perula a iO rs.
Caixas cum superiores agulhas a 200 rs.
Libras de laa sortidas Cbth todas as cOres a 7000.
Caixas com superiores obreias a 40 rs.
uzias de phosphoros de soguranga a 120 rs.
Meias garrafas com tinta a 240 rs.
R idiuhas com alfiuites franeczes a 20 rs.
Cartas de alinetis franeczes muito linos a 100 rs.
Resmas de papel almago a 25400.
Resmas de pa(1el d peso a 2*000.
Papis de agullias fr?ncezas a balao a 60 rs.
Bonets muito bonitos para meninos a 1W00.
Enfeiles para senhoras fazenda muito moderna a
2000.
Escovas para roupa superior iiualidade a 1000.
baratishimo!
baratissimo
baratissimo!
As pchinchas que esto se liquidando na nova
genhos, lavradores e mais pessoas do centro, que para mais facilitar suas compras del- J-,-, Vfawmdas de roupa feita de Gui-
beraram os proprielarios dos tres grandes armazens, reunir todo > os seus estabeleci- mares & irmao, ra da imperatrii n. 72, aomie
nientos em um s annuncio, pelo qual o preco de um ser -de lodos, promette- os freguezes encontrara um rico sortimento de ra-
mos que nao infringiremos a tabella que abaixo vai publicado, aonunciar os ge eros zendas de todaslo^fn:''deaJ'^.^ea;ael";trSlane
por um preco, e na occasio da compra quererem por outro. como socede constante- E^^
mente em outras muilas casas,. porm nos uossos estauelecimentos nao se dar slo ^ 0, caxeiros |6Var em casa das familias.
Admireiu
dmirem
Admirem Bem!! n,,r'1,a Ur:
Piivalsem segundo
Ra d > Queimado n. 49, luja de iniudrzas de Li
i Aievodu Maia e Suva, es la qaeimando que ad-
j Fraxos com .-uperior baiihaa 200, 210 c >00 rs.
As pchinchas que esto venda na loja e ansa-1 Latas com superior bauha a 200 rs.
zem do Pavao, na ra da Imperatriz n. 60 de Ga-Frascos com superior agua de Culni;: a lo e
ma di Silva, ood* se vendem todas as fazenda-, I 40o r?.
tanto de luxo como de pnmeira necessiaade pi.r ;Fra.-ccs am superior oleo de tabula a 240, 320 e
pregosmuito rasoaveis,e com f?peoalidadu as se- 400 r>. ,.ac,n
guinies, dando-se amostras deixando licar penior, barraras da vcidadcira a(ua Floprfa a 15^80.
oumando-se levar em casa das familias pelos Frascos de superiu- oleo da so.iedalc lligi-.-nique
anda mesmo com prejuizo nosso, qualquer pessoa poder mandar seus fmulos que
sero tam em servidos como viessem pessoalmente fazendo-nos o favor de mandar seus
pedidos em cartns feixadas; para evitar qualquer engaos, remetiendo nos urna conta
pela qual se ver os precos tal qual annunciarmos, o que seno arrepender pessoa jardas pelo barato prepo de Jffow
algun'a que fizer sqa despenca em nossos estabelecimentos; pois poupar mais de i
5 por cnto na sua despeza diaria.
Munteiga inglcza flor a 1*500 rs. a |-; dem com 4 a 5 ditas a 3#200.
dem vasios de todos os tamanhos a 2f>000,
bra.
dem franceza muilo nova a 900 a libra, e
800 em barris.
Banha de porco refinada a 720 a libra e 700
em barris.
Queijos frescos do ultimo vapor a 2)5800.
Ctui uxim de superior qualidade a 2#00.
dem penda miudinlio a 2)5700
dem hysson especial qualidade de 20400 a
20GOO a libra,
dem prelo muilo especial a 2$000 e 2i00
a libra,
dem do Rio em latas de 4(5OO0 e a 800 a
libra.
Latas com biscouto de todas as qualidades
a 10OO.
dem da creditada fabrica de Biabo Antonio
(Lisboa) proprias para dar a doentes a
U
2)5 e 3)5 a lata.
fertilidades uterinas, hydropesia, tndiges- Bolaxinha ingleza muito nova a 3,5500 a bar-
to, enfraquecimento e debilidade acial. ,.ca e a 240 rs. a libra.
Aos pulmoes a escrfula produz tubercu- Latas*com bolaxinlia de soda e oval a 20.
no
G40 rs.
Presunto inglez para fiambre ebegado
ultimo vapor a 8U0 rs. a libra.
Cliouricos e paios muito novos a
a libra.
Caixas com macarrao talharim muito novo a
5)5000 e 320 a libra.
Aletria branca e amarella a 500 a libra.
Cbocolate portuguez de especial qualidade a
800 a libra,
dem suisso de 800 a 1)5000 a libra,
dem hespanhol verdadeiro a 1900 a libra
que j vendemos a 1)5400.
1)5500,800 e 640 rs
Vinagre puro de Lisboa a 280 a garrafa e
2)5000 a caada,
dem mais baixo a 200 rs. a garrafa e 1)5400
a caada.
Aze'.te doce de Lisboa muito uno a 600 rs.
a garrafa e 40GOO a caada,
Toucinbo de Lisboa novo e muito alto a 320
a libra, e em barril de 5 arrobas a 9*400
arroba.
Cerveja Bass do fabricante Shlers & Bell a
6#500 a duzia e 640 a garrafa,
dem Bass do fabricante T. F. Ashe a 6/50OO
a duzia e 560 a garrafa,
dem marca H Vicloria Alsope e outras
muilas marcas a 50 a duzia e 500 rs. a
garrala.
Sabao pnmeira qualidade a 220 rs. a libra
e 210 em caixa.
dem segunda qualidade a 200 rs. a libra e
180 rs em caixa.
Sabiio inglez superior a 180 rs. a libra e
16 rs. em caixa.
Caf do Rio primeira sorle a 280 rs.
e 8. a arroba,
dem segunda dita a 240 rs. a libra e 7*200
a arroba.
Arroz do Maranho (352O0 a arroba e 100
rs. a libra. ^-
dem da India a 20600, 20800 e 100 rs. a
libra.
Charutos Normas de Havana a 50500 a cai-
xa, de Simas (Jos Furtado).
dem Londrinos a 50, idem.
dem Parasienses a 40500,
Madapolo enfesUdo a 30500, 40000
e 4050 a peca.
Vndese peca de madapolo eufestado com 12
35500, 45 e 4oO,
as das marcas
niais'acredTtadas a 65300, 7{ e" 8, dita elefante
muilo fina a 9,5 : i Guimares & Irmo, ra da
Imperatriz n. .72.
Admiravel pechineha,
Cuita larga a 2401 chita larga a 240 II dula
larga a 240II! Acaba de chegar a este estabeleci-
menlo bonito sortimenfo de chita fina percala de
padroes modernos, sendo clara e escura, e sendo
fazenda que val 400 rs. em outra qualquer parte,
e vende se pelo baratissimo prego de 240 o cova-
do, dita ingleza a 220 o covado, organdy dos mais
lindos padrSes que tem vindo ao mercado a 240 o
covado, islo para liquidaren) : s Guimares & Ir-
mo, ra da Imperatriz n. 72.
Cortes de chita frameza.
Vendem se cortes de chita franceza com10 co-
vados a 2*500, ditos com 11 covados a 2,5700, di-
tos com 12 covados a 2*880 : s Gu maraes & Ir-
mao, ra da Imperatriz n. 72
C '.es Mara Pa.
Vendem-se cortes de laa Maria Pa com 13
covados a 5* e 5*500, ditos com lindas barras a
10* : s Guimares & Irmo, ra da Imperatriz
numero 72.
Fazendas pretas.
Vende-se grosdenaple preto de seda pura a
caixeiros da mesma loja.
Madapolo infestado a 40, 10500 c 50000.
Vendem-se pegas de madapolo enfeslatfo com
12jardas pelu baratissimo prego de 4*, 4*300 e
3*, ditas sem serem infestados demarcas muito
acreditadas a 7*. 8*, 9*, e 10*, ditas, francez
multo encorpado proprios para saias a 480 ris a
vara, isto na loja do l'avo ra da Imperatriz n.
60 de Gama d Silva.
Vestidos Braacos.
Vendem-se os mais ricos cortes de vestiies de
cambraia branca primorosamente bordados, pelo
barato prego de 12*. 16# e 20* ua loja do Pavao,
ra da Imperatriz n.60 de G:.ma & Silva.
Grande pechineha, vestidos a
Acaba de chegar um bonito sortimento dos mais ]
lindos vestidos transparentes, muilo proprios para
paaselos e bailes, por serem de primorosos dese-
nhos, sendo lodos os padroes lecidos e nao pinta-
dos, e vendem-se pelo baratissimo prego de 3*300,
endo fazenda que val muito mais dinlieiro: islo na
loja do Pavao, ra da Imperatriz n. 60, de Gama :
Silva.
GrosdcnapEes de cor a IGC
Vende se superior grosdenaples cor de caf, pro-1
prio para vestido, sendo muito encorpado, a i*tioO
o covado : na loja do Pavao, ra da Imperatriz u.
60, de Gama & Silva.
Grande soilinicnlo de roupa feto.
Vndese na loja do Pavao um grande sortimen-
to de roupas felas. constando de palitos de panno
prelo, sobrecasacos, diics saceos, ditos de casenii-
ra, saceos e sobrecasacos, ditos de brim branco e
a 640 rs.
Fra>cos de -uperiores ebeiro saulal e outros mui-
: tos a 1*000.
Saboiieles de familia a 210 c 200 Tf.
SabOeles de superior qualidades a 60. 120 e 160 rs.
Caitas com 12 r.scos de elieiros muito finos a
1*100.
Caixas dito com 6 frascos melhor faz*-nda a 000 rs.
Paos de pomada franceza grandes a ;;'( rs.
S.iln.neies de bolla pequeos e grandes a 240 e
320 rs.
Frascos com superior opiata a 800 rs.
Frascos rom superior apna para denles a 1*000.
?\VUL4,s
D'IOJUBETO DUPLO
Os elementos que compoem esta preparacao, o
ferro, o iode e a guio, a colioeo no primriro
decores, ditos de casineta, caigas de casemira pre- i gro ,as pre,)arac6cs ferruginosas. Basta atieslar
ta de todas as qualidades, ditas de tr, ditas de ; seus resudados oblidos pelos Mdicos dos liospi-
brim de linho branco e de todas as cores, col-tes
de brim, casemiras, setim. gorgurao, etc., etc., to-
das estas obras vendern-se por prego mais barato
do que em outra qualquer parte : na loja do Pa-
vao, ra da Iinperairiz u. 60, de Gama & Silva.
Soutembarqucs <1e cor
Vendem-se os mais modernos soutembarqucs de
cor, ricamente enfeitados, e por barato prego : na
loja do l'avo, ra da Imperatriz n. 60, de Gima A
Silva.
Capas pretas esoulembarques.
Vendem-se as mais modernas opas pelas lisas
e bordadas, os mais bonilos soutembarques pretos e
manteletes, ludo de seda preta e o que ha de mais
gosto no mercado, por pregos muilo em conta :
na loja do Pavao, ra da Imperatriz n. 60, de Ga-
ma 4 Silva.
g^TOSTJSflrn; Grande liquidacio a dinheiro.
com um trangado muito fino, proprio para lulo,
los e finalmente consumpcao pulmonar
as glanulas ella produz inchaces e tornam-
se ulceras: nos orgos digestivos causa
desarranjos que produzem indigeslao, dis-
pepsia, molestias do figado e nos rins :
na pelle produz erupces e affeccoes cut-
neas.
Todos estes males tendo a mesma ori-
gem, carecem do mesmo remedio: a sa-
ber : purificar e fortalecer o sangue.
A salsa parrllha de Ayer
composta dos antdotos mais efficazes que
a sciencia medica lem podido descobrir, Doce"da"casca"degoiaba"em caixes de 6 li-
para esta molestia assoladora e para a cura |jras seuro a 10800,
de todos os males provenientes d'ella que -lljem em caXoes pequeos a 700 rs. e de dem Delicias a I05OO.
contm virtudes verdaderamente extraordi- 59 para cima a f 40. dem Traviata do Rio a 50500.
narias provado incontestavelmente pelas i,iem secco em hcelas ricamente enfeitadas, dem varetas de Manoel Pexoto da Silva
curas notaves e bem conhecidas que tem conlendo pera, pesego, ameixa, rainlia. | Netto a 30500 e 10SOO a meia caixa.
feito de tumores, erupedes cutneas, erysi- e ouiras frutas a 30000 cada urna. dem suspiros do mesmo fabricante a 10300
palas, borbulhas, nascidas, chagas antigs, \em em calda em latas feixadas hermetica-
ulceras, rheuma, sarna, parebas.hydrope- raente muilo bem enfeitadas, contendo,
sia, tosse quando causada por depsitos tu- peraj pesego, amexas e outras frutas a
berculosos nos pulmoes. Debilidade ge- (540'e 700 a lata, tambem temos latas
ral:Indigestao, Syphilis constitucional e grandes a 10200.
molestias mercuriaes, molestias das mulhe- Marmelada dos melhores fabricantes, em la-
res, ulceraces do ulero, a nevralgia e con-1 tas ae 2^000 a 10200.
vulces epilpticas fe em summa, toda serie iuem em latas de I l]? libra a 10.
de enfermidades que nascem da impureza uem em latas de 1 libra a 640 rs.
do sangue. Vede as certides no Alma- Ervilhas em latas chegadas neste ultimo va-
nack e Manual do sade do Dr. Ayer que p0r a 700 e de 5o para cima a 040 rs.
se distribue gratuitamente nos lugares onde Feijao verde 011 carrapalo em latas j pre-
se vendem os remedios. parado a 640 rs.
Este remedio o fructo de longas e labo- Ameixas em frascos de vidro a 10500.
rosas experiencias, e ha abundantes provas \em om caixinhas ricamente enfeitadas de
das suas virtudes: posto que offerecido i200a 20500.
ao publico sob o nome de Salsa parrilha, Conservas Mexide muilo novas a 700 rs. o
composto de diversas plantas, algumas das frasco.
quaes s5o superiores a melhor salsa parri- dem de ceblas simples a 700 rs.
Iha no seu poder alterante. Aloltio inglez a 640 rs. o frasco com rolha
PHTORilL DE CEIIEJA DE AVER. 1 e v(|10.
Cura promptamenle a asthma, bronchite, Mostarda em p a 700 rs. o frasco,
tosse, defluxo, angina, coqueluche, uem ja preparada a 320rs.
phthysica primaria, tubrculos Latas com masa de tomate de 1 libra a
pulmonares, e todas as 600rs.
molestias pulmo-' \em em latas de 1 1|2 libra a 900 rs.
nares. Vinhoscm garrafas vindos do Porto, Madei-
tendo 6 palmos de largura a 2*200 o covado, e ou-
tras muitas fazendas como sejam, princeza e meri-
. n, que vende-se por prego baratissimo : isto so
a libra Guimares & Irmao, ra da Imperatriz n. 72.
Soutambarque de cores.
Vende-se soutambarque de cores ricamente en-
feilado a a* e 6*, chale de merino estampado a
2*: s Guimares & Irmao, ra da Imperatriz
numero 72.
Bretanha de rolo com 10 varas a 3* a pega : so
Guimares 4 Irmo, ra da Imperatriz n. 72.
Allivia os etlicos declarados.
Todas as molestias da garganta, do peito
e dos pulmoes pdem ser curadas em pou-
co tempo pelo peitohal dc ceueja do dr.
AYER.
A' venda as principae* boticas e droga- ],jem Palmella
ras do imperio, e na agencia central d l\^
ra Secca," Duque do Porto, Duque Semi-
no, Cascavailas, Maria Pia, D. Luiz, le-
dro V, Velho Secco, Lagrimas Doces, La-
grimas do ouro, e oulras muitas marcas
a 10 a garrafa e 90 a 120 a duzia.
a 10 a garrafa e 110000 a
Bo de Janeiro ra Direita a. 15.
Vende-se em Pernambuco:
na pharmaela franceza de
P.MAURER i C.
RA NOVA N. 18.
dem era pipa de todas as marcas Porto,
Figueira e Lisboa a 400 e 500 rs. a gar-
rafa e 20800 a 30500 a caada.
dem em ancoretas e 8 a 9 caadas com su-
perior vinho Lisboa e Figueira a 240 a
ancoreta.
TntriiWiP<; nim O SfirviflO Idem branco P^'31 qualidade proprio para
lrrSlTULiueb para u aei \ yu a 5G0 rg a fa e ^ a caMda
das guardas do exercito, extrahidas do re-' w b s0 a 40 rs a garrafa e 330o
gulanento de mfantana e accommodadas ao ^ caRa(Ja
exercito brasilero; obra que muito convm;.. porlo espccial qu.|idade a800 rs.
aquellas pessoas que se al.stam nos corpos s .afa e -^ a canaaa
de voluntarios; vende-se na liviana n. 6 e w m8Bor(leaux em caixas a 70 e 700 rs. a
8 da praca da Ind pendencia, a \&. 1 arrara_
Trastes Cl Ro. Champanha a melhor do mercado vinda de
Veoie-se 1 sof, 3 consolos, i mesa redonda, 9| no5a encommenda a 300 Ogigo.
cadeiras de aroarello, 6 eadeiras americaias, 1 jdcm ^g bajxa fje |gi a 200 e 10500
bea nwqaefa de Jacaranda, 2.c*rteiras._^.^'iaJ i .14 a carrafa.
francezes a 10000 e
. *' Wnm mais haixa rio. 185 a 20* e IMU 6
de va
em e 1 cartelra grande propria para taberna : r. J* a fe'31 r">-
quem pretender dirija-se a raa das Cinco Ponas Licores portuguezes e
n. 140 de '"Ve&ilTiniwde caj a 300 rs. a garrafa; Marrasquino de Zara, verdadeiro a 10500 a
garrafa.
na ra Augusta n. 76.
dem mais abaixo a 800 rs. a garrafa.
Vendem-se p^i Mtefru^ forro t-u branca preparada a oleo, em latas de 2 li- zia e 10 O frasco,
toras para piour easa, relogios para cima de me- ucm ,je Hollanda verdadeira aojj a tras-
i*para pendurar, arreios para 1 e 2 cavallos, queira e 640 O frasco.
dem de Hamburgo a 50500 a frasqueira.
Hollanda a 400 e 440
para ,.~,
vela* de spermacete. tudo de superior qualidade,
vinda dos Estados -Unidos : no armazem da ra do
Trapiefce n. 8.___________________
Feijlo preto
Na ra da Imperatriz, armazem n. 6.
Sortes avulsas.
Vendem-se olhas de sortes para as noutes de S.
Joao e Santo Antonio, a 40 rs. a 20 rs. e alguns
folnetos pregos diversos ; na ra do Imperador
a, i 3, defronte de 8. Francisco___________
tengo
Vendem-M estalos para sortes de Santo Antonio
e S. Joio a 60 rs. a daiia : na livraria universal
ra do Imperador o. Si.
dem em boligas de
rs. o frasco.
Garrafes com genebra de Hollanda com 24
garrafas a 80, com garrafao.
dem com 14 a 15 garrafas a 60.
a meia caixa e 50200 a caixa.
dem mececpes a 10700 a meia caixa e
30O(iO a caixa do mesmo fabricante,
dem orenlaes do mesmo a 10800 a meia
caixa e 30400 a caixa.
dem jovens de Castanho Fillio a 20400
a caixa.
dem suspiros do mesmo a 10)00 a meia
caixa, c outras muitas marcas de fabrican-
k tes.
Passas muito novas a 10500 o quarto e 50
a caixa de urna arroba hespanhola e 320
a libra.
Vermule bebida para abrir a disposico de
comer 10500 a garrafa e 140000 a
caixa.
Alpista muito novo 30800 arroba e 140
a libra.
Painco a 40000 arroba e 140 a libra.
Peixe em latas j preparado a 10200 a lata
e em porco 10000.
Sardinhas de Nantes a 400 a lata.
Tijollo paralimpar facas a 160 rs.
Esparmacete a 600 a libra e em caixa a
580.
Vellas de carnauba a 140000 arroba e 440
a libra.
Azeitonas de Lisboa muito novas em anco-
retas grandes a 10800 e a 400 rs. a gar-
rafa.
Blalos do Porto muito grandes proprios
para guardar roupa suja a 20500, 30000
e40uO).
Batatas em gigos de 34 libras muito novas a
800, ea40rs. a libra.
Gomma em paneiros a 40000 arroba e 140
a libra.
Farinda do Maranho muilo alva e nova a
240 a libra.
Sevadinlia de Franca para sopa a 200 a li-
bra.
Sevada muito nova a 140
arroba.
Caixas com estrelinha, rodinha e pevide a
400 a libra.
Alhos em canastras muito novos e mauncas
grandes a t80 e 200 rs. cada urna.
Canella muito nova a 10000.
Cravo muito novo a f 00.
Gominho idem a 320.
Ervadoce idem a 400.
Alfazema flor a 240.
Amendoas a 400 a libra.
Nozes muito novos a 160 a libra.
Papel greve a 40200 a resma,
dem I iz a 40000. .
dem de pezo a 30000.
Idem de embrulho marca grande a 10200 e
14300.
dem azul para botica a 20000.
Copos lapidados a 50500 e 500 cada um.
Palitos de denles, macos grandes a 120 e
I6 cada um.
Fumo americano de chapa, de superior
qualidade a 10500aliara, em porco lera
abalcenlo.
Loja das seis portas em frente
do Lwromento
Existe grande sortimento de diversas fazendas
proprias da poca e por pregos to baixos que ad-
mira, como sejam : pegas de bretanha de rolo a
2$i00, chitas francezas e^uras, padroes modernos
e bonitos, cores fixas a 240, 260 e 280 o covado,
cassas de cores, gostos modernos e cores fixas a
220 o covado. madapoloes e algodaozinhos de di-
versas marcas e qualidades, a pregos muitissimos
baratos e muitos outros artigos por pregos muilo
mais mdicos do que em outra parte._________
COnvalcitccnra de !on-
lif. utolcmlaH.
Molo lia cacrolul-
Mii
Papclra.
Ubtrucco dna gtan-
dulaa.
llumorca frloa.
Uuiiiorra branco*
Itachltlamo.
Aflvcce* ranceroaat
e yiihlllllraa.
Febrea tji'lioide.
Varlolea, ele, etc.
laes, e os relatnos dos prcticos mais omincr les,
que confirmrio sua poderosa efficacidade as
seguintes affeccdes:
Hlngaa no aaiigue.
Fraqucza.
Annila.
Chloroac ou Ictericia.
Menatruo.
Affcccoca do ulero.
SupprcMaea daa re-
gra c deaordea na
nienatruaco.
AfTeccao pulmonar e
phthlxle.
Moleatlaa d'catdroago.
Gastralgia*.
Perda d'appetltc, ec.
Veja se os bulletins de therapeutica media
t cirurgka de 30 de novembre t &60; a Caseta
dos hospitaes de 28 dejulho 1860, etc., etc.
Alm das pulas de iodurelo duplo de ferro e de
inina de ebillon, os Mdicos aconselliao
igualmente o Xarope d'iodure duplo de
ierro e de quinina do mesmo aulhor para as
pessoas que nao goslao de medicamentos sob for-
ma pilular e os meninos. Este xarope nao lem
como o xarope 'iodure de ferro, o inconveniente
de alterar-se e de se nao poder conservar.
Peca-se o folheio que se d de graca em casa
dos pharmaceuticos depositarios.
Para-se evilarem falsificacSes, exija o com-
prador era cada frasco de Pilulas oa Xarope a as-
signatura do inventor. __
Depsito geral em Pars, pharmaciaReblUon,
442, ru du Bac, e em todas as boas pharmaciaa
de Franca a dos puizes estrangeiros, "'
gui
etc.
X 1$ 109OO e 1^500.
Leques de osso, ultimo goslo, a i>.
Ceroulas de meia a &-100.
Diitas muito finas a 15'>00.
S na ra da Cadeia do Recife n. 5.
Na loja e armazem do Pauto.
Ra da luiperarlz n. OO de Ga-
ma & Kilva.
Os dones desleesiabelecimento lem resolvido li-
quidar suas fazendas por pregos baratissimos, s
com o fim de apurar dinheiro, e previnem as pes-
soas que negociam em pequea escala com fazen
das, que nesta loja e armazem enconiraro um
grande sortimento por pregos que muito Ihes nao
de agradar, tanto em peca como a rc-tallio, a sa-
ber :
Cuitas largas a 200 rs.
Vendem-se cuitas francezas, lislradas muito lar-
gas, padroes escuros, pelo barato prego de 00 rs.
o covado, tendo muito bom panno ; ditas escuras
padroes novos, por serem todas escossezas e cor
Usa a 240 rs. o covado ; ditas miudinhas escuras
e claras a 240 rs., affiangando se que esta fazenda
nao tem o mais pequeo toque de mofo, nem outro
qualquer defeito. IstOfl o l'avo, na ra da Im-
peratriz n 60de Gama & s'lva- 0s granulos au bismuth de Chevrer bem
Faiendas braaeas baratas unde o Pa>ao. fmes a lodas as oulras prCparac5eS de
Pegas de algodozinho largo, marca T com 2i bi[muth cmpre,
jardas a 8& ditas T com 20 jardas a ,,, dit de ,os mcdicos ;
oulras marcas, como sojam sicupira, carne djeac-
ca etc., a 4. 55, e 65 ; madapolo fitiisMiiiO.com
24*jardas a 6500 e 73800 ; panno de linho mui-
to inferior proprio para lenges e toalhas a 7o0
rs, a vara ; bramante de linho com 10 palmos de
largura a 2500 a vara. lito s na loja do Pavao,'
ra da Imperatriz n. 60 de Gama & Silva.
Esparlilhos, na loja d Pavao.
Francisco Jos Germano
ouy
Saccas grandes com 100 libras de farello superior a 40000 a sacca.
Ul'ASOVA X. 91,
acaba de receber um lindo e magnifico sortimento
deoculos, lunetose binculos, do ultimo e mais
apurado gosto da Europa^__________________
Grande sortimento de roupas feitas de to-
das as qualidades,
Caigas de casemira a 6 e 75500, ditas pretas a
65 e 85, caigas il- ganga a 23 ,15800 e 45600,
ditas brancas a 23, brim de linho a 35, 35500 e
43, paletots do alpaca branca a 45500, ditos pretos
a 33 e 35*00, ditos de alpaca de cordao a 43. e
de listra de seda a SSOO, diios sobrecasacos a 55,
paletots de casemira a 55, 55500, 63, 85 e 93,
ditos sobrecasacos pretos a 125, ta e 163, ditos fi
nos a 255, de cores a 133. ditos fraques a 145,
paletots de ganga a 33, 23500 e 23, dilis de brim
pardo a 35, jaquetoes de brim pardo a 35, panno
preto fino a 25 25600, 35500 5. 43300 5 e 65 o
covado, moreaitique preto a 25600 o covado, gros-
denaple preto a 15500,15800, 25, 25200 e 25500
o covado ; e outras muitas mais fazendas que se
deixa de annonciar, e manda-se levar pelos caixei-
ros da loja da arara casa dos pretendentes. O
e tabelecimento est aberto at as 9 horas da noite,
ra da Imperatriz n. 56, alendes Guimares.
GAZ GAZGAZ
Vende-se gaz da melhor qualidade a
1 libra e 40000 i^ a lata: nos armazensda ruado Im-
perador n.16 e ra do Trapiche Nevn. 8.
Tasso Irmaos
Vendem no seu armazem ma do
\morim n. 35, (
Licor fino CuragSo em botijas e meias botijas.
Licores finos sortidos em garrafas com rolhas de
vidro e em lindos frascos.
Vinhosijheres.
Santeroes.
Chambertin.
Hermitage.
Borgnhe.
Champagne.
Moscatel.
Reino.
Bordea ux.
Cognac.
Od Ton.
AzeitePlagnipl.
Vende-se urna casa terrea pequea, no pateo
do Paraito ao correr di Igreja : a tratar na ra
do Qo-eimado n. 48.
Vinho do Porto superior em caixa de duzia,
lem para vender Antonio Luiz de Oliveira Azeve-
do ; C, no seu escriptoriorua da Cruz n. 1.
avariado.
Francez barrica 53000
Portland idem 83500
Em perfeito estado:
Francez barrica 103000
Porliacd idem 125000
>?o armazem de Tasso Irmaos caes do Apollo.
GRANULOS
de BISMUTH
DE CHEVBIE
adas antes com o maior seccesso
e todos os paizes, para prevenir e
pele
curar as
Dlarrhcaa chronlcaa.
Dysaenlcrlaa.
Ddrea d'cMldmago.
Dyapepaloa. |
Os primeiros symptomas d'essas formidavets
affeccoes se manifsto ordinariamente por diges-
toes laboriosas, aiidumes, falta d'appete, pesos
Ma digeatca.
Gaatrltca.
Galtralglaa, ele.
tomacae*, e, muitas vezes, por espasmos nervosos
com vmitos.
Este estado mrbido, se o descuidao, traz ine-
vitavelmente, que seja:
Vende-se um bonito sortimenlo de esparlilhos 'estmago depois de cada comida, caimbra* es-
proprios para senhoras, sendo dos mais modernos
e bem feilos que tem viudo ao mercado, tendo de
todos os tamanhos e dediversi .r.k::';.r. ndo Io-
tas as competentes filas para aperUn L-lo s na
loja do Pavao, ra da Imperatriz n, 60 de Gama
& Silva.
Cambraias brancas.
Vende-se um bonito sortimento de pecas de cam-
braia brancas lizas, tendo lapadas e tnnsparente-.
pelo prego de i$, 43500, 55 e 65. havendo muito' sommidades medicaes para prevenir essas diver-
snp'Tior da Escossia por 105 e 125- Islo s na lo- sas molestias e cural as quando so tomados a
ja d<> Pavao. na ra da Imperatriz n. 60 de Gama '
& Silva.
Gros de quadriulios a 10COO.
Vendem-se os mais modernos gros de quadri-
nhos, proprios para vestidos de senhoras e meni-
Moleallaa de ligado.
A Ictericia.
Palpllacao de coracaa
Dorea nos rlna.
Opprcaaoca.
Dorea de eabeea.
Irrllacea de bezlga e
da matriz, etc.
Os granulos Chevrier sao ordenados pelas
lempo.
0 preco de cada frasco de 4 francos.
Depsito geral em Pars, pharmacia Chevrier,
e em todas as pharmacias de Franca e dos paizea
estrangeiros.
as, sendo estes gros dos mais modernos que tem
vindo ao mercado, vendendose pelo ba ato prego
de 600 rs. o covado. lsto s na loja do Pavao, ra
da Imperatriz n. 60 de Gama 4 Silva.
Ricos bouznouts de Cui|uue.
Vendem-se os mais ricos bouznouls de Guipure,
sendo os mais modernos que lem vindo ao merca-
do, pelo baratissimo prego de 253, CaJa u,n- as"
sim como chales de 3 e 4 ponas da mesma fazen-
da, sendo de varios pr-go-. Islo .k na luja do Pa-
vao ra da Imperatriz n. 60 de Gama & Silva.
S o Pavao vende
Chitas largas a 240
Chitas largas a 240
Chitas lares a 240.
?
. 0^ G?
FIGADO de BACALHAU
s
m
em
P co preeesso de tlierner, phatnia>ciiiiio
Paris, roa do Fauboarg Honlmai te 21.
E-ile oleo de um cheiro agrdate!, e de
um sabor assucarado o nico que nao tem
Ob-
nem o goslo, nem o cheiro do feiste.
Acaba de chegar para a loja do Pavao um gran-! jectO de numerosos relatorios scienliiOS e
de sortimento de chitas largas garibaldinas, por mdicos. CMC mdicamente que poza ere
s rem todas hstradas e padroes e?"'os e Jp rj Franca de um soccesso lo raro como l,em
fi\a< aue se vendem peo baiatissimo prego de Z4U .__. ,.,<
o covado, sendo que em outra qnalqner parte cus- merecido, recelado (tartamente petos
ta a 360 o covad<>< notando que os fregueies que principaes medteos dos HOSjntaes de l'aiis.
comprarem porgo de pegas, tciao um pequeo O OLEO HE FIGADO DE BACALHO I'ESJNKtCTA-
abalimento : isto na loja do Pavao a ra da Impc- (
ratriz n.60, de Gama & Silva.
Laazinhas a 300 rs.
Laazinhas a 300 rs.
Laazinhas a 300 rs.
Vende-se um bonito sortimento de laazinhas pro-
prias p>ra testidos e soutem, arques por serem li-
sas e de quadrinhos pelo barato prego de 300 rs. o
covado, sendo fazenda que sempre se venden a
500 rs. o covado, e vende-se a dinheiro a vista pe
lo baratissimo prego de 300 rs. o covado : na loja
do Pavao ra da Imperatriz n. 60 de Gama &
Silva.
Pelel as a 1>GOO.
Vendem-se as mais ricas pelerinas ou romeiras
de cambraia bordadas proprias para hombros de
senhora pelo baratissimo prego de 13600: na ra
da Imperatriz n. 60, luja de Gama & Silva.
Organdy a 240 rs. o covado.
na loja do Pavao.
Vendem-se as mais bonitas eassas organdys, pa-
droes miudos e grandes, pelo baratissimo prego de
240 rs. o covado (doze violen?), esta pechineha
acaba-se logo : na loja do Pavao ra da Impera-
triz n. 60, de Cama & Silva.
Lanzinha trampa' ent'\
a 220 rs. : s na loja do Pavao.
Vendem-se as mais modernas lanzinhas transpa-
rentes, sendo lodas de lislras quaaros e lisas, fa-
zenda esta que sempre se vendeu a 400 rs. ; o Pa-
vao vende para liquidar a ouze vinlen o covado :
na loja do Pavao, 3 ra da Imperairi: a. 60, de Ga-
ma & Silva.
Vende-se um escravo idade 25 annos ins;gne
offlcial de carpina e bornta figura : na travessa op
Carmo n. 1.
SAL DO ASSL"
A bordo do brigue escuna nacional Graciosa ;
vende-se na ra da Cruz n. 23, escritorio.
do ferruginoso emprega-se com os maiotes
snecessos as molestias em que se empresa
o oleo quando sao acompanhadas de debili-
dade e aloma.
Deposite geral em Pernamhuc rra da
Cruz u.22 em casa de Caros & Barbea _
'IMenco.'
Cassas linas padrees do ultimo gosto a 220 rs. o
covado.
Chitas largas a 200, 220 c 240 rs. o covado.
Na ra do Livramenlo, loja nova de tres porta*
n. 14.
RA IMPERIAL
numero 193
VENDE SE
! rap imperial, igual ao rap Lisboa, e oulro lab: i-
; cado de uovo r.ual ao de sra preta, em porroes a
5t0 rs. a libi?.
Grande |w hincha para os fumadores : quem
tjoiier fumar borne barato venbac.
Charutos da Baha de superior quadace, flor
da Muritiba e de differentes marcas, tu.to avulsos
como encaix lados, por [irpgos mu omm- dos.
VENDE-SE TAMIJEM
granJe pecliimlia para os senhores charuleiros,
fumo da Unliia patente de primeira, segunda e ter-
ceira qualidade, por pregos moi razoveis.
' Bii ca.'a de Tisset Freres ra do Trapiche n.
9, tem para vender :
Vinho B^rdeauxem barricas e em caixas.
Dito de Smeme fino.
Dito de Champagne muilo superior.
Cerveja franceza marca Bobee.
I
...


ILEGTVEL





r
I
Diarfo de FeYnamtareo -- agJt det*.
CONSULTORIO MEDICO-CIRIRGICO
DO
DR. PEDRO DEATrAHYD LOBO MOSCOSO,
MEDICO, P1HTGIHO E OPERADOR.
3 Ra da Gloria, casa do Fundao 3
O Dr. Lobo .Moscoso d consultas gratuitas aos pobres todos os dias das 7 s
aoras da manhaXe Jas 6 etaeias 8 horas da noite, excepcao dos dias santifioadog
111' a i i especial liomeopathlca
No ru3smo consultorio aa sempre o mais appropriado sortimento de catrtftffas
tnoos avulsos.assim como tinturas de varias dymnamisacoes e pelos precos segualas
Carteiras de 12tubos grandes. 120000
de 21 tubosrand9S. 18/5(000
Ji JJ do i {.-irles. 2 i$000
lii*4*g?rHi4es. 305000
t le 60 tubos grandes. 350000
Vmn-sj h ] iir Tirteira conforme o pedido ijue se flzer, e com os remed
qle se per..
Uni tubo avulso ou frasco de tintura le meia onca 10000.
Sende para cima de 12, custarSo-s precos estabelecdos para as carteiras.
la .ubas mais pequeos cada om a 500 ris.
LIVROS.
\. .i: o' ).i i ii a; toitiha, idinailJd \1j i, ;tna Homeopatiiico do Dr. Jabr
!.{; ;, i [ H t :.i a:. > U (o:i'i.l tria........... 200000
tfitnitl* loajstica I) J\ Idring,. .'......... 100eO
", i )j,"Urio [ < 1 D.vi>.-aes............ 60000}
(Maeorino de '.nii 1.) mii-iina........... 30000
')j eajiios leste estabelecimentosao por deraais conhecidos e dispensam partan-1
'.') ta van a MWBSftie rcoumendados aspessoasjue Tihereai usar de remedios ver-I
la leiris, 11 irgww e duradoresrha tudo do melhor que se pode lesejar.globos de ver-|
iiliir.) lucar deloite.notaveis tela sua boa ;onserv.ico,tntura dos mais acreditados
Miwa <;i maros earopos.amaisexacta e aceurada prepararlo, portanto a maioT enar-
i< : '.::i i U 58 1> StfSttOS.
Cata de sml> pisa escravos.
Recoae-se scravospara tratar de ualquer enfermidade ou fazer-se-lhe qualquer
aparadlo, para o que o inuunciantejulga-se i ilfiaieateareilte habilitado.
:):ratiinonto o melhor possivel,tanto na neto alimentar, como na medica, e
.'racionando a casa a mais de quatreannos, ha muitas pessoas de cujo conceito se n5o
pode luvidar, que pdem ser consultados por aquelies que desejarem mandar seus
doeates.
Paga-se 20000 por dia durante 60 dias ed'ahi era diante 10500.
As operares sero previamente ajustadas, se n"o se luizerem sujeitar aos precm1
3;t i n i .); r o annunciante.
AURORA BRILHAWTE
GRANDES A1NAZENS
MOL HADOS
Largo da SantaS
"uz n. 84, es-|
b* da ra doS
o.
Largo da Santa
;ruz q. 84, e
quina da ra d
ESPECULES jjsebe.
rora
ASSiraSF d0 j ^acreditado ai
armazem de molhados denomitrado An-
de gneros deyrhnch-a ijualidade.
e2uh irm^ 1^* ,odoi de >sPr afuste de coma, aos portador.
peiirnde n&L.?n, raais barat0 e m"M>re* <<> ero-ijuawo iiegue para ace tJ* mesmo PriJae seu dono > deseja tirar diminetto li-
pelogHWde tSSSSS^SfSy ?ais barat0 e melhres do que a Aurora Brilhante, ja'
ja mesmo porque seu dono s deseja tirar diminuto lu-
pruveiiar, o mMmtl^M^lL as ^P61** ^ esta-belerimento por isso deixe'se a-
taates fre^ueies "er todaa dHigenoia, aflm.de'tenvir bMMKHWMHIfr
Li;))nt)ro e 1)1)^-69 e ciiimico do F, P. Lebeuf e 0
rua Hontmartre, 31, em Paris.
Patrrics cm Argenteuiil. prs Pars (Franca).
WKit:EFA1tl4tU)
D;is vincos, agiardentes e licores.
. I)s.-!nit^"l:. dos vinhos de todas as AGUARDE.VTES.Essencia de cognac para dar
-i i! u '-."vm-h !> \I."9c, adose pra 230 as agurdenles ordinarias o sabor e o aroma de'
>S t f. i'.l'!!'----a. i f.,do Pomar*!. 3 cognac. A garrafa :ra 100 litros, 5'f
-i Lisboa, i f.t-*y Cadal, -2 r.,-de Porto, KIRSCH E AiisIXTHO.-Essenciad kirsch e
^ ..-<, \li^itel. Mi-raga, (tose para 25 ou 30 li-
- s, U.
ahetanoin ,ara fa!iri/:;tr com o aleool e agua
. 'mhos cima e nulos >>s ouiros. A dose para
SO iiiros, 30 .
.;.\r,fFf'\f>A.P~ tfrjines. d* taHvMta
h 'i'.-!vntilin. i'la-Franca, eta; A libra para 300
m. 3 f.
ILOUVOAO.Purpiriginp para colorear os
iitMsbraneos vjirtios aroj. As duas libras
de abintho: para os fazer com aleool e ;
jarrafa para 100 litros, S f.
LICORES.Extractospara fabricar se todos os
licores conhecidos sem fogo nem alambique, (in-
dicarle os que sedenja.) A dose para 30 ou 25
litros, 3 f.
PERFUMES : ir a fabricar-se os licores Anos-oa
oo-nmuns a Jos para 10 ou 2o litros, 1 f. 25.
TODOS w intros productos para o trabalho do
viohos.aguardentes, licores, vinagres, etc., sao
fabricados le "nommenda.
PTE3CIU03 > laboratorio ede chimica.
engaHado nossos
fcD2aSsle1t,,l;0rBiP?BB Bm P^asintelras,
5 So 1Ual,dades' a-lfWO, 380e
?7CZ^r!^* ****** I*
AhreTJra?y ***tmmmf "*>**
S SSa? fla-MM". **h a 15500,
jDlS3fTOo!1'bolachinha ** SQia muito ovas, a
r Chocolate,
na' Cm amei* nfeadas.proprias
'"a.Uioo.aaaooeJijoo.
muito novo, a libra .de
lealetriaaraarella, a.Libra
i i; .'r*. 1S f.
A!rins de nossos agentes teodo falsificado e noitado aoss i< iirepftraeoes, e
n :. -.iSjl.'ve-sa exigir vibre as rolhas e raalos asialciaes F. V.L. Paris,
0 moio de usar-so dasiH-ppararoesicia-Srt indcalo no roalo.
As encoameadM l^vem seracompannadasporurna letra-jlir3 Paris ou qualquer outra cida-
\isida.')rieir-si adsSrs. Lebeaf Si G. chimicos, rua
^Wf superior
.Macarrao.miharram
' a 400 rs.
Ditis dita em libras a 640 rs.
iagu, a libra a 360 rs.
lm?l!Qha para s">Pa alibra, a 2i0
wviihMseoeas, a libra a 160 rs.
>uitas desea*;ads, a libra a 200 rs.
lapiooa mam nova, a libra a 2S0 rs.
,."a de arruta
L 500 rs.
'Ar 2^400 e a libra a 80 rs.
jUitoda India e Itm, a arroba.a 3^209 e a H
rs.
[
verdaeira, a libra a
a arroba a
\ ii1h> verde superior. m
A caada a 3^1000 e a garrafa a 400 rs.
(omina. CfJ
Saccas de 4 arrobas, a verdadeira deseQH
enaomraar, a arroba a 3000 e a libra ^
120 rs. Ji
Sabao massa, a libra a 200, 240 e 280 rs. Fariuha. 3
Saccasgrandes rom farinha de Goiairaa mui- |
to nova, a o000. ^
Cafe.
Caf do Rio muito superior, a arroba a 8,${S
8J500 e 9O00. ^j
Cha. cfj
Chacemos nestes gneros o melhor possivel, hyson, a libra a 2J600. '"^
Dito-perola a 809. j&
Dito uxim a 2700. &\
Dito hyson muito fino a 2800. SQ
Dito redondo a 25500. r#?
Dito pratode priraeira qualidade a 25500. 0?j
Drto mais baixo a -25000 e 1^600. S|
Em mate. j
Eacollente oh medicinal, a libra a 240 rs. 8*j
Espermacele. W
O masso com 6 vellas de espurraacete a 600, Eh
640 e 720 rs. f]
Passas. \
Caitas de 16 e 8 libras de passas novas pro- :
prias para mimos a 45 e 20300.
Noies. re,
Xozes, a libra 160 rs. e arroba a 4J000. K1
Aloisia e painco. tB
Alpistae painco, a arroba 4J000 e a libra a
160 rs. m
Cartas. Qj.
Carias finas para logar, a duzia a 25500. Q
Castanhas.
bra a WOrs.
^att LSba 3 9#50 a arroba e a m i Castanhas novas viudas neste vapor,
Disantos, a arroba 75O00 eaUbraaj ^^^^
Molhoscom 125 ceblas gra-ndes a 1^280 Barriscom azeitonas novas a 15200
arro-
franceza, caixa com 2 duzias a
e francezas, a
a 500 rs.
UV 'i :i' i V\ I is 111- un ^wi
;: ir;-', i. 31, en Pi"i*f vi i soa fabrica n Vrgeatnml, prs Paris.
'}' ii 'utici'"'iiina, rna di Imi)Ta1rir n. 38.
\dmiraveis pechinch^s'
esta* a venrta m Wy,\ e arwEam
ai
75 e
cada
ito As-.iim, roa ta mperati-iz
' LnarfflCT Preica Meinlos
Bretaoha de ndo a 3S.
lem-se peeM de bretanba com 10 varas pe-
i i biratissioio pp'C'> de 35 a pec,a.
;ii!api)lao eaestado a 3500.
.: .' madapola i eul atado om 12 jardas a
I3W,45 e 4*600, dito com 21 jardas a 5,
i, 00, 65300,71, N. 40 7J!500, L. 10 75500, X. 6
;, ElepFianto 835i'0.
Soutetttbarqoeg de cores a 6->.
V ii'i^m-e'soaiewibarijuesde ores a 6,
\'. ditos de -da a dN?, (y>* 5.
Chapeos para homem a I^80.
Vea lem-se chapeos para homem a 15800
a n, ea ., s is de poi d^ pumo a 2), d^tos de seda
para hom i a 85 75 : s Arara, rua-da Impe-
ratrlz i., o, de lleudes Guimaraes.
c Ai ata vfnoeUtas franceaasa 2 rs, o co-
vadot
Vr: i^m-se-obita* franwaas sendo cores fteas,
issim como sej do can* e rxts, se vtnd por balissKno j/rego
de 240 o covado, ditM-4 *C0, 28 e 300 rs., ditas
.ialisadas finas a 320 e 360o covado.
Chitas franrezas escuras.
Vendem-sd chitas franceus sendo padres escu-
ros ecores (xas a 3ii0e 400 o covado, ditas mu-
dtofcas claras a 360 e i'W) rs. o ovado : lato na
ioja e armazem da A-ara ru da Imperatriz n. 56.
Corles a Maiia l'ia a 1S.
Veadem-se os mai> moderaos cortes a Varia
Pa a 185, dito a 145, 125, H5, 105 e 85; cortes
;! Ra cm barr a Sjtem 15 covalos o orle.
Danissa de duas forjaras a 15280.
V 11 e-Mj damasco de duas largnras a 15280 o
ovad i. dito de urna latyara a 800 e 640 rs. o co-
, I' :; lioho a 53. 65 c 75 a Juna.
Camisas fame as l l 600.
Veodem-se tamisas francfias a 15800, 25. dita
1 ;';'?!'>b largas a 25 e 252S0, ditas de lioho a
-GjIO. 25800 e 35 cada urna, seroulas franrezas a
' 280 o 15500, dila de buho a 15800 e 25, co-
i Tas de chita a 25 2550.' cada ama, cambraia
itranea a 35, 35500 e4~- i [-eca. ditas do cores a
;ooo.
Cambraias de cores a 300 rs.
Vende-se cambraia de cor a
rs. o covado. cambraia de sal
11a rua da Imperatriz n. 56.
Chales de mrriu a 2-S.
Vendem-se chales de merino a 25, ditos d chi-
ta a t500, 1*280 e 15 cuta um. chai* fin^ com
l> ii. redonda e bordla de seda a 66 e 75 rada
um, cobertores de algodSo a 15 cada um : na rua
i- (.111 Matriz o. 56.
PARA S.tVl'O .i.\TO.\'IO
rnMm ovo
Veoden se sones muito bem feilas e de
*. *, j papel muito bom '',? o cento : na rua das
GiitmaV I Cruzes a. 41, Uboma da porta larga.
Mostarda
> 75OOO.
lPrascos.com mostarda prtvpamdaeai vinnire,
f a 400 rs.
Di',^*oii <")Oerva6ineleiia6
j 60 e800 rs.
{Ditos com sal rsinado ano, a 640
IDlloseooM verdadeira
ljOOO.
Ditos de2 ganrafas de Hollanda verdadeira.a
640 rs.
>B'nnS COm dila PrQPria Para negocio, a
Garrafoes com 2 galoes com dita, a 65.
Serveja boa, marca, a 300 rs. a garrafa, e a 1
Mauleiua.
Manteiga superior, a libra a 15280. SSF
Dita mais abaixo a 15200.
Dita menos superior a 15 .
Dita franceza nova, a libra a 880 Yk)
Dita dita em barris e meios ditos, a libra &rfV)
850 rs. >M>
onebra de laranja, a Dita para tempero a 400 rs. ^P
Qticijps.
Queijos novos vindos neste vapor a 25800 e
35000.
Ditos londrrnos muito novos, a libra
15000.
Papel.
I
AZEVEDO FLORES
Hua da Catia do Hecifc, esairioa da ladre de Dos.
Prestem attencao ao discurso do Balo.
A loja do Balo todas as semanas reforma o seu annuncio em consemiencia de
coslanlemente receuer novas fazendas e novo sortimento de roupa feila os seos precos
sao os mais moderados como j oioguem ignora, as.faxendastjuenSo levampreco marca-
do e porque ha diversas quahdades e diversos preces, e em loja alguma encontrar o nn-
blicoum tao completo sortimento de fazendas e roupas feitas, e nao bavendo a obn nnfl
o freguez procurar toma-se a medida e em 24 loras estaro salisfeitas as exigencias do
Pede-se attencao.
Chapos de sol com 16 asteas a 12$.
dem idem com i 2 asteas a 8^.
dem idem denominatlos acadmicos, fazenda inleirameote nova com 12 isipasa
12,5, por este preco s na loja do Balo se encontra.
Bales de arcos para senhoras, os melhores que lia a 33.
dem de arcos e de mussehna para meninas a 2L 2300 e 2/KHQ
Vestidos finos a Mara Pa a 14^. **
dem dos mais modernos que ha de Dores malsadas a 16^.
dem com barras, fazenda anda nao lista em Pernambuco'a 24^
Pecas de cambraias que sempre se vendeu por 9^, o balo vfude" por 74
Chitas preciaras que todas vendem por G40 rs., o Balo vende a &Q
dem da m sma qualidade, porm de ou'.ros pa Ires a 440 rs
dem escuras a 300 rs. esto-se acabando.
dem estreitas a 20Ors. s na loja do Balo.
Las de accento escuro com flores matisadas denominada pelas senheras mu i*
compraram (la econmica.) F ^**m 1^ ja
Cambraia de cores as mais finas a 800 rs. a vara.
dem de cores com quadros brancos a 5G0 rs. a vaxa,
Madapolio a 8$ a peca, que vale 9>, lamhem ha fino.*
dem francez proprio para saia de senhora a 5G0 rs. a vara.
Camisas de meia muito finas a 223 a duzia.
Meias cruas para homem de 6 a 8$ a duzia.
Camisas de pregas largas a 265{I0 que todos vendem por 3
dem ngleaas de lioho muito finas a 48$ ou o4' a duzia.
dem de flanella de cores muito finas.
Calcas de casemira pnetase de cores de 7,3 a 123.
Paletos de casemira de cores e pretos, a 103. 113 < 123.
Colletesde casemira e debr.im branco os melhores que ha.
Caigas de brm bra-co muito finas a 43300, 3 e 73.
Paletos de alpaca branco a 33.
Mantas modernas para pescoco de homem.
Collarnhos de papel de cores a 800 rs.
dem brancos a 400 rs. a duzia.
Laa prela para lulo e de todas as mais cores a 300 rs. o covado.
Ceroulas de linho com dbas costuras.
dem de algodo a 13600.
Cambraias para forro de vestido a 23600 a peca ou a 360 rs a vara
Chales de-t.erm estampado que custaram 83, vende-so por 33 era'razSo de es-
tarera um p neo desmatados por ter estado a mostra, por estes precos s na loja do
m
>tik do gaz.
pilch do gaz.
Ali';i!rao do gaz.
Coke roneJladas rs. .
Pitch .
Alcatro caada.....
O coke re mtieridawwBte o caTvao mais econ-
mico, torna-se por isso recommendavel, bem co-
mo pelo akseio |ae se nota na? cozlnhas aonde
ido. Pitch e alcatro.alm das applicacSes
iue e prestam, como para callafetar
103000
803000
400
diversas a
?00' :?11' .2S? e.;i0 em**C,Jp*.a!atroar madeiras,etc.,teem este-a
eos a 25-;00 e 35 : propriedade le oreservar do cnpim, formigas.etc.
E'entregar > fabrica dojaz ou mandado or em
tregar
qualquer nooto d
comprador.
z ou mandado por ero
dade, segundo a vontade do
'** h
6
Sicbiaa
Reilui-'cf il preco.
V.a.ii rr.-e por pregos redzidos machinas do
::-ai?Mla-', > serras;de todo o- Umjmbos
a >;bfci ; de 14 a SOserras, asstm corno m dores
para as mesmas e orna n sbina de 120 serras com
ipelente machina vapor, asqnaes -: ;-.iliam
: vista 110 armazem de farfolla por bahe 1 Jo Gtb-
lle 1'ortujHiez : a tratar no mesmo armazem ou
na n do Trapiche n. 8, outro sim reoonrmenda-
.s>: aos compradores da- n-srn,is que wenj dti ;i?ei-
le doce ou do coco em lagar do azeitede carrapalo.
Farinha de muriheca fi a e alva, mais
barata que se vende no memdo, em sac-
eos : na ruado Vigarion. 29.
Pede-so toda a atlencao.
Aljfodao muito snpprior. sendo a peca 20 jardas
por 2J7O0 B 4-5 : madsrpolo muito fino e largo, fa-
zenda de 123000, agora por 7* e 3 a peca de 24
jardas, e militas roberas a 220 rs. o covado : na
loja da rua da ladre de Dos, n. 16, defronte da.
guarda da slfandegi.
duzia a 6;000.
VinhomuscateldeSetubal. agarrafa a 13.
Marrasqinnho verdadei Ftraseos a 80 rs. e
! a i2eo.
>CnamagBe, a duela 29SG0Q, e a garnafa a
) 23000.
5 Azeite refinado portuguez e francez, a garrafa
' a 13000.
Caixa de vinho Rordeaax muito superior.a
i 73,85,93 e 103 a caixa.
(Ditas com dito branco, a 73 a caix.
,Ditas comditolaurimas do Douro verdadero,
a 203.
'Ditas com duque do Porto verdadeiro,"a
. 183000.
Ditas com chamisso superior, a 143.
")itas com Porto velho e outras muitas mar-
cas, a 123,
>Vinhodo Porto la pipa, a garrafaa-640, 720
e 800 rs.
Dito de Lisboa muito bom, a caada a 35200,
35300 e 43, e a garrafa a 300 e 360 rs.
Ditoda Figueira, dasseguintes marcas (X.)
(J. A. A.) (J. 1. G.) (O. M.) a caada a
45300, e a garrafa a 360 e 640 rs., deste
que j est engarrafado e lacrado com o
rotulo do armazem.
Ditos de marra? mais desconhecidas, a cana-
da a 33300 e '15OOO, e a garrafa a iSOe
520 rs.
Vinhobranco fino, agarrafa a 640rs.
Dito de caj muito superior, a garrafa a
800 rs.
Papel almaco paulado, a resma a 43800.
Dito dito lizo de linho. a resma a 43300.
Dito de peso lizo e pautado, a resma
23500.
Dito de enTbrulho, bom a 15 e 13200.
Vinho Hndeira.
Garrafas com o verdadeiro vinho Xerez e Ma-$t^ !
deira a 13300 e 25000. c|
Temperos. cgs
Folhas do louro, pimenta do reino, cominuo ?
e cravo, a libra a 4U rs. ^h
Velas de carnauba. 5*
Massos com 6 velas de carnauba refinada 3
480 rs.
A mondo as.
Amendoas com casca, a libra a 320 rs.
Date.
Gaixoes de doce d> pojaba, grandes a 13400'$
e pequeos a 640 rs.
ljalos de limpar.
Tijolos de.arear facas a 140 rs.
Graxa.
Duzias de boioes de grasa n. 97 a 25000, e
de latas a 15000, e os boioos a 240 rs. ca-
da um, e as latas a 100 ts.
Charutos linos.
Charutos finos dos melhores fabricantes da .
Babia por diversos precos, caixa: e meias"
par:
le trabalhar roe
descarolar algodo
FABRICADAS
Por Plant Brothers & C.
OLM
AGUA
caixas. a.o
E grande quaatidade de geaeros teaden-tes A
estes estabelecimeatos^ que deixam de an- s
nunciar-se. W
Estas machn*!
podem descaroca;
^qualquer especfi
algodao sen
I estragar o ho.
sendo bastaou
duaspessoaspara
o trabalho; pdt
descarogar urna
arroba de algo-
do em earocc
era 40 minuto.
ou 18 arrobas
por dia ou o ar
robas de algodt
limpo.
Assira como machinas para serem movidas por
animaes, que descarocam 18 arrobas de algoda
limpo, por dia; e motores para mover urna, duas,
emita dessas maohinas.
Os mesmostem para vender um bellissimo va-
por que pode fazer mover seis desias machioai
mencionadas; para o que coovida-se aos Srs.
agricultores a virem ver e examina-lo, no arma
zemde algodao.no largo da ponte nova n.47.
Smefg BrtlhersAC.

DE
Florida.
para reslabelecer c conservar a cor natcral dos ca-
bellos.
A agua de Florida d5o urna tintura, fado es-
sencial a contestar, a mesma agua dando a cor
primitiva de cabello. Composias de pimas exti-
cas e de substancias inofTensiveis, ellnjem a prc-
pnedade de restituir aos cabellas o prmdpio co-
rante que ellas tem perdido.
De urna salubridade incontestavel, a apna de
Florida entretem a limpeza da cabefa, destroe as
caspas e empede os cabellos de cahir.
Oleo de Florida
Composto de substancias vegetaes exticas, elle
contribue poderosamente, com a agua de Flo-
rida a forc>, a belleza e a conservaco dos cabel-
los.
Em Paris casa de Guilaurn. 112 rua de Rechi-
nen e 21 boulevard Montmartre.
Todos os frascos naotendo intacto e claro, e Un-
cir prateado da casa. reputado falso.
Deposito rua do Imperador pharmacia n. 38.
Bixas liaml)urgne>as.
Vende-sena rua Nova n. 61.
V^St
y&STSGP
~ eeiuicu.'
43 e 3-PT-A DO Qi EIMADO-43 o 43
Vondafll-se iones de casemira escoceza a 25300
o corte, ewherta de abita escoceza a 25 e 1580,
cortes de laa indiana para vestido de senhora a
45800 ; tudo se \>nde por este preco para aca-
bar restos de {ateneas, assim ktoo chitas largas
a 200 rs. c covado, cambraia organdy fioissima a
280 e 260 o nmo.
PROPRIO PAR V SENHORA.
Vende-se um excellente ca vallo muito no-
vo e manso coa todos os andares: na co-
chei'-a do Paulino, rua de Santo Anvaro.
K 11Eaa do Queimado N. 11
A este estabelecimfnto chegmi ottirnomente da Europa m grande e variado sorti-
mento de cortinados bordados o que ha de mais gosto em desenbos e bordados.
Lindos bonets de palha de Italia para senhoras.
Chapeos e chapelinas de palha de Ittlia ricamente enfeitados.
Chapeos finos de seda para cabeca de horaens e chapeos de sdI de seda ingleaes "de
8,12 e 16 astes.
Bournus e chales de renda pretos superiores.
Pelisses e soutembarques de seda preta para senboras.
Cortes de la de barras de 145 a 225 de moito gosto.
Baldes de arcos e de musselina finos, manguitos e camisinhas.
Saias bordadas muito superiores.
Moireantlque preto, grosdenaple preto e de cores, panno preto fino de diversas qua:
lidades e casemiras pretas e de cores.
Luvas de pellica para homam e senhoras.
E muitas outras faznodas qne tudo se vende barato na loja de Augusto Frcderlco
dos Santos Porto, aonde tambem.se vendem as melhores e mais beatas
Esteiras da India para forrar salas
H. i 1 -Rm d Queimade-N. 11

>,^S*'^^^
TnHy.o Ir11 os
vendem gess em p para estuque de casas, tijolos
finos de feitlo diversos para ladrilho, azuleijos de
diversos ostos, tijolos vidrados para parede de co-
zinha, i-anos de barro para esgoto, cemento em
barris de 10 arrobas.
CaSiigas
fiaos c brlnquedos
para meninos.
i.liegaram pura a loja de miudexas da rua do
Queimado n. 69, os mais finos e lindos calungas
tanto para bnnquedo de meninos como para cima
do mesa : na mesma loja se encontrar
tmenlo de raiudezts.
0 SASTEIM BE VIR&S
Traduzido do francez por A. J. C. d Cruz.
Vende-se este helio romance em qualr
tomos pelo baratissimo preco de 2I30C
ua pfaca da Iml'e'pe'ndencia. livraria ns.
6 e8.
(ienebra
de lIoILtoda em fras-
qiietra.
Cbegou a genebra verdadeira de Hollanda, mar-
botn sor- [ ca VD, e vende-se someute ao armazem Je Rarros
& Silva.
!f. II, praca do Corno Santo
RECIFE.
Os arrieos agentes neste pair.
Rival sem segundo
Rua do Queimado n. 49, Inja de miudezas de Jos
& Azevedo Mala e Silva esta disposto a vender mili-
to barato que admira, pois seus freguezes ja estao
sedentes que nao ha egundo competidor.
Pecas de cordo para vestidos a 20 rs.
Capachos redondos e compridos a 300 rs.
Talheres para meninos a 240 rs.
Duzias de facas e garfos a 25400.
Ditas de cabo preto cravado a 35000.
Baralhos franctaes muito finos a 200 e 240 rs.
Grozas de botoes de louca a 160 e 200 rs.
Caixas com soldados de chumbo a 120 e 200 rs
Bunecos de choro pequeos a 160 rs.
Varas de cordao para espartilho a 20 rs.
Duzias de comeres para cha a 800 rs.
Duzias de colheres para sopa a 15500.
Ditas de metal principe de cha a 25000.
Ditas para sopa a 4JW00. ______
" ---------------------------lili"
DROGARA.
3^Rua! larga do Rosario3-1
Bartholonieu Francisco teSeuaa & C.
Vendem:
Acido actico puro pra retratistas.
Esmaltes para ourives.
Papel para forrar casas.
Guarnieses avel ludadas.
Tinta brancasuperior em lata.
AlvaiadeVeoeaa, fino, era paes.
Vi
Urna familia qin se retira vemie urna mobilia
de amarello j usada, trem de cosmba, lowca de
almoco e jantar azul, urna mesa de jantar de ama-
rello ps torniados, mesas pequeas, com modas,
cama de casal e muites outros objectos o que tudo
se vender em eonta : na rua dos Pires n. 62.
Vende-se orna negr nha de 10 anuos, muito
esperta e sadia : no pateo da roatrii de Santo An-
tonio i. 8.
No armazem de tan das ba-
ratas de Santos Coelho, rua
do Queimado n. 19, ven-
de-seo seguinte:
so panno a
Lencoes de panno de linho a 25400.
Ditos de bramante de linho de um
35580.
Cobertas de chita da india a 25500.
Lencos de cambraia brancos propnos para algi-
beira, peio barato preco de 2J5000 a duzia.
Pegas de bretanha de roo cora 10 varas a 35800.
Ditas de cambraia para forro de vestido, com 8
varas, pelo baratissimo prego de 25600.
Guardanapos adamascados pelo baratissimo preco
de 35500 a duzia.
Algodao enfestado com 7 Ii2 palmos de largura a
I500 a vara. "
Corles de la de lindos gostes com 15 corados a
65000.
Pegas de cambraia adamascada com .20 varas pro-
pria para cortinado, pelo barato preco de' 115.
Pil liso fino a 800 rs. a vara. ^
Dito com .lpicos a 15 a vara.
Tarlatana branca fina a 800 rs. a vara.
Aloalhado de algodo adamascado a 24200 a vara.
Dito de linho a 35200 a vara.
Lazinbas lisas de todas as cores, pelo baratissimo
prego de 500 rs. o covado.
Pegas de cambraia de salpicos brancas e de cores
com 8 1|2 varas, pelo baratissimo prego da
45o00.
Baloes de 20 arcos a 25500, de 25 a 35, de 30
3S500, de 35 45, de 4C 45500.
Toalhas felpudas a 135 a duzia.
Esleirs da Iridia de 4, 5 e 6 palmos por menos
preco do que em ontra quakjaer parte.
Neste arm.i7t>m se encontrar om grande serti-
mento de riupa feta e por medida.__________
Admiravel pechincha!
Mfleamuiquc rflOrs. o e*>v5 do pavo.
Vendem-se os mais bonitos megambjn?* de pu-
ra la proprios para vestidos e sontembarque?,
sendo de qoadrinbos de listras e lisos, fazenda in-
teiramente nova, em padroes e muito proprias pa-
ra as senhoras que frequentam o mez Mariano,
porqne esta fazenda lhes f.-.eil>ta faierem por pern-
eo dinheiro vestidos moito decentes para qualquer
acto, advertindo-se qne esle baratissimo prego
devido a grande compra qne se fea desla nova fa-
zenda, que se vende a frezo tosldes o covad : na
loja do pavo, roa da Imperatriz n. 60, de Gaa A
Silva.
/
flLEGIVELl




Diarlo de revoMftJHe* --- Kcgaada felra de Kiuho Je 1863.

1

0
DO
^mlH^
4MWU6Q
Sena o menor ceartran-
glmento se entregar o
Importe do genero que
So agradar.
ESTABELECIDO A RA NOVA N. 60
M 3U)!M 3)3 SI IMafrX
AO
RESPEITAVEL PHK.It O.
A apreciagao dos habitantes desta heroica provincia existe no grande arma-
iem da Liga estabelecido ra Nova n. 60 um magniOco sortimento de molhados,
que sendo em sua maxitai parte mandados vir directamente do estrangtiro podem ser
vendidos por precos asss razoaveis.
Sem a fatuidade de querer que este novo e interessante estabelecimento seja o
primeirb e nico em seu genero, pde-se porm -ffiancar, com toda a segurancade qae
nenhum outro o exceder no restricto cu:: primento das seguintes promessas:
1.' Delicadeza no trato.
2. Fidelidade no peso.
3/ Sineeridade nos precos.
As pessoas que por sua posico social gozam de certo tratamento, acharo nesta
casa os melhores queijos loodrinos, cerveja, vinlios finissimos manteiga e cha sempre de
primara qualidade. etc., etc. .
Qualquer que seja a eondicao do freguez, elle deve contar que ser sempre mul-
to bem servido. .
Aquelles que sao pouco favorecidos da sorte farao raensalmeote urna economa ae
muitas patacas, afreguezando-se nesta casa, onde se lhes vender o arroz, o caf, a man-
teiga oassucir, etc., etc. de boa qualidade pelopreco que em algumas partes nao po-
dem ou nao querem veBder. I ^* nn
Os senbores de fra da cidade, dos arrebaldes ou centro, que compram para ne-
gociar, devem -vir, \ elo seu proprio interesse, a este estabelecimento para se convence-
ren! d qoanto se pode vender barato. ; lfaMlfal iiona
Para os senhor s que compram para tornar a vendpr existe um sortimento < spe-
cial, escollado por pessoa entendida que certamente moflo deve agradar aos samares
compradores^ ^ poapa(lo saCriQcios, nem se deixar di, fazer a diligencia para agr-
"pelos seguintes precos SO se vende
A DINHEIRO VISTA:
M
MANTEIGA ingleza efranceza al, I 5120
10280 e em barril faz-se grande abati-
mento.
MACARRO a 400 rs. de 8 libras para cima
a 360 rs. a libra.
MASSA DE TOMATE a 600 rs. a lata.
MOSTARDA ingleza a 800 rs. o frasco.
MARRASQUINO de Zara.
MARMELLAD de diversos fabricantes e
diversos pregos.
ATTEW&AO
Os preeos da seguintt
tabella 6,para todos, po-
deudo assim servir de ba-
se para o afuste de eontas
com os portadores.
!
fras-
ALPISTE E PAINCO a UO rs, a |ib a.
AMENDJAS novas a 28o rs. a libra.
AVEL.iES a 240 rs. a libra.
ARROZ de 90 rs, a libra a,..
AMEIXAS francezas em latas, potes,
eos, bocetas, etc etc.
AZEITE doce a 600 rs. a garrafa, cadada a
B
BANHA de porco a 600 rs a libra, em por-
c3o Caz-se abate.
BOLACHINHAS do beato Antonio a
BOLACHINHAS de soda lata grande a 2,000
res.
BISCOITOS ing'ezesem latas de 1,200 rs. a
BOLACHINHAS principe Alberto a 2,000 rs.
C
CHOURICAS miito novas a 800 rs. a libra.
CAF de 260 rs. a libra.
CHOCOLATE francez a 800 rs. a libra.
CHAMPAGNE das marcas mais acreditadas
a 23.000 rs. o gigo.
CHARUTOS de todas as qualidades, suissos,
amanean s, habannos, fluminenses, etc.,
de 1,400 a 10,000 o cento.
CHA HYSSON de 2,200 a
COPOS 1 sos ladidados de todos os taa-
nnos a
1>
DOCES de todas as qualidades.
E
ERVILHAS seccas e em latas portuquezas e
francezas.
F
FARNHA de araruta verdadeira a 800 rs. a
libra.
F\RNHA doMaranho ou tapioca a
FRELLO de Lisboa a 4 e SyOOO rs. a sacca.
FAVAS portuguezas em lata a 600 rs.
GOMMA muito nova e alva a 140 rs. a libra.
GRAO DE BtCO a 120 rs. alibra.
GENEBIU delaranja a 9 e 10,500rs.
CENEBRA de Hollaoda garrafas, etc.. etc.
RA DA CADEIA DO RECIFE N. 53
(Logo passando o arco da Concel^o)
PARA BEM DE TODOS.
Senhore* n s-nbnras o aceio qne presidio aos arranjos desteuovo estabelexmento, e mais que tudo a promptidao e intei-
reza com que serSo trati %8*- ~Wda a urna visita ao mesmo, certos de que sem duvida me dar3o a proteccao e preferencia na com-
pra dos seeros que precisaras e 'quando nSo possam vir podero mandar seus Portadles anda que estes sejam pouco_praticos,
pois serao tao bem servidos como se viessem pessoalmente, havendo para com estes toda reeommendatae, afim de que.naovaoem
tra parle.
Minteiga ingleza especialnenteescdliidaa
l,ooo e 8oo rs. a libra e em barril se faz "ia u r*- ****... i uu "sino, a ooo rs.
abatimento Alassapara sopa : esirehnha, pevide e rodi- Cerveja branca das marcas mais acreditadas
nha brancaouamarella a 64o rs.a libra e que < em ao mercado, a 5oo,'56o e 64o
3,5oo a caua esm 8 libras. a garrafa, e 5,8oo, 6,ooo e 6,5oo a du-
Viuho do Porto muito fino proprio para zia.
engarrafar, ara ancoretas de 9 caadas a Cevadinha de Franca muilo nova, a 2oo rs.
Charutos do aflamado fabricante Jos Furta-
do de Simas, das seguintes qualidades:
Exposico Normal de Il.ivana, Imperiaes,
RIVAL
Ra do Queimado d. 49, leja de Jos & Azevedc
Maia e Silva.
Pulseiras e voltas muito bonitas a (00 rs.
Miadas de linha para bordados de superior qua-
lidade a 60 rs.
Duzias de facas e garios de cabo preto muo
boa a 3fi.
Meiadas de linha froxa para bordar a 20 rs.
Meiadas de liulia azulada superior a 60 rs
Babado do Port muito superior a 100, 120 e
160 rs.
Varas de fraDja de nho branca a 40 rs.
Caixas com 100 envelopes da melhor qualidade a
600 rs.
Caixas com 20 quadernos do papel superior a
600 rs.
Grozas de penuas deaco muilo Anas a 300 i s.
Petas de tranca lisa preta e de cores a 10 rs.
Grozns de botoes madieperola para cambas i .'>:
e 720 rs.
i litas com 30 novel los de linha do g.z a "00 rs.
V; ras de franja de tures a 80 rs.
Novellos com 400 jardas superior qtttjrdi c a "0 rs.
Csrriteis de linba com 200 jarda Jo r.s 60 ai
200 a 100 rs.
Loros para assentos de roupa lavada a 1(0 r*.
Paies de botCes de pucho muito tinos a 120 i.
Thesonras para unhas e costura muilo Duas a
500 rs.
PEIXE em latas a 1,000 rs.
PERAS SECCAS a 500 rs. a libra.
PASSAS muito novas a 320 rs. a libra.
PRESUNTO para fiambre.
a
QUEIJO do reino de 2,000 a
DEM londrino.
IDM suisso a 800 rs. a libra.
DEM prato a 800 rs. a libra.
0
SABAO MASSA a 160 rs. a libra e grande
ahate em caixa.
SEVADINHA a 200 rs. a libra e 8 libras se
far grande abatimento.
V
V1NHO tinto de 360 a... garrafa.
VINIIO tinto em caada de 2,500
VINHO branco em caada de 3,500 a
VINHO verde a 4$ rs. a caada.
VINHO Bordeux em caixa a 6.000, 7,000 e
VINHO de Grave a 6,000 rs. a caixa.
VINHO f.herry a l ,000 rs. a garrafa.
VINHO do Porto de todas as marcas e todos
os presos.
VINHO Collares a 800 rs. a garrafa.
VINHO tinto, neste genero ha constantemen-
te 20 a 30 pipas ao torno de diversas
qualidades e diversos precos.
VINAGRE em ancoretas a 15,000 rs.
VINAGRE em pipa a 160, 200 e 240 rs.
VINAGRE branco a 400 rs. a garrafa.
VELLAS de carnauba a 13 e 13,500 rs. a
arroba.
dem franceza a mais nova do mercado a 96o
rs. a libra e 900 rs. em barril ou meios.
Cha liysson de superior qualidade a 2,600
t rs. a libra.
Cha perola o mais superior do mercado a
2,800 rs. a libra.
dem hysson muito superior em latasde 15
libras muitoproprio para negocio a ,ooo
rs. a libra.
dem hysson nacional em latas de 1 e 2 li-
bras a l,6oors.
dem preto o que se pode desejar neste ge-
nero a 2,ooo e 2,2oo rs. a libra.
Linguicas muito novas a 8oo rs. a libra e em
barril se faz abatimento.
Chouricas e paios a 8oo rs. a libra.
Costelletas inglezas a 64o rs. a libra, serve
para temperar panella ou para fiambre.
Queijos doTeino chegados neste ultimo va-
pora 2,2oo rs., ditosde navio devella a
2,ooo rs.
dem londrinos muito frescos e de superior
qualidade a 8oo rs. a libra.
dem prato a 8oo rs. a libra, e inleiro se faz
abatimento.
dem suisso o mais superior que tem vindo
ao mercado a 64o rs. a libra.
Ervilhas e favas portuguezas j preparadas
em latas hermticamente lacradas a 64o.
Feijao verde muito superior a 640 rs. a lata.
Copos lapidados para agua a 5,ooo e 5,5oo
rs. aduzia.
dem idem para vinho a 24o rs., e 2,4oo rs.
a duzia.
Chocolate francez'espanhol e suisso a 9oo,
l.ooo e l,2oo rs. a libra.
Espermacete superior a 6oo e 64o rs. a li-
bra e em caixa se faz abatimento.
Peixe em posta em latas hermticamente la-
cradas e das melhores qualidades de pei-
xe a 8oo, l,ooo e l,2oo rs.
Vinho Bordeaux Jas raircas mais acredita-
das que vem ao nosso mercado a 7,ooo e
8,ooo a caixae6io e 7oo ris agar-
rafa.
Genebra de Ilollanda a 48o rs. a botija de
conta certa.
Frasqueirasile genebra de Ilollanda a 6,8oo
e 64o rs. o frasco.
35,ooo rs.
Vinho em pipa : Porto, Figueira e Lboa a
32o, 4oo e Soors. a garrafa, e emeauada
a 2,5oo, 3rooo e 3,8oo.
VinhoJaranco de Lisboa de excediente quali-
dade a 4oo e Soors. a garrafa e em cana-
da a 3,ooo e 3,oo.
Vinho branco -para missa em oaixas de 1 du-
zia a 8,ooo e 68o rs. a garrafa.
Vinho do Porto das melhores marcas que
vem ao mercado como sejam : Lagrimas
do Douro, Duque do Porto, Ramha de Por-
tugal, Duque genuino, D. Lniz I, Madei-
raSecca.iMalvazia fina a 16,ooo, !5,ooo,
12,ooo e I Oyoooa caixa com 1 duzia e 9oo,
l.ooo e l,5oors. agarrafa.
Vinho Cherexde superior qualidade a 16,ooo
a duziae l,5oors. a garrafa.
Sardinhas de Nantes a Aoo rs. os quartos e
64o rs. as meias latas.
Bolachinhas inglezas muito novas a 5,ooo a
barrica e 320 rs. a libra.
Bolachinhas de soda era latas de diversas
qualidades a l,3oors.
Cartees com bolo francezmuito propriospa-
ra mimo a 64o rs.
Passas muito novas em caixinhas enfeitadas
para mimo a 3,ooo rs.
Passas de carnada a 8,ooo a caixa e 4oo rs.
a libra.
Figos de comadre a 24o rs. alibra.
Amendoas de casca mole a 4oo rs. alibra.
Milo de amendoas a 5oo rs.
Bolachinha d'agua e sal, da fabrica de Joao
de Brito no Beato Antonio, emlata de 6 li-
bras por2,5oors.
Ameixas francezas em frasee de vidro com
lampa do mesmo, a tj|Boo.
Ameixas franc zas em eminbas de diversos
tamanhos com bonitas estn pns na cai-
xa exterior, a l,4oo, i.Coo, l,8ooe2,ooo
cada urna.
Azeite doce refinado hespanhol ou portuguez
a 9oo rs. a garrafa e Io:ooo a caixa.
Batatas muito novas a 8o rs. a libra e2,5oo
o gigo com 36 libra-.
75o rs. o frasco e
Genebra delaranja verdadeira era frascos
grandes a l,ooo e H,ooors. a frasqueira. Conservas inglezas a
Caf do Rio de Ia qualidade a 28o rs. ali- 8,5oo a duzia.
bra e 8,5oo rs. a arroba. Vassouras de escova para esfregar casa a
Caf do Cear muito superior a 24o rs. a li- 4oo rs.
bra e 7,5oo rs. a arroba. ; Nozes muito novas a 16o rs. a libra.
Arroz do MaranhSo de Ia qualidade a loo Molho inglez em garrafa de vidro com rolha
rs. a libra e 2,8oo a arroba. do mesmo, a 16o rs.
dem da India a loo rs. alibra e2,8ooa Mostarda ingleza dos melhores fabricantes,
arroba. a 8oo rs. o frasco.,
dem de Java a 8o rs. a libra e 2,4oo a ar- Mostarda franceza em potes j preparada a
roba. i 4oo rs. o frasco,
pataco e alpista a 14o rs. a libra e 4,oooa Lentilhas francezas, excellente legume para
arroba. sopa, a 2oo'rs. a libra.
Massadetomatesde superior qualidade a 64o Marrasquino de Zara propriamente dito a
rs. a lata de urna libra e56o rs. a reta- 1# a garrafae ll.ooo a duzia.
lho. Palitos de dente a 14o rs. o maco.
Londrinos, GuanaLaras, Parisienses, Sus-
piros Delicias, a 4,ooo, 4,5oo, 5,ooo,
6,ooo e 7,ooo a caixa ouem meias.
Charutos finos de diversas marcas e fabri-
cantes, como sejam: Flor do Norte, Ma-
nilhasde Havana, inter valles. Vencedores,
Panatellas e Suspiros, a 2,ooo, 2,5co e
3,ooo a caixa.
ognac ingle? das melhores marcas, a 8oo e
l,2oo a garrafa.
Doce da casca de goiaba a 2,ooo a lata com
4 libras.
Farinha de araruta verdadeira a 32o rs. a
libra.
Matte,excellente cha para os navegantes, a
2oo rs.
Sebollas de Franca muilo grandese novas
a l,8oo o cento e l,2oo soltas.
Palitos do gaz a 2,2oo a grosa.
Toucinho de Lisboa muile r,(voa32ors. a
libra e 8,5oo a arroba.
Banda de porco refinada a 65o rs. a libra.
Bolachinha Alberto, as melhores que pre-
sentementetem vindo ao mercado, a 2,ooo
a lata.
Farinha do Maranho muito alva e cheirosa
a 2oo rs. a libra.
Frascos com fructas em calda de diversas
qualidades a 2,5oo c l,5 Caixinhas com fructas em doce secco de di-
versos tamanhos, muilo proprias para
mimo, a l,6oo, 2,Goo e 3,ooo cada urna.
Ruibos, excellente peixe portuguez, em
barris pequeos ou a retalho, a vista se
far o preco.
Azeitonas de Rivasem ancoretas grandes de
8 garrafas por 6oo e 8oo rs. a garrafa.
Azeitonas porluguezas a 5oo rs. a ganafa e
l,5oo cada urna ancoret?.
Champagne da melhor qualidade que vem
ao mercado, a 2,ooo e 3,ooo a garrafa, e
24, ooo e 26,ooo o gigo.
Gomma deengommarrauitc alva a I2o rs.
a libra.
Figosem sextinhas a 8o rs, cada urna e 72o
rs. aduzia.
Papel azul para botica a 2,ooo a resma.
Balaios para roupa suja, grandes epeque-
nos, por diversos precos.
Amendoas confeitadas a 64o rs. a libra.
Latas com fructas cm calda: pera, pecego,
damasco, rainha Claudia e cereja, a 8oo
rs.
Vinagre de LisbSa a 2oo e 28o rs. a garra-
fa eal,4oo e2,ooors. a caada.
Azeite doce de Lisboa a 4,8oo rs. a caada
e640 rs. agarrafa.
Vinagre branco j engarrafado a 5oo rs. a
garrafa.
Superiores cortes de moirs preto com barra, o qne ha de melhor gosto em
(demPdengofgurS prelo adamascado com barra a imperatriz Eugenia.
dem de gorguro de seda bordados com barra.
Superiores moirs pretos e largos 2400, 2#600, W, 3$oUU, **, o, op,
uperioVgorgu'rSo de seda preto, a melhor fazenda que ha para vestido. J
Sarja preta de seda.
dem preta hes;>anhola.
dem idem lavrada a 20 o cavado.
dem idem lavrada muito superior. ;
Completo sortimento de grosdenaple preto alioOO, 1*800, 20,20000, 3#, j
30500, 4?, 40500e50. >
Pannos pretos de superbr qualidade de 30 a 120 o cavado.
Casemira preta de 10600 a 50 o covado
Lindos chales, bournus, algenennes e retoudes de filo preto.
^n\V^l^'LlT^ superior qualidade na loja das Columnas
na ra do Crpo a. 13 de Antonio Correa de Vasconcelos & C. successores
de Jos Moreira Lopes.
!&**
GOMMA NOVA.
Em paneiros muito Iva a 4,ooors. a arroba e 16o rs. libra e compran-
do de um paneiro. para cima se far abatimento na ra do Imperador n. 40.
1C achinas de ser rotea para
algodo
Chegaram as desejadas machinas de serrotes pa-
ra descarocr alodao. havendo um completo sor-
timento desde 13 al 40 errles, tambem ha mo-
tores americanos para as mesmas machinas, ven-
dem-se omMs barato posslvet: na rus daGadea
do Recito n. 86 A, loja de ferragens de loao Ca
Jos Bastos OJlveira.
Chegaram os superiores
cortes de seda.
Superiores cortes de seda de cor, viudos pelo
nltlmo vapor francez : na foja das colnmnas a ra
do Crespo n. 13, de Antonio Lorreia de Yascon-
j cellos 4 C.
Agua florida e tnico orlen -
tal de Kemp.
Continua-se a vender em poreao e a retalho :
na ra do Queimado, loja d'aguia branca n. 8.
Chromacomo
A agnia branca, na roa do Queimado n. 8, acaba
de receber um novo sortimento de caixinhas com
chromacomo para tingir cabellos, e bem assim
frascos cora hydrocalk-trichina, agua para desen-
grasar os ditos, coloncomo para lustrar os ditos,
e onychromanlina para limpar as unhas. Essa
tintura, cujo effeito rpido e efflcaz, est bem co-
nheeida e apreciada para lados quantos della tem
usado, eos que de novo a quizcrem apreciar, po-
dem, assim como aquelles, dingir-se munidos de
dinheiro ra do Queimado, loja d'aguia branca
numero 8.
Papel e folhas para rosas
Acaba-de ehegar para a loja d'aguia branca, na
ra do Queimado n. 8, um bello sortimento de pa-
pel de cores para rosas, dito verde para folhas, e
dito tambem verde e mui fino para cebrir o ra-
me, assim como folhas de panno e avelludadas
para ditas.
Aspas de baleia para vertidos
Veadm-se na rna do Queirnado, loja d'aguia
branca n. 8.
Superiores penas dago ingle-
zas e francezas
A aguia branca alm do grande sortimento de
penas d'aco qua constantemente tem, r.caba de
receber mais outro de superior qualidade e dos
afamados fabricantes Perres & C, assim como as
verdadeiras bico de lansa n. 134 eoutras de pon-
a dourada, continuando porm a vende-las por
precos cammodos, com tanto qne ocompradorcom-
nareca munido de dinheiro : na rna do Quejmado
loja da aguia branca n. 8, onde tambem achar-se-
ha a venda pastas para papis.
A aguia branca na ra do
Queimado n 8, receben:
Bonitos e grndos aljofares de cores para voltas.
Pulseiras de ditos de ignaese agradareis cores.
Voltas pretas maiores e menores todas de contss
grossas.
Polceiras pretas tambem de eontas.
Ontras de differentes qualidades e gostos.
Brincos de aljofares de eores e doorados.
Fivelas d'aco grandes e pequeas com cinto pre-
to e de madreperola.
Ontras granes de differentes qualidades e re-
dondas com pedras.
Bonitos leqnes de madreperola redondos e ae
outra forma.
Ditos de sndalo intericos e corredicos.
Capellas brancas para meninas.
Fazeoflas baratissimas loja da ra do Crespo n. 17 de Jas Gomes
Villar.
A nova crise commercial permute que o povo em geral nao possa comprar fazendas
caras. O proprietario deste estabelecimento, ago que do povo em geral, 3ttendendo a
esas circunstancias est vendendo fazendas por precos que na realidad? admira.
Correi, bom povo, a este estabelecimento, e comprai fazendas, porque alli se vende
por-menos do qne em outra rtoalquer parte.
Cassas organdyzes a 280 rs. o covado.
Chitas francezas escuras matizadas a 260 rs o eovado.
Ditas escuras muito finas a 240 o covado.
Ditas claras dem a 240 o covado.
Ditas esenras idem a 260 o covado.
Chitas para coberta muito largas matizadas a 240 o covado.
Madapoloes finos largos a 65390, 7 e 8.
Chales de fil preto muito bons a IO3OOO cada nm.
Chales de merino estampados a 55300, 65 e 7*.
E ontras muitas faaendas, que tudo se adera .por precos que admirara.
Azeite doce refinadoem pequeas latas a 560 rs. a garrafa : no grande armazem
da Liga.
3S
ESCmOS FUtlCS.
-" Fugio no dia 16 de maio prximo passado o
preto criGolo de nome Braziliano, idadn de 20 tu-
nos, estatura regular, cor fula, leudo uiu dos d-li-
tes da frente quebrado, sem barba, apenas ;.iuns
cabellos a roda da garganta e olbar arnorttldOj
bem fallante, sabe ler e escrewr e falla um pou- o
o inglez, bom coptiro, cosinha e lava bem, leven
vestido camisa de algodo branco e calca Au >..{
azul, conduiindo alguma roupa fina, com* b< 11.
calcas de castmiras de lisias, ja misa de madapolo, lenfes e mais roua ilc leni
marcada com a letra Bde linha demarca,algumas
pecas e outras com ouome por extenso em lima
de marcar, levou chapeo de palha Imitando mam-
ita, chapeo de sol de seda venieja usado, sapatos
e meias, de suppor qne so inculque de forr>> :
quem o apprehender coiidnzino ao sitio de Juao
Matheus, no Poyo da Panella, ser genei, sami ule
gratificado por seu senhor Juvino Bandeira.
100$ de gratific;tao.
Fogio no dia 7 de maio de 1863, da casa doatai-
xo assignado, o seu escravo I'rancseu, cai ra, esta-
tura regular, grossodo corpo, calelks nao carapi-
nhados, denles perfeos, sem baiha, (- e maos
regulares, levando vestido caiga de casemira pre-
ta, caiiiisa bracea, paleto! de alpaca c chapeo Se
baea, pretos; alem dos referidos sigeaes hu
elle no lirado direilo um sino Sah niio, aliix do qnal lem tira coracao fello com lima azul, em
cujo centro tem as seis iniciaes seguintes: MM
IMN, tem elle 23 annos de Idade, pouco mais ou
menos. Consla ter seguido a e.-trada do nort<-.
era busca da casa de m u anligo senhor o lenle
coronel Joaquim Carceiro da Costa, a qnal uo
lugar denominado urral Grande ta villa de San
t'Auna, provincia do Ciaia. O abaixo assignado
recommenda nao so as auioi idades, como aos ea-
pites de campo de qualquer lugar, a captura do
referido escravo, o qual podrr ser -nlregue no
primeiro andar do sobrado n. 81 da ra do In pe-
rador, cidade do Recite, ou no sitio da estrada de
Joao de Barros, residencia do abaixo assignado :
a pessoa que o trouxer lera a eratifleacae cima
Joaquim Manoel fle Mira Wanderley.
A Henead
Na noile do dia 25 para 26 do rrez de maio lu-
pio do engcuho Jundi da Etcada o escravo crion-
io de nome Alexandie, idade de 20 aunes, pc-nro
mais ou ramos, cor preta, denles alvos, rsiatnra
regular; cujo escravo foi arrcmala^o en prsca
publica dojuizo de orphios de Sanio Antio, e !a
tenlou ali>lfci-se 10 baiaJbd ce voun.ia;ios ; i
sira pede-se as autoridades poliekus e aos (pi-
taes decamtoa captura do mermo rsciavo, e a
sua entrega ne.-ta cidade ao Sr. Albino Pfrieka
da CuBba, casa da esquina da rna Ce Ibrt.'.s para
o pateo de S. Pedro, ou no mesmo engento Junla
ao seu stnhor Manoel Anluuo D;a.-.
Fugio em principios do uiez di- fevereiro n.
correnteauno e consta istar aeoula'i r<-!a : i
o moleque Ensebio, escravo da vir.v:. do Di
nando Affonsode Mello, de 12 anuos de idade pou-
co mais ou menos, cor p/ela, secco do corpo, oii tu
regulares e afumacados, cabeca um pouco ;. ra O
e meia chata, bfeos fiIo^, denles bi m alvos, pe
seceos e muito ladino : roga-se por tanto a u das !
autoridades policiaes e eapitesdecan'po que oaj-
preliendam e levem-o a ra da Hangoeira sobrado
n. que serao gratificados, protesiando-se u.-ar dos
meios judiclaes coutra qualquer pessoa que otenba
em seu poder.
Desde o dia 19 do correte mes de maio, que
se ausenten da casa de seu senhor a escrava Ro-
mana, de 18 a 20 annos de idade, estatura baraa,
bem parecida de figura, levou vestido de chita ts-
cura e chale azul com palmas de cores, j pi
a primeira vez que foge e sempre que tslo faz cos-
tnma vagar pelas ras desta cidade e snhurbi"s
da mesma : porlanto roga-se as autoridades po-
liciaes e aos capitana decampo que afagam appre-
heuder e conduzir a ra Direita taberna c. 13,
que serao gratificados, proteslando-se desde j
usar do> meios judiciaes contra qualquer pessoa
que a tenha em seu poder.
Fugio no da 28 do correnle, a noite, a --
rrava Jannaria, pertencente a D. Amelia Felicia
Deschamps senhora de 51r. Len Chapelin, retro-
lista, cuja escrava houve por compra que fez 1
Sr. Pi Pierres Varclla Barca em abr! ullin
intermedio de seu procurador Joi Francisco Ca-
bra I, desconfia-se que a dita escrava tenha se-
guido para Pajp de Flores e qne procure o enge-
nho do Exm. barao de Vera Cruz, a quem a tor
pos passados perlencen : a dita escrava P n pouco
mais ou menos 20 annos de idade, de estatura
pequea, de cr fula, tem os dentes limados, testa
eolhos muito pequeos, gratifica-se bem a quem
apprehende-la.
Saceos de 80,100 e 120 libras a U, 40500 e 5,5 ; no grande armazem
m
das
11,1 \
Madapolao muito fino cora pequea toque de avaria, por prego que admira : na loja
columnas na ra do Crespo n. 13, de AqUmi Correa de Vasconcelos & C.
No dia i de Janeiro do anno de 1864, fugio do en-
gento Conceicao, comarca de Pc-d'Aliio, o escra
vo Galdino, pertenrenle ao abaixo assignado, com
os signaes seguintes : idade 26 annos, pardo, claro,
corpo, figura e altura regulares, cabellos mi jos
rapinhados, olhos pardos, sobranceras e palpebras
salientes, tem em cada braco um sino de Salocrlo,
sendo um delles rualfeio, e junto a este un.a cruz,
tem na cabeca urna cicatriz de urna polegada, e em
cima de um quarto urna oulra cicatriz de tris po
legadas, proveniente d; pona de pao e queda. Un.
sobre as costas algumas marcas ou cicalrizes de re-
inadas ou chicote; umfpoueo desembaracaoo quan
do falla, tem principio de carpina e ca rc-iro, toca
viola e barbado. Foi soldado do corpo de[pc!icia ce
Recife, e levou comsigo a baixa do iheor seguinte ;
SecQao urbana, 2' companhia n. 50, Antonio Cete
no de Oliveira, filho de Agoslinho Ferro ira t
to, natural de Ingazeira, cor parda, cabellos cata-
pinhos, olhos pardos, offlcio nenhum, estado sol (si-
r, com SOanni* de idade, 60 polegadas de altura,
ao engajar-se. Engajou-se na forma do regula-
raento, em 17 de fevereiro de 1862, por ofiett 0:
Exm. Sr. presidente da provincia, datado de 28 de
abril do corrente, e publicado ao corpo em ordem
do dia le de maio, tudo em 1862; teve baixa do
servico por ter dado em seu lugar o paisano Joao
Pedro Ferreira da Rocha. Foi escravo do ra USc
Jeafl de Dos Barros, morador que foi na eomaret
do Brejo da Madre de Dos, e hoje morador
Gara pina Grande da Parahyba do Norte, qne oven-
deu em dias do mez de novembro de 1863 ao abai-
xo assignado, pelo costume de andar fgido e a ti-
tule de forro com o nome mudado ; pelo qne roga-
se a attencodas autoridades civis e militares, na
s desta provincia como das demais do imperio, a
napprehensao do ditescravo, que a titulo de Lto
rna ouenha sido reerutado ou assentado praca m
ialgtns dos corpos de Voluntarios da Patria, tam-
de b pede-s aos capitSes de campo e pessoas par-
ddmulares amesma apprehensao, e lvalo ao s8a
,aeteor noreferido engenho Conceicao, ou nesta ci-
eose ao capito Mauricio Francisco de Lima rna
be Brum n. 56, que ser gratificado com 200J.
Jos Maria dos Santos Cavalcanli.

1 -
_


1.
y

JURISPRUDENCIA
O I oiiiiii.
QMQilo encelamos a publicacao do Borum (lie-
mos un sincero appello a>s nossos collegas para
ana se dignai$*ra ajulir-uos com suas luzes, cora
aav oformacoes mu valiosas. Neta era preciso
(]\\ dir|gen>s essa appello ostensivo: elle esta-
v.i i o.i.'-i: ne i!.; cj.'n.viiialil) era nosso pro-
graman, ejj> l3^tm,>jni) prollcao demanUes-
- icr.v.-.--iuv.a a cjllactu-, alera de outros
silos.
j--------------------------------- -
Somos b formados de que o julz municipal sap- o servieo, ou, antes, o sea brioso capricho o toreara
pente do termo do Gibo jurara sujpeicio Ha ca usa a aguentar, e sera demora sobrevieram-lhe consti-
entre partes Manoel Ignacie de Albuquerque Ma-J pagoes, pleorls, tubrculos, destruidlo dos pul-
rannao e Joao Paes Birreto de Lcenla sobre a mcs e morle no ameno clima da ilba da Madeira
arrematado do engenho Mupan. onde nao chegou a viver 2 metes.
Tratando ltimamente desse negocio no Fo- n.e m. _.i,i.,
non publicado :** n. 118, Azoraos sentir ^ebo era aTl, ^T dil,DgQ,a,n SJ mn'
quao nociva era a demora na deciso desse pleito ^ .^ a V**"; *
...... j-.. =_,. ... nem e.-cripto e honroso do que urna longa carta em
que elle respondeu a varias perguntas que eu Ihe
diriga acerca das vocacoes scientiflcas ou Ilitera-
rias, que elle em si raais evidentemente sentisse.
N'essa notavel carta vai elle seguindo todas as ap-
a sua
Diarlo de Pernambuco ...tapada felra & de Juhho de 1 &.
iue o ditj juiz ali en sua conclusao, e que de-
via sentir escrpulos em despachar, porque j f-
ra advogado de Joo Paes em questo diversa.
A solucSo ltimamente da ia a que se poiia es-
p-rar da non eMidade do um ju.gador que nio igno- ^3*1 ZSSS
ra quanto conven que os acto3 judiciaos estejam a -n__-_______... .: .
I'...i o irise jasaU), 11; ni) ;> J 3 oa^idirar o cobertode qualquer suspeita de parcialidade.
Intorese mrcenarto con a parte mais importante
i su mlJsl \ sempre ti) efloobrecuU desJe tem- prompta quanto a reclamava o objecto argente da I Han^T a,
P t remotos, n v.u ms miara! e satfsfae.orio lide; pois que no mez de maio que o agricultor | *Z?1 *" "V"" ""* ^ ***** "
'i i 113 balar oe abasos, ventilar o esclarecer cocuma entrar na posse da engenho em que pre-
as:nln,)!icj lis |aestdOi i iridiis, concorren lo po- :ende crear safra.
F. J.
Recife, 30 de maio de 1865.
:com tamanha graca e propriedade de eslvlo, que
so sentimos que essa solapo nao fosse to faz ,embrar aquelle passo de 0wim promeltendo
d i n II' para que a adniinislracao da jostiga '
Mtinji o grao de regulandade que (r pos-'
SM !l.
N i foro de Pernarabncoj se tornava mu sensi-
VJ! a falta de urna gazela que dsse coala exacta
i '. :i: uto dos Uibunaes, e offerecesse apre-J
oicij dos iateressalo a parlo mais n itavel da
dii tju limara. Mi> esta c.iijr.:z:i deinindava !
fjj i- mal superiores ao indifferetUismo com que ;
se olhs eotre nOspara ;> progresso J is letiraj, eem '
goral para todo quanto ou alo peronalisumo, ou
Dio ivjlve e.arudos uliticos e eloitoroes (jue
v. i fstragadocaracteres ecostum:-). ou ni) ex-
eit-i c.Jrto enlbusiasm) phosph>rl.-o, qnsi sempre
i: un, a maitas vezes nocivo e perig%o.. .
Assim masmo nio lao raro que o romance, a
p >, a aincJola chistosa, o ealembinwg ruis ou
menos Jecoote, as narrativas ou re .a o | es pillantes
aracteres naquillo qae ba damaisinli-
10 ajjviita il, prero-iueai urna certa curiosidado
bom moiiunciada.
i livez por ser a nossa provincia um pjnto com-
mereial muito importante,vai-se propiginJo e apu-
ra 11. en demasa o sy.-tema Je urna corta escola, a
LITTERTURA.
Pepas relativas ao finado teen
te da armada portiigneza Jos
Feliciano de Castllho.
O nosso amigo Dr. Antonio Rangel de Torres
Bandeira recebeu do conselheiro Jos Feliciano de
Canilbo Birreto e Xoronha varios escripDs eapon-
tamentos sobre seu Ilustre fllho. Obtivemos do
Dr. Torrea'Bandeira, que nos confiassa paia a
pablieaeao as pefas, que adiante vj transcriptas
sobre cujo mrecimento tudo se dix, dizendo se-
que corresponie.-n as gloriisdo here do Mondego.
A cari do irisigne Antonio Felmiao) de Gasti-
Iho a seu digno irmo, curvado ao peso da raals
puogente agonia, um thesouro ds alta philoso-
phia christa. ornado da mais aprimorada forma
classica. N'.io transcrevemos a resposta do Sr-
consel.'ieiro Gaslho, porque,como ello diz em suas
eloquenlese poticas linhas ao Dr. T. Biudelra
- as causas por urna lento defeituosi que faz M eMa rf4VrM(i,t. e 0 me8mo a(,on(pce respej[j
de um artigo da Revoluto de ietembro, porque j
versos, oo aquelle outro trecho das tristezas, l. 4i
Elogia 10 :
Mortuus cram diclis : totoque Helicone relicto,
Scribere conabar verba soluta raodis;
S pont sua carmen nmeros veniebat ad aptos;'
El quod tentaban) dicere versus eral.
parecerinutile at me uno ridiculo la Jo aquiio que
nao aeeoaeom umaraatagem particular, immeJia
ta e certa.
En taes circun.'tancias, j nao era pjuco po-
li'. 's cmlar com urna pnbiieieio regular sobre
n i .) forenses n'an jornal to I i 1 > come in
eiai 'iavdlmentj o Otario, cujos proprietanos nao
.-> laram prestar suas columnas.
l' n se v q-i nio se tralava precisimente de
u u favor, mas j. ual ;iiiL1 llpt0 ,j;ie imeressa a to-
djs, com especialidaJe a certa classe, e uio a nos
exclasivamente.
E' verdade que o nosso ponsamenlo (valhvnos
io .j menos) teve a tirtuda de merec-r a com-
p. ic .ca de pcasoas competentes; ninguem desco-
:i .' i a utliJade delle o para cumulo de lao li-
s-Kigeir is agouros, promeu>-raat-ao; auxilios vali-
i-, |ue ioelizmente nost'em faltado. Vam>s B-
uni assim prvalos do inoff.ivel prazer de retri-
haircom um votj de ha mido recoulieelraento o
bolo i'io nos |ii;z'ss?.n prestir. Mais do que is
... i n ;offrido o publuo om a falta do concurso
valioso que se devra esperar.
E n nossa provincia ( furc conr-ssa lo) vai tu
do asjim. u ex to qu?i nnnc co-re^p-inde aos |vel morte de mea desgracadofllho. Observo o ob-
W a'as vezes o;ncena e.nphase muito anima- 10? relativos ao nsseimento, vida e morte deste
dora: todos que podara, e niguas ja; ni j polem, querido mancebo.
adiantara ig.io compromissode ampara-la : uan
do porra chega o raonrnto decisivo de realizar o
auxilio, o entiiusiasmo j i tem passad). .N'.io faltara
escasas. Alguos mais francos dio raza) disso.
foi transcripto uesta folha.
A poesia de Ernesto Cibrao. a qual ainda nao
foi publicada por exigencias da modestia do con-
selheiro Castilho, urna produ-cio digna de ser
dedicada a um Castilho: ao Ilustre conselheiro pe-
dimos perdo da troteo ; nao deve a modestia de
quem quer que seja privar os cultores das lellras
do to primorosa proJacco, priu:ipalmente quan-
do essa molestia procede de quem est a par dos
mais altos cultos Iliterarios.
Vai ludo precedido da carta do conselheiro Cas-
tilho ao l)r. Torres Bandeira. A este nosso illus-
traJo patricio damos o parabem. Quando se al.
canea as atteneoes de to grande vulto Iliterario,
como o conseiheiro Castilho, est feta a demons-
trado, de que se tem real valo: as lettras.
A.
Illm. Su. Dn. Axtomo Rasgo, db Toures Ban-
DBin.\.Rio, 3 de marco de 1863.-Hoje 'me tra-
zem a esta sua casa a carlinha por V. S. datada
aos i do passado, e cordealmente agradlo o qne
V. S. se digna dizerme por occasio da lamenta-
J ah fleam talvez demasiadas linhas para lao
curta vida. Curtissima sim foi ella em numero e1
annos, porm poucos deixam em to breve espaco
aps si lao luminoso rasto.
Escrevia-me meu irmio Antonio Feliciano, ao
dar-me aquella noticia :
Aquelle rapaz horaem, e homem muito gran-
de, descansa na Ilha da Madeira,
E visto que conversamos em lellras, nao ser
aqu deslocado que eu iuclua a copia do que meu
bom irmao me escrevia para acudir minha dr.!
Tenho lido a satisfaQo de ver-me acompanhado
pelos psames de muitos amigos. Seria longo en-
rar n'esses pormenores, mas j que resolv dar ao
assumpto d'esla carta alguma extenso, por isso
pego (cenca para incluir tambera copia de urna
admiravel poesia, que por esta occasio me dirigi
o mimoslssimo poeta Ernesto Cibrao, que n'esta
corte reside e honra o nome portugaez. J que dei
assim certas dimen-oes a esta carta, a primeira
que nesta ierra escrevo com mais amplido sobre
semelhanie assumpto, vai igualmente copia do
que em particnlar eu escrevia ao dito meu irmo
era carta reservada, ao mandar-lhe copia de se-;
melhaote prodcelo. -
Largamente roubei o tempo de V. S., mas jal-
guei que assim cumpriria melhor a sua ordem,
como sempre o far gostoso quem com muita
consideradoDe V. S. collega venerador obri-
gado.J. F. de Castilho.
tscotas-me ? Bem baja o tea empenho !
Em meio dos innmeros thesonros, .
Nio le cega o ciarlo do tea engenho,
E acolhes-nos a' sombra de teas louros.
Do modesto lagar, que eu guardo e tenho,
Bom te vejo, modelo dos vlndoaros,
Qae dos evos colhesleo liobre exemplo,
Saster altares dous no mesmo templo.
Ao culto do progresso, ao bem futuro,
A' gloria do passado, aos bens da historia,
Hornera da humanidade, vais seguro
,Aos psteros levar toa memoria :
~' Romano-porluguez, do limbo escuro
Arrancas os laureis de antigua gloria :
Do Lacio e da Germania as mil riquezas
Revestiste de galas portugeezas.
Assim dourada e prospera
A vida te deshsa,
E aniolhas por balisa
O vasto Pantheao.
.... Mas que Teu labio trmulo,
Teu rosto se perturba,
Dos alumnos a turba
Os olhos volve a chao !
De tua fronte o-liaccharo
Deu lugar ao cypreste,
De negras edres veste
Tua harpa,gran cantor!
Env, vez de risos, lagrimas, i
Silencio, em vez do canto,
Por sobre o ureo manto
Um negro veo de dr!
As alas dos discpulos
Caminham vagarosas,
Lyras silenciosas
Se arrastam pelo p;
E nem o echo attonito
Ocsa descer aos prados;
Que os ares magoados
Respiram luto e d!
COPIA DA CAIX'A DE AXT0SI0 FELICIANO.
Meu amigo.A morte urna Decessldade. Por
tanto chamar-lhe um mal to desarrasoada cou-
sa como chamar-lhe um bem. Em quanto est no
estado agudo a dr dos que fleam espera da sua
vez.que Infallivel e nunca tarda muito, a imagina-
jo enferma e desorientada cria mil chimaras para
affligir ; ea manr parte d'ellas, ou ellas todas, s
representara nossa creduhdade privacoes e ma-
les d'aquelle para quem se acabou completamente
toda a possibilidade de Incommodos e desgoslos.
A consternagao d- quem chora por um morto
mais poesia que philosophia.
Est na natureza, verdade, mas tambem os so.
ohos sao da natureza, e oein por isso tem de si a
mnima substancia. E' urna loucura a que al as
maiores almas esto subjeitas, e talvez as grandes'
aiuJa mas do que as pequeas, e tem, de certo,
flus moraes, sem o que a Providencia nunca a per-
Silencio 1 Passa o prestito;
Cesse meu canto rude.
O glido atade
Quem conduz ? Onde vai ?
Vai paragem ultima
Coberto de honra e brilho;
Conduz cinzas de um fllho,
E lagrimas de um pai.
Vooa seu alto espirito,
Parou no cu profundo.
O que elle foi no mundo
Di-lo a saudade em p ;
E as musas, subre a lapida,
Musas da christandade :
De um lado a caridade,
De outro esperaega e f
Rio de Janeiro, 2 de fevereiro de 186o.
Ernesto Cibrao.
CLARA.
(CANTO POPULAR.)
Eu mesmo nao sei por que chorava rlarinha.
Vestida de noiva e cora o cabello enfeitado de
flores de larangeira do quintal, fugira aos convi-
vas, e fra por alguns in>tanles ao menos derra-
mar sena prantos, em um canto da casinha.
Desgostos nao os tinha ella, que desde ha mnito
corresponda ao amor de Mariano, do venturoso
Escuta, Jeso, nao sei o que est para acon-
tecer-me, sjoto apertos no coragao como nanea na
minba vida senti. Soffro... soffro maito e nio sei
a razao I
Nao te amotines, mulher, acontecer o que
Dos rdr servido t
Ea j rosel um rosario Virgera Santa.. j
implorei a sua misericordia.
Esto nos chamando... Vamos enxagando
os olhos... um sorriso... Nada de tristeza. Con-
fia em Dos, que sers muito venturosa, minha
amiga.
Agora, emquanto Clarinha enxuga as lagrimas
para apresentar-se aos con'dado?, eu quero dizer
ao ouvido dos leitores duas palavrs, ama cousa
que ainda nao contei.
Mariano o venturoso neivo de Clarinha, era ir-
mao de Bernardino, do prlmeiro amante dessa me-
nina, que agora senta apertos do coragao.
Ainda crianga amaram-se ardentes como o sol do
sertao.
Se Clara levava o sea potisho a lagoa para en-
che lo d'agua, l encontrava Bernardino para aju-
da-la a carrega lo mesmo at urna oiticica que pou-
co distava da casinha de Clara.
E, caso notavel, se esta ia a tarde, cortar lenha
na malta, l encontrava Bernardino com o feixe de
preciso ouvirmos
eotao aos Judeus
a sua palavra, como dlsse elle
Aquelle qae de Dos oave as minhas pala-
vrs, a aquelle que as observar nao morrer eter-
namente.
Nao ha meio ermo : ou ouvirmos a palavra de
Dos, e a observarmos para sermos a sna he-
ranga, ou pelo contrario seremos a heranea do de-
monio.
Era por isso que os iudeus carnaes, como eran
sempre rebeldos observancia da lef, se tinhan
tornado herang do demonio, e j naoouviam nem
atteniara palavra de Jess Cbristo, que cada
vez mais se esforgava para abrandar a dureza des-
ses orgulhosos e soberbos coragdes, usando sempre
para com elles das mais doces e amorosas expr-s-
soes para os convencer de que :
O Pai Elerno, que elles diziara que era o seu
Dos era quem o gloriflcava ; porqoe se elle se
glorilicasse a s mesmo, era via a sua gloria.
Nao eslava bem manifesla a glorifkaco de Je-
ss Ghristo pelo Eterno Pai por meio de tantos
milagree, quo elle operavn em seu nome T
Mas os judeus, que Unto mais se afferravam s
coasar terrestres e se irrtavam no seu orgulho
quanto era o esforco que o nosso Divino Salvador
empregava para faze los comprehender os bens
sobrenaturaes, tomiram pedras para o apecreja-
rem, e s ento se esconden Jess Christo e retirou-
se do templo I
Voltemos agora para nos mesmos, e vejamos se
tendo nos alistado pela recepgao do sacramento do
baptismo, na familia de Jess Christo, pelas nossas
lenha j prompto, onde com ella sentava-se e pu- acSf,ff,1 moslra.mos di*ns de sua_ berenga ?
nha-se a conversar. pfil^ ,raPressao P'oduz.da em nos pela Divina
E que conversas as suas Quaes os esforgos que temos j posto em pratlca
Nao dzam muitas palavrs; levavam o tempo a D"a nnfsa reronriliacao cero elle ?
darcompridosais, litarem-se de vez em quando,' S'remnp iVfl^0, ?B0* san,a lRr!ja
. a cnamar-nos ao tribunal da flraca p aiianHa.
com ternura e paixao, ella a enrolar e a desenrolar : mos aos sens chamados C J *ima-
ocordozinhodasaia.e elle aamassarea desamas-1 Continua ella na celebragao das sagrados myste-
; rios da paizao e morte do nosso Divino Salvador
aeetuveis ou nao : ontros, qae reputara a fran-
qu i fl'ii certoaeasos ama especie de ideivilidade,
sontiooam a prometter e v3o prometiendo
sempre. .
U certo que todis reconhecem e lamentara os
abasos o lacinias que existem no .'Oro : mas pro-
i in articular queixas e censuras parilade, ou
i ireulos mais ou menos nnmerosos, por desa
fego, distraccao, ou como um pretexto para fazer
'lo. Assim evitarai de urna vez comprometti-
m ntos e trabaUos.
E' unn posca vantajosa e eommoda sem duvi-
d... Entretanto mais aproveita o publico, mais
aproveita a causa da justlga com as revelifgoes pu-
blicas, verdadeiras e comedidas, e com essas dis-
eussSes que por serem sujetas responsabilidade
de quem as sustenta, e apreciaco das pessoas
interessadasj sao mais escolmadas desse resaibo dt>|E48a ear,a
raagnidade com que se aduham as palestras in
limas; malignidade que pode ser um exagerado
desbreo, ilho da intencSo ou da leviandade; raas
que maitas vezes vai ferlr ama pobre victima que
fica sem defeza...
noivo, que l fra sorria entre os seus amigos.
Talvez saudades de sua mocidade, de seu lar, de
seu viver de donzella; slm, e quanlas recordages
se misturam nessa hora suprema com os receios
AS folbas, principalmente de Lisboa, consagra
rara ao desditoso numerosas e plangentes colun;.-! miUiria Mas> em(i'"> sempre urna loucura pas-
nas. Comegarei tomando d'entre esses rticos um sa^eira" .
dos que mais possara satisfacer ao seu delicado' f ?'estlC0S V'ram e mPhenderani isto per-
convite. E" o anigo que a Runalo de Selembro ft,tamenle e l,ecno con,ra os terror da or- de um Porvir desconhecido I
dedicou a este assumpto, na parte'do jornal que ile no Poema do Lucrecio contera urna evidencia e
alli se classilica de chronica, e em seu numero de Uma V'rtUde raediciaal nconleslavd. Para deplo-
2 do passado dezembro, que incluo por copia rarmS cadaTer* comearaos semDre Por lhe
presiarraos, sera saberraos, senttmectos e pensa
menlos que sao exclusivamente uov. s, e que s
L'm documento mais honroso por bi s que todos
os diplomas, eminado da fonte mais insuspeita,: pdem caber em quera esta vivo A lal ponto chc-
por quanto ingleses e americanos do norte nunca gara estas alucinages, que atlribuimos a uma pou-
poderio ser tachados de parciaes para cora cida-'ca dj materia ja' desorganisada as sensages do
dao da nossa nacionalidade, a carta que me foi fri e da hurnidade, o terror das tretas, o espanto
dirigida em 14 de Janeiro do anno passado (pouco | da solido, etc, etc.
mais ou menos no anniversario d'esse da 6 que
eu recebi a noticia do fallecimento) pelo valenle
capitao Thomaz Wallace Walcher, hoje subiiito
No sim. Nos os que lhe sobrevivemos, e em
quanto existirmos, podemos calcular com trisleza
os gostos e as glorias que elle nos poderla dar ain-
Estabelecaraos uma bypothase | ara que o nosso
pensamento nao se considere enygmatieo. Acn
tece que o magistrado profere ama senlenca que
alguem qualilica de injusta, attribaindo pariicular-
mente o facto a um motivo inconfessavel. Nao
seri melhor tornar patento a injasiiea, mesmo por
honra do patrono da causa ? Demonstrada essa n-
justi'.a, a opiuio publica havia de lavrar tambem
sai santeaga ; e Jes te m)d) so evtara at certo
ponto a reprodaego de factos s.'melhanles...
O procedmonto contrario j ie deixar ao menos
a suspeita de que o desleixo ou a inepcia procura
insidiosamente e surdina abroquelarse com o
supposto erro ou m f do julgador. ...
A mais nobre tarefa di imprenta nao divulgar
a lioguagem dos enredos polticos, pautada por
conveniencias de certa ordem ; iicm tas pouco ex-
pandir senlimentos mesqainhos sob o agailhho do
inleresse ou do despeilo. E' dominado pela refle-
xo calma, tendo em mira ura tira generoso, que o
homem se eleva at proferir verdades, que podem
parecer amarga?, mas que teera o grande mrito
de nao sahirem comprimidas e desfiguradas pela
paixo ou pelas conveniencias mal entendidas.
Pois bem : ainda contamos com os bomens bem
intencionados que quizaren) associar-se comnosco,
servindo-nos de pharoi no camiuho escabroso em
que nos mellemos. Nessa esperanga, iremos toda-
v ia carregando a nossa cruz como Deus nosajudar.
No somos daquelles que desfallecen! totalmente
falta de soccorro quando podem com passos vacil-
laoles carregar a sua pedra para o edificio cora-
mum.
As columnas do Forum sero menos abundantes
e nao se mostrarao abrillantadas cora as prodc-
eles de pessoas mui corapetenles. Mas por ultimo
no= cabera ao menos a satisfaga., de ler pela nossa
parte contribuido para fim justo.
A apreciagio que teem merecido algumas ano-
malas to foro, por nos reveladas, concorre para
mostrar quanto importara as publicages qar co-
mo noticia ou selarecimento, qur como escar-
ment c correctivo.
PdsIo que valhara puuco as prornessas nesta qua-
dra, farcinos uma na firme hHengab de cumpri-la.
Se alguma vez (nunca ser de proposito) incorrer-
mos em qualquer inexactido, teremos grande sa-
lisfagao restabelecendo a verdade. Se o compromet-
ti ment provier de qualquer apreciaco verdica...
arrostaremos cora elle.
brasiieiro, e que em 1860, comraandando a galera da se CUlinuasse a e de assjm flcamos
SSSH ~,! LTL1?^ d-herdados i *k nada deseja, se nada re-
corda, se nada o pode affeclar, que padece com
esses imaginarios futuros, de mais a mais contra-
nVI i, fl D0 Dam^eud d0 gentes e s hypo.he.icamente possiveis !
imperta do Brasil, por um de seus redactores o n. ..
distincto poela Sr. Bruno Seabra, actualmente se- Cham' deSde e COm toda a for?a' a enere'a
cretaho da presidencia do Paran. Nao mando a i varonil do leu animo para estas consideragSes to
verdadeiras como refrigerantes, pois sei que o mui-
to amor que linhas e devias ter aquelle admiravel
| rapaz, te ha de nestes primeiros lempos offuscar
em grande parte a razao.
Rachel plorans filios suos ; et noluit consolari
qula nonsunt.
Para d'aqui a alguns das, e quando cerrago da
angustia se te bouver diminuido, outra idea ale-
gre no meio da tristeza ha de acudir a pr-se-te
r
sar as Deiras do chapeo, e ambps de olhos filos no |
chao... depois, ao anoitecer, relirando-se, gemen^
do de amor.
Amavamse assim, ecresciam, aproximando-se
do venturosedia em que Bernardino, j de casinha
feita, e rogado, devena pedir Clarinha a seu pai,
o bom Manoel Matheus, que o estimava como se
fra eu fllho.
Mas, o homem propoe e Dos dispe.
l'm da Bernardino foi recrutado.
O subdelegado, homem mo e rancoroso, tendo
de limpar suas plantagSes mandou chama-lo ; Ber-
nardino nao, pode dar-lhe os das de servigo que a
autondade exiga, e, cousa muito commum, na oc-
casio mais opftortunfc foi recrutado.
Manoel Mathens envidou toios os seus esforcos
para libertar seu futuro gonro, correu casa de
seus compadreschoron aos ps do vigarlo e dos
juizes, emquanto Clarinha, debulhada em prato.
resava Nossa Senhora e fazia-lhe ardentes pro-
rnessas.
Nao valeram, porm, os esforgos de Manoel Ma-
theus e as prornessas de Clarinha :um mez de-
pois de farda as costas, esobre esta o cantil.a
muxla, e o bornal, embarcava-se Bernardino para
o Rio de Janeiro.
A despedida foi locante, e o pranto da familia
durou longo tempo.
Pas?aram-se annos e annos, e nada de Bernar-
dino.
Clarinha, chorava saudosa e tinha esperanga.,
Cotadloha, esperava-o todo o dia e chorando
contava seus pesares aos passarinhos, s brisas, s
florestas, e aos ribeiros, que haviam sido testerau-
nhas de seus amores.
Aqui, dizia ella passeiando tarde no vale'
aqui confessoume elle o seu amor.- Alli sentamos-
nos nos aquella maahaa e ento eontou-me... A'
sombra desta arvore... foi que...
E nestas recordacoes derramava Clarinha as la-
grimas de seas, negros e lnguidos olhos.
Eis seno qnando nm dia apparecem soldados
vindos do sul, e do-lhea noticia da morte de Ber-
nardino. Clara adoecea, esteve as portas da morte,
to grande foi sua dor.
Depois...
Estedepoisaqui tira-me a poesia da historia,
mas forgoso dize-lo, porque nao Imagino, cont o
para despertar a oossa pledade e gralido por tan-
to amor e beneficios, j ficou o no*so coragao toea-
.do para recolhermos os fructos dessa sacralissima
paixao pela vlrtude dos sacramentos t
Oh !... Nao nosacontega a lamenlavel ceguei-
ra dos judeus, e sejaraos entregues aos lerriveis
juizos do Senhor I
Apresserao-oos emquanto tempo para o Tribu-
nal da Graca, antes que sua misericordia se relire
de nos, e assim entraremos felizes na sua heranga
por toda a eternidade.
V. S. este notavel artigo, porque ei ter ahi sido
reproduzido pelo Diario de Pernambuco era seu
numero de 19 do passado margo, e por isso fcil ser i
a V. 5. tirar delle lodos os apontamentos que jul-
gar convenientes, ou transcrevelo na parte que
convier.
Tendo o governo portuguez mandado proceder a
um inquerito muilo raiuda acerca dos actos de he-
era dos roars feios.
C
de. Phrase que eu tenciono fazer gravar sobre
a iousa da sua sepultura. Este mesmo ministro,
dando-me recentemente os pezames, me escrevia :
t Finalmente que direi desta catastrophe I que
foi uma perda para a patria. >
COPIA DA POESA DB KRNESTO CIBRAO.
ajudando o ate algumas vezes a armar os barquinhos Ao Exm S(, contelhnro Josi Feliciam de Cast
ella, arvorando-se elle em coramandante eorde- iho, no pastamento do teu fitho o illustre \ te-
ma lo a manobra a sna marinhagem, composta do nente da armada real porlugueza Jos Feliciano
Anloninho e do Paiva. Era para ver a satl.fago e! ^aslil^ ^w-
enlbusiasmo cora que elle se enlretlnha cora Suspende, caminheiro, o passo altivo e nobre-1
aquelles brincos tanto do sea gosto, e mal peusava-!Eu soa na cai"avaua obscuro, humilde e pobre,
mos ento que no enmprimento d'essa vocagao elle! Mas vou corati8 a|m. aos ps do mesmo altar,
leria de achar a morle I oesmo sol nos guia, o mesmo psalmear
_ ,,,.. Confunde a aspiraco, a crenga dos romeiros.
Com effeilo, Jos Feliciano nunca mais foi -gente EsCQta) peiSi 00 raeslre eu sou dos tus obrejro8
desde os actos de insana dedicagio pralicados por Na senda 00 pr0greSSo a tua mo conduz
occasio do naufragio do Mondego, a sna organisa-
cao Acara arruinada.
Regressado porm a Portugal, desembarca, mas
para se applicar logo a completar os altos esludos
que lhe deram era galardao o diploma de enge-
nheiro bydrographlco etc., sendo reqaisitado para
servir nos trabalbos geodsicos do reino, s or-
dens de sen irmo mais velho, chefe de distroto
do norie do reino, Bxpoz-se a ses e chavas, que
O faeno do saber, e eu sigo a tua luz.
Da multido que aufere os bens de teu erario,
\ O mais pequeo soa. Divido o mea salario
Por quem menos ti ver e for mais pobre. Sei
Que,pois que o ouro teu, sera' ouro de lei.
Esingular prodigio I en, qne nao era rico,
Don todo o mea haver, e menos pobre fleo I
Privilegio s dado ao fructo do saber :
Todos a dviid-l'o, e|(e sempre a crescer,
abrocha, quando se entrega aos sculos do belja-
flor, aos affagos da brisa, e em breve ao torvelinho
do rio... ou aos impelan, do furacio.
E quando assim vejo a noiva lembro-me da rosa
e digo cora os mens botoes.
Coitadinha, em breve desfolhada pelo sopro
do infortunio, ser levada pela trrenlo dos desen-
gaos I Em breve ama mu!her sem illusoes, sem
roic.dade que assim eram atiribuidos aquello man-: diante dos olnos e -esla as vi(J er
Z12T" '"a PeS',UZaS l0f da ha.V6r: 1 sJ'a a "5o, nunca passara d'uns pou-
exageragao, que anda os actos praticados por Jos .
i.i .,~ .- j- ^ i eos de momentos : que vale anaos ou cem annos,
reliciano erara raais dutinctos. Em cousequencia T \ ..
h..c ^, .. i i sao igualmente nadas ; e que, se d entre as cousas
Jiaso, o dao governo condecorou o joven tenente L ,. ,
,m,T___ c ,, efmerase vans, a guma ha qne menos absurda-
coraa Torree Espada, conferida por um decreto, ', .
.- r .' / mente so possa apreciar, nao de certo, a exten
cuja redaccao tem anda maior valor do aue a oro-1 j .- i
priagraga. sa0 do existir, mas sim o rasto luminoso que o
O ministro da marinha, Mondes Leal, dando me es,sllr deixou nas meraorias> na admirago ena
noticia d'esta del.berago de S. M. F., e fallando- saudade- E ent5 "ss de ver nosso mode$to hc'
roe do que aquelle mogo praiicara, emprega a se- roe juvenil>como Julio acertadamente lhe cha-
guite phrase : -Os fe.los d'aquelle here non- ma' resPlade<*r, Pe'o que fez em idade lao curta
rara por igual a armada, a nago, e a humanida- por aC?oes e VirtudeS' (,ue reParlidas Podt!r'am a,m.'- e nada ma,s ,alvf !
lustrar a exigencias seculares. Fixa bem esta idea
croe muito solida e multo te convm : nao contcs
o que elle podeiia viver; conta o que aproveitnu
vivendo. E se te parecer, junta ainda mais isto : o
seu futuro ninguem, nem elle o podiam afflangar,
e o seu passado ficou seguro. Acabou na madure-
Este meu fllho, sempre desde crianga manifesta-' za de seu bom nome.
ra predllecgo pela vida da marinha. Anda hon- _
tem eu recebi do Dr. Raposo, de Santa Camarina-] "? PSS a.' la de ser h,omem' f a;acle'
na, uma carta em que ha este trecho :-... Ti- ^T a ata,b,r P*ra en8randecimen"' d -
...__- me da familia, como elle o fez.
uha amisade aquella boa crianga. Eu o vi crescer,
e muitas vezes tomei parte nos seus brinquedos,'
Passarinhos da campia, dizia talvez, nao
maisouvrei naquelles enlevos de virgem, os vos
sos cantos. Vou casar-me, meus passarinhos : em
breve os cuidados do lar nao me deixarao momen-
tos para escitar-vos, era brev a voz do esposo, o
pranto dos filhos, em vez daquellas illusoes suaves I que acontecen,
que me despertavam tardinha os vossos gorgeios. i Depois, cumoas minhas leitoras, jomo todos nos,
Adeos, meus passarinhos. ; resignou-se Clarinha e com a resigjiacao appare-
Florinhas do valle, j nao preciso de vos para ceu, P01""0 a pouc" a aufora de uma nova affeigo.
ornar s minhas trangas. Ao romper d'alva nao I a*ra rpParou involuntariamente que o irmo
correrei mais a dar-vos os bons dtas, a beijarvos!de Bernardno l"9 Mariano gostava della, e nao
e coravosco enfeitar o meu ropao ; nao procurarei
mais, ao cahr da tarde, conhecer o futuro desfo-
gando-vos, ch F florinhas do Cmara, e nem man-
dar-vos com recados de amor ao moco dos meus
sonhos. Adeos, minhas florinhas 1
Lar da infancia, lmpidos ribeiros, minhas
florestas minhas borboletas, meus scismares, e vos,
oh I minhas illusoes, adeos tambem adeos para
sempre 1
Nao sei se ella l comsigo dizia tudo islo, mas eu
ao v-la chorando, julguei que o dissesse.
Porque?
Me perguntas lu, linda meniua, qu#toe les : eu
t'o digo.
Erabora realidade de ura sooho delicioso, o ca-
samento tem orna tristeza que dilacera o coragao
da mulher : esse adeos virgindade d'alma e do
corpo ; esse adeos as Illusoes da juventude, que
como as aguas de vertente fogem e mais nao voliam.
Eu ainda nao vi uma noiva, que nao chorasse,'
E Mariano involuntariamente tambem noiou.^que
Clara reparava nossas cousas.
Nao sel bom como se entendern elles, o que
certo qne alguns mezes depois raiou o dia, era
que principiarnos: Clara ia casar-se com Ma-
riano-
Vamos agora ao terreiro.
fContinuarse^ia.)
assim como chora a rosa quando de manha des- i te a sublime Victima.
UM POUCO DE TUPO.
Sobre o evangelho deS. Joao Cap. VIII v. XLVI
a LIX A esta palavra,cues tomaram pedras pata
o apedrear,; porm Jess CJinsto se occullou, e sa-
bio do tempo,escreve o Cruzeiro do Brasil o se-
guinle :
Veloz eorre agora o tempo para o sapremo sa-
crificio.
O' sacrificador agoga o ctelo com que tem de
Do Di trio do Rio de Janeiro,] transcrevemos o
Hymno dos Bravos, que vai em eguida, e sena
para desejar que os nossos compositores de msi-
ca o traduzssem para essa lingua da harmona,
pois disto o elle credor pelo enlhusiasrao da
leltra.
O eminente poeta, o Sr. Domingos Jos Goncal-
ves de Magalhes, ohsequiou-nos de Vienna, onde
representa brilhanleraente o Brasil, com o seguinie
hyrane dedicado aos Volntanos de Pem bnco.
O illustre poeta senlo o nibre enlhusiasrao do
que se cha tomado o Brasil ioteiro, e a musa ins-
prou-lhe as estrophes ardentes que abaixo trans-
crevemos.
Nem por eslar longe da trra do bergo a esque-
ce ellenunca.
Brasileiros, s armas orramos, *
Que boje a patria affrootada nos chama.
Nao ouvis esses ecos lerriveis ?
E' da guerra ocanho que r brama I
Impa gente de sangue sedenta
Contra nos arrogante se slenla 1
Eia, s armas, e patria jaremos
Que o inimigo feroz venceremos.
DefendeOdo este solo sagrado,
Azgredido por hordas deeseravos,
Corajosos lula corramos,
Que homens somos, e livresr e bravos.
Treinam elles ao ver-nos unidos,
A veneer ou morrer decididos.
ca. s armas, e patria juremos
Que o niraigo feroz venceremos.
Nossos pais, nossas mis, nossa patria
Stao vingaaca, vinganga bradando ;
Que salvemos a honra ultrajada,
Do iuiraigo a insolencia domando.
Pois que louco ehamou-nos guerra,
Com seu sangue lavemos a trra.
Eiayis armas, e patria jaremos
Que o inimigo feroz venceremos.
L'm s grito, que atra espantoso.
Pelo immenso Brasil se dilata,
E da trra se elevam guerreiros
Do longinquo Amazonas ao Prata.
Todos querem correndo victoria,
Colher louros no campo da gloria.
Eia, s armas, e patria juremos
Que s inimigo feroz venceremos.
Um jemal estrangeiro fallando a respailo, do
melhor negocio da actualldade, diz o seguinie:
Apolado na autondade de um commerciane vou
dizer-vos qual o grande negoeio, que pode fa-
zer-se hoje ara dia pois uma carta dirigida ao
dono de uma das principaes fabricas de> Pars d a
sofuco ao problema.
Querido amigo: o grande negocio que hoje
pode fazer-se no commercio qaebrar.
Se tivesse dez annos de menos, esteja seguro
que lhe nao pagara o qne lhe devo, mas j estou
velho; e assim lhe envi o importe da sua fac
tura.
D gragas a Deas, e nao esquega quo lhe falla
a experiencia.
Isto que progresso!
Mas deixemos esses cuidos e procuremos saber
porque Clarinha desfazia-se em pranto uma hora
antes do seu casamento.
Aqui, Clarinha, e chorando! dizia Mara de
Jess, sua amiga de infancia.
Ai, Mara de Jess, nao digas a nragoem que
me vistes chorando, que estas lagrimas roe en ver-
gonham. Chorar quando vou ser feliz, loucura,
nao ? E'... eu o sei, ea o sinlo... mas...
Cada vez chorava mais Clarinha.
Mulher, tu me escondes alguma cousa, ter-
nou-lhe Jess sentando se ao sea lado. Conla-me.
anda... reparte comigo tua dr...
J nao choro.. I olha,*estou me rindo...
Os algozes se erabravecem, e nao cuidam seno
era apanha-la, qao ainda Ihes escapa po nao ler
soado a hora marcada nos arcanos do Eterno t
A lucia vai ja tornar-se renhida entre o Cordei-
ro Immoculado, e a embravecida Synagoga I
Essa carne sacrosanta, formada pelo espirito
Santo, em breve vai ser dilacerada pelo ferro do
Dicida, e o seu sangue preciosissimo vai rebentar
de suas feridas, e jorrar por esta ierra ingrata pa
ra purifica-la de suas iniquidades I
Os decretos do Allissimo se ho de curaprir;
porm seus executores sero esses mesmos ho-
mens, obras de sua mo e formada sua imagen
e semelhanea, pelo que sao sempre olhados por Je-
ss Christo com piedad?, e nao eessa Elle de os
advertir de sua cegueira, afira de que se ache cora-
promettido nesse Deicidio o menor numero possi-
vel, j que esle escndalo infallivel.
Eis por que e^te bom Pa.-tor nao abandona suas
ovelhas desgarradas, e ainda agora o vemos no
prsenle evangelho bradar :
Se ea vos digo a verdade, porque rae nao dais
crdito ? Nenhum de vos me pode convencer de
peccado.
Cortamente que a vordade e a innocencia sao
no Divino Salvador predicados inseparaveis, e des-
tes predicados langa elle agora mo para comba-
ter a incredulidade dos Judeus.
Jess Christo tero j sufflcientemenle provado a
E Clarinha, enxugando o pranto, forcejava por el-!?i a sua or,'8en> divina pela innocencia de sua
sorrir-se, mas o pranto lhe corra arada ma1S pelas ^TZ&^^^^"
menie, trazendo, como qne, sempre suspensa a lei
da natureza.
faces.
Eu pensei, disse Jess j principiando a cho-
rar, eu pense,. Clarinha, que lu eras minba amiga,' SSJm^^^S^.T'i^i't
mas agora vejo qae me enganei... nao te confias em resposta ouve-se eslas malignas palavrs : '
de mim... pois sira... adeos, nao quero mais te I ~.Gom bastante razao dissemes, que s um Sa-
encommodar.
Nio me abandones tambem... olha, eu mes-
mo nio sei... mas lembrei-me de Bernardino e
mantano e um possesso do demonio
Quanto terrivel a cegueira do peccado!
Os peccadores como os judeus, lestemunhas de
tantos milagres sempre reproduzido, de tantas sce-
puz-me a chorar. Se elle voltasse, Jess, que dina nas de P'odade sempre renovadas, prolongavam
vendo-rae unida a outro T nas^loiquidades : o peccador sempre chamado
*- Mas... elle j nao existe, como sabes, Clari-' P-graca dmna- MD?,pre ^moe^do pela voz da
., h 'grcia, cerra seas ouvidos para se abandonar tor-
una, ha seis annos assentou praga, e parti para o rente da prevaricago do mundo, que o vai despe-
sul, e tu sempre constante o esperaste, at o dia em nnar inferno I
Oh 1 desgraca I
que voltando alguns de sens campanheiros deram-
nos noticia de sua morte. Choraste muito ento...
mas agora preciso sorrlr,.. brincar.
Oh 1 miseria da humanidade t
Nos somos, verdade. a heranga de Nosso Se-
nhor Jess Christo i raas, para sermos d'elle,
A Nacao- publica o que segu :.
L'm nossu amigo que anda hoje enthusiasta
de Malibran, nos contou a seguinie ancdota :
Malibran e Grissi foram convidadas para um
coacerlo> dado em casa de uma alia notabilidado
queao- saBgue asul ajunlava o amarello.
As duas cantoras buscaram nos Irechos que de-
sempanbaram sebresahir urna euira, foi um du.
lo de harmona.
Grissi foi a primeira, cantn admiravelmente ar-
rancando aos espectadores os mais frenetices-ao-
plausos. *
Bnlao voltando se para Malibran lhe disse::
Assun se canta na Italia.
Malibran cantouasua vea, melhor junde, do qa
Grissi e foi ainda mais applaudida, dsflois, \ut-
tando-se para a sua rival, lhe disse :
Assim se canta no co.
O Siglo do Montevideo, publica o sagoiote
Tendo-se approvado a lei que autorisa o governo
do Chile para subvencionar at eora a qaantia de
100,000 pesos a companhia ingleza de aavegago
do Estreito de Magalhes, foi deHuitivameate aceito
0 contracto por ambas as parte*, e preoaram-se os.
vapores que tem de fazer essa servigo.
O primeiro vapor devo ter saludo de Londres &
1 a 15 de abril, e posto seja excellente pela sua
marcha e condjges navega veis, nao offerece-o
laxo e commodldades dea. qne se esto concluate
nos arsenaes.
A companhia nao quia perder tempo, e essa o
motivo da sahida daqpelle navio que brevemente
ser substituido por magnficos vapores, expressa-
raente construido para aquella aavegacao.
Montevideo, a>taqdo era Rommnmcago rpida e
directa cora as portas do Pacifico, gosar dessas.
vantagens, augmentadas com as qae sustenta com
a Europa.
Ja em meiados de margo mandan a companhia
um agente,- por Panam.
Esse empregado, depois de demorarse ahrans
das em Callao, devia seguir al Santiago do Chile,
d'ahi a Mendoza e ao Rosario, passando por ultimo
a Montevideo.
Nesie porto embarcar no vapor para ir inspec-
cionar as minas de carvo do Estreito.
PERNAMBUCa-TYP. DE M. F. DE F. 4 FILHQ
<-^
P


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EGFFPO5TG_2CYGUI INGEST_TIME 2013-08-27T20:50:13Z PACKAGE AA00011611_10685
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES