Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:10684


This item is only available as the following downloads:


Full Text
M'"
rnm&

L


\
*
JHIO ILI. ItOMERO 127.
i m
Por cartel pago dentro de 10 dias do 1. mez ...*:.. 5|000
dem deoo8 dos 1.* 1 Odias do comecoe dentro do qnartel. 6J000
Porte ao correit por tres uezes ...,-......, 750
DIARIO DE
3
1865.
anno pago dentro de 10 das do i. mez ,,,.,.. 191000
ao correio oorum anuo. .,.,,,.,.,.,. 3(000
ENCARREGAD05 DA SUBSCRIPCO DO NORTE
Parahyba, o Sr. Antonio Alex?odrino de Lima;
Natal, o Sr. Antonio Marques da Silva; Aracaty, o
Sr. A. de Lemos Braga; Cear, o Sr. J. Jos de
Oliveira ; Maranho, o Sr. Joaqnim Marques Ro-
drigues; Para, os Srs. Heraldo Antonio Alves
Pililos; Amazonas, o Sr. Jeronymo da Costa.
ENCARREGADOS DA SUBSCRIPQAO DO SUL.
Alagoas, o Sr. Clandino Falco Das; Babia, o
Sr. Jos Mirtins Alves; Rio de Janeiro, e Sr. Jos
fiJbiro Gasparoho.
PARTIDA DOS ESTAFETAS.
Olinda, Cabo, Escada e estages da via frrea at
Agoa Preta, iodos os dias.
Iguarass e Goyanna as segundas e sextas feiras.
Santo Antao, Grvala, Bezerros, Bonito,Caruar,
Altinho, Garanhuns, Buique, S. Bento, Bom
Conselho, Aguas Bellas e Tacarat, nastergas
feiras.
Pod'Alho, Nazareth, Llrooeiro, Brejo, Pesqoeira
Ingazeira, Flores, Villa Bella, Cabrob, Boa Vis-
ta, Ouricury, Salgueiro eEx, as quartas
feiras.
Segunda vara do civel: quartas e salbades a 1
hora da tarde.
Serinhiem, Rio Formoso.Tamandar, Una, Bar-
reiros, Agua Preta e Pimentelras, as quintas
feiras.
EPHEMERIDES DO MEZ DE JUNHO.
i Quarto cresc. as 6 b., 1 m. e 08 s. da m.
9 La cheia as 7 h., 21 m. e 16 s. da m.
16 Quarto ming. as 4 h., 33 m. e 28 s. da ra.
23 La nova as 5 h., 37 m. e 34 s. da m.
30 Quarto cresc. as 11 h., 20 m. e 81 s. da t.
AUDIENCIAS DOS TRIBUNAES DA CAPITAL.
Tribunal do commercio: segundas 6 quintas.
Relago: tergas e sbados s 10 horas.
Fazenda: quintas s 10 horas.
Juizo do commercio: segundas as 11 horas.
Dito de orphaos: tergas e sextas s 10 horas.
Primeira vara do civel: tercas e sextas ao meio
dia. >L"
Segunda vat* do c vil: quartas e satinados a 1
hora da tarde.
DIAS DA SEMANA.
S. Maxjmiao b.; S. Mximo m. ]
Fernando rei; S. Kmilia m. j.Ia
. Angela de Mericia v ; S. Cancio rrt .'
29. Segunda. S. Maxjmiano
30. Terca. S. Fernando
31. Quarta. S. Angela
i. Quinta. Ss. Firmo e Felino mm.
2. Sexta. S. Marcelino,pr.esb.; S. Kinlano b.
3. Sabbado. Ss. Pergentino e Laureuffno irs. mm
4. Domingo. S. Francisco de Canecilo.
PREAMAR DE HOJE.
Primeira as 1 horas e 42 m. da manba.
Segunda as 12 horas e 6 minntos da tarde.
PARTIDA DOSUr^MBS COSTEIROS.
Para o sul atJpiM* 4. e 30; para o norte
a Granja w'f "22 de cada mez; para Fernan-
do nos dias 14 dos mezes de Janeiro, margo, malo,
julho, setembro e novembro.
. ASSIGNA-SE
no Recif, na livraria da praga da Independencia
ns. 6 e 8, dos proprietarios Manoel Figueiroa.de
Faria & Filho.
PAUTE 9FFICIAL
G0VBEN0 DA PROilMU.
Conlinnaco do expediente do dia 30 de raaio de
1865.
Circular a todos os commandantes superiores
menos o do Recife--Tendo ordenado a thesouraria
de fazenda que providencie no sentido de fornece-
rem as collectorias os dioheiros precisos para a
vinda at esta capital, do contingente que a guarda
nacional sob ocommando superior deV. S.tem
de dar para o servigo da guerra, como Ibe foi de-
terminado pela circular de 20 de fevereiro deste
anno, e podendo acontecer que ou nao haja collec-
torias nesse municipio ou que sua renda seja in-
sudlciente para laes forneci mentes, recommendo a
V. S. que em qual mer destas hypotheses, por si ou
por outras pessoas, procure fazer ao contingente
da guarda nacional desse municipio, que deve
cuanto antes marchar para esta capital, o suppri-
os das de viagem na razao de
do Rio Grande do Norte Amaro Carneiro Bezerra
Cavalcante que achando-se eventualmente nesta
capital, mas tambem a deliberarlo que tomou esta
presidencia nao obstante a duvida suscitada por
essa repartigo de mandar que a ultima de taes
ajudas de cnsto fosse contada da provincia do Rio
Grande do Norte e nao desta, por sso que, com
quanto a ajuda de custo deva ser regulada pela
provincia em que reside o deputado e nao por
onde foi elelto, essa residencia entende-se sempre
a offlcial, e, na falta desta a effectiva, e nao a even-
tual poralgum tompo em qualquer lugar, ou porto
de escala.
Diio ao mesmo.Renunciando o Io cadete Ly-
zandro Francisco Nogueira e soldado Antonio Gar-
ca de Miranda, ambos do 2o corpo de voluntarios
da patria, o premio de 3005 e o prazo de trras
que Ihes compete em face do decreto n 3371 de 7
de Janeiro deste anno, assim o communico a V. S.
para que faga averbar dos assenlamenlos dessas
pragas as convenientes declaragoes neste sentido.
Dito ao mes..Attendendo ao que no incluso
requerimento expoz o Dr. Ernesto Feliciano da Sil-
vr Tavares, 2o cirurgio do corpo de saude do
exercito, recommendo.a V. S. que nao havendo in-
do corpo de Voluntarios da Patria desta provincia,
manda louva lo por essa prova de patriotismo: o
que declaro a Vmc. para seuconheci ment.
Dito ao provine!! do convento do CarmoQuei-
ra V. Rvma. declarar-me o aluguel que se deve!
pagar pela parte desse convento, para onde se
pretende remover a Faculdade de Direito desta
cidade.
Dito aos agentes da companhia Brasileira de
paquetes a vapor.O vapor Tocantins, chegado
hontem a noute dos portos do norte, segundo
consta do offlcio queVracs. me dirigiram hoje, deve
seguir para o sul amanha as 4 horas da tarde.
Portara.Os senhores agentes da companhia
Est col
sessao jud
dencia do
crimina?'j
riques.
N.
PERNAMRUCO,
m\sn siAiiA.
eada para o dia 19 do correte a 3*
aria do jury desta capita1, sob a presi-
Dr. juiz de direito da primeira vara
io Antonio de Araujo Freitas Hen-
ita^feira teve lugar no Santa Isabel,
. realgado ||At-assistencia de numerosos espectado-
res, o coQMfto do violinista bat i a no Francisco
Buiairio^a,^^ T'.&mSS* ** P?'? W:PN mi
artilharia a p Jas Teixeira Liroa.-Commum oSr mT'Barreto disnoede .irnaeiw-ncfi fa-
Empregados do estabelecimento :
Capelo 1. medico 1, regentes 1 homem e 1 mu-'
Hier, barbeiro 1, cozinheiro 1, serventes 2^-0 mor-
domo do mez, A. J. Gomes do CoareioO regente,
Diniz Ignacio P. dos Sanios.
Movimento do Hospital Portuguez, no mez de
raaio'de 1865, aos cuidados do Sr. Dr. Moscoso :
Existan? doen es em trataraento 36 ; entraram
16-lota52.-Tiveram alta 21 ; folleceram 6 ; fi-
cam em (ratamente 25ota I 52.
Dos fallecides frara : 1 deamolleclmento eere--
a corte por epata do ministerio da guerra 00 vapor
duzida n> rebeca; e esta, sob.b contacto de seus
a. cui 19 uur cuuia uu Hiinisieiiu u tocantins, os soldados desertores Joo Jos Fran-: WeJdoL^^J^^iSS jS
cisco do 2 batalhao de infantaria, Vicente Antonio I f 1%^'"",?,'L 'fff
de Almeida, Jos Correa Francisco do 7o, e Joo
Baptista dos Santos do 10, todos da mesma arma
do exercito.Comraunicou-se ao coronel comman-
dante das arma*.
Dito ao consol interino dos Estados-Unidos.
Respondendo ao o lucio desta dala, no qdal o Sr.
no do dia 30 de maio de 1865.
Offlcio ao inspector da thesouraria de fazenda.
-O Exm. Sr. presidente da provincia,
manda
Dr. Willlara Henry Me. Grathe, cnsul interino dos! transmittir a V. S. as 10 inclusas ordens, sendo 7
Estados-Unidos da Amerita nesta provincia me d do ministerio da guerra, datadas de 17, 18, 19,
ment precisa para -----------..__.___..- ,_-
450 ris por dia, certo de que sera logo indemnlsa- conveoiente, mande pagar sob minha responsabi-
do pela thesouraria de fazenda, era vista das com- lidade, nos termos do decreto n. 2,884 do Io de re-
petentes guias e a pessoa que por V. S. for desig- vereiro de 1862, o sold da patente do supplicanlc
naiii por elle consignado a sua familia nesta provincia, I .. ____
Dita aos mesmos -Recommendo a V. S. que me a contar do 1 de abril ultimo, visto nao haver Conlinuagao do eipedieute do seerelario do gover-
remetta, sem perda de lempo, urna relagao de to- crdito para esse pagamento,
das as as pragas da guarda nacional que, tendo si-
do designadas para o servigo da guerra, se ausen-
taren deixando de vlrem com o contingente desse
municipio, que deve quanto antes marchar para
esta capital, como j Ihe foi determinado: deven-
do V. S. declarar sempre que for possivel os sig-
oaes caractersticos de cada um dos referidos
guardas e juntar os esclarecimentos e nformagoes,
<|ue julgar convenientes, flm de se proceder con-
tra elles na forma da lei.
OITleio ao gerente da companhia Pernambucana.
Pode Vmc. fazer seguir para os portos de seas
destinos os vapores Mamanguape e Persinunga, nos
dias e horas indicados em seu ofiQcio de 29 do cor-
rente.
a triste noticia da morte do presidente Abraham
Linelo, cabe-me dizer, que ao mesmo Sr. cnsul
nos senlimentos de do de que se acha possuido por
to infausto acontecimcnlo e sobretudo pelo modo
lamentavel porque a Unio Americana perdeu lo
Ilustre e eminente estadista.
Renov ao mesmo Sr. cnsul interino dos Esta-
dos-Unidos a seguranga de minha e distincla con-
sideragao.
Dito ao vice cnsul da Italia. Acenso recebido
o ofcio que em 23 do correte me dirigi o Sr.
Portara.O presidente da provincia, attendendo I Eduardo Wilson, vice cnsul da Italia nesta pro-
ao que expoz o inspector da thesouraria provincial
em ofcio de boje, sob n. 218, resol ve abrir um
novo cred.to na importancia de 498S666 para con-
tinuagio das despezas de que trata o 2o do art. 2o
da le do orgamenlo vigente, visto ter sido insuffl-
ciente o que j se conceden para esse Qm.Com-
municou-se a thesouraria provincial.
Dita.O presidente da provincia, resolve demit-
tir a Joo Themoteo de Andrade do cargo de sub-
delegado do dis ricto de Panellas, Io da fregnezia
de Qulpap em Caraar por assim convir ao servi-
go publico.
Dita.OSr. gerente da companhia Pernambu-
cana, mande dar transporte al Maeei no vapor
Mamanguape, em lugar de r destinado a passa-
geiro de estado, ao secretario do governo da pro-
vincia do Rio Grande do Norte Dr. Luiz Rodrigues
de Albuquerqae.
Offlcio aoxm.Dr. vigdLttpiUilar. Traos-
miito V. Ese. parjjeu, cpflhecimento copia da lei
o. 620 de 9 do crreme, qae transiere a sede do
termo e comarca de Tacarat' para a do termo de
Floresta, fleando aquelle termo annexo a este, bem
como restitue ao de Cimbres, desnnexando do de
S. Bento a ribeira do Riacho Liberalsinho, com to-
das as suas aguas.
Dito ao mesmo. Tranmitto V. Exc. para sen
conhecimento copia da le
te, que eleva cathegoria
vncia, tenho a dizer-lhe em resposta que Bco intei
rado de hver o mesmo Sr. vice cnsul reassum-
do o exercicio de seu cargo n'aquella data.
Aproveito esla occasiao para assegurar ao mesmo
Sr. Wilson, os meas protestos de estima e consi-
derarlo.Fizeram-se as necessarias communica-
g5es.
Dito ao coraraandante do corpo de polieia.Con-
cedendo por despacho de hoje esla capital, por me-
nagem ao chefe da 1. companhia da seeco ur-
bana do corpo sob seu commando, Joo Eduardo
Pereira Borges, que se acha preso para responder
a conselho de julgamenio, tssim o communico
V. S. para seu cooheciraento.
Dito a cmara municipal do Bonito.Remello a
cmara munlpal da villa do Bonito para seu cenhe-
cimenlo, e devida execugo copia da lei n. 616, de
9 do corrate, qae eleva a cathegoria de villa a
povoago de 8. Jos de Bizerros, cuja freguezia
reunida a de Grvala formar um termo annexo
g 22, e 3 tem duplicata expedidas pela reparti-
ese* do ajudante general son ns. 47o, 446 e 447,
bem como om offlcio da directora geral das ren-
das publicas de 11 do correle mez.
Dito ao mesmo. S. Exc. o sr. presidente da
provincia, manda transmittir a V. S. as 6 inclu-
sas ordens do thesouro nacional sob n. 58 a 63 e 1
offlcio da secretaria de estado dos negocios da fa-
zenda, datado de 10 do crrante mez.
Dito ao Dr. Manoel Buargae de ttacedo. S.
Exc. o Sr. presidente da provincia, mand decla-
rar a V. S. qne pelo seu offlcio de 28 do corrate,
fleotr inteirado de haver V. S. reassumido o exer-
cicio do cargo de engenheiro fiscal da estrada de
ferro desta provincia.
Dito ao conego Francisco Rochaei Pereira Brito
de Medeiros.S. Exc. o Sr. presidente da provin-
cia, manda declarar a V. S. que pelo seu offlcio
de 29 do corrate, ficou inleirad de haver V. S.
reassaraido o exercicio do cargo de director da es-
cola normal.
31
Offlcio ao coronel commandante das armas.S.
Exc. o Sr. presidente da provincia, manda remet-
ter a V. S. o incluso exemplar da falla com que
Sua Magestade o Imperador abri a terceira ses-
sao de 12 legislatura da assembla geral legisla-
tiva.Igual remessa se fez ao director geral inte-
rino da instruegao publica.
Dito ao gerente da companhia Pernambucana.
S. Exc. o Sr. presidente da provincia, manda de-
clarar a V. S. que pelo seu offlcio de 29 do corren-
ao do Bonito, fleando a elle pertencendo a fregu- ta, ficou inteirado de ter o vapor Persinunga era
encontradas, aprsenla emfim os grandes mestres
revelados Ns s,uas concepgoes qqe ella reprpduz.
As grandes phaDtasias sobre motivos das operas
Fillia do tepmenlo o Anna Boletut, e as yariigpes
burlescas febre, motivo da opera Carnaval de Ve-
neza, sao disto urna prova; pois' na respectiva ex-
cogo mosttou o Sr. Munlz Djyto de .quanto
susceptivel a rebeca, qiiando suas cordas sao eri-.
das pelo talento, e quando est real, como nelle
se da.
CompraxeBJo-no8 com o nosso patricio artista
pelas effusSes enthnsiasticas cora qne. toi honrado
pelo publico Ilustrado,- que ali o fot apreciar; e
essas flores com que Ihe ennastrram a fronte, e
essas poesas sublimadas cora que.I he entreteceram
a cora de biampho artstico dao aexpressao vivaz
do reconhedmento do mrito de sua excugo.
Soineaie at o ultimo do crrante mez
sericordia de Olinda,
1865 :
raaos do govefno custariam enormes sacrificios pa
ra as rendas publicas; para quem assim pensar,
de certo que o privilegio da companhia nao pode
ser considerado seno como om bem geral com-
mum, e nao como um privilegio odioso.
KK.VDI.MENT DOS CHAflMl E PKlfRAS D'AGOA.
Os chafarizes, tendo sido arrematados pela im-
portancia annnal de 76:320#000, renderam no se-
mestre rindo a rnetade desta quantia na importan-
cia de 38:16OJW00, e'mais a qaaoUa de 69&300,
ar-recadada no-chafara qae a admintsrraeio sob
f d!'iHf8|*,,le* e t,ydrop,sia-' da anem,a e i Proposta minha, e para cmmodidadepubHca, man
1 ue meme. don abrir na ra que Sea entre as duas Dontes da
- Mov,mento do hospicio dos_al.enados na Mt-1 Passagem 0a Magd^M) e qae umbem (Po?Tstar
fra do permetro da arrematago do bairro da
Existiam 47, sendo 16 homeus e 31 raulheres. So"m rtffle* f iSV" ** -te"? KssvssfTsssA^Ic^t114*800 em *-flcoa ssssa *
perte.ro sachnsto, enfermeiro, Cozlnaelro. bar- convencido de que o producto das arrematacoes
E^ i*; entrara. > sWr,? 6 ; ,, iSa^SBTSSWSKqaCS
6,-total 338.
Movimento da enfeamaria .
te; e o resultado foi o qae veris nos apeatamen-
tos que se achara presentes, e dos quaes extrahi o
! calculo seguate
ra conflanga em frente dftatda chafariz por aiguns
dias empregado em tomar sotas dos baldes qae se
vendiam das seis horas da manha as nove danoi-
per-
miltida a eobranca no domicilio dos contribuintes
do impostorgeral de 20 porcento'sobre fojas,casas: nnoa'Yfilhorme'nores''
de consiguagao, etc.; dito especial sobre casas de' -
movis, p
Antonio Francisco de Souza, rhenmalismo.
Teve alta :
Jos Caetano dos Santos.
Passageiros do vapor Tocantins, sabido para
os portos do sal:
Exm. Sr. viscondo da Boa-vista e 1 criado, Dr.
Ionocencio Seraphico de Assis Carvalho, sua se-
1 criado e 4 escravos. Dr.
Chafarizes Reudimento
annoal
Bairro do Recife.
Ruada Cruz.......... 8:324460
Ruado Brura.......... 5:133*840
Largo do Forte do Matos
Total.
Btc uto especia sobre casas de \ Caiao Gaerreiro de Castro e 1 criado, lente An- cae! da ailandeea ft-iSSrn -7Rfiinn
fabricados era paz es'rangeiro, e (tonlo Jose de SonM esaioo Alves Fernandos, Joo UM da al'aZ:i''Sl 24.786*800
ddicional de mao morte, relativos Casimiro da Silva Machado, Vicente R. da Silva,' r rtn czfmT iTq.TwS
aorsemawa. do exercicio corrente.de 1864 a Ignacio Ferreira Chaves, Manoel Daarte de Olivei- Tarfn d,.Lparrrao-.....; lilSSSSSS "
1865; porjaanto.findo este espago, seraorecolh.-rliAlltonlo j0S Alves da Cruz, Manoel Antonio So do P?sBftnhV; ?Sffi
dos todosfconhecimenlos da mao dos recebedo- sarpado, Jos Virginio Teixeira de Araujo, Jos fflaaaSrd ISSffia
res, aflm. -meo espectculo em beneficio do Sr. Joa-; lonio TeixeIra Pin|o, J escnvosdeSilvino Gui- Uaa dbo1-"--; J"*M 33-3*540
quim Bes de Almeida, acerca do qual ja d.s- lnerme de Barros Joo AugSl0 de carvalho Ha-' rB8 dn riUhanhT ,SSn
sernos anieriorraente algamas palavras oesta Re-' rnhn *. iL a* u.Z~m.~in i. ^.i ^ae 3 Lapibanbe....
vista.
Iherme de Barros, Joo Augusto de Carvalho Ha-
| rioho, Antonio Jes de FiguHredo, Jos Antonio
d'Almeida Guimares, An'onio da Costa Miranda,
ir i .- -V" .. u auneaa uuimaraes, An'omo aa t.osia miranua, pr9l>] di Rui vint
E>,e. i9SL Pe.rnambucaP Para quemas letras j0a0 Christiano de Lima, Odilon das Virgens Lima, g?g n-a" art'b'p
se fez a
zia de Quipap. Igual communicago
cmara municipal de Carnar.
Dito a cmara municipal de S. Beato.Trans-
muto a cmara municipal da villa de S. Bento para
sou conhecimento, copia da lei n. 620 de 9 do
correte, que restitue ao termo de Cimbres, fl-
eando desannexado desse a rebeira do riacho Li-
li. 616 de 9 do corren- beralzinho com todas as suas aguas. Igual com-
de villa a povoago de muoicago se fez a cmara
e a arte dramtica lem sido urna adorago, do leito
da doenga implacavel que s Ihe acea com o fin
prximo da vida, extende a mao mitrada pela con-
sumpgapulmonar a toda esta, itfdade, a todos os
seas comprovincianos, a todos 01 seas patricios, a
lodos finalmente quanlos leeoj ama alma e nella
anioham esta flor do evapgelho chamada caridade ;
porque aiatn da dissolugao da materia cuja pro-
gresso ooatfnoe cano que elle lctea de momento
a momentoaccrescem-ihe as tribulacpes era taes
extremas da caridade de ludo quanto recurso 1
Elle -o di&nas seguiufes palavras qne dirige ao
pubUco,,e sua viagem de 17 deste mez dos portos do sal dei- n5o uua morle.cor ua SQ'a penuria
xado de tocar no Penedo, tanto na ida como na
volta, por achar-se obstruida a barra do rio S.
Francisco. v
Despachos do dia 31 de maio de i 865.
/eijuerimn/os.
Dr. Antonio Rangel de Torres Bandeira.Passe
municipal de Cira- | portara coocedendo a licenga requerida.
S. Jos de Bezerros ; cuja freguezia, reunida de bres. Adolpho Hypolito da Silva.Era vista da infor-
Gravata formar um termo annexo ao do Bonito, Dito a cmara municipal de FlorestaTransmiti magao nao pode ser concedida a balxa do suppli-
ficando a elle pertencendo a freguezia de Qui- a cJmara municipal da villa da Floresta para seu cante,
pap. conhecimento, copia da lei n. 620, de 9 do corren-
Dito ao coronel commandante das armas. Sir- te, que transtere a sede do termo e comarca de
va-se V. S. de informar acerca do que pede no iu- Tacarat' para o della, fleando aquelle termo an-
cluso requerimento o Dr. Joo Pedro Maduro da nexo a elle.Igual communicago se fez a cmara
Fonseca. i municipal de Tacarat'.
Dito ao mesmo. Sirva-se V. S. de louvar em uito ao Dr. juiz de direito de Flores.Remotto
meu nome o acto patritico do Io cadete Lysandro em original a representago de Joaquim Jos de
Francisco Nogueira, e soldado Antonio Garca de Mello, e Jos de Goes do Valle Pedrosa, aflm de
Miranda, ambos do 2* corpo de voluntarios da pa- que Vmc. providencie sobre a prompla e regular
tria desta provincia renunciando em favor das concluso do processo instaurado pelo juiz mnnici-
despezas da gnerra, 'o premio de 300rs.e a sor- pal do termo de lugazeira, a que os representantes
te de trras, a que tem direito ex vi do decreto h. alludem, declarando-lhe que dos supplentes
3,371 de 7 de Janeiro do crreme anno, offerecen
o de mais o ultimo delles para o mesmo lim a
duantia de 200J rs., logo que chegar ao Rio Gran-
de do Snl, sua provincia natal.
Dito ao mesmo.Em aviso expedido pela repar
tlgo da guerra em 16 do correte, manda o gover-
no imperial louvar a manifestaga i de patriotismo
daquelle mesmo juiz municipal, mencionados na
referida representago, s o 3o por ser col lector se
deve considerar impedido em face do aviso de 12
de dezembro de 1864, e nao assim os outros que
esto em circumstancas diversas, visto como o juiz
munictpal supplente que antes de ser tal j era
offlcial da guarda nacional nao perde aquelle e
do Io sargento Henrique Dias deFreilas, Luiz Apri- pode continuar a oceupar este lugar, nao podendo
gio de Oliveira Salermo, e soldado Joo Rodrigues porm exerc-los simultneamente, aviso 238 de 3
Duro, renunciando em favor das despezas da guer- de junho de 1863, e o vereador ou presidente de
ra, os dous primeiros o premio de 3005 rs. e sorte cmara municipal, accumular o de supplente de
de trras a quo tero direito era vista do decreto n. Juiz municipal, avisos 2 19 de 3 de sete
3, 371 de 7 de Janeiro docorrente anno, e o ultimo,
smenteo prazo de trras, sendo esse louvor exten-
sivo ao 1 sargento da companhia de cavallaria
Henrique Flix de Dcia, que para o mesmo fim of-
fereceu a 5* parle dos seus vencimentos.
O que declaro V. S. para seu conhecimento e
fim conveoiente.
Dito ao mesmo Sirva-se V. S. de informar acer-
ca do que expoe o commandante superior da co-
de
1857 e 2i de 21 de agosto de 1858 e nao incom-
pativel este ultimo com o de juiz de paz, aviso 162
de 6 de julho de 1859.
Dito ao mesmo.Em additamento ao meu offlcio
desta data, acompanhado de urna represeutago de
Joaquim Jos de Mello, e Jos de Goes do Valle
Pedrosa, informe Vmc. ouvindo o jniz municipal
de Ingazeira bacharel Joaquim Ferreira Chaves,
a ausencia que se diz ter elle feito do termo
Alexandrina Francisca das Chagas. Sendo o
sobrinho da supplicante um dos educandos que
deve ser expulso do collegio dos orphaos, pode re-
cebe-lo.
Bernardino Pereira de Brito.Informe o Sr. ins-
pector da thesouraria da fazenda.
Tenenle-coronel Coriolano Vellozo da Silveira.
D-se.
Candida Sabina do Patrocinio.Nao ha que de-
ferir estando o orpho entregue a supplicante
ter sido expulso do collegio.
Dr. Ernesto Feliciano da silva Tavares.Tendo
sido revogado o despacho a que allude o suppli-
cante era vista da inforinago da thesouraria da
fazenda, recorra o mesmo supplicante ao governo
imperial qnerendo.
Francisco Xavier Carneiro da Cunha.Informe
o Sr. director geral interino da inslrucgo pu-
blica.
Josepha Maria da Conceicao Alcntara.Infor-
me o Sr. tenente-coronel commandante do corpo
de polica.
Jovino Emiliano de Ponte*. -O supplicante nao
pode ser attendido em quanto nao se verificar o
sea estado pala observacao a que esta' submet-
tido.
Leopoldina Maria de Castro Miranda.Em vista
da informago nao tem lugar o qne requer a sup-
plicante.
Maria Venancia de Abreu Lima Bastos. Volte
ao Sr. inspector da thesouraria de fazenda, para
mandar passar o titulo pedido pela supplicante.
Representago de Joaquim Jos de Mello, e Jos
Dito ao mesmo. Para que en possa cumpnr o
disposto no aviso do ministerio da guerra de 20 do
crreme, faz-se preciso que V. S. me infrmese
no presidio do Fernando ha servigo de engenharia,
que o/respectivo commandante accumule ao de
commando de fortaleza de 1* ordem, em cujo nu-
mero est clasificado aquelle presidio.
Dito ao mesmo. Kxpega V. S. suas ordens, aflm
marca "de0 Garannunrno"Tnc*.uso' offlcio," qu me para o Piaoc era 12 de dezembro ultimo, como os ] de Ges do Valle Pedroa.-Remeltido ao Sr. Dr.
sera devolvido relativamente a juslificago de ca- representantes allegam declarando o mesmo juiz juiz de direite da comarca de Flores para o fim de-
dele de seu filho o voluntario da patria Julio Cesar municipal, a razo porque usteve fra de exercicio clarado em meu offlcio desta dala,
de Carvalho Araujo desde aquelle dia at o ultimo de janeiro do cor-
rente anno, estando presente no termo e de
saode.
Dito ao juiz municipal nleriuo do termo de San-
to Antao, Maneel Jos Pereira Borges.Em respos-
ta ao offlcio de 26 do corrente, em qae Vmc. con-
sulta se sao legaes os actos de um censelho de
qualiflcaco da guarda nacional em que funeelo-
oem conjuntamente pai e filho, irmo, to, sobri-
de ser apresentada com urgencia hoje a urna hora nho e canhado, lenho a dizer-lhe, que em vista do
da tarde ao Dr. chefe de polica urna praga de ca- exposto no aviso de 29 de setembro de 1857 e por
vallaria.Commuafcou-se ao Dr. chefe de polica, paqfide de diversas decisoes do governo imperial
Dito ao Dr. che) de polica.Tendo de seguir entre outras as de os. 131 de 4 de abril de 18o7 e
para a corle, em cumprimento de ordens impe- 218 de 21 de maio de 1860, que declarara nao
riaes a companhia de cavallaria desta provincia, haver incompatbildade ou suspenso de parentes-
recomraendo a V. S. a expedgo de suas ordeos co entr os membros de consolaos de gualificago
cara que regressem sta capital eora toda pres- de votantes e municipaes de recurso nao ha duvi-
teza os 2 cabos e 8 soldados da raesrna companhia da que sao regulares e firmes os trabalhos do cou-
oue foram a urna diligeocia em Goaona. | selho de qualificagao para a guarda nacional cons-
Dito ao inspector da thesouraria de fazenda. tiinido pela forma por Vmc. figurada.__
Communico a V. S. para seu conhecimento e di- Dito ao chefe interino da reparttgao das obras
receo qae o Exm. Sr. miolstro da guerra declarou publicas.-Em vista do que pondera a cmara mu-
era aviso de 22 do correle mez, que bem proce- nicipal1 do Recife no offlcio meloso por copia data-
deu esta presidencia, mandando abonar ao alteres do de 24 do corrente, sob n. 35, mande Vmc. exa-
daextincta2'linha,FeltppeJosdaExaltagoHa- minar qaaes as obras necessarias para evitar a
niva os vencimenios correspondentes ao seu posto extagnagao de aguas pluviaes as mas dos Pires
no exercito commandando cVrapanhia. e Conceigao, no bairro da Boa-Visla, e bem assim
Dito ao mesmo.-Commuoleo a V. S. para seu fazer o orgamento de taes obras
conhecimento, que de aviso do miaisterlo do m- Dito ao thesonreiro "Ag7^.^efn0,^
perio de 2 do corrente conste que fotam/ppro- que seja transferida para o_dia 7 Mjanho vindou-
vadas nao s as ajudas de casto paga aos deputa- ro,
COMANDO DAS ARMAS.
Quarlel do commando das armas de Pernambueo
na cidade do Recife, 2 de junho de 1S65.
Ordem do dia n. 74.
dos por 81? provincia, Antonio Coelho de S e Al
bnqerque, Antonio Vicente do Nascimenlo Feito
sa, Antonio Rpamlnondas de Mello, Francisco Car
(os Brando, Antonio Herculano de Souza Bandel
ra, Si I vino Cavalcante de Albuquerqae e Jos Lean-
cmo Vmc. propz em seu offlcio de hoje a
ex'traecSo da 5' parte da lotera em beneficio da
Santa Casa de Misericordia para a canalisago de
agua e gaz oo hospital Pedro II, que estava annun
ciada para o dia 6 daqnelle mez.
Dito ao bacharel Pedro Manoel Honorato da Coa
dr'o de Godoy e Vasconeellos, bem como aos depa- U.-0 governo Imperial agradecendo muiio em
tados pela de Santa Catharina Joo Silveira de aviso de 17 de abril ultimo, o ofterecimento
Souza e pela do Cear Jos Antonio de Figueiredo, que fez Vmc. para, ir servir na guerra, em que se
que aqui residem, e igualmente ao deputado pela acha empenhada e palz na. quaJIdade de capellao
Para sorllr o devido effeito declara o coronel
commandante das armas interino, que a* presiden-
cia nomeou por portara do Io do cortfcnle para
servirem provisoriamente de offlniaes no segundo
eorpo.de voluotarios da patria, que se esl organi-
sando nesta provincia, aos Srs. capitUo da guarda
nacional Jos Pereira da Silva e cadete Apoli-
nario Florentino de Albuqaerque Maranhao Sobn-
nHo para capiles, o voluntario Joaqnim Theotonio
Alves da|Silva, para alferes. O que conslou do offl-
cio da mesma presidencia daquella data.
Declara igualmente que honlem desaquartelou a
forga do 3 batalhao de infamara da> guarda na-
cional, deste municipio qae foi substituida por ou-
tra do 1 bataiho da referida arma, sob o comman-
do do Sr. major Clandino Benlcio Machado.
O comportameoto da forga desaquartelada, e a
maneira porqne fez ella o servigo da guarnigao
lbe d direito a qne o coronel commandante das
armas Ihe prodigallse seus louvords e agradeci-
mentos, que em muita parte deve cpnverler sobre
sou digno commandante o Sr. tenente-coronel Fran
cisco de Miranda Leal Seve e sua respectiva offlcia-
lidade.
(AssignadOv> os Marta Ildefonso locme da
Veiga Pessoa e Mella.
{Coalorme)Antonio Fra cuco Duarte, 2o teen
te ajudante de erdens Interino ooarregado do de
talhe.
Acliando-rae no meu leito de dr, e quem sa-
be ? lalvez de morte, e sem recursos, deparoa-me
a Providencia ama alma bemfazeja, o Sr. Antonio
Jos Duarte Coimbra, que attendendo a estas mi-
nhas tristes circumstancas, generosamente conce-
derme um beneficio no theatre, de que c erapre-
zario.
c A esta offerta de nma alma to nobre e eleva-
da, desde j rae confesso eternamente agradecido.
Porm nao bastar d certo o cavalheirismo e gen-
tileza do digno emprezario ; preciso larabem que
I os meus comprovincianos concorram neste da com
o seu obulo para soccorrer o pobre enfermo, baldo
de meios na sua hora extrema.
t E', pois, para elles que appello, para os meus
comprovincianos, sempre pr'oniptos a soccorrer
com a sua valiosa coadjuvago.
Temos para nos tambem que a obra meritoria
do digno emprezario nao ser estril; a sua bene-
ficencia fructificar no animo do nosso publico,
Por, d'onde por certo cahir sobre a penuria do enfer-
' rao o orvalho do sccorro, para arrefecer-lhe a ari-
. dez de oslantes to crues, livrando-o assim ae
1 que as dores do espirito venham fazer coro com as
j do corpo.
A Companhia de Beberibe paga o seu trigesi-
! rao quarto dividendo na razo de 3 por aego.
Tendo a veneravel contraria de Santa Rita de
Cassia oblido do actual emprezario do tbeatro de
' Sania Isabel um beneficio em favor das obras da
1 mesma igreja, pedio a sociedade philannonlca
Uniao Commercial, auxilio, prestando se esta a
tocar no salo do mesmo theatro no dia do espec-
tculo. Consta-nos que de boa mente essa Ilustre
sociedade accedeu ao convite, dando assim urna
prova inequvoca dos sedimentos uobres que ca-
racterisam os seus membros.
Pelo subdelegado do primeiro dtstriclo de
Flores, foi preso Joo Gongakes Travasso, santen-
ciado qun se evadir o anno passado da cadeia
daquella villa.
Kemeitemnos o seguate, pedindo suo pu-
blicago : -
t Srs. redactores da Revista Diana.Rogo a
Vmcs. que re dignen) de informar-me, se lcito,
n'um paiz catholico, apreseotar-se algnem, em
vestes sacerdotaes, a representar qualquer papel,
anda o mais ridiculo, na scena dos nossos ttiea-
tros ?
Acreditava que s venerando sacerdocio de Je-
ss Chrlsto s podia figurar nos actos dignos de
sua elevada misso, e nao era actos cmicos de que
nao pode deixar de resultar um certo deprecia-
mente classe sacerdotal, que j nao soffre pouco
com os desmandos de algura de seus membros 1
E uo baver no nosso theatro, quem inspec-
cione as pegas antes de seren representadas ? Oh
que bella occasiao do Sr. vigano capitular repre-
sentar contra o abuso de seren iutroduzldos as
comedias os caricatos de qu* fallo IO catholico.
Irmandade do Espirito Santo, erecta no
Manoel de Cerque.ra Mendes, Jos Moreira Pa-! ^.d'agua dos Pires,
checo, Manjel Francisco da Cruz, Francisco Go-
mes da Silva, Manoel Rodrigues, Antonio Jos de
Abreu e 1 criado! Francisco de Vasconeellos Men-'
doea e 1 escravo, Qaiteria da Silva, Jean Mce-
noeillo, Joaquim Luiz Alves Vianna, Guisenpe
Fraocesso, Fraociseo Jaciotho de Smpaio, Galdi-
no Temislocles Cabra! de Vasconeellos, Antonio
Pacheco Jos Correa Franca, Joo Baptista dos Larg0 de noa^j^
Santos, 1 cadete, 2 soldados, recrutas e i sera- da Paz
vo de Jos Duarte das Neves.
Passageiros do paUabote .brasileiro Pudftde,
sahid para o Rio de Janeiro :
Jos Bernardino de Vasconeellos Ccimbra e I
escravo, Francisco Gongalves Forte, Augusto Cesar
de S Pereira, Manoel Klonano Vlera Pessor, 6 1
escravo do bario do Livramento, e 1 dito do ca-
pilo.
Cemiteiuo publico. Obituario do da 1 de
junho de 1865.
Antonia Maria Magdalena, Pernambueo, 60 annos,
vinva, Santo Antonio ; ulcera intestinar.
Apolonia Maria da Conceigao, Pernambnco, 40 an-
nos, viuva; S, Jos; syrro no ulero.
Mara, Pernambnco, 3 das, S. Jos ; hemorrhagia.
Caes do Gymnasio..... 1:3715560
6:154480
3:956*000
Ra de S. Gongalo.... 1:4324940
Largo da Soledade..... 2:489*300 18:308*900
Bairro de S. Jos.
Largo da Ribeira...... 18:939*800
Ra Imperial (principio) 7:946909
Ra Imperial defronte
da Cabanga......... 5:021*440 31:908*140
Bairro dos Afogados.
da Paz............. 2:041*600 2:044*600
Passagem da Magdalena.
Largodo vivelro....... *
Ra entre arduas pon-_____
tes................. O
Cidade Nova de Santo
Amaro............. 1:500*000 1:500*000
RELATORIO
da companhia do Beberibe, apresentado na sesso
de 31 de maio de 1865 pelo presidente da di-
reeeO padre Anlonto da Cunba e Figueiredo.
Senhores accionistas da companhia do Beberibe.
- Quando em cumprimento ao disposto no art. 28
6 dos estatutos, tenho de fallar-vos dos negocios
desia companhia, fago-o com toda a franqueza, e
possuido da mais plena conlianga de que haveis de
tomar na devida considerago todas as medidas
tendentes ao bom desenvolvimento da empreza.
BALANQO DO ACTIVO E PASSIVO.
O balancp do activo e passivo mostra que o es-
tado lisongeiro da caixa vos pode animar a empre-
heuder aiguns mellioramentos; mas para que pos-
saes deliberar sobre qualquer assampto com pleno
conhecimento dojbctos, passarei a dar-vos os se-
guales esclanphnentos.
I CAPITAL.
O capital dRompanhia, pela razao demonstrada
em meu ultimo relatorio, monta na importancia de
536:800SOOO, representado por 10,736 aegoes a
1 As rendas dos chafarizes sobem pois
a irapertaocia de............... 113:841*980
Ora o prego da arrematag) dos permetros dos
bairros do Recife, Santo Antonio, Boa-vista, S. Jos
e Afogados foi de 75:700*000, e sea este prego da
, arrematacao accrescenlarmos 20 por cento para
despezas lucros dos arrematantes, na importan-
cia da 15:140*000, tereraos a quantia total de
90:840*000, a qual, comparada com o producto
i real dos chafarizes, d a differenga, em favor da
! companhia de 22:001*980.
Nao duvido qne o resultado deste calculo esteja
pelo mximo, e que anda se deva fazer algumas
reduegoes; mascumpre-me dizer-vos que neljeno
1 entrou o consumo da agua feito pela tripolago dos
navios, quando estes se demoram era nosso porto;
e que nao foi contemplada a aguada que fazem os
barcos de pequeo porte, ou barcagas que se em
grande numero: nemjraesmo me seria possivel in-
cluir todos os consumidores d'agua, que a recebera
em canoas ou oe qualquer outro modo que o ob-
| servador nao pode calcular.
Assim, pois, para que seja devidamente aprovei-
tada a renda da companhia, raisler que por este
exame, ou outros a que anda se possa proceder,
se permita aos arrematantes um lacro razoavel;
porm jamis convir que sa entregnem os chafa-
rizes pelo prego que at o presente se tem arre-
matado.
A concorrencia de pessoas qne se proponham a
taes arrematagdes um meio mais seguro de ob-
tenaos melhores vantagens ; porm a concurren-
cia sempre ser difficil, se nao impossivel, se con-
tinuarnos a por os chafarizes em arrematago por
freguezias ou permetros. Deveis decretar que o
50*000 cada urna.
O valor deste capital ir crescendo na razo da
importancia que forera obtendo as obras da empre-1 sejamisoladamente" quero dizer, que ainda que ca
za durante o nosso privilegio, e medidaqueo da licitante possa arrematar os que lbeconvier,
deve-se em todo o caso receber os langos de quem
A
e a medida que o
augmento do fundo de reserva e dos dividendos
fr elevando o prego das aegoes no mercado. mais 0fferecer por cada um chafariz de" per si.'afim
piuviLEGio da companhia. de qUe diversos pretendentes possam arrematar at
O privilegio de vender agua nesta cidade a 20 0 va|0r de gua fian^.
ris por balde, concedido a companhia pelas leis, e xenho ouvido a mnitas pessoas desocenpadas,
pelo contrato primitivo, que a consumi, ful de 55 alias nol)esias> e qae desejim empregar a sua ac-
annos, e alm desles, mais dous annos porcada vdade em taes emprezas dizereraque nao seapre-
tres chafarizes, o*w forera feilos por solicitagoes senlara nas arrematagdes por nao lerem fiadores
ou approvago do governo provincial. para carantia de avultada somma a que pode mon-
Neste caso, previsto pelo artigo 2o 6o da le pro- tr 0 preCo de cada permetro.
vincial n. 46 de 1837, eslao es chafarizes seguintes: |
O do caes da alfandega, do Passeio publico, roa
do Sol, caes do Capibaribe, ra do Brum, Arsenal
de Marinha, ra da Concordia e ra Imperial de-
froute da entrada da Cabanga, ordenados por por-
taras de 10 de junho e 16 de oulubro de 1854 ; os
da cidado Nova de Saoto Amaro, Rampa do Gym-
nasio, Passagem da Magdalena, considerados no
contrato celebrado entre o governo e a companhia
em 11 de junho de 1862; e o de S. Gongalo de que
trata o offlcio do mesmo governo de 19 de dozera-
A directora solllctou e foi approvada pelo mu
digno Sr. vico-presidente da provincia, Anselmo
Francisco Peretti (attendendo ascommoddades pu-
blicas, e mediante o augmento do privilegio, segun-
do o dlsposto no 6o do art. 2 da le provincial n.
46 de 14 de junho de 1837) a factura dos chafari-
zes de S. Gongalo, da Capnnga, e do Campo-Verde.
O primeiro est concluido e o sea producto esta
sendo arrecadado pelo arrematante do permetro
da Boa-Vista na conformidade do sea contrato.
A requisico dos moradores da roa das Cinco-
convento de S. Francisco, celebra amanha a festa : bro de 1864. O do largo de Nossa Senhora da Paz ponm^ e meamo Sr. vlce-presidente exigi, em offl-
do sea padroeiro, com a soleraoidade do costme, dos Afogados, e o que flea entre as duas pontes da cio ae Ode Janeiro deste anno, qoe fosse constrni-
orando ao evangelbo o Rvra. Dr. Araujo. No flra Magdalena nao gozam do augmento do privilegio, do outro chafariz em frente da igreja de Nossa se-
da festa baver distribuico de pes beotos e re- aquelle por forga do cootrato celebrado com ogo- nhora do Tergo, medlaote as vanUgens da citada
gistes do Espirito Santo. N'eutra parte vai o pro- verno, e constante do seu offlcio de 27 de setembro |
decorridos (porque ojirlvilegio coraecou do 1 de
, maio de 1848, da em que foi inaugurada a veoda
do Illm. Sr. Dr. chefe de polica, Loiz | d-agaa nesta cidade) resta-nos ainda 46 anuos, que
e Galdlno, escravo de Jos Marques, saDrao a 48, qnando concluirme* os chafarizes da
- motivo e posto logo em liber- -
do
gramma respectivo.
Hepabtiqao da polica:
Extracto da parte do dia 2 de junho de 186o.
Foram recolhidos casa de detengo ne dia 1
de junho:
A' ordem
Jos da C-az
sem declaracao
dade.
A' ordem do subdelegado de Santo Antonio, Luiz
e Manoel, escravos, este de Jos Pereira Copo e
aquello de Jos Felippe Matheus, o primeiro a re-
querimento de seu senhor, e o ultimo por fgido.
O chefe da 2* secgao.
/. 6. de Mesquita.
Movimento do hospital de Nossa Senhora da
Cop.ceigo dos Lazaros, de 1 ao ultimo de maio de
1^65 :
1 Existiam 9 homens e I* mulheres.Total 23.
de 1862; e este porque a sua constraccao nao foi
reclamada pelo mesmo governo
Por falte de canos, que chegaram ha poucos das,
eonn,7nrimeirrs,,,oo1s,eeUvam o nosso orivile- nao P^6 levar a effelt0 a "nslrucgo destes nl-
ioa ffann doTquE'delSLosTsl/anuos J ^ffS5^ ^^ ^ ^
As pmnas d'agua contratadas neste semestre, nao
obstante a difflcnldade que a administraglo punha
em concede-las, em consequencia do escasseamento
rZnnas^CaTM"^ da cidade' chegaram a
2S? d'o TerCgoTuSS SrX o^veV- ^OSgl Brum^WodStltesTs-
no de 21 de dezembro de imI 6 20 de Janeiro des- PamY0^^^ SSSTi^
Pequera sabe aprecar os valiosos servigos ^J^Z^A S^^J
pre.tados pela companhia a populagao desta cida- Pvos amatenw-A ua j0"!,^
de; para quera ^r^tT,ClliZJcef 55K U^SSl^i^SS&
que ella vai iromovendo m \h*"n^8 "f"8" da companhia do 1 de jolho prximo futuro em
_______ ----- ; UiaUaOlcS.
() Aiada nao foram observadas. i Para o semestre Ando arrecadou-se a Importan-

\
%
1LE3VEL]


t
;
V
Diarlo de rernaiftlmeo abbado 3 de Junho de 18G5
ca de 9:649^6?t,
cando anda por
1:4011.
Inclasive dbitos atracados, fl-' ee de 3-de Janeiro tritln,- a conveniente medida
arrecadar a quanlia de...... de se estabelecerera registros nos encanaroentos, Capital.
|o.u bcam mais distantes dos chafadles, atim de fa- Por 10,736 apolices
a aammstracao resolva nao mandar recebar e citar o emprego das bombas. a 505000
producto d peooa adagua do quartel do Hospicio, I Mas nao podendo a directora fazer despezas des-! Fundo de reserva,
era quanto ali estiverem aquartellados os batalhSes ta ordem, sem que sejam decretadas pela assembla Pelo que se acha li-
de Voluntarlos da Patria e para que esta medida geral dos accionistas, responden em data de 18 do; qaldado as se-
possa ter a devida execucao, sujeito-a vossa ap- referido mer, que este negocio sena levado ao vosso guintes especies a
rovacio. coobecimento, e cumpre que sobre elle tomis al- saber :
Acha-se assipiado no livn competente e com as guma resoluco. Em 81 apolices da
clausulas convenientes o termo da crncessao de 90 O subdito inglez Henry Law, mandou por nter- companhia. .
baldes d'agaa, que em vossa ultima reunlo con- modio do corrector Patchett,apresentar a directora 5-2634871
cedestes diaria e gratuitamente para o uso dos po- urna proposta em que pretende comprabas obras e Em di-
eres do gTande hospital Pedro II. o privilegio da companhia para que levando agna nheiro 9295053
Sobre a mesaacha-seumolflcio pelo qual a Illma. ao nivel de todos os andares, possa executar um
Junta da Santa Gasa de Misericordia vos agradece, systema perfeito deesgolo.
era termo? os mais benvolos, este a CRDITO
536:8000000
---------------- 6:1945924
com que ornastes a prestimosa empreza da compa-
nhia do Beberlbe.
Dividendos de se-
mestres anteriores.
urna commissao composta dos dignos accionittas,o Pelas qno existem a
Era meu precedente relatorio. proiuz que se de-
iam suspender as concessocs de p-nnas d'agua,
viam
pagar.
Lucros s perdas.
Pelo liquido que se
applica ao actual
dividendo........
32:2085003
Por dito
dito as
despe-
ras do
segra-
te se-
mestre 17:779*857
3:3495600
49:9874857 596:3325381
maio de 1865.
cornmendador Joao Goncalves da Silva, Joao Igna
ci de Medeiros Reg, Dr. Jos Eustaquio Ferreira
, Jacobina, e cornmendador Thomaz ate que, concluidas as obras projetjaldas, se tenha seca, os quaes foram de parecer, como veris dos
na cidade ura volunte d'agua sufflclnie a' ser dis- documentos presentes, que tal proposta nlo podia
tribuida com quera o quizer, sem pr juizo dos con-. wr acceita, visto que nem mesmo a assembla ge*
tratos existentes ral dos accionistas, que s tem poderes administra-
se o levaotamento do acude nio d|5r o resultado Mvos, poderi decretar a transferencia do direito
que se espera, o que brevemente se verificar, per-, de proprledaoe da companhia.
sisto em murria opinio, e jolgo do mw dever lem- j Conformando-me com esta opinio, direi mais '
brar-vos a adopcao dessa medida qa deve vigorar que eu em caso algum dara o raen voto para alie-
somente al a conclusao da caixa d/agaa que se; nar de nos urna das emprezas nacionaes, que mais
tem de construir no bairro de Santo Antonio. felizes resultados nos tem dado. Para promover \
No verao desle anno a escassez d'agua, que se nella todos os melhoramentos e despertar entre n".l
manifestou por diversosramaes echaifarizes.foi lao!o gosto para as associaces desta ordem, podis'
frequeiRe que me vi aturdido ec-m repetidas recia-! ctratar com o meu fraeoapoio.
maedes, e fui obrlgado a mandar parkr com a lim- j Existe sobre a mesa outra proposta do portugoezj, o escriptararo
pera dos esgotos, para que, nao perliendo-se urna Antonio Ignacio Heitor,. offerecendo-se a encarre-'| Marcoimo Jos Pune
guia d agua encanada, fosse augmentado o suppri-, gar-se exclusivamente das obras de pennas d'agua' Orcamento da recata e despeza da Companhia do
ment da caixa da ra dos Pires, qu, detxando de para realisar nellas m systema de registros de saa
ncher na forma do cosime, consjervava-se em invencao (que nao declara qual seja) pelo qual far
meio. urna exacta dislribuico das aguas.
Contribulo fambem par essa falta a imperfeicao A miaha opinio oou expendida, quando trate
das obras e dos registros das pennas particulares, da conveniencia le tomar a companhia a si a fac-'
onde se v correr agua em moito maibr volume do; tura de taes obras, e accrescentarei que nao deve- Saldo da caixa em 1
que a contratada, semmdo so verifico no exame a mos expor este ramo de servico que tanto interessa' de maio de 1865
que se procedeu na Passagem da Magdalena, o que; a -quasi todos os proprietarios desta cidade, a algu- Rendimenio dos cha-
acontece rom quasi todos os ramaes, de alguns que cerrem menos por se acharem obs- queira aproveiiar em prejuizo da populacao. Po- Dito de pennas d'a-
truidos. der a companhia admittir os registros da invencSo goa....
Os artuaes registros por meio de chapas, alm desse artista, se merecerom ser preferidos aos at\ Dito que ficaram'por
de seren pesstmos, facilitan] immensbs abusos, e j hoje conhecidos ; mas nunca entregando-lbe a'
para evtalos devem quanto antes ser, substituidos construccao exclusiva das mencionadas pennas de
por outros, ou r.a falta, convm transfferi-los para '
urna caixa de metal, collocada ne deposito, e fecha-
da por cadeados de chave ou lertras (como ja' man
e que se extingue n'um s Instante; Como
a vida, a felicidad^ urna barca fatal que no con-
duz a eterno exilio. Aquella guia-nos a campa e
esto, ttendo-nos crer na lei da fataldade, leva-nos
a degraea I Entretanto, o pobre e misero ser hu-
, mano busca a ventura como Tntalo procura va sa-
i ciar a saa sede devoradora na fente, cujas aguas
crysttltais agiam ao contacto dos seos labios,
con o viajor, percorreodo ai plagas ardentes da
Lybia deserto, deseja chegar ao termo da sua loo-
ga Jornada, como o homem da scencia dominado
pela sede de saber, se dirige s regides de pensa-
mento, procurando penetrar os arcanos da razo I
Nesta vida o homem nao mais do que um ente
sem vontade propra e que se deixa levar pelo de-
do da Providencia i como o automato segae a li-
nba que o dirige I
Que importa que o hornera tenha crencas planta-
das no mais recndito do seu coraco, se elle est
sujeito terrivel lei da solidariedade TI
Crendo-se na terna amizade de nm pai, no amor
extremoso de urna mal, na sincera affeiclo de orna
esposa e na dedicacao innocente de um lho, pjder-
se-ha dzer que a felicidade nos tem prodigalisado
os seus sorrisos t '
centeftar-me, o seu silencio i un testemunho do m\a de N*rih ii ni,hiiM^ m
toe digo, mas se acha isso repnwunte; or favor Z^J^^lEr^0,*0
a rolo ha cor-
S qKo'u em e ro Por qTSJK f'arei S ^ MS* ^^f-^T^
. Pubcacao ^Leu*Sq^^^^^^
meu poderj
Recife, 1 de junho de 1885.
Andr de Abren Porto.
fectuar prisdes no de Ttmbauba.
Em refuta$aode semelhante intriga, aprsente
os dous seguintes docomentos, om do proprio Sr.
Manoel Gomes, subdelegado de TTmbanba, e invo-
Itdade da Victoria, 27 de nato de 1885. cado na tal correspondencia, e airo do Sr. sabde-
Srs. redactores.Obrigado pila oppresso exer-, ,egdo de Croangy, testerannbo iwuspeito, era vis-
citada contra mim pelo Sr. alferes, commandante la que elle mesmo diz em conuco,
interino da 7' companhia do batalhao n. 23 da' E|S como se engendran) castalios areos: eis eo-
guarda nacional Jos Ignacio de Mello, lauco ralo mo pbaiitaslam factos culposos para me imputa-
da penna para singelaraente patentear ao respelta-, reni > m&s que, raerc de Deu, sao de prompt
vel publico as iojusticas comigo praticadas pelo cabalmente refutados.
Sr. alferes Mello. Do mesmo modo hei de demonstrar e provar ser
Nao tendo eu sido chamado para servico algum ft.,">, mil vezes falso ter etrentretnlo relacoes ilu-
da minha companhia a tres para quatro mezes ri,as con- a mulher de Salvador Cleraeulino da
alm de um destacamenlo, para o qual substitu Cosa.
Recife, 19 de maio de 1865.
Manoel Jos de Olwctra Reg.
Illm. Sr. Manoel Gomes Cavalcanti.-Tendo dito
da I Ser venturoso qnera vive no Incerto, temen-
do o certo 71 Se sto se chama felicidade, nao se
o que seja a desgrana I
Assim, contemplando os caracteres negros que
annunciam o generoso, magnnimo e sublime pen-
SCE da ^Pinina de Bebaribe, 26 de sanMBU) de s" Jos Antonio Duarte Coimbra.d.g
A saber
nBCElTA
5i:2664ol0
38:2865000
9:8075532
outro em meu lugar, quando commandante da
mesma o Sr. lente Joao Antonio de Hollanda Ca-
valcanti ; e estando em tranquilla paz no engenho
j Rede, do qual sou consenhor e rendeiro ; eis que Diario de Pernambuco de hoje em urna corres-
Nao ; por que somos humanos; roe oi ''nada urna ordem do Sr. alferes Mello,' pondencia assignada por-o Iniraigo do vicioque
porque ha um ente poderoso que nos domina cons- para ""ecolher-me ao calabouco na cidade da Vio- eD1 uma "ella noile de fesla, do lugar denominado
tantemente ; por qoe, alm desta, ha uma outra vi- tor,a> e 'Riorando a causa de minba prisao, procu- Mocos, rae prestara a ser cabo de polica, effeetuan-
rei sabe-la, e entao sou informado, que por falta de do Pr'*6es em distnctos de Timbauba, nao obsun-
comparecimento a ama revista. haver netiUcado a tropa ho dlstricto de Croan-
Nao tondo, porm, sido avisado por inferior al- Rv: accrescenundo a dita correspondencia :este
gam para revist, ou de companhia, ou de bata- acl melhor o poder dizer o Sr. Manoel Gomes,
lao, e sendo por isto injusta esta ordem, recorr ao subdelegado que foi em Timnauba: dirljo-me a V.
commandosuperior, e entrando esteno conheci- S. que o subdelegado allodido, rogandolhe que-
no eraprezano do theatro de Santa Isabel de c'once-'raeDt0 do racU>'nouve Pr oem suspende la. j a bem da verdade digne-se declarar-me ao p des-
der um beneficio em favor do Sr. Bessoni de Al-' l*10 feit0> e teQdo i ir a v"a da Escada tratar ila (lue sabe a respeito de tal facto, e se a'gura*
' do inventario de meu sogro o Uado Joao Coelho VM ni v' ahi envolver-rae rom a accao da polica
da Silvelra, e concluido este, cidade de Caruar ie audar effecluando prisdes etc., permitlindo tam-
ver meu pai o Sr. Joao Ferreira Tabora, que all i DC[n V. S. que eu faga de sna resposta o uso que
se achava doente, requer uma licengaao comman mi convler.
do superior, a qual me foi concedida. Sou com toda estima, de V. S. atiento venerador
Mandei, pois, apresenta-la ao Sr. tenente-coro
nel commandante do batalhao, e juntamente ao Sr.
alferes Mello, commandante da companhia.
Entretanto, porm, no commando interino do ba-
talhao o Sr. capitao Jos Thomaz Goncalves do Ro- j
sario, nao sabis, o que fez o Sr. alferes Mello ?
Eu vos passo a contar.
meida, desconheco-me; ousado duvidar de r
ca preten(
Com ludo, o meu pensamento
bebenbe, fara "^,lr ito l~ m^aM ZZ mcerca TomfK t ?"*? de S*
JJJgn, de 1865 |. do anno flnanceiro da com. j %^IZ^ fSSASS, SaTmt
agua.
REFORMA DOS ESTATUT,OS.
Ha vendo o governo imperial por decreto n. 3,376
dei praticar na fortaleza do Brem) de! modo qse o de 14 de Janeiro deste auno, suspendido at ulte-
registro possa ser examinado fcilmente pelo em- rlor resoluco os estatutos desta companhia s-
pregadodeconfiaoca da companhia, que dver' ser mente na parte relativa as regras para a reforma
o nico possnfdor das chaves, e o proprietario ou dos mesmos, d-vos agora poderes para altera-los
morador de predio o responsavel pela conservado sem dependencia das formalidades exigidas, e mar-
do registre, sem que possa dizer que Ignora qoem ca o praso de 6 raezes, contados da data do citado
pagar
fiudo..
o semestre
ginajao se encaraioha s regios da phantasia.
; Pensando na materia, fallando do corpo, nao posso
esquecer-me do espirito nem olvidar a alma! Cren-
do n uma s verdade, erando em Dos, tenho obe-
decido a lei que me imposta pela religfto 1 E'
j de Dos que emanam as outras verdades. E' n'elle
que a virtude, a innocencia, a honra, a probidade
e o amor vao encontrar a sua origem. Dos a
fonte rara e crystalina-^nde a humanidade intei-
ra vai beber todas as suaMnils pias crencas. E'
do Senhor Omnipotente qbe parte a triste convic
e criado.-Manoel las de Oliveira Reno.
Recife, 10 de maio de 1865.
Illm. Sr. Manoel Jos de Oliveira Reg.Li saa
presente carta, a qual passo a responder:
No dia 5 de dezembro passado, estando no exer-
cicio desta subdelegicia, recebi um offlcio do sob-
delegado do districto de Cfuangy do theor seguin-
Este senhor despeijadamenle ofBciou aoSr. capi- te :Subdelegacia de Cruangy, 5 de dezembro de
t5o Goncalves do Rosario, o qual ignorava, quauto 1864.illm. Sr.Hoje pelas 2 horas da mariru-
se havia passado, inventando quanto Ihe veo a ca- 8ada prend, na estrada de Mocos, dessa subdele-
l-iniHAOI SQ.tQIS' ------- ui|/uiouio l|UO palie a iriSie COnVIC- 7 ---------------------.....~-v. .|uUu ihd u a ua- -~t -- -- o 'U*U!, ucim auuucic-
i.wi^dvi **" cao que se acha gravada em o nosso animo, do t,e!a. smente com o fim de opprimir-me, e taes gacia, a Antonio Bernardo Coutinho e a Henrique
Folhas dos dividen-
dos de semestres
anteriores ....
Dita do 34 dividen-
do a 3:'03 por
a ceo
DESPEZA.
103:7615733
o arrebentara, allegando qne nao pode responder; decreto, para a companhia submette-los a suaap- Vencimento do
por um registro que fica na roa ou fra do seu "
predio.
Pens qne soment-* poneremos corrigir estes de-
feitos e regular a boa construccao das obras das
provagao
Foi nomeada uma commissao composta dos Srs.
commendadores Joao Goncalves da Silva, Thomaz
de Aqnrao Fonseca, e Drs. Joao Jos Pinto Jnior,
pennas (Tsgua, tomando as a companhia sobre si,' e Jos Eustaquio Ferreira Jacobina, para forraua-
comopratica a companhia do gaz; ainda que para; rera o projecto de reforma. O trabalho que'por
' elles vos ser apresenlado ha de corresponder a
da pintura dos chafa-
pegas de ferro na fun-
estas e eutras obras a companhia seja ebrlgada a
contratar om engenheiro, quando o exigir a impor-
tancia deltas. Pioponho-vos esta medida, como uma
das mats urgentes.
Quando obtivermos estes melrioramentos, e agua
com abundancia na cidade, devemos promover a
multiplicidade de pennas d'agua, e at esta' nos in-
teresses da companhia faciltalas offerecendo me-
lliores vantagens a qnem consumir diariamente
para cima de trima baldes, poT exemplo ; porque
deste modo, augmentando consderavelmente as
rendas da empreza, offerece a' populag cammo-
dos que Ihe faltam pela penuria de bracos.
OBIAS E REPAROS.
Desta verba dispendeu-se, durante b semestre
lindo, a quanlia total de 2:3865260, qaa foi distri-
buida tifia maneira seguinte :
5945320 com a construccao do chafariz de S.
Gnncal.
1145800 com a do chafariz entre a. dnas pontes
da Passagem da Magdalena.
385940 com o levantamento do acude do Prata,
cuja obra ainda esla' em andamento.'
1785640 com o concert de tornaras e bicas dos
chafarizes.
565BO0 com a conclusao
rizes.
4195440 com diversas
digao.
E 4195400 com diversas despezas fei:as em todo
o oncanamento do campo e da cidade.
Alm de-tas despezas, a administrar;. yolou em
sua penltima reunio uma gralifiraejio de]S005000
para o engenheiro Gervasio Hodr-igues Campello,
que com a melhor vontade s- tem prestado a exa-
minar as obras do acude, e os terrenos que se pre-
tendem comprar para a caixa d'agua ; e outra de
KW5000 para o administrador das ob;-as da cidade,
pelo excesso de trabalho que leve qoando dirigi s
^ construccao dos chafarizes da ra do Sol, La ponte
-4a Magdalena e S. Goncalo.
E^tas duas parcellas cao entraram as conlas de
detnens deste semestre, pirque oram votadas de-
pois de encerradas ditas contas.
Nao obstante as diligencias empregadas pela di-
rectora para comprar o terreno necessario para a
obra da caixa d'agua que se tem de construir, nao
se fde ainda concluir este negocio, porque dos di-
versos solos examinados pelo engenheiro, somente
um llie pareceu buig, mas a directora nao se quiz
sujeilar a contrata lo pelo prego exagerado que foi
pedido pelo proprietario.
Nao havendo precipitacao, poder-se ha obter o
terreno necessario pelo preco de doze mil ris o
palmoe at por menos.
O levaotamento do acude lieou com aterro de
1,300 palmus de comprimento, e cerca de 3 de al-
tura sabr 10 de largura. O, muros esto levanta-
dos e rebocado com cimento na altura de 4 pal-
mos. A eaixa est na altura do resnaldn. falta o
reboco, assentac as grades, e a porta d'agua ; as-
sim como aperfecoar o aterro as extremidades
dos lados em que elle encost no terreno mais
alto.
FUNDO DE RESERVA.
A importancia at hoje arrecadada para o fundo
de reserva monta na quanlia de 6:1995924, a.sa-
ber : o:265'5871 empregado em acedes, sendo des-
tas 13 compradas durante o presente semestre pelo
preco de 685000, cada uma, e em dinheiro a quan-
tia de 9295053, incluindo-se nesta os dividendos '
das acro.'s j reeebidas.
O governo imperial altondendo a vossa represen-
tacao de 13 de Janeiro de 1864, pedindo a substi-
tuico do arl. 40 dos estatutos que trata do fundo
da reserva, deterrainou por decreto n. 3,376 deste
auno a reforma dos mesmos estatutos, ffaan re-
forma podereis adoptar as medidas que julgardes
convenientes a formacao do fundo de reserva.
DBSPE8AS wniiainwi
A importancia de 14:4485907 que no balanco
passado ficou em caixa sob este titulo, renden at o
ultimo de margo flndo a quanlia de 2105813 (re
razo de 5 por /o) em mo do nosso digno caixa,
qae deixon de p-la no Novo Banco porque naquel-
la data, este estebelecimento paga va smente 4 por
%; porm no Io de abril prximo passado f.ki re-
colhida ao banco inglez rendendo os joros de 7 por
% ao anno.
Como podis ver do presente balanco o fundo
dosponivel para as despezas eventuaes subi ai....
l":778o7, nao obstante se ter sapeado 4:005
para Londres e termos tido acerescimo de despiezas
com as obras.
es-
eriptono da com-
panhia .....
Dito dos administra-
dores das obra
Jurnaes dos traba-
jadores emprega-
dos na limpeza do
acude e encana-
mente fra da ci-
dade ......
Porcentagem do cai-
xa .......
Dita para o cobrador
das pennas d'agua
sua esclarecida experiencia, e facilitar a prorapta
redueco desta reforma.
COKOLCSAO.
Nao devo terminar este imperfeito trabalho sem
recommendar a vossagratidaoos relevantes servicos
prestados a companhia pelos meus dignos collegs
da adminlstraco, cabendo-me-apenas pedir-vos .
desculpa das innmeras faltas, que por mim foram ; Aluguel do escripto-
commetlidas no exercicio do logar que vos dignas-'
tes con(iar-me, Devo, porm, assegurar-vos que,
se para o desempenho de meus deveres rae faltou
a necessaria experieucia, sobrou-me o tnaior desejo
de satisfazer a vossa expectativa.
Sala das sess3es da companhia de Beberibe, 31
de maio de 1865.
Padre Antonio da Cunha e Figueiredo.
Illms. Srs. accionistas da companhia de Beberibe.
A commissao fiscal da companhia examinando a
escriptuiacao do ultimo semestre do Io de novem-
bro do anno proximq^passado a 30 de abril do cor-
rente encontrou-a em dia e com arceio e clareza,
apresentando por balanco os saldos das uiversas
verbas que constnuem o activo e passivj na Com-
panhia.
A commissao entende que se devem approvar as
contas apresentadas pela direccao, a qual por seu
zelo Ihe parece digna de um voto de agradce-
me nto.
rio
Expediente e asseio
do mesmo. .
Reparos e obras em
andamento. .
Fundo de reserva...
Despezas eventuaes
3:3495600
32:2085000
6005000
1:3505000
4505000
738,5794
1925833
1805000
151)5000
2:00050 K>
1:0005000
17:7795857
Altlssimo que surge esse- negro phantsma que se gr.itos Procurou, que obleve ordem de prisao contra de Souza Lima, pelo molido qoe passo a expor.'
abraca a' nossa existencia I A morte essa verda-1 mira' eitantl alias cm licenga concedida pelo. Havendo eu prohibido soltar buscaps, e fogos
de dolorosa que preoecupa o nosso espirito, obede-'commanilantesuPerior- sollos na festivdado de Mocos, aquellos presos
cendo a' vontade infinita e eterna, esta' prestes a : 0lllida' Pis> essa ordem subrepticiamente pelas quando estavam solios emblrraram a nao soltar fo-
descarregar o seu golpe fatal sobre a fronte do Sr inVe noras da nutedo da 18 desle mez, o Sr. al- fte a'um em razao de um ser noiteiro, e oolro
Bessoni de Almeida 'ores Mello a Trente de uma patrulha armada pz ; factor do fogo; e retiram-se para a estrada de Mo-
Pobre moco I j em cerco a minha residencia no engenho Rede, e I c, districto de V. S., e ah soltaram o fogo para
Hontem cheio de vida e de lisongeiras esperan-' Inl'mi-me a ordem de prisao obtida do Sr. capi-! fe fazerem acintes, e quando retirarara-se de Mo-
ca nunca menos de seis leguas.
Entao iz ver ao Sr. Mello, que eu nao era. um
facioora para ser assim tratado ; que me era as-
ss penoso sahir naquella hora de minha casa sem
que prevenisse sobre os negocios domsticos ; que
obedeca a prisao, mas que. somente ao amanhecer
do dia seguinte poderia apreseniar-me ao sen quar-
l tel para receber suas ordens : felizmente anuuio
o Sr. Mello.
59:9995104
43:7625629
Juventude infeliz I
Gemendo no seu leito de dr, estende a sua mo
descarnada pelo soffrimento e pela proximidade da
morte e olha submisso e envergonbado para as suas
antigs affelcoes, supplieandolhe um fraco bolo
para proloDgar os seus dias de existencia ou im-
plorando-lhes a fra lonsa de um turnlo para
pousar a sua fronte abatida cruelmente pela
ventura, irm gemea da ratalidade I
Lm homem separa-se do grupo que o cerrava e De feil cmPri mio'ia palavra, dirigindome ao
ellerecendo-lhe a sua mo de amigo sincero e dedi- i enSenho Quawds, de que rendeiro o Sr. Mello,
cado, propoiciona-lhe um meio fcil de obter o que e ahi cn(,gando, entregou-me uma parte offteial
pretende 1 O Sr. Duarle Coimbra teve a feliz lera- Para Sr- caPtao Goncalves do Rosario,
branga de conceder-lhe um beuefieio. E' necasa-' Ar,tes, porm, de ir a casa deste, dingi-me ao
rio, porm, que o publico e, especialmente, os ami- slUo Linda flor do Sr. coronel Jos Cavalcanti Per-
gos do Sr. Bessoni, se dignem de concorrer cora raz de ArauJ,:>. commandante superior interino, a
seu fraco contingente para o feliz xito dos desejos i ^uem narre' 'do o occorrido, e depois de servir-
do Sr. Coimbra I me com a sua atlenco cosiumada, entregou-me
O beneficiado, ninguem ingnora, uma intelli- um offlcio para o Sr.capito Goncalves do Rosa-
imento
me em
Escriptono da companhia de Beberibe, 26 de
malo de 1863.
Joao Ignacio de Medeiros Reg
Luiz Antonio Vieira.
Jos Rircs Fcrriira.
Demonstrarlo do mocimento da caixa da compa-
nhia do Beberibe no semestre findo, do Io de no-
vembro de 1864 a 30 de abril de 1865
A saber :
DEBITO.
Por saldo em caixa
em 1 de novembro
de 1864..... 51:2035892
Pelo que se receben
dos arrematantes
dos chafarizes e
bicas d'agua. 38:0995994
dem dito das peonas
contratadas com
diversos..... 9:6425631
dem de juros de 5
por cont em 4
mezes sobre a
quanlia de........
14:4485907 2*05815
dem dito nos divi-
dendos 32 e 33*
das aeces perten-
centes a o fundo de
reserva..... 3545C00 48:3375480
99:5415372
Escritorio da Companhia do Beberibe, 26 de
maio de 1865.
O director
Padre Antonio da Cunha e Figueiredo
Vice-director
Justino Percira de Fanas.
O caixa
Thomaz de Aqumo Fonseca.
Secretario
Dr. Jos Eustaquio Ferreira Jacobina.
Manoel Custodio P. Soares.
Dr. Joao Jos Pinto Jnior.
Jos Pereira Vianna.
Domingos Antunes Villaca.<
Dr. Jo.' Bernardo G. Aleo,
engenho Sirigi a Norberte de tal, morador, que foi
em Queiraadas:
Dees guarde a V. S.Ilm. Sr. Manoel Gomes
Cavalcanle, subdelega lo de Timbauba.O subde-
legado, Antonio de Albuquerque Montenegro.
E na mesma occasiao recebi orna carta de V.
Rvma. pedindo a sultura de Antonio Bernardo Cou-
tinho, pelo que se v que nao teve V. Rvma. parte
alguma em taes prisSes, e que o anlor de seme-
Itiante correspondencia, outro fim nao procurou
senao desmoralisar a V. Rvma. com calumnias
mesquinhas, (oque nao pode fazer por que V.
Rvma bem conheci lo oestes e outros lugares). E'
o que tenho a dizer a V. Rvma., podendo V. Rvma.
servirse desta minha resposta para o qae bem lne
aprouver.
Son de V. Rvma. amigo atiento e respeitador
Manoel Gomes Cavalcanti.
Salgado, 15 de maio de 1865.
(Esi sellada e reconhecida.
I'lm. Sr. Antonio de Albuquerque MoDte Negro.
Principlarei agradecendo-lhe o testemunho que
deu V. s. em meu favor assignando am protesto,
que "diversos habitantes desse lugar publicaran!
cedido na sua pretenco. Filho dest Terra" abeo- mo eu soa do en?enn"o Rede ; se, como parece- e,n '"eu abono. Como V. S. exerce o lugar de
?oada por Dos, descendente de uma familia pobre irne tem menor fabrico que eu, se meu igual e subdelegado em Cruangy. sou a rogar-lhe, que a
verdade ; mas virtuosa e na virtude que esta' i meu pa^ute, anda que em grao remoto; nao teve "'" da verdade dgne-se declarar-me ao pe desta
a verdadeira nobreza ; dotado de excellentes ouali-l repugnancia alguma para tratar-me tao grosseira-; se alguma vez me vio, ou constou-lhe eu andasse
.(Y-Tfumi K*50 car,dosa e philantroplca" dos seus patrci>s.' Ura> se Sr- alferes Jos Ignacio de Mello, con-
"./oi#/jj Motivos diversos Ihe do o direito de ser bem suc- senhor e rendeiro do engenho Quamliw, assim co-
crer na bene-
caridade e da phi-
:a.'
ofbtett.
JiOVO BASCO DE PEILNJUIBCCO.
Ha I anco le do i\ovo Baico de Pernambuco cm 31 de
maio de 186S.
ACTIVO-
Apolices da divida publica........ 708:6725481
dades, nunca mercadejou a sua
nopolison com a sua dignidade,
xeza de rir-se dos pobres de espirito ; nunca zom-
bou da posicao crilica da viuvez, nem desdenhou
jamis orrisero orphSo I
I Oh 1 sao ttulos estes que o fazem
fica e salvadora existencia da
j lantropia I
N'uma palavra, o Sr. Bessoni caminha descalco
sobre a senda espinhosa que o conduz ao termo da
. sua romagem ; vive soffrendo, como o cvsne morre
cantando.
Soffrendo empre, elle ri-se para o mundo....
Que nr I
E' um sorriso que, longe de traduzir
de excellentes quali-1 repu^oancia alguma para tratar-me tao grosseira-;se alguma vez 1
1 honra nunca mo-' meBle : Que diremos dos pobres guardas naci- a notificar tropa
; nunca teve a ba- i naes e de 1uan,us esto abaixo do Sr. alferes ella andasse com*
em distado de Cruangy, e com
como cabo de polica a effectuar pri-
Mello ? i soes em districto de Timbauba.
Pur esta simples exposicao sem atavios orate-1 Permuta V. S. que eu faja de sua resposta o uso
ros, e a todos pre.ceplivel, poJer o respeitavel pu-. 1ue me conver.
blico de toda esta provincia aquilatar bem o loque j Sou com estima e considerarlo de V. S. multo
do Sr. alferes Jos Ignacio de Mello. respeitador obrlgado e criado.
EJCOMHENDAS.
As eacommendas feitas para Londres, de qu fiz
meneao em meu predito relatorio, j foram silis-
feilas; e para sea pagamento se abri um saque
de 330 libras ao camote de 27 e 1/2 d. na 'miior-
taacta de 4:8005-
Fez-se, porm, outra encommenda de 300 cannog
de ferro de 6 poilegadas de dimetro para os novos
chafarizes pro;ectados.
TIU.NSFERENCIAS PE ACCES.
Dnrant o semestre fiado foram lavrade? 17 i.t-
rnos, pelos quaes se transferiram 163 acedes. O
seu pre^o reguloa de 655uO0 a 685000 cada
uma.
Da relacao junta conhecereis as actuaos accio-
nistas.
Pelo qae se despen-
deu com o se-
guinte :
Reparos do acode e
outros lugares. .
Ordenado do escrip-
torio ......
Dito dos administra-
dores das obras
Fcdha dos conserva-
dores do acude. .
Impresses diversas
Expediente e asseio
do escriptorio .
Aluguel do escrip-
torio ......
Porcentagem da cai-
xa .......
Dita do cobrador das
pennas d'agua .
compra de 12 apoli-
ces da companhia
por conta do fondo
de reserva .
Remessa de 550 S
para Londres .
Impostos do escrip-
torio da compa-
nhia ......
'd-
CJIEDITO.
2:5865*60.
600500v
1:3305000
4055320
191*280
15050O0
1805000
7385794
1925833
Ksirada de ferro de Pedro II.
Fsirj.la de ferro da Babia.
Deposito......
Joias depositadas. .
Ttulos depositados. .
Letras depositadas. .
Letras caucionadas .
Letras descontadas .
Letras receber .
Letras protestadas .
Banco da Baha N/C .
Remess.-is.....
Aluguel de casa ,
Foriiecimenio ,
Juros......................
Despezas geraes. ....
Caixi...................
160:0005000
131:0745706
72:0005000
5:7355280'
60:9885930
7:3555730 I
10:3305000
1:430:1755542;
53:1745109
207:2685150
217:8095125
4
755000
5:0005000
4:2445'32
alegra, symbolisa dr e eterno pezar
Vivo um mytho; morte se
bolo I
Recife, 23 de maio.
prazer e
sera' um sym-
Rogo-lhes, Srs. redactores, que se dignem de
dar ao prelo estas toscas liabas do seu leitor
Joao Ferreira Tabora Jnior.
jjMjjJl".1 *?lj ''" JMgjja.-wag<;a*?:^afcia
G
Res.... 3,926:7295225
8865005
4:
Pagamento do 33
videndo.....
Dito de ditos anda
nao pagos. .
Por saldo em caixa
que passa para o
segainte semestre
4345900 12:3345412
32:9405450
29:76
3:1745450
54:2665540
PASSIVO.
Capital..........2,000:0005000
Em circula-
co..... 703:1505
Em caixa.. 8305
704:0005000
72:0005000
Depsitos da direccao ....
Letras por dinheiro recebido a
juros .......................... 146:6995000
Contas correntes com juros .
Coritas corren tes simples..........
Fundo de reserva......
Ttulos em caugo.....
Knowles & Foster, ('e Lonlres.l
Banco da Baha S/C .
Francisco de Figueiredo & C, do
Rio de Janeiro................
Saques.........................
Massas fallidas cargo do Banco.
Dividendos. .......
Premios de saques e remessas. .
Descoulos......,.................
Srs. redaclores.C) Como disse em minha ultima
correspondencia, requer ao Sr. presidente da pro-
vincia veslorla no aterro da ra do Lima, afim de
se verificar se elle, est felo de aecrdo com o per-
fil longitudinal, a quantidade do orcamento e nu-
'S-7s mero de ,,ra5as de embarrearaento substituido por
t'-^fiMa 1 cali,''a' E S- Exc-se d'Snou despachar favoravel-
> mente a minha petico em data de 15 de maio, fa-
zendo expedir as precisas ordens.
Infelizmente at hoje ainda no se pode fazer o
1 exame requerido, por que d'eulre os engenheiros
\ Borneados por s. Exc. um s nao se presiou a exa-
minar a obra, sendo que ltimamente foram no-
meados mais dous, segundo me consta, que Bao
sei se se encarre*arao de to penivel traballr.
A continuarem as recusaces como vao. fico sem
prova provada de poder convencer ao Sr. Dr. Fei-
, tosa filho, que o referido aterro est feito de confor-
I midade com o orcamento perfil longitudinal, que
reeebi da thesouraria no acto de contratar a feitu-
ra da obra.
Emquanto porm sto se d, sou informado que !
a copia daquelle orcamento conferida pelo Sr. An-
tonie Ferreira da Annunciaco, quest alterada
nao fallando esla em abahulameoto que consta do
16-U4-o,-0 Hvro das obras publicas. Mas eu nada tenho que
H7-'27fi=o vr com sso' nma vez que como airematante tive
7 :07ttqfiOide filzer aobra Pela c0Pia e na Pelo livro
1SS270 Pode ser que nao seja exacta aquella informa-1
iRi-ftftfiAwn; ao> 8 at me inclQo a crer que assim O Sr.
ot.oootwo,) Anll)n,0 Ferreira da Annunciagao pessoa de mui-
6-3705440! _-f!e '?,capaz de .dlzer P.r sua le.tra Que a copia
Srs. redactores.-tava reservado para a assem-
bla iirovincial que acaba de encerrar seus traba-
Idos mais ura acto de justlca, honra seja feita a
maioria dessa assembla q\xi por elle volou.
Arrematei no auno de 18-48 a arrecadaco dos
dizimos do gado de crear o imposto de consumo de
25300 reis, por cabefa de gado morte para consu-
mo nos tresannos seguintes as comarcas do Bo-
nito, Garsnhuns, Santo Anlao, Limoeiro, Cimbres,
Brejo e Flores ; foi meu fiador o tenenle coronel
Jos Pedro Vellozo, coinecei a arrecadaco e promp-
tamente paguei as primeiras letras no'dia de seus
vencimentos, quando menos esperava appareceu
nesta provincia a guerra civil, e as comarcas de mi-
nha arremataco serviram de theatro da guerra to-
dos os habitantes tomaram as armas mis pelo lado
do governo e outros dos revoltosos, os povos abas-
tecidos nos acouguesdos diferentes acampamentos
deixaram de existir os acougues pblicos, os cret-
dores retiram seus gados para outras comarcas
fora do alcance da lula, o governo que mandou ven-
der a arrecadaco dos impostos e dizimos, se tor-
nou um dos consumidores, nao pagou o consumo
ao arrematante, e foi execulado o fiador, e tendo
este pago a importancia da arrematacao, para nao
ver arrematar seus predios; de nove foi contra o
raeu fiador activada a execuco exigindo 17:O0O#
de juros! vender a cousa, utilisar-se della, receber
parte do preco por que foi vendida, e cobrar mais
uma enormequantia de juros II direito que s
pode ser exercido no Paraguay, e no Brasil s f-
de ser admittido existindo um ernpenho em deixar
sem pao minha familia, e de meus prenles socios
dessa arrematacao desventurada.
Devemos, pois, de tributar aos nobres deputados
que votaram pela dispensa desse juro, a que nunca
me obriguei, eternos agradec meatos que por meio
da presente venho patentear-lhes, visto nao poder
faze-lo particularmente a cada um d'elles, mesmo
para coohecere respeilavel publico que na assem-
bla provincial existia urna maioria justiccira.
A publicado deslas linhas multo obligar ao seu
constante leitor
Francisco Pi da Silva Valenci.
Rerife, 10 de maio de 1865.Manoel Jos de
Oliveira Reg.
Ilm. Sr.Nao existindo mais entre nos aquella ami-
zade de outr'ora, e tanto que meus filhos deposerara
contra V. S. em um processo, que no juizo BceTe-
siastico a piuco se instaurou contra V. S.; e como
sel do motivo pelo qual se Ihe faz esta aecusacao
de haver V. S. notificado gente em meu districto,
e tazer prises no districto de Timbauba, e sendo
eu o autor das prisdes, e Dotificaeas, s Ihe attri-
buem isto por ter V. S. andado ura pedaco de ca-
minho era minha companhia ; e passo a exclare-
cer o facto tal qual se deu.
Estanio-se o anno prximo passado festejando a
Seohora da Conceicao na povoacao de Mocos, man-
dei prohibir o soltarem fogos d rabeio, ou busca-
ps, e estando em uma noite em Mocos soube que
iam queimar um calunga, dentro do qual tinha
uns buscaps; mandei chamar o factor do fogo, e
encarregados da noite, e inlimei a estes, que nao
qneimassem aquella figura dos buscaps, tive em
resposta, que se nao queimassem aquella figura
dos buscaps, deixariam de queimar as oulras, e
foram elles pedir a V. S. para que eu deixasse sol-
tar o fogo tal qual estova preparado, e V. S. veio
entender-se comigo, e pedio-mp, qae deixasse sol-
tar o fogo, e V. s. assim o fez, porm eu respond
a V. S. que nao podia servi-lo, e que a minha or-
dem havia de ser curapri 1a; e vendo os noiteiros,
que de mim nada podiam obter reliraram-se com
os fogos, e os vieram queimar junto do minha ca-
sa; porm no districto de Timbauba, onde se jul-
gavam garantidos, e faziam ama grande gritara
para eu ouvir, o como visse que aquillo era um
proposito, e um aciute a mim dirigido, mandei
sellar o cavallo, e sahi a reunir uma torga para os
prender, o qae succedea em menos de uma hora ;
quando momei a cavallo passava por minba porta
V. S. vindo de Mocos e vendo me a cavallo per-
guntou-me aonde ia a meia noite, contei a V. S. o
motivo de minba viagem nocturna, e sahimos con-
versando, quando tivemos de separar-nos, convi-
dei a V. S. para hirmos at o Santiago em casa do
inspector Salles, e V. S. a instancias minhas acom-
panhou-me; quando voltamos V. S. foi para a soa
casa; e eu para Mo s e neste trajelo nao gasta-
n qnarto de hora < logo no dia seguinte
40.5021
que recebi est conforme nao estando.
Senhores redactores.Nao me enganei quando
em minha correspondencia publicada em 13 do
le'^croD'UannPflP correDte manife. = rSquei dizen g-undo libel-10 faraoso C0Dlra n,l,n Publicado no
2-7rttlQ7 Em 22 de margo requer ao Sr. De. Feito a filho;
i'ni)m qae poC mer me mandasse dar o perfil transver-
. tV^Vt" sal : nao sp nnr nn< asnaniu rt. acnrumiU n, sal; nao sei por qae especie d
ft0.-c7.sQa' sennor iodeferio minha petico -,
^a"ai do-lhe que o perfil transversal nao me podia ser
Estado da caixa.
Em ouro amoedado.....
Em Dotas do thesouro de 105000
Em ditas menores d. 105
Em Dotas da caixa filial do Ban-
co do Brasil......
Em notas do proprio
Banro, sendo :
2 de 2005 4005
3 d- 1005 3005
3 de 505 1505
Ris W'mtm negado, visto come por forga das clausulas espe- *a";" OT.%'
neis. j,.p./..n ciaes d0 conlrat0) eu (inha djrei|0 de reclamar a I a rteponsaomaaae.
~ plant, que nao podia
Diario de 10 apresentasse a mesma covardia do
! autor do primeiro, fugindo quando fosse chamado
ser
Como entao declarti, chamel a res;)onsil)ilidde
longitudinal ; minha replica, apesar do testo fun-1? ,aulor do1feunrto'- c e^ ,,"1e ^onhaB.Se em
376:0815000, damento em que eslava assente, foi ainda indefe-1 juAizo serh ellc Francisc0 /raa,.,a o enegro que
' so se achon com animo de assignar tal diatnbc no
dia 27 de abril, da justamente em que d'aqui em-
harcou com o Io corpo de voluntarios, de que al-
19:8105000 nda .
41:6935000: Ora, agora perguoto, se o Sr. Feltosa fosse rae-
qr-wnnm' "ff,cruPuloso ,e "a8 Jast. se 'esse dado o ?arc,uu
das.22050OO perfil transversal, nao tena evitado toda essa feia 1 n ,
historia d|)ilsi9cagdes ? | yau
Que razao de conveniencia publica havia nara >
indeferir minha petico ? o nao esiar especifica P/etex,a **&>* f^e;e autor c
: as clausulas especiaos a obhgacao dafreparti- *^^2^"?!Z*
99:3415372
Escriptorio da companhia de Beberibe, 26 de
mato de 1865.
O caixa
Thomaz "Aquino Fonseca.
Bataneo da Companhia de Befieribe em 30 de abril i 1632
de 1865.
Etn prata e cobre.
Ris.
jtor do primeiroUmbelino Antonio da Cos-
'tLeito, citado para comparecer em audiencia,
pretexta doenca, e foge;e autor do segundo aguar-
do as claosulas especiaes a obrigago daPreparti. j *;*erlT? $6US bH3" 'TSJC0tra
cao do Sr. Feitosa fornecerme aquelle perfil, orno 'm=aD? ia'm que se escaDole Para fora da Pr-
850*000 disse ? Dest maneira, tendo obrigacao d dar-me 1 c- .= ,
6:63255t a planta, e fornecendome o perfil longludinl! f'^orao sao os raeus .almlgos.
---------t------, deixavade cumprir uma condiCo das clausulas es- mp/e bservar W esse mesmo Sr. ?ran.
843:28*5581 j pecaes pela mesma razo por que se mostrava ze- C1SC0 MouteneeC0.. sendo teslemunha contra mim
loso no cumprimento deltas I
Acho todo isso extraordinario.
DIVIDENDO.
Perraaneeem as razes indicadas no meu relate- debato.
rio e 110 do meu digno antecessor,, pela quaes ai- Empreza do encanamento
da nao se pode fazer nestewsemestre um dividendo Pelo seu custo. 536:8005000
maior de 35 por cada accao. Apolices da com-
oiujamento. panhia.
Do orgaroeute t balaoc quaoacompanba, pode- Pelas que perten-
reis colner lodosos esclarecimeoto6 que por brevi- cem ao fundo de
dade me tenham escapado, reserva..... 5:2655871
propostas. Caixa.
. O Exm. Sr. vice-presldenle da provincia Ansel- Por saldo que passa
mo Francisco Peretti, levado do louvavel desejo de ao segainte sems-
facilitar a exliuccao dos incendios que possamap- tre....... 54:2665510 596:332,5381
parecer nesta cidade, propoz a directora, por ofa-! -----------
DcBOnstrafSo da emisslo. Acho tade isso extraordinario. O qne verdade
1830 notas do valor de 2005000 366:0005000 1ue os moradores da roa do Lima, em nm abai-
1005000 256M005000 xo assi8Dado de t9 assigaaturas, entre as qnaes
504000 81:6000000 laT*m d< Srs. C. Starr & C, pedem ao Sr. di-
-------____ rector nterin* das obras publicas a suppresso
2564
Ris
no processo ecclesiastico, dopuz que traba ido jura
espontneamente. Ora, sabido que testemunho
espontanea nao faz prova, por que denota parcali-
dade, por presumir-se nimiga. E na verdade, bem
mimigo lera-se-roe mostrado esse senhor: pois
alm de ofierecer-se a depr espontneamente
O guarda livros,
Francisco Joaquim Pereira Pinto.

cQuroincisos.
O Hr Dnarle Coimbra.
I
A felicidade am sonho, uma illuso, ama I
phanlasia do nosso-espirilo que se esvai repentina-!
704 OOOfiOOO d0 embarreamento, visto qae"no "temWchevo- aLra de ser qaei? arranJ0U Para seguuda lestemu-
m. so o aterro se converteria em um lodacal sendo nha uraa )raado seu corPo de voluntarios, como
substituido por entulho e cauca, do modo vor aue raesrao dec'arou era seu depoiraento, assignou
tem sido fetto. Sendo attendidos os mesmos u,na correpondencla virulentissima contra mim,
signatarios, coblnuou a obra do mesmo modo e ? Dj ulolDont0 &m 1U. *e erabarcava para o sul,
como a copia do orcamento qoe me foi dada nao fur'and-se aM" a acCao do lei I
fallasse em ababulamento, o qae nem mesmo se! 8sa corresPndencia, adubada de phrases acri-
pde deprehender do desenho do perfil loneltudl-; monlosas e insultantes, tres factos me sao imputa-
nal por uma linda acentuada ou por qualquer ou- os"*'am e tro signal, suppouho ter reito o que contratei I a re>pe,"0 J"3' he do opportunamente oc-
No entretanio o 8r. Feitosa nSo tem aerHo; cupar'me "6 moo cir^ainAcMo, como ja pro-
OPonaUadees^con^sepublicouboatera. Sac^E ^StST^ ?{j Ltaten
Os RR. desmentido com o atteslado do multo Rvd. Sr. vi-
espaco

quando souberam que V. S. havia Ido comigo a
Santiago, os presos, e as familias delles saspeita-
ram que as prises foram feitas a seu pedido ; po -
rem hoje esto convencidos que V. S. parte nenhu-
raa teve nellas; e tanto que os presos sao hoje
amigos de V. S., e meus inimigos, to smente
por causa das prsoes : V. S. nunca se importou
cora a polica destes lugares, a excepcao de enter-
ceder a favor deste, ou daquelle preso; e s o
espirito de opposicao ser capaz de dlzer o contra-
rio ; e se aind houvcsse escndalo, podia direr-
se que isto era um escndalo; o dizer-se o que V
S. nunca praticou, nem talvez pensou ; e se V s'
quizesse prender a este, ou aquelle nao era neces-'
sano apresentar-se : embra nao sejamos amigo:
porm estarei sempre prmpto a dizer a verdade
seja a favor, ou contra este, ou aquelle, e pode
usar de minha resposta como bfi Ihe aproaver e
sou de V. S. attencioso venerador e criado.
Piragibe, 14 de maio de 1865.Antonio de Al-
buquerque Monte Negro.
Est reeonhecida e sellada.
BUCACES A PEDIEO
Agua de Florida de Hnrray e
L anuan.
Alm da saa avantajada superioridade como ura-
perfume sobre as mais valiosas composices es-
irangeiras ; esta deliciosa quo deieilavel essencia
Toral, forma uma agradavel lavagem para os den-
tes e gengivas serviado de conservativo para o
mesmos, e como applicacao suave e modificante
para a pelle do rosto depois de se haver feito a
barba, diluida em agua. Um lenco mulhando com
algumas gotas da mesma e a applicado teata a
fontes, promptamenle dissipa e faz disapparecer as
dores de cabega as mais violentas ; e as senboras,
que prezamsobre ludo uma compteljaclara e trans-
parente, acompanhada d'uma pelle macia e avsllnda-
da, acharoque ella extremamente til, em re-
mover ebulices, espiabas sardas, septenos, ma-
culas, assim como todas as mais erupces externas
e discolordas- que mffito contra a pureza, trans-
-
f
-
rHLLTILSLTOl
1
/;


Alario i

patencia e Tlexibilidade da pelle. (Tenha-se a ne-
cessana cautella de se examinar e ver que os no-
mes de Murray e Lanma* se achera transcriptos
seb cada envoltorio, letrelro e at mesuro gravado
ao vidro das propnas garrafas, e na falta dos mes-
aros, fcil se torna o descubrir a falsidade das
ais.)
Acha-se a venda as pharmacias de Caors A
Barbosa e J.*. Bravo & C.
E porque o etabelecimento fabril de que se tra
ta seja de grande importancia para a provincia,
convenha mante-lo, urna vez que bem montado
como est e prvido de todos os apparelhos neces-
sarios, seja dirigido por quem teuha conbecimentos
ia
4o Eecife.
COMMERCIO.
PRACA DO RECIFE.
Cotaees ofQctaes.
2 de junho.
Algodo primeira serle 13(8000 por arroba.
Algodo segunda sorielljOOO por arroba.
Cvnbio sobro Londres-91) d/vista 23 lii d. por
IJvOO.
Dubourcq Jnior,
Presidente.
Guimares,
Secretario.
Sevobauco de Pernambuco.
G banco paga o t i dividendo narazaode8J
dar aeco.
\ovo banco de Pei'iaain-
bfico.
O banco descontaletras na presente semana a
9 por cento ao anno at o prazo de quatro me-
ses, 0 a 10 0)0 at o de seis inezes
Caita filial ito banco do Brasil em
Pernambuco.
A directora desta caixa saca sobro o banco do
ilrasil no Rio de Janeiro e sobre a caixa filial do
uesma banco na Bahi.
Novo banco de pernambuco.
Os administradores da niassa fallida de Jf m
Jos Silveira pagara o Io dividendo de dita massa
:.'i razio de 9 0/0 sobre o valor des ttulos ad-
venidos : no.novo banco de Pernarabuco ra
caixa liiial do banco do lirasil
cm Pernambnco.
A caixa filial do banco do Brasil, em virtude da
ordem da caixa matriz de 4 do corrente, e da de-
laraciio da caixa da amortisaco, abaixo copiada,
contina a receber sem descont as notas do go-
bern do valor de 1005, 3" estampa.
Caixa filial, do .banco do Brasil 31 de maio de
136o.
O guarda-livros,
Ignacio Xuncs Correia.
ALFAXDEGa.
anJimentido dia 1.......... 8:G4I31U
dem do dia 2............... 23:1375486
A Iltm.* junta administrativa da Santa (lasa da
proAssionaes, e'possa dspor de capitaes relativa-l'Misericotdiajdo "Reetfe, ramada fazer .ptafiliao qae
mente abundantes, manda convidar pelo presente! mocita -8 de jonho pelas 4 horas da trale, na
sala de .suas. aesiSes eontiauam a ir a ora; para
seren arrematadas pelo tempo de la 3 amos as
jetrias dos casas abaixo declaradas.
Os licitantes devem comparecer jcompanhados
de seusjaderes en munidos de carias Ra das Larangwras.
Casa Jetcea n. 5 (articular e 17 f ti-
lico........... 2*65000
Ra do Rangel.
dem n. Gparcular e 06 publico. 3005000
Una de S. Guaca lo.
^Ideam. H particular e 24 publico. H2J000
-Ra do Rosario da.Boa-Vista.
Idem.n. 14 particular e 58 publico. 1(85000
ftoauda M>drowde -Uvas.
.Gasa terrea n. 26 particular e 22 pu-
blico.......... 8105000
Ra da Lapa.
tCasa terrea n. 41 particular e 2 pu-
blico............
Ra da Moeda.
edttal i\os qae se acham em taes ciccumslancUs a
eompareeerem na mesma thesonraria, aonde se
Ihes dar a faculdade de visitar o referido eslabe-J,
lecimento, alim de que bem informados possam
apresentar suas proposlas com declaracao dos
meios que tem para manejo da dita fabrica. O que
preenrhido, e estabelecido por tal uieio a igualdade
de meios em diversos proponentes se abrir entre
estes a concurrencia linal sobre o preco e mais
eondicoes da soa venda, com a declaracao, porm.
de que taes propostas nao sao definitivas, licando
ao arbitrio do Kim. Sr. presidente da provincia
aeceita-las ou nao, se no seu entender nao offere-
(am os concurrentes meios que garantan) e segu-
ren) a continuaco de urna industria que a todos
os respeitos mui vaniajosa provincia, tendo-se
mais em altenco a aniraaco della, do que o maior
ou menor preco que possa ser alcancado, com tan-
to que elle salde a divida da fazenda.
A fabrica do-Menteiros tem deixado de medrar
pelas circunstancias pecuniarias de seus possui-
dores, e isto que se pretende evitar, adjudican-: dem n. 44 particular e 21 publico,
do a com attencao para estacircumstancia, a quem [ Ra do Amorim.
melbor prego offereca. 'dem n. 48 particular e 56 publico.
Be um valor muito subido em seu primitivo as- dem n. 49 particular e 54 -publico,
sentamento, com apparelhos os mais aperfeicoados, i dem n. 50, particular e'2 1 publico,
e todos de grande preco, a fabrica acha-se boje por dem n. 52 particular e 4o publica,
seu valor mnimo, e tal que nao pode deixar de '
dar vantajosos resultados a quem emprehender dia-
riamente, e com ampios meios de execucao o seu
manejo, e a junta levada do desejo d nao ser
destruida esta industria, que prefere vender a fa-
brica com as eondicoes ex postas, a retalha-la, ape-
zar de ser a venda nesta ultima especie, (a que re-
correr, se nao forem preenchidas as suas vistas),
muito mais vantajosa para a fazenda, segundo o
pen*ar dos que conhecem o valor da machina, cal-
deiras e outros apparelhos de que ella se compoe.
A junta recebe igualmente quaes'iueroutras pro-
postas, sem as eondicoes cima, ou com difieren-
tes. Dase para apresentacao das propostas o pra-1
zo de lo dias.
Secretaria da thesouraria provincial de Pernam
buco 26 de maio de 1865.O secretario,
A. F. d'Annunciacao.
O Dr. Tristao de Alencar Araripe, offlcial da im-.
perial ordem da Rosa, juiz de direito especial do j
commercio desta cidade do Recife de Pernambu
Francisca Cordeiro da Rocha Campello.
Francisco de Mello Brrelo.
Herculand Mainart Franco.
D. Henriqueln Margarida do Nascimento.
Ignacio Candido Antunes Moreira.
I Gallinu Temistocles Cabral de Vasconcellos.
Jos Carlos Gomes da Silva.
Jos Joaquim de Lima.
'Jos da Rocha 'Prannos.
I Manoel Mximo dos Santos Torres.
Manoel Ribe ro Bastos.
Raymnnda.
Strut Black.
Visconde de cuassnna.
Vicente Francisco de Oiivelra.
1D5000
3J05ODO
43B-30OO
4*0,51)00
4D5D00
4-D5000
5005000
725000
41:7785630
MOVIME.STO DA ALFADEGA.
Vulumes entrados com fazendas-----
t t com gneros.
Voluntes sahidos com fazendas.
t t com gneros.
123
294
------- 417
128
191
319
Descarreiram no dia 3 do corrente.
Brigo.6 iuglez Rosnliemercadorias.
Brigae lajeesImperadordiversos gneros.
Brigde inglesParkUAe viahos e cemedto.
Barca ingleza Am Liztie -farinha de trigo.
Jirca inglezaLomhardiavinhos e mais gneros
itrigue hanoverianoio/iani farinha de trigo,
arca inglezaNetherton bacalho.
ilrigne inslp.ilzabella Ridly bacalho.
Escuna pirtuguezaD. JoSocharque.
Sumaca hesnanhola Mercedtlaidem.
rimie nacionalCar dia idem.
tingue nacional Imporaior idem.
Barca ingleza Mary BourJcarvo.
Barca inglesa Avena-idem.
AEJEliEDOniA DE REXA5 INTERNAS GE-
RAES DE PERNAMBUCO. .
Kesimento do dia 1.......... 4175632
lien Jo lia 2 ................ 1:4875225
1:9045857
CON'SL'LA <0 PROVINCIAL.
Rea Jnenlo do da 1.......... 1:6923624
Am do dia 2 .............. 4:8675431
6:5605125
"lQ?IMEHTOM POETO
Navios mirados no da 2.
uenes-Ayres31 dias brigue pormguez S. Jos,
de 162'toneladas, capitao Joao Gon^alves Tino-
co, equiragem 10, cara, 4,100 quintaes hespa-
nhes de carne ; a Amorim A Irmao.
Araeaty17 das, hiate brasileiro Santa Rila, de
55 t iieladas, capitao Manoel Luiz dos Santos,
eqnipagein 8 carga algodo, cera de coruaba e
outros izeneros; a Ta^so & Irmao.
Liverpool36 dias, barca ingleza Miranda, de 315
ton.-lalas, capitao John Congdon, equipagein 14,
carga, fazendas e ontros gneros; a Mills La-
tnan d C.
Navios sahidos no mesmo dia.
\o de JaneiroPalbabuie brasileiro Piedade, ca-
pitao Jos Marques Vianna, carga assucar e ou-
tros gneros.
EDITiES.
dem n. 53.particular e 43 publioo.
Hdem n. 56 particular e 26 publico.
Ra do Azeite de l'eixe.
I Jera n. 61 particular e lo pnblio. 4505000
dem terrea n. 03 particular e 2 publi-
co...........6065000
Ra du Cacimba,
dem n. 65 particular e 5 publico. 1U5000
dem n. 66 particular c 12.publico. lt|5000
dem n. 67 particular e 10 publico. 845 000
Ra do Vixario.
Sobrado de 3 aojares a. 71 uarlioular
e 22 publico. .?......IJ05000
dem de 2 audares. u- 72 particular e
27 publico........645000
Ra do Encantamento.
Sobrado de 2 andares n. 76 particular
e 11 publico........8355000
dem idem n. 77 particular e 13, pu-
blico.......... 8345000
'Ruada Senzala Velha.
co e seu termo, por sua rmsestade imperial e; Idem4dem n. 79 particular e 131 pu-
constitaico o Sr. D. Pedro II, a quera Dos guar- blico..........MftOOU
de etc. Casa terrea n. 81 particular e 18 pu-
Faco saber pelo presente que no dia 26 do mez' blico..........2005000
de ju'oho do correte anno, se ha de arrematar por dem n. 82 particular e 16 publico. 20050LH)
venda a quem mais der, em praca publica depois Ra da Guia.
da audiencia respectiva, o escravo cabra de norae dem n. 84 particular e 29 publico. 1445000
Manoel de Lemns, de 40 annos pouco mais ou me-! Ra do Trapiche.
nos, avaliado por 8OO500O, o qnal vai a praca por Sobrado de 3 andares u. 85 particular
execucao de Prente Vianoa & C, contra o'Exra. e 30 publico........705000
Visconde de Suassnna. Ra da Liugoeta.
E na falta de licitantes sera' a arreraatagao fela dem de 2 andares n. 86 particular e
pelo Dreco da adjudicacao com o abatiraenlo res-W\14 publico........6005000
pertivo da lei. I Ra da Cruz.
E para que chegue ao conhecimento de todos dem idera n. 87 particular e 11 pu-
mandei fazer o presente edital que sera' affixado | blico..........8825000
nos lugares docosturae e publicado pela unprensa.: Ra do Pilar.
Dado e passado nesta ndad* do Recife de Per- Casa le rea n. 92 particular e 03 pu-
nambuco ao Io de junho de 1865. blico..........
Eu Manoel deCarvalho Paesde Andrad6, esen- Idfm n. 93 particular e 101 publico. .
vao o subscrevi. dem n. 94 particular e 99 publico. .
Trislao de Alencar Araripe. dem n. 97 particular e 110 publico.
O cidadao Antonio Augusto da Fonseca, cavalheiro dem 11. 99 particular e IOS publico. .
da imperial ordem da Rosa, juiz de pazdo 2a an- dem n. 100 particular e 104 publico.
no em exercicio do 1 da freguezia do Santissi- dem n. 101 particular e 102 publico.
mo Sacrameuto do bairro de Santo Antouio da dem n. 10J particular e 100 publico..
ci !ade do Recife de Pernambuco, etc. j dem n. 103 particular e 98 publico..
Fago saber aos que, o prsenle edital virem e del- dem n. 104 particular e 96 publico..
le noticia liv Tem, que Antonio da Cruz Ribeiro, Mera n. 105 particular e 94 publico.
Coovida-se as pessoas queestiTewm iras eon-
dicoes do servieo militar, a engajarem-se no corpo
de polica, e gozarem das vaniagens qae uflorece
a lei provincial n. 611 de 2 do corrente.
Pela thesouraria provincial se faz publico,
que a arremalacao da pintura da ponte pensil do
Cachangi, foi transferida para o dia 8 de junho
prximo vindouro.
Secretaria da thesouraria provincial de Pernam-
buco 24 de maio de 1865.O secretario
A. F. d'Annunciacao.
Vende-Se o.patacho nacional Bnreo, cliega-
do ltimamente do Rio Grande do Snl, o qual te
acha bem prompto i navegar : trala-se na ra do
Trapiche n. 4.
LILOES.
leilAO
De ura cavallo.
HOJE
O agente Pestaa vender' por conta e risco e
quem pertencer uiu cavallo melado bonita figura
proprio para carro e sella : hoje pelas 10 }( horas
da manbaa no largo do Corpo Santo junto a Asso-
ciacao Commercial.
Leilo
('orreio
! De um oratorio de Jacaranda, 2 guardas
roupa de .pinho c luru, 2 cotamodas de
'amarello, 1 mesa reonda, S cadeiras de
aroarello, 1 toucador de iacarauda, i mesa Sn1^S^n^Si.trr0.,^r,%2?,,,>
,1 muralla I9m,,,tnnc n,rac(lu Un- A!^??,??^5^?>**" *****&**%*
DOS
ARTISTAS HECHAWCdSE UtmtS
DE
PERNAMBUCO.
*e!a secretaria desta socieuade por ordem do
Illm. Sr. director, .e faz silente aos respecCivus so-
cio?, que no dia .1 do crreme, as 7 horas da tarde,
ha ver sessao extraordinaria allm d; tratar-se d
nepocio de grande irancedeneia.
Secrelaria da sociedadt^ dos Artistas Mchameos
e Liberaes de Pernambuco en) 2 de junho de I86S.
Flix de Velois Correia.
__________________V secrj^ario iaterino.
"PEOGRAMMA~
da festa d Diriao Espirito Santo, (hite pela irman-
dade do mesmo santo, erecta m orala de
Saulo Antonio do Recife pan se ei errar nos
-dias i e 44 carrate.
No dia 3 (iabbado) ao raelo dia em iwnto, subi-
rao diwrsas girndolas de fugete-, e a msica d*>
Io balalMo de ufanlaria da guarda nacional sol-
P faz publico para flns convenientes, que em virtude
do disposio no art. 138 do regulamento geral dos
crrelos d21 de dezerabro d>. 1844. e art. 9 do
decreto n. t8$ der o coasumo das cartas existentes na adminis-
Itracao perieaeenles ao mez de maio de 1864, no
I dia 5 de junho prximo, s*H horas da manhaa,
na porta do mesmo correio ; e a respectiva lisia
!se acha desde j exoosta aosinteressados.
AdministraQao do correio de Pernambuco 25 de
maio de 1865.-0 administrador,
Domingos dos Passos Miranda.
de
2005000
20O5OOO
2555000
22850H0
2285000
2283O00
2285000
.2285000
2285000
2285000
2285000
Misericordia do
Secretaria da Sauta Casa
Recife 2 de junho de 1865.
O escrivao,
F. A. Cavalcanti Cousseiro.
COMPAMIA
me fez a petigo seguinte :
Illm. Sr. juiz de paz.Diz Antonio da Cruz Ri-
beiro, que devendo-lhe Jo.io Jos Pceira a quan-
lia de 3915200 rs. provenientes de ordenado que
venceu como caixeiro que fol do supplicado, ^uer
faze-lo citar para na primeira deste juizo conci-
liar-se a respeito com o supplieante ; mas como
esteja elle em lugar incerto, e deva por isioser ci-
lado por edilos, requer o supplieante, que prece-
dendo a juslificacao para a qual V. S. designar'
diae hora, e julgada por senfenca, s-jam passadis
Darlas de edites com o prazo da lei ; nesles termos:
pede a V, S. deferimento e recebera merc.-Ta-'TllOfflaz de Aquino Fonseca acha-SO auton-
vares da Silva. I sado a pagar no seu escritorio na do Vi-
Ra qual petigao dei o despacho seguinte :-Co jgar0 n_ 1!)> fas 10 horas as 3 da lar !e do
mFrreegqueez.a de Santo Antonio, 1 de junho de 1865 O caixa
compartida commenc
Augusto da Fonseca.
Em virtude do qual se pr.cedeu a inquineao du
t"stemunhas que depozeram son o juramento dos
santos Evangelhos a respeito da ausencia e incer-
teza do lugar da residencia & Juao Jos Pereira,
e preparados os autos me vieran) couclusos e por
mim lidos, profer a sentenca do theor seguinte :
Visto provar-se pelo depoimento das lestemu
nhas de folhas tres equatr>, que
Jos Pereira sa acha auseute era
hei por justificada a sua ausencia, e passe-se carta:
de edilos com o termo de trinta dia.-.
Freguezia de Santo Antonio da cidade do Reci- \
fe, 2 de junho de 1865.Autnio Augusto da Fon-
seca.
E nada mais se continua em dita sentenca, por
bem da qual se passou ao justificante o presen e
edital cora o prazo de trinta dias, pelo qual cha-
mo, cito e hei por citado o referido Joao los Pe-
reir, para que dentro dos trinta dias compare- f
do desla companliia na proporgo de 30
porcida apolice, previne-se aos Sis. accio-
u stas que este pagamento deve ser emmoc-;
da de cobre que na especie que o mesmo
Sr, caixa lem recebido dos arrematantes dos
chafarizes desta companhia.
Escriptorio da Companhia doBeberibe Io
rSSi^neSIide junho de 1865. .
O s crelano.
Jos Eustaquio errara Jacobina.
Pela thesouraria provincial se faz publico
que a arremalacao da obra do empedrimento do
lugar denominado Areias do Giquia foi transferida
para o dia 14 do correnle
Secretaria da thesouraria provincial de Pernam-
buco 2 de junho de 1865.
O secretario,
A. F. da Annunciaciio.
ga por si ou por seu bastante procurador para se,
proceder aos termos conciliatorios na frma da Pela thesouraria provincial se faz publica
pelico, e a qualquer outra passoa para que Ihe qoe a arremalacao da obra da reforj a atatar-se
faca sabedor desta mesma Caeao, adra de que el-. ua casa da cmara municipal de Serinhem, para
le nao tique endefezo. | que se presse tambem para quai tel do destaca-
E para constar mande! passar o presente que so- ment, foi transferida para o dia 22 do corrente.
De ordem do Illm Sr. inspector da ihesoura-
rii de fazenda desta provincia se faz publico, para
onherimento dos interessados, que o tribunal do
-ihesouro autorlsou o pagamento de dividas de
xercicios irados, cojos credores sao os seguinles :
Licinio Purcinio Nestron e Andrade.. 1205000
.uui'enco Jusliniano de Souza Lima.. 165667
Antonio Jos da Cunha Guimares... 405903
Loica Francisca da Cosa, viuva de
Francisco Firmo Montelro......... 663666
Pedro de Alcaniara Perrier......... 1835520
J0S0 Pi de Senna................. 345140
Alexandrina Francisca Romana, viuva
de Antonio Joaquim de Souza Timb 6O05OOO
Antonio Joaquim de Souza Timb
(tres fllhos de).................. 6055000
Arsenio Gustavo Borges............. 1215000
Antonio Luix Teixeira Campos...... 9O5"O0
Joaquim Meqoilino de Souza Santiago. 865460
-Quinteiro & Agr................. S05000
Francisca Jos Fatco.............. 445906
Gaardio do convenio dos francisca-
nos, Fr. J0S0 Baptista do Espirito
Sanio)......................... 3955967
Kr. Joao liaptista do Espirito Santo... 3005000
Innacia Seohorinna de Souza Foigado 1025822
C.inlina Augusta de Moraes Foigado. 1025822
Dr. Christovo Xavier Lopes......... 145400
Empregados do jmzo.dos fetos.
Jos Polycarpo de Freitas.......... 905238
francisco Xavier Pereira de Brrto... 225531
.Jos Francisco de Paola............ 695432
Ricardo Jos Santiago............. 125830
Secreuria da tftasoorariatfe fazenda de Pernam-
-buco em 31 de maio de 1865.
Servindo de ofikiat-maior, Manoel Jos Pinto.
O Illm. Sr. inspector da thesouraria provin-
cial, era cumprimento da ordem do Exm. Sr. pre-
siiferte da flrpvtcia de -22 ao correte, manda (a-
z-t publico, que no dia 22 de Junho preximo vin-
douro, psranto a.jonta da fazeuda da raesmMhe-
ouraria.vai^ovamcnte a praca para ser arrema-
tada a quera pof menos fizer a obra da concldso
da casa da cantara e cadeia da villa do Bonito,
avallada em 8;3Ul>5.
A arremalacao ser folla na frma da lei pro-
vincial n. 343 de 15 do maio de 1854, e sob as
clau-ulas especiaes publicadas anteriormente.
E iwtra constar se raandou publicar o presente
pelo jornal.
Secretarla da thesouraria provincial de Pernam-
buco 24 do-maio de 1865.O secretario,
A. F. d'Annunciacao.
O Illm. Sr. Inspector da thesouraria provin-
cial, por deliberarlo da junta da fazenda, manda
fazer pubKeo, quft se acha encerparado aos pro-
4>ri s provinciaes a fabrica do Montelro de relinar
.asMicar, por execacao que promoveu contra Jos
liouve lagar pela quantia de 8:1485219.
r affixado nos lugares do costume e publicado
pela imprensa.
Dado e passado nesta freguezia do Santissimo
Sacramento do bairro de Santo Antonio da cidade
do Recife de Pernarabuce, aos dous dias do mez
de junho de 1865.
Eu Joaquim da Silva Reg, escrivao o escrevi.
Antonio Augusto da Fonseca.
\Vfl
E
Caita da amortisaco
Pela caixa da amortisaco se faz publico, que
continuasea proceder a subslilulijao das notas de
2005 da 2a e 3a estampas, de 1005 di 3a eslampa,
e 55 da 4' estampa, por outras de 15 e 25> con-
forme se tem por veze/annunciado, e previne sp
aos respectivos possqiuores que as notas de 2005
j tem descont desde o dia 1 do corrente em
diante, na razo progressiva de 10 0i0 em cada
mez, segundo tambem j foi aonunriado, nao acn-
tecendo o mesmo com as de 1005 e 55, por nao
ter sido ainda marcado pra-o, (indo o qual come-
caio'a aarde-contadas, praso que ser opporiu-
namentaqlclarado pela imprensa cora a necessa-
ria antecedencia, na forma do estylo.
Caixa daainorlisacao 2 de maio de 1865.
O inspector geral
Luiz Pedreir de Couto Ferraz.
ConformeHenrique Affonso Izorff-
0 guarda-livros
Ignacio Nunes Correia.
O administrador da recebedoria de rendas
internas geraes faz publico que em virtude da al-
teraco 3' do decreto 2719 de 31de dezembro de
1860, feita s instruccoes qne baixaram com o de-
creto 2354 de 16 de fevereiro de 1859 o que regu-
lara a liquidaco e cobraoca da divida activa, s
ser permittido aos recebedores promoverem a
cobranca no domicilio dos contrihmuies dos im-
postas de 20 0|0 sobre lojas, casas de consignacao,
etc., daMlito especial sobre easas de movis, roupa
etc.,>fairioados ew paz usirangeiro. e deciraa.ad
dicional de mo-morta, relativos ao Ia semestre do
exercicio corrente de 1864-65, at ofim do corren
le mez de junho, depois do qoe sero recolhidos
todos os conheciraenlos que existem em poder dos
mesmos recebedores para se proceder a liquidaco
e cobranca judicial do que estiver em divida, prin
tipiando pelo bairro de Santo Antonio, cujo debito
em excesso.
Recebedoria de Pernambuco 1" de junho de 1865
Manoel Carneiro de Sjoxa Lacerda.
Pela thesouraria provincul se faz publico,
que a arremalacao das pinturas das pontos de Una,
Jaboato, Serafim Pintos, Morenos, Bento Velno e
Tapacur, foi transferida para o dia 8 de junho
prximo vindonro.
Secretaria da thesouraria provincial de Pernam-
buco 24 de maio de 1865.-0 secretario,
A. F. d'Annunciacao.
Secretaria da thesouraria provincial de Pernam-
buco 2 de junho de 1865.
O secretario,
F. F. da Anuunciaco.
Pela thesouraria provincial se faz publico
que os 30 dias uteis para o pagamento da primei-
ra prestaco do imposto de 15 per cenlo para os
passeios das ras da Aurora, Imperador e Crespo
comecam a se cojitar do 1" do corrente.
Secretaria da thesouraria provincial de Pernam-
buco 2 de junho de 1865.
O secretario,
A. F. da Annunciaco.
Pela recebedoria de rendas internas geraes
se faz publico que neste corrente mez que os de-
vedores dos impostas seguinles: renda dos pro-
prios nacionaes, decima adicional de mo-mona,
imposto de 20 0/0 e dito especial, relativos ao 2
semestre do exercicio corrente, teera de pagar seus
dbitos sem multa, depois do que sero pagos com
ella. Recebedoria de Pernarabuco 2 de maio de.
1&65.-0 administrador,
Manoel Carneiro de Souza Lacerda.
Pela subdelegada do 2 districto d Curato
da S de Olinda se faz saber que foi apprehendido
no dia 30 do mez de maio do corrente anno, em
poder de Vitali00 Jos de Souza, 3165000, o qual
diz ter achado ao entrar das matas de Itapirussii
em segulmento de htuarass para Goianna, cuja
quanlia se acha em deposita : quem for sea dono,
provando, Ihe ser entregue.O subdelegado
Manoel Deonizio Gomes do Retro.
Consulado provincial-
Pea mesa do consulado provincial se faz publico
que os trinta dias uteis marcados para a cobraoca
bocea do cofre dos impostas da decima dos pre-
dios, urbanos de 20 0|0 do consumo de agurdente,
e de 5 0|0 sobre os bens de raz perlencentes
corporaces de mo morta, se principian) a contar
do dia 1* de junho vindouro, licando sujeitos a
molla decretada no art. 50 do ercamento vigente,
todos os que pagarem depois de Dudas os ditos 30
dias.
J Mesa do consulado provincial da Pernambuco 29
de maio de 1865.
Antonio Carneiro Machado Ros
Administrador.
mmm mu~
Relaeio das cartas segaras existentes aa adatan-
traco do correio desta eidade pira os sa-
ibores abaJM declarados :
Tenente-coronel Antonio Carneiro Machad Rio.
Antonio Jos da Costa Cabral.
Baltazar Goocalves Machado.
Castriciano Marques de Gouvaia.
Candido Vieira da Conha. A
Carlos Miguel Isaacson.
; Francisco Antonio de AbrePWHIji
1 Dr.. Francisco de Borja Bnarque.
DE
EMPKEZA-OOIMBRA
Sabbado 3 de junho de 1865.
EM BENEFICIO DE
.!o' Representar-se-ha o magnifico drama em 5
actos do Exm. Sr. conselheirp J. S. Meedes Leal
Jnior
PEBSONAGENS.
O conde de S. Tilia ro ....
D. Francisco de Athayde...
Jos Augusto.............
D. Jeronytno de Mello......
D. Jos de Albuquerque___
Manoel Maria..........
Pedro...................
Domingos................
D. Maria de Uezende.......
D. Joanna.................
D. Eugenia................
Thereza..................
Convidados, criados, etc.,
Dar Um ao espectculo a
i acio
ACTOHES
...... Cuimbra.
...... Porto.
.......Guimares.
. ... Lisboa.
...... Borges.
..... Pinto.
...... Amoedo.
. ... Teixeira.
...... D. Eugenia.
...... D. Camilla.
..... D. Leopoldina
..... D. Jesuina.
etc.
graciosa comedia em
A mulher Heve aeompan'
seu marido.
Principiar s 8 horas.
O BENEFICIADO Au PUBLICO
AclMudo-men raeu leito de dr, e quem sabe,
tal vez de morle e sem reenr-os, deparou-me *
Providencia urna alma beoataseja o Sr. Antonio
Jo.- Ou.irte C')i(r)bra,c|ue, ailendendo as minhas
tristes eircnmslancias, generosamente conredeu-
me umri'hcticio no tnealro de que empretario.
A esla offdrta de urna alma lo nobre e elevada,
desde j me confesso eternamente agradecido.
Porm nao bastar de certoj^aavalhetrismo e
gentileza do digno emprezario ; preciso (ambem
que os n;eus comprovincianos connorram neste
da cora o seo bolo para soccorrer o pobre en-
fermo, baldo de meios, na sua hora extrema. E'
pois naca olles que appello, para osm^us compro-
vincianos sempre promptus a soccorrer com a sua
valiosa coadjuvacao.
tle amarello, 12 quadros, 2 pares de lart-
ternas e i globo, 1 marqueza, 1 mesa para
jantar, 1 bah do amarello, I carleira e
mocho, 1 berco, 2 armarios de amarello, i
' cama de ferro, 1 mesa pequea e lavatorio.
ORDEIRO SIM01S
a rc"qu*rmento de Joaquim Francisco Silva Ju-
Inior o.mandado do Illm. Sr. Dr juiz especial do
| commercio, far IhIo dos movis cima descrip-
to, os quaes- (iran areslados ao fallecido Joo
Antonio Soares Vivas e exist.ntes no predio da
ra do Brum n. 35, aonde ser efectuado o leilo.
Terea-feira G do correnle.
as 10 1|2 horas. _____ ___
; Leilo da loja tic. miudezas da ra do
QPim lo n. 1G.
Martins far leilao a requerimenlo dos curados
, res tiscaes da massa fallido de Antonio da Silva
i ferrara Santos, e por nundado do Illm. Sr. Dr.
i juiz especial do commercio, da armaco e fazemlas
existentes na loja da ra do Queimado n. 16, per-
tencentes a mesma massa.
Segunda-feira 5 do corrente.
O leilao ter lugar na mesma loja, s 11 horas
em ponto.
L" ilo A ra do Brmn n. 33.
CORDEIRO ShlES
far leilao a requenmento de Joaquim Francisco
da Silva Jnior e por despacho do Illm. Sr. Dr. juiz
especial do commercio, dos gneros, armaco c
utensilios da taberna cima dita, em um ou mais
lotes a vonlade dos concurrentes; como tambera
as dividas activas na importancia de 5725810 ; cu-
jos bens foram arestados ao fallecido Joo Antonio
Soares Vivas.
Terca-feira 6 do corrente, s 10 horas, m mes-
ma taberna._________________________________
Leil.i de nui deposito c divi'.las
A' ra do Pilar n. 78, em Pora de Portas.
CORDEIRO SIMES
A requerimonio de Joaquim Francisco da Silva
Jnior e mandado do Illm. Sr. )r. juiz especial do
poupa esforeos, no intuito de agradar a seus ou-
vintes, com ovos e diSBeilimos pedacos.
A noite haver ma-lioas aeomuaiiliadas eom a
respectiva nrehestra, dirigida pelo insigne paofes-
sor Pedro Justino da Fonseca B.irro.>o, locando au-
tes o depois desta primeira p.nio do oftlcio diviuti.
as moaieas do Io bRthlho de mfonlaria, BelU Uoio-
eUuiao CoinniTiial.' -'.-Jfa me ni) A a do dia 4 (do-
nung.) :\< 5 horasrbaver ni*', qual assistinio
as msicas nao s do Io batthin, como tambem
as das sociedades LaifioCoiiMnercial e Relia Unlao,
pelo que, sem medo do errarmo*, a-sguramos as
bellas pecas que temos de ouvir. Kiudn que.sejao
sagrado sacrilicio da Missa. avea urna grande
salva :eal
A's II horas do dia, pouco mais-ou meuos, dar-
si-li.i principio a festa, sendo a Missa a Virgem da
Conceica,,, c.'iiposla p iho, que liberalraente, conceden ao professor da
erehestra Pedro Justino. O mesmo Sr. bolas, toma-
r parte na execucao da Missa. Os sobs s-ro di s-
tribuidos entre o Illm. Sr. Antonio 'feix.-ira de Car-
valho Lisboa, actor dramaticoy-Traja) Peiippe Ne-
ry de Barcelios, mestre da msica doe.dlegio dos
orplwos e Jos Coeltio Barbosa,Pihio, como ex-
celentes amadores. Nao podemos eximir de ilizer
o orgulho que por direito deve assislir a estes tre*
nclitas arli.-las.
Os quartetos e tereelos sero execntados por
dous educandos do collegio dos orplios, que por
consentimento da Rima. Junta administrativa da
Santa Casa da Misericordia do Recife, lero de fa-
zer vibrar suas harmnicas vozes, ijudaodo os a
ito os-Ivins. Juo Jos de Araujo, Primo Felicia-
no Tavares, e o Illm. Sr. Jo.- Miguel Pereira. Aos
dous ministros de Crtalo e ao Illm. Sr. poeto Mi-
guel, nao podemos negar a palma q e Ibes perlen-
ce, sempre que deixam ouvir suas delicios-as vo-
zes.
A regencia da oreheslra, ficara ao cuidado do
Illm. >r. Innocencio S.noiz, que cuuflados Dsabe-
doria do grande admirador, promeitemos asdemais
partes serem desribuidas por artistas di>icctos e
abalisdos.
Alin dos Jariistas.ja inenel-Hiadas, te.-.io os ou-
vintes de observarem o muito Ittustre e in*Ig ne
Irabepiista bahiau, o lllustre Sr. Francisco-?iunir.
commercio, far leilao dos gneros, armaco e
utensilios do deposito cima dito, o qnal foi arela-
do ao fallecido Joao Antonio Soares Vivas assim
como as dividas da mesmo na importancia de
6363120.
Terca-feira 6 do corrente, s II horas, no mes-
mo deposita.
Leilao
Da parte de urna casa na Parahiba a ra das
Convertidas n. lo, em qu tabelectmento. avaliado lodo predio em
2:( 0, e cuja parte em 707#:H)3 rs.,
como tambem os alaguis de cerca de -
a 3 annos
Trrca-fcira 20 le juuio as i 1 horas.
Coi'tletroi ^iaaes
aulhorisado pelo iiquidaiario da casa commercial
de Antonio Joaqnftn de Mello, far leilo da parte
e aluiiueis do predio cima doscripto' pudendo des
de j safisf.izer aos preteodentes todo esclareci-
mento, cujo ieilao sera elfectuado no di e hora
acuna dito a porta de armazeui Jo Sr. Annes lar-
go da alfandega.
(aNBflHB
D- mascaras e sem ellas: nos saloes do caes
do Ramos, sabbado 3 o domingo 4, vespera do Di-
vino Espirito Santo. Ser eumprido o regulamen-
to do Illm. Sr. Dr. chefe de polica.
TOI
nOl
Para
E-^t carga o brigue escuna nacional Graciosa,
capilo Jaciniho Annes da Costa, consignatario
Antonio de Almeida Gomes, ra da Cruz n. 23,
pnmeiro andar.
COMPANHIA PER.NAMBUCANA
Navegar" costelra por vapor.
Acarac e Granja.
O vapor Parahijb, segu para
os dous portas indicados no dia
2 de junho as i horas da larde.
Recebe carga at o dia 1*, encora-
mendas, passageiros e dinheiro
a frete at as 2 hras da tarde do dia da saluda :
escriptorio no Forte do Mallos n. 1.____________
Para Hio de Janeiro.
Pretende seguir cora muita brevidade o palha-
bote Piedaile, tem parte do seu carregamento a
bordo, para o resto que Ihe falla e escravos a fre-
te para os quaes lem expelientes commodos, tra-
ta-se com os seus consignatarios Antonio Luiz de
Oliveira Azevedo & C, no seu escriptorio ra da
Cruz n. 1.
Para a Baha
Pretende seguir para este porto eom brevidade o
veieiro e bem condecid) patacho nacional D. Luiz,
qne se acha com parte da carga prompta : para o
resto-tratase coro Jos Maria Palmeira em seu es-
criptorio no largo do Corpo Sanio n. 4.
Para o Porto
segu sem maior demora e com a carga que Iwrer
a barca portogoeza S. Joo, capitao Manoel Farro!-
ra Leite : recebe carga a frete barato : a tratar no
escriptorio Amorim lnnais, ra da Cruz n.3; cu
com o capitao na praca do commercio.
COMPANH1VPERNAMBUCANA
DE
Xavesav*50 ***"* P"* ??
Parahyba, Natal, Maco. Aracaty, .
eari e Aacrae.
i&>-gnn o vaoor Mwunun^a,
coramandante Ratos, no dia 7 de
junho prximo. Recebe carga
-al o dia 6; pneoauwndas, pas-
_____sageiros e dinheiro a frete at o
di* da sabida as '2 horas da tard ; escriptorio na
Porte do Mattos o. 1.
JXJ> JL UJJu^JlZ
Aos 10rO00.v0O0 c 2,000il00.
Quarta-leira 7ilejiiulio do corrente an-
no, se extrahir pelo novo plano abaixo pu-
blicad), a 5* liarte da Ia lotera (18a) a
beneficio da Santa Casa de Misericordia,
para canal.saciio d'aguu e. gaz no hospital
Pedro II,. no consistorio da greja de Nossa
Senliora do Rosario da freguezia de Santo
Antonio.
Os bilhetes,meios e quartos este a ven-
da na respectiva thesouraria ruado Cres-
po n. 15.
Os premios de lOcOOO0OOO at 20OO0
serao pagos urna hora depois da extraegao
at as i horas da tarde, e os outros depois
da disiribuico das listas.
As eneouiroBudas s^ rao guardadas so-
mente at a noite da vespera da extracto
como de costume.
PLANO
Para as parte*
DE
TW71 **S>
&i

fMWMt pelo Exm. Sr. prest! en le.
3000 bilhetes a tOJOOO............ 30:0005000
Beneficio, sello o eommissao 2i O|0.. 7:200^000
Liquido......22:8005000
li Premio do........ 10:0005000
1 Dito do.......... 2:0805000
1 Dita de.
1 Dito de..
6 Ditos de
12 Ditos de
24 Ditas de
804 Ditos de
8S0 Premios.
2130 Braneos.
1005000
405000
205000
105000
8005000
4005000
6005000
4805000
4805000
&40500O
---------------22:8005000
3000 Bilbetes.
N. B. Os premios maiores de 4005000 esto su-
geitos ao descont da lei provincial, e os raaiores
de 1:0005000 ao da lei. geral.
Thesouraria das loteras 11 de maio de 1865-
O thsoureiro,
Antonio Jos Rodrigues de Souza.
Brrelo Jm.ior,. qae a pouco ehegofi a esla cidade
para fazer admirar o seu genio marcial, eom o
qual tem culhiJo muitoslouros as deinai* provin-
cias do imperio.
Naoccasio do Gloria, sera distribuido ntreos
fiis assiteutes, emblema do Peraclito,. assim
como o pao bento. O sermao do evaogeuio sera
fUesempenhado peio lm. e Rvm. Dr. Joaquim 6*a-
fthno de Araujo, que pela sua vasta eloqueccl.i.
confiamos no crescido numero de fiis que compa-
lecero para daremo devido aprecoque merece o-
urador sagrado.
Depois de acabada a missa, tres meninas caras-
terisaudo as columnas do calholleismo, F. Espe-
ranza e Caria le dvHrtbuiroo bolo de^OOrie
eom um pao, e o emblema do Divino Parclito, :t
cada pobre que se adiar presente, sendo ObSSrAt-
do pela mesa regadora o g Io do art. 20 do compro-
missa que nos rege, que manda nessa occ.i>iao di-
vidir enire sele necessitados a quanlia de 15 a ca-
da um, llgurauoo assim os sote dmsdo Kspiri'.i-
Santo.
Novas pegas de msica se ouvri no ambiio
do templo, terminando essa fastividade cora urna
grande salva real.
A' 7 1/2 tocas da noite havera le-Denm .anda-
mus, perteneeudoa sagrada tribuna aolllm. e Rvm.
Fr. Joaquim do Espirita Saulo, pregador da capella
imperial.
Terminado que seja o acto, a bandeira ser re-
conduzida ao lemplo, acompauliada de msica e
fugeles, assim comofar se-ba subir algttJts baldes.
A mesa regedora da irmandade do Hivhao Espi-
rito *>anlo, congralula-se em fazer scieule de que
us duas bandas ue radica das sociedades Bella
Uaio e Dnio Commercial, dando provas de cora-
Coes bemfazejos e religiosos, de bom grado presla-
iam-se gratuitamente a mimosear seus atns, pelo
que lcar snmtnamente reronDecida, e appi !i*
para o mesmo Divino Espirito, a graca de lies
coadjuvar com sua tagrada uz uaqulio que pre-
teuilem.
Consislorio da irmandailo do Divino. Espirito
Santo, erecta no convenio de Santo Autonio do Re-
cife, 1 de junho de ISo.
Joao Walfredo de iledeiros,
Secretaria.
Pa sua de Hoafas. n. 86, lava-se e engomma-
e eom loda proraptidao porpreco mnito raspa- U ramenta da hanaaini o-la mesma forma or-
Pregramma du testa do Di-
vino Espirito S.into na suii
igreja o^Collegio.
Hoje ao ineio da a. banda de musida do 3o bala-
ho da guarda nacryual ezecuUr varias pega*
de msica. As 6 horas da larde o templo conve-
nientemente ornado ser franqueado a cuncarren-
cia publica.
As 7 huras feita a exposico do Santissimo. Sa-
cramento, e de ter executado varias pecan de mu
sica a banda da soiie lade Umo Permaueote, en-
tra rao ns vesperas sendo orador as mesiiws o
Rvmd. Sr. Leonardo Joao Grego.
Amaulia as 4.1(2 horas da madrugada havera
missa rezada acoropauhada da msica da j.refe-
rida sociedade, fidu a eatesa ao romper a. aurora
urna salva de l tiros,, aanunciar ter arroiado o
grande da ta commii-Tjoraco da Descidu.do Nos-
so Divino Padroeiro sobre o Senaculo.
As 10 horas indubitavelmente..entrar a festa,
sendo a msica do maeslro Belne Fer'jt, e regen-
cia pelo maestro Sinoltz. Os solus do GJoria sero
executados pela Exm.* iladama.L'ierri^jjnia joven
peruambUKana (que benRnamenle se prestara por
especial favor) eos raelhores artistas ilesta caoital.
Pind o Evangelho,. & insigne WuMnfctls rasiiniro
o Illm. Sr..Praucisco-Muniz Brrelo Iiioior (tam-
bera por especial favor) usecutara' na-sua mibeca
lidas vamaces. Depois du que sui-ira'. a tribuna
sagrada o Rvmd. pregader da capella imperial
Fre Joaqpira do Espirito Santo, tma outi.vsalva
de 21 uros annuaoiara' o acabaisanlo da missa
da festa.
Em seguida ata lindo aojo Cara.' sua assancao
em fiante a igreja.
As-3i horas da larde em pon,. principiara' a
formar a proeiso, e as4-segoA#a, jMer*wer as
ras- j. annnnctadas; fazendo a* honras da mes-
ma urna brigada que nos foi tooignamenie conce-
dida pelo Bxm. Sr. presidenta. RtcoUla a pro-
cissao contranar a executar vara, pecas de msi-
ca a j.mencionada sociedade. subtido cm seguid
da ao pulpito o Rvirul.Sr. Antaaioitanoel de As-
sumpgo j o lindando este o Ulra Sr. ronego viga-
rio entoara' o hyrano Te-Dtum L'iudamos te stor
minum conflienjur ; linalisaralo, todo o acta son
Rio de aaateir.
Segu em poneos dias o patacho nacional Dha
tin : para o resto da carga qne Ihe talla tratase
na ruado Trapiche n. 4.
Para a Baha
pretende sabir eom muita brevidade a veleira es-
cuna E/izo por ter a maior parle da carga, e para
o resta que Ibas falta tratase com o consignatario
Joaquim Jos Goocalves Beltro na ra do Vigario
n. 10, priraeiro andar.
vel, tanto para casas particulares como para qual-
quer pessoa._____________________
iAGAZE
Do Norte.
Sahio o 8a numero e est a venda na livraria
1 econorolea, roa do Imperador n. 79.____________
*vna de leite
Preoisa-se de urna ama da lee : a tratar na
praca do Corpo Santo n. 17.__________________
que foi arvwada.
O-esrriin,
Manoel Laiz da Veiga.
i) Sr. Js ti* Silva |Weita.
Commerciante eslabatwido na ejioe ie Goian.
na e de presente ivesta. ciilade, tenha a hundid
de antes de retirarse p*ra alli, dunit-se a ra du-
Bariholomeu u. 43v este pedido se II til a bem,
de se Ihe p-iupar (topeas e desgostiu ao inesino
Sr. Oliveira.
O represewtante da sociedad a Previdento
do Banco AlHaaca do Pono, que se acha de passa.
gem nesta cidade, participa aos seus amigos e ro-
onecidos, que seguir para o sul do imperio nu pro-
Pede-se ao Sr. solicttador Joo Joaquim de ------
Figneiredo que diga a soa morada aonde se na xim vapor francez, dVmde espera regresar no
vtha do Pina, ou no, Recitj para se poder prneajtr.! prvsjiw et de-aovearAro.



Mario de reraaalraeo .- MmhIo 8 e 4uuho de !&.
CLIB l'ERUMIHJCAM
Domingo 4 do corrente
haver remullo de familias.
Casa.
Alaga-se oraa casa com 2 salas, 3 quartos gran-
des, cozioha fra, cacimba, quintal morado, e por-
ta ao lado para onde tem um terreno pertencente
a mesma, na Soledade, no flm da ra da Conquis-
ta : a tratar no Caminho Novo n. 85, ou na ra da
Cadeia do Rccife n. 3. Alaga-se tambera o tercei-
ro andar da casa da ra Oireita n. 36, cora muitos
comraodos para grande familia : a tratar na ra
da Cadeia do Recife n. 3.
Aluga-se um moleque de 18 a 20 annos de
idade, para qualquer servico : na ra dos Marty-
rios n. 2.
Seciedade Recreativa Coryban-
tina.
De ordem do IHm. Sr, vicepresidente, servindo
de presidente, sao pelo presente convidados todos
os senhores socios para no dia 4de junho corrente,
pelas 10 horas da manhaa, comparecerem sala
das stssSes da mesma, aflm de tratarse do preen-
chimenlo dos lugares vagos da respectiva directo.
Faustino Jos da Fonseca
___________________Io secretario.
Rouharam da casa n. 48 na ra da Impera-
lriz, primeiro andar, 1 relogio de ouro, patento in-
glez, com urna cadeia de comas pretas, 1 binculo
1 chapeo de sol de 16 hastes, de cor verde, 1 bo-
net e urnas lonetas, ao raeio dia do ultimo do mez
prximo fiado________________________
Joo Baptista Gomes Penna roga a seus deve-
dores que vohara liquidar seus dbitos na praso
de 15 das ; se nao satisflztrem forcam-o a entre-
gar ao sen procurador para receber judicial ou
amigavelmente.________________________
Rogase aos Srs. Manoel Custodio Peixoto
Braga e Bricimo Antonio da Cruz Soares, que te-
nham a hondade de declarar por este jornal o
lugar de suas residencias, afim de entregarse
duas cartas viadas do sul, o que de alguma sorto
lhes interessam.__________________________
-^Precisa so do urna ama para comprar, cozl-
nhar e engommar : na travossa da ra das Cru-
zes n. 14, segundo andar. >
Ha para alugar-se um hora moleque de 14
anuos : na ra do Livramenlo n. 19
Galgo
esappareceu ha dias um cao de raja galga, cor
de chumbo, tendo a pouta da cauda e lado direito
do pescoco, descendo ao peito, brancas : roga-se a
quem o tiver o especial favor de restituir, pelo que,
alem do agradecimento, se gratificar : na ra do
Hospicio n. 36.
Christiano Jos Tavares relira-se com sua
familia para Lisboa a tratar du sua saude, deixan-
do o seu estabelecimento de marcmeiria na ra do
Imperador n. 47 a cargo do socio gerente o Sr.
Joaquim da Costa Ramos, e por seus procuradores
os Srs. Domingos da Silva Campos, Paulo Jos
Gomes e Jos Rufino Ciimaco da Silva.________
Alu?a-se um dos andares ao sobrado n. 43,
na ra do Rangel.
Irmandade do Divino Espirito Santo
erecta no convento de S. Antonio
desta cidade.
Por ordem da mesa regedora convido a todos
os nossos irmos para comparecerem em o nosso
consistorio, no domingo 4 de junho prximo futu-
ro pelas 3 \ horas da tarde, para que depois de
fioda a nossa festa, encorporarem-.e afim de acom-
panharraos a procisso do Divino Espirito Santo,
que tem de sahir da igreja do Collegio. Consis-
torio 31 de maio de 1865.
Joo Walfredo de Medeiros,
Secretario.
D. Henriqueta Elyzia Banks de Miranda aca-
ba de propor contra Francisco Jos de Campos
Pamplona e sua mulhcr, no juizo municipal da 1"
vara d*sta cidade, escrivo Baptista, accao de rei-
vindicaco do sitio da Mangabeira em Olinda.
Alagam-se dous grandes sobrados com com-
raodos para numerosa familia, novos e aceiados,
GASA DA FORTOf i
Aos 10:000^000.
Bilhetes garantidos.
A' RA DOCBBSPO N. 23 B CASAS DO COSTUME.
Oabaixoassignadovendeun'os seas maitofeli-
ces bilhetes garantidos da lotera qne se acabou
de extrahir, a beneficio da igreja de Nossa Senho-
ra da Boa-viagem, os seguintes premios :
Um quarto n. 35 com a sorle de 6:0004000.
Um quarto o. 703 com a sor te de 1:200U00.
Um meio n. 591 cora a sorte de 4005000.
E oatras muitas sones de 100, 40$, 20$ e
10000.
Ospossuidores podera vir receber seus respec-
tivospremios sernos descontos das leisna Casa
da Fortuna ra de Crespo n. 23.
Acbam-se a venda os da 5' parte da 1* lotera
(18*) beneficio da Santa Casa de Misericordia
liara canalLsaco d'agua e gaz no hospital Pedro
II, que se extrahir a 7 de junho.
PRECO.
Bilhetes.....125000
Meios. 65000
Qaartos.....3*000
Para as pessoas que compraren) de 1005000
para cima.
Bilhetes.....115000
Meios......55500
Qaartos.....2*750
_ ______Manoel Martins Fiuza.
0 capito Manoel Porfirio de Castro
Ara ojo.
O abaixo assignado, commandante da coropa
nhia de cavallaria, declara, que entre os papis
comidos em sua carteira perdida ante-hontem, se j
achara daas letras aceitas por seu mano Lino Jos,
de Lastro Araujo : urna de 548 mil e tantos reis,
e outra de 50 e tantos mil ris, a vencer em julho
de 18C6.
J se cemmunicou ao aceitante a perda de taes
letras, e por isso de nada podem valer senao ao
abaixo assigoado, que anda por esta occasio,
(visto que est prestes a marchar para a guerra)
pede a resliluigo das mesmas letras, no caso de
serera encontradas, pelo qne licar eternamente
grato.
O capitao Manoel Porfirio de Castro Araujo.
Recife, 31 de maio de 1865.____________
Veneravel ordem terceira de S. Fran-
cisco do Recife.
O secretario da mesma, abaixo assigoado, de or-
dem da mesa regedora, e a convite das irmandades
do Divino Espirito Santo, erectas no ceovento de
S. Francisco e Collegio, roga a todos os seus cha-
rissimos irmos a comparecerem revestidos de seus
hbitos em nossa igreja, no domingo 4 di corrente
mM
Anteojo Jos de Araujo Braga, abaixo assigna-
do, declara que se despedlo da casa do sea primo
Jos Correia Braga, deixando d'ora em diante de
ser sea caixeiro.
Antonio Jes de Araujo Braga.
Samuel Power Johnston & Gompanliia
Ra da Senzala Nova n. 4.
AGENCIA DA
Fundido de Low IHoor.
Machinas a vapor de 4 e 6 cavallos.
Moendas e meias moendas para engenho.
Taixas de ferro coado e batido para enge-
nho,
Arreios de carro para nm"e dous cavallos.
Relogios de o uro patente inglez.
Arados americanos.
Marhinaspara descarocar algodo.
Motores para ditos.
Machinas de costura.
PEITOg
H?IW
(Si "O

Anna Anglica da Fonseca Pereira, o cora-
mendador Thomaz de Aquino Fonseca eseus
filhos convidam a todas as pessoas de sua
araisade para que se dignem assistir a urna
missa que mandara rezar no dia 3 de junho
as 7 horas da manhaa na igreja do Corpo
Santo, por alma de seu fallecido marido,
genro e cunhado Francisco de Paula Pereira.
fallecido na cidade de Lisboa no dia 12 de
maio e desde ja confessa a todos eterna gra-
tido.
Deseja-se[fallar com o Sr.
de Andrade, na ra do Crespo
andar.
Ernesto Botelho
n. 16, primeiro
mez, as 9 horas da manhaa, para assistirmos a Loureiro, professor particular de Instrucco
festa da irmandade do convento, e as 2 horas da
tarde para acompanharmos a procisso da do Col-
legio.
Secretaria Io de junho de 1865.
________Francisco Jos dos Passos Guimares.
uga-se
urna casa terrea na rul dos Prazeres da Boa-Vista
n. 1 A pelo prego de 16$ mensaes : a tratar na ra
estreita do Rosario n 28.
Troca-se ura moleque na idade de lo annos
por urna mulata ou negra costureira : no pateo
do Carmo n. 1.
O abaixo assigoado comprou ao Sr. Joo Al-
ves da Cruz a sua taberna da ra da Guia n. 59,
livre e desembarazada de dbitos a pessoa algu-'
ma.Manoel Maia da Silva._________
de
se-'
r MOLESTIAS DA GARGANTA
E lnflammaoea PASTILHAS
DETHAN
AO SAL DE BEBTHOLLET
(Clorato de Potassa)
Prescriplas pelos Mdicos dos lio Pars, contra as Molestias da Garganta as Angi-
nas, oCrupo, as Ulcerarles e as InlluuimacfS da
boca.Ellas faiem vollar a flVxibilidade da gar-
ganta, e a frescura a toi, destruem o mau balito,
curo a irrilaro proveniente do fumo, e anniqui-
lao os aOeitos tao perniciosos do mercurio.
OPIATO DE DETHAN
OPIATO AO SAL l)E BERT1I0LLET
Recommendado as pessoas cujas denles se des-
camo e abalo, cujas gengivas sangra e as que
fazem uso o mercurio j elle conservao a aWura
dos dentes.
POS E ELIXIR
DENT1FBIUOS AO SAL DE BEHTUOLLET.
Seo perfume, seo sabor agradare!, suas quali-
dades tnicas c refrescantes torno o seo uso
precioso para a toilette, e indispeojavel para
sauda da boca.
DP* em Parit,ph'J>TTBAK,90,FfS-Denis.
80UM ET 0', T. DA rOWSZCi,
8, rua do Imperador, no Pcrnmmbuco.
Multa attengom
Precisa-se de um caixeiro que tenha pratica de
taberna : na ra da Senzala Nova n. 39. Na mes-
ma tambem se precisa de uro moleque para com-
prar e levar a comida para a dita' taberna : a
quem convier, dirija-se ao lugar indicado.
Irmandade do Divino Espirito
Santo do Collegio.
A mesa regedora desta irmandade, tendo de ex-
pr em solemne procisso o emblema do seu divi-
no padroeiro, na tarde de domingo 4 do corrente.
manda fazer publico que a procisso tem de correr
as seguintes roas: ao sahir, pateo de Pedro II, roa
do Imperador, ao voltar na ra de S. Francisco,
ra das Cruzes. do Queimado, do Livramento, Di-
reia, pateo do Terco, a voltar na travessa do S.
Joo, ra Augusta, de Hortas, pateo do Carmo,
camba do Carmo, ra das Flores, Nova, Cabug,
praga da Independencia, roas do Crespo, Impera-
dor, pateo de Pedro II ao recolher-se : roga-se a
das mencionadas ras de or-
.4 dmiraveis pechinchas
qne esto a venda na loja e armazem
da Arara, rna (Ja Imoeratriz n. 56,
de Lonrenco Pereira lendes Gnima-
res.
Bretanha de rolo 30.
Vendera-se pecas de bretanha.com 10 varas pe-
lo baratissimo prego de J a peca.
Madapolao enfeslado a 34500.
Vende-se madapolao enfeslado com 12 jardas a
3*500,4* e 4*600, dito com 24 jardas a 5*.
5*000, 6*500,7*. N. 40 7*500, L. 10 7*500, N. 6
8*, Elephante 8*500.
Soutembarquesdecoresa GiJ.
Vendem-se soutembarques de cores a 69, 7* e
8*, ditos de seda a 18-;, 20* e 25*.
Chapeos para homem a 10800.
Vendem-se chapeos para homem a 1*800 cada
um, chapeos de sol de panno a 2;, ditos de .seda
ra da Impe-
0 escrivo,
Manoel Luiz da Veiga.
0 co-
fixas,
cores
prego
ditas
todos os moradores
narem as suas janellas (por occasio da passagem j para boraem a 6* e 7*": s Arara,
da procisso) cora colchas, e de fazerem limpar as ratriz n. 56, de Mendes Guimares.
roas, certos de que aquellas que estiverem intran- S Arara vende chitas franeeus a 210 rs.
sitaveis, se tomar oulra direccao. O programma .
da festa ser amanha publicado, e aquel es de _.__ Ahif ... ,
nossos irm)s. que quizercm acompanhar a p ocis- ,.^n^:s!"^sn?r2cul!slle;do corf
sao c nao estiverem prevenidos de capa, queiram 2sSim como.seJam Padr^s delicados sendo
entender-se com o nosso irroo thesoureiro. *ea "" en(rvixas- rtsfvcend,e J. Ji1"'"8""0
de 240 o covado, ditas a 260, 280 e 300 rs.,
malisadas Qnas a 320 e 360 o covado.
| ^fSSSVSJl!&^US,: ^^^S^'W^rescu"
quesedignaram assistir as exequias e acompanhar 55?H lK*SJf*Jt covadA dlla.s,m'"-
atocem.teriopubli^ os rost-s mortaes de sua f'nh" c'""1 a ^? "' {J^'1*?
mu prezada av D. Maria Joaquina de Miranda loJa e arma"m| ** Arara roa da Imperatnz n. 56.
Henrinues. I Corles *' P" ^0.
-----n r. 4 u ,-----~<------:------------.... i Vendem-se os mais modernos cortes a Maria
escTipforio ffSXt^7 7 "' I HPa.-a *85' f > "*&* *. ,0* e 8> cortes
escriptorio ua ruaaa taaea n. t.______ ,je )aa sem barra a 3(j tem ig covados 0 ,.orle
Aluga-se a casa terrea da ra das Calcadas j Damasco de duas largaras a +$280.
; n. 45 : a tratar na ra do Queimado n. 32 cem I Vende-se damasco de duas larguras a 1*280 o
| Azevedo & Irmaos.___________________ : covado, dito de urna largura a 800 e 640 rs. o co-
Quem tiver urna escrava de mcia idade para vado, lengos de linho a 5*, 6* e7*aduzia.
Camisas franeczas a 1^600.
Vendem-se camisas francezas a 1*800, 2*. dita
de pregas largas a 2* e 2*210, ditas de linho a
2*o0, 2*800 e 3* cada urna, seroulas francezas a
1*280 e 1*500, dita de linho a 1*800 e 2*. co-
bertas de chita a 2* e 2*500 cada urna, carabraia
tiranca a 3*, 3*500 e 4* a pega, ditas de cores a
alugar, dirjase ao pateo da Ribeira n. 3, ou an-
nuncie.
O bacharel Americo Fernandes Trigo
Irmandade do SS. Sacramen-
to na matriz da
Boa-Vista
Em nome da mesa regedora convido a todos os
irmos para que se dignem comparecer no domin-
go 4 de junho, pelas 10 horas da manhaa, no con-
sistorio desta igreja matriz, afim de que reunidos
em mesa geral, depois de assislirem a missa votiva
do Divino Espirito Santo, precedam a eleigo do
juiz, escrivo, thesoureiro, procuradores e -msa-
nos que tem de funecionarem no anno de 1865 a
1866, de conformidade com o que dispoe os arts.
1, 2, 3, 4, 5 e 6 do capitulo substiluilivo ao Cap.
Io do compromiss que rege esta irmandade.
Consistorio da irmandade do SS. Sacramonto da
matriz da Boa-Vista 31 de maio de 1865.
O escrivo,
^_________Manoel Zeferino Dias Barreto.
Voneravel ordem terceira de Nossa Senhora do
Carmo.
Por deliberago da mesa regedora convido a to-
dos os charissimos irmaos a comparecerem em
cundana provisionado pelo governo provincial,
continua a ensinar preparatorios na casa de sua
residencia, ra da Saudade n. 9 ; assim como en-
sina as mesmas materias por casas particulares e
collegios a pessoas de ambos os sexos, mediante I
razoavel paga : para o que pode ser procurado na
dita casa das 7 horas da manhaa ao meio dia, ou
das 3 as 5 da tarde.
Pergunta-se a certos influentes de urna subscrip-
gao que se est tirando no Forte do Mato, para urna;
pessoa que tem bens e que nao qur langar mo !
do que tem para pagar a quem (leve, meas amigos
nao estamos na India, esta mesma pessoa sao com
esta tres vezes que se tem tirado subscripgao e elle
se nao qur retirar-se dejte Forte do Mato, aflm da
mamata que tem tirado com a subscripgao.
O tnglez Ofinaia.
mmmm mmmmmm mmmm
| Cornpanhia delidade de seguros
H! martimos e terrestres m
estabelecida no Rio de Jaueiro. S
P AGENTES EM PEIINAMBUCO
H Antonio Luiz de Oliveira Azevedo k C, Q
ig competentemente autorizados pela direc- ^p
?5 loria da cornpanhia de seguros Fidelida- jg|
1 de, tomam seguros de navios, mercado- ff$
vsS rias e predios no seu escriptorio ru* da R2
Wt Cnu n. 1.
COMPRAS
Coraprarase libras sterlinas : na ra da
Cruz n. 18, armazem de Jos Joaquim Lima Bairo.
Cambraias de cores a 300 rs.
Compra-se efectivamente ouro e prata em Vende-se cambraia de cor a 300, 320, 360 e 400
ooras velhas, pagando-se bem : na ra larga do rs. o covado, cambraia de salpicos a 2*500 e 3* :
Rosario n. 24, loja de ourives. na ra da Imperalriz n. 56.
Silvino Guilherme de Barros compra e ven-1 Cuales de merm a 2#.
de cffectivamente escravos de ambos os sexos
ra do Imperador n. 79, terceiro andar.
da lode-
Vendemse chales de merino a 2*. ditos de chi-
ta a 1*600, 15280 e 1* cada um, chales finos com
ponta redonda e borlla de seda a 6* e 7* cada
um, cobertores de algodo a 1* cada um : na ra
da Imperalriz n. 56.
Grande armazem de (iutas.
>tc VftZlftS BL'A DO IMPERADOR N. 22.
^vUjuo wtio O armazem de ttutas um grande deposito de
Propnas para geoebra, compram-se na ra do; productos cbimicos utensis e os mais empreados
Ouro e prata
em obras velhas : compra-se na praga
pendencia n. 22, loja de bilhetes.
Botija*
rom jardira, cocheira, estribara e outras commo- nossa ordem, paramentados com seus hbitos, as
didades, n travessa de Joo Fernandes Vieira : 3 hor
Approvaa por varias Academias e alias
summidades medicas.
O que occasiona cm r/ral as molestias abaixo
designadas a esta^nacao do sangue em certas
partes do corpo, a qiial produzida pelos resfria-
mentos e muitas onlras cauzas, cutio dcclarfio-se
OS liheumalismos, Gola, Paralysia, Fraqucz*
dos membres, Conslipacies, Elephanliasis ou
Pernos bichadas, el Vares Nervosas.
O uso da escova ELECTRO-MAGKTX-
TICA lera MKMMO certo para a cura de todas
estas molestias, sem recorrer se a nenhuma outra
niodicacao. Ella tem urna forma mu manejavel
c produt, i venladc de quem d'ella usa, seos mait
uteis e felizes resultados. Seo emprego preserva
das molestias cima. Para maisinformacescon-
sul-te-se a noticia que accompaiiha cada Escova.
DEPOSITO GBAX
BouUvsirt du Priaet Eujcne, 18, Pmrit.
Apollo n.5.
Compram-se libras sterlinas a 9*500, e tam-
bem ouro amoedado, brasileiro o porluguez : n
ra da Cadeia do Recife n. 22.
Compram-se libras sterlinas a 9*500 : na
praga da Independencia n. 22.
Compram-se 2 ou 4 casas terreas em boas
ras ou mesme sobrado : quem as tiver deixe o
prego, ra e numero em carta fechada na pracinha
da Independencia ns. 6 e 8 com as iniciacs A. A.
VENDAS,
Al
e usados na pharmacia, piHtura, photographia. tin-
turara, pyrotechinia(fogos de artificio) e em outras
industrias.
Montado em grande escala, e supprindo-se di-
rectamente lias principaesdroganasdeParis,Lon-
dres, llamburgo, Anvers e Lisboa, pode offereceer
productos de plenaeonfianga e satisfazer qualquer
encommenda a grosso trato e a retalho, porprecos
razoaveis.
Prvidos de machinas appropriadas satisfar
com promplldao qualquer pedido de tintas moidas
a oleo.cuja qualidadee pureza de seus ingredien-
tes podar ser examinada pelo consumidor, o que
nao fcil fazer com aquellas que sao importadas,
e que se enconlram no mercado em lalas fechadas.
Tem grande collecgao de vidros de diferentes
formatos, desde urna oitava al dezeseis ongas de
capacidade ; de vidros para vidragas e diamantes
para corla-los; de pinceis para fingir madeira com
; propriedade e outros; de papis dourados e pra-
teados e folhas de gelatina para ornamento; de
papel grande e pequeo formato de vanas cores
para embrnlho, para forro de casa, para desenlio
Vende-se esta linda collecc-ao de .
reunidas em um neauono volunte com 25 coai ?n-d0,a fe"; de papel alLan ,Dado e B^i'!"',
reunidas em um pequeo votme, com zn verdadeiro saxe para ,,|,0tograi.hia e para filtrar,
Vende-se na ra do
franceza n. 38.
assumplos, e ma diminuto preco Se 1;? cada exemplar enea-
Imperador botica dentado : na praga da Independencia ns. 6
e 8.
a tratar na ra da Senzala Nova n. 42.
Criado.
Precisa-se de um criado forro ou
andar pelo malo com urna pessoa que
em cobrar dividas, cujo trabalho de criado
horas da tarde do dia 4 de junho, para encorpo-
rados, ac-mpanharem a procisso do Divino Espi-
------------- i rito Sinto do Collegie.
. I Secretaria da veneravel ordem terceira do Car-
escravo para mo 31 de malo de 1865.-0 secretario,
Jeronymo Emiliano de Miranda Castro.
sera
cuidar no tratameoto de dous cavallos, paga-se trecisa-se lanar com
ham na rna iln liarlhnlnmpn n Ut au'a Lavalcantl. morador
bem : na rna do Barlholomeu n. 45.
- Fagio no dia 10 de maio prximo passa'do o
preto crioulo de nome Braziliano, idade de 26 an-
nos, estatura regular, cr fula, tendo um dos den-
tes da freote quebrado, sem barba, apenas alguns
cabellos a roda da garganta e olhar amortecido,
bem fallante, sabe 1er e escrever e falla um pouco
o inglez, bom copeiro, cosinha e lava bem, levou
vestido camisa de algodo branco e caiga de dito
azul, conduzindo alguma roupa fina, como bem
caigas de casemiras.de lisias, jaqueta branca e ca-
misa de madapolao, lenges e mais roupa que tem
marcada com a letra B de linha de marca, algumas
pegas e outras com o nome por extenso em tinta
de marcar, levou chapeo de palha imitando man
Iha, chapeo de sol do seda verde j usado, sapatos
e meias, de suppor que se inculque de forro :
quem o apprehender conduzindo ao sitio de Joo
Matheus, no Pogo da Pauella, ser generosamente
gratificado por seu senhor Jacome Bandeira.
Attenc&oT"
Na rna da Gloria n 100, faz se bolos de todas
as qualidades, enfeitara-se bandeijas do melhor
gosto, por mais barato prego do que em outra
qualquer parte, quem quizer dirija-se a dita casa
que ser servido.
Achando-n,e constituido como solicitador na
procoragao que corre nos au os de acgo ordiuaria
de Joaqaim Ignacio Ribeiro Jnior, se defende da
cobranga que Ihe faz Antonio Fernandes de Azeve-
do pelo juizo do commercio, e nao tendo eu sido
convidado pelo dito Ribeiro para encarregar-me de I
sua causa e nem tendo sciencla de minha inclasao
na procurago : declaro que nao sou solicitador em
dita causa.
Recife lde junho de 1865.
Manoel Raimundo Penaforte.
O bacharel Lourengo.Avelno de Albu-
querque Mello continua a ter seu escrip-
torio de advogado nos auditorios e tribu-
naos desta cidade : na ra do Imperador
n. 40.
Precisa-se fallar coni o Sr. Francisco Luiz de
no engenho Anhumas,
a negocio que nao ignora ; no armazem da estrel- Imperatriz n. 34, primeiro andar,
la, largo do Paraizo n. 14.
I'recisa-se de urna ama para engommar e co-
ser, para urna casa de duas pessoas : na ra da
Qnem precisar de urna pret para todo o ser-
vigo de casa, porcm cjm a condigo de nao sahir
a ra, dirija se a ra do Rangel n. 60, segundo
andar.
AMA
Precisa-se de urna ama para comprar o co-
sinhar em casa de hornera solteiro : na ra do
Queimado n. 30, loja.
8mbHBKBB5EC7 ,.-
*. t. *
Jos Joaquim reir, Luiz da S da Silva, tendo convento de Nc dia 3 do corren por alma de set nio da Silva Fe gos e aos do fin gioso acto, pelo [ tos. da Silva, Jo ilva Ferrelra de celebrar ssa Senhora teas 7 l|2 ho i muito presa reir, rogam do a assisli que sero et o da Silva Fer-, Joaqnim Jos urna missa no do Carmo no ras da manhaa, do irmao Anto-aos seus ami-rem a to reli-rnamente gra-
O bacharel Joao Franklin daSilveira Tavora
advoga no escriptorio do Dr. J. de Campos, praga
de Pedro II n. 2.
O London A Drazillan Bank,
os paquetes.sobre
Lisboa.
Porto.
Braga.
> Vianna.
Guimares.
Villa Real.
Coimbra.
Amarante.
saca por doos
Matriz de Santa Antonio
A mesa regedora da irmandade do SS. Sacramen
to convida todos os seus dignos irmos a compare-
cerem pelas 3 horas da tarde do dia 4 do corrente,
para em grande numero reunidos e encorporados
acompanharmos a procisso do Divino Espirito
' Santo que tem de sahir da sua igreja (Collegio),
para o que fomos convidados pela respectiva ir-
mandade.
Consistorio da matriz de Sanio Antonio Io de
junho de 1865.O escrivo,
'_______________Luiz Cesario do Reg.______
Na ra da Aurora casa n. 38, precisa-
se de urna ama de leite: a tratar na mes-
ma casa a qualquer hora do dia.
e outros ; vernizes de essencia para quadros, de
espirito para madeira, copal para o interior e ex-
tetior ; oleo graxo, oleo seccativo, oleo de linhaga
| clarificado, oleo de toiele, secativo de Harlim, ouro
I verdadeiro em p ; prata, enro, e estanto cm fo-
Vendem-se 66 palms de terreno sito na ra lhas de varias cores ; timas vegelaes, inoffensi-
Augusta prompto para se edificar : a tratar na vas proprias para confeitarias; la de cores, e
ra do Alecrim casa com porto de ferro na frente. olhos de vidros para imagens ; tintas em tubos e
-------r-------H--------------"j : telas para retratos ; tintas em pastis e em p pa-
AOS DFS. aCaemiCOS. Iraaquarella; essencia de rosa superfina, de ne-
iv-rnu rinasi no-' roly, jasmim, bergamota, aspice, palchouly, mbar,
i bouquet.limao, alcaraiva, melissa, orlela pimenta,
lonro, cereja, alfazema, juinpero, Portugal, lima,
Vendem-se os seguintes
vos : Manuel de droil romnin por Mackel
dey, 1 volunte, por GiJOOo; Diccionaire anis da Russia, canella, cravo e mu i tos outros ob-
du eontenlieux commercial I por Mass, i Jeclos '^ue s cora a vis,a, Prierao ser mostrados.
volunte por 6#(00; La fe mine por ma-
dama A Seglas, 1 volunte, com estampas
finas por 5&000; (Etures de Hacine, l
volme, com estampas finas por 6$0u0; i
OEuvres choisis de Buffon, i
Joo Pedro das Neves,
Gerente.
A tugase
Irmandade dos Passos.
Por ordem da mesa regedora convido a todos os i
nossos irmos a comparecerem domingo, 4 de ja
nho corrente, no consistorio da nossa irmandade,
Roubaram de urna tmagem de Santo Auto-1 na matriz do Corpo ^anto, afim de encorporados,
nio, do sobradinho do Muniz defronte do viveiro. > acompanhar a procisso do Espirito Santo da igre-
encarnado de novo, tendo o menino Dos pegado, ja do Collegio. Outro sim rogo a todos os nossos
cora resplaodor de ooro e a cruz tambem de ooro: t irmos que teem capas era seu poder o favor de,
roha-se, portanto, aos ourives es pessoas a quem manda-'as entregar ao Sr. thesoureiro para serera
um sitio na campia da Casa Forte, com duas ca-
sas, urna a em que morn o fallecido Thomaz de
Aquino Fooseca Jnior, feita a moderna, e conten-
do todas as accommodagoes precisas, e outra com
bois commodidades para qualquer familia : na
ra do Vigario n. 19, primeiro andar.
Cozlnhelro.
Quem precisar de nm bom cozmheiro, dirija se
a ra do Rosario n 37, das 6 as 4 da tarde.
Tendo o nosso distribuidor de Apipucos de-
; clarado ter perdido os recibos dos' senhores subs-
' crlptores, desse districto, que elle tlnha para co-
brar, declaramos que flcam elles sera vigor algum
| e que somente se pagar a quem apresentar reci-
! bo cora a firma da casa por extenso.
mmmm mmm-mmmmmmm
O bacharel
Francisco Angosto da Costa
ADVOCADO
Ra do Imperador numero 69.
for offerecido, o favor de o apprehender e lavar a
meesma casa, que muito se agradecer.
Ama
Precisase de ama ama para comprar e cozinhar
para casa de homem solteiro : na ra Nova njt-
mero 6.
Ha para alugar-se na ra dos Pires n. 39
nm preto e um moleque da 14 annos, aqnelle pro-
prio para todo o servigo qur do campo qur da
praga, e este parajwaeiro._________________
Precisa-se de dous trabalhadores para pada-
ia : na roa larga do Rosario n 16.
distribuidas, sendo que nao possara comparecer.
O escrivo,
A. R. de Andrade Luna.
A luga se urna escrava propria para o servi-
go interno de urna casa, porque compra, cozinha
e ensaboa : a tratar no escriptorio da typographia
da Ordem, ra da Praia n. 34.
Precisa-se de ama ama forra ou captiva pa-
ra cosiohar e comprar para casa de rapaz soltei-
ro : no largo do Carino n. 9.
ATTENClO.
r
Engenho.
A r renda -se o engenho d'agua, na freguezia de
Ipojuca, denominado Jassar de Sant'Anua, urna
legoa o raeia distante das estagoes da Escada e Ipo-
juca, com ierras excellentes de massap para se
sa'rejar em grande escala : a tratar no pateo do
Livramento n. 23 cora o Dr. Ignacio Nery da Fon-
seca.______________________
O abaixo assignado, passageiro chegado l-
timamente de Lisboa no vapor inglez La Plata,
agradece cordealmente ao film. Sr. Dr. Maximiano
Marques de Camino a mineira com que o dito
senhor o tratou a bordo do dito vapor com reme-
dios da sua carteira homeoptica, que fizera de
prorapto desapparecer o mal que o tnemo abaixo
assignado soffria desde o principio da dita viagem.
___________Aotoni] Jote de Farlas Lias.
Precisa se de um bom eoziuheiro para 9 o-
le italiano, ra do Trapielw n. S.
Joo Baptista Gomes Penna querendo tratar
de sua saude gravemente alterada, tem resolvido
vender seu mu acreditado armazem de molhados
da ra do Imperador n. 46 : a quem
dirija-se ao mesrao
hora do dia.
estabelecimento a qualquer
Na ra do Pilar o. 125 lava-se e engomma-se
com perfeigo, por prego commodo.
Precisa-se de nm bom cezinheiro, prefere-se
captivo : na ra do Crespo n. 4.
feiTor]
Precisase de ura feitor que seja capaz, e dando
interessar, DOas nformagoes, sendo casado d-se casa propria.
Para os festejados dias de S. Joo e S. Pedro
existe na muito acreditada fabrica de fogos de ar-
tificio da ostrada de Joo de Barros, propriedade
da viuva Rufino, um completo sortimento de pis-
tolas, craveiros, rodinhas e fogo busrap : como
seja penoso d algumas pessoas irem a fabrica pela
distancia, os pretendentes podem deixar suas en-
commendas no armazem da bola amarella no oito
da secretaria da polica.
- Na praga da Independencia n. 33, loja de our
ves, compra-se ouro, prata, pedras preciosas e
tambem se faz qualquer obras de encommenda e
odo e qualquer concert.
Precisa-se alugar nm escravo para todo o
servico de urna casa de familia : na ra da Cadeia
do Recife n. 52, terceiro andar.
Precisa-se de urna boa engommadeira forra:
na ra da Cadeia do Recife n. 52, terceiro andar
O Sr. Pedro de Alcntara Monte Li-
ma, queira dirigir-se a esta typographia a
negocio de seu interesse,______________
Sortes do S. Jco
Vendem-se lindos papis com estalo para as
sortes de S. Joo : na ra Nova n. 61 defronte da
Illma. cmara municipal.
Aluga-se o armazem da casa n. 53 da raa da
Imperalriz para qualquer estabelecimento por sua
boa largura e grande fundo, achando-se com todo
o aceio : para ver, as chaves se achara na loja
coofrontp ao Sr. Mendes Guimares.
Attencao.
Vendem-se sortes para santo Antonio e S. Joo
volunte, COm a 35500 o cento, tambem d-se de vendagem a 80
estampas finas/por 4$O; Cdigo de <*< rs- Pr |ia'aFa : Da rua da Palm> 4I- tal'erna-
dito predial, 1 volunte, por IjJO ; Flores a ll|?|\j|t'l K C
singelas, poesas por Paes d'Andrade, i v-o i fi.fllj *I'U.lil
lume, por 2#000; Viagem ao Araguaya confeitadas: na rua do Rangel n. 43.
pelo Dr. Cout > de Magales, 1 volume,'
por 20000 : A velhice de Camdes, romance
ipor Trigueiros, por 25000 ; La vie des\
saints, { volume, por 1^200; Economie po-1
litigue, por Garnier, 1 volume, por 2$ ;
F
cm s
Chegou um completo sortimento de ferros de
negras da escripturaco mercantil, por Go- diversos modelos para encrespar e engommar ba-
mes Jnior, 1 volume, por 25500; Orqani- bados, pafos e todos os objectos de roupa branca
tatinn Un trannil norliuiia RIanr 1 vnln- Ana pertencente ao toilet de urna senhora, enoje
satwn |au tr<">au, por umis Jianc, i vo u |ndispensaveis, os quaes se vendem por menos
me, por liOO ; LEpiphante, pelo padra precoque em outra qualquer parte : na rua do
Ventura, 1 volume, por 150(0: Le ja! dt-\ Crespo a._i._____________________________
nierdes salons, 1 volume, por 610 rs.: na
rua do Cabug n. 2 A, loja.
Na rua do Queimado, loja dd ferragens n. 4
eende-se muilo em conta um par ds venezianas.
Farinha de mandioca : tem para vender Au
tonlo Luiz de Oliveira Azevedo & I., no seu es-
criptorio rua da Cruz u. 1.
A ttenco
Vendem-se estalos para sortes de Santo Antonio
e S. Joao a 60 rs. a duzia : na livraria universal
rua do Imperador n. 54.
Vende-se
- Vender sanguesugas de KSradk-1 %j^tS^%S^^ ^^
de, em caixas ou a retalho, a vontade do compra- ------2---------------z2-----z.----------------------
dor.c por prego mui razoavel-, na botica franceza Farello a ljjfOOO o sacco.
de Caors & Barbosa, roa da Cruz II. 22. Em saceos grandes.
Nllho a 408OO.
Kua larga do Rosario n. 50 taberna da esquina
que volta para o da rua Estreita.
Fio de algodo da llahia.
Vendelse no escriptorio de Antonio Luiz de Oli-
veira Azevedo & C, rua da Cruz n. 1.
ttenco
Quem julgar-se credor do abaixo assignado,
queira apresentar suas contas no pra-o de 15 das.
____ Joo Baptista Gomes Penna.
O abaixo assignado avisa a todo3 aquellos
que estao devendo loja que foi de Jos Sampaio
Coelho, que caso nao queiram passar pelo dissabor
de verem seus nemes neste Diario e irem sujetar-
se ao rigor das penas que a lei Ihe faculta, hajam
de quanto antes satisfazer seus dbitos na men-
cionada loja, visto que s o abaixo assignado o
nico autorisado a recbelos, e para que ninguem
se chame a ignorancia, faz o presente. Recife, 31
de maio de 1865.
H. A. Barreiros Rangel.
Precisa-se de urna criada forra ou escrava
para engommar e fazer mais algum servico era
casa de pouca familia : na rua das Cruzes n. 22,
fegundo andar.
Precisase de urna pessoa qne tenha boa le-
tra e saiba escrever con) eorrecgao : na raa da
Aurora n. M,
na rua Nova n. 19, primeiro andar.
AMA.
Precisase alugar ama escrava ou mesmo forra,
que compre e cozinhe para casa de duas pessoas :
na rua de S. Francisco n. 54.________________
AMA
Precisa-se de urna ama para o servigo interno
e externo de casa pomena : na rna do Corredor
do Bispo n. 22.
Aluga-se urna sala do primeiro aDdar da rua
do Queimado n. 41 : a tratar na mesma.______
Precisa se de urna ama para casa do duas
pesseas para cozinhar : na rua da Peoha n. 23,
primeiro andar.
Aluga-se na Passagem da Magdalena, rua do
Bemfica, os sobrados ns. 7 e 9, com bons commo-
dos para familia : trata-se na rua do Trapiche
numero 4.
Alaga se o 1* andar da casa n. 7 da rua do
Burgas ; a tratar oa tenzala Nova, refinago-nu-
mero 4.
"O Dr Carblino Francisco de Lima San-
tos, contina a residir na rua do Impera-
dor n. 17, segundo andar, onde pode ser
procurado a qualquer hora do dia e da
noite para o exercicio de sua profissode
medico; sendo que os chamados depois
de meio da al 4 horas da tarde devem
ser deixados por escrlpto. O referido
Dr. nao abandonando nunca o estudo das
molestias Tdo interior, prosegoe, com
o maior afflnco, no das mais difficeis e
delicadas operagoes, como sejam dos or-
gos urinarios, dos olhos, partos etc.
Antonio Pedro de Souza
Soares
Rua Nova n. 28.
Acaba de receber eofeites para senhoras muito
modernos, pentesenfeitados.chaposinhos parabap-
tisados, sinto? e outros muitos objectos tendentes ao
sortimento de sua nova loja de miadezas, ferragens
e quinqullharias, vende por commodos pregos.
Preclsa-se de urna ama que saiba cozinhar e
engommar para servir a ura mogo solteiro em um
sitio prximo da jtiade : a tratar na rua do Ira-
perador n. 22, l'TTfldar.____________________
Descuutam-se notas do banco do Brasil e das
caixas filiaes: oa praga da Independencia n. 22,
Machina
Reducco do preco.
Vendem-se por pregos reduzidol machinas da
descarogar algodo, de serraste todos os tamanhos
a saber ; de 14 a 60 serras, assim 'como motores
para as mesmas e urna machina de 20 serras cora
a competente machina a vapor, as quaes se acham
a vista no armazem de farinha por fcaixo do Gabi -
nete Porluguez : a tratar no mesmo armazem ou
na rua do Trapiche n. 8, outro sim recommenda-
se aos compradores das mesmas que usem do azei-
le doce ou de coco em lugar do azeite de carrapato
Vende-se ou troca-se por propiedades nesla
praga um sitio em chao pmprio, com daas casas,
cada urna com commodos para grande familia, ar-
voredos de fructo e trra de plantioj na povoagfto
de Beberibe : a tratar na mesma povoagaD com a
proprietaria Anna Maria da Luz Dourado, ou no
Recife, rua da Guia n. 25.
kttenco*
Vende-se urna taberna no bairro ida Boa-Vista,
muito afreguezada para a trra, e popria para um
principiante por ter poneos fundos : a tratar na
praga da Boa-Vista n. 17.
Vende-se um negro de 40 annos, poneo mais
ou menos, bom ofQcial de carapioa no escripto-
rio da praga do Corpo Santo n. 4.
Baldes
A leja de calungas na rua do Rangel n. 24 aca-
ba de receber um completo sertimeato de baldeo
de todas as cores para os festejos de S. Joo, Sants
Antonio e S. Pedro : vendem-se muito barato.
OPIIKMSIi
QUADROS
\\ii:*uai>i:
aqdabjb.u
Lina scena de nossos dias.
Drama
Por Pedro de Calasans
Vendem-se estas obras Impressas em Bruxellas
e Leipig : na livraria de Jos Nogueira de Souza,
rua do Crespo.
A tten$to dos Srs. alfoiates,
sapateiros e t manqueiros.
Pecas de algodio largo e eocorpado, proprio pa-
ra obras daquelles senhores, por 2J700 a peca de
20 jardas, est em perfeito estado : na loja da roa
da Madre de Dos, u. 16, defronte da guarda da
alfandega.
Vende-se caixSes vazioprepos pa-
ra bahuleiros, e funileiros, a 25000 cada
um : e para as pessoas que comprarem do
4 para cima 15800, nesta typographia. _
__Vinho superior em caixas de orna duzia :
tem para vender Antonio Luiz de Oliveira Azevedo
& C, do seu escriptorio rua da Cruz n. 1,_______
Vendem-se
machinas americanas de serrte para descarogar
algodo : na roa da Senzala Aova n. 42.
4"
:'


>



i.
PILULAS CATHARTICAS BE AYER.
Estas pilulas vegetaes sao a*
'dapladas a todos os usos de un
purgante as familias, pois sSe
perfeitamente innocentes, e em
quanto milhares de pessoas cob-
fessam com gratidao que foram
curadas por ellas de molestias
severas e perigosas;n5o ha
'om so caso em que haja suspei-
tas do mais leve resultado inju-
rioso por seu uso.
Publicamos aqu alguns dos
attestados que temos de curas
notaveis feitas ltimamente.
Um caso notavel de
DUrU de Pernamfcuo* *bbad 3 de Juaho de ltt&.
Acccao chrouica do
Illm. Sr.
Juiz de Fra, 17 de fevereiro de 1864.
Tendo feito uso das pillas catharticas
de Ayer, que me fez favor de dar um vi-
dro, tendo tirado um resultado nao espera-
do ; padecendo ha mais de doze annos en-
fermidades do flgado e baco, com o uso
das pi lulas posso lhe assegurar que estou
bom, pois tendo desapparecido um grande
engorgitamento que soffria., muitas dores
sobre a regiae do figado e costas, dores de
cabeca, inchaco do ventre, nao podendo
deitar-me seno do lado direito, isso mes-
mo procurando posicao para ter socego, lio-
je me acho livre d'esse padecimento; como
por aqu anda as nao haja, eu como tenho
este proprio que de casa, lhe rogo man-
dar-me alguns vidros, e o custo elle lhe sa-
tisfar, assim bem como do charope de
cereja, que tive occasio de experimentar;
em um ataque de guellas que teve urna
preta que com elle curei, faco uso d'elles
oas tosses em minha familia sempre em
bom resultado, e por isso que peco para
mandar alguns frasquinhos, e mesmo as pi-
lulas pode montar a doze, porque tenho
feito uso d'ellas para uso da familia e al-
gumns pessoas, ia d i ,mt e g e
resultado; sou btdoorojeandeoda
De V. S. attensgPs.ar
Francisco FERREArERAit
Ubeumatisiuo e ataques hemorruoidaes.
Illm. Sr.
Ouro-Preto, 30 de marco de 18G4.
Posso certificar-lhe que as pilulas ca-
tharticas do Dr. Ayer sao excellentes, pois
que soffrendo eu dores pelo corpo, e que
suppuuha ser rheumatismo, (molestia esta
que j havia soffrido ha annos) e soffrendo
tambem de ataques hemorrhoidaes, e de
um ouvido, pois que at j pouco ouvia, e
acompanhado de urna dr no queixo, con-
sulte! a um dos nossos mdicos, e este me
disse que devia fazer uso da salsa ; porm
lendo eu o almanack do mesmo doutor,
comprei em sua casa um vidrinbo das mes-
mas pilulas e por minha conta principia a
toma-las, e sem as finalisar acho-me sem as
dores pelo corpo; e sem sentir, sarei do
ouvido, e mesmo dos ataques hemorrhoi-
daes : portanto sao para mim as taes pilu-
las as melhores que tenho experimentado ;
isto em abono da verdade. Sou
De V. S.
Amigo certo, venerador e obrigado,
O brigadeiro
Joo Rodrigues Feu de Carvalho.
GRANDES
DE MOLIDOS
GENEKOS BARATOS A DINHEIRO
NOS
ARMiZENS
DE
DUARTE ft, C.
Pateo do Carino n. 9 armazcm Progressivo roa "o Qacimado n.
l'niao e Commercio roa do Imperador n. 40,
Principal armazem de motilados.
OH PROPltlETAKIOS.
)
i
Rival sem segando
vendendo
tado
E3
liua do Queimado o. 49, esta
iuito barato como ver abaixo.
Caixas de peonas de kalegraphia a 1,5000.
Massos eom superiores grampos a 30 rs.
Pares de sapatos de tranca e tapete a 1^500.
Frascos de macar per la a 200 rs.
Caixas com superiores agulhas a 200 rs.
Libras ile la surtidas cun todas as cores a 7,5000.
Caixas com superiores brelas a 40 rs.
Dazias de phosphoros de seguranza a 120 rs.
Metas garrafas com tinta a 240 rs.
ft jdlnhas com alflnetes francezes a 20 rs.
Cartas de alflnelcs francezes muilo linos a 100 rs.
Resmas de papel almajo a 2,5400.
Resmas de papel de peso a 2J0Q0.
Papis de agulhas francezas a balao a 60 rs.
Bonets muilo bonitos para meninos a 1,5000.
Enfeiies para senhoras fazenda muilo moderna a
2J000.
Escovas para roupa superior gualidade a 1000.
_ baratissimo!
baratissimo
baratissimo!
*As pchinchas que estao se liquidando na nova
loja e armazem de hiendas de roupa feita de Gui-
mares di Irmao, ra da. Imperatriz n. 72, aonde
Fazem sciente ao respeitavel publico, e com especialidade aos senhores de en-
genhos, lavradores e mais pessoas do centro, que para mais facilitar suas compras deli-
bcraram os proprietarios dos tres grandes armaens,' reunir todos os seus estabeleci-
mentos em um s annuncio, pelo qual o preco de um ser de todos promette- OTTeVuMes'encrram^m rico sortimento de fa-
mos que nao infringiremos a tabella que abaixo vai publicado, annunciar os ge-ieros zendas de todas asquadadis, que vende-se por
por um prego, e na occasio da compra quererem por outro, como socede constante-
mente em oulras muitas casas, porm nos nossos estabelecimentos nao se dar islo
ainda mesmo com prejuizo nosso, qualquer pessoa poder mandar seus fmulos que
sero tam' em servidos como viessem pessoalmente fazendo-nos o favor de mandar seus
pedidos em cartas feixadas; para evitar qualquer engaos, remettendo nos urna conta
pela qual se ver os precos tal qual annunciarmos, o que senSo arrepender pessoa
alguma que fizer sua despenda em nossos estabelecimentos; pois poupar mais de
5 por cento na sua despeza diaria.
Manteiga ingleza flor a 10500 rs. a li- dem com 4 a 5 ditas a 3(5200.
Gaslrite.
Ouro-Preto, 29 de marco de i864.
Attesto que tendo feito uso, aconselhado
por um amigo, das pilulas do Dr. Ayer,
liquei perfeitamente bom de urna gaslrite
que soffria e que privava-me de andar aper-
tado, hoje felizmente nada sinto.
Augusto Gollatino de Mello.
Falla de apetite.
Ouro-Preto, 24 de fevereiro de 18G4.
Sendo eu affectado do figado ha muitos
annos, e ltimamente sori falta de apetite,
hoje dou gracas a Deus por achar-me sao
e perfeito com o uso das pilulas catharticas
do Dr. Ayer.
Antonio Dent Vieira.
Constiparan, dures de cabeca.
Ouro-Preto, 28 de marco de 1864.
Attesto que achando-me atacado de urna
forte constipaco que trouxe-me dores por
todfr o corpo e aa cabeca, soffri horrivel-
mente por espaco de quatro dias; ento
um amigo aconselhou-me que tomasse pi-
lulas catharticas do Dr. Ayer: com ellas fi-
quei s5o e completamente restabelecido em
tres dias, de sorte que estou no firme prc
psito de aconselhar o uso das ditas pilulas
a todas as pessoas que forem affeeladas de
constipacoes.
Agostinho Jos da Silva, negociante de fa-
zendas. ________
Irrilaco do estomago.
Ouro-Preto, 29 de margo de 1864.
Attesto e juro, se necessario fr, que. sof-
frendo ha muito teinpo excessiva irritagao
de estomago, pouco apetite e difficil diges-
lao, d'ella tenho experimentado sensiveis
melhoras depois que tenho feito uso das pi-
lulas catharticas do Dr Ayer.
Antonio Hermogenes Pereira Rosa.
Lombrigas.
Ouro-Preto, 28 demarco de 1864.
As pilulas do Dr. Ayer (catharticas), fo-
ram empregadas com grande vantagem por
mim era urna menina de dez annos que
soffria de vermes inteslinaes, notando-se
que os symptomas que ento apresentava
eram de molestia bastante perigosa.
Raymundo Nonato de S. Thiago, pharma-
ceutico.
Neuralgia.
Urna carta do Illm, Sr. Francisco Alva-
renga de Azevedo.
Ha mais de sete annos que soffria dores
no hombro e as costas, tomei urna inni-
dade de remedios sem achar alivio algum.
Dr, angustia, tormento s5o palavras for-
tes, porm n5o exprimem o que tenho sof-
frido: ltimamente tomei as pilulas ca-
tbartica do Dr. Ayer. S faz oito dias, e es-
tou completamente restabelecido; ha tres
das 1)06 nao sinto a mais leve dr no hom-
bro em as costas.
Estas pilulas acham-se venda as prin-
cipis boticas e drogaras do imperio, e no
Rio de Janeiro, ruaDiroitan. 15
Vende-se em Pernambuco:
na pharntaela franeeza de
P.MAURER & C.
RA NOVA K. 18.
bra.
dem franceza muilo nova a 900 a libra, e
8U0 em barris.
Banha de porco refinada a 720 a libra e 700
em barris.
Queijos frescos do ultimo vapor a 2#800.
Cti uxim de superior qualidade a 20600.
dem perula miudinho a 20700
Idein hysson especial qualidade de 20400 a
20600 a libra,
dem prelo muilo especial a 20000 e 2;>i00
a libra,
dem do Rio em latas de 40000 e a 800 a
libra.
Latas com biscouto de todas as qualidades
a 10200.
dem da creditada fabrica de Biato Antonio
(Lisboa) proprias para dar a doentes a
20 e 30 a lata.
Bolaxinha ingleza muito nova a 30500 a bar-
rica e a 240 rs. a libra.
Latas com bolaxinha de -oda e oval a 20.
Presunto inglez para fiambre chegado no
ultimo vapor a 8U0 rs. a libra.
Chouricos e pios muito novos a 640 rs-
a libra.
Caixas com macarro talharim muito novo a
50000 e 320 a libra.
Aletria branca e amarella a 500 a libra.
Chocolate portuguez de especial qualidade a
800 a libra,
dem suisso de 800 a 10000 a libra,
dem hespanhol verdadeiro a 15000 a libra
que j vendemos a 10400.
Doce da casca de goiaba em caixoes de 6 li-
bras seguro a 10800,
idem em caixoes pequeos a 700 rs. e de
50 para cima a 640.
dem vasics de todos os tamanhos a 20000*,
10500,800 e 640 rs
Vinagre puro de Lisboa a 280 a garrafa e
20000 a caada,
dem mais baixo a 200 rs. a garrafa e 10400
a caada.
Azeite doce de Lisboa muito fino a 600 rs.
a garrafa e 40600 a caada,
Toucinho de Lisboa novo e muito alto a 320
a libra, e m barril de 5 arrobas a 90400
arroba.
Ceneja Bass do fabricante Shlers & Bell a
60500 a duzia e 640 a garrafa,
dem Bass do fabricante T. F. Ashe a 60000
a duzia e 560 a garrafa,
dem marca H Vicloria Alsope e outras
muitas marcas a 50 a duzia e 500 rs. a
garrata.
Sabo primeira qualidade a 220 rs. a libra
e 210 em caixa.
dem segunda qualidade a 200 rs. a libra e
180 rs em caixa.
Sabac inglez superior a 180 rs. a libra e
16o rs. em caixa.
Caf do Rio primeira sorte a 280 rs. a libra
e 80 a arroba,
dem segunda dita a 240 rs. a libra e 70200
a arroba.
Arroz do Maranho 30200 a arroba e 100
rs. a libra,
dem da India a 20600, 208OO e 100 rs. a
libra.
Charutos Normas de Havana a 50500 a cai-
xa, de Simas (Jos Furlado).
dem Londrinos a 50, idem.
dem Parasienses a 40500.
dem Delicias a 10500.
dem Traviata do Rio a 50500.
dem secco em hcelas ricamente enfeitadas, dem varetas de Manoel Peixoto da Silva
Nctto a 30500 e 10^00 a meia caixa.
preco mais barato do que em outra qualquer pane
para Ijquidarem, dao-se as amostras ou mandam-
se w caixeiros levar em casa das familias.
Madapolo enfestado a 30500, 40000
e 4050 i a peca.
Vende-se peca de madapolo enfestado com 12
jardas pelo barato preco de 3^300, &$ e i jioO,
dita sem ser enfestado com 24 jardas das marcas
mais acreditadas a 65O0, 7 e 8j, dita elefante
muilo fina a 9 : s Guimares & Irmao, ra da
Imperatriz n. 72.
Admiravel pechincha,
Cuita larga a 2401 chita larga a 240 11 chila
UJrgaa240! Acabado chegar a este estabeteci-
mento bonito sortimenfo de chita fina percala de
! padroes modernos, sendo clara e escura, e sendo
contendo pera, pesego, ameixa, rainha.
e outras frutas a 10000 cada urna.
dem em calda em latas feixadas hermtica-
mente muilo bem enfeitadas, contendo,
pera, pesego, ameixas e outras frutas a
640 e 700 a lata, tambem temos latas
grandes a 10200.
Marmeiada dos melhores fabricantes, em la-
tas de 20000 a 10200.
dem em latas de 1 1]2 libra a 10.
dem em latas de I libra a 640 rs.
Emilias em latas chegad.is nesle ultimo va-
por a 700 e de 5o para cima a 640 rs.
Feijio verde ou carrapato em latas j pre-
parado a 640 rs.
Ameixas em frascos de vidro a 10500.
dem em caixinhas ricamente enfeitadas de
1200 a 20500.
Conservas Mexide muito novas a 700 rs, o
frasco.
dem de ceblas simples a 700 rs.
Molho inglez a 640 rs. o frasco com rolha
de vidro.
Mostarda em p a 700 rs. o frasco.
Idem j preparada a 320 rs
Latas com massa de tomate de 1 libra
600 rs.
dem em latas de 1 1(2 libra a 900 rs.
Vinhosem garrafas vindos do Porto, Madei-
ra Secca, Duque do Porto, Duque Semi-
no, Cascavallas, Mara Pa, D. Luiz, Pe-
dro V, Velho Secco, Lagrimas Doces, La-
grimas do Douro, e outras muitas marcas
a 10 a garrafa e 90 a 120 a duzia.
dem Palmella a 10 a garrafa e U0OOO a
duzia.
dem em pipa de todas as marcas Porto,
Figueira e Lisboa a 400 e 500 rs. a gar-
rafa e 20800 a 30500 a caada.
dem em ancoretas e 8 a 9 caadas com su-
perior vinho Lisboa e Figueira a 2 40 a
aocoreta.
dem branco expecial qualidade proprio para
missa a 56<> rs. a garrafa e 40 a caada.
dem mais baiso a 400 rs a garrafa e 30500
a caada.
dem do Porto especial quilidade a 800 rs.
a garrafa e 50500 a caada.
Id m Bordeaux em caixas a 70 e 700 rs. a
garrafa. .
Champanha a melhor do mercado vinda de
nossa encommenda a 300 o gigo.
dem mais baixa de 180 a 200 e 10500 e
30 a garrafa.
Licores portuguezes e francezes a 10000 e
10500 a garrafa.
Marrasquino de Zara, verdadeiro a 10500 a
garrafa.
dem mais abaixo a 800 rs. a garrafa.
Genebr de laraoja verladeira 110 a du-
zia e 10 o frasco.
Idtm de Hollanda verdadeira a 60 a fras-
queira e 640 o frasco.
dem de Hamburgo a 50500 a frasqueira.
dem em botigas de Hollanda a 400 e 440
rs. o frasco.
Garfafoes com genebra de Hollanda com 24
garrafas a 80, com garrafao.
dem com 14 a 15 garrafas a 60.
faienda que val 400 rs. em outra qualquer parte,
e vende se pelo baratissimo prego de 240 o cova-
do, dita ingleza a 220 o covado, organdy dos mais
lindos padroes que tem vindo ao mercado a 240 o
covado, isto para liquidarem : s Guimares & Ir-
mao, ra da Imperatriz n. 72.
Cortes de chita franceza.
Vendem-se cortes de chita franceza com 10 co-
vados a 24500, ditos com 11 covados a 2700, di-
tos com 12 covados a 25880 : s Gu maraes & Ir-
mao, ra da Imperatriz n. 72.
C les Maria Pia.
Vendem-se cortes de la Maria Pia com 15
covados a 55 e 5J500, ditos com lindas barras a
105 : s Guimares & Irmao, ra da imperatriz
numero 72.
Fazendas pretas.
Vende-se grosdenaple preto de seda pura a
15600, 25 e 25500 o covado, moreantique prelo a
35, setim da China, fazenda nova e toda de la,
com um trancado muilo fino, proprio para luto,
teado 6 palmos de largura a 28200 o covado, e ou-
trasmuitas fazendas como sejam, princeza e meri-
no*, que vende-se por prego baratissimo: isto s
Guimares & Irmo, ra da Imperatriz n. 72.
Soutambarque de cores.
Vende-se soutambarque de cores ricamente en-
feitado a 55 e 65, chale de merino estampado a
25 : s Guimares & Irmo, ra da Imperatriz
numero 72.
Bretanha de rolo com 10 varas a 35 a peca : s
Guimares & Irmo, ra da Imperatriz n. 72.
Loja das seis portas em frente
do Livramento ,
Existe grande sortimento de diversas fazendas
proprias da poca e por precos to baixos que ad-
mira, como sejam : pegas de bretanha de rolo a
2^100, chitas francezas escuras, padroes modernos
e bonitos, cores fixas a 240, 260 e 280 o covado,
assas de cores, gostos modernos e cores fixas a
220 o covado, madapoloes e algodaozinhos de di-
versas marcas e qualidades, a precos moiiissimos
Admirem
Admirem
Admirem Bem!!
As pchinchas que estao venda na loja e ama-
iea do Pavao, na ra da Imperatriz n. 00 de Ga-
ma & Silva, ondf se vendem todas; as fazenda-,
tanto de luxo como de primeira necessidade per
precos muito rasoaveis, e com especialidade as se-
guintes, dando-se amostras deixanJollicar penhor,
ou mando-se levar em casa das familias pelos
caixeiros da mesma loja.
Madapolo enfestado a 40, -10OO e 30000.
Rwalseiu secundo
Ra do Queimado n. -i9, loja de mi-!-?.- j sj
c Azevedo Maia e Silva, osla queimaiido me. ad-
mira, a saber :
Frascos com wperitf banha a 200, 240 a .::<"> r
Latas.cofli superior banha a 200 rs.
Frascos com superior agua de Colonia a 120 <-
iOO rs.
Frascos cora superior oleo de babota a 210 32i i
400 rs.
Garrafas da verdad-, ra apna florida a 15280.
Frascos de soperiu uleo da sodedade Bicicniaue
a 640 rs.
FraM-os de superiores rlieiros santal e eoiros mu-
1>000.
160 rs.
nos a
Vendem-se pegas de madapulao enfestado com >
12jardas pelo baratissimo preco de 45, 45300 e i Saboneics d. familia a 210 e 200 rs.
55, ditas sem serem uofeslados'de marcas muito Sabonetes do superior quaiidades a 00, 190
acreditadas a 75, 85, 95, e 105, ditas, francezi Canas com 12 frscos de cheiros muilo
multo encorpado proprios para saiasl a 480 ris a J 15100.
vara, isto na loja do Pavo ra da Imperatriz n. i Caixas dito com 6 frascos melhor fazenda a '00 rs.
60 de Gama & Silva. jl>aos tle Pomada fraiua crandes a 500 rs.
Saboneles de bolla pequeos e grandes a 210 i-
320 re.
Frascos com superior opiata a 800 rs.
Frascos com superior agua para denles a 15000.
Vestidos Brancos.
Vendem-se os mais ricos cortes de vestidos de
cambraia branca primorosamente bordados, pelo
barato prego de 125. 169 e 20$ na loja do Pavo,
ra da Imperatriz n. 60 de Gama & Silva.
Grande pechincha, vestidos a
30OO.
Acaba de chegar um bonito sortimer to dos mais
lindos vestidos transparentes, muilo proprios para
passeios e bailes, por serem de primorosos dse-
unos, sendo todos os padroes tecidos e nao pinta-
dos, e vendem-se pelo baratissimo prego de 35500,
sendo fazenda que val muito mais dinluiro: Isto na
loja do Pavo, ra da Imperatriz n. 60, e Gama &
Silva.
XAROPE
deLABELONYE
Imprecado eom inrariaTel soccesso desde 30 anaoi
pelos Mdicos de todos o paites contra as molestia:
rganieu ou nao orgasicas do eoracae, as ditersas hy-
dropisias e a maior parte das molestias do peito e dos
bronchios (pneuewntas, eetorrAepulmonares, .fanwu,
M^anCMcSu ntrtotas dos\brenchias, cttarrheiras,etc...
Grosdcnaples de cr a MS^W.-f^^JS^S7!^^JS^
Vndese superior grosdenaples cor db cafe, pro- erando a firma de inveHtor.
prio para vestido, sendo muilo encorpado, a 15600
o covado : na loja do PavSo, ra da Imperatriz n.
60, de Gama & Silva.
Grande sortimento de roupa Ifeit.
Vende-se na loja do Pavo um grande sortimen-
to de roupas feitas, consiando de palitos de panno
preto, sobrecasacos, ditcs saceos, ditos Je casemi-
ra, saceos e sobrecasacos, ditos de brim branco e
decores, ditos decasioeta, caigas de caseir.ira pre-
ta de todas as qualidades, ditas de cGrj, ditas de
brim de linho branco e de todas as cores, coleles
de brim, casemiras, setim, gorguro, etc., etc., to-
das estas obras vendem-se por prego mais barato
do que em ontra qualquer parte : na loja do Pa-
vo, ra da Imperatriz n. 60, de Gama t Silva.
Soutembarques (te cor
Vendem-se os mais modernos soutembarques de
cor, ricamente enfeitados, e por barato prego : na
loja do Pavo, ra da Imperatriz n. 60, de Gama &
Silva.
Capas pretas e soulembarqi es,
Vendem-se as mais modernas espas pelas lisas
e bordadas, os mais bonitos soutembarques pretos e
manteletes, tudo de seda preta e o que h de mais
gosto no mercado, por pregos muito eni couta :
na loja do Pavao, ra da Imperatriz n. 60, de Ga-
ma & Silva.
! Grande liquidacao a dinlieiro.
Na loja earmazem do l'a\ao.
llua da Imperatriz n. O de a-
ma & Silva.
PARS, roa Uonrbon Vltlcn<->r. 10.
Deposito geral em Pernambuce rna
Cruz n.22 em casa de Caros & Barboza
da
Attcrtcdo.
Vendem-se peras de estefras para forro Sb tala,
tinta branca preparjda a oleo, em fstas de 2 li-
bras, para pintar casa, relogios para cima de me-
sa e para pendurar, arreios para I e cavalios,
velas de spermacete. indo de superior qualidade,
vindodos Estados-Cuidos : no armazem da ra do
Trapiche n. 8.
Feijao preto
_ya ra da mpera;riz, armazem n. C.
dem suspiros do mesmo fabricante a l^lOO bato, e muitos ou tros artigos por precos muito
mais mdicos do que em outra parle.__________
NOVIDADE
A le 1900 e I05OO.
Cuques de osso, ultimo gosto, a 15-
Ceroulas de meia a 15200.
Dulas muito finas a 15500.
Su na ra da Cadeia do Recife n. 5.
a meia caixa e 5^200 a caixa.
dem raececipes a 1)5700 a meia caixa e
3<*000 a caixa do mesmo fabricante,
dem orientaos do mesmo a 1(5800 a meia
caixa e 3#i00 a caixa.
dem jovens de Gastanho & Filho a 2?400
a caixa.
dem suspiros do mesmo a liSMOO a meia
caixa, e outras muitas marcas de fabrican-
tes.
Passas muito novas a I #500 o quarto e 50
a caix de urna arroba bespanbola e 320
a libra.
Vermutc bebida para abrir a disposiejo de
comer a 1J500 a garrafa e 14#000 a
caixa.
Alpista mijito novo a 30800 arroba e 140
a libra.
Painco a 45000 arroba e 140 a libra.
Peixe em latas j preparado a 10200 a lata de oculos.lunetose binculos, do ultimo e mais
Francisco Jos Germano
RIJA XOVA H. 91,
acaba de receber nm lindo e magnifico sortimento
e em porco 10000.
Sardinhas de Nantes a 400 a lata.
Tijollo para limpar facas a 160 rs.
Esparmacete a 600 a libra e em caixa a
580.
Vellas de carnauba a 14000 arroba e 440
a libra.
Azeitonas de Lisboa muito novas em anco-
apurado gosto da Europa.
Grande sortimento de roupas feilas de to-
das as qualidades,
Caigas de casemira a 65 e 75500, dilas pretas a
65 e 85, caigas de ganga a 25 ,15800 c 15600,
ditas brancas a 25, brim de linho a 35, 35S00 e
45, paletots do alpaca branca a 45500, ditos pretos
a 35 e 35500, ditos de alpaca de cordao a 45,
de listra de seda a 45500, dnos sobrecasacos a 55,
55500,
Os dones desleestabelecimento tem revolvido li-
quidar suas fazendas por pregos baratissiraas, s
com o Gm de apurar dinheiro, c previnem as pes-
soas que negociam em pequea escala com fazen-
das, que nesta loja e armazem enconlraro um
grande sortimento por precos que muito Ihes ho
de agradar, tanto em pega' como a retalho, a sa
ber :
Chitas largas a 200 rs.
Vendem-se chitas francezas, listradas hiuito lar-
gas, padrees escuros, pelo barato prego de 00 rs.
o covado, lendo muito bom panno ; ditas escuras
pedroes novos, por serem todas escosse::as c cor
lixa a 240 rs. o covado ; ditas miudinhas escuras
e claras a 240 rs., affiangando-se que esta fazenda
em outro
i paletots de casemira a S&, 55500, 65, 8$ e 95,
retas grandes a 10800 e a 400 rs. a gar- Sitos sobrecasacos pretos a U5,18 e 165, ditos fl-
rafa.
Balaios do Porto muito grandes proprios
para guardar roupa suja a 20500, 30000
e 44UOJ.
Batatas em gigos de 34 libras muito novas a
800, ea40rs. a libra.
Gomma em paneiros a 40000 arroba e 140
a libra.
Farinda do Maranho muito alva e nova a
240 a libra.
Sevadinba de Franca para sopa a 200 a li-
bra.
Sevada muito nova a 140 a libra e 40000
arroba.
Caixas com estrenba, rodinha e pevide ai
400 a libra.
Alhos em canastras muito novos e mauncas
grandes a i80 e 200 rs. cada urna.
Canella muito nova a 10000.
Cravo muito novo a 500.
Cominho idem a 320.
Ervadoce idem a 400.
Alfazema flor a 240.
Amendoas a 400 a libra.
Nozes muito novos a 160-a libra.
Papel greve a 40200 a resma,
dem lizo a 40000.
dem de pezo a 30000. .
dem de embrulho marca grande a 10200 e
10300.
dem azul para botica a 20000.
Copos lapidados a 50500 e 500 cada nm.
Palitos de denles, macos grandes a 120 e
160 cada um.
Fumo americano de chapa, de superior
qualidade a 105OOali: abatioiento.
nos a 255, de cores a 135, ditos fraques a 145,
paletots de ganga a 35, 25500 e 25, ditos de brim
pardo a 35, jaqueldes de brim pardo a 35, panno
preto fino a 25. 25600, 35500 59, 45500 5 e 65 o
covado, moreantique preto a 25600 o covado, gros-
denaple preto a 15300,15800, 25, 25200 e 25500
o covado ; e outras muitas mais fazendas que se
deixa de annunciar, e manda-se levar pelos caixei-
ros da loja da arara casa dos pretendentes. O
e tabelecimento est aberto at as 9 horas da noite,
ra da Imperatriz n. 56, Mondes Guimares.
GAZ GATGAZ
Vende-se gaz da melhor qualidade a
1^.0 a lata: nos armazensda ruado Im-
perador n.16 e ruado Trapiche Novon.8.
,. ..- ....... m i p i ..... ^^-^^^
Tasso Irmaos
Vendem no seu armazem ra do
Amorim n. 33,
Licor fino CuragAo em botijas e meias botijas.
Licores finos sonidos em garrafas com rolhas de
vidro e em lindos frascos.
VinhosCheres.
Santernes.
Chambertin.
Hermitage.
Borgonhe.
Champagne.
Muscatel.
Reino.
Bordeaux.
Cognac.
Od Tod.
AzeitePlagniol.
Vende-se urna casa terrea pequea, no pateo
do Paraizo ao correr da gruja : a tratar na ra
do Queimado n. 48.
' Vinho do Porto superior em caixa" de duzia,
tem para vender Antonio Luiz de Oliveira Azeve-
do & C, no seu escriptorio ra da Cruz n. 1.
avariado.
Fraucez barrica 55000
Portland idem 85500
Em perfeito estado:
Francez barrica 105000
Portland idem 125000
No armazem de Tasso Irmaos caes do;Apollo.
nao tem o mais pequeo loque de mofo, n
qualquer defeito. Istos o Pavo, na ra da Im-
peratriz n. 60 de Gama Silva.
Fazendas brancas baratas vende o Pvo.
- Pegas de algodozinho largo, marca T com 24
jardas a 85, ditas T com 20 jardas a 751 ditas de
oulras marcas, como sejam sicupira, carne de vac-
ca, etc., a 4#. 55, e 65 ; madapolo finissimo com
24 jardas a 65500 e 75800 ; panno de linho mui-
to inferior proprio para lenges e toalhas a 700
rs, a vara ; bramante de linho com 10 palmos de
largura a 25500 a vara. Isto s na loja (Jo Pavo,
ra da Imperatriz n. 60 de Gama & Silva.
Esparlilbos, na loja de Pavo.
Vende-se um bonito sortimento de esparlhos
proprios para senhoras, sendo dos mais modernos
e bem feitos que tem vindo ao mercado, lendo de
todos os tamanhos e de diversos pregos trazando to-
das as competentes filas para apertar.. Isto s na
loja do Pavo, ra da Imperatriz n, 60 de Gama
& Silva.
Camhraias brancas.
Vende-se um bonitosorlimento de pega> de cam-
braia brancas lizas, tendo lapadas e mnsparente-.
pelo prego de 15,45500, 55 e 65, havendo muito
superior da Escossia por 105 c 125- Isto s na lo-
ja do Pavo. na ra da Imperatriz n. 60 de Gama
& Silva.
Gros de quadrinhos a 10600.
Vendem-se os mais modernos gros de quadri-
nhos, proprios para vestidos de senhoras e meni-
nas, sendo estes gros dos mais moriei nos que tem
vindo ao mercado, vendendose pelo baralo prego
de 600 rs. o covado. Isto s na loja do Pavo, ra
da Imperatriz n. 60 de Gama A Silva.
Ricos boaznouts de Guipure.
Vendem-se os maisrirosbouznouls de Guipure,
sendo os mais modernos que tem vindo ao merca-
do, pelo baratissimo prego de 255, cada um, as-
sim como chales de 3 e 4 ponas da mefma fazen-
da, sendo de varios, prego-. Islo s na lifja do Pa-
vo, ra da Imperatriz n. 60 de Gama & Silva.
S o Pavo vende
Chitas largas a 240
Chitas largas a 240
Chitas largas a 240.
Acaba de chegar para a loja do Pavol um gran-
de sortimento de chitas largas garibaldioas, por
s rom todas listradas e padroes escuros p de cores
fixas que se vendem pelo baratissimo proco de 240
o covado, sendo que em outra qualquer parte cus-
a a 360 o covado, notando que os freguezes que
comprarem porgo de pgas, tero un| pequeo
abatimento: isto na loja do Pave a ra da Impe-
ratriz n. 60, de Gama & Silva.
Lazinhas a 300 rs.
LSazinhas a 300 rs.
Lazinhas a 300 rs.
Vende-se um bonito soriimento de lazinhas pro-
prias para vestidos e soutembarques por serem li-
sas e de quadrinhos pelo barato prego de 300 rs. o
covado, sendo fazenda que sempre se [vendeu a
500 rs. o covado, e vende-se a dinheiro a vista pe-
lo baratissimo prego de 300 rs. o covado : na loja.
do Pavo ra da Imperatriz n. 60 de Gama 6
Silva.
Pelerinas a 10600.
Vendem-se as mais ricas pelerinas o romeiras
de cambraia bordadas proprias para nimbros de
senhora pelo baratissimo prego de 1560(1: na ra
da Imperatriz n. 60, loja de Gama & Silva.
Organfjy a 2$0 rs. o covado.
a loja do Pavo.
Vndem-se armis bonitas cassas organdys, pa-
droes miudos e grandes, "pelo baralissimo prego de
240 rs. o covado (doze vmtens), esta pechincha
araba-se logo : na loja do Pvo ra da Impera-
triz o. 60, de Cama & Silva.
Lanzinha transparente,
a 220 rs. : s na leja do Pav<>.
Vendem-se as mais modernas lanzinhas transpa-
rentes, sendo todas de listras, quadros e lisas, fa-
zenda esta que sempre se vendeu a 400 rs. ; o Pa-
vo vende para liquidar a ouze vihtens o covado :
na loja do Pavo, a ra da Imperatriz n. 00. de Ga-
ma & Silva.
Vende-se um escravo idade 25 annos insigne
official de carplna e bon-ta figura : na travessa op
Carmo n. 1. ^i^^_
' SAL DO ASSIT
A bordo do brigue escuna nacional Graciosa ;
vende-se na ra da Cruz n. 23, escriptorio.
IMlOPniO PAJU SENHORA.
Vende-se um excellenie cavaflomoito no-
vo e manso com todos os andares: na ci
chei a do Paulino, rua de Santo Amare.
1 cuica o.
do ullimo gosto a 220 r?. o
a,.
Cassas finas padroes
covado.
Chitas largas a 200, 220 c 240 rs. o rovado.
Na ra do Livramento, loja nova de tro.- portas
n. 14._________
HIJA D1PERIAL
numero 193
VENflE SE
rap imperial, igua! ao rap Lisboa, e outro fabri-
cado de novo ipual ao de r.ra preta, en p r
500 rs. a libra.
Grancb; pechincha para os fumadores : quem
quizer fumar bom e baralo venba c.
Charutos da Baha do superior qualidade. fl< i
da Muritiba e de differentes marcas, tanto av ;- n
como encaixotados, por pregos mui enmmod.;.
VEXDC-SE TAMBEM
grande pechincha para os senhores ebarui li
fumo da Baha patente de primeira, segonda le
ceira qualidade, por precos mu razoveis.
nstruccoes para o servido
das guardas do exercito, exlrahids do r*--
gulamento de infantaria e accommoflni:;^ ao
exercito brasileiro; obra que muilo convm
aquellas pessoas que se alistara nos corro?
de voluntarios; vende-se na livraria n. e
8 da praca da Ind pendencia, a 15.
"para 'h.xto AivroV as
AOdOAO
Vendem se sones muito bem feitas c papel muilo bom i 4$ o cento : na ra ds
Cruzes n. 41, taberna da porta larga.
Tras'es com uso.
Vende-se 1 sof, 3 consolos, 1 mesa redonJa, !>
cadeiras de amarello, 6 cadeiras americanas, I
oca marque.7a de Jacaranda, 2 cartoiras de \a-
gem e 1 carteira grande propria para taberna
quem pretender dirija-se a ra das Cinco Ponas
n. 140 defronte da eslagao.
Vende-se vinho de caj a 500 rs. a garr.ua ;
na ra Augusta n. "C.
a?
03 =
-- & w q, a, v
5 =: tfi sr ct> .:
te __ as x S^
_q. B8_
g.3 O
- 3 5'' =" S
s tr a 3 K
S
s r fe &> e 9 s_: w o e
- 65 E
T-
"2 3 mm
o j S *
g g
US
TE -i
a> C -,
o. O
a
> a ra
ra 2 ">
gg
rair]
u O 3 O 3 "B*
a 'a o. ST Z. g-.
SB _g r 3
Al W
a.,
O as"
a>
a
-1
ts aq c
2-Bl.
I* f o

"5"
B

M -^ ra
s
9
O BS-

-i

Coke do gaz.
pit.cli do gaz,
Alcaro do-gaz.
Coke tonelladas rs. 10,>000
Pitch 80jJ(KK
AlC'itr5o caada. .... 400
O coke reconhecidamente o oarvao mais eccm-
mico, torna-se por isso recommendavel, bem ci-
mo palo asseio que se nota n&s eoilnhas aoi.i
alie usado. Pitch e alcatrao.alm das applicacoe-
diversas a que se prestam, como para callaleat
embarcacSes.alcatroar madeiras.etc.teem estr a
propriedadede preservar do copina, fumigas,) :i
E' entregar na fabrica dogaz ou mandado pur i ni
qualquer ponto da cidade, segundo a vont.u> do
comprador.________^______._______
Em casa de Tisset Freres ra do Trapiche n.
9, tem para vender :
Vinho Bordeaux em barricas e em caixas.
Dito de SaDterne fino.
Dito du Champagne muilo superior.
Cerveja franceza marca Bobee.______________
'Aftenc&o.
Na taberna da roa da Palma n. 41 venr"e-se fa-
rinha da trra a 180 rs. a cuia, em sacia com 32
cuias por 5gQ'.___________________________
Vende-se a armagao da l.ja da ra .Direila
n. 31 por preco muito barato : a tratar nana d i
Imperatriz n. 68.___________^_^_^^
Vendem-se estalos a 60 rs.
da Palman.41 .Taberna.
a duzia : na ra
ILQVEL
naDiiuaxj]
-^<




Dlarto de *ernanrbiico --- Sabbado 8 de JiiBho de I8C13.
SUTORIO CO-CWGICO
do
)R. PEDRO DEATfAUYDE LOBO HOSCOSO,
tllMMl i>. PARTGIH9 K OPERADOR.
3 Ra da Gloria, casa do Fundao 3
) )r. Lobo Moscoso d consultas gratuitas aos pobres todos os dias das 7 s i
MrM la aanhaa,e das 6 e meias 8 horas da noite, i excepeo dos dias santificado8
J 11, n i jti b ip v'il koraeopalca
No masmo consultorio ia sempre o mais appropriado sorlimento de carteira:
tn>s i?ulsos,assim cuino tinturas de varias dyumamisaces e pelos precos seguimos
Carteirasde 12tubosgrandes. 124IOOO
de 2Uubosgrandes. 180000
(dlt-.i nidria las. 13000
hVUnV ?"* 305000
4e40 tabao ^rindes. 350000
:ir3)in-so i ia n.ir viraaira conferine o pedido que se fizer, e com os remed
3i9ise pedir. .
Un tubo avu'.sn ou frasco de tintura le meia on$a 15000.
Senda para rima de 12, oastwSo precos estabelecdos para as carteiras.
Ha ubos mais pequeos cada am-a 50o ris.
vsmwam.
na ti 1 A", liana H>jnaopaiiiicodo l)r. Jahr!
.......... 20300C
. 105000
. 65000|
. 35000
dispensam portan- j
fo i*raa tova.n)ate i*acoioraaadado9 is.jssous ju pizenj.n asar de remedios ver-|
Uh'ro lvicos eduradores:hatudo do meihorque se pode i;ejar,gobo3*le ver-:
i ;=.!. iar deleite.notavais elasna boa ionsarvagSo.tintttra do9 oasis acreditados
asta ;i';-,i mato* euro))S,a maisjxacta e aecuradapreparaco, portanto a maior ener-'
ifi3 '.) '.a '. u ; h dlaitos.
Cata de oi*u escraoos.
ftecebe-se iscravospara tratar de falqaer nfamidade ou fazer-se-lhe qualquer
oprvj, para o que o m:mnciantejulga-se 8;ieatd.neate habilitado.
O Calamento o melhor possivel, tanto na n-te alimentar, como na medica, e
futtCioaado a casa a mais de quatroannos, ha m litas pessoas de cujo conceito se nao
p'e 1 vida r, que ;>dem ser consultados por aquelles que desejarem mandar seas
ra-3323000 por dia durante 60 lias e d'ahi ern .liante 15500.
|Ls operacjJes serSQ previamente ajustadas. ?e nao se [aizereai sajei
,,; J, -;s [w';5 iai >'.l an ranciante.
AURORA BRILHANTE
GRANDES ARHAZENS
DE
MOLHADOS
<
8 Largo da Santa
Cruz n. 84, es-;
(quina da ra do
Sebo.
ESPECIAR SI
mmmm.mm
Largo daSantaf
SPCruz n. 84, es-
Ijgquiria da ra do5
KSebo.
O
o
a
\w*
jr

to
,1 i ii-l l i 1 I ',f!M4H, '"Vi
.:, %la ti 1 ;1.-- > l !..' U-I.l l.Pl........
\l>(';;rn I > insuca ..*;. rttosg.........
i'urt-jri-o ; >' i- > )nn.........
')i,;;):iario 13 .m-uis le Uili;:n3. .
o ai los ksto istabelecimentoso por lenaais conhecidos
rora Brilhanto Ju Ja muit0 acreditado armazera de rnolhados denominado Au-
AS ? ?' ,er raesah} ortimento de gneros de primeira qualidade.
NVnimm ,rm, 2rira a t(,d0i de base para ajuste de oontas aos portadores,
oelo mnll ?' 'endera' mais barato e raelhores do que a Aurora Brilhante, ja'
ero fluinin rh .? qUe lem'Ja' mesmo Pr1ne seu dono s deseja tirar diminuto lu-
proviiur (1 nr ,rfa.raaCiU,nJular M **P*s do estabeledmento por isso deixe se a-
lantes fre'ue?^ atl toda a dil'8enciaatm de servir bem os seus cons-
; freguezes.
^ a Um* UbraS dechouricas muitonovas,
,DmSd4S "W* em postas inteiras,
I ?i00. 'Uil,dades. 000, 1^280 e
|DiideCr,0aSt/lo'rseXCe'len,e PeSCOpara fr"
?musS?^a^^oarsopadas'a720rs-
DitaSs,CnmaraeXa,Sa,^0' l*m ***
mitas cora raarmelada do afamado
Abren, a 70 rs.
jujeitar aos pre?o-
u
J')>pit)fio embico e eiiaieo lie F. P. Lebeuf e C
rm Motinarfcre, 31, em Park
a\-tbi*ica ca Argeoteuil.
Vil!?
Uft
y
-pr
s11
Paris (Praaea).
CiC\0
1!
v
D
ts vanos, agurdente e licores.
ih
-:'] >\ -1 Bil ;n
! i- vinhos de todas as A'jL AIIEXTE5.Esencia de cognac para dar
;...... y, \j-he i d i. ::!.: i, i f.,de Ponwrrt, 3 cejroac. A garrafa para 00 litros, S f.
'.,.. f.,-1' Cataln, 8 f..-e Porto, KrRSCH E ABsINTHO.Essanciade kirsch e
: i-.' !!.'! ija, dosis para 23 ou 30 li-|de absntho. para os faier comateoole agua. A
garra/apara 100litros,S f.
LICOHES.Extractor para fabricar se todos os
licores conhecidos sem fogo nem aiambiqoe. (in-
dicar-se o.< que se deseja.) A dose para O ou 2^
litros, 3 (.
PEIFUME? ir i fa'oricar-se o licores finos ou
icia ara fabricar com o alcool e ajua
, ih'i aci na todos s outros. a 'loso para
is, ;>J f.
i.'fr \r,\o. Piv Infflews.fi* 1o vinh
lanha,
: f
a Praoea,
libra p;ra
300
-omvn:i!< a *we para !') >>n i-5 litros, i f. 2o.
,)RVCAO Parpir
brancas e vinho< "><
' itro, 16 f.
ltaos a> m -' vi'-'

o trabalho o<
res, etc., sao
Ti)!) i-> k "itlris ;>rod netos para
para iloroar oslvinhos. i?aarJuntes, -.ore?, vina
As linas librasjfab',icados fe encommenda.
TBXCILJOS le atxiratorin ede ehtmica.
t-'nd'i falsificadr. e nta frjjikdzesldeve-sa acigii <>bre as rolhas e rotul'K as iniolas '.'. V.fj. Pars,
0 ni)i-i asar-so ilasprepji"3<;(li*s inha-seadcado no rotulo.
As encommendas ievem ser-acompanhafl3>porutjia |tra ibre Pars ou qualquer outra cida-
:- ';-u<'i, ou ria h; <<: ; n i i*t |ni -i lt. -'iri/ir-sa aosSrs. Lobaaf & C. chimicos, roa
nj al rtra, n. 31, oti Pi'i*. ou i n fahrici '-a Vr,ru- -i;l. pr-'s Paris.
fdaisa na botici ".-ic^.a. na \i Imperaijr o.3S.
sojioSuBJisa sazicd sop a bdubjj ap scoiioq sb spoj uia a t%moj 3p omBsq vp jmnJo lstw<
9j> vaptpsK gp fwijtuf mmspvoy vp tuqwtu '^errtioa raiioq bu 'sudj uia '[BJa ojisodoa
bjo8b jib osABflsiuiuipB as snl) soorinq
-joosa-nua a a/i^Bjndap sodpjcx sob a opqjcanq ap opcSg ap oa[o ob oSaaduia ojsou jouadns
(nta p o 'ojt!pajaq opiA uin ap Biouannni e ajqos no SBoniqoBJ a SBSomjOJOsa 'siaqop sboubijo
sb ejBd 'souiuoui sop jEjdsoq op 'etr>iBg JOjnop ojad opBqiasnoaB 9 a uio3bjuba Bimu uioa
tucquiBi BJoiduia as losopi[ap ojso2 ap a osiso3ip \pt siun ap 'xno ai ep odpxex O
(nma op) oqnoa no u|j
'o|nqjj83
'aqniX
> ?qi3qop
ontag ap 03io o 9 scpspoi 's3Bja3oA ssglcjBdaad
s^3d ussjoons tnnqnao mas sopoi^i it 'onSats
)p oioia un jod SBpiuoissooo scJaaop sb sspoj 3
( Jn Hop >|Sii|)U*i|ilo!3
'-ltlliqd *ao3>3UV
'umii'ijojjho tiaisu.
'a|ajqa a h>S|i:jujjn.i |ni|q)qdo
'Oinapiqinu
'0| iSJ.lolllllH
lil-"->""|iu.i 1 i
'la
'itni3)od xu'.iijjqv
'n|njOJ3*s
*SVJ|9dHd
'09||aqdn:i| oojjiujuqo
'Bososniu sj|,i
'3|)Mli tipoi ap qinqjoq .> saji.mu
'.)|;oil ap uajuaaa
: satuamSas saooojjB sbu BiOBsiija Bsojapod bus
iJBJisuomap '-Da 'Xjqny a 3ssb\ 'xnojSaq liaua 'iaqosojEa looqmg 'aipn'ia 'uncg 'aqanj
>.\Buazc3 saaoquas so 'sij ap saBjdsoq sop siaABiou sibui sooipbiu sop SBiauoijadxa sy
'osoaapod bibui o a soBnb sop so.-.iicjndop so sopoi ajina
op raapjo cjiauud e cfoq Bdnooo 'opoi o 9 s.ijoxng o 'OMioug o 's^ppaquoo mu oes sapsp
-audojd SBfna sapioficiam soji ap oeAvujqmoo ODi[du) euin op opBi|nsoj'oianpoad o.\ou ajsg
OAiivandia adoavx
lOO,
fabricante
Jn|a!^m mas"'^ tomal9. a 300 rs.
& o 2o!deCMdre* n"V0S' a 155''
^D'Snl)0lacl'inha de soda muito novas'a
Ditascombiscoitinhos Inglezes de muitasqua-
Iidades, a i^iOO.
7/1000
garrafa?
sojp3uBJisa sazred sop a bubjj ap SBOiioq ot snpot uia
9 'H 'aJiJEuiiuoK-spssoj sap Btu 1o0 p ogttto'j vp'jvpi/Jo 'suvj ap vutotptf sp jvutdtut
viuiipvoY "P o.iqtu9iu 'svpunos uu ojnop '^crriioa 3P wnoq u 'sjuoj ma '[BjaS oipdaQ
0J9 '-S19 ''D19
0|aania|a9>a9)AD3> ap o
'onmiiatu
-ujqj ap a iot ap sossaaaT
.o)u.>|niu aanadaq '>
-jan no taa* J||3
'ojni-ipnoa
-odq a 3!jJiwq aaav
'ao|BA3
'ao)BaS|poi
oSamoiaa ap oaqui|u-j
. 'BOdOQUiS
'uj9|)jj.v
'Ajan ap nb*uv
'oiumtdiia
'||njia\
'aaafcvxna
: se obs ouioj 'oso.uou ornsiqiua um ap uiaSuo
cns osjh anb seuaop se sspoi ma ossaoons moa opBSajduia ag 'jaqia o jBJisiuiuipB ap BjpuEui
joqiara b antnsaoo 'JEBrraog aiaai oiqss opd souub aint\ ap srem 9 osoduioo adpjBX awg
subj 't 'aaOEiuiuopi-sassoj sop eny
lvuuo[j 9p opiBaj vp pn.v/Jo
'vupipoff 9p jvusdtut mvupvoy vp oqutffiu 'tvjyugps vp gpvpjnovj vp uojnoq
avtiios aa
aaHia.a aaouvx
ASTHME
ASTHMAU ASTHMA ASTHMA
SUFFOCgiO NERVOSA E 0PPRESS0
nico remedio efficaz para combatlir estas molestias, acalmar um attaque d'asma e impedir a
volta o Xarpe aromtico de Succino (mbar amarello] do Dr Danet. escoberta inleiramente
recente, este aovo producto se tem propagado com extrema rapidez gracas aos admirarais resal-
lados que tem sempre produzido. '
Deposito geral, na botica Ghauveaud, boticas de Franca e do estrangeito.
.epnsitugerai em l'ein robuco roa ib Cruz n. emeasa ile Caros. & Barbosa.
v.adem-se amend
Cruz n. 13.
Amendoas
as confesadas
Farinha de muribeca fi
barata que se venile no mprc !o,
eos : na ruado Vigarion. 20.
Pede-se toda a attmeo.
m ni* .11 Algodao muito snperior, sendo a peca 20 jards
____________ por 3*700 e 4 ; madapolo muito fino e larga,-a:
a p alv mus i ienda-*o 12^000, agora por 7# e 55 a peca de 2't
s jardas, e multas cobertas a 220 rTo covado : na
toja da ra da Madre de Dos, o. 16, defronte da
guarJi da alfaodega.
em sac-
r Chocolate.
uuxinbas com arneias enfeitadas proprias
para mimo a 15200, 2-JS00 e 3j00.
runcQwate snperior muito novo, a libra de
: 0 a 15000.
.Maearrao^alhariam e aletria amarella, a libra
1 a 'w>u rs.
Dito dito dita branca, a libra a iOO rs.
Laixas com estreHnha, peviJe, e outras raas-
sas, a ca xa 35500.
Ditas dita em libras a 640 rs.
Sag, a libra a 360 rs.
SSevadinha para sopa a libra, a 240 rs.
Ervilhasseccas, a libra a 160 rs.
l)ilas descascadas, a libra a 200 rs.
[Tapioca muito nova, a libra a 280 rs.
Farinha de araruta verdadeira, a libra a
l oOO rs.
'A|I2!0 Maranbo, em sacco, a arroba a
25W0 e a libra a 80 rs.
jDito da India e Java, a arroba a 3300 e a li-
J bra a 100 rs.
'Toucinho de Lisboa a 9^300 a arroba e a 30
rs. a libra.
jDito de Santos, a arroba
260 rs.
jMolhoscom 12o ceblas grandes, a l?i280.
JMostarda franceza, caixa cora 2 duzias a
t 75000.
(Frascos com mostarda preparada em vinagre,
J a 400 rs.
Ditos 'ou conservas ingieras e ranceras, a
610 e 800 rs.
SDitoscom sal refinado fino, a 640 e a 50rs.
? Ditoscoma verdadeira genebra delarauia,
S 15000.
Ditos de 2
640 rs.
^Botijas com dita
400 rs.
Garrafoes com 2 galoes com dita, a 65-
(Serveja boa, marca, a 500 rs. a garrafa, e a
duzia a 65OOO.
'Vinho muscatei de Setubal, a garrafa a 15.
Marrasqninhovardadeiro,frascos a 80C rs. e
a 15200.
JChampagne, a duzia 205000, e a garrafa a
, 25000.
jAzcite refinado portuguez e francez, a garrafa
' a 15000.
Caixa de vinho Rordeaux muito superior,a
) 75,85,93 e 103 a caixa.
Ditas com dito branco, a 75 a caixi.
. Ditas com dito lagrimas do Douro verdadeiro,
i a 205.
'Ditas cora duque lo Porto verdadeiro^a
. 185000.
jDitas com chamisso superior, al45-
'Ditas com Porto velho e outras muitas mar-
cas, a 123.
? Vinho do Porto ia pipa, a garrafa a 640, 720
f e 800 rs.
Dito de Lisboa muito bom, a caada a 35200,
{ 35500 e 43, e a garrafa a 500 e 560 rs.
Ditoda Figueira, das seguintes marcas (X.)
(J. A. A.) (J. L. G.) (O. M.) a caada a
45500, e a garrafa a 560 e 640 rs., deste
I que ja est engarrafado e lacrado com o
rotulo do armazem.
iDitosde marcas mais desconhecidas, acana-
) da a 3530O e 43000, e a garrafa a 480e
520 rs.
Vinho branco fino, agarrafa a 640 rs.
Dito de caj muito superior, a garrafa a
? 800 rs.
Je Ijllanda verdadeira,a
propria para negocio, a
Vinho Terde superior.
A caada a 35000 e a garrafa a 400 rs.
Gomma.
Saccas de 4 arrobas, a verdadeira de se
engommar, a arroba a 3>000 e a libra
120 rs.
Sabomassa, a libra a 200, 240 e 280 rs.
Farinha.
Saccasgrandescom farinha de Goianna mui-
to nova, a 35000.
Caf.
Cafdo Rio muito superior, a arroba a 85,
85500 e 95000.
Cha.
Ch,temos uestes gneros o melhor possivel,
hyson, a libra a 25600.
Dito pcrola a 33000.
Dito uxim a 25700.
Dito hvson muito fino a 25800.
Dito redondo a 25500.
Dito preto de primeira qualidade a 25500.
Dito mais baixo a 25000 e 15600.
Erva male.
Excellente cha medicinal, a libra a 240 rs.
Espermacete.
O mas*o enm 6 vellas de espermacete a 600, j
640 e 720 rs.
Passas.
Caixas de 16 e 8 libras de passas novas pro-
prias para mimos a 45 e 25500.
Nozes.
Xozes, a libra 160 rs. e arroba a 45000.
Alpisla e painco.
Alpistae painco, a arroba 45000 e a libra a
160 rs.
Cartas.
Cartas finas par logar, a duzia a 25500.
Caslanlias.
Castanhas novas vindas ueste vapor, arro-
ba 45OOO e a libra a 200 rs.
e a libra a Azeitonas.
Barriscom azeitonas novas a 15300
Manleiga.
Manteigasuperior, a libra a 15280.
Dita mais abaixo a 15200.
1 Dita menos superior a 15 .
; Dita franceza nova, a libra a 8R0
Dita dita em barris e meios ditos, a libra a rj>j
850 rs. pm
a Dita para tempero a 400 rs. -4^
Qaaijos. J
Queijos novos viudos ueste vapor a 25800 e^pQ
35000. (M
Ditos londrinos muito novos, a libra
15000.
Papel.
Papel ilmaco pautado, a resma a4500.
Dito dito tizo de linho, a resma a 43500.
Dito de peso liza e pautado, a resma
25300.
Dito deerabrulho.bora a 15 e 15200.
DE
AZEVEDO FLORES
Ra da Odeia do Kecife, esquina da Madre de Deas.
Prestem attenc-uo ao discurso do Balao.
A loja do Balao todas as semanas reforma o seu annuncio em consequencia de
constantemente receber novas fazendas e novo sortimento de roupa feila, os seus precos-
sao os mais moderados como j ninguem ignora, as fazendas que nio levam preco marca-
do porque lia diversas qualidades e diversos pregos, e em loja alguma encontrar o pu-
blico um lao completo sortimento de fazendas e roupas feitas, e nao liavendo a obra que
o freguez procurar toma-se a medida e em 24 horas estaio salisfeitas as exigencias do
fregraez.
Pede-se atteucao.
Chapeos de sol com 16 asleas a 12$.
dem idem com 12 asteas a8i.
dem idem denominados acadmicos, fa/.enda inleiramente nova com 12 asteas a
12$, por este prego s na loja do Balao se enconlra.
Bales de arcos para senhoras, os mclhores que ha a 3$.
dem de arcos e de musselina para meninas a 2, 200 e 3(51500.
Vestidos finos a Mara Pa a 14$.
dem dos mais modernos que ha de flores matsadas a 18$.
dem com barras, fazenda ainda nao \ista em Pernambuco a 24^.
Pecas de cambraias que sempre se venden por 9$, o balao vtnde por 7#.
Chitas preclaras que todos vendem por 640 rs., o Balao vende a 560.
dem da m sma qualidade, porcm de or.ros pa !roes a 440 rs.
dem escuras a 300 rs. cstao-se acabando.
dem estreitas a 20Ors. s na loja do Balo.
Laas de accento escuro com flores matisadas denominada pelas senheras que i
compraram (la econmica.)
Cambraia de cores as mais finas a 800 rs. a vara.
dem de cores com quadros brancos a 560 rs. a varr.
Madapolo a 85 a peca, que vale 9, lamhem ha fino.
dem francez proprio para saia de senhora a 560 rs. a vara.
Camisas de meia muito finas a 223 a duzia.
Meias cruas para homem de 6$ a 8$ a duzia.
Camisas de pregas largas a 23500 que todos vendem por 33.
dem inglezas de Moho muilo finas a 483 ou 543 a dua.
dem de flanella de cores muito finas.
Caigas de casemira pretas e de cores de 73 a 123.
Paletos de casemira de cores e pretos, a 103. 113 v 123.
Cohetes de casemira e debrim branco os melhores que ha.
Caigas de brim bra co muito finas a 43500, 53 e 7$.
Paletos de alpaca branco a 5$.
Mantas modernas para pescogo de homem.
Collarinhos de papel de cores a 800 rs.
dem brancos a 400 rs. a duzia.
La preta para luto e de todas as m3is cores a 500 r=. o covado.
Ceroulas de linho com duas costuras.
dem de algodo a 15600.
Cambraias para forro de vest lo a 23G00 a pega ou a 360 rs. a vara.
Chales de merina estampado que custarara 83, vende-se por 53 em razo de es-
tarem un p ac desmatados por ter estado a mostra, por estes pregos s na loja do
MOiNASDEPATEI
IT
Vinho Madeira. fifbi
Garrafas com o verdadeiro vinho Xerez e Ma- a| i
deira a 15300 e 23000.
Temperos.
Folhas delouro, pimenta do reino, coramho
e cravo, a libra a 400 rs. Jfc
Velas de carnauba. Sg
Massos com 6 velas de carnauba refin='9 *
480 rs.
Amcndoas.
Araendoas com casca, a-libra a 320 rs.
Deee. SHB
Caix5es de doce de guiaba, grandes a 15100 Jp
e pequeos a GiO rs.
lijlos de limpar.
Tijolos de arcar facas a liO rs.
Grasa.
Duzasde boioes de graxa n. 97 a 25000, e
de latas a 15000, e os boioes a 2i0 rs. ca-
da um, e as latas a 100 rs.
Charutos Gnos.
Charutos finos dos melhores fabricantes da
Bahia por diversos precos, caixa; e meias
caixas.
de trabalhar ico par?
d escarcear agodo
FABRICADAS
Por Plant Brothers & 0.
0LDA1
Estas machina.'
podemdescaroca
Snalqoer espe'ci
de algodao sea
' estragar o fio
ijr^ sendo bastante
T5-, duas pessoas para
- o trabalho; pd*
desearoear urna
arroba de algo-
dao em earorc
em 40 minuto'i
on 18 arroba:
por dia ou 5 ar
robas de algod<
limpo.
AGUA
E grande quantidade de gneros tendentes
estes estabelecimentos, que deixam de an-
nunciar-se.
tfiSU
CORTIXAllO BORDADOS
N. 11 Ra do QueiuiadoN. 11
A este estabeledmento hegou ltimamente da Enropa um grande e variado sorti-
mento de coriinados bordados o que ha de mais gosto em desenhos e bordados.
Lindos bonets de palha de Italia para senhoras.
Chapeos e chapelinas de palha de Iufia ricamente enfeitado?.
Chapeos finos de seda para cabega de boinens e chapeos de sjl de seda ingieres _de
8,12 e 16 astes.
Bournus e chales de renda.pretos superiores.
Pelisses e soutembarques de seda preta para senhoras.
Cortes de la de barras de 145 a 225 de muito gosto.
Bal5es de arcos e de ransselina finos, manguitos e camisinhas.
Saias bordadas muito superiores.
Moireantlque preto, grosdenaple preto e de cores, panno preto fino de diversas qna-
lidades e casemiras pretas e de cores.
Lnvas de pellica para hornera e senhoras. .
E muitas outras fazendas que tudo se vende barato na loja de Augusto Fredenco
dos Santos Porto, aonde tarabem se vendem as melhores e mais baratas
Esteiras da India para forrar salas
S. 11-Roa (leQiieimado-X.lt
TaSso Irmos
vendem ?e.;so em \<6 para estuque de casas, lijlos
finos de feitlo diversos para ladrilho, azuleijos de
diversos ,'osls, tijolos vidrados para parede de cu-
naba, anos de barro para esgoto, cemento em
barris de 10 arrobas.
Calmig.is finos e ferlnquedos
para meninos.
Chegaram para a loja de miudezas da ra do
Queimado n. 69, os mais finos e lindos oalungas
tanto para bnnquedo de meninos como para cima
le mesa : na mesmaloja se encontrar bom sor-
limento de miudez:s.
t
0 GASTELLO BE VIRAGS
Traduzido do francez por A. J. C. da Cruz.
Vende-se este bello romance em quatr
tomos pelo baratissimo prego de 2J50C
aa praga da Independencia, tivraria ns.
6 e8.___________________________
Oenebra de llollanda em fras-
quelra.
Chegou a genebra verdadeira de Hollanda, mar-
ca VD, e vende-se somente no armazem de narros
& Silva.
Assirn corno machinas para serem movidas por
animaes, que descarogam 18 arrobas de algodi
limpo, por dia; o motores para mover urna, duas,
eutns dessas machinas.
Os mesmos tem para vender um bellissimo va-
por que pode fazer mover seis destas machina)
mencionadas; para o que convida-se aos Srs.
agricultoreta virem ver e examma-lo, no arma-
zem de algodo, no largo da ponte nova n.47.
Saandei's Brothers & G.
X. II, praea do Corpo Santo
RECIFE.
Os aicos agentes neste paiz._________^^^
Rival sem segundo
Ra do Queimado n. 49, loja de roindezas de Jos
& Azevedo Mala e Silva esta disposlo a vender mui-
to barato que admira, pois seus fregnezes ja esto
scientes que nao ha segundo competidor.
Peeas de cordo para vestidos a 20 rs.
Capachos redondos e compridos a 500 rs.
Talheres para meninos a 240 rs.
Duzias de facas e garfos a 25400.
Ditas de cabo preto cravado a 35000.
Baralbos fraocezes muito finos a 200 e 240 rs.
Grozas de boioes de luuea a 160 e 200 rs.
Caitas com soldados de chumbo a 120 e 200 rs.
Bunecos de choro pequeos a 160 rs.
Varas de cordo para espartilho a 20 rs.
Duzias de colheres para cb a 800 rs.
Duzias de colheres para sopa a 15oiM).
Ditas de metal principe de cha a 25000.
Ditas para sopa a 45000.
DE
Florida.
para restabelecer e conservar a cor natural dos ca-
bellos.
A agua de Florida nao 6 urna tintura, facto es-
sencial a contestar, a mesma agua dando a cor
primitiva de cabello. Compcstas do plantas exti-
cas e de substancias inoffensiveis, ella Km a prc-
priedade de restituir aos cabellos o principio co-
rante que tiles tem perdido.
De urna salubridade incontestavel, a apea de
Florida enlretcm a limpeza da rabera, dtstrot as
caspas e empede es cabellos de cahir.
Ueo de Florida
Composto de substancias vegelaes exticas, elle
contnbue poderosamente, com a agua de Flo-
rida a forca, a belleza e a conservaco dos cabel-
los.
Em Paris casa de Guilaurn. 112 ra de Rechi-
lieu e 21 boulevard llonlmarire.
Todos os frascos nao lendo intacto e clare, e tin-
clre prateado da casa. reputado falso.
Deposito ra do Imperador pharmacia n. 38.
Bixas haiuburgue>as.
Vende-sena ra Nova n. 61.
DROGARA.
34Ruaj larga do Rosario34
Bartholomeo Francisco deSouza
Vendem:
Acidotcetico puro pra retratistas.
Esmaltes para ourives.
Papel pira forrar casas.
Guarnieres avelludadas.
Tinta brancasnperior em lata.
AlvaiadeVeneza, lino, em pes.
4C.
0
3B&EA
Orna familia que se retira vende nma mobilia
de amarello j usada, trem de cosinba, lonca de
almoco e jamar azul, nma mesa de jamar de ama-
rello ps torniados, mesas pequeas, eommndas,
rama de casal e muites outros oujeetos o qne tudo
se vender em conta: na ra dos Pires n. 62.
Vende-se urna negr nha de 10 annos, muito
esperta e sadia : no pateo da matriz de Santo An-
tonio n. 8.
o armazem de azen das ba-
ratas de Santos Coelho,rua
do Queimado n. 19, ven-
de-se o seguinte:
Lences de panno de linho a 25400.
Ditos de bramante de linho de um s panno a
35500. V
Cuberas de chita da India a 25o00.
Lencos de cambraia brancos propnos para algi-
beira, peio barato preco de 25000 a duzia.
Pecas de brelanha de rolo com 10 varas a 35800.
Ditas de cambraia para forro de vestido, com 8
varas, pelo fcaratissimo preco de 25600.
Guardanapos adamascados pelo baratissimo preco
de 35500 a duzia.
Algodao entestado com 7 Ii2 palmos de larcuraa
15200 a vara.
Corles de la de lindos gostos com lo corados a
65000.
Pegas de cambraia adamascada com 20 varas, pro-
pria para coriinado, pelo barato preco de 115-
Fil liso fino a 800 rs. a vara.
Dito com .-lpicos a 15 a vara.
Tarlatana branca lina a 800 rs. a vara.
Atoalhado de algodo adamascado & 25200 a vara.
Dito de linho a 35200 a vara.
Lazinhas lisas de todas as cores, pelo baratissimo
prego de 500 rs. o corado.
Pegas de cambraia de salpiros brancos e de cores
pelo baratissimo prego de
25 a 35, de 30
com 8 Ii2 varas
45500.
Baloes de 20 arcos a 25500, de
3S500, de 35 45, de 40 45500.
Tealhas felpudas a 135 a duzia.
Esteiras da India de 4, 5 e 6 palmes por menos
preco do que em ouira qualquer parle.
Neste armazem se encontrar um grande sorti-
mbto de rOOpa feita e pormfedlda.___________
Admira vel peckineha!
Mftcambique a 300 rs. o cralo,m teja
do pavao.
Vendem-se os mais bonitos mocambiques de po-
ra la proprios para vestidos e sontembarqnw,
sendo de quadrinhos de listras e Usos, fazenda in-
leiramente nova, em padrees e maite proprias pa-
ra as senhoras que frequentam o mez Mariano,
porqne esta fazenda Ibes facilita faz-eren por pon-
co dinheiro vestidos muito decentes para qualquer
acto, adverliodo-se que este baratissiao KffO
devido a grande compra que se fez desta nova fa-
zenda, que se vende a freze tantees o corado : na
loja do pavo, ra da Imperstrt n-*0, de Gama &
Silva.

ILEGVEL
[WUTJE5EH
- .


Diarlo de Peaanbaco ... Sabbado 3 de Junio de ie&
i
0 NOVO
DO
ESTABELECIDO A RA NOVA N. 60
vim.ji mmm m sb mina
AO
RESPEITAVEL PUBLICO.
A apreciado dos habitantes desta heroica provincia existe no grande arma-
zem da Liga establecido ra Nova n. 60 um magnifico sortimento de molhados,
que sendo em sua raaxirai parte mandados vir directamente de estrangsiro podem ser
vendidos por presos asss razoaveis.
Sem a fatuidade de querer que este novo e nteressante estabelecimento seja o
primeiro e nico em seu genero, pde-se porm .-ffiancar, com toda a seguranga de que
nenhum outro o exceder no restricto cunprimento das seguintes promessas:
AO P&UCO
en o menor constran-
glmento se entregar o
Importe do genero que
5o agradar.
ATTENC&O
O* precos da segulutc
tabella para todos, po.
dendo asslm servir de ba-
se para o ajaste de coutas
com os portadores.
1.' Delicadeza no trato.
2.; Fidelidade no peso.
3.' Sinceridade nos pr^os.
As pessoas que por sua posico social gozam de certo tratamento, acharo nesta
casa os melhores queijos londrinos, cerveja, vinhos finissimos manteiga e cha sempre de
primeira qualidade. etc., etc.
Qualquer que seja a condicSo do freguez, elle deve contar que ser sempre mili-
to bem servido.
Aquelles que sao pouco favorecidos da sorte faro mensalmente urna economa de
muitas patacas, afreguezando-se nesta casa, onde se lhes vender o arroz, o caf, a man-
teiga oassucar, etc., etc. de boa qualidade pelopreco que em algumas partes nao po-
RA DA CADEIA DO RECIFE N. 53
(Logo passando o arco da Conccico)
PARA BEM DE TODOS.
Senhore? z senhoras, o aceio qae presidio aosarranjos destenovo estabelecimento, e mais que tudo a promptido e intei-
reza com que serSo trati'ss^sc&vida a urna visita ao mesmo, certos de que sem duvida me dar5o a protecc3o e preferencia na com-
pra dos teneros que precisareis e quando na"e possam vir podero mandar seus portadores, anda que estes sejam pouco orticos,
pois sera"o t5o bem servidos como se viessera pessoalmente, havendo para com estes toda recommendacao, afim Me auenovoen
tra parte.
A,Sa SrfcaiLUll'arm 3 40 a V^Voettoem f3SC0S dC ** C-
3,5oo a caixa com 8 ras ^ ? ga ni *i ff a 5\5?0 e 6,4
Vinho do Porto muito fino proprio para' zia* 3' e '8' 6'000 e6'5o a du"
%em ancoretas de 9 caadas a Cevadinha de Franca muito nova, a 2oors.
tnarulos.do affamado fabricante Jos Furta-
dem ou nao querem vender. rhnnripio n .sXTTo
^nourifas e paios a 8oo rs. a libra.
Minteiga ingleza especialn ente escribida a
i,ooo e 8oo rs. a libra e em barril se faz
abatimento.
dem franceza a mais nova do mercado a 96o
r, r.s; a l'bra e 900 rs. em barril ou meios.
Uia hysson de superior qualidade a 2,600
_ rs. a libra.
Cha perola o mais superior do mercado a
2,8oo rs. a libra.
dem hysson muito superior em latas de i 5
libras muitoproprioparanegocioa 2,ooo
rs. a libra. *
dem hysson nacional em latas de 1 e 2 li-
bras a l,6oors.
dem preto o que se pode desejar neste ge-
. ero a 2,ooo e 2,2oo rs. a libra.
Linguigas muito novas a 8oo rs. a libra e em
barril se faz abatimento.
Os senhores de fra da cidade, dos arrebaldes ou centro, que comprara para ne
gociar, devem vir, pelo seu proprio interesse, a este estabelecimento para se convence-
ren! do quanto se pode vender barato.
Para os senhor s que compran para tornar a vender existe um sortimento espe-
cial, escolhido por pessoa entendida que certamente muito de^e agradar aos senhores
compradores
Nao se tem poupado sacrificios, nem se deixar de fazer a diligencia para agra-
dar a todos.
pelos seguintes precos so se vende
a dimheiro a vista:
A
a.
ALPISTE E PAINQ0 a 1 -0 rs, a lib
AMEXD )AS novas a 28o rs. a libra.
AVELAESa240rs. a libra.
ARROZ de 90 rs, a libra a,..
AMEIXAS francezas era latas, potes, fras-
cos, bacetas, etc etc.
AZEITE doce a 600 rs. a garrafa, cadada a
B
BANHA de porco a 660 rs a libra, em por-
co faz-se abate.
BOLACHINHAS do beato Antonio a
BOLAGHLNIIAS de soda lata grande a 2,000
Tis.
BISCOITOS ing'ezesem latas de 1,200 rs. a
BO ACIIINHAS principe Alberto a 2,000 rs.
C
CHOURICAS m ito novas a 800 rs. a libra.
CAF de 200 rs. a libra.
CHOCOLATE francez a 800 rs. a libra.
CHAMPAGNE das marcas mais acreditadas
a 25,000 rs. o gigo.
CHARUTOS de todas as qualidades, suissos,
am;rican,s, bahiannos, fluminenses, etc.,
de 1,400 a 10,000 o ceato.
CHA HYSSON de 2,200 a
COPOS 1 sos ladidados de todos os tama-
nhos a
1
DOCES de todas as qualidades.
E
ERVILHAS seccas e era latas portuquezas e
francezas.
F
FAR1NHA de araruta verdadeira a 800 rs. a
libra.
FARINHA do Maranhao ou tapioca a
FARELLO de Lisboa a 4 e 5,000 rs. a sacca.
FAVAS portuguezas era lata a 600 rs.
O
GOMMA muito nova e aba a 140 rs. a libra.
GRAO DE B1C0 a 120 rs. a libra.
GENERA delaranja a 9 e 10,500rs.
CENEBRA de Hollanda i m botijas, frascos,
garrafas, etc.. etc.
Costelletas inglezas a 64o rs. i libra, serve
para temperar panella ou para fiambre.
Queijos do reino chegados neste ultimo va-
por a 2,2oo rs., ditos de navio devella a
2,ooo rs.
dem londrinos muito frescos e de superior
qualidade a 8oo rs. a libra.
dem pratoa 8oo rs. a libra, e inleiro se faz
abatimento.
dem suisso o mais superior que tem vindo
ao mercado a 64o rs. a libra.
Ervilhas e favas portuguezasj preparadas
- em latas hermticamente lacradas a 64o.
MANTEIGA ingleza e franceza a!J, 1^120 Feijao verde muito superior a 640 rs. a lata.
1$280 e em barril faz-se grande abat-'Copos lapidados para agua a 5,ooo e 5,5oo
ment.
MACARRO a 400 rs. de 8 libras para cima
a 360 rs. a libra.
MASSA DE TOMATE a 600 rs. a lata.
MOSTARDA ingleza a 800 rs. o frasco.
MARRASQUINO de Zara.
MARMELLADA de diversos fabricantes e
diversos precos.
P
PEIXE em latas a 1,000 rs.
PERAS SECCAS a 500 rs. a libra.
PASSAS muito novas a 320 rs. a libra.
PRESUNTO para fiambre.
n
QUEIJO do reino de 2,000 a
DEM londrino.
DEM suisso a 800 rs. a libra.
DEM prato a 800 rs. a libra.
9
SABAO MASSA a 160 rs. a libra e grande
abate em caixa.
SEVAINHA a 200 rs. a libra e 8 libras se
far grande abatimento.
V
t'INIIO tinto de 360 a... garrafa.
VINHO tinto em caada de 2,5G0
VINHO branco em caada de 3,500 a
INHO verde a 4$ rs. a caada.
ANUO Bordeux em caixa a 6.000, 7,000 e
INHO de Grave a 6,000 rs. a caixa.
INHO Cherry a 1,000 rs. a garrafa.
VINHO do Porto de todas as marcas e todos
i os precos.
VINHO Collares a 800 rs. a garrafa.
VINHO tinto, neste genero ha constantemen-
! te 20 a 30 pipas ao torno de diversas
qualidades e diversos pregos.
VINAGRE em ancoretas a 15,000 rs.
VINAGRE em pipa a 160, 200 e 240 rs.
yiNAGRE branco a 400 rs. a garrafa.
AELLAS de carnauba a 13 e 13,500 rs. a
arroba.
rs. a duzia.
dem dem para vinho a 24o rs., e 2,4oo rs.
a duzia.
Chocolate francez espanhol e suisso a 9oo,
l.oooel,2oors. a libra.
Espermaxele, superior a 6oo e 64o rs. a li-
bra e em caixa se faz abatimento.
Peixe em posta em latas hermticamente la-
cradas e das melhores qualidades de pei-
xe a 8oo, l,ooo e l,2oo rs.
Vinho Bordeaux das marcas mais acredita-
das que vem ao nosso mercado a 7,ooo e
8,ooo a caixa e64o e 7oo ris agar-
rafa.
Genebra de Hollanda a 48o rs. a botija de
conta certa.
Frasqueirasde genebra de Hollanda a 6,8oo
e 64o rs. o frasco.
Genebra de laranja verdadeira em frascos
grandes a l,ooo e H,ooors. a frasqueira.
Caf do Rio de Ia qualidade a 28o rs. ali-,
bra e 8,5oo rs. a arroba.
Caf do Cear muito superior a 24o rs. ali-
bra e 7,5oo rs. a arroba.
35,ooo rs.
Vinho em pipa : Porto, Figueira e Lisboa a
32o, 4oo e 5oo rs. agarrafa, e em caada
a 2,5oo, 3,ooo e 3,8oo.
Vinho branco de Lisboa de excellente quali-
dade a 4oo e Soors. a garrafa e em cana-
da a 3,ooo e 3,5oo.
Vinho branco para missaemcaixas de 1 du-
zia a 8,ooo e 68o rs. a garrafa.
Vinho do Porto das melhores marcas que
vem ao mercado como sejam : Lagrimas
do Douro, Duquedo Porto, Rainha de Por-
tugal, Duque genuino, D. Luiz 1, Madei-
raSecca,Malvazia fina a 16,ooo,15,ooo,
12,ooo e Io,oooa caixa com 1 duzia e9oo,
l.ooo e l,5oo rs. a garrafa.
Vinho Cherexde superior qualidade a 16,ooo
a duziae l,5oo rs. a garrafa.
Sardinhas de Nantes a 4oo rs. os quartos e
64o rs. as meias latas.
Bolachinhas inglezas muito novas a 5,ooo a
barrica e 320 rs. a libra.
Bolachinhas de soda em latas de diversas
qualidades a l,3oors.
Cartes com bolo francez muito proprios pa-
ra mimo a 64o rs.
Passas muito novas em caixinhas enfeitadas
para mimo a 3,ooo rs.
Passas de carnada a 8,ooo a caixa e 4oo rs.
a libra.
Figos de comadre a 24o rs. alibra.
Amendoas de casca mole a 4oo rs. a libra.
Milo de amendoas a 5oo rs.
Bolachinha d'agua e sal, da fabrica deJo3o
de Brito no Beato Antonio, em lata de 6 li-
bras por2,5oors.
Ameixas francezis em fiasco de vidro com
lampa do mesmo, a l5oo.
Ameixas franc zas em cixinbas de diversos
tamanhos com bonitas estn pas na ca-
do de Simas, das seguintes qualidades:
Exposicao Normal de Havana, Imperlaes,
Londrinos, Guanabaras, Parisienses, Sus-
piros Delicias, a 4,ooo, 4,5oo, 5,ooo,
>000 e 7,ooo a caixa ou em n eias.
Charutos finos de diversas marcas e fabri-
cantes como sejam: Flor do Norte, Ma-
nilhasde Havana, intervallos,Vencedores,
Panaiellas e Suspiros, a 2,ooo, 2,5co e
3,ooo a caixa.
ognac ingio/ das melhores marcas, a 8oo e
l,2oo a garrafa.
Doce da casca degoiaba a 2,ooo a lata com
4 libras.
Farinha de araruta verdadeira a 32o rs. a
libra.
Matte,excellente cha para os navegantes, a
2oo rs.
Sebollas de Franca muito grandese novas
a l,8oo o cento e l,2oo solas.
Palitos do gaz a 2,2oo a grosa.
Toucinlio de Lisboa muilo novo a 32o rs. a
libra e 8,5oo a arroba.
Banba de porco refinada a 65o rs. a libra.
Bolachinha Alberto, as melhores que pre-
sentementetem vindo ao mercado, a 2,ooo
a lata.
Farinha do Maranhao muito alva e cheiroso
a 2oo rs. a libra.
Frascos com fructas em calda de divers.is
qualidades a 2,5oo e 1,5'r o o frasco.
Caixinhas com fructas em doce secco de di-
versos tamanhos, muito preprias para
mimo, a l,Coo, 2,6oo e 3,5oo cada urna.
Ruibos, excfllcr.te peixe portuguez, em
barris pequeos ou a relalho, a vista se
far o prego.
Azeilonas de Rivcem ancoretas grandesde
RIVAL
Ra do Queimadc d. ',9, luja do Ju5e & AzeveJo
Maia e Silva.
Pulseiras e volias muito Loouas a 500 ;>.
Miadas de lioha par bordados de superior uua-
lidade a 60 rs. H
Dorias de facas e garios de cabo prto ejIo
boa a 35.
Meiadas de linha froxa para bordar a 2 rs.
Meiadas de lioha aiulada superior a 60 r>.
Uabado do Porto muito suptrior a 100, 120 e
160 rs.
Varas de franja de inho branca ;i 40 r?.
Caixas com 100 envelopes da niWhor QUtUdade a
600 rs.
'Caixas com 20 quadernos do p.-ipel ni lerior a
600 rs.
'rozas de permas de afo muito fin:.- a! D i.-.
Pe^as de tranca lisa prela e de i i -.
'rozas de botoes madreperola para ca 900
e 720 rs.
aixas com 50 novt lies de linha do ..z .. 7U0 r.
>'aras de fraDja de (Ores a 80 rs
Novellos com 400 jardas superior ou liitie > 70 r--.
Carnteis de linha com 200 iarda3 dos i 60 at
200 a 100 rs.
Luros para asientos de roana lavada a Jf;Or>.
I'ares de botfies de punho muilo liups a '20 ;.s.
Th^snuras para unhas e cusiura nmitu Hus a
500 rs.
^eeMctj

43 e 45-RA DO QlEIMADO- i:;
Vondfm-se cortes de ra.-in.ira eti n .'.'! O
o corle, coheita de chita escoma it '
corles de la indiana [ara mido dv mI. r a
48tO ; tudo se vinde por este prno para aca-
bar restos de fazendas, a.-.-im icmo etilos lr.ras
a 200 rs. o cvado, cambraia orcani.'v : m a
280 e 260 o covado. '
Sortes avuJsas
Vendem se folhas de sortes pata a.- noule.- i, S.
Joao e Sauto Antonio, a 40 rs e a 20 r.-. e algons
folhitos presos diversos; na ra 8o .:; rador
n. lo, defronte de S. Francisco.
i im^iimiiiiihii mu.,
100# de gratificaeTio;
fugio ne da 7 de maiode 1865', da cass d a
Dai-

Superiores cortes de moirs preto com jarra, o qne ha de melhor gosto em c^|
Peraambuco. .
(dem de gorguro preto adamascado com barra a imperatnz Eugenia,
dem de gorguro de seda bordados con barra.
Superiores moirs pretos e largos 2#'00, 20600, 30, 3oOO, 4S, 5, 60,
70 e H o covado.
Superior gorguro de seda preto, a mellior fazenda que ha para vestido.
Sarja preta de seda,
dem preta hes;ianhola.
dem dem lavrada a 20 o covado.
dem idem lavrada muito superior.
Completo sortimento de grosdenaple pr ;to a 10500, 10800, 20,20oOO, 0,
30SOO, 4?, 40500 e 50. '
Pannos pretos de super'nr qualidade de 30 a 120 o covado.
Casemira preta de 10600 a 50 o covado.
Lindos chales, bournus, algeriennes e reltoudes de fil preto.
Mantas pretes de fil e los pretos.
E muitas outras fazendas de superior qualidade na leja dasColumuas
na ra do Crespo n. 13 de Antonio Correa de Vasconcellos & C. successores
de Jos Moreira Lopes.
I--* >
Conservas inglezas a 75o rs. o frasco e
8,5oo a duzia.
Vassouras de escova para esfregar casa a
4oo rs.
Nozes muito novas a 16o rs. a libra.
Arrozdo Maranho de Ia qualidade a loo Molhoinglez em garrafa de vidro comrolha
rs. a libra e 2,8oo a arroba. do mesmo, a 16o rs.
dem da India a loo rs. alibra e2,8ooa Mostarda ingleza dos melhores fabricantes,
arroba. | a 8oo rs. o frasco,
dem de Java a 8o rs. a libra e 2,4oo a ar- Mostarda franceza em potesj preparada a
roba. 400 rs. o frasco.
Paincoe alpista a 14o rs. a libra e,oooa Lentilbas francezas. excellente legume para
arroba. SOpa, a 2oo rs. a libra.
Massadetomatesdesuperiorqnalidadea 64o Marrasquino de Zara propriamente dito a
8 garrafas por 6oo e 8oo rs. a garrafa.
xa exteriorya 1,4o?, l,6oo, l,8ooe 2,ooO| Azeitonas portuguezas a 5oo rs. a garrafa e
cada urna. l,5oo cada urna ancorela.
Azeite doce refinado hespanholouportuguezj Champagne da melhor qualidade que vem
a 9oo rs. a garrafa e lo:ooo a caixa. i ao mercado, a 2,ooo e 3,5oo a garrafa, e
Batatas muito novas a 8o rs. a libra e2,5oo \ 24, ooo e 26,ooo o gigo.
o gigo com 36 libra=. Gomma de engommar muito alva a 12o rs.
a libra.
Fugio
xo assignado, o seu escravo Francisco, cabra, i sta
tura regular, grossodo corpo, ca! ellos nli. i r pi-
ohi.dos, denles perfeitos, spA barba, pes a mos
regulares,levando vestido calp de casemira pe-
la, camisa branca, palttol de alpaca eclapoCe
t.aea, prelos; alem dts referjdw --i;' -un
lie nobiayo direilo um sipual Sal n So, ixh
do qual tem nm cursejio feio cero Unta mi. ni
rujo centro tem as seis iticiaes seguintes: Mlil
IMN, tem elle 23 annos de idade, iiii.o mais ou
menos. Consta tir seguido a estrada d ti ...
em busca da casa d< seo amigo seuhi r o leen le
coronel Joaquim Oametiie da Costa, s <; ni
lugar denominado una: Glande da villa de San
t Auna, provincia do Ciara. O alaixu assgiadi
recommenda do s asaoioridades,come u ca-
pitaes de camj.d dequaliiuei logar, a ca] ta do
referido escravo, o qual pid.r ser enlreput- co
primeiro andar do sobrado n. 81 da ma dolnpe-
rador, ridade do lleiife. ou no silin da >.:., i.
Joo de Barros, re.-idexcia do alax( .ssig!..- ci. :
a pessoa que o trouxer lea a raiificaco < ma
Joaquim Manoel Ct Mira Watu'; n \.
Alten-cao
Na no:le do da 23 para 26 to n n de n wo lo-
gio do engenho Jundi ta E.-cada o escravo crioo-
lo de nrmeAlexandre, idade de JO arnts. | uro
mais ou menos, cor prela, denu> altos, i.-V i: .
regolar; cojo escravo fui arrematado cm praea
publica dojui/o ('e orphaos de Sote Anlac. e a
ten too alistar-.-e r.o balalt.o 8* i i: i i;< : ,-..
sim pede-se as autoridades policio> i ,- .;.-
tes de campo a captura to nenio esclavo,
sua entrega nesta cidade ao Sr. Albino Fi tira
da Cunha, casa ta esqoina da roa ce Horlas i.ia
o pateo de S. Pedro, cu no mesmo esgenno Jcndia
ao seu senhor Maniu I AiHiniii Da?.
rs. a
Iho.
lata de urna libra e56o rs. a reta-
10 a garrafa.; l!,ooo a duzia.
Palitos de dente a I o rs. o maco.
Figosem sextinhas a 8o rs, cada urna e 72o
rs. a duzia.
Papel azul para botica a 2,ooo a resma.
Balaios para roupa suja, grandes epeque-
nos, por diversos precos.
Amendoas confeitadas a 64o rs. a libra.
Latas com fructas em calda: pera, pecego,
damasco, rainha Claudia e cereja, a 8oo
rs.
Vinagre de Lisboa a 2oo e 28o rs. a garra-
fa ea I,4oo e 2,ooo rs. a caada.
Azeite doce de Lisboa a 4,8oo rs. a caada
e 640 rs. a garrafa.
Vinagrebrancoj engarrafado a 5oo rs. a
garrafa.
Fugio em principios do mea de feverein d<
crreme auno e consta estar acontado nesi ai e
o moleque Euzehio, escraa-o da viuva do Dr. Fer-
nando Aifousode Mello, de li annos de idade pou-
co mais ou menos, cor prcia, secco do cupo, otnos
regulares e afoma^ados, cabeca um pooco grande
e meta chata, boleos finos, denles hen alvos. p
seceos e muito ladino : roga-se por tanto a todas as
autoridades policiaes e capilaesde camp qne t ap-
prehendam e levem-o a ra da Ifaogoeira sobrado
n. 6 que serio gratificados, prolestariio-se osar dos
melosjudiclaes contra qualquer pessoa que o lenha
em seu uoder.
GOMMA NOVA.
Em paneiros muito alva a 4,ooo rs. a arroba e 16o rs. libra e compran-
do de um paneiro para cima se far abatimento na ra do Imperador n. 40.
ti achinas de serrotes para
algodo
Chegaram as desejads machinas de serrotes pa-
ra deseatocar algodo, havendo um completo sor-
timento^stft 13 at 40 errles, tambera ha mo-
tores americanos para as mesmas machinas, ven-
dem-?e o mais barato possivel: na roa 'da Cadeia
do Recife n. S9 A, loja de ferragetts de oio Car-
Jos Bastos Olfveira.
Chegaramos superiores
cortes de seda.
Superiores cortes de seda de cor, viodos pelo
ultimo vapor francez : na loja das columnas a rea
do Crespo n. 13, de Antonio Correia de Yascon-
J cellos 4 C.
Agua florida e tnico orien -
tilde Kemp.
Continua-se a vender em porcao e a retalho :
na ra do Queimado, loja d'aguia branca n. 8.
Chromacomo
A aguia branca, na ra do Queimado n. 8, acaba
de receber um novo sortimento de caixinhas com
chromacomo para Ungir cabellos, e bem assim
frascos com hydrocalletrichina, agua para desen-
grasar os ditos, colortcomo para lustrar os ditos,
e onychromantina para limpar as unhas. Essa
tintnra, cojo effelto rpido e efficaz, est bem co-
nhecida e apreciada para todos quantos della tem
' usado, eos que de novo a quizerem apreciar, po-
dem, assim como aquelles, dirigir-se manidos de
dinhelro ra do Queimado, loja d'aguia branca
numero 8.
Papel e folhas para rosas
Acaba de ebegar para a loja d'aguia branca, na
ra do Queimado n. 8, um bello sortimento de pa-
pel de cores para rosas, dito verde para folhas, e
dito tambem verde e roui fino para cobrir o ra-
me, assim como folbas de panno e avelludadas
para ditas.
Aspas de baleia para vestidos
Vendem-se na ra do Queimado, loja d'aguia
branca n. 8.
Superiores penas d'aqo ingle-
zas e francezas
A agnia branca alm do grande sortimento de
penas d'ac/) qua constantemente tem, acaba de
reeeber mais outro de superior qualidade e dos
afamados fabricantes Perres & C, asslm como as
verdadeiras blco de lanca n. 134 congas de pon-
a dourada, continuando porm a vende-las por
precos commodos, com tanto que ocomprador com-
pareca munido de dinheiro : na ma do Queimado
loja da aguia branca n. 8, onde tambem acharse-
ha a venda pastas para papis.
A aguia branca na ra do
Queimado n 8, recebeu;
Bonitos e graudos aljofares de cores para voltas.
Pulseiras de ditos de Ignaes e agradareis cores.
Voltas pretas maiores e menores todas de contis
grossas.
Pulceiras pretas tambem de contas.
Outras de differentes qualidades e gostos.
Brincos de aljofares de cores e dourados.
Pivelas d'aeo grandes e pequeas com cinto pre-
to e de madreperola.
Outras graudes de differentes qualidades e re-
dondas com podras.
Bonitos leques de (madreperola redondos e de
outra forma.
Ditos de sndalo intericos e corredizos.
Capellas brancas para meninas.
Desde o da 19 do corrente mez cV rr o, qne
se ausentou da casa de seu senhor a escrava Ro-
i mana, de 18 a 20 annos de idade, estatura baja,
bem parecida de figura, levon vestido de rbiu s-
cura chale azul com palmas de cores, ja i.:<
a primeira vez que foge e sempre que teto laz eoa-
toma vagar pelas ras desta cidade e soborl ios
da me^ma : ponanto ropa-so as aotoi idades po-
liciaes e aos capitaes decampo quo afacam appre-
hender e conduzir a ra Direila taberna n. J,
que scro gratificados, protestando-se desde ja
usar dos meios judiciaes contra ijualquer pessoa
que a tenha em seu poder.
ATTENCO
MEUS SEKHORES
PARA

NOVACA
[^ Fazendas baratissimas loja da roa do Crespo n. 17 de Jos Gomes
W Villar.
[k A nova crise commercial permitte qne o povo em geral nao possa comprar fazendas
[ essas circumstaocias est vendendo fazendas por precos que na realidade admira.
Correi, bom povo, a este estabelecimento, e comprai fazendas, porque all se vende
por menos do qne em ontra qoalqner parte.
Cassas organdyzes a 280 rs. o covado.
Chitas francezas escuras matizadas a 860 rs o covado.
Ditas escuras muilo finas a 240 o covado.
Ditas claras dem a 240 o covado.
Ditas escuras idem a 260 o covado.
Chitas para coberta mnito largas matizadas a 240 o covado.
Madapoloes finos largos a 65590, 75 e 8J.
Chales de fil preto muito bons a^lOjOOOcada-um.
Chales de merino estampados a S^oOO, 65 e 75.
E ontras muitas fazendas, que tudo se vender por precos que admiram.
AZEITE DOCE
Azeite doce refinadoem pequeas latas a 560 rs. a garrafa : no grande armazem
da Liga.
Fugio no da 28 do corrente, a noile. a es-
crava Januaria, perlencente a D. Amelia Felicia
Deschamps senhora de Mr. Len Chapelin, re ra-
lista, cuja escrava houve por compra que kz ao
Sr. Po Pierres Varclla Barca em abril ultimo pnr
intermedio de seu procurador Joj Francisco Ca-
br!, desconfia-se que a dita escrava tenha se-
guido para Paje de Flores e que procure o enge-
nbo do Exm. barao de Vera Cruz, a qiu m .i lem-
pos passados pertenceu : a dita escrava em penco
mais ou menos 20 annos de idade, de estatura
pequea, de cor fula, tem os dentas limados, testa
eolhos muito.pequeos, gralifica-sa bem a quem
apprehende-la.

ne
i
i
Sa,ccos de 80,100 e 120libras a 40,4^00 e 55; no grande armazem da Liga.
Madapolo mnito fino com pequea toque de avarla, por preco qae admira : na loja
das columnas na roa do Graspo a. 13, de Antonio Correa de Vascoacellos & C.
No da 4 de Janeiro do anno de 1864, fugio do en-
genho Conceigao. comarca de Pc-d'Alho, o esera
vo Galdino, pertencente ao abaixo assignado, con
bs signaes seguintes : idade 26 annos, pardo, clare,
corpo, figura e altura regulares, cabellos meios ca-
rapinhados, olhos pardos, sobrancellias e palpebras
salientes, tem em cada brago um sino de Saloman,
sendo um delles mal feto, e junto a este urna en;-.
tem na cabera urna cicatriz de urna polegada, e en,
cima de um quarto urna outra cicatriz de tres po-
legadas, proveniente depona de pao e queda, tem
sobre as costas algumas marcasou cicatiizcs de re-
Ihadas ou chicote: umfpouco desembarazado quan-
do falla, tem principio de carplna e car'ieirc. icen
viola e barbado. Foi soldado do corpode'pollcia no
Becife, e levon comsigo a baixa do theor secuinte :
Seccao urbana, 2* companhia n. 50. Antonio Ca ta-
o de Oliveira.lho de Agoslinho Ferreira d< ri-
to, natural de Ingazera, car parda, cabelb. i
pinhos, olhos pardos, offlcio nenhum, estado &
ro, com 30 anno? de idade, 60 polegadas de altura,
ao engajar-se. Engajou-se na forma do repn'a-
mento, em 17 de fevereiro de 1862, por offido de
Exm. Sr. presidente da provincia, dtalo de 28 de
abril do corrente, e publicado ao corpo cm oHem
do dia de maio, tudo em 1862 ; teva baixa do
servico por ter dado em seu lugar o paisano Joao
Pedro Ferreira da Rocha. Foi escravo do eapio
Joao de Dos Barros, morador qne foi na comarca
do Brejo da Madre de Dos, e hoje morador na
Campia Grande da Parahyha do Norte, que o ven-
den em dias do mez de novembro de 1B63 ao abai-
xo assignado, pelo costume de andar fupido e a ti-
tule de ferro com o nome mudado ; pelo que ropa-
se a attencaodas autoridades civis e militares, nao
^ s desta provincia como das dernais do imperio, a
"' apprehen3o do dito escravo, que a tirulo de forre,
| nao tenha sido reerntado ou assertado praca em
' alguna dos corpos de Voluntarios da Patria, lant-
' bem pede-se aos capitaes de campo e pessoas par-
ticulares a mesma apprehensao, e leva-lo ao sen
; senhor no referido engenho Couceicao, ou nesta e-
' dade ao capitao Mauricio Francisco de Lima roa
do Brum n. 56, que ser gratificado cora 2005.
Jos Maria dos Santos Cavaleanti.
IILEGIVEL


LiTTERATRA.
O inundo.
Diarlo de Pernanibuco -- sabbado 3 de lambo de 18S*.
Elle, o mundo, exilla-se para o deserto.
Que importa que este deserto se chame aqu a
rauliidao, se anda assim nao deixa de srmenos o
deserto ?
O deserto, era Roma, qaaodo S. Joo eslava em
Pathmo?. Palhmos era a cidade. Eis porque S.
Que o mundo ? esta palavra odiosa parece
nao slgniftoaf nada, e comtudo odiosa. Apparen- Deoii admirara a jastica do mundo que evitara a
^mente a ttymologia pouco adiaular.
tt n tus, em latim, significa puro ; o mundo a
propria impureza.
vos, em grego, quer dizer ao mesino lempo
ordem e mundo.
I Titidj actual da palavra hornera do rauudu
nao i; refere |Ms, ao menos em apparencia, uem a
munius nem a xoopos.
.-' imitemos elymologia, ser por um rodeio.
i O ;nuudo o peccado ? Evideniemente nao Ha
en tle enorme dilferenga. Sern duvida, o muo-
. lite :;d peccado, mas est situado em urna re'
g io pacta!; tem dominios privativos no mal, e
. ates dominios que se tratara de determinar,
ou ao menas de indicar.
lim assassino um peccador, um ladro de es-
ti ifi;i como se dizia outr'ora, um peccador-
Sitili Mara Egypciaca, antes da sua converso,
r.i '.na peccadora.
->\ pecadores, nao sao pessoas do mundo. Ha
a presenga de S. Joo.
O mundo um deserto em que a mnltido vai
e vem. Caraioha omito apressada ; dir-se-hia um
exercto em derrota ; este exercto foge, que faz
olla ? Contina desde Palhmos; prosegue sua
fuga esbaforida, evita a presenca de S. Joo. Es-
capa se em desorden), confusamente ; os fugitivos
voliara-se uns contra os outros, e, era seu desva-
rio, matam-se entre si; porque combaten) de nou-
te. Porm seu terror os cega, elles evitara a pre-
senta de S. Joao.
Este exercto em derrota engana-se no caminho ;
perde-se no deserto, Iludido por risoes e por re-
flexos na planicie. Elle estende-se em todos os
sentidos, vai vontade dos ventos que Ihe lancam
areia nos olhos, e, anda assim, impellido por
urna idea lixa evita a presenga de S. Joo. Dis-
simula o sen tumulto sob urna apparencia azafama-
da ; mas o seu principal lim evitar a presenca
da S. Joo. Tudo o mais urna ninharla.
Vede estas pessoas : ellas vo, veem. vendem,
prio, por vaidade ; mente-se por mornido, men.
te-se por que mente-se, mente-se como se respira,
por que a mentira em semelhante paiz, idntica
com a patarra.
O que se dina no mando se se nao mentisse ?
O peccador pode, depois de ter mentido, -dizer a
rerdade.
Mas o mundo, quando tem mentido, contina a
mentir; e, se diz a rerdade, ainda mente. A rer-
dade toroa-se mentira tocando os lirros. Quando
o mundo diz a verdade, julga exprimir ama opinio
como outra qualquer; elle quer que esta verdade
seja cercada de mentiras, e viva com ella em boa
deserto ende o alimento raro e difflcll); nes- E ua rerdade; o que podriam estes pobres
sa prala, eu eonrersara um dia com nma campo-' horoens tirados da classe mai ignorantes, sem
neza, e ella me confiou o sea desejo de deixar o | posico, sem prestigio, to timoratos qae anda ha
mundo. Admire a profandeza desla pbrase e o pooco os rimo-, uns dispersos pelo pavor qae os
conhecimento que ella liaba do mundo, no verda- jadeos Ihes inspiravam, e outros, isto aquelle
deiro sentido da palavra. O mundo podia estar que j estava escolbido para sentinella ayancada
na cabana della tanto mais horrendo talvez quanto da nova Igreja, negar por tres vezes a sea Divino
a noite eterna estava mais prxima. Talvez e sufi-
sarro dos homens se tornasse mais inspido ainda
pelo ruliido das vagas.
A lei do mundo a imbecillidade. Elle que
nao ama nada, ama o nivel.
Quer fazer passarem todas as cabecas sob o seu
intelligencia ]Ugo, e suas sympathias sao adquiridas por quam
Qaer que ella seja deshonrada por infames vizi-; est naturalmente em baixo. A grandeza causa-
nhangas, e, quando a tem de tal sorte manchado; 'e arerso, de qual juer genero que seja, em
que nao a reconhece mais, ento a tolera, por que qualquer lugar que se manifest. A mediocrida-
se tornou mentira, e esta mentira preciosa, por de quem o deleita. O mundo Ihe abre esponta-
qae obriga, autorlsa, toma as oulras sob a sua | neamenle as portas cujas chaves esto
raail is palarw terrlreis no Evangelho, e, entre compram, murmuram, movem-se, discuten), sau-
es-aqui urna das mais terriveis : dam-se, sao pollidas, cortezas, mentara, do tara-
lisdbgeam, diffamam, separara, matam, des' lade, compraz-se em permiltir verdade o achar-
\' ( | ro mundo rogo.
..-. oro pelo mundo.
das
alarras,
mella
trDem, envenenara. Has o seu principal fim evi-
ta r a presenta de S. Joo.
Evitar a presenga de S. Joo, eis o seu trabalho
. inkirao, sua vida interior, a raedulla dos seas ossos,
Le nao ora pelo mundo, eS. Joao quem QO-l<> a essenca qae produ lodos os seus perfumes, o
retoM ; nei ""^' resto um accessorio, um ornato, urna tmfcffeqae mais terriveis que a moruido arma aos seus Mu.
: o fundo
pescadores.
Aquelle que assim falla,
cousas e vai morrer pelos
guarda, lira-lhes o que ellas teriam de muito vio-
lento, de muito era, de maito despejado. Esta ver-
dade transformada em mentira, pelo tora, pelo
acento, pelos ornatos, pelo contexto, esta verdade
acaba de confundir o bem e o mal, e as pessoas do
mundo esto contentes.
Quando o homem do mando diz a verdade, elle
toma para com ella um tom protector. Dir-se-hia
que consente em nao mentir semprc, e que con-
sente por imparcialidade. Dir-se hia que, por pa-
se ura instante nos seas livros. Concede-lhe esta
honra, e faz Ihe pagar immediatamenie, inclinan-
do-a dianle da mentira que bem depressa assurae
os seus direitts, e que entra na posse do qae seu.
A apparencia da imparcialidade um dos lagos
i paito e Jess Christo, nesse momento
ue, em que os bracos de Deus iam abrir-se
i cruz, em semelhante ceia e momento que
'.. j lio ouviu a verdade dizer : Nao oro pelo
utaMo.
Sanis o que dito em outra parte acerca dos ti-
bios.
St'.n entrar as profundezas destas duaspalavras,
io -laereria, encarando o mundo, tal qual o vemesn
- poooa mais ou menos de que se falla quan-
do falla delle. O peccado a de-ordem, a de-
i irdcm evidente, confessada, violenta, desastrosa.
\- paltes produzem ruinas, e nao onegam. At.
,-iignmas vezes, se glorian) disso.
U aundo seria o dominio do peccado entibiado
pela prudencia, ou o dominio do peccado circums-
ripto pela mornido do temperamento do ar ?
O mundo vai to longe quanto esta. Aonde ha
i :uor ou fri, o mundo apparece com seus escn-
dalo?.
E assim, como alie cria para si mesrao, no fun-
d) ua desordem o da impureza, urna ordem e pu-
;za apparentes, que tendera para a sua morni-
.lo ; talvez encontr, a seus proprios olhos, a sig-
Litieacio etymologica de mundus e xoopos que
recisam da ironia para reconhecerem em francez
o infame per excedencia, aquelle que se chama o
mundo.
As barreiras da mornido separan) o mundo dos
neceados que nao sao elle.
Na caihegoria das temperaturas, a moruido
com-spoude mediocridade. Ora, a mediocridade
i o espac do mundo. O peccador tem paixoes
mas. porm o mundo tem o gosto do mal, o gosto,
niu o rebalamento.
0 mundo tem gostos e opiniGis; nao tem nem
amor nem odio.
S. o gostos sao pelas cousas medianas. Suas
opinies temem ser absolutas, e por isto ternera
usscinelliar-se a eonviccoes. As opinies do mun-
lo actuara rolanlariamente com as outras opi-
nies que sao da sua especie. Que ellas se contra-
digiim ou nao entre si, nem assim deixam de for-
mar um todo ; porque algnma csusa as une :
um odio profundo e amomado contra o inimigo
commum, i^to a Verdade.
As opinies do mundo, ainda mesmo quando lu-
lam duas urna com outra, esto colligadas contra
a Verdade. A sua liga a parodia da uuiao.
Indos os deuses eram recebidos no Panthoon ro-
mano, excepto Jess Christo. Todas as opiniOes
o recebidas no Pantheon do mundo ; s a Ver-
dade posta porta.
0 espirito do mundo pode habitar em toda a par-
le. Elle nao encerrado nos salSes das grandes
cidades. Habita algumas vezes as aldeias.
O munio parece-se com urna estalagem, onde os
passageiros acham lagar. Mas certos viajantes,
pas uas de distinego, sao despedidos : Quia non
eral eis locus in diversorw.
Xo mundo, todos os lugares esto tomados, se
a verdade bate porta. Mas se om erro que
lem no banquete.
O mundo, tao limitado e to ceg, tem todava
um instincto maravilhoso, quando se trata de re-
munerar e de expellir. Elle nao se engaa, v
bem ; faz justica a si proprio, exiliar; exilia-se.
i varia segundo a moda do dia ou o capricho do per-; didos, e o mundo gosta muito de armar taes lagos.
sonagem
O peccado menos disshnulado do que o mun-
do. Elle mostra o qae e o que faz. O mundo
mente sempre. Jamis faz aquillo que parece fazer.
O mundo gosta de arremedar. Elle o macaco
da sabedoria ; fabricou urna sabedoria para seu
uso; esta sabedoria parece-se com a sabedoria,
coW o orangotango cora o hornera.
A verdadeira sabedoria encontra a paznoco,
por que domina as contradiques.
A sabedoria do mundo encontra urna paz que se
parece com o inundo no buraco era que cahio, por
que deste buraco nao v mais em que o branco dif-
iere do preto.
A verdadeira sabedoria tende a nnir. A sabedo-
ria do mundo tende a amalgamar elementos que
Elle inculca-se por justiceiro, miseravel I iNada
engaa com ama forca e a auioridade to temiveis
como a verdade mal proferida. Ella d aos erros
que a cercam um peso que estes erros nao teriam
por si masmos. Torna-os autorisados. A mistura
da verdade e do erro produz, na bocea do mundo,
effeitos desastrosos. Ella d a veraade a apparen-
cia do erro, e ao erro a apparencia da rerdade.
Faz que o uso participe do respeilo devido a ver-
dade.
Quando se encontra a verdade nos lirros do ho-
mem do mundo, ella est eniagada com o erro, to
bera enlacados que nao se distinguen) mais. Abra-
cam se, e aquellos qae teempouca vista lomara-nos
por dous irmos.
O mundo a velhice ; difflcil imaginar quanto
as pessoas da mando sao reinas. Os mogos sobre-
nao pdem unir-se, e, quando estes esto era justa todo sao nolaveis pea sua decrepitude, porque
ella nelles mais monstruosa a por isto mais pa-
tente. Todos estes vemos de rinte annos, sem en-
posigo, ella v que os tem fundido.
Quando se torna a habitar juntamente, o mundo
er que se est unido.
O homem do mundo nao teme fazer mal. Mas
teme chorar. Nao conhece as harmonas, mas co-
uhece as conveniencias.
thusiasmo e sera vontade, que eritam a presenga
de S. Joo, evitaro-na grosseira, lenta, triste e mi
I seravelmente. Elles arrastam-se, para evita-la,
por ara caminho, onde nao se respira, sem vista,
: sem montes, sem ar e sem horsonie. Condemnara-
que, no mundo, substitne a se nao s a dor, como ao desespero para evltarem
' a presenga de 3. Joao. Do as costas a Dos, fa-
zera seus negocios sera adora-Io e enfastiam-se para
sempre.
Sem duvida ha ara segredo d reraogar; este
segredo pertence a Dos, que alegra a mocidade.
E' a conveniencia
harmona.
O muDdo ama o odio ; mas preciso qae este
odio, entibiado pela temperatura dossaloes, evite
certos escndalos. E' preciso que elle cbame era
seu soccorro certas mentiras. Quando stas raen-
era seu
poder, a ella entra com o assento que d o sentl-
mento do direito. Est era sua casa, quando en-
tra no mundo, o porta-se avista de todos com a
insoleucia que a caraclerisa e cora a ceguelra que
a elle peculiar. A mediocridade insolente,
lo naturalmente como o mundo ceg. Se se
passa alguma cousa ao lado delles, a mediocrida-
de insulta e o nundo nao v. O gosto do.mundo
pela imbecillidade to pronunciado, que nao
preciso, para a agradar-lhe, ir muito longe, basta
seguir seu caminho. Nao preciso amar muito o
que elle araa. Nao preciso fazer muito o que
elle faz. Nao preciso ir muito adianto delle,
nao preciso exceder ainda mesmo em sen pro-
veilo, os seus hbitos. A mornido o seu ele-
mento, e todo aquelle que sahisse desta regio,
incorraria na sua desgraga. Nao preciso ter
pelos seus interesses mais zelo do que elle pro-
prio. Ainda que se tenha o ar de alguma cousa,
nao preciso dar demonstrado.
Ainda quando alguem se distinga do sea visi-
nho, preciso parecer-se com elle. O carcter
dos homens do mundo sendo nao ter nenhum,
a muliiplicldade o seu dominio.
Elles fazem mil cousas: vendem, compram,
conversara, leem, escrevem, etc. Qual o lago
que une entre si as acgoos de um homem do
mundo f Dir-se-hia que nao ha nenhum, os seus
actos se seguem a nao se encadelam. Qual o
lago que une entre si os homens do mundo ? Dir-
se-bia que nao ha nenhum. Elles se acotovelam
e jamis se tocara. Todava, Ira entre elles um
ponto de contacto. Ha urna palavra de reuniao.
A unidade, dizemos nos, tem urna parodia que
a liga. Os homens do mundo nao sao amigos
privados que se ajunvtam um com outro contra o
inimigo publico. Os homens do mundo teem um
odio coramum que Ihes d urna oceupago com-
mum, que determina o ponto centrar da sua aeli
vidade.
O mu-cdo tinha mil" occupagSes, entretanto que
a aguia eserevla era Pathmos, o ?etr apocalypse.
Mis, apezar das mil oecupagijes, e- muodo nao ti-
nha seno uraa, evitar e esquecer Pathmos. Os
homens do mando teem mil oceupagoes; porm
ns teem seno urna averso I evitam a presenga
de S. ioo.
Ernesto Hello.
{Remtedu MondeTrad. de A. de Mendonca)
Mestre diante de urna escrava?..
Mas, o E-pirito de conforto, que o mesmo
amor substancial do Pai e do Filho, os encher de
sabedoria para confundir as heresias, e de forta-
leza para corajosos arrostrarem todos esses exque-
zltos tormentos que o inferno Ihes prepara no
mundo... e (muido Elle vier convencer o mundo
do peccado, da justica e do juizo.
Do peccado : porque nao erando nelle, o Qzeram
morrer no ignominioso patbulo da Cruz, sendo
Elle o Santo dos Santos, o amigo caridoso dos po
bres, obemfeitorda humanidade, nosso creador e
nosso Deus I
Da justica : porque tendo Elle triumpha Jo da
morte a do peccado, resurgindo do sopulchro ao
terceiro dia, por efflcacia de sua propria virtude,
tinha convencido ao mundo da sua justiga condem-
nando a propria justiga; mas, que s pelos mere-
cimentos ue sua sacralissiraa morte, podia o mun-
do ser ainda justificado, voltaado-se para Elle pela
F, a salvar-se ao Sea preciosssimj saogue, pelo
qual nos reconcilioa com seu Eterno Pai.
Do juno: Isto do seu absoluto e supremo po-
der no co e na trra; porque, subindo Elle trium-
Qae vantagens gaohou o poro cora elle T
A perda de grande parte de suas colonias, a in*
vaso do protestantismo e do racionalismo, a de-
gradago do clero, e mil outros effeitos desse passo
to loueameote dado.
E' evidente, a historia o diz ; Portugal, mais de-
veu as suas possessSes de alm-mar, ao denodo
dos mlsslonarios, aos servicos de Xavier, de Brito,
de Azeredo, de Nobrega, de Vieira, de Anchieta e
de tantos outros, do qae a essas levas de soldados,
que tudo destruiam e tudo assolaram.
A conviccao levada ao intimo d'alraa pela tor-
ga da razo, e nunca pela forga bruta.
- Mas Ihe valero as palavras dos missionarios o
as virtudes de um Chagas, de um Jeao de Daos a
da um Dmaso, do que o valor de Albuqaerqne
oa de Gama.
O religioso s, s o bom religioso levado do es-
pirito do Senlior, capaz de entrar pelos dsenos,
arrancar o selvagem das grutas, fallar-Iba de Deas,
reformar-lhe o corago, e loraa-lo um hornera novo
na frase da Escriptura.
Sao destes homens que precisa o Brasil, sao des-
tes apostlos de que nos mister.
Em nossos das a Franca tem moMradoeom os
seus missionarios a verdade do que dizemos na
China, na Cochicbina, na Abissynia e *m Xada-
gascar.
esengane-se o governo, os nossos indios n3e-se-
ro chamados civiltsago, os nossos dsenos ja-
mis sero povoados sem que de novo a voz dos
phante ao co, onde reina com seu eterno Pai, foi missionarios s- faga ouvir por essas brenhas,
tiras ajudara-oo, elle pode apresentarse no mundo *05 seanor dt> ,en,P0' e ,eraP tera medo'
como urna pessoa em toilette. Quando o odio tem quando elle falla, como os bois qeaodo ribomba o
feito sua toilette, faz parte do mundo, est na or- lrovo- Deos 1ue *" Poder sobre tog0' o guar"
da da mocidade. A Virgen) Santa nao conheceu,
na sua eterna juventude, diminuido. Ella diz que
; sahio da infancia, nao da mocidade. Sua javeita-
! lude parece-se com deposito que oo poderia ser
confiado seno a Deos, porque neaburaa outra mo
\ pode sustenta-la. Assim os inimigos de Deos de-
testara a mocidade, como se vissem nella, um -er
flexo daquelle qne aborrecen). Odeiam a mocida-
de, a era lugar de a reter, pela virtude do Eterno,
na hora em que o lempo o arrebata, supplicam ao
dem do mundo, est em regra, pode entrar.
A lei do mundo talrez a insignificancia. Se
um homem vivo acha-se accidentalmentetno man-
do ; convm que elle se faga insignificante, at
mais insignificante do que os outros, por que sus-
peito. Comanlo que faga desapparecer toda a
verdade, e eclipse toda a luz, pode ser supportado
um momento. Mas, como a essencia das cousas
nunca se trabe por muito lempo, vira urna occasio
era que o mundo, era sua penetrago, se desviar,,
e, em sua justiga, se separara. 'toramente.
A insignificancia to cara e necessaria ao q amor pr0prio detesta a mocidade. Elle eom-
muudo, qu o proprio mal, ainda que Ihe seja na- ornee om parecer velho e en s-lo. Para obter
taralmente sympalhico, lorna-se-lhe antipathico, se, esta graga, dirige-se ao mondo, que jamis Ih'a
misturado com um principio de bem, faz manifes. i recusa. O mundo envelhece as criancas.
tar-se, em virtude desta mistura, o ciroulo que a, No crejais que 0 espirila do mundo se |imile
morte iracouao redor do mundo. Se o mal, AMaos salj5es 6 aos |agares em que se }ulga geral.
stficado por um impulso generoso, enturece-se e
faz exploso, ainda Oca algumas vezes no dominio
do peccado; porm deixa de permanecer no domi-
nio do mundo.
O mundo ama o mal; porm ama-o enfeitado>
arrebicado, penteado, vestido moda ; elle ama o
mente acceito a encerrado. Os saldes, se sao vi-
vos, podem estar vasios de mundo a cheios da
verdade, ao passo que o mundo pode eneher e
enche muilas vezes da sua infamia superabundan-
te as casas soladas, desertas, inhspitas, os lares
sem calor, onde se no gosta do estrangeiro. Ha
peccado, porm o peccado aceiadinho, gentil, ebei- j naDilaCoes terriveis, e que negara humanidade
roso. Elle ama o sorriso as caveiras que mobi- j, communriao e o amor. Estas esto cheias do
Ihara os saloes ; o sorriso assenta bem as cavei-' esprl0 do mundo, o espirito do mundo que o
ras; reem-se as fileiras de denles alvos, e isto tem, prorio egosmo, qur o egosmo a om, qur a dois,
boa appareucia. qUr a treSj qQr a quatro, o espirito do mundo
Nos dominios do peccado, mente-se por inters- i triumpha em toda a parte onde reina o amor do que
se, por paixo, por vergonha, por medo. Nos do- seu.
minios do mundo, mente-se sem interesse, sem N'iima praia breta em que ha alguns tomado
paix, sem vergonha e sem medo. Mente-se por res de banho no rero, e no invern ningoem
que se pertence ao mundo, mente-se por amor pro- (muito poucas familias de pescadores habitan) este
o Principe desta mundo, isto o demouio julgado
e condemnado, sem que jamis tolas as potencias
da ierra e do infern). possam destruir este reino
firmado pelo Erangeiho, cojo limite ser lodo o
mundo, cuja dura gao ser a dos seculos.
Oh I prodigio dos prodigios I I
Que religio houre, ou jamis harcr com) a
nossa t
Ella foi-nos ensinada pelo proprio Deus humana-
do, a propagada por seus apostlos, rardade ;
mas apostlos tirados de classe to ignorante e po-
bre, que mais saliente faz a divindade da sua or
gera, e mais extraordinario o milagro da sua pro-
pagaeo, principalmente seudo suas mximas dia-
injlralmente oppostas s mximas do mundo,a
seus costumes e suas lets.
E' asj'rm que Deus esaeuta ordinariamente seas
designios t
Os meios de qae a saa oranipotoricia quasi ser
pre se serve, nos parecem insulcientes, e at
mesmo oppostos e contrarios ao fim a que tendera ;
porm tudo isso concorre tam-bem para nos con-
vencer da sua inlinita sabedoria e cxnoipuleoeia.
Rendamos, pois, infinitas gragas ao nosso Deus,
'lo misericordioso para comnosco, que, no con-
tente com o ter-aos revelado a sua religio e dado-
jnos a sua le, veio elle mesmo ensinar-nos o culio
com que quera ser adorado, e a manen-a de cura-
prirmos com a lei.
Unamos boas obras a nossa F para a vivificar-
mos, para que no caamos nos inlieis a apostatas,
que fazem pro/Osito de conhecer a Deo6 \. mas nao
o conhecem pelas suas aceites, como diz S. Paulo, e
nao eslejamos exposios aos inesraos castigos que
os esperara, porque a F sem- obras aomo o som
do sino, que nada mais produz do qae- a sensago
dos uossos oovidos.
FOLHETIM
0 CONDE DE CHANTELEINE.
Episodio da re voI tica o.
(Continuarlo.)
V
QL1MPER EM 1793.
A vez da infeliz donzella no podia tardar era
c.hegar.
Eis o que tinba-se passado nesses dous mezes
durante osquaes o conde de Chanteleine no re-
cebera noticias de sua rauiher e de sua filha ; eis
de que terriveis scenas o seu castello foi o theatro.
Ento Kernan comprehendeu esse ar de ringan-
ca >atisfeita que respirara do semblante de Kar-
val, quando, no meio do combate, Ihe langou estas
palavras terriveis :
Esperam-te no castello de Chanteleine I...
Portante, carainhando, sustentando seu amo, a
quem este desasir abata, elle murmurava :
Karval, serei inexoravel 1 inexoravel 1...
Eram quasi oito horas quando o conde e Kernan
deixaram o castello ; nem a forae, nem a fadiga
poderam del-los um s instante. Elles lngara ra-
se atravs dos campos, a urna ultima vez Tirndo-
se, o Breto descobria por detraz das arrores des-
fogadas os muros do castello dos seos antepas-
ados.
Ento o fiel serr guiou o conde quasi lonco de
dr ; encarregou-se de ter coragem a intelligencia
por aaibos ; aura de evitar qualquer encontr mo,
toraou por veredas, a logo alcangou a estrada prin
cipal de Concarnean a Quimper na aldea de Ker-
roland.
O conde e Kernan estavam a duas leguas e meia
de Quimper, e pela maneira porque caminbavam,
dejara all ebegar antes das dez horas da ma-
nha.
Aonde est ella Y... aonde est mlnha fi-
lha ?... murmarara o conde, que tena enterneci-
do os coragdes mais empedernidos.Morta, mor-
a I como saa pobre rai I
M POUCO DE TU08.
Sobre o EVangelho de S. Joo cap. XVI r. V.
T de vossa conveniencia que eu v (para meu
pai); porque se eu nao for, o Consolador nao vira
aves, e se eu fr, vo-lo enviareis esc rere o Cru-
zeiro Ho Brasil o seguinte:
Eis aqu urna explcita promossa do Dirino
Mestre de enviar o Espirito Santo a seus apos-
tlos.
Eslava a preencher-se o lempo de conservar-se
Jess Christo visivamente sobro a trra, a seus
discpulos se acharara suficientemente instruidos
no que Ihes era iadispensavel para preencherem a
misso do que j se achavam encarregados, de
evangelisarem o mundo.
O Divino Mestre o proprio a ibes declarar :
que Elle ainda tinha muyas eousas a dizer Ihes;
mas que no o comprehenderiam, sem que viasse
primeiro sobre elles o Parclito, esse Espirito de
sabedoria e de conforte, esse espirito consolador,
o qual devia inspirar a vida nesse corpo nascente
de sua igreja.
E as saudades, qae desde j enlutavam seus
eoragoes pela prxima ausencia do D,vina. Mestre,
que tinha de retirarse para seu Eterno Pai, Jess
Christo os consola dizendo-lhes:
E' de vossa conveniencia que eu vi para meu
Pai; porque se eu no fr, o Espirite, consolador
no vira a vs; a se eu fr, vo-lo enviarei.
O inferno ja vencido, a julgado pelo sacrificio da
Cruz, no cessava em perseverantes, esforgos para
frustrar ainda a adrairarel obra da redempgo
pelos desprezos, pelo terror, pela heresia; e por
estes meios contara iriumphar do rencedor da
morte I
tanto mudas pela incuria de nos todos.
Villa Rfca, ltimamente descoberta na prorin-
cia de Paran, um coraraentario viro aquillo que
escrevemos.
E qaem melhor do que as ordeDs religiosas po-
deriam alcanga-lo ?
Melhoradas conseguiran) todo.
Mas como melhora-las t
O diremos no prximo numero.
E* do Sr. Paftares este recitativo :
CANTANDO.
Ella cantava : sua voz dizia :
c Meu Deos que gete, que frieza aquella r *
Eu solitario, taciturno oavia
Vozes de om anjo na cantiga della.
Ella cantava : no mea crneo ardente
Toda minha alma estremeca lonca.
Quanta harmona a transbordar cadente
Das roseas folhas da purpurea bocea f
;Ella cantava : no gelado peito
Sent o sangue derreter-se em chammas,
! e corago a despreser affeilo
De puro anhelo laboren as flammas.
Ella canlava : me record ainda I
inda seu canto me resa n'alma.
Ai ': o myslerio dessa voz to linda
Do. triste vida perlurbou-me a calma.
Ella cantava : porm Deus no qoeira
Queeu mais escute um-cantar to ierno ;
M.nlia alma senta se de uraa cova x beira,
Sfrqoer quem venha Ihe-fallar do inferno.
Exilia-se, querendo porque o estrangeiro, que par-
te, leva a cidade habitavel.
Lgubres visoes vinham-lhe ao espirito, e to
pavorosas, que, para. dissipa-las, elle punha se a
correr como se ellas no estivessem em si.
Kernan nao o deixava; segua o nos seus saltos
insensatos, a at mesmo obrigava-o a langar-se as
balsas, quando algum passageiro apparecia ao Ion-
ge na estrada. Todo o homem lornava-se perigoso
era semelhante conjunctura, e no estado de agita-'
gao em que se achava, o proprio conde se denun-
claria.
Cortamente, o Breto soffria tanto quanto seu
amo, mas meditava ao mesmo tempo projeclos de
vinganga, nos quaes este no pensava. Sua dr
era misturada de immensa colera.
Depois elle reflettia e a si fazia perguntas a que
no poda responder :Que ia fazer o conde na
cidade ?
Se sua filha estava presa, sena elle feliz em tor-
nar a ve-la ?
A justiga revolucionaria nunca restitua suas
victimas, a o proprio conde seria levado priso
ao menor passo suspeilo.
Portante, sem plano feito, sem deliberago to-
mada, estes dous homens iam como por acaso, mas
Impellidos por om poder invencivel.
Segundo as prerisdes de Kernan, antes das dez
horas chegaram aos arrabaldes de Quimper. As
roas estavam quasi desertas, porm podia-se ou-
vir ao longe ama especie de murmurio siaistro.
Pareca qae toda a populago tinha-se accomnlado
no centro da cidade. Portante Kernan tomou atre-
vidamente pelas roas comeado seo amo, que re-
peta em voz balxa:
Minba filha 1 minha filha I O pai soffria nel-
le mais do que o marido coja dr era rreme-
diarel.
Depois de orna marcha de dez minutos, o amo
e o serr chegaram a orna das ras prximas
cathedral; all acbavara-se na retaguarda de om
grande ajuntamento.
Havia pessoas que roelferavam, que orraram ;
outras, esparoridas, ganhavam suas casas, cujas
portas e janel'as fechavam-se. Ouviram-se accen-
tes de dr misturados com imprecacoes ; havia
rostes aterrados junto de outros sanguinarios. Al-
guma cousa de sinistro palrava no ar.
Logo, no meio do raido, flierara-se ouvir estas
palavras :
Ellos! ei-lcsl
Mas nem o conde, nem Kernan poderam ver o
qae excitara a curiosidade da multido. Demals, a
estas palavras succederam immediatamente os gri-
tos tongamente de:
A baixo os Brancos t a baixo os aristcratas 1
Viva a repblica I
Evidentemente passava-se alguma cousa de hor-
roroso na praga vizinha ; na volta da ra, todos
os rostes tendiam para um mesmo ponto, e a maior
parte, convm dize-lo, reflecliam paixoes deshu-
manas, que rinham procurar nesse espectculo
sua cruel satisfacao.
Ouviara-se de rez em quando murmurios mais
riolentos; em nm ceno momento, parece passar-
se alguma cousa de extraordinario na praga, por-
que as patarras:
No I nada de perdi I nada de perdi I
pronunciad!s.uivadas logo pelas pessoas qae rlam,
refluiram at s ultimas fileiras de espectadores.
O rosto do conde estava banhado de suor (rio.
O que ha f pergontara-se ao redor delle, a
sera saber, por om instincto de ferocidade, grita
ram :
Nada de perdo I nada de perdo I Kernan
e o conde quizeram abrir a todo o transe ura ca
minho por entre a multido, mas nao poderam con-
seguir ; alm de que, alguns minutos, depoja da
sna ebegada, este espectculo terminou, porqte o
poro poz-se ao mesmo tempo a refluir; agitaram-
se os bragos, os rostes rollaram-se, e as vocifera-
ges extinguiram-se pooco a pooco.
Ento, pregoeiros sahiram declarando multi-
do os nomes das victima.
Execoco de 6 da nivose do anno II di re-
pblica | Qusra quer a lista dos coqdemnadQ T
A extinegao das ordens religiosas no Brasil ser
raais urna calamidade quecabir sobre n>.
Nenhum p que o nosso Brasil; e quem bem pensar, quera
cora madura reflexo eoaarar as noseas cousas,
ponderar sobre a nossa educagao, sobre o estado
da nossa mocidade, ver logo- que e de mister op-
por-se urna forte barreiraque de algum.modo mar-
que nm paradeiro aos desvarios da naco.
Acabar com as ordens religiosas um crme de
lesa civlisace, urna injuria jugada i moralidade,
ura roubo feito igreja, protectora nata dos direi-
tos dos povos. raedianeira da paz e seguranga dos
fracos.
Porveolura a Inglaterra, a Franca, a Hespanha,
a Prussia, os Estados-Unidos da America do Norte,
rra menos do que nos ?
Nesses paizes as corporages religiosas so tem
introducido nos ltimos lempos, ganhnda campo,
erguido casas a civilisado os mogos, e ajada nin-
guem,sequer protestante, escreveu ou disse urna,
palavra injuriosa contra lo santas instituicoes.
Um sabio portuguez, que nao suspeilo, diiia
ltimamente no parlamento, que as colonias par-
tuguezas as ordens religiosas- se tornavam mais- do
que necessarias.
Sem duvida o Sr. Mendes Leal confessra do al-
gum modo o erro, que tinliam pralicado os homens
de sua trra, quando derara esse fatal golpe, que
tantos prejuizos causara ao catholico Portugal.
J antas o Sr. Carral, no menos sabio, nao me.
nos coahecedor dos destinos de sua patria, profe-
ria o mesmo era ura dos seus iraraortaes oeeriptos.
Que lucros auferio a nago porlugueza oom o se-
quesiro dos bens dos frades ?
O conde encarou Kernan cora olhos ferozas.
Eis-aqu I eis-aqui I continuaran) os preguei-
ros, o cara de Ferraontl...
O conde apertou a mo de Kernan a faze la que-
brar.
A senhorita de Chanteleine I
Ah I exclamou o conde dando um grito ter-
rivel.
Mas Kernan poz-lhe a mo na bocea, recebeu-o
em seas bragos, por ter elle desmatado, a, aotes
que as testemunhas desta scena tivessem podido
comprebend-la, arrasteu sea amo para urna ra
afastada.
Dorante esse tempo, outros nomes eram apre-
goados multido, e este grito retumbava de to-
das as partes :
Morte aos aristcratas L.Viva a repblica I
VI.
A ESTALAQRM 00 TRIANGULO OTAL1TARI0.
A posico de Kernan era ten ivel -, era preciso
por o coode em salvo de todos os olhos antes que
elle tornasse a i. Suas primeiras palavras trahi-
lo-hiam I Elle recommendarla sna filha a grandes
gritos e revelarla o conde de Chanteleine sob o
restuario do*camponez breto.
Correndo atravs das roas, Kernan aristeu uraa
especie de estalagem diante da qual parou arras-
lando oa antes carregando seu amo.
A estalagem tinha urna taboleta ornada com to-
dos os floretes da poca, taes como espadas a fas-
ces romanas, com estas palavras :
AO TRUNGULO EGUAL1TAR10.
Em casa de lutius Scevola,
Hospedes a p e a cavallo.
Urna estalagem de bandidos, disse elle, pois
bem I aqai estaremos mais segaros. Alm de que
no tenho o qae escolber.
Havia to pouca escolba, qae oo teria achado
na cidade nma tarerna sem ama taboleta cvica.
Elle entrn na sala terrea, depoz seo fardo iner-
te sobre orna cadeira a pedio om qoarto.
O estalajadeiro, o proprio Maltas Scevola, che.-.
goo :
Que queres, cidado ? perguntou elle com ar
impertinente ao Breto.
Um quarto.
E pagas ?
Por Deos I respondeu Kernan, no teem sido
roubados os chuans (nome injurioso dado aos in
surgentes da Vanda) debalde.
Toma adiantado 1 accrescentoo elle, langando
algumas moedas oa mesa.
Prala I disse o estalajadeiro, mais habituado
ao papel do que ao metal.
E da boa, com armas da repblica em cima.
Bom 1 vaes ser servido. Mas, o que tem o
ten amigo ?...
Meu irmo, ouves tu, se isto no te estela
muito a gula; fustigando era demasa o nosso ca-
vallinho para ebegar a tempo...
Para a execugo 1 disse o estalajadeiro es-
fregando as mos.
Como dizes, respondeu Karnan sem pestane-
jar; damos um salto no fsso I o animal morreu
da queda, e este est para isso I Mas basta de oon-
versa por agora. Paguei I meu quarto ?
Bom 1 bom I raes ser sailsfeito. No te fa-
gas mo. Se chegasle tarde, no por culpa mi-
nha. Mas, j que no assististe execugo dos
tratantes, dar-te-hei os detalhes.
Tu os teos ?
Por rida minha I a dous passos do cidado
Ljaermeur.
^- Este om rude coelho I replicn Kernan,
que at este nome no conbecia.
Dou-te a resposta 1 disse o estalajadeiro.
Pois bem I quando qoizeres, cidado Sce-
vola I
Scevola fez sabir ao segundo andar o Breto,
qae tornara a tomar o seu fardo.
Precizas de mlmT perguntou elle qaaodo
chegoo.
Nem de ti, nem de alguem, responden o
BrelSo,
Elle no polido, mas paga I murmuroa
Scevola, orna compensado.
Uraa elegante dama, dbus das antes do assigni:*-
lai'.o para um magnifico baile, resolreo ir a Me
mas quera levar om riquissimo vestido, cujo ar-
te Ihe dra alta notabilidades corxeo pois a.casa
da. sua modista para me em 21 oras Ihe fizessa o
vestido.
a.modista no qua.oomproraelteE-se a realisar
esto impossivel mas, no calor da conversa, no
pede deixar de dizer. a forma qpe Ihe darla,, e os
en(eiles que ihe poria.
As ideas da modista enthusiasraaram a dama
que depois dea ouvir atlentaracnte, Ihe disse :
Pois bem, so me no quer fazer o vestido
eomo diz, buscare: outra modista.
A fada da agulna indignoo-se ao ouvir iiio, o
replicou :
Creio que depois do qss temos fallado,, nc- i
justo que leve a outra parte oseo vestido.
Porque?
Porque j Ihe e&puz as irinhas Ideas acerca da
melhor maneira de fazer o seu restido, de o tornar
mais elegante; e estas ideas a este tempo cj
valor.
A dama sorrio-se respondeu :
Era quanto busco outra modista, come Ihe
no quero ear nada a dever, raande-me a cosa a
conia das saas- ideas.
Parece que a tal eonta andoa por es mil
francos.
Diz o jornal austraco Frend imblati, qae o sol-
dado mais amigo da Europa serve no. regiment
da froateira de Ogulin na Austria, chama-so
.van Itedulies, tem 122 annos, a servia j como
soldado na guerra dos sete annos oes pandaros de
Trenck.
Alguns instantes mais larde, Kernan acbava-sa
s em presenga de seu amo inanimado, e dava, (K
nalmente livre curso s suas lagrimas ; todava,
chorando, elle prodigalizou ao conde os seus mais
inlelligentes cuidados; molbou-lhe a fronte deseo-
rada, e conseguio faze-lo despertar. Mas lave a.
precaugo de por a mo sabr a bocea e 4a impe-
dir a primeira exploso da sua dr.
Sim, nosso amo, disse-lhe, choremos 1 mas
choremos baixo; no nos perraittido gomar aqoi I
Minha rauiher minha filha l repeli o con-
de no meio dos seus solugos, opte verdade ?
possivel ? Martas I assassinadas. kJS eu. estava
ali l...e no pude L.Ah I irei procurar o seu ae-
sassino...
O conde agitava-se como ura lonco. Kernan,
apesar da sua forga herclea, difflcilmente podia
cont-lo e abafar os seos gritos.
Nosso amo, dizia elle, far-vos-heis prender I
Que me Importa I replicara o conde lutaodo.
Guilholinar-ros-ho 1
Tanto melhor t tanto melhor 1
E a mim tambera disso o Breto.
A ti I a ti 1 exclamou o coode que recahio
em ama prostrago profunda.
Pelo espago de alguns minutos grandes solugos
fizeram sea peito crescer; emfim elle acalmou-se,
poz-se de joelbos sobre o ladrilho n do quarto, a
orou por aqoelles qae tanto amara e qae ja no
existiam.
Kernan tambera ajoelhou-se a mlsloroo suas la-
grimas com as delle. Depois de ama tenga ora-
gao, lerantoo-se e disse ao conde :
Agora, nosso amo, deixai-me correr a cida-
de ; flcai aqoi; orai a cborai; preciso que eo
saiba o que se passou.
Kernan, tu me dirs lado quanto tireres sa-
bido, responden o conde apartando as mos do seo
sarro.
Tudo; eo rolo jaro, nosso amo I...Mas no
deixareis este quarto ?
Eo l'o promano I Val, Keroan, ral I...
E o coode deixoo cahir a cabeca sobre as mos,
airares das quaes filtravam grossas lagrimas.
(Continursela.)
AERNAMBUCO.-TYP. DE M. F. DE F. 4 FILHQ

"
>'

i
i

ILEGTVL


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EVGHGCPV5_KLRX6P INGEST_TIME 2013-08-27T21:05:32Z PACKAGE AA00011611_10684
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES