Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:10683


This item is only available as the following downloads:


Full Text
;


AililO L. NMRO 126
Par quartel pago eatro de 10 das do 1. mez : :
Ideai depois dos I.0' 10 dias do cowecoe dentro do quartel. .
Porte ao cerreio por tres mez es..........,
5$000
6$000
780

ENCARREGAD03 DA SUBSCRIPCO DO NORTE
Parahyba, o Natal, o Sr. Antouio Marques da Silva; Aracaty, o
"Sr. A. de Lemos Draga; Cear, o Sr. J. Jos de
Olivara ; Maranhao, o Sr. Joaquim Marques Ro-
drigues ; Para, os Srs. G.-raldo Antonio Alves &
Filhos ; Amazonas, o Sr. Jeronymo da Costa.
ENCARREGADOS DA SUBSCRIPC.AO DO SL.
Alagoas, o Sr. Clandino Falco Das; Bahia, o
Sr. Jos Martins Alves; Rio de Janeiro, e Sr. Jos
Ribeiro Gasparioho.
PARTIDA DOS ESTAFETAS.
Olinda, Cabo, Escada e estagoes da via frrea at
Agoa Preta, todos os dias.
Iguarass e Goyanna oassegundas e sextasfeiras.
Santo Anto, Grvala, Bez9rros, Bonito, Caruar,
Altinho, Garanbuns, Buiqqa, S. Bento, Bom
Conselho,, Aguas Bellas e Tacaral, as tercas
feiras.
Pod'Alho, Nazareth, Lmoeiro, Brejo, Pesqneira
Ingazeira, Flores, Villa Bella, Cabrob, Boa Vis-
ta, Ouricury, Salgueiro c Ex, as quartas
feiras.
Segunda vara docivel: quartas e sabbades
hora da tarde.
Serinhem, Rio Formoso.Tamandar, Una, Bar-:
reros, Agua Preta e Pimenteiras,as quintas
feiras.
EPHEMERIDES DO MEZ DE JL'XHO.
i Quarto cresc.as 6 h., 1 m. e 58 s. da m.
9 La clieia as 7 h., 21 m. e 16. s. da m#
16 Quarto raing. as 4 h., 33 m. e 28 s. da ni.
23 La nova as 5* h., 37 m. e 34 s. da m.
30 Quarto cresc. as 11 h., 20 m. e 51 s. da t.
PAr
Gtffg&ftO
m
Expediente do dia 30 de maio de 1865.
OtDYio ao Exm. Dr. Jos Tavares Bastos, Io vi-
cepresidente da provincia do Rio de Janeiro.
Pelo seu offlcio de 6 do corrate, fique! inleirado
de haver V. Exc, na qualidade de seu Io vico-pre-
sidente, assumido a administr.ico dessa provincia,
por ter ido lomar parte nos trabalhos do senado o
Exm. couselheiro presidente, Bernardo de Souza
Franco.
'Dito ao coronel commandante das armas.Sir-
va-se V. S. de enviar-me rom brevidade uina rela-
cao nominal dos quarenta individuos vindos do
Goianna, que se alistaram no 2o corpo de volunta-
rios da Patria, conforme declara V. S. em seu offl-
ci de 27 ao correte, sob n. 932.
Dito a> mesmo.Mande V. S. nao s dar baixa,
visto ter sido considerado incapaz do servido em
inspecgo do sai'ide, ao soldado addido ao 4o bata-
IbSo de artilhana p, Manoel Gregorio das Cha-
gas, que se aclia preso disposigo da jnstiga por
crime de estupro, mas tambem entrega-lo a auto-
ridade competente para ser processado no foro ci-
vil, como ludo se dte, rainou em aviso da repart-
gao da guerra de 6 do corrente.
Dito ao mesmo.Em aviso de 13 do corrente,
determina o Exm. Sr. ministro da guerra, que.o
major commandAte do torpo de g-uarnicao desta
provincia, Fernando Machado de Souza, siga sem
demora para a eorte, passando o commado do
mesmo corpo ao offlcial a quem competir, at ult->-
Tior deliberado do governo : o que communico a
V. S. para que expeca neste sentido as convenien-
tes ordens.Commu'oicou se ibesouraria de fa-
zenda.
Dito ao mesmo.Para que possa a thesouraria
de fazenda tratar do fornecimento dos medicamen-
tos necessarios enfermara militar desla capital,
por meio de arrematado, como se determmou em
aviso da reparticao da guerra de 6 de abril ultimo,
faz-se necessario, segundo communicou-me o res-
pectivo inspector em offlcio n. 369, de hontem, que i
V. S. mande organisar um formulario, de accordo |
com as prescripgoes dos arls. 20 e 21 do regula- j
ment de 17 de fevereiro de 1832 : o que declaro i
a V. S. aflm de que expeca com urgencia as suas!
ordens neste sentido.
Outro sim, apresente-me V. S. um inventario do
que existo na pharmaria do extincto hospital mili-
lar. inclusive os utencilios, cem os pregos por que
entrn cada ohjecto, afim de serem postos em ar- j
rematagj naquella iliesouraria, como propoz o re-
ferido inspector.
Dito ao mesmo.Determinan!o o Esm. Sr. mi-'
nistro da guerra em aviso de 18 do corrente, que o
Io lente do corpo de engenheiros, Jos Carneiro
da Rocha, continu a servir de ajudanle do enge-.
Jihciro focal da estrada de ferro desta provincia :
assim o communico a V. S. para seu conheclmen-
to.Fizeram-se as demais communicacoes.
Dito ao mesmo. Sirva-se V. S. de informar so-
bre o pagamento que pede Francisco Jos da Fon-
cera no incluso requerimento.
Dito ao mesmo.-Haja V. S. de informar sobre o
que pede Delfiua Francisca das Ciiagas no incluso
requerimento.
Diio ao mesmo.Determinando o Exm. Sr. mi-
nistro da guerra, em aviso de 13 do correnfe, que
siga para a corle na primeira pporlunidade a com-
panhia de cavallaria de primeira linha desla pro-'
vincia, sendo o respectivo armamento recolhido
no arsenal de guerra o a cavalhada vendida em
basta publica, e seu produelo recolhido thesou-
raria de fronda : assim o communico a V. S. para
te rexecueo na parte que Ihe teca.Commuuicou-
se IbesoOraria de fazenda.
Dito ao mesmo.Sirva-se V. S. de mandar alis-
tar, como Voluntarios da Patria, os cidadaos cons-!
tantes da relacao junta, determinando V. S. outro
sin, ao teneni-coronel commandante do 2o corpo,'
que tire por um pret nominal os vencimentos que '
competrem aos ditos Voluntarios, desde o dia em ;
que se alistaran) no Ouricury at o em que effeeli-
vamente juraram bandeira e assentaram praga, en- j
trepando ao Dr. Manoel Buarque de Macedo pro- j
curador de Antonio Cesario Alves de Castro a im-
portancia do que este dspendeu com os adiaula-1
melos por ellefeilos aes predilos Voluntarios, de-;
vendo, porm, ser pago pelos vencimenlos de cada
um delles a quantia que receheram adiaulada, como
se v dos documentos juntos por cpja.
Dito ao inspector da thesouraria de fazenda.
Ao tenenle-coronel commandante do 2o corpo de
Voluntarios da Patria, mande V- S. pagar, em vis-
ta do pret nominal que Ihe ser apresentado, os:
vencimenlos a que tiver direito os Voluntarios vin-j
dos do termo do Ouricury, coniar do (ta em que
all se alistaram al o em que juraram ban-
, deira.
T)itoao imsmo.Declaro a V. S. para seu co- '.
nhecimerto que as seis pragas da guarda nacional'
que manJei destacar na villa da E-cada enlraram
em servieo no dia lo do corrale, como parlicipou :
o respectivo commandante superior em offlcio de
24 do corrente.
Dito ao mesmo.Recommendo a V. S. que, nao :
havendo inconveniente, mande pagar sob minha
responsabilidade, nos termos do decreto n. 2,884 do
1 ds fevereiro de 1862, visto nao haver crdito
para esse flm, a quantia de 36,5750, em que segun-
do o pret incluso, imporlou a etape abonada aos
sele recrulas constantes do mesmo pret, os quaes
tendo vindo dram re-
metudos ao coronel commandante das armas para
o servlco do ex nome Man Del Francisco Flor, que por doente ficou
na villa de Garanhuns, devendo essa quantia ser
entregue ao delegado daquelle termo ou pessoa
por elle aul-irsada, conforme sollicitou o chefe de
polica, em officio de 27 deste mez, e sob n. 769.
Dito ao mesmo.Respdndendo ao seu offlcio de
Jiontcm, sob d. 371, tenho a dizer que o autoriso a
mandar pagar sob minha responsabilidade, nos ter-
mos do decreto n. 2.884 do 1 de fevereiro de 1862,
a quantia de 16^000, proveniente de etapes abona- i
das aos quatro reerotas vindos do termo do Buique
e de que traa o seu citado offlcio, visto nao haver
crdito para esse pagamento.
Dito ao mesmo.Communico a V. S. que o en-
genheiro das obras do melhoramento do porto, Ger-
vasio Rodrigues Campello rea-sump o exercicio
do seu emprego como me parlicipou em seu offlcio
desla data.
Dilo ao mesmo.Transmuto a V. S. para os con-
venientes exames as inclusas copias das acias do
conselho de eompras do arsenal de guerra da-
tadas de 20 e 29 de abril ultimo, 3, 11 o 13 do cor-
rente.
Dito ao inspector da thesouraria provincial.
Rostituindo a V. S. o requerimento que veio anne-
xo ao seu officio de 26 de maio ultimo, sob o. 213,
tenho a dizer em resposta que acabo de designar o
bacharel Francisca de Carvalho Soares Brandao,
para servir de procurador fiscal ad hoc dessa the-
souraria no processo do pagamento da porcenla-
gem a que se jula com direito o escrivo dos feltos
da fazenda piovincial Antonio Jos de Oliveira Mi-
randa, por ter sido adjudicada a essa thesouraria a
fabrica de reflnar assucar do Monteiro. visto terse
dado de suspeito o bacbarel Cypriano Fenelon Gue-
des Alcoforado.
Dito ao mesmo. Recommendo a V. S. que de
conformidade com a informaco do director geral
interino da inslruccao publica datada de hontern e
sob n. 156, mande pagar ao professor interino da
cadeira de primeiras letras da villa de Ingazeira
Joao Baplista do Amaral, j que se Ihe estiver a de-
ver de expediente para a sua aula na razao de
15025 mensaes por ter sido ella classificada na 1"
classe.
Diloao mesmo.Autoriso V. S. de conformidade
com a sua Informaco datada de liontem e sob n.
216, a mandar adianiar as delegado do termo de
Iogazeira, por intermedio do thesoureiro da repar-
tijo da polica a quantia de 200$ para que o men.
Clonado delegado esteja habilitado a occorrer as
despero com o sustento dos presos pobres da res-
pectiva cadeia, e da qual prestar conlas opportu-
namenle nessa thesouraria.
Dito ao commandante do presidio de Fernando.
Declaro a-V. S. que segundo me conslou de avi-
so da reparticao da guerra'de-6 do corrente, foi
nomeado naquella dala para um dos lugares de
capello-desse presidio o capello do exercilo pa-
dre Manoel da Vera Cruz. Fzeram-se as necessa-
rias communicacoes.
Dilo ao commandante superior da guarda nacio-
nal do Recre.Mande V. S. eliminar do 6o bata-
lliao de infartara'da guarda nacional sob seu com-
rnando superior a Francisco Correa Bozerra, que
lera a isencao constan e do art. 68 do regulamento
de 19 de maio de 1846.
Dito ao mesmo. Em defenmsnto
JoaoBaptista do Amaral.Dirija-so a thesoura-
ria provincial.
Leonor Carolina de Vasconselhos Borges Leal.
informe o Sr. director geral da instrueso pu-
blica.-
OVEEIXO DO BISPADO
ps^itwiiitro.
DISPENSAS MATR1MONIAES.
Chegaram do Rio de Janeiro peticoes de dispen |J
sa constantes da lista abaixo publicada, e cuja co
concessao foi autorisada pelo Exm. e Rvm Sr. in- ^
ternuucio apostlico, em data de 17 de maio cor- a Vl
rente. Podem, pois, ser procuradas ou em Olinda i cajl
na secretaria de bispado, ou no Recife em casa do jes
Tavares da Gama, na ra da Cruz n. 56. ,jaV9
Olinda, 30 de maio de 1865.O conego, Joa- tima
qium Ferreira dos Santo', secretario do bispado.
Oradores Itgados no impedimento de affenidade li- m
cita em 1 grao igual da linha lateral.
Joao Evangelista Ponce de Leo, e Florentina Can-
dida dj Jess.
Francisco Gomes de Araujo, e Antonia Mara da
Conceicio.
Joao Ferreira Dantas, e Helena Maria de Jess.
Manoel Gomes da Silva, e Cordula Maria da Con
ceieo.
Oradores que se acham ligados no impedimento de iaa
a ao requer-! consanguinidade *m 2o grao attingente ao
menlo do lente do 3' baialhao de infartarla da I J5 Artimes Campello e Maria Antunes Crrela.
guarda nacional deste municipio Francisco Augus-1 Fel,x ios Ignacio de Lima o Felismina Francolina
to de Oliveira Barros, sobre que versa a sua infor-1 de Carvalho.
macao n. 140, de 29 do corrente, autoriso V. S. a Gregorio Jos Teixeira e Paulina de Jess.
SEXTA FEIRA 2 di
m JW.
Por aono pago dentro de 10 dias do 1. mez 191000
Porte ao eorreio por un anuo.........., 3f 000
DIAS !>A SEMANA.
panda. S. MaxMwo b.; S. MaxinnOa.
m. Terca. S. Fernando rei; S. Emilia ra.
Angela de Mericia v : S. Cancio m
MawrfinoVe*.; s; Pintano b.
Ikate. Ss. Pergentino e Laureotlno Irs. mu
r B0Btago. S. Prwtscd de Caracoiolo.
PWJIAW)B HOiE.
wrtmiki as 10 fcoras e oTm. da manhia.
Sgnmla-as lltom e Iffnllrtos da larde.
PARTIDA DOS-VAPORES COSTEIROS.
Para o snl at Alagots a 14 e 30; para o nona
ata a Granja a 7 b M flo cada mez; para Fernan-
do nos. das 14 dos metes de Janeiro, marco, maio,
jolho, seterabro e novembro.
ASSIGNA-SE *,
no Recife* na livrara da praca da Independencia
n*. 6 e 8,.dos propietarios Manoel Figueiroa de
aria 4 Filno.
tugflijia. Coniribuia ella.para o progressofaraLi
PgBfiero humano. A sa'a^ntellfcencia^Em. ro ~ nb"/f^cez Bm/Au que o cyelone ar-
ira'qnnTo a das grandes nacoes. retiradas inail FfiZ ,^/"l^ TT no, T de noJvembro ul"
u norte, ainda estova adormecida. Quando a W camnh, T^TitV^ ?V da ^ d?
*! gac^o aperfeioada e auxiliada pela sciencia, Xo Kia% do mez 2 de L'Sba Para RQeD'
oia^06-reliz- um eaminho inesperado actividade commereial, -Lnh?^ P .
s ta< mamen-: industrial e sdenfiOca da Europa, nos ns do seca- rP ffin ,conslructor w'. Angosto Loiz
^Aem.dos lo Xv, e principios do XVI, Portugal comparo S,f Sant0S' deve-8e' em se.have.r Perdido
com a Uespanh a eloria das deasnhSi*^AoSSt i *1el,e Pav' Para sempre, e o que mais, haver
veis, S cSderlsK ^^Sra'mlSa: 3" o SSSffiS d fUDd d-r m'm
poca. _..d '. 'ac.ll"ou depois as reparagoes, para ser
que fa-
reaado,
zer df *6m
pelas soas.qualda-
membros d'esta mis.-o
me ser muito agra-
de toda a minha es-
jia da investidura da or-
ve jantar de corte, qu^coflje'
tarde ejcaJ>ou as 33'ida
que alias espefmentaram, todas as naedes da trra
mandar passar a esse olflcial a guia de que trata o
art. 45 do decreto n. 1,130 de i de marco de 1852,
visto que pretende elle lixar a sua residencia na
provincia das Alagoas.
Dilo ao commandante do corpo de polica.A
vista da sua informaco n. 363 de 29 do correrte,
autoriso V. S. a dar baixa ao cabo de esquadra do
corpo sob seu commado Joao de Albuquerqus i
llollanda Cavalcanti. que se acha impossibiliado
de continuar no servido por molestia.
Dito ao inspector do arsenal de marinha.Com-!
munico a V. S. que, segundo constou-me de aviso'
circular de 12 do corrente, S. M. o Imperador por
decreto dessa dala, houve por bem nomear o con
Lmz Goozaga dos Res o Maria Alexandrina de
Jess.
Jos Cesar de Mello Falco Filho e Franklina Be-
zerra de Mello.
Feliciano Baplista de Oliveira e Antonia Maria da
Conceigao.
> pois j awpna de Portugal se eclypsou, hoje
aOMfcr, s-
pode-se
p, sem Jisonja, que esse accidente,
enocas, .ada urna por sea turno,
e repre-
jo respei-
EXTERIOR.
selheiioJoi Antonio Saraiva, para o cargo de mi-
nistro e secretario de estado dos negocios da inari-
COS&MSSPOXIlliffcas o ia
KIO 1E PEBSAHBC
L.I9BOA.
12 de maio de 18G'.
nha.Communicouse ao capito do porto.
'Dilo ao major Antonio Cesario Alves de Castro.
Com o offlcio de V. S. de 17 de abril ultimo, O rei d'armas Jarreteira vesta opa vermelha de
chegaram a esta capital os cidadaos mencionados setim e trazia empunhadaa vara de ouro; os dous
na relacao a elle annexa, os quaes mandei alistar, immediatos offkiaes da ordem vestiam tabardos de
no 2 corpo de voluntarios. tella de seda (dalmticas, na techmonologia propria)
Ao Dr. Manoel Buarque de Macedo determino esquarlelados d amarello o vcrmelhocom oslefies
que seja entregue, Cuino solicita V. S. por corta do de Inglaterra e a harpa de Escocia em borda-
pret dos vencimenlos desses individuos, a contar dura.
do dia em que ahi se alistaram al o em que jura-: Eutrando na sala do throno, a missao adiantou- Maria.
rara bandeira. a impor:ancia das despezas feilas! se at junio do estrado, com as reverencias do eos- El-rei
l-fi o Sr. D. Fernando, e o
^BLSeilon e os membros
<*'"*&& esqaara agleza
de anf dos Itfios, que foram
sso, os commandantes de lodos os na
gnerra wgiexes surtos no Tejo,'eoode do
Jos" Bernardo da Silva Cabra!, conde da
, duque de Lout, conde de Valfe e Reis,
condUO Ponte, marqoei de Fropteira, marquez de
FicaloA duqoe de Palmella, Jos Feliciano da Silva
Costajgeneral Cunha, D. Manoel da Cmara; conde
de Cgjnpaoha, Joaquira Antonio-de Agolar, o mi-
nistrjfiKlez nesta cortee o sed.secretario, marqnez
(I.- S takBandeira, conde d'Avilla, Julio Gomes da
Silvajjancnes e Carlos Bento da Silva.
Pudje ser que me o'lembre algum dos que te-
ulia estado no jantar.
lo dia o, fez-se parada geral de todas as
tropa da guarni da capital, era obsequio a lord
Seftottx...
as mar^ram directamente dos seas res-
quarteis para a Junqueira, ondeformaram
horas e meta da tarde.
. infaotarht divdiram-se em duastrigadas,
tas, a 1* do batalho de cagadres n. 2 o
dos regimentos de infartara ns. 7, 10 e 16 ; o 9
2 lho de cagadores n. S.
Conmandava a 1* brigada o general Miranda, e
a 2a o general barao Zezere.
O regiment de cavallaria n. 2, lanceiros da rai-
nlia, e tres bateras apparelhadas de arlilheria for-
maran) na direita de tuda a linha que se estendia
desde o edificio da Cordoaria at ao principio da
Junqueira, diret ao largo de Belm.
Cotfcfliaudava ^ diviso reunida em parada o
marocha! do exercito conde da Ponte de Santa
em dilTereotes
est passa'dn.
O espirito novo reanima os Portugue^,
sentt-o principalmentenmsoberaoo, afu,_
to era toda a Eorona, s ha nm parecer; represen-
ta-o urna pleiade de estadistas afamadjps, de sabios
e de escptoresj cok) saber egaala o patriotismo,
muitos dos quaejje felfcilo.de baver encoatr,
ndluatro ds flB^f anMfsaes de Londr
de Pars, e'de coja atnisai'Xlisonfeeio.
PortugaJ -o paiz adado, l|is.qoe qualquer ou
posto, como foi, pela barra fra.
I.
PERNAIHRUCO.
revista mmk.
Na ausencia de ir. cnsul dos Estados-Unidos,
- genudo o respectivo consulado o Sr. W. Mac
ib.
Acaba de chegar a esta cdade, vndo do sul
imperio, o joven violinista portuguez Francisco
tro, parVaufer'i as maoTrervagens'dorrn've-] ?*?J* ^? q^ prelend) iler se c
^s que dis^ogoem a nossa poca, e particularmen- isabel
caminhs de ferro 'a navejagao a
dos
:por.
A liberdade do
publico, dando um concert no Sarta
Temos as melores informacoes acerca do ta-
lo commercio esUfrma especial g? ^JE*?l^J*2??? "1? "o *pre-
Pio da liOerdade ireril c de uh'p a! lotl0 8o1, e acabl>u de colber os ouros
po ua iioeruaue gerai, e ae que a Inais VIreill nn ih(,atrft Aa n^.
o Sr. D. Luiz,
, o infante D. Augusto, lord
cora enes sendo deauzdas dos seus respectivos turne; os plenipotenciarios nfrente, as pessoas Seiton, dous offlciaes saperiores do exercito inglez
vencimentos as quantias que receheram por adan- do squito immediatamente depois acompsuucmus tunos por ara numio-r.ee t.iiu.i,
SJST&*;^r^ riK!as; i?? ^ "-
proioeite a este paUAnamoxUaurivel fonte d: .."f-.^miLc^n^^ -r'^e optamos este trecha,
peridades. Pela sna peeuliaria stuacao topo
poica e naval, Portugal esti fadado para ser
um dos agentes mais uteis da grandeza e da rique-
za collectiva de toda a Europa.
lamento.
Agradecendo muilo a solicitude com que V. S.
desempenhou a commissao de que acertadamente
o incumb, cabe-me louva lo pelos seus sentimentos
de palriotismo e dedicacao pela causa do paiz.
Dito ao leneule-coroiiel do 2o corpo de v. lunta-
rios da patria.A lvo Antonio do Araujo Laran-
geiras Leile, mande V. S. entregar mediante recibo
dez fardamentos completos.
Dilo ao conselho de compras navaes.Autoriso o
conselho de compras navaes a comprar nos termos
do seu regulamento 16 taboas de cedro de urna pol-
legadade grossura, 24 ditas de tres quartos de pol
O primciio plenipotenciario, conde de Sefton, estado-maior, passaram revista a todas as tropas
n'um breve discurso em inglez, annunciou a sua formadas em parada.
mageslade o objecto da missao, el-rei respondeu Na primeira passagem pela frente da linha, to-
em portuguez, agradecendo a sua magestade bri- caram as bandas regimentaes o hymno real o na
aaisllnccao que recebia, e significando o segn Ja o hymno inglez Goi save Ihe Queem.
lannica
apreco que fazia "da pe'ssoa do plenipotenciario que
se Ihe diriga.
O re d'armas Jarreteira entregou as cartas ere-
denciaes da ordem ao conde pnmeiro plenipoten-
ciario, que ai apresentou a el-rei, e logo depois o
diploma da niesma ordem, o qual sua magestade
passou ao Sr. condo de Avila, minislro dos nego-
cios estrangeiros, que foi do gabinete quem lomou
Logo que el-rei e os personagens inglezes acaba
ram de passar a revista, dlrigiram-se para o pago
de Belm.
As tropas metteram immediatamente em colum-
na e seguira'm tambem essa direceo.
Anti.s, porm, de chegarem ao largo de B-.-lm,
el-rel o Sr. D. Luiz dirigise a testa da columna,
composta do estado-maior da ladivisao militar, des-
egada e 50 llames, para conslrucgao de um esca- parle principal em toda a ceremonia. O ministro embainhou a espada, e lomou o commado de toda
ler requisilado pelo Exm. presidente do Rio Grande dos negocios e^rangeiros, re.-tituio depois o diplo- a forja que principiou ento a desfilar em marcha
do .Norte. Communicouse a thesouraria de fa-! ma ao rei d'armas Jarreteira, que o devulveu ao de continencia pela frente do mirante da quinta
zenda. i secretario. real, UM" andar do qual eslava sua magestade a
Dilo ao superintendente da estrada de ferro. Os plenipotenciarios receberam em seguida a es- rainha, e o'principe real, D. Carlos, acompanhados
Rtcommendo ao Sr. superintendente da estrada de | pada de el-rei, qae fien missao, e alivelaramlhe pelos conde- de|Valle-do-Reis e D. Manoel da Ca-
ferro a expedciio de suas ordens para que sejam por baixo do joelho esquerdo (Jarretiere, no nosso mar. ^
transportados na via frrea, por conla do ministerio i portuguez velho; garrotea), cingindo-lhe successi-
vamente a espada da ordem, a fita e a placa, pro
I nucciadas, em cada um (Testes actos, pelo rei d'ar
mas Jarreteira, as formulas latinas corresponden
tes.
Effectuada esla parte da ceremonia os plcnipo-
As tropas, segundo o costume, desfilaram em co-
lumna. Pnojeiro a artilhara por divisOes, depois
a cavallaria per mclos esquadroes ao passo, e em
seguida as brigadas de infantaria por divisocs em
ordam aliena. *
El-re c Sr. 5. Luiz, quando parou defronte de
relativo ao Sr. Costa ; trecho que completa a noti-
j cia que ora damos : Toca com muita perfeico e
seguranza, vencendo difculdades sem pretenco,
e com urna simplicidade, que contrasta inteiramen-
i os tregeilos com que se costumam impor
_ se o
e ouvir, ha de acha-lo digno de seus obse-
quios.
BaseadoS, porlanto, em taes fundamentos, recom-
mendamos o digno discpulo de Allard, de Paris, ao
apreco do nosso" publico, que assim galardoar ao
mrito artstico.
Foram nomeados para o 2o corpo de volun-
tarios da patria os Srs. Apollinario Florentino da
Albuquerque Maranbao,. sobrinho, e capitao da
guarda nacional Jos Pereira da Silva, capites, e
Joaquim Theotonio Munz da Silva, alferes.
Desaquartelou hontem o 3o batalho da guar-
da nacional deste municipio, que eslava ao servieo
da praca; e substituio-o no mesmo o Io,que aquar-
telou.
Nesta occaso nao podemos omittir um elogio
devido ao Sr. commandante e differentes offlciaes
do 3o batalho, pelo desinteresse patritico que
apresentaram, fazendo donativo dos respectivos ven-
cimentos para as despezas da guerra.
De uina carta da corle copiamos os seguintes
trechos:
t Hoje parliram dous missionarlos capuchinhos
para confortar o administrar os santos sacramen-
tos aos feridos, que forera recolhdos ao hospital
de sangue levantado eoLMonleviiiii________..
t iioliiem pea mafinaa ao deslillarem os volun-
tarios dessa provincia, que muito influidos se mos-
traran) com o acompanhamento dos referidos pa-
dres capuchinhos, S! M. o Imperado." leve a bou-
dade de dirigir ao Rvm. padre commNsario, em
presenca do grande concurso de povo reunido no
arsenal de marinha, palavras de pronunciada be-
nevolencia em agradecimento pela partida das
dous capuchinhos, asseverando ento a S. M. o
4ortfn'to rSS, ma^Ss WLS. > ^
car com as vastas e longiquas regioes; para ahi
buscar o elementos do bem estar, pelo processo
das trocas reciprcaseos mutuosservigos.
E porque assim pens acerca da vossn-palria, sr.
presidente, que a distineco, que a academia das
sciencias de Lisboa se digoou conferr-me, tao gra-
ta me e tanto me lisongeia. Como poderia eu
deixar de ufanarme de que semelhante laco me
captive a um povo, cojo passado tao nobre, e
cujo futuro tao 'esperanzoso ?
Rogo-vos que apresentes academia a expresso
do meu reconhecimento, e aceitai os protestos da
minha estima e consideracfio.Miguel Cheva-
lier. >
Consla que o secretario da sociedade ingleza
Refmmatory and feftge Union convidara o con-
selheiro procurador regij a que enviasse exposi-
co, objec-tos manufaiuurados pelos presos do Li-
moeiro, (cadeia de Lisboa) e que pelo vapor
Clotilda foram j enviados os seguines:
Differentes meadas de cordel fino.
Alguns pares de calcado para hornera, senhora e
creanca, de diversas qualidades.
Capazos de grade, e de felpa, de variada forma.
Urna bacia e jarro de folha a chovado.
4l>fo .JJ.t^aJUta_fi^imag- -------
tscovas de varias qualidade?, para dilferenles
serviros.
Una porga i de duzias de pares de clchete?.
Um estojo de madeira p ilido.
Quando entre ns'alnda nao se acha legalmente
orgamsado o trabalho dos presos, de grande sa-
tisfaco que na referida exposicao internacional
figurera manufacturas das offleinas do Limoeiro,
cuja iniciativa se deveuao conselbe.ro Forjosa. g adro coramissario t0clos esIavam
.h.7.i ,d' ?.9 ? ?d' ,term'naram,os, lraba" promptos a seguir para o campo da balall.a Jog"
f SLmeM da Mbca da P0Dte d afSe' 9* urgissem as circumslancias. '
p, irt :, a i i t Elleclivamente, havendo esla necessidade, se-
narfAot SpS ^$%JSXT Buira em breve ollvm. padre eum.mssano coi. os
para elevar aquella peca de roltossaes dimen;oe>; ., f u f iirnm,tall0 ,
para se julgar da sua grandeza bastar dizer que "^^b de se.'ui para o hta.roEerra o
SEJSZESS'S: e.d'a3 !^u^ S dU'S destinen medico fab^
cadernaes pe.>am duas toneladas e meia, o compri- Souza pjtaDgai que por mu|[os ann03 e[][re ^. J
sidio, exercendo a sua profissao na qualidade de
teuciarios desalivaran) el rei da fila e da placa, pa- sua magelale a rainha, ez a continencia e o esla
ra as entregarem a um offlcial da casa com esse do-maior descobrio-se.
fim designado, pois que, segundo os estatutos, estas
insignias nao podem ser usadas commulativamen-
te com as outras.
O ro d'armas Jarreteira apresentou o manto ao
se procedeu em pnmeiro plenipotenciario, que, juntamente com es-
te offlcial da ordem, d elle revisti sua mages-
lade.
O mesmo se fez com o collar, chapeo e estrella.
As tropas, pemiorgao que chegavam ao lado
oeste da praga del). Fernondo, contra-marchavam,
ganhando terreno para a esquerda c indo formar
em linha de clunraas palacio.
El*ei o itfanto D. Augusto, lord Sefton e lodo o
estado-maior no gukl se via o ministrla gui
esliveram em linha junto do muro da quinta
juerra,
em-
Seguidamenle, entregou ei-rei ao conde pnmeiro quanto aiPlropas desfilaram em continencia. Quan-
plenipc tencario, a nomeaco de um procurador
seu, que o reprsenle em capitulo, na capella de
S. Jorge doCasiello de Windsor.
Com isto se encerrou a ceremonia, retirando a
missao na mesma ordem em que entrara.
A missao e pessoas principaes do respectivo se-
e esquadra, foram convidadas a jantar no
da guerra, da estaco de Una para esla capital, os
voluntnos que all se apresentaram acompanhados
do cidadao lvo Antonio de Araujo LarangeiraLeite.
Dilo ao coramissario vaccinador. Remello a
Vrac. nina caxinha contendo tubos de puz vacci-
nieo.
Dito ao presidente da cmara municipal de Flo-
res. Respondendo ao offlcio em que Y me. me con-
sulta se obrou em regra deferindo juramento e
dando posse ao vereador dessa cmara capito Ma-
noei Jo- Diniz, o qual nao sendo qualillcado votan-
te na ultima qualilicago que ahi
1860, a muitos aunos morador nesse municipio,
onde propnetario. sendo alm disto eleitor de pa-
rochia as 2 ullimas eleicoes para deputados ge-
raes, tenho a dizer-lhe que nao estando elle quali-
licado votante nao pode ser vereador em face do
que preceiluam os avisos n. 97 de 20 de abril de
1849 7, 37 de 4 de fevereiro de 1853 o 4 de abril
de 1860 com referencia ios artigOs 97 e 98 da lei
n. 387 de 19 de agosto de 1846.
Dito ao mesmo.Tenho presente o offlcio em
que Vmc. me comunica ter defldo de juramentar! quito
o vereador Luiz Igaacio de Oliveira Jardim, que paco
para esse lim se apresentara com o seu diploma A guarda de honra era feita pela forea disponi- cido a'essa dis
por ser elle professor publico de instrueco prima- vel do stimo regiment de intanlera; coraman- Concluida q
ra e em resposta cabe-me dizer-lhe que 'sendo im- dada pelo seu coronel. rara ^.-continencia finis retiraram quarteis.
compativel a accumulaco desses dous cargos, I No frontal do palacio estava.arvorada a bandei- Eram seis horas da tarde. Todos os corpos se
como declaram os avisos de 28 de Janeiro de 1853,', ra da Gra-Brelanha; a esquadra ingleza tmha nos apreseatarm perfeitamente armados e equipados,
de 5 de setembro de 1861 e de 10 de oulubro de ; topes a bandeira de Portugal. e em nm estada de asseio o do boa apparencia inex-
18G3 procedeu Vmc regularmente deixando de ju- O conde de Sefton foi agraciado com a graa-cruz cedivfis.
ramentar a aquello cidadao. : da ordem de Torre e Espada. Os corpos retiraram para os quarteis, debaixo do
Dito a Luiz Ignacio de Oliveira Jardm.Teuho; As insignias d'esta ordem, em briilianles, sao commado dos majores ou tenenies-coroneis, por
presente o offlcio que Vmivme dirigi em 9 de fe- joflerecidas por el-rei aquello ministro. que el-rei convidou os commandantes a janlarem
vereiro ultim e era resposRhcahe-me dizer-lhe que I tis os discursos de lord Sefton e a resposta no paco.
o presidente da caraaraonicipal de Flores/ proce- de sua magestade. -^Elrei linha visitado no da 3 do corrente os
Senhor.Tenho a honra de vir a presenca de navionda esquadra ingleza surta no Tejo.
vossa magestade, encarregado por sua muito ex- No dia 26 de abril, linba havido um brilhante
celsa magestade a rainha, minha soberana, da non e expiendido baquete, dJOjnagnifico hotel de Bra
rossima missao de investir a vossa magestade ganga, dado por lord Senon, Ilustre embaixador
com a insignia da muito nobre ordem da Jarre- inglez, aos offlciaes da esquadra que conduzio
teira. capital S. Exc.
A rainha digaou-se ordenar-me que manifestas-! Surpreadeu a tdies, sem exceptuar os offlciaes,
se a vossa magestade os profundos sentimentos de o esplendor e magnificencia daquella festa, i-nda a
amisade e estima de que se acha animada para qual, a offlcialidade cumprimenlou a dona do hotel,
com vossa magestade; sentimentos que existem, (o primeiro de. Lisboa, e um dos mclhores da Eu-
nao s pelas relagojs do prximo parentesco, que
meia
ment da maior asle de quarenta e um o meio
metros, e o das menores de triuta metros cada urna.
A nova ponte toda de ferro, excepgo do ta-
boleiro ; mede setenta e cinco metros de cmpri-
mento;parte assente sobre cylindros, dos quaes
os dous ltimos que formam os extremos da ponte
tem tres metros de diamentro, e vinte e cinco de
altura.
medico do hospital militar e do hospital Portu-
guez.
O governo imperial, apreciando devidamente a
pericia do cirurgio e a habilidade do medico, pro-
moveu o Sr. tr. Pilanga cirurgio-mr de bri-
gada, em commissao, cargo que esperamos elle
do o ultimo corpo, infamara n. 2, entrou na linha
de culumoas, el-rei o Sr. D. Luiz mandou chamar
os commijldanles aos corpos, e em seguida con-
decorou com a medalha de frica e os offlciaes e
soldados dos diferentes regimentos que fizeram
parte da expedigao a Angola e c-.'in a medalha de
comportameoto exemplar, as pragas do regiment
de infernara n. 10 que tinham direito j reconhe-
cao.
foi esta_ceremonin, as tropas fize-
ita ce
il I
deu regularmente deixando de deferir-lhe jura-
mento para o cargo de'vereador, para o qual havia
sido Vmc. elilo visto que como daclaram os avi-
sos de 28 de Janeiro de 1833, de 5 de setembro de
1861 e 10 de outubro de 1863 incompalivel a
accumulaco d'aquelle cargo com o de prefessor
publico que Vmc. ahi exirce.
Quanto porm ao que Vmc. expende no citado
offlcio sobre ser a quelle presidente delegado de
polica e o vereador Joo Martins Vieira subdele-
gado, d'daro-lbe que segundo os avisos de 26 de
abril, 16 de junbo de 1849 e de 22 de dezembro^unem as casas reaes de Portugal e da Gra-Breta
de 1860 polem aquelles cidadsos aceumu ar os
referidos, cargos nao Ihes sendo porem'prmettldo
exerce-los simultneamente, e a resuelto do capi-
to Manoel Jos Diniz, a que Vmc, tambera alin-
de, nao estando elle qualillcado cidadao votante,
nio pode ser vereador em face do que preceiluam
os avisos de 20 de abril do 1849 7, 37 de 4 de
fevereiro de 18o3 de 4 de abril de 1860 com n
rencia aos arligos 97, o 98, da lei n>387 de 19
agosto de 1846.
Despachos do dia 30 de maio de 180o.
Requerimentos.
Antonio Barboza dos Santos.Iodeferido em vis-
ta da informaco.
Diogo Xavier Carneiro da Cunha.Em vista da
informago, da qual consta ter sido pago o suppli-
cante, nada ha que deferir.
Henrique Jorge. Concedo, nao havendo incon-
veniente.
Coronel Jos de Carvalho Araujo Gavalcarte.
Dse.
nha; mas tambem pela intima allianga que desde
tanto tempo e to felizmente subsiste entro os dous
paizes.
Pela minha parte vou solicitar de vossa excelsa
magestade se sirva permiitir, quo en expresse a
satisfagao de que mo acho po-soido pela distinego
que me foi conferida pela rainha, oscelbendo-me
ropa), pela sua boa vontade e zelo na disposicao de
todos os preparativos.
Por flm, todos os cavalheiros addidos a embaixa-
da se mostrara satisfeitos pelo benvolo acolhimen-
to que lijeslem sido feito.e parecem fazer o melhor
e raais lisongeiro concuto de nos e das nossas
cousas. .
Acho mu digna de transcrever-lhe a carta
que o filustre economista francez, o Sr. Miguej
para o honroso dsver de vos manifestar, senhor, os i Chevalier, dirigi ao presidente da academia real
cordeaes sentimentos da considerago pessoal de | das sciencias, agradecendo a nomeagao de socio
sua magestade, e- para eu vestir a vossa magestade esirangeiro d* mesma academia.
d*me^
aria fcoc
E' urna carta^fonrosa para o paiz.
A caita esta :
c Paris. 13 de margo de 1&S3.Ao Sr. presidente
da acaoeraia real jas sciencas de Lisboa.
com a insignia da muilo nobre ordem da Jarretei
ra como alta prova de respoito e dedicagao pela
vossa muito Ilustre real casa.
E-l.i discurso foi pronunciado em inglez.
Sua mageslade dignouse responder em porto- gr. presidente.Ha anda poucos dias que receb
gUez, I a carta, que ojr. secretario geral da academia me
t Senhor, conde.Ouvi eom verdadeira satsfa- i fez a honra dORcrever, para mo informar, quo esta
gao ludo quarto acabaos, da manifestar, ao o/Tere- < tlture soceiade se dignou conferir-me a honra
cer-me, em nome de vossa augusta soberana as in- de ra* eleger membro correspondente estraageiro
em niovmento por meio de urna machina de vapor
da forga de seis cavados; empregando nicamente
um hornera para regular o trabalho da machina e
as transmissoes do movimento.
A cabrea pode suspender sem o menor perigo
pesos de cincoenla a sessenta toneladas.
O custo da ponte nao chega a sessenta e cinco
cortos de ris, o a economa s em jornaes aos ho-
mens de carregar, e em freles das fragatas que con-
duzrain as cargas para a trra, deve dar ao arse-
seus soc-
; corros.
Terminou no da 31 do prximo passado o
. prazo para a subslituigao sera descont das sedu-
; las de 100J000; as quae.- onlram agora a passar
I por elle na razao progressiva de 10 /0 mensal. No
entreunto, a Gaixa Filial contina a receber as
mesmas sedulas sem tal descont, segundo seu au
nuucio. que publicamos em outra parte.
Temos noticias do Brejo da Madre de Dos,
que alcaugam 24 do passado, extraludas ue urna
^".T^^'^rnf !f.i rt/carla escrl'ta Porpe^oa de confianga :
tl*J pouca monla que navios do porte da Estephania ou
na casa da
, cmara, por occaso de se instaurar um processo
apparelhos para suspender" as caldeiras ; embora
ca houvesse meos para etfeiluar esses concertos.
O plano da obra e a direceo d'ella perlencem
ao nosso loteiligente engenheiro o Sr. Joo Evan-
gelista de Abreu. Basta citar este nome hoje to
conhecido para se poder avadar a perfego cora
que est acabada.
Tambem nao se pode deixar de citar o nome de
Mr. Shaw, mestre que tem dirigido os trabalhos
pessoa do portuguez Manoel Antonio Bezerra.
t E' para lamentar que o promotor publico des-
I se lugar, que deve ser o pnmeiro a manter e fazer
manter a ordem e respeito lei, seja o mesmo que
procure desrespeitar a autondade no exercicio de
suas funegoes por nao querer essa autoridade in-
cluir no referido processo o nome de Jos Correa
de Araujo, em quem nao recahem suspeitas, e pes-
soa que Ihe desaffecta.
narran An Sr thrM e an mi-1 o! A prudencia deqne dotada a autoridade que
tem admirado a actividade e intellgencia do Sr.
Shaw.
O distincto engenheiro Joao Evangelista de
Abreu, apresentou um plano para o proloogamen- j
lo do dique do arsenal, tornando-o propno a rece-
ber navios da lotago c compri ment da fragata D. j
Pedro V, actualmente era conslrucgao, e para o pro
chegara a laugar mo al de urna leseara e accoui-
metiera a autoridade processanle. >
Passageiro do patacho brasilero Jaboatao,
vindo de Macei : Cousul americano Thonuz
Adamsn Jnior.
longamenlo das duas carreiras no mesmo arsenal.
O almirante Sertorio, onde de Penha Firme, que
se acha em Li-boa, segundo se diz tenciona propor
muitas modilkagoes nos trabalhos actuaes do ar-
senal.
HEPAitTigAO oa polica :
Extracto da parte do dia 1 de junho de 1863.
Foram recolhidos casa de deteugo no dia 31
de maio ultimo:
A' ordem do Illm. Sr. Dr. chefe de polica, Ma-
noel Paulo do Monte, como sentenciado; Manoel
Francisco de Oliveira, como suspeito de ser crimi-
Ja foi entregue ao minislro da guerra o rea- noso; Antonio Marcellino dos Santos, para ser pro
lorio da commissao que presenciou no polygono cessado por crime de furto: Bernardino Gomes da
das Vendas Novas a experiencia dos foauetes fie- Silva, Jos Francisco do Reg, sem declarago
chas invernados pelo artista portuguez o Sr. Fran- do motivo, poaos logo em liberdade.
cisco Antonio Tavares. Consta que o artista cons- A' ordem do subdelegado da Capunga, Silvestre
cienciosa e lisongeiramenle avahado pelos offlciaes Felppe dos Santos, para correego.
do corpo de marinha e o exercito, que all concor-
reram. O fugete-flecha percorreu com a rapidez ;
do raio um espaco de 830 metros. O inventor na
signlas da muito nobre ordem da Jarreteira.
Ligando o mais alto aprego a esta delicada offor-
ta. muito folgo de podar assegurar-vos qti* a nova
d%classe das sciencas monos, polticas e bellas
lettras. _.
Sempre,.v^i'tiroa admiracSo svrapthc.ana9;3o
prxima experiencia tenciona elevar a distancia a
1300 metros I A arte da destrnigo val caminhan-
do na vanguarda do progresso.
Por cartas recebidas do Cabo Verde, datadas
de 15 de abril, sabe se que era bom o estado sani-
tario das diflerenles Ibas do archipelago. Receian-
do-se porm nova cnse "alimenticia, determinara o
governador, em conselho do governo, que se admi-
lisse livre de direitos, em todas as ilhas o at no
fim. de dezembro, e milho, arroz fava e lentilha,
de qnalquer procedencia.-
No primeiro deste mez abrio-se ao publico a
nova estago da linha frrea do norte a leste, no
eaes dos Soldados.
A estago nao est ainda completamente mobila-
da e decorada, como ha de ser. Na minha ultima
Ihe remetti a descripgo desta suraptuo-a gare.
O chefe da 2a secgao.
J. G. de esquita.
Casa de detenqao :
Movimento da casa de detengo do dia 30 de
maio de 1865.
Existiam presos 343, entraram 6, sabiram 9
existem 340 ; a saber : nacionaes 235, estrangei-
ros 25, mulheres 3, eslrangeiras i, oscravos 49,
escravas 6.Total 340.
Alimentados a custa dos cofres pblicos 126.
Movimento da enfermara do da 30 de maio
de 1863 :
I Teve baixa :
Francisco Gomes de Anlrade Coutobo,
i Tiveram alta :
Pedro Jos da Porcluncnla.
1 Antonio Martins Chaves.
' Francisco de Souza Ferraz.
, Movimento da casa de detengo do dia 31 de
1 maio de 1865.Existiam presos 340, entraram 7,

ILE6I VEL I
A


'
Diario de PernambBoo sexta lelr* t de Junho de 1SS

sabiraro 7, exlstem 340 ; a saber: nacionaes 259.
mulheres 3, esirangeiros 22, eslrangeiras 2 escra- :
vos 48, escravas 6.Tolal 340.
Alimentados a cusa do cofres ptblicos.127.
Movimenlo da enfermara do da 31 de maio
de 1865. '
leve baixa :
Joaquim Lino Pereira, dcfluxo.
Teve alta :
Francbco Gomes Coulioho, refluxo.
Cemitbrio publico. Obituario do da 31 de
maio de 1865.
Amia Hara da Concedo, Pernambuco, 22 annos,
solleira, Boa-Vista ; amdeclmenro cerebral.
Libania Maria da Conceigio, Peroembuco, 32 an-
nos, solleira. Boa-Vista ; afleecao pulmonar.
Escolstica Semraw dos Reis, Peroembuco, 70 an-
uos, viuva, S. 1< s 5 assite.
Maria Joaquina de Miranda Henrlques. Pemambu-
co, 72 annos, viuva, S. Jos diarrha.
Semiana Maria Francisca, Pernambuco. W atmos, Silverra.A gales perpetuas.
viuva, Boa-Visia ; affucgao uterina. dowbncia atrae.
Flix Pedro Sabino, Pernambuco, 30 aonos, casa-; Gom vista ao Sr. desembargador
do, Santo Antonio : febre cerebral. jostiga
,------.
Agarjiea d&Jnstrumento.
Aggravanle, Joaquim Suriano da Costa ; agra-
vado, Vicenie Morelra da Silva.Relator o Sr. des-
embargador Assis.Sorteados es Srs. deeembarg a-
dores Loureneo Santiago c Gitir-aaa. Negaram
provimento.
Haberu-corpus.
Concederam ordem a Severino Jos de Franca
para o dia 3 de junho futuro, e negaran saltara a
Antonio Vicente dos Santos.
1 Appellacoes crimen
Appellante, o juizo; appellado, Sebastiio Qui-
rino Perelca.Improcedente.
Appellante, o promotor ; appellado, Demlngues
Jos Vieira.A boto jury.
Appellante, o julio; appellado, Christino Redrj-
gues Chaves.A noro jnry.
Appeltante, o juizo ; appellado, Raymundo Alves
da Silveira.A novo jury.
Appellante, o juico ; appellado, Braz Gomes da
promotor da
Jernimo, Pernambuco,7 dias, Santo Antonio", con-
vulsees.
Antn, Peroambero, 28 aonos, soReira, scrava,
Boa-Vista; cerbrite.
THIHOAL DO COMMERCIO
ACTA DA SESSO ADMINISTRATIVA DE 29 DE
MAIO DE 4865.
PBESMJENCIA DO EXM. SB. BSeMBAnGADOR
ANSELMO FRAMCI900 HBRETTI.
s 10 horas da manha, estando reunidos os Srs.
deputados Rosa, C. Alcoforado, Basto e Miranda
Leal, o Exm. Sr. presidente declarou aberva a ses-
sao.
Lida, foi arprtvada a acta da sesae antece-
dente.
/ KXMSWENTE.
Unrofflcio da junta dos corretores, datado de
taoje, remetiendo a cotacao dos precos correntes da
praga na semana Qoda.Archvese.
Foram distribuidos os seoneres deputados os
livros Diarios de Henrique & Azevedo e de Fran-
jeo Gomes de Mallos Jnior e o'Copiador de Fer-
reira & Loureiro.
DESPACHOS.
No requerimento de Jos de Azevedo Maia e Sil-
va, portuguez, de 33 annos de idade, estabelecido
coin loja de miudezas nestveidade, pedindo ser
admettido matricula : Visia ao Sr. desembar-
gador liscal.
No de Jos Matheus Ferreira, pedindo o registro
de urna procurado :Rogislre-se.
Ne de Amonio Ferreira Duarle Almeida, pedin-
do o registro da escriptara de arrendamento que
aprsenla :Rt-sistre-se.
No da viuva Machado & Filho, pedindo lambem
o registro de urna escriptura de hypolheca que
apr^sentam :Registre-se.
No de Joaquim da Silva Ferreira, pedindo certi-
dio do theor do documento relativo ao voto do
Exm. JSr. presidente no requerimento de Domin-
gos Jos Ferreira Guimaraes : Passe-se por cer-
lido o documente com que o Exm. Sr. presidente
do tribunal corroborou, como consta da acta de 22
do crreme, o voto que dera no dia 18.
Nada mais havendo a tratar, o Exm. Sr. presi-
dente encerrou a sessao as onze horas e meia da
manha.
SESSAO JUD1CJARIA EM 29 DE MAIO
DE 1865.
PRES1DESCU DO EX. SR. DESEMBARGADOR
A. F. PERETTI.
Secirtario, JhUo Guimaraes.
As il# horas da manha o Exm. Sr. presidente
abri a sessao estando reunidos os Srs. desembar-
gados Res e Silva, Siiva Guimaraes e Accioli, e
os Srs. deputados Rosa, Candido Alcoforado, Basto
e Miranda Leal.
Lida, foi approvada a acta da sessao antece-
dente.
Assignaramse osaccordos proferidos na ses-
sao de 22 do crreme, entre partes :
Appellante Miguel Jos Barbosa Guimaraes, ap-
pellado J. F. G. Kladi.
Appellautes, Guimaraes & Alcoforado ; appella-
dos, Manoel Moreira da Costa e outre.
Assignou-se o accordao proferido na ultima ses-
sao na appellago entre parles
Appellanles, Jos Antonio Pereira e sua mulher;
appeilados, a viuva e herdeiros de Joo Ferreira
JLLCAME.VTOS.
Eolrando em julgameiiio eada um de per si dos
feitos seguimos, entre partes :
Appellanles, os administi adores da massa fallida
de Amorim, Fragoso, Saptos & C. ; appellado,
Luiz Jos da Silva Guimaraes.
Appellantes, Sampaio Silva & C ; appellado, An-
tonio Jos de Castro.
Appellante, Manoel de Mesquita Cardoso; appel-
laa, a direccio do Novo Banco de Pernambuco.
Appellames, Sampaio, Silva & r
pellados, os. administradores
Manoel de Azevedo Ponies.
Foram adiados a pedido dos senhores depu-
tados. .
Appellante, Joo Joaquim da Costa Lerte ; ap-
pellado, Manoel de Soma Pereira. Mandou-se
ouvir o Sr. r. curador geral.
DES1GNACV0 DB DIA.
Appellante, Caidido Morena da Costa ; appeila-
dos, Antonio Guedes Gondim e oulros.
Primeiro dia mil : e o Exm, Sr. presidente or-
denou que se ofllciasse ao Sr. Antonio Luiz dos
Sanios, que juiz certo nesta causa, para compa-
recer na proxin/a sessao do de juuho, afir.] de
poder ler lugar este julgamento.
PASSAGENS.
Do Sr. desembargador Silva Guimaraes ao Sr.
desembargador Accioli :
Appellante, o Dr. Ignacio Nery da Fonsera ; ap-
peilados, os admiuislradores da massa fallida de
^iqueira & Pereira.
Do Sr. desembargador Accioli ao Sr. desembar-
gador Res e Silva:
Appellante, Goilherme Jorge da Motta; appella-
do, Joao Mariins Ribeiro.
Appellantes, os administradores da massa falli-
da de Amorim, Fragoso, Santos & C. appellado,
Jos Clementino Henrique da Silva
Appellante, Maria Rita'da CrKZ Neves; ap-
peilados, os directores do Novo Banco de Pernam-
buco.
DISTRkBIQO.
Ao Sr. desembargador Rt is e Silva :
Appellantes, os administradores da massa fallida
da de Amorim, Fragoso, Santos &C; appellado,
Antonio Domingues Pinto.
Ao Sr. desembargador Accioli :
Appellante, Basliano de Magalhaes Castro ; ap-
peilados, Ges, Baslos & C.
AGGRAVOS IN1ERP0ST0S BO JUIZ0 ESPECIAL
BO COMMERGIO.
Aggravante, D. Francisca da Cunha Bamdeira
de Mello ; aggravado, 0 commendador Antonio de
Siqueira Cavalcan e.
Aggravantes, os administradores da massa talu-
da de Seve, Filhos & C. 5 aggravado, Bernfeard
Boira
O Exm. Sr. presidente den provKnento.
Nada mais teavendo a tratar-se o Exm. Sr. pr-e
dente encerrou a sessao 1 bora e um quarto da
tarde.
THlHU.Vtli I V IlKLAC-IO.
SESSAO DE 30 DE MAIO DE 1865.
rilESLDE.NCIA 90 EXM. B. CONSELEE1H0
SOUZA.
s 10 horas da manha, presentes os Srs. des-
embargadores Santiago, Gitirana, Loureneo San-
tiago, Almeida Albuquerque, Assis, Mctta, Doria,
Domingues da Silva, e Barros Vaseonceltos, faltan-
do o Sr. desembargador Guerra procurador da co-
ra, abrio-se a sessao.
Passados os feitos, deram-se os segrintes
JCLG AMENTOS.
Afgravo de petico.
Aggravanle, Joao Chrysostomo de Albaqnerque *,
aggravado, o juizo. Relator o Sr. desembargador
Saniiago. Sorteados os Srs. desembargadores
Almeida Albuquerque e Assis. Deu-se provi-
mento.
Aggravante, Francisco Candido Paes ; aggrava-
do, o juizo. Relator o Sr. desembargador Gitira-
na. Sorteados os Srs. desembargadores Doria e
Assis. Nao tomaram conhecimento por vir fra
de tempo.
Aggravantes, Guimaraes & Lima ; aggravado,
o juizo. Relator o Sr. desembargador Loureneo
Santiago.Sorteados os Srs. desembargadores Do-
mingues da Silva e Almeida Albuquerque.Deram
provimento.
M da IO9OOO reis, que sera' dobrada as rcinci-
(De 7 de agosto de 18S5.)
<22) POSTURA ADDICIONAL.
Ari. nnico. Os sete palmos marcados no artigo
i.' de postura addicional de 7 de agosto de 1855,
para alojamento de cada cavallo, licam reduzdos
a cinco rnente.
(De t4 de setembro de 1857.)
Art. 8. E' prohibido, que andem caes sollos, e
vagande-pelas ras da cidade, sendo smente per-
miitida te-Ios em casa, sob pena de serem appre-
hendides os que forem encontrades, e de Ihes ser
appticaa a nox-vomica. Nesta dtsoosicao se nSo'
As appellacSes crimes.
Appellante, o juizo; appeHado, Joaquim Marian-
no de Araujo.
Appellante, o juizo ; appellado, Domingos Fran-
cisco de Moura.
Appellante, ojuizo ; appeilados, Joao Ferreira da
Guerra e ouiro.
Appellante, o juizo t appellado, Francisco Mon-
teiro.
Apneltaate, o juizo ; appellado, Amonio Barbo-
sa de Souia Periquito.
Appellante, o juizo ^ appellado, Vicente Ferreira
de Araujo.
DILK3ENCIA ClVEL.
Com vista ao Dr. curador geral
A appellaeao nivel.
Appellantes, os herdeiros de Francisco Ferreira
de Barros Campello; appeilados, os herdeiros de
Caetano de Barros Wanderley.
DESIGNACAO DE DIA.
Assignou-se dia para julgamento das seguin-
tes :
Appellacoes crimes.
Appellante, o juizo ; appellado," Zeferino Aure-
liano eFigueiredo Mello.
Appellante, o promotor appellado, Joao Fran-
co Moreno.
Appellante, Marcolino Bezerra Torres : appella-
da, a jnstica.
Appellante. Antonio LoureD^o Gomes ; appella-
do, Trajano Francisco Brasileiro.
Appellante, Manoel Vicente de Carvalho Caval-
ame ; appellado, Antonio Jacintho de Medeiros.
' Appellante, Manoel Antonio Laguna ; appellado,
a justiga.
Appellante, o juizo ; appellado, Manoel Mendes
da Silva.
Appellante, o juizo ; appellado, Joaquim Jos de
Santa Anna.
AppellafSes civeis.
Appellante, Jos Domingues Correia ; appellada,
a ordem terceira de S. Francisco.
Appellante, Eduardo H. Braman ; appellado,
Joao Paulo Carneiro de Souza Bandeira.
Appellante, Jos Bento de Oliveira ; appellado,
Jos Joaquim de Araujo Pinheiro.
Appellante, Agostinho Lucas Correia ; appellada,
a escrava Lina.
Appellante, a fazenda ; appellado, Joaquim Gon-
calves 6nerra.
O conflicto de jurisdiccSo entre os juizes muni-
cipaes de Bonito e Agua Pro'i.
PASSAGENS.
Do Sr. desembargador Santiago ao Sr. desembar-
gador Gitirana
As appellacoes civeis.
Appellante, o barrio de Guararapes ; appellado,
Jos Francisco de Farias Salles.
Appellante, Candido Franklin de Lima ; ap-
pellado, Joaquim Franklin de Souza Pinheiro.
Ao Sr. desembargador Almeida Albuquerque
A appellaeao civel.
Appellante, D. Joanna Francisca dos Reis; ap-
peilados, Jos Malheiros de Albuquerque e outro.
Do Sr. desembargador Gitirana ao Sr. deseiHbar-
gador Loureneo Santiago
A appellaeao crime.
Appellante, o juizo ; appeilados^ Feliciano Ribei-
ro dos Santos e sua mulher.
Ao Sr. desembargador Almeida Albuquerque
A appellaeao civel.
Appellante, Jos Luiz Pereira Lima ; appellado,
Joaquim Pereira Maia.
Do Sr. desembargador Loureneo Santiago ao Sr.
desembarcado/ Almeida e Albuqucraue
As apjieiiacoes crimes.
Ccmpanhia ; ap
da massa fallida de
Art. 16. Nfnguem poder vender medicamentos,!
ou drogas de qual juer nalureta, sein queMeeha
carta de pjiarmacia, e se acbe oampetenUmapta ha-
bilitado ; os infractores serio isaUedw.ein.SSJOOO
rs., e soffrerao a perda de todo os reoaadies e
drogas.
Art. 17. Nenhum medico, cirurglio, pharmaceu-
tico, ou parteira, poder exercer sua arte, sam que
tenha feto registrar na cmara municiparsuai car-
tas de formatura ou de exaoe, conformandoecom
o disposto as leis existentes ; os-4ifractoreyaerio
multados em 100000 rs.
Os esirangeiros serio obncadoa^nao s a seeon-
ermarem com o disposto oeste artigo, como a jds-
tiBcarem identidaije de pessoa pecante a cmara, compreheodem os caes que accompanhar'em a seus
eoai e lestetnunho de cidados de recontwcida pro-1 donos, ama vea que tenhana atea tirado para isso
b,d*de- t ,., |lieenca,-.pago a molla de raatro mil res, bem
(Postura de 30 de Junho de 1819.) assim aquelles que tronxerem colleira, com deca-
TITULO IV. racao dos nomes dos mesmos donos, a quem sero
Do asteto eregulanade dosmataittros e afougves, entregues, mediante a multa de mil reis.
vendas de carnes, e cumus, etc. Art. 9." E' inteiramente prohibida a criacSo de
Art. 1. Ninguem poder matar e esquartejar re- Iporcos dentro da cidade; e os que forem encon-
zes para o consumo do povo seoao oos matajoaros j irados na ra ou bos quiniaes, sero apprehendl-
publreos, ou particulares, com licenga da cmara ; dos, e entregues aos hospitaes de caridade. Nesta
municipal, sob pena.de ser multado em 16JW0O rs. protaibicao nao ficam comprehendidos os que en-
tra rera para serem morios, que nao poderao de-
morarse dentro da eidade por mais de dous dias,
sob pena de pagar a multa de 10O reis, quem
os conservar alm desle lempo.
Art. 15. Nos pontos de despejo permanecer' to-
da a noite um guarda, que examinara' o estado
das tinas, obrigando, a sens conductores a limpa-
las bem, e a levar em seu interior, ao menos,
mew palmo de agua limpa; e a manter a ordem
do servico nes gas, ou outra qualquer cousa, que interrumpa es-
se servigo.
Art. 16.0s Qscaes, quando julgarem convenien
de AVm;i,'.a preparacao por excellencia que ob-
tem com a maior facilidade a victoria sobre todas
as enfermidade pulmonares. Jamis bouve reme-
dio algum, que dentro de tao curio espaco de tem-
po se laroasse lo univeralmente popular. Os
te.-temunhos e'atlestados de'suas innumeraveis cu-
ras, em cisos de losse, anginas, rouquido, inflam-
I macao do pello, bronehites, astlima, catarrho, cons-
tipacoes, etc., S3 recebem aos centenares por cada
e na perda da carne.
Art. 2. Ninguem poder picar rer alguma senao
depois de pago o imposto aos exactores dos diritos
nacionaes, para que depois seus donos possam ven-
ele-la como Ihes approuver, sob pena de 2J000 rs.
de multa por cada rez.
Art. 6. As carnes serio conducidas parada acou-
gues em carrocas bem limpas e lavadas, cobertas
com pannos brancos e limpos, ncando absoluta-
mente prohibida a conduccio de outro qualquer
modo, sob pena de 255000 rs. de malta.
Art. 19. Os que venderem pelas ras a retalho
carnes de porc^, carneiro, cabra, on toueinho, de-
verio ter bataneas e pesos aferidos, e as carnes so-
bre pannos brancos limpos, e cobertos com os
mesmos, sob pena de pagarcm a multa d 4#900
rs., e o duplo na reincidencia.
Art. 21. Os ficaes, todos os sabbados e as das
que bem ihes parecer, visitaro as boticas*, arma-
zens, tabernas, notequins e acongues, e tnultarao
em 40000 rs. os donos de taes estabelecirnenlos que
os liverem em contra venci, e contra a limpeza da
casa e medicas.
(Postura de 30 de junho de 1819.)
Art. 1. Em nenhum agougne se "podefa orlar
carne antes das seis horas da manha, nem depois
das seis da tarde : os infractores serio multados
em 100000 rs.
(Postura n. 372 de 13 de junho de 1855.)
TITULO V.
Art. 5. Depois que a cmara municipal designar
os lugares para nelles se fazer o deposito das im-
mundices, os que as lancarem fra desses lugares,' nna de novo solicitar de S. Exc. a
e presentemente as nao lancarem ao mar, naga rao no Crreme, cumpre-me declarar
a multa de 40000 rs. As vasilhas "
correio, enviados de todas as partes do mundo.
Acha-se a venda as phaxmacias de Caors &
Barbosa e J. da C Bravo & C.
C&MME1CI0.
\vobauco de Pernambuco.
O banco paga o 14* dividendo na razio de80
dor aeco.
Aovo banco de Pernam-
bnco.
0 banco descontaletras na presente semana a
9 por cento ao %nno al o prazo de quatro me-
zes, e a 10 0|0 al o de seis mezes
Caixa filial do banco do Brasil em
Pernambuco.
A directora desta caixa saca sobro o banco do
Brasil no Rio de Janeiro e sobre a caixa Slial do
mesmo banco na Babia.
Novo banco de pernambnco.
Os administradores da massa fallida de
m
mettldos : no novo banco
do Trapiche n. 34.
de Pernambnco rna
Caixa filial do banco do Brasil
em Pernambuco.
A caixa filial do banco do Brasil, em virtude da
ordem da caixa matriz de 4 do correte, e da de-
claradlo da caixa da amortiatfao, abaxo copiada,
contina a receber sem descont as notas do go-
verno do valor de 1000, 3a eetampa.
Caixa filial do banco do Brasil 31 de maio de
1MB.
O gaarda-livros,
Ignacio- fonos Crrela.
ALFA
Rendimeoto do dia i...
18:6110144
MOVIMENTO DA ALFADEGA.
Volumes entrados com fazendas....
t < com gneros..... 678
te, rondaro lodas as imites as ras desta cidade, \ Jos Silveira pagam o Io dividendo de dita nmsa
principalmente nos lugares mais dispostos a'se-: na razio de 9 0/0 sobre o valor des titules ad
rem emporcalhados, obrigando e corrigindo aos!_________
aescios a' respeliarem estas posturas, e multando TABELLA DO REXDIMEXTO DA ALFA>DEG.4
aos que as infringirem scientemente.
------678
Volumes sabidos com fazendas..... 62
t com gneros..... 1,212
------1.274
Descarregam no da 2 do crreme.
Barca iugleza SelUetion~bacalbo.
Brigue inglezzabella R Brigue inglezImperadordiversos gneros.
Barca inglezaLombardiavinhos e mais gneros
Brigue hanoverianoJohanesfarinha de trigo.
Brmue inglezflosa//emercaduras.
Brigue inglezParklide\\t\bos e cemedto.
Barca inglezaAnn Lizzie farinha de trigo.
Barca portuuea6'. Joaocharque.
Escuna portuguezaD. Jooidem.
Sumaca hespanholaMerceditaidem.
Brigue nacionalCardiaidem.
Brigue nacionallmporador- idem.
Art. 17 O infractores dos artigos desta post
ra, que ja' nio esli declarados, serio multados
pelas infraccSes commeltidas em cinco mil reis.
(Postura addicional de 20 de novembro de 1855.)
PuBLKACES 1 PEDIDO
as quaes se
conduzrem as immundices sero cobertas e lava-
das depois do despejo, e nao se poder fazer este
servico desde as sete horas da manha at as nove |
da noite, sob pena de pagarcm a multa de 20000
rs. Exceptuase o despejo de aguas de lavagens
de roupa, casa e cosinha, assim como tambem|o
lixo.
(Postura de 30 de junho de 1849.
TITULO VI.
Art. 2. Fica suspenso desde j, as boticas, casas
de pasto, botequins, tabernas e quitandas o uso de
panellas, taixos, CaldelrSes, medidas ou outras
quaesquer vasilhas de cobre ou lati, sem aue se-
jam estanhadas com cuidado ; podendo, porm, ser
de ferro, folha de Flandres, barro e madeira : fi-
cam comprehendidas na raesma prohibico as ba-
taneas em que se pesam os comestiveis.'sob pena
de paga rem os infractores a multa de 40009. rs.
Art. 7. Ficam prohibidos os toques e dobres dos
sinos desde as sete horas da notte at as cinco da
manha, excepto as matrizes para administracio
dos Sacramentos, antes da missa do Natal,' e nos
casos de incendio ou rebata : os sacristes ou che-
fes de corporacSes religiosas que Infringirem este
artigo pagaro 120000 rs. de multa.
Art. 8. Nenhuma igreja dar mais de tres repi-
ques de cada vez na vespera de qualquer solcmni-
dade, e estes s terio lugar ao meio dia, s tres ho-
ras da tarde e s Ave Maria, nao devendo cada um
durar mais de cinco minutos: os sacristes e che-
fes de corporacoes religiosas que infringirem este
artigo, tanto no que diz respeilo ao numero dos re-
piques, como ao tempo que devein durar, serio
multados em 100000 rs.
Art. 9. Nenhuma igreja dar mais de dous do-
bres de cada vez por cada fiel que morrer, e esses
dobres serio dados ao receber a noticia da jnorte
e na occasiio do enterro, os quaes durarao so-
menle dez inioutoo -. aa caori< U1 C.hefee^tP
corporacoes religiosas que infringirem as disposi-
Tendo alguem, mu de proposito....., espalhado
a noticia que eu eslava arrependido da remocao
que, apedido meu, S. Exc. o Sr. presidente, se
digoou conceder-me da cadeira da povoacao do
Corrente para a de Ponta dej*edras; e que eu vi-
tirara de licar
ao respeitavel
publico, e, principalmente, s pessoas a quem se
tem dado tal noticia, que falsissima.
Recife 30 de maio de 1865.
Antonio dos Santos Bulco.
DE PERNAMBUCO NO MEZ DE MAIO DO
CORRENTE ANNO FINANCEIRO COMPARADO COM OS DE IGUAES MEZES DOS DOUS ANNOS
LTIMOS.
Importacao.
Appellante, o juizo ; appeilados,Telesphoro Mar- coes desle artigo serio multados em 105001) rs.
ques da Silva Jnior e outros.
Appellante, o promotor ; appellado, Mathias da
Cunha.
As appellacoes civeis.
Appellante, Tristo Antunes de Alencar ; appel-
lada, a fazenda.
Appellante, a irmandade de N. S. da Soledade ;
appeilados, os herdeiros de Jos Maria da Costa
Carvalho.
Do Sr. desembargador Almeida e Albuquerque ao
Sr desembargador Assis
As appellacSes civeis.
Appellante, Joo Lopes Cavalcante ; appellado,
Jos Antonio de Mendonga.
Appellante, Dr. Manoel Carlos de Gouveia ; ap-
pellado, o vigario Jos Antunes Brando.
Appellante, D. Maria da LuzTeixeira Costa ; ap-
pellado, Jos Joaquim Ferreira de Arruda.
Do Sr. desembargador Assis ao Sr. desembarga-
dor Doria
As appellacoes civeis.
Appellante, Joaquim Manoel Ferreira de Souza ;
appellada, a faztnda.
Appellante, Jos de Barros Pimentel -, appellado,
Joaquim Marinho Falco.
Appellante, l. Emilia Cardn Cavalcante de Oli-
veira ; appellado, o preto Jos, por seu curador.
Do Sr. desembargador Doria ao Sr. desembar-
gador -Molla
A appellaeao crime.
Appellante, Joao Ferreira de Mello ; appellada, a
justica.
Do Sr. desembargador Motta ao Sr. desembar-
gador Domingues da Silva
As appellacoes crimes
ao
Appellante, o promotor ,
quim de Lima.
Appellante, o juizo -, appellado,
tista da Silva.
Do Sr. desembargador Domingues da Silva
Sr. desembargador Rarros Vasconcellos
As appellacdes crimes.
Appellante, a cmara municipal; appellado, Dr.
Pedro Pereira da Silva Guimaraes.
Appellante, o promotor; appeilados, Manoel Jos
de Fre tas e outro.
Appellantes, o juizo e Antonio Rodrigues dos
Santos ; appeilados, Jos Bruno 'Ja Silva e outros.
Appellante, Manoel Joaquim de Santa Anna ; ap-
pellada, a justica.
Do Sr. desembargador Barros Vasconcellos ao
Sr. desembargador Caetano Santiago
A appellaeao crime.
Appellante, Vicente Ferreira da Silva ; appella-
do, Jos itodrigues de Souza.
Appellante, ojuizo ; appellado, Manoel Jjaquim
do Espirito Santo.
A' 1 hora encenre-uts a sessao.
Ar. 10. Nenhuma igreja dar mais de quatro
dobres por occasiio de 1 fflcio de corno presente, e
dos.nas visitacoes de covas. devendo durar s-
mente dez minutos: os sacristes ou chefes de cor-
porales religiosas que infringirem as disposicoes
deste artigo erao multados em 100000 reis.
Art. 11. Os dobres e repiques sero reduzMos
melade do tempo prescripto, podendo mesmo ser
suppnmidos se na vizinhanca da igreja houver al-
gum doente de affeccao grave, devendo os sacris-
tes e chefes de corporacoes religiosas conformar-
se com o attestado do facultativo assistente, que
ser rubricado pela autoridade policial do lugar :
os infractores serao multados em 250000 reis.
Art. 12. Fica prohibido o pescar as pontes e
caes com anzes : os infractores sero multados
em 20000.
Art. 13. Nenhum pescador poder usar de rede
de malha miuda, devendo elle conformar-se com a
bitola adoptada pela cmara municipal: os infrac-
tores serio multados em 100000 reis e a rede ser
destruida.
(Postura de 30 de junho de 1819.)
TITULO IX.
Art. 2. Fica prohibido ter as portas das ras
ou calcadas, bancos, caixoes e outras quaesquer
armacoes e taboletas depositadas, ou dependura-
das do portal para lora : sob pena de 20000 reis
de multa.
Art. 3 o Fica prohibido ter cavallos e outros
quaesquer animaes atados s portas, janellas, ou
argolas nos passeios: sob pena de 20000 res de
multa.
Art. 13*Sobre os passeios rdagnem poder car-
regar fardos, caixoes, palanqnlns, ou outra qna
ni
fulla Amella Ribeiro
( A SEU PRESADO PAI 0 SR. JOAQUIM I. RlBEIRO
Ju.vioiv.)
Foste brilhar longe, longe >
Estrella paluda agora I
Foste saudar la aurora,
Co'o riso d'anjos nos ceus I
Deixaste nos terreos lares,
Nos horisontes paternos,
Raios de luz sempiternos
Retlexos da luz de Deas!
Foste a aurora resplendente
S'abrindo por entre litas
De nuvens roseas, bonitas,
De primavera gentil,
Que s'occullra sorrindo
A' sombra d-, negro manto
Das nuvens que afeiara tanto
O bello do ceu d'anil!..
Foste a rosa mal aberta,
Suavemente embalada
Das brisas da madrugada
Que cedo pender ao chq I
I.evou-te a brisa o perfume-
Da ierra a t E s olhas tuas sentir
Rocarera em seu coraco I..
Passaste ignota s tormentas
Dos lorvelinhos da vida 1
Foste a viso mais querida
Que cedo voltara aos ceus I
Passaste qual silpho aereo
Da trra as expessuras
E remontaste s alturas
Do reino santo de Deus I..
De novo brilha Chegaste
Nos campos d'um ceu mais puro,
Nio tinge-se a cor de escuro
I-'.' sempre lindo o arrebol I.
E onde s'occulta a rosa,
Em sua campa sombra
Caia urna lagrima fria
as horas do por do sol I..
1." de junho de 63.
J. T.
X
appellado, Manoel Joa- quer cousa que por seu volume possa eeoramodar
os que por elles tranzitara : os infractores sero
Francisco Bap- \ multados eto 20000 reis, sendo paga a dos escra-
vos pelos seus senhores.
Art. 14. Nioguem poder andar a cavallo sobre
os passeios : os infractores pagaro a multa de
50000 reis.
Art. lo. Todos os lotes ou comblos de animaes!
de carga, que entrarem nesta cidade, sern condu-
zidos a passo, e atados um atrs dos oulros, e le-
vados pelo meio da ra at o logar de seu desli
no; e, logo que se houver feito a descarga ouino-
vo carregamento, sero reconduzidos para fra da
mesma maneira : os infractores serio multados
em 1$000 reis, e se fr escravo, seu senhor ou
correspondente pagar a multa, e, deixando de o
fazer, o conductor dos animaes soffrer vinte e
quatro horas de prisio.
(Postura de 30 de junho de 1849.)
TITULO X.
Illms. Srs. prensarlos de algodio.Salvador de
Siqueira tavilcanti, pede a VV. SS. que Ihe facam
o favor dizer ao p desta se, do dia 8 de Janeiro
do corrente anno at o dia 28 do mesme mez VV.
SS. compraram algum algod o a razo de 250000
a arroba, e Ihes pede permisso para usar de suas
respotas como lhe convier; pelo que Ihes ficara
eternamente grato.
Recife, 30 de maio de 186o.
Salvador de Siqueira Cavalcanti.
Nao me consta que houvesse o preco de 253000
desde o dia 8 de Janeiro do corrente anno 28 do
dito mez.
E' o que lenho a dizer em abono da verdade. Po-
de porlanto V. S. usar desta minha resposta como
lhe convier.
Recife, 31 de maio de 1865, alias Recife, Io de
junho de 1865.
Augusto Coelho Leite.
Satisfazendo a exigencia supra pelo Illm. Sr.
Salvador de Siqueira Cavalcanti, somos a assegu-
rar qne do dia 8 a 28 de Janeiro prximo passado,
nao compramos nenhuma s- cea de algodoemnos-
sa prensa pelo preco de 250000.
Recife, Io d junho de 1865.
Por procurago Joo Francisco Antunes.
Thomaz de Almeida Antunes.
Respondendoao pedido cima, teoho a dizer que
nao paguei algodio ao preco de 25j}000.
Recife, Io de junho de 1865.
Jos Luiz Guaiaco.
Em resposta ao pedido supra, temos a dizer a
Direitos de consumo........
Ditos addicionaes de 5 %......
Ditos addicionaes de 2 */o.....
Ditos de baldcacao e reexportagao ,
Ditos de ditos e reexportacao para a Costa.
d'Africa...........
Expediente dos gneros estrangeiros nave-
gados por cabolagcm .......
Ditos dos gneros do paiz .."....
Ditos dos gneros livres.......
Armazenagcns..........
Premio dos assignados ....,.
Despacho martimo.
Ancoragem...........
Direitos de 15 % das embarcacoes estrangei
ras que passain a nacionaes ....
Ditos de o % na compra e venda das embar-
cares ............
Exportaifio.
Direitos de 15 % do pao Brasil ....
Direitos de 7 % de exportaco ....
Ditos de 2 % idem........
Ditos de 1 % de ouro em barra ....
Ditos de V2 u0S diamantes......
Expediente das capatazias......
Interior.
Multas.............
Sello do papel lixo........
Dito do papel proporcional......
Emolumentos..........
Imposto dos despachantes......
Extraordinaria.
Receita eventual.........
Dizimos da provincia das Alagas. .
Ditos da provincia da Parahyba ....
Ditos da provincia do Rio Grande do Norte.
Contribuico de caridade.......
1864 1865
483:8880412
63:13201117
730521
5220952
510024
2:1740085
6070828
3:1280406
3:5010750
0
640000
0
86:6673346
0
0
0
1:9150980
7750319
52605*10
2330500
763000
4870300
648:3360323
3:4330014
8:0910311
1:1880775
9600030
1863 1864
497:8750760
66:3620800
930346
2510410
1:5370069
1:7340017
1230940
1:2260932
2:1470400
1353000
1.5510000
139:1830725
143592
1:4073740
3873195
4990260
1550540
303000
2180750
800000
1862 1863
285:5130308
38:1200223
750790
380620
5460522
8970317
1730193
4:4380326
0
2:0130900
0
150000
61:2070399
0720
0
0
9020760
3770797
5800400
1680200
620000
1230000
560000
662:0290503
715:2170766
3:9670812
4 :OO30762
3920460
1:1680870
724:7500670
398:3143875
2:5420950
2:2870872
4570476
2060817
403:8090990
Alfandega de Pernambuco, 31 de maio de 1863.
KECEBEDORIA DE RENDAS INTERNAS] GE-
RAES DE PERNAMBUCO.
Rendimento do dia 1.......... 4193632
CONSULADO PROVINCIAL"
Rendimento do da 1.......... 1:6713094
MOYIMElfTO BO PORTO
Navios entrados no da i".
Philadelphia 32 dias, barca ingleza Imperador, de
281 toneladas, capito I. Power, equipagera 12,
carga 3,200 barricas com farinha de trigo ; a Ma-
theus Au.stin & C.
Macei24 horas, patacho brasileiro Jaboatao, de
218 toneladas, capito Cunha, eqnipagem 9, car-
ga couros e outros gneros; a Henry Foster .v
C. : veio receber ordem, seguio para New-York.
Navios saludos no mesmo dia.
Portes do Sulvapor brasileiro Tocantins, com-
mandante o primeiro tenente P. H. Duarte.
Ro da Pralavapor inglez Favorita, commandan-
te Hall, em lastro.
Marseillebrigue francez Amabh Celeste, capito
Kermann, carga assucar.
i nrr,jHfc*nmTr,TriiTirj
EDITIS.
Slseaiisaco de Santo A talo.
O abaxo assignado faz ser transcripto abalxo
deste alguns arligosdas posturas municipaes desta
cidade, que tem por dever os fazer cumprir, paja,
eonhei imento de lodos os habitantes do municipio*
flm de nao os infringirem por ignora-los.
Fiscalisaco de Sauto Antonio do Recife, 26 de
maio de 1865.
O fiscal,
Caetano Pinto de Veras.
TITULO II.
Da mediana, cirurgia, pharmacia e do que lhe
relativo.
Art. 1. Ninguem poder abrir botica, ou casa de
drogas, e nem manipular remedios sem licenea da
cmara municipal, e sem que tenha carta de pbar- ra, ao menos
acia, resida no estabelecimento, e se responsane-
liae pelas prepararles medicinaes: os infractores
multa de 30aOOQ rs., e na reincidencia,
Art. 3. Toda a pessoa que de dia for achada nua
em beira de prala, ou tomando banho com o cor- i *> 1e. desde 8 al 28 do mez Ae Janeiro pro-
po descoberto sem a devlda decencia, ser multa-1 xlmo passado, nao compramos algodio pelo prego
da em 23000 reis, sendo paga a dos escravos pe-. dej 250000 ;] fleando assim .respondido essa par
los seus senhores.
(Postura de 30 de junho de 1849.)
POSTOUA ADDICIONAI..
Art. 1* D'ora em dame sement permittjdo
ter cavallaricas de aluguel em casas espacosas, Ja-
dnlhadas, ,e ventiladas, e cujas frentes tenham
mais de Irinta palmos, com esnos de esgto para
as ourinas e lquidos, largos, lageados, e lo pro-
fundos que sejam baohados pelas aguas do mar'
ou rio, em todas as rear* cheias, ou sumidouros
com dous palmos' d'agua naturalmente; nio po- Por Pires & Pinto Jos Antonio da Silva Marques,
dendo admittir-se Relias seaio um numero de ca- ~ Em resposta ao pedido supra temos a dizer a V.
vallos proporcionado ao eenaco, e devendo o alo- 1ue desde 8 de Janeiro at o dia 28 nio compra-
jamento para cada um cavallo ter sete palmos de mos algodio pelo preco de 250000, fleaudo assim
largura. Os sumidouros serio fechados em abo-
badas, e nio reeeberio as aguas de chuvt 22)
Art. 2." Os alojamentoa serao limpos vasson-
duas veres por dia; e diariamente
serio tiradas as varreduras depositadas.
Art. 3." Todos oaxavallo* serio lavados ao me-
nos urna vez por dia, ou pela manha, ou nnoite.
Art. 4. Para a factura dos canos ou saenidou-
ros, e mais arranjos oecessarios as cavallaricas
existentes, qne estiverem collocadas em predios
te de seu pedido; podendo entretanto V. S. fazer
o uso que lhe convier de nossa resposta.
Recife, Io de junho de 1865.
Somos com estima venerador ewriado.
Lobo & Pillio.
Temos a responder a este attestado que em dias
deste anno nunca compremos algodio por seme-
Ihante preco, a vista disto faca uso desta resposta
para o que Ibe convier.
Recife, Io de junho de 1865.
respondido essa parte de seu pedido; podendo en-
tramo V. S. fazer o uso que ibe convier de nossa
resposta.
Recife, 1 de junho de 1865.
Martins Irmaos.
------ De ordem do Illm Sr. inspector da thesoura-
ria de fazenda desta provincia se faz publico, para
ronhecimenlo dos interessado*, que o tribunal do
thesouro autorisou o pagamento de dividas de
exercicios findos, cujos credores sao os seguintes :
Licinio Purcinio Nestron e Andrade.. 1200000
Lourengo Jusliniano de Souza Lima.. 160667
Antonio Jos da Cunha Guimaraes... 40903
Luiza Francisca da Cosa, viuva de
Francisco Firmo Montelro......... 660666
Pedro de Alcntara Perrier......... 1830520
Joo Po de Senna................. 340140
Alexandrina Francisca Romana, viuva
de Antonio Joaquim de Souza Timb 6050000
Antonio Joaquim de Souza Timb
(tres filhos de)^................ 6053000
Arsenio Gubtavo Borges............. 1210000
Antonio Luiz Teixeira Can pos...... 900000
Joaquim Mequilino de Souza Santiago. 860460
Quinteiro & Agr................. 205000
Francisco Jos Falco.............. 440906
Guardio do convento dos francisca-
nos, (Fr. Joao Baptista do Espirito
Santo)......................... 3955967
Fr. Joo Baptista do Espirito Santo... 3003000
Ignacia Senhorinha de Souza Folgado 1025822
Carolina Augusta de Moraes Folgado. 1025822
Dr. Christovo Xavier Lopes........ 145400
Empregados dojuizo des feitos.
Jos Polyearpo de Freitar......... 905238
Francisco Xavier Pereira de Brito... 225531
Jos Francisco de Panla............ 695432
Ricardo Jos Santiago............. 123830
Secretaria da thesourana de fazenda de Pernam-
buco em 31 de maio de 1865.
Servindo de offlcal-maior, Manoel Jos Pinto.
O Dr. Francisco de Araujo Barros, cavalleiro da
Imperial ordem da Rosa, e juiz municipal da
2* vara e preparador dos processos do jury
desta comarca do Recife, por S. M. o Imperador
que Deus guarde etc.
Paco saber que pelo Dr. Joo de Araujo Freitas
Henriques, juiz de direlto da Ia vara criminal
desta comarca, me foi communlcado ler designado
o dia 19 do corrente, pelas 10 horas da manha,
para abrir a terceira sessao do iury, que trabalha-
r em das consecutivos, e havendo hoje procedido
ao sorteio dos 48 jurados que tem de servir na
mesma sessao, em conformidade do art. 328 do
regulamento n. 120 de 31 de Janeiro de 1842, foram
sorteados e designados os cidados seguintes :
Freguezia de S. Frei Pedro Goncalves.
Gaogalo Jos Affonso.
Augusto Cesar Cousseiro de Mallos.
Alexandre Augusto de Frias Villar.
Ludgero de Salles Oliveira.
alm do duplo da multa sotTrerio seis dias de Art. 4.'Para a factura dos canos ou saanidou- JUI remeoiOTegeiai ae lima pro
prisio. ros, e mais arranjos necesarios as cavallaricas dlgalldade assombrosa.
Art. 11. Nenhum pharmact utico ou droguista i existentes, que estiverem collocadas em predios Afinal chegou o dia em que se descobrio dentro i Dr. Manoel Francisco Teixeira.
poder vender remedios de composicio secreta, com as condicrJes do artigo 1., arcado o prazo da concentrada essencia de um producto vegetal, Jos Baptista da Fonseca Jnior,
nem apregoar por meiodeannonciesimpressosnosliraprorogavel de dous mezes. um prodigioso e absoluto para a cara d todas s Domingos Alves Matheus.
jornae?, ou afflxados, virtudes que disser ter, sem | Art. 5. O alojamento para um at quatro caval- molestias precursora da phtysica.
licenga da cmara municipal, procedendo-se ante- ; los de u-o particular poder ser contiguj a' hab- A arvore salutar da Vida, pois que assim que
ced ente mente ao exame com pet-nte : os infracto- tacSo; observadas, no que fr applicavel, as dls- verdaderamente se dever chamar; da qual se
res serio multados em 300000 rs., e na perda das j posicoes dos arligos antecedentes. extrae este precioso e inestimavel ihesonro, e a
substancias que reoderem e apregearem.
i Art. 6.a Os infractores serio punido com a mu- Anaeahuita do Mxico, e o Peioral de Anacahutta
Alvaro Augusto de Almeida.
Freguezia de Santo Antonio.
Affonso Jos de Oliveira.
Dr. Manoel Pereira de Moraes Pinheiro.
Luiz Pereira de Farias.
O 3o escripturario,
Joao Bernardo Diniz Pessoa.
Manoel Caldas Brrelo.
Luiz Jeronymo Ignacio dos Santos.
Dr. Antonio Vicente do Naclmento Felloso Jnior.
Dr. Americo Neto de Mendonga,
Angelo Custodio dos Santos.
Dr. Thom Fernandes de Castro Madeira.
Ulysses Pernambucano de Mello.
Freguezia de S. Jos.
Jos Alfredo de Carvalho.
Jos Antonio Pinto,
Freguezia da Boa-Vista.
Domingos Antunes Villaca.
Affonso do Reg Barros.
Francisco Sergio de Mallos.
Dr. Aprigio Jusliniano da Silva Guimaraes.
Vicente Antonio do Espirito Sanio.
Conselheiro Pedro Aulran da Malla e Albuquer-
que.
Dr. Amaro Joaquim da Fonseca Albuquerque.
Pedro de Alcntara dos Guimaraes Pelxoto.
Manoel Antonio Gongalves.
Dr. Jos Eustaquio Ferreira Jacobina,
nr. Francisco Ferreira Martins Ribeiro.
Dr. Gervasio Pires Rodrigues Campello.
Luiz de Moraes Gomes Ferreira.
Alexandre Americo de Caldas Brando.
Freguezia do Pugo.
Jos Ccsario de Mello.
Freguezia da Varzea.
Visconde de Camaragibe.
Jos Antonio de Brito Bistos.
Dr. Francisco do Reg Barros de Lacerda.
Freguezia de Munbeca.
Jos Caetano de Albuquerque.
Antonio de S e Albuquerque.
Manoel Nunes Correia.
Miguel Nunes Correia.
Dr. Manoel do Reg Barros de Sooza Leio.
Mariano de S e Albuquerque.
Freguezia de Jateatao.
Jos de Souza Leo.
Antonio Francisco Paes de Mello Brrelo.
Jos Maximino Pereira Vianna,
Freguezia de S. Lourcngo.
Manoel Cavalcanti de Albuquerque Lins.
A todos os quaes e a rada um de per si, bem
como a lodos os interessados em geral, se convida
para comparecerem no primeiro andar da casa que
foi eadeia, na sala do jury, lanto no referido dia e
hora, como nos demais das seguintes, emquanto
durar a sessao, sob as penas da lei se faltaren).
E para que chegue a noticia a todos, mande!
passar o presente edital, qne ser lido e afflxado
nos logares mais pblicos e publicado pela im-
prensa, e tambem remeltidos iguaes aos respecti-
vos subdelegados para publica los e mandaren)
fazer as notiBcages necessarias aos jurados, aos
culpados e as testemunhas que se acharen) em
sens districtos.
Cidade do Rpcife Io de junho de 1865.
Eu Joaquim Ferreira de Paula Este Ves Clemen-
te, escrivio do jury o subscrevi.
Francisco de Araujo Barros.
O Illm. Sr. inspector da thesouraria provin-
cial, em cumprimento da ordem do Exm. Sr. pre-
sidente da prpvincia de 22 do corrente, manda fa-
zer publico, que no dia 22 de junho preximo vin-
douro, perante a junta da fazenda da mesma the-
souraria, vai novamente a praga para ser arrema-
tada a quem por menos fizer a obra da concluso-
da casa da cmara e eadeia da villa do Bonito,
avahada em 8:3090.
A arrematago ser feita na forma da lei pro-
vincial n. 343 de 15 de maio de 1854, e sob as
clausulas especiaes publicadas anteriormente.
E pra constar se mandn publicar o presente
pelo jornal.
Secretaria da thesouraria provincial de Pernam-
buco 24 de maio de 1865.O secretario,
A. F. d'Annunciaco.
O Dr. Tristao de Alencar Araripe, offlcal da im--
perial ordem da Rosa, e jniz de dlreilo especial
do commercio, desta cidade do Recife de Per-
nambuco, por Sua Mairestade Imperial e Cons-
titucional o Sr. O. Pedro II, a quem Dos guar-
de etc.
Fago saber aos que o presente edital virem e
d'elle noticia tiverem, que no dia 26 de junho do
corrente anno se ha de arrematar por venda a
quem mais der em praga publica d'este juizo o se-
guinte:
Um sobrado de dois andares, sito na ra do
Crespo, com o numero sete, tendo a frente para a
ra do Imperador e oitio para a ra do Crespo,
com varanda de ferro em ambos os lados, e um
solio cora janellas para a ra do Imperador, e a
i


/

i ILEGIVEP




rus do Crespo, cora salas a quartos avetado por
vate e cinco cootos de res.
0 qual fura penhorado. por execoeio d*.-Joao
Frederieo Jorge Kladto contra Mgntf Jos Bar-
bosa Guinanie
E nao haveudo lancador qua. cubas o poeeo da
avaliagSo, a arrematago ser feln pelo prego da
adjudicago na forma da lei.
E para que chesu aacoaheetmento da ludo*
roandei passaxo pre.-enle que ser punluado pela
imprensa, e afiliado nos lugares dn.co>Uiuu. Re-
cife, l.-de junho de 1865.
Eu Manoel Mari Rodrigues do Nascimeoto, es
criTo, o subscrevi.
TrtSa de Alencar Ararif*.
0 Dr. Tristo de Alenear Araripe, oficial da im
perial ordom da Rosa, e juiz de direilo especial
do commercio desla cidade do Recife, por S. M.
Imperial, etc.
Fago saber aos que o presenlendital vlrem, e
delle noticia tiverom, que no da 26 de junho do
corrente armo, depois da audiencia, se ta de arre-
malar por venda, a quem mais dr, e segrala :
1 casa terrea na travessa do Tambi, n. 18, com-
porta e janella na frente, duas salas, dous quartos,
cezinha fra, quintal murad cacimba meaira e
entulhada, a vista do estado a va liada era 1:0005000.
A qual fra penhorada por execugao de Joo da
Cunlia Neves, contra Miguel Jos Barboza Guima-
riies. E nao havendo lanzador que cubra o prego
da avaliagiio, a arretnalagao ser taita pelo prego
da adjudicacao, na forma da lei.
E para que chegue ao conheaimento de todos,
mandei passar o presente que ser publicado pela
imprenta, e afllsado no lugar do cosiume.
Recife, 30 de-maio de 1868. Eu Manoel Mara
Rodrigues do Naseiraento, escrlvao, e subscrevi.
Trislo de Aleacar Araripe.
O Illm. Sr. inspecionda thesouraria provin-
cial, por deliberado da junta da fazenda, manda
razer publieo, que se ama encorporado aos pro-
iri s provincia** fabril** do Moaleiro de retinar
.issucar, por exaeujg qua promovea contra Jos
GoUherma Citnaraes, e que essa encorporago
liiivu lugar pola, quanlia de 8:1462I9.
E porque o estabeleeimento fabril de que se tra-
ta seja de Brande importancia para a provincia, e
convenha mante-lo, urna vez que bem montado
cono est prvido de todos os apparelhos neees-
sarios, seja dirigido por quem tenha conbecimenlos
pr ilissioiaas, e possa dispor de capilaes relativa-'
mente abundantes, manda couvidar pelo presente j
dual aos que se sedara om taes circunstancias a '
comparecern] na mesma thesourr.ria, aonde se
Ibes dar a faculdade de visitar o referido eslabe-,
(aciment, atim de que bem informados possam
a presentar suas pruposlas com declaragao dos!
meios que lera para manijo da dita fabrica. O que
premunido, e estabelecido por tal meio a igualdade |
de meios em diversos propoDenles se abrir entre
estes a concurrencia linal sobre o prego e mais i
coudjgoes da sua venda, com a declaraoo, porm.!
de. que. taes proposlas nao sao definitivas, (loando j
ao arbitrio do Kxm. Sr. prasideate da provincia
aceita-las on nao, se no seu cnteniler nao olere-
<-am os concurrentes meios que garantan) e seg-
relo a oonliuuago de urna iudnslria que a todos
os respeitos mui vaniajosa provincia, lendo-se
mais em attencao a animaeao delta, do quo o maior
ou menor prego que possa*ser alcangado, com tan-
to que He salde a divida da fazenda.
A fabrica do Monteiro s tem deixado de medrar
pelas circunstancias pecuniarias de seus possui-
dures, e isto que se pretende evitar, adjudican-
da i com atlenco para estacircurastancia, a quem
m-llior prego ofTereca.
li- um valor muilo subido em seu primitivo as-
sontamenlo, com apparelhos os maisaperfeigoados,
e lodos de grande preo, a fabrica acha-se hoja por,
seu valor mnimo, e tal que nao pode deixar de
i!' ; vantajososresultados a quera.emprehender dia-'
ri cuente, e com ampios meios de eaecuoao o seu '
manejo, e a junta s levada do desejo d nao ser!
d -truida esta industria, que prefere vender a fa-'
brlca com as condigoas expostas, a retalha-la, apa-
zar de s-r a venda, nesta ultima especie, (a que re-
correr, se nao forem preeacbidas as suas vistas),
muilo mais vaniajosa para a fazenda, segundo o
pnnar dos que eonheeem o valor da maclnaa, cal- i
deiras e outros apparelhos de que ella e compoe.
A junta recebe igualmente quaesquer outras pro-1
postas, sern as condigoas arima, ou com difieren-'
tes. 1> i-se para apreseutagio das propostas o pra-,
) de 13 dias.
Secretaria da thesonraria provincial de Pernam
buco 2t> de maiude 1863.O secretario,
A. 1". d'Annuuciago.
***** mrmmihito tt ti&.
OKKvMo prtfiueiaJ*
Pela mesado consolada prorncial se faz publico
goena trila diasuteismarcados para a cobranca
a fefcwa-d cofre do* imposto da dcima dos pre*
ow**nnosile'90|0 do consom-de agurdente,
e dn^rfrsebre- os- baws de rait pwtracentes
corpnraciS*dn mo mortn, se principiam, a contar
do dia i de junho vindonro, flcando sujeltos a
nwtta decretada no arl. 50 do srcamento vigente,
toasn qapagar9ndepoi9dn>flndos' os ditos 30
dlMr
Me^adaonsulan.peovincialdAerMmlMiooig
de maiode.1863.
Antonio (Jarnerro Macnndo Rios
^^^^ Administrador.
No dia 2 de junho prximo Onda a audien '
uasic.
.... ...^.^ ^ ^
Para a Ba-ltia
pretenA snhir com mura brevidde aveleir ti'
cuna Ehta por tori znalar parte da cargare para
o resto que Ibes falla.trataba con o consigoncario
Joaquun-Joj Gongalvas Bellr'0**aa-da Vigario
n. 10, primeito andar.
"'-. i' .
- '
LEU OES.
cia doSr. Dr. juiz municipal da 4" vara, ir a pra-
ga por venda uraacasa.com nm sitio no lugar do
Uarro Verrasilu), pela avaliavo de 300J, a reque-
rimento de Derunno. Domingues dos Santos,.inven-
tanantedos bens deixadosporAntiio da Costa, sen-
do o terrona foreiro. Esnrlvao Cnnha.
Gonvida-se as pessoas que estiverem as con-
digoas do servir*mular, a eDRjarem-sa- no orpo
da polica, e-gocarem da vantagens que offarece
a lei provincial a. 61l.de 2 do.corrani.
Aos 10,0005000 e 2,000*000.
Quarta-feira.7 dejonho^o contento a-
do, se extrshrrtpe'o n#*#-mlaiwelMNif h*
blicado, a 5a parte da 4* lotera (18a) a
beneeio 44 Sato- Casa dei MfcrwtrrJi,
para canalisaco d'agua e garz no hospital
i'Pitooftii so eonsrsterir> d* igFfjrde Nos*
Leilao ik oma laJiorua iw Giqui ettilioTa do Rosariodrfregtrezia de Santo-
; dMivcasa* lerreastdtlaipacmchosoA^-tt--
foreiros a beir-dfl estrada. 0s b,|hetes,meos e quartos estao a ven-
C&rdelro simes danarespecttwMiesoirafra nantioCres-
fara leilao por conta e ordem do liquidamrio da. P0"- *5* _______:l_.
casa coraiercial de Antonio Joaquim de Mello,! O&praoUO&da 10:000^000 at201000
dos ganaros, armago e t-tencilies da tahern.acif serpagDft'UBBa^ortvttopeis. da.extaccao
ma dita avahada pouco mais ou menos em 6005, atrVis hnrn* A taf cujobalangoest em poder do referido agente a J, J.* EJ J'6 9 0Otm depe,S
exame ;asslm esmonesta mesma-ocessiao etpora L"^d<
a*
a.
0 capjtfKliv I tyrftrip &$ Castra
Arauja.
O ab*M^ aSSl-iMslt'-. *'>nimjiQjbn, da compa-
Aluga-se tima casa com i salas, 3 quartos na-.
des, cozlnha fra, cacimba, quintal murado, a por-1 O abfA WfMf>, e'm^K
tablado para onde tem m terreno pertnrente inb da **^&}ifc23^!2ll
a-rrm!.ma,naS^dla,nmfi:ndarua da Conquis- cont/A* era acu *.'l-w". 'd J, ""fn'J nnM
-t } a inrtnr nt^irmUWfo Hovo n. 83, ou na ra da achara (JMt.leirM awJ. fZ.il^^tT
(.adeia do flocife n. 3. Aluga-se tambera o lercei- de Lastro Arauju : urna de b*. J^b ?k^
ro andar da casa da.rua Direita b. 36, com muilo. a ootra da SO e lautos m fls, > J.
rommudospara grande familia : a tratar na ra,de 1866.
daCadeiado Rectoin. 3. ___________! Ja-aa^eMmnnicw ao aueftanf a p&. 9- s
Pedimos ao lm. Sr. Tiiom
_ Perette, digno le,w*V e P"*r isso de nada po-iant ^ater sanad o^.
provedor da. confraria do B.J. da Via^acra da Sao- f'1-* asignado, qoa aioda por ate occa.-ratf, ^-v
la Cruz, que por amor da mesma confraria proca v*!,'> W ***.preste*, a maMliar-p:** gnerra) **-
da a elaicSo, que por mais do tres annos nao se peae a ^""J'Cao das m*smas letras, nartam de
faz, nao sabemos qual, o motivo, se 8. S. se tema- serera eR*tr4das, pelo qne ricar- eiasnauycMe
de nao sabir reeleito nw asseauramos que era-.KralV. lrf- ,,
qnanio S. S. existir a aceitar ser sernnre o prove- i n .-, caP]&,2'_'f"t, PrlrJ rf! &"'"* franja.
dor da Santa Cruz, que grandes beneficios tem fai- i
to a essa confraria i
Recife, 31 dw maiode 1863.
em leilo as duas casas da taipa.edioada abena AS (incominenuas s rao guardadas so-
ment at a nuie da vespera daestraceo
comodecostunre.
Pela thesonraria provincial se faz- publico,
que a arrematado da pintura da ponte pensil do
Cachang, foi transferida para o dia 8 de junho
prximo vindonro.
Secretaria da theaeuraria provincial de Pernam-
buco 24 de maio de 1863.O secretario
__________________A. F. d'Annunciagao.
Pela thesouraria provincial safa* publico,
que a arrematagao das pinturas das pontes de Una,
Jaboato, Serafim Pintos, Morenos, Bento Veltio e
Tapacur, foi transferida para o dia 8 de junho
prximo vindonro.
Secretaria da thesonraria provincial de Pernam-
buco 24 de maio de 1863.-0 secretario,
A. F. d'Annunciagao.
da estrada do Giquia, isto
-.^-.M3J
s 11 horas a porta do arraazem do Sr. Annes lar-
_______gonkaaJfwega.
LEII2TJ
De ama paieai da niela! e cabo vclho.
Eiaum s lote.
PLANO
Pbm as parte*
Correio
Pala adminisiracio do correio desla cidade se
faz publico para fins convenientes, que em virtude
do disposto no art. 138 do regulamento geral dos
crrelos de 21 de dezembro di 1844. e art. 9 do
decreto n. 183 de 13 de maio de 1831, se proce-
der o consumo das cartas existentes na adminis-
tragao pertencentes ao mez de maio de 1864, no
dia 5 de junho prximo, as H horas da manhaa,
na porta do mesmo correio e a respectiva, lista
se acha desde j exposta ao* interessados.
AdministragSo do correio de Pernambueo 23 de
maio da 1863.- O administrador,
Dominges dos Passos Miranda.
TAI
:.^>u---^. -:3
Cai\a da amorlisaco
Pela caixa da amortisagao se faz publico, que
continuase a proceder a snblitnico das noias de
20!-j di 2* 31 estampas, de 1005 d* 3a eslampa,
e ->-j da 4" estampa, por outras de 1-3 o 2>, con-
forme se tem por vezas annunciado, e previne, se
aos respectivos possuidores que as olas de 2005
jii tem descont desde o dia Io do rorreute era
dlaata, na razio progressiva de 10 0,0 em cada
ni/, fegaode tambera j foi anauncia-Io, nao acon-
tu-on 1 o rai-ino com as de 1004 e 53, por nao
tr si lo anda marrado praso, findo o qual come-
ra ao a ser descontadas, praso que sera opportu-
auente declarado pala imprnusa com a necessa-
ria iiii'cedi'iicia, na forma do eslylo.
Caixa da amorlisago 2 de maio de 1863.
O inspector geral
Luiz Pedreir de Gouto Ferraz.
ConformeHenrique Alfonso Izorif.
O guarda livros
___________Ignacio Xunes Correia.
CoHsallia de compras navaes.
Contrata o conselho no da 3 de junho prxima-
mente vindonro sol) as c.ondigoes do eslylo o for-
neiimeuto de vivares, dietas e outros objectos de
consumo para os navios da armada e estabeleci-
nient >s de mariuba no tremestre de julho a setetn-
li; do correte anuo.
Sao objectos do furnecimento os seguintes : ar-
roz do Marauhao, assucar branco grosso, aguar-
de te de 20 graos, azaile doce de Lisboa, azeite
ni ii ir, assucar branco refioado, aletria, araruta,
baralho, bolacha, bo'achiulia americana, caf em
gr.io, carnauba em velas, cevadinha, cha, carne
verde, carne seca do Rio Grande do Sul, feijo,
fai inba de mandioca, da trra, gallinhas, lenha,
mmieiga ingleza, dita fraoceza, mate, pao, sabio,
sal, toucinho de Lisboa, tapioca, lijlo de alvenaria
gr.issa, vinagre de Lisboa, velas stearinas a vinho
de l.i-boa.
Tambem o conselho sobas ditas condicg5es pro-
nvi-eno mencionodo dia o do correte mez a com-
pra dos seguintes objectos do material da armada :
a bandeijas ferradas, 10 arrobas de estopa da al-
gol-j, 100 covados de lUele azul, 100 ditos de di-
to encarnado, 420 toneladas inglczas de ferro bru-
to. 4 arrobas de mialhar para gaxetas, 16 taboas
de cedro de urna pjllegada de grossura, 24 ditas
de tres quartos de- pollegada e 50 I ames.
KiTectua o conselho o contrato do fornecimento
e pr.imove a compra dos objectos a vista de pro-
povt< em carias fechadas recebidas ou entregues
no referido dia 5 a corrate mez at as 10 horas
Sala do conselho d compras nasaas 31 de maio
de 1863.
O aecretario,
Alexandce Rodrigues dos Anjos.
administrador internas geraes faz publico que em virtude da al-
ter.cao 3- do decreto 2719 de 31dn dezembro de
1^)0, feita as instrucgdes que baixaram com o de-
creto -2354 de 16 de fverefro de 1839 o que regu-
lama li'iuidacao e cobraga da divida activa, s
ser permittido aos recebedores promoverem a
cobnnea no domicilio dos contribuinies dos ra-
pnos 4# 20fl|6 sobre tejan, casas de conMgnago,
etc., de dito especial sobre casade-mo*ei*, roapa
etc., fabricado em pai* estungeJn e decima ad-
di'iHial de mio-raoria. relativos ao 1 semestre do
exercicio correte de, i884-65,al o finido crran-
te me/. dj junlio, depois do que sero recolhidos
todos o< conhesimenlos ijae ewstera em poder dos
mesmos rene be-teres para se preceder a liqurd^go
e c-ibranea judicial do qne esiivcr em divida, prin- j
c piarali pnk) bara de Saniu Antonio, cu jo dsbito
e ev.esao.
Riccbedorinda PerBarabueo \ aV obo d*48i
Manoel Carneiro de Sjuaa Lacerda.
I'li cubdeteenria 'I"*' A^"'""n d Curato
da ;.' .u Olind*e faz abe*-** apn#nhaado
no li 30 da- maz damam do crrante arma, em
pod'-r .1 >. Vunlion-Jos de 8oua 318*009, o qual
di/, ler aehado ao enirar da*.mU -o> HatBn|>H
em sejuime^dftgnarass p*ra Goianna, cuja
qumtij se acha envmspMKo : quem Jorseu dono,
pruv.uiij, Ihosera entregue. O subdelegado
Msnoel Deonlzto Gomes do Reg o.
EMPREZA-JOIMBRA
Sabbado 3 de junho de 1865.
EM BENEFICIO DE
Joaqini Bess#H de Almeida.
Represautarse-ba o magnifico drama em 5
actos doEsm. Sr. conselheirn J. S. Mendes Leal
Jnior
PEDRO
PERSONAGENS. ACTORES
0 conde de S. Thiairo........... Coimbra.
D. Francisco de Alhayde......... Porto.
Jos Augusto-----............... Guimares.
D. Jeronymo de Millo.......... Lisboa.
D. Jos de Albuquerque.......... Borge?.
Manoel Maria. .L........... Pinto.
Pedro..........L.............. Amoedo.
Domingos..................... Teixeira.
D. Maria de Rezedle............. D. Eugenia.
D.Joanna....................... D. Camilla.
I). Eugenia..................... Leopoldina
Thereza..................1___ l). Jesuina.
Convidados, criados, etc., etc.
Dar fim ao espectculo a graciosa comedia em
1 acto
A nmlher deve acompanhar
seu marido.
' Principiar s 8 horas.
O BENEFICIADO AU PUBLICO
Achando-me no meu leilo de dr, e quem sabe,
talvez de morte e sem recursos, deparou-me ^
Providencia urna alma bemfazeja o Sr. Antonio
Jos Duarte Coimbra, que, attendendo as minhas
tristes circunstancias, generosamente conceden-
me um henelicio no tnealro da que emprezario.
A esta offerta de um* alma tao nobre e elevada,
desde ja me confesso eternamente agradecido.
Porm nao baaar de certo o cavalheirismo e
gentileza do digno emprezario ; preciso tambem
que os rreus comprovincianos concorram nesta
da com o seu bolo para soccorrer o pobre en-
fermo, baldo de meios, na sna hora extrema. E'
pois para elles que appello, para osmeus compro-
vincianos sempre promptos a soccorrer com a sua
valiosa cuadjuvagao.
De mascaras e sem ellas : nos sal5es do caes
do Ramos, sabbado 3 e domingo.4, vespera do Di-
vino Espirito Santo. Ser cumprido o regulamen-
to do Illm. Sr. Dr. chele depolicia.
Para
Est carga o brigue escuna nacional Graciosa,
capito Jaciulho Annes da Costa, consignatario
Antonio de Almeida Gomes, ra da Cruz n. 23,
priraeiro andar.
COMPANiUA PERNAMBUCA.N'A
DE
HaYega$S costeira por vapor.
Acarac e Granja.
O vapor Parahyb, segu para
os dous portos indicados no dia
2 de junho as 4 horas da tarde.
Recebe carga at o dia i, encom-
_____mendas, passageiros e dinheiro
a frete at as 2 toras da tarde do dia da sabida.:
escriptorlo no Forte do Mallos n. 1. ________
Para o Rio de Janeiro.
Pretende seguir com muita brevidade o palba-
bote Ptedade, tem parte do seu carregamento a
bordo, para o resto que Ihe falta e escrayos a fre-
te para os quaes tem excellentes commodos, tra-
ta-se com os seus consignatarios Antonio Luir de
Oliveira Azevedo & C, no seu escriptono ra da
Crnt n. 1.______________________________,
Cear e^ffiarauhfto
Segu cora brevidade o hiate nacional Lindo Pa-
quete, capio Joo Jos dos Qoeijos Jnior : para
atjraA.MV<'ue anda peda adroeltir, tratarse
com Antonio de Almeida Gomes, ra da Cruz n.
23, escritorio.________________________
CGMPANtll v PEHNAMBCANA:
M
Wavcsa?5o costelra pr rapr.
Parahyba, Natal, Maco, Aracaty,
Cear e Aacrac.
Segu o vapor Persinunga,
commandante Ratee, no dia 7 de
junho prximo. Recebe carga
ala^t.0t eocommsndas, pas-
'sageifos e (ltnl!lro a frete at o
du da *nda as 8 hora* da tarde : esertpiorto no
Parte do-WKtosji.J. ___________
Rro e Jaaclr
Sent em poneos dias o patacho nacional Dha
lia -para o resto da carga quo Iba aHa trala-sn
na ra do Trapiche n. 4.
s 11 horas-ocnlo Apollo armazera do Exm.
baraodo Livramento.
OLYMPIO
por. ordem de A. S Jacobsem capio do.briyue
escuna hamburguez Hamburg Packeti, arribado
nesta porto com agua a berta, vender era, leilao
no dia, hora e lugar cima urna porgo de metal e I
cabo veIbo por couta e. risco da quam pertencer i
em presenga dolllm. Sr. cnsul interino de Ham-
burgo com autorisagao do illm. Sr. inspector da
alaudt-.ga.
pela Exm-. Sr. presi ienlc.
3000 bilhetes a 105000............30:0005000
Bencio, sello e comraissao 24 0|0.. 7:2005000
Liquido......22:8005000
1 Premio de........
1 Ditn-do..........
1 Dito de...........
1 Dito de..........
6 Ditos de iOWOOO1
12 Ditos de
24 Ditos de
405000
203000
105000
10:0005000
2:0003000
8003000
4005000
6003000
4805000
4805000
80405000
--------------22^003000
jisos Dimsos.
Irmandade do Divine Espirito Santo
erecta no convento de S. Antonio
dcsta cMade-.
Por ordem da mesa regadera convido a todos
os nossos irtrtios para corapnreceram era*n nosso
consistorio, na domingo 4 ila-juoiio proxkno futu-
ro pelas 3 M horas da tardp. para que depois de
fioda' a nosaa faU,eoc>riorar^nvw am-daeom-
panharmos a pouwsA do Divino E*n*riln SiOt umo tem de sabir da igreia do Collegin. Cjusis-
torio 31 de maio de 1803..
Joo W*fi%*)-deM(teirf, -
Sseresann.
D. Henriqueta Elyzla Banks d Mwana ara-.
ba de propor contra Francisco. Jos de Campos!
Pamplona e sua mnlher, no teo municipal da I
Thesouraria das loteras 11 de maio da 1865-
0 thesoureiro,
A n i' mi u Jos Rodrigues de Souza.
Domingo 4 do corrate
havenl reunio de familias;
I Jo- Joaquim da Silva, Joo da Silva Fer-
reir, Luiz da Silva Ferrelra, Joaquim Jos
da Silva, tendo de celebrar una missa no
convento de Nossa Senhora do Carmo no
dia 3 do corrente as 7 1|2 horas da manhaa,
por alma de sen milito presado irmo Anto-
nio da Silva Ferraira. rogam ans seu ami-
gos e aos do finido a assisliram a tao reli-
gioso acto, pelo que serao eternamente gra-
tos.
ViaSS5^SSg---vSSaa illiyilWWi mi-M
Leilao de escravos e divida*. :j^Dits"
Cordelro imes I 8so Premio?,
por contave ordem no liqnidatMio- da casa- com- 2130 Brancos.
marcial de Antonio Joaquim de Mello, vender' em I____
leilao os escravos seguintes : Antonia, crionla,. de 3000 Bilhetes.
3 annos de idade ; Jos, de nacao, idade 30 an-' N. B. Os premios maiores de 4003000 estao su-
nos ; Luiz, de nago, idade 30 anuos, assim como ^i^ ?., dflr;ounto da Iri provincial, c os-nuuoras
as dividas activas na importancia de 18:1325874 de 1:0003000 ao da lei gera"
rs. em letras o conlas de livros, e outro debito dos
herdeiros de Jo< Fernandas da Cruz na imnor-
tan.-ia de 1:6433 a ratafia de referidas diviiias
se achara em poder do mesmo agente a exameide
quem pretender, cojo leilao sera' effectuado
BMHBi
as 11 horas a porta do armazem do Sr. Annes lar-
go da alfandega.
Leilao de 3 i acedes da (oinpa-
nhia PernainlMicaaa.
cso^i
O agente Pinto fara' leilao por cjnta e risco.de
quem pertencer de 25 acedes da Companhia Per-
nambucana, as II horas "do dia cima dito a por-
ta da Associacao Goramercial.
Leilao de 4 saccas coiu cr va doce.
HOJE.
O agente Pestaa far leilao por eonta e risco
de quem pertencer de 4 saceos com erva-loce em
lotes a vontada : hoja pelas 10 horas da n-anliaa
no armazem do Annes.
Ixilwt
De um oratorio de Jacaranda, 2 guardas
roupa do piulio e loai 2 coitmiodas de
amarello, 1 mesa reond?, 5 cadeiras de
amare!lo, 4 toucador de Jacaranda, 1 mesa
de amarello, 42 quadros, 2 pares de lan-
ternas e 1 globo, I marqueza, l mesa para
jantar, 1 bah de amarello, i carleira e
mocho, 1 berco, 2 armarios de amarello, 1
cama de ferro, 1 mesa pequea e. lavatorio.
(.OllDEIRO SIMOE3
a requ^rimento de Joaquim Fraucico Silva J-
nior e mandado do Illm. Sr. Dr juiz especial do
commercio, far leilao dos movis cima descrip-
to, os quaes foram arestados ao fallecido Joo
Antonio Soare Vivas e exist-.nles no predio da
ra do Brum n. 35, aonde ser eifectnadoo leilao.
Scitarfeira 3 do coi rente
as 10 I 2 horas.
Leilao da loja de miudezas da ra do
Queim kIo i. ID.
Martins far leilao a requerimento dos curados
res scaes da massa fallida de Antonio da Silva
Ferreira Santos, e por mandado do Illm. Sr. Dr.
juiz especial do commercio, da armacao e fazendas
existentes na loja da ra do Queimado n. 16, per-
tencentes a mesma massa.
Segnnda-feira 3 do crrante.
O leilao ter lugar na mesma loja, s 1 i horas
em ponto.
L- il ao de ni a t a he. na e dividas.
A ra do Brum n. 3.
COHDEIRO SMdK
far leilao a requerimento. de Joaquim Francisco
da Silva Jnior e por despaeho do Illm. Sr. Dr. juiz
especial do commercio, dos peneros, armagao c
utensilios da taberna cima,dita, em um ou mais
lotes a vontade dos concurrentes ; como tambem
as dividas activas na importancia de 5725840 ; cu-
jos bens foram arestados ao fallecido Joo Antonio
Soares Vivas.
Terga-fcira 6 do corrale, s 10 horas, na mes-
ma taberna.______________________________
Leilao de om deposito e dividas
A' ra do Pilar n. 78, em Fnra de Portas.
CORDEIRO SIMOES
A requerimento de Joaquim Francisco da Silva
Jnior e mandado do Illm. Sr. Dr. jniz especial do
commercio, far leilao dos. paneros armacao-
utensilios do deposito cima dito, o qual foi arela-
do ao fallecido Joo Antonio Soares Vivas assim
como as dividas do mesmo na importancia de
6365120.
Terga-fi-ira 6 do crranle, s 11 horas, no mes-
mo deposito.
Leilao
Da parte de urna casa na Parabiba a ra das
Convertidas n. 15, em qu- existe um es-
tabelecimenlo. avaliado lodo predio em
2:('00i>, e cuja parte em 7070303 rs.,
como taubtin os alugoeis de cerca de 2
a 3 annos
Terca-feira 20 de junho as 11 horas.
Cordelro Aludes
authorisado pelo liquidatario da casa commencial
de Antonio Joaquim da Mello, fara leilao da parlo
e alugueis do predio cima descripto) podeodo des-
de j safisfazer aos preten lentes lodo eselareci-
mento, cujo leilao ser enVetirad-) no dia e nana
cima dito a porta de armazem do Sr. Annes lar-
go da alfandega.
nossa justa reclamaco.
esperar* ser ouvidos da VeTieTjrvel oi**em terceira de S. Prau-
Algun irmaos.
cisco do Recife.
Aluga-se um* escrava propria para o sarvi-' secretario da mssin, abalxo assiraado, de or-
go interno da-uma casa, porqu compra, coainha em,da. 'ne^a regedor, e a convite da irmandades
e ensabna ; a tratar no escriptorio da tyuorrafbia g piviBWpirtt-) Saato, erectas no cenvento de
da Ordem, ra da Prnia n. 35. is- rranchwoe (.ollegio, ropa a lo-las os s*tis cha-
nssMitfs irmj8.aoo>preoereiH hbitos em nossa ipMja, no domingo 4 d i crranle
mez, as 9 horas da manla, par* assistirmos a
festi da irmandade do concento, e a 2 horas da
tarde para acompanharmos a prucisso da do Col-
legio.
Secretaria Io de junho de WM>3.
Francisco Jos dos Pasm Guimaraes.
Aloga-se um rauleque de 18 a 20annos de
idade, para qualqoer servigo : na ra dos Marty-
rios n. 2.______________
SciedauVRerTOTti,a< Cfylwi
tina.
De ordem-do- Hlm. Sr, vice presidenU, servindo
de presidente, sao pelo presenta convidado todos
os senhores sueros para no dia 4 de junlio correte.
pelas tO huras- da manlifu, comparecer sala am!, casa ,erriia na rna dos praz,,re5 fy Boa-Vi*t*
da> stssoes da maaraar.lira de tratar-se do preen- { a pelo prego de I63mensaes : a tratar na ra
chmenlo dos lugares.vagos da respectiva diteccao. estrerta do Rosara n 28
Faustino Jos da Fouseca I------------------^-1----------------------
1" secretario. Ahm sa o l1* andar la ca-a n-. 7 da ra do
------n------------;------------r^-------i:------ Burgos : a tratar na Seaaala.Nova, reOnaco nu-
Roubaram da cas it. 48 na ra da Impera- m3ro 4.
triz, primeiro andar, f relogio de ouro, patente in- ."----------------____________
glez, com urna cadeia de cootas pretas, I binculo Irm:11K}a^ (]0 gg, $&&&*&-
Aluflt-st
1 chapeo de sol de 16 liaste*, de cor verde, 1 bo-
nete urnas lonetas, ao meio dia do ultimo do mez
prximo (indo.
Irmandade do Pas^o?.
Por ordem da mesa, regadora convido a todos os
nossos irnios a comparecer! domingo, 4 de ju
nho corrente, no consistorio da nossa irmandade,
na matriz do Gorpo Santo, alm de encorporados,
acompanhar a procissho do Espirito Santo-da igre-
ja do Collegio. Outro sim rogo a todos os nossos
irmaos que leem capas em sea. poder o favor de
manda-'as entregar ao Sr. thesoureiro para serem
distribuidas, ssndo que n:io possam comparecer.
O' esrrivo,
A. R. da Amfrade Luna.
Precisa se do urna ama para comprar, cozi-
nhar e engammar : na travessa da ra das Cru-
zes n. 14, segundo andar.
Joao Baplista Gomes Penna (fuerendo tratar
de sua sande gravemente alterada, tem resolvido
vender sen mui acreditado armazem de molhados
da ra do Imperador n. 46: a quem inlere-sar,
dinja-se ao mesmo eslabeleniraenio a qualque:
hora do dia.
Quam julgsr-sa cred.ir do abai-io assignado*,
queira apresentarsuas c.ontis no pra-o de 15 das.
Joao Raptista Gomes Penna.
Joao Baplista Gomes Penna roea a seus deve-
dores que vnham liquidar seus debito* na praso
de 15 dias; se nao satislUf.rem forcam-o a entre-
gar ao seu procurador para receber judicial ou
amigavelmenle.
Hedimos
O caixa desta companhia commendador
Tboooaz de equino Fonseca achase autori-
sado a pagar no seu escripiorio rita do V-
{4rio n. 10, das 10 horas as 3 da lar le do
dia 2 do corrente em diante o 3i dividen-
do desla companhia na proporcao de 3l
por c ida apolice, previne-se aos Srs. accio-
11 stas que este pagamento deve ser emmoes
da de cobre que na especie que o mesmo
Sr, caixa tem recebido dos arrematantes dos
chafarizes desla companhia.
Escripiorio da Companhia doBeberibe Io
de junho de 1865.
0 s cretario,
Jos Eustaquio terreira Jacobina.! SJ
Ha para alugjir-se. um bom moleque de 14
annos : na ra do Livramento n. 19.
to na matriz da
Boa-Vistt
Em notae da mesa regedora convido a todo^cs
irmaos para que se digiiem comparecer no domin-
go 4 de junho, pelas 10 horas dainnnhS.i, no con-
sistorio desta igreja mariz, adra de que reunidos
em mesa geral, depois de assistirem a missa votiva
do Divino Espirito Santo, precedan) a eleigao do
juiz, escrivo, thesoureiro, procuradore.se mesa-
ros que tem de fnnerionarem no auno do 1865 a
1866, de cnoform-idade com o que dspo": os arts.
1, 2, 3, 4, o e 5 do captulo substitutivo ao Cap.
Io do enmpromiaso-qim rere asta irmandade.
Consistorio da. i-nnandade do SS. Sarramonto da
matriz da Boa-Vista ;il da maio de 1863.
O escrivsiv.
Manoel Z'ferino Dias Brrelo.
Veaeravel ordn terceira de Nassa Senhora do
Carp.
Por deliberago da mesa regedora convido a to-
dos os charisimos irmaos a comparecern) em
nossa ordem, paramentados com :-eus hahilos, as
3 horas da larde do dia 4 de junho, para eororpo-
rados, ac^mpanharem a proci>>j do Divino E.-pi-
rito Svnlo doGollegia.
Secretaria da venerare! ordem tercena do Car-
mo 31 de maio de 1865.-0 secretario,
Jeronvmo Emiliano de Miranda Castr.
D se 2 3.008 a 1 0,0 sobre hypolheca
aqui na cidade : quem qnizer annuucie.
ao emprezario do nosso Sonta ha- prHet#a-se de urna ama qne saiba eoznliar e
que leve scena, para o benefir-io das obras engomm,ir ,,ar!l servir a u-ru. moensolteiro em
bel
em Santa Rila, o milito applaudido drama Andr
Gerard.
Roga-se aos Srs. Manoel Custodio Peixoto
1 Braga e Bricimo Antonio da Cruz Soares, que te- !
iiliam a hondade de declarar por esla jornal o'
lugar de suas residencias, atim da entregarse
duas cartas viadas do sul, o qu> da alguma sorte 1
Ibes intere.ssam.
O abaixo assignado avisa a todos aquellos ;
que eslo devondo a loja que foi de Jos Sampaio '
(]oelho, que caso nao queiram pissar peo) dissabor
de verem seus Domes neste Diarios irem sujeitar- :
se ao rigor das penas que a lei Ihe faculta, hajam
de quanto antes salisfazer seus dbitos na men-
cionada loja, visto que s o abaixo assignado 6 o!
nico autonsado a receba-tos, e para que ninguem '
se chame a ignorancia, faz o presente. Recife, 31
de maio de 1865.
H. A. Barreiros Rangel.
mwmMmmmmmmwwm
M O Dr Carolno Fraucisco de LimaSan-
^H tos, contina a residir na ra do Impera-
B dor n. 17, segundo andar, onde pode ser JgR I
procurado a qaalquer hora do dia e da a' i
noite para o exercicio de sua prulissode JE
medico ; sendo que os chamados depois
de meio dia at 4 horas da tarde devem
* ser deixados por escripto. O referido
P| Dr. nao abandonando nunca o estudo das
gj molestias do interior, prosegue, cora
gj o maior afflneo, no das mais dillfeeis e
iK delicadas operacoes, como sejam dos or-
gaos urinarios, dos ollios, partos etc.
sitio prximo da ci lado : a tratar na ra do
perador n. 22, Io andar.
um
Im-
Coziahclro.
Quem precisar de um bom connheiro, dirija se
a ra do Rosario n 37, das 6 as 4 da tarde.
ATTEHC10.
'25
Na rtn do Pilar n. 125 lava-sa e engomma-se
com perfeigo, por. proco commodo.
Precisa-se de. um bom coznheiro, prefere-so
captivo : na ra dCrespo n. 4.^____________
FKITOR."
Precisase de unrf'-itor que seja capaz, e dandi
boa* informagSes, sendo casado d-secasa propria.
na ra Nova n. 19, primeiro andar. -
IVA.
Precisa-se alugar urna escrava ou mesmo forra,
i que compre e cozinhe para casa de duas pessoas :
na ra de S. Francisco n.54.
m
%1IA
i
O abaixo assignado, summamentc penhorado
pelo amparo que actfin entre lodos os devotos da
Senhora da Coneeice da Escada, c.oncorrendo com
os seus e.-finsis e pessoas para o brilhantismo do
espectculo que fora concedido em favor das al-
alas para a mesma Senhora, em nomo della vem
agradecer a todos em geral pela prova que deram
de amor e zele a tiw-exeetea Senhora, e em parti-
cular s pessoas abaixo declaradas :
Os F.xms Srs. presidente-da provincia, comman
dante das armas e su* Exma. familia, e o Illm.
Sr. Dr. chee de polieia por haverem concorrido
com as suas prenseneas-na- notta do mesmo espec-
tculo, e as Exmas. srta, D.OtympiaLins Ribeiro,
juiza protectora, D. Hermin Adelaida Campos,
juiza protectora, D. Candida Lins Gongalves, mor-
doma, D. Rufina Dolores, mordoma, D. Agnida Se-
nhorinha Pereira por haverem ajudado a passar-se
os bilhetes, e Joaquina Baptista de Mello Ferrei-
ra, Senhorinha Emilia Jorge, e o mesmo aos Illms.
Srs. alferes Antonio Jos Ribeiro de Moraes, juiz
protector.Jos Antonio de Souza, escrivo Rullno
Luiz dn Reo Braga, mordamos Drs. Luiz Duarte e
Amerieo Netlo de Mendonea, Antonio Augusto de
Miranda Soiwef, Manoel fongalves Pereira, mor-
domo, Euslaqui 54aiwi-l (^arminondas a Lenidas
TitoL'urciro pelos^rauds esforgos queempre-
gavam afun de nua fossem bilhetes paasados, e
linaliueotaa todas as pes>.>a< que fcil e prompta-
im.'nte se dignaram aceitar os Dilhetoa que Ihes
era offereeidos.
Ella sabara recompensar s todos interceden lo a
su divino liHi > para que derrame as suas enchaa-
taade gragas om favor dessas pesoa6, que por
mais de urna vas tem. dado sobaja* prva* do
amor qne a ella dadiaam, em pieuM qua se coa-
fe&sara-eternamente f rato s mesmas.
Jos Firmino de Oliveira Regio.
0^ abaixo as*gnada summanieitto paafeorado
pelo relevante servigo qne e digno emprezario do
tnealro de Sania Isabel Sr. Coimbua, prestou.a
N. S. da ConceiaodaiE*ada,em nom dalla agra-
dece mesmo^enher o>ter Ihe concedido o bene-
ficio danoita de 2o do correle para as altaias da
capella qne se est edificando, alim de ser colloca-
d a mesma Sendera. Ea saber* recompensar
ao Sr. Coimbra a prova de devoeao quelite, triba-
tou, em quanto que seconfessar etTuamente gra-
to pela franqueza com que se mosirau para com o
abaixo assignado.
Jos Firmiao de Oliveira Regio.
Antonio Pedro de Souza
Soares
Ra Nova n. 28.
Acaba de receber eilfeites para senhoras milito
modernos, penies enfeitados.chaposinhos para bap-
tisados, sintoi e ouiros muitos objectos tendentes ao
sortimenl i do sua nova I..ja de miudezas, ferragans
e quinquilhanas, venda por commoos pregos.
Preci-a-.-e de um fetor que entenda de ser-
vigo de-jardinagem e pomar : a fallar com o te-
neute-corootl Tlumiz Jos da Silva
.-eo sitio na Ponte de Uchoa.
Teuio o noso distribuidor de Apipueos de-
e arado ler perdido os restbos dos senhores subs-
criptores, desse distrinto, que elle tinba para co-
brar, declaramos que licara elles sem vigor algum
a qua somante se pagara a quem apresenlar reci-
bo com a firma da casa por extenso.
i* imchzrel
Francisco An^ust dit Cenia
QMHW
Ra do Imperador nuuaero C9.
Precisa-se de urna ama para o servigo interno
e externo de casa pequea : na ra do Corredor
I do Bispo n. 22._____________________
Aluga-se urna sala do primeiro andar da ra
do Queimado 11. 41 : a tratar na mesma._
Precisa se de nina ama par c-.-sa de duas
pessoas para cozinhar : na ra da Penha 11. 23,
primeiro andar.__________________________
Aluga-se m Paaoajup da Magdulana-, ruadlo
Bemlica, os sobrados ns. 7 e ), c.-m bous ecmnio-
| dos para familia : tratase na ra do Trapiche
: numero 4._____________________________
Precisa-se do urna pecana qne teatro-.tioa le-
! tra e saiba escrever con correcgo : na ru da
Aurora n. 26.
Precisa-se de urna ama qne tenha bom leite
1 e sem lillw : na ra da Aurora n. 2o.
Precisa-se de oflWaas de sapalairo : na loja
i n. 12 da ra dos Quarteis.
Precisa-se fallur eom o Sr. Franctsco Luiz de
Paula Cavalcanti. morador no enfnnlM Anbumas,
Gusmo, em i a negocio que n.io ignora ; no armazem da estrel-
la, largo do l'araizo n. i4.
Gaiff
Precisa-se de urna ama forra ou captiva pa-
ra cosnoar e comprar para casa de rapaz soUgi.
ro : no larga do Carine, n. 9.
AM4
Precisa-se da uraa ama para comprar e ce-
sinhar em casa de hornera solleiro : na ra do
Queimado n. 30, loja.
vara dsla cidade, esrrivo Baptista, accao derel-l Aloga-se nm dos andares do sobrado
vtodicagSo do sitio da Maagabetra em Oindjk na ra do Rangel.
Desappareceu ha dias um cao de raga galga, cor
de chumbo, tPndn a punta da caula e lado direilo
do pescogo, desao,U a 0411, bfaneas : rogase a
quem o ti ver o especial favor de restituir, pelo que,
alem d afrad'-cimonto, se grafiftear : na rna do
Hospicio n. 36. ________^___^^_ '
iiNiiauu Jos Tai-ares relira-se com sua
f*nnU**a 'ilft'jfi a tratar de sua saudewdeixao>-
do o sen elabekcimilo.4 naarcmeiria n*nuda
Imperador n. 47 a cargo do socio gerente o Sr.
iuM*u*ffi da Costa Ranas, a po seas procaradwes
o* Sr. Dammffo* da Sika Caobos, Paulo Jjs
6hm*>a.Jas Ruftna Ciintaco da Suva.
^1
O Dr. Ck)smeds S Pereira conti-
na a residir na ra da Cruz n. 53,
Io e 2o andar, onde pode ser procu-
rado para, o exercieio de sua profi*-
sao medica, e com.espeeialidade
sobre e sflginte
Io molestias de olbos;
2o de peito :
- 3* do.oEafls geai-
ti urinarios.
Em a. cripkkj'u) os doeales se-
rao exajniatuk" na ordem de saa
-entr^diu comepndo o trabalbo po-
llos destiles de olhos.
Dar consultas todos os dias das
rias 10 da manhaa, menos nos do-
Praicara Xoia^e qualqer opera-
f(*a que.julgar conveniente para o-
>remrrto restabeleinftV des> 8t
Mrtes.
Perdeu-fe da roa da Cadeia do Bmfe at a
porta da alfandega bhi pequeo livro de .notas de
despaches : a pessoa que o anona fara 9 favor de
leva-Jo ao armazem i> Sr. D. P. Wild, na dUa ra,
que ser recomfeneailo.
Quem precisar de umaprei" para todo o ser-
vigo de casa, porm enn a e.ondigo de u.o sabir
a ma, dirjase a w do Rangel n. 60, segnndo
dnfc_____________ ,__
Prariaa**' uma-awa-para inar a com-
pra : a trataf na 1 a do Pwes n. 24.
Joao da Suva Ramos, medico pela Uni-
versidad* i Coimlwa, d consulta* em
sua-J*as*.das 9 s 11 horasda manhaa, e
das 4 a*a da tarde. VisiU os doentas
em suas casas regularmente na*, oras
a is#o designadas, salvo os casos ur- I
jrente?-, qiw sera soceorndos em quU
quar aaaiae. D coasultasaos -obra*
o pnecuraaseai.no. hosfitet P i
owk eneonsmdo diasianMn* da** |
s 8 hora* da manh*.
T^ra se*asa de sad* ram^tmtmf i
montada, paa recabar- cpuiqaar datUe, 11
ataca, mesow os alienadas, par e que J
,cnnMBodiapropriad-e_nella. pra- |
tica qaalquer operagao cirurgca.
Para a casa de sade.
Priraeira classe 3,5000 diarios. J
Segunda, dita,.. 24S00
Tere aira dita.... 2*000
Etrte eslabetoaiamnUaja b-*a agred- $
taa palos boas sarvigos qne tara pres- I
tado ,, !
O proorietario espera, qu# elle cont- m
ana a meraaer a coafiaacaila que sea- n
ten ozado. 1
GRAGEASdeCUBEBINA
Estes confeitos que tem por base o pi it>.
rapio' activo da nrimeira cubeba jtiuio com
a cupuhylm-VXM, nao nausen o estomaga.
Elles aaem parar immediatamente as mais
|reljet*s ^aaorrfias, mesmo as que res sti-
Iram. a cubeba o a cunahyba isolamei4.
f
-
f-
1
f
ILEGVEL


I

Diario c Fernambneo .- rtft felfa t de Junho de !.
GASA DA FORTOt
Aos 10:000^000.
Bilhetes garantidos.
A' su a do Crespo n. 23 s casas do costumk.
Oabaixoassignadovendeunos seus muito feli-
les bilhetes garantidos da lotera que se acabou
de eitrahir, a beneficio da igreja de Nossa Senho-
ra da Boa-viagem, os seguintes premios :
Um quarto n. 35 com a sorte de 6:000*000.
Um quarto d. 703 com a sorte de 1:2005000.
Um meio n. 591 com a sorte de 4005000.
E outras muitas sortes de 1005, 40*. 20* e
10*000.
Ospossuidores podem vir receber seus respec-
tivospremios sera os descontos das leisna Gasa
da Fortuna ra do Crespo n. 23.
Acham-se a venda os da o* parte da 1' lotera
(18a) beneficio da Santa Casa de Misericordia
para canalisago d agua e gaz do hospital Pedro
II, que se extrahir a 7 de junho.
PRECO.
Blindes.....125000
Meios......(5000
Quartos.....:*000
Para as pessoas que compraren de 100^000
para cima.
Bilhetes.....1J000
Meios. ..... too
Quartos.....?*750
Manoel Martiis Fiza.
IfflW(p)
Perfumase a certos influentes de urna subscrip-
giio que se est tirando no Forte do Mato, para una
pessoa que tem bens e que nao qiir langar mito
do que tem para pagar a quem devje, meus amigos
nlo e tamos na Inlia, e*ta mesma pessoa sao com
e>ta tres vezos que se tem tralo subscripgiio e elle
se nao qur retirar-se dftote Forte do Mato, aQm da
mmala que temlirado com a subscripgiio.
O tnglez Ofinaia.
m
m
m
m
I
m
Companhia Gdelidade de seguros
maritiraos e terrestres
estabelecida no Rio de Janeiro.
AGENTES EM PEIINAMBUCO
Vnlonio Lui/. de Oliveira Azevedo k C,
competentemente autorisados pela direc-
^ loria da companhia de seguros Fidelida-
jJB d(5,tomam seguros de navios, mercado-
ras e predios no seu escriptorio ra da
Crm n. 1.
RS
AVISO
Os abaixo assignados, moradores na ra da Ca-
deia do Recife n. 3, fazem sciente aos devedores
da massa fallida de Joaquim Vieira Coelho & C,
que tendo arrematado as dividas penencentes a
mesma massa, po t-lles os nicos autorisados a re-
ceber taes dividas; portanto tem marcado o praso
de 30 dias para os senhores devedores virem ou
u andarem pagar sais debitis, lindo o qual se pro-
mover a cobranga judicial.
Jos Joaquim de Castro Moura.
___________Joaquim Baptista de Araujo.____
Matriz de Snlo Antonio
A mesa regedora da irmandadedo S3. Sacramen
to convida todos os seus dignos irmos a compare-
cern) pelas 3 horas da tarde do dia 4 do corrente,
para em grande numero reunidos e encorporados
acompanbarmos a procissao do Divino Espirito
Santo que te ni de sahir da sua igreja (Collegio),
para o que fomos convidados pela respectiva ir-
mandade.
Consistorio da matriz de Santo Antonio 1 de
junho de 1865.-0 escrivao,
Luiz Cesario do Reg._____
Precisa-se de urna ama de leite: na ra Im
perial, sobrado n. 87.
GRANDE ARMAZEM DA EXPSITO DE LONDRES
DE
THOMAZ TEIXEIRA BASTOS
N, 60fina da Cadeia do Eecie-N. 60
Todos os artgos abaixo mencionados, forara comprados recentemente pelo dono estafoele-
cimento as principaes fabricas de Pars, landres, Birmingbam, Manehester, e em diversas cidades
da Allemanha, e tendo comprado ludo as melhores condigfies por ser a dinheiro, por isso vende todo
e qualquer artigo barato, por menos do seu valor, e mu principalmente por querer Inteiramente liqui-
dar e ter de partir muilo breve para a Europa.
Haneste vasto armazem ricos objectos com brilhanles, como botoes, anneis, rosetas etc., e
bem assim, diversas obras de ouro, como trancelins, correnlSes, ocolos, face-roains, anneis, e mu tos
outros artigos, relogios de ouro, inglezes, do afamado fabricante Bennette ; completo sortimento de te-
lendas finas e modernas ; miudezas, perfumes, perfumaras finas dos principaes fabricantes inglezes e
fraocezes, como L. T. PIVER, Lubin, L. Legrand, Ed. Plnaud & Meyer, Deleltrez (Patiumene du
mond lgant), Violet, Societ Hygienique, Monpelas.Mailly, Regnier, P. Goeland, e inglezas de Eug.
Rimmel e outros; ricas galantarias em marflm, mar de perola, etc., fabricadas na China e no Japao,
ricas pecas de cristal uno como ainda nao appareceram nesta cidade, e bem a>sm modernos lustres
para velas, ditos para gaz e para petrleo, serpentinas, castices, endites e adornos para cima de con-
solos e para grande toillette, o que se tem feito de mais elegante em Pars, em Londres, Birmingham
etc. ; modernos apparelhos de metal fino inglez para cha e caf, os quaes nada tem de inferior prata,
e muitas outras pecas do mesmo metal, ricos pentes de tartaruga da ultima moda para trancas de se-
nhoras, excellentes luvas de pellica do afamado Jouvin, apparelhos de porcelana fina para cha e cafe,
ditos para jantar, e immensos arligesde porcelana fina dourada, como ricos vasos para flores, figuras,
etc.; calcado dos principaes fabricantes de Paris e ditos de panno esm sola de borracha, pianos dos
celebres fabricantes Pleyel, VVolff & C, realejos modernos de Gavioli & C, para se tocar na ra, ditos
com figuras para saloes e ditos com figuras era movlraeuto ; modernos e bonitos instrumentos de pnysi-
ca (mgica) para theatros ou saloes, ditos de phantasraagoria ; lanternas mgicas, cosmbramas com
vistas novas, dia e noite ; stereocopios de nova invenco e com bello sortimento de vistas das principaes
cidades da Europa ; grande sortimento de brinquedos finos para enancas, e nonecas fallando papai,
maini ; grande sortimento de candieiros a gaz, os que se tem feito de mais elegante e que tem mere-
cido toda a aceitado na Europa, grande e magnifico sortimento de caixinhas, cestinhas e outras galan-
teras feitas de crina e seda proprios para presentes; grande sortimento de estampas finas coloridas
com o fundo preto e de outras de todos os santos, ditas com figuras e ditas com novas plfysagens para
cosmoramas, finos e bem graduados vidros para cosmoramas, um bello chafariz de christal, proprio
para meio de mesa dejantar ou para jardim ; cutelaria fina, como talheres com cabo de metal fino, co-
Iheres, thesourasfinas, ditas modernas para alfaiates, navalhas finas, caivetes e outros artigos, diver-
sos artigos feitos de rame ; completo sortimento de mascaras de velludo, setim, cera, papelo e ra-
me, doces, confeitos e chocolite em caixinhas e em vidros; ramas de ferro de;todos os tamanhos, laya-
torios, etc.; ricos quadros para cartoes de visitas e ditos grandes e pequeos para retrates; chapeos
de sol, bengalas, chicotes e ditos para carros; machinas para azer caf, ditas para bater ovos, proprias
para quem faz po-de-l,bolinho?,etc.; bellos cortinados arrendados, verdes, encarnados e brancos ;
pannos para cobrir mesas, bolgas grandes e pequeas para viagens, e outros artigos, como cobertores,
malas, etc.; sortimento de violoes finos; figuras finas e jarros de alabastro ; galantarias e outras pegas
de charlo para toillette ; machinas para varrer o chao, excellentes machinas para pbotographia para
tirar retratos, grandes e pequeas ; lindos baloes de papel fino transparente e lanternas coloridas para
illuminagoes moda de Paris, salva-vida de borracha, para homens e senhoras, proprios para quem
toma banhos em lugares fundos; ameixas novas em caixinhas, blscoitos inglej.es em latas, graixa in-
gleza 97 ; cerveja em barricas das principaes marcas de Londres, queijos etc., e muitos outros artigos
que para enumera-los seria um nunca acabar, e todos se vendem barato e muito barato no grande ar-
mazem da Exposigao de Londres, na ra da Cadeia do Recife n. 60.
DINHEIRO FRANCEZ.
Vendem-se moedas de ouro e notas do Banco, e bem assim nma rollecgao desde um centesimo
at mil francos: vende-se barato no Recife ra da Cadeia n. 60, noarmazemda Exposico de Londres.
I(M)
Antonio Jos de Araojo firaga, abaixo assigna
do, declara que se despedio da casa do seu primo
Jos Correia Braga, deixando d'ora em dlante de
ser S8U caixeiro.
Antonio Jos de Araujo Braga.
Samuel Power Johnston i Companhia
Raa da enzala Nova n. 4.
AGENCIA DA
rmidivo deliOW Hoor.
Machinas a vapor de 4 e 6 cavallos.
Moendas e meias moendas para engenho.
Taixas de ferro coado e batidoparaenge-:
nho,
Arreios d" carro para une dous cavallos.
Relogios de ouro patente inglez.
Arados americanos.
Marhinaspara descarocar algodo.
Motores para ditos.
Machinas de costura.
Anna Ange ica da Fonseca Pereira, o com-
mendadorThomaz de Aquino Fonseca eseus
filhos convidam a todas as pessoas de sua
amisade para que se dignem assistir a urna
nii>-a que mandam rezar no dia 3 de junho
as 7 horas da manha na igreja do Corpo
Santo, por alma de seu fallecido marido,
fenro e cunhado Francisco de Paula Pereir
allecido na cidade de Lisboa no dia 12 de
maio e desde ja confessa a todos eterna gra-
tidao.
Aos Srs. acadmicos.
Vendem-se os seguintes livros quasi no-
vos: Manuel de droit romain por Mackel
dey, i volme, por 6500o; Diccionaire
du conlentienx commercial por Mass, l
votme por 64000; La femme por ma-
dama A Seglas, 1 volume, com estampas
finas por 55000; (Euvres de Racine, 1
vi lume, com estampas finas por 60000;
(Euvres choisis de Buffon, i volume, com
estampas finas, por 450u0 ;l Cdigo de cr-
dito predial, 1 volume, por <#t>; Flores
singelas, poesas por Paes d'Andrade, i v-o
lume, por 000; Viagem ao Araguaya
pelo Or. Couto de Magalnaes, 1 volume,
por 2^000 : A velhice de Camdes, romance
por Trigueirns, por 2#000 ; La vie des
sainls, 1 volume, por 10200; Economie po-
litique, por Garnier, i volume, por 20 ;
Regras da escripturacao mercantil, por Go-
mes Jnior, i volume, por 20500; Organi-
sation |/ travail, por Lnuis Blanc, 1 volu-
me, por t0OO; L'Epiphanie, pelo padr*
Ventura, 1 volume, por 10000; Lejmdi-
nier des salons, i volume, por 640 rs.: na
ra do Cabug n. 2 A, loja. ______
Deseja-se[fallar com o Sr. Ernesto Botelho
de Andrade, na ra do Crespo n. 16, priraeiro
andar.
<
ga
o
55
t-
*o
wS
Ed
- Q
Na ra da Aurora casa n. 3S, precisa-
s de urna ama de leite: a tratar na mes-
mi casa a qualquer hora do dia.
Para os festejados dias de S. Joao e S. Pedro
existe na milito acreditada fabrica de fogos de ar-
tificio da ostrada de Joo de Barros, propriedade
da viuva Rufino, um completo sortimento de pis-
tolas, craveiros, rodinhas e fogo busrap : como
seja penoso a algumas pessoas irem a fabrica pela
di-tancia, os pretendentes pndem deixar sus en-
commendas no armazem da bola ama re I a no oitao
da secretaria da polica.___________________
- Na |ir\i;a da Independencia n. 33, loja de our
ves, compra-se ouro, prata, pedras preciosas e
tamhem se faz qualquer obras de ei.commenda e
odo e qualquer concert.
Para completa liquidado vende se, por muito menos de seu valor, perfumaras mnito finas e
novas chegadas recentemente de. Paris e de Londres dos mais afamados fabricantes seguintes : Eug.
Rimmel, R. Matheus 4 c., Lubin, Sociedade llygienica, Piver, Violet, L. Legrand, Deletrez, Pinaud &
Meyer, Regnrer, Mailly, Gillet frere etc., etc., dos quaes ha grande sortimento d'agua de colonia em
vidros e garrafas, agua de lavando, agua para limpar dentes, oleo babosa, extractos em ganafinhas e
vidros de diflerentes modelos, pos para limpar dentes, banba em potes e em vidros, pomadas, ricas
caixinhas e balainhos com perfumarlas para fazer presentes, e muitos outros artigos que se vende por
menos de seu valor, bem como todos os artisos em geral existentes no grande armazem da Exposico
de Londres, na ra da Cadeia do Recife n. 60.
Para senhoras.
Extremamente penalisado pelo fallecimen-
to do raeu compadre e mnito especial amigo
o tenente coronel Manoel Florencio Alves de
Moraes, pretendo fazer celebrar por sua al-
ma urna missa no da 2 de junho pelas 7
horas da manha na matriz da Boa-Vista :
rogo portanto aos meus amigos e aos do fi-
nado o candoso obsequio de assistirem a esse
acto de piedade pelo qual Ihes ficarei cor-
ialmente agradecido.
Jos dos Aojos Vieira de Amorim.
Troca-se um moleque na idade de lo annos
por urna mulata ou negra costureira : no pateo
do Carmon. 1.
O abaixo assignado comprou ao Sr. Joo Al-
ves da Cruz a sua taberna da ra da Guia n. 59,
livre e desembarazada de dbitos a pessoa algu-
ma.Manoel Maia da Silva.
no caes do
da Aurora.
RIVAL.
Ra do Queimado n. 49, loja de Jos & Azevedo
Maia e Silva.
Pulseiras e voltas muito bonitas a 300 rs.
Miadas de linlia para bordados de superior qua-
lidade a 60 rs.
Duzias de facas e garios de cabo preto muito
boa a 35.
Meiadas de linha froxa para bordar a 20 rs.
Meiadas de linha azulada superior a 00 rs.
Babado do Porto muilo superior a 100, 120 e
160 rs.
Varas de franja de nho branca a 40 r=.
Caixas com 100 envelopes da melhor qualidade a
I 600 rs.
Caixas com 20 quadernos de papel superior a
600 rs.
Grozas de pennas de aQo muito finas a 500 rs.
Pe^as de tranca lisa preta e de cores a 40 rs.
Grozas de botoes madreperola para camisas a 500
e 720 rs.
Caixas com 50 novellos de linha do gaz a 700 rs.
Varas de franja de cores a 80 rs.
Novellos com 400 jardas superior qualidade a 70 rs.
Carriteis de linha com 200 jardas dos ns 60 al
200 a 100 rs.
Livros para assentos de rnupa lavada a 100 rs.
Pares de botoes de punho muito finos a 120 rs.
Thesouras para uuhas e costura muito finas a
500 rs.________________________
Vendem-se eslalos a 60 rs. a duzia : na ra
da Palma n. 41, taberna.________________^__
Vende-se o patacho nacional tnico, chega-
do ltimamente do Rio Grande do Sul, o qual se
acha bem prompto a navegar: trata-se na ra do
Trapiche n. 4.
Da-sea premiode 100#a3:000$
Ramos asa que outr'ora fol collegio
Ricos e modernos pentes de tartaruga para tranca de senhora,o que se tem feito de mais ele-
gante ateo presente : vende-se por menos de seu valor para se liquidar, no grande armazem da Ex-
posico de Londres, na ra da Cadeia do Recife o. 60
Luvas novas de Jouvin.
VenJem-se excellentes luvas de pellica recentemente chegadas de Paris, tanto para homem co-
mo parasenhora por menos de seu valor, para se liquidar : no grande armazem da Exposico de Lon-
dres, na ra da Cadeia do Recife n. 60.
ATTEUCAO
Azeved) c Flores declaram ao publico e espe-
cialmente ao corpo do commercio, que nada devem
da extincta firma de Pinto & Flores._________
Precisa-se alugar um escravo para todo o'
servigode umaasa de familia : na ra da Cadeia
do Recife n. 52, terceiro andar._______^^^ !
Precisa-se de urna boa engommadeira forra:
na ra da 6adia do Recife n. 52, terceiro andar.
O Sr. Pedro de Alcntara Monte Li-'
ma, queira dirigir-se a esta typographia a
negocio de seu interesse,
Sortes de S. Jc&o
Vendem-se lindos papis com estalo para as
sortes de S. Joo : na ra Nova n. 61 defronte da
(lima, cmara municipal.
Aluga-seo armazem da casa n. 53 da ra da
Imperatrlz para qualquer estabelecimento por sua
boa largara e grande fuedo, achando-se com todo
o aneio : para ver, as chaves se acham na loja
confronte ao Sr. Mendes Guimares.
A NACIONAL
Companhia geral kespanhola de seguros mutuos
sobre a vida
AUTORISADA PELO REAL DECRETO DE 21 DE DEZEMBRT) DE 1859
ma fianca em dinheiro, depositado nos cofres do estado, garante a koaad
ministraco da companhia.
BANQUEIROS DA COMPANHIA
O Banco de Hespanha
DIRECgAO GERAL
Madrid : Una do Prado n. IS
Estae.ompanhia liga pelo systema mutuo todas as combinacoes de supervivencia dos segur
sobre a vida.
Nella pode se fazer a subscripc.ao de maneira que em nenhum caso mesmo tor anteos
gurado se perca o capital nem os juroscorrespondentes a estes.
Soto suprehendentes os resultados que produzera as sociedades da ndole de A NACI
DAL,que ainda mesmo diminuindo urna terc.a parte do interesse produzido em recentes liquida-
cOes eoombinaad-i-o cora mirtalidade da tabella de Depareieux que e adoptada [pela companhia
para seus calculse liquidaces, em segurados de idade de 3 al9 annos, umaimporsigoannual
de 1004 produz em ellectivo metlico:
No fira de 5 annos.......1:1194300 *
de 10 .......3:9424600
de 15........11:2084200
1 de 20 ....:.. 30:256*000
1 de 25 .......80:3314000
as ida Prospectas e mais informacoes sero prestadas pelo sub-direclor nesta provincia.
Joaquim Fiuza de Oliveira, ru da Cadeia n. 52, ou a Boa-Vista ma da Imperatriz n.12,estabel
, ment dos Srs. Raymundo,Carlos,Leite & Irmao.
o
O hachare! merico Fernandes Trigo de
Loureiro, professor particular de Instrucgo se-
cundaria provlsionado pelo governo provincial,
continua a ensinar preparatorios na casa de sua
residencia, ra da Saudade n. 9 ; assim como en-
sina as mesmas materias por casas- particulares e
collegios a pessoas de ambos os sexos, mediante
razoavel paga : para o que pode ser procurado na
dita casa das 7 horas da manha ao meio dia, ou
das 3 as 5 da tarde.
Muita atten cao
\ m
Precisa-se de um caixeiro que tenha pratica de
taberna : na ra da Senzala Nova n. 39. Na mes-
ma tambem se precisa de uro moleque para com-
prar e levar a comida para a dita taberna : a
quem convier, dirija-se ao lugar indicado.______
Irmandade do Divino Espirito
Santo do Collegio.
A mesa regedora desta irmandade, tendo de ex-
por em solemne procissao o emblema do seu divi-
no padroeiro, na tarde de domingo 4 do corrente.
manda fazer publico que a procissilo tem de correr
as seguintes ras: ao sahir, pateo de Pedro II, ra
do Imperalor, ao voltar na ra de S. Francisco,
ra das Cruzes. do Queimado, do Livramento, Di-
reita, pateo do Terco, a voltar na travessa do S.
Joo, ra Augusta, de Hortas, pateo do Carmo,
camba do Carmo, ra das Flores, Nova, Cabug,
praca da Independencia, ras do Crespo, Impera-
dor, pateo de Pedro II ao recolher-se : roga-se a
todos os moradores das mencionadas ras de or-
naren) as suas janellas (por occasio da passagem
da procissao ) com colchas, e de fazerem limpar as
ras, certos de que aquellas que estiverem intran-
sitaveis, se tomar outra direceo. O programma
da festa ser amanha publicado, e aquel es de
nossos irm)s. que quizerem acompanhar a pocis-
so e nao estiverem prevenidos de capa, queiram
entender-se com o nosso irmo thesoureiro.
O esenvo,
.Viinoc Luiz da Vtiga.
COMPBAS.
Compram-se libras sterlinas : na ra da
Cruz n. 18, armazem de Jos Joaquim Lima Balro.
Compra-se effeclivamente ouro e prata em
ooras velhas, pagando-se bem : na ra larga do
Rosario n. 24, loja de ourives.
Silvino Guilherme de Barros compra e ven-
de effectlvamente escravos de ambos os sexos :
ra do Imperador n. 79, terceiro andar.________
Ouro e prata
em obras velhas : compra-se na praca da Inde-
pendencia n. 22, loja de bilhetes.
Vende-se caixes vazios proprios pa-
ra baliuleiros, e funileiros, a 2>000 cada
um : e para as pessoas que comprarem de
4 para cima 1-3800, nesta lypographia.
Na ra do Queimado, loja de ferragens n. 4
eende-se muilo era conta um par de venezianas.
Viuho superior em caixas de urna duzia :
tem para vender Antonio Luiz de Oliveira Azevedo
& C, no seu escriptorio ra da Cruz n. 1,
Farinha de mandioca : tem para vender Au
tonlo Luiz de Oliveira Azevedo & C, no seu es-
criptorio ra da Cruz u. 1. _______
Vendem-se sanguesugas de superior qualida-
de, em caixas ou a retalho, a vontade do compra-
dor, << por prego mui razoavel; na botica franceza
de Ciors & Barbosa, ra da Cruz n. 22._______
Vendem-se as superiores te-
souras de Guiraaraes.
Para nnhas, costuras, cortes de fazcodas e ca-
bello : na loja de ferragens na ra da Cadeia do
Recife n. 44 ; e assim como fio de algooo da mais
acreditada fabrica da Baha, por precos commodos.
Em casa de Tisset Freres ra do Trapiche n.
9, tem para vender :
Vinho Bcrdeauxem barricas e em caixas.
Dito de Sanlerne fino.
Dito de Champagne muito superior.
Cerveja franceza marca Bobee.____________
Admira veis pechinchas
que estao a venda na loja e armazem
da Arara, rna da Imperatriz n. 56
de Lourenco Pereira Mendos Guima-
res.
Bretanha de rolo a 30.
Vendem-se pegas de bretanha com 10 varas pe-
lo baralissimo prego de 3$ a pega.
Madapoln enfesiado a 3,->500.
Vende-se madapolo enfeslado com 12 Jardas *
35500,44 e 4*600, dito com 2 Jar las a si
55500, 63500,7, N. 40 75500, L. 10 75500, N&
85, Elephante 85300. *
Soutembanjues de cores a 6$.
Vendem-se soutembarques de cores a 68 7 p.
85, ditos de seda a 18, 205 e 255. *
Chapeos para ioraem a 1(1800.
Vendem-se ehapeus para homem a 15800 cada
um, chapeos de sol de panno a 2;, ditos de seda
para homem a 65 e 75 : so Arara, ra da Impe-
ratriz n. 56, de Mendes Guimares.
S Arara vende ebitas fraoeeus a 240 rs. o co-
vado.
Vendem-se chitas francezas sendo cores Gxas
assim como sejam padrSes delicados sendo cores
de cana e rxas, se vende por baralissimo prero
de 240 o covado, ditas a 260, 280 e 300 rs., ditas
matisadas finas a 320 e 360o covado.
Chitas francezas escuras.
Vendem-sj chitas francezas sendo padroes escu-
ros e cores flxas a 360 e 400 o covado, ditas miu-
dinhas claras a 360 e 400 rs. o covado : isto na
loja e armazem da Arara ra da Imperatriz n. 5(5.
Corles a Hara Pia a 180.
Vendem-se os mais molernos cortes a Mara
Pia a 183, dito a 145, 125, 115, 105 e 85, corte*
de la sem barra a 53 tem 15 covados o corle.
Damasco de duas larguras a 15280.
Vende-se damasco de duas larguras a 15280 o
covado, dito de urna largura a 800 e 6i0 rs. o co-
vado, lengos de. linho a 55, 05 e 75 a duzia.
Camisas francezas a l.->00.
Vendem-se camisas francezas a 15800, 25. dita
de pregas largas a 23 e 25210, ditas de linho a
25500, 25800 e 35 cada urna, seroulas france/.as a
15280 e 15500; dita de linho a 15800 e 25, co-
berlas de chita a 23 e 2550J cada urna, cambraia
nranca a 3|, 35500 e 45 a pega, ditas de cores a
35OOO.
Cambraias de cores a 300 rs.
Vende-se cambraia de cor a 300, 320, 360 e 4C0
rs. o covado, cambraia de lpicos a 25500 e 3;
na ra da Imperatriz n. 56.
Cbales de merino a 2->.
Vendem-se chales de merino a 25, ditos de chi-
ta a 15600, Ia280 e 15 cada um, chales finos com
ponta redonda e borlla de seda a 65 e 75 cada
um, cobertores de algodo a 15 cada um : na ra
da Imperatriz n. 56.
Irritoslo dos pulmes. angi-
nas, tosse, escaros de
sangue, crupo ou garro-
tuno, catarro, rouquido
e toilas as nnumeravei molestias que affec-
jio aos orgiios da respirarlo
DESAPFAREC1
mediante a acro da balsmica e irresistivel
ANACAHUITA
Vende-se
nm balcao de 10 a 12 palmos, com lampo de ama-
relio : na ra do Rangel n 43.__________
AMEMOAS
confeitadas : na ra do Rangel n. 43.
Oheguem ao barato.
Chitas francezas muito finas com um pequeo
furo de cupim a 240 rs. o covado, madapolo su-
perfino a 65 a pega : na loja da ra da Madre de
Dos n. 16, defronte da guarda da alfandega.
Farinha de muribeca fina e alva, mais
barata que se vende no mercado, em sac-
eos : na ra do Vigarion. 29._________
mendoas
Vendem-se mendoas confeitadas: na ra da
Cruz n. 13.
OPHEMSU
Compra-se
nm par de consolos de Jacaranda, em segunda
mo : quem tiver annuncie para ser procurado.
Botija}
Atten$o.
O abaixo assignado declara ao publico e es-
pecialmente ao corpo do commercio, que nesta data
endea ao Sr. Jos Lopes Alheiro os seus eetabe-
leeimentos de molha'dos, sitos na ra da Impera-
triz n. 42 e ra da Conceigo n. 6, Ocando a cargo
do mesmo Sr. a liquidaco do activo e passivo ios
mesmos estabeletimemos
Reeife 30 de maio de 1865.
Manoel Joaqun Moreira.
Precisa-se de nma criada forra ou escrava
para eogommar e faer mal algn servico em
<;asa de pouca familia : na raa das Crnzes n. 22,
segundo andar.
Ama
Precisa-se do orna ama, preferindo-e escrava,
para comprar e coztabar em casa de homem sol-
loiro : na raa do Qneimtdo- n. 40, loja.________
' Precisa-se de urna ama para todo o servico
deumicasa : na raa do Livramwio d. *), e-
f oodjo andar.
8 0 bacharel Lourengo Avelino de Albu-
querque Mello continua a ter seu escrip-
torio de advogado nos auditorios e tribu
. naes desta cidade : na ra do imperador
n. 40.
Precisa-se de urna ama para engommar e co-
ser, para ama casa de duas pessoas : na rna da
Imperatriz n. 34, primeiro andar.
O bacharel Joo Franklin daSilveira Tavora
adoga ao escriptorio do Dr. J. de Campos, praca
de Pedro Un. 2.
Descortam se notas do banco do Brasil e das
calas fitiaes; ja praga da lodependencia n. 22,
Criado.
Precisa-se de um criado forro ou escravo para
andar palo mato eana una pessoa qne applica-se
em cobrar diriw, cojo (rabalbo de criado ser
cuidar no trateaeoio ie dops cavallos, pa.ga-se
bm; n.a rna do Barttolomeo p, 45,
U London & Brazillan Bank, saca por doos
os paquetes,sobre
Lisboa.
Porto.
Braga.
Vianna.
Guimares.
Villa Real.
Coimbra.
Amarante.
A tugase
um sitio na campia da Casa Forte, com duas ca-
sas, urna a em que morn o" fallecido Thomaz de
Aquino Fonseea Jnior, feita a moderna, e conten-
do todas as accommodagdes precisas, e outra com
boas commodidades para qualquer ramilla: na
raa do Vigario n. 19, primeiro andar.
Alugara se dous grandes sobrados com com-
modos para numerosa familia, novos e aceiados,
cora jardim, cocheira, estribarla e outras commo-
i didaies, va travessa de Joao Fernandee Vieira :
a tratar oa ra Senzala Nova d. 41
s vazias
Proprias para genebra, compram-se na ra do
Apollo n.^_______________________________
Compram-se libras sterlinas a 95-500, e tam-
bem ouro araoedado, brasileiro o portoguez : n
ra da Cadeia do Recife n. 22._______________
Compram-se libras sterlinas a 95500 : na
praca da Independencia n. 22.
Compram-se 2 on 4 casas terreas em boas
ras ou mesme sobrado : quem as tiver deixe o
prego, ra e numero em carta fechada na pracinha
da Independencia ns. 6 e 8 com as iniciaos A. A.
QUADROS
\vii:*it\Di:
AQUARELLA
l ma secna de nussos dias.
Drama
Por Pedro de Calasans
Vendem-se estas obras Impressas en Bmxellas
e Leipig : na livrana de Jos Nogueira de Souza,
ra do Crespo.____________________________
13 Vende-se o superior fio de algodo da Babia,
Ca mais bem acreditada fabrica da Bahia, por pre-
go commodo : na loja de ferragens d Thomaz
Fernandes da Cunha, na ra da Cadeia do Recife
numero 44.______________________________
Vendem-se 20 saccasde feijo ordinario para
animaes : na ra Nova de Santa Rila n. 19, ribei-
ra do peixe.____________________________
Vende-se um escravo de nago ainda mogo :
a tratar na ra da Lingoeta n. 4.
PEITORAL de KEMP.
a anacalmila mexicana que da o nome es-
pecial este incomparavel remedio, una
aivore, cuja madeira por muito lempo fe
ha usado no tampico para a cura das '>n-
fermidades cima mencionadas. Foi tam-,
bem ensaiada e approvada pela academia
medica de Berlim O peiloral de Kemp
um xarope delicioso inteiramente livre de
opio, acido hydrocyanico e outros ingre-
dientes nocivos.
A' venda as drogaras de Caors & Bar-
boza, Bravo t C. e em todos os estabeleci-
mentos pharmaceuticos do imperio.
Vendem-se no Recife em casa de Caors &
Barboza e Joio da C. Bravo & C._______
Attencao.
Vendem-se sortes para Santo Antonio e S. Joao
a 355OO o cento, tamhem d-se de vendagem a 80
rs. por pataca : Da ra da Palma n. 41, Hiberna.
Vendem-se
machinas americanas de serrle para descarogar
algodo : na ra da Senzala iNova n. 42.
Fcrn s
Chegou um completo sortimento de ferros de
diversos modelos para encrespar e engommar ba-
ilados, pafos e todos os objectos de roupa branca
fina pertencente ao toilel de urna senhora, e hoje
indispensaveis, os qoaes se vendem por menos
prego que em outra qualquer parte: na ra do
Crespo n. 4. ._ _______^____
ttenco
Vendem-se eslalos para sortes de Santo Antonio
e S. Joo a 60 rs. a dnzia : na livraria univer.-a
ra do Imperador n. Si._________________^^
YENDAS.
Vende-se esta linda colleccao de sortes,
reunidas em um pequeo volume, com 25
assumptos, e mais 59 novas charadas, pelo
diminuto preco de ift cada exeraplar enca-
deroado : na praca da Independencia ns. 6
e8. 1
Veodeffl-se 66 palmas de terreno sito na ra I
Augusta pramjtfo para se edificar: a tratar na
roa do teaim asa com porlao de ferro d frente.'
Farinha da trra
a 45500 a sacca, em cnia 240 rs. : no armazem
da estrella, largo do Paraizo n. 14.____________
Rdese toda a atlencao
Algodo muito superior, sendo a pega 20 jardas
por 357OO e 45 ; madapolo muito fino e largo, fa-
zenda de 125000, agora por 75 e 55 a pega de 24
jardas, e muitas cobertas a 220 rs. o covado : na
loja da ra da Madre de Dos, n. 16, defronte da
guarda da alfandega.
A atiendo dos Srs. alfaiates,
sapateiros e t manqueiros.
Pecas de algodo largo e encorpado. proprio pa-
ra obras daquelles senhores, por 25700 a pega de
20 jardas, est em perfeito estado: na loja da ra
da Madre de Dos, n. 16, defronte da guarda da
alfandega.______________________________
Vende-se tres moleque?, sendo todos de ex-
celente figura e cor preta : a tratar na ra do
Trapiche n. 11.____________________________
A t

cao
5
Attengao.
Na taberna da ruada Palma n. 41 vende-se fa-
rinha da trra a 180 rs. a euia, em sacca com 32
cuias por 55503.__________________________
Vende-se a armaco da loja da ra Direil*
n. 31 por prego muito barato ; a tratar na raa da
Imperatriz n. 65.
Reducrao de preco
Vendem-se por pregos reduzidos machinas de
descarogar algodo, do erras de todos os tamanhos
a saber, de 14 a 60 serras ; assim como motores
para asmesmas, urna machina de 120 serras com
a competente machina a vapor: a tratar na ra do
Trapiche n. 8 ou por baixo do Gabinete Porluguez,
armazem de larioha._______________________
Vende-se
na rna das Cruzes n. 23 junco e palha, mais bara-
to do que em outra qualquer parte. _
Farello a 40OOO o sacio.
Em saceos grandes. \
HHho a 408OO
Ba larga do Rosario n. 50 taberna da esqwoa
que volta para o da roa E^reita.
Fio de algodo da Babia..
Vendefse no escriptorio de Antonio Luiz de Oli-
veira Azevedo A C, ra da Cruz n. 1.
Vendem-se sapato-de borracha para homens
e senhoras, de superior qualidade a 15 cada par:
na taberna da ra do Imperador n. 83._______
"Sortes avulsas.
Vendem se folhas de sortes para as noules de S.
Joao e Santo Antonio, a 40 rs. e a 20 rs. e algons
folhetos pregos diversos ; na ra do Imperador
n. 15, defronte de S. Francisco._______'
SAL DO ASSU'
A bordo do brigue escuna nacioBa! Graciosa;
vende-se na roa da Cruz n. 23, escriptorio.
^^
*1


jKBBal
Diarlo de PernambHco sexta.feira t de duho de !<&.
ft
'i
J
PIULAS CATMARTICAS DE AVE*.
Ests pilulas vegetaes sao a- >
"daptadas a todos omos de um
purgante as familias, pois sao j
perfeilamente innocentes, e em
quanlo milhares de pessoas con-
fessam com gralidSo que forana
curadas por ellas de molestias
severas e perigosas;nSo ha
'um s caso em que naja suspei-
tas do mais leve resultado inju-
rioso por seu uso.
Publicamos aqui alguns dos
attestados que temos de curas
notaveis feitas ltimamente.
Um caso notavel de
OSI
AUccfit chronica do figado.
Illm. Sr-
Juiz it Fra, .7 de fevereire de 1864.
Tendo feito uso das pilulas catharticas
de Ayer, que me fez favor de dar um vi-
dro, tendo tirado um resultado nao espera-
do ; padecendo ha mais de doze annos en-
fermidades do figado e baco, com o uso
das pilulas posso Ihe assegurar que estou
bom, pois tendo desapparecido una granda
-engorgitamento que soffria, muitas dores
sobre a regia do flgado e costas, dores de
cabeca, inchacao do ventre, nao podendo
deitar-me seno do lado direito, isso mes-
mo procurando posifo para ter socego, bo-
je me acho livre d'esse padecimento ; como
por aqui anda as nao haja, eu como tcrino
este proprio que de casa, Ihe rogo man-
dar-me alguns vidros, e o custo elle Ihe sa-
tisfar, assim bem como do charope de.
cereja, que Uve occasiao de experimentar;
em um ataque de guellas que teve urna
preta que com elle curei, faco uso d'elles
as tosses em minha familia sempre em
bom resultado, e por isso que pe?o para
mandar alguRS frasquinhos, e mesmo as pi-
lulas pode montar a doze, porque tenho
feito uso d'etas para uso da familia e al-
gomas pessoas, ia d i ,mt e g e
resultado; sou btdoorojoandeoda
De V. S. attensgPs.ar
Francisco FEtutEArEnAit
Rheuuutisiuo e ataques heuiorrhoidaes.
Illm. Sr.
Ouro-Preto, 30 de marco de 18C4.
Posso oerticar-lhe que as pilulas ca-
tharticas do Dr. Ayer sao excellentes, pois
que sorendo eu dores pelo corpo, e que
suppunha ser rheumatismo, (molestia esta
que j havia soffrido ha annos) e soffrendo
tambem de ataques hemorrhoidaes, e de
um ouvido, pois que at j pouco ouvia, e
acompanhado de urna dr no queixo, cn-
sul lei a um dos nossos mdicos, e este me
disse que devia fazer uso da salsa ; porn
lendo eu o almanack do mesmo doutor,
comprei em sua casa um vidrinho das mes-
mas pilulas e por minha conta principiei a
toma-las, e sem as finalisar acho-me sem as
dores pelo corpo; e sem sentir, sarei do
ouvido, e mesmo dos ataques hemorrhoi-
daes : portanto sao para mim as taes pilu-
las as memores que tenho experimentado;
isto em abono da verdade. Sou
De V. S.
Amigo certo, venerador e obrigado,
O brigadeiro
Joo Rodrigues Feu de Carvalho.
1 ____
I GNEROS BARATOS A DINHEIRO
M NOS
PGRANDES AIMiraS DE M0LH
0
El
itvidsem segund
vendendo
tudo
DE
TE & C.
)
Roa do Queimado n. 49, esia
muilo barato como veri abaixo.
Caixasde peonas de kalegraphia a IJOOO.
Massos rom superiores grampos a 30 rs.
Pares de sapa tos de (ranga e tapete a 1#500.
Frascos de macaca pero la a 200 rs.
Gxas cora rop%riores agulhas a 200 rs.
Libras ile laa sortidas com todas as eflres a 7^000.
Caixas com superiores bralas a 10 rs.
Duzias de ohospnoros de segoranca a 120 rs. '
Meias garmas rom tinta a 240 rs.
R.idiulias com albtes franceses a 20 rs.
Cartas de alBneles francczes inuito Unos a 100 rs.
Resmas de papel almaco a 2400.
Resmas de papel de. peso a 2^000.
Papis de agulhas fnncezas a barao a 60 rs.
Bonets muito bonitos para meninos a 15000.
Enfeites para senhoras fazenda muito moderna a
20000.
Estovas para roupa superior qualidade a l000.
Puteo do Car-Rio n. 9 anuazcm Progrcssivo roa do Queimado d.
e Commcrcio roa do Imperador n. 40,
i^LJj Principal armazem de moldados.
OS PROPRIETARIOS.
Fazem sciente ao respeitavel publico, e com especialidade aos senhores de en-
genhos, lavradores e mais pessoas do centro, que para mais facilitar suas compras deli-
beraran os propietarios dos tres grandes armazens, reunir todo5 os seus estabeleci- raa*esTS^
mentos em um s annuncio, pelo qual o preco de um ser de todos, promette- 0s freguezes encontrara ura rico sortimento de ra-
mos que nao infringiremos a tabella que abaixo vai publicado, annunciar os gneros zondas de todas as quadades, que vende-se por
pre;o mais barato do que em outra qualquer pane
baratissimo!
baratissimo!!
baratissimo!!!
As pchinchas que esto se liquidando Da nova
por um preco, e na occasiao da compra quererem por outro, como socede constante-
mente em oulras muitas casas, porm nos nossos estabelecimentos nao se dar isto
ainda mesmo com prejuizo nosso, qualquer pessoa poder mandar seus fmulos que
serao tam' em servidos como viessem pessoalmente fazendo-nos o favor de mandar seus
pedidos em cartas feixadas; para evitar qualquer engaos, remetiendo nos urna conta
pela qual se ver os precos tal qual annunciarmos, o que senao arrepender pessoa
alguma que fizer sua despenqa em nossos estabelecimentos; pois poupar mais de
5 por cento na sua despeza diaria.
Manteiga ingleza flor a 10500 rs. a li-'Idem com 4 a 5 ditas a3!200.
bra.
dem franceza muilo nova a 900 a libra, e
800 cm barris.
Banha de porco refinada a 720 a libra e 700
em barris.
Queijos frescos do ultimo vapor a 20800.
Cti mim de superior qualidade a 2#G00.
dem perula miudinho a 20700
dem tivsson especial qualidade de 20400 a
20600 a libra,
dem prelo muilo especial a 20000 e 20*00
a libra,
dem do Rio em latas de 40000 e a 800 a
libra.
Latas com biscouto de todas as quididades
a 10200. ^
dem da creditada fabrica de Bialo Antonio
(Lisboa) proprias para dar a doentes a
20 e 30 a lata.
Bolaxinha ingleza muilo nova a 30300 a bar-
rica e a 240 rs. a libra.
Lalas com bolaxinha de -oda e oval a 20.
Presunto inglez para fiambre chegado no
ultimo vapor a 800 rs. a libra.
Chouricos e paios multo novos a G40 rs.
a libra.
Caixas com macarrio talbarim muito novo a
50000 e 320 a libra.
Aletria branca e amarella a 500 a libra.
Chocolate portuguez de especial qualidade a
800 a libra,
dem suisso de 800 a 10000 a libra,
dem hespanhol verdadeiro a 10C0 a libra
dem vasios de todos os tamanhos a 20000,
10500,800 e 640 rs
para liquidaren), djo-se as amostras ou mandara
se os caixeiros levar era casa das familias.
Madapolo enfestado a 30500, 40000
e 4050 > a pe?a.
Vende-se peca de madapolo enfestado com 12
jardas pelo barato preco de 35300, 45 e 45C0,
dita"sem ser enfestado com 24 jardas das marcas
mais acreditadas a 65500, 75 e 85, dita elefante
muito lina a 95 : s Guimares & Irmao, ra da
Imperatriz n. 72.
Admiravel pechincha,
Cuita lafga a 2401 chita larga a 24011 chila
Acaba de chegar a este estabeteci-
Vinatrre Duro de LUhna a 280 a 0-rrafa p larga a 240 ni Acanaae cnegar a este esiaoeiec.i-
iirtf i garrara e ment0 boni[0 Soriimenfo de chita fina percala de
-puuu a caada. padroes modernos, sendo clara e escura, e sendo
dem mais baixo a 200 rs. a garrafa e 10400 fazenda que val 400 rs. em outra qualquer parte,
a caada.
Azelte dece de Lisboa muito fino a 600 rs.
a garrafa e 40000 a caada,
Toucinho de Lisboa novo e muito alto a 320
a libra, e em barril de 5 arrobas a 90400
arroba.
Cerveja Bass do fabricante Shlers & Bell a
60500 a duzia e 640 a garrafa,
dem Bass do fabricante T. F. Ashe a 60000
a duzia e 560 a garrafa,
dem marca H Victoria Alsope e outras
muilas marcas a 50 a duzia e 500 rs. a
garrata.
Sabao primeira qualidade a 220 rs. a libra
e 210 em cala,
dem segunda qualidade a 200 rs. a libra e
180 rs em caixa.
Sabao inglez superior a 180 rs. a libra e
160 rs. em caixa.
Cafe do Rio primeira sorte a 280 rs. a libra
e 8;> a arroba,
dem segunda diaa 240 rs. a librae 70200
a arroba.
Atroz do Maranhao 30200 a arroba e 100
rs. a libra,
dem da India a 20600, 208OO e 100 rs. a
libra.
Charutos Normas de Havana a 50500 a cai-
xa, de Simas (Jos Furlado).
Gaslrile.
Ouro-Preto, 29 de marco de 1864.
Altesto que tendo feito uso, aconselhado
por um amigo, das pilulas do Dr. Ayer,
liquei perfeitamente bom de urna gastrite
que soffria e que privava-me de andar aper-
lado, hoje felizmente nada sinlo.
AUGCSTO GOLLATINO DE 1ELL0.
Falla de apetite.
Ouro-Preto, 24 de feverciro de 1864.
Sendo eu affectado do figado ha muitos
annos, e ltimamente soffri falta de apetite,
hoje dou grabas a Deus por acbar-me sao
e perfeito com o uso das pilulas catharticas
do Dr. Ayer.
Antonio Bento Vieira.
que j vendemos a 10400.
Doce da casca de goiaba em caixoes de 6 li- dem Londrinos a 50, idem.
bras seguro a 10800, dem Parasienses a 40500.
dem em caixoes pequeos a 700 rs. e de dem Delicias a 10500.
50 para cima a C!40. dem Traviata do Rio a 50500.
dem secco em bocelas ricamente eufeiladas, dem vrelas de Manoel Peixoto da
Silva
Constipacfl, dures de caliera.
Ouro-Preto, 28 de marco de 1864.
Atiesto que achando-me atacado de urna
forte constipafo que trouxe-me dores por
todo o corpo e na cabera, soffri horrivel-
mente por espado de quatro das; entu
m amigo aconselhou-me que tomasse pi-
llas catharticas do Dr. Ayer: com ellas fi-
quei sao e completamente reslabelecido em
tres dias, de sorte que estou no firme pre-
psito de aconselhar o uso das ditas pilulas
a todas as pessoas que forem aneciadas de
constipacoes.
Agostiniio Jos da Silva, negociante de fa-
zendas. ______________
liTilarao do estomago.
Ouro-Preto, 29 de marco de 1864.
Atiesto e juro, se necessario fr, que. sof-
frendo ha muilo tempo excessiva irritacao
de estomago, pouco apetite e difficil diges-
tao, d'ella tenho experimentado sensiveis
melhoras depois que tenho feito uso das pi-
lulas catharticas do Dr Ayer.
Antonio Hebmogenes Pereira Rosa.
LoDibrias.
Ouro-Preto, 28 de margo de 1864.
As pilulas do Dr. Ayer (catharticas), fo-
ram empregadas com grande vantagem por
mim em urna menina de dez annos que
soffria de vermes inteslinaes, notando-se
que os symptomas que ento apresentava
eram de molestia bastante perigosa.
Ravwjndo Nonato de S. Thiago, pharma-
ceulico.
Netralgia.
Urna carta do Illm. Sr. Francisco Al va-
renga de Azevedo.
Ha mais de sete annos que soffria dores
do hombro e as costas, lomei urna infini-
dade de remedios sem achar alivio lgum.
Dr, angustia, tormento sao palavras for-
tes, porm n5o exprimem o que tenho sof-
frido: ltimamente tomei as pillas ca-
tharticas do Dr. Ayer. S faz oito dias, e es-
tou completamente restabelecido ; ha tres
dias que nao skito a mais leve dr no hom-
bro nem as costas.
Estas pilulas acharn-se venda as pria-
cipaes boticas e drogaras do imperio, e no
Rio do Janeiro, ra Diroita n. 15
Vende-se em Pernambuco:
na pharmacia f raaeeza de
P.MAURER & C.
RA NOVA N. 18.
conlendo pera, pesugo, ameixa, rainha.
o outras frutas a 30000 cada urna.
dem era calda em latas feixadas hermtica-
mente muilo bem enfeitadas, conlendo,
pera, pesego, ameixas e outras fruas a
640 e 700 a lata, tambem temos latas
grandes a 10200.
Marmelada dos melhores fabricantes, em la-
tas de 20000 a 10200.
dem em latas de I Ij2 libra a 10.
dem em alas de 1 libra a 640 rs.
Ervilhas em latas chegadas neste ultimo va-
por a 700 e de 5" para cima a 60 rs.
Feijo verde ou carrapalo em latas j pre-
parado a 640 rs.
Ameixas em fiascos de vidro a 10500.
dem em caixinhas ricamente enfeitadas de
!00 a 2/-500. .
Conservas Molido muito -upvas a 700 rs. o
frasco. \
dem de ceblas simples a 7obr&~.
Mho inglez a 640 rs. o frasco cori sojha
de vidro. ^~
Mostarda em p a 700 rs. o frasco.
dem j preparada a 320 rs.
Latas com massa de tomate de 1 libra a
600 rs.
dem em lalas de I 1|2 libra a 900 rs.
Vinhosem garrafas vindos do Porto, Madei-
ra Secca, Duque do Porto, Duque Semi-
no, Cascavallas, Maria Pia, D. Luiz, Pe-
dro V, Velho Secco, Lagrimas Doces, La-
grimas do Douro, e oulras muitas marcas
a 10 n garrafa e 90 a 120 a duzia.
dem Palmea a 10 a garrafa e 110000 a
duzia.
dem em pipa de todas as marcas Porto,
Figueira e Lisboa a 400 e 500 rs. a gar-
rafa e 20800 a 30500 a caada.
dem ern ancoretas e 8 a 9 caadas com su-
perior vinho Lisboa e Figueira a 2 40 a
ancoreta.
dem branco expecial qualidade proprio para
missa a 56o rs. a garrafa e 40 a caada.
dem mais baixo a 400 rs a garrafa e 30500
a caada.
dem do Porto especial qulidade a 800 rs.
a garrafa e 50300 a caada.
Id m Bordeaux em caixas a 70 e 700 rs.ya
garrafa.
Champanha a melhor do mercado vinda de
nossa encommenda a 300 o gigo.
dem mais baixa de 180 a 200 e 10500 e
30 a garrafa.
Licores portuguezes e francezes a 10000 e
10500 a garrafa.
Marrasquino de Zara, verdadeiro a 10500 a
garrafa.
dem mais abaixo a 800 rs. a garrafa.
Genebra de laraDJa ver adeira a 110 a du-
zia e 10 o frasco.
dem de Hollanda verdadeira a 60 a fras-
queira e 640 o frasco.
dem de Hamburgo a 50500 a frasqueira.
dem em botigas de Hollanda a 400 e 440
rs. o frasco.
Garrafes com genebra de Hollanda com 24
garrafas a 80, com garrafo.
dem com 14 a 15 garrafas a 60.
Sardinhas de Nantes a 400 a lata.
Tijollo para limpar facas a 160 rs.
Esparmacete a 600 a libra e em caixa a
580.
Nello a 30500 e 10SO a meia caixa.
dem suspiros do mesmo fabricante a 10300
a meia caixa e 50200 a caixa.
dem mececipes a 10700 a meia caixa e
30000 a caixa do mesmo fabricante,
dem orientaos do mesmo a 10800 a meia
caixa e 30400 a caixa.
dem jovens de Castanlio & Filho a 20400
a caixa.
dem suspiros do mesmo a 10-1OD a meia
caixa, e outras muitas marcas de fabrican-
tes.
Passas muito novas a 10500 o quarto e 50 i
a caixa de urna arroba hespanhola e 320
a libra.
Venante bebida para abrir a disposico de
comer a 10500 a garrafa e 140000 a
caixa.
Alpisia muilo aovo a 30800 arroba e 140
a libra.
Pnico a 40000 arroba e 140 a libra.
e vende se fcelo baratissimo preco de 240 o cova-
do, dita ingleza a 220 o covado, organdy dos mais
lindos padrfjes que tem vindo ao mercado a 240 o
covado, isto para liquidarem : s Guimares & Ir-
mao, ra da Imperatriz n. 72.
Cortes de chita franceza.
Vendemse cortes de chita franceza com 10 co-
vados a 25500, ditos eom 11 covados a 2^700, di-
tos com 12 covados a 2880 : s Gu maraes & Ir-
mao, ra da Imperatriz n. 72.
C les Maria Pia.
Vendera-se cortes de laa Maria Pia com lo
covados a 55 e 5500, ditos com lindas barras a
105 : s Guimares & Irmo, roa da Imperatriz
numero 72.
Fazendas pretas.
Vende-se grosdenaple preto de seda pura a
15600, 25 e 25500 o covado, moreantique preto a
35, setim da China, fazenda nova e toda de laa,
com um trancado muito fino, proprio para luto,
tendo 6 palmos de largura a 2#200 o covado, e ou-
tras mujias fazendas como sejam, princeza e meri-
no, quvende-se por preco baratissimo: isto s
Guimares & Irmao, ra da Imperatriz n. 72.
Soutambarque de cores.
Vende-se soutambarque de cores ricamente en-
feitado a 55 e 65, chale de merino estampado a
25 : s Guimares & Irmo, ra da Imperatriz
numero 72.
Brelanha de rolo cora 10 varas a 35 a peca : s
Guimares & Irmo, ra da Imperatriz n. 72.
Lo ja das seis portas em frente
do Livramento
Existe grande sortimento de diversas fazendas
proprias da poca e por precos to baixos que ad-
mira, como sejam : pe?as de bretanha de rolo a
2#i00, chitas franeezas escuras, padroes modernos
e bonitos, cores fixas a 240, 260 e 280 o covado,
cassas de cores, gostos modernos e cores fixas a
220 o covado, madapoloes e algodozinhos de di-
versas marcas e quadades, a precos rnuilissimos
barato*, e muitos outros artigos por precos muito
mais mdico* do que em outra parte.
Admirem
Admirem
Admirem Bem!!
As pchinchas que eslo venda na loja e am.v
zem do Pavo, na ra da Imperatriz n. 60 de Ga-
ma tf Silva, onde se vendem todas as fazendas
tanto de luso como de primeira necessidade \cr
precos muito rasoaveis, e com especialidade as si-
guiles, dando-se amostras deitando Hcar penhor,
oumandao-se levar em casa das familias peios
caiiros da mesma loja.
Hadapolo enfestado a 40, -10500 c 50000.
Vendem-se pegas de madapolo enfestado com
12jardas pelo baratissimo preco de 45, 45500 e
Eivlsem sgftado
Km tfiueimaJ. n. 9r lojarf miudezas * Aze*g|b Maia e Silva, e?ia ijtuirnando i saber :
Frseos com supen >r baolia a 200, SiO c 500 rs.
Lalas com superior bsnba a 200 rs.
Frascos rom utperior agua de Colunia a 180 e
Ho r-.
Frasco.- com ;iici r oleo de baboza a 240, 320 e
OO rs.
Garrafas da verdadeira npua Florida a 15280.
Frascos de raperiuv rfeo ta focirtdc Higirn.que
Frascos de ^upeiiorc- eheiroe santal
tos a 15000.
S-'^ionetes de familia a 210 e 200 rs.
e outros mui-
55, dilas sera serem enfestados do marcas muito, saloneles de superior quadades a 60,120 e IGOrs.
acreditadas a 75, 85, 95, e 105, ditas, francet, Caitasi com II frascos de oheiros muito tinosa
multo encorpado proprios para saias a 80 ris a : 15100.
vara, isto na loja do l'avo roa da Imperatriz n.: Caitas dito com 6 frascos melhor fazenda a 900 rs.
60 de Gama & Silva. Ps de pomada franceza grandes a 500 rs.
Vestidos Brancos. ^o" de b"a l""luenose gran,lesa 24 e
Vendem-se os mais ricos cortes de veslides de! Frasco* com sunerior oniata a fino m
cambra.a branca primorosamente bordados, pelo : pq eom Mu/rirr E n,H7".,-. nnn
barato preco de 125 16 e 205 na loja do Pavlo, riMB" COm U[er,cr apUa ^ra dcrile' *)
ra da Imperatriz n. 60 de Gama & Silva.
Ciraude pechiucha, vestidos a |
2t$hO.
Acaba de chegar uru bonito sortimento dos mais j
lindos vestidos transparentes, muito proprios para |
passeios e bailes, por serem de primorosos dse-
nhos, sendo todos os padroes lecidos e nao pinta- \
dos, e vendem-se pelo baratissimo prego de 35800, i
sendo fazenda que val muito mais dialieiro: isto ia |
loja do Pavo, ra' da Imperatriz o. 60, de Gama & ;
Silva.
Grosdenaplcs de edr a I$tt&.
Resulta pelas experiencias taitas oa larfius >-a.
Franca pelos mais afamados medieos o
LA8e o xuioctie nvnnor.oTYLA w.:: i >
J.1.PINE sio o oiiimo remedio contra loilss ;... < :.pe-
ei*s de iMiTGr.xs ou RERPS9 e curras noiosth d .
pelle, at as mais ii:-.. toradas, assiin oeno a I.El |
JNO'vlJIADE
A l# 1^900 e i#500.
Leques de osso, ultimo gosto, a 15-
Ceroalas de meia a 13200.
Diitas muito finas a 15500.
S na ra da Cadeia do lienta n. o.
Francisco Jos Germano
Rll HOVA X. ti,
acaba de. receber um lindo e magu lico sortimento
Peixe em latas j preparado a lOO a lata i deoculos, lunetosbinculos, do ultimo e mais
e em porcao 10000. apurado 8st0 da EurPa-
Grande sortimento de roupas feitas de to-
das asqualidades,
Calcas de casemira a 65 e 75500, ditas pretas a
65 e 85, caleas d- ganga a 25 ,15800 e 15000,
i ditas brancas a 25, brim de linho.a 35, 35500 e
Vallas de carnauba a U000 arroba e 440 45, paletols doaipca branca a 45500, ditos pretos
a libra.
Azitonas de Lisboa muito novas em anco-
retas grandes a 10800 e a 400 rs. a gar-
'rafa.
a 35 e 35*00, ditos de alpaca de cordao a 45. e
de listra de seda a 15500, ditos sobrecasacos a 55,
paletots de casemira a 6'5, 55500, 65, 85 e 95,
ditos sobrecasacos pretos a 1*5, 15 e 165, ditos fi-
nos a 255, do cores a 135, ditos fraques a 145,
Balaios do Porto muito grandes proprios paletots de ganga a 35, 25500 e 25, ditos de brim
para guardar roupa suja a 20500, 30000 pardoa35,j>quetoes_dei brim pardo a 35, panno
'e 40uO>.
Batatas em gigos de 3-1 libras muito novas a
\800,ea40rs. a libra.
Gofima em paneiros a 40000 arroba e 140
a libra
Farinda do-Mjiranlio muito al va e nova a
240 a libra.
Savadinha de Frariaqanrspa a 200 a li-
bra.
Sevada muito nova a 140 a libra e 40000
arroba.
Caixas com estrelinha, rodinha e pevide a
400 a libra.
Alhos em canastras muito novos e mauncas
grandes a 180 e 200 rs. cada urna.
Canella muito nova a 10000.
Cravo muito novo a ;00.
Cominho idem a 320.
Ervadoce idem a 400.
Alfazema flor a 240.
Amendoas a 400 a libra.-
Nozes mii'rto novos a 160 a. libra.
Papel greve a 40200 a resma,
dem lizo a 40000.
dem de pezo a 30000.
Idem de embrulho marca grande a 10200 e
10300.
dem azul para botica a 20000.
Copos lapidados a 50500 e 500 cada um.
^
preto fino a 25. 256H0, 35500 5, 45500 o e 65 o
covado, moreantique preto a 25600 o covado, gros-
denaple preto a 15500, 15800, 25, 25200 e 25500
o covado; e outras muitas mais fazendas que se
deixa de annunciar, e manda-se levar pelos caixei-
ros da loja difc arara casa dos pretendentes. O
e tabelecimento est aberto at as 9 horas da noite,
ra da Imperatriz n. 56, Monde? Guimares.
pZGZ
Vende-se gaz aa-'melhor qualidsde a
0aiata: nos armazensda ruado Im-
perador n.ltj e ruado Trapiche Nevn.8.
Tasso Irmlos
Vendem no seu armazem tua do
Aroorim n. 35,
Licor fino Curarlo cm botijas e meias botijas.
Licores finos sonidos em garrafas cora rolhas de
vidro e em indos frascos.
Vinhoseneres.
Santero es.
hambern.
Hvrmilage.
Borgonhe.
Champagne.
Musca:.-!.
Uelno.
Bordeaux.
Cognac.
Od Ton.
AzeitePlagniol.
' Vende-se uma casa terrea pequea, no pateo
do Paraico ao correr da fireja : a tratar na ra
Palitos de denles, magos grandes a 120 e do Queimado n. 48.
16o cada um.
Fumo americano de chapa, de superior
qualidade a I05UU a lkra, em porc3o lera
abatitnento.
Saccas grandes com 100 libras de farello superior
I
40000 a sacca.
Vinho do Porto superior em caixa de duzia,
tem para vender Antonio Luiz de Oliveira Azeve-
do & C, no seu escriptorio ra da Cruz n. 1.
averiado.
Francez barrica 55000
Porlland dem 85500
Em perfeito estado:
Francez barrica 105000
Porlland tdern 125000
No armazem de Tasso Irmaos caes do Apollo.
prio
o
60, de Gama & Silva.
Grande sortimcitlo de roupa feiu.
Vende-se na loja do Pavao um grande sortimen-
to de roupas feitas, con.-lando de palitos de panno
preto, sobrecasacos, ditcs saceos, ditos de casemi-
ra, saceos e sobrecasacos, ditos de brim branco e
de cores, ditos de casineta, caigas de casemira pre-
ta de todas as quadades, ditas de cor, ditas de
brim de linho branco e de todas as cures, coletes
de brim, casemiras, setim. gorguro, etc., etc., to-
das estas obras vendem-te por prego mais barato
do que em outra qualquer parle : na loja do Pa-
vo, ra da Imperainz n. 60, de Gama & Silva.
Soutembarqucs de cor
Vendem-se os mais modernos soutembarqucs de
cor, ricamente enreitados, e por barato prego : na
loja do Pavao, ra da Imperatriz n. 60, de Gama &
Silva.
Capas pretas c soulcnibarqucs,
Vendem-se as mais modernas capas pretas lisas
e bordadas, os mais bonitos soutembarques pretos e
manteletes, tudo de seda preta e o que ha ds mais
gosto no mercado, por pregas muito em conta :
na loja do Pavao, ra da Imperatriz n. 60, de Ga-
ma & Silva.
Grande liquida cao a dinheiro.
Na loja earm.izeB) do Pavao.
Roa da Iiiiperr: tria n. 60 de Ca-
nia & silva.
Os dones desle estabeiecimento tem resolvido li-
quidar suas fazendas pur precos baratsimos, s
com o lim de apurar dinheiro, o previnem as pes-
soas que negociara em pequea escala com fazen
das, que nesla loja c armazem enconlrsriio um
grande sortimento por precos que iBDito Ins bao
de agradar, tanto em peca como a relal'io, a sa-
ber :
Chitas largs a 200 rs.
Vendem-se cuitas francesas, listradas muito lar-
gas, padroes oscuros, pelo barato prego de 00 rs.
o covado, tendo muito bom panno ; ditas escuras
padr5es novos, por serem todas escossezas e cor
lixa a 240 rs. o covado ; ditas miudinhas escoras
e claras a 240rs.,afiancandose que esta fazenda
nao tem o mais pequeo toque de mofo, nem outro
qualquer defeito. Isto so o Pavao, na ra da Im-
peratriz n. 60 de Gama & Silva.
Fazendas bramas baratas vende o Pavao.
Pecas de algodozinho largo, marca T com 24
jardas a 85, ditas T com 20 jardas a 75, ditas de
outras marcas, como sejam sicupira, carne de vac-
ca, etc., a 48. 55, e 65 ; madapolo finissimo com
24 Jardas a 65500 e 75800 ; panno de linho mui-
to inferior proprio para lenges e toalhas a 7i0
rs, a vara ; bramante de linho com 10 palmos de
largura a 25500 a vara. Isto s na loja do Pavao,
ra da Imperatriz n. 60 de Gama (Si Silva.
Espartilhos, na loja do Pavao.
Vende-se um bonito sortimento de espartilhos
proprios para senhoras, sendo dos mais modernos
e bem feitos que tem viudo ao mercado, tendo d-.'
todos os tamanhos e de diversos pircos trazend to-
das as competenles filas para a per lar. Isto s na
loja do Pavao, ra da Imperatriz n, 00 de Gama
& Silva.
Cambraias brancas.
Vende-se um limito sortimento de pegas de cam-
braia brancas lizas, tendo tapadas e transparentes
pelo prego de 15, 45500, 55 e f5, havendo muilo
superior da Escossia por 105 e 125- Isto s na lo-
ja do Pavfio.ua ruada Imperatriz d. 60 de Gama
uros de (jnadiinlios a 10COO.
Vendem-se os mais modernos gros de quadri-
nhos, proprios para vestidos de senhoras e meni-
nas, sendo estes gros dos mais modei nos que tem
vindo ao mercado, vendendose pelo barato prego
de 600 rs. o covado. lsio .- na loja do Pavao, ra
da Imperatriz n. 60 de Gau)a & Silva.
Uicos bonznouts de Guipure.
Vendem-se os mais ricos bonznouts de Guipure,
sendo os mais modernos que tem vindo ao merca-
do, pelo baratissimo preco de 255, cada um, as-
sim como chales de 3 e 4 ponas da mesma fazen-
da, sendo de varios pr< co-. I>to s na lija do Pa-
vao, ra da Imperatriz u. 60 de Gama & Silva.
S o Pavao vende
Chitas largas a 240
Chitas largas a 240
Chitas largas a 240.
Acaba de chegar para a loja do Pavao um gran-
de sortimento de chitas largas garioaldinas, por
s rem lodas listradas e padroes escaros e de cores
(ixas que se vendem pelo baratissimo prego de 240
o covado, sendo que em outra qualquer parte cus'
la a 360 o covado, notando que os freguezes que
comprarem porgao de ptgas, terao um pequeo
abatimento: isio na luja d Pavao a ra da Impe-
ratriz n.60, de Gama & Silva.
Liiazinlias a 300 rs.
Laazinhas a 300 rs.
Lazitilias a 300 rs.
Vendc-sc um bonito soriimento de laazinhas pro
prias para veslidos e soutem; arques por serem li
sas e de quadrinhos pelo barato prego de 300 rs. o
covado, sendo fazenda que sempre se venden a
500 rs. o covado, e vonde-se a dinheiro a vista pe
lo baratissimo preco de 300 rs. o covado : na loja
do'Pavito roa da imperatriz n. 60 de Gama
Silva.
Pelerinas a 10600.
Vendem-se as mais ricas pelerinas ou rorneiras
de cambraia bordadas proprias para hombros de
senhora pelo baratissimo prego de l600 : na ra
da Imperatriz n. 60, loja de Gama & Silva.
Organdy a 240 rs. o covado.
na foja do Pavo.
Vendera-se as mais bonitas cassas organdys, pa-
droes miudos e grandes, pelo baratissimo prego de
240 rs. o covado (doze vinlens), esta pechincha
araba-se. logo : nt leja do Pavao ra da Impera-
triz u. 60, de Cama o< Silva.
Lanzinha transparente,
a 220 rs. : s na loja do Pavo.
Vendem-se as mais modernas lanzinhas transpa-
rentes, sendo todas de listra-, quaro- e lisas, fa-
zenda esta que sempre se venden a 400 r?. ; o Pa-
vao vende para liquidar a onze vintens o covado :
na loja do Pavo, a ra da Imperatriz n. 60, de Ga-
ma & Silva.
GRAGEAS
GLSECONT
ApproTada pela Academia de Medicina de ParlE.
Resulta pelos dous relatnos, adoptad s pela lita
Academia em 18*0 e em 1858, que as GRAGEAS .io
6LI8 e CONT sao o melhor e mais efficaz remedio
ferruginoso para curara chlorosis (alias laor-atbo), os
Huios brancas, a fraqueza de compleiiie nos dous
sexos, e tambem para ajudar a menstruacao das mocas.
Estas Grageas nio sio vendidas senao em caixinias
o Tidros cobertos com rotalo e fechados com uma tira
lexando a firma do depositario geral : LABBLOWE,
harmaceutico, ra Bourbon-Villentute, 19. Parts.
Deposito geral em Pernambuce roa da
Crnz n.22 em casa de Caros & Barboza
A tari cao.
Vendem-se pecas de i steiras para forro de sala,
inta hranca preparada a ideo, em hitas de 2 li-
ras, para pintar casa, reloglos para ci:::a a e pira pendura;-, arreios para I e -2 cavalfos,
velas de spermacete, todo de superior qualidade,
vindo dos Estados-Unidos : no armazem ta rna do
Trapiche u. 8.
Feijao preto
Xarua da fmparairiz, armazem n. 0.
PROPRIO PAR V SHRAT -
Vende-se ura escolente cavaiionunio ne-
vo e manso coni
chei a do Paulin,
'> s os andares: na eo-
roa de Santo Amaro-

Ca covado.
'.hilas largas a 200, 550 e 2'.0 rs. o (ovado.
Na ra do Livramento, loja nova de tres por!; s
n. 14.
WA IMPERIAL
numero 19 >
"ENDE SE
rap imperial, ignal ao rap Lisboa, e oairo fabri-
cado de novo Ignal ao de ara pula, cm pi r-e-,; a
300 rs. a libra.
Grande pechincha para os fumadores .jien.
qnizer fumar bom e barato venba c;i.
Charutos da Baha de superior qualklade, uni-
da Muritiba e de difi renTes .-res, lamo avelsos
como encaixota'dos. por reos mui comraod'
VEXDfl-SE TAMBEy
grande pechincha para os senhores chamtems
fumo da Babia patente fie primeira, segunda o tr-
ceira qualidade, por presos mui razoaveis.
astrucc^es para o sen .
das gaardas do exercito, exirabidas :- re-
gnlamento de infantaria e accommodadas ai
rclto brasileiro; obra qne muilo i
aquellas pessoas que se alistara nos corpos
de voluntarios; vende-se na livraria r. i
8 da praca da fnd pendencia, a i$.
"'^%A~"N!Cviro AiVnT' i
S.ift lOACt
Vendem se sones muito bem feitas ack
papel muito bom 4^ o cento : na raa d
Cruzesn.il, taberna da porta larga.
Trastes cem us.?.
Vende-se 1 sof.:: consolos, i mesa redonda,'.
cadeiras de amarcIL-, 6 cadeiras americanas, 1
bea marqueza de Jacaranda, 2 carleiras de via-
gem e I carteira grande propria para lab*rna :
quem pretender dirija-se a ra das Cinco Pona:
n. 110 defronte da estaeo.
Vende-se vinh '; can a 00 r s. a c irrafa
Di ra Aug lista i . /
v nr. > t* ~ -
s =r u 2J o Ci
77 Bt -. * Xf. y. j. ~ - ~r. s. A a
nc O- 3 'S.
. s C/i '/ zr .-1 iX. ~ CA \L. "
~ n r~ f s- ~ "O * '-^ mT c
* *.ro -i ~.
S.S S S.p S S c,a.
o, s
' i 91 ?
-o re f
^ i ," a
-- c = <*
a 'a
s | 85 C2
03 '- ^ (B-
o.-" ^ ^
3Z C -J B

c
-
1 -r ^
a.
3
aS ./;
O a ~
Gi
B) A o 5
i
C
ce
oo
L
3
03
S
a
pe
o
>
Vendem-se tres moleques, sendo todos de ex-
cellentes figuras e cor preta : a tratar na roa do
Trapiche n. 11.
Vende-se um escravo idade 25 annos insigne
offlcial de carplna e bomta figura : na trsvessa op
Garmo n. 1.
Coke do gaz.
pitcli de gaz.
Alcatro do gaz.
tonelladas rs. .
.0f$0(.O
800l)0
4G(l
C< !:e
Pitcb i
AlcatrSo caada.
Ocoke reetrahecidamente o carvo mais econ-
mico, torna-se por isso recommendavcl, bem co-
mo pelo ass.eio que ?e nota as cozinbas sonde
dlle usado. Piten e alcatre,alm das ippRea^ce
diversas ao;ue se preslm,como para callafelar
er^bareagoes.alcatroar madeiras,etc.,teem este a
prepriedadede preservar do rupim. formipas/e.
E'entregar na fafer d'){W.J ou mandado [Ci em
qualquer ponto da :dlde, segundo a vottade do
comprador.
ILEGIVEP


Dfarto de fmunkMo Boato fclra de Junbe de i Mi.
CUGG.4M0S1
FILO
S iperiores chales do fil preto
>ja das' olumn'srua do Crespo n
los & C.

IDERNOS CHALES DE
PRETO.
AURORA BRILHAWTE
jliegados pelo ultimo vapor francez, a
13, de Antonio Correia de Vasconcel-
CONSULTORIO
MEDICO-CIRIRGICO
do
DR. PEDRO DE ATTAHVDE LOBO MOSCOSO,
H121C, PiHTUino 13 OPERADOR.
3 Rua da Gloria, casando Fundi 3
O Dr Lobo Moscoso d consultas gratuitas aos pobres todos os dias das 7 as *
aons la mao!ia,e das 6 e meias 8 horas da noite, excepto dos das santificada
>'ii'ni)\ No mesmo consultorio b,a serapre o mais appropriado sortimento de carteiras
bihAe iraLtoi assira como tinturas de varias dymnamisaces e pelos precos seguimos
WD0 CarteiraselStubosgrandes. 120000
de 2i tubos grandes. 18#000
.13 ti ,)U i las. i$OO
de W tatoa raadas. 303000
> deftOtaba grandes. .' 35000
i.!)irl.s (lalquer nrfcmra caafanne o pedido que se flzer, e com os remed
,M Um tubo avuiso oufrase d*tfHraiemeiaonca 1(5000.
Senda para cima- d*, cristo** pree-os estabelecdos para as carteiras..
Ha ubos mais pequeos cada nm a SOOris.
LUCROS.
.-vj
ABM4ZENS
DE
3
o
-2
O-
a
Largo daSautaJ
JCruz n. 84, es-]
_. _.. J'uina da ruado!
ESPECULES pebo.
i
V
1)1 i
Malicias Homeopathico do Dr. Jahr
........ 20*090
........ 100000
........ 60000
3^000
1. o.- o)M Ii :i>.ii))t)*tiwa, i \lmuil de
-,, i;s /.)lan.> >mb racionario .
\I; l:n lo.n^tica ti i>r. Hdn*^ .
HwwstoriaJ > > ftW ttwaet.. .: .
iicjioatfia dj iru 1) aufifna. .
05 ettiHtH deste astabelecimentos5o pordemais conhecidos3 dispeasam portan-
to i',; v aiovainenterecoininendados aspessoasiue qiizerem usar de remedios vor-
dliains jwngiew eduradores.-hatudo do melnorque se podedesejar.globosde ver-
xliro iVsioar deleite.notaveisoelasua boaconservafao.tinturados miis acreditados
esii)! :in;itos europos.amaisexacta e accoradapreparado, portante amaior ener-
ga < -i i j n seus eeitos.
Casa de sauie pira escraoos.
Hei-cbe-seiscravospara tratar de (ualquar enfermidade ou fazer-se-lhe qualquai
Mtfi'S oara o que o innunciantejuiga-se vitficieitemente habilitado.
' rata meato o melhor possivel, tanto na urte alimentar, como na medica, e
fm-' un lo a casa a mais de quatrelannos, ha muitas pessoas de cujo conceito se na
fft Uvidar, que pdem ser consultados por aquelles que desejarem mandar seus
Paa-se 2^000 por dia durante 60 dias e d'ahi em diante 10500.
V >perae5s orle previamente ajustadas, se nSo se jaizerem sujeitar aos preco?
;. i ni lir o atirroociante.
a nwh^(froprtar, doJ' amitojicteto armazem de mohados denominado Aa-
A ifleniul"! a ter meswc sort'mento de ganeros de prisaeira qualidade.
pn7. taueila-sirvtra' a todos de base para ajuste de conias aos portadores.
Dlo f 11,rraa*m andera' mais barato e melhores do que a Aurora Brilhante, ja'
em,", J"-.'^0 S"6tm.ja' raesmo porqoe, seu dono s deseja lirar diminuto iu-

M
I I
f
i >:
it>ro BiDh^lo e eliimieo de F. P. Lebeuf e 0
rua Moatmartre, 31, em Paris.
Fabrica ei Ar^enteMil, prs Pars (Franca).
UaNlFlGi(i E FABiClG\C 10
1) >s vinhos, agnarflwites e licores.
ft.fiiJAliDitaeo dos vinhos de todas as
lat'i"}- !:<,!] it relo d Medse, adose para 230
lilrw/l f.l?,le Bordeas, tt., de Pomard, 3
f. 1* Lisboa, f.,d Cataln, 2 f.,de Porto,
xVv. ia-ciN, Malaga, dose para 25 ou 30 II-
iros,*f.
S.ihi mcia''.ira fabricar com o alcool e apu
o* vini, i- cima e todos os outros. A dose para
500 litros, 50 f.
ELACtFlCAQ&GPos nglezes, pos dos vinhos
da HtM>anha, da Franca, etc. A libra para 500
liti'i.s. 5 f.
Ni
AGARDENTES.-EsseDia de cognac para-dar
as agurdenles ordinarias o sabor eo aroma de
cognac. A garrafa para 100 litros, &f.
KIRSCH EABSINTHO.-Essencia de kirsch e
de absinlho, para os fazer com alcool e aguai A
garrafa para 100 litros, 5 f.
LICORES. Exlractnspara fabricar se todos oe
licores conhecidossem fogo nem alambique, (in-
hcar-se os que se desoja.) A dose paca 20 ou 25
litros, 3 (.
PERFUMES :>ara fabricar-se os lieores finos ou
communs a dose para) mi 2o litros, 1 f. 25.
TODOS os outros productos para o trabalbod*
vinhos. luardimtes, licores, vinagres, etc., sao
fr-guerts]!
para colorear o
As duas librasjfabricados te encoraraenda.
UTEXCILIOS de laboratorio e de chimica.
e engaado nossos
COL );r,..".'.r).-Purpirigine
viohos braaeos e vinhos -Uros.
par >. litr s, lli f.
Alteaos di nossos agentes temi falsificado o otilado oossas oreparacoes
(.es]!-'V0-S3 etigir sobre as rolhas e rtulos asiniciaes F. V. L. Paris,
0 mola de usar-so ilaspreparaeesicha-seiniiieado nn rotulo.
A* encommondas devem ser ac.ompanhadaspor urna letra sobre Paris ou qualquer outra cida-
d-*- i'r\'i;i, ou ,'iran'i h 0->r umi oa > i ivila. ')iriir-sp i w >rs. Lebeuf & G. chimicos, rua
nonrlM. i. II. '.n PH-. ou i ai fabrica iffl Vr>alftuil, prs Paris.
r. | .. ,, i! :'. me Ka. rua d ) Imo-rador o. 38.
provS n X P" accumular asdespezas do estabeleeiment por isso deixe se a- .
taues fuete ^ faMr UKla d^^oc^aa- de seivir beta os seu coas-
Vinho rerde superior.
A caada a 3$00d e a garrafa a 400 rs.
Gomtta.
Sacas de 4 arrobas, a verdadeira de se
engommar, a arroba a 35000 e a libra
120 rs.
Sabao massa^ a libra a 200, 210 e 280 rs.
Varilla.
Saccasgrandes com farinha de Goianna mui'
to nova, a tfOOO.
Caf.
Cafdo Rio mnito superior, a arroba a 8$,
8o00 e 9000.
, Cha.
Ch.temos nestes generoso melhor possivel,
hyson, a libra a
Dito perola a 33**0.
Dito uxim a 23700.
Dito hyson rauite fino a 2#800.
Dilo redondo a 2,5500.
Dito preto de primeira qualidade a 23500.
Dito mais baixo a 23O0O e 13600.
Er?a mate.
ExceHente chi medicinal, a libra a 210 rs.
Espermacete.
O masso com 6 vellas de espermacete a COO,.
6i0 e 720 rs. i
Passas.
Caixas de 16 e 8 libras de passas novas pro-
prias para mimos a 43 e 23500.
No7.es.
Notes, a libra 160 rs. e arroba a 43000.
Alpisla e paiitco.
Alpistae painco, a arroba 43000 e a libra a
160 rs.
Cartas.
Cartas Unas para logar, a duzia a 23500.
Castanuas.
Castanhas novas vindas neste vapor, arro-
ba 43000 e a libra a 200 rs.
Azeitonat.
Barriscom azeitonanovas a 13500
Hanteiga.
Manteiga superior, a libra a 13280.
Dita mais abaixo a 13200.
, Dita menos superior a 13 .
francezas a Oita franceza nova, a libra a 88C
i Dita dita em barris e meios ditos, a libra a
*7sSo.8 1,faS ^^"^ oiio aovas,
DraaSigsrdBn^S ^8,^" empostas i nteiras,
9400 1UaMade^ a 1*000> **M(>
D,SSS; Tj&r!*1*peWscopara fn-
Di|aLC^ameixa.sa ,Ai#0- 'A80 3*500-
AbreuJ^*^ atoada labricaale
Di tas com massade tomate, a 300 rs
S e? P'gi>lichiaai de soda multo novas, a
r Chocolate..
oaixinhas com araeixas enfeitadas proprias
fhncn a,rllm a ,a00' *W e '^m-
! 880a t3000PeriOr mUt n0V' aUbCade
ftl**"11" oaletria araarella, a libra
Dito dilo dita branca, a libra a 400 rs.
t-aixascomostrolioha,pevide, eoutras mas-
sas, a caixa 3350.
pites dita em Libras a 640 rs.
L^ag, a libra a 360 rs.
Lhevadinha para sopa a libra, a 240 rs.
brvilnas seccas, a libra a 160 rs.
Uitas descastadas, a libra a 200rs.
\b P'2a mu" nova' a libra a 280 rs.
i J5. de araruta verdadeira, a libra a
L oOO rs.
'At2\ Maranhao, emsacco, a arroba a
23400 e a libra a 80 rs.
.Dito da India e Java, a arroba a 3328 e a t-
bra a 100 rs.
taracinhode Lisboa a 9*500 a arroba e a3J0
rs. a libra.
|Ditci de Santos, a arroba 73000 e a libra a
260 rs.
oloscom 125 cebla grandes, a lj298.
7Slai^a franceza> ca'*a com 2 duziasa
tFra3ivAn Cm BW3lafaa pr<>f>aradaem vinagre,
l a uu rs.
Ditos:om coBservae-iofleBa
640 e 800 rs.
itoscom sal refinado fino, a 640 e a 500 rs.! 80O rs.
Ditoscom a verdadeira genebra delaranja, a | Dita para tempero a 400 rs.
DE
AZEVEOO FLORES
Roa da Cadeia do Ueeie, esquina da M^drc de Dens,
Prestem attenoao ao discurso do Balo.
A loja do Balo todas as semanas reforma o seu annuncio em ceasequenci de
constantemente receber novasjazendas e novo sortimento' de roana feita, os seus preros-
I s3o os mais moderados como j ninguem ignora, as fazendas que n5o levara preco marca-
ido porq-ue lia diversas quadades e diversos prefos, e em Joja a/guma encorrrar o pu-
1 bliro um to completo sortimento de fazendas e roupas feitas, e nao liavendo a obra qoe
i o freguez procurar toma-se a medida e em 24 horas estar salisfeilas as exigeocias do
fregmez.
Pede-se attencao.
Chapeos de sol com 16 asteas a 12>.
dem idem com 12 asteas a 80.
dem idem denominados acadmicos, fazenda inleirameot nova com 12 asteas a
125, por este preco s na loja do Balo se enconlra.
Bales de arcos para senhoras, os melhores que lia a 3$.
dem de arcos e de musselma para meninas a 2??, 2500 e 3500.
Vestidos finos a Hacia Pia a 14L
dem dos nais modernos que ha de llores matisadas a 18$.
dem com barras, fazenda anda nao vista em Pernambuco a 24^
Pecas de cambraias que sempre se vendeu por 9$, o balo wnde por 7$.
Chitas preclaras que todos vendem por 040 rs., o Balo vende a 3fi0.
dem da rxnsma qualidade, porm de outros palrea a 44X)rs.
dem escuras a 300 rs. estao-se acabando.
dem estreitas a 200 rs. s na loja do Balo.
Las de accento escuro com llores matisadas denominada pelas senhoras que i
compraram (la econmica.)
Cambraia de cores as mais finas a 80 rs. a vara.
dem de cores com quadros brancos a 500 rs. a var?.
Madapolo a 8$ a peca, que vale 96, tambem ha fino.
dem francez proprio para saia de senbora a 560 rs. a vara.
Camisas de meia muilo finas a 22 a duzia.
Meias frii.is para homem de 6$ a 8-s a duzia.
Camisas de pregas largas a 2,5500 que todos vendem por 3$.
dem inglezas de IdIio muito finas a 48$ ou 54$ a duzia.
dem de fianella de cores muito finas.
Calcas de casemira pretas e de cores de 7$ a 12$.
Paletos de casemira de cores e pretos, a 10$. 11$ e 12$.
Colletes de casemira e de brim branco os melhores que ha.
Calcas de brim bra co muito finas a 4$500, 5$ e 7$. ,
Paletos de alpaca branco a 5$.
Manta3 modernas para pescoco de homem.
Collarinhos de papel de cores a 800 rs.
dem brancos a 400 rs. a duzia.
Laa preta para luto e ile todas as mais cores a 500 rs. o covado.
Ceroulas de linho com duas costuras.
dem de algodo a 15600.
Cambraias para forro de vestido a 2$600 a peca ou a 360 rs. a vara.
Chales de merino estampado que custaram 8$, vende-se por 5$ em razo de es-
tarem um p uco desmaiados por ter estado a mostra, por estes precos s na loja do
2:300!!
Um corte de chita larga franceza
ms. na
com 10 covados, padroes escuros ou claros, cores fixisjs-
L.oJ;i das varas
5Rua do Crespo5
o se amostras deixando penhor.
Musseliaas tic cores
P.vJr5es mui mimosos e gosto moderno, largas, por300 rs. o covado, s na
Loja das varas
5 -- Roa do Crespo 5
DE
Gregorio t*aes do Antaral Se C.
i
s
Chitas largas francezas
escura; claras, padroes mdernas e cores flnissimas a 240o covado na
Loja das varas
=Rua do Creipoi
DE
Gregorio Paes do Amaral i Companbia.
IJ
drd-palha, padrjs miadrahos,
Gregtfio
ciiitis de llabo
a 230 rs. o covado, s na
Loja das Taras
; Rua do Crespo 5
DE
Paes Id Amaral k Comnaiihia.
A
Mara Pia
Cortes de'
com barras ma.-adss, do oliimo gosto, s na
LeJAjdas Turas
5 --Hila do Crespo 5
Gregorio Pdcs do Amaral & C.
Do-se ainoslras deisanlo peahor.
15000.
Ditos de2 garrafas d*HoUaada verdadeira,a
640 rs.
Botijas cota dita proprla para negocio, a
J 400 rs.
JGarrafoes com 2 galoes com dita, a 6J.
(Serveja boa,marca, a 500 rs. a garrafa, e al
) duzia a 65OOO.
'Vinho moscatel de Setubal, a garrafa a l.
MarrasqmnhnKdarttM.fraseos a SOC rs. e
a 14200.
Fgiampagne, aduca 20*066, e a garrafa a
\ 25000. ^
a Azei te refinado portuguez e francai.a garrafa
9 a 1^000.
Caixa de vinho Bordean* muito superior.a
75,85,95 elOJ a caixa.
jDitas com dito branco, a 75 a caix.
.Ditas com dito larimas do Douro verdadeiro,
\ a 205-
'Ditas com duque do Porto verdadeiro,"a
185000.
>Ditas com chamisso superior, a!45.
)itas com Porto velho e outras muitas mar-
cas, a 125.
| Vinho do Porto da pipa, a garrafa a 640, 720
i e 800 rs.
J)ito de Lisboa muito bom, a caada a 33200,
I 35500 e 43, e a garrafa a 500 e 560 rs.
Ditoda Figneira, dassegointes marcas (N.)
(J. A. A.) (J. L. G.) (O. M.) a caada a
> 45500, e a garrafa a 560 e 640 rs., deste
\ que j est engarrafado e lacrado com o
rotulo do armazem.
iDitosde marcas mais desconhecidas, acana-
i da a 35500 e 45000, e a garrafa a 480 e
520 rs.
|Vinbobranco fino, agarrafa a 640rs.
iDito de caj muito superior, a garrafa a
' 800 rs.
Que.ijos.
vindos neste
vapor a 2
mnito novos, a libra
Queijos novos
35000.
Ditos londrinos
15000.
Papel.
Papel almaco pautado, a resma a 43800.
Dito dito lizo de linho, a resma a 45500.
Dito de peso lizo e pautado, a resma
25500.
Dito deembrulho, bom a 15 e 13-00.
Vinho Madeira.
Garrafas com o verdadeiro vinho Xerez e Ma- (
deira a 15300 e 23000.
Temperos.
Folhas delouro, pimenta do reino, cominho'
e cravo, a libra a 400 rs. ,
Velas de carnauba.
Massos cora 6 velas de carnauba refinada a
480 rs.
Anrendoas.
Amendoas com casca, a libra a 320 rs.
Dooe.
GaixSes de doce de goiaba, grandes a 13400
e pequeos a 640 rs.
lijlos de limpar.
Tijolos de arear faeas a 140 rs.
Grana.
Duifiasde boioes de grasa n. 97 a 23000, e 1
de latas a 15000, e os boioes a 240 rs. ca-,
da nm, e as latas a 100 rs.
Charutos finos.
Charutos finos dos melhores fabricantes da
Bahia por diversos precos, caixas e meias;
caixas.
ilACiliNASErATENT
de trabalhar m&o pars
descarocar algodfio
FABRICADAS
Por Plant Brothers & C.
OLDAM
Estas machina*
podemdescarocar
qualquer especi
de algodao sea
estragar o fio
sendo bastanu
duas pessoas pan
o trabalho; pdt
descarocar ums
arroba de algo-
do em carocc
em 40 minutos
ou 18 arroba;
por dia ou o ar-
robas de algodc
limpo.
AGUA
E grande quantidade de gneros tendentes
a estes estabelecimentos, que deixam de an-
COATUVIDON BORDADOS
N. 11 Rua do QueimadoN. 11
A sle estabeleei ment ehegoa ltimamente da Europa um graade o variado sorti-
mento de coriinados bordados o que ha de mais goslo em desenhos e bordados.
Lindos bonets de palha de Italia para senhoras.
Chapeos e chapelinas de palha de Iulia ricamente enfeitados.
Chapeos finos de seda para cabeca de homens e chapeos de sol de seda inglcies .de
8,12 e 16 astes.
Bournus e chales de renda pretos superiores.
Pelisses e soutembarques de seda preta para senioras.
Cortes de la de barras de 145 a 225 de muito gosto.
BalSes de arcos e de mussalina finos, manguitos e camisinhas.
Saias bordadas muilo superiores.
Moireantique preto, grosdenaple preto e de cores, panno preto fino de diversas qua-
dades e casemiras pretas e de cores.
I-uvas de pellica para homsra e senhoras.
E muilas outras fazendas que todo se vende barato na loja de Augusto Frederico
dos Santos Porto, aonde tambem. se vendem as melhores e mais bratas
Esteiras da India para forrar salas
N. 11 Ron d Queimado-N. 11
Taso Irnios
vendem gesso em p para estuque de casas, tijolos
finos de feillo diversos para ladrilho, azuleijos de
diversos gostos, tijolos vidrados para parede de co-
staba, canos de barro para esgoto, "cemento em
barris de 10 arrobas.
Caluugas flar e bri a quedos
para menluos.
Lhegaram para a loja de miudexas Jda rua do
Queimado n. 69, os mais finos e lindo caiungas
tanto para bnuquedo de meninos coma para cima
de mesa : na mesma loja se oncontrari bom sor-
timento de miudez; s. |
0 GASTELL0 DE GR4SV LLE
Triduxrdo doraneez por A. J. C. da Crnz.
Vende-se este bello romance ero quatr
tomos pelo baratissimo preeo de ioOC
ua pra^a- da Indepentleatia. livraria ns.
6 e_8.________________________________
Ceuebra de llollanda em fras-
quelra.
Chegou a genebra verdadeira de Hollands, mar-
ca VD, e vende-se someute no armazem de Rarros
& Silva.
Assira como machinas para serem movidas por
animaes, que descarocam 18 arrobas de algodi
limpo, por dia; e motores para mover urna, duas,
eutr;s dessas machinas.
Os mesmostem para vender um bellissimo va-
por que pode fazer mover seis destas machina.*
mencionadas; para o que convida-se aos Srs.
agricultores, a virem ver e examina-lo, no arma-
zem de algodo, no largo da ponte nova n.47.
Saumlers Brolhers & C.
\. II. praca do Corpo Santo
RECIFE.
Os nnicos agentes neste paiz.
Rival sem segundo
Rua do Queimado n. 49, loja de miudezas de Jos
& Azevedo Mala e Silva esta disposto a vender moi-
lo barato que admira, pois seus fregueses ja esto
scientes que nao ha segundo competidor.
Pecas de cordo para vestidos a 20 rs.
Capachos redondos e compridos a 500 rs.
Talheres para meninos a 240 rs.
Duzias de facas e garfas a 25400.
Duas de cabo preto cravado a 35000.
Barataos francezes muito finos a 200 e 240 rs.
Grozas de boioes de louca a 160 e 200 rs.
Caixas com soldados de chumbo a 120 e 200 rs.
Bunecos de choro pequeos a 160 rs.
Varas de cordo para espartilho a 20 rs.
Duzias de colheres para cha a 800 rs.
Duzias de colheres para sopa a 15500.
Ditas de metal principe de cha a 25000.
Ditas para sopa a 45000.
DE
Florida.
para restabelecer e conservar a cor natural dos ca-
bellos.
A agua de Florida nao urna tintura, facto es-
sencial a contestar, a mesma agoa dando a cor
primitiva de cabello. Compostas de plantas exti-
cas e de substancias inoffensiveis, ella tcm a prc-
priedade de restituir aos cabellos o principio co-
rante que ellos lem perdido.
De urna salubridade incontestavel, a agna de
Florida entrelein a limpeza da cabeca, destroe as
caspas e empede os cabellos de cahir.
Oleo de Florida
Composto de substancias vegetaes exticas, elle
contribue poderosamente, com a agua de Flo-
rida a forca, a belleza e a conservaco dos cabel-
los.
Em Paris casa de Guilaurn. 112 rua de Rechi-
lieu e 21 boulevard Monlmarlre.
Todos os frascos nao lendo intacto e clare, e Un-
cir prateado da casa. reputado falso.
Deposito roa do Imperador pharmacia n. 38.
Bixas hamburpe/as.
Vende-sena rua Nova n. 61.
DROGARA.
34Rua larga do Rosario34
Bartholomeu Francisco deSouza
Vendem:
Acido actico puro para retratistas.
Esmaltes para ourives.
Papel para forrar casas.
Guarnico>s avelludadas.
Tinta brancasuperior em lata.
AivaiadeVeneza, fino, em paes.
&c.
Urna familia que se retira vende urna mobilia
de amarelto j usada, tren de cosinha, lou$a de
almoco e jamar azul, lima mesa de jantar de ama-
relio ps toraiados, mesas- pequeas, commodas,
cama de casal e muites outros ohjectos o que tuda
se vender em conta : na rua dos Pires n. 62.
Vende-se urna negr nha de 10 anaos, rauita
esperta e sadia : no pateo da matriz de Santo An-
looio n. 8.
No armazem de azen das ba-
ratas de Santos Coelho,rua
do Queimado n. 19, ven-
de-se o seguinte:
Lences de panno de linho a 25400.
Ditos de bramante de linho de um s panno a
35500.
Cobertas de chita da India a 25506.
Lengos de cambraia brancos proprios para algi-
beira.peio barato preeo de 28000 a duzia.
Pegas de breanha de rolo com 10 varas a 35800.
Ditas de cambraia para forro de vestido, com 8
varas, pelo baratissimo prego de 25600.
Guardanapos adamascados pelo baratissimo preco
de 35500 a duzia. *
Algodao enfestado com 7 1|2 palmos de largura a
1500 a vara.
Cortes de la de lindos gostos com 15 covdos a
65000.
Pegas de cambraia adamascada com 20 varas, pro-
prla para cortinado, pelo barato prego de 115.
Fil liso fino a 800 rs. a vara.
Dito com salpicos a 15 a vara.
Tarlatana branca fina a 800 rs. a vara.
Atoalhado de algodo adamascado a 25200 a vara.
Dito de linho a 35200 a vara.
Lazinhas lisas de todas as cores, pelo baratissimo
prego de 500 rs. o covado.
Pegas de cambraia de salpif os brancos e de cores
com 8 1|2 varas, pelo baratissimo prego de
45508.
Ba!5es de 20 arcos a 25500, de 23 a 35, de 30
3JC00, de 35 45, de 40-45500.
Toalbas felpadas a 135 duzia.
Esteiras da India de 4, 5 e 6 palmos por menos
preco do que em outra qualquer parle.
Neste armazem se encontrar um grande sorti-
ment de roop feita e por medida.___________
Admiravel pechincha!
Mozambique a 300 rs. o covado, na toja
do pavo.
Vendcm-sn os mais bonitos mocaarbiqnes de po-
ra la proprios para velidos e soutembarques,
sendo de quadrinbos de Ostras e lisos, fazenda m-
teiramente nova, em padroes e mnito proprias pa-
ra as senhoras que frequentam o mez Mariano,
porqne esta fazenda Ibes facilita fazerem por poo-
co dinheiro vestidoamito decentes psra qualquer
acto, advt-rtindo-se que este baratissimo prego
devido a grande compra que se fer desta aova fa-
zenda, que se vende a freze lustes o covado : na
loja do pavo, rua da Imperatrlz n. 60, de Gama &
Silva.
4
i.


.>
fTLEGlVEL


Otarlo de
.
Sexta felra t de Jnnto de 18
m
i
i
1
T
0
DO
DA
LIGA.
ESTABELECIDO A RA NOVA N. 60
Wm & lD3M 2)2 SIS Min&TJl
AO
RESPEITAVEfi PUBLICO.
A apreciac3o dos habitantes desta heroica provincia existe no grande arma-
zem da Liga estabelecido ra Nova n. 60 um magnifico sortimento de molhados,
que sendo em sua mximo parte mandados vir directamente de estrangtiro podem ser.
vendidos por presos asssrazoaveis.
Sem a fatuidade de querer que este novo e interessante estabelecimento seja o j
primeiro e nico em seu genero, pde-se porm ffiancar, com toda a seguranca de que
nenhum outro o exceder no restricto cumprimento das seguintes promessas:
1." Delicadeza no trato.
2.; Fidelidade no peso.
3/ Sinceridade nos presos.
As pessoas que por sua psito social gozam de certo tratamento, acharao nesta
casa os melhores queijos londrinos, cerveja, vinhos inissimos manteiga e cha sempre de
primeira qualidade. etc., etc.
Qualquer que seja a condico do freguez, elle deve contar que sera sempre mul-
to bem servido. ,
Aquelles que sao pouco favorecidos da sorte faro mensalmente urna economa de
muitas patacas, afreguezando-se fiesta casa, onde se lhes vender e arroz, o caf, a man-
teiga o assucar, etc., etc. de boaTjmlidade pelo preco que em algumas parles nao po-
dem ou nao querem vender.
Os senhores de fra da cidade, dos arrehaldes ou centro, que compram para ne-
gociar, devem vir, pelo seu proprio interesse, a este estabelecimento para se convence-
rem do quanto se pode vender barato.
Para os senhor. s que compram para tornar a vender existe um sortimento espe-
cial, escolhido per pessoa entendida que certamente muito de?e agradar aos senhores
compradores. ,.,.
Nao se tem poupado sacrificios, nem se deixar de fazer a diligencia para agra-
dar a todos. _-*
PELOS SEGUINTES PRECOS SO SE VENDE
A DINHEIRO VISTA:
AO PUBLICO
Sem o menor constran-
glmento se entregar o
importe do genero que
So agradar.
ARMZEM
RA DA CADEIA EO REQFE N. 53
(Logo passando o arco da Conceteio)
PAM BEM DE TOBOS.
Senhore' S senhoras o aceio que presidio os arranjos deste novo estabelecimento, e mais que tudo a promptidao e intei-
reza com que serao iraLto'ieaivida a urna visita ao mesmo, certos de que sem duvida ma dar5o a protecco e preferencia na com-
pra dos treneros que precisareai e quando nao possam vir poderao mandar seus portadores, anda que estes sejam pouco praticos,
.-_*. *. i_._l ___..j___________:_ nooanalmntf> havAnHn nara c-nm prIp.9 toda recommenrlaeaii afim Mo nn r. in am
TTENCO
o* preco da segulntc
tabella para todos, po-
dendo asslm servir de ba-
se para o ajaste de contas
eom os portadores;
MERCANTIL
43 e 15-RUA DO QlEIMADO-43 e 43
Vondem-se cortes de casemir escoceza a 5J30O
o corte, coberla de chita escoceza a 24 e l<800,
cortes de ia indiana para venido de senhcra a
5800 ; tndo se vende por este prego para aca-
bar restos de fazendas, assim como chitas largas
a 200 rs. o cvado, cambraia organdy LiiiL-sini a
280 e J60 o covado.
T
pus serlo bemservidoscmo seviessem pessoaknente, havendo para com estes toda recommendacao, afim Jde que nao vo em
tra parte. "" *"*"
Aleiria, macarlo e talharim a 4oo rs. ali- Sal refinado em frascos de vTdro com lampa
bra e b.ooo a ca*xa. do mesmo. a 5oo
ALPISTE E PAINQO a UQ ts, a liba.
AMENDOAS novas a 28o rs. a libra.
AVELES a 240 rs. a libra.
ARROZ de 90 rs, a libra a,..
AMEIXAS francezas em latas, potes, fras-
cos, bocetas, etc, etc.
AZEITE doce a 600 rs. a garrafa, cadada a
B
BANHA de porco a GGO rs. a lihra, em por-
co faz-se abate.
BOLACHINHAS do beato Antonio a
B0LACHLNHAS de soda lata grande a 2,000
ris.
BI5C01T0S inglezesem latas de 1,200 rs. a
BOLACHINHAS principe Alberto a 2,000 rs.
c
CHOURICAS m ito novas a 800 rs. a libra.
CAF de 260 rs. a libra.
CHOCOLATE francez a 800 rs. a libra.
CHAMPAGNE das marcas mais acreditadas
a 25,000 rs. o gigo.
CHARUTOS de todas as qualidades, suissos,
americau ;S, bahiannos, fluminenses, etc..
de 1,400 a 10,000 o cento.
CHA HYSSON de 2,200 a
COPOS lisos ladidados de todos os taa-
nnos a
D
DOCES de todas as qualidades.
E
ERVILHAS seccas e em latas portuquezas e
francezas.
F
FARINHA de araruta verdadeira a 800 rs. a
libra.
FA.RINHA du Maranho ou tapioca a
FARELLO de Lisboa a 4 e 5,000 rs. a sacca.
FAVAS portuguezas em lata a 600 rs.
GOMMA muito nova e alva a 140 rs. a libra.
GRiO DE*B1C0 a 120 rs. a libra.
GENEBRA delaranja a 9 e 10,500rs.
CE.NEBRA de Hollaoda im botijas, frascos,
- garrafas, etc.. etc.
MANTEIGA ingleza efranceza al,?, 1>5I20
15280 e em barril faz-se grande abati-
mento.
MACAKR.0 a 400 rs. de 8 libras para cima
a 360 rs. a libra.
MASSA DE-TOMATE a600rs. a lata.
MOSTARDA ingleza a 800 rs. o frasco.
MARRASQUINO de Zara.
MARMELLADA de diversos fabricantes e
diversos precos.
P
PEIXE em latas a 1,000 rs.
PERAS SECCAS a 500 rs. a libra.
PASSAS muito novas a 320 rs. a libra.
PRESUNTO para fiambre.
QUEIJO do reino de 2,000 a
DEM londrino.
DEM suisso a 800 rs. a libra.
DEM prato a 800 rs. a libra.
m
SABAO MASSA a 160 rs. a libra e grande
abate em caixa,
SEVADINHA a 200 rs. a libra e 8 libras se
far grande abatimento.
V
VINHO tinto de 360 a.. garrafa.
VINHO tinto em caada de 2,560
VLNIIO branco em caada de 3,500 a
VINHO verde a 45 rs. a caada.
VINHO Bordeux em caixa a 6.000, 7,000 e
VINHO de Grave a 6,000 rs. a caixa.
VINHO Cherry a 1,000 rs. a garrafa.
VINHO do Porto de todas as marcas e todos
os presos.
VINHO Collares a 800 rs. a garrafa.
VINHO tinto, neste genero ha constantemen-
te 20 a 30 pipas ao torno de diversas
qualidades e diversos precos.
VINAGRE em ancoretas a 15,000 rs.
VINAGRE em pipa a 160, 200 e 240 rs. .
VINAGRE branco a 400 rs. a garrafa.
VELLAS de carnauba a 13 e 13,500 rs. a
arroba.
Mmteiga ingleza especialnenteescolhidaa
l,ooo e 8no rs. a libra e em barril se faz
abatimento.
dem franceza a mais nova do mercado a 96o
rs. a libra e 900 rs. em barril ou meios.
Cha liysson de superior qualidade a 2,600
( rs. a libra.
Cha perola o mais superior do mercado a
2,8oo rs. a libra.
dem hysson muito superior em latas de 15
libras muito proprio para negocio a 2,ooo
rs. a libra.
dem hysson nacional em latas de 1 e 2 li-
bras a 1,000 rs. *
dem preto o que se pode desejar oeste ge-
nero a 2,ooo e 2,2oo rs. a libra.
Linguicas muito novas a 8oo rsl a libra em
barril se faz abatimento.
Chourifas e paios a 8oo rs. a libra.
Costelletas inglezas a 64o rs. a libra, serve
para temperar paneUa ou para fiambre.
Queijos do reino chegados neste ultimo va-
pora 2,2oo- rs., ditos de navio devella a
2,ooo rs.
dem londrinos muito frescos e de superior
qualidade a 8oo rs. a libra.
dem prato a 8oo rs. a libra, e inleiro se faz
abatimento.
dem suisso o mais superior que tem vindo
ao mercado a 64o rs. a libra.
Ervilhas e favas portuguezas j preparadas
em latas hermticamente lacradas a 64o.
Feij5o verde muito superior a 640rs. a lata.
Copos lapidados para agua a 5,ooo e 5,5oo
rs. a duzia.
dem idera para vinho a 3le rs., e 2,4oo rs.
a duzia.
Chocolate francez 'espanhol e suisso a 9oo,
l.oooel,2oors. a libra.
Espermacete superior a 6oo e 64o rs. a li-
bra e em caixa se faz abatimento.
Peixe em posta em latas hermticamente la-
cradas e das melhores qualidades de pei-
xe a 8oo, l,ooo e l,2oo rs.
Vinho Bordeaux das marcas mais acredita-
das que vem ao nosso mercado a 7,ooo e
8,ooo a caixa e64o e 7oo ris agar-
rafa.
Genebra de Hollanda a 48o rs. a botija de
conta certa.
Frasqueirasde genebra de Hollanda a 6,8oo a 9oo rs. a garrafa e lo:ooo a caixa.
e 64o rs. o frasco. j Batatas muito novasa 8o rs. a libra e2,5oo
Genebra de laranja verdadeira em frascos' o gigo com 36 libra*.
grandes a l,ooo ell.ooors. a frasqueira. Conservas inglezas a 75o rs. o frasco e
Caf do Rio de Ia qualidade a 28o rs. ali-! 8,5oo a duzia.
bra e 8,5oo rs. a arroba. ; Vassouras de escova para esfregar casa a
Caf do Cear muito superior a 24o rs. ali-1 4oo rs.
bra e 7,5oo rs. a arroba. Nozes muito novas a 16o rs. a libra.
Arrozdo Maranho de Ia qualidade a loo Molho inglez em garrafa de vidro comrolha
rs. a libra e 2,8oo a arroba. do mesmo, a 16o rs.
dem da India a loo rs. a libra e2,8ooa Mostarda ingleza dos melhores fabricantes,
arroba. a 8oo rs. o frasco,
dem de Java a 8o rs. a libra e 2,4oo a ar- Mostarda franceza em potes j preparada a
roba. 4oo rs. o frasco.
Pataco e alpista a 14o rs. a libra e 4,oooa Lentilhas francezas, excellente legume para
arroba. sopa, a 2oo rs. a libra.
Massadetomatesdesuperiorqnalidadea64o Marrasquino de Zara propriamente dito a
, a aoo rs.
Massapara sopa : estrehnha, pevide e rodi- Cerveja branca das marcas mais acreditadas
tilia branca ouamarella a 64o rs.a libra e que vem ao mercado, a 5oo, 56o e 64o
5oo a aua. c*m 8 libias. a garrafa, e 5,8oo, 6,ooo e 6,5oo a du-
Viaho do Porto amito fino areprio para zia.
engarrafar, em ancoretas de S canaaaa* Cewdiaha de Franca muito nova, a 2oo rs.
3.5,000 rs. Charutos do aflamado fabricante Jos Fnrta-
Vinho em pipa: Porto, Figaeira e Liaboa a do de Simas, das seguintes qualidades:
32o, 4oo e 5oo rs. agarrafa, e em casada
a 2,5oo, 3,ooo e 3,8oo.
Viuho branco de Lisboa de excellente quali-
dade a4oo e 5oors. a garrafa e em caa-
da a 3,000 e 3,5oo.
Vinho branco para missaemcaixas de 1 du-
zia a 8,ooo e 68o rs. a garrafa.
Vinho do Porto das melhores marcas que
vem ao mercado como sejam : Lagrimas
do Douro, Duque do Porto, Raioha dePor-
tugal, Duque genuino, D. Luiz I, Madei-
raSecca, Malvazia fina a 16,ooo, 15,ooo,
12,ooo e I o,oooa caisa com 1 duzia e9oo,
l,ooo e l,5oo rs. a garrafa.
Vinho Cherexde superior qualidade a 16,ooo
a duziae l,5oo rs. a garrafa.
Sardinhas de Nantes a 4oo rs. os quartos e
64o rs. as meias latas.
Bolachinhas inglezas muito novas a 5,ooo a
barrica e 320 rs. a libra.
Bolachinhas de soda em latas de diversas
qualidades a l,3oors.
Cartoes com bolo francezaroito propriospa-
ra mimo a 64o rs.
Passasmuito novas em caixinhas enfeitadas
para mimo a 3,ooo rs.
Passas de carnada a 8,ooo a cai&a e 4oo rs.
a libra.
Figos de comadre a 24o rs. alibra.
Amendoas de casca mole a 4oo rs. a libra.
Milo de amendoas a 5oo rs.
Bolachinha d'agua e sal, da fabrica detao
deBrito no Beato Antonio, emlata de 6 li-
bras por2,5oors.
Ameixas francezas em fiasco de vidro com
tampa do mesmo, a l5oo.
Ameixas franc zas em caixinbas de diversos
tamanhos com bonitas estn pas na cai-
xa exterior, a l,4oo, l,6oo, l,8ooe 2,ooo
cada urna.
Azeite doce refinado hespanholou portuguez |
e
rs. a
lho.
lata de urna libra e56o rs. a ref-
lala garrafa e ll.ooo a duzia.
Palitos de dente a 14o rs. o maco.
ExposicSo Normal de Havana, hnperiaes,
Londrinos, Guanabaras, Parisienses, Sus-
piros Delicias, a 4,ooo, 4,5oo, 5,ooo,
6,ooo e 7,ooo a caixa ou em u eias.
Charutos finos de diversas marcas e fabri-
cantes, como sejam: Flor do Norte, Ma-
nilbas.de Havana, intervallos,Vencedores,
Panatellas e Suspiros, a 2,ooo, 2,5oo e
3,ooo a caixa.
o gnac inglez das melhores marcas, a 8oo e
l,2oo a garrafa.
Doce da casca de goiaba a 2,ooo a lata com
4 libras.
Farinha de araruta verdadeira a 32o rs. a
libra.
Malte,excellente cha para os navegantes, a
2oo rs.
Sebollas de Franca muito grandese novas
a l,8oo o cento e l,2oo solas.
Palitos do gaz a 2,2oo a grosa.
Toucinhode Lisboa muito novo a 32o rs. a
libra e 8,5oo a arroba.
Banha de porco refinada a 65o rs. a libra.
Bolachinha Alberto, as melhores que pre-
sentementetem vindo ao mercado, a 2,ooo
a lata.
Farinha do Maranho muito alva e cheirosa
a 2oo rs. a libra.
Frascos com fructas em calda de diversas
qualidades a 2,5oo e l,5oo o frasco.
Caixinhas com fructas em doce secco de di-
versos tamanhos, muito proprias para
mimo, a l,6oo, 2,6oo e 3,5oo cada urna.
Ruibos, excellente peixe portuguez, em
barris pequeos ou a retalho, a vista se
far o preco.
Azeitonas de Rivasem ancoretas grandesde
8 garrafas por 6oo e 8oo rs. a garrafa.
Afeitonas portuguezas a 5oo rs. a garrafa
l,5oo cada urna ancorela.
Champagne da melhor qualidade que vem
a o mercado, a 2,ooo e 3,5oo a garrafa,
24, ooo e 26,ooo o gigo.
Gomma de engommar muito alva a 12o rs.
a libra.
Figosem sextinhas a 8o rs, cada urna e 72o
rs. a duzia.
Papel azul para botica a 2,ooo a resma
Balaios para roupa suja, grandes e peque-
nos, por diversos precos.
Amendoas confeitadas a 64o rs. a libra.
Latas com fructas em calda: pera, pecego,
damasco, rainha Claudia e cereja,
rs-
Vinagre de Lisboa a 2oo e 28o rs. a garra-
fa e a l,4oo e 2,ooo rs. a caada.
Azeite doce de Lisboa a 4,8oo rs. a caada
e 640 rs. a garrafa.
Vinagre branco j engarrafado a 5oo rs. a
garrafa.
raemos luvm.
100,? de gratifica fo.
Fogio na da 7 de maio de 186o. da ra.-.i duabai-
io assignado, o seu escravo Francisco, calara, esli-
mra regular, gro*9odo corpo, oafaellos oo i ai ^pi-
chados, denles pe feito, sem baria, jes e mos
regulares, Uvande vestido cal^a de caffBra pe-
la, camisa branca, paletot de alpaca e baeta, prelos ; alem tts rtftmc- fifafs Km
elle no braco direito um sipnal Si do qoal lem um coracio felo coni lista aiol. n
cujo centro tem as seis niciaes Sf guinics: S 111
IMN, lem elle 23 annos de Idade, pi no mata ou
i menos. Consta ter esuIdo a ertraA do mric.
(em tusca da casa de seu auligo s. nlu i u i iunte-
coronel Juaqufm Carneiro da Costa, ;. qoal r.o
lugar denominado inrral Grande <;. villa < Sau-
t'Anna, provincia do Cear. O aUuo aseiftado
recommenda nao s as autoridades, c< dio aot ca-
pitcs de campo de qualquer logar, ;. aph ra do
referido escravo, o qual poder ser entregue no
primeiro andar do sobrado n. 81 da ra do In p-
rador, cidade do Recite, ou no sitio da eslan* do
Joo de Barros, residetcia do alixo -m^icIo :
a pessoa que o trouxer ter a giaiicco irim,
___ Joaquim Manoel o> Mira Wandeilev,
Allenvao
Na noite do da 25 para 26 do rrez de. ir a.o fo-
gio do engenho Juodi da E>cada o escravo citoo-
lo de nome Alexandre, idade de 20 iones, i eco
mais ou metros, ccr prela, dinles alvos, (statom
rfgular ; cujo esciavo foi arremalsi'o rm piara
publica dojuizo do orphaes de Sar'o Anfu.e'
tentou alisiar-se no batalPo de voluntarios ; a-
sim pede-se as autoridades policiaes e aos capi-
les de campo a captura do menr.o fsetavo, e a
sua entrega nesla cidade ao Sr. Albino Rrreira
da Cusna, casa da esquina da roa Se Hoitas jara
o pateo de S. Pedro, ou no mesmo engento Jundi
ao seu senhor Manoel Antonio Da.-.
Fugio era principios do mez de fevereiro do
crrante anno e consta estar acornado nesta eiriade
o moleque Euzebio, escravo da viuva do r. Fer-
nando Alfonso de Mello, de 12 annos de idade pou-
co mais ou menos, cor preta, secco do corpo olhos
regulares e afumaoados, cabera un pouco granos
6 meia chata, beicos linos, dentes bem alvos, pe*
seceos e muito ladino : roga-se por tanda ic.las as
autoridades policiaes eeapJliesde campo que oap-
prehendam e levem-o a ra da Manpaeira sibiadc
n. 6 que serao gratifleados, protestando-se inardoi
melos judiclaes contra qualquer pessoa que oteutu
em seu poder.
Superiores cortes de moirs preto com barra, o qne ha de melhor gosto em
[demPQeflgorgSr3 preto adamascado com barra a imperatriz Eugenia,
dem de corsurao de seda bordados com barra. nt,nn lK KH e*
%Jom? moirs pretos e largos 2*400, 2600, 35, 3^500, 40, U, 6*,
Superi?rVorgudr0o de seda preto, a melhor fazenda que ha para vestido.
Sarja preta de seda.
dem preta hespanhola.
dem idera lavrada a 2# o covado.
dem idem lavrada muito superior.
Completo sortimento de grosdenaple preto a IfloOO, 1*800, 25, 6oUU, q,
36500, 45, 4*500 e5fj. f.
Pannos pretos de superior qualidade de 30 a 12* o covado.
Casemir preta de 1*600 a 5* o covado.
Lindos chales, bournus, algenennes e retoudes de filo preto.
MaQU EPmuitas oulm tofffde superior qualidade na leja das Columnas
na ra do Crespo n. 13 de Antonio Correa de Vasconcelos & C. successores
de Jos Moreii a Lopes.
GOMMA NOVA.
Em paneiros muito Iva a 4,ooors. a arroba e 16o rs. libra e compran-
do de um paneiro para cima se far abatimento na ra do Imperador n. 40.
Machinas 4e serrotes para
algodo
Cbegaram as doseiadas machinas de serrotes pa-
ra descaroear algixtao, havendo om completo sor-
timento dsde 13 al 40 serrotes, tarobem ha mo-
tores aojericano para as mesmas machinas, ven-
dem-se mais barato posslvel: na ra da Cadeia
do Radie n. 36 A. loja de ferragens de Joio Car-
jos Bastos OJIvnira.
Chegaram os superiores
cortes de seda.
Superiores cortes de seda da cor, viudos pelo
oltimo vapor francez : na loja das columnas a roa
do Crespo n. 13, de Antonio Correi de Vascon-
J cellos *C
Agua florida e tnico orien-
tal de Kemp.
Continuase a vender em porco e a retalho :
na ra do Queimado, loja d'aguia branca n. 8.
Chromacomo
A aguia tiranca, na ra do Queimado n. 8, acaba
de receber um novo sortimento de caixinhas com
chromacomo para Ungir cabellos, e bem assim
frascos com hydrocalletrichina, agua para desen-
grasar os ditos, coloncomo para lustrar os ditos,
e onychromantin* para limpar as unhas. Essa
tintura, cujo effelto rpido e efficaz, est bem co-
nheeida e apreciada para todos quantos della tem
usado, eos que de novo a quuerem apreciar, po-
dem, assim como aquelles, dingir-se munidos de
dinheiro ra do Queimado, loja d'aguia branca
numero 8.
Papel e folhas para rosas
Acaba de chegar para a loja d'aguia branca, na
roa do Queimado n. 8, um bello sortimento de pa-
1 pe de cores para josas, dito verde para folhas, e
dito tambera verde e mui flno para cobrir o ara-
, me, assim como folhas de panno e avelludadas
I para ditas.
Aspas de baleia para vestidos
Vendem-se na roa do Queimado, loja d'aguia
branca n. 8.
Superiores penas d'aco ingle-
zas e francezas
A. aguia branca alm do grande sortimeoto de
penas d'aco que constantemente tem, scfta de
receber mais outro de superior qnalidadl^e dos
afamados fabricantes Perres & C, asslm como as
verdadeiras blco de langa n. 134 contras depon-
a dourada, continuando porm a vende-las por
precos commodos, com tanto que ocompradorcom-
pareca munido de dinheiro : na rna do Queimado
leja di aguia branca n. 8, onde tambera achar-se-
ha a venda pastas para papis.
A aguia branca na ra do
Queimado n 8, recebeu:
Bonitos e graudos aljofares de cores para voltas.
Pulseiras de ditos de iguaes e agradareis cores.
Voltas pretas maiores e menores todas de contas
grossas.
Pulceiras pretas tambem de contas.
Outras de differentes qualidades e gostos.
Brincos de aljofares de cores e donrados.
Fivelas d'aco grandes e pequeas com cinto pre-
to e de madreperola.
Outras grandes de dirTerentes qualidades e re-
dondas cora pedras.
Bonitos leques de (madreperola redondos e de
outra forma.
Ditos de sndalo intericos e corredizos.
Capellas brancas para meninas.
ATTENQaO wieus senhores
PARA
NOVA CALIFORNIA
Fazeadas baratissimas laja da roa do Crespo d. 17 de Jos Gomes
Villar.
A nova crise commercial permute que o povo em geral nao possa comprar fazendas
caras. O proprietarlo deste estabelecimento, amigo qne do povo em geral, attendendo a
essas*circumstancias est vendendo fazendas por precos que na realidade admira.
Correi, bom povo, a este estabelecimento, e eomprai fazendas, porque all se vende
por menos do qne em outra qualquer parte.
Cassas organdyzes a 280 rs. o covado.
Chitas francezas escaras matizadas a 260 rs o covado.
Ditas escuras muito finas a 240 o covado.
Ditas claras dem a 240 o covado.
Ditas escuras idem a 260 o covado.
Chitas para coberta muito largas matizadas a 240 o covado.
Madapoloes finos largos a 6,5590, ~ft e 8.
Chales de fil preto muito bons a 10000 cada ura.
Chales de merino estampados a SJl'OO, 6e7J.
E outras muitas fazendas, que luda se vender por precos que ad
Acha-se fgido o escravo pardo de come
Ignacio, idade 3 annos, pouco mais cu menos, al-
tura regalar, cabellos sondados, olhos pequeo,
e quando nr ficam quasi fechados, nariz um pooco
chato, tem alguns dentes podres e falta de ostro,
corpo regular, falla bem, e muito ronbecido nes-
ta cidade e em alguns-lugares fra por onde if m
andado 5 perianto roga-se as autoridades policiaes
e aos capiles de campo, tanto desla provincia ro-
mo das limitrophes, que o fac^m ai'prelunikr c
conduzi-lo casa de seo senhor o major Antonio
da Silva Gusmao, na rna Angosta, sobrado ii. !i9,
que generosamente recompensar, e pagar., tocias
as despezas a qoem o conduzir.
Atteng&o.
Ausenton-se no dia 28 do corrente a escrava Ro-
sa, de idade 40 annos, cor fula, falta de dente? na
frente, altura regular, lem algumas marcas de jun-
cada pelo braco e pelas costas, leveu veslido I ran-
eo de cambraia e chale de merino de pona redon-
da de ramagem e roda com as-^ento encarnado es-
curo, bem conbecida na esliada a Magdala
por tersido escrava do lugar quoatr;.ve.-:i ia os
Remedios, acude ella tem sido vista: roga-se as
autoridades do lugar e aos eapities de campo de
leva-la a ra do Llvraraento n. 3, loja de calcado,
que sera recompensado.
Desde o da 19 do corrente mez de maio, que
se ausentou da casa de sea senhor a escrava Ro-
mana, de 18 a 20 annos de idade, estatura taiga,
bem parecida de figura, levou vestido de chita es-
cura e chale azul com palmas de cores, j nao c
a primeira vez que foge e sempre que teto faz cos-
tuma vagar pelas ras desta cidade e suburbios
da mesma : portanto roga-se as autorulados po-
liciaes eaos capiles decampo que afa^am apre-
hender e conduzir a ra Direita taberna n. 23,
que serao gratificados, protestando-se desde j
usar dos meios judieiaes contra qualquer pessoa
que a tenha em seu poder.
Azeite doce refinadoem pequeas latas a 560 rs. a garrafa : no graude armazem
da Liga.
Saceos de 80, iOO e 120 libras a 4& 40500 e 50 ; no grande armazem da Liga.
Fugio no da 28 do correte, a noite, a es-
crava Januaria, pertencente a D. Amelia Folicia
Deschamps senhora de .Mr. Len Chapelin, retra-
tista, cuja esclava houve por compra que fez ao
Sr. PioPierres Varclla Rarca em ibril ultimo por
intermedio de seu procurador Joo Francisco (a-
bral, desconfia-se que a dita escrava tenha se-
guido para Paje de Flores e que procure o enge-
nho do Exm. baro de Vera Cruz, a qut-m lem-
pos passados perlenceu : a dita e.-crava tem pouco
mais ou menos 20 anuos de idado, de estatora
pequea, de cor fula, lem os denles limados, lesta
e olhos muito pequeos, gratilica-se bem a quem
apprehende-la.
Ausentou-se no dia 10 do correte o escravo
Luiz, estatura baixa, levou camisa e calca brama
de algodezinho, tem sido visto as Cinco Pontaa.
ra Imperial e Afogados : quem o pegar leve o
em Santo Amaro, em casa de seu senhor Manoel
Custodio Peixoto soares, ou na praca do Corpo
Santo, que ser grtificado.
ttene

i
mmmu sem igua
i r
Madapolao muito flno com pequeo toque de avaria, por preco que admira : na loja
das columnas na ra do Crespo n. 13, de Antonto Correa de Vascencellos & C.
No dia 4 de Janeiro do anno de 1864, fugio do en-
genho Conceico, comarca de Pc-d'Alho, o escra
vo Galdino, pertencente ao ahaizo assignado, com
os signaes seguintes : idade 26 annos, pardo, claro,
corpo, figura e altura regulares, cabellos meios ca-
rapinhados, olhos pardos, sobrancelhas e palpehras
salientes, tem em cada brajo um sino de Salomao,
sendo um delles mal fetto, e junto a este una cruz,
tem na cabeca urna cicatriz de ama polegada, e em
cima de um quarto urna outra cicatriz de tres re-
legadas, proveniente de ponta de pao e qneda, tem
sobre as costas algomas marcas ou cicatrizes de re-
inadas ou chicote; umfpouco desembarazado quan-
do falla, tem principio de carpina e rarreiro, toca
viola e barbado. Foi soldado do corpo de'poliria no
Recife, e levou comsigo a baiza do theor seguinte :
Secco urbana, 2" companhia n. 50, Antonio Caett-
no de Oliveira.rilhode Agostinho Ferreira de Bri-
to, natural de Ingazeira, cor parda, cabellos cara-
pinhos, olhos pardos, offlcio nenhum, estado soltei-
ro, com 30 annos de idade, 60 polegadas de altura,
ao engajar-se. Engajou-se na forma do regula-
menlo, em 17 de fevereiro de 1862, por offlcio do
Em. Sr. presidente da provincia, dtalo de 28 de
abril do corrente, e publicado ao corpo cm ordem
do dia de maio, tudo em 1862; teve baixa do
ser vico por ter dado em seu lugar o paisano Joo
Pedro Ferreira da Rocha. Foi escravo do capillo
Joo de Dos Barros, morador que foi na comarca
do Rrejo da Madre de Dos, e hoje morador na
Campia Grande da Parahyba do Norte, qae o ven-
den em dias do mez de novembro de 1863 ao abai-
zo assignado, pelo cosame de andar fgido e a ti-
tule de forro com o nome mudado ; pelo que roga-
se a atteoco das autoridades civis e militares, nao
i so desta provincia como das demais do imperio, a
1 apprehensao do dito escravo, que a titulo de forro.
nao tenha sido recrolado on assentado prae,a em
alguns dos corpos de Voluntarios da Patria, tam-
bem pede-se aos capitaes de campo e pessoas par-
' ticalares a mesma apprehensao, elvalo ao sea
senhor no referido engenho ConceiQan, ou nesta ci-
dada ao capillo Manricio Francisco de lima ra
do Brum o. 56, qne ser gratificado com 200*.
Jos Mara dos Santos Cavalcanti.
y



[ILB3VEL]


8
Diario de reraamhuco Sexta felra t t Jnnho de f S.

LUTERiTOlA;
i res, amarguras e alicQSes se convertrem em glo-
| ra na bemaventuranea.
3 de nos depende a eseolha, e nao ha que he-
sitar.
UMPOUCO DE TUDB.
Sobre o cvangelbo de S. oo cap. XVI. D'aqui
a mu pouco tempo nao me veris; tamban d'cqui
___*,, JXennum maior servico podemos prestar a re i
n juco temime lomareis a vr, porque vou para ., : v f f w
n i .. 81*0 da verdade, do que sa varmos esses muitos
nien \>ai escreve o Cruzara do Brasil o se- i um cm mu
guiute : Id0s no^os irmaos, que vivem no meio da dola-
Se estas palavras pozeram .-.ttonilos os apostlos! na-
que nao sabara comprehender, o que o sen Divi-' Fo' isI que Ievou os nom ^P0^^ d CDris-
00 U :tre Ii.es quera dizer por um tal enigma, e "a0'.sn, 1*lurM PaIria> a Pren'es. bens
miawm uns aos outros : como cnlendiam pa- e ri1ueza?> e internarem-se pelos serles, atraves-
lavrai que .hcs pareetam tao contraditorias, com \sando ri.os ca^alosos, o extenuados de fadigas, da-
mu,> razo deveriamos hoje .tambem nos conten-
tar Cira o que disse S. Gregorio papat quo nun-
ca fallamos, com mais elocuencia, das obras de
O douto e clebre rabino convertido, Paulo Laiz
Drack, morrea em Roma no dia 3 de Janeiro.
Nascido na religio judaica, abragoa o eatholi
O assassino do nosso bem amado presidente
Abraham Lincoln anda est em liberdade.
ma recompensa de 60,000 dollars ser dada
Dcu, senio quando nos lemitartos a admirar era
um | rofundo silencio
..no Mostr, assim como antes da sua mor-
aba previmdo aos apostlos acerca da sua pai-
lita e gloriosa resurreico, agora, emquanto se
deinoja por alguns dias entre elles, nao s os pre-
vine dt que pouco era esse tempo, porque se de-
luorana entre elles, se retirava para seu pal mas
que lauibem d'ahi a pouco lempo o toruariam a
m i
A rislcza de que se drixavam os apostlos pos-
-u:;, : igo que seu Divino Mi-sire ibes fallava em
j ilar-se co mundo, os perturbava e a mais na-
ndiam, ento J.-.-us Christo, couhecendo essa
leiurbago (e seus pensamentos, se apressou em
consolados, o ao uiesmo tempo de os prevmir con-
:i a tormentos o affliccdes que o muido lhes pro-
parata, dizendo-ihes:
Eu me vou; a vossa partidla, a vossa heranca
na mando seio as lagrimas, os gemidos, as tortu-
a j morte, enoqaant que o mundo se regosija-
rosaos tormentos e lagrimas porm em vnr-
dade isto tudo se converior para vos em perpetuo
prazef, que jamis v.,s ser tirado.
ic'oi assia qae Jess Canso iratou de os conso-
lar I...
Eiioa tiuliam de ser enviados por todo o auado
i pregar o evaogelho, baplisando cm nome do Pa-
dre, do Filbo e do Espirito Santo aos que acredi-
tassem na boa nova que elles Ibes levavam.
ilaa como seriam elles reetbidos por esse mon-
do, iodo entregue completamente a crengas diame-
iralraente opposlos doutrina do Legislador do
Calvario,: e crencas to avoraveis a todas as pai-
sana liiinauas ?
abo eslava senhor do mundo, e, ainda que
ido ao olgoilia, uo arcana sua pieza sem
mpragar os autores extorcas, c todos os recursos
.ie qae dispuuia no inferna, que lodo se prepara-
a para suggerir aos seus adeptos, todos os meios,
a seu ver, capazes de supplantar os apostlos, sem
importarem com a promessa do Divino Mestre,
|ae estara com elles at a consummaato dos
seetil$.
'. Como lea sido porfiada a lula ?...
Desde eto os. mais exquisitos tormentos nos
poli -s as rodas de navaihas, as fornalhas ardeu-
tes, uas grelbas, oas calderas de azeite fervendo
ara nada puderam embarazar a conquista do mun-
do pelo evangelho
Quanto ittais abundante corra o ssnguc dos mar-
tanto mais se multiplicavam es renles ge-
5 pelo evangelho para a igreja de Jess Chris-
to, i; tal surte a ser boj c- '.do mundo adorador
des Cruz, que sendo at enlao o symtiolo da igno-
minia, se lornou em s\ mboio da salvagao.
Feliz tristeza que u;n al fracto produzio, e que
se converteu para es verdadeiros lilhos de J .-es
ijlu lo em lio perenes ejras de glorias!...
Oh que animucao para vos todos que pe jaes
as pelejas do Senhor!
Que cousolarac para vos todos que o mundo tena
feiio aiiraentar-se de lagrimas e dores, e que jamis
lemestes o seu desprezo, poique s bascareis a
gloria de Deus!
Como nao devenios ter constancia nos nossos es-
torbos para vcocermos as teataces e resignacao
no; aossos soffrimentos!...
..liamos esperaoca Qrme ua Divina Misericor-
dia, que tudo se nos eonvertar cm bem; pos
que o primelro passo da Sa.uidade nao offen-
der a Deus, mas o segundo urna sincera peni-
tencia.
Se a heranca dos justos neste mundo sao os ira-
baikos, as miserias, as afflic(des, as lagrimas; por.
que, se este mundo um mundo de provas, como
Coi predito pek Divine iestre a seus apostlos,
como nao olerecernios com resignacao a Jess
Canso todas essas lagrimas, todos esses traba-
Ihos, todas as aifliccoes. pois que tudo tem de se
coaverter em glor;a, regoxijo e prazeres eter-
nos ?
D;Ui excrcita ueste mundo sobre os homens
3'ous jaizos com os males presentes: a uns como
principio dos tormentos do inferno, para que se
cenvertam em quanto tempo; c a outros enva
esses mismos -niales tempuraes para de todos os
purificar; coaio pois nao i ecebermos todos esses
males eemo entras tantas provas do seu amor e da
:U misericordia ?
Nao ha meio termo; ou gozar temporalmente
de todas as pompas o deleites mundanos, que ain-
da assim sao misturados sempre de encomrnodos e
affliccdes e depois couvciterem-se elles em soffri-
mentos eternos, ou psidecor ae^te mando cora re-
Signacio por amor de Jess Cbristo as dOres. os
traaibos e toda sorte de desgracas, com que Elle
nos quizer visitar para provar o nosso corar".o, o
nosso amor para com Elle, e depois todas essas do-
rea) o derradelro suspiro em servico dessa cara
porco do rebanho de Jess Christo.
Foi isto o que Ievou S. Fraocisco Xavier as
praias do Japao, S. Joo de.Brito a As-a, Pedro
fClaver a Carthagena, Vieira e Nobrega ao Brasil e
Perboyre a. China,
Arrancar das garras da infidelidade os nossos
irmaos, que gemem escravisados pelo poder das
trevas, plaolar-lhes no coraco os sentimentos de
virtude, mostrar-lhes o caminho do co, o maior
servico que podemos prestar a humanidade.
Ai daquelle, que esquecido do seu ministerio,
deixou morrer a mingua o filho do erro, que bus-
ca o alimento na palavra divina !
Para o sacerdote a maior gloria ganhar almas
para o co.
Nossa missao toda de dores, de dissabores e
de coelratempos.
E' o salvador quem o diz: Vos seris odiados
por causa do meu nome.
Felizes daquelles, que compenetrados do sea ca-
rcter, envidam todos os meios para porem em
pratica os conselhos do Divino Mestre.
Quao grata nao deve pois ser a sociedade a es-
ses sacerdotes do Senhor, qus se dedicam todos
em corpo e alma ao servico dos gentos ?
. o catholicismo capaz des abaegacSo, por
que s elle qnem entende o primeiro e o maior
mandamento do Homem Dos: Deligite alterulum,
hoe est mximum et primum proeceptum.
Nstes ltimos lempos, a Inglaterra, a Ilha dos'
Santos parece querer tomar a dianteira de todas as
nacoes, na conversao dos inflis.
Xo ha dia em que novos convertidos nao appa-
regarn, novas igrejas se nSo ergam, e novos trium-
phos nao alcance a relgio.
Xo bastando isto, um nobre sacerdote inglez, o
l\vd. Dr. Huberto Vauyhan, oriundo de urna das
mais respeitaveis familias da Inglaterra, qae sera-
pro permaneceu cathoica, lomou a seas hombros,
com o auxilio do alguns bispos cathollcos, fundar
em Londres um seminario de missSes para os
infies.
O Dr. Vaughan percorren o Chile, a California
e o Per', e agora acha-se entre nos estendendo a
mao para pedir urna esmola, afim de levar a effei-
to esse novo brasao de p.ossa f.
O Dr. Vaughan acreditado por prelados rauito
respeitaveis, pelos Srs. internuncio do Brasil e vi
gario capitular.
A' testa da sua lista figura o nome do nosso Im-
perador o Sr. D. Pedro II.
cismo, permanecendo sempre unido a elle, e pra- por este ministerio a pessoa que conseguir prende
ticando com o maior escrpulo tdos os seos pre- lo, sem prejaizo das recompensas offerecidas pelas
ceitos. [ autoridades mumeipaes ou pelas autoridades exe-
O cooleddo do seu testamento d mostras de ama cut vas dos estados,
grande conffon5a e de urna fervorossima devoco' Urna recompensa de 23,000 dollars ser concedi-
Santissima Virgem. da pe|a prja0 de G A Au conhecido tambem
Js-ll. ronovou neste acto a profissao de f de Po ^ nome de ,Port Tobacco, CUI ,ce de Boo, e
IV, .fim de attestar pela ultima vez o seu apego oulra rec0IBpensa igual pela priso de .David C.
religiao calholica.
Pallando do seu edificante passaraento, escreve
ama gazeta franceza :
Em sea testamento, o cavalleiro Drack renovou
sua profissao de f cathoica, segando a fprmula
de Pi IV ; elle invocou ento a fllha dos res da
Jadea, a inmaculada Virgem, proraeltida a seus
pais, nos termos os mais expressivos e temos.
E dando a alma a Dos, chamou por esse Jess
que um rio de sciencia junto a um toque de gra-
ga Ihe havia revelado, clamanJo-i com a voz
enfraquecida pela agona : Fui David, miserere
mei.
Harold, que outro cmplice.
Alm disso, ser lberalmenle recompensado to-
do aquello que der indicaejoes qae pos.-.im guiar a
descoberta de un dos mencionados criminosos ou
de seus cumplices.
Toda a pessoa que der asylo ou guardar segredo
j sobre o asylo dos mesmo, que os ajudar a escon-
der-se ou prestar auxilios para a sua evasao, ser
' considerada como cmplice na morte do presidente
e na tentativa de assassinato contra o secretario de
estado Seward, e ser julgada militarmente e puni-
da com a morte.
A nodoa de sangue innocente que cahio sobre o
territorio deve ser apagada pela priso e castigo
O Commcrcto do Porto noticia o seguinte : dos assassinos.
No Dispalch, peridico de Selma, no Alabama, pede-se a todos os bons cidadaos que ajndem a
(Estados-Unidos) acha-se o seguinte annuncio com acsa0 da jUSlca nesia circumstancia. Cada' un
data de 24 de fevereiro, quarenta e nove das, an- deve ter como um caso de consciencia o cumpr-
les do assassinato da Lincoln : ment de tal dever, e para isso nao dever descan-
se os cidadaos da confederaco do sul me do sar de dia nem de noite.
um milho de dollars em dinheiro ou boas garan-
tas, offereco as vidas de Abraho Lincoln, Gui-
Iherme H. Seward e Andrew Jooson para o t. de
marc/) prximo.
Isto nos dar paz e mostrar ao mundo que os
tyrannos nao pdera existir nesta trra de liber-
dade.
Se isto nao se realisar, exigir-se-ha smente a !
quantia de 50, tados para acabar com esses tres infames.
Pela miuha parte subscrevo com 1,000 dollars
para esse patritico fim.
Quera quizer subscrever, dirija-se a Buzn X,
Cahaba-Alabaraa
Este annuncio, que um peridico da California
qualiflea como gracejo, fol ou nao um offerecimen-
to serlo para os assassinatos que aponta ?
Wilkes Boot logo que assassinou Lincoln appli-
cou-Ihe a palavra tyranno, que se contera no an-
nuncio, e sabido que Seward esteve m risco de .
morrer as maos de um cmplice de Boolh.
Sao singulares estas coincidencias.
E' um vro de paginas sem termo :
Contm os episodios mais suaves
Dos sonbos, ao luar, que leve o ermo,
Do amor das llores, dapaiio das aves.
E recorda nos temos murmurios
Os incidentes d'essas lendas rusticas,
Das virac.5es aos rumor jos frios,
I Que os arcanos conbecera das acsticas.
D'entre o grupo de fados e memorias,
'entre as mais doces de expressao e idea,
! A mais interessante das historias
Que constara dos annses da extincla Ida.-
. E' a seguiule. Por ahnos campos
i Quem quo nao a sabe e bem de cor T
i Os grilos, pela noite, aos pyrilampos
i Recitam-n'a com garbo de doutor.
\
+t**&*KTrsr*
E' do Sr. Dr. Franklin Tavora este fragmento
poeiico de um poema nao publicado :
Lose na Estrella do Sul o seguinte :
O papa mandril distribuir por todas as emba-
xadas em Roma um volumoso relatorio, que Ihe foi
dirigido por seu ministro das obras publicas, onde
moslra o que tem feito o governo pontifical duran-
te estes ltimos seis annos pelas bellas artes, agri-
cultura, commercio, industria, marinha c caminhos
de ferro.
Ha um documento bastante interessante.
Falleceu em Roma no dia 10 de Janeiro monse
uhor Melchiades Perlisi, patriarcha de Constanti-
nopla e conego da baslica patriarchal do Vati-
cano.
L'ma reuniao geral, coram Sunclissimo, da con-
gregacao dos Ritos, effectuou-se a 10 de Janeiro no^
Vaticano, para oceupar-se da causa da beaiificacjo
do veneravel servo de Dos Berckmam, professo
escolstico do collegio romano.
Durat:!; este tempo todos os alumnos de dito
cohegio e os padres da companhia de Jess assisti-
ram, na igreja de Santo Ignacio, a urna mis9a so-
lemne paFa pedir a Dos, que manifestarse"as glo-
ras e os mritos de seu servo.
Tratou-so em Roma de formar um curso espe
cial da Historia dos Papas, que deve ser juoto ao
d historia grega e romana.
l'.u dos sabios mais estimados foi o enoarregado
de compor um mareua/.
A polica americana colheu una carta de Wil-
kes Booth, escripta em Janeiro.
E' urna longa e diffusa declamacao em que o au-
tor expoe os seos sentimentos sobre a guerra eivil
dos Estados-Unidos.
Declarou se pelo sul, nao como partidario da
causa da escravatura, mas em consequencia da re-
pulso que Ihe nspirava a injustica do norte, o seu
espirito de dominaco, pela persuaso em que est
deque a trra da America feita para os brancos
e nao paraos pretos-, o porque o direito de separa-
gao entre o norte o sul Ihe parece imprescrip-
tivel.
Diz elle que s Dos sabe que ninguem quer
mais bem a raja negra, e que ninguem faria por
ella mais do que elle, sevisse ao menos um meic-
de melhorar-lhe a contiico. Mas a poltica de Lin-
coln nao serve seno para aniquilar completamente
essa raja.
O sul nunca combateu e nao combate para a oon-
servacao ia escravatura.
Essa idea dsappareceu com a primeira batalha
de Bull Run.
Os motivas do sul para fazer a guerra vieram
ento a ser to grandes e- to nobres como aquel-
es de que as precedentes geracoes teem podido
glorificar-se.
Admittindo mesrao que elle estivesse em erro na
origem do conflicto, a crueldade e a injustica po-
zeram o erro no campe- inimigo.
Os homens do sul nao teem que escolher : ou ;
bao de ser exterminados ou reduzivlos a urna os-,
cravido peior do que a morte.
Pela sua parte, diz Wilkes Booth, a sua esoelba
esta feita.
Fauces abertasr-o mato
Dizia do seu retiro
Como son que accorda um' harpa-
Gemidos, vozes, canjoes ;
Sussurro vagomas grato,
Sentido como um su. piro,
Que sobe do pego escarpa
E echa as amplidoes.
Ai! a tarde era to ruciga
Naquellas horas dormentes,
No topo desses fragudos,
Xo ventre escuro do val',
Quando nos seios da veiga
Os ventos dormem silentes
Debaixo dos aayoredos,
Como cobra em matagal 1
A sombra era um veo de monge, 3f
Preso dos raoutes nos cimos ____
E as planicies inundas
Esparso forrando o chao;
Cobrindo os rios, ao longe,
Bebendo aromas opimos
No pllen das flores lindas,
Por cima da solido.
E nos vergeis qae fragrancias 1
ti as fragrancias que gozos !
E nos gozos que docuras!
as depuras que amor!
E nesse amor febre, ancias.
Delirios' voluptuosos,
as plantas, as espessuras,
Na sombra, no co, na flor.
As selvas vivem de encantos :
Participam venturosas
De lodos os beneficios
Que enva Dos para i..s :
Gozara de luzes, de cantos,
De primaveras fomiosas,
ManbSas e das propicios,
Luares e arrebes.
Viverno mato : que sonhos I
Delicias que as almas sintaro,
Prazeres, felicdade
Lmpida, rosicler,
S nesses centros risouh is !
Nao ha muflieres que mintam,
Xo ha a sociedade,
Annel que aperta a doer.
O padre Balzofiore, monge agosaiano de grande
saber, vai publicar em italiago urna vida da vene-
ravel Anna Mara Taigi.
O Rvd. padre BoufSer preparapfembem um
balha sobre a vide desta mulheB,extraordinaria!
por suas virtudes e ^pelos dons que recebeu de |
Dos. [y
| Era na selva. Xos instantes bellos,
Sabe que o ho de laxar de doudo. Ebrios de scismas, de visoes de luz,
Tem muitos amigo e-todas as condicoes da-eli- lira que as tardes enriam mil anhelos-
cidade, ama profissao que llie deu um rendimento Das nnvens de crystal aos seios us.
de 20,000 dollars por anno, e ama familia que ... ...
.,. a ..!.-,__^ j- j t i N um recamo feliz de paz tranquil a
ama deveras apezar de divergencia de opinies.
Mas cima de tudo est para elle a justiga.
Nao considera como um acto deshonroso pren-
der esse homem (Lincoln) a quem o sul deve to-
das as suas miserias. Os tupys, que Uvoramsoa taba
Diz que ha quem pense que- a causa do sul che-, Nesgas paragens, por idade ida,
gou a cova fnebre para onde o norte tem. eonstan- Deram-lhe o doce nome deManga aba
temente procurado arrasta-b, esquecendo que lo- j R|0 sob folhago entretecida.
dos sao maos-e que t sempre impoltico levar um
iimigo at a desesperacio. ; )rrem-lhe as. aguas desatadas> francas,
Possa eu salvar essa causa, embor morra no r em cima de conchas e de area ;
tra-, laQo que aos-armam, porque morresia com alguma.. Oradifflceissobre pedras brancas
Em denso mallo, no Brasil, ao sul,
Se estende ura rio que a espessura asyla
Veia, que d'agua, masfluenle e-azul.
I Duros colchoes em que sa estorce a vea.
*4^>^M
gloria.
A caria termina assim assignada : E va caraC0|aDdo e docemente *
Um eoaederado quecumpre o seu dever debai- ^,,,^,,0 as r,banceras e os cipos,
soda sua propria responsabilidade.J.
Booth.
Wilkes qU( peBdem (]j,s ramageBS na torreste
E se banhaui as aguas, coao nos.
A Propaganda acaba de.publicar urna nova edi-1 __p_i-___________
gao do Ritual com um supplemento, que contm Sabe, facto por faci, toda a historia
um grande numero de boncos appropriadas s Pelo ministerio da guerra de Washington fol Desses- campos e mallos e sertoes,
inaugarases de lnhas telegraphicas, caaunhos de mandado publicar o segainta aviso era 20 de Guerras, amores e festins de gloria,
ferro etc. abril Homem por homem, tribus, geracoes.
fi tacaMMWW
FOLHETIH
O CONDE DE CHNTELEINE.
Episodio da revoluco.
(Continuacao.)
V
QC1MPBB EM 1793.
De um jornal inglez transcrevemos a seguinte
'carta acerca do recente conflicto entre o governo
portugoez e os Estados-Unidos.
O signatario da carta, O'Sullivan, que ha poucos
annos foi ministro da America na curte de Lisboa,
mostra estar bem ao facto das oceurrencias que
deram logar a que o geverno portnguez dsse urna
satsfago pelos tiros que disparou a artilhcria da
torre de Bclm contra os vasos de guerra Nigara
o Sacramento.
Sr. redactor.Annnindo a exigencia feita pelo
ministro dos Estados-Unidos, o governo porluguez
houve por bem demittir o commandante da torre
de ii,-m, e mandar salvar bandeira dos Esta-
dos-Unidos, em sigua! de reparagao pelos disparos
fetos contra a Nigara e o Saeramento, na occa-
sio em qae pareciam navegar para a barra ua
perseguido do navio confederado Stonewall.
Muilos ha que do a este acto do governo por-
tnguez urna interpretaco mui desfavoravel, mas
isto nao parece jnstificavel ; pois se nao tvesse si-
do um pouco comprometida a sua posico legal,
estou certo que nao sera fcil ieva-lo a dar urna
satisfaco qualquer, salvo em uilimo recurso, de-
baixo de protesto, como sendo um acto forjado de
sujeigao a ama Torca preponderante.
Verdade que essa forca achava-se de tacto re-
presentada as aguas do Tejo pelas formidaveis ba-
teras dos dous vasos federaos, que tinham sua
nierc a cidade inleira de Lisboa, estando aquel-
es navios ancorados quem das fortalezas que de-
fendem a entrada do rio, e nao havendo all bate
rias que Ibes pedessem resistir.
Mas era um facto ioconlostavel que o offlcial
que comman lava cm Belm havia excedido as
suas instruegoes, c dlocando-se a si e ao seu go-
verno em mo terreno, nao pelo primeiro ou se-
gundo tiro disparado, mas por ter continuado a fa-
zer figo depois da Nigara arrear a sua ban eir,
como signal de que acceitava a intimago.
O governo tinha patenteado o espirito de qae es-
lava animado, ordenando-lhe que fizesse fogo, se
acaso os navios se lizessem de vela, desattendendo
assi n a prohiblco legal que Ora notificada ao seu
commandante, e o governador da torre de Belm
demonstra o seu zelo hostilisando navios que de
una s banda houverain podido arrasar aqnella
encantadora c pitorescatorrinln. Porra o seu zelo
levou-o demasiado longe : campria-lhe parar o fo-
go, logo que os navios federaes fizeram signal que
estavam de accordo.
E' certo hoje que os navios federaes nao tinham
tengo algama de partir, posto que parecessem
navegar em direccio da barra: tinham langado
ferro no quadro da quareniena, porque assim llie
fra ordenado pela autoridade competente, a do-se o Stonewall no ancoradouro usual. Quatro
horas depois da partida deste ultimo, quizeram
elles mudar de ancoradouro, remontando o rio; e
como a mar endiente liona virado os navios com
a proa para abarra, navegaran naquella direccio,
devendo portanto passar em frente da torre de Be-
lm, alim de ganhar a velo.-idade necessaria para
virarem de bordo.
A' primeira vista parece isto um mero pretex"
to : porm asseverou-me um gentleman inglez, que
naquea ocessiao se achava a bordo do da Nigara,
que em boa f tal era o designio do commandante
americano.
Verda le que elle devia ter previamente avisado
a fortaleza, oa esperad) a mar vasaute. E-ta
eraissao, corroborada pelas apparencias manifesta-
meute snspoltosas, justificou plenamente os prime!-
ros Uros da fortaleza; e se tudo se houvesse limi-
tado a isto, nao po?so crer que se dsse fcilmente
urna satsfago qualquer, por isso que seria injus-
tamente reclamada. Porm a contnuago do fogo
collocou o governo porluguez na posig.o de nao
poder esqovar-se a ciar urna reparagao.
Parece-nos, porianto, que aquel le governo proce-
deu com dignade c acert protiibindo que os na-
vios sahissem do porto em menos de 2i boras
depois do Stonewallordenando-Ibes que langas-
sem ferro no quadro da quarent-na, que flca dis-
tancia respetavel do ancoradouro em que se'acha.
va o Stonewall ordenando as fortalezas que flzes-
sem fogo, se os navios tentassem violar as leis da
neutralidadeDando a salisfagao, emfim, que era
legalmeate devida pelos motivos j exposlos.
Accrescenlarei s que un amigo mpu me escreve
de Lisboa qae o Stonewall estve aguardando na
baha deCascaes, muitas horas alm do pra-o legal
de 21 horas cora a va esperanga de ser segun-
do : mas era evidentemente considerado um fre-
guez de feia catadura, tanto em Lisboa como no
Ferrol.
constiluico ah se estabeleceram e residiram na de marco, a dar em Saint-Pol-de-Lion, urna bata- geni, que nao era outra se nao esse Kami, esse
antiga capella dos Franciscanos. Os clubs multi-1 Iha regular. amalctcoaOo de qnem Kernan prometiera vingar-so.
plicarara se, e mais adianto, foi um delles que de-1 Ento a comroissao do salvacjo publica resolveu Este miseravel dera-se a coBftecer em Pars, e
cretou que as criangas de mama dtixassem o seio obrar com o mais oxlremo rigor contra as cidades se fez notar nos clubs ; Introduziivse as fiieiras
de suas amas para virem ouvir os gritos deviva,e campos Enviou dous delegados, Guermeur e dos terroristas e acompauhava os delegados, como
aUontanha I e qae os meninos aprendessem a fal-1 Juliano, que organisaram o repoloJicanismo exclu- conheceodo mais particularmente o departamento
lar balbuciando a declarago dos direitos do ho- ~
Todava, quando os administradores de Qulmper
com Kergariou na frente, vendo ogeito qne s coa-
sas tomavam e al aonde ia a revoiucao, qaizerara
Qdmner tinha visto cahir a primeira cabeeasob conter o movimento, prohibiram certos jornaes, taes
machado republicano, a de Alain Nedclec, e o! cerno o Amigo do pote de Marat; a municipalidade
-' de Paris enviou lhes enlao um procnsul para cha-
mados razo ; ms sua chegada, os cidadaos de
Quimper prenderam-n'o no forte de Poureau, e pro-
om
clert breto contou nesta cidade o sen primeiro
martyr. o bispo Cooan de Saint-Luc. Desde esse
dia Qulmper foi entregue ao arbitrio dos republi-
canos e da muniripalidade.
Convera djzer que os Bretoes das sociedades dis-
UOguiram-se por sua furia republicana; foram au-
dazes era se lancarem no mnvimeato nacional ;
Brest, de Moran, de Quimper, levados pela voz da
assombla legislativa, quando a 11 de julho de
1792, em presenga da Prussia, do Piemonte e da
Austria, ligados contra a Franga, declarou a pa-
tria em perigo.
Assim seus servicos foram tambem apreciados,
que o club breto de Paris formou o ncleo do fu-
taro club dos Jacorinos; e, mais tarde, a seccSo do
arrebaldo Saini-Marceau tomn, em honra sna, o
titulo de secgo de Finislere.
Quimper, entre ontras, foi urna das cidades mais
agitadas, o que nao se espereu dessa capital enter-
rada no fundo da baixa Bretanha. Os amigos da
sivo na Bretanha o principalmente em Quimper. de Finistore.
Esles procnsules iraziam comsigo a lei dos sus- Na vordade, elle aoabava de exercer suas mais
peilos, de seterabro de 1793, essa obra de Merlio, baxas vingangas contra o paz que o expellira. Ar^,
de Donai, a qual era redigida ne-tes termos : madoMlessa lei dos suspeilos, nao Ihe era difiicil
f Sao reputados suspeilos : attingfr a familia de Chanteleine.
t 1. Aqaelles qae, por saa conducta, relagoes, Por tanto, no dia seguinte ao da sua ehegada a
palavras ou escriptos, tem-se mostrado partidarios Quimper, poi mos obra,
da tirannla, do federalismo, e Inimigos da lber- Este Karval era um homem de estatura mediana,
dade. portador de urna dessas ms figuras que o odio, a
< 2. Aqueiles que nao poderem justificar seu baixeza e a malignidade pouco a pouco tem feito;
testa'rara maisenergicamente^ anda do que os'Gi- modo de viver, e nao apresentarera a quitago dos cada novo vicio nelle se empregnava e eixava
rondinos de Paris contra os Monlanhezes da con-, seus direitos eivicos. : seus estigmas; nao Ihe falta va intelligencia, mas,
vengo at enviaram-lhe com Nantes duzentos vo 3." Aquellos a quem forem recusados eeriifl- ao v-lo, couhecia-s'e que elle devia ser cobarde,
luniarios a Parts para apoiarem seu protesto cados de civismo. Como molos desses hroes da revoluco, foi san-
4. Os funecionarios pblicos, suspensos ou guiarlo por modo, porm, tambera por medo, con-
servava-se inQexivel, e nada poda enlemece-lo.
No dia seguinte ao da sua chegada, 14 de setem-
e bro, foi procurar Gaermeor :
se vertiginosa quando o'dominio do Perroz esta- i agentes de emigrados que nao lemconstantemente Cidado, disse elle,preciso de cem homens de
beleceu-se, os'republicanos reaccionarios da Breta- manifestado sua adhesao a repblica, i milicia.
nha form excedidos. Armados desta lei, os delegados da commissao Que queres faxer 1 perguntou Guermeur
Com tudo, se os habitantes das cidades seguiram de salvago publica eram senhores do departamen-, Tenho urna volta a dar na minha trra.
revoluco' os camponezes se assignalarara logo to. Quem podia esperar que escapara a estas me- Aonde issoT
o principio por sua resistencia posse dos sa- didas revolucionarias T Xo havia pessoa que nao, Dolado de Chanteleine, entre Piougastel e
rdotes iuramenlados; repelliramn'os vergonho- cahisse, mais ou menos directamente sob o golpe Pont-1'Abb! Conhego all um ninho de Van-
sles terriveis arligos, deanos.
Assim, as represalias nao tardaran), e Finistere | Ests certo do que avancas ?
toda inleira vio-se entregue ao mais extremo i Certo. Amanba trago-te o pai e a mii.
terror. Nao dsixes escaparen) os filhos I replicou rin-
Guermeur e Julin? eram acomunados de nm ; do-se o feroz procnsul,
ajudante de eommsso, de ama nutna persona- i Ficai sucegado I isto me conbece. Outr'ora
a
em r.
cerdoles juramenlados; repelliramn'os vergonho- cahisse, mais ou menos directamente sob o
smente ; depois, quando poz-se em execuejo a lei desles terriveis arligos,
do recrutamento, foi muito diffleil conter os cam-
ponezes de Finislere, de Morbihao, do Loire-ln-
ferior e das Costas do Norte^^^neral Canclaux
pode apenas doma-Ios com o Rxerclto e as mi-
licias rounloipae, Al men wi obrigado, a 19
desninhei melros, e quero enslnar-lhes a assobiar
o Isto ir l
Enlao vai! continuou Guermeur asignando
a ordeni que Karval pedia.
Salido e fraternidade I disse Karval reliran-
do-se.
Na manna inmediata, ello se poz a caminho
cora o seu destacamento, composto de phreoeticos
da cjado ; no mesrao da ehegava a Chanteleine.
Os campenezes, a vsla de Karval qne conhe-
clam bem, deram ura combate desesperado ; com-
(.rehender^m que era necessano vencer ou mor-
rer, mas foram vencidos, depois de terem querido
defender sua boa ama.
Acondessa de Chanteleine, entre sua fllha, o ab-
bade de Ferraoul e seus criados, esperava nos
transes mais penetrantes o resultado da batalha.
Ella oooocheceu logo. Os milicianos de Quim-
per apossaram-se do castello. Karval, sua frente,
laocou-se no inierior do mesmo, gritando:
Morte aos nobres I morte aos Brancos 1 mor-
te aos Vandeanos I
A condessa, fora de si, qulz (ugir, mas nao leve
tempo. Os phrenelicos chegaram at ella na capel-
la do castello, onde tuha-se refugiado.
Prendei esta mulher e saa fllha, raulher e fl-
lha de salteador 1 exclamou Karval, ebrio de san-
gue e de alegra; e este uareeo, accrescenlou elle
indicando o abbade de Ferraont.
Mara desmaira nos bragos de sua mi, da qual
foi arrancada.
E tea marido, o conde ? perguntou Karval
com voz feroz?
A condessa encarou-o altivamente sem dar-lhe
res posta.
E Keman ? exclamou elle.
Houvera sido ama interessante esperiencia
naval um combate entre o pequeo monitor cou-
racado de daas hoHces, com tres pecas montadas
e ura punhado de homens para o tripolar, e os
dons navios de madeira, armados de baterias for.
midavels, dispondo de numerosas tripolacSes, com
daas milbas de sup-rioridade na marcha, e ama
altara cima do nivel d'agua, que os habilitava a
tentar com bom xito ama abordagem.
A pe<;a de 300, que o SloneipaU tem na torre de
proa, s pode fazer fogo em mar chao ; e pois pa-
eceria que dous contendores de Unta torga houvo-
ram podido apresado ainda qne cora o sacrificio
de um del les.
Posto qae seja hoje adversario poltico do eapi-
lo Craven, do Nigara, outr'ora meu companheiro
de escola, muito folgare que se livre doacolhi-
menlo inulto peior que provavelmente Ihe reserva
a imprensa do norte, por ter recusado duas vezes
o desafio que Ihe arremessou o monitorzinho, cujos
raovraentos elle espreita a urna distancia respe-
ravel.
Fcava-lhe melhor sahir-lhe ao encontr, aceitar
o combate, c veDcer ou morrer.
1. L. O'Suturan
Ex-ministro americano em Portugal.
As congregaces religiosas actualmente niaten-
tes em Franca sao as segrales :
. Os padres jesutas.
Os Irmaos do anjo da guarda.
Os da Cruz de Jesns.
Os da doutrina Chrislaa.
Os das escolas Christas.
Os da misericordia.
Os dos hospialeiros.
Os do Instituto de Mana.
Os da inslrurgo Chrislaa.
Os da instruego Chrislaa do abbade Laraenais.
Os de Mana.
Os de Mara Jos.
Os da Sania Familia.
Os de S. Francisco d'Assis.
Os de S. Francisco R^gis.
Os de S. Gabriel.
Us de S. Isidoro.
Os de S. tolo.
Os de S. Jos.
Os de Sania Mara.
Os de Tinehebral.
Os da Santa l'niao.
Os de Xossa Senhcra da Piedade.
Os da sociedade de S. Jos. \
Os da sociedade de Santa Mara.
Os das missoes diocesanas.
Os missionarios do Salette.
Os de Xossa Senhora do Ensino.
Os de Nossa Senhora de Garaisoo.
Os de S. Francieco de Sales.
Os raonges cistercense?.
Os filhes de Mara.
Os de Santo Hilario.
Os da Virgen).
Os olivielanos.
Os barnabitas.
Os RR. PP. do Divino Redemptor.
Os RR. PP. da doutrina chrislaa.
Os RR. PP. doutrinarios.
Os PP. Mai islas.
Os das misses africana*.
Os das missoes estrangeiras.
Os de .Xossa Senhora da Paz.
Os redemptoristas.
Os da Relgio Chrislaa.
Os do BoniEPaslor.
Os endistas.
Os gardislas.
Os da Iaimaculala Concego.
Os Lazsriata*.
Os das missoes de Maria.
Os da Misericordia.
Os do Nossa Senhora de Sio.
Os PP. do Oratorio.
Os do Sagrado CoraoSo.
Os do Coragao de Maria.
O da doutrina Chrislaa.
Os do Sanlissimo Sacramento.
Os de S. Sulpcio.
O; religiosos da (inmaculada Concego.
Os mehitaristas (armenios).
Os prcmaslrenses.
Os da Santa Trindadc.
Os do Santo Sacramento.
RR. victimas do Sagrado Coragao.
ll. PP. capucliQhos.
RR. dominicanos.
RR. franciscanos.
RR. da Paxo.
Os de .S. Manuel.
Os de S. Berln.
Os de S. Pedro ad vincula.
Os trapistas.
Os bens' destas congregagdes s^o consideravjii:.
Mr. Gueroult; n'ura seu recente discurso as c-
maras rrancezas, calculou-os em valor superior a
mil coates de ris.
"S
Caminhavam juntos dous aldeos.
Obrigados a separarse por algum lempo, quando
ura delles se cansou de procurar infructuosamente
o companheiro chegou-se ao p de outro viandante,
que caminhava em direccao opposta, 8 pergun-
tou-lhe :
O senhor vera passar o meu compadre ?
Ello tem algum signal partcula ? disse o
outro.
Sim, senhor; surdo.
s
O nwsrao silencio. E.ato a saa. raiva foi granja
por ver que esles dous homens, lio esca,pavam, o
em sua colera, elle descarregou sobre a condesa,
um golpe mortal-, a infeliz mulher cahio laogando-
um ultimo olhar de angustia sobre sua f)lha.*Kir-
val procurou, esquadrinhou, porra de balde.
Esio no cemiterio dos ladroes, cxcjamou el-
le, Bom! acha-los-heit
Depois, drigndo-se a seus soldados:
Conduzi esta rapariga, disse elle- semore
issol
Maria, inanimada foi posta em comoanhia do
abbade Fremont, no meio dos camponezes, presos ;
ataram-lhe as mftos; metteram nos emuifa tpala
como animaes; e foram conduzidos.
No dia seguinte, Karval apresentava seos prisio-
neiros e Guermeur..
E o macho ? disse este rindo-sj.
Voou I mas nao vos vejis, respondeu Kar-
val com horrendo sorriso, eu o apaoharei |
Maria de Chanteleine e seus desgrag ido- era-
panlieiros foram langados. eonjunclamente as pr-
s3es da cidade; a donzella lornou a si entre os mu-
ros do seu carcere.
Mas a as prisdes estavam muito apinhadas; por-
tanto procurou-so allivia-las, e o instrumento de
morte funecionoa sem oessar na pragaprlncip.it de
Quimper. At mesrao tratoo-se de es"iabe|ec-lo no
pretorio do tribunal para andar mais depressa.
Sabe-sc como proceda, nesse lempo da terror, a
justica revolucionara, que formalidades eram ob-
servadas, e qae garantas oercavam osaecusados.
( Ctnttnvar-se-lia )
aernambco.-tvp: de m. f. de f. & flho
ILEGIVEL]


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E8H9YQYJQ_TPRMDL INGEST_TIME 2013-08-27T21:23:24Z PACKAGE AA00011611_10683
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES