Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:10682


This item is only available as the following downloads:


Full Text

AWHO Iil HDMElC 125

Por qaartel pago dentro de 10 dias do 1. mez :
dem depois dos l.0110 dias do comeeoe deotro do quartel. .
Porte ao correio por tres eses........ ,
$1000
1
61000
780
DIAR
ENCARREGADOS DA SUBSCRIPgO DO NORTE
Parahyba, o ?r. Antonio Alex?ndrinu de Lima;
Vital, o Sr. Antonio Marques da Silva; Aracaty, o
5r. A. debemos Braga; Cear, o Sr. J. Jos de
Oliveira; Maranhao, o Se. Joaquim Marques Ro-
jriaes; Pari, os Srs. Geraldo Antonio Alves &
pililos; Amazonas, o Sr. Jeronymo da Costa.
EXCARREGADOS DA SUBSCRIPgO DO SDL.
Alagoas, o Sr. Claudino Falco Dias; Bahia, o
Sr. Jos Martina Alves; Rio de Janeiro, e Sr. Jos
Hibero Gasparinho.
PARTIDA DOS ESTAFETAS.
Olinda, Cabo, Escada e estacSes da via frrea at
Agoa Preta, todos os dias.
Ignarass e Goyanna nassegundas e sextas feiras.
Santo Anto, Gravat, Bezerros, Bonito, Caruar,
Altinho, Garanhuns. Btilque, S. Bento, Boro
Conselho,, Aguas Bellas e Tacarat, as tercas
feiras.
Pod'Alho, Nazareth, Limoeiro, Brejo, Pesqoeira
Ingazeira, Flores, Villa Bella, Cabrob, Boa Vis-
ta, Ouricury, Salguciro e Ex, as quartas
feiras.
Segunda vara docivel: quarlas e sabbades a II AUDIENi
hora da larde. j,
Serinbem, Rio Formoso.Taroandar, Una, Bar-
reiros, Agua Preta e Pimenteiras, as quintas
feiras.
QUINTA FEBEA 1 DE JUHH0 DE 1865.
Por auno pag dentro de 10 dias do 1. mez
Porte ao eorreio por um mdo.......

19$000
3|000
EPHEMERIDES DO MEZ DE JUNHO.
1 Quarto cresc. as 6 h., 1 m. e 58 s. da m.
9 La clieia as 7 h., 21 m. e 16 ?. da m
16 Quarto ming. as 4 h., 33 m. e 58 s. da m.
3 La nova as o h., 37 m. e 34 s. da m.
30 Quarto cresc. as 11 h., 20 m. e 31 s. da t.
Det TttffiUNAES DA CAPITAL
Tribunal do eommercio : segundas e.quintas.
Relajo: teMjjis e sbadoss 10.horas.
Fazeoda: nanitas s 10 horas. .
Julzo do opafiercio: segundas as 11 horas.
Dito de orpbao*: tercas e sextas s 10 horas.
Primeira vara do civel: tercas: e sextas ao meio
dia.
Segunda vira do c vil: quartas e satinados a 1
hora da tarde. ,
DIAS DA SEMANA.
29. Segunda. S. Haximiano b.; S. Mximo m.
30. Tffffi. S. Fernando rei; S. Emilia m.
31. Quarra. S. Angela de Mericia v ; S. Cancio m
1. Quinta. Ss. Firmo e Felino mu.
2. Sexta. S. Marcelino presb.; S. Finlsno b.
3. Sa.bbado. Ss. Pergentino e Laorentino irs. mm
4. Domingo. S. Francisco de Casacciolo.
PREAMAR DE HOJE.
'riiEira as 10 horas e 6 m. da manhaa.
Segunda as 10 horas e 30 minutes da tarde.
PARTIDA DOS VAPORES COSTEIROS.
Para o sui at Alagoa3 a 14 e 30; para o norte
ata a Granja a 7 e 22 de cada mex; para Fernan-
do nos dias 14 dos mexes de Janeiro, -marco, maio,
julho, setembro e novembro.
ASSI6NA-SE
no Recife, na livraria da praca da Independencia
ns. 6 e 8, dos proprietarios Manoel Figueiroa de
Faria & Filho.
PARTE OFICIAL
G9\SRN0 DA PROVINCIA.
Expediente do dia 26 de maio de 1863.
Offlcio ao coronel commandante das armas.
Sirva-se V. S. de mandar alistar no segundo cor-
po do voluntarios da patria, os cidadaos menciona-
dos na relacao junta; dando ontro sim, suas or-
den-; para que o tenente-coronel commandante de
me-mo corpo mande organisar o pret tirando ven-
cimentos que Ihes competirem a contar do dia em
que se alistaram em Aguas-Bellas at o em que
araram baedeira, e recebendo da thesouraria de
fazenda a importancia do dito pret pague ao vo-
luntario Apolinario Florentino de Albjquerque Ma-
ranhao, as despezas por elle feitas com os demais
na sua viagem d'aquella localidade para esta ca-
pital
Dito ao mesmo.Mande V. S. inspeccionar no-
vamente o voluntario da patria Manoel Monteiro de
51,11o, de que trata o seu offlcio n. 926 de 27 do
corrente. J
Dito ao mesmo.-Sirva-se V. S. de mandar ins-
peccionar o anspecada da companhia de artfices
dolpho Hyppollto da Silva, qne assim o pedio no
incluso requerimento.
Dito ao mesmo.Mande V. S. dar baixa ao sol-
1 dado do segundo corpo de voluntarios da patria
Joio Paes Francisco, que provou ser o arrimo de
' sua familia.
Dito ao mesmo.Declaro a V. S. para o fira con-
veniente, que o voluntario Ludgero Antonio de
Freitas Guerra, que se acaba de alistar depois de
curado de anemia que solTria segundo o offlcio de
V. S. de 27 de marco ultimo, sob n. 567, deve ser
considerado primeiro sargento, visto oceupar esse
posto no batalho n. 27 da guarda nacional de Ca-
ruar, conforme declarou-me o respectivo com-
mandante superior interino em offlcio de 21 do ci-
tado mez de marco.
Dito ao mesmo.Loave V. S. em meu nome o
nrocedimento patritico que leve o Io cadete do 2C
corpo de voluntarios da patria Francisco Matoso
da Silva Santiago, renunciado o premio de 300,8 e
a sorte de trras, a que tem direito era vista do
decreto n. 3,371 de 7 de Janeiro do corrente anno.
Communicou-se a thesouraria de fazenda.
Dito ao mesmo.Sirva-se V. S. de mandar alis-
tar no 2o corpo de voluntarios da patria, na quali-
daJ.i de soldado particular, se para isso for consi-
derado apto o cidadao Joaquim Colho Lima.
Dito ao mesmoSirva se V. S. de informar so-
bre o que no incluso requerimento pede o volunta-
rio da patria Juvino Emiliano de Pontes, fazendo-o
logo submetler a nova nspecc3o.
Dito ao mesmo.-Mande V. S. alistar no 2o cor-
po de voluntarios da patria, com > Io cadete o ci-
dens imperiaes, respondo dizendo-lhe que remeta-
me urna relacao dos que deixarem de comparecer,
aflra de se providenciar como for de lei.
Ditoao tenente-coronel Joo Vieira de Mello e
Silva. -Em resposta ao offlcio de V. S. firmado em
30 de abril ultimo, remetto-lhe inclusas por copia,
as informrcoes, que ministraran) o tenente-coronel
commandante do 2 corpo rt. voluntarios da patria
e o coronel commandante das armas em 26 e 27 do
corrate, e deltas vera Y. S. que Leonel Francisco
da Silva e Luiz Pedro deAafevedo, nao pertence-
rao aos corpos de volnntarios.lwm como que a al-
Icgacao por elles apresentada para nao se alista-
rem, nao tem nenhum fundamento.
Devolvo inclusos os documentos que acompanha-
ram o seu citado offlcio.
Dito au tenente-coronel commandante do bata-
lho n. 22 de infamara da guarda nacional do mu-
nicipio do Limoeiro, Jos Francisco de Arruda.
Tenho presente o offlcio de 5 de marco ultimo, em
que V. S. entendeu dever fazer anda ponderacoes bargador provedor
em vez de deferir juramento e dar posse aos offl- dia.
ciaes nomeados para o batalho sob seu commando
por portara de 28* 29 de dezembro de 1863 e 20
de junho de 1864, nao obstante o que Ihe foi de-
terminado por meu antecessor em ofTicios de 8 de
agosto e 27 de outubro do mesmo anno de 1864.
Em resposta tenho a dizer-lhe que embora nao
procedam as suas duvidas.vou levar o occorrido ao
conhecimento dogoverno imperial; mas subsistin-
do as razes em que se fundou o meu antecessor
para maudar deferir juramento, dar posse e fazer
entrar em servico os referidos offlciaes, curapre que
V. S. sem perda de tempo assim o faca e d-me
parte de ter execulado essa ordem, como de novo
ihe determino.
Neste sentido offlciou-se ao respectivo comman-
dante superior.
Ditoao inspector d* arsenal de marinha.Ao
seu offlcio n. 906 de 27 do corrente, respondo de-
clarando-Ule que pode V. S. mandar retirar do de-
posito em que se ada para o que ficam expedidas
as convenientes ordens thesouraria de fazenda, a
quautia de 279357 do peculio descontado a Jos
Custodio Fernandes de Nascimento, que foi des-
aquartelado da companhia de aprendizes artfices
desse arsenal, e o deve receber em consequenca de
ter attingido a idade da le.Offlciou-se neste sen-
tido thesouraria de fazenda.
Ditoao inspector do arsenal do marinha. -Scien-
te pelo seu offlcio do 24 do corrate, de estarera
prompios os artigas de fardamento que por aviso
de 10 de abril ultimo se mandou fornecer a pre-
sidencia do Rio Grande do Norte, tenho a declarar
que deve V. S. remettelos aquella provincia no
vapor que se esper2 do sul, para o que fleam ex-
pelidas as convenientes ordens.Expediram-se as
necessarias ordens.
Dito ao director do arsenal de guerra.Mande
V. S. recolher a esse arsenal, quando Ihe orem
appresentadas por parte do r. chefe de polica, 9
Joaquim Manoel de Oliveira e Silva.Passe por-
tara ooncedendo, mas sem vencimentos a licenca
que requer o supplicantc.
Joanna Mara da Conceicao.Informe o Sr. Dr.
ebefe de polica.
Joo Baptista de Souza.Infederido por ter sido
expontanea a apresentacSo do supplicante, como
reconhece em sua Delicio, a nao ailrjar molh'os
valiosos para ser excuso.
Tenente Joo Eduardo Pereira Borges.Informe
o Sr. tenente-coronel commandante do corpo de
polica.
Manoel Goncalves de OliveiraConcedo lo dias
de licenca para o flm qoe requer o supplicante.
Manoel Ferreira da Paixo.Informe o Sr. ins-
pector do arsenal de marinna.
Mara Felicia da Silva Santos, e Paulino Soares
Carneiro Monteiro.Como requer.
i ncon venanlo
Manoel Florentino Sobral.Informe o Sr. desem
da Santa Casa da Misericor-
Viuva e herdeiros do fallecido Dr. Pedro Ignacio
da Cunha.Informe a cmara municipal desia
cidade.
autorisacaapara ajnunicipalldadedo Portocontra-
hir um empresUrao de 300 costos para aecudir as
obras mais urgentes de afonnoseamentos urbanos,
aflm de melbrar a cidadejpara a exposico inter-
nacional qutba de all \efiflcar-se em agosto pr-
ximo. N../
Como o ir-v- i *ra expirar a prorogacio das cor-
les estlve*vs^'j*l\ consummido pois termina a 16
do frrenle, e o gooerno, como em edites o dechvf
ram nao qoeria cobrar as receitas publicaste des-
tribui-las em dictadura, nem devesse contar com
outra prorogace por ser a concesso ou regeicso
delta, s> da competencia do poder moderador, tra-
tos presentar dea Wdemeies, visto finalmente
que nao havia tempo para se disentir o orcaroenta
Suscitado desde logo vivo fogo de parte o parte,
os ministres foram levados no seguimento do deba-
nao havendo te a declararen que acceilariam naquelle campo a
questao de confianza, e qoe all mesmo so podara
manifestar a impossibilidade da maioria como mi-
nisterio, se assim esta o qutzesse.
Dito e fcilo :duas mocOes partidas da parte da
maioria adversa dolitlca do ministerio se apre-
sentaram logo, pedindo com urgencia eommisso
do orcamento que apresentasso o parecer
dadao Francisco Lopes de Siqueira Granja, e como granadeiras toradas e 5 clavinotes, que hao de ser
2 argento, que ja o do corpo de cavallaria n. 3 remettidas pelo delegado do hxu, e nesta data
da guarda nacional a Joo Evangelista de Souza mando quetenhain esse destino.
aS, cujas flliacOs consta da nova junta ; apre-1 Djto ao dala tatnno da reparti das obras
"nando-me com a possivel brevidade um pret, pnbl.cas.-Iote.rado pelo sen offlcio de 2, do
nSe se tire pelo 2 corpo deivoluntarios os ven-! crreme, e sob n. 152 de haver Vmc empre.tado
'ntos desses individuos a contar do dia em ran J-rancisco Xavier Soares, mediante a
ie se oflereceram para o servico, at o em que, de loOJOOO, a obra de uns ur.naieiros ind.spen-
elTectivamente juraram bandeiras e asseniaram |
praca.
Dito ao mesmo.Mande V. S. dar baixa ao so\-
dado do 2 corpo de voluntarios da patria Joao
Paes Francisco, que provoa ser de menor idade.
Dito ao Dr. chefe de polica.Respondendo ao
offlcio de V. S. de 22 do corrente, sob n. 739, te-
nho a dizer-lhe que seiido-me apresentidos com o
olicio do delegado do Bom Conselho de 27 d
marco ultimo, seis individuos para servirem como
voluntarlos da patria, fl-los alistar no respectivo
crpo, dando disso sciencia ao mesmo delegado
por offlcio de 6 de abril subsequenle, contante da
cpia junta.
Dito ao mesmoNa conta das despezas fei-
tas com o sustento] dos presos pobres da cadeia
da cidade da Victoria durante o mez de novembro
ultimo, e a que se referem os offlcios de V. S. de
30 de Janeiro e 9 do corrente mez, seb ns. 666,
vem o preso collocado no 14. lugar com o nome
de Jos Felippe Santiago e na relacao fornecida
polo delegado daquelle termo, encontra-se esse
preso com o nome de Jos Flix Santiago.
Nao podendo, pois, a thesouraria provincial, em
vista deste engao pagar conforme declarou o res-
pectivo inspector em offlcio de 24 deste mez n.
208, a importancia de taes despezas, fazse preciso
que V. S. providencie no sentido de ser elle resol-
vi, aflm de que possa ter lugar esse paga-
mento.
Dito ao mesmo.Ordene V. S. ao delegado do
termo de Santo Anto, que apresente-me a relacao
dos presos pobres que. estiveram recolhidos na
respectiva cadeia no mez de abril ultimo, aftm de
ter lugar o pagamento das relac5os que lhs fo-
ram fornecidas.
Dito ao mesmo.Respondo ao offlcio de V. .,
n. 734, de 20 deste mez,.dizendo-lhe que faca re-
colher ao arsenal de guerra/ as armas apprehendi-
das na diligencia de que trata o delegado ds termo
do Exu' no offlcio por copia junto quelle de V. S.,
p que quanlo autonsaco para as buscas a que
allude o mesmo delegado, nao Ihe pode ser conce-
dida por ora,
Dito ao inspector da thesouraria de fazeoda.
Communicando-me o cnsul dos Estados-unidos da
Ameiica nesta provincia Thomaz Adamson Jnior,
que durante a viagem que vai fazer a New-York
incumbir as respectivas funecoes consulares ao
r. Williara Henry Me .Gralle; assjm.o declare a
V. S. para seu conhecimento, e aflm de o fazer
dnstarao inspector da alfandega.Fizeram-se as
dt-mais commnnicacoes.
Dito ao mesmo.Ao coronal commandante do
2o corpo de Voluntarios da Patria mande V. S. pa-
gar a importancia do pret que Ihe sera' apresenta-
do, tirando vencimentos que competem aos volun-
tarios viudos ltimamente de Aguas Bellas, e que
do da
uo\ i:it\o do uiNP.ino de
PtillVIMKl'O.
DISPENSAS MATRIMONIAES.
Chegaram do Rio de Janeiro peticSes de dispen
sa constantes da lista abaixo publicada, e cuja
concesso foi autorisada pelo Exm. e Itvm Sr. in-
ternuncio apostlico, era data de 17 de maio cor-
rente. Podem, pois, ser procuradas ou em Olinda
na secretaria de bispado, ou no Recife em casa do
Illm. Sr. conego da capella Imperial Francisco Jos
Tavares da Gama, na ra da Cruz n. 36.
Olinda, 30 de maio de 1865.O conego, Joa-
quim Ferreira dos Santo*, secretario do bispado.
Oradores ligados no impedimento de a/femdade li-
cita em Io grao igual da linha lateral.
Joo Es'angelista Ponce de Leo, e Florentina Can-
dida da Jess.
Francisco Gomes de Araujo, e Antonia Maria da
Conceicao.
Joo Ferreira Dantas, e Helena Maria de Jess.
Manoel Gomes da Silva, e Cordula Mara da Con-
ceicao.
Oradores que se acbam ligados no impedimento de
consanguinidade *m 2o grao attingente ao Io.
Joo Antues Campello e Maria Anlunes Correia.
Flix Jos Ignacio de Lima e Felismina Francelina
de Carvalh.
Gregorio Jos Teixeira e Paulina de Jess.
A sociedade de seguro de vidas denominada
Previdente, fundada e administrada pelo Banco
Altianqa, conta-hoje 1,538 subseripcoes por um ca-
pital de res 578:7065500, feitas desde 4 de agosto
o anno passado, em qoe^eooiecou a funecionar.
_ Veriicou-se no dia fon corrente a destribui-
cao dos premios dos expositores que o mereceram'
Jm fixposicfto aercola de 188*.
El-rei chegou sala da academia das seiencia
urna hora. All se achavam os Srs. D. Fernn-,
do e D. Augusto. Estes trajavam de casaca preta
e el-rei o Sr. D. Luiz de general. Logo que S. S. |
M. M. o A. tomaram assento no tkrono, o marquez
de Sabngoza leu um pequeo relalorio, depois do
qne S. M. o Sr. D. Luiz fez urna allococo, passan
do-se logo a' destribuico dos premios. A chama-
da dos premiados era feita pelo Sr. Rozendo, os
premios que Ihe competiam eram entregues a el-
rei pelo Sr. Carlos Bento ministro das obras publi-
cas, e S. M. os dava aos interessados.
da ; o passavante Rouge-Dragn, da liga e collar
Roog-Croix, araos Sommerset, do diploma.
{Continuar-se-ha.)
IHTERIOR.
CORRESPONDENCIA DO DIARIO DE PER-
NAMBUCO.
PIBA.
lielm, 22 de maio de 186o.
A chegada ponlual do paquete Tocantins, no dia
aprazado, depois da to grande demora do Cru-
zeiro di} Sal, ha oito dias d'aqui sabido, causn
nao pequea sorpreza "
Maior
anda foi ella quando se soubJ dos por-
A ceremonia acabou 2 horas e meia da tarde, i *$?**,, QVas de Cor"entes pelas "** do
A sala eslava galhardamenle ornada com festes
de flores e objectos de industria agrcola.
4 K, Tl0\, "^'^dores de ambos os sexos.; los e valicQOS em re, -ao do que aniroa oem qu~e
A msica era a da orchestra do theatro de D. Ma- fi, SBmolhanlo Hocnn, H F
Todos aqui pasmara do? recursos e da audacia
de Lpez, o por isso fazern-se militares de calcu-
respec-
tivo; estas moces loram acompanhadas da deca- i ria II.
raco de que eram destinadas a estabelecer a ques- A' porta da academia real das sciencias
tao de confianca. | urna guarda do honra.
Volou-se effectivamenle no dia 11, sendo appro- i El-rei dirigi se depois para a exposic-io, pro
vada por 98 votos contra 45. movida pela sociedade promotora das bellas artes.; ZSZSS/t abandonada nrovloca d^Mallo"
E' claro pois que a iucompalibilldade eslava in-' Entrn no da 6 de larde no Tejo a fragata Grosso abandonada provincia de Mauo-
teiramnte definida. O gabinete levando este cheque Nigara, dos Eslados-ndos. EsU fragata e. o va- sem'nm ceneral em ebet<\
parlamentar restava appellar para a cora afim de por Kearsage, conservaram-se no dia 8 durante o
" | se fia semelhanle despota.
havia' Ao mesmo 'emPo desanima e incommoda a va-
* I gareza c a irresolucao do Brasil nos seus ac-
j tos de aggresso e mesmo de deez, a vista do es-
tado das cousas no Rio Grande do Sul, e especial-
resolver o conflicto coasiitucionalmenteou exone-
rar os ministros, ou dissolver as cortes.
Na antevspera anaunciava-se pela imprensa
que os Srs. duque de Loul e Anselmo Braancamp
tinham lido larga conferencia para a foso com os
negociadores por pane da opposico liberal, os Srs.
Antonio Rodrigues Sampaio Martens Ferro e An-
tonio Maria de Fontes Pereira de Mello. Que lea'
ra assentado nao ser o nobre duque o chefe da
projeclada situaco, mas simo Sr. conde de Castro.
Fosse como fosse, o certo que os fusiontslas
andavam muilo esperancados em que o soberano
se inclinara, dado o conflicto, e chamado pelas
praxes constiiucionaes a resolve-lo, o eslava deci-
dido a demittir os ministros. Um novo gabinete,
nascido ja da fusao, dissblvera as cortes, e a si-
tuaco em perspectiva medrara enlo politicamen-
te, arrastando pelo prestigio dos seus prospectos
de salvacao publica e outras muitas cousas mais,
as adhesoes mais renitentes e retardatarias, que
por fim de coplas, ha sempre dispostas, nos quar-
teis d'ioverno da poltica militante, a conchega-
em chelo para o seu exercito
em operacoas, de certo o mais importante hoje da
da com as vergas cruzadas c as banderas a meo Araerica do Sul; urna vacilo era todas as de-
pao, em demonsiracao de sentimenio pelo fallec- c|s5es qur d(J raar f de ,*rra ua preseQle guer.
memo do presidente dos Estaaos-Lnidos da Amen- ra que indj na ao mais QeUgmatico habitante des-
ea, Abraham Lincoln. As 8horas da manhaa,ao le mim(]0
meio dia e noite, ambos os navios de guerra ame- A quadra aclual a mais ,errivei depois da iu.
r.canos deraro salvas funerarias. dependencia por que vai passando o Brasil ; nem
Os navios de gu>.rra portugus ajompanharam a guerra da csplatina assumio ne.sa poca lama-
os navios americanos nestas demonstracoes de luc- nha iinporiancia para os deslinos fuluros da mo.
to. salvando somante a corveta Goa, por si e pelos ndrCha americana,
oulros vasos nac.onaes.
Luiz Gonzaga dos Reis e Maria
Jess.
Jos Cesar de Mello Falco Filho e Franklina Be-
zerra de Mello.
Feliciano Baptista de Oliveira e Antonia Maria da
Conceicao.
Alexandrina de: rem-se ao suave calr do P0ller **j* 1uao1 ,or tue
! atice o lnie.
nmentyCde7se7TndivTdu7srVonta7"do^ Xavi" Soares, mediante a quantia
n.nAm nro n carvil>n fll n Am nilft I Ue 1O0UU1
saves a secretaria do governo, tenho a dizer em
resposta que appmvo esse seu acto. Communi-
cou-se a thesouraria pro incial.
Dito a cmara municipal de Ingazeira.Remet-
ta-me a cmara municipal de Ingazeira, com toda
urgencia, copia de todas as actas da eleigao de jui-
zes de paz e vereadores a que se procedeu na fre-
guezia desse nome em setembro do anno passado,
as quaes j foram exigidas em offlcio desla presi-
dencia de 16 de novembro ultimo.
Dito ao juiz de paz presidente da junta revisora
de qualificaco da freguezia de Maranguape.Nao
tendo acompanhado a lista dos cidadaos qualillca-
dos votantes nessa freguezia no corrente anno, que
Vmc. me remetteu cora o seu offlcio de 18 do cor-
rele, as relceles de que trata o decreto n. 2,865
de 21 de dezembro de 1861, cumpre que a junta
revisora, como determina o aviso n. 106, de 13 de
marco de 1862, em sua segunda reunio, quando
houver de resolver sobre as reclamac>s dos inte-
ressados, organise as referidas relacSes e m'as
enve opporlunamente.
Dito ao subdelegado de Grvala.Ao offlcio de
26 de fevereiro ultimo, em que Vmc. commuoi-
cou-me que' nao tendo sido anda approvadas as
respectivas eleicoes, acbava-se Jos Soares de Oli-
veira rande, no exercicio do cargo de juiz de paz,
respondo-lhe que j exped as ordens necessarias
para que os juizes de paz do quadriennio (indo,
funecionem at que o governo imperial resolva
sobre as referidas eleicoes.
Expediente do secretario do governo do dia 2o de
maio de 1865.
Offlcio ao Io secretario da assembla legislativa
provincial.S. Exc. o Sr. presidente da provincia,
manda declarar a V. S. em respesia ao seu offlcio
de 27 do corrente, sob n. 126, que nesta data offl-
ciou a thesouraria provincial, commuoicando ter a
assembla legislativa provincial encarregado V. S.
de receber a quota marcada para o expediente e
asseo da niesma assembla.-Communicou-se a
thesouraria provincial.
Dito ao Dr. Antonio Columbano Seraflco d'Assis
Carvalh.-De ordem de S. Exc. o Sr. presidente
da provincia, acuso receido o offlcio em que V. S.
commuoicou ter reassumido em 12 do correle, o
exercicio do cargo de juiz municipal e de orphos
do lermo do Bonito.Communicou-se a thesouraria
de fazenda.
Despachos des dias 27 e 29 de maio de lS6o.
Requerimentos.
Antonio de Lemos e Vasconcellos, e Joaquim
Manoel de Oliveira e silva.Reraellido ao Sr. Dr.
juiz de direito da cmara do Bonito para ouvir o
juiz municipal e delegado sobre o que allegara os
supplicantes, enviando-me as suas respostas, e in-
formando tambera sobre ellas.
Antonio Barbosa dos Santos. -Informe o Sr. Dr.
EXTERIOR.
CORRESPONDENCIAS DO DIA
RIO DE PE.Y VMBI C
LISBO.4.
12 de maio de 186o.
Definio-se finalmente a situaco poltica, mani-
festndole o esperado conflicto entre a cmara
electiva e o novo gabinete, de que presidente o
nobre veterano da liberdade, marquez de S da
Bandeira.
Os acontecimentos destes ltimos dias teera sido
to cheios de pequeas peripecias partidarias, teera
dado occasio a patentearera-se tamanhas transfor-
raacocs nos horaens, taes hesilacoes c vicissilud"s
nacionaes, que difflcilmente m-: faria cargo de com-
pendiar-lh'as chronologicamente.
Cahido o ministerio dos 35 dias, conhecido pelo
sobrenome de Loul-Mathias, organisou-se, com >
Ihes narrei opporlunamente, o actual gabinete com
homens de estado de experiencia consummada, pa-
triotismo inconcusso e popularidadc bastante, nao
direi universal, porque fura utopia em um paz on-
de os partidos andam em retalhos e fraccoes, o que
tanto se leva, nestas cousas, como em quasi ludo,
por afleicoes e considerac5es pessoaes, preferindo
muitos grupos acanonisacoeculiodos nomes pro-
prios f robusta nos principios e convceoes.
Effectivamente o gabinete formado com o mar-
quez de Sa (presidencia e guerra, e interinamente
marinha.
Conde d'Avila, fazenda e estrangeiros.
Carlos Bastos da Silva, obras publicas.
Julio Gomes da Silva Sanches, reino, e interina-
mente justica, dava e d garantas de governo se-
rio e de iniciativa.
A' f nmco do gabinete haviam precedido ideas
de fusao com alguns membros do partido regenera- \
dor, ou opposico liberal, como recentemente se
denomina aquelle grupo progressisla. i
Eas ideas conciliadoras encontraram resisten-
cias ento, e o gabinete de 17 de abril foi organt-
sado, ficando vagas duas pastas, o que altamente
morliflcou a maioria da maioria, que iralou logo de j
invectivar os nossos ministros, provocando-os cor-
tezmente, mas cora porfiada insistencia a decla-
No dia 1 do corrente entrara no Tejo a cor-
veta americana a vapor Kearsage, que venceu o fa-
moso corsario do sul Alabama.
Publicou-se o bein elaborado relatorio da ui-
receo da companhia das Lezerias do Tejo e Sado,
relativo gerencia do anno de 1864. A companhia
das Lezirias pelas maneiras porque tem empregado
o seu capital, offerece a maior solidez, e poda ser
considerada a primeira de Portugal. As suas ac-
coes teem un preco subdissimo no mercado.
Os lucros no anno de 1864 foram do 104:0805176.
A direccao resolveu distribuir pelos accionistas a
somma de rs. 97:350^000 ou 255 por accao (equi-
valente a 5 O/o) o applicar a quantia restante de
Nesta" deliciosa illuso uns e'oulros, honra Ihes 16:7305176 para atienuara despeza extraordinaria
seja, por conviocao assentada, entenderam que de- do anno actual, segundo o orcamento da drecco, o
viam votar contra o governo e todoseommados de- i que equivaler a deixar aquella somma de reserva
ram aquelles 98 votos que constitjjiram o cheque em beneficio do dividendo do anno seguinte.
monumental por que todos espravam. O vapor Zarco vai estacionar no Rio de Janeiro.
Episdio curioso: a mesa da cmara, votou to- A corveta Infante D. Joao vai para Loanda render
da onuira a ministerio I j a S/i Ai Ranitnra
Hontem notse no paco d'Ajnda o conserho de A corveta D. Joao Tdesarma, passando a irlpo-
estado-pollico 1 1/2 da tarde, sob a presidencia la$o para a frasata D. Fernando
| d'el-rei. Tres dos ministros sao membros do con- j A D. Joao /tmlia chegado de Mocambiqae.
seibo de estado; tres conselheiros esto ausentes; No da 30 do inez de abril vorificou-se a ses-
, dos outros seis, tres votaram pela dissoluco com sao solemne annaal da Academia Real das Scien-
os conselheiros ministros, e tres contra. cias.
Ficou pois vencido no conselho de estado qoe A' 1 hora e meia da tarde comecou a sesso, es-
fossem as cortes dissolvidas, devendo reunir-se a tando prsenles SS. MM. os Srs. D. Luiz I e D.
1 nova cmara em junho. | Fernando, e S. A. o Sr. infante D. Augusto, e um
Segundo episodio: em quanlo a urna legua do ; grande numero de acadmicos.
palacio das cortes se procadw votacao fundamen-
tada do conselho de estado, e as cortes se agglo-
meravam as galenas os espectadores, e os depu-
tados desencantavam das suas carteiras a papela-
da, como quera faz a malla, a mesa fazia votar o
Presidio o Sr. conde d'Avila, o qual leu um pe-
queo discuso, quo de uso as sessoes solemnes
ser recitado pelo vce-presidente da academia.
Depois, o Sr. Latino Co;lho, secretario geral, leu
o relalorio dos trabalhos da academia, e n Men-
parecer approvando a eleicao d'um deputado ulti- des Leal tambem leu o relatorio da
mmente eleilo em escrutinio supplementar, la tras, de que secretario.
hzndo-o jurar e lomar assento na cmara. Passou em seguida o Sr. Abel 1er dous capitu-
Este nao chegou a exercer o mandato por 241 los da sua memoria sobre a Jurisprudencia eure
eoras.
Depois d'amanha, no Porto, por ter havido em-
pate, proceder-se-hia eleicao d'um depntado, que
to debatida tem sido entre o Sr. Faria Guimares
e o Sr. Custodio Jos Viera. E' claro que os elei-
tores nao chegaram. desta vez a ter esse encom-
modo.
O decreto da dissoluco diz-se pois que est as-
signado. Antes porm que seja coramunicado s
cmaras, ser proposta votacao a le de meios, e
volada esta sao as cortes dissolvidas.
Se a mala me der tempo para acresceotar em
resumo o que tr occorrendo al ultima hora, o
farei, e pelo vapor Saladin que se espera de Liver-
pool de 19 a 20 do corrente serei mais extenso.
O Kepler, tambem de Liverpool, partir para a
Bahia, Rio de Janeiro, Montevideo e Buenos Ayres,
sem tocar em Pernambuco; entretanto, espero es-
crever-lhes igualmente pelo paquete da linha de
Brdeos que tocar aqu a 28
No dia 10 do corrente entrou no Tejo o pa-
quete a vapor, rasso, Alexandre Newcky, condu-
zindo a seu bordo o cadver de S. A. o principe
Nicolao, filho primognito do imperador da Rus-
sia, e herdeiro da cora.
Vem comboiando a fragata, mais outra fragata
a vapor, Olga, e a corveta a vapor Almas.
Os navios de guerra portuguezes deram todas
as demonstracSes fnebres, salvaran., cruzaram
as vergas e puzeram as bandeiras em funeral, e
rarem se tencionavam completar a administraco, assim estiveram todo o da.
como e quando, e se as pastas vagas seriara offe-, O castello de S. Jorge tambem salvou com a ban
recidas a membros desa maioria. Os ministros de ; dera em funeral, e depois icou-a. As demonstra-
abril, mantendo-se em legitima reserva, declararam I G<*os fnebres continuaro emquanto o cadver
citado offlcio, e relativo aos
escolta de guardas nacionaes que veio
assignado de offlciaes do batalho n. 22
assentaram praca em dito corpo acontar ---- .t"'.l-,"
ta qa. ahi se al.staram at o era que juraram ban ebg^jwgr^ ^^^ q ^ de
S tS^ZlSTmZ! affldSrqqaueVo *AKio de Moura Rolim.-Requeira a.thesoura-
aot^so8map%ar,:sobminha responsabil- ra da fazenda nos termos da infonnacao da res-
dade, nos termos do decreto n. 2884, do de fe- pect.va con ador.a
ver.'iro de 1862 visto nao haver crdito para esse Abaixo assignac
fim mLl?.n r nroi me se refere o seu da guarda nacional do Limoeiro.Din am-se ao
o, a importancia do pret, %. nrere0u^ ^lo-coronel commandante do batalho n 22, a
da comarca quem nesta data se expede ordem para deferir
leis provinciaes, de conformidade com o meu an- com urgencia o Sr. inspector da the*ourana pro
ri'ncial, a contar do Io
Tenenle Joo Edoardo Pereira Borges.
o conselho de julgamento ser formado segundo
assembla legislativa'
27 deste mez.
Dito ao comman.
nal de Garanhuns. *>fflclo ae 10 "u, "aoDirca"te"qne opportunamene poder apresentar
, ^. ^-i- ^4 ..)> naci- dlsnosto no art. 69 do regolamento de 2 de setem-
^^mn^\orf\S^^^\^Ml nao pode ter lugar o que requer o
. tt offlcio de 13 do corrente,, wo oe i nnnKnrtunamen.e ^ten apresentar
nados para o servico 4f guerra, em vlrtode de or-
bros do mesmo conselho.
que Ihes nao compela por modo algum antecipa
rem, prevenirem ou usurparem por incuriaes in-
curiaes invasSes o direito conslitucional que assis-
te cora eni virtude da prerogativa, de escolher
os seus ministros, onde, quando e como entendesse.
A maioria da maioria, decidi ento lastimar-se
no tarlamento, dizendo-se bumtlhada e abatida pe-
rante aquella reserva, que na verdade, nenhum
gabinete liberal, sem olTender as praxes represen-
tativas, poderia ultrapassar decentemente
Desde esse momelo a sciso lavrou anda mais
no amago da maioria e comeacaram com torca a
enlabolar-so negociares fusionisias com a parcia-
lidad.: regeneradora negociares essas cojo pen-
samento, das antes, a mesma gente havia repellido
abertamente. r
O duque do Loul, ex-prosidente do conselho de
ministros as situacoes anteriores diz se que co-
mentava aquellas negociagoes, consentiado em
parlamentar com antigos e dos mais implacaveis
adversarios e censores dos seos actos polticos.
Fez-se urna grande reunio no sentido da fusao,
em casa do par do reino Miguel do Couto, ex-go-
vernador civil do Porto, e all se assentou as ba-
ses da fusao, chegando a afnrmar-se qne do pacto
bybrido de taes elementos, surdira um accordo,
em virtude do qual tres pastas seriara para a re-
generado e tres para os dissidentes da maioria.
Entretanto no parlamento nao havia questo pen-
dente que servisse de pretexto para se acclararem
os honsontes. Vem tela do debate a questo doi
vinhos, mas quando discusso apenas principia-
va, foi pedido por um deputado da maioria que se
nio proseguisse, visto que urna questo de tasto
alcance nao era para resolverse quando a questo
de confianca poltica nao eslava anda bem defini-
da no seio da cmara.
Discutiu-se longa as framente o contrato de
navegaco para a ulica e os Afores; votou-se a
conservar no Tejo.
A fragata americana Nigara que tomn a en-
trar no Tejo, viuda da iil.a da Madeira, acompa-
nha a esjuadr.lha russ at Cronstadt, e o mesmo
faz a fragata iogleza Defense.
A corveta americana Kursaage acompanba at
ao cabo da Roca.
A corveta porlugueza a vapor Sagres tem ordem
de igualmente acompanhar a esquadrlha russa
al ao cabo da Roca.
Tudo em honra do real cadver.
O Sr. infante D. Augusto foi a bordo da fragata
Alexandre Newcky.
Na cmara ardente, armada na cmara da fra-
gata onde vai o cadver do malogrado principe,
que apenas contava vinte e dous annos, nao entra
pessoa algama, a nao ser pessoa real.
matica, na qual o sabio advogado desenvolve urna
extensisslma erudicco.
O Dr. Bernardmo Antonio Gomes leu o elogio
biographico do padre Joo de Lourciro, missiona-
rio da Cochinchina, e autor da Flora Cochinchinen-
se, trabalho de grande aiereciraento scienlifico e
histrico.
Por ultimo, o Sr. Latino Coelho leu o elogio aca-
dmico de Jos Estevo. O elaquentissimo escrip-
lor o mais diguo panegirista do maior ornamen-
to da tribuna parlamentar.
A sesso acabou s 4 horas e meia.
Houve numerosa concorrencia. A galera esta-
va cheia de senhoras.
Veritlcou-se no dia 4 do corrente, como Ihe
linha annunciado, a ceremonia da investidura da
ordem da Jarreteira na pessoa de el-rei o Sr. D.
Luiz I.
Os membros da misso especial enviada pela so-
berana de Inglaterra para este acto, foram para o
paco da Ajuda em quatro coches da casa real, em
gala, precedido o prestito de um piquete de lancei-
ros, e acompanhado por um esquadro de caval-
laria.
Tres coches iam a tres sottas, e o coche que con-
duzia o ministro plenipotenciario,'era puchado a
quatro soitas ; seis criados de p iam aos lados de
cada coche.
Pela ultima ora, achando-se reunidas em numero
consideravfll, na sala do throno, as pessoas da cor-
te, convidadas para este acto, deram entrada na
mesma sala, pela porta lateral, SS. MM. el-rei e a
ralnha, S. M. el-rei I). Fernando, e S. A. o infante
D. Augusto, precedidas as reaes pessoas do mar-
quez servindo de mordomo-mr, e seguidas das da-
mas de honor sob a presidencia da duqueza cama-
reira-mor, dos ministros de estado, offlciaes-mores,
camaristas de semana, e ajudantes de servico, to-
mando SS. MM. e AA. lugar no solio, el rei D. Luiz
no centro, a ranha sua direita, esquerda o Sr.
Dr. Fernando e o Sr. D. Augusto.
Iramediatamente foram abenas as portas em fren-
te do throno, e entrou a misso, conducida pelo
marquez mestre de ceremonias, e pelo duque cap-
to da guarda real, que faziam offlcio de introduc-
tores, acompanhados de seis mocos fidalgos com
exercicio, e dos offlciaes menores respectivos.
A misso compunha-se de lord Setton, prlmeiro
plenipotenciario ; de lord Henry Perey, major ge-
neral, segundo plenipotenciario ; do coronel Carie-
ton, das guardas reaes ; de sir Charles Stuart Ab
A bibliotheca nacional de Lisboa recebeu bolt, secretario diplomtico; dos offlciaes da ordem
agora a collecco das obras artisticas do celebre por ella delegados, os Srs. Aston Blount, rei d'ar-
esculptor sueco Fogelberg, com
este titulo: Oeu
tres Fogelberg.
E' urna bella obra com 39 gravnras, represen-
tando as diferentes estatuas, bustos, monumentos,
etc., executados pelo famoso esculptor. Fogelberg
nasceu em 1786 e morreu em 1854, e foi um dos
esculpieres modernos mais afamados.
As gravuras sao excedentes.
A barca Martinho de Mello transporte do es-
tado chegou no dia de Maco e ficou em quaren-
tena, porque segundo consta, morreram a bordo
dous passageiroi.
Consta que a bordo ii, barca Martinho de Mello
vem ricos presentes para el-rei.
O Diario de 6 publica a carta de tei aulori-
sando a cmara municipal do Porto a contrahir um
emprestimo at quantia de 300 contos com joro
3ue nao exceda a 7 por eento ao anno. A carta
e lei vem acoaapanbada das tabellas das obras a
qne destinad o mesmo eraprostitaov
mas Jarreteira ; Planch, Rouge-Croix, ArautoSom-
merset, secretario especial; e Georg Adams, Rou-
ge-Dragn, passavante.
Vinha encorporado na misso o almirante Docre,
commandante da esquadra surta no Tejo, e seguiam
os offlciaes da mesma esquadra.
S. M. a rajoha trajava ricamente de branco e
guarnieses escarales. S. M. el-rei vestia o unifor-
me de marwbal general sem insignia de neahuma
outra ordem ao comecar a ceremonia, como do
ritual delta.
Na sua chegada ao paco os plenipotenciarios fo-
ram recebtdos pelos offlciaes da casa d'el-rei, e for-
maram cortejo, de que faziam parte aquelles offl-
ciaes, e as pessoas do squito da misso, trazendo
separadamente o livro dos estatutos, o diploma, as
insignias da ordem, a saber : a espada, o manto e
o collar ; o chapeo emplumado de branco, a es-
trella, a liga, a gra-cruz e a plaea denominada
Jorge-apanagio. O almirante ara portador da espa-
cntretanto os Argentinos era oito das mobili a-
ram 20 mil homens, todos armados e convenien-
temente aprestados para a guerra, e em pouco
tempo estaro era primeiro lugar a contas com o
cacique paraguayo, e em tres raezes na Assump-
Cao, vingando a invaso corrientina.
O Brasil ir tambera, mas atraz de todos, para
fazer uin terceiro papel na lula de honra, para ao
depois dzerem os hespanhoes, se nao for&mos nos,
caro custaria ao imperio a desaffronta dos seus
bros e dignidade nacionaes I
Ha por aqu urna indignaco geral pela demora
as operacoe da marinha e do exercito, quando
por este lado-do imperio tem havido tanta aclivi-
dade, dedicaco e sacrificios de seus filhos para
vingar a patria 1
Basta de negocios do sul, porque so fura a con-
tinuar, muito tinha a noticiar-lhe acerca do que se
diz e consta em referencia actual guerra,
Nenbuma novidade de maior importancia appa-
receu por aqui nos ltimos oito dias,aps a sahida
do Cruzeiro do Strf.
Os pretos fgidos, contra os quaes seguiram um
pequeo vapor da Companhia Amazonas e outro de
guerra, nao se poderam capturar pela ignorancia
em que se est do rumo que tomaram na fuga,
Neste mare magnum do Amazonas todo ceio de
(uros, ilhas, e garaps, logarejos e raattas, bem
difflcil poder atinar-se ao acaso com o lugar em
que so possam ter escondido ou amocambado,
Isla na verdade um precedente pessmo para a
escravalura ; mas o que se ha de fazer, quando
nao ha de repente urna certeza, um fundamento,
para se carainbar no descobnmento da verdade I
S com algum tempo, com alguma vigilancia e es-
forcos que os senhores e a autoridade ebegam
aos seus litis.
Pelo Amazonas nada ha tambera digno de
menean, a nao ser a retirada do presidente Dr.
Adolpho de Barros, delxando o governo da provin-
cia ao vice-presidente, como j ihe noticiei na pas-
sada carta,
O commandante das armas desta consta que nao
seguir para ess sem que o respectivo successor
nao chegue.
O Jornal do Amazonas noticia hoje a nomeaejio
do Dr. Francisco de Paula Lins dos Guimares
Peixoto, que foi juiz municipal de Camela, para
juiz de direito da cmara de Macap.
Outro tanto succedeu com os actos do Dr. Lei-
to Cunha, quando vice-presidente desta provincia
a respeito da nomeaco de varios offlciaes para os
corpes da guarda nacional da mesma comarca, no
tempo da sna reorganisaco, e que depois foram
demitlidos; por isso que o governo imperial em
aviso de 2 do corrente approva o acto daquelle vi-
ce-presidente e revoga o aviso demissorio de 16 de
setembro de 1861, em virtude da resoluco do con-
selho de estado, que defintivaraente acabou cora se-
melhante questo ha tanto tempo pendente, I que
deu aqui causa a larga discu-sio pela imprensa.
Tambem sao destituidas da maior importancia
quaesquer outras novidades relativas poltica, e
perianto passo adiante.
Commercialmente fallando, o que diz respei-
to a nogocio quanto aos gneros deexportacao nao
vai bem, pela falta de procura, consequente da sua
baixa nos mercados estrangeiros.
As noticias do algodo nao foram de lodo mas ;
porm para o Para e Amazonas pouco interessara,
por nao ser esle dos principaes producios da sua
agricultura.
Ha escassez de alguns gneros de importacao ;
os primeiros navios a chegar tanto de Portugal co-
mo de Inglaterra ho de tirar algum result.do.
O navio que Ihe noticiei haver naufragado
na costa desta provincia, foi a barca ingleza Geor-
ge, procedente de Newporle com um crregamenlo
de carvo para a companhia do Amazonas.
Toda a tripolaco foi salva e se acha neste por-
to ; o navio e o carregamento perderara-se total-
mente.
O assassinato de Lincoln e de seu ministro
Seward, j sabidos antes da chegada do ultimo pa-
quete, causn aqui muita sensacao no eommercio,
alientas as relacoes que entreten, esta praca com
os Estados-Unidos.
As casas americanas esliveram fechadas por tres
dias, e o mercado resentio-se alguma cousa com
lo triste acontecimento.
Os navios no porto sao os seguintes:
A' descarga.
Porto Rico, barca franceza.
ame Ida, brigue idem.
Tine, patacho inglez.
Ftorest, dito dito.
Los Amigos, dito dito.
A' carga.
Tocanfiw, dita franceza.
Hiram, dita dita.
Scrates, brigue dito.
Beaujen, dito dito,
Victoria, barca ingleza.
Nota Palmara, barca portugueza.
Margareth, escuna dinamarqueza.
Cambios.
Sobre Londres-25 3|4 e 26 ds. 90 dias.
Sobre Pars365 a 70 por franco.
Sobre Portugal166 a 110 OjO.
A barca Nova Palmeira deve seguir para Lisboa
e porto a 28 do corrente.
Tocantins para Nantes at 25.
O vapor parte boje para o sul meia noite.
K
i

i
Ii

.


^rz
Diario de Pernambnco quinta frir* t de Jicuho de 1865.
_____ ..______
;
DIARIO DE PERfflViBtiGO
Temos a vista carias e jornaes do norte do impe-
rio, traxirtos pelo vapor TocontiHs, lcancando: do
Para a 23, do Maranho a 24, do Ceara a 27, do
io Grande a 28, e da Parahyba a 30 do pas-
sado :
Para. O que orcorrea ven mencin*) i
tnissiva do correspondente.
Mabanhao.a' 493 elevava-se ja o numero de
volufliarn.is da patria.
A assembla provincial cele broa, no dia 19
a sua prinieira sesso preparatoria, organisando
assim a moa: presidente, o Sr. Francisco Solero
dos Heis, secretarios o Or. Joo Pedro des Santos e
o Sr. Jos Ribeiro da Conha.
Lose no Paiz de 18 :
t No da lo espaRiou-se, pela manhaa, a noticia
de estar um navio encalhado na Gora Grande, u
Sr. guarda-mr Ignacio Souza fe immediauraente
ir a sua prwsenca o pescador que dera a noticia, o
qual disse ter passado jaato dottavio, qne era urna
barca ingleza; e, assim averigoada a certeza da
noticia, dirigto-se ao Sr. vicepresidente, pedindo-
Ihes meio para ir em auxilio do navio. Como a ca-
pflaoia do porto nao estava no caso de prestar es-
tes meios, requisitou S. Etc. da companhia de na-1
vegaco a vapor um de seus vapores, e o Sr. ge- j
Tente interino poz immedrtamente a sua disposico, I
independente de qualquer ajust, o S. Luiz. Infor-
mam-nos mais que o Sr. gerente declarara que se
vapor fosse infructfera nada
marear o brilho das virtudes de Hara.
No hospicio da Peona fez-se onvir as diversas
pratlcas diarias o Rvm. rafssionarlo Fr. Fidelis de
Fugnano, patenteando erudfcSo, e sendo ouvido
con immensa attencao.
Durante todo o mez houve crescido numero de
^ denles docredto votada para ellas, nao esliio no A fasta do mez de Maria, 6 alm da-todo isto i
mesmo caso os actos de 8 de julho e 31 de ouiobro urna profissan soieraoo, um teslemouto publico que
do anuo passado, os quaes nao so violaro o dis- damos de nossa crenca, nessa poderosa protectora
posio no art. Xa daqnella le, que manda applicar as dos aflictos, testemanho que mais que nunca deve
sobras de preferencia s estradas (e na provincia ser hoje posto em prallca, por motivo da ousadia
existem estradas em eoostruc'co e outras qne pre do maniaco Biblia, que tudo faz para ver se pode
cisam de reparos) como o preceito do artigo 1",
que prohibe terminantemente que se appliquem as
sobras a servidos nao designados na lei do opa-
mente ; caso em que se achavam tanto a obra do
acude de Cimbres como a coostruccao do caes do
canal da ra da Aurora.
A commissao, reconbecendo como digno de seve- confissSes e comraunhdes.
ra censara o procedimenio do administrador que Teve hontem lugar a renniSo da assembla
nao duvidou postergar a lei, tio clara e terminan- geral dos accionistas da companhia de Beberibe;
te, apenas liavia sido confeccionada por estaassem- toram approvadas as contas e o devidendo35 Por
bla e por elle mesmo sanccionada e promulgada, accao e tendo Rvd. Dr. Cunha Figueiredo recusado
todava limitase a propor que sejam archivadas as continuar no xerecio do cargo de director, sahi-
informales de que se trata e abstem-se de indicar ram eleitos para a novaadministaacao os seguiotes
1 qualquer outra providencia, considerando princi- senhores:
plmente que esse administrador j nao se acha a, Director,
fronte do governo da provincia. Jos Eastaquio Ferrdra Jacobina
Paco da assembla de Pernambuco,-21 de! Vico director,
maio de 186o.Costa Ribeiro.J. do Reg Barros.^ j Sympbronio Cesar C uitinho.
Posto em discussao, Oca o parecer adiado por ter Secretario,
pedido a palavra o Sr. Buarque. Dr Joao Jos Pinto Jnior.
Requerendo este urgencia para a discussao, foi Caixa.
aquella apoiada e empalada, peio que flcou a ma- Thomaz de'Aquino Fooseca.
tena adiada.
E' lida urna indicago doSr. deputado Nabpr pa-
ra que se felicite ao Exm. Sr. presidente da pro-
vincia Dr. Castello Branco.
O Sr. presidente declara que lem duvidas se se
trata ou nao de urna indicacao, por isso que le-
acaso a viagem do
exigira do governo, e se conseguisse salvar algum r esla dtjir a commss5o de Consttuicao e poderes
carregamenio ou o navio, os inleressados paga-, Sl,scila.se por eslc fa(.l0 uma ,|scussao de ordem
riam a companhia. Esto procedimenlo e digno de Da qua( ,omara parte os Srs jfaDOr, Buarque e
ouvor. ___ Arauj0 Barros.
L preparavam o Sr. guarda-mor e outros empregados; de dar |he a frma de r,querimnio, pelo que foi
da alfandega para partir, quando fez-se signal de aceiu opastoealdiseilj!aal tendo redamado aiada
navio e pouco depois de barca ingleza, entrando contra esla decisiio do Sr. presidente o nobre de-
Adjuntos.
Domingos Antonio Villaca.
Joao Goocalves da Silva.
Jos Jeronymo Monteiro.
Jos Caetauo de Carvalho.
Padre Antonio da Cunha e Figueiredo.
Commissao scal.
Juao Ignacio de Medeiros Reg.
Jos Pires Ferreira.
Luiz Antonio Vieira.
KEPAnngAO da polica:
Extracto da parte do dia 31 de maio de 1865.
Foram recolhidos casa de deteogao ne dia 30
do correte: i Ntv
A' ordem do lllml Sr. Dr. chefe de pShcil, Aato-
uio Vicente dos Santos, vindo do termo do Limoei-
entrando
em seguida abarca Urnhh Beautty, deCardilf, puiajo o Sr. Araujo Barros,
com carregamento de carvao, que salara-se do lu-. 0ra pobre a indjcac30 dc feclta^o o Sr. Nabor.
gar ondo tioha eooa-lhade e um pescador conrtuza 0 ,||uslre deputado oceupa a attencao da casa i ro para ser apreseniad'o ao tribunal da relacao.
i i nma Por mais de ,re< noras> discutndo a poltica geral I A' ordem do subdelegado de S. Jos, Jos Gomes
leve lugar, na catneura uma do pa^ 0 SySteina eleiioral, as organsacoes minis- ;Pereira, por ser euconirado com um cavallo furta-
a Senhora Auxiliadora, invo- teri;ieS econcluio anda pelo exame da queslo do : Antuuio Cesar Marinho Falcad, por se ter re-
" Cambronne. clamado um cavallo furtado, ser o verdadeiro; e
Tedo expirado a hora o Sr. deputado Cunha Roque Jos Pacheco, por suspeito.
Teixeira pede a palavra para uma explicacao.o A'ordem do do Poco, Fidelis, escravo de Manoej
que Ihe sendo concedido, declara o oradjr que nao: Antonio Vieira, adisposicao deste.
assignou a proposta de felicitaran ao Sr. Castello
Braucu, e que s por ama inadvertencia do Sr. Na-
bor foi alli inserido o sea none.
O Sr. deputado Arauio Barros pede a proroga
para o porto.
Cear.Ncdia 24
missa cantada a Nossa
cando seu auxilio em beneficio dos voluntarios Cea
reoses. a expensas de aigumas senhoras.
Corra haver soffrido diversas facadas, o Sr.
Bernardino Jos Pereira Pacheco, que se acbava
em Cascavel de viagem para a capital. Ilavia de-
sapparecido o criminoso, que se dizia ser o pesca-
dor Joao do Rcro.
Foi incumbido de organisar o terceiro corpo j
de voluntarios, o tenente-coronel Jos Nunes de :<.lo da hor por mais dez minutos para responder
de Mello. a dous tpicos do discurso d. Sr. Nabor.
Rio GnAKOE.-Neohuma carta ou jornal recebe-1 Ttndo a casa dei.did(, ,,ela afflrmaUva, o Ilustre
deputado passaa refutar os referidos pontos do dis-
tilos desta provincia.
Parahcba. A alfandega renden, de 1 a 24 do
passado 19: lG5J$io rs.
Sahira para Liverpool, a 23, a barca ingieza
Bonita.
PERNAMRUCO.
ASSEMBLA PROVINCIAL.
SESSAO DE ENCERRAMENTO EM 27 DE MAIO
DE 186a.
PIIESIDE.N'CIA DO SR. 1 SBCBBTARIO COSTA RIBEIRO.
Ao meio da, feita a chamada, acham-se
sent os Srs. deputados Aquino, Demostlienas, Bap
tista, Reg Barros, Vitor, Teixeira de Mello. Ma-
noel Netlo, Gaspar, Jacobina, Nabor, Jos Reg
curso daquelle nobre deputado.
Diz o orador que nao tem a pretenjao de entrar
em competencia em cousa algutna com o nobre
deputado o Sr. Nabor, que por muitos ttulos esta
I destinado a representar no paiz um importante
, papel i que para isto possue aquelle nobre depula-
I do familia, cheia de nome, nobreza e fortuna, la-
lentos e outros recursos que fa'lam ao orador;
| que nenhuma gloria revertera ao nobre Dr. Na-
bor derrotando o orador; que a persnardir-se a-
: queile illusire deputado do coufrario, se poderia
I compara-lo ao imperador, que desceudo a arena
i dos gladiadores, empunhando forte e agucada ar-
j ma, venceu ao fraco combatente queJse defenda
pre- com o glad o de chumbo, mandando depois gravar
medalhas em honra ao seu vergonhoso trium-
plio-
Sobre a inriieag offerecida pelo mesmo Sr. de-
Barros, Lourriro, soares Brandao, Amyntas, Arau- putado Nabor, para que se felicite ao Exm. Sr.
jo Barros, Rochael, Franca Aminio, Ribeiro, S Pe- Castrli- Branco, por haver despertado o espirito e
reir, Jos Teixeira, Dr-odoro, Lampello, A y res. enihusiasmo da provincia na questo do alislamen-
G Sr. prosidente abre a sesso.
Lida a acia e posta era discuss.no, falla sobre ella
o Sr Nabor, pedindo que se mencione o incidente
occorrido com o orador por occasiao da discussao
do projecto n. 65.
O mesmo Sr. deputado manda a raes?, a segra-
te emenda :
Depois da mencao de haver fallado os Srs.
Buarque e Cunha Teixeira, declare-se que o depu-
tado Nabor pedio a palavra para discutir a mate-
ria, e que o Sr. presidente poz em duvida conce-
der-I be on nao a palavra, sob o pretexto de se de-
ver considerar o mesmo deputado como tendo fal-
lado tres vezes, nao obstante em uma delias nao
haver desculido, e apenas offerecido um substituti-
vo ao projecto com declaracao de nao usar da pa-
lavra pur se adiar fatigado. Querendo o Sr. pr-
ndenle snbmeiier a dnvlda a derieo da casa o
mesmo deputao declarou no ser iJto conforme o
A' ordem do do Peres, Manoel Jos do Nascimen-
lo, como indiciado em crime de morte.
O chefe da 2" seccao.
J. G. de Mesquita.
Passageiros do vapor nacional Tocanins, en-
trado dos (.ortos do norte :
Joaquim Moreira B. de Oliveira Lima, Antonio
Luiz Al ves, Pequeo e I criado, Antonio Luiz Gon-
calves Vianna, Antonio Teixeira Pequeo, Antonio
Correa deFana, Manoel dos Santos Villaca, Jos
Das Pimenta Jnior, vlgario Jos Modesto Pereira
de Briio e 1 criado, Ignacio de Albuquerque Mara-
nho e i criado, Jos Antonio Pereira Vinagre,
Joao da ^ilva Juuior, Francisco Melquades Cer-
(jueira, Marcolrao de Souza Travasso, Vicente Au-
gusto de Magalbaes, Antonio Francisco do Reg
Barroso, Fancisco Antonio Vieira da Cunha, Luiz
dos Santos Leal, Manoel Joaquim de Faria, Jacob
Selberberg, Joseph Lerig, Nicolao Leonardo, Ga-
O secretario deste tribunal ter na secretarla nm
livro, no qual deve a parte vencida declarar se quer
fazer contar os autos e pagar independente da ei-
traccao da carta de senten^a e quando isto succe-
da o mesmo secretario scientiflcar essa declaracao
ao respectivo esenvo, o qual a intimar parte
vencedora
appellado, Francisco Bap-
appellado, Joao Paulo, es-
Appellante, ojuizo
tista da Silva.
Appellante, o juizo
cravo.
Do Sr. deserabargador Motta ao Sr. desembar-
dor Gitirana
e se apezar desta intiraagao esta qui-1 A aopellacao civel.
zer razer extrahir a carta de seotenca, dever tam- Appellante, Jos Luiz Pereira Lima ; appellado,
oern inscrever a competente dedaracao em o pre- Joaquim Pereira Maia.
dito livro ; e as custas resultantes dessa sua exi- Ao Sr. desembargador Doranguea da Silva
gencla correrao por sua propria conta. Appellacoes criraes.
Se porem o escrivo nao intimar parte vence- Appellante, Manoel Autonio Laguna; appellada,
aora a declaracao -Ja parle vencida e houver ex a justica.
trahido a caru de seitenca, nenhuma das partes Appellante, a cmara municipal; appellado, Dr.
sera obngada ao pagamento de taes costes. : Pedro Pereira da Silva Guiraares.
jllgamentos. Do Sr. desembargador Doraingues da Silva ao
Appellante, D. Maria Magdalena de Almeida Ca- Sr. desembargador Barros Vasconcellos
tanho ; appellada, D. Anna Josepha Pereira dos | As appellaQSes crlmes.
Santos. Adiado as sessoes 18 e 2 do correte. I Appellante, Antonio Lourenco Gomes ; appella-
fot confirmada a sentenca appellada. 'dos, o juizo, e Trajano Francisco Brasileiro e ou-
Appellanles.JJos Antonio Pereira e sua mulher; iros,
appellados,. a viuva e herdeiros de Joao Ferreira Appellante, Vicente Ferreira da Silva ; appella-
dos Santos.Adiado na ullima sessao. Recebe- do, Jos Rodrigues de Souza.
ram-se os embargos. Appellante, Marcolino Bezerra Torres: appella-
Appellaote, Joao Joaquim da Costa Lelte ; ap- da, a justica.
pellado, Manoel do Souza Pereira. Adiado na a' 1 1/2 horas encer'ct-ae a sesso.
ultima sesso.Nao pode ser julgada por nao estar ^^^_^_____^_^^^___^^^^^
presente o Sr. desembargador Accloli.
Appellantes, os administradores da massa fallida
de Amorim, Fragoso, Santos & C.; appellado,
LnizJos dajsilva Guiraares. Adiado na ultima
sesso. Nao pode ser julgado este feito por nao
estar presente o Sr. desembargador Accioli.
O Sr. desrmbargador Silva Guimares propoz |
uma diligencia nos autos de appellaco entre par-
tes :
Appellante, Francisco Jos de Campos Pamplo-
na ; appellados, Roberto Lightborn & C.
Mandou se, por accordo, lavrar o termo de con-
flsso requerido pelo appellanie.
passagem.
Do Sr. desftfnbargador Res e Silva a Sr. desem-
gador Silva Guimares
HBggigjjB A HD1D0
HUMA VIDA SALVA 2
Appellantes, A. Schafler S C.; appellados, An-
tonio Luiz de Oliveira Azevedo <& C.
DISTBIBUIQAO.
Ao Sr. desembargador Silva Guimares :
Appellantes, os administradores da massa fallida
de Amonm, Fragoso, Santos & C.; appellado,
Innocencio Garca Chaves.
AGGRAVOS INTERPOSTOS DO JUIZO ESPECIAL
DO COMMERCIO.
Aggravantes, Ferreira & Loureiro ; aggravada,
exequente D. Maria Rila da Cruz Nevos. Executa-
do o Dr. Joo Pedro Maduro da Fonseca.
Aggravantes, "D. Francisca de Salles Candida da
Rocha e outros; aggravado, Joaquim Luiz Vi-
rios.
O Exm. Sr. presidente negou provimento.
Nada mais havendo a traiar-se o Exm. Sr. pre-
dente encerrou a sesso 1 hora e um quarto da
tarde.
TRIBUNAL DA BBLAt :iO.
SESSO DE 27 DE MAIO DE 1865.
PRESIDENCIA DO EXM. SR. CONSELHEIRO
SOUZA.
As 10 horas da manlia, presentes os Srs. des-
; embargadores Gitirana, Lourenco Santiago, Al-
, raeida Albuquerque, Doria, Molla, Domingues da
bne Manan. 3 escravos a entregar, 1 criminoso. gy^ e Barr^s YMtteeUo, fallando os Srs. des-
escouado por 2 pracas. embargadores Santiago, Assis e Guerra procura- :
peguera para o sui: ,...., dordacoioa, abrise a sessao.
Cap. ao de mar e guerra Joaqu.m Francisco de Passados os feltos dtram.se os seeuntes
Larvalho Menezes, lenle Joaquim Jos de Uliyei-1 julgamentos.
Aggravo de petiqao.
Aggravante, Tnomaz Jos das Neves;
to dos voluntarios da patria, o nobre deputado pon-
dera, que volar urna feiicitagao por motivo dessa
ordem um deslustre para a provincia, para os
Pernambucauos, cojo enlhusaasmo apparcre s-m-
pre em occasiao opportuna.; que sem desconhecer
os snicos d Sr. Castello Branco no empenho de
promover-se o alistameuto dos voluntarios, declara
que S. Exc. nada poderia fazer seno fussem os
auxiliares que o cercavam, e que por taiitj a todos
estes se deveria tambem felicitar.
Respondendoaos que ointerpellam sobre o apoio
que o orador presta a admmisiraco, declara, que
se recurda anda que logo depois da leitura do re-
lalorio do Sr. Castello Branco na assembla os
nobres deputados liberaes moslraram-se cheios do
maior desconlentamento, que nao cessaram de ma-
nifestar, classificando at de embagadella aquelle
relatoro; 'ahi conelae o orador uo os nobre..
deputados que o interpeilara sao precisamente os
regiment, e que o mesmo devia o decidir. Em que se achara em oppostgiQ.
seguida desle incidente apresentou o Sr. deputado i o illusire uiembro observa que nao quer se ma-
Cuuha Teixeira um requeriraentj de adiameuto, 'nifestar em oppcsicao ao administrador da provin-
e que retirou-se logo depoisde esse volado, j nao ca; que emqnanto elle mostrar por fados o que
e-undo na casa o deputado Nabor ^ e nesse esta-, nos iransmiltio no eu relatorio, quando fez a apo-
do deu o Sr. presidente por encerrada a sesso por logia do partido progressista, ter sempre todo o
faltade numero-S. R. Nabor. apoio desle partido, quenada mais quer do que a
Depois de apoiada poz se era discussao a emenda. | moralidade e a justica, que foram escoihidas para
Vem mesa uma emenda do Sr. Buarque con-; a baudeira do actual administrador,
cebida nos segnintes termos : Acerca das futilidades qac se pretendeu arvorar
Mencione-se apenas na acta,que o nobre depu-' na casa em arguicoes muito illustrada adminis- i w'fcBdH tado o Sr. Nabor fallou pela ordem, por occasiao irayo do Exm. Sr. Dr. Souza Leo, o orador res-
da disousso do projecto n. 6"> Buarque. I ponde referindo o seguinte facto :
Fallara igualmente sobre o acta os Srs. Boarqoe .Freder* hio a
e Baptisla, concluindo este por enviar a raesa a
seguinte emenda, que foi approvada a com acta, fi-
cando prejudicadas todas as mais .
< Finalmente continuando a discussao do projec-
to o. 65 desle anno pedio o Sr. Dr. Nabor a pala-
vra que Ihe nao foi concedida por j haver tres ve-
zes fallado sobre a materia. Oraram os senhores
etc., etc.Baptisla. t
O Sr. 1* secretario l o seguinie
EXPEDIENTE :
Um ofDcio do secretario do governo remetiendo
diversas informacoes sobre os negocios da thesou-
raria.A' quem fez a requisico.
Ouiro reiiu'tt- ndo copia das petigoes de Carlos
Cambronne, ltimamente apresentadas ao governo
A' quem fez a requisico.
Um ollieio do Sr. vice-presidente da assembla,
declarando deixar de comparecer por incemmodo
de aude.Ioteirada.
Proponho que seja designado o Sr. i* secretario
para receber a quota do expediente da secretaria
di assembla no exercicio futuro. Buarque.
Foi approvada a redaeco db projecto n. 68 des-
te anno.
Foi lido o segainte parecer da commissao de le-
gislaco :
A' commissao de legislaco foi presente, para
tomar na devida consideracao, era virlude de deli-
beradlo desta assembla e a requerlmento do no-
bre deputado Sr. Gervazio Campello, a iuformaco
remedida esta casa pelo Exm, Sr. presidente da
provincia acerca de e nao ter dade s sobrae de
diversas verbas da lei do orcamento vigente o des-
tino eslabelecido no art. 2 da lei n. 57o de S de
abril de 864.
))a informaco consta, que das sobras de que se
passeio, e enconlrou a porta
Be Un. .,Mor uma labol-ta onde se havia lau-
cado as raaiores injurias sua pessa: o re
parou; cora sua propria rao arrancou o insultuo-
so dstico e collocou-o mais abaixo em posico que
todos podessem ler, e exelamou qoe o raeu povo
proceda como Ihe parecer, que eu farei o que en-
tender.
Assim, diz o orador, o Sr. Dr. Souza Leo rece-
bera as aecusagoes banaes, injustas e apresentadas
com pouco criterio na casa; as fara' correr, para
que julguem da sua administraco, e repousara'
com a sua consciencia tranquilla, recebendo os
louvores d'aquelles que sabem apreciar devida-
mente os seus actos e a pureza das suas inlencoes
(apoiados, muito bem.)
O Sr. Presidente suspende a sesso para se la-
vrar a acta do encerraraento dos trabalhos.
Cinco minutos depois comparecen! novaraente no
salo os Srs. deputados.
O Sr. 2o Secretario l a acta do encerramento,
a qual, d.jpois de urna ligeira observaco do Sr.
Buarque, approvada.
O Sb. Presidente declara que esto encerrados
os trabalhos do segundo e ultimo anno da presente
legislatura.
umn diaria.
A das tem-se espalhado que as seduls de o0O0
I de duas figuras, ora existente nacirculaeo voser
recolbidas e varias pessoas se nos dirigira.n inda-
gando da veracidade deste boato, mas a todas temos
i cerliiicado a falsidade delle e fazendo ver que nao
I se recolhem sdalas sem se marcar tempo e annun-
trata foi a quantia de 43:1084183, por determina- ciar por editaes por vezes; o que nao se deu anda
cao do governo da provincia em data de 8 deja-1 a respeito desias sedulas.
Iho e 31 de oulubro do acuo passado erapregada na | No entretanto, apezar disto, consta que foram le-
obra do acude de Cimbres e na constrnecao do j vadas a thesouraria porco delias para serem tro-
caes do canal da ra da Aurora : que restando cadas, e assim o Sr. inspector nos autorisou a de-
ai uda sobra.- na somma de 3:7631220, mandou o clarar que nao teera fundamento algum seme
mesmo governo em 8 de marco prximo lindo qoe Ihante boato e qoe as poicas sedulas que se acbam
fosse por essas obras paga a ultima prestaco da em troco sao as de 100,5000 papel branco; portan-
obra da ponte de S. Joo na importancia de-----' to pode a popularn estar tranquilla na posse das
10:000,000, e era 29 do mesmo mez que tambem | referidas sedulas porque tal boato nao lem funda-
por essas sobras se [pagassem 39:7805 a Wuva e ; meato algum e s pode ter partido de pessoa que
herdeiros do finado engenheire Jos Maioede Al ves nao tem em que seoecupar.
Ferreira pelas obras que no correte exercicio en-1 Desmoronou-se no sabbado ultimo uma casa
tregara aquelle empresario em virtude de se ter ex-; que na Capunga se reconstrua ou concertava-se
ra, tenente Pedro Gomes dd Oliveira, escrivo Fer-
nando Ribeiro do Amaral, ecrivo Candido J. Pe-
reira e sua familia, guarda-marinha Jos Dorolha
da Silva, D. Maria Barbosa Aranha e 1 fiilha, Fre-
derico Constancio da Fonseca, Jos Ferreira de Oli-
veira Santos, Dr. Raymundo Mendes Vianna e 1
escravo, D. Engracia de Carvalho e sua familia,
Pedro Jos Vieira, D. Candida Leopoldina e 2 fi-
nios, Joaquim Candido Pereira Chave e 1 criado,
Eulaslico Francisco da Costa, 277 pracas, 22 offl-
ciaes da guarda nacional da Parahyba, e 8 escravos
entregar.
Passageiros do vapor brasileiro Mamanguape,
sabidos para MaceiO e portos intermedios :
D. Virginia da Pa.xo Barros e 1 criada, Joaquim
de Souza Silva Cunha, Francisco Duarte das Ne-
ves, Henrique de Almeida Coimbra, vgarlo Jos
Teixeira de Mello, Luiz de Franca e Silva, Dr. Luiz
Rodrigues de Albuquerque.
Casa de detencao :
Movmento da casa de detencao do da 29 de
maio de 186S.Existiam presos 340, entraram 14,
saturara II, enisiem ,*.>. -,.i,.-r: nac[ooaes2o4,
mulheres 5, estrangeiros 26, estrangeiras 2 escra-
vos 50, escravas 6.Total 343.
Alimentados a custa dos cofres pblicos 123
Movimento da enfermara do da 31 de maio
de 1865.
Teve balxa :
Manoel Jos Maria ; febre.
Teve alta :
Jos Gomes de Oliveira Jnior.
Cemiterio publico. Obituario dodia 30 de
maio de 186o.
Pernambuco, 22 annos,
solteira, Boa-Vista; tubrculos pulmonares.
Apolinarla Maria do Sacramento, Pernambuco, 90
annos, vluva, S. Jos; cochexia.
Anua Thomasia d'Araujo, Pernambuco, 26 annos,
solteira, Boa-Vista; hydropesia.
Francisco Boassino da Costa, Pernambuco, 34 an-
nos, solteiro, Boa-Vista; phtysica pulmonar.
Luiz Martins Pereira, Portugal, 50 annos, solteiro,
Boa-Vista; erisipella.
Rosa Mari? da Conceicao, Pernambuco, 80 annos,
viuva, Boa-Vista; hydropesia.
Manoel, Pernambuco, 3 mezes, Santo Antonio; in-
llammacao de intestino.
Albertina, Pernambuco, 5 mezes, Boa-Vista; den-
iraco.
Pedro, Pernambuco, 23 dia?, Santo Anlonio; con-
vulsoes.
Euphemia, Pernambuco, 22 annos, solteira, escra-
va, Santo Antonio; uchohi nervoso.
=*---<<
CIIRM JUNCIANA
I em um sitio d'alli. em conseqnencia do lempo sem
! duvida alguraa. Felismente nao houve desastre a
| lastimar.
Segu hoje, no vapor Tocanhns, a lomar as-
tinclo o crdito consignado para essas obras.
Havendo examinado a supraciuda lei n. 573, a
commissao veriScou que suas difiposicoes, no que
respeita a especie de que se trata, sao por demais
claras e precisas e despeneo qualquer acto nter-' sent da cmara vitalicia, o Exm. Sr. visconde da
pretativo. Boa-Vista. Desejamos-lbe prospera e feliz via-
0 art. i* do mencionada lei dlspoem : gem.
< 0 presidente da provincia nao poder applicar A' bordo do Tocantias vieram da Parahyba,
as consignaros de urnas as outras rubricas da com destino corte, 300 praeas da guarda naci-
le! do orcamento proviacial, neo) a temiip nella nal.
nSo designado > Terminaram hontem os exercicies do mez
E o art 2* concebido nestes termos: Maano, celebrados em difiranles templos desta
c Havendo sobras era alguma verba de de?pesa cidade com a devida solemaidade e pompa,
s podero ellas ter a applieaco, que for determi- E' ma das mais piedosas devoeoes que ultima-
n na respectiva lei do oreamento, e quando esta mente se tem entre nos usado,
nada determine a respeito, sarao addicionadas Nascida na Fraaea por ama quasi inspiracio,
rubrica obras publicas e de preferencia as eslra- para logo espalhou-se por toda a Europa, e de i
das da provincia. pa-sou a America, a frica e a propria Occeania ;
Ante as citadas dsposleQes, parece commissao de maneira-que hoje nao ha lugar, por obscuro e
ra de duvida que nenhuma llegalidade existe desconrrecldoque seja, queno lgano mu de maio
em relacio aos actos do governo da proviada de um cntico de loaror, ara bymoo de amor a este
29 de marco do correte anno mandando applicar Bainha das Virgaas.
as sobras das diversas verbas da lei do oreamento A devoco a Nossa'Seabora, por ningum deve
rigente ao pagamento da ultima presta^So devida ser mais cultivada do que pelo povo brasileiro.
ao empreiteiro da ponte de S. Jlo, e da importen- Desde que um piedoso monarcha no-la dea por
ca devida aos herdeiros do engenbeiro Mamede padroeira, um* obrigaco muilo maior oascep para
jwlas obras eatrefQes no eorrente exercicio exee- n,-de a amara Baila
TRIBCMAIi DO COMMERCIO
ACTA DA SESSAO ADMINISTRATIVA DE 26 DE
MAIO DE 186S.
presidencia do exm. sr. desembargador
anselmo francisco i'khetti.
s 10 horas da manlia, estando reunidos os Srs.
deputados Rosa, C. Alcoforado, Basto e Miranda
Leal, o Exm. Sr. presidente declarou aberta a ses-
sao.
Lida, foi approvada a acta da seso antece-
dente.
expediente.
Foi distribuido ao Sr. deputado Miranda Leal o
livro Diario de Maia & Espirito Santo.
DESPACHOS.
No requerimenta de Henrique i Azevedo, pe-
dindo que seja sellado e rubricado o livro Diario
que apresentam, cora pnmeira pagina e parte da
segunda escripias:Como requeren).
No de Olympio Ferreira da Silva, pedindo o re-
gistro de um papel de arrendamento que aprsen-
la :Registre-se.
No de Joo Avelioo Pereira da Rocha, pedindo o
registro de orna procurago que ajuma :Regis-
tre-se.
No de Joaquim de Oliveira Maia Jnior, pedin-
do o registro de sua nomeaco de caixeiro de Do-
mingos Jo.. Ferreira Guimares :Regstrese.
No de Pedro Joaquim Vianna Lima, pedindo que
se declare sem effetto as nomeacoes de Innocencio
da Silva Casta e Pedro Marinho de Almeida e Sil-
va, que deixaram de ser seus caixeires, e que se-
jam registradas as nomeacoes que deu a Jos Tho-
m Pereira Lins e Manoel Francisco da Silva :
Facam-se as notas a respeito dos primeiros e re-
gistrem-se as nomeacoes dos segundos.
Nada mais havendo a tratar, o Exm. Sr. presi-
dente encerrou a sessao s onze horas e mete da
manhaa.
SESSAO -JUDICIARIA EM 26 DE MAIO
DE 1865.
PRESIDENCIA DO EXM. SR. DESEMBARGADOR
A. F. PERETTI.
Secretario, Julio Gutmares.
As H)4 aeras da raanha o Exm. Sr. president-
abrio a sessao estando reunidos os Srs. desembare
gadores Heis e Silva, e Silva Guimares, e
os Srs. deputados Rosa, Candido Alcoforado, Basto, e outros;
o Miranda Leal.
Lida, foi approvada a acta da sessao antece-
de ota.
Em consequenc.ia de ontiatias reclamaces de
partes sobre extracca de cartas de sentencas, o
Exm. Sr, presidenta resoiveu que de ora era dian-
te se obserye o seguinte :
aggrava-
do, o juizo. Relator o Sr. desembargador Barros
Vasconcellos.Sorteados os Srs. desembargadores
Gitirana e Almeida Albuquerque. Nao se tomou
conhecimento.
Appellacoes crimes.
Appellante,Jo juizo ; appellado, Roque Bento da
Silva.A novo jury.
Appellante, Jos Bento Beltro Velloso ; appel-
lada, a justica.Nullo e processo.
Appellante, Joaquim Gomes Camello ; appellada,
a justica.Nullo da pronuncia em diante.
Appellante, o juizo appellado, Manoel Corma
Lima.A novo jury.
Appellante, Jos Sancho Bezerra Cavalcanti; ap-
pellada, a justica.Reforraaram a sentenca.
Appellante, ojuizo ; appellado, Luiz Goozagade
Lima.A novo jury.
Appellante, o promotor; appellado, Claudioo Jo-
s de Souza e outros.A novo jury.
, Appellante, o iuizo ; appellados. Jeronvmo Fer-
reira ae Albuquerque e outros.A novo jury.
Appellante, Florencio Bispo dos Santos ; appella-
dos, ojuizo e Joaquim Flix de Oliveira. Proce-
dente a appellaco.
Appellante, o juizo ; appellado, Vicente Ferreira
Lima.Applicaram a pena do grao medio.
Habeas-corpus.
Negaram soltura pedida era habeas-corpus por
Jos Autonio Paes da Porciuncula.
diligencia crine.
Com vista ao Sr. deserabargador promotor da
justica
Appellante, o jnzo ; appellada, Joo Vicente de
Araujo.
Appellante, Alexandre Bezerra dos Santos ; ap-
pellado, o juizo.
Appellante, o juizo ; appellados, Pedro Flix de
Souza e oulro.
diligencia civel.
Com vista ao Sr. desembargador procurador da;
coroa
Appellante, a viuva de Joo Vieira da Cunha ;
appellada, a fazenda.
Cora vista ao Dr. curador geral
Appellante, Jos de Aleoquer lmoes de Ama-
ral ; appelladas, Theodora Sigiet e outra.
Appellante, Joo Francisco Alves da Silva ; ap-
pellado, o pardo Antonio.
designacao de da.
Assignou-se dia para julgaraento das segra-
les :
Appellacoes crimes.
Appellante, ojuizo ; appellado, Francisco Gabriel
da Silva.
Appellante, o juizo; appellado, Antonio Ferreira
Martins Caxeado.
Appellaute, o juizo ; appellado, Jos Alexandre
Bezerra.
Appellante, o juizo ; appellado, Henrique Pereira
de Lima.
Appellante, o juizo; appellado, Francisca Luiz
de Souza Babia.
Appellante, o juizo; appellado, Jos Domingues
Correa.
Appellante, Ricardo Lopes da Norraandia ; ap-
appellada, a justica.
Appellanle, o juizo ; appellado, Jos Luiz de
Santa Anna.
A appellaco civel.
Appellantes, Honorato Jos de Oliveira Figueire-
do e outro; appellada, D. Josepha Joaquina de linio
e seus filhos.
passagens.
Do Sr. desembargador Gitirana ao Sr. desembar-
gador Lourenco Santiago
As appellacoes crimes.
Appellante, o promotor ; appellado, Mathias da
Cunba.
Appellaate, o juizo ; appellados, Telesphoro Mar-
ques da Silva Jnior e outros.
A appellaco civel.
Appellante, a irmandade de t. S. da Soledade
appellados, os herdeiros de Jos Maria da Costa
Carvalho.
Do Sr. desembargador Lourenco Santiago ao Sr.
desembargador Almeida e Albuquerque
A appellaco crime.
Appellante, o juizo ; appellado, Joaquim Jos de
Santa Anna.
As appellacdes civeis.
Appellante, Joo Lopes Cavalcante ; appellado,
Jos Antonio de Mendonca.
Appellante, D. Maria da Luz Teixeira Costa ; ap-
pellado, Joaquim Ferreira de Arruda.
Appellante, Eduardo H. Braman ; appellado,
Joo Paulo Carneiro de Souza Bandeira.
Appellante, Dr. Manoel Carlos de Gouveia ; ap-
pellado, o vigario Jos Antunes Brandao.
Appellante, Jos Domingues Crrete ; appellada,
a ordem terceira de S. Francisco.
Do Sr. desembargador Almeida e Albuquerque ao
Sr, desembargador Assis
As appellacoes civeis.
Appellantes, bacharel Benjamn Pinto Nogueira
appellados, D. Margarida Augusta Pinto
Nao temo* conhecimento algum de nenhum
caso que t5o perfectamente mostr d'uma ma-
neira a mais dar e persuasiva o poder da
ScUncia Medica sobre a molestia qual seja o
de Aktonio Joaquim Pebeiha, da Babia.
Este hornera infeliz havia mais d'um anno que
Boffria as dores as mais atrozes e pungentes
proveniente de
Trozo
Terriveis ('hagas Ahertas
espalhadas por sobre differentes partes de sen
corpo, sendo uma das quaes sobre o poito do p
uma funda e maligna chaga, a qual o privava
de andar, cauzando-lhc as dores as mais agoni-
santes quer de dia quer de nonte; continuada-
mente atormentado por laes ailliccocs o dores,
c quasi que aborrecido da continuaco de sim-
ilhante vida, tendo posto de parte toda afee
conn.inca em medeeinns, c na rualidiule pareca
qu para elle nao Ihe restava mais esperanja
alguma; assim >ois resignado esperava coim-
paciencia o termo final do seus mutiplicados
soffrimentog, eis que milagrosamente por for-
tuna sua Ihe receitnro o grande purificador
do sangue
A Salsaparrilha
DE BRISTOL
e mediante r. sua grande ettreacia e excellencia
elle se achou dentro de pono tempo, lirre do
seu trremedfovcl estado do desespero, e a doce
e risoulia esperaiicu tornou de novo reviver
em seu coraco; sob a poderosa e benvola in-
fluencia dosu; admiravcl medicamento, as suas
ehagas era breve principiarao assumir um ca-
rcter favoravel diminuindo o aspecto de sua
magnidade A massa do sangue e mais
humores do svstema tornou adquirir uma
ppareacia clara o sauduvel, as dores ator-
mentadoras d'outro ora o deixarao, e uma docw
e suave tranquillidade principiou precorrer
todo o seu systciiia, restaurando-llie a desejada
paz e socego d*espirito; as cliagas uma urna
se foro fechando r.t que finalmente se cica-
trizarao d'um todo, e boje cha-se perfeita-
mente sao, gosaud d'um perfirito estado de
saude, depote de se ter visto privado d'oste
grande gozo durante mais d'um anno. Elle
durante esta sua cura, apenas fez uso de
Dc&uigit garrafas da Genuina Salsaparrilha
dt Biisiol. preparada exclusivamente por
LANMAN & KEMP,
De NOVA YORK.
Recommenda-se mu particularmente aos
Doentes d'aiubos os sexos, quo empreguem
toda a csutella na escolha d'este admirare!
remedio, afin que nao obtenho outra com-
po6cao qualquer, que nao seja a Salsaparril-
ha Genuina de Bristol, pois que todai as
mais preparacoes e imitacoes d'estarnatureza
sao falsas nao poesuindo rirtude ajguma.
Vende-se as boticas de Caors & Barbosa
e C. Bravo & C.
Um importante curativo.
Nao temos conhecimento algum de nenhum caso,
que to perfeilamente mostr de uma rnanera mais
clara e persuasiva o poder da sciencia medica so-
bre a molestia, como o que se deu com o filho do
Sr. coronel Tiburtlno Pinto de Almeida da cidade
da Victoria.
Este moco, que ha pouco se achava nutlisado,
soffrendo as dores as mais atrozes e pungentes, pro-
venientes de excrescencia, ou exostosis uos ossos,
acha-se hoje restabelecido e com praca de tenente
no balalho de Voluniaros da Patria, que seguio
para o campo da batalha em desafronta dos nossos
brios.
SolTria elle em differentes parles do corpo dores
as mais agonisantes, quer de dia, quer de neute,
continuamente atormentado por laes aillicgoes e
dores, quasi que aborrecido da existencia, tende
posto de parte toda f e confianza na medicina,
porque experimentou todos os remedios por elle
coohecldos; e na realidade pareca, que para elle
nao restava esperanca alguraa : eis que se resolve
a submetter-se ao uso do xampe alchoolico de ve-
lame, e inmediatamente pela effkacia e excellencia
deste xarope o mesmo se achou, dentre de pouco
tempo, livre dos padecimentos, e a risenlu espe-
ranQi tornou de novo a reviver em seu coraco
sob a poderosa benfica influencia deste admlravel
medicamento; o crescmento da testa, e de outras
partes do corpo em breve priocpiaram assumir
um carcter favoravel, diminuindo o aspecto de
sua magnidade.
Amassado sangue, e mal; humores do systema,
tornaran) adquerir uma apparencia clara e sauda-
vel; as dores atormentadoras de outr'ora o deixa-
ram, e nma doce e suave tranquillidade principiou
a percorrar todo o seu systema, restaurando-lhe a
desejada paz e socego de espirito; os lugares cres-
cdos do seu corpo, regularisaram-se, pondo-se no
seu estado normal, t ho|e se acha perfeilamente
sao, gosando de um perfeito estado de sade, depois
de se ter visto privado deste grande gozo durante
bastante lempo.
Elle durante esta sua cura apenas fez uso de oito
garrafas do xarope alchoolico de veame preparado
pelo o abaixo assignado eslabelecido com botica na
ra Direita n. 88.
Becommenda-se mui particularmente aos doen-
tes, qoe empreguem toda cautella na escolha deste
admlravel remedio, afim de que nao obtenham ou-
tra composiclo, pois qoe todas as mais proparacoes
e imitac5es desta natareza sao falsas.
Vende-se, como fica cima dito, na botica da
ra Direita n. 88 de
Jos da Rocha Paranhos.
Appellantp, Manoel Patro do Nasclmento ; ap-
pellada, D. Margarida Maria da Paixo.
Do Sr. desembargador Doria ao Sr. desembar-
gador Motta
As appellaclies crimes.
Appellante, o promotor; appellado, Manoel Joa-
quim de Lima.
Movobanco de Pernamfoneo.
O banco paga o 14* dividendo na razaode8J
QOi a(rGHOB
Aforo banco de Pernnro-
bneo.
O baoco descontaletras na presente sPma
9 por cento ao anno at o prazo de quatr7 *
zes, e a 10 OjO at o de seis mezes H nie-
Caixa filial da banco do Brasil em
Pernamboeo.
A directora desta caixa saca sobro o baen*
Brasil no Rio de Janeiro e sobre a caixa fiiii ,
mesmo baaco na Baha. "al
Novo baico de Pernambuco.
Os administradores da massa fallida de i<
Jos Silveira pagara o l' dividendo de dita m,,!?
na razo de 9 0/0 sobre o valor des tuuiq, art
meltidos : no novo banco de Pernambuco ...
do Trapiche n. 34. a ,u
Brasil
Caixa filial do bauco do
em Pernambuco.
A caixa filial do banco do Brasil, era virtud d
ordem da caixa matriz de 4 do correte, e da Z
claragao da caixa da amortisaco, abaixo coDiadT
contina a receber sem deseclo as olas L snT
verno do valor de 1005, 3' estampa.
Caixa filial do banco do Brasil 31 de maio de
1865'.
O guarda-lvros,
Ignacio Nanos Crrela.
ALFANDEGA.
Rendimenlo do dia la 30......
dem do dia 31...............
C3"2:'1638I
13:839>ij
ta8:3563Q
MOVIMENTO DA ALFADEGA.
Volumes entrados com fazendas___
com gneros..... 965
Volumes sahidos cora fazendas.....
com gneros.....
------- 565
li8
369
Descarregam no dia Io do eorrente.
Escuna hollandezayln//opemercaduras.
Barca inglezaNethertonbacalbo.
Brigue hanoveriano-Johanesfarinha du trigo.
Brige inglezParklidevinhos e cemedto.
Briguo portuguezSowanomercaduras.
Barca inglezaLombardtavinhos e mais generes
j Barca portugueza. Joaocharque.
Escuna portuguezaZ). JoSoidem.
Sumaca hespanholaMercedttaidem.
Brigue nacionalCardiaidem.
Brigue nacionallmporadordem.
-i Iniportacao.
Vapor nacional Mamanguape, entrado do Acara-
c, manifestou o seguinie :
450 meios de sola ; a Valle Porto & C.
12 caixotes queijos ; a ordem.
Do Aracaty.
61 saceos com 238 arrobas e 17 libras de aljo-
dao, 1 caixao penas de ema ; Jos a Silva Lna
Jnior.
67 sarcos com 245 arrobas e 3 libras de al"o-
dao ; a Parate Vianna A C
Do Cear.
31 saceos feijo e 2 ditos caf; filado; a ordem.
De Macan.
32 saceos com 112 arrobase 14 libras de ern
de carnauba e 30 molhos rom tOO courinlios: a
Bernardino Jos Monteiro Jnior.
3 volumes com 11 arrobas e 17 libras de velas
de carnauba ; a Manoel Jos da Silva Oliveira.
4 caixes com 22 arrobas e 17 libras ric ve-
las de carnauba -, a Antonio Lopes Braga i\ C.
Patacho nacional Regulo, entrado do hio Grande
do Sul, consignado a Amorim Irmos, manifestou
o seguinte :
7,886 arrobas de carne secca de charqne, 136
arrobas de sebo em paes, 56 couros vaceuns sec-
eos ; ao mesmo.
14 barris com 1,500 tarahas ; ao capitao.
Lancha nacional Victoria, entrada de S. Ma-
theus, consignada a Tasso Irmos, man'festou o
segninte :
4,000 alqueres de farinha de mandioca acra-
nel aos mesmos.
Lancha nacional Linda Dalia, entrada da Ba-
ha, consiguada a J. M. Palmeira, maLifeslou o
segrate :
960 alqueires de farinha de madioca agraael;
aos mesmos.
Barca nacional Valle, entrada de Buenos-Ayre?,
consignada a D. Ferreira Bailar, manifestou o' se-
guinte :
5,000 qaintaes hespanhes de carne seca de
charque, 50 couros de poltro e 50 duzias de tabjas
decauella ; aos mesmos.
Exportaco.
Barca franceza Sphere, carregou para o Ha-
vre :
1,600 saceos com 8,000 arrobas de assnrar mas-
cavado, 448 ditos com 2,308 arrobas e 27 libras de
algodo, 615 couros salgados seceos com 17,115
librase 155 saceos com 773 arrobas de caf.
ALFANDEGA DE PERNAMBUCO,
pauta nos presos nos GNEROS sujeitos A D1REIT0S
DB EXPOUTACAO. SEMANA DE 29 DO HEZ DE
MAIO A 3 DEJUNHO DB 1865.
Mercadorias. Unidades. Valores.
Abanos.........cento 150D
Agurdente de cana .... caada 800
dem rcstiladaou do reino 800
dem caxaca........ 400
dem geaebra...... 800
dem alcool eu espirito de agua- OQ
ardente........ >
Algodo em caroco .... arroba 35000
dem era rama ou em laa 125000
Arroz cora casca..... 15500
dem descascado ou pilado c 2560o-
Assucar mascavado ....
Idc,m branco.......
dem refinado......
Azeite de amendoim ou mende-
bim ........casada
dem de coco.......
dem de mamona .... >
Batatas alimenticias .... arroba
Bolaclia ordinaria, propria para
embarque.......
dem fina........
Caf bom ....... >
dem escolha ou restolho. >
dem torrado......libra
Caibros........um
9a'.......... arroba
dem branca .... *
Carne secca (xarque) ... >
Carneiros ....... nni
Carvao vegetal .....' arroba
Cavernas de sicupira nma
Cera de carnauba em bruto. libra
jdem idem em velas ...
Cha ......... ,
Charutos .....'.." cento
Cevados (penen).....um
Cocos (seceos)......cento
Colla.......
Couros de boi, salgados j. .
dem idem seceos espichados
dem idem verdes .
dem idem cabra eortidos .
dem idem de onca ....
Doces seceos ......libra
dem em gela ou massa
dem em calda .
Espanadorcs grandes ,
dem pequeos.......
Esteiras para forro de estivas
de navio........cento
Estopa nacional .....arroba
Farinha de de mandioca .
dem de araruta ....
Feijaa de qualquer qudlidade
Frechaes ......
Fumo em tolha, bom .
dem ordinario ou restolho
dem em rolo bom ....
dem ordinario ou restolho. '. 55000
GalliHhas ....... ama 600
Gomma........arroba 25500
Ipecacuanha (raz)..... 255000
Lenha em achas.....cento 2J00O
Toros......... 11500
Linhas e esteios......om 65000
Mel ou melaco ...... caada 24
Mimo........ arroba 900
Papagaios .......um 35000
Pao Brasil.....: quintal 55000
dem de jangada......um *^9!a
Pedras de amolar .... uma 80
c
\ 25500
55120
25000
15600
15000
I52OO
35OOO
75000
7540O
65001
440
360
280
500
35200
45000
15000
8J000
300
300
15500
2,5500
154000
iOOO
600
150
240
105
350
fOJOOO
15000
320
500
45000
25000
155000
15600
alqueire 25500
arroba
c
um
arroba

>
>
ama
libra
c
I

um
>
>
>
nm
25800
55000
145000
85000
.*&L.
rMJTTLaPQl
. ,-:,^ -:. "^frjrffirfiftiiritflBJ a-*n



Diario _e*ei__nrfc_eo- ^loiaf^a f de Ju_ho le iS*3.
c
molho
44000
Uk)00
120
34300
204000
105000
14000
120
proBssionaes, e possa di?por de capltaes relativa-
mente abundante*, manda convidar pelo presente
edital aos que se achara em tae eircumstancias a
eomparecerem na mesma thesouraria, aonde se
llies dar a facoldade de visilar o referido estabe-
lecimenlo, aQm de que bera informados possam
apreseotar suas proposias coin declaracao dos
meios que lera para manejo da dita fabrica. O qne
preenchdo, e estabelecido por tal meto a igualdade
de meios em diversos proponemos se abrir entre
dem de filtrar .....
dem de rebolo .....
l'iassava ..
pontas, ou chifres de vaccas oa
novilhos.......cento
Pranchoes de amaroUe de dous
costados.......m
dem de louro......
Rap.........libra
SaUao.........
Sal...........alqueire 400 estes a concurrencia final sobre o preco e mais
Salsa parrilha.......arroba 255000 ] condicSes da sua venda, com a declaracao, porm.
5&000 da qne4aes propostas nao s5o definitivas, ticando
74oOO ao arbitrio do tim. Sr. presidente da provnola
25800 acceita-las oa nao, se no sea entender nao offere-
1405000 Qam o* concurrentes meios que garantam e segu-
875000 rem a continaaco de urna indnstria qne a todos
35OOO os respeitos mui vaniajosa provincia, tendo-se
25000 mais em atiendo a autmac.o delta, do que o raaior
B5C00 ou menor prego quo possa ser alcanzado, com tan-
200 te Q08 elle salde a divida da fazenda.
105000 A fabrica do Monleiro s tem deixado de medrar
85000' Pelas circunstancias pecuniarias de seus possui-
65000 dores, e isto que se pretende evitar, adjudican-
500 do-a com attenco para esta circunstancia, a quem
Alfandega de Pernambuco, 27 de marco de 18G'. melhor prego offereca:
(Assignailo): "* om va,or' muito sabido em sen primitivo as-
(O L-eonferente, Manoel Peregrino da Silva. sentamento, com apparelhos os mais aperfeigoados,
O 2. couferente, Joaquim Ignacio de Carvalho e ,odos de Brande prego, a fabrica acha-se boje por
Vendonca. iseu v*'r mnimo, e tal que nao pode deixar de
J \pprv. -Alfandefc dePernamuc, 27 de maio dar vantajosos resultados a quem eraprehender dia-
dei865 A Eulalio riamente, e com ampios meios de execncao oseu
Conforme.' -O i.' escriturario, J. de Avila Di- manejo, e a junta 6 s levada do desejo d nao ser
Sebo em rama...... *
fdemem velas...... >
Sola era vaqueta...... utna
Tabeas de amarello..... duzia
dem diversas....... >
Tapiocas......... arroba
Tatajuba........ quintal
Travs ........ urna
l'nhas de bo ...... Cento
Vassouras de piassava ... *
pitas de timb.......
Ditas de carnauba..... .
"Vinagre......... caada
iencourt Neivas.
ttBCEBBDOWA DE REXDAS INTERNAS GE-
llAES DE PERNAMBUCO.
Rendimento do da 1 a 30...... 21:8035306
dem do dia 31................ 1:0625989
24:8665385
tJNBlMENTO DA RECKBEDORIa1)K RENDAS
INTERNAS GERAES OE PEuNAHBUCO Do
HEZ OE MAIO A SABER :
V.'n os le terrenos de marinha.. 75733
Ladenles..................... 1235300
Siza d8 Uensde raiz............. 2:7805280
rieima addicional das corpora-
r.es de omo mora............. 1465174
Direiios iiovos e veihos e de
chancellara.................... 8404363
eitosde patentes dosolficiaes da
guanta nacional................ ?'1^'^
Di>.ima de. chancellarla........... 3395837
Hulla por infraeces do regula-
monto.........................
Sello do papel Sxo................
Dito do proporcional.............
Premios dos depsitos pblicos.. -
.'.IIUIMllUS.........
Imposto sobre lojas e casas de
descont! ,......
Dito sobre casas de movis, rou-
pas, etc. fabricados em paiz es-
irangeiro............
T.iv.i de escravos.........
Cobraoga da divida activa ....
Indemnisac&es...........
Deposito de diversasorigens.....
3375763
3:2205720
7:2835949
2195333
3,s8500
destruida esta industria, qne prefere vender fa-
brica com as condicoes expostas, a relalba-la, ape-
2ar de ser a venda nesta ultima especie, (a que re-
correr, se nao forem preene.hidas as suas vistas),
muito mais vantajosa para a fazenda, segundo o
pensar dos que conhecem o valor da machina, cal-
deiras e oatros apparelhos de que ella se compde.j
A junta recebe igualmente quaesqueroutras pro-
postas, sera as condigSes cima, ou com difieren-
tes. Dase para apreseutagao das propostas o pra-
zo de 13 dias.
Secretaria da thesouraria provincial de Pernam
buco 26 de maio de 1865.O secretario,
A. F. d'Annunciago.
O Ulna. Sr. inspector da thesouraria provin-
cial, em cumprimento da ordem do Exin. Sr. pre-
sidente da prpvincia de 22 do corrente, manda fa-
zer publico, que no dia 22 dejunho preximo vin-
douro, perante a junta da fazenda da mesma the-
souraria, vai novamenle a praga para ser arrema-
tada a nuera por menos fizer a obra da concluso
da casa da cmara e cadeia da villa do Bonito,
avaliada em 8:395-
919, urna caixa amostras, vio-, "JJ Jj,0**7* n; n P^'e'"' 6mm
Ra do Encantamento.
H. S. C.
da do Havre na galera francza tertlie, en-
trada em 25 de agosto de 1862.
Marca dous triangolos143(151, urn elfl-'
brulho com outros vindo de Hamburgo no
patacho hamburguez Marta Luiza, entrado
a 24 desetembro de 1862.
B travessSo1405, urn dito dito, dito.
D. G. & C1670, dous embrulhos amos-
tras, vindos de Hamburgo no brigne bam-
burguez Magdalena, entrado a 29 de setem-
bro de 1862.
S. N., urna caha amostras, vinda de Li-
vorpfol na escuna ingleza Georgean, entra-
da a 1 de outubro de 1862
S & C4, um embrulho amostras, vindo
de Hamburgo no brigne hamburguez Olto,
entrado a 15 de dezembro de 1862.
B|S 383|867, um dito dito, dito.
Marca dous tringulos -260|261,um em-
brulho amostras, vindo de hamburgo no
brigue sueco Jeny, entrado a 23 de dezem-
bro de 1862.
Um carillo, ignora-se, vindo de S. Miguel
no patacho por/uguez Souza, entrado a 29
dedezembrode 1862.
J. N. N. G.Sem numero, urna harn-
ea, ignora-se, vinda de JPhiladelpIna, no
brigue americano Tempist, entrado a 10
dezembro de 1862.
Jos Fdrreira MoreiraUm pacote, igno-
ra-se, vindo d) Porto, no brigue portuguez
fiforaio
Pela adminisirago do crrelo _esf9 cidade se j
Sobrado de2 andares n. 76 particular fax publico para fin* convenientes, (foeem virtude
e 11 publico. ....... 8395000 do disposto no art. 138 do regulamento era'des
demidem n. 77 particular e 13 pu- .crrelos de 21 de dezembro da 1841. e art. 9 do
bli'co.......... 8395000 decreto n. 183 de 13 de maio de 1831, se proe-
RuadaSenzala Velha. der o consumo das canas existentes na adminrs-
Sobrado de andares n. 78 particular ^ I tragao pertenoentes ao mez de maio de 1864, no
e 136 publico....... 5325000 dia 5 de junho prximo, as H horas da roanhaa,
dem idem n. 79 particular e 134 pu- oa porta do mesmo correia ; e a respectiva lista
buco.......... 5C0500U se acha desde j exposta aos interessados.
Casa terrea n. 81 particular e 18 pu- Administrago do crrelo de Pernambuco 23 de
Meo.......... 2005000 maio de 1863.- O administrador,
Idemn. 82 particular e 16 publico. 2005000 Domingcs dos Passos Miranda.
Ra da Guia.
dem n. 84 particular e 29 publico. 1445000
Ruado Trapiche.
Sobrado de 3 andares n. 83 particular
e 30 publico........7205000
Ra da Lingoeta.
dem de 2 andares n. 86 particular e
14 publico........60O5000
Ra da Cruz.
Idemiiemn. 87 particular e 11 pu-
blica ........,
dem idem n. 88 particular e 29 publi-
co........... 7505000
Ra do Pilar.
Gasa le rea n. 92 particular e 103 pu-
blico..........2005000
Idem a. 93 particular e 101 publico,
dem a. 94 particular e 99 publico. .
dem n. 97 particular e 110 publico,
dem i. 99 particular e 106 publico. .
I lem a 100 particular e 104 publico,
dem n tOl particular e 10J publico.
Idem n. 102 particular e 100 publico..
dem n. 103 particular e 98 publico.,
dem II.-104 particular e 96 publico
Syinpathia, entrado a 10 de deaembro de, ,J*m -,**> *tai*T e 94.pubieo
in \ otcrciini 3 ?>aiitii t.is 18G2- Recife 27 de nuio de 1863.
M' RUrna caixa, ignora-se, vinda de
Liverpool no brigue inglez Bentenk, entra-
do a 19 de dezembro de 1862.
P G.CiWS.
F.
O escrivao,
A. Cavalcanti
Pela iuspctoria da alfaudega se faz pu-
Uma caixa, ignora-fe, vinda buco, que pora da mesma, no dia Io de junho
rlp I ivumnnl hriirnp ineW Uentpnk en- hora da tar*.* lia de arrematar, livre de di-
ae Liverpool no Drigue ingiez wwm, en MtoB^ os s nB4 ^^^ saivados da burea in-
tradO a 19 de dezembro de 1862. |R|eza fv/,sM/.i, taufragada na barra desta cidade:
S T101313 barricas de ferro, vindo;l pequea escad; de duas grades 33 militos, 20,
de Liverpool no brigne inglez Zczem, en-; nvelos de linha le mialliar, 4 pegas de conlas e 6 .
Irado t 10 de novembro de 1863 nvelos, 3 salvasvidas, 2 pecase l pedago do lotn-
iratio a IJUenOvemoioae 100.1. na, 1 cabode linio bonado, 1 dilo de manilha. 1
Um embrulho, ignora-sc, vindo de Lis-cavilarom t |)5ode ^ l vela de sebo, 2 car-i
boa no brigue portuguez Bella Vinueirense,! retis, 2 baldes, llampfo, 4 canecos de folha, 1
oi'i'Cio jieral
Pela admiuistracao do correio desta cidade se faz
[ publico que, em virtude da conveocao postal cele-
brada pelos governos bra^ileiro e francez, serao
, expedidas malas para a Europa pelo vapor francez
no dia 30 do correute.
As cartas serao recelmlas at 3 horas antes
I da que for marcada para a sabida do vapor ; e os
! jornaes ate 4 horas antes.
882j50OOj Adminisiragio do correio de Pernambuco 26 de
maio de 1865.O administrado1-,
Domingos dos Passos Miranda.
Cmara Municipal do Rccc.
Matadouro publico da cidade do Recife.
Mataram-sc para o consumo desta cidade no
mez de maio do corrente anuo 2,389 rezes. a
saber:
Libanio Candido Ribeiro & C.......
Virgilio Horacio de Frats.....
Jos Lucio Lins..................
Joao Cltrisostomo de Albuquerijue. .
Manoel Francisco de Souza Lima .
Francisco Candido da Paz.....
2284000 Wenceslao Machado Freir Pereira
Misericordia do' n da Silva .- '
Bellarmino- Alves de Arucha ....
Manoel de Souza Tavatcs...........
Manoel Paulo de Albuquerque .
Geminiano Jos de Albuquerque .
Ernesto Celestino de Mendonga .
Bellarmino Constantino Costa Medeiros
200Ol)0
2335000
2285000
2285000
2285000
2285U00
22850U0
2285000
228S000
Cousseiro.
634'
337i
286
2'*:
195,
175
\n
162
146
109
73
58
7
COMPANRIA PERNAMBVCA1TA
DE
.\aTega^ao eostelra por vapor.
Acurac e Granja.
O vapor farahiib-t, segu para
os dous portos indicados no dia
2 de junho as 1 horas da larde.
Recebe carga at o dia I, cncom-
roendas, passaneiros e dinheiro
a frefe at as 2 h?ra da tarde do dia da sabida :
escriptorfo no Forte do Matio> n. i._______
Para o Kio de iantire.
Pretende seguir rom nHJita brevidade o palba-
botfl Pietide, tem parte rt.> sen c.irregeiilo a
bordo, para o resto que Ihe lalta e eseravs a fre-
te para os quaes tem excellenles comniodo!*, ira-
ta-se com os seas consignatarios Antonio Laz de-
Oliveira Azevedo & C, no seu escriptono raa da
Cruz n. i.
Vende se o velejroe bem coniecido patacbo
nacional Palma, de lote de 222 iwielladas, cons-
truido em 1861 : a tratar com os consignahrtos
Henry Korster & C, ra do Trapiche n. 8.
Ceara e^Maranhru)
Segu com brevidade o hiate nacional Lindo Pa~
quele, capitao Joo Jos dos poeijos Jnior: para
alguma carga que ainda pode admettir, trata-se-
com Antonio de Almeida Gomes, ra da Cruz n.
23, escriptorio.
CAIPANHl v PaiLNAMCCANA
DE
.Vavega^o costeira por vapor.
Parahyba, Natal, Maco, Aracaty e
Gear.
Segu o vapor Persmnnga,
<\ commandante Rales, no dia 7 de
junho pri at o da 6; eneomtn.mdas, pas-
sageiros e dinh-'iro a fr<-te at o-
tia da samda as '2 horas da tarile : e>criplorio no
Porle do Mallos n. 1.
Cmara
18G5.
municipal do Recifo, 31 do
2.589
maio
Caetano
O contador,
St'wrio <(.i Siii'i.
3:9565400
.1205000
A arrematacao ser eita na forma da lei pro- entrado a 14 de feverefro de 18ti3. harril e 1 liltradera, 1 bitaeula, 2 f-rros e cabo
vinciai n. 343"de lo de maio de 1854, e sob as T-r IT aol,rn hir.nnoo vinrln dn ,1e portlo, 1 linln e 2 prumos, 1 caixa com boli-
clausulas especiaes publicadas anteriormente. ~T UdU'p '.,,,- ca, 1 ocio, 1 relco, 1 barmetro, 2 agulhas de
E para constar se man lou publicar o presente Porto no brigue portuguez tS: Manoel 11, mariar, 4 ampolhaas, 1 baria, 3 clices, 1 bozina,
pelo jornal. 'entrado a 13 de marco de 1863. l battea, 1 p, 2ferros, 17 signaos e bandejas,
SJcretaria da thesouraria provincial de Pernam- Um dito dito dito 1 colcha., 1 cadena de braco, :i mochos, 2 quei-
Amorim Junior-ma caixa, ignorase, Js com ** **"**, a presuntos com
vinda de Lisboj no brigue portuguez Fio-
; buco 24 de maio de 1865. O secretario,
! A. F. d'Annunciago.
O Illm. Sr. inspector da thesonraria provin-
2515100
2635003
24:8665583
tlecebedoria de Pernambuco, 31 de maio
Je 1865
O escrivao,
' Manoel Antonio Sime.s do Amoral.
CONSULADO PROVINCIAL.
'ie'idimento do da 1 a 30...... 74:2715205
m do dia 31.............. 2:0705813
76:3425018
RKNDIMENTO OA MESA 1)0 CONSULADO PRO-
VINCIAL EM O MEZ DE MAIO DE 1865.
AsABEB :
Direitos de 90 rs. por ( do as-
sucar exportado.......
Dito .le 20 rs. por caada d'aguar-
ileille, ele......................
,,111 Je 30 rs. sobre caada d'al-
Dit > Olo idem do algodie expor-
tadu..............
Dilo de 7 OH) do mel.......
Dito de 8 por cento de couros
wccos, verdes o espichados...
D ".tus dos predios urbanos .
203 W- l,,,r me'a eua Je es"
cravos.............
10 por cenio de noves e veihos di-
reilos dosempregados provin-
ciaes...............
Eiu-'Ul i.ent.iS lie p'>li.-.ia.....
.20 0o Jo c insume d'aguardente
Dil'i >i 3 0.0 sore os premios
11I ii.ires d loteras ..........
Imposto sobre carro*, omuibus,
.Mrrngaj e vehculos.......
S05 rs. sobre escravos exportados.
1 0|0 sobre producto de cada let-
IinpOStO oe 20 por cenlo sobre
diversos esuoelei-imenljs .
3 niO ..itir- .Diisuilorios mlicos
a --eiipi "ios............
Imiiosto de i 0|0 sobre fabricas...
105 rs. por cada escravo ganha-
dor.....................:
dem de 4005 sobre companhias
auonymas e agencias.......
10 pur cento so. o planto Jo
capifi..............
Sello de herancose legados.. .
3 >5 1?. por casa de jogo de buhar
2 Ojo sobre Cianeas crimes ......
100-3 sobre.cliapos estrangeiros e
roupa feita etc...............
1003000 por casa de compra e ven-
da de escravos ..............
Multas da decimae mais impostes.
Restituigoes e reposigoes......
dem dem de 5 idem dos mais
eneros exportados.......
IIS-^OOO cial, em cumprimento da ordem do Exm. Sr. pre- rinda, entrado a 13 dejunho de 1863.
1:1235960 sidenle da provincia de 10 do corrente, manda fa- j & c 3102Uma Caixa, ignora-se, vin-
2515100 wrpublice que no da 14 dejunho prximo vm- .oR(,rf,Muy nn vannr frnnPP, aname.
douro, perante a junta da fazenda da mesma the-
souraria, se ha de arrematar, a quem por menos
fuer, a obra da cadeia da cidade de Nazareth, ava-
liada em 18:09:15900 rs.
A arrematagao ser feita na forma da lei pro-
vincial u. 343 de 15 de maio de 1854, sob as clau-
sulas especiaes abaixo declaradas.
As pessoas que se propozerem essa arremata-
gao, comparegam na sala das sessoes da referida
junta, no dia cima indicado, pelo meio dia, e com-
petentemente habilitados.
E para constar, se mandou publicar o presente
pelo jornal.
Secretario da thesouraria provincisl de Per-
nambuco, 14 de margo de 1865.O secretario, A-
F. d'Annunciago.
Clausulas especiaes para a arrematagao.
1. O edificio para a cadeia de Nazareth, ser
feito de conformidade com a planta e orgameuto
27:0335230
2-087V80 Junt0- na importancia de 18:0935500 rs.
' 2." O arrematante ser obrigado a dar
725000
25:3815667
4275623
262-5781
3:4125151
2:0605000
5915135
145400
5785300
1:5005000
1445000
7305000
4035195.
principio
aos trabaihos no prazo de 30 dias, e concluidos
no de um anno, ambos a contar da data da assig-
natura do contrato.
; 3.* Os pagamentos sero feitos em 3 prestagoes
iguaes correspondentes a cada lergo da obra (indi.
4.' Nao ser em lempo aigum altendida qualquer
reclamagao por parle do arrematante tenden-
te inde'ninisagao, quaesquer que sejam as allega-
ges em que se hajam para esse Om, ainda mes-
mo por prejuizos provados.
5.* Para todo o que nao estiver especificado as
presentes clausulas, seguir-se-ha o que dipe ore-
gnlamento de 9 de Janeiro de 1864.
Conforme.A F. d'AonaocacSo.
O Dr. Tristo de Menear Araripe,
da imperial ordem da Rosa e juiz
reito especial do com ercio desta
do Recife, por S. M. Imperial que
guarde etc.
Face saber aos que o presente edital vi-
dia 26
eos com 3 arrobas le caf, 1 caixa com 14 libras
de cha, 1 dita e 2 landres com 12 Jilas de dilo,
24 gerrafas com cornac deXeres,2 boioes com (le-
brada em salmora, 1 verga grande, 2 mastareos
jometes,) ferros di botinetes, 1 verga grande, 1
retranca, 2 paos dibujanoua, 4 vergas joanetes,
lencharciaem cabt, 1 amarra, 1 ancora, 1 bote
Crrelo.
Pela administragao do correio desta cidade sa
faz publico que h.-qe, Io de junho, a I hora da tar-
de, fechar-ye ho as malas que o vapor Tocantins
tem de condozir para os portes do sul. Os jornaes
serao recebidos at O meio .lia, e as cartas aduicl-
tidas a seguro at 1,2 hora depois do meio dia.
TUli! vmo
pequeo com 4 re.mis, 1 dito nuior com -4 ditos,
1 salva-vida de. 2 renos.
Alfandega de Puriambuco 30 de maio de 1863.
do de Bordeaux no vapor francez Gtujenne.
entrado a 12 de maio de 1861.
Urna barrica castanhas, vinda de New
York no patacho nacional Palma, entrado a
30 de Janeiro de 1864.
Mathetis.-Urna barrica castanhas, vinda p,.asubdelegada da Capnga frara presos
de Lisboa no br gue portuguez Constante II, em flagrante e recolhidos casa de detengo Fran-
pntradn a 24 dp fpvpnrn dp 1864 cisP0 Romo la Silva, Manoel Jacome dos Santos
entrauo az ae levereiroueiouK e .Manoe! BmhniW (lo Nasrhnento perteucote* a
Malheus-Uma caixa, Ignora-^, \inda companhiadenomin.da-Tiro-, aos quaes foi ap-
de Lisboa no brigue portuguez Constante II, pretendida urna caixa com sabio, subtrahida do
entrado a 24 de fevereiro de 1864. carro d-conduccao de Joieios de Sani'Auna, que
4a seccao da alfande-a de Peruambuco,; com oulros eneros .a entregar a Jo? Marques de
36
officiai
de oi-
cidade
Deus
de maio de 1865.
O 4* escriptura io,
J. Avilo Bitiencourt Nunes.
O Dr. Tristo de Alune Araripe, eluvial da im-
perial ordem da llosa e juiz de direito especial
do commercio, desta cidade do Recife, por Sua
MagesUde imperial, que Dos guarde, etc.
Fago saber aos que o presente edital virem, e
delle noticia .iverem, que por este juizo pendem
uns autos de exeeueaY entre partes, a saber, como
exequente Francisco Jos Leite, e como execuia los
os administradores da massa falida de Amorim, Imuf^ d*eefu"*M"art. SO d ergamento vigente.
Souza.
Subdelegaiia-da Capuoga 29 de maio de 1863.
Francisco A-ntonio da Silva Cavalcanti
(onsulado provincial-
Pela mesa do consulado provincial se faz publico
que os trinti dias uteis marcados para a cobranea
a bocea do ofre dos impostes da decima dos pre-
dio* urbanos de 20 0|0 do consumo de agurdente,
e de S 0|0 jobre os heos de raiz perteneentes
corporagoe de mo morta, se prlncipiam a contar
do dia Io ae junho vindotiro, ficando sujeitos a
DE
Tara a Babia
pretemie sahir com mua brevidmle a veleira es-
euna Miza por ter a maiw parte da carga, e para
O resto que Ibes falta tratase r,om o con>ignalano
oa.fiim Jos Goncalves Beltro na ra do Vigario
n. 10, primeiioaudar.

LE IL OES
2i7^760 quem mais der, os escravos seguintes :
Aquilino, criotilo, de idade ^6 annos. aya-;
105000 liado por 1:200$; Curispo, criotilo, deida-
4005000 de 10 annos, por 1:0005
la. de idade 18 annos, por
Mesa do
-de 1865.
consulado provincial,
O 2o escripturario,
Clises Cocidas Cavalcanti de Mello.
rem e delle ndicia tiverem. que no
i:-0o5'0J de junho do corrente anno, depois da
9756OO audiencia, se ha de arrematar por venda a
1 de penhora que seguem.
Eu Adolpho Libralo Pereira de Oliv.dra. escre-
venle juramentado, o cscrevi.
Eu Manoel Harta Rodrigues do Nascimeoto, es-
Josepha, criou- crivo,o6ub-crevi.
1:0005 Rita E nada mais so coatinha em dito lerm) iqui co-
l-K'sfu de nacn deilJa,le 45 a'nnos por OOO ; PEdem cumprimento do raou despacho, o relendo
505000 Leandro, crioulo, de idade 40 annos, que- escrivao fez passar o presente edital cun o prazo
95300 brado da verilba, por 40 > ; Basilia, Criou-, de dez dias, pelo qual chamo, cito, e hei por cita-
li do ida le 45 annos or 2005 : Ravmun- d"s os credores incertos dos supraditos execulados,
2005000 j^ de naca0) de idade 0 annos, por 200$. nesle |^ munido5 dd seus r,s,)ectivos documea
100SOOO 0s ^uaes foram penhorados por execncao
713169 do Dr. JosJoaquim de Souza, contra Fran-
1975814 cisco Antonio Pereira da S Iva.
! E n5 havendo lancador que cubra o pre-
______ CO Ja avaliacao, a arrem;itagao ser feita pelo
76:3425018 prego da adjudicado na forma da lei.
'---------1 E para que cuege ao conhecimento de to-
31 de amio j dos mandei passar o presente que ser pu-
blicado pela imprensa e afluado no lugar
Fragoso, Santos & C, a qual proseguindo seos d
demos termos, fe fizera peuhora na quaniia de
5.6415810 rs., prtencenles aos meamos adminis-
tradores.
E sendo em publica audiencia d->sle juizo, no
dia 29 de maio, nella pelo solicitador Ignacio Bar-
roso de Mello, procurador do exequente, me foi fei-
to o requerimtnto dotheor segrale :
Aos 29 de maio de 1865, em publica audiencia
qoe aos feitos o partes dav.t o Dr. juiz especial do
commercio Tristo d; Alene.ar Araripe, pelo solici-
tador Ignacio ljrroso de Mello, por parte do ese-
mente aecusou a penhora feita em dinheiro dos
executados, e requeren que Ibes ncassem assigna-
dos os seis dias da lei, edez aos credores incertos, ----------------- -----------------------------------
passandose os respectivos editaos ; oque ouvido Convida-so as pessoas que estiverem as con-
pelo indicado juiz, as,im Ihe defera, procedido o digSes do servigo militar, a engajarem-se no corpo
preg.io do estylo; do qoe i o presente do procol- de polieu, e gozarem das vantagens que olferece
lo das audiencias a que juntei o man lado e termo a lei provincial n. 611 de 2 do corrente.
lodos os que pagarem depois de (indos os ditos 30
dias. v
Mesa do consolado provincial d- Pernambuco 29
de maio de 1805.
Antonio Carneiro Machado Rios
Administrador.
No dia 2 de junho prximo finda a audien-
cia do Sr. Dr. juiz municipal da 4a vara, ir a pra-
ga per venda urna casa com um sitio no lugar do
Barro Vermelho, pola avaliagao de 3005, a roque-
rmente de Dcrmino Domingoes dos Santos, inven-
tai tante dos bens deixados por Anio da Costa, sen-
do o terreno foreiro. Escrivao Cunha.
tos, para allegarem o que for de direito c jnsliga,
sob pena de revelia.
E para que ebegue ao conhecimento de quem
loteressar possa, sera' publicado pela nnprensa e
afflxado nos lugires do costume.
Dado e passado nesta cidade do Rscife, aos 30
de maio de 1865.
Eu Manoel Marta Rodrigues do Nascitnento, es-
crivao, o subscrevi.
Tn'slfl de Alencar Araripe.
&0TIHEIT0 DO PORTO
Navios entrados no.dia 31.
do costume.
Eu Manoel Mara Rodrigues do Nasci-
1 ment, escrivao, o subscrevi.
Recife, 30 de maio de 1865.
Trislao de Alencar Araripe.
Pela inspectora da alfandega de Per-
Par e portsTntermedios7 i|2 dias e do ultimo nambuco se faz publico, que a:hando-se as
porto 7 "horas, vapor n icio ni Tocantins, de 750 mercadorias cuntidas nos volumes abaixo
tooeladas cormnandante oprimiiro lente Pe-|d 0 cas0 de serem arremata-
dro Hyppol.to Duarte, equ.pagem o2. r...... J**Lw^L.* na .rmn, do capitulo
io'i'tneldaTcapTi'ao"Agorario rgeinn," equi-! 6 titulo 3 do regulamento de 19 de setem- I Jemlas das casas abaixo declaradas
..'._-".:_... 1 --... c .^. "____ ,____________:___ I Os licitantes devem comparecer acompanhados
,mri-38dias, patacho he"pauhoiViciiif de 'das, para cousurno, nos termos
tinlio Ai
pagam U, carga vinho; a ord-m. Dr0 de 1860,*os seus donos OU consignata-
New-Vork -32 dias, barca hamburgueza Ann k deverao despacha-las no prazo de 30 i
ugS ifca &feS?SISS&t dias. sob pena de findo elle, sfrem vendidas
trigo; a Phipps Brothers i C. I por sua cunta, sem que Ihe- hque compe-
llarbor Graee96 dias, barca inglea sabelia Re-, tindo allegar contra os effeitos desta venda
DSCUBACOES.
do Recife.
A Illm.' junta administrativa da Santa Casa da
Misericordia do Recife, manda fazer publico que
no dia Io de junho pelas 4 horas da tarde, na
sala de uas ses<5es continuara a ir a praga para
serem arrematadas pelo tempo de 1 a 3 aunos as
Pela thesouraria provincial se faz publico,
que a arrmaiagao da pintura da ponte pensil do
Carhang, foi transferida para o dia 8 de junho
prximo vindouro.
Secretaria da thesouraria provincial de Pernam-
buco 24 de maio de 1865.O secretario
A. F. d'Annunciago.
Pela thesouraria provinciM se faz publico,
qne. a arrematagao das pinturas das pontes de Una,
Jaboatao, Seralim Pintos, Morenos, Benlo Velno e
Tapactir, foi transferida para o dta 8 de juuho
prximo vindonro.
Secretaria da thesouraria provincial de Pernam-
buco 24 de maio de 1865.-0 secretario,
A. F. d'Annunciago.
Caixa da ainorlisaro
Pela caixa da amortisagao se faz publico, que
contimiasea proceder a subslituigao das noias de
2005 di 2* e3" estampas, de 1005 di 3- estampa,
e 55 da 4* estampa, por outras de 15 e 25. con-
forme se tem por vezes annnnciado, e previne se
aos respectivos possnidores que as notas de 2005
ja tem descomo desde o dia Io do corrente em
diante, na ratio progressiva de 10 0,0 em cada
T,r. -.. mez, segundo tambera j foi annnnciado. nao acon-
Sauta Casa da Misericordia, tocando o m* de 1005 e 55, pw nao
ter sido ainda mareado pra*o, lindo o qual come-
gal ao a ser descontadas, praso que sera opportu-
namente declara-lo pela imprensa com a necessa-
ria antecrtdeneia, n* ferina do-estylo.
Caixa da amortisagao 2 de maio de 1865.
O inspector geral
Luiz Pedreir de Couto Ferraz.
ConformeHennque Affonso lzorff.
O guarda-livros
Ignacio Nunes Correia.
g.;;n 13, earg 2,942 barricas com bacaiho ; a
Siunders Brotners&C.
Liv.-rno-il 34 dias, tarea in.ileza Mary Bond, de
2-17 t melada, capitao l. H. Chapman, equipagem
11, carga carvio ; a Piupps Brothers c C.
Navios saludos no mesmo da.
Mvii o partos internenosVapir nacional Ma-
maguape, commatidjnte Manoel R. dos Santos
Rt'le Janeiro-Vapor inglez Falcon, capito Coo-
p:r, om lastro.
Observagao.
Saspeedeu do larairio para a Bihia a barca in-
gle/.;i C-nufaitc, capitao Glass, cora a mesma car-
ga q w trouxe da Harbor Grace.
Marc s Seve Filho 4 C1 embrulho.vin
do de Liverpool no patacho inglez Floresl
em 12 de junho de 1862.
Dita.1 dito sem numero, vindo de Sou-
thamp:on no Vapor ingle/. Magdalena em I
dejulno de 1862.
C. Caldas e Filho. 544. 1 em-
! brulho amostras, vindo no vapor Magdalena,
entrado de Southampton em I de julho de
de 1862.
Marca diamante F.S F C=S S-S. N.
vindo de Liverpool,
de seus fiadores ou munidos de cartas deses,
Ruadas Larangetras.
Casa terrea n. 5 particular e 17 pu-
blico..........
Ra do Rangei.
dem n. 6 particular e 56 publico. .
Ra de S. Gongalo.
Idemn. 11 particular e 24 publico. .
Ra do Rosario da Boa-Vista,
dem n. 14 particular e 58 publico. .
Ra da Madre de Dos.
| Casa terrea n. 26 particular e 22 pu-
blico..........
dem n. 27 particular o 20 publico. .
Ra da Lapa.
Casa terrea n. 41 particular e 2 pu-
blico...... ...
Ra da Moeda.
dem n. 44 particular e 21 publico. .
Ra do Amorim.
Coiisellio de compras aavaes.
20650001 Contrata o conselho no da 5 de junho prxima
; mente vindouro sob as condiges do estylo o for-
3005000 necimento de viveres, dietas e oulros objcctos.de
: consumo para os navios da armada e eslabeleci-
1925000 ment is de mariaha no tremestre de julho a sutem-
' bro do corrente anno.
1685000 Sao objectos do forneeimento os seguintes : ar-
roz do Maranho, assucar branco grosso, agur-
dente de 20 graos, azeite doce de Lisboa, azeite
9OO50OO inferior, assncar branco refinado, aleiria, araruta,
6OO50O bacalhao, bolacha, bolachinh 1 americana, caf em
grao, carnauba em velas, cevadinha, cha, carne
verde, carne seca do Rio Grande do Sul, feijao,
farinha de mandioca, da tena,
1505000
3505000
SMTAES.
um embrulho amostras, viuw uc um i-uu.,. Men| n 48 parlicular e 36 publlco.
ehtradoa 15 de julho de 1802 no patacho demn 49 particular a54 pobltao.
in"lez Mar Block. JMem n. 50 particulanerf>2. pubheo.
T II-551. urna caixa amostras, vinda, Wemn. 51particular e 4p.publico.
1. 11 ni. u.a ___._, v Idem n. o3 particular e 3 publico.
de Hamburgo no patacho dinamarqus Nan- ,ldem Q M ^^ e 26 ^ab|lc0.
cy, entrado a 19 de jalhode 1862. |. nUa do Azeite de Peixe.
q 4 gS. N., urna caixa amostras, vin-' Uem n. 61 particular e 15 publicj.
pro" |da de Souampm no vapor inglez Oneida, dem de um andar n. 1
4503000
45051)00
4=05WO
4.'i05i)O()
5003000
725000
__0 uim. Sr. inspector da tneseurana provin-
cial, p..r deliberago da junta da fazenda, manda
fazi-'r publico, que se acha encorporado aos ,
pri s .rovtnoiaes a fabrica do Monleiro de retinar enj,raUo a 28 de jUHlO de 18b2.
Daniel G. A. CS. N- um embrulho
! amostras, vindo de Hamburgo no patacho
30 de ju-
lho de 1862.
assm-ar, por execncao que protnoveu centra Jos
Guithenne Guimares, e qoe essa encorporagao
fconve Ingar peln qnantia de 8:14i>5219. -
E porque o etabMechnento fabril de que se tra- hannoveriaao Amant, 61
ta srja de grande importancia para a provincia, e -
^onv.-nha mante-ln, urna vez que bem montado
comii si e prvido de todos os apparelhos neces-
arij, -eja dirigido por quem lenba conhecimeotos
manieiga ingleza, dita franceza, mate, pao, saba;
sal, toucinho de lAiboa, t i.ioca, UjOlO de ahenari
grossa, vinagre de*Lisboa, velas siearinas e vinh
EMPREZA-'JOIMBaA
Quinta-feira 1. dejimliode
1865.
Recita extraordinaria.
ESI BENEFICIO DO VIOLINISTA BIUSit.EinO
Francisco ttlfiiz Brrelo Jnior.
Pritncira parte.
A linda comedia em um acto
M .tfi4RIOO
vctima das odas.
Sc Grande pbantasia pelo beneficiado sobri moti-
vos da optra
Terceira parte.
A chistosa comedia em 1 acto, intitulada
MS TENTACOES.
Tomara parle nesta comedia as Sras. D Euge-
nia, D. Camilla, 0, Jesuina e os Srs. Teixeira e
Pinto.
Qoaria parle.
Grande phanthasii pelo beneciado sobre moti-
vos da opera
Quinta parte.
Grande scena dramtica pelo aclor Atooedo em
carcter de marinheiro ceg
Gerra^ao no mar.
Seita parle.
VariaeAas burlescas pelo beneficiado sabr o
motivo da opera
l.AENAVAL DE VENf ZA.
Sctiaia e ultima parle.
O applaulido duelo cautado pela Sr." D. Euge-
nia 'e o Sr. Lisboa.
0 BTMNH E A LWADEIBA
r.omecar s 8 horas.
O rfsto dos hilhetes acbam-se a disposicao do
publico no escriptorio do llieatro.
Sabbado 3 de junho de 1865.
EM BENEFICIO DE
Jo.([ i i m llcssoni de Alruciiia.
Representar-se-ha o magnifico drama em S
actos do Exm. Sr. conselheiro J. S. Mendes Leal
Jnior
PEDRO
PEKSONAOENS. ACTOHES
0 conde de S. Thiago .......... Coimbra.
I). Francisco de Athaydu......... Porto.
Jos Augusto................... Augusto.
D. Jeronymo de Mello.....;------- Lisboa.
D. Jos de AlbuquerqU'i.......... Burgos.
Manoel .Maria............... Guimares.
Pedro......................... Amoedo.
Domingos..................... Teixeira.
D. Maria de iezeude............. O. Eugenia.
D.Joanna....................... D. Camilla.
D. Eugenia..................... U- Leopoldina
Thereza....................... D- Jesuina.
Con\-idados, criados, etc., ele.
Dar fim ao espectculo a graciosa comedia em
1 acto
A mulher de ve acoinpanliar
seu marido.
Principiar s 8 horas.
O BENEFICIADO Ao PUBLICO
Achando-me no meu leilo de dr, e quem sabe,
talvez de mors e sem recursos, deparou-me '
Providencia urna alma bemfazeja o Sr. Antonio
Jos Otnrte Coimbra, qne, aiteodendo as rainhas
; tristes circunstancias, generosamente concedeu-
as, terina,. me um ^ne,.j0 n0 thealro de que emprezario.
sabao, A es)a 0Tirta de urna altni tao nobra e elevada,
oa* desde ja rae confesso eternamente agrailecido.!
Lvi<>
De un giaadc sitio na estrada do Ko-
sariulio.
Martina far leilap precedida a competente au-
lorisaco do melhor stfio na estrada do llosarinbo,
c ira imnicnsas fructeiras de todas as qualidadcs,
orna grande capoeira onde se eneSnlram inadcir.is
de qualidades. boa baixa para espln, grande casa
em ponto alio e a moderna, cometido G salas, i
quinos,copiar, cosinha fora, estribarla paral ca-
vados, finalmente urna e.xeeUente arquisicao pa-
ra quera quizer morar fora da cidade.
O leilao ter lugar a ra da Cadeia n. 9, pri-
meiro andar, as 11 horas.
Lei de IOO ral xas coui cer
veja.
HOJE.
O agente Pestaa (ara Imlo por conta e risco
de quem pertencer de lOOcaixas com cerveja de
marca acreditoda em um ou mus lotes a vontade:
quinta-feira l- de junho as 10 ooras Ja manhaa no
armazem do Sr. .\sevedo defronte da escadiuha da
alfandega.
D. G. d CS.
tras, idem idem.
N., um embrulho amos-
4305000
62 particular e
18 publico........1:0025000
dem terrea o.'61 particular e 2 publi-
co........... 4505000
Kua da Cacimba,
dem n. 66 particular e 13 publico. H45'00 no referido da 5 do corre ito mei ale as
dem n. 67 particular-e 10 publico. 8J.J0JO
Kua do Vlgario.
i Sobrado de 3 anlares n. 71 particular
i e 22 publico........8005000
LBIL
De movis e oulros ol)j;ctos de gosto
HOJK
Cordciro Simoes far leilao por conta de diver-
sos de lodos os movis existentes no seu aima-
ze.m a' ra da Cruz n. 57, os ijtwes Vender' pelo
maior pree>ao correr d) martello afira de fechar
contis de venda do mez de maio. Dar' principio
o l'ilao as ll netas.
i) mesmo agente rogaalodos seas commilentes
e amigo-, o favor do virem reeeber quaiqoer cou-
taque tenha no referido armazem.
Leiio de fazeatias liuipas e a va-
riadas.
Quinta-feira Io de junho as 10 horas em ponto.
O renle Piolo fara' leilao por conla e risco de
quem pertencer de di Ostentes fazendas, iaes co-
mo : madapoles, algodaozinhos, algoddes azues
avariados a bordo do brigue. inglez iSarab Elli-n,
as 10 horas do dia cima dd) no primeiro andar
do sobrado da ra da Cruz n. ').________________
Leilao lie urna talierua no (tim e
iluas casas terreas de laijia em chaos
foreiros a lieirn ira estrada.
jordeii-o miines
fara leilao por conta e ordem do liqoidatario da
casa com i ercial de Antonio Joaquim de Mello,
dos gneros, armaco e otencilms da taberna ci-
ma dita avaliada punco tttts ou menas em 6005,
cujo balanco est em poder do iefeiido agente a
exame ;asslm esmone.-ta mesma oc casia o expora
em leilao as duas casas de laipa edificada a beira
da estrada do Giquia, isto
cxta-eia 9 de junho
as II horas a porta do armazem do Sr. Aunes lar-
go da alfandr-ga.
LEILAO
De urna porco de metal c cabo velho.
Em um s lote.
Scxa-feira 3 de junho
s 11 horas no caes do Apollo armazem do Exm.
barao d > Livraim nto.
OLYNIPIO
por ordem de A. S Jacobsem capito do briguc-
escuna oambnrguez Harnlmrg Packet, arribad
neste porto com agua aberta, vender era leiio
no dia, hora e lugar cima una porcao "13 nieta I fr
cabo velho por coma p risco de quera pwtwicer
em presenca do Illm. Sr. cnsul interino de Ham-
burgocotn autorisaco do Illm. Sr. iOpetr ;i
alfandega.________________
Leilao de escravos e dividan
Cordeiro Mimes
por conta e ordem oo liiuidatano da casa com-
mercial de Antonio Jo.iqoira de Mello, vender' em
leilao os escravos seguintes : Antonia, Grioula, de
_8 annos de idade ; Jos, de afio, idaoe :0 an-
nos ; Luii, de naro, idade 30 aun i, asrira er-mo
as dividas activas na imporiancia do l:1325b7V
rs. em letras e comas do livros, e ontro debito iins
herdeiros de Jo< K.-rnan.l'-s da Cruz na im|H>r-
tancia de 1:6435, a relacao de referidas dividas
se achara em poder do mesmo agenie exame da-
quem pretender, cojo leilao sera' efferttiado
exta-felra 9 de junho
as II horas a noria do armazem Jo Sr. Aunes lar-
go da alfandega.____________________________
Leiio de 3_ _ef_M da i-onipa-
nhia rei-awhueana.
S.'xta-feira 2 de jffrrao.
ja me conlesso eternamenie agrauecioo. i O agente Piuto far_'Iciio por cuita e risco de
Porm no bastar de corto o cavalheirismo e ujuem pertencer de 25 arfos oa Coraf*ehfa Per-
de Lisboa. gentileza d> digno .emprezario ; preciso inmliem I nambucana, ;is II hora^ do dia cima oilo a por-
Tambem o consolho sob a ditas condtecoes pro- osnieus comprovincianos concorram neste u da Associacao Commenial.
mbve ntMnelteioiiOili) da 5 do'corrente mez a com- j,a com 0 .,.,, ,,,,!,, p,ra soecurrer o pobre en- ----- '------T ..^ ----- .....---------
pra dos seguintes objectos do malenal da arma la : f8pm0) ^|,in jti-neios, na soa hora extrema. E" JLCllilO
50 bandejas teVraaus, l_nrro_w He estopa da al- -ois.psr, !e|fps ^ pp&Ho, para osm -m e-raipro- : A,A j. 0 .. ,, u. ...i i_ ..;, j_4
godo, too covatos do niele azul, loo daos de di- Vf__gno9 s^more prorptos a soccorrer com a sua Da Pa'te de urna ca^a na PuMilba a Iua da
lo euearnado, 420 toneladas iaglnzus de ferro bru-. va|io- Convertidas n. !.">. OBI UIH Xisle um es-
lo, 4 arrobas do mialliar para gaxi'tas, 18 talwas ; ___
de Bedco de urna pjllogada de rossura, *4 ditas ''"'
de tres qimrtos de pollegada e 30 llames.
E'Ieitoa o conselho o contrato do foroeciraento
e pr\_ove a compra d.) ol.j'cto> a vista de pro-
: postas em cartas fechadas recubidas ou enirogues
10 horas
Sala do conselho de compras na. aes :il da maio
de 1863.
O secretario,
Alexandre Rodrigues dos Anjos.
i
tHht;lecimi'nl(). avahado lodo predio eni
2:1 005, e cuja parlo em 7075 '03 ts.
como tainbem os alug eis de cerca do a
----------- a 3 annos
jj,r Terca-fcira 20 ae junbo as H horas.
Est carga o brigue esoona nacional Graeiosu Cordeiro WlBOP
caollio Jacintho Aunes da Cosu, consignatario aulhorisado pelo liquidatano da casu commerciai
I Antonio de Almeida Gomes, ra da Cnu o. 23, de Antonio Joaqnim de Mello, fara .eilao da parla
primeiro andar. e alugueis do pwdto aciuia deicnpto, podeudo dea-


-----------,
Marte de rern*mbco ... Quinta feira 1 c Junho de IS5.
'r- /
de j safisfazer aos pretendentes raento, cajo leilio ser effectuado no dia e bora
aciraa dito a porta de armazem do Sr. Aunes lar-
go da alfandega.
AVISOS PITEMOS.
0 capitao flaucl porfir de Castro
O abaixo assignado, commasdante da compa-
nhia de cavallaria, declara, que entre os papis
comidos em sua carteira perdida ante-hontem, se
acham duas letras aceitas por sea mano Lino Jos
de Lastro Aranjo : urna de 848 mil e tantos res,
e outra fleSO e tantos rail ris, a vencer em jalho
de 1866.
J se cemmunicou ao aceitante a perda de taes
letras, e por isso de nada podem valer senao ao
abaixo assignado, que ainda por esta ocoasio,
(visto qae est prestes a marchar para a guerra)
pede a restituico das mesmas detras, no caso de
serem encontradas, pelo qne flcar eternamente
grata
O capitao Manoel Porfirio He Castro Araujo.
Recre, 31 de maiode 1863.__________________
Veueravel ordem terceira de S. Fran-
cisco do Recife.
O secretario da mesma, abalxo assignado, de or-
dem da mesa regedora, e a convite das irraandades
do Divino Espirito Santo, erectas no cenvento do
S. Francisco e Collegio, roga a tedos os seus clia-
rissiraos irmaos a comparecerem revestidos de seas
hbitos em nossa igreja, no domingo 4 d) corrente
mez, as 9 horas da manha, para assistirmos a
festa dt irmandade do convento, e as 2 horas da
tarde para acompanharmos a procisso da do Col-
legio.
Secretaria Io de junho de 1865.
Francisco Jos dos Passos Guimaraes.
Aviso.
As cartas de sentencas e mais papis forenses
ao deven ser eitrahidos, e escriptos conforme
mandam o Cod. do Com., Reg. de contas e Ord., e
sim segundo a vontade e capricho do administra-
dor corregedor.Serrain.
Aviso
O regedor das justicas mora na raa das Sauda-
des, e manda, ordena e despacha no ex-rcfeitorio
dos Jezuilas.Serrain.
Atten$io.
Precisa-se de ama mulher de idade e honesta
para casa de pouca familia, dando-se a comida
roupa : na ra das Cruzes n. 37, primeiro andar.
Precisase abogar urna ama qne sejaescrava
para o servigo de casa de pouca lamilla : na ra
pa Imperalm n. 17. __________
Precisa-sede ama ama para engommar e co-
ser, para urna casa de duas pessoas : na ra da
Imperatriz n. 34, primeiro andar.
O bacharel Joo Franklin da Silveira Tavora
advoga no escriptorio do Dr. J. de Campos, praca
de Pedro II n.2.
LOTERA
Aos 10,000*000 e 2,O0#$OOO.
Quar-fetra 7 de juribe do corrente an-
oo, se extrahir pela aovo plano abaixo pu-
blicado, a 54 parte da Ia loleria (18a) a
beneficio da Santa Casa de Misericordia,
para canalisaco d'agua e .gaz no hospital
Pedro II, no consistorio da igreja de Nossa
Senhora do Rosario da freguezia de Santo
Antonio.
Os bilhetes.meios e qaartos est3o a yen-
da na respectiva thesoura-ria 4 ruado Cres-
*0 premios de 1*000*000 al 20^000 n^^^S^^S^SlS^SK
serSo pagos urna ora depcvs da extracclo os seus freguezesque se achara devendo, o favor
at as 4 horas da tarde, e OS OUtros depois de mandarem pagar at o dia 15 de junho vindou-
da distribuico das listas ro,e "n(* es,e Praso Publicaremos seus nornes por
^^~mj ~.Jx ......j... extenso, e se assim nao Ozerem mandaremos co-
As encommendas serio guardadas so- brar judicialmente sem excepco de pessoa.
mente ate a notte da vespera da extracto Precisa.se deyma-araa deleiTei" na rua Im-
como de costume.
PLANO
Para as partes
Alagase ama sala do primeiro andar dajrua
do Qoeimado n. 41 : a tratar na mesma.
Descontam-se notas do banco do Brasil e das
caixas filiaes : na praca da Independencia n. 22,
penal, sobrado n. 87.
US
pprovado pelo Eim. Sr. presidente.
Na ra da Aurora casan. 38, precisa-
se de urna ama de leite: a tratar na mes-
ma casa a qualquer .hora do dia.
Precisa-se

Joaquim Ignacio Ribeiro Jonior agradece
eordialroente a todas as possoas, que se dig-
naran) assistir as exequias e acompanhar ao
cemiterio os restos mor taes de sua querida
nina alia Amelia Ribeiro e de novo Ihes
roga o candoso obsequio de assistirem a
missa do stimo dia, que pelo repouso de
sua alma manda celebrar quinta-eira 1- de
junho pelas 8 horas da manhaa, na matriz
da Boa-Vista.
Approveita a opportunidade para agrade-
cer a film.' e raui digua irmandade do San-
tissimo Sacramento da dita matriz, bem co-
mo aos Illms. Srs. ecclesiaslicos que gra-
tuita e de tao boa mente se prestaram a esse
caridoso acto e lhes protesta sua eterna gra-
tido.
mM
de urna criada para omprar e
cozinhar : na ra do Torres n. 14, segundo andar.
Antonio Jos de Araujo Braga, abaixo assiRna-
. do, declara que sedespedio da casa do seu primo
; Jos Correia Braga, deixando d'ora em diante de
I ser seu caixeiro.
Antonio Jos de Araujo Braga.
Samuel Power Johnston & Companhia
Ra da Senzala Nova n. 4.
um sitio na campia da Lasa Forte, con duas ca- _, -. AGE'CU DA
sas, urna a em que morou o fallecido Thoraaz de *UUOIfao ueLow Hoor.
3000 bilhetes a 10#000............30:0005000 Aquino Fonseca Jnior, feita a raodena, e conten- Machinas a vapor de 4 e 6 cavallos.
Beneficio, sollo ecommissao 24 OjO.. 7:2000000 do todas as accommodaces precitas, outra cora Moendas e'meias moendas nara engenho !
boas commodidades para qualqjerf familia : na Taixas de"ferro coado
A tugase
Aos Srs. acadmicos.
Vendem-se os seguales livros quasi no-
vos: Manuel de droit romain por Mackel
,dey, { volume, por tOOu.; Diccionaire
du conlentieux commercial por Mass, 4
volnme por 6000; La fetnme por ma-
dama A. Seglas, 1 volume, com estampas
finas por 50OOQ; OEuvres de Racine, l
volume, com estampas finas por 6)5000;
OEuvres choisis de Buffon, ( volme, com
estampas finas, por 45U0 ; Cdigo de cr-
dito predial, i volume, por 1(500 ; Flores
singelas, poesas por Paes d'Andrade, 1 v-o
j lume, por tfiOOQ; Viagem ao Araguaya
pelo Dr. Couto de Magalhes, 1 volume,
1 por 25000 : A velhice de Camdes, romance
por Trigueros, por 2)5000 ; La vie des
sainls, 1 volume, por 1)5200; Economie po-
litique, por Garnier, i volume, por 2$;
I negras da escripturaco mercantil, por Go-
mes Jnior, 1 volume, por 2)5500; Ofgani-
sation \du travail, por Louis Blanc, i volu-
me, por 1,5200; L'Epiphanie, pelo padre
Ventura, 1 volume, por 1(5000; Le jai di-
nierdes salons, i volume, por 640 rs.: na
ra do Cabug n. 2 A, loja.
RIVAL
9, loja do Jos & Azevedo
Liquide......22:8005000 ra do Vigario n. 19, primeiro andar.
1 Premio de........ 10:0005000
1 Dito de.......... 2:000|000
1 Dito de........... 8005000
1 Dito de.......... 40050U0
6 Ditos de 1005000 6OO5OO
405000 4805000
205000 4805000
105000 80405000
-------------22:8005000
nh o.
Alugam se dous grandes (obrados com com-
modos para numerosa familia novos e aceiados, .
i cora jardim, cocheira, estribaria e outras commo! Arreos dv carro para nm e dous cavallos.! fig ^e i nha nhd? nJ
diilariftS na travBSsa didades, na travessa de Joao .'ernandes Vieira
a tratar na ra da Senzala Nora n.42.
12 Ditos de
24 Ditos de
804 Ditos de
850 Premios.
2130 Brancos.
Alug
ja-se
urna casa terrea na rna dos Prazeres da Boa-Vista
n. 1 A pelo preco de 165 raensaes : a tratar ua ra
estreita do Rosario n. 28.
Aluga-se 9 1 andar da casa n. 7 da ra do
Burgos : a tratar na Senzala Nova, relnac.io nu-
mero^_______________________________________
Atten$o.
Ausentou-se no dia 28 do correte a escrava Ro-
sa, de idade 40 annos, cor fula, falta de denles na
frente,altura regular, tem algumas marcas de jun-
cada pelo brago e pelas costas, levou vestido bran-
co de cambraia e chale de merino de pona redon-
da de raraagem e roda com assento encarnado es-
curo, bem conhecida na estrada da Magdalena
por tersido escrava do lugar que atravessa para os
Remedios, aonde ella tem sido vista: roga-se as
autoridades do logar e aos capitaes de campo de
leva-la a ra do Livramento n. 3, loja de calcado,
que sera recompensado.
O bacharel Lourenc velino de Albu-
querque Mello continua t ter seu escrip-
torio de advogado nos auditorios e tribu-
naes desta cidade : na rui do Imperador
n. 40.
mmmmmm mm
Consultorio medico-cirurgico na ra larga do!
Rosario n. 20.
O Dr. Joo Ferreira da Silva rogressando a sua'
casa, contina em o exercicb de sua profisso nao j
I s na parte medica como tanbem na cirurgica.
Pede-se ao Sr. Jos (fines Silverio (de Santo
Relogios de onro patente inglez.
Arados americanos.
Machinas para descansar algodo.
Motores para ditos.
Machinas de costura.
Ra do Queimado n.
Maia e Silva.
Pulseiras c voltas muito bonitas a 500'rs.
Miadas de lioha para bordados de superior qua-
batido para enge- lidde a 60 rs.
Duzias de facas e garfos de cabo preto muito
( boa a 35-
Meiadas de linlia froxa para bordar a 20 rs.
erior a 60 rs.
A dmiruveis pechinchas
qae est* a veiida na loja e armaiem
da Arara, ma da Imperatriz n. 36
de Lourenc Pereira Hendes GinW
raes.
Bretanha de rolo-a 3)5.
Vendem-se pecas de bretanha cora 10 varas ha
lo baratissimo preco de 35 a peca. pe*
Madapolao enfestado a 3,5500.
Vende-se madapolao enfestado com 12 ian .
34500, 45 e 4*600, dito com 24 jardas a *
5S00, 65500,75, N. 40 75-500, L. 10 7500 N
85,, Elephante 8-5300. "*6
Soutembarquesdecoresa G^i.
Vendem-se sontembarqnes de cores a 6 7* .
8*, ditos de seda a I89, 205 e 55. '*
Chapeos para hometn a 1)5800.
Vendem-se chapeos para hornera a 15800 cada
de panno a 2;, ditos de seda
ra da ipe-
Oxas,
cores
preco
ditas
3000 Bilhetes.
N. B. Os premios maiores de 4005000 estao su-
geitos ao descont da le provincial, e os maiores
de 1:0005000 ao da lei geral.
Thcsouraria das loteras 11 de maio de 1865-
O thesoureiro,
______Antonio Jos Rodrigues de Souza.
Manael Lopes da Silva retira-se para fra do Antaoj o7avor"deTpparecV-'nrr"uVdo'VaTimado"
imperio.
casa 11. 7.
ATTENCO.
Deseja-se fallar com j Sr.
de Andrade, na ra do Cespo
andar.
Ernesto Botelho
n. 16, primeiro.
fundicao do Slarr ra da Aurora. A mesma
carteira continua 235 em dinheiro, certos papis
que s podem servir ao seu dono, e mais um bi-
i lhete de lotera da corle : quera a tiver achado e
IrmandadA do So. bacrainen-; v^ retiiuir a seu doo-sera generosamente
gratificado.
Na ra do Pilar n. 125 lava-se e engomma-se
com perfeigao, por prego coraraodo.______________ Declaro em alto e bort som, a bem da minh'a!
Precisa-se de um bom ozinheiro, prefere-se dignidade, nue nenhuma parte tenhe na publicagao. I
captivo : na ra do Crespo n. 4. feila no Diario de Pernambueo de 26 do cadente
~n nn^i.sT"D^rn.:^ ____**, ..^nn : mer> de um MBDClo fi-nndo pelo Guinja, acerca
- O capitao Porfirio, commandante de cavalla-; da fa|lencia do ex.cambist3 A.' E. s_ FJa' effefi.
na, perdeu hontem 29 urna carteira, ao sahir do ,vo meu ,nre,oa DPto scoberto nem offen ler
quartel as 2 horas da tarde at sua casa, junto da "a"cepWlidade" dasco"erl. m otfender
Anua Anglica da Foaseca Pereira, o com-
meodadorThomaz de Aquino Fonseca eseus
lilhos convidam a todas as pessoas de sua
amisade para que so dignem assistir a urna
mis-a que mandam rezar no dia 3 de junho
as 7 horas da manhaa na igreja do Corpo
Santo, por alma de seu fallecido marido,
genro o cunhado Francisco de Paula Pereira'
fallecido na cidade de Lisboa no dia 12 de
maio e desde ja confessa a todos eterna gra-
tidao.
Babado do Porto muito superior a 100, 120 e
i 160 rs.
Varas de franja de nho branca a 40 rs.
Caixas com 100 envelopes da melhor qualidade a
' 600 rs.
I Caixas com 20 quadernos de papel superior a
600 rs.
Grozas de pennas de ac muito finas a 300 rs.
Pecas de tranca lisa preta e de cores a 40 rs.
Grozas de botes madreperola para camisas a 500
e 720 rs.
Caixas com 30 novellos de linha do gaz a 700 rs.
Varas de franja de cores a 80 rs.
Novellos com 400 jardas superior qualidade a 70 rs.
Carriteis de linha com 200 jardas dos ns 60 al
200 a 100 rs.
Livros para assentos de roupa lavada a 100 rs.
Pares de botoes de puuho inuilo fiuos a 120 rs.
Thesouras para unhas e costura muito finas a
300 rs.
Vendem-se estalos a 60 rs.
da Palma n. 41, taberna.
a duzia : na ra
Vende-se o patacho nacional Kurico, chega-
do ltimamente do Rio Grande do Sul, o qual se
acha bem prompto a navegar : trata-se na ra do
Trapiche n. 4.
um, chapeos de sol
para homem a 65 e 75": s Arara,'
ratriz n. 56, de .Vendes Guimaraes.
S Arara vende cuitas francezas a 240 rs. o
vado.
Vendem-se chitas francezas sendo cores
assim como sejara padres delicados sendo
de cana e rxas, se vende por baratissimo
de 240o covado, ditas a 260, 280 e 300 r<.
matisadas finas a 320 e 360 o covado.
Chitas francezas escuras.
Vendem-sa chitas francezas sendo padroes escu
ros e cores fixas a 360 e 400 o covado, ditas min
dinhas claras a 360 o 400 rs. o covado : Isto na
loja e armazem da Arara ra da Imperatriz n. 56
Corles a Maria Pia a 180.
Vendem-se os mais modernos ccrles a Maria
Pia a 185, dito a 145, 125, 115, 105 e 85, cortes
de ia sem barra a 55 tem 15 covados o corte.
Damasco de duas larguras a 13280.
Vende-se damasco de duas larguras a 15280 o
covado, dito de urna largura a 800 e 610 rs. o co-
vado, lencos de. linho a 35, 65 e 75 a duzia.
Camisas francezas a 1)9600.
Vendem-se camisas francezas a 13800, 25 dita
de pregas largas a 25 e 25210, ditas de linho a
25)00, 25800 e 35 cada urna, seroulasfrancezas a
15280 e 15500, dita de linho a 15800 e 25, co-
bertas de chita a 25 e 2550y cada urna, cambraia
branca a 35, 35500 e 45 a peca, ditas de cores a
35000.
Caniliraias de cores a 300 rs.
Vende-se cambraia de cor a 300, 320, 360 e 400
rs. o covado, cambraia de salpicos a 25300 e 35
na ra da Imperatriz n. 56.
Chales de merino a 2$.
Vendem-se chales de merino a 25, ditos de chi-
ta a 15600, 15280 e 15 cada um, chales finos com
pona redunda e borlla de seda a 65 e 75 cada
um, cobertores de algodo a 15 cada um ; na ra
da Imperatriz n. 56.
A LEGITIMA
Justino Martyr Correia de Mello.
Vende-se caixoes vazios propjios pa-j
ra bahuleiros, e funileiros, a 2;>000 cada I
um : e para as pessoas que compraren! do I
to na matriz da
Boa-Vista
Em nome da mesa regedora convido a todos os
irmaos para que se dignem comparecer no domin-
go 4 de junho, pelas 10 horas da manhaa, no con-
sistorio desta igreja matriz, afim de que reunidos
em mesa geral, depois de assistirem a missa votiva
do Divino Espirito Santo, precedam a eleicao do
juiz, escrivao, thesoureiro, procuradores e mesa-
ros que tem de funecionarem no anno de 1863 a
1866, de conformidade com o que dispoe os arts.
1, 2, 3, 4, 5 e 6 do capitulo substiluilivo ao Cap.
t do compromisso que rege esta irmandade.
Precisa-se de um feitor que seja capaz, e dando
boas nformacSes, sendo casado d-se casa propria:
na ra Nova n. 19, primeiro andar.
Frecisa-se de urna ama para casa de pouca,
familia, paga-se bem agradando : na ra de Hor-
tas n. 130._____________________________________ j
Roga-se ao Sr. Joo Silverio da Silva, ou
quem desle senhor tiver noticiaj de dirigir-se a
ra do Imperador 11. 12, a negocio de sen inte-
resse.
4 para cima 18Q0, ncsla lypographia.
Na ra do Queimado, loja de ferragens n.
eende-se muito em conla um par de venezianas.
AJ A.
Precisa-se alugar urna escrava ou mesmo forra,
Consistorio da irmandade do SS. Sacramonto da 1 que compre e cozinhe para casa de duas pessoas :
matriz da Boa-Vista 31 de maio de 1863.
O escrivao,
_______Manoel Zeferino Dias Brrelo.
Voneravel ordem terceira de Nossa Senhora do
Carino.
Por deliberaco da mesa regedora convido a to-
dos os charissimos irmaos a comparecer
nossa ordem, paramentados com
3 horas da tarde do dia 4 de junho, para enrorpo
rados, acmpaoharem a procisso do Divino Espi-
rito Sfcnto do Collegi.
Secretaria da venpravel ordem terceira do Car-
mo 31 de malo de 1863.O secretario,
Jeronvmo Emiliano de Miranda Castro.,
Dase 2 3.0005 a 1 0|0 sobro hypotheca
aqui na cidade: quem quizer annnncie._________j
Precisa-se de urna ama que saiba cozinhar e i do Bispo n. 22.
engommar para servir a ura moco solteiro em um
sitio prximo da cilade : a tratar na ra do Im-
perador n. 22, Io andar.
na ra de S. Francisco n. 34.
Ama
Precisa-se de urna ama coznheira : na ra do
Hospicio n. 36.
Extremamente penalisado pelo failecimen-
to do meu compadre e muito espacial amigo
o tenentecoronel Manoel Florencio Alves de
Moraes, pretendo fazer celebrar por sua al-
ma urna missa no da 2 do junio pelas 7
horas da manhaa na matriz da Boa-Vista :
rogo portantoaos meus amigos e aos do fi-
nado o candoso obsequio deassistiremaesse
acto de piedade pelo qual lhes fiearti cor-
dialmente agradecido.
Jos dos Anjos Vieira de Amorim.
Desde o dia 19 do corrente mez de maio, que
: se ausentou da casa de seu senhor a escrava Ro-
mana, de 18 a 20 annos de idade, estatura baixa,
bem parecida de figura, levou vestido de ehita es-
cura e chale azul com palmas de cores, j nao
a priraeira vez que foge e sempreque isto faz eos-
turna vagar pelas ras desta cidade e suburbios
da mesma : portanto roga-se as autoridades po- .
liciaes e aos capitaes decampo iiue afacam aore- 1 r
hender e conduzir a ra Direita taberna n 23 & Cl' no seu escriPtono rua da Cruz n
que sero gratificados, proteslando-se desde ja
usar dos meios judiciaes contra qualquer pessoa
que a tenha em seu poder.
Vinho superior em caixas de urna duzia :
tem para vender Antonio Luiz de Olivelra Azevedo
Farinha de mandioca : lera para vender Au
tonlo Luiz de Oliveira Azevedo C, no seu es-
criptorio rua da Cruz u. 1.
Vendem-se sanguesugas de superior qualida-
de, era caixas ou a retalho, a vontade do compra-
dor, u por prego mui razoavel; na botica franceza
de Caors 4 Barbosa, rua da Cruz n. 22.
Cavallos furtado
s.
Fugio no da 28 do corrente, a noite, a es-
crava Januaria, pertencente a D. Amelia Felicia
! Deschamps senhora de Mr. Len Chapelin, retra-
tista, cuja escrava houve por compra que fez ao
Sr. Pi Pierres Varcila Barca em abril ultimo or TT i
intermedio deseu procurador Joo Francisco Ca- V eildem-Se aS SUDeHOreS te>
bral, desconfia-se que a dita escrava tenha se-
Iguido para Paje da Flores e que procure o enge-
nho do Exra. baro de Vera Cruz, a quem a lem-
pos passados pertenceu : a dita escrava tem pouco
mais ou menos 20 annos de idade, de estatura
pequea, de cor fula, tem os denles limados, testa
I e olhos muito pequeos, gratifica-se bem a quem
apprehende-la.
souras de Guimaraes.
Para unhas, costuras, cortes de fazendas e ca-
bello : na loja de ferragens na rua d Cadeia do
Recife n. 44 ; e assim como fio de algodo da mais
acreditada fabrica da ihia, por procos commodos.
Aluga-se o grande armazem do sol da rua da
nparecerem em Concordia, proprio para qualqner estabelecimento, noil de 21 parando" ro7relMous cavalos"'
seus hbitos, as as,im como a loja do sobrado da rua Diseiia n. 61.' ruco rodado, de meio, de 7 a 8 annos bem fe
- pedra e cal,. nteiro.arraslaos cascos dos ps quand jnda e cor-
J para ta-se as mos quando est muito trabalhado, tan-
to que tem as marcas, s anda xoto, e lerdo; o
Furtaram do engenho Papic, comarca de Naza-
reth, da estribara do Amonio de Barros Lima, na
e um sitio no Jacar, com casa de
com muitos arvoredos de fruclo, e
plantaco e criaco de vaccas : a tratar na rua da
Concordia, no sobrado do armazem do sol n. 34.
um
ito,
Troca-se ura moleque na idade de 13 annos
por urna mulata ou negra costureira : no paleo
do Carmon. 1.
AMA
Precisa-se de urna ama para o servigo interno los quenascem neste lugar sao em p, e acostella
e externo de casa pequea : na rua
O abaixo assignado comprou ao Sr. Joo Al-
ves da Cruz a sua taberna da rua da Guia n. 39,
livre e desembarazada de dbitos a pessoa algu-
ma.Manoel Maia da Silva.
Em casa de Tisset l'reres rua do Trapiche n.
9, teni para vender :
Vinho Rcrdeauxem barricas e em caixas.
Dito de Santerne fino.
Dito de Champagne muito superior.
Cerveja franceza marca Bobee.
Vende-se
Da-se a premio de 1005 a 3:0005
Ramos asa que outr'ora fol collegio
no caes do
da Aurora.
Cozinheiro.
Quem precisar de um bom cozinheiro, dirija-se
a rua do Rosario n. 37, das 6 as 4 da larde.______
Aluga-se o armazem da casa n. 33 da rua da
Imperatriz para qualquer estabelecimento por sua
boa largura e grande fundo, achando-se com todo
o aceio : para ver, as chaves se acham na loja
con fronte ao Sr. Meodes Guimaraes._____________
Fo>,o,fog,<>.
Para os festejados das de S. Joo e S. Pedro
existe na muito acreditada fabrica de fogos de ar-
tificio da ostrada de Joo de Barros, propriedade
da viuva Rufino, ura completo sortimento de pis-
tolas, craveiros, rodiohas e fogo buscap: como
seja penoso a algumas pessoas irem a fabrcamela
distancia, os prelendentes podem deixar suas en-
commendas no armazem da bola amarella no oito
da secretaria da polica.
SMTMVM
Tendo Pailet Nicols annunciado por este jornal
que se retira para fra da provincia, pede-se llie
que venba primeramente pagar o que deve no
hotel Trovador seno quizer ver embargada sua
viagem.____________________________________
- Na praca da Independencia n. 33, loja de our
ves, compra-se ouro, prata, pedras preciosas e
tamhem se faz qualquer obras de encommenda e
(ido e qualquer concert.
CASA DA FORT
outro e rugo vermelho, pequeo, bem leito, o es
pinhaco ura pouco baixo, tem urna marquinha de
cangalha no quadnl esquerdo, tanto que os cabel-
o em p, e acostella^ O bacharel Americo Fernandes Trigo de
do Corredor' mnima deste mesmo lado esquerdo mais longe Loureiro, professor particular de Instrucgo se-
do quadrii que a direita, estradeiro baixo, estra- candara provisionado pelo governo provincia"
da de dous, e as vezes
um balcao de 10 a 12 palmos, com lampo de ama
relio : na rua do Rangel n. 43.
DE BRISTOL
PREPARADA NICAMENTE POR
LAMAN & KEMP,
ATT EMC AO
Azeved & Flores declaram ao publico e espe-
cialmente ao corpo do commercio, que nada devem
da eitincta firma de Pinto & Flores.
Precisa-se alugar um escravo para todo o
servigo de ama casa de familia : na ruada Cadeia
do Recife n. 52, terceiro andar.
Precisa-se de urna boa engoramadeira forra:
na rua da Cadoia do Recife n. 52, terceiro andar.
O Sr. Pedro de Alcntara Monte Li-
ma, queira dirgir-se a esta typographia a
negocio de seu interesse,
Precisase de urna mulher de raeia idade
que emenda alguma cousa de cozinha e se queira
sujeitar a fazer companhia a outra por comida e
roupa : a tratar na rua da Assurapgo n112._
Sortea de S. Jco
VeDdero-se lindos papis com estalo para as
Fortes de S. Joao : na rua Nova n. 61 defronte da
Lima, cmara mnnicjpal.
O London 4 Brazllian Bank, saca por doos
os paquetes,sobre
Lisboa.
Porto.
Braga.
Vianna.
Guimaraes.
Villa Real.
Coimbra.
Amarante.
Aos 10:000^000.
Uilhetes garantidos.
A' rua do Crespo n. 23 e casas do costume.
Oabaixoassignadovendeunos seus muitofeli-
zes bilhetes garantidos da lotera que se acabou
de extrahir, a beneficio da igreja de Nossa Senho-
ra da Boa-viagem, os seguintes premios :
m quarto n. 35 com a sorte de 6:0005000.
Um quarto n. 703 com a sorte de 1:2005000.
Ura meio n. 391 com a sorte de 4005000.
E outras muitas sortes de 1005, 405, 205 e
105000. /^
Ospossuidores podem virreceber seus respec-
tivospreraios sernos descontosdas leis na Casa
da Fortuna rua do Crespo n. 23.
Acham-se a venda os da 5- parte da 1- lotera
(18\) beneficio da Santa Casa de Misericordia
paracanalisago d'agua e gaz no hospital Pedro
II, que se extrahir a 7 de junho.
PRECO.
Bilhetes.....125000
Meios......65000
Quartos.....35000
Para as pessoas que compraren) de 100^000
para cima.
Bilhetes.....115000
Meios......35500
Quartos.....25750
Manoel Martins Fiuza.
corta a estrada, e tambera continua a ensinar preparatorios na casa de sua
inteiro, e lem ambos este ferroLABno quarto, residencia, rua da Saudade n. 9 ; assim como en-
I direito ; furtaram tambem urna sella e freio da sina as mesmas materias por casas particulares e
mesma estrbaria.tudoem bom estado econduziram collegios a pessoas de arabos 03 sexos, mediante
nos mesmos cavallos: pede-se, portanto, as auto-! razoavel paga : para o que pode ser procurado na
ridades policiaes e as pessoas a quem forem oTe- dita casa das 7 horas da manha ao meio dia, ou
recidos os referidos cavallos a apprehenso dos das 3 as 5 da tarde,
mesmos, e levarem ao referido engenho, quo sero
recompensados.
Muita attenco
s
Precisa-se de um caixeiro que tenha pratica do
taberna : na rua da Senzala Nova n. 39. Na mes-
ma tambem se precisa de um moleque para com-
prar e levar a comida para a dita taberna : a
quem conver, dirija-se ao lugar indicado.
Criado.
Precisa-se de unFcriado forro ou escravo para
andar pelo mato com urna pessoa que applica-se
em cobrar dividas, cujo trabalho de criado ser
cuidar no tratamento de dous cavallos, paga-se
bem : na rna do Barlholomeu n. 45.
Attenco.
O abaixo assignado declara ao publico e es-
pecialmente ao corpo do commercio, que nesta data
vendeu ao Sr. Jos Lopes Alheiro os seus estabe-
lecimentos de molhados, sitos na rua da Impera-
triz n. 42 e rua da Conceigo n. 6, Meando a cargo
do mesmo Sr. a liquidaco do activo e passivo dos
mesmos estabelecimentos.
Recife 30 de maio de 1865.
____ Manoel Joaquim Moreira.
Precisa-se de urna criada forra ou escrava
para engommar e fazer mais algum servigo em Rosario n. 24, loja de ourives.
i
confeitadas : na rua do Rangel n. 43.
Cheguem ao barato.
Chitas francezas muito finas
furo de cupim a 240 rs. o covado, madapolao su-
perfiuo a 65 a peca : na loja da rua da Madre de
Dos n. 16, defrole da guarda da alfandega.
SAL DO ASS"
A bordo do brigue escuna nacional Graciosa ;
vende-se na rua da Cruz 11. 23, escriptorio.
Farinha de muribeca fina e alva, mais
barata que se vende no mercado, em sac-
eos : na rua do Vigarion. 29.
NOVA YORK.
Composta de substancias, gozando de
propriedades eminentemente depurativas;
approvada pelos juntas e academias de me-
dicina ; usada nos principaes liospitaes, ci-
vis militares e da marinha as Antilhas e
no continente americano ; receitada pelos
facultativos os mais dislinctos do imperio do
Brasil e da America licpanliola
CURA RADICALMENTE
escrophulas, rheumatismo, escorbuto, en-
fermidades venreas e mercuriaes, chagas
antigs, morphea e todas as molestias pro-
venientes d'um estado vicioso do sangue.
Emquanto existem varias imitaces e
falsificacoos, preciso a maior cautela para
sno evitar os engaos,
A legitima salsa de Bristol vende-se por
CAORS t BARBOZA
JOO DA C. BRAVO & C.
Joo da C. Bravo & C.
Vendem-se no Recife em casa de Caors 4
Barboza e Joao da C. Bravo & C.
CTM B /- c O "1 *- 01 O O 1 n
-rp.nT?g
^BSle-a
3 se =
COMPRAS.
Compram-se libras sterlinas: no ar-
mazem de Fernira & Matheus, na rua da
Cadeia do Recife n. 66.
Compram-se libras sterlinas : na rua da
Cruz n. 18, armazem de Jos Joaquim Lima Bairo.
Compra-se effectivamente ouro e prata em
onras velhas, pagando-se bem : na rua larga do
renca o.
2 eLg"
Redncco de preco
Vendem-se por pregos reduzdos machinas de
descarogar algodo, de serras de todos os tamanhos j
a saber, de 14 a 60 serras ; assim como motores
para asmesmas, urna machina de 120 serras com
a ompetente machina a vapor: a tratar na rua do
Trapiche n. 8 ou por baixo do Gabinete Portuguez,
armazem de farinha.
= *
u ^3
= -, 1
o. o. -1
o es a
9 3
g-3
si
V-
"1
sr co -
SP ** as *
i 2 O en WS
a 9 tfi -3
-1 ^ as
g-3 f S;s
a _, 0.9, srw
* i- ^. **
2.
ca
a
p c w
0 o-K
en ~
s. o
AVINO
Os abaixo assignados, moradores na rua da Ca-
deia do Recife n. 3, fazem sciente aos devedores
da massa fallida de Joaquim Vieira Coelho & C,
que tendo arrematado as dividas pertencentes
mesma massa, sao ellos os nicos autorisados a re-
ceber taes dividas; portanto tem marcado o praso
de 30 dias para os senhores devedores virem ou
aandarem pagar seus debites, lindo o qual se pro-
mover a cobranga judicial.
Jos Joaquim de Castro Moura.
Joaquim Baptisla de Araujo.
Josa Correia Braga faz sciente ao respeitave'
publico, que Antonio Jos de Araujo Braga deixou
de ser seu caixeiro.
Cozinheiro ecopeiro
Precisa se de ura bom cozinheiro e um copeiro :
no hotel Trovador, rua larga do Rosario n. 44; pa-
ga-se bem._____________
Matriz de Santo Antonio.
A mesa regedora da irmandade do SS. Sacramen
to convida lodos os seus dignos irmaos a compare-
cerem pelas 3 horas da larde do dia 4 do corrente,
para em grande numero reunidos e encorporados
acompanharmos a procisso do Divino Espirito
Santo que tem de sahir da sua igreja (Collegio),
para o que fomos convidados pela respectiva ir-
mandade.
Consistorio da matriz de Santo Antonio Io de
junho de 1865.-O escrivao,
Lalz Cesario do Reg.
Precisa-se de 1:0005 por lempo de 10 mezes
obre hypotheca em ora predio nesta praea: a
3u*m convier dirija-se ao correio a fallar com Luiz
e Pranga de Oliveira Lima._________ ''
Preci$-se de urna ama para enziooar ; na
roa do Imperador n, 46, primeiro andar.
casa de pouca familia
segundo andar.
na rua das Cruzes n. 22,
A ma
Precisa-se de urna ama, preferindo-se escrava,
para comprar e cozinhar om casa de homem sol-
toiro : na rua do 1 uciotad n. 40, loja.
Silvino Guilherme de Barros compra e ven-
de effectivamente escravos de ambos os sexos :
rua do Imperador n. 79, terceiro andar._________
Ouro e prata
em obras velhas : compra-se na praca da Inde-
pendencia n. 22, loja de bilhetes.
Vende-se
servico
20, se-
Precisa-s de urna ama para todo de urna casa : na rua do Livramenjo n.
gnndo andar.
Precisa se de urna ama para ma de duas \
pessoas para cozinhar : na rua da Penha n. 23,
primeiro andar.
Aluga-se na Passagem da Magdalena, rua do
BemQca, os sobrados ns. 7 e 9, com bons commo-
dos para familia : trata-se na rua do Trapiche
numero 4.
Precisase de urna pessoa que tenha boa le-1
ira e saiba escrever com correegao : na rua da
Aurora n. 26.
Comprase
um par de consolos de Jacaranda, em segenda
mao : quem tiver annuncie para ser procurado.
Proprias para genebra,
Apollo 0.5.
Botijas vazas
compram-se
na rua do
Compram-se libras sterlinas a 9lo00: na
praca da Independencia n. 22.
VENDAS.
na rua das Cruzes n. 23 junco e palha, mais bara-
to do que em outra qualquer parle.
Farello a 4$QOO o sacco.
Em saceos grandes.
Milho a 4SOO.
Rua larga do Rosario n. '50 taberna da esquina
que volta para o da rua Estreita.
ra
O
o
'- c
2 2.
-
3
8
o
as
CO
en
Precisa-se de urna ama que tenha bom
e sem filho : na rna da Aurora n. 26.
Precisa-se de offlciaes de
n. 12 da rua dos Quarteis.
leite
sapateiro : na loja
O Sr. Luiz Cesar Pinto de Farias queira di-
rigir-se a rua da Madre de Dos armazem entre a
igreja e a botica.
Fio de algodo da Baha.
Vendefse no escriptorio de Antonio Luiz de Oli-
veira Azevedo & C, rua da Cruz n. 1.
Vendem-se sapatos de borracha para homens
e senhoras, de superior qualidade a 15 cada par :
na laberna da rua do Imperador n. 83.
Sortes avulsas.
Vendem se folhas de sortes para as noutes de S.
Joao e Sanio Antonio, a 40 rs. e a 20 rs. e alguns I.
folhetos procos diversos; na rua do Imperador J*?T Lent0'tamberrLda"s? de ndaajm a 80
n. 15, defronte de S. Francisco. rs" P.I Palaoa : ?Arua da Palnia n. 41, taberna.
1
I 2
tn
"3
as
"
as
c
S
ti
3
lili.ais?
CD =1S
J M _
3 M 5.5- el g
O &B "as
a p cu.
=l ^m o as".
aTcfOS S4 S
~ 3* ai q &, -j
- q as o 2 -,
c 2 2 5
s>
> o
^3
a
s
o
>
o
as
'3
er~
os
>
s
o
Attenco.
Vendem-se sortes para ?anto Antonio S. Joo
Vendem-se
Vendem-se 2 escravas perfeilas engomma-
deiras, ptimas cosinheiras e costureiras, 1 raole-
I que, 1 negro e 1 cosinheira de meia idade: no pa- machinas americanas de serrote para descarocar
teo do Carmo n. 1.
Vende-se esla linda colleccao de sortes,
retiidas em um pequeo volume, com 25
assumptos, e mais 59 novas charadas, pelo
diminuto preco de i$ cada exeraplar enca-
Precisa-se fallar com o Sr. Francisco Luiz de
Paula Cavalcanli. morador no engenho Anhomas,
a negocio que nao ignora ; no armazem da estrel- dernado : na praca da Independencia ns.
la, largo do l'araizo n. 14. e 8.
Vendem-se
Cruz n. 13.
mendoas
amendoas confeitadas
na raa da
6
Perden-se da rua da Cadeia do Recife at a Vendem se 20 saccas de feijo ordinario para
porta da alfandega um pequeo livro de notas de anraaes: na rua Nova de Santa Rita o. 19, ribei-
despaches : a pessoa qne o achou far o favor de ra 0 nexe.
leva-lo ao armazem do Sr. D. P. Wlld, na dita rua, 1------------------ ,:r-.*-r~r"
que ser recompensado. I Vende-se um escravo de nagao arada moco
Qnem precisar de urna prel para todo o ser-
v a w, dirija se a roa do Rangel o. 60, segundo
andar.
a tratar na rua da Lingoeta n. 4.
Parlaba da trra
a 4500 a eacca, em cuia 240 rs. : no armazem
da estrella, largo do Paraizo n. 14.
OPIIEMS l
QUADROS
WIESDADE
AQUARBLLA
Una scena de nossos dias.
Drama
Por Pedro de Calasans
Vendem-se estas obras impressas en Bmxellas
e Lelpig : na Yraria de Jos Negueira de Souza,
rua do Crespo.
algodo : na rua da Senzala iNova n. 42.
Ferros
Chegou um completo sortimento de ferros de
diversos modelos para encrespar e engommar ha-
bata, pafos e todos os obiectos de roupa branca
fina pertencente ao toilet re urna senhora, e hoje
indispensaveis, os quaes se vendem por meno*
prego que em outra qualquer parte : na rua do
Crespo n. 4. ____ _________________
Attenco
Vendem-se estalas para sortes de Santo Antonio
e S. Joao a 60 rs. a duzia ; na livraria universal
roa do Imperador n. 54.
Mtt
lm^tt .
*rtMiftrtMiMTTffttf

***L-~
mm-'ii n'itey^B



Alarlo de pernambuco
A molestia ou infeccSo pecu- oes
.y F
'lialconhecida pelo nome de Es<
crofula um dos males mais
prevalecentes e universa es qu
ha em toda a extensa lista das
enfermidades de que soffre o
genero humano : disse um;ela-
.bre escriptor da medicina que
' mais de urna terca parte de
todos aquelles que morrem antes
da velhice sao victimas, ou dire-
ta ou indirectamente da Escrfu-
la :por si n5o 15o des-
tiva, p.irm a principal causa de muitas
outras enfermidades que n5o lhe sao geral-
mente attribuidas.
E' urna causa directa da phthysica pul-
monar, das molestias do figado, do estoma-
go e affeccdes do cerebro:Entre os seus
numerosos symptoraas acham-se os seguin-
tes : falta de appetite ; o semblante pal-
udo e s vezes inchado, s vezes de urna
alvura transparente e outras corado e a-
marellenlo ao redor da bocea; fraqueza e
molleza nos msculos: disgestao fraca e
appetite irregular, falta de energa, ventre
inchado e evacuaco irregular ; quando o
mal lem seu assento sobre os pulmes, urna
cor azulada mostra-se em roda dos olhos;
quando alaca os orgos digestivos, os olhos
tornam-se avermelhados :o hlito ftido,
a iiiigua carregada, dores de cabeca, ton-
leiras etc.
as pessoas de disposico escrofulosa ap-
parecem frequentemente erupcoes na pelle
da cabera e outras partes do corpo, sao pre-
dispostas s affeccoes dos pulmes, do figa-
do, dos rins e dos orgos digestivos e ute-
rinos. Portanto, nao smente, aquelles
que padecem das formas ulcerosas e tuber-
culosas da escrfula que necessitam de pro-
teecio contra os seus estragos; todos as
(uelles em cujo sangue existe o virus laten-
te d'este terrivel flagello (e s vezes heri-
ditario) estao expostos tarabem a soffrer das
enfermidades que elle causa, que sao :
A phthysica, ulceraces do figado,'do es-
tomago e dos rins: erupcoes e enfermida-
des eruptivas da cutis; rosa ou erysipela ;
borbulhas. pstulas nascidas, tumores, rh-
cnmacarbunculos, ulceras e chagas, rheu-
matismo, dores nos ossos, as costas e no
cabeca, debilidades femininas, flores bran-
cas causada pela ulceracao interior, c en-
fermidades uterinas, hydropesia, indiges-
tlo, enfraquecimento e debilidade geral.
Aos pulmes a escrfula produz "tubrcu-
los e finalmente consumpeo pulmonar :
as glanulas ella produz inchacoes e tornam-
se ulceras: nos orgos digestivos cansa
desarranjos que produzem indigesto, dis-
pepsia, molestias do figado e nos rins :
na pelle produz erupcoes e affeccoes cut-
neas.
Todos estes males tendo a mesma or-
gem, carecem do mesmo remedio: a sa-
ber : purificar e fortalecer o sangue.
A salsa parrilha de Ayer
a sciencia medica tem podido descobrir,
para esta molestia assoladora e para a cura
de todos os males provenientes d'ella que
contm virtudes verdaderamente extraordi-
narias provado incontestavelmcnte pelas
curas notaveis e bem conhecidas que tem
feito de tumores, erupcoes cutneas, erysi-
pclas, borbulhas, nascidas, chagas antigs,
ulceras, rheuma, sarna, parchas, hydrope-
sia, tosse quando causada por depsitos tu-
berculosos nos pulmes. Debilidade ge-
ral :Indigesto, Syphilis' constitucional e
molestias mercuriaes, molestias das mulhe-
res, ulceraces do tero, a nevralgia e con-
vulces epilpticas e em summa, toda serie
le enfermidades que nascem da impureza
do sangue. Vede as certides no Alma-
nack c Manual do sade do Dr. Ayer que
se distribue gratuitamente nos lugares onde
se vendem os remedios.
Este remedio o fructo de longas e labo-
riosas experiencias, e ha abundantes provas
das suas virtudes: posto que offerecido
ao publico sob o nome de Salsa parrilha,
composto de diversas plantas, algumas das
quaes sao superiores a melhor salsa parri-
lha no seu poder alterante.
PE1T0R.4L DE CEREJA DE AYER.
Cura promptamenle a asthma, bronchite,
tosse, defluxo, angina, coqueluche,
phthysica primaria, tubrculos
pulmonares, e todas as
molestias pulmo-
nares.
\llivia os etlicos declarados.
Todas as molestias da garganta, do peito
e dos pulmes pdem ser curadas em pou-
co tempo pelo peitoiul de cereja do dr.
AYEIl.
A' venda as principaes boticas e droga-
ras do imperio, e na agencia central do
Rio de Janeiro ra Direita n. 15.
Vende-se em Pernambuco:
oa pharmacia franeeza de
P.MAURER & C.
RA NOVA N. 18.

GNEROS BARATOS A DINHEIRO
NOS

GRANDES AUtfGNS DE MOLHiDOS
DE
i
K
TE&C.
Pateo do Carato n. 9 armazem frogressivo roa do Queimado n.
lluiao e Commercio ra ilo Imperador n. 40,
Principal armazem de motilados.
OS PROPRIETARIOS.
Rival sein segundo
Roa do Queimado n. 49, est vendondo tudo
mnilo barato como ver abaixo.
Caixasde peonas de kalegraphia a ijOOO.
Massos com superiores grampos a 30 rs.
Pares de sapatos de tranca e tpele a l^SOO.
Frascos de macar pcrala a SOO rs.
Caixas com superiores agulhas a 200 rs.
Libras de 13a sorlidas com todas as cores a 7000.
Caixas com superiores brelas a 40 rs.
Duzias de phosphoros de seguranca a 120 rs.
Metas garrafas com tinta a 210 rs.
ft idinhas com alfineles franeeies a 20 rs.
Cartas de alnetes francezes muito tinos a 100 rs.
Hesraas de papel almaco a ffiiOO.
Resmas de papel de peso a 25000.
Papis de agulhas francezas a balao a 60 rs.
Bonels muito bonitos para meninos a 15000.
Enfeites para senhoras fazenda muito moderna a
25000.
Escovas para roupa superior qualidade a 15000.
Admirem
Admirem
Admirem Bem!
seto segundo
Ra do QtMmidti n. 49, loja dentadezb* Jk Jos
i Azevedo Main o Suva, esta r-ueimando que ad-
mira, a saber :
Fraseos com superior toptua 200, 250 c 500 rs.
Latas com Superior li.'iuha a 2CO r~.
Frascos com soperior agua da Colonia a PO e
40o rt.
Frascos com fui i r ir: leo do balicza a 210, 30 e
100 rs.
Garrafas da verdadeira agua Florida a I52S0.
Iflgit ique
f baratissimo!
baratissimo!!
baratissimo!!!
.Fazem scienle ao respeitavel publico, e com especialidade aos senhores de en-
genhos.lavrdorese mais pessoas do centro, que para mais facilitar suas compras deli- ^iS^^KSKSyeSi;
beraram os proprietarios dos tres grandes armazens, reunir todos os seus estabelec-: mares [rm0> raa da Imperatriz n. 72, aonde
mentos em um s annuncio, pelo qual o prego de um ser de todos, promette-' os freguezes encontram um rico sortimento de fa-
inos, que nao infringiremos a tabella que abaixo vai publicado, annunciar os generas "^^.^J^S^^^^^K,^
por um preco, e na occasio da compra quererem por outro, como socede constante-
mente em outras muitas casas, porm nos nossos estabelecimentos nao se dar isto
ainda mesmo com prejuizo nosso, qualquer pessoa poder mandar seus fmulos que
serao tam' em servidos como viessem pessoalmente fazendo-nos o favor de mandar seus
pedidos em cartas feixadas; para evitar qualquer engaos, remetiendo nos urna conta
pela qual se ver os precos tal qual anauriciarmos, o que seolo arrepender passo
alguma que fizer saa despenca em nossos estabelecimentos; pois poupar mais de
li-
5 por cento na sua despeza diaria.
Manteiga ingleza flor a 1(5500 rs. a
bra.
dem franceza muito nova a 900 a libra, e
8C0 em barris.
Banba de poico refinada a 720 a libra e 700
em barris.
Queijos frescos do ultimo vapor a 25800.
Cb uxim de superior qualidade a 2C00.
dem penda miudinbo a 2^700
dem iiysson especial qualidade de 25400 a
2,5600 a libra,
dem preto muito especial a 2>000 e 2.3iOO
a libra,
dem do Rio cm latas de 4#000 e a 800 a
libra.
Latas com biscouto de todas as qualidades
a i#00.
Idein da creditada fabrica de Biato Antonio
(Lisboa) proprias para da; a doentes a
2-> u :!.) a lata.
Bolaxinba ingleza muito nova a 3#00 a bar-
rica c a 240 rs. a libra.
Latas com bolaxinha de soda e oval a 2#.
Presunto inglez para fiambre ebegado no
ultimo vapor a 8U0 rs. a libra.
Cbouricos e paios muito novos a G40 rs.
a libra.
Caixas com macarro talharim muito novo a
HOCO e 320 a libra.
Aletria branca e amarella a 500 a libra.
Chocolate portuguez de especial qualidade a
800 a libra,
dem suisso de 800 a 1)5000 a libra,
dem hespanbol verdadeiro a 1O0O a libra
que j vendemos a I #400.
Doce da casca de goiaba em caixoes de G li-
bras seguro a 15800,
dem em caixoes pequeos a 700
50 para cima a t?40.
dem com 4 a 5 ditas a 35200.
dem vasios de todos os tamanhos a 25000,
15500,800 e 640 rs
Vinagre, puro de Lisboa a 280 a garrafa e
25000 a caada,
dem mais baixo a 200 rs. a garrafa e 15400
a caada.
Azeite doce de Lisboa muito fino a 600 rs.
a garrafa e 45600 a caada,
Toucinho de Lisboa novo e muito alto a 320
a libra, e em barril de 5 arrobas a 95400
arroba.
Cerveja Bass do fabricante Sblers & Bell a
65500 a duzia e 640 a garrafa,
dem Bass do fabricante T. F. Asbe a 65000
a duzia e 560 a garrafa,
dem marca H Vicloria Alsope e outras
muitas marcas a 55 a duzia e 500 rs. a
garrafa.
Sabo primeira qualidade a 220 rs. a libra
e 210 em caixa.
dem segunda qualidade a 200 rs. a libra e
180 rs em caixa.
Sabao inglez superior a 180 rs. a libra e
160 rs. em caixa.
Caf do Rio primeira sorte a 280 rs. a libra
e 83 a arroba,
dem segunda dita a 240 rs. a libra e 75200
a arroba.
Arroz do Maranhao 33200 a arroba e 100
rs. a libra,
dem da India a 25600, 25800 e 100 rs. a
libra.
Charutos Normas de Ilavana a 55300 a cai-
xa, de Simas (Jos Furtado).
dem Londrinos a 55, idem.
dem Parasienses a 45500.
rs. c de dem Delicias a 13500.
dem Traviata do Rio a 55300.
preco mais barato do que em outra qualquer pane
para liquidaren), dao-se as amostras ou mandam-
se os caixeiros levar em casa das familias.
Madapolo enfestado a 35500, 45000
e 4550: a peca.
Vende-se peca d madapolao enfestado com 12
Jaras pelo tiarato pre^o de 35300, 45 e 45300,
ditasem ser enfestado com 24 jardas das marcas
mas'acreditadas a 65300, 75 e 85, dita elefante
muito fina a 95 : s Guimaraes & Irmao, ra da
Impentrzn. 72.
Admiravel pechincha,
CliiU larga a 2401 chita larga a 240II chila
larga a240 II! Acaba de chegar a este estabeteci-
mento onito sortimenfo de chita fina percala de
padroei modernos, sendo clara e escura, e sendo
fazenda que val 400 rs. em outra qualquer parte,
e vndese pelo baratissimo prego de 240 o cova-
do, dita ingleza a 220 o covado, organdy dos mais
lindos pdroes que tem vindo ao mercado a 240 o
covado, isto para liquidarem : s Guimaraes & Ir-
mao, ra da Imperatriz n. 72.
Cortes de chita franceza.
Vendm-se cortes de chit franceza com 10 co-
vados a 5300, ditos eom 11 covados a 25700, di-
tos com 12 covados a 25880 : s Gu maraes & Ir-
mo, ruada Imperatriz n. 72.
C les Mara Pa.
Vendemse cortes de laa Mara Pa com 13
covados a 55 e 55300, ditos com lindas barras a
105 : s Guimaraes & Irmo, ra da Imperatriz
numero 72.
Fazendas pretas.
de seda
As pechinchas que estao venda na lb|a ama-
lea do PavSo, na ra da Imperatriz n. O de Ga-
ma & Silva, ondf se vendem todas a? fazenda-
tanto de laxo como de primeira' necsfiade per
pregos muito rasoavuis, e com especialidade as se-
guinies.dando-se amostras deixandj icar penlior,
oumanda-se levar em casa das familias pelos Fraseode superiur oi.'o da .-u.-idade
caixeiros da mesma loja. a 640 rs.
Madapolao infestado a 43, 45500 e 55000. Frascos do Mipcriort-s clieiros santal o outros mui-
Vendem-se pecas de madapolao enfeudo com! o* a 1500O
12jardas pelo haratisimo preco de 45, 4*500 e Sa ,ne e> famll.:, a 210 o 200 rt.
35, ditas sem seren entestados de marcas muito. Sabonejes de Mpenor quaUdarfesa GO, 120 e lfJOra.
acreditadas a 75, 85, 95, e 105,ditas, francez, Caiias; com 1^ Ir.scos de elutww rntun tinos a
. mullo encorpado proprios parasaias a480 rlsa! |5'00.
I vara, isto na loja do Pavao ra da Imperatriz n. Canas dito com 6 frascos melhor fazenda a 000 rs.
60 de Gama & Silva Ipaos e PniiU,a 'fotta grandes a SOC rs.
Vestidos Uraacos. \^SoS de bol,a P^w?e 8raudesa 24 e
Vendem-se os mais ricos cortes de vestidas de Frascos com superior.opiata a 800 rs.
cambraia branca primorosamente bordados, pelo Frascos cora superior acna para denlas a 15000.
baralo preco de 125. 16* e 20J na loja do Pavao,;
ra da Imperatriz n.60 de Gama & Silva.
Grande pechincha, vestidos a
39&OO.
Acaba de chegar um bonito sortimento dos mais
lindos vestidos transparentes, muito proprios para
passelos e bailes, por serem de primorosos dse- j
nhos, sendo todos os padrees tecidos e nao pinta-
flftffl*
dos, e vendem-se pelo baratissimo prejo de 35300,
sendo fazenda que val muito mais dinheiro: isio na
loja do Pavao, ra da Imperatriz 0. 00, de Gama &
Silva.
Grosdenaples Vende-se superior grosdenaples cr-de caf.pro-
prio para vestido, sendo muito encorpado, a 15G00
o covado : na loja do Pavao, ra da Imperatriz u.
60, de Gama & Silva.
Grande sortimento de roupa feita.
Vende-se na loja do Pavao um grande sortimen-
to de roupas fetas, constando de palitos de [ anno
I preto, sobrecasacos, diics saceos, ditos de caserni-
ra, saceos e sobrecasacos, ditos de brim branco c
de cores, ditos de casineta, calcas de casemira pre-
ta de todas as qualidades, ditas de cor, ditas de
brim de linho branco e de todas as cores, coletes
de brim, casemiras, setim. gorgurao, etc., etc., to-
das estas obras vendem-se por preco mais barato
do que em outra qualquer parte : na loja do Pa-
vao, ra da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Soutembarques de cor
Vendem-se os mais modernos soutembarques de
cor, ricamente enfeitados, e por barato preco : na
loja do Pavao, ra da Imperatriz n. 60, de Gama A
Silva.
Capas pretas e soutembarques,
Vendem-se as mais modernas capas pretas lisas
e bordadas, os mais bonitos soutembarques pretos e
manteletes, tudo de seda preta e o que ha de mais
gosto no mercado, por precos muito em conta :
, na loja do Pavao, roa da Imperatriz n. 60, de Ga-
Vende-se grosdenaple preto de seda pnra a ? ..
15G00, 25 e 25300 o covado, moreantique preto a n ., j,'U*^
35, setim da China, fazenda nova e toda de laa, Grande liqUldaQaO a dmeirO.
c3 tfZ ""= a n O.T3
S B28 3 gEB-ff3
832^19=3 =
i Si 3
o 2, o. g o
a. '.n
b> n
H
Is-sg.
1 i I
*4
!8
^ re
s. s.- V
s
8 Z,
5o*
Sai
SI I
=' = >
co
ra
5-3
-1 S 2.
~2 R
So 8 *
|sg|
?S2?
I
dem secco em bocelas ricamente enfeitadas, dem varetas de Manoel Peixoto da Silva
KUA IMPERIAL
numero 193
VENDE SE
raf^ imperial, igual ao rap Lisboa, e outro fabri-
cado de novo igual ao de ara preta, em porcoes
300 rs. a libra.
Grande pechincha para os fumadores : quem
quizer fumar bom e barato venba c.
Charutos da Baha de superior qualidade, flor
da Muritiba e de diferentes marcas, tanto avulsos
como encaiioUdo, por precos mui commodos.
VENDE-SE TAMBEM
grande pechincha para os senhores charnteiros,
tumo da Bahia patente de primeira, segunda e ter-
eeira qualidade, por precos mu razoveis.
Instruccfes para o servido
das guardas do exercito, extrahidas do re-
gulamento de infantaria e accommodadas ao
exercito brasileiro; obra que mnito convm
aquellas pessoas que se alistam nos corpos
de voluntarios; vende-se na livraria n. 6 e
8 da prac^t da Independencia, a 10.
"" pThT sto AX'aSio"E
SAO JOAO
Vendem &e sones muito bem feitas e de
papel muito bom 5 o cento : na ra das
Cruzes nt4J, taberna da porta larga.
Trastes com u$.
Vende-se 1 so/, 3 consolos, i mesa redonda, 9
cadeiras de amarello, 6 cadeiras americanas,
bea marqueza de Jacaranda, 2 carteiras
geni e l oarteira grande propria para
quem pretender dirija-se a ra
n. 140 defronte da estaco.________.
Vende-se vinho t tj a 500 rs. a garrafa;
na roa Augusta n. 76.
1
de via-
taberna :
das Cinco Pontas
contendo pera, pesego, ameixa, rainlia.
e outras frutas a 3#0OO cada urna.
dem em calda em latas feixadas hermtica-
mente muo bem enlejiadas, contendo,
pera, pesogo, ameixas e outras fruas a
640 e 700 a lata, tambem temos latas
grandes a 1200.
Marmelada dos melhores fabricantes, em Ia>
tasde2iO0Oal52OO.
dem em latas de 1 1|2 libra a Ifi.
dem em latas de 1 libra a O rs.
Ervilhas em latas cliegadas neste ultimo va-
por a 700 e de 5o para cima a 640 rs.
Feijao verde ou Garrapato em latas j pre-
parado a 640 rs.
Ameixas em frascos de vidro a luOO.
dem em caixinbas ricamente enfeitadas de
10200 a 2300.
Conservas Mexide muito novas a 700 rs. o
frasco.
dem de ceblas simples a 700 rs.
Molho inglez a G40 rs. o frasco com rolha
de vidro.
Mostarda em p a 700 rs. o frasco.
dem j preparada a 320 rs.
Latas com massa de tomate de 1 libra a
600 rs.
dem em latas de 1 lj2 libra a 900 rs.
Vu los em garrafas vindos do Porto, Madei-
ra Secca, Duque do Porto, Duque Semi-
no, Casca val las, Mara Pia, D. Luiz, Pe-
dro V, Vellio Secco, Lagrimas Doces, La-
grimas do Douro, e outras muitas marcas
a li5 a garrafa e 9$ a 120 a duzia.
dem Palmella a 10 a garrafa e 11 000 a
duzia.
dem era pipa de todas as marcas Porto,
Figueira e Lisboa a 400 e 500 rs. a gar-
rafa e 20800 a 30500 a caada.
dem em ancoretas e 8 a 9 caadas com su-
perior vinlio Lisboa e Figueira a 240 a
ancoreta.
dem branco expecial qualidade proprio para
missa a 56o rs. a garrafa e 40 a caada.
dem mais baixo a 400 rs a garrafa e 30500
a caada.
dem do Porto especial quilidade a 800 rs.
a garrafa e 50500 a caada.
Id m Bordeaux em caixas a 70 e 700 rs. a
garrafa.
Champanha a melhor do mercado vinda de
nossa encommenda a 300 o gigo.
dem mais baixa de 180 a 200 e 10500 e
30 a garrafa.
Licores portuguezes e francezes a 10000 e
10500 a garrafa.
Marrasquino de Zara, verdadeiro a 10500 a
garrafa;
dem mais abaixo a 800 rs. a garrafa.
Genebra de laranja ver,'adeira a 110 a du-
zia e 10 o frasco..
dem de Hollanda verdadeira a 60 a fras-
queira e 640 o frasco.
dem de Hamburgo a 50500 a frasqueira.
dem em botigas de Hollanda a 400 e 440
rs. o frasco.
Garrafes com genebra de Hollanda com 24
garrafas a 80, com garrafao.
dem com 14 a 15 garrafas a 60.
r- Netto a 30500 e 10^00 a meia caixa.
com um trangado muito uno, proprio para luto,
tendo 6 palmos de largura a 2^200 o covado, e ou-
tras muitas fazendas como sejam, princeza e meri-
no, que vende-se por preco baratissimo : isto so
Guimaraes & Irmo, ra da Imperatriz n. 72.
Soutambarque de cores.
Vende-se soutambarque de cores ricamente en-
feilado a 55 e 65, chale de merino estampado a
25 : s Guimaraes & Irmao, ra da Imperatriz
numero 72.
Brelanha de rolo com 10 varas a 35 a peca : so
Guimaraes & Irmao, ra da Imperatriz n. 72.
Loja das seis portas em frente
do Livramento
Existe grande sortimento de diversas fazendas
proprias da poca e por precos to baixos que ad-
mira, como sejam : pecas de bretanha de rolo a
2S'i00, chitas francezas escuras, padroes modernos
e bonitos, cores flxas a 240, 260 e 280 o covado,
cassas de cores, gostos modernos e cores flxas a
220 o covado, madapoloes e algodfiozinhos de di-
versas marcas e qualidades, a precos tnoitissimos
dem suspiros do mesmo fabricante a lGObarato,emuitosoutros artigos por precos muito
* ... ^. iymiIk Al/k4ii>n' Hn ftrti\ irrt muro nflrfn
a meia caixa e 50200 a caixa.
dem raececipes a 10700 a meia caixa e
30000 a caixa do mesmo fabricante,
dem orientaos do mesmo a 10800 a meia
caixa e 30400 a caixa.
dem joveas de Castauho & Fillio a 20400
a caixa. ,
dem suspiros do mesmo a 10600 a meia
caixa, e outras muitas mareas de fabrican-1
tes.
Passas muito novas a 10500 o quarto e 50;
a caixa de urna arroba hespanbola e 320;
a libra.
Vermule bebida para abrir a disposirao de
comer 10500 a garrafa e 140000 a
caixa.
Alpista muito novo a 30800 arroba e 140
a libra.
Painco a 40000 arroba e 140 a libra.
mais medico< Bo qoc cm ontra parte.
mmm
A 1 1900 e i#500.
Leques de osso, ultimo gosto, a 15-
Ceroulas de meia a 15200.
Diitas muito finas a 15300.
S na ra da Cadeia do Hecife n. 5.
Francisco Jos Germano
RA SOTA X. I,
acaba de receber um lindo e magnifico sortimento j & silva.
Pm eWalas'j reparadoVi^OO a lata il^llT^vSlZal09' d aUlm ""*'
Na loja e armazem do Pa\ao.
Ra da Iniperatrtz n. BO de Ga-
ma t& Silva.
Os donas deste estabelecimento tem resolvido li-
quidar suas fazendas por precos baratissimos, s
com o im de apurar dinheiro, e prevmem as pes-
soas que negociam em pequea escala com fazen- j
das, que nesta loja e armazem enconlrano um
grande sortimento por precos que muito Ihes bao
de agradar, tanto em peca* como a retalho, a sa-
ber :
Chitas largas a 200 rs.
Vendcm-se chitas francezas, listradas muito lar- i
gas, padroes escuros, pelo barato prego de 00 rs..
o covado, tendo muito bom panno ; ditas escuras
padroes novos, por serem todas escossezas e cor |
iixa a 240 rs. o covado ; ditas miudinhas escuras i
c claras a 240 rs, afflancando-se que esta fazenda |
nao tem o mais pequeo toque de mofo, nem outro |
qualquer defeito. Istos o Pavao, na ra da Im-
peratriz n. 60 de Gama & Silva.
Fazendas Iiraneas baratas vende o 1'aviio.
Pecas de algodoziuho largo, marca T cara 24
jardas a 85, ditas T com 20 jardas a 75, ditas de
outras marcas, como sejam sicupira, carne de vac-
ca, etc., a 4. 55, e 65 ; madapolao finissimo com
24 jardas a 65300 e 75800 ; panno de linho mui-
to inferior proprio para lences e toalhas a 7t0
rs, a vara ; bramante de linho com 10 palmos de
largura a 25500 a vara. Isto s na loja do Pavao,
ra da Imperatriz n. 60 de Gama & Silva.
Esparlilbos, na loja do Pavao.
Veode-se um bonito sortimento de espartilhos
proprios para senhoras, sendo dos mais modernos
e bem feitos que tem vindo ao mercado, lendo de
todos os tamanhos e de diversos precos trazendo to-
das as competentes fitas para apartar. Islo s na
loja do Pavo, ra da Imperatriz o, 60 de Gama
& Silva.
Cambralas brancas.
Vende-se om bonito sortimento de picas de carn-
braia brancas lizas, tendo lapadas e transparente?,
pelo preco de 45, 45500, 55 e (5, havendo muito
superior da Escossia por 105 o 125- Islo s na lo-
ja dn Pavao. na ra da Imperatriz n. 60 de Gama
CONFEITOS
DEPURATIVOS
DoD'SERViDX. dePariz.
Pharmaceatico de 1 classe, ex-
interno ilos hospitaes, premiado
com a medalha de bronze.
e em porgo 10000.
Sardinhas de Nantes a 400 a lata.
Tijollo para limpar facas a 160 rs.
Esparmacete a 600 a libra e em caixa a
580.
Vellas de carnauba a 140000 arroba e 440 45, paletots do alpaca branca a 45500, ditos pretos
apurado gosto da Europa.
Grande sortimento de roupas feitas de to-
das as qualidades,
Calcas de casemira a 65 e 75500, ditas pretas a
65 e 85, calcas d* ganga a 25 1^800 e (MO,
ditas brancas a 25, brim de linho a 35, 35500 e
a libra.
Azeitonas de Lisboa muito novas em anco-
retas grandes a 10800 e a 400 rs. a gar-
rafa.
Balaios do Porto muito grandes proprios
para guardar roupa suja a 20500, 30000
e 40UO.
Batatas em gigos de 34 libras muito novas a
800, e a 40 rs. a libra.
a 35 e 35E00, ditos de alpaca de cordao a 45. e
de listra de seda a 5500, diins sobrecasacos a 55,
paletots de casemira a 55, 55500, 65, 85 e 95,
ditos sobrecasacos pretos a 125, 13 e 165, ditos fi-
nos a 235, de cores a 135, ditos fraques a 145,
paletots de ganga a 35, 25300 e 25, ditos de brim
pardo a 35, jaquetoes de brim pardo a 35, panno
preto fino a 25. 25600, 35500 5, 45500 5 e 65 o
covado, moreantique preto a 25600 o covado, gros-
denaple preto a 15500,15800, 25, 25200 e 25500
o covado; e outras muitas mais fazendas que se
e manda-se levar pelos caixei
Gomma em paneiros a 40000 arroba e 140 %% J casa dos pretendente, 0
1)1 a- e tabelecimento est aberto at as 9 horas da noite,
Farinda do Maranhio muito alva e nova a
240 a libra.
Ssvadinha de Franca para sopa a 200 a li-
bra.
Sevada muito nova a 140 a libra e 40000
arroba.
Caixas com estrelinlia, rodinha e pevide a
400 a libra.
Albos em canastras muito novos e raauncas
grandes a i80 e 200 rs. cada urna.
Canella muito nova a 10000.
Cravo muito novo a >00.
Cominho idem a 320.
Ervadoce idem a 400.
Alfazema flor a 240.
Amendoas a 400 a libra.
Nozes muito novos a 160 a libra.
Papel greve a 40200 a resma.
dem I izo a 40000.
dem de pezo a 30000.
dem de embrulbo marca grande a 10200 e
10300.
dem azul para botica a 20000.
Copos lapidados a 50500 e 500 cada um.
Palitos de denles, macos grandes a 120 e
160 cada um.
Fumo americano de chapa, de saperior
qualidade a 10500 a libra, em porejo ter
abat ment.
ra da Imperatriz n. 56, Mendes Guimaraes.
GAZ GAZ GAZ
Vende-se gaz da melbor qualidade a
0alata: no6 armazensda ruado Im-
perador n.16 e ruado Trapiche Nevn.8.
Tasso Irmaos
Vendem no seu armazem tua do
Amorim n. 35,
Licor fino Curaco em botijas e meias botijas.
Licores finos sonidos em garrafas com rolbas de
vidro e em lindos frascos.
VinhosChere?.
Santerne?.
Chambertin.
Hermitage.
Borgonhe.
Champagne.
Muscatel.
Reino.
Bordeaux.
Cognac.
Od Too.
AzeitePlagniol.
Vende-se urna casa terrea pequea, no pateo
do Paraito ao correr di igreja : a tratar na ra
do Queimado n. 48.
Vinho do Porto superior em caixa do duzia,
tem para vender Antonio Luiz de Oliveira Azeve-
do S C, no sen escriptorio roa da Crnz d. 1.
avariado.
Francez barrica 55000
Portland idem 85500
Era perfeito estado:
Francez barrica 105000
Portland dem 12J000
No armazem de Tasso Irmaos caes do;Apollo.
Gros de quadrinhos a 10600.
Vendem-se os mais modernos gros de quadri-
nhos, proprios para vestidos de senhoras e meni-
nas, sendo estes gros dos mais modernos que tem
vindo ao mercado, vendendo-se pelo barato preco
de 600 rs. o covatlo. Isto .< na luja do Pavao, rita
da Imperatriz n. 60 de Gana A Silva.
Ricos boiiziiouts de Guipure.
Vendem-se os maisrirosbouznouts de Guipure,
sendo os mais modernos que tem vindo ao merca-
do, pelo baratissimo preco de 2o3, cada um, as-
sim como chales de 3 e 4 pontas da mesma fazen-
da, sendo de varios precos. Isto s na loja do Ta-
vao, ruada Imperatriz n. 60 de Gama k Silva.
S o Pavao vende
Chitas largas a 240
Chitas largas a 240
Chitas largas a 2i0.
Acaba de chegar para a loja do Pavao um gran-
de sortimento de chitas largas garibaldinas, por
s rem todas listradas c padroes escuros e de cores
fixas que se vendem pelo baiatissimo preco de 240
o covado, sendo que em ouira qualquer parle cus-
ta a 360 o covado, notando que os freguezes que
comprarem porcao de pegas, terao um pequeo
abatimento: isto na loja do Pavao a ra da Impe-
ratriz n. 60, de Gama & Silva.
Laazinhas a 300 rs.
Lazinhas a 300 rs.
Laazinhas a 300 rs.
Vende-se um bonito sorlimento de laazinhas pro-
prias para vestidos e soutemt arques por serem li-
sas e de quadrinhos pelo barato prego de 300 rs. o
covado, sendo fazenda que sempre se vendeu a
300 rs. o covado, e vende-se a dinheiro a vista pe-
lo baratissimo prego de 300 rs. o covado : na loja
do Pavao ra da Imperatriz n. 60 de Gama &
Silva.
Pelerinas a 10600.
Vendem-se as mais ricas pelerinas ou romeiras
de cambraia bordadas proprias para hombros de
sennora pelo baratissimo prego de 15600 : na ra
da Imperatriz n. CO, loja de Gama & Silva.
Organdy a 240 rs. o covado.
oa loja do Pavo.
Vendem-se as mais bonitas cassas organdys, pa-
droes miudos e grandes, pelo baratissimo prego de
240 rs. o covado (doze viu'.ens), esla pechincha
araba-se logo : na loja do Pavao ra da Impera-
triz o. 60, de Cama & Silva.
Lanzinha transparente,
a 220 rs. : s na loja do Pavo.
Vendem-se as mais modernas laazinhas transpa-
rentes, sendo todas de listra--, quadros e lisas, fa-
zenda esta que sempre se vendeu a 4O0 rs. ;'o Pa-
vao vende para liquidar a onze viotons o covado :
na ioja do Pavo, a ra da Imperatriz n. 60, de Ga-
ma & Silva.
Vendem-se tres moleques, sendo todos de ex-
cellentes figuras e cor preta: a tratar n ra do
Trapiche n. 11.
Desde mnilo tempo o publico
abandonou o uso das preparagoes
intituladas depurativas conhecidas
sob o nome do Arrobes, Xaropes
de Salsaparrilha compostos, etc.
Cuja accao, maior parle das vezes
nulla'e u'algums casos perigosa.
OS COKFEITOS DEPUBATIVOS TEMO ASPECTO
E O COSTO ACBADAVEIS E CONTEN SOB Ull
PEQUEO VOLUUE SUBSTANCIAS MUITO ACTI-
VAS QUE 0 SEO MUDO DE PREPAItACAO TORNA
INALTERATEIS.
O sui'CCMKO une estes con -
feitos olttlverno em Fran-
ca sob o patrocinio das principies
celebridades medicas, os poe cima
de ludo quanlo lem existido alh
boje.
Cura tapida sem o socorro
de nenluini outro remedio iji
torno, das escrophul^s,
herpes, affeccoes syphi-
liticas hypertrophias
dos tessidos celulares,
hydropisias e em geral
todas as molestias produzidas
pela altcracao do sangue ; tal
o resultado que queramos
conseguir e que temos sem
pre obtido.
Urna explicaran accompanha cada
vidro.
Desconfiar-se, das falcificacoesct mi-
tacocs.
Para as eneomendas dirigirle aos
Swes. 80I8SOW bt o1, 18, B> Princc
Eugne, Parit.
Vende-se umescravo idade 55 annos insigne
official de carpina e bon Carino n. 1.
1SSA E XAROPE
E R T H
COM CODEINA
Preconizados por todos os mdicos contra
as Deftuxos, a Grippa e todas as Irritaces
do peito.
AVISO
Falsificacocs reprchensiveis excitadas pelos
successos do Xa tope e da Massa de Berth,
nos obrigSo a recordar que esses productos
lao justamente
nomeados nao se
en treguo senao cm
boectas e em fras-
cos com a assigna-
tUra aqtli indicada. r^rmaan.laurliaUpilaux
15?, ru Saint-Honor, NA PHARMA.CIA 1)0
^. lvre, e cm'todas as pharmacias.
Deposito geral em Pernamnnce rna da
Cruz n.22 em casa de Caros & Barnoza
Attcncdo.
Vendem-se pegas do esleirs para forro de ?aja,
tinta branca preparada a oleo, em latas de 25 li-
bras, para pintar casa, relogios para cima de me-
sa e para peiidurar, arreios para I e 2 c vali;-,
velas de spermacete, tudo de superior qualidade,
vindo dos Estados-Unidos : no armazem da ra do
Trapiche n. 8. *_______________________
Feijlo preto
Na ra da Imperatriz, armazem n. 6. ____
PROPRIO PAR V SEMIORA.
Vende-se um excell-enle cavallomuito no-
vo e manso com tud >s os andares: na co-
cheira do Paulino, urna de Santo Amaro.
!<
Aitenco.
Cassas finas padroes do ultimo gosto a 3iO rs. o
covado.
chitas largas a 200, 220 e 2i0 rs. o covado.
Na ra do Livramento, ioja nuva de tres portas
Id. li.
-v,


Diar'o de VrBimbnco 4lnta letra t de Jaah de ie.

Cti&ti\R4 OSMOUfiRNOS CHALES DE
FILO PRETO.
S menores chales de fil preto cliegados pelo ullimovapor francez, a
! jja das columnas rua do Crespo n. 13, de Antonio Correia de Vasconcel-
os & c.
AURORA BRILHANTE
liM
m
CONSULTORIO
HEDICO-CIRliRGICO
DO
DR. PEDRO DE ATTAHYDE LOBO MOSCOSO,
IIBDICO, PRTEIRO E OPERADOR.
3 Rua da Qloria, casa do Fundao 3
O Dr Lobo Mescoo d consuUas gratuitas aos pobres todos os dias das 7 s
inris da raanha.e das 6 e meias-8 horas da noite, excepcao dos dias santificados
ti ni'i e-tpeciat komeopathica
No mesmo consultorio na sempre o mais appropriado sortimento de cartetras
tiK^ "ivnlsos,assim como tinturas de varias dymnamisaces e pelos precossegutntes
U00s Carteiras de titubes grandes. 12,5000
da 21 tubos grandes. 18,5000
]li id. ;:\>\ las. tif)00
1; H tulo^'.-tnias. 30-5000
. de 60 tubos nades. 350000
.>-)iri-sj ifaJqaercartrifi conforme o pedido que se fizer, e com os remed
* a i- O ,111*
Um mido avulso ou frasco de tintura le meia onca 10000.
Ssnde para cima de 12, custarao >s precos eslabelecdos para as carteiras.
Ha ubos mais pequeos cada u a 500ris.
GBANDES ARM4ZE1NS
MOLHADOS;
\ Largo da Santal
Cruz n. 84, es-ji
|quina da rua do
Sebo.
O
o
o
Largo daSanta^
|Cruz n. 8 i, es-$
- ESPECIAES Sebo. |
rora nnhS^IF doJ multo acreditado armazem e^hado^denoniM^l??
[Z ,^ hT ter mesmo scrtimento de eneros de primeira qualidade.
nS. Slrv,/a a ,odo? Use Para aJUle da co>las aS Portadores,
"ennum armazem vendar' mi Hn>n a m.>ik..,.. ,.____- __.. n.;m.....
fM
4 ti

*M
! I.
.1;iit, da \1
ili^ina Homeopathicodo Dr. Jahr
....... 20,51000
....... 100000
....... 60000
35000
> ..i h ir!)Hti h,
, i, i ni ilu ns 'on Irccimirio .
:li-,(i lo.nistiiia l) 0;. Hdng,.
{\ ,',m:-io l*) >'. >"-> .VI*ra&s .
ft.jfio*tria da .-**n I' i terna.
i j a; li)> leit^Aitabelecimentoso por lemais conbecidos i dispensara portan-
;> ^a i ivaudate'flc-n nouslados as )3ssoas]ae \ lizerem usar de remedios ver-
j,-Vi j > irgico-? e ,kiradores:aatado do rasltior que se pode bsejar.globos de ver-
Id r- iYivk deleila.aolaveis ^lasaa boa '.ornenMClo,tintura dos miis acreditados
s;;n! toaantos earpyDS$a maisj.cacda e accuradapreparaco, portanto amaiorener-
'.1 I Q < fatOS.
Cotia d'i sail' pira escravos.
ae:ebe-seiscravospara tratar de uilquer enfermidade ou fazer-se-lhe qualquer
ooirrfh para o que o imuociantejulga-se ; tunantemente habilitado.
f) -riti'Qiato o me'bor possivel, tanto na >arte alimentar, como na medica, e
fulininio a casa a mais de quatrannos, ha umitas pessoas de cujo conceito se ao
p64t l ividar, que pdem ser consultados por aquelles que desejarem mandar seas
rN*a-se 20000 por dia durante 60 dias e d'ahi emdiante 10300.
^< neracesserio previamente ajustadas, l4,, ; i ti -:: i iii 11'!; > i'ruiaciante.
r
u
uhbrio wnlJfioo e cliiiiiic) de F. P. Lebeuf e C
na Motinartre, 31, em Pars.
Fabrica em Argenten, prs Pars (Franca).
BONIFICA E FABIfil
1) s viaiios,2 na plenles c licores.
10
/,> j >%.Imiti^.V-' dos vinhos de todas as
m\iJhs^Stcetde Med, adose para 230
itr ti. f., UBJrdfci*.'! f., f., -\: l.i-iboa, i f., de Cataln, 2 f.,de Porto,
Xt".. 'tast-atel, Malaga, dose para 23 ou 30 li-
tros, f.
Substancia para fabricar com o alcool e agu^i
os inhos 4fiiiiia e lodos os outros. A dose para
50J litros, 50 f.
AGUARDE.MTES.-Essencia de cognac para dar
as agurdenles ,ruinaras o sabor eo aroma de
cognac. A garrafa para 100 litros, 5 f
KIltSGIIE AUlNTHO.-Essenciade kirsch e
le absintho, para os fazer rom -Icool e ua. A
garrafa para 100 litros, S f.
LICORES.Extracto; para fabricar se todos os
licores condecidos-'eio fogo nem alambique, (in-
seos que se
.iros, 3 f.
-.f. \CIPIC A'.AO-Pos iagletes. p dos vinhos PRPlFljMES iarA fabricar-se os licores finos ou
da H -<_.inha, da branga, etc. A libra para oOO (!0rT)imins a j0se para 30 ,i Ti litros, 1 f. 23.
litros, i f- ^ TODOS os outros productos para o trabalho dos
C )lv"m\QAO. Purpirigine para colorear osivfanos,igaardentes, licores, vinagres, etc., sao
rinho< brancos e vinhos claros. As duas librasifahricidos le eoeommenda.
para 5) Mitro, U f. UTENCILIOS de laboratorio e de chimica.
Aliiuns de uossos agentes tendo falsificado e mita 1i nossas nreparafoes.e engaado nossos
frdg'ie'.esJ1eve-s3 exigir sobre as rolhas e rtulos as inlciaes F. V. L. Paris.
0 molo densar-so dasprepararos icha-se indicado no rolnlo.
\i sncommwndas devem seracompanhadasporuma 'etraiobre Paris ou qnalqner outra cida-
ti> ',-. i'i. o'i ;irai!ilis or mucama wc.'ila. Oirinr-se antSrs. Laboaf & 0. chimicos, roa
O iri'i. \. 11. ->n P.IH*. ir\ i ro fabrica ^n Vr^ntenil, prs Paris.
'.ih ;i it 11 : -in\ > lmp"rador n. 38.
2:300!!
mas,
ra corte de chita larga francez* com !0 covados, padroes escuras ou claros, cores fixisjs-
na
Loja das varas
5Raa do Crespo5
Do se amostras deixando penhor.
Jlusseliisas P.iJrSes mui mimosos e gosto moderno, larga*, por300 rs. o covado, so na
Loja das varas
5 Rua do Crespo 5
DE
Gregorio Paes do Amaral c C.
francezas
J-]
Chitas
escur.is eelaras, padroes modernas e"coras finissimas a 2i0o covado na
Loja das varas
5=>Rua do Cre po&
DE
Gregorio Paes do A mar al k Compacto a.
Chitas de I i olio
tf d: palHa, pai3rO;5 miulinlios, a 250 rs. o covado, so na
Loja da i varas
- b" Rua do Crespo 5
M
Gregorio Paes do Amaral & Gewpsakia.
l Mara Pia
Cortes de'fia
com barras matisadas, do ullimo gosto, s rs
JLoJa Jdfss- varas
5 '-Rtiu do Cnspo
5
PE
Gregorio Paes do Anwral & C.
amostras deixando penbor.
armazem vender' mais tralo e raelhores do que a Aurora Brilhante, ja"
'' metilo porque seu dono s des'eja tirar diminuto lu-
s'dfspezas do estabelecimeoto por isso deixe se a-
pelo grande sortimento que tem, ja' mas
ero qoanlo chage pam Mcnmilar Vs*
ar, o prspnetario lu-aJ^i^imm^t^'^amlibmwmuB^
tantesfreguezes.
a 7So8 'braS dechou''i5as muto aovas,
D[mMf,%S M?*S* emposusinteiras,
Sfj '2 'ua,,dades '
i280 e
petisso para fri
Ditas com ostras, excellenle
> gideira, a 720 rs.
nuil TJ. fvlhas novas^ensopada, a 720 rs.
|>i as cora favas, a GiO rs.
ln!ifman,e"s a ,,S200' l*m e 3*300-
hr-n1" 'n^raelada d0 afamado fabricante
ADreu, a 720 rs.
jDitascom massade tmale, a oOOrs.
' t e?00S e comadre novcB' a **,
^Dl2Sml'laChnha de soda mulo novas, a
!D SJSSS08 iDelezes dt muilasiua-
_ Cliocolale.
baixiohas com ameixas enfekadas proprias
lrinEaJ*.II,"no a WiOO, J#800 e 35200.
; mtiSg;*"^** ao,0> alibrade
MaBca.rrJ5lalhariam ealetriaarsarella, a libra
i a tiji) rs.
Dito dito dita branca, a libra a 400 rs.
uaizas com estraaha, pevide, e outras mas-
sas, a caixa 34300.
Ditas dita em libras a 6i0 rs.
agu, a libra a 360 rs.
Sevadinha para sopa a libra, a 2i0 rs.
fc-rviihas seccas, a libra a 160 rs.
Uitas descascadas, a libra a 200 rs.
napioca muito nova, a libra a 280 rs.
jSS de ^""i'a verdadeira, a libra a
500 rs.
'Arar2Ln Maranhao, em sacco, a arroba a
2,5400 e a libra a 80 rs.
,Dito da India e Java, a arroba a 35200 e a li-
bra a 100 rs.
Toucinho de Lisboa a SfHQ a arroba e a 320
' rs. a libra.
!Di'ode Sanios, a arroba 7*000 e a libra a
260 rs.
.Molhoscom 123 ceblas grandes, a Ig280.
TStnnna franceza, caixa com 2 duzias a
/jJuUU.
Vinho Terde superior.
A caada a 35000 e a garrafa a 400 rs.
tama.
Saccas de 4 arrobas, a verdadeira de se
ewromraar, a arroba a 2500U e a libra
120 rs.
Sabao massa, a libra a 200, 240 e 280 rs.
Fariuha.
Saccasgrandes com farinha de Goianna mui-
to nova, a 3*000.
Caf.
Cafdo Rio muito superior, a arroba a 85,
8*300 e 9*000.
Cha.
Ch.temos nestes gneros o melhor possivel,
hyson, a libra a 2*600.
Dito perola a 3*000.
iio uxira a 2*700.
Dito hyson muilo lino a 2*300.
Dito redondo a 2*500. (ft
Dito preto de primeira qualidade a 2*500. C&K
Dito mais baixo a 2*000 e 1*600. ^
Erta mate. j%^
Excellente cha mediciual, a libra a 240 rs. ragj
Esperraacete. ^^
O masso com 6 veilas de esperraacete a COO, ;
640 e 720 rs. $*
Passas. x
Caixas de 16 e 8 libras de passas novas pro- j
prias para miraos a 4* e 2*500. *fc^
N07.es. rifa
Notes, a libra 160 rs. e arroba a 4*0C0. &$!
Alpisla e painco.
Alpistae paino, a arroba 4*000 e a libra a
160 rs.
Cartas.
Cartas finas para logar, a duzia a 2*500. i
f.-islaulias. <
Castanhas novas vindas neste vapor, arro-
j ba 4*000 e a libra a 200 rs. <
Azeilonas.
Barriscora azeitonas novas a 1.5300
Manleiga.
Manteiga superior, a libra a 1*280.
Frascos com mostarda proparadaom vinagre,' Dita mais abaixo a 1*200.
a 400 rs. Dita menos superior a 1* .
Ditoscora conservas inglezas e francezas, a Dita franceza nova, a libra a 88C
640 e 800 rs. j Dita dita em barris e meios ditos, a libra
Ditos com sal refinado fino, a 640 e a 500 rs.' 850 rs.
Ditoscom a verdadeira genebra de laranja, a I Dita para tempero a 400 rs.
.*S0O0. Qiieijos.
D''os de2 garrafas de Hollanda verdadeira,a Queijos novos viudos neste vapor a 2*800 e
3*000.
Ditos londrinos muito novos, a libra
1*000.
Papel.
640 rs.
Botijas cora dita proprla para negocio, a
' 400 rs.
Garrafoes com 2 galoes com dita, a 6*.
Serveja boa, marca, a 500 rs. a garrafa, e a i .., .',., ,onn
duzia a 65OOO Papel almaco pautado, a resma a 45800.
Dito dito lizo de linho, a resma a 4*500.
Oito de peso lizo e pautado, a resma
Vinho muscate I de Setubal, agarrafa a 1*.
1 Marrasquinhoverdadeiro,frascos a 80C rs. e
g a 1*200.
) Champagne, a duzia 20*000, e a garrafa a
) 2*000.
bAzeite refinado portuguez e francez,a garrafa
5 a 1*000.
1 Caixa de vinho Bordeaux muito superior, a
S 7*. 8*. 95 e 10* a caixa.
3 Ditas com dito branco, a 7* a caixa.
^ Ditas coniditolaurimas do Douro verdadeiro,
h a 20*.
'Ditas com duque do Porto verdadeiro "a
j 18*000.
KDitas com chamisso superior, a 145.
*Dilas com Porto velho e outras muitas mar-
cas, a 12*.
>Vinho do Porto da pipa, a garrafa a 640, 720
f e 800 rs.
.Dito de Lisboa muito bom.acanadaa 35200,
{ 35500 e 45, e a garrafa a 300 e 560 rs.
'Dito da Figuelra, dassegulntes marcas (N.)
(J. A. A.) (J. L. G.) (O. M.) a caada a
> 45300, e a garrafa a 560 e 640 rs., deste
f que ja est engarrafado e lacrado com o
rotulo do arraazem.
IDitosde marcas maisdesconhecidas, cana-
i da a 3*500 e 4*000, e a garrafa a 480 e
520 rs.
kViBhobranco fino, agarrafa a 640rs.
Dito de caj muito superior, a garrafa a
? 800 rs.
2*500.
Dito deembrulho,bom a 15 e 15200.
Vinho Manir.
Garrafas com o verdadeiro vinho Xerez eMa-^
deira a 1*500 e 2*000. .
Temperos.
Folhas delouro, pitnenta do reino, comtnho
e cravo, a libra a 400 rs. _
Velas de carnauba.
Massos cora 6 velas de carnauba refinada a
480 rs.
Anicndoas.
Araendoas com casca, a libra a 320 rs.
Doce.
Caixoes de doce de guiaba, grandes a 1*400"^j
e pequeos a 640 rs. rfj
Tijolos de lirnpar. ^
Tijolos de arear facas a 140 rs.
Graxa.
Duzias de boioes de graxa n. 97 a 25000, e 1
dft latas a 15000, e os boioos a 240 rs. ca-/
da um, e as latas a 100 rs.
Charutos finos.
Charutos finos dos melhores fabricantes da
Baha por diversos precos, caixas e meias,
caixas.
DE
AZEVEDO FLORES
Roa da (]adeia do Kecifc, esquina da Madre de Deas,
Prestem attenco ao discurso do Balao.
A loja do Balo todas as semanas reforma o seu anmincio em consequencia de
constantemente receber novas fazendas e novo sortimento de roupa feila, os seus precos-
sao os mais moderados como j ningnem ignora, as fazendas que nao levanvpreco marca-
do porque ha diversas qualidades e diversos precos, e em loja alguma encontrar o pu-
blico um tao completo sortimento de fazendas e roupas feitas, e nao bavendo a obra qne
o freguez procurar toma-se a medida e em 24 horas estaro salisfeitas as exigencias do
fregmez.
Pede-se attencao.
Chapos de sol com 16 asteas a 12$.
dem idem com 12 asteas a 8$.
dem idem denominados acadmicos, fazenda inleiramenle nova com 12 asteas a
125, por este prego s na loja do Balao se encontra.
Baloes de arcos para senhoras, os melhores que ha a 35.
dem de arcos e de musselina para meninas a 2o, 25500 e 35500.
Vestidos finos a Mara Pia a 145.
dem dos a ais modernos que ha de flores matisadas a 185.
dem com barras, fazenda anda nao vista em Pernambuco a 245.
Pecas de cambraias que sempre se vendeu por 95, o balao v. nde' por 7A
Chitas preclaras que todos vendem por 040 rs., o Balao vende a 560.
dem da m sma qualidade, porm de ouros pa Jrcs a 40 rs.
dem escuras a 300 rs. esto-se acabando.
dem estreitas a 200 rs. s na loja do Balo.
Las de accento escuro com flores matisadas denominada pelas senheras ane i
compraram (la econmica.) H '
Cambraia de cores as mais finas a 800 rs. a vara.
dem de cores com quadros brancos a 5G0 rs. a van.
Madapolao a 85 a peca, que vale 9, tambem ha fino.
dem francez proprio para saia de sentiora a 560 rs. a vara.
Camisas de meia muito finas a 225 a duzia.
Meias cruas para homem de 65 a 85 a duzia.
Camisas de pregas largas a 2550O que todos vendem por 35.
dem inglezas de lioho muito finas a 485 ou 545 a duia.
dem de fianella de cores muito finas.
Calcas de casemira pretas e de cores de 75 a 125.
Paletos de casemira decores e pretos, a 105. 115 c 125.
Colletesde casemira e debrim branco os melhores que ha.
Calcas de brim bra co muito finas a 45500, 55 e 75.
Paletos de alpaca branco a 55.
Mantas modernas para pescogo de homem.
Collarinhos de papel de cores a 800 rs.
dem brancos a 400 rs. a duzia.
Laa preta para luto e de todas as mais cores a 500 r. o covado.
Ceroulas de linho com duas costuras.
dem de algodo a 15600.
Cambraias para forro de vestido a 25600 a pega ou a 360 rs. a vara.
Chales de 'lerin estampado que custaram 85, vende-se por 55 em razo de es-
tarem um p uco desnudados por ter estado a mostra, por estes pregos s na loja do
AS DEPATEN
m
par:
E grande quantidade de gneros tendentes
d estes estabelecimentos, que deixam%de an-
nunciar-se.
a,a9
COUTIWAIIOS BORD1DOS
N. 11--Raa d(HiueiiTiado--N. 11
A este eslabelecimento chegeu ltimamente da Europa um grande ,. variado sorti-
mento de coronados bordados o que ha de mais gosto emdesenhos e bordados.
Lindos bonets de palha de Italia para senhoras.
Chapeos e chapelinas de palha de Iulia ricamente enfeitados.
Chapeos finos de seda para cabeca de horaens e chapeos de sj de seda inglezes ^de
8,12 e 16 astes.
Bournus e chales de renda pretos superiores.
Pelisses e souterabarqu.es de seda preta para senioras.
Cortes de laa de barras de 14* a 22* de muito gosto.
BalSes de arcos e de musseliua finos, manguitos e camisinhas.
Saias bordadas muito superiores.
Moireantique preto, grosdenaple preto e de cores, panno preto fino de diversas qua-
lidades e casemiras pretas e de cores.
Lavas de pellica para nonum e spnhoras.
E muilas outras fazendas que ludo se vende Larato na loja de Augusto Frederico
dos Santos Porto, aonde tambera se vendem as melhores e mais b.ratas
Esteiras da India para forrar salas
K. i iAna 4oQaeimado--N.il
de trabafhar nao
descarocar algodo
FABRICADAS
Por Plant Brothers & C.
DLDAI
Estas machina;
podem descarocar
qualquer especit
de algodo sen
estragar o fio,
sendo bastanu
duas pessoas para
o trabalho; pds
descarocar urna
arroba de algo
dao em carocc
em 40 minutos,
ou 18 .irroba;
por dia ou o ar
robas de algodat
limpo.
AGUA
TaSso IrmSos
vendem gesso-era p para estuque de casas, tijolos
finos de feilo diversos para ladrilho, aznleijos de
diversos gostos, tijolos vidrao.s para parode da co-
zinha, canos do barro para esgoto, cemento em
barris de 10 arrobas.
C'aiuggas Onos e brlaquedos
lara.menlaos.
Uiogaram paraa loja de miudezas da rua do
Quemado o. 69, os mais fiaos e liados calungas
tanto para briaquedo de meninos como para cima
de mesa : na mesma loja se encontrar bom sor-
timento de raiudezis. |
0S^?ELL9BSMASYi LLE
Traduzido do francez por A. J. C. da Cmr..
Vende-se este bello romance era quatt
tomos pelo baratissimo prego de 2V50C
aa praga da Independencia, livraria ns.
6 e_8.___________________________
Genebra de Hollanda em fras-
qulra.
Chegou a genebra verdadeira de Hollanda, mar-
ca VD, e vende-se soiente ao armatem de Barros
& Silva.
Assim como machinas para serem movidas por
anmaes, que descansara 18 arrobas de algoda
limpo. por dia; e motores para mover urna, duas,
(eutris dessas machinas.
Os mesmostem para vender um bellssmo va-
por que pode fazer mover seis destas machina;
mencionadas ; para o que convida-se aos Srs.
agricultores a virem ver e exaraina-lo, no arma-
zemde algodo, no largo da ponte nova n.47.
Saanilcrs Brothers & C.
W. II, praca do Corpo Santo
BECIFE.
Os aicos agentes neste paix.
Rival sem segundo
Bna do Qneimado n. 49, loja de miudezas de Jos
& Azevedo Mala e Silva esta disposto a vender mili-
to barato que admira, pois seus freguezes ja esto
scientes que nao ha segundo competidor.
Pecas de cordo para vestidos a 20 rs.
Capachos redondos e compridos a 500 rs.
Talheres para meninos a 240 rs.
Duzias de facas e garfos a 2*100.
Ditas de cabo preto cravado a 3*000.
Baralhos francezes muilo finos a 200 e 210 r
Grozas de botSes de louga a 160 e 200 rs.
Caixas com soldados de chumbo a 120 e 200 rs.
Bunecos de choro pequeos a 160 rs.
Varas de cordo para espartilho a 20 rs.
Duzias de colheres para cha a 800 rs.
Duzias de colheres para sopa a 1*500.
Ditas de metal principe de cha a 2*000.
Ditas para sopa a 45000.
DE
Florida.
para restabelecer e conservar a cor natural dos ca-
bellos.
A agua de Florida nao urna tintura, facto es-
sencia! a contestar, a mesma agua dando a cor
primitiva de cabello. Compostas de plantas exti-
cas e de substancias inoffensiveis, ella tem a pro-
priedade de restituir aos cabellos o principio co-
rante que elles tem perdido.
De urna salubridade inconleslavel, a agoa de
Floriaa entreten] a limpeza da cabeca, destroe as
caspas e empede os cabellos de rahir.
Oleo de Florida
Composto de substancias vegetaes exticas, elle
contribue poderosamente, com a agua de Flo-
rida a torca, a belleza e a conservapo dos cabel-
los.
Em Paris casa de Guilaurn. 112 rua de Rechi-
nen e 21 buulevard Monlmartre.
Todos os frascos nao tendo Intacto e clare, e tin-
clre prateado da casa, reputado falso.
Deposito rua do Imperador pharmacia n. 38.
Bixas hamburgoe/as.
Vende-sena roa Nova n. 61.
&c.
DROGARA.
34Rua larga do Rosario34
Bartliolomeu Francisco deSonza
Vendem:
Acido actico puro para retratistas.
Esmaltes para ourives.
Papel para forrar casas.
Guarnicoes avelludadas.
Tinta brancasuperior em lata.
AlvaiadeVeneza, fino.em paes.
1JL
Urna familia cpf se retira vende urna mobilia
de amarello j usada, trem de cosinha, louca de
almoco e jaatar azul, urna mesa de jantar de ama-
rello ps torniados, mesas pequeas, commodas,
cama de casal e muitos outros oijectos o que tudo
se vender* em conta : na rua dos Fires n. 62.
- Vende-se nma negr nha'de 10 annos," muito
esperta e sadia : no pateo da matru de Santo An-
tonio n. 8.
No armazem de azen das ba-
ratas de Santos Coelho,rua
do Queimadon. 19, ven-
de-se o seguinte:
Lenfcs de panno de linho a 2*400.
Ditos de bramante de linho de um s panno a
,3*500. v
Cobertas de chita da India a 2*500.
Lencos de cambraia brancos propnos para algi-
beira, pelo barato preco de 2&000 a duzia.
Pecas de breanha de roo com 10 varas a 3*800.
Ditas de cambraia para forro de vestido, com 8
varas, pelo baratissimo preco de 5*600.
Guardanapos adamascados pelo baratissimo preco
do 3*500 a duzia.
Algodo entestado com 7 D2 palmos de Iargnraa
I*00avara.
Cortes de a de lindos costos com 15 covados a
6*ooo.;
Pegas de cambraia adamascada com 20 varas, pro-
pria para cortinado, pelo barato preco de II*-
Fil liso fino a 800 rs. a vara.
Dito com salpicos a 1* a vara.
Tarlatana branca fina a 800 rs. a vara.
Atoalhado de algodo adamascado a 2*200 a vara.
Dito de lioho a 3*200 a vara.
Laznhas lisas de todas as cores, pelo baratissimo
prego de 500 rs. o covado.
Pegas de cambraia de salpicos brancos e de cores
com 8 1|2 varas, pelo baratissimo prego de
4*500.
BalSes de 20 arcos a 2*500, de 25 a 3*, de 30
3S500, de 35 4*. de 40 4*500.
Toalhas felpudas a 13* a duzia.
Esteiras da India de 4, 5 e 6 palmos por menos
prego do que em ontra qualquer parte.
Npste armazem se encontrar um grande sort-
mcnio de ronp.i feita e por medida.
Admira vel peebineki!
Mficambiqne a-3{Mrrs. o covado, na toja
do pavo.
Vendem-se os mais bonitos mogambiqoes de pu-
ra la proprias para veslMos e sonlembarqne.'1,
sendo de quadrinhos de listras e lisos, fazenda ib-
teiramente nova, em padrees e muito proprias pa-
ra as senhoras que freqnentam o mez Mariano,
porqne esta fazenda llies facilita fazerem por pon-
co dinheiro vestidos muito decentes para qualquer
acto, advertindo-se que este baraiissimo preto
devido a grande compra qne se fez desta or fc-
zenda, qoe s vende a freze tustSes o covao : B
loja do pavo, rua da Imperatriz n. 60, de Gasa &
Silva.
4L
_*"-''-
ULEGTVEL]


JL
7^
Mario de Pcrabneo Qninia lelra 1 de Jnnbn de 19i.
I
0
DO
LIGA.
ESTABELECIDO A RA NOVA N. 60
W1W & IHDHM 2)3 SIS IDT'JilT-li
AO
KESPEI X.1VEL PUBLICO.
A apreciado dos habitantes desta heroica provincia existe no grande arma-
zem da Uga estabelecido ra Nova n. 60 um magnico sortimento de molhados,
que sendo em sua raaxira i parte mandados vir directamente da estrangt iro podem ser
vendidos por presos asss razoaveis.
Sem a fatuidade de qoerer que este novo e interessante estabelecimento seja o
primeiro e nico em seu genero, pde-se porm flanear, com toda a seguranca de que
neohum outro o exceder no restricto cumprimento das sguintes promessas:
1/ Delicadeza no trato.
2.; Fidelidade no peso.
3/ Sinceridade nos presos.
As pessoas que por sua posicao social gozam de eerto tratamento, acharo nesta
casa os melhores queijos londrinos, cerveja, vinhos nissimos manteiga e cha sempre de
nrimeira qualidade. etc., etc. ___.
Qualquer que seja a condicao do freguez, elle deve contar que sera sempre mui-
6 \quelles que s3o pouco favorecidos da sorte farao mensalmente urna economa de
muitas patacas, afreguezando-se nesta casa, onde se lhes vender o arroz, o cafe, a man-
teiga o assucir, etc., etc. de boa qualidade pelo preco que em algumas partes nao po-
dem ou nao querem vender. .... na
Os senhores de fra da cidade, dos arrebaldes ou centro, que compram para ne-
gociar, devem vir, pelo seu proprio interesse, a este estabelecimento para se convence-
rem do quanto se pode vender barato. .____, ena
Para os senhor s que compram para tornar a vender existe um sortimento < spe-
cial, escollado por pessoa entendida que certamente muito de?e agradar aos senhores
CmpraN5oese tem poupadb sacrificios, nem se deixar de fazer a diligencia para agra-
dar a todos. ,._, ._.,.-_,-TTV-n
PELOS SGUINTES PRECOS SO SE VENDE
A DINHEIRO A VISTA:
ALPISTE E PAINCO a 120 rs, a lib a.
AMENDJAS novas" a 28o rs. a libra.
AVELES a 240 rs. a libra.
ARKOZ de 90 rs, a libra a,..
AMEIXAS francezas em latas, potes, fras-i

MANTEIGA ingleza efranceza ais?, 1,5120
10280 e em barril faz-se grande abati-
mento.
MACAKRO a 400 rs. de 8 libras para cima
a 360 rs. a libra.
MASSA DE TOMATE a 600 rs. a lata.
JSifSMb ^ aada a OSTA^.K S? ^
B
BANI1A de porco a 660 rs. a libra, m por- ""J^
tfo faz-se abate.
BOLACIHNIIAS do beato Antonio a
BLACHINIIAS de soda lata grande a 2,000
res.
BISCOITOS ing'ezesem latas de 1,200 rs. a
BO^ACIIINHAS principe Alberto a 2,000 rs.
c
CIIOUWCAS m ito novas a 800 rs. a libra.
CAF de 260 rs. a libra.
CHOCOLATE francez a 800 rs. a libra.
CHAMPAGNE das marcas mais acreditadas
a 25,000 rs. o gigo.
CHARUTOS de todas as quahdades, suissos,
americanis, bahiannos, fluminenses, etc..
de 1,400 a 10,000 o cento.
CHA HYSSON de 2,200 a
COPOS 1 sos ladidados de todos os taa-
nnos a
D
DOCES de todas as qualidades.
B
EUVILHAS seccas e em latas portuquezas e
francezas.
F
FARINHA de araruta verdadeira a 800 rs. a
libra.
FUUNHA do Maranho ou tapioca a
FAKELLO de Lisboa a 4 e 5,000 rs. a sacca.
FAVAS portuguezas em lata a 600 rs.
GOMMA muito nova e alva a 140 rs. a libra.
GR 10 DE BICO a 120 rs. a libra.
GENEMU delaranja a 9 e 10,500rs.
CENEBRA de Hollanda i m botijas, frascos,
garrafas, etc.. etc.
de diversos
precos.
fabricantes e
m PUBLICO
o
meta o menor constran
glmento se entregar
Importe do genero qne
-So agradar.
A1MAZE
ATTENCftO
O prc?o da seguate
Cabella para todos, po-
dendo asslm servir de ba-
se para o ajuste de eontas
eom os portadores.
Cke dogaz.
Pitch rio gaz.
Aleatro do gaz.
Coke tonel ladas rs. !0C(0
Pitch 8OJJ00O
Alca trio caada..... 4GO
O coke reeonhecidamenie o titilo mais econ-
mico, loma-se por isso recommeadavui, Lera co-
mo pelo asseio ijue se nota nascozuhas auude a
alie usado. Pitch e alcatro.alm das- ai plic:
diversas a que se prestara, como para eallafelar
embarcages.alcatroar madeiras.etc.,leen este a
iirepnedadede preservar docupun. formigasy -u.
E' eutregar na fabrica dogaz ou mandado por em
qualquer ponto da cidade, segundo a vociade do
comprador. f
PEIXE em latas a 1,000 rs.
PERAS SECCAS a 500 rs. a libra.
PASSAS muito novas a 320 rs. a libra.
PRESUNTO para fiambre.

QUEMO do reino de 2,000 a
DEM londrino.
DEM suisso a 800 rs. a libra.
DEM prato a 800 rs. a libra.
m
SABO MASSA a 160 rs. a libra e grande
abate em caixa.
SEVADINHA a 200 rs. a libra e 8 libras se
far grande abatimento.
V
VINHO tinto de 300 a.. garrafa.
VINHO tinto em caada de 2,500
VINHO branco em caada de 3,500 a
VINHO verde a 45 rs. a caada.
VINHO Bordeux em caixa a 6.000, 7,000 e
VINHO de Grave a 6,000 rs. a caixa.
VINHO Cherry a 1,000 rs. a garrafa.
VINHO do Porto de todas as marcas e todos
os precos.
VINHO Collares a 800 rs. a garrafa.
VINHO tinto, neste genero ha constantemen-
te 20 a 30 pipas ao torno de diversas
qualidades e diversos precos.
VINAGRE em ancoretas a 15,000 rs.
VINAGRE em pipa a 160, 200 e 240 rs.
VINAGRE branco a 400 rs. a garrafa.
VELLAS de carnauba a 13 e 13,500 rs. a
arroba.
RA DA CADEIA DO RECIFE N. 53
(Logo passando o arco da ConeeieSo)
PARA BEM DE TODOS.
Senhorc S s^nhoras o aceio que presidio aos arranjos deste novo estabelecimento, e mais que tudo a promptidao e intei-
reza com que ser-So trai:i&tavda a urna visita ao mesmo, cortos de que sem duvida rae darlo a protejo e preferencia na com-
pra dos eeneros me precisar e quando nao possam vir poderao mandar seus portadores, anda que estes sejam pouco pratiecs,
pois sera-o t3o bem sen-idos como seviessem pessoalmente, havendo para com estes toda recommendaCo, afim |de que n5o vo em
tra parle.
^X ? nnn?0 Mlmm a io rs' a i Sal/efinado ero frascos ce Vidro com lampa
bra e 0,000 a caixa. ( j do mesmo, a 5oo rs
MaS|Slharr,anSpa : estre!jnha' Pevide e rodi- Cerveja branca das marcas mais acreditadas
nha brancaouamarellaa 64o rs.a librae. que vera ao mercado, a 5oo, 56o e 64o
#yHa na'X.a "^ 8 ,,bI88' a- garrafa- e S'8oo, 6j0oo e 6,5oo a du-
Yinho do Porto muito fino proprio para zia.
engarrafar, em ancoretas de S caadas a Cevadinha de Franca muito nova, a 2oo rs.
35,000 rs. Charutos do affamado fabricante Jos Furta-
Vmlio e pipa : Porto, Figueira e Lisboa a do de Simas, das sguintes qualidades:
32o, 4oo e 5oo rs. a garrafa, e em caada
a 2,5oo, 3,ooo e 3,8oo.
Vinho branco de Lisboa de excellente quali-
dade a 4oa e 5oo rs. a.garrafa e em cana-
da a 3,000 e 3,5oo.
Vinho branco para missa em caixas de 1 du-
zia a 8,000 e 680 rs. a garrafa.
Vinho do Porto das melhores marcas que
vem ao mercado como sejam : Lagrimas
do Douro, Duque do Porto, Rainha de Por-
tugal, Duque genuino, D. Luiz I, Madei-
ra Secca, Malvazia fina a 16,000,15,000,
12,oooe 10,000a caixa com 1 duzia e9oo,
l.ooo e l,5oo rs. a garrafa.
Vinho Cherexde superior qualidade al 6,000
a duziae l,5oo rs. a garrafa.
Sardinhas de Nantes a 4oo rs. os quartos e
64o rs. as meias latas.
Bolachinhasinglezas muito novas a5,oooa
barrica e 320 rs. a libra.
Bolachinhas de soda em latas de diversas
qualidades a l,3oors.
Cartees com bolo francezmuilo propriospa-
ra mimo a 64o rs.
Passas muito novas em caixinhas enfeitadas
para mimo a 3,ooo rs.
Passas de carnada a 8,000 a caixa e 4oo rs.
a libra.
Figos de comadre a 24o rs. alibra.
Amendoas de casca mole a 4oo rs. a libra.
Milo de amendoas a 5oo rs.
Bolachinha d'agua e sal, da fabrica deJoo
de Brito no Beato Antonio, em lata de 6 li-
bras por2,5oors.
Ameixas francezas em Tasco de vidro com
tampa do mesmo, a l5oo.
Ameixas franc zas em csixinbas de diversos
tamajhos. com bonitas estn pas na cai-
xa exterior, a l,4oo, l,6oo, l,8ooe 2,ooo
cada- urna.
Azeite doce refinado hespanhol ou portuguez
a 9oo rs. a garrafa e 10:000 a caixa.
Batatas muito novasa 80 rs. a libra e2,5oo
o gigo com 36 libras.
Conservas inglezas a 75o rs. o frasco e
8,5oo a duzia.
Vassouras de escova para esfregar casa a
'too rs.
Nozes muito novas a 16o rs. alibra.
Molho inglez em garrafa de vidro comrolha
do mesmo, a 16o rs.
Mostarda ingleza dos melhores fabricantes,
a 800 rs. o frasco,
a 80 rs. a libra e 2, loo a ar-; Mostarda franceza em potes j preparada a
4oo rs. o frasco.
Painco e alpista a lio rs. a libra e ,ooo a Lentilhas francezas, excellente legume para
arroba. sopa, a 2oo rs. a libra.
Massadetomatesdesuperiorqualidadea6to Marrasquino de Zara propiamente dito a
rs. a lata de urna libra e56o rs. a reta- 1$ a garrafae II,000 a duzia.
Iho. Palitos de dente a 14o rs. o maco.
Mnteiga ingleza especialn ente escclhida a
I.ooo e 800 rs. a libra e em barril se faz
abatimento.
dem franceza a mais nova do mercado a 96o
rs. a libra e 900 rs. em barril ou meies-f,
Gh hysson de superior qualidade a 2,600
. rs. a libra.
Cha perola o mais superior do mercado a
2,Soo rs. a libra.
dem hysson muito superior em latas de 15
libras muitoproprioparanegocioa 2,ooo
rs. a libra.
dem hysson nacional em latas de 1 e 2 li-
bras a l,6oo rs.
dem pretoo que se pode desejar neste ge-
nero a 2,000 e 2,2oo rs. a libra.
Linguicas muito novasa 800 rs. a libra e em
barril se faz abatimento.
Chouricas e paios a 800 rs. a libra.
Costelletas inglezas a 64o rs. a libra, serve
para temperar panella ou para fiambre.
Queijos do reino chegados neste ultimo va-
pora 2,2oo rs., ditos de navio devella a
2,ooo rs.
dem londrinos muito frescos e de superior
qualidade a 800 rs. a libra.
dem prato a 800 rs. a libra, e inleiro se faz
abatimento.
dem suisso o mais superior que tem vindo
ao mercado a 64o rs. a libra.
Ervilhas e favas portuguezas j preparadas
em latas hermticamente lacradas a 64o.
Feijao verde muito superior a 640 rs. a lata.
Copos lapidados para agua a 5,ooo e 5,5oo
rs. a duzia.
dem idem para vinho a i to rs., e 2,4oo rs.
a duzia.
Chocolate francez 'espanhol e suisso a 9oo,
l;booel,2oors. a libra.
Espermacete superior a 600 e 64o rs. a li-
bra e em caixa se faz abatimento.
Peixe em posta em latas hermticamente la-
cradas e das melhores qualidades de pei-
xe a 800,l.ooo e l,2oo rs.
Vinho Bordeaux das marcas mais acredita-
das que vem ao nosso mercado a 7,000 e
8,000 a caixae6io e Too ris agar-
rafa.
Genebra de Hollanda ,148o rs. a botija d,e
conta certa.
Frasqueirasde genebra de Hollanda a 6,800
e 64o rs. o frasco.
Genebra de laranja verdadeira era frascos
grandes a l,oooell,ooors.a frasqueira.
Caf do Rio de Ia qualidade a 28o rs. ali-
bra e 8,5oo rs. a arroba.
Caf do Cear muito superior a 2 io rs. ali-
bra e 7,5oo rs. a arroba. .
Arroz do Maranho de Ia qualidade a loo
rs. a libra e 2,800 a arroba.
dem da India a loo rs. a libra e2,8oo a
arroba.
dem de Java
roba.
ecuici
43e4o-RUA PO QtElMADO-43 e 4.'
Vondfm-sp roiles de ciumia e*c<'C*>a' i ii:JQ
o crie, cobtria de chila escoce?* ; ?{ e f corles oe la indiana pata mudo o soluta a
48CO ; lodo se v tar restos de faiendas, afsim 11 iro ihii 'fif?
a 200 rs. o cvado, cambraia orcandv Boiif ma a
280 e 260 o covado.________________
Ver.de se u m\ t-nor Go ce aig cao i I la,
a mais bem acreriada fabrica d& Kai.ia, \tr jre-
coeommodo: na loja de ferrtetes de Ti i, .z
Remandes da Cunha, -rSa da Cideia do Ret'rfe
numero 44.
>7.*.^7C WJI
Exposicao Normal de Havana, Imperiaes,
Londrinos, Guanabaras, Parisienses, Sus-
piros Delicias, a 4,ooo, 4,5oo, 5,ooo,
6,ooo e 7,ooo a caixa ou em n eias.
Charutos finos de diversa^ marcas e fabri-
cantes, como sejam: Fl&r do Norte, Ma-
nilhasde Havana, intervallos,Vencedores,
Panatellas e Suspiros, a 2,ooo, 2,5co e
3,ooo a caixa.
ognac inglez das melhores marcas, a 8oo e
l,2oo a garrafa.
Doce da casca de goiaba a 2,ooo a lata com
4 libras.
Farinha de araruta verdadeira a 32o rs. a
libra.
Matte.excellente cha para os navegantes, a
2oo rs.
Sebollas de Franca muito grandese novas
a l,8oo o cento e l,2oo soltas.
Palitos do gaz a 2,2oo a grosa.
Toucinhode Lisboa muito novo a 32o rs. a
libra e 8,5oo a arroba.
Banha d porco refinada a 65o rs. a libra.
Bolachinha Alberto, as melhores que pre-
sentementetem vindo ao mercado, a 2,ooo
a lata.
Farinha do Maranho muito alva e cheirosa
a 2oo rs. a libra.
Frascos com fructas em calda de diversas
qualidades a 2,5oo e l,5oo o frasco.
Caixinhas com fructas em doce secco de di-
versos tamanhos, muito proprias para
mimo, a l,6oo, 2,6oo e 3,5oo cada urna.
Ruibos, excellente peixe portuguez, em
barris pequeos ou a retalho, a vista se
far o preco.
Azeitonas de Rivasem ancoretas grandesde
8 garrafas por 6oo e Soors. a garrafa.
Azeitonas portuguezas a 5oo rs. a garrafa e
l,5oo cada urna ancorela.
Champagne da melhor qualidade que vem
ao mercado, a 2,ooo e 3,5oo a garrafa, e
24, ooo e 26,ooo o gigo.
Gomma de engommar muito alva a 12o rs.
a libra.
Figosemsextinhas a 8o rs,cada urna e 72o
rs. a duzia.
Papel azul para botica a 2,ooo a resma.
Balaios para roupa suja, grandes e peque-
nos, por diversos precos.
Amendoas confeitadas a 64o rs. a libra.
Latas eom fructas em calda: pera, pecego,
damasco, rainha Claudia e cereja, a 8oo
Vinagre de Lisboa a 2oo e 28o rs. a garra-
fa e a 1 ,4oo e 2,ooo rs. a caada.
Azeite doce de Lisboa a 4,8oo rs. a caada
e 640 rs. a garrafa.
Vinagrebrancoj engarrafado a 5oo rs. a
garrafa.
ESGBAYS EUGSS.
Escravo fgido
Fcgio no dia 7do cpfnnie, da cay So ataixo
assignado, o seu cscravo Francisco, rabra,{Male-
ra regular, grosso do rorreo, cabelles rio cr. ;-
citados, denles reeilC, sem baila, res e n;" regulares,kvande vestido cal{a de (emita re-
a, camisa branca, palctot de alpaca cbajo (
baela, prelos; a'em flo"nferid'-s sisiats : elle no braco direito om signal Sanalo, Im.ui
do qual lem uro eoracao feilo cem iicfa o', eAi
cojo centro lem as seis- iciciaes segolnles: I VI
IMN, lem elle 23 annes de Idade, [futo mais tu
menos. Consta ler seguido a cslraia do u-rte.
em busca da casa de seu auligo s(i:!xr o (tcei te.-
coronel Jia
lugar denominado nrral Grande Cu villa de San
t"Anna, provincia do Cear. O aLaixo assignado
recommenda nao s as&oioridarits, cemo aos
pitaes de campo de qnalqoer lugar, a raplnia do
referido escravo, o qnal podet ser epiregce lo
primeiro andar do sobrado n. 81 da ra do ln pa-
rador, cidade do Recife, ou no silio da esirtda d
Jiao de Barros, resideacia do alaixo assijiio :
a pessoa que o irouxer lera a graiifleaelo srlira
__________Joaqun) Manoel de Mira Wanttrc^
mire Maiio, do
em orna das
Fugio a negra da Cosa de
50 annos de idaae, if m um defeiio
maos, levou saia prela e panno da Costa veiho :
nga-se a caplura da mesma escrava, e lev; i :. tu
das Tnncheiras u. 26, que se dli qutm c seu
senhor.
A lien {ao
Na noite do dia 23 para 26 do mez de naio lo-
gio do engenho Jundi da Escada o escrav cri ti-
lo de nome Alexandre, idade de 20 anuo, piuco
mais ou menos, cor prea, denles alvos, tirawta
regular; cujo escravo foi arrcmalario em prtra
publica dojuijo de orphos de Santo Aniao, e a
tentou alislar-se no 1 atalbo de voluntarios ; ai
sim pedese as autoridades policiaes e aos rapi-
les de campo a caplura do mesmo fsftavo, e ;>
sua entrega ne.-la cidade ao Sr. Albino Fetreira
da Cunha, casa da esquina da ra de HoriM [ara
o pateo de S. Pedro, ou no mesmo engenho Jundiu
ao spu senhor Manoel Antonio Das.
Fugio em principios do mez de fevertiro do
corrente anno e consta estar acoutadi. nesta c
o moleque Euzebio, escravo da viuva do Di. f> -
nando Affonsode Mello, de 12 annes de idade [cu-
co mais ou menos, cor preta, secco do corno, olhta
regulares e afumacados, cabera um pouco L/;.ice
e mt-ia chata, beigos finos, denles bm alvos, \.u
seceos e muito ladino : roga-se por tanto a ledas di
autoridades policiaes e capitaesrip campo que oap-
prehendam e levem-o a ra da liaogneira st braco
n. 6 que serao gratilicados, protestando-se $n doa
meios judiclaes contra qualquer pessoa que 0 K Dba
em seu poder.
Superiores cortes de moirs preto com barra, o qne ha de melhor gosto em
(demPdeagaomrgS5o preto adamascado com barra a imperatriz Eugenia.
^S^S W 3., 3*00. H. 6.,
uplKvgu^'o de seda preto, a melhor faienda que ha para vestido.
Sarja preta de seda.
dem preta hespanhola.
dem idem lavrada a 20 o covado.
MaUK!f.S, etr0aseteEde superior qualidade na leja das Otomas
n, rua'doTrpoT.'de Antonio Jrra de Vaseoneeltos 4 C. socares
de Jos Moreira Lopes.
GOMMA NOVA.
. Martas: ssmss arra:
Haehtnas de errotei para
algodao
Chegaram M desaladas macbinas de serrotes pa-
ra descarocar algodao, bavendo oa eoropleto sor-
timento desde 13 at 40 wrote. ttmbem b mo-
et*
Chegaram os superiores
cortes de seda.
Superiores cortes de seda de cor, vlndos pelo
ultimo vapor francei: na toja das colomnag a roa
tos Bastos 0H>eir. JeellosAC.
Agua florida e tnico oriea -
tal de Kemp.
Continuase a vender em porcao e a retalho :
na ra do Queimado, loja d'aguia branca n. 8.
Chromacomo
A aguia branca, na rna do Queimado n. 8, acaba
de receber um novo sortimento de caixinhas com
chromacomo para Ungir cabellos, e bem assim
frascos com hydrocalleirichina, agua para desen-
grasar os ditos, coloncomo para lustrar os ditos,
e onychromanlina para limpar as unhas. Essa
tintura, cujo effeito rpido e efflcar, est bem co-
nhecida e apreciada para todos quantos della tem
usado, eos que de novo a quixerem apreciar, po-
dem, assim como aquelles, dingir-se munidos de
dinheiro ra do Queimado, loja d'aguia branca
numero 8.
Papel efolhas para rosas
Acaba de chegar para a loja d'aguia branca, na
ra do Queimado n. 8, um bello sortimento de pa-
pel de cores para rosas, dito verde para folhas, e
dito tambem verde e mui fino para cobrlr o ra-
me, assim como folhas de panno e avelludadas
para ditas.
Aspas de baleia para venaos
Vendem-se na ra do Queimado, loja d'aguia
branca n. 8. ,
Superiores penas d'ago ingle-
zas e francezas
A agnia branca alm do grande sortimento de
penas d'aco que constantemente tem, caba de
receber mais outro de superior qualidade e dos
afamados fabricantes Perres & C, asslm como as
verdadeiras blco de lanca n. 134 ooutras de pon-
ta dourada, continuando porm a vende-las por
precos commodos.com tanto que ocomprador com-
parece munido de dinheiro: na rna do Queimado
loja da aguia branca n. 8, onde tambem achar-se-
ha a venda pastas para papis.
A aguia branca na ra do
Queimado n 8, recebeu i
Bonitos e graudos aljofares de coros para voltas.
Pulseiras de ditos de iguaes e agradaveis cores.
Voltas pretas maiores e menores todas de codUs
grossas.
Polceiras pretas tambem de eontas.
Outras de differentes qualidades e gostos.
Brincos de aljofares de cores e dourados.
Fivelas d'aco grandes e pequeas com cinto pre-
to e de madreperola.
Ontras grandes de differentes qualidades e re-
dondas com pedras.
Bonitos loques de madreperola redondos e de
outra forma.
Ditos de tndalo Interinos e corredijos.
Capellas brancas para meninas.
ATTENQAO MEUS SENHORES
PARA
NOVA C ALIFO
Fazendas baratissimas loja da roa do Crespo n. 17 de Jos Gomes
Villar.
A nova crise commercial permitte que o povo em geral nao possa comprar fazendas
caras. O proprietario deste estabelecimento, amigo que do povo em geral, attendendo a
essas circumstancias est vendendo faiendas por precos que na realidade admira.
Correi, bom povo, a este estabelecimento, e comprai fazendas, porque alli se vende
por menos do que em outra qualquer parte.
Cassas organdyzes a 280 rs. o covado.
Chitas francezas escoras matizadas a 260 rs o covado.
Ditas escoras muito finas a 240 o covado.
Ditas claras dem a 240 o covado.
Ditas escuras Idem a 260 o covado.
Chitas para coberta muito largas matizadas a 240 o covado.
Madapoloes finos largos a 6,5590, "& e 8,5.
Chales de fil preto muito bons a 10&000 cada um.
Chales de merino estampados a 33300, 63 e 7#.
E outras moitas fazendas, que tudo se vender por pregosque admirara.
^^l^<^S&^r].-
AZEITE DOCE
\zeite doce renadoem pequeas latas a 560 rs. a garrafa : nograude armazem
da Liga.
Saceos de 80, i00 e 120 libras a 4ft 40800 e 50 ; no grande rmate- da Liga.
Acha-se fgido o escravo pardo de neme
Ignacio, idade 3." annos, pouco mais ou menos, al-
tura regular, cabellos aDnelados, olhos pequtnos,
e quando nr Ocam quasi fechados, nariz um | ouco
chato, tem alguns denles poJres e falla de oniros,
corpo regular, falla bem, e muito conhecido ces-
ta cidade e em alguns lugares fra por onde tem
andado ; perianto roga-se as autoridades policiaes
e aos capites de campo, tanto desla provincia co-
mo das limitrophes, que o facam apprehender e
conduzi lo casa de seu senhor o major Antonio
da Silva Gusmao, na ra Augusta, sobrado n. P9,
que generosamente recompensar, e pagar todas
as despezas a quem o conduzir.
Desappareceu na quarta-feira, pelas 8 horas
da noite, do hotel d'Aguia d'Ouro, la estreia do
Bosario n. 23, o moleque por nome Luiz, com os
sigdaes sguintes : alio, secco do corpo, sem bar-
ba, tem urnas marcas por baixo de um olho, cheio
do rosto, bem preto, ps e maos graudes, bonita
figura, falla grossa, levon vestido calca e camisa
branca, sem chapeo na cabeca, cosluma andar de
sucia com outros, pode ter a idade, pouco mata ou
menos 18 para 20 annos : quem o pegar levo ao
estabelecimento cima, que ser recompensado
generosamente. O dito escravo n uito conheci-
do nesta cidade por ter andado com um tsboleiro
na cabera, conduzindn almocos e jactares.
Ausenlou-se no dia 10 do corrente o escravo
Luiz, estatura balxa, levou camisa e calca branca
de algodezinho, tem sido visto as Cinco Pontaa.
ra Imperial e Afogados : quera o pegar levo o
em Santo Amaro, em casa de seu senhor Manoel
Custodio Peixoto >oares, ou na praca do Corpo
Santo, que ser grllfkado.
..
**.
'iicao
IPEGH1NCH4 SEM IGIIA
Madapolao muito flnocora pequeo toque de avaria, por prego qne admira : na loja
das columnas na raa do Crespo n. 13, de Antonio Corroa de Vascencellos & C.
No dia 4 de Janeiro do anno de 1864, fugio do en-
genho Conceieo, comarca de Pc-d'Alhd, o osera
vo Galdino, pertencente ao abaixo assignado, com
os signaes sguintes : idade 26 annos, pardo, claro,
corpo, figura e altura regulares, cabellos meios ca-
rapinhados, olhos pardos, sobranrelhas e palpebras
salientes, tem em cada braco um sino de Saln ?o.
sendo um delles mal fetto, e junto a este urna cruz,
tem na cabega urna cicatriz, de urna polegada, e em
cima de um quarto urna outra cicatriz de tres po-
lepadas, proveniente de ponta de pi e qneda, tena
sobre as costas algnmas marcas ou cicatrizes de re-
Ihadas ou chicote; umjpouco desembarazado quan-
do falla, tem principio de carplna e ca teiro, loca
viola e barbado. Foi soldado do corpo de'ti licia no
Becife, e levou comsigo a baixa do theor segninte:
Seecao urbana, 2 companhia n. 50. Antonio Caeta-
no de Oliveira, h'lho de Agostinho Perreira de Bri-
to, natural de Ingazeira, cor parda, cabellos cara-
pinhos, olhos pardos, offlcio nenhum, estado soltei-
ro, com 30 annos de idade, 60 polegada* de altura,
ao eDga}ar-se. Engajou-se na forma do repula-
menlo, em 17 de fevereiro de 1862, por oClcio de
Exm. Sr. presidente da provincia, datado de 28 de
abril do corrente, e publicado ao rorpo em orden
do dia l* de maio, todo em 1862; teve baixa do
servico por ter dado em seu iugar o paisano Joa
Pedro Ferreira da Boeha. Foi escravo do capitao
Jeo de Dos Barros, morador que foi na comarca
do Brejo da Madre de Dos, e boje morador na
Campia Grande da Parahyba do Norte, que o ven-
den em dias do mei de novembro de 1863 ao abai-
xo assignado, pelo costume de andar fgido e a l-
tale de forro com o nome mudado ; pelo que roga-
jse a attengSodas autoridades civis e militares, nao
I s desta provincia como das domis do imperio, a
apprehensao do dito escravo, que a titulo de forre,
nao tenha sido recrotado ou assentado praca em
alguns dos corpos de Voluntarios da Patria, tam-
; bem pede-se aos capiteade campo e pessoas par-
ticulares a mesina apprehensao, e leva-lo ao sea
seahor no referido engenho Conceigan, on nesta ci-
dade ao capitao Mauricio Francisco de lima ra
1 do Brnm n. 56, que ser gratificado com 200#.
Jos Maria dos Santos Cavalcaati.
K


j
1 W
~ 3-^. _

ILEGVL
_
-- fc-


1 '
'
-rr-

Diarlo de Pernambnco -- Quinta felra i de Janho de 1S&.
I
LITTEMTRA.
ensillar a plebe ignorante, doce e brando para at- qne pode fazer um capachinho s no centro
trahii as turbas e cosduzi-las s oborriraas pasta- desses dsenos, sera meios de subsistencia, sem
gens do seu campo mystico, doutrinando-as pela alimentos, quasi n, apenas fortalecido por nraa
palavras e pelo exemplo, aflm de, firmes e segaras, f robosu, o vendo o mais das vezes seas traba-
trilharera as veredas da virtude. ] Ihos (rastrados pela proca experiencia de nm es-
Sea extremoso amor para com snas ovelbas bem toa vado director de colonia, ou pela mi vontade
se manifesta nesta dogora, nessa affabilidade ; na de am presidente ?
paciencia e ensinuante humildade com que Elle
No lempo da melropole, com difflculdades quasi
0 POUCO DE TDG.
L-se no Basar Volante :
lia das estavam parados conversando tres volun
lao* desses qne tem gorra verde e amarella ;
loa? meninos, de parte, procuravam iuterprelar as i
duas lenas V. P. que na. .resmas gorras se ?"*? Candade para com ioios> se^ara am,gcs oa usuperaveis, os selvagen< eram calhequsados.for-
tuuh i u-r. iiomem, que perlO se sobr, velo em '"""i805 ;- D Se-U ie' e Vigi,ancia/?" qQe.,Ua mavam aumentos, e nao poucos serv.gos pres-
ajud do, pequeos, e assim Ibes disse : ; Ca'a e Da Se, Perca sorPrendlda nas Clladas, Uvam a Portugal, ainda mesmo as saas guerras.
fa.ZdTL.r-.^^^A. i luelhes armamos lobos vorares. E quem recorrer historia tambera ver isto
da rov,nc.a um E' por isso que Elle as cha.ua por seas proprios mesrao entre os amigos aldeameaios dos nossos
nomes, e ellas cohheccm a sua voz, acudindo com visinhos do Paraguay.
, toda a conanca ao seu chamado, cerlissimas de.
que onde estiver o perig se acharo sempre de- i ^ &overno em vez de ler mandado vir col-
fendidas pelo incansavel e vigilante pastor. in0S'de Preftreacia Protestantes, tivesse protegido a
Nao ha montes era valles que embarace pos- ca,he(lao8e dos nossos compatriotas, nem teria
erante do qae esses mesmos protestantes, qae Un- casco desle navio fermoa am escolho no canal for
a gritara e chamara os catbolicos de intolerantes.
mado por Flores e o banco inglez.
A sua posicao determinada pelos offlciaesdo na-
vio Astre, Montevideo, N. 65o O.; I-lores. N. 12*
E.; o qae o colloca a 4 milhas prximamente ao
panhado destos homens orreu ao raais nobre e
inais honroso appello, ao tomarem aquelles capa-
cetes aquellas letras sigiiifieavam.
Voluntarios da Patrta.
Quando. depois de reunidos, embarcarara,
licitando seus commodos e seas lares, as esposas, sam, que elle corra acodadamente em buscadas
lilhas, mais, irmaas e todas as saas caras afleigdes, que porventura se desgarram dos rebanhos, e, pos-
suido da mais intensa alegra, a-i transporte Elle
mesmo em seus hombros e as restitua ao redil.
aquellas letras diziam.
Vamos Partir.
Quando o S. Francisco, rasgando o seio do
ocano, aproou para o Rio, e elles saudavam a pro-
vinci i que deixavain, as letras traduziam seu en-
tusiasmo e dedicago por
Viva Pernambnco I
Ao desembarcaren no arsenal e diante do
moiwrcna, que llios foi dar a boa vieta, todos estes
di.-lieos traduzam o grito do coraco.
Viva Pedro!
Quando, reunidos ao excrcilo da civilsago
o da iiberdade, o clarim da guerra Ihes ordemar que
..vaucein, odisticto sera.
rotor e Patriotismo!
Quando, diaute do bisonlio paraguayo, este
ies perguutar a que vindes ? elles, mostrando as
-iiia;, i he diro.
Vimos Pelejar.
E o que desejais ?
Vinganga, Perversos.
que vos incitou t
I'o so Picardas.
epois seguir-se-ha a victoria, rcslabelecer-
se-ha o imperio da cvilisarao e da liberdade, e os
oenodados guerreiros cantaro.
Victoria, Paiicios!
Uuando, analmente, a patria ingrata os es-
queca o que um dia, mutilados c indigentes, eslun-
dereai aquelle mesmo bonet, as letras sero a sup-
phca angustiada.
Valet ao Pobre.
NO AI1SENAL DK MAH1NHA,
......... Depois de fundidas, as balas, vo para
melle lado, onde sao pMdasL
Que civilisado nao este nosso Brasil I nao
quer mandar aos seus inmigos balas grosseiras;
quer que aquellas que l vo sejam polidasl...
gasto, nem talvez se visse agora nesses embarazos
com que lata.
Qae temos nos auferldo desses seis mil contos
desperdigados em pura perda, a titulo de coloni-
sago ?
Nao seria mellior que elles fossem empregados
no aldsaraento dos indios do Brasil ?
O indgena brasileiro naturalmente guerreiro,
costuuado desde pequeo a lutar com a furia dos
Nao o vimos nos supportar pacientemente as
maiores affrontas e violencias, as mais insuporta-
veis ignominias e martyrios pelo sea zelo, sua de-
dicacao, seu amor para com esses rebanhos que
seu eterno pai I lie tinha dado ?
Nao o vimos mesmo entregar-se por algum tem- elementos, a atravessar esses ros gigantes, avesa-
po a urna alTrontosa morte, quando as iniquidades do caga das feras nao teme o inimigo e arrosta-o
dos falsos pastores deviam momentneamente trium" com o maior sangue fri.
phar, por que era o seu preciosissimo sangue que ', ,
devia parificar as maculas contrahidas por suas1 Nostemc,s e"mP|es nessas ^as chamadas
ovelhas ?
Oh 1 como sao insoluveis to extraordinarias di-
vidas que contrahimos custa de tantos sacrificios-
de tantas afTrontas, de tantos tormentos e de to
ignominiosa morte I ...
Entretanto o nosso bom pastor nada mais exige
do que o amor de saas ovelhas, a obediencia a
seus preceitos e aos legtimos pastores, qae elle I
se dignoa collocar em frente de seus tao amadosi
Tamoyos, nos Tupys, o em outras maitas que ha-
bitamo nosso continente, pelo denodo qae mostra-
rais em Uracumiri, e debaixo do commanijp do.
celebre Arnneboia.
Sem faliaruis nos indios do Paraguay n< lempo
do aldeamento dos padres jesutas.
Se os homens qae esto testa do paiz fossera
mais previdentes, se tivessem dado ouvidos voz
da boa razao e dos raissionarios, qae to desinte-
Pelo exposto veremos como proceden] na Pras-
sia estes homens qae professam, no sea dizer, a
seila da tolerancia e da liberdade, blasonando qne
a nraguem obrigam a segol-los, ama vez que na re- 'NO. do navio-pharol do banco inglez.
ligiao nao deve haver a mnima sombra de coac-' 0 gurap6s qae apparoce fora dagoa serve agora
Um homem por nome Eugelscheir, catholico, poder necessariamente mudar de lugar arrastado
educara sea filho no catholicismo. Depois de sua pelas correntes oa pelo desfteamento do fundo,
morte, o tribunal encarregado de nomear-llie am ;
tutor, consentio que este menino fosse educado no ----------- *- B ------
protestantismo, que era a seita de sna mai. ,
O mesmo tribunal prohibi a viuva R*ier, ca- \ Lm lfM aCaba d.c crear em Londres um D0V0
tholica, educar seus filhos no catholicismo, nao obs- igener0 e esPeculaca0-
tante seu marido, catholico, te-Ios feito bap.isar Achou o meo de reprodazir instantneamente,
pedindo-lhe no leito da morte, que os educasse na por u,n Processo pbotographico dos mais rpidos
e engenhosos, sobre os longos de algibeira, a pbo-
tographia do comprador.
O desenho resiste, segundo dizem, brrela.
E' provavel que este systema seja quanto antes
applicado aos chapeos, s luvas, aos gnarda-ebu-
vas e s sombrinhas.
Em todo o caso, a nova populagao ser muito
prejudicial aos pick-pockets (ladroes de lengos.)
ressadamente Ihes fallavam, noso paiz es.aria po-
rebanhos, mandando que oucaraos a sua voz cora ,..j -__ > ,
. ,,.,.' ,; v voado, e seriamos mais respeitados pelo estran-
docilidade, quando fallarem em seu nome, trans- ] :
mittindo-nos essa doutrina de amor, carldade e sal-
vagilo, que Elle sempre Ihes recomraendou.
Mas... Oh desgraga 1... Quantas ovelhas alta-
nadas pelo seu orgulho, indmitas pela sua sober-
ba, arrasadas pelas suas desenfreadas paixoes
tem desconhecido a voz do seu bom pastor, para .
seguirem a pastores assalariados pelo inferno, s Imo acontece em outros casos se">elhantes.
Desgragadamente, porm, tudo isto loi intil,
porque nao interessava a individualidade alguma.
Se a cathequese desses selvagens influisse sobre
as eleigoes dos nossos deputados e senadores, ha
maito que um s nao estara por cathequisar, co-
KX STOBG -MEDICO'.
Quiuhentos mil res por dse I Decididamente
antes ser homeopatlia, para o que teuho prepensao,
do que administrador de provincia, para o que nao
lenlio geito.
r.incoenta contos no Sonto !.. Vinte no Monto-
negro Trinta e seis no Gomes!.. Oito no Olivei-
ra Bello !.. Estou arranjado !.. Meu nico re-
curso algum casamento rico !..
PIATALEGRKTES E CASCUDOS.
Oiia l, meu tatuzinlio... bem empregadosses-
senta contas que o Juquiuha nos gastou na Euro-
pa
Que maneiras
Precisas de dinheiro, heim ? Chiquinho en con-
cejo que tu me gastes cincoenta contos por anno ;
mas nao te darei nem um viutem emquanto nao
aspares esse bigode... Ora aqu est...
Sobre o evangelho de S. Joiio cap. 10 v. 11.O
bom pastor d a vida por saas ovelhas : o merce-
nario, porm, que no pastor, foge e as abandona
iuando ve o lobo, escreve o Cruzeiro do Brasil o se-
yuinte:
Eu suscitarei, disse Dos pela bocea de Ezechias,
o nico pastor que tenlio escollado para pastorar
meus rebanhos; Elle os conduzira a pastagens
abundantes.
Este bom pastor foi chegado na pessoa de Nosso
Senhcr Jess Chrislo, que se apressou em tomar
osse diguo titulo, como nos refere o evangelho de
hoje.
E a quem mais pedera caber tao importante ti-
tulo, quando observamos a solicitude com que o
desempenba durante a sua divina raissao neste
mundo?
Cllocando-se frente dos rebanhos que seu eter-
no pai Iho deu, elle se faz tudo para todos, sabio
para esclarecer os sabios, simples e popular para
FOLHETIM
0 CONDE DE CHANTELEINE.
Episodio da revolucao.
IV
fContinuacao.J
Este Karval era pois um Brelo, mas um Breto
que traba viajado, visto trras, e sera davta mos
exemplos -, dizia-se que elle visitara Paris, a qual
esses camponezes encaravam como um lugar chi-
men co,e al mesmo, os mais supersticiosos, como
a ante-camara do inferno ; na verdade devia as-
sim ser, pots que o nico d'entre elles que se aven-
turara a ir all, voitou mo e criminoso.
Esta facto, que causou um tao grande escndalo,
tinba-se passado dous annos autes, e Karval del-
xara o paiz proferindo ameagas de vinganga. Pou-
cj caso Gzeram disso.
Mas o que se poda despresar da parte de um la-
drao obscuro, mereca attengo, quando este la-
dro constiluio-se um das agentes vis e terrives
da commisso de salvago publica. Deste modo o
conde, apressando os passos em direegao ao cas-
tello, comegava a suspeitar de sinislros acooteci-
nventos, aos quaes as palavras de Karval tnham
eito allusao. Comtudo, a bondade de sua mulber
devia ser urna salva-guarda para ella ; de certo,
pelo espago de vinte annos, de 1773 a 1793, mada-
ma de Chanteleine consagro u-se inteiramente fe-
lcidade daquelles que se Ihe approximavam. Ella
sabia que tornava sea marido feliz praticando o
bem. Perianto era vista de cootiouo cateceira
dos doentes, acolnendo velhos, mandando ensinar
as eriangas, fundando escolas, e mais tarde, quan-
do Mara ebegou a idade de quinze (ranos, asso-
ciou-a a todas as suas boas obras.
Esta mal e esta filha, unidas em ora mesmo es-
pirito de caridade/e acompanhadas do abbade Fer-
mont, capello do castello, corrlam as aldeas da
costa desde a baha de For'et at o promontorio de
R&z ; ellas consolavam e derraraavam suas delica-
das asmlas sobre essas familias de pescadores tao
frequen temen te perseguidas pelas tempestades.
Que nos diga, que se nos responda, qae tem fei-
to esses chamados directores de indios, os quaes
sao tao largamente recompensados peb estado 1
A maior parte delles s osabem que sao quando
Qual a sorte que vos espera quaudo chamadas a | recebem a paga mensa! de tres e quatro contos
por que elles Ihes impunham urna le mais adapta-
da aos gosos muadanos e deleites carnaes I
Oh desgragadas e nfelizes ovelhas I
prestardes contas dos vossos desvos de vossa re-
belda, depondo tudo contra vossa tenacidade era
seguir as estradas tortuosas da perdigao ?
annuaes por tao afanoso trabalho, sem nunca se
dar um relatorio, sera jamis se haver escripto urna
s palavra sobre assumpto de lamanha iranscen-
Elles teem lisongeados vossos sentidos para vos dencia para a reiigiao e para o estado,
perderern, como elles j esto perdidos Os antigos ministros de Portugal segurado urna
Suas promessas sao tao fallaces, que jamis en- Poltica muito mais racional do que os nossos mi-
contrareis paz e consolago nas vossas almas; nistros, nao se poupavam a trabalhos nem a des-
por que deixastes as pastagens nutritivas do bom ', PtMS Para a civilisago dos selvagens, enviando-
pastor, por pastagens mesquinhas em terrenos arl- nos ura Anchieta, um Nobrcga, um Navarro e um
dos, seraeadas de abrollios e espinhos por esses! Vieira, que rnelhor que os nossos homens sabiam
falsos pastores, que vos abandonam na hora do pc-
rigo quando os lobos vos atacam ? !..
Pastores dos rebanhos deste bom pastor Nosso
Seohor Jess Christo, que nos reraio a todos com o
seu precioso sangue, sao estas as ovelhas, de que I
traa o evangelho, que nao sao deste redil, porem '
que concern a elle attrahi-las I
A vos pertence chama-las ao aprisco.
Cliamai-as incessanteraente, o instai at mesmo
que vos accu vossos grandes preceitos a curaprirdes
aquilatar os servigos que nos podiam prestar esses
indgenas.
E o governo do Brasil em vez de animar as mis-
ses e as cathequeses, o priraeiro a desprestiga-
las, nada fazendo em seu favor.
Ora tirando a forga moral dos missionarios, ora
os abandonando miseria, ora emfim dando ouvi-
dos a enredadores, que s vem nos ministros da
palavra de Deas os oppressores dos selvagens.
Sirva-nos de exemplo esse abandono em que elle
deixoucahir asordons religiosas, que to bons ser-
Vossa ambigao nica deve ser a da salvago das vies nos podera PT' ? ?. *VerD D3> 'pSSe
almas; fazei com que vossos cooperadores vos
secundem vigorosamente, arrancando desses campos
ridos, cheios de espinhos e abrolhos, e que s
produzem mesquinhas pastagens, tantas almas re-
midas com o precioso sangue desse bom pastor que
as amou at dar por ellas a sua vida.
Sim, oh parochos! Continuai ferverosos nains-
truego religiosa que deveis a vossas ovelhas, ex-
plicando-lhes o evangelho e ensinando-ihes o ca-
thecismo, que assim fortilicareis os Traeos na f,
reanimareis os pusilnimes na perseveranga, le-
vantareis aos que cahirem, e restaurada a piedade
que deve haver nas praticas da religio, restabe-
lecida a frequenca dos Sacramentos cora o espiri-
to de sua instituigo, tereis conseguido a reaenera-
go da sociedade to pervertida nestes desgragados
das, imitado a esse bom pastor e merecido urna
coroa de gloria na eternidade.
Refere o Jornal do Commercio que algumas tri-
bus de indios da provincia de Malto-Grosso teem
feito grande estrago nas tropas paraguayas ; e isto
sem que alguera osiconvidassejiara estaemprezade
iiuuia.
Quem bem esludar a historia das missoes do
Brasil, nao poder deixar de inculpar o governo,
pelo pouco ou nenhum caso com que tem olhado
para estas cousas.
E' pessimo o systema at hoje de empregado pe-
los nossos governantes no que diz respeito cathe-
quese dos gentos.
o priraeiro a enche-la de privilegios, mettendose
nas suas eleigoes, e por este modo desligando-as
da autondade de seu superior, e fazendo assim
entrar a desordem no gremio dessas instituigoes
de tanta utilidade para as missoes do Brasil.
religio calholica.
A viuva tendo continuado a mandar seus filbos
i escola catholica, o tribunal os arrancou pela for-
da polica, para leva-Ios a escola protestante.
Do mesmo modo o dito tribunal permiltlo a viu-
va Westram, cujo esposo era catholico e tinha feito
nsta religio educar seus filhos, que os meninos
foteem educados no protestantismo, e isto nao obs-
tante as reclamagoes do cura catholico.
Em represalia o mesmo tribunal annullou o acto
d Thiemann, que em publica forma houvera de-
clarado, que seus filhos deviam ser educados no
oatholicismo, e obrgou-os a frequenlar as escolas
protestantes.
O agente Benningera catholico, e seus filhos fo-
rara educados nesta religio. Depois de sua morte
o tribunal autorisou a viuva a educar os filhos no'
protestantismo.
Prohibi ao mesmo tempo a mulher OITermam,
protestante, de educar no catholicismo seu llho 1-
legitimo, bem como os legtimos.
A' viuva Mebes, catholica apostata, foi concedi-
da autorisago para educar seus filhos no protes-
tantismo, nao obstante ter sido seu marido catho-
lico.
Outro tanto aconteceu a viuva do contra-mestro
Chsmidt, sendo at ameagada pela polica, afim de
que retirasse seus filhos da escola catholica e os
levasse a escola protestaute.
Agazeta Mainzer Journal conta-nos circumstan-
cias, por onde rnelhor podemos coher a tolerancia
destes homens, que tanto fallam da greja.
Em Nercderrad ba 500 catholicos c 1900 pro-
testantes.
Sessenta meninos catholicos sao obrigados pelo
governo a frequentarem as escolas protestantes,
sustentadas pelo estado de Francfort.
At o outono de 1864 e as exigencias do consis-
torio protestante de Francfort, estes 60 meninos
erara, coagidos a assistirem a pratica religiosa pro-
testante, e s depois de muitos e continuos esfor-
cos por espaco de muitos annos que elles foram
dispensados nesta poca.
A' pedido dos pastores protestantes urna menina
orpha de 13 annos foi obrigada a fazer-se protes-
tante contra a sua vontade, e contra a vontade de
sua mar, que ainda existe, e de seo pai que a ti-
nha confiado a seu irmSo para edcala na reli-
gio calholica com seus proprios futios.
Como estes, outros fados se deparam a milhares,
que os homens da Biblia sabem, mas que Ihes con-
vem calar, para rnelhor espalharem os seus livr-
nhos e oblerem das sociedades bblicas mais pin-
gues ordenados para si, suas muttieres e seus fi-
lhos.
Ja foi apresentad eamara o relatorio da repar
tigo de fazenda.
Diz nelle o ex-ministro: que a renda geral no
corrente exercicio subia a 56 mil eontos, quaotia a
que nunca atiingiu afora deposilos t
l'ropoz o actual ministro para ser fixada a des-
Ainda urna razao milita em favor do que dis- peza geral do imperio era 58,87o: 181938 (para
1866 a 1867, sem comprehender as despezas ex-
traordinarias da guerra, que j avultam em.....
sernos.
Nesta empreza a igreja muito lucrara, e o paiz
com ella.
O talento por todos reconhecido no indgena bra-
sileiro, saa constancia, sua coragem a toda a pro-
va, eram ptimos garantes de um incremento fu-
turo para a patria.
no meio delles podiam sahir ptimos sacerdotes,
bons missiooanos, que levando a palavra divina e
a convieg ao peito de seus compatriotas, e fal-
lando-lhes na lingua materna, rnelhor que ninguem
podiam fazer resussitar essa afamada repblica de
Plato, pralicada no Paraguay e vista ainda urna
vez no Brasil.
E' do Sr. Gyrillo de Lemos:
QUINZE ANNOS.
( minha prima A. V. C. A. D. E. no dia do seu
15 anniversario.)
Para haver neste mundo a fermosura
Deu Deus rosa a cor assetinada,
No valle o lyrio ornou com pura alvura,
Deu as aves a voz cadenciada...
E volvendo depois os seus arcanos
mulber concedeu os quinze annos.
Quinze annos da flor o perfume,
Que se exhala do peito em meigo anceio
Quando n'alraa se aleia o doce lurae
Da paixo, que germina no imo seio.
E' cnlo que coraega a mocidade,
Essa aurora do risos e saudade.
Qcinze annos supplica enviada
Deus sos de noile, mullo medo,
Quando v-se na la debuxada
Melga sombra mostrando-se em segredo;
E depois iliuses, que em ledas dangas
O camiuho matisam de esperangas.
E' a idade Miz em que a donzella
Contempla a' tarde o cu branco-azulado,
E scismado debruga-se a' janella
Ouvindo ao longe um canto suspirado
Com suave cadencia, que se embebe
Dentro d'alma, que as notas Ihe recebe...
Feliz, feliz, quem vendo a doce aurora
De um dia formosissmo e risonho,
Ao rever-se no espelho, que a namora
Recordando caricias de almo sonho,
Pode alegre dizer sem desengaos :
Inda tenho, meu Deus, meus quinze aDDOSf
O Siecle conla a seguinte ancdota :
O duque de Northumberland que fallecen ha
pouco, teve mo nos lembra qae desintelfigencia
com o populacho de Londres, este Ihe quebrou as
vidracas do seu magnfico palacio situado a* esqui-
na de Charring-Cross e de Trafagar square.
O palacio linb. no topo dafrontaria desde tempo
immemorial um leo vollado para a City.
O duque nao se queixou, nao Intentou processo,
cantentou-se em mandar virar o leo para o lado
opposto, de modo que em vez de mostrar a sna ea-
bega real aos bairros populares, o leo de Nor-
thumberland nao Ihe mostra senao a cauda.
E' urna vinganga como qualquer outra.
A Gazeta de Portugal publica o seguinte :
A companhla universal do canal de Suez tinha
convidado o coramercio de todas as nagoes para
Ferdlnand de Lesseps, glorioso representante da
iniciativa fraaceza no Egypto.
Do Sr. Testa, consol geral da Saecia, em honra
de Sua Mageslade o sulto.
A S. E. Moozad-Pacba', governador da Alean-
dria, aos sbetenos estrangeiros.
Dos delegados italianos, a' grande empreza.
A esta festa exnlendida presidio a maior cordea-
lidade; os membros da assembla estavam todos
animados de absolota conflanga pelo porvir da
obra grandiosa, qae se se tratava de Inaugurar.
O Shippingnnd Hercantile Gazette diz o segqioKj
sobro o suicidio do contra almirante Fitz-Roy :
O estudo e trabalho a que com moito afllnco se
votava nestes ltimos lempos, havlam produzido no
almirante urna excilago. tal que Ihe aflectava as
faculdades mentaes.
As nolicias dos ltimos acontecimentos dos esta-
dos confederados da America, taes como a tomada
de Richraond, rendicao de Lee e assassioato do
presidente Lincoln, o haviam fortemente sensibil-
sado.
Na manhiTa do ultimo de abril, vendo sua fani.
lia aue Ftzs-Roy se demorava no seu quaxto de ba-
nho mais do que era coslume, bateu-lhe a' porta.
Como nuguem respondesse, a pona foi arrom-
bada.
Fitz-Roy jazia banhado no proprio sangue
pois havia dado varios golpes mortaesna garganta.
Chamou-se o meuico : quando este chegou, o in-
feliz ainda viva e conheceu o doutor.
Foram infructuosos os esforgos empregados pa-
ra o silvarf^ferj
Momentos depois^desle triste acontecimenlo ex-
pirouum dos grandes vultos dos modernos tempos.
17,000:000^000 no correnle exercicio, e a receila | que nomeasse representantes na reunio que se ha
ern 55,192:8875.
No senado o visconde de Jequitinhonha (amiga-
mente Montezumaj apresentou um projecto abolin-
o a pena_de morte (que est hoje na moda), e ou-
tro sobre a emancipago dos escravos em 10 e 15
annos I...
g><
O marquez de Olinda apresentou ao corpo legis-
lativo o seu programma, que consiste, segundo suas
expressdes em debellar a guerra, guerra provoca-
catholicos, as gazetas da C0Dtra ,odos os direilos divlnos bamanos,
protestantes sao as primeiras a propalaren!, no seu | "*^ ? *k ^ expoliacao' roubo e assass-
dizer.a intolerancia de Roma, e nao ha apodos e I "at; debel,'r esta **"? d'^se elle) o grande
- i .-- programma do novo ministerio,
improperios,que nao joguem e calumnias que por
este falso motivo nos nao assaquem.
Para fazer-se urna idea do quanto intolerante a
seita de Lulhero, nao precisa compulsarmos os au-
naos da historia, nem to pouco remontarmos pri-
meira origem do seu apparecimento.
Urna simples vista d'olhos por sobre a actualida.
de, mostra evidentemente, que ninguem mais into.
Nossa ama, chamavam-n'a os camponezes.
Nossa boa dama, diziam as camponezas.
Nossa boa mi, repetiam as cnangas.
Prtanlo conhece-se quanto Kernan devia ser
invejadode lodos, elle a quem Mana cbamava seu
lio, elle que ihe dava o nome de sua sobrinha, elle,
o proprio colago do conde.
Quando esle deixou o castello depois da subleva-
gao de Saint -Floren!, era a primeira \ei que se
ausentava do lar domestico ; a primeira separago
do conde e da cendessa ; ella foi dolorosa, mas
Humberto de Chanteleine, levado pelo sentimento
do dever, marchou, e sua corajosa mulber nao po-
de deixar de approvar a sua partida.
Durante os primeiros mezes da guerra, ambos
os esposos tiveram frequentemente novas um do
outro por emissarios dedicados; porm o conde
nao pode ausenlar-se um nico dia do exercito ca
tbolico para vir abragar os seus: acontecimentos
imperiosos prenderam-n'o sempre no seu posto ;
passados dez mezes, depois dos desastres de Grand-
ville, de Maus, de Chollet, elle nao sabia o que era
elto do castello.
Portanio avalia-se o seu desasocego, quando,
acompanbado do fiel Kernan, voitou para os domi-
nios dos seus antepassados. Adevinha se com que
commogo .elle poz o p na costa de Fouesnanl.
nicamente duas horas separavam-n'e dos bre-
gos de sua mulber e dos beijos de sua filha,
Vamos, Kernan, caminhemos, disse elle.
Caminhemos I respondeu o Breto; e depres-
sa, isso nos aquentar.
Um quarto de bora depois, o amo e o servo aira-
vessavam a aldea de Fouesnant, ainda era profun-
do somno, e costearam o cemilerio, devastado du-
rante a ultima visita dos Azues.
Porquanto os moradores de Fouesnant tinbam da-
do os primeiros soldados contra a revolugo, a pro-
posito dos sacerdotes juramentados que Ihes foram
enviados pelas municipalidades ; a 19 do jniho de
1791, trezentos d'entre elles, conduzidos por seu
juiz de paz, Alain NedeJec, bateram-se na propria
aldea contra os guardas nacionaes de Quiraper.
Foram esmagados ; os vencedores botaram os seus
cavallos a pastar no cemilerio, e acamparan) no
meio da igreja ; no dia seguiste, tres carros de
vencidos entravam em Quimper,e o primeiro mar-
tyr da Bretanha, Alain Nedelec, estreava o aovo
instrumento de morte, que os ad miradores breles
E nos nos julgamos autorisados a Ihe dizer :
Veremos.
Damos este aviso aos navegantes relativo ao es-
colho formado pola nao Bombay em Montevideo, no
ocano atlntico snl.
Em consequencia do incendio da nao Bombay, o
via de verificar na Aiexandria no dia 6 de abril ul-
timo, por occasio da abertura da communicago
entre o mar Vermelho e o Mediterrneo, e do esta-
belecimento arlavs do islhrao e de um servigo de
navegagao.
Muitos paizes estavam representados pelos seus
agentes consulares.
Entre as potencias que toroarara parte naquelle
congresso internacional, citaremos a Franga, a In-
glaterra, a Austria, a Prussia, a Russia, a Hespa-
nha, a Italia, a Grecia, a Hollanda, a Blgica, Por-
tugal, Suecia, as cidades Anseticas, os Estados-
Unidos, a America do Sul, a Persia, as colonias
francezas de Nossi B e de Mayotte, ele.
No da 6 de abril, a companhia dava aos dife-
rentes representantes do mundo commercial e aos
cnsules geraes um magnifico banquete em urna
das salas do consulado francez, sala offerecida pe-
lo Sr. Tastu, cnsul geral da Franga.
O Sr. de Lesseps, presidente da Companhia n*um
discursojpor vezes interrumpido pelos applausos,
descreveu as pha3es diversas por quo tem passado
a grande empreza, cujo bom resultado bojeeerto.
Houve os seguintes brindes:
Do -r. Berteao, delegado de Marselha, ao Sr.
L-se no 1 ni emocional
Misst Fligh acaba de morrer no Temple.
Charles Dickens acaba (em muilas vezs fallado
dessa mulher nos seus romances, e a tem repre-
sentado como rodeada de mysterios impenetraveis;
elle buscou tambera descobrir-lhe o segredo, mas
nunca o conseguio.
Miss Fiigh assistia a todas a audiencias-, inler-
pellava os juizes, beleguins e advogados, tratava-cs
por ladrees, mentirosos e malvados; nunca a nian-
daram callar.
Os magistrados faziam como Scrates, deixavam
passar o erro, os beleguins fleavam de bscca aber-
ta, os advogados se inclinavam, faziam mais, coli-
zavam-se e davam todas as semanas urna boa som-
ma a esta mulher, que nao viva seno das suas li-
beralidades.
Testemnnhava-lhes ella o seu reconheermento,
inlerrompendo-os nas suas defesas, dizendo-lhts
que nao tinham a menor nogo de direto e juris-
prudencia e tralando-os de tolos.
Por que motivo gosava eita mulher de urna li-
berdade to absoluta ?
Ninguem o sabia dizer.
Ha evidentemente urna razo cuidadosamente
occulta, que tem escapado a lodos os que tem bus-
cado conhec-la.
O exercito japonez se compSe de dous elemento
dislinclos: k? de tropa sustentadas petos senho-
res feudaes, chamados daimlos, e destinados a de-
fender seas dominios ; 2.* de tropas sustentadas
pelo taicoun, e constiluindo o exercito- imperial
propnamente dito.
O numero dos daimios qne tem tropas ao seu
servigo eleva-se a 200, estas tropas apresantam um
eflectivo de 370:000 homens de Infamara e 40.000.
de cavallaria,. formara ellas o exercito federal e sao*
postas disposgo do taicoun, quando a indepen-
dencia do paiz est ameagada.
O exercito imperial, ordinariamente mantido pe-
lo taicoun, se elevava cifra nomina de 100:000
homens de infamara e 20:000 homens de cavalla-
ria, mas o seu ellectivo real nao uftrapassava
metade desta cifra.
O taicoun actual acaba de a reorgansar.
D'ora avante elfa comprebender 80:000 homiis
de infantaria, cavallaria, artillara e engenJiaria.
A infantaria ser arregimentada, manobrar co-
mo os soldados europeus, e ser armada fran*
ceza.
Um certo numero de ofllciaes e ofliciaes inferio-
res japonezes foram instruidos pelos franceies em
Yokoama, e vo servir de instructores aos seus
compatriotas.
que de altos abetos ; esta vasta malta, sempre
chamavam t machina de decapitar e acerca da verde; pertencente a propriedade do conde, desco-
quai o procurador geral syndico Ihes diriga por bria-se de longe, do mar.
sua propria letira instrueges cuidadosamente mi- Urna multido de pomos seceos, cinzentos e nao
nuciosas a res pe lo da maneira de servir-se dse- descascados, cobriam a trra no meio de ramos
melhanle machina. Desde enlao, a aldea nao repa- morios de casca nodosa ; nao pareca que desde
rou mais a sua derrota. muito tempo o p humano tivesse calcado aquelle
Ve-se que os Azues passaram por alli, dls- solo; com lado todos os annos, os meninos das
se Kernan ^ruinas e profanages I | aidas circumvsinhas vinham ajunctar esses po-
U coude nao respondeu, e dingio-se atravs des- mos em grande alegra, c as criadas ah faziam
sas lougas planicies que vinham morrer no mar, urna proviso de lenha que o conde Ihes abandona-
ii.ram entao seis horas da manha ; um fri asss va generosamente.
vivo succedera chuva; a.trra eslava dufa.^, Ora, esle anno, os pobres nao trabara, feo sua
arada azla muito escuro nas charnecas desr-1 cblhecta habitual, e esses radios e pomos seceos es-
las e nos vastos campos de tojo rebelde toda a tavam intactos.
cultura ; havia sobre o gelo pogas d'gua, e os es-1 Vs, disse o conde ao Breto, nao vieram I
prahos, coberlos de branco, pareciam petrificados, nem as mulheres I nem os meninos I
A medida que os fugitivos se aflastavam do mar, | Kernan sacodio a cabega sem responder; sen-
algumas arvores seccas viam-se de tempos a lera- ta algnma cousa de inquietante no ar. Seu cora-
pos, e curvadas sob as vilenlas rajadas d'oeste,' cao bata a saltar do peito.
erguiara no horlsonte os seus ramos esbranqui- Alargou o passo.
Logo succederam nas planuras campos de trigo A' medida Qae ambos os companheiros de via-
preto, defendidos por fssos, e separados por fi'ei-,"em avan5iVam 'ebres, coelhos, perdizes, levan-
ras de grossos carvalhos ; era preciso atravessar! tavam-se era grande numero sob seus passos, em
estes campos, e saltar barreras perpendiculares, muito grande numero I
equilibradas por urna grande pedra, todas cheias Evidentemente os cagadores trabara sido raros
de espinho secco. Kernan, na frente do conde,j ^^ anno- ? todava cagava quem quena nas ter
abra caminho por esta barreira, e ao choque do;
lapume que se fecbava, os ramos das arvores dei
xavara cabir um granito branco que erepitava so-
bre o solo.
Emo o conde e seu compaubeiro langaram se
pelos aperlados trilhos pizando por entre regos e
sebes dos campos ; havia instantes era que eram
obrigados a correr.
A's sete horas, comegou a amanbecer -, o castel-
lo estava urna raeia legua. O paiz pareca tran-
quillo e deserto, e at mesmo de tranqulidade rendeiros d'aquelle: n^volta do bosque, ia-se des-
ras do cunde.
Havia, portanto, symptomas de abandono e de
desemparo que nao se poda desconhecer. O rosto
do conde empallidecia apezar do fro intenso dessa
manha de invern.
Finalmente o castello I exclaraoa o Breto,
mostrando a pona de duas torrinhas que sobresa-
nara a um massigo afiastado.
Nessa occasio, o conde e Kernan estavam per-
to da berdade de Bordiere, oceupada por ura dos
suspeita. O conde nao pode deixar de notar este
singular silencio do campo :
Nem um camponez, nem um cavallo diriga
do-se ao prado 1 disse elle com ar inquieto.
E' aioda muito. cedo, responded Kernan,
igualmente impressionado da physionomia do paiz,
mas que nao quera assustar o conde. Levantam-
se Urde em dezembro !
Neste momento, penetraram em am grande bos>
cobri-la; Luiz Hegonec, o caseiro, era um homem
activo, madrugador, asss ruidoso nos seus traba-
lhos ; comtudo nao se ouvia cantar arreiando seus
bois ou seus cavallos, nem gritar no pateo junto
da sna velha mulher.
Nada 1 nada I um silencio de morte reinava em
toda a parte : tomado de terriveis presenlimenios,
o conde foi Toreado a apeiar-se no brago do seu
fiel Breto.
Na volta do bosque, elle olhou vivamente para
o casal.
Um espectculo horrivel fenu sens olhos. >l-
guns langos de muro abalado, com pontas de tra-
ve< denegridas, a extremidade de um frcchal cal-
cinada, restos de chamins empoleirados no alto
da errpena de urna parede, estreitos trilhos de
ferrugem que serpea vam nas mural has, portas
quebradas, e couceiras sahindocomopunhos amea-
gadores do intersticio das pedras, todos os tragos
de um incendio recente appareceram ao mesmo
tempo. A herdade tinha sido incendiada; as ar-
varas- couservava os v4sMgi0s.de trau lula vio-
lenta ; marcas de golpes de machado nas portas,
arranhaduras de balas nos velhos troncos de car-
valho, instrumentos de lavoura quebrados, torci-
dos, carros derribados, rodas sem cairobas, attesta-
vam a violencia da balalha; os cadveres de ani-
maos, vaccas, cavallos abandonados, infectavam a
atraosphera.
O conde senlo que as pernas Ihe cambalea-
vam.
Os Azues I sempre os Azues I repeli Ker-
nan com voz surda.
- Ao castello exclamou o conde dando um
grito terrivel. Esle homem, qne, ha pouco, aperas
se sustenlava, a custo podia asora ser acompanba-
do por Kernan.
Durante esta carreira, nenhum ser humano ap-
pareceu nos caminhos desfundados; o paiz nao
era um deserto, porm tinba sido abandonado.
O conde atravessou a aldea. A maior parte das
casas estavam queimadas; algumas ainda em p,
porm vasas. Para que este paiz estivesse assim
despovoado, era preciso que um sopro de vinganga
tivesse passado por elle. '
Oh I Karval I Karval I murmurou o Breto
entre denles.
Finalmente, o conde e Kernan chegaram dlante
da prta do castello ; o incendio o tinha respel-
tado; porm elle permaneca trisle, silencioso;
nenhuma charain quo langasse ao ar seu penacho
de fumo madrugador.
O conde e Kernan precipitaram-se para a porta
e pararam admirados.
V I v I disse o conde.
Um edita! enorme estava grudado n'uma das
couceiras; elle trazi em frente o olho da lei, fas-
O Observatcre escreve o seguinte :
As nolicias, que todos os das nos ebegara de
Modena e Parma, sao muito tristes.
Todos os das estas duas bellas cidades vo
perdendo alguma cousa da sua grandeza passda,
em certas ras de Modena oresce a herva, pois es-
'o absolutamente desertas. Parma, j privada do
seu collegio militar, esl em risco de perder a sua
universidade, as industrias definham e as familias
abastadas emigram para a capital, a miseria aug-
menta e es tributos treplicaram.
ees de espadas e ramos sobrepujados da caraptja
phrygia. D'um lado achava-se a descripgc. Ja
propriedade, do outro a sua avaliago.
O castello de Chanteleine, confinado pela jepo-
blica, ia ser vendido.
Miseraveis I exclamou Kernan.
Tentou abalar a porta; mas, apezar da sua for-
ga prodigiosa, nao pode consegur-fo. Ella resista
obstinadamente; o conde de Chanteleiso nao po-
dia ao menos descangar um instante na babitacao
des seus antepassados I sua propria poela se he
fechava. Elle eslava entregue ao mais terrivel
desespero I
Minha mulher I minha filha I exclamou o
conde com inexprimivel assento de voa.
Aonde esta minha mulher, minha filha t
mauram-n'as I mataram-n'as I
r Grossas lagrimas deslizaram pelas faces d&
Kernan, que debalde procurava consolar seu
amo.
E' intil, disse elle era flm, obsiioanmvaos
dianie desta porta que nao se abrir.
Aonde esto ellas ? onde esto ellas ? e-xcla-
mavao conde.
Neste momento, urna mulher velha, agachada
no fosso, levantou-se de repente. Ter-lhe-hia soc-
cedido mal, a ser vista com olhos menos aterrados;
sua cabega de idiota movia-se estpidamente.
O conde correu ella.
Aonde est minha mulher ? pergunteu-
Ihe
Depois de longos esforcos, a velha respondeu:
Mora no ataque do castello I
Mora 1 bradou o conde rugindo.
E minha sobrinha 1 perguntoo Kernan sa-
cudindo violentamente a velha.
Nas pri?5es de Quimper I disse a final esta.
Quem fez isso T pergantou Kernan eom v.z
terrivel.
Karval! respondeu a velba.
A Quimper I exclamou o conde. Vm,
Kernan, vm I
E deixarara esta infeliz, que, s, quasi a expi-
rar, representava ludo quanto restava de vivo na
villa de Chanteleine.
( Gontmuar-se-ha )
PEBNAMBCO.-TYP. DE M. F. DE F. & FiLriO
mm
A.


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EV5XCH37J_WVAK8H INGEST_TIME 2013-08-27T21:33:36Z PACKAGE AA00011611_10682
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES