Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:10678


This item is only available as the following downloads:


Full Text
X"
Afjj XU OMERO 121
Por qnartel pago dentro de 10 dias do i. mez ...::.. >|Q00
dem aepois dos 1.0,1 Odias do coniecoe dentro do qoartel. 6|000
Porte ao crrelo por tres mezes '. ".....,...,:. 750
DIARIO DE
SABBADO 27 DE MAlO DE 1865.
Por anno pago dentro de 10 das do 1. mez ,,,.,.. 19(000
Porte ao correio por nm anno............. 3|00Q
ENCARREGADOS DA SBSCRIPgO DO NORTE
Parahyba, o Sr. Antonio Aiexandrino de Lima;
Natal, o Sr. Antonio Marques da Silva; Aracaty,o
Sr. A. de Lemos Braga; Cear, o Sr. J. Jos de
Oliveira; Maranhao, Sr. Joaquim Marques Ro-
drigues ; Para, os Srs, Geraldo Antonio Alves &
Filhos; Amazonas, o Sr. Jeronymo da Costa.
ENCARREGADOS DA SUBSCRIPQAO DO SUL.
Alagoas, o Sr. Claudino Falco Dias; Baha, o
Sr. Jos Mariins Alves; Rio de Janeiro, o Sr. Jos
iib-tiro Gasparinlio.
PARTIDA DOS ESTAFETAS.
Olinda, Cabo, Escada e eslagSes da va frrea at
Agoa Preta, todos os dias.
Iguarass e Goyanna as segundas e sextas feiras.
Santo Anto, Gravat, Bezsrros, Bonito, Caruar,
Altinho, Garanhnns, Buique, S. Bento, Bom
Conseibo,, Aguas Bellas e Tacaratii, as trras
feiras.
Pao J'Alho, Nazareth, Limoeiro, Brejo, Pesqueira,
Ingazeira, Plores, Villa Bella, Cabrob, Boa Vis
ta, Oaricury, Salgueiro e Ei, as guaras
Jeiras.
Segunda vara do civel:
hora da tard%.
Sernhem, Rio Formoso, Tamandar, Una, Bar-
reiros, Agua Preta e Pimenteiras, as quintas
feiras.
EPHEMERIDES DO MEZ DE MAIO.
2 Qnarto cresc. a 1 h., 44 m. e 46 s. da t.
10 Lna cheia as 6 h., 3 m. e 22 s. da t.
18 Quarto roing. as 4 h., 19 m. e 46 s. da m.
24 La nova as 8 h., 29 m. e 48 s. da t.
quartas e sabbades a 1| AUDIENCIAS DOS TRIBUNAES DA CAPITAL.
Tribunal do commercio : segundas e quintas.
Relaeo : tercas e sbados s 10 horas.
Fazenda: quintas s 10 horas.
!Jnlzo do commercio: segundas as 11 horas.
[Dito de orphos : tercas e sextas s 10 horas.
Primeira vara do civel: tergas e sextas ao meio
dia.
Segunda vara do civil: quartas e sabbados al
hora da tarde.
DAS DA SEMANA.
22. Segunda. S. Rila de Cassia viuv.
23. Terca. S. Basilia are.; S. Desidero b. m.
24. Quarta. Ss."Pelagia, Suzana e Afra mm.
2o. Quinta, & Ascensao do Senhor.
26. Sexta. S. Felippe Nery; S. Eleuterio p. m.
27. Sabbado. S. Joo^. m.; S. Ranulfom.
28. Domingo. Ss. Senador, Podio e Justo bb.
PREAMAR DE HOJE.
Primeira as 6 horas e 6 m. da manhaa.
Segunda as 6 horas e 30 minutos da tarde.
PARTIDA DOS VAPORES COSTEIROS.
Para o sul at Alagoas a 14 e 30; para o norte
ata a Granja a 7 e 22 de cada mez; pira Fernan-
do nos dias 14 dos mezes de Janeiro, margo, malo,
julho, setembro e novembro.
ASSIGNA-SE
no Recife, na livraria da praga da Independencia
ns. 6 e 8, dos propietarios Manoel Figneiroa de
Faria & Filho.
PAUTE OFFICIAL
OYERRO DA PW1.FICU
Eipedieile do dia 23 de malo de 1865.
Offlcio ao desembargador provedor da Santa Ca-
sa d.) Misericordia. Recebi o officio Je V. Exc.
n. 184 d> 12 do correte, e em resposta tenho a de-
clarar-lbe que fleam approvados, os orcamentos da
receifa e despeza dos estabelecimentos de caridade
e do patrimonio dos orphos para o futuro anno
econmico da 1865 a 1866, a que allude o citado
officio.
Dito ao coronel commandanle das armas.Quer-
r V. Exc. informar sobre o que pede Joaquim de
U.llanda Cavalcante de Albuquerque, no incluso
requerimento.
Dito ao mesmo. A' viva da sua inforinago n.
905 de 23 do corrente, autoriso V. S. a* mandar dar
baixa ao soldado do segundo carpo de Voluntarios
da Patria. Caetano Jos Rodrigues de Barros, que
foi julgado Incapaz do servigo em taspeccio de"
sade.
Ditp.ao mesmo. Mande V. S. considerar como
cffectivo no segundo crpo de Voluntarles todas
as praras do primeiro que deixaram de seguir pa-
ra a corte, e acham-se addidos quelle corpo.
Dito ao mesmo. Tendo nesta data nomeado
para o segundo corpo de Voluntarios da Patria os
offciaes constantes da portara inclusa por copia ;
assim o communico a V. S. para seu co'nhecmento
e di recelo.
Dito ao mesmo. Haja V. S. de informar acerca
do que pede o soldado do segundo corpo de Volun
commando, o soldado Antonio Ferreira da Silva,
visto ser de mo comeorlamenlo.
Dito ao mesmo.Mande V. S. apresenlar ao Dr.
chefe de polica, amanhaa, as 10 horas do da, 10
pracas do corpo sob seu commando, afira de escol-
taren) 4 criminosos que aqueile magistrado tem de
remetter para o termo do Cabo. Communicou-se
ao Dr. chefe de polica.
Dito ao mesmo.Deferindo o requerimento do
guarda, da secgo urbana Manoel Figueira Corado-
de Menezes, sobre que versa a sua informacao n.
341 de 20 do torrente, autoriso V. S. a dar baixo
do servigo.
Dito ao mesmoMande V. S. apresentar ao Dr.
chele de polica, 1 interior e 6 soldados'do corpo
sob seu commando, para escoltarem do termo de S.
BCnto at esta capital 2 criminosos de morle.
Dito aOvMKVggtor do arsenal de marinha Man-
de V. &,^js5deom urgencia os concertos de que
necesslta-*,coberia do edificio, em que funeciona a.
capitana "*> pono.Communicou-se ao capilao do
porto.
Dito ao director do arsenal de guerra.Em ad-
Joo Baptista do Amaral.Fica o supplicante re- i parochianos
levado da multa. ritual.
Padre Jos Procopio Pereira.Concedo a licenga
pedida sem vencimentos.
Joaquim Jos da Silva.Concedo a licenga ao
supplicante at o fim de mez corrente.
Joaquim Pedro da Costa Moreira. Informe o Sr.
inspector da thesuuraria da fazenda.
Jos Soares Monteiro.ior ora nao tem lugar o
.que requer o supplicante.
Mara Senhorinha da Cenceicao.Indeferido a
vista da nformacao do comm tndante das armas,
de 19 do corrente.
nao fiquem privados do pasto espi-
Dito ao vigario de S. Caetano da Rapoza.Auto-
riso a V. Rvma. para assignar todos os I anca mon-
tos de que trata o seu rucio de 25 de abril, que fi-
ca assim respondido.
COVERNO DO BINP.tDO DE
PERYnnro.
SEDE VACASTE
Expediente do da 17 de mato.
Z. Officio ao vigario de Barreiros.Em resposta ao
seu officio de 30 do prximo passado, tenho a di-
dilamento ao meu oOlcio desta data, declaro a V. zer-lhe que pode ser adoptado qualquer dos dous
taos da Patria Manoel Monteiro de Mello, no in- te das armas.
S. que os bonets de que all se trata devem ter vi-
rola de lato, prevenindo-o de que ha quem faga a
2-jiOO res, cada um delles com virola e com me-
llior panno, e qne o contrato de arremataglo deve
ser submetttdo a aprovagao dcsta presidencia.
Dito ao mesmo.A vista de sua informacao n.
286 de 19 do corrente, autoriso V. S. a mandar ili-
minar da companhia de aprendizes desse arsenal,
os onze menores mencionados na relago junta por
copia, os quaes se offereceram para servir na mu-
sica do 2." corpo de Voluntarios da Patria, devendo
V. S. mandar apresenla-los ao coronel comman-
danle das armas.Communicou-se ao commandan-
cluso requerimento.
Dito ao mesmo.-Haja V. S. de informar sobre a
Jicenga que no incluso requerimento pede Luiz
Elias da Silva Albuquerque para seu filho Vicente
Ferrer da Silva Albuquerque, praga do quarto ba-
talhao de arlilharia a p.
Dito ao mesmo. Informe V. S. acerca do que
pede no incluso requerimento o Indio Angelo Fer-
reira do Nascimento, que se acha com praga no se-
guido corpo de Voluntarios da Patria.
Dito ao mesmo. Sirva-se V. S. de informar
acerca do que pede no incluso requerimento Mara
Francisca dos Res.
Dito ao Dr. chefe de polica. Remello incluso
por copia o officio que em 23 de abril ultimo diri-
gi o juiz de direlo da comarca de Cabrob, aflm
de que V. S. ouvindo o delegado supplente do ter-
mo do Granito Jos da Cosa Agr informe acerca
do que reprsenla o mesmo juiz.
Dito ao inspector da thesouraria de fazenda.
Transmuto a V. S. o Incluso pret em duplcata que
me remetteu o coronel commandanle das armas
com officio de hontem sob n. 902, tirando venci-
mentos para o segundo sargento da companhia de
Voluntarios da Patria eomposta u iornens pretos,
Manoel Monteiro de Siqueira, a contar de 5 de abril
ultimo at o 1 deste mez, aflm de qne seja paga a
importancia de taes vcucimentos sob minha res-
pousabilidade, nos termos do decreto n. 2884 do Io
de fevereiro de 1862, por nao haver crdito para
esse pagamento Communicou-se ao coronel com-
mandante das armas.
Dito ao commandanle superior da guarda nacio-
nal do Recife. Expega V. S. assuas ordens para
que se aprsente ao coronel commandanle das ar-
mas, alim de ser alistado, o segundo sargento do
primeiro balalho do arlilharia, que segundo o seu
Dito a cmara municipal do Cabo.Declaro a
cmara municipal da villa do Cabo, em resposta ao
seu officio de 19 do corrente, que approvo a arre-
matago por lempo de 3 annos da renda da casa de
que traa o seu citado officio.
Dito ao juiz municipal de Sernhem.Respondo
ao seu officio de 26 de abril prximo Ando, dizen-
do-lhe que bem resolveu o juiz de direito dessa co-
marca declarando, de conformidade com as deci-
sfies do governo que devia Vmc. fazer parte do
eonselho municipal de recurso, funecionando no de
[-revista da guarda nacional o seu substituto legal.
Dito ao juiz municipal do termo da Boa-Vista.
loteirado pelo seu officio de 24 de abril ultimo, dos
motivos pelos quaes deixou de ter lugar no prazo
da le a reuoiao do eonselho municipal de recurso
desse termo, tenho a dizer-lhe que designo o dia 9
de julho prximo vindouro, para a reuniio do re-
ferido eonselho, cuja convocago Vmc. far com a
neeessaria antecedencia.
Dito ao director interino da roparticaa das obras
publicas.Approvo o contrato que segundo consta
do termo que veio annexo ao seu officio de hontem,
sob u, 149, fez Vmc. com Bernardino de Sena Hen-
methodos de juslificagao summaria de baptismo pa-
ra casamento, quando esta juslificagao s tem por
fim verificar se os Dementes sao baptisados, ou se
houve omisso deste sacramento.
Nao sendo, porm, o mesmo quando a juslifiea-
gao tem por fim verificar, se algum dos contraren-
les on nao de malor idade ; pois nesse caso dev
ser tomada a justifica? na cmara ecclesiastica,
ou obteodo mandado de commissao peranle o pa=
rocho, que proceder entao com todas as formali* ,
dades do estyllo.Devolvo-lhe as certides que '
acompanharam o sea officio.
- 18-
Officio ao coadjuelor pro-parocho da freguezia
do Poco da Panella.Tenho presente o seu officio
de 4 do corrente em qne V. Rvma. me diz que
achandose sobremodo arruinada a i-apella da Casa
Forte, sita nessa freguezia, estando as paredes ra-
diadas, e o forro a desabar, segundo Ihe offlciara
o administrador da mesma capella, e V. Rvma.
examinou, me pede licenga para trasladar para a
matriz as santas imagens que all se acham, visto
nao poderem conservar-se por mals tempo em um
lugar qus ameaga imminente ruina.
Concedo a V. Rvma. a licenga que pede, aflm de
que quanto antes proceda trasladago das refe-
ridas imagens para a' matriz com a pessivel de-
cencia.
Nao devendo porm limitar-se a aegao de V.
Rvma. como parocho dessa freguezia simples
transferencia das imagens, espero que, entenden-
do-sc com as possoas mais importantes desse lu-
gar, n\p indicar quaes os meios mais adequados
para se conseguir a reedifieago desse templo, que
nao deve de modo algum desapparecer do nosso
slo, quer o consideremos pelo lado religioso quer
pela relagiio que tem com a historia patria.
COMMANDO DAS ARMAS.
Quarlel do commando das arpas de Pcrnambuco
na cidade do Recife, 2o de maio de 1865.
Ordem do dia n. 72.
O coronel commandanle das armas interino de-
clara para sciencia da guarnigo e fins necessarios
que a presidencia nomeou por portara de 24 do
corrente ao Sr. Francisco de Carvalho da silva
Queiroz para occopar provisoriamente o posto de .
alferes do 2 corpo de voluntarios da patria que es-1
t se organizando nesta provincia.
(Assignado.) Jos Marta Ildefonso Jacome da
Veiga Pessoa e Mello.
(Conforme)Antonio Francisco Duarte, 2o teen
te ajudante de ordens interino encarregado do de-:
Uihe.
Passageiros.
Portoguezes ... 28 56
Francezes...... 2 2
Americanos.... O 1
Inglezes....... 2 2
Hespanhes---- 6 1
Peruanos....... O 3
Bolivianos...... 2 1
Suissos........ 6 1
Allemas...... 0 1
Italianos....... 0 1
39 69
Navios descarga.
Times, hiate inglez.
Paraense, dito brasileiro.
Telver Star, hiate inglez.
Margaretm, escuna dinamarqueza. -
Nova Palmara, barca portugueza.
Navios carga.
Tamega, brigue portuguez, sahe amanhaa para"
Londres.
Til BU, patacho inglez.- t
Victoria, barca dita.
Tocantins, dita franceza.
Scrates, brigue dito.
Beaujen, dito dito,
Metan, barca dita.
O vapor segu hoje a meia noite.
CORRESPONDENCIAS DO DIA
RIO DE PERNAHBUCO
PARA.
Beln, Vi de maio de -186o.
A demora de oilo dias que leve o vapor, alm do
coslumado, causou serios receios; flzeram se mi-
IIres de prognosticos, nao s sobre poltica, mas
acerca dos negocios da guerra.
Eis que hontem chega o vapor, e pouco ou nada
de Importante traz, tanto de urna como do outra
eonsa I
Entretanto, correm por aqui tantos boatos que, '
vista dos jomaos dessa e da corte, nao os dou como
noticias exactas.
Falla se em auxilio da Bolivia Paraguay ; mas
n um modo inacreditavel, que parece isto antes |
urna galga amedrotadora do que outra qualquer
cansa.
Para a Bolivia nos vir fazer mal, s Matto-Gros-
so ou ao Amazona;.
Por aqueile lado nao ha remedio seno soffrer as
conseqoencias da guerra, vista da proximidade e
facilidade de inraso q_ue pode haver ; porm pelo j
lado do Amazonas, a nao ser pelo grande rio Madei-!
ra, s se for pelo Tocantins.
Por um e oulro lado as cachoefras immonsas I
que difficultam e tornam inaccessiveis estes ros,
.sao a defensa maior e mais natural desta parte do ;
Quando Pernambuco appella para o patrlotifmo imperio ; por consegulnte nao se o que pode fazer
riqne, para ocumbirse da pintur* o\)Mdoeok.de **>** fjtyos' e toe3 recotda wnossas passadas/a Bolivia em laes circumstaucias, quando a propria
que foneiooa a thesou'rarla provincial raeortote a
quantia de 195000 reis, e sob as condigoes cons-
tantes do mencionado termo.Communicou-se a
thesouraria provincial.
Dito ao mesmo.Expeca Vmc. suas ordens para
que na latrina da secretarla desta presidencia se-
jara feitas com urgencia os ourinadeiros precisos.
Dito ao delegado do (ermo de Garanhuns. Re-
meta Vmc. com a mxima posslvel brevidade as,
relagoes dos presos existentes na cadeia desse ter-; lgico Geographico_ Peroambucano, que
mo, nos mezes de margo e abril ltimos, alim de
que possa ter lugar o pagamento das despezas fei-
glorias, btio que >*> apqelaHPara os atoan
tos que attestam essas mes/ns gloria*. Quando
toda a razao se projecta erigir estatuas a Vlira,
Henrique Dias, Carnario e Negreiros, a esses h-
roes da nossa antiguidade, nao possivel que dei-
xeraos cahir em ruinas um templo erigido pela
piedade desies mesmos hroes, e que commemora
um des gloriosos feilos de nossas armas.
Neste sentido me yon dirigir ao Instituto Archeo-
tao rele-
vantes serviros tem prestado e contina a prestar
a esta provincia, aflm de que se inieresse tambem
officio desta dala olTereceu-se para servir no segn- tas com o sustento dos mencionados presos naquel-
do corpo de Voluntarios da Patria. Officiou-se
neste sentido ao coronel commandante das ar-
mas.
Dito ao commandante superior, da guarda nacio-
nal do Cabrob.Sciente pelo seu officio de 17 de
abril ultimo, dos esforgosqoe V. S. tem empregado
para a acquisigao de Voluntarios da Patria, cbe-
me dizer-lhe em resposta que o alislamenlo dos
mesmos Voluntarlos s pode ter lugar at o dia 29
de junho prximo futuro em que expira a proroga-
gao concedida pelo governo imperiai ao prazo mar-
cado no decreto n. 3371 de 7 de Janeiro ultimo.
Dilo ao commandante superior do Brejo De-
volvendo a V. S. os olficios do tenente-coronel com-
mandante do batalhao n. 38 da guarda nadional do
les mezes.
Portara.Para vogal do eonselho dejulgamento
a que vio ser submettidos os alferes do corpo de
policia Leodegano Liberato Pereira Caldas e Joa-
quim Herculano Pereira Caldas Jnior, nomeo o
lente quarlel-mestre, Luiz de Franga Mello J-
nior, em subsiiluicao do tenente ajunle Jos Cune-
gundes da Silva que se ;acha aposentado.Remet-
leu-se a portara supra ao presidente do eonselho.
Dita.O presidente da provincia, tendo em vista
o que inlormou o tenenie coronel commandante do
corpo de polica, em olfico de II do corrente, sob
n. 307, acerca do requerimento do cabo de esqua-
dra do mesmo corpo Francisco de Paula Franco,
que em inspeegao de saude foi considerado inhabi-
ltimos, que vieram juntos ao desse commando su-
perior de 8 do corrente, tenho a dizer-lhe em res-
posta que me remeta urna relago dos offciaes
que tem dado parte de doentes, inclusive o tenente-
coronel Antonio de Siqueira Barbosa, fazendo a
respeilo do procedimento de cada um delles as ob-
servages necessaras, aflm de habilitar esta presi-
dencia a tomar as providencias precisas, e que de-
ve V. S. cassar todas as licengas que tem conce-
dido.
Quan'o ao coEtingente que a guarda nacional
sob seu commando superior deve dar para a guer-
ra ser melhor que venha todo de urna vez; sendo
que vou providenciar para que elle receba pela
colleotoria de Cimbres ou do Brejo o adiantamento
de sold necessario para os dias de vlagem al esta
capital, e em tempo Ihe communicarel.
Circular a todos os commandantes superiores da
guarda nacional. Remeti a V. f. para seu co-
nhecimento e execugao copia do aviso pelo minis-
terio dajostiga, dirigido ao brigadeiro commandan-
te superior da guarda nacional da corte em 28 de
margo ultimo, em solugao a duvida por elle apre-
sentada, em virtude do decreto de 10 de setembro
de 1860, se deviam ser eliminados do alistamento
da mesma guarda nacional os cidadaos fllhos de
portoguezes, bem como os menores de que trata o
referido decreto, nao estando sob o dominio pater-
no e tendo a ren ia sufflcienle para viverem inde-
pendentes.
3.* secgao. Ministerio dos negocios da justiga.
Rio de Janeiro em 28 de margo de 1865. Con-
sulta V. S. em seu officio datado de 18 de Janeiro
ultimo, sob n. 1388, se, em vista do decreto de 10
de setembro de 1860, devem os cidadaos fllhos de
municipio de Cimbres.de 18 de margo e 26 de abril litado para continuar a servir, resolve aposntalo
com os vencimentos que ihe competirem pelo tem-
po de servigo prestado em dito corpo, de confor-
midade com o disposto no artigo 2. da lei provin-
cial n. 275 de 7 de abril de 1851, combinado com o
artigo 3. da de n. 436 de 26 de maio de 1858.
Fizeram-se as necessaras communicages.
Dita.O presidente da provincia, resolve nomear
para servirem provisoriamente no 2." corpo de Vo-
luntarios da Patria os seguimos offciaes.
Estado-raaior.
Alferes secretario.O primeiro sargento do 4."
batalhao de arlilharia a p Francisco de Assis Mon-
teiro.
Dito quartel-raestre. O primeiro sargento da
companhia de artfices Franklin Francisco Barreto.
Capito.O capilao do 2. batalhao de arlilharia
da guarda nacional do Rio Formozo Jos Antonio
Lopes Jnior.
Tenente.O tenente da guarda nacional Joao
Manoel Pereira de Abreu.
Dito.Joaquim Gomes Pessoa.
Fizeram se as necessaras communicages.
Dita.Os Srs. agentes da companhia Brasileira
de paquetes, mandem dar passagem de r para a
corte por conu do ministerio da marinha, no vapor
que se espera do norte, ao medico do arsenal de
marinha Dr. Alfredo da Rocha Bastos, que segu
para all em observancia de ordem do governo.
Communicou-se ao inspector do arsenal de mari-
nha.
Dita.O Sr. gerente da companhia Pernarabu-
cana, mande dar transporte at o Rio Grande do
Norte, no vapor Jaguartbe, ern lugar de r destina-
do a passaReiro de estado, ao guarda-mr da alfan-
dega daquella provincia Alfonso de Paca de Albu-
porluguezes ser eliminados do alistamento daguar- querque Maranhao.
de nacional de seu commando, bem como os me- ,. .
ores de que trata o referido decreto, nao estando Espediente do secretario do gera* do da 23 de
sob o dominio paterno, e tendo renda sufficiente : maio de 186o.
nara viverem independentes: em solugao a mesma i,. __ ., ____ .
duvida, tenho a responder-lhe que esta qoestSo j !^ Officio ao director do arsenal de guerra -De cr-
o" resol v.da pelos aVisos do ministerio dos neg- dem de S. Exc. o Sr. presidente da prov nc.a, de-
cios estrangeros, juntos por copias, dos quaes se volvo a V. S. como solic.tou era seu officio n. 1
bacina que os dous individuos de que trata V. s. de 22 do corrente, o modelo n 2 de bonets para a
bowo citado officio nao estao isentos do servigo guarda "c ona' 1ue ,?m dne e?1Uc,r
Sa guarda nacional, por isso que a resolugao de 10 Dito a Teles Fernandes Prtela encarregado do
de setembro de 1860 nSo desnacionalisou os meno- alistamento de vo ntanos na villa da Boa-V.sta.-
res nasddos no Brasil, filhos de pais estrangeiros, S. Exc. o Sr presidente da provincia, manda com-
e nem o oodia fazer em face da constitulgo; pelo municar a V. S. qne remelteu o seu officio de 5 d j
congrio noqne"*p6e a respeito desses mnSres corrente, a associagao protectora das familias dos
reslva a'sua qualidade de cidadaos brasileiros. | Voluntarios da Patria, aflm de ser tomado era con-
Despachos do dia 22 de maio de 186o.
Resaltando a sua nacionalidade apenas conce
dou que aes ditos menores se applicasse a lei que
regula o estado civil de seus pais.
Nao se comprehende na esphera do direito civil
o servico militar e o da guarda nacional, que sao
regidos pelo direito publico e a que sao obrigados
Requei'imentos.
Adeiino Celestioo de Mendonga.O supplicante.
pode, querendo, receber a importancia da farinha,
a que allude na razao de 29500 reis, por alqueire,
todos os Brasileiros maores de 18 e menores de 60 e mais 25 por cento sobre o total, segundo a infor-
annos de idade. mago da thesouraria de fazenda, constante a co
Dos guarde a V. S.Francisco Jos Furtado. pia janta.
Sr. brigadeiro Manoel Antonio da Ftnseca Costa. Diogo Jos da Costa.-Dinja-se o supplicante ao
Dito ao commandanle do corpo de policia.-Con- juiz de direito da comarca de Garanhuns, a quera ella, com Unto que delxe no seu iDjirawte
cedo a aotorisaco que V. S. sofleitou em seu efflcio nesta data autoriso a ultimar o contrato, segundo; idneo, que durante a sua ?enm se encarregue
de hontem, n. 316, para excluir do corpo sob sen as instruegoes que Ihe sao dadas. da regencia dessa freguezia, aflm de que os seos
pela conservagao desse templo, e estou cerlo de
que os nobres membros do alustrado e patritico
Instituto, animados, como sao do mais puro amor
da religio e da patria, hao de ajudar a erguer
das ruinas um monumento que a patria e a rel-*
gio nos torna charo.
Dito ao Instituto Archeologico e Geographico
Pernambucano.Sao to relevantes osservigos que
o Ilustre lustiluto Archeologico e Geographico
Pernambucano tem prestado a esta provincia, to
notorio o zelo patritico, com que tem procurado
enriquecer a nossa historia, investigando os seus
mais esquecidos monumentos, e fazendo sobresair
os vultos mais importantes da antiguidade, que es-
tou certo, nao invocarel em vo o auxilio de lo
Ilustrada corporagao para um objeclo anlogo ao
patritico fim de sua instituigo.
Officiou me o Rvd. coadjuctor pro-parocho da fre-
guezia do Pogo da Panella, dizendo-meque, aclian-
do-se a capella da Casa Forte em estado de comple-
ta ruina e prestes a desmoronar-se, me pedia li-
cenga para remover d'alli as santas imagens, alim
de evitar que licassem debaixo dessa ruina inmi-
nente. Conced a licenga e encarreguei o Rvd.
coadjuctor de me indicar o meio mais fcil de se
reconstruir aquella capella.
Porm sendo ella um monumento religioso que
atiesta a piedade de nossos antepagados, e com-
memora um dos gloriosos fetos de armas que mais
hooram a nossa provincia julguei do meu de.er
communiear o o-corrido ao nobre Instituto, aflm
de interessa-lo na conservagao de um monumento
que testifica o valor heroico dos nossos pais sem-
pre a par da sua grande piedade.
Tenho a honra de enviar inclusos por copia o of-
ficio do Rvd. coadjuctor pro-parocho do Pego da
Panella, e a resposta que Ihe dirig.
Aproveilo a occasio para significar ao Instituto
Archeologico e Geographico Pernambuco os mais
sinceros protestos de estima o consideragao.
Officio ao vigario de Iguarass.Tenho presen-
te o seu officio de 11 do corrente communicando-
me que entre os antigo assentos dessa freguezia,
que V. Rvma. est laucando com autorsago do
Exm. bispo fallecido, se acham cinco cerlides de
baptismo passadas por V. Rvma. e entregues nos
mesmos dias em que adrainistrou o Sacramento do
baptismo a esses prvulos em setembro de 1860,
e pergontando-me se tambera deve lancar esses
assentos.
Nenhuma duvida ha de que os deve langar
igualmente com os demais que alli encontrar. E
como V. Rvma. ha mais de um anno que est lan-
gando os assentos dessa freguezia, cumpre que me
diga quai foi o numero de assentos que encontrn
especificando as diversas qualidades delles, e des-
de quando datam os mais amigos, aflm de que eu
possa aquilatar o descuido e a reiaxagio do seu
antecessor, e o zelo e presteza cam V. Rvma. pro-
curou remediar esse mal.
- 21
Officio ao vigario de Aguas Bellas.Tenho pre-
sente o seu officio de 12 de abril, em que partici-
pa terse offerecido ao governo para eapelo de
um dos batalhoes de Voluntarios da Patria, que
dessa provincia tem de marchar para o sul, aflm
de alli prestar alguns servigos a bem da patria, e
me pede o meu consentimento.
Sendo V. Rvma. parocho collado dessa freguezia
de Aguas Bellas, e nao estando por consegrante no
caso de qualquer-sacerdote simples, ou mesmo de
qualquer parocho encommendado, -lhe necessa-
rio primeiro que ludo obter do governo imperial
licenga expressa para deixar o seu benelieio, dei-
xar as suas ovelhas, e seguir para a campanha,
na qnalidade de capel lo voluntarlo. Se pois V.
Rvma. obliver essa licenga, eu rae conformara com
o jB,ajt>r. obstculo qualquer pro-
Aguardemos com ludo o futuro, porque nao creio'
iue Lpez tenha tanto poder, prestigio e forga para
azor mal ao Brasil.
E' conveniente estar de stfire-aviso, mas o diabo
nao to feio como se pinta I
Em tempo de guerra ha sempre terrores, e anda
mais terroristas.
Desta provincia pouco ha de importante.
Continua o alistamento de voluntarios ; infeliz-
mente nao com aqueile enthusiasmo e avidez,
com que se organisou o primeiro corp) que seguio
em margo para o sul ; com ludo espera-se que por
todo o mez de junho, o segundo cerpo, ommanda-
do pelo tenente-coronel Jos Luiz da Gamae SiWa,
estar mais ou menos completo o prompto para em-
barcar para a corle.
Consta que por em quanto nao vo alguns dos of-
fciaes chamados pelo governo, e que aqui estavam,
sob a respousabilidade do presidente, visto o servi-
go militar da provincia precisar delles.
O mesmo marechal Sergio de Oliveira, que vai
comruaodar as armas dessa provincia, o que devia
partir neste vapor, espera o seu successor Arruda
Cmara.
Do pohtica nada tem transpirado que merega
seria consideragao.
Os joruaes da opposigao conlinuam a aggredir a
situago poltica, descarregando sempre os seus fu-
rores e queixas as principaes autoridades.
O Jornal do Amazonas por seu lado colloca-se
na defeza, e tambem diz o que pode dos contra-
rios.
E' verdade que nao sei o que poltica de pro-
vincia, onde as mais das vezes a luta de influen-
cias e iuteresses pessoaes ; por conseguinte nao
trato delia, porque ah taes noticias, a nao ser de
maior alcance, nada interessam.
Estamos no mez de Maria e a igreja paraense
tem celebrado a respectiva festa com a devida so-
lemnidade, todos os dias de noite na Igreja de San-
to Alexandre, onde tem oceupado a cadeira sagrada
nao s alguns pregadores, como o Exm. bispo D.
Antonio.
Em um dos dias da semana (inda fugio urna por-
gAo de pretos para um dos mocambos desta pro-
vincia era urna canoa ; a autoridade deu as pro-
videncias para se proceder a sua captura, mas nada
conseguio, porque o vapor em que foi o delegado
de polica para apprehender os pretos, regressou
capital sem nada haver conseguido.
Conlinuam as diligencias da policia para a cap-
tura dos fugitivos, mas creio qus a nao ser urna
pertinaz insistencia hade serdifflcil o encontra-los
de prompto.
Consta que urna barca ingleza carregada de car-
vo naufragara Ra costa desta provincia ; o fado
real, porque onvi dizer hoje que os nufragos j
se acham neste porto.
O Dr. Adolpho de Barros, presidente do Amazo-
nas, chegou de Manaos, e h je com o seu secreta-
rio Dr. Crespo, soguera para essa.
Como sabe o primeiro o presidente removido
para Santa Calharina, e o segundo com quanto nao
seja o secretario nomeado, provavel que o acom-
panhe.
Segu tambem para a Baha o flautista Ruchen.
que lo bem recebido e to applaudido foi nesta
provincia.
O seu ultimo concert deu-o no theatro, e abi de
novo colheu entbusiasticos applausos.
Pdese por assim dizer que elle e Arthur Na-
poleao sao os verdadeiros artistas que tem vindo ao
Para.
Quanto ao mais, refira-me aos jornaes desta capi-
tal, que nao obstante a minha citago, nada lera de
maior inieresse.
A A alfandega durante o mez de abril renden
190:096*323.
A recebedoria 71:175*983.
Os navios entrados e sabidos, assim como passa-
geiros no mesmo mez, slo os segrales :
Navios.
Entr. Sahid.
Brasileiros..... 13
Inglezes....... 5
Francezes..... 3
Portoguezes ...
Hollndoles....
Dinamarquezes.
3
O
t
14
7
1
3
1
0
24 26
SESSAO ORDINARIA EM 24 DE MAJO DE 1865.
rilESIDENCIA DO SR. SABINO OLEGARIO.
A's 11 horas e 3/t da manhaa, feita a cha-
mada, acham-se presentes os Srs. deputades, Jos
do Reg Barros, Netto, Vctor, Diodoro, Teixeira de
Mello, Braulio, Arminio, Carapello, Gaspar, Amyn-
thas, Soares Brando, Loureiro; Franga, Araujo
Barros, Rocbael, Ribeiro, Sabino, Buarque, Reg
Barros, Cunta Teixeira, Aquino, S Pereira.
O Sr. Presidente abre a sesso.
Lida e approvada a acta da sesso anterior o Sr.
1 secretario deu coma do seguinte :
EXPEDIENTE:
Hequeiro que se pega a presidencia da provin-
cia copia das petiges ltimamente dirigidas a mes-
ma presidencia e ao governo geral por Carlos Luiz
Cambronne.S. R.G. Drummond.
Foi approvado sem discusso.
t Requeiro que, por Inlermedio do Exm. presi-
dente da provincia, se pega com urgencia o se-
guinte :
Urna nota de todos os testamentos que tem si-
do registrados no consulado provincial desde 1840
at 1864, cora declarago daquelles que lera pago
o respectivo imposto.S. R.Catando.
Foi lido, apoiado e julgado objeclo de deliberagao
o seguinte projecto :
i Artigo nico. Fica permiltido ,ns religiosos
Benedictinos de Olinda darem sepultura no seu
convento smente aspessoas de sua commodidade:
revogadas as dlsposigoes em mirarlo.S. R.Ja-
cobina.
Fallaram pela ordem os Sr. Aquino e Baptista.
Poi lido um requerimento do Sr. Amynlh&s, pe-
dindo urgencia de preferencia para a discusso do
projecto de lei nao sanecionado ltimamente.
Pediram urgencia igualmente para os projectos
ns. 68, 33 e 64 deste anno, os Srs. Araujo Barros,
e Baptista.
O Sr. Buarque pede preferencia, sobre todos os
projectos para os quaes se requer urgencia, para
a discusso do projecto n. 65 deste.
Sendo regellado este ultimo requerimento, foram
approvados lodos os outros.
ORDEM DO DIA.
Discusso do projecto de lei nao sanecionado,
que concede abates Francisco Cavalcanti e Po
Valenca.
Estando o Sr. conselhelro Loureiro com a pala-
vra, o Sr. presidente declara que nao tinha dado o
projecto para a ordem do dia, avista do que nao po-
da continuar a discusso.
3' discusso do projecto n. 68.
Foi approvado sem debate.
Passa-se a discusso do projecto n. 64 deste an-
no, que concede urna indemnisago a Joo Ilyppo-
lito de Meira Lima.
Oram sobre a materia os Srs. Gervasio Campello
e Baptista.
Vem a mesa o seguinte artigo substitutivo :
t Fica o presidente da provincia aulonsado a
mandar pagar a Joo Hyppolilo de Meira Lyma a
quantia de 4:000*, por indemnisago dos prejuizos
por elle soffrido no engao havido a respeilo da
distancia para transporte da pedra para empedra-
mento na estrada da Victoria por elle eito, poden-
do para isto abrir um crdito da quantia neeessa-
ria.Baptista.
Leu se, apoiou-se e poz-se em discusso.
O Sr. Vctor Correa, aprsenla o seguinte ad-
ditivo, que depois entrou em discusso com o pro-
jecto :
t Fica concedido a Felippe Benicio Cavalcanti o
abate da 5* parte sobre a importancia que arrema-
tou no triennio findo a barreira de Jaboalo.Vc-
tor Correa.
Pedindo a palavra o Sr. Buarque, fica a discus-
so adiada.
O Sr. Costa Ribeiro requer urgencia para a se-
gunda discusso do projecto n. 72 deste anno, que
abre um crdito supplementar.
Decidindo a casa pela affirmativa, entra em dis-
cusso o citado projecto:
Vem a mesa as segulntes emendas o additivo,
que sao Igualmente approvadas com o projecto :
c Em vez de 320*. diga-se:-480*.Buarque.
c E mais210* para subsidio dos mesmos de-
putados na sesso do anno passado.Buarque. >
t Fica igualmente aberto nm crdito de 909)991
para pagamento da gralificago concedida ao lachi-
tar aTubveng cima indicada"! a sbsTit-fa por 18Xapno Carlos Ernesto de Mesquita Falco.Arau-
uma garanta de juros de 8 % sobre o capital em-1 J Barros.Nabor.
presado as obras geraes da empreza, sendo a Continua a segunda discusso do projecto n. 65
provincia indemnizada de todas as despezas feitas deste anno sobre a empreza Cambronne.
com esta garanta, com metade dos lucros da em- Falla sobre a materia o Sr. Cuaba Teixeira.
prexa, quando excederem de 10 / tirada esta pro- O orador coraega por justificar os motivos que
Dorco smenie do excesso, e nada podendo recia-|eve para retirar a sua assignatura da autorsago,
mar se no fim do prase do previleglo nao tiver si- explicando o seu procedimento pela circunstancia
do paga integralmente; t de se ter Inserido nella as palavrassem mals
3.-Se os dous meios anteriormente indica- onus para a provincia.
dos nao forem aceilos, o presidente da provincia O illostre deputados responde aos argumentos
poder contrahir um empreslimo de 1,000:000000 dos oradores que sustentara que as posturas, que
a juros de 12 /., sendo 5 % destinados a araorti- tornara obrigatonos os apparelhos Cambronne fa-
____PERNAMBUCO.
ASSEMBLEA PROVINCIAL.
SESSAO ORDINARIA EM 23 DE MAIO DE
1865.
PRESIDENCIA DO SR. DR. SABINO OLEGARIO.
A's 11 horas e 3/4 da manhaa, feita a chamada,
acharam-se presentes os Srs. deputados Aquino
Fonseca, Demosthenes, J. Reg Barros, Teixeira
de Mello, Victor, Diodoro, Gaspar, Campello,
Braulio, Nabor. Soares Brando, Loureiro, Araujo
Barros, Reg Barros, Amynthas, Sabino, Ribeiro,
Buarque, S Pereira, Rochael, Cunha Teixeira,
Baptista, Arminio e Franga.
O Sr. presidente abri a sesso.
Foram ldas e approvadas as actas das duas ses-
soes antecedentes.
O Ss. 1 secretario leu o seguinte
EXPEDIENTE :
Um parecer da commissao de constituigo e po-
deres mandando imprimir, para entrar na ordem
dos traba I los, projecto de lei que deixou de ser
sanecionado pelo presidente da provincia.Appro-
vado.
Foram lidas e approvadas as redaegoes dos pro-
jectos de lei do orgamento municipal e 28 deste
anno, depois de orar o Sr. Gaspar.
ORDEM DO DIA.
3.* discusso do projecto n. 71 deste anno.Ap-
provado sem debate.
! disenssao jlo projecto n. 68 oeste anno.
Fauno o Sr. A-aujo Barros em sentido a expli-
car a materia do projecto.Foi approvado.
i> discusso do projecto n. 56 deste anno.
Fallou o Sr. Nabor sollicilando a audiencia do
vigario capitular para o referido projecto.
O Sn. Bibeiro requereu que fosse ouvido o capi-
tular sem prejuizo da 1.a discusso.
Fallaram os Srs. Loureiro e Costa Ribeiro.
Encerrada a discusso o Sr. Loureiro requereu
que tivesse lugar a votago por parles.-Foi appro-
vada a 1." parte do requerimento, e empatada a 2.",
pelo que ficou a materia adiada.
2.* discusso do projecto n. 70 deste anno.
Fallou o Sr. Nabor, que mandou a mesa a se-
guinte emenda :
< Em lugar das palavraspara a eobranga de
custas judiciaes diga-se estabelecendo formali-
dades, que devam preceder a qualquer procedi-
mento judicial por parte da fazenda e para eobran-
ga dos impostos.-Nabor.
O Sr. Campello manda a mesa a seguinte
emenda:
Sem prejuizo do regimemo geral de cusas.
Campello. >
Fallaram os rs. Buarque, Jacobina e Loureiro.
Ficou a materia adiada pela hora, tendo a pala-
vra o Sr. Nabor.
O Sr Buarque pede urgencia para o projecto
que abre um crdito supplementar a verba aju-
da de cusi aos deputados provinciaes. >
Apoiada c posta em discusso a urgencia, o Sr.
Amyntas requer igualmente para o projecto n. 33
do nno passado.
E' approvada a urgencia para o primeiro pro-
jecto e rejeitada quanto ao 2.
1." discusso do projecto que abre o referido
crdito supplemenlar.
E' approvada som debate sendo dispensado do
intersticio.
Contini a 2.' discusso do projecto n. 65 deste
anno sobre a empreza Cambronne.
Foi lido e appoiado o seguinte additivo do Sr.
Carapello: Accrescente-se:
< | 2.O presidente da provincia flear tam-
bera autorisado, nao querendo o contratante accei-
sagao, e entregar esta somma a empreza com as
necessaras garantas, sendo a provincia indemni-
zada de todas as despezas feitas com este empres-
limo, com metade das annuidades pagas pelos pro-
pietario- a empreza;
t 4. -Qualquer que seja o accordo establecido,
todas as obras e material da empreza flear perten
zem parte do contrato por esse celebrado.
Dizque acamara municipal pode revogar as
posturas, e esta assembla approvar essa revogagao,
Cambronne nada tem que reclarh pulado entende que urna doutrina absurda sup-
pr-se que necessario o beneplcito do contratan-
te para serem revogadas as posturas em questo;
cendo a provincia, sem indemnisago alguma a acrescenia que isto nma completa ab licagao da
empreza no fim do prevllegio.-Campello. soberana da assembla.
Fallou sobre a materia o Sr. Jacobina, que en-! O orador diz que Cambronne estipulou em seu
trou na analyse da conslituconalidade da medida! contrato primitivo a voluntar.edade, ao passo que
que torna obrigatoMo o emprego dos apparelhos da i hoje se quer conceder a condicao da aceitagao
empreza, contestn que as posturas approvadas pe-! obr.gatoria dos apparelhos da empreza, que nao foi
la assembla fl*essem parte do contrato, e respon-' Pedido pelo contratante.
deu aos diversos argumentos apresentados pelos i O nobre depotado pensa que o contrato eslava
oradores que sustenlava o projecto.
acabado desde a sua assignatura ; que as posturas
Foi lido o seguinte substitutivo do Sr. Buarqne : approvadas posteriormente nao fazem parte do
Art. Fica o presidente da provincia autorisa-, contrato, nem erara necessaras para o seu coraple-
do a rever o contrato celebrado com Carlos Luiz! ment.
Cambronne para o esgoto e limpeza desta cidade,, .0 orador declara que nao quer aceitar outra lo-
era ordem a remover os inconvenientes do actual \ 8ica-
systeraa de apparelhos e canalisagao e conforme o O illustre depulado contina observando qu* o
que for mals consentaneo aos interesses da mesma mal est feito, e que todo o desidertum ver os
provincia. I meios de que se deve lancar mo para remedia-lo.
t l.Para execugao desta aotorisaco, poder | O orador pensa que a emenda substitutiva do Sr.
o presidente da provincia, alm dos meios que Ihe deputado Buarque est no caso de ser aceita, mas
parecerem mais acertados, realizar com o referido; quo precisa de alguns esclarecimentos, que pede
Cambronne um nxvo contrato sob as bazes do de-! ao mesmo depulado; entende tambem que se po-
creto n. 1,929 de 26 de abril de 1857 que regula o deri aproveitar parte da emenda do nobre deputa-
srvigo de limpeza da cidade do Rio de Janeiro,' do o Sr. Campello, sendo que por isto nao se podr-
iendo em vista as condigoes da cidade do Recife, ra renunciar emenda do nobre deputado pelo 3'
numero de seus habitantes, o prego do servigo e districto, que nullifica completamente ludo,
lempo do previleglo, que nao poder ir alm del Fallou em seguida oSr. Baarque para dar as
30 annos, Ando o qual ser a provincia propieta-
ria da empreza e de lodo seu material;
2.O governo da provincia s poder gene-
ralizar o emprego dos apparelhos da empreza,
quaes quer que eiles aejara, depois de lerem sido
estes adoptados em um dos bairros ou disirctos
desia cidade, e haver a experiencia mostrado a
sua efflcacia e excellencla, o que ser decidido por
urna .commissao para esle fim nomeada pelo mes-
rao governo.Buarque.
Fallou em seguida o Sr. conselhero Loureiro.
Reconhecendo-se nao haver casa, o Sr. presiden-
te levanta a sesso as 3 e 3/4 horas da tarde, dan-
do para ordem do dia a continuago da anterior e
mais a discusso dos projeclos que foram dispen-
sados do intersticio.


Diarlo de tfcrnambnco Sabbado Z1 de Halo de 1865
pjpllcacoes que Ifcfl forana peiidas sobre o seu opiniao todos sao mo, porque todos extern sa-
substitutivos: | crnelos da provincia, mas que, em prepon? dos
O orador cornega declarando que daquelles que embaragos apontados, parece-lhe que urna autori-
entendem que o contrato Cambronne, bem ou mal sago em termos ampios e pela forma por que est
autorisadOytsl perfelamepte acabado ;.que nelle redigida a que offereceu a' casa, deve seno satis-
se estipulou a clausula de ser obrigatoria o empre- fzer, ao menos collocar o governo em posicXo a
go dos apparc Ihos propostos pelo contratante, e que remover grande parte das difflculdades que se tem
as postoras appnmdas pela assembla, teodo sido levantado na execucao do contrato Cambronne ; li-
acceitas por Cambronue, fazem evidentemente par- nalmenle, que, se" Bada do que tem presentado
te do seu contrato. Sobre a qnesto da constitucio- serve, e se a casa repugna a contiiwacao desse
calidade que se tero levantado na casa, o orador contrato,autonse-se a sua rescisao,pagndose a
julga se dispensado de entrar nella per Ihe parecer iodemnisrcao qae fr de direito, com o qae ficarao
inoportuna desde que elle parte do principio cima satisfeitas as vista de patriotismo dos seu col-
tiiiiuciado. Emende que no estado em que se legas.
aclia a questao apenas convm examinar se deve Vem a' me ou nao permanecer a clausula tue mpe a obri- cusso a segrate emenda :
gago de seren acceitos os apparelhos da empresa, Qaalquer que seja adeliberacao da casa, cer-
e no caso negativo qnafs os meios que devera ser ca dosadditivos,diga-se :firando o novo con-
empregados para su'oslitui-los. trato dependente da approvago desla assembla.
Foi para resolver em parle a diliculdade <|ue so Cunha Teixeira.
ofT^-ioriu na escolha d> ses meios, quo o orador
apresenlou o seu substitutivo. Para justlrar, po-
rm, os termos desse substitutiva, o Sr. Buarque
julga necessario entrar na analyse de cada urna
das emendas e auditivos que foram igualmente
Ora ainda o Sr. Cnnha Teixeira, concluindo por
mandar mesa um requcrimenlo de adiamento,
e a seguinte emenda, restrictiva da que linha offe-
recida :
Ficando dependente da approvago da assem
apresentados ^obre a mtieria. Dii qHe, admittida bla o contrato celebrado, se passar o substitutivo
a existencia da clausula obrigatoria, so tres meios do_Sr. Buarque.
podero sutstilui-la: Io, acncessae de urna sub
veneno ou garanta de juros empreza; 2", um
emprestiroo em seu favor para a con.-truccao das
obras e manulengilo do servigo; 3o, a obrigago
directa do governo para com a empreza.
Diz o orador, qire a idea da subvencao, consigna-
Bepois de ecerrada a discussao, e regeitado o
adiamento, reconhece-se nao haver casa.
O Su. PitEstwmTE manda fazer a chamada, e ve-
n'.ira-s prejenca dos Srs. Sabino, Buarque, Rl-
fceirfj, Arminio, Teixeira de Helio, Nelto, Braulio,
Sobres Braodo, Gervasio, Gaspar, J. Reg Barros,
acerca dos abates, e terceira discussao do projecto
n. 72 deste anno.
na no addilivo do-ren amigo o Sr. .Campello, nao "Loureiro, Ayres, Estevo, Rochael, Baplista, Arau-
satisfaz. A suboencao marcada de dous conlos jo Barros Vctor.
de ris meusaes; mas se altenderse que a empre- Km eonsequencia da falta de numero legal, o
za tem de auerrr um lucro de 200 contos de ris Sr. presidente levanta a sesso, dando para ordem
annuaes. sujeilo ao custeij e ao servigo gratuito do da a continuago da anteriormente designada,
dos dous mil apparelhos qae se obrigou, v-se e mais a discussao da resolugo nao sanecionada
que a subvengto est bem tange de corresponder
ou approximar-se daqulla somma.
Sobre a garanta o orador se pronuncia favora
velmente, mas accrescenta queindispensave! que
ella corresponda aos lucros provaveis da empreza,
e que sejam satisfeitas as condicoes dos empresti-
mos de dinheiro, isto que se estipule, alem dos
juros, a amoriisacao do capital e reembolso da ga-
ranta. Nestas ideas havia o orador concordado
em urna conferencia que teve com o nobre deputa-
do o Sr. Campello, e ento havia lembrado ao seu
collega, entre otitras considerages, que o juro fosse
de C por cento lquidos, que a amortisago se fizesse
com o lucro excedente at 4 por cento, e o reem-
bolso da garanta comecasje a efiectuar-se desde
que os lucros da emprezc attingissem a 10 por
rento: por esta forma, pensa o nobro deputado, se
allendia as condicoes cima referidas. O Sr. Buar-
que declara que diverge da forma que adoptou o
seu collega o Sr. CampeHo para a concesso da
garanta, porque se no mnimo do juro estipulado i
se levar em coiiia a amortisago e o custeio, condi-1
coes que nao eslo claramente especificadas no |
dditivo daquelle Ilustre deputado, uenhuma van-
umn am\L
Cheeou hontem procedente de New-York pelas
Barbadas, com 23 das de viagem do primeiro e
10 do segundo, o vapor iuglez Favorita, que se
destina Galleo de Lima.
A noticia poltica de mais importancia a da
pacificaran geral dos Estados-Unidos.
O deposito do algodo era diminuto no paiz.
Havia*sido preso o assassino do presidente Lin-
coln, sendo assassinado em continente pela popu-
lacho.
O Uho do presidente fieava livre do perigo, e
em convalescenca.
O ministro Seward j tinha sahido cavallo a
passeio.
O otiro ficava a 14S 3/8.
O algodo baixra bem como todos os g-
neros.
Nao seguio no Cruzeiro do Sul o Exm. Sr.
tagem ter a empreza me a indusa a abrir mo da; r- Ad'Ph deBarcrof.' Pedente nomeado para
etensnla obriealona l'Sanla La,nanna s- Exc demorase nesta ctdade
uanto ao empreslimo, pensa o orador ser o Pr al?uns dia,s oselode saa familia,
recluso que a primeira vista parece mais favoravel -,Na, S""***"" de^o.anna sessen-
l provincia; entretanto observa que difBcil rea-1,a c tantos ind.y.daos que vem fazer parte do *
lisa-lo sem m juro alto e urna ainorlisa^io gravo- carpo de Volntenos da Patr.a.
sa, e que nao podem de^ar de ser morosos os meios ~. <> $r5ro do Sul que por falta d aguada
que tver a e npreza de empregar para o seu reem- de'"ra df.fh,r a ,arde d I nta fe.ra, adiando
bolso, principalmente se fr o de abandonar meta-,a s,,a l"ar"da Para dia, seeu.,Dle Pela madrugada,
de do producto havido pelo servico em favor dos l^"10J,,on'eIml Pel* tarde' Vl?t0 rao ,emP na0
cofres proviueiaes, por quanlo parece que a em-1lu'10 K.rn:'.'.ua an.les:
o mesmo empenlio em gene-
preza nao lera mais
lalisar o emprego dos seus apparelhos.
Tratando deste facto, o orador nao deixa de ex-
traulir que o einprezario, alm de pedir a manu-
tencao da clausula obrigatoria, nica a que lalvet
estivesse adstricla a provincia, solcitasse do gover-
no geral mais um emprestimo de 600 contos.
O nobre deputado passa a se oceupar do seu
substitutivo. Chama a attencao dos seus collegas i
para o que elle tem dito na analyse que fez, faz-lhes
As chuvas, que ltimamente tem cnido trans-
I formaram a ra do Lima, em Santo Amaro, em um
lago, segundo nos informara, e por tal forma tem
esees lamacaes alterado a salubridade do local, que
j comegam a desenvolverle febres iniermltenles.
Ainda urna vez, porlanto, lembramos a convenien-
cia de fazerem-os desapparecer, e esperamos se
attender popnlacao lo crescida de Santo
Amaro.
e manda-o chamar para dizer-lhc, que mente, jne
isto apenas um pretexto infame para romper o
casamento. Mas o general que esperava Andr
Gerard para esclarecer a verdade, faz com que a
eca, seu fllho e sua mnlher se oceultem n'um
quarlo para d'ahi se de.euganarem, ouvindoa pro-
pria confisso de Andr Gerard ; o qual sem saber
CAIABA Hl^lClPAL no RE'dFE.
SESSAO EXTRAORDINARIA 8M8 DE FEVEREI-
RO DE 1865.
Residencia do Sr. Pereira Simoes.
ad
mesmo
Iha
posico deltas licenca.Inteirada.
Oolro do fi>ca| do, Recife, communtrando em con-
licionaes de 13 de julho de 183o, e attendendo-se' inros aae estes eanians nrrui,,,, ...
^ ZJ,Lllt ??..KS?1* LX g,r para a d0 PraI em I"" "nham dire.to a liquidar, os
em
antes
liquidar, os Im-
portantes juros destes capitaes, os Juros das pres-
tacoesdos subscriptores, que perdem o direito por
nao effectuarem o pagamento dentro de um anno
de favor que os estatutos da companhia lhe ronce-
meca por pagaHhe a quanlla que perder ae jogo efteo Sr:"Vrros"Re^,Tbr"e."se a" sVssoT' cular, e como tal no est comprehendidb nu dis- i aSsemaS^os meS? dKamentoarHoin0
poslcoes do art f lit. 9" das posturas de 30 de ju-1 rem parte na liquidaco" e
Presentes os Srs. Gustavo do Reg, Tbomaz de. -eqneocia do offleto qne pela secretaria Iba fra
Aquino, Dr. Miranda e Santos, faltando com causa dirigido, que o terreno, no qual seacham postas
para o que vem ao chamado do general. Este co-1 os Srg, presidente Dr. Sarment e Silva do Brasil. a caldelras na travessa da ra do Brum, part-
moni rtnr ntfnir.lhn n nnnnlh nt\a nnvifnee a aka V. ~ ^ :___l___ ___.___>-_*. ...I __^_____l-^ju-^- j-
EXPEDIENTE
na nole do "baile, o que elle recusa receber,"nao \fa e approvada a acta da"anteolnte
deixando porm de chegar a conflssio da infamia ^..g 0 seguinte
do jogo sem todava nomear o verdadero culpado.
Mas sorpreodendo nesse momento um olhar sig-
nificativo do general para o quarto, onde esteo oc- '*ma pelicao viada da presldenci
cultos os tres, desconfiando que all esteja a mu- ra informar, na qual Jos Elias Machado Freir,
Iher ou a filha, pede-lhe que abra a porta do.quar- pede ao Exm. presidente da provincia para qne
to ; o qne sendo-lhe recusado, atirase desesperado faca a mesma cmara dicidlr urna sua petieao au-
para etla, quando ahi avulta o til lio do general, a terior de que se trata.Que se declarasse a S.
quem elle nao conhece. Satisfeito, pois, por jul- Exc. ter sido informada em 1 do corrente a petieSo
gar que nem a mulber, nem a filha o-iava naquclle a que se refere o supplicante.
quarto, diz para si : Ah respiro I podere en- Um officio da cmara municipal do termo do Ca-
i/(ir ?m minlia casa sem temer as vistas de minha bo, do Io do corrente, aecusando o que recebera da
mutlier e de meas filhos. cmara desta cidade, tica scieote de haver o Exm.
Nlsto vai a sahir, quando ouve ao mo?o a ex- Sr. Dr. Antonio Borges Leal Castello Branco, pres- satisfactorio, porquanto os abuzos repetidos da po
pressao mea pat 1 Volta-se e reprehende com tado juramento e tomado posse da admiuistragao nU|acao em lancar lixo^ uao tem sido possive
toda a dignidade o general por haver patenteado ao deste provincia.Inteirada.
~~~.....h"-"v. = os joros corresponden-
E't!Sd9e que nesse terreno ainda e por ser i^ff^JS d?coWcS?e.ESl5le
para a cama- havendo este fallido, nao linha quem inlimasse a qae nao ,h _l "
facturado muro, entretanto intimara ao dono das1'
referidas caldeiras para as retirar d'alli, conforme
a ordem aue recebera da cmara A' requeri-
mento do Sr. Dr. Miranda mandou-se remetter a
commisso de polica.
Oulro do fiscal da Boa-Vista, declarando o se-
grale :
Que proceder a limpeza e asseio das ras da
frtguezia, mas que estas nao se achara em estado
- era sociedade destas um
lucro annual de 30 por cento sobre o capital sem
risco de o perder no caso de fallecimento, e sujei-
tando-se a esse risco matares sao ainda os lucios.
Lina subscripto annual da 30,8000 p ; no lim de ii aonos de 4165300 a 387800 no fim
de 10 annos de 1:167*800 a 2:770.>zoO. Una subs-
; cripeao de 300*000 pode produzir no lira de 3 an-
filho^ a um joven, a desgraca de um velho e reti-
ra-se.
Depois sai a filha de Andr do quarto onde on-
vira a vergenha de seu pai; atravessa a scena de
fronte curvada, vendo a sua felecidade perdida ;
e parando junto da ceslinha de nupcias j piepara-
da, nao pode abafar a sua dr e prorompe n'uma
explosae de lagrimas.
Neste transe o filho do general, que a ama louca-
rnente, supplica de novo ao pai e elle recusa.
A dignidade da filha de Andr Gerard re volta-se
tambem com a recusa do general e por sua vez
ella a exclamar Eu fambem j o nao quero,
senhor l e sai arrebatadamente.
Era seguida Andr Geraid volta a o (Tu-na e ahi
nao encontra nem a mulher, nem a filli3 : socega
um pouco; sobrevem, porm Trfeme, o amigo de
infancia, cujo fim entao pedir-lhe -a mo da
lilha ; pois que douram um tal casamento 150
mil francos de dote, que o general olferece-lne, para
asim reparar a deshonra da filha de Andr Ge-
rard. Este recusa, Trfeme que nao quer perder
ISO mil francos, insiste e chega ameaca-lo com
um punbal para que assigne o contrato ; mas An-
dr Gerard, com a f era Dos, affroota o panhal
de Trfeme e consegue enalim commove-lo
Depois destes embales terriveis, o pai acha-se
frente a frente com a filha, que vera da casa do
Outro do consol de Hespanha Gamillo d'Andrade,
rogando a cmara que Ibe mande fornecer um
mappa pelo modelo que remette, relativo aos bi-
tos occorridos no ultimo semestre do anno passa-
do.Qae se desse ordem ao procurador para for-
necer e se respon^esse ao cnsul que ficavam ex-
pedidas ordeus no sentido de ser satisfeito o seu
pedido. a-
Outro do Sr. vereador Antonio Jos Silva do Bra-
sil comraunicando que por encommodado, dexava
de comparecer a se.-.so.- Inteirada.
Outro do Dr. juiz de direito da 2' vara, Manoel
Jos da Silva Neivas, dzendo competir-lhe receber
a quantia de 394-W0 de custas a que se acha obr-
gado o cofre municipal; segundo consta (ja certido
que remelle, roga a cmara a expedico de suas
ordens para que lhe seja satisfeita a referida
quantia.
extinguidlos, e os escassos meios que tem a sua
disposicao nao permitiera fazer desapparecer os
seus perniciosos effeitos, todava lodo o cuidado lem
empregado neste ramo de servido publico a seu
cargo.
Que em portara de 18 de Janeiro Ultimo lhe foi
nos de 1:214,8130 a 1:8WJA80.
Neste sociedade pode um pae extremoso com a
economa diaria de pouco mais ou menos 230 ris,
ou seja annualmente 89-3250, assegurar a urna ti-
Ihinha de 5 annos om dote de 10:000-5000 para
quaudo ella completar a edade de 20 airaos; oo,
com um simples deposito annual na sociedade de
175300 pode crear a um filho de um anno de ida-
de um capital de 15:0005000 para quando elle che-
gar a maioridade de 25 annos. Um adullo de .'O
^9ClTne"dad0^liein^,m,,prllml,,lt0,0(l0nar, -M-! ann" P'de assegurar a paz e a independencia dos
12Idas posturas de 30dejuuho de 1849, que pro- s^g 5o.ann(S *,ra a s/mp|es economa de 35000
annuaes que depositar na sociedade at completar
aquella edade, em que receber a somma de.....
15:0005000.
Sao muitos ainda os exemplos dos rxpantosns
beneficios, e das incalculaveis vantagens que olle-
rece Nacional. Dellas e das garantas para o seu
cumprimento trataremos em occfsioopportuna e
quando o espaco nos nio e>cassear.
hbe as quintandeiras fazerem praca sobremos pas-
seos ; empeohou-se seriamente em fazer executar
essa ordem, fazeodo-as retirar e arrumarerr-se em
linha abaixo dos mesmns.
Que fez igualmente desapparecer fodoo indivi-
duo que a titulo de almocreve, apresentava-ge no
mercado daquella freguezia vendendofarinhae ou-
tros legume*.
E finalmente que havia procedido acorrida de
passeios arruinados em diversas mas, e ia mandar
. la vrar termos de adiada contra seus propietarios.
Posto em discussao, resolveu se que nao haven- _Que se dissesse ao fiscal cumpnsse e editel de
nto. .>e ofiiciasse no ,j___..... j. mm ......_ ._..^.j .. i_____
do mais quota para esse pagamento, je officiasse no
mesmo sentido ao Dr juiz de direito, declarando-se-
Ihe que seria logo pago que a houvesse.
Outro do Dr. delegad do Io districto deste ter-
mo, representando ser conveniente a morahdade
publica a demolicao de dous lelheiros existentes
em o caes do Ramos, onde se rene durante o dia
crescido numero de vadlos e mendigos, que prali-
cam all aclos reprovados, e no correr da noiteser-
12 de mar^o de 1819, que tem marcado os lugares
em que se de vem fazer pravas e se recommendas-
se tambem aos demais a execucao de mesmo
edital.
Outro do fiscal do Pojo, representando a cama-
ra sobre o locar onde se faz all a malanga do gSdo I |u> dam'npd'^l1
.....____..____mi ..^:-j ...___; a ; Florida ae Murray e Lanman eio lugar de qual-
Agua de Florida de Murray c
Lanmao.
Nao difflr.ultoso distiuguir-se a senhora de deli-
cado e refinado gosto, pela quahdade dos perfumes
de que geralmenle usa. Tanto as senhoras da
moda como as senhoiitas da America Central e do
preferencia a Agua de
general, pallida agitada ; o pai enio enterro- vem laes lelheiros de ponto dereunioa individuos
ga-a a medo, e chega a saber que ella esteva oc- para os quaes nunca ser de mais toda a vigilan-
cuita em casa do general, e que fra deshonrada ca da polica, conclue duendo que se a cmara to
pelo filho deste. masse em consderajo o expoto, faria um servigo
Oh 1 o misero a tal ouvir perde a cabeca ; quer importante ao municipio,
matar a filha com um buril ; arrepende se, e pro- Posto em discussao, resolveu-se a requerimento
rompe nestas palavras: a Nao, tu viveras I a mor- \ do Sr. Gustavo do Reg, ofllciar ao Dr. delegado
te ove deve ser a minha mais doce recompensa, nao que aquelles telheiros perteocem ao Dr. Felippe
pode ser o leu castigo e conte-lhe em seguida a Lopes Nello, o qual quando pretenden eslabelec-r
sua desgraca, costra-lhe a sua innocencia e de- no mesmu lugar do caes um esialeiro patente, os
pois expelle-a de casa como filha perdida e des- construio para recolher raateriaes e que depois de-
honrada, sistindo da pretencao tem procurado que os ditos
Quando porm vai ella a sahir, apparece a rai,' lelheiros, terreno e obras neste principiadas sejam
que euvira as ultimas palavras ; toma-a pela mo|desappropriados pelos cofres muoicipaes, entrelan-
e vo ambas ajoelhar-se aos ps de Andr Gerar te pedindo-lhe o perdo. Andr rerusa ainda, levan- transacta nao lendo concorrido para a factura
tam-se e a mai quer retirarse com a filha ; mas o, da obra, oppoe se sempre a desappropria-la, repre-
seu estado de saude, j muito melindroso, faz cora sentando nesie sentido ao governo da provincia;
que vacille e caa por trra : Andr soccorre-a I que o bscal respectivo j havia tambera represen
e julgando-a talvez raorta diz-lhe que perdoa a li-
para o consumo publico, e pedindo a remogo da
mesma para um lugar mais distante do povoado. I ^errado ^ ,
A commisso de saude.
Oulro do administrador do cemiterio publico da
freguezia do Pogo da Panella, remetiendo o map-
pa dos enterramentos feitos no mesmo eslabeleci-
mento era o raez de Janeiro ultimo.Ao procu-
rador.
Outro do administrador do cemiterio publico'da
freguezia de S. Loureugo da Malta, remetiendo
tambem o mappa dos euterramenlos que se fize-
ram no diloestabeleciraenlo desde 21 ate 31 de Ja-
neiro passado.Igual destino.
A commisso de polica apresentou a seguinte
proposta :
Einbora este Illma. cmara j tivesse recommen-,.
dado aos raspateos liscao, que lizessera ser cura- ?* 0!* ?"fMr Lanman
prido o art. 4 do lit. I i das posturas de 30 de ju '
Por portara de 24 do corrente, foi nomeado
, que lodos os meios quaesquer que eiles I f^s dolk2 01"00, de Voluntarios, o Sr. Francisco
indigflados para remover os raconvenientes de Carvalho da Silva Queiroz.
sejam
Ja clausula obrigatoria, sao gravosos, nem podem
deixar ser, provincia; -2", que, a parte a idea da
subveugo de 24 conlos de ris annuaes, que lhe pa-
rece dever ser regeitaJa em limine, essa cbii-
gaco so deixa de existir perante o eruprezario, por
isso que ella subsistir mais larde para com o go-
verno, que por qualquer forma a tomar tlectiva,
visto como uuico resurso de que proficuamente
poder langar mo para solver os comprumissos
que livor coutrahido com a empreza.
O orador l a (.rimeira parte do seu substitutivo,
que concebida nos sepuintes termos :
c Art. Fica o presidente da provincia autorisado
a rever o contrato celebrado com Carlos Luz Cam-
bronne para o esgolo e limpeza desta cidade, em
ordem a remover os inconvenientes do actuaj sys-
teina de apparelhos e canalisagao, e conforme o
que for mais coucenteneo aos iuleresses da mesma
provincia.
O Sr. Buarque diz que-sobre esta parte nao deve
existir duvidas no espirito dos seusjcollegas, desde j
que o maior numero delles pensa que ha grandes
inconvenientes no systema de apparelhos do Sr.
Cambronne; que da maior vantagem que o
poder legislativo nao estabeleca regras em materia
desla ordem, lauto mais cueele nao julga a assem-
bla muito habilitada para se hronuuciar desde
logo sobre a excelleucia do systemas de esgotos
e limpeza
A segunda parte do substitutivo que o orador
justifica a seguinte :
1. Para execucao deste autorsaco, poder
o presidente da provincia, .alm dos meios que ihe
parecerem mais acertados, Cambronne um novo contrato sob as bases do de
relo n. 1,929 de 26 de abril de 1857 que regula o
servigo da limpeza da cidade do Rio de Janeiro,
lendo em vista as condgees da cidade do Recife,
numero de seus habitaules, o prego do servigo, e
lempo do previlegio, que nao poder ir alm de 30
anuos, lindo o qual ser a provincia propietaria da
empreza e de todo o seu material.
t 2." O governo provincial s poder genera-
lizar o emprego dos apparelhos da empreza, quaes-
quer que illes sejam, depois de lerem sido estes
adoptados era um dos bairros ou dislrictos deste
cidade, e haver a experiencia.mostrado a sua effi-
cacia e excedencia, o que sera decido por urna
commisso para este fim Horneada pelo mesmo
governo. >
O Sit. Buarque diz que lhe parece existir no
animo da assembla as mais profundas duvidas,
sobre a escolha dos meios com que se deve habili-
tar o presidente para remover ae difSculdades que
trouxe o contrato Cambronne, que neste ponto se
pode quasi dizer que reina um perfeito canos.
Sendo assim, e parecendo que nenbum meio mais
gracioso se pode offerecer que a condgo obriga-
toria, pensa o orador, que, em vtete da hesitagao
em que se acha a casa, se deve daijtar ao governo
toda ampltude na eecolha desses meios ; que urna
autorisago em termos geraes a que deve ser
adoptada pela assembla, e que neste caso julga a
que propoz.
Quanto obrigago. que o orador pensa existir,
e que persistir' sempre desla ou daquella forma,
entende que o meio.conciliatorio entre a opinio
dos que a impugnara e a dos que a sustentan), a
adopgo daquelle pelo .qual o servigo de limpeza
do Rio de Janeiro se generalisou all, isto., obri-
;ue-se o governo pelas animidades exigidas pelo
.servigo, e se deixe a elle a escolha e emprego dos
meios de prover as despezas que d'ahi resultam.
Por este forma desapparece a obrigago dos parti-
culares perante o emprezano de aceitaren) os seus
.apparelhos. E' verdade, dix o orador, que o go-
verno s poder langar mo da mposigo para se
habilitar a satisfacer aquelle coropromisso, mas
ueste caso a impo&Jgo mais aceitavel, por isso
que exclusivamente applicada a um fim patente,
a' retributao de um -servigo de que todos se uii-
Jisam.
Itemettem-nos o seguinte :
Srs. redactores da Hevista Diaria.J.i bas-
tantes dias se passaram, depois que Vine, podio
Iba, comanlo que ella viva ; o milagre oper-se, o
sentimenlo maternal mostra-se o que ; ella volta
a si e agradece ao marido, fechando este acto a
prosternagao da filha aos ps dos pas por entre
estes palavras. Eu fui a maldicao desla casa
a quem Andr respondeu. < lu sers a sua repa-
rando.
No 5 acto est a mulher de Andr Gerard a
mortc, e elle nao muito longe de segui-la ; no en-
tretente leudo escripto ao general com a exposigo
de toda a sua vida, deposita ni.to urna ultima es-
peranga.
nho de 1849, na parte que prohibe os atravessa
dores e correctores de farinha e legumes, que sao
levados para os mercados pblicos da cidade e po-
voados do municipio ; todava [.ara que esse arti-
go de lei ainda seja observado em toda sua pleni-
lude, e delle continua a resultar .-ahitares elfeitos
em favor dos consumidores deste municipio ; a
commisso de polica propoe que lambem se re
sido verificadas *grZrZttttS&l
do peixe, de
lado sobre o exposto, mas a cmara lhe recommen
dar que fosse dispersando os individuos que nos
mesinos telheiros se ajuutavam e agora, approvei-
lando a occasio pedia ao Dr. delegado que estn-
desse para all as suas vistas.
o perfume paraolengo; e teem-so
para mais de 20 annos a esta
parle, a cusa do raleiro e completo abandouo do
extracto da Lubin, assim como de muitos outros
perfumes e essencias europeas, mais ou menos
agradaveis mas em ut-nhum caso tao aromticos o
de propiedades to suaveis e refrigerantes. As
nossas proprias Beldades" sao hoje as priraeras
a justificar a ajuizada sentenga passada pelo pu-
blico da America do Sul, em favor dessa rrquissi-
ma essencia floral, a qual vegeta e se propaga pelo
mundo inteiro altiva e sem rival, adquirindo con-
tiuuaJmente novos triumphos. (Para que ninyueni
seja engaado na escolha e acquisigo deste inesli-
mavel pe fume; bom ser examinar-se e ver que
se achara inserp-
sob cada envsltorio, letreiro e gar-
rafa e na falla dos mesraos, fcil suppor a falsi-
dade da mesma.)
Acha-se a venda as pharmacias de Caors &
Barbosa e J. da C. Bravo a C.
tos sendo que at fora informado que alguem de-
pois de ter recebido a guia para recolher a impor-
tancia da multe deixou de faze-lo por insinuagao e
1 conselho de um ex-vereador, o que iraz ao conhe-
0 general com efleilo vem a sua casa, e peda- cimento da cmara para serem consideradas sem
lhe perdo por have-lo offendido, cousentindo que vigor tees licengas por illegaes, bem como as que
tisesirque aliara"loftffSS eeS. ^ ^T*' seJam,vefdidS nos mfcados'
cmara par lerem os seus estebeleciraentos aber- ou r"',ra pe'HsAseUS Cff **7? S22
seja all vendido o peixe pelo pescador, pois que
providencias a respeito das lagow do largo do | a filha case com seu filho sob a condgo de que foram dadas centra o dispislo no art. 16 das pos-
Andr se exilie com a familia ; ao qne elle anime turas de 18 de julho de 1855 e art. 34 do regula-
Hospicio ; entretanto at hoje nada indica urna pro
videncia qualquer ; e nao sendo possiv,-l que lal
estado de immundicia e foco de miasmas continu
a incommodar a moradores das immediac5es, so-
mos portante obrigados a pedr-lhe que insista para
que alguma cousa se faga, como de rigoroso de-
ver de nossa municipalidade, afim de melhorar a
aceitando o sacrificio, comante que seja reparada a
falta da filha, a quem, encobrmdo a condigo im-
posta ao seu amor, sob a necessidade de ir a sua
provincia com teda a familia, diz : ique ella ser
feliz, por que casar com o lilho do general. Po1
ment de 4 de agosto do mesmo anno.
Posto em discussao, o Sr. Gusnvo do Reg pede
a palavra e declara que leu Ju a cmara transada
conhecimentido aviso n. 381 de 16 de agosto de
1862, que explica sufflcientemente nao poderem as
nao s sao prohibidos os alravessadores e corree-
lores da larinha e leguraes; se, nao como de ou-
tros gneros, que sao levados para aquelles mer
cados, nos quaes se comprehende o peixe por ser
genrica a postura nessa sua ultima parle.
Pago da cmara municipal em sessao de 8 de fe-
verelro de 1865.Thomaz de Aquino Fonseca.
Dr. Joaquim Jos de Miranda.
Posta era discussao foi approvada, e em seguida
mandou-se ordem aos fiscaes para cumprirem.
bem como pedir-se, requerimento do Sr. Pereira
Simes, ao Dr. delegado e subdelegados que coad-
Ns abaixo assignados ofticiaes da secgo de m-
'_ i fautaria da guarda nacional do Amazonas em via-
gem para o Rio de Janeiro, nao podemos deixar
em olvido o acto do presidente deste provincia
mandando recolher a enfermara militar o nosso
collega o capito Pedro de Castro Brando, que
tendo embarcado no Para doente, viva no camaro-
te entregue a sua dr e a caridade de alguus ami-
gos.
Receba o Exm. Sr. presidente desta provincia o
cinteros agradarmentos dos abaixos assignados e
as heneaos, que dos ceos lhe veuham por to car-
doso acto.
Pernambueo, 25 de malo de 1865.
Tcnente Luiz Anluny.
Menandro Leandro Monteiro Tapajs.
rm a moca descobre a verdade pelo modo por que, municipalidades sem que exorbiwra de. suas facul- 'uv,?m ,a ^,nara "?... S^ f X *1 i>inac
mesma praca ; na certeza de que muito desejamos e|, lhe ,,, e assim rePUSa 0 casamento. jdades, orgaoisar posturas como aquela de 28 de Uafc-^It' i? uJul 1 tt a. B
nao mais ter de voltar a tratar dessa materia Xeste momertto o general que ad fundd tem ob-* mao a que se refere1 o DrTdelegadoThavia sut- "m requerimento de Bazilio Alvares de Miranda
For esta publicagao e pelo interese que Vmc. servado a scen, resolvere, commovido, a pedir mettido a approvaco do Exm. presidente da pro-: varejao, anda sobre
sempre toma [ielo bein-estar dos habitantes desta
cidade, muito grato nos confessamos a Vmc, etc.
Hoje, 27 do corrente. vai a leilo o casco,
mastros reaes e carga da barca ingleza Felisbell,
naufragada nesle porto, cuja venda se torna recom- \
Baziio
a comjiosigo que
sem mais preanihulos a mo da filha de Andr Ge-
rard, para seu filho. Aodr ftico de alegra agra-
dece-lhe de joelhos, beijando-lhe as maos; e esta
alegra inesperada mate-o por entre golphadas de
sangne; mas acaba os das salisfeito nos bragos de
viucia urna outra postura, revogando-a, mas que
at hoje nao fora ainda approvada.Mandou-se a
requerimento do Sr. Dr. Miranda, remetter o olflcio
a commisso de polica.
Outro do mesmo, communicando ter no dia 31
mondada por ser um navio novo, e de primeira i sens mos cuja feltcidade final comprou por tan- de Janeiro ultimo, acompanhado do Dr. Augusto
1 tos dissabores. Carneiro Monteiro da Silva Santos, procedido no
agougue publico um exame as carnes all expos-
tas a venda para o consumo publico, gastando mais
de duas horas no dito exame, sendo que em cum-
primento do disposlo no art. 22 do til 4 das pos-
casa de detengao no dia 24 turas de 30 de juoho de 1849, lorara mandadas
; langar ao mar 19 arrobas menos 1 libra de carne
a questao que
viagem
Segunda-reira, 29 do corrente, effeetuar-se-
ha a venda em leilo das quatro casas em Apipu-
cos, por iotervengo do agente Pinto, e em o seu
eseriptorio.
Hoje se exlrahr a 3a parte da Ia lotera de
Nossa Senhora da Boa-Viagem (17), sendo o maior
premio 6:000000.
Sobe hoje a scena o magestoso drama Andr Ge-
rard, cuja acgo bellamente combinada por mel
de efieilos que prendem a attengo do espectador,
inleressandolhe o corago em todos os seus inci-
dentes. A m disto, um drama de verdadeiro
ment Iliterario, e nelle pedroniina em tragos mu
salientes urna I cao moral cora a recompensa da
virtude, como passamos a mostra-io pelo rpido
historiado do seu pensamenlo.
Andr Gerard, fi'ho de paes nobres, casase com
urna moga pobre, sendo por isso desherdado pelo
pai. Ora, abaudonado da familia, faz-se operario,
e com o resultado de trabalhos assiduos consegue
viver pobre, mas com dignidade na sociedade. As-
sim viva feliz com a esposa e tres fructos de seu
mutuo amor; mas afinal o excesso do irabalho fa-
tiga-lhe a vista, e de repente ca na miseria, nao
podendo mais irabalhar e por consegniote era ga-
libar tambem o pao para sua familia, a quem oc-
culla no enlamo esta desgraga.
No dominio desta desesperada siluacao, appare-
ce-lhe Trfeme, um amigo de infancia que se tinha
tomado um parsita da alta sociedade ; o qual en-
to promette protege-lo, levando-o desde logo a um
baile em c<>sa do general Morand, onde apresen-
te-o como neto do general Moranc. E' bem acolhido
o apresentedo, e Trfeme que, a titulo de protector,
s quera conseguir seus mos iotentos, inspira a
Andr Gerard o desejo de tentar a fortuna por
meto do jogo e d-lhe dinheiro para esse fim ; mas
Trfeme, que traz um baralho de cartas j prepa-
rado, consegue Iludir a todas as vistes e substituir
as cartas que se achavam sobre a mesa do jogo.
Comer pois Andr Gerard a ganhar successiva-
menle com grande espanto de todo ; e julgaodo
ter ganho com lealdade, abengoava a sua sorte,
quando Trfeme diz-lhe ao ouvido : que continu,
pois ainda ganhar duas vezes. Ento Andr Gc-
Repartiqao da polica:
Extracto das partes dos dias 25 e 20 de maio de
1865.
Foram recolhdos
do corrente:
A'ordem do Illm. Sr. Dr. chefe de polica, Ma-tcorrompida, roga a cmara se digne ordenar que
noel Domingos Carneiro e Antonio Francisco Ta-1 seja pago o trabalho a que se prestou aquelle Dr.,
veiro da Silva, vindos de Goianna para recrutas ; tendo-se em attengo o lempo que durou o exa-
e Jos Guilherme dos Santos, sem declarago do me. Addiado a requerimento do Sr. Dr. Mi-
motivo e posto logo em liberdade. randa.
A' ordem do Dr. delegado da capital, Jos, es-' Outro do mesmo, representando sobre o mo es-
eravo de Francisco Augusto, por infraego de pos- tado de asseio em que esto os telheiros que se
turas. ; acham collocados ao nasceute da Ribeira pelo lado
A' ordem do subdelegado de S. Jos, Manoel i externo, e em toda a eslengo, e mesmo no lado
Jos do Nascimento, por offensas physicas. j fronieiro, onde se vende peixe e intestinos de re-
a' ordem do da Capunga, Melchades, escravo zes, cujos telheiros quer durante o dia e principal-
de Rufino Antonio de Mello, por infraego de pos- mente a nolte, servem de abrigo a vadios, maltra-
taras. \ pilhos e mendigos chagados, os quaes dormem so-
A' ordem do da Varzca Francisco Jos Gomes' bro os bancos all existentes: reclama urna provi-
da Silva,.ambos por furto de cavallos. dencia urgente a remover esses inconvenientes,
| pois alera dos mesmos, convm evitar que as (a-
Dia 23
fazer com a cmara relativament
com a mesma tem.
Prastaram juramento algn* juizes de paz.
Despacharam-se as peligoes de Antonio Pereira
do Monte, Antonio Mara de Brillo, Andr Luiz
Ddlouch, Antonio Duarte Pereira, Bernardno Jos
Leilo, Chaves & Vianna, Dr. Ernesto de Aquino
Fonseca, F. M. Duprat, maior Galdino dos Sanios
Nuuesde Olveira, Guimares v Oliveira, Joaqnim
Tavares Rodovalho (5), tenenle-coronel Juo Vieira
de Mello e Silva, Manoel Joaquira Hamos e -Iva,
Manoel Joaquim Baplista, Pedro Alejandrino Ro-
drigues Lins, Thomaz Fernandos da Caoba, e le-
vantou-se a sesso.
Eu Francisco Canuto da Boaviagem, secretario a
escrevi.lVreira Simoes, pro-presidenteSantos.
Dr. Miranda.Thomaz de Aquino Fonseca.
Reg.Silva do Brasil.
pblioaos i mmm
do publico.
O abaixo assignado, mandando extrahir dos au-
tos de demargo, forgicados na cidade de Areia, o
accordo do fnerilissitno superior tribunal da rela-
. gao, entre parles, appellante o abaixo assignado e
pretende appellado Ma-linlio Gomes da Silvera, o faz publi-
A" ordem do Illm. Sr. Dr. chefe de polica, Ma- Ja,n testemunhas de indecencias,
noel Joaquim da Paixo, por furto e uso de armas
inilias que habitara uas'circnmvisinhangas, nao se- rmandades, e perante militares de clirlstaos, mos
Nao de hoje que sabemos a desintelligeucia
que reina entre as irmandades do Divino Espirito
Santo da igreja do Collegio e convento de Santo Au
Ionio. Pois bem : hontem o mesmo Divino Espi-
rito Santo, com sua divina luz, encheo de gragas a
centenares de filhos de que se compunha as duas
nulhares
mais eflicaz de nossa santa reli-
prohibidas.
X ordem do Dr. delegado da capital, Antonio
Francisco Marlins, para recruta; e Amaro, escravo
de Joo da Cosa Bastos Oliveira, por insultos.
A' ordem do de S. Jos, Rosa, escrava da vinva
do Dr. Joaquim Villela de Castro Tavares, por f-
gida.
O chefe da 2* secgao,
/. G. de Mesquita.
Passagetros do vapor brasileiro Cruzeiro do
Sul:Commendador Jos Antonio de Araujo Fil-
gueiras e 2 criados, Jos Mendes da Cruz Guima-
res, tenente do estado-maior da primeira classe
Antonio V. de Castro Tavares, sna senhora, 4 filhos
\ menores, Pedro A. Muniz Macei, Marcolino Fran-
cisco Rosa, Benedicto de A. Ce*ar, cirurgodo
, corpo de sade Dr. Manoel Bernardino Bolvar,
sua senhora, l'irmao e 2 filhos menores, Frederi-
co Chaves, Carlos Miguel Isacsoo, Polycarpo J s
rard conhece que se tornara o joguete daquelle in- de Souza, C. S. Prazeres, Manoel Campos Barros,
fame ; revolta-se, mas quer occultar a todos a sua M(]ete e 2. sargento Francisco Folegonio de Souza
vergonha, ao passo que o general Morand, vendo- Magalhes, sua senhora e 3 filhos menores, Ro-
Ihe a perturbagao, 6uspelta o que ha, e para veri-
ficado toma ama carta e conhece que falsa, no
inmoralidades e trou o exempio
torpezas, praticadas por divdaos que antes de te- giao. .
rem o physico estragado, ja os tinha corrompido i Tendo j a Irmandade da igrejadoCollegio.consu-
moralmente.Mandou-se remetter a requerimentj; mado o seu acto do grandioso da da Ascengao do
do Sr. Dr. Miraudo, a commisso de polica. Senhor, e ao mesmo lempo o do levanlamenlo de
Oulro do contador interino, informando o roque-, sua bandeira pela festa que tem de fazer ao mes-
rmenlo de Affonco Sergio de Moura Mallos, que j rao Divino Parclito em accao de gragas, conslou-
pede a exonerago dos impostes alrazados que se j lhe que a outra irmandade erecta no convento,
acha a dever a casa n. 33, site a ra da Imperatriz achava-se na ra festejando sua bandeira, atraun-
allega t-la alugado sera arniago, nao deve por isso i ciando que aquelle era o da em que liona de ser
estar sujeite a semelhante pagamento; declara que hasteada, e que a note dana-se principio tambera
a casa em questao acha-se a dever a quanlia de
18S000 do imposto municipal, que pelo art. 8 do
reglamento n. 284 de 9 de maio de 1851 ficam su-
jeitos aos mesmos impostes aquelles que succede-
as novenas, em viste do que, e depois de j terem
se dispersado parte daquelles irmos; os que se
achavam ainda no consistorio, encorporaraa-se, e
pararam em frente do seu templo, a espe-
ren) no estabeleciraento, entretanto mister ser I ra da pomposa festa que annunciava se. Como
ouvido o fiscal respectivo para declarar se com ef-
feito achava se fechada a casa, como allega o sup-
plicante.-rMandou se informar ao fiscal.
Oulro do engenheiro cordeador, informando a
petigo, na qual Cazimiro dos Res Gomes, pede
de fado, aproxmando-se a outra que vnha pela
ra do Imperador, teve de admirar ao ver o agr-
davel quadro que se achava na porta do templo I
E ento presurosos, correram a abragarem-se,
e visitando logo o magestoso templo, nnlram-se em
Observa mais, que pelo seu substitutivo desap-
parecem todos os recetos de improfkaidade dos
apparelhos que tiverm de ser adoptados, porquan-
to s depois de ora ensata, qae poder ter lugar
em larga escala, se generalisa/ o emprego desses
apparelhos.
0 Su. Buarque declara, qae indicando o contra-
to de limpeza celebrado no Rio de Janeiro, nao
aconselna que seja lie recebido em todas as suas
bases, muitas das qnaes julga inaceUaveis para o
nosso caso. Pensa que de vendo o servigo na cidade
do Recife .-er meos pesado, o seu prego necessa-
riamente deve ser inferior ao do Rio de Janeiro;
qne sendo o privilegio all concedido por 90 annos,
deve elle ser modificado para 30, condigo esta que
julga essenciallssima, e que j se acha consignada
no actual contrato da empreza Cambronne.
O orador accrescenta, que Ibe parece haver pon-
eos desejos da parte dos nobres depntados impug-
nadores do projecto de qae se resolva a quesio.
Conclue dzendo que nao tem a pretengo de ha-
ver lembrado o melbor expediente ; que em sua
entretanto disfarga a sua descoberla, e acaba cora
o jogo, retirando-se todos os convidados.
O general fleando ats com Andr Gerard, pro-
vocado tica ndo-lhe a lava face ; este, que, por
um lago infame do seu amigo, havia manchado 40
annos de probidade, pede-lhe as armas ; ao que o
general responde qne nao se bater com um la-
drao, mas o far com um homem honrado que o
substHua. Aadr Gerard desespera-se, e afinal o
general concedo-lne a honra da bater-se com elle,
para ver a coragem do ladra:.
No ntenlo, Trfeme, o unieo ladro, consegue
inudiisar tai combate, recordando a Andre Gerard
a mulher e os filhos, de sorte qne quando o gene-
ral volta ao salo, ainda encoolrando-o ah, e
desigaando-lhe a hora do duelo, Aadr recusa ba-
ter-se e sai insultado anda por cobarde.
O general tem um lilho, o qual apaixonando-se e
inspirando igual-amor fllha de Andr Gerard,
cegou-se ao ponto de deshonra-la sob promessas de
casamento, promessas que procura roalisar ; t o
general que lencionava csalo com moca Bobre e
de conveniencia, v-se obrigado a ceder ao rogo da
esposa que intervera a favor do fllho; porm
quando chega ao eonheeimeato de qaem seja a
pretendida noiva, oppde-se dizendo que filha de
um ladro e cobarde. O filho duvida, e assim o
general manda chamar Andr Gerard a sna casa,
afim de qae elle se capacite da verdade.
Neste entretanto a filha de Andr Gerard vem,
um pouco antes deste, a casa do general a chama-
do da mnlher ; e esta lhe entrega ama carta do fl-
lho, na qual declara-lhe nao poder mais casar com
ella, pois o pal uro ladro. A pobre moga duvida
co dos Peccados Mortees, diz que nada tem a op-
por a pretengo do peticionario.Concedeu-se.
Outro do fiscal da freguezia de Santo Antonio,
mualdo Mara da Luz, alferes Clemente F. Tava- comraunicando o seguinte :
res, Alexandre Robertson, 2o tenente Antonio Luiz Que desde 2 de Janeiro que proceder a corrida
Teixeira Campos e seu irmo Vicente Jos Teixei- de verificago dos pesos e metidas de conformida-
ra Campos, George Stell, Jos Viceote Rangel, vo-1 de com o art. 2o do tit 11 das posturas de 30 de
lunterios Julio Francisco dos Santos, Manoel Bap- i junho de 1819.
lista de Araujo, Miguel Cavalleiro, George de
Araujo, recrutas Florentino Pedro de Alcntara,
Caetano Francisco dos Santos, Manoel Alexandre
dos Prazeres, Joaquim A. de Freitas Castro, Joo
Jos Pereira de Parias, Dr. Alfredo da Rocha Bas-
tos e 1 escravo, tenente-coronel Ignacio Frazo.
Varella, 2 voluntarios e orna mulher, 2 segundos dldo a hmpfa as ras e lugares que pertencem a
sargentos, 1 furriel, 1 anspegada, 57 soldados, 150 municipahdade fazer.
para fazer cornija em sua casa n. 24, sita no bec- um s corpo, segurado as demais ras, causando a
Que procedeu corridas sanitarias nos dias 27 e
28 de Janeiro do corrente anno, e 4 de fevereiro
corrente, com os facultativos, Dr. Joo Nepomuce-
no Dias Fernandes e Francisco Jos Grillo Leal.
Que com a forga a sua disposigo havia proce-
recrutas, 4 cab-s, 1 tambor, D. Mara Joaquina da-
Conceigo Azevedo, 2 filhos menores e seu primo
Aureliano Soares de Albuquerque, 1 pfano e
Cosme.
Casa de detengao.Movimenlo do da 25 de
maio de 1865.
Existan) presos 329 ; entraran) 4 ; sahlu 1 ;
existein 332, a saber: nacionaes 249; mu Hieres 2,
estrangeiros 25; mullieres 2; escravos 49; escra-
vas 5 ; total 332.
Alimentados custe dos cofres proviacaes 127
Movimenlo da enfermara do du 24 de maio
de 1865 :
Tiveram baixa :
Manoel Miguel dos Anjos, glndulas.
Teve alta :
Ignacio Pedro de Sonza.
Antonia Flix de Moraes.
Manoel Jos Pereira.
Maximiano de Santa Rosa.
Que no dia 2 do corrente fez enterrar um boi
esquartejado que encontrou as 7 horas da noite no
agougue n. 37 da ra do Rangel, pertencente a
Belarmino Alves de Aroucha, contra o qual fizera
lavrar o competente termo de acbada por infrae-
go do art. Io tit. 4o das postoras de 30 de junho
de 1849.
E finalmente que eom a remogo e enterrameo-
to desse boi havia feito a despeza de 85000, a qual
o infractor nao quiz pagar ; roga a cmara que se
sirva manda-la satisfazer.Remedido a commis-
so de polica, requerimento do Sr. Dr. Miranda.
Outro do mesmo, respondendo ao officio qne pe-
la secretarla lhe foi dirigido, declara que as casas
sites a ra das Cruzes foram descobertas, era con-
seqnencia do incendio qne junto as mesmas se de-
todos os espectadores, um vivo prazer d'alma pelo
acto de tanta magnanimdade, que preseuciavam.
Depois de terminado os festejos, e ser ateada a
bandeira em frente do convento, a irmandade
dessa igreja quiz vir acompaohar a outra at a do
Collegio, nao lhe sendo permittido mesmo a pe-
didos.
De novo abragaram-se, e ento lia-se perfeita-
menle nos corages dos reconciliados um signal
de satisfagao.
O mesmo Divino Parclito, quera continuar a
enche-los de graga e luz, para que continen) de
hoje em diante a seguir o caminlio que pertence
aos justos.
Estes palavras mal alinbavadas que aqu depo-
nho, longe de mim, o pensar de que offendam a
suscepliblidade de alguem, o contrario disto,
venho registrar um acto de exemplo para nao ser
esquecido pelos habitantes do torrao da Sania
Cruz.
Recife, 26 de maio de 1865.
C.
Seguros mutuos sobre a vida.
Expozemos j aqni neste lugar a utilidade moral
e social das sociedades de seguros mutuos sobre a
vida, a orlgem da sna instituigo, e a escalla dos
seus beneficios, e reerindo nos particularmente
Nacional, companhia geral hespanhola, qae tem a
sua sede em Madrid, e de que administrador ge-
ra, e que para os moradores voltarem as ditas ca- ral em Portugal o Sr. Joo gnilar Ortega, pro-
sas, ti veram de por as tel has, substituindo as que mellemos instruiros nossos leitores de algumas
se inutilisaram, e que nao exigir licenga porque
nao se tendo dado reediflcago,oem desaprumo nos
oitoes, sendo certo que nada sofTreram as frentes
dessas casas, casos estes em que deve preceder li-
cenga de conformidade com o art. 2 das posturas
operagoes deste companhia Comprimos agora a
promessa. Sio maravilhosos os resoltados econ-
micos desta sociedade, para engrandecer a qual con-
tnbuem os capitaes avallados das snbscripgoes que
augmentem extraordinariamente de da a da, os
car para conhecmento do publico judicioso.
Illui. e Exm. Sr. eonselheiro presidente da rela-
go.Gaudencio Goncalvea Chaves precisa a bem
de seu direito, que V. Exc. mande que a escrivo
Bandeira lhe d por certido o iheor do accordo
deste superior tribunal dado em autos entre par-
tes -- o supplicante e Martmho Gomes da Silve-
ra ludo era termos que meregam f. Nestes
termos pede V. S. se digne deferir-lhe. E. R. M.
0 advogado R. Campello.
Accordo em relagao el cielera. Qae vistos, cx-
postos e disentidos estes autos elveis entre parles
appellante Gandencio Gougalves Chaves, e appel-
lado Marinho Gomes Silvera : julgam procedente
a appellago interposla possain annullar, como an-
nullam; o processo da demarcaco; visto como,
sendo controverso o ponto de partida da medicao
e demarcago das trras do appellante e appellado,
nao poda ella ser efiectuada, senao depois que fos-
se verilicado qual esse ponto de partida, c qual o
conherido com o nome de Breginho, de onde devia
partir o rumo e seguiraento da liuli divisoria, a
vista dos ttulos das partes litigantes. Poriauto,
annullau lo, como aunullam, a demaroacao feila, e
reformada a sentenga appellada, condemnam o ap-
pellado as custas, fleando salvo o direito de in-
tentar nova demarcago com legalidadee justiga.
Recife, iG de margo de 18G3.Santiago, presidente
interino.LourengoSantiago. Alineida Aibuquer-
que.Domingucs da Silva. Vencida, foi de voto
vencedor o Sr. Molla, e vencido o Sr. Doria Lou-
renco Santiago.
aua mais ss continha, e nem se declarava ou-
tra alguma cousa em dito accordo, aqu bem e
fielmente transcripto e copiado por certido dos
propros autos, aos qnaes me reporto : e a presente
vai na verdade sem coosa que duvida faga, coferi-
da e concertada, subscripta e assignada na forma
do estylo.
Cidade do Recife de Pernambueo, aos 17 dias do
mez de maio do anno do nasciniento de Nosso Se-
nhor Jess Christo de 1863, quadragesimo quarto
da independencia e do imperio do Brasil.
Subscrevi e assignei. Em f de verdade e cons-
ciencia.-Antonio Ignacio de Torres Bandeira.
Felizmente hoje, perante o Ilustrado tribunal da
relagao, que sabe cohonestar o direito com a justt-
ga em cumprimento da lei, que comprehende a
alta e honrosa missao que lhe conferem os pode-
res do estado, j o appellante nao soffre violencias
em seu direito, j o appellado nao dispoe de um
manejo ridiculo, j nao tem sectarios em seus des-
varios. A base em que se firmou o judicioso ac-
cordo, foi n'aquelle juizo municipal o alvo das re-
clamages do appellante : era-lhe inaccessivel to
alta e pedregosa montanha. O appellado manda-
va ; todos o obedeciam I
Senhores, a verdade nao consiste no fallar, ella
se firma as provas. Esse processo todo urna
burla, e com quanlo nao seja aqu possivel elucidar
todo esse aranzel, e nem to pouco dar Justifica-
ges julgadas do cinismo e desavergonhamento,
com que o appellado atrepella cruelmente o appel-
lante, provocando-o a damnos e perdas, afrontando
de mo armada o direito e a lei, elle vos dar apenas
urna ligeira idea de tres certides comidas uesses
autos, vergonha de sen autor, se della e susceptivel
a c irrupgo personificada. O processo ah est : ve-
jam-no. A' f. 36 dos autos fez-se termo do conhe-
cimedto do rumo em 30 de margo de 1863, e certi-
fica o escrivo haver-se achado o rumo, que devia
seguir a demarcago, ser o de nor-nordesle com
quioze graos a leste : isso importe o mesmo que o
rumo do norte com 37 I|2 graos a leste.
No dia seguinte, 31 de marco do mesmo anno,
segu a linha e conste seu termo do rumo do nor-
deste com cinco graos de declinaco ao norte, que
importe o rumo do norte cora quarenta graos a
leste. Apre I De nm dia para oulro Mariinho ar-
ranjou 20 1/2 graos de demarcago I Isso muito
rico I Vejam cousa mais sublime I
No dia 22 de abril do mesmo anno, requer o ap-
pellante certido do rumo de demarcago, e nao se
sabe qual seja a viste da certido appensa ao pro-
cesso a folhas 49.
Tudo isso prepara o clebre Mariinho, e por-
quo t Porque contava que esse processo nao che-
garia ao egregio tribunal da relagao, visto que seus
comparcas lhe garantan) circumdactar a acgo :
isso abortou em consequencia de urna petigc que
dirigi o appellante ao Exm. eonselheiro presiden-


Mari* de rermmk**m9 al>ba4 t* de Halo de 1 i #5
te da relaco, que orala que o ju a qo, sem
perda de teropo e sob respoosabilidadc a respon-
desse.
O appellado vendo assi.ii rrustrar-se ess ehloa-
na Infame, recorreu a' oatra estrategia : era a da
aleada.
Nao ple deixar aqn de mencionar o apjK^aa-
te a honradez e simma probidade do dtatincu 9r.
Pedro de Albuquerque Maranlm.que iateirafla do*
manejos ri.liculus do appellado, na qualiaads
de sen louvado, suslentou sua digoldade, lazando
Justica, e provaado que tioha urna reputagiir a
apreciar.
Nao deiiara' mesmo aqui de significar ao Sr.
Dr. Pe 1ro de Albaquerque Maranhio o abaixo as-
signado, sua gralido por esse acto de jastca.
Era seguida o abaixo assigoado faz seteatificar
ao respeiravel publico, que achando-se litigiesa a
propriedade do appellado Marliabo Gomes da sil-
veira, nolla a venda ou compra que alguem
queira efleetuar, e contra ella protesta, visto que
iem de proseguir em seus dlreitos o appellante.
Dignem-se, Srs. redactores, dar publlcidade a
estas hnli* em seu constante jornal, que muilo
Ihes agradecer
Gaudencio Goncalves Chaves
11^ ia aaa
Constando que anda nao ao proceden vistoria
sobre o feriraento grave q*a soffrea Joo de Deas
Enpirasio, pratcado por urn tal Franca que se
acha presa, pedimos respetosamente ao Illui. Sr.
Dr. chele do polica providencias acerca de seaM-
Ihante falta, assira como sobre a casa de ama tal
Guilhermina, moradora na ra das Agua Verdes,
Ande se originou a quaslao da qual resultou os re-
feridos f-irimentos.
Lu importante curativo.
76 ditos ditas ; a S. P. Johnston 4 C.
36 volgam ferragens ; a Pinto Vianna d G.
lOO calas folha de flandres; a Mello Lobo A C.
100 ditas ; a J. Pater & C
100 fogareiros; a S. Johnston.
52 barrls enchadas; a ordem.
35 ditos dita; a Isider Sel *. C.
1 eaixa encerado-; a 9. JonwM.
SO barricas carveja a J. A. da Silva.
3 cofres dd hite ; a l'nipp Brothers & C.
5 barricas entelara ; a s. loKnswn.
14 caltas biscootos; a J. A. da Sllra.
Kr figos1 lonca ; a ordem. ? "
IWditos dita-* a Krabe Tnom & Barkiogoang.
1 carta objectos diversos ; a wllson & Hetle.
4 d'tas ditos ; a S. P. Johnston.
6 caixas machinismo ; ao mesmo.
701 amarrados e 851 barras de ferro ; i 8. P.
Johnston.
30 barris barritha ; ao mesmo.
38 toneladas carvo ; a Soulbal Mellors & C.
248 caixas; a Johnston Pater & C.
8 caixas phosphoros; a Duarte & G.
10 caixas enxofre; a S. P. Johnston.
40 barris salitre ; ao mesmo.
100 caixas gaz; ao mesmo.
3 volantes barbante ; ao mesmo.
6 caixas phosphoros ; ao mesmo.
8 barris oleo de linhaca ; a Bartholomen F. de
Sonza.
4 barris vinho ; a F. de Ollvetra.
17 toneladas de carvo cok ; a Wilson & Hetle.
6" caixas phosphoros; a Amorim A C.
Hiate nacional Gracioso, entrado de Mossor,
a ordem, manifestou o seguinte :
De Macan.
10 saceos algodao ; a Manoe! Jos de Soaza An-
diada & C.
to saceos e 1 caixao cera de carnauba, 26 meios
de sof, 128 mdthos courinhos; a Antonio Alves
de Moraes.
3 pipas, 25 barricas e 99 saceos cera de earnau-
te i kidemnisaeSr, quaesquor que sejarn as allega-' i>eh5omagens. actores
coes em que so fcajam pita esse flm, liad* Bes- Andr Gtrard, artista gravador.. Amoedo.
mo por prejrizosprovados.
5.a Para tudo o que nao estiver especificado as
presentes clausulas, seguir-se-ha o que dipoe o re-
glamento de 9 de janeire de 1864.
Canforradja F. a'Aiafc'iacao. .
Nao temos conhecimento algnm de nenhum caso,
que taoperfeitamente mostr de um maneira mais'.
SI T'b"^",, ** "Am"" "cidade! -" SS <*A '"* 5 3Sf"
E. ...i, ,n. I vmo ioaiil.jo, < cto51 M' *> *""* C,"""r0
seTTrendo as dores as mais atrozes e pungentes, pro- < nmPao- p B n,nna. .
venientes de excrescencia, ou exostosfl nos osses, 1 Mra d9 rarDauba a G" S' Rapo90 dl
aclia-se n.jje restabelecido e com praca de teneste \ amra'. _!_.. ..kn a .,,,, is tetn %i.
no bauho de Voluntarios da Patria, que segnk) t l^co"nn^03com< 3 SaCCS '"' lt
para o campo da bataloa em desafronta dos nossos 'I' Iae.?
torios.
SotTria elle em difereotes partes do corpo dores
as mais ag.misantes, qaer d da, qner de nente,
continua ment atormenCado por taes affltcedes e
dores, qua.-i que aborrecido da existencia, tende
po-to de parte toda f e conSanca na medicina,
porque xperimentou todos os remedios por elle
c iiilie.-los; e na realidade pareca, que para elle.
ni i resta va esperanca algnma : eis qno se resolve
a submetter-se ao uso do xarope alchoolico oe ve-
lame, e immediataraente pela ecacia e excellencia
deste xarope o mesmo se achoo, dentro de pouco
lempo, livre dos padecimentos, e a risenlia espe-
ranei tornou de novo a revi ver em seu eoraco
sol a polerosa benfica iaQuencia deste admiravel
medicamento; o crescimento da testa, e de outras
partes do corpo em breve principiaram assumir
um carcter favora-vel, diminuindo o aspecto de
sua malgnidade.
Amassado sangue, e mal> humores do systema,
tornaram adquerir urna apparencia clara e sauda-
vel; as dores atormentadoras de outr'ora o deixa-
raui, e una doce e suave tranquillidade principiou
a percorrjr todo o seu systema, restaura ndo-lhe a
desejada paz e socego de espirito ; os lugares cres-
cidos do seu corpo, regularisaram-se, pondo-se no
sen estado normal, hoie se acha perfeitamente
sao, gosando de um perfeito estado de sade, depois
de se ter visto privado deste grande gozo durante
bastante lempo.
Elle durante esia sua cura apenas fez uso de oito
garrafas do xarope alchoolico de veame preparado
p -! i o abaixo assignado estabelecido com botica na
ra Direita n. 88.
Itecommenda-se mui particularmente aos doen-
(es, que emiireguera toda cautelia na oseelha deste
admiravel remedio, alim de que nao oWeiiliam ou-
ta cunposicSo, pois que todas as maisnroparar5es
e imitaeSes desta natureza sao falsas.
V.mde:se, como lica cima dito na botica da
ra Direita n. 88 de
Jos da Racha.-Pmrmihos.
De Mossor.
26 saceos cera de carnauba, 2 ditos dita de abe-
Iha, 50 couros salgados, 56 meios de sola, 30 mo-
lhos couros curtidos, 11 pipas e 13 barris vastos ;
a Canha Irmo* di C.
5 pipas vasias ; a Francisco F.
61 saceos cera de carnauba, li couros salgados.
500 ditos curtidos, 2 volnmes peunas de ema, 2 di-
tos cera de abelha e 10 meios de sola ; a Prente
Vianna dt C.
12 saceos cera de carnauba, 70 meios de sola, 7
couros salgados e 5 ditos de garrote; a Jos Joa-
qum da Silva Gomes & G.
Hiate nacional Nicolao I, entrado do Aracaty,
consignado a Prente Vianna & C, manifestou o
seguinte:
29 saceos algodo, 79 caixas vellas de carnau-
ba ; a Prente Vianna & G.1 manifestou o se-
guinte :
29 nceas algodo, 79 caixas velas de carnauba;
a Prente Vianna & G.
901 meios de sola, 45 saceos algodao, 50 ditos
cera de carnauba, 102 caixas velas de dita, 100
taceos e 24 barricas (arfaba de mandioca ; or-
dem.
Hxportapo.
Patacho hespanhol nJio, carregou para Barce-
lona :
600 saccas coro 3,104 arrobas e 13 libras de al-
godao.
RECEBEDORIA DE RENDAS INTERNAS GE-
RAES DE PERNAMBUCO.
Rendimento do da 1 a 24...... 20:7335546
dem do dia 26...............1 587*22.")
COMPANHIA
DO
Tlmpheme------................... Lisboa.
Morand, general refof nido....... Porto.
Henrique,seafHho.........------- Augusto.
O douiyr........................ Guimaraes.
Sicrwo, mercador de gravuras..... Santa Rosa.
Recbbourg.................... Pinto.
Gneoersoa.................. Bernardino
Varee.......................... Borges.
Tonrnay....................... Maobonsa.
Jos, criado.................. Faustino.
Garlo, lilho de Andr, 10 annos.. Jos.
Valentina, filha de Andr, 6 anuos. N. N.
Margarida, filha de Andr....... D. Eugenia.
Luiza, mulher do general........ D. Leopoldina
Marcella, mulher de Andr...... D. Isabel.
O Rosa, criada particular de Luiza.. D Jesuina.
Nao Se tendo reunido numero legal dos A scena passa-se em Pars em 1844.
8rs. accionista para ter lugar a assembla L*? *""> aran'a recommenda-se ao pabh-
, ,K u i .. co nao s pelo grande entliu.-iasmo que causou
geral annunctada para hoje io novam nte em Paris e Rio de Janeiro, onde attrahio grande
COnvi ados OS mesmo i senhores a se reo- concurrencia, como tambera pela sua alta morali-
nirem no dia 31 do crreme rnez, ao meio da- a
dia, no escriptorio da mesma ompanhia, .Dara Qm ao espectculo a comedia em i acto
afim de examinaren as conUs do semestre A 6Sp03a ttOYe aCO!Bpaniiar
curador? flsvses da massa fallida de Jos Antonio\
I ilves de Miraou.1 Guimaraes e por despacho do
! Illm. Sr. Dr. j eio^cial do commercio das divi-
I das activas pirtenceos a mesma massa, na im-
portancia de l:l5:i0 rs.. as 10 horas do da
cima dito em seu escriptorio a ra da Cruz n.
38, aonde encontrarao os pretndanles a relacao
das referidas dividas.______________. ^________
;aiMiise.
21:3205771
GONSl'LAOO PROVINCIAL.
Rendimento do da 1 a 24...... 63:384*911
dera do dia 26..............
2:7645251
6: 149*184
Cala lilial do naneo do Brasil em
Pci'uambaco.
A hrectoria desta caixa saca sobro o banco do
li .>.' :io io de Janeiro e sobre a caixa filial do
ni u-j banco na Kahi.
i\ovo bnneo de Pernanibnco.
Os i IminHtridores da massa fallida de Joaquim
Jos Silveira pagam. o 1" dividendo de dita massa
n i razio de 9 0/0 sobre o valor des ttulos ad-
in indos : no novo banco de Pernambuco ra
do Trapiche n. 34.
>v!!)jnco de Pernanibnco.
O iiaucopaga o 14 dividendo na razan di-S*
dor ac.;o.
Sovo banco de Pernam-
bneo.
O banco desconta letras na presente semana a
5 por cento ao anno at o prazo de quatro me-
tes, e a 10 0|0 at o de seis inezes, e tomadinhei-
ro a juros a praso nunca menor da tres mezes-
ALFANDEGa.
Rendimento do dia la 24......
dem do dia 26...............
342:026*481
13:317*!!06
555:344*387
MOVIME.STO DA ALFADEGA.
Volumes entrados com fazendas.... 267
< com gneros..
------- 267
Volmnes sahidos com fazendas..... 101
c com gneros..... 318
-------419
Descarregam no da 27 do correte.
Escuna hollandezaAntlopemercadorias.
RriKe inglezParklidevnoos,
Barca inglezaLowoardia diversos gneros.
Dana ingleza-iiomtld pedra.
Barca inglez Netherton bacrlho.
Escuna dinamarquesa -Marie -diversos gneros.
Bnaue inglez-flosa/iecarvo e mais gneros.
Brigue hanoveriano Johanesfarinha de trigo.
Bam portugnezaS. Joaocharque.
Escuna portugnezaD. /ofio idem.
Sumaca hespanholaMerceditaidem.
Briaue nacional Cardia idem.
Bri'ue nacional lmporadoridem.
Barca uorueguense Tasmania-carvo.
Importacio.
E ve:s, consignada a Roth & Bidoulac, manifestou o
seguinte :
:ti) barris tinta, 217 caixas vidros para vidraca ;
a Iturle & C.
H volnmes pregos; a Monteiro Lopes.
i o) frasqneiras genebra, 100 caixas vidros para
vi Ir i;a a liotlie & Bidoulac
37 caixas armas; a Saonders Brothera 4 C.
li.) caixas ferragens; a Brander a Brandis.
7 caixas papel ; a O. Bohres.
12 barris pregos, 15 caixas cartas de jogar ; a
ordem.
5 caixas cartas de jogar; a Vaz 2 caima rame de latao; a N O. Biebsr & C.
4 ca xas carias de jogar e 20 barris pregos ; a
Alves Hamburger & C
Brigue inglez Rozahe, entrado de Liverpool, con-
signadu a J. Paler A C, manifestou o segua* :
Mo^iMESTQ so mmo
Navios entrados no dia 2o.
Baha6 das: barca nacional Restaurado, de
183 toneladas, Cipito Thomaz Marques da Ro-
sa, equipagem 12, carga 10,00i) arrobas de car-
ne ; a Manoel Francisco da Cruz.
Navios saludos no mesmo da.
Rio de JaneiroBrigue nacional Henrique, capitn
AoUnio Francisco Mbreira,carga assucar e fari-
nha de trigo.
BahiaEscuna nacional Georgiana, capiii) Anto-
nio Gongalves Torres, carga vinho e outros g-
neros.
Montevideo pelo Rio Gran le do Sul -Barca nacio-
nal Amisade, capito Jjsd Ferreira Pinto, carga
assucar.
Canal pela Parahiba Ecuia dinamarqueza Le-
vante, capito Belmann, em lastro.
Nanos entrados no da 26.
Rio Grande do Sul12 dias, paticho nacional Re-
gulo, de 164 toneladas, capito Joaquim Antonio
de Faria, equipagem 12, carga 8.001 arrobas de
carne ; a Amorim & Irmo.
Rio de Janeiro -15 dias, barca nacional Valle, de
283 toneladas, capito Francisco Jos de Souza,
equipagem 5, carga 5,000 quinlaes hespanlioes de
carne ; a David Ferreira Bailar.
S. Malheus4 das, lancha nacional Victoria, de
38 toneladas, capito Frederico E. Pinto de Aze-
vedo, carga 1,000 alqueires de farinha de ma.n
dioca ; a Tsso & lrmao.
Bahia 5 dias, lancha nacional Linda Dalia, de 32
toneladas, capito Manoel Jes da Boa-Morte,
equipagem 5, carga 970 alqueires de farinha de
mandioca ; a Jos Mara Palmeira.
BarbadSes11 das, vapor inglez Favorita, de 644
toneladas, capilo J. Hall, equipagem 33, em las-
tro ; a Adamson Houvre & C.
fiado, approrar o orcamento do semestre
viodouro, decretar o pagamento do 3i di-
videndo e leger a nova administraco, p: e-
reniodo-se que na conformidade do art. 46
dos estatutos a reunio ser considerada
completa e funecionat com o numero de
accionistas que comparecerem neste dia.
Escriptoro da Compaahia do Beberibe
26 de maiode 1865.
.0 secretorio,
Jos Eustaquio Ferreira Jacobina.
Pela thesonraria provtncir.1 se faz pubboo,
que a arremataco das pintaras das pontes de Una^
Jaboato, Seraflm Pintos, Morenos, Bento Velho e
Tapacnr, foi transferida para o dia 8 de junho
prximo vindonro.
Secretaria da thesouraria provincial de Pernam-
buco 24 de maio de 1865.-0 secretario,
A. F. d'Annuociaco.
Pela thesouraria provincial se faz publico,
que a arremataco da pintura da ponte pensil do
Cachang, foi transferida para o dia 8 de junhe
prximo vindouro.
Secretaria da thesouraria provincial de Pernam-
buco 24 de maiode 1865.O secretario
A. F. d'Annuociaco.
Santa Casa de Misericordia do
Recite.
Deordem da Illm* jnnta administrativa da San-
ta Casa de Misericordia do Recife convido aos in-
teressados pelos educando* do collegio de orphaos,
abaixo declarados, que os vo receber no praso de
SJdias, contados desta data, visto terem de ser.elles
expulsos por deliberago da mesma Illm" junta,
com autorisaco do Exm. Sr. presidente da pro
vincia, dando-se aos qne nao forem reclamados no
referido praso o destino que a juula julgar conve-
niente.
Henrique d'Annunciacio Mello e Albuquerque.
Joo Ignacio Gorrei*.
J -o Gaudencio da Silva.
Sabino Silvano do Patrocinio. >
Austricliano Fernandes da Cosa.
Paulino Francisco da Rocha..
Antonio Joo Marques da Cruz.
Prxedes Augusto de Aaraujo.
Secretaria da Santa Casa de Misericordia do Re-
cife 23 de maio de 1865.
O escrivo,
F. A. Cavalcanti Cousseiro.
Arremataco
Hoje 27 do corre'nte, depois da audiencia do Sr.
Dr. juiz municipal da i' vara, iro praca os mo-
vis penhorados Francisco Boterno de Audrade,
por execucao de Gasco & Ponlua', ca torio do es-
crivo Baptisti____________________________
Eslaro era praca peranle a cmara munici-
pal desta cidade.nos dias 27, 29 e 31 do crreme
os reparos e concerlos da que preclsam os arma-
zens de depsitos ra do Calabpueo, ore, idos na
quaoiia de 218 : aqueil- que jyetenderem arre-
matar devero comparecer nos mencionados das
no paco municipal, as 12 horas da manha.
Paco da cmara municipal do Recife 24 de maio
de 1865.
Luiz Jos Pereira Simoes
Pro-presidente.
Francisco Canuto da Boaviagem
Secretario.
Conselho de compras navaes.
O conselho promove em 29 do crreme, sobas
r.oudicoes do estylo, a comnra dos objectos abaixo
declarados, e convida aos que preiendrm vndelos
a' apresentarem suas proposlas em cartas fechadas
uo referido dia, ate as 10 horas da mauliiia.
Objectos.
50 baudeijas forradas, 4 arrobas de chumbo em
lencoi, 10 arrobas de colla, 5 arrobas de estanto
em verga, 12 enchamis de qoalidade, 40 arrobas
de estopa de algodao, 100 covados de lilell encarna-
do, 100 covados de lileli azul, 420 loneladas ingle-
zas do ferro bruto, 4 arrobas de mialliar para ga-
xelas, 200 molhos de piassava, 400 pucaros de fo-
lha. 50 latas de tinta prela, 50 latas de tinta verde,
e 36 taboas de assoalho deamarello.
Sala do conselho de comoras navaes, 23 de maio
de 186o.
O secretario,
Alexandre Rodrigues dos Anjos.
seu marido.
Principiar s 8 horas.
fISOS MISITIMOS.
COMPANHIA BRASILEIU
DE
PAQUETES A VAPOR.
Dos portos do norte esperado
al o dia 31 do correte o vapor
Tocantins, commandante o pri-
meiro tenente Pedro Hyppolito
Duarte, o qual depois da demora
do costme seguir pora os oortos do sol.
Desde j recebem se passageiros e engaja se a
carga qne o vapor poder condazir, a qual dever
ser embarcada no dia de sua chegada, enema-'
raendas e dinheiro a frete at o dia da sabida as fthe englisle Marque Feiabella
LOTERA
Aos 10,000*000 e 2,000)000.
Terca-feira 6 de junho do corrente an-
no, se extralir pelo novo plano abaixo pu-
blicado, a 5 parte da Ia lotera (18a) a
beneficio da Santa Casa de Misericordia,
para canal'sacao d'agua e gaz no hospital
De mobilias completas, sendo de mogoo eom pe- Pedro II, no consistorio da igreja de Nossa
dra, de Jacaranda cora pedra, de fala (branca) Senbora do Rosario da fre2uezia de Sant-
com pedra e de amamllo, pares de lanternas, Antonio
Os bilbetes,meioe quartos estSo a ven-
da na respectiva thesouraria ra da Cres-
po n. .15.
Os premios de O.OOO/KWO at 20,5000
seropagos urna hora depois da extracc5o
at a i horas da tarde, e os outros depois
da distribuic2o das listas.
As encommendas s ro guardadas se-
ment al a noite da vespera o extraccao
como de costume.
quadros diversos, cadeiras avulsas, marquetas,
escravos de ambos os sexos, camas raocexas,
relogios e outros mu nos arligos.
m -*"':
Sabbado 27, s 11 ln ras, no grande armazem do
apeiite
OLYMPIO
36--Rua da ende la do w.cefc-36
LEILAO
Da barca iagieu felisbella.e sea car-
reganeitt de carvn e prora.
Sabbado 27 de maio a 1 hora da tarde, em
frente a Associacao Commercial.
Jorge MHne, capito da barca iogleza tPelis
bella, naufragada por fori;a maior a entrar da
barra neste porto, far lailn com lic-nca da ins-:
PLANO
Para as parte*
pector da alfandega, em presetica. de um empre-'. id o i
gado da mesma repartiso para o lira nomeadoj PIrOVaao pe h\Bl. ar. prPSI lemf.
com autorisago e assistencia do cnsul de S. M. 3000 bilhetes a lOflOOO............30-000^000
Britannca, por intervenco do agente Pinto e por Beneficio, sello e coatmissiio 24 OO.. 7-.200A090
conla e risco de quem pertencer d> casco, mas-_________
tros reaes e carregamento de carvo de pedra da ]
referida barca ingleza, tal e qual como all se acha, i
1 bora da tarde do dia 27 de maio a porta da
Liquido.....22:8O0,JCm
Associaco Commercial.
SALE BY AITOH
1 Premio de........ 10:0004000
1 Dilo de.......... 2:0005000
1 horas : agencia ra da Cruz o. 1, escriptorio de
Antogio Luiz de Oliveira Azevedo & C.
COMPANHIA PERXAMBGAXA ~
DE
Pavegneo easteira por vaper
Mac fi e escalas.
of 371 tona, regr
and her cargo of (]al.
Saturday T may
ai I. clocle precisely
ln front of thc Associac fommcrciat.
Segu no da 31 do corrente as ., .......,-> -,
5 horas da tarde para os portos J. PIN1, auotionur.
do sul um dos vapores da Com- George Milne, masterollie unulisle barque iF-
panhia. Becebe carga al o dia lisbella, wrecked on the bar a the eutrance of
30 ; passageiros, commendas e ln'S po". will sell by anrtion, by permission of the
dinheiro a frete at as 2 horas da tarde : escripto- inspector of the Custon II >u rio no Forte do Mallos u. 1. an employ of thatesiab.isleineni, witte the autho-
rity and assistance of II. B M. cnsul, and by
1 Dito de.
1 Dito de.
6 Ditos de
12 Dilos de
24 Ditos de
804 Ditos de
850 Premios.
2150 liraneos.
100,5000
405000
203000
105000
8005000
4005000
6003000
4805000
4803000
8:0403000
14
:800500O
Companhladas Aleusageries Im-
periales.
At o dia 30
^ _-''^ do corrento mez
espera-se dos por-
tos do sul o va-
por franeez Pe-
(Hat, com m an-
dante Joret, o
qual depois da
demora do cos-
tume seguir para Bordeaux tocando em S. Vicen-
te e Lisboa.
Em S. Vicente ha um vapor era correspondencia
com Gore.
Para condicc5es, freles e passagens tratase na
apencia na do Trapicha n. 9.
EBIT1ES.
A subdelegacia da Capunga entregara' urna
vacca, de cor castanha e bastante maera, a qual
foi encontrada no sitio do Sr. Jos da Silva Loyo ;
quem se julgar com direito a mesma, provando,
Ihe sera' entregue.
. Subdelegacia da Capunga, 23 de maio de 1865.
O subdelegado em exercicio, Francisco Antonio
da Silva Cavalcanti.
Convida-se as pessoas queestiverem as con-
dfeoes do servigo militar, a engajarem-se no corpo
de polica, e gozarem das vantagens que offerece
a le provincial n. 611 de 2 do corrente.
Correio geral
Pela administracao do correio desta cidade se
MaraiiMo e Para
Segu brevemente a ro hiate Lindo Paquete, capito J'>ao Jos dosQuei-
jos Jnior : para o resto da carga que Ihe falla
tratase com o seu consignatario Antonio de Al-
incida Gomes, ra da Cruz n. 23, I" andar.
Para lisbou
Vai sabir breve b brigue poriuguez Laia II. ca-
diao A. F. Vieira, retwhe carga e passageiros; tra-
ta-se com o consigualario E. R. Rabello, ra do
Trapichen. 4"4.________________________
G0IPANH1 BRASILERA
DE
PAQUETES A VAPOR.
E' esperado dos jiortos do sul
at o dia 31 do corrente, o vapor
^ Paran, commandante o capito
meaas of the auctioneer F. J. Pinto.The, nuil,
lower masts and cargo of coal of th-) above vamed
barque m ihe enaot con lilion in sohicli tliey may
lie fund, and for account and ri-k of cohom it may
concern. The sale will lake place at I. P. M. of
the above mentioned day, m front of the Associa-
5A0 Commercial.
de fragata Antonio Joaquim de
Santa Barbara, o qual depois da
demora do costume seguir' para os portos do
norte.
Desdnj recebem se passageiros e engaja-se a
carga que o vapor poder conduzir, a qual dever
sere|mbarcada uo da de sua chegada, encommen-
das e dinheiro a frete at o dia di saluda as 2 ho-
ras da tarde : agencia ra da Cruz 11. 1, escripto-
ri; de Antonio Luiz de Oliveira Azevedo & C.
Leilio
Em continuucao tle livros, um prelo,
tvpos. nina ai'in u;ai) e objectos de
ouro.
(Anda que chora.)
Martins far leilo por ordem dos credores do
Rvd. padre D. Jos Aitoiiio dos Santos Lessa, dos
ohjeclos cima existentes no armazem da ra do
Imperador n. 37, em lotes a vontaia dos compra-
dores ao correr do martello.
Segunda-feira 29 do cerrente
s 10 horas do dia.________________________
Leilo de 4 cusas cni Apipucos.
Se^unda-feira 29 de maio.
(Linha frrea do Becife a Apipucos.)
O agente Pinto lavara no am?nte e pela ultima
vez a leilo as -4 casas em Apipucos j annuncia-
das, sendo 2 no alto e do lado direito da povoacao,
e as outras ao lado direito ao sahir da ladeira, as
qoaes se tornara recommeudadas em Consequencia
de seus comitiodiis^__________________________
~iLcHa de divida*.
Martins far leilo por ordem do Illm. Sr Dr.
Claudico de Araujo Guimaraes cnsul, de Portu
gal, das dividas activas dos esnolios de Pirmino
Pacheco Gomes e Antonio Jos Vieira Braga, sen-
do estas na importancia de 1:600380' rs., e
aquellas na de 3:1843230 rs. em letras e contas de
livro, as relacSes se acham em poder do mesmo
Martins onde podem ser examinadas.
Terca-feira 30 do corrente
em seu escripto"rio_r_ua da Cadeia n. 9, as 11 horas
Leilo de movis, crystaes, joias de
ouro e relogios etc.
Terca-feira 30 do correte as 11 horas.
(Sem limites.)
Coideiro Simoes tara leilo de 1 mobilia de ja-
3000 Bilhetes.
N. B. Os premios maiores de 4003000 estao su-
geitos ao descont da le provincial, e os maiores
de 1:0005000 ao da le geral.
Thesouraria das loteras 11 de maio de 1865-
0 thesoureiro,
______Antonio Jos Rodrigues de Souza.
-iVBSVETE
POftTUGliEZ uELhliL'lti Eil PEH-
Por ordem da directora, e em virtnde do art. 17
e ^ 3" do art. 4 dos estatuios, faco scienle aos her-
deiros on representantes dos socios enVctivns Joa-
quim Vieira Coelho, Miguel de Almeida Gomes.
Joao Baptista da Bocha, Joao Jo- Mendos da Silva,
Antonio de Azevedo Maia e Joaquim Francisco dos
Santos, que no praso de 12 mezes, a contar da data
deste aviso, transliram ou lomera a si os diplomas
dos socios fallecidos, como Ihes faculta o art. 18.
preenchidas as formalidades dos y Io e 3 do art.
12 dos mesmos estatutos.
Secretaria do Gabinete Portuguez de Leilura 28
de maio de 1865.
A. Joaquim Vinhas Maia
Secretario.
l'recisa-se de um bom ozinlie.ru, prefere-se
captivo : na ra do Crespn. 4.
O bacharei Joo Franklin da Silveira Tavora
advoga no eseri; torio do Dr. J. de Campos, praca
de Pedro II n. 2.
Vende se o veleiro e lieni condecido patacho
nacional Palma, de lote de 222 tonelladas, cons caranda.! cama franceza de Jacaranda, 1 mobilia
truido em 1861 : a tratar rom os consignatarios ae amarello, 1 rico guaraa lonca, 1 estante para
Henry Forster & C, ra do Trapiche n. 8. livros, 2 cadeiras de balancd, l"secretaria, 1 guar-
da ropa com espelho, 1 ca'rteira para esenptorio-
1 prensa para copiar cartas, 1 tocador, 2 marque,
zas, 12 cadeiras de jacaradd, l mesa elstica, I
cama do ferro, 12 cadeiras de amaretto, diversas
eadeirasde faia, copos, garrafas, clices, aparehos
para cha, relogios de parede, ditos de algibeira,
aderemos de ouro, e outros inuitos objectos que es-
tar patente aos compradores.
Ser efectuado o leilo a ra da Cruz n. 57.
fazenda de algodo ; a
a J. Kelli-r A C.
17 volum-s fi
H wie.
1 dito dita .
t diUs ditas ; a Mello Lobo & C.
3 ditos ditas ; a ordem.
11 ditos ditas ; aJ. Puier & C.
52 ditos ditas ; a S. Johnston.
i dii m ditas ; a Isidoro Netto.
40 ditos ditas ; a Gibson
:ii ditos ditas ; a Southall Mellors A C.
4 di tus ditas : a Mills Latham.
2 unos ditas; a Sghibourn.
3 titos ditas do linho ; a G. Scott.
% ditos dius ; a Pbipps Brothers i C.
| .tito ditas ; a orjem.
1 4iio ditas mixta ; a ordem.
12 volantes ferragens; ordem.
O Illm. Sr. inspector da thesouraria provin-
cial, em cumprimenlo da ordem do Exm. Sr. pre-
sidente da prpvincia de 22 do corrente, manda fa-
zer publieo, que no dia 22 de junho preximo vin-
douro, parante a junta da fazenda da mesma the-
souraria, vai novamente a praca para ser arrema-
tada a quera por menos fizer a obra da concluso
da casa da cmara e cadeia da villa do Bonito,
avadada em 8:3o3-
A arremataco ser eita na forma da lei pro-
vincial o. 343 de 15 de maio de 1854, e sob as
clausulas especiaes publicadas anteriormente.
E para constar se mandoa publicar o presente
pelo jornal.
Secretaria da thesouraria provincial de Pernam-
buco 24 de maio de 1865.O secretario,
A. F. d'Anounciacao.
O Illm. Sr. inspector da thesouraria provin-
cial, em cumprimento da ordem do Exm. Sr. pre-
sidente da provincia de 10 do corrente, manda fa-
zer publico qne no da 14 de junho prximo vin-
douro, perante a junta da fazenaa da mesma the-
souraria, se ha de arrematar, a quem por menos
fizer, a obra da cadeia da cidade de Nazareth, ava-
hada em 18:0933900 rs.
A arremataco sera feita na forma da lei pro-
vincial n. 343 de 15 de maio de 1854, sob as clau-
sulas especiaes abaixo declaradas.
As pessoas que se propozerem essa arremata-
cao, comparecam na sala das sessoes da referida
junta, no dia cima indicado, pelo meio dia, e com-
petentemente habilitados.
E para constar, se mandoa publicar o presente
pelo jornal.
Ceara e Marauhao
Segu com brevidade o hiate nacional Lindo /"'a-
quete, capilo Joo Jos dos Qneijos Jnior: para
alguma carga que anda pode admettir, traia-se
com Antonio de Almeida Gomes, roa da Cruz n.
23, escriptorio.___________________-________
rara
Est carga o brij-uo escuna nacional Graciosa
capito Jacintho Aunes da Costa, consignatario
Antonio de Almeida Gomes, ra da Cruz n. 23,
pnmeiro andar.____________________________
Rio de Janeiro.
A barca brasileira Joeem Palmira de primeira
ciarse, sejue com brevidade, e tem mera carga
contratada, para o resto, tratase com o consigna-
tario Joo Francisco da Silva Novaes : Travessa
da Madre de Deus n. o.
Para a Bahia
faz publico, que er virtude da convenco postal de j pretende sabir com muia brevidade a veleira es-
6 de selembro de 1863 celebrada pelos govejnos | enna atiza por ter a maior parte da carga, e para
brasileiro e italiano se expedir no dia 30 do car- 0 resto que Ihes falta trata se com o consignatario
rente pelo vapor franeez mala destinada ao correio Joaquim Jos Gongalves Beltro na ra do Vigario
ambulante de Suza a Turin. As cartas destinadas; n. io, primeiro andar.
Italia e aos estados do Papa pagaro 430 rs. pelo ------------------i---------------------------------
peso de 2 oilavas ou fratajo de 2 oitavas ; para ViV O I Ol'tO
Tunes, Malta, Grecia e Alexandria do Egypto 540
Iiaii-1'ei-encia do leilo de mobilia.
Para qtiarla-fei a 31 do corrente.
Em consequencia do mo lempo nao pode ser
effectuado o leilo do Rvm. Sr. G A. Austin an-
nunciado para sexta-eira por cujo motivo flea
tnnslerido para quarta-feira 31 do corrente na
ra do Hospicio n. 26, as 11 horas da raauhaa as-
simeomoo eav.llo tambera aanunciido.
^a -i 3 9 V rs - 5 3. e c C5 H
a M -1 -i 'Ji v> l o 3 2 3 -1 c i - a n V-3" 19 O. V o V -t s > as c < o O o-f a -T
y* o n o O. ai o s V 1 --> o VI Q. en a V a. o n o -A o o* 1 o. o v. a. s -. o fi u 3 7. H O > 2
ATTENQhO.
1TIS0S DIVEBSOS.
rs. pelo mesmo peso ; os jornaes e mpressos de segu com brevidade para aqoelle port.
qualquer natureza para a Italia pagaro 50 rs. por portugneza Armado, de classe, por
11 oitavas ou fraccao de II oitavas, e para os on- tercos do carregamento prompto -
porto a barca
ter dous
para o resto e
__ Aluga-se um pequeo armazem na ra da
Paz, proprio para qualquer estabelecimento em
ponto pequeo : a tratar no pateo de S. Pedro nu-
mero 4.
Carlos H. Isacson vai para o Rio de Janeira,
~_ Mari~d#"Nat]vfiade Ferreira, Brasileira,
vai a Europa tratar de_sua srude._____
Raphael Snaret, subdito franeez,
pretoade
n> tros lugares cima mencionades 100 rs. pelo mes- passagoiros, para os quaes iem exceiienies commo- i v
mo peso, sendo o porte das cartas facultativo e o dos trata-se ou com o cap. tilo Antonio Francisco, france rets*. --------------------
dos tornaes obrigatorio !da Silva Nunes' ou com os consignaUnos Marques Lui, Maria Pereira, subdito portuguez
As cartas sero receidas al 2 horas antes da Barros & C, largo do Corpo Santo n. 6, segundo ra.se para Portugal.
andar.
ren-
que for marcada para a saluda do vapor, e os jor-
naes al 4 horas antes.
Admittera-se a seguro tanto as cartas como os
jornaes.
Correio de Pernambuco 20 de maio de 186o.
Q administrador,
Domingos dos Passos Miranda.
TIIE.1TIIO
DE
Para w Kio de Janeiro.
Pretende seguir com muita brevidade o palha-
bole Piedade, tem parte do seu carregamento a
bordo, para o resto que Ihe falla e escravos a fre-
; te para os qoaes tem excellentes commodos, tra-
' ta-se com os seus consignatarios Antonio Luiz de
Oliveira Azevedo & C, no seu escriptorio ra da
Cruz n. 1.
s
LEILOES.
EMPREZA--GOLMBRA
Lco d* fabrica de bolitas e sapatos
com arra 'rao, raacliiiias de coser e
cortar solfa e todos os mw per-
S^cretairn da tbesouraria provinci! de Per-- Sabl>a H53mc A"'"*0 *-S "^ da asignatura. i O agente Pestaa .eximente autorisado fara'
naXfas esoeciaes Da a arretnatteo.. Subir a scena pela primeira vez neste theatro I lr conla e risco do quem pertencer da fa- ?50.
iSSi."6r. 1^^*^ -srr^-.iww
junto, na importancia de 18:093*900 rs. iYlalftl? Jll> IMl
2.' O arrematante seraobrigado a dar principio .IIK I. T | H } 1
aos trabamos no prazo de 30 dias, e concluidos IlllHU w,f|
no de ura anuo, ambos a contar da data da assig- DEMoniiueAO w actos.
natura do contrato. ..... A oacao da familia.
3.* O naaamentos sero feitos em 3 prestacoes S*dlte...... O ladrao ao jogo.
ignaos corraspondenlas a cada lerenda obra Onda. 3 dilo..... A cesUnha de pelas.
4* Nio ser em teopo algumattendida qualquer 4 dito...... O perdao da Blha
reclamaco por parte do arrematante temlen-. 5 dito..... Reparajao e morte.
arma eao.
' t, couros, sola, be'zerros, formas, orna grande
machina de corlar sola, diversas para coser obras
e mais aviamento%m um ou mais lotes a vonta-
de : sabbado 27 do crrente pelas 11 horas da ma-
nha na mesma fabrica. ________
Leilo de dividas
H04K
O agente Pinto fara' leilo a reqaerimeulo dos
Pailet Nicols, subdito franeez, retira-sa para
fra da pravineia. ^^^________
FEITOR.
Precisase de om feitor que seja capaz, e dando
boas informaedes, sendo casado d-secasa propria:
na roa Nova n. 19, primeiro andar.
"^Manoel do Nascimento Vieini da Luana, vai
a Europa tratar de sua sade.
" O abaixo asignado, thesoureiro da
associaco protectora das familias dos vo-
luntarios da patria, comeca a pagar, no dia
ldejuaho prjimo fular, em esa de
sua residencia, prifceiro andar do sobrado
n. 24 do largo do Livrameto, das 6 as 9
horas da manhia, e era vista das notas de
matrculas quelbe fbrem apiesentadas, as
inensalidades a que para cow as mosmas
familias est obrigadaa mencionada associa-
Recife, 2 de maio de 1805.
Luiz Jos Pereira SiraOos.
Deseja-se saber a mirada do Sr. Manoel Baptis-
ta Barbosa para se ihe fallar a negocio de seu in -
teresse.
Precisa-se de um homem portuguez que quei-
ra se encarregaa do tratamento de gado de fra :
a tratar na ra do Cabuz n. 3. loja
Precisa-se de un> amasssdor : na pada^ia
em anto Amaro, airar, da fundico de Sr. Starr.
AMA
Precisa-se de urna ama para coznha de una
casa Je pouca familia : na ra Direita u. 91,' pri-
raeire andar.
PrfCisase alujar una ama ipie seja escrava
para o servigo de casa de pouca tamilia : ua ra
da Fmperatriz n. 17.
Chama-se a atten^ao do Sr
viga rio Cripitulir.
Ha poneos dias, na cidade do Bio Formoso, um
sacerdote all residente representou um quadro
vivo com urna prostituta, para urna tereeira pes-
soa ver mediante urna paga ; e pan que elle nao
continu a praticar aetos de tao sonida immorall-
dad, e requintada depravaco, chamamos a at-
tencao de Sr. vigario capitular, para que mandan-
do syndicar do facte, |wssa lor conlieciuiento de
sua veracidade, e partir severamente a esse sacer-
dote, que nao o primeiro ero sera' o ultimo acto
escandaloso que ella pfMique._________________
CASA M BAMIOS
Largo d* Carme unauero 26.
Este eslabelecknento to l>ein niunlado na sua
origem, chava-se de a moito em quasi completo
abandono pelo pouco nte-resse de >ua adminis-
tracao.
Hoje que o novo p*-ep*etaro (mprega lodos os-
mei-is para rcstafaelecef a grande ulilidade desle
estabelecimentov pode asegurar ao publico qne^
qualquer que seja o-numero dos concoi reiiins acha-
ro desde j arompt-oao aceto nos bouhos friof^
momos ou naedicioaes, a casa dos hanhos se acha-
ra aberta lodos o dias das 6 da manha as II da
ooile.
Procos.
1 hanho rio en morao......500
1 dito d fareilo........MOOO
I dito medicmal ser segundo a qualidad..
Socartes.........W*
lidia. ._. ....... 5*000
Preeisa-se de orna ama para corAnr, que
seja Mea e despachada em seus servii;o : na ra
do Imperador n. 40, primeiro andar.
O abaixo assignado declara que desde o di
17 do corrente deixou do ser caixeiro ins.-r-s. Cas-
tro i Lima.<\atonto Joaquim Fcrn.>ndes
O ahaixo assignado deixou i)e ser calni'ira
dos. Srs. Castro Lima desde n dwv 2Vd< cortcfl-
le ui"7. ABbMMO de Almeida Lhwk.
iVn roa estreita d>> Rosario, n 24, loa,, pre-
ct-se fallar afrSr. Migcei da Cnnhn Aranf Pi-
nheiro, rendeiro e consen!> crutenhiv Bu-tino,
ancora apompronte ou -proaarad r s#*n
ti mi:
Precisa-se de urna ama
na ra da Aorora n. 28.
d leito
Pede-se a pesso que achar um embrulho de
comas de algodo, que perdeu-se de um carro, da
ra do Mondego1 al o Campo das Princezas, o ob-
sequio de entrgalo na roa do Trapiche n. 8, que
ser devldamentegraliflcada.
Manuel do. Naelm mVo, Vieira da Cunta vai a
Europa tratan de soa samlcv
Desupimrecwr a-esrrava Liuia. oi os sig-
naas saguintos : cabra, aU,Jaifra, iMia falla.i
denles, tendo um tallw grande o> t> des, e quando falla apena os olh >-, bastante la-
dina, jolga se andar por 0.in.ia : uuem a peil*r,
leve a roa da Cadeia do Beeifa n. 6\______
l'recisa-se de urna ama para enjommar e co-
ser, para orna casa de duas pessoas ; ua ra da
Imperatrii n. 31, primeiro andar.
I
I
ILEGJVEL



Diario de Fernambnco .- Sabbado 19 e Haio de 1S&.
.
A GACETA
Do Norte.
SaWo o 7* numero e esia a venda na
Acadmica roa do Imperador n. 79.
Precisa-se sempre de vendedores dessa
paga-se 20 por cento. ________
O abaixo assiguado, morador na roa do Ro-
sario n. 2 da Boa-Vista, fai sciente aos u>vedores
do Sr. Joaquim Dias Pinheiro Larangeiras, que
tendo arrematado as dividas pertencentes ao dito
senhor, cuja relaco me foi entregne pelo agente
de leudes o -r. Antonio Jos Cordeiro SiroSes, e
portante elle o nico autorisado a receber taes
dividas, e tem marcado 30 dias para os senbores
devedores virem ou mandarem-pagar seus dbitos,
Ando o qual se promover a cobraoca judicial.
_______________Dent Jos Cordeiro._______
No amanhecer do diasabbadopara deraingo,
21 de maio, fuaram da padaria do Monteiro ura
cavallo preto, de carroca, bastante grande, com
Alugam-se as lejas do sobrado o. 2 junto a
igreja dos Mariyrio?, muito proprias para um bom
estabelecimento de moldados por ter bom arraa-
zem e muito bem loealisaJo para fornecer-se vive-
res ao grande numero de casas de suas mmedia-
Livraria Qoes, podendo nelle residir familia por ter 4 quar-
tos, coiinba (ora, quintal e cacimba, podendo tm-
beos d. sfazer-se a alcova para maior < orno do es-
tabelecimento, e fazerse sabida pelos uados para
a ra do Caldeireiro, para melhor commodidade
da familia : a tratar na roa do Crespo n. i5, ou
estreita do Rosario n. 32.
gazeta
A irmandade de-N. S. da uonceicao dos Mi-
litares precisa contratar a capellana com qaal-
quer reverendo sacerdote; devendo entender se
com o thesoureiro lente Hanoel Joaquim Hacha-
do. As missas nos domingos e das santificados
sero celebradas as 8 horas em ponto._________
Precisa-se de urna ama de leite: na ra Im-
perial, sobrado n. 87.______________________
Apparecendo um annuncio n Diario de Per-
nambuco do dia 23 de maio em que diz que vai a
praca no dia 26, a oropriedade na roa dos Gua-
um p calcado de branco, cabeca um tanto grande, rarapes pertencente a Domingos Pereira da Cosa
com um signal na testa branco, e com a venta fe e sua mulher, faz ver o abaixo assigeado que len-
rida da picadeira : qnem o pegar, dirjase mes-1 do vendido ao dito Domingos Pereira a Costa a
ma padaria que ser bem recompensado._______: metade do terreno que se acha em questao e como
~~ i ji jT~ i este nao satisfizesse a importancia do dito terreno,
ATXeilyaO. vio-se o supplicante na necessidade de por accao
Precisa-se de urna pessoa de idade e honesta pa-! de reivindicago do dito terreno de cujo j so acha
ra casa de pouca familia, dando-se a comida e rou- de posse por urna seo tenga dada pelolllm. Sr. joiz
pa na ra das Cruzes n. 37, priraeiro andar. municipal da segunda vara e as bemfeitorias que
. -------1,- ,.. no mesmo existe, tem de fazer penhora para pa-
_ O propnetario de urna eicelleBtes ano ment0 de costas e dinheiro que adiautou ao sup-
termo de guarassu, recebe animaes para all en- |jcad ediflcaco do meSmo terreno,
gordarem, tanto cavallar como vaceum, mediante r R ,' F,. m.if*d. 18fi
l paga de dez mil ris por cabeca, podendo serem
all conservados por um anuo : para tratar e me-
lhor esclarecimento, os pretendentes se devem di-
rigir roa das Trlncheiras, sobrado n. 48, primei-
ro andar.
GASA DA FORTOM.
Aos 6:0000000.
GRANDE ARMAZEM DA EXPOSIQAO DE LONDRES!-~_Sa.:_S2.SSS-.ss
llllbeles garantidos.
A' roa do Crespo n. 23 k casas do costume.
O abaixoassignado venden nos seas muito feli-
ces bilbetes garantidos da lotera que se acabeu
de extrahir, a beneficio do theatro de Santa Isa-
bel, os segnlntes premios :
Um roeio o. 1976 com a sorte de 6:000*000.
Um meio n. o9i eom a sorte de 1:200*000.
E outras muitas sortes de 100*, 40*, 20* e
I0#000.
Ospossoidores podem vir receber seus respec-
tivospremiossem os descont* das leis na Casa
da Fortuna ra de Crespo n. 23.
Acbam-se a venda os da 3' parte da Ia lotera
(17) beneficio da igreja de N. S. da Boa-vlagem, xendas flM- modrnas
que se extrahira a 27 do crreme. | {rancezes
PRECO.
Bilhetes.....7*000
Meios......3*500
Quartos.....1*900
Para as pessoas que eonprarem de 100(5000
para eima.l
Bilhetes.....6*S0O
Meios......3*250
Quartos.....1*700
Manobl Martins Fiuza.
DE :
THOMAZ TEIXEIRA BASTOS
N. 60-Rua da Cadeia do Becie-N. 60
Todos os arligos abaixo mencionados, foram comprados recntenteme pelo dono do estabele-
cimento as priBCipaes fabricas de Pars, Londres, Birmingbam, Mancbester, e em diversas cidadls
da Allemahha, e tendo comprado tndo as melhores condicoes por ser a dinheiro, por isso vende todo
e qualquer artigo barato, por menos do seu valor, e mui principalmente por querer inteiramente liqui-
dar e ter de partir muito breve para a Europa.
Ha neste vasto armazem ricos objectos com brilhantes, como botoes, anneis, rosetas etc., e
I bem assim, diversas obras de ouro, como trancelins, correntes, oculos, face-mains, anneis, e muitos
! outros artigos, relogos de ouro, inglezes, do afamado fabricante Bennette; completo sorlimenlo de fa-
s e modernas; miudezas, perfumes, perfumaras finas dos prncipaes fabricantes inglezes e
como L. T. PIVER, Labio, L. Legrand, Ed. Plnaud & Meyer, Delettrez (Parfumerie du
| raond lgant), Violet, Societ Hygienique, Mopelas, Mailly, Regnier, P.'Gueland, e inglezas de Eug.
i Rimmel e outros ; ricas galantarias em marfim, mar de perola, etc., fabricadas na China e no Japo;
ricas pecas de cristal fino como ainda nao appareceram nesta cidade, e bem a. sim modernos lustres
para velas, ditos para gaz e para petrleo, serpentinas, casticaes, enfeites e adornos para cima de con-
l solos e para grande toilletle, o que se tem feito de mais elegante em Pars, em Londres, Birmingham
| etc.; modernos apparelhos de metal Gno inglez para cha e caf, os quaes nada tem de inferior prata,
e muitas outras pecas do mesmo metal, ricos pentes de tartaruga da ultima moda para trancas de se-
nhora?, excedentes (uvas de pellica do afamado Jouvd, apparelhos de porcelana fina para cha e caf,
i ditos para jamar, e immensos artigos de porcelana fina dourada, como ricos vasos para flores, figuras,
i etc.; calcado dos prncipaes fabricantes de Paris e ditos de panno cera sola de borracha, pianos dos
celebres fabricantes Pleyel, Wollf Si C, realejos modernos de Gavioli & C, para se tocar na ra, ditos
a iraiar
m
H que
M ton
Aluga-se o segundo andar do sobrado da ra
da Penha, n. 5, com bastantes commodos para fa-
milia : a tratar na roa larga do Rosario n. 26, to-
ja de louca.______________________
No da 24, pelas oito horas e meia da noile,
roubaram dos fundos da taberna n. 1 do becco Quem, por engao, Jevou no dia
Largo, um bahuzinho de folha de Flandres, com q corrente, segunila-feira, um chapeu
Manoel Martins de Carvalho.
Jos Alves Lima declara ao respe'tavel pu-
blico, que nenhuma parte directa ou indirecta te-
ve no abaixoassignado que alguns commerciantes
dirigiram a asseciacao coramercial e publicado no
n. 11 do peridico Nova Cr'tse, embora ahi venha
o sea nome.o que elle atlnbue a algum eng.ino.
Precisa se alagar um preto para o servico
de casa : na roa das Cruzes n. 42.
da
reacia domestica. para casa de familia, que
paga e trata bem : na ra da Imperatriz, sobrado
n, 13, priraeiro anda.
22
duzentos mil ris em moedas deprataie| papel^e | -j ^'i^^*H^lOtton^a^
os quartos da lotera da provincia, que deve cor-1
rer'quaiquer destes das,ns. 2418 e2238, assigna-: o obsequio de deixa-lo nesta typographia.
dos no verso por Joo Ferreira de Souza e Do-; que O seu dono lae ficar muito grato. /
mingos Ferreira de Souza Vasconcelos, e ns. 75. IMtFVI.FMF
Sociedade de seguros mu-
tuos sobre a vida.
Fundada e id mi ni simia pelo banco
AI Manca do Pollo.
e 2430 assignados s pelo ultimo, e inais um ou-
tro com a mesma assiguatura, cujo numero ig-
nora-se. Quem dr noticia certa na mesma casa
ser generosamente gratificado ; ao Sr. thesouseiro
e cautelistas, se roga o obsequio de nao pagarem
qualquer premio que possa ter, apprehendendo o
portador delles._______________________
Ama de leite.
Prcisa-se do urna de leite : na ra ra Nova
n. 31, primeiro andar._____________
Precisa-so alugar una escrava para casa de
familia : na ra Augusta n. 31, sobrado.________
Ama de leite.
Precisa-se de urna ama de leite : na ra larga
do Rosario n. 26, segundo andar.____________
Precisa se de um porluguez de meia idade
solteiro, para tomar conta de urna coxeira na ulti-
ma estaco da va frrea : a tratar na ra Bella
n. 20. __________________
Joaquim Francisco Lavra, socio liquidatario
da extincta firma de Lavra 4 Irineu, declara que
tl'ora em diaute o resto da liquidaco fien de jus
Ihe pertencende, visto ter o socio Irineu Januano
de Oliveira recebido em data de hoje o saldo de
seu capital, do que Ihe passou recibo ; e como jol-
ga nada dever acerca da mesma liquidaco, pede
a quem se julgar credor de apresenlar seus ttulos
na ra do Queimado n. 34 para ser indemnisado,
e isto no prazo de 8 dias. Recife 22 de maio de
______1865.___________________________
AntonioJoaquim de Faria Jnior por haver
outro de igual nome nesta provincia, se assignara
do Io de junho prximo em diante Antonio da Sil-
va Paria._____________________________
Precisa-se de um hortdao que saiba tratar de
larangeiras, etc., em um engenho distante quatro
legoas da cidade do Uecife : a tratar na ra da
Aurora n. 28.
O abaixo assignado transferio sua residencia
da ra da Aurora para a do Pires, sobrado n. 3.1.
Joaquim Btrnardo de Mendonga.
soblivDotheca de hen _fli m,S dehee na cora guras para saldes e ditos com figuras era movimento ; modernos e bonitos instrumentos de physi-
loia dehvros na orara d^nd^Hda n 8 um! c,Kmafic*> para ,neatros ou sa^es, ditos de phantasmagoria ; lanternas mgicas, cosmoramas com
Srta fechada SSS^SSl\ a'auanUa vislas novas-dia e nile stereocopios de nova invenco e cora bello sortimento de vistas das prncipaes
awJS^com^!i^7 T icidades da EQrPa Krnde sr'raento de brinqudos finos para criancas, e bonecas fallando papai,
H K <~ -, o "" -----------------j mami grande sortimento de candieiros a gaz, os que se tem feito de mais elegante e que tem mere-
Precisa-se de urna senhora nacional ou es- cldo toda a aceitacao na Europa, grande e magnifico sortimento de caixinhas, ceslinhas e outras galan-
trangeira para ama de meninos, e capaz de, na terias feitas de crina e seda propnos para presentes; grande sortimento de estampas finas coloridas
ausencia da dona da^casa, se encarregar da ge- com o fundo preto e de ooiras de todos os santos, ditas com figuras e ditas com novas paysagens para
cosraoramas, finos e bem graduados vidros para cosmoramas, um bello chafarz de christal, proprio
para meio de mesa de jamar ou para jardira ; cutelaria fina, como talheres com cabo de metal fino, co-
Iheres, thesouras finas, ditas modernas para alfaiates, navalhas finas, caivetes e outros artigos, diver-
sos artigos feitos de rame; completo sortimento de mascaras de velludo, setim, cera, papelao e art-
me, doces, confeitos e chocolate em caixinhas e em vidros; camas de ferro de,todos os tamanhos, lava-
torios, etc.; ricos quadros para cartoes de visitas e ditos grandes e pequeos para retrates; chapeos
de sol, bengalas, chicotes e ditos para carros; machinas para fazer cal, ditas para bater ovos, proprias
para quem faz po-de-l,bolinhos,etc.; bellos cortinados arrendados, verdes, encarnados e brancos;
pannos para cobrr mesas, boleas grandes e pequeas para viagens, e ontros artigos, como cobertores,
malas, etc.; sortimento de violoes finos; figuras finas e jarros de alabastro ; galaniarias e outras pecas
de charlo para toilletle ; machinas para varrer o chao, excellentes machinas para photographia para
cosinhar tirar retratos, grandes e pequeas ; lindos baldes de papel fino transparente e lanternas coloridas para
na roa illuminacoes a moda de Paris, salva-vida de borracha, para homens e senhoras, proprios para quem
toma banhos em lugares fundos; ameixas novas em caixinhas, blscoitos inglezes em latas, graixa in-
gleza 97 ; cerveja era barricas das prncipaes marcas de Londres, queijos etc., e muitos outros artigos
qnepara enumera-Ios seria um nunca acabar, e todos se vendem barato e inulto barato no grande ar-
mazem da Exposicao de Londres, na ra da Cadeia do Recife n. 60.
Precisa-se de urna mulher de meia ida-
de para casa de pouca familia, que saiba
cosinhar e engommar : na ra das Cru-
zes n. 37.
Precisa-se de urna ama que saiba
e engommar para casa de pouca familia :
da Cadeia n. 5, segundo andar.
Pede-se ao Sr. Jos fioraes Silverio (de Santo
Atitao; o favor de apparecer na ra do Queimado,
casa n. 7.
Duarte & C. estabelecidos no largo do Car-
ino, ra do Queimado e Imperador, pedem a todos
os seus freguezes que se achara devendo, o favor
de mandarem pagar at o dia 13 de junho vindou-
0 seguro mutuo sobre a vida una das mais
econmicas e moralisadoras instituicoes at hoje
conheculas, e aquellas pessoas que a estudarem
cuidadomenle, cora facilidade comprehenderao
que com um pequeo desembolso cada anno adqui-
rirlo em pouco lempo urna fortuna, que as poro
ao abrigo da miseria, se por desventura sua esta
Ihe for bater porta.
Nenhuma das companhias existentes pode offe-
recer aos seas associados garantas como as que
Ihes offerece a Prevtdente, que sao o capital de
4,000:0005000 do banco Allianca, que, na confor-
DINHEIRO FRANCEZ.
Vendem-se moedas de ouro e notas do Banco, e bem assim urna colleccao desde um centesimo
ro,e findo este praso publicaremos seus nomes por a, mil francos : vende-se barato no Recife ra da Cadeia n. C0.noarmazem da Exposicao de Londres.
extenso, e se assim nao fizerem mandaremos co-j__________________________________________________________________________
brar judicialmente sem excepeo de pessoa.
Pede-se ao Sr. Francisco Jos da Costa Gui-
maraes, morador no engenho Cuiambuco, o favor i
de vir a ra do Queimado n. 7.
Aloga-se urna casa terrea no Campo-Verde
ma do Socego n. 2, cora commodos para familia :,
na roa do Raogel taberna n. 7.
es
<
I i
o
se es
com jardm, coeheira, estribara e cutas commo-
dldades, na travessa de JoSo Fernandes Vieira :
a tratar na roa 4a Senzala Nova n.42.
as mmmm mmm
O bacharet Loorenco Avelin de Albu-
querque Mello continua a ter sen estrip-
torio de advogado nos auditorios e tribu
naes desta cidade : na ra do Imperador
0.40.
mmm&mx mmmmmmmm
Cansiltorio mfdieo-ciruryite di ra larga 1
Rosario d. 20.
O Dr. Joio Ferreira da Silva rogressando a sna
casa, contina em o exercicio de sua profissao nao
10 na parle medica como tambem na cirurgica.
. Aluga-se o segnndo andaFda casa n. 33 da
roa da Matriz, tem commodos para grande familia;
e o segundo andar da mesma ra n. 35 : a tratar
com o Sr. Amonio Joaquim Ferreira Porto, na
Ponte Velha, ou com Miguel Joaquim da Costa, na
ra da Cadeia n. 12.
MMSMKattSMaK
O Dr. Cosme de S Pereira conti-1
na a residir na ra da Cruz n. 53,
s
________ w
o <=>
Atten(/L0. Para completa liquidadlo vende se, por muito menos de seu valor, perfumaras muito finas e
No armazem do pateo do Carmo esqoina da ra novas chegadas recentemente de Paris e de Londres dos mais afamados fabricantes seguintes : Eug.
midade do artigo 61 dos estatutos desta sociedade, de Horta n 2 venle-se queiio do Sendo muito R'mmel, R. Matheus 4 C, Lubin, Sociedade Hvgienica, Piver, Violet, L. Legrand, Deletrez, Pinaud &
res'cal a'700 rs a libra dito de coalha a 640 di- i Meyer. Regnrer, Mailly, Gillet frere etc., etc., dos quaes ha grande sortimento d'agua de colonia em
to suisso a 600 rs. i v!dros e garrafas, agua de lavande, agua para limpar dentes, oleo babosa, extractos em gariafinhas e
vidros de differentes modelos, pos para limpar dentes, banha era potes e em vidros, pomadas, ricas
___ A I i T_ i > _F_ \ n l ___ i n --_ ___h _r_ __f ___ w. _T _____ __. ___.!* a____ __ __P___._____________________ _______A___- _____l________k T______ __ ^ _______ J ___ __
Tin tur aria
responde aos seus socios pelos actos e boa admi
nistracao da sua gerencia, bem como pelas dos
seus empregados e mais representantes.
Eia, pois, pas de familia, corre a inscrever vos-
so nome na Previdenle, por vos ou por vossos ilhos,
e veris assim, em pouco lempo, um futuro cheio
de ventura e proficuidade, que por outra maceira
se nao conseguira e cora tao pequeo dispendio e
sacrificio.
Subscriptores at 20 de abril prximo passado.
Subscriptores. Quantias subscriptas
Moeda forte.
Capital subsciipto at 20 de abril, ja
publicado..................... 141:6005000
Albino Jos da Silva.............. 3:000,5000
Augusto Cezar d'Azevedo Guedes... 1:250,5000
Americo Nuncs Correa..........v 2005000
Antonio Alves de Moraes.......... 1:0005000
Manoel Duarte de Figueirddo....... 1:2o05000
Manoel Martins d'Oliveira Azevdo.. 1:2o05000
M. B. T....................... 6:2505000
Jos d'Azevedo Maia e Sil va....... 2505000
Antonio da Silva Pontes Guimaraes.. 1:2305000
Manoel Gomes da Cruz........... 1:000000
caixinhas e balainbos com perfumaras para fazer presentes, e muitos outros arligos que se vende por
menos de seu valor, bem como todos os arligos era geral existentes no grande armazem da Exposijo
de Londres, na roa da Cadeia do Recife n. 60.
Para senhoras.
Aluga-se a sala da frente do sobrado n. 15
da ra do Queimado, proprio para escritorio ou
advogado : a tratar na mesma roa, botica n 15.
\ qnem pretender.
No dia 12 de junho corrente tem de ir a praca
I publica por arrendamento pelo jnizo de orpblos
I da comarca de Goianna, o engenho Republicano, rcos e modernos pentes de tartaruga para tranca de senhora, o que se lem feito de mais ele-
j cojo engenho e talvez o que melbor terreno tem ganle at0 presente : vende-se por menos de seu valor para se liquidar, no grande armazem da Ex-
naqnella comarca, boas matas annexas, boas e es- poSjSao de Londres, na ra da Cadeia do Recife n. 60
pacosas casas de engenho, de purgar assucar e de
vivenda. e boas aguas. Um dos herdeiros enca-
bezado em dito engenho obriga se a vender por
preco commodo a parte que tem as obras e trras
do dito engenho a quera o arrematar : quem o
Luvas novas de Jouvin.
Vendem-se.excelltntesluvas de pellica recentemente ohegadas de Pars, tanto para homem co-
prelender e querendo examina-lo, diijase ao mes- n>o para senhora or menos de seu valor, para se liquidar : no grande armazem da Exposicao de Lon-
mo engenho que ahi achara com quera tratar. tftes, na roa da Cadeia do Recife n. 60.
Manoel Cirpinteiro da Silva faz publico
Io e 2o andar, onde pode ser procu-
rado para o exercicio de sua profis-
sao medica, e com especial idade
sobre o seguinte
Io molestias de olhos;
2o depeito:
3o dos org5os geni-
ti urinarios.
Em seu escriptorio os doentes se-
rao examinados na ordem de suas
entradas comecando o trabalho pe-
los doentes de olhos.
Dar consultas todos os dias das
6 as i0 da manhSa, menos nos do-
mingos.
Praticar toda e qualquer opera-
cSo que julgar conveniente para o
prompto restabelecimento dos seus
doentes.
ttttSSttftftfifftf
Samuel Power Jolmston & Companhia
Ra da ^'enzala Nova n. 4.
AGENCIA DA
Fundidlo deLow Moor.
Machinas a vapor de 4 e 6 carvallos.
Moendas e meias moendas para engenho.
Taixas de ferro coado e batido para enge-
nho,
Arreios d carro para um'e dous cavallos.
Relogios de ouro patente inglez.
Arados americanos.
Machinas para descarocar algodo.
Motores para ditos.
Machinas de costura.
Precisa se de um trahalhador para feitor de
um sitio : trata-se na roa larga do Rosario n. 20.
Caixeiro.
Offerecc-se um mogo para caixeiro, com bstan-
te pratica de taberna, e d fiador a sua conducta :
quem precisar deixe o numero da casa na praca
da Independencia ns. 6 e 8.
Precisa-se de urna ama de leite
de Portas, travessa do Chafariz n. 13.
em Fra
^
?>,

Antonio LourenQO Teixeira Marques.
Bernardo Jos d'Oliveira Machado...
Xa ra Direita n. 116 conlinua-se a tingir para Jos S Leitao Jnior
qu-iiquercor, e o mais barato possvel
___________
Joo da Silva llamos, medico pela l'ni
versidade de Coimbra, d consultas em
sua casa das 9 s 11 horas da manhaa, e
das 4 s 6 da tarde. Visita os doentes
em suas casas regularmente as horas
para isso designadas, salvo os casos ur-
gentes, que serao soccorridos em qual-
quer occasiao. D consultas aos pobres
que o procurarem no hospital Pedro II,
I aonde encontrado diariamente das 6"
s 8 horas da manhaa.
[ Tem sea casa de sade regularmente
montada para receber qualquer doente,
| ainda raesmo os alienados, para o que
I tem commodGs apropriados e nella pra-
tica qualquer operagao cirurgica.
Para a casa de sade.
Primeira classe 35000diarios.
Segunda dita.... 2*500
Terceira dita.... 2000
Este estabelecimento j bem acredi-
tado pelos bons servidos que tem pres-
tado.
O proprietario espera que elle conti-
nu a merecer a confianca de que sem-
pre tem gozado.
5005000
1:2505000
2:3005000
5005000
1:231)5000
1:2505000
quem interessar possa que cedeu a Manoel Pere
Barca o estabelecimento de taberna que tinha na
Casa Forte, da qual era gerente Bento Alves ; pelo
que de hoje em diante fica pertencendo ao cedido;
o annunciante suppoe nada dever do referido es-
tabelecimento, mas, se alguem se julgar credor,
queira apresentar sua reclanugao no praso de tres
dias para ser immediatamente satisfeito. f.ecife
23 de maio de 1895.
i
Villa do Bonito.
1
1
mimwm-mm-mm-mimmM
Santo Antonio.
FMando prximo o festejo do glorioso Santo An-
tonio previne-se ao respeitavel publico que est a
venda a trezena do mesmo glorioso santo, muito
tiem confeccionado, impresso nitida e broxada :
na ra do Imperador n. 15 defronte do convento
de S. Francisco.
Domingos de S Pereira Jnior.....
Flix Venancio de Cantalice.......
Vicente Teixeira Coimbra.........
JSiSSStea::::t::::::::: fSo ***,<*iorwefw_ic$o
Jos Joaquim Leitao.............. 3:75'5000 da? vlceras abdominaes, quer consecutiva a' in-
i Jos Antonio de Brito B.stos....... 7:5005000 flammacoes agudas, quer resultante das febres in-
Joaquim Luiz Ferreira Leal........ 630500O terraitentesDyspepesia, emlim em tedos os casos
Silvino Guilherme de Barros....... 5:0005000 em _e reclamar urna medicacao tnica, ou reme-
Antonio Jos Coimbra Gaimares... 5:0005000 dio a algum vicio de hematose
Antonio Vaientim da Silva Barroca.. 6:0005000 Pilulas e emplasto dejurubeba cura em 15
Jos Rodrigues da Silva Borges___ 1:2305000 dias
Manoel Jos Moreira.............. 6:0005000 pP.n,PiU mr J* F Iavuner*
Virgilio de Castro Oliveira......... 2:5005000 \
Joaquim Monteiro da Cruz......... 2:5005000
_____________________________21I:450500q
Acha-se fgido o escravo pardo de nome'
Ignacio, idade 33 annos, pouco mais ou menos, al-
tura regular, cabellos annelados, olhos pequeos,
e quando nr fleam quasi fechados, nariz um pouco
chato, tem alguns dentes podres e falta de outros,
corpo regular, falla bem, e muito conhecido nes-
ta cidade e era alguns lugares fra por onde tem j
andado ; portanto roga-se as autoridades jioliciacs
a aos capitaes de campo, tanto desta provincia co-1
mo das limitrophes, que o facara apprehender e
conduzi lo casa de seu senhor o major Antonio
da Silva Gusmo, na roa Augusta, sobrade n. 99,
que generosamente recompensar, e pagar todas
as df spezas a quem o conduzir. ;
M O baeharel
$1 Francisco augusto da Costa
___ v
3R ADV6GA0O
l Ra do Imperador numero 69.
* : _e
AVINO
Sociedade iVova Euterpina.
Pelo presente convido aos socios da referida so-
ciedade, para comparecer na sala das nossas reu-
nies no domingo 28 do corrente mez, as 10 horas
da manhaa, afim de era asserabla geral eleger-se
a nova directora.
Sala das sessoes da sociedade recreativa Nova
Euterpioa acs 25 de maio de 1865.
No impedimeoto do 1 secretario,
J. A. V. de Souza,
2- secretario.
Quem precisar de urna aiqa para todo o ser-
vi'; de portas a dentro,dirija-se a ra das Crozes
numero 42.
A abaixo asslgnada declara o Sr. Francisco
Correia Soares, qae em oito dias queira apresen-
tar-lhe ama sua letra da quaotia de 505 para ser
paga em descomo dos alugueis da casa onde mo-
rou conforme tratou com a mesma abaixo assigna-
da sua proprietaria, e que por esta razo nao pa-
gou os alugueis respectivos tendo j se modado, e
por isto nlnguem dever negociar tal letra, por cu-
jos juros nao se obrigar, tanto mais quanto no seu
venc ment nao Ihe fui apreseotada. Recife 24 de
maio de 1865. y
Mara Florencia de Souza Pinto.
Os abaixo assignados, moradores na ra da Ca-
deia do Recife n. 3, tazem sciente aos devedores
da massa fallida de Joaquim Vieira Coelho & C,
que lendo arrematado as dividas pertencentes a
mesma massa, sao ellos os nicos autorisados a re-
ceber taes dividas; portanto tem marcado o praso
de 30 dias para os senhores devedores virem ou
a andarem pagar seus debites, (indo o qual se pro-
mover a cobranca judicial.
Jos Joaquim de Castro Moura.
___________Joaquim Baptisia de Araujo.
Dentista universal
da humanidade, sem dor, tira dentes com palitos,
aos pobres gratis ; tambem chumba denles com a
massa mineral que dura para sempre, ficando o
natural; tambera bota dentes e dentadras por to-
dos os sistemas, a pressSodo ar, espigo voltanico
e da garfa ou colxele, a 55 cada dente, a qnem
quizer honrar com os seus servlgo?; pois para isso
serve a todas as pessoas cora,toda a presteza
Ensino primario.
Balbina Firmina da Silva Rosa, professora par-
ticular, avisa aos pas de suas alumns e aquel-
las peusoas que de seu presumo se quizerem uti-
lisar, que mudeu sua aula para a ra da Cadeia
do Recife n. 29, segundo andar. O ensino consis-
te era leitura e analyse grammalical, doutrina
christaa, arithmetica sebre nmeros interos ; e
quanto aos trabalhos de agulhas, consiste em cos-
turas chaas, labyrmthos, potito de marca, borda-
des de tapete, branco, matiz, ouro, froco, missan-
ga. eosina-se tambem louquinhas e sapalinhos
de 13a.
O London & Brazillan Bank, saca por doos
os paquetes.sobre
Lisboa.
Porto.
Braga.
Vianna.
Guimaraes.
Villa Real.
Coimbra.
Amarante. ^^^^^^
Sortes~de~Srjcao
Vendera-se lindos papis com estalo para as
sortes de S. Joao : na ra Nova n. 61 defronte da
illma. cmara municipal.
mmmmmm mmmm mmmm
jn Antonio Joaquim de Mello, amigo ad- %SS
ffi rogado nesta cidade, e procurador fiscal ^
_: aposentado da thesouraria de fazenda, R
^g emprego que servio por mais de 22 an-
nos, continua a advocar em todos os ra-
mos do civel e crime, com- provisao do
Exm. conselheiro presidente da relacao.
Ra do Imperador n. 14.
A NACIONAL
Companhia geral hespaiihola de seguros mutuos
sobre a vida
AUTORISADA PELO REAL DECRETO DE 21 DE DEZEMBRO DE 1859
ma fianca em dinheiro, depositado nos cofres do estado, gara ule a Lea ad
ministraco da companhia.
BANQUEIROS DA COMPANHIA I DIRECgO GERAL
O Banco de llespanha Madrid : Ra do Prado n. 19
Esta companhia liga pelo systema mutuo todas as combinacoes de supervivencia dos segur
sobre a vida.
Nella pode se tazer a subscripeo de maneira que em nenhum caso mismo i cr ute ce >
gurado se perca o capital era os juroscorrespondentes a estes.
Sao to suprehendentes os resultados que produzem as sociedades da ndole de A NACI
DAL,que ainda mesmo dimlnuindo urna terca parte do interesse produzido em recentes liquida-
coes eco-ibinindo-o co:n a raortali lade da tabella de Depareieux que e adoptada 'pela companhia
para seus _lculose liquidacoes, em segurados de idade de 3 a!9 annos, urna imporsic,oannual
de 1001 produz em effectivo"metlico:
No fira de 3 annos...... 1:1195300
FIGADOoeBACALHAU
s
P co processo de Cherrier, pbarniaeeulico em
Paris, ra do Faubourg Monlmarte 21.
Este oleo de um chebo agradare!, e de
um sabor assucarado o nico (pje nao tem
nem o gosto, nein o charo do peixe. Ob-
jecto de numerosos relajnos scientificos e
mdicos, este mdicamente que goza em
Franca de um successo tilo raro como bem
merecido, reccitado diariamente pelos
prncipaes mdicos dos hospilaes de Paris.
O OLEO DE FIGADO DE BACALHO DESINFECTA-
DO FEnncGixoso emprega-se com os maiores
successos as molestias em que se emprega
o oleo quando sao acompanhadas de debili-
' dade e aloma.
de 10
de 15
de 20
de 23
3:9425600
11:2085200
30:2565000
80:3315000
Mas idade. menores de 3 annos e maiores de 30, os productos sao mais considera veis.
ProspecUs e mais informacoes serao prestadas pelo sub-director nesta provincia.
Joaquim Fiuz de Oliveira, ra da Cadeia n. 52, ou a Boa-Vista rna da Imperatriz n.12,eslabel
ment dos Srs. Raymundo.Carlos.Leite & IrmSo.
m
Precisa-se de
Vautagem.
urna senhora que
se encarregue
O Sr. Luiz Cesar Pinto de Farias queira di-1
rigir-se a ra da Madre de Dos armazem entre a
igreja e a botica. ___________________|
Fabrica nacional de tecidos de Santo Aleixo
no Rio de Janeiro.
Para o servlco interno desla fabrica se precisa
da adminislracao de urna casa de pouca familia, e iengajar seryentuarios que estejam nessas condi-
que tome ioteresse como te sua fosse ; recebendo oes, como familias completas, meninos de ambos
como pagamento todas as commedidades.e garan-i s sexos, de idade de 10 a 14 annos \ paga-se,
tese a sua estabilidade : quem pretender, annon-'bem. dando-se transportes gratuitameute desta,'
iie por este jornal. i P^a aquella provincia : aos pais, tutores, ou ad-
------^-----------^-------;--------::--------- ministrador- s dos menores se pagar mensalmen-
Precisa-se de um borncaixeirooo offlclal de | le, 0u por quarteis metade do que ganhar cada
"! um des engajados : os pretendentes podem
betica que queira ir para
denadn, ou como interessado:
ga do Uosario n. 3i, botica.
cidade, poror-
a fallar na ra lar-
mm
m
m
Aviso
Manoel da Cista Campos tem justo e contratado
com o Sr. J>s Pinto de Souza a compra dos uten-
cilios de sua refinacao sita na ra Imperial n. 201:
se alguem se achar com direito aos mesmos tenha
a hondada de apparecea na mesma xua o. 12i, no
praso de tres dias.
Na ra da Aurora casa n. 38, precisa-
s' de urna ama de leite: a tratar na mes-
ma casa a qualquer hora do dia.
O Sr. Pedro de Alcntara Monte Li-
ma, queira dirigir-se a esta
negocio.de seu interesse,
O Dr Carolino Francisco de Lima San-
tos, contina a residir na ra do Impera-
dor n. 17, segundo andar, onde pode ser
procurado a qualquer hora do dia e da
noite para o exercicio de sua profissao de
medico ; sendo que os chamados depois
de meio dia at 4 horas da tarde devem
ser deixados por escrlpto. O referido
Di. nao abandonando nunca o estudo das
molestias "do interior, prosegue, cora
o maior affioco, no das mais difficeis e
delicadas operacoes, como sejam dos or-
gaos urinarios, dos olhos, partos etc.
diri-
segundo an-
da Lingoeta,
Companhia fidelidade de seguros
martimos e terrestres
estabelecida no Rio de Jaueiro.
AGENTES EM PEHNAMBUCO
Anlonio Luiz de Oliveira Attvedo C,
competentemente autorisados pela direc-
tora da companhia de seguros Fidelida-
de, tomam seguros de navios, mercado-
ras e predios no seu escriptorio ra da
Gru n. 1.
i
O abaixo assignado declara que nesta data
fora dissolvida a sociedade que existia entre elle,
Alfredo de Albu'iuerque Martins Pon-ira e Frede-
rico Augusto Vellozo da Silveira, na prensa de al-
godo sita no Forte do Mallos, e que gyrava de-
baixo da firma sicial Alfredo de Albuquerquo
Martins Pereira 4 C, Gcando como tal exonerados
os dous socios cima mencionados da respensabi-
Iidade do activo e passivo da mesma sociedade, e
o raesmo abaixo assignado o nico responsavel
por dito activo e passivo.
Jos Teixeira da Costa.
Fngio o mulato escravo de nome Loia, co-
nhecido por Luiz Monteiro, idade S8 anuos, pouco
mais ou menos, bastante alio, secco, bem' pareci-
do, seo barba, pernas compridas, cor clara, ca-
bellos cacheados, oflcial de pedreiro, pintor e
calador, canholo, c o maior sismal urna estrella as costas dasmaos, tres pintas azues
formando um triangulo em cada lado do rosto, e
urna grande cicatriz em um dos brac s cima do
sangradouro, escravo do major Antonio da Silva
Gusmo, morador na ra Augusta n. 99 : portanto
roga-se as autoridades policiaes e aos capitaes de
campo, assim como aos senhores de enpenho e
proprletarios aonde elle for trabalhar, intitulndo-
se forro, tanto nesta provincia como fra della,
que o faga prender e remetter ao sobredito senhor,
que pagar todas as despezas, assim como a quem
o conduzir.
jm
Pnctsa-se de urna pessoa para tomar conta
de um sitio perto desta pra^a, com as condicSes
I que a vista se tratar : no largo da ribeira de S.
Jos o. 19.
4 fugase
A fallenoia do ex-cambista Antonio Emigdio Ri-
beiro.
Dizem que um gosto ver os Jlvros que apre-
sentou no jaizo comraercal etc., etc.
O Guinja.
Irmandade do Divino Espirito
Santo.
Determinando o 4o do art. 11 do nosso com-
promisso, que lodos os nossos irraos lera por de-
ver possulr a sua custa urna capa da iazeada mo-
um sitio na campia da Casa Forte, cora duasca- dlo e cor que marca o til. 123 do mesmo com-
typoraphia a'sas- uma a em 1ne morou o fallecido Thomaz de promisso, cora a qual assistiro a lodos os actos
Aquino Fonseca Jnior, feita a moderna, e conten- da irmandade. Sao eonvldados todos aquelles Ir-
do todas as accommodacoes precias, e outra com maos qu9 se quizerem prover das referidas capas
boas commodidades para qualquer familia : na para a prxima procissao, a dirigirem-se a praca
ra do Vigario n. 19, primeiro andar. da Independencia ns. 37 e 39.
Manoel Luiz da Veiga
gir-se ao largo do Corpo Santo n. 6,
dar, ou no hotel da Europa, no caes
tambem segundo andar.
Descoutamse notas.do banco do lirasil e das
caixas filiaes: na pra?a da_Independencia n. 22
- Na praca da Independencia n. 33, loja de ouri
ves, compra-se ouro, prata, pedras preciosas e
tambera se faz qualquer obras de er.comraenda e
todo e qualquer concert.
___-----------------------------------;----- Para os festejados (lias de S. Joao e S. Pedro
O abaixo assignado avisa o respeltavel pu- existe na rauii0 acreditada fabrica de fogos de ar
blico, que Jos Custodio Braga deixou de ser seu | ,ificio da oslra(ja ,je j0j0 caixeiro desde o da 27 de abril prximo pas-1 da viuva Rnnno, um completo sortiraente de pis-
Sa i u r v r t'as> craveiros, rodinhas e fogo buscap : como
Jos Mana Goncalves Vieira faumaraes. : seja penoso a 3|gUmas pessoas irem a fabrica pela
distancia, os pretendentes
Fog"o,fog%>.
podem deixar suas en-
comraendas rio armazem da bola amarella no oito
da secretaria da polica._________________
Ama de leite.
Quem precisar de uma escrava com bom leite e
novo, dirija se a ra do Rangel n. 3.
Compra-se uma escrava que saiba fazer todo
o servico interno de uma casa de familia : a tratar
nesla typograpbia.___________________
Aluga-se a excellente casa terrea o. 20, sita
na ra da Florentina, a qual lera commodos para
uma grande familia morar muito a sua vontade,
assim amo um grande quintal com parreiral, mui-
to boa agua para gasto, etc.; a tratar na ra do
Hmj>_o a. 30.
Escrivao.
a ra do imperador n.
ama para todo o servico.
Ama
j Preclsa-sa de urna ama para cozinhar
14 toma-se uma Nova n. 20.
na ra
- Precisa-se de uma ama de leite, sera filho
Id ra da Guia a. 20.
Na ra estreita do Rosario n. 6, precisa-se
'Je nma ama de bons costumes a que seja livre,
para casa de pouca familia.
COMPBIS.
Compram-se libras sterlinas: no ar-
mazem de Ferri ira & Matheus, na roa da
Cadeia do Recife n. G6. ______
Compra-se e-lectivamente ouro e prata em
obras velhas, pagando-se bem : na ra larga do
rjosario n. 24, loja de ourives.
Compra-se um escravo cozinl.eiro que seja
moco, robusto e sem vicios : a tratar no sobrado
n. 32 da rna da Aurora.
Compram-se libras sterlinas a 9#50D
e tambem ouro amoedado brasileiro e por-
tuguez: na ra da Cadeia do Recife n. 22.
Comprara-se libras sterlinas : na ra do
Crespo n. 16, primeiro andar._______________
Silvino Guilherme de Barros compra e ven-
de effoctivamenie escraves de ambos os sexos :
ruado Imperadorn. 79, terceiro andar.________
Na fabrica das ra da Lapa contiuua-se a
vonder velas de 13 m libra a preco de 125000 a
arroba.
Ouro e prata
em obras velhas : compra-se na praca
pendencia n. 22, loja de bilbetes.
da Indc-
VENDAS.
Vinho superior em caixas de uma duzia :
lem para vender Antonio Luiz de Oliveira AzeveJo
t C, no seu escriptorio ra da Cruz n. 1,
Farinha de mandioca : lera para vender Au-
tonlo Luiz de Oliveira Azevedo & C, no seu es-
criptorio ra da Cruz u. 1.
'\
.-
A
>/


Diario de pernaiubuco --- Sabbado t Je Malo de ltt*.
.
i
>
ludo
Aos Srs. acadmicos.
Vendem-se os seguintes livros qaasi no-
vos : Manuel de droit romain por Mackel-
dey, 1 volme, por 6000o; Diccionaire
du contenlieux eommercial por Mass, I
VOlame por 6(5000; La femme por BU- Frascos de macar perul a 200 r.
dama A Seglas^ i volume, comestampas SEStasSaS, a 7*000.
finas por 50000; (Euvres de Raane, 4 caxas com superiores obre.as a ors.
volume, Com estampas finas por 60OO ; Duzias de phosplioros de seguranza aiSOrs.
OEuvres choisis de Buffon, 1 volume, com
Rival sem segundo
Roa do Queimado n. 49, esta vendendo
muiio baraio como ver abaio.
Caixas de peonas de kalegraphia a 15000.
Massos com superiores gramj os a 30 r?.
Pares d sapatos de tranca e tpele a 1J00.
I
estampas finas, por 40000;; Cdigo de ere-
dito predial, 1 volume, por 10400; Um
philosopho as aguas furtadas, romance
por E. Souvestre, 1 volume, por 10600;
Noces de partidas dobradas, por Fonseca
de Medeiros, 1 volume, por 160O ; Flores
singelas, poesas por Paes d'Andrade, 1 vo-
lume, por 40000; Viagetn ao Araguaya
pelo Dr. Couto de Magalhes, 1 volume,
por 20000 : A velhice de Camdes, romance
por Trigueiros, por 20000 ; La vie des
sainls, 1 volume, por 10200; OEuvres phi-
losophiques d'Arnould, I volume, por 20 ; [
Economie politique, por Garnier, 1 volu-
me, por 20000 ; Regrae da escripturacao
mercantil, por Gomes Jnior, 1 volume,
por 20500; Organisation du travail, por
Louis Btanc, 1 volume, por 10200; L'Epi-
phanie, pelo padr^ Ventura, 1 volume, por!
10000; Le jaidinier des salons, i volu-'
me, por 640 rs.: na ra do Cabug n. 2 A,
oja.
ttencdo.
Urna pessoa que retirase para fra da provincia
vende duas casas na cidade de Olinda, por preco
commodo, sendo urna grande e outra pequea :
para informales, dirija-se a roa do Ncguelra nu-
mero 43.________________________________
Em casa de Tisset Freres ra do Trapiche n.
9, tem para vender :
Vinho Rordeauxem barricas e em caizas.
Dito de Santerne fino.
Dito de Champagne muito superior.
Cerveja franceza marca Bobee.
Machinas de serrotes para
algodo
Chegaram as desejadas machinas de serrotes pa-
ra descansar algodao, havendo um completo sor-
timento desde 13 at 40 serrotes, lambem ha mo-
tores americanos para as mesmas machinas, ven-
dem-se o mais barato possivel : na ra da Cadeia
do Recife n. 56 A, loja de ferragens de Joao Car-
los Bastos Oliveira._______________________
Vende-se caixoes vazios propr ios pa-
ra balmleiros, e funileiros, a 2000 cada
um : e para as pessoas que comprarem do
4 para cima 10800, nesta lypographia.
Milho novo em saceos grandes: no trapiche
do Cunha, a tratar com Tassolrmaos._________
. ttencdo.

Vendem-se pecas de esteiras para forro de sala,
tinta branca preparada a oleo, em latas de 25 li-
bras, para pintar casa, relogios para cima de me-
sa e para pendnrar, arreios para t e 2 cavallos,
velas de sperraacete, tudo de superior qualidade,
vindo dos Estados-Unidos : no armazem da ra do |
Trapiche n. 8.
Meias garrafas com linta a 210 rs.
Rodlnhas com alflnetes francezes a 20 rs.
Cartas de alflnetes franeczes muito finos a 100 rs.
Resmas de papel almajo a 23400.
Resmas de papel de peso a 2,1000.
Papis de agulhas frueezas a baliio a 60 rs.
Bonets muiio bonitos para meninos a i000.
Enfeites para senhoras fazenda muiio moderna a
23000.
Escovas para roupa superior qualidade a 1000.
B B.g B e.
r___:
M 3
RIVAL
Ra do Queimado n. 49, loja de Jos & Azevedo
Maia e Silva.
Polseiras e voltas muito bonitas a 300 rs.
Miadas delinha para bordados de superior qua-
lidade a 60 rs.
Duzias de facas e garfos de cabo preto muito
boa a 3 Meiadas de linha froxa para bordar a 20 rs.
Meiadas de linha azulada superior a 60 rs.
Babado do Porto muito superior a 100, 120 e
160 rs.
Varas de franja de nho branca a 40 rs.
Caixas com 100 envelopes da melhor qualidade a
600 rs.
Caixas com 20 quadernos de papel superior a
600 rs.
Crozas de peonas de ac muito finas a 300 rs.
Pecas de tranca lisa preta e de cores a 40 rs.
Crozas de botoes madreperola para camisas a *
e 720 rs.
Caixas com 50 novelios de linha do gaz a 700 rs.
I Varas de franja de cores a 80 rs.
I Novelios com 400 jardas superior qualidade a 70 rs.
Carnteis de linha com 200 jardas dos ns 60 at
200 a 100 rs.
, Livros para assentos de reupa lavada a 100 rs.
Pares de botoes de pucho muito finos a 120 rs.
: Thesonras para unhas e costara muito finas a
500 rs.
300
Admirem
Admirem
Admirem Bem!!
As pechiochas que esto vcoda na loja e ama-
zem do Pavao, na ra da Imperatriz n. 60 de Ga-
ma & Silva, onde se vendem todas as fazendas,
tanto de luxo como de primeira necessidade por
precos muito rasoaveis, e com especialidade as se-
guimes, dando-se amostras deixando icar penhor,
ou mando-se levar em casa das familias pelos
caixeiros da mesma loja.
Madapoln enfestado a 40, 10aOO e 30000.
Vendem-se pegas de madapolo enfestado com
/jardas pelo haratissimo prego de 4, 43300 e
Rival sem segundo
Roa do Qoeiraado n. 49, loja de miudezas de Jos
& Azevedo Maia e Silva, esta queimandq que ad-
mira, a saber :
Frascos com superior baohaa 200, 20 e 500 rs.
Latas com sijierlor baoha a 200 rs.
Frascos com superior agua de Cotona a 120 e -.
40o rs. 1 (
Frascos com superior oleo de baboza a 240, 320 e i
400 rs. '
Garrafas da verdadeira agua Plor'da a 13280.
Frascos de superior oleo da sociedade Higienique
a 640 rs.
Frascos de superiores cheiros santal e outros mui-
tos a 13000.
Sabonetes de familia a 210 e 200 rs.
33, ditas sem seren enfestados de marcas muito Sabonetes do superior qualidadesa60,120 e 160 rs.
preto
Na ra da Imperatriz, armazem n. 6.
Vende-se um escravo idade 25 annos insigne
offieial de carpina e bon'ta figura : na travessaop
Careno n. I.____________________________
Armaco.
Vende-se a mesma : na roa Nova n. 26.______
Vende-se um moleque de bonita figu-
ra e moco: na ra da Cadeia do Retife nu-
mero 22.
Vende-se na ra da Santa Cruz n. 7 urna
prelada Costa boa vendedeira e um moleque filho
da mesma preta de 12 a 13 annos,, sadie e boa fi-
gura, proprio para pagem.______________^^^
Milho
novo
armazem
de Manoel
Na ra do Cabuga n. 12,
Barbosa Ribeiro.
Vende-se um excellente fogao de ferro, ame-;
ricauo, com pertences e sebresalentes : na ra do
Cabuga u. 18, Plwtograpltia Villela.
Vinho do Porto superior em caixa de duzia,
tem para vender Antonio Luiz de Oliveira Azeve-
do & C, no seu escriptoriorua da Cruz n. 1.
Vendem-se
machinas americanas de serrote para descarocar
algodo : na ra da Senzala iNova n. 42._______
Cheguem ao barato.
Chitas francezas muito finas com um pequeo i
furo de cupim a 240 rs. o covado, madapolo su-
perfino a 63 a peca : na loja da ra da Madre de
Dos n. 16, defronte da guarda da alfandega.
t:
tenco.
Cusas finas padroes do ultimo gosto a 220 rs. o
covado.
t,hiias largas a 200, 220 c 240 rs. o covado.
Na ra do Livramenlo, loja nova de tres portas
n. 14. _______________________________
Na photographia artstica americana ra do
Imperador n. 38, vendem-se retratos de S. Wilkes
Booth, assassino do presidente Linelo.
Trastes com aso.
Vende-se 1 sof, 3 consolos, 1 mesa redonda, 9
cadeiras de amarello, 6 cadeiras americanas, 1
boa marqueza de Jacaranda, 2 carteiras de via-
gera e 1 cartelra grande propria para taberna :
quem pretender dirija-se a ra das Cinco Pontas
n. 140 defronte da estacao._____________
Vende se o superior fio de algodo da Baha,
da mais bem acreditada fabrica da Baha, por pre-
co commodo : na loja de ferragens de Thomaz
Feroandes da Cunha, na ra da Cadeia do Red fe
numero 44.
"ZTveude-se a excellente loja de fazendas do
Posseio Publico n. 11, com poucos fundos : os pre-
tndeme* dirijam se a ra do Trapiche n. 48.
Vndese um moleque com 15 annos de ida-
de: a tratar no armazem da ra da Cadeia do Re
cife n. 36.
DEPURATIVOS
Do Dr SERVAX. de Pars.
Pharmaceutico de 1 classe, ex
interno dos hospitaes, premiado
com a medalha de brome.
Desde muito lempo o publico
abandonou o uso das preparacoes
intituladas depurativas conhecidas
sob o nome do Arrobes, Xaropes
de Salsaparrilha composlos etc.
Cuja acrao, niaior parle das vezes
nulla, c n'algums casos perigosa.
Os COSFEITOS DEPURATIVOS TEM O ASPECTO
E O COSTO ACRADAVEIS E CONTF.M SOB VM
PEQl'ENO VOLIUE SUBSTANCIAS MUITO ACTI-
VAS QUE O SEO MODO DE PIIKI'AIUI.IO TORNA
IN1LTERAVEIS.
O succe&so tino cates con-
fcltos obtlvcrao cm Fran-
ca sob o patrocinio das piincipae
celebridades medirs, os poe cima
de tudo quaulo tem existido alh
hoje.
Cura rpida sem o socorro
de neniiir.i oulro remedio in-
terno, das escrophulas ,
herpes, affeccoes syph-
liticas hypertrophias
dos tessidos celulares,
hydropisias c em gera
todas as molestias producidas
pela alteraran do sangue ; la
o resultado que queramos
conseguir e que temos sem-
pre oblido.
lima explicarlo accompanba cada
\idro.
Desconfar-se, das falcificacoeset mi-
tacoes.
Para at eneomenda dirigirse aos
faro. BuissoN et c'% 18, B'Prince
Eutne, Parit,
Tasso Irmios
Vendem no seo armazem ra do
Amoriiu n. 35,
Licor fino Curaco em botijas e meias botijas.
Licores Anos sonidos em garrafas com rolbas de
vidro e em lindos frascos.
VinhosCberes.
Santernes.
Chambertin.
Hermitage.
Borgonhe.
Champagne.
Muscatel.
Reino.
Bordeaux.
Cognac.
Od Ton.
AzeitePlagniol. ___ _______________
Imperial manufactura de
Franca.
Tabaco (caporal) para fumar.
Dito (em p) para tomar.
Dito para mascar.
nico deposito na provincia de Pernaat-
buco casa de Izidoro, Nelto & C, ra da
Cauzn. 2.
Pieco fixo.
Caporal 800 rs, pacote de 200 grammas.
Rolo 520 r-., pacote Ce i00 grammas.
Quantidade.
Caporal 50 pacotes ou 10 kills.
Rolao 50 pacotes ou 5 kills.
acreditadas a 7$, 8J, 95, e 10& ditas, francez
multo encorpado proprios para saias a 480 ris a
vara, isto na loja do Pavo ra da Imperatriz n.
60 de Gama & Silva.
Grande pecuineha. .
Chitas a 220 ris o covado.
Ou 75600 a pega s o Pavao.
Vendem-se chitas inglezas de superior qualida-
de, afiancando-se as cores seren fixas, com muita
diversidade de padroes, pelo baratissimo preco de
0 rs. o covado, ou 760O a peca tendo 38 co-
vados, sendo fazenda esta que sempre se vendeu a
280 rs. o covado eu 10J) a pe?a, chitas largaa
280, 320 e 360 rs, na loja do Pavo, ra da Im!
ratrizD. 60 de Gama & Silva.
Cortes de chita franceza na loja do Pavo.
Caias com 11 frseos de cheiros muiio finos a
1100.
Caixas dito com 6 frascos melhor fazenda a 900 rs.
Paos de pomada franceza grandes a 300 rs.
Sabonetes de bolla pequeos e grandes a 240
320 rs.
Frascos com superior opiata a 800 rs.
Frascos com superior agua para denles a IJOOO.
Grande liquidando de
fazendas
PULLAS CATHARTICAS M AYER.
Estas pilulas vegeiaes sao a-
daptadas a todos os usos de um
purgante as familias, pois sao
perreitamente innocentes, e em
quanlo milhares de pessoas co&-
fessam com gralidao que feram
curadas por ellas de molestias
severas e perigosas;nao ha
um s caso em que liaja suspi-
tas do mais leve resultado inju-
rioso por seu uso.
Publicamos aqui alguns dos
attestados que temos de curas
notaveis feitas ltimamente.
Um caso nota ve I de
i-W"
de todas as qualdades, tanto para o mato,como
para a praca. O proprietario da loja e armazem
da Arara, est resolvidoa vender as fazendas mui-
to baratas, como sejam, chitas, madapolo e algo-
Vendem-se cortes de chita franceza, cores flxas dozinho, para se apurar dinheiro, Lourenco Pe-
RA IMPERIAL
numero 193
com 10 covados a 35, ditos com 11 covados |a
3*300, ditos com 12 covados a 35600, ditos de chi-
ta ingleza a 25200, 25400 e 2600, isto na loja do
Pavo roa da Imperatriz n. 60 de Gama & Silva.
Cortes a Hara Pia.
Grande pecbincha a 50000 e 60000.
Vendem-se os mais bonitos cortes para vestidos,
sendo de cambraia branca com as barras e enfeites
bordados, de cor crox, pelo baratissimo preco
de 55, ditos do mesmo gosto mais sendo de cores,
pelo baratissimo preco de 65 cada um, valendo
esta fazenda dobrado dinheiro por ser a mais mo-
derna que tem vindo ao mercado, isto na loja do
Pavao na ra da Imperatriz n. 60 de Gama &
Silva.
Vestidos Brancos.
Vendem-se os mais ricos cortes de vestidos de
cambraia branca primorosamente bordados, pelo
barato prego de 125- 16$ e 20$ na loja do Pavo,
ra da Imperatriz n. 60 de Gama & Silva.
Grande pechincha, vestidos a
Acaba de chegar um bonito sortimento dos mais
lindos vestidos transparentes, muito proprios para
passeios e bailes, por serem de primorosos dese-
nos, sendo todos os padroes tecidos e nao pinta-
dos, e vendem-se pelo baratissimo pfeco de 35500,
sendo fazenda que val muito mais dinheiro: isto na
loja do Pavo, ra da Imperatriz n. 60, de Gama &
Silva.
Fazendas pretas.
Vende-se gronsdenaples preto a 18280,15600,
15800 e 25 al 45, superior meurantique prelo a
35, setim da China, nova fazenda toda de la, pro-
pria para luto, cora 6 palmos de largura, a 500,
560, 600 e 800 rs. o covado, e outras muitas fa-
reira Mendes Gnimaraes.
Chitas Iraiicras a 210 o covado.
Vendem-se chitas francezas, sendo cores fixas, a
240, 580, 300,320. 360 e 400 rs. o covado, duas
inglezas a 220 e 240 o covado, sendo cores flxas :
na ra da Imperatriz n. 56.
Cortes de calca para uomem
Vendem-se cortes para calca, bnruinho, a 15,
ditos de ganga, a 15100, ditos a 15700, ditos de
brim de cor a 25 cada corte, ditos de meia rase-
mira a 25500, dilos a 35 e 35500, dilos a 45500,
5$ e 65500 o corte, damasco com duas larguras a
1^280 o covado, dito de urna largura a 640 e 800
rs. o covado, flanella branca a 600 rs. o covado,
dita de salpicos a 480 o covado, gotinhas psra se-
nhora a 200, 320 e 400 rs., ditas, gol e punho a
640 e800 rs., eamisinhas para senhora a 15600 e
25, muito finas a 45 e 4o00, camhraias finas de
ceres a 300, 320, 3C0 e 400 rs. o covado, ditas
muito finas com borboletas a 440 o covado, lencos
de llnho finos a 400, 5n0 e 640, ditos de algodo a
240 e 320 cada urna.
Cortes a Mara Pia e 80.
Vendem-se cortes a Mara Pa a 85, 9?, 115,
125 e 135 cada corte, cortes muito finos a 185,
laazinha lisa a 360, 140 e 500 rs. o covado, cortes
de la com palmas a 55 o corte, las por covados a
300, 360 e 400 rs. o covado, casemira com l>tras
sendo padroes azul e p>eto a 25500 o covado, ma-
dapolo enfestado com ISjardas a 35500, 45000,
45500 e 55, dito com 24 jardas a 55, 55500, 65,
65500. 75 e 75500, n. 6 a 85 e 85500, elephante a
95, camisas francezas a 15800, 25, 25240 e 2500
cada urna, ditas de pregas largas a 25240, 25500,
25800 e 35 cada urna, alpacas de cores a 320 o
covado, ditas linas a 800 rs, o coaado, aberturas
de esguio a 15 cada urna, dita dealgoriao a 320 e
zendas propnas para luto : na loja do Pavo, ra 400 rs. cada urna, pecas de algodozinho a 4$500,
da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva. 55 e 65, ditas com 20 varas a 75, dita marca T
Grosdenaples de cor a I600. a 8<500 a peca, easemires finas mescladas a 35 o
1 VNDESE Vende-se superiorgrosdenaples cor de caf,pro- covado,ditas a 25800, 25240, 15800, 15600, e
rap imperial, igual ao rap Lisboa, e oulro fabri- prio para vestido, sendo muito encorpado, a 15600 15400 o covado, soutembarques de cores a 65 e
cado de novo igual ao de ara pela, em porcoes a o covado : na loja do Pavao, ra da Imperalriz n. ^5 cada um, ditos pretos a 185, 195, 205. 225 e
5G0 rs. a libra. ^im 60, de Gama & Silva. 255, capas a 205 e 25$, manteletes a 185 e 20$
Grande pechincha paraos fumadores : quem (ilSCIllil'ilS'I 1 SGOO cada um, chitas para coberta a 320, 3G0 e 400 rs,
quizer fumar borne barato venhac. i vj__,.______..JBCjw a > dita a 480 o covado, ditas adamascadas a 480 o
Charutos da Baha de superior qualidade, flor' hIenDd,em-se case.rairas garbald.nas de quadrt- covado, ceroulas a 15200 e 15500, ditas de linho
da Muriliba e de diilerentes marcas, tanto avulsos "*'f''J?> atMB? SC1"*" co,etos.! a 15800 cada urna, fil de linho liso a 640 e 700
como encaixotados, por precos mui commodos. ? *""Pr<^!efl ,*^fQ? va,d,' ass,m como, rs. a vara, tarlataoas de cores e branca a 800 rs.
VENDE-SE TAMHEM gS", E"* nc'e'e.sJna0g A"KSL A a vara- >aiburgo a 95, 95500, 105500 e 125 a
grande pechincha para os senhores charuteiros, ^a lo Pavo, roa da Imperatriz n. 60, de Gama & ?a rua da Imperalr'iz n. K Meodes Guima-
fumo da Baha patele de primeira, segunda e ter-
ceira qualidade, por precos mui razoveis.
Silva.
Grande sortimento de roupa feita.
Vndese na loja do Pavo um grande sortimen-
T 1 m venue-se na 101a ao ravao um granae ortimen-
lllStrilCCOeS Dar O SerVlCO to de roupas feus. constando de palitos de panno
las ffiianl-K .1n nxftrritn pxiraliiilas fin rp- prel0' sor,recasacos, ditcs saceos, ditos de casemi-
uas guamas uo exeiuio,,extiai)iUdS ao re .ra)5accos e SObrecasacos, ditos de brim branco e
gulamento de mfantana e accommpdadas ao decores, ditos decaslneta, calcas de casemira pre-
exercito brasileiro; obra que muito convm tarde todas as qualdades, ditas de cor, ditas de
aquellas pessoas que se alistam nos corpos' "J1"'? de linho branep-.e de todas as cores, coletes
rlA voluntarme;- vanrlp-sp na livraria n O P de brra, casemiras, setlm. gorgurao, etc., etc., to-
aevoiununos, \enae-se na uvraria n. u e das estas obras vendem.se por prego mas barato
8 da praca a Ind pendencia, a 10.______: do que em outra qualquer parte : na loja do Pa-
Vende-se a "casa n. 1 da ra do Caes, que se-1 va. ra da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
gue da cadeia nova ra Imperial, logo depois da CllleS 6 manteletes (le renda
mesma cadeia, na freguezia de S. Jos, cuja, sendo j
ja assobradada pela parle de detraz, assoalhada e
repartida, com puico dispendio se aprompta um
Vendem-se os mais ros e mais modernos cha-
les e manteletes de renda, chegados pelo ultimo va-
excellente sobrado em magnifica posicao, tem gran- ^pt^?'ffilZ^n^n W! Vs^
de quintal com cacimba l alguns quartinhos, que d Paavao' rua da lmPeralnz D" 60' de Garaa *
tudo rende 375 me nsaes, fra o andar suptrior : ^ > *
quem, pois, se quizer aprovetar da disposicao do bOUiemoarqUL'S deCUr
actual propretario e a quizer comprar, poupando-; Vendem-seos mais modernos soutembarques de
se a mortilicaijao c demora que resulta a quem edi-1 C5r) ricamente enfeitados, e por barato preco : na
lica, e aproveitar-se de um predio bem construido |0ja a0 i>avo,rua da Imperatriz n. 60, de Gama 4
e a moderna, qur para moradia propria, qur pa-' s|va
ra obter bom rendimento a seu dinh. iro, pode en-1 Yapas prdas e SOOlCmbarques.
Vendem-se as mais modernas capas pretas lisas
tender-se com o dono no mesmo lugar.
__ (Cliuiiiii Cb **o nial.) iiivui,! un.- wv uao i'i iu- n ".
Grande sortimento de roupas feitas de to- e bordadas, os mais bonitos soutembarques prelose
das as qualdades, : manteletes, tudo de seda preta e o que ha de mais
Calcas de casemira a 65 e 75500, ditas pretas a gosto no mercado, por precos muiio em conta :
65 e 8"5, calcas de ganga a 25 ,15800 e 15600, na loja do Pavo, rua da Imperatriz o. 60, de Ga-
ditas brancas a 25, brim de linho a 35, 35500 e; ma c Silva.
45, paletotsdoalpaca branca a45500,_ditos pretos} ElfeteS Vara CdbeCa.
a 35 e 3sk00, ditos de alpaca de cordao a 45, e ,. \, ., ... ...__
de nstra de seda a 45500, d.los sobrecasacos a 55, enSm--'-fl osmaiS lmd0S enfel,es para ****
paletots de casemira a 55, 55500, 65, 85 e 95,! **' ^
ditos sobrecasacos pretos a 125, 15 e 165, ditos 8
Ferros de encrespar
de diversos tamanhos e feitios : na rua do Crespo
numero 4.
Useravo pedrelr.|
Vende-se um escravo pedreiro, mo?j e sadio :
na rua da Cruz n. 23, escrptorio de Antonio de
Almeida Gomes.
SAL DO ASS'
A bordo do brigue escuna nacional Graciosa ;
vende-se na rua da Crai n. 23, escrptorio.
~ Vende-se urna casa terrea pequea, no pateo
do Paraiio ao correr di Igreja : a tratar na rua
do Queimado n. 48.
GRAGEAS
GLISE CONT
ApproMUi pala Acidtmn de Medicina ds Parla.
Resalta pelos dous relatnos, adoptados pela diu
Academia m 1840 e em 1858, que as GRAGEAS de
GLIS e CONT s&o o melhor e mais efficaz remedio
ferruginoso para curara cliloroiis (alias fluor-albo), os
fimos brincos, a fraqueza de compleixie aos dous
sexos, e tambtm para ajudar a menstruacio das mocas.
Estas Grageas nao sao vendidas sent em emixinhas
a vidres cobertos com roalo e fechado com urna tira
levando a firma do depositario seral: labelonye,
akarmaceuco, rua Bouroon-fiMniiw. 19. Parit.
XARPE
deLABELONYE
Imprecado coa inrariavel successo desde 30 annes
peles Mdicos de todos os paiaes contra as molestias
rganicas ou neo orgnicas doceracae, as Uversas hy-
dropisias e a maior parte du molestias do paito e des
bronchies (pneumona!, ctiarrket pulmonares, aianuu.
inHamm*citt nenotai doi\brtkm, caiarrkeirat,ek...)
O XAiterE de labelonye nao se vende senio ea
Krafas com rotulas de cor e fechadas cea urna cbapa
indo a firma de inventor.
ba PARM. ru Brbn Vlllcneam-, 10.
Deposito^eral em Pernambnce ma da
(rnz q.22 em casa de Caros & Barboza
nos a 255, de cores a 13,5. ditos fraques a 145,
paletots de ganga a 35, 2o00 e 25, ditos de brim
pardo a 35, jaquetoes de brim pardo a 35, panno
preto fino a 25. 2560O, 35500 5, 45300 5 e 65 o
covado, moreantique preto a 25600 o covado, gros-
denaple preto a 15500,15800, 25, 25200 e 25500
o covado i e outras muitas mais fazendas que se
deixa de annunciar, e manda-se levar pelos caixei-
ros da loja da arara casa dos pretendenles. O
estabelecimento est aberto at as 9 horas da noite,
rua da Imperatriz n. 56, Mendes Guimares.
i, os melhores baldes cronolinas
na loja do Pavao, rua da Imperatriz n. 60.
S o Pavao vende
Chitas largas a 240
Chitas largas a 240
Chitas largas a 240.
Acaba de chegar para a loja do Pavao um gran-
j de sortimento de chitas largas garibaldinas, por
I s rem todas lisradas e padroes escuros e de cores
fixas que se vendem pelo baiatissimo preco de 240
! o covado, sendo que era outra qualquer parle cus-
la a 360 o covado, notando que os freguezes que
i comprarem porcao de pegas, terao um pequeo
I abatimento: isto na loja do Pavo a rua da Impe-
GAZ GAZ GAZ
Veade-se gar
iialata: dos armazensda ruado Im-
perador n.4 6 e rua do Trapiche Novon. 8.
Farinha de manduca
muito nova e superior chegada de
Na tabena de rua da Palma n. 41 veade-se
toaclnho de Lisboa a 200 rs. a libra, azeite de car
rapato a 560, milho a 240 a cuia.____________
Vendem-se dous escravos pecas : na rua do
Imperador, cartorio do Sr. Portocarreiro.
AUeiico.
Redncco de preco
Vendem-se por precos reduzidos machinas de
descarocar algodo, de serras de todos os tamanhos
a saber, de 14 a 60 serras; assira como motores
para asmesraas, urna machina de 120 serras com
a oroplente machina a vapor.
Registros.
Acha-se a venda um grande e mui rico sorti-
mento de registros de muitas e variadas invoca-
eses, proprios para serem distribuidos no mez de
Mara, muito bem impressos e em bom papel, a
precos commodos : na rua do'.Imperador n. 15 de-
fronte de S. Francisco.
Acha-se venda
na officina de cncadernacSo da rua do Im-
perador n. 15, defronte de S. Francisco, a
Biblia da Infancia do abbade Pascal, appro-
vada paraos aulas publicas da provincia por
portara da presidencia de 15 do passado.
As pessoas qoe compraram j a obra, e qui-
zerem ter um pequeo accrescimo, que se
Ihe acaba de fazer, mandem-o buscar.
superior chegada
Catharina
Vnde-se a bordo do pclacho
quez Catharina ancorado defronte
tr piche Daro do Livramenlo, ou no
cr iptorio de M.uioel Ignac o de Oliveira
Filho, lo?o do Corpo Santo n. 19.
L azi ti has a 300 rs.
Lazinhas a 300 rs.
Vende-se um bonito soriimento de lazinhas pro-
prias para vestidos e soutem arques por serem li-
Santa i sas e de quadrinhos pelo barato preco de 300 rs. o
| covado, sendo fazenda que sempre se vendeu a
dinamar :5 rs- ovado, e vende-se a dinheiro a vista pe-
u f" lo baratissimo preco de 300 rs. o covado : na leja
- I do Pavo rua da Imperatriz n. 60 de Gama &
es- Silva.
arello a 4#00O o saeeo.
Em saceos grandes.
Milho a 480O.
Ba larga do Rosario n. 50 taberna da esquina
que volla para o da rua Estrella.
& Pelerinas a 1600.
Vendem-se as mais ricas pelerinas ou romeiras
de cambraia bordadas propnas para hombros de
i senhora pelo baratissimo preco de 1GOO : na rua
\ da Imperatriz n. 60, loja de Gama & Silva.
Organdy a 240 rs. e covado.
na leja do Pavo.
Vendem-se as maU bonitas cassas organdys, pa
! droes miudos e grandes, pelo baratissimo preco de
ve
Fio de algodo da Baha.
Vedefse no escritorio de Antonio Luiz de Oli-!240 C0Ta(LA,?e^lS %>> r^^r,
ira Azevedo & a, roa da Cruz n. 1. f"ta-se logo : na loja do Pavao a rua da Impera-
_________________^______ i-tris o. 60, do Cama Silva.
PARA N.l.\TO AMOMO E
S.lO elOAO
Vendem se sones muito bem feitas e de
papel muito bom b$ o cento : na rua das
Cruzes n. 41, taberna da porta larga.
Tesouras de Cinlmaraes.
A toja da Aurora, na ru larga do Rosario n. 38
recebeu sortimento detesouras de Guimares, tan-
to grandes como pequeoas, muito finas.________
Ferros
Chegoa um completo sortimento de ferros de
diversos modelos para encrespar e engommar ba-
ilados, pafos e todos os objectos de roupa branca
fina pertenceole ao toilet de urna senbora, e hoje
iodispensaveis, os quaes se vendem por menos
vreco que em outra qualquer parte : na rua do
Crespo n. 4._____________________
Lanzinha transparente,
a 220 rs.: s na loja do Pavo.
Vendem-se as mais modernas lanzinhas transpa-
rentes, sendo todas de listra-, quadros e lisas, fa-
zenda esta que sempre se vendeu a 400 rs. ; o Pa-
vao vende para liquidar a ouze vlntens o covado :
i na loja do Pavo, a rua da Imperalriz n. 60, de Ga-
& Silva. _________
Vendem-se as superiores te-
souras de Guiraarftes.
Para uohas, costuras, cortes de fazendas e ca-
bello : na loja de ferragens na rua da Cadeia do
Recife n. 44 ; e assim como fio de algodo da mais
[acreditada fabrica da Baha, por pregos commodos.
ma
avariado.
Francez barrica 5JI000
Porlland idem 8*500
Em perfeito estado:
Francez barrica 105000
Porlland idem 12,3000
No armazem de Tasso Irmaosces do Apollo.
Liquidagao
Pecas de algodozinho avariado, porm limpo,
por ser lavado, a 4* : na loja de calcado da rua
larga do Rosario n. 12.
raes.
Muita attenejio na grande li-
quidacTio de fazendas e
roupas feitas nacional na
nova loja de Guimares &
lrmao.
Rua da Imperatriz u 39.
^ Os proprielarios deste novo estabelecimento es-
to resolvidos a venderem por preco baratissimo
para liquidarem, como sejam : pea de bretanhade
rolo com 10 varas por 3S, dita de madapolo fran-
cez cem 12 jardas a 35500 e 45000, ditas de cam-
braia branca lina a 35500 e 45500, lencos de cam-
braia com barrinha de rr a 800 rs. a duzia, ditos
grandes a 15800, ditos brancos linos a 25400, cor-
tes de chita frauceza rom 10 covados a 25600, di-
tos de la a 45000 e 5-3000, ditos a Mara Pia mo-
dernos a 95000 e 135000, la de urna s cor a 500
rs. o covado, ditas de quadrinho e palmas a 320 e
400 rs. o covado, diales de merino do ultimo gosto
com pona redonda e borlla de seda a 65000 e
75000, ditos lisos a 45500, ditos de la a 15300 e
15600, chitas francezas linas a 360 e 380 rs. o co-
vado, precales muito finas dos padroes mais mo-
dernos que tem vindo ao mercado a 360 o covado,
panno de linho do Porto com 4 palmos de largura
a 640 rs. a vara, bramante di*, linho cum 10 palmos
de largura a 25400 e 25500 a vara, dama>co de
la com 6 palmos do largura proprio para colcha,
forrar mesas e pianos a 15280 o covado, cortes de
casemira escoceza para caiga a 25800, dilos de
brim de linho a 15800, ditos de ganga franceza su-
perior a 15600 colk'i inhos de papel a 500 rs. a du-
zia, ditos de esguio de linha a 500 rs. um, grava-
trnhas de senhora a 800 rs. do ultimo gosto. sou-
lembarque de lanzinhas muito bem enfeitados a
55000 e 65000, ditos de grosdeuaple ricamente en-
feitado a 205000, capas de dito a 205000
Roupa feita.
Paletots de panno fin, sobrecasacas, ditos sac-
eos, ditos de casemira lina preta de rr, ditos de
meia casemira, ditos de alparca preta, branca e de
cor, dilos de brim c ganga de todas as qualdades,
jaquetas de meia casemira e brim pardo, calcas de
casemira de rr e preas e de meia casemira, de
brim branco e pardo, ganga e castor, coletes de to-
das as qualdades, meias, luvas. grvalas,colleri-
nhos e muitos outros arligos de roura feita que se
vende por preco baratissimo por ter grande sorti-
mento ; venha o freguez a luja comprar que o pre-
go ha de agradar e muitas outras fazendas de le e
de.luxu, tanto para homemeomo para senhora que
All'fcco clirorira do lijado.
Illm. Sr.
Juiz de Fura, 17 de fevereiro de 18C4.
.Tendo feito uso das pilulas calharcas
de Ayer, que me fez favor de .dar um vi-
dro, tendo tirado um resultado nao espea-
do ; padecendo ha mais de doze annos en-
fermidades do .figado e baco, cosa o uso
das pilulas posso Ihe assegurar que estou
bom, pois tendo desapparecido um granda
engorgitamerrto que soffria, muitas dores
sobre a regia do figado e costas, dores de
cabeca, inchaco do ventre, nao podendo
deilar-me senao do lado d'ueito, isso mes-
mo procurando posicao para ter socego, io-
je me acho livre d'esse padecimento ; como
por aqui ainda as nao naja, eu como tenho
este proprio que 6 de casa, Ihe rogo man-
dar-me alguns ridros, e o custo elle Ihe sa- .
lisiar, assim bem como do cbarope de
cereja, que tive occasiao de experimer:rr;
em um ataque de guellas que teve urna
preta que com elle curei, fago uso d'e'lcs
as tosses em minha familia sempre em
bom resultado, e por isso que poco v?rn
mandar alguns frasquinhos, e mc.-no as pi-
lulas pode montar a doze, porque tenho
feito uso d'ellas para uso da familia e al-
gumas pessoas, ia d i ,mt e g e
resultado; sou btdoorojeandeoda
De V. S. attensgPs.ar
Francisco FERREArERAit
Rueiimalismo e ataques hemorrhoidaes.
Illm. Sr.
Ouro-Preto, 30 de marco de 48G4.
Posso certificar-lhe que as pilulas ca-
tharticas do Dr. Ayer sao excellentes, pois
que soflrendo eu dores pelo corpo, c que
suppunha ser rheumatismo, (molestia esta
que j havia soffrido ha annos) e soflrendo
tambem de ataques hemorrhoidaes, e de
um ouvido, pois que at j pouco onvia, e
acompanhado de urna drno quenco, ec-n-
sullei a um dos nossos mdicos, e esle me
disse que devia fazer uso da salsa ; piieto
lendo eu o almanack do mesmo doulor,
compre i em sua casa um vidrinho das rres-
mas pilulas e por minha conta principiej a
toma-las, e sem as finalisar acho-mc sem as
dores pelo corpo; e sem sentir, sato i do
ouvido, e mesmo dos ataques hemorrhoi-'
daes: portanto sao para mim as taes [lu-
las as melhores que tenho experimentado :
isto em abono da verdade. Son
De V. S.
Amigo certo, venerador e obligado,
0 brigadeiro
JOO RODIUGIE.S Fl-X DE CarV.M i O.
Gaslrile.
Ouro-Preto, 29 de marro de 186 .
Attesto que tendo feito uso, aconscll ::do
por um amigo, das pilulas do Dr. Ayer,
fique i perfeitamente bom de ama gast rite
que solivia e que prirara-me de andar aper-
lado, hoje felizmente nada simo.
Abgusto Goli.atino de Mello, r
Falla de apetite.
Ouro-Preto, Ll'i de fevereiro de 180i.
Sendo eu aflectdo do igado ha muitos
annos, e ltimamente soffri falta de apetite,
hoje dou grafas a Deus por achar-me s.u
e perfeito com o uso das pilulas catharlicas
do Dr. Ayer.
Antonio Bento Vif.iiia.
Constinario, dres de califfa.
Ouro-Preto, 28 de marco de 1864.
Attesto que achando-me atacado de urna
forte constipago que trouxe-me dores por
todo o corpo e na cabeca, soffri borrivel-
mente por espago de quatro das; enio
um amigo aconselhou-me que tomasse pi
lulas catharticas do Dr. Ayer: com ellas fi-
quei sao e completamente reslabclecido tm
tres (lias, de sorte que estou no firme pre-
psito de aconselhar o uso das ditas pilulas
a todas as pessoas que forem aneciadas de
constipa coes.
Agostinho Jos ra Silva, negociante#dc fa-
zendas. _____________
Irrilarao do estomago.
Ouro-Preto, 29 de marco de 1801.
Attesto e juro, se necessario fr, que. sof-
frnelo ha muito lempo excessiva irritacao
de estomago, pouco apetite e difficil diges-
tao, relia tenho experimentado sensiveis
deixatnos de annunciar por tornar-se enfadonho melhoras depois que tenho leito uso das pi-
que s a vista do freguez se far o pre?o: isto s lulas catharlicas do Dr Ayer,
na nova loja loja de Guimares & Irmaos, rua da
Imperatriz n. 72.____________________
Na rua do Queimado, loja de ferragens 11. i
eende-se muito em conta um par de vem-zianas.
Antonio Hkumogknes Pereira Rosa.
I.otnlirifjas.
10-
lor
Francisco Jos Germano
RUASOTA -\. I,
acaba de receber um lindo e magnifico sortimento
de oculos, lunetos c binculos, do ultima e mais
apurado goslo da Europa. _______________
Enfeites a liara Pi.
Ouro-Preto, 28 demarro de 1804.
As pilulas do Dr. Ayer (catharticas .
ram empregadas com grande vantagem
mim em urna menina de dez anuos t
soffria de vermes inteslinacs, nolando'-se
que os symptomas que entao apresent. :i
Jeram de molestia bastante perigosa.
I Raymlndo Nonato de S. Thiago, pham.a-
ceutico.
Nevrtl|ia.
Urna carta do Illm, Sr. Francisco A!\a-
renga de Azevedo.
Ha mais de sete annos que soffria dores
A loja da Aurora na rua larga do Ro-ario n. 38, no hombro e as costas, tomei uma infini-
recebeu granee e variado sortimento de enfeites a dad(J de remedOS sem achar alivio alcum
Mana Pa para cabeca, dos mais modenns que u. ,; .m. s ^ 1 7
tem chegado. Mr, angustia, tormento sao palavras or-
Pentes de iliadema par atir cabello. tes' Porm nSo exprimem o que tenho sof-
frido: ulmamente tomei as pilulas ca-
tharticas do Dr.^Ayer. S faz oito das, e es-
| tou completamente restablecido; ha tres
, dias que nao sinto a mais leve dr no hom-
Pentes de diadema pira atar cabello pois o ul-
timo g-isto que agora se usa.
Linhas de crochet de dilTerenies grossuras.
Voltas azues a Mara Pa, ricos sintos de fitas
largas com (velas douradas, finalmente sortimento
igual a este s se eneontra aa loja da Aurora rua oro nem as costas,
laaga do Rosario n. 38, o qual sempre se eneontra Estas pilulas acham-se venda as
prompto as ordens de qualquer freguez que fr cipaes boticas e drogaras do imperio,
mJin^JJieni duvidar maode w para 1^- ^ de Janer0( rua Diroila n. 18
Vende-se em Pernambuco:
pnn-
e no
tlflcar a verdade.
PROPRIO PARA SENHORA.
Vende-se um excellente cavado muito no-
vo e manso com todos os andares: na cb-
cheia do Paulino, raa de Santo Amaro.
aa pharmaeia franceza de
P.MAURER & C.
RUA NOVA N. 18.
\
v
J


Marta de Pernambnco Habbado 19 de Malo de 1 H4.
G1EG\R4M OS MODERAOS H\LES DE
FILO PRETO.
S iperiores chales de fil preto chegados pelo ul limo vapor francs, a
loja das columnas ra do Crespo n. 43, de Antonio Correia de Vasconcel-
los <& C.
CONSULTORIO MEDICO-CIRURGICO
do
DR PEDRO DE ATTAHYDE LORO MOSCOSO,
MEDICO, PARIEIHO E OPERADOR.
3 ftua da Gloria, casa'do Fundao 3
O Dr Lobo Moscoso d consaltas gratuitas aos pobres todos os dias das 7 s
aons ia manhla,e das 6 e meia s 8 horas da noite, excepcSo doa dias santificados
>i a%n especial hotneopatMca
No mesmo consultorio ba sempre o mais appropriade sortimeoto de carteiras
,ihas ivutsos,assim como tinturas de varias dymnamisac5es e pelos precosseguintes
tcoosa Carteirasdel2tubos grandes. 120000
de 24 tubos grandes. 180000
Jj liiiiH ,'noles. 245000
de 4* tuto*,'.-indas. 301000
de60 tubos grandes. 350000
ivmra-se qualquer carteira conforme o pedido que se fher, e com os remed
Um tubo avulso ou frasco de tinturado meia onca 10000.
Sende para cima de 12, custarSois precos estabelecidos para as carteiras.
Haubos mais pequeos cada um a 500 ris.
LITROS.
AURORA BRILHANTE
GRANDES 4RMAZENS
DE
MOLHADOS
Largo da Saeta
ruz n. 84, es-;
juina da ra do
>ebo.
VI\HOS
ESFECIAES
Largo da Santa
jCruz n. 84, es-j
quiua da ra do,
sSebo.
?r1?hVf.Propr,.,!tano dJ multo acreditado armazem de moadodeomindo Au-
rora Brilhante, cominua
a ter o mesmo sortimeoto de gneros de primoira qoalidade.
O
O
qia
l)i
llilll i
d
; i
tfilioina Homeopathico do Dr. Jabr
........ 200000
........ 100000
....... 60000
,.'..,... 30000
Nr,h la 9tTV,Ti a todos base Para ajus'e de contas aos portadores.
nPlo 1? arraaiem vender mais barato e melbores do que a Aurora Brilhante, ja'
ero n.X p Dto qae lem'Ja' mesmo Prine seu dono s deseja tirar diminuto In-
ooveit?r n ^PVaaeuanliUla/ 4"i do estabelecimento por isso
tantes freguis "r l0da dilienc,a>a0m de servir bem a
l3&f libras dechourigas moilo novas,
deixe se a-
os seus cons-
o.- )')< I l)tti)>itta,
11 s v'.)iu nj< '3ii liccionario
llioiaa loaaestica li Or. Haring,
>)rtorioid i"- tillo Miraes..
-.jion-irio dd s si-.n >s le m liciua
O e na los de i te estabelecimento sao por demais conhecidos e dispensara portan-
io .i";^rvaiovaai3ntereco!nmendadosasp3souiue qiizerem usar de remedios ver-
lih r i ^ urgios eduradoresrhacudo do melborque se podedesejar.globosde ver-
di hiro macar deleite.notaveis -elasua boa tomervaco.tinturados mais acreditados
em ^meatos europos;a mais uacta e aecurada preparacSo, portanto a maior ener-
te'.a d a ieas edeitos.
Cam de sae pira escraoos.
Recebe-seiscravospara tratar de (ualquer enfermidade ou fazer-se-lhe qualquer
opjrro, para o que o imunciantejulga-se nfldjiantemente habilitado.
O. rata meato o melhor possivel, tanto na (arte alimentar, como na medica, e
fu! jionano a casa a mais de quatre annos, ha nanitas pessoas de cujo conceito se nao
pfiAe luvidar, que pdem ser consultados por aquelles que desejarem mandar seus
1^3-86 20000 por dia durante 60 dias e d'ahi em diante 10500.
v. \ peraces ser5o previamente ajustadas, se nao se mizerem sujeitar aos preso?
..,, ; 111 ., i ii i ^ lir o auuunciante.
KM
j{)):mo eaato.Jfico e ciimico de F. P. Lebeuf e G
ra Eiontmartre, 31, em Pars.
Fabrica ein Argenteull, prs Pars (Franca).
BOMNCMJL E FABHiC\(liO
O todas
\/:.\.l)i. '.'iiiUi'io dJi viabos de
T\\. !\lrts,l5trr.v.to .le Med, adose para 230
lilr.;. i f. i. iiBirii.MX, i f.,de Poraard,
f., i' l.isboa. f.,do Cataln, 2 f.,de Porto.
X- 'Uscatel, Malaga, dose para 23 ou 30 li-
tro- U.
in istinfia tara fabricar com o alcool e agua
os vnihH cima e todos os outros. A dose para
oUii litros, 30 f.
IIACTPICAGAOPos inglezes, pos dos vinhos
.la '{- enha, da Franga, etc. A libra para 300
litros. ^! f.
v:, >!t VCAO.Purpirigine para colorear os
vi-, is 'i.ancos e vinhos >; I aros. As duas libras
AGL*ARDE.\,TE5.--Esseocia de cognac para dar
as agurdenles jrdiuarias o sabor eo aroma de
kirsch
agua.
coguac. A garrafa para 100 litros, 5 f.
KIRSCH E AIJsi.VTHO.-Essenciade
iie absintbo, para os fazer com alcool e
garrafa para 100 litros, S t.
LICORES.Extractos para fabricar se todos os
licores conhecidossem fogo nem alambique, (in-
dicar-se os que se I-sea.) A dose para 20 ou 25
litros, 3 f.
PERFUMES,>ara fabricar-se os licores Anos ou
r.ommuos a dose para SO un 2-i litros, 1 f. 23.
TODOS os outros productos para o trabalho dos
vinhos.iituardentes, licores, vinagres, etc., sao
fabricados ia encommenda.
UTENCILIOS de laboratorio e de chimica.
engaado nossos
oar-i -501 litros, 16 f.
Algnos de nossos agentes tendo falsificado e mitado nossas preparagoes, e
frdg wz5j i've-se exigir sobre as rolhas e rtulos as inlciaes F. V. L. Paris,
0 modo de usar-so dasprepirarfiesiclia-se indicado no rotulo.
A; eneoTimendas devem seracompanhadaspornma letrasobre Paris ou qualquer outra cida-
a-i- ,ti:i. ou ,'irai'ili- Mtiwiim r'i!- la. Oirieir-sn M.Sn, Lebeuf & C. chimicos, ra
mi o '!. -i. ti. vn !'i-i-. O'i i f 11. i i i t:i i fr mce'.a. ra do Imperador n. 38.
)Lau
a
? D,mi?l?n,!is comPeix8 em postas inteiras,
Soo laalidades' l*000, *#280e
.DaL?,? 0sf?' aleme petiscoparafri-
> gtdeira, a 720 rs.
n!3cCOm fvilhas novas, ensopadas, a 720 rs.
Di as cora favas, a 640 rs.
.ui as comamefxas a 13200, 1*800 e 3J500.
mu com marmelada do afamado fabricante
Abren, a 720 rs.
Ditas com massade tomate, a 300 rs.
e?*So8 de coma AD'g'jCorn bolachinha de soda muito novas, a
PDitascorabiscoitinhos inglezes de muitasqua-
lidades, a 1,J00.
_ Choeolale.
l>aixinha com ameixas enfeitadas proprias
Para mimo a 1J200,2#800 e 3200.
Bnat?.5uperior mnK> n. a libra de
880 a 10O0.
Maaca4r^0''la'hariam e aletria amarella, a libra
Dito dito dita branca, a libra a 400 rs.
Laixas com estrelinha, pevide, e outras mas-
' sas, a caixa 33300.
Ditas dita era libras a 640 rs.
Sag, a libra a 360 rs.
iSevadinha para sopa a libra, a 240 rs.
iirvilbas seccas, a libra a 160 rs.
,Ditas descascadas, a libra a 200 rs.
Tapioca muito nova, a libra a 280 rs.
Farinha de araruta verdadeira, a libra a
500 rs.
ArImZ.A 1Ia<"anhao, em sacco, a arroba a
23400 e a libra a 80 rs.
,Dito da India e Java, a arroba a 33200 e a li-
bra a 100 rs.
Toucinho de Lisboa a 9jio00 a arroba e a 320
rs. a libra.
Dito de Santos, a arroba 7*000 e a libra a
260 rs.
Molhoscom 123 ceblas grandes, a 1*280.
"2H? france!a> ca cora 2 duziasa
7JOO0.
Frascos com mostarda preparada em vinagre.
! a 400 rs. ?*-, '
Ditosj'-om coacervas ingtexas e francezas. a
, 640 e 800 rs.
iDiloscom sal refinado fino, a 640 e a 500 rs"
Ditoscora a verdadeira ge'nebra delaranja, a .
lK)00.
Vinho verde superior.
A caada a 33000 e a garrafa a 400 rs.
Gomma.
Saccas de 4 arrobas, a verdadeira de se
engommar, a arroba a 33000 e a libra
120 rs. s
Sabao massa, a libra a 200,240 e 280 rs. I
Farinha.
Saccasgrandes com farinha de Goianna mui-J
to nova, a 53000. <
Caft.
Cafdo Rio muito superior, a. arroba a 83,}
83500 e 93000. I
Cha. ,
Ch.teraes nestes generoso melhor possivel.i
hyson, a libra a 23600.
Dito parola a 33000.
Dito uxim a 23700.
Dito hyson mnito fino a 23B00.
Dito redondo a 23500. <
Dito preto de primeira qualidade a 23500. c
Dito mais baixo a 23000 e 13600. <
Erva mate.
Excellente cha medicinal, a libra a 240 rs. f
Espermaeete.
O raasso com 6 vellas de espermaeete a 600,
640 e 720 rs. i
Passas.
Caixas de 16 e 8 libras de passas novas pro-
prias para miraos a 43 e 23500. ]
Nn/.es. .
Nozes, a libra 160 rs. e arroba a 43000. t
Alpista e painco.
Alpistae painco, a arroba 43000 e a libra a
160 rs. I
Cartas. <
Cartas finas para logar, a duzia a 25500. (
Cusan lias.
Castanhas novas vindas neste vapor, arro-
ba 43000 e a libra a 200 rs. ,
Azeitonas.
Barriscom azeitonas novas a 13500
Inteiga.
Manteigasuperior, a libra a 13280.
Dita mais abaixo a 13200.
Dita menos superior a 13
Dita friceza nova, a libra a 880
Dita dita era barris e meios ditos, a libra
850 rs.
Dita para tempero a 400 r?.
Qiieijos.
Ditos de2 garrafas de Hollanda verdadeira,aQaeijos novos viudos neste vapor a 23800 e^
2:300!!
Un corte de chita larga franceza cora 10 covaios, padrSes escurjs ou claros, cores flxisjs-
mas, na
L.o|a das varas
5Raa do Crespo5
iio se amostras deixando penhor.
93
ttusselinas <1e cores
PadrSes mui imosos e gosto moderno, largas, por300 rs. o covado, s na
Loja das varas
5 Kua do Crespo 5
DE
Gregorio Paes do Amaral A C.
\
largas
u
francezs
Chitas
escuras e claras padroes modernas e cores finissiraas a 240 o covado na
Loja das varas
5=Rua do Crespo&
DE
Gregorio Paes do Amaral k Com pao ia.
Chitas de llulio
cor .i palha, padr > miudinhos, a 280 rs. o covado, s na
Loja das Taras
o Hita da Crespo S
m
Gregorio Paes Jo Amaral Cempaoliia.
A 68000!!
Cortes de fea Mara Pia
com barras maii, do ultimo goslo, s na
Loja das varas
5 -'Ra do Crespo5
DE
Gregorio Paes do AmaraJA C.
Dao se amostras deixando penhor.

640 rs.
Botijas cora dita proprla para negocio, a
i 400 rs.
IGarrafoes com 2 galoes com dita, a 63-
(Serveja boa, marca, a 500 rs. a garrafa, e a I
duzia a 65OOO.
Vinho muscatel de Setnbal, a garrafa a 13-
Marrasqmnhoverdadeiro,frascos a 80C rs. e
a 13200.
(Champagne, a duzia 203000, e a garrafa a
, 23000.
jAzeite refinado portuguez e francez, a garrafa
' a 13000.
Caixa de vinho Bordeaux muito superior,a
73,83,93 e 103 a caixa.
(Ditas com dito branco, a 73 a caixa.
1 Ditas comditolaurimas do Douro verdadeiro,
a 203.
'Ditas com duque do Porto verdadeiro.'a
185000.
JDitas cora chamisso superior, a 145.
'Ditas com Porto velbo e outras muitas mar-
cas, a 125.
>Vinho do Porto da pipa, a garrafa a 640, 720
\ e 800 rs.
.Dito de Lisboa muito bom, a caada a 35200,
\ 33500 e 45, e a garrafa a 500 e 560 rs.
Dtoda Ffgueira, dassegnintes marcas (N*.)
(J. A. A.) (I. L. G.) (O. MI a caada a
> 45500, e a garrafa a 560 e 640 rs., deste
f que j est engarrafado e lacrado com o
rotulo do armazem.
kDitos de marcas mais desconhecidas, a cana1-
> da a 33300 e 45000, e a garrafa a 480 e
520 rs.
Vinhobranco fino, agarrafa a 640rs.
[Dito de caj mnito superior, a garrafa a
> 8O0 rs.
DE
AZEFED FLORES
Ra da Cadeia do Heci>, esquina Madre a> Dos.
Prestem attencio ao discurso do Balo.
A loja do Balao todas a?semanas reforma o seu annuncio em consequencia de
constantemente receber novas fazendas e novo sortimenlo de ronpa faia, os seus pregos-
s5o os mais moderados como ja ninguem ignora, as fazendas que nio levara preco marca-
do porque ha diversas qualidades e diversos precos, e em loja alguma encontrar o pu-
blico um t5o completo sortimenlo de fazeodas e roupas feitas, e nao havendo a obra que
o fregoer procurar toma-se a medida a em 24 horas estarSo sallsfeitas as exigencias do
fregmez.
Pede-se attengflo.
Chapeos de sol com 16 asteas 120.
dem idem com 12 asteas a 80.
dem idem denominado acadmicos, fazenda inleiramente nova com 12 asteas a
120, por este prece so na leja do Balao se encontra.
BalSes de arcos para senhoras, os melhores que lia a 3(J. .
dem de arcos e de musselma para meninas a 2$, 2)9500 e 3#$0O.
Vestidos finos a-Maria Pia a 14&
dem dos ruis modernos que ha de flores matisadas a 18$.
dem com barras, fazenda anda nao vista em Pernambuco a 24)5.
Pecas de cambraias que semprese vendeu por 9$, o balao v< nde por 7,5.
Chitas preclaras que todos vendem por 640 rs., o Bal3o vende a 560.
dem da misma quaiidade, porm de ou'ros paJres a 440rs.
dem escuras a 300 rs. esto-se acabando.
dem estreitas a 280rs. s ira loja do BalSo.
L3as de accento escuro com flores matisadas denominada pelas senhoras que j
compraram (Ta econmica.)
Cambraia de corea as mais finas a 800 rs. a rara.
dem de cores com quadros brancos a 560 rs. a var?.
Madapolao a 85 a peca, que vale 9, tambem ha fino.
dem francez proprio para saia de senhora a 560 rs. a vara.
Camisas de meia mnito finas a 22fS a duzia.
Meias cruas para homem de G a 8 a duzia.
Camisas de pregas largas a 2530O que todos vendem por 3/(.
dem inglezas de Dho muito finas a 48$ ou 545 a du^ia.
dem de flanella de cores muito finas.
Calcas de casemira pretas e de cores de 7$ a 12)5.
Paletos de casemira de cores e pretos, a 10$. 11(5 c 12^.
Golletes de casemira e de brim branco os melhores que ha.
Calcas de brim bra-co muito finas a 45500, 55 e 73.
Paletos de alpaca branco a 55.
Mantas modernas para pescoco de homem.
Collarinhos de papel de cores a 800 rs.
dem brancos a 400 rs. a duzia.
Laa preta para luto e de todas as mais cores a 500 r. o covado.
Ceroulas de linho com duas costuras.
dem de algodo a 1)9600.
Cambraias para forro de vestido a 2(5(600 a peca ou a 360 rs. a vara.
Chales de uerin estampado que custaram 8$, vende-se por 5$ em razio de es-
tarem um p uco desmatados por ter estado a mostra, por estes precos s na loja do
i:
G&
33000.
Ditos londrinos multo novos, a libra a
15000.
Papel.
Papel almaijo paulado, a resma a 45800.
Dito ditolizo de linho, a resma a 45300.
Dito "le peso tizo e pautado, a resma
23500.
Dito deembrulho.bom a 13 e 15200.
Vinho Madeira.
Garrafas com o verdadeiro vinho Xerez e Ma-"
deira a 15500 e 23000.
Temperos.
Polhas de louro, pimenta do reino, cominbo
e cravo, a libra a 400 rs. _
Velas de carnauba.
Massos com 6 velas de carnauba refinada a
480 rs.
Araondoas.
Araendoas com casca, a libra a 320 rs.
Doce.
Caixoes de doce de goiaba, grandes a 134001
e pequeos a 640 rs.
lijlos de limpar.
Tijolos de arear facas a 140 rs.
Gran.
Duziasde boioes de graxa n. 97 a 25000, e'
de latas a 13000. e os boioes a 240 rs. ca-i
da um, e as latas a 100 rs.
Charutos finos.
Charutos finos dos melhores fabricantes da
Babia por diversos pregos, caixa: e meias;
caixas.
E grande quantidade de gneros tendentes
a estes e^tabelecimentos, que deixam de an-
nunciar-se.
COHTIIVADOS BORDADOS
N. 11Ra do QueimadoN. 11
A este estabelecimento chegou ltimamente da Europa nm grande e variado sorti-
meoto de coriinados bordados o que ha de,mais gosto emdesenhos e bordados.
Lindos bonets de palha de Italia para senhora?.
Chapeos e ebapelinas de palha de Itlia ricamente enfeitados.
Chapeos finos de seda para cabee* de bomens e chapeos de sol de seda inglezes .de
8,12 e 16 astes.
Bournus e chales de renda pretos superiores.
Pelisses e souternbarques de seda preta para senhoras.
Cortes de laa de barras de 143 a 225 de muito gosto.
Bales de arcos e de musseiina finos, manguitos e caraisinhas.
Saias bordadas, multo superiores.
Moireantlqu prelo, grosdenaple preto e de cores, panno preto fino de diversas qua-
lidades e casemiras pretas de cores.
Lavas de pellica para honura e senhoras.
B muitas outras fazendas que tudo se vende barato aa loja de Augusto Frederico
dos Santos Porto, aonde tambem se vendem as melbores e mais b.ratas
Epeiras da India para forrar salas
S. 14-11 fe Queimado-& il
Ta*s irmlos
vendem gesso em p para estuque de casas, tijolos
tinos de feitto diversos para ladrilbo, azuleijos de
diversos gostoe, tijolos vidra4is para afBde de co-
tinba, canos d eerro para agoto, comento era
harris de 10 arrobas.
Catangas Anos e brlnnjnedos
para neniaos.
Lhegaram para a loja de miudazas da ra do
Queimado n. 69, os mais Anos e lindos calungas
tanto para brmquedo de meninos como para cima
de mesa : na nesma loja se encontrar bom sor-
timeoto de miudez;s.
OGASTELLO DS &SSVI LLE
Traduzida ia francez por A. 4. C. 4a Crin.
Vende-se este bello romance em quatr
tomos pelo baratissimo prepo de 2550C
aa pra?a a Independencia, livrariana.
6 eS._________________________._
Cienebra de Hall anda e ras-
qaelra.
Chegou a genebra verdadeira de Hollanda, mar-
ca VD, e vende-se soraente no armazem de Barros
& Silva.
MACHINAS DEPAUNT
de trabalhar iuo para
descarocar aflgod&o
FABRICADAS
Por Plant Brothers & C.
OLDAM
Estas marhraaj
podem descarocar
; qualquer especi*
de algodao sen
estragar o fie,
*-** sendo bastantt
duas pessoas pan
o trabalho; pdr
descarocar um:
arroba de algo-
dao em earocc
em 40 minutOi
ou 18 arroba;
por dia ou & ar
robas de algodi(
limpo.
Assim como machinas para serem movida por
aniuiaes, que descarocam 18 arrobas de algsdi
limpo, por dia; e motores para mover urna, das,
eutns dessas machinas.
Os mesmos tem para vender nm beUiSMflM va-
por 'iue pode fazer mover seis destas machina!
mencionadas; para o que convidarse ao* Srs.
agricoheres a virem vr e examma-lox no arma-
zem de a,lgodio, no largo da ponte nova n.4T..
Saaaders Brolhers k C.
V II, praea doCorpoSauto
RECIPE.
Os nnieps agente? nftste pal^.
Rival sem segundo
Ra do Queimado k 49, loja 0 aaiadezas de Ips
& Azevedo Mala eSilva.esta disjwio a vender mul-
to barato que admita, pois seu fregu*zt-s ja esjao
scientes que nao ha secado eomftoUdop.
Pecas de oordo para vecltdos a fO rs.
Capaehos redondos e comandos a 500 rs.
Talheres para menino* a 2i0 rs.
DuzLas da facas e garfas a 25100.
Ditas de cabo prelo era vado a 35000-
Ba ralbas rraacezea muito finas a 200 e 240
G rozas de botos de tonca a itiO o 20o rs.
Caixas com soldados de chumbo a 120 e 200 rs.
Bunecos de choro pequeos a 160 rs.
Varas de cordo para espartilho a 20 rs.
Duzias de colheres para cha a 800 rs.
Duzias de colheres para sopa a 13500.
Ditas de metal principe de cha a 23000.
Ditas para sopa a 43000.
AGUA
Florida.
para restabelecer e conservar a cor natural dos ca-
bellos.
A agua de Florida nao urna tintura, facto es-
sencial a contestar, a mesma agua dando a cor
primitiva de cabello. Compostas de plantas eioti-
cas e de substancias inoffensiveis, ella tem a prc-
priedade de restituir aos cabellos o principio co-
rante que elles tem perdido.
De urna salubridade inconlestavel, a apoa de
Florida entretem a liropeza da cabera, desirce as
caspas e empede os cabellos de cahir.
Oleo de Florida
Composto de substancias vegetaes exticas, elle
contribue poderosamente, com a agua de Flo-
rida a forga, a belleza e a conservagao dos cabel-
los.
Em Paris casa de Guilaurn. 112 ra de Rechi-
lieu e 21 boulevard Montmartre.
Todos os frascos nao tendo intacto e clare, e Un-
cir prateado da casa, reputado falso.
Deposito ra do Imperador pharmacia n. 38.
Bixas hamburpe/as.
Vende-sena ra Nova n. 61.
No armazem de azen das ba-
ratas de Santos Coelho,rua
do Queimado n. 19, ven-
de-seo seguin te:
so panno a
algi-
r*.
DROGARA.
31Ra] larga da Rosarte34
Barthelomeu Francisco dcSouza k G.
TendeM:
Acido actico puro para retratistas.
Esmaltes para ourves.
Papel para forrar casas.
Guarnicdes a velludadas.
Tinta brancasuperior em lata.
Alvaiadf-Venexa, fino, em pes.
Urna familia que se retira vende urna mobilia
de amarello j usada, trem de cosinha, louca de
alraago e jantar azul, urna mesa de jantar de ama-
relio ps torniados, mesas pequeas, commodas,
cama de casal e muites outros objectos o que tudo
se vender em conta: na ra dos Pires n. 62.
Vende-se orna negr nha de 10 annos, muito
esperta e ada : no pateo da matriz de Santo An-
tonio n. 8.
Lenges de panno de linho a 23400.
Ditos de bramante de linho de um
33500.
Cobertas de chita da India a 23500.
Lencos de cambraia brancos propnos para
beira.peio barato preco de IgOGO a duzia.
Pecas de brelanha de rolo com 10 varas a 35800.
Ditas de cambraia para forre de vestido, com 8
varas, pelo baratissimo prego de 25600.
Goardanapos adamascados pelo baratissimo nreco
de 35500 a duzia. '
Algodo enfestado com 7 i [2 palmos de largura a
15200 a vara.
Cortes de laa de lindos costos com 15 covdos a
65000.
Pecas de cambraia adamascada com 20 varas, pro-
aria para cortinado, pelo barato prego de'115.
Fil liso fino a 800 rs. a vara.
Dita com lpicos a 15 a vara.
Tarlatana branca lina a 800 rs. a vara.
Atealhado de algodao adamascado a 25200 a vara.
Dito de linho a 33200 a vara.
Lazrohas lisas de todas as cores, pelo baratissimo
prego de 500 rs. o covado.
Pegas de cambraia de salpicos brancos e de cores
rom 8 12 varas, pelo baratissimo preco de
43300.
BalOes de 20 arcos a 23500, de 26 a 33, de 30
3S500, de 35 45, de 40 45500-
Toalhas felpudas 4 133 duzia.
Esteiras da India de 4, 5 e 6 palmos por menos
preco do que em outra qualquer parte.
Neste armaietn e encontrar nm grande sorti-
menlo de ronpa feita e por medida.
Admira vel pechincha!
Hftcambiqae a 300 rs. o covado, na teja
do pavo.
Yeadenj-sfl. os mais bonitos mocambiques de pu-
ra laa proprios para vestidos e soutembarqnes,
sendo de qnadrinhos de listras e lisos, fazenda in-
teirameate nova, em padroes e mnito proprias pa-
ra as senhoras que frequentam o mez Mariano,
porqne esta fazenda Ihes facilita fazerem por poo-
co diolieiro vestidos mnito decentes para qualquer
acto, advertiodo-se que este baratisnreo prego
devido a grande compra qne se fez desta nova fa-
zenda, que se vende a freze tusldes o covado: na
loja do pavo, ra da Imperatriz n. 60, de Gama &
Silva.
.


.
.. L


Diarlo de Peraamhneo abnado t? de Salo de i 8G5
V =
0 NOVO GERENTE
do
AO PUBLICO
ena o menor oastraa-
glmeato se entregar o
importe do genero qne
nao agradar.

ESTABELECIDO A RA NOVA N. 60
ATTENCaO
preco da aeguintc
tabella para todos, po.
dendo asalna servir de ba-
se para o ajaste de eontas
com os portadores;
ZEM NIAO
Senh orc-j
l reza com que ser]
asa siii'M q>s sis 'jmtt&ia
AO
RESPEITAYEL Il JBEIC O.
A apreciado dos habitante* deta heroica provincia existe no grande arma- j Pra dos seeros
zem da Liga eslabeleeido ra Nova n. 60 um magnifico sortimento de molhados,,pois serSo tfob
que sendo em sua maxirai parte mandados vir directamente de estrangtiro podem sen ,ra porte,
vendidos por precos asss razoaveis.
Sem a fatuidade de querer que este novo e interessante estabelecimento seja o
primeiro e nico em seu genero, pde-se porm 'ffiancar, com toda a seguranca de que
nenhum outro o exceder fio restricto camprimento das seguintes promessas:
RA DA CADEIA DO RECIFE N. 53
(Logo pascando o areo da C'onceleo)
PARA BEM DE TODOS.
Coke do gaz.
pitch do gaz.
Alcatro do gaz.
Coke tonelladas rs. ... 10O0O
Pitch '...". 80(5000
Alcatro cnida..... 400
O coke reconhecidainente o carvq mais ecouu-
mico, lorna-se por isso recommendavel, bem co-
mo pelo asseio que se nota na? cozluhas aonde
elle asado. Pitch e alcatro,alru das applicacfcs
diversas a que se prestara, como para callafetar
embarcacoes.alcatroar madeiras,etc.,teem esje a
propriedade de preservar docupiro, formiga.ete.
E' entregar na fabrica dogz ou mandado por em
qualqaer podio da cldade, segundo a vontade do
comprador.
c/>
(9
<" Xt 3
& n EB

er =.
3 "

v
J3 2 =13
B S.SS
(/-
o a* B
f& 3 > O ^
- % S -a S S. % Z _-
."SH
C i
O re
O prE'
C
-i =i? '
o a> S.o a g p
senhoras, o aceto'qne presidio aos arranjos deste novo estabelecimento, e^mais que tudo a promptidSo e inlei- | I lili S.1. o.
-1 O &; C-rrr-^.-- "-*
lrfiUjsoeojdl a urna visita ao mesmo, certos de que sem duvida me dara"o a prolecgao e preferencia na com- a H
e precisaren e quando nao possam vlrjoderSo mandrseos portadores, atoda^que estes sejam pouco praticos, "
S8 2*S'ift=.
3
sol
Minteiga ajgleza especale enteescclliida a
i,ooo e 8oo rs. a libra e em barril se faz
abatimento.
I Idemfrancezaa mais nova do mercado a 96o
r rs. a libra e 90 rs. em barril ou meios.
Cha Iiysson de sujVior qualidade a 2,600
, rs. a libra. J
Cha perola o olis superior do mercado a
! 28oo rs. a libra.
dem hysson muito superior em latas de 15
libras muito proprio para negocio a 2,ooo
rs. a libra,
dem hysson nacional em latas de 1 e 2 li-
bras a I,6oors.
to bem servido. dem pretoo que se pode desejarneste ge-
1." Delicadeza no trato.
2. Fidelidade no pesa
3/ Sinceridade nos presos.
As pessoas que por sua posico social gozam de certo tratamento, acharo nesta
casa os melhores queijos lonrinos, cerveja, vinhos finissimos manteiga e cha sempre de
primeira qualidade. etc., etc.
Qualquer que seja a condico do freguez, elle deve contar que sera sempre mui-
servidos como seviessem pessoalmente, havndo para com estes toda recommendacao, afim de que nao vio em
Alnraa ToooT^Mrm 4 "",*!,refinad m ^os de* *o com tampa\
ora e o.ooo a wixa. do mesmo, a 5oo rs
nhlKSPoVamSnha'rfeVde V,0^ ^^ braDCa das marcas mais acreditadas
^1 ^,9 Su Ia G4 rs'a 1,bra e que x em ao mercado, a 5oo, 56o e 64o
Vinhn rln ? i ,braS- l gm^' e 5'80' >0 6 6,500 a du-
Viuho do Porto muito fino proprio para zia.
engarrafar, em ancoretas de S caadas a Cevadinha de Franca muito nova, a 2oo rs.
vh ?. n ; Charutos do affamado fabricante Jos Furta-
Vinho erai pipai: Porto, Figueira e Lisboaa do de Simas, das seguintes qualidades:
J2o, *oo e 5oo rs. a garrafa, e em caada Expsito Normal de ftivana, Imperiaes,
a 2,5oo, 3,ooo e 3,8oo.
Aquellos que s5o pouco favorecidos da sorte farao mensalmente urna economa
muitas patacas, afreguetndo-se nesta casa, onde se lhes vender arroz, o caf, a man-
teiga oassucar, etc., etc. de boa qualidade pelopreco que em algumas partes nao po-
dem ou nao querem vender.
Os senhores de ra da cidade, dos arrebaldes ou centro, que compram para ne
gociar, devem vir, ihbIo seu proprio interesse, a este estabelecimento para se convence-
rem do quanto se pode vender barato.
Para os senhor s que compram para tornar a vender existe um sortimento espe-
cial, escolhido por pessoa entendida que certamente muito dere agradar aos senhores
compradores.
Nao se tem poupado sacrificios, nem se deixar de fazer a diligencia para agra-
dar a todos. -
PELOS SEGUINTES PRECOS SO SE VENDE
A DINHEIRO A VISTA:
ALPISTE E PAINCO a 120 rs, a lib a.
AMENDJAS novas a 28o rs. a libra.
AVELESa2i0rs. a libra.
ARROZ de 90 rs, a libra a,..
AME1XAS francesas em latas, potes, fras-
cos, bocetas, etc etc.
AZEITE doce a 600 rs. a garrafa, cadada a
B
BANHA de porcoaOOO rs. a libra, em poj-
<;3o faz-se abate.
BOLACHINHAS do beato Antonio a
BOLACHINHAS de soda lata grande a 2,000
ris.
HISCOITOS ing'ezesem latas de 1,200 rs. a
BOLACHINHAS principe Alberto a 2,000 rs.
C
CHOURICAS m ito novas a 800 rs. a libra.
CAF de 260 rs. a libra.
CHOCOLATE francez a 800 rs. a libra.
CHAMPAGNE das marcas mais acreditadas
a 25,000 rs. o gigo.
CHARUTOS de todas as qualidades, suissos,
amcrican s, bahiannos, uminenses, etc.,
de 1,400 a 10,000 o cento.
CHA HYSSON de 2,200 a
COPOS l sos ladidados de todos os tama-
nhjs a

DOCES de todas as qualidades.
E
ERVILHAS seccas e em latas portuquezai e
francezas.
F
FARINHA de araruta verdadeira a 800 rs. a
libra.
FARINHA do.Maranho ou tapioca a
FARELLO de Lisboa a 4 e 5,000 rs. a sacca.
FAVAS portuguezas em lata a 600 rs.
O
GOMMA muito nova e alva a 140 rs. a libra.
GRAO DE BICO a 120 rs. a libra.
GEEB1U delaranja a 9 e 10,500rs.
CENEBRA de Hollanda m botijas, frascos,
garrafas, etc.. etc.
ero a 2,ooo e 2,2oo rs. a libra.
Lingui^as muito novas a 8oo rs. a libra e em
barril se faz abatimento.
_ Chouri^as e paios a 8oo rs. a libra.
Costelletas inglezas a 64o rs. a libra, serve
para temperar ,panella ou para fiambre.
Queijos do reino chegadosneste ultimo va-
pora 2,2oo rs., ditos de navio devella a
2,ooo rs.
dem londrinos muito frescos e de superior
qualidade a 8oo rs. a libra,
dem pratoa 8oo rs. a libra, e inteiro se faz
abatimento.
dem suisso o mais superior que tem vindo
ao mercado a 64o rs. a libra.
Ervilhas e favas portuguezas j preparadas
II em latas hermticamente lacradas a 64o.
MANTEIGA ingleza efianceza al#, 1120 Feijo verde muito superior a 640 rs. a lata
1)5280 e em barril faz-se grande abati-
mento.
MACARRO a 400 rs. de 8 libras para cima
a 360 rs. a libra.
MASSA DE TOMATE a600rs. a lata.
MOSTARDA ingleza a 800 rs. o frasco.
MARRASQUINO de Zara.
MARMELLADA de diversos fabricantes e
diversos presos.
P
PEIXEem latas a 1,000 rs. ,
PERAS SECCAS a 500 rs. a libra.
PASSAS muito novas a 320 rs. a libra.
PRESUNTO para fiambre.
QUE!JO do reino de 2,000 a
DEM londrino.
DEM suisso a 800 rs. a libra.
DEM prato a 800 rs. a libra.
SABO MASSA a 160 rs. a libra e grande
abate em caixa.
SEVADINHA a 200 rs. a libra e 8 libras se
far grande abatimento.
V
VINHO tinto de 360 a.. garrafa.
VINHO tinto em caada de 2,560
VINHO branco em caada de 3,500 a
VINHO verde a 4 rs. a caada.
VINHO Bordeux em caixa a 6.000, 7,000 e
VINHO de Grave a 6,000 rs. a caixa.
VINHO Cherry a 1,000 rs. a garrafa.
VINHO do Porto de todas as marcas e todos
os precos. .
VINHO Collares a 800 rs. a garrafa.
VINHO tinto, neste genero ha constantemen-
te 20 a 30 pipas ao torno de diversas
qualidades e diversos precos.
VINAGRE em ancoretas a 15,000 rs.
VINAGRE em pipa a 160, 200 e 240 rs.
VINAGRE branco a 400 rs. a garrafa.
VELLAS de
arroba.
carnauba a 13 e 13,500 rs. a
Copos lapidados para agua a b.ooo e 5,5oo
rs. a duzia.
dem idem para vinho a -24o rs., e 2,4oo rs.
a duzia.
Chocolate francez'espanhol e suisso a 9oo,
l.oooel,2oors. a libra.
Espermacete superior a 6oo e 64o rs. a li-
bra e em caixa se faz abatimento.
Peixe em posta em latas hermticamente la-
cradas e das melhores qualidades de pei-
xea 8oo, l,oooe l,2oo rs.
Vinho Bordeaux das marcas mais acredita-
das que vera ao nosso mercado a 7,ooo e
8,ooo a caixa e 64o e 7oo ris agar-
rafa.
Genebra de Hollanda a 48o rs. a botija de
conta certa.
Frasqueirasde genebra de Hollanda a 6,8oo
e 64o rs. o frasco.
Genebra de laranja verdadeira em frascos
grandes a l.ooo e H.ooors.a frasqueira.
Caf do Rio de Ia qualidade a 28o rs. a li-
bra e 8,5oo rs. a arroba.
Cafdo Cear muito superiora24o rs. a li-
bra e 7,5oo rs. a arroba.
d9 5*2
"S "2.3 S
3
Isa 3
ri
_. as
Vinho branco de Lisboa de excellente quali-
dade a 4oo e Soors. a garrafa e em cana-
da a 3;ooo e 3,5oo.
Vinho branco para missa em caixas de 1 du-
zia a 8,ooo e 68o rs. a garrafa.
Vinho do Porto das melhores marcas que
vem ao mercado como sejam : Lagrimas
do Douro, Duquedo Porto, Rainha de Por-
tugal, Duque genuino, D. Luiz I, Madei-
ra Secca, Malvazia fina a 16,ooo,15,ooo,
12,ooo e lo.oooa caira com 1 duzia e9oo,
l.ooo e l,5oo rs. a garrafa.
Vinho Cherexde superior qualidade a 16,ooo
a duziae l,5oo rs. a garrafa.
Sardinhas de Nantes a 4oo rs. os quartos e
64o rs. as meias latas.
Bolachinhas inglezas muito novas a 5,ooo a
barrica e 320 rs. a libra.
Bolachinhas de soda em latas de diversas
qualidades a l,3oors.
Cartes com bolo francezmuito proprrospa-
ra mimo a 64o rs.
Passas muito novas em caxnbas enfeitadas
para mimo a 3,ooo rs.
Passas de carnada a 8,ooo a caixa e 4oo rs.
a libra.
Figos de comadre a 24o rs. alibra.
Amendoas de casca mole a 4oo rs. a libra.
Milo de amendoas a 5oo rs.
Bolachinha d'agua e sal, da fabrica deJoSo
de Brito no Beato Antonio, enflata de 6 li-
bras por 2,5oo rs.
Ameixas francezas em rasco de vidro com
tampa do mesmo, a l$5oo.
Ameixas francezas em caixinbas de diversos
lmannos com bonitas estn pas na car
2J
O tt
""
B
"* = 5P
en o 3 o
ss ?
M
"J
"S
O
s
S9
II
O TO
i
09
O
c.
o
58
o
cada urna.
Azeite doce refinado hespanholou portuguez
a 9oo rs. a garrafa e lo:ooo a caixa.
Batatas muito novasa 8o rs. a libra e2,5op
o gigo com 36 libra*.
Conservas inglezas a 75o rs. o frasco e
8,5oo a duzia.
Vassouras de escova para esfregar casa a
4oo rs.
Nozes'muito novas a 16o rs. alibra.
Londrinos, Guanabaras, Parisienses, Sus-
piros Delicias, a 4,ooo, 4,5oo, 5,ooo,
6,ooo e 7,ooo a caixa ou em meias.
Charutos finos de diversas marcas e fabri-
cantes, como sejam: Flor do Norte, Ma-
nilhas de Havana, intervallos,Vencedores,
Panatellas e Suspiros, a 2,ooo, 2,5oo e
3,ooo a caixa.
ognac inglez das melhores marcas, a 8oo e
1,2oo a garrafa.
Doce da casca de goiaba a 2,ooo a lata com
4 libras.
Farinha de araruta verdadeira a 32o rs. a
libra.
Matte,excellente cha para os navegantes, a
2oo rs.
Sebollas de Franca muito grandese novasf*
a l,8oo o cento e l,2oo soltas.
Palitos do gaz a 2,2oo a grosa.
Toucinlio de Lisboa muito novo a 32o rs. a
libra e 8,5oo a arroba.
Banha de porco refinada a 6oo rs. a libra.
Bolachinha Alberto, as melhores que pre-
sentemenletem vindo ao mercado, a 2,ooo
a lata.
Farinha do Maranh5o muito alva e cheirosa
a 2oo rs. a libra.
Frascos com fructas em calda de diversas
qualidades a 2,5oo e l,5oo o frasco.
Caixinhas com fructas em doce secco de di-
versos tamanhos, muito proprias para
mimo, a l,6oo, 2,6oo e 3,5oo cada urna.
Ruibos, excellente peixe portuguez, em
barris pequeos ou a retalho, a vista se
far o preco.
Azeitonas de Rivasem ancoretas grandesde
8 garrafas por 6oo e 8oo rs. a garrafa.
en
S
I
xaexterwr, t-f,4o,- l,6oo, l,8ooe 2,oo& Azeitonas portuguezas a 5oo rs. a garrafa e
Arroz do Maranhio de Ia quadade a loo Molho inglez em garrafa de vidro com rolha
rs. a libra e 2,8oo a arroba. do mesmo, a 16o rs.
dem da India a loo rs. a libra e2,8oo a Mostarda ingleza dos melhores fabricantes,
arroba. i a 8oo rs. o frasco,
dem de Java a 8o rs. a libra e 2,ioo a ar-, Mostarda franceza em potes j preparada a
roba. 4oo rs. o frasco.
Painco e alpista a I4o rs. a libra e 4,oooa ] Lentlhas francezas, excellente legume para
arroba. sopa, a 2oo rs. a libra.
Massa de tomatesde superior qualidade a 64o Marrasquino de Zara propriamente dito a
rs. a lata de urna libra e56o rs. a reta- i I a garrafa e ll.ooo a duzia.
lho. Palitos de dente a 14o rs. o maco.
l,5oo cada urna ancorela.
Champagne da melhor qualidade que vem
ao mercado, a 2,ooo e 3,5oo a garrafa, e
24, ooo e 26,ooo o gigo.
Gomma de engommar muito alva a 12o rs.
a libra.
Figosem sextinhas a 8o rs.cada urna e 72o
rs. a duzia.
Papel azul para botica a 2,ooo a resma.
Balaios para roupa suja, grandes e peque-
nos, por diversos precos.
Amendoas confeitadas a 64o rs. a libra.
Latas com fructas em calda: pera, pecego,
damasco, rainha Claudia e cereja, a 8oo
rs.
Vinagre de Lisboa a 2oo e 28o rs. a garra-
fa e a 1,4oo e 2,ooo rs. a caada.
Azeite doce de Lisboa a 4,8oo rs. a caada
e 640 rs. a garrafa.
Vinagre branco j engarrafado a 5oo rs. a
garrafa.
Loja das seis portas un frente
do Limo metilo
Vendero-se pecas de bretanha de rolo com 10
vara* pelo baratsimo preco de 2{?400 a pt,
muitos outros artigo?, e bem assim om v.tri;do
ortimenlo de roupa feita, que ludo se vende mais
barato do que em outra qualquer parle : de ludo
se dao amostras cem peohores.
Vende-se
na ra das Crmes n. 23 junco e palha, mais uara-
to do que em outra qualquer parle.
ESCBMGS FGIDOS.
Aviso aos capites de campo e a
polica.
2(.G$ do gratiticaco por cada um.
Desappareceu em principios do mez de oiitubrc
do anno prximo passado de bordo do palh.e|e
nacional Arroto Malo, dous escravos de norre Ro-
berto, por appellido Macei, e Miguel; o 1- o 4.'
annos de idade, ponco mais ou menos, crioulc. i-or
fula, estatura baixa, barba serrada, um pouro un-
to das pernas, e com alguns cabellos branca, lar.-
te na barba como na cabega. O 2 alio, cheio ro
corpo, sem barba e falla grossa, reprsenla itrde
25 a 30 annos ; cujos escravos desconfia-se anda-
rem pelos arrabaldes desta cidade : quem ts ap.
prehender qneira levar a ra do Trapiche n. 4.
Ausentou-se no dia 10 do crreme o i scravo
Luiz, estatura baixa, levou camisa e calca brama
de algodaoziotio : qum o pegar leve-o em Siir.io
Amaro, em casa de seu senhnr Manoel Cli;j.:o
Peixoto Soares, ou na praya do Corpo Sanio, que
ser gratificado.
Superiores cortes de moirs preto com barra, o qne ha de melhor gosto em eflo
Pernambuco. _, Sp5
dem de gorguro preto adamascado com barra a imperatnz Eugenia. -
\Ai>m de corcurio de seda bordados com barra. se
Sup"fore8s mors pretos e largos 3*400, 2*600, 3*, 3*500, 4*. 5*. 6*, S|
Superiorgorgar5o de seda preto, a melhor fazenda que ha para vestido. gg
Sarja preta de seda.
dem preta hes>anhola.
dem idem lavrada a 2* o covado.
dem idem lavrada moito superior.
Completo sortimento de grosdenaple preto a l*oOO, 1*800, 2*, 2*500, 3*,
33500, 45, 4*500 e 5*.
Pannos pretos de superior qualidade de 3* a 12* o covado.
Casemira preta de l*600*a 5* o covado.
Lindos chales, boornos, algenennes e retoodes de filo preto.
Mantas pretes de fil e los pretos. _.____i
E muitas ontras fazendas de snpenor qualidade na leja das Columnas
na ra do Crespo b. 13 de Antonio Correa de Vasconcelos & C. successores
de Jos Moreira Lopes.
GOMMA NOVA.
Em paneiros muito alv a 4,ooo rs. a arroba e 16o rs. libra e compran-
do de um paneiro par cima se far abatimento na roa do Imperador n. 40.
MoTldade.
A 11000.
Leques de oseo, gosto moderno, pelo diminuto
preco de 15 : so na ra 4a Cadeia do Recie n. S,
leja de mindezas de Silvestre- Pereira da Caoba
i Companhia.
Farelo a 3^800
na roa da Imperatrit n. 0.
Chegaramos superiores
cortes de seda.
Superiores cortes de seda de cor, vlndos pele
ultimo vapor francez : na loja das columnas a roa
do Crespo n. 13, de Antonio Correia de Vascon-
] cellos 4 C.
Agua florida e tnico orien -
tal de Kemp.
Continua-se a vender em porco e a retalho :
na ra do Queimado, loja d'aguia branca n. 8.
Chromacomo
A aguia branca, na ra do Queimado n. 8, acaba
de recber um novo sortimento de caixinhas com
chromacomo para Ungir cabellos, e bem assim
frascos com hydrocalleirichina, agua para desen-
grasar os ditos, coloricorao para lustrar os ditos,
e onychromanlina para limpar as unhas. Essa
tintura, cujo effelto rpido e efficaz, est bem co-
nbecida e apreciada para todos quantos della tem
usado, eos que de dovo a quizerem apreciar, po-
dem, assim como aquelles, dingir-se munidos de
dinheiro ra do Queimado, loja d'aguia branca
numero 8.
Papel folhas para rosas
Acaba de ebegar para a loja d'aguia branca, na
ra do Queimado n. 8, um bello sortimento de pa-
pel de cores para rosas, dito verde para folhas, e
dito tambera verde e mui fino para cobrir o ra-
me, assim como folhas de panno e avelludadas
para ditas.
Aspas de baleia para vertidos
Vendem-se na ra do Queimado, loja d'aguia
branca n. 8.
Superiores penas d'aco ingle-
zas e francezas
A aguia branca alera do grande sortimento de
penas d'aco que constantemente tem, scaba de
receber mais outro de superior qualidade e dos
afamados fabricantes Perres A C, assim como as
verdadeiras blco de lan?a n. 134 eoutms de pon-
la dourada, continuando porm a vende-las por
precoscommodos.com tanto que ocompradorcom-
pareca munido de dinheiro: na ra do Queimado
foja da aguia branca n. 8, onde tambera acharse-
ha a venda pastas para papis.
A aguia branca na ra do
Queimado n 8, recebeu:
Bonitos e graodos aljofares de eores para rollas.
Pttlseiras de dito de iguaes e agradareis cores.
Voltas pretasmiores e meaores todas de eonlas
grossas. ,'-..,'-
Pulcei'ras pretas tambera de eontas.
Outras 4e differentes qualidades e gostos.
Brincos de aljofares de eoree e dourados.
Fivelase'cp grandes e pequeas com cinto pre-
to e de madreperola.
Outras graudes de differentes qualwades e re-
dondas con) pedras.
Bonitos leques de (madreperla redondos e de
outra forma.
Ditos de sndalo intericas e corredicos.
Capellas brancas para meninas.
l#m "lis*
ATTENQO MEUS SENHORES
PARA
NOVA CALIFO
Fazendas baratsimas loja da ra do Crespo d. 17 de Jos Gomes
Villar.
A nova crise commercial permilte que o poro em geral nao possa comprar fazendas
earas. O proprietario deste estabelecimento, amigo que do poro em geral, attendendo a
essas circumstancias est vendendo fazendas por precos que na realidade admira.
Correi, bom povo, a este estabelecimento, e comprai fazendas, porque al I i se vende
por menos do que em outra qualquer parte.
Gassas organdyzes a 280 rs. o covade.-
Chitas francezas escoras matizadas a 260 rs o covado.
Uitas escuras muito finas a 240 o covado.
Ditas claras dem a 240 o covado.
Ditas escuras idem a 260 o covado.
Chitas para coberta muito largas matizadas a 240 o covado.
Madapoles fines largos a 6J590, 75 e 85.
Chales de fil preto muito bons a to&ooo cada um.
Chales de merino estampados a 55300, 65 e 75-
E onlras muitas fazendas, que tudo se vender por precos que admirara.
Ausentou-se no dia 19 do crrenle, da casa
de seu senhor na ra da Aurora, um o.oltque
cri, uio, de nome Augusto, Idade do 1G anm>, le-
vou calca e can isa branca, muilo couberidn ;ior
ter o queixo um pouco sahido, e anda quasi Pfin-
pre com a bocea aberta, julga-se andar Dcsia e.i-
dade ou em seu* arrabaldes : qum u pegar le-
ve-o a ra da Cruz n. 49.
Fugio em principios do mez de ferrreirr- do
correte anno e consta estar acoulade nesta edade
o moleqoe Euzebio, escravo da viuva de Pr. Fer-
nando Affonsode Mello, de 12 annos de idade pon-
co mais ou menos, cor preta, secco do corpo, olhos
regulares e afumacados; cabera um ponco ciande
e meia chata, beicos finos, dentes bem alvos, ps
seceos e muilo ladino : roga-se por tanto a todas as
autoridades policiaes e capites de campo que o ap-
prehendam e levem-o a ra da Mangueira sobrado
n. 6 que .seo gratificados, protesianrio-sc usar dos
melos judiciaes contra qualquer pessoa que o t nna
em seu poder.
AVIO
aos capites do campo e a policio.
50* de gralcficacAo.
Desappareceu no dia 8 do correte mez de maio
de 186-5, de casa de seu senhor o escravo de man
Semiao, de nagao Massambique, com os sisnaes
seguintes : cor preta, alto, chelo do corpo. lem la-
Ibos em circo redondo no roslo ao p das orellias,
caiga de casemira azul, camisSo de baieta aznl.
chapeo de massa redondo, representa ter 13 an-
nos, ponco mais ou menos, de suppor que to-
masse a direegao de Porto Calvo, provincia du
Alagoas, porque foi comprado ao Sr. Jos Vicente
Lindoso por sea bastante proeurader Juaqutm Ca-
vaicantl de Albuquerque Mello, morador em Bar-
reros: a entregar na ra Direita o. 30 Bernar-
dio Antonio Pereira Bastos.

.'IIC>
AZEITE DOCE
Azeite doce refinadoem pequenas latas a 560 rs. a garrafa : no graude armazem
da Liga.
Sacees de 0,100 el 20 libras a 4*, 4*500 e 54 ; no grande armazem da Liga.
1PECHINCH4 SEM IGUAf
a
Madapolio muito fino cora pequeo toque de avaria, por preco que admira : na loja
das columnas na ra do Crespo n. 13, de Antonio Correia de Vascencellos & C.
No dia 4 de Janeiro do anno de 1864, fugio do en-
genho Conceico, comarca de Pc-d'Alho, o escra
vo Galdino, pertenrente ao abaixo assignado, com
os signaes seguintes : idade 26 annos, pardo, claro,
corpo, figura e altura regulares, cabello1! meios ca-
rapinhades, olhos pardos, sobrancelhas e palpebras
salientes, tem em cada braco aro sino de Salomo,
sendo um delles mal feto, e junto a esle urna cruz,
tem na cabeca urna cicatriz de urna polegada, e em
cima de om quarto orna outra cicatriz de tres po-
legadas, proveniente dt ponta de pao e qneda, tem
sobre as costas algumas marcas ou cieatrizes de re-
Ihadas ou chicote; um|pouco desembarazado quan-
do falla, tem principio de carpina e carreiro. teca
violaebarbado. Foi soldado dororrode'pclitia no
Recife, e levou comsigo a baixa do theor sepuinte :
Seccio urbana, 2* companhia n. 50, Antonio Caeta-
no de Olireira.filhode Agostinho Ferreira de Irri-
to, natoral de Ingazeira, cor parda, cabellos cara-
pinhos, olhos pardos, offlcio nenhum, estado solte-
ro, eom 30 annos de idade, 60 pelegadas de altura,
ao eogajar-se. Engajon-se na forma do regola-
ment, em 17 de ferereiro de 1862, por offlcio do
Exm. Sr. presidente da provincia, dtalo de 28 de
abril do corrente, e publicado ao corpo em orden
do dia 1* de maio, tudo em 1862; tere baixa do
serrico por ter dado em seu lugar o paisano Joo
Pedro Ferreira da Rocha. Foi escravo do capilao
Jeao de Dos Barros, morador que foi na comarca
do Fsrejo da Madre de Dos, e hoje morador na
Campia Grande da Paran y ba do Norte, qne o ven-
den em dias do mez de novembro de 1863 ao abai-
xo assipado, pelo costme de andar fogido e a ti-
tule de forro com o nome mudado ; pelo qne roga-
se a allencao das autoridades civis e militares, nao
so desta provincia como das demais do imperio, a
apprebenso do dito escravo, que a titulo de forro,
I nao tenha sido reerntado ou assentado praca em
algnns dos corpos de Voluntarios -da Patria, tam-
bem pede-se nos capites de campo e pessoas par-
ticulares a mesma apprehenso, e leva lo ao sea
senhor no referido engenho Cooceigao, ou cesta ei-
' dade ao capitio Mauricio Francisco de Lima ra
' do Brnm- n. 56, qne ser gratificado com 2005.
I Jos Maria dos Santos Cavalcanti.
i***
ULAD1



s
Diario de Pernambuco fcabbado tf de Male de 15
-t-
=-
LTTERiTaA.
i quando a porta rodava sobre seus gonzos: nal. Por consegrante, Kuntz, Kramer, con- loucuras, nunca gozei, durante sessenta an-
enferrujentos. Um homem appareceu, em- vencido do crime odioso de parrecida, foi -
A Legenda de Brocken.
I
Ha qualro anuos, se betn me lembro eu,
condemnado a ser enforcado
Perto dos muros de Leipsick, exista en-
brulli ido em urna especie de coberta verde
azeitona que lli servia de roupo. Seu amo
enterrado em um largo barrete de veludo t3o um cabego onde se faziam as execucSes
preto, estava enrogado como urna ameixa-Urnaenorme forca, levantada para este fim,
,'secca ; um nariz rubicundo, ornado de um1 estava alli. em p e immovel, como sentinel-
fiz una* exeuisfio a Hanover. Como me oc- forniidavel par de oculos ve/des, pequeos la vigilante da vindicta publica. Nessa po-
rupasse de historia natural, fui ter ao poe- olhos verdemar, e urna barba longa, aguca-'ca de superstiges populares a Justina, com
tico paiz de Brocken, no centro da mages- da e curva, davam a este personagem um o fim sera dovida de nao offender certos
i>>a cordilheira-de Hariz, que se tornou fa- aspecto nada menos que animador. Elle po- prejuizos do povo, tinha estabelecido um
mosa pelos brilhantes elTeitos e rellexo es- dia'ter sessenta annos. \ costume cuja lembranca ha sido nicamente
pecular, que all se encontra. I Este homem nao era outro que mestre conservada por nossos pais. Era uso que
Na verdade, lenho mullas vezes ouvido Van Puggel, o mais famoso alchimista de o suppliciado ficassependurado no patbulo,
fallar no pheno eno que se descobre no Leipsick. Conhecendo de longa data a pai- exposto iutemperie das noites e voraci-
niais elevado cume de Brocken, quando, por .\5o de Karl, advinhou, com a instinctiva i dade das aves de rapia.
oecasiao de um be lo por do sol, o viajante penetrado de um pbilosopho em actividade, I A noite estava escura, um vento glacial
pode contemplar a sua propria imagem, re- o motivo desta visita madrugadora. I levava diante de si as -rajadas de nuvens
pruduzida n'uma nuvem do vapor, em pro- E-te annel n5o vale mais decincoenta arruivadas que a la pallida e triste busca-
porces colossaes... thalers, disse elle, depois" de ter cuidadosa- va ferir com sua vista obliqua.. O corpo
Eu acabava de subir um pico escarpado mente observado com o microscopio o seu ainda quente de nm condemnado pendia da
forca, e oscillava ao sopro do vento, Um
nico ruido veio interromper a monotona
desse silencio desolado Urna mulher en-
volvida em um comprido veo preto, se di-
rigi mysteriosamente para o instrumento
! aohava-ine defronte de urna especie de engaste.
aupara em ruinas, protegida contra a io- Cincoenta thalers, embora respon-
temperie das estacoes por urna meia duz'a deu Karl, que tinha pressa de possuir obe-
dc carvalho; seculares. Um pegureiro maventurado thdsouro.
grosseiramente vestido e com longas barbas Ide, rapaz, accrescentou Van Puggel,
maltratadas, as quaes Ihe davam a pbysiono- e se a senhora Fortuna' -vos ainda infiel,
m ; de um selvagem, conduzia un rebanho vinde vr-me, dar-vos-hei o meio infallivel
de cabras. Approximou-se de mim e me de livrar-vos do embaraco.
disse com respeito,. descobrindo-se : Karl, cuja alma sentia diversas commo-
Senbor, sois, sera duvida, estrangeiro, j ges, foi-se. Elle dirigi se para a taverna
i- vindes fazer urna visita as nossas pobres do Leao d'Ouro, santuario habitual dos seus
montanbas.... jentretenimentis. Nao preciso dizer-ves
Se me queris como vosso guia, contae! que desta vez ainda perdeu. Enravecido,
com Fritz... 'lembra-se de que so lhe reslava um vislum-
Agradeci-llie a sua boa vontade e intro- bre de esperanca: voltar casa de mestre
duzi-lhe urna moeda de ouro na mo... Es- Van Puggel e recorrer perspicacia das suas
te argumento irresistivel produziu o seu luzes. o que elle fez.
nos, de um instante de felicidade
E' muito longo, no ?,...
este ir mao, este irmo.... como se
chama elle ? exclamou o lenheiro pondo-se
emp.
Karl Kramer! disse o peregrino.
Sou Karl Kramer! exclamo o le-
nheiro, e tu s Kurax-ajeif rauftfrtjuerido
irmo!....
Kuntz, a esla revclaeo ntspeVadarpre-
cipitou-se nos bracosilp sea irmao,... Ch'-
rava amargamente ; a cmmoUSo o sufl'oca-
va. Mas Karl, o octogenario, repellio arre-
batamente as suas caricias.
Retira-te I exclamou elle.... sou in-
digno da tua affeigo Sou um miseravel,
um cobarde, urna alma d ispresivel e vil...
Tu meu pobre Karl! porm ests
louco ?....
N3o I Sou parricida.
Kuntz levantou-se as ponta- dos ps, co-
mo se um spide o tivesse mordido no cal-
canhar.
O assassino de quem juraste amorte
sobreacabeca denosso paicommum, Eras-
ei
eito.
Pro.netti savar-vos, rapaz, disse VanPug-
Que ruinas s5o estas ? pergunlei- gel com compunco, quero cumprir a minba
lhe, indicando a choupana cercada de car- promessa. Precisis de ouro, nao ? Pois
vahos. bem t-lo-heis.... Hoje mesmo a meia noi- Peu a sua historia para retemperar, dizia
E' urna historia inteira, e se vos apraz, te, ide s, e sem testemunhas, caverna do j elle, a sua energa. E'oqae fez recorren-
eu vo-la contarei.
do supplicio Chegada ao p do patbulo, mu Kramer, o assassino sou eu, eu que
levantou-se em toda a sua altura, de modo forcei a sua secretaria, eu que roubei o seu
a offerecer os seus hombros como ponto de {dinheiro eu que.... oh I mas n3o !
apoio ao moribundo que, concentrando to-meu Deus I perdoai se invoco o vosso santo
das as suas forras; quebrou a lacada que o nome.... perdoai se urna blasphemia I..
suffocava, e cahiu no solo hmido. ; porm vos o sabis, vos, n"o sm eu o ma-
KuntzKramer estava salvo! o medalhao tadordomeu velho pai... o ouiro quem
contendo a reliquia de S. Theobaldo tinha o empurrou brutalmente, meu cmplice
impedido a estrangulado e Minna, des7 quem o precipitou sobre o assoalho !.....
embaracando-se do veo preto, procurou rea-, Desgranado! disse Kuntz com voz som-
nimar com seus temos abracos o corpo do bria.....N5o quero manchar o nome da
seu noivo.. nossa familia com um novo crime
II
Adeus I parto para sempro... Possa o nos-
so divino Salvador perdoar-te como te per-
Aqui omeuofficioso narrador interrom- do...
E Kuntz se dirigi para a porta da chou-
pana-...
! Remorso, as margens do lago de Santa Lu- do a sua cabaca, meio-cheia de urna bebida q reiogo de um convento visinho dava
Assentei-me a seu lado sobre um cabego; zia, e alli; depois de terdes dado tres pan-
do rclva ; elle assobiou chamando o cao, e, cadas no ngulo do rochedo* todos os vossos
depois de ter solicitado toda a minba alten- desejos sero satisfeitos.
cao, comecou uestes termos a narracao da
legenda de Brocken:
Isto interrompeu Karl, de cujo ros-
to corra um suor fri, aconselhais-me que
No lempo do re Ulrick vvia na boa ci- me dirija ao espirito das trevas?... Desgra-
dade de Leipsick ua velho sineiro de nome gado !
Erasmus Kramer.
E o miseravel lho do bom Erasmus Kra-
Era um honrado homem, trabalhando de mer experimentou urna velleidade de arre-
manbaa noite para dar a seus filhos a par- pendimento.
te de elucacao que, em sua sabedoria, jul-1 Mas que pode um semblante de virtude,
jia uecessaria felicidade delles... Por- quando nao sincero, contra uma paixao
ijuo Erasmus tinha dous filhos. O pruno- predominante e irresistivel?
genito contava vinte e cinco annos de idade As doze horas da noite soaram em todos
o chamava-sc Karl; o mais mogo Kuntz,! os relogios da cidade, e Karl, segurado em
Bao tendo seuo viute annos na poca em .todos os pontos os officiosos conselhos do
que principia a verdadeira historia que faz alchimista, tinha chegado entrada da ca-
o objecto desta legenda. Todos tres, pai e v. roa do Remorso. Parou com os bracos
filhos, babitavam urna casa de modesta ap- [pendentes e a cabeca inclinada para diante,
parencia, mas cujo asseio altestava os cuida-
dos assiduos que delia tinha a Sra. Gudula,
criada do velho Kramer.
e pz-se a reflectir amargamente. Mas o
seu destino estava tragado, devia cumpri-lo
at o fim. Lembrou-se urna ultima vez do
Karl, apezar das lices e preceitos paler- seu velho pai e do seu irmo K',ntz e, ar-
naes, possuia defeitos que deviam acarretar- j mando-se de urna resolucjSo desesperada.
lhe a sua perda.
Iva urna m rnatarezi, jogador, bebado e
ilebochado, sobretudo bebado. Para satis-
tazer esla paixao fatal, elle teria sacrificado
tudo.
O outro, Kuntz, era o contraste vivo de
seu irmo primognito... Bom, sensivel e
d-.dieado, amando seu pai com todas as for-
deu tres pancadas seccas e atroanies no n-
gulo do rochedo.
Um personagem de alta estatura appare-
ceu.
Karl Kramer, disse elle com voz sur-
da, pondo-lhe a ossuosa mao no hombro:
Sede bem vindo! Ha muito lempo, que eu
nao ignorava as vossas cxcellentes disposi-
cas da sua alma, votan lo-me nm affeM.o i ces para serdes um dos nossosde hoje
quasi igual aquella que sentia por Minna,
sua bella desposada que adorava.
A fasta do anno novo tinha reunido a pe-
quena familia ao redor de ura hora fogo, na
casa de janlar de Erasmus Kramer. Kuntz
e sua uoiva eslavam assentados ao lado do
velho, e a Sra. Gudula ia e vinha para dar-se
aos cuidados de urna comida succulenta cu-
ja relaco e disposico de pratos teria feito
honra sciencia culinaria de um benedicti-
na. Uma nica pessoa faltou esta pequea
reuniao intima. Karl estava ausente... o
que fazia o velho sineiro suspirar tristemen-
te. Nem a ex.;resso da franca alegra de
Kuntz, nem as infanlis caricias de Minna,
conseguiram dissipar a nuvem de tristeza
que tiuha-se amontoado sobre a fronte en-
soinlj'ccida de Erasmus, Ura secreto pre-
senilmente pareca absorv-lo, e fo com
grande cusi que o seu semblante tomou
um ar mais agradavel, quando Kuntz excla-
mou, depois de l-lo lernaraente abra
gado:
Pae, hoje da de anno novo, sabis
o que me promeltestes.
Duas cousas, meu lho, eu o sei; a
mo de Minna, boa o amavel orphSa que
nao deve m lis nos deixar, e a preciosa reli-
quia de S. Teobaldo. Uma e outra per-
tencem-te, Kuntz, porque s digno de pos-
sui-las.
E o velho tirou de debaixo da sua tnica
um medalhao ornado de uma fita que pas-
sou ao pescoco de seu filho; era uma santa
reliquia do bemaventurado Theobaldo.
Se jamis os teus das estiverem em
perigo, meu filho, accrescentou o velho, in-
voca a proteccao deste venerado santo, e o
precioso fragmento de seu manto, encerrado
neste medalhao, le salvar a vida.
^[Como bem o pensis, Kunlz e Minna,
nessa noite, disseram-se reciprocamente as
cousas mais ternas....... Pobres criangas!
criam na felicidade sobre aterra; tinhanrf
no futuro!
Karl recolheu-se mais tarde; a sua phy-
sionomia era triste e fria, fria como a nev
que cobria os tectos das casas. Suas fei-
ces lorvadas trahiam um furor concentrado
que nao lardou em traduzir-se por expres-
soes de mo humor. Apenas se dignou de
abracar seu pai; quanto a Kuntz, era re-
parou nelle, e e lancou os olhos sobre a
oura Minna, nao foi sen3o por um inexpri-
raivel senlimenlo de cobica.
Ura annel de preco, o annel sagrado dos
esponsaes, brilhava no dedo da rapariga.
Oh! se esla joia fosse minba! pensou
Karl, quanto ouro eu nao ganharia t...
E' depois de ter arrebatadamente fechado
sobre si a porta do seu quarto, lancou-se,
sem tirar a roupa, na sua cama.
No dia seguinle, gracas uma seria de
incidentes que seria intil enumerar-vos, o
annel dos esponsaes tinha passado do alvo e
delgado dedo de Minna para a algibeira de
Karl. Este, cujos olhos brilhavam com si-
nistra expresso, corra pelas ras desertas
de Leipsick, porque apenas dava seis horas
da manhaa.. Chegado a extremidade de um
be eco sem sahida, obscuro e lamacento, pa-
rou diante de um pardieiro de srdida ap-
parencia. Levantou a pesada aldrava da por-
ta baixa que servia de entrada, e fez ouvir
ura som atroante. Apenas tinha batido,
em di ante me pertenceis corpo e alma ...
embora 1
Este exordio, de brulal franqueza, fez tre-
mer o filho primognito de Erasmus Kra-
mer.
Amis o jogo, Karl Kramer, conti-
nuou o incgnito, porm at aqu nao tives-
tes fortuna. Crede-me, nao jogueis mais,
vale antes gozar riquezas do que desperdi-
ga-las sem proveito. Segui-me, obedecei-
tne sem resistencia, e seris rico; d'ama-
nh3a em dante, o ouro abundar na vos-
sa saccola, e podereis brilbar nesse mun-
do dos felizes de quera sois chamado para
serdes um dos seus mais bellos ornamen-
tos.
fermentada e particular a essas regioes mea noute...
Aproveitei-me deste momento de demora. Maldico I exclamou o velho Karl,
para lhe fazer observar que, at eoto, ape- muito tarde !...
zar de todo o interesse que se ligava esta! n0 dia seguinte a aurora madrugadora
legenda, elle arada nao tinha dito uma pa- acaricia va com seus raios cor de rosa os ci-
lavra acerca da choupana em ruinas que se mos paleados de Brocken... Os carvalhos
engia diantedens O pegureiro Fritz sor-, seculares sacudiam a o sopro da briza seus
nu a minha observago e contentou-se de ramos carregados de g"eada, como velhos
responder: Tritoes agitando a sua cabelleira ao sabir do
Vamos chegar ahi, senbor; e un se-ocano...,
melhante ch rapana que se passa o desfecho I um ancio, arrimado a um bordo nodo-
desta maravilhoso historia. Accendi um S0) parou a porla e uma cabana para per-
cigarro efui lodo ouvidos. I gUntar pelo caminho, e como a comadre do
Sessenta annos nos sepirara dos acn- iugar fosse de humor muito loquaz, ella re-
tecimentos cima referidos c da hora fatal fer0 ao anc3o fazen(|0 tres vezes o signal
do desfecho. Deste longo espaco de tem- da cruz, que nessa noute, os pacficos a-
po, a chronica nao diz uma palavra ; oque, hitantes do povoadotinham sido desp rla-
em summa, mostra muita habihdade sua, dos em sobresalto por causa de um ruido
porque evidente que o primeiro periodo estranho e fra do natural. Ella accrescen-
da existencia do nosso hroe tem sido mu- tou> sempre no dizer da chronica, que um
to bem empregado para que lhe fosse pos- <,. sobrehumano fra visto precipitaudo-se
sivel ser tao interessante |no segundo.. Per- dos enthulhos da choupana incendiada e
doareis a um pobre pegureiro a mama das ganhando o espaco, depois de ter aberto
desenpeoes e o escusareis, em razao da duas grandes azas membranosas...
existencia contemplativa que elle passa as | Assim lerminou o triste destino de Karl
grandes montanbas, em pre enea do seu Kramer, este filho pervertido, que tinha
deus. do seu rebanho e do seu liel cao... i evitado o tecto paterno e as doces caricias de
Ser a ultima ; o quadro final da legenda. uma famia honesta e respeitada, para en-
Era uma fria e nublada noite de janei- iregar-se aos falsos prazeres que procuram
ro... a briza sibilava em cadencia lgubre e 0s desregramentos de uma vida criminosa e
torcia os ramos que gemiam de carvalhos dissipada.
seculares. O vento engolfando-se nos bar- Theodobo Staines.Le Conseiller des da-
rn os profundos, levantava lurbilboes de mes,
nve derretida que tmavam a cadir" em .______ ^^^
chuva gelada sobre o turne dos rchelos.!
O retrato de profil extravagantemente re-1 H POUCO DE TUPB
cortado das montanbas de Kartz, se dse-;
nhava branco na opacidade de um ceu pre-! O fumo em sua potica ebriedade tem
to... A choupana, apenas abrigada pelos dado occasio aos seguintes pensamentos,
velhos carvalhos, pareca suspirar sob os as- em que predominam as feicoes caracteristi-
sopros da briza, com o desespero de uma cas dos povos, a que se elles preferem.
alma condemnada. i O americano. Aonde existe perfume
Em uma sala baixa e parcamente allumia- que iguale ao cheiro do fumo !
da por um candeiro com pouco azeite, um O russo. Com o cachimbo aceso desa-
velho lenheiro estava acocorado diante de fi gelo.
um fogo de pus de abeto cu;a chama in- O liollandez. E eu tendo o cachimbo
termnente projectava um clario estranho, cheio deito-me tranquillo,
sobre as paredes caiadas. Este homem, O turco.Acende o cachimbo, escravo, a
absorto as suas reQexoes, pareca estar do-su* fumaca me faz sonhar com o paraizo.
Karl Kramer nao dava uma palavra e es- minado por profundo abatimento, A jal- suisso.Nao lemo as geadas seno por
tava pregado no seu lugar sob a influencia
magntica de uma fascinaco sobre humana.
Todava, com uma condicao, conti-
nuou o incgnito. E' preciso que cala um
de nos lenha sua parte nesle*ganho inespe-
rado..,, a cada um seu quinho': para vos
a fortuna, para mim a vossa alma I e hoje
a sessenta annos, a estas, horas, Karl Kra-
mer, depois de ter vivido a vida mais ade-
q nada sua incimaco, tornar a entrar no
nada da elernidade ..
As pernas do rapaz curvaram-se com vio-
lencia, teus cabelloserricaram-se sobre suas
ardentes fontes, e elle foi obrigado a cahir
de costas.
Ouro! ouro! chacoteou uma voz mys-
leriosa no seu ouvido.
Entao I Kar Kramer, est convencio-
nado, nao?
E o incgnito fitou seus olhos presenta-
dores nos d rapa/..
Sim 1 murmurou Karl.
E completou-se o sacrificio.
Dous dias depo s, s se fallava de um cri-
me mysterioso, consummado na sombra. A
noticia deste crime cada um procurava expli-
car a seu modo, a admiraco se pintou em
todos os semblantes, Com effeito, eis qui
l^lZT,LTm eMk0 >~ i**. ^m'.w
contem essse sacco ?
gar por sua fronte calva e enrugada por
suas raras cans, por suas longas barbas,
brancas e maltratadas, e por sua corcova,
tal homem devia ser octogenario.
= E' hoje murmurou elle com angus-
tia, levantando os olhos ao cu ; hoje, que
a minha ultima hora vaisoarj... meu Deus!
sou amaldicoado f sou condemnado !...
Urna pancada secca, dada na porta da
choupana, trou-o arrebatadamente dos seus
sinistros pensamentos.
Abr! em nome do cu : um pobre
peregrino perdido que, transido, morrendo
de fadigaefrio, vos pede hospitalidade.
O velho levantou-se penosamente e foi
abrir a porta.
Ura peregrino, curvado pela idade e
soffrimentos, entrou e poz em cima da me-
sa um sacco con'endo um objecto de forma
arredondada.
Quem quer que sejaes, disse o le-
nheiro, sede bem vindo; sou pobre, mas o
pouco que possuo, offereco-o de boa vonta-
de... tomai lugar neste fogo, porque de-
veis ter soffrido muito.
Na verdade, muito, disse trjstemente
o peregrino...
Se nao teraesse ser indiscreto, pro-
dava a consistencia da realidade.
Dous homens se introduziram noite em
casa do velho Kramer e, depois de terem
forrado a sua secretaria, que continha to-
das as suas economas, roubaram-lhe o di-
nheiro. O velho, meio mergulliado nos va-
pores do primeiro somno, acudir a esta, ajossa, replicou o peregrino.
ruido desusado, e um dos dous homens
Uma horrivel historia, observou o
peregrino, e que data dfbemlonge...
; -r- Ouco-vos, disse o le.iheiro com des-
erto.
Com a condicao de que me contareis
E'-juslo, alm de que faz tanto bem
tendo-o empurrado com brutalidade, o po-: que dous ptbres vellit se refiram reci-
bre Krmer cabira de costas, batendo sua procamente os bellos dias da sua juventu-
cabeca no ngulo de cobre da secretaria, e' de !....
saltando-lhe os miollos no soalho. Os as- [ E o lenheiro se poz a rir convusiva-
sassinos, accrescentava a chronica, fugiram, mente.
e Kuntz, que tambem despertara, precipi- O que vedes neste sacco, disse o pe-
lou-se para a sala, em que se dera o crime. regrino, um crneo humano.... a cabeca
Uma patrulha, que entao passava, acudiu, de meu pai prfidamente assassinado, ha
e como as apparencias depunbam contra sessenta annos.... Condemnado em lugar do
elle, foi preso e conduzido para a cadeia da assassino <'e quem jamis pude saber o no-
cidade. me, fui enforcado sem que se tivesse com-
Devo augmentar que apezar da excellente paixao das miuhas lagrimas e da minha in-
reputacio de que gozava, que nao obstante nocencia; porm salvo pelos maravilhosos
suas lagrimas e protestos de innocencia, effeitos deste medalhao que trago a meu
elle foi aecusado do crime de par'recida, e pescoco, fiz juramento, sobre esta caveira
que o seu processo se instroiu em pre- venerada, de n3o parar emquanto nao tives-
senga de magistrados chamados para dici- {se descoberto o autor do crime. Errante
direm da sua sorte. Nem as supplicas de dia e noite, atravs de regioes incgnitas,
Minna, sua triste desposada, nem a influen-; nio tendo mais que dous cuidados no mun-
cia dos seus protectores, poderam livra-lo'do, o da minha jnsta vnganca e o de achar
da regidez da sentenga do supremo tribu- um irmao a quem eu amata apezar das suas
que me podem apagar o cacbimbo.
O italiano.Nao existe pintura que mais
me deleite do que as caprichosas espiraes
de fumaga, que saem do meu cigarro.
O inglez. Quando depois de um copo
de rhum se acende ura cachimbo de saboro-
so tabaco, fica a imaginagao mais apta para
fazer calcuhs.
O allemo Um charuto e um copo de
cerveja, do alegra ao espirito.
O anglo-americano.D-me um cachim-
bo aceso que me satisfaga, e eu te fago ga-
nhar uma batalha.
O francez.Por ventura o cachimbo nao
o melhor amigo ?
O hespanhol oppulento. Mato o fastio
com este amavel cigarro.
O hespanh 1 pobre Com este quebra-
queixo vou por fim aos meus dias.
O brasileiro.Qual algodo nem qual ca-
f ou assucar. Fumo de Borba para ca-
chimbo e da Bahij para charutos, e deixem
andar o mundo, que seremos ricos.
E' do Sr. Belmiro Salgado esla peesia :
ESCUTA
Era verde o teu vestido,
Verde, verde, cor do mar,
Os teus cabellos tao loiros
Esparsos sollos ao ar,
E nessas faces mimosas,
Onde brotavam as rosas
Que o pejo sabe brotar,
Tudo, tudo me ncanlara :
E logo que te nislara
Dei-te o peito por altar.
A tua linda boquinlia
De perfumes matinaes,
Embriagava os archanjos
Com suspiros divinaes,
Teus olhos tao scintillantes,
Como notas delirantes
Da harpa divina de Deus,
Fulgiam mais que saphyras.
De glo, formavam pyras,
Erara o pasmo dos ceus I
Tuas fallas.. harmonas
Da brisa, dos ceus, do mar,
Eram sons de harpas eolias
Aos ps de Deus a chorar .'
O teu todo ingenuidade
Namorava a eternidade
Co' um requebr.. co' um volver..
O tem peito alabastrino
Tinha o perfume divino
Que.nos incensa o viver 1
Teu olbarascua sidrea
P'ra quem o visseum pharol
Nao dava lumes tao puros.
Nem traas chispas o sol I
N'umsorriso-qne doguras!
N'um olhar tantas venturas !
N'uma vozque hymnos de amor !
N'um trejeito que indolencia I
N'um hrinquedo que inno:eocia 1
No teu to loque primor!
Eu linda sonhado nm anjo
N'um pensar de lucidez,
Vesta as roupasda esp'ranga
Que conirastavam co'a lez ;
Tinha a forma de menina,
Na face linda e divina
A cor da rosapudor,
E no seu peito a virtude
DesPria n'um alaude
MI atlnticos de amor I
E nesse anglico eonho
Brando e meigo como a la
Quando por noites de esto
Na prateaJa fala
Do ceu passeia enlre espumas
Un res vi entre brumas,
Djuzella de seio nu
A me dizer docemente
Que o meu sonhar innocente
Eras tu !.. somonte tu !..
Desde o fatdico somno
Em que a mente te sonhou,
E meu peitoo fogo puro
De teus olhosabrasou,
Foi outra p'ra mim a vida,
Entao de gallas vestida,
De bricos, creangas, e luz ;
De minh'alma as pobres flores,
Aos s pros dos teus amores,
Viviam aos ps da cruz!
Sonhei-ta virgem no crneo,
Te crendo do corago ;
Mas um sec'lo de venturas
E' minuto de illu o !
E5o reparei ane sustinha
Duasc'roasde rainba
A tua fronte gentil,
S vi que luz derramavis,
Rainba, em selva de escravas,
Com teu desdem senhoril I
Das tuas grnaldasuma
Fra Deus quem a formou,
Era composta de rosas..
Passada a infancia raurchou l .
Murchou.quc Deus nao quizera
Uma eterna primavera,
N'um mundo que ha de tombar;
E tu, a flor descuidada,
Cahida da mo sagrada,
Devias tambem murchar I
A oatra, rica de esmaltes,
Era d'ouro e de rubis..
Horneas que a virara diziam :
Faz inveja aos seraphins..
Passou a infancia !.. e aquella,
Na fronte casta donzella.
Nao deixou rastro se quer ,
Picaste apenas co'a d'ouro,
Que ao mundo, como um agouro,
Te aponlar por mulher!
E por mulher apontada,
Em mulher te tornars :
A cruel vulgaridade
Teu peito sugeitars !
Pois a innocente desidia
Trocars pela perfidia,
Que a mulher sabe activar;
E teu peito enregelado
Ser campo desolado,
Sera cultor e sem pomar!
historiador judeu, de Plalos, de Herodes,
Amphilo, o re de Thebas (que nnguem tei-
mar em dizer que foi um mylho^e Daniel,
das sibyllas do templo de Delphs, da rainba
Isabel, de Maria Stuart, de Pope, de Milln,
do grande Isaac Newton, que da uma expli-
cago philosophica desta correspondencia
espiritual, de John Bunian e de Ticiano, de
Van Eyck, o inventor da pintura a oleo, que
me communicou o segredo da sua pintura ;
Shakespeare, Byron, Burus e Thackeray fa-
zem-me versos; Shakespeare, em signal de
reproeldade mandou-me a sua bographia
no mundo dos espintos, porque lhe trans-
mitti noticias da festa de Slraford.
Alm disso em correspondencia com o
imperador Napoleo I,com o duque de Wel-
lington, com Jorge IV ; tenho ires commu-
nicagoes da duqueza de Kent sua filha a
rainha Victoria; um grande numero de
missivas do nosso chorado prncipe Alberto,
que me pedio que escrevesse sua queri-
da esposa, o que eu satisfiz a 16 de novem-
bro.
Um appendice contm as condiges que
tornara possives as relagrjes com o mundo
dos espirites ; uma communicago de um
espirito qualquer obtida por intermedio de
mistress Dnke Saunders custa nm guineo ;
por cinco libras sterlinas cada pessoa ensi-
na mistress Dnke a correspondencia e a con-
jnraco dos espintos.
Esta celebre sibylla ai pnhlcar uma
obra intitulada O mundo dos espiritos ou o
Espirito do mundo dos espiritos.
Ser uma colleccao de communicages
qnelhe tem sido feita?, e qne se vender r-
pidamente.
Os espiritos n3o consentem que mistress
Duke esteja em embaragos de dinheiro.
Asrelages que ella tem nete mundo e
no outro v5o comMnando-se para lhe arran-
jarem uma boa fortuna, vista mesmo da
polica ngle, qne para esta especuladora
n5o acha forga no principio da extorsao de
dinheiro debaixo de falso pretexto.
r
m
Transcrevemos o seguinte:
E' rara a semana em que algum tribunal
de Inglaterra, especialmente na Escossia,
nao tenha de conderanar uma velha feilicei-
ra a dias ou a iczes de prso po.' ler lido
a buenadicha a pessoas crdulas, e por ter
deilas recebido alguns pences ou, como diz
a lei, por crime de extorsao de dinheiro de-
baixo de tan falso pretexto.
Prova isto que na Ilustrada Albion ha
muita gente que er em bruchas.
Pobres sibyllas !
Sao condemnadas, porque recebem ape-
nas alguma moeda de cobre pelas suas pre-
dieces.
Se recebessem ouro ou prata, nenhum po-
liciman ousaria ineommoda-las.
Tudo depende da cidade onde exercida
esta nebulosa industria.
Em Londres ha act lalmente uma infinda-
de de adevinhas.
O prego elevado dos seus servigos pe
estas industriaes ao abrigo das chicanas da
polica.
Uma das conhecidas mistress Duke Saun-
ders, a qual espalhou uma circular, rica de
promessas que aitrahem.
Eis o que diz o annuncio :
i Mistress Duke Saunders possue o dom
extraordinario de se por em relagao, quan-
do quer, com o mundo dos espiritos e tem
com ele conferencia em toda parle e por
quanto tempo lhe apraz, porque os espiri-
tos dos morios nao esto morios, mas vivos ;
elles sentem o maior prazer em se corres-
ponder com as pessoas que lhe sao charas e
quedeixaram neste mundo.
. c Se est no poder do homem expedir
uma mensagem de uma cidade outra, nao
ser racional acreditar que De is deu aos es-
piritos, debaixo da sua guarda, poder de
mandarem communicages de uma esphera
outra ?
Nega-lo por o poder do homem cima
do poder de Deus.
t O poder do homem est na electric-
dade espiritual, que excede o telegraphi
elctrico tanto quanto o co excede ierra !
c E' esta uma lei natural que me foi re-
vellada por esta correspondencia milagrosa ;
militas outras cousas me revellou ella. Mas
eu n3o a quero como um privilegio para
mim, quero ensina-la a todos, quer acredi-
ten), quer duvide n I
c Eu posso eslar em relacaocom os es-
piritos apenas elles deixam os cornos.
O tempo nao ura limite para mim ;
nenhum espirito ousaria resistir ao meu ap-
pello.
Tenbo recebido communicages de Ad3o,
o primeiro homem, que tambem me revelou
a lei universal que Deus lhe deu, de Abra-
ho, de No ; de Moyss, de S. Paulo, de
S. Pedro, de S. Joo Baptista, de Jesephuso
E' do Sr. Cyrillo de Lemos este recita-
tivo.
i.
O POETA MOMBTNDO.
Tao mogo, morte, nao me jiipas inda
Para fechar-meino terror da tumba ?,..
Tenho no peito uma paixao infinda, '
Que dentro d'alma a suspirar retumba.
Tenho gemidos de celeste lyra.
Que os meus cantares seus ps condozem :
Harpa de encantos, que de amor suspira,
Vibram meus dedos, q' meus ais traduzem...
Masan nlfo quero prosejrnir na vida,i
Que me atormenta com pezares tantos Vk.
Leva-me. morte. como a flor pendida
O vento leva murmurar-Ihe cantos.
Quando no peito se desbota a esp'ranca.
E o scepticismo vem murchar a erenca.
Ah I nao se encontra minea mais bonanca
Que o scepticismo perennal doenga!
j
Ao mundo, ao mirado nunca Uve apego.
Nem tenho amores, que me dm saudade:
Quero a mudez do tumnlar socego,
Embora seja no verdor da dade.
Tal vez a virgem, que ndorei demente,
Morto me vendo por amores d'ella.
Venha ao luar depositar tremente
Na minha campa virginal capella.
Tal vez saudosa, meditando amores,
Sente-se noite sobre a lagea fria,
Com doces cantos, expandindo flores,
Minh'alma embale em divinal magia....
Eis sa ao longe o lamentoso sino,
Qne em sons carpidos vai dizendomorte!
E' que da campa meu fatal destino
Fez-me tristonho mas fiel consorte.
Vem, minha noi va, que esse atroz desojo
Que o pobre peito me pungir devora,'
Quero farta-lo em prolongado beijo,
Beijo de noite, que nao tem aurora
E s assim encontrarei remedio
Ao mal de amores de que soffro tanto I
E s assim dissiparei o tedio.
Que me obrigava a devorar o pranto.
Ao mundo, ao mundo nunca tive apego,
Nem tenho amores, que me dm saudade.
Quero a mudez do tumular socego,
Embora seja no verdor da idade.
.* ,
A festa da Immaculada Conceigo nao
passou neste anno ta i bem desapercebida
no mundo n
Os bons jornaes da Hespanha abondonaram
por esse dia a poltica, se adornaran) com
uma vinheta e publicaran! as ladainbas de
Nossa Senhora.
Nossos jornaes catholicos em Franga sem
chegarem at essa graciosa homenagem, nao
deixaram entretanto passar essa amavel festa
sem sauda-la; mas o que foi mais brilbante
que tudo, foram as illuainages da Sicilia ;
Palermo tinha recobrado sua vida : lodos os
esforgos dos impos apenas conseguiram at-
trair-os a pupos da multidao e dar mais for-
ga a esta inauifestaco.
PERNAMBUCO.-TYP. DE M. F. DE F. & FILMO
i k
-4 :


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EBIL41WWZ_TE97I4 INGEST_TIME 2013-08-28T03:23:46Z PACKAGE AA00011611_10678
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES