Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:10677


This item is only available as the following downloads:


Full Text
>

\
fi*
ATO ILl. HOMERO 120
P#r quartel pago dentr* de 10 dias do 1. mez ...!:.
dem tfepoi.s ds t 10 dias do comecoe dentro do quartel. .
Perte a o wTfritt tres mezes .*.,., \
A
i -v i\ f l
^
A">f
If
5JQ00
|000
730
ENCARREGAD03 DA SUBSCRIPCO DO NORTE
Parahyba, o Sr. Antonio Alejandrino de Lima;
Natal, o Sr. Antonio Marques da Silva; Aracaty, o
Sr. A. de Lemos Braga; Gear, o Sr. J. Jos de
Oliveira; Maranhao, o Sr. Joaqaim Marques Ro-
drigues ; Para, os Srs. Geraldo Antonio Alves &
Filhos; Amazonas, o Sr. Jeronymo da Costa..
ENCARREGADOS DA SUBSCRIPOO DO SUL.
Alagoas, o Sr. Claudino Falc Uias; Babia, o
Sr. Jos Mirtina Alves; Rio de Janeiro, e Sr. Jos
ilibeiro Gasparinho.
PARTIDA DOS ESTAFETAS.
Olinda, Cabo, Escada e estagSes da via frrea at
Agoa Preta, todos os dias.
Iguarass e Goyanna as segundas e sextas feiras.
Santo Anto, Gratat, Becerros, Bonito, Caruar,
Alimho, Garaobnns, Buique, S. Rento, Rom
Conselhok Aguas Bellas e Tacarat, as tercas
feiras.
Pao d'Albo, Nazareth, Limoeiro, Brejo, Pesqneira,
Ingazeira, Flores, Villa Bella, Cabrob, Boa Vis
ta, Ouricury, Salgueiro e Es, as quartas
feiras.
SEXTA FEIRA 26 DE MAI0 DE 1865.

Por anuo pago dentro de 10 dias do 1. mez ,
Porte ao eorreio por uin aooo.........., .
191000
31000
Segunda vara do civel::>flBartas e saboades a 1! AUDIENCIAS DOS TRIBUNA ES DA CAPITAlB
bora da tarde. < I w^
(Tribunal do comraercio : segundas e quintas.
Serinhem, Rio*'Pormoso, Tamandar; Un, BAr-)n
jrejros, Agua Preta eTimentofras, as qnintas He|a?ao: tergas e sbados s 10 horas.
/ai re ....'
forras.
PHEMERIDES DO MEZ DE MAIQ.
2 Quarto cresc. a 1 h., 44 m. e 46 s. da I.
10 La chela as 6 h., 3"m. e 22 s. d t.
18 Quarto raing. as 4 h., 19 m. e 46 s. da m.
24 La nova as 8 h., 29 m. e 45 s. da t.
Fazenda: quintases 10horas.
Julzo do commerc'io: segundas as 11 horas.
Dito de orphos: tergas e seitas s 10 horas.
Primeira vara do civel: tergas e sextas ao meio
dia. .....
Segunda vara do civil: quartas e sabbados a 1
hora da tarde.
DIAS DA SEMANA.
22. Segunda. S. Rila de Cassia viuv.
23. Terga. S. Basilio are;S. Desidero b. m.
24. Quarta. Ss. Pelagia. Suzana e Afra inm.
25. Quinta. <$> Ascensao do Senhor.
26. Sexta. S. Felippe Nery; S. Eleuterio p. m.
27. Sabbado. S. Joop. m.; S. Ranulfom.
28. Domingo. Ss. Senador, Podio e Justo bb.
PREAMAR DE HOJE.
Primeira as 5 horas e 18 m. da manhaa.
Segunda as 5 horas e 42 minutos da tarde.
PARTIDA DOS VAPORES COSTEIfOS.
Para o snl at Alagoas a 14 e 30; para o nort-
ala a Granja a 7 e 22 de cada mez; para Feraaa
do nos dias 14 dos mezes de Janeiro, margo, malo,
jalho, setembro e novembro.
ASSIGNA-SE
noRecife, nalivraria da praga da Independencia
ns. 6 e 8, dos propietarios Manoel Figneiroa de
Paria & Filho.
PARTE 0FFIGIAL
C0YERN0 DA PROVINCIA.
Espediente do dia 22 de maio de 1865.
Offlcio ao Exm. desembargador provedor da San-
ta casa de Misericordia. Fago apresentar V.
Exc. Alexandna Maria da Conceigo, que se acha
doenle e sem meios de ser tratada, atim de que se
sirva de providenciar para ser ella recolhida ao
hospital Pedro Ii, se nao houver inconveniente.
Dito a coronel commandante das armas.Visto
que foi considerado incapaz do servigo em inspec
gao de saude o voluntario Manoel Galdino Lelte,
como consta do seu ofScio n. 892 de 20 do corren
te, autorlso V. S. a mandar exclui-lo do alista-
meato.
Dito ao mesmo.A V. S. se apresentar Manoel
Emigdio Vianna, para que mande abrir-lhe assen-
tamento ce praga no 2o corno de voluntarios da pa-
tria.
Dito ao mesmo. Remedo inclusas 4 V. S. para
seu conhecimento as segundas vas nao so da nota
do fardamento que de contormldade com o aviso
da repartlgo da guerra de 8 de abril ultimo auto-
risei o arsenal de guerra a fornecer companhia
de cavallaria, mas tambem do relatorio do exara
procedido as contas de fardamento da mesma
companhia.
Dito ao mesmo. O 1* sargento do 2o corpo de
voluntarios da patria Joaquim da Graca e Silva,
pede no requerimento que aqu ajumo, transferen-
cia de praga para o 2o batalhao de infamara, onde
deseja servir.
Annuindo a sua pretengao, autoriso V. S. a man-
dar passar-lhe a competente guia, e a promover a
ida delle no primeiro vapor que passar do norte.
Dito ao inspector da thesonraria provincial.
Respondendo ao seu offlcio de 10 de fevereiro ul-
timo, sob n. 61, sou a dizer-lhe que, lendo concedi-
do por despacho de 31 de margo prximo Ando, a
desistencia que pedio Francisco de Pinho Borges
da arrematagao da obra da'eoncluso da casa da
cmara e cadeia da villa to Bonito, mande V. S.
por novamente em praga a predita obra. '
Dito ao mesmo.Attendendo ao que expoz e
professor. interino de instruego primaria Ja villa
de Ingazefra Joo Baptista do Ama ral, sobre o que
informa o director geral interino da instruego pu-
blica, em 17 do correte, sob n. 150, resolv nesta
data rele.va-!o da multa de 20*000 reis, que Ihe
foi imposta por aquella directora pela falta de en-
trega dos respectivos mappas : o que communico a
V. S. para seu conhecimento e exeeuce.Cora-
municou-se ao director geral interino da instrue-
gao publica.
Dito ao commandante superior da guarda nacio-
nal do Recife.Remeti inclusas por copia as in-
formag5es ministradas pelo coronel commandante
limo afim de que possam ser examinadas as contas, Qlz o ministro do Brasil segurar assim a conduc-
do fornecedor dos mesraos presos.
Dito ao gerenie da companhia Pernambucan*.
Pode Vmc. fazer seguir para os portos do norte, o
vapor Jaguaribe, no da e hora indicado em seu of-
flcio de 20 do crtente. "
Portarla.O presidente da provincia, leudo em
vista o que requeren o 3 eseriplurario da alfan-
dega desta capital Joo Carlos Augusto deFIguei-
redo, e bem assim o que a esse respeito informa-
ran) os chefes das reparttgSes competentes, resolve
conceder-lhe 3 mezes de licenga com vencimentos,
na forma da le para tratar de sua saude onde Ihe
convier.
Dita.O presidente da provincia, resolve no-
mear o cidado Temistocles de Orange dos Res
Lima para oceuparprevisoriamente o posto de te-
nenie do 2 corpo de voluntarios da patria.
Dita.O presidente da- provincia, tendo em vista
a informago ministrada -pelo tenente-eoronel com-
mandante do corno de polica- em offlcio de 16 do
crreme, sob n. 327 acerca do requerimento do 2
ta futura de Flores a respeito do Brasil para de-
pois de concluida a guerra? Nao crivel que Flo-
res se prestasse aura acto to offensivo ao seu ca-
rcter, sua honra, e boa f. Que slgoificago
pois se pode dar a seraelhante documento na oc-
casio do sitio, as vesperas do assallo ? Fique pois
assentado que um tal documente, excepcional om
sua materia, e oas suas formulas, nao pode ser
admiltido para fazer obra como documento offlcial,
e diplomtico."
Demitliose, e lugo Aguirre, e apparece subsli-
Dito ao mesmo. Quira V. S. informar sobre o,E av|; de 8 de
que pede uo incluso requerimento o 2* cadete do
4 batalhao de artilbaria a p Justino Lopes Car-
dim.
Dito ao mesmo. Queira V. S. informar acerca
do que expoe o tenente-coronel Joo Vieira de
Mello e Silva, no incluso offlcio que me ser de-
volvido.
Dito ao mesmo. Sirva-se V. S. de mandar dar
baixa ao soldado Manoel Antero de *ouxa Reis,
visto ter isengo legal em consecuencia de ser casa-
do, como se provou com cerlido.
Ditoao mesmo.Remello por copla V. S. para
ter execugo na parte que Ihe toca o aviso de 6 do
corrente, em que o Exm. Sr. ministro da guerra
nao s declara que por ter sido substituido o hos-
pital militar desta provincia por urna enfermara
permanente, nao convem approvar o contrato cela-
lirado con] o phirmacentico Joo Jos Elias de Mou-
ra, mas tambem ordena que sejam vendidos em
hasta publica os medicamentos e utencilios da pliar-
macia militar, e sen producto recolhldo aos cofres
pblicos.Communicou-se thesouraria defazenda.
Dno ao mesmo. Faga V. S. apresentar na the-
sonraria de fazenda com urgencia,. o pret que
mande) organisar por offlcio de 18 do corrente,
dos vencimentos dos 31 voluntarios vmdos da
aldeia de Panema e povoacao de S. Bento, afim
de ser a respectiva importancia entregue ao tenen-
te-coronel Luiz Paulino de Hollanda Valenga, por
indemnisago dos abonos que o mesmo tenente-co-
roii'-l fez aquellas pragas.
Neste sentido ofllciou-se thesouraria de fa-
zenda.
Dito ao Dr. chefe de polica.Era vista commu-
nicacoes por copia juntas a> offlcio de V. S., n. 710
de 16 do corrente a que respondo, o das quaes cons-
ta que o capiiiio da guarda nacional Jeronymo Ca-
valcante de Albuquerque, tomou com torga arma-
da o preso Manoel Raposo da palrulha que o con-
duzia, convem que proceda na forma da lei e em
ordem a que nao fique impune semelhante atten-
tado.
Dilo ao inspector da thesouraria de fazenda.
Transmitto V. S. para os fins convenientes os in-
clusos attestados em duplcala que vieram annexas
ao offlcio do coronel commandante das armas n.
891 de 20 do correte mez, dos quaes consta haver
o cabo de esquadra da guarda nacional Joo Pedro
das armas e seu ajudante de ordens, acerca da falla sargento do mesmo corpo Joo Fidelis Cavalcame
que huuve de tambor on corneta na guarda do pa-1 que era inspecgo de saude foi considerado incapaz
lacio da presidencia, afim de que V. S. providencie *
a semelhante respeito, como entender convenienie-
Djto ao mesmo.Mande V. S. aggregar ao 1. ba
talho de reserva da guarda nacional, sob sea com-
mando superior.o alteres da secgo n. 1 tambem de
reserva do municipio de Olinda Benjamn Consiant
da Cunha Sallles, que transferio a sua residencia
para a freguezia de S. Jos desta cldade.
Dito ao inspector do arsenal de marlnha -Fago
apresentar a V. S. o menor Jos Antonia do Nasci-
ment para ser alistado na companhia de aprend-
zes marinheiros seestiver as condigdes do respec-
tivo regula memo.
Dito ao director do arsenal de guerra.Fornega
j V. S. a companhia de cavallaria, como se determi-
de continuar no servigo, resolve aposenta-lo com
os vencimentos que ihe competirem pelo tempo de
ervigo prestado em dito corpo, de coofarroidade
com o disposto no art. 2 da le provincial n. 276
de 7 de abril de 1851, combinado cora a art. 3 da
de n. 436 de 26 de maio de 1858.Fizeram-se as
necessarias communicages.
Expediente do secretario 4* governo do dia 22
de maio de 1865.
Offlcio ao Exm. conselheiro Tito Franco de Al
mo das espingardas, e armados com ellas, e com m A Ri>hoi-i tUmLmm -'- A r o .
cartuxos, que de antemo haviam arranjad, sahi- JLt T7Z"lP%SE da ?Sa Fana'
rara muito frescos, irocando al alguns tiros* com { *'., t2?&& ^^.i.*' *?%
urna pairulba que sahio a persegui-los. : n,"f ".'.""? Brandao/ 1 Mbrinhj e 2 escra-
. Esses presos pertenciam ao numero daquelles Pl'^A^ISJSlS'SS*"F*
que era 8 de julho de 1863, evadindo-se da mesma |J5M 2l215ES SS2 ?e leT'
cada desta cidade, foram por ah abaixo matando, S"SStJfflU,tLo"e'ro Maraes Anna Ma-
v.olentandoraulheres e pralicando mil outros alten- V* S nn&ZL.M i&t ^,Da- Gn?SL do
lados ferozes.de horrorosa recerdago. Foi oor uto, ?"' rSSrSl ? a 6 BraDdMi lJPV
que Acaraos aqu todos muilo assustados quando ill SOr^SSf.^i'L608 frp0S' m'
dvulgou-se a fuga ciaes, 20 recrutas, e 7 escra.os a entregar.
uemimo-se, e lugo Aguirre, e apparece subsli-1 A pnlicia, cumpre dize-lo, mostrou-se muito LlZSfSSE V*p0T bl2silero ^Q^nbe, sahi-
tuido legalmente.por Villalba. Temos pois ainda o pouco p.essurosa em promover a captura daouelles Parao-- portos do norte: Themaz Antonio Ramos
governo legitimo do Uruguay na pessoa de Vilial- scelerajc-s, e por tal modo aue o nresidente cha-1 D)'' lexan,dre C- de Oliveira, Francisco Go-
ba, e os exercitos alliados com as mesraas exigen- meu.o n.gocio a s o de accordo con, o tomml mes derMaltos.JuDlor> Gus,avo L- *> > en-
cas. Villalba, mais avisado e prudente do que o' dante das armas eipedlo SIs\nXe^lM0^'^x^^Al^. J>"io Cesar
seu antecessor, procurou a paz, e os beligerantes tos, tomando todas as embocaduras ^c^L, iv: urr?t0. Or. Francisco Garca do Araaral, Anlo-
abriram o caminho para checar-se a ella. Rene- por onde elles podiam 1
se o enviado de Villalba com Flores, que era um raja foi posto era movic
dos belligeranies, e era vez dse reuoirem os dous do Solimes, e revistar ,
chefes das forgas de mar e trra do Brasil, que sem. Desta cidade nao se pode fueir senfio por ~aul de Albuquerque Maranhao sua senho-
eram os outros belligerants, apparece o Sr, minis- agua; de modo que tomadas certas passagens,
lr0k-j Brasi1 acreJitado em Buenos-Ayres, como certo o resultado da deligencia. Assim aconieceu :
cahido das nuvens, e constitue-se general em che- ao fim do terceiro dia cstavara todos recolhidos de
te do Brasy Para celebrar a capitnlago, excluindo novo a prisao, fatigados e quasi que morios a fo-
desse acto os chefes das forgas do Brasil. O Sr. mi- me, porque nem acharam onde comer,
nistro deve explicac essa excloso dos nossos che- j Nenhum fez resistencia; teniaram correr, mas
fes, na celebrag^o de um acto, que mais militar cahiram exautos de forgas.
do que diplomtico, porque, se os considerava inca-! t Emfim estamos livres desse grande susto.,
pazes, devia ajudalos e dirigl-Ios cora os seus con- PAa.Continuava o alislamenlo de voluntarios
selhos; mas nunca reduzi-los a dous esaargos no para o segundo corpo, sob o coraraando do tenen-
inonle- te-coronel Jos Luiz da Gama Malcher.
Escreveu-se a capiiulago, a qual diz que, para A canhoneira Ibtcuky sahira, em commisso
ajusiarem-se as condegoes da paz, se reuniram o do governo, no dia 13.
general Flores, o conselheiro Prannos e D. Manuel Fallecer o commerciante Antonio Teixeira
ra e 2 escravos, Jos Ssostris, Vicente"Ferreira
da Recha Carvalho.
Cemiterio publico. Obituario dodia 23 de
maio de 1865.
telmiro, Pernambuco, Rio de Janeiro, 44 annos,
solteiro, Boa-Vista; inlerile.
Apohnario Antonio de Souza, Alagas, 54 annos,
solteiro, Santo Antonio ; hydropezia.
Jos Ribeiro, Portugal, 36 annos, solteiro, Boa-vis-
ta; hydropezia.
Herculano, Pernambuco, 35 annos, solteiro, Boa
Vista; valvulo (escravo).
meida, director geral da secretaria de estado dos Herrera y Obes, e logo em seguida vem as seguintes Bastos.
Ladislao,
Ihao de ar
Marlinho J
pprehendido
illiaria a p
>s.
os desertores do 4o bata-
Aquilino Farias Braga e
Dito ao mesmo.Devolvo V. S. o requerimen-
to sobre reme, n. 35), o autoriso a mandar pagar sob minha
responsabil dade, nos termos do decreto n. 2884 do
Io de fevert iro de 1862, a quanlia a que tiver di-
reito o 2o lente reformado do exercito Epiphanio
abril ultimo, os artigos de
fardamento mencionados em a nota por copia in-
clusa, para pagamento dos vencimentos do corren-
te anno, e por ajuste de contas do anno prximo
passado.
Dito ao mesrao.Propondo-se a junta adminis-
trativa da Santa Casa de Misericordia mandar
costurar pelas educandas do collegio das orphaas
com a mxima possivel brevidade 400 caigas, 400
camisas e 200 fardetas por menos cinco res, em
cada pega do que o arrematante Francisco Xavier
Cavalcanti Lins, haja V. S. de mandar entregar
esses artigos de fardamento a pessoa que se apre-
sentar autorisada pela provedoria da mesma Santa
Casa para recebe-las, se nao houver quem se obri-
gue a manufactralos por menor prego.Neste
sentido offlciou-se ao Exm. desembargador prove-
dor da Santa Casa de Misericordia.
Dito ao director das obras militares.Recom-
mendo a V. S. que d com urgencia as providen-
cias necessarias para extinguir o cupim, que est
arruinando o lecto da enfermara militar em diver-
sos pontos e a parte do edificio em que se acha. es-
tablecida a secretar do commando de armas.
DUo ao eorruMmdanle do corpo de polica.D
V. S. baixa ao corneta do corpo sob seu comman-
do Raimundo Rodrigues dos Santos, aceitando em
substitnicao o paisano Delmiro Feliciano da Costa,
que se offerece e foi considerado apto para isso era
inspecgo de saude como V. S. declarou em sua
informago n. 34Q de 20 do corrente.
Dilo ao director da colonia militar de Pimenlei-
ras.Determinando o Exm. Sr. ministro da guer-
ra, em aviso n. 29 de 8 do corrente, que se adopte
as escolas das colonias militares o compendio in-
tituladoLic5os Moraes e Religiosasorganisado
por Jos RuQno Rodrigues de Vasconcellos, e de
que editor B. L. Garnier, assim o communico a
Vmc. para seu conhecimento, previniHdo-o de que
Ihe serio remetiidos opportunaraenle os necessarios
exernplares.
Dito ao conselho de compras do arsenal de
guerra.Autoriso o conselho de compras do arse-
nal de guerra a comprar, para suppriraento dos
armazens do mesmo arsenal, os objectos menciona-
dos no incluso pedido.
Dito ao conselho de compras navaes.Autoriso
o conselho de compras navaes a promover a com
negocios da jas liga. De ordem de S. Exc. o Sr.
presidente da provincia, aecuso recebido o offlcio
em que V. Exc. communicou que por decreto de
23 de margo ultimo, bouve S.'M. o Imperador por
bem remover dos termos de Castro e Ponta-Grossa
no Paran para a do Brejo nesta provincia, o juiz
municipal e de orphaos Dr. Jos Antonio Coelbo
Ramalbo.
COMMANDO DAntliS; ~ -
Quartel do commando das armas de Pernambuco
na cidade do Recite, 2 i de maio de 186o.
Ordem dodia n. 71.
O coronel commandante- das. armas interino faz
publico para sciencia da guarnigo e devido effeilo,
que a presidencia nomeou por portara datada de
hontem para servirem provisoriamente como offl-
ciaes no 2 corpo de voluntarios da patria, que se
est organizando nesta provincia os Srs. abaixo
mencionados :
Estado maior.
Atieres secretorioO i? sargento do 4 batalhao
de artilbaria a p Francisco de Assis Mntelro.
Alferes quartel-mestre-O 1 sargento da compa-
nhia de artfices Francklin Francisco Brrelo.
Offlcaes de companhia,
CapilaoO capito do 2o batalhao de artilbaria
da guarda nacional do Rio Formoso, Jos Antonio
Lopes Jnior.
Tenente -O tenent* da guarda nacional Joo Ma-
noel Pcreira de Abreu.
DitoJoaquim Gomes Pessoa.
(Assignado.) Jos Marta Ildefonso Jacorn da
Veiqa Pessoa e Mello.
(Conforme) Antonio Francesco Duarte, 2o teen
te ajudante de ordens interino encarregado do de
alhe.
palayras:Entre S. Exc. o Sr. brigadeiro general L-se no Jornal do Amazonas :
onci. res 8 S; Exc- oSr- D- aouel Her" Ante-honlem logo que se divulgou a noticia
rera y Obes foram estipulados os seguintes artigos vinda de New-York pelo Los Amigos, de ler sido
de conciliagao, e_ de paz peto que toca dissidencia assassinado na madrugada dodia 15 do passado
entre os Orientis. Por tanto est bem explcito o presidente Lincoln, os negociantes americanos
nestas palavrasque os artigos s se referem s dis- aqu eslabelecidos fecharara as suas casas comraer-
sengoes internas, e isto ainda mais se confirma pe-; ciaes em signal de sentimento por to triste acon-
ta materia dos mesmos e'pelo excluso do Sr. mi- tecimento.
nistro, que tambem-por sua vez flcou como espar-
go no monte, servindo nicamente para abrir e
cerrar a pasta no sala o das conferencias.
O consulado dos Estados-unidos tem conser-
vado a bandeira meio pao.
Maranhao.Apresentrase candidato vaga de
[ira de 36 tajboas de assoalho de araarello, 12 en-
chameis de qualidade e 4 arrobas de chumbo em
lenges, que, segundo declarou o inspector do ar-
senal de raarinha era offlcio de 20 do correte, sao
precisos para a pequea casa que se tem de cons-
truir na torrt do collegio para abrigo do encarre-
gado do respuctivo telegrapho.
Dilo cmara municipal do Recife.Remello
incluso o requerimento que me enderegou o Dr.
loa uim Jos de Campos, para que a cmara mu-
Borges de Menezes Doria, proveniente de sua etapa I nicipal desta cidade, ouvindo o respectivo secreta-
relativa ao mez de abril ullimo, visto nao haver
crdito para esse pagamento, segundo consta de
sua citada informago.
Dito o mesmo.Mande V S. entregar ao cora-
mandanle da companhia de cavallaria, como soli-
ciuu o commandante das armas em offlcio de O
rio, e mandando passar a cerlido pedida pelo
mesmo Dr., informe acerca do que se refere no
mesmo requerimento.
Dito ao Dr. juiz de direito de Garaohuns.Ten-
do sido avallada por um cont de res a casa olfe-
recida pelo coronel Jos de Carvalho de Araujo
do corrente, a quantia de 3:0005 rs. para occorrer Cavalcanti para a cadeia da villa do Buique, e por
as despezas com a remonta da cavalhada da mes-1 4003 a que Ihe tica contigua, como se v do offlcio
EXTERIOR.
IIKSIM.IHA.
Sevilha, (7 de abril de 186o.
O complemento d minha ultima cana fica reser-
vado para depois, p r que veio interromp-Io a ca-
pitulago de 20 de evereiro celebrada na villa da
Unio entre D. Thon as Villalba, presidente da Re-
publica do Uruguay e o general Flores, com assis-
lencia do ministro d > Brasil.
Foi bem explcita a minha opinio, reprovando
a allianga do Brasil tom Flores, opinio talvez so-
lada na Brasil; mas ( ue tem em seu apolo o direito cm os ps sobre as trinta
ma companhia.
Dito ao mesmo. Recommendo a V. S. que em
desse juizo de 20 de outubro ultimo, e constando
de outro do mesmo coronel de 18 de dezembro a
vi.-ta do pret junio em duplcala, que me remetteu j elle junto, que este j pretenden vende-la pela re-
o coronel commandante das armas em offlcio de ferida quanlia de 1:000?, nao posso convir na sua
20 do correnta, sob n. 886, mande pagar os venci- compra pelo prego de 2:00u$ exigido, e autoriso
mentos a que tem direito os soldados do 2" corpo Vmc. a effectuar por 1:0003 a compra da referida
de voluntarios da patria Pedro Antonio dos Santos,
Antonio Jos da Silva, Antonio Thomaz Salarino,
Lino Antonio de Jess e Manoel Joaquim da Silva,
a contar do dia em que se alistaran) al o anterior
ao em que assenlaram praga naquelle corpo, poden-
do esse pagamento ser effecluado sob minha res-
casa smente, visto como esta, seguudo o sea effi
ds gentes, e o princ po da nao intervengo pro-
clamado por quasi to las as nacoes da Koropa, e ul
tintamente pelo mini: tro dos negocios ejtrangeiros
da America do Norte Mr. Sew&rd.
Acccitando porm a allianga smenle como um
facto consumraado, sujeitar-me-hei a todas as suas
consequencias. Consqmmada a allianga das forgas
do Brasil com as de Hlores, flcou subentendido que
os fins diversos, paralonle ellas caminhavam, tor-
navam-secommuos. Desde emao ambos os exerci-
tos atlingiam a regenerar a Repblica do Uruguay,
derribando um governo que consideravam anti na-
cional, e a exigir dessA governo as satisfagoes pe-
didas pelo imperio do ulrasil pelas affrontas, e ul-
trajes que Ihe foram irrogados, e que mais se ha-
viam aggravado pelos facto do pavilho Brasileiro
ser arrastrado pelas rual
de tapete no banquete d
_Que inconveniente poderia haver para que en- deputado geral, pela escolha para senador-do Dr.
treessesartlgosapparecessempelo menos doos que Nunes Goncalves, o Dr. Sin val Odorico de Moura.
dssem a razo^ponioe csava a guerra entre o Ficava: a sahir para Pernambuco, a escuna
Brasil e o Uruguay f PorqueNs? nao disse em um Rosa de Faro.
artigo que o governo do Uruguav, reprssenlad na Piauhy.Elevava-se 200 e numero dos vojun-
pessoa de Villalba, reconhecia a* jusliga das recia-!' Sfios alistados.
magoes do Brasil, e rnie em testemonho deste re-j Ceara.No dia 21 do crreme devia ter lugar
conhecimouio sena saudada a bandeira brasileira' um jantar offefecido por alguns amigos ao Dr. Laf-
em urna das pragas de Montevideo ? Porque se nao ryete.
designou em otltro artigo om prazo, dentro do qual | Pela inspectora da aiandega io.'*m manfla-
deveriam Muo e Aparlcib, que seachavam com | das deitar ao mar, depois dos competentes exam5;
metiendo depredares e atrocidades as fronteiras 332 arrobas de carne secca, Idis pelo afaman-
do Rio Grande, depr as armas sob pena de serem guape.
considerado-e pnultto3 como rebeldes? Estes doos | Fallecer o Dr. Clemente Francisco da Silva,
artigo* ta simples, to razoaveis bastariam para vctima de um ataque apopltico.
servir de razies por que cessava a guerra entre Rio Grande do Norte.Haviam j alistados 411
o Brasil e o Uruguay; mas nada disto se fez na voluntarios da patria.
occasio competente, e o qoe se v que foram; Parahtba. A alfandega rendeu de 1 a 20 do
apresentados os artigos de paz e conciliago ajus- corrente 17:618^776.
tados entre Flores y Obes ao senhor ministre do | No Cabedello fallecer, no dia 19, David Rol
Brasil, e que este disse (palavras texiuaes): que land, capito do patacho mglez Sarta Ellen, qne ia
o accordo celebrado pelo alliado do imperio nao seguir viagem para Liverpool. O navio fieava all
podia seno ser applaudido pelo governo impenal, espera de obter um novo commandante.
que veria nelle bases razoaveis e justas para a con- L ^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^
clliago oriental-al aqui applande o Sr. ministro
a conciliago, os perdoes e os abragos entre Orien-
taes, e depois diz :e a solida garanta dos leg-
timos motivos, que obrigaram -o-lmperio guerra
que felizmente ia cessar.Pooham-se os olhos flxos
e bem fixos sobre o accordo, e digam-me os mais
prescrutadores, onde se encontra urna s letra, se
qoer, que signifique esta solida garanta dos legiti-
mes interesses do Brasil 1
Pelo accordo se v que cessou a guerra entre os
Orientaes, e pelas palavras do Sr. ministro se v
qoe o nico fim do Brasil era a cessagao dessa
guerra, e que como sua ronseqnencia ecessaria
osse elevado presidencia do Uruguay o general
Flores. Depois seguio se urna conversaco amiga-
vel entre Obes e o Sr. ministro, que nao passou de
urna conversa, a que se d indevidamente o nome
de protocolo : os nones nao servem mais para
designar as cousas.
Se o Sr. ministro nao estivesse nessa occasio na
villa da Unlo poder-se-hia asseverar, que eslava
minas de Montevideo;
PERNAMRUCO,
mas-----quem(sabe se esleve debaixo da press)
de qualquer ameaga I.....
Tantas irregularidades, tantas tortuosidades, que
se fossem apresenudas a qualquer tribunal seriam
conderanadas por nullidade nsanavel, como a
obra de um procurador sem poderes, ainda se po-
deriamnao;epousar de todo, mas atienuar, se, apos-
sand-se o general Flores do governo da Repblica,
designasse dia e hora para apresentar-lhe o Sr. mi-
nistro as suas credenciaes, e nessa occasio solem-
ne repetisse, e ractifleasse as expressoes, e promes-
sas da sua carta offlciosa de 28 de Janeiro; mas
era isto se fez, e o Sr. ministro, cojas credenciaes
ficaram em sua carteira, poz o Imperador do Bra-
sil inteiramente merc dds favores, e generosida-
Dito ao juiz municipal da primeira vara desta
capital. Em vista do requerimento que aqui ajun
to, coberto com os esclarecimentos ministrados
; ligerantes que se encontiavam em campo armado.
Combateram os exercito: alliados contra Paysan-
d, nesse primeiro triu rapbo, misturaram-se as
ponsabilidade, nos termos do decreto n. 2884 do 1! pelo juiz municipal do termo de Santo Anuo, armas dos alliados para i tunca mais se separaren).
de fevereiro de 1862, por nao haver crdito para i mande Vmc passar a guia do sentenciado de jus- i Segulram-se depois o sito da cidade Montevideo, e
esse fim. liga Joo de Souza Barros, que existe sem ella no os preparativos do assalt i.
Dito ao mesmo.Autoriso V. S. a mandar pagar i presidio de Fernando
des do presidente da Repblica. Em conclusao : o
de Montevideo, servindo. Brasil nao recebeu do governo oriental, qur repre-
Paysand, e pela foguei- j sentado na pessoa de Aguirre, qur na de Villalba.
ra que devorou os tratados celebrados com o Brasil.' as satisfagoes exigidas pelas affrontas recebidas. O
Estas erara, e nao pod ara ser outras as condi- I Brasil concluio a guerra cora o Uruguay, porque
ci de 30 de agoslo de 1864, tem as acommodagoes goes naturaes da allianga que poderiara ser forrau- empossou o general Flores na presidencia da Re-
preclsas para cadeia e quartel. |ladas, e escripias; mas qie nao o foram, pelos bel-1 publica II Foi para Isto que se levantaran) essas
nos termos da sua informago n- 347 de 19 do cor
rente os 60 alqueires de farinha de mandioca, me-
dida legal, que, segundo o conhecimento n. 19 de
27 de julho de 1864, fornoceu por imprestimo Ade-
lino Celestino de Mendonga, ao almoxarifado do
presidio de Fernando, para sustento da respectiva
guarnigo e sentenciados, sendo o prego porque Castro e Pona Grossa no Paran para o do Brejo
deve ser realisado esse pagamento o de 24500 o
alqueire e mais 25 por cento sobre o total.
Dito ao mesmo. Transmillo por copia V. S.
nao s o requerimento em que Jos Soares Montei-
ro pede se Ihe d por aforamento o terreno de raa-
rinha em que sa acha edificada urna sua proprie-
dade n. 256, na ra Imperial, cojo dominio direc-
to suppanha pertencer a Jos Maria Placido de Ma-
galhes, que recebeu o competente laudemio e deu
licenga para ser permutada a predita casa, mas
tambera os documentos a que elle se refere, afim de
que, de conformidade com a sua informago de 17
do crreme, sob n, 340, mande propor a accao de
commisso contra o referido Magalhes, que fica
obrigado a indemnisar fazenda nacional das
quantias qne indevidamente tiver recebido relati-
vamente aqaelle terreno.
Dito ao mesmo.Tendo o tenente coronel Luiz
Paulino de Hollanda Valenga, abonado vencimen-
tos a 31 voluntarios que apresentou nesta capital,
a contar do dia 15 de abril ultimo at o da, em
que juraram bandeira e efectivamente assenlaram
praga no 2.* corpo de voluntarios, naja V. S. de
mandar entregar ao mesmo tenente coronel para
sua indemnisago a importancia do pret assignado
pelo commandante d'aquelle corpo, tirando os refe-
ridos vencimentos.
Dito ao juiz municipal Jos Antonio Colho Ra-
malho. Constando, de partteipaco di directora
geral da secretaria de estado dos negocios da jos-
liga de 4 de abril ultimo, que por decreto de 23 de
margo deste anno S. M. o Imperador houve por
bem remover a Vmc, como pedio, dos termos de
nesta provincia ; assim Ih'o communico para seu
conhecimento, e afim de que entre logo em exer-
cicio independente de titulo, que apresentar no
prazo de 3 mezes.Offkiou-se ao Exm. presiden -
te da provincia do Paran, para fazer chegar s
mos do juiz municipal o offlcio supra.
Dito ao chefe interino da repartigo das obras
publicas.Approvo a proposta qoe Vmc fez era
offlcio de 19 do corrente, 6 sob n. 145 de Jos de
Azevedo Souza, para oceupar o lugar vago de
guarda apontador das obras desta cidade : o que
Ihe declaro para seu conhecimento, e fim conve-
niente.Commanicou-se thesouraria provincial.
Dito ao mesmo.Cencedo a antorisago que
Vmc. pedio em offlcio de 20 do corrente, sob n.
146, para mandar fazer um accrescimo de despeza
na importancia de 445850, com a obra dos reparos
da cadeia da villa do Cabo, de que e arrematante
Francisco Alves de Miranda Varejo, visto ser ln-
dispensavel essa nova despeza, segundo consta do
offlcio que por copia veio annexo ao de que cima
se trata. Communicou-se a thesouraria provin-
cial.
Dito ao delegado do termo de Cimbres.Remet-
ta-me Vmc. com urgencia, relagdos des presos po-
bres que estiveram recolhidos a cadeia deste termo
desde o 1 de outubro de 1864 at 31 de margo al-
Nessa conjanctura, i o dia 28 de Janeiro, lem-
brou-se o general Flores de escrever urna carta ao
nosso ministro acredtalo em Buenos-Ayres, reco-
nhecendo as justas reclamacoes do Brasil, dando
as mais plenas satisfagoes pelos ultrages recebidos
do governo do Uruguay! e fazenlo as mais solem-
nes promessas de cumurir os tratados, e punir os
alternados contra os Braf ileiros, etc. etc.
A extemporaneidade de seraelhanles declaracoes
precisara de explicagoi e o absurdo de aposentar-
se dando satisfagdes iuelle qne pede satisfagoes,
e desaggravando aquello que nao havia aggravado,
um facto inaudito, nico talvez nos fastos da di-
plomacia.
Faltaran) alm dista nesse documento, que cha-
mam nota, e que nao pode ser considerado seno
como urna carta offlciosa, todas as formalidades
exigidas nos docume Kos diplomticos ; por que
Flores nao eslava reci nhecido como presidente le-
e a guerra, que o poderla le-
concluido; e porque o minis-
n3o eslava reconhecido como
representante do impferio na Repblica do Uruguay,
e nao poda, nem dev ia apresentar as suas creden-
ciaes ao chefe de um i revolucao.
as s se trocam depois de re-
coohecidos mullame tte os legtimos poderes da-
quelles que as escrevsm: sao formulas indispensa-
veis. Que fins, pois, I e teve em vista com a redac-
? Quiz Flores anlecipar as
nao seriam dadas pelo gover-
al caso deveria o ministro do
>m ellas Y Se se contentou,
ondas de patriotismo nacional, sobre as quaes fluc-
tuaran! desde o norte at o sul os nossos soldados
do linha, e da guarda nacional, os Voluntarios da
Patria, os maridos que abandonaram mal her e fi-
lhos, o os filhos que abandonaram os pais II O
Dos de misericordia, que invocou o Sr. ministro
para absolve-lo dos seus desacert?, o mesmo
Dos que eu invoco para pedir-I lie, que seja este o
ultimo ludibrio porque lenha de passar o Impera-
dor do Brasil as margens do Prata.
( Qarta particular.)
DIARIO DE PERNAMBUCO
gimo da repblica,
gilimar, nao se havia
tro do Brasil tambem
gao de tal documento
satisfagdes, que sabia
no do Uruguay? Em
Brasil contentar-se
o Uuruguay, porque
devia dar por conclu la a guerra do Brasil costra
eslava preenchido o sea fim.
Recebemos cartas e jornaes do norte do imperio,
trazidos pelo vapor Cruzeiro do Sul, chegado quar-
ta-feira por urna hora da larde, alcangando : do rengo Jnstiniano Nery, por crlme do de furto.
Amazonas a II, do Para a 15, do Maranhao a 18,
REVISTA DIARIA.
Hoje reone-se em sessao ordinaria o Instituto
Archeologico e Gcographico Pernambucano as 11
horas da maoha.
Amanha se extrahir a 3a parle da 1" lotera
de Nossa Senhora da Boa-viagem (17a), sendo o
maior premio de 6:000}000.
Veio ante-houtem do Amazonas, e seguio a
tomar posse da presidencia de Sania Camarina, o
Exm. Sr. Dr. Adolpho de Barros Cavalcante La-
cerda.
A bordo do Cruzeiro do Sul, vieram 542 pra-
gas de diversos corpos de linha e voluntarios, das
provincias do norte, as quaes seguiram para a
corte.
Chegou quarta-feira, procedente de Trieste
e Gibraltar, o brlgue hanoveriano Johannus, com
220 dias de viagem do primeiro porto e cerca de 90
do segundo. E' urna das mais rpidas viagens que
se tem feilo desses portos I!
A barca ingleza Ftsbella, que ante-honlem
por tarde levantou (erro do lamaro com destino
Baha, amanheceu hontem anda bordejando ao
norte prximo trra, e por volta das 7 horas da
manhaa, mentindo a virar, bateu e encalhou no
pico da barreta, rom tal infelicidade que ao meoi
dia j linha no porao duas bragas d'agua. O car-
regamento (carvao de pedra) e o casco acham-se
de todo perdidos.
CommUD'cara"nos seguinte :
Domingo prximo haver urna magestosa
regata no grande lago, que vai do sitio do finado
Jos Ramos al a Cruz das Almas.
t Os amadores deste brinquedo tem tudo envi-
dado para que seja elle completo; e os espectado-
res acharo a disposigo bellos palanques formados
dos muros lateraes, afim de assistirem gusto um
espectculo sorpredente, para o qual s contribuem
as falas terrestres na competente barreira.
< As autoridades, a quem compete a conservago
do lago, tem lugares reservados para a sua assis-
lencia.
Pela presidencia da provincia foram nomeados,
para o segundo corpo de voluntarios :
Secretario, o l> sargento do 4." batalhao de arti-
lbaria Francisco de Assis Monteiro;
Quarlel-meslre, o 1. sargento de artfices Fran-
klin Francisco Brrelo ;
Capito, o capito da guarda nacional Jos An-
tonio Lopes Jnior;
Tenentes, os tenentes da mesma Joo Manoel Pe-
reira de Abreu e Joaquim Gomes Pessoa.
REPARTigAO DA POLICA
Extracto da parte dodia 24 de maio de 1865.
Foram recolhidos casa de detengo no dia 23
do corrente:
A ordem do Illm. Sr. Dr. chefe de polica, Lou-
do Piauhy a 10, do Cear a 20, do Rio Grande a
22 e da Parahyba a 24 do corrente.
Amazonas.O Exm. Sr. Dr. Adolpho de Barros,
em consequencia de sua remogo para Santa Ca-
thirina, passou a admioislugo da provincia ao
Sr. coronel Ionocencio Eustaquio,4a vice-presiden-
te, na ausencia dos 3 primeiros.
Nosso correspondente diz-nos o seguinte:
c Na manhaa de 4 do corrente passou a popula-
gao desta cidade por um grande susto. Quatro fa-
mosos sentenciados militares fugiram da cada, na
occasio em que se abra a porta da priso para a
fachina. Os presos arrojaran) sobre a guarda, e o
que ia adianto e era chefe da conspiracao acbava-
se armado de ama espada (que Ihe haviam confia-
do na vespera para limpar) e com ella foi dando
panagos a direita e a esquerda, e com tal impetuo-
sidade, sendo- secundados pelos outros tres, qoe es
11 guardas nacionaes, que mal espera vam por se-
melhauterecepgo, pozeram-se em debandada, sem
fazereni uso das armas. Os aggressore Laacaram
A ordem do Dr.'delegado da capital, Roque,
escravo de Joo Nepomuceno de Mello, por f-
gido.
O chefe da 2' secgo,
J. G. de Mesqua.
Passageiros do vapor brasileiro Cruzeiro
do SmI, entrado dos portos do norte: Dr. Adolfo
de Barros Cavalcante de Albuquerque Lacerda,
Dr. Luiz Augusto Crespo, D. Herculana A. Xavier
de Mendonga, Claudino Luiz da Franca Gomes, An-
tonio Barroso, Antonio Lopes Narciso, Joo Jos
Pereira de Faria, tenente-coronel Ricardo da Silva
Ferro e 1 filho, tenente-coronel Ignacio Frazo Va-
relia, Sourianna e sua ti I ha, fre Clemente de Geno-
va, Jos Dadivo Passoa Bastos, coronel Joo Anto-
nio Machado e sea escravo, padre Basilio Freir
Navarro, Bernardo d Oliveira Gomes, Jos Rufino
de Souza Rangel, Antonio Joaquim de Sant'Anna,
C. de A. Lima Jnior, Antonio Barbosa Aranba, e.
i. dos Sanios Jayme, Antonio A. Generoso de Cas-
tro, Jos de Azevedo e Silva.
Segu para o snl:
Relatorio do Hospital Portu-
gus de Beneficencia em Per-
nambuco.
Senhores socios do Hospital Portuguez ae Bene-
ficencia em Pernambuco.Em observancia ao pre-
ceituado no 17 do artigo 39 dos estatutos venho
mais urna vez oceupar a vossa attengo, fazendo
hoje a narrativa compendiosa mas fiel, do movi-
mento administrativo e estado financeiro deste
nosso hospital durante o anno lindo de 1864.
Antes, porm, de entrar no assumpto que faz ob-
jeclo deste relatorio permitti-me justificar a demora
havida na transferencia da adminislrago, que s
agora se verifica.
Nao por vos ignorado que em novembro pr-
ximo passado fui accomraettido de enferraidades
aue, agravando-se mais e mais no mez de dezem-
bro, me impossibilitaram de continuar no desem-
penho do encargo que me confiaste?, sendo que
fim de nao sofTrer o servigo do hospital, fui Torea-
do a passar a gesto do estabeleciinento; a qual
por legitima escusa dos que seguiam na ordem da
volagao, veio a recahir no quarto mordomo o S_e'
'Joao PeSrTfataflfl Brg,-J,dfr8fe!HHFiKaBnte as-
suraio a provedoria interina aos 21 do referido mez
de dezembro, e a exerceu at o 1 de margo deste
anno, em que reassumi o cargo.
De enlo at hoje (ve de providenciar organi-
sarao de contas, confeccionar balangos, registrar do-
cumentos, e dispor em ordem conveniente tudo
quanto se fazia necessario mclhor demonstrago
de todas as occorrencias.
Estes motivos, era parle occasionados por fados /
superiores e alheios minha vontade, e em parle
indispensaveis em consequencia d aquelles, reque-
rem a vossa indulgencia iransgresso commelti-
da : desculpai-a, pois, parece ser de justiga.
ADMINISTAAQAO DO HOSPITAL.
A gerencia dos negocios do hospital carainhou
com a precisa regularidade, sendo que todos os
membros da juma procuraran) satisfazer religiosa-
mente as obrigagoes impostas pelos estatutos seus
respectivos cargos.
Cumpre entrelanlo altender excessiva tarefa,
que pesa sobre os senhores secrelarios, que nao
podeodo abandonar de todo seus proprios negecios,
devera achar-se na impossibilidade de occorrer de
prompto ao forgoso servigo de urna eseriplurago
por de mais trabalhosa. Convirla, pois, a admis-
sode um empregado especial, que se encarregasse
desse trabalho, alias to necessario ao bom e regu-
lar andamento dos negocios do estabelecimenlo. E
accresce ao que acabo de ponderar, a difflculdade
que ha em encontrar um socio que queira tomar
sobre si um cargo to oneroso, ainda que para isso
tenha boa vontade e as precisas habililagoes, como
as que rene o actual Sr. 1. secretario Joaquim
Ferr ira Mendos Guimares, o qual tem servido,
com sacrificio, e verdadeira dedicago esse Impor-
tante encargo por tres annos quasi conseculivos.
O anniversario foi solemnisado com toda a de-
cencia possivel, sendo nolavel a concorrencia dos
visitantes ; no mesmo dia c no domingo fmmedialn,
em que tiveram lugar concorridos leiloes de pren-
das offertadas a favor do hospital, as quaes pela
porfa que se esiabeleceu entre os langadores para
um fim to pi, renderam, juntamente com as
quanlias por essa occasio offerecidas a somma de
4:0935700.
Ao mencionar um fado lo caraclerisco dos sen-
tlmentos dessas respeilabelissiroas pessoas, nao
posso, e nem devo, deixar de, em nome desta as-
sociago.render-lhes urna horaeuagem do publico
e solemne reconhecimento, sendo muito para notar
que entre os offerenles avultou grande numero de
senhoras, quer brasileiras quer portuguezas, que
ainda por esta vez deram a mais esplendida de-
monstrago de que sabem ter em alio aprego o cul-
to sempre venerando dacaridade.
O insigne artista, o Sr. Arlhur Napoleo, que j
tem incontestavel direito gratido deste estabele-
cimenlo, estando ja o seu norae escrpto entre os
socios benemritos, ao passar por esta provincia,
nao se olvidou dos infelizes, e de novo ofertou ao
hospital, de envolta com os estabelecimentos de ca-
ridade desta cidade, um concert musical, que leve
lugar no theatre de Santa Isabel 27 de Janeiro do
anno lindo, de cujo produelo coube a este estabele-
cimenlo 561)500. Desnecessano consignar urna
nova expresso de agradec ment, por qne aos rei-
terados actos de beneficencia nao lia outro stnli-
mento, que mais espontneamente corresponda.
Devo ainda registrar o acto philantropico do Sr.
Joo Lylle, negociante desta praga, que ao retirar-
se para a Inglaterra, offertou ao hospital a quanlia
de 5OO5OOO, tendo a_delicadeza de deixar esta in-
cumbencia ao cuidado do Sr. Manoel Jos dos San-
tos, naturalmente para esquivar-se aos agradec-
mentos, que teria de dirigir-lhe esta associago,
circumstancia, que por certo, realga ainda mais
aqaelle acto meritorio.
A Exm.' Sr' D. Ursnla de Almeida Cruz, esposa
do nosso digno consocio o Sr. Manoel Gomes da
Cruz, offertou no dia do anniversario urna rica toa-
Iha primorosamente bordada a malit e onro para
servir exclusivamente em taes dias no altar do
nosso padroeiro.
O legado que j foi mencionado no relatorio da
administragao passada, da quantia de 4005000 dei-
xado pelo fallecido negociante Manoel Ferreira de
s, fora realisado pelo respectivo teslamenteiro.
Cumpre tambem participar-vos, senhores, que o
nosso companheiro de administragao o benemrito
Sr. Joao 'ereira Rebello Braga, como mordomo do
hospital, as semanas lindas em 30 de julho e 5 de
novembro, poupou ao cofre o dispendido com o sus-
tento dos doentes pobres, que enlo oceupavam a
respectiva enfermarla, correndo essa verba a ex-
pensas da proprio mordomo. Oxal, que este co-
bre exemplo de caridade possa ser emitado em be-
neficio dos enfermos desvalido?.
^UTlLfflSI]


'.V
Mario de Fernambiieo VexU letra t de Malo de !.
Igualmente digna de meollo a esmola feila ao
hospital pelo Sr. mordomo Domingos Ribeiro da
Cuuha Oliveira, cedendo era favor do estabeleci-
mento a qoaatia de 67*300, en que importaran
otuionio.
O oratorio contina a prestar, quer relativamen-
te aos enfermos, quer o publico, os beneficios, e
confortes qae a religiio eatbolica proporcto-
as roadelras, que se Ihe haviam comprado para a! Da.
construccao da enfermara nova.* Alm das solemnidades, e missas determinadas
Havendo o.Sr. Joo da Cruz Macedo recolhido ao no regolamento interno, celebraram-se os suflra-
r>ospital o seu escravo llenrique, para ser tratado gjOS anniversarios do allecimento do Sr. D. Pe-
de alienadlo, no lim de algnm lempo, achando-se o dro v, de saudosssima memoria, acto esto, que
referido escravo um pouco. melhorado, uffereceu-o amito cumpre nao ser jamis esquecido.
ao estabelecimento, em conpensaco das despezas jUDU acaulelou convenientemente a guarda
com elle havidas; o qae sendo aceito por delibera- dos ornamentos, coin a acquisicao de movel para
cao da juBta de 20 de juina Ao aano prximo liado, S0 adaptado, e deixa augmentado o numero
foi reduzido a escriplura as notas do tabellio sa, daquelles com raais urna rica alva, offerta da
em 14 de Janeiro deste anao ; e assim hoje este tima. Sra. D. Leopldina Rosa da Silva Bastos,
escravo propriedade do estabelecimento, ao qual esposa do Sr. Sebastiao Jos da Silva, e diversos
vai prestando os serviebs corapativeis com as saas sanguinhos e raanustergios, dadiva da Eraxa. Sra.
forjas. D. Vicencia de Aojo, esposa do nosso prestimoso
Alm das esmola?, qae ficam mencionadas, rece- 80Cio o Sr. Franciseo Jos da Costa Aranjo.
beram-se muitas outras sob este titulo, de diver- jiovmento econmico.
sos respeitaveis ravalleiros, como veris da de- ___ .____:
moostracao da caixa a cargo do honrado e distinc-' O estado finance.ro do esUbelee.mento duranto
to socio o Sr. Domingos Bernardino da Cunha, o o anno decorrido, reseente-se da falta de rncebi-
qMl desempenhtodo o difflci! encargo de esmoler meD,d Pa,ra reCe'U ordinana' C00SIS,eiUe nM
do hospital por esiiaco de deus annos, palenteon a mensalidaaes. __
maU desvelada dVdicacao por este eslabeleci- Felunenie as esnolas com que a caridade dos
ment ^ p generosos habitantes desta capital e mesroo de
A qaotia de 3:465*520, qoe se achava na caixa outras provincias, auxiliara o nosso hospitali ten
filial do Banco do BraTdesta provincia, provenien- porto a associagao ao alcance de sustentar tao pa
te do emprestimo feito em *86 pelo socio neme- instituicao. ...., A.nna\\* hit.
rilo o Sr. Bernardino Gomes de (JarvaJho, fo. reti- _, *>est arte, o defleu, qne resultarla daquela falta
rada daquella calxf conjuntamente com' os jaros Je receb.mento e do pouco interesa* que toma na
contado? al 31 de dezembro de 1863, em conse- orto do^sUbelec.mento^raooVnumero de Porto-
quencu de o querer aqueHe esubeteeimento gu**f*. Uarla am da, se por ventara aquella*
continuar a pagar premio em conta correte, auxilios da caridade nao viessem proporc.nar-lhe
tendo sido aplicada a descootos, achare elevada orna existencia duradoura
a somma de 4:310*667, e existe toda no cofre dei- i no relatarlo anterior fiz algumas refloet> no
ieestabelecimentoT7arater a reserva que tai sentido de lamentar, que *'^<""*""
Uataanada. Para anWlisar o referido emprestimo existentes nesta cidade e quasi todos atio(te
conseguio o mesrao credor aestnbuir no anno que subsistencia regulares a nossa assoc.acao apenas
tindou em dezembro prximo passado Ululo* de cootasae um deminuto numero de soe.os sendo
bem reiteres as Exmas. Sras. D. aria Rita da Costa, D. Mara Adelaide Gencalvea Reg, D. Joanoa Ur- erta pa iostiluicao, e qae mals, ou menos ven.
iTS, u-era A i ve* e I) Carolina Soares de Amo- animalmente concorrer com suas joias de entrada,
ril^n^i-j^^Z&S^ como socios activos, quasi que nao equiva.em aos
Azevedo, Francisco Joo de Barros e Joaquina Ro-
drigues Tavares de Mello, na forma do contrato
cora elle celebrado, de modo que hoje este debito
se acha reduzido a 1:934**00.
Consia que em mao do Sr. Maxiraiano Jos de
que perdemos, por motivo de morte, ausencia e
despedida
Essas rcflexoes de novo as reproduso, embora
reconheca, que minhas palavras serao baldadas
para arranca-Ios do indifferenlismo a qtw t*o
Mello, establecido era Pao d'Alho, existe a quaatia ^"^T^.f.^aSi.r,.^ da* rnrti-
de 100*, que o fallecido Jos legara a este hospital Perianto, a vista das demonstrarles MmVHN
demarque nova adminislracao, avenguaodo 'SXtSPSS^XSJS^Sm
nao aprsenla decadencia, pois folgo de communi-
a. exaelido desta noticia deligencie a respectiva
cobranca. .
Nao posso deixar de mencionar com reconheci-
mento um offereci ment, que fez ao hospital o Sr.
oameodador Jos Ignacio de Mandones residente
as Alagoas, o qual havendo-o visitado, em cora
car-vos que o estabelecimento nada deve, relativa-
mente a administrecao fiada.
Eis o que tenho a dizer-vos, senhores, sobre o
estado em se acha o estabelecimento; resiando-me,
Pernambuco em 1864 sob a dirtero do Sr. Dr.
Prxedes Gomes de Soaza Pttanga
ClassificQQao das molestias. S
Abcesso..........
Alienacao mental.
&3
s
s
E
m
--o
g
n
i
1
Laringe-pulmona
Lupio.....
Mielite.....
Observaco.
Ophlalmia.,
Orchite ....
Parafimoses
to essa obra devo preceder reparaco, e nova fr
ma, que se deve dar ae andar superior do edificio,
que por antigo se acha bastante deteriorado e qua-
si amea$ando ruina. |
Nao me demorarei, senhores, em demonstrar a
urgencia que ha em se construir tambera urna en-
fermara para asylo dos alienados, de modo a nao! parafisiaTda bexga
incommodarem os demais doentes, e nem acoll- paralite..........i^.Y."".
car a administraco na dolorosa contingencia de purodini .*.".".... Y......
conservar em camisolas os infelses, que chegam p|euro.puljnonia
a esse estado; porque esta necesstdade sentida Pul moma,
por iodos.
A nova junta, pois, ter occasio de apreciar
essas e ontras necessidades, e providenciar, por
-certo, as que entender mais momenlosas.
1
Bheumatismo..............
Sarnas..................
Splenite..................
Suppresso de transpiraeo..
Sibiles..................
Sypbelides................
Ttano..................
BOTICA.
A junta tem a satisfacao de mencionar que esta
parte integrante do esubelecimento, preenche ca-
balmente o mister de sua creacao.
No logar compleme varis a cifra de sua recei-
u e dospeza qual o resultado i conu de lacros
e perdaa.
E' ioegavel qne o e#tado Ioogeiro em qae ella
ae acha, se deve i pericia dos ous socios, que a
dirigem, as quaes teem incontestavel dlreilo ao
nosso reconhecimeoto.
Verrogas.....'.....
Vmica......... -
CUNJCA.
O mappa qae junto offereeo demeastrar a
raovimento das enfermaras, sendo que deile se v ,~
4ue, havendo entrado 898 enermos inelurtve 38,1 "" ?^'" ,
que acarara em tratamenlo do anno aalerior, Uve-; TT?bccu,0S Pavonares .... 3
ram alta 2S, fieando 31 para este anno, e apesar K'^'f9;...................
dos disvelos que se erapregam neste estabeleeimen- 2.nwmBm
to, fallecern 42, sendo destes 7 dentro das 24
horas immedialas fiua entrada
Este numero nao deixa da ser excessivo, se se
attender someate a que ao anno liado sao houve
enfermidades epidmicas, porm considerando-se
o estado em qae pela malee pacte vera esses doen-
tes proeurar o esUbeleeinflato, como em ultimo
recurso, para terem ao leito na ultima hora, se
conbecer qne na mortalidade referida houve con-
sderavel derainuigao, em relacao aos annos
anteriores.
Cumpre, pois, aqu loavar o telo, e assiduidade
do Illm. 8r. Dr. Prxedes Gomes de Souza Pianga,
qoe foi iucansavel no cumplimento de seos
deveres.
U hospital, entretanto, se acha actualmente
privado dos disvelos desse digno medico, qae a-
uado sollicitado lieenca, seguio para a corte, por
ordem do governo; mas acha-se satisfaloriamenle
substituido pelo digno Sr. Dr. Pedro de Aityde
Lobo Moscoso, que a jonta aomeoa para officiar
dorante a ausencia daqaelle.
1
4
S
8
1
6
2
1
1
2
1
3
i
1
1
i
1
9
19
2
1
1
14
3
2
1
8
30
7
i
1
22
i
6
5
2
15
1
2
i
1
3
1
2
2
1
2
1
i
1
4
1
8
3
2
2
1
1
5
2
1
3
4
7
i
5
panh.a do upsso digno consocio o Sr. Joaquim Ro- conclu.r o presente relatono fazer meacao da
drigues Tavares de Mallo, e satisfeito pela ordem mane.ra sempre aeeorde porqne mMg^fJ^"
a regularidade, que aehou reinarem no eslabaleci- respeitaveis companbeiros.queme destes a quem
roento.olTereceu gratuitamente ornecer-lhe as ma-; nesta occasio me l.songeloi de' eo^ess^r-me reco-
detras de que por ventura ainda houvesse de mis- nhecdo pela efficaz coadjuvacaol^ojMram,
u .Tan a continuarlo de suas obras sendo Pfomptos em desculpar as michas faMas, e
TiiidaS do legado do falS Antonio Jos auxiliar-me com a sua ded.caco ao cooseguimen-
Rlguelro acha-se ainda pendente dos respeilaveis to dos fins de to ntil qoao pa iMttiaisSo.
tribunaes do paz Q08*0 a B,m Psso asseverar que tenbo envi-
No tocante divida do brigadeiro Menezes, seus dado todos os meus ^n^ orresponder as
tinos e georos, subsiste as refleceees que foram reiteradas provas de vossa confianca e sob da be-
feita-snorelatoriodaadministracao^assada. nevolencia; se mais nao fiz, porque raais nao
Os administradores da massa fallida de Amorim, sonne. .... .-.sn
Fragoso, Santos & C, ja apnunclarara o dividendo Felicito o hospital pela importante tWpMwgo
de cinco' por cento. A unta nao qniz recebar essa para seu provedor do Illm Sr. AatoMO Ugy
fluota parte por pensar que tem direito maior reir de Mello, cajo* senilmente de caridade ja
quantia, visto que qnasi toda a que ol recomida sao bem conhecidosdesta associacao.
aquella sociedade por parte deste estabelecimento ecife,
leve lugar nos 40 das anteriores a quebra. caso Manoef fli&eiro Bastos.
^^.omai\l^x^^l^^^.J^ Mappa nosoloqicoe necrolgico dos doentes trata-
^%^1^^^*iS* 5S 3 85/S5S Beneficencia^
de justica a ultima palavra da jurlspru dencia nes-
te assnm|)to. >
Ao terminar, senhores, a pnroelra parle deste
imperfeito relalorio, lenho a maior satsfacao em
communicarvos urna das mais bem acertadas me-
didas, que por ventura haja emnado no decurso da
actual admraislraco. A junta que hoje Goda, em
sesso do Io de marco preximo passado resolyeu
por aoaninridade offerecer em nome desta associa- _
cao. ao governo da provincia as enfermarlas do Amoleci ment do ce^bro...
hospital para nellas serem tratados gratuitamente Anemias..............___
38 pragas da guarda nacional que, achando-se scitesl J".".___..........
aquartelTaus para a guaroicao desta cidade, ve- Dlenorrariagias.............
iiliam a ter precisao dos soccorros da medicina e jjroochites................
dos recursos que o mesmo hospital em tal caso Ihes Broncho-pulmonia..........
pode facultar. A' este offerecimento presidio o sen- jjubes...................
tmente de gratido que constantemente predomi- Cancro endurado...........
na no espirito de nossa associago, pelos innume- Cancros venreos..........
ros beneficios di spensados pelos generosos habi- Caria do sternon...........
taates desta provincia e pelo proprio governo em Caria do tibea.............
utilidade e progresso desta pia instttuicao. visto Cerebrite.................
que de oulro modo nao poda manifestar o seu de- Cholera...............
sejo de concorrer tambera para suavisar as gran- Clica....................
des despezas reclamadas pela guerra emque o paz Colite....................
se acha empenbado. ; Conlnsao.................
O Exra. Sr. presidente da provincia, era sua res- Delirio nervoso...........
posta declarou que acekava o nosso efferecimento Dearrhea.................
e que era lempo opportuno se utilisaria do hospital. Demerite................
oaiAS. Elephantiasesdos rabes....
No relalorio da administraco passada se vos fez Emphiseraa-pulmonar......
sentir necessidade que havia de se aagmeniarera Eotero-colite..............
ao predio as precisas accomodaeSes, pois aellas Escorhuto................
que depende em grande parte o engrandecimento Escrofulide tuberculosa.....
do hospital. A junta actual, e que hoje linda a sua Estreitamente da uretra___
misso, reconheceu essas necessidades, e procurou Erysipella................
fazer quanto em si caba, em ordem a ir minoran- Exartor.................
do-as. Assim julgou conveniente converter em no- Febre interntiente___.___
va enfermara a autiga coznha, o que eflfei'tuou,' Febre perniciosa..........
achando-se esla partedoediflcto devidamente trans- Feridas por esmagamento...
formada, e as exigidas condigoes. ] Fracturas da coxa.........
Tambem fez aogmentar a enfermarla de terceira Frieira..................
classe, de modo aue boje, nao so offerece maior es- Furunclo.................
paco para os doentes, mas tambem mais ventilacao Gangrena do escroto.......
como muilo se fazia reclamada. : Gastrile..................
Outras acomroodacoes e fazem ainda mister e Gastro-enterite...........
devero principiar pela edificacao do raio norte, Gastro-enterocolite........
fazendo semeina com o que se fez em 1863 do la- Gastro-splenite...........*
do sol. A junta leve intencao de dar-lhe comeco, Heraorrhoydas............
mas nao o pode fazer, por tacn venientes que so- Hepatlte..................
trevieram, alheios de saa vontade ; sendo de espe- Hepato-pulmonia..........
rarqueanovaadminisirafao, com asollicitude que Hepato splenite............
a deve distinguir, leve a effeite urna das mais ur- Hyperihropbia docoraco.
gentes necessidades do estabelecimento, tanto qoan-
I
4
21
3
7
9
2
13
1
2
i
4
1
2
9
1
1
L
1
1
i
\
1
1
5
1
8
4
i
2
1
1
1
6
1
6 2
1
2
1
4
1
1
1
1
1
6
19
3
1
1
13
3
1
3
29
7
1 1
38 260 22S 42 31
Somma....... 298
Dos 298 eram de :
1 lasse
js*
3 t
4* t
298"
10
77
178
33
298
Dos quaes eran de :
1 a 10 annos
11 a 20 .
21 a 30
Si'
Saa 60
61 a 70
71 a 80
1
44
119
7Q
38
17
S
4
Sendo
298
Casados
Solteiros
Viovos
43
240
18
Cuja naturalidade era :
Africanos.... 10
Alenles.... 3
Brasileiros... 39
Francezei....
Hespanhqes..
Inglezes.....
Portugueses..
Suecos ..l...
a
6
2
234
2
298
Que se distinguan por suas proflssoes :
Actor....;...... 1
Alfalates........ 3
Agricultores..... 2
Barbeiro......... 1
Caixelros....... 84
Carpioa.. ...... 1
Caotes......... 3
Calafate......... 1
Cigarreirosi...... 3
Chapeleiros...... 2
Costoreirasi...... 2
Cosinheiros...... -8
lo pu-
Donato ,.. J,
EmpalhadoT..
Empregadc
blico......
Enfermeiro
Florista..
Ferreiro.
Funileiro
Lytegrapho.
Machi nista.
Marelaairos
Martimos.
Mendigo..
Negociantes.:
Oleiro......i
Oorives',.
Padeiros.
Padres,
Pintores.
Pnotographo.....
Sapatciro........
Serralheiro.......
Tintureiro.......
Trabajadores....
1
1
1
1
1
1
1
1
1
2
49
1
13
1
1
dem Joaquim da Silva
Caelho................ 100*000
dem Loiz Antonio Gon-
calves................. 100*000
dem Bevm. vigano Ca-
nullo de Meodonca
Fortado................ 100*000
. dem Jeao Antonio Gomes
Goimaries............ 0POO
dem Manoel Ribeiro Bas-
tos, para a enfermara
nova............
Exm. Sr. bispo D. Joo
da Parificado at Ju-
nho...................
Illm. Sr. Antonio Domin-
gos Pinto..............
dem Joo Ignacio de Me-
deirosRego.......... 50*000
dem Adriano da Cesta
Ranalho, do Rio de Ja-
neiro................
dem Manoel Ribeiro de
Carvalbo e outros.....
ives.......... ^.m
jiros......... J8
res,. <.....,
1
l
1
121
Dos 42 fallecidas foram:
as 24 horas
Depois
298
Qae eran de
1*
2'
3'
ir
classe
Sendo de
7
35
42
3
14
23
2
42
86*330
60*000
60*000
2C*000
6*125
2:822*753
Recebi do inporta das
prendas offertadas para
o leilo do anniversa-
rio, en 18 e 25 de se-
terabro.............. 3:256*700
dem de diversos, qoan-
tias que offertarara nes-
sa occasio........... 837*000
4:093*709
1
11
21
31
41
31
61
71
10 ancos
2tt
30
a
a
a
a 40
a 50
a 60
a 70
a 80
Os quaes eram :
Allemao
Brasileiros..
Hespanhes.
Porluguezes
Sendo
11
10
8
2
1
42
1
3
3
35
42
dem dos nembros da ac-
tual junta de 1864 para
as despezas do aniver-
sario ...............
dem do reedimento da
salva no dia do aniver-
sario............*... 147*370
dem dem no dia de Na-
tal................. i0*500
dem dos alugueis de pre-
dios :
De D. Mara Umbelina da
Costa Vianna da casa
terrea ma da Alegra, -
vencido em 3lMede-
xembro..............
dem da botica. Receltas
de 1863.............
Dinheiro apurado no cr-
ranla anuo..........
Recebido o dinheiro qae
eslava na Caixa Filial
do Banco do Brasil, por
nao querer mais pagar
o premio em coala cor- .
rente, de 31 de dezem-
bro de 1863 em diante
dem de Jos Mara Na-
varro Porto, por conta
LUCROS E PERDAS.
dem de premio de......
4:022*667. vencido no
correle anno, cola
quanlja se retiron da
Caixa Filial...,....... 288*000
dem de porcentagera do
pao no correte anno 146*556
Iden producto das fruc-
tas do sitio........... 49*460
957*000
lo7*87Q
204*000
6*020
1:477*140
4:022*667
60*000
Casados
Solteiros
Viovos
6
32
4

Cujas proOssoes eran
Actor.......... U
Alfaiate....v..r 1
__aixros....... 7
Carpira........ i
Martimos....... 5
Mendigo........ 1
Negociantes..... 6
484*016
35:192*521
Ourives.
Padeiros ....'..,
Pintor..........
Sapateiro.......
Tintureiro......
Trabajadores...''
1
2
.1
1
1
14
42
Peruambuco, 31 de dezembr de lSGi.
Movimento da caixa do Hospital I'ortuguez tU Be-
neficencia nesta cidade a cargo do esmoler Do-
minios Bernardino da Cunha, do i." de Janeiro
a 31 de dezembro de 1864.
RECEITA.
Saldo que ficoo do anno
de 1863............... 1:217*213
Recebido de doentes par-
ticulares no crreme
anno.................. 6:176*100
dem de joias por entra-
das de socios activos
idem................... 1:925*000
dem de mensalidades dos
soeios dem........... 6:829*000
dem de esmolas a saber:
Dos 23 membros qoe com-
pozeram a junta de 1863
pagara m a respectiva
quota para a construc-
cao do raio do sol do
edificio, os seguintes :
Illm. Sr. Manoel Ribeiro
Bastos................ 274*120
dem Joaquim Ferreira
Mendes Guimares.... 274*120
dem Manoel Ribeiro de
Camino............... 274*120
dem Domingos Bernardi-
no daCuuha.......... 274*120
dem Albino Jos da Silva 274*120
dem Bernardo Jos da
Costa Vleme.......... 274*120
dem Joao Flix de Mello 274*120
dem Joaquim Jos Gon-
caves Beltrc......... 274*120
dem Antonio Martios de
Car va I ho Azevedo..... 274*120
dem Joo da Cunha Ne-
ves.................... 274*120
dem Andr Manoel de
Arruda................ 274*120
dem Luiz Doraingues db
Souza................. 274*120
dem Francisco Coelho
Brandan............... 274*120
dem Antonio Fernandes
de Azevedo.......... 274*120
dem Francisco Pinto Ozo-
no..................... 274*120
dem Manoel Jos Macha-
do..................... 274*120
dem Bernardo de Cer-
quelra Castro Monteiro 274*120
Mera Francisco Jos Gon-
calves da Suva........ 100*000 4:760*040
dem bemfeitores:
dem Arthor Napoleo
metade do beneficio da-
do em 27 de Janeiro... 561*500
Iden John Lyle, negocian-
te inglez.............. 500*000
dem Joaquim Ferreira de
S, liquido do legado de
Manoel Ferreira de S 360*000
dem nordono Domin-
gues Ribeiro da Cunha
liveira das travs e
Dxameis para a enfer-
mara nova............ 167*809
dem Bernardo de Cer-
qneira Castro Monteiro,
Manoel Fernandes Ri-
beiro eoulros.......... 126*000
dem nordomo Joao Pe-
reira Rebello Braga,
pedo que aproximativa-
mente despenden com o
sostente dos doentes po-
bres as dtiaa semanas
em qoe servio, Andas
em 30 de julho e 3 de
norembro............. 114*400
dem Barthelomeu Fran-
cisco de Sooia&C..-. 110*900
dem Dr. Claudine de
Aranjo Goimarae, cn-
sul de Portugal...... 100*000
dem Joaquim Loiz de
. Abran................. 100*OW
DESPEZA.
PreaiQ
Pago a diversos pela cons-
trueco do raio do sol 6:696*000
dem idem dem da en-
fermara nova. .*..... 1:868*740
dem idem Idem da aber-
tura da camboa...'----- 120*060
Movis
dem por diversos qne se
compraran.......... 5C8*280
Utensilios.
dem pelos que se cora-
praram.............. 1:198*660
Botica.
dem por diversas dro-
gas etc...............2:152*179
Eventuaes.
dem por despezas judt- *
ciaes .....T........ 144*440
Despezas geraes.
Iden por sustento dos
doentes empregados... 8:815*495
dem por ordenado dos
ditos................ 5:598*913
dem por diversos objec-
tos................... 1:016*842
dem por despezas com o
anaiversano.......... 1:000*580
dem idem com o leilo.. 578*530
dem idem com diversos
concertos.......... 124*280
WedeJcimT.:mP0!:0S..de 139*055 29:958*900
Saldo em
passa a
de 1865.
dinheiro qoe
adrainistrac3o
5:233*621
Sendo de saldo em fron-
tecapital e premio
en reserva pata o m
determinado pela junta
em sua sesso de 23 de
outubro de 1861...... 4:310*667
Balango da receita e des-
peza do correte anno. 922*9oi
3:233$621
Demonstrado do estado financeiro do Hospital
Porluguez de Beneficencia, em Pernambuco, em
31 de dezembro de 1864.
ACTIVO.
Caixa.............. 5:233*621
Movis............. 11:527*131
Predio do Cajueiro... 68:297*692
Bens semoventes..... 335*000
Gaspar de Menezes
Vasconcellos de
Dmmmond....... 40:500*000
Botica do Hospital... 3:032*428
Jos Mara Navarro
Porto............ 20*000
tencilios........... 1:853*168
Amorim, Fragoso,San- Wft
tos &C........... 3:o62*420
Predios,; Casa da ra
da Alegria n. 14...
Alfaias.............
Eventuaes..........
2:198*800
195*000
444*440
137:201*400
PASSIVO
A capital........... 133:267*200
A Bernardino Gomes _______:^
deCarvalho....... 1:934*200 137:201*400
N. B.O balanco da conta de ganhos e perdas
foi de 10:721*685, que passoo a capital em 31 de
dezembro de 1864.
Joaquim Ferreira Mendes Guimares
Primeiro secretario.
Quadro das offerta* feilas no Hospital Portuguez
de Beneficencia em Pernambuco, para serem ex-
postas e vendidas em leilo no da 18 de selem-
bro de 1864, anniversario de sua inaugurado,
a favor ios pobres que aqui sao tratados, pelas
Exmas. senhoras e senhores abauto mencionadas.
bolos.
1 lenco de labyrnte offerecido por D. Candida de
Moraes Reg Barros.
1 caixa marcbelada com linhas de cambraia for-
mando on labyrinto, idem por D. Emilia da Sil-
va Guimares.
1 cesta com flores artificiaes, iden por D. Antonia
da Fonseca Maris Carvalbo.
1 bordado em velludo para sapatos, idem por
D. Francisca, filha do Illm. Sr. Jos Antonio de
Carvallo.
1 par de jarros, idem por D. Umbelina Accioli
Lins Siqueira.
1 camia bordada a ooro para o Dos menino,
idem por D. Mariaooa Tbereaa da Costa Goina
raes.
2 vasos em forma de cesta para banha, idem por
D. Amelia, Olba do Illm. Sr. Manoel Ribeiro de
Carvalbo.
f emblema de porcelana, iden por D. Clemeati-
na Dornellas Ganara
1 par de snalos da pete, iden por D. Mara
Augusta Pavao.
l dito de dito, idem por D. Alexandrina Amella
Pavao.
Isignetdanadreperoia, 1 emblema gravado
em bano, 1 quadro bordado em papel, 1 chaleira e
trerape, idem por D. Joaquina Naves de Oliveira.
1 realejo, dem por D. Anoa Mara Cruz Mes-
quita.
3 calas com cheiros, idem pela senhora e filhas
do Illm. Sr. Francisco Jos da Costa Araujo.
1 coraco bordado, 1 caixa de costaras, idem
pelas Albas da Exma. Sra. D. Mara Rita da Cruz
Neves.
2 jarros azues, idem por D. Joanna Emilia de
Souza Monteiro.
1 almofada bordada a ooro, idem por D. Urania
Almeida da Croa.
1 ramo de fructas artificiaes, idem pelas filhas
do Illm. Sr. Joo Licio Marques.
1 riquisslma pulseira de camapheus, idem por
D. Mara dos Arijos de Souza Lelo.
1 actate eora fructas artificiaes, 2 tapetes de
vidrlhos, 1 dito de comas, 1 almofada bordada a
seda, idem por D. Idaiina de Souza Moutinho.
1 quadro dourado bordado de seda, 1 dito idem
com 2 passaros, dem por D. Francisca Lima de
Oliveira Santos.
1 booqoetde flores artificiaes, iden por D. Emi-
lia Libania Teixeira Bastos.
1 ramo de flores de seda, Idem por D. Joanna
Isidora da Costa Pradiqoe.
1 alraofado bordado de la e seda, idem por
D. Adelaida e D. Mara de Mallos Lemos.
1 casta con Sores artificiaes, iden por D. Cons-
tancia Jaooarla de Medeirs Lepes.
1 quadro representando on cachorrnho, idem
por D. Marcisa Sopbia da Silva Moura.
1 quadro eom flores dentro-de boceta, idem pelas
filhas do Illm. Sr. Jos Marcelino Rosa.
1 caixiona de costura, idem por D. Mara Feli-
cia da Conceico.
1 salva de metal com 1 cesta e rano de flores
ludo de seda, iden por D. Antonia Perera da Cos-
ta Gana.
1 casta de done, idem por D. Clara Leonor Car-
nero da Cunha.
1 balaiocom fructas de massa, iden por D. Jo-
sepila Virginia Carneiro da Cunha.
1 dito* cora 1 bouqnet de gonma e a figura da
Mafa tambem de massa, idem por D. Justina An-
glica Garaeiro da Cunha.
1 peixe de massa doce, dem por D. Joaquina
Francisca Carneiro da Cunha.
2 bouquets de gomna, idem por D. Mara An-
glica Silva Tambonm.
1 par de fronbas, idem por D. Aana Mara Cu-
nha Oliveira.
1 par de tapetes para vasos, idem por D. Mara
Vieira de Mello.
1 charuteira de velludo bordada a ooro, idem
pela baroaezado Lvrameote.
1 peca de lencos finos, idem por D. Ermelinda
de M. S.
1 aooel de brilhantes, iden por D. Constancia
Maria do Reg Villa-verde.
1 lenco de labyriutlio, dem por D. Candida Jo-
sephioa de Oliveira Fonseca.
1 almofada bordada a ouro, idem por D. Henri-
queta Apolinana de Mello.
1 lento de labyruto, idem por D. Fernandina
UlumioaU da Cuuha Oliveira.
3 ramos de flores artificiaes, idem por D. Mar-
garida de Souza Vianoa.
1 p de arvore com 7 passaros, ludo artificial,
idem por D. Fraocisca Augusta da Silva Sao
tiago.
1 jarro de porcelana com flores artificiaes, Idem
por D. Julia Loureoca.
1 redoma com 1 ramo de flores de cera, idem
por D. Amelia Alves Correa de Almeida e D. Levi-
oa Correa de Alneida.
1 cesta com flores de cera, idem por D. Caro-
lina de Souza Ramos Aras.
1 quadro con Odres de cera, iden por D. Se-
nhorinha da Silva Campos.
1 charuteira bordada a ouro, idem por D. Anto-
nia Mara da Costa Araujo.
1 ceslioha de papel praieado, iden por D. Julia
de Atliayde Lobo Moscoso.
1 bolsioha de retroz para moedas de ouro e 1
tapete de la, iden por D. Francisca de Barros Ac-
cioli Wanderley Los.
1 aloum para retractos, iden por madana Fal-
que.
1 porta relogio bordado, idem por D. Raymno-
da Ursulina dos Santos Almeida.
1 cilo bordado a ouro, idem por D. Jeanna Vil-
lar Ferreira Piolo.
1 boneca de cera com cabellera, idem por D.
Mara Aotipa Guimares.
2 jarros eom flores, idem por D. Joanna Emilia
de Moraes Pereira.
1 balaio com bollinhos, idem por D. Anna de
Souza Jardim. .
1 guarda lengos bordado a oaro, por D. Mana
Doysley.
1 caxorrinho de algodo e 1 gallinh dem por
D. Carlota Joaquina de Azevedo Costa.
1 cesta com uvas pioladas, idem por D. Claudina
Rosa Menezes Das.
1 ramo de llore.-, idem por D. Carolina Quintilla
de Almeida Soares.
1 cesta com fructas de la, idem por D. Candida
Lourenca de Lima.
1 quadro com peixes, dem por D. Francelma
Aquilina Mendes de Albuquerque.
1 quadro com flores de la, idem por D. Priscy-
la Senhormha Mendes de Albuquerque.
1 lenco de renda,, idem pela filha do Illm. Sr.
Jos Rodrigues Ferreira.
1 caixa sobre base de jaspe, idem por D. Fran-
cisca de Paula Carneiro Leo.
2 jarros dourados, idem porD. Eraerentina de
Oliveira Barros de Almeida. .
2 calungas de porcelana, idem por D. Mana Pe-
reira.
1 bandeja cora bollinhos, den por D. Auna de
Souza Jardn.
1 quadro bordado em lalagarga representando
um cagador, idem por D. Adelaide Gomes de Lima,
do Rio de Janeiro.
I prato com pastes, idem por D. Hennqueta, es
posa do Illm. Sr. J. Licio Marques.
1 bouquet de cravos e alecrim, idem por D. Clo-
tilde, filha do Illm. Sr. Antonio Ramos.
1 ceslinha de papel, iden por D. Clara de Me-
nezes.
1 Sachet de seda bordado a veludo, iden pela
esposa do Illm. Sr. Dr. Buarque.
1 quadro com um ramo de flores artificiaes, dem
por D. Maria Adelaide da Silva Braga.
I coberta de froeo de cores, pelo Illm. Sr. Ma-
noel Jos Guedes de Magalhes.
3 toalhas de linho lavradas para mesa, Idem por
Joo Jos de Camino Moraes.
1 brigue apparelhado, pequeo, dem por Joaquim
Fernandes da Silva Campos.
6 Espanadores de fio de palha, idem por Joao Jos
Mendes a Silva.
1 chapeo de palha da Italia para senhora, e 6
bonets de differentes qaalidades, idem por Bentode
Barros Felj.
1 duzla de faccas e garios, idem por Manoel Bento
de Oliveira Braga.
1 par de port-joias, idem por Jos Cardoso da
Silva Pinto.
1 Ovo bordado retroz, idem por Dionizio Hila-
rio Lopes.
50 volomes da historia de Villa-nova-de Gala,
Idem por Duarle Borges da Silva.
1 lenco de labyriotbo, dem pelo Dr. Loiz Emig-
die Rodrigues Vianna.
1 lbum, idem por Manoel Ribeiro de Carvalho.
1 port-joias de porcelana, idem por Marcolino
Dornellas Caara
1 qoadro de flores, iden por D.Jos Antonio dos
Santos Lessa.
4 pinhas e 1 ananaz de doce com seos pratiohos
de vidre, idem por Domingos Jos da Cunha
Lages.
1 par de sapatos ehinezes, idem por Antonio de
Siqueira, do Rio de Janeiro.
3 caixas com charutos de Havana, idem por Ma-
noel Luiz Correia.
1 almofada bordada, idem por Joaquim Cardoso
de Almeida.
1 vaso com flores artificiaes, idem por Daniel Ta
varee Coelho.
1 ramo de dita dita, idem por Theotonio de Ol
veira Neves.
200 volomes de partidas dobradas, idem por Jos
Antonio Gomes Jnior.
2 catangas, iden por Jos Maria Goacalves Viei-
ra Guimares.
2 almofadas bordadas eom bolotas, idem por Loiz
DapraL
2 exemplares de Direito Civil Brasileiro, Idem
palo Dr. Lourenc) Trigo de Loureiro.
1 caixa eom mariscos, iden por Joaquim Jos
Rodrigos da Costa.
1 exemplar dos cantos de Goacalves Das, idem
por Manoel Jos Antones Guimares.
1 almofada bordada i seda, idem por Francisco
Moreira Piolo Barbosa.
1 port-relogio, iden por Jos da Sirva e Aze-
vedo.
1 jarro con 1 jamo de flores artificiaes, idem
por Eduardo Firmioo da Silva.
1 almofada de fia e seda, idem, por Joo Fran-
cisco da Silva Novaes.
1 lbum para msica, iden pelo Dr. Claudino
de Araujo Guimares.
1 bouquet da flores artificiaes, iden por Manoel
Teixeira Bastos.
1 lenco de labynntho, idem por Miguel dos San-
tos Coimbra.
1 dito de dito, idem per Antonio Teixeira Santos
Jaoior.
1 caixa cora amenas, utom por Jos de Souza
Bras.
2 escarraderas, iden por Antonio Joaquin Mo-
reira Sampaio.
1 pooteiro de ouro, idem por Beroardo Alves Pi-
nheiro.
1 ramo de Dores oatoraes e 4 caroeiros, idem por
Luiz Moreira da Silva.
10 retratos em p rato pequeo de Pi IX, iden por
Jos Joaquim da Costa Maia.
1 cesta.de papel de diversas cores, idem por
Flavio Jos dos Santos e Silva
1 igreja de papelo, idem por ora aoonymo.
1 caixa de Jacaranda eom perfumes, idem pelo
Dr. Alexadre de Souza Pereira do Carmo.
1 quadro com a vista do hospital Portuguez, idem
por Jos Antonio Perera da Cunha.
1 casal de caboclos de gomma, idem per Domin-
gos Bernardino da cunha.
1 jarro cora flores artificiaes, Idem pelo Dr. Vi-
cente Pereira do llego.
1 loalha de labyriotbo,' idem por Manoel Rodri-
gues da Silva.
1 basco de madreperola e 1 calxinha com linhas
enlejiadas, idem por Paulo Jos Gomes.
2 corbeille, idem por Fructuoso Martios Gimes.
1 par de jarros enm flores artificiaes em redomas,
idem por Alfredo Cardoso Pereira
1 vela de cera primorosamente enfeitada, iden
por Jos Francisco Xavier de Mello.
1 caixa com vinho liso, idem por un anonyrao.
1 pente de tartaruga, moderno, para senhora,
dem por Jos Joaquim da Cunha Guimares.
1 caixa con neia doaia de sabonetas, iden por
Francisco Jos Correia.
4 caixlahas cora perfumaras do Japo, iden por
J. A. P.
1 quadro kaleadario, iden por Jos Cardoso
Ayres.
1 frasco enygmatico, dem por um joven per-
raanbucano.
1 cinto de veludo bordado ouro, idem por An-
tonio Jos Doarte Coimbra.
2 bucetas com doce, idem por Joo Joaquim da
Costa Leito.
3 qoadros panoramas de Pernambuco, iden por
Augusto Cesar de Azevedo Guedes.
1 quadro vista de Pars, idem por Jos Duarte
das Neves.
4 cesta de nadreperola, idem por Gregorio Paes
do Amara!.
1 almofada bordada a ouro, 2 tapetes de contas,
1 par de jarros de flores de cera, 1 bouquet de di-
ta, idem pelo major Manoel Joaquim Gomes.
1 catanga dourado, idem por Francisco Jos dos
Passos Guimares.
1 livro Horas Marianas, idem por Jos Nogueira
de Souza.
2 retratos em ponto pequeo do finado bispo D.
Joao, idem por Jos Marques da Costa Soares.
2 peeS de esguio fino, idera por Manoel da Sil-
va Pootes.
1 sinete para relogio, idem pelo capito Firmino
Jos de Oliveira
1 bengala de uaicorne com gasto de ouro, idem
por Pedro Baplista de Santa Rosa
1 chapeo de sol para senhora, idem por Joaquim
Duarte Campos.
1 bahuzioho de narrequia, iden por Antonio
Jos dos Reis.
1 cartao de lencos de linho, iden por Manoel Josa
de Souza.
1 dito dito de dito, idem por Aodrade & Reg.
1 par de sapatos bordados, idem por um ano-
nymo-
1 caixa com sabonetes finos, idem por Jos Goa-
calves Silva Raposo.
1 par de vasos com banha, idem por Antonio Au-
gusto dos Sanios Porto.
1 par de garranhas de extracto, idem por Joa-
quim Monteiro da Cruz.
1 caixa de costara com msica, idem por Mar-
celino Je ron y rao de Azevedo.
1 ceslioha imitando una pomba, iden por Mar-
celino Jos Goocalves da Fonte.
1 caixa para rap de prata dourada, dem por
Joaquim Teixeira Pelxolo.
1 estampa bordada talagarca, idem por Chris-
tovam Ferreira Campo"-.
1 diu dita de dita, iden por Francisco Gongal-
ves da Silva Pereira.
2 calungas de porcelana, iden por Bernardino
da Silva Costa.
1 cartao lencos de linho, iden por Lourengo Al-
ves Sal lazar Jnior.
1 calxinha mysteriosa, idem por Manoel Francs-
cisco dos Santos Maia.
2 jarros de marmore, idem por um aoonymo.
1 espanador de palba fiua, iden por Aolouio da
Costa Maia.
1 cadeira de balanco, idem por Joaqoim Pache-
co da Silva.
1 charada coja decifraco se acha dentro de
urna caixa (mysterio), 1 fiasco contendo a 8a ma-
ravilha, idem por Joaquim Anluaes da Silva.
1 bolsa com moedas de diversas nacoes, iden por
Francisco Pinto Osorio.
1 livro Les cootemporaines-Portugueses et Hes-
pai'ools, idem por Domingos Ferreira das Neves
Guimares.
1 peca de brim de Hamburgo, idem por Jos
Das da Silva Guimares.
1 obra era 3 volumes Mocidade de D. Joo V.,
idem por Francisco Augusto de Oliveira
1 pao de assucar refinado, idem por Livio de
Souza e Silva.
1 bolo de doce com eofeites, 1 bandeja sobre um
pedestal com doces de differeotes qualidades, idem
por Joo dos Santos Coelho.
1 gallo, dem por Francisco Tavares da Silva.
1 porco do mato, idem por Joaquim de S Lopes
Fernandes.
1 gallo vigilante, idem por Manoel Jos Soares
Guimares.
1 porco do mato, idem por Joaquim Francisco
dos Santos Maia.
4 mariscos, 2 ai busclos-marinos, idem por Jos
Francisco Barrote.
2 catangas de porcelana, idem um anonyrao.
1 porla-sabo, idem por um anonymo.
1 relogio de ouro, e um bouquet da cravos na-
turaes, idem por Antonio A. de Guimares.
1 balaio com laraojas e limas e 1 pao de l com
uvas, idem pelo Dr. Joaquim Jos de Campos.
1 segredo de amigo, idem por Francisco Joo da
Barros.
i bilhele da lotera o. 2699, idem por Antonio
Jos Rodrigues de Souza, theseureiro das lote-
ras.
2 aoanazes, idem por Gabriel Antonio.
i gallo garoiz, idem por M. R. B.
1 bouquet de cravos e botoes de rosa, idem por
Aquilino Ribeiro da Caoba Oliveira
1 coracao e 2 cupidos de doce, idem por Joo F
M. Guimares.
2 pares de sapatos de vidro com perfumara,
iden por Joaquin dos Santos Coelho.
1 espanador de palha, iden por Jos Rodri-
gues.
1 carneiro rabilongo, idem por Antonio Pereira
de Carvalho Guimares.
Ooo/o que, depois de airematados, foram offer-
todos.
1 bouquet de flores naturaes, offertado pelo Sr.
Cavalcaote.
1 dito de ditas, idem pelo Sr. Joaqun Jos da
Costa Maia (2 vezes).
1 dito de ditas, idem por A. B. Cuervo (3 vezes).
2 catangas de porcelana, idem por Antonio Pe-
reira de Carvalho Guimares.
1 vaso de llores artificiaes, iden pelo nesno.
1 balaioovos pintados, idem por Francisco de
Paiva Macedo.
1 balaio com fructas de doce, 1 quadro com pei-
xes, 1 albom para retratos, 1 bolo de doce eom en-
redes, 1 po de l, 1 gallo, 1 port-relogio, 1 ban-
deja com bolinhos, idem por Bernardo Jos da Cos-
ta Valente.
1 cesta de doce, idem por Joaqun Jos de
Moura
1 balaio com fructas de doce, idem por Joaqun
Theodoro da Silva.
1 emblema da porcelana, idem per Joao Loiz
Vianna.
1 cesta-fructas de la, iden por Donipgos Josa
da Caoba Lages.
/j

/
-
-
AD)


ato* ftlMbMMMMt i* *
.#
*
1 carto lengos de llnho, i jarro de porcelana
com Dores artiflciaes, dem por Francisco Moreira
Piolo Barboza.
1 quadroflores de cera, 1 bandeja coa boli-
nhos, 1 balito com fruetas de doce, idea por Jo
Joaquina da Costa Maia.
2 toalhas de linhu lavradas para mesa, 4 cesta
venientes de excrescencia, on exostosfs nos owos,
acha-se boje restabelecido e com praca de tenanta
do batalhao de Voluntarios da Patria, que seguio
para o campo da batalha em desafronta dos nosso
brios.
SofTria elle em diflereotes partes do corpo dores
as mais agonisantes, quer de da, quar de noute.
#*
fnrlarlv-0 idMiOrt MNofairl*
ida ao Sr. admfnlslraiwr do
de papel de diversas cores, dem por Lnir Moreira continuamenle atormentado por taes affliecSes e
da Silva.
1 bouqaet da era vos oaturaes, dem por Fran-
cisco Jos da Costa Arau]o.
i dito de ditos, ideni por Antonio Martina de
Brite,
1 cjsta com ovos pintados, dem por Francisco
Moreira da Costa.
i dita ditos, dem pelo Dr. Garlos Mavgner.
1 dita ditos, idem por Jos Antonio Moreira.
i segrede d'amigo, 1 dito dito, idem por Fran-
cisco Joao de Barros.
1 dito dito, 1 pao de l, I bandeja com bollnos,
idem por Angosto Cesar d'Azevedo Guedes.
1 g iilo-vigilanie, idem por Francisco Alves Mon-
teiro Jnior.
2 almotadas bordadas, 3 gallos, 1 bandeja com
bolinhos, 1 peixe de massa doce, 1 caixa marchi-
tada com linhas, formando labyriotho, 1 cesta de
madreperola, idem por Jos Fernandos Lima.
1 bolo de doce com enfeites, idem por Joaqoim
Manoel Ferrelra de Soota.
1 dito de dito, idem por Jos Joaqoim da Silva.
1 di lo de dito, idem por Maaoel Aatoaio da Cu-
nta.
i dito de dito, idem por Antooio Francisco Mar*
tins.
1 dito de dito, idem por Manoel Francisco Pon-
tes.
i dito de dito, idem ppr Maaoel Jos Guedes de
Maga! bies.
1 dito de dito, i bandeja com bolinhos, i baln-
zinho de marroqnim, i dito de dito, idem por An-
tonio Jos dos Res.
1 boJo de doce com enfeites, 1 bandeja com bo-
linhos, 2 port-relogios, i balaio com fruetas de
massa, 2 espanadores, 1 anana?., 1 retrato de Ho
IX, idem por Kabello & Branco.
1 camisa de Menino Ueos para a capella, 1 ees-
tnha de papel praleado, 1 calunga dourada, idem
por Custodio Jos Aires da Silva Guimaraes.
i anl de brilhantes, idem por Jus* Joaquim Li-
ma Bairo.
1 dito .le ditos, idem por Marcellino Jos" Gon-
Salvos da Fonie.
2 gallos, idem por Custodio Jos Pereira.
1 di.o, idem por Manoel J. Soares Gu i maraes.
1 port-relogio, 1 bandeja com bolinhos, dem
por Daniel Cesar Ranos.
1 bandeja com ditos, 1 balaio com fruetas de
massa, idem por Joao Baptuta Vieira Riheiro.
i bandeja com bolinhos, idem por F. H. Cals.
1 luisa com moedas de diversas nac5es, idem
por Francisco Coeiho Brandao.
dores, qnasl que aborrecido da existencia, tende
posto de paute toda f e oonflanca na medicina,
porque experimentoa todos os remedios por elle
coobecldos e na realidade pareca, que para elle
nao restava esperanca alguma: eis que se resolve
a submetter-se ao uso do xarope alchoolieo de ve-
lame, e immediatamente pela efflcacia e excelencia
deste xarope o mesrao se achou, dentro de pouco
lempo, livre dos padecimentos, e a risenlu espe-
ra nci tornoo de novo a revi ver em sen coracao
sob a poderosa benfica influencia deste admlravel
medicamento ; o crescimenlo da testa, e de ontras
partes do corpo em breve principiaran! assumir
am carcter favoravel, diminundo o aspecto de
sua malignidade.
Amassado sangue, e mais humores do systema,
tornaran) adquerir urna apparencia clara e sauda-
vel; as dores atormentadoras de outr'ora o deixa-
ram, e orna doce e suave tranquillidade prlnciploa
a percorrar lodo o sen systema, restaurando-lhe a
desejada paz e socego de espirito; os lugares cres-
cidos do seu corpo, regularisaram-se, pondo-se no
seu estado normal, o hoje se acha perfeitamente
sao, gosando de nm perfeito estado de sade, depois
de se ter visto privado deste graode gozo durante
bastante lempo.
Elle durante esta sua cura apenas fez uso de oito
garrafas do xarope alchoolieo de veame preparado
pelo o abaixo assignado estabelecido com botica na
ra Direita n. 88.
Recommenda-se mn particnlarmente aos doen-
tes, que empregnem toda cautella na escolha deste
admlravel remedio, aflm de qne nao obtenbam nu-
tra composico, pols que todas as mais proparaedes
e imitares desta natoreza sio falsas.
Vende-se, como rica cima dito, na botica da
ra Direita n. 88 de
Jos da Rocha Paranhos.
Anda desfalque hu cuVe 1 consu-
lado provincial, em ilezembro de
i 8o4, pelo ev-lhesmreiro Francis-
co Jos de Oliveira.
Ao offlcio, que o Sr. inspector da thesouraria
provincial, Jos Pedro da -Iva, dirigi ao Eira.
Sr. conselheiro Jos Benlo da Cunha Figneirdo,
entilo presidente desta provincia, participando da
fuga do ex-thesoureiro, alcangado em 12:3ii520 ;
respondera-Hn, que nao fura sen fundamento as
suspeitas, que ha poucos das lhe havia manifesta-
do verbalmente acerca do supra referido ihesou-
2 jarros de porcelana com flores arliliciaes, rero recommendando lhe toda a vigilancia, nao
idem por Bartholomeo Lourenco. j obstante assegurar-rne vine, que elle costumava
1 dito, dem por A. B. Caervo. | a entrar era lempo com os dioheiros arrecadados,
2 balaios com laranjas e Limas, dem por Joao e qUe nenhum alcance havia apresentado : docu-
Pereira Rebello Braga. ment n. 1.
1 espanador, idem por Antonio da Costa Maia.' 0 Sr. iospector Jos Pedro da Silva, por portara
l cesta de madre perola, idem por Antonio Fer- de 7 de dezembro de 1854, recommendou ao Sr.
nandes Duarie. i administrador do consolado provincial, qne o dito
1 dita de dita, dem por Erasmo Jos de Mello.' ex.,ne oareiro nao deixasse de reoolher nos sabba-
1 dita de dita, idem por Bernardo Jos d Araujo.! dos a renC|ai qU9 arrecadasse em cada semana :
i dita de dita, idem por Antonio Alves da Silva j documento n. 2.
Jnior. '.'. ,, Se o ex-thesoureiro costumava a entrar em tem-
I dita de dita, 2 balaios com ovos, dem por
recamraenda ao Sr. aimfnlslratJor do cosoTdo
provincial a expedicao de suas ordens, para qne o
thesoureiro de sua reparticao nao deixe de rece-
Iber nos sabbados a renda qne arrecadar em cada
semana.
Thesouraria provincia! de Pernambnco, 7 de de-
zembro de 1854.-0 inspector, Jos Pedro da Silva.
H. 3.
Illm. Sr.N3a tendo comparecido at esta hora o
thesoureiro desta reparticao, Francisco Jos de Oli-
veira, para apresentar o conhecimento da entrega
n'essa thesouraria da quanta de 12:341J520 res,
rend ment da semana prxima passada, communl
co a V. S. para em tempo prevenir a respelto, como
expresso no 4., artigo 6 do regularaento de 23
de dzerabro de 1832.
Dos guarde a V. S.Mesa do consulado provin-
cial, 13 de dezembro de 1854.Illm. Sr. Jos Pe-
dro da Silva, Inspector da thesouraria provincia'..
Antonio Carneiro Machado Rios, administrador.
N. 4.
Illm. Sr.Tendo o thesoureiro do consolado pro-
vincial Francisco Jos de Oliveira, desapparecido
com a quanta de 12:341320 res, que cobrou o
mesmo consalado na semana prxima Onda, como
me communicou o sen ebefe pelo offlcio por copia
incluso de 11 docorrente, e devendo esta inspec-
tora em taes casos observar o disposto no artigo 2.*
8 3. do regulamento desta thesouraria ; rogo por
sso a V. S. dgnese expedir as suas ordens, aflm
de que seja preso o dito thesoureiro.
Dos guarde a V. S. Thesouraria provincial de
Pernambnco, 12 de dezembro de 1854. Illm. Sr.
Dr. Luiz Carlos de Paiva Texeira, ch-fe de poli-
ca desta provincia.O inspector, Jos Pedro da
Silva.
Francisco Jos dos Passos Guimaraes.
1 caluoga dourada, dem por Francisco Jos Re-
gado Braga.
1 balaio com ovos, dem por Joo d'Oliveira Lei-
le Souza.
1 pega de brim de Hanburgo, para lencoes do
hospital, idem por Manoel Jos Moreira.
No segundo leilo em 25 de setembro.
1 charada dentro de uina caixa, idem por Jos
Martins da Silva Borges.
1 ramo com laranjas, 2 ananazes; idem por Jos
Ignacio Coeiho.
1 dito, dem por Narciso Jos da Silva.
2 ditos, idem por Antonio Fe nandes d'Azevedo.
1 bouquet de era vos, idem por Domingos Ber
mu dio da Cunha.
1 estampa com a vista do hospital, 1 carneiro,
idem por Jos Joaquim da Costa Maia.
2 vasos i u port-joias, idem por Jus Vctor da
Silva Punenlel. J
i carneiro rabilongo, idem por Antonio Pereira
deCrvalho Guimaraes.
po com os dinheiros arrecadados, e que nenbum
alcance havia apresentado, como o Sr. inspector
Jos Pedro Pedro da Silva assegurra a' presiden-
cia ; parece que desnecessario se fazia a portarla
do Sr. Jos Pedro da Silva dirigida ao consulado
provincial, determinando, que o ex-thesoureiro nao
deixasse de recolher nos sabbados a renda que ar-
recadasse em cada semana.
Continuemos.
Chega o da sabbado, 9 do dito mez de dezem-
bro do mesmo anno de 1854, da em que esse ex-
thesoureiro era obrigado a fazer entrega na the-
souraria provincial dos dinheiros arrecadados na
semana; vai a' contadona, confere a guia da
quautia arrecadaia no consulado, na semana ven-
cida no referido da 9, e como nao eslava ioteirad.i,
qur entregar a quantia de nove contos, que era
o dinheiro que tinha, e como nao quizeram rece
ber, segundo ouvimos dizer, retira-so sera fazer
entrega do dinheiro.
Findam-se as horas do expediente da thesoura-
ria provincial, sera que o ex-thesoureiro voltasse
a' thesouraria, e sem apparecer alguma provden-
l bouquet e alecrim, dem por Joaquim Francis- ca 0 sr. iospector Jos Pedro da Silva ; nao obs-
eda Silva Jnior, tante a presidencia lhe haver manifestado verbal-
l avulso, idem pop Marcellino Jos Goncalves da j inentei que havam suspeitas contra esse ex-the-
Folite.
2 garrafas com extracto, idem por Narciso Jos
Machado.
2 ananazes, Idem por Ferrelra Vilella.
i prato de pastis, 1 (rasco enigmtico, idem
por Augusto Cesar d'Azevedo Guedes.
1 prato de pastis, idem por Domingos Bernardi-
no da Cunha.
1 ilito, idem por Juo da Cunha Santos.
1 pao de assucar refinado, para a botica, idem
por Joo Pereira Rebello Braga.
1 cestafruclas de la, idem por Joaquim da
Silva Nogueira.
I burlado em velludo para sapalos, dem por
Ilenrique Wilman.
Nao entrando 50 volumes da historia de Villa-
Nova de Guia, 200 exemplares de escripturacao
por partidas dobradas, e 2 ditos do Direilo Civil
Brasileiro, que se nao venderam, todos os mais b-
lanos produziram.................. 3:5670
Sendo que por essa raesma oceasiac forara offer-
ta las eui dinheiro as seguintes quaoiias pelos se-
ntires :
Cimimndador Manoel da Silva
. Santos........
Joaquim Francisco do E s p i r i t o
Santo........
Joo da Cruz Macedo .
Manoel Ignacio d'Oliveira .
J. J. Lopack.......
Manoel Jos Ferreira ....
Linden Wild.......
Evna. Sra. D. Thereza de Jesos
Moreira .......
Jos Joaquina Dias Fernandes .
Capito Miguel Jos d'A I m e i d a
l'i-rnambuco......
Manoel Amonio da Silva Rios. .
Joao de Sa Leilo.....
jtogejo Baplisla do Nascimento .
A Exma. Sra. D. Clara Adelaide
do llcdeiros......
ilajor Manoel Jos da Silva Gui-
maraes .......
TMeiiron & C.......
Bemardiuo da Silva Lopes .. .
Jo-c Antonio da Costa \alent. .
J. K-ller........
Francisco Goncalves Netto
Exma. Sra. D. Mara Luiza Vaz
de Carvalbo......
Josi Joaquim Alves.....
Tb imaz Fernaades da Cunha. .
Francisca Ignacio Tinoco de Sou-
za ..........
Joo Jos da Silva.....
Manuel de Mattos Machado 90000
Exma. Sra. D. Clementina de Mo-
Taes Sarment..... 6JW00
Can Ud> Jos da Silva Guimaraes 50000
Bernardo Goncalves Salgado 5,5000
Xiapiim Goncalves Salgado 5008
Jos Felippe Martn .... 5J800
Antonio da Silva Canaps. 5JKMX)
Jos da Silva Oliveira. 5*000
Francisco Gomes de Mattos 5*000
Maiwef Azevedo da Casta Napo-
|,.;)r>......... K4000
Joa Alves Machado .... 8*000
Domingos Rodrigues de Andrade 5*000
Joaquim Jus da Costa Fajozes. 5*000
Mainel da Costa Pnheiro. 5*000
Jo-i |.tmi de Souza Maia 2*000
Angosto Hygino de Miranda TS
U.h aiioayno....... 1*000
4:093*700
e ter o Sr. inspector Jos Pedro da Silva
a citada portara de 7 de dezembro de
400*000
50*000
20*000
20*000
20*000
20*000
20*000
20*000
16*000
11*000
105000
10*000
10*000
10*000
10*000
lOftOOO
105000
10*000
10*000
10*000
103000
10*000
10*000
10*000
soureiro,
expedido
1854.
O Sr. administrador do consulado provincial,
em data de 11 de dezembro do referido anno de
1854, segunda fera. dirigi ao Sr. inspector Jos
Pedro da Silva um olflcio, participando, quo o ex
thesoureiro nao havia comparecido no c msulado,
para apreseotar o conhecimento da entrega da
quantia ujfie tnha ido recolher a' thesouraria pro-
vincial ; o que coraraunicava para em lemao pro-
videnciar a respeito, como expresso no 4. do
regulamento : documento n. 3.
Aioda assim o Sr. Jos Pedro da Silva n) se
move, porque nesse da neuhuiua providencia
deu nao obstante ser negocio de grande impor-
tancia, e smente no da 12 do dito mez, terca
feira, que offlciou a' presideucia e ao chefo de
polica pedindo a priso : documento u. i. E no-
te-se que a presidencia nao recebeu o olli mu do
Sr. inspector Jos Pedro Silva no dia 12, e sira no
da 13, como declarou em sua dita resposta.
Qual a razo por que o Sr. inspector Jos Pedro
da Silva, na segunda feira 11 nao participou pre-
sidencia, e ao chefe de polica, e s o fez no da
12 ? Respndame por obsequio o Sr. inspector
Jos Pedro da Silva. Talvez por anda esperar
pelo ex-thesoureiro com o dinheiro II Calculo geo-
mtrico I
Sendo o Sr. inspector Jos Pedro da Silva o ver-
dadeiro fiscal, parece que se nao importou com
apresentar-se tactos desta ordem ; parece que se
nao importou com a raoralidade do paiz, e era
cora o prejuizo dos fiadores, a vista da morosidade
de suas providencias, talvez dizendo: a fazenda
provincial esta' garantida, que importa-aue os fia-
dores paguem, se porvenlura appareer desfal-
que ?
Depois do alcance do ex-thesoureiro, ouvlmos
dizer que este senhor pedia dinheiros emprestados
para inteirar a quantia que tinha de recolher aos
sabbados na thesouraria, que pagava os emprest-
mos com as rendas qne ia recbenlo no principio
das semanas, e que faltando os amigos com os en-
prestimos para inteirar a qnantia, que no referido
dia, sabbado 9 de dezembro, tinha de recolher na
thesouraria, fugira, levando o diubeiro que tinha
era seu poder.
Os fiadores pagaram era 24 horas na thesoura-
ria provincial, per esse empregado, que no centro
desta cidade, leve lempo para passeiar e rugir, o
qual s c fdt, quando soube que a sua priso fura
pedida, como ouvlmos dizer.
A vista do expendido e publiciedes dos docu-
mentos, o publico ajuize de sementantes fac tos,
Anacahuita petoral de keiup
As coras prodazidis pela eomposif io de Anacahnita
peiteral de Kemp, sao realmente
milagrosas.
De Clemente Silva, que reside na ra do Esta-
do, Santiago de Chite, escreve a noseos ageutes em
dita cidade, que havendo seffrido atrozmente de
astbraa, pelo espace de mais. de sete anuos, sera
que medico algum jamis loe houvesse proporcio-
nado o menor allivio ; decidio-se finalmente em
tomar da composico de Anacahnita petoral de
Kemp, e depois Je haver apenas lomado dous (rs-
eos, discobrio com sorpreza, que a grande oppres-
so do peito havia quasi completamente desappare-
cido. o em tanto fol continuando a fazer oso delle
e no tira de tres mezes se acbon perfeiamente co-
rado, com graode assorabro e salisfago de lodos os
seus prenles e amigos, os quaes ja baviam perdi-
do as esperanzas de jamis veto bom. Disse
tambera que desde enlo esta parte o tein recom-
mendado um grande numero de seus condecidos
que soffriam de diferentes affeoedes pulmonares,
lo frequentes as costas do mar pacifico, na Ame-
rica do sul, e que seus bons resultados lera sido
universaes.
VoBBTfcTo.
Caixa filial do banco do Brasil em
Pernambnco.
A directora desta caixa saca sobro o banco do
Brasil no Rio de Janeiro e sobre a caixa filial do
mesmo banco na Bahi.
Novo banco de pernambuco.
Os admlmstndores da massa fallida de Joaqoim
Jos Silveira pagam o 1 dividendo de dila massa
na razo de 9 0/0 sobre o valor des litlos ad-
metiidos : no novo banco de Pernambuco a roa
do Trapiche o. 34.
\(Tobauco de Pernambiico.
O banco paga o I i- dividendo na razo de8*
dor aeco.
\ovo banco de Pernam-
bnco.
O banco descontaletras na presente semana a
9 por cento ao anno at o prazo de quatro me-
zes, e a 10 0|0 at o de seis mezes, e toma dinhei-
ro a juros a praso nunca menor dstres mezes*
ALFANDEGA.
Rendimento do da 1 a 23......
[Jera do da 24...............
521:437*101
20:589*380
542:026*481
MOVIMENTO DA ALFADEGA.
Volumes entrados com fazendas-----
t < com gneros.....
------- 372
Volumes sahdos com fazendas..... 133
< < com gneros..... 433
566
Descarregam no dia 26 do corrente.
Escnna hollandeza Antlopemercaduras.
Rrige inglezParklide vinhos,
Brigue inglezosn/iecarvo e mais gneros.
Birca inglezaLom&irrfia diversos gneros.
Barca ingleza-floiuiM-pedra.
Barca inglezaNethertonbacrlho.
Barca porluguezaS. Joaocharque.
Escuna porluguezaD. JoSodem.
Sumaca hespanholaMerceditaidem.
Brigue nacional Cardiaidem.
BriSue nacionalImporador -idem.
Barca norueguense -Tasmania carvao.
tECEBEDORIA DE RENDAS INTERNAS GE-
RAES DE PERNAMBUCO.
Rendimento do dia 1 a 23...... 19:809529 I
Idem do dia 24................ 924*233
20:733*5 46
CONSULADO PROVINCIAL.
Rendimento do da 1 a 22.
dera do dia 23.........
60:6445838
1:227*162
61:872*000
MOVIMENTO DO POBTO
.' E para coMtar se mandan pablloar o presente
i pelo jornal.
Secretaria da thesouraria provincial t Pernam-
buco 24 de maio de 1865.O secretario,
A. P. d'Annunclaco.
DKtAlltti!.
i ----------------------------------'------------'
Santa Casa da Misericordia
i do Eecife.
A Illm.* junta administrativa da Santa Casa da
Misericordia do ftetfe, manda fszer publico que
no dia 26 do corrate pelas 4 horas da tarde, na
sala de suas sessSes Iro a praca para serem ar-
rematadas pelo lempo de 1 a 3 annos as rendas
das casas abaixo declaradas.
Os licitantes devem comparecer aeompanhades
, de seus fiadores eu manidos de cartas destes,
Ra d Quermado.
\ Sala do 1 andar n. 1 particular e 33)
publico. 4.......} 520*000
Loja n. i particular e 33 publico. .)
Roa do Crespo.
Sobrado de 3 andares n. 3 particular e
11 publico........ 1:550*000
Ra das Larangeiras.
Casa terrea n. 5 particular e 17 pu-
blico..........206*000
Ruado RamgeL
dem 6 particular e 36 publico. 300*000
Ra de S. Gonealo.
dem n. 11 particular e 24 publico. 192*000
Roa do Rosario da Boa-Yisia.
dem n. 14 particular e 88 publico. 168*006
Roa da Madre de Dos.
Sobrado de nm andar n. 25 particular
e 2 publico........1:00e*0O0
Casa terrea n. 26 particular e 22 pu-
blico. ......... 900*000
Idem o. 27 particular e 20 publico. 600*000
dem n. 30 particular e 14 publico. 6oO*000
dem n. 32 particular e 10 publico. 600*000
dem n. 33 particular e 8 publico. 300*000
dem n. 35 particular e 4 publico. 800*000
Becco das Bolas.
Sobrado de 2 andares a. 38 particular
e 16 publico........500*000
Ra da Lapa.
Casa terrea n. 41 particular e 2 pu-
blico.........130*000
Ra da Moeda.
dem n. 44 particular e 21 publico. 350*000
Ra do Amorira.
dem n. 48 particular e 56 publico,
dem n. 49 particular e 54 publico.
I lem n. 50 partieular e 52 publico. ,
dem n. 52 partieular e 45 publica.
Idem n. 53 particnlur e 43 publico.
Idem n. 56 particular e 26 publico.
Roa do AzeiiH de Peixe.
dem n. 57 partieular e 23 publico.
i Jera n. 61 particular e 15 publico,
dem de ura andar n. 6z particular
450*000
4504000
403000
450*000
500*000
72*000
550*000
450*000
expulso por delitoracad da ruesroa Illm* junta,
com autorJsaco do Exm. 3r. presidente da pro
vincia, dndose aos que nao forera reclamados no
referido praso o destino que a junta julgar conve-
niente.
Benrique d'Annunclaco Mello e Alboquerque.
Joo Ignacio Crrela.
J.io Gandweio da Silva. i
Sabino Silvano do Palroeinio.
Australiano Fernandes da Costa.
Paulino Francisco da Rocha.
Aniomo Joo Marques da Cruz.
Prxedes Ailjfusto de Aaraujo.
Secretaria da Santa Casa de Misericordia do Re-
cri 23 de maio de 1803.
O escrivo,
F. A.
fm Listel
Vai subir breVftD imple plrtpff la\a 1L ca'
dlto A. F. Vieira, rfWBfl afjfa e pJsa^W' ^*
tase com o apntfgoatHrt 8 R. Habeiu), roa
Trapiche n. H.
COMPiiiiTiailiil
DE
ft"
PAETES A VAPOR,
E' esperado dos portos do sul
at o dia 31 do corrente, o vapor
Paran, comrnandante o caprino
de fragata Antonio Joaquim d
___ Santa Banbara, o qual depois da
Cavalcani Cousseiro. > demora do costume seguir' para os porto do
No dia 26 do corrente, depois da audiencia I n0nf;^! --' .__
do sr. jan muntopal da 1- vara, tem de ser w- IJSSiSS^SSSSS! enf.a,2l8e *
rematado a proprredade sita na roa dos Guarara-' SS^hTETSE SfiS ,s 18al devera-
pes, pela avilia^o de 11:430*. por execuclo de *2 "Sfi"'i ??>** R
J a iimoiH. Tir; nnm,M i-.s das oinheiroa frete al o da di saluda as 2 ho-
Joaquim Lopes de Almeida contra Domingos Jos _,
Pereira da Costa e sea mulher, como melbo. cens- La ^f : a?"p|? H.dl?"" *J; ef ^
ta do escripto em mo do porteiro. I de An,oni Luil 0live,r* Aefftdo & C
Consellio de compras na raes.
O conselho promove em 29 docorrente, sobas
condigSes do estylo, a compra dos objectos abaixo
declarados, e convida aos que pretenden vndelos
a' apresentarem suas propostas em cartas fachadas
-no referido dia, at as 10 horas da manha.
Objectos.
50 bandeijas ferradas, 4 arrobas de chambo em
leocoi, 10 arrobas de colla, 5 arrobas de estanto
em verga, 12 enchamis de qualidade, 10 arrobas
de estopa de algodo, 100 cavados de lileli encarna-
do, 100 covaes de lileli azul, 420 toneladas ingle-
zas de ferro bruto, 4 arrobas de mialhar para ga-
xetas, 200 molhos de piassava, 400 pucaros de fo-
Iha. 30 latas de tanta prela, 50 latas de tinta verde,
e 36 taboas de assoalho de amarello.
Sala do conselho de compras navaes, 23 de maio
de 1863.
O secretario,
____________Alexanre Rodrigue dos \*os.
A subdelegada da Capunga entregara' ama
vacca, de edr castanha e bastante magra, a qual
foi encontrada no sitio do Sr. Jos da Silva Luyo ;
quem se julgar cora direilo a mesraa, provando,
lhe sera' entregue.
Subdelegacia da Capunga, 23 de maio de I8G5.
O subdelegado em exercicio, Francisco Antonio
da Silva Cavalcsn-ti.
" i re de Antonio Luiz de Oliveira Azeedo
Vende se o velelroe hem conlierido patacho
nacional Palma, de Me de 222 tonelladas, ron.-
troido *m 1861: a tratar com os c^n-ignat.no*
HeBry Fo/ster& C, ra do Trapiche u. )J.
COMPInHA BllSILEiJT
DE
PAQUETES A VAPOR.
Dos por tos do aorie espera-
^;\-i<+\ do at o dia 26 do corrente o va-
f^ por Cruzeiro do sif, comman-
dane Alcoforado, o qual depois
da demora do co>tae seguir
para os portos do sol.
Des le ja recebem-se possageiros e esgaja se a
carga que o vapor poder eomtuzir, a qual devera
ser embarcada no dia de sua chegada, encom-
' mendas e (imheiro a frete at e dia da sabida a*
i 2 hocas : agencia ra da O.W n. I, escnpttork) de
i Antogio Luiz de Oliveira Azwedo & C.
Rio de *l;incire.
A barca brasiieira Joetm Fblmra de primeira
clase, segu com brevidade, e tem meia carga
contratada, para o resto, traas* com o consigna-
tario Joao Francisco da Silva Jfovaes : Travessa
da Madre de Deus n. 5. _________________
a Babia
muita brevidade a veleira es-
Para
pretende sahir com
Convda-se as pessoas que estiverem nascon-
dic5es do servico militar, a engajarem-se no corpo,
de polica, e gozarem das vaniageos que offerece ]cuna,thza ?or ,era r *** ds para> e "
a le provincial n. MI de 2 do eorreole. I rest0 1ue 'hf.s h,la .U-se.com o consignatario
------------------------------.---------------------------------' Joaquim Jos boncalves Beltrap na roa do Vigario
Correio geral n. 10, primeiro andar.
Pela admnistraco do crrelo desta cidade se i p '5-f
faz publico, que em virtude da conven?o postal de ] X ftFa O JL OlTO
6 de selembro de 1863 celebrada pelos govejnos j segue roin brevidade para aquelle porto a barca
brasileiro e italiano se expedir no dia 30 do cor- portusueza Armhxla. de 1 ciaste, p ter dous
rente pelo vapor francez maia destinada ao correio ,eros do carregamento prompto : para- o rosto e
ambulante de Suza a Turtn. As cartas destinadas passagoiros, para os quaes tem excellentes commo-
a Italia e aos estados do Papa pagarao 430 rs. pelo do> ,raU.>e ou cow 0 t.ai,jlSl( An,nio ?ranc.sco
18 publico........1:902*000 eso d"w a^ ou rraccao de 2 pitavas ; para da slva jfunes, ou rom os consignatarios Marques-
600*000
141*000
144*000
83JOO0
800*000
5 0*000
2005000
200*000
144*000
720*000
dem o. 63 particular e 14 publico.
dem terrea n. 64 particular e 2 publi
co...........450*000
Ra da Cacimba.
dem n. 65 particular e 5 publico. .
dem n, 66 particular e 12 publico. .
dem n. 67 particular e 10 publico. .
Ra do Vigario.
Sobrado de 3 anJares n. 71 particular
e 22 publico........
dem do 2 andares u. 72 particular e
27 publico........648*000
Ra do Encantamento.
Sobrado de 2 andares n. 76 particular
e 11 publico........839*000
dem idem n. 77 particular e 13 pu-
blico. ......... 839*000
Ra da Senzala Velha.
Sobrado de2 andares u. 78 particular
e 136 publico.......552
dem idem n. 79 particular e 134 pu-
blico. .........
Casa terrean. 81 particular e 18 pu-
blico..........
dem n. 82 particular e 16 publico. .
Ra da Gnja.
dem n. 84 particular e 29 publico. .
Rna do Trapiche.
Sobrado de 3 andares u. 85 particular
e 30 publieo........
Ra da Lingoela.
dem de 2 andares n. 86 particular e
14 publieo........600*000
Ra da Cruz.
dem dem n. 87 particular e 11 pu-
blico.......... 882*000
dem idem d. 88 particular e 29 publi-
co...........7505000
dem dem n 89 particular e 14 publi-
co......... 7005000
dem idem n. 90 particuiar e 12 pu-
blico..........750*000
Ra do Pilar.
Casa terrea n. 92 particular e i03 pu-
blico.......... 200*000
dem n. 93 particular e 101 publico. 200*000
dem n. 94 particular e 99 publico. 255*000
dem n. 95 particular e 89 publico. 238*009
dem n. 96 particular e 2 publico. 72*000
dem n. 99 particular e 106 publico. 228*000
dem n. 97 particular e 110 publico. 228*000
dem n. 100 particular e 104 publico. 228*000
Hem n. 101 particular e 102 pubbco. 228*000
Idem a. iOi particular e 100 publico.. 2284000
dem n. 103 particular e98 publico.. 2285000
dem n. 104 particular e96 publico.. 228*000
dem n. 105 particular e 94 publico. 228*000
Secretaria da Santa Casa de Misericordia do
Recife 19 de maio de 1865.
O escrivo,
F. A. Cavalcanti Cousseiro-
Barros & C largo do Corpo Santo n. 6, segundo
andar.
Tunes, Matta, Grecia e Alsandria do Egypto 540
rs. pelo nvsmo peso ; os jornaes o impressos de
qualquer natureza para a lulia pagarao 50 rs. por
11 oitavas ou trcelo de II oitavas, e para os ou- i lia o 10 lie .Janeiro.
tros lugares cima mencionados 100 rs. pelo mes- Pretende seguir com muita brevidade o paiha-
mo peso, sendo o porte das cartas facultativo o o bote Piedade, tem parte do seu carregamento a
dos jornaes obrigatorio. bordo, para o resto qie lhe falta e escravos a fre-
As cartas sero recebidas at1 2 horas antes da te para os quaes tem excedentes comniodos, tra-
que for marcada para a sahida do vapor, e os jor- i*.M com os seus consignatarios Antonio Luiz de
tanir> as cartas como os
naes at 4 horas antes.
Admittem-se a seguro
jornaes.
Correio de Pernamhuco 20 de maio de 1865.
O administrador,
Domingos dos Passos Miranda.
10*000 desculpando os erros da presente publicaco, que
s tem parte
M.
?t]lUUeOll 1 PEDIDO
Lid importante curativo.
N\" temos eonheelmemo Igom de nenhum na,
que lo perleramente mostr de ama maneira mais
Ura e persuasiva o poder da sciencia mediea so-
tre a molestia, eomo o qne se den com o fllho do
Sr. coronel Tibnrtlno Pinto de Almeida da eidade
4a Victoria.
E*te moco, que ha pouco se acbava Inutilisado,'
soffieudo as dores as mais atrozes e pungentes, pro-'
Documentos.
N. 1.
Acabo neste momento de receber o offlcio data-
do de hontem, em que Vmc. me commuoica a fu-
ga do thesoureiro do consulado provincial alean-
gado em doze contos (rsenlos e qusrenla e am
mil quinhentos e viniereis, e pelo que mandou
Vmc. intimar aos respectivos fiadores, para no
prazo de vinte e quatro horas recolherem o men-
cionado alcance, requerendi no mesmo tempe a
pnsSo do referido thesoureiro, e nomeado ama
commissao para verificar escrupnlosamente aojas-
to do alcance do mesmo thesoureiro. I
Era resposta enmpre-me declarar lhe, que nao
foram sem fundamento as suspeitas, que ha poucos
Alas ibe manifest! verbalmente aeersa de- spra-
refrido mesonrero, reeommendando^ho to8 a vi-
gilancia, nao obstante assegorar-me Vmc, qne elle
costumava a entrar em tempo com os dinheiros
arrecadados, e que nenhum alcance havia apre-
sentado.
Deplorando, por tanto, nm tal acontecimento. re-
commendo-lhe, que prosiga com todo o rigor as
diligencias comecadas ate que fique mdemni ada a
fazenda provincial e enmprtdo o regnlaroento. Fi-
cando inieirado da nomeacao do thesoureiro interi-
no, que Vmc. fez na pessoa de Joo Ignacio do Re-
g, tratare! de fazer a noia&acio definitiva o mais
breve posslvel.
Dos guarde a VmcPalacio do governo de Per-
nambuco 13 de dezembro de 1854.Jos Bento da
Caoba e Figoeiredo.Sr. inspector da thesouraria
provincial.
Navios entrados no dia 24.
Bahi 5 das, patacho o?ciooal Elvira, de 212
toneladas, capillo Manoel Albioo de Barros, eqo-
pagem 11, carga 8,800 arrobas de carne ; a Maia i
iV Espirito Sanio.
Baha5 dias, patacho brasileiro D. Luiz, de 132
tonelada-, capito Jos Texeira de Azevedo,!
equipagem 10, carga farinba de mandioca e ou-1
tros gneros ; a Jos Mara Palmeira.
Terra Nova25 dias, barca ingleza Nelherton, de
29a toneladas, capito Samuel Morish, equipa-
gem 12, carga 2,950 barricas cora bacalhao ; a
Saunders Brothers & C.
Liverpool 5o dias, barca ingleza Avena, de 325
toneladas, capito Henry Dale, equipagem 11,
carga carvao de pedra ; a ordem.
Hamburgo41 dias, escuna dnamarquexa Hurta,
de 139 toneladas, capito Meyer, equipagem 6,
carga mercaderas ; a Manoel Joaquim Ramos e
Silva & Genros.
Trieste 220 das, brigue haooveriano Johannes,
de 178 toneladas, capito Jonzebloed, equipagem
9, carga 2,220 barricas com farinha de trigo ; a
. O. Bieber A C, successores.
Portos do norte6 das e do ultimo 13 horas, vapor
brasileiro Cnaeiro io Sul, de 1,016 toneladas,!
comrnandante Alcoforado, eqiipagem 53.
Navios sahtdot no mesmo dta.
Portos do norteVapor brasileiro Jaguaribe, conv ,
mandante Manoel Joaquim Lobato, carga dife-
rentes gneros.
Maranbo Palbabote nacional Garibatdt, capito
Custodio Jos Vianna, carga differentes g-
neros.
COMPANHIA
DO
Sao convidados os Srs. accionistas desla
companhia a reunirem-se era assembla ge-
ral no dia 20 do corrente mez ao meto dia,
no escriptorio da mesma companhia; para
em conformidade dos seu* estatutos deli-
berar sobre as contas do semestre Ando, ap-
provar o orcametUo viudooro e decretar o
34* dividendo.
Escriptoro da Companhia do Beberibe
22 de maio de 1865.
O secretario,
Jos Eustaquio Ferreira Jacobina.
EDITIS.
O Illm. Sr. inspector da thesouraria provin-
cial, em cumpriinonto da ordem do Exm. Sr. pre-
sidente da prpviacia de 21 do correte, manda fa-
zer publico, que no dia 2i de junho prexuno viu-
douro, peraate a junta da lazenda da mesma ibe-
souraria, vai novament a praca para ser arrema-
tada a quem por menos fker a obra na conclu.-iio
da casa da cmara oeadeia da villa do Bonita
avallada em 8:3094
A arrematado, ser feita na forma da le prc-
Tioeial n. 343 0*lS.de maio de 1854, e soe- as,
clattsntas espaetaes-abllcadas anteriora*
Santa Gasa da Misericordia do tiecife.
A Illm.junta administrativa da Santa Casa de
Misericordia do Recite manda fazer publico qne no
dia 26 do corrente, pelas 4 horas da tarde, na sala
de snas sessoes, ir a praca a carne verde que se
houver de consumir nos estabelecimentos de cari-
dade nos dous collegios de orphos no mez de ju-
nho prximo futuro.
Os pretendentes deven apresentar as snas pro-
postas em carta fechada.
Secretaria da Santa fosa de Misericordia do Re-
cife 22 de maio de 1865.
O escrivo
________F. A. Cavalcanti Cousseko.
Pela thesouraria provincial se fas publico,
qne a arrematado das pinturas das ponte de Una,
Jaboatao, Serafn Pintos, Morenos, Benlo Velno e
Tapacura, foi transferida para o dia 0 de jnaho
prximo vindoaro.
Secretaria da hesooraria provincia do Pernam-
buco 2* de maio de 1865.-0 secretarlo^
A. F-d'Awnc|^5o.
Pela thesouraria provincial se fax publico,
qne a arrenataco da pintara da poste pensil do
Caubang, tai transferida para dia 8 de junbe
prximo- vindouro.
Secreaam da ihesouraria provincial de Pernam-
buco 24- de maio de 1865.-0 secretario
A. F. d'Annnnciacao.
CQRHEIQ @RM
Relafo das cartas seguras viudas- tro norte pelo
vapor Cruzeiro do Sul para os senuore abaixo
declarados:
Antonio Jansem de Mallos Pereira.
Antonio Pedro de Miranda.
Calogero Felippe Gardino (Palerma).
Ernesto Adolpho de vasconcellos Chaves.
Fabio. N. Leal.
Flix Sauvage & C.
Joo Francisco de Souza.
Dr. Jos Dias Ferreira da Costa (Lisboa).
Jos Pedro das Neves.
Jos Rodrigues de Souza.
Jos da Rocha Prannos.
Jos Roberto Vianna Guilhon.
Leopoldo Cesar de Berredo.
. Mara Carolina Borges Leal (Olinda).
Manoel Firmino Ferreira.
Manoel Joaquim Ramos e Silva.
Simo de Andrade Campos (Escada).
TmIiE URO
DE
EMPREZA--OIMBRA
Sabbado 27 de maio de 1865.
.' recita da asslgnaiura.
Subir a scesa pela primeira vez neslo theatro
o bello e int>ressante drama em 5 actos de gran-
de espectculo
AMHI GtR R!>.
DEN0M1N\C\0 DOS ACTOS
1* acto..... A oracao da familia.
2'di io...... O ladro ao jogo.
3 dito..... Acestinbade nupcias.
4 dito...... O perdo da fiJha
5 dito..... Reparagio e morle.
PEnSONAGE.NS. ACTOHES.
Andr Gerar, artista gravador.. Amoedo.
Thupheme........................ Lisboa.
Morand, general reformado....... Porto.
Henricuje, seu fllho............... Augusto.
O doutor......................... Guimaraes.
Simaosmercador de gravuras.. Santa Rosa.
Rochibourg................ Pinto.
Guenersou.................. Bernardiao
Varec........................... Borges.
Tuuraay........................ Manhoasa.
Jo-v criado.................... Faustino.
Carlos, ulbo de Andr, 10 annos.. Jos.
Valentina, lilha de Andr, 6 annos. N. .
Margarida, lilha de Andr......... D. Eugenia.
Luia, mulher do general........ D. Lopoldma
Mareella, molher de Andr-....... D. Isabel.
Rosa, criada particular de Luiza.. D Jesnina.
A scena passa-se em Pars em 1844.
Este excellente drama recomraenda-se ao pabli-
ee nao s pelo grande eathusiasm que causou
em Pars e Rio de Janeiro, onde Mlrahio grande
concurrencia, como tarabam pela sua alta morali-
dade.
Principiar as 8 horas.
ATISOS MAUTHOS.
Oliveira Azevedo & C, no seu
Cruz n. 1.
escriptorio ra da
LE IL OES.
do
Santa Casa de Misericordia
Recite.
De ordem da Illm* jnnia administrativa da San-
ta Casa de Misericordia do Recife convido aos w-
leressados peles edncandoj rV> collegio de orphaos,
abaixo declarados, que os yao receber no praso de
Cttuap;*ahlacl& Meosa^eries loa-
nerlales.
At o dia 30
do corrento mez
espera-se dos por-
tos do sul va-1
por frasees P-
liise, coiam an-
dante JVlf*)t, o
|pal depois 4a
oemosa do cos-
tnme seguir para Bordeaux tocando eu S. Vicen-
te e Lisboa.
Era S. Vicente na um vapor em correspondencia I
cora Goe.
Para.condiccSes, frotes epassagens tratase na>
agenda ra do Trapiche n. 9.
I.eilo de iiioliiiin.
O agente Pestaa autorisado pelo reverendo C.
A. Ausiin. far leilo de toda a sua mobiHa da ca-
sa de sua moradia, consi>tiudo em mesas de Jaca-
randa, cadeiras de dito, sotas, consolos tudo com
pedra, guarda-iivros e escrivaninha, mesa elstica,
guarda-louga, apparador, candieiros a gaz, camas-
grandes de casal, dita de ferro, e mnn> outro.. oi>-
jrcius que se acnarao patentes, ura cabriole! mudo
leve e era perfeito oslado, urna carroea de car-
gueijar,
s 11 horas da manha, na cusa da residencia do
mesmo Sr. reverendo Austin, na rua do Hipicio
n.26.
Na mesma occasiao e lugar vender-se-ba ura
cavallo muito bmita figura e manso, proprio para
carro e sella.
EmconiDuaco de liwos, um pelo,
tjpos, armaco e oljects de oure.
Martins far leilo por ordem dos credores do
Rvd. padre D. Jos Antonio des Sanos Lessa, dos
objectos cima existentes a rua do Imperador nu-
mero 37.
s 10 horas do dia. ____
LEILO
De movis, ei'jstaes, joiiis de ou is e
re gios.
HME
Soita-feira 26 doeorrente as 11 horas.
Cordeiro Simoes far leilo de 1 mobilia de ja-
caranda com uso, 1 cama frauceza de Jacaranda',
1 mobila de amarello, 1 rico guarda louca, 1 es-
tante para livros, 1 secretaria, 1 guarda ronpa.
1 carleira para escriptorio, 1 prenga para copiar
cartas, 2 cadeiras de -bataneo, 12 ditas de gurrm-
co, 1 mesa elstica, 1 eama de ferro, 1 toucador,
2 marquezas, 12 cadfiras de jacarauda, diversos
copo?, garrafas, caliees, aparelhos para cha, relo-
gios do parede, ditos de algibeira, adereces de ou-
ro e outros muitos objectos que estara patente ao
comprador______________________________
Leilo da abrka de botios e mjmiIos
com aniLieao, machinas de coser e
cortar s^Ha e lodos os mais-per-
tenecs.
Sabbado 27 do corrente.
O agente Pesua leealmente aulorisaJo fara'
leilo por cenia e risco de quem perienc*F da fa-
brica de calcado da rua larga do Rosario n. 12,
conslaudo d arioa^ao. obras corladas, aJeadn fei-
tu, couros, sola, bierros, formas, n a-i grande
macbiua de-cortar sola, diversas |>ara .xir-vr obras
e mais avaaientos,em um ou mais lotes a vonla-
de : sabbado 7 ito nha na mesma fabrica.
~Leilo de dividrs-
Sabbado 27 de maio.
O agente Pinto fara' leilo a requerimento dos
curadores fiscaes da massa fallida da Jos Antonio
\lvesde Miranda Guimaraes e ;ior despacho d>
Illm.. Sr. Dr. joix especial do commercio das divi-
das activas ptrlencentes a me>ma massa, na im^
portanclade 1:153J>290 rs., as i O horas do dia
cima dito em seu escriptorio a roa da Cruz a.
3H, aoade encontrarao os preteiMleaies a relaeu
das referidas dividas.______________________*
"HC^LIL\0
De mobilias completas, sead > de mogno com pe-
dra, de Jacaranda com. pedra, de fala (branca)
com pedra e de amacetlo, pares de lAttmte,
qoadros diversos, cadeiras avulsas, marquezas,
escravos de ambos os sexos, camas franc' tas,
relogios e outros nimios ailigos.
Sabbado 27, s 11 horas, uo grande armazem do
agente
GLYMPO
36-Rna da C adela lo Reclfe-35
Leilo de divida*.
Martins far leilo por oriem 4n Iitn. 8r Or.
Claniao de Araojn GulmarSes en*n| de P. nn
gal, das dividas activas rts psi>oin a Kirnino
Pacheco Gomes e Antonio Jos Vieira ftraga, sen-
do estas na importancia dn IHOOJiW rs,
ro rate Lindo Paqueh
jos Jnior : para o resto da carga que lhe falta
tratase co'.n o sen consignatario Antonio de Al
5 dias, contedlos desta data, visto terem d* set lies, suida Gop-jes, roa da Crux n. 13, Io andar.
MarfmhW) e Para
Segu breveraente ars indicados portos o velei- ?1uas na de 3:184*130 rs. em letras e comas de
hiate Lindo Paqurte, eapilae Joio Jos dosQoei- Hwo. asrelaeoes se achara em poder do esn
f
Marlins onde podera ser examinad*.
Terca-feira 30 di corrwite
era seu escriptorio roa da Cade o. t, as 14 hora


\
Diario de Fernambueo .. sexta lelra de Halo de !.
avisos Miraos.
LOTERA
AOS 6:0000000.
Corre amanha.
Sabbade 27 do corrente mez, se extrahi-
r a 3 parte da Ia lotera (iV) a be-
neficio da igreja de Nossa Senbora da Boa-
viagem, no consistorio da igreja de Nossa
Senhora do Rosario da freguezia de Santo
Antonio.
Os bilhetes.meiose quartos estao a ven-
da fia respectiva thesouraria ruado Cres-
po n. 15.
Os premios de 6:000/1000 at 100000
sr5o pagos urna hora depois da extracc5o
at as 4 horas da tarde, e os outros depois
da distribuido das lisias.
As encommendas S'-rSo guardadas se-
ment at a noite da vespera da extracto
como de costume.
O thesoureiro,
Antonio Jos Rodrigues de Souza.
Aluga-se ara pequeo armazem na rna da
Paz, proprio para qualquer estabelecimento era
ponto pequeo : a tratar no pateo de S. Pedro nu-
mero 4.
A partida do Club Coraraercial no corrente
mez ter lugar na noite do da 27._________
Aluga-se urna sala do primeiro andar da ra
do Queimado n. 4i : a tratar na raesma.______
Joo de Camino Raposo vai Europa tratar
de sua saude, deixando por seu bastante procura-
dor nesta cidade ao Dr. Gervasio Pires Campello.
Instituto Archeolugico c Geographico
pcrnambucaRO.
llavera sesso ordinaria sexta-feira 26 do cor-
rente, s II horas da manhaa.
ORDEM DO BIA.
i. Discnsso do orgamento para o anno social
de 1865-66.
2. Trabalhos e pareceres de commisso'es.
SecreUria do Instituto, 22 de maio de 186o.
J. Soares de Azevede,
Secretario perpetuo.
Joo dos Santos subdito portuguez vai a Por-
tugal._____________________
-^"Joaquim Jos Rabello, subdito portuguez
vai a Portugal.___________________
Carlos II. Isacson vai para o Rio de Janeiro
Maria da Natividade Ferreira, Brasileira,
vai a Europa tratar de sua srude.___________
' _Rapha"eT~Suarez, subdito francez, pretende
sahir para Franca no dia 30 deste mez no paquete
francez Peluse.
Luiz Maria Pereira, subdito portuguez, reti-
ra-se para Portugal.
A G AZE
Do Norte.
Sabio o T numero e esta a venda na Livraria
Acadmica ra do Imperador n. 79.
Precisa-s.6 sempre de vendedores dessa gazeta
paga-se 20 por cento.
~ Pailet Nicols, subdito francez, retira-se para
fra da provincia.________________________
~0 abaixo assignado, morador na ra do Ro-
sario n. 2 da Boa-Vista, faz sciente aos devedores
do Sr. Joaquim Dias Pinheiro Larangeiras, que
tendo arrematado as dividas pertencentes ao dito
senhor, cuja relacao me foi entregne pelo agente
de leildes o *r. Antonio Jos Cordeiro Sim5es, e
portante elle o nico autorisado a receber taes
dividas, e iem marcado 30 iia para os senhores
devedores virem ou mandarem pagar seus dbitos,
lindo o qual se promover a cobranza judicial.
_______Rento Jos Cordeiro._____
No amanhecer do dia sabbado para domingo,
21 de maio, furtaram da padaria do Monteiro am
cavallo preto, de carroca, bastante grande, cora
ura p calcado de branco, cabeca um tanto grande,
com ura signal na testa branco, e com a venta fe
rida da picadeira : quem o pegar, dirija-se mes-
ma padaria que ser bera recompensado.______
Aluga-se a excellente casa terrea n. 20, sita
na ra da Florentina, a qual tem coramodos para
urna grande familia morar mnito a sua vontade,
assim como um grande quintal cora parreiral, mul-
to boa agua para gasto, etc. : a tratar na ra do
Hospicio n. 50.
Atten$lo.
Precisase de urna pessoa de idade e honesta pa-
ra casa de pouca familia, dndose a comidaerou-
pa : na ra das truzes n. 37, primeiro andar.
Na rua~do~Senhor Bom Jess das Crioulas
n. 33 precisa-se de ama ama para comprar e co-
zinhar o diaio de urna casa de muito pouca faroi-
lia, sendo forra ou captiva.__________________
Ausentou-se no dia i0 do corrente o escravo
Luiz, estatura baixa, levou camisa e calca braoca
de algodaozinho : quera o pegar leve-o em Santo
Amaro, em casa de seu senhor Manoel Custodie
Pexoto Soares, ou na praca do Corpo Santo, que
ser gratificado.
O proprietario de urna excellente sola no
termo de Iguarassu', recebe animaes para all en-
gordaren), tanto cavallar como vaccum, mediante
a paga de dez mil ris por cabeca, podendo serem
all conservados por um anno : para tratar e me-
Ihor esclarecimenio, ospretendentes se devem di-
rigir rna das Trincheiras, sobrado n. 48, primei-
ro andar.___________^________^_
Aluga-se o segundo andar do sobrado da ra
da Penha, n. 5, com bastantes commodos para fa-
milia : a tratar na ra larga do Rosario n. 26, lo-
ja de louca. ____^__________.
No da 21, pelas oito horas e meia da noite,
roubaram dos fundos da taberna n. 1 de beeco
Largo, um bahozinho de folha de Flandres, com
duzento- mil ris ero moedas de prata e papel, e
os quartos da lotera da provincia, que deve cor-
rer qualquer destes dias, ns. 2418 e 2238, assigna-
dos no verso por Joo Ferreira de Souza e Do-
mingos Ferreira de Souza Vasconcellos, e as. 781
e 2430 assignados s pelo ultimo, e irais um ou-
tro com a mesroa assignalra, cujo numero ig-
oora-se. Quem dr noticia certa na mesma casa
era generosamente gratificado ; ao Sr. thesocseiro
e cautelistas, se roga o obsequio de nao pagarem
qualquer premio que possa ter, apprehendendo o
portador delles.
Ama de leite.
Prcisa-se de ama de leite : na roa ra Nova
p. 31, primeiro andar._____________________
Ausentou-se no dia 19 do corrente, da casa
de seu senhor na ra da Aurora, um moleque
cri alo, de nome Augusto, Idade de 16 ancos, le-
vou calca e camisa branca, muito conbecido por
ter o queixo um poaco saludo,e aoda ouasi sem-
pre com a bocea aberta, julga-se andar nesta ci-
dade ou em seas arrabaldes : quem o pegar le-
ve-o a ra da Cruz n. 49.______________
Precisa-se alagar ama escrava para casa de
familia : na ra Angosta n. 31, sobrado.
Ama de leite.
Precisase de ama ama de leite : na roa larga
do Rosario n. 16, segando andar.
Precisa-se de am portqgaez de meia idade'
solteiro, para tomar conta de ama eexelra na ulti"
ma estaco da va frrea : a tratar na roa Bella
n. 20. _________________________
Joaquim Francisco Lavra, socio liquidatario
da extincta firma de Lavra A Irineu. declara que
d'ora em diante o resto da liquidaco dea de jas
Ihe pertenceudo, visto ter o socio Irioeu Janaano
de Oliveira recebido em data de boje o saldo de
seo capital, do que Ihe passoa recibo ; e como jal-
ga nada dever acerca da mesma liquidaco, pede
a quem se jalear credor de apresentar seas titalos
na roa do Queimado n. 34 para ser indemnisado,
e isto no prazo de 8 dias. Recife 22 de maio de
1865. i
Antonio Joaquim de Farfa Jnior por haver
outro de igual nome nesta provincia, se assignara
do 1 de junho prximo era diante Antonio da Sil-
va Paria._______________________________
Aluga-se o segando andar da roa da Impera',
triz n. 34 : trata-se no mesmo._______________
~Nr5ado Livramenio n. j9, segando andar,
aluga-se um escravo para todo o servico
Alugam-se as lujas do sobrado n. 2 jauto a
igreja dos Martyrios, muito proprias para um bom
estabelecimeoto de molhados por ter bom arma-
zem e muito bem localisaio para fornecer-se vive-
res ao grande numero de casas de suas immedia-
coes, podendo nelle residir familia por ter 4 quar-
tos, cozinha fra, quintal e cacimba, podendo tam-
bera desfazer-se a alcova para maior i orpo do es-
tabelecimento, e fazer-se sabida pelos fundos para
a ra do Caldeireiro, para mellmr commodidade
da familia : a tratar na ra do Crespo n. 15, ou
estreita do Rosario n. 32.
A irmandade de N. S. da onceicao dos Mi-
litares precisa contratar a capellana com qual-
quer reverendo sacerdote; devendo entenderse
com o thesoureiro tenente Manoel Joaquim Macha-
do. As missas os domingos e dias santificados
serao celebradas as 8 horas era ponto._________
Precisa-se de urna ama de leite: na ra Im-
perial, sobrado n. 87.___________________
Apparecendo um annuncio n > Diario de Per-
nambuco do dia 23 de maio em que diz que vai a
praca no dia 26, a oropriedade na roa dos Gua-
rarapes pertencente a Domingos Pereira da Costa
e sua mnlher, faz vr o abaixo assignado que ten-
do vendido ao dito Domingos Pereira da Costa a
raelade do terreno que se acba em qaesto e como
este nao satisfizesse a importancia do dito terreno,
vio-se o supplicante na necessidade de por accao
de reivindicaco do dito terreno de cujo j se acha
de posse por urna sentenca dada pelo I lira. Sr. juiz
municipal da segunda vara e as bemfeitorias que
no mesmo existe, tem de fazer penhora para pa-
roenlo de rustas e dinheiro que adiautou ao sup-
licado, para edifleacao do mesmo terreno.
Recife 24 de maio de 1865.
Manoel Martlns de Carvalho.
Jos Alves Lima declara ao respe tavel pu-
blico, que nenhuraa parte directa ou indirecta le-
ve no abaixo assgnadoque algnns commerciantes
dirigiram a asseciaco coramercial e publicado no
n. 11 do peridico Nova Crue, embora ahi venha
o seu nome, o que elle attnbue a algum engao.
Precisa se alagar um preto para o servico
de casa : na ra das Cruzes n. 42.
Quem, por engao, levou no dia 22
do corrente, segunda-feira, um chapen de
sol da reparticSo da instruccao publica, faca
o obsequio de deixa-lo nesta typographia,
que o seu dono loe ficara muito grato.
A PREVIDENTE.
Sociedade de seguros mu-
tuos sobre a vida.
Fundada e administrada pelo banco
Allianc do Porto.
O seguro mutuo sobre a vida urra das mais
econmicas e moralisadoras instituicoes at hoje
conhecidas, e aquellas pessoas que a estudarem
cuidadosamente, com facilidade comprehendero
que com um pequeo desembolso cada anno adqui-
rirn em pouco lempo urna fortuna, que as poro
ao abrigo da miseria, se por desventura sua esta
Ihe for bater porta.
Nenhuma das companhias existentes pode offe-
recer aos seus associados garantas como as que
Ihes offerece a Previdenle, que sao o capital de
4,000:000*000 do banco Allianca, que, na confor-
midade do artigo 61 dos estatutos desta sociedade,
responde aos seus socios pelos actos e boa admi-
nistraco da sua gerencia, bem como pelas dos
seus empregados e mais representantes.
Eia, pois, pas de familia, corre a inscrever vos-
so nome na Previdente, por vos ou por vossos fllhos,
e veris assim, em pouco lempo, um futuro cheio
de ventara e proficuidade, que por outra maceira
se nao conseguira e cora lo pequeo dispendio e
sacrificio.
Subscriptores at 20 de abril proximj passado.
Subscriptores. Quantias subscriptas
Moeda forte.
Capital subscripto at 20 de abril, j
publicado..................... 141:600*000
Albino Jos da Silva.............. 5:000*000
Augusto Cezar d'Azevcdo Guedes... 1:250*000
Amerlco unes Correa... ......... 200.5000
Antonio Alves de Moraes.......... 1:000*000
Manoel Duarte de Figuerdo....... 1:250*000
Manoel Martin d'Olivelra Azevdo.. 1:250*0O0
M. M.B.T....................... 6:250*000
Jos d'Azevedo Maia e Sil va....... 250*000
Antonio da Silva Pontes Guiraares.. 1:250*000
Manoel Gomes da Cruz........... 1:000*000
Antonio Lourenco Teixeira Marques. 500*000
Bernardo Jos d'Oliveira Machado... 1:250*000.
Jos S Lefto Jnior............. 2:500*000
Domingos de S Pereira Jnior..... 500*000
Flix Venancio de Cantalice....... 1:2505000
Vicente Teixeira Coimbra......... 1:250*000
Jos Joaquim Alves............... 2:500*000
Jos Fernandes Lima.............. 1 250*000
Jos Joaquim Leito.............. 3:75 *000
Jos Antonio de Brito B stos....... 7:500*000
Joaquim Luiz Ferreira Leal........ 650*000
Silvino Goilherme de Barros....... 5:000*000
Antonio Jos Coimbra Guimares... 5:000*000
Antonio Valentn) da Silva Barroca.. 6:000*000
Jos Rodrigues da Silva Borges___ 1:250*000
Manoel Jos Moreira.............. 6:000*000
Virgilio de Castro Oliveira*....... 2:500*000
Joaquim Monteiro da Cruz......... 2:500*000'
GASA DA FORTOlf i.
Aos 6:O0O#OOO.
iiilhetes garantidos.
A' ra do Crespo n. 23 e casas do costtmi.
O abaixoassignado veodeu nos teas muito fcu-
res bilheles garantidos da lotera que se acaben
do xtrahir, a beneficio do theatro de Santa Isa-
bel, os seguintes premios :
Ura meio n. 1976 com a sorte de 6:000*000.
Um meio n. 59 com a sorte de 1:200*000.
E oatras multas sones de 100*, 40*, 20* e
10#000.
Ospossaidores podem vir receber seus respec-
tivospremiossem os desceios das leisna Casa
da Fortuna roa de Crespo n. 23.
Acham-se a venda os da 3a parte da 1* lotera
(17*) beneficio da igreja de N. S. da Boa-viagem
que se extrabir a 27 do corrente.
PREGO.
Bilhetes. 7*000
Meios......3*500
Qaartos. ... 1*900
Para as pessoas que comprarem de 100(5000
para eima.|
Bilhetes.....6*500
Meios. ..... 3*250
Quartos.....1*700
Manoel Mahtins Fiuza.____
Na ra larga do Rosario n. 36, pri-
meiro andar, precisa-se de urna ama para
todo o servico, de pouca fam lia.________
= Quem precisar de alguma quantia a premio
sob hypotheca de bens fixos ou penhora, deixe na
loja de livros na praca da Independencia n, 8 ama
carta fechada declarando a sua morada e a quantia
que precisa, com as inici&es Z. T. ___^^
Aluga se ara mulatinho de 14 annos, proprio
para criado, sabe cozmhar alguma cousa, amito
fiel e de boa craducta : quera pretender dirija-se
a roa da Imperatriz n 2, que ahi achara cora quera
tratar._________________________________
Precsase de ama ama de meia idade para
casa de hornera solteiro : na ra do Crespo n. 15.
Precisa-se de urna senhora nacional ou es-
I trangeira para arm de meninos, e capaz de, na
ausencia da dona da casa, se encarregar da ge-
rencia domestica. para casa de familia, que
' paga e trata bem : na ra da Imperatriz, sobrado
n. 15, primeiro anda._______________________
Aluga-se urna casa com 2 quartos, 1 gabi-
nete, 2 salas, quintal murado e cacimba, na ra
do Jasmim n. 8 : a fallar no pateo da Santa Cruz
n.92.
GRANDE ARMAZEM DA EXPOSIQAO DE LONDRES
DE
THOMAZ TEIXEIRA BASTOS I
N. 60-Eua da Cadeia do Eecife-N. 60
Todos os artigos abaixo mencionados, foram comprados recentemente pelo dono do estabele-
cimento as principaes fabricas de Paris, Londres, Birmingham, Manchester, e em diversas cidades
da Allemanha, e tendo comprado tudo as melhores condcSes por ser a dinheiro, por isso vende todo
e qualquer artigo barato, por menos do seu valor, e mui principalmente por querer inteiramente liqui-
dar e ter de partir muito breve para a Europa.
Ha neste vasto armazem ricos objeclos com bnlhantes, comobotSes, anneis, rosetas etc., e
bem assim, diversas obras de ouro, como trancelins, correntSes, oculos, face-mains, anneis, e muilos
outros artigos, relogios de ouro, inglezes, do afamado fabricante Bennetle; completo sortimento de fa-
zendas finas e modernas ; miudezas, perfumes, perfumaras finas dos principaes fabricantes inglezes e
francezes, como L. T. PIVER, Lubin, L. Legrand, Ed. Plnand & Meyer, Delettrez (Parfumene du
mond lgant), Violet, Societ Hygieniqoe, Monpelas, Mailly, Regnier, P. Goeland, e ingieras de BOg.
Rimmel e outros ; ricas galantarias em marliru, mar de perola, etc., fabricadas na China e no Japao;
ricas pecas de cristal fino como anda nao appareceraro nesta cidade, e bem a-sim modernos lustres
para velas, ditos para gaz e para petrleo, serpentinas, casticaes, enfeites e adornos para cima de con-
solos e para grande toillette, o qae se tem feto de mais elegante em Paris, em Londres, Birmingham
etc. ; modernos apparelhos de metal fino inglez para cha e caf, os quaes nada tem de inferior a prata,
e multas outras peas do mesmo metal, ricos penles de tartaruga da ultima moda para trancas de se-
nhora?, excedentes luvas de pellica do afamado Jouvin, apparelhos de porcelana ioa para cha e cafe,
ditos para jantar, e immensos artigos de porcelana fina donrada, como ricos vasos para flores, ligaras,
etc.; calcado dos priocipaes fabricantes de Paris e ditos de panno cera sola de borracha, pianos dos
celebres fabricantes Pleyel, Wolff & C, realejos modernos de Gavioli & C, para se tocar na roa, ditos
com figuras para salSes e ditos com figuras em mov ment ; modernos e bonitos instrumentos de physi-
ca|(magica) para theatros ou sal5es, ditos de phantasmagoria ; lanlernas mgicas, cosmoramas com
vistas novas, dia e noite ; sterecopios de nova nvenco e com bello sortimento de vistas das principaes
cidades da Europa ; grande sortimento de brnquedos finos para crian?as, e bonecas fallando papai,
marai; grande sortimento de candieiros a gaz, os que se tem feto de mais elegante e que tem mere-
cido toda a aceilacao na Europa, grande e magnifico sortimento de caixinhas, cestinhas e outras galan-
teras feitas de crina e seda proprios para presentes; grande sortimento de estampas finas coloridas
cora o fundo preto e de outras de lodos os santos, ditas com figuras e ditas com novas paysagens para
cosmoramas, linos e bem graduados vidros para cosmoramas, um bello chafariz de christal, proprio
para meio de mesa de Jantar ou para jardim ; cutelaria fina, como talheres com cabo de metal fino, co-
Iheres, thesouras finas, ditas modernas para alfaiates, navalhas finas, caivetes e outros artigos, diver-
sos artigos fetos de rame; completo sortimento de mascaras de velludo, setim, cera, papelao e ra-
me, doces, confeitos e chocoUte em caixinhas e era vidros; camas de ferrodetodos os tamanhos, laya-
torios, etc.; ricos qnadros para cartSes de visitas e ditos grandes e pequeos para retratos; chapeos
de sol, bengalas, chicotes e ditos para carros ; machinas para fazer caf, ditas para bater ovos, proprias
para quem faz po-de-16, bolinhos, etc.; bellos cortinados arrendado?, verdes, encarnados e brancos;
pannos para cobrir mesas, boleas grandes e pequeas para viagens, e oulros artigos, como cobertores,
malas, etc.; sortimento de violSes finos; figuras finas e jarros de alabastro ; galantarias e outras pecas
de charao para toillette ; machinas para varrer o chao, excellentes machinas para photographia para
tirar retratos, grandes e pequeas ; lindos baloes de papel fino transparente e lanternas coloridas para
illuminacSes moda de Paris, salva-vida de borracha, para bomens e senhoras, proprios para quem
toma banhos em lugares fundos; ameixas novas em caixinhas, blscoitos inglezes em latas, graixa in-
gleza 97 ; cerveja em barricas das principaes marcas de Londres, queljos etc., e muitos outros artigos
que para enumralos seria um nunca acabar, e todos se vendem barato e inulto barato no grande ar-
mazem da Exposicao de Londres, na ra da Cadeia de Recife n. 60.
Joaquim Ferreira Valente como liqatdalario
da extincta firma de Duarte Carvalho & C. faz
sciente a todos os seus devedores, que o nico en-
carregado das cobrancas nesta praca o seu cai-
xeiro Jos Rodrigues de Carvalho desde o dia 6
do correnie, o que faz publico para conhecimento
de todos.
DINHEIRO FRANCEZ.
Vendem-se moedas de ouro e notas do Banco, e bem assim urna colleccao desde um centesimo
at mil francos: vende-se barato no Recife ra da Cadeia n. 60, ne armazem da Exposicao de Londres.
Precisa-se de urna mnlher de meja ida-
de para casa de pouca familia, que saiba
cosinhar e engommar : na ra das Cru-
zes n. 37.

o
o
=rw
ES

Q
Alugam-se dous grandes sobrados com eom-
modos para numerosa familia, novos e aceiados1
com jardim, cocheira, estribara e outras commo-
didades, na travessa de Joao Fernandes Vieira :
a tratar na roa da Senzala Nova n. 42.
*
Precisa-se de urna ama que saiba cosinhar
e engommar para casa de pouca familia : na ra
da Cadeia n. o, segundo andar._______________
Aviso
D-se sobre hypotheca era bens de raiz at a
quantia de 1:000* : na ra do Arago n. 8 se di-
r quera d._______________^_________
Pede-se ao Sr. Jos fioraes Silverio (de Santo
Anlo) o favor de apparecer na ra do Queimado,
casa n. 7.
Duarte & C. estabelecidos no largo do Car-
mo, rna do Queimado e Imperador, pedem a todos
os seus freguezes que se acham devendo, o favor
de mandarem pag^r at o dia 15 de junho vindou-
ro,e findoe.Nie praso publicaremos seus nemes por
extenso, e se assim nao lizerenr mandaremos co-
brar judicialmente sem excepcao de pessoa.
Para completa liquidaco vende-se, por muito menos de seu valor, perfumaras muito finas e
novas chegadas recentemente de Paris e de Londres dos mais afamados fabricantes seguintes : Eug.
Rimmel, R. Matheus & C, Lubin, Sociedade Hygienica, Pver, Violet, L. Legrand, Delelrez, Pinaud &
Meyer, Regnrer, Mailly, Gillet frere etc., etc., 'dos quaes ha grande sortimento d'agua de colonia em
vidros e garrafas, agua de lavando, agua para liropar denles, oleo babosa, extractos em garraflnbas e
vidros de differentes modelos, pos para limpar denles, banha era potes e em vidros, pomadas, ricas
caixinhas e balainbos com perfumaras para fazer presentes, e muitos outros artigos que se vende por
menos de seu valor, bem como todos os artigos em geral existentes no grande armazem da Exposicao
de Londres, na ra da Cadeia do Recife n. 60.
Para senhoras.
211:450*000
Acba-se fgido o escravo pardo de nome i
Ignacio, idade 35 annos, pouco mais ou menos, al-
[ura regular, cabellos annelados, olhos pequeos,
e quando nr ficam quasi fechados, nariz ura pouco
chato, tem alguns denles podres e falta de outros, I
corpo regular, falla bem, e muito conhecido nes- i
ta cidade e em alguns lugares fra por onde tem '
andado ; porlanlo rogase as autoridades policiaes
e aos capitaes de campo, tanto desta provincia co-
mo das limitrophes, que o fagaro apprehender e
conduzi lo casa de seu senhor o major Antonio
da Silva Gosmo, na ra Augusta, sobrade n. 99,
qae generosamente recompensar, e pagar todas
ai despezas a quem o condozlr.
Pede-se ao Sr. Francisco Jos da Costa Gui-
mares, morador no engenho Cuiambuco, o favor
de vir ra do Queimado n. 7.______________
Aluga se a casa terrea na ra dos Burgos n.
17, com 2 quartos e 2 salas, cozinha fra e quin-
tal : a tratar com Manoel Martin de Carvalho, na
padaria da ra da Guia n. 56._________
L'm moco brasileiro com 18 annos propoe-se
ser caixeiro de loja de miudezas ou outro qualquer
estabelecimento de seceos por ter pratica : a tra-
tar na ra da Imperatriz n. 74.______________
Precisa-se de urna ama que tenha bom leite :
na ra do Rangel n. 7, primeiro andar._______
Aluga-se ura grande sitio com sufficiencia
para ter oito vaccas de leite, duas baixas para
planta de capm, casa eom commodos para grande
familia, prximo ao Recife, qae se pode ir a p, e
muilos arvoredos de fruclo : na roa larga do Ro-
sario, loja n. 32.__________________________
Aluga-se um escravo cozinheiro muito fiel e
bom comprador: quem quizer dirija-se a ra da
Mangueira, sobrado n. 6^___________________
Manoel Dias de Piibo faz sciente ao respei-
avel publico que por haver outro de igual nome,
fica sendo Manoel Dias da Costa.
I.uiz Manoel Rodrigues Valenca declara para
fins coavenientes que nada deve nesta praca nem
fra della^_____________________________
Alaga-se urna casa terrea no Campo-Verde
ra do Socego n. 2, cora commodos para familia :
na ra do Rangel taberna n. 7.______________
Dentista universal.
Tira denles com am palito, aos pobres gratis:
quem precisar procure para o prestmo cima.
Ricos e modernos pentes de tartaruga para tranca de senhora, o que se tem feito de mais ele
gante ateo presente : vende-se por menos de sen valor para se liquidar, no grande armazem da Ex
posico de Londres, na ra da Cadeia do Recife n. 60
Luvas novas de Jouvin.
. Vendem-se excellentes luvas de pellica recentemente chegadas de Pars, tanto para hornera co-
mo para senhora por menos de sea valor, para se liquidar: no grande armazem da Exposicao de Lon<
dres, na ra da Cadeia do Recife n. 60.
A NACIONAL
Gompanhia geral hespanhola de seguros mutuos
sobre a vida
AUTORISA.DA PELO REAL DECRETO DE 21 DE DEZEMBRO DE 1859
ma fianca em dinheiro, depositado aos cofres do estado, garante a Loa ad
ministraco da conapanhia.
__ O bacbarel Lourenco Avelino de Albu-
5 querqae Mello continua a ter seu escrip-
| torio de advogado nos auditorios e tribu
naes desta cidade : na ra do Imperador ,
>. m
HHMSBHM $f3K!Si III
Consultorio medieo-eirnrgieo na ra larga d
Rosario a. 20.
O Dr. Joo Ferreira da Silva rogressando a sua
casa, contina em o exercicio de sua proOsso nao
s na parte medica como tarabem na cirurgica.
Alugs-se o segundo andar da pasa n. 33 da
roa da Matriz, tem commodos para grande familia;
e o segundo andar da mesma ra o. 35 : a tratar
com o Sr. Antonio Joaquim Ferreira Porto, na
Ponte Velha, ou com Miguel Joaquim da Costa, na
ra da Cadeia n. 12.
WMMimaittiMMi
O Dr. Cosme de S Pereira conti- fl|
na a residir na ra da Cruz n. 53,1
Io e 2o andar, onde pode ser proen- |
rado para o exercicio de sua profis- --
s5o mdica, e com especialidade
sobre q seguinte
1 molestias de olhos;
2o de peito:
3o dos org5os geni-
ti urinarios.
Em seo escriptorio os doentes se-
rao examinados na ordem de suas
entradas comecando o trabalho pe-
los doentes de olhos.
Dar consultas todos os dias das
6 as 10 da manhaa, menos nos do-
mingos".
Praticar toda e qualqner opera-
c5o que julgar conveniente para o
prompto restabelecimento dos seus
doentes.
iiiiiiiiiiiii
Samuel Power Johnston & Companhia
Ra da Senzala Nova n, 4.
AGENCIA DA
Fundido deLow Moor.
Machinas a vapor de 4 e 6 cavallos.
Moendas e meias moendas para engenho.
Taixas de ferro coado e batido para enge-
nho,
Arreiosd' carro para um"e dous cavallos.
Relogios de ouro patente inglez.
Arados americanos.
Machinas para descarocar algodo.
Motores para ditos.
Machinas de costura.
Anemia, chlorose, obstrueco
das viceras alidominaes, quer consecutiva a' in-
flammacoes agudas, quer resultante das febres in-
termitentes Dyspepesia, erntim em tedos os casos
era que reclamar urna medicaco tnica, ou reme-
dio a algum vicio de hematose
Pilulase emplasto dejurubeba cura em 15
dias.
Preparados por J. F. Lartnere
_____________Villa do Bonito.____________
O London & Brazillan Bank, saca por doos
os paqaetes,sobre
Lisboa.
Porto.
Braga.
Vianna.
Guimares.
Villa Real.
Coimbra.
__________Amarante. ^^___________
Sortes de~S. Jca
Vendem-se lindos papis com estalo para as
sortes de S. Joo : na ra Nova n. 61 defronte da
Illma. cmara municipal.
mmmmmm mmmm mmmm
Antonio Joaquim de Mello, antigo ad- SKj
5 vogado nesta cidade, e procurador fiscal ^
K aposentado da thesouraria de fazenda, SR
ffi emprego que servio por mais de 22 an- ^S
S[ nos, continua a advogar em todos os ra- ^
9| mos do civel e crime, com proviso do j($
Ja, Exm. conselheiru presidente da relacao. j
Ra do Imperador n. li. 9p
BANQUEIROS DA COMPANHIA
O Banco de Hespauha
DIRECCO GERAL
Madrid: Ra do Prado n. 19
Atten#lo.
AVISO
Os abaixo assignados, moradores na ra da Ca-
deia do Recife n. 3, fazem sciente aos devedores
d massa fallida de Joaquim Vieira Coelho & C,
que ledo arrematado as dividas pertencentes
mesroa massa, sao ellos os nicos autorisados a re-
ceber taes dividas; portanto tem marcado o praso
de 30 dias para os senhores devedores vjrem eu
a aadarem pagar seas debites, lindo o qual se pro-
mover a cobranca judicial.
Jos Joaquim de Castro Moura.
Joaquim Baptista de Araujo.
Dentista universal
da huraanidade, sem dor, lira dontes com palitos,
aos pobres gratis ; tambera chumba denles com a
massa mineral que dura para sempre, ficando o
natural ; tarabem bota denles e dentaduras por to-
dos os sistemas, apressiodo ar, espigo voltanico
e da garfa ou colxete, a 5f cada dente, a quem
quizer honrar com os seus servlcos, pois para isso
serve a todas as pessoas cora toda a presteza.
Paulino & Vasconcellos, estabelecidos que fo-j
ram em Marnanguape, nao pagarara todo seu debi-
to como disseram no Diario de Prnamonco de 24
do corrente, pois os ditos senhorxs deviam ao abai-
xo assignado em letras 14:1044520, e no venci-
mento de tres letras na importancia de 9:449740,
apenas deram 5:000$, e pelo restante o socio Pau-
lino Fernandes da Costa aceitn tres letras na im-
portancia de 9:1049520 venciveis, nao digo em
que data porque me envergonho, dando-me um
pn-juizo de mais de 1:8004 pelo praso que o mes-
mo o>tev. l v o respeitavel publico que nao
podiam os mesmos senhores annoociarem por esse
modo, faltando a verdade do facto, e querendo pas-
sarem por cavalheires na presente crise, quando o
abaixo assignado ficou no desenbolso de seu di
oheiro e com grande prejoizo. Recife 24 de maio
de W65.Jos Gomes Villar.
O abaixo assignado (ransferio st>a residencia
da raa 4a Aurora para a de Krs, sobrado o. 31.
Joaquim Beraace de Meadonca.
No armazem do pateo do Carmo esquina da ra
de Hurtas n. 2, vende-se queijo do Serid muito
frcscal a 760 rs. a libra, dito de eoalha a 640, di-
to susso a 600 n.
Pergunta que nao offende
Ao subdelegado da freguezia de S. Jos se o reo
Manoel Ferreira Gomes, afiancado, se pode andar
armado de urna bengala e.......I, isto dorante
dia e noite, como ha lestemuohas, e se isto per-
raettido por lei, e com sua resposta Qcar satis-
fets.O offendido.___________________
~Tendo Luiz Antonio Goncalves Ferreira per-
mutado as partes qae tem no engenho Alanca cora
o Sr. Joaquim Salvador Pessoa de Siqueira Caval-
canti com o engenho Mussahiba, pede o cima qae
se algaem quizer por embanco apreseniese com
embargos._____________________________
Aluga-se a sala da frente do sobrado n. 15
da ra do Queimado, proprio para escriptorio ou
advogado ; a tratar na raesma ra, botica n 15.
i quem pretender.
No da 12 de junho corrente lem de ir a praca
publica por arreadamente pelo juizo de orphos
da comarca de Goianna, o engenho Republicano,
cujo engenho talvez o que melhor terreno lem
naqnella comarca, boas matas aonexas, boas e es-
pacosas casas de engenho, de purgar assacar e de
viveoda. e boas agnas. Um dos herdeiros enea-
becado em dito engenho obriga-se a vender por
preco eommodo a parte que lem as obras e Ierras
do dito engenho a quem o arrematar : quem o
pretender e querendo examnalo, dirija se ao mes-
mo engenho que ahi achara com quera tratar.
Esta companhia liga pelo systema mutuo todasas combinacoes de supervivencia dos segur
sobre a vida.
Nella pede se tazer a subscripcao de raaneira que em nenhura caso mesmo j c r ni i te do t
gurado se perca o capital nem os jaroscorrespondentes a estes.
Soto suprehendentes os resultados que produzera as sociedades da ndole de A NACI
DAL,qae anda mesmo diralnuindo ama terca parte do interesse produzido em recentes liquida-
cues ecorabiaando-o cora a mortalidade da tabella de Depareieux que e adoptada (pela companhia
para seusjilculose liqaidacSes, era segurados de idade de 3 al9 annos, uraaimporsicaoannual
de 1001 produz em effectivo metlico:
No fim de 5 annos.......1:119*300
de 10........3:9425600
> de 15........11:2084200
: de 20........30:256*000
de 25 .......80:331*000
as idades menores de 3 annos e maiores de 30, os productos sao mais consideraveis.
Prospecta e mais informacoes serao prestadas pelo sub-director nesta provincia.
Joaquim Fiaz de Oliveira, rna da Cadeia n. 52, ou a Boa-Vista rna da Imperatriz n.12,estabel
iraento dos Srs. Raymundo,Carlos,Leite & Irmao.
Vantagcra.
Precisa-se de ama senhora qae se enrarregae
da adminislracao de ama casa de pouca familia, e
que tome ioleresse como ^e sua fosse ; recebendo
coniojiagamento todas as commedidades,e garan-
te-sea sua estabilidade : quem pretender, annun-
cie por este' jornal.
Quem precivar de ama ama para todo o ser'
vico de portas a dentro, dirija-se a ra das Cruzes
numero 42.
Paulino & Vascoucellos dissolveram amiga-
velmente a sociedade mercantil qae tinbam na ci-
dade de Mamangnape, e nada devem a pessea al-
guma por terem pago todas as letras qae aceita-
ran) nesta praca.
Manoel Cupinteiro da Silva faz publico a
quera ioteressar possa que cedeu a Manoel Peres
Barca o estabelecimento de taberna que tinha na
Casa Forte, da qual era gerente Beato Alves; pelo
qae de hoje era diante fica pertencendo ao cedide;
o annaociante suppoe aada dever do referido es-
tabelecimento, mas, se algaem se julgar credor,
Jueira apresentar saa reelaoiacao no praso de tres
ias para ser iroraediauoteate satsfeito. Recife
23 de maio de 1895.
O Sf. Luiz Cesar Pinto de Farias queira di-
rigir-so a raa da Madre de Dos armazem entre a
Igreja e a botica. ___________________
Fabrica nacional de tecidos de Santo Aleixo
no Rio de Janeiro.
Para o servico interno desla fabrica se precisa
engajar serventuarios que estejam nessas condi-
coes, como familias completas, meninos de ambos
os sexos, de idade de 10 a 14 annos ; paga-se
bem, dando-se transportes gratuitameote desta,
para aquella provincia : aos pas, tutores, ou ad-
ministradores dos menores se pagar mensalmen-
te, ou por quarteis metade do qae ganhar cada
am des engajados : os preleudentes podem diri-
girse ao large do Corpo Santo n. 6, segundo an-
dar, oa no hotel da Europa, no caes da Lingoeta,
lambem segundo andar.
Descontam-se notas do banco do Brasil e das
caixas filiaes: na praca da Independencia n. 22.
Na praca da Independencia n. 33, loja de ouri
ves, compra-se ouro, prata, pedras preciosas e
tambem se faz qualquer obras de e&commenda e
todo e qualquer concert.,
Precisase alugar urna pre a cozinheira : na
ra do Pilar o. 6, sobrado encarnado.
O abaixo assignado avisa o respeitavel pu-
blico, que Jos Custodio Braga delxoa de ser sea
caixeiro desde o dia 27 de abril prximo pas-
sado.
Jos Maria Goncalves Vieira Guimares.
Irmandade do Divino Espirito
Santo.
Determinando o g 4o do art. 11 do nosso com-
promisso, que lodos os nossos irrnos tem por de-
ver possalr a sua custa ama capa d> iazenda mo-
delo e cor qne marca o tit. 123 do mesmo com-
promisso, com a qaal assistiro a todos os actos
da irmandade. Sao convidados todos aquelles ir-
rnos qa9 se quizerem prover das referidas capas
para a prxima procissao, a dirigirem-se a praca
da Independencia ns. 37 e 39.
Manoel Lniz da Veiga
____________________Escrlvao.
Na ra do Imperador n. 14 toma-se ama
ama para todo o servico.
Companhia fdelidade de segaros
martimos e terrestres
estabelecida no Rio de Jaueiro.
AGENTES EU PERNAMBUCO
Antonio Lniz de Oliveira Azevedo & C,
competentemente autorisados pela direc-
tora da companhia de seguros Fdelida-
de, tomam seguros de navios, mercado-
ras e predios no seu escriptorio ra da
Cruz n. 1.
Prectsa-se de urna pessoa para tomar conta
de um sitio perto desta praca, com as condicoes
1 que a vista se tratar : no largo da ribeira de S.
Jos n. 19.
Fog*o,fog,o.
Para os festejados das de S. Joo e S. Pedro
existe na muito acreditada fabrica de fogos de ar*
tficio da ostrada de Joo de Barros, propriedade
da viuva Rufino, um completo sortimente de pis-
tolas craveiros, rodinbas e fogo bascap: como
seja penoso a algamas pessoas irera a fabrica pela
distancia, os pretenden.es podem deixar suas en-
commendas no armazem da bola amarella no oitlo
da secretaria da polica.

Di-se 5:000* a premio sobre bypolhecu em
predios nesta praca, oa boas firmas: a fallar na
loja n. 38 da ra larga do Rosario.____________
Ama de leite.
Quem precisar de ama escrava com bom leite e
novo, dirija-se a roa do Rangel n. 3.
Compra-se urna escrava que saiba fazer todo
o servico interno de nma casa de familia : a tratar
nesta typographia.________________________
Ama
Precisa-se de ama ama para cozinbar : na ma
Nova n. 20.
Y
Prec^a-se de um bom caixeiro ou offieial de
betica que queira ir para fra da cidade, por or-
denado, ou como interessado : a fallar na ra lar-
ga do Rosario n. 3fc, botica._________________
Precisa-se de urna ama de leite, sera filho :
na ra da Guia n. 20.
U Dr. Carolino Francisco de Lima San- s
tos, contina a residir na roa do Impera- gg
dor n. 17, segundo andar, onde pode ser gjg
procurado a qualquer hora do dia e da y,
noite para o exercicio de sua profissaode ^
medico ; sendo que os chamados depois g
de meio da at 4 horas da tarde devem g
ser deixados por escripto. O referido J
Dr. nao abandonando nunca o estude das j
x molestias *do interior, prosegue, com
o maior affinco, no das mais difflceis e
delicadas operacSes, como sejam dos or-
| gaos urinarios, dos olhos, partos etc.
Aluga-se
am sitio aa campia da Casa Forte, com duas ca-
sas, urna a em que morou o fallecido Thomaz de
Aquino Fonseca Jnior, feita a moderna, e conten-
do todas as accommodacoes precitas, e outra com
boas commodidades para qualquer familia : na
rna do Vigaro n. 19, primeiro andar.
Precisase de um cezinheiro lorro ou escra-
vo para ama casa de poaco trabalho : na roa no-
va de Santa Rita n. 19, ribeira do peixe.
Desencaminhou-se umr carta remetti-
da da Parahiba peloSr. Primo Pacheco Bor-
ges contendo alguns documentos e entre el-
los diversos conhecimentos de couros em-
barcados n'aquelle porto pelo mesmo P. P.
Borges, a bord da barca ingleza Seraphi-
na, capito Lamb, no mez de abr.l prxi-
mo passado: avisa-se ao publico para que
ninguem contrate ou faca negocio algum
com os dito-i couros visto todos pertence-
rem aos negociantes Johnsfon Pater 4C,
desta praca. ^__^_^______
Ensino primario.
Balbina Firmina da Silva Rosa, professora par-
ticular, avisa aos pas de suas alamns e aquel-
las peuseas qae de seu prestimo se quizerem uli-
lisar, qae mudeu sua aula para a roa da Cadeia
do Recre n. 29, segando andar. O ensioo consis-
te era teitura e analyse grararaalical, dontrioa
christSa, aritnmeiica sebre numertis inteiros; *
quanto aos trabalhos de agulhas, consiste em cos-
turas chaas, labyrinlhos, ponto de marca, borda-
des de tapete, branco, matiz, ouro, froco, missaa-
ga. eosina-se tambem tooquinhas e sapatinhos
de laa.
*Na roa estreita do Rosario n. 6, precsase
de ama ama de bons costantes o qae seja livre,
para casa de pouca familia.
i

.


->
m
Diario de pcrnaubuco sexta lelra 29 Je Halo de latt*.
Tin tur aria _^J
Na roa DireiUn. 116 conlinua-se a Ungir par*
qualquercor, e o mais barato posal
lelo da SIlvaTUmos, modioo pete
versidade de Coimbra, d MMltas em,
sua casa das 9 s 11 horas da manha, e
das 4 s 6 da tarde. Visita os doentes
em snas casas regularmente as horas
para isse designadas, salvo os casos ar-
gentes, que serio socoorrido* em dual-'
quer ocoasio. D consultas aos pobres
que o procurarem no hospital Pedro II,
aonde encontrado diariamente das 6
s 8 horas da manha.
Tem sua casa de sade regularmente
montada para receber qualquer doente,
anda mesmo os alienados, para o qne
tem commodes apropriados e nella pra-
tica qualquer operacao cirurgica.
Para a easa de sade.
Primeira classe 3*000 diarios.
Segunda dita.... 2*500
Terceira dita.... f008 >
Este estabelecimento j bem acredi-
tado pelos bons servicos que tem pres-
tado.
O proprietario espera que elle conti-
nu a merecer a conianca de que sem-
pre tem gozado.
Pe chin cha
27-Rna do Queimado27
A tOO e *4 n.
Chita franceza a 200 e 240 rs. o covado para
acabar, quem quizer venha comprar ; cmbralas
finas de cores a 280 o covado, cortes de la muilo
lindos cora 15 covados a prego de 4*500 cada cor-
te : no armazem de fazendas de Custodio, Carva-
Iho A C. : na ra do Queimado n. 27.
Ferros de encrespar
de diversos tamaolios e eitios : na ra do Crespo
numero 4. '
Escravo pedrelro.g
Vende-se um escravo pcdreiro, moc> e sadio :
na ra da Croz n. 23, escriptorio de Antonio de
Almeida Gomes.
i
Trastes com uso.
Vende-se I sof, 3 consolos, 1 mesa redonda, 9
cadeiras de amarello, 6 cadeiras americanas, 1
boa marqueza de Jacaranda, 2 carteiras de via-
gem e 1 carleira grande propria para taberna :
quem pretender dirija-se a ra das Cinco Ponas
n. 140 defronte da esiacao.
Santo Antonio.
cha-se & venda
na oHcina de encadernaco da ra do Im-
perador n. i 5, defronte de S. Francisco, a
Biblia da Infancia do abbade Pascal, appro-
Estando prximo o festejo do glorioso Santo An-, vada para as aulas publicas da provincia por
tonlo previne-se ao respeitavel publico que est a portara da presidencia de 15 do passado.
venda a trezena do mesmo glorioso santo, multo As pessoas que compraran! i a obra, e qui-
bem confeccionado, impressao ntida e broxada *
na ra do Imperador n. 15
de S. Francisco.
defronte do convento
zerem ter um pequeo accrescimo, que se
lhe acaba de fazer, mandem-o buscar.
ttenco.
P O bacharel
M. Francisco Augusto da Costa
ADV8GAD0
M Ra do Imperador numero 69.
mmmm mmm mmmmm
A abalxo asslgnada declara aoar. rranctsco
Correia Soares, que em oito das quelra apresen-
tar-lhe urna sua letra da quanlia de 50* para ser
paga em descont dos alugueis da casa onde mo-
rou conforme tratou com a mesma abaixo assigna-
da sua propietaria, e que por esta razo nao pa-
gou os alugueis respectivos tendo j se mudado, e
por isto nlnguem dever negociar tal letra, por cu-
jos juros ne se obrigar, tanto mais quanto no seu
vencimenlo nao lhe fei apresenlada. Recife 24 de
maio de 1865.
Maria Florencia de Souza Pinto.
A fallencia do ex-cambista Antonio Emigdio Ri-
beiro.
Dizem que um gosto ver os litros que apre-
sentou no juizo cominercial etc., etc.
____________________O Guinja.
Sociedade Nova Euterpina.
Pelo presente convido aos socios da referida so-
ciedade, para comparecer na sala das nossas reu-
n5es no domingo 28 do correte mez, as 10 horas
da manha, aOm de em assembla geral eleger-se
a nova directora.
Sala das sessoes da sociedade recreativa Nova
Euterpina acs 25 de maio de 1865.
No impedimento do Io secretario,
J. A. V. de Souza,
2- secretario.
Urna pessoa que retirasepara fra da provincia
vende duas casas na cidade de Olinda, por preco
commodo, sendo urna grande e outra pequea :
para inormacSes, dirijase a roa do Nogueira nu-
mero 43.
Na ra da Aurora casa n. 38, precisa-
s de urna ama de leite: a tratar na mes-
mi casa a qualquer hora do dia.________
O Sr. Pedro de Alcntara Moa te Li-
ma, quera dirigir-se a esta typographia a
negocio de seu interesse,____
Precisa-se de um hortelo que saiba tratar de
larangeiras, etc., em um engenho distante quatro
legoas da cidade do Recife : a tratar na ra da
Aurora n. 28.
Em casa de Tisset Freres ra do Trapiche n.
9, tem para vender :
Viuho Bordeauxem barricas e em caixas.
Dito de Santerne fino.
Dito de Champagne muito superior.
Cerveja franceza marca Bobee.
machinas de serrotes para
algodo
Chegarara as desejadas machinas de serrotes pa-
ra descarogar algodo, havendo um completo sor-
timento desde 13 at 40 serrotes, tambem ha mo-
tores americanos para as mesmas machinas, ven-
dem-se o mais barato possivel : na ra da Cadeia
do Recife n. 56 A, loja de ferragens de Joao Car-
los Bastos Oliveira.
Vende-se caixoes vazios proprios pa-
ra baliuleiros, e funileiros, a 2$O0O cada
um : e para as pessoas que comprarem do
4 para cima i1800, nesta lypographia.
RIVAL
SEM SECH Jffll
Ra do Queimado n. 49, loja de Jos & Azevedo
Maia e Silva.
Pulseiras e voltas muito bonitas a 500 rs.
Miadas de liona para bordados de superior qaa-
lidde a 60 rs.
Duzias de facas e garfos de cabo pTeto mnlto
boa a 3*.
Meiadas de linha froxa para bordar a 20 rs.
Meiadas de linha azulada superior a 60 rs.
Babado do Porto muito superior a 100, 120 e
1G0 rs.
Varas de franja de nho branca a 40 rs.
Caixas com 100 envelopes da melhor qualidade a
600 rs.
Caixas com 20 quadernos do papel superior a
600 rs.
Grozas de pennas de ac muito finas a 500 rs.
Pegas de tranca lisa preta e de cores a 40 rs.
Grozas de botoes madreperola para camisas a 500
720ra.
Caixas com SOnovellos de linha do gax a 700 rs.
Varas de franja de cores a 80 rs.
Novellos com 400 jardas superior qualidade a 70 rs.
Carriteis de linha com 200 jarda dos ns 60 al
200 a 100 rs.
Litros para assentos de roupa lavada a 100 rs.
Pares de botoes de punbo multo finos a 120 rs.
Thesonras para unhas e costura muito finas a
500 rs.______________
Tasso Irmaos
Vendem no seu armazem ra do
Amorim n. 35,
Licor fino Curacio em botijas e meias botijas.
Licores finos sonidos em garrafas com rolbas de
vidro e em lindos frascos.
VinhosCheres.
Santernes.
Chambertin.
Hermitage.
Borgonhe.
Champagne.
Muscatel.
Reino.
Bordeaux.
Cognac.
Od Ton.
AzeitePlagniol.____________________
Imperial manufactura de
Franca.
Tabaco (caporal) para fumar.
Dito (em p) para tomar.
Dito para mascar.
nico deposito na provincia de Perna al-
buco casa de Izidoro, Netto 4 C, ra da
Cauzn. 2.
Prego filo.
Caporal 800 rs pacote de 200 grammas.
Rolo 520 r.. pacote de 100 grammas.
Quantidade.
Caporal 50 pacoles ou 10 kls.
Rolao 50 pacotes ou 5 kills.________p
Admirem
Admireni
Admirem Bem!
> Milho novo em saceos grandes: no trapiche
da Cunta, a tratar com Tassolrmaos.__________
Attengo.
Vendem-se pegas de esteiras para forro de sala,
tinta branca preparada a oleo, em latas de 25 li-
bras, para pintar casa, relogios para cima de me-
sa e para pendurar, arreios para t e 2 cavallos,
velas de spermacete, tudo de superior qualidade,
vindo dos Estados-Unidos : no armazem da ra do
Trapiche n. 8.
As pecbinchas que esto venda na loja e ama-
zem do Pavao, na ra da Imperalriz n. 60 de Ga-
ma di Silva, oad se vendem todas as fazendas,
tanto de luxo como de pruneira necessidade por
procos muito rasoa veis, e com especialidade as se-
guales, dando-se amostras deixando ficar penhor,
ou mando-se levar em casa das familias pelos
caix'eiros da mesma loja.
Madapolo entestado a 4?, 40300 c b000. .
Vendem-se pegas de madapolo enfestado com
12 jardas pelo baratissimo prego de 4*, 4*300 e
o&, ditas sera serem entestados de marcas muito
acreditadas a 7*, 8*, 9*, e 10*, ditas, francez
multo encorpado proprios para saias a 480 ris a
vara, isto na luja do l'avo ra da Imperalriz n.
60 if Gama & Silva.
Grande pechineha.
Chitas a 220 ris o covado.
Ou 7*600 a pega s o Pavao.
Vendem-se chitas iaglezas de superior qualida-
de, afiangando-se as cores serem fixas, com muia
diversidade de padroes, pelo baralissimo prego de
220 rs. o covado, ou 7*600 a pega tendo 38 co-
vados, sendo fazenda esta que sempre se vendeu a
280 rs. o covado eu 109 a pega, chitas largas a
280,320 e 360 rs, na loja do Pavo, ra da Impe-
ralriz n. 60 de Gama & Silva.
Cortes de chita franceza na loja do Pavo.
Vendem-se cortes de chita franceza, cores fixas
com 10 covados a 3*, ditos com 11 covados |a
3*300, ditos com 12 covados a 3*600, ditos de chi-
ta ingleza a 2*200, 2*400 e 26O0, isto na loja do
Pavo ra da Imperalriz n. 60 de Gama & Silva.
Cortes a Maria Pia.
Grande pechineha a 50000 e 60000.
Vendem-se os mais bonitos corles para vestidos,
sendo de cambraia branca com as barras e enfeites
bordados, de cor crox, pelo baratissimo prego
de 5*, ditos do mesmo gosto mais sendo de cores,
pelo baratissimo prego de 6* cada um, valendo
esta fazenda dobrado dinheiro por ser a mais mo-
derna que tem vindo ao mercado, isto na loja do
Pavo na ra da Imperatriz n. 60 de Gama <5
Silva.
Vestidos Brancos.
v'endem-se os mais ricos cortes de vestidos de
cambraia branca primorosamente bordados, pelo
barato prego de 12*. 16 e 200 na loja do Pavo,
ra da Imperatriz n. 60 de Gama & Silva.
Grande pechineha, vestidos a
Acaba de chegar um bonito sortimento dos mais
lindos vestidos transparentes, muito proprios para
passelos e bailes, por serem de primorosos dese-
nos, sendo todos os padrSes tecidos e nao pinta-
dos, e vendem-se pelo baratissimo prego de 3*500,
sendo fazenda que val muito mais dinheiro: isto na
loja do Pavo, ra da Imperatriz o. 60, de Gama &
Silva.
Fazendas pretas.
Vende-se gronsdenaples preto a 1J280, 1*600,
1*800 e 2* at 4*, superior meurantique preto a
3*, setim da China, nova fazeoda toda de la, pro-
pria para luto, com 6 palmos de largura, a 500,
560, 600 e 800 rs. o covado, e outras muilas fa-
zendas propnas para luto : na loja do Pavo, ra
da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Cirosdenaplcs de cor a I06OO.
Vende-se superior grosdenaples cor de caf, pro-
Rival sem segundo i Rival sem segundo "
Roa do Queimado n. 49, loja de miudezas de Jos! Ra do Queimado 49, esta vendeodo ludo
& Azevedo Maia e Silva, esta queimando que ad- muilo Laraio como ver abaixo.
mira, a saber : i Caixas de. pennas da kalegrapliia a 1|000.
Fra.-os com superior banhaa 200, 240 e 500 rs. JWassus rom sunerlore| pampos a 30 r.-.
1 'Pares di
Latas com stiperior banha a 200 rs.
Frascos com superior agua de Colsnia a 120 e
400 rs.
Frascos com superior oleo de baboza a 240, 320 c
400 rs.
Garrafas da verdadclra agua Florida a 1*280.
Frascos de superior oleo da sociedade Higieniquc
a 640 rs.
: de sapalos de ranga e tapete a 1*0>
Frascos de macaca perula a iO rs.
Caixas com tupelores a^uilws a 2U0 rs.
Libias iic l suri!Jas cen ludas as cores a 7*000.
Caixas con miju i ii res obreus a 'l t.
Duzias de phopliios di- segunde* a *20 rs.
Sleas garrafas i:u;n tinta a 2i0i.
II iilinlias iiiin alliin ic> ianmes a 20 rs.
Frascos de superiores cheiros santal c outros mui- Canas de alQucU' fianecies muito linos a :00 rs.
tos a 1*000.
Saboneles de familia a 210 e 200 rs.
Saboneles de superiurqualidadesaOO, 120 e 160rs.
Caixas com 12 frascos de cheiros muilo finos a
1*400.
Caixas dito com 6 frascos melhor fazenda a 900 rs.
Paos de pomada franceza grandes a 500 rs.
Saboneles de bolla pequeos e grandes a 2i0 e
320 rs.
Frascos com superior opiata a 800 rs.
Frascos com superior agua para denles a lf 000.
llesinas de papel alaaga a 2*400.
Resmas de pa>el d.; peso a 2*000.
Papis de agnlhas frracezas a balio a GO ir.
Bonels muito bonitos para mininos a 1G00.
Eufcile para seu!:oi'S a/.eeda niiulu moderna a
2^000.
Escovas para roupa superior qualidade a 1J00.
Grande sortimento de roupas feitas de to-
das asqualidades,
Calcas de casemira a 65 e 7*500; ditas j mas a
6* e 8*. caigas de ganga a ? I58C0 c -5600,
dilas brancas a 2*, brim de linlio a 3*, ?*fc00 e
4*. palctols do alpaca branca a 1*500, ditos [reos
a 3* e 3*500, din* de alpaca de cordao a 1* e
de lislra de seda a 4*500. ditos sobrerasaco? a 'i*,
palelols de casemira a L*. 5*500, 0*. 8* e !*,
ditossobrecasacos pretos a iit>, lo e 1G*, ditos li-
nos a 25*, de cores a 13*. ditos fraques a :'i$,
paletots de ganga a 3$, 2*500 c -'*, ditos de Lnm
Pe-! pardo a 35, jaqneloes de orim pardo a 3*, pr.too
preto fino a 2*. 2*600, 3*300 5|, l*J0 5 e 05 o
covado, moreantiqueprclo a 25600 o covado. pros-
o covado ; e oulras rnuilas mais fazendas que 5i-
.deixa de annuncar, c manda-^o levar pelos raixei-
ros da loja da arara casa dos pretendentes O
estabelecimento est aberto at as 9 horas da coile,
ra da Imperatriz n. 56, Mendes Guiarles.
B 2
a*aB.
y. c
o_?. tj 53 a 2 m
9
rt B *-. >r r\i O
*s
GAZ GAZ GAZ
Vende-se gaz da melhor qualidade a
lija lata: nos armazensda ruado Im-
perador n.16 e ra do Trapiche Novon.. pr0 para vestido, sendo muito encorpado, a 1*600
t-----;--------1 T5 7~ o covado : na loja do Pavo, ra da Imperatriz n.
Jcarinia de mandioca ieo.deGama&suva.
muito nova e superior chegada de Santa, Cascmiras a i$600.
Catharina Vendem-se casemiras garibaldioas de quadn-
VanAa eo a horln rln nplarhn dinamar- Bnos e lizas> PrPrias Para calcas, palitos e colotes,
Vende-se a poro ao peacno ainamar b bara(o de 1#600 0 covado> asslm como
quez Catharina ancorado defronte ao ca|Ca?i pa|ilos e C0|eles j feitos das mesmas: na
Vende-se um excellenle cavallomuito no- tr picrje Darao do Livramento, ou no es- loja do Pavo, ra da imperatriz n. 60, de Gama &
vo e manso com todos os andares: na co-. crjptorio de Manoel Ignac o de Oliveira & Silva.
cheira do Paulino, rua de Santo Amaro. I pilho, largo do Corpo Santo n. 19^_______
PROPRIO PAR SENHORA.
COMPRAS.
Compram-se libras sterlinas: no ar-
mazem de Ferrcira & Matheus, na ra da
Cadeia do Recife n. 66.________________
Compra-se effectivamente ouro e prata em
_oras vethas, pagando-se bem : na ra larga do
Rosario n. 24, loja de ourives.______________
Compra-sc um escravo cozinheiro que seja
mogo, robusto e sem vicios : a tratar no sobrado
c 32 da rua da Aurora.__________
Compram-se libras sterlinas a 9#500
tambem ouro amoedado brasileiro e por-
tugiwz: na rua da Cadeia do Recife n. 22.
Compram-se libras sterlinas : na rua do
Crespo n. 16, primeiro andar.______________
Silvino Gulberme de Rarros compra e ven
de effectivamente escraves de ambos os sexos : i
Tta do Imperador a. 79, terceiro andar._______
Na fabrica da rua da Lapa contiuua-se a
vender velas de 13 em libra a prego de 12*000 a
arroba.
Feijao preto
Na rua da Imperatriz, armazem o. 6._______
Vende-se um escravo idade 25 nnos insigne
official de carpina e bonita figura : na travessa op
Carmo n. 1._____________________________!
Armaco.
Vende-se a mesma: na rua Nova n. 26.______
Vende-se om moleqoe de bonita figu-
ra e moco: na rua da Cadeia do Recife nu-
mero 22.___________________________
Vende-se na rua da Santa Cruz n. 7 orna
preta da Costa boa vendedeira e um moleque filho
da mesma preta de 12 a 13 annos,, sadie e boa ti
gura, proprio para pagem. _________^^
Grande sortimento de roupa feita.
Vende-se na loja do Pavo um grande sortimen-
I'are I lo a 49UUW o sattw. to de roupas feius. consundo de palitos de panno
Em saceos grandes. preto, sobrecasacos, ditos saceos, ditos de casemi-
II i I lio a 4L800. ra, saceos e sobrecasacos, ditos de brim branco e
Rua larga do Rosarlo n. 50 taberna da esquina decores, ditos de casineta, caigas de casemira pre-
8 2 Qc
SS"5
a. a.
5> 3
. ir
F'B-l'l
1-11'
p *___ 2.
m I M
5 2,sro-
ai
p
j.
292 2, l
0.2 ^ a .
i I I
1
oB
- o c
a," -3
a S-S 1
i 3 s-

O.B
que volia para o da rua Estreita.
ta de todas as qualidades, ditas de cor, dilas de
brim de lnho branco e de todas as cores, coleles
de brim, casemiras, setim, gorguro, etc., etc., to
Fio de algodo da Baha.
Veudefse no escriptorio de Antonio Lutz de OU-1 das estas obras vedem-se"por prego mais barato
veira Azevedo & C, rua da Cruz n. I. ,
Milho novo
Na rua do Cabuga n. 12, armazem de Manoel
Barbosa Ribelro.________________________
Vende-se um excedente fogo de ferro, ame-
ricano, com periences e sebresalentes : na rua do
Cabuga o. 18, Pkotographia Villela,
Vmho do Porto superior em caixa de duzia,
tem para vender Antonio Luiz de Oliveira Azeve-
do i C, no seu escriptorio rua da Cruz o. 1.
Vendem-se
machinas americanas de serrote para descarocar
algodo : na raa da Seozala ova n. 42._______
Loja das 6 portas em frente
do Livramento.
Salsa parrilha de Ayer
PARA A CURA DA
ESCRFULA
e todas as molestias
provenientes dekla
aro e prata
em obras velhas : compra-se aa praga
pendencia n. 22, loja de bllhetes.______
da Ide-
Compram-se jornaes par* erabrulho : no pa-
teo do Terco n. 22.
YENDAS.
Aos Srs. acadmicos.
Vendem-se os seguales livros quaao-
vos: Manad de droit remnin por Maokel-
djy, i volme, por 6*00o; Diccmare
du contenlietu: commemcial por Mass, 1
volume por 5000; La femme por ma-
dama A. Segilas, 1 volume, com estampas
finas por 5iJ0OO; CEmvres de Bacme, i
volume, com estampas linas por 6000;
ffiuvres choms de Bnffm, i volume, con
estampas finas, por 4*000;' Codtgode tre-
dito predial, l volume, por 15*00; C*
filosopho na* aguas fwtadas, romaDoe
,por E. Souvestre, i volume, por 1(5600;
Nocoes de partidas dokradas, por Fonseca
de Medeiros, l volume, por 1600 ; Flores
simgtlas, poesas por Paes d'Andrade, 4 *-
lume, por flOOQ; Viam ao Araguaga
pelo Dr. Cont de Magalhes, i volume.
por 2i5000 : A celhice ie CamOes, romance
por Trigueiros, por 25000 ; La vie des
saius, l volme, por 10200; OEuvrespht-
losophiques d'Arnould, I volme, por 20 ;
FxonomU politique, por Garnier, i volu-
me, por 20OOO ; negras da escrtpturaeao
mercantil, por Gomes Jnior, 1 volume,
Dor 2(5500; Organisation da travatl, por
Louis Btmc, I volume, por 10200; L'Ept-
phanie, pela padr- Ventura. 1 volume, por
10000; Le jar dosier des salons, 1 volu-
me, por 640 rs.: na ra do Cabuga n. 2 A,
oja.
todas as molestias da
pelle
eherysipellas, tumores, ulceras,
sarnas,
nasetdas, empingens,
REUMATISMO
SYPII1XIS
em todas as suas formas, assim como todo
o mal que provm do uso excessivo de
MERCURIO
l Iceraco do flgade
Existe grande sortimento de diversas fazendas, erem summa todos os males que tem sui
e igemna
IMPUREZA DO SANGUE
um alterante poderoso para a
RENOVACO DO SANGUE
e para dar nova forra e vigor ao corpo j
enflaquecido pela doenca.
Vende-se na rua Direita os. 12 e 74
Hospicio n. 40.
Vende-se em Pernambuco:
aa [> lia rutad a f ranee za de
P.MAURER i C.
RUA NOVA N. 1-
proprias da-poca, e por pregos tao baiios yie ad-
mira, como sejam :
Pegas de bretanha de rolo, a 2J400.
Chitas Irancezas escuras, padroes modernos e
bonitas, cores fixas, a 940, 260 e 280 rs. o ovado.
Cassas de cores, gosto moderno e cores fixas a
220 rs. o cavado.
Madapottes e algodaozirihos de diversas marcas
e qualidades, a pregos muitissimo baratos, e mu-
tos ootros artigos por preoos muito mais mdicos
do aoe e outra parle,
Cheguem ao barato.
Chitas irancezas muito finas com um pequeo
foro de eupim a 240 rs. o covado, madapolo su-
perfino a < a pega : na toja da rua da Madre de
Dos n. K>, defronte da guarda da alfandef*-
Atenco.
Cassas finas padroes do itimo gosto a 220 rs. o de voluntarios; veode-se na livraria n. 6
HUuslaq a 200, 220o240rs. o noMib. a Pra?a da Independencia, a 10.
o covado.
Na rua do Livramento, toja nova de tres portas
n. 14._________________________________
Na pkotographia artisca americana rua do'
Imperador a. 38, vendem-se retratos de S. Wilices
Booth, assaecino do presidente Lincoln.
~ Vende-se duas arrogas, urna para boi e ou-
tra para cavallo, sendo esta com lastro somepte,
propria para carregar barricas de farioha de trigo,
lenha, etc., ambas com uso, por prego muito com-
modo : a tratar no paleo de &. Pedro n. 4.
' Voode-seTm^earro de earregar ganaro da
alandega. com uso, e lodos o' pertances de ootro
igual, todo por prego muito commodo : a tratar
no pateo do 8. Pedro a. 4.
Vendem-se as superiores te-
souras de Guimares.
Para unhas, costuras, cortes de fazendas e ca-
bello : na lopdo ferragens na rua da Cadeia do
Recite n. 44; e assim cerno Bode algodo da mais
acreditada fabrtea da Baha, por pregos commodo?.
Fems
Chegon nm completo sortimento de ferros de
diversos modelos para encrespar e engommar ba-
bados, patos e todos os objeelos de roupa branca
fina pertencente ao toilet de urna senhora, e hoje
indispensaveis, os qoaes se vendem por menos
prego que em outra qualquer parte : na rua do
Crespo n. 4._______________________
Vende se o superior (lo de algodo da Bahia,
da mais bem acreditada fabrica da Bahia, por pre
do que em outra qualquer parte : na loja do Pa-
vo, roa da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Chales e manteletes de renda
Vendem-se os mais ricis e mais modernos cha-
les e manteletes de renda, chegados pelo ultimo va-
por da Europa, por prego muito razoavel : na loja
do Pavo, rua da Imperatriz n. 60, de Gama &
Silva. .
Soutembarques de cor
Vendem-se os mais modernos soutembarques de
c6r, ricamente enfeitados, e por barato prego : na
loja do Pavo, rua da Imperatriz n. 60, de Gama &
Silva.
Capas pretas e soutembarques,
Veodem-se as mais modernas opas pretas lisas
e bordadas, os mais bonitos soutembarques prelos e
manteletes, tudo de seda pela e o que ha de mais
gosto no mercado, por pregos muito em conta :
na toja do Pavo, rua da Imperatriz n. 60, de Ga-
ma & Silva.
Enfeites para cabega.
Vendem-se os mais lindos enfeites para cabega,
a 3, i, 53 e 63, os melhores baldes cronolinas :
na loja do Pavo, rua da Imperatriz n. 60.
S o Pavao vende
Cuitas largas a 240
Chitas largas a 240
Chitas largas a 240.
Acaba de chegar para a loja do Pavo um gran-
de sortimento de chitas largas garibaldinas, por
s rem todas listradas e padroes escuros e de cores
fixas que se veodem pelo baratissimo prego de 240
o covado, sendo que em outra qualquer parle cos-
ta a 360 o covado, notando que os freguetes que
comprarem porco de pecas, terao um pequeo
abat ment: isto na loja do Pave a rua da Impe-
ratriz n.60, do Gama & Silva.
LSazinhas a 300 rs.
Laazitihas a 300 rs.
Lazinhas a 300 rs.
Vende-se um bonito son ment de laziohas pro-
prias para vestidos e soutem arques por serem li-
sas e de quadrmhes pelo barato preco de 300 rs. o
covado, sendo fazoada qne sempre se vendeu a
500 rs. o covado, e vende-se a dinhe
gulaoiento de infentaria e accommodadas ao |0 baratissimo preco de300 rs. o covado : na leja
exercito brasileiro; obra que muito couvm i do Pavo roa da imperatriz o. 60 de Gama &
aquellas pessoas que se alistam nos corpo* Si,va' Pftipr'nas a 1A600
Vendem-se as mais ricas pelerinas ou romeiras
de cambraia bordadas propnas para hombros de
senhora pelo baratissimo prego de 13600 : na roa
da Imperatriz n. 60, loja de Gama & Silva.
Orgauy a 240 rs. o covado.
na loja do Pavo.
Vendem-se as ma(< bonitas cassas organdys, pa-
drOes miudos e grandes, pelo baralissimo prego de
240 rs. o covado (doze vintensj, esta pechineha
acaba-ee logo : na leja do Pavo rua da Impera-
lriz n. 60, de Cama & Silva.
Lanzinha transparente,
a 220 rs. : so na leja da Pavo.
Vendem-se as mais modernas lanzinhas transpa-
sendo todas de lisiras quadros e lisas, fa
Instruccoes para o servia
, l J 1 CU Val ,cwu* (jac BCinpio oo cuucu a
das guardas do esercito, extradas do r- m rs;0 eovad0) e vende-se a dinheiro a vista pe-
Grande ltquida,co de
fazendas
de todas as qualidades, tanto para o mato como
para a praga. O proprietario da loja e armazem
da Arara, est resolvidoa vender as fazendas mui-
to baratas, como sejam, chitas, madapolo e algo
dozinho, para se apurar dinheiro, Lourengo
reir Mendes Guimares.
Chitas Irancezas a 240 o covado.
Vendem se chitas francezas, sendo cores fixas, a denaple preto a 1*500,_ 13800. 23, 23*00 e ?*600
240, 280, 300, 320. 360 e 400 rs. o covado, dilas "
ioglezas a 220 e 210 o covado, sendo cores fixas:
na rua da Imperalriz n. 50.
Cortes de caifa para homem
Vendem-se cortes para caiga, brinzinho, a 13,
ditos de ganga a 13400, ditos a 1*700, ditos de
brim de cor a 23 cada corte, dilos de meta raso-
mira a 23300, ditos a 33 e 33500, dilos a 43500,
5J e 63500 o corte, damasco com duas largura:- a
1&280 o covado, dito de urna largura a 640 e 800
rs. o covado, flanella branca a 600 rs. o covado,
dita de salpicos a 480 o covado, golinhas para se-
nhora a 200, 320 e 400 rs., dilas, goU e punho a
640 e 800 rs., eamisinhas para senhora a 13600 e
23, muito finas a 43 e 43500, camhraias finas de
ceres a 300, 320, 360 e 400 rs. o covado, ditas
muito finas com borboletas a 440 o covado, lengos
de linho finos a 400, 5n0 e 640, ditos de algodo a
240 e 320 cada urna.
Cortes a Maria Pia e 8$.
Vendem-se cortes a Maria Pa a 83, ttf, 113.
123 e 133 cada corle, cortes muilo finos a 183,
lazinha lisa a 360, 440 e 500 rs. o covado, corles
de la com palmas a 53 o corte, las por covados a
300, 360 e 400 rs. o covado, casemira com listras
sendo padroes azul e preto a 23500 o covado, ma-
dapolo enfestado com 12 jardas a 33300, 43000.
43500 c 53, dito com 24 jardas a 53, 53500, 63,
63500, 73 e 73500, n. 6 a 83 e 83500, elephante a
93, camisas francezas a 13800, 23, 23240 e 23500
cada urna, ditas de pregas largas a 23240,23500.
23800 e 33 cada una, alpacas de cores a 320 o
covado, dilas finas a 800 rs, o cooado, aberturas
de esguio a 13 cada urna, dita de algodo a 320 e
400 rs. cada urna, pegas de algodozinho a 4-;500,
53 e 63, ditas com 20 varas a 73, dita marca T
a 8.5500 a peca, casemires finas mescladas a 33 o
covado, dilas a 23800, 23240, 13800, 13600, e
13400 o covado, soutembarques decores a 65 e
83 cada um, ditos pretos a 183, 193, 203, 223 e
253, capas a 203 e 25J, manteletes a 183 e 204
cada uro, chitas para coberta a 320, 360 e 400 rs..
dita a 480 o covado, ditas adamascadas a 480 o
covado, ceroulas a 1*200 e 1*500, dilas de linho
a 13800 cada urna, fil de linho liso a 640 e 700
rs. a vara, urlaunas de cores e branca a 800 rs.
a vara, hambutgo a 9*, 9*500, 10*500 e 12* a
pega : rua da Imperatriz n. 56, Mendes Guima-
res. '
Multa attengo na grande li-
quidaco de fazendas e
roupas feitas nacional na
nova loja de Guimares &
lrmao.
Rua da Imperatriz n. S.
Os proprleiarios deste novo estabelecimento es-
to resolvidos a venderem por prego baralissimo
para liquidarem, como sejam : pega debretanhade
rolo com 10 varas por 33, dita de madapolo fran-
cez cem 12 jardas a 33500 e 43000, ditas de cam-
braia branca fina a 33500 e 4*500, lengos de cam-
braia com barrinha de cor a 800 rs. a duzia, ditos
grandes a 1*800, ditos brancos linos a 23400, cor-
les de chiia franceza com 10 covados a 23600, di-
tos de la a 4*000 e 5*000, ditos a Maria Pa mo-
dernos a 93OOO e 133000, la de urna s cor a oOO
rs. o covado, dilas de quadrinho e palmas a 320 e
400 rs. o covado, chales de merino do ultimo gosto
com pona redonda e borlla de seda a 65000 e
7*000, ditos lisos a 4*500, ditos de la a 1*300 e
1*600, chitas francezas linas a 360 e 380 rs. o co-
vado, precales muito Gnas dos padroes mais mo-
dernos que tem vindo ao mercado a 360 o covado,
panno de linho do Porto com 4 palmos de largura
a 640 rs. a vara, bramante de linho com 10 palmos
de larguras 2*400 e 25500 a vara, damasco de
la com 6 palmos de largura proprio para colcha,
forrar mesas e pianos a 15280 o covado, eortes de
casemira escoceza para caiga a 25800, ditos de
brim de linho a 15800, ditos de ganga francezasu-
perior a 15600 collerinhos de papel a 500 rs. a du-
zia, ditos de esguio de linha a 500 rs. um, grava-
tinlias de senhocj a 800 rs. do oltimo gosto, sou-
lembarque de lanzinhas multo bem enfeitados a
5*000 e 6*000, ditos de grosdenaple ricamente en-
feilado a 20*000, capas de dito a 20*000.
Houpa feita.
Paletots de panno fino, sobrecasacas, ditos sac-
eos, ditos de casemira fina prea de cor, ditos de
meia casemira, ditos de alparca prela, branca e de
cor, dilos de brim e ganga de ledas as qualidades,
jaquetas de meia casemira e brim pardo, caigas de
casemira de cor e prelas e de meia casemira, de
brim branco e pardo, ganga e castor, coletes de to-
das as qualidades, meias, luvas. grvalas,collen-
nhos e muilos oulros arligos de roura feita que se
vende por prego baratissimo por ter grande sorti-
mento; venha o freguez a loja comprar que o pre-
go ha de agradar e mnilas outras fazendas de le e
de luxo. tanto para homem como para senhora que
deixamos de annuncar por tornar-se enfadonho
que s a vista do freguez se far o preco: isto s
na nova loja loja de Guimares & Irmaos. roa da
imperatriz o. 72._________________________
CONFEITOS
DEPURATIVOS
DoDrSERVAX, dePariz.
Pharmaccutico de 1* classe, ex-
interno dos liospitaes, premiado
com a medalha de brome.
Farello.
Ven*e-se excellenle arello de Lisboa, deposita-
do 00trapiche doCunfca; tratase na roa da Cruz
n. 23 1* andar, escriptorio de Antonio de Almeida
Gomas._______________________
Vesde-se a casa n. 1 da rua do Caes, que se-
gu da cadeia nova rua Imperial, logo depois da
mesma cadeia, oa fregnetia de S. Jos, euja. sendo
ja assobradada pela parte de detraz, assoalhada e
repartida, com peuco dispendio se aprompta om
excellenle sobrado em magaifica posicao, tem gran-
de quintal com cacimba e aiguns quartiohos, qne
tudo rende 37* minsaes, fra o andar superior :
quem, pois, se qnizer aproveilar da disposico do rentes,
actual proprietario e a qnizer comprar, poupando
se a merliflcaglo c demora que resulta a quem edi
zenda esta que sempre se venden a 400 rs.; o Pa-
vo vende para liquidar a ouze vintens o covado
ftca, e aproveitar-se de um predio bem construido oa loja do Pavio, a rua da Imperatriz n. 60, de Ga-
& Silva. ________________________
e a moderna, qur para moradia propria, qor. pa
I ra obter bom rendimento a seu dinheiro. pode en-
\ lender-se com o dono no mesmo lugar.
Vende-se um jogo de bolas montado no ami-
go armazem do sol, na roa da Concordia n. 36 : a
tratar no caes do Ramos n. 36.
PUTSASTO ANTONIO E
SAO JOAO
Vendem &e sones muito bem feitas e d
papel muito bom 40 o cento : na rua das
co commodo : na loja de femgeos de Thomat pril74W n ti taberna da DOrta larga.
Fernandes da Cunha, oa roa da Cadeia do Recife iruzesn.ai, muwiuu* jjqi ui iu b.
oomero 44.
Tesouras de Guimares.
Vende-se a excelente loja de fazendas do A loja da Aorora, oa rua larga do Rosario o. 38
Pomoo Publico n. i I, com poacos modos : 01 pre- receben sortimeoto de tesouras de Guimares, tao-
(eod&ites dirijam-se a roa do Trapiche n. 48. to grandes como pequeas, muito finas.
ma
avariado.
Francez barrica 5*000
Portland idem 8*500
Em perfeito estado:
Francez barrica 10*000
Portland idem 12*000
No armazem de Tasso Irmaos caes do Apollo.
Liquidadlo
Pecas de algodozinho avariado, porm limpo,
por ser lavado, a 4*.: na loja de calcado da ma
larga do Rosario n. 12.
Rua do Queimado n. 40
Continua-se a vendor baratissimo as fazendas
existentes neste estabelecimento, em virtude de
ter fallecido um dos socios e se querer liquidara
firma sociaL Eotre ootras fazendas ha as se-
guintes :
Cortes de vestidos de blonde branco para casamen-
tes a 255, qne ouU'ora se veodiam por 1005.
Ditos de seda de cor muito superiores a 18*.
Dilos de grosdenaple prelo a 25*.
Ditos de phantazia muito Nodos a 8*.
Ditos de cambraia branca bordados a 8*.
Manteletes de grs pfeto bordados a 10*.
Cambraia organdy lina, covado 24 Chitas finas largas, covado a 220. 240 e 280.
Grosdenaples de cores, covado 500 rs.
Baloes de arqoinhos, modernos, a 2*.
Lencos de cambraias brancos para algibeira,
ziaal*600e2*.
Cortes de colletes de velludo de core*, fiaos, a 2*.
Chapeos de sol de sed para homem a 4*300.
Ditos de dila inglezes a 6*.
Camisas brancas de madapolo para homem, urna
1*000.
Meias de seda brancas e pretas para senhora a
1* o par.
Ditas de laia pretas para padres a 1* 1 par.
Luvas de seda de cores a 100 rs. o par.
Mantas superiores para grvala de homem, urna
500 rs.
Peilos de cor para camisa de homem, duzia 2*.
Cortes de caiga de meia casemira 1*.________
Na rua do Queimado, loja de ferragens n. 4
eende-se muito em conta um par de venezianas.
Desde muito lempo o publico
abandonou o uso das propararocs
iuliluladas depurativas conhecidas
sob o 1101 iie do Arrobes, Xaropcs
de Salsaparrilhii composlos, ele
Cuja accao, maior parle das vezes
i nulla.'c n'algums casos perigosa.
Os Co.NFEITOS DKPtr ATIVOS TEM O ASPECTO
F. O COSTO ACHADAVEIS E CONTEU SOB tM
PEQUEO VOLUHE SUBSTANCIAS HUITO ACTI-
VAS QUE O SEO MODO DE PREPABACAO TORNA
SALTEI'.AVEIS.
OsuccefeNo ih# estes con -
fcltosoblvcraocm Fran-
ca sob o patrocinio das principaes
celebridades medicas, os poe cima
de ludo quaulo lem existido alh
hoje.
Cura rpida sem o socorro
de nenhum outro remedio in
temo, das escrophulas
herpes, affeccoes syphi-
liticas hypertrophias
dos tessidos celulares,
hydropisia e em geral
todas as molestias produzidas
pela alteracao do sangtte ; tal
o resultado que queramos
conseguir e que temos sem-
pre oblido.
Urna cxplicacao accompanlia cada
ridro.
Desconfiar-sc, das ra!c';ficacocsct imi-
tafocs.
Para as eiicomeiidiis dirigirse aos
Sures. BlSSOK ET c1', 1S, B< Princc
Eus'M, Pariu
du-
GRANULOS tX.,
D'^ORtfCOTviS'j^lATO
DE J. LEPI
ltesulu pelas experiencias feilas Das ludias e em-'
Frutea pelos mais afamados mdicos que as*GRAM
LAS e O XAROTE de IIVDROCOTVLA asitica d*
I. LBFINE sioo ptimo remedio contra todas as espe-
cie* de mr-lGEN* ou HERPES e ostras moteslb* pelle, at as mais inreieradas, assim como a lepra
OU MORPBBA, a Sirilll.IS as MOLESTIAS ESCRO-
FULOSAS, Ot RIIKL'MATIsMOS chrunicos. etC
Deposite feral em Paris, em casa de ruiR.vmi' "
LABEI.OWE, raa Bourben-Villeneure. 19.
Deposito.geral em Pernambuce rua da
Cruz n.22 em casa de Caros & Barboza
Pechineha
A 4#000 rs.
Algodo superior com toque deavaria a 3- (> e
i0O : oa rua do Queimado, esquina que volta
para a Congregado os. 43 e 45, lojas ooidas, com
reole amarella.
Registros.
Acha-se a veoda um graode'e mui rico sorii-
raeoto de registros de muitas e variadas invoca-
cCei, proprios para serem distribuidos uo mei de
Maria, muito bem irapressos e em bom pape1, a
prec. os com modos : na rua do.Ianperadcr u. \o iit
frooie de Si Francisco.

raivEL


tarto de tVrmambtrc n(t lelra de Malo de 184.

HEG4R4N OS SIOBERIVOS H4LES DE
FILO PRETO.
Superiores chales de fil preto chegados pelo ullimovapar francez, a
5p| loja das columnas ra do Crespo n. 13, de Antonio Correia de Vasconcel-
os & C.
CONSULTORIO MEDICO-CIRIBGICO
DO
DR PEDRO DE ATTAHYDE LOBO MOSCOSO,
MEDICO, PARTEIRO E OPERADOR.
3 Ra da Gloria, casando Fundao 3
O Dr. Lobo Mosuoso d consultas gratuitas aos pobres todos os dias da 7 s 1
or is da mnha.e das 6 e meia s 8 horas da noite, excepclo dos dias santificado*
* i i nt 'i etp??ial homeopnthica
No mesrao consnltorio ^ia sempre e mais appropriado sortimento de carteiras
tobos avulsos.assim como tinturas de varias dymnamisaces e pelos precos seguintes
Garteirasde !2tubosgrandes. 120000
i de 2i tubos^randes. 180000
Jj n.nu ,'rmies. 240009
tolfttafcHfrioias. 30J000
de 60 talm grandes. 350000
>-i nrvso i nlquer oarteira conforme o pedido que se fizer, e com os remed
Um tubo avulso ou frasco de tfnturade meia onca 10000.
Sende para cima de 12, custarSo is precos estabelecdos para as carteiras.
Haiubos mais pequeos cada um a 500 ris.
LITROS.
u ,, i i i 11 11 n >. nuliia, -> M i mil de Medicina Homeopattco do Dr. Jahr
u la 7)1 ia'-> '-'a li'iciuairio........, 205000
Uilicina lomitica h Dr. Hering........... 100000
Koirtoriol l)r. J H > Miraos............ 60000
Diccionario aur*Hiiutei0a........... 30000
Os re ne lies de He eUabelecimento sao por demais conbecidos a dispensara portan-
te de ;eren\:ividente reconmandados aspjssoasiue q tizerem asar de remedios ver-
di i-Y/s eiergicos eduradores:hatudodo nelhonjue se podedesejar,globosde ver-
dadero assusar deleite,notaveis >elasua boa .onscrvico,tintara dos mais acreditados
eniTeieciinentosearopos.amaisixactae aecurada preparado, portanto a maior ener-
ga i :c.-te/.a e.o u e'Ieitos.
Cata d'i mmi pv*& escravos.
Recebe-seiscravospara tratar de jaalquer anfermidade ou fazer-se-lhe jualquer
OpdrACo, para o que o tnnnnciantejulga-se; itfi; i tatemen, te habilitado.
Otrtamento o melhor possivel,tanto na arte alimentar, como na medica, e |
funcionando a casa a mais de quatre annos, ha anitas pessoas de cujo conceito se nao'
p-i; davidar, que pdem ser consultados por aquelles que desejarem mandar seus
v
dti
'!'*S.
laa-se 20000 por dia durante 60 dias ed'ahiemdiante 10500.
V> iperaces ser5o rrftvtamerite ajustadas, se nao se jiiizerem sujeitar aos preco?
,. ^ 11 >;'. i i i i! ti o aruxuaciante.
L
iY>rit>rio eiolo^ieo e cliaio de F. P. Lebeuf e C
rua Montniartre, 31, em Pars.
Fabrica em Argenteiiil, prs Paris (Franca).
BOWIACAO E ftMMICltj
Disviahos, agurdenles e licores.
v\J!I >*.Imitaglo dos vinhos de todas as
lu IItl-J*.ttraeto da He-l-tt, adose para 230
litro*, 1 f., le Barden, 2 f., de Poraard, 3
.,le Lisboa, i f.,de Cataln, 2 f.,de Porto,
X-i-r., Mscate), Malaga, dose para 23 ou 30 li-
tros, if.
Substancia (>3ra fabricar com o alcool e agua
o? rinos cima e todos os outros. A dose para
50) litros, 50 f.
CLACIFTCA^O. Pos Inglezes, pos dos vinhos
da itesoanha, da Franja, etc. A libra para 500
litros. 5 f.
COLOR \GO.Purpirigine para colorear os
vinhos brancos e vinhos .'aros. As duas libras
para 300 litros, 16 f.
AGUARDEXTES -Essencia de cognac para dar
as agurdenles ordinarias o sabor e> aroma de
cognac. A garrafa para 100 litros, 5 f
KISCH E ABSI.N'TIIOEssencia l kirsch e
de absintho, para os fazer cora alcool e a?ua A
garrafa para 100 litros, 5 f. 8
LICORES.Extractos para fabricar se todo< os
licores conhecidossom fogo nem alambique, (in-
dicar-se os que se I jsej.i.) A dose para 20 ou U
litros, 3 f.
PERFUMES >ara fabricar-se os licores finos ou
communs a dose para!) ou -2o litros, I f. 25
TODOS os outros productos para o trabalho dos
vinhos,agurdenles, licores, vinagres, etc. sao
fabricados de encommenda.
UTENCILIOS de laboratorio e de chimica.
Alguns de nossos agentas tendo falsificado e mitado nossas proparacoes, e engaado nossos
fr.jgezesjdeve-sa exigir s-ibre as rothas e rtulos asinlciaes F. V. L. Pars,
0 noin di usar-so daspreparaeesieha-seindirailo no rotulo.
As ennommendas devem scracompanhadasporuma letra sobre Pars ou qnalquer nutra cida-
!-'"rri:;i, oa {rai'ilis |i>r ami casa ioJio la. Dirigir-sn aosSrs. Lebeuf & C. chimicos rua
3TH*m,n. 51, sm P.i.-i-, oa su fabriciom Vrreuteml, prs Paris.
de
m
i o l.vi francei, rua do Imperador n. 38.
Nova loja de miudezas
&y Caeia do Reeife--o
o- Ka a
DK
Silvestre Pereira da Cunha & C.
0> don-.s ilast-novo estabelecimeato abrindo-o
a i: :urr.'o:ia do respsitavol publico, esperam
mi !T.:r desle tola aproteegao, j pela delicadeza
is suriadade que empregaro em seus negocios, co-
mo pjlocompleto sortimento de miudezas e per-
fil ii iras, coma sejam flvelas com cintos, agulhas
ira riaes as melhores que tem vindo ao mercado,
diu> catatlas, sapatos de tranca para homem e
senil >ra, rap do Rio, fumo de Herlebeck, can-
il ros para gaz, charutos muito finos, bilhetes da
I noria, tillagar^a e muitos outros objectos que se-
:;a falintiomencionar,sendoestes vendidos por
iregjs ti) razoavels que a pessoa que comprara
nrimeira vez, nao deixar de continuar a vir sor-
tir-*e neste novo estabelecimento.
100000
800000
400
dkc dognz.
pitch t!o n.
Ali'.atra1) do gaz
Goke tonelladas rs. .
Pitch .
Alcatr3o caada.....
O eoke roconho;idamente o carvao mais econ-
mico, torna-se p>r isso recoramendavol, bem co-
mo o lo asseio que se nota as cozinhas aoode
.ille usado. Piten e alcatro.alra das applicacoes
diversas a ju se prestam, como para callafetar
embarcacoes, ilcatroar madeiras.etc, teem este a
propriedade de preservar docuplm, forraigas.etc. i
E outregar aa fabrica dogaz ou mandado por em
qualquer ponto da cidade, segundo a vontade do
comprador.
ff o o i r-"-5 S^ o a a> ST
=.Eag^g82SP
2f II g'B'g'p.I s
Frdncisco Jos Germano
RU4.\OV4 \. ai,
aoaba ]-< receber um lindo e magoifioo sortimento
de oculos, lunetos r binculos, do ultimo e mais
aparado goto da Europa.
ufeites a Hari Pa.
A loja da Aurora na rua larga do Rosario n. 38,
r ceben grande e variado sortimento de enfeltes a
Mara Pa para cabeca, dos mais moernos que
i -m i-hgado.
FiMiiesde liiinlena pan aUr cabella.
P 'nies do diadema pira atar cabello pois o al-
l ii i g >.slo que agora se usa.
I.nihas d crochet de itifferentes erossoras.
Vnlus aznes i Mara Pa, rlttOR sintos de fitas
largas cora fivdasdonradas finalmente sortimento
igual a inte s su enc.ra.ra na loja da Aurora ru
lug i promptu as ordens de qualquir freguez que for
ciii dinhsiro, quem duvidar mtnde ver para jus
lid mt a verdad?.
-3
ja
S ^2
&
-9 o--,, a
o w
O 9
o S*g S S. "
i
-J
m
3*J
.=!. o. 2 w ^S-o
a ** 3 u^sSa--. u" > J
.2" o
n a
ce ^
3 ^ 2.-
AURORA RRILHAM'E
GRANDES ARMAZENS
MOLHADOS
uzT li^f VIIVI S 1 Largo da Sant
quiB. d. rua dol WllWira Cruz n 84, es-;
seb0. di^SPECIAEs|rdaruad0^
o
Q
pelo grande
ero quanto
>L'taylSoo8.UhrM decloari5as rooito notas,
Dmlf.D? fi0?,P5" empostasinteiras,
iiSoo 7 a i*K>0, 1*280e
"'SUS?. aSSVs9XCa"en,e m>C Pa" 'rf-
D2: com fIvaih>aa^oarkeDSPadaS'' 72 *
Ditas comamelxas a 13200, 1*800 e 33300.
Abwu?,n7JonSadi d afaraad ,abricanle
Ditascom massade tomate, SOO rs.
?ff*g**mn, novos, a IJSOO,
lD23S(Joonb0laCbllha d*SDda muit0 novas' a
'D,.SetaSSh8 l0g,eze94fl ""O-
GkiMlate.
t.aixinhas com ameixas enfeitadas proprias
\rhlr!,\mm a *200,2i)800 e 3200.
i?wol*SBuk" mu,t0 novo'a,ibrad8
|MaaCa400rs"haram a,etf'a amarella'a libra
Dito dito dita branca, a libra a 400 rs.
Laixas com estrolaha, pevide, e outras raas-
t sas, a cana 34500.
Ditas dita em libras a 640 rs.
Laagu, alibra a 360 rs.
JSevadinha para sopa alibra, a 240 rs.
.mihas seccas, a libra a 160 rs.
OItM descascadas, a libra a 200 rs.
fTapioca muito nova, a libra a 280 rs.
tannha de araruta verdadeira, a
500 rs.
'Ar9rSn0 Mara[>hao, em sacco,
23400 e a libra a 80 rs.
Dito da India e Java
} bra a 100 rs.
|Touclnho de Lisboa a 93500 a arroba e a 320
rs. a libra.
(Ditoi de Santos, a arroba 73000 e a libra a
260 rs.
.Molnos cora 125 ceblas grandes, a 1*280.
f*SS? franceza caixa com 2 duziasa
Prascos com mostarda preparada em vinagre,
Dit1.s,'0" ^nservas inglezas e francezas, a
640 e 800 rs.
Ditos com sal refinado fino, a 640 e a 500 rs.
i0s?m a verJade''"a genebra delaranja, a ; Ditapara tempero a 400 rs.
l000 Qiieijos.
Ditosi fleS garrafas de Hollanda verdadeira,a
640 rs.
BiuinS cora dita PrPrla Para negocio, a
Garrafoes com 2 gales com dita, a 63.
Ser veja boa, marca, a 500 rs. a garrafa, e a 1
libra a
a arroba a
Vinho verde superior.
A caada a 33000 e a garrafa a 400 rs.
Corama.
Saccas de 4 arrobas, a verdadeira de se
engommar, a arroba a 330OO e a libra
120 rs.
Sabaoraassa, a libra a 200, 240 e 280 rs.
Farinha.
Saccasgraades com farinha de Goianna mul-
to nova, a 33000.
Caf.
Caf do Ro muito superior, a arroba a 83,
83500 e 93OOO.
Cha.
Ch,teraos nestes generas o melhor possivel,
hyson, a libra a 23600.
Dito perola a 33000.
Dito uxim a 23700.
Dito hyson muito fino a 23800.
Dito redondo a 23500.
Dito preto de primeira qualidade a 23500.
Dito mais baixo a 23000 e 13600.
Erva mate.
Excellenle cha medicinal, a libra a 240 rs.
Espermacete.
O masso com 6 relias de esperraacete a 600, J
640 e 720 rs. &
Passas. ^
Caixas de 16e 8 libras de passas novas pro- 2h
prias para mimos a 43 e 23500. sj?,
Nozes.
Nozes, a libra 160 rs. e arroba a 43000.
Alpisla e paineo.
Alpistae panco, a arroba 4000 e a libra a
160 rs.
Cartas.
, a arroba a 33200 e a II-1 Cartas finas para logar, a duzia a 23500.
Caslanhas.
Castanhas novas viadas neste vapor, a arro-
ba 43000 ea libra a 200 rs.
Azfitonas.
Barriscom azeitonas novas a 13500
Man (oiga.
Manteiga superior, a libra a 13280.
Dita mais abaixo a 13200.
Dita menos superior a 13 .
Dita franceza nova, a libra a 88C
Dita dita era barris e meios ditos, a libra a,
850 rs.
Queijos novos vindos neste vapor a 23800 e'
33000.
Ditos londrinos multo novos, a libra
13000.
Papel.
duzia a 6-J000.
Vinho muscatel deSetubal, a garrafa a 13.
Marrasqmnho verdadero, frascos a 80C rs. e
a 13200.
Champagne, a duzia 203000, e a garrafa a
23000.
Azeite refinado portuguez e francez, a garrafa
a 13000.
Caixa de vinho Bordeaux multo superior, a
73, 83,93 e 103 a caixa.
Ditas com dito branco, a 73 a caix.
Ditas comditolasriraas do Douro verdadeiro,
a 203.
Ditas com duque do Porto verdadeiro,"a
183000.
Ditas com chamisso superior, a 143.
Ditas cora Porto velho e outras muitas mar-
cas, a 123.
Vinho do Porto da pipa, a garrafa a 640, 720
e 800 rs.
Dito de Lisboa muito bom, acanada a 33200,
33300 e 43, e a garrafa a 500 e 560 rs.
Dito da Figoeira, das seguintes marcas (N.)
f J. A. A.) (J. L. G.) (O. M.) a caada a
43300, e a garrafa a 360 e 640 rs., deste
que j est engarrafado e lacradocom o
rotulo do armazem.
Ditos de marcas mais desconhecidas, a caa-
das 33500 e 43000, e a garrafa a480e
320 rs.
Vinho branco fino, a garrafa a 640rs.
Dito de caj multo superior, a garrafa a
800 rs.
E grande pantidade de gneros tendentes
estes estabeiecimentos, que deixam de an-
nunciar-se.
Papel almaQo paulado, a resma a 43800.
Dito dito lizo de linho, a resma a 45500.
Dito n peso lizo e pautado, a resma
23500.
Dito deembrulho.bom a 13 e 13?60.
Vinho Hadeira.
Garrafas com o verdadeiro vinho Xerez e Ma-1
deira a 13300 e 23000.
Temperos.
Folhas de louro, piraenta do reino, cominho'
e cravo, a libra a 400 rs.
Velas de carnauba.
Massos com 6 velas de carnauba refinada a'
480 rs.
Amcndoas.
Amendoas com casca, a libra a 320 rs.
Doce.
Caixoas de doce de guiaba, grandes a I3'00]
e pequeos a 640 rs.
lijlos de limpar.
Tijolos de arear facas a 140 rs.
Graia.
Duziasde boioes de graxa n. 97 a 23000, e 1
de latas a 13000, e os boioes a 240 rs. ea-
da um, e as latas a 100 rs.
Charutos linos.
Charutos finos dos melhores fabricantes da
Bahiapor diversos .precos, caixas e meias.!
caixas. V (
DE
AZEVEDO FLORES
Roa da (]adeia do hecifp, esquina da Madre de Dos,
Prestem attentfo ao discurso do Balo.
A loja do Balo todas as semanas reforma o seu annnncio em consequencia de
constantemente receber novas fazendas e novo sortimento de roupa fita, os seus precos-
sao os mais moderados como j ninguem" ignora, as fazendas que n3o levm prero marca-
do porque ha diversas qualidades e diversos precos, e em loja alguma encontrar o pu-
blico um to completo sortimento de fazendas e roupas feitas, e n3o havendo a obra que
o freguez procurar toma-se a medida e em 24 horas estarlo salisfeitas as exigencias do
fregmez.
Pede-se atiendo.
Chapeos de sol com 16 asteas a 12$.
dem dem com 12 asteas a8>.
dem idem denominados acadmicos, fazenda inleramente nova com 12 asteas a
120, por este preco s na loja do Balo se encontra.
Bal5es de arcos para senhoras, os melhores que ha a 30.
dem de arcos e de musseltna para meninas a 2, 20500 e 30500
Vestidos finos a Mara Pia a 140.
dem dos riis modernos que ha de flores matisadas a 180.
dem com barras, fazenda anda nao vista em Pernambuco a 240.
Pecas de cambraias que sempre se vendeu por 90, o balo vtnde por 70
Chitas preclaras que todos vendem por 640 rs., o Balo vende a 560.
dem da mrsma qualidade, porm de ou'.ros paires a 440 rs.
dem escuras a 300 rs. estao-se acabando.
dem estreitas a 200 rs. s na loja do Balo.
Las de accento escuro com flores matisadas denominada pelas senheras aoe i
compraram (Ia econmica.) H J
Cambraia de cores as mais finas a 800 rs. a vara.
dem de cores com quadros brancos a 560 rs. a var?.
Madapolo a 80 a peca, que vale 9, lambem ha fino.
dem francez proprio para saia de senhora a 560 rs. a vara.
Camisas de meia muito finas a 220 a duzia.
Meias cruas para homem de 60 a 80 a duzia.
Camisas de pregas largas a 20500 que todos vendem por 30.
dem inglezas de linho milito finas a 480 ou 540 a dua.
dem de flanella de cores muito finas.
Calcas de casemira pretas e de cores de 70 a 120.
Paletos de casemira decores e pretos, a 100. 110 < 120.
Colletesde casemira e debrim branco os melhores que ha.
Calcas de brm bra-co muito finas a 40500, 50 e 70.
Paletos de alpaca branco a 50.
Mantas modernas para pescoco de homem.
Collarinhos de papel de cores a 800 rs.
dem brancos a 400 rs. a duzia.
La preta para luto e de todas as mais cores a 500 rs. o covado.
Ceroulas de linho com duas costuras.
dem de algodo a 10600.
Cambraias para forro de vestido a 20600 a peca ou a 360 rs. a vara
Chales de merino estampado que custaram 80, vende-se por 50 em razao de e-
tarem um p uco desmaados por ter estado a mostra, por estes precos s na loja do
MCHIN4SDEPATEM
de
trabalhar mo par
descaroear aBgodo
FABRICADAS
Por Plant Brothers & C.
OLiil
AGUA
DE
Florida.
para restabelecer e conservar a cor natural dos ca-
bellos.
A agua de Florida nao una tintura, fado es-
sencial a contestar, a mesma agua dando a cor
primitiva de cabello. Compostas de plantas exti-
cas e de substancias inoffensiveis, ella tem a pro-
RSiaSm^hi,. I priedade de reslit"ir aos cabellos o principio co-
Estasraachina: ranle que eMes len, perdido.
poderadescarocar De uma salubridade incontestavel, a apua de
Floriaa entretcm a limpeza da cabeca, desrtoe as
caspas e empede os cabellos de cahir.
qualquer esped
de algodao sea
estragar o fie
sendo bastantt
duas pessoas para
o trabalho; pdt
descarocar ums
arroba de algo-
dao em caroc<
em 40 minutos
ou 18 arroba;
por dia ou o ar
robas de algodc
limpo.
s
Sf~ 2S
= 3 c i s; -
Sr3ES.o-.w
* O. a C3

T3 2 CL0
3-a? s 2
__. #
|
lo
BMft
a w
2 jg
" 2
S 85 &
O ?
O

09 O
- I'
-I
Ba
s
i
O


O
>
Vende se um moleque com 13 annos do nia-
c f,j n. 36.
Ly'a das seis portas em frente
do LivriTnento
Vendera-se pecas de bretanha de rolo com 10
.! pelo baratisslmo preco de 2JS00, a pca, e
mu i tos outros artigos, e bem assim uitt.yariadi
oriiraento de roupa feita, que tudo'e vende mais
barato do |ue era outra gai\qt parje : fEe tudo
se do amostras codBtalwrcs.
Uma familia <\n* se retira vende uma mobilia
de araarello j usada, trem de cosinha, ftica de
almoco e-jamar ata), orna mesa de jantar de ama-
relio ps torniados, mesas pequeas, commodas,
cama de casal e mnites outros objectos o que tudo
se veuder em conta : na rua dos Pires n. 6.
- Vende-se uma negr nha do 10 anos, maito
esperta e sadia : no pateo da mairU de Santo An-
l ionio a. 8.
eORTIMAOO^ BORBJL1ION
N. 11 Rua do QueimaoN. 11
A este estabelecimento chegou ltimamente da Europa um grande e variado sorti-
mento de coriinados bordados o que ha de mai gosto em desenhos e bordados.
Lindos bonets de palba de Italia par senhoras.
Chapeos e chapelinas de palha deluda ricamente enfeitados.
Chapeos Baos de seda para cabeca de horneas e chapeos de sol de seda ioglzes "de
8,1S el astea. *
Bournus e chales de renda pretos superiores.
Pelisses e soutembarques de seda preta para senhoras.
Cortes de ia de barras de 14J> a i de muito gosto.
Baldes de arcos e de nausselina finos, manguitos e camisinhas.
Saias bordadas muito superiores.
Moreantlque preto,grosdenaple preto e de cores, panno preto fino de diversas qua-
iidades e casemiras pretas e de cores.
Luvas de pellica para (ranura e senhoras.
E muitas outras fazendas que ludo se vende barato na loja de Augusto Frederico
dos Santos Porto, aonde lambem se vendem as melhores e mais biratas
Esteiras da India para forrar salas
N. 11-Roa foQaeimado-N.il
fi'filSta'UOO! CRISTI'.'.?
Traduzide do francez por A. J. C. da Crcz.
Ted-se este bello fremafree em qrfatr
tomos pelo baratissimo preco de 205OC
oa praca da Independencia, livrarians.
68.
Assim como machinas para serem movidas por
animaos, que descarocam 18 arrobas de algodi
limpo, por dia; e motores para mover uma, duas,
eutns dessas machinas.
O mesmos tem para vender um bellissimo va-
por que pode fazer mover seis destas machinas
mencionadas; para o que convida-se aos Srs.
agricultores a virem ver e eiamina-lo, no arma-
zem de algodo, no largo da ponte nova n.47.
Sausders Brothers & C.
i\. II, pra<\i do Corpo Sanio
RECIFE.
Os nicos agentes neste paii.
Rival sem segundo
Rua do Queimado n. 49, loja de miudezas de Jos
& Azevedo Mala e Silva esta disposto a vender mul-
lo barato que admira, pois seus freguezes ja esto
scientes que nao ha segundo competidor.
Pecas de cordo para vestidos a 20 rs.
Capachos redondos e compridos a 500 rs.
Talheres para meninos a 840 rs.
Duzias de facas e garios a 25400.
Ditas de cabo preto cravado a 3^000.
Baralhos francezes muito finos a SOO e 240 rs
Grozas de botSes de louca a 160 e 200 rs.
Caixas com soldados de chumbo a 120 e 200 rs
Bunecos de choro pequeos a 160 rs.
Varas de cordo para espartilho a 20 rs.
Duzias de colheres pra cha a 800 r>.
Duzias de colheres para sopa a 1,5500.
Ditas de metal principe de cha a 2O00.
Ditas para sopa a 4800.
Oleo de Florida
Composto de substancias vegetaes exotlras, elle
contribue poderosamente, com a agna de Flo-
rida aforca, a belleza e a conservaco dos cabel-
los.
Em Paris casa de Guilaur n. 112 rua de Rechi-
lieu e 21 boulevard Montmanre.
Todos os frascos nao tendo intacto e clare, e Un-
cir prateado da casa, reputado falso.
Deposito rua do Imperador pharmacia n. 38.
Bixas liamburgue.'iis.
Vende-sena rua Nova n. 61.
TaXo iMifea
Iendem gesso em pp para esluauade casas, lijlos
nos de feufo diversas pWa tafrfmo, azuleijos de
diversos gost, tolos vidraios para parde de co-
zinha, canos de barro para esgoto, etthento em
Barris de 10 arrobas.
11 f iinr-itt
Calnagas anos c briaquedos
para neniHOs.
Lfiegarara para a loia de miudezas da rua do
Queimado n. 69, ds mata Inbs e liados calungas
tanto para brmquedo de meninos cofto para cima
de mesa.: na mesma loja se encoatrar bom sor-
timento de mibdezis. j
eaebra de Hollanda em Cras-
qntMra.
Chegou a genebra verdadeira de Hllanda, mar-
ca VD, e vende-se somente no armazem de Barros
ft Silva.
DROGARA.
34Rua larga de Rosario34
Bartliolonieu Francisco dcSonza k C.
Vendem:
Acido actico puro para retratistas.
Esmaltes para ourives.
Papel para forrar casas.
GnamicSes avelludadas.
Tinta brancasuperior em lata.
AlvaiadeVenera, fino.em pes,______
120 e 6<'0 rs.
Rival sem segnndo.
Frascos com agua de solonia 120
Duzia de thesouras para costura 600
Caitas de soldados de chumba a 120 e 200
Na rna do Queimado h. 49.
Vende-se
na rua das Cruzes n. 23 jonco palha, mais bara-
to do que ea ootra Qualquer parte.
JSo armazem de fazen das ba-
ratas de Santos Coelho,rua
do Queimado n. 19, ven-
de-se o seguinte:
Lenges de panno de linho a 25400.
Ditos de bramante de linho de um s panno a
3,5500.
Cobertas de chita da India a 2509.
Leagos de cambraia brancos propnos para algi-
beira, peio barato preco de jOOO a duzia.
Pegas de bretanha de roo com 10 varas a 3$800.
Ditas de cambraia para forro de vestido, com 8
varas, pelo taratissimo prego de 25600.
Guardanapos adamascados pelo baratissimo preco
de 3#500 a duzia. p
Algodao enfestado com 7 1[2 palmos de largura a
15200 a vara.
Corles de 15a de lindos costos com 15 covados a
6*000.
Pegas de cambraia adamascada com 20 varas, pro-
prla para con inado, pelo barato prego de 115.
Fil liso fino a 800 rs. a vara.
Dito com salptcos a 15 a vara.
Tarlatana branca fina a 800 rs. a vara.
Aloalhado de algodo adamascado a 25200 a vara.
Dito de linho a 35200 a vara.
Lazinhas. lisas de todas as cores, pelo baratissimo
prego de 500 rs. o covado.
Pegas de tambraia de salpfcos brancos e de cores
com 8 Ii2 varas, pelo baratissimo preco de
45500. "
Bales de 20 arcos a 25500, de 25 a 35, de 30
3J800, de 35 45, de 40 45WO.
Toalhas felpudas a 135 a dutfa.
Esleirs da India de 4, 5 e 6 palmes por menos
prego do qne e.n ontra qualquer parte.
Neste armazem se encontrar um grande sorli-
mento de ropa feita er por medlda; r...
Admirara pechncha!
IHftrambiqne a 300 rs. o eovafo, na leja
de pavo.
Ve'ndemse os mais bonitos mogambiqoes d pu-
ra la proprios para vestidos e soutembarqne?,
sendo de qnadrinbos de llstras e lisos, fazenda in-
leramente nova, em padrdes e moilo proprias pa-
ra as senhoras qu freqnentam o mez Mariano,
porqne esta fazenda Ihes facilita fazerem por pon-
en dinheiro vestidos moilo decentes para qoalqner
acto, adwrtindo-se que este baraiisshro prego
devido a grande compra que se fea desta nova fa-
zenda, que se vende a freze tnstdes o covado : na
loja do pavo, rua da Imperatrlz m. 60, de Gama &
Silva.
I..
V

/
-
ILEGVEL
BamBI


Diarlo de Pcrnanfeic fteita fe Ira t de Halo de i8&
4
0
GERENTE
DO
AO PUBLICO
em o menor eosslraa-
glmento se entregar o
ipiporte do genero que
5o agradar.
ESTABELECIDO A EUA NOVA N. 60
AO
RESPCITAVEL PlBf.KO.
A apreciarlo dos habitantes desta heroica provincia existe do grande arma-
zem da Liga estabelecido ra Nova n. G0 um magnifico sortimento de molhados,
que sendo em sua marra i parte mandados vir directamente do estranguro podem ser
vendidos por precos asss razoaveis.
Sem a fatuidade de querer que este novo e interessante estabelecimento seja o
prlmeinve nico em seu genero, pde-se porm iffiancar, com toda a seguranza de que
nenhum outro o exceder no restricto cumprimento das seguintes promessas:
ATTEN&O
O preeo da seguate
tabella para todos, po-
dendo aaaim servir de pa-
se para o ajaste de eontas
eom os portadores;
RA DA CADEIA DO RECIFE N. 53
(Logo passando o reo da conceico)
Irritacao dospulmoes. angi-
nas, tosse, escarros de
sangue, crupo ou garro-
tilho, catarro, rouquidao
e todas as innumeravei molestias que affec-
jo aos orgaos da respiraran
DESAPPAHGCEN
mediante a accao da balsmica e irresistivel
ANACAHUITA
1.'. Delicadeza no trato.
2.j Fidelidade no peso.
3.' Sinceridade nos presos.
As pessoas que por sua posicSo social gozam de certo tratamento, acharo nesta
casa os melhores queijos londrinos, cerveja, vinhos finissimos manteiga e cha sempre de
primeira qualidade. etc., etc.
Qualquer que seja a condicao do freguez, elle deve contar que ser sempre mui-
to bem servido.
Aquellos que sao pouco favorecidos da sorle farao mensalmente urna economa de
muitas patacas, afreguezando-se nesta casa, onde se lhes vender arroz, o caf, a man-
teiga oassucar, etc., etc. de boa qualidade pelopreco que em algumas partes n5o po-
dem ou Bao querem vender.
Os senhores de fra da cidade, dos arrebaldes ou centro, que compram para ne-
gociar, devem vir, pelo seu proprio interesse, a este estabelecimento para se convence-
rem do quanto se pode vender barato.
Para os senhor-'S que compram para tornar a vender existe um sortimento espe-
cial, escolbido por pessoa entendida que certamente muito deve agradar aos senhores
compradores.
Nao se tem poupado sacrificios, nem se deixar de fazer a diligencia para agra-
dar a todos.
PELOS SEGUINTES PRECOS S SE VENDE
A MNHEIRO A VISTA:
ALPISTE E PAINgO a 120 rs, a lib a.
AMENDOAS novas a 28o rs. a libra.
AVELES a 240 rs. a libra.
ARROZ de90rs, a libra a,..
AMEIXAS francezas em latas, potes, fras-
cos, bocetas, etc etc.
AZEITE doce a C00 rs. a garrafa, cadada a
B
BANHA de porco a 660 rs a libra, em por-
co faz-se abate.
BOLACHINHAS do beato Antonio a
BOLACHINHAS de soda lata grande a 2,000
ris.
BISCOITOS ing'ezesem latas de 1,200 rs. a
BOLAGIIINHAS principe Alberto a 2,000 rs.
C
CHOURICAS m ato novas a 800 rs. a libra.
CAF de 260 rs. a libra.
CHOCOLATE francez a 800 rs. a libra.
CHAMPAGNE das marcas mais acreditadas
a 25,000 rs. o gigo.
CHARUTOS de todas as qualidades, suissos,
americanas, habannos, fluminenses, etc.,
de 1,400 a 10.000 o cento.
CHA IIYSSON de 2,200 a
COPOS 1 sos ladidados de todos os taa-
nnos a
m
DOCES de todas as qualidades.
i:
ERVILHAS seccas e em latas portuquezas e
francezas.
F
FARINHA de araruta verdadeira a 800 rs. a
libra.
FARINHA do Maranho ou tapioca a
FARELLO de Lisboa a 4 e 5,000 rs. a sacca.
FAVAS portuguezas em lata a 600 rs.
O
GOMMA muito nova e alva a 140 rs. a libra.
GRAO DE B1C0 a 120 rs. a libra.
GENE31U delaranja a 9 e 10,500rs.
CENEBRA de Hollanda i m .botijas, frascos,
garrafas, etc.. etc.

MANTEIGA ingleza efranceza al, lf5120
li$280 e em barril faz-se grande abati-
mento.
! MACARRO a 400 rs. de 8 libras para cima
a 360 rs. a libra.
MASSA DE TOMATE a 600 rs. a lata.
MOSTARDA ingleza a 800 rs. o frasco.
MARRASQUINO de Zara.
MARMELLADA de diversos fabricantes e
diversos precos.
P
PEIXE em latas a 1,000 rs.
PERAS SECCAS a 500 rs. a libra.
PASSAS muito novas a 320 rs. a libra.
PRESUNTO para fiambre.
m
QUEIJO do reino de 2,000 a
DEM londrino.
DEM suisso a 800 rs. a libra.
DEM prato a 800 rs. a libra.
*
SABIO MASSA a 160 rs. a libra e grande
abate em caixa.
SEVADINHA a 200 rs. a libra e 8 libras se
far grande abatimento.
V
VINHO tinto de 360 a.. garrafa.
VINHO tinto em caada de 2,560
VINHO branco em caada de 3,500 a
VINHO verde a 4 rs. a caada.
VINHO Bordeux em caixa a 6.000, 7,000 e
VINHO de Grave a 6,000 rs. a caixa.
VINHO Cherry a 1,000 rs. a garrafa.
VINHO do Porto de todas as marcas e todos
os precos.
VINHO Collares a 800 rs. a garrafa.
VINHO tinto, neste genero ha constantemen-
te 20 a 30 pipas ao torno de diversas
qualidades e diversos precos.
VINAGRE em ancoretas a 15,000 rs.
VINAGRE em pipa a 160, 200 e 240 rs.
VINAGRE branco a 400 rs. a garrafa.
VELLAS de carnauba a 13 e 13,500 rs. a
arreba.
Senborcf fi senhoras, o aceio que
rea*com que sera (rri.i36uwvida a urna
. pra dos gneros que precisares e quando
pois serio tSo bem servidos como seviessem
tra parte.
, Manteiga ingleza especialn ente escribida a
i l>000 e 8oo rs. a libra e em barril se faz
abatimento.
Idemfrancezaa mais nova do mercado a 96o
rhhl a '*^ra e 800'rs. en barril ou meios.
uia hysson de superior qualidade a 2,600
t rs. a libra.
Cn* Perola o mais superior do mercado a.
2,8oo rs. a libra.
dem hysson muito superior em latas de 15
libras muitoproprio para negocio a 2,ooo
rs. a libra.
dem hysson nacional em latas de 1 e fJ-
bras al,6oors.
dem preto o que se poda desejar neste ge-
nero a2,oooe2,2oorsalibra.
Linguicas muito novas a 8oo rs. a libra e em
barril se faz abatimento.
Chouricas e paios a 8oo rs. a libra.
Costelletas inglezas a 64o rs. a libra, serve
para temperar paneHa ou para fiambre.
Queijos do reino cnegados-neste ultimo va-
por a 2,2oo rs., ditos de navio devella a
2,ooo rs.
dem londrinos muito frescos e de superior
qualidade a 8oo rs. a libra.
dem prato a 8oo rs. a libra, e inteiro se faz
abatimento.
dem suisso o mais superior que tem viodo
ao mercado a 64o rs. a libra.
Ervilhas e favas portuguesas j preparadas
em latas hermticamente lacradas a 64o.
Feijao verde muito superior a 640 rs. a lata.
Copos lapidados para agua a 5,ooo e 5,5oo
rs. aduzia.
dem idem para vinho a 24o rs., e 2,4oo rs.
a duzia.
Chocolate francez espanhol e suisso a 9oo,
i,ooo e 1,2oo rs. a libra.
Espermacete superior a 6oo e 64o rs. a li-
bra e em caixa se faz abatimento.
Peixe em posta em latas hermticamente la-
cradas e das melhores qualidades de pei-
xe a 8oo, l.ooo e l,2oo rs.
Vinho Bordeaux das marcas mais acredita-
das que vem ao nosso mercado a 7,ooo e
8,ooo a caixa e6lo e 7oo ris agar-
rafa.
Genebra de Hollanda a 48o rs. a botija de
conta certa.
Frasqoeirasde genebra de Hollanda a 6,8oo
e 64o rs. o frasco.
Genebra de laranja verdadeira em frascos |
grandes a l,ooo e H.ooors.a frasqueira.
Gaf do Rio de 1* qualidade a 28o rs. ali-
bra e 8,5oo rs. a arroba.
Caf do Cear muito superior a 24o rs. al-
bra e 7,5oo rs. a arroba.
Arrozdo Maranho de 1* qualidade a loo!
rs,a libra e 2,8oo a arroba,
dem da India a loo rs. a libra e2,8oo a'
arroba. j
dem de Java a 8o rs. a libra e 2,4oo a ar-
roba.
Paine e alpista a 14o rs. a libra ei,oooa
arroba.
Massade tomatesde superior qualidade a 64o
rs. a lata de urna libra e56o rs. a reta-,
lho.
PARA BEM DE TODOS.
presidio aos arranjos deste novo estabelecimento, e mais que tudo a promptid3o e intei-
visita ao mesmo, certos de que sem duvida me darlo a protecco e preferencia na com-
n5o possam vir poderlo mandar seus portadores, anda que estes sejam pouco praticos,: ,*.
pessoalmente, havendo para com estes toda recommendacao, afimf.de que nao voem PE jO/j rjr
Superiores cortes de moirs preto com barra, o qne ha de melhor gosto em
Pernambuco. .
dem de gorgurao preto adamascado com barra a imperatnz Eugenia.
dem de gorcur5o de seda bordados com barra. ___
Superiores moirs pretos e largos 2,5400, 20600, 3, 3*800, 4/f, 55, 60,
70 e 8J o covado.
Superior gorgurao de seda preto, a melhor fazenda que ha para testido.
Sarja preta de seda.
dem preta hespanhola.
dem idem lavrada a 20 o covado.
dem dem lavrada muito superior.
Completo sortimento de grosdenaple preto a 10500, 10800, 20,20500, 30,
30500, O, 40500 e 50. ^
Pannos pretos de superior qualidade de 30 a 120 o covado.
Casemira preta de 10600 a 50 o covado.
Lindos chales, bournus, algeriennes e retoudes de filo preto.
Mantas preles de fil e los pretos.
E muitas outras fazendas de superior qualidade na loja das Columuas
na ra do Crespo n. 13 de Antonio Correa de Vasconcellos & C. successores
de Jos Moreii a Lopes.
GOMMA NOVA.
En paoeiros nwtto alva a 4,ooo rs. a arroba e 16o rs. libra e compran-
do e um paneiro para cima se far abatimento na ra do Imperador n. 40.
Movldade.
A 1*008.
Lques de osse, gosto moderno, pelo diminuto
prego de U : so Da ra d Cadeia do Recite n. 8,
leja de mindezas de Silvestre Pereira da Caoba
Companhia.
Farelo a 3800
aa roa da Imperatriz o. 0.
Chegaram os superiores
cortes de seda.
Superiores corles de seda de cor, viudos pele
altimo vapor francez: na loja das columnas a roa
do Crespn. t$, > Antonio Crrela de Vascon-
cellos a C. I
Ta 6,oo?a50caixaU1,,arm 4 rS' 3 ^, Sa,,refinado em frascos com lampa
^VSSSSS^J^ Sfc' &SX!+ mais acreditadas
T^lTZC7^hSipm0 m\ M-afa, e5,8oo, 6,ooo e6,500
ip, em anooretas de 9 caadas a Cevadinha de Franca muito nova, a 2oo rs.
, Charutos do aflamado fabricante Jos Furta-
do
e 64o
a du-
35,ooo rs.
Vinho em pipa : Porto, Figueira e Lisboa a
3, 400'e Seo ts. agarrafa, e em caada
a 2,5oo, 3,ooo e 3,8oo.
Vinhobraneode Lisboa de excellentequali-
dade a 4ooe Soors. a garrafa e em cana-
da a 3,ooo e 3,5oo.
Vinhobrancopara nrissaem caixas de 1 du-
zia a 8,000 e 88o rs. a garrafa.
Vinho do Porto das melhores marcas que
vem'ao mercado como sejam: Lagrimas
do Douro, Duque do Porto, Rainha de Por-
tugal, Duq%e genuino, D. Luiz I, Madei-
raSecca.Matvazia fina a 16,ooo,15,ooo,
12,ooo e lq,t)Ooa caixa com 1 duzia e9oo
1 ,ooo c l,5oo rs. a garrafa.
Vinho Cherexde superiorqualidadealMoo
a duzia e CSoo rs. a garrafa.
Sardinhas de Nantes a 4oo rs. os quartos e
64o rs. as meias latas.
Bolachinhas inglezas muito novas a5,oooa
barrica e 320 rs. a libra.
Bolachinhas de soda em latas de diversas
qualidades a 1,Soors.
Cartees com bolo francezmuilo proprios pa-
ra mimo a 64o rs.
Passas muito novas em caixinhas enfeitadas
para mimo a 3,ooors.
Passas de carnada a 8,ooo a caixa e 4oo rs.
a libra.
Figos de comadre a 24o rs. libra.
Amendoas de casca mole a 4oo rs. a libra.
Milo de amendoas a 5oo rs.
Bolachinha d'agua e sal, da fabrica de Jlo
de Brito no Beato Antonio, emlata de 6 li-
bras por2,5oors.
Ameixas francezas em fiasco de vidro com
lampa do mesmo, a I05co.
Ameixas francezas em caixinhas de diversos
tamanhos com bonitas estn pas na cai-
xa exterior, a l,4oo, l,6oo, I,8ooe2,ooo
cada urna.
de Simas, das seguintes qualidades:
Exposicao Normal de Ha vana, Imperiaes,
Londrinos, Guanabaras, Parisienses, Sus-
piros Delicias, a 4,ooo, 4,5oo, 5,ooo,
b,ooo e 7,ooo a caixa ouem meias.
Charutos finos de diversas marcas e fabri-
cantes, como sejam: Flor do Norte, Ma-
nilhasde Havana, intervallos. Vencedores,
Panatellas e Suspiros, a 2,ooo, 2,5oo e
3,ooo a caixa.
o gnac inglez das melhores marcas, a 8oo e
l,2oa a garrafa,
Doce da casca de goiaba a 2,ooo a lata com
4. libras.
Farinba de araruta verdadeira a 32o rs. a
libra.
Matte,excellente cha para os navegantes, a
2oo rs.
Sebollas de Franca muito grandese novas
a l,8ooocento e l,2oosolas.
Palitos do gaz a 2,2oo a grosa.
Toucinhode Lisboa muito novo a32ors. a
libra e 8,5oo a arroba.
Banha de porco refinada a 65o rs. a libra.
Bolachinha Alberto, as melhores que pre-
sentementetem vindo ao mercado, a 2,ooo
a lata.
Farinhado Maranho muito alva e cheirosa
a 2oo rs. a libra.
Frascos com fructas em calda de diversas
qualidades a 2,5oo e l,5oo o frasco.
Caixinhas com fructas em doce secco de di-
versos tamanhos, muito proprias para
mimo, a l,6oo, 2,6oo e 3,5oo cada urna.
Ruibos, excellente peixe portuguez, em
barris pequeos ou a retalho, a vista se
far o preco.
Azeitonas de Rivasem ancoretas grandes de
8 garrafas por 6oo e 8oors. a garrafa.
Azeitonas portuguezas a 5oo rs. a garrafa e
l,5oo cada urna ancorela.
Azeie doce refinado hespanholou portuguez champagne da melhor qualidade que vem
a 9oo rs. a garrafa e lo:ooo a caixa.
Batatas muito novasa 8o rs. a libra e2,5oo
o gigo com 36 libra*.
Conservas inglezas a 75o rs. o frasco e
8,5oo a duzia.
Vassouras de escova para esfregar casa a
4oo rs.
Nozes muito novas a 16o rs. a libra.
Molho inglez em garrafa de vidro com rolha
do mesmo, a 16o rs.
Mostarda ingleza dos melhores fabricantes,
a 8oo rs. o frasco.
Mostarda franceza em potesj preparada a
4oo rs. o frasco.
Lentilhas francezas, excellente legume para
sopa, a 2oo rs. a libra.
Marrasquino de Zara propriamente dito a
10 a garrafae 1 l.ooo a duzia.
Palitos de dente a 14o rs. o mago.
ao mercado, a 2,ooo e 3,5oo a garrafa, e
24, ooo e 26,ooo o gigo.
Gomma deengommarmuitoalvaa 12o rs.
a libra.
Figosem sextinhas a 8o rs,cada urna e 72o
rs. aduzia.
Papel azul para botica a 2,ooo a resma.
Balaios para roupa suja, grandes e peque-
nos, por diversos precos.
Amendoas confeitadas a 6o rs. a libra.
Latas com fructas em calda: pera, pecego,
damasco, rainha Claudia e cereja, a 8oo
rs.
Vinagre de Lisboa a 2oo e 28o rs. a garra-
fa e a l,4oo e 2,ooo rs. a caada.
Azeite doce de Lisboa a 4,8oors. a caada
e 640 rs. a garrafa.
Vinagre brancoj engarrafado a 5oo rs. a
garrafa.
a anacahuila mexicana que d o nome es-
pecial este incomparavel remedie, urna
arvore, cuja madeira por muito lempo te
ha usado no Tampico para a cura das 'n-
fermidades cima mencionadas. Foi tam-
ben ensaiada e approvada pela academia
medica de Berlim Opeitoral deKemp
um xarope delicioso inteiramenle liviede
opio, acido bydrocyanico e Mitres ingre-
dientes nocivos. B|
A' venda as drogaras de Caors A Par-
boza, Bravo A C. e em todos os estaleleu-
mentos pharmaceulicos do imperio.
Vendem-se no Recife em casa de Caors A
Barboza e Joao da C. Bravo A C.
RIJA IMPE1A7
numero 193
VENDE SE ?*>
rap imperial, igual o rap Lishoa, e oulro fabri-
cado de dovo iKual ao de aia nula, cm tiorcoes a
500 rs. a libra.
Grande perhinrha para os fnn.adore? : qi em
quier femar boro e baralo venha ca.
Charutos da Babia de superior qualidudr, f" ir
da Muritiba e de difJerenles marcas, tamo svulos
como encaixolados, por pre(os n ni rtmmodos.
VNDESE TAMREM
grande perhincha para os senhores eharnipirrs,
fumo da Baha patente de primeira, segunda e le -
ceiraqualidade, por pregos mu razoaveis.
ms*mmam*mm
ESCBAYQS rUGIDOS.
Vviso aos capItSes de campe c a
polica.
2(.0{j do grttilicaro por cadti vm.
Desappareceu em principios do mez de ouiubro
do anno prximo passado de burdo do palhabrte
nacional Arroto Malo. Aoas escravos de nome Hu-
berto, por appellido Macei, e Miguel; o Io de 45
anuos de idade, pouco mais ou menos, crioulo, cor
fula, estatura baixa, barba serrada, um pouco tur-
to das pernas, e com alguns cabellos brancos, tan-
te na barba como na ea beca. O 2o alto, cheio do
corpo, sem barba e falla grossa, representa ter de
23 a 30 annos ; cojos escravos descotifia-se anea-
ren) pelos arrabaldes desta cidade : qutni os ap-
prehender queira levar a roa do Trapiche n. 4.
Agua florida e tnico oriea -
tal de Kemp.
Continua-se a vender em porco e a retalho :
ua ra do Queimado, laja d'aguia branca n. 8.
Chromacomo
A aguia branca, na roa do Queimado o. 8, acaba
de receber um novo sortimento de caixinhas com
chromacomo para tingir cabellos, e bem assim
frascos eom hydrocalletrichina, agua para desen-
grasar os ditos, colortcomo para lustrar os ditos,
e onychromantina para hmpar as unbas. Essa
tintura, cojo effeito rpido e efflcaz, est bem co-
nbeeida e apreciada para todos quantos della tem
usado, eos que de novo a quizerem apreciar, po-
dem, assim como aqu9lles, dinglr-se munidos de
dinheiro ra do Queimado, loja d'aguia branca
numero 8.
Papel e folias para rosas
Acaba de chegar para a loja d'aguia branca, na
rna do Queimado n. 8, um bello sortimento de pa-
pel de cores para rosas, dito verde para folhas, e
dito tambem verde e mui fino para cubrir o ra-
me, assim como folhas de panno e avelludadas
para ditas.
Aspas de baleia para vertidos
Vendem-se na ra do Queimado, loja d'aguia
branca n. 8.
Superiores penas d'ago ingle-
zas e francezas
A aguia branca alm do grande sortimento de
penas d'aco qu constantemente tem, icaba de
receber mais oulro de superior qualidade e dos
afamados fabricantes Perres A C, assim como as
verdadeira* bleo de lanca n. 134 o outras de pon-
ta dourada, continuando porm a vende-las por
precos commodos, com tanto que ocompradorcom-
pareca munido de dinheiro: na roa do Queimado
loja da aguia branca n. 8, onde tambem acbar-se-
ha a venda pastas para papis.
A aguia branca na ra do
Queimado n St recebeu:
Bonitos e graudos aljofares de eres para mitas.
Pulseiras de dos de iguaas e agradareis cores.
Voltas pretas maiores e menores todas de conus
grossas.
Pnlceiras pretas tambem de eontas.
Outras de differentes qualidades e gostos.
Brincos do aljofares de cores e dourados.
Fivelastfaco grandes e pequeas com cinto pre-
to e de madreperola.
Outras.grandes de diferentes qualidades e re-
dondas com podras.
Bonitos loques de |madrepeoIa redondos e de
outra foraa.
Ditos de sndalo interinos e corredioos.
Capellas brancas nara meninas.
ATTENQO IHEUS SENHORES
PARA
NOVA CALIFORNIA
Fazendas baratissimas loja da roa do Crespo n. 17 de Jos Gomes
Villar.
A nova crise commercial permilte que o pove em geral pao possa comprar fazendas
caras. O preprietario deste estabelecimento, amigo que do povo em geral, attendendo a
essas circunstancias esta vendendo fazendas por precos que na real darte admira.
Correi, bom povo, a este estabelecimento, e comprai fazendas, porque alli se vende
por menos do que em outra qualquer parte.
Cassas orgaudyzes a 280 rs. o covado;
Chitas francezas escuras matizadas a 260 rs. o covado.
Ditas escaras muito finas a 540 o covado.
Ditas claras dem a 240 o covado.
Ditas escuras dem a 360 o covado.
Chitas para cobert muito largas matizadas a 240 o covado.
MadapolSes finos largos a 6390, ~i e 8J.
Chales de fil preto muito bons a 10000 cada-nm.
Chales de merino estampados a SdOO, 6 e 7J>.
E outras muitas fazendas, que tudo se vender por precos que admiram.
Escroto fgido
Fugio no da 17 do rorronte o escravo Antonio,
bem preto, principio de barba, levou calca e cami-
sa azul, alto, bom corpo, chapeo de massa velho,
tem um p pur baixo comido de bichos, fi.i escra-
vo de Manoel Jos llodrlgues PiBlieiro, cm Fot a
de Portas : quem o prender leveo ra das Cal-
cadas n. 9 que ser graticado.
Pupio em principios do mez de fevereiro do
correle anno e consta estar acoutado nesta cidade
o moleque Euzebio, escravo da viuva do Dr. Fer-
nando Affonsode Mello, de 12 annos de idadt- pou-
co mais ou menos, cor preta, secco do corpo. olhos
regulares e afumacados, cabe?a um pouco grande
e meia chata, beicos finos, dentes bem alvos, pos
seceos e muito ladino : roga-se por tanto a todas as
autoridades pollciaes e capites de campo qne o ap-
prehendam e levem-o a ra da Manpoeira sobrado
n. 6 que sero gratificados, protestando-sp usar dos
melos judiciaes contra qualquer pessoa que o tt-uba
em seu poder.
AVISO
aos eaplles de campo e a polica.
50(5 de grateficacio.
Desappareceu no dia 8 do correte mez de maio
de 1865, de casa de seu senhor o escravo de neme
Semio, de nago Massambique, com os signaes
seguintes : cor preta, alto, chelo do enrpo. tem ta-
inos em circo redondo no rosto ao p das orclhas,
calca de casemira azul, camiso de baieta azul.
cbapo de massa redondo, representa ter 45 an-
nos, pouco mais ou menos, de suppor que to-
masse a" direccao de Porto Calvo, provincia da
Alagoas, porqne foi comprado ao Sr. Jos Vicente
Lindoso por sen bastante procurader Joaquim Ca-
valcanti de Albuqucrque Mello, morador em Bar-
reros : a entregar na ra Direita n. 30 a Bernar-
dino Antonio Pereira Bastos.
ai
ttenco
AZEITE DOCE
Azeite doce refinadoem pequeas latas- a 560 rs. a garrafa : no graude armazem
da Liga.
Saceos de 80,400 e 120 libras 4& 40500 e 55 ; no grande armazem da Liga.
PECHIMM SEM IGUA
Madapolio mal fino com pequea toque de avaria, por prego que admira : na loja
coiumuae ua roa do Crespo n. 13, de Antonio Correa da Vasconcellos & C.
No dia 4 de janeiro do anno de 1864, fugio do en-
genbo Conceicio, comarca de Pc-d'Alho, o escra
vo Galdlno, pertencente ao abaixo assignado, com
os signaes seguintes : idade 26 annos, pardo, claro,
corpo, figura e llura regulares, cabellos meios ca-
rapinhados, olhos pardos, sobrancelhs e palpehras
salientes, tem em cada braco um sino de Saomo,
sendo um delles mal feto, e junto a este urna cruz,
tem na cabeca urna cicatriz de urna polepada. e em
cima de um quaito urna outra cicatriz de tres po-
legadas, proveniente de ponta de pao e queda, tem
sobre as costas algumas marcas ou cicatrizes de re-
Ihadas ou chicote; um|pouco desembaracado quan-
do falla, tem pnneipio de carpios e rarreiro. toca
viola e barbado. Foi soldado do corpo de^pollcia no
Recife, e levou comsigo a baixa do theor seguinte :
Secgo urbana, 2* companhia n. 50, Antonio Carta-
no de Oliveira,fl!ho de Agostinho Ferreira de Bri-
to, natural de Ingazeira, cr parda, cabellos cra-
pinhos, olhos pardos, offlcio nenhum, estado soltei-
re, com 30anuos de idade, 60 polegadas de altura,
ao engajar-se. Engajou-se na forma do regula-
mento, em 17 de fevereiro de 1862, por officio do
Exm. Sr. presidente da provincia, dtalo de 28 de
abril do crreme, e publicado ao corpo em ordem
do dia 1' de maio, tudo em 1862; te ve baixa do
servico por ter dado em seu lagar o paisano JoSo
Pedro Ferreira da Rocha. Foi escravo do capito
Joao de Dos Rarros, morador que foi na comarca
do Brejo da Madre de Dos, e boje morador na
Campia Grande da Parahvba do Norte, que o ven-
den em dias do mez de novembro de 1863 ao abai-
xo assignado, pelo costme de andar fgido e a ti-
tulo de forro com o nome mudado ; pelo que roga-
se a attenco das autoridades civis e militares, nao
s desta provincia como das demais do imperio, a
apprehensao do dito escravo, que a titulo de forro,
nao tenha sido reerntado ou assenfadn praca em
algnns dos eorpos de Voluntarios da Patria, tam-
bem pede-se aos capitae de campo e pessoas par-
ticulares a mesma apprehensao, e lvalo ao seu
senhor no referido engenho Conceico, ou nesta ci-
dade ao capillo Mauricio Francisco de Lima rna
do Brum n. M, qtre ser gratificado com 200*
Jote Mari* dos Saotos Cavalcanti.



8
Diario de Ftrnambnco sexta lelra t de Halo de 185
LiTTERATORA.
Eslatlstlca e celestas dea da pro-
vlucia das Alagoa, organizada
pelo padre Mano el mamelo
das Dores Chaves.
( Contmuaco. )
DESCHIPI'O ANALTICA.
Freguezia de Macei.
:atre 9 40, U" II de longitude ori-
anta, do meridiano que passa pela Uio de
lau tiro, so ada situada a freguezia do Nos-
sorias, e tem sempre alcancado provises
de pregador e confessor.
0 reverendo Pedro de S. Bernardo Peixo-
to, egresso foi vigario interino as freguezias
e Ipica e Porto de Pedras ; continua a ter
proviso de confessor e pregader.
O Rvd. Francisco Manoel Maciel, vigario
collado da freguezia de Mamanguape, da pro-
; vincia de Pernambuco, sacerdote octogena-
rio, residente na cidade de Macei por licen-
ga imperial episcopal.
reverendo Jos Fernandes de Bulhoes,
egresso, ordenado no aicebispado da Ba-
lda, residente na cidade de .Macei, e capel-
sa enhoia dos Pra'.eres. naVidado de Ma- 'o do cemiterio publico,
cei, capital da provincia das Alagas. reverendo Joo da Silva Cardoso, resi-
Uma lei provincial (ignora-se a data) Ihe entena povoaco do Bebedomo ; exercen
confera os foros de freguezia, separando-a o lugar de professor de latim de Atalaia,
da de Santa Luzia da villa do norte, de que lem sempre conseguido provises de confes-
foi otitr'ora capella filial, sor, e pregador.
Em 1073 leve Macei seus priraeiros fun- O reverendo Jos da Annunciago Souza
daraentos, langados pelo capilo general Af- tambem egresso regeu interinamente a fre-
ui.'o Furtado de Mendonca, visconde de guezia de Aguas Bellas na provincia de Per-
Sarbacena, que veio fortificar o seu porto nambuco ; tem igualmente conseguido pro-
contra os indgenas estrangeirs contra-ban-. vispes de confessor e pregador.
li is de pao-brasil; d'ahi pois, datou o; tm virtade da circular de 16 de fevereiro
s principio, para ser un dia capital de do anno prximo passado, na qual exige o
urna bella provincia ; oque, defeito.acon Rvd. ex-visitador e vigario geraldesta pro-
t< u 27 de dezembro de 1818. sendo seu' v"icia de lodos os parochos os mappas de
... neiro governadr Scbastio Francisco de todos os baptisados, casamentos e obiios,ha-
de M lio Povoas, o qual depois transferiu aA'dos em cada urna das 26 freguezias da
sede dogoverno para a villa de Alagas, provincia, d'este o Io de Janeiro do anno de
m abril de 1821, tendo depois voltado a ^02 em dia.de ver-se-ha o man; a sob n.
mesma sede para Macelo pela lei n. 11 de.1 que tudo isso demonstra, em relagoao
Je dezembro de 1839, que Ihe conferio; W ""do pela mesma circular.
os foros de cidade, e ao raesmo lempo o de' Mappa demonsiralivo dos baptisados, casa-
eapital da provincia. mentos e bitos, havidos na fregue-
Macei, cidade martima, moderna cap- zia de Macei, em relajo aos anuos
tal da provincia das Alagas, centro de toda; e jggg 1863.
idmibistrac&o provincial, na opiniao de;
muitos, a melbor freguezia do bispado.
inicia de animago commercial, visando
aiguma civilisacao, ja grande pela sua povoa-l
cS aproxima-sc ao dia de urna subdiviso ;
apezar de que ainda muito fcil ser cura-,
da : porque alm de nao ser grande o seu | -
Mappa demonstrativo dos baptisados, casa- encommendados os Rvms. Affongo d'Albu-
mentos e bitos, havidos na fregu- qaerque Mello, Antonio Xavier Garcia de
zia de Ipica, em relacao aos annos Almeida, Gregorio Luiz das Virgens, at.
de 1862 1863.
en
o
a
a
<
18K2
1863
en
s 3
o a
es B
Cfi a
es
a, 55
c; es
m U
230 63
366 69
ja
o
114
126
sn
o
-
-
<
mbito cjuasi toda sua povoago encerra-se
na cidade, ond8 o parodio pode chegar
a te dos os instantes sema nemor difieulda-
j. A sua matriz, de moderna architetura,
soberba pela elegancia de suas duas torres,
rica de limpeza e acceio,
dura na provincia. O acto de sea
raco foi no dia 31 de dezembro de 1839,
no Te-Deum laudamus que solemnisou-se
1862
1863
en
52
o h|
T3 P
CS IV
m a
O. es 5
a o
227 60
388 . 72
en
3
o
363
403
Freguezia^ de ipica.
A 3 leguas ao norte da cidade de Macei
nao tcm-competi- est a matriz de Nossa Senhora do O' do rio
inaugu- f Meirim de Pioca, encravada no mesmo termo
e comarca.
Urna lei provincial (ign ra-se a data) ele-
mi honra de SS. MM. II, pela feliz occasio jvou a caihegoria de freguezia esse pequeo
de seu advento a esta provincia. arraya!, que ainda hoje se conserva no mes-
Conforme os dados estatisiico^w pude m primitivo marasmo, com o nome de po-
jolber desia freguezia, a sua povoaco ab-1 voagao de Ipica, a que serve de sede a mes-
soiuta calcula-se em 8:423 almas. ma freguezia, collocada na cima de um mon-
Contem afregue/.ia de Macei em seu cir- (e de 60 a 80 ps de altura, prximo abei-
culo as igrejas e capellas seguintes
A igre,a do Senhor dos Martyrios, do Li-
ra-mar e foz do rio Meirim.
O centro toda a importancia dessa fre-
vramento e do Rosario a Matriz, no amago | guezia, assaz povoada e rica de engenhos de
da cidade ; e fura, as capellas de Nossa Se- assucar; a sua povoacSo, pois calcula-se,
ni; >i\i Mai do, P ovo. na povoagao de Jaragu, a
da povoag do Trapiche da Barra, a das
Goiabeiras, a do Bebedouro, a da Cambona
que se ada em reparo, a de S. Francisco
de Paula na povoago do Carrapicho, e a de
Nossa Senhora da ConceiViio da Pajussra.
depois do cholera-morbus em 7,074 almas.
A-sua matriz, bem aotiga, eporconse-
qnencia arruinada, acha-se hoje, gracas ao
disvello do actual vigario interino, o Rvd.
Manoel Tarares de Souza, restituida ao seu
primitivo explendor; possue alfaias de esti-
Seis confrarias, legalinente constituidas, I >a> entre as quaes avulla um calix e um
se esmeran! no esplendor do culto publico
na cidade de Macei, que saoa do SS. Sa-
cramento, collocada na matriz ; a do Senhor
dos Martyrios. collocada na igreja do mes-
mu nome; a de Nossa Senhora do Rosario,
do Livramento, e Mi do Povo, collccadas
as igrejas da mesma invocante, e finalmen-
te a do Senhor dos Passos na matriz.
Distancias.
Precisamente, nao se pode marcar as dis-
taneias e dias de viagein da matriz dessa
freguezia, por mar, como por ierra, a cada
ama das freguezias limitrophes, com a de-
c! rai.ao da longitude e latitude que hade
norte a su!, de nascen ea pente ; nem tam-
bem marcar-se o lugar mais distante c cen-
tral a contar da sede : e, se, ao menos, nao
tao difiicil acerca dessa freguezia,
muito a respeito das outras da provincia,
de algunas das quaes carecemos inteiramen-
te de dados que ainda nos nao foram minis-
tra dus, apezar dos nossos reiterados pedi-
dos ; lodavia, habilitado com o que parlicu-
missal tauxiado
doac-ao.
rmenle podemos colher, diremos que a pelas enchentes das mares: pelo norte,
de pedras finas: tudo por
Capellas.
Doze capellas se contam no seio dessa
frequezia, das quaes se acham em bom es-
tado as seguintes:
A do engenho do Peixe, que, depois da
do Coqueiro Secco, a melhor da provincia,
as duas capellas do Bom Conselho, e da po-
voaco de Paripueira: a de Flecheiras: a
de Laga Vermelha: a de Santo Antonio des
Montes: a do Riacho Doce: e, em estado
pouco lisongeiro, as de Ponte Grande, Can-
tinho, Santa Cruz, e, finalmente a de Santa
Luzia, da povoaco de Cacimbas.
Distancias e limites.
Limita-se essa freguezia, ao sul, com a de
Macei, pelo rio Jacaracica, na distancia de
3 Leguas, que podem ser andadas por trra
em 3 horas, tendo-se nesse transito de pas-
sar os rios Pratagy c Meirim embaracados
Freguezia do noria.
O reverendissimo vigario interino da villa
de Santa Luzia do Norte, Candido Jos Al-
ves da Silva, declara-me em seu oflicio que
nenhum documento achou no archivo da ma-
triz que o orientasse, on Ihe dsse sciencia
acerca da poca d3 creaco dssa freguezia,
nem mesmo na cmara municipal; e con-
clue dizendo que foi nomeado parocho inte-
rino d'ella no primeiro de setembro de
1863, por portara do Rvd. Sr. ex-visitador
Gamillo, e que entroo na administraco a 6
do mesmo mez e anno.
Comarca de Porto Calvo, (a)
O reverendo parocho de Porto-Calvo, Dr.
Luiz Laurindo da Paz Lima, declara em seu
oflicio que a creaco dssa freguezia se es-
conde na no te dos lempos; que a matriz
nao tem archivo; e que em respeito a sua
col la cao e posse foi a prime ira no dia 23 de
fevereiro de lb53, e a segunda no primeiro
de abril do mesmo anno; o seu antecessor
o Exm. vicepresidente Rvd. Jos Gabriel
Faustino dos Reis, entrou na administraco
da freguezia em 1821.
Freguezia de S. Bento.
O Rvd. Sr. vigario dessa freguezia Dr.
Manoel Mria de Moraes Accioli, declara que
1831 o Rvnv Domingos Jos "da Silva.
1835 visitn a parochia e por toda a pro-
vincia o Exm. e Rvm. Sr.J). Joo da Puri-
ficacto Marques Perdigo:
1863 vigario interino, por se achar sus-
penso o proprietario, Rvd. Satyro Jos Bar-
bosa.
1864 vigario interino Rvd. guardio frei
Joo das Chagaa de Chrislo.
18(54 o Rvd. vigario Domingos Jos da
Silva que actualmente rege a freguezia.
Freguezia de Nossa Senhora do O' da ci-
dade de S. Miguel.
Diz o Rvd. parocho interino Satyro Jos
Barbosa que nao encon rou o registro da
creaco della, porm que dala de mais de
um seclo; porque sendo de 1754 a escrip-
turaco mais antiga, aflrmam-lhe que o vi-
gario Caetano de Souza Avelar, de cujo a
letra nao foi o primeiro que regen a fregue-
zia. Em seguida d conta dos seguintes
parochos e visitadores, remontando se a es-
sa data epo' sua ordem chronologica^
Parochos da freguezia de Nossa Sniora
do O' de Sao Miguel dos Campos, desde o
anno de 1754.
De 173 i a 1763 Cajtano de Souza Avel-
lar.
De 1763 a 1766 Francisco Fernandes
Marques..
De 1766 a 1767 Jos Das da Cunha.
De 1767 a 793 Francisco FernaBQes
Lima.
De 1798 a 1799 Ignacio Piulo de Almei-
da e Castro.
De 1799 b 1804 Jos de Araujo Medei-
ros.
De 1804 a 187 regeram intername .te
ignora a data dessa freguezia; por quanto1 f .,
do archivo d'ella nada consta, por ser poste- ^^^JfSSLST! La 1
rior lucia dos cabanos, e o anterior d'ella I^J ren? Padre C>Pr,aD0 ^Pes de Arr0'
foi entregue as chammas, no dizer. de pes-
sas d'aquelle tempo; mas que elle foi apre-
sentado nessa freguezia por decreto de 24
de agosto de 1844, e nella collado em 15
de maio de 1845.
Freguezia de Poi to de Pedras.
Segundo a exposico do Rvm. parocho
Sebastio Jos de Moraes Bello, essa fregue-
zia foi creada por urna resoluco da assem-
bla legislativa provincial das Alagas, n.^7
de 1835, com a invocaco de Nossa Senho-
ra da Gloria.
Os seus limites sao: da parte do sul pelo
riacho Antonio Das, desde a sua foz na cos-
I xellas Galvo.
De 1807 a 1840 o interino e depois
collado Francisco de MouraLima.
De 1840 a 1847 regeram interinamente
os Rvds Jacintho Polycarpo de Andrade,
Manoel Joaquim da Cosa e Fraacisco de Mis-
sias Barbosa, regendo-a este como vigario
collado desde 1847 at 1856, em que falle
ceu do cholera-morbus.
De 1856 a 1857 foi regida interinamente
pelos Rvds, Pedro Lins de Vasconcellos e
Mathias Antonio de Mello (egresso) que en-
tregou ao actual col!a.do Francisco Vital da
Silva, em abril desse ultimo anno. Esse
ta do mar, e pelo riacho cima al o lugar sacerdie acha-se ,n0 *oso de, uma licKenca
denominsdo Cear na estrada que segu pa-1 !mPerial e eP,SC0Pal e em seu lu^ar acha"se
ra a povoaco de Gamaragibe, seguindo por
matriz de Macei esta distante da freguezia
de Ipica, pelo rio de Jacaracica, ao norte
2 leguas, viagem que podar ser feita, termo
medio, em duas horas po{ ierra; limitndo-
se ao sul com a freguezia da cidade das
Alagas pelo l'onjal da Barra, tambem duas
le^uaes de distancia ; viagem que pode ser
feita em 2 horas por mar ou por trra ; e
filialmente, limita-se ao poente com a fre-
guezia de Santa Luzia do Norte, de que dis-
ta 3 ieguas por mar, e 4 por Ierra, podendo
ser feita esta viagem regularmente em 3
horas.
mit -se co:n as freguezias de Camaragibe no
rio Santo Antonio Grande, fcuja distancia
de 4 leguas martima?, que; podem ser ven-
cidas regularmente em 3 horas, tendo-se de
vadear os rios Pioquinha, auassuy e Sapu-
cay, e finalmente pelo poenle com a fregue-
m do Muricy, cima dos limites do enge-
nho Flecheiras, com 10 leguas de distancia
que podem ser andadas nicamente por tr-
ra em 6 7 horas, conforme a estaco.
Em resumo, a maior distancia dessa fre-
guezia, de norte a sul, da 7 leguas, e de
l de nascente a poenle, sendo os lugares
n A maior distancia dessa freguezia de 4 ma8 distantes e contraes', a contar da sua
leguas de norte a sul, e 3 de nascente a po-
ente ; sendo finalmente o lugar mais dis-
tante e central, a contar de sua sede o sitio
denominado Freichal.
sede, os lugares Capinhal e Flecheiras.
Sacerdotes dessa freguezia.
Cinco sacerdotes residem no mbito dessa
freguezia, a saber: o Rvd. Manoel Tavares
de Souza, egresso, actual'coadjuctor pro-
parocho, na ausencia do pr prietario, Rvd.
Jacintho Messias Peixoto, que abandonou a
parochia na quasi 16 annos. Sacerdote an-
tigoe de merecimento, queja parochiou por
encommenda a fr.guezia de Quebrangulo
desta me ma provincia.
O Rvd. Antonio Gomes Colho que reside
na sede da matriz; sacerdote antigo, que ha
pouco tempo regeu a mesma freguezia.
O Rvd. Jos Teixeira de Mello, portuguez
residente no engenho do Peixe, onde ca-
pello, ordenado no arcebispado de Braga,
reino de Portugal.
O Rvd. Jos Gomes dos Reis Lima da La-
' ga Vermelha, sacerdote antigo, tem sempre
secularisado por breve, *blido s3es de confessorB y
da Nunciatura Apostlica, tendp sempre ob- .
tido provises de confessor no curso de sua! O Rvd. Manoel Branco Bezerra, proprie-
vida sacerdo'al, jtario morador no sitio Flecheiras; tem
O reverendo Manoel Amancio das Dores sempre obtido provises de confessor e pre-
Cbaves, que foi secretario da visita, ordena-' gador.
Sacerdotes desta freguezia.
Est sendo regida actualmente esta fre-
guezia pelo reverendo Ignacio Joaquim da
Costa, como vigario encommendado, que
suceedeu por morte do vigario collado co-
nego Joo Barbosa Cordeiro, de saudosa
memoria, que era um dos ornamentos d'es-
ta provincia, por sua illustraco e variados
couliecimentos littararios. O actual vigario
um sacerdote antigo, queja regeu outr'ora
essa mesma freguezia, e outras d'esta pro-
vincia, e que tem exercido alguns cargos de
confiauca do governo civil, e de e'eico popu-
lar, como o de deputado a assembla geral
legislativa.
Alm delles residem nessa freguezia os
seguintes sacerdotes :
O reverendo Jos Vieira Marques, coad-
jutor desta freguezia a longos annos: foi re-
ligioso franciscano,
do nesle bispado, oceupa o lugar de profes-
sor de latim do lyceu, tendo sempre obtido
provises de confessor e pregador, e exerci-
do o mandalum popular de deputado pro-
vincial que ainda oceupa.
O reverendo Pedro Lins de Vasconcellos
ordenado neste bispado ; foi coadjutor da
freguezia de S. Joo de Anadia,e de S.Miguel;
Essa freguezia ainda pertence por titulo
de collafo ao Rvd. Jacintho de Messias Pei-
xoto, que abandonou-a como j se disse, e
actualmente reside na villa de lbeos, arce-
bispado da Baha.
No mappa infra vr-se-ha o numero dos
baptisados, casamentes e bitos havidos nes-
tem obtido sempre provises de confessor e sa freguezia em relaco aos annos prximos
pregador ; exerceu o lugar de promotor ec-passados de 1862 a 1863.
Nenhuma confraria, legalmente constitui-
da, ha na freguezia de Nossa Senhora do O'
clesiastico.
O reverendo Antonio Jos da Costa, or-
interinamente o predito Rvd. Salvro Jos
ella at a travessa que vai para o engenho Barbosa membro da assembla legislativa.
Eucena e deste para o de Matla-Redonda ; I Pr0Tmciai-
e pela mesma estrada que vai para a villa'
de Porto Calvo, at o riacho Canavieiras
e por elle abaixo at a sua foz na costa do
mar.
O respectivo parodio fez concurso em
agosto de 1837, e foi collado em outubro
do mesmo anno.
A sede dssa freguezia fui removida para
a povoaco de S. Miguel dos Milagres por
acto d'assembla provincial na sesso do
anno antecedente.
Freguezia de Camaragibe.
O Rvm. parodio d'essa freguezia Antonio
Alvares de Souza, tambem nada me adian-
tou. Como membro d'assembla provin-
cial legislativa de 1864 a 1865, sei que a
sede da freguezia do Senhor Bom Jezus de
Camaragibe foi mudada para a villa de Nossa
Senhora da Conceico.
COMARCAS DAS ALAGAS.
Freguezia das Alagas.
Freguezia de Nossa Senhora da Conceico
da villa de Santa Mara Magdalena da lagoa
do sul, depois villa das Alagas, e ultima-,
mente por carta imperial de 8 de marco de
1823 cidade das Alagas.
(Nao se acha a data da creaco e inslitui-
co cannica).
O Illm. Sr. Dr. Silverio Fernandes de
Araujo Jorge se dignou dar-me os seguintes
apontamentos acerca dessa freguezia, com
os quaes concorda com pequeas differen-
Cas, os que me fez favor dar o Rvd. cone-
go vigario da mesma freguezia, Domingos
Jos da Silva, portuguez, nico eslrangeiro
que rege freguezia nesta provincia.
1672 vigario Antonio Coelho.
168 i o mesmo vigario, coadjutor Do-
mingos de Araujo.
1685 o mesmo vigario, e coadjutor o
Rvd. Francisco da Silva Landin.
1085 vigario Gaspar Tavares Cabral.
1686 visitador o Rvd. conego thesourei-
ro mor da S de Olinda, secretario o Rvd.
Joo Dias Ribeiro.
1689 visitador o chantre Rvd. Laurindo
Francisco Marlins Pereira.
1690 vigario Rvd. Jos Nunes de Souza,
visitador mestre escola Rvd. Francisco da
Fonseca Reg.
16 )a o mesmo vigario e visitador o ar-
cediago Simo Rodrigues de S.
1696 o. mesmo vigario, visitador o Rvd.
Dr. Balthazar deFana Miranda.
1698 o mesmo vigario. Foi visitada a
freguezia pelo Exm. e Rvm. Sr. bisbo D
frei Francisco de Lima.
1700 vigario o Rvd. Dr. Luiz de Figuei-
redo Miranda.
1701 o mesmo vigario, visitador o Rvd.
Dr. Balthazar de Faria Miranda.
1702 parochiava o Rvm. coadjutor Nar-
cizo Velho Coelho.
1703 o Rvm. Faustino Velho Pereira, vi-
sitador conego Andre de Barros Cavalcante.
1705 o mesmo Rvm, vigario.
1712 o mesmo Rvm. vigario.
1718 o mesmo Rvm. vigario, visitador e
conego Laurindo Manoel Pereira Rabello.
1719 o mesmo Rvm. vigario, visitador o
Rvm. mestre escola Lourenco Cavalcante de
Albuquerque.
1721 o mesmo Rvm. vigario, visitador o
Rvd. Dr. Francisco Ferreira da Costa.
1731 vigario Laurindo Jos Monteiro
Cor rea.
1737 vigario Ignacio Bello Maxinho.
1749 vigario o Rvm. Dr. Joo Brrelo.
1755 vigario o Rvm. Dr. Virissmo Ro-
drigues Rangel.
1793 bou ve encommendados ou interi-
nos durante este periodo.
1794 Rvm. Antonio Gomes Coelho. Fal-
lecido em 1827. Seguiram-se interinos e
denado no bispado de Maranbo, por demis-, do rio Meirim.
(a) Nao havendo tempo para organisar-se
um mappa sobre as freguezias, com os de-
talbes contidos Das duas antecedentes, tra-
taremos das outras sobre o necessario e in-
dispensavel.
Em 1759o Dr. Araujo.
Em 1778-0 Rvd. Souza.
Em 1801 o conego Saldanha Marinho
Em 18060 Rvd. Dionizio de Souza
Bandeira.
Em 18990 Rvd. Francisco de B.rja
Accioly.
Em 1816-0 Rvd. Joo da Silva Fon-
seca.
Em 18410 Rvd. Francisco de Assis
Barbosa.
Em 18440 Rvd. Lourenco Corroa de
S.
Em 1850o Rvd. Antonio Joaquim da
Silva.
Em 18350 Rvd. Francisco de Hollan-
da Chacn.
Em 18560 conego Alfonso de Albu-
querque Mello
Em 18620 Rvd. Gamillo de Mendonca
Furtado.
Comarca de \nadia.
O Rvd. vigario encommendado da fregue-
zia de Anadia, Francisco Peixoto Ruarte,
instrue-me que a villa d'esse nome foi crea-
da em 18 de novembro de 1801, pelo go-
vernador interino da ento, capitana de
Pernambuco.
Em dias de Janeiro de 1802, foi creada a
freguezia pelo conego visitador do sul Joa-
quim Saldanho Marinho, tendo por invoca-
Cao ou orago Nossa Senhora da Piedade do
Rio de S. Miguel.
Em dias do anno de 1828, foi collado nes-
sa freguezia o padre Joo de Souza Morei-
ra, fallecido a 13 de agosto do anno de
1864.
EmlO de marco do mesmo anno, foi
provisionado o predito Rvd. Duarte, pelo
Rvm. ei-visilador Camillo de Mendonca
Furtado, na qualidade de vigario interino
no impedimento do proprietario. Conti-
na a exercer esse lugar.
A freguezia doPoxim, foi creada no anno
de 1726, tendo por orago a Santa Madre
Deus. E' vigario dessa freguezia o padre
Joo Luiz da Silva Reis, brasileiro, apre-
sentadoa 5 dejunho de 48-51, collado a 23
de julho do mesmo anno, por permuta que
fez com o Rvd. parocho da fregcezia de
Aguas Bellas.
A freguezia da Palmeira dos Indios, foi
creada antes do anno de 1799, a maior da-
ta que alcancam os archivos, t-ob titulo de
Nossa Senhora do Amparo. E' parocho
dessa freguezia o Rvd, Jos da Maia Mello,
brasileiro, apresentado a 14 de junho de
1848, e collado em 21 de novembro de
1849.
Comarca da Atalaia.
A freguezia da Atalaia, foi creada em fins
do secute prximo passado, nao podendo
eu precisar a data, por nao constar do ar-
chivo. O seu orago de Nossa Senhora das
Brotase Santo Amaro. Por fallecimenlo
do Rvd. vigario collado Manoel Jos dos San-
tos Villarins, foi apresentado o Rvd. Joo
da Costa e Silva Bossuet, brasileiro e col-
lado a 12 de agosto de 1856. Parte dessa
freguezia pertence hoje a freguezia de Nos-
sa Senhora do Pilar.
(Conlinuar-se-ha).
padecimenlo, a affectaco dos orgos cere-
braes ou pulm nares.
Dahi a necesaidade de termos a quem
communiraros nossos sentimentos; dahi a
necessidade de um ente, a quem possamos
entregar a metade da nossa alma, e que
seja a carne da nossa carne, e o osso do
WOSSO OSSG.
O ente que preenche esse vacuo na nossa'
alma a mulher tomada como esposa pe-
rante o altar de Christo, a esposa torna-
da mi com os Crudos qu i della pendem.
II
O homein nao fui, aind mesmo no estado
natural, o que muitos pensam.
A sua tendencia para a sociabilidade sem-
pre se manifestou de um modo asss forte
e visivel, para nos fazer crer que elle ini-
migo da solido ; em abono do que, temos
os escriptos de Moyss inspirados pelo Deus
de Abraho.
E' uma verdade, porem, que temos a las-
timar certas homens, que por sua ambico'
tem levado os seus se mediantes a deslruir-se'
mutuamente. Se consultamos a historia,'
veremos que este erro nos essencial.
Caim matou o seu irmo Abel.
Caim o pai da maldade, do vicio e da,
corrupeo.
Nos temos aquelle exemplo.
Entretanto olhando p'iilosophicamente,
para essas mutuas destruidles do genero'
humano, ha de ser forgoso confessar a sua
utilidade, em alguns casos.
Tomemos, por exemplo, um povo expo-1
rador, que vai com mutuo consenlimento |
do seu governo, em procura de uma trra
imaginada, encontraba ; apossa-se della e de;
quem a povoa, que nao tem bastantes co-1
nhecimentos para conhecer que os seus hos-1
pedes os faro escravos, de senhores que
eram.
Este povo nmade, como sao todos os
'indgenas, deixa-se escravisar, porque Ihe
falla a unio, porque Ihe falla a ordem, as
armas etc etc, ; solTre, soffre I at que um
dia esmaga o jugo do tyranno, e torna-se
uma nago.
Nao tinham estes, razo de fazer guerra !
guerra de inorte aos seus escravisadores I ?
Elles que foram levados a rebellio contra
o seu semelhanle, pela justa e santa ambi-
co da liberdade !
Elles que eram livres, como as aves,
que de momento sao assalados por um ban-
do de fras que Ibes dizsois nossos escra-
vos, somos vossos senhores ; nao bao de
pois, na hora em que se sentir em com for-i
gas, quebrar as correntes, com que Ihe ma-
nielaram os pulsos, dizer-lhes somos li-
vres procuramos agora unir-nos, nao co-
mo escravos ao senhor, mas sim co no ir-
mo ao irmo ; nao pela forca, mas, sim
pela luz I
Bel'a e admiravel ligao deram estes es-
cravos aos senhores!
Tornam-se livres e olferecem-lhes a am-
sade, o seu lar, o seu slo, em troco dos
mos tratos que delles tmham recebido.
E' esta doutriua do marlyr do Golgotha ;
e neste caso que loleravel a ambico.
III
Temos dous pontos ; um, o que fica ci-
ma definido, segundo nos parece ; o outro
o que vamos expor, a ver se definimo-!o.
Figure-se, por exemplo,. o Egypto ao de-
pois da inorte de Cleopatra, que soflreu o
jugo de montos povos barbaros, ou que de
resto foi repartido entre os grandes ou aris-
tcratas, como se Ihe chama hoje
Aquelles grandes, dividam-se em diver-
sas classes, que obrigavam o povo ao traba-1
lho, para de seus lucros se, sustentarem no
luxo e ociosidade.
O padre vivia, com as redeas do governo |
na mo, no meio da abundancia e dos pra-
zeres, esquece:do-so assim do lugar que en-
tre os seus oceupava.
O guerreiro na occiosidade, obrigava o
povo a sustenta-lo na grandeza, deixando a
sua patria as mos dos estrangeirs.
E o povo que tinha sido senhor, eslava,
na abjecgo, trah-iMiando para que Ihe en-
sinassem a adorar um lagarto, um cao,
um gato etc. etc. (os idolatras).
Este povo culpado porque, tendo com
que, nao se liberlava, e porque tendo co-
nhecimentos se conservava debaixo de um
jugo ignominioso perante Deus e os'ho-
i mens.
Os escravisadores neste caso, eram sem
: duvida aiguma maiores criminosos, do que
no primeiro. No primeiro ponto, o homem
foi, pela ambico toleravel at certo ponto,
lou diremos mais necessaria para o desen-
volvimento moral e intellectual do individuo,
expe-se a perigo eminentes, para alcan-
Car renome e gloria.
Ao depois de mil perigos porque passou,
'de vigilias; de mil diversas sensages,
descobre o lugar procurado, assenhorea-se
delle e de quem nelle encontrou, porque as
leis humanas assim lh'o permittem. Edifi.
I casa, cultivara, animam ; ao depois que to-
1 maram posse da novo trra
E' do Sr. Cyrillo de Lemos esta bailada
hespanhola.
D. B0DBIG0.
I
E' noite, no co toldado
Passam nuvens a correr;
Nem um s astro solado
Se deixa l perceber,
Madrid faceira e mimosa,
Envolvida em seus sonhares,
Dorme bella e descuidosa
A' margem do Mansanares,
Dormera com ella em seu seio
Os delirios da paixo;
Dorme tudo sem receio,
S nao dorme atraico.
Dorme o bravo D. Rodrigo,
Dorme a doce Gabriella,
No se debuxa o perigo
Dos seus sonhares na tela.
Em to no do*- seus cabellos
Vagueia placido amor,
. E os dous amantes to bellos
S dasmaiam de iangor.
II
D. Rodrigo, s cavalheiro.
Vai salvar a tua terr ;
Ouve-se o grito guerreiro,
Ouvem-se os toques degUirra.
Surge presto o mogo amante;
Gabriella est de p;
Calca logo o duvo gu me.
A espada toma com f.
Veste pesada armadura,
Empnnh a lanca de ferro___
Vai a noite triste, escura
Como o negrume do erro!
III
O que me das por lembranga,
O' virgem do peito meu ?
Deixas levar-te essa tranca
To negra como este cu ?
Meus cabellos te concedo,
O' meu caro D. Rodrigo;
Mas corre, nao tenhas medo ;
Corre affouto ao inimigo.
i V
Ouvem-se os rufos de guerra,
Ouve-se o grito de Allah ;
D. Rodrigo nao se atierra.
Parte ousado para l,
O seu olhar incendido
Refulge na noite escura....
Foge o Mouro espavorido
Diante d'essa bravura.
Com tal denodo se bate
Fiado n talismn,
Que se esquece no combate
Levado por nobre af.ra.
A cruz porm vencida
Pelo mourisco crescente :
Mas sem amor pela vida
Combato o moco valente.
De repente ei-lo estremece
Como sbito pensar :
E ento de todo se esquece
Para d'ella se lembrar.
V
Chega casa D. Rodrigo
Eocontra aberta a janella,
E avista um mouro inimigo
Carregando Gabriella.
Dando de raiva um rugido
Arranca o fino punhal___
A folha de ac polido
Como nao ha outra igual.
No peito do fugitivo
Enterra a lamina inteira.
E v correr convulsivo
O sangue em tepida esleir.
Arrebata a sua amante
Com convulso movimento,
E no corsel nao distante
A colloca n'um momento.
Quer o Mouro persegui-lo.
Mas o ginete andaluz
a' ninguem deixa segui-lo,
Pois todos foge luz.
In Ja agora D. Rodrigo
Corre, corre sem parar !
Leva a dozella comsigo
Para niflguem Ih'a roubar.

Extractamos o seguinte de uma correspon-
dencia europea para a Estrella do Norte:
A Santissima Virgem acaba de assignalar
aind i uma vez o favor de que circumda o
Scapnlario do Monte Carmello; um incendio
verdade devorava montes de feixes de trigo, na aldea
que tambem escravisaram, mas cnsinam aos visinhaos outros montes iim ser destruidos:
escravos o modo de liberlarem-se, Quan- o perigo era immenso e extinguir o incen-
1 do veem a grande forca; impor-lhe leis de
ferro, aquelles quebram com mais facilda-
de do que se fossem de fina seda.
dio impossivel.
Teve alguem a feliz lembranca de recor-
| rer Santissima Virgem, e langando-se um
No segundo ponto o homern para se Scapulario as chammas o fogo parou em
tornar escravisado, abandona-se a ociosi- j sua destruigao, e o que na verdade mila-
dade, inutilisan lo assim, s suas facilidades. gre tiraram em seguida das cinzas do bra-
intellecluaes e physicas, tornando-se o ver-
dugo de seus concidades, e a origem de
guerras intestinas que a ambigo das rique-
zas e do poder Ihe suggera.
O ambicioso torna-se neste caso um ente
insociavel, intralavel e desprezivel ; o seu
zeiro apagado o Scapulario perfeitamente in-
tacto.
Um hispo da Allemanha, Mgr. Conrad
fim, a oppresso das classes que Ihe sao Martin de Paderborn acaba de publicar uma
inferiores, a morte do espirito, para que obra que dirige aos protestantes de sua dio-
fallando a luz aque les que jazem na escu- cese, como seu verdadeiro pastor.
UM POUCO DE TUDO.
E' do Sr. B. Costa o seguinte artigo :
L0CUBRAC0EL NA SOLIDO.
I
Nao sei o que falta ao homem quando iso- i
lado.
Nao tem com quem conversar, n5o tem o,
que fazer ; nao tema menor cous que Ihe
d pasto imaginago.
Sent um vacuo n'alma ; a idea como que
fica fatigada sem trabalho algum ; torna-se
abarrocivel, aborrecido e mesmo insuporta-
vel; tendo como reaego inevitavel deste
rido se nao possam levantar.
A ambigo intoleravel neste poni :
O ambicioso anti-social.
A sociedade tende ao seu aperfeigoamen-
to ; uma ambigo, mas uma ambigo no-
bre, a que se deve chamar uma virtude.
Nao s pela luz que havemos chegar
aquelle fim.
E' preciso que a par do desenvolv ment
intellectual, marche o desenvolvimento ma-
terial ; preciso que nos, executemos
aquillo, que a forca da luz, nos vem mos-
trando.
E' de rigorosa necessidade haver guerra
aos senhores, pois a luz nao pode chegar
aonde nao ha liberdado.
Lilerdade I seja o grito unnime de to-
dos.
Este livro tem grande mrito e muitos
protestantes admirados da autoridade com
que Ihes falla o leem com avidez.
Julga-se que elle produzir profunda sen-
saco.
Q tanto esta santa audacia de um bispo
que diz aos hereclicos: Vos recebestes o
baptismo dos filbos de Deus, por consequen-
cia pertenceis sua igreja e vossa rebellio
nao poder enflaquecer os seus direitos:
eu, bispo da igreja de Jess Christo, sou
portanto vosso pastor, mo grado vosso, e
apezar d vossos seductores, eu tenho o di-
reilo de vos instruir, quanto esta liberda-
de paterna mostra bem onde est a verda-
de immutavel, a verdadeira f, o eterno en-
sino de Jess Christo.
PERNAMBUCO.-TYP. DE M. F. DE F. & FILHO

mm**-->-r-:.--..:*: : >;:


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID ESSUMANTF_8KHOR0 INGEST_TIME 2013-08-28T01:38:20Z PACKAGE AA00011611_10677
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES