Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:10674


This item is only available as the following downloads:


Full Text
UflfO 1.11 OMERO lll
Por qoarlel pago dentro de i Odias do l.mez ...::.
dem depois dos l. 10 dias do coniecoe deutro do quartel. '
Porte ao correiopor tres mezes
ofOOO
6|000
750
E.XCARREGADOS DA SUBSCRIPCO DO NORTE
Parahyba, o Sr. Antonio Alejandrino de Lima;
Natal, o Sr. Antonio Marques da Silva; Aracaty, o
Sr. A. de Lemos Braga; Cear, o Sr. J. Jos" de
Oliveira ; Maranho, o Sr. Joaquim Marques Ro-
drigues ; Para, os Srs. Geraldo Antonio Alves <&
Filhos; Amazonas, o Sr. Jeronymo da Costa.
ENCARREGADOS DA SUBSCRIPQAO DO SUL.
Alagoas, o Sr. Claudino Falco Dias; Baha, o
Sr. Jos Minias Alves; Rio de Janeiro, o Sr. Jos
Ribeiro Gasparinho.
PARTIDA DOS ESTAFETAS.
Olinda, Cabo, Escada e estacSes da via frrea at
Agoa Preta, todos os dias."
Iguarass e Goyanna nassegnndas e sextasfeiras.
Santo Antao, Grvala, Bez9rros, Bonito, Caruar,
Altinho, Garanhuns, Buique, S. Bento, Bom
Conselhok Aguas Bellas e Tacaral, nastergas
feiras.
Pd'Alho, Nazareth, Limociro. Brejo, Pesqneira,
Ingazeira, Flores, Villa Bella, Cabrob, Boa Vis-
ta, Ouricury, Salgueiro e Exii, as quartas
feiras.
SEGUNDA FEIR 22 D HAIO DE 1865.
Por anno pago dentro delOdias do 1. mez ,,,,,.. 191000
Porte ao correio por ua au'..........? ? 3J000
Segunda vara do civel: quartas e sabbades a 1
hora da tarde.
Serinhaem, Rio Formoso, Tamandar, Una, Bar-
reiros, Agua Preta e Pimenteiras, as quintas
feiras.
EPHEMERIDES DO MEZ DE MAIO.
2 Quarto cresc. a 1 h., 44 m. e 46 s. da t.
40 La cbeia as 6 h., 3 m. e 22 s. da l.
18 Quarto ming. as 4 h., 19 m. e 46 s. da m.
24 La nova as 8 h., 29 m. e 45 s. da t.
AUDIENCIAS DOS TRIBUNA*S DA CAPITAI
Tribunal do commercio : segundas e quintas.
Relago: tergas e sbados s 10 horas.
Fazenda: quintas s 10 horas.
Jnlzo do commercio: segundas as 11 horas.
Dito de brphios : tercas e sextas s 10 horas.
Primeira vara do civel: tercas e sextas ao meio
da.
Segunda vara do civil: quartas e sabbados al
hora da tarde.
DIAS DA SEMANA.
22. Segunda. S. Rila de Cassia viuv.
, erfa- S- Basili0 "c.; S. Desidero b. m.
|4. Quarta. Ss. Pelagia, Suzana e Afra mm.
2o. Quinta, cga Ascensao do Sentar.
' fe.x,,a-,S- Fel'PPe Nery; S. Eleuterio p. m.
27. Sabbado. S. Joop. m.; S. Ranulforo.
28. uomingo. Ss. Senador, Podio e Justo bb.
PREAMAR DE HOJE.
Primeira as 2 horas e 6 m. da tarde.
Segunda as 2 boras e 30 minutos da manhia.
PARTIDA DOS VAPORES COSTEROS.
Para o sul at Alagoas a 14 e 30; para o norte
ata a Granja a 7 e 22 de cada mez; para Fernan-
do nos dias 14 dos mezes de Janeiro, marco, malo,
julho, setembro e novembro.
ASSIGNA-SE
noRecife, nalivraria da praga da Independencia
ns. 6 e 8, dos propietarios Manoel Figueiroa de
Faria & Filho.
PARTE OFFIGIAL
(OVERNO DA PROVINCIA.
Expediente do da 1S de raaio de 4865.
Offlrio ao coronel commandante das armas.
Mande V. S. passar guia, afira de poder seguir para
o- Rio-Grande do Norte, ao Voluntario da Patria,
Joo Persival Lins Caldas, que se alistou nesta
provincia com a condicao de servir no corpo de
Voluntarios daquella.Communiceuse ao Exm.
presidente de Rio-Grande do Norte.
Dito ao mesmo. Convenho em que seja trans-
ferido para a companhia de artices, como pedio
no requerimento sobre que V. S. informou em offl-
cio n. 704 de 20 de abril ultimo, o soldado do cor-
po de guarnico, Manoel Antonio de Souza Carnei-
ro, urna vez que sujeite se a ser examinado no offi-
ci de serralheiro, apresentando-se para isso ao di-
rector do arsenal de guerra.
Dito ao mesmo.Mande V. S. dar baixa ao cabo
de esquadra da companhia de Voluntarios de ho-
mens pretos, Manoel Francisco da Trlndade, visto
que foi (ulgado Incapaz do servico em inspecgo
de sade, segundo consta do parecer da junta an-
nexo ao sen offlcio n. 878 desta data.
Dito ao mesmo.Sirva-se V. s. de determinar
ao lenente-coronel commandante do 2 corpo de
Voluntarios, que forneca fardamento aznl aos sol-
dados Joo Jos do Espirito-Santo, Antonio Fran-
cisco de Sant'Anna e Francisco Bezerra da
Silva.
Dito ao mesmo.Sirva-se V. S. de ordenar ao
commandante do 2 eorpo de Voluntarios da Patria,
que faca organisar com brevidade e remeta the-
soarana de fazenda para os fias convenientes, os
prets dos vencimentos a que tem direitoos Volun-
tarios da Patria constantes das relacoes inclusas
por copia, vindos de Panema e S. Bento, a contar
do dia em que se alistaran) at o em que juraram
bandeira.
Dito ao mesmo.Mande V. S. alistar no corpo
de Voluntarios como 1 cadete, o estudante Lezan-
dro Francisco Nogneira, que a isso tem direito por
patentes e condecorac5es concedidas a seu pai e
avs.
Dito ao mesmo.Queira V. S. informar sobre o
que pede o soldado do 2 corpo de Voluntarios da
Patria, Joo Baptista de Souza, no incluso reque-
rimento.
Dito ao mesmo.Mande V. S. eliminar da eom-
panhia de Voluntarios de homens pretos, o indi vi
sob minha responsabilidade, nos termos do decreto, D. Themotea
n. 2,884 do Io de fevereiro de 1862, a folha, na im-
portancia de 12825, das diarias relativas pri-
meira quinzena deste mez, dos sentenciados era
servico no forte do Buraco, visto nao haver crdito
para esse pagamento, segundo consta de seu citado
offlcio.
Dito ao mesmo.Respondendo ao offlcio que V.
S. me dirigi em 12 do corrente sob n. 324, tenho
a dizer que pode mandar pagar sob, minha respon-
sabilidade, nos termos do decreto n. 2,884 do Io de
fevereire de 1862, a quantia de 33,5120 despendi-
da com a condicao de diversos objectos pertencen-
les aos Voluntarios da Patria do quartel do Hospi-
cio para o das Cinco Ponas, e do arsenal de guer-
ra para o predilo quartel, visto nao haver crdito
para esse pagamento, segundo consta de seu cita-
do offlcio.
Dito ao mesmo.Em 15 do corrente ja offlciou-
se a essa thesouraria, ordenando-se o pagamento
Josepha Carneiro Maciel da Silva, na
a thesouraria provincial, e de
saassfa ,heouraria proviacia'' de k?*^ \^s^&
jffiSES* Osea. d.^adef^o^^r^S^lZ^ re,atVamen,e *
:^Y!??.5?_Pv,d.^,?lleoe,s*ri*fl,r*,ne.!--! A dieU da confederado rsolven com 9 votos
jam transportados pela via frrea, at esta capital,
logo que se aprsente na estaco de Una, o cidado
Joao Pereira de Gouveia Torres Galludo e os volun-
tarios da patria que o acompanham. Coramum-
cou-se ao superintendente da raesma estrada.
Dilo aojuiz de direito de Olinda. Transmuto
Vmc, para seu conbecimenlo e execucao da parte
que tocara, copia da le n. 617, de 9 do corrente,
ira 6 a adopcao da proposta. Como os nossos
res sabem, a mesma exprime a esperanca
cheia de conanca, que as duas grandes potencias
aiiemaes osttllarfam prximamente ao principe
ur. de AuK"slemburgo no governo de Schles-
""-Holstem.
Austria desejra ao principio, que as duas
)s potencias se abstivessem da votacao, fa-
es>e resoeito n>nreniar,i or "
gabinete
wig-fk
graade
na guerra contra a Dinamarca, collocando a pri-
meira pedra. Tambera o exercito austraco fora
representado pelo general principe de Schwarzen-
berg.
No dia 21 ter lugar em Duppel a collocacao da
pedra fundamental para um segundo monumento,
e no da 23 em Alsen para um terceiro, e o princi-
n,?,^ s^uda declara interrompida a sessao at
partida da depulago.
A' roela hora depois do meio-dia convida o Sr.
presidente a deputagao a seguir ao seo destino,
.i \-, S^ketaxio d conta de um offlcio en-
to recebido do 1 secretario da cmara dos de-
puiaaos, declarando que a dita cmara tem nume-
Krrairr^r;^^^
pe Frederico Carlos da Prussia lomar parte nessas r
festas. Nao se pode cancar na Prussia de apro- l,,"'l demerobros para poder comecar os
veitar as victorias do anno passado at o ultimo A. r??os* senado rateirado.
ponto-, essas demonstragoes porin razem urna im- .,-1,unmarhorae '>te minutos, vellando a depu-
pressao tanto menos favoravel na Allemanha nao mlf; Sapucahy como orador da
prussiana, como nao se pode oceultar que essas Ja-a m* q? tend2 s,do 'ntroduzida presen
xime passado, dada por Vmc. consulta feita
por Claudino Jos de Oliveira, declarando que bem ultimo momento
s^>e resolveran inda ultima tan, de votar de Hesse.Darmstadi. Ella era/como se sabe, a '7r'al-e asess.ao da abertura tambera amanhaa
n&S frPos'a da B^era. Anda no segunda esposa do grao-duque cuja primeira s-1 n 2 tarde no pa?0 do senado-
das pracas da guarda nacional destacada im Cira- pmedeuese^umiidoa'quVhdad'ele ve7ea7or B^^^mSjS?^k^l^. TST^ mrrra m05a" Seu seando ronsor- i M. o SiSK^fSS! K S5ST2 de,S
bres, e nao tendo V s. em sua informacao de 13 o exercicio do cargo de juiz municipal no conselho ceava ZtmvS&^SVJSJ i^ri "aSJSM "1?" agrado eb'd" COm mu',e ^^
do corrente sob n. 331, emittindo parecer sobre a de revista da guarda nacional do manicio de Ca- contra a Prussia A de?illns5n *L l?, t *S ?l,Cias le'eraP.h,(;as de Nice' adoe- *" genida rnnviH, ,.
despeza a fazer-se com a marcha da forca da guar-; ruaru' por ter o lenente-coronel Joo Vieira de el- esperar por s? delllasao P^m nao deixou emento grave do grao-duque herdeiro da Bussia,' camrarSrm amanh 2 RJS&2 S?
da nacional da comarca do Brejo, tirada para o ser-: lo e Silva, de funecionar no mesmo conselho como Tendn Prussia declarado eme votara dehaixn Mt dfde algUns mezes c?m sua raaL -S?^m-a-m?l,J,M as x9 horas na .caraPea
v.Co da guerra e de que trata o respectivo com- offlcial mais graduado, ;menos na parte em que de todas as c.rcumstncia? a C12S5A? ?Jl!i." ?lle recel?ea-a trema-unecao. A mo
mandante superior no offlcio que devolvo, e sobre considerou encerrados os trabalhos do sobrelio
qne versa a sua citada informacao, recommendo-' conselho, para que este apenas os suspendeu, com
Ihe que o faga com urgencia afim de providenciar-! comrauoicou a esta presidencia em data de 26 da-
se logo como fr conveniente.
Dito ao mesmo.Em vista do pret que opportu-
mente Ihe ser apresentado pelo coronel com-
mandante das armas, mande V. S. pagaros venci-
mentos dos Voluntarios da Patria chegados ulti-
Austria tambera vo- lestia do joven principe
t0' 6 amfioenl*a"!???'?!'*JSW5.** **+T%*mEas'uUi
immediatamente
atados medianos. Ao mesmo tempe e'lladeclaro perderam toda'aesperanQa.
mmenle de Aguas Bellas, acontar do dia em que,
alli se alistaram at o em que juraram bandeira
nesta cfdade.
Dito ao mesmo.Annnindo aoque solicitoua di-
recflo da companhia de Beberibe no incluso re-
querimento documentado, recommendo a V. S. que
nao havendo inconveniente, mande pagar a quan
tia de 24 proveniente de agua potavel fornecida
por aquella companhia durante o mez de abril ul-
timo, ao extiacto hospital militar desta provincia.
Dito ao inspector da thesouraria provincial.
Queira V. S. ministrarme a informacao de que
trata o meu despacho de 9 de fevereiro, sob n. 84,
exarado na petico de Mara Venancia de Abreu e
Lima.
Dito ao mesmo.Em vista da conta junta, man-
de V. S. pagar a Joao AntOBio de Araujo 4 C. a
quantia de 1515199 rs. proveniente de papel que
forneceu para o expediente da secretaria do go-
verno.
Dito ao mesmo.Em resposta ao offlcio que V.
do de nome AntonioFrancisco da Silva que re- s =mT, "~ rt n.1 Ynh *.
clamado pelo Dr juiz de direito, Joo Antonio de i Z ^4S*M ST S" intraa { aot
i^tFr^Jr^e^roVZTtl^lT ent-eoronel commandante do corpo delicia n.
me Jos, devendo ser este entregue ao mesmo ; 331 e data de taniem, ja foi recomida no dia 15
deste mez ao cofre dessa thesouraria a quantia de
2:7405170 rs., que existia como saldo naquelle
oorpo, e de que trata o seo citou ometo. -
Dito ao mesmo.Informe V. S. com urgencia se
tem sido pagos os alugueis da casa que serve de
cadeia na villa do Granito do termo do Ex, desde
juiz.
Dito ao mesmo. Sirva-se V. S. de, em vista da
Tfitiitwu .por epa, mandar organisar e re-
melier thesouraria de fazenda, para o lim con-
veniente, o pret dos vencimentos que competera
aos Voluntarios da Patria vindos de Aguas-Bellas
com o tenento Louren?o Bezerra de Albuquerqne qlndV* t w oTtTqwme OTe'rS
Maranbao, devendo taes vencimentos ser tirados a Dil0 ao gJSmA superior da guarda na-
contar do da em que se alistaram at o em que CJ0Da-
juraram bandeira.
Dito ao mesmo.Em vista do que expoz V. S.
em sua informacao n. 875 de 17 do corrente, o au-
tori.-o a mandar dar baixa ao Voluntario da Patria
Tilo Rodrigues da Silva, que se acha alistado na
companhia de homens pretos.
Dilo ao mesmo.Em vista da desagradavel oc-
currencia havida entre algumas pracas do 4* bata-
iho de artilharia e do de Voluntarios
superior
dos municipios do Cabo e Ipojuca.-A vista
da sua informacao de 6 de corrente, autoriso V. S.
a mandar passar ao alteres do baialho n. 41 de
infamara do municipio de Ipojuca Izidoro Camel-
lo Pessoa de Siqueira Cavalcanti Jnior, que trans-
ferio a sna residencia para o municipio do Bonito
a guia de que traa o artigo 45 do decreto n. 1130
de 12 de marco de 1853.
Dito ao commandante superior da guarda naci-
urna metgite-cerebro-
mas noticias, os mdicos
V- O imperador da Rus-
qoelle mez. semure'rnmnTa r, PCao* qUB es,aa s'em C0nse " Diio ao juiz de direito de Cabrobo.-Ao seu offi- SSUgS^SS S'^dfiiKTqXdcJ no amhem'fiSE Para N'S fa^mS tem'
ci de 4 de abril prximo flodo, sobre o destaca- pelo Irjuo TSmTao mm de Cn^SrT fn'am^m Paraal1'^gu.o a noiva do grao-duque,
raento dessa villa, leuho a d,zer-lhe que nada ha a logo que a Pruss'a seVeciZe a S o rae^' nlfa da D nSa" aC0mpaDhada de SUa mai a ra'"
providenciar a semelhante respeito, visto como tendo Se isso nao fosse ocaso ento nada lh S.r 1.. S!^a S ^
esta presidencia, por occas.o de fazer-se tirar o o^JBftjWwos seSdireltos tot*c^r. ,,i! tep? do algodao. em conse-
destacamento de 1- linha, determinado em circular nos ducados at reaKoTomfaPrc?rdS cTres- % R chmnnd"" T'?.10* dS Ln,on,sta8- peft0
de 5 de novembro ultimo, que a guarda nacional pondente aos direitos da confedeTaco A lS mhi f.,i ." Pr conse,J"eDC'a eraDd?s
prestasse o servico para que fosse requemada por declarou contra iatow^Xh^iS^t 3fS^*. SLfSf*- e m,ea?a ,ambem de-na0
essejuizo,ou pelo delegado, nos termos do art 86 cao de/ d73o%eotadtJSMa%L2&S SSS *J*Jlemanha sera soffrimentos; mas naose
da le n. 602, de 11 de setembro de 1850, nenhum dos desojes da^SderiofJKS*SSX T TU"? eenL
vencimentotem as pra5as da raesma guarda naci que de AugasleSr? SSsSS ohoTramm.mi'n,^ Ia de c:!usar. Porra. rece's 0v'"
nal que ah estiveremem servico, em viciado da- wldesove^STaffii Dito^n^o^^f?n*^toJL^^J!S5 lTP au/menla cada v
quella ordem. tallaco L JZ LS2? consentir na ras- mais, dentro dos circuios do mundo operario euro-
Dito aojuiz municinal da scada-Informe Vmc er'CanjJTrt rriPiD,PH Sch|esw.g-Hols- peu, Tambera na Atlemanha se mostrara seus ef-
tssa aeciarac;ao a reso- dos Idgares mais industnaes da provincia da Sa-
mperial, e no pago do senado ao meio-dla; le-
vantan a sessao 1 e meia hora da tarde.
SESSAO EM 8 DE MAIO DE 1865.|
PRESIDENCIA DO SR. VISCONDE DE ABAET.
A sil horas da raanha, achaudo-se presentes
os Srs. visconde de Abael, Mafra, Souza Franco,
i>arao de Pirapama, Ferreira Penna, Teixeira de
bouza, Jobim, marquez de Caxias, Furlado Silva
raras, Pimenla Bueno, Otloni, Mendes dos San-
tos, Nabuco, marquez de Itanhaem, bario d Mn-
nl.l,.i li i.,:____ .i-i i,- > .
Portria-
lufao da dieta perdeu naturalmente pelo momento xonia, Burg, todos os
LzLfSf!S pralica' e os oraos d0 Sr- de d panno cessaram de t
trabalhadores das fabricas
trabalhar, um igual slnke
marm. <>m l.nin
mesma.
JSS,!?*! nao se fazem nenYu-! 30 inerendo os obreiros continuar o trabalho de-'
San ca 1", gvP-e qn? essa resolQCao deu a das actuaos condicoes, ao mesmo tempo que
a Pmss a eScnn r" ^tj?*^ T*1' qU" 0S d0D0S recusam a, *Br de consenlir e
aJ ,,?-^,mAa 0r plrte dos 8vernos exigencias de salarios elevados. Finalmente tam-
XT 1 ,Qe!rdl Allemanha urna firme re- bem em Breslau e outros Ingares cessam o traba-
&ta ESLESaSP apeZar d-2 M*s -as lh0' e nao e de Prver Bm desse movimento que
Tl j """nidacao ate agora exercidas, e nao se estende cada vez mais.
smente deu expressao abena e seria renuncia
da Austria allianca Prussiana, mas sm tambera
-eqoeren o lente Coronel Alexrndre E
Magno Peixoto de Alencar, e tendo em vista a in- trar a nullidade da msma Aoezar3 mS mdn n : LtSJSL 2?. Du,sbur?' em Leipzig pararan a
formacodo director gera interino da instrucejo seio do SSltoM^^KSL1!*^ e offlemas de alfa.ates,
publica de 13 do correle, sob a. 148. resolve no-
mea-lo para reger interinamente e mediante a gra-
tjicago annual de 6005 rs. a cadera de instruc- nussia encorara ior
gao primaria de Nossa Sentara do O' de Goyanna,
que se acha vago. Communicon-se ao director ge-
ral da instruccao publica.
Dita.O presidente da provincia, conformndo-
se com a proposta do Dr. chefe de polica, n'. 704,
de 15 do corrente, resolve nomear o major Manoei
de Assumpcao de Azevedo, oara a Untar vano 4e
suDeiesmiu do dtsiricio do- lienedouro, 2o da fre-
gnezia do Altinho em Caruar.Coraraunicou-se ao
Dr. ebefe de polica.
Dita.Os Srs. agentes da companhia brasileira
de Paquetes fagam transportar por conta do minis-
terio da guerra no vapor que se espera do norte,
deu um novo apoio grande raaioria da populacao
2*ioSis^lfcJl'?'?-le' ni. -na su.a OPnnsJcao con ir *
exigencias t* poltica Bismark. Manifestou sohretu-
do que a Prussia al agora nao soube anda vencer
as dilBculdades, que se Ihe oppoem de todos os la-
dos ; mas sim que as mesmas pelo contrario se
tornaram sempre maiores.
E nao faltaram mais experiencias. Afim de de-
ura caixote de madeira. contendo 3 caixas de ins- monslrar mui positivamente, que despeito da re-
IMERIOR.
i -
constante dos offlcios do Dr.chefe de polica e de- "'-*!.Go,M5-If9rin? V- ..*. ?
letrado desta cidade, juntos por copia, recommendo
a V. S. que mande proceder na forma da lei con-
tra as referidas pravas.
Dito ao Dr. chefe de polica.De offlcios do juiz
de direito da comarca de Cabrob de 10 de abril
prximo (indo, e de outro do juiz municipal do
termo do Ei, de 9 do mesmo mez, consta que por '
achar-se sem porta a janelia da casa que serve de
cadeia na villa do Granito, a despeito das recom-
mendaedes daquellas duas autoridades e de aviso
da guarda qne nella se achava ao delegado sup-
pienle em exercicio, Jos da Costa Agr, e por
consentir este gue os presos sahissem passefo,
da mesma prista se evadi de 7 para 8 do referido
mez, o criminoso derouboque al i eslava respon-'
riendo a formacao da culpa, Francisco Pereira de
Lona, deixaedo um escripto insulluoso quelle juiz
municipal, e que para em poder do delegado que o
ha mostrado a diversas pessoas.
Consta mais que o dito criminoso se encaminh-
T para Baixa-Verde na comarca de Fleres, onde
se acha sem receio de ser capturado, como decla-
rou no mesmo escripto.
O rererido juiz de direito diz que Agr ultima-
mente se retiron para sna fazenda, seis leguas dis-
tante, deixando ludo revelia, que nao pode con-
tinuar ali como delegado, e pede a sua demisso.
Qnelra V. S., ouvindo o mesmo delegado, infor-
mar sobre o que tica dito, expedndo logo as pro-
videncias necessarias para a captura do criminoso
Luna.
Dtono mesmo.Inteirado da ^desagradavel oc
correncia que se deu entre algnmas pragas do 4*
batalhao de artilharia e do 2 de Voluntarios da
Patria, e que V. s. me commumcou em offlcio n.
702, de 15 do corrente, tenho a dizer-lhe em res-
posta que, em observancia do aviso expedido em
20 de outubro de 1858, por occasiao de duvida
suscitada nesta provincia em caso analoeo, recom-
mendo nesta data ao commandante das armas que
faga proceder contra as ditas pragas na forma das
leis militares ; recommendago que nao importa
ordem para a paralsagao do procedimento que
possam ter tido as autoridades indiciaras.
Dito ao mesmo. Comm un ico a V. S. parasen
conhecimenlo e afim de qne faga acantelar qual-
qner duvida que para o futuro possa apparecer,
gne segundo constou de offlcio do Exm. desembar-
gador provedor da Santa Casa de Mi.-ericordia, de
15 do corrente, sob n. 191, o alienado admittido ne
respectivo hospicio sob o neme de Ignacio Pedro
da Silva, de que trata o- seos offlcios de 19 e 24 de
abril ultimo, sob ns. 557 e 584, chama-se Francis-
co Carlos Teixeira Borges e nao Ignacio Pedro da
presentou ao Dr. chefe de polica o delegado do
i termo de Goianna no offlcio de que Ihe remello c-
I pia, providenciando logo para que nao sejara cha-
> mados ao servigo da guarda nacional os guardas
que esliverem ocenpando os lugares de Inspector
de quarteiro.
Diloao inspector do arsenal de marinka -Visto
que acha-se toda comida de cupim a casa que na
torre do collegio servia de abrigo ao encarregado
do respectivo telegrapho, como consta do seu offlcio
n. 895 de 11 do corrente, mande V. S, fazer alli
outra casa com madeira de baqualidade, afim de
que tenha mais durago.Fizerara-se asuecessa-
nas communicag5es.
Dito ao director do arsenal de guerra.A vista
da sua informacao n. 257 de 12 do corrente, an-
nni a que seja transferido para a companhia de
artfices, como pedio o soldado do corpo de guarni-
gao Manoel Antonio de Sonza Carneiro, urna vez
que sugeite-se a ser examinado no offlcio de ser-
ralheiro, apresentando-se para isso a essa directo
ria : o que declaro a V. S. para seu coohecimento.
Dito o mesmo Prestando-se D. Anna Pergen-
lina de Souza e tres filhas suas, segundo fez che-
gar ao meu conhecimenlo por intermedio de M -
noel Turiano dos Reis Campello, que assim decla-
rou-me em offlcio de 15 do corrente, a costurar
mil camisas para a tropa, sendo dous tercos pelo
prego que actualmente paga esse arsenal, e o res-
to gratuitamente, submetto a V. S. esse patritico
offerecimento, afim de que aproveite-o se for van-
tajoso como parece.
Dito ao tenenle-coronel Jos Luiz Calda Lins.
Bemetto incluso a Vmc, c por segunda via, o offl-
cio que em 18 de abril prximo findo, Ihe dirig
afim de que no prazo de seis das contados do seu
receblmento, responda aos quesilos neile comidos,
declarando a razo porque ja nao o fez, e entregan-
do a sua resposta ao agente do correio do Rio For-
mozo, que tem ordem para a receber dentro da-
quelle prazo.
Dito ao major Thomaz Lins Caldas.Remeti a
Vmc. e por segunda va o offlcio qne em 18 de
abril prximo nodo, Ihe dirig afim de que no pra-
zo de seis dias contados do seu recebimento, res-
ponda aos quisitos neile comidos, declarando a
razo porque ja nao o fez, e entregando a sua res-1
posta ao agente do correio do Rio Formozo, que
tem ordem para receber dentro daqnelle prazo.
Dito ao presidente e meuibros do conselho de
revista da guarda nacional do municipio do Boni-
to.Informe com nrgencia o conselho de revista
da guarda nacional do municipio do Bonito, sobre
o que representa o presidente do conseibo de qna
trunientos cirurgicos que o commandante das ar-
mas tem de remelter repartigo da guerra, na
forma das ordens impenaes. Communicou-se
ao eommandante das armas.
Expediente do secretario do governo.
Offlcio ao Io secretario da assembla legislativa
provincial.Para serem presentes assembla le-
gislativa provincial, e em solugo ao seu offlcio de
6 do corrente, sob n. 109, passo por copia s mos
de V. S., de ordem de S. Exc. o Sr. presidente da
provincia, as inclusas informagSes ministradas
pela thesouraria provincial relativamente ao execs-
so de capital da empreza do calgamento d'csta ci-
dade.
3 DE
Despachos do dia 48 de maio de IS.'i.
Requerimenlos.
Abalxo assignado de propietarios e moradores
da ra Larga do Rosario. Informe o Sr enge-
nheiro chefe da reparlico das obras publicas,
ouvindo o empreiteiro do calgamento.
Alexandre M aguo JJeixoto de Alencar. Passe
portara na forma requerida.
Antonio do Carmo e Souza. Informe o Sr. ins-
pector do arsenal de marinha.
Abaixo assignado de proprietarios e moradores
da ra de Joao Fernaddes Vieira. Informe o Sr.
engenheiro chefe interino da repartigo das obras
publicas.
Bmholoraeu Caetano dos Santos. Requelra
quando estiver prxima a partida do corpo a que
pertence o supplicante.
Chrislovao Star 4 CPasse-se.
Francisco Xavier Cavalcante Lins. Informe o
Sr. director do arsenal de guerra.
Joaquim Jos dos Santos Jnior. Deferido com
a in formacao junta por copia do inspector da tlie-
souria provincial.
Jos Patricio de Moura Caz. Informe o Sr.
inspector da thesouraria provincial.
Padre Jos Procopio Pereira. Informe o Sr.
director geral da instruegao publica.
Jos Gomes de Oliveira Jnior. Informe o Sr.
Dr. juiz de direito da comarca do Brejo.
Jos Augusto de Araujo. Avista da informacao
s pode o supplicante extrahir a pedra de que
trata na barra do Suape.
Luiz Caetano Borges. Nao ha que deferir ad-
ministrativamente sobre a questo, de que trata o
supplicante, a qual compete ao poder judlciario,
perante o qual deve o supplicante usar dos recur-
sos que he facultan) as lels.
yManoel Figueira Cazado de Menezes.Informe
o Sr lenle coronel commandante do corpo de
polica.
Tiburcio V. 1er i ano Baptista.Junte a permissao
que deveria ter precedido da presidencia para a
venda das casas, de que trata o supplicante edi-
ficadas em terreno de marinha.
Vicente Ferreira da Costa Miranda.Como pede
Silva, como V. S. ver da offlcio do regente do mes-
mo hospicio por copia incluso.
licago da mesma guarda nacional da fregnzia
de Grvala, capilo Joao Caplstrano Torres Galin-
i do no offlcio de 8 deste mez junto por copia, remel-
Dilo ao mesmo.Requisilando o commandante tendo os documentes em qne fundn as decisoes
superior em offlcio de 27 de abril nltimo, a restl- a qne alinde o referido presidente do conselho de
tuigo do armamento e corrame qne receben como qualiflcago.
guarda do 2* batalhao de infamara deste mnnici- Dito cmara municipal do Reeife. Em vista
pi, Lourengo Jos de Santa Anna, qne seguio para da informago junta por copia, ministrada pelo
a corte na qualidade de praga do 1* corpo de Ve- chefe interino da repartigo das obras publicas em
tantalios da Patria, sem ter feilo entrega daquelles 13 do corrente, sob n. 142, com referencia ao offl-
objectos, sirva-se V. S. de mandar averiguar onde ci que me dirigi a cmara municipal do Reeife,
existe a familia daqnelle individu, afim de exigir- em 3 deste mez, n. 31, recommendo a' mesma ca-
se delta o referido armamento e corrame, para ser mar, por jolgr bem fundada aquella informago,
entregue ao preelto commandante superior. ; que d as necessarias providencas, afim de que se-
Dito ao inspector da thesouraria de fazenda.Se Ja melhorado o mo estado em qne se acham as
nao noover inconveniente, mande V. S. pagar ao roas da Conceigo e Pires na fregnzia da Boa-Vis-
Dr. Francisco de Araujo Barros, conforme sollici-
tou o Dr. chefe de polica, em offlcio de 16 do cor-
rente, sob n. 711, a quantia de 5|000, despendida
com o coacerto feilo no quartel do destacamento
4e goardas naconaes da cidade de Goianna, como
la, occasionado pelas aguas pluviaes alli estacio-
nadas.
Dito ao procurador fiscal da thesouraria provin-
cial.Com o- sea offlcio deJ16 do corrente, recebi
orna copia de outro que Vmc. dirigi na mesma
se v do iocloso recibo.Communicon-se ao Dr. data ao desembargador procurador da cora, sobe-
ebefe de poicia. rania e fazenda nacional, relativamente ao accor-
Dlto ao mesmo.Declaro a V. S. em resposta ao dao do-tribunal da relago que reformou a senten-
seu offlcio de hoje, sob n. 344, qne deve ser paga ca dada-pelo- Dr. juiz dos feitos da fazenda eoalra
COMANDO DAS ARMAS.
Quartel do eommaudo das armas de Pernambueo
na eidade do Reeife, 20 de maio de 1865.
Ordem do dia n. 69.
Havendo a presidencia nomeado por portarla de
19 do corrente ao Sr. bacharel Amaro Xavier de
Moraes para occopar provisoriamente o posto de
capilo do segando corpo de Voluntarios da Patria
que se est organisandp nesta provincia, o coronel
commandante das armas interino assim o faz pu-
blico para sciencia da gnarniglo e devido effeiio.
(Assignado.) Jos Mana Ildefonso Jacotke da
Vdga Pessoa e Mello.
(Conforme)Antonio Franctsco Duarte,2* tenen-
te*ajudante de ordens interino encarregado do de-
talhe.
EXTERIOR.
CORREgPOMDEtfCIAS 10 BIA
RIO BB PF.RV V TI III I O
n.msi-Rso
21 dr abril de 86&.
Confirmou-se o que esorevemos em nossa ulti-
solugao da dieta, nao se desistira dos seus planos,
poucos dias mais tarde o ministerio prussiano
apresentou na cmara dos depulados urna propos-
ta de fortificagSo do porto de Kiel, declarando o
ministro da guerra, o Sr. de Roon, que a Prussia
saberia segurar esse porto debaixo de todas as cir-
cumslancias.
Ao mesmo tempo, o commissario civil da Prus
sia nos ducados, o Sr. de Zsdlitz deu aviso -s au-
toridades inferiores do Schleswg-Holslem, dae a
Prussia resolver de transferir a sua estado de
marinha de Danzig para Kiel. A Austria prra
fez valer immediaiamente sua posse coinmum. Em
pnmeiro lugar, seu enviado em Berln), o conde'
Karolyi, exigi confidencialmente do Sr. de Bis-
mark esclarecimentos acerca das expressSes do
ministro da guerra na cmara dos deputados, ao
mesmo lempo que o commissario civil austraco
ScdSfltS^S'S!: fafiL"*" ^^ae^ de abrnl,doSr. Paula Almeida,
Sa dos B&U52 ,qUi"qUer "e*a5a0 lea" Participando que por causa do estado de sua sau-
S,*sr1S.l!!!!>s-de.P.?se. comraura da Austria, e de so comparecer s sessSes do senado quando
Ihe fr possivel.
RIO DE JANEIRO
ASSEMBLA GERU LEGISLATIVA.
SENADO.
SEXTA SESSAO PREPARATORIA EM
MAIO DE 1865.
PRESIDENCIA DO SR. VISCONDE DE ABAETK.
A's onze horas da manha fez-se a chamada, e
achando-se presentes os Srs. visconde de Abael,
Mafra, visconde de Sapucahy, Ferreira Penna, Ol-
toni, Teixeira de Souza, Mendes dos Santos, Arau-
jo Ribeiro, Jobim, Souza e Mello, Siqueira c Mello,
Pompeo e baro Muriliba, o Sr. presidente abre a
sessao.
E' lida e approvada a acta da antecedente.
O Sr. 1 Secretario d conta do seguinte
EXPEDIENTE.
Um offlcio de 2 do crreme, do Io secretario da
cmara dos deputados, communicando nao haver
numero sufflciente de membros para que possa ter
lugar hoje a abertura da assembla geral, como
determina a constiluigo.Fica o senado intei-
rado.
de nao admitlir o estabelecimenlo duradouro da
Prussia era Kiel, declarando a Austria, que se em
Berlira se limitassera de tomar ali estago com
urna parte dos seus navios, que a cada momento
podiam ser mudados para outra parle, isso ver-
dade nao obrigava a Austria a protestar; mas sim
que pareca proprio, que nesse caso tambem to-
masse estago no porto de Kiel urna flotilha aus-
traca. Em conformidade disso a esquadra aus-
traca, actualmente ancorada no porto de Geeste-
munde recebeu de Vienna por telegrapho a ordem
de achar-se prompta para seguir as ordens do ba-
rao de Halbhuber.
Em Berlim nao se oceulta o descontentamento
com o procedimento do gabinete de Vienna, e d)
mesmo modo a imprensa austraca mostra-se sem-
pre mais acerba e irritada contra a Prussia, e j
se agia a eventualdade d'uma ingerencia armada,
talvez necessaria contra o amigo alliado. A actual
constellagao europea, consequencia das ultimas
grandes victorias dos unionistas na America do
norte, tambem muito favorece o procedimento
enrgico da Austria.
Tanto a Franga, como a loglaterra, tem por ora
de dirigir toda a sua attengao sobre suas relag.5es
para com a Unio, e nao podem arriscar de tomar
engajamento na Europa para lado algum. A Aus-
tria ganha assim mo livre na Italia, e tenciona
aproveitar o favor da posigao momentnea para
urna reduegao notavel do exercito.
Debaixo da presidencia do archiduque Albrecht,
assstido pelo marechal Benedeck, goveraador da
Veneza, acha-se reunida desde algumas semanas
urna conferencia de generaes, a qual se declarou
por urna reduegao da infamara de 70 mil homens,
e d'um numero correspondente de cavallaria e ar-
tilharia, deixando sempre aberta a possibildade de
completar o exercito de novo em poucos das.
Nos ltimos dias liveram finalmente lugar as ul-
timas assignaturas do tratado de commercio entre
a Austria e o Zollverem, e o pleoipotencario aus-
triaco Sr. de Hock j vollou para Vienna.
Quanto ao tratado de commercio entre a Ingla-
terra e o Zollverein, o qual nao aprsenla difflcul-
dadee maleriaes, sua asslgnatora s foi demorada
por algumas differengas acerca de expressoes for-
maos, apparecidas no nltimo momento. Entretan-
to a conferencia geral reunida em Berlim est oc-
cupada com sua tarefa, isto a redaegao do novo
tratado geral d Zollverein, e da tarifa estipulada
pelos differentes tratados de commercio.
. As negociagoes que tem lugar em Stnllgart acer-
ca d'um tratado de commercio com a Suissa,
acham-se perto de sua concluso, a qual j teria
tldo lugar, se nao fossem as restas da pascoa que
a interromperam.
Tambem o Reichsrath austraco e as cmaras
prossianas tiveram suas ferias de algumas sema-
nas por cansa das mesmas festas.
No dia 18 do corrente festejon-se solemnemente
em Berlim o annivorsarlo do assalto dos redMos
de Duppel pela collocacao da pedra de fundamen-
to para um monumento nacional em memoria dos
feitos d'armas prnssianas nos ducados. 0-rer as-
sistio festividade, para a qual vieram a Berlim
deputacSes dir rodos-es corpos, qae tomaran parte
Outro de 1 do corrente, do Sr. Candido Baptista,
participando que em razo do estado delicado de
sua saude nao pode comparecer sessao da aber-
tura da assembla geral.Fica o senado intei-
rado.
Nada mais havendo a tratar, o Sr. presidente
convida os Srs. senadores a reunirem-se no dia se-
guinte a mesma hora, e levanta a sessao s onze
e meia horas da manha.
STIMA SESSAO PREPARATORIA EM 4 DE
MAIO DE 1865.
PRESIDENCIA DD SR. VISCONDE DE ABARTE.'
A's 11 horas da manha faz-sea chamada, e,
achando-se presente o Sr. visconde de Abaet, Ma-
fra, Ferreira Penna, visconde de Sapucahy e Dias
de Carvalho, o Sr. presidente abre a sessao.
E' lida e approvada a acta da antecedente.
O Sr. 1 Secretario d conta de um offlcio de 2
do corrente, do Sr. Furlado, communicando qae
acha-se prompto a comparecer sessao da assem-
bla geral.Ficou o senado Inteirado.
O Su. Presidente declara que a sessao fica in-
terrompida al as 2 horas da tarde, para poder re-
ceber-se e tomar-se em comiderago qualquer
communicago da cmara dos deputados ou do go-
verno.
Continuando a sessao depois das 2 horas, e nao
se tendo recebido communicago alguma, o Sr.
presidente convidou os Srs. senadores para cora-
parecerem no dia seguinte mesma hora, e levan-
lou a sessao s 2 e meia horas da tarde.
OITAVA SESSAO PREPARATORIA EM 5 DE
MAiODE 1865.
presidencia do sn. visconde de abaet.
A's 12 horas da manha faz-se a chamada, e
achando-se presentes os Srs. visconde de Abaet,
Mafra, visconde de Sapucahy, Teixeira de Sonza,
Cunha Vasconcellos, Pompeo, Silveira da Motta,
Ferreira Penna, Araujo Ribeiro, Souza e Mello, Sil-
va Ferraz, marquez de branles, Rodrigues Silva,
Mendes dos Santos, Jobim, Dias de Carvalho e Dan-
tas, o Sr presidente abre a sessao.
E' lida e approvada a acta da antecedente.
O Sr. Io Secretario l o offlcio de hoje, do mi-
nisterio do imperio, communicando que S. M. o
Imperador digna-se receber boje 1 hora da tarde,
no pago da cidade, a depulago do senado qne tem
de pedir respeilosamenle ao mesmo angosto se-
nhor a designagao do da e hora para a missa do
Espirito Santo, na capeila imperial, e do dia, hora
e lugar da sessao imperial da abertura da assem-
bla geral.Ficou o senado inteirado.
Foram sorteados para a dita deputagao os Srs.
visconde de Sapucahy, Dantas, Siqueira e Mello,
Pompeo, Dias de Carvalho, Souza Ramos e Souza
e Mello.
O Sr. Presidente declara qae pela mesa foram
feitos varios pareceres, mandados imprimir, e que
serao opportu na mente distribuidos e subroeltidos
discusso sob ns. 29, 30, 31, 32, 33 e 34 de 28
de abril e n. 35 de 5 de maio do corrente anno, so-
bre diversos assumptos.
ritiba, Rodrigues Silva, Dias Vieira, Dantas, Souza
Hamos, Pompea, visconde de Sapucahv, Araujo
Ribeiro, D. Manoel, Siqueira e Mello, visconde de
Itaborahy, Candido Borges, Souza e Mello, baro
jej nlonina,Zacharias' ^""ro de Campos, Can-
dido Baptista, baro de Maroim, Dias de Carvalho,
Paula Almeida, marquez de branles e Paranhos,
o br. presideute abre a sessao.
Compareceram logo depois os Sr. marquez de
Olinda e Silveira da Motta.
Faltaram com cau*a participada os Srs. viscon-
de de Jequitinhonha, visconde do Uruguay e Eu-
zebio, e sem pameipago os Srs. Slnimb, baro
de S^L-ourengo, baro de Cotegipe, Fernandos Tor-
eil* na VaFConcellos, Paula Pessoa, Almeida e
Albuquerque, visconde de Suassuna, visconde da
Boa-Vista, Souza Queiroz, Fonsecae baro de Qua-
rahim.
Foram lidas e approvadas as actas de 10 e 12 de
setembro de 1864 e a de 5 do corrente mez.
O Su. Io Secretario dea conta do segrate
expediente.
Offlcio de 6 do corrente, do Sr. visconde de Je-
quitinhonha, participando que nao podia compare-
cer a abertura da assembla geral e as sessSes do
senado por 1er fallecido nm ffltao 0 Dr. Harm~i-
anoiedo marconaes ae ffloWzuma.-Flc nado inteirado e mandon-se despojar o Sr. se-
nador.
O Sr. Presidente declarou que na frma do re-
giment ia-se proceder eleigao da mesa, come-
gando pela do presidente, e depois a das commis-
s5es permanentes.
Corrido o escrutinio, sahiram eleitos :
Presidente, o Sr. visconde de Abaet.com a maio-
ria abso uta de 23 votos, tendo vindo a mesa 30
cdulas,
Vicepresidente, o Sr. Gabriel Mendes dos San-
tos, com maioria absoluta de 32 votos, tendo vindo
a mesa 37 cdulas.
! secretario, o Sr. Jos da Silva Mafra, com 34
votos, e 3 oSr. Manoel Teixeira de Souza com 23.
2. secretario, o Sr. H>rculano Ferreira Penna,
com 30 votos, e 4o o Sr. Frederico de Almeida o
Albuquerque, com 24, ficando 1 supplenle o Sr.
Thomaz Pompeu de Souza Brasil, com 8, e 2o o
Sr. Antonio Luiz Damas de Barros Leite, com 4.
O Sn. Presidente disse que achando-se eleita a
mesa, passava-se a lr, para entrar em discnsso,
o parecer da commisso de constituigo, que j
fra Impresso no jornal da casa, acerca da carta
imperial pela qual foi nomeado senador do imperio
o Sr. Joao Lustosa da Cunha Paranagn e sobre a
eleigao a que se procedeu na provincia do Piauhy,
para prcencher a vaga de om senador, resulianie
do fallccirnento do conselheiro Joaquim Francisco
Vianna.
A convite do Sr. presidente oceupou a cadeira
de 4o secretario o Sr. Pompeu, por estar ausente,
o Sr. Almeida e Albuquerque.
Sendo ldo c submettido discusso o parecen
referido, foi sem debate approvado.
Disse ento o Sr. presidente, que, em virtude da
carta Imperial do senador eleto, e da decisao do
senado que julgon legal a nomeagao, declarava
senador do imperio o Sr. Joo Luslosa da Cunha
Paranagu, a quem ia se offlciar para vir prestar
juramento e tomar assento no senado.
Pelo Sr. Io secretario foi lida nesta occasiao a
caria imperial de 13 de outubro de 1864, pela qual
nomeado senador do imperio, o Sr. Antonio Co-
Iho de S e Albuquerque.Foi reraeltida a com-
misso de constiluigo, para dar seu parecer com
urgencia.
Passou-se a eleigao das commissoes, e, corrido o
escrutinio, foram eleitos para a de
Resposta falla do throno.
Os Srs.: Jos Ignacio Silveira da Molta com 21
votos, Candido Borges Monteiro com 19, e Jos
Mara da Silva Paranhos com 18.
Constituirao e diplomacia.
Os Srs.: visconde de Sapucahy com 29 votos
Jos Ildefonso de Souza Ramos com 20 e baro de'
Muritiba com 11 por desempate com o Si. marquez
de Olinda, que teve igual numero.
Fazenda.
Os Srs: Jos Pedro Dias de Carvalho com 20
votos, Bernardo de Sonza Franco com 18 e viscon-
de de Itaborahy cora 14 por desempale com o Sr.
marquez de Abranus, que teve igual numero.
Indo-se eleger a commisso de legislago, vieram
mesa 27 cdulas ; e verificando-se assim a falta
de quorum, o Sr. presidente dan para ordem do dia
seguinte:
Continuagao da eleigao das commissoes.
Levantou-se a sessao a 1 hora da tarde.
SESSAO EM 9 DE MAIO DE 1865.
presidencia do sr. visconde de abaet.
As onze boras da manba, feita a chamada e
achando-se presente numero legal de Srs. senado-
res, o Sr. presidente abre a sessao.
E' lida e approvada a acta da antecedente.
Achando-se na sala immediata o Sr. senador Joo
Lustosa da Cunha Paranagu, sao eleitos para a
deputagao que o deve receber os Srs. Dantas, Sil-
veira da Molla, e Jobim, e, sendo entrodnzido no
salo na forma do eslylo, presta juramento e toma
assento.
ORDEM do da.
Prosegue a eleigao das commissoes, e corrido o
escrutinio sao eleitos para a de
Legislacao.
Os Srs.: Jos Thomaz Nabuco de Araujo com 30
votos, baro de Pirapama com 22 e Jos Ignacio
Silveira da Motta com 17.
ILEGIVEL
.


V
=r=

' r
Alarlo de rrrnsmhnco ... efunda telra tt de Halo de 1805.
i
~-
Marinha e guerra.
Os Srs.: marqucz de Gaxias cum 30 votos, Souza
e Mello cum 27 e bario de Muriiiba coui 22.
Commercio, agricultura t artes.
Os 9rs.: Jos de Araojo Ribeiro com 56 foto.
Carlos Carneiro de Campos com 22 e visconde de
Suassuna com 12.
Emprezxts privilegiadas e obras publica.
Os Srs.: Manoel Fe 11 sardo de Soma e Mello com
26 votos. Caudillo liorges Monleiro com 24 e blro
le Muriliba com 22.
kutovecao publica t mfoctos eclesisticos.
Os Srs.: Thomai l'ompe de Souza Brasil com
26 votos, Jos Martins da Cruz Jobim com 21 e
Jos Manoel da Foaseca com 13.
tado-se eleger a commissao de sade publica,
veem a mesa 28 cdalas, e, vtrifleando-se assim a
faHa de quoru**, o Sr. presidente deu para a ordem
te da seguate:
Continuado da eleigo das commissies.
Levanta-se a sessio aos (prenla minutos depois
to meio dia,
DE
CHARA 80S SRS. DIPUTADOS.
SEXTA SESSAO PREPARATORIA EM 3
MA10 t, 1865.
PRESIDENCIA 1)0 S*. BARAO DE PRADOS.
As enze horas e meia da manha, f-ita a chama
la, e adiando se presentes os Srs. barao de Prados,
Franco de Alenla, Pedro Luiz, Limpo de Abren,
Fonseca Vianna, Lopes Netto, Brusque, Paranagua,
Bibeiro, Pinto de Mondonga, Marlim Francisco,
Martinho Campos, Valdetaro, Raiol, Salustlano,
Soulo, Saldanha Mariuho, Almeida Braga, Rodri
gues Jnior, Moreira, Hurta de Araujo, Silveira Lo-
bo, Biltencourt Sampaio, Carro, J Madureira, Ma-
cedo, Dorniciano, Moraes Costa, Pamplona, Fernn-
des Moreira, Luir. Felippe, Souza Carvalho, Mello
Franco, Tavares Bastos, Aristldes Lobo, e Vascon-
celos, abre-se a sessao.
L-se e approva-se a acta da antecedente.
O Sa. 2 secretario participa que o Sr. C Oltoni
llie communicara achar-se prompto para os traba-
Ihos da presente sessao.
Nada mais havendo a tratar, o Sr. presidente
declara que a ordem de dia soguinte o que occor
rer, e levanta a sessao.
STIMA SESSAO PREPARATORIA EM 4 DE
MAIU DE 186o.
PRESIDENCIA DO Sn. CARAO DE PRADOS.
As onze horas e meia da manha, feita a chama-
da, e achando-se presentes os Srs. baro de Prados,
Franco de Almeida, Limpo de Abren, Alvim, Mar-
tim Francisco, Lima, Duarte, Raiol, Lopes Netto,
Aristides Lobo, Fonseca Vianna, Valdetaro, Libera-
to, Moreira, Biltencourt Sampaio, Dorniciano, Sil-
veira Lobo, Feraaodes Moreira, Pamplona, J. Ma-
durara, Carro, Vasconcellos, e Moraes Costa,
abre-se a sessao.
L-se e approva-se a acta da antecedente.
O Sn. 1 Secretario declara nao haver expe-
diente.
Nao havendo nada a tratar, o Sr. presidente
levanta a sessao, e da para a ordem do dia seguinte
o que occorrer.
OITAVA SESSAO PRERARATORIA EM 5 DE
MAIO DE 186a.
PRESIDENCIA do sr. BARAO DE BRAD0S.
As onze horas e tres quartos da manhaa, feita a
chamada, e achando-se presentes os Srs. baro de
Prados, Franco de Almeida, Pedro Luiz, Limpo
de Abreu, Rodrigues Jnior, Aragao e Mello, Sou
za Bandeira, Correa das Neves," Costa Machado,
Raiol, Carro, Ambrosio Machado, Brusque, Salus-
tiano Souto, Copes Netto, Vasconcellos, Fonseca
Vianna, Junqueira, Mello Franco, Moreira Bran-
do, Fialho, Moreira, Henriques de Almeida, Epa-
minondas, J. Madurara, Martinho Campos, Silvei-
ra Lobo, Horta de Araujo, Chagas Lobato, Tavares
Bastos, Ribeiro, Feitosa, Almeida Braga, Biiten-
court Sampaio, Pedro Muniz, Maredo, Pamplona,
Liberato, E des Mareira, Figueiredo, Barros Pimeotel, Domi
ciano, Silva Pereira, Jacobina, AfTonso Celso, Lima
Duarte, Jos Caelano, Alvim, Pinto Lima, e Carva
Ibo Rete, abre se a sessao.
L-se e approva-se a acta da antecedente.
Nao ha expediente.
jjAS*. l Secretajbjo.participa que o Sr. Ribeire
Ud LU TllC I uiliiijiiiin ..... Von'llb yt^Aiyf^ |/JIV < tJ
irabalhos da presente sessao.
O Sr. Presidente declara que, estando comple-
to o numero preciso de depulados para que possa
abrir-se a assembla geral, vai-se ofDciar ao go-
veroo para saberse o dia, hora e lugar em que
S. M. o Imperador se dignar receber a deputago
que por parte desta cmara tem de pedir a desig
naci do dia e hora Ja missa do Espirito Santo na
capella imperial, assim como do dia, hora e lugar
da abertura da assembla geral ; e nomea para a
dila depulagao os Srs.: Dorniciano, Lima Duarte,
Silveira Lob>, J. Madurara, Chagas Lobato, Mo-
reira, Raiol, Almeida Braga, Fialho, Urbano, Es-
neridio, Barros Pimenlel, Pedro Moniz, Martim
Francisco, Mello Franco, Souza Leao, Jos Caetano,
Macedo, Silva Pereira, Al.im, Junqueira, Salus-
tiano Soulo, Fernandes Moreira e Buarque.
O Sr. 1 Secretario, pouco depois, procede
leilura de un offlcio do ministerio do imperio,
eommunicando que S. M. o Imperador se dignara
receber hoje urna hora da tarde, no paco da ci-
dade, a depulacao desta cmara que tem de pedir
a designacao do dia e hora da missa do Espirito
Samo na capella imperial, bem como do dia, hora
e lugar da abertura da assembla geral. Fica a
cmara inteirada.
ELEIQ.VO DO MARANHAO (2o districto).
L-se, e approvado sem debate, o seguinte pa-
recer :
A commissao de constituido e poderes, a
quem foi presente o diploma do Sr. Dr. Jos Joa-
quim Tavares Belfort, deputado pelo 2 districto
eleitorai da provincia do Maranho, achando-o
conforme com as actas da eleigo da mesma pro-
vincia, de parecer que se lhe d assento.
c Sala das commissoes, em 5 de maio de 186o.
Jos de Barros Pimentel. Jos Caetano,
Achando-sena sala immediata o referido senhor,
introduzido com as formalidades do estylo, pres-
ta juramento e toma assento.
O Su. Presidente nomea o Sr. Belfort para subs-
tituir o >r. Moreira na deputago que tem de se
dirigir ao pago urna hora da tarde ; e convidan-
do a mesma a cumprir sua misso, suspende a
aesso.
A* hora e meia, voltando a deputago, contina
a sessao j e o Sr, Dorniciano, como orador delta,
tomando a palavra pela ordem, decan que, tendo
sido a mesma deputago recebida com as formali-
dades do estylo e cumprido sua misso S. M. o
Imperador se servir designar as dez horas do dia
de amanha para a missa do Espirito Santo na ca-
pella imperial, e a urna hora da tarde para a aber-
tura da assembla geral no paco dti senado.
O Sn. Presidente declara que a resposta de Sua
Magestade recebida com muito especial agrado.
Nada mais havendo a tratar, o Sr. presidente
levanta a sessao, convidando os Srs. depulados
para comparecerem amanha na capella imperial
e depois no pago do senado, s horas designadas.
SESSAO EM 8 DE MAIO DE 1865.
PRESIDENCIA DO SR. BARO DE PRAdOS.
A's 11 1|2 horas fez-se a chamada, e havendo
numero legal, o Sr. presidente declarou a berta a
sessao.
Lida e approvada a acta da sessao antecedente o
Sr. Io secretario deu conta do seguinte :
EXPEDIENTE.
Offlcio* do ministro do imperio :
I* Datado de 21 de outubro do anno prximo
passado, Oevolveodo, com as ioformagdes solicita-
das por esta cmara, a representadlo em que os
consollieiros Justiniano da Silva Gomes, Joaquim
de Sonta Velho e Joo Jaciotbo de > (encastre, len-
tes jubilados da Faculdade de medicina da Baha,
reeiamam contra os respectivos decretos de jubila-
cao.A quem fez a requlsigo.
2o De 11 de novembro do mesmo anno, envian-
do informacoes sobre o aproveitamentn e proced-
ment que tiveram em 1863 os esiudantes da Fa-
culdade de direilo de S. Paulo.Igual destino.
3 De 15 do mesmo, enviando copia da acta da
eleigio de eleilores da paroebia de Villa Maria, da
provinca de Mato Grosso. A* commissao de po-
deres.
4o De 30 do mesmo, enviando copia da acta da
organisacao da mesa do collegio eleitorai da villa
de S. Raymundo Nonato, da provincia do Piauhy.
Igual deslino.
Jj> De igual data, enviando as actas da nova
eleicao de eleilores da paroclua de Piraliny, da
provincia do Rio Grande d Sul.J^uaJ destino.
6* De.i6 de dezembro do mesmo anno, envian-
do um offlcio do presidente da p>vnc.ia do Ama-
tonas relativo approvago da eleicao do collegio
de Teff para membros da respectiva assembla
provincial.Igual destino.
7 De 23 do esmo, enviando, com os compe-
tentes documentos, copia do decreto que concede
a pensao annual de 4000 a Gaspar de Siqueira,
mestre da officina de apparelbo e veame do arse-
nal de marinha da provincia do Para. A' com-
misso de pensdes e ordenados.
9* Do 8 do correte, participando que Sua Ma-
gostado o Imperador ficou inteirado de que esta
cmara pode cjmecar os seoa irabalhos. Iotei-
rada.
9* De hoje, pedindo a designacao de dia e hora
para ler o relaterlo do ministerio a seu cargo.
Marcou se o dia 10 do correte, 1 hora da tarde.
Untro do ministro da fazenda, datado de 6 do
correte, pedindo a designacao do dia e hora para
apresentar propostas do poder ejecutivo, e o re-
latorio de sua reparticao. Marcou-se o dia 9 do
corrente, 1 hora da larde.
Outro do ministro da guerra, datado de hoje,
fazendo igual pedido para apresentar a oroposta
de flxago de forras de Ierra para o anno financei-
ro de 1866 a 1867.Mardou-seo mesmo da 9, a
1 1i2 hora da tarde.
Veiu mesa e foi remettido commissao de po-
deres o diploma do Sr. Antonio de Scuza Espino-
la deputado pelo 3 districto da provincia da Baha.
Foi a commissao de polica um i elatorio apo-
sentado pelo Sr. 1 secretario sobre as oecurren-
cias havidas no inlervallo da 2* presente sessao.
Foi lido, posto em discusso e approvado, um
parecer da commissao de poderes, mandando dar
assento ao Sr. Antonio de Souza Espinla, deputa-
do pelo 5 districto da provincia da Babia.
E achando-se na sala immediata o referido se-
nhor, foi introduzido com as formalidades do es-
tylo, prestou juramento e tomou assento.
ELBigO DA MESA.
Para presidente recolheram-se 76 cdulas;
sendo 6 em branco, e obcendo os Srs. baro de
Prados 35 votos, Saldauba Marinho 34 e C. Oltoni
I, procedeu-se na forma do regiment a novo es-
crutinio entre os dous senhores mais votados; re-
colhendo-se ento 75 cdulas, sendo o em branco,
fleam empatados os mesmos senhores com 35 vo-
tos cada um ; decidindo, porm, a sorte em favor
do Sr. baro de Prados.
Indo proceder se a eleicao dos 3 vicepresiden-
tes, reconheceu-se nao haver casa.
A ordem do dia de amanha a seguinte :
Continuago da eleicao da mesa e commissoes.
Levantou-se a sessao a 1 hora da tarde.
PERNAMRUCl),
ASSEMBLA PROVINCIAL,
SESSAO ORDINARIA EM 17 DE MAIO DE
1865.
PRESIDENCIA DO SR. DR. SABINO OLEGARIO.
A's 11 horas e 50 minutos acham-se presentes
os Srs. depulados Aquino, Cunba Teizeira, J. Re-
g Barros, Teixeira de Mello, Gaspar, Nabor, Vc-
tor, Netto, Sa Pereira, Loureiro, Soares Brando,
Ramos, Rochael, vigario Jeronyrao, Amyntbas, J.
Campello,Rego Barros, Sabino, Ribeiro, Buarque e
Diodoro.
Comparecem depois os Srs. Baptista, Araujo Bar-
ros, Braulio.
Depois de aberta a sessao foi lida e approvada
a acta da sessao anterior.
O Sr. Io secretario leu o seguinle
EXPEDIENTE :
Um offlcio do secretario do governo, remetiendo
40 exemplares do relatorio com que entregou a
administraco da provincia o Exm. Sr. vicepre-
sidente Anselmo Perelti.A distribuir.
Um offlcio do mesmo secretario, remetiendo a
informago do Sr. Dr. chefe de polica acerca do
processo do subdito hespanhol Astudlllo. A' quem
fez a requisicao.
Foi lido, julgado objecto de deliberaciio e dis-
pensado da impressao o seguinte projecto de lei:
Arl. 1. Todos os negocios apresentado consi-
deracao da junta da fazenda da thesouraria provin-
cial, que forem de sua competencia, sero decidi-
dos pela maioria dos votos de seus membros. Aquel-
le que sahir vencido poder exigirno s que o seu
vol seja declarado na acta, mas tambem levado ao
conr-<-imi>n|2 ijajiresidencja, da nrovincia, se iul-
^..i fjue a decisau lornaua pela maiorra ua juma'
offende aos interesses da fazenda. Sero respen-
saveis por seus votos aquellos que os derem contra
a disposicSo de lei, ou contra os Interesses da fa-
zenda ou de terceiro, se se provar que o nzeram
dolosamente.
Art. 2. Fica revogado o art. 4 do cap. 2 do re-
glamento de 3 de agosto de 1852, approvado pelo
presidente da provincia vista da autorisago con-
cedida pela lei provincial n. 300 de 7 de maio des-
se mesmo aaoo.
Pago da assembla provincial, 16 de maio de
1865.Aquino Fonseca.
Foi lido e approvado, depois de orar o seu au-
tor, o seguinte requerlmento:
< Requeiro que pelos caoaes competentes, se pe-
ga com a maior urgencia a seguinte informago:
Se no cartorio do escrivo da 1* vara crime
desta cidade nao existe o processo instaurado pela
subdelegada da freguezia da Boa-vista contra Joo
Meodes, a quem foi attribuida a morle do despa-
chante da alfandega desta provincia Miguel Carnei-
ro da Cunha.
S. R.Aquino Fonseca.
Foi lida e entrou era discusso a redaegao do
oreamento provincial.
Fallaran) sobre ella os Srs. Araujo Barros e Gas-
par de Drummond.
Foi approvada a rodaego com suas ligeiras al-
teragoes proposlas por aquellos dous senhores de-
pulados :
Foi approvada a redaegao do projecto n. 78.
Foi lido e approvado o seguinte requerimento :
i Requeiro que se pega ao Exm. presidente da
provincia copia do offlcio dirigido ao Exm. presi-
dente do conselho pelo uxm. vire-presidente da
provincia relativamente a recepgo da Augusta
Princeza Imperial e seu consorte, nesta provincia.
Cunha Teixeira.
Foi igualmente lida. e remettida a commissao de
polica a seguinle ndicago:
i Indicamos que se destaque da commissao de
rendas municipaes, orgamento e exame de contas,
esta ultima parte de seus irabalhos por tirar reu-
nida aos da commissao de contas e despezas pro-
vinciaes.Reg Barros.Amynthas.
O Sr. deputado Silva Ramos requereu urgencia
para a discusso do projecto n. 70.
O Sr. Araujo Barros requereu Igual urgencia
para o projecto que melhora a aposentadora de
Francisco Duarte Coelbo, o mesmo pedlram os Srs.
Braulio e Ribeiro, para os projectos ns. 60 e 46
deste anno.
Tendo o Sr. Buarque requerido na mesma occa-
sio urgencia de preferencia a todas as mais para
a discusso do orgamento municipal, -foi esta.ap-
provada e prejudicadas as mais.
O Sr. Nabor pede urgencia para ler um projec-
to que modifican vo do projecto n do anuo pas-
sado, o que lhe foi concedido pela casa. Sendo
apoiado e julgado objecto de deliberago, foi o pro-
jecto apresentado imprimir.
Contina a discusso do art. 38 do orgamento
municipal, o qual foi approvado com a seguinte
emenda:
< Accrescenle se:nao podendo em caso algum
as cmaras munipaes do Recife e Olinda se eximir
de satisfkter o que preceltua o art. 81 da mesma
le.Reg Barros.Amynthas.
Foi approvado o art. 39 com a seguinte emenda:
i Devendo a cmara municipal publicar os no-
mes das pessoas que tiverem proposto execugo, e
as quaotias reclamadas.Campello.
Entrando em discusso o art. 40, orou sobre elle
o Sr. Araujo Barros.
O Sr. Gervasio mandn a mesa unir a emenda
suppressiva do art. 40.
Fallaram em seguida os Srs. Amynlhas, Reg
Barros, Cunba Teixeira.
Foi lido, apoiado e posto em discusso o seguin-
te artigo substitutivo:
Art. 40. Acamara municipal do Recife fica au-
torizada a. contratar a arborisacao da cidade com
quem a fizer por menos prego, abrlndo para isso a
devida concurrencia, e Bcando o contrato depen-
dente de approvacao do presidente da provincia.
Araujo Barros.
Fallaram sobre o substitutivo os Srs. Araujo
Barros e Reg Barros; e sobre o artigo os Srs. Ja-
cobina, Gervasio e Ramos.
Tendo sido apresentado um requerimento de
adiamento do Sr. Cunha Teixeira, foi elle retirado
a pedido do seu autor.
Sendo encerrada a discusso, foi approvado o
substitutivo e prejudicado o mais.
| Fallaram sobre o at. 41 os Srs. Cunha Teixeira
e Reg Barros, e foi approvado.
Fallaram sobre o art. 42 os Srs. Gervasio e Rago
Barros.
| Veio mesa ama emenda suppressiva do Sr.
Gervasio, a qual ro approvada.
Foi approvado sem discusso o art. 43.
Foram apresentados varios additivos.
Fallaram sobre os additivos os Srs. Buarque,
Araojo Barros, Amynthas, Paula Baptista, Diodoro,
| Gervasio Campello, Buarque, Cunha Teixeira.
Encerrada a discqsso foram approvados es se-
guintes additivos.
Accresceote-se ao art. 39 :de vendo a cma-
ra municipal mandar publicar os nomes das pes-
soas que tiverem proposto execuco e a quantia
reclamada.
S. R.Campello.
< Supprima-se o art. 40.Campello. >
Artigo substitutivo.
Art. 40. A cmara municipal do Recife flea au-
torisada a contratar a arborisago da cidade com
quem os fizer por menos prego, abrindo para isso a
| devida concorrencia e ficamlo o contrato depen-
dente da approvago do presidente da provincia.
< S. R.Araujo Barros.
Supprima-se o art. 42.Campello.
Artigo additivo. Approva a 1' parte prejudicada
a 2* por um substitutivo do Sr. Campello.
t Fica a cmara municipal do Recife autorlsada
a conlrahir fora ou dentro do imperio um empres-
timo de 300 contos de ris, destinados a construego
: de dous mercados na cidade do Recife-
1 As condigdes de juros e amorlisago do di-
' to emprestimo sero estipulados pela referida c-
mara com approvago do presidente da provincia.
S. R.Buarque.
A cmara municipal do Recife fica aulorisada a
despender a quantia necessaria a desapropriagao
do terreno pertencente a Antonio Jos Pinto oceu-
pado pelo cemiteno publico, fondado na freguezia
dos Afogados, procedendo-se previamente conforme
fr de direilo.
S. R. Ferreira Jacobina.Costa Ribeiro.
< Artigo addilivo. Approvada a primeira parte
rejeitada a segunda.
Nenhuma das verbas do orgamento da despeza
das cmara municipaes poder ter applicaeio di-
versa da que liver sido designada, devendo flear
em deposito se esta applicaeio se tornar impossi vel.
i S. R.-Amynthas.Reg Barros. >
Additivo para ser collocado depois do art. 43.
Fica a cmara municipal do Rio Formoso au-
torisada a despender as sobras de suas rendas com
a contnuago da obra do agougue.
t S. R.Reg Barros.-Amynlhas.
Additivo:
t A cmara municipal da cidade da Victoria fi-
ca autorisada a providenciar alim de que aqueiles
que pagam o imposto de que trata o 28 do art.
35, nao sejam considerados mscales, e su bjeitos
ao imposto do 6 do mesmo artigo.
c S. li.Reg Barros.Amynthas. >
Fica a cmara municipal desta cidade autori-
sada a terminar por um accordo amigavel com Ba-
silio Alvos de Miranda Varejo a quesio por este
proposta contra a mesma cmara, e a effectuaro
pagamento de qualquer quantia conveacionada
com o mesmo Varejo e sua mulher.
S. R. Nabor..
t A emenda do Sr. Dr. Nabor, accrescente :
contrahindo-se o emprestimo da quantia necessa-
ria para esse fim.Cunha Teixeira. >
c Ao art. 38 accresceote-se :nao podendo em
caso algum as cmaras municipaes do Recife e
Olinda se eximir de salisfazer o que preceita o
art. 31 da mesma lei.
S. A.Reg Barros.Amynlhas.
< A passar o artigo addilivo para o emprestimo
da cmara municipal accrescente-se :Ficando a
: approvago das condigdes do emprestimo pendente
1 da approvago desta assembla.
S. R. Campello. >
Dada a hora, o Sr. presidente levanta a sessao
as 4 horas edez minutos, dando para ordem do dia
a continuago da anterior.
SESSAO ORDINARIA EM 18 DE MAIO DE 1865.
PHESIDENCIA DO SR. DR. SABINO OLEGARIO.
A's 11 horas e 3/4 da manha, feita a chamada,
acbam-se presentes os Srs. depulados Aquino, Na-
bor, Braulio, Teixeira de Mello, Jacobina, Brando,
Nello, Arminio, Hamo?, Baptisia, Gervasio, Buar-
que, Sabioo, Ribeiro, Loureiro, S Pereira, Jero-
nymo, Araujo Barros, Rochael, Luiz Gongalves,
".Tiinina.-, nl-^i 'iI.i i u.*, 4. Argu aiiua.
O Sr. presidente abr) a sessao.
Lida, approvada a acta da sessao antece-
dente.
Compareceram mais os Srs. Cunha Teixeira e
Franca
O Su. 1 secretario leu a seguinte ndicago,
declarando nao haver outro expediente.
c Indico que as informagoes que vierem a esta
assembla, pedidas por qualquer commissao dola,
ou por qualquer Sr. deputado, sejam, depois de a-
preciados por quem as liver icquesitado, remelli-
das secretaria da assembla, para serem archi-
vados, podendo o respectivo offlcialmaior dirigir-
se para este m aos que tiverem feto laes requesi-
g5es.Soares Brando*
Na forma do regiment foi a indicago remettida
commissao de polica.
O Sr. G. Drummond pedio a palavra pela ordem,
e obtendo-a reclamou contra um seu aparte que se
l no discurso do Sr. deputado Jos Mana.
ORDEM DO DIA.
i* discusso do projecto n. 71 deste anno, refor-
mando o regulamento da thesouraria provincial na
parle relativa junta de fazenda.
Orou sobre o projecto em impugnago o Sr. Cos-
ta Ribeiro.
O Ilustre deputado observou que nao havia ra-
zo para que se procedesse a reforma proposta no
projecto.
Fez ver que no proprio regulamento ha correcti-
vo que salisfaz o que pretende o autor do projecto -,
que este de grave Inconveniencia, porque consig-
na o caso de poder o voto de dous empregados su-
balternos revogar o do seu chefe. O orador ac-
crescentou anda que na thesouraria geral se pro-
cede pela mesma forma prescripta no regulamento
que se quer revogar.
Fallou em suslentago do projecto oSr. Dr. Aqui-
no, mostrando os convenientes que teem resultado
do vol deliberativo do inspector da thesouraria,
que tem revogado decisoes justas tomadas pelos
seus substitutos.
Referi ainda o Ilustre orador diversos outros
facios da thesouraria provincial, notando que o re-
gulamento dessa reparticao tal, que j foi classi-
cado na assembla por um monslrosinho.
Encerrada a discusso foi o projecto approvado.
Foi dispensado do intersticio a pedido do seu
autor.
1* discusso do projecto n. 70 deste anno, que
autorisa a presidencia da provincia a expedir um
regulamento para a cobranga de castas judicaes,
pela indevida detengo da renda provincial.
Foi approvado sem debate e dispensado do in-
tersticio.
! discusso do projecto n. 68 deste anuo, man-
dando contar para effeito de aposentadora o tempo
de servigo prestado por Carlos Steuber, desde ada-
ta em que foi nomeado professor de allemo.
Approvado sem debate.
Foi dispensado do intersticio pedido do Sr.
Araujo Barros.
i* discusso do projecto n. 41 deste anno, que
approva o corapromisso da irmandade das Almas
de 8. Lourengo da Matta.
Fallaram sobre elle os Srs. Amyntas, Cosa Ri-
beiro, Maranho, Loureiro, e Araojo Barros.
Dada a 1* hora, flcou o projecto adiado, flendo
com a palavra o Sr. vigario Jerooymo, depois de
apresentado um requerimento de adiamento do Sr.
Amyntas.
3* discusso do projecto do orgamento muni-
cipal.
Foram lidas e apoiadas diversas emendas.
F-llaram sobre a materia os Srs. Reg Barros,
Campello, Araujo Barros, Baptista, Buarque, Na-
bor e Costa Ribeiro.
Encerrada a discusso foi approvado o projecto
com os seguintes additivos :
Ao g S do art. 2 accrescente-se: e a gratifica-
gao concedida pelo governo da provincia sobre pro-
posta da cmara municipal, em virtude de contar o
cimrgio actual mais de 30 annos de servigo. Nes-
te sentido augmente-se a quota.S. R. Costa Ri-
beiro.
Emenda :
Ao art. 13 2, em lugar de 150J diga-se
Porcentagem do procurador 250$.S. R.S Pe-
reira.
Supprima-se o g 3 do art. 15.-S. R.J. do Reg
Barros.
O pagamento do emprestimo de 300:000$ e joros
ser eflecluado pelas rendas das casas de mercado
que se consiitoirem.S. R.Jacobina.
Sob emenda :
Em vez de 3 3/4 ao procurador da cambradi-
ga-se 4 0/0, como se acba no projecto S. R.
Carvalho Moura.
Ao additivo, que foi approvado acerca dos nego-
Basta por esta vez, continuarei a dar-lhe noti-
cia em todas as quinzenas. >
r- Remettetn-nos o seguinte :
< Srs. redactores da Revista.Acudinos com
seu prebtiraoso auxilio. Levante a sua voz contra
ciosde Basilio Varejo, accrescente-se sendo o segu ule escndalo.
ouvido o presidente da provincia em relago ao ac-1 t Houve um presidente que alinhou e macada-
covd2T',oo Brau,1- mis0" nm pedacilo da estrada do Mondego a Ponte
O I 6 do arl. 35 seja substituido pelo seguinte : de Ucha : veio outro presidente, que atravessou
. Taxa de 2$ paga annualmente pela licenga nesse pedacilo de estrada duas barreiras, a do
que tiverem as boceteiras que veoderem no muni- Manguinho e da Capunga, onde se cobrara duas
C'P'- I boas taixas de lodos os vehculos, e cavalleiros que
. Dita de 5$ paga annualmente por licenga que por ah passara. vindos dos lados de Apipucos e
tiverem os mascates que venderem no municipio., Beberibe.
RuPo^e'xeira' ^'"uem acreditara, a qo ver por si mesmo,
O 28 do art. 35 accrescenle-se Isenlas des- que estes qualro palmos de estrada, que pagara
te imposto as cargas de carne, ehamadas de soL; tamanho pedagio, acbam-se no peior estado de
Victor Correia.-Teixeira de Mello.Cunha Teixei-
ra. Joo Braulio.
Falln pela ordem o Sr. Nabor, mandando um
requerimento de urgencia para a discusso do pro-
jecto sobre ensino livre.
O Sr. Buarque pede preferencia para o projecto
n. 65.
Falln sobre a urgencia o Sr. Nabor.
O Sa. Gervasio requer prorogagao da hora.
Verifica-se nao haver casa.
O Sr. Presidente levanta a sessao as 4 horas e
5 minutos da larde, dando para ordem do dia a' Francisco Benevides,
continuago da anterior e mais 2* dos projectos ns. reigo e 1 menor Mi
71, 70 e 68, todos deste anno.
REVISTA DUK5A.
Foi prorogada at 27 do corrente a sessao da as-
sembla provincial.
O digno emprezario do Santa Isabel o Sr.
Antonio Jo> Duarte Coimbra, vai dar brevemente
um espectculo era favor do Sr. Bessoni d'Almei-
da, levando scena o drama do censelheiro Mon-
des Leal, Pedro, cujo papel ser desempenbado
pelo distinelo artista Amoedo.
O beneficiado um talentoso joven bem conheci-
do nesla cidade por seps irabalhos eproducgdes
dramticas, algumas das quaes foram representa-
das no Santa Isabel com applausos do publico.
Urna affecgo pulmonar, porm, tra-lo de presente
preso ao leilo da dor e em lucia aberta com as
difflculdades que a deficiencia de recursos sde
crear ; e nesta conjunctura penivel que e digno
emprezario, sem embargo das contrariedades com
que tem arcado, se apressa a dar urna nova prova
da sua geoerosidade, contribulado por meio de
urna representago para aligeirar a sorte daquelle
joven pernambncano, a quem o talento como que
fadou-lhe urna sorte bem cruel.
Tragando eslas linhas, fazemos um appello para
o nosso publico em prol desse mogo ; e contamos
que se lhe nao recusara' a protecgo, de que
justamente careceddr.
Damos a seguiote estatistica dos trabalhos
judiciarios da seguoda sessao do jury desta capi-
tal, que funecionou no correte mez sob a presi-
dencia do Sr. Dr. juiz de direilo da segunda vara
Manoel Jos da Silva Neivas.
Dia 3.Reo, Manoel do Reg Barros, prenuncia-
do por crime de tentativa de morte. Advogado o
Dr. Americo Nello de Mendonga. Foi coodeunado
a nove annos e qnatio mezes de priso simples.
Dia 4.Reo, Guilherme Antonio de Siqueira,
pronunciado por crime de roubo. Advogado, o Dr.
Francisco Leepoldino de Gusroo Lobo. Foi absol-
vido, porm o juiz appellou da sentenga.
Dia 5.Reo, Joo Antonio Barbosa, pronuncia-
conservagao, sobreludo no Mondego, onde existem
buracos e aloleiros, que meltem medo ; e isto fa-
ce da Illma. cmara municipal, da reparticao das
obras publicas e do governo ? Pois o grande tribu-
to que se paga, nao chega para concertar esses
quatro palmos de estrada f
Sr. redactor da Revista, acuda-nos com a sua
publicidade. >
Passageiros vindos da Ilha de Fernando no
vapor Parahiba :
Manoel Saturnino dos Santos Neves, Manoel
Francisco Paula da Ressur-
guel Pereira do Valle, sua se-
nhora e 2 filhos menores, Joflo Francisco de Sou-
za, alferes Antonio Carlos Oliveira Mello, 10 sen-
tenciados e 20 pragas de polica.
Passageiro sahido para o Aracaly no biate
braslleiro Novo Inveneivel:
Joaquim Raymnndo Lopes Bilbar e 2 criados.
HBPARTigAO DA POLICA:
Extracto das partes do dia 20 de maio de
1865.
Foram recolhidos casa de detengo no dia 19
do corrente:
A' ordem do subdelegado do Recife, Manoel Ri-
beiro de Souza, por ferimentos.
A' ordem do da Boa- < isla, Joo Francisco Nes-
mo, para correcgo ; e Jos Antonio Paes da Por-
ciuncula, como criminoso na Parahyba.
O chefeda2'.secgo,
J. G. de Mesquita.
Cvsa de detenqao.Movimento do da 19 de
maio de 1865.
Existan) presos 327-, enlraram 3 ; sahiram 6 ;
existem 324, a saber: nacionaes 241; mulheres2,
eslrangeiros 26; mulheres 2; escravos 47; escra-
vas 6 ; total 324.
Alimentados custa dos cofres proviaciaes 121
Movimento da enfermara do dia 20 de malo
de 1865 :
Tiveram baixa :
Antonio da Silva Rocha.
Luiz Gongalves da Silva.
Manoel Jos Pereira.
Tiveram alta:
Claudino Euphrasio de Franca.
Francisco Barbosa Camello.
Pedro da Costa.
CUKOMCV JLDlGIAIilA
TRIBUNAL DA HBLiriO
SESSAO DE 16 DE MAIO DE 1865.
PRESIDENCIA INTERINA DO EXM. SR. DESEMBARGADOI
SANTIAGO.
As 10 horas da manha, presentes os Srs. des-
do por crime de ferimentos leves daplicadaraente. embargadores Giliraoa, Loureugo Saotiago, Almei-
Advogado o Dr. Luiz Eraigdio Rodrigues Vianna. da Albuquerque, Assis, Deaiingues da Silva e liar-
Foi coedemnado a dous mezes de priso simples e' ros Vasconceltos, faltando os Srs. desembargado-
multa correspondente a metade do tempo. res jDoria, Meta e Guerra procurador da cora,
Dia 6.Reo. Antonio Joaquim Manoel de Aran- abrio-se a sessao.
jo, pronunciado por crime de ferimentes leves.
Advogado o Dr. Lourengo Avelino de Albuquerque
Mello. Foi condemnado a um mez de priso e
multa correspondente metade do tempo.
Da 9.-Reo, Manoel Antonio Carneiro, pronun-
ciado por crime de morte. Advogado o Dr. Lou-
rengo Avelino de Albuquerque MeHo. Foi con
demnado morte ; mas o joiz appellou para a re-
lago, e o reo proleslou posteriormente para novo
jury.
Dia 11.Reo, Francisco Ignacio de Amorim,
pronunciado por crimes de estellionato e de redu-
zir escravido pessoa livre. Advogado o Dr. Jus-
tino Amonio de Souza. Foi condemnado quanto ao
primeiro crime, a sete annos de priso simples, e
muiia iio o |ir .-i'iito, p rinanto ao segundo a 9
annos de priso simples e multa correspondente
terga parle do tempo.
Dia 12.R, Luzia Maria de Carmo, pronuncia-
da por compiicidade dos crimes de estellionato e
; reduego escravido de pessoa livre. Advogado o
! Dr. Joaquim Jos de Miranda. Foi absolvida, e o
juiz appellou para o tribunal da relago.
Dia 13.-Reo, Roberto de Souza Barros, pronun-
' ciado por crime de tentativa de morte. Advogado
o Dr. Americo Netto de Mendonga. Foi absolvido,
! e o juiz appellou para o tribunal da relago.
Dia 15. Reo, Manoel Izdro do Nascimento,
: pronunciado por crime de estupro. Advogado o
Ur. Celso Tertuliano Fernandes Quinlella. Foi con-
| demnado a Ires annos de desierro e a dolar a
offendida.
Dia 16.Reos, Pedro Jos da Porciuncula e An
| na Maria da Conceiga, pronunciados aquello como
: autor, e este como cmplice de reduzir a' escravi-
| do pessoa livre. Advogado o Dr. L. Emygdio Rodri-
gues Vianna. Foi condemnado o primeiro a tres
! annos de priso simples e mulla correspondente a
[ terga parte de lempo, e a segunda a dous annos de
priso simples e mulla correspondente a' terga
! parle do lempo.
Dia 17.Reo, Joo Pedro da Santa Cruz, pro-
nunciado por crime de ferimentos. Advogado o
acadmico Francisco da Cunha Machado Pedrosa
Jnior. Foi absolvido.
Dia 18.Reos, Rufino da Costa Soares e Manoel
Innocencio Pereira Cardoso, pronunciados por cri-
: me de offensas physicas leves. Advogado o Dr.
Manoel do Nascimeoto Machado Portella. Foram
, absolvidos.
Honlem elegeram as irmandades do Espirito
Santo as mesas administrativas para o anno de
i 1865, sahindo eleitos : juiz Antonio Augusto dos
1 Santos Porto, escrivo Francisco Belarmino dos
Santos Freilas e ihesoureiro Custodio Jos Alves
, Gui maraes, na da igreja dessa invocago ; juiz
Joo Walfredo de Medeiros, secretario Joaquim
da Silva Boavista e tbesoureiro Jos Antonio da
Costa Vleme, na erecta no convenio de S. Fran-
cisco.
Mediante a gratificago de 600$000, foi no-
meado para exercer interinamente a cadeira de
insirucgo primaria de Nossa Senhora do O' de
Goyanna, o Sr. Aiexandre Magno de Alencar Pei-
xolo.
Foi nomeado subdelegado do Bebedouro, o
Sr. Manoel d'Assumpgo Azevedo.
O escrivo Jos Marianno est de semana
nos protestos de lettras.
De urna carta do Rio Fornoso extractamos es
seguintes trechos : y
i Por c nao houve conselho da guarda nacional
, para se tirar o contingente que deve dar este inu-
[ nicipio. Escolheu-se mesmo puridade, e os es-
I colhidos foram os moradores dosengenhes dos con-1
! trarios e inimigos do chefe, taes como Siqueira, Pe-
rerecas, Serra d'Agua e Xangu.
t Ora, sem que houvesse qualificago este anno,
o resudado disto que mullos destes moradores j
estavam mudados, e outros procuran) retirar se
para fra da provincia mesmo, se nao encontraren)
justiga da parte do presidente da provincia, para
quem vo recorrer no caso do conselho de revista
nao os attender.
* Quando a antoridade pnblica nao procede com
criterio e justiga no que tendente ao servigo pu-
blico, e ao contrario o faz conforme os seus capri-
chos e vingancas polticas, a eonwquencia e sof-
frer o pobre povo, que no entretanto nenhuma cul-
pa tem com as en trigas dos grandes.
< A cmara municipal vai por tal modo que
cerr estarem os empregados sem ordenado.
< Sobre isto ba quem ten ha ouvido amarga^
queixas de todos elles, e assim dito, parece incrivel.
c A cmara tem de rendimeoto ao p de cinco!
contos de ris todos os annos, bem v que ;ene-\j
loante quantia j um bom rendimeoto para una
localidade como esta, e bem applicada e fiscalisvf
da, muitos e muitos beneficios se poderia realisar;
mas nao se olba para isto. e...
t O juiz de direilo desta comarca Djr. Ludgero
Gongalves da Silva, prosegue no exerclcao de seu
cargo cem muita clrcumspecgo, justicie inteire-
za : um verdadeiro magistrado, por cuja inde-
pendencia e qualidades, tem grangeado o respeito
e estima de todos os horneas sisados e honestos da
comarca, que o frequentam constantemente. Ma-
gistrados como este, que devlamos4er em todo o
paiz.
Passados os feitos, deram-se os seguintes
JULGAMENTOS.
Recurso crime.
Recrreme, o juizo ; recorrido, Joo Pedro de
Moraes.Relator o Sr. desembargador Assis.Sor-
teados os Srs. deserabargadores Almeida Albuquer
que, Barros Vasconcellos e Gitirana. Improce-
dente.
Habeas-corpus.
Concedeu-se ordem a Jos Antonio Leite para a
sessao de 20 do corrente, s 11 horas do dia.
DESIGNACAO DE DIA.
Assignou-se dia para' julgamento das seguin-
tes :
Appellagoes el veis.
Apnellante. o Dr. Jos Anelo Marcio da Silva ;
appellada, a fazenda.
Appellaote, Franc^co Elias Ferreira Osmim ;
appellada, Rila dos Anjos Lieuthier.
Appellanle, D. Maria da Penha de Franga ; ap-
pellado, Urbano, por seu curador.
Appellagoes crimes.
Appellanle, o juizo; appellado, Chrislino Rodri-
gues Chaves.
Appellanle, o juizo ; appellado, Sebaslio Qui-
rino Pereira.
Appellanle, o promotor; appellado, Doraingues
Jos Vieira.
Appellanle, o juizo; appellado, Vicente Ferreira
Lima.
Appellanle, o promotor ; appellados, Joo Flix
e outro.
Appellanie, Francisco Ferreira de Souza ; appel-
lada, a justiga.
Appellante, o juizo; appellado, Francisco Jos
Pereira da Silva.
Appellante, Belmiro, escravo; appellada, a
justiga.
Appellante, o juizo ; appellado, Virissimo Xa-
vier de Barros.
PASSAGENS.
Do Sr. desembargador Lourengo Santiago ao Sr.
desembargador Almeida e Albuquerque
A appellago crime.
Appellante, Joo Baptista Muniz; appellado,
e juizo.
Revista civel.
Recorrentes, Manoel Antonio Ferreira e soa mu-
lher ; recorridos, Manoel Marques e sua mulher.
Do Sr. desembargador Gilirana ao Sr. desembar-
gador Lourengo Santiago
As appellagoes civeis.
Appellante, Joaquim Manoel Ferreira de Souza ;
appellada, a fazrnda.
Appellanle, a fazenda ; appellado, Joaquim Gon-
galves Guerra.
Ao Sr. desembargador Almeida Albuquerque
A appellago civel.
Appellante, Antonio Alves Vianna ; appellados,
Jos Das da Silva.
Ao Sr. desembargador Assta
A appellago civel.
Appellante, a fazenda; appel'ados, Joo Vieira da
Cunha e outros.
Do Sr. desembargador Almeida e Albuquerque ao
Sr. desembargador Assis
As appellagoes crimes.
Appellante, o juizo; appellado, Francisco Luiz
de Souza Baha.
Appellante, o juizo; appellado, Jos Domingaes
Correa.
Appellante, o juizo ; appellado, Henrique Pereira
de Lima.
A appellago civel.
Appellante, Bernardino Joaquim da Silva; ap-
pellado, Joo Cardoso Pereira Guimares.
. Do Sr. desembargador Assis ao Sr. desembarga-
dor Doria
As appellagoes crimes.
' Appellante, o juizo ; appellado, Aiexandre Jos
Barbosa.
Appellante, o juizo ; appellado, Antonio Ferreira
Marlins.
A appellago civel.
Appellante, Domingos Jos Das de Oliveira; ap-
pellada, a cmara municipal.
Do Sr. desembargador Doraingues da Silva ao
Sr. desembargador Barros Vasconcellos
As appellagoes crimes.
Appellante, o juizo; appellado, Jos de Souza
Lima.
Appellante, Manoel Joaquim do Nasciment; ap
pellado, Eleuterio Jos Gongalves.
Appellante, Andr Ferreira da Sil va : appellada
a justiga.
Appullacte, o juizo ; appellado, Joaquim Correia
de Lima.
Appellante, o juizo ; appellado, Severino Rodri-
gues.
Appellante, o promotor ; appellado, Manoel Ber-
nardo da Guerra.
A' 11 horas encele u ae a sessao.
Leal, e presente o Sr. desembargador flscal, o Exm.
Sr. presidente declamo aberta a sess5o.
Lida, foi approvada a acta da sessao antece-
dente.
HXMUHBNTB,
Um offlcio do Exm. Sr. presidente da provincia,
datado de 17 do corrente, dizendo em resposta ao
que lhe foi dirigido em 15 do dito mez, que da se-
cretarla do governo consta apenas que o rorretor
Antonio Botelho Pinto de Mesquita foi eleito verea-
dor no municipio dp Bjpejo, Ao podendo saber-se-
se est juramentado e emaaerciclo, por nao ter
a nova cmara munioipaj eommunicado a soa
posse.
Foi distribuida ao Sr. deputado Basto, o livro Co-
piador de Jos Francuco de S Leito Jnior.
DESPACHOS.
No requerimento de Jos Antonio Moreira Da?,
juntando varios documeolos em satisfago do des-
pacho proferido nos autos de sua rehabilitago ;
Juote-se aos autos de rehabilitago do sopplicante,
e d-se vista ao Sr. desembargador fiscal.
No de Manoel Fernandos da Costa & C, satlsfa-
zendo o despacho de 11 do corrente, para ser ad-
metiido a registro o seu contracto de sociedade :
Vista ao Sr. desembargador flscal.
No de Erasmo Jos de Mello, pedindo que se re-
gistre urna conta correte que aprsenla .Regis-
tre-so.
No de Antonio Joaquim Brilo da Oliveira, pedin-
do certido da sua nomeaco de calxeiro de Anto-
nio Jos de Castro :Dse.
No da junta administrativa da Santa Casa da Mi-
sericordia do Recife, pedindo se certifique se existe
registrado algum eoalracto social celebrado entre
Antonio da Silva Ferreira Jnior e Antonio Faus-
tino Cavalcante de Araujo .Como requer.
O tribunal resolven fazer effectivo o despacho
que mandou pa sar caria de matricula a Domingos
Jos Ferreira Guimares.
O otflcial maior da secretaria propoz duvida so-
bre o registro^ dos documentos apresentados por
Bailar cv Oliveira como agentes do banco Uoio do
Porto :Vista ao Sr. desembargador flscal.
Com ioformago do Sr. desembargador flscal :
No requerimento de Joaquim de Faria Machado,
pedindo o registro do contracto que celebrara com
Joaquim Francisco dos Santos :Nao tem Ingar.
Nada mais havendo a tratar, o Exm. Sr. presi-
dente declarou encerrada a sessao as onze horas
e meia da manha.
SESSAO JUD1CIARIA EM 18 DE MAIO
DE 1865.
PRESIDENCIA DO EXM. SR. DESEMBARGADOS
ANSELMO FRANCISCO PERETTI.
Secretario, Julio Guimares.
As onze boras e meia da manha o Exm. Sr.
presidente abri a sessao, estando reunidos os se-
nhores __ desembargadores Res e Silva, Silva
Guimares e Accioli, e os senhores depulados
Rosa, Candido Al.-oforado, Basto, e Miranda Leal.
Lida, foi approvada a acta da seso antece-
de ale.
Assignaram-se os accordos proferidos na ai-
tima sessao as appellagoes entre partes :
Appellantes, os administradores da massa falli-
da de Siqueira & Pereira ; appellados. os admi-
nistradores da massa fallida de Guimares &
Irmo.
Appellante, o Dr. Felippe Nery Collago; appel-
lado, Geraldo Henriques de Mira.
Appellante, Joaquim Atbanazio de Araujo Lima ;
appellado, o lenenle-coronel Amaro Jos Coelbo.
JULGAMENTOS.
Appellante, Henrique Augusto Milet, e outro ;
appellado, Gabriel Amonio de Castro Quiolaes.
Adiado as sessoes de 8 e 11 do corrate. Des-
prezaran) se os embargos.
Appellante, Joo Flix de Mello; appellado,
Francisco de Barros Velloso da Silveira.Adiado
na ultima sessao.Desprezaram-se os embargos.
Appellanle, Manoel del Agalla por seu bastante
procurador ; appellados, Aranaga, Hijo & C.
Adiado na ultima sessao.Desprezaram-se os em-
bargos.
Appellaules, Guimares & Aleo/orado ; appella-
dos, Manoel Moreira da Cosa e outre. O Sr.
deputado Miranda Leal declarou que se achava m-
comioodado e por isso contina adiado o julga-
mento.
Appellante Miguel Jos Barbosa Guimares, ap-
pellado J. F. G. Kladt.Adiado o Julgamento a pe-
dido de um dos senhores depulados.
Appellanle, D. Maria Magdalena de Almeida Ca-
lanno ; appellada, D. Anua Josepha Pereira dos
Sanios. Adiado o julgamento a pedido de um
dos senhores depulados.
Appellantes, Guimares & Oliveira; appellados,
Braga, Silva & C Foi a desistencia julgada per
accordo.
PASSAGENS
Do Sr. desembargador Reis e Silva ao Sr. desem-
gador Silva Guimares :
Appcliaues, Jos Antonio Pereira e sua mulher;
appellados, a viuva e berdeiros de Joo Ferreira
dos Santos.
Do Sr. desembargador Silva Guimares ao Sr.
desembargador Accioli :
Appellante, o visconde de Suassuna ; appella-
dos, Patn Nash & C.
Appelianles, Adriano & Castro ; appellada, Joao
Antonio dos Santos Pacheco.
Do Sr. desembargador Accioli ao Sr. desembar-
gador Res e Silva:
Appellante, Manoel Candido Rocha de Andrade ;
appellados, Sampaio, Silva & G.
Appellantes, Sampaio Silva & G ; appellado, An-
tonio Jos de Castro.
distiubuiqXo.
Ao Sr. desembargador Accioli :
Appellantes, os administradores da massa falli-
da de Amorim, Fragoso, Sanios & C ; appellado,
Jos Clemenlino Henrique da Silva.
AGGRAVOS INTERPOSTOS DO JUIZO ESPECIAL
DO COMMERCIO.
Aggravante, Pedro de Moraes Carneiro da Cu-
nba ; aggravada, D. Maria Cordeiro.
Aggravante, Leonel Cavalcante de Albuquerque;
aggravado, Jos Vicente Luna.
O Exm. Sr. presidente negou provimento.
Nada mais havendo a tratar-se o Exm. Sr. pre-
sidente encerrou a sessao a urna hora da tarde.
X
OQMMNICADOS.
TBIBU.VAL DO COSUHEBCIO
ACTA DA SESSAO ADMINISTRATIVA DE 18 DE
MAIO DE 1865.
PRESIDENCIA DO EXM. SR. DESBMBARGABOR
ANSELMO FRANCISCO PERETTI.
s 10 horas da manha, estando reunidos os Srs.
depulados Rosa, C. Alcoforado, Basto e Miranda
O Sr. *)oaquiu do Reg lia nos.
Este Ilustre representante do 4* circulo tem es-
tado sublime na coosa que se chama assembla
provincial. Se Mirabeau resuseilasse teria de cor-
var a cabega ao novo ihanmaturgo da elocuencia.
Mas o que nos nao soffre a paciencia que o Sr.
Reg Barros, em todas as suas orrancaa e inves-
tidas parlamentares, se nao esquega de bicarar o
partido conservador. E por que 7 porque este par-
tido tem o grande crime de haver nemeado o Sr.
Bego Rarros, promotor publico da comarca de Fi-
res, e d'alli remov-lo por conveniencias do ser-
vigo para a de Bonito, na qnal ainda se conser-
vara, se o partido progressista o nao houvesse jul-
gado urna subeijedo as suas fileiras.
O partido conservador nao faz concessoes et tttts
adversarios, diz o Sr. Rgo Barros. Urna de duas,
ou o Sr. Reg Barros falta a justiga e a verdade,
ou nao era esse liberalSo que se inculca. Era li-
beral o Sr. Reg Barros quando foi nomeado pro-
motor ? Se era, como ousa aecusar de exclusivis-
mo partido conservador ? E se o nao era, como
abjurou to depressa os seus principios ? Eraflm,
desojramos que o Sr. Regd Barros oos quebrasse
as mos as ponas destes dilemas; para que nao
fique asseniada urna das duas cousas,ou que o
Sr. Reg Barros falta verdade, e a jastiga, ta-
chando de exclusivista um partido que o fez gente,
ou que transfuga deste mesmo partido.
Ali, Sr. Rcgo Barros, mal estara o partido con-
servador, se nao contasse om grande numero da
ingratos 1 Por honra deste partido, que cada dia
se justifica as iniquidades de seus adversarios, lo-
dos aqueiles que deserlaram de suas banaeiras,
para irem forragear em outro campo levaram al-
forges, e matulotagem para cometem na sua de-
sergo; nenbum s sabio esbarrigado, e morto a
fome 1 ET isto o que eleva o partido conservador,
e que o hade collocar sedo na capola do poder so-
cial, para confuso e desengao dos Bohemios po-
lticos, de que elle esppera em Deas emancipar-se,
chamando ao seu seio todos os horneas honestos do
paiz; que vivem da barrigy.
GOEBESPONBEIfGIAS
0 Dr. Manoel Bernardina Belivar.
Sis. redactores. Havendo eu residido na pro



MUTILADO I
LE6IVEL


^ ,
\>
Diarlo de rernaaibac ?.-- Sefiuuda felira. # de Halo de J 8*4
vincia do Rio Grande do Norte por espapo de cin-
co annos, e gozado geralroente da estima e con-
fianza dos seus habitantes, do que conservo incon-
testareis provas; e tanto que durante esse longo
periodo, nenhum medico leve como en all tanta e
tao constante clnica; ae retirar-me dessa trra,
que me tao cara, mauJei um annuncio para
ser publicado, com muita antecedencia em o nico
jornal que alli ha o Progressitta, o qual, pond-
rense, dii-se liberal, sou delle assigoanta, e tenho
recibo de so acbar por mun pago al julbo dele
auno......
Entretanto como alguem, que nunca pode, como
se esforcara, derrotar-me ; julgando-se (collado I)
amarrotado em seu pedantesco orgulho, desconfe-
cedor dos mais triviaes principios de cavalleirismo,
resolveu, como estou documentaImenle informad).
tudo empenbar para nao ser publicado o meu po-
bre annuneia 11(11...........................-.
A accio tao miseravelmente ridicula e tilia,
que, sem analysa-la, deiio-a apreciacio de todos
os bomens, mesmo dos selvagens ; ao passo que,
lomado de asco,... e do declaro que perdo a esse
eoitadinho pobre de espirito, de qnem apenas tenhd
commiseraoao.............................*
Dito isto, peco-lhee, Srs. redactores a publicado
do mencionado annuocio, peto que Ibes ser grato
o seu obrlgado e criado.
Pr.M.B. Bolvar.
PBUC1Q6ES 1 PEDIDO
Exportado.
^Tapor ingle Gladiator, carregou para Liverpool
o seguiute :
2,638 saccas com 14,151 arrobas e 13 libras de
algodio e 9 caixas com 99 arrobas de borracha,
RECEBEDORIA DE RENDAS INTERNAS GE-
RAES DE PERNAMBL'CO.
Rendlmento do dia 1 a 19...... 17:331,8904
IdemdodiaJO................ 536*696
17:908*600
CONSULADO PROVINCIAL.
Rendimento do da 1 a 19.
dem do dia 20...
CASO 1RRIVEL
B'1'.H
Molestia Ulcerosa
Curada.
Tcxlos aquello que ae chao sujitos i sof-
frer molestias sorofulosas, ulcerosas, ou syphl-
Htieas, alad meemo as reputadas de peior
naturras, apenas necessitio de lr o gegninte
caso maravilhoso, para que se sinti iiteira-
mente convencido! que a bu* propria cura,
nao s meramente possivel mas sim absolu-
tamente certa.
JoXo Jos Fkrrkiba Barbos, residente
na Cidade de ftfaranliao, tinha todo o sen
corpo coberto de chagas ulceroaae, e durante
algunos annos se achara debaixo do tratamento
de mdicos os mais afamados, tendo usado
durante todo este tempo quasi toda a especie
de mi'df cias que em taes casos empregada
pela iiculdado medica, pore'm debalde sem
obter o menor beneficio ou alivio: acliando-se
pois em tai apuros elle finalmente resolven-
te, depois de repetidos e baldados esforcos 4
fazer uso da]
Salsaparrilha
DE BRISTOL.
No todo elle apena chegou a tomar Gineo
Garrafas de Salsaparrilha e quatro frascos das
Pilulas Vegetaei Aetueartidat, e o resultado
foi elle obter una completa e porfeita cura.
Os Sers. Fekretra & Cia., Droguistas de
Maranhao, forao quem suppririo os medica-
mentos, a fhrtn a* perfcilaxunt n focir,
i 'este caso, e os meemos Senhores, nao s ss
.acliso promptos a confirmar o mesmo, como
tambem em fornecer o actual adresso do Ser.
B.umozA, i toda e qualquer pessoa que por
ventura se desoj informar da verdade.
Recommenda-ee mui particularmente aos
Doentes que tenhao o maior cuidado na escolha
deste cxcellcnte remedio, nao usando outro
-
nao ser a Genuina Salsaparrilha de Briatol,
a qual o exclosrnunentu preparada por
LANMAN&KEMP,
De NOTA YORK,
pois que todas as mais sao inefficaaea e de neo
Uum pmstimo
Vende-se as boticas de Caors & Barbosa
e C. Bravo A C.
53:8274294
2:207028
66:0345319
PHAQAD0 RECITE
f O DE VJAIO DE IS5.
A'STRETHOftAS DA TARDE.
Revista semanal.
Cambios........Saccou-se sobre Londres de 24
3/t a 25 }i d. por 15; sobre Pa-
rs de 380 a 385 rs. por fr. e so-
bre Lisboa de 106 a 112 por
cento; ele vando-se a 30,000
os saques effectuados durante a
semana.
Algodio......... O de Pernambuco vendeu-se de
iO00 a 134000 por arroba, o
de Macci, posto a bordo, de
135200 a 14*500, e o da Para-
hyba, tambem posto a bordo, a
155000.
Assucar........O branco vendeu-se de 35500 a
451OO por arroba, o somenos
a 25900, o masca vado purgado
de 25330 a 25500, e o bruto de
15950 a 25200.
Agurdente.....Vendeu-se de 725000 a 745000
a pipa.
Couros........Os seceos e salgados venderam-
se a 150 rs. a libra.
Arroz..........Vendeu-se o pilado da Iodia a
258OO a arroba, e o do Mara-
nhao a 35000.
Azeitedce......O de Lisboa vendeu-se a 25300
o galo, e o do Estreito a 25-
Bacalbo.......Em atacado vendeu-se a 95500
a barrica e a retalho de 125000
a 135OOO ; ficando em deposito
1,000 barricas.
Batatas.........Venderam se de 500 a 600 rs.
o gigo.
Bolaxinhas.....Venderam-se a 35000 a barr-
quinha.
Carne secca.....A do Rio-Grande do Sul vendeu-
se de 25600 a 35300 a arroba;
e a do K10 da Prata de 25300 a
35200, fleando em deposito- 160
mil arrobas da primeira e 23
mil da segunda.
Caf..........Vendeu-se a 75000 a arroba.
Cha............dem de 15600 a 25250 a libra.
Cerveja........Vendeu-se de 35800 a 55300 a
duzia de garrafas.
Farlnha de trigo. A de Philadelphia e New-York
retalhou-se de 185000 a 195000
per barrica, a de Ballimore a
185000, a de Trieste a 205000
e a do Chile a 75500 o saceo de
cem libras ; ticando em deposito
l.oOObarrioas da primeira, 5,000
da segunda, 500 da terceira,
9,000 da quarta e 7,000 saceos
da quinta inclusive um carre-
gamento chegado da America.
Louc,a..........A ingleza vendeu-se com 320 a
por cento de premio sobre a fac-
tura.
Manteiga.......Vendeu se a ingleza al 5200 a
libra, e a franceza a 800 rs. a
dita.
Maesas.........Venderam-se a 55500 caixa.
Passas.........dem a 45000 a caix.
Queijos........Os lamengos venderam-se a
25300 cada um.
SabSo.......... O inglez vendeu-se a 130 rs. a
Irbra, e o do Mediterrneo a 120
rs. a dita.
Toucinho.......Vendeu-se a 105009 a arroba o
de Lisboa.
Vinagre........O de Portugal vendeu-se de
1005 a 105 apipa. 1
Vinhos.........Venderam-se os de Lisboa de
1805000 a 2005 P'Pa e J de
outros paizes de 1605 a 1805 a
dito.
Velas..........As de composigao venderam-se
a 540 rs. por pacote de seis ve-
las.
Descontos.......O rebate de letras regulou de
9 a 12 por cento ao anuo.
Fretes.......... Para o Canal 30/ a 35 yi ; pa-
ra Liverpool / d. a X Por l,Dra
5 por cento.
5005000
715000
r e ama rasa de taboas edificada no mesmo, ava-
hado em IO5OOO, sito na ra de Joo Fernandes
Vieir, por execucao de Eduaido Marques de Ol-
veira contra Luiz Manoel do Nascimenio*.
dem n. 53 particular e 43 publico. .
Hdem n. 56 particular e 26 publico. .
Ra do Azeite de Peixe.
dem n. 57 particular e 33 publico. .
[Jera n. 61 particular e 15 publico. .
dem de um andar n. 62 particular e
18 publico........1:9025000
dem n. 63 particular e 14 publico. 6OO5OOO
dem terrea n. 64 partienlar 2 publi-
co........... 4505000
Ra da Cacimba,
dem n. 65 particular e 5 publico. 1445000
dem o, 66 particular e 12 publico. 1445000
dem n. 67 particular e 10 publico. 835000
Ra do Vigario.
Sobrado de 3 aniares n. 71 particular
e 22 publico........8005000
dem do 2 andares n. 72 particular o
27 publico........6485000
Ra do Encantamento.
Sobrado de 2 andares n. 76 particular Arrematacao
e 11 publico........8395000 No dia 22 de eorrente, Anda a audiencia do Sr.
dem dem n. 77 particular e 13 pu- jais de paz do 2- ditricto da Boa-Vista, lra de ser
blico..........8395000 arrematado o al ugul da casa sita na ra da Sol
Ra da Senzala Volha. dade, com 2 salas, 3 quartos, cozinha Cora e qoin
Sobrado de2 andares n. 78 particular tal, avahado mensalmente por 155000, por execu
e 136 publico........3525000 cao de Peregrino Cardeiro da Cunha centra Arce
dem dem n. 79 partienlar e 134 pu- uio Antonio Carneiro da Cunba Miranda.
blico..........5.0500a----------------------Csrreit aertl
Casa terrean. 81 particular e 18 pa- Pela adminlstracio do correio desta cidade se
dem n M nartirlilar a 18 ahilen 2005000 tu ubllc. 1ue m vir,ude da conveu5ao P^131 **
dem n. 82 particular e itt publico. 2iw*uuu g ^ se|emb*0 de 1863 ce|ebrada pelos governos
Idm n 81 nariipjilar a M nnhlSca 1444000 brasileiro e italiano se expedir no dia 30 do eor-
Idem n. 84 particnare 2 publico. imjwu feDte peJo {nnc(l ffla|a destlnada M ^^
Sobrado d 3 andares n 83 nariicular ambulante de Suza a Tuna. As cartas destinadas
30 uublico 7205000 "=> esta los do Papa pagaro 430 rs. pelo
e 30 publico. /u*uw de, 0jlava ou fra o de a oilavas. p,r,
dem de 2 andares" 88 uarSlar e Tuue*> Maita- Grec,a e lexandria d Egypto o40
14 publico Prtn' m rs. pe, me " puD"L0- :. A. qualquer natureza para a Italia pagarao 52 rs. por
Idomidom n R7 narUrnlar e 11 na- [ il oiUvas ou '> de !l olUvaS> 6 P3fa 0S aU"
dem dem n. 87 particular e 11 pu- ^^^^. ,ros ,U(,artS aCima mencionados 100 rs. pelo mes-
1 mo peso, sendo o porte das cartas facultativo e o
dos jornaes obrigaloro.
25ehapas de latile""Te lib'is. V 0 iOrtO
Ai pessoas que quizaren veader taes artigos>egiM m brovidade para aqnelle porid a bar -
550*000 apresentem su is propostas na sala das sessoes de ( portugueza Arminda, de 1'classe, por ter dous
4505OOO cob'.^elbo, as 11 horas da manliaa do dia 24 do cor- tercos do carregamento prompto : para o rosto e
rrenle. | passagoiros, para os quaes tem excellentes commo-
Sala das sess5es do cooselho de compras do ar- dos, trala-se ou com o capitaj Antonio Francisco
seal de gue.", 17 de io d* 8|3. Oeacar- da Silya Nuoes, ou com os consignatarios Marques
lotera
AOS 6:0000000.
hliajta ^ do eorrente mez, se extrahi-
i if'Sirta ..'" 1* loteria (7) a be-
5 JlJ! J?!!Li7a. ^ossa Scnbora da Boa-
segundo neficio da greja d,e v ..
^^^^_______^_ viagem, Da consistorio .o 'reJf JJ gj
Para e Rio de Janeiro. Sen'10 do Rosario d* fre^ b
Pretende seguir com mula brevidade o palha- An*on11?." .#. ^ n-
bote Piedade, tem parte do seu carregamento a Os bllnetes.meose qnartOS CStSft fi >*.
Barros & C, largo do Corpo Santo n.
andar,
i* i
regado da escripi;. ManoeJ Jos de Azevedo Santos.
'--------------rrn-~ r->]} >
Arreinatago
No dia 22 do correte, depois da audiencia do'
rTOnwfiodoa^ da narospectiva thesou'raria ruado Ln*--
te para os quaes tem excellentes commodos, tra-
ta-se com os seus consignatarios Antonio Luiz de
Oli veira Azevedo & C, no seu escriptono ra da
Cruz n. 1.
Para Lisboa
dem idem n. 88 particular e 29 publi
co. ........ 7305000
dem idem n. 89 particular e 14 publi-
co. ... 7005000
dem idem n. 90 particuiar e 12 pu-
blico. ......... 7505000
Rna do Pilar.
Casa terrea o. 92 partienlar e i03 pu-
blico. ........ 2005OOO
dem n. 93 particular e 101 publico. 2005000
dem n. 94 particular e 99 publico. 2555000
dem n. 93 particular e 89 publico. 2385000
dem n. 96 particular e 2 publico. 72JMKW
dem n. 99 particular e 106 publico. 2285000
dem n. 97 particular e 110 publico. 2285000
dem n. 100 particular e 104 publico. 2285000
dem n. 101 particular e 102 publico. 2285UO0
dem n. 102 particular e 100 publico.. 22850IM)
dem n. 103 particular e 98 publico.. 2285000
dem n. 104 particular e 96 publico.. 228U00
dem n. 105 particular e 94 publico... 2285WX)
Secretaria da Santa Casa de Misericordia do
Recife 19 de maio de 1865.
O escrivao,
F. A. Caralcaoti Cousseiro-
As cartas s rao recebidas ate 2 horas antes da
que for marcada para a saluda do vapor, e os jor-
j naes al 4 horas antes.
Admittem-se a seguro tanto as cartas como os
!jornaes.
Correio de Pernambuco 20 de maio de 1863.
O administrador,
Domingos dos Passos Miranda.
Vo a praca lerca-feira' 23 do eorrente, pe-
rante olilm. Sr. D juiz municipal da jirimiira
vara na sala das audiencias, os sobrados da ra
Direita dos Afogados ns. 1 e 7 e a ca>a terrea da
mesma ra n. 9, quem as mesmas quzer lascar
comprela no da cima as 12 horas da manhaa,
(o escripto edilal se acna em mo do portdro.)
Segu para all com a possivel brevidade o lu-
gre portugus Julio, para o qua se acha com o
maior parte da carga engajada : para o restante a
passageiros, trata-se com o consignatario T. do
Aquino Fonseoa, na rna do Vigario n. 19, primei-
ro andar, ou cora o capitio o Sr. Francisco Anto-
nio Meirelles.
"ii
po n. 15.
Os premios de 6;000$000 at 10^000
serao pagos una hora rkpois da extraecSo
at as i horas da tarde, e os outros depois
da distribuido das listas.
As encommendas s r5o guardadas se-
ment at a noite da vespera da extraerlo
como de cnstume.
O thesonreiro,
Antonio Jos Rodrigues de Souza.
me*
2.SIL0ES.
Aluga-se
1 casa de familia
1 n. 26, Inja.
orna preta para ama de leite rara
; a tratar na ra larga dtvRoar
LEILAO
De urna mobilia completa de inogno com lampo
de pedra branca, camas francezas, tollas de Ja-
caranda e amarello, candieiros a gaz, cadeiras
avulsas de varios feitios, quadros com molduras
douradas, apparadores, toucadores de mogno, re-
logios de algibeira, Jarros para flores, e outros
muitos artigas
Segunda-feira 22 do eorrente, no grande ar-
mazem do agente
OLYMPIO
36 Ra da Cadea uo Recite. 36
do
Santa Casa de misericordia
Recife.
A Illm* jnnta administrativa da Santa Casa de
Misericordia do Recife manda f-zer publico que bo
dia 26 do eorrente, pelas 4 horas da tarde, na sala
de suas sessoes, iro a praca para serem arrema-
tados a qnem por menos flzer os reparos e obras
seguintes:
Urna grade de ferro para o adro da igreja de N.
S. do Paraizo, com dous portes com 10 palmos,
tanto de altura como de largura, e tendo a grade
em toda a sua extenso 110 palmos e 5 de altura.
A mao d'obra de pedreiro do 2 lan^o da pare-
de da casa que se est edificando na ra da Gloria
para o collegio dos orphaos, com 200 palmos em
ambas as frentes, 35 de fundo e 18 de altura, par-
tindo do travejamento al a cornija, ficando esta
em esso.
Os reparos do sobradp de dous andares n. 1 pu-
blico da ra do Azeite de Peixe, e da casa terrea
n. 19 da ra dos Burgos.
0 fazimento de 18 calxilios de amarelo vinhati-
co, sendo 16 para as janellas e 2 para as portas da
galera do 1* andar do hospital Pedro II, que de-
verao ser iguaes aos do 2o andar, dando o arre-
matante a madera e ferragens, e collocando-os
em seus lugares.
O tapamento do arrombo do viveiro da una do
Nogueira pela maneira segrate : um caes com 30
palmos de extenso e 18 de altura, 12 de grossura
TiiE.vri&o
DE
Leiln
de mobilia e 100 pecas dealgodo
sicopira.
IIOJE
O agente Pestaa legalmente autorisado por urna
pessoa que se retira para a Europa (ara leilao de
toda a sua mobilia, constando de urna mobilia de
gusto de mogno com pedra, urna cama franceza,
duas banquinhas, um par do laulernas, duas redo-
mas, duas ditas, urna carteira, urna commoda, urna
marqueza, um relogio de parede, trens de cozinha,
lou?a, etc., e muitos outros objectos : segunda (ei-
r 22 do correte, pelas 10 horas da manhaa, na
ra largado Rosario n. 12, primeiro andar.
,Na mesma oceasiio e lu^ar serao vendidas 100
pecas de algodaozlnho sicopira.
CASA DA FORTOili
Aos 6:000^000.
Bllhetes garantidos.
A'ra doCrkspo m. 23 r. casas do costuhk.
0 abaixoassignado vendeu uos st-us muilu felf-
zes bilhetes garantidos da lotera que se ac boa
de extrahir, a beneficio do theatro de Santa Isa
bel, os seguintes premios :
Um meio n. 1976 com a sorte de 6:0005000.
Um meio n. 59\ com a sorte de i:2u0500D.
E nitra- militas surtes de 1005, 405, 205
109000.
Ospossuidores podem vir receber seus respec-
li vos premios sem os descontos das leis na Cas
da Fortuna ra do Crespo n. 23.
Acham-se a venda os da 3* parte da loierta.
(17') beneficio da igreja de N. S. da Boa-vlagem
que se extrahir a 27 do eorrente.
puteo.
Bilhetes. '. 75000
Meios......35300
Quartos.....15900
Para as pessoas que eomprarnn dHOOjUOO
para cima.-,
Bilhetes.....65500
Meios......35250
Quartos.....15700
_________________Manobl Martins r'iuta._____
Precisa-se de nina esrrava para o .-ervieo in-
terno de urna casa de familia : a tratar uesta t y -
pographia.
EMPREZA--COIMBRA
Terca-feira 23 de maio de
1865.
Recita extraordinaria.
Representarse o multo applaudido e interessan-
te drama em 5 actos
palmos de ex te
na base a menor em 3 ; bf
lo palmos de largura ao lado
Mili
o caes.
un aterro de
MOYIMESTO BO POETO
COMMESCIO.
(l:i\a filial do banco do Brasil era
Pernambuco.
A directora desta caixa saca sobro o banco do
Brasil no Mo de Janeiro e sobre a caixa filial do
mesmo banco na Bahi.
Novo banco de pernambuco.
Os admioistridores da massa fallida de Joaqoim
4o< Silveira pagam o Io dividendo de dita massa
na razto de 9 0/0 sobre o valor des ttulos ad-
tnetiidos : no novo banco de Pernambuco ra
do Trapiche n. 31.
\vobancode Pernambuco.
O banco paga oli* dividendo na razaode85
dor ac(o.
\oro banco de Pernam-
buco.
O banco descoma letras na presente semana a
fl p ir cento ao anno at o prazo de quatro me-
tes, e a 10 0|0 al o de seis mezes, e toma dnhei-
re a juros a praso nunca menor do tres mezes*
ALPANDEGa.
Rendimento do dia 1 a 19......
dem do dia 20...............
Navios entrados no dia 21.
Una de Fernando 48 horas, vapor brasileiro Pa-
rahyba, de loi toneladas, commaudaate I. J.
Martins, equipagem 0.
Baha8 das, hiate brasileiro Ohveira, de 68 to-
neladas, capito Lindolfo H. Carneiro, equipa
gem 6, carga fariuha de mandioca ; a Tasso &
Irmos.
Baha5 das brigue he.-panhol Vigilante, de 225
toneladas, capillo Jos Miranbell, equipagem
11, carga 2,910 quintaes hespanhes de carne ;
aAmorim Irmao.
Navios saludos no mesmo dia.
Aracatyniate brasileiro Novo Invencivel, capito
Joaquim Antonio de Figueiredo, carga difieren-
te gneros.
Barcelonapatacho hespanhol Indio, capillo Pages,
carga algodio.
Rio de Janeirobarca dinamarquesa Dora, capi-
llo P. Ohlsen ; em lastro.
Os prelendentes devem apresentar as suas pro-
postas em cartas fechadas, pudendo as mesmas
propostas comprrhender todas as obras e reparos,
on cada urna de per si, e entendendo-se quanto aos
esclarecimenlos de que precisarem com os ^enbo-
res mordomos encarregados dos predios tenenle-
coronel Justino Pereira deFariase Antonio Ramos.
Secretaria da Santa Casa de Misericordia do Re-
cife 17 de maio de 1865.
O escrivao,
F. A. Cavalcanti Cousseiro
"^Segnda-lerT22 do .corren^, na audiencia
do Sr. Dr. juiz do commercio, se ha i de arrematar
por eiecucao de Sauoders R-olliers & C. alguns
movis e objectos de padaria, penhorados a Joo
Francisco da Costa.de conformidade com os edilaes
j publicados. Escrivao Paes de Andrade.
CGO E 0 CMIN1H.
Dar fim ao espectculo a graciosa comedia em
1 acto _;
MS TENTACOES.
Tomam parte os artistas D. Eugenia, D. Camil-
la, O. Jesuina, Teixeira, Pinto.
Principiar s 8 horas.
LEILAO
AVISOS MARTIMOS.
Pra-
MOVIME.STO DA ALFAEtiA.
Volme* airado com fazeodas.... 93
c com gneros..... 134
Volumes sahidos com fazendas..... 84
t i com gneros..... 300
Descarregam no dia 22 do eorrente.
Vapor inglez0/nrfamercadoriaa.
arca inglezaBette Pontelonr-.
Birca1rnler.a--iVm Barca ingfeza-loiuiM-feiro e mais genen.
Brfitun rrancezAmabtle Celest -vinhos.
Escuna hollandeza -Spcnlant -diversos gneros.
Barca portngueraS. Joaocharque.
Escuna portugtiezaD. Jo&oIdem.
Sumad hespanholaMercedUadem.
Briicu* nacionalCardinidem.
Baria iiorueguense Tusmaniadem.
Barca inglezaEleonor dem.
Brigiie ioglezParWd-.6emento.
Importacio.
Barca inglza Fetisbjlla. entrada de Sunderland,
'manif-'xtoa o segointe :
558 lonelladas carvlo de pedra ; aos rawmos.
DECLAUCOES.
Santa Casa da Misericordia
do Eecife.
A Illm." jMfta administrativa da Santa Casa da
Misericordia do Recife, manda fazer publico qoe
no dia 26 do eorrente pelas 4 horas da tarde, na
sala de suas sessfies iro a praca para serem ar-
rematadas pelo lempo de 1 a 3 annos as rendas
das casas abaixo declaradas.
Os licitantes devem comparecer acompanhados
de seus fiadores M munidos de cartas destes,
Ra do Queimado.
Sala do 1 andar n. I particular e 33) M..nft/V
publico...........[ 5*05000
Loja n. 1 particular e 33 publico. .)
Ra do Crespo.
Sobrado de 3 andares n. 3 particular e ______
11 publico........1:5505000
Roa das Larangeiras.
Casa terrea n. 5 particular e 17 pu-
blico. ........2065000
Ruado Rangel.
dem n. 6 particular e 56 publico. 3005000
Rna de S. Goncalo.
dem n. 11 particular e 24 publico. 1925000
Ra do Rosario da Boa-Yisia.
dem B. 14 particular e 58 publico. 1685000
Ra da Madre de Dos.
------- 227 I Sobrado de um andar n. 25 particular
e 24 publico........1:0005000
Casa terrea n. 26 particular e 22 pu-
-------384 blico..........9005000
464:4265996
12:7745834
477:2015810
O conselho de compras do arsenal de guerra
precisa comprar o seguintes :
1,500 bonets redondos com paia para os guar-
das naciooaes destacados.
As pessoas que quizerem vender ditos bonets
apresentem suas propostas na sala do conselho no
dia 24 do eorrente, ao meio dia ; podendo um da
antes, na directora do arsenal, verem o ligurino,
para regnlarem suas propsstas.
Sala das sessoes do conselho de compras do
arsenal de guerra 18 de maio de 1865
O encarregado da escripturaco
Manoel Jos de Azevedo" Santos.
Convidase as pessoas queesliverem nascon-
dicoes do servieo militar, a engajarem-se no corpo
de polica, e gozarem das vantagens que offerece
a lei provincial n. 611 de 2 do correte.
dem n. 27 particular e 20 publico. 6005000
dem n. 30 particular e 14 publico. 6n05000
dem n. 32 particular e 10 publico. 6005000
dem o. 33 particular e 8 publico. 3005000
(dem a. 38 particular e 4 publico. 8005000
Becco das Bolas.
Sobrado de 2 andares n. 38 parcular
el6poblico........ 5005000
Ra da Lapa.
Casa terrea a. 41 particular e 2 pu- Knmnnn
blico...... ... 1505000
Kua da Moeda.
Idm o. 44 particular e 21 publico. .- 3365000
Ra do Amorim.
dem n. 48 particular e 56 publico. 4505000
dem n. 49 partienlar e 54 publico. 4505000
Hem n. 50 partieular e 52 publico. 4"05000
dem n. 52 particular e 45 publica. 450*000
Pela |thesouraria provincial se faz publico,
que a arrematadlo da pintura da ponte pensil do
Caxanga', foi transferida para o dia 24 do cor-
rente.
Secretaria da thesouraria provincial de Pernam-
buco, 12 de maio de 1865.
O secretario,
A. F. da Aununciaclo.
Pela thesouraria provincial se faz publico,
que a arrematadlo- dos reparos da ponte do Rio
Formoso, foi transferida para o dia 24 do cor-
renle- rv
Secretaria da thesoorana provincial de Pernam-
buco, 12 de maio de 1865.
O secretario,
_______Antonio Ferreira da Annunciaclo.
Pela thesouraria provincial se faz publico,
que a arrematagle dos reparos da ponte de Bujary,
foi transferida para o da 24 do corrate.
Secretaria da thesouraria provincial de Pernam-
buco, 12 de maio de 1S65.
O secretario,
A. F. da Annunciaclo.
Finda a audiencia do jnizo de orphaos (terca
feira 23 do eorrente) tem de ir a pra$a a renda
da casa o sitio denominado Santo Antonio da Ro-
mana, no lugar do Manguinho, por tempo de tres
annos, a enmelar de 90 de maio eorrente, a 20 de
malo de 18ti8 : a ultima praca.______________
O conselho de compras do arsenal de guer-
ra precisa comprar o seguinte :
Para o segundo batalhlo de Voluntarios.
385 eovados de panno azul para fardamento.
399 eovados de dito dito para capole.
135 eovados de dito msela.
149 eovados de baeta azul.
3800 varas de brim branco.
2014 ditas de algodaozinho.
67 Iwnets a eavanhaque.
SO bandas pana inferiores.
27 bonets para msicos.
27 pares de charlaleiras.
> 15 corddes de laa para canudos de inferiores.
I 2 Espadas.
i 2 lalins.
2 fiadores de conro invernlsado.
17 cornetas de toque.
17 cordCes para as mesmas.
2 cortas imperiaes para divisa.
1 capa de brim para bandeira.
1 dita de oleado para uandeira.
24 malas forradas do sola.
Rio de Janeiro.
O patacho Potycena, c.ipltao Francisco Jos
le.S, SCRUe CUIII multa -n-auidadAJ futa* f*
carga que llie falta e escravos a frete. trata-se com
Miguel Jos Alves, rna da Cruan. 19.
para Lisboa
Vai sahir breve o brigue portuguez Laia II. ca-
ditio A. F. Vieira, recebe carga e passageiros; tra-
ta-se com o consignatario E. R. Rabello, ra do
Trapiche n. 44. __________^______
COlPAHfllA BRASILEIRA
DE
PAQUETES A VAPOR.
E" esperado dos portos do sul
at o dia 31 do eorrente, o vapor
Paran, commandaote o capito
de fragata Antonio Joaquim de
Santa Barbara, o qual depois da
demora do costume seguir' para os portos do
norte.
Desdej recebem se passageiros e engaja-se a
carga que o vapor poder conduzir, a qual dever
ser embarcada no dia de sua chegada, encommen-
das e dinheiro a frete at o dia di sahida as 2 ho-
ras da tarde : agencia ra da Cruz n. 1, escripto-
rio de Antonio Luiz de Oli veira Azevedo & C.
COilPAUIA PEILNAMBCANA
DE
Naves-'Co costeira por vapor.
A sahida do vapor Jaguaribe
para o portos do norte fica
transferida para o dia 24 do cor-
rente. A carga ser recebida
desde o dia immediato ao de sua
de Janeiro at a vespera do da
satina: escriptono no Forte do Mattos ni.
Rio de Janeiro
Segu breve para aquelle porto a barca brasilel-
ra Uenriqueia por ter metade do carregamento
prompto : para o resto trata-se com os consigna
tarios Marques, Barros & C-, largo do Corpo Santo
o. 6, segundo aodar.
ceara,
De 1 sitio no Gi iuia' com casa terrea de pedra
e cal, cocheira ao lado, tendo baixa para capim e
arvores fructferas e 2 casas terreas de Hipa no
me.-mo lugar a beira da estrada e 1 cavallo para
servieo do mesmo sitio.
Cordelro Slmdes
autorisado pelo liquidatario da casa commercial
de Antonio Joaquim de Mello fara' leilao dts pre
dios cima descrilos. Os prelendentes desde ja'
poderlo examina-los e qualquer informadlo o mes-
mo agente satisfar', cujo leilao sera' effectuado a'
ra Direita taberna n. 6.
Terfa-feira 23 do eorrente .
Loilao da taberna e dividas da
mesuaa a ra Direita n. 6.
Cordeiro Siraoes farar leilao autorisado pelo ii-
quidatario da casa commercial de Antonio Joa-
quim de Mello, dos gneros, armaeao e utencilios
da taberna cima mencionada, como tambem as
dividas activas da mesma, na importancia de
18:1525674, sendo em letras o contasde livro, eiija
relaclo e balaoco se acha em poder do mesmo
agente a exame dos prelendentes.
Terga-feira 23 do eorrente.
as 10 horas aonde sera' effectuado o leilao.______
lisilau i!e uma casa tecrea.
Terca-teira 23 de abril.
O agente Pinto levar a leilao pela ultima vez,
por despacho do Illm. Sr. Dr. juiz de orphaos a ca-
sa terrea sita na ra de S. Miguel n. 19, fregaezia
dos Afogados, servindodc base a offerta oblida ; s
10 horas do dia supradito em seu escriptorio a ra
da Cruz n. 38.
chegada do
O ar. Trajano Periirio da Costa queira diri-
cir-se a repartidlo do correio afim de receber urnas
carta recunmendada.
O escrivao dos protestos Jo- Mariano est
de semana nos protestos, e mudou o cartorio para
a travessa do Oovidor, lja por baixo do sobrado
do Sr. solicitador Albuquerque.
f J f^J
Para os festejados das de S. Jlo e S. Pedro-
existe na muilo acreditada fabrica de fogos de ar
(Picio da ostrada de Jlo de Barros, propriedade
da viuva Rufino, um completo sorlimenU de pis-
tolas, craveiros, rndinhas e fogo busrap: como
seja penoso a alpumas pessoas irem a fabrica pela.
distancia, os prelendentes podem dcixar suas en-
commendas no armazem da bola amarella no cilio
da secretaria da poliri.
a-se 5-.000& a premio sobre hypothera-em
predios nesia praca. ou boas firmas : a tallar na
loja n. 38 da ra larga do Rosario.
Precisa-se de urna ama forra ou captiva pa-
ra eo/inliar e comprar para casa de rapaz soltei-
ro : na ra do Imperador n. 40.
Ausentou-so no dia 19 do correte, da Casa
do seu senhor na ra da Aurora, um moleque
crioulo de norae Augusto, idade 16 annos, levou
calca ecamisa branca, muito conhecido por ter
o nutixo um pouco sabido e anda onasi sempre
com a Docca ;tTJPiT.i,'jnT5!,r-? ou em seus arrebaldes : quem o pegar leve-o a
ra da Cruz n. 49.
PILLA*
DO
aranbo e Para.
Segu com brevidade o hiate nacional Lindo Pa-
urt, capillo Joao Jos dos Queijos Jnior ; para
o resto da carga tratase com o respectivo consig-
natario : ra da Cruz n. 23 I* andar.
Rio de Janeiro.
Segu at ao fim desta semana para o indicado
porto o veleiro brigue nacional Henrique, capillo
Loureiro. Recebe ainda algumas miudezas e es-
cravos a frae ; trata-se na ra da Cruz o. 23, Io
andar, escriptorio de Antonio de Almeida bornes
COMPANHIA BRASILEIRA
DE
PAQUETES A VAPOR.
Dos portos do norte espera-
do at o da 26 do correte o va-
por Cruzar* d* $', comman-
danle Alcoforado, o qual depois
da demora, do coitume seguir
para os portos do sol.
Desde j recebem-se passageiros e engaja-se a
carga que o vapor poder conduzir, a qual dever
ser embarcada no dia de sua chegada, encom-
mendas e dinheiro a frete at o dia da sahida as
2 horas : ageneia ru da Cruz n. 1, escriptorio de
Autogio Luiz de Olivoira Azevedo 4 C.
Leilao em conlinmico He, vinhos da M-
guera das mareas HX, aRI\ AMSG,
JAI,
Terca-feira 23 do eorrente.
O agente Pestaa cont'nnar o seu lei lio de ex-
cellentes vnb03 da Pigueira das bern conhecidas
e acreditadas marcas cima mencionadas, sendo
vendidas sem reserva de procos em lotes a vonta-
de dos compradores : terca-feira 23 do eorrente,
pelas 11 horas da manhaa, no Lirgo da Alfan-
dega.
Leilao fie 15 queijos sdssos.
Terca-feira 23 do eorrente.
O agente Pestaa far leilo por conta e risco de
quem pertencer de 19 queijos suissos muilo novo?
em um ou mais lotes a vontade : terca feira 23 do
eorrente, pelas 10 horas da manhaa, na porta do
armazem do Sr. Azevedo, defronte da escadinha
da alfandega.
Leilao i'e cerca de 500 barricas com
farinha de trigo avariadas a bordo
do palachq nacioaal Palma.
Quarta-feira 24 de maio.
Henry ForMer & C. farao leilao por intervencao
do agente Pinto, de cerca de 500> barricas eom
farinha de trigo ^variadas, a bordo do patacho na-
cional Palma, as 10 horas do dia cima dito em
sen armazem da ra do Imperador pr *>aixo do
Gab'net* Portuguez de Leitura.
Leilao de mobilia.
Sexta feira 26 do corrento.
O agente Pestaa autorisado pelo reverendo C.
A. Austin, far leilao de toda a sua mobilia da ca-
sa de sna moradia, consislindo em mesas de Jaca-
randa, cadeiras de dito, sofas, consolos tudo com
pedra, guarda-livros e escnvaninia. mesa elstica,
guarda-louca, apparador, candieiros a gaz, camas
grandes de casal, dita de ferro, e muitos outros ab-
iertos que se acharao patentes,, ura cabriolet muile
leve e em perfeito estado, tuna carroca de car-
gueijar,
Sexta feira 26 do eorrente
s 11 horas da manhaa, na casa da residencia do
mesmo Sr. reverendo Austin, na estrada defronte
da igreja da Soledade indo para o Manguinho por
detraz do sitie do Sr. Accioli Lias.
DR. AYER.
AVISOS DIVERSOS.
Aluga-se ura pequeo armazem na ra da
Paz, proprio para qualquer eslabelecimento em
ponto pequeo : a tratar no paleo de S. Pedro nu-
mero 4.__________________________________.
- Manoel Gomes, subdito portuguez, vai a Pw-
tugal.
Precisa-se de urna ama de leite sem
filho: na roa da Aurora u. 26.
Kio de Janeiro.
A barca brasiteiiw Joven Palmra de prkncira
classe. segu com brevidade, e tem meia carga
contratada, para o resto, trata-se com o consigoa-! mex lera lugar na noite do da 27.
tario Joao Francisco da Silva Novaes : Travessa
da Madre de Dens n. 5.
~_ Antonio Fernandes Ribeiro, subdito, porlu
guez, vai a Euroga. ________
"_ "a partida do Club Commercial no correte
Para a Baha
pretende sahir com muita brevidade a veleira es-
cuna Eliza por ter a maior parte da carga, e para
o resto que Ibes falta trata se com o consignatario
Joaqnim Jos Goncalves Beltrao na ra do Vigario
n. 10, primeiro andar.
ACaZETA
Do Norte.
Sabio hje o n. 6, e est venda na livraria aca-
dmica ra do Imperador n. 79. Procisa-se sem-
pre de vendedoras dessa gateU: paga-sc a 20 por
cento.
Nao ba oecessidade mais ge-
ral em lodos os paizes do que a
de um purgante que seja ao
mesiuo lempo innocente, efficaz
e digno de toda a confianca.
As plalas que ora olTerece-
mos ao publico preenchem estas
condiees ; pois podem ser to-
madas pelas pessoas mais iracas
sem perigo algnm, nao tendo em
sua composii.Tio mercurio neni
outro ingrediente nocivo sau-
de, mas sendo composto de a-
gentes vegetos mui fortes, s5o bastante
eficientes e activas para purificar os corpos
mais robustos.
Estas pilulas explorara e purifican) toda
a extenso do canal alimenticio, e do vigor
a todas as partes- da organismo, corrigindo
sua acgo viciada e fazendo recuperar sua
vitalidade.
Um remedio inestimavel contra dr de
cabeca nervosa, en-vaqueta, priso do ven-
tre, hemorrhoidas, molestias do figadot fe-
bre gastro-hepatica, e todas as tiiolesiar,
biliosas que teem sita ovigem no entorpeci-
raento do figado que causa a escassez da
bilis na inflammaejie 'esie orgia que pro-
duz derramamento da bilis no estomago ou
em um desarranjo geral dos orgios diges-
tivos.
A ieterlela
produaida pela absorpcao da bilis no
sangue, dando petle e aos olhos urna cr
amarelleuta ; nao smente dolorosa por
si, pormeondoz aos mais serios sofirimen-
tos.
Para, cura-la toma-se de 1 5 pilulas to-
das as manhaas, isto bastante para movor-
o ventre smeue at que se recupere a, ac-
<;o saa do syslema.
Mal'do figado, febre gastro-hepatica
diurrb>'a bilma, tifiigesto, a nevralgia
o tic douleureux, sao todas molestias qu
tem seu cometo n'utn desarranjo da bilis.
A observafo dos ductos da bilis faz esta
volver ao sangue, com que circula dtpois
em todo o corpo e causa estragos desas-
trosos saude e produz urna serie innu-
meravel de males.
Todos estes incommodos sao curados com
as pilulas do Dr. Ayer.
DireccSes minuciosas acompanliam cada
frasco.
Vende-se na pbarmacia franceza de Mau-
rer & C, ra Nova n. iS.
AGENCIA CENTRAL
15 Ria DlrcHa 1
RIO DE JAXKIitO.
Vende-se em Pernambuco:
oapharaiaeia franceza 4e
P.W1AURER C.
RA NOVA N. 48.

/
MUTILADO I
ILEGVEL


V
Y ?
bUrlo de Pernsmbe .- gegtta Irmandade do Divino Espirito
santo. 1
Determinando p 3 do "L i i do nosso c-
proraisso, que lodos os nossos irmios lem '{""
ver possulr a sua custa urna capa da >' ?j0r ae"
dlo e cor que marca o tiL 123 -' <,ieuda m-
promisso, com a qual assist'' uo mesmo cora-
da irmandade. Sao eoav" -* ,odos f,ac os
mos que se quizere- ** to* .quelles lr
para a prxima Prover das rtieniis
da Indepen'' yrocissao
p;-
KANDE ARMAZEM DA EXPOSIQAO DE LONDRES Wmmwmmmm
SO Dr. Francisco Pires na
DE
rirem-se
a di
.enca ns. 37 e 39.
Manoel Lniz da Veiga
Escrivao.
capas
a praca
Na ra do Imperador n.
ama para lodo o servico.
14 tomase ama
Fabrica nacional de lecidos de Santo Aleixo
\ no Rio de Janeiro.
Para e service interno desla fabrica se precisa
engajar serventuarios que estejam nessas condi-
g5es, como familias completas, meninos de ambos
os sexos, de idade de 10 a 14 aonos; paga-se
bem, dando-se transportes gratuitameute desta,
para aquella provincia : aos pais, tutores, ou ad
ministradorts dos menores se pagar mensalmen-
te, ou por qaarteis metade do que ganhar cada
um des engajados: os pretendentes podem din-
Sir-se ao large do Corpo Santo n. 6, segundo an-
ar, ou na hotel da Europa, no caes da Lingoeta,
tambem segundo andar. _______^^
Descontam-se notas do banco do Brasil e das
caixas filiaes : na praga da Independencia n. 22.
Da se dinheiro a juros em pequeas quantias,
quena pretender dirjase ao pateo do Terco n. 16
______que se dir quem d.
Na praca da Independencia n. 33, ioja de ouri
ves, compra-se ouro, prata, pedras preciosas e
tambera se faz qualquer obras de etcommenda e
todo e qaalqoer concert. ______
CALOS.
chegado do Rio de Janeiro, onde se aperfei-
coon-na profisso de calista um joen brasileiro
que acaba de estabelecer-se no botel italiano, ra
do Trapiche b. 5, onde pode ser procurado das 7
horas da manha as 4 da tarde, e destas at as 6
em casa dos pacientes._____________________
"Pedido.
Os curadores Bscaes e depssitarios da
massa fallida de Joo Baptista Goncalves
Bastos, pedem as pessoas a quem o fallido
conQou obras para fazer de seu estabeleci-
mentodefazendase roupas feitas a ra No-
va desta cidade, hajam de enir gar as mes-
mas obras a ra da Imperatriz n. 40,____
Aluga-se o segundo andar da roa da Impera
trii d. 34 : trata-se no mesmo.______________
CLUB PERAMBUCANO.
A partida do mez de maio ter lugar na
noite do dia 24.
O Loodon A Brazillan Bank, saca por doos
os paquetes,sobre
Lisboa.
Porto.
Braga.
Vianna.
Guimaraes.
Villa Real.
Coimbra.
Amarante.
Tin tarara
Na ra Direita n. 116 conlinaa-se a tingir para
qualquercor, o mais barato possivel.
Joaquim da Silva Reg faz publi-
as co que tendo sua mulber D. Fran-
cisca Senherinba da Silva Reg
abandonado a sua companhia, e le-
I vando comsigo todos os escravos
jd do casal, estando de posse de to- &
8 dos os outros bens, ninguem com }M
ella faca negocio iIgam acerca dos y*
mesmos bens, por ser o annun- 9
J? ciante o legitimo administrador de M
M seu casal. fR
****** mmmmmimm
manen A ittnntn -
Estando prximo o festejo do glorioso Santo An-
tonio previne-se ao respeitavel publico que est a
venda a trezena do mesmo glorioso santo, muito
bem confeccionado, Impresso nitda e broxada :
na rna do imperador n. 13 defronte do convento
de S. Francisco.
CTKSIG
A pessoa que estiver habilitada e quizer entrar
de sociedade em urna taberna muito acreditada,
deixe nesta typograpbia era carta, com sua morada
para ser procurado, o subscripto com as Ineciaes
F. P. S. ____________ '_________
Caixeiro.
Precis-se de um caixeiro pertuguez, de Idade
de 14 16 anuos, e que tenba alguma pratica de
taberna : na ra da Senzala Nova o. 39.
**# ?8*
SO hachare!
Francisco Augusto da Costa
ADV6GAD0
Roa do Imperador numero 69
'THOMAZ TEIXEIRA BASTOS
N. 60-Rua da Gadeia do Becife-N. 60
Todos os artigos abaixo mencionados, forara comprados recentemente pelo dono to estabele-
cimemo aas principaes fabricas de Pars, Londres, Birmingbam, Mancbester, e em diversas cidades
da Allemanha, e tendo comprado tudo as melhores eondigSes por ser a dinheiro, por isso vende todo
e qualquer artigo barato, por meaos do sea valor, e mu principalmente por querer inteiramente liqui-
dar e ter de partir muito breve para a Europa.
Ha neste vasto armazem ricos objeetos com brilbantes, como botoes, aneis, rosetas etc., e
be assim, diversas obras de ouro, como trancelins, correntSes, oculos, face-maios, anneis, e mnitos
outros artigos, relogios de ouro, inglezes, do afamado fabricante Bennette; completo sortimento de fa-
jeadas finas e modernas; miudezas, perfumes, perfumaras finas dos principaes fabricantes inglezes e
fraocezes, eomo L. T. PiVER, Lubin, L. Legrand, Ed. Plnand & Meyer, Delettrez fParfumerie du
mond lgant), Violet, Societ Hygiemque, Monpelas, Mailly, Regnier, P. Goeland, e ingieras de Eug.
Rimmel e outros i ricas galantarias em martm, mar de perola, etc., fabricadas na China e no Japo;
ricas pecas de cristal fino como anda nao appareceram nesta cidade, e bem atsim modernos lustres
para velas, ditos para gax e para petrleo, serpentinas, castices, enfeites e adornos para cima de con-
solos e para grande toillette, o que se tem feito de mais elegante em Pars, em Londres, Birmingbam
etc. ; modernos apparelhos de metal fino inglez para cb e caf, os qoaes nada tem de inferior prata,
e muitas oulras pegas do mesmo metal, ricos pentes de tartaruga da ultima moda para trancas de se-
nhoras, excellentes luvas de pellica do afamad* Jouvin, apparelhos de porcelana fina para cha e caf,
ditos para jantar, e immensos artigos de porcelana fina dourada, como ricos vasos para Aeres, figuras,
etc.; calcado dos principaes fabricantes de Paris e ditos de panno cera sola de borracha, pianos dos
celebres fabricantes Pleyel, Wolff C, realejos modernos de Gavioli & C, para se tocar na rna, ditos
com figuras para saldes e ditos com figuras em movimenlo ; modernos e bonitos instrumentos de physi-
ca (mgica) para tbeatros ou saldes, ditos de phantasmagoria ; lantemas mgicas, cosmoramas com
vistas novas, dia e noite ; stereocopios de nova invencio e com bello sortimento de vistas das principaes
cidades da Europa ; grande sortimento de brinquedos tinos para crianzas, e nonecas fallando papai,
marai; grande sortimento de candieiros a gaz, os que se tem feito de mais elegante e que tem mere-
cido toda a aceitaco na Europa, grande e magnifico sortimento de caixinbas, cestinhas e outras galan-
teras feitas de crina e seda proprios para presentes ; grande sortimento de estampas finas coloridas j
com o fundo preto e de outras de todos os santos, ditas com figuras e ditas com novas paysagens para
cosmoramas, finos e bem graduados vidros para cosmoramas, um bello chafariz de chrlstal, proprio
para meio de mesa de Jantar ou para jardim ; cutelaria fina, come talberes com cabo de metal fino, co-
Iheres, thesouras finas, ditas modernas para alfaiates, navalhas finas, caivetes e outros artigos, diver-
sos artigos feitos de rame; completo sortimento de mascaras de velludo, setim, cera, papelo e ra-
me, doces, confeitos e chocolate em caixinbas e em vidros; camas de ferro de|todos os tamanhos, lava-
torios, etc.; ricos quadros para carios de visitas e ditos grandes e pequeos para retratos; chapeos
de sol, bengalas, chicotes e ditos para carros -, machinas para fazer caf, ditas para bater ovos, proprias
para quem faz po-de-l, bolinhos, etc.; bellos cortinados arrendados, verdes, encarnados e brancos;
pannos para cobrir mesas, bolgas grandes e pequeas para viagens, e outros artigos, como cobertores,
malas, etc.; sortimento de violoes finos; figuras finas e jarros de alabastro ; galantarias e outras pecas
de charlo para toillette; machinas para varrer o cb'ao, excellentes machinas para photograpbia para
tirar retratos, grandes e pequeas ; lindos baloes de papel fino transparente e lantemas coloridas para
illuminacoes a moda de Paris, salva-vida de borracha, para homens e senboras, proprios para quera
toma banbos em lugares fundos; ameixas novas em caixinbas, blscoitos inglezes em latas, graixa in-
gleza 97 ; cerveja era barricas das principaes marcas de Londres, qneijos etc., e mnitos outros artigos
que para eoumera-Ios seria um nunca acabar, e todos se vendem barato e muito barato no grande ar-
mazem da Exposico de Londres, na ra da Cadea de Recife n. 60.
chado Portella
Medico operador
PELA.
FACULDADE DE PARS,
regressando a esta provincia acba-se
prompto para o exercicio de sua profis-
so, quer nesta cidade, quer fora della,
especialmente em molestias de olbos (ea-
taractas etc.) dasvias urinarias (estreita-
mento de nrethra etc.) e de pelle, para
cojo curativo se julga habilitado, attenta
a pratica que teve nos hospilaes de Pa-
rs, e os modernos instrumentos que pos-
sue.
Pode ser procurado a quarquer hora
na casa de sua residencia no patee do
Carmo n. 2, esquina da ra de Hortas.
AVISO
Os credores da massa do reverendo padre D. Jos
Antonio dos Santds Lessa pedem as pessoas que
teem penhores era dita massa, que veuham resga
ta-Ios no praso de oito das, entregando sna impor-
tancia ao preposto Martin?, sob pena de serem os
mesmos penhores vendidos em leilo._________
Alugam se dous grandes sobrados com com*
i modos para numerosa familia, novos e aceiados.
' | com jardim, cocheira, estribara e outras commo-
, didades, n travessa de Joo Fernandes Vieira :
a tratar na ra da Senzala Nova n. 42.
VEKD1S.
O bacharel Lourengo Avelino de Albu-
querqne Mello continua a ter seu escrip-
torio de advogado nos auditorios e tribu-
naes desta cidade : na ra do imperador
n. 40.
Sortes de S. Jco
Vendera-se lindos papis cora estalo para as
sortes de S. Joo : na ra Nova n. 61 defronte da
Illma. cmara municipal._____________^^
Precisa-se alugar urna ama captiva ou forra que
saiba bem eozinhar e couprar
Francisco, ou Mundo Novo n. 54.
DINHEIRO FRANCEZ.
na ra de S.
Antonio Joaquim de Mello, antigo ad-
vogado nesta cidade, e procurador fiscal
aposentado da thesouraria de fazenda,
emprego que servio por mais de 22 an-
nos, continua a advogar em todos os ra-
mos do civel e crime, com proviso do
Exm. conselheiro presidente da relaco.
Ra do Imperador n. 14.
Na fabrica de calcados da ribeira de S. Jos
n. 2o, precisa-se de artistas de sapatana.
Vendem-se moedas de ouro e notas do Banco, e bem assim nma collecao deide nm centesimo
at mil francos : vende-se barato no Recife ra da Cadeia n. CO.ne armazem da Exposico de Londres.
Antonio Correia de Vasconcellos convida
e roga aos prenles e amigos de seu socio
Jos Mnreira Lopes para assistirem a urna
missa que tem de ser celebrada na igreja do
convento do Carmo, no dia 24 do crreme
as 7 horas da manha, pelo repouso eterno
de D. Mara Adelaide de Magaihes Lopes,
mulher do referido seu amigo e socio Morei-
ra Lopes, fallecida em Portugal no dia 24
de abril prximo passado.
es
<

o
z
o
SsTlU
K2
ea
a
Para completa liquidaco vende-se, por muito menos de sen valor, perfumaras muito finas e
novas ebegadas recentemente de Paris e de Londres dos mais afamados fabricantes seguinles : Eug.
Rimmel, R. Matheus & C, Lubin, Sociedade Hygieoica, Piver, Violet, L. Legrand, Deletrez, Pinaud &
Meyer, Regnrer, Mailly, Gillet frere etc., etc., "dos quaes ha grande sortimento d'agua de colonia em
vidros e garrafas, agua de lavande, agua para (impar denles, oleo babosa, extractos em garrafinbas e
vidros de differentes modelos, pos para limpar dentes, banha em potes e em vidros, pomadas, ricas
caixinbas e balainhos com perfumaras para fazer presentes, e muitos outros artigos que se vende por
menos de seu valor, bem como todos os artigos em geral existentes no grande armazem da Exposico
de Londres, na ra da Cadeia do Recife n. 60.
No noite do da 16 do correle mez o rabo
de esquadra da companhia de nrbanos de nome
Prudencio,alugou na cocheira da ra doCalabouco
n. 20 um cavallo rodado foveiro, todos os ps cal-
cados, frente aberta, beico branco, tendo duas fo-
ndas nos lombos, com 7 palmos de altura mais ou
menos, novo, anda baixe obrigado, e bastante
ardego. Ignora-se se aquelle cabo desertou ou
nao, visto que no acto de alugar o cavallo declarou
que era para ir a Passogem, e que logo voltaria ;
entretanto ha noticias de ter sido aquelle cabo en-
contrado no Rio Formoso com o cavallo.
Para senhoras.
Ricos e modernos pentes de tartaruga para tranca de senbora, o que se tem feito de mais ele-
gante at o presente: vende-se por menos de seu valor para se liquidar, no grande armazem da Ex-
posigo de Londres, na ra da Cadeia do Recife n. 60
Luvas novas de Jouvin.
Vendem-se excellentes lnvas de pellica recentemente chegadas de Paris, tanto para bomem co-
mo para senliera por menos de seu valor, para se liquidar: no grande armazem da Exposico de Lon-
dres, na ra da Cadeia do Recife d. 60.
Companhia geral hespanhola de seguros mutuos
sobre a vida
AUTORISADA PELO REAL DECRETO DE 21 DE DEZEMBRO DE 1859
ma flanea em dinheiro, depositado nos eofres do estado, garante a boa ad
ministraco da companhia.

- Precsase de urna ama que saiba cosinbar e
lavar : na ra das Cruzes n 11._____________
Aos senhores alfaiates e sa-
pateiros.
Pecas de algodSo de 20 jardas por 25
proprip para forro de obras por ser multo in-
-corpado : na luja da ra da Madre de Dos nu-
mero 16^________________________________
Os abaixo assignados fazem scienle ao corpo
do commercio e ao publico era geral, que a socie-
BANQUEIROS DA COMPANHIA
O Banco de llespaaha
DIRECgO GERAL
Madrid: Ra do Prado n. 19
Esta companhia liga pelo systema mutuo todas as combinagdes de supervivencia dos segur
sobre a vida.
Nella pode se tazer a subscripto de maneira que em nenhum caso mesmo por morte do s
gurado se perca o capital nem os juroscorrespondentes a estes.
Sao tio supreheudentes os resaltados que produzem as sociedades da ndole de A NACI
DAL,que anda mesmo diralnuindo urna terca parte do interesse prodnzido em recentes liquida-
ces esorabiniado-o cora i m irtalidade da tabella de Depareieux que e adoptada (pela companhia
para seusncalos e Uqutdac,5es, em segurados de idade de 3 al9 annos, urna imporsicaoannual
de 100 produz em effectivo metlico:
No fim de 5 anuos.......1:1194300
de 10 ........ 3:942*600
de 1S........11:208*200
i de 20........30:256*000
> de 25........80:331*000
as dados menores de 3 anuos e maiores de 30, os productos sao mais consideraveis.
Rrospoctis e mais inforraacoes sero prestadas pelo snb-director nesta provincia.
Joaquim Fiuzde Oliveira, ra da Cadeia n. 52, ou a Boa-Vista rna da Imperatriz n.l2,estabel
cimento dos Srs. Raymundo,Carlos,Leite & Irmao.
Anemia, chlorose, obstroeco
das vlceras abdomioaes, quer consecutiva a'
m-
dade qua gyrou nesta praca pelo tempo de seis ^ammacoes agudas, quer resultante das febres i n-
mezes, sob a firma de Duarte Carvalho & C, ac- termitentesDyspepesia, emfim era tedos os casos
badeser amigavelmente dissolvida em 30 de abril | era qoe reclamar urna medicaco tnica, ou reme-
prximo passado, ficando a cargo do socio Joaquim dio a algum vicio de hematose
Ferreira Valente todo o activo e passivo da dita pjlulas e emplasto de jurubeba cura em 15
sociedade, e o nico encarregado de sua liqnida-
$o tanto nesta prara como fora della, por Ihe fl-
car pertencendo toda a massa.
Joaquim Kerreira Valente.
Jos Luiz Duarte de Azevedo.
Jos Rodrigues de Carvalho.
mmmmmmmmmm&mm
Precisa-sede urna ama para todo o ser- mt
_. vico de urna casa de familia
B Cruzes n. 9, segundo andar.
di as.
Preparados por J. F. Lariere
Villa do Bonito.
na ra das
Alaga-se urna casa terrea no Campo-Verde
ra do Socego n. 2, com commodos para familia :
na ra do Rangel taberna n. 7.
mmmmmmmmmmmmm
fs O Dr. Carolino Francisco de Lima San- ,
j tos, continua a residir na ra do Impera-
| dor n. 17, segundo andar, onde pode ser
m procurado a qualquer bora do dia e da
noite para o exercicio de sua profisso de
medico; sendo que es chamados depois
de meio dia at 4 horas da Urde devem
ser deixados por escripto. O referido
Dr. nao abandonando nunca o estnde das
molestias 'do interior, prosegue, com
o maior afflnco, ao das mais difflceis e
delicadas operacoes, como sejam dos or-
gos urinarios, dos olhos, partos etc.
Arrenda-se o engeaho Miognito, meia
legua distante da cidade do Rio Formoso,
movido por agua de um grande agude
que nunca seca, com rauitos par.idos, si
tos e moradores, tem proporcSes para
fazer-se grandes safras e lucrar-se raui-
i: os pretendentes dirijam-se ao Dr.
Christovo Xavier Lopes em seu enge-
nho Souza ou no Recife, ra estreita do
Rosario n 23, segundo andar.
Samuel Power Jehnston k Companhia
Ra da Senzala Nova n. 4.
AGENCIA DA
Fundido de Low Moor.
Machinas a vapor de 4 e 6 cavallos.
MoenJas e meias moendas para engenbo.
Taias de ferro coado e batido para enge-
nho,
Arreios d carro para nm'e dous cavallos.
Relogios de ouro patente inglez.
Arados americanos.
Machinas para descarocar algodo.
Motores para ditos.
Machinas de costura.
AMA
Na ra da Cadeia do Recife
de urna para cosinbar.
n. 50, precisa-se
Achando-se em concert a ponte da Tacaro-
na e nao podendo dar passagem aos viandantes,
vo estes ao lagar do Campe Grande para atra-
vessar no Salgadinho, principalmente os que con-
duzem cavallos e carros, no entretanto que con-
tinuare a cobrar o pedagio da barreira da Taca-
runa, cuja barreira o arrematante continua a
cobrar quando o transito torna-se mais exlenco
para Olinda e com rulns caminbos.
30$ de graiificaco.
Desemcaminhou-se da ra da Praia um cavallo
com cangalba, castanho tapado, tem nm carrego
I baixo obrigado, tem os cabellos por baixo do quei-
' xo bastantes grandes, desappareceu ne dia 16 do
corrente, e quem o apresentar receber a quaotia
cima na ra da Praia taberna n. 43.
Precisa-se de urna ama que tenha bora leite:
na ra do Rangel n. 7, priraeiro andar.
Precisa-se de urna ama para cosinhar o en-
gommar: na roa do Vigario n. 22. ______
A fugase
Companhia delidade de seguros
martimos e terrestres
estabelecida no Rio de Jaueiro.
AGENTES EM PBRNAlfBUCO
Antonio Luiz de Oliveira Axevede C,
competentemente autorlsados pela direc-
tora da companhia de segaros Fidelida-
de,tomam seguros de navios, mercado-
ras e predios no seu escriptorio ra da
Cruz n. 1.
um sitio na campia da Casa Forte, com
sas, urna a em que morua o fallec do" Thomaz de .
Aquioo Fonseca Jnior, feita a moderna, e conten-
do todas as accommodacoes precisas, s outra com
boas commodidades para qualquer familia : na
ra do Vigario n. 19, primeiro andar.
Feitor.
Precisa-se de um para uro sitio pequeo perte
da cidade, sendo pessoa capaz e dando boas rnfor
t, roaooes, d-se casa propria : a quem convier diri-
(
jase arua Nova o. 19, primeiro andar.
Precisa-se de ama pessoa para tomar costa
de um sitie perto desta pra;a, com as condicSes
que a visto-se tratar : no largo da ribeira de S.
' Jos* n. 49.
Adverte-se ao Sr. Jos Soares Pinto Correia
Jnior que o trabalho que mandn fazer na lytho-
graphia da ra da Cruz n. 46, que at o da 25 vai
ser vendido para pagamento do mesmo.________
4 INEVIDENTE.
Sociedade de seguros mu-
tuos sobre a vida.
Fondada e administrada pelo banco
Allianca do Porto.
O seguro mutuo sobre a vida urna das mais
econmicas e moralisadoras instituicoes at boje
conhecidas, e aquellas pessoas que a esludarem
cuidadosamente, com facilidade coroprehendero
que com um pequeo desembolso cada anno adqai-
nro em pouco tempo urna fortuna, qoe as poro
ao abrigo da miseria, se por desventura sua esta
lhe for bater porta.
Nenhuma das companhias existentes pode offe-
recer aos seas associados garantas como as que
Ihes offerece a Prectdenlt. que sao o capital de
1,000.000*000 Uu banco All uva, UWJ| BarSeaSop
midade do artigo 61 dos estatutos desta sociedade,
responde aos seus socios pelos actos e boa admi-
nistrado da sua gerencia, bem como pelas dos
seas empregados e mais representantes.
Eia, pois, pas de familia, correi a inscrever vos-
so nome na Providente, por vos ou por vossos filhos,
e veris assim, em pouco tempo, um futuro cheio
de ventura e proficuidade, que por ontra maceira
se nao conseguira e com to pequeo dispendio e
sacrificio.
Subscriptores at 20 de abril prximo passado.
Subscriptores. Quantias subscriptas
Moeda forte
Jos da Trindade Almeida.......... 5004000
Manoel Muniz Tavares Cordeiro.... 1:2500004
Antonio Joaquim de Vasconcellos... 2:000*000
Antonio Jos Silva do Brasil........ 2.3004000
Joo Jos Rodrigues Mendes........ 5:090*000
Joo do Couto Al ves da Silva....... 1:2504000
Luiz de Moraes Gomes Ferreira..... 3:7504000
Domingos Jos da Costa A mor m 3:7504000
Domingos Jos do Amorim......... 3:750,8000
Manoel Fernandes da Costa......... 4:000*000
Joo Carlos Coelbo da Silva......... 2:0004000
Manoel Ramos de Oliveira......... 1:2504000
Manoel Jos Pereira Maroho....... 1:2504000
Manoel Ferreira Bartholo.......... 1:250,SOO0
Manoel Francisco Marques......... 2:3004000
Gregorio Paes do Amara 1.......... 3:750*000
Joaquim Jos Goncalves Beltro.....
Joo da Silva Ferreira............. 2:500*000
Jos Joaquina da Silva............. 2:500*000
Antonio Jos Coimbra Guimaraes... 2:000*000
Antonio Joaquim Fernandes da Silva 1:250*000
Custodio J. Goncalves Guimaraes.... 1:250*000
Jos Goncalves Villaverde.......... 500*000
Alfredo Jos Antones.............. 500*000
Manoel da Cunha Guimaraes........ 1:250*000
Joaquim Cabral de Mello............ 250*000
Jos de Azevedo Maia e Silva..... 1:500*000
Bernardo Pereira do Valle Porto___ 1:000*000
Ignacio Pereira do Valle........... 1:000*000
Felisberto Ferreira de Oliveira..... 1:25O*O00
Domingos Jos Ferreira Guimaraes.. 6 000*000
Manoel de Mattos Machado......... 1:500*000
Manoel Joaquim da Rocha.......... 1:000*000
Seraphim de Senna Jorge.......... 500*000
Manoel Joaquim Fernandes......... 1:250*000
Manoel Goncalves Ferreira......... 1:000*000
LuizPereira Lima................ 500*000
Antonio Henrique Rodrigues........ 7:500*000
Manoel Francisco dos Santos Maia... 1:250*000
Manoel Joaquim Ribeiro............ 1:250*000
Joo Licio Marques................ 6:270*000
Fraocisoo Joo deJBarros........... 10:000*000
Joaquim Rodrigues Tavares de Mello 10:000*000
Jos da Silva l.oyo................. 8:750*000
Francisco Jos Al ves Guimaraes..... 1:000*000
Caetano Cyriaco da Costa Moreira... 2:000*000
Jos de Melle Costa Oliveira........ 1:250*000
David Ferreira Baltar-----......^.. 2:0005000
Antonio Jos dos Reis............. 5:000*000
Joo Ribeiro Lopes............... 1:000*000
Joaquim Claudio de Oliveira....... 2:500*000
Jos Gomes de Fieitas............. 1:250*000
RerBardino Gomes de Carvalho...... 1.000*000
Antonio Baptista Nogueira......... 500*000
Joo Francisco dos Santos Jnior___ 1:250*000
Francisco Ribeiro P. Guimaraes.... 1:000*000
Alfredo Prisco Barbosa............ 750*000
Manoel Soares Ribeiro............. 100*000
Luiz Antonio de Siqueira........... 1:250*000
Manoel da Silva Noguelra. -........ 2:500*000
Consultorio raedico-cirurgico na rna larga de
Rosario n. 20.
O Dr. Jeo Ferreira da Silva rogressando a sua
casa, contina em o exercicio de sua profisso nao
so na parte medica como tambem na cirurgica.
CAIXEIRO.
Precisa-se de nm caixeire de 10 a 16 annos que
tenba ou nao pratica de taberna, prefere-se porta-
guez : na ra Direita n. 72.________________
Precisa-se alugar urna escrava, paga-se bem:
na rna do Hospicio n. 62.________^__
Aviso.
Jos Das da Cunha declara a quem possa inte-
ressar, para os Qos convenientes, que comprou o
deposito sito ra do Codorniz n. 14, o qual per-
tenceu a Manoel Pereira da Cruz, nada tendo cora
quaesquor dbitos do mesmo Sr. Cruz._________
Precisa-se da quantia de 350* a premio de
2 l|2por cento ao mez por tempo de seis roezes,
coro hypotheca em urna escrava : quem quizer
dar annuncie. _______
Aluga-se um sitio na estrada do Arraiai, cora
boa casa, estribara, casa para escravo, muita fruc-
teira, cacimba ; o sitio fica ao p da taberna do
Bernardino : quem quizer v a roa da Esperanca
n. 60, no caminho novo, que achara com quem
tratar._________________________
O abaixo assignado faz ver ao respeitave
publico que pessoa alguma contrate a venda da
casa sita na ra Direita dos Afogados n. 30, por-
que ha berdeiros ausentes e orphos que se ha de
proceder inventario.
Manoel dos Santos Leal.
Aluga-se o segnndo andar da casa n. 33 da
rna da Matriz, tem commodos para grande familia;
e o segundo andar da mesraa ra o. 35 : a tratar
com o Sr. Antonio Joaquim Ferreira Porto, na
Ponte Velha, ou com Miguel Joaquim da Costa, na
ra da Cadeia n. 12.______________________
Precisa-se fallar com urgencia ao Sr. BernarJi-
no de Oliveira Coragem, desenhista da repartido
das obras publicas, a negocio de seu interesse : na
ra larga do Rosario n. 33, segundo andar._____
Aluga-se o 2*
mero 29.
andar do pateo do Paraizo nu-
Precisa-se de urna ama para comprar e eo-
zinhar para casa de ama pessoa : na travessa de
S. Pedro d. 10, segundo andar, entrada pela ra
do Fogo.______________
Ama de leite
Quera precisar de urna ama de leite procure na
roa do Pilar n. 93. _^^_________^^^
Precisa-se de urna ama que saiba en-
gommar bem para casa de pouca familia :
na ra das Cruzes segundo andar n. 36.
O Sr. Luiz Cesar Pinto de Farias queira di-
rigirse a ra da Madre de Dos armazem entre a
igreja e a botica. ________^__________
Aluga-se urna sala do primeiro andar da ra
do Queimado n. 41: a tratar na mesma.______
1/ ANNNCIO.
O Dr. Manoel Bernardino Bolvar, tendo de au-
sentarse desta provincia por algum | tempo, e nao
podendo pessoalmente despedirse de todos os seus
-mRc a nnmorncificimoo froguoooo tanto da rapi-
lal, como de fora della, que pelo espaco de cinco
annos sempre lhe honraran) com urna crescidlssi-
ma e nunca interrompida clientelia; falo por meia
da imprensa,solemnemente agradecendo-lhes tanta
consideracaojestima e confianca; protestando-lhes
o mais indeclinavel recoohocimento e gratido. O
mesmo declara qne se retira sem dever quantia al-
guma a quem quer que seja ; assim coma que d
quitacao a todos aquelles que lhe ficam devendo
menos de 50* rs.
Rio Grande do Norte, 18 de abril de 1865.
Relojoeiro e donrador portuguez
Alnino Raptista da Rocha, praca da
Independencia n. 12, faz qualquer
concert de relogios e dourados por
precos mais baratos do que outro
qualquer e responsabilisa-se pelo
'seu trabalbo, espera de seus ami-
gos e campatriotas._________________
Aos Srs. acadmicos.
Vendem-se os seguinles livros quasi no-
vos: Manuel de droit rornain por Mackel-
dey, i ^lurne, por 6400o; Diccionaire
du conlentieux commercial por Mass, i
volme por 64100; La femme por ma-
dama A. Seguas, 1 volunte, com estampas
finas por 55000; OEuvres de Racine, l
volume, com estampas finas por 64000;
OEuvres choisis de Buffon, i volme, com
estampas finas, por 44000; Cdigo de cr-
dito predial, i volume, perliOO; Um
philosopho nas aguas furtadas, romance
por E. Souvestre, 1 volume, por 14600;
Nocoes de partidas dobradas, por Fonseca
de Medeiros, i volume, por i 600 ; Flores
singelas, poesas por Paes d'Andrade, i vo-
lumen por 24000; Viagem ao Araguaya
pelo Or. Couto de Magalhaes, 1 volume,
por 2400 : A velhice de Candes, romance
por Trigneiros, por 24000 ; La vie des
saints, l volume, por 14200 ; OEuvres phi-
losophiques d'Arnould, I volume, por 24 ;
Economie politique, por Garnier, i volu-
me, por 24003 ; negras da escripturacao
mercantil, por Gomes Jnior, 1 volume,
por 24500; Organisation du travail, por
Louis Blanc, i volume, por 44200; L'Epi-
phanie, pelo padr- Ventura, l volume, por
14000; Le jatdtnier des salons, 1 volu-
me, por 640 rs.: na ra do Cabug n. 2 A,
oja.
Vende-se duas carrogas, urna para bol e ou-
tra para cavallo, sendo esta com lastro somente,
propria para carregar barricas de farinha de trigo,
lenha, etc., ambas cora uso, por preco muito cora-
modo : a tratar no pateo de S. Pedro n. 4.
Vende-se um carro de carregar gneros da
alfandega, com uso, e todos os pertences de outro
igual, tudo por preco muito commodo : a tratar
no pateo de S. Pedro n. 4.
FEIJAO
a 320 rs.
Feijo de mistura a 320 rs. a cuia
Quarteis n. 22.
na ra des
Espantosa novldade.
Madapolo superfino a pega de 24 jardas por 6*
por ter um muito peqoeno defeito, preco este di-
minuto devido a poca actual; na ioja da Madre de
Deusn. 16, defronte da guarda da alfandega.
Vende-se um escravo idade 25 annos insigne
official de carpina e bon'ta figura : na travessa op
Carmo n. 1. ______________________
Attencdo.
m
Vendem-se pegas de esteiras para forro de sala,
tinta branca preparada a oleo, em latas de 25 li-
bras, para pintar casa, relogios para cima de me-
sa e para pendurar, arreios para t e 2 cavallos,
velas de spermacete, tudo de superior qualidade,
vindo dos Estados-Unidos : no armazem da roa do
Trapiche n. 8.
Barato
Vende-se urna mobilia de Jacaranda (pequea)
assim como 1 cama rica franceza de Jacaranda, 1
banca com pedra com toucador de Jacaranda, 1
piano de mesa em perfeiio estado, 1 commoda de
condur, 1 aparador de amarello, 1 mesa elstica
de amarello, 2 pares de lantemas : a pessoa que
pretender dirija-se a roa Velha n. 69.
Feijao preto
Na rna da Imperatriz, armazem n. 6.
Farello.
Veade-se excelleote farello de Lisboa, deposita-
do no trapiche do Cunha; tratase na ra da Cruz
n. 23 1 andar, escriptorio de. Antonio de Almeida
Gomos.
Traques
Precisase de um homem que tenha bem
pratica de taberna, dando fiador a sua conducta :
na ra da Senzala n. 59, Recife.
Escravo fgido
Fugio no dia 17 do corronte o escravo Antonio,
bem preto-, principio de barba, levou caiga e cami-
rjisa azul, alto, bom corpo, chapeo de massa velho,
IjtM Tleln-am p por baixo comido de bichos, foi escra-
vo de Mato*! Jos Rodrigues PiBheiro, em Fora
de Portas : qriem o prender leve-o ra das Cal-
cadas n. 9 que ser gratificado.
Precisa-se alagar urna ama forra oa escrava
para comprar e cosinhar para casa de pouca fa-
milia : na ra Nova de Santa Rita n. 33.
141:600*000
Aluga-se um excedente sitio na Caponga,
rna das P.-rnambocanas em frente ao do Sr. San-
tos Coelho, com boa casa de moraJia, a beira da
estrada, de commodos para familia e com dous
porioes de ferro dos lados, um bonito jardim, co-
cheira, etc. Os pretendentes queiram dingir-se a
ra da Cadeia do Recife, escriptorio da viuva de
Manoel Gongalves da Silva.
O Sr. Manoel Gomes de Piva eo se pode
retirar para Portugal sem pagar o qne deve a Joo
Francisco de Souza.
O Sr. Jos do. Reg Dantas Coatinho, {senhor
do engentio) tem urna carta na ra do Queimado,
J'loja n. ffi.
ja -o
ii
g
-i"
CD

i
o
3
B

* O
-a
w

o
O"
a
va
y
v
sr

o-

O)
f 2.

o
-I
a
m
S
a
o.
o
-i
50
e
o
o- 2.
n
V
a.
o

2
-i
O
a
>
3
m
COMPRAS.
Corapram-se libras sterlinas: no ar-
mazem de Ferreira & Matheus, na ra da
Cadeia do Recife n. 66.
a 6*000 a caixa de 40 cartas, e a retalho a 160
rs.. a alies, antes que se acabem : s no armazem
da estrella, largo do Paraizo n. 14.
Vende-se caixes vazios proprios pa-
ra bahuleiros, e funileiros, a 24000 cada
um : e para as pessoas qae compraren] do
4 para cima 14800, nesW typographia.
Milho novo em saceos grandes: no trapicho
do Cunha, a tratar com Tassolrmios.
Vendem-se
machinas americanas de serrote para descarocar
algodo : na ra da Senzala .Nova n. 42.
Instrumentas
Vende-se por prego commodo um instrumenta
completo para alguma banda de msica militar,
acbando-se todos os instrumentos quasi novos e em
perfeito estado : a tratar na ra do Imperador nu-
mero 12.
ATTENQAO.
Na ra da Aurora n. 6, junio a ponte de ferro,
vende se um bonito escrav o crioulo, idade de 21
annos, cozioheiro e copeiro, sem vicios nem defei-
tos, e ao comprador se dir a razo por uue so
vende o mesmo escravo.
Tesn ras de CSnfmarSes.
A Ioja da Aurora, na ru* l-rga do Rosario n. 38,
receben sortimento de lesonras de Guimaraes, Un-
to grandes como pequeas, muito finas.
Pe chiucha
27Rna do Queimado27
A fOO e 14o rs.
Chita franceza a 200 e 240 rs. o covado para
acabar, quem quizer venha comprar ; cambraias
finas de cores a 280 o covado, cortes de la muito
lindos com 15 covados a prego de 4*500 cada cor-
te : no armazem de fazendas de Cu-todio, Carva-
lho A C. : na roa do Queimado n. 27.
Compra-se effeclivamente ouro e prata em
obras velhas, pagaodo-se bem : na ra larga do
Rosarip n. 24, Ioja de ourives._______________
Compra-se um escravo cozinheiro que seja
raogo, robusto e sera vicios : a tratar no sobrado
n. 32 da rna da Aurora.
Comprara-se libras sterlinas : na ra do
Crespo n. 16, primeiro andar.
Cobre, lalo enchumbo.
Compra-se cobre, lato e chumbo : no armazem
da bola aman-1 la no oito da secretaria |de polica.
Vendem se cinco mei-agaas de pedra e cal,
paredes dobradas, junto ao chafariz do a'erro, do
!ns. 1,3,5, 7 e 9: a tratar na ra Imperial n. i 75.
Oarailo.
Silvino Guilberme de Barros compra e ven-
de efectivamente esrraves de ambos os sexos :
ra do Imperador n. 79, terceiro andar.
Na fabrica da ra da Lapa contiuua-se a
vonder velas de 13 em libra a prego de 12*000 a
arroba. ___________ ________________
Ouro e prata
em obras velhas : compra-se na praga da Inde-
pendencia n. 22, Ioja de bllhetes. __________
Compra m-se 6 escravos robustos e acostuma-
dos ao servico de trapiche, de idade de 30 a 32
annos, que ao sejam de nagao Mina : na ra da
Cruz n. 1.
Vende-se um cavallo castanho muito' novo e sera
achaques, e grande, proprio para ara cabrlolet : *
tratar na Ioja da ra do Queimado n. 18.
Loja das seis portas em frente
do Livrnmento
Vendem-se pecas de bretanha de rolo com 10
vara- pelo baralissimo prego de 2#i00 a pega, d
muitos outros artigos, e bem assim ora variado
jortimento de roupa feita, qoe tudo se vende mais
barato do que em outra qualquer parle : de tudo
se do amostras com penhores.
Registro?.
Acha-se a venda um grande e mal rico sorti-
mento de registros de maitas e variadas nvoca-
gdes, proprios para serem distribuidos no mez de
Mara, muito bem impressos e em bom papel, a
pregos commodos : na ra do.Imperador n. 15 de-
fronte de S. Francisco.
Vende-se um molequecom 15 annos de ida-
de : a tratar no armazem da ra da Cadeia do Re-
cife n. 36.
0V1UI1LSDD]
ILEGVL



Diario de pernaaibHca > Segunda felra 1 Je Mato de io*A.
0 NOVO GERENTE
DO
AO PUBLICO
ESTABELECIDO A RA NOVA N. 60
52111 i&DHM H)3 SI IDUMIHIa
AO ,
KESPEITAVEIi PUBLICO.
A apreciado dos habitantes desta heroica provincia existe no grande arma-
lem da Liga estabelecido ra Nova n. 60 um magnifico sort ment de mol hados,
que sendo em sua mxima parte mandados vir directamente do estrangtiro podem ser
vendidos por precos asss razoaveis.
Sem a fatuidade de querer que este novo e interessante estabelecimento seja o
primeiro e nico em seu genero, pde-se porm ffiancar, com toda a seguranza de que
nenhum outro o exceder no restricto cumprimento das seguintes promessas:
1.' Delicadeza no trato.
2. Fidelidade no peso.
3/ Sinceridade nos presos.
As pessoas que por sua posigo social gozam de certo tratamento, acharo nesta
casa os melhores queijos londrinos, cerveja, vinlios tinissimos manteiga e cli sempre de
primeira qualidade. etc., etc.
Qualquer que seja a condic3o do freguez, elle deve contar que ser sempre mui-
to bem servido.
Aqueiles que sao poaco favorecidos da sorte farao mensalmente urna economa de
muitas patacas, afreguezando-se nesta casa, onde se Ihes vender o arroz, o caf, a man-
teiga o assacar, etc., etc. de boa qualidade pelo preco que em algumas partes nao po-
dem ou nao querem vender.
Os senhores de fora da cidade, dos arrebades ou centro, que compram para ne-
gociar, (Jevem vir, pelo seu proprio interesse, a este estabelecimento para se convence-
ren! do -quanto se pode vender barato.
Para os senhons que compram para tomar a vender existe ura sortimento ispe-
is!, escolhido por pessoa entendida que cortamente muito dee agradar aos senhores
oompradores.
Nao se tem poupado sacrificios, nem se deixar de fazer a diligencia para agra-
5aT a todos.
PELOS SEGUINTES PRECOS SO SE VENDE
A DIMHEIRO A VISTA:
Sem o menor eonstran-
glmento se entregar o
importe do genero que
So agradar.
ATTENQAO
< prevo da seguate:
tabella 6 para todos, po-
dendo asslm servir de ba-
se para o ajuste de conta*
com os portadores.
Grande ainmzeui de tratas
KUA DO IMl'BHAUOU N. 22.
O armazero de tintas um grande deposito de
productos Hmicos utensif e os mai> entregados
e usados na pliarmacia, pintura, pbolofaphia. in-
tQrana.pyruiecliiniaU'ogos de artificio) et m outras
industrias.
Montado em grande escala, e supprindo-s? di-
ri'ciraiu'iitc uns |irmcipaesdro(M(nasdeI'ans,Los-
ares, Haiulmrgc, Anveri e Lisboa, pode olfereceer
productode plena.ontiancaesatisfazei qualquer
encoinmenda a grosso trato e a rel&llio, loi urecoi
razoaveis.
Prvidos de machinas apnropriadas sntisfari
com |iromplido qualquer podido de tintas mi.3as
a oleo,cuja qualidailce pureza de seusingririieo-
les pudor ser examinada pelo consumidor, e ue
nao fcil fazer com aquella que sao imputadas,
e que se enconlram no mercado em latas li-t! ..das.
Tem grande colleccio de lidies de diiTertDtM
formatos, desde urna oiiava al (Uzeis meas de
capacidade ; de vidros para vidracas t diam; .o?
para corta-Ios; depinceispara fingir madeia u
propriedade e oulros; de papis dourados e [ra-
teados e folhas de gelatina para ornndolo; de
I papel grande e pequeo forrrato de varias c*res
para embrulho, para forro de casa, para ("est ubo
icom fondo j feito; de papel albon nado e Brif.J,
verdadeiro saxe para pliolcgiaphia e para firar,
| e outros ; vernizes de essencia para quadros. de
Senhorestseohoras, o aceio que Pf^^^i^t D? "^ZTaJT^ lu-do a Prmplid-a e '^^o^o^fS!^^^^
reza com que serSo tratafa&aonvida a urna visita ao mesmo, certos de que sem dnvida me darao a proteccao e preferencia na com- clarificado, oleo de tolete, secativo de Barliir, i ore
ora dos generes aue Drecisarem e quando n3o possam vir poderao mandar seus portadores, anda que estes sejam pouco praticos, verdadeiro em p ; prata, euro, e estanho em fe
m orrWnerAmo nviPssempessoalmente, havendo para com estes toda recommendacao, aflm de quenSovoem lnas de varias cores timas wtetae, inoffensi-
m serviuuscuuio svi3ooi r i vas propnas para eonfeitarias; ladecrcs, e
ARMAZEM UN10 MERCiNT
RA DA CADEIA DO RECIPE N. 53
(Logo passando areo da Conceico)
PARA BEM DE TODOS.
ALPISTE E PAINgO a 120 rs, a libia.
AMENDOAS aovas a 28o rs. a libra.
AVELES a 240 rs. a libra,
ARROZ de *@ rs, a libra a,,,
AME1XAS francezas em latas, potes, iras-
cos, bocetas, etc etc.
AZEITE dooe a 600 rs. garrafa, cadada a
B
MANTEIGA ingleza efranoeza ai, 43120
I #280 eem barril fa -se grande a bati-
mento.
MACARRO a 400 rs. de 8 libras para cima
a 360 rs. a libra.
MASSA DE TOMATE a 600 rs. ahtta.
MOSTARDA ingleza a 800 rs. o frasco.
{MARRASQUINO de Zara
lllDMCVI mi Ar. Alt-r^f
BANHAdeporcoa660rs. a libra, em por- MARMDLLADA de diversos fabricantes *
cao faz-se abate.
BOLACHIMHAS do beato Antonio a
BOLACHJNHAS de soda lata grande a 2,000
ris.
BISCOIT0S inglezes e latas de 1,200 rs. a
BOLACHIKHAS prinoipe Alberto a 2,000 rs.
c
CHOURIC.VS raiito nevas a 800rs. a libra.
CAF de 260 rs. a libra.
CHOCOLATE franoez a 800 rs.-a libra.
CHAMPAGNE das marcas mais acreditadas
a 2500 rs. o gigo,
CHARUTOS de todas as qualidades, suissos,
americanas, babiasnos, fluminenses, etc.,
de 1,400 a 10,000 o cento.
CHA HISSON de 2^00 a
COPOS lisos ladiflados de todes os tama-
nhos .a i
m
DOCES de todas as -qualidades.
E
EftVILHAS seccas e em latas parluquezaae
francezas.
m
FARINHA de araruta verdadeira a 800 rs_a
libra.
FARINHA do Maranhao ou tapioca a
FAREL'LO de Lisboa a 4 e 5,006 rs, asacca.
FAVAS ^ortuguezas em laU a 600 rs.
GOMMA mito nova e alva a 140 rs. a libra.
GRAO DE B1C0 a 120 rs. a libra.
GENERRA delaranja a 9 e 10,500rs.
CENEBRA de Hollanda i m botijas, irascos
garrafas, etc.. etc.
diverses precos.
P
PEIXE em latas a 1,000 rs.
PERAS SECCAS a 500 rs. a libra.
PASSAS muito novas a 320 rs. a libra.
PRESUNTO para fiambre.
4
QUEMO do reino de 2,000 a
IOEM 'tondrino. -
DEM suisso a 800 rs. a libra,
DEM prato a 800 rs. a libra.
S
SABO MASSA a 160 rs. a tbra -grande
abate em caixa.
SEVADINHA a 200 rs. a libra e 8 titeas se
fargrande ababimento.
v
VINH9 tinto de 300 a.... garrafa.
VINO tinto em caada de ^560
VINHO branco em aada de 3,500*
VINHQ verde a 4# rs. a caada.
VINBO Bordeux em caixa a 6.000,7j000 e
VINHO de Grave a 6,000 rs. a caixa.
VINHO Cherry a 4,000 rs. agarrafa.
VINHO do Porto de todas as marcase todos
os precos.
VINHO Collares a 00 rs. a garrafa.
VINHO tinto, oeste enero ha constantemen-
te 20 a 30 pipas ao torno de diseas
qualidades e diversos preces.
VINAGRE em anconetas a 15,000 rs.
VINAGRE em pipas 160, 2Oe240rs.
VINAGRE branco a 400 rs. a garrafa.
VELLAS de carnauba a 13 e 13,500 rs. a
arroba.
pois serSo t3o bem
Ira parte.
Manteiga inglesa especialmente escollada a
l.ooo e 8oo rs. a libra e em barril se faz
abatimento.
dem franceca a mais nova do mercado a 96o
rs. a libra e 900 rs. em barril ou meios.
Chhyssonde superior qualidade a 2,600
rs. a libra.
Cha perola o mais superior do mercado a
2,8oo rs. a libra.
dem bysson muito superior em latas de 15
libras muito proprio para negocio a 2,ooo
rs. a libra.
dem hyssoo nacional em latas de 1 e 2 li-
bras a l,6oors.
dem preto o qe se pode desejar neste ge-
nero a 2,ooo e 2,2oo rs. a libra.
Linguicas muito novas a 8oo rs. a libra e em
barril se faz abatimento.
Chouricas e paios a 8oo rs. a libra.
Costelletas inglezas a 64o rs.libra, serve
para temperar panella ou para fiambre.
Queijos o reino chegados neste ultimo va-
por a 2,2oo rs., ditos de navio devella a
2,ooo rs.
dem ifendrinos muito frescos e de superior
qualidade a Soors. a libra.
dem pratoa 8oo rs. a libra, e inleiro se faz
abatimento.
dem suisso o mais superior que tem vino
ao mercado a 64o rs. a libra.
Er.ilhas e favas porttiguezasj preparadas
em latas hermticamente lacradas a "64o.
FeijSo verde maito superior a 40 rs. a lata.
Copos lapidados para agua a Svooo e S^Soo
rs. a duzia.
dem dem para vinho a 24o rs.,e i,4o rs.
a duzia.
Chocelate-frawcez hespanhol e suissea 9oo,
l,ooo e l^oo rs. a libra.
Espermacete superior a 6oo e 64o rs. a li-
bra e em caixa se faz abatimento.
Peixe em posta em latas hermeticanwnte te-j
eradas e das melhores qsahdades de pei-
xe a 8oo, l.ooo e l.,2oors.
Vinho Bordeaux das marcas mais acredita-
dasqoevem ao nosso mercado a 7,000**
8,oos a caixa e64o e 7oo ris agar-
rafa.
Genebra de Hottaoda aWo rs. a botija de
corita certa.
Frasoseirasde srenebra de Hollanda a 6,8oo
e 6io rs. o frasco.
GenObra de laranja verdadeira em frascos
grandes a Ijoooell.ooors.a Frasqueira.
Cafe do Rio de 4a qualidade a 2o rs. a li-
bra e 8,5oo rs. a arroba.
Caf do Cearaaroito superior a 2'so rs. aK-
bra e 7,5oo-rs. a arroba.
Arrezdo Mararihlo de 1* qualidade a 4oo
. a libra e 4^00 a arroba.
dem da India e loo rs. a libra e2,8ooa;
arroba.
dem de Java a *o rs. a libra e,4oo a ar-
Nba.
Pnico e alpiste 14o re. a libra e 44ooea
arroba.
Maesa de tomatesde soperior qualidade a 6ts
irs. a lata de urna libra e56o rs. a reta-
mo.
Aletria, macarrao e talharim a 4oo rs. a li- Sal refinado em frascos de vidro com lampa
bra e 6,ooo a caixa. | do mesmo, a 5oo rs
Massa para sopa : eslrelinha, pevide e rodi- gerveja branca das marcas mais acreditadas
aba branca ouamarella a 64o rs.a libra e que em ao mercado, a 5oo, 5Go e 64o
v\ A SfV Cm 8, hbras- a arrafa' e 5'8oo 6,ooo e 6,ooo a du-
Vinho do Porto muito fino proprio para zia.
engarrafar, em ancorlas de S caadas a | Cevadir.ha de Franca muito nova, a 2oo rs.
35,ooo rs. charutos do aflamado fabricante Jos Furta-
olhos de vidros para imagpns ; tintas etn lotes e
lelas para retratos ; tintas em pastis e em pfi pa-
ra aquarella; essenria de rosa supe lina. oV ne-
rolyjasmim, bergamota, aspire, patrliouly. anibar,
bouqnet.limao, nlcaraiva, melissa, ortela i icteta,
lonro.cereja, alfazema, juinpero, Portugal, !n>,
anisda Russia, canella, cravo e muitos outres ob-
jeclos queso cora a vista poderao ser mostrados.
Joo Pedro das Nevet,
Gerente.
Vinho em pipa : Porto, Figueira e Lisboa a
32o, 4oo e 5oo rs. a garrafa, e em caada
a 2,5oo, 3,ooo e 3,8oo.
Vinho branco de Lisboa de excellente quali-
dade a 4oo e 5oors. a garrafa e em cana-
da a 3,000 e 3,5oo.
Vinho branco para missaem caixas de 1 du-
lia a 8,ooo e 68o rs. a garrafa.
Vinho do Porto das melhores marcas que
vem ao mercado como sejam: Lagrimas
do Douro, Duquedo Porto, Rainba de Por-
tugal, Duque genuino, D. Luiz 1, Madei-
ra Secca, Malvazia fina a 16,ooo,15,ooo,
l2,ooo e lo.oooa caixa com 1 duzia e 9oo,
l.ooo e l,ooo rs. a garrafa.
Vioho Cherexde superior qualidade a 16,ooo
a duziae l,5oo rs. a garrafa.
Sardinhas de Nantes a 4oo rs. os quartos e
64o rs. as meias latas.
Rolachmhas inglezas muito novas a 5,ooo a
barrica e 320 rs. a libra.
Bolachtnhas de soda em latas de diversas
qualidades a l,3oors.
Carties com bolo franceimuito proprios pa-
ra mimo a 64o rs.
Passas muito novas emcaixinbasnfeitadas
para mimo a 3,ooo rs.
Passas de carnada a 8,000 a caixa e 4oo rs.
a libra.
Figos de comadre a 24o rs. alifara.
Amendoas de casca aaole a 4oo rs. a libra.
Milo de amendoas a Uoo rs.
Bolachinhad'agua sal, dafalmca deJofio
deBrito no Beato Antonio, em lata de 6 fi-
bras por 2,5oo rs.
Ameixas francezas em fiasco de vidro com
tam-pa do mesmo, a l5oe.
Ameixas franeczas-em carxiutras de diversos
tamarthes com "bonitas eslan pas na cai-
xa wrterior, a l,too, 1,600, l,8ooe,ooo
cada tima.
Azeie-*oce refinada besparalhslou portoguez
a 'oo rs. a -garrafa e io>eoo a cania.
Batatas muito novasa 80 r~ a libra e2,5oo
e glgo com 36libras.
Conservas inglezas a 7So rs. o frasco e
'8,Seo a duzia.
Vassowas de escora para estregar casa a
ioors.
NoBesTOuito novas a 16o rs. a libra.
Moiho'mglez em garrafa de-vidro comrolha
de mesmo, a 16e rs.
Mostarfa ingleza des melhores fabricantes,
a 8oe rs. o frasco.
Mostarda franceea -em potesp preparada a
4oo rs. o frasco.
Lentlhas francezas. exceTlente legume para
sopa, a 2oo rs. a ttbra.
Marrasquino de Zara proprismente dito a
1| a garrafa e 11 ,eeo a dtra.
Palitos de denle a 14o rs. o maco.
do de Simas, das seguintes qualidades:
Exposicao Normal de ILvana, Imperiaes,
Londrinos, Guanabaras, Parisienses, Sus-
piros Delicias, a 4,000, 4,ooo, 5,ooo,
6,000 e 7,000 a caixa ou em meias.
Charutos finos de diversas marcas e fabri-
cantes, como sejam: Flor do Norte, Ma-
nilhas de Havana, ntervallos, Vencedores,
Panatellas e Suspiros, a 2,ooo, 2,5oo e
3,ooo a caixa.
o gnac inglez das melhores marcas, a 800 e
l,2oo a garrafa.
Doce da casca de goiaba a 2,ooo a lata com
4 libras.
Farinba de araruta verdadeira a 32o rs. a
libra.
Matte,excellente cha para os navegantes, a
2oo rs.
Sebollas de Franca muito grandese novas
a 1,80o o cento e i ,2oo solas.
Palitos do gaz a 2,2oo a grosa.
Toucinho de Lisboa muito novo a32ors. a
libra e 8,Soo a arroba.
Banha de porco refinada a 600 rs. a libra.
Bolachinha Alberto, as melhores que pre-
sentementetem vindo ao mercado, a 2,ooo
a lata.
Farinhado Maranhao muito alva echeirosa
a 2oo rs. a libra.
Frascos com fructas em. calda de diversas
qualidades a 2,5oo e l,5oo o frasco.
Caixiirhas com fructas em doce secco de di-
versos tamanhos, muito proprias para
mimo, a l,6oo, 2,6oo e 3,5oo cada urna.
Ruibos, excellente peixe portuguez, em
barris pequeos ou aretalho, avista se
faro preco.
Azeitonas de Rivasem ancoretas grandes de
8 garrafas por 600 e8oors. a garrafa.
Azeitonas portuguezas a 5oo rs. a garrafa e
l.ooo cada urna ancorela.
Champagne da melhor qualidade que vem
ao mercado, a 2,000 e 3,5oo a garrafa, e
24,ooo e 26,ooo o gigo.
Gomma deengommarmuitoalvaa 12o rs.
a libra.
Figosem sextinhas a 80 rs, cada urna e 72o
rs. a duzia.
Papel azul para botica a 2,000 a resma.
Balaios para roupa suja, grandes e peque-
os, per diversos precos.
Amendoas confeitadas a 64o rs. a libra.
Latas com fructas em calda: pera, pecego,
damasco, rainha Claudia ecereja, a 800
rs.
Vinagre de Lisboa a 2oo e 28o rs. a garra-
fa ea l,4oo e2,ooo rs. a caada.
Azeite doce de Lisboa a 4,8oo rs. a caada
e40 rs. agarrafa.
Vinagre branco j engarrafado a 5oo rs. a
garrafa.
Venda de vm sobrado, m
Vende ?e o sobrado de 2 andares n. 2! mk
da ra do Padre Floriano, queleo o ren- ^
dimento iren.'al de 42jf, por pre^o mnito <
roirmodo : a tratar na ra do Itangcl n. Jtf
S5, segundo andar, das 6 horas as 9 c'a ^
rnant.ua e das 4 da tarde as 7 da noite. fm
mmm
Superiores cortes de moirs preto coa barra, o qne ha de melhor gosto em
Pernambuco. .
dem de gorguro preto adamascado eom barra a imperatriz Eugenia,
dem de gorguro de seda bordados com barra.
Supe moirs pretos e largos 2400, 2600, U, Wa00,W,W,W.
~& e 81 ocovado. ,.,
Superior gorgurio de seda preto, a melhor fazenda que ha para vestido.
Sarja preta de seda,
dem preta hespanhola.
dem idem lavrada a 2(51 o covado.
dem idem lavrada muito superior.
Completo sortimento de grosdenaple preto a 1*500, 10800, 20,2^500, 30,
3*500, 49, 40500 e 30. '
Pannos pretos de saperia qualidade de 3#a 120 o covado.
Casemira preta de 10600 a 50 o covado.
Lindos chales, bournus, algerennes e retoudes de filo preto.
Mantas pretes de fil e los pretos.
E muitas outras fazendas de superior qoahdade na lojadasColumuas
na ra do Crespo n. 13 de Antonio Correa de Vaseoocellos & C. successores
de Jos Mor eir Lopes.
GOMMA NOVA.
Em naneiros muito alva a 4,ooo rs. a arroba e 16o rs. libra e compran-
do de ura paneiro para cima se far abatimento na ra do Imperador n. 40.
Norldade.
A 1#000.
Leques d oseo, gosto moderno, pelo diminuto
preco de ib s na roa da Cadeia do Recife n. S,
leja de mindezu de Silvestre Peraira da Cucha
& Companhla.
Farelo a 34800
ua ra da Itsperatrz n. 0.
Chegaramos superiores
cortes de seda.
Superiores cortes de seda de cor, vindos pelo
ultimo vapor frincez: na toja das columnas a ra
do Crespo n. 13, de Antonio Crrela de Vascon-
j cellos & &
Agua florida -etonioo orkfi-|
tal de Kemp,
Cottmua-se a vender em porco a reUtbo ;
Da .uva do Queimado, loja d'aguia brasca a. 8.
Chromacomo
A au i a branca, oa roa do Q ue i made o. 8, acaba
de reoeber um novo sortimeato de cuixiohas com
chromacomo para ungir ca*ellos, e beta assim
frascos com hydrocalletrichiaa, agua para desen-
grasar os ditos, colowcomo para lustrar oe ditos,
e onyote-omantina para limpar as unhas. Essa
tintura,-eujo effelto rpido e edcaz, est bem co-
nheeida-e apreciada para lodos quantos delia tem
usado, es que de novo a quuejiem apreciar, po-
dem, assim como aquetiee, di.riiir-se munidos de
dinheiro- ra do Queimado, toja d'aguia braaea
numero 6-
Ppele folhas para rosas
Acaba de obegar para a toja d'aguia branca, na
ra do Queioado n. 8, um bello sortiiaento de pa-
pel de cores para rosas, dito verde para folhas, e
dito tambem verde e mui fino para eobrir o ra-
me, assim cono folhas de panno e aveUudadas
para ditas.
Aspan de baleia para vertidos
Vendem-se na roa do Queimado, loja d*agaia
branca n. 8.
Superiores penas d a go ingle-
zas e francezas
A aguia branca alm do grande sortimento de
penas d'aeo que constantemente lem, caba de
receber mais outro de superior qualidade e dos
afamados fabricantes Perres A C, asslm como as
verdadeira; bleo de lanca n. 134 e outras de pon-
a dourada, continuando porm a vende-las por
precoscommodoi.com tanto que ocomprador com-
pareca munido de dinheiro: na rna do Queimado
loja da aguia branca a. 8, onde tambem achar-se-
ha a venda pastas para papis.
A aguia branca na ra do
Queimado n 8, receben: i
Bonitos e graudos aljofares de cores para voltas.
Pulsetrae de ditos de iguaese agradareis core?
Voltas pretas maiores e menores todas de cont;.
grossas.
Pulceiras pretas tambem de conlas.
Outras de differentes qualidades e goslos.
Brincos de aljofares de cores e dourados.
Fivelasd'aco grandes e pequeas com cinto pre-
to e de madreperola.
Outras graudes de differentes qualidades e re-
dondas com pedras.
Bonitos leques de [madreperola redondos e de
outra forma.
Ditos de sndalo intercos e corredizos.
Capellas brancas para meninas.
ATTENCaO .MEUS SENHORES
PABA
V\VUL4,5
D'IODURETO DUPLO
de FERROeQUININA
de :
'BlhV
Os elementos que compoem esta preparacSo, e
ferro, O iode e a quina, a collocSo no primeiro
grao das preparaedes ferruginosas. Basta altestar
teas resultados obtidos pelos Mdicos dos hospi-
taet, e os relatnos dos prcticos mais eminentes,
qae conrmrao sua poderosa efficacidaJe as
te gueles affecedes:
Mlg n i>D|ie.
Vrmnurtm.
Aamla.
Chloraae a Icleriela.
Mrmlruo
Affct^brn do uter*.
Sapprcssoe* da* re-
>raa e desardea na
nirnalruarao.
AfTceeaa pulmonar e
hthlale.
Malcatlaa dcaloBaan.
Gaatralglaa.
rerda d'apaetKe, ete.
Veja se os bulUtins i therapeutica medica
$ eirurgka de30 de novembre 1860; a Gaieta
4ot hospitaes de 28 dejulho i 860, etc., etc.
Alm das puntas de iodurelo duplo de ferro e de
' a i Rebillon, os Mdicos aconselho
Etente o Xarope d'iodure duplo de
e de quinina do mesmo auihor para as
pessoas que nSo gosto de medicamentos sob fir-
ma plular e os meninos. Este xarope nao tem
como o xarope d'tur de ftrro, o inconveniente
de alierar-se e de se nao poder conservar.
Peca-se o folhelo que se di de graca em casa
dos pharmaceulieo depositarios.
Para-se eviUrem falsificac5es, exija o com-
prador era cada frasco de Pilmas ou Xarope a as-
signatura do inventor.
Depsito geral em Pars. pharmaciaRebluon,
US, rae da Bac, e em todas as boas pharmaciai
da Franca a dos pntzes estrangeiros, etc.
Caavalrtf nea de Ion-
|m molcailaa.
Maleallaa eaererula-
aaa.
Paaelra.
Ofcatruccae daa gln-
dulas.
Humor fro*
Rumorea branco.
RaealUame.
Affeccca caneerooaa
a ayphllUleaa.
Fehrea tjpholdca.
Variles, etc., ele.
GRANULOS
Lt>e BISMUTHJl
DL CHEVRIER
NOVA CALIFORNIA
Fazendas baratissimas loja 4a roa do Crespo b. 17 de Jos Gomes
Villar.
A nova crise eommercial permitte que o pove em geral nao possa comprar fazendas
caras. O preprietario deste estabelecimento, amigo qae da povo em geral. attendendo a
essas circunstancias est vendeudo fazendas por preeoe que na realldade admira.
Corre), bom povo, a este estabelecimento, e comprai fazendas, porque all se vende
por menos do que em outra qualquer parte.
Cassas organdyzes a 280 rs. o covado.
Chitas francezas escuras matizadas a 260 rs. o covado.
Ditas escaras muito Anas a 240 o covado.
Ditas claras dem a 240 o covado.
Ditas escuras idem a 260 o covado.
Chitas para coberta muilo largas matizadas a 240 o covado.
Madapoles Anos largos a 6.3300, "3 e 8.
Chales de fil preto muito- bons a 10*000cada nm.
Chales de merib estampados a 53500, 63 e 7.
E outras muitas fazendas, que ludo se vender por precos que admiram.
AZEITE DOCE
Os granulos au bismuth de Chevrier bcra
superiores a todas as outras preparaedes de
bismuth empregadas antes com o maior suceesso
pelos mdicos de todos os paizes, para prevenir
Curar as
Ma dlaealdea.
Gaa rites.
Gallralglas, ele.
Dlarrheaa chraaleaa.
Dyaaenlcrlaa.
Drea d>>lmaS*
DjapepalBS.
Os primeiros symptomas d'essas formidaveis
affeccoesse manifestao ordinariamente por diges-
tSes laboriosas, azidumes, falta d'appctite, pesos
tTestSmago depois de cada comida, caimbras es-
tomacaes, e, muitas vezes, per espasmos nervosos
ton vmitos.
Este estado mrbido, se o descuidSo, traz ine-
vitavelmente, que seja:
Melestlaa de Hado.
A Ictericia.
ralpliaco de eeraeae
Ddrrs aaa rlna.
Oppresadcs. k
Dores de caera.
Irrllacoea de bezlga a
da mal ix, etc.
Os granulos Chevrier sao ordenados pelas
sommidades medicaes para prevenir essas diver-
sas molesuas e coral as quando sao tomados a
lempo.
O preco de cada frasco de i francos.
Depsito geral em Pars, pharmacia Chevrier,
e em todas as pharmacias de Franca e dos paizea
estrangeiros. "^^
<0
Azeile doce
da Liga.
Saceos de
refinadoem pequeas latas a 560 rs. a garrafa : no graude armazem
da Liga.
*&
FIGAOOoe BACALHA
^
tm
PECHIi\CH4 SEM IGUA!
Madapolao muito fino com pequea toque de avaria, por preco que admira : na loja
das columnas na ra do Crespo a. 13, de Antoni > Correa de Vasconcellos Si C.
P eo proeesso de Cherrier, pharmaceuiid)
Paris, ra do Faubourg Honlmarle 2\.
Este oleo de um cheiro agrdate!, e de
um saborassucaradoo nico que nao m
nem o gosto, nem o cheiro do peixe. 01..-
jectq de numerosos relatnos scientifict* e
mdicos, este medicamenie que goza tm
Franca de um suceesso tito raro como em
merecido, receilado diariamente peids
principaes mdicos dos hospitaes de Va
O OLEO DE FIGADO DE 1UCAI.H0 DESINFECTA*
do ferruginoso emprega-se com os niaifijs
successosnas molestias em que se emprtca
o oleo quando sao acempanhadas de tbilir.
dade e atona.
Depositogeral em Pernamhuce ra da
Craz n.22 em casa de Caros & Rarboza
Na roa do Queimado, loja de ferrsge: n. i
eende-se muito em conta um par de vinexianas.


Vv
Diario de
<
Suada elra de Malo de !**.
CIIEG4R4 OS MODERNOS CIULES DE
FIL PRETO.

AURORA BRILHAKTE
Superiores chales de fil preto cliegados pelo ultimo vapor francez, a
loja das columnas roa do Crespo n. 13, de Antonio Correia de Vasconcel-
los & C.
CONSULTORIO MEDICO-CIRURGICO
DO
DR PEDRO DE ATTAHYDE LOBO MOSCOSO,
MEDICO, PARTBIRO E OPERADOR.
3 Ra da Gloria, casa'do Fundao 3
O Dr. Lobo Moscoso d consultas gratuitas aos pobres lodos os das '
toras da manliSa,e das 6 e meias 8 horas da noite, excepc5o dos das sauticaao
PhifWitia especial homeopathica
No mesmo consultorio ha sempre o mais appropriado sortimento de carteiras
tobo. "ulsos.assim como tinturas de varias dymnamisacoes e pelos precos seguimos
Carteirasde 12 tubos grandes. 12)5000
de 24 tubosgrandes. 18)5000
da 31 t>jtn.i grandes. .. 245000
Ai 48 tubos,'ranls. 303000
> de60 tubos grandes. 350000
l-)ira-se jualquer carteira conforme o pedido que se fizer, e com os remed
qa9 lmtnhO valso ou frasco de tfnturade meia onca 15000.
Sendo para cima de 12, custar5o >s precos establecidos para as carteiras.
Haiubos mais pequeos cada um a 500 ris.
LIVItOS.
V u-li)." o'>ri di lnni)pit!iia, o Ktnaal de Medicina Homeopathico do Dr. Jahr
din r1.t'iHsvoluiu*ai ccionario........... JOJ^O
VIiiicinaAeaw-caUDf. Hera?............ *ggg
R,3artorinDrvUf Moraes............. JM
i)ioconark>j-da medicina....... *W"
O Tu" los deste estoelecimento sao por lemats conhecidos e dispensam portan-
to ,ir,-Va'iovameaterocoaiaienda*)sasp3ssoasiae quiete usar de remedios ver-
i\th aiemcos eduradores:hatudo do melhor que se podedesejar.globosde rer-
dliJiro isjucar deleite.notaveis >elasua boa joawrvico.tintarados-BMis acreditados
etr.)}le3i:nentosearopeos,amais)xaetae accuradaprepara?o, portanto a maior ener-
ga Vrte/.a e n satis effeitos.
Casa de mv,i pira escrauos.
Recebe-seiscravospara tratar de lualquer enfermidade ou fazer-se-lhe qualquer
ODraco, para o que o nnunciantejfilga-sewtfi Matemente habilitado.
Oratamento o melhor possivel,tanto na larte alimentar, como na medica, e
finccionanio a casa a mais de quatre annos, ha nanitas pessoas de cujo coaceito se nao
pie lividar, que pdem ser consultados por aquelles que desejarem mandar seus
Para-se 24000 por dia durante 60 dias ed'ahi era diante 1(5500.
\s iperaces serio previamente ajustadas, se nao se juizerem sujeitar aos preco
zMMii tu >u i ui p; lir o annunciante.
GR4NDES ARMAZENS
1ME
MOLHADOS;
Largo daSanta
Cruz n. 84, es-
juina da ra do)
Sebo.
Linutrn:) enlogo e chimico de F. P. Lebeuf e G
ra Montmurtre, 31, em Pars.
Fabrica em Argenten!!, prs Paris (Franca).
BO.WICACiO E ABIHCA(J\0
D is \iii!ios, agurdenles e licores.
VI^fB)3.fioltoCio Jos vinhos de todas' as
aai!i*i'las,Rttracio de IMitt, adose para 230
litr l f.2i\l*Bor>Wx, 2 f.,de Poraard, 3
f i'e Lisboa,"< f~-*te Cataln. 2 f.,de Porto,
feroz. Moscatel, Malaga, dose para IB ou 30 li-
tros, i f.
Substancia para fabricar cora o alcool e afeo
os vinhos cima e todos os outros. A dose para
500 litros, 50 f.
CLACIFICACO.Pos Inglezes, pos dos vinhos
da Hesnanha, da Pfiaoi, etc. A libra para 500
litros, 5 f.
r, ">(/)?,ACAO. Purpirigine para colorear os
vinnos brancos e vinhos claros. As dnas libras
fregae'.esjJe
AGUARDENTES.-Essencia de cognac para dar
as agurdenles ordinarias o sabor eo afona de
cognac. A garrafa para 100 litros, 5f.
KIRSCH EABSINTHO.-Essencia de kirsch e
de absintho, para os fazer com alcool e agua. A
arrafa para 100 litros, 5 f.
LICORES.Extractospara fabricar se todos os
licores conhecidossem fogo neni alambique, (in-
dicar-se os que se toseja.) A dose para 20 ou 25
litros, 3 f.
PERFUMES >ara fabricar-se os licores finos ou
commnnsa dose para;:) ni 25 litro*, 1 f. 25.
TODOS os outros productos para o trabalho do
vinhos,agurdenles, licores, vinagres, etc., sao
fabricados le encommenda.
UTEXCILIOS de laboratorio e de chimica.
aado nossos
para 500 litros, 10 f.
Alguns de nossos agentes tendo falsifWsdo emitado nossas preparacSes, e eng
D'.esJiive-se exigir sobre asrcdhaeroinlos asinlciaes F. V.L. Paris,
0 moflo de usar-si rtaS|r>,parar6esielia-seiirticiilo no rotulo.
As encommendas devem scracorapattidasporuma letra sobre Pars ou qnalquer ontra cida-
I- Pr iv.i. 'i i ,'ira-nilts \ih mn-ca*a iMO'-.ila.D;risir-se aos Srs.-Lebeuf ^ G. chtmicos, ra
mra* -'. n. 31, a n ?wif, oiisui fabrica em \rgeateml, prs Paris.
y'uli < ii !>)ti.-, franc.i'.a, ra do Imperador n. 38.
Nova loja de miuctezas
5Ba di Caileia d ReciteS
DR
Silvestre Pereira da Cunha & C.
Os don is dest** novo estabelecimeto abrindo-o
a oniurrencia do respsitavel publico, esperam
onrecer deste luda a protecQao, ja pela delicadeza
c seriedade que empregaro ert seus negocios, co-
mo pelocompleto sotlmento de miadezas e per-
fuTiirias, como sejara fivelas com cintos, agu has
iimeriaes as melhores quo tem vindo ao mercado,!
ditn cantofas, sapatos de tranca para homem e
senil >ra, rap do Rio, fumo de Herlebeck, can-!
dieiros para gaz, charutos muito flnoi, bilhetes de
lotera, tillagarga e multos outros objectos que se-1
ria enfaduiho mencionar, sendo estes vendidos por
precos til) razoavels que a pessoa que comprara
nrmeira vez, nao deixar de continuar a vir sor-
ir-s. neste novo estabelecimento.
Goke do gaz.
pilch do gaz.
Alf,-i Ira o do gaz
Goke toneadas rs. 40^000
Pitch i ..... 80^*000
Alcatrlo caada..... 400
O coke recjnhinidamente o carvao mais econ-
mico, lorna-se por isso recommendavel, bem oo-i)
mopilo asseio que se nota as cozlnhas aonde
alie usado. Pit<:h e alcatro.al.im das applicaces
diversas a iue se orestam, como para callafelar
embarcaQoes,ali:atroar madeiras, etc., teem este a
propriedade Je oreservar do copio, formigas.etc.
E' eutregar aa fabrica dogaz ou mandado por em
qualquer ponto da cidade, segundo a rontade do
comprador. ________________
ai o ; o ss i > > o _; 33 i hi _;

o
.
Francisco Jos Germano
Ri;.4NOVA X. f.
acab de receher nm lindo e magnico -sortimento
de >c;ilos, lunetos n binculo, do ultimo e mais
apurado gosto da Europa. -__________
Enfeiles a Mara Pia.
A loja da Aorora na roa larga 4o Rosario n. 38,
nceheu grande e variado sortimento de ofeites a
Mina Pa para cabera, Ww mal* demos que
leraebegadOj
Peales de P-mes de duloma.pira alar cabello pois o ul-
lun' gisto que agora se usa.
Lmias de crooliet de dilTorenles grossuras.
Voltas zoes Mria Pa, ricos sintos de Utas
Uriis com (ivjlas lloarada*, fliulmente sortimento
Kiiial a oste s s^ eni'.iwlra na loja da Aurora ra
laig 'lo Rosario n. 18, o qual sempre se encontra
pr,,m|iiii as rdete de qualquer fregu que for
c i n dinheiro, qoem duvidar mande ver para Jus-
Udisar a verdade.
- Vende-se a loja de calvado da ra
larga do Rosario n. 12. co:n toda a ferra-
menta, constando de machinas p ra cozer o
proprio calcado, ditspa a cortar sola tanto
para oleado de senhora como de homem e
meninos: queaa pretender dirija-se ames-
ma que adiar com quem tratar.
Ferros de encrespar
de diversos tamanhos e feitios : na ra do Crespo
numero 4.
g O. o % 3
m _><"" IT"3B'02s5_
P _3 a rw
"i ?_" 8 gag
sSlP!
o
aj
S O-!
b:-
Q,asirj'3o_._._
aso.

CD O
2-S-?-
g-ffS-
H 2 K
,C3 "O
.*
:j
_
-i
?B3
3 _._
2 ST3-
1
a.
3
w
B
o
S
ai
u 2
o 3 o
3:"?
i
~3 9
_ -,
3 s?
II
r
M4
J4tV-.
Urna familia que *e retira vende urna mobilia
de amarello ja usada, tr^m de cosinha, louca de
almoQo e jamar azul, ama mesa de jantar de ama-
rello ps tornialos, mesas pequeas, commodas,
cama de casal i> multes outros objectos o qne tudo
se vender em corita : na ra dos Pires n. 6}.
Tl^M VINHOS
[uina da ra do_tf
O novo proprletano do ja multo acreditado arnmera, de moloados denomiflad-Ca-
rura ruante, continua a ter o mesmo sortimento de gneros de prlmeira qualidade.
A seguinte tabella orira' a todos de base para ajuste de comas aos portadores.
flenhum armazem vender' mais barato e melhores do qne a Aurora Briihante, ja'
peio grande sortimento que tem, ja' mesmo porque seu dono s deseja tirar diminuto lu-
nrnJ1^11 9gue P*1"* *ccunu,a^ M-despezas do estabelecimento por isso deixe se a-
proveiur, 0 prsprtetarlo ba.de fiuerloda,a diligencia, afim de servir bem os seus cons-
tantes fregoezes.
Latas com.8 libras dethouric^s mnitonovasj
a />ouu.
Ditas grandes ore peixe era postas intairas,
ma'se 12 qaalidades, a 1^000, .180 e
10400.
Dilasoomoitras, eellente petisco para fri-
gidejra, a 780.rs.
Ditas cora ervilhas aovas,ensopada3,.a7a0 rs.
Ditas cora favas, a 6M rs.
Ditas cora amelxas a 15100, i5800 e 3S0O.
Diias com marmelada do afamado fabricante
Abreu. a 720 rs.
Ditascom massade Ipmate, a 500 rs.
DtL\SC0 J*8 ae comaire, ,aovos, ,a 1J500,
25 e 253(10.
D'^scombolaohlnha de soda multo novas, a
Ditascombiscoitinbos.iolezesde^oltasqua-
hdades, a 15400.
Chocolate.
Caixinhas com amelxas enfeitadas proprias
paramuno ai5200,2<>800 e 3J00.
Chocolate superior multo novo, a libra de
880 a 15000.
M*M"*Miibariini a aleiria amarella, a libra
a 400 rs.
. Dito dito dita branca, a libra a 400ts.
Lalxas com estrelinha.pevide, eootras mas-
sas, a caixa 35300.
Ditas dita em libras a 640 rs.
Sag, a libra a 360 rs.
Sevadinha para sopa alibra, a 240 rs.
Ervilhas seccas, a libra a 160 rs.
Ditas descascadas, a-libra a 200 rs.
Tapioca muito nova, a libra a 280 rs.
Farinha de araruta verdadeira, a libra a
800 rs.
Arroz do Maranhao, em sacco, a arroba a
25100 e a libra a 80 rs.
Dito da India e Java, a arroba a 35200 e a li-
bra a 100 rs.
Tonclnho de Lisboa a 95)500 a-arroba e 310
. rs. a libra.
Dito de Santos, a arroba 75000 e a libra a
260 rs.
iMolhoseom 125 ceblas grandes, a 19280.
Mostarda franceza, cixa cora 2 duziasa
7*000.
i Frascos com mostarda preparada em vinagre,
I a 400 rs.
Ditos com conservas inglezas e fra'ocezas, a
640 e 800 rs.
{Ditos cora sal refinado fino, a 640 e a 500 rs.
IDitoscom a verdadeira genebra do laranja, a
1*000.
Ditos de garrafas de Holladda verdadeira,a
640 rs.
^Botijas cora dita proprla para negocio, a
400 rs.
Garrafoes com 2 galoes com dita, a 65-
iServeja boa,marca, a'500
i duzia a 63OOO.
Vinho muscatel deSetnbal, a garrafa a 15-
Marrasqninho verdadeiro, frascos a 80C rs. e
I a 15200.
(Champagne, a duzia 205000, e a garrafa a
I 25000.
1 Azeite refinado portuguez e francez, a garrafa
a 15000.
Caixa de vinho Hordeanx multo superior,a
> 75, 85,95 e 105 a caixa.
Ditas com dito branco,a 75 caixs.
1 Ditas com dito lacrimas do Dooro verdadeiro,
a 205.
'Ditas com duque do Porto verdadeiro.^a
185000.
i Ditas com chamisso superior, a 145.
'Ditas cora Porto velho eoutras muitas mar-
cas, a 125-
} Vinho do Porto da pipa, a garrafa a 640, 720
J e 800 rs.
.Dito de Lisboa milito bom, a caada a 33200,
\ 35500 e 45, e a garrafa a 500 e 560 rs. _
'Bitoda Figueira, dassegnintes marcas (X.)
(J. A. A.) (I. L. G.) (O. M.l a caada a
> 45500, e a garrafa a 560 e 640 rs., oeste
r qne jest engarrafado e lacradoeoao
. rotulo do armazem.
litos de marcas mais desconhecldas, acaaa-
i da a 35500 e 45000, e a garrafa a 4We
520 rs.
Vinho branco Bno, agarrafa a 640rs.
Dito de caja muito superior, a garafh a
800 ra.
Viiho verae aaperiar.
A caada a 35000 e a garrafa.a 400 rs.
Gomma.
Saccas de 4 arrobas, tea verdadeira de sel
eniromraar, a arroba a 35000 e a libra
120 rs.
Sabomassa, a libraa-200,240 e 280 rs.
Farinha.
Saccasgrandes com farinha de Goianna mui-
to nova, a 55000.
Caf.
Caf do Rio muito superior, a arroba a 85,C
85500 e 95000.
Cha.
Ch,temos nestes gneros o melhor possivel.j
hyson, a libra a 25600.
Dito perola a 35000.
Dito uxim a 25700.
Dito hyson muito fino,a 25800.
Dito redondo a 25500. <
Dito preto de primeira qualidade a 25500. j
Dito mais baixo a 25000 e 15600.
Erra mate.
Excellenle cha medicinal, a libra a 240 rs. i
Espermaeete.
O masso com 6 vellas de espermacete a 600,!
640 e 720 rs. i
Passas.
Caixas de 16 e 8 libras de passas novas pro-
prias para mimos a 45 e 25500.
Nozes.
Nozes, a libra 160 rs. e arroba a 45000.
Alpista e painco.
Alpistae painco, a arroba 45000 e a libra a
160 rs.
Cartas.
Cartas finas para logar, a duzia a 25500.
Castanhas.
Castaohas novas viadas neste vapor, a arro-
ba 45000 e a libra a 200 rs.
Azeitonas.
Barriscom azeitonas novas a 15500
Manteiga.
Manteigasuperior, a libra a 15280.
Dita mais abaixo a 15200.
Dita menos superior a 15.
Dita franceza nova, a libra a 880
Dita dita em barris e meios ditos, a libra
850 rs.
Dita para tempero a 400 rs.
Qiieijos.
Queijos novos vlndos neste vapor a 25800 e|
35000.
Ditos londrinos multo novos, a libra
15000.
Papel,
rs. a garrafa, e a 1 pj.pe) a,ma?0 pjmla()o> a rcsma a 45800.
Dito dito lizo de linho, a resma a 45300.
Dito de peso lizo e pautado, a resma
25500.
Dito deembrulho.bom a 15 e 15200.
Vinho Madeira.
Garrafas com o verdadeiro vinho Xerez e Ma-1
deira a 15-300 e 25000.
Temperos.
Folhas de louro, pimenta do reino, corainho
e cravo, a libra a 400 rs.
Velas de carnauba.
Massos cora 6 velas de carnauba refinada a^
480 rs.
Araofldoas.
Amendoas com casca, a libra a 320 rs.
Doce.
Caixoes de doce de goiaba, grandes a 154001
e pequeos a 640 rs.
lijles de limpar.
Tijolos de arear facas a 140 rs.
Grata.
Duriasde boiSes de graxa n. 97 a 25000, el
de latas a 15000, e os boi5os a 240 rs. ca-<
da ura, e as latas a 100 rs.
Charutos finos.
Charutos finos dos melhores fabricantes da,
Bahia por diversos precos, caixas e
caixas.
meias
grande quantidade de gneros tendentes
estes estabelecimentos, _ue deixam de an-
nunciar-se.
Vende-se urna negr nha de 10 annos, muito
esperta o sadla : no pateo da matriz de Santo An-
tonf.n- 6.
CORTIMAftOS BORDAMOS
N. 11 Ra do QueimadoN. 11
A este estabelecimento chegou uliimamente da Europa um grande e vanado sorti-
mento de coninados bordados o que ha de mais gosto emdesenhos e bordados.
Lindos bonets de palba de Italia para senhoras.
Chapeos e chapelinas de palha de Iulia ricamente enfeitados.
Chapeos fios de seda paracabeca de horaens e chapeos de*M de seda ingiazes ae
8,19 e 16 astes.
Bournus e chales de renda pretos superiores.
Pelisses e soulembarqnes de seda preta para senhoras.
Cortes de la de barras de 145 a 225 de muito gosto.
Baldes de arcos e de musselina finos, manguitos e camisinhas.
Saias bordadas muito superiores. ,.
Moireaniique preto,grosdenaple preto e de cores, panno preto fino de diversas qua-
lidades e casemiras pretas e de cores.
Luvas de pellica para homem e senhoras. -_.. _,..
E muitas outras fazimdas qoe todo se vende barato na loja de Augusto rreoenco
dos Santos Porto, aonde tambera se vendem as melhores e mais baratas
Esteiras da India para forrar salas
V. ll-Raa de Queim.-ido-N. 11
Tawso Irmios
vendem gesso em p para estuque de casas, tijolos
finos de feitio diversos para ladrilho, azuleijos de
diversos costos, lijlos vidrados para parede de co-
zinha, canos de barro para esgoto, cemento era
barris de 10 arroba.
Vende-se urna tabella de jo?o de bolas, min-
iado no amigo armazem do sol na ra da Concor-
dia n. 36 : quem pretender, dirija-se ao caes do
llamos n. 36 para tratar.
Mastros para barcaea
Tem para vender Atonlo da Silva Ramos,
ra da Prala o. 78, armazem de carne.
na
0 GASTELLO DE GRASVILLE
Traduzido do francez por A. J. C. da Cruz.
Vende-se este bello romance em quatt
tomos pelo baratissimo preco de 2550C
oa pra?a da Independencia, livrarians.
6 e 8.___________________________
Cienebra de ifollanda em fras-
qnelra.
Chegou a genebra verdadeira de Hollanda. mar-
ca VD, e vende-se somente no armazem de Barros
le Silva.
O
DE
AZEVEDO FLORES
Ra da fiedeia do Heeifr, esquina da Madre de Dos.
Prestan attentflo ao discurso do Balfio..
A loja do Balito todas as semanas reforma o seu annuncio em consequencla de
constantemente receber novas fazendas e novo sortimento de roupa feila, os seus precos-
so os mais moderados como j ninguem ignora, as fazendas que nSo levam preco marca-
do porque ha diversas qualidades e diversos precos, e em loja alguma encontrar o pu-
blico um 15o completo sortimento de fazendas e roupas feitas, e n5o havendo a obra que
o freguez procurar toma-se a medida e em 24 horas estaro salisfeitas as exigencias do
fregmez.
Pede-se attenco.
Chapeos de sol com 16 asteas a i2|$.
dem idem com 12asteas a8i.
dem idem denominados acadmicos, fazenda inleiramente nova com 12 asteas a
125, por este preco so na loja do Balo se encontra.
Baloes de arcos para senhoras, os memores que ha a 8.
dem de arcos e de musselina para meninas a 20, 2I500 e 305OO.
Vestidos finos a Maria Pia a 140.
dem dos mais modernos que ha de flores matisadas a 180.
dem com barras, fazenda ainda nao vista em Pernambuco a 24$.
Pecas de cambraias que sempre se vendeu por 95, o balo vf-nde por "5.
Chitas preclaras que todos vendem por G40 rs., o Bal5o vende a 560.
dem da m sma qualidade, porm de outros paJroes a 440 rs.
dem escuras a 300 rs. estao-se acabando.
dem estreitas a 200 rs. s na Iffja doBalao.
L5as de accento escuro com flores matisadas denominada pelas senhoras qoe j
compraram (la econmica.)
Cambraia de cores as nrais finas a 800 rs. a vara.
dem de cores com quadros brancos a 560 rs. a vara.
_/ Madapolo a 85 a peca, que vale 9, tambem ha fino.
dem francez proprio para saia de senhora a 560 rs. a vara.
Camisas de meia muito finas a 225 a duzia.
Meias cruas para homem de 65 a 85 a duzia.
Camisas de pregas largas a 2550O que todos vendem por 35.
dem inglezas de IdIio muito finas a 485 ou 545 a duzia.
dem de lanella de cores muito finas.
Calcas de casemira pretas e de cores de 75 a 125.
Paletos de casemira de cores e pretos, a 105. H5 < 125.
Colletesde casemira e debrim branco os melhores que ha.
Calcas de brim branco muito finas a 4#500, 55 e 75.
Paletos de alpaca branco a 55.
Mantas modernas para pescoco de homem.
Collarinhos de papel de cores a 800 rs.
dem brancos a 400 rs. a duzia.
La preta para luto e de todas asmis cores a 500 rs. o corado.
Ceroulas de linho com dnascostoras.
dem de algodao a 15600.
Cambraias para forro de vestido a 25600 a peca ou a 360 rs. a vara.
Chales de merino estampado que custaram 85, vende-se por 55 em razfio de es-
jarem um p uco desmaiados por ter estado a mostra, por estes precos s na loja do
MCIHMSIiEPATENT
de tfrabalhar nio luirs
descarocar algodio
FABRICADAS
Por Plant Brothers & C.
0LDA1
AGUA
Estas machinas
poderadescarocar
qnalquer especii
de algodao sen:
] estragar o fls
' sendo bastant
dnas pessoas par
o trabalho; pode
descarocar um
arroba de algo-
dao em earoot
em 40 minutos
ou 18 arrobas
por dia ou 5 ar-
robas de algodat
limpo.
. Aasim como machinas para serem movidas por
animaos, que descarocam 18 arrobas de algodat
limpo, por dia; e motores para mover urna, duas,
eutns dessas machinas.
Os raesmos tem para vender nm bellissimo va-
por que pode fazer mover seis destas machina:
mencionadas; para o que convida-se aos Srs.
agricultores a virem ver e examina-lo, no arma-
zem de algodao, no largo da ponte nova n.47.
Sauudcrs Brothers k C.
-Y. II, praca do Corpo Santo
RECIFE.
Os aicos agentes neste paiz.______________
Rival sem segundo
Ra do Queimado n. 49, loja de miudezas de Jos
_ Azevedo Mala e Sil va esta disposloa vender mui-
to barato que admira, pois seus freguezes ja eslo
srienies que n5o ha seiundo competidor.
Pecas de cordo para vestidos a 20 rs.
Capachos redondos e compridos a 500 rs.
Talheres para meninos a 2'0 rs.
Duzias de facas e garios a 25100.
Ditas de cabo preto cravado a 3W00.
Baralhos franeezes muito finos a 200 e 240 rs.
Crozas de botdes de louca a 160 e 200 rs.
Caixas com soldados de chumbo a 120 e 200 rs.
Hunecos de choro pequeos a 160 rs.
Varas de cordao para espartilho a 20 rs.
Duzias de colheres para cha a 800 rs.
Duzias de colheres para sopa a 15500.
Ditas de metal principe de cha a 2J000.
Ditas para sopa a 45600.
Vende-se a taberna da ra dos Acouguinhos
n. 20 : a tratar na mesma:_________________
DROGARA.
3 iRa' larga de Rosario34
Bartholomcu Francisco deSooza & G.
Vendem:
Acido actico puro para retratistas.
Esmaltes para ourives.
Papel para forrar casas.
Guarniles avelludadas.
Tinta brancasnperior em lata.
AlvaiadeVeneza, fino, em pes.
1 20 e 600 rs.
Rival sen segnndo.
Frascos com agua de olonia 120
Duzia de thesouras para costura 600
Caixa i de soldados de chombo a 120 e 200
_______Na ra do Queimado n. 49.___________
Vende-se
na ra das Crntes n. 23 junco e palha, mais bara-
to do qne em outra qualquer parte.
a apea de
destroe as
DE
Florida.
para restabelecer e conservar a edr natural dos ca-
bellos.
A agua de Florida nao urna tintura, facto es-
sencial a contestar, a mesma agua dando a cor
primitiva de cabello. Gompostas de plaDtas exoli-
cas e de substancias inoffensiveis, ella tmi a pro-
priedade de restituir aos cabellos o principio co-
rante que elles tem perdido.
De urna salubridade incontestavel
Florida entreten) a limpeza da cabeca,
caspas e empede os cabellos de cahir.
Oleo de Florida
Composto de substancias vegetaes exticas, elle
contribne poderosamente, com a agna de Flo-
rida a forca, a belleza e a conservado dos cabel-
los.
Em Paris casa de Guilanrn. 112 ra de Rechi-
nen e 21 boulevard Montmarlre.
Todos os frascos nao tendo intacto e clare, e Un-
cir prateado da casa, reputado falso.
Deposito rna do Imperador pharmacia n. 38.
Bixas hamburgue/as.
Vende-sena rna Nova n. 61.
No armazem de azen das ba-
ratas de Santos Coelho,rua
do Queimado n. 19, ven-
de-se o seguin te:
Lences de panno do linho a 25400.
Ditos de bramante de linho de*nm s panno a
35500.
Cobertas de chita oa India a 25509.
Lencos de cambraia brancos proprios para algi-
beira, pelo barato preco de 2|O00 a duzia.
Pegas de brelanha de rolo com 10 varas a 35800.
Ditas de cambraia para forro de vestido, com 8
varas, pelo baratissimo prego de 25600.
Guardanapos adamascados pelo baratissimo prego
de 35500 a duzia.
Algodao enfestado com 7 1|2 palmos de largura a
15200 a vara.
Crips de liia de lindos gostos com 15 covdos a
65000.
Pegas de cambraia adamascada cora 20 varas, pro-
pria para cortinado, pelo barato prego de 115.
Fil liso fino a 800 rs. a vara.
Dito com .lpicos a 15 a vara.
Tarlatana branca fina a 800 rs. a vara.
Atoalhado de algodao adamascado a 25200 a vara.
Dito de linho a 35200 a vara.
Laazinhas lisas de todas as cores, pelo baratissimo
prego de 500 rs. o covado.
Pecas de cambraia de salpiros brancos e de cores
com 8 1)2 varas, pelo baratissimo prego de
45500.
Baldes de 20 arcos a 25500, de 25 a 35, de 30
3*500, de 35 45, de 40 45500.
Toalhas felpudas a 135 a duzia.
Esleirs da India de 4, 5 e 6 palmos por menos
prego do qne em onlra qualquer parle.
Neste armazem se encontrar nm grande sorti-
mento de roupa feita e por medida.
Admiravel peckincha!
Mocambique a 300 rs. o covado, di teja
do pave.
Vendem-se os mais bonitos mocambiques de pu-
ra laa proprlos para vestidos e sontembarqnes,
sendo de qnadrinhos de listras e lisos, fazenda ra-
teramente nova, em padroes e muito proprias pa-
ra as senhoras que frequentam o mez Mariano,
porqne esta fazenda Ibes facilita fazerem por poo-
co dinheiro vestidos multo decentes para qualquer
acto, advrrtindo-se qne este baraiisfimo prego 6
devido a grande compra qne se fe desla nova fa-
zenda, qne e vende a frese tosiSes o covado : na
loja do pavo, ru da Imperatriz n. 60, de Gama &
Silva.
-x
V
ILEGIVEL
'v


ra tt de M*f<
^

\
Admirem
Admirein tem !
As pichinchas que estao a *e xem do Pavao, na ra da Imperatriz n. 60 de Ga-
ma A Silva, onde se venden lodas as faieudas,
lano de luxq como de prtmeira necessidade por
precos muilo rasoaveis, e com especialidad* s se-
guales, daada-se amostras deixando ftcar penher,
ou maodo-se levar em casa das familias petos
caixeiros da mesma loja.
Madaaole enfeslado a 4<$, WbOO c o^OOO.
Muita atteu$o na grande li-
quidado de fazendas e
roupas feitas nacional na
: novaloja de Giiimar&es &
Irmo.
Ra da Iniperarlz u. f.
Os propietarios deste novo estabelecimento es-
tao resol vidos a venderen por proco baralissimo
para liquidaren, orno sejaro : peca de tuetaaha de
rolo com iO varas por 3*. dita de madapolao (ran
Veudro-se pecas de madapolao enfeslado cora ceics a 3*500 e 4000,diUs de cam-
12 jardas pelo baralissimo preco de 4*. 4*300 e braia branca Boa a 3*o00 e 4*500, lenco de cara-
Grande liquidaf&o de
fazendas
de todas as qualidades, tamo para o majo como,
para a praca. O proprietario da toja e armaiem
da Arara, esl resolvidoa vemMr as fajeadas moi-
lo baratas, como se)aa, ohHas, madapolie algo-
doiinho, para se aparar dinheiro, Loureneo Pe-
reira Mendes Guiraares.
Chitas Iraoems a 240 cavad.
Vendem se chitas francezas, sendo cores lisas, a
240, 580, 300, 320. 360 e 400 rs. o eovado, ditas
inglezas a 220 e 240 o eovado, sendo cores Asas:
a ra da Imperatriz n. 56.
Certe* de calca para onem
Vendem-sa cortes para
Jtivalsem segundo
Roa. do Queiaudo o. 49, toja de miudezas de Jos
& AcevedQiJaia e Silva, esta queimauda que ad-
mira, a saber :
Fraseo cera saporior aanha a 100,1240 e 500 M.
Latas com superior banha a 200 rs.
Frascos con awerior agua de Colonia a 120 a
400 ra. ^
Frascos com superior oleo de baboza a 240,320 e
400 rs.
Garrafas da rerdadeira agua Florida a 1*280.
Fraseos da superior oleo da sociedade Iligienique
a 640 rs.
Frascos de superiores cheiros santal e outros mul-
106 a 1*000.
| Sabonetes da familia a 120 e 200 rs.
.... calca, briozinho, al*, Sabonetes de superior qualidades a 00,120 el 60 rs.
5*, ditas aM aereaentestados .demarcas muito braja,com j*"" h^nLs finos 25400 cor- ditos de ganga a 1*400, ditos a 1*700, ditos de Odias.coro 13 frascos de cheiros muito finos a
acreditadas a 7*, 8*. 9*. a 10*, ditas, (rancez f "^h *^^^^L^L\ flfinh di brim de cor a 2* cada corte, ditos de meta case- MUCO. ^
o! la a SS 3*000 ditosSS! mira a 8*500, ditos a 3* e 3*500, ditas a 4*500, Caias di*, com 6 fraseos mellar Ma a 9M rs,
^**ifw,'ft.iMS,_^'A.. ESv15 e 6*500 o ootte, damasco com duas larguras a i Paos de pomada raneeia grandes a 509 ra.
119280 o eovado, dito de urna largura a 640 e 800, Sabonetes de bolla paqueaos e grandes a 3
multo eueorpado proprios para saias a 480 ris a
vara, islo na loja do ravo ra da Imperatriz n.
60 de Gama A Silva.
fraude pechineba.
Chitas u 20 ris o aovado.
rs. o eovado, ditas de qoadrinho e palmas a 320 e
de
4obV7vaZ chales^ rs. o eovado, Oanella branca a 600 rs. o eovado,
.con nona^ re^ndTetorl^Tsedaa6*^e dita de salpicosa 480 o eovado, golinbas parase-
Ou. 7*600 a peca s o Pavo. tI^Xos i 1\ Vendem-se "hitas inglezas de superior maUda-.! J ? A ?an'e z^ finas a36C 7S0 rf o co; 640 e 800 rs., eamisinhas para senbora. a 1*600 e
e, afiancando.se as cores ^^^^^\^V^^^^^%^^m^1* "^"^ -e **^ -^-hr"-8A **?.*!
d ver rd7de de padrees, pelo baralissimo prego de ga^e -J5JTB J \ fo 300.320^360 e 400' rs^ o eovado ditas
220 rs. o eovado, ou 7*600lajapi tendo.98 co-, ^ do 4 ^4, Urgura
vados, sendo (azcud esta que seropre se veao>u a g^ bramante de linho com 10 palmos
280 rs. o eovado eu 10 a geca, chas Urgaaa eurgrall 2*400.T&300 avara, damasco de
280, 320e 360 rs na loja do Pavao,, ra da Irape-. g ^ % g ^ |awa propri(; pa eolcha>
ratrii b. 60 de Gama Silva. forcai mesas e pianos a 1*280 o eovado. orles de
Certas da ektta francesa na leja de favae. 1 casemra escocer para calca a 9*800,/ ditos de
muito finas com borboletas a 440 o eovado, lencos
de linho finos a 400, 5oO e 640; ditos de algodSo a
340 a 320 cada ama.
Corte* a Mana Fia e $&
Vendem-se cortes a Marta P> a 9*, % !*,
12* e 13* cada corte, corles muito finos a 18*,
Pavao raa da Imppralriz n. 60 de Gama & Si+va. lembasctue de lanzinhas mullo bem eofeitadosa dapolao enfestado com 12 jardas a 3*500, 4*000,
Corles a Hara ti. 5*000 e 65000, ditos degrosdeoaple ricamente en-! 4*500 e 5*, dito com 24 jardas a 5*, 5*300, 6*,
fiarwfo. iwrbinch a 5*000 6 6*000. feitado a 20*000, capas de dito a 20*000. 6*500, 7* e 7*500. n. 6 a 8* .e-8*3<,rteahantaia
v ?P-rSr-?.!^ Mrawado RPa fela- W, camisas traacezae a, 1*800-, 2*. 2*240 o 2*500
J^^'^XS^JT^w\Si P*> e panno fino, sobrecasacas, ditos sao' ctk urna, ditas de pregas largas a 2*240,2*300,
sendo de cambra.a branca eom as barr. r_o ^^ de c"asemjra fl'na de c0r> ditos de, ^g^, e 3 cada nmij a,pacas de cores a 32o 0
aberturas
320 e
avlo qw u tofcSrJS^ ette^Gama $ briro braaco^^ardoj ganga, e castor, coletea, dato-1 \ <^R a peCa, cuair.,0 l~il*3* J
Silva.
WQra.
Frascos com superior oeiata a 800 rs.
Frascos-com swyerior agaa para denlas a 1*008.
Tksso IrmSos
Yelden se sea armazen roa o
Affltrii b. 35,
Licor fino Cnrac*o em botijas e meias botijas.
Fugfo.
No dia 13 do corrente fugio de casa de Antonio
de Almeida Gomes o negro crcoulo Braulio, que
representa ter 28 a 30 anuos de idade, altura re-
gular, ebeio do corpo. cabello carapiohado, barba
penca ; levoa calca a camisa de riscado, e tem ido
visto em Santo Amaro no bairro da Boa Vista.
Qoem o appreheoder queira leva-lo a casa do an-
nunciante, roa da Croa n. 23, que ser gratilicado.
Fugio em principios do mez de fevereiro do
corrente auno e coasta estar acoutado nesta cidado
o moleque Euzebio, escravo da viuva do Dr. Fer-
nando Alfonso de Mello, de 12 annos de idade pon-
Rival sem segundo
Raa do Quelmado u. 49, -esta vendeodo ludo
muilo barato como ver abaizo.
Cartas de pennas de kalegraphla a 1*000.
Macaos eem superiores grampos a 30 rs.
Pares de sapaios de traaga a pete a 1*500.
Sascos de macaca perula a 200 rs.
ixas com superiores agulhas a 200 rs.
Libras de lia sortidas com todas as cores a 7*000.
Caizas com superiores brelas a 40 rs.
Onzas de pbospboros de segoranca a 120 rs.
Meias garrafas com tinta a 210 rs.
Rodlnoas com alneles franceses a 20 rs.
Cartas de alfinetes francezes muito finos a 100 rs., co mais ou menos, cor preta, secco do cotpo, 01 nos
Resmas de papel almaco a 2*400.
Resmas de papel de peso a 2*000.
Papis de agulhas francezas a balao a 60 rs.
Bonets muito bonitos para meninos a 1*000.
Enfeites para senhoras fazenda muito moderna a
2*000.
Escovas para roupa superior qnalidade a 1*000.
de to-
Santernes.
Cbambertin.
Beraitage.
Borgonhe.
Cbampagne.
Muscatel.
Reino.
Bordeau.
Cognac.
Oi ToB t
AzeitePlagniol.
regulares e afumagados, cabeca um pouco grande
e meia chata, belcos finos, denles bem alvos, ps
seceos e muito ladino : roga-se por lano a tedas as
autoridades policiaes e capitaes de canpo que o au-
prehendam e levem-o a ra da Mangueira sobrado
n. 6 que serao gratificados, protesiando-se usar dos
melos judiciaes contra qualquer pessoa que o teuba
em seu poder.
Fugio no cha 7 do corrente, da casa do bal*
xo assignado o sen escravo Francisco, cabra, esta-
tura regular, grosso do corpo, t abe iios nao c;ra-
piuhados, dentes perfeitos, sem batba, ps e n ios
regulares, levando vestido calca de casimira {re-
ta, camisa branca, palctot de alpaca e chapeo de
baeta preta, alm dos referidos sipnaes tem elle
no braco direito um signo salomao abaixo do fjual
tem um coracao feto com tinta azul. 1 ni eujo cen-
tro tem as 6 Iniciaes seguintes MMI I.M.N, lein elle
23 annos de idade pouco mais ou menos, consta ter
seguido a estrada do norte em busca da ca.-a de
seu antigo senbor o tenente-coronel Joaquim Car-
neiro da Costa, a qual no lugar denominado
. 1 urral Grande da villa de Santa Anna provincia
denaple preto a 1*500,1*800,2*, 2*200 e 2*o00 ,j0 cear. O abaixo assignado recommenda pois,
o eovado ; e outras muitas mais fazendas que se ^Di0 as autoridades domo aos capies de can po
deixa de annunciar, e manda-se levar pelos caixei-; je qualquer lugar a captura do referido escravo,
ros da loja da arara casa dos pretendemos. 010 qUa( p0der ser entregue no primeiro andar do
estabelecimento esl aberto at as 9 horas da noite, 1 sobrado a. 31 da rna do Imperador ou no siiio da
ra da Imperatriz n. 56, Mendes Guimares. 1 estrada de Joo de Barros residencia do abaixo
~ assinnado. A pessoa que o trouxer ser genero-
samente recompansado.
Grande sortimento de roopas feitas
das as qualidades,
Cateas de casemira a 6* e 7*500, ditas pretas a
6* a I*. calcas de ganga a 2*, 1*800 e 1*600,
ditas brancas a 2*, brim de linho a 3*, 3*500 e
4*, paletots do alpaca branca a 4*500, ditos prelos
a 3* e 3*500, ditos de alpaca de cordo a 4*, e
de listra de seda a 4*500, dnos sobrecasacos a 5*,
paletots de casemira a 5*, 5*500, 6* 8* e 9*.
.. ditos sobrecasacos prelos a 12*, lo e 16*, ditos fl-
Lieoreafiaos^rUdes em garrafas com romas da |SF de core a m ^QS fraqoe^ a 14#|
vidro a em lindos faseos. paIetols de ganga a 3#i im e 35, ditos de bnm
parde a 3*, jaquetoes de brim pardo a 3*, panno
Vestidos francos.
Vendera-se os mais reos cortes de vestides de
preto fino a 2*. 2*600, 3*500 5, 4*500 5 e 6* o
covado^moreantique preto a 2*600 o eovado, (ros
Farinka de mandioca
das as qualidades, meias, luvas, grvalas,colleri-i eovado, ditas a 2*800, 2*240, 1*800, 1*600, e
nhos e muitos outros arligos de roura feita que se 15^00 o eovado, soutembarques decores a 6* e
vende por preco baralissimo por ter grande- sorti- 8* cada um, ditos pretos a 18*, 19*, 20*, 32* e
meato; venba o fregus- a luja comprar que o pre- 2*, capas a 20* a 25, manteletes a 18* e 209
cambraia branca primorosamente bordados, pelo co ha de agradar e multas outras fazendas de le e c&d. um, chitas para,coberta a 320, 360 e 400 rs.,
barato preco de 12*. 169 e- 209 aa. toja-do Pa.vo, 14, lu^o, tanto para homem:Como para senhora que 14 a. 480 o eovado. ditas adamascadas a 480 a
ra da Imperatriz n. 60 de Gama i Silva. deixamos de annunciar por tornar-se enfadonbo eovado, oeroulas a 1*200 e 1*500, ditas de linho
Craudc uecUlacha, vestidos a que s a, vista do freguez se far o preco: isto s a 800 cada urna, fil de linho liso a 640 e 700
aJaQQ na nova loja loja de Guimares & Irmaos, ra da' rs. a vara, tar la tanas de cores- e branca a 800 rs.
Acaba de chegar umbonilo ortimento dos mais Imperatriz n. 72. a vara, bamburgo, a 95, 9*500. 10*500a 12* a
lindos vestidos transparentes, muito proprios para\ ....--------'-------------- !?a : raa da ImPeratnI n- 56> Mendes Gmma*
passeios e bailes, pop seren de primorosos dase
nhos, sendo todos os padres tecidosenao pinta-
dos, e veodem-se peto baralissimo prego de 3*500,
sendo fazenda que val muito mais dinheiro: isto oa
RIVAL.
SEM SEGUS 1M>
Ra do Queimado n. 49, lpja desos 4, Azevedo
raes.
ia do Pavo, ra da Imperatriz n. 60, de Gama & Maja e Silva. _^
Silva i Meiadas de linha froxa para bordar a 20 rs.
IM,n.i,lc nvotaa Meiadas de linha azulada superior a 60 rs.
a *f"e.na*s r?"j ,.fino Jabado do Porto multa superior a 100, 120 a
Vende-se jrronsdeaaples pneto a 1&280, 1*600,, 4fi0 ..
1*800 e 2* at 4*superior meurantiqne preto a ; v *"" '. ,. h h 40
35, setim da China, nova, tonda ,0da de ,aa pro- gf^Slfi envtopeda'mdhoV qualldada a
pna para luto, com 6 palmos de largura, a sw,. fi(X. r
560 tmftmm^Z^*J~TSSS&>oElm 20 wumm de papel superior a
zendas propnas para luto : na toja do Pavao,rua. goQ r9 H
da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva. Grozas d as de muit0 flDas a s00ra.
Grosdenaples. de cor a iav. Pe5as de ,rnga )isa preta e de C5res a 40 rs.
Vndese superior grosdenaples cor de caf, pro* crozas de ootoes madreperola para camisas a' 500
l
m
prio para vestido, sendo muito encorpado, a 1*600
o eovado : na loja de-Pav3o; ra da Imperatriz n.
60, de Gama A Silva.
tascuiiras a 1 $600.
Vendem-se caserairas garibaldinas de quadrt-
nhos e lizas, propria para calcas, palitos e coleles,
pelo barato preco de 1*600 o eovado, assim como
calcas, palitos e coletes j feitos das mesmas : na
loja do Pavo, roa da Imperatriz n. 60, de Gama 4
Silva.
Grande sortimento de roupa feita.
Vndese na loja do Pavo ora grande sortimen-
to de roupas feitas, constando de palitos de panno
preto, sobrecasacos, ditos saceos, ditos de casemi-
ra, saceos e sobrecasacos, ditos de brim branco e
de cures, ditos de casineta, caigas de casemira pre-
ta de todas as qualidades, ditas de cor, ditas de
brim de linho branco e de lodas as cores, coletes
de brim, casemiras, setim. gorguro, e., etc., to-
das estas obras veudem-se por preco mais barato
do que em outra qualquer parte : na loja do Pa-
vo, ra da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
/'hales e manteletes de renda
Vendem-se os mais rios e mais modernos cha-
les e manteletes de renda, efiegados pelo ultimo va-
por da Europa, por preco muito razoavel : na loja
do Pavo, ra da Imperatriz n. 60, de Gama &
Silva.
Soutembarques de cor
Vendem-se-os mais moderaos soutembarques de
er, ricamente enfeitados, e por barato prego : na
loja do Pavo, rna da Imperatriz n. 60, de Gama i
Silva.
lapas pretas e sorHemoarques,
Vendem-se as mais modernas opas pretas lisas
e bordadas, os mais bonitos soutembarques pretos e
manteletes, tudo de seda preta e o que ha de mais
gosto no mercado, por precos muito em. conta :
na loja do Pavo, roa da Imperatriz n. 60, de Ga-
ma & Silva.
Enfeites para cabeca.
Vendem-se os mais lindos enfeites para cabeca,
a 3*, 4*, 5* e 6*, os melhores bales cronolinas :
na loja do Pavo, ra da Imperatriz n. 60.
S o Pavo vende
Chitas largas a 240
Chitas largas a 240
Chitas largas a 240.
Acaba de chegar para a loja do Pavo um gran-
de sortimento de chitas largas garibaldinas, por
s rem todas listradas e padroes eseuros e de cores
fixas que se vendem pelo baralissimo prego de 240
o eovado, sendo que em ontra qualquer parte cus-
ta a 360 o covado.aotando que os freguezes que
comprarem porco de pegas, tero um pequeo
abat ment : islo na loja do Pave a ra da Impe-
ratriz n.60, de Gama & Silva.
Lazinhas a 300 rs.
Lazinhas a 300 rs.
* Lazinhas a 300 rs.
Vende-se um bonito soriimento de lazinhas pro-
pras para vestidos e soutem: arques por serem li-
sas e de qoadnnhos pelo barato prego de 300 r9. a
eovado, sendo fazenda que sempre se vendeu a
500 rs. o eovado, e vende-se a dinheiro a vista pe-
to baralissimo prego de 300 rs. o eovado : na leja
do Pavo ra da Imperatriz n. 60 de Gama &
Pelerinas a 1)5600.
Vendem-se as mais ricas pelerinas ou romeiras
de cambraia bordadas propnas para hombros de
senhora pelo baralissimo prego de 1*600 : na ra
da Imperatriz n. 60, loja de Gama & Silva.
Organy a 2-KV rs. o eovado.
na loja do Pavo.
Vendem-se as mal* bonitas eassas orgaadys, pa-
dr5es miudos e'grandes, pelo baralissimo prego de
240 rs o eovado (doze vintens), esta pechlncha
acaba-sa logo : na loja do Pavo ra da Impera-
lriz n. 60, de Cama & Silva.
Lanzinha transparente,
a 220 rs.: s na loja do Pave.
Vendem-se as mais modernas lanzinhas transpa-
rentes, sendo todas de lislras quadros e lisas, fa-
zenda esta que sempre se venden a 400 rs. o-Pa-
To vende para liquidar a ouze vintens o eovado :
na leja do Pavo, a roa da Imperatrtr n. 60, de Ga-
ma & Silva
e720rs.
Caixas com 50 novellos de linha do gaz a 700 rs. j
Varas de franja de cotes a 80.rs.
Novellos com 400 jardas superior qualidade a 70 rs.
barritis de linha com 200 jarda dos ns 60 at
200 a 100 rs.
Livros para assentos de roupa lavada a 100 rs^ j
Pares de ootoes de punho muito finos a 120 rs.
Thesouras para unhas e costura muito finas a :
500 rs. I
RA NOVA N. II
Leja franoeza.
Tem par vender muito barato o- se'
guinte:
Molduras donradas
e tambera invernisadas de preto com fri-
sos dourados, largas e estreitas, nroprias
para quadros e guarnientes..
Tamuem se incumbe de mandar fazer S.
os quadros para estampas ou retratos de j)
qualquer tamaito-
Vidros para espelhos
de diversos tamanhos e-superior quali
dade.
Cellarinhos para camisa
a 1*506 a duzia muito bonitos.
Retroz preto
muito superior em miadinhas a 8* a 11
bra.
La para Bordar
sortida de diversas cores a 5* a libra.
Botes de louca para camisa
b ran eos e de cores groza-a 100 rs.
Aeha-se venda
na oflicina de encadernago da ra do Im-
perador n. 15, defronte de S. Francisco, a j' Machinas de serrotes para
Biblia da Infancia do abbade Pascal, appro-! algodSo
vada para as aulas publicas da provincia por i Chegaram as desejadas machinas de serrotes pa-
DOrtaria da presidencia de 15 do passado. ra descarocar algodao, havendo um completa sor-
L noscn-0 rnmnrarnm 5 a nhrn a nni- lmenlo desde 13 al 40 serrotes, tamnem ha mo-
As pessoas que comprat am ja a ODra, e qut iore. americanog para a8 mesma9 mach,na, ven-
zerem ter um pequeo accrescimo, que se dera.se 0 roais barat0 p0ssivei: na ra da_Cadeia
lhe acaba de fazer, mandem-o buscar.
Trastes com aso.
Vende-se 1 sof, 3 consolos, 1 mesa redonda, 9
cadeiras de amarello, 6 cadeiras americanas, 1
ma & Dea marqueza de Jacaranda, 2 carteiras de va-
gem e i carteira grande propria para taberna
do Recife n. 56 A, loja de ferragens
los Bastos Oliveira.
de Joo Car-
.4 ttenco.
Urna pessoa que retirase para fra da provincia
vende duas casas na cidade de Olinda, por preco
commodo, sendo urna grande e outra pequea :
qoTm%Vetender dTrija'-se a"rua"darcnco Pons para infrmaedes, dirija-se a ra do Nogueira nu-
n. 140 defronte da esuco. mero 43.
Imperial manufactura de
Franp.
Tabaco (caporal)1 para fumar.
Dito (em p) para tomar.
Dito para>masear.
nico deposito Da provincia de Perna-
buco casa de Izicroro, Ntetto 4 C. na da
Cauzn. 1.
Pteco flxo.
Caporal 800 rs., pcote de 20t) grammas.
Rollo 520 r.^., pcote de OO grammas.
Quantidade.
Caporal 50 pacotas ou 10 kills.
Roo 50 pacotes ou 5 kills.
GAZ GAZ GAZ
Vende-se gaz da melhor qualidade a
(0$ a lata ; nos armazensda ra do Im-
perador n.16 e ruado Trapiche Nevn.8.
muito nova e superior chegada de Santa
Catharina
Vende-se a bordo do placho dinamar-
quez tCatharina ancorado defronte do
tr. piche barSo do Livramento, ou no es-
'criptorio de Manoel Ignacio de Oliveira &
Filho, largo do Corpo Santo d. 19^_____
Joaquim Manoel de Mira W'anderieyi
PROPRIO PARA SENHORA.
Vende-se um excellente cavallo muilo no-
vo e manso com todos os andares : na co-
cheira do Paulino, ra de Santo Amaro.
HfllHT
Geroulas de meia muito finas a 1*500, ditas en-
trefinas a 1*200: s na roa da Cadeia do Recire
ir. 8, laja de miudezas de Silvestre Pereira da Co-
ma3i e
Fugio no dia 8 do corrente mez, a escrava de
nome Domingas, de idade de 30 annos, com os se-
guintes signaes : cabellos crescldos, rosto cempri-
| do, nariz regular, bocea pequea, ps pequeos e
cambados para os lados, altura regular, lendo o ro-
! tovello do braco direito defeituoso; levou vestido
de chita escura e carniza branca. Consta que esta
escrava tem apparecido para os lados do Pembal:
qnem apprehendela|e levar a ra nova de Sania
Rila n. 1, ser generosamente gratificado.
Em casaide Tisset Freresrua do Trapiche n.
9, tem para vender :
Vltrho Bordean* em barricas e emcaixas.
I Dito db Santerne tino.
Dito de-Champagne muito superior.
Cerveja franceza marca Bobee.________________
.4: eite de carrapato
Veade-se em grosso e a retalho mais barato que
os matutos, em carga : na fabrica da travessa do
Carioca n: 2, caes do Ramos.__________
Instruccoes para o servido
das guardas do exercito, exlrahidas do re-
gulamentode infantaria e accommodadasao
exercito brasileiro; obra que muito convm
aquellas pessoas que se alistam nos corpos
de voluntarios; vende-se na Iivraria n. 6 e
8 da prac da Independencia, a W.
Vende-se
no sitio da Cruz de Almas ao voltar para a estra-
da de Beberibe,,coqueiros pequeos proprios para
mudar-se.
Cal de Lisboa
Na ra do Vigario n. 19, primeiro andar.
Farello a 4^000 saeeo.
Em saceos grandes.
Uilho a 4800
Ra larga do Rosario n. 50 taberna da esquina
que volta para o da ra Estrella. ____fc
Fio de algodo da Babia.
Venderse no escriptorio de Antonio Luiz de Oli-
veira Azevedo & C, ra da Cruz n. 1._________
Catangas finos e brinqnedos
para meninos.
Lhegaram para a loja de miudezas da ra do
Queimado n. 69, os mais finos e lindos calungas
tanto para bnnquedo de meninos como para cima
de mesa : na mesma loja se encontrar bom sor-
timento de miudezas: (
tiene
Vinbo do Porto superior em caixa de duzia,
tem para vender Antonio Luiz de Oliveira Azeve-
do & C, no seu escriptorio rna'da Cruz n. 1.
Vende-se doce de caj secco em latas de 6 e
10 libras cada urna, proprio para embarque : na
ra da Imperatriz n. 65.
ESCRITOS FGIDOS.
Aviso aos capitaes de campo e a
polica.
2( OS do graticaco por cada um.
Desappareceu em principios do mez de outubro
do anno prximo passado de bordo do palhabote
nacional Arroto Malo, dous escravos de nome Ro-
berto, por appellido Macei, e Miguel; o 1 de 45
anuos de idade, pouco mais ou menos, crioulo, cor
fula, estatura baixa, barba serrada, um pouco tor-
io das pernas, e com alguns cabellos brancos, tan-
te na barba como na cabeca. O 2" alto, cheio do
corpo, sem barba e falla grossa, representa ter de
25 a 30 annos ; cujos escravos desconfla-se anda-
rem pelos arrabaldes desta cidade : quem os ap-
prehender queira levar a ra do Trapiche n. 4.
No dia 4 de janeiro do anno de 1864, fugio do eu-
genho Conceigo, comarca de Pac-d'Alho, o escra
vo Galdino, pertencente ao abaixo assignado, com
os signaes seguintes : idade 26 annos, pardo, claro,
corpo, figura e aliura regulares, cabellos meios ea-
rapinhados, olhos pardos, sobranceras e palpebras
salientes, tem em cada braco um sino de Salomao.
sendo um delles mal feto, e junto a este urna cruz,
tem na cabeca urna cicatriz de urna polegada, e em
cima de um quarto urna outra cicatriz de tres po-
legad&s, proveniente de pona de pao e queda, tem
sobre as costas algumas marcas ou cicatrizes de re-
inadas ou chicote; um-pouco desembarazado quan-
do falla, tem principio de carpina e carreiro, toca
viola e barbado. Foi soldado do corpo de polica nc
Recife, e levou comsigo a baixa do theor seguin^ :
Seccao urbana, 2* companbia n. 50. Amonio Cat-ta-
no de Oliveira, filho de Agoslinho Ferreira de Bu-
lo, natural de Ingazeira, cor parda,, cabellos rara-
pinhos, olhos pardos, offlcio nenhum, estado soltei-
ro, com 30 annos de idade, 60 pe legadas de altura,
ao engajar-se. Engajou-se na forma do regula-
mento, em 17 de fevereiro de 1862, por offlcio do
Exra. Sr. presidente da provincia, datado de 28 de
abril do corrente, e publicado ao corpo em ordem
do dia 1* de maio, tudo em 1862; leve baixa de
servico por ter dado em seu lugar o paisano Joao
Pedro Ferreira da Rocha. Foi escravo do rapilao
Joo de Dos Barros, morador que foi na comarca
do Brejo da Madre de Dos, e hoje morador na
Campia Grande da Parahyba do Norte, que o ven-
den em dias do mez de novembro de 1863 ao abai-
xo assignado, pelo costume de andar fgido e a ti-
tulo de forr com o nome mudado ; pelo que roga-
se a atleoclo das autoridades civis e militares, nao
s desta provincia como das demais do imperio, a
apprehensao do dito escravo, que a titulo de furro,
nao tenha sido recrutado ou assentado praca em
alguns dos corpos de Voluntarios da Patria, taro-
bem pede-se aos capitaes de rampo e pessoas par-
ticulares a mesma apprehensao, e leva-lo ao seu
senhor no referido engenho Conceicn, ou nesta ci-
dade ao capitao Mauricio Francisco de Lima ra
do Brum n. 56, que ser gratificado com 200*.
Jos Mara dos Santos Cavalcanti.
LISTA GERAL.
io:
DOS PREMIOS DA J. PARTE DA

a:
LOTERA, CONCEDIDA POR LE PROVINCIAL N. 74, A BENEFICIO DO THEATRO DE SANTA ISABEL, EXTRAHIDA EM 20 DE MAIODE^^
avaHado.
Francs barrica 5*000
Fortland dem 8#500
m perfeito estado:
Francez barrica 10*000
f"ortland rdera 11*000 __^
No armaren de Taaso IrmSas ciea aVApolto.
~Farnlia de mandioca
Vendem-se saceos grandes com farinha de man-
dioca por menos do qoe em outra qualquer parte :
no trapiche do Caoba e na rna do Vigario n. 33.
.NS. PREMS.
1
3
5
6
7
15
16
20
21
30
35
37
40
41
43
46
49
53
57
61
65
71
72-
74
77
80
83
88
94
98
100
i
5
T
13
1S
18
24
41
42
45
46
49
50
51
57
6J
64
67
69
NS. PREMS.
NS. PREMS.
6* 171 6* 386 6* 546
77, 87 47
rila 79 89 49
__ 81 90 52
82 95 54
_ 92 97 _ 58
__ 94 401 _ 64
^ 96 4 _ 66
_ 97 6 ^ 67
_ 204 7 70
^__ 11 9 _ 73
^^ 20 11 __ 77
. 29 16 _ 82
31 18 _ 89
, 32 1 _ 90
_ 42 23 ^_ 91
-- 55 25 ^ 94
58 28 __ 96
10* 59 30 ^_ 97
6* 60 35 __ 600
... ' 61 40- _ 2
64 46 ^b 6
66 49 _ 8
70 52 12
76 65 16
, ?& 68 17
81 10* 74 10* 19
88 6* 77 6* 21
90 81 10* 25
92 82 6* 30
95 40* 83 37
96 6* 87 46
97 89 40* 48
10* 302 99 6* 49
6* 6 ^m 500 52
18 l^H 2 55
19 ^_ 5 __ , 59
_ 33 6 68
_ 38 9 73
44 14 74
48 -20 75
53 21 78
_[ 56 23 79
- 59 20* 25 80
6 6* 26 8o
10* l 63 28 87
204 i 64 34 90
W l 68 10J 1 36 - 712
- 81 - 84 - 44 Id l 22
NS. PREMS.
6*
1:200*
NS. PREMS.
O*
6*
10*
6*
723
24
34
37
39
43
44
4
46
47
58
64
66
71*
72
75
86
87
88
95
97
98
801
3
5
11
15
20
24
28
30
32
35
36
37
38
41
42
49
53
55
69
71
78
81
85
89
90
91
96
6*
6*
NS. PREMS.
901 6*
2
5
8
15
16
17
20
21
NS. PREMS.
1005
10*
10*
6*
26
27
33
35
41
44
46
49
52
58
60
66
70
72
74
77
89
95
98
1000
3
8
9
13
19
26
27
28
36
37
38
39
40
41
12
43
44
49
50
51
20*
'6*
20*
6*
10*
6*
10*
6*
1052
58
61
68
73
74
7*
80
83
85
88
94
1110
12
15
16
25
37
40
41
44
45
53
57
64
70
77
78
85
89
90
93
96
97
99
1201
7
8
19
20
21
22
24
'28
30
31
34
36
41
48.
NS. PREMS.
6*
6* 1255
O"
60
63
67
72
74
76
78
86
91
95
96
99
1302

9
14
13
17
18
19
21
W
28
34
39
40
44
9
50
1
54
5
62
63
68
70
77
78
89
96
1404
17
18
I *>
23
27
29
30
20*
20*
6*
10*
6*
40*
6*
20*
6*
NS. PREMS.INS. PREMS.
20*
6*1
10*
10*
6*
10*
1435
37
38
43
44
46
47
48
56
60
64
65
66
68
72
73
84
86
91
94
98
1506
7
TO
11
20
23'
25
29
30
32
33
34
36
37
39
45
46
47
50
52
M
63
72
77
80
81
84
85
87
400*
6*
10*
6*
100*
40*
6*
1589
1601
2
4
5
15
19
21
27
31
3*
41
42
46
48
51
55.
56
58
59
62
63
66
74
75
79
83
85
86
89
91
93
98
1701
3
4
5
7
14
16
23
32
41
42
43
54
57
62
70
77
40*
6*
NS. PREMS.
20*
6*
W*
1779
80
83
84
86
90
93
97
1805'
6
12
13
15
20
22
24
25
31
32
41
42
50
60
61
62
67
69:
74
81
83.
84
9*
93
96-
97
98'
1900
2
6'
8
9
10
11
14
15
16
19
21
23
26
100*
6*
NS. PREMS.
10*
20*
10*
1932
34
35
37
41
44
50
54
57
62
64
65
66
67
73
74
75
76
77
80
.85
90
91
95
98
2005
6
7
8
9
11
16
17
18
25
26
29
33
37
45
46
47
5B
57
65
67
78
82
87
89
6*
10*
6*
6:000*
6*
10*
6*
40*
6*
NS. PREMS.
2092
95
2100
5
6
12
15
18
23
25
26
27
28
32
33
40
43
48
54
60
63
68
71
76
78
79
81
82
85
87
88
98
94
97
99
2201
6
7
8
9
13
29
31
38
O
41
46
51
84
39
6*
NS. PREMS.
NS. PREMS.
20*1
0*
2256
61
65
67
70
71
73
76
79
82
87
88
94
95
98
2304
8
18
19
21
22
27
32
34
38
39
42
43
52
57
5
59
61
65
70
73
76
79
81
90
92
94
97
6*
10*
6*
20*
6*
20*
40*
10*
6*
100*
6*
10*
6*
10*
6*
10*
6*
10*1*00
*

1
8
to
13
24
23
2426
34
44
.48
50
54
57
63
64
66
67
69
71
72-
74
75
76
78
79
83
' 88
89
90
91
92
93
97
98
2500
8
9
12
14
15
18
21
31
33
37
38
41
45
49
53
54
55
60
01
67
71
6*
20*
10*
6*
10*
6*
2574
77
84
87
88
92
93
98
2603
4
6
10
14
16
18
19
20
21
22
23
24
31
32
43
44
46
47
48
.61/
'
65
69
73
81
82
83
2700
1
3
12
16
33
38
40
4t
45
46
47
51
57
MS. NS. PREMS.
6* 2760 6*
70
75
- 78
88
89
96
2800 __
10* 7 __
6* 22 _
25
40* 31 _
6* 37
38
44
46
48
* 59
64
77
78
10*
6*
20*
8*
89
91
92
95
99
2902
3
5
7
8
9
10
13
19
27
31
36
49
51
53
60
64
69
70
73
86
87
89
93
O dcrivao, Jos Pedro da$ Neves.
Pera,lyp. de M. F. de Faria & Filho.1865.
/


Diarlo de reraambnco Segnnda felra tS de Halo de 18S5.
LTTERATORA.
1V.4TI2RJLOO
(Continwico do conscripto de 4813.)
POR.
ERCKMANN CHATRIAN
SEGUNDA PAIITE.
XX
( Conlinuacao. )
Todo o irilindo sabe luje que das sete pa-
i as oito Imras da tarde, ao anoutecer, ten-
do reeonhecido o imperador que a columna
de prussianos de que se fallara era o corpo
do ErloR, que ficara metlido entre a bata-
Iba do marechal Nery nos Quatro Vetos
contra os inglczes, e a nossa, tinha ordena-
do immediataraente velba guarda que nos
auxilasse,
Um lente que eslava comnosco disse:
E' agora o grande ataque. Altenc5o !
Toda a cavallana dos prussianos mova-se
orno formingas entre as duasaldeias. Sen-
ii.iinos, sem o vcrmos, um grande movi-
m'Mito na nosso retaguarda. O tenente re-
petia :
Attenco s vozes do commando !
Ntngueo se descuide O ataque est proxi-
Todos nos estavanios alerta.
Quando mais avangava a n *ute, mais se
averme'hava o cu do lado de Saint-Amand.
A' forca de ouvir rugir a artilharia, j nao
se dava allcngo; mas a cada descarga pare-
ca que o cu se incendiava.
O tumulto na no sa retaguarda augmen-
ta va,.
De repente a grande ra que corre para-
talla ao ribeiro foi cheia por tropas nossas,
desde a poute at a outra oxlremidade de
L'gny, Sobre a esquerda, e mais longe
os prussianos atiravam dasjanellas, masj
nfi > Ibes respondamos. Todos grilavam :
E' a guarda a guarda !
Nao sci como toda aquella massa de lio -
neos passou o fosso cheio de lama, mas de
certo foi sobre taboas, porque em um mo-
mento tod s as nossas tropas eslavam na
margem esquerda.
A grande batana dos prussianos no alto da
quebrada, entre as duas aldeias, abra ras
nas nossas columnas ; mas ellas fccliavam-se
logo e continuavam a subir,
O que resta va da nossa divisao corria so-
bre a ponte; artilheiros a cavallo seguiam a
galopo com as suas pecas.
Ento deseemos tambem, mas ainda nao
estovarnos na ponte quando comecaram a
desfilar couraceiros; depois dos couracei-
ros, drago s e granadeiros da guarda a ca-
vallo. Passavam por toda a parte, atravez e
mesmo de redor da aldeia; era como um
exercito innumeravel.
A matanea come(;ava outra vez no alto ;
era a balallia em campo raso. A noute cor-
aia, eos quadrados prussianos desenhavam-
se a fogo"sobre aencosta.
Nos corriamos, sallando por cim de mor-
ios e feridos, Quando chegainos fra da al-
deia, vimos o que s pode chamar um com-
bate de cavallarin; nao se dislinguiam por
assim dizor seno couracas raneas que atra-
vessavam as liohas dos uhlans. 'ludo se
mistarava ; depois os couraceiros tornavam
a entrar em forma e avancavam outra vez
como urna parede viva.
Era j noute escura; o fumo nao nos dei-
xiva ver nada a cincoenta passos. Tudo se
mov i, tudo subia para os moinbos; o es-
trujlo do galope, os gritos, as vozes de
commando, o foh>o das linbas de infantera
ao longe. tudo se confunda. Muitos qua-
drados tinliam sido rompidos. De tempos
a tempos urna descarga moslrava alguns sol-
dados de cavallana, um lanceiro curvado so-
bre o cavallo, um couraceiro com seu largo
costado branco, capacete c penacho fluctuan-
te, correndo como urna bala, e dous ou tres
sida los de p no meo do tumulto. Isso
passava como ura relmpago. E os trigos
calcados, a cliuva que corlava o ar, porque
acahava de estalar urna trovoada, e os feri-
dos debaixo dos ps dos cavallos, tudo sur-
ga das trevas em um quarto de segundo.
A cada tiro de espingarda ou de pistola
viam-se cousas iguaes, s mil c mil que nao
so podem explicar. Mas tudo se afastava
de Ligny. A victoria era nossa ; tinhamos
entrado no centro das forcas inimigas; os
prussianos j nao se defendiam seno no
mais alto da collina, ao p dos moinhos, e
na directo de Sombref, para a nossa direi-
ta. Saint Amand e Ligny eram nossas.
Ento nos, que eramos uns dez ou do-
ze da companbia, encostados s ruinas
dos casebres, com as patronas quasi va-
sias, nao sabamos o que bavamos de fa-
zer. Z-ibedeu, o tenente Bretonville e oca-
pitao Florentino tin^m desapparecido :
commandava-.ios o sargento Rabot. Era um
velbo baixo, secco, m figura, mas duro
como ac ; piscava muito os olbos. e devia
ter sido ruivo quando rapaz. Por fallar
agora n'elle, parece que o estou a ouvir di-
zer-nos tranquiliamente:
A balalba nossa! Braco armas !
hombros armas 1 meia volta direita,
marche !
Alguns pedam para fazerem o rancho,
porque desde o meio da comecara a sentir-
se a fonie, e o sargento, |com a sua arma ao
hombro, descia o beco rindo baixo, e dizen-
o e repetindo em tom de gracejo:
O rancho! o rancho 1 Esperem ;
nao tarda ahi a administraco das provi-
ses.
lanos andando alraz d'elle pelo beco es-
curo ; no meio encontramos um couraceiro
a cavallo que tinha as costas voltadas para
nos ; tinha urna cutilada na barriga; o ca-
vallo encostava-se parede para nao o dei-
xar cahir. Quando passavamos, cbamou
por nos :
Cantaradas I
Mas nenhum voltou a cabera para traz. A
vinte passos mais adiante estava um case*
bre todo crivado de balas, mas ainda tinha
metade do tecto de colmo ; por isso o pre-
feriu o sargento Rabot a todos os outros, e
entramos nelle a um de funde.
Nao se va nada l dentro; 6 sargento ac-
cendeu isca. e vimos que. era tima cosinha,
com o lar direita, urna escada esquerda,
e cinco ou seis prussianos efrancezes esten-
didos no chp, brancos como cera e com os
oluos aberlos.
tar com causa nenbuma para comer, cada' Eu qniz que Buche tambem comraesse so alimento espiritaal, segu para o jardim
um, sem dizer nada, desapertou a mochila, comnosco, e os seis homens do nosso ran-! das Oliveiras.
encostou-a parede e tratou de por-lhe em' cao que tinham todos escapado por acaso, [ Se o primeiro peccado, do prime tro Ado,
cima a cabeca. Ainda se ouvia figo, mas com coronhadas, e arranbaduras consent-! foi commettido em um jardim a que cba-
longe na encosta. A cliuva cahia a]ram n'isso. O tambor-mr Padua taia, I mamos Paraizo terrestre, em outro jardim,
1 o das Oliveiras, onde Jess Christo, o se-
muito
cantaros. O sargento cerrou a porta que rindo:
rangia, e acendeu socegadamenle o cachim- C os velhos sao sempre os velhos;
por onde andam nunca teem as mos va-
zias.
No rancho
bo em quanto alguns j roncavam. Eu bem
o va em p a fumar junto de urna janella
pequea cujos vid.os estavam todos que-
brados.
Era um homem de rija tempera, que ti-
nha trinta annosde servico e sabia ler e es- que tinhamos urna boa sopa gorda,
crever ; j seria ofO;ial porque tinha sido balava um chero que consola va.
dos cinco recrutas nao se via
ferver seno arroz em agua sem adubo, e
nos piscavamos os olhas uns aos outros por-
que ex-
ferido, mas tinha o corpo muio mal talbado
para official. Por fim tambem se deitou so-
gundo Ado, comeca a sagrada satisfago a
seu Eterno Pai!
Veio a graca do Espirito Supremo
Pela luz do Evangelho libertar-vos;
Abracados c'o a Cruz, choral con tridos,
E ha de o Deus que ultrajastes perdoar-vos
Do mundo o Redemplor eis no Calvario I
Cumpridas sao as sacras prophecias;'
Assim o diz a nalureza toda,
Elle ah sent sua alma possuida de urna Do mundo o luto, a voz de Jeremas,
mortal tristeza, e, cahindo em agona pro-
fundsima, cahem tambem de suas sagra- Misero peccador, contracto e humilde
das faces, sobre a trra, gotas de sangue, Aos ps da Cruz arrependido chora;
e "ento se llie anlolham todos os horrores I Que um Deus, amigo e pai, n5o fechaoseio
dos tormentos e de sua morte at o Cal
bre a mochila, eem pouco tempo estavam to nao comiraelhor, isso nao; quando boje
todos a dormir. [pens n'isso ainda sinto salisfaco. Quando
Fui acordado por um ruido. Havia al- a gente vai para velbo, j nao tem o enthu-
guem que andava de redor do nosso alver- siasmo da mocidade para essas couses; mas
gue. Ergui-me sobre um braco para escu- [ sao sempre lembrancas agradaveis. Aquella
tar. No mesmo instante, alguem fazia es- boa refeico susteotou-nos muito tempo; e
torcos para abrir a porta. Ento nopu- os pobres recrutas, com o seu pouco pao
de conter um grito. empapado pela chnva, baviam de v-la ne-
Que e isso ? perguntou o sargento, gra no dia seguinte. Esperavamos umacam-
E como alguns passos se afastavam ra- panba bem curta mas bem terrivel. Emfim,
Pldamenle' disse foltando-se para o outro agora tudo est passado, mas nao se pode
pensar sem dor nessas grandes miserias,
As oito horas comemos com o apetite que vario;
se pode imaginar. No dia do meu casamen- Era o amarguroso calix que elle se com-
prometiera a tragar pelos peccados dos ho-
mens; e assim estava comecada a dolorosa
lado
Ab 1 passaros no turnos.. canalha I
fra d'hia ou vai j urna bala t
Depois nao disse mais nada. Eu tinha-
me aproximado da janella, e via no bco
soldados desbandados que saqueavam os fe-
ridos e os morios, passando de vagarinho de
um a outro. A chuva cahia em torrentes.
Era um espectculo borrivel.
Tornei a deilar-me e adormec porque es-
tava canea lissimo.
Ao romper do dia estava a p o sargento
e gritava:
Vamos!
Sahimos do casebre e fomos pelo bco
cima. O couraceiro j estava morto no
chao ; mas o cavallo conservava-se ao p
d'elle.
O sargento deitou-lhe a mo s rdeas, e
levou-o aos pomares a uns cem passos de
distancia ; tirou-lhe o freio e disse-llie :
Vai e come ; breve acharas dono.
E o pobre animal retirou-se vagarosa-
mente.
Nos alargavamos o passo em um atalbo
que se estende ao comprido da aldeia; os
deixar de
escapado.
agradecer a Deus por termos
(Contimar-se-ha).
aq3g=
UM POUCO DE TUP6.
Do Cruzeiro do Brasil transcrevemos :
DA DOMINGA DAS PALMAS.
Gloria ao lho de David I Bem-
dito seja aquelle que vm em nome
do Senhor I Gloria no mais alto
dos CusI
(S. Matheus, cap. 21.)
Taes foram as enlhusiaslicas acclamaces
que o povo judaico, deslumhrado por tantos
e t5o extraordinarios prodigios, e movido
por tantos beneficios, resolveu manifestar
a Jess Christo, quando de Bethphage se
diriga Elle cora seus discpulos para Jeru-
salem.
A sua vida santissima; urna doutrina de
paz, jusca e amor; os innumeraveis mila-
regos de lavoura e alguns quebrados de jar- j gres operados em beneficio dos que soffram
dinagem chegavam a esse atalho. O sargen- e que a Elle recorriam ; a resurreico de La-
to examinava tudo de passagem, e abaixou-; zaro ha i>ouco operada e divulgada, quando
se para desenterrar alguns restos de cenou-'jazia por tres dias na sepultura, cujo mau
ras e de nabos. I cheiro bem denunciava a todos os circums-
Fiz logo como elle em quanto os cmara- tantes, que j nao pertencia elle regio dos
vivos, eram em verdade mais que sufficien-
tes motivos para abalar, ainda que por al-
gum tempo somente, a este inconstante e in-
das corriam adiante sem ao menos olbarem
para traz.
Ah vi que era bom conhecer os fructos
da Ierra, porque achei dous bellos nabos e: grato povo.
cenouras, que sao muito boas mesmo cruas ; j Assim pois apercebendo-se o povo que
mas segui o exemplo do sargento e metti-as' Jess Christo se approxima da cidade santa,
na barretina. corre em tropel a seu encontr, conduzindo
Depoi; corri at entrar no pelotao que palmas as suas maos, e, alcatifando as es-
se diriga para o fogo de Sombref. tradas e ras com suas proprias capas e ra-
Quanto ao ma s, nao tentarei pintar a pa- mos quebrados das arvores, aturdiam os
nura a traz de Ligny onde os nossos coura- ares com suas enthusiasticas acclamaces ao
ceiros e os nossos dragoes tinham retalbado Rei pacifico, ao Triumphador promettido, que
tudo. Nao havia senao montes de hom ns e devia quebrar os arcos dos goerreiros, se-
de cavallos; os cavallos com o pescoco es- gundo a express5o do Propheta, despedacar
tendido no chao, e os soldados debaixo d'el- as cadeias dos cativos e dar paz s naces:
les, imrtos ou feridos. | Rei de Israel, o Filho de David, o Bemdito
Alguns levantavam urna mo para nos vindo em nome do Senhor I
acenanarem; os cavallos faziam esforcos pa- Oh !.. quanto sao consoladoras taes ma-
r se levantarera e ainda mais os esmagavam nifestacoes de aior e gratido para com
achindo outra vez sobro elles. aquelle que so vive para o povo, e que se
Sngue sempre sangue I A directo das tem desfeito em provas de amor e de mise-
balas e dametralba eslava marcada comsul- ricordia para com elle !...
c s vermelhos sobre es declives, como na I Mas, oh Cus!... At que ponto sero sin-
epoca do derreter das neves vemos a passa- j ceras to estrondosas e festivas acclamaces ?
gem das torrentes na areia. E querem que Nascero ellas de um verdadeiro e profundo
Ibes diga a verdade? nao havia nada que reconhecimento para com to benigno Bem-
me fizesse menos impressao. fetor I...
Antes de pariir para Lutzen, um especta-; Funestissima illusSo!..
culod'esses, ter-me-hia feito cahir de costas, i A este mesmo tempo, n5o s o demonio
e eu teria dito commigo: se apossa do corado de um desgranado dos
Esta gente que nos governa tem os ho- seus discpulos para trahir ao seu bemfetor,
mens na copla de anmaes ? Por ventura um' ao seu Divino Mestre ; como a Synagoga,
Deus que todo bondade d-nos a comer a! congregada sob a presidencia do summo
lobos ? Temos ou nao temos urna alma ?, sacerdote, decreta a sua morte antes do da
serie de seus tormentos!
Os algozes n5o se fazem esperar, e o con-
duzem violentamente preso aos tribunaes
onde aecusado por ialsas testemunhas, lu-
dibrado, escarnecido, flagellado, e por fim
condemnado morte mais ignominiosa, a
da cruz!
Ob meu Deus! E' este mesmo povo, que
anda ha pouco vos recebeu triumphante en-
tre estrepitosas acclamaces como a seu rei
pacifico e benigno, que agora vemos, conver-
tidos em tigres mais ferozes do que os da
Hyrcania, pedirem o seu sangue sobre elles
e seus filhos!...
Oh crueldade 1
Oh desgraca I..
A victima j est na cruz, e j se acha
elevado ao alto esse emble na sagrado do
imperio do Cordeiro mmaculado, e ainda
nesse altar de propiciac5o sao as suas ulti-
mas palavras, palavras de perdSo.
Meu Pae, perdoai-lhes; porque elles
nao sabem o que fazem!
Oh bondade infinita do Salvador do
mundo!
Nos j vemos consummada a obra da rc-
generaco dos homens I
Vemos j consummada a victoria mai
completa de amor e affeico aos homens I
Essa escurido do sol, o estalamento dos
rochedos, esse tremor da trra, essa desor-
dem em toda a natureza bem provam a gran-
deza da victima I
Vamos, pois, proslrar-nos aos ps dessa
Cruz Sacrosanta, emblema precioso de nos-
sa redempc5o, cheios de bulmidade e con-
trictos offerecer a Jess Christo os nossos
coraces trasbordando desse amor e cari-
dade de que Elle nos deu to sublime
exemplo.
Nao nos fascinem mais as illuses deste
mundo engaador.
Ao filho ingrato, que o perdo implora.
CNTICO A PA1XO.
I
O amigo dos pobres, o bom companhcro,
Que o pao e a doutrina a um tempo lhes d,
Prostrado no Morto, rogando a seu Deus,
Por sculo impuro trabido ser.
Rebenta-lhe em gottas dos poros o sangue ;
Jess, humilhado, implora ao Senhor,
Que d'agras affrontas, de golpes to feros,
O calix lhe arranque de extremo amargor.
Curaram-seos cegos, os mudos fallaram,
E a turba maldicta descr do seu Deus ;
Converleru-se os impos, levanlam-se os morto*,
E avulta a vinganca de vis Phariseos.
Os torpes escribas, o apostlo ingrato,
D'inveja ludibrio, mu anjo os tornou;
Recrescem-lhe os odios,que humilde conserva
Do Mestre, os perfumes, aos ps derramou.
Alado, proscripto, d'affrontas coherto,
Em sangue seu rosto transluz no sudario;
Cahindo mil vezes co'peso da Cruz
Exalca-se o Christo no ermo Calvario.
BOM FILHO, BOM IIIMO E BOM CHfUSTO.
Urna mi tinha dous filhos; o mais velbo
completando o curso da escola militar de
Sainl-Cyr, tinha mostrado na Crimea o valor
de Uta militar ; depois de tomada Sebasto-
pool, elle veio passar alguns dias em com-
panbia de sua mi.
Chegando, acha seu irmo mais moco que
elle dez annos, as garras de libitina.
O menino nao tinha vida por militas ho-
ras, e a alma da pobre mi pareca ligada
vida do filho.
Si elle morre, eu devo morrer, dizia
ella, este menino era toda minba vida.
Estas palavras eram duras para o militar,
mas, comtudo, elle nao criminava a sua
mi :
Si fosse eu que estivesse nesses tran-
ces, dizia o official, seria to amado como
meu irmo.
Todo o poder da medicina nao foi bastan-
te para curar o pequeo moribundo; j
seus negros olhos estavam vdrados e amor-
tecidos ; j elle nao via a mi carinhosa e o
irmo consternado, que lhe apertavam as
mos frias e sem aeco ...
Elle vai morrer I elle vai acabar-se I
repeta a infeliz mulher
O cura fallara j de resignaco, e dizia
que os meninos sao bem felizes, que o bom
Deus os faz anjinbos.
A mi so escutava a respiraco embaraca-
da do seu filho.
O irmo tinha ocoraco traspassado pelos
soffrimentos do irmo e desespero da mi.
O menino faz um movimento convulsivo,
todos assustam-se.
O cura diz :
Suppliqueraos!
E ajoelhou-se.
Eis a supplicaque o joven militar fez men-
talmente ; s entendeu aquelle que conde-
ce os nossos mais ntimos pensamentos.
Meu Deus, dizia elle, se dais saude a
meu irmo, eu vos prometi consagrar-me
educaco dos meninos de sua idade... Eu
lhes ensinarei a amar-vos e louvar-vos
Meu Deus, eu vos louvarei todos os dias de
minha vida, si derdes saude a meu irmo e
consolaco a minha mi. i
Esta supplica de amor filial e fraternal
chegou at aquelle que mata, que cura, e
que resuscita... e o menino foi salvo.
Passado algum tem;io o official diz adeus
a sua mi, contando-lheovotoque fizera.
Eis minha espada, diz elle, vos a daris
a Henrique; quando elle for maior, talvez
que ella lhe seja til. eu voo cumprir o que
prometti para resgatar-lbe a vida ; ensina-
rei os meninos de sua idade a amar Deus,
seus pas, virtude e innocencia.
A mi abracou-o e o abeocoou,
Oh elle era neste momento o mais
amado.
A mi extremosa fez grandes esforcos
por conserva-lo em sua companbia, porm
elle tinha contrahido urna divida sagrada e
era preciso paga-la.
O joven official trocou a tarda de um mi-
litar pelo burel de ura frade e presente-
mente um religioso das escolas- ehristas.
de aples, de Paris mesmo, onde a poli-
ca franceza tinha sabido alguma cousa, pro-
duzram a pristi de um abominavel si-
cario.
As ultimas noticias annuncam que dese-
sete pessoas foram presas com elles.
O processo vai rastaurar-se, e Deus ter
mais urna vez frustrado os projectos do in-
ferno.
Teremos em breve outras noticias minu-
ciosas sobre esta terrivel machinaco.
><
L-se no Alessager franco americano o
seguinte:,
Urna actriz de Boslon ] dona de um so-
berbo cao de superior intelligencia.
A mansido do animal, assim como o seu
grande instincto, fez com que o deixassem
entre os bastidores durante as representa-
Ces.
ero, que assim se chama o cao, perma-
neca sentado, e a sua formosa cabeca tinha
movimentos graciosos quando lhe agradava
a representaco, e particularmente o que
fazia sua dona a quem nunca perdja de vis-
ta : algumas vezes quando ella era applau-
dida se ouvia por entre as palmas e bravos
um lgeiro latido de alegra, e fra desta de-
monstraco digna de indulgencia pelo seu
entbusiasmo ninguem tinha que dizer dis-
crico de ero.
Porm, ltimamente um drama trgico,
especie que ero presenciava pela primeira
vez, e em que sua dona obtinha muitos ap-
plausos; mas quando no 5o acto ella rece-
be urna punhdada e cae sobre a sceoa, ero
se lanca sobre o assassino e agarrando-o pe-
lo pescoco, o lanca no chao.
Asactrize< fogem e os adores correm a
aecudir ao seu camarada, os msicos saltara
sobre o palco, e tambem alguns espectado-
res, o que produz confuso ; mas ero re-
siste a todos distribuindo fortes dentadas,
at que acudiu sua dona.
Ento o animal conhece o seu engao e
larga a preza, e com signaes de arrependi-
mento busca merecer o perdo ; porm o
director do theatro temendo a repetico de
to incommodos ac identes, probibiu expres-
samente a admisso de ero na caixa do
theatro.
Urna pobre moca breta, servindo era Pa-
rs, acbou em 1855, no caminho pnblico,
um embrulho coatendo bordaduras, qoe al-
guma costureira ou mercadora tinha sem
duvida perdido.
O primeiro pensamenlo desta boa moca
foi, ir casa do inspector do quarleirao a
entregar-lhe o embrulho, para ser restituido
pessoa que viesse recUma-lo. Lavraran>-ae
ento os autos deste deposito, prevenindo-
se joven que se estas bordaduras nao foe-
sem reclamadas at o fim de um auno e un
dia, '.he seriam entregues, para usar dellas-
como sendo suas legtimamente.
Assim aconteceu; e os bordados foram
entregues joven breta.
Esta excellente moca, porm, nao quiz
usar delles, mas fez urna lotera que pro-
digio urna centena de francos, que ella ds-
trihuio pelos pobres.
Um semelhante rasgo
deve ficar ignorado, e
que foi testemunha julgou dever faz-lo co-
nhecer.
de caridade nao
urna das pessoas
Vamos disse o sargento ; aqu est o
quarle; arranje-se cada um como poder ;
estes camaradas nao nos ho de incommo-
dar de noute.
Como bem vamos que nao podamos con-
de festa, para que elle nao faca algum
tumulto entre o povo, que n'EUe j ia acre-
ditando 1.,
Nada desconhecido ao nosso Divino Sal-
vador : Elle bem sabia que era chegada a sua
hora, e bem o recorda a seus discpulos
quando Ibes disse:
Vos sabis que est prximo a cele-
braco da Paschoa, e que o Filho do Homem
ser entregue para ser crucificado.
Nao s prediz a sua prxima morte, como
Temos ou nao temos mi, irmes, amigos,
creaturas que nos amem n'este mundo, e
que clamem vinganca ?
Teria tido esses pensamentos e outros
ainda mais fortes e mais justos ; mas o que
certo que ento nao pensava em nada
d'iss).
A' forca de ter visto malancas e injusticas
em grande quanlidade, e de todas as manei-
ras e todos os dias, dizia commigo:
Os mais fortes teem sempre razo. O
imperador o mais forte, chama por nos, e tambem declara : que um dos seus Bisci-
aconteca o que acontecer preciso que uns pulos seria o que o havia de entregar alei-
venham de Phalsburgo, outros de Saverne, i vosamente as mos de seus inimigos!
e outros de todas as partes, e que entrem \ Estas palavras cahiram como um raio en-
em forma e marchem. itre seus discpulos que nao sabiam como ca-
Aquelle que dsse ares de querer resistir, da um desculpar-se e provar cada vez mais
seria immediatamente fazilado. Os mare-'o seu amor, a sua fidelidade, a sua dedica-
chaes, os generaes, os officiaes, os officiaes cao para com o Divino Mestre, at soffrerem
inferiores e os soldados, desde o primeiro a propria morte antes, do que commetter um
al ao ultimo, tudo obedece senha, e nin-' to atroz crime I
guem ousa operar um movimento sem or- Oh I Bondade infinita de um Deus 1
dem; os outros obedecem ao exercito. E" j Oh I coraco endurecido e sanguinario do
o imperador que quer tudo, que tudo pode mais perverso dos homens!
e tudo faz. Oh I thgratido a mais clamorosa que ja-
E ento Jos Bertha havia de ser to par-1 mais foi pralicada entre os mortaes 1
vo que podesse imaginar que o imperador | O discpulo trahir o sea mestre, e que
pode commetter um erro ? Pois isso nao se- mestre I...
ria cantrario ao bom senso? O filho a sea Pai, o mais extremoso dos
E' assim que pensavaraos todos, ese o pas t .
imperador livesse ficado com o governo.: A crealura a seu Creador e Deus todo
ainda hoje toda a Franca nao teria outro misericordioso!.. ..
pensar. O Divino Mestre nao se altera com o dis-
0 meu nico prazer ento era ter nabos cipulo que o havia de trahir, antes recom-
e cenouras, porque qaando passamos por a! menda que reine a paz entre todos, dizen-
relaguarda do acampamento para tomarmos! do-lhes:
o nosso lugar no batalbo, soubemos que nao!
se tinbam distribuido mantimentos, e que s'
Revolvem-se os mares, a trra estremece,
De trevas medonhas enluta-se o cera ;
O que fr maior, porie-se como se fos-
se menor.
E apressa-se em dar-Ibes o exemplo da
maior bumildade, lavando-Ibes os ps a cada
um, ainda os do traidor, acompanhando
este acto com o sculo da paz, e recom-
mendando-lhes que assim o pratiquem sem-
pre!
Oh quanto fieou sentificada a hamildade
com este exemplo do Creador do Universo,' Homem fraco e descrido, o qu's agora ?
do Rei dos res e Senhor dos senhores! | Contempla o lenho e a hostia immaculada ;
Jess Christo tinha tomado sobre si todas \ Rasga o seio contricto, gemeeadora;
as iniquidades dos homens para satisfazer
Ellejnesmo a^seu Elerno Pae como^sublime, Qe do sangue no Golgotba esparcido,
E dessi Cruz dormida em soledade,
| As rochas se fundem rolando esparcidas,
Do tempo rasgou-se e'os crimes o vu.
Negado tres vezes, trabido por fim.
Na angustia sugando seus labios o fel;
Croado d'espinhos, cravado na cruz,
Cercado da turba de um povo infiel;
Ainda aos algozes por nescios perdoa,
Que ao seio do justo a ira nao vai:
Tranquillo o Cordeiro, na morte affrontosa
Perdo aos ingratos implora a seu Pai.
Da cbaga que a dextra do impo soldado
Com a lanca homicida lhe abriu a final,
O sangue descerra-lhe a treva maldicta,
E mostra-lhe o lume da gloria eternal.
11
Meu Deus! meu Deus! q'horror nanaturezal
A trra treme, a' atem-se as motanhas!
Parece que o universo se submerge
Dos abysmos as hrridas entranbas.
E' noute, noute, os astros se esconderam;
O orbe est convulso e moribundo!
S diz bramindo o mar, troando o polo:
Morreu na Cruz o Salvador do mundo l
Jaz o lenho no Golgotha escalvado ;
Silencio tudo; horrendo cataclysmo
Quem o mundo, dos eixos despenhara
No go'lpho negro de voraz abysmo !
Os homens, ebrios de paixoes ignobeis,
Entes, que ingratos, menosprezam tudo;
Que em seu delirio d'egoismo infrene
E'-laes o mundo um epitaphio mudo;
Nem lhes brada de Deus a voz poderosa
No meio do brarair da tempestado;
Nem se lembram que a vida esvai-se em sonhos,
E volve ao nada a triste humanidade.
Mundo! mundo o qu's t? Erros e crimes,
se tinha recebido a raco de agurdente e
c?rluchos.
Os soldados velhos iam eneber as marmi-
tas. Os novos, que ainda nao sabiam viver
em campanha, e que por desgraca j tinham
comido o seu pao, como acontece aos vinte
annos quando se fazem marchas e ha bom
apetite, esses deviam contentar-se com mo-
lhar a colher.
Pelas sete horas chegaraos emfim a o acam-
pamento Zebedeu, quando me vio, pare-
ceu-me ficar satisfeilo. Veio ter comigo e
dissse-me:
Mal sabes quanto estimo tornar a ver- victima, e nada se oppe realisacSo desse
te, Jos. Mas... que trazes tu 1 Nos encon-, grande sacrificio, do qual as oblaces e Iwlo-
iramos urna cabra bem gorda, e temos sal; caustos, qae se offereciam a Deus desde o
mas de pao nem migalha. principio do mundo, nao eram mais do que
Mostrei-Ihe ento algum arroz que ainda urna figura que nada satisfazla,
tinha, e as minhas cenouras e nabos. Assim, depois de nos ter deixado um di-
Bem, disse elle; o melhor caldo de vinopenbor de graca no Sacramento da Eu- Entregues ao festim de vis torpezas,
lodo o balalho vai ser o nosso. | charista, que acabava de instituir para nos- Eris dos vicios miseros escravos ;
Brotop a redempeo. e o Deus que offendes
A senda vos obriii da eternidade.
Eris bontem a turba envilecida,
De cegos e d'idolatras ignavos;
Extractamos o seguinte de urna corres-
pondencia europea para a Estrella do Norte :
Todos os oluares eslo ainda voltados
para Roma; creles e descrentes se oceu-
pam desse nobre anci), que un nada pare-
ca poder derribar, e a quem entretanto lo-
dos os seas inimigos conjurados nao podem
nem se quer perturbar sua augusta sereni-
dade.
Dentro em pouco ter olle desoll annos
de reinado: ter oceupado um dos mais
longos pontificados da igreja.
De 18 seculos que 260papasa !em oceu-
pado, urna bagaiella de menos de sete an-
nos cabe cada um.
Assim quan'os martyres nao tem feito
mais que apparecer nella !
E os mais longos pontificados, se bem
que bem curtos, se os corapararmos aos
longos reinados de certos res, foram mu-
tas vezes to cheios de agilaces como no
tempo dos martyres.
DesdeS. Pedro, que morreu em 66, vic-
tima dos soldados de ero, apenas de secu-
to em seculo acbamos algum pontfice que
tenha oceupado o thron > de S. Pedro du-
rante vinte annos.
Vemos que os nicos que governaram a
igreja mais de vinie annos foram S Melchia-
des, sob Constantino, Estevo III, Adrio
IV, Joo XXII, um dos papas de Avigno.
Urbano VII, que deu a purpura a Richelieu,
o augusto e desditoso Pi VI, Po VII, seu
successor to desditoso como elle.
Nosso amado Po IX nos ser ainda por
muito tempo conservado ; Deus o concede-
r nossas supplicas e mesmo Pi IX, qne
nao ha de morrer sem ter visto a justiga
divina cahir sobre aquelles que o perseguem
e applacar-se por algum lempo a horrorosa
borrasca contra a qual elle luta.
Imp'os teem emprehendido por termo a
essa vida que todos os filhos de Deus que-
reriam tornar immortal, se o podessem ; e
j haveis de ter sabido pelos jornaes que
foram presos em Roma, muito lempo fe-
lizmente, tres miseraveis que iam attentar
contra a vida do papa.
Tinham elles formado era Bolonha sua
satnica conjuraco, ha coosa de um mez :
emsetembro entraram o territorio ponti-
fical disfarcados sob falsos nomes; e trazen-
do quatro passaportes em regra com quatro
nomes differentes. Eram irmos, pareciam-
se muito, e augmentavam esta semelhanca
por urna identidade de costme completa.
Tantas precauces juntas a de nunca se
verem se nao de noute, de um delles nao
sahir, de lerem confidentes em Roma, de-
via necessariamente desconcertar a polica
romana. Felizmente, alguns avisos vindos' pernambuco.-typ. de m. f. de f. & filho
OAnnuario Catholico dos Estados para
1865 d o seguinte estado da gerarchia ca-
tholica no norte da confederaco Ameri-
cana :
No palacio de Windsor boove no dia 17
do correte urna festa de enancas em honra
do anniversario natalicio da princeza Bea-
triz, que completou n'esse dia nove an-
nos.
Foram convidadas 27 enancas pertencen-
tes aos oflcaes da casa real, e houve um
grande jantar, presidido pela ranba na sala
branca.
No dia 18, o rei da Blgica retirou-se do
palacio de Windsor.
Quando chegou eslaco do caminho de
ferro, o Ilustre viajante despediu-se affec-
tuosamente da rainba e seguiu viagem n'um
comboio especial.
Em Douvres foi soa mageslade recebido
pelas autoridades da cidade e acompanhado
por urna guarda de honra at ao palacio de
lord Warden, onde passou a noute.
ltimamente leve lugar ero Paris um lei-
lo de cavallos, cujo produelo total attingiu
urna somma fabulosa.
Eis a noticia que d'elled um jornal es-
trangeiro:
Sabbado, 8, effectuoo-se em iiasta publica
a venda de 37 cavallos de carreira, pur
sang que faziam parte das cavallaricas do
duque de Morny.
Os principaes criadores de Franca e quasi
todos os lurfisles do continente se achavam
presentes n'esta venda, podendo-se dizer
que assistiam a ella todas arillustraces do
sport e do grande mundo.
O lote dos potros de ires annos era mag-
nifico.
Os dos potros de menos de tres annos
eram menos nolaveis; comtudo Sioulet, um
d'elles, um cavallo magnifico.
Os leos subiam com incrivel ardor.
Eis as cifras mais elevadas qae alguns at-
tingiram :
Lelio, 50,000 francos, comprado pelo con-
de Echendroff.
Plutus, 41,000. comprado por M. Char-
les Laffilte.
Templier, 38,500, comprado por M. A.
Desvignes.
Bayard, 26,500, comprado por M. Lu-
nel.
Le Souilet, 18,500, comprado por M.
Lupin.
Ouaker, 17,000, comprado pelo mesmo.
Monitor, 15,200, comprado pelq, viscon-
de Oampierre.
Giralda, 13,500, comprado por M. Char-
les.
Puebla H, 10,000,comprado porM. Des-
vignes.
O total das sommas obtidas De'os 37 ca-
vallos eleva-se a 337,950 francos......
(60:831 5000 rs.,) ou, termo medio, 50,000
francos e 50 c. por cavallo.
Nunca a precos to elevados chegaram os
cavallos em Franca.
.


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EVZYI012V_51ODQI INGEST_TIME 2013-08-27T22:31:03Z PACKAGE AA00011611_10674
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES