Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:10672


This item is only available as the following downloads:


Full Text
,\
AMO ILL NOMEBO 115.
; Tw qurtelaagaeatrade lOdiasdo ..Bez ...::.
dem leais dos 1." 10 das da coaecoe deutro do quartel. .
Parle aa crrela aer tres mezes.....,...,..:
51000
6J000
750
ENCARREGAD08 DA SUBSCRIPCO DO NORTE
Parahyba, o Sr. Antonio Alexandrino de Lima;
Natal, o Sr. Adiooo Marqaes da Silva; Aracaiv, o
Sr. A. de Leroos Braga; Cear, o Sr. J. Jos de
Oliveira; Maranho, o Sr. Joaqaim Marques Ro-
drigues ; Para, os Srs. Geraldo Antonio Alte &
Filhos; Amazonas, o Sr. Jeronymo da Costt.
ENCARREGADOS DA SUBSCRIPGO DO SL.
Alagoas, o Sr. Claudino Palco Dias; Baha, o
Sr. Jos Martins Alvesj Rio de Janeiro, e Sr. Jos
Ribeiro Gasparinho.
SEXTA FEIRA 19 D MAI0 DE 1865.
Par anno pago dentro de 10 dias do 1. mez
Porte aa correio par aa auno.......
i
191000
i|000
DIARIO DEJERNAMBUC0.
PARTIDA DOS ESTAFETAS.
Olinda, Cabo, Eseada e estacSes da via frrea al
Agoa Preta, todos os dias.' -
Iguarass e Goyanna nassegandas e sextasfeiras.
Santo Anto, Gravat, Bezerros, Bonito, Caruar,
Altinho, Garanbnns, Buitjue, S. Bento, Bom
onselhol Aguas Bellas e Tacarat, as tercas
feiras. ....
Pod'Albo, Nazareth, Liraoeiro, Brejo, Pesqaeira
Ingazeira, Flores, Villa Bella, Cabrob, Boa Vis
ta, Ouricury, Salgueiro e Ex, as qnarlas
feiras.
Segunda vara do
bora da tarde.
civel: quartas e sabbades a II AUDIENCIAS DOS TRIBUNAES DA CAPITAL.
Tribunal do comroercio : segundas e qnintas.
Serinhem, Rio Formoso, Tamandar, Una, Bar-
reiros, Agua Preta e Pimenteiras, as quintas
feiras.
EPHEMERIDES DO MEZ DE MAIO.
2 Quarto cresc. a 1 h., 44 m. e 46 s. da t.
10 La cbeia as 6 h., 3 m. e 22 s. da t.
18 Quarto ming. as 4 h., 19 ni. e 46 s. da m.
24 La nova as 8 h., 29 m. e 45 s. da t.
Relago: tercas e sbados s 10 horas.
Pazenda: quintas s 10 horas.
iJulzo do commercio: segundas as 11 horas.
Dito de orphaos: tergas e sextas s 10 horas.
Primeira vara do civel: tergas sextas ao meio
dia.
Segunda vara do civil: quartas e sabbados al
hora da tarde.
DIAS DA SEMANA.
15. Segunda. S. Isidro lavrador; S. Egydlo f.
16. Terga. S. Joo Nepomucene conega m.
17. Quarta. S. Paschoal Baylon f. S. Aquilino m
18. Quinta. S. Flix de Cantalice f.; S. Prisco rei.
19. Sexta. S. Pedro Celestino f.; S. Ivo f.
20. Sabbado. S. Bernardino de Senna f.
21. D/mingo. Ss. Marcos, Cheopompo e|Valente,b.
PREAMAR DE IIOJE.
Primeira as 11 horas e 42 m. da manhaa.
Segunda as 12 horas e 6 minutos da tarde.
PARTIDA DOS VAPORES COSTEIROS.
Para o sul at Alagoas a 14 e 30; para o norte
ata a Granja a 7 e 22 de cada mez; para Fernan-
do nos dias 14 dos mezes de Janeiro, margo, malo,
julho, setembro e novembro.
ASSIGNA-SE
no Recife, na livraria da praga da Independencia
ns. 6 e 8, dos proprietarios Manoel Figueiroa de
Faria & Filho.
PARTE QFFICIAL
DECRETO N. 3,363 DE 13 DE DEZEMM10 DE 1864.
Promulga a convengo celebrada em 6 de setembro
de 1863, entre o Brasil e o reino da Italia para
regular a troca da correspondencia entre os
dous paizes.
Havendo-se concluido e assignado nesta corte,
do dia 6 de setembro de 1863, urna coovengio
entre o Brasil e a Italia, para o fin de facilitar e
regular pela maneira a mais vantajosa a troca da
correspondencia entre os dous paizes; e tendo sido
esses actos mutuamente ratificados e trocadas as
raticagoes nesta corte aos 6 do correte mez: bei
por bem mandar que a dita convengo seja obser-
vada e cumprida fnteiramente como nella se
contm.
Joo Pedro Dias Vieira, do meu conselho, sena-
dor do Imperio, ministro e secretario de estado
dos negocios estrangeiros, o teulia assim entendido
e faga executar expedindo os despachos necessa-
"palacio do Rio de Janeiro, aos 13 dias de deze/n- %&S *&!? >&.!&&&> 'sS&k
Exceptuara-se os avisos e circulare sem que se
poder langar mo a data e firma.
Os livros nao podero cnler qualqoer guarnigo
ou ornato de valor.
Os jornaes e impressps, em que nao sejam obser-
vadas as recras cima, bem como aquelles de qne
nao fr pago previamente o porte, serio retidos e
nao seguirao os seus destinos.
11. Os jornaes e impressos sob cruzetas podero
ser seguros, mediante o porte previo que tem a pa-
gar, e mais urna quantia lixa, que ser de 210 rs.
no Brasil e de 60 cents, na Italia.
12. Os portes de que tratam os arts. 6o, 7o, 8o, 9o
e II, sero pagos por meio de sellos postaos dos
paizes respectivos.
Quando o valor dos sellos postos em qualquer
objecto enviado pelo corrio fr inferior ao que es-
ta marcado nos artigos antecedentes, dever o des-
tinatario, para que o possa receber, pagar a diffe-
renga.
13. A' administrago do corrio brasileiro paga-
ra a administraco do correi italiano :
Por toda carta simples originaria do reino da Ita-
lia, franqueada at o sen destino no Brasil, e por
de V. S. dar baixa ao cabo de esquadra Joaqnim
Alexandrino Rabel lo Caneca e soldados Antonio Ro-
drigues de Mondonga, Saturnino Ferreira Jorge e
Antonio da Silva Pinheiro, este do 2o corpo de Vo-
luntarios e aquelles do 1 adthdos ao 2, visto terem
sido considerados incapazes do servigo em inspee-
gao de saude, como consta do seu officio n. 8H de
13 do corrente, e dos termos que incluso devolvo.
Dito ao mesmo.Mande V. S. inspeccionar no-
vamente o voluntario Joao Baptista da Costa, en-
viando-me o parecer da junta e sande com o re-
querimento incluso.
Dito ao mesmo.Remetto incluso o reqoerimn-
to, que me enderecou o soldado da companhia de
Voluntarios da Patriado homens pretos Manoel
Francisco da Trindade, para que V. S. o mande
inspeccionar informando sobre a sua pretengao.
Dito ao mesmo.Sirva-se V. S. de informar so-
lt que para n3o augmentar o expediente da the-
ouraria de fazeDda, ser preferlvel que V. S. or-
dene ao seu procurador nesta eidade, a entrega a
AssociagSo Protectora das mesmas familias, a im-
portancia do seu donativo, afim de ter o convenien-
te destino.
Dito ao commandante do corpo de polica.Man-
de V. S. apresentar ao Dr. chefe de polica, com
urgencia, 8 pragas do corpo sob seu commando,
para escoltarem 3 criminosos at o termo de Inga-
xeira.- Communicou se ao Dr. chefe de polica.
Dito ao mesmo. Mande V. S. apresentar ao
eommandante das armas, afim de servir no-exer-
vairada pela febre partidaria dos grupos polticos
em que est dividida, nao possue a consciencia do
que deve ao paiz.
Vai para quatro mezes que o parlamento seacha
funccionando. e nem urna so lei de proveito geral
tem discutido.
em que est estabelecida a caixa filial do banco de
Portugal.
A hasta publica a que os ditos bens nacionaes
vo ser submettidos deve produzir omito mais do
que a quantia por que se acbam avahados. Q sitio
guio Dao ha sido al agora melhor empregado.
O novo ministerio, presidido pelo Sr. marquez
de S da Bandeira, coroposto como de caracteres
ja provados as lides governamentaes, parece que
nao encontrar tambem
.no seio da representaeao
cito se nao tiver Isengao legal, o guarda Manoel nacional o apoio decidido e desinleressado da maio-
Antero de Sooza Res Juninr, de que trata o seu : ria das duas casas do parlamento. No caso de as-
ome n. 321 de 15 do corrente, eliminando-o da sim acontecer o novo gabinete ou tem de pedir a
seecao urbana a que pertence. sua demisso ou aconselhar o cheto supremo do
u" ao inspector do arsenal de marinha.Visto estado a dissolver a cmara dos deputados
ZllSUlSS? Rodr,8ues da s,lva- no ,nclusoI g>jMMOi sua informagao n. 897 desta data, Procedeu-se no domingo 23 as eleigoes supple-
requerimento.
| mais conveniente ser feita nesse arsenal a balieira mentares para deputados
Dito ao mesmo -Mande V. S. dar baixa ao vo-; necessaria ao servigo da capitana do porto, tanto -Santarem, Leiria ArS, Villa Fio'RbgS "W a 'na-c*,xa 5S
ntann lf.. para que seja execu.ada essa cons- diversas causas* os diplomas conferidos aos cava- SS^L, $? *? "*2&
Brasil com destino Italia a somma de 52 rs. (15
cents.).
Por sua parte a administraco do correio brasi-:
leiro pagar administraco do correio italiano,!
por toda a carta simples originaria do Brasil fran-
queada com destino Italia, u por toda a carta
simples nao franqueada originaria da Italia com
foro de 1864, 43 da independencia e do Impe
rio.Com a rubrica de S. M. o Imperador.Joo
Pedro Dias Vieira.
Nos, D. Pedro II, Imperador Constitucional e
defensor perpetuo do Brasil, etc.Fazemos saber
a todos os que a presente carta de confirmagao,
segrate. Os jornaes e impressos do Brasil na Iltalia e vice-
^^^Convetiafopostal entre o Brasil e a Italia. < versa nao entraro na cootabilidade mutua das
S?m o Imperador do Brasil e S. M. o rei duas adrainistragSes, somente a administrago do
da Italia, animados do desejo de estreitar as rea-; correio brasileiro indemnlsar a italiana do prego
>goes de amisade que felizmente unem os seus res-, de transporte martimo e direitos de transito, que
pectivos estados, facilitando e regulando pela; esta fiver pago s admlnistragSes dos correios dos
maneira a mais vantajosa a troca da correspon-; estados intermediarios.
dencia entre os dous paizes, resolveram chegar a 1.4. As adminlstragdes do correio brasileiro e
este resultado por meio de urna convengo e para italiano fixaro de commnm accordo, em conformi-
este tira nomeram seus plenipotenciarios a
saber:
S. M. o Imperador do Brasil, S. Exc. o Sr. Pedro
de Alcntara Bellegarde, do seu conselho, veador
de S. M a Imperatriz, marechal de campo do
exercito, corameodador da ordem de s. Bento de
Aviz, etc. etc., seu ministro e secretario de estado
dos negocios da agricultura, cemmercio e obras
publicas.
dade com a presente convengo, as condigoes cem
que possa verificar-se a troca da correspondencia
originaria ou com destino a outros estados, a que o
correio italiano sirva de intermediario.
Fica entendido que taes condg5es, urna vez es-
tabelecidas, podero ser modificadas de commum
accordo, se fr julgado conveniente.
15. As duas administragdes se obrigam a nao
sobrecarregar com outro algum porte, nem por
S. M. o rei da Italia, S. Exc. Jo Sr. conde Ale-; qualquer pretexto, as cartas ou impressos que che
garem, s suas estagoes franqueadas at seu desti-
no, em conformidade da presente convengo.
16. O remetiente de urna carta segura poder
exigir que, por meio de um recibo do destinatario,
se Ihe faga certa a entrega da mesma carta.
Por esta exigencia dever pagar urna laxa de
70 rs. ou 20 cent?, que ser toda em proveito da ad-
minlitraco expedidora.
xandre F de Ostiani, grande dignitario da impe-
rial ordem da Rosa, etc., etc., seu encarregado de
negocios.
Os quaes, depois de haverem trocado os respec-
tivos plenos poderes, que foram julgados em bda
e devida fornTa, cotrrierara nos artigos ma-
guiles :
a m>_ "'-:*'"'S nn-t-tat 4n tmp'n
i.' bnirs m ,.J-...
do Brasil e do reino da Italia haver troca de
luntario Manoel Joaquim de Barros, que Ihe ser
apresentado com este officio, e o remeta para bor-
do do bngue escuna de guerra Tonelero a cujo com-
i mandante expego nesta data as .convenientes or-
(dens.
Dito ao mesmo.Por parte do inspector do ar-
nal de marinha sero apresentados a V. S., afim de
que os faga seguir a seu destino, os Voluntarios da
Patria Antonio Lntz dos Santos, Pedro de Souza Na-
zareth, Francisco Pereira da Silva e Jos Francisco
do Prado, que desembarcaran! do vapor Paran,
por doeotes e foram tratados na enfermara do mes-
rao arsenal : o que Ihe declaro para seu
metto.
U extrasiu un
cartas, amostras, pacot es de mercadorias e ira- i tente a urna> indemnisago. de 17^500 ou deliras
pressos de qualquer especie, a qual troca se effec-150, que ser paga pela administraco, em cujo ter-
tuar em malas fechadas por meio dos paquetes da
real companhia de Southampton, ou qoaesquer
outros da Inglaterra ou de outra nago de que
ambas ou qualquer das partes contratantes obte-
nham semelhante faculdade.
1 Tanto o correio do Brasil como o da Italia,
podero do mesmo modo utilisar-se tara trans-
misso da correspondencia em malas fechadas, dos
navios do commercio, quer de urna quer de outra
nago, que navegaren) entre os respectivos por-
ritorio se verificar o extravio e que dever ser pe
dida no prazo de seis mezes, a contar da data em
que a carta deveria ter chegado a seu destino.
17. As cartas mal dirigidas sero restituidas re-
ciprocamente sem demora, creditando-se o valor
por que houverenvsido debitadas.
As cartas, cujos destinatarios houverem mudado
de residencia e por essa razo forem devolvidas,
no caso em que nao possam ser-lhes entregues, o
podero ser aos remetientes quando sejam conhe-
tos. Por este meio, porm, s poder ser enviada cidos, sem que sejam abenas, pagando elles so-
aquella correspondencia, cuja transmisso fr mente o porte que deveria pagar o destinatario,
autorisada no sobrescripto. 18. As cartas ordinarias ou seguras, os jornaes
As malas fechadas, assim expedidas, sero en- e impressos trocados entre as administrages pos-
treges no porto da chegada aos primeiros empre-! taes do Brasil c da Italia, que por qualquer motivo
gados que se apresentarem a bordo, sejam do, nao poderem ser entregues a seus destinatarios, so-
crrelo, da alfandega, da sade, ou outros para' rao mutuamente devolvidas, creditando-se admi-
tsso habilitados. j nistrago destinataria pelo prego e peso por que
3. As despezas de transito e transporte mariti-' houver sido debitada,
mo da correspondencia trocada em malas fechadas
entre o Brasil e a Italia, por meio dos paquetes da
real companhia de Southampton, ficam inteiramen
te a cargo do correio italiano.
4.* As despezas de transporte da corresponden-
cia, por meio de navios de commercio, ficam a
cargo da administrago que a receber, se em virtude
da legislagao de qualquer dos dous paizes seme-
lhante transporte trouxer alguma despeza.
Se, ou o goveroo brasileiro ou italiano, vierem a
estabelecer servigo regular de paquetes entre os
portos das duas aaooes, ou seja por meio de vapo-
res frotados ou subsidiados, as condigdes deste
servigo sero reguladas pelas administrarles pos-
taes dos dous paizes de commum accordo.
5. A corresponiencia expedida do Brasil para
a Italia ou vice-verga, poder ser franqueada al o
seu destino ou Ucar o porte a cargo do destina-
tario.
19. As admini-tracoes do correio brasileiro e
italiano designaro de commum acedrdo as estagoes
postaos por cujo intermedio se dever verificar a
: troca da respectiva correspondencia, e ajustaro
tudo quanto for relativo forma das comas, sua li-
quidago, satisfagao, maneira de preencher quaes-
quer portes insucientes e quaesqoer outras dispo-
sigoes reglamentares ou de detalbe que conviereni
para a exocugo da present convengo.
Fica entendido que as disposigoes indicadas oes-
te artigo podero ser modificadas pelas referidas
duas administragoes, sempre que fr reconhecida a
necessidade de assim fazer.
i 20. A presente convengo comegar em execu-
go quando pelas duas administrarles fr accorda-
do e durar por espago de um anno, ficando, po-
rm, entendido que continuar sempre emquanto
por urna das altas partes contratantes nao for de
nunciado o seu tim com antecedencia pelo menos
6. O porte das cartas ordinarias, isto nao se- de seis mezes.
guras, que forem expedidas de um para outro paiz 21. A presente convengo ser ratificada, e as
por via dos paquetes da real companhia de Son- ratificagdes trocadas no Rio de Janeiro no praso
thampton fixado no Brasil em 430 lis para cada mais breve que fr possivel.
duas oilavas ou fraego de duas oitavas, e na Italia',
em liras 1,20 para o mesmo peso. (Sete e meia
grammas ou fraego de sete e maia gram-
mas.)
O porte das cartas que forem expedidas por
meio dos navios de commercio fixado no Brasil
em 210 ris para cada quatro oitavas ou fraego
de quatro oilava e na Italia em 60 ceots. para o .
mesmo peso. (Quinze grammas ou fraego de {
quinze grammas.)
7.a A administrago do correio do Brasil poder
transmittir cartas seguras com destino a Italia, i
assim como a administrago do correio da Italia'
Em f de que os plenipotenciarios respectivos
assignaro a presente convengo e appuzerd>o
sello de suas armas.
Feita em duplicata e assignada no Rio de Janei-
ro aos seis dias do mez de setembro do anno do
Nascimeqtode Nosso Senhor Jess Christo de 1863.
(L. S.) Pedro de Alcntara Bellegarde.
(L. 5.) iF d'Ostiani.
E sendo-nos presente a mesma convengo, cujo
tbeor fica cima inserido e bem visto, considerado
c examinado por nos tudo o que nella se contm,
a approvamos, ratificamos e confirmamos assim no
todo como em cada um de seus artigos e estipula
pela economa como
dence V. S.
truego com a brevidade'posBivel, continuando a Iheirosque havi'am sido eleilos por'aqelfes'ccu*-
estar a disposigao do capito do porto a que man- los as respectivas eleicoes geraes.
dei prestar-lhe por officio de 11 deste mez. Os dous circuios vagos dosta eidade eram os da
uito ao mesrao>-Mande V. S. apresentar ao com-. S e Cedofeita. O primeiro pelo fallecimento do
mandante das armas, afim de terem o conveniente Sr. Joaquim Marcelino de Mattos, e o segundo, por
>tino, os quatro Voluntarios da Patria que uve- haver sido noraeado ministro da Justina, no ultimo
rm alta da enfermara desse arsenal, como V. S. ministerio presidido pelo duque de Loul, o Sr. Dr.
ommunicou-me em seu offlcio desta data, que fica Antonio Ayres de Gouva.
assim respondido. Pelo circulo da S propozeram se os Srs. Joa-
uno ao capitao do porto.Louve Vmc. em meu quim Ribeiro de Faria Guimares (novernamental)
conheci- orne o acto de patriotismo do pratico-mr da bar- o Drs. Custodio Jos Vieira (opposigo) e Alexan-
a o porto desta eidade Joo Francisco Pardelhas, dre do Couto Pinto Magalhes, sem compromisso
uitoao mesmo.Mande V. S. dar baixa ao sol- qual concorreu com objectos de sua propriedade poltico,
dado do 2. corpo de voluntarios Francisco Anio-! gara a collocagio das boias do baixo do Inglez, da A pugna foi bem ferida entre os dous primeiros
Barra Grande e do Cabego de Coco, fornecendo candidatos.
gratuitamente para cada urna das ditas boias urna Os amigos de ambos formaram comraissoes de'
amarragao e quatro manilhas. ras e promovern) comicios pblicos nos quaes so I
Uito aoengeoheiro fiscal da estrada de ferro- passaram em revista, nem sempre desappaixonada '
ue Vmc. as providencias necessarias para serem ; os servigos e dotes naturaes dos dous propostos ca-
pazas do servigo em mspecgaode saude, como cons- j transportados al esta capital, na estrada de ferro i valheiros.
ta do seu oftlcio n. 831 de 12 do corrente, e dos 4 o delegado do termo de S. Bento e 60 voluntarios De parte a parle empregaram-se grandes exfor-
ermos que devolvo, os soldados do 2. corpo de Vo-1 qoe se acham na estagao de Una.Coramunicou-se gos, mas a urna nao deu vencimento.
malarios da.Patria Jos Joaquim de Santa Aana, | ao superintendente da mesma estrada. O Sr. Dr. Custodio Jos Vieira obleve as tres
| relix da Silva, Antonio de Mello Cavalcan- Dito ao juiz de direito do Bonito. Remetto in- assemblas que compem o circulo da S 1,080 vo-
clusas tres representages, em que diversos indi-1 los, o Sr. Faria Guimares 1,061 e o Sr. Couto Ma-
viduos se queixam de violencias praticadas por au- galhes 54.
toridades policiaes dos dstrictos de Gravat, Ca-
_ poeiras e Qulpap, afim de que Vmc, ouvindo c-
eosla, visto achar-se doente como provou com do-' da urna dessas autoridades, me remella suas res-
comento. ; postas, informando sobre ellas com o que por o.
Dito ao Dr* chefe de polica.Em resposta ao tros nreios couber.
seu oflkjo de 6 do correle, sob n. 6i0, remeti a | Portara.O presidente da provincia, attendendo
V. S. nao s o incluso officio do desembargador ao que requereu o professor de francez do Gymna-
provedor da Santa Casa de Misericordia,dirigido ao'sio Pernarabucano Antonio Jos de Moraes Sar-
regente do hospital dos alienados, afim de que este ment, e tendo em vista a inormacao do director
receba a de nome Amelia Feippa da Silva de que geral da instruego publica de 15 do corrente, sob \ Adriano
trata o seu citado officio, mas tambem copia do qoe n, 149, resolve conceder-lhe dous mezes de licen-! mental.
era 12 deste mez e sob n. 186, me inderegou o com vencmentos para tratar de sua sade. | Em Guimares obteve grande maioria sobre o
mesmo provedor, para que em casos idnticos se Communicou-se ao director geral interino da ios- seu competidor o candidato do governo o Sr Jos
proceda as diligencias nelle indicadas. truegao publica. I Mara Rodriguesde Carvalho. Ocandidato daopposi-
Uto ao inspector da thesouraria de faienda.-ln-^ .Dita.-O presidente da provincia, attendendo ao' cao era o Sr. Al ves Passos, redactor do peridico
trido do conteudo do seu offlcio de hoje, sob n. 1 requeren o baeharel Rufino Coelho da Silva, Braearense.
no nAde V. L jpiz municipal e de orphos do termo do Rio For-, As solemnidades da semana santa, instituidas
e que se acha edificada a casa da Bolsa, e a do
Banco Commercial, e estas circumstancias induz
anda mais as directoras dos estabecimentos ban-
carios que eslo em casas de aluguer, a concorrer
licitaran.
E fra de duvida, que concorrero a' praga,
pois eslo autorisadas pelas respectivas assemblas
guraes para a acquisigao dos terrenos precisos, as
directoras dos baocos portuenses Mercantil, Uniao,
e Allianga. O Banco de Portugal tambem de certo
n3o deixar Ir para outro possuidor o edificio que
ixa filial.
A Associago consoladora dos Afilelos
nio Cavalcanti, visto servir de arrimo a sua one-
rosa familia, como V. S. afflrma em seu offlcio de
13 do corrente, com referencia a informago do
commandanle do mesmo corpo.
Dito ao mesmo.Visto terem sido julgados inca
ti, mande V. S. dar-ihes baixa.
Fica assim respondido o seu citado offlcio.
Dito ao mesmo.Mande V. S. dar baixa ao sol-
dado do 2.* corpo de voluntarlo Antonio Alves da
Pelo numero de listas entradas na urna, a maio-
ria exigida, que a absoluta, devia ser de 1,106
votos e como nenhum dos candidatos a obteve tem
de proceder-se a nova eleigo. Para ella se pre-
parara j os amigos dos dous referidos cavalheiros
mais votados.
Pelo circulo de Cedofeita foi oleito, quas sem op-
posigo, o Sr. Dr. Ayres de Gouva.
Por Penafiel sahio sem opposigo o Sr. Dr.
de Ahreu Cardoso Machado, governa-
WUIM
mandar tyagar sob miaa responsamnuauo, ~,
termos do decreto n. 2884 do Io de fevereiro de vencmientos para tratar de sua sauoe tora uo mes-
1862, os prets, relativos a primeira quinzena deste mo termo.
mez, do 4.a balalho de artilhana a p e da com-1 ------
panha lixa de cavallarla, smente na parte para Eipfdieale do secretario do aorerno do dia \6
que nao houver crdito, segundo consta de seu ci-
nAll memoracoda sagra
nesta eidade em 1851, distribuio o anno passado
em esmolas a pessoas necessitadas a quantia de rs.
29,J010. A receila proveniente das quolas das so-
cias, donativos, etc, prefez 4890735 rs.
A direcgo desta sociedade composta da con-
dessa de Rezende, presidenta, D. Constanca de Al-
buquerque Forbes, secretaria, D. Camilla Amelia
Ribeiro de Faria, thesoureira.
A Associago Artistico-Coraraercial de Beneficen-
cia, no decurso do anno (indo, prestou soccorros a
29 associados na somma de 32850KO. A rpceita
elevou-se quantia de 1:876325 rs. e a despeza
com facultativos, botira, etc., de 1:034053, re-
sultaodo o saldo de 8i2272.
O orgamento da receita e despeza municipal do
concelhe do Porto para o futuro anno econmico de
1865-1866 assim formado :
Receita.
Impostos sobre a carne............ 84:373593o
Impostos sobre o vinho de consumo. 34:6005' 00
Imposto dos carros................ 16:5005000
Differentes verbas de receita ordina-
ria e extraordinaria............ 14:5485790
Total.... 150:0125725
Despeza.
Ordenados a erapregados, quotas para
expostos, despezs do districto e
lactages...................... 47:7725715
Illumioagao a gaz na eidade........ 16:8005000
Illuminago na Foz e Lordello..... 2:0005000
Obras........................... 39:6965't00
Dividas passivas................. 13:1785273
Differentes verbas de despazas..... 30:5655337
Total... 150:0125723
As juntas geraes dos dstrictos do reino foram
mandadas reuair extraordinariamente afim de se-
ren consultadas sobre o plano geral das estradas
districtaes organisado pelo conseibo das obras pu-
blicas.
A junta geral do districto do Porto, sasua sessao
ordinaria, regeitou, por maioria. urna proposta
celebrarara-se, nesta eidade com o explendr e gra"
gg> ttrfig; ffggggg-" um Piador Jra que na con-
sulu aa
i, ^ari
|)'J|r-iii (..,,,.uu IJ JU b.stTl
lado offlcio.
Dito ao mesmo Communico a V. S. que segun-
do parHeipou-me o commandanle superior dos mu-
nicipios de Olinda e Iguarass em offlcio de 10 do
maio de i 86o
Offlcio ao Dr. chefe de polica.O Exm. Sr. pre-
sidente da provincia manda declarar a V. S. que
leVe o conveniente destino o desertor do corpo de
corrente, entrou em servigo no dia 7deste mez, o! I^Xcto o? VS n^Jl^i^ qUea"U"
destacamento de i inferior e 10 pragas da guarda i denS nS-Lr' a,SiS h n
nacional, que mandei estacionar no segundo da- LSffcfJSSS f ^esouraria de fazenda.-O
auelles muniinins D'""<" u" uuuo .Exm. Sr.presidente da provincia manda transmit-
tir a V. S. as seis inclusas ordens. sendo quatro do
thesouro nacional, sobns. 54 a 57, e duas do minis-
terio da guerra, datadas de 28 de abril ultimo e 5
vidado de vida a to augustos mystenos._ i porto sejam as amas dos expostos obrigadas a man-
Na quinta-feira maior houve exposigao era quasi | dar as criaDcas qae estiverem em seu poder : de-
todas as igrejas, e apsar do lempo estar multo chu- ms aue tjverem corn0|eiado 5 annos. al ao fim
poder transmittir cartas seguras com deslino ao; gjes, e pela presente a damos per firme e valiosa
Imperio do Brasil ou aquelles paizes a que o' para produzir o seu devido effeito, prometiendo
crrelo italiano servir de intermediario. em l e palavra imperial cumpri-la enviolavelmen-
0_ porte das cartas seguras, enviadas qur do' ie e faze-la cumprir e observar por qualquer modo
Brasil para Italia, qur da Italia para o Brasil,' q0e possa ser.
ser o mesmo das cartas ordinarias com o aceres
cimo de nraa quantia fiza, a qual ser de 210 res
no Brasil e de 60 ceots. na Italia.
Estas quantias deverao ser pagas sempre adian-
tadas, e a do seguro ser sempre em proveito da
administraco expedidora.
Por navios de commercio nao permitlida a re-
roessa de cartas seguras.
*. As amostras ou pacotes de mercadorias, an-
da mesmo sob cruzetas, sero considerados como
correspondencia e sujeitos ao mesmo porte.
9.* Os jornaes e Impressos de qualquer especie,
aviados do Brasil para a Italia, ou viceversa, se-
ro franqueados ate o sen destino.
O seu porte ser de 52 res para cada 11 oita-
vas, ou fraego de 11 oitavas no Brasil, e de 15
cents, para o mesmo peso (40 grammas ou fraego
de 40. grammas na Italia).
Por impressos se entende nao somente toda e
qualquer especie de obras peridicas, opsculos, li-
vros, mesmo encadernados, avisos, circulares, pros-
pectos, catlogos -, mas tambem gravnras, litho-
grapbias, photographias e outros semelhantes.
10. Os jornaes e impressos, a que se refere o
artigo antecedente, devero ser envoUos sob cruze-
tas e accommodados de maneira que fcilmente
possam ser verificados, e nao deverae conter qual-
quer escrlpto mo, alm da respectiva direccao.
Em teslemunho e firmeza do que Atemos passar
a presente carta por nos assignada e passada com
o sello grande das armas do imperio, e referendada
pelo nosso ministro e secretario de estado abaixo
assignado. Dada no palacio do Rio de Janeiro, aos
22 diaj do mez de novembro do anno do Nasci-
raento de Nosso Senhor Jess Christo de 1861.
fL. S.) Pedro Imperador (com guarda).Joao
Pedro Dias Vieira.
GOVIMHO A PROVINCIA.
Expediente do dia 16 de ai* de 1865.
Offlcio ao Exm. conselheiro presidente da rela-
co.A bem do servigo rogo a V. Exc se digne de I
dar-me sciencia das decisSes que esse tribunal pro-
ferir a respeif) de processos instaurados as auiori-
dades e funecionarios pblicos, sobre as quaes a
presidencia tem de expedir ordens e providencias.
Dito ao memo.yueira V. Exc. informarme
se esse tribunal confirmen ou revogou algum des-
pacho de providencia, proferido pelo juiz de direito
da comarca do Bonito contra o subdelegado do dis-
tricto de Paoellas em Caruar, Joo Themoleo de
Andrade.
Dito ao coronel commandaote das armas.Man-
Dito ao mesmo.Additando o meu offlcio desta
dala, recoramendo a V. S. que mande com urgen-
cia ajustar contas e passar guia de soccorrimento
ao director das construcgdes navaes do arsenal de
marinha, Trajauo Augusto de Carvalho.
Dito ao mesmo.Mande V. S., sem demora, abo-
nar, como se determinou em aviso da repartigo
da marinha, de 8 do corrente, ao director das cons-
trueges navaes, Trajano Augusto de Carvalho,
3ue segu para a Europa no paquete inglez proce-
ente do sul. em servigo do governo, nao s a
quantia de 6005, como ajuda de custo, mas tam-
bem o quantilativo necessario para pagamento de
seu transporte at Southampton, levando essas
sommas a conta da verbaDespezas extraordina-
rias eventoaes do corrente exercicio.Offlciou-se
neste sentido ao inspector do arsenal de ma-
rinha.
Dito o Inspector da thesouraria provincial.-In-
forme V. S. com urgencia cora o que Ihe constar
sobre os dbitos de Francisco Cavalcanti de Albu-
querque e de Francisco Pi Valenga, provenientes
de arremangues de impostos sobre o gado e dizi-
mos nesta provincia.
Dito ao mesmo.Em vista do que expde o ba-
eharel Vicente Jansen de Castro e Albuquerque,
no incluso requerimenlo, recoramendo a Y. S. que
expega as suas ordens no sentido de ser pago ao
procurador do mesmo baeharel, o alugnel vencido
de novembro do anno prximo passado at janeiro
ultimo, da casa que serve de cadea na villa de In-
gazeira.
Dito ao mesmo.Estando em tormos o pret junto
em duplicata, e nao havendo inconveniente, man-
de V. S. pagar Jos Maria Ferreira da Cunha,
conforme solicitou o commandante superior da co-
marca de Nazareth, em offlcio de 29 de abril ulti-
mo, sob n. 200, a quantia de 38*550, om que im-
portan) os vencimentos de urna escolla de guardas
nacionaes, que veio esta capital, afim de cmdu
zir presos de justiga que teem de responder ao jury
naquella eidade.Commonicou-se ao commandan-
te superior de Nazareth.
Dito ao commandante superior da guarda nacio-
nal do Recife.Ao tenenle Euzebio Napoleo de
Squcira e alferes Alfo Odn da Cunha Goianna,
ambos do 6 balalho de infamarla da guarda na-
cional sob seu commando superior, sirva-se V. S.
de agradecer e loovar em meu nome, os sentimen-
tos de patriotismo que manifestaran), offerecendo-
se para tomarem parte na guerra, em que se acha
empenhado o paiz, scientlticande os V. S. tambem
de que tomarei em considerago semelhante offe-
recimento, quando flzer a designago dos offlciaes
que devem acompanhar a forra da mesma guarda
nacional, que se destina ao servigo da guerra.
Dito ao commandante superior da guarda nacio-
nal de Olinda e Iguarass.Mande V. S. sentar o
tenente Jos Elias de Vasconcellos, do conselho de
revlsao da guarda nacional da freguezia de Ma'an-
guape, visto que. segundo declareu o director da
Faculdade de Direito em offlcio de 10 do correte,
sao necessarios os servigo- desse offlcial como con-
tinuo da mesma Faculdade.
Dito ao mesmo.Ordene V. S. ao commandante
do 9* balalho de iofantaria da guarda nacional de
Olinda, que preste urna guarda de honra para
acompanhar a procisso do SS. Sacramento aos
voso foi graude a concurrencia de povo nos tem-
plos.
A editicativa ceremonia do Laca-pedes celebrou-
se na S Cathedral, na Trindade, Misericordia,
Terceiros do Carino, de S. Francisco, e Collegiada
dos Clrigos.
Na S foi feita pelo Exm. bispo, que servio um
jaotar aos 12 pobres, e deu a cada um desles um
vistuario completo e esmola.
Na Misericordia e nos Clrigos tiveram os po-
bres vestuario, esmola
nuuia e toalha.
^gy^-fgg-***1?? ,um d,a d,rec- i Em S. Francisco e no Carmo, receberam os po
loria geral das rendas publicas de 2 deste mez e bres esmola
outro da secretaria do ministerio da fazeada
de 6.
N. 188.Dito ao primeiro secretario da assem-
bla legislativa provincial. De ordem de S. Exc.
o Sr. presidente da provincia, passo s mos de V.
S., para serem presentes a essa assembla, 40
exemplares do relatorio com que o Exm. Sr. pri-
meiro vice-presdente desembargador Anselmo
Francisco Perelti passou ao mesmo Exm. Sr. a ad-
ministrago desta provincia.
Dito ao Dr. Francisco de Carvalho Soares Bran-
do Declaro a V. S. para seu conhecimenlo, e
afim de que venha prestar o devido juramento,
que o Exm. Sr. presidente da provincia o desigoou
para servir de procurador fiscal ad hoc da thesou-
raria de fazeDda, no processo de pagamento dos
vencimentos do ajudante do guarda-mr da alfan-
dega desta capital Alfonso do Reg Barros, visto
ter-se dado de suspeito o respectivo proprietario
baeharel Henrique do Reg Barros.Communicou-
se a thesouraria de fazenda.
Despachos do dia 16 de maio de 186.
Requerimentos.
Dr. Antonio Jos de Moraes Sarment. Como
requer.
Alexandrino Chrisliano de Oliveira.Passe por-
tara concedendo a licenga sem vencimentos.
Bento dos Santos Ramos.Informe o Sr. inspec-
tor da thesouraria da fazenda.
Evaristo Mendes da Cunha Azevedo.Passe por-
tara prorogando o prazo por 35 das.
Felismina Maria da Concego. Nao existindo
no segundo corpo de Voluntarios praga alguma
com o nome de Jos Romo dos Sanios, cumpre
que a supplicante se dirija ao quartel do mesmo
corpo, afim de ver se seu filho est alistado com
outro nome.
Joaquim de Hoilanda Cavalcante. Informe o Sr.
Dr. chefe de polica.
Josepha Pereira da Silva. Concedo o prazo de
15 dias.
Alferes Joaquim Milto Alves Lima.Requera o
supplicante quando se aproximar a partida do cor-
po de polica a qoe pertence.
Jos Patricio da Silva, in deferido em vista da
informago.
Manoel Pereira Camello Pessoa.Informe o Sr.
inspector da thesouraria de fazenda.
Manoel Rodrigues de Souza. O direito doQsup-
plicanle ao pagamento qne requer, acha-setpres-
cripto, segundo informa a thesouraria da fazenda.
exterior!
CORRESPONDENCIAS DORIA
RIO DE PBBff AHRCCO
powto.
s 27 de ,k,U ** 186*'
enfermos na freguezia de S.. Pedro Martyr, no dia Ha dous mezes que estamos em completo venda-
18 do corrente.Communicoo-se a respectiva mesa! val poltico. A crise ministerial declarada pelos
regedora, | rins do mez de fevereiro, segundo diversas e inte-
Dito o Dr. Lourenco Francisco.de Alraeida Ga- ressantes peripecias, pode dizer-se que continua,
tanho.Applaudindo multo os seniitnentos de pa-1 Neste curto espago dn tempo eahiram dous minls-
triotismo que V- S. maojfestou, snbscrevendo 10' terios, qae tendo grande maioria na cmara elec-
porcento deseas vencimentos para auxilio das Uva nao poderam governar desassombradamente
familias dos Voluntados da Patria, cabe-me dlzer-' em face do partimento, porque essa maioria, des-
e toalha, e na Trindade, jantar e es
mola.
Na sexta-feira santa celebrou-se o offlcio da pai-
xq, em todas as igrejas em que tinha havido ex-
posigo, fazendo-se no fim do offlcio a procisso do
enterro no Carmo, na Trindade e freguezia de N.
S. da Boa-Viagem.
De tarde sahio do mosteiro das religiosas de San-
ta Clara para a igreja dos extractos frades francis-
canos a procisso do enterro, chamada da ei-
dade.
Na forma dos mais annos tinha na terga-feira
sido conducida processionalmente, em andor cober-
to da igreja dos franciscanos para a da Santa Cruz,
a imagem de .\. S. da Soledade.
A procisso do enterro feita pela Ordem Ter-
ceira de S. Francisco, cujos irmos concorrem
sempre, em grande numero a esta solemnidade.
Leva anjos e figuras symbolicas conduzindo dille-
rentes emblemas da redempgo. Esfe anno iam
debaixo do andor do Senhor Morto tres senhoras
de preto e descaigas.
A forga militar de quartel permanente nesta ei-
dade, e que ora consta do balalho de cagadores
n. 9 e relmenlos de infamara ns. 5 e 18, mar-
chava no fim da procisso levando sua frente o
general visconde de Leiria com o seu eslado-
maior.
No sabbado, ao appareeer da allelnla, e por en-
tre o repique dos sinos e o estourar dos foguetes,
os rapazes queimaram com alvorogo, em diversos
pontos da eidade, os manequins que ao amanbeeer
haviam aleado em postes.
E' usanga antga, pouco em harmona com a c-
vilisago dos nossos dias e que ha de acabar, ou
pelo menos modificar se seosivelmente, quando a
instruego primaria tiver chegado at as ultimas
carnadas da sociedade.
O commercio martimo portuguez foi alliviado
da despeza, mullas vezes avultada, que era obrl-
gado a fazer, mormente na estago invernosa, quan-
do, pelo mu tempo os navios buscavam abrigo nos
portos de Galliza.
Em Vigo, principalmente, custava urna arribada,
conforme as circumstancias, de lOOdOOO 400;000
rs., porm, de ora em diante, em virtude da reso-
lugo do governo de Hespanha, os navios por tu-
geles que demandaren) aquelle porto, por arriba-
da forgada, sao iseatos dos direitos de porto, carga
e descarga, com a condigno expressa de nao prati-
carem operago alguma de cemmercio; incumbin-
do aos respectivos coosules justificar peraote a au-
toridade competente a causa da arribada, compro-
vando-a mediante o diario da navegago, passapor-
te real e manifest de carga e despacho de alfan-
dega.
Igualmente foram dispensados do pagamento dos
direitos de sade os navios portuguezes qoe entra-
ren) nos portos de Galliza por arribada forgada e
espera de ventos favoraveis para passar aos por-
tos de Portugal.
Est destinado o dia 17 de maio para a arrema-
tado, no thesouro publico, da cerca do exlincto
convento de S. Domingos, desta eidade, e bem como
do edificio onde est estabelecida a caixa filial do
Banco de Portugal. Para o effeito da arrematago
a cerca dividida em chaos, quari todos da largura
de 6 metros e 6 decmetros, e de fundo 44 metros.
Os que teem esta medigo foram avallados, cada
um, em tres conlos de ris. O total das avaliagdes
de 77:8975500, entrando nesta cifra vinte e cinco
contos de ris, que a quantia fixada ao edificio
pois que tiverem completado 5 annos, al ao fim
da creago, s escolas onde as houver, e que se pe-
disse ao governo a creago de cadeiras de instrue-
go primaria em todas as freguezias onde for con-
veniente.
Coostiluio-se nesta eidade urna comraisso para
agenciar donativos pecuniarios em favor das fami-
lias dos briosos e valentes soldados brasileros que
tem perecido no campo de batalha era defeza da
honra do Brasil quo vilmente ultrajada pelos esta-
dos do sul, quanto gloriosa e nobremente vingada
pelo valoroso exercito imperial. Esta commisso
filial da commisso porlugueza que foi organisada
para o mesmo fim no Rio de Janeiro. Compe-se
dos Srs. visconde da Trindade e de Pereira Macha-
do, baro de Nova Cintra, Francisco Bessa, e Jos
Pereira Lourero, os quaes abriram a subscripgo
assignando cada um 5005000, moeda do Brasil.
Abrio-se a casa de correcgo para rapazes vadios,
situada na ra das Carvalheiras, instituigo morali-
sadora e altamente humanitaria, e cuja creago
nesta eidade, devida iniciativa do actual go-
vernador civil o Sr. Jauuario Correia de Al-
meida. *
Os reclusos vestem uniformemente, sorao instrui-
dos em ler, escrever, na doutrlna christa, as
quatro operages e no systema melnco. Por em-
quanto sero ensinados os oflicios de sapateiro e
cordoeiro. O dia dividido em horas de esludo,
de aprendizagem e de reemo.
Os rapazes que forem presos por vadios s all
daro entrada depois de julgados como taes pelos
tribuaes de justiga correccional.
Offereceu-se, e foi aceito o seu offerecimento,
para exercer gratuitamente a clnica da casa de
correcgo, bem como da casa de delengo para
raulheres dissolutas, estabecida no Aljube, o cirur-
gio o Sr. Joo Vieira Lopes.
Empregando os meios j por mah de urna vez
postos em pratica com feliz xito, tentn evadirse
das cadeias da Relago desta eidade, dentro de
urna canastra, Emilia Guilbermina Lopes, que all
se achava a cumprir sentenga de dous annos de
priso por cumplicidade na falsilicago de urna le-
tra. Quando o gallego, que levava as costas a ca-
nastra com a preciosa mercadoria, pretenda trans-
por o limiar da porta da cadeia, o chaveiro suspei-
tou do carrego, e examinando a canastra obstou a
que a tentativa de e vasa cao de ternasse urna rea-
lidade.
O Sr. Frncisco de S Noronha, dislincto volms-
la, e autor da opera Beatriz de Portugal compoz
urna nova opera, o Arco de Sant'Anna, que offere-
ceu aos portuenses, e cujo libreto extrahido do
magnifico romance, que tem aquelle titulo, do Sr.
Almeida Garrett.
Foi noraeado vice-consul do Brazil, na villa da
Figueira da Foz do Mondego, o Sr. Alfonso Ernes-
to de Barros, negociante d aquella praga.
O tribunal do commercio do Porto declarou em
estado de quebra os Srs. Jos Baptista Pereira
Vianna e Antonio Joaquim da Silva liarn-iros.
Fallecen no dia 24 do corrente, no seu palacio
do Campo de Santo Ovidio, d'esta eidade, o Sr. con-
de de Rezende amigo par do reino, porleiro mor
da casa real, e capito do exercito e da guarda
real dos archeiros. Contava 44 annos de idade, e
era casado com a fllha primognita do fallecido
general visconde de Beire.
A subscripgo aberta na redaego do Commercio
do Porto em favor da familia do finado escriptor
publico Sebastio Jos Ribeiro de S sommava no
dia 17 do corrente 3915650.
A bibliolheca publica do Porto foi frequentada
no primeiro trimestre do corrente anno por 1,529
pessoas, que consultaran) 952 obras de littcratura,
292 de historia, 357 ero outros ramos, e 16 ma-
nuscriptos.
Em Villar Torpiro, freguezia raiana, na provin-
cia da Beira, deu-se no da 18 do corrente um ter-
rivel conflicto entre alguns guardas fiscaes da al-
faedega da Barca d'Alva e os contrabandistas que
bviam introduzido de Hespanha grande porgo de
trigo.
Os guardas da alfandega por denuncia que Ihes
MELHOR EXEMPLAR ENCONTRADO!


va? nrn miu nn
flf
rtTrrrf
tBvnr
Alarlo de rerntmbnpo sexta Irlra 1 de Malo de 1865.
I
havia sido dada, consegulram aprehender -80-
tantas cargas de trigo barbella, purm os contra
bandiathagiie'as couduziam, fizerara que, a seus
brados acndis'sem em soccorro* mftitcfe intViduos
da localidad e atuiliados por -estas trauram de,
pela forja, rehaver o cereal aprehendido, o que
conseguirn) depois de renhido combate, nao obs-
tante a coragvm coro que se Lateram os guardas
em numero de 10 a pe, e 3 a cavallo. Ficou
niorto um contrabandisaaj e como de suppor,
bouve ferimenlos de ambas as partes.
No anno de 1861 despacharam-se para consumo,
na alfandega do Porto. 8,704 pipas de vinho ma-
duro, que pagaram de dmitos 05:097*031, e
4.97:1 ditas de viuho verdi, cujos direitos foran..
18:5085610.
A mesma alfandega rende* no mor de margo
altimo 2i6:185*fO, ou mais 4l-.060*o'G7 que em
igual mez do anuo passado.
Desde jutho de 18*4 amrco de 1863 a dita
casa liseal renden 1,890:313*191. Em iguaes
mezes de 1863 e 1864 foi o reodimento do.......
1,964:6974693. Da eomuaraoj deslas cifras re-
sulta a differenca, a favor do ultimo periodo, de1
7i:384*2.
O despacho do tabaco as alfandegas d Lisboa e
Porto produzio no mez de marco, passado-.......i
531 -362*168. Desta qnantia pertence nicamente
casa fiscal desta cidade 10:901*875.
No primetro trimestre do crreme anno rendeu
o despacho ilo tabaco as doas referidas alfandi gas
1,106:831*376.
Cambios .obre Londes 20 d. d. 53 1|IG e 90 d.,
v. 33-H&* sobre HflmMM-t!*- 4-*7- lr*3 m.-de-
nomina!, e sobre Pars 540 3 m. d. nominal.
Entrou no Douro em 14, a barca Nova Carolina,
do Maranhao.
Sahrram: em 20, a barca Novo Tentador,
8 digase :au administrador do cemtterio
300* em vez de 200*.S Pereira.
Foi approvado o ar4-8, com aseguJnte emenda,
depois de fallarem os Srs. vigario Maranhao e Ra-
mos.
Ao art. 8Fica a cmara municipal de Nazareth
autorisada pagar ao propietario Joao da Costa
Ribeiro Souza lodo o debito proveniente dos venci-
mentos do terreno em que est sito o acougue pu-
blico da referida cidade, pertoncente ao mesmo
proprietario.Marauho.
Entrando em discusso os arts. 9 a 22 forain
appro vados sem debate.
O art. 43 a pero vado, com a segaiote emenda :
200* para reparos da casa da cmarallego
Barros.
Em seguida sao approvados, sem debate, os arta
24 a 34.
Entra -em discu?so o art. 35 sobre a recerta, o
qual foi approvado, sendo regeitada a primeira das
emendas 100 rs. por carga de carne secca ou ba-
calho* e 1*000 sobre cada cabera de gado vac-
cum,1icando a cmara obrigada a fornecer pesos
e balanzas.
Passaudo-se a discossao dos arts. 35 a 38, sao
approvados sem debate.
Keconhecendo se nao haver casa o Sr. presiden
v '' '
II mcze^Boa-Vbtta ; gaiat arroje de.
Mara, Pernambueo,
Interite.
Cypnane, Pernambueo,
intermitente.
Felismina, Pernambueo, 7 dias; ImW itiliHiii
Manoel, Pernam buco, 3 dias, Santo Antn*--; ka
morrhagia.
Manoel, Pnatmboco, 1 har, S. Jos ; congMae
cerebral.
Marta, Artea, 70 annos, Mira*grava, Boa-vls-
ia ; aseile.
______________________
m
% m
______________
BUBtcitfsi &mm
Vai finalmente retirarse desta provincia* nosso
distinto migo o Illin. Sr. Dr. Manoel Bemardino
Bolvar. Por de mais sensivel para pos de certo
apartida deste arrripe I... A pepala'ro desvalida
do Rio Grande do Norle, os homens
agradecidos de loda parte sentem comnosco lo pe-
noso apartamento! S a oveja;'o despert, ou a
paixo podero contestar to solemae verdade.
Boje que seos verdadeiros amigos, aquellos que
exiaziados contemplavam o seu brilhaule procedi-
raento como medico e cidado, veem retirar-se o
dYripir ao di^no promotor urna carta Carneiros ......
w*ro, oarperfeito tamandu, em que ep|ai Carvao.veretal
n- lanM ada-lne infamemente para nao ser proMssad!i Cavernas de sicupira .
afeitara interiormente com urnas noiinhasiaowCera de carnauba era bruto.
to bonitas, mas que o digno Dr. promoiorybrin- ]dem dem em velas .
deta e vendo os taes enfeites, a devolver intacta Cha .'.'.*.
repellindo com a energa propria de seu carcter'. Charutos ......
3aoo*n*ia,psse insulto. ;- ^uan Cevados (porcosJ ....
MnavSrt. redactores, qmftHi 4* a mantead Cocos (seceos)......cenia
treclsyouando chegando no p*nado4 eir no da 16 docorrente vi pa.madcbjr aipak Couros de boi, saicada.. t
las roaso invencivel F. por taar praatvlo nan dem idem seeco*. espichados
ca*ni obstante existir em poar do 3r.Br. pro- dem idem verde.
motor patuco a denuncia de qujr-TtenrwiallaiV
Nio hsstevida o F. forte, oMeneinel,. natv
ceire ente. Todava espefMMpqaa o $r.rOD--tna>
motor nabiieo a bem de -ua-npnMce". e vinctada
as lets da sociedade com a jranrcao de crime to
horroroso, de um parrecido, pde-se dzer, trale
da instauradlo dsse processo com o zelo qoe o
dem idem cabnmeorlr
dem dem de i
Doces seceos
dem em gela
dem em calda
um
arroba,
urna
libra
i

cento
um
um
Espanadores grandes .
dem pequeos......
*-*=lf'_ _ls!11gu.e' e interesSC 1ue deve tomn ao desempa-1 Esleirs para forro de estivas
lile
>
>
um
>
1*000
iiaoo
8*000
^00
300
1*500
2*500
15*000
6*000
00
150
340
105
350
tOJffoo
1*000
UBfinniUSSS.
do
320r*\
SOf 4. A
te levaota a sessio as 4 ^ horas da tarde,'dando i dito doutor, per ventura guerreado por uguem,
para a ordem do da a conttnuacao da mesma e ao obstante continuar elle na mesma marcha glo-
mais
n.33.
1" dscussio do projecto n. 86, e 2* do de
r n i" n
revisto mam:
partida mensal da Cori-
Amanhaa tem logar a
bantina.
uara i eiro -en Sarca Firm, ~ A representaco do Ceg t o Cominda, que
1!K1.T firmeza,, pg|a t, yei fQ| ~ ^^n^gtn sceDa n0 SanU
Ahrt,m !1 H r, am w h.r^, 'sabel, revelou nelle um thesouro de belleas dra-
iaTZ?$ffiZZ>?-^^'> t"**** -gnena.phrase, na
a barca Sympttia, para Pernambueo, e a galera
Jaropa para o Rio de Janeiro.
Estao tambem a carga para portos do Brazil as
seguintes embarcagoss:
Barcas Moateiro II, e Tamega para o Rio de Ja-
neiro.
Barcas Dours, e Santa clara para a Babia.
Brigues Pernambucano (brasileiro), e Uoio para
Pernambueo.
Para o Maranhao a barca Alfredo; para o Para
a barca Rocha ; e para o Rio Grande do Sul a bar-
ca Recreio.
E-ia.i surtos no Douro, mas anda sem destino,
os seguintes navios, da carreira do Urasil :
barcas Nova Carolina, S. Manoel II, e Flor da
Maia; brgues Paulina, Dcuro e S. Manoel I. e o
patache Boa Nova.
riosa e nunca desmentida sollicilude e dedica'cn
I do medico pal, fllho e amigo; unidos e em urna
s voz querem patentear ao publico qoem e-que
i mrito tem o medico de Em nenhnma otrtra"riecssiao nnis cabida esta
grata trela, do que. nesU, quando este to digno
j cidadao, esto amigo sempre leal e prestimoso, vai
, deixar-nos e assim abrir o vacuo que defOcilmenle
I pod.-ra sor prehenchido...
Em neahumai ottlra oecasio, repetimos, to
cabida esta larefa; porque levando todas oco-
nherimenio das qualidades Ilustres de qoe dota-1
i do este amigo, ser um teatemunho, embora fraco |
do nosso reconhecimento, apreso, cousideracao e
. saodade.
Quera de perto conhece a esse distincto cavallei-:
ro, sabe a deseripra fiel da honrada e gloriosa vi-
da que ealre nos passou ; aquellas que ocoobecem
sabem qne ninguem tem sido mais desintere9sado,
acertando todos os sacriiicios psr amor da hamani-
daie, pelo triumpho da medicina, e pelos loteres-
ses nao s, dos seus amigos, como d'aquelles que
o chamavam junto ao seu
nho de seus- deveres.
O pauofeira do vapor.
Farinha de de mandioca
dem de araruta ....
O jn ir. mii afelpa 1 i de I ogaze I ra | Fcijaa de qualquer qudlidade
Tendo sollieilado urna liceoca e esperando al- FJ'ecnaes ,..
can?a-la, breve estarei na cidade do Recifc, onde I f .u em.,olha' bom
darei a resposta conveniente a todos os insultos e em ord,nar|o ou restolho
calumnias,iqfcft contra mim. bao sido pnblicados d.em cm,.n'.bom
as folhasida capial dem ordinario ou restolho. .
Embora deva eu contar cora o julzo favoravel do *~ ......
Efl>, presid-ente da prvneiy.auema.a. coes documentadas que lenho mini?irado e beile. Pec?cuan"a (raiz)......
ministrar, julgo de meu desver inleiraro publico ^n .....cenl
em geral de qaanlo me calumniam os nieus gra-
tuitos nimigos.
de navio........cento
; Estopa nacional .....arroba
alqueire
arroba
c
um
arroba
>
urna
500
4*000
2*000
15*000
1*600
2*500
4*000
2*800
55000
14*000
8*000
8*000
600
Villa de Ingazoira, 29 de abril de 1865.
Jooqhbi Barara Chaves.
molho
Um importante coralito.
Nao te mes contedme*! t algu m de n en Ii um ca-1! ,1l^l,r
so, que to perfeitamente mostee de urna maoeira Jem. mi
mais clara e persuasiva o poder da sciencia medi- .{''aS;,ava
ca sobre a molestia,, cerno o que se deu corneo til lio, Fonta?' 0H v1" uc vacwrs ou
do Sr. coronel Tibnrno Pmlo^'Almeid da cida^ J8"" -. cent0
de da Victoria. Este-moo^ que ha pouco se acha-1 Pranchoes de amarello de dous
va inutilisado,. solfrendo as dores as mais atrozes e ,,,cos^ f .......um
pungenies, pcevenientes, d excroscenea, ou exos-i |e ae IOHro...... *
tosis nos osaoSf acha-se hoje restalielecido- e com ] ?a'..........''Dra
praca de lente no batalhaode voluniaios da pa-'|a, ......... '
ira, que-seguio para o campo da batalhaem.desa-i jjal- ,v.......alqueire
fronta dos nossos bros.: Soffriaelle em-diiferentes!S*]81 par......arroba
..... >
PERNAMRUCO.
ASSEHBLEA PROVINCIAL.
SESSAO ORDIKARIA EM 16DE MAIO DE
1865.
piinsioENT.iA oo sn. d. saino Olegario.
Ao meio da acham-se presentes os Srs. depnta-
dos Aquino, J. Reg Barros, Dlodoro, Netto, Gas-
par, Ramos, Campelh>, Nabor, Soares Brando,
Francisco Pedro, Lourelro, Araujo Barros, Reg
Barros, Joo Jeronymo, Amynthas.Luiz Goncalves,
Rochael, Sabino, Buarque, Ribeiro, Baptsta.
O Sr. PnEsmKNTg declara aberla a sesso.
Foi lida e app.ovada acta da sesso anterior.
Comparecem depois os Srs. Cunha Teiseira e
Jacobina. ......*
EXPEDIENTE.:
O Sr. !. secretario leu o seguinte expediente :
Um offlrio do secretario do governo, remetiendo
por copia a portara do presidente que prorogou a
presante sesso-da assemMa ateo dia 20 do cor- | querida de sua
rente.Inteirada.
Um officiode mesmo secretario, remetiendo os
autographos dos-actos ns. 616,013, 618 619, e 620,
promulgados pela assemba.A archivarle.
Um offlcio do mesma secretario, remeltendo a
inforirraco que mnistrou o regedor do Gymna. iw
Pernambucano, relativamente aos alumnos do mes-
mo gymaasio.
Foram lidas e approvadas as redaegoes dos pro-
jectos n. 86 do annopassadoe 63 deste anno.
Foi lida a redaccao do projecto de ornamento
provincial; entrando em discasso fallou sobre
elle o Sr. Buarque.
Foi lido e entrou em discusso um reqnerimerd*>
do Sr. Cunha Teixeira, pedndo o adiamento/da
discusso da redaccao por 24 horas.
Finda al* hor o Sr. presidente declarou adiada
a discus o Sr. Cunha
Tsrteir, o so. maua ,.4iihi a discssaa
Fallaram os Srs. Aquino, Loureiro, Araujo Bar-
ros, Soares Brando, Gaspar, Dodoro.
Foi lido um requerimento do Sr. Silva Barros,
pediodo para que voile o projecto a commisso.
idea e anda em seus elfeKos sceacos, dando assim
a razo de ser dessa suocessao de repetir-oes que
' teve esse drama em Pars, e do apreco que mere-
ceu do publico nos theatros do Rio e da Babia, apre-
co que vimos naquella noite reflectir-se no nosso
Santa Isabel.
EITectivameate um drama que attrahe e pren-
de a attencao desde que se abre a scena at o mo-
mento em que vem a peripecia encerra fa, desper-j
tando por suas situaooes seosibilisadoras as sensa-,
Qoes mais vivas nesses espacos que interraedeam, i jraspassados de d
ou como elos que preudem o principie ao flm da i 'e,t de aogostias
aeco, que o dramaturgo concebeu e os actores l A 8Ua frUte de cidadao e medico nanea foi
desenvolvern) pela tradoeco fiel de seu pensa- j manchada por urna accao torpe e reprovada; cir-
menlo inspirada de poesia e adornado das flores do candaba sim da mais bnlhante aureola por bons
eg,yl0- leilos, generosos acios, sacrificios voluniarios, ser- parteado corpo dores a-mais- agonisanles, queri?*00 t-m 1ia",d
O desempenho do drama foi, com effeito, satis-' y"i3 sempre valiosos, e lealdade nunca desment- de dia, quer denorteconUnuamente atormentado '
factorio; todos os actores, que nelle tomaram par- da i dirigido tudo isio, por urna intelligenciaa de- por taes afllieeoes e dores, quasi que aborrecido
dte, seesforcaram porconservar-lhe as bellezas na- lu-adeza no-eomman. A' aqueiles que o nao co- da existencia, tendo pslo de parte toda f e co-
tivas ; e sem que pretendamos descer a urna apre- nhecerem, e nao quizaren crer em nossaa pala- flanea, na medicina, perqua experimenbni todos os
cia^o individual da personagem, e do actor que a vras porque sao de amigos, asseguramos que nio- remedios por elle eonitaeidos ; e na realidad pa-
desenvolveu, forca que parlicularisemos o Cege Kuein de Doa f as contestar: pedindolhea que recia, qne-para eHeao resiava esparam* algu-
o Sr. Amoedo qne alarefou-se deste papel. Id? Perto o tralem e bem conheeam: porque flea-
As diffieuldades deste foram vencidas com intel-1 rao 8m dnvida sendo outros lanos amigos qne
Iigencia e sentimento. as differentes situaoes:elle conquistar pelo seu trato sempre afavel e Dia-
da vida de Alberto era mpossivel separar-se o I neras cavalleirosas.
sentimento da sna cpia, tal era a alma que o I' tnl" exercen elle diversos empregos, de
distincto actor ligava ao papel que desempenhava; cirurglao do corpo de sade, de provedor de saO-
e este ment mais sobresahio quando vimo-lo o'^f. publica e do porto, e de medico de partidepu-
3o acto por diante, victima da cegueira, eonser-1 DllC0.> at,n de eoramissoes era tratamento de epi-
var immoveis nos alveolos dous glbulos vitreos, i demias em lugares, em que grangeou a estima e breve principiaram assumir um earactep favoravel,
sem expresso, e com as pupilas oecultas sob as I Rraiido do rico, e do pobre do interior da provin- dminuindo o aspecto de sna malignidade. Amas-1
palpebras 1 c'a< sendo o nico d'entro muitos que linha a pro- sado saogue, e mais humores do systema, toma-!
Foi mais orna brilhante copia que deu o Sr. v"t'ia que se offereceu ao governo para tratar rain adquerir urna apparenoia clara e saudavei;
Amonan do sea mrito artstico ; e este foi o pen- grates os pobres atacados do cholera inorbus II... as dores atormentadoras, d'ouu'ora o dentaran), e j
sar de todos os espectadores, que o victoriaram, Aiuda mogo, como soube ganhar as affeicSes urna doce e suave Iranquillidade principiou a per-
por meio de applausos e ramalheles com que por dos grandes e dos pequeos, lornaudo-se incoles- correr todo o seu.systema, restaurando-lhe a dse-
vetes Ihe cobriram a scena. | tavelmente o primeiro medico popular da provin- jada paz e tocego de. espirito; os logaren cresci-1
A Sra. D. Isabel, apesar de ter-se encarregado cia> qualidade esta que cora quanto disperlasse in- dos do seu corpo, regularisaram se, pondo se no
Toros
Linhas t esteios...... nm
; Mel ou melado...... caada
Milho......... arroba
Papagaios ....... um
; Pao Brasil....... quintal
dem de jangada...... um
Pedras de amolar .... urna
dem de filtrar
Sola em vaqueta...... urna
Taboas, de amarello..... duzia
dem diversas....... .
Tapiocas......... arroba
Tatajuba........ quintal
Travs ........ urna
. Cento
ma : eis que ee resoiae i a ubmelteree ao uso do
xaropealehoolico de veiame/e- inmediatamente Unhaseboi .
pela^Bcacia .e exeeHeocia deste xarope o mesmo, Vassouras de piassava
seachou, dentro de poueo lempo,. Jivre dos padec- Ditas de timbo. .
mentes, e a risonha esperan? tornou de novo a|Ditas de carnauba .
reviver em seu coraco sob a poderosa nefie-i ebe
influencia deste admirovel medicamento; o cresca '.
meato da.testa, e de louiras pactes do carpo em
quasi a ultima hera do papel da Lmza em sabsti- > vea e ra*a m alguns de seus collegas, jamis sea estado normal, e-boje se acha perfeitamente
Vinagre.........caada
Alfandega de Pernambueo, 13 de maio de 1865.
(Assignados):
0 I.* conferente, Antonio Carlos dePinho Borges
O 2. conferente, Joo de Freitas Barboza.
Approvo. -r Alfandega de Pernamuc, 13 de abri.
de 1865.A. Eutalto.
Conforme. 0 4. escriplurario, Joao de Assis
Perrina Rocha.
RECEBEDORIA DE RENDAS INTERNAS GE-
RAES DE PERNAMBUCO.
Mendimento do dia 1 a 17...... 15:707*747
tuico a Sra. D. Eugenia Cmara, a quem o senti-
mento maternal prende ao lelto de urna ;porcao
alma, demonslrou que nma ar-
l lista de merecimento, a quem nao fallece a inrelli-
gencia ; de sorte que o desempenho do seu papel
corresponden a esses predicados ; e o Sr. Lisboa
nao se houve menos bem na Contunda, e^se papel
sympathico, essa natureza privilegiada, a quem
foram prodigados com a deformidade do corpo os
dotes do coraco em grande porco de bondade.
Amanhaa, 20 do correte, s 7 horas, na conla amigos de dedicaepes admiraveis I
matriz da Boa-vista, celebrar o Exm. monsenhor Desculpe-nos o nosso estimavel amigo
nenhum conseguio a primazia, nao obstante se em
pregar at a calumnia:! 11...
E' que a affeico nao se impoe a ningoem :
que o povo tem o providencial instincto da ver-
dade...
Benvolo para o infelizalma formada para a
caridade,sempre abominou as vingancas vis, os
excessos, e a preguica; medico verdadeiramente
humanitario, foi amparo pobreza, que por toda
parle lamenta a sua retirada, e errr cuja classe
1
se offen-
so, gosaodo de um perfeilo estado -do sade, de-
pois do se ter visto privado deste grande gso du-
rante bastante lempo. Ella durante esta na cura
apenas fez uso de sito gatrafas do xarope alchoo
Idemdo dia 18.
CaNSULADO PROVINCIAL.
Joaquim Pinto de Campos, urna missa por alma demos a sua habitual modestia; attedendo que, da
da Exma. Sra. D. Thereza Francisca Correa de ^ divida tantos beneficios, nao podemos dispen-
lico de veame preparado pelo abata as>ignado! Rcndimento do da laiZ
estabelecido coro botica na ra Direta n. 88. Re- dem da dia 1
coramenda-s mu particularmente aos. doentes,
que empreguem toda canteHa na escolha deste ad-
miravel remedio,, alim de que nao obtenham oulra
composico, peis qne todas as mais-preparacoes e
imitagoes desta naturesa sao falsas. Vende-se, co-
mo fica cima dito, na .botica da ra Dlreita n. 88
I0YIMEHT0 DO POETO
Araujo.
Encerrou-se hontem a segunda sesso judi-
ciaria do jury desta capital, depois de preenchidos
os dias da lei.
De urna carta do Rio Formoso, de 8 do cor-
rente, extractamos o- riu~
A policad'a'_ ... ,,.. -> auiuai
delegado que em lgum texpo foi ptima autori-
dade, hoje.......
t Os chines se reproduzem sem cessar e sem
recalo, como aconteceu com a morie do lente Ma-
noel J. de Couto. O negro que assasslnou-o, passeia
Fallou o Sr." Cunha Teixeira, sendo votado este desassombrado pelo povoado de Tamandar, sem
ullimo requerimento foi approvado. Q" soffra o menor incommodo.
O Sr. Gaspur pedio urgencia para discusso do Furtos de cavallos, disio j nao se falla : no
projecto m.28. engenho Gurjau', distante da propriedade do dele-
0 Sr. BARfiUE requer preferencia para a dis- Ra cusso do orgamento municipal. Sendo approvada comiiosta de gente que nao se suppoe I E do po-
a preferencia, continuoo a discusso do mesmo or- der dessa quadrilha j foram lirados vinte e untas
e.amento. I cavallos, e entregues a seus donos.
Fallou sobre elle o Sr. Cuaba Teixeira, declaran-
do que una os seus votos aos dos nobres depuiados
que dirigiram censuras a cmara muuicipal. O
orador entrou em consideracoes acerca da desin-
telligencia que reina eqpre o presidente da cmara
e os deraais-var-eadores.
Analysa mais o orador a proposta feita pelo pre-
sidente da cmara para incumbir os agentes poli-
ciaes da liscalisaeo das freguezias.; cita outros fac-
los relativos a cmara municipal que mostrara a
existencia da deeintelligencia do seu presidente.
O illustre orador aprecia as emendas offerecidas
ao orgamento.
Em seguida fallou o Sr. Buarqu, mostrando o
sentido das medidas lembradas pelo presidente da
cmara.
Encerrada a discusso foram approvados o art...
e as seguintes emendas :
Ao 1 do art. 1 dem do amanuense, um dos
quaes accumular o lugar.de, carleiro, com 600*
de ordenado e 600* de gratificaeo; e os outros
dous com 600* de ordenado e 400* de gratifica-
gao 3:200*000 Nabor.
3. Dito ao solicitador-em vez de 800*dga-
se: 4008.Ayres.-^Soares Brando.
Ao -ao'art. 2.Em vez de porceatagem ao
procurador na razao.de 4 % do que arrecadar, di-
ga-se : a porcentagem que marcada na lei- do
Io de outulro de 1828.Soares Brando.
Ao 4*-dem de, 4 ditos as freguezias da Var-
zea, S. Lonrenco, Jaboatao e Murlbeca, na razao de
240*000 cada um
Supprima-se o relativo ao fiscal de Muribeca.
Cunha Teixeira.
Em ver de 15 trabalhaderes diga-se 9, sendo 3
coveiros a 1*600 diarios e 6 serventes a 1*100.
Silva Ramos.
Accresceot'e-se : podenda augmentar o numero
de seis serventes e covejros guando seja neeessa-
rio peto accresejmo de serveo Silva Ramos.
Se passar a emenda do.Sr. Ramos relativamen-
te aos semestre?, accrescenie-se depois de serven-
tes :sendo ps,SQs livres.-A Entra em dlscnssaa! e approvado sem,debate
os arta. 3 e 4, e sao apn/oyados com a seguate
emenda ao art. 4.
8o accrescenie se : inclo,slve 389*780 de cus-
tas de procesaos decahidos.a Rotilio Tolen.tino de
Figneiredo Lima e 662*028 'a. Antonio Ludgero da
Silva Costa, pelo mesmo moliyo 1;300*.Ayres
Gama.Regp Barros.-Amyntrias.
Eotron era discusso o art. 5 fallaram os Srs.
Cunha Teixeira, Aroyntbas, Araujp Barros, e Lou-
reiro.
Foram apresentadas as seguintes emeqdas:
Ao 3odo art S acrescente:se :de 300*,para
o fiscal da freguezia,de S.^oprenodeTejucupapa.
Ayres.Amynthas.Reg Barros.
Sapprima-se o 10.Cuha Teixejra.
Sendo approvada a primeira erej.-itada a segun-
da.
Passando-se ao art, 6, lida e apoiada_a seguale
emenda :
Ae 7oincbjsive o que es&a dever de cusas
ao escrivo Augusto Rufino de lmeida, podendo
dispr at 400*. Silva Ramos.
Sendo posto o art. e a emenda em discusso fo-
ram approvados.
Posto em discusso o art. 70 foi approvado com
as seguintes emendas, depois de fallar o Sr. S Pe-
reira
K aos escrives Francisco Antonio Brayner de
Souza Rangel e Joaquim Nnnes Valle, escrivo da
subdelegada, em vez de 600 diga-se :1:000*.
Cunha Teixeira.Diodorp.Cosa Ribeiro.
Amanhaa se ex.rahira a terceira parte da
quarta lotera do theatro de Santa Isabel (16.a) sen-
do o maioa premio 6:000*.
Remettem-nos o seguinte pedndo sua publi-
carlo :
f Temos ha dias em nosso poder a Exposicdo
do contador publico do Rio de Janeiro, Carlos o-
than, que um commercianie desta praca teve a
bondade de submeller ao nosso fraco juiz, e de-
sar estas toscas linhas, ditadas pelos seutimentos
da juslica, e da verdade.
Desejamos ao nosso sempre prezado amigo, e a
sna Exma. familia a mais proseara viagem,
mais brilhante futuro cheio de fei.'gAotej tjtov
...u, ijuu uo iiiumo d alma, e tomada de saudades
faz a verdadeira amizade de todos aqueiles que
gratos sempre o ho de estimar com o mais profua-
do recoohecimento.
Natal, 1 de maio de 1865.
Jos da Rocha Paranhot.
S0MME1CI0. ;
j>\/ -r wr ik^......
,.u.aucotte pernambueo.
O banco paga o 14* dividendo na razo de8*
dor aeco.
Nauios saludos no da 18.
Rio da Prata com escala por MontevideoPatacho
brasileiro Vaknte, capilo Luiz Goncalves Peo-
na, carga assucar e agurdenle.
Santa Casa de Misericordi
Recife.
A Illm1 jnnta administraba da Santa Casa de
Misericordia do Recife maa*er publico que no
d a 26 de*suas sessolo,Aprac|filpra serera arrema-
tadea a qnem:par mM*lizrrts reparos e obras
segoiates:
Uma-frade Alierso-naraadro da igreja de N.
S. do Paraiz.i.xom daua porflra com 10 palmos,
tante..daaUurrMamo o lmnwn e tendo a grade
todtatiaeafcns*,ttt>jrbvos e 5 de altara,
mo d'obra de pedxeirQ aov2 lango da_part;-
de da casa que se esi-ediftcaneo na ra da Gtoria
para o collegio dos orphos, com 200 palmos em
ambas as frentes, 35 de fundo e 18 de altura, par-
lindo do travejameiito al a cornija, ficando esta
em osso.
Os reparos do sobradp da dous andares n. 1 pu-
blico da rba do Aieite de Peixe, e da casa terrea
n. 19 da ra dos Borgos.
0 faumento de 18 i-aixiltos de amuelo vinhati-
co, sendo 16 para as janellas e 2 para as ponas da
galera do Io andar do hospital Pedro II, que de-
vero ser iguaes aos do 2 andar, dando o arre-
matante a roaduira e ferragens, e collocando-oe
em seus lugares.
. O tapamento do arrombo do vveiro da Iha do
a?*??? l'Nogueira peta maneira segumte : um raes com SO
"fanA f31"105 de PXlenso e 18 de altura, 12 de grossura
llwui na base a IBenor en,5 J ljem como um trro de
Qmn ; ,3 D*lm09 dfl ^rgora ao lado-do caes.
}' ^s Preten('enles devem apresentar as suas pro-
240 postas em cartas fechadas, podendo as mesmas
,-222 (""postas comprehender todas as obras e reparos,
3*000 on cada urna de per sii e entendendo-se quanto aos
n5000 esclarecimentos de que precisarem com os tenho-
5*000 j res mardomos encarregados dos predios tenente-
800 coronel Ju>lino Pereira deFariase Antonio Ramos.
4*000 Secretaria da Sania Casa de Misericordia do Re-
1*000 cie .17 de mato de 180%.
120. O escrivo,
I F A. Cavalcani Cousseii-0.
3*5001 O couselho de compras do arsenal de guer-
, ra precisa comprar o seguinte :
20*i ii 10 para o segundo natal ho de Voluntarios.
10*000 285 covados de panno azul para fardamento.
399 covados de dito dito para capote.
135 covados de dito msela.
149 covados de baeta azuL
3800 varas de brim branco.
2014 ditas de algodozinho.
57 bonets. a cavanhaque.
50 bandas parn inferiores.
27 bonets para msicos.
27 pares de charlateiras.
15 cocddes de la para canudos de inferiores.
2 Espadas.'
2 talms.
2 fiadores de cauro invernisado.
17 cornetas de toque.
17 cardos para as mesmas.
2 coras mperiaes para divisa.
1 capa de brim para bandeira.
1 dita de oleado para bandeira.
24 malas fonadas de sola.
Para o arsenal.
25 chapas de lato de 14 a 16 libras.
As pessoas que quizerem vender taes artigos
apresentem suas propostas na safa das sessrjes do
conselho, as H horas da manha do dia 24 do cor-
rrente.
Sala das sessoes doconselho de compras do ar-
senal de guerra, 17 de maio de 1805. O encar-
regado da escnppturacao,
Manoel Jos de Azevedo Santos.
Arrematarn.
Sabliado 20 do correte, ao meio dia, finda a au-
diencia do Sr. Dr. joiz municipal da segunda vara
ho de ser arrematados diversos movis penhora-
dos a Francisco Botelho de Andrade, por execuco
de Casco i Puntual, pelo cartorio do escrivo
Baptis a,
Segunda-felra 22 do corrente, na audiencia
do Sr. Dr. juiz do commerco, se h > de arrematar
por execuco de Saunders R-others Si C. alguns
movis e objectos de padaria, .penhorados a Joo
Francisco da Costa.de conformidade com os editats
j pnblicados. Escrivo Paes de Andrade.
Hoje na audiencia do juiz de orphos vai em
praca o escravo Antonio, pedreiro, de idade de 48
aunus, avahado em 200*. a ultima praca.
Pelo juiz de orphos desta cidade vai em pra-
y-

'
'
1*000
120
400
25*000
5*000
7*000
2*800
1105000
87*000
3*000
2*00fl
6*000
200
105000
8*000
6*000
500
1:139*778
16:847*525
49:990*234
1:582*288
51:578*522
pola de ltenla leitura, estamos habilitados para U(na longa duraco ,o cdo deixasse
emitlir nossa opiniao em ludo favoravel a esse agera por crt0. Entretanto
*o tmulo da Exma. Sra.
Lenidas d'OUveir. urna la-
grima d saudade.
No correr do lempo, e quando as esperancas de
um pai se achavain todas na posse de sua nica fi-
lha a quem extremosamente adorava, um mo fa-
do, parece, que opposto sempre aos gozos terre-'
nos, nao quiz consentir na fruico desse bem. E
pois, no decurso da seis mezes, quando havia le-
gado a seus pas um peohor do seu hymino, co-
mo urna substituicao a sua pessoa, foi a Exma. i
Sra. D. Lenidas assaluda de urna allec^o pulmo-'
nar, da qual ao dia 9 do corrente suecumbio, dei-
xando envolto no pranto e dor a seus pas e seu
espozo. Quem tal pensara II Sim, quem pensa-
ra que a Exma. Sra. D. Lenidas prometiendo
de existir.
Novo basco de Peroaiubnco.
Os administrdores da massa fallida de Joaquim
\ Jos Silveira pagam o 1 dividendo de dita massa
D. na razo de 9 0/0 sobre o valor des ttulos ad-
meltidos : no novo banco de Pernambueo ra
do Trapiche n. 34.
dente.
CdizLugre italiano Lourenco Vallerto, capilao
Agosliobo Fioreti, carga assucar.
GibraltarBrigue ioglez l'seful, capilo Golder,
carga assucar.
AnlilhaGalera franceza Aiel, capiio GaUeer ;
em lastro.
Observasao.
Nao houveram entradas.
trabalho, onde a capacidade profissional, e o juizo
seve.o da experiencia e do amor ao paiz, revelam-
se a cada passo.
Estamos informadas que o Sr. Carlos Nalhan
tem lutado com grandes difOculdades para destruir
os hbitos rotineiros em que se emmaranharam as
fallencias na praca do Rio de Janeiro, mas que,;
apezar de tudo, tem conseguido montar o seu es-
labelecimenlo cora tanta solidez, que proraette um
beneficio immenso, como seja a moralisaco de
grande parte des negocios de fallencias que tem j
sido resolvdos por urna serie inlinda de abusos.
Pela nossa parte fazemos votos para que elle
prognda em sua tarefa, com o que muito deve lu-
crar o commerco do Ro de Janeiro e todo o im-
perio, como bem se pode inferir da sua. Exposico
do anno lindo, na qual o Sr Nalhan manifesla
grande copia de conhecimentos pralicos que com
toda a franqueza transmiti ao publico, indicando-
Ibes seguros correctivos. Obras desta ordem apro-
veitam a todos, e por isso que,, seguudo nos in-
formara, j a Expsito leve segunda edicao, por-
que a primeira de 500 ejemplares foi nada para
os desejosos, e a mesma segunda j se acha quasi
esgotada as lojas de Brando e cully, na corte.*
Hoje dar principio o agente Cordeiro Simoes
ao leilo de mobilias e outros trastes, no arraazem
da ra do Imperador n. 47, visto o proprieiario
deste estabeleciment retirar-se para a Europa,
alim de tratar de sua saude.
. Ki'AirngAO da poucia:
Extracto das partes, do dia. 18 de maio de
1805.
Foram recomidos casa de detencao na dia 1
do corrent.':
A' ordem do illra. Sr. Dr. ebefe de polica, Joo
Pareira Machado, sem declaraco do motivo, sendo
logo posto em liberdade; e Manoel da Paixo.para
ser processado, por uso de armas prohibidas.
A' ordem do subdelegado da Capunga, Antonio
Jos de Souza, para correcro.
O chefe da 2*.scelo,
J. G. de Mezquita,
Casa de detencaoMoviraento do da 17 da
majo de 1805.
Exislum presos 330; entraran) 3; sabiram.6
morreo, e quera
consolar a seu pai o Sr. Fraucisco Sunes da Sil-
va T Sement o teinpo.
Na preseote oceasio nada mais farei seno mis-
turar as suas com as minhas lagrimas, e exltertar-
Ihes a resignaco, nico linitivo para seus cora-
coes e pedir a Dos pelo repouso de sua alma.
A Ierra Ihe seja leve.
Recife, 15 de maio de 1865.
E.F.
0 verdadeiro remedio em sea verda-
dero tempo.
Jamis se dever fazer pouco caso da tosse e
das constipacoes, e nem lo pouco, esperar al
que, os pulmoes inflammados -e ulceradps, nao
deixm mais esperanca alguma. Logo ao primei-
Gaia filial do banco do Brasil em
Pernambueo.
A directora desta caixa saca sobro o banco do
Brasil no Rio de Janeiro e sobre a caixa filial do
mesmo banco na Bahi.
.%oro banco de Pernam-
bueo.
O banco desconta letras na presente semana a
9 por cento ao anno at o prazo de quatro me-
zes, e a 10 0|0 at o de seis mezes, e toma dinhei-
ro a juros a praso nunca menor de tres mezes-
ALFANDEGA.
Rendimentodo dia 1 a 17......
dem do dia 18...............
409:017*288
18:085*607
427:102*895
MOVIMENTO DAALFADEGA.
Voluraes entrados com fazendas----- 132
t < com gneros..... 318
------- 450
Volumes sahidos com fazendas..... 108
c t com gneros..... 411
-------519
Descarregam no dia 19 do corrente.
Barca inglezaAnn Kaydiversos gneros.
Patacho nacionalPalma- farinha de trigo.
Rrige inglezParklidecemento.
Barca inglezaO/inrfamercaduras.
Rio da PrataBrigue brasileiro Pallas, capilo ca na sala das audiencias nosudi&F* ,'-"- -*-
p .-i-..-. n-mn ,i, i-mi n-rn-> *0 xoMcuiB ^csiiiivaiT tiiiiu;, o escravo Antonio, de
idade 48 anaos, peJreiro, pelo seu estado de em-
briaguez e pouco sercicp prestar, avahado em
200*, a requerimento do inventarame Joo do
Prado Martins Ribeiro Jnior, dos bens qne fica-
ram por falecimento de seu av Luiz de Franca
da Cruz Ferreira, achando-se o escrpto em mo
do porteiro.
O conselho de compras do arsenal de guerra
precisa comprar o seguintes :
1,500 bonets redondos com pala para os guar-
das nacionaes destacados.
As pessoas qua quizerem vender ditos bonets
apresentem suas propostas na sala do conselho no
dia 24 do corcente, ao meio da ; podendo um da
antes, na directora do arsenal, verem o figurino,
para regularen) suas propsstas.
Sala das sessoes do conselho de compras do
arsenal de guerra 18 de maio de 1865
O encarregado da escripturaco
Manoel Jos de Azevedo Santos.
Nos dias 19,23 e 26 do corrente, a's 11 horas
do Illm. Sr. Dr. juiz de
SDIT1ES.
O Illm. Sr. inspector da ihesonraria provin-
cial, em cumprimento da ordem do Exm. Sr. pre-
sidente da provincia, manda fazer publico que no
dia .24 do corrente, perante a junta de fazenda da
nie.-ma ihesouraria, se ha de arrematar a quem
por menos fuer, a pintura das pontos de. Jaboalo,
Seraphim Pinlo, Morenos. Bento Velho a Tapacuii. ]
todas na estrada da Victoria, avahadas em rs. j do dia, finda a audiencia
'
ro e mais leve symptoma, acuda-se immediatamen-1 5Ctma hollaodeza-.s>THanf di versos gneros
la a lr\rtnr, en rain di) mi>r< HaIik^h n M-lk^. -. -\
te e lance-se mo do mais delicioso e melhor re-
medio pulmonar conhecido. O peitoral de anaca-
huila de Kemp, por sem dnvida alguma o reme-
dio mais poderoso e efficaz para combater as affec-
?oes da carganta e pulmoes, que a sciencia tem
encontrado, a experiencia comprovado, e o teste-
munlio Humano perfeitamente approvado. A sua
composico inteiramente vegetal, e perfeitamen-
te inofensivo, eonservando-se inalteradamente em
todos os paizes, adaptando-se admiravelmente
todas as idades, temperamentos, e consumieses.
Suas curas maravillosas sao completas nao dei-
xando nada desejar-se. E' de summa ntilidade
em todos os casos exiremos; porra vale mais
usa-lo logo desde o comeco de qualquer nma mo-
lestia. Acha-se venda as pharmacias de Caors
A Barbosa e J. da C. Bravo & C.
Noticias de Serlnhaem.
Em urna das minhas repetidas vagens pela va
frrea ao interior, loquei no povoado de Gamellei-
rav eahi soube que o celebrrimo M. S. A. F., qoe
conheco perfeitameaie, e que se dizgeralmente ser
uir> dos mais lia neis indnsluaee ronheeidos, fra
, preso e recolhido a cadeia de Serinhem, procos-
exjstem 327, a saber: nacionaes 240; mu Hieres 2, sado e pronunciado por baver Hfudido a um pobre
estrangeiros 28; mulheres; escravos49; esej-a- homem da roca,;cjo,noma m# ny record, rece-
vas 6 ; total 327. hendo delle comeOJvam ednla de fOO*, que o
Alimentados cusa dos cofres provinciaes 22 ^ homem por engao lile deu para trocar, e pa-
Movroenlo da enfermara do dia 18 de malo gar-se de duas arrobas de carne secca, quejbe
de 1865
Tiveram baixa :
Joo Francisco da Fonseea.
Miguel Florencio.
Francisco Pereira Tavaoes.
Passageiro vlndo do Rio d Prata no brigue
brasileiro Patios -.Francisco R. Pataoiva.
Cemiterio publico. Obituario dodia 17 de
malo de 1865.
Francisca Mara de Arroda, Pernambueo, 63 an-
uos, viuva, Boa-vista; inflammaco.
Mara, Pernambueo, 16 dias, Santo Amonio ; es-
lorpalite.
comprara. Soube mais que ha um mez, pooco mais
oa menta fra dada por am do povo ao digno Dr.
promotor pobhco da cmaro do Rio Formozo urna
I denuncia conira o mesmo F. por baver occasiona-
j do abortar a sna concubina com am espancamen-
to tal que d'alu a poucos minutos abortou a infe-
liz mulher, deilaado a creanca ja mora e com o
crneo todo fracturado.
AP ora consla me, que o digno Dr. promotor
anda nana apresentonao juiz competente para a
, instaurar? do processo, nao obstante dizer-se-me
tambera (valla a verdade, o qne en creio porqae
1 cofch>eo tftnUade perto o tl-F.) que Uvera eJh- o
Barca ingleza-JIonu/d-feiro e mais gneros.
Barca portuguezaS. Joocharque.
Escuna portuguezaD. Jooidem.
Sumaca hespanholaMerceditaidem.
Brigue nacionalCardiadem.
Barca InglezaBelle Pontecarvo.
Barca norueguense- Tasmaniadem.
Barca inglezaEleonoridem.
ALFANDEGA DE PERNAMBUCO,
pauta dos priegos dos gneros sujeitos a direitos
DK EXPORTACAO. SEMANA. DB 15 A 20 DO MEZ
DE MAIO DB 1865.
Mercaduras. Unidades. Valores.
Abanos......... eenta
Agurdente de cana .... caada
dem restilada ou do reino >
dem casaca........
dem genebra......
dem alcool ou espirito de agua-
ardente ....,.
Algodao em caroco .... arroba
dem em rama ou em la
Arroz com casca.....
dem descascado ou pilado c
Assucar masca vado ....
dem branco....... .
dem refinado.......
Azei te de amendoim ou mende-
bim ........ caada
dem de coco......
dem de mamona ....
Batatas alimenticias .... arroba
Bolacha o diara, propria para
embarque ......
dem fina ....... i
Caf bom........
dem escolha on restolho. >
dem terrado...... libra
Caibres........ um
C>1.......... arroba
dem branca .... *
Carne secca (xarque) ...
1*500
800
800
400
800
900
3*000
11*000
1*500
2*600
1*950
3*400
5*120
2*000
1*000
1*000
1*200
3*000
7*000
7*400
6*000
530*000 rs.
A arrematacao ser feita na forma da lei pro-
vincial n. 343 de 15 de maio de 1854, e sob as clau-
sulas especiaes abaixo declaradas.
As pessoas que se propozerem a essa arremata-
gao comparecam na sala das sessoes da referida
jnnta no dia cima mencionado, pelo meio dia, e
competentemente habilitados.
E para constar se mandou publicar o presente
pelo jornal.
Secretarla da thesouraria provincial de Pernam-
bueo, 10 de maio de 1865.
O secretario,
A. F. d'Annunciaco.
Clausulas especiaes para a arrematado.
1* A pintura das diversas pontes cima mencio-
nados sero feilas de conformidade com o orna-
mento na importancia de 530*000 rs.
2* O arrematante dar comeco aos iraballus no
prazo de 15 dias, e os concluir no de dous mezes,
ambos contados da dala da arremataco.
3* 0_ pagamento ser effecluado era urna s
paestaco, logo que tenba.concluido todas as pin*
turas.
4* Para o mais que neslas clausulas se nao pre-
vine, observar-se-ha o que dispoe a iei 286.
Conforme,
A. F. d'Annunciaco.
O Illm. Sr. inspector da thesouraria provin-
cial, em cumprimento da ordem do Exm. Sr. pre-
sidente da provincia de 10 do corrente, manda fa-
zer publico qne no da 14 de junho prximo vin-
douro, perante a junta da fazenda da mesma the-
sonraria, se ha de arrematar, a quem por menos
fizer, a obra da cadeia da cidade de Nazareth, ava-
hada em 18:093*900 rs.
A arremataco ser feita na forma da lei pro-
vincial n. 343 de 15 de maio de 1854, sob as clau-
sulas especiaes abaixo declaradas.
As pessoas que se propozerem essa arremata-
cao, comparecam na sala das sessoes da referida
junta, no dia cima indicado, pelo meio dia, e com-
petentemente habilitados.
E para constar, se mandou publicar o presente
pelo jornal.
Secretario da thesouraria provincial de Per-
nambueo, 14 de margo de 1865.O secretario, A-
F. d'AnBunciago. / ,
Clausulas especiaes para a arremataco.
1.a O edificio para a cadeia de Nazareth, ser
feito de conformidade com a planta e orcamenio
junto, na importancia de 18.093*900 rs.
2." O arrematante ser obrigado a dar principio
aos trabalbos no prazo de 30 dias, e concluidos
do de am anno, ambos a contar da dala da assig-
natura do contrato.
3.* Os pagamentos sero fetos em 3 prestarles
iguaes correspondentes a cada teren da obra finda.
4.* Nao ser em tempo algum attendida qualquer
reelamacao por parte do arrematante tenden-
te indemnisacao, quaesquer que sejam as allega-
c5es em que se hajam para esse Ora, anda mes-
440 nio por prejnizos provados.
30q 5.* Para todo o que nao estiver especificado as
J80 presentes clausulas, seguir-se-ha o que dipoe o re-
500 enlamento de 9 de Janeiro de 1864.
3*200! Conforme.A F. d'Annunciaelo.
orphos, vai a praca por tres annos, a razo de
800* annuaes, o arrendamento do engenho Cons-
tantino, na freguezia de S. Lonreaco da Mala.
No da 19 do corrente tem de ir praca, de-
pois da audiencia do Illm. Sr. Dr. juiz muuicipal
da 1" vara civel, os movis penhorados por execu-
e,o de Jos Baptista da Fonseea Juuior contra Jos
Antonio Pinto : os licuantes comparecen) na sala
das audiencias no dia cima indicado ao meio da.
Consulado de Portugal
Pelo presente sao chamados os credores do au-
sente subdito portuguez Antonio Jos Vleira Bra-
:a quo lem taberna na ra da Lingoeta, para den-
iro do praso de 15 das apresentarem suas contas
alim de serem conferidas.
Convida-se as pessoas que estlverero nascon-
dicoes do servicp militar, a engajarem-se no corpo
de polica, e gozarem das vantagens que offerece
a lei provincial n. 611 de 2 do corrente.
Pela thesouraria provincial se faz publico,
qne a arremataco da pintura da ponte pensil do
Caxanga', foi transferida para o dia 24 do cor-
rente.
Secretaria da thesouraria provincial de Pernam-
bueo, 12 de maio de 1865.
O secretario,
A. F. da Aununciacao.
Pela thesouraria provincial se faz publico,
que a arrematado dos reparos da ponte do Rio
Formoso, foi transferida para o da 24 do cr-
reme.
Secrelariada thesouraria provincial de Pernam-
bueo, 12 de maio de 1865.
O secretario,
Antonio Ferreira da Annunriacao.
Pela thesouraria provincial se faz publico,
que a arrematare dos reparos da ponle de Bajarjv
foi transferida para o da 24 do corrente.
Secretaria da thesouraria provincial de Pernam-
bueo, 12 de maio de 1865.
O secretario,
A. P. da AnnuBciaQo.
s
THEATRO
DE
EMPREZA-COIMBRA
Sabbado 20 de maio de 1865.
. 15.' recita da assignatura.
Represeniar-se-ha pela segunda vez o interes-
saate e applaudido drama em 8 actos
CGO E 0 CARCIIMA.
Dar fim ao espectculo a
media em 1 acto
nova e interesse co-
MELHOR EXEMPLAR ENCONTRADO
/
c


tote ****flm9armM**ii h&m

UM MARIDO
Que e Ytctima das modas.
PWISOtf ABN8. teroirtrs.
D. Emilia---------................. SK Dorolhea.
Aniouio de Sonta.............. -Augusto.
HftJr J- de Souza......
tolo.
quera
Jos, cria Jo.................. Bernard'ino.
Os bilhetes acharo-se*desde j- do lugar do cos-
lume.
Principiar s 8-aeras.
AVISOS HiSITIKOS.
ra da maro, seadeediacad a-moderna : islo sx-
la-fair 19 o Corrent* as 11 horas no armazeai a
ra do Imperador n. 47.
Leilao de feijo.
Martins far leilao por corita e risco de
perleacer de cerca ao meio dia, na porta-do arroaz.: m do Sr. Aunes
confronte a aandega.
Leilao nc fazendas.
Angust) 0. de Abreu continuara' o sea leilao de
fazendas por fotervenjj-io'do ageMe Pestaa, hoje
l0d*-eorrente as H oras da raaaMa era seo ar-
maren roa da Cadela.
COMPANHIA PERNAMBIT.ANA
KaTegacao cosleira por vapor.
Paraliyba, Natal, Ifano, Aracaty, ear
Acarac.
O vapor Jatjuaribe, coraman-
LEILAO"
geiros
De 1 sitio no Guuia' con) casa terrea de pedra
e oal, coclieira ao lado, lendo baixa para espira e
arvores fructferas a Sreasas terreas de taipa no
mamo lugar a beira da estrada e 1 cavallo para
servio do mesmo sitio.
Cordeiro sim es
danto Lobato, segu pira o norte aotorisado pelo liqurdataro da casa commercial
no da 22 do correte, as 5 ho- de Antonio Joaqun) de Mello fara' lerilo de9 pre-
ras da tarde. Recebe carga al dios cima descrilos. Os pretendentes desde ja'
o da 20 ; encommendas, passa-1 podero eiaroiaa-los e qualquer mform o frete at o da da sahida as 2 mo agente satisfar', cujo lello sera' effeclnado a'
'tarn i-a
I XAROPE DEPURATIVOS
JOU3&
L BfVIO-SULPh-iDRAL

Este novo producto resaludo de urna trplice combmaelo de tres metlleides cajas proprie-
dadesso mu. conhecidas, o Bremo,o Euxofr a 7oA>,.ocoupa boje primera (friera de
entre todos os depurativos dos quaes o msus poderoso
As experiencias dos mdicos mais notareis dos tiooitaes de Paris, os senhorfes Cazanave,
Puche, Bazm, Bteclie, Guihout, Barbschet, Daaet, Legroux, Vassa e Aubry, etc., demonstrarSo
sua poderosa efucacia as aKeccoes seguientes ;
horas: escriptorio no Forte do Mallos n. 1.
Rio de Janeiro.
O patacho Potycena, capitn Francisco Jos Pra-
tes, segne con multa brevidade : para a pouca
carga que lli falta e escravos a frote, trata se cora
Miguel Jos Arres; Ttra da Crurn. 9.
para Mstiva
Val 9hir breves brtgue portnguez Laicl II. ca-
4l*o A. F. Vieira; recebe carga epassageiros; tra-
tase con o consignatario E. R. Rabello, ra do
Trapiche n. 44.
GOMPAWHIA B8ASILEIRA
DE
PAQUETES A VAPOR.
E esperado dos portos do sui
at o dia 31 do corrale, o vapor
/^^ Paran, comraaadante o capilao
da
do
,'di- fragata Anlouio Joaquira
' Santa Barbara, o qual depois
demora do "cusidme seguir' para os portos
.norte.
Desdeja receben sa passageiros e engaja-se a
carga que o vapor poder conduzir, a qual dever
ser embarcada no dia de sua chegada, encomrnen
las i; dinheiro a frete al o dia di sabida as 2 ho-
ras da tarde : agencia ra da Cruz n. 1, escripia
rio de Antonio l.uiz de Oliveira Azevedo & C.
ra
Rio de Janeiro
Segu breve para aquello porto a barca brasilei-
ttmrtqnrta por ter motade do carregament*
motade do
prompto : para o resto trata-se com os consigna
tarios Marques, Barros A C, largo dorpo Santo
o. 6, segundo andar.
Cear, Maranhao e Para.
Segu com brevidade o hiato-nacional Lindo Pa
quele, capho Jlo Jos dos Queijos Jnior ; para.
o reto di carga traa se com o respectivo consig
nalano : ra da Cruz n. 23 1 andar.
Rio de Janeiro.
Segu at ao fin desl* semana para o indicado
porto o veleiro brigue nacional Henrique, capito
Loureiro. Kecebe ainda algomas miudezas e es
eravos a fn-te ; irala-s- na ra da Cruz n. 23,1*
andar, escriptorio-de Antonio de Almeida Gome
Rio de Janeiro.
A barca hrasiieira Jovem Patma de primeira
etaaaa, segu cora brevidade, e- tem meta earga
contratada, para o resto, tratase com o consigna
tao Joo Francisco da Silva Novaes : Travesad
da Madre de Deus n. 5.
Para o Porto
segu cera brevidade para aqullo porto abarca
portugueza Arminda, de l*'classe, por ter dous
tercos do carregamento prompto : para o rwto e
passagoiros, paraos quaes tem etoellefitercommo-
dos, trata-se ou oom o capito Antonio 'Franctsco
da Silva Itunes, eu oom os consignatarios MarqUeii
Burros & C, largo do Corpo Santo n. 6, segundo
andar.
Para Rio de 'Janeiro.
Pretende seguir com muita brevidade o palha-
bote Pudade, tein.parte~tto mu pr.Tn>a>
bordo, para o resto que Ihe falta e escravos a fre-
te para os quaes tem etcellentes commodos, tra
ta-se com os seus consignatarios Antonio Luiz de
Oliwira Azevedo & C, no seu escriptorio ra da
Cruz n. i.
COMPAIBIA BUSIIEUM
DE
PAQUETES A VAPOR.
, Dos portos do norte espera-
^^a^<\ ^ le o dia 26 do frrente o va-
^^- Por ^rM8e"' o Su/, comman-
' dante Alcoforado, o qual depols
da demora do costume seguir
para os portos do sul.
Desdo j recebem se passageiros e engaja-se a
carga que o vapor poder conduzir, a qual dever
ser embarcada no dia de sua chegada, encom-
memias e dinheiro a frele ale o dia da sahida as
2 horas : agencia ra da Cruz n. 1, escriptorio de
Antgio Luiz de Oliveira Azevedo & G.
Para Lisboa
Segu para all cora a possivel brevidade o lu-
gre portuguez Julio, para o que se acha com 9
maior parte da carga engajada : para o restante a
passageiros, trata-se com o consignatario T. de
A |uino Fonseca, na ra do Vigario n. 19, primei
ro andar, ou cara o capilao o Sr. Francisco Anto-
nio Meirelles.
Para a Babia
pretende sahir com muita brevidade a veleira es-
tima Ehza por ter a maior parte da carga, e para
o resto que Ihes falla trata se com o consignatario
Joaqun Jos Gon^alves Beltrao na ra do Vigario
n. 10, priraeiro andar.
LE IL OES.
Crespo n. 4.
O juiz da irmandade do SS. Sacramento da
freguezia de S. Jos do Recife convida a todos os
seus charos irmos para rennio de mesa geral do-
mingo 21 do corrente, as 10 horas da roaoha,
afim de proceder-se a eleicao dos membros da
mesa regedora que tem de funecionar no nno
corrente de 1865 a 1866.
Leilao de urna escrava.
HOtlE
O agente Pinto far lello a requcrlmento de
LourenQo Ribeiro da Cuuba Oliveira, e por maB-
dado do film. Sr. Dr. juiz de orphaos da escrava
Jomua, pertencente flos bens do casal do finado
Eduardo Marcolioo Ferreira, o leilao ser effec-
tuado as 10 12 horas do dia cima dito era sen
escriptorio ra da Cruz n. 38._____________
Leilao de una cusa terrea sita na rna
de S Migael n. 19, fregnezia dos Afo-
lados
IIO JE
O agente Pinto levar novamente a leilao a casa
cima mencionada, servndo debate o raaior pre-
c<> oiitido no leilao anterior, las 10 horas do da
auirna dito era seu escriptorio ra da Cruz n. 38.
Grande leilao
'vi arauem da rna do Inperadar u 47.
De .noliilias de Jacaranda' completas, guarda rou-
iu-, ramas fraocezas de Jacaranda' e amarello,
caildiras avulsas, cabides, eeretarias e flnal-
intfflte todos os trastes allr existentes.
Iltll
Sfvhi-fi'ia \ Q dn cirPABlf a oeu.t tena iao corraiie asiu n^ras qm tendo arreraalado as dividas pertencentes
C'urlAtiano Pose Tacares mean>a massa, slo elles os nnfeos autorisados
t intervencao do agente Cord>iro SlmSes, de todos sotJbm30 das para os o ir^-t.'s exisientes en seu armazem a ra do maaoarenipagar gensdfrttes, tfodo o'quernei'ar
Imperador d:47, os maior pre?o ao correr do raartello
jLeliito de tima casa terrea da
rna Imperial 999.
vtirisiiano Jos Tarares teodo de retirar-se pa-
ra Europa, fara' leilao por interveoco do agente
CordriroStmes, de so*'Basa'terrea situada a ru \
Imperiai. 27%, em cWaos proprlos, wra t salas,
4 juartos, cosinha fora, quintal murado at a bel-
ra Direita taberna n. 6.
jrerca-faira 23 do corrfite .
I-oilo da taberna e dividas da
mes ata a rna Dlrelta n. 6.
Cordeiro SimSes fara' lilo adtorisado pelo H-
qaidatario da casa commercial de' Antonio Joa-
quira de Mello, dos gneros, armaclo e ntencilios
da taberna cima mencionada, como tarabem as
dividas activas da mesma, na importancia de......
18:1325674, sendo era letras o cootas de livro, caja
relaclo e balance se acha em poder do mesmo
agente a exame dos pretendentes.
Terrja-feira 23 do corrente.
as 10 horas aondesera' effectuado o leilao.
AVISOS DIYIBSOS.
DaeatgM de pella,
Dartros e aorbalkaa de lada a eaaaeie,
Placa mucom,
Okatraceoea I ymakatlcM,
r.ipelraa,
EaeTafnIaa,
Afceesaa, paafentaa,
Caeros.
Oleeraa,
timhm,
O Zaurpe de Le Croas, de urna fcil digestlo e de goito delicioso, se emprega tambem
com muite rantagera aconselhado pelo dontor Bajrfche, do hesp tal dos Meninos, para as
enancas debis, escrofulosas e rachicas ou sobre a influencia de um ticio hereditario e mui
superior neste emprego ao oleo de ligado de bacalho e aos xarpes Itpnrativos e anti-escor-
buUcos que se administravio at agora.
Deposito geral, em Pors, na botica Boullay, metftbro da Academia imperial de Medicina de
ram, offiaal d* Legio de Boma, e era todas as botias de Frtrea e-tos pikes estrangeiros.
i(do'BrazU),
atarea Moa,
Rarkltlaaaa,
Opklkalaala earrafuloaa a chrealea,
Tlalea eseralasa,
Afceeoea arpallltlraa, .
Eleabaatlaala doa Greyo*.
X M ofensa occiiignadM p.or mn ci* do
wgiie, e j&n*ttS'*tm neiikum ucetsso pelts
JrePrai;8M vegetav iodada o olto d Sgtdo
=8=
flPali'i!,*,'
. di cobsju
sua cas* das 6 as 11 liaras da manhn
^ 4s 4 as < da tirde. Visita os
-ra suas casas regularmente as
Dara issa designadas, salvo os- easos ur-
.,.. ie-srSo soccorridos en qnal-.
nnJr i"' Da asaRaaos pobue*
h?/00*"6* 'riameule das 6
aonae encontrado *.
as horas da manha. Urmente
J em sua casa do sade cgu. ^te
montada para receber qualquer dot..
ainda mesmo os alienados, para o que
tem commodos apropriados e nella
ic qualquer oparaco cirurgiea.
Para a casa de sade.
Primeira.classe :'.5000 diarios.
Segunda dita.... 2^500
Terceira dita.... 25000 >
,te estabelecimepto.j bem acredi-
Irmandade do Divino Espirito Santo,
erecta no convento deS. Francisco
fiesta cidade. *i
OVA VOK.
ESABOB AGftAtVtEfS
LOTERA
A08 6:00^000.
Corre amanha.
Sabbailo20 do corrente mee, seextfahi-
ri patoftovo-plano abaixo pubUcado a 2*
parte da 4a lotera (1G?) a beneficio do
theatro de Santa Isabel, no consistorio da
igreja de Nossa^enhora do Rosario da fre-1
guezia de Santo Antonio.
Os bilhetes.meios e quartos esto a ven-
da na respectiva thesouraria ruado Cres-
po n. 15.
Os premios de .-0000000 at i0#000|
seraopagos urna h#ra depois'da extrtecao
atas-Hioras-iaarde, eosOutr6s dtpois
da distribuido das. listas.
As encommendas atrio guardadas so-
mente at 'a noite da vespera da extracto
como de costume.
Othesaoreiro,
_______Antonio .ros Rodrigues de Sonza.
Aluga-se um pequeo armazem na ra da
Paz, proprio para qaalquer estabeleeimeBto em
ponto pequeo : a tratar no pateo de S. Pedro nu-
mero 4.________________
Manoel Gomes de Paiva, subdito portuguez,
vai a Portugal.
Precisase de um raemuo portuguez para
caixeiro : a tratar ua ra Direita n. oi, luja.
Manoel Gomes, subdito portuguez, vai a Por-
tugal. _________
Ama de leite
Quem precisar de ama ama de leite roenre na
roa do Pilar n. 95.
Prec;sa-se de urna ama que aaiba en-
gommar bem para casa de pouca familia:
na ra das Cr-uzes segundo andar n. 36.
Jf-.-r O Sr. Luir Cesar Pinto de Barias ueira ditL
"rigir-se a ra daTMadreUe Dos armazem entre a
igreja e a botica.
'\^MI$'P*af WOkz-i -
K O Dr Garolino Francisco de Lima San-
^ tos, contina a residir na ra do Impera-
f9\ dr n. 17, segundo andar, onde pode ser
:& procurado a qualquer hora do dia e da
g noite para o exercicio de sua proflsso de
| medico; sendo que os chamados depois
"S de meio dia at 4 horas da tarde deven
B ser deixados por escrlpto. O referido
$g Dr. nao abandonando nunca o estudo das.
B molestias do interior, prosegue, rom %
9M o maior afflnco, no das mais difflceis e
0> delicadas operagSes, como st-jam dos .or-
gos urinarios, dos olhos, p>rtos etc.
;w-.,rm &k +&i W
do Divino splrido
Santo.
De ordetn da mesa regedora convido a todos os
nossos irraaos a comparecerem em nosso consisio-
rio_domi0go 21 do corrente, as 9 horas da ma-
nhSa, flm de assistirera a missa do nosso di\"ino
padroeiro, e ftnda esta, rennirem-se en mesa ge-
ral, e procedr-se a elei^ao da nova mesa qne tem
de reger a irmandade no futuro auno de 1865 a
1806. A consulta a qne procedeu o conselno fis-
cal, acha-se afflxada na porta da sachristia, como
determina o art. 101 do rompromisso.
Consistorio da irmandade' 17 de maio de 1865.
Manoel Luiz da Veiga
Escrlvo.
XAROPE D'ETHER
DE BOULLAY
Doutor da Faculdadedesciendas, membro da Academia imperial de Medicina,
Official da Legio de Honra,
Rna dea Fosss-Montmartre, 17, Parla.
Este xarpe mposto mais de vinte annos pelo sabio lente Boullay, consume a melhor
maneira de administrar o Etber. He empregado com suocesso era todas as doencas que tirio sua
origem de nm erithismo nervoso, como sao as:
Enxaajaeea,
Nerralgtaa,
laaiamaa,
AWaaaea tfe nerraa,
Vertlseaa,
Sjacaaea,
Calatbraa 4a ealaao
Iadlsealaa,
Ceavalaea,
Aaecaaaa hyeterlaaa <
candrlaeaa,
Callcaa Tealeaaa ou
aaa, heaaUeaa aatnleataa,
Aaacaaaa de gala a rkcu-
mallaaao.
. de earaaesleneata,
'ete.etc.,'tc.
Deposito geral, em Paris, na botica de Boullay, doutor em Seiencias, membro da Academia
imperial de Medicina de Paris, official da Legio de Boma, ra des Fosss-Montmartre, 17, e
cm todas as boticas de Franca e dos paizes estrangeiros.
que marca a re-
ASTHME
ASTHMA ASTHMA ASTHMA
SUFFOCCO NERVOSA E OPFRESSlO

Unicd remedio* efflcaz para ebmbatlir estas molestias, acalmar um attaqne d'asraa e impedir a
volta o Xaipe^rmattce de Succino (mbar amarello) do Dr Danet. Dsecoberta inleiramente
recente, este noto producto se em propagado con extrema rapidez gracas aos admiraveii resul-
tados que tea sempre produzio.
Deposito geral, na botica Chauveaud, 54, rna do Comercio, Paris-Grenelle, e era todas u
boticas de Franja e do estrangeiro.
Deposito gerat em Pernambuco ra da Cruz n. 22 em cnsa de Caros A Barbosa.
a rata oda de
FABRICA M CHPOS M SOL
IV. 3J MaM \>ni es i| 11 i i i da amfo>a do C 'armo c risa do
Cahiig n. ,(.
A Hrejtoria desse estabelecrnento o raais importante que existe neste genero
as provincias lu rnirte 'do imperio. querehW sjle o publico desta ptovinwa goze das
vantagens que proporciona i l'abricac.V> o/n grande escala c directa relago com as mais
importantes ""abricas da Europa, faz bate que re>oIveii-so a vender ainda mais barato
do que do costume como demonstra a segrate tabella :
Descont em duzia.
20
10
15
15
'o
7o
0'
p
Chapeos de sol de panno a 2.$000........
armadlo de I)ileia a 25500 .
de sedaarmic-lo de i;-, in^lez deO pollegadas
k&, de 2i Vi, de \ tHrSOO e de 28 (.J.....,
Chapeos de sol ngiezes a balo 12 varetas, i-,-rlosmuito ricos e
seda^superior de i p illegadas 85. de 26 90. e de 28 1U.
Ucm Wbni -a'b-it.'oSajro \fi ym ofcn, |,,itenVnTTrBWa- ta'-'Xax-^lo.sLa.
.pollegadasl, 'de 20 125.* de 28 130......
Alm demuitas outras-pulidides delcrwprrs de sol que existem na mesma casa
como sejam dealpaka, ditos debrira de linlio, etc., etc. ha tambem de seda e de panno
de todos os tamanhos e fertios, ^s quaes sao to vantajososcomoosannunciados, ha
sempre um constante sortimento de bengalas, chicotes, cacliimbos. cutilaria fina e ar-
mas de caga, os quaes vendem-sc; ,'ualmente ara poreSo e a ratalno, notando porm
que o comprador por atacado ter sempre um descont razoavel, afim de poder reta-
mar pelo preeo que oestabelecimentoretalha.
N. B. Os objectos comprados em menos de urna dizra serio considerados como
a retalho.
Infinitamente mais eflicazes do que todos
os mais remedios perigosos e nauseabundos
que e.vistem para a expulso das lottbrigas.
Por ordem da mesa regedora, convido a todos os N5o causam dores e produz^m seo eTeitO
nossos irraaos para comparecerem em o nosso con- spm nrpeisar tntn dpnnis il- nurvaniP no
sistorio,nodomingo21do corrente pelas 9 horas Pre^ar OgO uepois Ut purgante ne-
damanha, afioide reunidos em mesa geral, pro- nliUm e ta0 Incitntes em appareiCM e (leli-
ceder-se a eleigao da nova mesa regedora. iCiosas em gosto, que as crianfas esto
Consistorio 18 de mam de 1865. ipromptas a tomar mais do
Joao Walfredo de Medeiros. -pita
____^^ Secretario. i^'"-. ,
------.,n-, CQ m ,.r--------^------- Lteis como um excellente meto de fazer
Aioga-se um excedente sitio na Carranca.'___ u .
ra das Pernambncanas em frente ao do Sr. San- \ amover as obstroccoes do ventre, mesmo
no caso de nao existirera verme alguna, as
PAST1LIIAS VERMFUGAS DE kl.MI'S SO pi'Omp-
tas e infalliveis na sua operacSo e por todos
os respeitos dignas de confianca e approva-
Co de todos os paes d familias. Prepa-
radas nicamente por Lanmon d,
! Nova York. ______________^^^
Fugio o mulato escravu de nouie Luiz, co-
nhecido pur Luiz Monteiro. idadn 28 annos. pouco
mais ou menos, bastante alto, secco. bem pareci-
do, se.n barba, persas compridas, cor clara, ca-
bellos cacheados, official de pedrriro, pintor
caiador, c canhoto, e o maior signal qae em <
ama estrella as costas das roaos, tres pintas azues
formando um f ngulo em cada lado do rosto, c
sa.S lartnaaia A urna grande cicatriz em nm dos brsc s cima do
^'^"-tTa-B-a-rataS;.--^^
. rogase as autoridades polieiaes e aos capitiies de
i^Kp^ajR r,1ral10' a*sira como aos seabares de engenho e
ft haiihi 1 &S proprietario* aonde elle for Irabalhar, intitulando-
tf oacjiare aJB Se forro, lante uesta provincia romo fra della.
Francisco- AuJJtlSto (la Cosa ('oe faa Pra"d'r remetter ao sebrediw senhor,
i &^S ,-(iue P'^g*" todas as despezas, assiin comira quem
Xn'bCAbo 'JB* o conduzir.
a do Imperador numero 69. ij Jo5o nernardo dac,)5ta ^0 Monleirn c ,|er.
? menegildo Remandes rieSooia Lobo participan) ao
* eorpo do cmemermoque dissolvcram desde lo de
! abritoltimo'a*socipdade qne tinha ne-ta praea sol
firma deHego ^ Lobo, Miando o activo e passivo
;a reesma Wertfle a cargo de Joao Bernardo da
Costa RpgoTmtwro.
tos Coelho, com b. casa de moradia, a beira da
estrada, de commodos para familia e com dous
porloes de ferro dos lados, um bonito jardim, co-
; cheira, etc. Os prptendcntes queiram dirigir se a
jruadaCadeia do Recif-, escriptorio da viuva de
I Manoel Goncalves da Silva.
' ftWOGM
A pessoa que estiver habilitada e quizer entrar
de sociedade em urna taberna muito acreditada,
deixe nesta typographia em carta, com sua morada
para ser procurado, o subscripto com as Ineciaes
F. P. S.____________
Caixt'iro.
taberna
na ra da Senzala Nova n. 39.
m
CASA M BWHOS
Largo do Carino un mero 2G.
Este estabeleciment'tao bem montado na sua
origem, achava-se de a muito em quasi completo
abandono pelo pouco ioteresse de .-ua adrainis-
trael.
rloje qne o novo proprietario emprega todos os
metas para restabelecer a- grande ntilidade deste
estabelecimento, pode assegurar ao publico que
qualquer 'que seja o numero dos concorrentes actu-
rao desde j promptidao t> aceio nos bonitos fri h,
momos ou medicinaes, a casa dos banhos se acha-
ra aberta todos os dias das 6 da manha as 11 da
noite.
Precos.
1 banho fri ou momo......500
( dito de rarello........I uno
I dito medicinal ser segundo a qnalidade.
25 cartoes.........10J000
12 ditos.........
P eo
FIGADOot BACaLHAU
^Hxcffi^
i Arrenda-se o engenho Miogento. meia
* legua distante da cidade do Rio Furmoso,
\ movido por agua de um grande ajudc
que nunca seca, com muitos par idos, si
. tos e moradores tem proporciJes para
\ fazer-se grandes safras e lucrarse mui-
te: os pretendentes drij>m-se ao r..
Christovao Xavier Lopes em seu enge-
\ nho Souza i>u no Recife, ra estrella do
Rosario o 23, segundo andar.
processo de Cherrier, haroiaceatieo rm
Paris, raa do Faubonrg Non (marte 21.
Este oleo de um cheiro agradavel, e de
um sabor assucarado o nico que nao tero
ncm o gosto, nrm o cheiro do peixe. Ob-
s*,)00 jeclo de numerosos relatorios scientificos e
mdicos, este mdicamente que goza era
Franca de um successo tao raro como bem
merecido, recertado diariamente pelos
prlncfpoTS-mertitrrr (Me *imf>Mi9> r* iar.
0 0I.E0 DE FIGADO DE BACAI-IIO DESINFECTA-
DO fekruiunoso emprega-se com os maiores
successos as molestias em que se emprega
o oleo quatido sio acompanhadas de debifi-
dade e atona.
Offerec-se un menino portuguez de 13 an-
nos de idade para caixeiro de loja de fazendas ou
miudezas : quem precisar annuncie, ou dirija se a
ra da Senzaia Nova n. 26.
Precisa-se do ora menino portuguez de 12 e
16 annos, que saiba ler e eserever, que para
urna cocheira fra da cidade : a tratar no pateo
do Carino n. 13. ________
Semana 11 lustrada
Assignase na roa do Crespo n. 4 ; tres mezes
6, seis mezet 11,5, um anno 184; ba nmeros do
1* de abril era diante.
STER EOSCOPO'S
com 12 vistas a 3f cada um, e nm grande sorti-
mento de albuns e livros de missa : na ra do
Precisa-se alagar urna escrava para o servico
oterno e externo de nma casa : na ra da Cadeia
do Recife, loja da primavera n. 21.
A-uga-se um seguudo andar e nm qnarlo da
casa d raa do Trapiche Novo n. 22, com muitos
commodos e por preco razoavel : tratar na mes-
ma casa.
AVISO.
Os abaixoassignados, moradores na ra da Ca-
[ deia do Recife n. 3, faaera sciente aos dovedores
O 6r.'Jos Soares Pinto Corra, tem
urna carta na pjaga da Independencia livta-
ria n. e 8.
Prectsa-se de ma pessoa para tomar conta
de um sitio perto desta praga, com ascondiroes
qne a vista se tratar : no largo da ribeira de S.
Jos n. g.
Sortes do S. Jcfto
Vende ra se lindos papis com estalo para as
sortes de S. Joo : na ra Nova n. 61 defronte da i
tilma, cmara municipal.
Aluga-se ama preta para ama de leite para
casa de familia : a tratar na ra larga do Rosario
n. 26, loja. .
A ma
Na ra da Cadeia o. 50. preiisa-se de urna ama
para coaiohar.
WWfMW\ ;i^aa^^l^yaVBCV>*
0 Dr. Francisco Pires Na*?*
diado Portel la
H Medie aperador
PaPA'LDAOE DE PARS,
rgressando a esta provea acha-se.5
? prompto para o exercicio de sua profis- yJ
5 sao, quer nesta cidade, quer fora della, ^
SR especialmente era molestias de olhos (ca-
ML taradas etc.) das vias urinarias (estreita-
S ment de urethra te I e de nelle, para
R cujo curativo sajulga habilitado, atienta
*M a pratlca qne tere nos hospitaes de Pa-
gg ris, e os modernos instrumentos qae pos-
Si sue.
| Pede ser procurado a qnarqaer hora
5 na casa de sua residencia no patee do
Carino n.-2, esquina da ra de Hortas.
^^Bf a&4t 3atf aaiiaaaK''
O Dr. Cosme'de S r*ereira conti-
na a residir na-ra da Cruz n. 53,
1" e 2o andar, onde pode ser procu-
radapara o exercick) -de sua profts-
8o mootca, e com espeeialidade
sobre o segiiitte
Io molestias de olhos;
2o de peito :
3o dos igaos geni-
ti urinarios.
Em seu escriptorio os doentes se-
rlo examinados na ordem de suas
entradas comefando o trbalho pe-
los doentes de olhos.
Dar consultas todos os dias das
G as 10 da manha, menos nos do-
mingos.
Pratiear toda e qualquer opera-
cSo que julgar conveniente para o
prompto restabelecimento dos seus
doentes.
mam
No mez de anril do corrente anuo fugio rio
engenho Cordeiro o escravo Vicente, cabra, de
idade de 40 a*nnos, pooco mais ou menos, bem fal-
lante, estatura recular, cahoea grande, com duas
pequenas cii-atrizes, uina na festa e outra no rosto
cosinbar e do lado direiio. belfos groseos, ifaatxo compridn.
nariz grande e direilo, niaos e ps pequeos, cha-
peo de couro. car^eiro, loca viola, e sappo'-sn
i|ue seguio para Agua Preta ou Caruaru, onde | -
tem andado : roga se as autoridades policiaes, ra-
Aos senhores alfaiates e sa- ^^J^ZZ^^S,
\ seriio bem recompensados ; protestando-se pnice-
der judicialmente contra quera o liver acontado.
- Precisa se de urna ama que saiba
liv;ir : na ra da.-. Cruzes n 11.
PrerWa-S ahigarnina escrava, paga-sefeem:
na ra do Hospicio ni ff-2.
pateiros.
HacS de algodo de 20 jardas per 2$
praVrip para forro de otras por ser muito
s
Manoel Itibeiro de Carvatho durante sua au-
ser muito in* j sencia deixa por eus procuradores os Srs. : em
corpafo : na loja da raa da Madre de Dos nu-! primeiro lugar a Joo Baptna dos Guimaraes Pei-
I xoto, segundo Jos Joaquira G-ncalves Blaslos, t.,-
mero;16.
Um menino portuguez cora 13 annos de ida- ceiro Antonio Pereira de Carvalho Guimaraes.
de, e que dallador a contento sua conduela, de-! o abaixo as>igna.lo, ex-gerente seja arrumar-seem urna lofa de fazendas, -e0erasr. Antonio Joaquim do Mello, vendo no Dtarw
sirva de graca o lempo que se convencionar : n*-de boje um annnneio publicado pelo Sr. Joio de
ravessa da Maitre de D^os n. 37.______________ Souza Guimaraes (e nao Goncalves como por en-
Os abaixo assignados fazem sciente ao corpo i 8an0 *ahio) estranha tal procedimenlo por quanto
di commercio e ao publico em geral, que a soeie-', nSo s se conforma com tal delmo, kvando-lhe
dade qua gyrou nesU pra?a pelo lempo de seis! em conta duzentos e tantos mil rs., seuoo 1405 a
mezes, sol a firma de Duarte Carvalho & G., ara- 'conta minha, o que varias pessoas presenciaram.
ba deser amisavelmente dissolvida em 30 de abril! como ainda me couvidou para ir pasir alguns
prximo passado, Orando a cargo do socio Joaqaim dias em sua propria casa ; em occa-io opperiuna
Ferreira Valente todo o activo e passivo da dita \ provare se elle e ou nao responsavel pelos gene-
sociedade, e o nico enenrregado de soa liquida- ros que verbalmente mandou dar a um seu amigo
cao tanto nesta prra como fra della, por Ihe fl^de Goianna, eqne o mesVr s.-nhor tevou em su
car pertencendo toda a massa. companhia para sua casa na villa da. Escada.
Joaquim Ferreira GocHto.
m
Precisa-se alujar urna ftoia captiva ou forra que
saijia bem eozinhar e co; prar : na ra de S.
Francisco, ou Mundo Novo n- Si.
laajajjHajjflajjajajHajB muMMmim &&my
C Amonio Joaquim te Mello, antigo ad-
2 vojfado nesta cidade, e pnienrador fiscal
aposentado da thesouraria de fa7<-nda.
emprego que servio"|>r mais de 22 ati-
nos, continua a adrogar^em tffdos os ra-
mos do civel e crime, com providao o
Exm.o*etbeir presidente da relaco.
Ra do Imperador o.'#4.
K
Jos Joaquira de Castro Meara.
________Joa<|oira-#ptista de Araujo._______-i
Arrenda-se oeagenho Frescondim, sito na
fregnezia de Agua Preta, eom raoenda horisootal ,
de ferro, 4 latas, casa da vveoda, de pur|r,.as. ',Tr^s-'i"
tufa, e urna porQo de formas. *>&, da- casa nroftri
'-----------i------------------------------------------| ja-se a ra Nova-n.'19, pi
Precisarse de urna ama de leite sem
filho: na ma da 'Atrow n. 46.
Na fabriea de calcados da rtacira de'S. Jos
n. 2i, preeisa-se-de artistas de sanatana.
' Felior.
Preeisa-ae-de nm. para um sitio pequeo pprtn
da cidade, seiido pessoa apaz e liando tinas-fufar
ra : a \]\l*m *nver Wii
primeiro andar.
Ataga-se rtma sa'ia do prieirolar da'Taa
do tjoelnla*^. 4t: a-tratar *a casflDa.
11
2^ S. '".
Q V
I f
3
a
3
8
-i
O
y
a
5" S 2
a
a
a

3
o
y*
o
rr
3

a.
S
a
-i

a
<
S t
br
Cu
c>
=r
-i
2_
7
Joaquira Ferreira Valente.
Jos Luiz Duarte de Azevedo.
Jos Rodrigues de Carvalho.
Precisa-sede ma ama para todoo'ser-:
vic) de urna casa-de familia : na raa das
Cruzes o. 9, segundo andar.
O abaixo assignado faz sriehle ao respeita-
'vel corpo do commercio que deixoo de fazen-par-
te da socielade que tiiha na prensa de Francisco
-Al 'es de Muraos Pires, cuja linna gy ra va sob a
-de Pires fy Pinto, ticando e-dito S. Pires narres-
pniisabilidade 'e todo o activoe passivo, visto ser
^lle o gerente ; assim como soieoiificam tambem
que de llora em diaute ser a firma .'ocial de Costa
- Atuga^eniaaa"errea no Canino-Verde '* PDI- Recife',0 d.e ma? ** '8^:
ra doSocego-n.-S, cora commodos para familia : i___________________Jos Piro Kibeiro.
Da ra do Rangel-taberna u. 7. Alaga-se a loja do sobrado S da rita da
"-. .------------. \~.'--,.~ 'Conceieai) : quem a Ti'teider XHia-se aoMno
l'rec.sa-re.de.iJiraa-araa^ue te*ba bomleSle : >obra0d ,|Ue a^ara-com |uera^rt*r.
atdo Ra'ngel-'B. 7,vrfMroadar. r- S-TT^ .----------
Quem quiaer -alugar ana carava para-ama*
na ru
-----il 1. T------------^_----- T T ~ -
wecisase'-^e orna ama para cosmhr e
gommaV :"iivra do ^TVarro n.-98
-------------------=,------.--------uB
en-
'tendo minio bom e abunilsnte Me, onaV se co-
'-digao- de levar o Sitio que- lera de 6 menas, da-se-
em conta : dirija-se a raa du>rataffeKn. -66, sesiu-
(rSr.'Jisdo Reg Dantas Coutinhq, (senher Jc-andar.
.':,'' do englnho) ten urna carta na ra do Ouelmado.;"""""- .,....,, t -
um sitio na- eanrpin.T da GasaPorte, com duas ca-1 |0ja n. t|'g. O Sr. Targioio S^ano de Sbuza Macrteles
sas, urna a em fue morju o faMecido Thomaz de i
Aqawo !-' do lodfts as ermiiii)dacdes precitas, e outra com
bms cnmModnMes para qualquer familia
rna hi Viarkrn. 19. 9rrmeir SorvUeCVer.
na Trapiclt n. jg.
CRBME.
eaie hoje ao meio da
na Pa do
" empregado na ifresuurari geral, e*cem me n
se pode rallar lodos o> l-.as-uieia quando val para,
% repailico ou-qaaadwsahe.
Precita ia"dn mn caixeiro rte 10 a
Precisa-se aUigar 1:a' preta escrava (fui- sai-
'ba engOmmar p*rfeitAmrnte, cozmha'r e lavar
30.)' le ^Paiilit'.ilCaO. Precfejaje m caixeiro rte 10 a 16 mnos^ue v,,iem i, Uver dirija se a rna de Santo'Amaro n. &.
Desenv-aminhou-se da ra ->a Praia um cavalto tenha otv rmjiraWca^e tal)ee>aa, prefere=*ep cm cabina, castanhn lepada, t-m um cirrego-guez : fcam Dm^n. ,3. Q ,^^ ^^^^ aec,a ^^ ^
OWraWnoeVGwnes de Paiva nao Se pod to'a dsolvaa wiwlde que existi* Aire rtle,
aaPoraagaNem'pagar mj>te devela Joo Wlfredo de Albuqm'rquo Maitin? Pereira e Frede-
lare^iOaa. ^_____________________ tico Augusto Vetloz> da Siiveira. va prensa fte at-
nheiro'a jaros rrpeqaei-as quanlias, ^fiodao sila no Fonad<>'*l:iitos,
goez
retirar I
Francisl
bkn) (irrigado, tenas bello*pr baixodo qne
tu bstanles grandes, lesappanve no da 16 4u
cirrente.e q-jea'>pr>etitM- rei-rhor a iiuxatia
at-i:n.i na ra da Praia taberna n. 43.
Fugio no dia S do corrente mez, a esravn de
nnie'a>otniyg#s, de tarfe "de 30~rHnos, com osse-
giitrrt>T:rjjtiapr: P.TbrfToy rmcrtns, rosio rurnprl-
d'.>. nariz regular, hopea pequeiia, pes tieqoenos e| ~3
'han'il>a(|o tivetiiMie braco dirtiio iletVUuttso; levMt vestido
di> chita escnra;e amWHlrtnea. Consta que esta
esra* em*atrareemiJara "o* lados do Pombal:
quem anprenwe-ta|p4W A'**anovia deSrite
Hila n. 1, sera generosamente graiiflcado.
quem i
que se aira quem da.
f^arl'^^ro'TeTT''TTT. lo.
Achando-se em concert a ponte da Tacara-
aa e nao podendo dar passagem aos viandantes,
vio estes ao lugar do Campe Grande para atra-
vesar no Salgadrho, principalmente os qne con-
duzem cavallos e carros, no entretanto qae con-
tintia-seabrar o pedagio da barreira da Taca-
ra, caja barrelra o arrematante continua a
e qile gyrava de-
Ijaixo da firma snclal Alfredo de Atbqoerqiie
Martias Pereira & C, arando romo lal exonerados
os doas socios cima mencionados rta rsprnssbi
lidad do artivo C-pas-ivo da msma sw>iediri>; e
o roejno afcaliro BMpiaao o nnl.o 'rcepoasavri,
por dito activo e passivo.
^^^ JO Tcixeira da Costa.
Vende se |ior prego coinraodo um instrumen-
lal completo para ama banda de msica militar,
achando-se todos os instrumentos em perfeito e-
l*g-se o MguVd andr-ili%* di ltrq>era'+tobTr qrntfdo o traosiro i>rna-se mais exteneo. tadoe qiiasi dovas a tratar na rna do. tmperaflvr
' trit n. 34 ; trata-se no mesm*v para Olindae com rulas caraiahos. numero, il
r
ILEGVL


Mari* do hnwliM Mita teta de Malo 4c it*.
\

PILULAS = BLANCARD
RTC.
AO 1ODUKKT0 DE FERRO INALTERAVEL
Approvadas pela Acadami de Medicina de Pariz
acioiiads roo consumi wemctL m u-pcthbi'MO
EXPERIMENTADAS NOS OSMTAES DA FRANCA, DA BSX6ICA, DA IRLANDA, DA TURQUA
MtHfoct hoHro nat Expaiiros, l/itrrj-e de Stu-York, 185* t de Paris, 1855a
Estas Pilulas envolvidas u'uma carnada resino balsmica de tima tenuidade excessiva, lem aanlagem 4c
serem inallcraveU. sem sabor, de um pequeo voluiuc, e de nao cansarem os orgas digestivos. Gozando das
propricdides do IODO e do aTBBURO; ellas convem principalmente Das affecens Chtorolicat, Escrofulotat,
Tubercutmas Cancros"*, na Uucori tica, amenorrhea, anemia, etc.; enlim, ellas offerecem aus praticos una ine-
dkaca da* mais enrgicas para modificar as conslituicoes lf/mpkaticat, frats ou debilitada*,
S. B. 0 iodurelo ir (erro impuro ou alterado uin medicamento infiel, irritante
Como prora de puna e de authencidade das verdadclras Pilulas de CUnrard, de ve
-se eiiir nosso aella de prata reaetlva e nosso tirana, aqu reproduiida, que se
aeha na parle inferior de um roalo verde. Deve -* desconfiar das (alsificacoes.
f?t
Afkaan -te eua toda a PltarutacUs.
Pkarmaceutico, ra Bonapartc, 4o. Parts.
ELIXIR DO DOUTOR THERMES
AO CITROLACTATO DE FERRO
\.
XAROPE
DE CASCAS de LARANJAS AMARGAS
de J. P LAROZE, Chimico,
MARVAeaTico la escola suriiios r vari*.
' Bslt xaropt, regnlarisando as funecoes do estomago e intestinos, destroe essas
Udisposieocs pfoteiformes, e faz abortar as molestias de que sao indicios precurso-
res. Mdicos e deentes tem reconliecido que resubelece as indigsteos, fazendo
deiapparecer os pesos de estomago, que calma as enxaquecas, espasmos, e eaimbras,
pie sao resaludo de digestdes penosas. Seu gosto agradavel c a acilidade com que
se suporta, o lem feito adoptar como especifico infallivcl das doencas nervosa',
gastritis, gastralgias, clicas de estomago e de entranlias, ftalpitaces, dores de
coraco, vmitos nervosos; sua aeco sobre as funecoes assimiladoras tal, ue os
mdicos mais illastres o lem adoptado por rescipiente real dos dous primeiros
agentes therapesticos: o Iedureto de Potassa c o Proto-Iodureto de ferro, tendo
observado que debaixo de sua intinenea, o primeire perde sua aecao irritante, e o
segundo seu cffeito adstringente.
XAROPE DEPURATIVO
Os cascas de laranjas amargas com Io-
dureto de potassa.
O iadursto de potassa, administrado etn
solacio ou dtbaixo da forma solida, causa ao
docata uma graade repugnancia, ou determina
accidentrs que orcio i renunciar a esta
medicaco eficaz.
Cado porm ao Xarope de cascas de laran-
jas, elle nao causa nem gastralgias, nem per-
turbado ds monago e intestinos, e gracas a
esta salvaguarda, os tratamtntes depurativos
sis continuados sem iaterrupcio, as afec-
(,6es tscrefulosts, tuberculosas, cancerosas t
si secundarias $ terciarits, mtimo reuma-
Ikismtis, aas quaes elle s mais seguro espe-
cifico. A dose est definida de tal maneira
qne o medies pode varial-a a sua vontade:
O truco: 4 fr. SO c.
XAROPE FERRUGINOSO
Ds easess de laranjas amargas com
proto-iodureto ds farro.
A associacio de sal ferro as Xarope de cs-
eas de laranjas tanto mais racional quanta
que este xarope, empregado ti, para estimu-
lar o apetite, activa a secrecio do sueco g-
strico, e por fim regularisa as fuaccSes abdo-
miuaes, neutraliza os mios effeilos dos ferra-
ginosos e dos ieduretos (peso de cabeca, pri
sao da veatrs, dores epigstricas) sin quants
Iue facilita sas absor-pcio. Dissolvid no
arope, elle se toma e se supporta fcilmente,
por achar-se no astado puro mais assimilavel
s assim pode continuar-se a cara da paludas,
corrimentos brancos, anemia, affeccoei escro-
fulosas e racaitisnio:
O fraseo: 4 fr. 50 e.
Os Xaropes de J.-P. LAROZE esto sompre em frascos especiaes
(nunca em metas garrafas nem em frascos redondos). ExpedicCes: em casa
J.-P. LAROZE, rae des Lions-Saint-Paul, 2, Paria.
Ra do Imperador n. 38, botica franceza.
r
INJECTION BRO
SOCIEDADE
Iniao Benetcenle Martima.
Por ordem do Sr. presidente, e em virtude dos
arts. 27 S, e 12 3o sao convidados todos os se-
ntares socios a se reunirem em assembla geral,
no da 19 do crreme, pelas 6 1|2 horas da tarde,
na de de suas sessoes, rna da Cruz n. 13, segn-
do andar.
Secretaria da sociedade Unio Beneficenle Mari-,
tima lo de tnaio de 186o.
Andr Abreu Porlo
1 secretario.
Irmandade do iHvlao E pirlito
Santo.
A mesa regedora tendo de dar execuco a 2*
parte do 2o do art. 3i do nosso compromlsso, fa-
zendo vestir a expeugas da irmandade, doze po-
bres que assistiro encorporados e em lugar dis-1
no dia 4 de junlio prximo futuro, recebendo no'
fim mais ama esmola ; convida quelles que se'
acharem nestas circunstancias, (advertindo que
sero preferidos os que forera nossos irmos), a
entenderem-se com o irmo thesoureiro, na ra'
Nova n. 69.
Manoel Luiz da Veiga
Escnvao.
Irmandade do Divino Espirito
Santo.
Determinando o 8 4* do art. 11 do nosso com-
promisso, que lodos os nossos irmaos tem por de-
ver possulr a sua casta rima capa da iazenda mo-
delo e cor que marca o lit. 123 do mesmo com-
promisso, com a qual assistiro a todos os actos
da irmandade. Sao eonvidados todos quelles ir
mos qas se quizerem prover das referidas capas
para a prxima procisso, a dirigiremse a praca
da Independencia ns. 37 e 39.
Manoel Luiz da Veiga
Escrivo.
Wm
Ama de leite.
Precisa-se de uma ama que tenia b >m e abun-
dante leite : na ra do Crespo n. 20, entrada pela
ra das Cmzes.__________________________
Ausentou-se no dia 10 do correnfe o escravo
Luiz, estatura baixa, levou camisa e caiga branca
de algodozioho : quem o pegar leve-o em Santo
Amaro, em casa de seu senbor Manoel Custodio
Peixoto Soares, ou na praca do Corpo Santo, que
ser graiilicado.
J. HfJNIlER
ALFAIATE
Ra da Imperatriz n. 9,
fe ir, a honra de avisar seus fregoezes e amigos que
recebeu directamente um novo e bello sorlimento
de rasemira, panno, etc., ptimo para casacas, pa-
letots, calcas, colletes, etc., etc.
Na ra do Imperador n. 14 toma se uma
ama para todo o servico.
Manoel da Silva Ferrelra val a Europa, e
detxa por seas procaradores os Sr. Custodio Co-
lago Pereira Juni >r, Manoel Jos de Sonza e Feli-
no Jos Vaz de Oliveira, com os quaes se devero
entender as pessoas que com e mesrae liver nego-
cios a tratar.
StciHatie Nava Inio.
Por deliberacao tomada em sesso da
directora de 30 de abril ultimo convoco
a lodosos Srs. socios alim de comparece-
rem na sala desta sociedade no domingo
prximo futuro (21 do cerrente mez) as
10 horas da maonia para elegerem os
membros da directora que tem de func-
cionar no semestre de maio a dezembro
deste anno como determina o art. 21 dos
estatutos em vigor.
Sala das sessoes da directora da so-
ciedade Nova Unio em Pemambuc 15
de maio de 186o.
O secretario,
Nascimento.
Fabrica nacional de lecidos de Santo Aleixo
no Rio de Janeiro.
Para e servico interno desla fabrica se precisa
engajar serrentuarios qoe -estejam neas condi-
goes, como familias completas, meninos 4e ambos
os sexos, de idade de 10 a 14 anaos .; paga-se
Lem, dando-se transportes gratuitameote para aquella provincia : aos pa-is, tutores, oa ad-
mimslradort6 dos menores se pagar mensalmen-
te, ou por quarteis raetade do qae ganhar c!a
um des engajados : os pretendentes fedem dirt-
(tir-se ao larga do Corpo Santo n. 6, eguado an-
dar, ou no hotel da Europa, no caes la liinjaala,
umbem segundo andar.
ELECTRO
MAGNTICA
Aprrevaia por vai-ias Academias e altas
summidade medicas,
O qae occosiona em g>*ral as molestias abaixo
designadas a esta^naco do sangne em certas
partes do corno, a qual produzida pelos res fra-
mentes c muitas onlras eaasas, cutio dcclarao-sc
ss Itheumatismos, Gota, Paralysia, Fraqucta
dos mtmkros, Constipa(es, Elephantiasis ou
Pernmt luchadas, et Dores Nervosas.
O uio da escora ELECTRO-MAGN-
TICA tera successo certo para a cura ds todas
estas molestias, sem recorrer se a nciiuuma oulra
medicacs. Ella lem uma forma mu manejares
e produi, a ventarle de quem d'ella usa, seos mais
uteit c feliies resultados. Seo emprr(o preserva
das molestias cima. Para mais nformacescoa-
tul-te-se a noticia que accompanka cada Escova.
DIPOSITO CB.AX
Bouttvart du Priace Eugne, 18, Paria, r
MOLESTIAS DA GARGANTA
E liiflummui.cs da Boca
PASTLHAS
DE
DETHAN
SO SIL DE SERTBOLLET
(Clorato de Polsssa)
Prescriptas pelos Mdicos dos liotpitaes de
Pars, contra as Molestias da Garganta as Angi-
nas, o Crupo, as Ulceraces e as Inflammacoes da
boca. Ellas fazem voltar a flexibilidade da gar-
ganta, e a frescura a ro, dcMruem o mau hlito,
curio a irritaco proveuienle do fumo, e anniqui
lio os afTeitos tao perniciosos do mercurio.
OPIATO DE DETHAN
OPIATO AO SAL HE BETIIOLLFT
Recommendado as pessoas cujas dentes se des-
calco e abalio, cujas gengivas sangran e as que
fazem uso o mercurio; elle conservo a alvura
dos denles.
POS E ELIXIR
DENTIFRIUOS AO SAL HE BERTHOLLET.
Seo perfume, seo sabor agradare!, suas quali-
dades tnicas e refrescantes torno o seo uto
precioso para a toilette, e indispensavel para a
sauda da boca.
Or-em Pari,pA'lETHAJ,90,Fs5 Deni.
SODM ET C', J. F. DA rOMSSICi,
88, run do Imperador, no Perntmbuco.
Dome do
x
PEITOE
SO
i-a* p*
STn o 5 2 M
? illftHB?
GRANDE ARMAZEM DA EXPOSIQAO DE LONDRES
DE
THOMAZ TEIXEIRA BASTOS
N. ^O-Rua da Cadeia do Recife-N. 60
Todos os arligos abaixo mencionados, foram comprados recentemente pelo dono do estabele-
cimento as priocipaes fabricas de Paris, Londres, Birmingham, Mancbester, e em diversas cidades
da Allemanha, e tendo comprado ludo as melbores condie^es por ser a dinheiro, por isso vende lodo
e qualquer artigo barato, por menos do sen valor, e mui principalmente por querer Inteiramente liqui-
dar e ter de partir muilo breve para a Europa.
Ha neste vasto armazem ricos objeclos com bnlbantes, como botdes, anneis, rosetas ele, e
bem sim, diversas obras de ouro, como trancelins, correntoes, ocolos, face-malns, anneis, e muios
outros artigos, relogios de ouro, inglezes, do afamado fabricante Bennette -, completo sortimento de fa-
lendas Unas e modernas miudezas, perfumes, perfumaras unas dos principaes fabricantes ingieres e
franeens, como L. T. PIVER, Lubln, L. Legrand, Ed. Plnaud 4 Meyer, Delettrez (Parfumer.edu ^."SSiooo do^rnTia2ca ^ nf mnfor
mnnri ttrsnii Vmu Q~.t4 H,,in,. iXX^i.. af.iu. unnor nr.nci.nd aissmwas de eub I *,uw.uwswuu ao Danco Aiiianca, que, na conror-
GASA DA FOirOHA.
Aos mojjtM.
Bllhetes garantid*.
A'ra DoCaswo rr. 23 b casas do cotuhi.
0 abaitoauigaado venden aos seas omita (tii-
les bilbetes garantidos da lotera que se acaben
de extrahir a beneficio da matrii da Boa-Vista,
os segulntes premios :
Um mel n. 3m com a serle de 6:000*000.
Um meto n. 501 com a sorte de 1:400,1000.
Dous quartos n. 71S com a sorte de 5004000.
B outras muitas sortes de 100,., 401, 301 e
10*000.
Ospossnidores podem vir receber seas respec-
tivospremiossem os desceios das leisna Casa
da Fortuna roa de Crespo n. 23.
Acbam-se a venda os da 3* parte da 4* lotera
(16a) beneficio do tbeatro de Santa Isabel, que
se extrabir a 20 do crreme.
PRECO.
Bilbetes.....71000
Meos......31500
Quartos. .... 11900
Para as pessoas qae compraren! de 100(5000
ara cima.
Bilbetes.....61500
Heios......31250
Quartos.....11700
Manoel Martins Fiuia.
Pedido.
Os curadores fiscaes e depssitarios da
massa fallida de Joo Baptista Goncalves
' Bastos, pedem as pessoas a quem o fallido
I confiou obras para fazer de sea estabeleci- terias'?'' de crina e seda propnos para presentes .
mpntn c favpnrla* p rnnna? fpitas a rna Nn- com Qndo pret0 e de oulras de lodos os sanlosdl,as c6m "guras e ditas com
ment ae lazendas e roupas lenas a roa NO- osmoramas, finos e bem graduados vidros para cosmoramas, um bello chafa
va desta cidade, hajam de entr.gar as mes- para meio de mesa de Janur oa para jardim ; entelara fina, come lalheres com
mas obras a ra da Imperatriz n. 40,
Precisa-se de nma ama que saiba cozinhar e
tambem para comprar : na ra do Pires n. 24.
A PRNDENTE.
Sociedade de seguros mu-
tuos sobre a vida.
Fundad t adniR.slrada pela baie
Allianc do Porta.
O seguro mutuo sobre a vida nma das mat
econmicas e moralisadoras instituirles at boje
conhecdas, e aquellas pessoas que a estudarem
cuidadosamente, com facilidade comprehenderao
que com um pequeo desembolso cada anno adqui-
rirlo em ponco tempo urna fortuna, que as poro
ao abrigo da miseria, se por desventura sua esta
Ihe for bater porta.
Nenhuma das companbias existentes pode ofTe-
recer aos sens associad<>s garantas como as qne
Ibes offerece a Prevtdente, que sao o capital de-
Para urna casaestran-
geira
Precisa-se alugar uma perfeita engommadeira,
dando-se a preferencia a escrava : quem liver ou
quizer alugar, dirija-se a roa do Trapiche n. 14
primeiro andar.
CLUB PERNaMBUCANO.
A partida do mez de maio ter lugar na
noite do di 24.______________________
Grande armazem de tintas.
RA DO IMPERADOR N. 22.
O armazem de tintas nm grande deposito de
producios chimicos utensis e os mais empregados
e usados napbarmaeia, pistura, photograpbia,tin
turara, pyrotechinia ;fogos de artificie) e era outras
industrias.
Montado em grande escala, e supprindo-se di
rectamente as principaesdrogariasdeParis, Lon-
dres, Hamburgo, Anvers e Lisboa, pode offereceer
productos de plena confianca e $atisfazer qualquer
encommenda a grosso trato e a retalho, porprecos
razoaveis.
Prvidos de machinas appropriadas satisfar,
com promptldo qualquer pedido de tintas moidas
a oleo, cuja qualidadee pureza de seus ingredien
| tes poder ser examinada pelo consumidor, o que
! nao fcil fazer com aquellas que sao importadas,
i e que se encontrara no mercado em latas fechadas.
Tem grande collec^o de vidros de difireme?
: formatos, desde uma oitava at dezeseis oncas de
; capacidade ; de vidros para vidragas e diamantes
! para corta-Ios; de pinceispara fingir madeira com
propriedade e outros; de papis dourados e pra-
leados e folhas de gelatina para ornamento; de
, papel grande e pequeo formato de vanas cores
! para embrulho, para forro de casa, para desenho
! com fundo j feito; de papel albuminado e Bristul,
> verdadeiro saxe para photographia e para filtrar,
I e outros ; vernizes de essencia para qnadrps, de
! espirito para madeira, copal para o interior e ex-
! teiior ; oleo graxo, oleo seccativo, oleo de linhaca
| clarificado, oleo de toiele, secativo de Harlim,>uro
: verdadeiro em p ; prata, euro, e estanho em fo-
| lhas de varias cores; tintas vegetaes, inoffensi
i vas proprias para confeitarias ; la de cores, e
olhos de vidros para imagens ; tintas ero tubos e
telas para retratos ; tintas em pastis e em p pa
ra aquarella ; essencia de rosa superfina, de ne-
' roly, jasmim, bergamota, aspice, patchouly, mbar,
boiiquet.limo, alcaraiva, mellssa, ortela piment,
|ntiiv ioroia ilfn. j^-pero, IVii cijal, nina,
mond lgant), Violet, Socet Hygienique, Mopelas, Mailly, Regnier, P. Gneland, e inglezas de Eug.
Riramel e outros ; ricas galantaras em raarfim, mar de perola, etc., fabricadas na China e no Japao;
ricas pecas de cristal fino como anda nao appareceram nesta cidade, e bem a-sim modernos lustres
para velas, ditos para gaz e para petrleo, serpentinas, caslicaes, enfeites e adornos para cima de con-
solos e para grande toillette, o que se tem feito de mais elegante em Paris, em Londres, Birmingham
etc. ; modernos apparelhos de metal fino inglez para cb e caf, os quaes nada lem de inferior prata,
e muitas outras pecas do mesmo metal, ricos penles de tartaruga da ultima moda para trancas de se-
nboras, excellentes (uvas de pellica do afamado Jouvin, apparelhos de porcelana fina para cha e caf,
ditos para jantar, e immensos artigos de porcelana fina dourada, como ricos vasos para flores, figuras,
etc.; calcado dos principaes fabricantes de Paris e ditos de panno cem sola de borracha, pianos dos
celebres fabricantes Pleyel, Wollf & C, realejos modernos de Gavio! i & C, para se tocar na ra, ditos
com figuras para saldes e ditos com figuras em movlmento ; modernos e bonitos instrumentos de physi-
ca (mgica) para theatros ou saldes, ditos de phantasmagoria ; lanternas mgicas, cosmoramas com
vistas novas, dia e noite ; stereocopios de nova invencao e com bello sortimento de vistas das principaes
cidades da Europa ; grande sortimento de brinquedos finos para crianzas, e bonecas fallando papai,
mami; grande sortimento de candieiros a gaz, os que se tem feito de mais elegante e que tem mere-
cido toda a aceiacio na Europa, grande e magnifico sortimento de caxinhas, cestinhas e outras galan-
grande sortimento de estampas finas coloridas
com novas paysagens para
riz de chrlstal, proprio
cabo de metal fino, eo-
heres, thesonras finas) ditas modernas para lfaiates, navalhas finas, caivetes e outros artigos, diver-
sos artigos feitos de rame; completo sortimento de mascaras de velludo, selim, cera, papelo e ra-
me, doces, confeitos e chocolate em caxinhas e em vidros; camas de ferro de]todos os tamanhos, laya-
torios, etc.; ricos quadros para cartoes de visitas e ditos grandes e pequeos para retrates; chapeos
de sol, bengalas, chicotes e ditos para carros; machinas para fazer caf, ditas para bater ovos, proprias
para quem faz pao-de-l, bolinhos, etc.; bellos cortinados arrendados, verdes, encarnados e brancos;
pannos para cobrir mesas, boleas grandes e pequeas para viagens, e outros artigos, como cobertores,
malas, etc.; sorlimento de violoes finos; figuras finas e jarros de alabastro ; galantaras e outras peras
de charao para toillette ; machinas para varrer o cbo, excellentes machinas para photographia para
tirar retratos, grandes e pequeas ; lindos baldes de papel fino transparente e lanternas coloridas para
Iluminarles moda de Paris, salva-vida de borracha, para homens e sjenboras, proprios para quem
toma banhos em lugares fundos ; ameixas novas em caxinhas, biscoitos inglezes em latas, graixa in-
gleza 97 ; cerveja era barricas das principaes marcas de Londres, queijos etc., e muitos outros artigos
qne para enumralos seria um nunca acabar, e todos se vendem barato e umita barato no grande ar-
mazem da Exposi^ao de Londres, na rna da Cadeia de Recife n. 60.
DINHEIRO FRANCEZ.
Vendem-se moedas de ouro e notas do Banco, e bem assim nma colleccao desde um centesimo
at mil francos: vende-se barato no Recife ra da Cadeia n. 60, ne armazem da Exposicao de Londres.
ans da Russia, canella, cravo e muitos outros ob-
jectos que s cora a vista podero ser mostrados.
Joao Pedro das Neves,
__________ Gerente.
O conselheiro Jos Bento da Cunha Figuei-
redo e o bacharel Jos Bento da Cunha Figneiredo
Jnior mudaram o sea escriptorio] de advocada
para o sobrado da ruado Crespo n. 1, esquina do
Passeio. ____________________
Precisa-se de uma ama para todo o servico
na travessa das Crnzes n. 2, Io andar._________
Precisa-se de uma ama para casa de duas
pessoas, qae saiba bem engomraar e cozer : a tra-
tar na ra da Imperatriz n. 34, primeiro andar.
I
rui
Precisa-se de nina ama livre ou captiva
para todo servico de uma casa de peque-
familia, menos o servico de eosinha : na
ra do Rangel n. 25, segundo andar.
do andar.
O London & Brazillan Bank, saca por doos
os paquetes,sobre
Lisboa.
Porte.
Braga.
Vianna.
Guimaraes.
Villa Real.
Coimbra.
Amarante.
Tinturara
Na ra Diretan. 116 conlinua-se a tingirpara
qualquercor, e o mais barato possivel.________
Aluga-se uma mulata de meia idade para o
servico interno de casa de pequea familia : a
tar na ra larga do Rosario n. 26, loja.
es
<
o
s
o
id
2
w_
w
Q
Para completa liquidacao vende-se, por muito menos de seu valor, perfumaras muito finas e
novas chegadas recentemente de Paris e de Londres dos mais afamados fabricantes seguintes : Eug.
Rimmel, R. Matheus & C, Lubln, Sociedade Hygienica, Piver, Violet, L. Legrand, Deletrez, Pinaud &
Meyer, Regnrer, Mailly, Gillet frere etc., etc., dos quaes ha grande sortimento d'agua de colonia em
vidros e garrafas, agua de lavande, agua para limpar dentes, oleo babosa, extractos em garrafinhas e
vidros de differentes modelos, pos para limpar dentes, banha em potes e era vidros, pomadas, ricas
caxinhas e balainhos com perfumaras para fazer presentes, e muitos outros artigos que se vende por
menos de seu valor, bem como todos os artigos em geral existentes no grande armazem da Exposigo
de Londres, na ra da Cadeia do Recife n. 60.
Para senhoras.
Ricos e modernos pentes de tartaruga para tranca de senhora, o que se tem feito de mais ele-
gante at o presente : vende-se por menos de sea valor para se liquidar, no grande armazem da Ex-
posicao de Londres, na ra da Cadeia do Recife n. 60
de Jouvin.
Luvas novas
Vendem-se excellentes luvas de pellica recentemente ebegadas de Paris, tanto para homem co-
mo para senhora por menos de seu valor, para se liquidar: no grande armazem da Expsito de Lon-
dres, na ra da Cadeia do Recife n. 60.
:: A NACIONAL
Companhia geral hespanhola de seguros mutuos
sobre a vida
AUTORISADA PELO REAL DECRETO DE 21 DE DEZEMBRO DE 1859
ma Llanca em dinheiro, depositado os eofres do estado, garante a boa ad
ministraco da conr
BANQUEIROS DA COMPANHIA
O Banco de Hespanha
Estacorapanhia liga pelo systema mutuo todasas combinagoes de supervivencia dos segor
S fe Nella pode se tazer a subscripto de maneira que em nenhum caso mesmo por morte do s
gurado se perca o capital nem os juroscorrespondentes a estes.
Saoto suprehendentes os resultados que produzem as sociedades da ndole de A NACI
DAL aue ainda mesmo dimlnuindo uma terca parte do interesse produzdo em recentes liquida-
coes eco nbinando-o com a mortalidade da tabella de Depareieux que e adoptada (pela companhia
para seus alalosa liquidarles, em segurados de idade de 3 a!9 annos, uma imporsicaoaunual
de 100,, produz em effectivo metlico: ,,,_,
Nofimde Sanaos.......VoSfnA
, de 10........3:9424600
. de 15 .......11:208*200
, de 20 .......30:256J000
, de 25........80:331*000
DIRECgO GERAL
Madrid : Ra do Prado u. I
Xas id tdes menores de 3 annos e maiores de 30, os productos sao mais consideraveis.
ProspectJS e mais informales sero prestadas pelo sub-director nesta provincia.
Joaquim Fiuz de Oliveira, ra da Cadeia n. 52, ou a Boa-Vista rna da Imperatriz n.12,eslabel
cimento dos Srs. Raymundo.Carlos.Leite A Irm5o.
midade do artigo 61 do* estatuios desta sociedade,
responde aos seus socios pelos actos e boa admi-
nistrarlo da sua gerencia, bem romo pelas dos-
seus empregados e mais representantes.
Eia, pois, pas de familia, corre a inscrever vos-
so nome na Previdenle, por vos ou por vossos filhos,
e veris assim, em pouco lempo, om futuro chelo
de ventura e proficuidade, que por oulra maceira
se nao conseguira e coro to pequeo dispendio e
sacrificio.
Subscriptores at 20 de abril prximo passado.
Subscriptores. Quantias subscriptas
Moeda forte
Jos da Trindade Almeda.......... 500*000
Manoel Muuiz Tavares Cordeiro.... 1:250*000
Antonio Joaquim de Vasconcellos... 2:000*000
Antonio Jos Silva do Brasil........ 2:500*000
Joo Jos Rodrigues Mendes........ 5:000*000
Joo do Couto Alves da Silva....... 1:250*000
Luiz de Moraes Gomes Ferreira..... 3:750*000
Domingos Jos da Costa Amorim.... 3:750*000
Domingos Jos do Amorim......... 3:750*000
Manoel Fernandes da Costa......... 4:0005000
Joo Carlos Coelho da Silva......... 2:008*000
Manoel Ramos de Oliveira......... 1:250*009
Manoel Jos Pereira Marioho....... 1:250*000
Manoel Ferreira Bartholo.......... 1:250*000
Manoel Francisco Marques......... 2:500*000
Gregorio Paes do Amara 1.......... 3:750*000
Joaquim Jos Goncalves Beitro..... 4:000*000
Joo da Silva Ferreira..............2:5005000
Jos Joaquim da Silva............. 2:500*000
Antonio Jos Coimbra Guimaraes... 2:000*000
Antonio Joaquim Fernandesfda Silva 1:250*000.
Custodio J. Goncalves Guimaraes___ 1:250*000
Jos Gonca I ves Villaverde.......... 500*000
Alfredo Jos Anlunes.............. 500*000
Manoel da Cunha Guimaraes........ 1:250*000
Joaquim Cabra! de Mello............ 250*000
Jos de Azevedo Maia e Silva..... 1:500*000
Bernardo Pereira do Valle Porto___ 1:00r>*000
Ignacio Pereira do Valle........... 1:000*000
Felisberto Ferreira de Oliveira..... 1:250*000
Domingos Jos Ferreira Guimaraes.. 6 000*000
Manoel de Mattos Machado......... 1:500*000
Manoel Joaquim da Rocha.......... 1:000*000
Seraphim de Senna Jorge.......... 500*000
Manoel Joaquim Fernandes......... 1:250*000
Manoel Goncalves Ferreira......... 1:000*000
Luiz Pereira Lima................ 500*000
Antonio Henrque Rodrigues........ 7:500*000
Manoel Francisco dos Santos Maia... 1:250*000
Manoel Joaquim Ribeiro............ 1:250*000
Joo Licio Marques................ 6:270*000
Francisoo Joao deJBarros........... 10:000*000
Joaquim Rodrigues Tavares de Mello 10:000*000
Jos da Silva Loyo................. 8:750*000
Francisco Jos Alves Guimaraes..... 1:000*000
Caetano Cyriaco da Costa Moreira... 2:000*000
Jos de Melle Costa Oliveira........ 1:250*000
David Ferreira Bailar............. 2:000*000
Antonio Jos dos Reis............. 5:000*000
Joo Ribeiro Lopes............... 1:0005000
Joaquim Claudio de Oliveira....... 2:500*000
Jos Gomes de Freitas............. 1:250*000
Bernardino Gomes de Camino...... 1.000*000
Antonio Baptista Nogueira......... 500*000
Joo Francisco dos Santos Jnior.... 1:250*000
Francisco Ribeiro P. Guimaraes___ 1:000*000
Alfredo Prisco Barbosa............ 750*000
Manoel Soares Ribeiro............. 100*000
Luiz Antonio de Siqueira........... 1:250*000
Manoel da Silva Nogueira. -........ 2:500*000
141:600*000
Precisase de 700* sob bypotheca de escra-
vos; quera desejar fazer dito negocio qaeira deixar
o seu nome e morodia em caria fechada nesta ty-
pographla com as iniciaes V. A. V.
Precsase allugar tres escravos para iraba-
Ihar em um sitio ; quem os tiver e quizer allugar
annuncie a sua morada para ser procurado.
Joaquim Ferreira de Araujo Guimaraes nao-
podendo despedir-se pessoalmente de seus Inn-
meros amigos o faz por meio deste,oflerecendo-lhes
seu diminuto presumo na cidade de Porto.
Perdeu-se do principio da ra Imperial atea
ponte dos Afogades uma anvelope grande com tres
cartas dentro e um escripto, sendo duas cartas
para madama Henri Adour e uma carta e o escrip-
to paraHenriAdour; pede-se a pessoa queachou de
ter a bondade entregar na fabrica de vinagre, ra
Imperial n. 1, que se dar' alguma gratificaco, vis-
to estas cartas de nada servirem a oulra pessoa
por serem cartas de familias.
AVISO
Os credores da massa do reverendo padre D. Jos
Antonio dos Santos Lessa pedem as pessoas que
teem penhores emdita massa, que venham resga-
ta-los no praso de oito das, entregando sua impor-
tancia ao preposto Martins, sob pena de serem os
mesraos penhores vendidos em ieilo.
Alugam se dous grandes sobrados com coro
modos para numerosa familia, novos e aceiados,
com jardim, cocheira, estribara e ontras commo-
didades, na travessa de Joo Fernandes Vieira :
a tratar na ra da Senzala Nova n. 42.
i
*
s
Joaquim da Silva Reg faz publi-
co que lendo sua mulher D. Fran-
cisca Senherinhi da Silva Reg
abandonado a sua companhia, e le-
vando comsigo todos os escravos
do casal, estando de posse de to-
dos os outros bees, ninguem com
ella faca negocio ilgjm ace ca dos
mesmos bens, por ser o annun-
ciante o legitimo administrador de
seu casal.
"s2
'**
Vende-se na ra do Imperador botio
franceza n. 38.
CALOS.
E chegado do Rio de Janeiro, onde se aperfei-
coon na profisso de calista um joven bcasiletro
3ue acaba de estabelecer-se no botel italiano, ra
o Trapiche a. 5, onde pode ser procurado das 7
atoras di manha as 4 da larde, e estas at as *
B casa o pacientes.
O abaixo assignado tendo obtido do muito
digno emprezario do theatro de Santa Isabel ama
! recita em favor das alfaas, que pretende haver pa-
! ra a capella da Senhora da Conceicao da Escada,
l prova de religlosidade que sempre mostrou ter,
i pelo presente pede e ero nome da mesma Senhora,
aos devotos del la que se dignem ampara lo em to
grande empreza, pois qae se acha encarregado de
passar os bilhetes, por tanto espera qae pelo amor
a mesma, nao deixara' de ser attendido nesta em-
preza que tende a dar ama prova do respeilo e
amor qae devemos tributar a' quem dos ha de II-
vrar dos barbaros e deshumanos, que se acham
perturbando a tranqnillidade do imperio a' que
pertencemos.
A recita e o drama sero annunciados pelo digno
emprezario.
Recife, 17 de maio de 1865.
Jos Firmino de Olivetra Regis.
Aluga-se nm preto para casa de pouea fami-
lia para o servico interno e externe : na ra do
Imperador n. 18._______________
Precisa-se de um caixeiro de 14 a 16 annos
de idade, que saiba ler e escrever, tendo pratica
de taberna : no ateo do Paraizo n. 20.________
"-^"irecisa-se~de ama ama que cozlnhe, engm-
ate a compre, aara rasa de pouca familia : ca rna
d Qarroado n. 22, loja.
Anemia, chlorese, bstrucco
das vlceras abdorainaes, quer consecutiva a' in-
flammacoes agudas, quer resultante das febres in-
termitentesDyspepesia, emfim era tedos os casos
era que reclamar uma medicaco tnica, ou reme-
dio a algum vicio de hematose
Pilulas e emplasto dejurubeba cura em 15
dias.
Preparados sor J. F. Lamer
____________Villa do Bonito.____________
_ Rosa Maria da Costa Carvalho, viuva de Jos!
Samuel Power Johnston k Gompanha
Ruada Senzala Nova n. 4.
AGENCIA OA
rundido de Lon Moor.
Machinas a vapor de 4 e 6 cavallos.
Moendas e meias moendas para engenho.
Taixas de ferro coado e balido para enge-
nho,
Arreios d carro para rafe dous cavallos.
Ao Sr. da ra do Bartho-
lomeu.
0 abaixo assignado tendo sido por diversas ve-
zes chamado ra do Barlhoiomeu, e insciente do
motivo Ce taes chamados, roga ao autor dos mes-
I mos o obsequio de declarar por este jornal qual a
raza.i que o intiuz a fazer semelhantes annuncios ;
na certeza de que a nao declara la, nenauma at-
tencao prestara aos seus chamados.
Jos Feliciano Machado.
Manoel de Carvalho, moradora nestacidade, fax Relogios de ouro patente inglez.
sciente que tem pago lodas as dividas coustante do Arados americanos,
inventario que se procedeu do seoi finado mando>; Machinas para descarocar algodo.
ficando ella senhora e possuidora de todos os bens,
que o mesmo seu marido deixou ; e para constar., oiores para anos,
faz o presente annunclo para mostrar qne se acha Machinas de costura,
livre e desembarazada de lodo e qualquer debito
tendente as dividas que constam no mesmo inven-
tario.
AMA
Na ra da Cadeia do Recife
de nma para cosiohar.
n. 50, precisa-se
M.
Na ra do Barlhoiomeu n. 45 precisase fal-
lar com os Srs. Joo Antonio e Joao Manoel Jnior,
arabos filhos da ilha de S. Miguel dos Accores, sen-
do o Io do lugar do Pico da Pedra, o 2* ignora-se
de que freguezia fllho, a negocio de muila im-
portancia, e soraente de particular interesse destes
senhores, ou seus herdelros ; o Sr. Joao Manoel
Jnior ainda ha poucos das antes exista nesta cineiro, pjde ser procurado no armazem
provincia : sendo,pois, que algum destes senhores nna dos Srs. Henry Forster & C.
oa herde-ros seus quelra saber quem os procura,[
e qual a qualidade dos negocios de sens Interes-
ses, podem dirigir-se a casa cima *
tarde em diante.
O bacharel Lourengo Avelino de Albu-
S querque Mello continua a ter seu escrip- J
H torio de advogado nos auditorios e tribu ]
M naes desta cidade : na rna do Imperador ^
mmmmmmmmmmmmmm
Consultorio utedico-cinirgico na ra larga da
Rosario b. 20.
O Dr. Joo Ferreira da Silva rogressando a sua
casa, contina em o exercicio de sua profisso nao
s na parte medica como tambem na cirurgica.
C0MP1AS.
Compram-se libras sterlinas:
mazem de Ferreira & Matheus, na
no ar-
rua da
D. Faulk, acha-se prompto para concer-
tar machinas americanas de descarocar algodo, I rCT:., jI rifan fifi
tendo as pecas avulsas pertencentes as -", ua(ieia ao net"e "' m'
assim como para qualquer servico tendente a mar- i Compra-se electivamente ouro e prata em
de fari- Lbru velhas, pagando-se bem : na rna larga do-
Rosario n. 24, loja de ourives.
das 3 horas da
Manto Antonio.
Estando prximo o festejo do glorioso Santo An-
tonio previne-se ao respeitavel publico que est a
venda a trezena do mesmo glorioso santo, muito
bem confeccionado, lmpresso ntida e broxada :
na ra do Imperador n. 15 defronte do convento
de S. Francisco.
Quem tiver um preto para alugar, bypothe
car oa vender, e nma prea de meia idade, procu-
re na ra do H ngel n. 7, segundo andar.____
Dascontam-se notas do baneo do Brasil e das
caixafi ffitaes : na praca da Independencia n. 22
Companhia lidelidade de seguros
martimos e terrestres
estabelecida no Rio de Jaueiro.
AGENTES KM PKRNAMBUCO
Antenie Lait de Oliveira Azevedo k C,
competentemente autorisados pela direc-
tora da companhia de segaros Fidelida-
de, tomam seguros de navios, mercado-
ras e predios no seu escriptorio ra da
Crai n. 1.
m ;:,:
Compra-se uro escravo cozinheiro que seja
moco, robusto e sem vicios : a tratar no sobrado
n. 32 da ra da Aurora.
Compram-se libras sterlinas
Crespo n. 16, primeiro andar.
na ra do.
Cobre, lato c|chnmno.
Comprase cobre, lato e chambo : no armazem
da bola amartlla no oito da secretaria |de polica.
Silvino Guilherme de Barros compra e ven-
de efectivamente escraves de ambos es sexos :
rna do Imperador n. 79, terceiro andar.
- Precisa-se de urna mulher de meia idade,' Na fabrica da ra da Lapa contiuua-se a
qae saiba cotinhar, para casa de ponca familia : vender velas de 13 em libra a preco de ltWOO a
quem quizer dirija-se a ra do Arago n. 27. arroba.

>
/MTalfflDl
ILEGVEL
'
>


Mari* te
baco esta letra ts Je Malo de i*a*.
.
Ouro e prata
em obras velhas : compra-se na praga da Inde-
pendencia n. loja de bllbetes._______
Compra-s ama mulatinha de IMt dol a8
anuos: na roa Direita n. 54 se dir quena quer
comprar.________________________________
Compran-se 6 escravos robustos e acosluma-
dos ao servido de trapiche, de dado de 30 a 32
annos, que nao sejarn de naci Miaa : na roa da
Croa n. i.
TEID1S.
Aos Srs. acadmicos.
RIVAL.
~SEM EGLT]VDO
Roa i* Queimado n. 49, loja de Jos & Azevedo
MiUeSrtva.
Meiadas de linha froza para bordar a 20 rs.
Meiadas de linha azulada superior a 60 rs.
fiabado do Porto muito superior a 100, i 20 e
160 rs.
Varas de franja de nho branca a 40 rs.
Caixas com 100 envelopes da melbor qualidade a
600 rs.
Caixas com 20 qnadernos do papel superior a
600 rs.
Grozas de peonas de ac muito finas a 500 rs.
Pecas de tranca lisa preta e de cores a 40 rs.
Grozas de botoes madreperola para camisas a 500
e 720 rs.
Rival sem segando
tudo
Ra do Queimado n. 49, est vendando
muito barato como veri abaixo.
Caixas de peonas de kalegraphia a 14000.
Massos com superiores grampos a 30 rs.
Pares de sapatos de tranca t tapete a 1500.
Frascos de macaca perula a 200 rs.
Caixas coro superiores agnlhas a 200 rs.
Libras de lia sorlidas com todas as cores a 7JI0O0.
Caixas com superiores obreias a 40 rs.
Ouzias de phosphoros de segoranca a 120 rs.
Meias garrafas com tinta a 240 rs.
R-tdlnhas com alflnetes francezes a 20 rs.
Cartas de alQnetes francezes muito finos a 100 rs.
Resmas de papel alraago a 24O0.
Resmas de papel de peso a 24000.
Papis de agulhas francezas a balo a 60 rs.
A
ma
Veadem-se OS segointes livros qoasi no- Caixas com 50 novellos de linha do gaz a 700 rs. Bonete muito bonitos para meninos a 14000.
vos: Manuel de droit romam por Mackel "?**'r"&/*" 80 rs- ,- A ,ft tojS8pa" ^^ fazendarau" moderna
a um aaa. n;/iir Novellos com 400 jardas superior qualidade a 70 rs. *#ow.
dey, i *olae, por 600u; Dtcctonatre carrj,ejs de hnha cora 200 jarda, dos ns60 at Escovasi
du contentteux commereial por Masse, 1 200 a 100 rs.
VOlume por 6/5000 ; La femme por ma- Li*ros para assentos de roupa lavada a 100 rs.
dama A Seglas, 1 volume, com estampas ?an^a^
500 rs.
para unhas e costura muito finas a
fioas por 55000; OEuvre de Racine, l
volume, com estampas unas por 6/J00O;
CEuvres choisis de Buffon, 4 volume, com
estampas finas, por 40000; Cdigo de cr-
dito predial, l volume, par 14*00; Um
philosopho as agitas furtadas, romance
por E. Souvestre, 1 volume, por 1/9(600;
Nocoes de partidas dobladas, por Fonseca
de Medeiros, 1 volume, por 1*600 ; Flores Grande sorttmento de roupas fetas de to-
singelas, poesas por Paes d'Andrade, 1 vo- das as qualidades,
para roupa superior qualidade a 14000.
Muita aftentfio na grande li-
quidado de fazendas e
Admiran
dmirem
Admirem Beni
que esto venda na loja e ama-
la ra da Iraperatriz n. 60 de Ga-
nV' se vendein todas as fazendas,
tanto de laxo como de primeira necessidade por
presos multo rasoaveis, e com especialidade as se-
guiles, dando-se amostras deixando flear penhor,
ou mandao-se levar era casa das familias pelos
caixeiros da mesma loja.
Madapolao eufeslade a Ao, -i&iOO e o,)000.
Vendem-se pecas de madapolao enfestado com
12 jardas pelu baratissimo preco de 44, 44500 e
54, ditas sem seren entestados de marcas muito
acreditadas a 74, 84, 94, e 104, ditas, francez
muito encorpado proprios para saias a 480 ris a
vara, isto na loja do l'avo ra da Imperatriz n.
60 de Gama 4 Silva.
Grande pechincha.
Chitas a 220 res o covado.
Ou 74600 a pega s o Pavao.
Vendem-se chitas ingieras de superior qualida-
Vende-se caixes vazios proprios pa-
ra bahuleiros, e funileiros, a 20OOO cada
om: e para as pessoas que comprarem do
4 para cima 10800, nesta lypographia.
Hilbo novo em saceos grandes: no trapiche
de Cunha, a tratar com Tassolrmaos.
flinn fViToe napinnnl na ae> nancando-se as cores serem fijtas, com muita
vupuo ICllttO llclUUlldl lia dversidade de padrdes. pelo baratissimo preco de
TlOVa lnifl iP. riliiTinT'ilPS & 2i9 rs- c000. 7*600 PeCa tendo 38 co-
JLIU V lUja UC \JUlllldI t5fc VX. vados, sendo fazenda esta que sempre se vendeu a
lrmo.
Rea da Imperatriz a. 9t.
Os propietarios deste novo estabeiecimenlo es
tao resolvios a venderem por prego baratissimo
que sempre _
280 rs. o covado ou 105 a peca, chitas largas a
280, 320 e 360 rs, na loja do Pavo, ra da Impe-
ratriz n. 60 de Gama & Silva.
Cortes de chita francea na loja do Pari.
Vendem-se cortes de chita franceza, cores Qxas
para llquidarem, como sejam : peca de bretanha de, com 10 covados a 34, ditos com 11 covados la
rolo com 10 varas por 34, dita de madapolao fran- 34300, ditos com 12 covados a 34600, ditos de chi-
cez cem 12 jardas a 34500 e 44000, ditas de cam- ta ingleza a 24200,24400 e 600, isto na loja do
lume por 2*000 ; Jtag* ao Araguaya JJff *j^gaYga6* \fibffl "SI IJ branca fina a 3J50C e 44500, lencos de cara- Pavo ra YaTmprTtriV n~. 60"d'Gama"& SvT
pelo Dr. Couto de Magalhaes, 1 volume, ditas brancas a 24, brim de linho a 34, 34500 e wi com terrioha <** cr a 800 rs. a duzla. ditos Cassu Frinceus a 300, 320 e 360 na loja do
por 25000 : A velhice de Camdes, romance 44, paletots do alpaca branca a 44500, ditos pretos | gandes a 14800, ditos brancos finos a 24400, cor- p -
por Trigueiros, por 2*000; La vie des "^^^^^^ Vendem-se cassas franceza muito finas, _de c6-
Rival sem segundo
Ra Jo Queimado n. 49, loja de miadezas de Jos
k Azevedo Uaia e Silva, est queimando que ad-
mira, a sAer :
Frascos esa superior banhaa 200,.240 e 500 rs.
Latas com superior banha a 200 rs.
Frascos com superior agua de Colonia a 120 e
400 rs.
Francos com superior oleo de Laboza a 240, 320 e
400 rs.
Garrafas da verdadeira agua Florida a 14280.
Fraseos de superior oleo da sociedade Higieniquc
a 640 rs.
Frascos de superiores cheiros santal e oulros mul-
los a 14000.
Sabonetes de familia a 120 e 200 rs.
Saboneies de superior qualidades a 60, 120 e 160 rs.
Caixas com 12 frascos de cheiros muito finos a
14400.
Caixas dito com 6 frascos melhor fazenda a 900 rs.
Paos de pomada franceza grandes a 500 rs.
Sabonetes de bolla pequeos e grandes a 320 e
400 rs.
Frascos com superior opiata a 800 rs.
Frascos com superior agua para denles a 14000.
I S.SSS-
ig.Sf5g-2 5 2.2o.-g
S- 2S = g 2.2.8 o 2
m
n
2

M
ITB
IWt h
gS*2g ^ jj3
SS32IllS
?"S&
por uuuies juu.ur, 1 vuiuiuc, pre,0 ooaU um 3500 4^500 3 e" 64 o'.
por 2)5500; Organtsatton dutravatl, por covado, moreantique preto a 24600 o covado, gros--*aao precales muito finas dos padroes mais roo
Louis Blanc, 1 volume, por 10200 ; L'Epi- denaple preto a 14500,14800, 24, 24200 e 25500^SS^ulS^l!iSL^S9zt a.0.?
nhanie nplo nadr* Ventora I volime or o covado ; e ouiras multas mais fazendas que se1 Pa"Dftode l,nn0 d Porto ^ ,4 Palnios d,ar8r*
paame, peio pauri ventura, 1 volunte, pur ejxa ae aDnoncar e manaa.se |evar pe|0S aixej. i a 640 rs. a vara, bramante de linho com 10 palmos
lSOOQ; Le jaidinier des saloits, l volu- ros da loja da arara casa dos pretendentes. O | d.e brgan a 24400 e 24500 avara, damasco de
me, por 640 rs.: na ra do Cabug n. 2 A, estabeiecimenlo est aberto at as 9 horas da noite, 1 'aa com 6 Palm ra da Imperatriz n. 56, Mendes Guimaries. I forrar mesas e pianos a 14280 o covado, orles de
casemira escoceza para calca a 24800, ditos de
07a.
Vende-se duas carrocas, urna para boi e oa-
tra para cavallo, sendo esta com lastro so mente,
propria para carregar barricas de farinha de trigo,
leona, etc., ambas com uso, por preco muito com-
modo : a tratar no pateo de S.Pedro n. 4.
Vende-se um carro de carregar gneros da
alfandega, com uso, e todos os pertences de outro
igual, tudo por prego muito commodo : a tratar
no pateo de S. Pedro n. 4. I
FEIJAO
a 32o rs.
Feijao de mistura a 320 rs. a cuia : na ra dos
Quarteis n. 22. 1
Vende-se urna escrava de 16 asnos de idade,
sadia e de bons costumes : vende-se por sen dono
ter de embarcar: a ra Bella n. 23._____________
Vende-se um piano propria para aprender,
muito em conta : no largo da matriz de Santo An-
tonio n. 2. I
Vende-se
na ma das Cruzes n. 23 junco e palha, mais bara-
to do que em outra qualqaer parle.
Farello a 4000 o sacco.
Em saceos grandes.
MIII10 a 40&OO.
Ra larga do Rosario n. 50 taberna da esquina
que volta para o da roa Estreila. _____
Fio de algado da Babia.
Vendefse no escriptorio de Antonio Lulz de Oli-
veira Azevedo A C, ra da Cruz n. 1.______
I Calnngas finos e brlnqnedos
para meninos.
Chegaram para a loja de miudezas da ra do
Queimado n. 69, os mais finos e lindos calungas
tanto para brinquedo de meninos como para cima
I de mesa : na mesma loja se encontrar boro sor-
timeato de miudezis. |
GAZ GAZ GAZ
Vende-se gaz da melhor qualidade a
l 4 a lata: nos armazensda ruado Im-
perador ni6 e ra do Trapiche Novon. 8.
Vende-se doce de caja seeco era latas de 6 e
tO libras cada urna, proprio para embarque : na
ma da Imperatr* n. 65.______________________
Vende-se a excolleiite loja de fazendas de
P-asseio PubHos n. 11, cern poucos fundos : os pre-
'eodentes dirjam-se a ra do Trapiche n. 48.
**** mmmm mmmM
M Venda de um sobrado
%f& Vende se o sobrado de 2 andares n. 21
jA. da roa 4o Padre Floriano, quetem o ren-
j5 dimente raensal de 429, per preco multo
s commedo : a tratar na ra do Rangel n. |
^ 2o, segando andar, das 6 horas as 9 da 3
jfe inanDia e das 4 da tarde as.7 da noite. fli
mmmm mmmmmmammm
EufUes a Ifaria Pa,
A loja da Aurora na ra larga 4o Rosario n. 38,
recebeu franoe e variado sortimeato de eofettes a
Mara Pa para cabera, dos raats modernos qae
lera chegado.
Pcntesit diadema para Ur cabella.
Pentes de diadema para atar cabello pois o ul-
timo goste que agora se asa.
Lianas de crochet de differenlfc grossuras.
Viiltas azues a Mara Pa, ricos sintos de fitas
largas eem fivelasdouradas, rraahneote sortimecto
igual a este s se .encentra na loja da Aurora ra
laaga do JUsario n. 38, o qual sempre se encontra
prompto as ordens de qualquer ifreguez que fir
com dionoiro, quem duvidar mande rer para jus-
tificar a verdade.______________________ '
Farinha de mandioca
Vendem-se saceos grandes com tfarinha demaa-
dioca por aseos do \ue em outra qualquer parte:
no trapiche do -Cunta e na ma do Vigarlo n. 33.
Em casa de Tisset Freres ra do Trapiche n.
9, tem para vender :
Vinho Bcrdeaux em barricas e em caixas.
Dito de Santerne fino.
Dito de Champagne muito superior.
Cerveja franceza marca Bobee.
A eite de Garrapato
vende-se em grossoe a retalho mais barato que
os matulos, em carga : na Tabrica da travessa do
Carioca n. 2, caes do Ramos.________
Instruccoes para o servico
das gaardas do exercito, exlrahidas do re-
gularoento de infantera e accommodadas ao
exererto brasileiro^-o'bra que muito convm
aquellas pessoas que se alistam nos corpos
de voluntarios; venfie-se na livrarsa n. 6 e
8 da praga da Independencia, a l^jL
Vende-se
brlm de linho a 14800, ditos'de ganga franceza su-
perior a 14600 collerinhos de papel a 500 rs. a du-
zia, ditos de esguiio de linha a 500 rs. um, grava-
tinhas de senhora a 800 rs. do ultimo gosto, sou-
tembarque de lanzinbas mullo bem enfeitados a
54OOO e 64000, ditos degrosdenaple ricamente en-
feitado a 204000, capas de dito a 204000.
Ronpa feita.
Paletots de panno fino, sobrecasacas, ditos sac-
eos, ditos de casemira fina preta de cor, ditos de
meia casemira, ditos de alparca preta, branca e de
cor, dilos de brim e ganga de todas as qualidades,
jaqnetas de meia casemira e brim pardo, caigas de
casemira de cor e pretas e de meia casemira, de
brim branco e pardo, ganga e castor, coletes de to-
das as qualidades, meias, luvas. grvalas,colleri-
nhos e rauilos outros artigos de roura feita que se
vende por preco baratissimo por ter grande sorti-
mento; venha o fregoet a luja comprar que o pre-
co ha de agradar e muitas outras fazendas de le e
de luxo, tanto para hornera como para senhora que
deixamos ^de annunciar por tornar-se enfadonho
qae s a vista do freguez se far o preco: isto s
na nova loja loja de Guimarcs & Irmaos. ra da
Imperatric n. 72.
Grande Itquidaco de
fazendas
de todas as qualidades, tanto para o mato como
par* a pr-a^a. O propriotario da loja armazem
da Arara, est resolvidoa vender as facendas mui-
to baratas, como sejam, Chitas, madapolao e algo-
daoiinhe, para se apurar dinheiro, Lourenco Pe-
reira Mendes Guimaries.
Chitas Iranoeaas a 240 o evado.
Veedem-se chitas francezas, sendo cores fizas, a
240, *J0, 300, 320. 360 e 400 rs. o covado, ditas
inglecas a 220 e 240 o ovado, sendo cores fius :
na Curtes de talca para kamem j*
^endem-s cortes para calca, bnnzinho, a 14,
ditos de ganga a 14400, ditos a 14700, dites de
brt de cor a 24 cada corte, tfitos de meia case-
mira a 24500, ditos a 34 e 34900, ditos a '44500,
. sitio da Cruz de Almas ao voltar para a eMr*:J&^&*^ TjTlt^lm
mudof-se ",0SPeqUen0S S para^ >vado, fla'osllf branca a 00. rs. o ovado,
C*l4e Lisboa
Na raa do Vigario n. 19, primeiro andar.
dita de salpicos a Ml o covado, goiinhas para se
nlKtra a 200, 320-c 400 rs., ditas, goU e *unho a
<6M e 800 rs., camisiohas para senhora a 14600 e
-24, muito finas a 44 e 44500, camhraias inas de
'Vnbo do Porto -superior era canta de duzia, 1 cores a 300,330,300 e 400 rs. o covado, ditas
tem para vender Antonio Luiz de Oliven* Azeve-1 muito finas com borboletas a 440 o covado, lencos
do i n^^X,. 2W e 320 cada ama.
A UenCaO Cortes a Marra a e 10.
Vende-se nma fiante de bano, toda aparelhada' Vendem-se cortes a Mara Pa a 84, S, 114,
de prau : na ra langa do Rosario n. 40. Quem & e 134 cada corte, cortes muito finos a 184,
tiver gosto e quizer possuir o que bom,dirjase liazinha lisa a 36, 440e 508 rs. o covado,cortes
a ra cima, que achara com quera tratar.
de lia cora palmas a 54 o corte, lias por oovados a
30J, 360 e 400 rs. o covado, casemira com listras
sendo padroes azI e preto a 24500 o covado, ma
Vende-se urna pjuena morada de casa ter-
rea na reguezia de aato Antonio : a tratar na
ra Augusta n. 24. __________________
Tasso Irmaos
Vende in-se uo armazej raa do
Ainotiiu n. 35,
Licores finos coracio em botijas e meias botijas.
.Licores finos sonidos *m garrafas cem rolbas de
t..;ro e em lindos fraseos.
Yinhos-eneres.
Santeroes.
Chambertin. <
Hermitage.
Borgonhe.
Champagne.
Moscatel.
Reino.
Bordeaux.
Cognac.
Od Tod. .
AteitePiagniol.
- Vende-se a loja de calcado da ra
larga do llosario n. 12. com toda a ferra-
menta, eonstando de m proprio calcado, ditas pa a cortar sola tanto
para cileado de senhora como de liomem e
meninos : quem pretender dirija-.se a mes-
ma que achara com quem tratar.
Imperial manufactura de
Franca.
Tabaco (caporal) para fumar.
Dito (em pul para tomar.
Dito para mascar.
nico deposito na provincia de Pernam
buco casa de zidoro, Netto 4 C, ra da
Cauzn. 2.
Prego flxo.
Caporal 800 rs pacote de 200 grammas.
Rolo 520 r-., pacote de 100 grammas.
Quanlidade.
Caporal 50 pacoles ou 10 ki'ls.
Rollo 50 pacotes ou 5 kills.
INJECCAO BROW.
Remedio infallivel contra as gnorrhbo-
antigas o recentes, nico deposito i.a eat
ica franceza, roa da Cruz n. 22, pre
50 3 3
por ter ara muito pefneno defeito, proco minuto devido a poca actual; na loja da Madre de
Deas n. ifc6, defronte da guarda da alfandega.
Traques
Eupantoea novldack.
Madapolao superfino a peca de 24 jardas por 64 dapolaoVofestado com jardas a 34800. 44000,
44SO0 e 54, dito eem 24 jardas a 54, 54900, 64,
64900. 74 e 7450, o. 6 a 84 e4500, depilante a
94, camisas francezas a 14800, 24, 24240 24500
cada urna, ditas de pregas largas a 24240,24500,
24000 e 34 cada nma, alpacas de cores a 320 o
a64000a.caixade40caFtas, e a retamo a 160 covado, ditas linas a00 rs o coaado. aberturas
rs.. a alies, antes qae se acabem : s no armazem ?Slk6*a,So l* ^ nn' d,,ta "ft*8 3!Le
] 400 rs. cada urna, pe$as de algodaozmho a 48oOO,
54 e<4, ditas com 20 varas a 74, dita marca T
a 8$566 a peca, casemires finas mescladas a 34 o
covado, ditas a 24800, 24240, 14800, 14600, e
14'tOO o covado, soutembarques decores a 64 e
84 cada um, dilos pretos a 184, i94, 204, 224 e
Biblia da lafacia do abtoade Pascal, appro-125f capas a 204 e 25, manteletes a M, e 20
_i___:___ ... _- cada un, chitas para coberla a 320, 360 e 400 rs.,
wada panas aulas publicas da provincia MT|itot & 0 covado, dius adamascadas a 480 o
poriana da presidencia de 15 do passado. covado, ceroulas a 142000 14500, ditas de linho
As pessoas que comprara j a obra, e qui- a I4800eada urna, fil de linho liso a 640 e 700
zeremter um pequeo aeerescimo, que se fS-a van, t^iataoas de cores e branca a 800 rs.
]he aeaha dp fe?pr mandPHun huevar a v*ra h*i"o 9*. **00, I04o00 e 124 a
me acaoa ae uzer, 1 ne-o ouscai. mMi. raa ^ (rnperatri n. 56, Mendes Guima-
da estrella, largo do Paraizo n. 14.
Acha-se vjend
na oflicina de encadersaco da ra do Im-
perador n. i 'i, defronte de S. Francisco, a
Baldo.
Veade-se um baleo de amarelia ponco usado e
tresteiros para aawstras : na ra Ja Cadeia do
Recife n.50. ___________________^^___^_ 1
Atiene o.
Vendem-se pegas de steiras para forro de sala,
tinta branca preparada a oleo, em latas de 25 h-:
bras, para pintar casa, rlogios para eima de me-1
sa e para pendurar, arreios para 1 e 2 eavallos,:
velas de spermacete, tudo de superior qualidade/
vindo dos Estados-Unidos : no armazem da ra do j
Trapiche n. 8.
Barato
Vende-se urna mobilia de jaearand (pequea)'
assim como I cama rica franceza de Jacaranda, 1
banca com pedra com toucador de Jacaranda, 1
piano de mesa em perfeiio estado, 1 commoda de
condur, I aparador de amarello, 1 mesa elstica : j
de amarello, 2 paree de Ianternas : a pessoa que', \
pretender dirija-se a ra Velha n. 69.
MOBILIA.
Vendem-se diversos movis por precos razoa-'
veis, inclusive urna mobilia completa de Jacaranda:
na ra da Cruz n. 18, segundo andar.
RA NOVA N. II
Loja franceza.
Tem para vender muito barato o se-
! guate:
Molduras dooradas
e tambera invernisadas de preto com fri-
; zos deurados, largas e estrenas, nroprias
para quadros e guarnicoes.
Tambem se incumbe de mandar fazer
os quadros para estampas ou retratos de
qualquer tamanho.
Vidros para espelhas
de diversos tamaitos e superior quali-
dade.
Collarinhos para camisa
a 14500 a duzia muito bonitos.
Retroz preto
muito superior em miadinhas 84 a li-
bra.
L5a para bordar
sortida de di versas cores a 54 a libra.
Botoes de lonca para camisa
brancos e de cores groza a 100 rs.
s
Corles a Hara Pia.
Glande pechincha a 50000 e 60000.
Vendem-se os mais bonitos cortes para vestidos,
sendo de cambra la branca com as barras e enfeites
bordados, de cor i crox, pelo baratissimo preco
de 54, ditos do mesmo gosto mais sendo de cores,
pelo baratissimo prego de 64 cada nm, valendo
esta fazenda dobrado dinheiro por ser a mais mo-
derna qne tem vindo ao mercado, isto na loja do
Pavio na ra da Imperatriz n. 60 de Gama &
Silva.
Vestidos Braacos.
Vendem-se os mais ricos cortes de vestidas de
cambraia branca primorosamente bordados, pelo
barato preco de 124. 16) e 209 na loja do Pavao,
ra da Imperatriz n. 60 de Gama & Silva.
Grande pechincha, vestidos a
80* OO.
Acaba de chegar um bonito sortimento dos mais
lindos vestidos transparentes, muito proprios para
passeios e bailes, por serem de primorosos dse-,
nhos, sendo todos os padroes tecidos e nao pinta-
dos, e vendem-se pelo baratissimo prego de 34500,
sendo fazenda que val muito mais dinheiro: isto na
loja do Pavao, ra da Imperatriz n. 60, de Gama & 1
Silva.
Fazendas pretas.
Vende-se gronsdenaples preto a 1280,14600,
14800 e 24 at 44, superior meurantique preto a i
34, setim da China, nova fazenda toda de lia, pro-!
pria para luto, com 6 palmos de largura, a 500,
560, 600 e 800 rs. o covado, e outras muitas fa-
zendas propnas para luto : na loja do Pavio, ra
da Imperatriz d. 60, de Gama & Silva.
Crwsdenaples de cor a i#00.
Vende-se superior grosdenaples cor de caf, pro-
prio para vestido, sendo muito encorpado, a 146OO
o covado : na loja do Pavio, ra da Imperatriz n.;
60, de Gama & Silva.
Casemirasa 1$600.
Vendem-se casemiras garibaldinas de quadn-
nhos e lizas, proprias para caigas, palitos e coletes,
pelo barato prego de 14000 o covado, assim como
caigas, palitos e coletes ja feitos das mesmas : na i
loja do Pavio, ra da Imperatriz o. 60, de Gama &
Silva.
Granee sorlimento de ronpa feita.
Vende-se na loja do_Pavio um grande sortimen-
ta de roupa feita?, onataudo U palito* d namio
preto, sobrecasacos, ditcs saceos, ditos de casemi-
ra, saceos sobrecasacos, ditos de brim branco e
de cores, ditos de casineta, calcas de casemira pre-
ta de todas as qnalidades, ditas de cor, ditas de
brim de linho branco e de todas as cores, coletes
de brim, casemiras, setim. gorgurio, etc., etc., to-
das estas obras vendem-se por prego mais barato
do que em outra qualquer parte : na loja do Pa-
vio, raa da Imperatriz n. 60, de Gama de Silva.
Chales e manteletes de renda
Vedem-se os mais ros e mais modernos cha-
les e manteletes de renda, chegados pelo ultimo va-
por da Europa, por prego muito razoavel : na loja
do Pavio, raa da Imperatriz n. 60, de Gama &
Silva.
Soutembarques de cor
Veadem-se os mais modernos soutembarques de
cor, ricamente enfeitados, e por barato prego : na
loja do Pavio, ra da Imperatriz n. 60, de Gama A
Silva.
Tapas pretas e soulembarqnes,
Veodem-se as mais modernas capas pretas lisas
e bordadas, os mais bonitos soutembarques pretos e
manteletes, tudo de seda preta e o que ha de mais
gosto no mercado, por precos muito em conta :
na loja do Pavio, ra da Imperatriz n. 60, de Ga-
ma & Silva.
Enfeites para cabeca.
Vendem-se os mais lindos enfeites para cabega,
a 34, 44, 54 e 64, os me Inores bales cronolinas :
na loja do Pavio, ra da Imperatriz n. 60.
S o Pavao vende
Chitas largas a 240
Chitas largas a 240
Chitas largas a 240.
Acaba de chegar para a loja do Pavio um gran-
de sortimento de chitas largas garibaldinas, por
s rem todas listradas e padroes escaros e de cores 1
Oas qne se vendera pelo baiatissimo prego de 240 j
o covado, sendo qae em outra qualquer parle cos-
ta a 360 o covado, notando que os fregaezes que
comprarem porgio de pegas, lerio um pequeo
abatimento : isto na loja do Pavie a ra da Impe-
ratriz n. 60, de Gama & Silva.
Liiazitilias a 300 rs.
Lazinhas a 300 rs.
Lazinhas a 300 rs.
Vende-se um bonito sortimento de lazinhas pro-
prias para vestidos e soutem: arques por serem li-
nas e de quadnnhos pelo barato prego de 300 rs. o
rovado, sendo fazenda que sempre se vendeu a
500 rs. o covado, e vende-se a dinheiro a vista pe-
i lo baratissimo prego de 300 rs. o covado : na loja
1 do Pavio ra da Imperatriz n. 60 de Gama &
Silva.
Pelerinas a 14*00.
Vendem-se as mais ricas pelerinas ou romeiras
[ de cambraia bordadas proprias para hombros de
senhora pelo baratissimo prego de 14600: na ra
ra Iraperatriz n. 60, loja de Gama & Silva._____
8-
2.31 S <
- S
er-9 g.3 S-g- .<
-_.8 3|- 8-9 8*
S-Z.J 9 2. 2. W
PIULAS CAiiiUiaS ii VER.
Estas pilulas vegetaes'sio a-
daptadas a todos os usos de un
purgante as familias, pois sao
perfeitamente innocentes, e em
quanto milhares de pessoas cob-
fessam com gralido que foran
curadas por ellas de molestias
severas e perigosas;nao ha
m s caso em que baja suspei-
tas do mais leve resultado inju-
rioso por seu uso.
Publicamos aqui algons dos
attestadps que temos de curas
notaveis feitas ltimamente.
Um caso notavel de
3 3 po k
w!* ir
'5 m 1
!1
Al
B-ig fia sgg
Ole- Iflf
?lrt
COPEITOS
DEPURATIVOS
DsD'SERYiX, dePariz.
Pharmaeentico de i' ciaste, ex-
interno dos hospitaes. premiadt
com a medalha de bronze.
De9 abiimlonou o oso das preparaooes
iutitu1a sob o iiome lo Arrobes, Xaropos
de Stilsaparrilha comoslos, ele
Cuja arrao, maior parte das vezes
c milla, e ii'algums casos perigosa.
Os COKrura DEPIirtTlVOS TEM O tSPECTol
*. o costo ituimins comf.m sob c
VQl'EKO VOLl'HE SI u-r l mu MllTO CTI-
*S Ql'E O SEO MODO DU PllLPAIii( AO TORNA
SAI.TEIIAAEIS.
O siirrehito qmn eHtCK con
feltoit obl l vi 111 vm lrun-
* sol o patrocinio das principaes
celebridades medicas, os poe cima
o. luitn qiianin tem existido alh
boje.
Gura rpida sem o socorro
de neiihiim outro remedio in-
terno, das escrophulas ,
herpes, affeccoes syphi-
liticas hypertrophias
dos tessidos celulares,
hydropisias c em gera)
todas as molestias producidas
pela alleracuo do sangtic ; ta
o resultado que queramos
nseguir e que temos sem
pre oblido.
Urna cx|ilie;i<;;io accompanlia cada
vidro.
Dcscon(iar-sc, das r.i'cilic.nn-cl inii
pfSCd
Para ai encomend irifir-tt acs
Sin t. MUISSOK ET c'% ib, li'Piincc
Eune, Parir,
All'ecrao rhronica do ligado.
Il.LM. Su-
Juiz ie Fra, 17 ie fevereiro de I8fi4.
Tendo feito uso das pilulas cathrlicas
de Ayer, que m fez favor de dar'um vi-
dro, tendo tirado um resultado nao espera-
do ; padecendo ha mais de doze annos en-
fermidades do figado e baco, com o uso
das pilulas posso lhe assegurar que estou
bom, pois tendo desapparecido um grande
engorgilamento que soffria, muitas dores
sobre a regiae do figado e costas, dores de
cabega, inchaco do ventre, nao podendo
deitar-me seno do lado direito, isso mos-
mo procurando posicao para ter socego, bo-
je me acho livre d'esse padecimenlo ; como
por aqui anda as nao baja, eu como tenho
este proprio que de casa, lhe rogo mnn-
dar-me alguns vidros, e o custo elle lite sa-
tisfar, assim bem como do cliarojie de
cereja, que tive occasiao de experimentar:
em um ataque de guellas que leve orna
preta que com elle curei, faco uso 'eles
as tosses em mnha familia sempre em
bom resultado, e por isso que p'eo para
mandar alguns frasquinhos, e mesmo as pi-
lulas pode montar a doze, poique tenho
feito uso d'ellas para uso da familia e ai-
turnas pessoas, ia d i .rct e g e
resultado; sou btdoorojeandeoda
De V. S. attensgPs.ar
Francisco FEmtKArEitAit
llieumalismo e ataqnes hemorrhoitlacs.
Illm. Sr.
Ouro-Preto, 30 de margo de 1804.
Posso certicar-lhe que as pilulas ca-
harticas do Dr. Ayer sao excelentes, pois
|ue soffrendo eu dores pelo corpo, e (ue
uppunlia ser rlieumatsmo, (molestia esta
'queja havia soffrido ha annos t e soffrendo
tambem de ataques hemorrlmidaes. e de
um ouvido, pois que at j pouco ouvia, e
acompanhado de urna dr no queixc, con-
sultei a um dos nossos mdicos, e este me
disse que devia fazer uso da salsa ; por
1 lendo eu o almanack do mesmo dontor,
comprei em sua casa um vidrinio das mes-
; mas pilulas e por mnha conta principie! a
toma-las, e sem as finalisar acho-me sem as
j dores pelo corpo; e sem sentir, sarei de
ouvido, e mesmo dos ataques hemoi rhoi-
;daes: portanto s3o para mm as laes pilu-
1 las as melhores que tenho experimentado
I isto em abono da verdade. Sou
I De V. S.
Amigo certo, venerador e obrigado;
O brigadeiro
Joo Rodrigues Feu de Carvalho.
Gaslrite.
Ouro-Preto, 29 de narco de 18C4.
Atteslo que tendo feito us, aconselbado
por um amigo, das pilulas do Dr. Ayer,
'fiquei perfoit.iroonto bom Ao urna pasirtte
que soffria e que privava-me de andar aper-
lado, hoje felizmente nada sinlo.
Augusto Gollatno de Mello.
Falla de apetite.
Ouro-Preto, 24 de fevereiro de 1604'.
Sendo eu all'ectado do figado ha muitos
annos, e ltimamente soffrifalta de apetite,
hoje dou gracas a Deus por aehar-me sc
e perfeito com o uso das pilulas catharlicas
do Dr. Ayer.
Antonio Bento Vieira.
Vendem-se moedas portiifruezas de ouro,
proprias para aboloaduras a 2>200 cada urna : na 1 || m oa
ra Direita n. 21, padaria. W^W^ MMMM MMMMMMl
Machinas de serrotes para
lo a
Chegaram as desejadas machinas de serrotes pa-
Vendem-se pecas de madapo'o
rea coqneiro para* forrar apatos,
f__._j_ l,._ -* .,i .n .1.. ra descarogar aluodao, havendo nm completo sor-
lazeaoa aea, preco raioave, ao aier- timent0 des(Je |3 al fa errotes, tambem ha mo-
M da Boa-Vista I. 38, loja de Calcado, lores americanos para as mesmas machinas, ven-
----------------- tt------------------------------------- dera-se o mais barato pqssivel : na ra da Cadeia
Fejto preto
Na raa da Imperatriz, armazem n. 6.
do Recife n. 66 A, loja de ferragens de Joao Car-
los Bastos Oliteira.
Ferros e encrespar
do diversos lmannos e feitios : na raa do Crespo' machinas americanas de serrote para descarocar
numera
Vendem-se
iricanas de serrote par.
algodio: na raa da Senzala nova n. 41
LAGEDO.
Vende-se muito bom lagedo para calcadas : na
roa do Apollo n. 4.
avariado.
Prancez barrica ff000
Portland idem 8*300
Em perfeito estado:
Prancez barrica 105000
Portland idem 124000
No armazem de Tasso Irmaos caes do Apollo.
Vende-se um escravo idade 25 annos insigne
oDcial de carplna e bon>ta figura ; oatravessa op
Carrao n. U
GRAGEAS
GLISE CONT
tlirmlii r*U lriiMi U M41cln* i ParU.
Xeiulu pcloi doni relatorioi, adoptados pela dita
Acadeatia en 1140 en 1851, que at GRAGEAS de
GLit t CONT lo o melhor e mis efcaz remedio
ferrugiaoso para curar a chloroiis (alias fluor-albo), ot
fluxos brancas, a fraqueza de eonpleixt* nos dous
sexos, e tamban) para ajudar a menstruacio das mocas.
latu Gragea* nto ata rendidas sent em caixinkas
a Tidros coberto com rotalo e fechados coa urna tira
levando a firma do depositario geral : labelovyb,
aanMcantico, rita Bourtot-VitUneuvt, 19. ParU.
Deposito geral em Pernambace rna da
Cruz d.22 em casa de Caros Barboza
Farinha de mandioca
muito nova e superior chegada de Santa
Catharna
Vende-se a bordo do pelacho dinamar-
quez Galharina ancorado defronte do
tr piche Bar3o do Livramento, ou no es-
criptorio >'e Manoel Ignacio de Oliveira &
Filho, .larno do Corpo Santo r. 19.
Vende-se por prego commodo um instrumen-
tal completo para algtima banda de musir mili-
tar, achando se todos os Instrumentos qusi novos
e em perfeito estado : a tratar na ra do Impera-
dor n. 12.___________________
Trastes com um.
Vende-se I sof,-3 consolos, 1 mesa redonda, 9
cadeiras de amarello, 6 cadeirns americanas, I
bea marqueza de Jacaranda, 2 carteiras de via-
gem e I cartelra grande propria para taberna :
quem pretender dirija-se a ra das Cinco Pontas
n. 110 defronte da estacan.
PROPRIO PARA SENHORA.
Vende-se um excellente cavallomuito no-
vo e manso com tod..s os andares: na co-
cheira do Paulino, rua de Santo Amaro.
PECHINCHA
Ceroulas de meia muito Anas a 14500, ditas en-
trefinas a IJiOO: s na roa da Cadeia do Recife
n. S, laja de miudezas de Silvestre Pereira da Cy-
ntiaiC
Constiparo, ddres de cabera.
Ouro-Preto, 28 de marco de J8G4.
Atiesto que achando-me alacado de um?
forte constipaco que irouxe-me dores por
todo o corpo e na cabeca, soffri horrivel-
mente por espaco de quatro das; enliu-
um amigo aconselliou-me que lomasse pi-
lulas catharlicas do Dr. Ayer: com ellas fi-
quei s5o e completamente restabelecido em
tres dias, de sorte que estou no firme pro-
posito de aconselhar o uso das ditas pilulas
a todas as pessoas que forera affeeladas de
constipacbes.
Agostinho Jos da Silva, negociante de fa-
zendas. ^__________
Irrilaco do rstomafo.
Ouro-Preto, 29 de marco de 18C4.
Atiesto e juro, se necessario fr, que. sof-
frendo ha muilo tempo excessiva rrtaeao
de estomago, pouco apetite e difficil diges-
15o, d'ella tenho experimentado sensiverj
meilioras depois que tenho feito use das pi-
lulas catharlicas do Dr Ayer.
Antonio HebOGENES Pereira Rosa.
Lotobrijas.
Ouro-Preto, 28 demarco de 1804.
As pilulas do Dr. Ayer (catharlicas), fo-
ram empregadas com grande vantagem por
mim em urna menina de dez annos que
soffria de vermes intestinaes, notando-se
que os symptomas que entiio prcsentr.vir
eram de moieslia bastante per-fgosa.
Raymtndo Nonato de S. Thiago, pharma-
ceutico.
Nevralgi.
Urna carta do Illm. Sr. Francisco Alva--
renga de Azevedo.
Ha mais de sete annos que soffria dres-
oo hombro e as costas, tomei nma infini-
dade de remedios sem achar alivio aignm-
Dr, angustia, tormento s9o palavras lor-
ies, porm nao exprimem o que tenho sof-
frido: ltimamente tomei as pillas ca-
tbarticas do Dr. Ayer. S faz olo dias, e es-
tou completamente restabelecido ; br fres
dias que nao sinto a mais leve dr no hom-
bro nem as costas.
Estas pilulas acham-se veoda as prin-
cipaes boticas e drogaras do imperio, e no
Rio de Janeiro, ra Diroita n. 15.
Vende-se em Pernambdco:
ma pkaraBaela f rameeaa de
P.MAURER i C.
RA NOVA N. 18.
.5

ILEGfVEL
(muhladq


uimrfe de V*ammm1mKm-u*mM**lr* Mi _
de t&6
VMM ____
mmm os modernos chales de
FILO METO.
Superiores chales de fil preto chegados pelo uliimovaper flrance?,
loja das columnas ra do Crespo n. 13, de Antonio Correia de Vasconcel-
los <& c.
%->.
m
-, m&
)m3M
COLUTORIO MEDIGO-CIRIRGICO
DO
BR PEDRO DE ATTAHYDE LOBO MOSCOSO,
UBOICO. PARTEIRO E OPERADOR.
3 Raa da Gloria, cas'dor Fundto 3
O t)r. Lobo Hoscoso d consultas gratuitas aos pobres lodos os das das 7as 1
horis la anna.e das &e meia s 8 horas daaoite; excepcao dos das santificad*!
1*ki>,.nva especial homeopathica
No mesmo consultorio na sempre e mais appropriado sortimento de cartearas
nb)s avulsos.assira como tinturas de varias dymnamisacfos e pelos preces seguimos
Garteirasde 12 tubos grandes. 12)0000
de 24 tubosgraades. 165000
da 4 5 *.uD<>5 grandes. 245009
-1} 4$ tubos iranias. 30|000
de 60 tubos grandes. 35/1000
'nn-se | nlquer carteira conforme o pedido que se fizer, e cornos renwdi
qi3 se oedir. .^
U:n tubo avulso ou frasco de tfnturade meiaooca ltJOOO.
Sendo para cima de 12, custarao >s precos estfaeelacdos para as carteiras.
Ha:,ubos mais pequeos cada um a 500 ris.
LIVROft.
x i: i >r o i-i h 'i)U)pUhia, f) Mnnl^le-.rMpdieina-Homeopathicodo Dr. Jahr
iti\ 111 s v.iians3a licoionario.............. 205000
\fi liciua balstica. I > Or. Uering,........... 1300(8)0
jjjrtjriol) De. tfllo Aloraos.. .......... /5QP0
D.cMnir.io de.tarnns da medicina......., 83dt)0
'">; -emito* deite estabelecimento sao por lamis conhecidos ispensam pjortan-
I > >. n iaiD0 ricommendados aspisow13. q jierem usrmete remedios ver-
i d?, Dioicos educadores: ha tudo do .uelhwi qpe-*e pJ'l*5ejarljlobos da v,gr-
daUiro w nar de-lwt^notaveis tola^sua boa t-,oniwvi,;e.tintura dos mais acreditados
esu >{';^i nia'.os europeos, mais acta a .accuradapreparaco, portanto a maiotener-
gia w'.a.; n jojw eieitos.
Cafa de mhi<> pira escravos.
ecebe-seiscravespara tratar de jualquer enfermidade ou fazer-se-lhe qualqaer
opino, para o que o mnunciantejulga-se; uSeitemente habilitado.
i -ratament o mclhor possivel,tanto na arte aumentar, como na medica, e
fuiccionando a casa a mais de quatre annos, ha murtas pessoas de cujo conceito se nao
pie Luvidar, que pdem ser consultados por aquelles que desejarem mandar seus
loontes.
'a*a-se 25000 por dia durante 60 dias e d'ahi em diante 10500.
v^ iperacoes serao.iws-viamente.ajustadas, se nao se (uizerem snjeitar aos preco!
i |i) ,)>!. i ni ijliro annunciante.
; .a i
O
O
o
Largo
jruz n.
ESPECIAES |IZ:
rara it.^^F do j mai acreditado armazem de Ti
a S,0!" ? f 'f l?-mes'no sortimento de gneros de primeira qualidade.
2S rvLra a ,ndos basepara ajaste de comas aos portadores,
nela oxfnl ?;a,rma^m'voBera' mais bara, e melhores do qne a Aurora Brilhawe, ja'
l ero ,S! J?1"nenl qne ,em- J* esmo porque sea dono s deseja tirar diminuto In-
l oovS n gU'' tar."c^mu'"a8wpezas do estabelecimento por isso deixe se a-
' ues7re)?ae7.eSSPn t0da a dHieDCia- afin> de ^^T bem os senscons-
t,.l*75So8',bfas dechonriSas maito novas,

d)
1400. -""^
Ditas cora ostras
>/, i
Li
> >
itorio ftrioxioo e caioiica de F. P. Lebeuf e O
raa Montoiartre, 31, em Paris.
Fabrica em .%rgenteuil, prs Pars (Franca).
BO\IFIi}\(J\0 E FABIC\(\0
Djs vinhos, agaardentes e licores.
AGl-ARDEXTES-Essencia de cognac para dar
Vl>JS )iImittij.lo dos viahos de todas as
Ha i'itla.'-: ttrafifc) d.; .Mil > litros l (.**.tetoWl**. S.. a Poinard, 3
f.,le Lisboa,* (.,de- Cataln, i f.,de Porto.
M.H ""' ialasa. dosc nara.2'! on JO.-
iros, 41.
Substancia para fabricar rom o alcoal e asna
os vinhos idima e todos os outros. A dose para
50 i ittro, 30 f.
I1LACIPICACOP6t) inglezes, pos dos vinhos
da I!.'.-lanha, da Franca, etc. A libra para S00
litros. 5 f.
''. ./)!V\n.\0. Purpiripine para colorear os
vinhos brancos e vinhos claros. As duas libras
n ii i ; ):i litros, 1G f.
as agurdenles urdioarias o sabor eo aron
cosoac. A garrafa para 100 litros 5 f
KIRSCH E ABsINTliO.-Essencia ,e kirs.h^
4Ud..>-nfctl?Sr.-. o* rawrwrt-aTcbol e agua A
garrafa para 100 litros, o f. gua- A
LICORES.-Extraclospara fabricar se todos os
licores conhecidos som fogonem alambkiue Cin-
jlicar-se os qae se lesoja.) A dose para 80 u 25
PERFMESpara fabricar-se os licores finos ou
communs a dosc para l\) ou 2. litros i f 25
TODOS os otttros productos para o trabalhodos
vinhos agurdenles, licores, vinagres, etc., sao
fabricados ile encommenda.
IJTENCILIOS de laboratorio e de chimica.
Meons de nossos agentes tendo falsificado e mitado nossas preparacoes.e encanado" nnsso
fren 1 y.'s}lve-s9 exigir sobre as rolhas e rtulos asinlciaes F. V. ,. Paris,
0 mulo le usar-so daspreparaersieha-se indicad no rotlo.
alquer ontra cida-
chimicos, roa
P"
: : 11 !) )t!.i fnucei, ra 1o Imperador n. 38.
0,i^f.?*?nls om Pe>e em postas inteiras,
aalidade?, a U000, 1280 e
j^excellentepetiscoparafri-
Sas M Si:"l^%*^>a 72
.^ftas com ameixas a 1,8200, 1 #800 -500.
mitas cora aiarmelada do afamado' fabricante
Abreu. a 7i0 rs.
Mascom massade tomate, a 500 rs.
ir''St\goa de coraadfe. no05. a-iWSOO,
}Daa22)mAo,MWohr 'Ditascombiscoiiinhos Inglezes de njuitassaa-
lidades, a,i400.
. Chocolate.
Camnhas com ameinas enfeiladas proprias
iPh Pafa mma a 14*00,3*800 e 3*400.
fuiocolate superior muto novo, a libra de
880 a 1000.
)Maca?*!;^.Ialhariamealelriaamarella,alibra
) a 400 rs.
Dito dito dita branca, a libra aiOO rs.
lanas com estrelinha, pevide, e outras mas-
f sas, a ca xa 3JS500.
Ditas dita em libras a 6i0 rs.
Sag, a libra a 360 rs.
(Sevadlnha para sopa a libra, a 240 rs.
Ervilhas seeeas, a libra a 100 rs.
Ditas descascadas, a libra a 200 rs.
(Tapioca muito nova, a libra a 280'rs.
Fa!,ha de arruta verdadeira, a libra a
500 rs.
{Affo do Maranho, em sacco, a arroba a
.2#4O0 e a libra a 80 rs.
kDitO'da India e Java, a arroba a-3$i00 e a li-
bra a 100 rs.
Vinho tarde superior.
A caada a 3*000 e a garrafa a 400 rs.
ifiMNMb
Saccas de 4 arrobas, a verdadeira de se}
eneommar, a arroba a 3*000 e a libra.
120 rs.
Sabomassa, a libra a 200, 240 e 280 rs.
Fariaba.
Saccasgrandescom farinhade Goianna mili-
to nova, a 5*000.
Caffe.
Cado Riomuito supetior, a arroba a 8*,|
8*300 e 9*000.
Cha.
Ch.teraos oestes gneros o melhor possivel.i
hyson, a libra a.4*600.
Dito pcrola a 3*000.
Dito uxim a 2*700.
Dito hvson rauito fino a 2J800.
Dito redondo a 2*500.
Dito preto de primeira qualidade a 2*500. (
Dito mais-baixo a 2*000 e 1*600. *
Erra mate.
Excellente cha medicinal, a libra a 240 rs. <
Espfrmarelp. '
O masso com 6 relias de esperraacete a 600,!
640 e 720 rs. i
Passas.
Caixas de 16e 8 libras de passas novas pro-:
prias para mimos a 4* e 2*500.
Nozes.
Notes, a libra 160 rs. e arroba a 4*000.
Alpisla e paiufo.
Alpistae painco, a arroba 4*000 e a libra a.
160 rs.
Cartas.
Cartas Unas para jogar. a duzia a 2*800.
Caslauhss.
Toucinho de Lisboa a-9$S00 a arroba e a 320, Castanhas novas vindas.nes'te vapor, a arro-
rs. a'libra.
{Dito^deSaotos, a.arroba 7*000. e a libra a
260 rs.
jMolhoscom 12o ceblas; grandes, i\ 1280.
JMostarda franceza, caixa cen 2 doziasa
> 7000.
1 Frascos com mostarda preparada em vinagre,
I a'400 rs.
Ditos com conservas inglezas e francezas. a
i 640 e 800 rs.
[Ditos com sal refinado fino, a 640 e a 500 rs.
'Ditoscom a verdadeira genebra delaranja, a
IJOOO.
Ditos de2 garrafas do HoJIanda verdadeira,a
640 rs.
.Bola_S_.no.1) 1'- -
., iiiifm, un na 1 -o uas|MG|idi4fur!iGiia-eiRfiic,iaD no roalo.
V- >ncimmendas devem ser acompanhadasporurna letrasobr.; Pars 011 qualo
;.. 1 .MiM-i'i lis or :unimsa niiUe-M Ih. Hiriair-se aosSrs. Lebeuf & 1;
. 1. H. n RtrU, 01 1 sin faliric em trsrentenil, prs Paris.
I0000
80->0!X)
400
Xova loja de miudezas
'',-- ;lu 1 da adeia d Recito*-5
DE
Silvestre Pereira da Cunha & C.
O-, doiisdest" novo eslabeJecinwnto abriodo-o
i concurrencia do respaila val p^iblico,. esperam
uirecer deste tola a protec^ao, ja pela delicadeza
: seriedade que empregarao em seus negocios, co-
mi pelocompleto soriojento de miudezas e per-
fuiras, como sejam tolas com cintos, agulbas
vn ioriae
Hora, rap do Rio, fumo de Herlebeck, can- 'mt'a'"cacoes,l1>atroar madgiraa,tcM>iwm> 1
ttieiros para gaz, charutos muito fino.:, bilhetes de l,,l,('Prieai,e4a-''rdanwr docnpUt, or*f v^a
loi m;i, Hllagarga e muitos outros objeclos que se- '"- ,!'ureKar o* S*tw:*MlU. QnilliMll^ia
na oifalonho mencionar, sendo estes, vendidos .por' !]"a.lue[JnlQ da-oiade, secundo a watadr-do
precos t;i 1 razoaveis que a pessoa que comprar a
lrim^ira vvt, nao deixar de continuar a vir sor-
tir-so ueste novo estabelecimento.
Goke rio gaz.
Pitch do gaz.
Alc.itfo do gaz
Cok?, toneadas rs. .
Piten ....
A.lcatr5o caada.....
O i >ka recdnh-Kidaraente o carvao mais econ-
mico, torna-se por isso racoramendavel, bem co-
mo pulo, asseio q**e, aota rm QMStos t^k
s as memores, qivUe v'-do ao mercado, 'l'f lls*do- P'-l-e *iotrao,a*6mila4aaP
tofas, sapatos d. tranca para homem e ,"' rsas a que se urastam, caaw para
eomp/ador.
Aviso aos reverendissimos
sacerdotes.
N 1 roa do Crespo n. 5 amiga loja de Guilherme
a Si Iva (inimares. hojone Gregorio Paes do Ama
ral iS C, recebcu pelo paquete ltimamente che
gado por conla de urna das melhores fabricas de
iisiii.i, os seguinles objectos proprios para os
n>i'!ies religiosos, que sero vendidas por.preQas
razoaveis, a saber :
1 pallio de damasco branco de seda multo rico.
i cazulas cem os competentes preparos.
Barreteada seda preta e I uvas.
Mei s de seda ronxa, pretas o encarnadas, pro-
pru- para as divnrsas dignidades ecclesiasticas.
Novidade.
Na mesma loja tambem so vendem chitas deili-
nt, i cor de palha com salpico* dcr a 320 rs. o
novado, sendo eslas fixas, assim como contina a
1 ( o mais escolhido sorlimentode faz.:nJ.as. p.ara
:iiui le loilet e uso ordinario para todas as classe?.
O1*
a
"- m- a -.5
-y>
M IB 3" O V ,t,.~.
i So
a.
3?J2-^.^ =
p 5 a-o,
"ge s*

a 3
Su,
i?
o? o .%.\
3- f =r 3
S. o 1.
03 -
|
i-3
o 3 w ?S
"sf a?
S'O O er.
g.S "2
IB =. *5'
12.8 3.
5
^1
S
00

K = "
o,
0.3,3 t s cr^a 'S'
- M 1 = 2 = o **
tu
O "S 8
Si
o
as

O
a
09
a
m
o
M
"i
i
o
o
as
T3 ce
a- _.
1T
O
til
>
a
50
o
a
Francisco Jos Germano
RIMX9VA ^. II,
acaha le receber nm lindo e magnifico sortimento
te orlos, lunetos n binculos, do ultimo e mais
aparado posto da Europa.
130 Rival sim segiiiHio.
Frascos cov agua lu-oio.-)i,
Du'ia di ihesouraspara costura
Caixas dn soldados de chomlio a 120 e
Na raa do Quelmado n. 49.
ls..ivo.aj
rs.
(Garrames com 2 galies com dita, a 6.
I Ser veja boa, marca, a' 500 rs. a garrafa, e a l
I duzia a 6)000.
Vinho muscatel de-Setubal, a garrafa a i&.
Marrasqmnho verdadeiro,frascos a 80C rs> e
j a 1200.
(Champagne, a duzia 204000, e a garrafa a:
25000.
>Azeite refinado portuguez e francez, a garrafa
' a 15000.
1Caixa de vinho Bordeanx multo superior, a
i. 9.-3 e 105 a caixa.
(Ditas com dito branco, a 75 a caixa.
1 Ditas com dito lagrimas do Douro verdadeiro,
a 205.
'Ditas com duque do Porto verdadeiro'a
185000.
Ditas com chamlsso superior, al'*5-
'Ditas com Porto velho e outras rauitas mar-
cas, a 125-
{Vinho do Porto da pipa, a garrafa a 640, 720
e800rs.
Dito deiLigboa muito bom, acanada a 35200,
i 35o00 e 45, e a garrafa a 600 e 560 rs.
'Bitoda Figueira, das seguales marcas fX.)
?(i. A. A.). (J. L. G.) (O. M.) a caada a
45500, e a garrafa a 560 e 640 rs.. deste
que jest engarrafado elacradocomo
rotulo do armazem.
jDitos de marcas mais desconhecidas, a cana-
i da a 35S00 e 45000, e a garrafa a 480 e
520 rs.
kVinhobranco fino, a garrafa a 640rs.
Dito de caj muito superior, a amfa a
' 800 rs.
ba 45000 e a libra a 200 rs.
Azeitonas.
Barris com azeitonas novas a 15300
Manteiga.
Manteigasuperior, a libra a 15280.
Dita mais abaixo a 15200.
Dita menos superior a 15
Dita franceza nova, a libra a 88C
Dita dita era barris o. meios ditos, a libra
850 rs.
Dita para tempero a 400 rs.
Qneijos.
Queijos novos vindos oeste vapor a 25800 el
35000.
Dliu> i.inJrruu.- 'mullo otos, lllu.i
15000.
Papel.
Papel almaco pautado, a resma a 45800.
Dito dito lizo de linho, a resma a.45500.
Dito de -peso lizo e pautado, a resma
25500.
Dito deembrnlho.bom a 15 e 15200.
Vinho Mart ira.
Garrafas com o verdadeiro vinho Xerez e Ma-l
deira a 15500 e 25000.
Temperos.
Folhas de louro, pimenta do reino, cominho
e cravo, a libra a 400 rs. ,
Velas de carnauba. <
Massos com 6 velas de carnauba refinada a
480 rs.
Amendoas.
Amendoas com casca, a libra a 320 rs.
Poce.
Caixoes de doce de goiaba, grandes a l^iOOl
e pequeos a 640 rs.
lijlos de lnpar.
Tijolos de arear facas a 140 rs.
Graxa.
Duziasde boi5es de graxa n. 97 a 25000, e.
de latas a 15000, e os boioes a 240 rs. ca- <
da um, e as latas a 100 rs.
Charutos tinos.
Charuto* finos dos melhores fabricantes da
Babia por diversos precos, caixa: e meias;
DE
AZEVED0 FLORES
Ra da (Jadeia do eciCr, esqniHa d,f Jhdr e Deas.
Prestem attenouo ao discurso do Balo.
A loja do Balao todas as semanas reforma o 6eu, aonunejo-em conseqoencia de
constantemente receber novas fazendas e nova sortimento de roupa feita, oseusprecos'
sao os mais moderados como j ningnem ignora, as fazendas.que no levam preco. marca-
do porque lia diversas qualidades e diversos precos, e em loja alguma encontrar o pu-
blico um lo completo sortimento de fazendas e roupas feUas, e nao, bavendo a- obra que
o freguez procurar toma-se a medida eem i4 horas estarao salisleitas as exigencias do
fregmez.
Pede-se attencao.
Chapeos de sol com 16 asteas a 12.
dem idem com 12 asteas a8.
dem idem denominados acadmicos, fazenda inicuamente nova com 12 asteas a
12$, por este pre?o s na loja do Balao se enconlra.
Bales de arcos para senhoras, os melhores que lia a 35.
dem de arcos edemusselina para meninas a 20, 2500 e 3500.
Vestidos finos a Alaria Pia a 14.
dem dos sais modernos que ba de flores marisadas a t8f$.
dem com barras, fazenda ainda nao vista em Eernambuco a 24..
Pecas de cambraias que sempre se venden por 9$, o bnlSo vpnde por 70.
Chitas preclaras que todos vendem por 640 rs., o Balo vtende a 560.
dem da m/sma qnalidade, porm de onros palres a 440 rs.
dem escuras a 300 rs. eslao-se acabando.
dem estreitas a 200 rs. s na loja do Balo.
Laas de accento escuro com flores matisadas denomipada pelas senboras que j
compraram (laa econmica.)
Cambraia de cores as mais finas a 800 rs. a vara.
dem de cores com quadros brancos a 560 rs. a var?.
Madapolao a 88 a peca, que vale 9A, tambera ha fino.
dem francez proprio para saia de senhora a 560 rs. a vara.
Camisas de meia muito finas a 220 a duzia.
Meias cruas para homem de 6$ a 80 a duzia.
Camisas de pregas largas a 25500 que todos vendem por 30.
dem inglezas de Imho muito tinas a 480 ou 540 a duzia.
dem de flanella de cores muito finas.
Caigas de casemira pretas e de cores de 70 a 120.
Paletos de casemira decores e pretos, a 100. 110 o 120.
Colletes de casemira e de brim branco os melhores que ha.
Calcas de brim braico muito finas a 44300, 50 e 70.
Paletos de alpaca branco a 55.
Mantas modernas para pescoco de homem.
Collarinhos de papel de cores a 800 rs.
dem brancos a 400 rs. a duzia.
Laa preta para luto e de todas as mais cores a 500 rs. o covado.
Ceroulas de linho com duas costuras.
dem de algodo a 15600.
Cambraias para forro de vestido a 20600 a pega ou a 360 rs.. a vara.
Chales de merino estampado que custaram 80, vende-se por 50 em razao de es-
tarem um p uco desmaiados por ter estado a mostra, por estes precos s na loja do
m
X4GHIN4DEPATENT
de trahalhar mo par?
descaro^aralgodo
FABRICADAS
Por Plant Brothers & C.
ODAS
Estas machinas
podem descarocar
^flualijuer especi
de algodao sen
estragar o fio.
sendo bastante
duas pessoas para
o trabalho; pdt
descarocar urna
arroba de algo-
do em earoa
em 40 minutos
ou 18 arroba?
por dia ou 5 ar
robas de atgodc
limpo.
AGUA
canas.
E grande pantidade de gneros tendentes
l estes estabsleGimentos, que deixam de an-
nun<3iar-se.
COBTIIDOi BfflLUIAINIS
N. 11Roa do QueimadoN. 11
A este estabelecimento ebegeu ltimamente da Europa um grande e variado sorti-
mento e coninados bordados o que ha de mais gosio em desenos e bordados.
Lindos bonets de paiha de Italia para senhoras.
Chapeos e chapelinas de palha de Ittlka ricamente enfeitados.
Chapeos fiaos de seda para cabera de liomens e chapeos de sol de seda inglezes .de
8,12 16 astes.
Boarnos e chales de renda pretos superiores.
Pelisses e soutembarques de seda preta par senhoras.
Cortes de iaa-de barras-de 14j> a 22$ de mailo gosto.
Baldes de arcos e de musseiina finos, mangaitos e camisinhas.
Saias bordadas muito superiores.
MiroaoUque preto, grosdenaple preto e de odres, panno preto, fino de diver*as qua-
lidades e casemiras pretas e de cores.
Luvas de pellica para homem e senhoras.
& muitat outras fazewtas que ludo se vende barato na. loja d Augusto Prederico
dosifcatus Porto, aonda taaAem se vendem as menores e mais baratas
Eateiras i India para forrar salas
\. 1 iBa d Qiit'im %MA
Urna (amilia que se retira vende ama mobilia,
de anurallo j usU, tr4n de-^oainh, lewea- 4r "irri$ de_l? ^^i
,.almocn e|0ntrwJ.,uqi40r>Qa6^aptar deaori
relio [iivs-toroMidos. mesas peo:8n*s, commodlf
! rama de csale multas outros objectos o que tud
se vender em coma; na ra dos Pires B. 6k
- Ta^so irait
vendem jes em p para e-uique de nasas, tijolos
linos deMHo diversos para ladrilho, aiuleies de
diversos goslos, lijlos viJraJos para pareJe da co-'
tinba, canos de barro part, esgato, cemento em |
W
200
*
Vende se urna negr nha de 10 annos, moito
esperta e sadia : no pateo da matriz de Santo An-
tonio o. 8.
Vende-se iraa tabella de joo de -bolas, mon-
tado no anligj armazem do sol na ra da Coacor-
diaji. 36 : quera pretender, dinja-se m caes do
llamos n. 36 para tratar.
Mas tros para barcada
Tem para vender Antonio da Silva Ramos,
ruaida Praia o. 7e\ armazem de carne.
na
0 GASTLL0 BE GRASVILLE
Traduzido dofraneei aor A. J.C. da Cruz.
Ven(te-e este bello -rom^oce em quatr
tomos pelo baratissimo prego de 250C
ua prafa da Independencia, livrarians.
6 e 8^______________ ______
Cienebra de Uollanda em fras-
qneira.
Chegou a genebra Haderra de Htllanda, mar-
ca VD, e vende-se soment no armazem de Barros.
Assim como machinas para serem movidas por
animaes, que descaro^am 18 arrobas de algod(
lim()o, por dia; e motores para mover urna, duas,
eutns dessas machinas.
Os mesmos tem para vender um bellissimo va-
por qae poda fazer mover seis destas machina]
mencionadas; para o que convida-so aos Srs.
agricultoresa virem ver e examma-lo, no arma-
zem de algodo, no largo da ponte nova n.47.
Saunders Brothers & C.
\. II, praea do Corno Manto
RECIFE.
Os nicos agentes neste paiz.
Rival sem segundo
Ra do Queimado n. 49, loja de miudezas de Jos
& Azevedo Mala e Silva esta disposto a vender mili-
to baraio qae admira, pois seas fregueses ja estao
seientes quo nao ha segundo competidor.
Pegas de cordo para vestidos a 20 rs.
Capachos redondos e compridos a 500 rs.
Talheres para meninos a 240 rs.
Duzias de facas e garfos a 2*400.
Duas de cabo preto cravado a 3*000.
Baralhos francezes mnito finos a 200 e 210 rs
Grozas de botoes de louca a 160 e 200 rs.
Caizas com soldados de chumbo a 120 e 200 rs.
Bunecos de choro pequeos a 160 rs.
Varas de cordlo para espartilho a 20 rs.
Duzias de colheres para cha a 800 rs.
Duzias de colheres para sopa a 1*500.
Ditas de metal principe de cha a 2*000.
Ditas para sopa a 4*000.
Veade-se a taberna da ra dos Acouguinhos
n. 20 : a tratar na mesma.
DROGARA.
31Rua larja de Rosario34
Bartholomen Francisco deSouza k C.
Vendem:
Acido actico puro p.\ra retratistas.
Esmaltes para ourives.
Papel para forrar casas.
Guarnieres avelludadas.
I Tinta brancasuperior em lata.
AlvaiadeVenaxa, flno.em pes.
Vndese a loja de. barbeiro da ra do. Ban-
gel n. 18 com todos os seus perlences para traba-
Ihar, e muitos boas apparethos para amolacoe?,
por seu dono ser ohngado a retirar-se pira fura
da pnvincia por motivo de molestia incuravel nes-
te clima.
DE
F lorida.
para restabelecer e conservar a cor natnral dos ca-
bellos.
A agua de Florida nao urna tintura, facto es-
sencial a contestar, a mesma agua daBdo a cor
primitiva de cabello. Compostas de plantas exti-
cas e de substancias inoffensiveis, ella tem a pro-
priedade de restituir aos cabellos o principio co-
rante que elles tem perdido.
De urna salnbridade incontestavel, a agua de
Florida entreiem a limpeza da cabeca, desiroc as
caspas e empede os cabellos de cahir.
Oleo de Florida
Composto de substancias vegelaes exticas, elle
contribue poderosamente, com a agna de Flo-
rida a forca, a belleza e a conservarlo dos cabel-
los.
Em Paris casa de Guilaorn. 112 rna de Rechf-
lieu e 21 boulevard Montmartre.
Todos os frascos nao tendo intacto e claro, e Un-
cir prateado da casa, repotado falso.
Deposito roa do Imperador pharmacia n. 38.
Bixas hamburgoe/as.
Vende-sena ra Nova n. 61.
tftl*.
o armazem de azendas ba-
ratas de Santos Coelho,rua
do Queimado n. 19, ven-
de-se o seguinte:
dmees de panno de linho a 2*400.
Ditos de bramante de linho de um s panno a
3*500. '
Cobertas de chita da India a 2*500.
Lengos de cambraia brancos proprios para algi-
beira, peio baralo prego de 2JO0O a duzia.
Pegas de brelanha de rolo com 10 varas a 3*800.
Ditas de cmbraia para forro de vestido, com 8
varas, pelo baratissimo prego de 2*600.
uardanapos adamascados pelo baratissimo preco
de 3*500 a duzia.
AlgodSo enfestado com 7 l|2 palmos de largura a
^ 13-200 a vara.
Corles de laa de lindos costos com 15 covdos a
6*000.
Pegas de cambraia adamascada com 20 varas, pro-
prla para cortinado, pelo barato prego de 11*.
Fil liso fino a 800 rs. a vara.
Dito com salpicos a 1* a vara.
TarUlana branca fina a 800 rs. a vara.
Atoalhado de algodo adamascado a 2*200 a vara.
Dito de linho a 3*200 a vara.
Lazinhas lisas de todas as cores, pelo baratissimo
prego de 500 rs. o covado.
Pegas de cambraia de salpicos brancos e de eores
rom 8 1|2 varas, pelo baratissimo preco de
4*500.
Bales de 20 arcos a 2*800, de 25 a 3*, de 30
3*500, de 35 4*, de 40 4*500.
Toalhas felpudas a 13* a duzia.
Esleirs da India de 4, 8'e 6 palmos por menos
prego do que em onira.qual Neste armazera se.enconlrarj um grande sorti-
mento lie roopa reita e por medfda.
ra relio.
Vende-se excelinnte farello de Lisboa, deposita-
do no trapiche do Caoba; trata-so aa ra da Cruz
n. 23 l andar, escripiorio de Antonio de Almeida
Gomo?. |
Admiravel pechincha!
Hcambiqoe a 300 rs. o envido, na toja
do pava.
Veo'dm-se os mais bonitos mogambiqnes de pu-
ra laa proprios para vestidos e soulerobarque,
sendo de quadriahos de listras e lisos, fazenda in-
teiramente nova, em padres e muito proprias pa-
ra as senhoras que frequentam o mez Mariano,
porqne esta fazeoda. Ibes facilita fazerem por pon-
co diuheiro vestidas mnito decentes para qualquer
aclo, advertindose que este baran'stihio preco
devido a grande compra que se fez desta nova fa-
zenda. que *e vende a freie tustdes o eovado : na
loja do pavfc, ra da Iroperatrtz 60, de Gama &
Silva.

*:

ILEGVL
MUTD^DCT



------.


\
Ufarlo de tornaatorco ... Sexta lelra tf> Malo de !&
0
i9iit m<* inim
tll

( IffiV
LIuA.
ESTABEIiECIDO A RA $6fi'% 60
AO
gimento
Importe
n5o agradar.
conalran-
ae, entregar a
do genero que
.iiiffnum e
ATTENC&O
O pfeeoa da segulntc
tabella para todos, po-
dendo asslm servir de ba-
se para o ajuste de contas
con os portadores.
lo canon ii
RA DA CiDEa D> RECIBE N. 53
(Logo passando o areo da Concelco)
PRABElt-DE TOBOS.
Irritadlo dospulmfles/ angi-
na?, tos$e, escarros de
sangue, crupo ou garro-
tilho, catarro, rouquidilo
e todas as- inrwmeravei molestias que afleo
lo aos orgSos da respirado
ii:*APPAitB:ci:n
mediante a aqjao da balsmica e rresistivel
ANAGAHU
RESPE! TAVJEIi 1*1 BEICXr.
A apreciacao dos habitantes desta heroica;.provincia existe no grande arma-
zem da Liga estahelecidb ra Nova n. 60 um magnifico sortimento de molhados,
que senda em sua masjrm parte mandados vir directamente do estrang* ir o podem ser
vendidos por precos asss razoaveis..
Sem a fatuid'ade de querer que este novo e interessante estabelecimento soja--o
primeiro e nico em seu genero, pde-se porm nffiancar, com toda a segarancade que
nenhum outro o excoder no restricto'cumprimento das segumtes promessas:
1/ Delicadeza no trato.
2. Fidelidade no peso;
3.' Sinceridade nos precos.
As pessoas que por su posicSo--social gozam d certo tratamento, acharao nesta
casa os melbores queijos londrines, cerveja, vinlios finissimos manteiga e cli sempre de
primeira qualidade. etc., etc.
CMqner ijue-sejaacondicao do freguez, elledeve contar que ser sempre mul-
to bem ser*ido. .
Aquellas queafo poocofavorecidos dasorte farao mensalmente urna economa de
muitas-palacial afreguezando-se nesta cas, oide6e lhes vender e arroz, o caf, a man-
teiga o assucw, ata ,etet de boa qualidade pelo preco que em algumas partes na"o po-
dem ou nao querear vender.
Os senaoros-de'fYada cidade, dos'irrebaldes ou centro, que compram para ne-
gociar, devem vir, pelo seu proprio interesse, a este,estabelecimento para se convence-
ren! do quanto. se pode vender barato.
Para os senhor s que compram para tornar, a vender existe um sortimento espe-
cial, escolbldo por pessoa entendida que certamente muito dere agradar aos senhores
compradores.
NHo se tem poupado sacrificios, nem se deixar de fazer a diligencia para agra-
dar a todos..
PELOS SEGU1NTES PRECOS SO SE VENDE
A DINHEIRO A VISTA:
a I n
ALPISTE E PAINQO a 120 rs, a liba.
AMENDDAS novas a 28o rs. a libra.
AVELAES a 240 rs. a libra.
ARROZ de 90 rs, a libra a,..
AMEIXAS francezas em latas, potes, iras-
ros horpti**. ote pte
AZEITE doce a GOrs.'a garrafa, cadada a'MOSTARDA.ingle a 800 rs. o frasco.
II {MARRASQUINO de Zara.
BANHA de pouco. a 660 rs. a libra, erapoiwMARMELLADA de diversos fabricantes
MANTEIGA ingleza efranceza al& 1^120
1(5280 e era barril faz-se grande abati-
mento.
MACARR0 a 400 rs. de 8 libras para cima
a 360-r*. a libra.
MASSA DE TOMATE aGOOrs. a lata.
cao faz-se abate.
BOLACHINHAS dobeat Antonio a
BOLACHINHAS de-soa lata grande a 2,000
ris.
BISC0IT0S ing'ezesem latas-de 1,200 rs. a
BOLAGHINHAS principe Alberto a-a,OOOrg.
V
CHOURI^AS m-tito.-novas a 800 rs. a libra.
CAF de 260 rs. a libra.
CHOCOLATE francez a 800 rs. a libra.
CHAMPAGNE das marcas mais acreditadas
a 25,000 rs. o gigo.
CHARUTOS de todas as-^ualidade^, suissos,
americams, bahiannos, fluminenses, etc.,
de 1,400 a 10,000 o tent.
CHA HYSSON de 2,200 a
COPOS Isos laddados de lodos os taa-
nnos a
D
DOCES de todas as qualidades.
B
ERVILHAS seccas e em latas portuquezai e
francezas.
F
FARINHA de araruta verdadeira a 800 rs. a
libra.
FARINHA d MaraaBao ou tapioca a
FARELLO de Lisboa a 4 e 5,0O0ts. a sacca.
FAVAS portuguezas em lata a 000 rs.
GOMMA muito nova e alva a 140 rs. a libra.
GRAO DE BICO a 120 rs. a libra.
GENEKkA delaranja a 9 el0,500rs.
CENEBRA de Hollanda im botijas frascos,
garrafas, etc.. etc.
diversos-preco9j
P
PEIXE e latas a 1,000.rs.
PERAS SBCCA8a 50t>*s..a libra*-
PASSAS muito novas a 320 rs. a libra.
PRESUNTO para fiambre.
-
QUEIJO do reino de 2,000 a
DEM londrino.
DEM suisso a 800 rs. a libra.
DEM prato a 800 rs. a libra.
*
SABAO MASSA'a 160 rs. a libra e grande
fltlfP PIT1 031X3
SEVADINHA a 200 rs. a libra e 8 libras se
far grande abatimento.
V
VINHO tinto de 300 a.. garrafa.
VINHO tinto em caada de 2,560
VINHO branca em eanada de 3,500 a
VINHO verde a 4# rs. a caada.
VINHO Bordeux em caixa a 6.000, 7,000 e
VINHO de Grave a 6,000 rs. a.caix*.
VINHO Cherry a 1,000 rs. a garrafa.
VINHO do-Porto de todas as marcas e todos
os precosi
VINHO'Collares1*OO'rs. agarrafa.
VINHO tinto, neste genero ha constantemen-
te 20 a 30 pipas ao torno de diversas
qualidades e diversos precos.
VINAGRE em ancoretas a 13,000 rs.
VINAGRE em pipa a 160, 200 eStO'rs.
VINAGRE branco a 40O'rs. a garrafa.
VELLAS de-cawiaAiba. a-13 e 13,500 rs. a
arreba.
Senbaw.Phoras, o-aeeifl que-ar^10 aos arranjo^desteaovo estabelecimeato.eniais que tudo a promptido e intei-
reza coavquo *a~tia*;c*W*id*aUina visita ao mesmo,, certos de qu&sem davda rae darao a proteccao e preferencia na eom-
,pra dos^eneroe.qmspreflisBrpa e qatndo n3o possam vir poderla mandar eeus portadores,,anda que estes sejara pouco praticos,
poisserao tawhte'i5e<^OOT()omo*seiP^soalnieote* WP? Par com eahss toda, recommendacSo, afim,(de que niovioeia
"^ ^^Z^**** I* M toado em frascos de vidro com Umpa
ora-a.0,0a a caixa. do mesmo, a 5oo ts
nTaSca olaaSeiSaCff *ik" $**> ^anca das marcas mais acreditadas
iLo T^Z1 fi;. ?* m ri*w 6. qUe ^em ao mercad0> a 5o0' 5Co e *
Vinta di ptSTaL fi a- garrafa' e 3'8oo> Q> e-.oo a du-
Ywaa uo rorta muito nno proprio par zi*.
ffT' m ancorelas cana L;*?**rr}:. Dc. _. Ghirutos do affamado fabricante Jos Furta-
^TITJT' F,gU?'ra W8boa/ rSS !5 */arraf*',e *m*ty Eiposicao Normal de ILivana, Imperiaes,
a *<. 3,00016(3,8001 .u-a^:
Mmteiga ingleza espeeiateente-escerUda a
l>ooo e 8oo rs. a libra e em barril sefea
abatimento.
Idemfranoezaa mais nova do mercado a 96o
rs-. a libra e 900 rs. embarril on meios-
Chhyssonde superior qualidade a 2,600-
rs. a libra.
Che petla o mais superior, do merradba
2,8oo rs.'a'libra.
Idemnysson mnito-superior emlatas'd 15'
libras muitoproprio paranegocioa 2,ooo
rs.- a libra.
dem hysson nacional em latas de 1 e 2 li-
bras a 1,8oo rs.
dem pretoo que se pode dsejar neste ge-
nero a 2,000-e 2,200-ts. a libra.
Lingnicas muito novas a 800 rs. a libra eem
barril se faz abatimento.
Chouricas e paios a 8oo rsva libra:
Costelletas inglezas a :6*o rs. a libra, serve
para temperar panelr on para fiambre.
Queijos do reino chegadosneste ultimo va-
por* 2i2oo rs., ditos de navio-deveHa a
2,ooo rs.
dem londrlnos muito frescos-e de superior
qualidade a 8oors. a libra.
dem prato* 8oor&. a libra, e inleiro se faz
abatimento.
dem suisso o mais superior que tem vindo
ao mercado a 64o rs. a lifcra.
Ervilhas e favas portuguezas r preparadas
' emlatas hermticamente lacradas a 64o.
FeijSo verde muito superior a 640 rs. a lata.
Copos lapidados para agua a 5,ooo e 5,5o
rs. aduzia.
dem idem para vinho-a 24o rs., e 2,4oo rs.
a duzia-.
Chocolate francez hespanbol e suisso a 9oo,
l.ooo e l,2oors. a libra.
Espermacete superior a 6oo e 64o rs. a li-
bra e em caixa se faz abatimento.
Peixe em posta em latas hermticamente la-
' eradas e das melhores qualidades de pei-
xe a 8oo, l.ooo e ,2oo rs.
Vinho Bordeaux das mircas mais acredita-
das que vem ao nosso mercado a 7,ooo e
8,000 a caixa e 64o e 7oo ris a gar-
rafa.
Genebra de Hollanda a 48o rs. a botija de
conta certa.
Frasqueirasde genebra de Hollanda a 6,8oo
e 64o rs. o frasco.
Genebra de laranja verdadeira em frascos
grandes a l.oooeli.ooors.a frasqueira.
Caf do Rio de Ia qualidade a 28o rs. a li-
bra e 8,5oo rs. a arroba.
Caf do Cear muito superior a 24o rs. a li-
bra e 7,5oo rs. a arroba.
Arroz do Maranhao de Ia qualidade, a loo
rs. a libra e 2,8oo a arroba.
dem da India a loo rs. a libra e2,8oo a
arroba.
dem de Java a 8o rs. a libra e 2,4oo a ar-
roba.
Paincoe alpista a 14o rs. a libra e4,oooa
arroba.
Massade tomatesde superiorqualidade a 64o
rs. a lata de urna libra e56o rs. a reta-
mo.
Vinhotiranso-de Lisboa de excellente quali-
dade 4oo e 5oo.ns-.-a garrafa e em cana-
da a 3,ooo'e3,5oo.
Vinhoibraneo para missa em ca xas de 4 du-
zia a 8,ooo e 08o rs. a garrafa.
Vinho do Porto'das melhores marcas que
veavaoimstcadoi coraosejamr Lagrimas
daOOaF,Dn<}oeido Porto, Raih liad* Por*
tugaL Dnque genoino, D> Lote 1, Mani-
r Secoai, Malww* fina a "le.'Ooo', l^,ooo>-
liiooe e la,ooacaix.co 1 duziafe^oo
l.ooe e l,See rs; a garrafa.
VinhO'lierexdB"Stfperiorqualidadeal6,0oo
a- doria e 4 ;5w r- a garrafa'.
Sardifirhas de- Nantes a 4oo rs: osquartos 9
64o ts1. asmeias' latas.
Bolachinhas inglezas nwrrto novas- a 5,ooo a
barrtcae 32 rs-. a libra.
Brtachralias- de-soda em latas de diversas
qualidades a 1,9oo rs.
Cartesott bolo francez muito propjtios pa-
ra mimo a 64o rs.
Passasmuito novas era caixinhas enfeitadas
para mimo a 3,ooo rs.
Pasaas de carnada a 8,ooo a caixa e 4oo rs.
a libra.;
Figos.de comadre a 24o rs. alibra.
Amendoas de casca mole a 4oo rs. a libra.
Milo de amendoas a 5oo rs.
Bolaohinha ti 'agua e sal, da fabrica de Juo
derrito no Reato Antonio, era lata de61U
bus por 2,5oo rs.
Ameixas francezis era asele vidro com
tampaidomesmo, a l^Soo.
Ameixasiframx'zas era cixinbas de diversos
tamanhos com bonitas estn pas na cai-
xa exterior, a 4,4oo, l,6oo, l,8ooe2,ooo
cada urna.
Azeitedocerefinado hespannolouportuguez
a 9oo rs. a garrafa e io:ooo a caixa.
Batatas muito novas* 8o rs. a libra e2,5oo
o.gigo com 36 libras.
Conservas inglezas a 75o rs. o frasco e
8,5oo aduzia.
Vassouras de escova para esfregar casa a
4oo rs.
NOzes muito novas a 16o rs. a libra.
Molho inglez em garrafa de vidro com rolha
do mesmo, a 16o rs.
Mostarda ingleza dos melhores fabricantes,
a 8ooTs. o frasco.
Mostarda franceza em potesj preparada a
4oo rs. o frasco.
Lentilhas francezas, excellente legume para
sopa, a 2oors. a libra.
Marrasquino de Zara propriamente dito a
iijla garrafa'e ll.ooo a duzia.
Palitorde dente a lio rs. o mago.
Londrinos, Guanabaras, Parisienses, Sus-
piros Delicias, a 4,ooo, 4,5oo, 5,ooo,
6,ooo e 7,ooo a caixa ouem meias.
Charutos finos de diversas marcas e fabri-
cantes, como sejam: Flor do Norte, Ma-
nittasde Havana, intervalls,Vencedores,
Panatellas e Suspiros, a 2,ooo, 2,ooo e
3,ooo a caixa.
0 gnac inglez das melhores marcas, a 8oo e
l,2oo a garrafa.
Doce da casca- de goiaba a 2,ooo a lata com
4 libras.
FaHnha- de* araruta verdadeira a 320 rs. a
libra.
Matte,excellente cha para os navegantes, a
2otr rs;
SeboHas de Franca muito grandes e novas
a 1,8ooo cento e l,2oo soltas.
Palitos-do gaz a 2,2oo a grosa.
Toucinlio de Lisboa muito novo a32ors. a
libra e 8,tloo a arroba.
Banha de porco refinada a 65o rs. a libra.
Bolachinha Alberto, as melhores que pre-
' sentementetem vindo ao mercado, a 2,ooo
a lata.
Farinhado Maranhao muito alva e cheirosa
a 2oo rs. a libra.
Frascos com fructas em calda de diversas
qualidades a 2,5oo e l,5oo o frasco.
Caixinhas com fructas em doce secco de di-
versos tamanhos, muito proprias para
mimts a 4,6oo, 2,6oo e 3,5oo cada urna.
Rtibos, excellente peixe portuguez, em
barris pequeos ou aretalao, avista se
far o prego.
Azeitonas de Rivasem ancoretas grandes de
8 garrafas por 6oo e 8oors. a garrafa.
Azeitonas portuguezas a 5oo rs. a garrafa e
l,5oo cada urna ancoreta.
Champagne da meihor qualidade que vem
ao mercado, a 2,ooo e 3,5oo a garrafa, e
24,ooo e 26,000 ogigo.
Gomma de engommarmuito alva a 12o rs.
a libra. ,
Figosem sextinhas a 8o rs, cada urna e 72o
rs. aduzia.
Papel azul para botica a 2,ooo a resma.
Balaios para roupa suja, grandes e peque-
nos, per diversos precos.
Amendoas confeitadas a 64o rs. a libra.
Latas com fructas em calda: pera, pecego,
damasco, rainha Claudia e cereja, a 8oo
rs.
Vinagre de Lisboa a 2oo e 28o rs. a garra-
fa ea l,4oo e2,ooo rs. a caada.
Azeite doce de Lisboa a 4,8oors. a caada
1 e 640 rs! a garrafa.
Vinagre brancoj engarrafado a 5oors.a
garrafa.
PEITORAL de KE
a anacahuita mexicana que da o nome es-
pecial este incomparavel remedio, nina
arvore, cuja madeira por muito tompo se
ha usado no Tampico para a cura i!'> <-n-
fermidades cima mencionadas. Foi lam-
bem ensaiada e approvada pela academia
medica de Berlim O'peitoral de Kt-mp
um xarope delicioso inteirumenlo liviede
opio, acido hydrocyanico e culro? \r.f> dlentes nocivos. ^
A* venda as drogaras de Caors A Bai -
boza, Bravo & C. e em todos os estaneteci-
mentos pharmaceuticos do imperio.
Vendem-se no Recife em casa de Caors A
Barboza eJoSo da C.Bravo & C.
N roa do Qoeimado, loja e ferrager.s n. 1
eende-se muito ero conta um par de veneiianas
Superiores ortes-de nwirs preto
Pernatnboco. .
dem de gorguxo preto adamascado com barra a imperatra Lugenia.
dem de (rorcuro de.seda bordados com barra. ,1
Supriores moirs pretos e largos .2^400, 2*600, 3,5, 3^500, 4*, 5j, 6*."
75 e 85 ocovado. ,.,
Superior gorgurao de seda preto, a meihor fazenda que ha para vestido.
Sarja preta de seda.
dem preta hespanhola.
dem idem lavrad* a 20 -cavado.''
dem tdem lavrada muita soperior.
Completo sorlimeoto de grosdenaple preto a 1,51500, 1(51800, 2^,2^500, 3^,
3UI00';' U; W500-e WL v .
Paonss-prtlos d superior qualidadeide 35 a 12J5! o covado.
Casearapfetde'4d600a55ocawdo.
Lindos chales, bsoiwus, algeriennesse retoudes de nlo preto.
Mantas pretes de.fil e los pretosu
E muitas outras fazendas de ssperior qualidade n loja das Colnmuas
na ra do Crespp n. 13 de Antonio Cortea de Vasconcelos & C. successores
de Jos Moreira Lopes.
GOMMA NOVA.
Em paneiro3 muito Iva a 4,-ooq rs. a arroba e 16o rs. libra e compran-
do de um paneiro para cima se far'abatimento na rtw do Imperador n. 40.
Vovldade.
A 1*000-
Leqnes de osso, gosio moderno, pelo diminuto
precod* 1J: sd Da rnda Cadeia do Recife n. 8,;
leja de miodeus d Silvestre Pareira 4a Cacha
& Companhia.
Fareio a fy&W
na ra da Imperatriz n. 6.
Chegaramos superiores
corts de seda.
Superiores cortes de seda de cor, viudos pelo
ultimo vapor franeet: na loja das columnas a roa
do Crespo n. 13, de Antoaio Oorreia de Vasoon-
j cellos i C.
Agua florida e tnico orien-
ta/He Kemp.
Continuase a vender em por^o e a retalh':
na ra do Queimado, loja d'aguie branca n. 8.
Cliromaeomo
A aguia branca, na ra do Queimado n. 8, aoaba
de receber um novo sortimento de caizinbas com
chromacomo para Ungir cabellos, e bem assim
frascos com hydrocalleirichna, agua para desen-
grasar os ditos, coloncomo para lustrar os ditos,
e onycliromaniina para, limpar as uolias. Essa
tintura, cujo effelto rpido e efficaz, est bem co-
nhecid e apreciada para todos- quantos delta tem
usado, eos que de novo a quizerem 'apreciar,' pa-
dem, assim como- aquellea, dingir-se muuido de
dinheiro ra. da.Queimado,, lo^a Magua branca
numero 8.
Papel e foihas para- rosas
Acaba d chegar para tojas d'aguia branca, na
roa do Queimado n. 8, um bello sortimento de pa-
pel de cores para rosas, dito verde para folhas, e
dito" tambera verde e mui fino para cobrlr o ra-
me, assim como folhas de panno e avelludadas
para ditas.
Aspas de bakia para vittidos
Vendem-se na rna do Qoeimado, loja d'aguia
branca -n. 8.
Superiores pe?ia' Jaco ingle**
zas e francezas
A aguia branca alera do grande sortimento de
penas d'ago qua constablemente telo, acaba de
receber maie oofro dff superior qoalidado e dos
aamadoafabricantes Pwes'& G., assim como as
verdadeira* blco de lanzan. 13 outras de pos-
ta dourada, continuando porm a vende-Jas por
precos comraodos, cora tanto que o comprador com-
pareca munido" de dinheiro: nairua d* Qoeimado
loja da aguia branca n. 8, onde tambera achar-se-
Tia a venda pastas para papis.
A aguia branca na ra do
Queimado n. 8, recebeu:
Bonitos e raudos aljofare* de cores para voltas.
Pulseiras de ditos de iguaes e agradateis cores.
Voltas pretas maiores e menores todas de coat s
grossas.-
Pulceiras pretas umbom de conta.
Outras de ditrenles qualidades e goslos.
Brincos de aljofares de cores e dourados.
Fivelas d'ac grandes e pequeas- com crato pre-
to e de madreperola.
Ootrasgraudw dadidareatM qualidades e re-
dondas cem pedras.
BoBitos leques. de madreperola redondos e de
ontra forma.
Ditos de sndalo intericos e corredizos.
Capellas brancas para meninas.
ATTENQAO MEUS SENHORES
PABA
escritos mim.
Fugio no dia 7 do crreme, da casa doabai*
xo assigBado o seu escravo Francisco, cabra, esta-
tura regular, grosso do eorpo, talullos au c;i-
pinha'dos, debtes perfeitos, sem baiba, fes osos
regulares, levando vesrido ralea de rasroiia f re-
ta, camisa branca, paletot de alpaca e ti;peo Ce
baeta preta, alm dos n-feridos signaes tem elle
no bra<;e direito um sigBO salomao abaixo do i|ua!
tem um coracao feto com tima a?ul. i m rujo cen-
tro tem as 6 iniriaes nguintes MM1 MN, lem t \to
23 annos do idae pouoomais ou meos, eonsta le
seguido a estrada do norte em busca da cata t<
seu antigosenher o tenente-coronel Joaquim Car-
teiro da Cdta, a qual no lugar denrrrinaflf
Corral Grande *a villa'de Santa AnDa provincia
do Cear. O abaixo assignado reccmmend pois,
tanto as autoridades como aos espitaos de i-, d i<
de qualqner lugar a capinra do r.-ferido eicravo,
o qat poder ser entregue no prin^re andar to
sobrado b. 31 fla ruado imperador ou no sit.n ua
estrada de Joo de Barro rpsidmcia do abaixu
assinnado. A pessoa que o trouxer ser geeeio-
samente recompansado.
__________Joaquim Mancrel de Mira Wander[eyi
ContiDaa estar fogldo o cabra Daniel, viu-
do ha peuco do porto de Maco, embarcailo em
um dos vapores da companhia PeinauLucatib cis-
teira, cujossignaes sao os segrales : ci.r f(xad;,
altura regular, secco do ci>rpo, cabillo.- um pturo
sollos, dentadura boa na frente, olhos leqr.euos,
ps e n aos grandes, falla descansada e andar i ;-.n
zelro, levos vestido camisa de rluia escura, caica
deriscadinho e chapeo de palta velho : regate
as autoridades policiaes e capiles de canpo a sua
captura, que levando na cidade do Recife .-i rua de
Apollo n. 34, segundo andar, serao graiiticados.
Fnglo.
No dia 13 do crreme fugio de rasa de Antonio
de Almeida Gomes o nfgro creoulo Braulio, que
representa ter 28 a 30 annos de idade, aliura le-
gular.cheio do corpo, cabello csrapiuLado, barba
pouca ; levou calca e camisa de riscado, e teo ndo
visto em Sanio Amaro no bairro da Boa Vista.
Quera oapprebcnder queira leva-lo a casa do an-
nuncianle, rua da Cruz n. 23, que ser graiilkadu-
Fugio em principios do mez de fevereiro do
crreme anno e consta estar acontado nesta cidade
o moleqne Eozebio, escravo da viuva do Dr. Fer-
nando Alfonso de Hello.-de 12 annos oe idade poa-
co mais ou menos, cor preta, secco do corpo. olhos
regulares e afumagados, cabega um pouco prande
e meia chata, beicos tinos, denles bem alvo, ps
seceos e muito ladino : roga-se por lano a tedas as
autoridades policiaes e capitaesde campo que oap-
prehendam e levem-o a rua da Mangueira sobrado
n. 6 qne serao gratificados, protestaudo-se usr.rdos
melos judiciaes contra qnalquer pessoa que o lenha
em seu poder.
Fazwidas baratissimas- loja da raa do Crespo d. 17 de Jes Gomes
Villar,
A novacrise eommercial permilte qne o povo *m ral nao possa comprar fazendas
il caras; proprietario deste estabelecimento, amigo qne do povo em geral, atleodendo i \
essas circumsiancias est vendando fazendas por precos que na realidade admira.
Correi, bom povo, a este estabelecimento, e comprai fazendas, porque all se vende
'por menos do que emoutra qualquer parte.
Cassas ergaBdvzee a 280 rs. o covade.
Chitas francezas escuras matizadas a 260 rs.-o eovadd.
Ditas esenras muito Anas a 240 o covado.
Dita* elaras-dem a 240 o covado.
Ditas escuras idem a ,260 o covado.
Chitas para coberta muite largas matizadas a 240 o covado.
MadapolSes finos largos a 6J590, 71 e.8. i
Chales de fil preto muittf bons a IOjOOO cada, ura.
Chales de merino estampados a 6MI00, fl'e 7^.'
E outras, muitas faaendas, que tudo se vender por-precos que admirara.
Azeite doce reflnadoem pequeas latas a 860. w^ a-;garrafa : no graude armazem
da Liga.
Saceos de 80,100 e 120libras a 44;4#500" W". n0 grande armaem- da Liga.
W5
ECHI^CHA SEM IGUA
Madapelaa tttjto fino com pequen toque de avar*^ por preo que, admira t na loja
das columnas na rua do Crespo n. 13, do Antonio Corroa de Vascoacellos & C.
Aviso aoa capltes de campo e a
polica.
21.OS do ^ratificaco por cada um.
Desappareceu em principios do mez de otilubro
do anno prximo passado de bordo do palhabote
nacional Arrow Malo, dons escravos de norr" Ro-
berto, por appellido Macei, e Miguel ; o 1 de 45
annos de idade, pouco mais eumenos, crionlo, cor
fula, estatura baixa. barba serrada, um pouco tor-
io das pernas, e com alguns cabellos liranr, -. lau-
to na barba como na cabera. O 2 alio, rliein do
corpo, sem barba e fallagrossa, reprsenla urde
25 a 30 annos ; cujos escravos desconfia-se anda-
rem pelos arrabaldes desta cidade : quem os sp-
prehender queira levar a rna do Trapiche n. 4.
No dia 4 de janeiro do aneo de 1804, fugio do en-
genho Couceicao, comarca de Pc-d'Alho, o escra
vo Galdino, pertencenle ao abaixo asignado, com
os signaes seguintes : idade 26 annos, pardo, claro,
corpo, figura e aliura regulares, cabellos meios ca-
rapinhados, olhos pardos, sobranceras e paipebras
salientes, tem em cada braco um sino de Salomao,
sendo um delles mal feto, e junto a este cma cruz,
tem na cabeca urna cicatriz de urna polpgada, e em
cima de um qnarto nma,ontra,cicatriz de tres po-
legadas, proveniente depona de pao e queda, tem
sobre as costas algumas marcas ou cicatrizes de re-
Ihadas on chicote; um'pouco desembarrado qran-
do falla, tem principie de carpna e car'reiro. teca
viola e barbado. Foi soldado do corpo de polica no
Recife* e levou comsigoa baixa do theor seguinte :
Secgo urbana, 2* companhia n. 50, Antonio Caeta-
no de Oliveira, filho de Agostinho Ferreira de Bri-
to, natural de logazeira, cr parda, cabelles cara-
pinhos, olhos pardos, officio nenbam, estado soltei-
ro, com 30 anaos'de idado, OO-polegadas de altura,
ao engajar-se. inpajoo-se na forma do regula--
menlo, em 17 de fevereiro de 802, por ofllf iodo
Erm. Sr. presidente do prevmia,.datado de 28 de
abril do corrente, e publicado ao corpo cm ordem
do dia 1* de maio, tudo, en 1862; leve baixa de
servico por ter dado em..seu lugar o paisano Joao
Pedro Ferreira da Rocha. Ftescravo do rapitao
Jeao de Dos Barros, morador qne foi na comarca
do Brejo da Madre de Dos, e boje morador na
I Campia Grande da Parahyba do Norte, que o veo-
' deu em dias do mez de novembro de 1863 ao abai-
| xo assignado, pelo costme de andar fgido c a ti-
lolo de forro rom o nome modado ; pelo que roga-
se a attencaodas autoridades avise militares, nao
s desta provincia como das demais do imperio, a
apprebensao do dito escravo, que a titulo de forre,
' nao tenha sido recrutado on assentado praea em
alguns dos corpos de Voluntarios da Patria, lam-
bem,peder os capitaes decampo e pessoas par-
tleotareaaroesma apprebensao, e leva-lo ao sen
senbor no referido engenho Concedan, ou nesta ci-
dade ao apitio Mauricio Francisco de Lima rua
doBrum n. 56, que ser gratificadoco 200,8.
Jos Maria dos Santos Casalcami.


m


Mario c PeriaahiiM
*ext* letra 1 c Malo 4o
LITTER ATORA.
WATERLOO
(Continuaco do conscripto de 1813.)
POR.
EHCKMANN CHATHIAN
SEGUNDA PAUTE.
XX
( Conlinuacao. )
Seriam sete llorase todo o mando pensa-
va que a batalha seria dada em Saint Amand,;
que das tres aldeias a que Acara mais es
querda, cercada de sebes e arvores copa-
das, com urna grossa torre redonda no
meio : e mais cima, pela retaguarda, um
caminio em voltas, ladeado de pedras. To-
dos os oflkiaes diziam : E' ali que ser a i
refrega.
Porque as nossas tropas que vinham de,
Gharleroi estendiam-se em baixo na pla-'
Em toda a divisao s se ouvia mormurar:
Elle ah est!
O imperador vinha a cavallo com um pe-
queo estado maior; de longe nao se reco-
nhecia sen5o o seu capote pardo e o sea cha-
peo : o seu carro, ladeado por lanceiros, vi-
nha na retaguarda. Entrou pela estrada real
! em Fleurus, e estevo na aldeia mais de urna
hor, em quanto que o sol bos torraba no
meio dos trigos.
Passada essa hora, e quando ja pensara
que nao. saldramos d'alli, comecou o correr
de ordnanos no mais violento I pendures na capella,
"i. ga^pe; dous pararam ao p do general Buche, que morreu
": conde de Gerard, um ficou e o outro tornou
' a partir.
Depois d'sso anda esperamos, e de re-
pente, desde urna extremidade do paiz at
oulra, comegaram a tocar todas as msi-
cas dos regimenlos, tambores e cornetas, tu-
do se misturava; e tudo marchara.
A grande linha que se estendia at mui-
to longe atraz de Saint Amand at ao bos-
do-o pensara em mim, e por conseguinte para junto de mim sem dizer nada, e tornou
ea nSo ficaria completamente morto. To-' a carregar a arma,
davia bem quizera virer, e o que se estava! Mais de cem horneas do batalhSo, o ca-
passando era lerrive1. i pitao Gregoire, o tfcente Certain, muitos
Buche tambem me disse: | sargentos e cabos de esqaadra tinham fica-
tia, ea teaho uau cnuaaraigo. Se do estendidos nos pomares ; os dous pri-
quero qae me promattas ama meiros batalhoes da cokrmna tinham sffri-
do tanto como o nosso.
for morto,
cousa.
E apertava-me urna m5o.
Proaetto, prometto.
Pois olha ; trago-a aqui, ao peito.
Quero que a leves ao Harberg, e qae a de-
em memoria de Joao
crendo no Padre, no
Filho e no Espirito Santo.
dovro mais sublime as loucuras mais ab-
surdas e mais perigosas.
Cumpre, pois, haver para explicar esta
livro um interprete, que a igreja, assim
como para explicar urna lei, neceasario um
juiz, um tribunal.
>>>fH
Fallava-me com muita seriedade, e eu gueiros, faias
achava muito natural a sua vontade, porque collinas, era ommar de fogo.
Zebedeb, com o seu grande nariz curvo
nwito amarello, vendo-me de longe, poz-se- No Jornal de Lisbotf>$e o seguate:
a gritar: Na ultima sessao da academia medica, em
Jos, nada dequartel!. Pars, o L)r. Royer aWtsentou, por parle
Grandes massas de fumo passavam por do aulor. o realoriqhfl{to ao eonselho de
cima dos cabecos. Toda a encosta, desde sade dos exercitos, acerca dos resultados
Ligny at Saint-Amand, por detraz dos sal-; do servico me lieo-cirurgico as ambulan-
gueiros, faias e cboupos qae orlam essas cias da Crimea e not hoepitaes francezes da
c!e infantera ecavalleria, ludo u.paja carvava.se> graneando a ala direita.
ir a h sao Gtard 'Sart l raZ- **> a "V* *tava j dian-
as de cana eles lu/iam a? o Buche di- te da. 10ssa di?is5' ^andaram-nos obli-
?h d.? qw direita, e depois fazer alto outra vez.
- Oh I.. oh!.. olha, Jos, olha.. .' BES* fra, frente.da estrada 1ue sahe
de t leurus; tmhamos a esquerda urna pa-
esta serapre a vir mais gente.
Na mesma direceo, a perder de vista,
desc obriam-se innumeraveis tileras de bayo-
netas.
'33 prussianos estendiam-se cada vez mais
sobre a encosta por detraz das aldeias, onde
baria moinhos de vento.
Esse movimento duron at s oito ho-
ras. Ninguem tinha fome, mas
deisava de comer, para nao ter de que se f InHo nne i diris'
qaeixar depois, porque travada balalha,j**g**J
preciso aguenlar anda que seiam dous i *'* ^PSEE L,
P
da.-:.
Das
aguenlar
oito para as nove horas, tambem sa-
esquerda urna pa
rede branca; atraz d'essa pjrede erguiam-
se arvores e urna casa grande, e diante de
nos levantava-se um moinho de vento cons-
truido com lijlos vermelhos, alto como urna
torre.
Logo que Gzemos alto, o imperador saino
do moinho com tres ou quatro generaes. e
dous aldeos de camisola, dous velhos que
Z sp. n!ianl a mito os seus barretes de algodo.
divisao comecou a gritar:
e que eu o vi bem,
porque se diriga mesmo para a frente
uns morrena pelos direitos do homem, outros
no exemplo dos homens justos que se te m
sacrificado pelo genero humano ; tudo isso
rem a dar na mesma cousa, mas cada um
lbe d um nome differente.
Promtti-lhe pois o que elle me pedia, e
anda esperamos quasi meia hora. Todos
os que sahiam do bosque vinham unir-se
comnosco. Tambem riamos a cavalleria de-'
(Coniinuar-se-ha).
se-
DM POUCO DE TUPO.
Extrabimos da Estrella do Norte o
guinte sobre o
PROTESTANTISMO.
Para ser christo uao basta crer que Jess
senvolver-se nossa direita como se quizes- Ghristo Deus ; necessario alm disto
se atacar Sombref. crer ludo o qae Elle revelou ao mundo ;
Do nosso lado, at s duas horas e meia praticar a sua religio conforme elle orde-
ainda nao tinha sabido um tiro, quando um! nou.
ajadante de campo do imperador chegoa a Ora, Jess Ghristo, enriando seu apos-
largo galope pela estrada de Fleurus, e eu tolos, qae eram os seus primeiros padres, e
disse logo comigo
Chegou o noi
vez. Agora Deus
primeiros pastores do seu rebanho, decla-
rou que lodos os homens seriam obrigados
olhe para nos, porque nao seremos nos, po- a ouvir alternamente o seu ensino, como se
bres desgracados, que poderemos salvar-nos jfra a seu proprio ; que selles teriam a
em tal carnicera l misso de explicar aos pivos o christianis-
mo, e que todo aquelle que nao os escutas-
se seria tratado como um infiel.
Quiz que fosse a elles, e s a elles, que
os christaos recorressem em suas necessida-
mo aos seus camaradas, mas o estado maior
anda ficava para traz.
De repente vimos passar hussaros e ca-
ladores estendendo para a direita a nossa
frente de batalha ; era a cavalleria de Mau-
rin. Veio-nos logo idea que no momento
em que fosse travado o combate em Saint
Araand, e os prussianos tivessem carregado
com todas as suas forcas para aquelle lado,
calaramos sobre elles de flanco pela aldeia
Mal tinha tempo para fazer estas reflexes
quando dous batalhoes partiram direita
sobre a calcada, com artilheria, para o lado
do de Sombref, onde uhlans e hussaros prus-
batailio, por uinatalho, com as mos atraz|sianos se estendam em frente do nossos des espirtanos, e para esse fim promelteu-
das costas e a cabeca inclinada, dando at- dragues. Esses dous batalhoes tiveram a, lhes e a seus successores a assistenca do Es-
fecilidade de flear postadosna estrada lodo o pirto Santo at o fim do mundo; revistio-os
da, para observarem a cavalleria inimiga, j do seu carcter sacerdotal, afim de que po-
em quanto iames lomar a aldeia, onde esta-' dessem santificar seus irmaos pela prega-
va a maior forca dos prussiano. J cao da rerdadeira f e pela administraco
Ao dar das tres horas formaram-se as co- [ dos sacramentes, e especialmente para que
lumnas de ataque ; eu estara na da esquer- podessem perdoar os peccados e offerecer
disso,
mente calvo.
N5o fazia caso dos nossos gritos, e vol-
tou-se duas vezes para traz apontando para
Ligny. Eu va-o como va oSr. Goulden,
quando esta vamos assentados um defronte do
outro mesa.
Eslava mais gordo e mais amarello do
que em Leipzig; se nao fosse o capote par-
do e o chapeo, parece-me que nao teria si-
do fcil reconhece-lo. Pareca mais velho e
as faces descabiara-lhe um pouco. De cer-
muito bom senso, que bem conbecia os seus!de encontra-la depois entrada da aldeia.
erros. N5o sei quando partiu a terceira. porque s
*Mfm nmsshnos tambem se lehraram It0 Procedia sso das suas magoas na ilha de por cima dos trigos. A segunda "columna
e le de enSoS niosBd?I Elba' Pensaado em lodos os erros 1ue linha Partiu dePois' porque nao tinha tanto cami-
r.g.am para Saint Amand l pararam em commellido; Porclue era um hmm de|nhoaandar e sabia em linha recta; haramos
Ligny ; at desciam mais abaixo, e via-se
muito bem os seus oficiaes que postavam
soldados as sebes, nos jardins, e por de-
traz das paredes e barracas. Achavam que I
a nnsico era segura. Outros continuavam I
a descer para urna ondulo do terreno en- S/S, q" e- ?m Yienna.;; descer para o interior da aldeia. Quando nos
.re Ligny e Fleurus, e isso admiran-nos ?ft?S5ft entre esses dous cabecos cober-
po;que ainda nao sabamos que em baixo VmR .. ; los de trigo, e comecamos a descobrir as
passa um rbeiro que corta a aldeia pelo I Z%S VfoftavXizlvnr Primeiras^ de rePenle Cahi0 sobre a
meio, e que elles tratavam d- guarnecer as|_,s?i 1:, :..'.._ ,alta_a-,,u.'.z Avn1.' e frente da nossa columna urna verdadeira sa-
da, que foi a primeira que partiu, a passo I connoamente a Deus o santo e purissimo
accelerado, por um caminho sinuoso. Des-' sacrificio da Eucharistia.
se lado de Ligny havia um grande pardiei-1 Para estarmos com Jess Ghristo, para
rod tijolo. de forma redonda, e todo cri-.nos tornarmos fillios de Deas, membrosde
va !o de buracos; dava para o caminho por sua familia, ovelhas de sea rebanho, ne-
onde subamos, e nos olbavam s para ella cessarie obedecermos aos pastores que fo-
Turquia, durante f campanha do oriente,
em 1854, 1855 e l(p6, por Mr. Chenu, me-
dico principal.
Extraamos da ptgfca 579 desta obra ca-
riosa o seguinte dpcumenlo, que tem por
titulo : j "
Mappa recapitclativo das pedas do ejer-
cito francez durante a gaerra do Oriente,
desde o 1 de abril de 1854 at 6 de julho
de 1856, e dos morios,' desde esta ultima
poca, em resultado de ferimentos ou doen-
cas conlrahidas no Oriente, al 31 de de-
zembro de 1857 :
Mortos sobre o campo de batalha
ou desapparecidos....... 10,240
Perda total da fragata Semillante 702
Mortos de doencas diversas e do
cholera, antes da batalha do
Alma............. 8,084
Mortos de fro e doencas fulmi-
nantes era frente de Sebastopol 4,312
Mortos as ambulancias e nos hos-
pitaes at o da 31 de dezem-
bro de 1857......... 72,247
Total.
95,615
Tinha destruido a revolucao que o susten-
tava; tinha chamado os emigrados que n3o
querizm nada com elle ; tinha casado com
mais tarde que a tornamos a ver.
Tudo foi bem at um sitio onde o cami-
nho corta urna pequea eminencia e torna a
casas do nosso lado ; nao sabamos que 8el^^7'^K^^^,^^^'*^! 'u" raivada de balas com um raido espantoso.
| entilo os reis pozeram Luiz XVIII no seu lu-
.-vu>.,uu".- uuo ot t~o_~ Krl,. ..;.! j. :u i idiTeiua uc ua\aa iaiiu uiu iuiuu oaianiuav.
podessemos leva-Ios de vencida ali, retira- gT^?" SL2lh?efr,ba' re,,le- De todos os buracos do vasto pardieiro, de
CSL rifSTStir ZS: sebes e pomares, por Sima das pa-
&SS2S "raa.deSgr-Ca qUe liefSe >edes de pedra secca, os tiros cruzaram-se
P.r5Ar?l ^do.por suas maos Para restabe-1 sobre nos como raios. Ao mesmo lempo,
lecer os Borbes.
J nao Ihe restava
, estav
nac3o
nam mais para cima, e estaramos sempre
-Jebaixo do seu fogo.
Se se soubesse tudo em taes casos, nin-
guem se atrevera a dar principio luta,
porque nao haveria esperanca de vencer tao SS^Sl^Z tifoSS" 11?! (>uerda'e mai aUo do que ^"^ dolado.dos
pisrigosa empresa ; mas essas cousas so se ir" /n, :1 Peiu,ao. luuo P"a f11 i moinhos de ven'.o, comecaram urnas quinze
descobrem a pouco e pouco, e n'esse dia ha- J?!?"! a ?aa0,uns ^riam a.hberdade! pecas de grosso calibre outro trovejar, que
vamos de descobrir rauitas cousas que nao ^a, *, "l^?* "J5 (lu.e'',am a or": fazia que parecesse urna bagatella o das es-
pZL.Ln' V GJde,',comole?-wnga?daa Os qae-por destaca tinham j
e como todos os que oram obr.gado3 d ii &: passado 0 caminho cavado cahiamuns sobre
gUL--r,ra^ i > outros aos montes no meio de famo. E no
cou-se ogo a reunir, el 11 ri^LT^XSS^* SSS: Imomento em Q? isso nos acontecia> ouria-
entraram em forma.
conde Gerard com o
ram encarregados pelo Salvador, de tudo o
que diz respeito relgio. Aquelle que os
desprezar, despreza a Jess Christo; o que
os repellr, repelle a relgio de Jess
Christo, a verdadeira f, o conheciraento e
o service de Deus.
Ora, estes pastores, nicos legtimos do
rebmho de Jess Christo, sao os passos da
igreja ca'holica, que remontam p>r urna
successo nao interrompida at S. Pedro e
at aos apostlos; logo a elles e a elles s
que devemos obedeer para sermos verda-
deros christos.
Eos pobres protestantes, que rejeitam a
sua autoridade, sao ceges que fogem da luz
e de nada Ibes serve a sua crenca na dvin-
dade de Jess Gbristo.
Os seus ministros sao forzosamente pas-
A torca effectva mandada de Franca para
o Oriente foi de 509,208 homens.
O numero dos mortos em resallado de
ferimentos, nao tendo passado de 20,000
homens, segundo assevera Mr. Chenu, isto
, representando a dcima parte da forca ef-
fectva, infere-se que o algarismo dos ho-
mens mortos de doencas estranhas ao fogo
do inimigo foi de cerca de 74,000 homens.
A febre destruio a quarta parte do exer-
cito francez, sem contarmos as perdas que
Ihe causou o fogo dos russos.
E'
estes
do Sr. Senna Freitas. de Lisboa,
ALMEJOS.
militas cousas que
esperramos.
A's oito horas e meia j tinham passado o
bosque muitos dos nossos regimentos; to-
senao o exercito: se
Passou a galope at collina que fica so-
brancera a Fleurus sem ao menos olhar para
nos.
Quasi no mesmo oslante comecou um t-
roteu ; atradores do corpo de Vandamme
aproximavam-se da sldeia, esquerda, e
duas pecas eram levadas por artilheiros a
cavallo. Atiraram cinco ou seis tiros do al-
to da collina ; depois cessou o fogo de espin-
garda : os nossos atradores estavam em Fleu-
rus, e vamos trezentos ou quatrocentos
prussianos que subiam a encosta mais lon-
ge, para o lado de Ligny.
O general Gerard obserrou aquelle pe-
queo combate, depois com os seus officiaes
de ordenanca passou vagarosamente pela
frente dos nossos batalhoes, examinando-nos
pensativo,como quem quera advinhar o nos-
so interior.
Era um homem moreno, de rosto redon-
do ; teria quarenta e cinco annos ; tinha
urna cabeca grande, a cara larga na parte
inferior e a barba pontuda. Encontram-
se pelas nossas trras muitos adeSosque
se parecem com elle, e nao silo os mais
broncos.
Nao nos disse nada, e quando correu a
linha de urna pona outra, todos os com-
mandantes e coronis se reuniram nossa
direita.
Mandaram-nos descansar armas. N5o se
va seno officiaes de ordenabas a todo o
galope ; mas mais ninguem se mova. Cor-
ra voz que o marechal Grouchy nos com-
mandava, e que o imperador diriga o ata-
que contra os ioglezes a seis leguas de dis-
tancia, na estrada de Bruxellas.
Esta noticia nao nos alegrava, e n5o faltava
quem disjesse:
Nao admira que estejamos aqui desde
pela manha sem fazer nada. Se o impe-
rador c estivesse, ha muito tempo teria co-
mecado a batalha; os prussianos nao teriam
tido tempo para se confessarem.
Era isso o que se dizia, o que bem mes-
tra a injustica dos homens, porque ires ho-
ras depois, pela volta do meio dia, se ergue-
rarn a esquerda milhares de gritos de: Vi-
va o imperador! Chegava Napoleo. Esses
gritos approximavam-se como um trovo, e
prolongaram-se logo at defronte de Som-
Sref.
J se achava que tudo ia bem; o qae se
desapprovava no marechal Grouchy, appro-
vava-se no imperador, porque era o impe-
rador.
Chegou logo ordem d avancarmos qui-
nlientos passos, carregando sobre a direita,
e p.rtimos atravessando os trigos, cevadas,
senteios e aveias que se curvavam diante de
nos.
A grande linha de batalha a nossa esquer-
da nao se mova.
Quando chegavamos a urna grande calcada
que ainda nao trabamos visto, e descubra-
mos Fleurus, a mil passos na nossa frente,
com o seu ribeiro orlado de salgeiros,man-
daram-nos fazer alto.
Chegava o general SjS?:^"wttK a con?an?a det
seu estado maior. rdoa mand\ .S_ ,s soldad ,s velhos ,De' se abria a nossa direita, e o rugir de outros
conseivavamalTeicao. equenam vencer ou ^^ que nao sabamos se eram nosso*
morrer; com taes ideas ha sempre a corte-L, prHSSln0S.
zade se poder contar com alguem; tudo se: F|izmente o bataluao anda nao tinha
torna muito simples e muito claro. Mas passado a coliima y as balas assobavam o
muita gente no tinha as mesmas ideas, e ^0DCavam nos trig08 p0r cima de nos, arr-
pela m.nha parte eu linha mais amor a Ca- nhando a lerra ^a$ ^em nos {azerem mal.
tharina do que ao imperador. ;Ca(Ja vez pas8avam essas rajadas, os
Chegando a esquina da parede, onde era conscriptos que licavam ao p de mim abai-
deumcampopordelrazdagrandetorreaes- ZSSSSSXVnS ? K
tendem ministros de Deus, emquanto nao
sao seno ministros do erro ; e o chamado
Eoangelho puro, que elles pregam, nao
mais do que o resum > incoherente de suas
vas opinioes, e o fructo de sua exaltago
rellgiusd.
Mas, dz-se anda, nao tem elles o
mesmo Evangelho que os catholicos ?
Teem a mesma letlra, mas nao tem o
espirito; ora, a letlra mata, como diz o
esperado por hussaros, montou a cavall >, e
xavam a cabeca. Lembrava-me que Buche
o general Gerard, que o tinha visto, desceu | oIhava para mjm'com 0|hos espantados. Os
a galope at calcada.
Elle vo!tou-se para traz por dous segun-
dos para o escutar, e depois entraram jun-
jos em Fleurus.
Por conseguinte tivemos anda de espe-
rar.
A's duas horas voltou o general Gerard ;
fizeram-nos ainda o bliquar direita e toda
a divisao em columnas seguiu a grande cal-
cada de Fleurus, com as pecas e caixas de
munces de guerra no intervallo das briga-
das. Nao se pode imaginar a poeira que
havia. Buche dizia-me :
soldados velhos mordan) os beicos.
A columna parou. Cada um pensava se
nao seria melbor tornar a descer, mas essas
reflexes s durarara um momento, porque
quando o fogo pareca diminuir, todos os-
officiaes, erguendo as espadas, gritavam :
Marche I
E a columna tornou a partir a passo do-
brado. Melteu-se primeiro no caminho que
desee atravez das sebes, por cima das esta-
cadas e das paredes onde os prussianos em-
boscados continuavam a espingardar-nos.
Ai dos que eram encontrados! defendiam-
Na primeira poca que encontrar, d se como leoes, mas as coronhadas e as bayo-
netadas estendiam-nos logo pelos cantos.
Grande numero delles, todos velhos de b-
godes grisalhos, tinham preparado a sua re-
por onde dr, hei-de beber.
Mas a agua nao apparecia.
As msicas tocavam sempre ; jiossa re-
taguarda chegavam massas de cavalleria, tirada 7 afastavam-se a passo firme, voitan-
principalmente dragues. Ainda estavamos do-se para traz para atirarem o ultimo tiro,
em marcha, quando o estalar da fuzilaria e e fechavam urna porta ou mettiara-se por
da artilheria comecou como um dique que urna brecha. Nos os seguamos >em des-
arrebenta, e cuja agua cabe arrastando tudo! canso; j nao havia reflexes nem miseri-
na maior desordem. 'cordia, e por fim chegamos muito desorde-
Eu j nao estranbava isso, mas Buche em-1 nados s primeiras casas, onde comecou o
pallideceu ; nao dizia nada e olbara para fogo sobre nos das janellas, das esquinas
mim com ar espantado. das ras e de toda a parte.
- E' o que ests vendo Jo3o; sao os Estavamos sabores dos pomares, dos jar-
outros que comecam alera o ataque de Saint dj das des de dra secca desciam
Amand, mas nao tardar que chegue a nos-1 a0 comprido da coIli^) mas tudo arruioado,
sa,ye* ,. ,. as palissadas arrancadas e sem poderemser-
Oestrondear redobrava, as msicas i-1 vr.nos de abrigo. As casas que fleavam em
nham-se calado todas ao mesmo tempo, e freme> bem trancadas e defendidas, comi-
era toda a parte se gritava : Alto / | nuavam 0 m fo 0 de aUo S0Dre nog Em
A divisao parou sobre a cacada, os arti-|dez mnulos ter.nos.hiam g^s pru6Sanos
Iheiros sah.ram dos interrallos e pozeram j matado a todos Ent3o> vendoisso, acolum-
as suas pecas em linha a cincoenta passos
adianto de nos.
Estavamos em frente de Ligny. Nao se
va seno urna linha branca de casas meio
escondidas nos pomares, o campanario so-
bi anceiro a tudo, rampas, de torra amarella,
arvores, sebes, palissadas.Eramos doze a
quinze mil homens, sem contar a cavalleria,
e esperavamos a ordem de acommetter.
Conlinuava a batalha do lado de Saint
Amand ; grandes nuvens de fumo subiam
ao ar.
na poz-se a descer outra vez, tambores, sa-
padores, officiaes e soldados, tudo mistura-
do, e sem olhar para traz. Eu saltava por
cima das palissadas, onde em outra qual-
quer occasiSo nao me teria arriscado a sal-
tar, principalmente com a mochila e a r-a-
trona s costas ; e todos o outros faziam
como eu; tudo saltava ao mesmo tempo.
Chegados ao caminho cavado, entre as
collinas, paramos para tomar folego, porque
nos faltava a respiraclo Muitos deitavam-
Em quanto nao chegava a nossa vez, paz- se em ierra, outros assentavam-se encostan-
me a pensar com extraordinaria ternura em do-se aos lados do caminho. Os officiaes ir-
Catharina; veio-me idea que ella j teria ritavam-se contra nos como se nao tivessem
um filho ; suppliquei a Deus que me con- seguido o movimento de retirada. Muitos
servasse a vida, mas tambem tire o bompen-' gritaram :Venham pecas para a frente !
smenlo que se morresse, ficaria nosso filho Outros queram metter-nos em forma, e
para os consolar "todos, a Catharina, a m3i tudo era confuso no meio daquelle immen-
e ao Sr. Goulden ; que se fosse um rapaz, so zumbido da artilharia, que fazia tremer
Ihe dariam o nome de Jos, que o Sr. Goul- o ar como em occasiSo de trovoada.
den o faria dansar sobre os seus joelhos. Vi Buche rir para nos a passo largo; a
que a av o amara, eque Catharina beijan- sua bayoneta estava tinta de sangue, Veio
A flor que exprime, se sorr formosa
Mirando os raios do diurno alvr,
Ao resvalar da crystalina gota
De leve orvalho, que lbe anima a cor ?
A vaga altiva, em seu correr ligeira,
Vindo quebrarle na arenosa praia,
Quando o reflexo de urna luz sublime
Lhe esparge perolas... sorri... desmaia...?
Que diz a estrella a scintillar no espaco?
Que diz a la a resurgir do mar ?
A brisa lnguida a brincar as selvas;
O raio immenso requebrando oar?
Nao diz que a vida a verdade ingente,
For^a irtfallivcl de supremo aer.
Astro, que surge fervoroso e ledo,
Caminba.. segu sem jamis volver ?
Se pois a vida, na manha formosa,
Promove e anima no sorrir a flor ;
Se dos orvalhos innocentes beijos,
A' flor protestam myslerioso amor.. .
apostlo S. Paulo, e o espirito (isto o
verdadeiro sentido) d vida.
A letlra da Biblia perde os protestantes, ? vaga tmida a crngir as Dente,
eomo n'outro tempo perdeu os judeus ; co- Se e,eva morre com '
rao estes, os protestantes rejeitam o ensino
sagrado daquelles que Deus enva para ex
plicar o verdadeiro sentido da letlra.
Os judeus rejetaram o ensino do Filho de
Deus e de seus apostlos, e a sua obstina-
cao perden-os.
Os protestantes rejeitam o ensino do Vi-
gario de Jess Christo, o dos bspos catho-
licos, pastores legtimos da igreja, e a sua
oistnaco ha de perde-tos.
A Biblia sem a igreja de nada serve.
A igreja a instituico viva e eloquente,
fimdada por Jess Gbristo para explicar a
Biblia, para conservar, pregar, defender,
applicarpraticamente a revelaco christa,
e por consequencra a escriptura santa, par-
te principal dasta revelaco.
E' a igreja, e s ella que nos e asi na i n fal-
l velmente, em nomee por autoridade de
Jess Christo, ainspiracSo divina da santa
Biblia ; e s ella que- distingue de urna ma-
neira soberana os- livros verdaderamente
inspirados daquelles que o nao sSo ; s do Sal, na cosa do Uruguay e as visi-
ellaquefixao sentido verdadeiro das pas- enancas da Laga dos Patos, fabricas para
E se essa forca que atrahente a quebra.
Exprime ainda myslerioso amor...
Se a estrella pura, que recama ossus
A la erguida com cerlea cor,
A louca brisa quando oecula os troncos
Do vida.. inspirara raysterioso amor.. .
Eu. quero, rirgem, aquecer-te o seio
Co'o fogo immenso de vivaz paixao:
Quero entregar-te d'um affecto a vWa
Sera que este fogo me consuma era vo !
Quco acordar-te o coracSo dormente ;
Quero crestar-te da indiff renca a Sor...
Mas da-rae em troca da esperanca a c'roa,
Anjo querido de celeste amor 11
Transerevemos esta noticia:
Acha-se na c. le o Sr. G. C Gieberb,
director de urna sociedade de Montevideo,
que pretende estabetecer no Rio Grande
Hatera cousa que mais custe lingaa pro-
ferir, qae mais constrinja os coracoes e ar-
refeca a alma ? I
De qaaatos males nSo ella a causa efi-
ciente e originaria, moral ou pbysicamente
fallando !
Por ella extinguem-e ou, pelo menos, pa-
ralysam de todos os bons sentimenlos de
amor e sympathia, caridade e benevolencia
do homem para com o seu semelhante !
E' urna verdade: por melhor e mais po-
derosa qoe'seja a boa rontade do homem,
nunca poder produzir um effeito salutar,
nao tliret para si mesmo, mas para os seus
semelhantes, desde que lhe faiharem os
meios indispensaveis acquisico do fim a
que se^arope ou tem em vista.
Apear do orgulho dos philosopos e sa-
bios qne pretendem sempre dar forma as
ideas, ainda as mais subtis, e sua razao de
ser, para mim, a necessidade urna cousa
ndefinivel.Relativamente aos seus efleitos,
ella (permitta-se-me a comparaco) como
um peso enorme, que opprime, mas nao a-
niqula ; prende, mas nao subjuga,- porque
em regra commum, o seu dominio nao tem
urna longa duraco, e por tanto, em um tem-
po dado, prximo ou remoto, elle tende a
extnguir-se, conforme o iiteior ou menor
grao de exforcos empregados em ordem a
combater, ou pelo menos; a enfraquecer e
diminuir o seu poder.
Quanto maior, pois, fr o esforco applica-
do para combater os impulsos da necessi-
dade, tanto mais vantojoso ser o resultado
obtido; ao eontrario, quant menos fr o
esforco, tanto maior ser a mproficuidade
d'elle,e isto um mal.
Na verdade. supponhase um homem, a
quem faltem cortos meios e commodos, com
seus desejos, vontade e aspiraces, para co-
ja salisfaco ou nao empregue assduos cui-
dados e urna constante sollicitnde, oo em-
pregue-os em mui limitado grao de aetm-
dade.... os seus desejos entao, postos em
continua effervessencia, ebnlico, isto rea-
gindo, porque nao foram satisfeitos, nao ptv-
dem deixar de cansar-lbe um profundo a-
balo.
Imnorta, porm, observar que, se a ne-
cessidade, quer physica quer moral, abre
urna guerra viva e tenaz ao homem, sob a
primeira relaco que se ella slenla mais
caprichosa e imperiosa; de mod;> que, seja
qual fr o meio, legitimo ou Ilegitimo, lci-
to on Ilcito, s quer ser satisfeita em tudo
aqullo que de sua soberana vontade.
Em tal caso nao ha transigir.
D'ahi os arrebatamenlos, a que o homem
est infelizmente snjeito;d'ahi a inobser-
vancia d'aquillo que a razo conhece e a
moral consagra e ordena; e a acqaiesceBcia
e apego aqullo que nem urna nem outra
autorsam:conseguintemente a immoval-
dade. sto a pratica de actos contrarios
moral, e repugnantes entre si.
Entretanto, se por nm lado, a necessidade-
perigosa, nao obdece. por assim dizer, a-
lei algnma, por outro porm, nada menos
vem a ser qne am incentivo s boas aeces,.
nma causa de actvidade para a aequisico
do bom. do Justo e do honesto; faz des-
pertar no homem o amor do trabalho, e
n'cste est inconteslavelmente a virtude e a
vida do homem. pois o trabalho o proge-
nitor das virtudes sociaes e domesticas.
sagens obscuras ou contestadas com a luz
do mesmo espirito, que iaspirou es pro-
prios livros.
Finalmente (notem bem isto nossos lei lo-
res), foi della que os protestantes recebe-
ram estos livros.
Sem a igreja, a Biblia eo Evangelho nao>
sao senas letlra mora, s palavras.
Cada ministro, cada protestante as inter-
preta como lhe apraz, e as mais das vejes
pelo prisma de suas paixes.
E' realmente muito eommodo. quando se
quer fazer alguma cousa mal feita, poder di-
zer ; seguindo as minhas inclinaces natu-
raes, nao s nao faro mal, mas faco urna
boa obra e a vontade de Deus I
Antes de concluimos, convm darmos no-
ticia a nossos leitores de urna resposta
muito frisante que um piedoso prelado (Mr.
de Cueveros, arcebispo de Bordeux) deu a
o preparo do eaetracium cwnis Lie: ig
(ou extracto de carne pelo processo de
Liebig.)
Esse producto urna das. mais felizes e
humanitarias descoberlas da chimica; elle
devido aos estudos perseverantes do sa-
bio professor de Munich o Sr. baro de
Liebig.
Em Fray Bontos, no Estado Oriental, j
essa sociedade tem conseguido produzir em
larga escala o extracto de carne.
Ella possuo aii um nolavel estabelecimen-
lo pastoril e um saladeiro, alm da fabrica
do extracto de carne.
Esse extracto fo resultado da compres-
so das carnes e da vaporisaco a que se
submetle o liquido resultante da mesma com-
presso, e tem a apparencia de urna massa
consistente.
Possue todos os principios alimenticios
um ministro protestante, que discuta com essencaes da carne, nao contm nada que
elle, e lhe oppanha urna infinidade de mal nao seja isso.
entendidos textos da Escriptura, e sem re- Um boi, meio termo, n3o d mais de 10
laco alguma uns com outros ; libras do extracto ; e s sendo velho poder
Nao estescripto no Evangelho, raeu. Prduzir 12 46.
charo senhor, diz-lhe tranqu i llmente o!. Uma l,Dra de extracto corresponde a 33
hispo, qaando o ministro acabou todas as (mais de uma arroba) de carne muscular,
suas citaces, nao est escripia que Judas Aluns 8 mos do extraeto bastara para
se enforcou!
N3o ha duvida, replicoa o ministro
um pouco admirado.
Nao est anda escripto ; Ide, e fa-
zo i o mesmo? Entao porque rato nao
vos tendes ainda enforcado ?
O pobre ministro retirou-se vencido e
confundido, e jurando nao tornar a ques-
tionar com um hornera de tanto espirito.
E' assim que fazendo-se applcaco da Bi-
blia sem ordem, sem connexSo, e seguindo
a imaginacSo de cada um, se chega a tirar
alimentar uma pessoa.
A sua baraleza (5,0000 por libra), a sua
incorruptibilidade, e facilidade de trans-
porte tornam o extracto de carne objecto
de grande economa de enorme proveito
para os enfermos e convalescentes, e para o
uso geral.
E' do Sr. M. S. este artigo:
A NECESSIDADE.
Necessidade !....
A invenco do prgaminho remonta ao
seculo terceiro antes da era christSa.
Os Ptolomeusdo Egrpto, successores d'A-
lexandre, ciosos do explendor da bibliotheca
de Pergamo, que ameacava eclipsar a biblio-
theca d'Alexandre, tinham prohibido a ex-
portaco do papyro.
Alalo, re de Pergamo, um dos maiores
bibliophilos da poca, mandn enlo (287)
fabricar as primeiras folhas de pergaminho ;
por isso que a cidade de Pergamo den o
sea nome ao pergaminho, pergamenum.
Em 1640 os livros (escusado accrescen-
tar manuscriptos), vendam-se de50 a loOfi.
o exemplar.
O primeiro livro impresso uma ediecSo-
da Vlgala 1462; serviam-se ento de ca-
racteres de madeira.
O segundo livro impresso o De fiftf
de Cicero.
A impressao dos livros classicos na Kus-
sia data apenas da secuto XIX; publco-se
em Moscova uma ediccffo de Cornelias ffe-
posem2deabrildel762.
O Nord refere om roubo verificad nao
ha muito no theatro dos italianos em Pars,
Em um dos camarotes prximo ao que
ocenpava a imperatriz, brilhava pete soa bel-
leza, pela saa elegancia, pela sua riqueza,
pelas suas magnificas joias umasenhora es-
trangelra ; eram sobre tudo notareis os ri-
qusimos brincos que irazia.
No p'imeiro entreacto, no momento dfc
sabir o cavalhero que a aeompanhava, se
apresentou um ajudante de campo a mani-
festar estrangeira que S. M. lhe pedia qne
lhe deixasse ver de perto nm d'aqnelles
sumptuosos brincos, cujo dezejo se anressou
a dama em satisfazer.
Pouco depois voliou o cavalheiro e mo-
mentos mais tarde nSo havia duvida que o
supposto ajudante de camro era am ladrJo
atrevido.
Em seguida se deu parte .4 polica, e na
madrugad i do dia immediato se apresentou
em casa da interessada, um agente qoe ia
buscar o brinco que restava Senhora para
se confrontar com outro, que entilo se tinha
encontrado em poder de uma pessoa sus-
peita.
A Senhora deu o segundo com mais faci-
lidade do qae o primeiro aquelle agente de
oculos e com uma especa barba, que era
seguramente o mesmo supposto ajudante de
campo da noute anterior disfamado com ou-
Iro uniforme e uma barba nstica, que que-
ra completo o par de brincos.
PERN'AMBUCO.-TYP. DE M. F. DE F. & FILHO
i


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EVKBO09M4_PXD7CS INGEST_TIME 2013-08-27T21:06:31Z PACKAGE AA00011611_10672
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES