Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:10671


This item is only available as the following downloads:


Full Text
t *
f
AMO XU NUMERO 114
Por qnartel pago dentro de 10 das do \. nez : r .
dem depois dos i.0110 dias do conecte dentro do qnartel. .
Porte ao correio por tres mezes...........
S|000
6f000
7*0
DIARIO DE
QUINTA FEIRA 18 DE MAIO DE lttl.
Per anno pago dentro de 10 dias do 1. ez ,,,.,, 191000
Porte at correio por na anao........... 3)000
ENCARREGADOS DA SUBSCRIPQO DO NORTE
Parahyba, o Sr. Antonio Alexandrino de Lima;
Natal, o Sr. Antonio Marques da Silva; Aracaty, o
Sr. A. de Lemos Braga; Cear, o Sr. J. Jos de
Oliveira ; Maranhao, o Sr. Joaqaim Marques Ro-
drigues ; Para, os Srs. Geraldo Antonio Aires &
Filhos; Amazonas, o Sr. Jeronymo da Costa.
ENCARREGADOS DA SUBSCRIPCAO DO SL.
Alagoas, o Sr. Clandno Falco Dias; Bahia, o
Sr. Jos Marlins Alves; Rio de Janeiro, e Sr. Jos
Ribeiro Gasparinho.
PARTIDA DOS ESTAFETAS.
Olinda, Cabo, Escada e estacdes da via frrea at
Agoa Preta, todos os dias.
[guarass e Goyanna nassegandas e sextasfeiras.
Santo Anta o, Grvala, Bezerros, Bonito, Caruar,
Altinho, Garanhuns, Buique, S. Bento, Bom
Conselhok Aguas Bellas e Tacarat, as tergas
feiras.
Paod'Albo, Nazareth, .iraoeiro, Drejo, Pesqneira,
Ingazeira, Flores, Villa Bella, Cabrob, Boa Vis-
ta, Ouricury, Salgueiro e Ex, as qaartas
feiras.
Segunda vara do
bora da Urde.
clvel: quartas e sabbades a II AUDIENCIAS DOS TRIBUNAKS DA CAPITAL.
TribanI do commercio : segundas e quintas.
Sernhem, Rio Formoso, Tamandar,Una, Bar-
reiros, Agua Preta e Pimenteiras, as quintas
feiras.
EPHEMERIDES DO MEZ DE MAIO.
2 Quarto cresc. a 1 h., 44 m. e 46 s. da t.
10 Lna cbeia as 6 h., 3 m. e 22 s. da t.
18 Quarto ming. as 4 h., 19 m. e 46 s. da m.
24 Lna nova as 8 h., 29 m. e 45 s. da t.
Relami: tercas e sbados s 10 horas.
FazMla: quintas s 10 horas.
JalzttfocoDimercio: segundas s 11 horas.
Dito de orphios : tercas e sextas s 10 horas.
Primeira vara do civel: tenas e sextas ao meio
da.
Segunda vara do civil: quartas e sabbados al
bora da tarde.
DIAS DA SEMANA.
15. Segunda.
16. Tere>. S.
17. Quarta. S
18. Quinta. S
19. Sexta. S.
20. Sabbado.
21. Domingo.
PREAMAR DE IIOJE.
Primeira as 10 horas e 54 m. da manha.
Segunda as 11 horas e 18 minlos da tarde.
S.lsidro lavrador; S. Egydlo f.
Joao Nepomucene conege m.
>. Pascboal Baylon f.; S. Aquilino m
. Flix de Cantalice f.; S. Prisco rei.
Pedro Celestino f.; S. Ivo f.
S. Bernardino de Senna f.
Ss. Marcos, Cheoporopo e|Valenle.b.
PARTIDA DOS VAPORES COSTEIROS.
Para o sal at Alagoas a 14 e 30; para o norte
ala a Granja a 7 e 22 de cada mez; para Fernan-
do nos dias 14 dos mezes de Janeiro, margo, malo,
julho, setembro e uovembro.
ASSIGNA-SE
no Recife, na livraria da praga da Independencia
ns. 6 e 8, dos proprietarios Manoel Figueiroa de
Faria & Filbo.
PARTE QFFICIAL
G0VIRN0 Di PR0MNCU.
Expediente do dia 15 de maio de 1865.
Offlcio ao coronel commaudante das armas.Pa-
corpo de Voluntarios o cidado ero Gomes Ca-
mello. Communicou-se ao tenente coronel Luiz
Francisco de Barros Reg.
Dito ao mesmo.Sciente, pelo seu offlcio n. 833,
de 12 do cor rente, das providencias que deu V. S.
no sentido de seguirem para a corte, mais 10 pra-
vas de pret do 4 batalhao de artilharia a p, al/n
das que eslavam para Isso destinadas, exped or-
dem para serem transportadas no primeito vapor
da companhia de paquetes, que passar do norte
todas as pragas do mesmo batalhao que V. S. re-
metter sob o commando de um offlcial para bordo
do referido vapor: o que Ihe declaro para seu
conhecimento.
Dito ao mesmo.Queira V. S. informar sobre o
que pede Generosa Mara da Conceicao, no incluso
requerimenlo.
Dito ao mesmo.Haja V. S. de mandar dar bai-
xa ao soldado do segundo corpo de Voluntarios,
Pedro Ezequiel da Fonseca, visto ser onerado de
familia.
Dito o mesmo.-Sirva-se V. S. de mandar ins-
peccionar novamente o 2 cadete 2 sargento do
segundo batalhao de Voluntarios da Patria, Joo
Baptista de Souza Montelro, remettendo-me V. S.
cora sua informago o resultado da inspecgo.
Dito ao inspector da thesouraria de fazen-
da.Constando de offlcio do cos mandante superior
da comarca no Brejo, de 26 de abril ultimo, nao
haver a respectiva collecloria por falta de meios,
pago os vencimentos devidos ao destacamento de
guardas nacionaes da villa de Cimbres, recom-
mendo a V. S que mande effectuar esse pagamen-
to em vista dos competentes prets, que serio apo-
sentados por Antonio de Albuquerque Hollanda
Cavalcaote, segundo consta do citado offl-
cio.Communicou-se ao commandante superior do
Brejo.
Dito ao mesmo.Autoriso V. S. era vista de sua
informago de II do correte, sob n. 322, dada
com referencia a da contadoria dessa thesouraria,
a mandar pagar sob minha responsabilidade nos
termos do decreto n. 2,884 do Io de fevereiro de
1862,a gratilicagSo relativa ao mez de abril nltimo,
devida aos offlciaes encarregado do recrutamento
neste ultimo municipio e no de Olinda, pois que
nao existe eredilo para esse pagamento.
Dito ao mesmo. Respondendo ao offlcio qae V.
S. rne dirigi em 10 do correnle, n. 319, tenho a
dizer que pode mandar pagar sob minha respon-
sabilidade, nos termos do decreto n. 2,884 do 1 de
fevereiro de 1862, os vencimentos, a contar do 1" a
deste mez, devidos aos empregados do existincto
hospital mfter Ma^aUai. visto nao havetcre-
dito para esse flm, segundo consta de seu citado
offlcio.
Dito ao mesmo.Queira V. S. ministrarme a
informago de que trata o meu despacho de 9 de
fevereiro, sob n. 84, exarado na petico de Mara
Venancia de Abren Lima.
Dito ao mesmo.Com aviso do ministerio da
fazenda de 4 do corrente, me foi remedido o titulo
de nomeacao de Tito da Silva Guimares, para o
lugar de fiel de armazem da alfandega desta
capital.
O que declaro a V. S. para seu conhecimento e
afim de que o faca constar a quem competir.
Dito ao mesrao.Communicando a V. S., que
alm do voluntario da armada Jos Maneel Mendes,
que o cnsul de s. M. Fidelissima, reclamou como
subdito portuguez de menor idade foram mais
desembarcados os de nomes Manoel Antonio Fran-
celino, e Anastacio Vctor do Livramento, por
terem sido considerados iacapazes do servigo em
inspeccao de sade, tenho a declarar-I he que o
encarregado de agenciar os referidos Voluntarios,
s tem direito a gratificagao que V. S. Ihe mandar
pagar correspndenle a 3 pragas que foram aprovei-
tadas para o servlco.
Dito ao mesmo Mande V. S. ajustar contas at
o fim do mez corrente, e passar guia de soccorri-
mento ao tenente do corpo de estado-maior de 1'
classe, Antonio Villela de Castro Tavares, e alferes
do de 2* classe Clemente Francilio Tavares, que
tem de seguir para a corte no primeiro vapor que
passar do norte.
Dito ao inspector da thesouraria provincial.In-
forme V. S. acerca do vicio que se nota na inclusa j
copia do orgamento da obra do atierro da ra do
Lima, ministrada por essa repartigao ao respectivo
arrematante Andr de Abreu Porto.
Dito ao mesmo.Nao havendo inconveniente
mande V. S. pagar a Joo Carlos Augusto da Silva,
a quantia de 1:863569, despendida com o sosten-'
to e dietas aos presos pobres da casa de detengao '
durante o mez de abril ultimo, como se v dos in-1
clusos documentos qne me remetteu o chefe de
polica, com offlcio de 13 do corrente, sob
n. 689.Communicou-se ao Dr. chefe de po-
lica. .
Dito ao commandante do presidio de Fernando.
Remello por copia V. S., para ter execucio na
parte que Ihe toca, o aviso da repartilo da guerra
de 29 de abril ultimo, do qual consta que S. M. o
Imperador, por decreto de li deste mez houve por
hem perdoar ao ex-alferes do exercto Jos Pru-
dencio de Bilteocourt, o resto do tempo que Ihe '
falta para cumprir a pena de degredo perpetuo,!
que Ihe foi imposta em o anno de 1862 pela junta
de jusiica militar na provincia do Para. Commu-,
nicou-se ao coronel coomandanle das armas.
Dito ao commandante superior da guarda na-1
cional do Recife.Reeommenda V. S., que me
remella com urgencia ama relacao nominal de to-
dos os offlciaes dos carpos da guarda nacional sob
seu commando superior, de alferes at capito,
organizada pela forma determinada no art. 61 do
decreto n. 72 de 25 de outubro de 1850, e com as ,
declaragoes contidas nos 1 a 5 do art. 121 da
lei n. 602 de 19 de setembro do mesmo anno.,
Igual mutatis mutandis aos commandantes superio-
res da guarda nacional de Olinda. Goianna, Pao
d'Alno, Nazareth, Santo Anto, Garanhuns, Fiores \
Tacarat', Brejo, Cabrob, Boa-Vista, Rio Formoso,
Palmares e Cabo.
Dito ao mesrao.Tend aceitado o offerecimen-
toqje fez a administragio do Hospital Portuguez,
das enfermaras daquelle estabelecimento para se-
rem nellas tratadas gratuitamente as pragas da
guarda nacional aquarleliadas para o servigo da
guarnigo desta cidade ; assira o communico V.
S., para que expega snas orden* no sentido de se-1
rem para all enviadas as praga, que estando des-
tacadas, forem accommeltidas de molestias.
Dito- ao commandante superior da guarda na-
cional de Olinda e Igoarassu'. Era offlcio de 12 ;
do corrente, consulla V. S. se deve adiar para de-
pois o conselho de revista da guarda nacional, por
ter de fazer parte do conseibo municipal de recur- (
so no dia 17 de corrente.
E deduzindo-se do sea citado offlcio, que este
ultimo conselho tem de funccionar em primeiro
lugar, nelle devero servir o juiz municipal respec-
tivo e V. S. como presidente da cmara municipal,
por preferir o sarvjgo elertoral a qualquer ootro,
sendo substituidos no de revista da guarda nacio-
nal, se tiver de reunir-se em quanto aquelle func-
conar, pela forma determinada nos arts. 43 e 46
da decreto n. 722 de 25 de outubro de 1850.
Dito ao commandante superior da guarda na-
cional do Brejo.Expega V. S. soas ordens com
urgencia, para que o destacamento do corpo de
polica existente na villa de Cimbres, seja substi-
tuido por outro da guarda nacional sob sen com-
mando superior, composto de 8 pracas e 1 inferior;
e commuoique-me o dia em que entrar elle em
effectivo servigo.
Dito ao inspector do arsenal de raarinha.Man-
de V. S. fornecor capitana de porto um mastro
com driga, urna bandeira nacional com 5 pannos e
um slgnal de soccorro, providenciando ao mesmo
tempo para que o referido mastro seja collocado
no lugar competente.Comuiunlcou se ao caDilo
do porto.
Dito ao mesmo. Para qae ea possa resolver
definitivmeute acerca da balieira que esse arse-
nal tem de foroecer para o servigo da capitana
do porto, faz-se necessarb que V. S. emitta e seu
parecer sobre ser preferivel a compra delta no
mercado construcgo nesse arsenal ou era al-
gum dos eslaleiros particulares.
Dito ao director do arsenal de guerra. -Remello
por copia V. S. para ter execago na parte que
be toca, o aviso da repartigao da guerra de 11 de
abril ultimo, providenciando sobre as represen ta-
go-js affectas ao governo imperial, por occasio de
chegarera quebrados s provincias para que sao
destinados os objeclos frageis e de barro forneci-
dos por ess arsenal, em coasoquencia de nao se-
rem bem acondicionados.
Dito ao mesmo.Fica approvado o contrato que,
segundo o termo annexo ao sea offlcio a. 256 de
11 do corrente celebrou V. S cora o alfalate Joa-
quim Marlins Costa, afim deste servir no arsenal
de guarra da corte, vencendo o jornal de 2 d ia-
rios. -Communicou-se thesouraria de fazenda.
Dito ao mesmo.Faga V. S. aprompiar para se-
rem remullidos ao aimoxarifado do presidio de
Fernando na primeira opporlunidade os objectos
mencionados na inclnsa relacao.
Dito ao lente coronel recrutador.Por aviso
circular de 3 do corrente, resolveu o geverno im-
perial despensar por ora os recrutadores, cessau-
do a despeza que se fazia com elles : o que com-
munico para seu conhecimenio.Fizeram-se as ne-
cessarias communicagoes.
Dito ao commandante do brigue escuna Tonelero.
Mande Vmc. desembarcar os voluntarios
da assembla legislativa provincial, at o dia 20 do mente por outro empregado daquella thesoura-
corrente Fizeram-se as necessarias communica- ra, essa coma foi paga integralmente.
cSes- -- __ I .Osoriginaes do parecer fiscal e despacho do
Dita.Os Srs. agentes da companhia Brasileira inspector da mesma thesouraria em ama conta de
de paquetes, facam transportar para a corte por medicamentos fetos a antiga cadeia desta cidade
conta do ministerio da guerra no vapor que se es- pele cidado Bartholoroea Francisco de Sonza os
pera do norte, o alferes do corpo do estado-maior : quae se acham com data de 2 de setembro de
de segunda classe, Clemente Francilio Tavares, te-
nente do corpo de primeira, Antonio Villela de
Castro Tavares e a familia deste composla de mu-
Iher e 3 filhos menores.
Expediente do secretario de geverno de dia 15
mato de 1865.
Offlcio ao coronel commandante das armas.S.
Exc. o Sr. presidente da provincia, manda commu-
nicar a V. S. que por despacho
1850.
4. Informago se o cidado Bariholomeu Fran-
cisco de Souza, forneceu esses medicamentos pre-
cedeado arrematago, ou por meio de ajuste entre
elle a o inspector da thesouraria provincial.
." Em que data foi paga ao engenhero H. A.
Milet a ultima prestaco relativa concluso do
12 lango da estrada de sul, empreitada pelo dito
engenheiro, e que havia dexado de receber, nao
tif^sti ilAti mitor-
sou-se o director do arsenal de guerra a satisfazer, ?^?5'e.ao0,rdemkdaihe,sgrarid presidencia, da-
i de Volun- do de Juln2 de 4863> em consequencia da
os pedidos do commandante do 2 corpo
tarios, a que so refere o offlcio de V. S. n. 839 de
12 do correnle.
Dito ae mesrao.De ordem de S. Exc. o Sr. pre-
sidente da provincia, communico a V. S. que por
despacho desta dala autorisou-se o director do ar-
senal de guerra a satisfazer os pedidos da compa-
nhia de Voluntarios de homens pretos, a que alin-
de o offlcio de V. S. n. 846 de 13 do corrente.
Dito ao mesmo.De ordem de S. Exc. o Sr. pre-
sidente da provincia, remello a V. S. um nvoltorio
contendo dous exemplares da collecgao das leis e
decisSes do governo do anno de 1864. Igual re-
messa se fez ao director do arsenal de guerra.
Dito ao inspector da thesouraria de fazenda.
O Exm. Sr. presidente da provincia, manda trans- i
mittir a V. S. a inclusa ordem do dia em duplica-
la, e sob n. 444, expedida pela repartigao
A commissao de legislago e poderes examinan I rtfa* n.,i __i
docomadevidaa.te.roorequenmento de Car-1 addi,iVosP J Q aPProvado cm ,res
los Steuber, professor da lingua ailema do Gvra-1 vm ma** & n-.j__
uaslo desta provincia, no qual o mesrao Cirios' oiS21? J'$E&~2? J^&'0
Steober pede a esta assembla que se digne de- iSa?*0^m,ntoJ^&T ra' '0lU **
clarar achar-se elle comprehendio na disposicao c0, fa orcamenl mamcioal.
do art. 151 da le n. 369 de 14 de maio de 1855,
afim de se Ihe contar o lempo de seu servigo para
a respectiva publicacao desde a dala em que foi
KKSJffi 5Xtig?&S Z!?tm d0 dia seguiale a con,inuacao da ia
os argumentos, com que o mencionado professor
Carlos Steuber fundamenta a sua pretengao, sao
procedentes na mxima parte, pelo que farao par-1
te do prsenle parecer considerando que a rae-!
ma pretengao por motivos de conveniencia e ra-
zoes de eqaidade lem apoio em varias resolugoes
do governo imperial, emende que se deve adoptar
i orcamento municipal,
a segunda discusso do orcamento mu-
nicipal.
Reconhecendo-se nao haver casa o Sr. presi-
dente levanta a sesso s i horas da tarde dando
^>o^
SESSAO ORDINARIA EM 15 DE MAIO
DE 1865.
PRESIDENCIA DO SR. 1." SECRETARIO COSTA RIBEIRO E
CONTINUADA PELO SR. VICEPRESIDENTE
SABINO OLEGARIO.
ou aalgoem que representa va com a declarago do elle a ensinar dila liogua naauelle estabeieci Rarro. AmyDinas' Joao JerOnyn>o, Ke-
aragao
nome dessa pessoa.S. R.Aquioo Fonseca.
Reqaeiro que seja publicado no jornal da casa a
correspondencia havida acerca da soltara de Ja-
nuario Bispo, e que foi remettida pela presidencia
da provincia.-Cunta Teixeira.
Ora pela ordem o Sr. Nabor.
O 9r. SibVA Ramos reqner e assembla approva
a dispensa do intersticio para o projeclo que con-
cede) ama lotera de 2o:000 Sania Casa de Mi-
sericordia.
A requerimenlo do Sr Buarque approva a as-
liogua naquelle estabeieci
ment.
Art. 2o Ficara revogadas as disposigSes em con-
rario.
Sala das commissoes, aos 5 de maio de 1865.
Anpjo Barros, Loureiro.
E' approvado o seguinle requerimenlo :
Requeiro que pelos canaes competentes e com
toda a urgencia se pegan ao Exm. presidente da
provincia as seguintes informagoes :
1* Se contra o prelo escravo Francisco se fez
instaurar algura processo em virtude de haver elle i
no dia 24 de margo, prximo lindo, espancado, fe-
relo e tentada assassinar com um compasso o or-
denanga
districto
Urbanos Hermillo Jos de Alcntara, quando este
de detengao por or
uh7 Ma^rAn7oDnTFncen7eUUXnk7lacio "v. KHPSSifS tftt'L
tor do L. vramenlo, que se acham a bordo do brigue T,[0 em- -11 do crren'e. sol> n- i8> 1ae fica
escuna sob seu commando, visto terem sido consi-
derados incapazes do servigo em inspeccao de su-
de, como Vmc. declarou em seu offlcio n. 21 de 13
do corrente
Dito ao conselho de compras navaes.Ficam ap-
provads os contratos que o conselho de compras i cante,
navaes segundo o seu offlcio de 11 de Janeiro ul-. Antonio de Moura Rolim.Informe
do aja
dante general.
N. 185.-Dito ao 1 secretarlo da assembla le- semblea urgencia para se discutirem de preferen-
gislauva provincial. De ordem de S. Exc. e Sr. Ici* ,ud mais,e orgamento provincial e munici-
presidenle da provincia, transmiti a V. S. para' P1' f?.rca Pllcial- Muindo-se a ordem cima,
lerera o conveniente destino, os inclusos autogra-l ?" ">" diz que a vista do requer-
phos dos actos de ns. 616, 617, 618, 619 e 650,' meai- aPProvado deve agora entrar agora cm dis-
promulgados pela assembla legislativa provincial cas^. orgameolo provincial, mas nao estando oconduzia prezo para a casa
em sua presente sesso, deixando de ir o de n. 621 "ndaimpressas as emendas approvadas em 2* dis- dem do mesmo delegado,
por ter vindo um s exemplar. cussat, yat consultar a casa se deve ter lugar a
N. 186.-Dito ae mesmo.-Passo s raaos de V. "* d'scussao.
S., de ordem de S. Exc. o Sr. presidente da provin- Coasaltda a casa decide mila afflrmativa.
cia, para ser presente assembla legislativa pro- ... jUKtM DO DIA.
3.* iiscussao do orgamentu provincial com todas
as emendas e artigos additivos approvados em 2*
discusso.
Vem mesa diversas emendas, um requerimen-
to de adiamento assignado pelo Sr. Cuha Teixei-
ra e oquadro para a.preferencia das loteras, en-
trando ludo conjunctamente em discusso.
Orm os Srs. G. Carapello, Diodoro, S Pereira,
Cunta Teixeira, Araujo Barros, Paula Baptista,
Gaspar Drnmmond, Aquino Fonseca e Soato Lima.
Encerrada a discus.-o, requer o Sr. Cunha Tei-
xeira a retirada do seu requerimenlo de adiaraen-
, to, e o Sr. Amvainas a de urna sua emenda mar-
o sr. ins- cando-< gratificagao de 2O0 ao secretario da di-
go Barros.
O Sr. Presidente: declara abena a sesso.
Comparecem depois os Srs. Baptista, Jacobina,
Sabino, Diodoro, Franga. Nabor.
Lida e approvada acta da sesso anterior, o Sr.
Io secretario declarou nao haver expediente sobre
a mesa.
Falln pela ordem o Sr. Rochael, que apresentou
o seguinle requerimenlo : requeiro urgencia pa-
ra a discusso do projecto de loteras da Casa de
Misericordia.
Fallaran) os Srs. Ramos, Araujo Barros, Drum-
mond, Cunha Teixeira, Baptista, os quaes pediram
para serem igualmente attendidos os projectos ns.
do Dr. delegado de pchcia do primeiro 61.28, 65, 86 e 58, para o que apresentaram varios
desta capital, praga da companhia de additivos.
vinclal, a informago inclusa por copia qae miois-
trou o regedor do Gymnasio Pernambucano, rea-
tivamente aos alumnos do mesmo Gymnasio que
foram approvados em cada anno e em cada nma
me di-
assira
respondido.
Despachos do dia 15 de maio de 1865.
Requerimentos.
Andr de Abren Porto.Ficara expedidas asor
dens precisas no sentido em que requer o suppli
timo, e termo datado de 5deste mez celebrou cora P^tord i','esa/arja e ^en^\ rectora da instruVgo publica, o que ludo appro-
OliveiraSampaio&CJosFerreiraCoelhoeFran-l Elisiano Gomes de Mello.O despacho de 17 de( Yado p8|a assembla *
cisco Flix Gongaive para foroecimento de maiWi- i margo, a gut^allude o IjttlifMe J*4at* Qtte.A*, g- 9fa seohta aaprovada o orcaneato cora o
25 de outubro de 1861, mas nao tendo seguido por Add,T0 A mpomacia a deduzr-se em ca-
pender anda de soluco do governo imperial o da i(lerii para 0 se,|0 do3 respeclivos bilheles seja
concurso do offlcio de just.ga do termo de Cim- a rae$ma que fdr paga a repirs5o competente,
bres, sejam entregues, como pede o sapplicante, vist0 ger es,e impo^,06 dMgoado pela lei geral de
os referidos papis 10 de julho de 1850.
Joao Baptista do Amaral.Informe o Sr. director
do arsenal de marrana.Communicou-se a tbesou
raria de fazenda
Dito ao mesmo.Respondo ao offlcio do conse-
lho de compras navaes, datado de 12 do corrale,
declarando-lhe que Oca approvado o contrato que
segundo o termo de 5 este mez, celebrou o mes-
rao conselho cora os negociantes Samuel Pawer Jo-
rras ton & C, para fornecerem ao aimoxarifado do
arsenal de marinha as chapas, barras e vergalhoes
de ferro mencionados no termo e offlcio cima ci-
tados.Communicou-se a thesouraria de fazenda.
Dito ao mesmo.Autoriso o conselho de com-
pras navaes a promover nos termos do respectivo
regulamento a compra dos objectos mencionados no
seu offlcio de 11 do corrente, visto serem necessa
rios ao aimoxarifado do arsenal de marinha,
declarou o mesrao conselho.
Dito a cmara municipal de Garanhuns. -Infor-
me a cmara municipal da villa de Garanhuns
acerca do que representa o seu respectivo secreta-
rio no offlcio incluso por copia, datado de 27 de
margo ultimo.
Dito ao chefe interino da repartigao das obras
publicas.Para que eu possa resolver acerca da
materia do seu offlcio de 13 do corrente, sob n. ll,
faz-je preciso que Vmc. informe se nao necessa-
rio que seja invernisado com piche como se acha
estipulado no respectivo contrato e orgamento o
travejaraento da coberta da cadeia de Serinhaem
afim de que seja elle preservado do cuplm como
parece.
Dito ao engenheiro Domingos Jos Rodrigues.
Tendo nomeado a Vmc. para cora o engenheiro
Jos Carneiro da Rocha, examinar se a obra do at-
ierro da ra do Lima de que arrematante Andr
de Abreu Porto, acha se concluida de conformida-
de com o orgamento, junto por copla,devendo tam-
bera assistir a esse exarae o chefe interino da re-
partigao das obras cora quem Vracs. se devem en-
tender acerca do dia em que ter lugar o exame,
de cujo resultado rae daro conta, assira Ih'o com-
munico para seu conhecimento.Igual mulatis mu-
tandis ao engenheiro Jos Carneiro da Rocha e
communicou-se ao chefe interino da repartigao das
obras publicas.
Dito ao thesoureiro das loteras.Era vista
que me requeren o vigarlo da freguezia do Bonito
Joaqaim da Cunha Cavalcanti, autoriso
mandar entregar-lhe Iludo o prazo da lei
da inslrucgao publica.
Vigario Joaquim da Cunha Cavalcanti.Dirja-
se ao Sr. thesoureiro das loteras.
Joo Luiz Cavalcanti de Albuquerque.D-se.
Bacharel Maxiraiano Francisca Duarte.Conce-
do o prazo pedido.
Pedro Ferreira dos Santos Em 12 do correpte
Para auxilio das obras da Igreja de S Francis-
co de Paula de Cachang 1:000.
< Ao quadro das loteras accrescente-se para
as obras da igreja do Rosario do Cabo ; para as
obras da igreja dos Marlyrios desta cidade.
t Para a matriz da Gloria do Goit, em vez de
1:0005, dgase 4:000.
Ao art. lodo orcamento provincial 1:0009,
2' Se o mesmo Dr. delegado de polica raandou
proceder a corpo de iellcto era Hermillo, que,
alera de ferido, ticou cora ura dente quebrado, re-
sultado da luta cora elle travada pelo prelo Fran-
cisco a quem conduzia preso.
3* Se verdade que lendo o Dr. promotor pu-
blico interino requerido no dia 28 de abril prxi-
mo lindo algumasdiligencias, alim de poder denun-
ciar esse preto, o Dr. delegado nao as quiz man-
dar proceder jurando suspeigo.
41 Quaes os motivos apresentados pelo Dr. dele-
gado para justificar essa suspeigo.
5* Perante que autoridade era consequencia de
semelhante suspeigo est o Dr. promotor publico
requerendo taes diligencias.
6* Quem o senhor desse preto Francisco.
Recife, 13 de maio de 1865. Cunha Teixeira.
Vem mesa a rejeitada a segrate proposta :
Proponho que era consideragao deficiencia de
lempo a assembla funcckrae amaabaS.R.
Boarqne.
Sendo volada a urgencia foi approvada, quanto
ao requerimenlo e seus additivos.
Fallam em seguida pela ordem os Srs. S Perei-
ra, Gervasio Campello e Jacobina, por motivo de
reclamares.
ORDEM DO DIA.
Entra em discusso o projecto n. 63, concedendo
loteras a Santa Casa da Misericordia, o qual foi
approvado sem debate.
Em seguida approva-se, depois de orar o Sr. S
Pereira, o de n. 86 do anno passado, autorisando a
resciso do contrato Falque.
Entrou em discusso o projecto n. 65 deste an-
no, que autorisa o presidente da provincia rever
o contrato feito com Carlos Luiz Cambronne para
a limpeza e esgoto desta cidade. Fallaram favor
do projecto o Sr. Gaspar, e contra os Srs. Jacobina
e Jos Teixeira.
Finda a primeira hora, o Sr. presdeme declarou
que eslava adiada a discusso do projecto.
O Sr. Gaspar requer urgencia para continuar a
discusso, sendo aquella regeitada.
Ficou a discusso adiada, tendo a palavra os Srs.
Diodoro, Buarque e Loureiro.
se mandou eliminar da companhia de aprendizes < para a conlinuacj0 das obras "da igreja de S. Con-
como do arsenal de guerra o menor de que trata o sup- |;a|0 des[a cdade
plicante.
PERNAMRUCO.
ASSEMBLA PROVINCIAL.
51' SESSO EM 12 DE MAIO DE 1865.
presidencia do sr. dr. costa ribeiro.
Ao meio da, feila a chamada acham-se presen-
tes os Srs. deputados J. do Reg Barros, Rochael,
Ribeiro, Gongalves da- Silva, Buarque, Nabor, G.
Campello, Francisco Pedro, Aquino Fonseca, Re-
g Barros, Loureiro, S Pereira, Diodoro, Arayn-
thas, Brando, Ramos, Maranhao, Ayres Gama, Tei-
xeira de Mello, Victor Correa e Araujo Barros.
O Sr. Presidente abre a sesso
v: lida e approvada a acta da sesso antece-
dente.
Comparecem depois os Srs. Cunha Teixeira, Be-
nedicto Franca, Silveira Lobo, Nelte, Braulio, Bap-
tista, Sabino, Drummond e Sonto Lima.
Procedeu-se leitura do seguinle
EXPEDIENTE :
Um offlcio do secretario do governo, remetiendo
informagoes da thesouraria provincial relativas ao
ex-thesoureiro das loteras Francisco Antonio de
do Oliveira.A' quem fez a requisicao.
Outro do mesrao, remetiendo anda informagoes
Vmc. a! a respeilo do sello de herangas pagos por lilbos na-
e depois turaes.A' quem fez a requisigo.
de haver prestado na thesouraria provincial anga I Outro do mesmo, Iransmiltindo o offlcio do ras-
idnea a importancia do beneficio da segunda par- pector da thesouraria provincial era que pede a
te da primeira lotera que se extrahio no dia 13 do abertura de ura crdito supplementar na imporlan-
corrente, em favor das obras da igreja matriz da- cia de 3205 para occorrer as despezas de que tra-
quclla freguezia, devendo o referido vigario pres-1 la o art. 2o 2o da lei do orgamento vigente.A'
lar contas opportunamente naquella repartigao. commissao de orgamento provincial.
Communicou-se a thesouraria provincial.
Cm requeriraentode diversos proprietarios de
Dito ao Dr. juiz de direito de Palmares.Nesta armazens, de vender sal, pedjndo que seja suppri-
data submetto a consideragao do Exm. Sr. minis
tro da fazenda, afim de que resolva o que entender
mais conveniente, a materia do offlcio do 1 de fe-
vereiro ultimo, era qae Vmc. insta novamente pela
creago de urna collecloria no municipio de Agua
Preta.
O que deelaro-lhe para seu conhecimento e em
resposta ao seu cilado offlcio.
Dito ao commissario vaccinador.Remello
Vmc. duas caixinhas contendo tubos de puz vac-
cinieo.
Dito ao gerente da companhia Pernambncana.
Pode Vmc. fazer seguir para es portos de seus
deslinos os vapores Persinunga e Jaguaribe, nos
dias e horas indicados em seu offlcio de 13 do cr-
reme.
Portara.Os Srs. agentes da companhia Brasi-
leira de paquetes fagam transportar para a corte
por conta do ministerio da guerra, no vapor que
se espera do n jrte, as pragas de pret do 4 bata-
lhao de artilharia p, que sob o commando de
um offlcial forera reraettdas para bordo do mesmo
vapor por parte do commandante das armas.
Dita.O presidente da provincia, tendo em con-
sideragao a proposta do director geral interino da
inslrucgao publica, de 13 do corrente, sob n. 147,
resolve nomear o coronel Francisco de Medeiros
Cabral, delegado litlerario do districto de Panellas,
ficando exonerado desse cargo Jeo Themoteo de
Andrade.Communicou-se ao director geral da
lostrucgao publica.
Dila.O presidente da provincia, usando da at-
tribuigao que. Ihe confere o art. 7 da lei de li de
agost de 1834, resolve prorogar a presente sesso
mido no orgamento do futuro anno financeiro o im-
posto estabelecido pelo 11 do art. 44 da lei do
orcamento vigente.A' commissao de fazenda e
orgamento.
E' lido e approvado o seguinle requerimenlo :
A commissao de conslituico e poderes, tendo
em vista os papis de Andr Avelino de Barros,
que pede ser aposentado no lugar de guarda dos
armazens das obras publicas, examinando com to-
do o cuidado os mesmos papis, nada enconirou
nelles que se oppozesse aos principios constilucio-
naes; mas entendendo que o saber se a pretengao
do supplicaote ou nao conforme as leis ordina-
rias perlence commissao de legislago, de pa-
recer que esta commissao sejam remetlidos os
preditos papis.
Pago da assembla legislativa, aos 12 de maio
de 1865.-Araujo Barros.Loureiro.
E' approvada a redaccao do projecto n. 32 do
anno passado, depois de orar o Sr. Nabor.
Sao approvados os seguintes requerimentos, ten-
do sobre elles orado os seas aatores :
Requeiro que por intermedio do Exm. presiden-
te da provincia, se peca com a maior urgencia, afim
de ebegar a tempo de ser considerado o seguinle :
1. Copia de toda a correspondencia havida en-
tre e inspector da thesouraria provincial e seu con-
tador relativamente ao pagamento, a que esse se
oppunha de urna coma do expediente do mez da
setembro de 1850, apresenaoo pelo respectivo por-
teiro, na qual se achava incluidas as diarias de
am servente que linlu estado ausente.
9. Informago da termiaago dessa questo;
Isto se tendo sido. sentador substituido iateri-
Urna parte da lotera do Divino Espirito Santo
do convento de S. Francisco.
Ao Io do art. 4 acrescente-se 500# para
gratificacao do secretarlo da directora da inslruc-
gao publica. <
Additivo. Fica o presidente da provincia au
torisado, depois dos exames necessaros, a receber
desde ja definitivamente a estrada de Bujary
Goyanna, e a obra da muralha feila na ra da
Praia daquella cidade.para a segurangadas respec-
tivas casas, ficando exonerado da obrigago de
conserva la |por um anno o empreiteiro Manoel
Goncalve Nunes Machado, visto ter seguido para o
sul em servigo de guerra.
< Emenda ao art. additivo para a resciso do
contrato da empreza Mamede :
Acresceote-se devendo o presidente da pro-
vincia mandar proceder aos estudos pela reparti-
gao das obras publicas antes de por em hasla pu-
blica qualquer parte deste contralo.
< Emenda ao art. 40 :
No quadro dos exercicios lindos, depois de Anto-
nio Monteiro de Siqueira, diga e representado
pelo Sr. Dr. Manoel do Nascimenio Machado Por-
tilla.
f Ao additivo do Sr. Silva Ramos, acerca da em-
preza Mamede:
Diga-se, em vez de sem que possa etc., o
seguinle sendo a despeza que se houver de fa-
zer cora o excesso da avaliaco do contrato primiti-
vo lancado a' conta da empfeza.
c Ao art. additivo sobre a inspeegao do algodo
em lugar de 3:6005, diga-se 6:600;.
t No quadro dos exercicios, acrescenle-se sub-
sidio dos deputados provine i aes 105 rs.
Emenda ao Io do art. 3o :
t Era vez de 19:4803, diga-se 20:160$.
Ao 1* do art. 5o :
Diga-se empregados e professores a quantia
de 3:7405 rs., sendo mais 4003 de gratificagao ao
secretario do mesmo Gymnasio, pela accumulago
de trabalhos que eram feiios pelo ecnomo.
A discusso Oca adiada pela hora.
O Sr. Presidente levanta a sesso s 4 1|2 horas
da tarde, dando para ordem do da seguinle, aiem
das materias j designadas, 1" discusso do projec-
to n. 60, 2* do de n. 63 e 3* do de n. 86, sendo os
dous primeiros deste anno, e o ultimo do anno pas-
sado.
i ts> i *\ m
quenmento :
A assembla legislativa provincial de Pernambu-
co resolve o segrate projecto de lei :
Art. Io Fica o presidente da provincia aulorisa-
do a expedir um regulamento para a cobrnga de
custas judiciaes pela indevida detengao da renda
publica provincial, tendo por base o art. 2 da
presente le.
Art. 2o Nenhura devedor da fazenda provincial
incorrer em multa, nem em custas de processos
contra elle promovido sera que, antes da citago
para o mesmo processo, seja Ihe apresentada a
conla da respectiva divida para que a pague. Ei-
ra da cmara municipal do Recife. Orou o Sr. Sil-
va Ramos, fazendo varias considerares sobre os
negocios municipaes da cidade do Recife, e cha-
mando a allengo da respectiva cmara para varios
melhoramentos e medidas que se fazem necessa-
rias. Era seguida fallaram pela ordem, pedindo a
retirada das suas emendas para serem substituidas
1 por outras, os Srs. Nabor, Cunha Teixeira, Armio
Fonseca e Ramos.
Foram apresentados e apoiados para enlrarem
em discusso, varias emendas. Fallou em seguida
o Sr. Amynlhas.
O Ilustre orador, justificando, como membro da
sa apresentago deve sur devidamenlecomprovada. commissao do orcamento musicipal, o projecto
Art. 3o O regularnio ter execugo logo que
fr publicado, ficando a sua approvago depen-
dente desta assembla.
Art. 5 Revogadas as disposigoes em contrario.
Campello.
E' Julgado objecto de deliberago e vai a impri-
mir o seguinle projecto :
A assembla legislativa provincial de Pernam-
buco resolve :
Art. Umco. Os estatuios da Veneravel Ordem
Terceira do Carmo desta cidade ficam alterados
da seguinte forma :
No art. 14, era vez de membros da mesa rege-
dora, diga-sede todos os membros que quize-
rem comparecer.
O mesrao fica extensivo ao art. 17, que ficara
substituido pelo segrate :
No Io de outubro procedendo convocacSo por
parte da mesa regadora per annuncios nos jornaes,
se proceder eleigo do prior, votando cada mem-
bro presente em tres nomes como dispoe o final
do art. 19.
2o A mesa geral se julgar constituida com o
numero nunca inferior ao da mesa regedora, de-
vendo a eleigao ser feila por escrutinio secreto e
ser eleilo prior aquelle irmo era quem recahir
maioria relativa de votos, seguindo-se o mesmo
apresentado, abundou as consideraedes offereci-
das pelo nobre deputado o Sr. Ramos. Offereceu
anda varias observagoes em sustentago das emen-
das apresentadas pela commissao. Orou depois o
Sr. Campello, fazendo varias censaras a cmara
I municipal transada por ter permittido a coosiruc-
' gao de um edificio que fechou a nica saluda que
communica va com o caes no largo da assembla.
Observou mais o orador que a cmara municipal
actual, deixou de remetter assembla copia do
parecer, que foi apresentado por urna commissao
especial acerca dos empregado da mesma cmara;
que assim o fez por qne se vera que as demssoes
all havidas foram o resultados do espirito poltico.
Accrescentou o orador que era notoria nesta cidade
a desinteliigenca havida entre o digno presidente
da cmara e a maioria dos vereadores, por querer
aijur 9 promover o inleresse publico; que este fac-
i rt^.a bem que a cmara municipal partida-
ria, e que nenhuma conanga inspira.
orador faz anda outras considerages para
; justificar a emenda que offereceu sapprimindo a
verba que marca quota para pagamento das
custas.
Tuni.ni mais a palavra o Sr. deputado Soares
Brando, pedindo explicaedes commissao pelo
fado de ter diminuido a porceniagera do procura-
para a eleigo da mesa administrativa, com a dif- dor da cmara, que, segundo a lei geral deve ter
ferenga de que cada um votar em tantos nomes 16 % Orou em susientago do orgamento o nobre
quantos forem os irmos que a devem compor, e deputado o Sr. Reg Barros, mostrando que a com-
sero membros da mesa regedora ou administra
Uva aquelles em qaem recahir maioria relativa
de .otos.
Recife, 11 de maio de 1865 Cunha Teixeira.
Ora pela ordem o Sr. Aquino Fonceca.
O Sr. J. do Reg Barros fundamenta e manda
mesa o seguinte requerimenlo :
Requeiro que se peca com urgencia ao Exm.
Sr. presidente da provincia o seguinte :
1 Copia das informagoes ministradas pelo juiz
municipal, delegado do termo de Caruar, acerca
da materia do offlcio do mesmo Exm. Sr. de 17 de
abril.
misso bem procedeu marcando a porcentagem de
. 4 /> para o procurador da cmara ; disse mais o
orador que, em vista de urna consulla do conselho
de estado, que leu o medico da cmara nao era-
pregado publico.
Occupou mais a attengo da casa sobre o orga-
mento municipal o nobre deputado Sr. Araujo Bar-
ros.
Disse o orador que habito dos partidos servi-
rera-se dos meios de que se servio o nobre depuiado
Sr. Campello; que nao podernos enlrar no animo
da cmara acerca dos seus actos; mas que se fosse
o espirito partidario que deraovesse a cmara as
2 Copia de ludo que offlcialmente constar sobre, deraissoes que fez, ella as teria estendijo a todos os
o objecto da representago, que Felippe Nones Pe-1 mais empregados ; entretanto que a cmara con-
o efcial-maor
reir, Wenceslao do Praoo Ferreira o outros, resi
denles na freguezia de Grvala, indiregarara a S.
Exc. em dias do mez de margo ou abril prximo
passado.
Tendo terminado a hora do expediente, va
mesa o seguinte requerimento, que approvado,
depois de orarem os Srs. Araujo Barros, Cunha
52 SEsSAO EM 13 DE MAIO DE 186o. Te\xein Sa Pereira, G. Drummond e Paula Bap-
PRESIDENCIA DO SR. DR. SABINO OLEGARIO. lista -
Ao meio dia, feiu a chamada, achara-se presen-^ Estando a encerrar-se os trabalhos da assem-
bla requeiro urgencia para responder ao nobre
deputado em defeza de am ausente Araujo Bar-
| i.uiini, portanto, a discusso do requerimento
. do Sr. J. do Reg Barros, e depois de orarem os
Srs. Araujo Barros e Cunha Teixeira, o mesmo
approvado com a seguinte emenda :
les os Srs. deputadbs G. Campello, Buarque, Gon
calves da Silva, J. do Reg Barros, Nabor, Victor
Correa, Rochael, Araujo Barros, Amynlhas, Ma-
ranhao, Loureiro, Ribeiro, Brando, Reg Barros,
Teixeira de Mello, Ramos, Francisco Pedro, Netto,
Braolio, Aquino Fonseca, e Sabino.
O Sr. Presidente abre a sesso.
Lida a acta da sesso anterior, approvada.
Comparecem depois os Srs. Cunha Teixeira,
Diodoro, Benedicto Franga, Drummond e Souto
Lima.
O Sr. Io secretario procede a leitura do se-
guinte
EXPEDIENTE :
Um offlcio do secretario do governo, remetiendo
por copia o offlcio da cmara municipal, communi-
cando haver dispensado um dos seus amanuenses
por jolgar sufflciente os ires que ficam.A' com-
missao de orgamento municipal.
E' lido, julgado objecto de deliberago e vai a
imprimir o segrate parecer :
Accrescente-se : -|sendo publicada no jornal da
casa a resposta dada pelo juiz municipal de que se
trataAraujo Barros.
ORDEM DO DIA.
Entram ero nltiraa discusso as emendas ao or-
gamento provincia), as quaes sao approvadas de-
pois de orarem os Srs. Silva Ramos e Cunha Tei-
xeira.
O Sr. Rochael requer urgencia para entrar cm
discusso o projeclo n. 63 deste anno, concedendo
ama lotera de 250:0003 a Santa Casa de Miseri-
cordia desta cidade. Consultada a casa, decide
pela afflrmativa.
Entra seguidamente em segunda discusso o
servou o secretario, o efflcial-maior e outros.
Acrescenta o orador qae bastava ver o eslado da
liscalisago da cidade para reconhecer-se a neces-
sidade da destituigo dos agentes encarregados
deste se'vigo ; que sabido que o contador nao se
conduzio bem com relago a um dos vereadores;
que sobre o procurador ignora as causas que ac-
tuaram no espirito dos vereadores para exonera lo,
sendo que poda tambera explicar-so essa destitu-
gao pelo lado da conanga.
Sobre o que se deu com o presidente da cmara,
o nobre orador diz que nada se sabe acerca dos
motivos que delerminaram a retirada desse caval-
leiro; qae a manera por que os nobres deputados
se pronuncian) sobre este ponto s revela que nin-
guem sabe as verdadeiras causas da abslengo da-
quelle presidente.
O Ilustre orador fez anda diversas considera-
ges no sentido de mostrar o nenhum fundamento
dos argumentos do nobre deputado o *r. Campello,
quando propoz a suppresso da verba destinada
para pagamento das custas ; respondeu igualmen-
menle a ura aparte do nobre deputado o Sr. Ribei-
ro, que o orador julgou offensivo. .
E Gnda a hora o Sr. presidente levanta a sesso
s4 'A horas da tarde, dando para ordem do dia a
continuago da precedente e mas 1' discusso do
projecto n. 70 deste anno.

*^

MELHOR EXEMPLAR ENCONTRADO f MUTILADO ILEGIVEL


:===,=
liarlo de Pernanlmco ... Quinta lile* 18 de Halo de 1G5.
wmm omui.
A assembla provincial ful de tovo prorogada
al o da SO do correte mez.
Dentre numero de 332.r>assa|ieiros queroo-
dino para a Europa o Paran, 33 foram tomados
nesta cidade.
Fomos obsequiados cog o njmeiro ngataro
do Acadmtcn, jornal
acaba de sahir do selo da nossa Paculdae
relio, redigido e aollaborado por alumno do
----------------------------------. -----------------,.-----rap-t---------------------------------------
-Relator o-STrdesembargador Almeida, Do Sr. desembargador Barros Viimiiii nlliii mfcthi ninfa archivadas, herltou o mesmo Sr. ios-
jjattar interino, quando etercia o lugar da eoota
MI 01 \ II CUFIA
Ajbuquerqoe.Sorteado* os Srs. desembargadores Sr. desembargador Cactano Santiago
Gitiraoa, Assis e Barros VasconceiWs. Improce-
dente.
. ecor reata, julio? recorrido, Marco Jos
| Fructuoso.Relator o Sr. desembargador Dona.
Sorteados os Srs. desembargadores Gitiraoa, Al-
meida Albaqaerque a Barros Vaseonceilos.Impro-
scieagifleo *Htterano tan celarte,
dan *| Becerrete, o juizo ; recorrido, Narciso Gomes
1* .Pereira.Relator o Sr. desembargador Domingues
anoo. (da Silva.Sorteados os Srs desembargadores Mot-
0 AtaSetnico traduz em *w caneaabar urna aspl- la, Gi.liraoa e Doria.Improcedente,
rago elevada desses mogo, que se estampan) I Recorrenta, o juizo ; recorrido, Carlos Jos Ma-
suas paginas cni proveitalatsa centelha eom que ria.Relator o Sr. desembargador Barros Vaseon-
Deos Ibes illuminott-mnlrin; e foliamos de auga- cellos.Sorteados os Sr. desembargadores Dom i n-
raMhes urna senda-.Sonrosa fecunda, bem qoe gues da Sil, Doria e Santiago.Improcedente,
improba na vida a qoe se do; ama vez que neita Afgravode pelioao.
tcmam por fanal a taz do Evangelho, e nao o fogo Aggravante. Jos Joaquim Dias Fernandes ; ag-
fatuo da razao iot*da, para quem, cono bem o di- gravado, o juizo. Relator o Sr. desembargador
eem em sua iotroduccao, a tradigo uro fumeiro, Guerra. Sorteados os Srs. desembargadores Al-
Jesus Chisto ura outro Scrates, apeas Iluminado meida Albuquerque c Lourenco Sanliago.Nao se
peta poesa da legenda tomou conheeimento por nao ser caso.
Anda bem!
ap-
ap-
A appellago civel.
Appellante, Antonio Vihaio de Menirn;
pellada, D. Rosa Mara de Albuquerque.
As appellacoes crimes.
Appellante, Ricardo Lopes da Normandia ;
appellaila, a justica.
Appellante, o juizo; appellado, Zeferino Aure-
liane Je Figueiredo Mello.
Appellante, o juizo ; appellado, Jos Luiz de
Santa Anna.
A' I-horas eacerrcc u a sessao.
Disse o Sr. Jos Pedro da Silva qua recorrerse
wh wwv, <|uauuu wiu u iuji uo mu*- t-para a jpnta da thesourarla provincial, da qual fa-
aor, em mandar lavrar opredito termo, nao sopor" zem parte o inspeetor^pconiador'e.flrocucadar A*-
qae nao iiana a primera scelo procedido ao exa- *
deesas contas, por julgar iodispensavel, para o
cal, equivala a ter-sa recurso nicamente para o
primeiro desses funccooarios,. visUque smente
enxomplemento, a apresentaco dos lvros do ex-1 do inspector dependiara as decisOes, e isto porque
1MBIAL BO COJIHEROIO
ACTA DA SEAO ADMINISTRATIVA DB 13 DE
MAIO DE 1865.
PRESIDENCIA DO EXM. SR. DESEMBARGADOR
ANSELMO FRANCISCO PERBTTI.
As 10 horas da manha, estando reunidos os Srs.
deputados Rosa,
, C. Alcoforado, Basto e Miranda
Leal, e presente o Sr. desembargador fiscal, o Exm.
Apgravante, Francisco de Paula Borges Ucba ;, Sr. presidente declarou aberta a sessao.
aggtavado, o juizo. Relator o Sr. desembargador j Lida, foi approvada a acta da sessao antece-
MettaSorteados os Srs. desembargadores Barros dente.
Vaseonceilos e Gitirana.egaram provimento. expediente.
Appellacoes civeis. L"m olficio da junta dos corretores, datado de
Appellante, Joo Mannho Paes Barreto; appel- hoje, remetiendo a cotaco dos pregos crreme da
lado, Jos dos Santos Neves. Desprezaram-se os praca na semana Onda.Archvese,
embargos. I Foram distribuidos aos senhores deputados os
Appellante, Jos Luiz de Aodrade Lima ; appel- lvros Diario e Copiador da agencia do Banco Uniao
lado, Luiz de Albuquerque Maranho.Despreza-, do Porto, do qual sao agentes nesta praca Bailar 4
dos os embargo?. Oliveira.
Appellantes, Joo Gomes da Costa ; appellado,
Joaquini Jorge de Mello. Desprezaram os em-
0 febricitante da Innevaco encontra ura ponto
m que nao pode penetrar.
As licoes da infancia aos joelhos desses anjos, de
cujos seios pendemos no alvoreer da vida, nao po-
diam ser no todo esteris : ahi eslao uns dasseus
fructost desses Jovens, que s tem por philo-
sophia a mesma f.
Saudando ao Acadmico, o>sejamos-lhe prospera
vida no jornalismo com obtenso dos flns generosos
ele vados, a que aspira.
- Foi assassinado em soa residencia, na coraar- Appeiianies, Joao (jomes da u>sta ; appeuaao, despachos.
ea do Llraoeiro, o tenente-coronel Antonio Matheus Joaquim Jorge de Mello. Desprezaram os em- No requerimenlo de Antonio Jos de Castro, pe-
Rangei, por mel de um tiro que Ihe destecharan) \ bargo. dindo o registro da noraeacao de seu caixeiro An-
na cabeca, por occasio em que se elle achava em | Appellante, Flix Soares da Costa; appellado, Ma-. Ionio Joaquim de Brito Oliveira :Registre-se.
nmt ffianta na estribara a ver os seas caval- ; noel'Alves Barreto. Desprezaram-se os embar- No de Bailar & Oliveira, pediodo o registro de
los. gos. I dous documentas que apresenum da sua nomea-
Ignora-se anda qnera seja o autor de tal crme, | Appellante, Jos Gomes dos Santos Pereira de cao de agentes da Banco Uoiao do Porto :Regis-
commettido a salvo do delnqueme. Bastos ; appellado, Hr. Francisco Elias do Reg trem-se, fazendse constar as linhas em que na pa-
O Sr. conselheiro Jos Feliciano de Castllho Dantas.Desprezaram os embargos. | lavras caucelladas, e quantas sejam estas, com iu-
liarrrto e Noronha, dirige-nos a seguinte carta,' Appellante, Jeronymo Jos Figueira de Mello;: dicacao das entrelinhas.
que apressamo-nos a publicar recommendando a appellado, Onofre Muniz Ribeiro.Desprezaram os | No de Prxedes Francisco Martins, caixeiro de
respectiva leilura; pois que ella se oceupa de urna embargos. Keller 4 C, pediodo o registro da sua nomeacao :
materia de grande importancia para as lettras: Appellanle, Gabriel Antonio ; appellado, Fran-! Regstre-se.
Senhor redactor.A respeitavel casa Gainier, cisco de Santiago Ramos.Recibidos em parle os No de Antonio Martins de Carvalho, caixeiro de
desu corte, esta reimprimindo em Pars, n'uma embargos. Keller di C, pedindo o registro da sua nomeacao :
explendida edico, a collecco intitulada Licraria I Appellante, Gaudencio Goncalves Chaves ; ap- Registre-se.
Clstica Ptirtutfiuza, que met irmo Anlonio Feh-; pallado, Marlinbo Gomes da Silveira. Nullo o, No de Ribeiro & C, pedindo que os livros qne
ciano e eu comegamos a publicar ha 17 annos e processo. apresentam para ser rubricados sejam transferidos
mente continuar agora esta collecco, com a va- Domingos Ferreira da Costa Romeu. Reformada Ribeiro A C.que substitue aquella :Par ter lu-
a sentn;a. gar o que requerem, junlem distracto daprimeira
Appellante, Jacintho Luiz da Silva ; appellado, firma, e contracto da segunda.
Manoel Pereira da Costa. Desprezaram os em- No dos curadores fiscaes da massa fallida de Joo
bargos. Baptista Gancalves Bastos, pedindo certidao do
Appellante, Joao Carlos Barbalho da Cuaba theor do contracto que este leve coa Amonio Leite
ercicio de 1834 1833, que nao tialiam sido entre-
gues pelo Indicado collector; us tfttnnem porque
saaehaa tilas inleiramenta irraajajlares, a iMn-
dos diverso lvros, e que ludo conatava ana Infar-
mac5es qoe as mesmas contas se naham aawnsas :
julgava per todo isto o mesmo Sr. inspector interi-
no da san devertrazer este negocio ao coaheci man-
to da junlnt para que por ella fossn reconsideraiio;
e vendo ajnu que as contas prestadas pelo ni
clonado aocollector nao e-uvaa n.tenaos de ana
disp5e este de voto deliberativo, e leve o arrojo de
(necrescentar que elle nao devia consentir que se
ndiautassa o precedintanJo daquelle que o hada
substituido, dando coma razaaser isto um protes-
ta que permanecera castra sua.inteligencia, con-
tra o cumprimento de sane devanas, e talvez contra
Sua probidade ; mas todo isto revola qae o Sr.
Bos Pedro da Silva, reconhecendo o alcance de
seu procedimento irrcanlar, a temando as conse-
queucus, procurar anafar
conado Mollector nao estarna nancer rao d-aaa queacias, procurar aaaar ease oegoaio, qun po- J^Jr?%?**"M?8? de.vem, flcar os
?.?=^i*0. ^^^.*-*^^^ ^>-?. -P Ir,. esbarrar L A \nfo S? M t^T^tr^
inspector interino, e consta va das preditas informa
goes, resolveu revogar o seu despacho de 17 do
presente mez proferido as mesmas contas, e deter-
minou que fosse o mencionado ex collector respon-
sabilisado, e se flzesse effectiras as disposlcoes do
decreto n. 659 de 5 de dezembro de 1849, que Ihe
sao applicaveis. Sendo laucado em ditas cootas o
seguinte despacho. A junta revoga o despacho
supra, e determina qoe se proceda na conformida-
de da Inforraagoda contadura e parecer fiscal.
EnodiaSde maio o inspector interino expedio
est'outro despacho :
< Remeitdo ao Sr. contador para proceder na
formado despacho cima. Thesourarla provincial
de Pernambuco, 2 de maio de 1856 Cruz.*
nebrecido Mi memUros da famosa irte d'el re
Xababo, aonde esse Laponio exeree ha muito tem-
po o logar de conselheiro 1
Entretanto, se a um profano cabe dittX.alguma
coa acerca do tal artigo e dos r^aroTdaqaelia
corte, diremos que o Orculo foi duas rezes pintor.
Urna, porque retratou cosa o de mestre a n-
dole da boa gente, a quem pfelix, typo de 6c/-
leza curiostdade, vai dlngindo- para aproxima
reedificajao de Gomorra; eufra, porque sedesco-
brio adn a conbecer a sua hnbflidade na arte de
lomr tka. augmentando pometural inclinacao a
lista dnanelles ajae se dadicaajta suavisar delicio,
stmente os homena eslragadore pervertidos.
a panjuana ratrodaneio devem flcar os
cdigo criminal.
Copiando estes despaanes, nao postemos deixar, dar qne essa contadoria ivrasse tenno de appro-
de notar que na parte da acta da sessao da junta de i vacao das contas desse collector, correspondentes
frfKf que vai dando pai Flix a sua corle, onde
E cora alieno, lando as cousas chegado ao pomo, clT^ZZT^JrT'^ wk0, l S-?^
em que se achavam, devia o Sr. Jos Pedro da l d?5a causaa P"* eXh'b'r em Publ,co a
Silva cuidar de envolver esse negocio em vo bem
espesso ; mas em seu desasamento, e na precipita-
cao e cegueira a que por vezas o arrastra seu fofo
orgulho, toroou-o anda mais patente, e deu-lhe
maiores proporcoes, como se ver. O procedimen-
to do Sr. Jos Pedro da Silva, mostrando-se aber-
tamenle prolector do collector do Rio Formoso, a
ponto de considerar como approvadas contas que j
nao est vam no caso de s-lo, e faltando de certo
modo rerdade, quando dlzia que assim o fazia
em conformidade com a informago da contadoria,
que a isto se nao prestara, como j se vio, e man-
liosa coadjuvaclo de mullos dos principaes esorip-
tores da nossa lingua, os quaes se tem prestado a
red gir as memorias biographo-criticas, que segun-
do o nosso plano, devem acompanbar os excerptos
de cada classico.
Ja se acha entregue ao publico a reimpressiio Ucha; appellado, Antonio Jos Gongalves de Aze- de Magalhes Bastos :Como requerem.
dos excerptos do padre Manoel Bernardes, e com- vedo.Confirmada a semenca com declaraco.
plente memoria. Estao no prelo iguacs trabalhos. Appellanies, Jos Bento de Oliveira e sua mu-
sobre Garca de Rezende e Ferno Mendes Pinto, iber ; appellado, Jos Joaquim de Araujo Plnbeiro.
Seguirle -Ihes-Jia logo a pos Bocage. j Mandaram averbar a dizima.
< A memoria biographo critica, que em 1847 Appellante, Luiz Ferreira da Silva ; appellado-,
publique! na Ltvrarta Classica, ha de agora ser Joaquim Mauricio Wanderley e outros. Manda-
ampliada ; e pego para sio o concurso dos cultores i rain proceder a habilitago do coherdeiro Dr. Vi-
das lettras. Eu Uve a fortuna de obter naqnelle cente Jeronymo|Wanderley.
tempo em Portugal, dezenas de inditos com que diligencia civel.
a nossa poesa se enriqueceu. De amigos de Bo-
cage ou de segura tradigao alcancei igualmente a
narragao de numerosas anedotas que me habilita-
ran) a ncar o curioso captulo intitulado Bocagia-
No de Augusto Frederico de Oliveira, pediodo o
registro da procurago que aprsenla : Regis-
tre-se.
No de Joao do Prado Martins Ribeiro Jnior, pe-
dindo cerlido de estar matriculada a casa com-
mercial de Phipps Brothers & C : Como re-
quer.
Constando |ao Exm. Sr. presidente do tribunal,
que o correlor Antonio Botelho Pinto de Mesqulla
Jnior, que se acha a muito licenciado pordoente,
17 de abril se nao mencionou o despacho que ti-
nba de ser laucado, e devia ser de conformidade
com o que resolveu a mesma junta, como para
que o Sr. Jos Pedro ds Silva podesse proceder da
manelra que se vi, isto-, oipedmdn um despacho
inteiramenie em oppoBieo resolugSo da junta,
Informagaoda contadoria- e parecer riscal ; entre-
tanto que na parte da acta da sessao da mesma
junla, presidida pelo Sr. Jone Mara da Cruz, no da
26 de abril desse anno, fei langado o despacho que
tinlia de ser expedido, como fei.
Constando aoSr. JasPedro da Silva, que seu
despacho de 17 de abril ha via sido revogado pela
junta, e nao podendo admiltir que se ousoss* pro-
ceder per este modo, apreseoiou na sessao de 6 de fsem
maio da assembla provincial o seguinte requeri-
menlo :
Requeiro, que por Intermedio do governo se
exija do actual inspector interino da thesourarla
provincial: 1" a declaraco da disposcao da le ou
regalameoto oja o autorisou a revogar as decisdes
do inspector effectivo dadas em sessao da junla da
mesma thesourara \ 2 que motivos de interesse
publico o levou a oulliucar urna dessas decisdes e
subslilui-la por outra ; 3 as copias do seu despa-
cho que fez esta alterago, e do despacho revogado
do inspector effeclivo, e da informago da contado-
ra a quo se refere esse despacho.
E nao satisfeilo com isto, procurou justificar esse
requerimenlo por. meio. de um discurso, no qual
foram preferidas algumas parases que merecem
ser transcriptas; cumprindo desde j uelarqueao
foi o contador qua, exerceado interinamente o lu-
gar de inspector, revogou o despacho do Sr. Josa
Pedro da Silva, quj uaquclle caso nao devia deixar
de ciogir-se ao resolvido, mas a junta em sessao, e
na. E' de crer que anda existem meditas muitas
produccoes do infatigavel improvisador; e que se
conhegm outros successos ligados com a vida do
venturos i poeta, proprios para ser incorporados
n'uma Memoria desta natureza.
Venho, pois, pelo obsequioso intermedio de
V. S. solicitar a quem possua, ou taes inditos, ou
conhegimeuto de taes factos, ou anedotas, o parli-
cular obsequio de me confiar esses valiosos subsi-
dios, para seren apresentados na edigo que pre
informantes se
Cora vista ao Dr. curador geral
A appellaco civel. _,.. erce oa comarcado Brejo, assignando documen-'; foJ esta quem" diciou VdespachoV como se vio da
Appellante, a irmandade da N. S. da Soledae ; tos offlciaes, o cargo de vereador, propoz, e o tri- parte da acta que se acha. copiada. Eis o qua disse
appellados, os herdeiros de Jos Mana da Costa bunal resolveu que se consultasse o Exm. Sr. pre- o Sr. Jos Pedro da Silva justificando o seu reque-
Carvalho. sidente da provincia sobre j veracidade desse' rmenlo :
DILIGENCIA CHIME.
ao Sr. desembargador
Sr. Presidente.Consta-me que o actual ins
peetor da tbesouraria provincial, elevando a tri-
bunal de recurso a junta da mesma thesourara,
paro. Seria dupla merc se os
dignassem communicar ao mesmo tempo, os moti- tes
vos que tem para fundamentar a aulhenticidade Appellagies crmes.
das suas communicagoes e declarar se me perrait-; Appellante, Joo Soares de Macedo
lera revelar os nomes dos que assim se prestara a Joo da Fouseca e Silva.
facto.
Com vista ao Sr. desembargador promotor da O mesmo Exm. Sr. propos tambero, e o tribunal
justiga resolveu adiar o cumprimento do despacho que
As appellagoes crmes. mandou passar carta de matricula a Domingos Jo-1 por elle presidida, nassara a revistar os meu$ ac-
Appellante, Joio Ferreira de Mello ; appellada, a s Ferreira Guimaraes, visto terem chegado ao seu tos, e reconsiderando a materia.de um delles o re-
Jus.ll5a- _, ... conheeimento circurasUncias, em face das quaes vogou, e resolveu depois sobre o mesmo assumpta.
Appellanle, Vicente Ferreira da Silva ; appella- deve o tribunal deliberar definitivamente. como Ihe pareceu conveniente ao fim que leve em
do, Jos Rodrigues de Souza. Nada mais havendo a tratar, o Exm. Sr. presi- vista. Este procediraenio, Sr. prndente, me pa-
DEsiGNAgAO de da. j denle declarou encerrada a sessao as onze horas rece illegai, porque podendo o conlador exigir que
Assignou-se da para julgamento das segura-1 e meia da manha. se declare na acu das sessoes da junu a sua opi-
ao exercicio de 1833 a 1834, e fossem archivadas,
segundo mostramos com a publicacao de seu des-1
pacho de 18 de abril de 1836, punha menos em du-
vida sua inlelligencia do que seu cumprimento de
deveres; mas o Sr. Jos Pedro da Silva nao consi-
deroneui cousa alloma, e, esqueceodo-se de tudo,
pareca s ter em vista tirar vinganca do insolente
contador que havia ousado levar considerago da
junta urna queslio que, em qaalquer tempo, poda
compromeite-lo, nao querendo subscrever cora ura
voto submisso, ou cora complceme condescenden-
cia ao que Ihe era dictado, embora isto o levasse a
tacharse em frente do cdigo criminal.
Do discurso do Sr. Jos Pedro da Silva se deduz,
torturar-se muito o sentido, que elle quera
que esse negocio fleasse sepultado as catacumbas
da thesouraria: mas seu orgulho, nio deixando-o
ver claramente, nio Ihe permittia proceder pru-
dentemente, e sea amar nroprio, jolgando-se ofTen- i
dido, fazia que elle se mostrasse ingrato para com
aquelle que procarava emendar Ihe um erro, que
poderia rir a ser-lhe fatal, e por isto s tratou de
sacar da assembla provmcral urna resolugao, que
tapasse a bocea a seu substituto, e ficasse conside-1
rada como decisao, que estabelecesse que s o Sr.
Jos Pedro da Silva podia decidir e proceder em
opposicao s resolugSes da junta, vistoqae era ni-
camente ao inspector, isto ao leBente Jos Pedra |
da Silva, profesor de Geometra do Collegio das
Artes, e a ninguem mais, que compela essa re-
galla.
Mas, pergeniaremos, se esse negocio fosse levado i
aos inbunaes pelo promotor publico, se este ft-1
zesse valer miudamente todas as cirenmstancias
que cercaram o facto, nio poderia o Sr. Jos Pedro
da Slrrarer-se em embaraces T E perguntaremos;
mais, assim corno mandou elle que fossem conside-
radas approvadas as conus, irregulares e viciadas,
do collector do Rio Formoso, a passar o precedente,
nao poder fazer ouiro tanto em relago a outras,
principalmente se tiver contador submisso, e pro-
carador fiscal condescendente ou pouco zeloso T Q
que nao offerece duvida quejas contas do collector
do Itio Formoso nao estavam no caso de ser appro-
vadas, que a informadlo da contadoria, apoiada pelo
parecer riscal, nao se prestava a isto, nem autori-
sava o Sr. Jos Pedro da Silva a dizer que era de j
conformidade com essa informago que consldera-
va approvadas essas contas, e que, nao obstante to-
do isto, o Sr. Jos Pedro da Silva mandou
Felizmente nao possuimos mulher nem flihos ou
filhas, porque, se os tiresfemos, nao consentira-
mos de certo a sua entrada em urna corte, aonde
trumpho el-ret Nababo, onde lavra a desordem e
a corrupgao, onde finalmente o chefe dos p rastos'4 o eastiio da bengala, que serr de gnia a
tanta de sin j ral isa cao.
Romeos de tal natureza mais serrem para cor-
romper, que para educar oa corrigir; e mais mil
serla, banindo-os da sociedade, porque continuar a
comraunica los ser cantinuar a dar alimentos .
mrnoralidde, desordem a corrupeo.
Por hoje basta.
Affonso-
HUM
CASO HORHim
D'CMA
Molestia Ulcerosa
Curada.
um servige precioso para as lettras, impagavel para
mim.
A correspondencia pode ser-me dirigida para
o Rio de Janeiro; mas se o informante assim o ti- s de"Souza.
ver por mais commodo, poder nessa mesma cida-. Appellanle, Bento Ferreira da Silva j
de mandar entregar as suas communicagoes ao | a jastiga.
cuidado do Sr .......que tem a bondade de se
appellado,
apnel-
Appelianle, Jos Benlo Beltro Velloso
lada, a justiga.
Appellante, o promotor; appellado, Claudino Jo-
appellada,
SESSAO
15 DE MA'O
JUDICIAR1A EM
DE 1863.
PRESIDENCIA DO EXM. SR. DESEMBARGADOR
ANSELMO FRANCISCO PERBTTI.
Secretario, Julio Guimaraes. ,
As onze horas e meia da manha o Exm. Sr.
presidente abri a sessao, estando reunidos os se-
nhores desembargadores Reis e Silva, Silva
_ que a
niao, e sendo obrigado a dar conU ao governo das i contadoria lavrasse o competente termo de appro- '
decisdes do inspector, quando entender que sao vagao e archlvasse as referidas contas, embora em
contrarias aos interesses da fazenda, assim nao opposigao resolugao da junta que mandava que
proceden quando eu tomei essa deliberagao que | fSse responsabili-ado esse collector pelas contas do
elle reprovou ; portante parece-me agora que nao
o poda fazer, e menos proceder como procedeu,
visto como s para o presidente da provincia ha
recurso das decisdes da junta.
Nesta parte de seo discurso o Sr. Jos Pedro da
a
incumbir de transmittir-m'as. Conviria qae taes
avisos me chegassem at principio do prximo
julho.
Sou com muita considerago de V. S., atiento
Barreto-e Koronna'. ..............,
Rio de Janeiro, 8 de maio de 1865.
Depois d'amanha se extrahir a 3' parte da
4* lotera no Iheatro de Santa Isabel (16a) sendo o
maior premio 0:0005.
Hoje havera leilo da importante bibllolheca
do padre Lessa por intervengao do agente Mar-
tins.
Casa de detenqao.Movimento do da 16 de
maio de 1865.
Existan) presos 328; entraram 6 : sabiram i ;
exislem 330, a saber: nacionaes 2i3; mnlheres2,
estrangeiros 27; muflieres 2; escravos50; escra-
vas 6 ; total 330.
Alimentados casta dos cofres proviaciaes 118
Moviroento da enfermara do da 17 de maio
de 1865 :
Tireram alta :
Joaquim Rodrigues dos Passos.
Antonio Jos Mendes.
Passageiro vindo do su! na barca Jovem Pal-1
mira i
Ahtonio A. S Bandeira.
Passageiros sabidos no patacho Maria da
Gloria para a Europa :
Joo Jo? Ferreira sua senhora e 3 flihos.
Passageiros sahidos na vapor Persinunga
para os portos do sul :
J. dos Santos Passos, T. Callsto Marques J., \V.
1L Davis, Ur. Sebaslio do Reg Barros de Lacer-
da e 1 escravo, Joaquim Gomes da Silva Mello sua
senbora 1 criada e 2 escravos. Marean Augusto,
Salustiano Jos de Lima, Mara da Conceics e 1
menino, Jos da Costa Mallos, Joaquim Alve\ Mo-
reir, Joaquim da Fonseca e Sa, Joo P. da S>lva
Maia, Joao Nepomoceno de Araujo e 1 criado, Joo
Baptista Jnior, Jos F.Nazareth, Raymundo Fran-
cisco da Silva, Custodio Francisco A., Francisco
Jos Gomes, Francisco de Araujo Lopes, Ignacio
Jos Pestaa Jnior, Antonio Francisco de Olivei-
ra, N. Francisco Cardoso, alferes quartel mestre
Bernardino Candido de Araujo e 3 pragas, Antonio
da Malta Jnior.
Appellante, o juizo ; appellados, Jeronymo Fer-
reira de Albuquerque e outros.
Appellagoes civeis.
Appellante, Francisco Alexande Dalra; appel-
lado, Tuoinaz Al ves Maciel. /
^ppaNjtg1 Aninnn fomes ue Albuanerai en i
apileirauo, Wuiiiieinic aukuw u^ inniii>
passagens. i Appellante, Joaqaim Salvador Pessoa de Siqueira
Do Sr. desembargador Santiago ao Sr. desembar- Cavalcante^; appellados, o presidente e directores
gador Gitirana
As appellagoes civeis.
Guimaraes e AccToli, 7 os*"senhores" 'dpntados i Silva n s0 mostroa o que o havia molestado, e foi
Rosa, Candido Alcoforado, Basto, Miranda Leal e suPPr qae o inspector Interino havia revisto
supplente Antonio Luiz dos.Sanios.
Lida, foi approvada a acta da sesead
dente. 1
*-'signaram-se os accordaos proteriJos
sessao as appellagSes entre partes
antece-
na'
Appellante, Joaquim Manoel Ferreira de Souza ; appellado, Jos Duartedas Neves.
appellada, a fazenda. jolgamentos
Appellanle, Albino Jos Ferreira da Cunha ; ap- Appellantes, os administradores da massa.fall-
pellada, a fazenda. da de Siqueira & Pereira ; appellados, os admi-
Appellante, a fazenda ; appellado, Joaquim Gon- nistradores da massa fallida de Guimaraes &
galves Guerra. "mao.
Appellante, o Dr. Jos Angelo Marcio da Silva ; Adiado na ultima sessao
appellado, o juizo. Receberam-se os primeiros embargos e despre-
o Sr. desembargador Gitirana ao Sr. desembar- zaram-se os segundos,
gador Lourengo Santiago Appellante, Candido Moreira da Costa ; appella-
As appellagoes crimes. dos, Anlonio Guedes Gondim e outros.
Appellanle, Joo Baptista Moraes; appellado, Mandouse descer os autos aura de ser averbada
e juizo. ^ dizima.
Appellante, o juizo ; appellado, Manoel da Costa Appellante, Joaqnim Athanazio de Araujo Lima;
Pinheiro. appellado, o tenenie-coronel Amaro Jos Coelho.
Do Sr. desembargador Lourengo Santiago ao Sr. | Eoi confirmada a sentenga appellada.
seus actos, (emendo larvez a continnago dessa re
vista, senio faltou .rerdade dizendo que ess;
Linspeelor Irania rerogarnm de seus actos, e re-
nf. f &oW4o ofri _'. -,1^n" m; '.SVI!--"
|to j se vio qae o inspector interino no"fez*raais
do qae levar considerago da jnnta um despa-
cho que elle hesitava cumprir, e foi eta qne revo-
dacixa filial"do banco do"rasf nesta" cidade. "iffou esse -espacho ; cumprindo nao omittir que
Appellante, Jos Baptista da Fonseca Jnior; provavelmenie o contador nao levou ao conheei-
mento do presidente da provincia esse despacho
irregular, e preferio snbmett lo considerago da
Junta, por querer evitare escndalo. OSr.Jos Pe-
dro da Silva nao reflectio em tudo isto, e anda
continuou em sea discurso, sendo de notar que
nesse da presidia elle a assembla provincial co
mo seu vce-presidente. Eis o que disse em conti-
nuago :
Recorrendo, como recorrea para a junta sob
sua presidencia, ou antes para si mesmo, porque
I smente do inspector dependen as decisoes, e revo-
gando esse meu acto, sem que eu fosse ouvido, co-
mo tenho sido em todos os ncursos, nada menos
fez do qae arrogarse urna supertoridade que nao
Um, e suppor-se mais inteligente e melhor curn-
, pridor de deveres. Nao devo portanto consentir, e
desembargador Almeida e Albuquerque
A appellago crme.
Appellante, o juizo i appellado, Virissimo Xa-
vier de Barros.
A appellago civel.
Appellante, Bernardlno Joaquim da Silva; ap-
pellado, Joo Pereira Cardoso Guimaraes.
Ao Sr. desembargador Assis
A appellago civel.
Appellante, Domingos Jos Dias de Oliveira; ap-
pellada, a cmara municipal.
Appellantes, Guimaraes & Alcoforado ; appella-i nera e/ta assembla permitttra que se odian/o esse
dos, Manoel Moreira da Costa e outre. procedimento illegai..
Appellante, Henrique Augusto Milet, e putro : I Das ll0nas 1ue acabamos de transcrever, se v
appellado, Gabriel Antonio de Castro Quntaes. claramente qual a opiniao do Sr. Jos Pedro da
Continuara adiados a pedido dos senhores depu-1SllTa relativamente s decis5es da junta da .hesou-
tados. i rana provincial, porquanto, dizendo que o Inspec-
Appellante, o Dr. Felippe Nery Collago ; appel-1,or interD. recorrendo paraessa junla, nao fez mais
lado, Geraldo Henriques de Mira. do 1Qe recorrer para si mesmo, mostroa que as
Foi julgado nullo o processo por illegitimidade Isoas decis5S na seno a expresso do iospee-
de pessoa. lor que resume em si toda essa repartilo, poisque
Appellanle, Joo Flix de Mello; apDellado ; d.is!e fl06 mente do mspeclor dependiam as de-
GHR0NIC4
TRIBUNAL DA
JUD1CIARIA
RELAMI.
SESSAO DB 13 DE MAIO DE 1865.
PRESIDENCIA M EXM. SR. CON8ELHEIBO
SOUZA.
As 10 horas da manha, presentes os Srs. des-
embargadores Santiago, Gitiraoa, Lourengo San-
tiago, Almeida Albuquerque, Assis, Doria, Melta,
Guerra procarador da corda, Domingues da Silva
e Barros Vasconcelos, abrio-se a sessao.
Passados os fei tos, deram-se os seguintes
JULGAMNTOS.
Recursos crimes.
Recrreme, o juizo; recorrido, Sebaslio Peuo-
to Jagnaribe. Relator o Sr. desembargador San-
liago.Sorleados os Srs. desembargadores Barros
de Vaseonceilos, Gitirana e Almeida Albuquerque.
Improcedente.
Recurrente, o juizo; recorrido, Jos Baptista dos
Santos.Relator o Sr. desembargador Gitirana.
Sorteados os Srs. desembargadores Assis, Barros
Vaseonceilos e Lourengo Santiago. Improce-
oeote.
Recrreme, o juizo; recorrido, Jos Norberlo
Casado Lima.Relator o Sr. desembargador Gili-
rana.Sorteados os Srs. desembargadores Domin-
gues da Silva, Almeida Albuquerque e santiago.
Improcedente.
Recrreme, o juizo ; recorrido, Jos Agoslinho
do Nascimento.Relator o Sr. desembargador Lou-
rengo Santiago.Sorteados os Srs. desembargado-
res Almeida Albuquerque, Gitirana e Barros Vas-
concelio.Improcedente.
Recrreme, o juizo ; recorrido, Manoel Joaquim
da Silra.R-lator o Sr. desembargador Almeida
Albuquerque.Sorleados os Srs. desembargadores
Daminguesda Silva, Barros Vaseonceilos e Gaerra.
Improcedente.
Recrreme, o juizo; recorrido, Jos Gomas da
Silva.Relator o Sr. desembargador Assis.Sor-
teados os Srs. desembargadores Sanliago, Gitirana
e Domingnes da Sirva.Improcedente.
Recrreme, o juizo; recorrido, Manoel Joaqaim
ale, Joo Flix de Mello; appellado |e que omente do mspeclor dependiam as de-
Do Sr. desembargador Almeida e Albuquerque ao Francisco de Rarros Velloso da Silveira. iclsoe., quando parece que isto entra as atlri-
Sr. desembargador Assis I Appellante, Manoel del guila por seu bastante' DUIoestda junla ; e dessas linhas aioda se v que
A appellago civel. procurador ; appellados, Aranaga, Hijo & C. Sr- Jose Pedro da Sllva npe*a saperloridade ao
Appellanle, Dr. Manoel Carlos de Gouveia ; ap- Adiados a pedido dos Srs. depotados. i contaor, quando este, em sua ausencia, exerre
pellado, o vigario Jos Antunes Brando. passagens. ia? "c-goes de inspector, e que o que mais o affli-
Do Sr. desembargador Sllva Guimaraes ao Sr. g, -"" P0"61" Sr- Craz snPPr ue era mais in-
desembargador Accioli : i WwfHw*i porquanto o Sr. J. P. da Silva nao admit-
Appellantes, Guimaraes & Oliveira ; aDoellado* I l,e que naJa 1aem se 'u,Kue com ma,s in'elligencia
Braga, Silva & C. ''do que elle, embora seas escriptos exislam, e nelles
Do Sr. desembargador Accioli ao Sr. desembar-: !e 50,em faltas grosseiras de grammalica, nao sa-
gador Res e Silva: nendoaindaqualadilTerengaquehaentreoprono-
Appellante, Manoel Ignacio de Siqueira Caral- me Jeraonstralivoeste e esse; cumprindo nao dei-
cante ; appellado, Joaqaim Salvador Pessoa de Si- "r Passar sem reparo o modo imperioso do seu
queira Cavalcante. nuo\devo portanto consentir,e a esperanga qae li-
nha.provavelmente porque presidia nesse dia a as-
Appellagoes crmes.
o juizo; appellado, Francisco
Jos
Belarmiao, escravo ; appellada, a
appellado, Alexandre Jos
Appellante,
da Silva.
Appellante,
jastiga.
Appellante, o juizo;
Barbosa.
Do Sr. desembargador Assis ao Sr. desembarga-
dor Doria
A appellago crme.
Appellante, o juizo ; appellado, Francisco Gabriel
dos Santos.
Do Sr. desembargador Doria ao Sr. desembar-
gador Motta
A appellaco crime.
Appellante, Francisco Rodrigues de Freitas ; ap-
pellado, Manoel Francisco do Espirito Santo.
Do Sr. desembargador Motta ao Sr. desembar-
gador Guerra
A appellago civel.
Appellante, Manoel Joaquim Rodrigues de Sou-
za : appellado^ Jos Gomes da Silveira.
Ao Sr. desembargador Domingues da Silva
A appellago civel.
Appellante, Agosiioho Lucas Corroa; appellada,
a escrara Lina.
A appellago crme.
Appellante, o juizo; appellado, Vicente Ferreira
Lima.
Ao Sr. desembargador Gitirana
A appellago civel.
Appellante, a fazenda; appel'ados, Joo Vieira da
Cunha e outros.
Do Sr. desembargador Guerra ao Sr. desembar-
gador Domingnes da Silva
As appellagoes cireis.
Appellante, o prelo Aleixo ; appellado, Joaqaim
Barbosa da Silva.
Appellante, Manoel Monteiro de Macedo; appel-
lados, Borges 4 Mello.
Do Sr. desembargador Domingues da Silva ao
Sr. desembargador Barros Vaseonceilos
As appellagoes civeis.
Appellante, Francisco Elias Ferreira Osmim;
appellada, Hita dos Anjos Lieutbier.
Appellante, Dr. Bento Jos da Costa Jnior; ap-
pellada, a irmandade de Santa Anna.
Appellanle, D. Maria da Penha de Franca ; ap-
pellado. Urbano, por seu curador.
A appellago crime.
Appellante, o promotor ; appellado, Joo Fran-
co Moreno.
Appellante, o juizo; appellado, Manoel Francisco
de Araujo.
AGCIUVOS INTEBPOSTOS DO JDIZO ESPECIAL
Aggravante, Francisco das Chagas Cavalcante semJ)* provincial, de que esta nao permtttiria que
de Albuquerque; aggrarado, Manoel Alves Fer- adiailIasse o procedimento do Inspector interino, Pearo da s|, e COmpromelter o contador da ihe-
reir. ; taez para que ficasse sustada a responsabili-
exercicio de 1853 a 185 i, determinando que estas
fossem remettidas ao juizo competente.
Basta de reflexoes: prosigamos.
Nao obstante achar-se nesse dia na presidencia
da assembla provincial o Sr. Jos Pedro da Silva,
naoconseguio que el le seu requerimenlo passasse sem
impugmygo. O Sr. Dr. Abilio Jose Tavares da
Silva, tendo de fallar depois del le, exprimise
em niguas periodos de sea discurso do modo se-
guinte : ^^
ui. rieMOeirie.nwtll'liu, 4^ uiaiV ue dOUS
nobres membros desta casa se tenhara manifestado
contra as ideas consignadas no requerimento, que
tenho as mos, e que nao obstaule consintam que
se va votar a materia sem dlscusso.
< Eu acho que a questo mais seria, mais im-
portante do que se suppoem. Primeiramenle nao
sei se o nobre deputado na qualldade de membro
desta casa e ao mesmo tempo de inspector effectivo
da thesouraria provincial, podia vir a ella protes-
tar contra um acto de seu successor interino.
Por lame creio que ao presidente da provin-
cia que o nobre deputado devera em tempo re-
correr, visto como a autordade superior encarre-
gada immediatamente de velar na fiscalisago e re-
galaridade dessas repartieres, no que toca ao seu
regimeuto interno.
Tendo-se dito que ao presidente da provincia
que competa recorrer o Sr. Jos Pedro da Sllva, e
Ihe havendo perguntado, era aparte, o Sr. Antonio
Jos d'Oliveira se o nao tinha feito, o Sr. Jos Pe-
dro da Silva disse o que passamos a copiar :
Nao levei, porque entend, qjie estando o pre-
sidente a deixar a provincia, nao teria lempo de
cuidar em questoes desta ordem ; tambera oo es-
perei pelo novo presidente, porque rae pareceu im-
prudente occupa-lo nocoraego de sua administrago
cora simulantes reclamagoes. Recorro assem-
bla por ser ella competente para tomar conheei-
mento das infracgdes das leis e dos regalamentos,
que como o da thesouraria sao consideradas
leis.
Deixando de passar rarissimas vezes na assem-
bla provincial requerimento, em que s; pedem iu-
formagoes, nao de admirar que passasse este,
que foi apresentado pelo vice-presidenle dessa
mesma assembla, que nera mesmo censiderou que
nesse dia oceupava a cadeira da presidencia. Pas-
sando, pois, o requerimento, te ve o presidente da
provincia de mandar que o inspector interino hou-
vesse de informar, e este,obedecendo protnplamen-
te ordem recebida, cuidou de satisfazer ao que
delle se exiga, e o fez de una manelra plena; mas,
sendo extensa essa informago, e baseando-se ella era
documentos qae merecem ser lidos, s no prximo
artigo poderemos transcreve-la.
Tudo quaoto tica escripto mostra que o Sr. Jos
Mara da Cruz s leve em vista reparar um erro,
que podu vir a ser bem desagradavel ao Sr. Jos
O Exm. Sr. presidente negoa provimento.
Aggravante, Antonio Maria Ramos; aggrarado,
Manoel Antonio de Azevedo.
O Sr. desembargador Reis e Silva deu provi-
mento.
Nada mais havendo a tratar-se o Exm. Sr. ate -
dente encerroa a sessao a 1 hora e am qaarto da
Urde.
CORRESPONDENCIAS
0 Sr. Jos Pedro
da Silva perante
proTincial.
a assembla
dade do ex-collector do Rio Formoso, e subsis
tem comas irregulares e viciadas, e os erros de
sommas encontrados nessas contas.
O Sr. Jos Pedro da Silva nao parou ahi; ainda
disse o seguate:
t Nao devo consentir, porqae nm protesto
que permanecer contra a minha inlelligencia,
, contra o cumprimento de meas dereres, e talvez
contra a minha probidade, e estabelecer nm pre-
cedente que pode prestar-se a vingancas e ao pa-
tronato. Finalmente nao o consentir, porque alera
de anarchico, concorrer esse procedimento a ser
tolerado para qae as decisdes da junta percam esse
carcter de estabilidade que devem ter, e o res-
peito e acatamento necessarios para que sejam ob-
servados como convm.
Do qoe fica transcripto se r qne o Sr. Jos Pe-
Tendo de tomar assento na assembla provincial, A"OT, "c\ iranscr,P, *hTe aae re-
como depulado, o Sr. Jos Pedro da Silva, foi subs d da S|J? de,"va aPerce^r que elle tema que
titudo no luga de inspector da thesouraria pelo T Prob'dl^ viesse "*er; e de admirar
respectivo contador, o Sr. Jos-Maria da Cruz, e W "".o file qnem maisdesconce.tnavaasd.ee-
este, tendo hesitado em dar por approvadas como s!es da-JT' d,sseraos,as contas do collector St^fosiSS \ f***9?*!.> "j"" HQet se P"sse
Joaqu.m Jose de Luna Freir, subraetieu-as nova- IThi, Pocedlmen' da mesma m**, Pra que
mente considerago da junta da fazenda da mes- SUa-9 decis5es nao Perdessem ""der de estabili-
raa thesouraria, e esta resolveu, em soa sessao de
29 de abril, que fosse revogado o despacho de 16
desse mez, em que o Sr. Jos Pedro da Silva havia
mandado| que como approvadas [fossem considera-
dade que deviam ter, c o respeilo e acatamento
necegsarios qae Ihe convinham.
Qaalquer- hornero, cajo bom senso se nao del-
xasse offuscar pelo orgulbo, teria reflectdo ames
?-
das, lavrandose termo de sua approvaco, e archi- de pronunciar esse discurso, e cuidara de empre-
vandoas. Eis a copia da parte da acta da sessao; gar meios para que seu procedimento no negocio,
da junta em 26 de abril, e do despacho que se se- de que se tratava, nao fosse oonhecido fra do re.
i"'0,; i cinto da thesouraria ; mas assim nao procedeu o
O Sr. inspector interino levou aoconhecimen-,Sr. Jos Pedro da Silva, e, provavelmenle conian-
to da junta que tendo ella, em sessao de 17 do cor- do com a protecgo que tem encontrado, em seu. individuo dsposto a fazer rir o publico necea-
tez, ordenado que fossem approvadas as, discurso revelou suficientemente quaes sao as rio, mesmo de justiga, qne Ihe coacedam todos o
souraria provincial; mas que o Sr. Inspector, em
vez de concorrer para que se consegulsse o
fim desejado, procedeu de maneira a que esse ne-
gocio tomasse proporcoes, e chegasse hojea ira
prensa.
Elle assim o quiz, assim o tenha.
Terminando este artigo, devenios declarar que
de tudo que havemos apresemado temos documen-
tos authenticos, e que levamos a exaclido do que
copiamos al conservar-lbe a ponluago.
fUILICACOES A PEDIDO
Para desengao d'aqaelles qae julgam que se
deve atormentar o Exm. presidente da provincia
com empenhos, afim de que S. Exc. negu sanc-
go a alguns dos actos legislativos provinciaes,
porque estes conlrariam seus intereses ndivi-
duaes.
Termos em que os presidentes de provincias es-
tao autorisados, pelo acto addicional, para nega-
rem sanego:
Art. 15. Se o presidente jalgar que deve negar
a sanego, por entender que a lei ou resolugao
noo convem aos interesses da provincia.
Art, 16. Quando entender que o projecto offende
os direitos de alguma outra provincia, ou os trac-
lados fettos com as nacoes estrangeiras.
TodoE aquellos qne se acho snn-'ito sof-
frer molestias scroftosas, ulcerosas, ou syphi-
liticas, ainda mesmo as reputadas de puior
natureoa, apenas neorssitfio de lr o seguinte
caso maravilLoeo, para qua se sinto inteira-
mente convencidos que a sua propria cura,,
nao s meramente possivel mas sim absolu-
tamente certa.
Joao Jse FERiiEmA Babboza, residente
na Cidade de Maranho, tinha todo o sea
corpo coberto de chagas ulcerosa, e durante
algunos annvs e achava debaixo do rratamento
do mdicos os mais afamados, tendo osado
amante- todo este tempo quaai toda a especie
de medednas que em taes casos empregada
pela faculdado medica, porm debalde sem
obtor o menor beneficios'alivio: aehando-se
pois em taes apuros elle finalmente resol ve u-
*e, depois de repetidos e baldados esforcos
fazer uso da]
Salsaparrilha
BE BRISTOL.
No todo elle apenas chegou a tomar Cinco
'.aiTafas de Saltaparllu e qttatro frascos das
Pvlat Vegetase Assucarada, e o resultado
foi elle obter una completa u perfeita cura.
O Sears. Fbrreuba & Cia., Drogoistos de
Maranho, forao quem supprirao os medica-
mentos, e achao-se peHWtamente ao fticto
d'estc caso, e os meemos Senhores, nao s se
achao promptos confirmar o mesmo, como
tambem em fornecer o actual adresso do Ser.
Barboza, a toda e qualquer pessda que por
ventura se deseje informar da verdade.
Recommenda-se mui particularmente aos
Doentea que tenhSo o maior cuidado na esculla
deste excellente remedio, nao usando outro
nao ser a Genuina Salsaparrilha de Bristol,
a qual exclusivamente preparada por
LANMAN&KEMP,
De NOTA YORK,
pois que todas as mais sao ineficaces e de nen
hom ppestimo
Vende-se as boticas de Caors A Barbosa
e C. Bravo & C.
V*te ti este espelho !
Itabiscador de programas tneairaes. Nao alires
pedras to longe que algumas dellas pode acertar
em qualquer prente teu.
Nao desprezes o conselho, e toma cuidado com
as tuas coslellas. Es asno, pedante, traficante e
velhaco.
Se quizeres eu dire mais alguma cousa que
sel.
Fica saliendo que nao me importo com a tal
espelunca da ra Nova, porque felizmente nao per-
tengo sncla. Chamas-le-me a falla, aqu est a
resposta. Se nao Acares satsfeito com eslas pala-
vras avisa-me.
/.
i nova Dio.
Quande no campo da imprensa se aprsenla nm
comas do ex-collector da cidade do Rio Formoso, ideas de predominio qoe qur exercer em sua re-
lAirinini Iac i\a T tina EVaha paUiihio ,-. bmma a _aM>:nn -* .ai____ __ *
Joaquim los de Luna Freir, relativas ao anno de parligo, exigindo at qoe, em seus impedimentos
1833 1831, na conformidade da informago da aquelle que o substituir nao tenha as regabas qne
contadoria, e tendo o Sr. Inspector, por despacho compelem ao Inspector, nem possa conbecer e>
de 18 do mesmo raer, determinado que se lavrasse o
respectivo termo de approvaco, para qoe fossem
seus actos, mesmo
para emenda-Ios I
quando esses forera illegaes,
premio a que tem jos a sna pronunciada voeago!
Nesta posigo mais digna de lastima do que de
inveja, se acha actualmente colloeado o autor de
am artigo que sob o ltalo Soctedaejima UnuTo
foi publicado no Diario de 9 do correte, e col
estilo monumento e magestoso muilb deve ter en-
COMMERCIO.
\o vobauco de Pemanbneo.
O banco paga o 14* dividendo narazode8
dor aego.
Novo banco de pernaiubuco.
Os administradores da massa fallida de Joaqaim
Jos Silveira pagara o dividendo de dita massa
na razo de 9 0/0 sobre o valor des ttulos ad-
mettidos: no novo banco de Pernambuco ra
do Trapiche n. 34.
Caixa filial do baoco do Brasil em
Pernambuco.
A directora desta caixa saca sobro o banco do
Brasil no Rio de Janeiro e sobre a caixa filial do
mesmo banco na Bahl.
Voto banco de Pernam-
buco.
O banco descoma letras na presente semana a
9 por cento ao anno at o prato de qoatro me-
tes, e a 10 0|0 at o de seis meses, e toma dinhei-
ro a jaros a praso nunca menor da tres mezes-
ALFANDEGA.
Rendimento do da la 16...... 379:0514809
dem do dia 17............... 29:9635479
409:017*288
MOVIMENTO DA ALFADEOA.""
Volamos entrados com fazendas.... 148
< c eom gneros..... 317
-------- 475
Volumes sahidos eom fazendas..... 107
eom gneros..... 831
-------938
/
^
%
i
S
%
r
MELHOR EXEMPLAR ENCONTRADO ]['MUTILADO ILEGVL
t
*
i


jMfrto e peraiwibiMH
i >** - s
Descarregam no dla.18 do crrante.
Barca inglezaAnn Kn\ mercaduras.
Escnna hollnndezaSpcKtanf -diversos gneros.
Patacho nacionalPa/ma-farlnha de trigo.
Brigue fraocez Amablevinhos.
Rrige ingjezParlclidedem.
Barca .porlugaeza5. Joocharqnfl.
Escuna portugnezaD. /ortodem.
Sumaca haspantiolaMercediladem.
Brigue nacionalCarliiidem.
Barca ingleza-^eU* Peni*gol fellraeun
Brigue Inglez-ZzaW/'cnrvao.
Barca norueguens -Tastnauiadem.
Barca inglezaEleonor idera.
K&prta?o.
Galera ingleza Uermtone, carregou pera Liver-
pool :
3,200 saceos com 16VXW arrobas de assuear
As naunas qae se propozerero essa arremata-
gao, coraparfara M sala da Moes da referid
^d l i
junta, no a aoiaii ladfcakypelo meio dia, e com-
petentemente habilitados.
B para cosstar, -se maadoa publicar o presente V>ari^nfio Sectflulo
pelo jornal.
Secretario da Uieouraria provracu 1 de Per
narabueo, 11 de marso de 1865.0 secretarlo, A-
T. d*AnBnnclBjao.
Clausulas especiaes para a arrematado.
1.* O ediaio para a cadeia 4e Nazareth, ser
(eito de conformidade core a planta e ornamento
junto, na importancia de 18:0W|&G0 rs.
i.' O arrematante ser abrigado a dar principio
aos trabalhos no prazo de 30 das, e concluidos
no de um aano, ambos a contar da data da assig-
natura do contrato.
3.* Os pagamentos sero feitos em 3 presiaces
.vado, 1,723 ditos ^m 9,40o arrobas e li- iRuaescorrespondenies a cada terco da obra Onda,
bras de algodo. 592 eoaros salgados seceos com I Na-S9U em teraJ)0.,algum atendida qualquer
16,784 libras, 500 ditos fardes com 23,000 libras, reclamado por parte do arrematante tenden-
arrobas de assuear
14,659 arrobas e 20
Barca ingleza Amblcside, carregou para Liver
poel:
1,900 saceos eom 9,800
mascavado, 2,713 ditos com
libras de algodo.
Brigue Inglez Use ful, carregou para Gibraltar :
5,367 saceos com 28,002 arrobas de assuear mas-
cavado.
Brigue argentino Volante, carregou para o Rio
da Prata:
1,300 barricas com 9.644 arrobas e 10 lltras de
assuear branco, 300 ditas com J.393 arrobas e i4
libras de dilo mascavado, e 100 cascos com 18,250
medidas de agoardente.
Patacho braslleiro Valenle, carregou para o Rio
da Prata :
1,096 barricas com 7,153 arrobas e 29 libras de
assuear branco, 300 barricas com 2^77 arrobas a
6 libras da dilo mascavado e 68 cascos com 11,040
medidas de agoardente.
Escuna portugoeza Erna, carregou para S Mi-
guel :
42 barricas com 192 arrobas e 8 libras de assu-
ear tranco, 47 dirs com 363 arrobas e 30 libras
le dito mascavado e 337 cascos com 13,095 medi-
das de niel.
Barca franceza Santo Anr, carregou para o
Havre:
614 sacras com 3,604 arrobas e 7 libras de aljro-
diio, 3,559 couros seceos e salgados com 114,322
libras, 2,565 ditos verdes cor 115,293 libras.
Lugre italiano Lourenzo Valerio, carregou para
Cdiz :
4,550 saceos com 22,750 arrobas de assucarinas-
cavado.
Patacho portqguez Mara da Gloria, carregou
para Lisboa :
49 barricas e 1,825 saceos com 9,371 arrobas e
17 libras de assuear branco, 27 barricas com 1,055
saceos com 5,477 arrobas e 14 libras de assuear
mascavado, 120 couros salgados seceos com 2,280
libras, 5 cascos com 134 medidas de agoardente,
49 cascos com 1,771 medidas de mel, 300 raeios
de sola e 6 pranxoes de vinhatico.
RECEBEDOniA DE RENDAS INTERNAS GE-
HAES DE PEKNAMBUCO.
Rendmento do dia 1 a 16...... 14:6413527
dem do dia, 17................ 1MQ&iM
te indemnisacao, quaesquer que sejam as allega-
! edes em que so hajam para asse fin, anda mes-
I ino por prejuieos provados.
5.a Para tudo o que nao esliver especificado as'
presentes clausulas, seguir-se-ha o que dipoe o re-
gnlamento de 9 de Janeiro de 1864.
Conforme.A F. d'Annunciacao.
media ernl arfrj
n .UMNtffflft
Une e vienm das moflas.
F-BRSONAGBNS. actores
D. Emilia....................... D. Dorla**.
Antonio de Sonza............... Augusto.
Padre Jos de Souza............ Pinto.
Jos, criado.................. Beroardino.
Os billietes acham-se desde j no lugar do eos-
turne.
Principiar s 8 horas.

hieir^inmar loV.
! Pnfida fBejHpjl
assuear mas-
leilo de 137 sac
c-a
lin5SdePn^|da WMfjk>dolnf Sr. Dr.
pecial docotnnrerclo socar mascavado^ arestados a Manoel Florentino
flavwi|o da (] existentes no armazem de
ftaftflRMuodHMtfcrua do Apollo n 42, aon-
de ser eff-ctuado o leilo, isto
na
- Guio tt'oira 18 do orrente as 11 horas
_______ em,ponto.
ATISOS MARTIMOS.
COMPANHIA PERNAMBt'CANA
DE
Kavegaco costeira por vapor.
Parahyba, Natal, Maco, Aracaty, Cear e
Acarac.
O vapor Jaguaribe, comman-
dante Lobato, segu p-ra o norte
no da 22 do correte, as 5 ho- '.
ras da larde. Recebe carga al j
odia 20; encommendas, pasta-
geiros e diuheiro rete at o da da saluda as 2 >
horas: escriptoro no Forte do Mallos n. 1.
Leode fazendas.
Augueto C. de Abren far loilo por ntervert-
co do agente Pestaa, de aig^dozioho avanado
d'agna salgada e de outras fazendas hm as : lioje
18 do crrente as 11 horas damanhfia em seu ar-
mazem ra da Cadeia._____________________^^^
Leilo de orna fscrars.
Semrfeira 19 de mam.
O agente Pinta (ara. leilo a reqnerimento de
Loureaco Ribeiro da Cuuha Oliveira, e por man- j
dado do Illm. Sr. Dr. juiz de orphos da escrava j
Joanna, pertenceateaas.bens do casal do finado!
Eduardo Marcolinafetfreif aru> leilo ser eflec- \
tuado as 10 1|2 huras o da cima dlro em sen
escritorio ra da Cruz n. 38.
T
BLANCARS
'

wtc.
O IODI-RCTO DE FEKTO INAfcTEUVEt
Approvadaa pela Acadamia de Medicina da Pariz
Al'TORTMDtS MLO WrMSS'.HO MEDICIL DI SA-PCTMM. KO
nPEMMKfl'Atrta NOS IvOSI'fTAS M B/rSCA, UA MMU, lA l*LM)A, DA TUAOUIA,
Slenfuc honrolm iH^Erpos^oct, Vt'crfaii de Netr-Vork, 18i> e He ParU, 1833.
Estas Pllulas envolvidas n'unu canuda resine balsmica de una tenuidede ncetaiva, trm ariatagem de
semn Inallcravcls, sem sabor, de un pequeo Totume, e t nao c.-ius,ir*ra (n orinos dReslvo% ((.raudo du
1 nrapriedailes do IODO e do Ferho; ellas convem princiyakafiite ras alfreces Chlnmiimt, Etcrofutotat,
*Tutermltinis Cancriai, na Icaevrrhta, amrnorrhea, anemia, tc.:cufi, ellas <>flcrecm aos pi aleos urna rae-
dicacu da mais enrgicas para modilicar as eonstilui-oej li/mpltiiticus, [raen ou dcbitiladai.
/I. B. O IdWto de ferro impuro ou allrrado 6 un mediraineM i"V, wriiae'e
Como prora dr pmvu e de aulhencidadc das vprriadi'lrat PUuUit 4 bluneaed, deve
-se exigir oosn rilo lie MMla rrarlia e no*>o Urina, aqai rrprudu/ida qae e
ai lia na p.:r.e iiilVrtor d.- un ralulo verde, llore ee drsettofi-r da falsifi :acos.
Rio de .lanpi'o.
O patacho Potycena, capitao Francisco Jos Pra-
les, segu com mulla brevidade : para a pouca
carga que Ihe falta e escravos a (rete, trata se com
Miguel Jos Alves, ra da Cruz n.-19.
Santa Casa de Misericordia do
Becife.
A Illm' jnota administrativa da Santa Casa de
Misericordia do Recite manda f-zer publico que no
dia 26 do correle, pelas 4 horas da tarde, na sala
de suas sessdes, iro praca para serem arrema-
tados a qnern por menos llzer os reparos e obras
segu otes:
Urna grade de ferro para o adro da igreja de N. Para Lisboa
S. do Paraizo, com dous portes com 10 palmos, ... .... .__,.,___
tanto de aliara como de largura, e tendo a grade ^xTy^li^l^^eSo?^^
em toda a sua exienso 110 palmos e 5 de altara. I f'la? z'*m^3 gn i !f* .' L
A mo d'obra de podreiro do 2 lanco da paw- ^XTt g ^
de da casa que se est edificando na ra da Gloria iraP"'"e '"___________________________
para o collegiodosorphiios, com 800 palmos em : Ra i\a 'Patiavflfi
ambas as frentes, 3de fundo e 18 de altura, par-, AWU uo O aucilT
lindo do travejaiaeolo at a cornija, fleaado esta Segu breve para aquella porto a barca brasilei-
emesso. ra Henriquela por ter melado do carregamento
Os reparos do sobradp de dous andares n. 1 pn-' prompto : para o resto trau-se cora os consijrna-
blico da ra o Azeile de Peixe, e da casa terrea, tartos Marques, Barros & C, largo do Corpo Santo
n. 19 da ruados Burgos. i B. 6, segundo andar._______________________
O fazimento de l8ae*tiHos da* amarelo vinhali-! r<..,-<. Warinhln <* Pie
iia ,' ffifiSS-\&S S Cd : ^"ttoJlZl!& Pa-
15:7075747
CONSULADO PROVINCIAL.
R^n lmenlo do da 1 a 16.
dem do dia 17.........
47:705M9
2:287*493
49:990*23.
0?1MENT0 90 PORTO
iVntio entrado no dia 16.
llio da Janeiro10 dias, barca nacional Joven Pal-
tnijra, de 2i toneladas, capitao Manoel Francis-
co da Cruz, equipagem 12, carga farinha de
mandioca e ontros gneros : a Jo3o Francisco da
Silva Novaos.
Navios sahidos no mesmo da.
Li-boaPatacho brasileiro Maria da Gloria, capi-
tao Antonio de Barros Valenle, carga assuear e
ouiros gneros.
Rio da PrataBrigue argentino Volante, capitao
Jayme Ruvera, carga assuear e agurdente.
Maeei Barca ingleza Olinda, capitao Samuel Po-
wer, em lastro.
Canal -Galeota hollandeza Ettsabeth, capillo T. H
Zeeven, carga assuear.
Rio de Janeiro Vapor inglez Jos S. Romao, com-
niandanta B. D. Mantn.
Portos do SalVapor brasileiro feranungu, rom-
mandante Batis.
SDIT1ES.

Bodolpho Joo Barata de Almeida, commendador
da nnperiel ordem da Rosa, tenente-corouel
commandante do segpndo batatho de infaotaria
da guarda nacional do municipio do Recite, por
S. M. o Imperador., a quem Dos gaarde. etc.
Faco saber a quem interessar possa, que em
virtuile da lei, tenho convocado para o dia 21 do
corr. nle inez o conselho de qualilicaco da paro-
cha de S. Jos, afim de se proceder a revisao da
mes na qualifkaeao, cujos trabalhos durarao por
15 das consecutivos, funecionando o dito conselho
no consistorio da respectiva matriz.
E para constar maodei fazer o presente, que
sera' publicado pela imprensa, e atuxado na por-
ta da referida igreja.
Quartel do commando do segundo batalhao de
infantaria da guarda nacional do municipio do
Recife, 13 de malo de 1863.
'Rodolpha Joo Barata d'Almeida.
O Illm. Sr. inspector da thesonraria provin-
cial, em camprimento da ordem do Exm. Sr. pre-
sidente da provincia, manda fazer publico que no
dia 24 do corrente, petante a junta de fazenda da
mesma thesouraria, se ha de arrematar a quem
por menos fizer, a pintura das pontes de Jaboatao,
Seraphim Pinto, Morenos, Benlo Velho eTapacur,
todas na estrada da Victoria, avalladas em rs.
530*000 r.
A arrematarlo ser feita na forma da lei pro-
vincial n. 343de 13 de maio de 1834, esobas clau-
sulas especiaes abaixo declaradas.
As pessoas que se propozerem a e$sa arremata-
cao comparecam na sala das sessoes da referida
jniita no dia cima mencionado, pelo meio da, e
competentemente habilitados.
E para constar se mandou publicar o presente
pelo jornal.
Se retara da thesouraria provincial do Pernam-
buco, 10 de maio de 1865.
O secretario,
A. F. d'Annunciacao.
Clausulas especiaes para a arrematarlo.
V A pintura das diversas pontes cima mencio-
nados serio feitas de conformidade com o orna-
mento ua importancia de 530*000 rs.
2a O arrematante dar comeco aos trabalhos no
prazo de 15 dias, e os concluir no de dous mezes,
ambos contados da data da arremalacao.
3' O pagamento ser effecluado em urna so
prestacao, logo que tenha concluido todas as do
totas.
4* Para o mais ojie nestas clausulas se nao pre-
fine, observar-se-ba o que dlspe a lei 286.
Conforme,
A. F. d'Annunciacao.
O Illm. Sr. inspector da thesouraria provin-
cial, em camprimento da ordem do Exm. Sr. presi-
dente da provincia de 23 do correte, manda fazer
publico, que no da 18 de malo prximo vindouro,
perante a junta da fazenda da mesma thesouraria,
vai novameate a praca para ser arrematado a
quem por menos Bzer a obra dos reparos, de que
precita a estrada do Porto de Galinhas, avallada
em 7485000.
A arrematacao ser feila na forma da lei provin-
cial n. 343 de" lo de maio de 1854 e sob as clau-
suiss cpeciaes j publicadas.
E para constar se mandou publicar o presente
Secretaria da thesouraria provincial de Pernam-
feuro, 26 de abril de 1865.
O secretario,
A. F. daAnnuncia(.3o.
O Illm. Sr. inspector da thesouraria provin-
sdeme da provioea de 10 do corrente, manda fa-
zer publico qne no da 14 de junho prximo vin-
douro, peranle a jnnta da fazenda da mesma rhe-
souraria, se ha d arrematar, a quem por menos
fluciya otrra da cadeia da oidade de Nazareth, ava-
llada em 18:<*e*M0 rs.
A arremalacao ser feita na frraa da lei pro-
vincial n. 343 de 15 de malo de lW4,sob asclaa-
statas especian abaixo declaradas.
matante a madeffa e ferrageas, e collocando-os
em seus lugaree.
O tapjfrheoio do arrombo do viveiro da ilha do
Noguewl pelamaneira seguale : um caes cora 30
palmos de extensao e 18 de altara, lt de grossura
na base a menor em3 ; bem como um aterro de
1. Daimos da largura ao lado do caes.
Os pretendenles devem apresentar as suas pro-
postas em carias fechadas, podendo as mesmas
propostas comprrheader todas as obras e reparos,
on cada ama-de per i, e entendendo-se quanlo aos
esoiarechnenlos de que preetsarem eom os seoho-
res mardomo* aiiGarregados dos predios lenente-
coronel Justino Pereira de Parias e Antonio Ramos.
Secretaria da Sama Casa de Misericordia do Re-
cife 17 de maio de 1865,
O esori vao,
F. A. Cavalcanti Cousseiro.
O conselho de compras do arsenal de guer-
ra precisa comprar o seguinte :
Para o segundo batalhao de Voluntarios.
286 covados de panno azul para fardamento.
399 covados de dilo dito para capole.
136 covados de dilo me.-ula.
149 covados de baela azul.
3800 varas da brim branco.
2014 ditas de algodozinho.
37 bonets a cavanhaque.
50 bandas paro interiores.
27 bonets para msicos.
27 pares de charlateiras.
15 eonloes de la para caoudos de inferiores.
2 Espadas.
2 tahns.
2 fiadores de couro invernisado.
17 cornetas de loque.
17cordoes para as mesmas.
2 coras imperiaes para divisa.
I capa de brim para baudeira.
i dita de oleado para baudeira.
24 malas fuadas de sola.
25 chapas de lato de 14 a 16 lib-as.
As pessoas que quizerem vender taes arligos
apresentem su o propostas na sala das sessdes de
conselho, as 11 horas da manna do dia 24 do cor-
rrente.
Sala das sessoes do conselho de compras do ar-
senal de guerra, 17 de maio de 1863. O encar-
regado da escrippturacao,
Manoel Jos de Azevedo Santos.
Arrematar.
Sabbado 20 do corrente, ao meio dia, Onda a au-
diencia do Sr. Dr. juiz municipal da segunda vara
ho de ser arrematados diversos movis penhara-
dos a Fraucisco Botelhu de Andrade, por execueao
de Casco & Puntual, pelo cartorio do escrivo
Baptis a,
o resto da carga tratase com o respectivo consig-
natario : ra da Cruz n. 23 1 andar.
Rio de Janeiro.
Segae at ao fim desta semana para o indicado
porto o veleiro brigue nacional Henrique, capitao ra da mar, sendo ediBcad a moderna
Loareiro. Recebe ainda algnmas miudezas e es- '
cravos a frele ; trata-se na ra da Cruz n. 23, Io
andar, escriptorio de Antonio de Almeida Gomes.
Leilo de urna casa terrea sita ua ra
te S Digact d. 19, (reguezin dos Afo-
liados
Sexla-feira 19 de maio.
0 agente Pinto levar novamette a leilo a casa
cima rrencionada, servindo de baze o maior pre-
co obtido no leilo anterior, fas 10 horas do dia
cima dito em seu escriptorio ra da Crnz n. 38.
Grande leilo
No armazem da ra do Imperador n 47.
De mobilias de Jacaranda' completas, guarda rou-
pas, camas fraocezas de Jacaranda' e amarello,
cadeiras avulsas, cabidas, secretarias e linal-
mente lodos os trastes all existentes.
Sexla-feira 19dt crrete as 10 iVras
Chrlstlano Jos Tavares
tendo de retirar-se.para Europa fara' leilo por
intervengo do agente Cordnro Simoes, de lodos
os trastes existentes em seu armazem a ra do
Imperador n. 47, os quaes sero vendidos pelo
maior preco ao correr do martello.
Leilo de ama easa terrea da
ra Imperial n. 919.
Christiano Jos Tavares tendo de retirarse pa-
ra Europa, fara' leilo por intervenco do agente
Cordeiro Simoes, de sua casa terrea situada a ru :
; Imperial n. 272, em chaos proprios, com 2 salas,
quartos, cosinha fora, quintal murado al a bei-
sto sex-
ta-fdira 19 do crrente as 11 horas no armazem a
ra do Imperador n. 47.
Rio de Janeiro.
A barca brasileiro Jovem faUnira de primeira
tase, segu com brevidade, e teni meia carga
contratada, para o resto, trata-se coro o consigna-
tario Joo Francisco da Silva .Novaes : Travessa
da Madre de Dens a. 5.
quem
Leilo de feijo.
Martin- far leilo por conta e risco de
pertencer de cerca de 30 saceos com feijo
Sexta-feira 19 de maio
ao meio dia, na porta do armazem do Sr. Anoes
confronte a alfandega.
Para o Porto
LEILO
De 1 sitio no Gi iuia' com casa terrea de pedra
e cal, cocheira ao lado, tendo baixa para capim e
arvores fructferas e 2 casas terreas de taipa no
me-mo lugar a titira da estrada e 1 cavatio para
segu com brevidade para apelle porto abarca
portugueza Arm/nda, de 1" elasse, por ter dous
tercos do carregaraente prompto : para o rosto e
passagoiros, paro os quaes tem xcellenies comino- s"ervYco do mesmo silio.
dos, trata-se ou com o capitn Antonio Francisco Cordeiro AtodMB
rrSrofrV^^ ua 0iSa eommercial
Barros & C, largo do Jrpo sanun. rj, segnnrjo ri>1 ,,,,;TZ*,?^ m.,ii r.~- u.i5 ,* -.
andar.
Tara o ttiu tfe Jaeiro.
Pretende seguir com muila haevtdade o palba-
bote Ptedade, tem parte do sen carregamento a
bordo, para o resto que Ihe falta escravos a fe-
te para os quaes tem excedentes commodos, tra-
ta-se com os seus consignatarios Antonio Lmz de
Oliveira Azevedo & C, no seu escriptorio ra da
Cruza. 1.___________________________
COMPANHIA B1ASILEIRA
Dfi
PAQUETES.A YAPOR.;***.
de Antonio Joaquim de Mello faro' leilo dts pre
dios cima descriptos. Os pretendenles desde ja'
1 podero examina-ios e qualquer informacao o mes-,
mo agente satisfar', cojo leilo sera' effecluado a'
roa Bireita taberna n. 6
Terca-feira 23 do correne.
Loilo da taberna e dividas da
mesma a rna Direlta a. 6.
Cordeiro Simoes fara' leilo autorisado pelo ii-
! quidatario da ca>a commercial de Antonio Joa-
quini de MHI. tos gneros, armacao e ntencilios
:da tafcerna cima Bianclonada, como tambera as
rlivi4as aattvas da mtsina, na importancia de......
":i674.s"ndoem letras e contasde livro, cuja
do mesmo
Dos ponos do norte espera-; -|e examedos pretendentes.
4%Hto#$ S8Wm.^; .-- ._Xorra-fira 3 do correte.
rrante Atcoforado, o qnal depols18" ,0 borts-aondeser' etteciuauo v k.....,
da demora de costume seguir* m......... i i. .i.. i i i
para os portos do sol.
Desde j recebemse passageiros e engaja se a'
carga qae o vapor poder conduzir, a qnal dever j
ser embarcada no dia de soa chegada, encom-'
mendas e dinheiro a frete at 9 dia da sabida as
2 horas : agencia ra da Cruz n. 1, escriptorio de
Antogio Luiz de Oliveira Azevedo & C. ____
Para Lisboa
Segae para all com a possivel brevidade o lu-
gre portnguez Julia, para o que se ada cora o
maior parte da carga engajada : para o restante a
passageiros, irata-se com o consignatario T. de
- Pela thesuraria provincial se faz publico que Aqnino Fonseca, na ra do Vigario 19, primei-
a arrematarlo da obra dos reparos do empadra, ro andar ou com o capitao o sr. Francisco Anto-
ment) do lugar denominado=Areias do Giquia nio Melrelles._______
na estrada da Victoria, entre os marcos de tres a P'irn fl T5fl,hft
qualro mil bracas, foi transferida para o dia 18 do
corrente.
Secretaria da thesouraria provincial de Pernam
buco 5 de maio de 186S.O secretario,
A. F. d'Annunciacao.
a
pretende sahir cora mnita brevidade a veleira es-
cuna EUza por ter a maior parte da carga, e para
o resto que Ihes falta tratase com o consignatario
Joaquim Jos Goncalves Beltro na roa do Vigario
n. 10, primeiro andar.
LEILuES.
Arsenal de guerra.
O conselho de compras do arsenal de guerra
precisa de comprar fardamento feito, a saber : |
1,500 frdelas de brim branco, 1,300 camisas de
alAs pessoas'que quizerem contratar todo esse Leil* eiU COtttiUHaC de liVltS, pre-
fardamento ou parte delle, apresenem suas pro-j |& g papel para ijupi'essO.
postas no dia 19 do corrente mez, as 11 horas do
dia ; devendo dous dias antes receaerem no mes-
mo arsenal as respectivas medidas, as amostras
das fazendas de que o fardamento deve ser feito, e
a tabella do custo.
Nos dias 19,23 e 26 do corrente.a's 11 horas
do dia, floda a audiencia do Illm. Sr. Dr. juiz de
orphaos, vai a praca por tres annos, a razo de
8005 annuaes, o arrendamento do engenho Cons-
tantino, na freguezia de S. Lourengo da Mala.
No dia 19 do correle tem de ir praca, de
Marlins far leilo em conlinuaco por ordem
1 dos credores do Rvd. padre J). Jos Antonio dos
Santos,de sua importante livraria, dous prelos e
\ perlences e papel para mpresso ; nesta livraria,
: os pretendentes encontraro omitas obras de di-
reito, litteratura e religiosas.
iio.ii:
O leilo ter lugar na ra do Imperador n. 37,
j as 10 horas.
(jumu-faira 18 do crranle mez vai a leilo
AVISOS DIVERSOS.
LOTERA
AOS 6:000$000.
Corre depois d amanlia.
Sabbado 20 do corrente mez, se extrahi-
r pelo novo plano abaixo pHblicado a 3a
parte da 4a lotera (16a) a beneficio do
iheatro de Saata Isabel, no consistorio da
igreja de NossaSenhora do Rosario da fre-
guezia de Santo Antonio.
Os bilhetes.meiose quartos esto a ren-
da na respectiva thesouraria ruado Cres-
po n. 15.
Os premios de oVOOOJOOO al i0$000
ser5o pagos urna hora depois da extracc5o
at as 4 horas da tarde, e os outros depois
da distribuido das listas.
As" encommendas sro guardadas se-
ment at a noite da vespera da extracc5o
como de costil*.________
Aluga-se um pequeo armazem na rna da J
Paz, proprio para qualquer estabelecimento em
ponto pequeo : tratar no pateo de S. Pedro nu-
mero 4.______________________________
Manoel Gomes de Paiva, subdito portnguex,
vai Portugal.________________________
Maria Emilia Teixeira,.retira-se para a Eu
ropa.
Precisase de um meniuo portuguez para
caixeiro : a tratar na roa Direita n. 54, luja
pois da audiencia do Illm. Sr. Dr. juiz municipal. na rua das Crmei ^ ao ^rado n..... a loja de
da 1" vara civel, os movis peohorados por execu marcQeiro do uwdo ,BeBt0 l0z Alves Vianna,
gao de Jos Baptista da Fonseca Juuior contra Jos constando 0 |eno de bancos fje officio, ferramen-!
Antonio Pinto : os licuantes comparecam na sala: |a n)adejra
das audiencias no dia cima indicado ao mel dia. j '____________________________
Cousulaao de Portugal LELAO
Pelo presente sao chamados os credores do au-; De mobilias completas de mono a Luiz XV
sent subdito portuguez Antonio Jos Vieira Bra- com lampo de pedra marmore, tollels de Jacaranda
a quo tem taberna na rua da Lingoeta, para den-, oom pedra marmore, 1 grande viveiro para passa-
trodoprasode 15 das apresentarem suas contas rinhos, cama franceza, guarda vestide.quadros com
aura de serem conferidas. molduras douradas, apparelhos de porcelana paro
- Convida-se as pessoas queestiverem as con- jantare almoco, apparador, marqueaas, jarros pa-
dig5es do servico militar, a engajarem-se no corpo ra flores, eosturetra e outros muitos objectos do
de polica, e gozarem das vantagens que offerece
a lei provincial n. 611 de 2 do corrente.
Pela thesouraria provincial se faz publico,
oso domestico.
mn
as II horas na roa do Sebo primeiro
Pela thesouraria provincial se iaz poDiico, |ado egqaerlJo corn.po,^ de terro.
que a arremalacao da pintura da ponte pensil do ^m^m^m^m^m^m^m^m^m^m^m^m
Caxanga', foi transferida para o dia 24 do cor-
rente.
Secretaria da thesouraria provincial de Pernam-
buco, 12 de maio de 1865.
O secretario,
A. F. da Aunnnciacao.
sobrado do
TIIEATRO
S. ISABEL
EMPEEZ A- -0OIMBRA
OLYMPIO
de plena conilanca do Sf. Joo Antonio Gomes
Guimares, que se retira com ua familia para a
Europa, submetto a apreciaeao publica em leilo,
no dia, hora e lugar cima todos os seus exceden-
tes movis, bem eemo om escravo de 25 a 30 'an-
nos com diversas habilidades.
"ODr Carolino Francisco de Lima San-
tos, contina a residir na rua do Impera-
dor n. 17. segundo andar, onde pode ser
procurado a qualquer hora do dia e da
noite para o exeretcio de sua prosso de
medico; sendo que es chamados depois
de meio dia at 4 horas da larde deven
ser deixados por eseripto. O referido
Dr. nao abandonando nunca o esludo das
molestias Cdo interior, prosegue, com
o maior afflnco, no das mais difBceis e
delicadas opera^Ses, como sejam dos or-
gos urinarios, dos olhos, pirtos ele.
Leiao de inovus, roupa c 10 barris
eom leo de liuliaca.
HOJE
A reqnerimento de Francisco AJvfs, Monteiro Jn-
nior lestaraenteiro inventariante dos bens do fina-
do Joaquim da Silva Lopes e por despacho do,
Illm. Sr. Or. snpplente d > jora municipal, o agente
Pestaa fari leilo de diversos objectos de mobili
Sabbado 20de maio de 1866. H^-^1%t,^ .1*/ rceUmx a*ljatra. crrante na travessa da Madre de Dos n. 8 e o.j
Raprasaatr-sV-ha pela .sagunaa vez o iutae*-.UleT arraaiem da roa do, Vigario a. 3i: ao meio
sanie aapplaudido drama atn 5 aclos ^E^dia. '
O Sr. Luiz Cesar Pinto de Parias queira di-
rigir-se a rua da Madre de Dos armazeu entre a
Igreja e a botica.
Virgilio de Castro Oliveira, Joo Maria de
Albuquerque Oliveira e seus filhos, bem co-
mo Francisco Simdes da Silva e D. Uenri-
queta Simoes da Silva, esposo, sogro, ennha-
dos., pai e mi da finada 0. Leonidia Fran-
colina de Caslro Oliveira protestam seus
sincerosagradefimenlos a lodosos sonhores
que se dignaran) de acoinpan|ia-!os em sua
justa dur. eoinjjarettndo ao funeral e assis-
lin.lo a missa do stimo da pelo repouso
eterno da urna, preada to chara aos seus
coraeCes.
Ama de leite \
Quem precisar de urna ama de leite procure na
roa do Pilar n. 08.
Arlium -e em luda a. Plunuaria*.
PharmaceuUeo, rua fi,
QUUBi ja oiviovi-oaun ov
XAROPE
DE CASCAS de LARANJAS AflARGAS
de J. P LAROZE, Chimico,
(-BAkACITICO B* SCOT.A *'.- P C "i I F DI PAIJ.
Este xaro>o, regularisando as funeyocs do estomago c iniealino, de^sro*- essas
IndispOices proteifoiinos, e iai abonar as moic3as de q>io su > imUci'M .Trecarso-
rcs. HCdiCOS e docuics lem r-coniccido que restabeler.e as indigMlMi. Irzpa la
desapparecor os pesos le esionn^o, que caloia as ntvkpieeks, esp ismos, v i-.a'iibr.i>,
que sao resultado de riigestes penosas. Seu goto amdanl e a faci lad-- :*n -y\
se suporta, o tem feilo adoptar como esfeoilia mfalliVol das docncas Hitaba .
gastritis, gastralgias, clicas de rstomajo e d? etitmnkas, ptoAfetn, dores J-
eorapao, vmitos nervosos; sua sccao sobre as tiincces assiniiVadora* o lal, -ja"
mdicos mais Ilustres o tem adoptada por rescijiiinile tem dos ions |riitii:iro<
agentes thcrapcoiicos: o lodureto de Potassa e o Prolo-lodureU> de ferro, icm>i
observado que ilcbaixo de sua inil-ietioia, o primeira per-Je sua acv'o irritante, e
segundo seu cffeito adalringcnte.
XAROPE DEPURATIVO
De cascas ds laranjas amargas com Io-
duroto de potassa.
O lodureto de patasca, adibioUttadj pm
soluca oa dib&ixo da forma solida, causa ao
iloente urna (raudo reg>ugaancia, ou detorRiina
accidentes que o torci renunciar a esta
BiedicieSs efllcaz.
Unido porm ao Xarope de cascas de laran-
jas, alie nao causa nem gastralgias, nem por
turbacSo do estomago e intestinos, e graca* 4
este salvaguarda, os iralamenlos depurativos
sao continuados sem interrnpcao, as iffec-
ces (tcro/utoMi, fuoerculosat, eoncerosa
as secundarias e terciarias, mesmo reuma-
thismacs, as quaes elle o mais seguro espe-
cifico. A *tos esta definida de tal maneirs
XAROPE FERRUGINOSO
De cateas de laranjaa amargas com
proto-iodureto de farra.
A assrirlio do sal -rro ao Xarope de cas
M de laranjas lano mais racional ijaanta
que fste xarope, empregadn sj, para estimu-
lar o a^t-tite, activa a leereciu it Mece g-
strico, o |i ir fia rcfalarisa as uaccra h o-
ti;iacs, neutraliza mos effeilo itis fernt-
gisosos a dos icdurelos (peso d.' cahi>i;a, pri-
sao d> vcntre,(dores jgustriirxs) em q>iauM
que facilita ti absor. cao. Hissolvi.it> no
Xarope, elle se toma e si supporla fcilmente,
por achar-se no estado pur mais assiunUvol;
e assim pode continuar-se a cura da pallidez,
corrinieutos branco, anemia, affec^ies escr-
fulosas e rachitisao:
0 frasco: 4 fr. SO o.
qae o medico pode varial-a a sua Tontada:
O frasee: A fr. 50 c.
Os Xaropes de J.-P. LAROZE estao sonipre em frascos especiaes
(nuncaem rueias garrafas nem em frascos redondos). Expedices: em casa
J.-P. LAROZE, ru des Lions-Saint-Patsl, 2, Paria.
Rua do Imperador n. 38, botica franceza.
r
INJEGTION BROU
Appmada por xariat Academia t alta
sumxnuladcs medicas.
O que oecasiona cm p"ral as mnlestias aliaixo
designados i a esla^naco do sangue em certas
parles do eorpo, u qualproduiida pelos resfrit-
mentos e muins onlniscauzascnlio dclarfio-se
os AAeumnlismM, Oetn, I'aralysia, Fraqutt*
dos membres, Cmuttyaciet, Elcplianriatis ou
Peritas nckurUts, el Dores Nervosas.
O uso da escova ELECTEO-MACIff2-
TICA lem succi-ssu corto para a cura de todas
eslas molestias, sem recorrer se a neiiliuma outr
medicacio. EMa Ivtn urna forma mu manejavel
cprodar, Sventade dequem d'ellausa, seos mais
uteis e fclizes resultados. Seo emprego preserva
das molestias cimo. Para mais iuformajes coo-
iul-te-4e a noiicia ue accompanlia cada Escova.
DmrojiTo Ornaa
Boutcmri du Prime Eufene, 18, Pmra,
MOLESTIAS DA GARGANTA
!- i uUaiumiK. obs ta ) .
SOCIEDADE
I'niao Beuettcente Marilima.
Por ordem do Sr. presidente, eem virtude do*
arts. 27 5, e 12 sao convidados todos os se-
nhores socios a se reunirem em assembla geral
no dia 19 do correle, pelas 6 1|2 hora da tarde,
na sede de suas sessoes, rua da Craz n. 13, segun-
do andar.
Secretaria da soriedade I'niao BenefJcenle Mari-
tima lo de maio de 1865.
Andr Abreu Porto
1 secretario.
Irmaadade do Divino !: pirite
i *iat".
A mesa regedora tendo de dar execueao a 2
: parte do do art. 3i do naaso compromisso, fa-
i zendo ve.-tir a expeucas da irmandade, doze po-
' nr.-s iub assisiirao i an^n *!! -,- mwm iM^, ,;;
I tincto, a missa da festa do eu divino padreeiro,
| no dia 4 de junho prximo futuro, recebendo no
lim mais uiua esmola ; convida aquelles pie se
acharem nesias circumstaocias, (dverliudo quo
serao preferidos os que forem nossos irmSos), a
enienderem-se com o irmo thesoureiro, na rua
Nova n. 69.
Manoel Luiz da Veiga
Escnvo.
PASTILHAS
DETHAN
AO SAL DE BERTOLLET
(Clorato de Potasas)
rrescriplas pelos Medico dos hospilacs Pars, contra as Molestias da Garganta as Andi-
nas, o Crupo, as Ulceracese as lnllauniaco? du
boca. E'lnsfazem rollar a flnibilidude (la gar-
ganta, e a frescura a voz, detruein o pian hlito,
curao a irrilacao proveniente do fumo, e auniqui-
lio os afle.los tao perniciosos do mercurio.
OPIATO DE DETHAN
OfUlO AO Sil. I'E EBTI10I.I.F.T
Recommendado os pessoas cujas denles se des-
calcio e abalio, cu jas geugivas sangra e aque
faztm uso o wercurio; elle con&erv.'io a alvura
dos dentcs.
POS E ELIXIR
HEN11l-T.li.10S 10 SAL Mi UEB1UOLLET.
Seo perfume, seo sabor, agrada ve), suas finali-
dades tnicas e refrescantes torna o o seo uso
precioso para a toilette, c indispensaael para a
sauda da boca.
nr'*m Pari,ptfamTa*XI,W,FiS Denis.
OUM ET C'*, J. r DA rOHSECi,
38, rua do Imperador, nn Pernambuco.
Irmandade do D4viuo Ksplrito
hmw.
Determinando o 4 do wi. H do nosso com-
promisso, que l-idos os nossos rmfios tem por de-
ver possulr a sua cusa urna eapa da iazenda mo-
delo e cor que marca o lit. 143 do mesmo com-
promisso, com a qual assi.-liro a lodos os aetos
da irmandade. Sao convidados todos aquelles Ir-
maos qns se quizerem prover a referidas capas
para a prxima procissao, a dirjgirem-se a praca
da Independencia ns. M e 3ft.
Manoel Luiz da Veiga
_______________ Esc ri vao.____________
Ama i leiie.
Precisa-se de urna ama que tenha h im e abun-
dante leite : na rua do firespo n. 20, entrada pela
rua das Cruzes.
Ausentou-se no dia 10 do correne o escravo
Lniz, estatura baixa, levou camisa e calca branca
de algodaozinho : quem o pegar leve-o em Sanio
Amaro, em casa de seu senhor Manoel Custodio
Peixoto Soares, on na praca do Corpo Sanio, que
ser graiificado._________ __^___^____
.1. HUIER
ALFAIATE
Rua da Imperatriz n 9,
fem a honra de avisar seus fregnezes e amigos que
recebeu direclamenla um novo o bello sortimenlo
de casemira, panno, ele, opiimo uara casacas, pa-
letots, caigas, colletos, etc., ele.
Na rua do Imperador n. I i toma se urna
ama para todo o servico.
"Manoel da Stlva-Ferreira-vai a Europa, e
deiza por seus procurador os Sr*. Custodio Co-
laco Pereira Juni >r, Manoel Jos de Souza e Feli-
eio Jos Vaz de Oliveira, com os quaes se deverao-
entender as pessoas que cem o roesme ti ver nego-
cios a tratar.
Doericas do
X
PEITOg

--1S
niW

aa e>
3 caS -gtftfi.Ift^SS

2, y3
- S-s-5--0<-
9 Si-aS 2 o
5_ v Bo
^ w
la

-?J8
af:



m
y
?flfnHI-<
s aa
Sciedade i\va I'niao.
Por deliberaco tomada em sesso da
directora do 30 de abril ultimo convoco-
a todos os Srs. soeios afim de comparece-'
rem na sala desta sociedade no domingo-1
prximo futuro (21 do corrente mei) as \
10 horas da manhaa para elegerein os
membros da directora que tem do ftiae- ;
cionar no semestre de maio a dezembro
de-te anno como determina o arl. 2i dos
estatuios em vigor.
Sala das sessoes da directora da. so-
ciedade Nova nio em Pernambuco, 13
de maio de 1865.
O secretarios
Nascimenie..
Vende-se na rea do Imperador botica
franceza n. 38.
CALOS.
. chegado do Rio de Janeiro, ond se aperfei.
coou na profssiSo de calista um joen brasileiro
iw'ca a Af mna imi7npaia on- P6 acaba de estabelecer-se no botel italiano, rna
- Prec.sa-seaeuwaaraaquesau en ^ Trapic!ie H. 5 on(1e pode 5e? procurado das 7
ramar bem para asa di pouca femilia :;|,orasda manhaa as ftdaiaid. 9 vsUs at a*6
goramar
na rua das Cruzes segundo
andar I. 3>. \era c?.sa dos pacteate*-.
Fabrica nacional de tecidos de Santi^x
no Rio de Janeiro<
Para o servico interno desla fabfica se precisa
engajar servenluarios que esiejam ne6sas eendi-
55es, como familias completas, meninos de ambos
os sexos, de idade de 10 a 14 annos ; paga-se
bem, dando-se trnsfort-'s graiuiameule deofa,
para aquella provincia : aos pas, tutores, ou ad-
mimslradOKS dosmeneres se pagar mensalmpri-
te ou por quarleis melade do que ganhar cada
om des engajados : os pretendentes podem diri-
girse ao large do Corpo Santo n. 0, segundo an-
dar, on no hotel da Europa, no caes da Llngoe'.a,
tambe segundo andar.
)

MUTILADO)
ILEGVEL


U letra 18 e Mato de i *.

Alugam se doas grandes sobrados con) com-
modos para numerosa familia, novos e acolados,
com jardim, cocheira, estribara e ouira commo-
didades, na travessa de Joo Fernandes Vieira :
a tratar na ra da Senzala Nota p. 42. '
Ao Sp. da ra do Bartho-
lomeu.
GASA DA FORTOI.
Aos 6:000|000.
Bilhetes garantidos
A' RA DOGRKSPO N. 23 B CASAS DO COSTUMB.
O abaixo assignado venden aos sens muito feli-
*es biibetes garantidos da lotera que se acaben
Oabaitoassignadotendoside por diversas ve- JSl!L*J2S?iS d* IMUil d B-Vi*>
zes chamado roa do Barthoiomen, e insciente do a
A 200 E 500RS'
motivo de taes chamados, roga ao autor dos mes-
mos o ebseqnio de declarar por este jornal qnal a
razo que o induz -a fazer seoielhanles annnneios ;
na certeza de que a nao declrala, nenanma at-
tenco presura aos seos chamados.
Jos Feliciano Machado.
Obacharei Lborenco Avelino de Albu- I
querque Mello continua a ter sen escrip- fi
torio de advogado nos auditorios e tribu- j_|
^ naes desta cidade : na ra do Imperador g
S8MIIIM
Consultorio medico-eirurgico na roa larga de
Rosario n. 20.
O Dr. Joo Ferrelra da Silva rogressaodoasua
casa, contina em o ejercicio de sua proflsso nao
s na parte medica como tambem na cirnrgica.
*
AntToToquim de Mello, antigo ad-
vogado nesta cidade, e procurador fiscal
aposentado da thesouraria de azenda,
emprego que servio por mais de 22 an-
uos, continua a advogar em todos os ra-
mos do civel e crime, com proviso do
Exm. conselheiro presidente da relajo.
Ra do Imperador n. 14.
Na fabrica de calcados da ribeira de S. Jos
n. 23, precisa-se de artistas de sapatana.
Feitor.
Precisa-se de um para um sitio pequeo perto
da cidade, sendo pessoa capaz e dando boas infor
mac5es, d-se casa propria : a quem convler diri-
ja seaniaNova^lO^prirn^rojp^ar________
A luyase
um sitio na campia da Casa Forte, com duas ca-
sas, urna a em que morou o fallecido Thomaz de
Aquioo Fonseca Jnior, feita a moderna, e conten-
do todas as accommodacoes precifas, e outra com
bois commodidades para qualquer familia : na
ra do Vigario n. 19, primeiro andar.__________
auto Antonio.
Estando prximo o festejo do glorioso Santo An-
tonio previne-se ao respeitavel publico que est a
venda a trezena do raesmo glorioso santo, muito
bera confeccionado, impresso nitida e brozada :
na ra do Imperador n. 15 defronte do convento
de S. Francisco._______________^^_
os seguintes premios .
Um meio n. 3131 com a sorte da 6:000*000.
Um meio n. 501 com a sorte de 1:41)01000.
Doas quartos n. 715 com a sorte de 500*000.
E outras rauitas sones de 100*. 40*. 20* e
10*000.
Ospossnidores podem vir receber seus respec-
tivospremiossem os descontos das leis na Casa
da Fortuna ra de Crespo n. 23.
Acbam-se a venda os da 3* parl da 4* lotera
(lo*) beneficio do ineatro de Santa Isabel, que
se extrahir a 20 do crreme.
PRECO.
Bilhetes.....7*000
Meios......3*500
Quartos.....1*900
Para as pessoas que compraren! de 1000000
para cia.
Bilhetes.....6*500
Meios......3*250
Quartos.....1*700
Manoel Mabtins Fiuza.
Pedido.
Os curadores fiscaes e depssitarios da
massa fallida de Jo5o Baptista Gonfalves
Bastos, pedera as pessoas a quem o fallido
confiou obras para fazer de seu estabeleci-
mento de fazendas e roupas feitas a ra No-
va desta cidade, hajam de entr.'gar as mes-
mas obras a ra da Imperatriz 40,
Precisase de urna ama que saiba cozinhar e
lambem para comprar : na ra do Pires n. 24.
Para urna casaestran-
geira
Precisa-se alogar urna perfeita engommadeira,
dndose a preferencia a escrava : quem liver ou
quizer alugar, dirija-se a ra do Trapiche n. 14,
primeiro andar.
A 500 rs. a cuia de feijao mulatinbo.
A 500 rs. a cuia de feijSo mulatinbo.
A 200 rs. a cuia do bom milho.
A vs' a cuia de bom milD0-
Cheguem depressa a esta pecbincha at que se acaba o qual se uende por este pre-
co pela prohibido que ha as ribeiras. v
A PRNDENTE.
Sociedade de seguros mu-
tuos sobre a vida.
Fundada e administrada pela banco
Allianc* do Porta.
Saceos grandes de milho novo a 44.
Dito dito de feijo mulatinho a 90.
Ra dos Quarteis n. 22 junto a loja de funileiro.
Quem precisar de urna ama para tratar de
meninos e fazer mais algum servicode urna casa :
dirija-se a ra do Brum n. 8i. _
H*tirit Irmaos, ao retirarse desta provincia
para a do Maranho, faz publico a todos os seus
devedores em geral que tem encarregado nesta
provincia ao Sr. Ivo Martins de Almeida na quali-
dade de seu procurador, a tratar de todos os seus
negocios, assim como para receber de todos os sens
devedores, toda e qualquer quantia Ihes estejam
dovendo e sendo o dito senhor o nico auterisado
por nos a dar quitaco dos seus dbitos, assim
como tambem que dea de nenhum effeito a proen
raco que existe em poder do seu ex-procurador
o Sr. Joo Firmino Correa de Araujo, visto ja nao
ser procurador dosmesmos, tambein autorisamos
ao nosso procurador a receber da mo do ex-pro-
carador as letras e documentos que tem em seu
poder e que ainda nao nos fez entrega.
Recife, li de maio de 1865.
Norat Irmo.
Precisa-se de urna ama que coziohe, engom-
me e compre, para casa de pouca familia : na ra
do Queimado n. 22, loja. ____________
Ama
Precisa-se para comprar e cozinhar em urna ca-
sa de pouca familia : a tratar na ra da Cadeia do
Recife n. 47, loja do Balo. ___________
Sortis~do S. JcJo
Vendem se lindos papis com estalo para as
cortes d *-Jaiq_: m rm movm a. & ", T
rima, cmara municipal.
Sociedade Nova Unio
Fizemos publicar a semana passada urna chapa
da direccao respectiva que por mal informados
repetimo la hoje, visto que em lugar de serem seis
directores sao doze, e propomos os socios se
guintes :
Presidente.
O Illra. Sr. ATonso de Siqueira Menezes.
Vicepresidente.
O Illm.Sr. Antonio Joaquim Leite Bastos.
Io secretario.
O Illm. Sr. Manoel Albino de Araorim.
2o secretario.
O Illm. Sr. Joo Flix de Mello.
Thesoureiro.
O Illra. Sr. Antonio Mara Fernandes da Silva.
Directores.
Os Illms. senhores:
Antonio Sampaio do Nascimento.
Jos Pereira Bastos.
Marianno Pereira Cabral.
Joaquim Moreirada Silva.
Eliodoro Candido Ferreira Rabello.
Henriqne Leite Pereira Jardim.
Joo Cnstodio Martins Leite.
Joaqnim da Silva Boa-vista.
Antonio Joaquim Leite Bastos.
AfTonso de Siqueira Menezes.
Joo Flix de Mello.
Antonio de Ollveira Costa Maia.
Algnns socios.
O seguro mntuo sobre a vida ama das mais
econmicas e moralisadoras instituiedes at hoje
conhecidas, e aquellas pessoas que a estndarem
cuidadosamente, com facilidade comprehendero
que com um pequeo desembolso cada anno adqni-
nrao em pooco lempo urna fortuna, que as poro
ao abrigo da miseria, se por desventara sua esta
Ihe for bater porta.
Nenhuma das companhias existentes pode offe
recer aos seus associados garantas como as que
PSL2H22 a Prndente, que sao o capital de
4,000:000*000 do banco Allianca, que, na confor-
raidade do artigo 61 dos estatutos desta sociedade,
responde aos seus socios pelos actos e boa admi
nistraco da sua gerencia, bem como pelas dos
seus empregados e mais representantes.
Eia, pois, pas de familia, correi a inscrever vos-
so nome na Providente, por vos ou por vossos filhos,
e veris assim, em pouco lempo, um futuro cheio
de ventura e proflenidade, que por outra maceira
se nao conseguira e cora to pequeo dispendio e
sacrificio.
Subscriptores al 20 de abril prximo passado.
Subscriptores. Quantias subscriptas
. t Moeda forte
Jos da Tnndade Almeida.......... 5005000
Manoel Muniz Tavares Cordeiro.... 1:2505000
TndncAe .niooc.k.-. Antonio Joaquim de Vasconcelos... 2:000*000
ixo mencionados, foram comprados recentemenle pelo dono do estabele- Antonio Jos Silva do Brasil........
GRANDE ARMAZEM DA EXPOSIQAO DE LONDRES
DE
THOMAZ TEIXEIRA BASTOS
N. 60-Bua da Cadeia do Eecie-N. 60
O mAiMA n .---------.------I--- IV! Bill LWIII MdUl'3 I C t CII l CII i C11 11
Sa Anl,nh?r'D?,pa.es **"ricas de Pars, Londres, Birmingham, Manchester,
AMA
Xa ra da Cadeia do Recife precisa-se de urna
ama para casa de pouca familia.
Aluga-se
casa de familia
n. 26, loja.
urna prea para ama de leite para
: a tratar na ra larga do Rosario
Ama
Na ra da Cadeia n. 50, precisase de urna ama
para cozinhar.
naosc
O Dr. Francisco Pires Ha-
chado Portella
Medico perador
} PELA
\ FACULDADE DE PARS,
| regres*ando a esta provincia acha-se
promplo para o ejercicio de sua profis-
l sao, quer nesta cidade, quer fora de lia,
| especialmente em molestias de olhos (ca-
taradas etc.) das vas urinarias (eslreita-
! ment de urethra ele ) e de pelle, para
cujo curativo se julga habilitado, atienta
i a pratlca que teve nos hospilaes de Pa-
ris, e os modernos instrumentos qne pos-
: sue.
Pode ser procurado a quarquer hora
na casa de sua residencia no patee do
Carmo n. 2, esquina da roa de Hortas.
Precisa-se de urna ama que cosinhe e en-
gemme para casa de pouca familia, prefere-se es-
crava : na praca da Independencia n. o.
CLUB PERNA.MBUCANO.
A partida do mez de maio ter lugar na
noitedo dia 24.
Na ausencia do Dr. Caetano Xavier Per. ira
de Brito, que foi tomar assento na assembla ge
ral e a pedido do mesmo o Dr. Cosme de S Pe-
reira, far suas vezes na qualidade de medico,
seus doentes podem dirigir seus convites, na rna
da Cruz n. 33, em o primeiro e segundo andar,
doanii
es, Birmi im, Ma er, e em diversas cidades Joo Jos Rodrigues"Mendesi!'.'.'.'.'.'. o!o005000
niflnr, f coa,Prado ludo as melbores condiefies por ser a dinheiro, por isso vende todo Jbao do Couto Alves da Silva....... 12504000
da>rinTiS' ^r menos d0 ??a V3lor' e mDi Principalmente por querer Inteiramente liqui- Lulz de Moraes Gomes Ferreira..... 3:'750*000
dar e ter de P^'to breve para a Europa. Domingos Jos da Costa Amorim.... 3:7;o|oOO
bemassim riivArca?hr![m Osobjecloconi brilhales. como botSes, anneis, rosetas etc., e Domingos Jos do Amorim......... 3:750*000
niitrnt artiin. i / r0' ,corao traDcelins, correntdes, ocnlos, face-mains, anneis, e muitos t Manoel Fernandes da Costa......... 4000*000
St 1SS2S 0uroiinK'ezes, do afamado fabricanteBennetle; completosortimento de fa- Joo Carlos Coelho da Silva......... 2:O0M000
france?ef r.nmnir? %m "??' Pefumes. perfumarlas finas dos principaes fabricantes inglezes e Manoel Ramos de Oliveira......... I:WO#000
nMed^^lrvfc2'5S2lB' L egrand, Ed. Plnaud & Meyer, Delettrez (Parfumerie du Manoel Jos Pereira Marinho....... 1:250*000
ffilla!S&13%,^Wmm' MonPelas.Mai"y egnier, P. Gaeland, e inglezas de Eug. Manoel Ferreira Bartholo.......... 1 ^0*000
rica i ni Rri.iJf fJlalanla"?s em parfim, mar de perola, ele, fabricadas na China e no Japo; Manoel Francisco Marques......... 2:500*000
nara vbI JS crislal nD0 como ainsim modernos lustres Gregorio Paes do Amaral.. 3 750*000
soin* nap' or0,nrfir,a?z..e para Petroleo serpentinas, casticaes, enfeites e adornos para cima de con- Joaquim Jos Goncalves Beltro..'.!! 4:000*060
S* mKf toilette o qne se tem feitg de mais elegante em Paris, em Londres, Birmingham Joo da Silva Ferreira........ 2-5004000
ritSf aPParelhos de metal fino inglez para cb e caf, os quaes nada tem de inferior prata, Jos Joaquim da Silva............. 2:5O0400
tSSSrJSSiSfL!. mesmo,.mela|. rjcs Pentes de Urtaruga da uliima moda para trancas de se- Antonio Jos Coimbra Guimares... 2:'000*000
ditos l'ar,M.niar 1 raL e pe".'ca 0, afaroado JonvD' aPParelhos de porcelana fina para ca e caf, Antonio Joaquim Fernandeslda Silva 1:2504000
fi oSJ a a' imme.nsos art'gosde porcelana fina dourada, como ricos vasos para Aeres, guras, Custodio J. Goncalves Guimares 1-2504000
Mjihr rffi P"nc'Paes fabricantes de Paris e ditos de panno cera sola de borracha, pianos dos Jos Goncalves Villaverde...... ';' '5004000
Sr.lbriCant0S.Jfleyel' Wolff & C-' realeJs modernos de Gavioli & C, para se tocar a roa, ditos Alfredo Jos Antunes........... oOoloOO
paTmaViraiPara ,Ses e dl,os com figuras emmovlmento ; modernos e bonitos instrumentos de physi- Manoel da Cunha Guimires...'.'."' 1 2504000
vi-tas nnvas irra '. lros ou sal5es dUos de phantasmagoria ; lanternas mgicas, cosmoramas com Joaquim Cabral de Mello.... ......2505000
rM*m rt\m,A2 e n0lle s'ereoci|P|OS de nova invenco e cora bello sortimenlo de vistas das principaes Jos de Azevedo Maia e Silva...... 1 -5004000
mamai ar**P V8rande,s<>r,"nento de brinquedos finos para enancas, e nonecas fallando papal, Bernardo Pereira do Valle Porlo... I:004000
pan inri ; i s0-rl"nen,t0 de candieiros a gaz, os que se tem feto de mais elegante e que tem mere- Ignacio Pereira do Valle...... i :0004000
tprias i h Cao na L.uroPa> 8raide e magnifico sortimento de caixinhas, cestinhas e outras galn- Felisberto Ferreira de Oliveira. '. i :2504000
com o rundo nra^ lS.d,aroPcr0HPri,0^pa,"a VTeseDie?. I 6rande ortijnento de esUmpas finas coloridas Domingos Jos Ferreira Guimares'.. 60004000
rnsmnramoc Pn k ou,ras de ,odos s santos, diUs com figuras e dilas com novas paysagens para Manoel de Mattos Machado........ i -5004000
na mfm a /. 6raduados vidros para cosmoramas, um bello chafariz de chrlstal, proprio Manoel Joaquim da Rocha......... 1:0004000
ihra ik c a ***'?' ou pin Jardim cutelarla fiua, come lalheres com cabo de metal fino, co- Seraphim de Senna Jorge....... '5004000
-nt ari'i^n! f0",rasnas* as mode,rnas Para %Kaiates, navalhas finas, caivetes e outros artigos, diver- Manoel Joaquim Fernandes......... i-2504000
ma Z! r arame' ,comP|el0 sortimento de mascaras de velludo, setim, cera, papelo e ara- Manoel Goncalves Ferreira......... 1:0004000
tnri'n lir.' C0D,ei,0S e chocolite em caixinhas e em vidros; camas de ferro de|todos os tamanhos, lava- Luiz Pereira Lima. ^.............. 'oOoloOO
*.ni he'l, r\iCS hUa S jara cart5es de vislUls e d"os grandes e pequeos para retratos; chapeos Antonio Henrique Rodrigues........ 7-5004000
njrjnn.mf. '- i00!!8 u .-^ vw* ciTTOS' roachinas para fazer caf, ditas para bater ovos, proprias Manoel Francisco dos Santos Maia... 1 -2504000
nanns nTra h3- J11 s'e,c"' bellos cor,lnadosarrendados, verdes,encarnados e brancos; Manoel Joaquim Ribeiro............ 1:2504000
mi, J, C0D,rir raesas. boleas grandes e pequeas para viagens, e ontros artigos, como cobertores, Joo Licio Marques............... 62704000
da char- \Si?. v,ol5es flnos Igoras finas e jarros de alabastro ; galantarias e outras pecas Francisoo Joo deJBarros........... 100004000
tirar ra .para toll'e,te > machinas para varrer o chao, excellentes machinas para photographia para Joaquim Rodrigues Tavares de Mello 10 0004000
inm- V. -'5' 8randes e pequeas j lindos baloes de papel fino transparente e lanternas coloridas para Jos da Silva Loyo................. 8-7504000
"_ra,?*f^s a m.oda de Paris> salva-vida de borracha, para homens e senboras, proprios para quem' Francisco Jos Alves Guimares..... 1 0004000
undos : ameixas novas em caixinhas, blscoitos inglezes em latas, graixa in- Caetano Cyriaco da Costa Moreira... 2 0004000
Jos de Melle Costa Oliveira........ 1:2505000
David Ferreira Baltar............. 2:0004000
Antonio Jos dos Reis............. 5:0004000
Joao Ribeiro Lopes............... 1:0004000
Joaquim Claudio de Oliveira....... 2:500*000
Jos Gomes de Freitas............. 1-250*000
Bemardino Gomes de Camino...... 1.0005000
Antonio Baptista Nogneira......... 500*000
Joao Francisco dos Santos Jnior.... 1:2504(HM)
Francisco Ribeiro P. Guimares.... 1:0004000
Alfredo Prisco Barbosa............ 7505000
Manoel Soares Ribeiro............. 1004000
Luiz Antonio de Siqueira........... 1:250*000
Manoel da Silva Nogneira. -........ 2:5005000
Fnglo.
No dia 13 do correte fugio de casa de Antonio
de Almeida Gomes o negro creoulo Braulio qu
reprsenla ter 28 a 30 annos de idade, altura re-
gular, ebeio do' corpo, cabello carapinbado, barba
pouca ; levou calca e camisa de riscado, e tem sido
visto em Santo Amaro no bairro da Boa Visto.
Quem oapprebender qneira leva-lo a casa do a-
naociante, roa da Cruz n. 23, que ser gratificado.
lmandadr do Divino Espirito
SanlO.
De ordem da mesa regedora convido a todos os
nossos irmos a comparecerem em nosso consisio-
no domingo 21 do correle, as 9 horas da ma-
nhaa, aflm de assiiUrem a mlku do nosso divino
padroeiro, e linda ett, reunirem-se em mesa ge-
ral, e proceder-se a eleici* da nova mesa que tem
de reger a irmandade no futuro anno de 1865 a
1866. A c msulia a qae precedeu o confelho fis-
cal, acha-se afiliada M porto da sachrlslia, como
determina o art. 101 do compromisso.
Consistorio da i ruindad* 17 de maio de i8#5v
Manoel Luiz da Veiga
_____________________Escrlvao.
Oflereco-se um menino portuguez de 13 an-
uos de idade para caixeire de loja de fazendas ou
miudezas: quem precisar annuncie, ou dirija se a
ra da Senzaia Nova n. 26.
Precisa-se do um menino portuguez de 12 a
16 annos, qne saiba ler e escrever, que par*
urna cocheira fora da cidade : a tratar no ateo
do Carmo n. 13_______
Semana (Ilustrada
Assignase na ra do Crespo n. 4 ; tres mezes
6*, seis mezes 114, um anno 18*; ha nmeros do
Io ae abril em diante.
>
STEHEOSCOPOS
com 12 vistas a 3* cada um, e na grande sorti-
mento de albuas e livros de missa : na roa do
Lrespo n. 4.
- O juiz da irmandade do SS. Sacramento da
freguezia de S. Jos do Recife convida a lodos os
seus charos irmaos para reunio de mesa geral do-
mingo 21 do crreme, as 10 horas da manhaa,
afim de proceder-se a eleico dos membros da
mesa regedora que tem de funecionar no anno
crreme de 1865 a 1866.
Precisa-se alugar urna escrava para o servico
interno e externo de urna casa : na ra da Cadeia
do Recife, loja da primavera n. 21.
Aluga-se um segundo andar e um quartcTda
casa da ra do Trapiche Novo n. 22, com muitos
comraodos e por preco razoavel: traiar na raes-
ma casa.
Quem liver um prelopara alugar, hypothe-
car ou vender, e urna preta de meia idade, procu-
re na ra do Kngel n. 7, segundo andar.
. Ta P/^'sa-se de um caixeiro de 14 a 16 annos
de idade, que saiba ler e escrever, tendo pratica
no pateo do Paraizon.20.
de taberna :
C0MP1AS.
lugares fundos
gleza 97 ; cerveja era barricas das principaes marcas de Londres, qeijos etc.", e muitos outros artigos
l,,?irajenpmera"-os !erla nm nunca acat,ar. e. todos se vendem barato e muito barato no grande ar-
mazem da Exposigao de Londres, na ra da Cadeia do Recife n. 60.
. DINHEIRO FRANCEZ.
venaem-se moedas de onro e notas do Banco, e bem assim nma colleccao desde um centesimo
ate mu francos: vende-se barato no Recife ra da Cadeia n. 60, nearmazem da Exposico de Londres.
es
<
o
Precisa-se alugar urna ?ma captiva ou forra que
saiba bem cozinhar e coaprar : na rna de S.
Francisco, ou Mundo Novo n. 54.
Aluga-se um prtlopara casa de
lia para o servico interno e externo :
imperador n. 18.
pouca lami-
na ra do
Aluga-se urna mulata de meia idade para o
servico interno de casa de pequea famiiia : a
tar na rna larga do Rosarlo n. 26, loja.
**** **
r|| Joaquim da Silva Reg faz publi- MI
Hg co que tendo sua roulber D. Fran- m
* cisca Senherinha da Silva Reg l
! abandonado a sua companbia, e le-
l vando comsigo todos os escravos
JR do casal, estando de posse de to-
mt dos o outros bens, ninguem com
S ella fa?a negocio algjm ace ca dos
? mesmos bens, por ser o annun-
m ciante o legitimo administrador de
Si seu casal.
****** *****fr
O abaixo assignado tendo obtido do muito
digno emprezario do theatro de Santa Isabel urna
recita em favor das alfaia?, que pretende haer pa-
ra a capella da Senhora da Conceico da Eeeada,
prova de religlosidade que serapre mostrou ter,
pelo presente pede e em nome da mesma Senhora,
aos devotos della que se dignem ampara lo em te
grande empreza, pois quo se acha encarregado.de
passar os bilhetes, por tanto espera qae pelo amor
a mesma, nao deixara' de ser attendido nesta em-
preza que tende a dar urna prova do respeile
Grande armazeni de tintas.
RA DO IMPERADOR N. 22.
O armazem de tintas um grande deposito de
productos chimicos utensis e os mais empregados
e asados na pharraacia, pintura, photographia. tin-
turara, pyrotechinia(fogos de artificio) e era outras
industrias.
Montado em grande escala, e supprindo-se di-
rectamente as princIpaesdroganasdeParis, Lon-
dres, Hamburgo, Anvers e Lisboa, pode offereceer
productos de plena confianca e salisfazer qualquer
encommenda a grosso trato e a retalho, por precos
razoaveis.
Prvidos de machinas appropriadas satisfar
com promplldo qualquer pedido de tintas moidas
a oleo,cuja quaiidadee pureza de seus ingredien-
tes poder ser examinada pelo consumidor, o que
nao fcil fazer com aquellas que sao Importadas,
e que se enconlram no mercado em latas fechadas.
Tem grande colleccao de vidros de dlfferentes
formatos, desde urna oitava at dezeseis oncas de
capacidade; de vidros para vidracas e diamantes
para corta-Ios; depinceispara fingir roadeira com
propriedade e outros; de papis dourados e pra-
teados e folhas de gelatina para ornamento; de
papel grande e pequeo formato de vanas cores
para embrulho, para forro de casa, para desenbo
com fundo j feito; de papel albuminado e Bristol,
verdadeiro saxe para photographia e para filtrar,
e outros ; vernizes de essencia para quadros, de
espirito para madeira, copal para o interior e ex-
tenor ; oleo graxo, oleo seccalivo, oleo de linhaca
clarificado, oleo de toiele, secativo de Harlim, ouro
verdadeiro em p ; prata, euro, e estanho em fo-
lhas de varias cores ; tintas vegelaes, inoffensi-
vas proprias para confeitarias; la de cores, e
olios de vidros para imagens; tintas em tubos e
telas para retratos ; tintas em pastis e em p pa-
ra aquarella ; essencia de rosa superfina, de ne-
roly, jasmim, bergamota, aspice, patchouly, mbar,
bouquet, limo, alcaraiva, mellssa, ortela pimenta,
louro, cereja, alfazema, juinpero, Portugal, lima
ans da Russia, canella, cravo e muitos outros ob-
jectos que s com a vista poderoser mostrados.
Joo Pedro das Neves,
_________________________Gerente.______
CRIADO ~
Precisa-se de um criado no sobrado da roa do
Queimado n. 29.
Par.a.^HT'olAi..'ijdacan vpndP.e^_s_Mito,.'Siuj Vju raiui, pe i
. ov-cuifiiiente de Paris e*de Londres dos mais afamados fabricantes
o
n
m
t
Compram-se libras sterlinas: no ar-
mazem de Ferrvira & Matheus, na ra da
Cadeia do Recife n. 66.
kIT GomPra-se elTectivamente ouro e prata em
obras velhas, pagando-se bem : na ra larca do
Rosario n. 2i, loja de ourives. g
m^. GomPra-:e ura escravo cozinheiro que seja
rf^2'dabn,l^eemv,C0S:a ,raiar "o sobrado
n. jz da ma da Aurora.
Compram-se libras sterlinas
Crespo n. 16, primeiro andar.
na ra do
.___________________________141:6005000
,,^m rcsPs'a a declaraco do Sr. Joo Antonio
d Oliveira, inserta no Diario de hontem, cumpre
rae dizer, que nao contesto, que o Sr. Joo An
ij r.ud um sino-mrxairpo Grande ; mas nao
seguintes : Eug.lPOsso deixar de contestar, que Ihe pertenca o ter-
m- r?; r u8- Sfiffc Sociedade Hygienica, Piver, Violet, L. Legrand, Deletrez, Pinaud &! reno que fez annexar a esse sitio em virtude de
rt^' i^TT?' "'}* i1* *** T*tvue* ** "^ twflinienlo VUa* de colonia em!u_DademarcaQao nulla, acerca da qual nao foram
vidros e garrafas, agua de lavando, agua para limpar dentes, oleo babosa, extractos em garraflnhas e
vidros de dinereotes modelos, pos para limpar dentes, banha em potes e em vidro?, pomadas, ricas
caixinhas e balainhos com perfumarlas para fazer presentes, e ramios outros artigos que se vende por
menos de seu valor, bem como todos os artigos em geral existentes no grande armazem da Exposico
de Londres, na ra da Cadeia do Recife n. 60.
Para senhoras.
Ricos e modernos pentes de tartaruga para tranca de senhora, o que se tem feito de mais ele-
gante ateo presente: vende-se por menos de seu valor para se liquidar, no grande armazem da Ex-
posico de Londres, na ra da Cadeia do Recife n. "
60
Divas novas de Jouvin.
Vendem-se excellentes luvas de pellica recentemente chegadas de Paris, tanto para homem co-
mo para senhora por menos de seu valor, para se liquidar: no grande armazem da Exposico de Lon-
dres, na ra da Cadeia do Recife n. 60.
AMA
Na ra da Cadeia do Recife
de urna para cosinhar.
n. 50, precisa-se
Precisa-se de urna aroa para casa de duas
pessoas, que saiba bem engommar e cozer : a tra-
tar na ra da Imperatriz n. 34, primeiro andar.
*__
Precisa-se de orna ama iivre ou captiva
~* para todo servico de urna casa de peque-
familia, menos o servico de cosinha : na
ra do Rangel n. 25, segundo andar.
M. D. Faulk, acha-se prompto para concer-
tar machinas americanas de descarocar algodo,
tendo as pecas avulsas pertencentes as mesmas,
assim como para qualquer servico tendente a mar-
cineiro, pode ser procurado no armazem de fari-
nha dos Srs. Henry Forster & C.
__"__:__
seguros $
AVISO.
Companbia fidelidde de
martimos e terrestres
estabelecida no Rio de Jaueiro.
AGENTES EM PEHNAHBUCO
Antonio Lniz de Oliveira Azevedo & C,
competentemente autorisados pela direc-
tora da companhia de seguros Fidelid-
de, tomara seguros de navios, mercado-
rias e predios no seu escriptorio ra da
Cruz n. 1.
a
O London & Brazillan Bank, saca
os paquetes,sobre
Lisboa.
Porto.
Braga.
Vianna.
Guimares.
Villa Real.
Coimbra.
Amarante.
por doos
Rosa Maria da Costa Carvalho, viuva de Jos
Manoel de Carvalho, moradora nestajeidade, faz
sciente que tem pago lodas as dividas constante do
inventario que se procedeu do seu finado marido;
ficando ella senhora e possuidora de lodos os bens,
que o mesmo seu maride deixou ; e para constar,
faz o presente annunclo para mostrar qne se acha
llvre e desembaracada de todo e qualquer debito
tendente as dividas que constam no mesmo inven-
tario.
Tinturara
Na ra Direitan. 116 eontiaua-se a tlngirpara
qnalqnercor, e o mais barato possivel.
Aluga-se o sobrado sito na ra da Trempe n
7 : quem o pretender dirija-se a rna do Mondeeo
sitio n. 38.________________________
Anemia, chlorose, obstrneco
da? vlcerasabdominaes, quer consecutiva a' in-
flammagoes agudas, quer resultante das febres in-
termitentesDyspepesia, emfim em ledos os case*
era que reclamar nma medicacao tnica, ou reme-
dio a algnm vicio de hematose
Pilulas e emplasto de jurubeba cura em 15
dias.
Preparados per J. F. Uvtiere
______ Villa do Bonito.___________
0 Sr. Jos Soares Pinto Correa, tem
urna carta na praca da Independencia livra-
ria n. 6 e 8.
Os abaixo assignados, moradores na ra da Ca-
deia do Recife n. 3, fazem sciente aos devedores
da massa fallida de Joaquim Vieira Coelho & C,
que tendo arrematado as dividas pertencentes a
mesma massa, sao elles os nnicos autorisados a
receber taes dividas, portanto tem marcado o pra-
so de 30 dias para os senhores devedores virem ou
mandarem pagar seus dbitos, (indo o qual se pro-
mover a cobranca judicial.
Jos Joaquim de Castro Moura.
_ Joaquim Baptista de Araujo.______
Arrenda-se o engenho Frescondim, sito na
freguezia de Agua Preta, com moenda horisontal
de ferro, 4 taixas, casa de vjvenda, de purgar, es-
tufa, e urna porco de formas.
Samuel Power Johnstun & Companua
Ra da SenzalaNova n. 4.
AGENCIA DA
Fundido deLow Hoor.
Machinas a vapor de 4 e 6 cavalios.
Moendas e meias moendas para engenho.
Taixas de ferro coado e batido para enge-
nho,
Arreios d carro para um'e dous cavalios.
Relogios de ouro patente inglez.
Arados americanos.
Machinas para descarofar algodo.
Motores para ditos.
Machinas de costura.
ouvidos os recolhimentos, dos quaes sou procura-
dor relativamente aos terrenos, que no Campo
Grande Ihes pertencem.
Os tribunaes ainda nao decidirn), que os reeo-
Itiimenlos nao tenham dominio sobre o lerreno,
que reclaman); apenas julgaram improcedente a
accao de nunciaco de obra nova, deixando aos
recolhimentos salvo o direito de pedirem a nullida-
de de semelhante deraarcaco e a reivradicaco do
terreno, que Ihes pertence, segundo se prevou evi-
dentemente dos autos.
Em eonsequencia disso foi chamado a juizo con-
ciliatorio o Sr. Joo Antonio; e aguarda-se a ex-
traeco de documentos, j requeridos, afim de se
Ihe propr a compleme aeco ordinaria.
Portanlo nao pode com direito o Sr. Joo Anto-
nio vender o referido sitio pelos limites, que Ine
fez dar, despreando o aceiro de cajueiro3, que
o limite natural, verdadeiro. e assignado pela ves-
toria procedida na conformidade de documentos e
djpoimentos de testemnnhas antigs do lugar, co-
mo bera sabe o Sr. Joo Antonio; e assim devendo
defender os legtimos Interesses dos recolhimentos,
em nome destes ratifico o protesto exarado nos
Danos de 9, 10 e 11 do mez corrente.
Recife, 12 de maio de 1865.
_______ Bernardino Jos Monteiro.
Cobre, lalo efehumbo.
Conipra.se cobre, lalo e clinmbo : no armazem
da bola amanlla no oito da secretoria (de polica.
Silyino Guilherme de Barros compra e ven-
de eirectivamente escraves de ambos es sexos
rna^m2mdon.29_Jerceiro andar.
Compram-se dous lencos de labyrintho, sendo
de cambra de linho : quem os quizer vender,
mande ou leve a ra da Imperatriz n. 49.
Compra-se sete palmos de eordo de ouro de
ei e que seja grosso : quem tiver annuncie.
Onro e prata
em obras velhas : compra-se na praca da Inde-
'"''"" a. M .ie uimeies.
____(?_fr_-M a.1*, mulatinha de idade de 6 a 8
Comprar iUaD're,Un- Si se d'ra fluem quer
VENDAS.
Na praca da Independencia a. 33, precisa-se
de urna ama para compra, cosinhar e fazer todo
amor que devemos tributar a" quem "no^hade \t mais servico de casa de pouca familia._______
vrar dos barbaros e deshumanos, que se achara _- <* conselheiro Jos Reato da Cwiha Figoei-1 Na roa
perturbando a tranquillidade do imperio a' que redo e.o bacharel Jos liento da Cunha figueiredo rea n. SS, etiste nina mulher que se prepoe a ser
pertencemos. Jnior mudaram o &a escriplorio do -dvocacia ama para todo o servicode casa de homem edtei-
A recito e o drama sero annunciados pelo digno para -sohrado da ra do Crespo n. I, esnaina do------J--------
emprezario. P-asselo.
Recife, 17 de raaio de 1865. -- f reetsa-se de urna ama pora todo -o are
i.. p- -. j nt- n iw.j.-m uC una aui* iwra iuul
Jee Fumino de Olwtira Rtgis. oa ira.ve*sa das Desconlam-se notas do banco do Brasil e das
ca xas filiaes : na praca da Independencia n. 22.
da Conceico da Boa-vista, casa ter-
e nma n
. o servlc
ro ou de posea familia; quem se quizer servir de
seo presumo pode ahi procura-la.
Na ra do Barthoiomen n. 45 precisa-se fal-
lar com os Srs. Joo Antonio e Joo Manoel Jnior,
arabos filhos da ilha de S. Miguel dos Accores, sen-
do o 1 do lugar do Pico da Pedra, o 2- ignorase
de que freguezia filho, a negoeio de muita im-
portancia, e soraente de particular intresse destes
senhores, ou seus herdeiros ; o Sr. Joo Mauoel
Jnior ainda ha poneos das antes exista nesta
provincia : sendo, pois, que algnm destes senhores
ou herdeiros seus queira saber quem os procura,
e qual a qualidade dos negocios de seas Interes-
ses, podem dirigir-se casa cima das 3 horas da
tarde em diante.
O Sr. Carlos Augusto Montenegro deixoa de
ser caixeiro da casa commercial de Euzebio Ra-
phael Rabello.
O abaixo assignado como procurador de Vic-
torino Jos Correa de S, residente em Lisboa, pre-
vine que pessoa alguma laca negocie de qualquer
nalureza com o Sr. Thomaz Antonio de Paula Buar-
que relativamente aos escravos Rita de Santo Ama-
rs, Rita dos Gatos, Joanna, Severina, Luza, Jose-
pha, Lulza e Simio, visto que nao se flzeram an-
da as parttlhas pelo falleciraento de seu sogro
Francisco de Paula Buarque e por isso ser nulla
qnalquer venda ou hypolheca nos mesmos es-
cravos.
Recife, 15 de maio de 1865.
___________Francisco Jos Leite.
Precisa-se de urna aun escrava ou livre que
saiba engommar, cozinhar e comprar, para casa
de urna pessoa s : na roa eslreita do Rosario n.
11, segundo andar.
Precisase de urna ama que saiba cozinhar
para casa de rapaz solleiro, dando-se preferencia a
escrava : na ra do Queimado n SO*
. Pede-seao Sr. Jos Siares Pinto trrela Ju-
nior de apparecer na ra da Cruz do Recite n.
46, primeiro andar, para tratar do negocio relati-
vo ao seu trabalio.
Quem annunciou por e a Juros, com seguranca em um escravo, declare
sua morada, ou falle na ra da Esperanca da Boa-
Visla, casa n. 45.
Precisase de 700,5 sob hypotheca de escra-
vos; querodesejar fazer dilo negocio queira deixar
o seu nome e morodia em carta fechada nesta ty
pographia com as iniciaes V. A. V.
Preetea-se de urna ama escrava para todo o
servico de orna casa : na rna da Concordia n. 65.
Prectsa-se de urna pessoa para tomar conta
de um sie perto desta praca, com as condigdes
que a visto e tratar : no largo da rioeira de fi-
jse n. 19.
Na rus de Cabug n. 3,
urna eserava faca aJngar-se.
segundo andar, ha
Precisa-se de ma uralhw fa i)eia idade,
oe saiba cozinhar, para casa de pouca familia :
guiD quizar-dir lja-ee z ra do Arago o. 27. .
Precsa-se allugar fres escravos para traba-
Ihar em um sillo ; quem os tiver e quizer allugar
annuncie a sua morada para ser procurado.
Joaquim Ferreira de Araujo Guimares nao
podendo despedirle pessoalmente de seus Inn-
meros amigos o faz por meio desle,ofrerecendo-lhes
sen diminuto prestimo na cidade d^ Porto.
Perdeu-se do principio da ra ImperiaTata
ponte dos Afogades urna anvelope grande com tres
cartas dentro e nm escrlplo, sendo duas cartas
para madama Henri Adour e urna carta e o escrip
to para Henri Adour; pede-se a pessoa que achou de
ter a bondade entregar na fabrica de vinagre, ra
Imperial n. 1, qae se dar' alguma gratiQcaco, vis-
to estas cartas de nada servrem a outra pessoa
por seren cartas de familias.
Os redores da massa do reverendo padre D. Jos
Antonio dos Santos Lessa pedem as pessoas que
teem peoiiores em dita massa, que venham resga
ta-los no raso de oilo dias, entregando sua mpor-
toBC ao preposto Martins, sob pena de serem os
meamos peoJures vendidos em leilo.
Aos Srs. acadmicos.
Vendem-se os seguintes livros quasi no-
vos : Manuel de drqit romain por Mackel-
dey.t volme, por 6,000o; Commentaire
sur les successions por Cbabot d'Alaier, l
volme, per 50060; Commentaire do c'de
civil por Du Caurroy, 2 volumes por 8,0000 ;
Dtccionaire du conlentieux commercial por
Mass, i volume por 04(000; La femme
por madama A Seglas, i volume, com es-
tampas finas por 50000; OEuvres de R-
eme, { volume, com estampas finas, por
60QOQ; OEuvres choisis de Bu/fon, i volu-
me, com estampas finas, por 4$0 i0; De la
crention de banque, 1 volume, por 20000;
Cdigo de crdito predial, l volume, por
10200 ; Um philosopho as aguas fuadas
por E. Souvestre, 1 volume. por 10600;
Nortes de partidas dobladas, por Fonseca
de Medeiros, i volume, por 4600 ; Flores
singelas, poesas por Paes d'Andrade, i vo-
lume, por 20000; Viagem ao Araguaya
pelo Dr. Couto de Magalhes, i volume,
por 20000 : A velhice de Candes, romance
por Trigueiros, por 20000 ; La vie des
saints, i volme, por 10200 ; OEuvres phi-
loiophiques d'Arnould, \ volume, por 20 ;
Economit polilique, por Garnier, 1 volu-
me, por 2,500 ; negras da escripturaco
mercantil, por Gomes Jnior, 1 volume,
por 20500; Organisations du travail, por
Louis Blanc, l volume, por 10200; L'Epi-
phanie, pelo padr Ventura, 1 volume, por
10000; Les ju; dmiers des salons,, 1 volu-
me, por 610 rs.: na ra de Cabug n. 2 A,
loja._______
Vende-se duas earrocas, urna para boi e ou-
tra para cavallo, sendo esta cora lastro somente,
propria para carregar barricas de farinha de trigo,
lenha, etc., ambas rom uso, por prego muito com-
modo : a tratar no pateo de S. Pedro n. 4.
Vende-se um carro de carregar gneros da
alfandega, com uso, e todos os pertences de oulro
igual, ludo por prego muito commodo : a tratar
no pateo de S. Pedro n. 4.
Vende-se a casa terrea da ra Direita dos
Afogados n. 30 : a traiar na ra Augusta n. 96.
Vende-se urna escrava de 16 annos de idade,
sadia e de bons costumes : vende-se por seu dono
ter de embarcar: a ra Bella n. 23.
Vende-se
na ra das Cruzes n. 23 junco e palha, mais bara-
to do que era oulra qualquer parle.___________
Vende-se um piano proprio para aprender,
muito em conta : no largo da matriz de Santo An-
tonio n. 2.
Ferros de encrespar
de diversos tamanhos e feitios : na ra do Crespo
numero.
jilo preto
Na ra da Imperatriz, armazem n. 6
Venden-se pecas de madapo'
mareacoqueira para forrar imUst
fazeida baa, preco razoavel; la ater-
ra da Boa-Vista a. 38, loja de clcala.
*





BU rio de Perib
4HiUa leira 10 4e Mal* de !&.
PRODUCTO&.APJI1IIIAVEIS
ICO
1&1
RIO DE JANEIRO.
ou esmalte br
simples appli
tanta neamente,
mente edicaz,
mo os propnos
para concertar com
vidros, mar more e qi
Um
Duzia.
Chciaabador Iehl.
sem cheiro nem sabor e da mais
ibar os dentes por si mesmo, ins-
nem dor, meio prompto e perfeila-
Iebl torna-se na bocea branco co-
acompanha urna guia...... .'000
Cimento chioez
ir perfeicao louca, porcellana, crystaes,
quer objecte precioso......
Cimento de guita pereha
especialmente preparado para chumbar os dentes cariados. Acom-
panha urna guia...........
cosmtico Indiano epilatorio
para destruir quasi instantneamente os cabellos de qualquer par-
te do corpo, sem dor e sem alterar a pelle. Ac. urna guia. .
Elexlr odontalglco vegetal
para curar instantneamente as dores dos dentes mais rebeldes, e
que tambem propriapara a conservado dos mesmos, o en-
durecimento das gengivas e a suavidade da bocea. Acompanha
urna guia......... .......
Encrlvore
Rival sem segundo
vendeudo
ludo
40000
i 500 12,5000
2000 18*000
3000 24,5000
Ra do Queimado a. 49, estt
muio barato como veri abaixo.
Caizas de pennas de kalegraphia a 1*000.
Massos com superiores grampos a 30 rs.
Pares de sapa tos de tranca e tapete a 1*500.
Frascos de macar perula a 200 rs.
Caixas com superiores agulhas a 200 rs.
Libras de I a sortidas com todas as cores a 7*000.
Caixas com superiores obreias a 10 rs.
Duzias de phosphoros de seguranza a 120 rs.
Metas garrafas com tinta a 2t0 rs.
Rdlhas com alQnetes francezes a 20 rs.
Cartas de alQnetes francezes muito finos a 100 rs.
Resmas de papel almaco a 2*400.
Resmas de papel de peso a 2*000.
Papis de agulhas fraocezas a balo a 60 rs.
Bonets muito bonitos para meninos a 1*000.
Enfeiies para senhoras fazenda muito moderna a
2*000. -
Escovas para roupa superior qualidade a 1*000.
Milita attentfto na grande li-
quidado de fazendas e
roupas feitas nacional na
nova loja de GuimarStes &
lrinao.
para tirar a tinta do papel e limpar as pennas de ac.....
Helsteln
pedra austraca para curar os tumores, inchacoes e feridas prove-
nientes derocadura decoleira, sellim, cangallia e outros arreios
dos burros e cavallos; adoptado as estribaras imperiaes da
Austria desde o anno de 4741. Aanca-se que nao preciso
mais de 24 horas para que a chaga esteja cicatrisada, e que nao
exista mais inchaco. Acompanha urna guia.......
Hassa dentarla Samakol
esta massa, pouco tempo depois de sua iotroducc5o na cavidade
dentaria, adquire urna dureza consideravel e nao atacada por
nenhuma das substancias alimenticias ou dentificias. Acompa-
nha urna guia................
Ulassa lustrosa
para limpar e abrilhantar instantneamente os trastes, pianos, ar-
maces de loja, grades e corrimoes de escada, tirar o sujo das
moscas, ficando envernisados como novos. Ac. urna guia .
Papel cheiroso
nQammavel, queimando sem bulla, para perfumar casas e quar-
tos.produzir sensaces agradaveis e desinfectar o ar dos dentes:
Carteiras. .
dem.....
dem.....
pomada Rondeslcns
contra piolhos e lendeas; aiancada sem mercurio.....
pos de prata
para pratear instantneamente o cobre, o latao, o bronze, etc., e
reparar os objectos antigos prateados, como faqueiros, salvas,
casticaes, apparelhos de cha e outros objectos semelhantes, af-
flancados sem mercurio, para uso dos joalheiros. relojoeiros,
pticos, negociantes de ferragens, curiosos e casas de familia:
V dros de 2 oitavas. .
dem de urna onca. .
llms para par a prata tarrada
sao amaneados infalliveis. Acompanha urna guia, vidro ....
pos purgativos
para curar e prevenir as molestias dos caes. Acomp. orna guia:
Carteira. .
dem .
Sabio oriental
para tirar todas as nodoas simples ou composlas sem alterar os
tec'rdos como sejam: nodoas de vinbo, licores, caf, frotas,
gordura, e limpar as golas e paramentos dos vestidos civis e mi-
litares. Acompanha urna guia........... 1
Tinta Azul Indelerel para marear a roupa
c azul no escrever, e em 24 horas na sombra ou menos de una
hora no sol, torna-se preta e nunca mais sahe do panno as la-
vagens. E' preciso escrever sobre'panno encorpado ou eugom-
mado. Affianca-se que nao ha melhor na corte em qualidade,
Vidro de tres oncas .
dem de urna onca. .
Tinta enea nada indelerel superfina
para marcar a roupa, em vidros de meia onca......
Ungento Iehl
remedio maravilhoso o melhor at heje condecido contra feridas
novas e antigs, ulserosas e saniosas, Gstulas, frieiras, hemor-
roidas, lucencas, mordeduras, muas, panaricos, queimaduras,
reumatismos, supuracoes putredas, cabecas de prego, abeessos
no seio das senhoras, tumores e ulceras em qualquer parte:
Rolos. .
dem
2000
500
180000
40000
1,5000 9^000
30000 240000
10000 90000
500
10000
40500
40000
70000
100000
20000 200000
10500
300(0
I2000
28^)00
500 40000
500
10000
40000
70000
40000
10000
500
70000
40000
Ra da Imperatrlz n. !
__ Os propietarios desle novo estabelecimento es-
to resolvidos a venderem por preco baratissimo
para liquidaren), como sejam : peca de brelanha de com 10 covados a 3*, ditos com
20000 180000
40000
20000
300000
470OOO|
rolo com 10 varas por 3*, dita de madapolo fran
cez cem 12 jardas a 3*500 e 4*000, ditas de cam-
braia branca fina a 3,5500 e 4*300, lencos de cam-
braia com barrioha de cor a 800 rs. a duzia, ditos
grandes a 1*800, ditos brancos Anos a 2*400, cor-
tes de chita fraoceza com 10 covados a 2*600, di-
tos de la a 4*000 e 5*000, ditos a Mara Pia mo-
dernos a 9*000 e 13*000, la de urna s cor a 500
rs. o covado, ditas de qnadrinbo e palmas a 320 e
400 rs. o covado, chales de merino do ultimo gosto
com poma redonda e borlla de seda a 6*000 e
7*000, ditos lisos a 4*500, ditos de la a 1*300 e
1*600, chitas Trancezas finas a 360 e 380 rs. o co-
vado, precales muito Anas dos padroes mais mo-
dernos que tem vindo ao mercado a 360 o covado,
panno de linho do Porto com 4 palmos de largura
a 640 rs. a vara, bramante de linho com 10 palmos
de largura a 2*400 e 2*500 a vara, damasco de
13a com 6 palmos de largura proprio para colcha,
forrar mesas e pianos a 1*280 o covado, cortes de
casemlra escoceza para caiga a 2*800, ditos de
brlm de linho a 1*800, ditos de ganga franceza su-
perior a 1*600 collerinhos de papel a 500 rs. a du-
zia, ditos de esguiao de liona a 500 rs. um, grava-
tinhas de senhora a 800 rs. do ultimo gosto, sou-
temharque de lanzinbas multo bem enfeitados a
5*000 e 6*000, ditos de grosdenaple ricamente en-
feitado a 20*000, capas de dito a 20*000.
Roupa feita.
Paletots de panno fino, sobrecasacas, ditos sac-
eos, ditos de casemira fina preta de cor, ditos de
meia casemira, ditos de alparca preta, branca e de
cor, ditos de brim e ganga de todas as qnalidades,
jaquetas de meia casemira e brim pardo, calcas de
casemira de cor e prelas e de meia casemira, de
brim branco e pardo, ganga e castor, coletes de to-
das as qualidades, meias,' luvas, grvalas, colleri-
nhos e muilos outros arligos de roura feita que se
vende por preco baratissimo por ter grande sorti-
mento; venha o freguez a loja comprar que o pre-
(0 ha de agradar e muitas outras fazendas de lei e
de luxo, tanto para homem como para senhora que
deixamos de anunciar por tornar-se enfadonho
que s a vista do freguez se far o preco : isto s
na nova loja foja de Guimares Irmaos, roa da
Imperatrit b. 72._________________________
Grande Hquidagao de
fazendas
de todas as qualidades, tanto para o mato como
para aiprac,a. O propnetario da loja e armazem
da Arar-a, est resolvidoa vender as fazendas mui-
to baratas, como sejam, cfetlas, madapolo e algo-
dozinlK), para se apurar dtoheiro, Lourenco Pe-
reira Rendes Guimares.
Chitas francesas a 2 40 covado.
Vecdem-se chitas francezas, sendo cores fixas, a
240,280, 300,320. 360 400 rs. o covado, ditts
inginas a 220 e 240 o evado, sendo cores fixas :
na ra da Imperatriz u. 36.
Corles te calca inar* horneo
v-ndem-s-: cortes (ira .caifa, brinzinho, -a i*,
ditos de ganga a 1*400, ditos a 1*700, dites de
bru de cor a 2* oda corle, ditos de meia case-
mira a 2*500, ditos a 3* e 3*500, ditos a 4*oOO,
5> -c 6*500 o corte, damasco cora dnas larguras a
ljjS80 o covado, dito de nrna largura a 640 e O00
rs. o covado, flauella tranca a 600 rs. o ovado,
dita de salpicos a 480 o covado, goiinhas para se-
nhora a 200, 340 66$ e800 rs., eaeMsiuhasipara senhora a 1*600 e
3*. muito fiuas a i* e 4*50O, camhraias finas de
cores a 300.320,300 e 480 rs. o covado, ditas
mailo finas com borboletas a 440 o covado, leos
de i iulio linos a 400, SgOe 640, ditos de algodo a
210 e 320 cada urna.
Cortes a Manta Pia 80.
Admiren*
Admirem
Admirem Bem!!
As pechinchas que esto venda na loja e ama-
zern dio-Pavao, nj ra da Imperatriz n. 60 de Ga-
ma 6'8Hva,-ofte> se veodem todas as fazendas,
tanto de luxo como de prlmetra necessidade por
presos mullo rasoaveis, e com especialidade as se-
grales, dando-se amostras detxando ficar penhor,
ou mandao-se levar em casa das familias pelos
catxeiros da mesma loja.
Madapolo eufeslado a 40, -10300 e 50000.
Vendem-se pecas de madapolo enfestado com
12jardas pelo baratissimo preco de 4*, 4*900 e
3*, ditas sem serem entestados demarcas muito
acreditadas a 7*, 8*, 9*, e 10*, ditas, francez
multo encorpado proprios para saias a 480 ris a
vara, isto na loja do i'avo ra da Imperatriz n.
60 de Gama de Silva.
.. Grande pichincha.
Chitas a 220 ris o covado.
Ou 7*600 a peca s o Pavo.
Vendem-se chitas inglezas de superior qualida-
de, aflancando-se as cores serem fizas, com muita
diversidade de padroes, pelo baratissimo preco de
220 rs. o covado, ou 7*600 a peca tendo 38 co-
vados, sendo fazonda esta que sempre se vendeu a
280 rs. o covado eu 109 a peca, chitas largas a
280,320 e 360 rs, na loja do Pavo, ra da Impe-
ratriz d. 60 de Gima & Silva.
Caries de chita franceza na loja de Pavo.
Vendem-se cortes de chita franceza, cores flxas
11 covados (a
Bivalseni segundo
Rna do Queimado n. 49, fnja de miudzarde Jos
& Azevedo Mais e Sjlva, est qaeimando q-.ie ad-
mira, a saber :
Frascos com superior banha a 200, 240 e 500 rs.
Latas com superior hauha a 200 r.
Frascos com superior agua de Colonia a 120 e
400 rs.
Fraicoe eom superior oleo de laboza a 240, 320 e
400 rs.
Garrafas da verdadeira agua F'opda a 1*280.
Fraseos de superior oleo da sociedade Higienique
a 640 rs.
Frascos de superiores cheiros santal e outros mui-
los a 1*000.
Sabonetes de familia a I2J e 200 rs.
Sabonetes de superior qualidades a 60. 120 e 160 rs.!
Caixas com 12 frascos de cheiros muito finos a
1*400.
Caixas dito com 6 frascos melhor fazenda a 900 rs.
Paos de pomada franceza grandes a 500 rs.
Sabonetes de bolla pequeos e grandes a 320 e
400 rs.
Fraseos com superior opiata a 800 r.
Frascos com superior agua para denles a 1*000.
Salsa parrillia de Ayer
PARA A CURA DA
ESCRFULA
e todas as molestias
provenientes delta
todas as molestias da
pelle
ehemipellas, tutores, ulceras,
sarnas,
aseidas, empingess,
UMAIISMO
.. r i ii Vendem-se cortes a Mara Pa a 8*, 9, ti*,
nico deposito em Fernambco em grosso e a malno *g*^^e>,mDto fuws
EM CASA DE MANOEL & C.
8 RIJA DO CABUG 9
Traques
fi!6*0OOacaiMde40cartas, e a retamo a 168
rs.. a alies, antes que se acabem : s no armazem
da estrella, largo do Paraizo b. 14._____________
Acha-se venda
rra olcina de encadernafo da ra do Im-
peradorn. lo, defronte de S. Francisco, a
Biblia da Infancia do abbade Pascal, appro-
vaa para as aulas puMicas da provincia por
porlarta da presidencia de lo do passado.
As pessoas que comprara j a obra, e qui-
zereoaier um pequeao aecre6&ii0. que se
lhe acalla de fazer, maadem-o buscar.
Baleo.
Vesde-e um balco de amarello ponco usado e
tres fiieiras para amostras: sa ra da Cadeia do
Recife a..
Attenco.
m
Vendem-se pecas de esleirs para forro de sala,
tinta branca preparada a oleo, n latas de 25 li-
bras, para pistar casa, relogio* para cuna de me-
sa e para peadurar, arreios para I e 2 ewattos,
velas de speraacete, tudo de superior qualidade,
vindo dos Estados-Unidos : no armazn da roa do
Trapiche n. 8.
FEAO
d 320 rs.
FeijSo de mistura a 320 rs. a cuia :
Quaiteie n. 22.
na roa des
" Veodem se moedas porluguezas de ouro,
propnas para abotoaduras a i$2O0 cada urna : na
rua Direitt o. 24, padaria.
RIVAL
SEJIt SEG CHINO
Ra do Queimado n. 49, deja de Jos & asvedo
Maia e Silva.
Meiadas de lioha froxa para (bordar a 20 rs.
Meladas de lioha azulada superior a 60 rs.
Babado do orto muilo superior a 100, fc0 e
160 rs.
Varas de franja de linho branca a 40 rs.
Caixas com 100 envelopes da aielhor qualidade a
600 rs.
Caixas com 20 quadernos de papel superior a
600 rs.
Crozas de pennas de ac muito ftaas a 500 rs.
Pe as de tranca .isa preta e de ores a 40 rs.
Crozas de botes uiadreperola (tara camisas a SOO
e 720 rs.
Caicas com j'0 nevellos de linha do gaz a 700 rs.
Varas de franja de cores a 80 rs.
Nouellos com 400ardas superior qualidade a 70 rs.
Carriteis de linha cora 200 jarda dos ns 60 at
209 a 100 rs. ;*
Liroe para assenloe de roupa lavada a 100 rs.
Pares de botes de punho muito liaos a 120 rs.
Thesoaras para uobas e costura muito finas a
500 rs.___________________________________
Grande sortimento de roupas feitas de to-
das as qualidades,
Cairas de casemira aS* e 7*500, ditas pretas a
6* e 8*, eaigas de ganga a 2* 1*800 1,5600,
ditas brancas a 2*, brim de linho a 3*, 3*500 e
4*, paletols do alpaca bracea a 4*500, ditos pretos
a 3* e 3*500, ditos de alpaca de cordo a 4*. e
de listra de seda a 4*500, ditos sobrecasacos a 5*,
caletou de casemira a 5*, 2*500, 6*, 8* e 9*.
ditos sobrecasacos pretos a 12*, 15 e 16*, ditos fi-
nos a 25*, de cores a 13*, ditos fraques a 14*,
paletots de ganga a 3*, 2*500 e 2*, ditos de bnm
parda a 3*, jaquetfies de brim pardo a 3*, panno
preto Qno a 2*. 2*600, 3*500 5, 4*500 3 e 6* o
covado, moreantique preto a 2*600 o covado. gros-
denapf preto a 1*500,1*800,2*, 2*200 e 2*500
Barato
Veade-se um mobilia de Jacaranda (pequea)
usa como 1 cana rica franceza de Jacaranda, 1
>anea eom pedra eom toucador de Jacaranda, 1
ano de mesa era perfeiio eslado, 1 commoda de
Sdur, 1 aparador de amarello, i mesa eiaica
amarello, > pares de laniernas : t pessoa qtle
tender dlrija-sa a roa Velha n. 69._________
MOB1UA.
endem-se torsos movis por precos raioa-
veAindnsive urna piofcilia nompleU de Jacaranda:
da Cruz n. 18, segando andar.
Vendem-se
maehias americana* de serrote para descarocar
ai#dib: u rna da Senzala Nova n. 42.
lazinha lisa a 300, 440-eSOO rs. o covado, cortes
de la com palmas a 5* o corle, las por covados a
309, 360 e 400 rs. o covado, casemira com listras
sendo padroes azul e preto a 2*500 o covado, ma-
dapolo enfestado com 2jardas a 3*500, 4*000,
4*cOO e o*, dito com 24iardas a 5*, 5*500, 6*,
6*300. 7* e 7*900. o. 6 a 8* e 8*500, eiephante a
9*, camisas francezas a A*800, 25, 2*240 e 2*500
cada urna, ditas de pretres larcas a 2*240, 2*500, maaleleles, tudo- de seda preta e o 2*OO e 3* cada urna, alpacas de cores a .320 o gosto, no creado, par pnces muito em cont:
covado, ditas tinas a 8O0.r, o couado, aberturas na lojajo Pavao, ra da Iroperatr. n. 60,-de6a-,
3*300, ditos com 12 covados a 3*600, ditos de chi-
ta ingleza a 2*200,2*400 e 2*600, isto na loja do
Pavo roa da Imperatriz n. 60 de Gama & Silva.
Cadas Francezas a 300, 320 e 360 *na leja do
Pavio.
Vendem-se cassas francezas muito Anas, de co-
res finas pelos baratos precos de 300,320 e 360 rs.
o covado, pegas de cambraia com salpicos de cor
tendo 8 l|2 varas a 4*, ditas salpicos brancos a
a 2*500 e 3*, ditas adamascadas para cortinadas
a 4*, na loja do Pavo ra da Imperatriz n. 60 de
Gama & Silva.
Corles a Mara Pia.
Grande pechincba a 50000 e 0,5000.
Vendem-se os mais bonitos cortes para vestidos,
sendo de cambraia branca com as barras e enfeiies
bordados, de cor crox, pelo baratissimo prego
de 5*, ditos do mesmo gosto mais sendo de cores,
pelo baratissimo preco de 6* cada um, valendo
esta fazenda dobrado dinheiro por ser a mais mo
derna que tem vindo ao mercado,. isto na loja do
Pavo na ra da Imperatriz n. 60 de Gama &
Silva.
Vestidos Brancos.
Vendem-se os mais ricos cortes de vestidos de
cambraia branca primorosamente bordados, pelo
barato prego de 12*. 16g e 20-3 na loja do Pavo,
ra da Imperatriz n. 60 de Gama & Silva.
Grande pechincha, vestidos a
3#iOO.
Acaba de chegar um bonito sortimento dos mais
lindos vestidos transparentes, muilo proprios para
passeios e bailes, por serem de primorosos dese-
chos, sendo todos os padroes tecidos e nao pinta-
dos, e vendem-se pelo baratissimo prego de 3*500,
sendo fazenda que val muito mais dinheiro: isto na
loja do Pavo, rna da Imperatriz n. 60, de Gama &
Silva.
Fazendas pretas.
Vende-se pronsdenaples preto a 1*280,1*600,
1*800 e 2* at 4*, superior meurantique prelo a
3*, setim da China, nova fazenda toda de la, pro-
pria para luto, com 6 palmos de largura, a 500,
560, 600 e 800 rs. o covado, e outras muitas fa-
zendas propnas para loto : na loja do Pavo, ra
da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Cirosdenaples de cor a igOOO.
Vende-se superior grosdenaples cor de caf,pro-
pio para vestido, sendo muito encorpado, a 1*600
o covado : na loja do Pavo, ra da Imperatriz n.
60, de Gama & Silva.
tascrairasa 1$(i0.
Vendem-se casemiras garibaldinas de quadrt-
nhos e lizas, proprias para calcas, palitos e coletes,'
pelo barato prego de 1*600 o covado, assim como
caigas, palitos e coletes J feilos das mesmas : na
loja do Pavo, na da Imperatriz n. 60, de Gama &
Suya.
Grande sortimeuto de roipa feita.
Vende-se na loja do Pavo um grande sortimeo-'
lo oe roapas ornas, constando dt vainoa Je paimo
preto, sofcrecasacos, ditcs saceos, ditos de casemi-
ra, sacos e sobrecasacos, ditos de brim branco e
de cores, ditos de casineta, calcas de casemira pre-
ta de todas as qualidades, ditas de cor, ditas de
brim de linho branco e de todas as cores, colotes
de brim,casemiras, setim. gorgorito, etc., etc., o-1
das estes obras vedem-se por prego mais barato
do quem outra qualquer parte : na loja do Pa- i
vo, ra da Imperatriz n. 60, defoma & Silva.
Chales -e manteletes de renda
Vendem-se os mais ricise mais modernos oba-'
les e manteletes de renda, chegados pelo ultimo va-
por da Europa, per prego muito cazoavel : na laja
do .Pavio, ra da emperatriz n. 60, de Gama a-
Silva.
Soutembarques de cor
Vendem-se os mais modernos soulerabarques e i
cor, ricamente enfeitados, e por 'barato prego :: ma
loja do Pavo, ra da Imperatriz n. 60, de Gama i
Silva.
Capas pretas e son (embarques,
Vendem-se as mais modernas -capas pretas lisas
e bordadas, os.mafs Aonitos soulerabarques pretos* i
Y\VUL4,s
D'IODURETO DUPLO
de FERROeQUININA
Os elementos que compoem esta preparado,
ferro, o ioie e a quina, a collodo no primeiro
grao das preparares ferruginosas. Basta attestar
seus resultados obtidos pelos Mdicos dos hospi-
taes, e os relatnos dos prcticos mais eminentes,
qae confrmrio sua poderosa effcacidade as
seguintes affecedes:
s.riui is
em todas as saas formas, assim como todo
1 o mal que provm do uso excessivo do
MERCURIO
Ulceraco do ligado
premsumma todos os males que ein sua
l e igem na
IMPUREZA DO SANGLE
um alterante poderoso para a
RENOVACO Dft SANGLE
e para dar nova forra e vigor ao corpo j
enfraqueeido pela doenca.
Vende-se na ra Direita ns. 12 c 76 e
Hospicio n. 40.
Vende-se em Pernambuco:
na puaruiaela franceza de
P.MAURER & C.
________RA NOVA N. 18.
A LEGTIMA
SALSAPARBILH
*,
Mlngaa ng;ae.
Frai|urxa.
Aamla.
Chlorar a leierlela.
Meaatru*.
Alttt^oea utrr*.
Spireii6e das re-
irs e dcwordc na
ucMlruarBo.
AHecea* pulmonar e
HtHl.lc
kUleatlas d>laa
GaatralKlaa.
lerda a'apprIUa, etc.
Cavaletrmta de laa*
ftas raoleallaa.
Maleallaa caerahila-
aaa.
Papelra.
Oaalrueeaa **u glaa-
dulaa.
Uumorea frlaa-
Humorea branco.
naeh-llama.
Affeccoea (une-rom
)phlllCIrai.
Febrca lypholdea.
Varlolea, ele., etc.
Veja se os buUetins de therapeutica medica
t eirurgiea de 30 de novembre 1860; a Ga%eta
ios hospaes de 28 dejulho 1860, etc., etc.
Alm das pilulas de iodureto duplo de ferro e dt
quinina de Rebillon, os Mdicos aconselhao
inalmenle o Xarope d'iodure duplo de
ferro e de quinina do mesmo author para as
pessoas que nlo gostao de medicamentos sob fir-
ma pilular e os meninos. Este xarope nao ten
como o xarope d'iodure de ferro, o inconveniente
de allerar-se de se nSo poder conservar.
Peca-se o folheto que se d de graea em casa
do* pharmacealicos depositarios.
Para-te evitarem falsificacSes, exija o com-
prador em cada frasco de Pilulas os Xarope a as-
signatura do inventor. _
Depsito geral em Pars, aharmacia Rebillon.
US, rae du Bac, e em todas as boas pharmaciai
da Franca a doa puixes estrangeirot, etc._______
GRANULOS
DE BISMUTHJ
DE CHEVRIER
Os granulos au btnulh de Chevrier bem
superiores a todas as ouiras preparacSes de
bismuth empregadas antes com o maior successo
pelos mdicos de lodos os paizes, para prevenir
curaras
Marrara ra-Mira. M alrrgte.
Dar driliiMfO Galtralgla, et.
Djpepla.
Os primeiros symptomas d'essas forndaveis
affecedes se manifestao ordir.ariamente.por diges-
tSes laboriosas, axidumes, falta d'appetite, pesos
'estmago depois de cada comida, caimbras es-
tomacaes, e, muitas vezes, por espasmos nervosos
eom vmitos.
Este eslado mrbido, se o descuidio, traz ine-
viuvelmente, que seja:
Maleada* le cada.
A Ictericia.
Pal pl I arma ate car
Ddrea rea rini.
de esguiao a 1 cada urna, dita de algodSo a 320 e
400 rs. cada urna, pecas de algodaozinho a 4^500,
Si eG5, ditas cora 30 vacas a 75, dita marca T
a 8$930 a peca, casemirts finas mescladas a .'15 o
covado, ditas a 2*800, 2$240, 1*800, 14600, e
15400 o covado, soutemtorques decores a 05 e
85 cada um, ditos pretos .a 185, 195, 205, 225 e
255, ea.pas a 205 e 25?, manteletes a 185 e 20
cada un>, chitas para coborta a 320, 360 e 400 rs.,
dita a 460 o covado, ditas adamascadas a 480 o
covado, eeroulas a 15200 o 15300, ditas de linho
a 15800-cada urna, fil de nho liso a 640 e 700
rs. a vara, tarlatanas de cores e branca a 800 rs.
a vara, hamhurgo a 95, a5$00, 105500 e 125 a
peca : ra da Imperatriz o. 26, Mendes Guia-
raes.
GAZ GAZ GAZ
Vende-se gaz da melhor qualidade a
t& a lata : nos armazeoeda ra do Im-
perador n.16 e rna do Trapiche Nevn. 8.
Em casa fe Tisset Freres roa do Trapiche n.
9, tem para vender :
Vih Bcrdeaufcem barricas e em caixas.
Dito de Santerne fino.
Dito 4- Champagae muilo superior.
Cerveja franceza marca Bobee.
A eite de carropato
veade-se em grosso e a retalho mais barato que
os matulos, em carga : na fabrica da traveesa do
Carioca n. 2. eaes do Ramo.__________
Ia^tmecOes para o servido
di guardas do exercltu, exirahidas do re-
rfulamento de infantaria e accommodadas ao
o covado; e outras muius mais fazendas qu^e exercito brasileiro; obra que muito convm
' aquellas pessoas que se alistam nos corpos
de voluntarios; vende-se na livraria n. 6e
8 da praca da Ind pendencia*, a {&.
deixa de annnnciar, e ma _
ros da loja da arara casa dos prudentes. O
estabelecimento est aherto al ** oras da noite,
roa da Iroperalra b. 66. feudes Guimares.
flktguet ao barato
7 Na raa du Crespo n. 10 vendem-se as seguintes
fazendas: chitas estreitas a 480 o covadd, dita
Urga a 360, dita a 320, dita a 360, dita perclara a
440, casemira de duas larguras a 1*800 o covado.
organdy de urna s cor a 500 rs. o covado, dito a
280, brim quadriobo para paletol a 660 o covado,
assim como outras fazendas que s vista : na
frua do Crespo n. 10. __________
." Vende-se caixoes vazios proprios pa-
ra bahuleiros, .t funileiros, a 2^000 cada
um : e para as pessoas que compraremde
4 para cima EffiOQ, nesta typograpbia.
Milbo novo ea saceos grandes: do trapicte
de Cunha. a tratar com Tassolrata"?
na & Silva.
Enfeiies para cabeca.
Vendem-se os mais lindos enfeiies para cabeca,
a3*, 45, 55 e 65, os melhores balees cronolinas:
*u loja do Pavo, ra da Imperatriz n. 60.
S o Pavo vende
Chitas largas a 240
Cbitas largas a 240
Chitas largas a 240.
Acaba de chegar para a loja do Pavo um gran-
de **-timen lo de chitas largas garibaldinas, por |
s rem todas listradas e padroes escaros -e de cores i
fias que se vendem pelo baialissimo proco de 240
o covado, sendo qae em outra qualquer parle cus-
ta a 360 o covado, notando que os reguezes que
compraren) porpo de pecas, tero um pequeo
atatimento : isto na loja do Pavo a ra da Impe-!
raifiz n.60, de Gama Silva.
Lazinhas a 300 rs.
LSazinlias a 300 rs.
Lazinhas a 300 rs.
Vende-se um bonito soriimenio de lazinhas pro-
prias para vestidos e soutenn arques por serem li-
ss e de quadrtahos pelo barato preco de 300 rs. o
cvado, sendo fazenda que sempre se vendeu a
540 rs. o covado, e vende-se a dinheiro a vista pe-
li barasBimo preeo de 300 rs. o covado : na leja
d> Pavo ra da imperatriz n. 60 de Gama &
Slva.
Pelerinas a i#600.
Vendem-se as mais ricas pelerinas ou romeiras
da cambraia bordadas proprias para hombros de
snhora pelo baratissimo preo de
Oapreaaoea.
nrea de rabera.
>ea Irrllacoea de brilga a
da malrl, etc.
Os ovmulos Chevrier sao ordenados pelaa
sommidades medicaes para prevenir essas diver-
sas molestias e cural as quando sSo tomados a
tempo.
0 preoe de cada frasco de 4 francos.
Deposita geral em Pars, phannacia Chevrier,
e em todas as pharmaoias de Franca e dos paite*
eStrangeWs. aaMagaaga
GRAGEASoeCUBEBINA
comCOPABAdeLABLONYE
Estes confeitos que tem por base oprin.
cipio activo da mtmeia cttbctia juulo com
a cupahyba pura, nao nausen o estomaga.
Ellos fazem parar immediatamente asmis
rebeldes gooorrhas, mesmo as que res-sti-
ram a cubeba o a eupabyba isoladamente.
Deposito ^eral em Pernambuce ra da
Cruz n.22 em casa de Caros & Barboza
DE BRISTOL.
PREPARADA UHICAMEHTE POR
LAMAN & KEMP,
NOVA YORK.
Composta de substancias, gozando da-
propriedades eminentemente depurativas;
approvada pelas juntas e academias de me-
dicina; usada nos principaes hospitaes, ci-
vis militares e da marinba as Anliltias e
no continente americano ; recentada pelos
facultativos os mais distinctos do imperio do
Brasil e da America hespanhola
CURA RADICALMENTE
escrophulas, rheumalismo, escorbuto, en
fermidades venreas e mercuriaes, cbagas
antigs, morphea e todas as molestias pro-
venientes d'um estado vicioso do sangue.
Emquanto existem varias imitares e
falsificacoos, preciso a maior cautela para
evitar os engaos,
A legitima salsa de Bristol vende-se por
CAIIS X RARRH7
JO.lO DA C. BBAVO A C.
Joo da C. Bravo & C.__________
DROGARA.
3iItuaj larga do Rosario34
Bartholomen Francisco deSouz k
Vendem:
Acido actico puro p.'.ra retratistas.
Esmaltes para ourives.
Papel para forrar casa?.
Guarnicoesavelludada. t
Tinta branca superior em lata.
Alvaiade Vneta, fino, em pes.___________
Trastes com oso.
Vende-se I sof, 3 consolos, i mesa redonda.'.
[cadeiras de amarello, G radeiras americanas, i
l bea marquen de Jacaranda, 2 carteiras de via-
jera e 1 carteira grande propria para taberna:
quem pretender dirija-.se a ra das Cinco Pont
n. liO defronte da estaco. _____________^^
PROPRIO PARA SENHORA.
Vende-se um excellente cavallomuilo no-
vo e manso com tod"s os andares: na co-
cheira do Paulino, rna de Santo Alvaro.
PECHINCHA
Ceroulas de meia muito finas a l>00, ditas en-
trefinas a I>i00 : s na roa da Cadeia do Recife
n. S, Ujade miudezas de Silvestre Pereira da O-
n ha A C___________________________________
Espantos* uovldadc.
Madapolo ^perlino a peca de 2i jardas por r
por ter um muito pequeo defeito, prego este di-
minuto devido a poca actual; na loja d:. Madre de
Deusn. IC, defronte da guarda da alfandega.
Ra do Queimado u. 40.
na rua Corles de collete de velludo de
ta Imperatriz n. 60, loja de Gama & Silva. Cha|eg de muilas qoa,idadeii
Avisa-se ao publico e aos amantes das fa-
zendas biralas que. tendo fallecido um
dos so i s deste eslabel-.cimento, te-
mos reslvido vender por precos bara-
tsimos as fazendas existentes no mes
mo estabelecimento pa a acabar e liqui-
dar a firma socralx Entre outras muitas
fazendas ha as seguintes ;
Cortes de vestidos de phantasu para theatro.
Dio ditos de grosdenaple pretos.
Ditos ditos de cambraia branca bordados.
Chitas largas e finas, cov.r-'e'20. 440 e 4*0 rs.
Ditas estreitas Aas, covado 180. ano e 2i0.
Bal5es de arcos e mussulina a f^AOO.
a 3}.
Yeude-se
no sitio ra Cruz de Almas ao voltar para a estra-
da de Beberibe, coqueiros pequeos proprios para
modar-se._____________....: __________
Yinho da Figueira.
Superior vinho da Figaeira da acreditada marca
JAA a 2o a ancoris grande, garante-se a qua-
lidaoV : no grande armazem da Liga a roa Nova *mo lenD0 t9.rna-se ma,s
b. 60.
LAGEDO.
Vende-se muito Lom lagedo para calcadas :
na do Apollo n. 4.
Machinas
na
Camisas brancas a {%.
Manteletes de pros prelo a I0.
Cassas de cor, covado 210.
Lazinhas de cor, covado 2'0.
Cfiaios de sol de seda a 4'jOO.
I
muito nova e superior cheg.tda
Farello a 4j|000 o sacro.
Em saceos grandes.
mito a 405OO.
Rna larga do Rosario n. 50 taberna da esquina
que volta para o da rua E;ireita.
Vendem-se duas machinas ou motores de desca-
tocar algodao, sendo do melhor fabricante ameri-
ano : quem precisar dirija-se ao povoado dos
Montes ou Una.em casa do cr. Francolino Manoel criptorio de Manoel Ignacio de
fcil a condugao del-------------------------------!----------------------------------
bs para os sertSes. Vende-se por preco commodo um-instmmen-
l--------------------..i j. .L---------------------- ; tal completo para ajama banda de msica mili-
Farinlia de mandioca
de Santa
Catbarina
Vende-se a bordo do petaeho dinamar-
quez Catharina ancorado de'ronte do
tr piche DarSo do Livramento, ou no es-
Oliveira &
19.
Cal de Lisboa
Na ruado Vigario n. 19, primeiro andar.
.; Vinbo do Porto superior em caixa de duzia,.aor D- lJ:_____
tem para vender Antonio Lnit de Oliveira Azeve- Na rna do Queimado, loja de ferragens n. 4,
; jo & C, no seu es criptorio roa da Cruz a. 1. .eende-se muilo en coala um par de venezianas.
lar, achando-se todos os Instrumentos qusi novos
e em perfeito estado : a tratar na rua do Impera-
dor n. 13.
RUA NOVA N. II
Loja de fazendas.
Tem para vender muito barato o se-
guinle:
Molduras dooradus
e tambem iiiverni.-adas de preto c&m fii-
zosdourados, largas e estreitas, proprias
para quadros e guarnicoes.
Tambem se incumbe de mandar fazer
os quadros para estampas ou retrates de
qualquer tamanho.
Vidros para espelhes
de diversos lmannos e superior quali
dade.
Cellarinhos para camisa
a ljoOO a duzia muito bonitos.
Retroz preto
muito superior ern miadinhas a 85 a li-
bra.
Laa para bordar
sortida de diversas cores a o a libra.
Botoes de loaca para camisa
brancos e de cores groza a 100 rs.
Attengo
Vende-se tima flauta de bano, toda apaielhada
de prata : na rua larga do Rosario n. 40. Quem
tiver gosto 3 qni:er possuir o que born, diiija-se
a rua cima, que achata com quem tra:ar.
Machinas de serrotes para
algodo
Chegaram as uesejadas machinas de serrotes pa-
ra descarooar algodo, Itaveedo um complclo sor-
timento desde 13 al 40 serrotes, lanihenr ha mo-
tores americanos para as mesmas marhioas,( veBr
dem-se o mais barato possivel :' na roa da Cadeia
do Recife n. 56 A, loja de ferragens de Joao Car-
los Bastos Oiiveira.
**
jr
i
MUTILADO)
\
-
(ILEGTVEL


l>lar Po de Ptmanitmco -- Qataa lelra 19 de Malo de t 64
<
v
**

C1IEG4R4H OS MODERNOS CHALES E
FILO PRETO.
Superiores chale de fil preto chegados pelo ullimovaper franrez, a
oja das columnas ra do Crespo n. 13, de Antonio Correia de Vasconcel-
los & C.
bxs %- 2^9 ?$<& %- tWs zl p* '
>m
AURORA BRILHANTE
V**-%/ tjy,' CONSULTORIO
MEDICO-CIRIRGICO
DO
Dft PEDRO DE ATTAHYDE LOBO MOSCOSQ,
MEDICO. PARTEIRO E OPERADOR.
3 Ra da Gloria, casa do Fttndo 3
O Dr. Lobo Moscoso d consaltas gratuitas aos pobres lodos os dias das 7 s 1
huras da manhaa. das G e meia s 8 horas da noite, excepco dos dias santificados
Phi<^niv,a espsei&l homeopathica
No mesmo consultorio ha sempre o mais appropriado sortimento de cartearas
tib) i milsos.assn como tinturas de varias dymnamisaces e pelos preces seguintes
Carteirasde 12 tubos grandes. 120000
de 24 tabosgrands. 180000
Ja StiibO grandes. 240009
d; i-< tubos,'ranlas. 300000
de 60 tubos grandes. 350000
'. un-so i nlqaerearteira conforme o pedido que se fizer, e com os remedi
jii!} > pedir.
Umtubo avulso ou frasco de tfnturade meia onca 10000.
Sonde para cima de 12, custar5o>s precos estabelecdos para as carteiras.
Ha'ubos mais pequeos cada nm a 500 ris.
LIVROM.
\ .i; i>." oi.'i li i)n)pithia, VInuil de Medicina Homeopathicodo Br. Jahr
din ; m l v)!unis "^ n Uccionario........... 200000
\l:l:cina loistica 1) Dr. Haring,........... l^JOOO
t j >irtorio 1 Ur. ti illa Maraes............. 63000
Diccionario de termos da madicina. .......... 3#080
O i n lie deste estabelecimento sao por lamis conhecidos a dispensam nortan-
t. 1 i i rail i )vamante ,-acommendados aspassoajjue q izerem asar de remedios wr-
di 1! r )>,; i jrgico? e duradoresrhatudo do melhor que se poda desejar,globos de Ter-
dilairo i'sucar deleite.notaveis lelasna boa ;oasemc1o,tintura dos mais acreditados
w.i )>;.?m neitos europes.a mais ixacta e accaradapreparado, portanto amaior ener-
ga i neta an MtM eleitos.
Casa de mie pira escravos.
Recebe-se>scravospara tratar de jualqueranfermidade ou fazer-se-lhe qualejaer
03)ra-;5o, para o que o innunciantejulga-senfiB Matemente habilitado.
V.ratamento o melhor possivel, tanto na >arte alimentar, como na meflica, e
fin ici man lo a casa a mais de quatre annos, hara i)-!- ividar, que pdem ser consultados por aquelles que desejarera mandar aetis
iovues.
Paga-so 20000 por dia durante 60 dias e d'ahi em diante 10500.
\,< iperacSes serlo praviaraente ajustadas, se nao se jaizerena sujeitarao preco
i', i.--vs |i '.lUuu pedir o annunciante.
GRANDES AllAZENS
MOL HA DO S
Mmmmm
Largo da Santal
ICruz n. 84, es-j
juina da ra doj
peto.
I'
Largo da Santal
ruz n. 84, es-
quina da ra doj
I ESPECULES gsebo
rora EiPropr l?**"0" do j muit0 acred>t jf i \C0, ^ ,?a ? ,er me8rao sortimento de gneros de primeira qualidade.
a seguinte tabella sirvira a- todos de Use para ajuste de comas aos portadores.
nri jrUia a,rnmem ?endera" mais barato e melbores do que a Aurora Brilhante, ja'
ry*** sortimento que lem, ja' mesmo porque seu dono s deseja tirar diminuto lu-
nrnvr.h,r guepai**CCUinulBr n desperas do estabelecrmenlo por is?o deixe se a-
lantes fregoezesrSPri an faZer 'da difi*encia>a0m de serTir bem os 9eus cons"
{Latas com 8 libras dechouricas muitonovas,
' a i&oQO.
Ditas grandes com peixe
ma'sde 12 qualidades,
15400.
Ditas com ostras, excellenle
gideira, a 720 u.
em postas nleiras,
a IfiOOO, 1*280e
petisco para Iri-
JDitas com ervilhasnovas, ensopadas, a 720 rs.
Ditas com favas, a 640 rs,
.Uitas cora ameixas a 15200, 15800 e 330O.
ivius com marraelada do afamado fabricante
Afcren, a 72" rs.
Ditascom massade tomate, a 500 rs.
yyHB'de craaiire' nvos' ,3o'
f^Sm*t*Mn*MI de soda muit0 no,as'a
Ditascorabiscoilinhos inglezes de muitasqua-
lidades,a 1*409.
Caixialias
Li>>*it)t*io enl'K'ieo e criimico de F, E LeUeuf'e C
ra Moiitmartre, SI, em Pars.
Fabrica em Argcntcuil, prs Parts (Franca).
HhiFICWjiO E F4BICVC\0
Ds vinhos, agurdenles e licores.
Chocolate.
com ameixas ofertadasproprias
L. Para W a 1*200,2*800 e 3&200.
Chocolate superior muito novo, a libra de
880 a 1*000.
cMacarrjo, talhariam e aletria amarella, a libra
i a 400 rs.
Dito dito dita branca, a libra a 400 rs. .
uaixas com estrelinha, pevide, e outras mas-
i sas, a caixa 34500.
Ditas dita em libras a 640 rs.
LSagii, a libra a 360 rs.
Sevadinha para sopa a libra, a 240 rs.
Brvilnas seccas, a libra a 160 rs.
Ditas descascadas, a libra a 200 rs.
JTapioca muito nova, a libra a 280 rs.
"SS*4 de araruta verdadeira, a libra a
SOO rs.
{Arroz do Maranhao, em sacco, a arroba a
2*400 e a lib-ra a 80 rs.
Dito da India e Java, a arroba a 3J200 ea II- Cartas linas para jogar, a duzia a 2*500.
Vinho verde superior.
A caada a 3*000 e a garrafa a 400 rs.
(omina.
Saccas de 4 arrobas, a verdadeira de se]
engommar, a arroba a 3*000 e a libra
120 rs.
Sabaoma&sa, a libra a. 200,240 e 280 rs.
Variaba.
Saccasgrandes cora faTinha de Goianna mui-j
to nova, a 5*000.
Mfc
Cafdo Rio muito superior, a arroba a 8
8*500 e 9*000.
Cha.
Ch.temes uestes gneros o melhor possivel.j
liyson, a libra a 2*600.
Dito perola a 3*000.
Dito uxim a 2*700.
Dito hyson muito no a 2*800.
Dito redondo a 2*500.
Dito pretode primeira qualidade a 2*500. &
Dito mais baixo a 2*000 e 1*600. \
Erva mate. 2
Excellente cha medicinal, a libra a 240 rs. m
Espermaeele. Q
O masso com 6 vellas de esperraacete a 600, ^
640 e 720 rs. <|
Paasas.
Caixas de 16 e 8 libras de passas novas pro-
prias para mimos a 4* e 2*500.
Nozes.
Nozes, a libra 160 rs. e arroba a 4*000.
Aipisla e paioco.
Alpistac painco, a arroba 4*000 e a libra a.
160 rs.
Cartas.
V\';i )\ Imitacvi dos vinhos de todas as
ni|.UIs,ISttratodelIl, adose para 230
Iftr.n. t f.i, lBord*, 2 f, i Pomard, 3
#., |.l,ob,l___Hn Cataln. f___da Porto,
Xp'/. Imcatel, Vilaga, dose para 25 ou 30 li-
tros, 4 f.
Sunst^ncia para fabricar com o alcool e agua
o> vinhis cima e todos os outres. A dose para
500 litros, 50 f.
'"i,.\!'IF[r.ACO.Pos Inglezes, pos dos vinhos
4a He litros. 1.
i" >I/V! \(".AO.Purpiripine para colorear os
vinh-i1* brancos o vinhos claros. As duas libras
rar:s v lllrqs, 16 f.
Alguns de nissos agentes tendo falsiflcado e mitado nossa< preparacoes e
fr8gae'.'13]deve-se exigir sobre as rolhas e rtulos as inlciaes F. V. L. Parl's
0 raolii de usar-so daspreparic6esae*a-se idiraio no ral'nht.
AGiJARDENTE.>.Essencia de cognac para dar
as agurdenles ordinarias o sabor eVaroma Z
cognac. A garrafa para 100 litros 5f
irrpsrwF *nivTun _!', Klrscn .
de absintho, para o fazer com alcool e agua A
garrafa para 100 litros, 5 f. gai' A
LtCORES.-Extractospara fabricar se todos os
licores conhecidossem fogo nem alambiaae fin-
diM os que se leseja.) A dose para 20 ou 25
litros, f.
PEBFUMESpara fabricar-se os licores finos
communs a dose para ji) ou 2-' litros 1 f 25
TODOS os outros productos para o trabalho dos
v.nhosaguardentes, licores, vinagres, etc., sio
fabricados de encommeoda.
UTENGjLIOS de laboratorio e de chiraira.
engaado nossos
011
14
As 'ncommendas devem snr 3companhadasporuma letrasobro Paris 011 onalaner o
1- '- 1 1. 1 .' ni ni I is p ir nm casa >uhe-.i la. OWgtr^a aos Srs. Lobeuf C chira
-u u. H. f"i :ir<. 01 1 sui fabric em \r?nteml. pros Paris '
oulra cida-
icoa, ru
u bititi franeata, ra do Imperador n. 38.
Xova loja de miudezas
5 iluu da Cadeia do Recite5
DG
Silvestre Pereira da Cunha d C.
O, dnn s dest" novo estabelecimento ahrindo-o
.1 (ocurrencia do respeitavel publico, esperam
merecer desie toda a proteccao, ja pela delicadeza
>, seriedade que empregaro emseus negocios, co-
m pelo completo sortimento de miudezas e per-
fumarias, como sejam flvelas com cintos, agulhas
iTueriaes as raelhores que tera vindo ao mercado,
litis cantofas, sapatos de tranca para homem e
suah ira, rap do Rio, fumo de Herlebeck, can-
dieiros para gaz, charutos muito finos, bilhetes de
atera, tillagarca e muito8 outros objectos que se-
na eafad inho mencionar, sendo estes vendidos por
preeoa ta > razoavels que a pessoa que comprar a
nriuiP'.ra vez, nao deixar de continuar a vir sor-
tir se ueste novo estabelecimento.
Cake da gaz.
pite* do gt.
Alcalrai) da gaz
toneiladas rs. .
10*000
SOdQDO
400
Aviso aos reverendissimos
sacerdotes.
Ni ra do Crespo n. 5 amiga loja de Guilherme
a SivaGuimaraes. heje de Gregorio Paes do Araa
ral tv '.., recebeu pelo paquete ltimamente che
alo por conta de urna das melhores fabricas de
Lisboa, os seguintes obpetos proprios para os
mtsteres religiosos, que sero vendidos por preces
ratea veis, a saber :
1 pallio de damasco branco de seda muito rico.
3 caalas cam os competentes preparo?.
Birretes de seda prela e luvas.
Mi s ile seda rouxa, prelas e encarnadas, pro-
pru- para as diversas dignidades ecclesiasticas.
Novidade.
Ai mesma loja tambera se vendem chitas1 de li-
nhi edr de palha com salpicos de cr a 320 rs. o
vivido, sendo estas fixas, assim como contina a
ter o mais escolhido sortimento de fazendas para
grande loilet e uso ordinario para todas aselasses.
Cok
Pitch
Alcitro caada.....
O oke reconheeidamente o carvao m
mico, torna-se por isso recommendavel, bem co-
mo palo asseio que se nota nascozlnhas aonde
alie usado. Piten e aleatro.alra das applieacSes
diversas a que se prestan, como para callafetar
embarcacoes.alcatroar madeiras.etc.teem este a
propnedade de preservar docuplm, formigas,etc.
E entregar na fabrica dogaz ou mandado pflr em
qualquer ponto da cidade, segundo a vontade do
comprador.

2 i
gif'g
O S.O CD -J -
o-r doSo
=-2 =
a
i
a. ce v
9
I
Sif2
CD
CD 2
II.
-, 3 m1 =:
fl) CD i
ge. o wS
W CD g-S S
2 ="2 5 0.2.B
o. S. b > 5 sr. a
cdo aM3.5-S5:o^
CD
- S5
S. O a .
s>
1 3' rs
cr- -
cd-2
H
ir.
O
09
n
03
re f. *
S CD 5f? ?
B 2.11
P ST9-
o.

5

CD
OQ
a
CD
^ 9> S ~
a. cd as -1
030
nn
o
O
03

o
o _
ojn
cu rp
a
N
CD
O
03
>
>
5d
o
braa 100 rs.
'Toucinho de Lisboa a 9$500 a arroba e a 320
rs. a labra.
JDUo de Santos, a arroba 7*000 e a libra a
260 rs.
kMlhos com 125 ceblas grandes, a 1280.
IMostarda franceza, caixa com 2 duziasa
7#000.
1 Frascos com mostarda preparada em vinagre.
a400rs.
Ditos com conservas inglezas e trncelas, a
. 640 e 800 r.
SOitos com sal refinado fino, a 640 e a 500 rs.
(Ditoscoraa verdadeira genebra de Urania, a
1 1J000.
5E>itos di garrafas de Holland verdadeira,a
640 rs.
noHja ouui dita propria para negocio, a
{ 400 rs.
Garrafoes com 2 galoes com dita, a 6*.
jServeja boa, marca, a 500 rs. a garrafa, e a 1
duzia a 6j000.
Vinho muscatel de Setubal, a garrafa a 1*.
Marrasqmnho verdadeiro,frascos a 80C rs. e
a 1*200.
{Champagne, a dozia 20*000, e a garra Ta a
2*000.
Azeite refinado portuguez e fraucez, a garrafa
' a 1*000.
Caixa de vinho Bordeaux muito superior, a
7*. 8*. 9* e 10* a caixa.
[Ditas com dito branco, a 7* a caixa.
, Ditas com dito lagrimas do Douro verdadeiro,
a 20*.
'Ditas cora duque do Porto verdadeiro "a
18*000.
Ditas com chamisso superior, a 14*.
'Ditas com Porto velho e outras muitas mar
cas, a 12*.
>Vinho do Porto da pipa, a garrafa a 640, 720
l e 800 rs.
SDito de Lisboa muito bom, a caada a 3*200,
3*500 e 4$, e a garrafa a 500 e 560 rs.
Dito da Figueira, das seguintes marcas (N".)
(J. A. A.) (J. L. G.) (0. M.) a caada a
) 4*500, e a garrafa a 560 e 640 rs., deste
que j est engarrafado e lacradocom'o
rotulo do armazem.
jDitos de marcas mais desconhecidas, acana-
> da a 3*500 a 4*000, e a garrafa a 480e
?520 rs.
Vinho branco fino, agarrafa a 640rs.
Dito de caj muito superior, a garrafal
800 rs.
Caslanhas.
Castanhas novas vindas neste vapor, a arro-
ba 4*000 e a libra a 200 rs.
Azeitonas.
Barris com azeitonas-novas a 1*500
Manleiga.
Manleiga superior, a libra a 1*280.
Dita mais abaixo a 1*200.
Dita menos superior a 1* .
Dita franceza nova, a libra a 880
Dita dita em barris e meios ditos, a libra a
850 rs.
Dita para tempero a 400 rs.
Qneijos.
Queijos novos viudos neste vapor a 2*800 e\
1S00Q.
Ditos londrinos muito novos, a libra ai
1*000.
Papel.
Papel al maco pautado, a resma a 4*800.
Dito dito lizo de lioho, a resma a 4*500.
Dito de peso lizo e pautado, a resma a
2*500.
Dito de ombrulho, bom a 1* e 1*200.
Viaho Nadeira.
Garrafas com o verdadeiro vinho Xerez e Ma-^
deira a 1*500 e 25000.
Temperos.
Folhas de lour-o, pimenti do reino, cominho
ecravo, a libra a 400 rs. .
Velas de carnauba.
Hassos cora 6 velas de carnauba refinada a.
480 rs.
Anendeaa.
Araendoas com casca, a libra a 320 rs.
Doce.
Caixoes de doce de goiaba, grandes a 1*400'
e pequeos a 640 rs.
Tijolos de limpar.
Tijolos de arear facas a 140 rs.
Graia.
Duziasde boioes de graxa n. 97 a 2*000, e 1
de latas a 1*000, e os boioes a 240 rs. ca-i
da ura, e as latas a 100 rs.
Charutos finos.
Charutos finos dos melhores fabricantes da
Baha por diversos precos, caixas e meias;
caixas.
DE
AZEVEDO FLORES
Ra da Odeia do Kecife, esquina ta Madre de Dos.
Prestem attenco ao discurso do Balo.
A loja do Balo todas as semanas reforma o seu annuncio em conseqnencia de
constantemente receber novas fazendas e novo sortimentn de roopa feria, os seosprecos-
so os mais moderados como j ninguem ignora, as fazendas que n5o levam preco marca-
do porque ha diversas qualidades e diversos precos, e em loja alguma encontrar o pu-
blico um t3o'completo sortimento de fazendas e roupas feitas, e no havendo a obra que
o freguez procurar toma-se a medida e em 2i horas estaro salisfeitas as exigencias do
fregmez.
Pede-se atten#o.
Chapeos de sol com 16 asteas a 12.
dem idem com 12 asteas a8.
dem idem denominados acadmicos, fazenda inteiramente nova com 12 asteas a
l"2->, por este preco s na loja do Balo se enconlra.
Bales de arcos para senhoras, os melhores que ha a 3*.
dem de arcos e de mussehna para meninas a 26, 2fll500 e 35O0.
Vestidos finos a Mara Pia a 14&.
dem dos ncais modernos que ha de flores matisadas a 18.
dem com barras, fazenda ainda nao vista em Pernambuco a 24$.
Pecas de cambraias que sempre se vendeu por 0, o balo wnd por 1&.
Chitas preclaras que todos vendem por 040 rs., o Balao vende a 560.
dem da m sma qualidade, porm de ouros pa Irea a 440 rs.
dem escuras a 300 rs. esto-se acabando.
dem estrellas a 200 rs. s na loja do Balo.
Laas de accento escuro com flores matisadas denominada pelas senhoras que j
compraram (la econmica.)
Cambraia de cores as mais finas a 800 rs. a vara.
dem de cores com quadros brancos a 560 rs. a vara.
Madapolo a 85 a peca, que vale 9b, tambem ha fino.
dem francez proprio para saia de senhora a 560 rs. a vara.
Camisas de meia muito finas a 15 a duzia.
Me as cruas para homem de 0.-> a 8 a duzia.
Camisas de pregas largas a 2$500 que todos vendem por 3/.
dem inglezas de lioho muito finas a 48 ou 54$ a dua.
dem de flanella de cores muito finas.
Calcas de casemira pretas e de cores de 7 a 12$.
Paletos de casemira decores e prctos, a 10;5. H$ r 12$.
Colletesde casemira e debrim branco os melhores que ba.
Calcas debrm.bra:'.co muito finas a 4m00, 5$ e-70.
Paletos de alpaca branco a 5$ a duzia.
Mantas modernas pitra pescoco de homem.
Collarinhos de papel de cores a 800 rs.
dem brancos a 400 rs. a duzia.
Laa preta para luto e de todas asmis cores a 500 rs. o corado.
Ceroulasdelinho com duas costuras.
dem de algodo a 1600.
Cambraias para forro de vestido a 2,5600 a peca ou a 360 rs. a vara.
Chales de merino estampado que custaram 8$, vende-se por 56 em razSo de es-
tarem um p uco desmaiados por ter estado a mostra, por estes precos s na loja do
Francisco Jos Germano
RffJA SOV.I X. ti,
acah? de receber um lindo e magnifico sortimento
dr-nonios, lunetos e binculos, do ultimo e mais
apurado gesto da Europa.
120 COOrs.
Eli val sem segnndo.
Frascos com agua do colonia
1).zia de thesouras para costara
Caixas de soldados de chumbo a 120 e
Na roa do Queimado o. 49.
120
600
200
Urna familia que se retira vende urna mobilia
de amarello j usada, trem de cosinha, louca de
almoco ejant.tr azul, urna mesa de jantar de ama-
rello pee torniados, mesas pequeas, commodae,
cama de csale, nruites outros objectos o que todo
se vender ea conla: na roa dos Piros o. 62.
Vende-se urna negr nha de 10 annos, muito
esperta e sad'a : no pateo da matri* de Santo An-
tonio a. 8.
grande quantidade de gneros tendentes
estes estaoelecimenfcos, que deixam de an-
nunciar-se.
CORTttfAlMt BORDADOS
K 11 Ra do QueimadoN. 11
A este estabelecimento chegou ltimamente, da Europa um grande e variado sortimenio de cor-
tinados bordados o que ba de ma* Rosto em deselhos e bordados.
Lindos bonets de palha de Italia para senhoras.
Chapeos e chapelinas de palha de Italia ricamente enfeilados.
Chapeos finos de seda para cabeca de homs e chapeos de sal de seda oglczes de 8. 12 e 16
astes.
Bournus e chales de renda pretos superior.
Pelisses e soutembarques de seda preta pap senhoras.
Cortes de la de barras de 144 a 225 de mito gesto.
Baloes de amos e de mnsselina unos, manguitos e camisinhas.
Saias bordadas muito superiores. J
Moireantique preto, grosdenaple preto e de aires, panno preto fino de diversas qualidades e ca-
semiras pretas e de cores. J
Levas de pellica para homim e senhoras. .
E nitas ostras fazndas qne todo se vende barito na loja de Augusto Fredenco dos Santos
Porto, aonde tambem se vendem as raelhores e maii baratas
Esteiras da India para forrar salas
S. H-Rna da 0oeimndo-N.11
MACHINAS DEPATENT
de traballiar mo |:ar?
deeearocaralgodSo
FABRICADAS
Por Plant Brothers & C.
OLDAM
Estas machinaj
poderadescarocar
qualquer especi*
de algodao sene
estragar o fie.
sendo bastantt
duaspessoas par
o trabalho; pd*
descarocar urna
arroba de algo-
dao em earocc
em 40 minutos,
ou 18 arroba.'
por dia ou 8 ar
robas de algodt
limpo.
Assim como machinas para serem movidas por
animaes, que desearocam 18 arrobas de algodc
limpo, por dia; e motores para mover urna, duas,
euir;s dessas machinas.
Os mesmostem para vender nm bellissimo va-
por que pode fazer mover seis destas machinas
mencionadas; para o que convida-se aos Srs.
agricultores a virem ver e examma-lo, no arma-
zem de algodo, no largo da ponte nova n.47.
Sauoders Brothers & G.
AGUA
DE
Florida.
para restabeleeer e conservar a cor natural dos ca-
bellos.
A agua de Florida nao urna tintura, facto es-
sencial a contestar, a mesma agua dando a cor
primitiva de cabello. Compostas de plantas exti-
cas e de substancias inoffensivers, ella tem a pro-
pnedade de restituir aos cabellos o principio co-
rante que elles tero perdido.
De urna salubridade incontestavel, a agua de
Florida entretem a limpeza da cabeca, deslroe a
caspas e empede os cabellos de rahir.
Oleo de Florida
Composto de substancias vegetaes exticas, elle
contribue poderosamente, com a agna de Flo-
rida a forca, a belleza e a conservacao dos cabel-
los.
Em Paris casa de Guilanr n. 112 ra de Recbl-
lieu e 21 boulevard Montmartre.
Todos os frascos nao tendo intacto e clare, e un-
cir prateado da casa, reputado falso.
Deposito roa do Imperador pharmacia n. 38.
Bixas hamborgoezas.
Vende-sena ra Nova n. 61.
.V. II, praca do Corno Santo
RECIPE.
Os nicos agentes neste paiz.
ATTEMCaO.
o armazem de fazen das ba-
ratas de Santos Coelho,roa
do Queimado n. 19, ven-
de-se o seguinte:
panno a
0 GASTELLfi -WHUVILLE
J. C. da Crnz.
Vende-se a loja de barbeiro da ra do (tan-
ge! n. 18-com lodos os mus pertences para traba-
ilhar, e muitos bous apparelhos para amolacSes,
TradTiMde do fraieez per A. J. i. da tniz. Qr SflU dono ser obrigado a retirar-se pra fra
Vende-se este bello romance em quatl da provincia por motivo de molestia neuravel nes-
tomos pelo baratissimo preco re 2450C]|te clima._________________________
oa praca da Independencia, livrariens. l~
6 e 8.
Farello.
Vende-se excellente farello de Lisboa, deposita-
do no trapiche do Canha; tratase na roa da Crnr
n. 2S andar, escriptorio de Antonio de Almeida f
Coaws. j
Vende-.-e urna armaco desorganisada, em
ionio pequeo, que contm alem de alguns uten-
:ilios dous depsitos para agurdente e um para
eite de carranato. e se afianga; vende-se barato:
tratar na taberna da roa do Princip n. 32.
ET Vende-se um escrav i4ad.U .natos insigne
Icial de carpina e bonita figura : natrave op
armo n. 1.
Chegarara livraria encyclopedica de Jos Bar-
bosa de M-llo, ra da Cruz n. 52, as segnintes
obras do Dr. Chernoviz :
Formulario ou guia medica,
qne contm a desenpeo de todos os medicamentos,
sexta edigo, com 121 tlguras no texto, que repre-
sentan) as plantas medioinaes; 1 volume de 820
paginas, encadernado, preco 6a.
Diccisaario de medicina popnlar
qne contm a descripeo das molestias e o seu tra-
a memo, lerceiraedico, com 2,11 paginas; 3 vo-
lumes encadernados, preco 205.
Histeria natural
para os nenios e meninas, on cenversacao de
um paj^om seus filhos sobre muitos animaes o ve-
getaese 1 volume encadernado, cora 154 figuras,
Precf4*.
Tjfotbem chegaram mesma livraria a gramma-
cafranceza de Burgain, nova edicao, e o diccio-
nario do bom gosto.
Kivalsem segundo
e ^aa d j^ly'piado n. 49, loja de miudezas de Jos
&- Azevedo Mala .Uvaesta disposto a vender mui-
to barato que admira, ii sens freguezes ja estao
scientes que nao ba segnndo wmpetidor
Pegas de cordo para vestidos a >c
Capacho rettentls e oompridosa 500 rs." "
Talheres para meninos a 240 rs.
Duzias de facas e garfos a 25400.
Ditas de cabo preto cravado a 3,8000.
Baralhos franrezes muito finos a 200 e 240 rs.
Grozas de boioes de louca a 160 e 200 rs.
Caixas com soldados de chumbo a 120 e 200 rs.
Bunecos de choro pequeos a 160 rs.
Varas de cordo para esparlilho a 20 rs.
Duzias de colheres para cha a 800 f?.
Duzias de colheres para sopa a i&oW.
Ditas de metal principe de cha a 10000.
Ditas para sopa a 44000. _______
Leoces de panno do linho a 20400.
Ditos de bramante de linho de nm s
30500.
Cobertas de chita a India a 20509.
Lengos de cambraia brancos proprios para algi-
beira, peio barato preco de 2*000 a dozia.
Pegas de bretanha de rolo com 10 varas a 30800
Ditas de cambraia para forro de vestido, com 8
varas, pelo taratissimo prego de 20600.
Guardanapos adamascados pelo baratissimo preco
de 30500 a duzia. *
Algodo enfestado com 7 1|2 palmos de largura a
10-200 a vara.
Cortes de la de lindos goslos com 15 covdos a
60000.
Pecas de cambraia adamascada cora 20 varas, pro-
pria para cortinado, pelo barato preco de 110.
Fil liso fino a 800 rs. a vara.
Dito com salpicos a 10 a vara.
Tarlaiana branca fina a 800 rs. a vara.
Atoalhado de algodo adamascado a 20800 a vara.
Dito de linho a 30200 a vara.
Liazinhas lisas de todas as cores, pelo baratissimo
prego de 500 rs. o covado.
Pegas de cambraia de salpicos brancos e de cores
com 8 1|2 varas, pelo baratissjmo prego de
Bal5es de 20 arcos a 20500. de 25 a 30, de 30
3S5O0, de 35 40, de 40 40500.
Toalhas felpudas a 130 a duzia.
Esteiras da India de 4, 5 e 6 palmos por menos
prego do que em ouira qualquer parle.
Neste armazem se encontrar um grande sorti-
menio de milpa feita e por medida.
Vende-se a taberna da ra dos Agouguinnos
n. 20 a tratar oa mesma.
dmiravel pechincha!
\J Nocamlriqe o 800 rs. o covado, na toja
_\ do pava.
Yeaftetiree v.-.ndis bonitos mocambiques de pu-
ra la proprios para veelidos e soaiembarque.'
sendo de quadrinhos de lis tras e lisos, fazenda m-'
teiramentenova, em padres e muito proprias pa
ra as senhoras que frequentaro o mez Maane
porqne esta fazenda Ihes facilita fazerem por por
co dinheiro vestidos muito decentes para qDalqpr
acto, advtsrtindo-se que esle baratissimo prec *
devido a grande compra que se fea desta novIa-
:enda, que se vende a freze tnsioes o covado na
loja do pavo, run da Iniperatrlz n. 60, de Gafa &
Silva.
r


,/
\ I
ILEGTVEL


>
\
Diario de Pcrnartbneo toteta fetr 1S de nato de 19&.

.,.
ESTABELECIDO A RA NOVA N. 60
AO
RESPEITAVEX PUlIJtO.
A apreciado dos habitantes desta heroica provincia existe no grande arma-
zn da Uga dstabelecido ra Nova n. 60 un magnifico sortimento de molhados,
que sendo cm sua maxi'm a parte mandados vir directamente de estrangtiro podem ser
vendidos por presos asss razoaveis.
Sem a fatuidade de querer que este novo e interessante estabelecimento seja o
primeiro e nico em sen genero,, pdese porm iffiancar, com toda a seguranza de que
nenhum outro o exceder no restricto cumprimento das seguintes promessas:
1/ Delicadeza no trato.
2. Fidelidade no peso.
3' Sinceridade nos presos.
As pessoas que por sua posicSo social gozam de certo tratamento, acharo nesta
casa os melhores queijos londrinos, cerveja, vinhos nissimos manteiga e cli sempre de
primeira qualfdade. etc., etc.
Qualquer que seja a condic3o do freguez, elle deve contar que ser sempre mui-
to bem servido.
Aquellos que sao pouco favorecidos da sorte faro mensalmente urna economa de
raaitas patacas, afreguezando-se nesta casa, onde se lhes vender o arroz, o caf, a man-
teiga oassucir, ele, etc. de boa qualidade pelo preco que em algumas partes nao po-
dem ou nao querem vender.
Os senhores de fra da cidade, dos arrebaldes ou centro, que compram para ne-
gociar, devem vir, pelo seo proprio interesse, a este estabelecimento para se convence-
rem do quanto se pode vender barato.
Para os senhor s que compram para tornar a vender existe um sortimento espe-
cial, escolhido por pessoa entendida que certamente muito de?e agradar aos senhores
compradores.
Nao se lem poupado sacrificios, nem se deixar de fazer a diligencia para agra-
dar t todos.
PELOS SEGUINTES PRECOS SO SE VENDE
A DINTHEIRO A VISTA:
AO PUBLICO
em o menor constran-
glmenco se estregar o
Importe do genero que
n5o agradar.
ARMAZEM UNI
^

ATTENQ&O
os presos da seguate
tabella para todos, po-
dendo asslm servir de ba-
se para o ajaste de costas
com os portadores;
RA DA CADEIA DO RECIFE N. 53
(Logo passando o oreo da t oncclco)
PARA BEM DE IODOS,
amricia.
Francez 1>m rica o000
Porlland dem 8,6500
Em perfeito estado:
Francez barrica 10,5000
Porlland dem 12^000
No armazem de Tasso Irmaos caes do Apollo.
Fio de algodSo da Bahia.
Vendefse no escriptorio de Antonio Luiz de OU-
veira Azevedo & C, roa da Cruz n. 1.
C'aiimgas finos e brinquemos
para meninos.
Chegaram para a loja de miudeza? Qneimado n. 69, os mai6 finos e lindos c irnisas
lantopara brinquedo de meninos roo para i una
de mesa : na mesmaloja se encontrad bom r-
timeeto de miudez-s.
ALPISTE E PAINCO a 120 rs, a lib a.
AMENDOAS novas a 28o rs. a libra.
AVELAES a 240 rs. a libra.
ARROZ de 90 rs. a libra a,..
AMEIXAS francezas em latas, potes, fras-
cos, bocetas, etc etc.
AZEITE doce a 600 rs. a garrafa, cadada a
B
BANHA de porco a 660 rs. a libra, em por-
co faz-se abate.
BOLACHINHAS do beato Antonio a
BOLACHINHAS de soda lata grande a 2,000
ris.
BISCOITOS ing'ezesem latas de 1,200 rs. a
BOLACHINHAS principo Alberto a 2,000 rs.
c
CHOURICAS muito navas a. 800 rs. a libra.
GAF de 260 rs. a libra.
CHOCOLATE francs, a 800 rs. a libra.
CHAMPAGNE das. marcas mais acreditadas
a 25,000 rs. o gigo.
CHARUTOS de todas as qualidades, suissos,
americanas, bahiannos, fluminenses, etc.,
de 1,400 a 10,000 o cento.
CHA HYSSON de 2,200 a
COPOS 1 sos ladidados de todos os tama-
nbos a
B
DOCES de toda as qualidades.
E
ERVILHAS seccas e em latas portuquezaa e
francezas.
F
FARINHA de araruta verdadeira a 800 rs. a
libra.
FARINHA do Maranho ou tapioca a
FARELLO de Lisboa a 4 e 5,000 rs. a sacca.
FAVAS portugoeaas em lata a 600 rs.
m
GOMMA muito nova e arva a 140 rs. a libra.
GRAO DE BICO a 120 rs. a libra.
GENEBRA delaranja a 9 e 10,500rs.
CENEBRA de Holknda tm botijas, frascos,
garrafas, etc.. etc.
MANTEIGA ingleza efranceza altf, 1#120
I #280 e em barril faz-se grande a bati-
mento.
MACARRO a 400 rs. de 8 libras para cima
a 360 rs. a libra.
MASSA DE TOMATE a 600 rs. a lata.
MOSTARDA ingleza a 800 rs. o frasco.
MARRASQUINO de Zara.
[MARMELLADA de diversos fabricantes e
diversos preco*.
PEIXE em latas a 1,000 rs.
PERAS SECCAS a 500 rs. a libra.
PASSAS muito novas a 320 rs. a libra.
PRESUNTO para fiambre.
m
QUEIJO do reino de 2,000 a
DEM londrino.
DEM suisso a 800 rs. a libra.
DEM prato a 800 rs. a libra. .
m
SABO MASSA a 160 rs. a libra e grande
abate em caixa,
SEVADINHA a 200 rs. a libra e 8 libras se
far grande abatimento.
v
VINHO tinto de 360 a... garrafa.
VINHO tinto em caada de 2,560
VINHO branco em caada de 3,500 a
VINHO verde a 4$ rs. a caada.
VINHO Bordeux em caixa a 6.000, 7,000 e
VINHO de Grave a 6,000 rs. a caixa.
VINHO Cherry a 1,000 rs. a garrafa.
VINHO do Porto de todas as marcas e todos
os preces.
VINHO Collares a 800 rs. a garrafa.
VINHO tinto, neste genero ha constantemen-
te 20 a 30 pipas ao torno de diversas
qualidadese diversos precos.
VINAGRE em ancoretas a 15,000 rs.
VINAGRE em pipa a 160, 200 e 240 rs.
VINAGRE branco a 400 rs. a garrafa.
VELLAS de carnanba a 13 e 13,500 rs. a
! arreba.
ESCRAfos rocnios"
Fugio no dia 7 do crreme, da casa do abai*
I xo assignado o sea escravo Francisca, cabra, ceta-
Senhorrrc choras, o aceio qne presidio aos arranjos dete novo estabelecimento e mais que tudo a prompt.dao e intei- mSgBCS^iSSi S\ Z
reza com que ser5o raids?convida a urna visita ao mesmo, ceos ae que sem duvida me darao a proteccSo e preferencia na com- "guiares, levando vestido alga de casi mira ,r-
pra dos generes trae precisara e quando n5o possam vir poderSo mandar seus portadores, ainda que estes sejam pouco orticos, Ia-camisa bca paietot de alpaca ci. peo de
poisser3o o bem servidos como se viessempessoalmente, bavendo para com estes toda recommendaco, afim ;de quenovaoem K.^M'ul "pPai
tra parte.
Manteiga ingleza especalo ente escolliida a
l,ooo e 8oo rs. a libra e em barril se faz
Superiores cortes de moirs preto com barra, o qne ha de melhor gosto em
Pernambuco.
dem de gorgur5o preto adamascado com barra a imperatriz Eugenia,
dem do gorguro de seda bordados com barra.
Superiores msirs pretos e largos 20400, 20600, 3$, 30500, 4#, H, 60,
70 e 80 o covado.
Superior gorgurao de seda preto, a melhor fazenda que ha para vestrdo.
Sarja preta de seda,
dem preta bespanhola.
dem idem lavrada a 20 o covado.
dem idem lavrada muito superior.
Completo sortimento de grosdenaple preto a 10500, 10800, 20,20500, 30,
30500, 4, 40500 e 50. *
Pannos pretos de superi >r qualidade de 30 a 120 o covado.
Casemira preta Je 10600 a 50 o covado.
Lindos chales, bournns, algeriennes e retoudes de fil preto.
Mantas pretes de fil e los pretos.
E nanitas outras fazendas de superior qualidade na loja das Columuas
na ra do Crespo n. 13 de Antonio Correa de Vasconcellos & C. successores
de Jos Morara-Lopes.
SR*
GOMMA NOVA.
Em paneiros muito alva a 4,ooors. a arroba e 16o rs. libra e compran-
do de um paneiro para cima se far abatimento na roa do Imperador n. 40.
^ aflgfl "TfiT dTOfl TMii flm ryjCLi jflna /*^fFi XOQjjS^ J2Sr)rfPnJ~iSft.Lt
X A 1O00.
Leques de osso, gosto moderno, pelo diminuto
prego de l : s na roa da Gadeia do Recite o. 5,
leja de mindezas de Silvestre Pereira da Caoba
& Companhia.
Farelo a 3|800
na ra da Imperatriz n. 6.
Chegaram os superiores
cortes de seda.
Superiores cortes de seda de cor, viodos pelo
ultimo vapor francez : na loja das columnas a roa
. do Crespo n. 13, de Antonio Correia de Vascon
J cellos & C
abatimento.
Idemfrancezaa maiioova do-mercado a 96o
rs. a libra e 900'rs. em barril oumeios.
Cb nysson de superior qualidade a 2,600
rs. a libra.
Cha perola o mais superior do mercado a
2,8oo rs. a libra.
dem hysson muito superior em latas de 15
libras muito proprio para negocio a 2,ooo
rs. a libra.
dem hysson nacional em latas de 1 e 2 li-
bras a l,6oors.
dem preto o que se podo desejar neste ge-
ero a 2,ooo e 2,2oo rs. a libra.
Linguigas muito novas a 8oo rs. a libra e em
barril se faz abatimento.
Chouricas e paios a 8oo rs. a libra.
Costelletas inglesas a 6*o rs. libra, serve
para temperar panella oo para fiambre.
Queijos do reino chegados neste ultimo va-
por a 2,2oo rs., ditos de navio devella a
2,ooo rs.
dem londrinos muito frescos e de superior
qualidade a 8oo rs. a libra.
dem prato? 8oo rs. a libra, e inteiro se faz
abatimento.
dem suisso o mais superior que tem vindo
ao mercado a 64o rs. a libra.
Ervilhas e favas portuguezasj preparadas
em latas hermticamente lacradas a 64o.
Feijao verde muito superior a 640 rs. a lata.
Copos lapidados para agua a 5,ooo e 5,5oo
rs. aduzia.
dem idem para vinho a 24o rs., e 2,ioo rs.
a duzia.
Chocolate francez hespanhol e suisso a 9oo,
l.ooo el,2oors. a libra.
Espermacete superior a 6oo e 64o rs. a li-
bra e em caixa se faz abatimento.
Peixe em posta em latas hermticamente la-
cradas e das melhores qualidades de pei-
xe a 8oo, l,ooo e l,2oo rs.
Vinho Bordeaux das marcas mais acredita-
das que vem ao nosso mercado a 7,ooo e
8,ooo a caixa e 64o e 7oo ris agar-
rafa.
Genebra de Hullaoda a 48o rs. a botija de
conta certa.
Frasquairasde genebra de Hollanda a 6,8oo
e 64o rs. o frasco.
Genebra de laranja verdadeira em frascos
grandes a 1,oooell,ooors.a frasqueira.
Caf do Rio de 1* qualidade a 28o rs. a li-
bra e 8,5oo rs. a arroba.
Cafdo Gear muito superior a 24o rs. a li-
bra e 7,5oo rs. a arroba.
Arrozdo MaranhSo de 1* qualidade a loo
rs. a libra e 2,8o a arroba.
dem da India a loo rs. a libra e2,8oo a
arroba.
dem de Java a 8o rs. a libra e 2,4oo a ar-
roba.
Paincoe alpista a 14o rs. a libra e4,oooa
arroba.
Massade tomatesde superior qualidade a 64o
rs. a lata de urna libra e56o rs. a reta-
lho.
Alatria, macarro e talharim
bra q 0,ooo a caixa.
a 4oo rs. a li-
refcrldos signis tem eiif
bragodireito um signo MtonieabaUo ou uuat
i tem um coragao feto com tinta azul, ti:: rujo ten-
Sal rfifinnHn om r*nt.n~ j j lro ,em as 6 iniciaes segulntes MMI IMN, fin elks
Hn S de Vldr0 Com lam')a 23 annos de idade P"co mais oa m*w*> r"nl; i"
tara a psirpli Oiesmo, a 5oo rs. seguido a estrada do norte em busa da caa ne
ota branu ouamae a tff e e,-1odl" '6r?eja branca das marcas mas acreditadas seu ft"?*" h***"1 ^Tlm Car-
nBaordtitdouamareiiaa 64o rs.a libran que ^emao mercado inn Kfin p fiio Deiro da Co-,a>a (iual no lu^ar di-nui-maoo
3,5oo a caixa com 8 libras. | a rarrA a' \5? !Gurral rande da villa de Sanla Anna provincia
Vinho do Porto muito fino nronrin nota' 7ia 6'000 e 6,5oo a du- do Cear. O abaixo assignadorecommenda pois,
ftnffarrafar nm minmiM fy i ,' tanto as autoridades como aos caph.s de cairpo
? ancoretas de S caadas a Cevadinha de Franca muito nova, a 2oo rs.!de iualauer luar a captura do rt-erid ejoravo,
, Charutos do affamado fabricante Jo Furta- 2uai pode,r,a !er eatr***e no PJme're andar do
sobrado a. 31 da ra do Imperador ou no sitio da
estrada de Joao de Darros residencia do abaixo
assinnado. A pessoa que o trouxcr ser genero-
smente recompansado.
Joaquim Mauoel de Mira Wander|eyi
35,000 rs.
Vinho em pipa : Porto, Figueira e Lisboa a
32o, 4oo 5o rs. a garrafa, e em caada
a 2,5oo,; 3,ooo e 3,8oo.
Vinhobranco de Lisboa de excellente quali-
dade a 4oo e 5oors. a garrafa e em cana-
da a 3,ooo e 3,3oo.
Vinhobranco para missaem caixas de 1 du-
wa a 8,ooo e 68o rs. a garrafa.
Vinho do Porto das melhores marcas que
vem ao mercado comosegam: Lagrimas
do Doaro, Duquedo Porto, Rainba de Por-
tugal, Duque genuino, D. Luiz I, Madei-
ra Secca, Malvazia fina a !6,ooo,15,ooo,
12,ooo e lo,oooa caixa com 1 duzia e 9oo,
l.ooo e l,5oo rs. a garrafa.
Vinho Chererd superiorqua!idadea16,ooo
a duziae l,5oo rs. a garrafa.
Sardinhas de Nantes a 4oo rs. os quartos e
64o rs. as meias latas.
Bolachinhasinglezas muito novas a5,oooa
barrica e 320 rs. a libra.
Bolachinhas de soda em latas de diversas
qualidades a l,3oors.
Caribes com bolo francezmuilo propriospa-
ra mimo a 64o rs.
Passas muito novas em caixinhas enfeitadas
para mimo a 3,ooo rs.
Passas de carnada a 8,ooo a caixa e 4oo rs.
a libra.
Figos de comadre a 24o rs. alibra.
Amendoas de casca mole a 4oo rs. a libra.
Milo de amendoas a 5oo rs.
Bolachinha d'agua e sal, da fabrica de Joo
de Brito no Beato Antonio, emlata de 6 li-
bras por2,5oo rs.
Ameixas francezas em Pateo de vidro com
tampa do mesmo, a 105oo.
Ameixas franc zas em caixinbas de diversos
tamanhos com bonitas estn pas na cai-
xa exterior, a l,4oo, 1,6oo, 1,8ooe 2,ooo
eada ma
Azeite doce refinado hespanhol ou portuguez
a 9oo rs. a garrafa e lo:ooo a caixa.
Batatas muito novasa 8o rs. a libra e2,5oo
o gigo com 36 libras.
Conservas inglezas a 75o rs. o frasco e
8,5oo a duzia.
Vassouras de escova para esfregar casa a
4oo rs.
Nozes muito novas a 16o rs. a libra.
Molho inglez em garrafa de vidro com rolha
do mesmo, a 16o rs.
Mostarda ingleza dos melhores fabricantes,
a 8oo rs. o frasco.
Mostarda franceza em potesj preparada a
4oo rs. o frasco.
Lenlilhas francezas, excellente legume para
sopa, a 2oo rs. a libra.
Marrasquino de Zara propriamente dito a
10 a garrafa e 11,ooo a duzia.
Palitos de dente a 14o rs. o maco.
do de Simas, das seguintes qualidades:
Exposicao Normal de H.ivana, Imperiaes,
Londrinos, Guanabaras, Parisienses, Sus>-
piros Delicias, a 4,ooo, 4,5oo, 8,000,
6,000 e 7,ooo a caixa ou em meias.
Charutos finos de diversas marcas e fabri-
cantes, como sejam: Flor do Norte, Ma-
nilhas de Havana, intervallos. Vencedores,
Panatellas e Suspiros, a 2,000, 2,5oo e
3,ooo a caixa.
o gnac inglez das melhores marcas, a 800 e
l,2oo a garrafa.
Doce da casca de goiaba a 2,oo a lata com
4 libras.
Farinha de araruta verdadeira a 32o rs. a
libra.
.Matte,excellente cha para os navegantes, a
2oo rs.
Sebollas de Franca muito grandese novas
a l,8ooocento e l,2oosoltas.
Palitos do gaz a 2,2oo a grosa.
Toucinho de Lisboa muito novo a32ors. a
libra e 8,5oo a arroba.
Banha de porco refinada a 65o rs. a libra.
Bolachinha Alberto, as melhores que pre-
sentemenletem vindo ao mercado, a 2,ooo
a lata.
Farinhado Marannlo muito alva e cheirosa
a 20o rs. a libra.
Frascos com fructas em calda de diversas
qualidades a 2,5oo e l,5oo o frasco.
Caixinbas com fructas em doce secco de di-
versos tamanhos, muito proprias para
mimo, a l,6oo, 2,600 e 3,5oo cada urna.
Ruibos, excellente peixe portuguez, em
barris pequeos ou aretalho, avista se
far o preco.
Azeitonas de Rivasem ancoretas grandesde
8 garrafas por 600 e 800 rs. a garrafa.
Azeitonas porluguezas a ooo rs. a garrafa e
l,5oo cada urna ancorla.
Champagne da melhor qualidade que vem
ao mercado, a 2,000 e 3,5oo a garrafa, e
24,000 e 26,oo o gigo.
Gomma deengommarmuitoalvaa 12o rs.
a libra.
Figosem sextnhas a 80 rs, cada urna e 72o
rs. aduzia.
Papel azul para botica a 2,ooo a resma.
Balaios para roupa suja, grandes e peque-
nos, per diversos precos.
Amendoas confeitadas a 64o rs. a libra.
Latas com fructas em calda: pera, pecego,
damasco, rainha Claudia e cereja, a 800
rs.
Vinagre de Lisboa a 2oo e 28o rs. a garra-
fa ea l,4oo e2,ooo rs. a caada.
Azete doce de Lisboa a 4,8oors. a caada
e 640 rs. a garrafa.
Vinagre brancoj engarrafado a 5oo rs. a
garrafa.
Contina a estar fgido o cabra Danie!. in-
do a peuco do porto de Macan, embarcado un
um dos vapores da companhia Pernamburana co-
teira, cojos signaes sao os seguintes : coi f.-ixada,
altura regular, secco do curpo, cabellos um pouco
sollos, denladura boa na frente, olhos paqueaos,
p^s emaos grandes, falla detcancada t- andar lan-
retro, levos vestido camisa de chita escura, caiga
de riscadinho e chapeo de palha vclho : regate
as autoridades policiaes e capules de carr po a sua
captura, que levando na cidade do Recite a ra de
Apollo n. 34, segundo andar, serio gratificados.
-- Fogio boje 16 o moleque Eduardo, de cor
fula, bastante amarollo, de 13 annos de Idadf, bat-
i, barrigudo, nariz chato, ps apalhelados e bi-
chentos, levou chapeo de palta, caiga de risradinr.o
ja desbolado e paletot eomprido esverdiado ; este
moleque bem conhecido por andar carreganuo
urna taboleta com joias peas ras desta cittade
a bastante lempo e pertence ao r, Cye+ro IVie-
grino : qoem, pois, o apprehender, leve-o a seu se-
nhor na ra Nova.
AffWS
U
Agua florida e tnico orien-;
tal de Kemp.
Continuase a vender eia porcia e a retalho
na na do Queimado, loja d'aguia branca n. 8.
Chromacomo
A aguia branca, na na do Qneimado n. 8, acaba
de receber um novo sortimento de caixinbas com
chromacomo para tingir cabellos, e bem assim
frascos com hydrocalletrichina, agua para desen
grasar os ditos, coloncomo para lustrar os ditos,
e onychromaolna para (impar as unhas. Essa
tintura, cujo effelto rpido e efficaz, esta bem co-
nhecida e apreciada para todos qoantos del la tem
usado, e os que de novo a qoirerem apreciar, po-
dem, assim como aqnelles, dingir-se munidos de
dinheiro a roa do Queimado, toja d'aguia branca
numero 8.
Papel e folhas para rosas
Acaba de ebegar para a loja d'aguia branca, na
rna do Queimado n. 8, um bello sortimento de pa-
pel de cores para rosas, dito verde para folhas, e
dito tambera verde e mui fino para cobrir o ra-
me, assim como folbas de panno e avelludadas
para ditas.
Aspas de baleia para vestidos
Yendem-se na ra do Queimado, loja d'aguia
branca n. 8.
Superiores penas d'aqo ingle-
zas e francezas
A aguia branca alera do grande sortimento de
penas d'aco que constantemente tem, acaba de
receber mais outro de superior qualidade e dos
afamados fabricantes Perres & C, asslm como as
verdadeiras blco de lanca n. 134 e outras de pon-
a dourada, continuando porm a vende-las por
precos commodos, com unto que ocompradorcom-
pareca munido de dinbeiro: na roa do Queimado
loja da aguia branca n. 8, onde tambem achar-se-
na a venda pastas para papis.
A aguia branca na ra do
Queimado n. 8, recebeu i
Bonitos e graodos aljfares de cores para voltas.
Polseiras de ditos de iguaes e agradareis cores.
Voltas pretas maiores e menores todas de conus
grossas.
Pnlceiras pretas tambera de contas.
Outras de differenles qualidades e gostos.
Brincos de aljofares de cores e doarados.
Fivelas d'aco grandes e pequeas- com cinto pre-
to e de madreperola.
Outras gracide* de difleeents qualidades e re-
dondas com podras.
Bonitos leques de (madreperola redondos e de
outra forma.
Ditos de sndalo intericos e corredizos.
Capellas brancas para meninas.
ATTENCO MEUS SENHORES
PARA
NOVA CALIFORNIA
Fazendas baratissimas loja da rna de Crespo n. 17 de Jes Gomes
Villar.
A novacrise commercial permitte que o povo em geral nao possa comprar fazendas
caras. O preprietario des te estabelecimento, amigo qne do povo em geral, attendendo a
essas eirramstaneiasest vendendo fazendas por precos quena realldadeadmira.
Correi, bom povo, a este estabelecimento, e comprai fazendas, porque all se vende
por menos do que em outra qualquer parte.
Cassas organdyzes a 280 rs. o covado.
Chitas francezas escuras matizadas a 260 rs. o covado.
Ditas esenras murto finas a 240 o cov-ado.
Ditas ciaras dem a 240 o covado.
Ditas escuras idem a 260 o covado.
Chitas para coberta muito largas matizadas a 240 o covado.
MadapolCes finos largos a 6J1590, 19 e 8J.
Chales de fil preto muito bons a 103000 cada a,
Chales de merino estampados a 5*300, 6* e 7#.
E outras moitas fazendas, que tudo se vender por precos que admirara.
AZEITE DOCE
Azeite doce refindoem pequeas latas a 560 rs. a garrafa : no graude armazem
da Liga.
Saceos de 80, i 00 e 120 libras a 4f, 40500 e U; no grande armazem da Liga.
ECHINCHA SEN IGUA
Madapolao muito Uno com pequeo toque de avaria, por preco que admira : na
das columnas na ra do Crespo n. 13, de Aatonio Correia de Vasconcellos & C.
Desappareceram no dia 8 de Taio de 1866, do
engenho Tomoatamerim, silo na comarca de Santo
Anlo, os escravos seguintes: Marceliino, eni ulo
tirando a fulo, iaade 25 a 30 anuos, estatura regu-
lar, seco do corpo, sem barba, pernas finas, miaras
de chicote pelo lonibo, levou vestido camisa lii.-.i.
caiga de brim branco, jaquela de brim pardo c< :.\
vivo branco, chapeo de massa azulado, looavia elle
sabe contrariar; e Feliciana, cabra, idade 16 anees,
estatura regular, seca do corpo, latios encalvados,
cutis lustrosa, tem a falla um pouco arranada a
maneira dos habitantes deBeztrros, levou 1 cha't-s
novo, saia de alpaca de seda j usada e dt ijuadros
verdes e encarnados, borzeguins noves, vestido de
chita em_bom estado, emlim passam por livres paia
quem no os conhecer. Ha presurrpyo de u rtin
tomado para o lado de Nazart-lh, e o escravo lem
prenles forros e escravos de Nazareih al Fcdras
de Fogo; e foi comprado ao tenente-connel Gaiao
do eDgenho Barra da Laga Sera: os estrato .-ao
de Manoel Antunes Correa deQueirz Barros, ren-
deiro do engenho cima: por tanto roga-se a.- au-
toridades policiaes, e aos capites de campes, assim
como aos senhores de engeohos, e propiciarles,
bem como, com especialidade aoSr. leuttiir coronel
liaio, que sendo-lhes possivel aapprehen.-ao, qoet-
ram remelle-los ao proprietario dos mesmos, ou
nesla cidade roa do Imperador n. 77, segundar,
que pagar todas as despezas, assim como a quem
cenduzi-los.
Recife, 11 de maio de 186o.
Fugio era principios do mez de fevereiro do
corrente anno e consta estar acoutado nesta cidade
o moleque Euzebio, escravo da vinva do Dr. Fer-
nando Alfonso de Mello, de 12 annos de idade pou-
co mais ou menos, cor preta, secco do corpo, olhos
regulares e afumagados, cabeca ora pouco prande
e meia chala, beicos linos, dentes bem alvos, fes
seceos e muito ladino : roga-se por tanto a todas as
autoridades policiaes e capitesde campo qne oap-
prehendam e levem-o a ra da Mannueira -orado
n. 6 que ser.ao gratificados, protestando-se usar dos
melos judiclaes contra qualquer pessoa que o tenba
era seu poder.
Aviso aos capites de campo e a
polica.
21.OS do gratiticaco por cada um.
Desappareceu em principios do mez de ouiubro
do anno prximo passado de bordo do palhabote
nacional Arroto Halo, dous escravos de neme Ro-
berto, por appellido Macei, e Miguel; o i" de \5
annos de idade, pouco mais ou menos, crenlo, cor
fula, estatura baixa, barba serrada, um pouco tor-
io das pernas, e com alguns cabellos branr.. tan-
te na barba como na cabeca. O 2o alto, eheio no
corpo, sem barba e falla grossa, representa tt r de
25 a 30 annos ; cojos escravos desconfia-so anda-
rem pelos arrabaldes desta cidade : quem os ap-
prehender queira levar a ra do Trapiche n. 4.
Uteaco
No dia 4 de janeiro do ame de 1864, fugio do en-
genho Conceigao, comarca de Pc-d'Alho. o tscra
vo Galdino, pertencente ao abaixo assignado, com
os signaes seguintes : idade 26 annos, pardo, claro,
corpo, figura e altura regulares, cabellos rae ios ea-
rapinhados, olhos pardos, sobranceras e palpebras
salieates, lem em cada braco um sino de Salomio,
sendo um delles mal feto, e junio a este una cruz,
tem na cabeca urna cicatriz de urna polegada, e em
cima de um quarto urna outra cicatriz de tres po-
rgadas, proveniente de pona de pao e quedo, lem
sobre as costas algumas marcas ou cicatrizes de re-
inadas ou chicote; um[pouco desembarscado quan-
do falla, tem principio de carplna e carreiro, tora
viola e barbado. Foi soldado do corpo de polica no
Recife, e levou conmigo a baixa do theor seguinte:
Secgo urbana, 2* companhia n. 50, Antonio Cela-
no de Oliveira, ho de Agostinho Ferreira de Bri-
to, natural de Ingaieira, cor parda, cabello* rara-
pinhoe, olhos pardos, offleio nenhum, estado .-oltei-
ro, com 30 annos de idade, 60 ptlegadas de a i ma,
ao engajar-se. Engajou-se na forma do regla-
mento, em 17 de fevereiro de 1862, por ofcib do
Exm. Sr. presidente da provincia, dtalo de 28 de
abril do corrente, e publicado ao corpo em ordetn
do dia l* de maio, tudo em 1862; leve baixa de
servieo per ter dado em seu lugar o paisaro Joao
Pedro Ferreira da Rocha. Foi escravo d rapilao
Joao de Dos Barros, morador que foi na comarca
do Brejo da Madre de Dos, e boje morador na
Campia Grande da Parahyba do Norte, que o ven-
dea em das do mez de novembro de 1863 ao abai-
xo assignado, pelo costume de andar fgido e a ti-
! lulo de forro com o nome mudado ; pelo que roga-
se a alinelo das autoridades civis e militares, nao
s desta provincia como das demais do imperio, a
apprehenso do dito escravo, que a titulo de forro,
\ nao tenha sido recrutado ou asseniado praca em
alguns dos corpos de Voluntarios da Patria, lam-
[ bem pede-se aos capites de campo e pessoas par-
ticulares a mesma apprehenso, ejeva-lo ao sea
senbor no referido engenho Conceicao, ou nesta ci-
' dade ao capitSo Mauricio Francisco de Lima ra
1 do Brum n. 56, que ser gratificado com 200,5-
Jos Maria dos Santos Cavalcanti.
<'"
..... .



Diarlo de Feraanbnco Hlala felra ft de Halo do !*.
LITIERATORA.
UATHRLOO
(Continmco do conscripto de 1813.)
POR.
ERCKMANN CIIATRIAN
SEUSDA TAnTE.
( Conlinuayio. )
XVIII
i'.liegados ao outro la.lo do Sambre, ensa-
rilliamos as armas em um pomar, o cada um
ro. 0 6. de ligeiros traba um bello nu-
mero ; mas eu sabia que custa caro ter um
bello numero.
Os que ttnbam vonUde de dormir nao t-
veram o somno muito Largo, porque quando
se sabe que o inimigo est perto, e um lio-
mem diz comsigo : os -prussiauos eslo
talvez ali emboscados u'aquella floresta
custa muito fechar os olhos.
xVIguns hussaros estavam na frente da co-
lumna estendidos em batedores direita e
esiwerda do caminho. Marcliavamosa.passo
ordinario ; os nossos capites iam no inter-
vallo das companhias, e o commandante Ge-
pOJ atender o seu cachimbo, e oihar para
os hus>aros, cazadores, artilberia e infante-,
ria, qaepassavam de hora em hora sobre a, me.o do batalho, a cavallo no seu
oonte e tomavam posices na planicie. Potro cin/.ento.
" Na nossa frente estendia-se urna floresta Antes de partir, Unha recbalo cada bo-
de tatas que teria tres leguas de comprimen-
to. Vam-se no seu i.tenor grandes espa-
tos amarellos ; eram casas di colmo, e pe-
dacos de trra semeada de trigo, em lugar
de silvas, giestas e tojos como as nossas
trras. Urnas viute casas velhas erguiam-
3 ajiuaa da ponte, porque o Chatelet urna
mera a sua semea de tres libras e duas li-
bras de arroz. Fui assim que se abriu para
nos a campanha.
Havia um luar magnifico, todo o paiz e
mesmo a floresta, a tres quartos de legua
adianto de nos, brilhava como prata. Sem
o querer, pensava no bosque de Leipzig,
ni l7rnHSirui,idlMe eu tinha escorregadoem um buraco de
Mm muito grande, raa.or do que a c.dade barro com dous Jg^ prussian0Sj m
Entre os balalhes e esquadres que pas- juanto o pobre Kliepfel era a pouca dis-
savam de continuo, appareciam raulheres, ^nc.a fe.to em m, pedapos. Essaidea fa-
homens e creancas com cantaros de cerveja; estar atiento. Ninguem Mm. O
nubosa, pao e agurdente branca muito for- mes Buche ergua a cabeca. PttodO 08
te, que nos vendiara por alguns sidos. Bu- denles e Zebedeu, a esquerda da companhia
para o meu lado, mas para a
nao olhava para o meu lado,
sombra das a> vores, como todos os outros.
Foi precisa quasi urna hora para chegar-
mos ao bosque. A duzentos passos flzemos
alto.
Os hussaros retrocedern! para os flan-
a e o rio, a l-1 do batalhao, e urna companhia foi esten-
dida em atiradores pelo bosque. Espera-
dlo c eu comemos urna codea em quanto
observavamos todas essas cousas, e al ria-
mos com as raparigas que sao louras e
bonitas.
Muito perto de nos doscobria-se a peque-
a aideia de Catelineau, e nossa esquerda,
muito Ionge, entre
deia de Gilly.
Os tiros de espingarda e de peca continua- mos uns cinco minutos, ecomo nao ouv.s-
vam sempre naquella direceo. Breve che- semos nada, nein viesse neohum aviso, po-
gou a noticia de que os russos, desalojados, zemo-nos outra vez em marcha. O cami-
de Caarleroi pelo imperador, tinham forma- nho que s guiamos na floresta era um ca-
do em quadrados na pona da floresta. De nho de carros, muito largo. A columna
minulo era minuto esperavamos marcha pa- crcava o passo na sombra A cada mo-
ra llia cortar a retirada. Mas das sete para raenl S^5 espacosvas.osdavam-nos al-
as uito horas cessou o fogo ; os prussianos ? !z, Tambera se tinham fe.to alguns cor-
tinham retrocedido para Tleurus depois de^s de aore?, e a madeira branca em ste-
terem perdido um de seus quadrados ; o res-, entre estacas- luzia de, ,on8e a ,onSe-
t,. un ,_ to linha-se acolhido nos bosques, e vimos
clwgar os dr.igoes de Exelmans, que forma-
ram nossa direita ao comprido do Sambre.
Alguns instantes depois correu voz que o
tfenei com urna bala na barriga, mesmi no lugar
onde, na sua mocidade, levava a pastar o
gado de um caseiro. Que espantosas cou-
sas a gente v na vida Havia vinte annos
que esse general combaba em toda a parte
na Europa, e era ahi que o esperava a
inerte.
Buche dizia-me em voz baixa:
Muilo gsto deste cheiro da madeira f
E' como no llarberg.
E eu dizia contraigo : Que me importa
o cheiro da madeira I O que eu nao quero
6 levar por aqui com alguma bala.
Por lira, ao cabo de uraa hora, appareceu
a luz. no fundo da mata, e chegamos feliz-
mente ao outro 1 do sem termos encontrado
ninguem.
Os hussaros que nos acompanhavam pas-
Seriara oito horas da noule, e penramos saram io Para a frento' e batalh5 teve
que (cariamos em Chatelet at depois da,vo* d,e descancar armas.
Estavamos em um paiz de trigos como
passagem das nossas tres divses. Um al-
deao velho e calvo, de camizola azul e bar-
rete de algodo, seco como urna cabra, di-
zia ao capito Gregoire que fdo outro lado
do bosque, em um fundo licava a aideia de
Fieurus, e a de Lambusard, mais pequeas,
direita ; que haviam ja urnas tres sema-
ura
nunca vi em oulra parte. Ainda estavam
um pouco verdes, mas havia cevada que j
eslava madura. Estendiam-se a perder de
vista.
Todos nos observavamos attentos e no
maior silencio o que havia ao Ionge, e enlo
a iii ita uuc cimiaiu i as que os prussianos tinham gente n'aquel- V1 4ue f "" nos *^fc
las aldeias, e que arada tinham chegado (le no fundo de urna especie de quebrada,
mais na vespera e ante vesperas. Tara- f do"s mi1 Passos ad,ante ^J^SLK
bera nos dizia que ao coraprido de urna ^A^tF^S^SSl
.rande estrada Jada deanes, que via- A^SSKX^MfS
Devia ser Fieurus. Mais perto de nos,
grande estrada orlada de arvd es, que
mes correr em linha recta a duas boas le-
guas nossa esquerda, os belgas e os hano-
verianos estavam postados em osselies e
Quatre-Bras ; que era a estrada real de
Braxellas, onde os inglezes, hanoverianos
o beigas tinham todas as suas forcas; em
nossa direita. descobriam-se cabanas, algu-
mas casas e outra torre; era sem duvida
Lambusart. Mas muito mais Ionge, no fim
d*essa grande planicie, a mais de urna legua
de distancia e por detraz de Fieurus, o ter-
quanlo que os prussianos, a cinco ou seis
ieguas direita, oceupavam a estrada de,ren0 a'"f ^^LCa Z arfl
Nmur ; que entre elles eos inglezes, des- nas resplandec.am com fogue.ras em grande
de a planura de Quatre-Bras at de Lignv, Inumer0- .,,,,,.
por detraz de Fieurus, se estendia oauVa! JfS^*!t2SS2iZJ3L S
aleada, onde os seus postilhoes corriam de aldeias- continuo desde a maahaa at a noute, de 1eS(luerJa Pa a **J g *g"
maneira que inglezes sabiam todas as noli- abemos que erara Saint Amand a ma s
cas dos prussianos e os prussianos todas Proxima> L'gnyno me.o e mais Ionge, a duas
as dos inglezes ; que podiam assim soccor- boas le?uas fel me,!os' fombareL V
rer uns aos outro mandando homens, pe- f ,fne"'01" do 5" !uzn d JEyJK
cas e raunices por essa calcada. das fo%a<,r!i] do n,.m,; r,lexnenrC,'0ftl0aS
Naturalmente, ouvindo aquillo, veio-me **?%, estava ah' 2*SBS"JffS"
logo idea que o melhor que trabamos a fa- e nos ,camP0S: ,E J J" J*J
1KS 2ZSSE SLfi! JBB'^:St;^^X
z ura circulo de redor delle. Fumavaem J"^m^ npil 2,1, hnr? inhS
ura cachirabo de barro e cora elle no? J~ ?&fc'S&*W
indicara todas as pos.cees po que como d p?ussianos, e tinha parado em al-
era recovero entre Chatelet, Flearas e Na- w F d J de Fleurus.
mar, conl.ec.a todos os pontos do pan e |, f a0 com ^do do bo ue>
va todos os das o que por la se passava. ( fa estavamos, tambera
Queixava-se rau.to dos prussianosid.zendo mmBooao exerd. Se bem me lem-
,que era gente va.dosa, insolente e mal crea- de mbQ. Qs lado mas n-a0
da; que n.nguem os poda oontentar e que: fi todo maior
ps seus ofltciaes se gabavam de nos terem quanlidade era esquerda :
levado de vencida desde Dresde ate Para, 1 Poseram.se iogo sSntinellas nos arredores;
iazeudo-nos correr ad.ante d elles como depog ^ d.|tou.se caaa ora na 0Urela
8a^os- dos bosques, sem accender lume, esperan-
Corno isso me irntou I Eu sabia que elles dQ as J^ 'ordeDS
tinham sido dous cont-a um em Leipzig, Q .al Schaefer ainda appareceu ou-
que os russos, os austracos, os saxonios os [n v(?z n,egga mesma noute com officiaes de
bavaros, os wurtemberguezes os suecos, to- hussaros 0 commandante Gemeau ronda-
da a Europa nos traba oppr.m.do, quando ya Q Q conversaram em voz alta a
tresquartas partes do nosso exercito esta-vnle ^ de ns 0 al dizia que
vara doentes de typho, fome, marchas e con- Q Q0SS0 de exercil0 continUava a mar-
tra marchas; o que nao nos tinha impedido cnar mas j se a dem0rando; que
de os esmagar em Hanau, e de os l ater era- aQda n3o teria chegado todo no dia se.
oenta vezes, um contra tres emChampanhe, te v d s que ene tnha raza0,
na Alsacia, nos Vosges e em toda a parte. Q nQSSQ l0 bata||,aQ) que devia
Aquellas jactancias dos prussianos desespe- :UQtar.se coranosC em chatelet, SO chegou
ravam-me; flquei detestando profundamen- no da seguinte a0 da batalha, quando est-
te a sua raca, e disse commigo : E sao i ?ara todos morlos n'aquei|a maldita
uns mariolas assim os que nos fazem de tel LjgnV) e apenas nos restavam qUatro centos
e vinagre! .1 homens; e se elle j tivesse chegado. e ti-
0 velho tambera dizia que os prussianos, vessemos enlrado todos no fog0 tera tido a
repetiam de continuo, que bem epressa; ua de glora
iriam regalar-se em Pars cora os bons vi- Como flU tnna ^^ de gar-a na ves.
nhos de Franca, e que o exercito francez n3o ^^ eslend.me S0Cegadamente ao p de
urna arvore, ao lado de Buche, no meio dos
camaradas. Seria urna hora da ma^ha.
Era o dia da ternvel batalha de Ligny. A
raetade dos que ahi dormiam tinham de dei-
xar ficar a ossada n'essas aldeias que va-
mos, e n'essas vastas planicies to opulentas
em cereaes; tinham de ajadar a germina-
do dos trigos, cevadas e aveias por seculos
de seculos. Se o houvessem sabido, mais
do que um nao teria dormido to folgada-
era mais do que urna grande quadrilha de
salteadores.
Quando ouvi isso, disse commigo muito
irado : Isto agora de mais! E' preciso
nao ter misericordia com elles! Ha de ser
o exterminio do exterminio !
Davam nove horas e meia na aideia de
Chatelet, os hussares tocavam a recolher, e
cada um se arranjava como podia para dor-
mir, atraz de urna sebe, de um colmeal ou
em ura reg, quando o general de brigada
Schaefer veio dar ordem ao batalh3o para
passar ao outro lado do bosque, para a van-
guarda.
Logo vi que o nosso desgracado batalhSo
ia ser outra vez da vanguarda, como em
4813. E' mu para um regiment ter boa
fama; os homens mudam mas fica o nume-
mente, porque os homens prezam a sua exis-
tencia, e seria bem triste cousa que algum
dissesse comsigo: Hoje respiro pela ul-
tima vez.
XX
Nessa noite o ar era abafadico. Eu acor-
dava a todas as -horas apezar do cansaco.
Os camaradas dormiam e alguns fallavam
sonhando. Buche n3o le mova. Ao p de j
ns, na ourela do bosque, as nossas armas
ensarilhadas brilhavam com o luar.
Ao loDge, esquerda, ouvia-se oquem
viva Tdos francezes, e na nossa frente o
quem vera l ?do inimigo.
Mais perto de ns viam-se immoveis as
sentinellas do bztalhSo, a duzentos passos,
mettidas nos trigos al barriga. Ergu-
me de manso e olhei: do lado de Sombref,'
a duas leguas pelo menos sobre a nossa'di-
reita, havia rumores que cresciam e dimi-
nu im depois.
Era como um ruraorejar de folhas; mas
nao havia vento nenhum, nem cahia orvalho
e eu dizia commigo :
Sao as pecas e os carros dos prussia-
nos que galopam alm, ni estrada de Na-
raur, e os seus balalhes e esquadrds que
continuam a vir cada vez mais. Meus Deus,
em que posicao vamos estar amanha com
essa massa de homens na nossa frente, re-'
forcados de minuto em minuto.
Elles tinham apagado as fogueiras emi
Saint Amand e em Lignz, mas do lado de
Sombref havia umitas mais. Os regimentos
prussianos que acabavam de chegar a mar-
chas forradas, estavam sem duvida a tractar
de rancho. Grande numero de ideas me
passava pela mente, tornava a de tar-me e
adormec a por meia hora. Algumas vezes
tambera dizia commigo:
Escapaste de Lutzen, de Leipzig e de
Hanau; porque que n5o has de l&mbem
escapar d'aqui ?
Mas essas esperanzas que dava a mim
mesmo nao me irapediam que reconhecesse
que o negocio era muito serio.
Afinal, tinha eu acabado por adormecer
devras, quando o tambor mor Padua co-
mecou a tocar elle mesmo alvorada, pas-
seando ao comprido da orla do bosque, e
comprazendo-se no bem dado dos rufos. Os
olliciaes j estavam reunidos sebre a colima
no meio dos trigos, e olhavam para Fieurus,
conversando.
O nosso toque de alvorada comeca sem-
pre antes do dos prussianos, russos, aus-
tracos e de todos os nossos inimigos;
como o cantar da cotova ante-amano3a. El-
les, com os seus largos tambores, comecam
depois o seu rutar surdo, que d ideas de
enterro. Mas as suas cornetas lem bonitas
arias para o toque da alvorada, e as nossas
d5o apenas tres ou quatro notas, como
quem diz:A p! nao temos tempo a per-
der.
Todo o mundo se levantava, o sol magni-
fico erguia-se cima dos trigos, e j se sen-
ta que calor havia de haver ao meio dia.
Buche e todos os que estavam de fachina
iam com os pichis buscar agua, emquanto
outros acendiam isca sobre palha para acen-
derem fogueiras. Lenha nao faltava; cada
um arranjava um bragado della na mata. O
cabe de esquadra Duhem, o sargento Rabot
e Zebedeu vieram todos conversar commi-
go. Tinbamos sido companheiros em 1813 ;
elles tinham assistido minba boda nos Qua-
tro Ventos, de maneira que, apezar da dif-
ferenca de graduaces, eram-me sempre af-
feicoados.
Enlo! gritou-me Zebedeu; vae co-
mecr oulra vez a dansa ?
E' verdade, respond eu.
E de repente lembrando-me das palavras
do pobre sargento Pinto, na manha de Lut-
zen, respondi-lhe piscando um olno:
Ole, Zebedeu, como dizia o sargento
Pinto, urna batalha em que se ganlia urna
coiidecurac a coronhadas e baionetadas;
se nao se arranja agora, perder-lbe as es-
peranzas.
Todos se pozeram a rir, e Zebedeu,
disse:
E' verdade; pobre velho! mereoia-a
bem: mas mais diflicil alcanca-la do que o
premio na pona do maslro ensebado.
Todos riamos, e como tinhamos urna ca-
bala de agurdente, comemos urna codea
observando s movimentos que comecavam
a desenhar-se. Buche foi um dos primeiros I
que ebegaram com o pichel de agua, e esta-
va atraz de ns com as orelbas estendidas
como raposa que descobre cazador. Frei-
rs de cavalleiros sahiam do bosque e atra-
vessavam os trigos dirigindo-se para a es-
querda, para Saint Amand a grande aideia
direita de Fieurus.
Ole, dizia Zebedeu, a ca vallen a li-
geira de Pajol, que vai estender-se em ae-
radores ; olba, alia vo os drages de Exel-
mans.
Quando os outros tiverem descoberto a
posirao, liquem sabendo que elles avancaro
em linha ; o que se faz sempre, depois se-
gu a artilheria com a infantera. A caval-
leria passa direita cu esquerda, dobra-
se sobre as alas, e a infantera fica na
primeira linha. Formar-se-ho as colum-
nas de ataque sobre os caminhos bons,. e o
combate eomecar pelo fogo de artilheria
du ante meia hora; ou vinte minutos, mais
bocado menos bocado; os primeiros que
levam para peras sao sempre os artilheiros.
Quando j nao tem pouco por conla, quan-
do raetade das bateras est em trra, o im-
perador escolhe urna boa occasi3o para nos
melter na carreira ; mas para ns ha me-
tralla porque estamos mais perto. Avan-
ca-se com a arma no brazo, a passo accele-
rado, em boa ordem, e acaba-se sempre a
passo dobrado por causa da metralha que
faz perder a paciencia. Aviso de ludo .isto
aos meus amigos para que depois nao se
admirem. 4'
Mais de vinte conscriptos tinham \ indo
rodear-nos. A cavalleria continuava a sabir
do bosque.
Aposto, dizia o cabo de esquadra Du-
hem, que o quarto corpo vem em marcha
atraz de ns desda o romper do dia.
E Rabot dizia qfclhe seria preciso tempo
para ebegar em linha, por causa das ms
vereda> no bosque. .
Estavamos como generaes em delibera-
do, e olhavamos tambem para a posic3o
dos prussianos de redor das aliis, nos ver-
geis e por detraz das sebes, que se levantam
por alli a seis e sete pes de altura. Muit-is
das suas pecas estavam em batera entre Li-
gny e Saint Amand; via-se muito bem o
bronze que luzia ao sol, o que inspirava re-
flexes muito variadas.
Esteu certo, dizia Zebedeu, de que
elles tem intrincheirado tudo, abriram-fes-
sos, e ftzeram buracos nfc paredes. Bom
seria que j hontem noite livessemas 7do
at l, quando retiraram os seos quadrados
at primeira aMeia que l fica no alto. Se
estivessemos em urna allora igual delles,
tudo ira bom; mas trepar almez de sebes,, todo o homem honesto deve auxiliar ura voto
debaixo do fogo de inimigo. isso costa mu-' tSo legitimo. Porm, para o realisar, quan-
ta gente, salvo se houver alguma cousa pe- do se propem a dar aos obreiros os direi-
la retaguarda como costume do impera-tos polticos, que lhe sao inuleis, convoca-
dor, i tos a assemblas em que perderiam o tem-
De todos os lados os soldados velhos con- po, e em vez de instruir nas verdades prati-
versavam da mesma maneira e os recrutas cas lhes empurram theorias absurdas; lem-
escutavam. bra-me do opio que pregavam ao padre
Entretanto as panells estavam dependu- Poinsinet, que pedia que lhe ensinassem o
radas sobre as fogueiras, mas havia exprs- Inglez, e lhe ensinaram o baixo-bret3o.
sa prohibizo de as dependurar, nas baione- Temos novadores que se dividem em dif-
tas porque se destemperam. ferentes systemas, porm que ledos votara
escrevem que o municipio daquella cidade
resolveu mandar por ama lapida na ca a
onde nasceu a cardeal Wiseman.
v-
N'um caf de Montpcllier, diz um jornal
francez, um professor de bilbar fez urna se-
rie de 1023 carambolas.
(Coftinuar-sc-ha).
III POUCO DETUP6.
O Jornal do Porto conla a segvinte anc-
dota :
Urna p >bre velba afreguezada cem certo
carniceiro, onde comprava a carne viva ha-
via rauitos annos, entrn ha tempo n) la-
bio, exactamente na occasio em que a au-
toridade administrativa examinavase sim ou
nao ahi estavam em vigor os noves pesos
mtricos.
A mulher nao querendo offender a lei, e
ignorando os nomes das medidas modernas,
disse simplesmente :
D-me o peso do costume.
Quanto ? pergunlou o carniceiro.
A mulher, depois de hesitar algum tem-
po, respondeu titubiando :
D-me l um metro___
O carniceiro cnsul lou a tabella em que se
cima especificada a reduccao das medidas
velhas para as novas medidas e relorquio :
Um metro sao tres ps; aqui tem.
E deu-lhe em seguida tres ps de boi.
Pela denominazo antiga os ps de boi
chamavam-se mos de vacca.
A Estrella do Norte publica :
(em louvor do santissimo rosario).
Refrigerio feliz na calma ardenle,
Companheiro fiel na vida emorte.
Antidoto sublime, sant e forte
Contra os males crueis da humana gente;
Em nossas trevas luz resplandecente,
Nos azares da vida boa sorte,
Estrella brlhantissima do norte
Que conduz^ Ilumina docemente ;
Thesourode prazerasss jucundo,
Amigo sempre certo e generoso,
Cons Ihairo leal e profundo :
Tal o mimo suave e precioso
Que o cu concedeu, povos do mundo,
De Mara o Rosario portentoso,
UTIUDADE SOCIAL DO CHRISTIANISMO.
Creio na religi3o porque verdadeira,
n3o por ella til; porm a sua ulilidade
urna prova da sua verdade.
Fundam-se demasiadas esperanzas na po-
ltica, quando se quer tornar mais feliz o es-
tado social. Ha cincoenta annos que se tem
trabalhado muito para ntroduzir a liberda-
de em nossas leis. e muito pouco para nos
tornar dignos de ser livres. Inmensas vo-
zes, nao s de Franza, porm dos dous he-
raispherios, fazem retiir este grito: Me-
Ihorai a sorte dos homens l Nobre voto !
que ser estril se nao se ensinar melhor a
conhecer os verdadeiros meios de melhora-
menlo.
As ideas de emancipaco universal, de li-
berdade do genero humano, nasceram do
Evangelbo; mas para tornar possivel a sua
realsa<;o, Jess Cbristo as havia nido aos
principios d'uma religio de paz e amor.
As paixes do homem o ordenaram de ou-
tra sorte. Lacos necessarios forana quebra-
dos ; o que devia ser indivisivel, insensatos
o separaram ; querem a emancipazio, e re-
pellem a caridade. Ent3o as esperanzas de
melhoramenio se esvaecem, o mal cresce no
solo em que imaginavam ter semeado o
bem; era necessario o mutuo auxilio, e de-
golam-se.
Tremei pelos resultados que pode ter
urna liberdade sem moral. O homem reen-
trar no caminh > do Evangelbo. e tornar a
a atar os lazos que quebrou, ou andar ao
acaso, impellido pela sua independencia bru-
mo profundo desprezo s reformas lentas e
parciaes. Para nos restituir a idade d'ouro,
querem fundar a ordem social em bases no-
vas O xito n3o realisou ateo presente ne-
nhuraa de suas brilhantes e facis -pro-
.nessas.
E' fcil de trazar urna utopia^ esta obra
ephemera nao exige nem tlenlos distinctos,
nem conhecimeotos serios; com imaginazo
pode prolongar-se um semelhante trabalho
at que a mo se fatigue de escrever. Urna
utopia um romance em que o autor se
dispensa de reproduzir os costuraos, os ca-
racteres e as paixes com fidelidade, e que
n3o pode ter outro interesse sen3o o de um
cont sem verosimilhanra.
Quando o nnovador escreve um plano,
n3o encontra obstculo ; porm quando se
tenta por em i ratica a theoria annunciada
com estrondo, revelam-se os seus vicios.
Mesmo quando fossem menos numerosos,
haveria aihda que vencer urna enorme dif-
ficuldade, a de obter que os homens con-
sentissera era mudar seus hbitos e cos-
tumes.
Offerecerei um meio de tirar esta difficul-
dade, e de realisar os mais ousados pro-
jectos, comtanto que os seus autores preen-
cham duas condizes. Urna que estes pro-
jectos nao contenham nada que olTenda as
crenzas christ3es ; a outra que tenham
una utilidade real."
Preenchidas estas duas condizes, digo
confianza: Dirigi-vos aos christos ; pro-
vai-Ihes a utilidade do -vosso plano, e fazei-
Ihes conhecer que feliz maneira sera de
honrar a Deus, o formar urna sociedade mo-
delo, cuja prosperidade fizesse nascer o d -
sejo de adoptar os seus usos pios e costumes
beneicentes. Perguntar-me-h3o onde encon-
trar esses christ5os dedicados? Responde-
r'! francamente : Se vos n3o credes, a vossa
voz ser mentirosa, tentareis urna charlata-
nera, n3o reduzireis ninguem. Se credes
acharis homens que vos comprehendam,
porque a sua f ser a vossa ; e veris,
quanta forza, docura, actividade e perseve-
raba terao para vos auxiliar.
Os innovadores modernos reconhecem ge-
ra'menle as vantagens do mol r religioso
para operar grandes reformas; porm a
maior parte desejariam impor novas cren-
gas ao genero humano. Nao repraram na
miseria dessas religioes fabricadas pela m3o
do homem; que nao podem obter o respeito,
nem de christo nem do incrdulo. Faz-se
muita honra a estas religioes, se se diz que
sao em moral o que s3o nas bellas-artes as
caricaturas.
Ha poucos annos, nao sei que autor pro-
poz. para nos regenerar, ono-ehristia-
nsmo.Os chamados reformadores que, no
seculo XVI. operaram urna to grande revo-
luto, tinham mais juizo: aecusaram o ca-
tholicismo de ter alterado a religio ehris-
taa, e declararam que voltavam crenza e
aos.usos da groja primitiva. Concebe-se
que esta linguagem tenha arrastado muitos
homens e mesmo que tenha Iludido espiri-
tos elevados ; porm ha demasiada ingenui-
dade em propor urano-ehristianismo,
express3o que, fielmente traduzia, dignifica
um christianismo que nao o o ebristia-
nismo.
Diz um jornal que no Mxico se descu-
brir ni 12 peras de arlharia de bronze ;
estas pecas s3o magnificas sob o ponto de
vista a tistico e correspoodem aos annos de
17-2:) a 1759, e trazem as cifras dos reisFi-
lippe V e Carlos HI, estavam enterradas a
bastante profundidade.
Diz um jornal que Mr, Rothschild enviou
10,000,000 de francos ao director da com-
panhia do caminho de ferro do Mont Cenis
para activar os trabalhos da perfuraco.
Comprehende-se lodo o interesse que o
celebre banqueiro tem na abertura do sub-
terrneo entre a Franca e a Italia, conside-
rando que est para ser o proprietario dos
caminhos de ferro italianos,
Um bravo aldeo refera ltimamente que
elle fora convertido no tempo de um rais-
s3o pregada em sua aideia, pela simples pa-
lavra de um pregador.
Era este um pa ir capuchinho, que ti-
nha perdido a vista no servico de Deus.
Meus filhos, dizia o padre ao seu au-
ditorio, en nao vejo, perd os olhos do cor-
po, e, se descendo deste pulpito algom de
vos n3o me der a m3o e nao me encaminhar
re talvez cahir no rio que circumda vossa
aideia. Pwm vos, que me escutais, e ten-
des vista, nao perceb is, apezar de vossos
bons otbos, um outro abysmo, que est
tal, at o* dia em que um desses cazadores I diante de vos: este abysmo o inferno; e
de nacoes, que se charaam despotas, o tome sequereis andar desacompaahados, se n3o
em suas redes como um animai selvagem. j vos deixais dirigir petos pastores encarre-
Ha no christianismo um admiravel co-, gados de guiar-vos, cahreis certamente nes-
nheermento do corazo humano. Para impe- te abysmo, e vossa queda ser mais terrivel
dir que se n3o deprave o amor Droprio, a que a minha: porque, eu cabindo s perco
reKgno offerece-lhe um fim delicioso que a vida do corpo, no entanto que vos mor-
colloca em outro mundo. O homem, anima- reis eternamente.
do pela esperanza de alanzar este fim, pra- Quaes s3o pois ueste mundo os verda-
tica o desinteresse n trra, e tem a forza deiros cegos ? Sao aqueltes, eujos olhos nao
de se elevar at abnegaco de si mesmo. conhecem a luz do sol, ou aquelles cuja vista
Tire-se a religio, reinar o egosmo e pro- est fechada a la divina I Ol! Sabei be,
curar cevar-se neste mundo. meus filhos, a luz de que falla o Evangelbo:
Vimos homens que vrahara, segundo elles Era lux vera, quw illiminat omnem homir
diziam, segurar a felicidade da classe nu-| nem venientem in hime mimdtim, nao a
raerosa, comezaram por anniquilar os the- luz do sol, da la ou das estrellas; esta luz
souros de esperanza, de coragem e resigna- a de Nosso Senhor Jess Christo, que seus
Z3o que a f lhes dava. Que legisladores, ministros estao incumbidos de fazer res-
grande Deus I plandecer a nossos olhos. E' por isso que
Por certo que levavam Ionge a presomp- eu agradezo todos os dias a Deus, que tiran-
Z3o e a audacia, aquelles que sem temerem do-me a vista do corpo me deixou a sua cla-
a tremenda responsabilidade com que car- ridade divina ; por isso que o rogo do fun-
regavam promeiteram de char em seu ge- do do meu corazao para dar a todos vos
nio os meios de substituir a fonte de felici- esta luz celeste, sem a qual cabireis cerla-
dade que estancavam a sociedade. Nao os mente no mais horrivel precipicio, sem em-
condemnemos porque estavam dementes, bargo de vossos olhos. Se isto assim,
Graceja-se sobre estas palavras:Bem- meus filhos, qual de ns se deve queixar ?
aventurados os pobres de espirito -Sim,! Oh I promettei-me que pensis nisto todos
bemaventuradoa os pobres de espirito, se- os dias!
gundo o mundo. Sao os homens desligados Estas doces palavras levaram aos ps do
da fortuna e das grandezas. Acaso se co- bom padre urna multidao de peecadores pe-
nbecem outros que saibam fazer bom uso nitentes, e o piedoso ceg mostrou assim a
do que possuem, e que possam preeneber verdadeira luz a muilos cegos que marcha-
com dedicacSo altas e perigosas funeces I vam nas trevas, sem duvidar do mundo.
Salvas excepzes individuaes, nao ha cons- .,,_,.
ciencia seno nos povos religiosos ; nos ou-.
tros pensa-se, discute-se, e promoverse o in-' NapoleSo encommendou, segundo uos
1 leresse proprio. Emquantos livros nos quaes dizem joroaes, ao celebre pintor francez
'estao impressas estas palavras :Ns que- Gerome, o retrato de Cesar, em trage mili-
remos a liberdade,se deveria achar na er- lar, que ha de figurar no feontespicio do
rata: ldea autoridade- 1 segundo, volume da vida de Cesar.
Com a pressa de brilhar e gozar, despre- Ser um retrato sem original!
zam-se estudos serios. Seria necessario mu-,
to tempo para ser estadista, e muito traba-
lho para ser homem de bem, fazem-se falla- \
Segundo noticias de Melburne chegadas
Inglaterra, o corsario confederado Shnan-
doach tinha chegado aos mares da Australia
no mez de Janeiro, depois de ter incendiado
onze navios norte-americanos desde a sahida
do cabo da Boa Esperanza.
A Tribuna de Montevideo conta:
No theatro Solis foi no dia 23 (abril) of-
ferecido um magnifico e luxuoso baile aos
adiados brasileiros.
Tres mil pessoas assistiram a essa festa,
na qual elegancia e bom tom reunio-se a
alegra e a cordialidade entre nactooaes e
subditos do imperio.
Ha j muitos annos que Montevideo nao
presencia to luiida rouniSo de damas e ca-
valheiros, tanto luxo, tanta animado em nm
baile.
Repetimos: s3o estes os prematuros froc-
tos de urna paz conseguida a forza de sacri-
ficios ; certo porm que por isso mesmo
ser cada vez mais duradoora.
L-se em urna folha de Montevideo]:
Fallecen nesla cidade a 26 do corren-
te, (abril) s 8 horas da manha, por occa-
si3o do eclipse, o Sr. Jo3o Flix de Souza,
subdito argentino, que contava 114 annos
de idade.
Era viuvo.
Morreu em consequencia de um catharro
pulmonar.
Em sua avanzada idade nunca fez uso de
bast3o para arrimar-se, nem precisou de ocu-
los para ler, tendo por costume, at dias an-
tes de morrer, barbear-se, sem que a nava-
Iha lhe fizesse o menor corte.
Este senhor esteve preso 17 annos em
um calabouzo do Paraguay, na poca da dic-
tadura do l)'r. Francia.
Foi car regado i mo at a sua ultima mo-
rada pelos amigos que tinba.
Ha em Pars urna exposirao de caes, mas
em Londres ha cousa melhor: ha um club
de caes.
Este clob est situado n'um bairro pouco
elegante, de que a aristocracia mal conhece
a existencia : em Saint Giles.
Cada nm dos uembros d'este club de-
ve, segundo os estatutos, trazer comsigo
um cao de raza pura para exbibi-lo os ven-
de-lo.
Este espectculo- nao deixa de ser pitto-
resco.
Sempre alli se leem reunidos os mais bel-
los specimens de caes inglezes, hespanhoes,
turcos, chinezes, assim como os da ilha
Skye, que sao de urna fealdade horrenda,
mas que seriara de urna dextreza sem igual
contra os ratos, sej nao existisse o co-de-
uomuiado terrier bul!.
No fundo da sala do club ; ha urna in-
mensa gaiola de ferro onde p rraittido
aos socios guardarem os seus caes durante
a noite.
Alm d'isso, ba outra gaiola movediza da
altura de um metro, que serve de arena pa-
ra o combate dos animaes.
Ehcerra-se alli um cao e de vez em quan-
do deitam-lhe para dentro uns poneos de
ratos vivos.
Os curiosos fazem apostas fortes sobre
a rapidez com que o cao ha de matar os
ratos.
Algumas vezes aposta-se que tai cao, re-
putado hbil e valente, hade torcer o pesco-
Zo a vinte ratos no espace, de cinco minutos,
ou que n"um prazo marcada dous- ces bao
de matar trinta ratos.
Aquee dos dousquefaz maiormortanda-
de, e o vencedor, ou ento aposta-se que o
cao, que se designa, ba de matar vinte ra-
tos ao passo que o seu camarada matar s
dez.
Outras vezes, orgaaisa-se um combate na
qual tomam parte os.caes de pesos difieren-
tes, sendo porm t d s da rafa dos bull-ter*.
riers, os quaes matam os ratos com urna Mr
pidez prodigiosa.
Estes combates sao mu frequentes e sao
anilladas as apostas que ahi se fazem.
Os caes de pbantasia (faney-pets) figuram
besta exposizo smente pela belleza da sua
especie, e os tiug charles devem reunir as.
seguinles perfeieoes : | equena estatura, se^
metria de proporzes, unidade de eor e com-
pridas orethas.
Os mais estimados sao os que tem o pello
negro de azeviche.
ma-
dores ; por isso, em nosso seculo, quantos
homens que sabem (aliar, porm que nao
sabem aquillo que fallam ?
A classe numerosa desejra que se me-
lltorasse- a sua sorte; nada mais natural, e
No dia 5 do mez de marco teve lugar o
encerramento do trigsimo oitavo congresso
dos Estados-Unidos.
M
Diz um jornal bespanhol que. de Sevilha
Escrevem de Paris diaendo terem alli
chegado varios engenheiros inglezes com o
fim de fazer proposlas ao govfrno francez
para a construccSo do palacio em que se ba
de verificar a exposifao universal j annun-
ciada ofiicialmente para 1867.
Com este fim se teem prevenido com
grandes planos, fetos por Mr. Paxton, a
quem se deve a construccao do palacio de
crystal de Sydenham, e que apresentam de-
baixo de diversos aspectos o edificio projec-
tado elevar-se no campo de Marte, e cu;a
cupla principal lera vinte metros de altura
mais do que aunis, alta do mundo, que
a de S. Pedro de Roma.
PERNAMBUCO.-TYP. DE M. F, DE F. & FlUO
-
/

'
J
.


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EQ9O5QXYK_Z17CBV INGEST_TIME 2013-08-28T01:26:23Z PACKAGE AA00011611_10671
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES