Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:10670


This item is only available as the following downloads:


Full Text
AMO XU NUMERO 113.
Por qnarleJ pago deatr de 10 das do 1. mez ...::.
iJem depois dos I.01 ludias do couiecoc dentro do quartel. .
Porte ao correio por tres mezes.......,*",,,:
51000
6$000
750
OOARTA FEIM 17 D MAIO DE 1S6S.
ftr anno pago dentro de 10 das do i. mez ,,,... .
Porte at correio por mi auno .
**
191000
3J000
DIARIO DE PERNAMBUCO.
ENCARREGADOS DA SUBSCRIPCO DO NORTE
Parahyba, o Sr. Antonio Alexandrino de Lima;
Natal o Sr. Antonio Marque* da Silva; Aracaty, o
Sr A*. deLemos Braga; Cear, o Sr. J. Jos de
Olivara ; Maranho, o Sr. Joaquim Marques Ro-
dri-ues: Para, os Srs. Geraldo Antonio Alves &
Filhos 5 Atnaionas, o Sr. Jeronymo da Costa.
ENCARREGADOS DA SUBSCRIPCO DO SL.
Alagoas, o Sr. Claudino Falco Das; Bahia, o
Sr. Jos Mirtins Alves; Rio de Janeiro, o Sr. Jos
Ribeiro Gasparlnho.
PARTIDA DOS ESTAFETAS.
Olinda, Cabo, Escada e estafes da via frrea at
Agoa Preta, todos os das.
igaarass e Goyanna as segundas e sextas fei ras.
Santo Antao, Gravat, Bez9rros, Bonito, Caruar,
Altinho, Garanhuns, Buique, S. Bento, Bom
ConselhOt Aguas Bellas e Tacarat, as tercas
fe i ras.
Po'i'Alho, Nazareth, I.iraoeiro, Brejo, Pesqueira,
Ingazeira, Plores, Villa Bella, Cabrob, Boa Vis
la, Ouricury, Salgueiro e Exti, as quartas
feiras.
Segunda vara do civel:
hora da Urde.
quartas e sabbades a 1
Sernhem, Rio Pormoso, Taroandar, Una, Bar-
reiros, AguaPrela e Pimenlelras, as quintas
feiras.
EPHEMERIDES DO MEZ DE MAIO. '
2 Quarto cresc. a 1 h., 44 m. e 40 s. da t.
10 La cheia as 6 h., 3 m. e 22 s. da t.
18 Quarto ming. as 4 h., 19 m. e 46 s. da ro.
24 La nova as 8 h., 29 m. e 45 s. da t.
AUDIENCIAS DOS TRIBINAES DA CAPITAL.
Tribunal do commercio : segundas e quinte.
Relaoo : tergas e sbados s 10 horas.
Fazenda: quintas s 10 horas.
Julzo do commercio: segundas s 11 horas.
Dito de orphos: tercas e sextas s 10 horas.
Prineira vara do civel: tercas e sextas ao meio
dii.
Segunda vara do civil: quartas e sabbades a 1
hora da tarde.
DAS DA SEMANA.
lo. Segunda. 8. Isidro lavrador; S. Egydlo I.
16. Terga. S. Joo Nepomucene conego m.
17. (juana. S. Pascboal Baylon f.; S. Aquilino m
18. Quinta. S. Flix de Cantal ice f.; S. Prisco re.
19. Sexta. S. Pedro Celestino f.; S. Ivo f.
20. Sabbado. S. Bernardino de Senna f.
21. Domingo. Ss. Marcos,Cheopompo e|Valente.b.
PREAMAR DE HOJE.
Primeira as 10 horas e 6 m. da manhaa.
Segmda as 10 horas e 30 minutos da tarde.
PARTIDA DOS VAPORES COWEIROS.
Para o sul at Alagoas a 14 e 30; para o norte
ata a Granja a 7 e 22 de cada mez; para Fernan-
do nos dias 14 dos mezes de jaeeiro, mtf,maio,
julho, setembro e novembro.
ASSIGNA-SB
no Recife, na Kvraria da praga a Independencia
ns. 6 e 8, dos proprietarios Manee! Figueirea de
Faria & Rito.
parte rnciAi
GOVKRHO DA PROTOU.
LEl N. 619.
Antonio Borges Leal Castello Branco, presidente
da provincia de Pernambuco:
Fago saber todos os seus habitantes, que a as-
scmi.la legislativa provincial decretou e eu sane-
cionei a resolucao seguate :
Artigo 1. Fica o presidente da P^n"a an,-
Tisado dispender a quantia de IflWWW
auxiliar a cotistrucgo da ponte que se esta fazendo
na villa de Barreiros para a ilha do Jardim.
Art 2. A-repartigo das obras publicas Hcara
encarregada doorgautentoe fiscalisagao do empre-
eo desla quantia. -....j
Art. 3. Ficam revogadas as disposicSes ero con-
U Mando, porianto, a todas as antoridades, a quero
o conhecimeoto e execugo da presente resolncao
nerteocer. que a enmpram e tacara cumprir to
Kraroente como Bella se contera, O secretario
do governo desta provincia a faga imprimir, pu-
h PaTacio^dT governo de Pernambuco, aos 9 de
malo de 1865, 44 da independencia e do imperio.
L S
Antonio Borges Leal-Castello-Branco.
Sellada e publicada aprsente resolucao nesta
secretaria do governo de Pernambuco, aos 9 de
roaio de 1865.-0 secretario do governo.
Dr. Francisco de Paula bolles.
Registrada a fl.de livro 7 deleis provinciaes. Se-
cretaria do governo de Pernambuco, 9 de maio de
1863.O escripturario da 4* secgo,
Theodoro Jos Tavares.
LE N. 620.
Antonio Borges Leal Castello-Branco, presidente
da provincia de Pernambuco.
Faco saber a todos os seus habitantes, que a as-
sembla legislativa provincial decretou e eu sane
cionei a resolugo seguinte :
Art Fiea transferida a sede do termo e co-
marca de Tacarat para a do termo de Floresta,
ficando aquelle termo annexo a este.
Art. 2." Fica restituida ao termo de Cimbres e
desannexada do de S. Bento, a nbeira do riacho
Liberalzinho eom todas as suas agoas, a comecar
no riacho Liberal, onde devide a freguezia do Bui-
que e por elle abaixo at a sua emboccadura no
riacho Papagaio e d'ahi por este abaixo, servinde
de divlsao somente o leito do mesmo nacho Papa
gaio at a Barra e farenda do major Joaquina Se-
verian* Leite e d'ahi a limitar cora as freguezias
^r^VFicammoeadas as disposices em con-1 director geral da instruccao publica, em offlcio de
trario 9 do corrente, sob n.146, recommendo a V. S. que,
Marido oortanto a todas as autoridades a qnem m vista da inclusa relacao, e nao havendo incon-
o canhecmento e execucao da presente resolucao veniente, mande entregar ao regedor interino do
Sertenc r SS a cumpram, e fagam cumprir to Gymnasio Provincial, a quantia de 597*000, era
jnteirame'nle como nella se contera. O secretario que iuporta a peosao, relauva ao trimestre de abril
do governo desta provincia a faga imprimir, publi-
car e correr.
Palacio do governo de Pernambuco, aos 9 de
maio de 1865,44 da independencia e do imperio.
L. S.
Antonio Borges Leal Castello Branco.
Sellada e publicada a presente resolucao nesta
secretarla do governo de Pernambuco, aos 9 de
maio de 1865. n ,
O secretario do governo-Dr. FVrincisco de Paula
Salles. .
Registrada a folhas do livro 7 de leis provin-
ciaes. Secretaria de Pernambuco, 9 de maio de
O escripturario da 4" secgo-Theodoro Jos Ta-
vares.
do correte, a quantia de 472*400 reis, provenien-
te de passagens dadas por conla do ministerio da
guerra, a bordo dos vapores daquella companhia,
segundo se evidencia das 3 inclusas contas docu-
mentadas e em duplcala.
Dito ao mesmo. Remetto por copia a V. S. para
seu conhecimeoto e direcgao o aviso de 17 de
abril, em que o Exm. Sr. ministro da guerra nao
s declara ter cedido ao da justiga o armamento e
corrame que pelo arsenal de guerra se forneceu
ao 1. batalho de infamara da guarda nacional
desta provincia, mas tambem mande proceder se-
gando os estylos para ser aquelle ministerio in
demoisado da respectiva importancia.
Dito ao mesmo. Remetto inclusos os papis da
divida de 58*666, de que pede pagamento Manoel
Jos da Silva, proveniente de metade do aluguel da
casa sita na povoaco de Nossa Senhora do O' de
Ipojuca, e que servio de cadeia e quartel de om
destacamento de primeira linba durante o tempo
decorrido de 24 de outubro de 1863 at 3 de juoho
de 1864, alim de que informe sobre semelhante
pretengo.
Dito ao inspector da thesouraria provin-
cial.Accuso recebido o offlcio de II do correte,
sacio que pedio Antonio Joaquim Dias Mdronbo,
para fazer cano que d esgoto para o grande exis-
tente no largo da Penha, as aguas pluviaes que se
acumulara no pequeo quintal da casa de sna pro-
priedade n. 62 da roa do Rangel.
O que declaro Vmc. para seu conhecimeoto e
necessaria flscalisaco.
Dito ao cooselho de compras navaes. Nesta da-
ta approvei a contrato que segunde o termo lavra
do em 5 do correte celebrou o cooselho de com-
pras navaes cora os negociantes Wilson Hett, por
sea procarador Jos Mondes de Freitas para forne-
cerem carvo de pedra aos navios da armada e ar-
senal de marinba at dezembro prximo vindoaro:
o que commonico ao mesmo Cvoselho em resposta
ao seu offlcio de 9 deste mez. Communicou-se
thesouraria de fazenda.
Dito cmara municipal do Bonito.Responden-
do ao offlcio que me dirigi a cmara municipal
do Bonito em 5 de abril ultimo, com referencia
collecla feila no exercicio de 1861 e 1862 pelo ex-
collector de rendas geraes desse municipio Antonio
da Costa Mello Luna no acougue dessa villa, bem
como nos de Bezerros e Gravat, onde essa cmara
nunca os leve, como declara no seu citado offlcio,
sob n. 184 em que V. S. me parUcipou haver Ma- tenho a dizer que em vista da informagao do Ins-
noel Antonio Teixeira, arrematado a pintora da'' pector da thesouraria de lazenda junta por copia,
ponte de ferro por detraz do thealro de Santa deve a referida cmara requerer o seu direito
Isabel, com o abate de 1 por cento no prego do roesma thesouraria no juio em que corre a execu-
respectivo orgamento e depositaodo nessa thesou- cao a Que ailude.
raria para garanta de seu contracto a quautia l Dito ao juiz municipal de Nazareth. Inteirado
correspondente ao valor da obra. | pelo seu offlcio do 1 do correte, dos motivos pelos
Em resposta teuho a dizer que approvo essa l quaes deixou Vmc. de reunir a conselho municipal
arrematago. de recurso desse termo no prazo da le, tenho a di-
Dilo ao mesmo.Inteirado pelo offlcio que V. S. zer-lhe que designo odia II de janho prximo
me dirigi em 11 do crreme, sob n. 183, de haver; vindouro para a reunio do referido conselho, cuja
Jos Henriques Machado, dando por fiador o Dr. convocagio devera' Vmc. fazer de conformidade
Estevo Cavalcante de Albuquerqae, arrematado a i om a lei.
obra da recoostruego da bomba da Vanea do j Dito ao juiz de orphlos do Recife. Commuai-
Pauli.-ta com o abate de 10 por cont no prego do I cando-me o cnsul de Franga nesta provincia em
respectivo orgamento, tenho a dizer em resposta, I offlcio de 9 do correte, ter fallecido na mesrua
que approvo essa arrematago. data a subdita franceza Lucille Arnoutt, moradora
Dito ao mesmo.Para satisfazer a deliberagao
da assembla legislativa provincial, preste V. S.
com urgencia as informagdes pedidas no offlcio do
respectivo 1 secretario, datado de 12 do corrente,
sob n. 120 incluso por copia.
Dito ao mesmo.Em vista da inclusa conta e
nao havendo inconveniente mande V. S. pagar a
Manoel Antonio da cunha, ou ao seu procurador
a quantia de 8*000, despendida com a acquisigo
de 1 par de machos e 2 ditos de algemas para con
dueco de crimitiosos remedidos pelo juiz munici
nesta cidade ra do Trapiche, assim o coramuni-
co a Vmc. para seu conhecimento e direcgao.
Dito ao juiz de paz ero exercicio do primeito
districto da freguezia da Boa-Vista.Ioforme Vine.
com urgencia se foi expedido por esse juizo ero
abril prximo Ando urna notificacao ao consol in-
terino de Inglaterra, para o pagamento requerido
por C. Starr & C do valor de urna bandeira in-
glesa, que o referido cnsul mandn tirar em 2 de
dezembro ultimo da fundigao dos mesmos em
Santo Amaro, onde se achava ella arvorada indevi-
pal do termo de Barreiros para esta capital, segn- damente contra a prohibigo de sea governo.
do consta de offlcio do Dr. chefe de polica datadoj Dito aos agentes da Companhia Brasileira de
de boje e sob o. 687.Cominunicou-se ao Dr. chefe Paquetes a Vapor.Podera Vrocs. (azerem seguir
de polidia.
Dito ao mesmo. Anoulndo
ao que solicitou e
para os por tos do norte o vapor Tocantms, ama
nba a hora indicada em seu offlcio de boje.
Portara.O presidente da provincia attendendo
ao que requereu o promotor publico da comarca
do Limoeiro hachare! Jos Joaqun de Sooto Lima,
resolve cQDceder-ihe 30 dias de licenca sem ven- <
cimntoe para della gosar (ora daquella comarca.
Dita.-O presidente da provincia resolve nomear
a juoho deste anno, dos alumnos rotemos e meio! provisoriamente, o segundo sargento da compa-
pensionistas gratuitos daquelle estabelecimen- nhia de oomens pretos de Voluntarios da Patria,
to.Communicou-se ao director geral da instrac- Joo Baptista do Espirito Santo para o posto de
gao publicago. alferes da raesma companhia. Communicou-se a
Dito a Francisco Xavier da Costa Aguiar, e An- thesouraria de fazenda.
drade (em Loudres). Remello a V. S. para os ti os i Dita. Os Srs. agentes da Companhia Brasileira
convenientes o offlcio em original que era 12 do |de Paquetes, mandem dar transporte at a Para-
corrente, dirigio-rae a commisso encarregada do hiba no vapor Tocantins, em lugar de r destina-
ajuste das contas da estrada de ferro desta provin- do a passageiro de esiado a Antonio Custodio Mu-
cia, bem como o balango da liqnidaco das contas reir. '
de receita e despeza da mesma estrada, relativas Expediente do secretario do governo do dia 13
Expediente do dia -i:> de maio de 18G5.
Offlcio ao Exm. desembargador provedor da San-
ta Casa de Misericordia.Attendendo ao estado de
indigencia em que se acha a alienada Maria Felip-
pa de Santiago, que a este acompanha, sirva-se V.
Exc. de expedir suas ordens aflm de ser ella reco
Ihi Ja ao hospital dos alienados em Olinda, como re-
quisita o Dr. chefe de polica, em offlcio de hoje,
sob n. 620.Comraunicou se ao Dr. chefe de po-
lica.
Dito ao mesmo.Ao offlcio de 11 do correte,
em que V. Exc. me communica achar-se restabe-
lecida Liberata Maria do Espirito Santo, casada
ao mez de abril prximo lindo, e por copia a res-
pectiva acta.
Dito ao commandante do presidio de Fernan-
do.Faga V. S. regressar a esta capital, como re-
' quistou o juiz municipal da 1' vara era offlcio de
,11 do crreme, o sentenciado Vicente da Costa
; Soares.
Dito ao mesmo.Respondo ao offlcio n. 199 de
15 de margo ultimo,, com que V. S. apreseotou-me
as contas convenientes da caixa de economas lici-
tas desse presidio relativamente aos mezes de Janei-
ro e fevereiro ltimos, remettendo-lhe por copia
as informagoes ministradas pela thesouraria de
fazenda.
Dito ao commandante superior da guarda nacio-
nal do Recife.Em deferimento ao requerimento
do alferes do 5" batalho de infantaria da guarda
i nacional deste municipio, Joo Gongalves Ferreira
' e Silva, sobre que versa a sua informagao n. 124
de 6 do corrente, autoriso V. S. a mandar passar-
; Ihe a guia de que trata o art. 45 do decreto n.
1130 de 12 de margo de 1853, visto que transferio
com o soldado voluntario Pedro Luiz de Franca,
respondo declarando Ihe que deve ella ser entre- a sua residencia para o districto do 4o batalho da
gue ao marido. i mesma guarda nacional.
Dito ao corooel commandante das arma?. -Iofor-' Dito ao commandante superior da guarda naci-
me V. S. sobre o que pede no incluso requerimen-1 nal do Limoeiro.Devolvo a V. S. o requerimento
to o recruta Jos Francisco da Silva.
Dito ao mesmo.Sirva-se V. S. de informar so
bre o incluso requerimento de Antonio Henrique de
Miranda.
Dito ao mesmo.Informe V. S. com brevidade
quando assentou praga o recruta Jos Joaquim Pe-
reira de que trata o incluso requerimento de Jos-
pha Perfil* da Silva.
Dito ao mesmo.Queira V. S. informar sobre o
que pede Maria Senhorinha da Conceigao no in-
cluso requerimento.
Dito ao mesmo.Mande V. S. dar baixa ao Vo-
luntario da Patria da companhia de homens pretos
Luiz Jos dos Reis, visto ter sido considerado inca-
paz do servlgo em injpecgao de saude, segundo
consta do termo annexo ao seu offlcio n. 837 de 12
do corrente
Dito ao mesmo.Queira V. S. mandar dar baixa
ao cadete do S.'corpo de Voluntario da Patria Joa
de Alexandre Manoel Bezerra, sobre que versa o
seu offlcio de 26 de abril ultimo, para que mande
ouvir o commandante do batalho n. 21 de infanta-
ria da guarda nacional, sob seu comniaodo supe-
rior, acerca do que allega o supplicanle.
Dito ao commandante do corpo de polica.Au-
toriso V. S. a dar baixa ao guarda da secgo urba-
na do corpo sob seu commando, Severino Meira
da Paz, que se acha incapaz por mulestia ce con-
tinuar no servigo, como consta do atiesta Jo do ci-
rurgio mor do corpo a que ailude a sua informa-
gao n. 303 de 10 do corrente.
Dito ao mesmo.D V. S. baixa ao cabo de es-
quadra Trajano Marquas de Oliveira e guarda An-
tonio Gomes Ferraz, esta da secgo urbana e
aquelle da volante do corpo sob sea commando,
visto que tendo flnalisado os seus engajaraentos
I nao querem continuar no servigo, segundo V. S.
declarou em suas informagoes ns. 293 e 297 de 8
unira Thomaz Ribeiro Varejo, visto que acha-se
solfrendo molestias de difflcll curativo, segundo
consta da Informagao do encarregado* da enferma-
ra militar aqae ailude o offlcio de V. S. n. 835 de
de 12 do corrente.
Dito ao memo.Expega V. S. as suas ordens,
para que o tenente Antonio Villela de Castro Tava-
res e alferes Clemente Fraacilo Tavares sigam para
a corte, como V. S. propoz ent seu offlcio n. 830
de 12 do crreme, visto que ja responderam a con-
selho de guerra, cujo processo foi remettido ao
Exm. Sr. ministro da guerra, em 8 do corrente.
Communicoa-se a thesouraria de fazenda.
Dito ao inspector da thesouraria de fazenda.
Altendendo ao que solicitou Domingos Jos da Cu-
nta Lages.no incluso requerimento, recommendo a
V. S. mande pagar sob minha responsabilidade,
nos termos do decreto n 2884 do 1* de fevereiro
de 1862, visto nao haver crdito para esse fim a
Sirmiia de 741*688 rei<, a que elle se jalga com
ireiio, proveniente de dietas que forneceu para o
hospital militar-a contar de 6 de abril ultimo at 6
do corrente mez.
Dito ao mesmo.Constando de aviso do minis-
terio da fazenda de 22 de abril ultimo, que na-
quelia data fra o teroeiro escripturario da alian-
dega do Ro Grande do Sul Jesuino Pinto de Mei-
relles, despensado de continuar a servir em com-
misso o logar de quarto escripturario na desta
capital, sendo nomeado interinamente para esse
emprego Ricardo Perelra da Costa, assim o com
murceo a V. S. para seu conheeimento e aflm de
que o faga constar a quem competir.
Dito ao mesmo.Nao havendo inconveniente,
e 9 do corrente.
Dito ao inspector do arsenal de marinha.De-
terminando o Exm. Sr. ministro e secretario de
estado dos negocios da marinha em aviso de 4 de
abril ultimo, que por esse arsenal se passe, e op-
porlunamente remella aquella secretaria segunda
via do conheeimento era forma de um fogo com
caldeiras, que o mestre do bngue barca Itamarac
Guilherme Antonio, entregara nesse arsenal, aflm
de ser appenso as suas contas, visto haver-se-lhe
deaencaminhado a va : assim o communico a
V. S. para ter execucao.
Dito ao director do arsenal de guerra. -Tendo o
Exm. Sr. ministro da guerra cedido ao da justiga
o armamento e corrame, que por esse arsenal se
forneceu ao 1 batalho de infamara da guarda
nacional : assim o declaro a V. S. para que em
vista do aviso de 17 de abril ultimo, constante da
copia inclusa, proceda segando os estylos, aflm de
ter lugar a inderaasago da respectiva impor-
tancia.
Dito ao superintendente da estrada de ferro.
Communico ao Sr. superintendente da estrada de
ferro para seu conheeimento, que foi approvada,
como me constou de aviso da repartigo da agri-
cultura, commercio obras publicas de 17 de abril
ultimo, a deliberagao qae tomei de mandar fazer o
transporte de gado vaccam smente nos trens de
mercadorias e especiaes, e nao no de passageiros,
como permitte o art. 54 das instrucgSes mandadas
executar provisoriamente pelo governo.
municou-se ao engenheiro fiscal da mesma es-
trada.
Dito ao chefe interino da repartigo-das obras
maio de 1865.
N. 184Offlcio ao priraeiro secretario d assem-
bla legislativa provincial. Para ser presente a'
assembla legislativa provincial, passo por epia
as mos de V. S. de ordem de S. Exc. o Sr. presi-
dente da provincia, e em solugo ao seu offluio de
6 do corrente sob o. 113, a informagao que minis-
trou o Dr. chefe de polica acerca da expedigo
de ordem ao delegado de polica desta cidade para
instaurar novo processo ao subdito hespanhol
Epifanio Ausludillo y Bussous.
Despachos do dia 12 de maio de 1865.
Requerimentos.
Anselmo Francisco Santiago. Dirija-se ao Sr.
director do arsenal de guerra.
Amorim & Irmos.Informe o Sr. inspector da
thesouraria da fazenda com urgencia.
Antonio de Alboquerque Hollanda Cavalcante.
Passe portara concedendo a licenga pedida es-
tando conforme a lista inclusa.
Maximino Francisco da Silva. Apresente-se no
quartel do commando das armas para ser inspec-
cionado.
Pedro Ferreira dos Sanios.Informe o Sr. di-
rector do arsenal de guerra.
Thereza de Jess. Informe o Sr. Dr. chefe de
polica.
13 -
Amorim Irmos.Concedo a perraisso pedida,
devendo ser este apresentado ao Sr. inspector da .
alfandega, onde devem ser prestadas ao caugoes e
garantas nos termos do regulamento daquella.
repartigo.
Dr. Antonio Jos de Moraes Sarment.Inorme
o sr. director geral da instruccao publica.
Antonio Joaquim Dias Medronho.Concedo a
autonsago pedida urna vez que o supplicante se
obrigue a indireilar o calgamento da ra eadei-
xar o cano publico em perfeito estado, conforme
indica o chefe interino da repartigo das obras
publicas.
Diogo Xavier Carneiro da Cunta.Informe o Sr.
inspector da thesouraria provincial.
Tenente tpifanio Borges de Menezes Dorh*In-
forme o Sr. inspector da thosouraria de fa-
zenda.
Emiliano Manoel Barbosa.Nao pode ser alten-
dido o supplicante em vista das informagdes e
razoes em que se fundou o despacho anterior.
Gongalves Pereira Tavares.Informe o Sr. com-
mandante do corpo de polica.
Ignez Maria da Conceigao.Informe o Sr. com-
mandaote do cerpo de polica.
Joaquim Mariins da Costa.-Informe o Sr. ins-
pector da thesouraria de fazenda.
Bacharel Jos Joaquim de Sonto Lima.Passe
portara concedendo 30 dias de licenga sem venci-
mentos.
Jos Ricardo Colho Jnior.-Informe o Sr. ins-
pector da thesouraria de fazenda.
Manoel Baptista Rodrigues da Ressureigo.In-
forme o Sr. commandante superior da guarda
nacional de Goyanna.
OVER.HO DO BISPADO
PERXAMBUO.
SBDB VACANTE
DE
mande V. pagar ao gerente da companhia Per- publicas.De conformidade com sua informagao
nambucaoa, como solicitou este, em offlcio de 11 Ide hontem, sob n. 139, acabo de conceder a aatori
Expediente do din 10 de mato.
offlcio ao vigario de Cajazeiras Tenho presen-
te o seu offlcia de 28 de margo ultimo, pelo qual
me participa haver no dia 5. do mesmo tomado
- Com posse dessa freguezia de Cajazeiras na qualidade
de vigacio collado da mesma. Esperando do seu
zeo o sollicitude o hom deeempenbo das funecoes
parochfaes de que V. Rvma. se acha eocarregado,
devo chamar par.cularmeule a sua attenglo para
o anrhtvo da matriz, recorameodando-lhe que te-
nha lodb o cuidado com os langamentos de bapti-
zados, casamentos e bitos ; que examine se falta
langar alguns assentamentos, se ha alguraa lacu-
na nos assentos anteriores e sobre ludo se esforc
por fazer que ao seu tempo estejam esses langa-
mentos constantemente em dia, aflm de evitar os
graves incomroodos que soffrem os povos com os
inqualilicavels descuidos de alguns paroebos ero
materia de tanta importancia.
Dito ao vigario de Barreiros.A humildade, que
assenta sempre muito bem em qualqaer fllho da
igreja, sobresalte muito mais era um sacerdote,
porque este ministro d'aquelle que nos eosina a
ser mansos e humildes de coragao, e nos prescre-
ve a humilhago e o abatimento, para sermos
grandes aos nios de Dos. Moito me compraz
ver esses seotimentos de humildade e de modestia
exarados no seu offlcio de 25 do prximo passado
a que respondo ; mas, apezar de tudo isso persis-
to era autorisar a V. Rvma. para benzer solemne-
mente a matriz dessa freguezia, cojas obras se
acharo bastante adiantadas, a ponto de poder
abrir-se ao culto publico talvez at o melado de
junho prximo. Assim procedendo dou um publi-
co testemnnho do aprego em que tenho a dedica-
gao eo zelo daquelles sacerdotes que se prestara a
reparar a easa do Senbor, e sob cajo nfimo os
povos tambem concorrem portia para o esplendor
dos templos e para a prospendade d nossa reli-
gilo.
Com tudo, nao sendo o meu lim constranger a
V. Rvma. e sim dar-lhe urna prova de considera-
gao e de estima, concedo que V. Rvma. possa de-
legar esta autorisago, podendo ser benzida a nova
matriz por outro sacerdote da escolha de V. Rvma.
se assim Ihe for mals coromodo.
Quanto capella de S. Joo Baptista da povoa-
go do Abren, aguardo as ulteriores informacoes
de V. Rvma. cuja aitengo nao deve por agora ser
disirahida da importante concluso da matriz, e
corto do interesse que V. Rvma, toma pela repa-
rago dos templos, nenhnma duvlda tenho de qae
a capette de S. Joo Baptista ha de tambem ser
restaurada pelos cuidados de to digno sacerdote.
Dito ao coadjutor pro parocho do Pogo da Pa-
nella.Estou de posse do offlcio de 29 do prximo
passado em que V. Rvma. me participa haver en-
tregado ao Rvd. vigario dessa paroebia cento e
vinte e tres lancameotos de baptizados, doze de ca-
samentos e olio rentos e nula e nove de bitos;
ao todo novecenios e setenta e qnat-o langamentos,
que estad por exarar nos livros competentes I
Pois bem, cumpre agora que V. Rvma. nova
mente me participe o dia em que Ibe sao entregues
os livros com esses assentamentos exarados, como
determine! no offlcio qae em data de 28 do pr-
ximo passado dirig ao Rvd. parocho dessa fregue-
zia, deveodo V. Rvma. fazer os langamentos do seu
lempo era livros novos, como na mesma data Ihe
recommtadei.
, M
Offlcio ao. vigario do Rio Formoso. Maito me
alegro por ceno quando recebo noticia de se esta-
ram por iota a pane reedificando os templos, re-
parando as ruinas materiaes do sanetnario, reedi-
fleaodo-se as capellas, e era todo aprimoraodo-se
as casas doSenhor. Nao poda eu pois deixar de
sentir vivo prazer ao 1er o offlcio de V. Rvma. de
30 do prximo passado, em qae me participa
achar-se prompta a obra da matriz da sua parochia
e eslar-se coocluiodo a capella do cemiterio, com
o sen altar para a Imagem de Nossa Senhora cora
a invocago do Coracao de Maria.
En o autoriso pois para benzer a capella do ce-
miterio com loda a pompa possivel, chamando os
seus parochianos concorrerem a esse acto, alim
de que entrando nessa matriz reconstruida quasi a
expensas dolles, e na capella erigida igualmente
com o fructo das suas esmollas, orem a Dos com
mais fervor, e implorem com maior contianga as
misericordias do Altlssimn, dilataodo-se os seus
corages no vivo prazer de haverem contribuido
para o aceio e esplendorada casa em que oram, do
templo em que habita Aquelle cujo soccorro im-
ploran).
Dito ao vigario de Aguas Bellas. Desde muito
lempo se acha promplo nesta secretaria o livro em
branco que V. Rvma enviou em dita de 6 de mar-
go, e que tem de servir para nelle se langarem os
assentos de baptizados dessa freguezia, o que com-
rr.uoic) a V. Rvma. alim de que se sirva mnda-
lo buscar, declarando me nessa occasio onde tero
langado os assentamentos do correte anno.
Dito ao vigario de Porto Real.Multo meregosl-
jou o seu offlcio de 18 do prximo passado, era que
V. Rvma. roe d parte de que se acham em anda-
mento as obras dessa matriz, para o que muito tem
concorrido o prestimoso parochiano Manoel dos
Sanies Marinho. Espero que V. Rvma. nao cessara
de trabalharem quanto nao vir completa einteira-
mente acaba a matriz da freguezia que V. Rvma.
mui dignamente rege.
Concordo inleiramente com V. Rvma. ero que a
pregacao de um missionario muito concoma para
dar um grande impulso a essa obra, a qual, como
diz V. Rvma j toi comegada por um missionario.
Doujpois a V.Rvm.permisso para convidar o Rvra.
Fr. Paulo ou qualquer outro Rvm. missionario dos
que se acham na provincia de Sergipe, aos quaes
concedo plenos poderes para exercerem o seu sa-
grado ministerio, nao s nessa parochia, como em
qualquer parte deste bispado, onde elles possam
prestar os relevantes servigos que a religio e os
povos com razo esperara del les.
Aguardo a comraanicago circunstanciada do
que for occorrendo, dos fructos que essa parochia
colber da pregacao do Rvm. missionario, do estado
em que se acharem as obras dessa matriz.
12 -
Offlcio ao vigario do Pilar, na Parahyba.Tenho
presente o offlcio de 17 do corrente em que V. S.
me declara que nao sabe se poder levar a effeito o
tangamente de todos os assentos de baptisados, ca-
samentos e bitos que se achara por langar desde
1835. e em numero superior a dez mil I....
Causa espante coro effeito que uro vigario seja
to relaxado, to omisso no comprimento dos seus
deveres, a ponto de deixar chegar o archivo da sua
parochia a um atrazo to extraordinario. E anda
raaior espanto causa essa relaxago quando consi-
deramos que o hispo tinha visitadores por toda a
parte, os quaes visitavam as parochias, perceben-
do emolumentos da visita, davam provimento nos
livros competentes, e deixavam os archivos paro-
chiaes nesse cahos I
Eia pois. necessario nao esmorecer. ingrato
o nosso trabalho, obscuro, mas prosigamos,
prosigamos sempre, que a religio e os povos
muito gaoham com o desvelo dos seus pas-
tores; e aquelle que nao deixa sem recompensa
um copo d'agua dado em sen norae, ha de galar-
doar exuberantente quanto houverraos feito em fa-
vor da sua igreja e em beneficio dos liis. Por mim
s, nada poderia eu fazer, se nao enconlrasse sa-
cerdotes verdadeiramente penetrados do bem dos
povos e da oecessidade que temos de reparar os
assados erros, e preparar para esta diocese um
uturo mais lisongeiro. Encontrando, pois. em V.
S. ura desses trabalbadores iucansaveis da vinha
doSenhor, eu me congratulo por haver confladoa
V. S. ama paroebia que Unto precisava de am sa-
cerdote intelligote, dedicado, e dotado de urna
voolade forte, e do muita disposigo para o traba-
lho, alim de remediar quanto possivel os males
que datam de rao longos annos.
Nesta data autoriso o Rvm. Dr. Patricio Manoel
de Souza para numerar e rubricar os livros em que
V. S. tero de fazer os langamentos que j tem coor-
denado pelas suas datas. Quanto quelles assen-
tos que nem esto datados, bem que se lancero,. ;>arai,a.ns *"*
ainda que a parte, pois assim mesmo podera servir E2S&2J5.J2S HWP .
i para este lado para o lagar onde ja ti-
Por parle offleial vinda de S. Borja do coronel
Fernandes Lima, commandante da f brigada da
iso do general Canabarro, sabe-se que os
de muito para esses parochianos.
Dito ao padre Patricio Manoel de Souza.Auto-1
riso a V. S. para numerar e rubricar por esta vez
os livros que tem de servir para langamentos de
baptisados, casamentos e bitos da freguezia do
Pilar, os qaaes Ihe sero apresentados pelo respec-
tivo vigario.
Dito ao vigario de Pao dos Ferros Por muitas
vezes tenho declarado que nao haver caso algum
em que eu permita a um parocho numerar e ru-
bricaros proprios livros era que tem de fazer os
langamentos de baptisados, casamentos e bitos,,
que tiverem logar na sua freguezia : por tanto nao
tem lugar o que V. Rvm. me pede uo sea offleio
de lo de margo a que respondo. Comtudo, attea-
dendo s razoes que allega, e sobre tudo distan-
cia em que se acha esta freguezia, nesta dada dou
commisso ao Rvd. Joo Francisco dos Santos Moo-
telro, vigario da freguezia de Porto Alegre qae me
flea prxima, para elltf por esta vez numerar e ru-
bricar os livros que V. Rvma. Ihe apresentar ja
sellados como sello nacional, que, como V. Rvma.
deve saber, precede sempre a rubrica.
Dito ao vigario de Porto Alegre.Autoriso a V.
Rvma. para numerar e rubricar por esta vez os li-
vros, qae tem de servir para langamentos de bapti-
sados, casamentos e bitos da freguezia de Pao dos
Ferros, os quaes Ihe sero apresentados pelo res-
pectivo vigario.
nham mais-gente; que estes 6,000'hornees vera
como vanguarda de um exercito de 30-000.
Que alm< desses 6,000, e pooeo-atrs vinham
2,000 conti grande carretame e condmindo ca-
nas e apetrechos para passarem o rio; pelo que
no mesmo dia em que o general Canabarro rece-
beu essa parte mandou apromptar com ordem de
marcha al-segunda ordem a 2* brigada, qne
aqu se acha ao mando do coronel *>o Antonio,
que se coropoe de seis corpos da guarda naclo-
nal e um esquadro avulso, os 2o-10 batalhoes,
e dous parques de artilharia.
A raesma folha em 2 do corrente acrescenta :
c Realizara-se infelizmente as noticias que temos
dado oestes ltimos dias, de ter passado para este
lado do rio Paran uro grande exerelto paraguayo.
Sabemos por pessoa insospetet e- verdadeira,
de ter o Sr presidente da provincia recebido parte
offictal de j tere os Paraguayos invadido a pro-
vincia de Corrientes sem a menor resistencia, apo-
derando-se assim de sua capital emaiscWadesI
que esse exercito de 15,000 horaens das *es ar-
mas, e que lomva a direcgao de S. Borja i
< J de nada duvidamos I Estamos pasmos da
audacia e temeridade de Lpez, quanto admirados
da mareba e movimentos bellicos de nosso go-
verno I
O que faz o exercito brasileiro ha dous mezes
acampado junto de Montevideo?I
Os corpos de voluntarios que marcharan des-
ta cidade, o qne fazem, o 5- em Porto-A legre e o
Io em Rio Pardo? I
i L est em Santa Anua, dir algnem, a divi-
nullas as 17 propostas restantes do concurso a que j sao ligeira de guardas nacionaes do brigadeiro Ca-
CONCURSO AS FREGUEZIAS VAGAS.
Tendo o governo de S. M. Imperial declarado
em 30 de novembro de 1863 procedeu o Exm. bis
po fallecido, participo a quem convierqae o Exm.
e Rvm. Sr. vigario capitular brevemente vai man-
dar afflxar os editaos para proceder ao concurso
de todas as parochias, que se achara vagas nesta
diocew.
Cidade de Olinda, 24 de abril de 1865.Conego
Joaquim Ferreira dos Santos, secretario do bis-
pado.
SANTOS LEOS.
O Exm. e Revm. Sr. vigario capitular manda fa-
zer publico aos ilevms. parochos desta diocese, qoe
tendo chegado da Bahia os santos leos qae no
corrate anno ecclesiaslico tem do servir na admi-
nistrado dos Sacramentos, devem os Revms. viga-
ros prever quanto antes as suas parochias de oleo
novo. O mesmo Exm. Sr. manda declarar igual-
mente, que esto em todo o seu vigor nao s as
delerinioaeoes das couslituices diocesanas, como
as penas impostas pelo Exm. prelado dogloriosa
memoria aquellas parocho sjm amana drefor-
mar os santos olees as snas matrfzas no tei
oroplente; e qae, sendo conveniente averiguar
se algum parocho deixou de cumprir com este de-
ver, ou foi moroso no seu desempenno, devem os
portadores declarar ao Revm. cura da cathedral,
ou a quem suas vezes flzer, qual a matriz a que
pertencem os vasos dos santos leos, bem como
ser notado o dia, em qoe estes sao apresentados
na cathedral.
Cidade de Olinda, 8 de maio de 1865.Conego
Joaquim Ferreira dos Santos, secretario do
pado.
INTERIOR.
RIO DB JANEIRO
navarro, dizera que composia de seis mil homens ;
mas podero seis mil resistir a quinze mil ? Em
breve o sabereraos; no emtanlo prudente que
cada qual trate-se de acautelar, porque as coosas
nerte andar sao mais para esmorecer do que para
eolhusiasmar.
Os Paraguayos com seren estpidos e escra-
os (m feito todas e dado que fallar I Em Matto-
Grosso foram levando todo por diante; j loroaram
Corrientes, e hoje quera sabe onde estao 11 Qae
vergonba 1 O Paraguay, cuja repblica mais pe-
quena em populacao que a nossa provincia de Mi-
nas, trazer o Brasil em sobresalto e tomando-nos
a dianteira em tudo e por tudo I.. .Qae vergonha
para nos I
c Com as noticias recebidas de Corrientes sahio
hontem de Pelotas para fra o Sr. coronel bro
de Jacohy, commandante da diviso da fronteira
do Jaguaro, qoe na vespera bavia chegado all.
Parle d'aqueilas noticias, porem, carecem de
conllrrnacio, parecendo haver alguma exageraco
pelo menos no compato das forcas paraguayas e
progresso qtfe se diz terem feito.
L-se no Notkiador de Pelotas de 28 :
Consta-nos que por estes poucos dias marcha-
r para a campanha o 26 corpo provisorio.
t Consta-nos igualmente que as pragas da guar-
da nacional deste mnnicipio, qae se acham na
fronteira de Chuy fazendo parte do 16 corpo pro-
visorio, lora ordem de se recolberem ao 26 corpo
provisorio, sendo preeochido aquelle corpo com
bis-' pragas dos corpos da guarda nacional do comman-
do superior do Rio-Grande.
c Acharaos eslas medidas muito acertadas o
justas.*"
A Atalaia do Sul do Jaguaro, diz em data de
127:
Segundo as informagoes e provas obtidas pela
i commisso nomeada pelo Illra. Sr. coronel com-
mandante da guamigo, o damoo causado nos dias
27, 28 e 29 de Janeiro pelas forgas invasoras ao
mando de Basilio Muoz, somma 19 escravos rou-
bados e assassinados, 309 rezes, 270 ovelhas, 2,560
9
8 de mato.
Eatrou hontem dos nonos do sul o vapor Geren
te, cora datas de Pojto-Alegre at 29 do passado, ca*allos' i* uJ'a* mans.as 41 P,ros> ,05 euas>
Ro-Grande 2 e Santa-Catharina 4 do corrente. lalm de 16i:8755o55 res, valor provavel dos ob-
0 pre.dente da provincia de S. Pedro ainda se \ agados, inclusive duas casas
achava ero Pelotas e s era esperado a 5 do cr-
reme na capital da provincia.
A esta havia regressado a 28 de abril o Exm.
bispo diocesano.
Fallando desta chegada diz o Correio do Sul:
< Todo o clero da capital, e grande numero de
cidados e foram receber no desembargue, e o
acompanharam at a cathedral onde se entoou um
Te-Deum.
c Assistio a este acto um grande concurso de
pessoas gradas, notando-se os Srs. general de ar
mas e seus ajudantes
Dr. chefe de polica, coosu
a offlcialldade do corpo
da nacional em destacamento, muitos negociantes
e as aiumnas do collegio dirigidas pela Sra. D. Leo-
poldina Lobo.
Fmdo o Te-Deum S. Exc. Revma. pronunciou
um breve mas tocante discurso, agradeciendo o
cordial recebimento de seus diocesanos.
incendiadas.
Por deliberagao da respectiva cmara municipal
foram mudados alguns nomes de ras da cidade
do Rio-Grande. A amiga ra do Pito passou a
chamar-se ra Vinte de Fevereiro. a do Fogo ra
de Paysand, e a uraca da Giribanda praga do
visconde de Tamandar.
Por decreto n 3,446 de 18 de abril elevaram-se
a seis as quatro companhias com que tiuba sido
creado o 1 batalho de reserva da guarda naci-
, nal da provincia do Para' e por outro n. 3,460, de
ni francez D Capi .So' l28 do mesm9 mez> foi *>*"*> do commaWsu-
dos vohmurios e da Sar Perior de Caldas' da Prvicia do Mioas Geraes. a
cuarda nacional perlencente ao municipio da Villa
Formosa de Alfenas, da mesma provincia, e com
ella organisado um novo commando superior, for-
mado de dous batalhoes de infantaria, de seis
compaohias cada um, com as designagdes 97 e 98
do servigo activo, e de urna secgo de batalho de
EBSSSXSZS5 e em fren- ^g^^+jfk *
!# ePiscPal uma 8uarda d0 COrP de nos fugares Morera* SA2VSS
v* mmn ta fallecer o enne da cathedral dente da P",v">c'a. na HW da lei, revogado nes-
Jbio taSS RoccaagliaTa3 CMg "^ ***> decrel D" M* de 28 d dembro de
O 1 batalho de voluntarios da patria seguir
de Santo Amaro para S. Borja.
O 5o ainda eslava cm Porto-Alegre.
Sobre este corpo, diz
Sad.Tiveraos occasio de assistir, ante-hontem T%f!&.%? fiSSA "S&LS'SS
larde, ao exercicio que fez na Vanea o 5 batalho d? cJandlda.t? ,!!!er,-al'_nao_Podia^ a_b,De1e de
de voluntarios da
grande numero
lisfez completamente a dehgencia e promptido
9
A eleigo do presidente da cmara dos deputa-
i Ordem A 23 do as- dos veriuwu-se hontem, tendo em segundo escru-
a uraem oe zj ao pas mQ oMi(Jo |g|Ml numero de VQlos QS candioalos
31 de agosto reputar-se victorioso. Os diversos la-
i patria, e a nos, assim como a ; "S 7" r *
de pessoas que all se achava, sa- dos da cmara comprehenderam que urna cnse mi-
....ente a dehgencia e promptido nis,le"al "negara a pronunc.ar-se, e muitos de-
cora que procarava execular as manobras ordena- P* rel.ra^ram^e entendendo que dev.ara es-
das eloinielligente major do batalho o Sr. TllO-, ^\f?o ta er ......
maz Gongalves da Silva.
J cora o 1 batalho de voluntarios tivemos
occasio de elogiar a dedieago e esforgos do seu
commandante e offlciaes, e a boa vontade de suas
pragas, e -nos muito agradavel render os mesmos
elogios ao Sr. tenente-coronel Augusto Caldas,
commandante do 5, sua offlcialidade e pragas.
c Nao possivel em to pouco tempo exigir
mais d'aquelles que, estraohos ioteiramente arte
e vida militar, apresentam resultados to satis-
factorios como os do exercicio a que assistimos
ante hontem.
c Valha ao menos o empenho e a dedieago dos
offlciaes e pragas dos diversos corpos de volunta-
rios da patria, para attenuar os desgoslos e a anar-
cha que tem produzido o celebre decreto de 7 de
Janeiro.
Segundo nos informan), aos voluntarios do 5*
batalho prepara-so urna singela, mas eloquente
demonstrarlo de aprego e considerago ao patrio-
tismo com que acudiram aos reclamos do paiz.
c Essa demonslrago Ihes ser feita na occasio
de sua partida para a campanha.
. t Possa a realizaco desse (acto provar que nao
esto extinctos os nbres e patriticos sentimentos
dos generosos habitantes de Porto-Alegre. >
J erara sabidas no Rio-Grande as tropelas dos
Paraguayos em Corrientes.
Hontem a larde o ministerio dirigio-se ao pago
de S. Christovo e pedio a demlsso, qae S. M. o
Imperador se dignou conceder-lhe.
S. M. a Imperatriz mandou para o Asylo dos In-
vlidos da Patria a quantia de 2:000), que foi en-
tregue ao Sr. commendador Bernardo Casimiro de
Freitas, thesoureiro do Asylo.
Os Srs. Felippone & Tornaghi foram encarrega-
dos pelo hbil pintor Pietro Barabino, residente
era Genova, de olTerecer a S. M. o Imperador urna
miniatura de S. A. Imperial a serenissima prince-
za D. Isabel.
----------------irn i ..
O Sr. Joo Mara Collago de Magalhes, addido
de legago, fllho do Sr. visconde de Condeixa, man-
dou por disposigo do Sr. ministro de estraogei-
ros a quantia de 6:0004000 para as despezas da
guerra.
-n oca i i
L-se no Minas Geraes de 2 de maio :
< No dia 19 de marco ultimo teve lugar a instal-
lago da villa de S. Joao Baptista.
< Este municipio fat parle da comarca de Je-
quitinhonha, e para all consta ter o Dr. juiz de di-
reito transferido a sna residencia. >
c De 28 do mez passado a 1 to corrente en-
traran) nesta capital 1231 voluntaros da patria, a
O "Diario de 27"do "passado publica urna carta sab*r : da Campanha e municipios circumvizinhos
de Bag, de 19, na qual se l : 1134, da Forraiga e outros pontos 51, da Conceigao
t Um nosso amigo residente ero Santa Anna do' 22, do Para 14, de diversos pontos 10. Destes so
Livramento, nos communica em carta de 15 do foram julgados incapazes II. >
correle o seguinte: O numero dos alistados nesta capital at bon-


Diario de rernambnoo ... Ruarla felr 19 de Malo de i 85.
tem snbia a 1,165. No Ubetaba devera existir cu m*s estrella uniao e nyade entre os dous povos, sen governo pela cooperado tlItmltaBa que tera Francisco Mari
reunir-fe 300 a 400, ao que se sabe. e governns. ; prestado e presta ao govero nacional.
,. u "T" ",\ _------:____-... S. M. o Imperador do Brasil acreditou jantoi Santa F cumpre tambera eom enthnsiastica
_SI urnacarta doMouievidoi demos ulma*TCnt* | o governo argentino, ao elevado carcter de sen resoluco s ordens que se Ibe deram, e aprwtaos
- batalhes que devem formar as Qleiras do ter-
_
o numero e oualidade dos navios de guerra que ti-, enviado extraordinario e raWrtro pleaipotencierio
nha o Paraguay, segundo oStandM, forha Ingle- em missao especial, o conselhelro Jos ADtonio Sa-
ca de Buenos-yres : no Nacional de 22 do passa
do aehamos o seguinte, que rectifica em parte as
exagerares daquella gaceta.
A esquadra que obedece as ordens do despota
do Paraguay consta dos seguintes navios :
Vapor Riolilavco, fondeado na Assurapelo,
inntil, serve de ponlo.
c Vapor Taqunry, com seis pecas de artilharia.
Igurey, ccm doas.
Paraguary, com duas.
Marquet de Onn, com duas.
Salto do Guayra, com ama.
t pora, com ama.
Jfjuy, com urna.
Paran, nao tem artllharia.
a Vesuvw, transporte, nao tem artiinaria.
c Cavour, armado.
Rio-Apa, tem.
Alm disso tem em Humait cinco bateloes
(chatas) com um roCizio, calibre 36. Manobram-se
a vela e remos.
No arsenal da Assumpcao contruiam-se oito
bateloes semethantes quelles para estacionaren!
junto das bateras.
i Ha urna pequea escuna de cabetagem mal
armada em guerra.
Nao incluimos na relacao anterior os
cargo na repu-
ralva que tnlia exercido o mesmo
blica Oriental.
A so* catada ntsta capital produzio resoltados
tecandos para a cordial Inteligencia que existia
entre os dous governos, c, explicando as justas cau-
sas que tinham induzido o imperio a lomar parte
directa na lua da repblica Oriental, provou o
deshateresse qua o gulava neste passo, conflrman-
do o sea profundo respeito pela independencia
daquella de que era fiador em niao com a ar-
gentina.
ins Guimares, para cullector das
rendas ganes do municipio de Campos.
Por litlo de 8 do crreme fol nomeado quarto
eseriptararlo da alfandega do Maranhao o prati-
oaote da tbesouraria da raesma provincia, Odorico
Serra Cardoso.
Befen sob este titulo urna fama de Buenos-Ay-
res:
O exercito de Paraguayos, qae passoa o Para-
n pelas fronteiras de Corrientes, tem seguido de
de qoe tem de formar-se, o paraba na^naUio oY- !2-*,.,,,B,be.re!' .>? acompanam aos soldados
cito de operacdes.
Pelo qae respeita as demais provincias tem o
governo a seguranga de que, as presente eir-
comstancias, darlo nobres ejemplos de patriotis-
mo e abnegado, apenas Ihe chegne a noticia do
inslito alternado do goveroante do Paraguay.
Para armar o exercito no respeita ve I damero
al nao os- at ao camoo da batalha
lavo preparado, estando apenas prvido para acu- A moderna irrunrn trar o dir as uecessidades do esudo de par. .Nao obstan- ga e selSa^m barbaria
te isto, mprehenderam se com loovavel actividade Ha de ter nua ver nn darmt m nnn <>nirm
os traanos que requera a nova situacao, e nao tres mil Mlheres q
Subsequentemente t substituido na sua missao pelo Mostr coosemeiro que j esto de p, mas tambera est tudo prompto' X obra do Dr M Xlv conim aten dado,
de Sua Magestad-, Dr. Jos Maria da SilvaPara- par. acud.r as demais necessidades que occorram bre ^patagdo Parag^Sm.S . ,. e-em poneos das mais para satisfazer as que se rectificaras exaafracies consignarte em nm ior
ca A SSttde seus aT 8 procedmeB,fran- pderem entir **ap"i- nti E &S^rt,zn,n jor
co e amistoso as suas relagoes eom o governo
argentino grangearam-tlie o mais alto apreco da
por bem exonera.. da ot ^SETEP*!?** 2L!!fflSl
do corpo de engenheiro Zozimo
nomeados jutzes de
para a comarca de
parte do governo.
S. M. Imperial hosrve
i nal desta cidade, e por ontro reproducidas.
e 1 vil h.f de.gUe' dtmmQ,d? em doas ^0S Qaando iamos iraduiir os tpicos do Dr. Mous-
SS %^^^Xnk?& y. vemo-108 publicados no Siglo de Montevideo com
v/ hi necessiaa- algumas observafoes muito opportunas.
sua missao, subsiiiumdo-o pelo Sr. .conselhelraIachar-se aqaeleluern cooTo imerio"do'ft'cr^TiZTJT^f0,l,a,l!"aoT ,rans-!de c*.".be de na das Alogoas '
Octaviano de Almeida Bosa, que, no recio a \ sil, que te^ domTnio das agoas torna eusado o SKi? J22&J0 S'!''0, 6 ** reflex5eS COm on7 ^RdeSHe?da COmarCa d,f S" Ja d Pr'n'
Sn ,5n rmn nien,mant ^ ,w ^ a l c,irfl,in .,", J ". ,Z. '... ." !r.1* IV; 1ue !|f aoompanlu. cipo, no Rio de Janeiro para nella ter exercicio o
Wiz Martin de Moussy. juiz de direito Luiz Francisco da Cmara Leal.
rial ao 2 tenente
Barroso.
Por decretos de 6 (orara
direito i
Gratuliano da Silva Porto,
Gurupa, n provincia do Para !
Domingos Antonio Al ves Bibeiro, para a do Tel-
xeira, na da Parahyba ;
Gastao Ferreira de Gouva Pimenlel Belleza,
para a do Joazeiro, na da Babia ;
Luiz Fellppe de Sampaio Vianna, para a do La-
garto, na de Sergipe ;
Mathias Antonio da Fonseca Morato, para a da
Franca, na de S. Paulo :
Julio Accioli da Brito, para a de N. S. da Graca,
na de Santa Camarina ;
Joo Coelho Basto?, para a da Parnahyba, na de
Goyaz;
Candido Xaxier de Almeida e Souza, para a do
rio Paran, na mesma provincia ;
Manocl Coelho de Souza, para a de Tocantins na
referida provincia.
Foi removido o juiz de direito Manoel Tertu
Itano Thomaz Henrique, da comarca do Porabal
-l" entrela, na provincia da Parahyba, para a
sua missao, cumpre plenamente os seus deveres, e sacrificio que seria mister fazer para acquisico de
contribue para estreitar mais mais os laco* de' outros vasos,
fraternal amisade eioteiligencia ^oe llgam os doas | f O governo o paiz que da sua parte nada O-
Patees 8 govomos. ; zeram para crear tal situacao aceitam-a cora ani-!
- A injusta guerra a que o goveraante do Para-! mo sereno, e fortes na justica da sua causa e no |
iNao incluimos na reacao amenor os vapores
Anhambaky, *alto, Vintee Ornele Maio e Gtwfp-'gaay provocoua repblica, i guau Por nao termos noticia do destino que se mes clarada com o Imperio do Brasil, creou natural-; deroso dar a victoria aos que vo pela lierdade e
tem dado. mente a necessidade de enteadercm-se ambos os' pelo direito.
A pessoa qne nos fornece este daoos, que ^ovemos, pcmtlo-se de accordo para proseguir na
ha um mete meio visitn aquellos navios, eres-1 guerra. K, embora isto teaha deser materia de
cenia que* arlilharia eo mais armament de mensagem especial do governo ao honrado con-
como peca curiosa pelo desfagamento e impu-
dencia daremos anda a seguinte -proclaraacao de
Lpez ao seu exercito expedicionario do Sul
O nico censo oulcial que podemos obter so- < Foi concedida a exoneraoao que pedio o con
bre o Paraguay, o que dea Azara no anno de i selheiro Jos Pedro Dias de Carvalho de fiscal da
179o, e qae calcula a populado em 97,480 al- lquidacao da casa bancaria de Antonio Jos Alves
ma<, inclusive 10,979 indgenas perlencenles s, Souto & C, e nomeado para subslitui-lo o bacba-
onze-MTssoes do Paraguay. Besulta, pols, no! re Francisco de Assis Vietra Bueno,
principio do seclo,e em nmeros redondos, urna j Por decreto de S do correte foi conferida ao
popula$o de 100,000 almas, pouco mais ou chefe de esquadra Guilherme Parker a graduaco
menos. Ido posto de vice-almirante.
minlstracao da provincia ao vice presdante Fran-
eiioo JosdeOliTeln.
Paban.^.Os voluntarios alistados eran 328. A
presidencia da provincia designara para comman-
danta do cor pe o Dr. Jos Arthr Muvlnellez.
Baha.Pelo Paran exportou a provincia 328
oitavas e 37 graos de diamantes.
SnoTPE.Honve um principio de incendio na
matriz da capital, mas sem eonaquencias.
Na asscrabla provlncial'bavia sido presen-
tado um projecto, supprimimlo a inspeccSo treral
das utas, e ficando apenas cwatro grandes distric-
tros Iliterarios.
O projecto para aereadlo de nm corpo de
polica provisorio estm em 8- discussao, mas tl-
nha opposico.
PERNAMRCO,
gao
excellente qualidade, porm pessimaraenie dlstrt- gresso, de sea dever consignar aqni que o illus
fcuido. trado diplmala brasileiro se tem portado em lo ,
Os navios tem conservado a construorao qne delicado tsumpto enm a mais amistosa franqueza argentino, para lavar a aflronta que a demagogia
Ibes deram para o serva de paquetes, endo o e o mais solicito inleresse favor dos estados ag- nao cessa de arroiar sem motivo algum sobre a
maior numero de ierre, demodo que djw prestara gredidos pelo governo paraguayo,
como vasos de goerra. > < Instigado pelo governe de Montevideo, que a
'10 todo o transe procurava crear complicaefies ad-
ministrado argentina, o gevemo do Paraguay di-
rigise ao desta repblica pedindo-lhe explicacoes
sobre a sua altltude e participac.ao na guerra civil
da Repblica Oriental. Q governo com amistoso
interesse salisfez a tal pedido qaante Ibe cumpria,
mas nao leve a fortuna das suas explicagoes serem
bera apreciadas.
Subsequentemente, e depois de haver declara- .
cosa a S M. o Imperador. As H horas da noite do a guerra ao Imperio do Brasil eom a captura de u desgracado com o instrumento da demagogia
3: um paquete de vapor que em transito se achava | que, enlhronisada na cidade de Buenos-Ayros.se de
< Acabamos de verificar qae no perodo decorri-1 L-se no Diario oficial -.
do desde 1780 at a pocha actual nenhum paiz Espalbou-se o boato, que foi propagado pelos
REVISTA DIARIA.
O vapor inglez Jos Sm Romao, chegado honten
de New-York, trouxe Jornaes at 23 do passado.
Delles colnera os o que segne.
O general Johoston rendeu-se com condigdes
que nao pdem ser aceitas pelo governo, pelo que
foi mandado o general Shermann continuar a ba-
ter os rebeldes.
Era quanto dura va o armisticio, J. Davis, presi-
dente do sul, evadira-se para o Mxico.
O estado de Mobiie foi aflnal tomado pelas tor-
gas federaes.
O vice presidente tomara posse offlcial do cargo
de presidente, e j se havia dirigido nesse carc-
ter s diversas autoridades.
Achava-se preso nm tal Surratt, que se dizia ser
i diiud ueunuiii pait ia.-jjonmu-.-o u uu.hu, ijuu un uiuuajauu udius assasSIUO O mililitro SdWard.
5' S^S^fSSSr iy.!^yy7Sgrfr: doPrata.cnseguoduplicar a sua populagSo no. jornaes do Prata, de qne o Sr. vsconde deTaraan- O corpo de Lincoln eslava em viagera para
SSSflftlC* ^fi*2? ^^^aHfS* espaco de 30 annos. dar havia posto a d.sposigao do governo argenti- l'oois, onde deve ser sepultado, tendo sido innu-
A taita de um censo offlcial posterior, eadmit- no qaatro ou oito canhoneiras completamente ar- j Mtt as demonstrag5es que recebia, as cidade
Acdtta a demissao do gabinete de 31 de agosto,
foi o Sr. vsconde de Abiete chamado na 'neite de
antebontem ao pago de S. Chrislovin para se en-
carrottar da oroanisacib do novo miirtsterio. do S Exc. pedido escusa desta missio, 'foi ella na
manfta de honten, rncnmbida ao Sr. conseibeiro
Jos Antonio Saraiva que aceitando-a teve noite,
por motivos que ignoramos, de pedr tambem es-
nossa patria,sobre o nosso governo esobren vossa
honra militar.
Ha vinte annos combatieis no mesmo solo ar-
gentino pela nossa independencia ameagada pelo
governo de Buenos-Ayres : agora ides combater
em sustentagao dessa mesra independencia, pela
roanutengo do equilibrio dos poderes e pela tran-
quillidade dos nossos lares.
Como entao, encontrareis agora nos povos ar-1
gentinos inimigos que combater e cidadaos dignos'
a quem estender a mo.
tindo, oque alias nada justifica, que a popnlaco madas, pira que fossem tripuladas por argentinos,
do Paraguay constituisse ama excepgo aquella e com a bandeira daquella repblica,
regra, achariamos para a poca actual (I8") s-! < Urna tolha desta manhaa reproduzio a noticia
raenie 400,000 almas e temos anda motivos desse boato, qne inteiramente inexacto, como pro-
para acreditar que esse algarismo seria exage- va o seguinte desmentido do vice-almirante brasi-
rado. leiro, impresso na Tribuna, e reproduzido pelo
< De facto, tivemos occasio de certificar-nos Nacional de 24 do passado :
pessoalmente durante os doas mezes e meio qae < Estamos autorisados por S Exc. o Sr. al mi
permanecemos naquelle dictatoriado, ser maito rante brasileiro, vsconde de Tamandar, para des-
enseida a mortahdade as criangas, nos jovens, mentir a noticia que circulou, quanto a offerta que transaegoes que se faziam.
e anda nos adultos, em conseqnencia do inao re- se dizia feita por este senhor do governo argenti-! vaPr francez Samlonge, da llnha de Bor-
' i gimen alimenticio a que a populagoest sujeita, no, de oito canhoneiras para penetrar com bandei-' dos. devia sabir do Rio de Janeiro, para Marse-
e das enfermedades verminosas ou eruptivas, e ra argentina at o Paraguay. A noticia comple- 'na> "o da 26 do corrente, tocando smente na
anda da sypbilis. lamente falsa. > j "ibia, S. Vicente, Tenerife e Cadix.
L-se anda no Corrcio Mercantil: I vapor Jo San Romao um bello navio de
guerras et, como os oatros do Rio da O Eco do Suf traduzio do Siglo e puhlicou as j 204 ps de comprimento e 32 ps e 4 polleRadas
por onde pass&va.
Uaviam esperangas de salvar-se o ministro Se-
ward.
Diversas cidades, e particulares mesmo, offere-
ciam sommas importantes a quem capturasse o
assassino do presidente Lincoln ; elevando-se ja' a
140 mil pesos as suinmas offerecidas.
O ouro e oalgodao fleavam aos mesmos procos,
trazidos pelo Flanungo, sendo quasi aullas as
de Araujo.______________________no porto de AssumpgSo, soliclou do governo ar-! clara nosso gratuito inimlgo, se allia ao Brasil na r> >,, 5 ,am mn.-An
h ''T c 'genlino passaKflm Peta rov,ncia de orientes; sua poltica de conqu.su, I lazendo votos pelonosso I. irriS
Enuou honiem do Pacifico com escala pelo Rio, para operar militarraenle >obre territorio brasilei- exterminio lhe offerene toda a coooeraco e auxilio d,,,. "ei.ras, C,I18-como "J8
da Prau o vapor uo-le-americano fim%*. Sonder. ra. O governo, cumprindo os seus deveres de nea- que cabe na corrupeo na"raico ei a.cobarda 5?!!, P,rem ,a.mbem Dao ieve corao elles Im|- niiiies linhaa sobre a marcha provavel do exer- largara com urna machina da torga de 2D0 ca
nego-se a tal pedido. | Moitasi seria. f'd?gas quT havlis de arrs- gcS e-straneira Para encher s vacDO'- Clt0 brasileiro : I yallos, que cala 13 ps d agua carregado e doita
neral a crvete Nitherohy salvara com 21 tirse,
um forte de Ierra e o vapor argentino Pampero de-
ram igual salva O ministro da guerra, acompa-
nhado de algumas pessoas gradas, sahio-lhe ao en-
contr n'um vapor, e o presidente Mitre esperava-o
no caes, onde urna immensa mnltido o victorion,
acompanhaiido-o at casa do governo. Alli se de-
ram vivas aos tres estados adiados contra o Pira-
com datas de Valparaso at ao P de abril e Mon-1 tralidade.
tevido 3 do corrente. I Nest estado, e quando o governo argentino i trar, mas eu sei que amis demasiado a patria e a
Foi expleodida a recepcao qeeem Buenos-Ay- descansava na seguranga de qae a neutraldade se- vossa vida tranquilla e laboriosa para nao estar
res se fez ao general Flores. Ao desembarcar o ge-, ria respeiuda por ambos os belaigeranies, foi o paiz jeerto de que jamis ha de faltar-vos a aboegagao e
- sorprendido com um facto commettido pelo gover-| a constancia deque blasonam os filhos deste solo,
nante paraguayo e que nao tera exemplo se nao -0 vosso patriotismo, a vossa disciplina, a vossa
enire nagoes barbaras. constancia e todas as vossas virtudes vos faro,
Sem declaragao previa de guerra, vielando a ,0 ha que duvidar, superiores a quanta privacao ,
fe dos tratados pblicos por aquella republi-[e miseria se opponham no vosso caminho para Ur- i
ca celebrados cora a argentina, sem provocagao mardes a paz, a ordem e a iranquilbdade da nossa
aiguma, e o que mais -sem allegar causa, lancon patria.
sobre o porto de Corrientes urna esquadra de 'va-, Soldados e marinheiros.-Alli lendes os valen-'"
guay. O cnsul oriental, em cuja casa se hospe- pores de guerra dom numerosas torgas de desem-, tes de Goimbra e S. Lourengo imilai o seu exem-!
dou,deu um banquete em bonra do general, e barque, e com aleivosia etraigao inaudita, depois po, e a vossa campanha nao ser longa, e os nos-1,
igual cortezia lhe preparavam o presidente Mitre e. de trocar cumprlmentc de bandeira com o vapor sos triamphos tero assegurado para sempre o por-
o Sr. conselheiro Oclaviano. argentino de guerra Virtt-t e Cinco de Staio que es- vir e a grandeza da nacao.
Dava-se corao ja concluida a-Iripliceallianga so- tava fundeadoe com as fornalhas apagadas, rom-| Assumpcao, II de abril de 1863.Francisco
bre a base de salvr-se a iotegridade e indepen-; peram sobre este um vivo togo, e tomando-oemse- Solano Lpez. *
dencia da Bepuliica do Paraguay, faltando apenas guida de abordagem, bem como outro pequeo va- Passando as noticias do Pacfico ia a revolugo
ajnstar alguns pontos secundarios. por tambera pertencente marinha nacional e que do Per azendo progressos as provincias do sul,
Havia nelicia de ler a nossa esquadra chegado esteva em concert, e levando ambos os navios em apparecendo nos departamentos do norte ja alguns
a Goya no da 23 e haverem os Paraguayos eva- direccao Assumpcao, depois de disparados varios symptomas de igual pronuncirnoslo contra o go
cuado o Empedrado, ja reoeoupado por torgas do tiros de pega cora bala sobre a indefeza povoago verno do general Pezet, que se dizia conservarse
governador de Corrientes, Lagrana, que tinha rea- de Corrientes dotante e inactivo, ao passo que as torcas insur-
nidos 6,000 homens. i t Consumado este ateivoso facto, torga* r-aTa- reccoaaes e organisavam
No. fPSSSPg!? dDa CoBCOrdia havia **> e aayaj invadiram a capitel de Corrientes que, des-1 Na Bolivia consolidava-s'e definitivamente a re-
eni Ula b.OOO Eotre-Rianos cuidada e rrpoosaudo na paz era qne estavam volugao. O general Melgarejo tinna sahido da ca-
O general Urquiza tinha chegado a Buenos-Ay- ambos os pa zea, se achava inerme e na impossibi-, ptal para Oruzo acompanhado de todos os eorpos
s para assistir ao conselho de guerra, em que se hdade de resistir aquella invasao vandaln-a ou re- do exercito
Quando em todas as regiSes que circulara o Os seguintes dados darao ama idea a nossos. milhas por hora. Fot construido no Malne'pelo-
Paraguay, e qne tera habitantes da mesraa raga leitores do caminho, que provavelmente segniro I constructor naval II. S. llagar. Tera accommoda-
e costme*, a populago sement pode triplicar- os torgas brasileiras se desembarcarem na costa ?oes Para 45 passageiros de primeira classe. ues-
se em 60 annos, como poderia ter quadruplicado, do Paran e se dirigirem capital do Paraguay. tina-se a ser vendido no sal.
e ainda septuplicado no Paraguay, como alguns De Ilapua, povoacao
' aquella;
chaga-la.
c O povernador, cidado D. Manoel I. Lagrana,
com todas as autoridades suas subordinadas, a-sim
como os pacficos moradores afasteram-se da capi-
tal, e col loca ndc-se em ponto conveniente, reuna o
governador com rapidez, segando participoa toda a
do exercito.
A respeito da inculcada allianga com]o Paraguay
cootra o Brasil era palavra encontramos as to-
Ibas que temos a vista.
3io Chile nada occorrra de extraordinario. O
general Maturana foi substituido na pasta da guer-
ra pelo coronel Pinte, e revogou-se o decreto que
res
. ia deliberar sobre as operagoes n litares.
No dia 30 o vapor Era encontrn na altura de
S. Francisco, duas l.-guas cima de Paysand,
quatro vapores brasileiros carregados de tropa,
que paredaa dirigir-se a Concordia. Talvezfosse
ao Salto.
Por Fray Bento tambem passou a 29 urna canbo- arda nacional da provincia, para acudir com ella i
neira brasileira rebocando (res embarcacoes cora a defeza do paiz, pedrado ordens autoridade na-'^
tropa. dona).
Os soldados ^de Entro-Ros deviam por-se em i A de leal aggressao do governante paraguayo
marcha a 4 oa 3 de maio. produzio a mais irrtame impressio em lodo o po-
O general Flores era a lodo o memento esperado vo argentino que j leveconhecimento delta. To-
devolte a Montevideo. Em Buenos-Ayres tinha dos lem respondido ao chamado da autoridad?, fei-
embarcado algum irem destinado divisao expe- lo em nome da le o da dignidade nacional oirendi-
i!.nonaria para o Paraguay. da, sendo nma das primeiras provincias que se pu-
O Sr. D Cartas de Castro foi officialmente recejji- zeram em armas a de Entre-Bios, juntamente com
do pelo presidente Mitre como ministra plenipo- as de Buenos-Ayres e Corrientes, cujos governado-
tencanO da repblica Oriental, em miasan i.-m. I rae *n*HUn ,1.^ l.ulna .,.. lU.
paraguaya na margena
ineuleam direita do rio Paran, segurado o rumo O. N. O .an-
* Logo, sem fundamento que certos calclos dam-se 8 leguas e chega-se margena esquerda do
feitos ligeiramente tm elevado essa somma wa Aguapehy. Atravessando esse rio, qne bem va-
a 1,200,000 almas, ora a 800^000, e pelos menos deavel, encontra-se d'ahi a 13 leguas a povoago
a 600,000. Era nossa opinio s pode alcangar de Santa Bosa, e 8 leguas mais alera est a mar-
a 300 ou 330,000 almas. gem esquerda do Tebiquary, da qaal dista 4 le-
A populago do Paraguay parece primeira guas o novo de Caapuc. A 12 leguas ao N. en-
vista mais conslderavel, porque a vemos basten- contra-se Paraguary, sitio notavel por ser o campo
te compacta em certos pontos, coma Assumpgao marcial da instruego militar da repblica, e thea-
e suas vizinhangas, o departamento de Villa-Ri- tro nos primeiros dias do movlraento revoluciona-
ca, etc. Porm, o Norte, Nordeste e Este sao de- rio da independencia, do feito de armas com o ge-
serlos ; o Sudoeste ainda pouco povoado. neral Belgrano. A 10 leguas desse campo est As-
Fra para desejar que o governo de Paraguay sumpgao, passando por entre os dous pontos a va
mandasse publicar um censo offlcial exacto, e se frrea que se dirige Villa Bica e toca ja as po-
oceupasse era estabelecer os registros do estado voagoes da Trindade, Luque, Aregu e Ilaugu.
civil, pois esto anda era peior estado que na Tera pois desde Itapu uina distancia de 55
Confederago Argentina... leguas brasileiras.
i Eis agora o que diz o Siglo : De S. Borja, na provincia do Rio-Grande do
t Das observagSes do Dr. Martin de Maussy re- Sul, povoacao de S. Carlos que pertenee repu-
sulia que os clculos de Du-Graty sao algeraa blica do Paraguay, e que desde nauito lempo teena
cousa fabulosos, e que nao pdem servir de 3,000 homens de gaarnigo, ha prximamente urna
norma. distancia de 20 leguas, e de S. Carlos a Itapu nao
Por nutra parte, e tomando em conta as consi- ha mais qae 8 leguas;de maneira que a distan-
deragoes scieutificas e praticas do Dr. Moussy, cia total entre aquelle povo rio-grandense nao
. em missao espe- res, auxiliados pelo patriotismo de todos os cida-
c'al- .... i daos sera distincgao alguma, tem cooperado da raa-
0 capitao Irwln, subdito inglez, offereceu-se ao neira mais activa para repellir enrgica e viclorio-
governo argentino para formar urna legio es- smenle a guerra a quesfomos provocados
osseza. o governo da Repblica do Cnile unido ao ar-
No 1" de maio abriram-se em Buenos-Ayres gemino por vnculos gloriosos, acrediten como seu
o congresso nacional e a legislatura proviu- enviado extraordinario e ministro plenipotenciario
cial-, o Sr. D. Jos Victorino Lastarria. Negociou-se
A abertura do pnmeiro assistiram todo o corpo com elle um tratado que, alm de necessaro, mui
diplomtico, o general Flores, o visconde de fia- conveniente para ambas as repblicas,
mandar, o general Osorio, o general Urquiza, os Ajustadas com justiga e equidade como foram
demais generaes da nago e grande concurso de as reciamagoes qae a actual admiuistragao achou
povo. Ao apresentar a sna mensagem, proferto o pendentes por parte de subditos de sua magestade
presidente, da repblica esta falla:: brlannica e de sna magestade o imperador dos
Cidadaos do senado e da cmara de deputa- Francezes e cumpridos com severa exactidio os
dos.Sado em vos a mageslade soberana do povo compromissos contrahidos, nao (em havido se nao
argentino, cobardemente ferida neste momento pela motivos para consolidar as relag5es que existem
nao alevosa de um immigo estranho. entre este e quelles governos.
com os altos deveres qae a patria f E pelo que respeita ao amigo amigo da repo-
me impSem, j provi a defeza e blica o honrado cavalbeiro Eduardo Thonrton, nai-
Cumprindo
e a constituicao
seguranga do territorio e prlestei contra essa san-
guinolenta offensa, respondendo a guerra com a
guerra.
Agora s falta qne vos, representantes legli
mos da vonlade
mundo em nome
panha e o Peni se consideravam beligerantes.
Pela repartigao da guerra reorgauisava-se' a
guarda nacional, e pelada marinha tinaam-se man-
dado construir na Inglaterra alguns navios encou-
ragados, devende trazer cada um tres rodizios de
150, dous de 70 e quatro pegas de batera de 40.
Estas embarcagoes eram esperadas ato o fira do
anno.
la-se fazer o censo da repblica.
O projectado caminho de ferro dos Andes est
orgado em 450,000 pesos. A hnha tragada tem 31
legoas, 158 varas de extensao, e deve construir se
n um anno.
nistro plenipotenciario de sua magestade britanni
ca, incansavel sempre que se trata da paz e felici-
dade dos povos do Prsua, conquistoo mais um ti-
tulo gratidao publica,unindo os seus estorcos aos
popular, a declaris a face do que fez o governo argentino para prodnzir a paz os quartos Jos Pedro da Silva Bosa Jnior, Gui-
do povo argentino; que ordenis j enlre os dissidentes da Repblica Oriental, e em- Iherme Jos de Almeida, Sebastio da Rocha Fra-
Consta-nos que o Sr. chefe de esquadra Guilher-
me Parker foi elevado graduago do posto de vi-
ce-almirante da armada imperial.
Por decretes do Io do cortete foram nomeados
juizes de direito os seguintes juizes municiones:
Reinaldo Francisco de Vionra, para a comarca de
S. Joao, na provincia da Parahyba.
Jos Coriolanos de Souza Lima, para a de Pastos
Bons, na do Maranhao.
Francisco de Paula Lins dos Gnimares Pelxoto,
para a comarca de Macap, na do Para.
Conste-nos que foi nomeado juiz de direito da
comarca do Lagarto, na provincia de Sergipe, o
ba'.harel Luiz Felippe de Sampaio Vianna.
i i ii i.i
Por decretos de 8 de abril ultimo foram nomea-
dos :
nevera a observar-se que seus clculos poden
anda em parte ser errneos, pela razio de que
< smente se baseiam no de Azara autoridade
por certo nauito respeilavel, porm que pode ter
soffrido equivocagao ; por exemplo. na falta de
< dados sobre os indgenas, que ainda nessa poca
oceupavam urna parte do terrilorio paraguayo.
Logo acreditamos que telvez diminuto o al-
Hoje Cordeiro Simes fara' leilo de moris,
cavallos, bois, joias de ouro e prata, louca, qua-
dros, etc.; em seu armazem a ra da Cruz n. 57,
as 11 horas em ponto.
Acaba de ser dada luz a obra do Padre Pas-
cal, denominada Biblia da Infancia, sendo vertida
do original francez para a lingua verncula pelo
Sr. Dr. Aprigo Gulmaraes.
Esta obra contm um resumo do que mais inte-
ressa saber-se da historia sagrada; e o seu autor
no respectivo desenvolvimento encadela e prende
os fados lo naturalmente, que disto resulla sem
esforgo a relago que elles guardan) entre si, che-
gando-se a conhecer a acgo de Deus na prepara-
gao das geragoesdesdeo principio dos secutas para
receberem e praticarem a religio de Christo.
Sobre parecer do conselho director da nstruc-
go publica, foi este obra approvada para a leitura
as escolas publicas da provincia; e para dese-
jar que se estenda esta faculdade a todo o imperio,
visto que na especialidade nao ha nada compara-
vel a Biblia da Infancia.
Em lugar competente desle Diario vai publi-
cado o annuncio de um nosso patricio, que lendo-
se aperfeigoado na profissao de callista no Rio de
to grande como muitos pensam. E' menor que en-1 Janeiro, onde obteve na pratica dessa profissao fe-
izes resultados, chegou ltimamente a esta cidade,
e aqu se acha estabelecido.
Nao existindo al hoje quem se tenha dedicado
aqu a urna profissao lo til de esperar que esse
joven collaa fructos vantajosos de sua industria,
visto mutas pessoas solfrerem de callos.
D hoje o Sania Isabel una espectculo, su-
Terceiros escripiuturarios do thesouro nacional,
que as saas valentes Iegi5es despreguem a sua,.bora tudo se baldasse dlante dacga inflexibilida-! goso, Joo Jos Pereira das Neves, Francisco Jos
bandeira nunca vencida, e vo alm da fronteira! do de um dos contendores, era por isso sao menos i da Bocha Filbo e Manoel Fernandos de Mattos
ao territorio do aggressor buscar reparagao e justi- meritorios osservigos prestados em ca, nao ern nome do odie nem de srdidos inte- aquelle diplmate.
resses, mas em nome dos eternos principios e' < Para honra do paie consignar tambem aqu
dos eternos dreitos da humanidade vilipendia- j o governo que recebeu de de saa magestade bri-
da. (Applausos.) : tannlca nm precioso testemuoho de amisade e con-
Fra-me grato inaugurar as vossas tarefas no sideragSo as felic'uages, qoe lhe dirigi, pela po-
melo dia feliz e do creseente progresso em que linca sustentada pela idoaioietragSo argentina as
marchavamos; porm leoho a salisfagao de peder graves complicagdes creadas pela guerra civil na
dizer-vos neste occasio que me aprsenlo ante vos Repblica Oriental-
rodeado da nago argentina, anida em am s seu- As provincias da reputilica, gosaodo dos bene-
timento, disposta a combater com o alent varonil fictos da paz, sombra das instituig5es livrps que
de nossos pais para perseverar amanha nos traba- nos regem, tera attingido u grao de prosperidade
Ihos pacficos qoe engrandeeem as nagoes. e adiantamento que sorrrendoria iodos quelles que
Asslste-me a f ineontrasta*el de que hoje, nao conhecem os immensos elementos de riqueza
como sempre, a Divina Providencia ha de proteger que ellas era si encerram e qoe tem principiado a
a nossa bandeira e a nossa causa, e cont que ella aproveitar-se medida que eonsolidando-e a paz
ha de permittir ainda que as nossas tarefas legisla- offerecia penhores de seguraoea aos capilaes em-
tivas sejam encerradas debaixo dos auspicios glo- pregados.
riosos e fecundos da victoria e da paz; no enire- A guerra em qne entra repblica nao para-
lante compro o alto dever qoe a lei me assignala, lysar as grandes obras que se esto fazendo em
declarando qne eslo abertas as sesses ordinarias tedas as povoagdes argentinas, e que tem por rim
do congresso na nago Argentina. melhorar as vas de comnaunicaeo existentes, crear
Da mensagem exirahimos os seguintes topi- outras novas que dem maior desenvolvimento ao
os : creseente comoaercio, langar pontee sobro os ros
A repblica Argentina acha-se em paz com onde fr preeiso, estabelecer a navegaeo a vapor
todas as nagoes amigas com quem cultiva relagoes -era todas as viae fluviaes da repblica e dar toda a
de amisade e commereio. facilidade, seguranga e frequencia possivel cor-
Urna nica excepgo recente mente oecorrida respondencia epistolar,
veio cortar estes relagoes com o Paraguay, e o As rendas ordinarias arrecadadas em toda a
governo se coropraz em declarar que da sua parte repblica em 1864,tiveram consideravel augmento
nao honve motivo algum de rompimento. aperar da perturbaco produzida na imporlago
c As coosequepciae delta pesaro exclasivamen- pela reforma da lei da alfandega.
te sobre o mal aconselhado governante, que auen- < A guerra rajustificavel que faz repblica o
ton contra o mais sagrado que tem um povo pun governo paraguayo obr.igou a autoridade naeional
donoroso e atante, a bonra e dignidade naci- a tomar as medidas bellieas qae a sitaaeao requer,
al- concentrando o exercito de linha, augmentando no
A gaern tai do Uruguay, e as mni graves complicagoes que', do immediatamente oatros e chamando ao servigo
produzio, traba ereado para nos ama sita gao es- a guarda nacional.
pedal.
< O governo interessado oa paz propna, junte-
mente com a dos seus visanbes, nao poupou estor-
cos para assegura-la.
< Comprehendendo qae a eossacao naquella re-
pblica, ao mesmo tempo qoe era aitamenie vanta-
josa para os Orentaes, nao poda deixar de ser de
< Como mais immediata i provincia aleivosa-
mente invadida por Cercas paraguayas, ordeaoo o
governo que ae pozesse em armas nma forte co-
lumna de guarda nacional de ca vallarla em Entre-
Ros, encarregando a saa formagio e commando
em chefe ao capitao general D. Justo Jos Urquiza.
O governo faz nm acto de justiga recemmendando
Por titulas de 8 deste mez foram nomeados :
Quartos escripturarios do thesouro, os pratican-
tes Laurenlino Alves Pamphiro, Joaquina Jos Ma-
ciel, Joo Peixoto da Fonceca Guimares, Pedro Mi-
guel Pereira Vianna, Antonio Jos de Abreo, Ale-
xandre Alfonso da Rocha Sattemini, Eduardo Jos
Napoleo Viallis e Luiz Jos Vianna ;
Terciro escriptorario da casa da moeda, o pra-
ticante do thesouro Adolpho Jos Conrado;
Amanuense da recebedoria do Rio de Janeiro, o
offlcial de descarga Antonio Joaquina de Souza Bo-
ta togo ^
Praticantes do thesouro nacional, Jos Antonio
de Araujo, Joaquina de Freltas Vasconcellos, Ma-
rianno Antonio Dias, Jos Carlos de Souza Bordi-
ni, Luciano Diniz Cordeiro, Adelo Basilio de
Moura, Honorio Luiz Vieiro Sonto, Joao Angosto
de Souza e Silva e Jos Marllnlano da Veiga No-
brega ;
Offlcial de descarga da alfandega do Bio de Ja-
neiro, Manoel Antonio Mendes;
Praticante da mesma alfandega, Jos Pereira
Leilo Jnior.
Por decreto de 8 de abril prximo lindo, foi no-
meado primeira escriptorario da thesouraria de
fazenda do Maranhao o terciro escripturario do
thesouro, Joo Baptista Carneiro da Canda.
Por decretos de 1 e 2 do corrente foram nomea-
dos :
Segando cenfereote da alfandega da Babia, o
ajudante do inspector da alfandega de Paranagu,
Jos Francisco Maitins;
stereometra da alfandega da Baha, o segundo
conferente da mesma alfandega, Domingos Joaquina
da Fonceca;
Pagador filial da thesouraria de fazenda da pro-
vincia" de S. Pedro do Rio-Grande do Sul, Manoel
Antonio Fernandos Lima;
Ajudante do inspector da alfandega de Parana-
gu, na provincia do Paran, Leocadio Pereira da
Costa;
Inspector da alfandega de Urngnayana, na pro-
vincia de S. Pedro de Rio-Grande do Sol, Manoel
Luiz Ferreira.
Por decretos da mesma data foram exonerados
tre Montevideo e Salto, pois s chega a 83 leguas
brasileiras.
t Vejamos agora os obtaculos naiuraes que p-
dero embaragar a marcha de um exercito orga-
nisado.
Em todo o camiuho o terreno, mais ou me-
nos plano, e pode dizer-se que nao mo, excep-
garlsmo apresentado pelo Dr. Martin Moo^sv, e tuando certas paragens pantanosas, principalmente bindo a scena o belhssmo drama O Ceg e o Cor-
que a populago bem pode chegar a 500,000 al- quando claove. cunda, e a chistosa comedia Urna chatina de cha.
mas. E' positivo o que elle diz de nao ter jamis Alravessam-se varios ros, dosquaes omaiscau- drama que para nosso publico novo, recora-
havido no Paraguay emigrago estrangeira con daloso e o Tebicuari que desemboca no Paragua-1 nienda-se pelo enihusiasmo que sempre ha proda-
sideravel. Hoje mesmo nao se clcala em mais ry, e cuja navegago por embarcagoes rasas ulti-' zido nos t boa tros, em que tera sido representado -,
t de 300 a 400 o numero de estrangeiros que la re- mmente ensaloa-se ensaiou-se com feliz xito. Es- e a comedia que no sabbado foi scena, merecen
zidem. i se rio era certas occasies requer pontesou canoas, os maiores applausos pela graga das suas sliua-
Deduz-se, pois, de todas estas observagoes, que pois profundo e com as chuvas sahe de seu lei-1 Q<5es verdaderamente cmicas e pelo bom desempe-
apezar da bulla qae fazem os Paraguayos com | to, innundando grande extensao de terreno.
seus numerosos exercitos, a maior parte fabu-' Perto desse caminho, direita, se vai a Villa-
la, e apenas existem as columnas do Semanarto; Rica, centro da campanha, d'onde dirige o caminho
porque, segundo as regras da estalistica, orna de ferro. Alera de ser mu comraercial pode con-
populago de 500,000 almas nao pode por em siderar-se como um grande eslabelecimento mili-
armas mais de 25,1:00 homens, nao comando os tar, por ser o deposito geral das maaiges, dos
alistados estrangeiros. parques e dos armamentos, qae sao guardados por
Todava, se se quizer augmentar essa propor- ama pequea torga. Sna posigo de summa im-
gao por effeito do sysleraa tyrannico que alli do- portancia, e por isso foi eseolhida por aquelle go-
< mina, que faz de todos os cidadaos serves, e dos verno para ultimo reducto no caso de invaso es-
servos soldados, ao maito poderia elevarse o trangeira pelo rio.
numero de homens capazes de pegar em armas As explicagoes que damos, extrahidas de di-
a 37,50P ; nuuca mais do que isto. versas publicages, sero mais fcilmente compre-
V-se conseguintemente que o Paraguay, apro- hendidas consultando o excellente mappa do Para-
veitando seu solamente, quer forjar phanlasmas, guay pelo cnsul de Braver, que se vende as li-
erigindo se em autocracia, ou julgar que pode, vrarias desta capital.
Acerca de noticias commerciaes l-se no Jor-
nal do Commereio:
t Assucar.Entraran) : de Pernarabaco o bri-
gue Trovador com 2,100 saceos, de Macei o Boas-
sica com 3,000 e de Campos diversos navios com
pequeos snpprimentos. Nao houve entradas de
ootras procedencias.
No principio da qniazena cresceu a procura
e effectuaram-se vendas regulares do branco e
mascavo para os portes do sul. Para o consumo
desenvolveu-se tambera a procura, vendendose l-
timamente cerca de 400 caixas do mascavo de iJoao Pe' Machado.
Campos. i Joaquina Liao Pereira.
Os pregos melhoraram e eslo firmes, cotan-
do-se actualmente:
Pernambuco branco fino e 2* sorte 45600
> 3a dita 45.100
couao os Chins, combater seus nimigos com pai-
neis de figurasj,monstruosas, com algarismos fa-
bulosos, o que vera e dar no mesmo.
< Porm, a verdade que aqu ninguem se dei-
xa levar de illuses; e todos sabera o que im-
portara os colossos com ps de barro ; ao pri-
raeiro embale rolara despedacados.i
DIARIO D PERNAMBUCO
ntio que teve
Heparticao da polica:
Extracto das partes do dia 16 de maio de
1865.
Foram recolhidos casa de detengo ne dia 15
do corrente:
A'_ ordem do subdelegado do Becife, Benedicto
e Joo, escravos, este de Manoel Luiz dos Santos,
e aquelle de Francisco da Rocha, ambos a requeri-
menio dos seus respectivos senhores.
A' ordem do da Boa.Vista, Joo, escravo de
Joo Antonio de tal, por fgido.
Ochefeda2".secgo,
J. G. deiesquita.
Casa de dete-ncao.Movimenio do da 15 de
maio de 1865.
Existiam presos 339; entraram 4 ; sabiram 15;
existem 328, a saber: nacionaes 243 ; mulheres i,
estrangeiros 26; mulheres i; escravos 49: escra-
vas 6 ; total 328.
Alimentados custa dos cofres provinciaes 118
Movimento da enfermara do dia 16 de maio
de 1865 :
Ti veram baixa :
Pedro da Costa.
Julio I Inmuno da Silva.
Tiveram alta :
Temos vista cartas e jornaes do Rio e Baha,
trazidos pelo vapor inglez Paran, com datas do
primeira at 10 e do segundo al 14 do correle.
Sob a rubrica Interior vai por extenso o que ha do
mais importante; alm do que s encontramos o
que segu.
Rio de JAN8IR0.-0 ministerio Enriado pedio e M'i branco soraeDOS **${
obteve sua demissao, acbaodo-se incumbido de or-'
gftnisar o novo o Exm. Sr. senador Jos Thomaz
Nabuco de Araujo, depois da recusa dos Srs. vs-
conde de Abael e Jos Antonio Saraiva.
Motivou a retirada do gabinete o resultado da
votago para presidente da cmara temporaria, que
s se reaiisou depois de 2 escrutinios e por urna
45800
45'iOO
a
a
41 dita 45000 a 45200
somenos 35800 a 35900
a 45200
mascavo............... 25600 a 25800
Baha e Cotnguba, branco...... 35700 a 35800
> mascavo................ 25600 a 25800
Campos, branco...............35600 a 45000
mascavo.............. 25700 a 35400
Despa_charam-;e : 1 caixa e 21 barricas para
Saceos.
deciso da sorte, como se v do seguinte trecho "do tVtt**L barricas para MoDevid*> e 16
Jornflf da Baha : i caixa: par* rorto-
O ministerio de 31 de agosto apresentou o SrJ m em ser : r,T,c
barao de Prados para a presidencia da cmara' nP Pranos jstt
temporaria. O escrutinio dea ao candidato roinisle- n! rimVn.ha........... 18fi
nal, em 76 cdalas, 35 votos, oblando o Sr. Salda-1 n mX ........... 186
nha Marinho 34, o Sr. C. Otloni 1, e havendo 6 ce-
dulas em branco.
< O ministerio declaroa-se em crise.
Procedendo-se a 2 escratinio, por nao ter ne-
De Macei.............. 3,000
De Pernambuco......... 5,000
t Carne secca.Ha em deposito 252,290 arro-
bas, sendo 22,000 ditas novas do Ido-Grande e
1213,540 ditas dita e 16,750 ditas velha do Rio da
menores,
W. Byder, e Joo
conveniencia para o povo argentino, nao perdeu consideragio do congresso e do paiz a actividade da commisso de Inspector da alfandega de Uro-
opportunidade de empregar cora interesse e reso- com que este general argentino reonio aquella for- guayana, Antonio Tello Barreto Filho: e a sen pe-
Ingao os seus bons offleios para produzr aqoelle ga superior em numero a que se linba designado dido, de pagador filial da thesouraria de fazenda
bem, no que contoa sempre com a cooperago do e qne com enihusiasmo patritico est j prompta da provincia de S. PeJro do Rio-Grande do Sul
corpo diplomtico no Rio da Prata, mu especial- a marchar ao combate e a victoria. Patricio Augusto da Cmara Lima,
mente com os agentes de S. M. Briiannica e de S. A provincia de Boenos-Ayres, fiel a seos glo- Por ttulos de 3 e 6 do correute:
M. o Imperador do Brasil. riosos proeedentes, generosa at ao sacrificio com o' Poi aposentado o ajudante do thesourelro da sec-
t Lonhecido o feliz desenlace da qnestao orien- sangue de seas filiaos, quando se trata de salvar a gao de subslituigo e resgate de papel-moeda da cai-
tal. A mndanga de governo ali oecorrida pz termo honra e a dignidade da patria, responden desde o a de amortisago, Lalz Jos da Coste,
inmediato a ioterrupeio das relagoes offlciaes en- primeiro momento voz do governo nacional, pon- Foram nomeados Tito da Uva Guimares para
tre ambos os governos, e actualmente eiise a dc-se de p para entrar na lnta3 e distingalndo-se o o logar de fifi da alfandega de Pornambueo, e Jos
nhnm dos candidatos maioria absoluta, o resaltado p
foi o mesmo, e a sorte decidi em favor do baro de r
Prads- ...... Vndese a primeira de 1^400 a 2*200 a se-
O ministerio relirou-se, e os doas grupos da gunda de 15800 a 25000 e a terceira de 500 rs a
cmara accordaram em sospender-se a seso at 800 rs.
que se resolvesse a crise.
foi
a ses3o at
a S. Christovo, e pedio de
O ministerio
missao.
S. M. houve por bem conceder-lh'a, e foi cha-
mado a noite o Sr. visconde de Abael para orga-
nisar o novo gabinete.
c Este, porm, pedio excusa, e foi entilo na ma-
nhaa do dia 9 incumbido o Sr. conselheiro Saraiva,
que acceitou, mas a noite teve tambera de pedir ex-
cusa por nao ter podido conseguir urna organisa-
gao. A's 11 horas dessa mesma noite foi chama-
do oSr. conselheiro Nabnco, e nada mais se sabe a
respeito, porque o paquete sahlo no dia 10 as 8 da
raanha.
O senado elegeu, no dia 8, a sua mesa admi-
nistrativa, que se compe dos Srs. : visconde de
Abael, presidente ; Gabriel Mendes dos Santos,
vice-presidenle; Jos da Silva Mafra, Herculano
Ferreira Penna, Manoel Teixeira de Souza e Fre-
derico de Almeida Alboquerque, secretarlos. A
commisso de resposta a falla do throoo compSe-
sedos Srs. Silveira da Molla, Candido Borges ePa-
ranhos.
Por carta imperial de 8 do corrate foi natu-
ralisado cidadao brasileiro o subdito portoguez
Agostioho Candido Cordeiro.
j Por decreto da raesma data foi concedida a
merc do foro de fldalgo cavalleiro da casa impe-
Cambio.Sommam os saques fechados al ho-
je (8) pelo paquete inglez Paran.
t Sobre Londres, S6 300,000 a 25 3/8, 25 i/4 23
1/8, 23. 24 3/4, 24 1/2 e 24 1/4 d.
Sobre FrangaeAntuerpia, 2,000,000 fr. a 376
377, 378, 38 Sobre Haraburgo, 150,000 ra. b. a 725 rs.
a Sobre Lisboa e Porto tem regulado a tabella
seguinte :
120 a 124 O/o.... avista
119 a 123 O/o.... a 30das.-
118 a 122 O/o.... a 60
117 a 121 0/0.... a 90
t Apolices.Negoclarara-se as geraes de 6 O/o a
93 1/2. 94 e 94 1/2 O/o. W
t Descontes.Os bancos manteem a laxa de lo
O/o- Na praga regulam de 9 a 10 O/o.
Metaes.As ultimas cotages de soberanos fo-
ram 105, 105020,105100,105200 e 105250.
Acges.Teem sido negociadas as do banco
do Brasil a 95 e 85 de premio, e das companhias
de seguros Feliz Lembranca a 55 e Fideldade a 65
de descont.
Eslava carga para Pernambuco a barca
brasileira Valle.
Minas-Geraes.O numero dos voluntarios alis-
tados elevava-se a 1165.
Sania Cathaiuna.-O Dr. Chaves passra a ad-
Passageiros do vapor Inglez Paran, saludos
para Soulhampton e porios intermedios :
sievao Rodrigues Foutes, Eduardo Hoty, Adol-
pho Maller, sua seuhora e 1 filho, Peier Burus
Victoriano Matheus Ferreira, Theotonio Flix d
Mello, Manoel Coelho Pinbeiro, Flix JosdeGus-
mo Lyra, Henrique Jos da Cu nha, Joo Pereira
Pedroza Lima, Jos Joaquim Ferreira, John Rober-
ts, Joo Vieira de Azevedo, Manoel Jos da Silva
Filgueiras, Manoel Ribeiro de Carvalbo, Jos Lo-
pes de Macdo, Joo Marlins de B. Jnior, Joaquim
Ferreira de Araujo, Domingos Bernardino da cu-
nha, Jos Antonio Ferreira Vinhas, Regenaldo A.
London, L. Jones, Placido Jos do Reg Araujo o
sua senhora, Bernardo Pereira do Valle Porto
Joo Gomes de Oliveira e Silva, Zeferino Joe da'
Costa Maia, Jos Oclaviano Telles Saldanha e sna
ulna menor, Trajano Augusto de Carvalho.
Passageiros do vapor inglez Paran, vindo
do Bio de Janeiro e Baiiia :
Joseph Witmore, Raphael Saarez, Wlliam K-
Bless, D. Luiza Romaguera e 3 filiaos
Guelfe de Lailbacar. Charles,
Baptista de Souza.
Passageiro do brigue brasileiro Pedro V
viudo do Rio Urande do sul :-Jos Luiz Ferreira'
da Lunba. ""*
Passageiros da barca nacional Rio de Janei-
ro, sahida para o Rio de Janeiro :D. Maria da
Conceigao Pereira, 6 filiaos menores, e 3 escravos
a entregar.
Passageiros da barca franceza Santo Andr.
saluda para o Havre :Soulon Luiz,
Cemiterio pidlico. Obituario dodia 15 do
mato de 1865.
Thereza Francisca Correa de Aranjo, Pernambuco
51 annos, vluva, Santo Antonio, pbtysica pul-
monar.
Carolina Ataxandrina do llego, Pernambuco, 3G
annos, vluva, S. Jos, pitysica pulmonar.
Austriclino Alves de Figuefredo, Pernambuco, 2t
aunos, solleiro, S. Jos, peritooite.
Claudio Miguel Francisco, Pernambuco, 20 annos,
casado. Santo Antonio, phlystca pulmonar.
Edmond Frante, Martinica, 30 annos, solteiro, Boa
Vista, hepatile.
Francisco, Pernambuco, 11 mezes, S. Jos, eclamp-
sia.
Ulisses, Pernambuco, 2 metes, S. Jos, espasmo.
Antonia, liberta, Pernambuco, 23 annos, solteira
Boa-Viste, meningite.
Um prvulo encontrado mor lo na porta da crea
dos Militares.
Feliciana, Pernambuco, 40 annos, solteira, S. Jos-
anemia.
Rite, Pernambuco, 30 annos, solteira, oscrava, S.
Jos, gastro hepatite.
*

x>
i


*
jr 4
*
-
Carlota, Pernambuco, 30 anas, solteira, escrava,
Samo AntoMo, ypenrooM* do cnrago.
Vicencia, Pernambuco, 19 aonos, solteira, escrava,
Afufados, phtysloa.
Joaquina, Pernambuco, 50 annos, solteira, escrava,
I, anemia.^ ^^ ^^ ^, do Trapiche 3i. __
Nw kuct Os adnflmstndores da mam fallida de Joaquim *
Jos Silveira pagara o i" divldeado de dito massa
na razao de 9 0/0 sobre o valor des ttulos ad-
metiidos : no novo banco de Pernambuco ra
Caetano, frica, 38 a
ascite.
Jos, Pernambuco, 100 anuos, aolteiro, escravo,
BoaVisla, velhice. I
Germana, Pernarrrtraco, 32 anuos, solteira, escrava,
Boa-Vista, pneumona.
COMMUNICADOS.
Caixa Hila! do banco do Brasil
en Pernambuco.
19 de abril de 1865.
Tendo-se desencaminbado do espolio de Bernar-
1 do Jos Pinto a cntela de 43 aogoes das locallsa
das nesta calza, sob m. 1939 a 1181, a directora I
faz publico a quem interessar possa, qne por parte .
de Antonio Jos Ramos de Oliveira, do Rio de Ja-1
neiro, antor dos herdeiros do dito Pinto, se vai I
aqu proceder a transferencia das referidas accSes
para o njme dos mesmos herdeiros.
O guarda-livros,
Ignacio Xuues Correia.
sla oreada
aquell
reaajproilaf cancertoV,
mOTcionaddrdiat-uo pago
acharo os orgatnentos par
Pago da cmara municipal do Recife 10
de 1865.
Luiz Jote Pereirmlj
Pro-presidente.
Francisco Canuto da Boa-Viagem,
Secretario.
a malo
Re ieVawiro
e bawe pWa^u-ft m '^
rima M\r M0 c".W-\
d : (fcra ff relo, \ltQf**n o*xrr,
os Marques, Barros & C, largo1 do Corpo
6^spgundoan
//Ira. Sr. Or, supplunle do jui municipal, o agente '
Pestaa far leilo d diversos objectos ic mobilia
|rasile- e roupa de usado finado, assim como delOb.mi
ment com linhaga as tO horas do da qulnta-feira 18 do,
nsigna- frrente na travessa da Madre de Beos n. 8 e o.
Santo oleo no arinazem da ra do Vigario a. 31, ao meio .
da.
r. Francisco Pires
chado Portelia
Ha
'tS de 137 saceos com assucar mas"
cavad*.
Cordeiro St^esfara le'" requerimento de|
>ao Simoes" de'AliC'da e despacho do lllm. Sr. Dr. |
Espiremos,- esperamos ... E deixera o Sr. r.
Moraes Sarment completar a historia das cinco
operagoes, provaias e provavehl Elle vai agora
abrir a urelttra, islo dilatar outra fatula talvez;
contando j cora ercellenle resultado, tero, coa
promelle, sem duvida por via de seupiiffoao.de LaiXa filial (JO liiUH'O 00 Brasil (MR
ir alm-mar solicitar s academias, era abono de IWiiainliiirn
seos assertos, juizos assigoalados. Eoto, armado re iiamuu^o. n .
do pu nodoso de Hercules, voltar provavelraente A directora desta caixa saca sobro o banco do
depois de i io longa viagem esmagar aquelle, Brasil no Rio de Janeiro e sobre a caixa filial do
que faz timbre de indigitar, entre os esmaltes pre- raesmo banco na Bahi.
eosos, as ilasorias lentejoulas, quelle, cujasjinlen-' -
coes acabam de ser qualrflcadas de abjectas por esse! \ovo banco de PernaM-
ujo cerebro, aflnal, desligou-se na harmona I buco.
Sim, eu o espero. O banco desconta letras na presente semana a
Entretanto bom ser que, o Sr. Dr., ao consultar 9 cen|0 ao anno al(s 0 prar0 e qUatro me-
as altas regioes sclenliicas {um duvida P"'-7e !ies, e a 10 OO at o de seis mezes, e tomadinhei-
iuI-i ierra nao lia quem ojuigue em tal materia), \ re a ]aros a pras0 ounca menor dstres mezes-
nao deixe de addicioaar aquelle celebre caso, tam- r ____
bemb-aro e curioso, dse haver applieado sobre um ALFANDEGA.
cancro, sito 00 tergo infero-posterior da perna da Rudimento do dia 1 a 15...... 366:394*877
Relaro das cartas segura fiadas do sal pele va-
per iuglez Paran para es sniores abaizo
declarados:
Bemjamin Antonio da R cha Faria.
1 Francisco Antonio de Albuquerque Mello.
I Gresnup S. Schwin di C
i neroniano Mainirt Franco,
i Joaquim Msreira da Silva.
Jos Alves da Silva Pereira.
Manoel Mximo dos Santos Torres.
Manoel Soares Pinheiro,
Strwte Black.
Para* Rio de Janeiro.
Pretende seguir com muita brevidade a firoa
Rio de Janeiro, toado parte do eu>carregamen".,
engajado: para o resto que llie falta e escravos a
fretes, para os quaes tem excedentes commodos .- especial do eomraerclo dfl 137 saceos com as
rilta-secom o seu consignatario Antonio Luiz .db L* oascavado, arestados a Manoel Florentino
Oliveira Azevedo, no seu escriptorio na ra da rarn."rn Oas n. 1.______________^_______________ AutooioMn.;" Machado ta do Apollo n 42, aon-
i de ser elfrctu.', Quintafeira < do corrate 5 hora
s
tiie vruo
DE
um doente, tira furmidavel caustico, com o lira de
resolvere dito cancro procedimeoto este, a que
fui arrasiado seu autor por rtmor a ciencia, e em
altenra ao coilegs, a quem fora incumbida a ope-
ragao'da eztirpacao do tumor, no hospital de Ca-
rid'ade !... E* admiravel que ao lado de tantos
disparates, andera a audacia, e o proposito mais
capcioso 7...
Tem-se explorado todos os arraiaes... restava
0111 o da caridade I E ha de este mesmo ser
xplorado impunemente por um profanador da
ciencia, sem que urna voi se levante ao menos
para dizer, parai I... Estaes maculand o
sanctuario augusto da sciencia I... Carainhando
jssim por onde e para onde des ?...
Emfini termino pedindo ao Sr. Dr. Sarment
para que nao derxe de fazer publica por este
, mesmo Diarto, a eonsulta, que por venturatenha
de mandar para a Europa, e que n'ella nao so
squeca tambero de incluir os erros, que diz ter
u cominettdo em o comraunicado de 15 do cor-
rente, e que tanto Ihe irritou a bilis.
Gui Patiw.
dem do dia 16.
MOVIMEiNTO DA ALFADEGA.
Volumes entrados com fazendas.... 183
com gneros.....
Volumes sahidos com fazendas.
t. com gneros.
------- 530
47
407
-------454
Descarregam no dia 17 do correte.
Barca inglezaAnn Kaymercadorias.
Brigue francezAmabtlevinhos.
Rrige ioglezParktkledem.
Patacho nacionalPalma- farinha de trigo.
Escuna holbndfeza-.SpCMfanf -diversos gneros.
Barca ingleza/tona/rf -diversos gneros.
Barea portuguezaS. Joaocharque.
Escuna portuguezaD. Jo&oidem.
Sumaca hespanholaMerceditaidem.
Brigue nacionalCardia idem.
Barca InglezaBelle Ponteoarvae.
Para rtlo de Janeire.
Pretende seguir com muita brevidade o p: ha-
bote Pudadt'yieta parte do seu carregaroento a
bordo, para o resto que Ihe falta e escravos a fro-
te para os quaes ttrm escolenles commodos, tra-
ta-se com os seus consignatarios Antonio Luiz de
Oliveira Aaevado & C, no seu escriptorio ra da
Cruz n. 1. ______
COMPANfiU BRASILEIRA
DE
PAQUETES A VAPOR.
Dos portos do norte espera-
do at o dia 26 do correte o va-
por Gilifeiro do Su/, comman-
danto Alcoforado, o qual depols
da demora do costume seguir
para os portos do sul.
Desde j recebem-se passageiros e engaja-se a
carga que o vapor poder conduzir, a qnal dever
ser embarcada no dia de sua cnegada, encora-
mendas e dinheiro a frete at e da da sabida as
z horas : agencia ra da Cruz n. 1, escriptorio de
AnlogjoLuizde Oliveira Azevedo & C._________
Para Lisboa
Subir a scena 71^/" i Segu para all com a possivel brevidade o lu-
or.g.naifrancezdeM.M.Anicet Bourgeots e Ad gfe psortuF|Uez Mu,t para 0 que se acha com o
i 1, maior parte da carga engajada : para o restante a
I passageiros, trata-se com o consignatario T: de
: Aquino Fonseca, na roa do Vlgario n. 19, primei-
ro^ndar, ou com o capito o Sr. Francisco Anto-
nio Meirelles.____________________________\\
a Babia
pretende sahir com muita brevidade a veleira es-
cuna Ehxa por ter a maior parte da carga, e para
o resto que Ihes falla tratase cora o consignatario
Joaquim Jos Gongalves Bellro na ra do Vigario
n. 10, primeiro andar.
e.ti ponto.
Leilo de msa escrava
Sextafeira 1 Sfl maio.
O agente Pinto far leilo a requerimento o*
Loureago Ribeiro da Cuuha Oliveira, e por m?n-
dado do lllm. Sr. Dr. juiz de orpho da escrava
1 Joanna, pertencente aos bens do casal do finado
Eduardo Marcolino Ferreira, o leilo ser efTec-1
tuado as 10 1|2 horas do dia cima dito em seu
: escrif torio ra da Cruz n. 38. _________. -
Leilo de orna casa terrea sita na roa
de S Miguel n. 19, fregaezia dos fu-
gados
Sexta-feira 19 de maio.
Medico eperader
TRLA
FACl'LDADE DE PARS,
regresando a esta provincia acha-se
prompto para o enercicio de sua protis-
so, qner nesu cidade, qurr fura della,
especialmente em molestias de olhos (ca-
taradas etc.) das vias urinarias (estreita-
inento de nrethra ele ) e de i i.-llr, para
cujo curatiTO se julira haliliitaiin, Mienta
a pratica que (uve nos lw>|-itae de Pa
ris, e os modernos lostrumenlos qu pos-
sue.
Pode ser procurado a quarquer hora
na casa de sua residencia no palee do
Carino n. 2, esquina da ra de Hurtas.
EMPREZA-COIMBRA
^93JQuarta-feira 17 de maio de
22221 1865.
11.1 recita da a asignatura.
Preca-sp alugar u.'na *m* captiva on forra tjoe
saiba bem eozinhar e ^ Pr : na roa de S.
Francisco, oo Mundo Novo n **______
Aluga-se nm prttopara casa c pouca fami-
lia para o servigo interno e es'.erno : nt ra do
Imperador n 18. _
Au.-eutou-se no "a 10 do crranle o escravo
O agente Pinto levar novamente a leilo a casa ia\Zt Pjaiora baixa, leron Camtw e caica oranca
aeima rrenclonada, servindo de haze o maior pre- algudozinho : quem pefr leveo m Santo
eo oblido ne leilo anterior, |s 10 horas do da Amaro, ecneaea de seu senhor Manoel CsWdio-
cima dito em seu escriptoris ra da Crnz n. 38. pt>iXoto Soares, ou na praca do t^rpo- Sai*, qt
. sera graiiflcado.
Voto degra ti do do artista Ger-
mano Francisco de Oliveira
ao pnblico.
Se entre as Dores, que tem matisado o mea ca-
tninho por trinta annos de vida de artista, hei en-
contrado espinhos, nunca os espinhos me parece-
rn) tao pungentes, eomo esses que encontrei na
noite de 13 do corrente sobre o palco do theatro
de Santa Isabel. Gerto que no mea caso os espi-
nhos significam lula, e a luta nao deve abater os
horaens de consciencia, certo por outra parte,
que ha lulas que honram e lulas que deshon-
rara ...
Mas, velo em meu auxilio a lei das compensa-
c6es, que providencial oeste mundo, em que tudo
fragilidade. Se entre a< flores, que lenho colin-
do em toda a minba vida de artista, havia muito
primor, havia muito perfume, havia muita grinal-
da entretejida por maos respeitaveis, que beijarei
s-MHpre agradecido, tudo me parecen inferior nessa
noite de 13 do corrente, a essas flores esparsas, a
esses applansos sobrios e phreneticos, com que um
publico ntefro estendeu a mo ao artista, que sem-
pre soube respeita-lo, e esforcar-se para bem ser-
vi-lo, procurando penetrarse da misso da arle
dramtica, e levanta-la sua verdadeira al-
tura.
Sej nao livesse perdoado, perdoaria entre as
flores do palco aosmeus gratuitos e inconsiderados
desaffeetos.
Trinta aun s de vida artstica, lutas continuadas,
pblicos diversos, tendo percorrido quasi todas a-
provincias do Brasil, minha trra natal, tendo es-
tado era Portugal, para mim de saudosissima lem-
branga, porque atli fui extremamente bemquisto e
respailado como artista e como hornera particular,
e so agora, ero a noite de 13 no palco' do Santa
Isabel...
Nao posso, nem deveria continuar a quelxar-me.
Seria muito feia ingratido para com esse publico
generoso, que ergueo-se altivo, impondo silencio
aos improvisados algozes de quem nunca os offen
dora, e estendendo a mo ao seu veiho artista, ao
sen amigo de tantos annos, quelle que teve a for-
tuna de abrir as portas do Santa Isabel, como que
prote.-lou una vez por todas, que o palco das mi-
nhas maiores gloras nao consentirla elle jamis
que se convertesse em instrumento de caprichoso
supplicio para mim.
Bem hajain os meus gratuitos desaffeetos, qoe
me prepararam o meu mais querido triumpho I
Sendo forgado por circunstancias particulares a
deixar (talvez nao para sempre) o palco do Santa
Isabel, cu, que em oeeasioalguma poderla retirar-
me sem protestar ao Ilustrado publico pernambu-
cano a minha profunda gratido, agora o que direi
e o que farei. pois que a miaba divida de tantos
annos duplicou em urna s noite ?
Mal posso dizer ao publico em geral, que saio
do palco cerno entrei, sem urna gotta de fel no eo-
rago, sem um desaffecto feito por mim, e salo
para evitar contrariedades aos meus amigos e in-
commodos ao digno emprezario, que reconheco
merecedor dos favores para cora elle dispen-
sados.
Mal posso dizer ao publico era geral, que a mi-
nha gratido duphcou em um momento como em
um momento duplicou a sua generosidade.
Mal posso, particularisando o Ilustrado corpo
acadmico, protestarlhe que sempre terei gratas
record.icSes dos seus lisongeiros favores, pois qne
dAo supponho tempestade urna ligeira nuvem em
co azul.
Olanlo s senhoras, qne em a noite de 13 do
correte enfeitavara o Santa Isabel, e tambem ?e
ergueram em favor do humilde artista, nem sei o
que podera dizer-lhes. Ha premios de lio subido
quilate, que, por menos modesto que fosse o pre-
miad, nao podoria articular um agradecimento.
Curvar-me reverente e agradecido, tudo o que
posso fazer, e tudo o que faco.
Els o que a profunda eroogao de que me acho
po Recife, 14 de malo de 1865.
Germano Francisco de Oliveira.
.? JBLICIJOES i PEDIDO
CGG E 0 GAIGUNDA.
PKHSONAGENS. ACTORES
Alberto......... Amoedo.
Duperrir........ Porto.
Darcey, Dr. em medicina. Lisboa.
Rosseau, tabellio...... Pinto.
Ressy........... Manhonso.
, Luiza, filha de Rosseau..... D. Isabel.
Geno vena......... D. Camilfa.
Suzana......... D. Leopoldina
Juliana......... N. N.
Armando, desconhecido. Borges.
Um criado......... Faustino.
i Recoramenda-se ao publico este excellente dra-
gara
Brigue inglez/za&W/n idem.
Bares norueguense Tamania idem.
Barca inglezaEleonor -idem. ,,, ma, que tanto enlhUsismo produzio em Pars em
HEGBBEDORIA DB RENDAS INTERNAS GE- raajsHQe rom representag5es seguida. No Rio de.
LEILOES.
leilo de movis
Grande leilo
No arnaieai da ra do Imperador n 47.
De mobilias dejacaran ia' completas, guarda rou-
pas, camas fraocezas de Jacaranda' e amarello,
cadeiras avulsas, cabides, secretarias e lina!-
mente todos os trastes all existentes.
Sexta-feira 19 do crrenle as 10 h*ras
Chrlstiano Jos lavares
tendo de retirar-se para Europa fara' leilo por
inlerveogo do agente Cordeiro Sirades, de todos
os trastes existentes em seu armazem a ra do
Imperador n. 47, os quaes sero vendidos pelo
maior prego ao correr do martello.
Leilo ~denwna~easa terrea da
ra Imperial o. *99.
Christiao Jos Tavares tendo de retlrar-se pa-
ra Europa, fara' leilo por intervengao do agente
Cordeiro Simoes, de sua casa terrea situada a ru.
Imperial n. 272; em chaos proprios, com 2 salas,
2 quartos, cosinha fora, quintal murado at a bei-
: ra da mar, sendo edilicad a moderna : isto sex-
i ta-feira 19 do corrente as 11 horas no armazem a
ra do Imperador n. 47.
SOCIEDABK
l nio Bcneficeiile Shriftms.
Por ordem do Sr. presidente, eem virtnde dt
art>: 27'S 5, e 12 % > sao coivldaios todos os se-
bhores socios a se reunirem em assembla geral,
no di* 19 do corrente, pelas C l|2 horas da tarde,
na sede de suas sessoes, ra da Cruz n. 13\ segun-
do andar.
Secretarla da sociedade Unio Beneflceate Mari-
tima 15 de maio de 1865.
Andr Abren Porto
I* secretario.
~~ caxs.
chegado do Rio de Janeiro, onde se aperfei-
goou na profisso de calisia um jven brasiieiro
quo acaba de estabelecer-se no hotel italiano, ra
do Trapiche n. o, oode pode ser procurado da 7
horas da manha as 4 da tarde, e destas at as O
em casa dos pacientes.
RAES DE PERNAMBUCO.
Rendimento do dia 1 a 15.
dem do dia 16......
13:686*654
9544863
14:6414527
CONSULADO PROVINCIAL.
Rendimento do da 1
dem do dia 16
a 15.
45:1144181
2:6884758
47:8024039
Janeiro e Baha causou tambem grande effeilo em i
numerosas representagoes, onde foi classitltado
como um dos melhores dramas do repertorio
francez.
Dar' Um ao espectculo a muito applaudida co-
media em 1 acto
Urna chavena de cha.
Os bilhetes acham-se desde j no lugar do cos-
tume.
Principiar s 8 horas.
MOVIMEMTO PO POETO
Navios entrados no dia 16.
Rio de Janeiro e Bahia-6dias, vaper ioglez Para-
n, de 1865 tonelladas, commandante Woole-
vard; equipagem 132.
New-York2 i dias vapor inglez Jos Sanie Ro-
mn, de 1000 tonelladas, capito B. D. Mantn,
equipagem 32.em lastro ; a ordem.
Rio Grande do Sul-18 dias, brigue brasileiro Pe-
dro V, de 222 toneladas, capito Joao Antonio
de Dos e Silva,equipagem II, carga 12,500 ar
robas de carne ; a Antonio Hennques Rodri-
gues.
Navios sabidos, no mesmo da.
Rio de Janeiro Barca nacional Rio de Janeiro,
capito Luiz Gongalves de Figueiredo, carga al-
godo e outros gneros.
HavreBarca francesa Saint Andr, capito Coen-
det, carga couros e algodo.
Macei Barca belga Sopbia Theodortna, capito
I. Hornhostil, em lastro.
Sonthampton e portos intermedios Vapor inglez
Paran, commandante Woolward.
LiverpoolBarca Ingleza Ambksede, capito Bowie
carga assucar e algodo.
Obseivago.
Bordeja no lamaro urna barca brasileira.
AlPHITHEiTRO
UNAO DA NBREZA.
(LARGO DO PELOUDI.NHO.)
EapreuKacu, Farias,. Bibeiro.. Fonseca, Aze-
vedo & G.
Beneficio da Sr." JK Secta'ina,
Recita extraordinaria Hrre de
asolgnatnra.
Domingo 2i de maio de Hi5
Representar se-ha a muito applaudida
em dous actos
A QUEDADOS FIDALGDS.
Personagena. Aetores e alcunhas pelas
quaes silo couhecidos.
Quarla-feira 17 do corrente as ^^ horas,
No armazem a ra da Cruz n. 57.
Cordeiro Simoes far leilo por coma de urna
pessoa de sua amisade dos objectos seguintes co-
mo seja : I mobilia de Jacaranda, 1 dita de ama-
relio, 1 guarda roupa, 1 guarda louga, 1 guarda
vestido, 1 mesa elstica, 1 commorta, 1 cabido, 1
quartioheira, 1 santuario, 3 duzias de camisas, 1
! cama franceza, cadeiras, marquezas e outros inul-
tos movis, joias de ouro e prata, adaregos de ou-
ro e outros mallos artigos de gosto que se torna
enfadoDho mencionar.
bmmi;
Leilo {narta-feira 17, as 11 horas, a
rna da Gadeia armazem n, 53.
De in cavallo caslanho, grande, esta gordo.
De urna porgo db joias de hrilhanle e ouro, sen-
do uuia cruz com volta de perolas, um aael, bri-
Ihante grande, pulceiras.argohs e outros objectos.
Urna mobilia de. Jacaranda nova, urna secretaria,
bergo e costureira, guarda roupa, guarda louga,
camas de ferro, dita de amarello, candelabro e 4
comedia cadeiras de arruar ou palanquins, tudo ser ven-
dido piloogente Euzebio naquelle da e hora.
. Leio a 17 do corren e.
Ralfe,9chamettau 4 C. faro leilo por inter-
vengan do agente Oliveira, de variado sortimento
de fazendas ingletas, francezas e allemaes. as mais
proprias dojmercado
uoji:
Irmandade do Divino 12 plrlto
Kanto.
A mesa regedora tendo de dar execugao a 2'
parte do 2 do arl. 34 do nosso coraproinlsso, fa-
zendo vestir a expeugas da irmandade, doze po-
bres que assistiro eneorporados e em lugar dis-
De 1 sitio no G ma'com casa terrea de pedra tinelo, a missa da testa do seu divino padroeiro,
e cal, cocheira ao lado, tendo baixa para capim e/ no dia 4 de junho prximo futuro, recebendo no
taipa Qo Qm mais urna esmola ; convida quelles que se
para ; acharem nestas circumstancias, (dvertiudo que
LEILO
arvores fructferas e 2 casas terreas de
me.-mo lugar a beira da estrada e 1 cavallo
servigo do mesmo sitio.
Cordeiro *mes /
autorisado pelo liquidatano da casa conrmercial
de Antonio Joaquim de MHIo fara' leilo ds pre-
dios acuna descriplos. Os preleudente^/desde ja'
podero examina-los e qualquer infor-rnagao o mes-
mo agente satisfar', cuio leilo .sera' efectuado a'
ra Direila taberna, n. 0 k/
Sabbadu 20 do corrente as 11 horas.
Lollo da taberia e dirijas da
mesaia a ra Direi ta a. 6.
Cordeiro Simoes fara'/leilo autorisado peio ii-
sero preferidos os que forera nossos irmaos), a
entenderem-se com o irmo thesoureiro, na ra
Nova n. 69.
Manoel Luiz da Veiga
EscrivSo.
segundo andar, ha
Na ra do Cabug n. 3,
urna escrava para alugar-sp.
Irmandade do Divino Espirito
Maflti*.
Determinando o | 4* do art. 11 do nosso com-
promisso, que lodos os nossos irmaos tem por de-
, ver possulr a sua rusta urna cap da iazenda rao-
qoidalario da casa conrmercial de Antonio Joa-|e|0 e cor qUe marca o tit. 123'do mwmo com-
qulm de Mello, dos gneros, armacao e utencilios I promisSo, com a qual assistiro a lodos os aeto
da taberna aeima mencionada, como tambem as A irmandade. Sao convidados lodos quelles ir
dividas activas da inesma, na importancia de
SDITiES.
Rodolpho Joo Barata de Almeida, commendador
da imperiel ordem da Rosa, tenente-coronel
commandante do segundo batalbo de infaolaria
da guarda nacional do municipio do Recife, por
S. M. o Imperador, a quem Dos guarde, etc.
Fago saber a quem Interessar possa, que em
virtude da lei, tenho convocado para o da 21 do
corrente mez o conseibo de qualificago da paro-
chia de S. Jos, aflm de se proceder a revisao da
mesraa qualiiicagio, cujos trabalhos duraro por
15 dias consecutivos, funeelonando o dito conselho
no consistorio da respectiva matriz.
E para constar mandei fazer o presente, que
sera' publicado pela imprensa, e afflxado na por-
ta da referida igreja.
Quartel do cominando do segundo batalho de
infamara da guarda nacional do muaicipio do 1
as 11 horas da manha em pento, no seu armazem
da ra da Cadeia do Recife.
Leilao de 1 cavalo bonita figura, gor-
do, om andares nroprio para senho-
ra e de i boi manso para caroca.
D. inionlo Alves, presi-( Veras. (Diplmala de
denle......( nova especie)
D. Antonio da Costa, se-( Ribeiro. ( Bmeca de
cretnrio.....( cera.)
D. Andreza, mulher do( D. Secnodina. (Rostode
secretario.....( rebique.)
D. Francisco Jos, direc-
tor de mez. Azevedo. (Ferrugem.)
D. Joaquim Macnado;mei-( Farias. (Fidalgo da ra-
nnho......( gaTruanesca) ,-T^^
D. Antonio e Silva, cria-_ i Qarla-feira 1/ do corrente as 11 horas.
do do secretario. Fonseca. (Barbudo.) No armazem a ra da Cruz n. o7.
D Manoel Jos da Costa Cordeiro Simoes fara leilao de 1 bonito cavallo
'coslnheiro. .' Pereira. (Quebra louga.) K0r(l0 cm andares proprlo para seohora e de 1
A acgo passa-se na ra do Qaeimado, poca de boi mnsopara carroga.
Salazar, celebre escriptor. i
Finda a comedia o Sr. Fonseca (barbudo) de-
sempentaar ecm toda a pertei,
O solo de tarnancos
18:1004, s-ii'lo era letras o cuntas de
relagao e balango se adra era poder
agente a exame dos pretepdentes.
Sabbado 2^lo corrente -
as 10 horas aoode sera' eflectuado o leilo.
livro, cuja
do mesmo
UIL\G
DE
Recife, 13 de maio de 1865.
Rodolpho Joo Barata d'Almeida.
BECUlAvES.
Asna de Florida de Wiirray e
iiMBOMn.
Desde os mais remotos das das descoberlas bes-
panholas, o formoso paiz da Florida, tem sido justa-
mente afamado pelo balsmico e odorfero aroma de
sui> raras a florescentes flores e verdejantes ar-
bustos.
Aqui temos, pois o Quemante perfume e incens
de sous iardios agrestes e seus aromticos e refri-
grame* bosauesinhos harmoniosamente concen-
trados ddiilio do ara dirainativo etpago hermtica-
mente fechado e sellado.
sia agua Florida deriva e recebe asna exquisi-
ta fragrancia das frescas, verdejantes e florescen-
tes folhas de flores e plantas do trpico. Osen su-
blimo e delicado perfume, no desmerece em nada,
posto em comparago com aquelle da mais fina agua
da Colonia, e infinitamente superior que se fa-
brica em Part; emquaoto que ao contrario o seu
prego apenas a metade do custo de qualquer um
dos outros.
E' importante e necessario qae se repare para
os Alinas de Murray e Laomau, os quaes achar-se-
ho inscriptos e gravados, sob a capa, letreiro e
garrafa, cautela esta que se torna mui essencial em
consecuencia do mercado se achar innundado de
imuagdes inferiores de agua de Florida.
Achi-se a venda as pbarmacias de J. da C.
llravo & C. e Caors Barbosa.
COIME ICIO.
\ovobaaeo de Pernambnco.
O banco paga o 14" dividendo na razao de8#
Air accjlio.
Pela thesnraria provincial se faz publico que
a arrematago da obra dos reparos de empedra-
ment) do lugar denominado =Areias do Giquia
na estrada da Victoria, entre os marcos de tres a
quatro mil bracas, foi transferida para o dia 10 do
corrente.
Secretaria da thesouraria provincial de Pernam
buco 5 de maio de 1865.O secretario,
A. F. d'Aununciago.
Arsenal de guerra.
O conselho de eempras do arsenal de gnerra
precisa de comprar, fardamenlo feito, a saber :
1,500 frdelas de brim branco, 1,500 camisas de
algodozinbo.
As pessoas qoe qulzerem contratar todo esse
fardamenlo ou parte delle, apresentem suas pro
postas no da 19 do corrente mez, as H horas do
dia ; devendo dous dias antes reeeberem no mes-
mo arsenal as respectivas medidas, as amestras
das fazendas de que o fardamenlo deve ser feito, e
a tabella do costo.
Nos dias 19,23 e 26 do corrente, a's 11 horas
do dia, Onda a audiencia do lllm. Sr. Dr. juiz de
orphaos, vai a praga por tres annos, a rato de"
80O4 annuaes, o arrendamento do engenho Cons-
tantino, na freguezia de S. Lourengo da Mata..
Pela administragao do correio desta cidade
se faz publico que hoje (17) as II horas da manha
(echar-se-ha a mala que o vaper inglez JosS. RV-
man, tem de conduzir para o Rio de Janeiro.
Inspecfo dt arsenal de marinha.
Faz-se publico que a commisso de peritos exa-
minando na forma determinada no regulamento
annexo ao decreto n. 1324 de 5 de feverelro de
1854, o casco, machina, caldeiras, apparelho, mas-
treagao, veame, amarras e ancoras do vapor Per-
sinunga da compaohia pernambucana de navega-
gao costeira, achou todos estes objectos era estado
de poder o Tapor navegar.
Inspecco-dj arsenal de marinha de Pernambu-
co, 15 de maio de 1805.
O inspector,
H. A. Barbosa de Almeida.
Consolado de Portugal
Pelo presente sao chamados os credores do au-
sente subdito portuguez Antonio Jos Vieira Bra-
ga qno temtaberna na roa da hingoeta, para den-
tro do praso de 15 das apreseutarem saas contas
adra de serem conferidas.
Perante acamara municipal desta cidadees-
larao era praga nos dias 13, 13 e 17 do cerrente
para serem arrematados por quem per menos fteer
Em seguida a Sr.' D. Secundina (beneficiada)
far ouvir-se a sua voz mavosa na sublime aria,
de novissim composigo
Os fidalges snrrados pela imprensa.
Depois o correio da companhia mostrar com
tola a habilidad.; que Ihe recooliecida, os tres
effeitos absorventes do seu
Cirande beque.
Os emprezarios contam cora grande concurren-' f_eilan de VU
I cia de espectadores, pela consciencia que tem a
' vista d j mrito notuvtl de sua companhia.
' Platea superior 14000
Dita inferior 500
Os bilhetes esto a vBda na casa da beneficia-
i da travessa da ra do Fogo.
Principiara as 7 horas da nsite.
at as i horas da tarde, e
Tristes, charnto?,'escravos, 1 cabrio- da distribuicao das listas.
AVISOS MVE1S0S.
LOTERA
AOS 6:000$000.
Sabbailo 20 do corrente mez, se extrahi-
r pelo novo plano abaixo publicado a 3a
parte da 4a lotera (IC) a beneficio do
theatro de Santa Isabel, no consistorio da
igreja de Nossa Senliora do Rosario da fre-
gaezia de Santo Antonio.
Os bilhetes,meios e quartos estao a ven-
da na respectiva thesouraria ruado Cres-
po n. 15.
Os premios de :0005000 at 100000
seropagos una hora depois da extracto
horas da tarde, e os outros depois
let e mais objectos
moj;
QUAIITA-FEIRA 17 DO CORRRNTE AS 11 HORAS
no grande armazem do agente
36-Rna la Cadeia--:36_
verde em barrise
crelas para casa de familia.
an-
iim
da as 2 horas
mero 1.
O agente Pestaa far leilo por conta e risco
de quem perieuc.erde lo barris de quinto e 18 an-
i eoretas de vinho verde muito proprio para casas
i particulares, em atteflgo a soa axcell ente qual ida-
de e ser vendido em umou mais lotes confirme
a concurrencia o exigir : quarta feira 17 do cor-
: rente pelas 10 horas da manha no armazem do
failerido Paoia Lopes confronte a escadinba da
atfandega. ____________________________
Leilo em eentimiaco de livros, pre-
los e papel para impressu.
Mariins far leilo em cootiuuago por ordem
dos credores do Rvd. padre D. Jos Antonio dos
Santos,de sua imprtame livraria, dous prelos e
tarde. Recette carga at o dia perienees e papel para impresso ; nesta livraria,
16; encommendas, passageiros e' os pretendentes encontraro muitas obras de di-
dinheiro a frete at o dia da sah- reito, litteratura e religiosas.
As encommendas sr5o guardadas so-
mente at a noite da vespera da extracto
como de costume.
PLANO
Para as parte*
D8
1
mos que se quizerem prover das referidas capas
para a prxima procissao, a dirigirero-se a praga.
da ludepeuuencia ns. 37 e 39.
Manoel Luiz da Veiga
______________ Escrivao.
Ama iie leile.
Precisa-se de urna ama que lenha bim e abun-
dante leite : na ra do Crespo n. JO, entrada pela
ra das Crines._____________________________
AVISO
Os credores da massa do reverendo padre D. Jse-
Antonio dos Sanios Lessa pedem as pessoas que
teem penhores em dita massa, que venham resga--
ta-los no praso de oilo das, entr. gando sua impor-
tancia ao preposto Martins, sob pena de serem os
mesmos penhores vendidos era leilao.___________
Joaquim Ferreira de Araujo Guimares nao
podendo despedir-se pessoalmeqle de seus Inn-
meros amigos o faz por meio deste,offerecendo-lhes
seu diminuto prestimo na cidade d Porto.
Contina a eslar fgido o cabra Daniel, vin-
do ha peuco do porto de Maco. embarcado em
um dos vapores da companh'a Pernambucana cos-
teira, cujos siRnaes sao os seRuinies : cor fexada.
altura regular, secce do c.rpo, cabellos um pouco
sollos, dentadura boa na frente, olhos pequeos,
ps e mos grandes, falla flescangada e andar bau
zelro, Itvon vestido camisa de chita escura, caiga
de riscadinho e chapeo de palha velho : rogase
as autoridades policiaes e capilaes de campo a sua
captura, que levando na cidade do Berife a rna de
Apollo n. 34, segundo andar, sero gratificados.
^"luga-se urna mulata de meu idade para o
servigo interno de casa de pequea famiiia : a>
tar na ra larga do Bosario n. 26, loja.
atoo amrrmos.
COMPANHIA PERNAMBUCANA
DB
\avegac5o costeira por vapor.
Macei e escalas, Penedo e Araeaju'.
O vapor Persmunga, segne no
dia 17 do corrente as 5 horas d
escriptorio no Forte do Mattos nu-
Kio de Janeiro
Segu breve para aquelle porto a barca brasilei-
Quinta-feira 18 do corrente.
O leilo ter lugar na rna do Imperador
as 10 horas.
n. 37,
Quinta-feira 18 do corrente mez vai a leilo
segu Breve para aqueue pono a uaru* vnmai- rrn,^ io,. a0 ohrado n a loia de
ra Rennaueta_P.or ter metade do carregamento fjjjj %aJ^TLobJt AWes vn
n. 6, segundo andar.
ta, madeira.
COMPANHIA PERNAMBUCANA
DE
Navegaco costeira por vapor.
Parahyba, Natal, Maro, Aracatr, Cear
Acarac.
O vapor Jagvaribe, comman
dante Lobato, segu para o norte
no da 22 do corrente, as 5 ho-
ras da tardfc. Becbe carga al
o da 20 ; encommendas, passa-
_tj frete al o da da sahida as 2
horas: escriptorio noForie do Mattos n. 1.______
Rio de Janeiro.
O patacho Polycma, espita Francisco Jos Pra-
tes, segne com multa brevidade: para a pouca_________________
cfrgaiqne ihe falta e eMravoa a frPte. trata- s*'<"o i de'(,|eiia comunica o Sr. Joo AuIuuki
Miguel Jos Alves, rna da Cruz n. 19.
LEILAO
De mobilias completas de mo?no a Luiz XV
com tampo de pedra marmore, toilets de Jacaranda
e com pedra marmore, grande viveiro para passa-
i riuhbs, cama franceza, guarda vestfde.qnadros com
molduras douradas.apparelhos de porcelana para
" juntare ti mogo, apparador. marquezas, jarros pa-
| ra Abres, costureira e ontros multos objectos do
uso domestico.
Quinta -feira 18 do corrente
as 11 horas na roa do Sebo primeiro sobrado
lado esquerdo com porto de ferro.
do
OLYMPIO
para Lisboa
Vii sahir breve o brigue portuguez Laia H. ca-
ditao A. P. Vieira, recebe carga e passageiros; tra-
ta-se com o consignatario B. R. Rabello, roa do
Trapiche n. 44.______________________________
Para o Rio de Jnaeiro, em direftnra.
Segu hoje para o Ro de Janeiro o vapor kiglez
Jos S. Romn, tem excellentes commodos para
passageiros, a trata com os conslenatarios f* nry
lcTconcertes das pontes dirnoiMAis do Roaarlnbo! forslr rC% na *>Trapiche o. &
lio raes
Guimars, que se reMra com u familia para a
Europa, submelle a apreciago publica em leilo,
no dia, hora e logar cima todos os seus^ excelleo-
tesmoveis, be como um escravo de Jo a 30 an-
nos cun diversas hahilidades.
approvado pelo Gim. Sr. presidente.
3000 bilhetes a 6*000.............18:000*000
Beneflcio. sello e commisso 24 OpO.. 4:320*000
Liquido...... 13:680*000
1 Pr.miode........ 6:000*000
1 Dito de.......... 1:200*000
1 Dito de..'
4 Ditos de
8 Ditos de
1S Ditos de
35 Ditos de
785 Ditos de
850 Premios.
2150 Brancos.
100*000
40*000
20*000
10*000
6*000
400*000
400*000
320*000
300*000
350*000
4!710*000
---------------13:680*000
*
Juaquim da Silva Rogo faz publi- gg
co que tendo sua mulher D. Fraa- &
cisca Senhorinha da Silva Reg S
abandonado a sua companhia, e le- *
vando comsigo todos os escravos J
do casal, estand i de po6se de to- 'M
dos os outros bens, niaguem com >ju.
ella faca negocio iIgim ace ca doj l
mesmos bens, por ser o annrjn- *
ciante o legitimo administrador de K
seu casal.
jBISR
3000 Bilhetes.
N. B. Os premios maiores de 400*000 estao su-
geitos ao descont da te provincial, e os maiores
de 1:000*000 ao da le geral.
Thesouraria das loteras 9 de maio de 1865.
O thesoureiro,
Antonio Jos Rodrigues de Souza.
Aluga-se um pequeo armazem na ra da
Paz, proprio para qualquer estabelecimenlo em
ponto pequeo : a tratar no paleo de S. Pedro nn-
mero 4. _____
Manoel Gomes de Paiva,
vai Portugal. ^^^^
subdito portagaez.
" Mara Emilia Teixeira, retira-se para a Eu-
ropa.
Respondendo ao protesto que coniza mim
tem pnblicao por este jornal o Sr. Bernardino Jos
Monteirn, devo dizer ao publico que o sitio por
mim offereeido venda, perlenee-me por sentenca
proferida pelo superior tribunal da relagao, e que
at hoje nenuuraa aega* existe em juizo contra
mim propo*to por quem quer que seja, em roie-
rencia ao mesmo sitio.
Joio Antonio de Oliveira.
Feio-Naje 1* a moteque- Eduardo, de cor
futn,.traMnle atnareno, de 13 annos de idade, bai-
xo. barrigudo, nariz chato, ps apalhetados e bi-
chentos, tevou chapeo de palha, caiga de riscadi-
nho j desbotad e paletot comprido esverdiado :
este moleqoe bem conhecido por andar carre-
Leilao 06 OVtMS, lOUpa e 10 DarriS, aBao nma taboleta con jias pelas roas desta ci
coia oleo de ti Haca.
Qainta-Mr* 18 do corrente.
A requerimento de Francisco Alves Monteire J-
nior lestamentelro inventariante dos bens de Una-
do Joaquina da Silva Lopes e por despacho de
dade a bastante lempo, e pertence a Dr. Cycoro
Peregrine : qoem pois, o apprehender, leve-o a seo
senhor na ra Nova. ^^^^ _______
Precisase de um mea* portnpooa para
caixeiro : a. ttak aa roa Mreit* n. 54. to*i.
J. UMidER
ALFAIATE
Ra da Itnperatriz n 9,
tem a honra de avisar seus freguezes e amigos que
recebeu directamente umnovo c bello soriimpoto
de caseraira, panno, etc., ptimo para casacas, pa-
letots, caigas, col leles, ele, ele._______________
Na ra do Imperador n. 14 loma se urna
ama para lodo o servigo.____________________
0 abaixo assignado tendo obtido do muito
digno emprezario do theatro de Santa Isabel ama
recita em favor das alfaias, que pretende baver pa-
ra a capella da Senhora da Conceig da Eseadn,
prova de religlosidade que sempre mostr ter.
pelo presente pede e em nome da mesma Senhora,
aos devotos della que se dgnera ampara lo em lo
grande empreza, pois que se acha encarroado de
passar os bilheles, por tanto espera que pelo amor
a mesma, nao deixara' de ser alleodido esta em-
preza que tende a dar un prova do respeilo e
amor que devemos tributar a' qoem nos ha de l-
vrar dos barbaros e deshumanos que se acham
perturbando a tranquillidade do imperio a' que
pertencemos.
A recita e o drama sero aununciados pelo digno
emprezario.
Becife, 17 de maio de 180&;
Jos Firmino de Olirrira Regis
Precisa-se de urna ama para lodo o servieo;
na travessa das Cruzes u. 2, Io andar.
O abaixo assignado escrivao do tribunal do
cemmercio em vista das declaragS-'s, que ao pu-
blico tem feilo, por este jornal, os escrives d jul-
io especial do commercio, sobre a publicagao de
urna copia da deciso do aggrav qne para o
Exm. Sr. presidente do mesmo trinnmrl fnterpo*
Justino Martyr Correa de Mello, ali.a de ser ber-
ta a faHencia de Antonio Eratgdlo Ribefrn, sem de-
clarar, tambera, que nao deu copia de tal defisao.
e qoe u-;m to pouco, passou pelo seu cartor-io se-
melhante aggravo.
Recife, 16 de maio de 1865.
Josc Mariano de Albuquerque.

ILEGTVEL


/
DIar* d
* Qaarta teta ftf 4c Mate 4e ttj
Solicitador.
0 soliciUdor Pedro Alexandrino dt GosU Ma-
chado transfeno sua residencia dt roa Imperial n.
36 para a ra do Rangel a. 38, pnmeiro andar,
onde pode ser procurada para os misteres de ana
proflsso, qar no foro desla cidade, qur nos do
Cabe, Ipojuca e Escada, para onde se encarrega de
cobranzas._______________________________
Alugam-se dous grandes sobrados com eom-
modos para numerosa familia, novos e acetados, 5 "*b P*wM :
GASA DA FORTOIU
Aos 6:0000000.
Bilheles garantidos.
A' ba do Crespo n. 23 b casas do costumi.
O abaizoassignado venden dos seas muito(li-
tes bilhetes garantidos da lotera que se acaben
de extrahir a beneficio da matriz da Boa-Vista,
com lardim, cocheira, estribara e ouiras commo-
didades, na travessa de Joo Fernandes Vieira :
a tratar na ra da Sentala Nova n. 42._________
oSr. da ra do Bartho-
lomeu.
O abalxo assignado tendo sido por diversas ve-
zes chamado i roa do Barthoiomea, e insciente do
motivo de taes chamados, roga ao autor dos raes-
mos o ebseqnio de declarar por este jornal qnal a
razio que o indaz a fazer semelbantes annancios -,
na certeza de qoe a nio declrala, neaauraaal-
tencao prestara aos seus chamados.
Jos Feliciano Hachado.
mmmmmm mmmu iiii
SO bacharel Lourenco Aveliuo de Albu- H
querque Mello continua a ter sen escrip- 2
torio de advogado nos auditorios e tribu- j_|
Mnaes desta cidade : na ra do Imperador |
n. 40. m
mmmmmmmmmmmmmm
Censultorio meaico-cirurgico na roa larga de
Kosario o. 20.
O Dr. Jeo Ferreira da Silva rogressando a sua
casa, contina em o exercicio de sua profissao nao
s na parte medica como tambem na cirurgica.
8
Antonio Joaquim de Mello, antigo ad-
vogado nesta cidade, e procurador fiscal
aposentado da thesouraria de fazenda,
emprego que servio por mais de 22 an-
uos, continua a advogar em todos os ra-
mos do civcl e crime, com proviso do
Eira, conselheiro presidente da reanlo.
Ra do Imperador n. 14.
Precisa-se de um amassador na padaria da
ra Real do Maogninho n. 25._______________
Precisa-se de uro feitor para um sitio de um
estrangeiro : na roa da Cruz n. 4.________^^
MOGID \ DE E TRINTEZ t
Poesias de Victoriano Palhares : assigua-se na
livrarla acadmica, raa do Imperador, a 3000 o
volume. _______________
Ama seca.
Precisa-se de urna raulher que seja de boa con-
ducta e esteja acostumada a tratar de crianzas,
para occupar-se da criaco de um pequeo de 3
annos, prefere-se alguma portugueza : na ra da
Imperan iz loja da esquina n. 2, se dirquem pre-
cisa.__________________________________
Na fabrica de calcados da ribeira de S. Jos
n. 2o, precisa-se de artistas de sapataria.
Feitor.
Precisase de um para um sitio pequeo perlo
da cidade, sendo pessoa capaz e dando boas infor
macoes, d-se casa propria : a quem convier diri-
ja-se a ra Nova n. 19, primero andar.
Um meio n. 3131 con a serte de 6:0001000.
Um meto n. 501 com a sorte de 1:4004000.
Dous qnartos n. 715 com a sorte de 500*000.
E outras muitas surtes de 100J, 40J, 20$ e
Os possudores pedem virreeeber sens respec-
tivospremiossera os descontos das leisna Casa
da Fortuna ra de Crespo n. 23.
Acham-se a venda os da 3* parte da 4' lotera
(16a) beneficio do tbeatro de Santa Isabel, que
se extrahir a 20 do corrente.
PREGO.
Bilhetes. .... 7*000
Meios......3*500
Quartos.....1*900
Para as pesseas que eemprarem del005000
para cima.
Bilhetes.....6*500
Meios......3*250
Quartos.....1*700
_______________Hanqbl Martins Fiuza.
Pedido~
Os curadores fiscaes e depssitarios da
massa fallida de Joao Baptista Goncalves
Bastos, pedem as pessoas a quem o fallido
confiou obras para fazer de seu estabeleci-
mento de fazendas e roopas feitas a ra No-
va desta cidade, hajam de entregar as mes-
mas obras a ra da Imperatriz n. 40,
A 500 rs. a cuia de feijao mulatinho.
A 500 rs. a cuia de feijao mulatinho.
A 200 rs. a cuia do bora milho.
A 200 rs, a caia de bom milho.
~n iLbe&em depressa a esta pechincha at que se acaba o qual se uende por este pre-
co pela prohibicSo que ha as ribeiras. ^
Saceos grandes de milho novo a 40.
Dito dito de feijao mulatinho a 90.
Ra dos Quarteis n. 22 junto a loja de funileiro.
GRANDE ARMAZEM DA EXPOSiQ&O DE LONDRES
A PRNDENTE.
Sociedade de seguros mu-
tuos sobre a vida.
Pandada e administrada pelo basco
Alliaic* do Porto.
O seguro mutuo sobre a vida unta das mais
econmicas e rnoralisadoras instituiedes at boje
conhecidas, e aquellas pessoas que a estudarem
cuidadosamente, com facilidade comprehendero
que com um pequeo desembolso cada auno adqui-
rirse-em pouco lempo urna fortuna, que as poro
ao abrigo da miseria, se por desventura sua esta
lhe for bater porta.
Nenhuma das companhias ezistentes pode offe-
recer aos seus associados garantas como as que
B* offerece a Presidente, que sao o capital de
4,000:000*000 do banco Al I anca, que, na confor-
midade do artigo 61 dos estatutos desta sociedade,
responde aos seus socios pelos actos e boa admi-
nistracao da sua gerencia, bem como pelas dos
seus empregados e mais representantes.
ia. pois, pas de familia, correi a inscrever vos-
COIMA I.
Compram-se libras sterlinas:
mazem de Ferreira < Matheus, na
Cadeia do Recife n. 66.
no ar-
ma da
DE
Preclsa-se de urna ama que saiba cozinbar e
tambem para comprar : na ra do Pires n. 24.
Para urna casaestran-
geira
Precisa-se alugar urna perfeita engommadeira,
dando-se a preferencia a escrava : quem tver ou
quizer alugar, drija-se a ra do Trapiche n. 14,
primeiro andar.
THOMAZ TEIXEIRA BASTOS
N. 60Ra da Cadeia do Eecie-N. 60
A tugase
um sitio na campia da Casa Forte, com duas ca-
sas, urna a em que morn o fallecido Thomaz de
Aquino Fonseca Jnior, feita a moderna, e conten-
do todas as accommodacoes precitas, e outra com
bois commoddades para qualquer familia : na
ra do Vigario n. 19, primeiro andar.
Santo Antonio.
Estando prozimo o festejo do gloriaso Santo An-
tonio previne-se ao respeitavel publico que est a
venda a trezena do raesmo glorioso santo, milito
bem confeccionado, Impresso ntida e brozada :
na ra do Imperador n. 15 defronte do convento
de S. Francisco.
um alOnete de senhora, sendo de ouro liso, com
urna flor sem esmalte, na noite de 8 do corrente,
da ra do Palacio do Bispo ao sahlr no Hospicio :
quem o achar leve a ra da Soledade n. 38, que
ser gratificado.
Sociedade Nova Unifio
Fizemos publicar a semana passada urna chapa
da direccao respectiva que por mal informados
repetimo la hoje, visto queem lugar de serem seis
directores sao doze, e propomos os socios se-
guintes:
Presidente.
O Illm. Sr. Affunso de Siqueira Henezes.
Vice-presidente.
O Illm. Sr. Antonio Joaquim Leite Bastos.
1 secretario.
O Illm. Sr. Hanoel Albino de Amorim.
2o secretario.
O Illm. Sr. Joo Feliz de Helio.
Thesoureiro.
O Illm. Sr. Antonio Hara Fernandes da Silva.
Directores.
Os Illms. senhores :
Antonio Sampaio do Nascimento.
Jos Pereira Bastos.
Marianno Pereira Cabral.
Joaquim Horeirada Silva.
Eliodoro Candido Ferreira Rabello.
Henrique Leite Pereira Jardim.
Joao Custodio Martins Leite.
Joaquim da Silva Boa-vista.
Antonio Joaquim Leite Bastos.
Affonso de Siqueira Henezes.
Joo Flix de Helio.
Antonio de Ollveira Costa Haia.
Alguns socios.
Precisa-se de urna ama que eosinhe e en-
gomme para casa de pouca familia, prefere-se es-
crava : na praca da Independencia n. o.
^club" rernambucano~
A par tifa do mez de maio ter lugar na
noite do dia 24.
Quem precisar de urna ama para tratar de
meninos e fazer mais algum servico de urna casa :
dirija-se a ra do Brum n. 8i.______________
Noral Irmos, ao retirarse desta provincia
para a do Haranho, faz publico a todos os seus
"devedores em geral que tem encarregado nesta
provincia ao Sr. Ivo Martins de Almeida na quali-
dade de seu procurador, a tratar de todos os seus
negocios, assim como para receber de todos os seus
devedores, toda e qualquer quantia Ihes estejam
devendo e sendo o dito senhor o nico auterisado
por nos dar quitacao dos seus dbitos, assim
como tambem que fica de nenhum effeito a procu-
raco que existe em poder do seu ex-procurador
o Sr. Joo Firmioo Correa de Araujo, visto ja nao
ser procurador dos mesmos, tambem aotorisamos
ao nosso procurador a receber da mo do ex-pro-
curador as letras e documentos que tem em seu
poder e que anda nao nos fez entrega.
Recife, 14 de maio de 1865.
Norat Irmao.
nmo. J^os os artigos abaixo mencionados, foram comprados recentemente pelo dono doestabele-
cimento as principaes fabricas de Pars, landres, Birmingham, Hanchester, e em diversas cidades
,i.m/.n...' e u comPrado SSS"^ ^t meD0S d0 seu ",or> e mni Principalmente por querer inteiramente liqui-
dar e ter de partir muito breve para a Europa.
hom acmVeste vas? arnttazein rcos objectos com bnlhantes, como botoes, anneis, rosetas etc., e
nn^A= ,rm; Ver?as obr,as de ouro' como ""ancelins, correntSes, ocnlos. face-mains, anneis, e muitos
XaR"g re,_*,os de ouro> ing'ezes, do afamado fabricante Bennette ; completo sortimento de fa-
franc ^J?1^ ernan.\rmnUd,eMS' Peran>es, perfumaras finas dos prncipaes fabricantes ingieres e
mnndlf^?> vLiTcP,^EWub,' L l*fnni, Ed. Plnaud & Heyer, Delettrez (Parfumerie du
RiZ^tT 7' V'ole,, Soc,^ti Hygienique, Monpelas, Hallly, Regnier, P. Gneland, e ingieras de Eug.
Ti -; Ff? Kalanlar's em marfim, mar de perola, etc., fabricadas na China e no Japo;
n,r/P^? fecr,stlfinocoiDoaindanaoaPParece,'ani Desla cidade, e bem a^sim modernos lustres
.o os ^ara 3az e para Petrole. serpentinas, casticaes, enfeites e adornos para cima de con-
o? Jt B e ,0llleUe' 1ue se tem feito de mais elegante em Paris, em Londres, Birmingham
1 Xi.,'i, er.nos aPPareJh<>s de me^l Ano uglez para cha e caf, os quaes nada tem d inferior prata,
nh^ ~ ifS ?e?as d0 mesm?.metal' ricos Pentes de tartaruga da ultima moda para trancas de se-
nnoras, exceiientes luvas de pellica do afamado Joqvd, apparelhos de porcelana fina para cha e caf,
ii pa.a Ja e ,mmensos artigosde porcelana fina dourada, como ricos vasos para Aeres, figuras,
lahrJ,^.0 P"nc'Pes fabricantes de Paris e ditos de pannocem sola de borracha, pianos dos
*a,aneantes Pleyel, Woltf di C, realejos modernos de Gaviofi & C, para se tocar na ra, ditos
ra?moipo>para O*3 e com Q^uras em movimento modernos e bonitos instrumentos de physl-
riaSTS; ^-" ,nea,ros o stes, ditos de phantasmagoria ; lanternas mgicas, cosmoramas com
Im.Ac Z, e no,le s'enocopios de nova invencao e com bello sortimento de vistas das principaes
mimi?. r** vgrande.sor,imento de unnquedos finos para criancs, e nonecas fallando papai,
Sa'rande soriimento de candeiros a gar, os que se tem feto de mais elegante e que tem mere-
.ar.J ?....? c naEJurPa. Rancie e magnifico sortimento de caixinhas, cestinhas e outras galan-
S.VTi iS2f !",na seda PrPnos para presentes; grande sortimento de estampas finas coloridas
ra'"d0 P"t0 e outras de todos os santos, ditas com figuras e ditas com novas paysagens para
n... -25? h 3 f 8raduados vidros para cosmoramas, um bello chafariz de chrlstal, proprio
PhYr T sa deJ*ntar oa Para iardim ; cutelaria fina, come talheres com cabo de metal fino, co-
c! ,rt' Sf".rasnas' s raodernas para alfaiates, navalhas finas, caivetes e outros artigos, diver-
sos ariigos renos de rame; completo sortimento de mascaras de velludo, setim, cera, papelo e ara-
ric 1,1' confei,os e chocolteem caixinhas e em vidros; camas de ferrodehodos os tamanhos, lava-
lu2S' k i cos ?.aadros Paracartoes de visitas e ditos grandes e pequeos para retrates; chapeos
!- Z, g?las..cnicotes e ditos para carros; machinas para fazer caf, ditas para bater ovos-, proprias
ai Pao-de-lo, bolinhos, etc.; bellos cortinados arrendados, verdes, encarnados e brancos ;
STJEF .-"" mesai' bol ni h,'r- sor'"1,ento de vl0lSes finos; fiSras finas e jarros de alabastro galantarias e outras pecas
?!,. L P toillette ; machinas para varrer o chao, excellentes machinas para photographia para
tirar retratos, grandes e pequeas ; lindos balSes de papel fino transparente e lanternas coloridas para
! m?'h a?K a T de Paris' salva-vida de borracha, para homens e senboras, proprios para quem
toma oannos em lugares fondos; ameixas novas em caixinhas, blscoitos ingieres em latas, graixa in-
gieza 97 ; cerveja ero barricas das principaes marcas de Londres, queijos etc., e muitos outros artigos
que para enumera-los seria um nunca acabar, e todos se vendem barato e muito barato no grande ar-
mazem da Exposicao de Londres, na rna da Cadeia de Recife n. 60.
Compra-se efectivamente ouro e prata em
0bras velhas, pagando-se bem : na ra larga do-
Rosario n. 24, loja de onrlves.______________
Compra-se um escravo cozinheiro que sej*
moco, robusto e sem vicios : a tratar no sobrado.
n. dz da ra da Aurora.
Compram-se libras sterlinas
Crespo n. 16, primeiro andar.
na ra do-
Cobre, late elchimbo.
Comprase cobre, lato e chumbo : ne armazem
aa bola amar I la no oitao da secretaria |de polica.
Slyino Guilherme de Barros compra e ven-
de efectivaraente escraves de ambos os sexos
roa do Imperador n. 79, terceiro andar.
- Comprm-se dous Diarios de Pernam-
buco, sendo um do mez de agosto'de 4855
so nome na'p'revidente, por vos ou por"vossos'fllhos, e outro de qualquer dos ns. 147, 448 e 140
de'venturTe^roficlidade! P"" ~-b??:3?.j_unh?d? ,836> e
se nao conseguira e
sacrificio.
lade, que por outra maceira (ttvamente das trras do engenl.o Sonza rt
com tao pequeo dispendio e inc ,>> uu cuecn" oouza, ae
H v iJose Antonio Pereira, quem os tiver diri-
Subscrip:ores at 20 de abril prximo passado.
Subscriptores. Quantias subscriptas
, Hoeda forte
Jos da Trindade Almeida.......... 500*000
Hanoel Muniz Tavares Cordeiro___ 1:2505000
Antonio Joaquim de Vasconcellos... 2:000*000
Antonio Jos Silva do Brasil........ 2:50040)0
Joo Jos Rodrigues Mendes........ 5:000*000
Joo do Couto Al ves da SIvj....... 1:250*000
Luir de Horaes Gomes Fcreira..... 3:750*000
Domingos Jos da Costa Amorim....
ja-sea ra do Queimado loja n. 14,
r bem pago.
que se-
de JH?f? dous Ie5s de 'abyrintho, sendo
de cambra a de l.nho : quem os quirer vender,
mande ou leve a ra da Imperatriz n. 49.
~ c' mPra-se sete palmos de eordo de ouro de
ei e que seja grosso : quera tiver anouncie.
Ouro e prata
compra-se
3:750*000 em ?braS Velhas : compra-se na pra^a da I de-
Domingos Jos do AmorimT... 7.... 3:750*000 PendeDPia 22, loja de bilhetes.
Manoel Fernandes da Costa......... 4:000*000 Compra-se urna mulatinha de idade de C"a8
Joao Carlos Coelho da Silva......... 2:000*000 annos : na ra Direita n. 5i se dir quem ooer
Hanoel Ramos de Oliveira......... i :250*000 comprar. quera qULr
Hanoel Jos Pereira Harinho....... 1:250*000
Manoel Ferreira Barlholo.......... 1:250*000
Hanoel Francisco Harques......... 2:500*000
Gregorio Paes do Amaral.......... 3:750*000
Joaquim Jos Goncalves Beltro..... 4:000*000
Joao da Silva Ferreira............. 2:500*000
VENDAS.
Vndese duas carrocas, urna para boi e ou-
Jos Joaquim da Silva.....!!...... i'sOoSoOO tra Para cara,l. sendo esta com lastro somente,
Antonio Jos Coimbra Guimares!! !
Antonio Joaquim Fernandes|da Silva
Custodio J. Goncalves Gnimares___
Jos Goncalves Villaverde..........
Alfredo Jos Anlunes..............
Manoel da Cunha Guimares........
Joaquim Cabral de Helio............
Jos de Azevedo Maia e Silva.....
Bernardo Pereira do Valle Porto___
Ignacio Pereira do Valle........... 1:000*000
20005000 PrPna Para carregar barricas de farinha de trigo,
l:2o0*000 leDna'e,C-' ambas con> uso, por preco rnuito com-
1:250*000 modo : tratar no pateo de S. Pedro n. 4.
500*000 Vende-se um carro de carregar gneros da
Felisberto Ferreira de Oliveira.....
Domingos Jos Ferreira Guimares..
500*000 alfandega, com uso, e todos os pertences de outro
1:250*000 igual, ludo por preco muito commodo : a tratar
250*000 no pateo de S. Pedro n. 4.
1:800*000; "-------------. T m j t>t Tr---------------
i:oo**ooo ALMANAK.
1:250*000
6 000*000
Acaba de sahir dos pr-
","",." Juaererreira uuimaraes.. t)UW*0U0:i^ 3n f
Manoe de Hattos Hachado......... 1:500*000 IOS UC OSSa typOffl'apllia 0
Manoel Joaquim da Rocha......... 1:000*000 a i i j^ p ^ v
unu uanucna......... l:UUU*UUU, i 1___ i i J
isennajorge.......... 500*000 AimaiiaK Aministrativo e
Hanoel Joaquim Fernandes......... 1:250*000 -ar ,., T j f 1 ,
Seraphim de
Manoel Goncalves Ferreira
Luir Pereira Lima
'ao^ercantil e Industrial desta
t DINHEIRO FRANCEZ.
,a vendeDlse nioedas de ouro e notas do Banco, e bem assim urna collecco desde um centesimo
ate mil francos : vende-se barato no Recife ra da Cadeia n. 60, ne armazem da Exposico de Londres.
Antonio Henrique Rodrigues........ 7:300*000 DrOVUlCia, COITeCtO at 31
Manoe Francisco dos Santos Haia... 1:250*000 j j \ vulv ,lC UZ
Manoel Joaquim Ribeiro............ 1:250*000 (IQ (leZembrO, e VCnde Rfi &
Joao Licio Harques................ 6:270*000'- **
FrancisooJoodeJBarros;;.'.".".'.'!!.'! 10:'00*006 L&) na !Vrara 118 fi pR
Joaquim Rodrigues Tavares de Mello 10:000*000 j miaiia JJD, U tJ O
jps da snva Loyo................. 8:750*000 ca praca da lndeDeTiflpiipit
Francisco Jos Alves Guimares..... 1:000*000 ------F "V" ^" murjprJUUCUd,
Caetano Cyriaco da Costa Horeira... 2:000*000! ,, Vende-se a casa terrea da ra Direita dos-
Jos de Melle Costa Oliveira........ 1:2505000 A'ogtdos n. 30 : a tratar na ra Augusta n. 96
David Ferreira Bailar............. 2:000*000
1:250*000
es
<
sa
sai
o
z
Precisa-se de urna ama que cozlobe, engora-
me e compre, para casa de pouca familia : ca ra
do Queimado n. 22, toja.
Ama
Precisa-se para comprar e cozinhar em urna ca-
sa de pouca familia : a tratar na ra da Cadeia do
Recife n. 47, loja do Balo.
Sortes de S. Jc&o
VenoVm se lindos papis com estalo para as
sortes de S. Joao : na ra Nova n. 61 defronte da
lllma. cmara municipal.____________
D-se 25* de aluguel por urna preta captiva
de amaneada conducta, que seja perfeita engom-
madeira, e que ten ha geito para tratar de crianca :
na ra do Pilar n. 6, sobrado encamado.
Aluga-se um moleque rnuito bom para copei-
ro ; na mesma casa precisa-se alagar urna negra
que entenda de servico de casa, e saiba vender
na ra : no Corredor do Bispo defronte do pa-
lacio.
Precisa-se por aluguel, compra ou hypotheea
de urna escrava anda qoe seja de meta idade, mas
om habilidades : na Capunga, ra das Crioulas
o. 3 A.
Quem quizer comprar um terreno com casa
e boa baixa para capira, no Cordeiro, a margem
de ro Capibaribe, jumo ao sitio do Sr. Gabriel Au-
cenio, o qual tem maito bom barro para tijolo, e
pwporcSes para se levantar ama boa olaria, diri-
ja-se a ra do Livramento n. 38, segando andar,
dac 6 as 8 horas da nanhaa, e depois de 5 horas
da tarde.
Na ausencia doDr. Caetano Xavier Pertira
de Brito, que foi tomar assento na assembla ge
ral e a pedido do mesmo o Dr. Cosme de S Pe-
reira, far snas veres na qualidade de medico,
seus doentes podem dirigir seas convites na roa
da Crur n. 53, em o primeiro e segundo andar,
que seropromptamente servidos.
Grande armazem de tintas.
RA DO IMPERADOR N. 22.
O armazem de tintas um grande deposito de
productos chimicos utensis e os mais empregados
e usados na pharmacia, pistura, photographia. tin-
turara, pyrotechinia (fogos de artificio) e em outras
industrias.
Montado em grande escala, e supprindo-se di-
rectamente as principaesdroganasdeParis, Lon-
dres, Hamburgo, Anvers e Lisboa, pode offereceer
productos de plena conQanca e satisfarer qualquer
encommenda a grosso trato e a retalho, por precos
razoaveis.
Prvidos de machinas appropriadas satisfar
com promplldo qualquer pedido de tintas moidas
a oleo, cuja qualidadee pureza de seus ingredien-
tes poder ser examinada pelo consumidor, o que
nao fcil farer com aquellas que sao importadas,
e que se encontram no mercado em latas fechadas.
Tem grande collecco de vidros de differentes
formatos, desde urna oitava at dereseis oncas de
capacidade ; de vidros para vidracas e diamantes
para corta-Ios; de pinceispara fingir madeira com
propriedade e outros; de papis dourados e pra-
teados e folhas de gelatina para ornamento; de
papel grande e pequeo formato de vanas cre ^a rna da Cadeia do Recife
para embrulho, para forro de casa, para desenbo de urna para cosinhar.
eom fundo j feito; de papel albuminado e Bristol,
verdadeiro saxe para photographia e para filtrar,
e outros ; vernres de essencia para quadros, de
espirito para madeira, copal para o interior e ex-
teiior; oleograxo, oleo seccativo, oleo de lnhaca
clarificado, oleo de toiele, secativo de Harlim, ouro
verdadeiro em p ; prata, euro, e estanho em fo-
lhas de varias cores ; tintas vegetaes, inoffensi-
vas proprias para confeitarias ; ia de cores, e
olhos de vidros para imagens; tintas em tubos e
telas para retratos ; tintas em pastis e em p pa-
ra aquarella; essencia de rosa superfina, de ne-
roly, jasmirn^ bergamota, aspice, patchouly, mbar,
bouquet.limo, alcaraiva, mellssa, ortela pimenta,
louro, cereja, alfarema, juinpero, Portugal, lima
ans da Russia, canella, cravo e muitos outros ob-
jectos que s com a vista poderoser mostrados.
Joao Pedro das Neves,
__^_ Gerente.
criado! "---------------
Precisase de um criado no sobrado da ra do
Queimado n. 29.
o
fa
H
Q
Para completa liquidaco vende-se, por muito menos de seu valor, perfumaras rnuito finas e
novas chegadas recentemente de Paris e de Londres dos mais afamados fabricantes seguintes : Eug.
Kimmel R. Matheus 4 C, Lubin, Sociedade Hygienlca, Piver, Violet, L. Legrand, Deletrer, Pnaud &
Meyer, Kegnrer, Mailly, Gillet frere etc., etc., dos quaes ba grande sortimento d'agua de colonia em
vidros e garrafas, agua de lavande, agua para limpar denles, oleo babosa, extractos em garrafinhas e
vidros de diferentes modelos, pos para lmpar dentes, banha em potes e em vidros, pomadas, ricas
camuas e balainhos com perfumaras para farer presentes, e muitos outros artigos que se vende por
menos de sea valor, bem como todos os artigos em geral existentes no grande armazem da Exposico
de Londres, na ra da Cadeia do Recife n. 60.
Antonio Jos dos Reis............. 5:000*000
Joao Ribeiro Lopes............... 1:000*000'
Joaquim Claudio de Oliveira....... 2:500*000
Jos Gomes de Freitas.............
BerBardino Gomes de Carvalho......
Antonio Baptista Nogueira.........
Joo Francisco dos Santos Jonior___
Francisco Ribeiro P. Guimares___
Alfredo Prisco Barbosa............
Manoel Soares Ribeiro........
Luiz Antonio de Siqueira
0 GASTELLO DE GBASYILLE
Traduzido dorancez per A. J. C. da Crur.
Vende-se este bello romance em quatr
L22SS5r!om08 P10 barat'ssimo preco de 20
da Independentia. livraria ns-
500*000
1:250*000
1:000*000
750*000
100*000
1:250*000
na pra?a
6 e8.
nmwM
Manoel da Silva Nogueira. -....!..! 2:500*000
____._______._______________141:600*600 Ceroulas de meia rnuito finas a l*50o7ditas en-
Em resposta a declarado do Sr. Joao Antonio ,reSJnas. 1*200: s na roa da Cadeia do Recito
d Oliveira, inserta no Diario de hontem, cumpre : n\5> 'a'ade maderas de Silvestre Pereira da Co-
me direr, que nao contesto, que o Sr. Joo Anto- '* 9___'__________________
nio possua um sitio no Campo Grande ; mas nao j Vendem-se cerca de 20 saceos de fe7iao~mu-
?nn f'Xar de Conteslar' que lhe pertenca ler" latinh0 Pr barat0 Preco, para animaes na Tua>
reno, que fez annexar a esse sitie em virtude de Nova de Santa Rita n. 19. ribeira do peixe
urna demarcacao nulla, acerca da qual nao foram ------
ouvidos os recolhimenlos, dos quaes
Para senhoras.
Ricos e modernos pentes de tartaruga para tranca de senbora.o que se tem feito de mais ele-
gante ateo presente: vende-se por menos de seu valor para se liquidar, no grande armazem da Ex-
posico de Londres, na ra da Cadeia do Recife n. 60
Luvas novas de Jouvin.
Vendem-se excellentes luvas de pellica recentemente chegadas de Paris, tanto para homem co-
mo para senhora por menos de seu valor, para se liquidar: no grande armazem da Exposico de Lon-
dres, na ra da Cadeia do Recife n. 60. v
AMA
n. 50, precisa-se
AMA
Na raa da Cadeia do Recife precisa-se de urna
ama para casa de pouca familia.
O Sr. Luir Cesar Pinto de Farias queira dl-
njir-sea roa da Hadre de Dos, armazem entre a
igreja e a botica.
Aluga-e
asa de familia
n. 26, loja.
urna preta para ama de leite para
: a tratar na rna larga do Rosario
Ama
Na ra da Cadeia u. SO, precisa-se de urna ama
para cozinhar.
lunior mudaran o sea
INJECCAO BROW,
Remedio infallivel contra as gnorrhbo^
antigs o recentes, nico deposito raeai wr*sob"*>daruado Crespo n. i, esq
m franqe?a, rna da Cruz n. %% pre
$o34
Precisa-se de urna ama para casa de duas
pessoas, qae saiba bem engommar e corer : a tra-
tar na ra da Imperatriz n. 34, primeiro andar.
*
Preeisa-se de urna ama livre ou captiva Bg
para todo servico de urna casa de peque- 1
i familia, menos o servico de cosinha : na
roa do Rangel n. 25, segando andar.
iiHiiaiiamtl
O London k Brazillan Bank, saca por doos
os pquetes,sobre
Lisboa.
Porto.
Braga.
Vianna.
Guimares.
Villa Real.
Coimbra.
Amarante.
Tinturara^
Na roa Direita o. 116 conlinna-se a Ungir para
qualquercor, e o mais barato posevel.
Na praca da Independencia d. 33, preclsa-se
i de ama ama para eomprae, cosinhar e farer todo
o mais servico de casa de pouca familia.
O conselheiro Jos Beuto da Cunha Figuei-
redo e o bacharel Jos Bento da Cunha Figaeiredo
- escriptoriode advocaeia
quina do
H. D. Faulk, acba-se prompto para concer-
tar machinas americanas de descarocar algodo,
tendo as pecas avulsas pertencentes as mesmas,
assim como para qualquer servico tendente a mar-
cineiro, pode ser procurado no armazem de fari-
nha dos Srs. Henry Forster & C.
.. JWi WMW&
Companbia fdelidade de seguros |g
martimos e terrestres
estabelecida no Rio de Jaueiro.
AGENTES EM PEKNAMBLT.0
Antonio Liix de Oliveira Arevedo k C,
competentemente antorlsados pela direc-
tora da companhia de seguros Fdelida-
de, tomam seguros de navios, mercado-
ras e predios no seu escriptorio ra da
Cruz n. 1.
AVISO.
Tendo se ausentado desta cidade Jos Daniel
da Costa, filho de Joo Antonio da Costa e de Ma-
ra Antonia Das, natural de Portugal, fregueria de
S. Hartinho de Reivoes, lugar de Frades, comar-
ca de Vieira, e desejando-se dar noticias delle e
sua familia, portanto roea-se ao dito Sr. Daniel ou
a qualquer pessoa que delle sonber, de aonunciar
por este Diario sua residencia ou dirigr-se a ra
da Hadre de Dos n. 20, armazem, satisfarendo-se
qualquer despera que se faca para este fim.
Rosa Hara da Costa Carvalho, viuva de Jos
Hanoel de Carvalho, moradora nestacidade, faz
sciente que um pago lodas as dividas constante do
inventare que se procedeu do sea finado marido;
ficando ella senhora e possuidora de lodos os bens,
!iue o mesmo seu marido deixou ; e para constar,
ar o presente annunclo para mostrar qne se acha
livre e desembarazada de todo e qualquer debito
tendente as dividas que constara no mesmo inven-
tario.
Aluga-se o sobrado sito na rna da Trempen
7 : quem o pretender drija-se a raa do Mndese
sitio n. 38.
. Pradsa-se de dous trabajadores para nada-
WP Di 791 arg do Rosario n. 16.
Anemia, chlerose, bstrucco
das vlceras abdominaes, qner consecutiva a' in-
flammacoes agudas, qner resultante das febres in-
termitentes Dyspepesia, emfira en tedos os casos
em que reclamar urna medicado tnica, ou reme-
dio a algum vicio de hematose
Plalas e emplasto dejurubeba cura em 15
dias.
Preparados por J. F. Lareiere
Villa do Bonito.
Os abaixo assignados, moradores na ra da Ca-
deia do Recife n. 3, farem sciente aos devedores
da massa fallida de Joaquim Vieira Coelho i C,
que tendo arrematado as dividas pertencentes a
mesma massa, sao elles os nnicos autorisados a
receber taes dividas, portanto tem marcado o pra-
so de 30 dias para os senhores devedores virem ou
mandarem pagar seus dbitos, lindo o qual se pro-
mover a cobranza judicial.
Jos Joaquim de Castro Honra.
_________Joaquim Baptista de Araujo.
Arrenda-se o engenho Frescondim, sito na
fregueria de Agua Preta, com moenda horisonlal
de ferro, 4 taixas, casa de vjvenda, de purgar, es-
tufa, e urna porcao de formas. _______
Samuel Power Johnston & Companha
Ruada SenzalaNova n. 4.
AGENCIA DA
Fundido deLow Hoor.
Machinas a vapor de 4 e 6 cavallos.
Moendas e meias moendas para engenho.
Taixas de ferro coado e batido para enge-
nho,
Arreios d carro para nm'e dous cavallos.
Relogios de ouro patente inglez.
Arados americanos.
Machinas para descarocar algodo.
Motores para ditos.
Machinas de costura.
***** ***aaff*e*ft
O bacharel
Franeisco Angosto da Costa
- sou procura-
dor relativamente aos terrenos, que no Campo
Grande Ihes pertencera.
Os tribunaes anda nao decidiram, que os reco-
Immentos nao lenham dominio sobre o terreno,
que/eclamam ; apenas julgararp^improcedente a
accao de nunciaco de obra tova, deixando aos
recolhimeotos salvo o direito de pedirem a nullida-
de de semelhanle demarcado e a reivindicado do
terreno, que Ihes pertence, segundo se prevou evi-
dentemente dos autos.
Em consecuencia disso foi chamado a juiro con-
ciliatorio o Sr. Joo Antonio; e aguarda-se a ex-
traego de documentos, j requeridos, afim de se
lhe propr a competente acgo ordinaria.
Portanto nao pode com direito o Sr. Joo Aoto-1
nio vender o referido sitio pelos limites, que lhe j
fez dar, despre-ando o aceiro de cajueiros, que
o limite natural, verdadeiro, e assignado pela ves-
toria procedida na conormidade de documentos e
depoimenlos de testemunhas antigs do lugar, co-
mo bem sabe o Sr. Joo Antonio; e assim devendo
defender os legtimos interesses dos recolhimentos,
em nome destes ratifico o protesto exarado nos
Otarios de 9, 10 e 11 do mez corrente.
Recife, 12 de maio de 186o.
_______________Bernardino Jos Monteiro.
O abaixo assignado como procurador de Vic-
torino Jos Correa de S, residente em Lisboa, pre-
vine que pessoa alguma faca negocie de qualquer
natureracom o Sr. Thomar Antonio de Paula Buar-
que relativamente aos escravos Rita de Santo Ama-
rs, Rita dos Gatos, Jbanna, Severina, Luna, Jose-
pha, Luiza e Simio, visto que nao se fireram an-
da as parttlhas pelo fallecimento de seu sogro
Francisco de Paula Buarque e por isso ser nulla
qnalquer venda ou hypotheea nos mesmos es-
cravos.
Recife, 15 de maio de 1863.
__________________Francisco Jos Leite.
Precisa-se de urna ami escrava ou lvre que
saiba engommar, cozinhar e comprar, para casa
de urna pessoa s : na ra estreita do Rosario b.
11, segundo andar.
Farello a 40OOO o sacco.
Em saceos grandes.
Hllho a 400.
Ra larga do Rosario n. 30 taberna da esquina
qoe volta para o da na Estreita.
Espaotosa novldade.
Hadapolo superfino a peca de 24 jardas por 6.
por ter um mulo pequeo defeito, preco este di-
minuto devido a poea actual; na loja da Madre de
Ueus n. 16, defronte da guarda da alfandega.
MMW8-aaHBM
| RA NOVA N. II |
Loja de fazendas.
Tem para vender muito barato o se- I
guinte
s
s
Precisase de urna ama que saiba corinhar
para casa de rapar solteiro, dando-se preferencia a
escrava: na ra do Queimado n 50-
Holdaras domadas.
e tambem nvernisadas de prelo com fri-
ros dourados, largas e estreitas, proprias
para quadros e guaruicoes.
Tambem se incumbe de mandar farer
os quadros para estampas ou retratos de
qualquer tamanho.
Vidros para espedios
de diversos tamanhos e superior quali-
dade.
Coilarinhos para camisa
a l&'OQ a duria muito bonitos.
Retroz preto
muito superior em miadinhas a 85 a li-
bra.
Laa para bordar
sortida de diversas cores a 5 a libra.
Botoes de loica para camisa
brancos e de cores groz* a 100 rs.
s
*
t
m
m
m
!
Pedeseao Sr. Jos Sares Pinto Correia Ju
nior de apparecer na ra da Crur do Recite n. criptorio de Maooel Ignac o de Oliveira
46, primeiro andar, para tratar do negocio relati- Filho, largo do Corpo Santo n.
vo ao sea trabalho.
Farinha de manduca
muito nova e superior chegada de Santa
Catbarin .
Vende-se a bordo do patacho dinamar-
quez Caiharina ancorado defronte do
tr piche oarlo do Livnmento, ou no es-
&
19.
ADVOGADO
Ra do Imperador numero 69.
" Qem annunciou por e aJaros,comseguranca em um escravo, declare Tn-So-Se" todo! n lm.nf. U,S-'C* m,"~
sua morada, on falle na ra da Esperanca da Boa- ?_S__C__2,-a. fri,,P ?* TiSl novo,
Vista,casa n. 45.____________ v ; JJf a lratar na rua do 'mpera-
Precisase de 700,?. sob hypotheea de escra-
vos; quera desejar fazer dito negocio queira deixar
o seo nome e morodia em carta fechada nesta ty-
pographia com as iuiciaes V. A. V.
Precisase allugar tres escravos para traba-
Ibar em um sitio ; quem os tiver e quizer allugar
annnncie a sua morada para ser procurado.
O Sr, Jos Soares Pinto Correa, tem
urna carta* na prafa da Independencia livra-
ria n. 8 e fc?.
Na raa do Bartbolomeu n. 43 precisa-se fal-
lar com os Srs. Joao Antonio e Joo Hanoel Jnior,
ambos lilhos da ilha de S. Miguel dos Accores, sen-
do o 1" do lugar do Pico da Pedra, o 2 ignorase
de que freguezia filho, a negocio de muita im-
portancia, e somente de particular interesse destes
senhores, ou seas herdeiros ; o Sr. Joo Hanoel
Jnior anda ha poneos das antes exista nesta
provincia : sendo, pois, que algum destes senhores
ou nerde>ros seus queira saber quem os procura,
e qual a qualidade dos negocios de sens interes-
ses, podem drlgir-se casa cima das 3 horas da
tarde em diante.
O Sr. Cario Augusto Montenegro deixou de
ter caixeiro da casa commercial de Eazebio Ra-
fcael Rabello._______________
o
Na rua da Conceico da Boa-vista, casa ter-
rea n. 55, existe urna mulher que se propoe a ser
ama para todo o servico de casa de homem soltei-
ro ou de pouca familia; quem se quirer servir de
sea presumo pode ah procura-la.
\
A ttengo
Preclsa-se de urna ama escrava para todo
servico # urna casa; na rua da Concordia D. 65.
Perdeu-se do principio da rua Imperial atea
Afogades nma anvelope grande com tres cartas
ponte dos dentro e ara escripto, sendo duas cartas
Adour; para Madama Henri Adour e urna carta pa-
ra Henri pede-se a pessoa que achou de ter a bon.
dade entregar na fabrica de vinagre, raa Imperial
n. 1, que se dar' alguma gratifleacao, visto estas
cartas de nada servirem awutra pessoa por serem
cartas de familias.
Convida-se as pessoas que estiverem as con-
dicSes do servico militar, a engajarem-se no corpo
de polica, e gorarem das vantagens qae offerece
a le provincial n. 611 de 2 do corrente.
Descontam-se notas do banco do Brasil e da
caixas filiaos; na praca da Independanria n. 22.
Vende-se urna flauta de bano, toda aparelhada
de rala : na rua larga do Rosario n. 40. Quem
tiver gesto e quirer possuir o que bom, dirija-se
a roa cima, que achara com quem tratar.
Vende-se a loja de barbeiro da rua do Ran-
gel n. 18 com todos os seus pertences para traba-
Ihar, e muitos bons apparelhos para araolacoes,
por seu dono ser obrigado a retirar-se pira fra
da pr jvncia por motivo de molestia incuravel nes-
le clima.
Na roa do Queimado, loja de ferragens n. 4,
eende-se muito era cenia um par de venerianas.
Vende-se urna morad^e casa de sobradcTde
nm andar sita na rua de S. Bento, na cidade de
Olinda,com a frente para a ladelra doVaradouro;
assim tambera urna frente de pedra e cal para,
quatro moradas de casas junto ao mesmo sobrado
tudo em terreno proprio : trata-se na rua da Praia'
de S. Francisco, casa junto ao qnartel de artilharia
na mesma Olinda.
Vende-se urna armacSo desorganisada, n
ponto pequeo, que contm alem de algupa uten-
cilios dous depsitos para agurdente e nm para
I eite de earrapato, e se afianca; vende-se barato;
tratar na taberna da rna do Principe o. 32.
f


Diario dcpen

en Harta eln 19 4c Mal de !*.
PRODUCTOS ADMIRAVEIS
ENSIGNE CHIMICO
1"
b.1
DO
DE JANEIRO.
/m
2,5000
500
Chumbador IchI.
ou esmalte branco inalteravel, sem cheiro nem sabor e da mais
simples applicar-ao para chumbar os dentes por si mesmo, ins-
tanUoeamente, sem chambo nem dor, meio prompto e perfeita-
mente efficaz. O chambador Iehi torna-se na bocea branco co-
mo os proprios denles: acompanha urna guia......
Cimento chinez
para concertar com a maior perfeicSo louca, porcellana, crystaes,
vidros, marmore e qualqaer objecto precioso......
Cimento de guita percha
especialmente preparado para chumbar os dentes cariados. Acom-
panha urna guia............
Cosmtico Indiano epilatorio
para destruir quasi instantneamente os cabellos de qualquer par-
te do corpo, sem dor e sem alterar a pelle. Ac. urna guia. .
Elexir odoutalgico vegetal
para curar instantneamente as dores dos dentes mais rebeldes, e
que tambem proprio para a conservacSo dos mesmos, o en-
durecimento das gengivas e a suavidade da bocea. Acompanha
urna guia..................
Encrlvore
para tirar a tinta do papel e limpar as pennas de ac.....
llelstein
pedra austraca para curar os tumores, inchaces e feridas prove-
nientes de rocadura de coleira, sellim, cangalha e oulros arreios
dos burros e cavallos; adoptado as estribaras imperiaes da
Austria desde o anno de 1741. Afflanca-se que nao preciso
mais de 2i horas para que a chaga esteja cicatrisada, e que nao
exista mais inchacio. Acompanha urna guia.......
Hflassa dentaria Samakol
esta massa, pouce tempo depois de sua introducc3o na cavidade
dentaria, adquire urna dureza consideravel e nao atacada por
nenhuma das substancias alimenticias ou denuncias. Acompa-
nha urna guia.................
Hassa lustrosa
para limpar e abrilhantar instantneamente os trastes, pianos, ar-
macoes de loja, grades e corrimes de eseada, tirar o sujo das
moscas, ficando envernisados < orno novos. Ac. urna guia .
Papel eheiroso
nflammavel, queimando sem bulla, para perfumar casas e quar-
tos, produzir sensaces agradaveis e desinfectar o ar dos dentes:
Carteiras. .
dem.....
dem. .
pomada Rondeslcus
contra piolhos e lendeas; aflancada sem mercurio..... 2)5000
pos de prata
para pratear instantneamente o cobre, o latao, o bronze, etc., e
reparar os objectos antigos prateados, como faqueiros, salvas,
caslicaes, apparelhos de cha e outros objectos semelhanles, af-
fiancados sem mercurio, para uso dos joalheiros. relojoeiros,
pticos, negociantes de ferragens, curiosos e casas de familia :
V dros de 2 oitavas. .
dem Je urna onca. .
lims para par a prata lavrada
sao affiancados infalliveis. Acompanha urna guia, vidro ....
pos purgativos
para curar e prevenir as molestias dos caes. Accmp. urna guia:
Carteira. .
dem .
*aI>o oriental
para tirar todas as nodoas simples ou compostas sem alterar os
tecidos como sejam: nodoas de vinho, licores, caf, frutas,
gordura, e limpar as golas e paramentos dos vestidos civis e mi-
litares. Acompanha urna guia ...'........
Tinta Azul Indelevel para marcar a roupa
azul no escrever, e em 24 horas na sombra ou menos de una
hora no sol, torna-se preta e nunca mais sane do panno as la-
vagens. E' preciso escrever sobre panno encorpado ou engom-
mado. Affianca-se que nao ha melhor na corte em qualidade,
Vidro de tres oncas .
dem de urna onca. .
Tinta enea nada indelevel superfina
para marcar a roupa, em vidros de meia onca.......
Ungento I.IiI
remedio maravilhoso o melhor at heje conhecido contra feridas
novas e antigs, ulserosas e saniosas, flstulas, frieiras, hemor-
roidas, lucencas, mordeduras, muas, panaricos, qneimaduras,
reumatismos, supuracoes putredas, cabecas de prego, abeessos
no seio das senhoras, tumores e ulceras em qualquer parte :
Rolos. .
dem
Duzia.
Rival sem segundo
vendendo
ludo
50000 4O60OO
15500 .20000
2,5000 18i&'000
3^000 240000
Ra do Queimado o. 49, esta
milito barato como ver abaizo.
Caixas de peonas de kalegraphia a IfOOO.
Massos com superiores grampos a 30* rs.
Pares de sapatos de tranca e tapeta a 13500.
Frascos de macaca perola a 200 rs.
Caixas com superiores agulhas a 200 rs.
Libras de la sorlidas com todas as cores a 74000.
Caixas com superiores obreias a 40 rs.
Duzias de phosphoros de segoranca a 120 rs.
Meias garrafas com tinta a 210 rs.
Rodinhas com alfinetes francezes a 20 rs.
Cartas de alfinetes francezes multo lios a 100 rs.
Resmas de papel almaco a 2J400.
Resmas de papel de peso a 20O0.
Papis de agulhas francezas a balito a 60 rs.
Bonets muito bonitos para meninos a 1*000.
Enfeites para senhoras fazenda muito moderna a
2*000.
Escovas para roupa superior qualldade a 1*000.
Muita atten$io na grande li-
quidacao de fazendas e
roupas feitas nacional na
nova loja de Guimar&es &
lrmao.
Ra da Imperatriz n 1*.
Os propietarios deste novo eftabeleciraento es-
to resolvidos a venderem por preco baratissimo
180000
40000
10000 90000
30000 240000
10000 90000
500
10000
10500
40000
70000
100000
200000
Admirem
Admirem
Admirem Bem!!
As pechinchas que esto venda na loja e ama-
zerr, do Pavo, m roa da Imperatriz n. 00 de Ga-
ma & Silva, onde se vendein todas as fazendas,
tanto de luxo como de priineira necessidade por
procos multo rasoaveis, e com especialidade as se-
grales, dando-se amostras deixaDdo licar penhor,
ou mando-se levar em casa das familias pelos
caixeiros da mesma loja.
Madapolo infestado a 40, 40500 e S0OOO.
Vendem-se pecas de madapolo entestado com
12 jardas pelo baratissimo preco de 4*, 4*300 e
'*, ditas sem sorero entestados de marcas muito
acreditadas a 7*, 8*. 9*, e 10*, ditas, francez
multo encorpado proprios para saias a 480 ris a
vara, isio na loja do Pavo ra da Imperatriz n.
60 de Gama & Silva.
Grande pechiieba.
Chitas a 20 ris o covado.
Ou 7*600 a peca so o Pavio.
Vendem-se chitas ioglezas de superior qualida-
de, aQancando-se as cores serem Qxas, com muita
diversidade de padrdes, pelo baratissimo preco de
220 rs. o covado, ou 7*600 a peca tendo 38 co-
vados, sendo fazenda esta que sempre se venden a
280 rs. o covado en 10$ a peca, chitas largas a
280, 320 e 360 rs, na loja do Pavo, ra da Impe-
ratriz a. 60 de Gama & Silva.
Corles de chita francea na loja dt Pavio.
Vendem-se corles de chita franceza, cores ftxas
para liquidaren), como sejam : peca de bretanha de com 10 covados a 3*, ditos com 11 covados |a
Rival sena segundo
Ra do Queimado n. 49, loja de miudezas de Jos
& Azevedo Maia e Silva, est 'ueimando que ad-
mira, a saber :
Frascos com superior baahaa 200, 210 e 500 rs.
Latas com superior baoha a 200 rs.
Frascos com superior agua de Colonia a 120 e
100 rs.
Frascos com superior oleo de babaza a 240,320 e
400 rs.
Garrafas da verdadeira agua Florida a 1*280.
Fraseos de superior oleo da sociedade Higieniquc
a 640 rs.
Frascos de superiores cheiros santal e outros mul-
los a 1*000.
Saboneies de familia a 12J e 200 rs.
Sabonetes de superior qualidades a 60,120el60rs.
Caias com 12 frascos de cheiros muito finos a
1*100.
Caixas dito com 6 frascos melhor fazenda a 900 rs.
Paos de pomada francea grandes a 500 rs.
Sabonetes de bolla pequeos e grandes a 320 e
400 rs.
Frascos com superior opiata a 800 rs.
Frascos com superior agua para dentes a 1*000.
rolo com 10 varas por 3*, dita de madapolo fran
cez ce m 12 jardas a 3*500 e 4*000, ditas do carn-
braia branca fina a 3*500 e 1*500, lencos de cam-
braia com barrioha de cor a 800 rs. a duzia, ditos
grandes a 1*800, ditos brancos finos a 2*400, cor-
tes de chita francesa com 10 covados a 2*600, di-
tos de la a 4*000 e 5*000. ditos a Hara Pia mo-
dernos a 9*000 e 13*000, la de urna s cor a 500
rs. o covado, ditas de qoadrinho e palmas a 320 e
400 rs. o covado, chales de merino do ultimo posto
com pona redonda e borlla de seda a 6*000 e
7*000, ditos lisos a 4*500, ditos de la a 1*300 e
1*600, chitas francezas finas a 360 e 380 rs. o co-
vado, precales muito finas dos padrdes mais mo-
dernos que tem vindo ao mercado a 360 o covado,
panno de linho do Porto com 4 palmos de largura
a 640 rs. a vara, bramante de linho com 10 palmos
de largura a 2*400 e 2*500 a vara, damasco de
3*300. ditos com 12 covados a 3*600, ditos de chi-
ta ingleza a 2*200,2*400 e 2*600, isto na loja do
Pavo ra da Imperatriz n. 60 de Gama & Silva.
Cassas Francezas a 300, 320 e 360 Da loja do
Pavio.
Vendem-se cassas francezas muito finas, de co-
res finas pelos baratos precos de 300,320 e 360 rs.
o covado, pecas de cambraia com salpicos de cor
tendo 8 l|2 varas a 4*, ditas salpicos brancos a
a 2*500 e 3*, ditas adamascadas para cortinadas
a 4*, na loja do Pavo ra da Imperatriz n. 60 de
Gama & Silva.
Cortes a Maria Pia.
Grande pechlncha a5^$000 e 60000.
Vendem-se os mais bonitos cortes para vestidos,
sendo de cambraia branca com as barras e enfeites
bordados, de cor i crox, pelo baratissimo preco
10500
300(0
120000
280000
500 40000
brlm de linho a 1*800, ditos de ganga franceza su
perior a 1*600 collerinhos de papel a 500 rs. a du-
zia, ditos de esguio de linha a 500 rs. um, grava-
tinhas de senhora a 800 rs. do ultimo gosto, sou-
embarque de laozinhas muito bem enfeitados a
5*000 e 65000, ditos degrosdenaple ricamente en-
feitado a 20*000, capas de dito a 20*000.
Ronpa feita.
Paletots de panno fino, sobrecasacas, ditos sac-
eos, ditos de casemira fina preta de cor, ditos de
meia casemira, ditos de alparca preta, branca e de
edr, ditos de brim e ganga de todas as qualidades,
jaquetas de meia casemira e brim pardo, calcas de
casemira de cor e pretas e de meia casemira, de
brim branco e pardo, ganga e castor, coletes de to-
das as qualidades, meias, luvas, grvalas,colleri-
nhos e muitos ouiros artigos de roura feita que se
vende por preco baratissimo por ter grande sorti-
mento; venha o freguez a loja comprar que o pre-
co ha de agradar e moitas outras fazenda; de lei e
de luxo, tanto para homem como para senhora que
deixamos de annunciar por tornarse enfadonho
qne s a vista do freguez se far o preco: isto s
na nova loja loja de Guimares & Irmos. ra da
Imperatriz n. 72.
Grande bquidaco de
fazendas
de todas as qualidades, tanto para o mato como
para a praca. O proprietario da loja e armazem
da Arara, est resolvidoa vender as fazendas mui-
to baratas, como sejam, chitas, madapolo e algo-
dozinho, para se apurar dinheiro, Lourenco Pe-
reir Mendos Guimares.
Chitas Iraucezas a 240 o covado. .
Vendem se chitas francezas, sendo cores fixas, a
240, 280, 300, 320. 360 e 400 rs. o covado, ditas
inglezas a 220 e 240 o covado, sendo cores fixas :
na ra da Imperatriz n. 56.
Cortes de calca para liomem
1Vendem-s4 cortes para calca, brinzinho, a 1*,
ditos de ganga a 1*400, ditos a 1*700, ditos de
j brim de cor a 2* cada corte, ditos de meia case-
40000 mira a 2"&50O> dltos a 3> e 3*500, ditos a 4*500,
15> e 6*500 o corte, damasco com duas larguras a
1&280 o covado, dito de urna largura a 640 e 800
rs. o covado, flanella branca a 600 rs. o covado,
dita de salpicos a 480 o covado, goiinhas para se-
nhora a 200, 320 e 400 rs., ditas, gol* e punho a
640 e800 rs., eamisinhas para senhora a 1*600 e
2*, muito finas a 4* e 4*500, carahraias finas de
cores a 300, 320, 360 e 400 rs. o covado, ditas
muito finas rom borboletas a 440 o covado, lencos
i de linho linos a 400, 5oO e 610, ditos de algodo a
3000001 24 e 32 cada uma-
i 70000 Corles a Mana Pia e 80.
i iv Vendem-se cortes a Maria Pa a 8*. 9#, 11*,
Unjco deposito em rernambeo em grosso e a retalno u*if*e^ijMm unosis*.
laa com 6 palmos de largura proprio para colcha, de 5*, ditos do mesmo gosto mais sendo de cores,
forrar mesas e pianos a 1*280 o covado, cortes de pelo baratissimo prego de 6* cada um, valendo
casemira escoceza para calca a 2*800, ditos de' esta fazenda dobrado dinheiro por ser a mais mo-
500
10000
40COO
70000
500 40000
40000
500
20000 480000
derna qne tem vindo ao mercado, isto na loja do
Pavo na ra da Imperatriz n. 60 de Gama &
Silva.
Vestidos Brancos.
Vendem-se os mais ricos cortes de vestidos de
cambraia branca primorosamente bordados, pelo
barato preco de 12*. 16 e 209 na loja do Pavo,
ra da Imperatriz n. 60 de Gama & Silva.
rancie pechincha, vestidos a
3#ftOO.
Acaba de chegar um bonito sortimento dos mais
lindos vestidos transparentes, muito proprios para
passeios e bailes, por serem de primorosos dese-
nhos, sendo todos os padroes tecidos e nao pinta-
dos, e vendem-se pelo baratissimo preco de 3*500,
sendo fazenda que val mnito mais dinheiro: isto na
loja do Pavo, ra da Imperatriz n. 60, de Gama &
Silva.
Fazendas pretas.
Vende-se gronsdenaples preto a 18280, 1*600,
1*800 e 2* at 4*, superior meurantiqae prelo a
3*, setim da China, nova fazenda toda de la, pro-
pria para luto, com 6 palmos de largura, a 500,
560, 600 e 800 rs. o covado, e outras muitas fa-
zendas propnas para loto : na loja do Pavo, ra
da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
rosdenaples de cor a i.HUOO.
Vende-se superior gresden a pies cor de caf, pro-
prio para vestido, sendo maito encorpado, a 1*600
o covado : na loja do Pavo, ra da Imperatriz n.
60, de Gama & Silva.
Casemiras a 1$000.
Vendem-se casemiras garibaldinas de quadri-
nbos e lizas, proprias fiara calcas, palitos e coletes,
pelo barato preco de jfcCOO o covado, assim cerno
calcas, palitos e coleies j feitos das mesmas: na
loja do Pavo, rna dalmperatriz n. 60, de Gama Silva.
Grande sortimento de roupa feita.
Vndese na loja do Pavo nm grande sortimen-
to de roupas feitas, constando de palitos de panno
preto, sobrecasacos, ditcs saceos, ditos de casemi-
ra, saceos e sobrecasacos, ditos de brim branco e
decores, ditos de casineta, calcas de casemira pre-
DIODURETO DUPLO
de FERROeQUININA
Os elementos que compoem esta preparado, e
ferro, o ioit e a quina, a collocSo no prmeiro
grao das preparaoes ferruginosas. Basta attestar
seus resoltados obtidos pelos Mdicos dos hospi-
taes, e os relatnos dos prcticos mais eminentes,
que confrmrio sua poderosa efcacidade as
seguintes affecces:
Mingan aaagae.
Fraque.
Anemia.
Chloroae a Ictericia.
Menstrua.
Affeeeea alera.
Saaarcaaoea dan re-
a-ra e deaardea na
Bienatruara.
Afleeeaa pulmonar e
aatalale.
Molc.Ua> d'r.Ioma*
Gastralgias,
reraa "apprtltc, ete.
COavaleaeeaea ale lan-
gas molcallaa.
Molcailaa cscrofula-
aaa.
Paaelra.
Obslraeeaa aa glaa-
aulaa.
Humores fras.
Humares brancos.
Rachlllsmo.
Affecces cancerosas
a syphllltlcas.
i Fearea ijpholdes.
I variles, ele., ele.
Veja se os bulletins de therapeutica medica
t cirurgka de 30 de novembre 1860; o Gaxeta
ios hospitaes de 28 dejulho 1860, etc., etc.
Alm das pilulas de iodurcto duplo de ferro e de
quinina de Rebillon, os Mdicos aconselhio
ignalmenle o Xarope d'iodure duplo de
rarro e de quinina do mesmo author para as
pessoas que nao gosto de medicamentos sob for-
ma pi'lular e os meninos. Este xarope nao ten
tomo o xarope d'iodure de ferro, o inconveniente
de alterar-se e de se nao poder conservar.
Peca-se o folhelo que se di de graca em casa
do* pharmacentico depositarios.
Para-se evitaren) falsilkacoes, exija o com-
prador em cada frasco de Pillas ou Xarope a as-
signatura do inventor.
BepOsito geral em Pars, pharmacia Rebillon,
442, rae do Bac, e em todas as boas pharmaeiai
da Franca a dos puizes estrangeiros, ele.
GRANULOS
Lde bismuth
DE CHEVRIER
Os granulos au bismuth de Ghevrier bem
superiores a todas as outras preparaedes de
bismuth empregadas antes com o maior successo
pelos mdicos de todos os panes, para prevenir e
curar as
Dlarrheaa rbronlcas. Ms dlgestoes.
Djaaenlerlaa. Gaalrltea.
Dores d'esUmago Galtralglas, ele.
Djspepslas.
Os primeiros symptomas d'essas formidaveis
ta de todas as qualidades, ditas de cor, ditas de affecces se manifesiio ordinariamente por diaes-
j branco e de todas as cores, coletes tSes laboriosas, axidumes, falta d'appetite, pesos
d'estmago depois de cada comida, caimbras es-
lomacaes, e, muitas vezes, por espasmos nervosos
eom vmitos.
Este estado mrbido, se o descuidSo, traz ine-
vitavelmente, qoe seja:
45000
20000
EM CASA DE MANOEL i C.
8 RIJA DO (ABIG
Traq
mes
a 6*000 a caixa de 40 cartas, e a retalho a 160
rs.. a alies, antes que se acabem : s no armazem
da estrella, largo do Paraizo a. 14._____________
Acha-se & venda
na officina de encademaco da ra do Im-
perador n. 15, defronte de S. Francisco, a
Biblia da Infancia do abbade Pascal, appro-
vada para as aulas publicas da provincia por
portara da presidencia de 15 do passado.
As pessoas que compraran) j a obra, e qui-
zerem ter um pequeo accrescimo, que se
he acaba de fazer, mandem-o buscar.
Balco.
Vende-se um balco de amarello pouco usado e
tres fiteiros para amostras : na ra da Cadeia do
Recite n.50.
Attenco.
i
Veadem-se pecas de esleirs para forro de sala,
tinta branca preparada a olejo, em latas de 25 li-
bras, para pintar casa, relogios para cima de me-
sa e para pendnrar, arreios para l e 2 cavallos,
velas de spermacete, ludo de superior qualidade,
viudo dos Bslades-Unidos : no armazem da ra do
Trapiche n. 8.
TEIJAO
a 32o rs.
Pepo de mistura a 3S0 rs. a cuia : na ra des
Quarteis n. 22.
Veedem-se moedas portuguesas de oure,
propnas para abotoadoras a 2c>200 cada uma : na
ra Direiu o. 24, padaria.
Barato
Vende-se uma mobilia de Jacaranda (pequea)
assim como 1 cama rica franceza de Jacaranda, 1
banca com pedra com loucador de Jacaranda, 1
piano de mesa em pereiio estado, 1 commoda de
coidur, 1 aparador de amarello, 1 mesa elstica
de imarello, 2 pares de lanternas : a pessoa que
preUnder dirija-se a roa Velha n. 69._________
~~ MOBILIA.
Venatm-se diversos movis por precos razoa-
veis, incijsive uma motila completa de Jacaranda:
na roa daCrnz n. 18, segundo andar.
Vendem-se
RIVAL
SEM SECUNDO
Roa do Queimado o. 49, loja de Jos & Azevedo
Maia e Silva.
Meladas de linha froxa para bordar a 20 rs.
Meiadas de linha azolada superior a 60 rs.
Babado do Porto muito superior a 100, 120 e
160 rs.
Varas de franja de linho branca a 40 rs.
Caixas com 100 envelopes da melhor qnalldade a
600 rs.
Caixas com 20 qoadernos de papel superior a
600 rs.
Grozas de pennas de ac muito finas a 500 rs.
Pecas de tranca lisa preta e de cores a 40 rs.
Grozas de botoes madreperola para camisas a 500
e 720 rs.
Caixas com 50 novellos de linha do gaz a 700 rs.
Varas de franja de cores a 80 rs.
Novejles com 400 jardas superior qualidade a 70 rs.
Garriteis de linha com 200 jardas dos ns 60 at
200 a 100 rs.
Livros para assentos de roupa lavada a 100 rs.
Pares de botoes de punho muito finos a 120 rs.
Thesouras para unhas e costura muito Onas a
500 rs.___________________________________
Grande sortimento de roupas feitas de to-
das as qualidades,
Calcas de casemira a ( e 75300, ditas pretas a
6,5 e 85, caigas de ganga a U 15800 e 15600,
ditas brancas 25, brim de linho a 35, 35500 e
45, paletots do alpaca branca a 45500, ditos pretos
a 35 e 35500, ditos de alpaca de cordio a 45, e
de listra de seda a 45500, ditos sobrecasacos a 55.
paletots de casemira a 55, 55500, 65, 85 e 95,
ditos sobrecasacos pretos a 125,15 e 165, ditos fi-
nos a 255, de cores a 135, ditos fraques a 145,
lazinha lisa a 360, 140 e 500 rs. o covado, cortes
de la com palmas a 55 o corte, las por covados a
300, 360 e 400 rs. o covado, casemira com listras
sendo padroes aznl e preto a 25500 o covado, ma-
dapolo enfestado com 12 jardas a 35500, 45000,
45500 e 55, dito com 24 jardas a 55, 55500, 65,
65500. 75 e 75500, n. 6 a 85 e 85500, elephante a
95, camisas francezas a 15800, 25, 25240 e 25500
de brim, casemiras, setim. gorguro, etc., etc., to
das estas obras vendem-se por preco mais barato
do que em ootra qualquer parte : na loja do Pa-
vo, ra da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Chales e manteletes de renda
Vendem-se os mais ros e mais modernos cha-
les e manteletes de renda, chegados pelo ultimo va-
por da Europa, por preco muito razoavel : na loja
do Pavo, ra da Imperatriz n. 60, de Gama &
Silva.
Soutembarqucs de cor
Vendem-se os mais modernos soutembarques de !
cor, ricamente enfeitados, e por barato preco : na
loja do Pavo, ra da Imperatriz o. 60, de Gama 4 !
Silva.
Capas pretas e seafembarqaes,
Vendem-se as mais modernas capas pretas lisas,
e bordadas, os mais bonitos soutembarques pretos e
Molestias de flgada.
A Ictericia
Falpltara 4e roraeda
Mrea as rlna.
Oppressoes.
Dores de cabera.
Irrllaeaea de acalca a
da matrla, ete.
Os granulos Ghevrier sao ordenado*, pelai
sommidades medicaes para prevenir essas diver-
sas molestias e cural as quando sio tomados a
tempo.
0 preco de cada frasco de 4 francos.
Depsito geral em Paris, pharmacia Chevrler,
e em todas as pharmacias de Franca e dos paites
estrangeiros.
fci
&>
cada ama, ditas de pregas largas a 25240, 25500, i manteletes, ludo de stda preta e o que ha de mais
25800 e 35 cada orna, alpacas de cores a 320 o 180S, no mercado, por precos moilo em conta :
covado, ditas finas a 800 rs, o conado, aberturas | na loja do Pavo, roa da Imperatriz n. 60, de Ga-
de esguiao a 15 cada uma, dita dealgodUo a 320 e' ma Silva.
400 rs. cada uma, pecas de algodozinho a 4J500,
55 e 65, ditas com 20 varas a 75, dita marca T
a 8.5500 a pega, casemires finas mescladas a 35 o
covado, ditas a 25800, 25240, 15800, 15600, e
15400 o covado, soutembarques de cores a 65 e
85 cada um, ditos pretos a 185, 195, 205, 225 o
255, capas a 205 e 25$, manteletes a 185 e 20*
cada un-, chitas para cobertaa 320, 360 e400 rs.,
dita a 480 o covado, ditas adamascadas a 480 o
covado, ceroulas a 15200 e 15500, ditas de linho
a 15800 cada uma, fil de linho Uso a 640 e 700
rs. a vara, tarlataoas de cores e branca a 800 rs.
a vara, hambnrgo a 95, 95500, 105500 e 125 a
peca : ra da Imperatriz n. 56, Mendes Guima-
res.
GAZ GAZ GAZ
Vende-se gaz da melhor qualidade a
lid a I ata: nos armazensda ruado Im-
perador d.16 e roa do Trapiche Nevn. 8.
Era casa de Tisset Freres ra do Trapiche n.
9, tem para vender :
Vinho Berdeauxem barricas e em caixas.
Dito de Santerne fino.
Ditod- Champagne muito superior.
Cerveja franceza marca Bobee.
.4 eite de carra pato
veade-se em grosso e a retalho mais barato que
os matutos, em carga : na fabrica da traveisa do
paletots de ganga a 35, 25500 e 25, ditos de brim Carioca n. 2, caes do Ramos
FIGADOdeBACALHAU
Enfeites para cabeca.
Vendem-se os mais lindos enfeites para cabeca,
a 35, 45, 55 e 65, os melhores baldes cronolinas :
na loja do Pavo, ra da Imperatriz n. 60.
S o Pavo vende
Cbitas-brgas a 240
' Chitas largas a 240
Chitas largas a 240.
Acaba de chegar para a loja do Pavo um gran-
P eo processo de Cberrier, pbarmaceatico en
Pars, ra do Fauboury Uoolmarte 21.
Este oleo de um cheiro agradavel, e de
um sabor assucarado o nico que notem
nem o gosto, nem o cheiro do peixe. Ob-
jecto de numerosos relatnos scientificos e
pard a 35, jaquetoes de brim pardo a 35, panno
preto fino a 25. 25600, 35500 59, 45500 5 e 65 o
covado, moreantique preto a 25600 o covado, gros-
denaple preto a 15500,15800, 25, 25200 e 25500
o covado ; e outras muiUs mais fazendas qne se
deixa de annunciar, e manda-se levar pelos caixei-
ros da loja da arara casa dos pretendentes. O
estahelecimento est aberto at as 9 horas da noite,
ra da Imperatriz n. 56, Mendes Guimares.
Chegaenao barato
" Na roa do Crespo n. 10 vendem-se as seguintes
fazendas: chitas estrellas a 480 o covadd, dita
larga a 360, dita a 320, dita a 360, dita perclara a
440, casemira de duas larguras a 15800 o covado.
organdy de nma s cor a 500 rs. o covado, dito a
280, brim qoadrinho para paletot a 560 o covado,
assim como outras fazendas que s 4 vista : na
ra do Crespo n. 10.
Vende-se caixes vazios proprios pa-
ra bahuleiros, e funileiros, a 25O00 cada
um : e para as pessoas que comprarem de
4 para cima 1)5800, nesta typographia.
machina americanas de serrle para descaroear C- Milho novo em saceos grandes: no trapiche
algodo na roa da Senzala nova o. 41. 1 do Caoba, a tratar com Tassoirmo?.
i
IiistruccSes para o servico
das guardas do exercito, exlrahidas do re-
gulamento de infantaria e accommodadas ao
exercito brasileiro; obra que muito convrn
aquellas pessoas que se alistam nos corpos
de voluntarios; vende-se na livraria n. 6 e
8 da praca da Ind pendencia, a 15.
Vende-se
no sitio da Cruz de Almas ao voltar para a estra-
do sortimento de chitas largas garibaldinas, por mdicos, este mdicamente que goza em
s rem todas listradas e padroes escuros e de cores Franca de um successo to raro como bem
fixas que se vendem pelo baratissimo preco de 240 merecido receitado diariamente nfo
o covado, sendo que em ootra qualquer parte cus- uie.ret.'Mu. e reteiiaao aiartamenie petos
ta a 360 o covado, notando que os reguezes que prtncipaes mdicos dos hospitaes de Parts.
comprarem porcao de pecas, terao um pequeo 0 oleo de figado de bacalho desinfecta-
abatimento: isto na loja do Pave a ra da Impe- D0 ferruginoso emprega-se com os maiores
ratriz,60,dGamaia&sS,,va SUCceSsosas molestias em que se empresa
L5azinhas a 300 rs. ieo quaudo s5 acmpanhadas de debih
Lazinhas a 300 rs. *,rf< e atoma- ,
Vende-se um bonito sortimento de lazinhas pro- Deposito .{eral em Pernambnce rna da
prias para vestidos e souiemtarques por serem li- Cruz u.22 em casa de Caros & Barbota
sas e de quadrinhos pelo barato preco de 300 rs. o
covado, sendo fazenda que sempre se vendeu a
500 rs. o covado, e vende-se a dinheiro a vista pe-
lo baratissimo preco de 300 rs. o covado : na leja
do Pavo roa da Imperatriz n. 60 de Gama &
Silva.
Pelerinas a .#600.
Vendem-se as mais ricas pelerinas ou romeiras
de cambraia bordadas propnas para hombros de
senhora pelo baratissimo preco de 15600: na ra
da Imperatriz n. 60, loja de Gama & Silva.
LAGEDO.
Vende-se muito bom lagedo para calcadas : na
roa do Apollo n. 4.
Vende-se om excellente escravo coslnbelroi
moco e de muito bonita figura : na ra da Cruz
do Ri-ufe n. 19 prlmeiro andar, e na mesma casa
1, r 'PraP0S P8ra tambera se vende um burro de raca portugueza,
rauaar-se. | ca|510 jag auas maos e acoslumado a puchar
---------------... ,3su-------:--------------------- carro.
Vinho da Figaeira.
Superior vinho da Figueira da acreditada marca I
JAA a 255 a ancoreta grande, garante-se a .qua-
lidade : no grande armazem da Liga a ra Nova
n. 60.
Machinas
Vendem-se duas machinas ou motores de desca-
roear algodo, senda do melhor fabricante ameri-
cano : qoem precisar dirija-se ao povoado dos
Na roa da Cruz n. 21, pnmeiro andar, ven-. Montes ou Una.em casa do Sr. Francelino Manoel
de-se uma preta qne tem todas as habilidades; na de Santa Rosa ; afianca-se preco commodo, e ao
mesma casa vendem-se duas bestas de roda sendo ; mesmo tempo torna-se mais fcil a conduelo del-
urna velha e ouirs nova. I las para os sertoes.
Ra do Queimado n. 40.
Avisa-so ao publico e aos amantes das fa-
zendas baratas que. tendo fallecido um
dos so s deste estabel cimento, te-
mos resolvido vender por precos bara-
tsimos as fazendas existentes no mes
mi estabelecimento pa a acabar eliqui-
dar a firma social. Entre outras muitas
fazendas ha as seguales ;
Cortes de vestidos de phantasia para thealro.
Ditos ditos de grosdenaple preto?.
Ditos ditos de cambraia branca bordados.
Chitas largas e finas, covale 220. 240 e 280 rs.
Ditas estreitas finas, covado 180. 200 e 240.
Baldes de arcos e mussolina a 15600.
Cortes de collete de velludo de cor a 3J.
Chales de muitas qualidades.
Camisas brancas a i?.
Manteletes de gros prelo a 105.
Cassas de cor, covado 240.
Lazinhas de cor, covado 280.
Cfiapos de sol de seda a 45500. ________
Vende-se ura casal de tucanos e um gato
raaracaj : ne pateo de S. Pedro n. 12.
SALSA P RUMIA DE AlEK.
Transcrevemos aqui alguns
dos muitos aitestados qie temos
recbido das virtudes da salsa
parrilha do Dr. Ayer.
itliciiuiatisuiu.
DE JOAO JOS DOS SA.NTOS.
Ouro Preto.
t Sori rheumatismo por mui-
tas vezes, e vendo annunciad
em um jornal d'esta cidade a
Salsa parrilha de Dr. Ayer, re-
solvi-me a comprar um frasco e fazer nso
d'ella ; e antes de concluir o primeiro fras-
co, achei-me forte e sem sentir a mais leve
dr nos joelhos; a parte do corpo que es-
lava arreciada d'esse terrivel encommodo
que roubou-me tantas noites de somno. .
i:.ii|.?es. borbulhas pstulas,
ulceras, e todas as molestias
da pelle.
DO SR. JOAO PAULA DE ABRE E SOIZA.-
Ra de S. Pedro.Rio de Janeiro.
* Soffria mais de dous annos de uma
erapcao syphiliiica em todo o corpo, mos
trando-se sempre com mais mlencia na ca-
ra, prove muitos medicamentos e consultei
muitos mdicos, e cstava quasi desanimado
quando vi os annnncios da Salsa parrilka:
o Dr. Ayer : comecei a fazer uso vi'ella e
nos primeiros das a empeci aggravou-e,
porm antes de acabar o segundo frasco li-
nha o mal d esa p paree i do completamente de
todo o corpo.
Doctor Don Jos Valdes Herrera, prfeb-
SOR DE MEDICINA Y lltl HJIA. Sl'BDEl.E(/ DO
EM AMBAS AS FACULTADES DEL SESTO D1S-
tricto.7i baa.
Certifico que he usado la zarza parril-
la del Dr. Ayer, y como depurativo he ob-
tenido de ella los mas felices resultados en
es casos de ulcera crnica, asi mismo au-
tor y las considero como um porgante, cuya
accin ademas de ser -egura, ha sido muy
eficaz en el tratamentp de las enfermidades
que exsigeu el uso de los porgantes, y no
vacilo en recomendar eslas preparaciones.
Y para los fines que puedan convenir doy
la presente en Regla a 7 de setembro de
1860.
Dr. ios V. Herrera.
Escrophola.
ATTESTADO DO 1LLM. SR, FRANCISCO FERRAZ
dos santos. Ouro Preto.
Me acho ha quasi dous annos affectado-
de escrfulas, e tendo soffrido tanto t\.e al-
gumas vezes quasi que diego a desmimar
da vida e maldizer da minha infe? sorte;
tenho sido tratado por muitos medie;? d'es-
ta cidade, e nenhum pode vencer i knaci-
dade de minha molestia, eslava sem espp.
rangas de recobrar a minha saude ; quando
ltimamente resolv fazer uso da salsa par-
rilha do Dr. Ayer. Completam-se hoje.
trinla e sete das que comecei com este
santo remedio, e tantas melluiiis tenho
sentido que tenho convieco de em brevo
recobrar a minha saude, perdk'a ha tanto
lempo.
Myphillsemolestiasmeri uiiaes
Do Illm. Sr. Dr. Jackso:'.
Medico maito conheeido as provincias do
tul. do brasil.
Tenho receitado a Salsa parrilha do
Dr. Ayer nos casos mais inveterados de
Syphilts constitucional e sempre com os
mais felizesresultados; o mellio. aunan-
te que conhego.
i.cucori'iica e flores brancas.
Temos cartas em que nos conlam casos
inveterados queforam radicalmente curado?
com um ou dous frascos d'esta Salee par-
rilha. '
O espaco nao nos permitte transe rever
todos os aitestados que possuimos Jas vir-
tudes d'este extracto composto ce Salsa
parrilha do Dr. Ayer. Basta deoarar ao
publico que tem sido empregado ha mais
de vinte annos pela profissao med> a tanto
das Americas como da Europa, sao nunca
desmentir a sua alta reputacao.
Para a cura radical de escrfulas c itTeccSes
escrofulos, syphilis e molestias sypbV
liticas, ulceras, feridas, chagas,
erupces cutneas e iodo e
qualquer incomn.ddo qt:e
provm d'um estado
impuro de sangoe,
to.mem a
N.U,N.4 PARRILHA DE AYER.
A' venda na ra Direita, ns. 12. 26 e 7(5;
ra da Quitanda n. SI ; praca da Gonsti-
tuico, n. 30 e Hospicio, n. 40. E na-
principaes pharmacias e drogaras do im
perio.
Vende-se em Pernambuco:
na pharmacia franceza de
P.MAURER & C.
________RA NOVA N. i 8.
Rival sem segundo
Ra do Queimado n. 49, l< ja e miudeza? de Jf
& Azevedo Maia e Silva esta dispodtti a vend i nm-
lo barato que admira, pola seos freguezts ja eno
iHe&te* que nao lia eRundo competidor.
Pecas de cordau para vestidos a 20 rs.
Capadlos redondos e compridos a OO rs.
Talheres para meninos a 240 rs.
Duzias de facas e garfos a 2400.
Ditas de ca1>o preto cravado a 3000.
Baraihos francezes muito finos a 200 e 210 rs.
Grozas de botoes de lou?a a 160 e 200 rs.
Caixas rom soldado? de chuml-o a 120 e 200 rs.
Bunecos de choro pequeos a 160 rs.
Varas de cordo para espai iiiho a 20 rs.
Duzias de colheres pra cha a 800 rs.
Duzias de colheres para sopa a 1,5500.
Ditas de metal principe de cli a 2000.
Pilas para sopa a 4>000._____________________
~ drogara.
34lina1 larga de Rosario 3A
Bartholomeu Francisco dcSouza k .
Vendem:
Acido actico puro pra retratistas.
Esmaltes para ourives.
Papel para forrar casas.
Goarnicoes avelludadas.
Tinta branca superior em lata.
AlvaiadeVneta, fino, em paes._____________
Trastes com uso.
Vende-se 1 sof, 3 consolos, 1 mesa
cadeiras de amarello, 6 cadenas
bea marqueza de Jacaranda, 2 carteiras de
pem e 1 carteira grande propria para lai-rna:
quem pretender dirija-se a ra das Cinco Ponas
n. 140 defronte da estacao. ____________
Fedonda. '.'
americanas, l
va*
PROPRIO PARA SENHORA.
Vende-se um excellente cavaUomuito no-
vo e manso com todos os andares: r.a co-
cheira do Paulino, rua de Sanio Amaro.
Vonde-se a taberna da ra dos A>;ouOinhs
o. 20 : a tratar na mesma.
V
muhdsix i


V
l
***> *t wi*HHtfc ~- Jjwhu h*m*
lo de !&.
GHEG4R4N OS MODERNOS GH4LES DE
FILO PRETO.
Superiores chales de fil preto chegados pelo uliimovaper francez, a
loja das columnas ra do i'respon. 13, de Antonio Correia de Vasconcel-
los i C.
CONSULTORIO MEDICO-CIRIRGICO
DO
DR PEDRO DE ATTAHYDE LOBO MOSCOSO,
HBDICO, PARTEIRO E OPERADOR.
3 Ra da Gloria, casando Fundao 3
O [)r. Lobo Moscoso d consultas gratuitas aos pobres todos os dias da 7 s 1
horas la manhaa,e das 6 e meia s 8 horas da noite, excepcao dos dias saatificados
Phirinia especial homeopathica
No mespio consultorio ha sempre o mais ippropriado sorlimento de carteiras
Ubis avulsos.assira como tinturas de. varias dyaanamisaces e pelos preces seguales
Carteiras de 12 tubos grandes. 126000
de 24 tubosgrandes. 186000
de l >iu!ns grandes. 24jtOO0
de iS tubos ,'ran les. 306000
t de 60 tubos grandes. 330000
".} nra-sa qaalquercarteira conforme o pedido que se fizer, e
que -> pedir.
mtubo avulso ou frasco de tfnturade meia onca i5000.
Sende para cima de 12, custarcns precos establecidos para as carteiras.
Ha;ubos mais pequeos cada um a 500 ris.
i i vitos.
\ u:i'i)i" o').1 J:i nni)pithia, o Nfmua de Melioina Homeopathico do Dr. Jahr
dn; 11135 volaaaiS'!:n iiecionario........... 2O09OO
\I)licina iomestica lo Dr. Hering,........... IQtfOOD
K'.oertorio 1,* Ur. Mello Moraes............. 60000
D.ccionario de termos de medicina. ..,...,,.. 30000
O; -e ai lies des te estabelecimentoso por leanis conhecidos e dispensara porten-
to t ;.-e;n i minate re com mandados asp^soaque q izerem usar de remedios ver-
dtij ros,alrgicos.eduradores:hatudo do melhor qus se pdedesejar.^lobosde ver-
di litro lisucar deleite.notaveis lelasua boa '.or?ervt{o,tintura dos mais acreditados
e-Hi )iIj;ioi)ntoseuropas,amaiS3xacta e accoradapreparaco, portanto amaior.ener-
ga i ; )r:ea en seus effeitos.
Casa de sade pira escravos.
Re.:ebe-se)scravQspara tratar de lualquer enfermidade ou fazer-se-lhe qualquer
opftMcSo, para o que oinaunciantejulga-seiaflieitemante habilitado.
Ocrataraeato o melhor possivel, tanto na >arte alimentar, como na medica, e
funcionando a casa a mais de quatre annos, ha muitas pessoas de cujo conceito srnf
pdio luvidar, que pdem ser consultados por aquelles que desejarem mandar seus
toe lies.
'ij-se 20000 por da durante 60 dias e d'ahi em liante 1(5500.
-s >peracoes ser5o previamente ajustadas, se n5o se [uizerem sajeitar aos precos
i-. ; id ; m.iui pedir o aanunciante.
8fr&
AURORA BRILHAKTE
GRANDES AftMAZENS
DE
MOLHADOS
vimos
1aO
Largo da Santal
raz n. 84, es-J
b da ra dol
bo.
i
Largo da San;
iruz n. 84,
quina da ra do
ESPECIAES jgpuo.
rnra rfrZ^T^F do j a>nit0 meditado armazem deSlhHSBSi!B?A!!?
T2I; ? *JSr mesmo somento de gneros de primeira qualidade.
\-C S'rv!.ra ? ,odos B base Para aJuste de tas aos portadores,
zem vender mais barato ma\unra= ., *.., B,;ik,ni,
<
O
c
pelo grande sorlimento qne tem, ja
ero qnanto chegue para accuranlar
e melhores do que a Aurora Brilbante, ja'
mesmo porque seu dono s deseja tirar diminuto l-
as despezas do estabelecimenlo por isso deixe se a-
com os remed
ar, o prspnetario ba de fazer toda'a diligencia Vfim^dTservirtem osTenscons-
*
LoKntmo enlojico e diimico deJF. P. LebeufrG
rna Montmartre, 31, em Pars.
Fabrica em Argenten!!, pr* Pars (Franca).
BO.WlilACAO E PAASIGiClO
l))S vinhos, agurdenles e licores.
VTMil >\Imiueo dos vinhos de todas as
qa-tiU4S,BtWetoift-Mde, adose para 230
lr i-;, t .?.1 B ir4e, 2 f., de Poraard, 3
f __le Lisboa, t f.,de Cataln, 2 f.,de Porto,
Hvni, Mscate!, Malaga, dosu para 25" ou 30 li-
tros, 4 (.
Substancia para fabricar com o alcool e agua
os vmhos cima e todos os outros. A dose para
500 litros, 50 f._
GLACiFIGAClOPos inglezes, pos dos vinhos
a iDS'.ianha, da Franca, etc. A libra para 500
litro, 5 f.
0:)/)KACAO.Purpirigine para colorear os
winho" brancos e vinhos claros. As duas libras
para 500 litros, 16 f.
Alfana de nossos agentes tendo falsificado eraitado nossas oreparacoe e
PBg9es]tlBTe-8e exigir sobre as rolhas e rtulos as inlciaes F. V. L Pars '
0 mal; de nsar-so dasprepararesicia-srndicailo no rotulo.
As enrommendas devem seracompanbadaspornma letra sobro Pars ou aualatier ontra pida
.1*- .v.i;i. m : ir i rilis ,,,r umtcasa mh'umI 1a.-Oirlitr.se aosSrs. Lebeuf A C chimipn mi
rus u -. n. SI n PirU. o sui fabrict era \r .': 11 ;! ii h ni".i franeazt, ra d > Imperador n. 38.
as agurdenles ,-rdnarias o sabor e aron
cognac. A garrafa para 100 litros f
KIRSCH E ABSI.VTHO.-Essencia de kirsch e
de absmtho. para os fazer com alcool e ama A
arrafa para 100 litros, 5 f. ,gat- A
LICORES.--Extractospara fabricar se toaos os
licores conhecidossem fogonem alambique, fio-
UtCros"S3 fS qUe ?e le3eja) A dSe para 20 ou 25
PERFMESpara fabricar-se os licores finos o
wramunsa dose para 20 ou 2o litros 1 f 25
TODOS os outros productos para o trabalho da-
vmhos agurdenles, heores, vinagres, etc., sao.
fabricados le encemmeoda.
UTENGILIOS de laboratorio ede chimica.
engaado nossos
tantes fregaezes.
|Latascom 8 libras dechouricas muitooovas,
Ditas grandes cora peixe ero postas inteiras.
1?400 ,Ualidades' 1*000> **80*
Ditas cora ostras, excellente petiseopara fri-
gideira, a 720 r*.
Ditas com ervilhas novas, ensopadas, a 720 rs.
Ditas com favas, a 6M> rs.
Ditas coraameixas a 1,9200, 1^800 e 3J500.
Ditas com marmelada do afamado fabricante
Abreu; a 720 rs.
Ditascom massade tomate, a 500 rs.
Se0(2Jl*os ae comadre, novos, a 1,8500,
z e Z*;MK).
SornT,>0,iCh1nha de soda mult0 novas a
Ditascombiscoilinnos inglezes de muitasqua-
lidades, a IjllDO.
Chocolate.
Caixinhas com ameixas enfeilaias proprias
para mimo a 1,1*00,29800 e 3200.
Chocolate superior muito doto, a libra de
880 a 1 000.
Macarrao, lalhariav e aletria amarella, a libra
a 400 rs.
Dito dito dita branca, a libra a 400 rs.
Caixas com estrelinha, pevide, e outras mas-
sas, a caixa 34500.
Ditas dita era libras a 610 rs.
Sag, a libra a 3G0 rs.
Sevadlnha para spaalibra, a-340 rs.
trvilhas seccas, a libra a 160 rs.
Ditas descascadas, a libra a 200 rs.
Tapioca muit) nova, a libra a 280 rs.
F\riD,ha de araruta verdadeira, a libra a
500 rs.
ArI2Ldo Maranhao, em sacco, a arroba a
2*400 e a libra a 80 rs.
Dito da India e Java, a arroba a 34200 e a li-
bra a 100 rs.
Violto verle superior.
A caada a 34000 e a garrafa a 400 rs.
SMHMt
Secas de 4 arrobas, a verdadeira de se]
ensomraar, a arroba a 34000 e a libra
120 rs.
Sabao massa, a libra a 200, 240 e 280 rs.
Farinha.
Saccasgrandes cora farinha de Goianna mui-
to nova, a 54000.
Caf:
Cafdo Rio muito superior, a arroba a 84,f
84500 e 94000.
Cha.
Chi.temos nostes geaeros o melhor possive
hyson, a libra a 2*600.
Dito parola a 34000.
Dito uxim a 24700.
Dito hyson muito fino a 24800.
Dito redondo a 24500. ,
Dito preto de primeira qualidade a 24500. (
Dito mais baixo a 24000 e 1*600. *
Erra mate.
Excellente cha medicinal, a libra a 240 rs.
Ejpermaeete.
O masso com 6 vellas de esperraacete a 600,'
640 e 720 rs. i
Passas.
Caixas de 16 e 8 libras de passas novas pro-
prias para mimos a 4* e 2*500.
Nozes.
Nozes, a libra 160 rs. e arroba a 4*000.
Alpisia e paineo.
Alpistae paineo, a arroba 4*000 e a libra a.
160 rs.
Cartas.
Cartas finas par jogar, a duzia a 2*500.
Castanhas.
Toucinho de Lisboa a 9*500 a arroba e a 3J0 Castanhas novas vindas nes'te vapor, a arro-
V0 1 I (Kan ._^__ _-_ ... '
rs. a libra.
|Dito dSanios, a arroba 7*000 e a libra a
260 rs.
jMolhoscom 125 ceblas grandes, a 1*280.
Mostarda franceza, caixa com 2 duziasa
7J000.
I Frascos com mostarda preparada em vinagre,
I a 400 rs.
Ditos cora conservas nuezas e francezas, a
L 640 e 800 rs. v
[Ditos com sal refinado fino, a 640 e a 500 rs.
ba 4*000 e a libra a 200 rs.
Azeilonas.
Barris com azeitonas novas a 1*500
Manleiga.
Manteigasuperior, a libra a 1*280.
Dita mais abaixo a 1*200.
Dita menos superior a 1* .
Dita francesa nova, a libra a 88C
Dita lita era barris e meios ditos, a libra
850 rs.
Ditoscora a verdadeira genebra de laranja, a i Dita para tempero a 400 rs.
Novaloja.de miudezas
-- -- Kia da Cadeia do Recife-5
DE
C >ke do pz.
P'rtcli do gz.
Alflatri 9 %u.
tonel'adas rs. .
Goke
Pitch
i Abcatro caaada
O^QO
400
Silvestre Pereira da Cunha 4 C.
O-, don>s dest" novo estabelecimenlo abrindo-o
? concurrencia do respsilavel publico, esperam
merecer deste toda a proteccao, j pela delicadeza A
<: senedade que empregarao em seus negocios, co-1 .u CJte reconhecidamente o carvao mais ecooo-
im pelocompleto sorlimento de miudezas e per-1 raico' lrQa-se por ^ssp recoraraftadavel, bem co-
ronarias, come sejara fivelas com cintos, agulhas! m. Pdl assera que se nota as cozinhas onde
un jeriaes as melhores qu tem vindo ao mercado, a!le U5a,f0- P''-h e alcalro.alm das applicacpes
diusciotofas, sapatos de tranca para homem e aivrsas ? que se prestam, como para callafelar
senil )ra, rap do Rio, fumo de Herlebeck, can- "inarcacoes.aicatroar raadeiras,eta,teom este a
.uiros para gaz, chjrlj* maito finos, bllhetes de ; Prepriedade de preservar do cupial, fjrraigas.etc.
lottri i. tiljagacca e muit3s outros, objeQtQS que se-: ^ tfQlre?ai" Q fabrica dogaz ou mandado por em
qualquer ponto da cidade, segundo a vontade do
comprador.
na ifadmho mencionar, sendo estes vendidos por
precos tai razeavels que a pessoa que comprar a
nrimeira vez, nao deixar de continuar a vir sor-
tir-se neste novo estabelecimpnto.
Aviso aos reverendissimos
sacerdotes.
N i rna do Crespo n. 5 antiga loja de Gullherme
C vi Guimaraes. hoje deGregorio Paes do Ama
ral & C, receben pelo paquete ltimamente che
aiio por conta de urna das melhores fabricas de
Lisboa, os segrales objeclos proprios para os
misteres religiosos, que sero vendidos por precas
razoaveis, a saber :
l palito de damasco branco de seda muito rico.
: i nas cen os competentes preparos.
Hirrelesde seda preta e luvas.
M-i s desedarouxa, pretas e encarnadas, pro-
orias para as diversas dignidades ecclesiasticas.
Novidade.
^i mesma loja tambera se vendem chitas de II- j
nh > cor de palha com salpico? de cor a 320 rs. o
ovado, sendo estas fixas, assim como contina a
!': o mais escolhido sorlimento de fazendas para
frente: 11 > 11 i e uso ordinario para todas as classes.
2?cooi '-< a O O o
a
Cu a:
2 M
0>
;-K
ai
ce-
a 1 as
a, o.">

m

O t a
a aTg
o. co 2;
__jU O o
, =: o o i x
go.ccnoa*S,=-"ow
P.^, oo 7 3 w J
S 3 S. a. a?
CU (A
S = z o s
o O..S
15
s

o *
co "
i
3


^' Q, ( O
3 S &> S* cr a m
.Q.3 uff.3
f-sf
p,
O.0 CB
s>2 co
saii
CO
B
BI
-
o o
s
o.
en
"o?
2!3
CB
s
O
o.
Ba
BS -
B>
a>
-i
o.
i
s
a
a>
& CD
o.
o
O O
H
>D CB
a* -n
B E"
a-
c.
O
Francisco Jos Germano
RUI NOVA X. ,
acaba d receber nm lindo e magnifico sorlimento
.1.- nruios, lunetos e binculo?, do ultimo e mais
apurado gbsto da Europa. _____
120 e 600 rs.
Rival sem segundo.
Frascos com agna do colonia
Djzia de thesouras para coslura
Caita* de soldados de chumbo a 120 e
Ka ra do Queimado n. 49.
Urna familia qne se retira vende urna mobilia
de araarello j sada, trem de cosinha, louca de
almoco e juntar azul, orna mesa de jantar de ama-
relio pes torniados, mesas pequeas, commodas,
cama de csale muites outros objectos o que tudo
se vejiJera em conta : na ra dos Pires n. 61.
610 Vende-se urna negr ola de 10 annos, muito
200 esperae sadia no pateo da matriz de Sanio An-
tonio Q. H.
1000
Oitos del garrafas de Hollanda verdadeira,a
640 rs.
Botijas com dita propria para negocio, a
f 400 rs.
>Garraf6es com 2 galoes com dita, a 65.
(Serveja boa, marca, a 500 rs. a garrafa, e a
| duzia a 63OOO.
Vinho muscatel de Setubal, a garrafa a i$.
Marrasqmnho verdadeiro, frascos a 80C rs. e
I a 15200.
?Champagne, a duzia 205000, e a garrafa a
25000.
I Azeite refinado portuguez e francez. a garrafa
a 15OOO.
Caixa de vinho Bordeaux muito superior, a
75,85,95 e 105 a caixa.
(Ditas com dito branco, a 75 a caix.
.Ditas com dito lagrimas do Douro verdadeiro,
a 205-
Ditas com duque do Porto verdadeiro,"a
185000.
jDitas cora chamisso superior, alVS-
Jilas cora Porto velho e outras rauilas mar-
cas, a 125-
(Vinho do Porto da pipa, a garrafa a 640, 720
e 800 rs.
Mto 35500 e 45, e a garrafa a 600 e 560 rs.
lito da Figuira, das seprales mirras IS.)
(i. A. A.) (J. L. G.) (O. M.) a caada a
45300, e a garrafa a 560 e 640 rs., desle
que j est engarrafado e lacradocom o
rotulo do armazem.
j)itos,de marcas mais desconhecidas, acana-
da a 35500 e 45000, e a garrafa a 480 s
520 rs.
Vinho branco fino, agarrafa a 640rs,
{Dito de caj muito superior, a garrafa a
' 800 rs.
Qiifijos.
Queijos novos viudos neste vapor a 25800 e\
35000.
Ditos londrinos muito novos, a libra
15000.
Pipi.
Papel al maco paulado, a resma kUMO.
Dito dito lizo de linho, a resma a 45S00.
Dito 4a peso lizo e pautado, a resma
25500.
Dito deembrulho.bora a 15 e 15200.
Vinho ladeira.
Garrafas com n verdadeiro vinho Xerez e Ma-"
deira a 15300 e 25000.
Temperos.
Folhas de louro, pimenta do reino, commho
e cravo, a libra a 400 rs. ,
Velas de carnauba. <
Massos cora 6 velas de carnauba refinada a
480 rs.
Amcnoas.
Araendoas cora casca, a libra a 320 rs.
Doce.
CalxSes de doce de goiaba, grandes a 15400
e pequeos a 640 rs.
lijlos de liinpar.
Tijolos de arear facas a 140 rs.
Grata>
Duziasde bo5es de graxa n. 97 a 25000, e,
de latas a 15000, e os boiocs a 240 rs. ca-1
da um, e as latas a 100 rs.
Charutos finos.
Charutos finos dos melhores fabricantes da
Baha por diversos precos, caixas e meias
caixas.
grande quantidade de gneros, tendentes
. estes estabslecimentos, que deixam de an-
nunciar-se.
':>:
N. 11Riia do Queimado-N. 11
Superiores cortes de seda preta com lindas barras.
Superior seda faconn o que ha da melhor e mais gosto.
Moreantique.preto muito bonito a 25800, 35,35500 e 45 o covado.
Completo sorlimento de grosdenapl preto de muitas qnalidades.
Pannos pretas e easemiras de muitas qnalidades.
fiournus, chales e los de renda pretos superiores.
Superiores pelisses esoutembarques de seda para s:nheras.
Boorousdc la para senboras a 125
Chapeos e chapelinas de palha de Italia para senhoras.
Cores de laa de barras de 145 a 225 de muito gosto
E muitas outras taidas de superior qualidade na loja de Augusto Freierco dos
Santos Porto aonde tambera se vendem as melhores e raai* baratas
Esteiras da India para forrar salas.
H. HRoa de QueimadoN. 1!
VENDEH-SE
caiies vasios proprhs para baliulei-
ros e funileiros a 2,000 rs.; a tratar
nesta olficina,_____________________
Vinho Madeira fino
ten Pra vender Joo do Reg Lima, na ra do
Apollo o. 4.____________________________
Vende-se um escravo idado 25 annos insigne
offlcial de carpina e bonita figura : natravessa do
Carmo n. 1.
avariado.
Francez barrica 55000
Poriiud idem 85500
Em pe/feito estado:
- Francez barrica 105000
Porlland idem 125000
No armatem de Taseo Irmos eies do Apollo.
Fio de algedio da Bahia.
Vendefse no escriptorio de Antonio Luiz de Oli-
veira Azevedo & C, ra da Cruz n. U
A.
9.
MACHINAS DEPATENT
de traballiar mo par*
d escarolar algodo
FABRICADAS
Por Plant Brothers & C.
LDAM
Estas machinas
podemdescarocar
5 qualquer especii
de algodao sen
j 3 estragar o fio.
sendo bastante
duas pessoas para
o trabalho; pdt
descarocar urna
arroba de algo-
dio em earocc
em 40 minutos,
ou 18 arrobas
por da ou 5 ar
robas de algodc
limpo.
Assim como machinas para serem movidas por
animaes, que descarocam 18 arrobas de algodac
limpo, oor dia; e motores para mover una, duas,
euir;s dessas machinas.
Os mesraos tem para vender um bellissimo va-
por que pode fazer mover seis destas machina*
mencionadas ; para o que convida-se aos Srs.
agricultores a virem ver e examma-lo, no arma-
zem de algodao, no largo da ponte nova n .47.
Sanaier Brrthers & C.
IV. II, praea do Corpo Santo
RECIFE.
Os nicos agentes neste paiz.
AGUA
Fl
DE
orida.
para restabelecer e conservar a cor natural dos ca-
bellos.
A agua de Florida nao urna tintura, facto es-
sencial a contestar, a mesma agua dando a cor
primitiva de cabello. Compostas de plantas exti-
cas e de substancias inoffensiveis, ella tem a pro-
priedade de restituir aos cabellos o principio co-
rante qne elles tem perdido.
De urna salubridade inconlestavel, a apea de
Florida entrelem a limpeza da cabera, dcstroe as
caspas e empede os cabellos de cahir.
Oleo de Florida
Composto de substancias vegetaes exticas, elle
contribue poderosamente, com a agna de Flo-
rida a forja, a belleza e a conservacao dos cabel-
los.
Em Paris casa de Guilaurn. 112 ra de Rechi-
lieu e 21 boulevard Montmartre.
Todos os frascos Do tendo iniacto e claro, e Un-
cir prateado da rasa, reputado falso.
Deposito ma do Imperador pharmacia n. 38.
Vinho do Porto superior em caixa de dnzia,
tem para vender Antonio Luiz de Oliveira Azeve-
do & C, no seu escriptorio ra da Cruz n. 1.
ATTENCAO.
Chtigaram livraria encyclopedica de Jos Bar-
bosa de M"llo, roa da Cruz n. Si, as segnintes
obras do Dr. Chernoviz :
Formulario ou guia ntfiliea,
qne contm a deseripeo de todos os medicamento?,
sexta edigao, cora 121 figuras no texto, que repre-
sentara as plantas medicinaes ; 1 volume de 820
paginas, encadernado, prego 65-
Dieriuoarie de melieina popular
que conlm a descripejio das molestias e o seu (ra-
tamente, terceira edicao, com 231 paginas; 3 vo-
lumes encadernados, prego 205'
Historia nalara!
para os meninos e meninas, ou conversaco de
um pal com seus Mirtos sobre inultos animaes e ve-
getaes ; 1 volume encadernado, com 134 figuras,
prece 45-
Tambem chegaram mesma livraria a gramma-
tica franceza de Burgain, nova edicao, e o diccio-
nario do bom gosto.
Carta chorographica
DO
THEATRO DA GUERRA.
Acha-se exposta venda, as tojas abaixo men-
cionad is,a carta chorographica do theatro da guer-
ra nos Estados do Sul da America Meridional, con-
teni as plantas do Paysand, e do bloqueio e cer-
co de Montevideo. Ella torna-se recommendavci
nao so pela lacuna que velo preeneber, como pele
esmero do trabalho lytbographlco,
Vende-se pela mdica quantla do 2*000 as livra-
ri.is dos Srs. Nogueira, ra do Crespo; e do Sr.
Cardoso Ayres, na da Cadeia do Recife, assim como
as lojas da Exposigo de Londres e na lytliogra-
phia do Sr. Carlos, a mesma ra n. 52, e na loja
do Sr. Cardozo de Almelda, ra da Cruz.
Cal de Lisboa
Na ruado Vigario n. 19, primiro andar.
Barris vasios.
Vendem-se barris vasios de manteiga a 120 rs.:
na ra da Cadeia do Recife n. 53.
Admiravel pechincha!
ttocambique a 300 rs. o covado, oa toja
do pavao.
Vendem-se os mais bonitos mocambiqnes de po-
ra 13a proprios para vestidos e soutembarqoe?,
sendo de quadrinhos de listras e lisos, fazenda ra-
teramente nova, em padroes e muito proprias pa-
ra as senhoras que frequentam o mez Mariano,
porque esta fazenda lhes facilita fazerem por pon-
co dinheiro vestidos mijito decentes para qualquer
acto, advt-rtiodo-se que este baratissiiro preco
devido a grande compra que se fez desta nova fa-
zenda, que se vende a freze tustoes o covado : na
loja do pavo, ra da Iniperatriz n. 00, de Gama &
Silva._________________________________
Jumentos
Vende-se um linde casal de jumentos de bella
raca, grandes e novos, proprios para a conserva-
cao da mesma raga e cruzamento, do que se colht-
ra magnficos machos, mullas carro e cana ; coja
jumenta esta' prende, assim como urna linda ja-
menlinha com pouco menos de um auno : ver e
tratar cora Jos Pereira Cesar no sitio Pirahuvr,
arrabalde da villa do Liraoeiro.
Calnogas Unos e br Ib quedos
para meoioos.
Chegaram para a loja de miudezas da ma do
Qoeimado n. 69, os mais finos e lindos calungas
tanto para brraquedo de meninos como para cima
de mesa : na mesma loja se encontrar bom sor-
limento de miudezis. _J_________
achinas de serrotes para ~
algodfio
Chegaram as desejadas machinas de serrotes pa-
ra descarocar algodao, havendo um completo sor-
limento desde 13 at 40 errles, tamhem ha mo-
tores americanos para as mesmas marhinas, ven-
dem-se o mais barato possivel: na ra da Cadeia
do Recife n. 56 A, loja de ferragens de Joao Car
los Bastos Oliveira. ___________ _
Bixas hamburguesas.
Vende-sena ra Nova n. 61.
V
i
,<-
s
DE
AZEVEDO FLORES
Ra da Cadeia do liecifr, esquina da Madre de Deas.
Prestem attencio ao discurso do Balo.
A loja do Balo todas as semanas reforma o seu annuneio em consequencia de
constanlemente receber novas fazendas e novo sortimento de roupa feila, os seos precos-
so os mais moderados como j ninguem ignota, as fazendas que no levam preco marca-
do porque ha diversas qualidades e diversos precos, e em loja alguma encontrar o pu-
blico um to completo sortimento de fazeodas e roupas feitas, e nao havendo a obra que
o freguez procurar toma-se a medida e em 24 horas estaro salisfeitas as exigencias do
fregmez.
Pede-se attencio.
Chapeos de sol com 46 asteas a 126.
dem idem com 12 asteas a8.
dem idem denominados acadmicos, fazenda inleiramente nova com 12 asteas a
12(5, por este preco s na loja do Balo se encontra. v
Balees de arcos para senhoras, os melhores que ha a 3$.
dem de arcos e de musselina para menirias-a-2^. 2)$5Ht-/e 3500.
Vestidos finos a Maria Tia a 14&. ^~--
Idem dos sais modernos que ha de flores matisadas a 18$.
dem com barras, fazenda ainda nao \ista em Pernambuco a 24#.
Pecas de cambraias que sempre se vendeu por 9$, o balo \>nde" por 76.
Chitas preclaras que todos vendem por 640 rs., o Blao vende a 560.
dem da m sma qualidade, porem de otrros paJres a 440 rs.
dem escuras a 300 rs. est3o-se acabando.
dem estreitas a 200 rs. s na loja do BalSo.
Laas de accento escuro com flores matisadas denominada pelas senhoras qne j
compraran (la econmica.)
Cambraia de cores as mais finas a 800 rs. a vara.
dem de cores com quadros brancos a 560 rs. a var?.
Madapolo a 8 a peca, que vale 9, tamhem ha fino.
dem francez proprio para saia de senhora a 560 rs. a vara.
Camisas de meia muito finas a 226 a duzia. /
Meias cruas para homem de 66 a 86 a duzia.
Camisas de pregas largas a 26500 que todos vendem por 36. \
dem inglezas de IdIio muito finas a 486 oo 54$ a dua.
dem de flanella de cores muito finas.
Calcas de casemtra pretas e de cores de 76 a i26.
Paletos de casemira de cores e pretos, a 106. 116 r 126-
Coltetesde casemira e debrim branco os melhores que ha.
Calcas de brim bra ico muito finas a 46500, 56 e 76.
Paletos de alpaca branco a 56 a duzia.
Mantas modernas para pescoco de homem.
Collarinhos de papel de cores a 800 rs.
dem brancos a 400 rs. a duzia.
La preta para luto e de todas as mais cores a 500 rs. o covado.
Ceroulas de linho com duas costuras.
dem de algodo a 16600.
Cambraias para forro do vestido a 26600 a pega ou a 360 rs. a vara.
Chales de merino estampado que custaram 86, vende-se por 56 em razSo de es-
arem um p uco desmaiados por ter estado a mostra, por estes procos s na loia do
'
/
Grande pechincha
A 200,e 340 rs. o covado.
Chtia froncera pelo barato preco de 200 e Ikf
rs. o covado: na rna do Qoeimado n. 27, itja da
Custodio, Carvalho C.
ILEGTVEL]


\
...
ta felra f 9
de 19&.
O
Jkl&lll''.
ESTABELECIDO A RA NOVA N. 60
?im ^ jibirii di si arciu&ia
AO
KESFKIT ILVE, PUBLICO.
cpi
glmento
i ai porte do
nSo agradar.
' le ai
< UMtram
entregar o
genera que
ATTENC&O
os precos da seguate
tabella para todos, po-
dendo asslm servir de ba-
se para o ajuste de conas
cont os portadores.
'

RUA DA CADEIA DO RECIFE N. 53
(Lego vanases re* PARA BEM DE TODOS,
! ESCR1V0S FGIDOS.
Fugio do dia 7 do eorrente, da casa do abai
j xo assignado e seu escravjFranci.-c >, cabra, esta-
' tura regular, grosso do corpo, cabellos nao ara.-
I piobados, denles perfeilos, sem barba, ps e mos
i regalares, levando vertido caifa de cate mira pre-
ta, camisa branca, paletot de alpaca e chapeo de
liaeta prela, alm dos referidos signar s lem ello
| no braco direito um signo salomao abaixo do qual
i tero um coraco feto com tinta azul, (ni ujo cen-
i tro lem as 6 iniciaes segoinles MMI 1MN, um eils
23 annorde idade pouco mais ou menos, cun^aler
! seguido a estrada do norte em buca d,i rasa do
i seu amigo senhor o teneote-ooruuel Joaquim Car-
, neiro da Costa, a qusl no lugar df nominado
Corral Grande da villa de Sania Anra provincia
' do Cear. O abaixo assignado rceim mer.da pois,
(lano as autoridades como aos capnes il rappo
| de qualquer lugar a captura do referido* escravo,
o qal poder ser entregue no prime,io anca do
sobrado a. 31 da ra do Imperador ou no sitio da
estrada de Joo de Barres residencia do abaixo
I assinnado. A pessoa qoe o trouxer su a genero-
samente recompansado.
Joaqinm Manoel de Mira Wanderit-yi
Escravo fgido
Desappareceo no dia 8 desie mez de maio, da
Senhorr" g choras, o aeei qoe presidio aos arrairjos deste noy establecimento e mais que ludo a promptiao e intei-! ^^'?^^^' ?,?"X
reza com que serio W&MW a na visita ao mesmo, cortos de que sem flovida me darSo a proleccao e preferencia na com-; cffi ciraTs aVannos S c.bef.o Sst
ecisarji e guando nSo possam vir poderlo mandar seus portadores, anda ~
pra dos gneros que preci
que estes sejam pouco praticos, do, corpo regular, levou vestido calca de cseo ira
-yssrs$^&
que sendo em saa mxima parte mandados vir directamente do estrangtiro podem ser
vendidos por precos asss razoaveis.
Sem a fatuidad* de querer que este novo e interessante establecimento seja o
primeiro e nico em seu genero, pde-se porm ;iffiancar, com toda a seguranca de que
nenhum outro o exceder no restricto cuniprimento das seguintes promessas:
1/ Delicadeza no trato.
2. Fidelidade no peso.
3/ Sinceridade nos precos.
As pessoas que por sua posico social gozam de certo tratamento, acharSo nesta
casa os melhores queijos lonrinos, cerreja, vinlios finissimos manteiga e cha sempre de
primeira qualidade. etc., etc.
Qualquer que seja a condigao do freguez, elle deve contar que ser sempre mui-
to bem serTido.
Aquelles que slo pouco favorecidos da sorte farao mensalmente urna economa de
rauitas patacas, afreguezando-se nesta casa, onde se lhes vender e arroz, o caf, a man-
teiga oassnear, etc., etc. de boa qualidade pelopreco que em algumas partes nSo po-
dem ou nao querem render.
Os senhores de frada cidade, dos arrebaldes ou centro, que compran para ne-
gociar, devem vir, pelo seu proprio interesse, a este establecimento para se convence-
reis do quanto se pode vender barato.
Para os senhor s que compram para tornar a vender existe um sortimento espe-
cial, escolbido por pessoa entendida que certamente muilo de?e agr lar aos senhores
compradores.
Nao se tem poupado sacrificios, nem se deixar de fazer a diligencia para agra-
dar a todos.
PELOS SEGUINTES PRECOS S SE VENDE
A DINHEIRO A VISTA:
ALPISTE E PAINgO a 120 rs, a lib a.
AMENDOAS novas a 28o rs. a libra.
AVELESa2W)rs. a libra.
ARROZ de 90 rs, a libra a,..
AMEIXAS francezas em latas, potes, fras-
cos, bocetas, etc etc.
AZEITE doce a 600 rs. a garrafa, cadada a
MANTEIGA ingleza
n
e franceza
alr$, 10120
10280 e em barril faz-se grande abati-
mento.
! MACARRO a 400 rs. de 8 libras para cima
a 360 rs. a libra.
MASSA DE TOMATE a 600 rs. a lata.
MOSTARDA ingleza a 800 rs. o frasco.
MARRASQUINO de Zara.
BANHA de porcoa660 rs. a libra, em por- MARMELLADA de diversos fabricantes
Cao faz-se abate.
BOLACHINHAS do beato Antonio a
ROLACHINHAS de soda lata grande a 2,000
ris.
BISCOITOS ing'ezesem latas de 1,200 rs. a
BOLACHINHAS principe Alberto a 2,000 rs.
C
CHOURICAS m ito novas a 800 rs. a libra.
CAF de'260rs. a libra.
CHOCOLATE francez a 800 rs. a libra.
CHAMPAGNE das marcas mais acreditadas
a 25,000 rs. o gigo.
CHARUTOS de todas as qualidades, suissos,
americans, babiannos, fluminenses, etc.,
de 1,400 a 10.000 o cento.
CHA HYSSON de 2,200 a
COPOS 1 sos ladidados de todos os tama-
nhos a
D
DOCES de todas as qualidades.
E
ERVILHAS seccas e em latas portoquezas e
francezas.
F
FARINHA de araruta verdadeira a 800 rs. a
libra.
FARINHA do Maranho ou tapioca a
FARELLO de Lisboa a 4 e 5,000 rs. a sacca.
FAVAS portuguezas em lata a 600 rs.

GOMMA muito nova e alva a 140 rs. a libra.
GRAO DE BICO a 120 rs. a libra.
GEEBRA delaranja a 9 e 10,500rs.
CENERRA de Hollanda garrafas, etc.. etc.
diversos precos.
PEIXEem latas a 1,000 rs.
PERAS SECCAS a 500 rs. a libra.
PASSAS muito novas a 320 rs. a libra.
PRESUNTO para fiambre.
a
QUEIJO do reino de 2,000 a
DEM londrino.
DEM suisso a 800 rs. a libra.
DEM prato a 800 rs. a libra.
(9
SARAO MASSA a 160 rs. a libra e grande
abate em caixa.
SEVADINHA a 200 rs. a libra e 8 libras se
far grande abatimen to.
v
VINHO tinto de 300 a... garrafa.
VINHO tinto em caada de 2,560
VINHO branco em caada de 3,500 a
VINHO verde a 40 rs. a caada.
VINHO Rordeux em caixa a 6.000, 7,000 e
VINHO de Grave a 6,000 rs. a caixa.
VINHO Cherry a 1,000 rs. a garrafa.
VINHO do Porto de todas as marcas e todos
os precos.
VINHO Collares a 800 rs. a garrafa.
VINHO tinto, neste genero ha constantemen-
te 20 a 30 pipas ao torno, de diversas
qualidades e diversos precos.
VINAGRE em ancoretas a 15,000 rs.
VINAGRE em pipa a 160, 200 e 240 rs.
VINAGRE branco a 400 rs. a garrafa.
VELLAS de carnauba a 13 e 13,500 rs. a
arroba.
tra parte.
Manteiga ingleza especialnente escelhida a
l.ooo e 8oo rs. a libra e em barril seTaz
abatimen to.
Idemfrancezaa maisjiova do mercado a 96o
rs. a libra e 900 rs. em barril ou meios.
Cb hysson de superior, qualidade a 2,600
( rs. a libra.
Cha perola o mais superior do mercado a
2,8oo rs. a libra.
dem bysson muito.superior em latas de 15
libras muilo proprio para negocio a 2,ooo
rs. a libra.
dem hysson nacional em latas de 1 e 2 li-
bras a l,6oors.
dem pretoo que se.pde d^sejar neste ge
ero a 2,ooo e 2,2oo rs. a libra.
Linguicas muito novas a 8oo rs. a libra e em
barril se faz abatimeuto.
Chouricas e paios a 8oo rs. a libra.
Costelletas inglezas a 6 lo rs.libra, serve
para temperar panella ou para fiambre.
Queijos do reino chegados neste ultimo va-
por a 2,2oo rs., ditos de navio devella a
2,ooo rs.
Idemlondrinos muito frescos e de superior
qualidade a 8oo rs. a libra.
dem prato? 8oo rs. a libra, e inleiro se faz
abatimento.
dem suisso o mais superior que tem vindo
o mercado a 64o rs. a libra.
Ervilhas e favas portuguezas j preparadas
em latas hermticamente lacradas a 64o.
Feij5o verde muito superior a 640 rs. a lata.
Copos lapidados para agua a 5,ooo e 5,5oo
rs. aduzia.
dem idem para vinho a 24o rs.,e 2,4oo rs.
a duzia.
Chocolate francez "espanhol e suisso a 9oo,
l,oooel,2oors.a libra.
Espermacete superior a 6oo e 6 4o rs. a li-
bra e em caixa se faz abatimento.
Peixe em posta em latas hermticamente la-
cradas e das melhores qualidades de pei-
xe a 8oo, l.ooo e l,2oors.
Vinho Bordeaux das nwrcas mais acredita-
das que vem ao nosso mercado a 7,ooo e
8,ooo a caixaeOio e 7oo ris agar-
rafa.
Genebra de Hollanda a 48o rs. a botija de
conta certa.
Frasqueirasde genebra de Hollanda a 6,8oo
e 64o rs. o frasco.
Genebra de laranja verdadeira em frascos
grandes a l,ooo e M.ooors. a frasqueira.
Caf do Rio de Ia qualidade a 28o rs. a li-
bra e 8,5oo rs. a arroba.
pafdo Cear muito superiora24o rs. a li-
bra e 7,5oo rs. a arroba.
Arroz do MaranhSo de Ia qualidade a loo
rs. a libra e 2,8o a arroba.
dem da India a loo rs. a libra e2,8oo a
arroba.
dem de Java a 8o rs. a libra e 2,4oo a ar-
roba.
Paincoe alpista a 14o rs. a libra e4,oooa
arroba.
Massade tomatesde superior qualidade a 64o
rs. a lata de urna libra e56o rs. a reta-
lho.
, cio, e provavel que va para o serio de Paje,
Aletna, macarrao e tailiajim a 4oors. a li- Sal refinado em frascos doTirlrn com tamnaidunde veio ha Pno em cmpanhia d'> scuhor
bra e 6,ooo a caixa, i do mesmo a Son rs i m05 Jos Pires dos SaDt0S Barros' 'ual i'or or"
MSKSPoVaSe!LDaa'rLCVd t" ^^ bran'Ca daS marcas mais acreJitadas^^fSffJS^ tlSS
lina Drduca ou amareiia a 04o rs.a libra e qae I em ao mercado, a 500, 56o e 64o \ pa Jaciniho Gomes dos Sanios, morador no me.-mo
3,500 a .caixa com 8 libras. a garrafa, e 5,8oo, 6,000 e 6,5oo a du- ser-5 de PaJpli: roa-so as au'-'o'ad's poiina?*
Vinho do Port muu\o fino Droario nar* zia | e capiies de campo a captara do do caloclo,i
engarraar, em ancoretas
33,000 rs.
Vinho em pipa : Port, Figaeira e Liaboa a'
32o, 4oo e 5oo agarrafa, e emeanada;
a 2^500, 3,ooo e 3,8oo.
Vinho branco de Lisboa de excelleot quali-
dade a ioo e 5oo rs. a garrafa e em cana-
da a 3,ooo e 3,5oo.
Vinlio branco para missaem caixas de 1 du-
zia a 8,oo e 68q rs. a garrafa.
Vinho do Porto das melhores marcas que
vem ao mateado owao sejam: Lagrimas
do Douro, Duque do Porto, Rainha de Por-
tugal, Duque genuino, D. Luiz 1, Made-
ra Secca, Malvazia o& a 16 ,ooo, i ,ooo,
12,ooo e lo,ooo a caixa com 1 duzia eitoo,
1 ,ooo e 1,5oo rs. a garrafa.
Vinho Cherexde superior qualidadea 16^000
a duziae l,5oo rs. agarrafa.
Sardinhas de Nantes a 4oo rs. os quartos e
64o rs. as meias latas.
Bolacbinhas inglezas muito novas a 5,ooo a
barrica e 320 rs. a libra.
Bolachinhas de soda em latas
qualidades a 1,3oors.
Cartees com bolo francezmuilo propriospa-
ra mimo a 64o rs.
Passas muito novas em caixinhas enfeitadas
para mimo a 3,ooo rs.
Passas de carnada a 8ooo a caixa e 4oo rs.
a libra.
Figos de comadre a 24o rs. alibra.
Amendoas de casca mole a 4oo rs. a libra.
Milo de amendoas a 5oo rs.
Bolachinha d'agua e sal, da fabrica deJo5o
deBrito no Beato Antonio, emlata de6 li-
bras por2,5oors.
Ameixas francezas em f asco de vidro com
tampa do mesmo, a l5oo.
Ameixas franc> zas em caixinbas de diversos
tamanhos com bonitas estn pas na cai-
xa exterior, a l,4oo, l,6oo, l,8ooe 2,ooo
cada urna.
Azeite doce refinado hespanhol ou portuguer
a 9oo rs. a garrafa e lo:ooo a caixa.
Batatas muito novasa 8o rs. a librae2,5oo
o gigo com 36 libra.
Conservas inglezas a 75o rs. o frasco e
8,500 a duzia.
Vassouras de escova para esfregar casa a
4oo rs.
Nozes muito novas a 16o rs. alibra.
Molbo inglez em garrafa de vidro com roma
do mesmo, a 16o rs.
Mostarda ingleza dos melhores fabricantes,
a 8oo rs. o frasco.
Mostarda franceza em potesj preparada a
ioo rs. o frasco.
Lentilhas francezas, excellente legume para
sopa, a 2oo rs. a libra.
Marrasquino de Zara propiamente dito a
Id a garrafae 11,ooo a duzia.
Palitos de dente a 14o rs. o maco.
de 9 caadas a Cevadinha de Franca muito nova, a 2oo rs.
Charutos do aflamado fabricante Jos Furta-
do de Simas, das seguintes qualidades:
Exposicao Normal de Havana, Imperiaes,
Londrinos, Guanabaras, Parisienses, Sus-
piros Delicias, a 4,ooo, 4,5oo, 5,ooo,
6,ooo e 7,ooo a caixa ou em meias.
leva-lo ao sea senhor
cidade de Olindt.
Jos Figueira Geratt, na
Escravo fvgu/o
Desappareceu no dia 8 de maio de 18bo. de casa
do seu senhor o escravo de npme Simulo, de naiio
Mossambiqne, tem lalhos ao p das orell.as intui-
dos em circo redondo, idade 45 anuo, [ouco nais
ou menos, estatura alta, clieio do corpo. cor fula,
Charutos finos de diversas marcas e fabri- levou vestido cala de casemira usada e um ca-
miso de bata atol j usado, chapeo preso peque-
do redondo de massa : roga-se, por lano, a todas
cantes, como sejam: Flor do Norte, Ma-
nilhas de Havana, intervallos. Vencedores,
Panatellas e Suspiros, a 2,ooo, 2,5oo e
3,ooo a caixa.
o gnac inglez das melhores marcas, a 8oo e
l,2oo a garrafa.
Doce da casca de goiaba a 2, ooo a lata com
4 libras.
Farinba de araruta verdadeira a 32o rs. a
libra.
Matte,excellente cha para os navegantes, a
2oo rs.
Sebolras de Franca muito grandes e novas
a i ,oo o cento e 1,2oo solas.
I Palitos do gaz a 2,2oo a grosa.
de diversas Toucinho de Lisboa muito novo a 32o rs.
libra-e 8,5oo a arroba.
Banha de porco refinada a 65o rs. a libra.
Bolachinha Alberto, as melhores que pre-
sentemenletem vindo ao mercado, a 2,ooo
a lata.
Farinhado Maranho muito alva e cheirosa
a 2oo rs. a libra.
Frascos com fructas em calda de diversas
qualidades a 2,ooo e l,5oo o frasco.
Caixmbas com fructas em doce secco de di-
versos tamanhos, muito proprias para
mimo, a l,6oo, 2,6oo e 3,5oo cada urna.
Ruibos, excellente peixe portuguez, em
barris pequeos ou aretalho, avista se
far o preco.
Azeitonas de Rivasem ancoretas grandes de
8 garrafas por 6oo e 8oo rs. a garrafa.
Azeitonas portuguezas a 5oo rs. a garrafa
l,5oo cada urna ancorela.
Champagne da melhor qualidade que vem
ao mercado, a 2,ooo e 3,5oo a garrafa, e
24,ooo e 26,000 o gigo.
Gomma de engommar muito alva a 12o rs.
a libra.
Figosem sextinhas a 8o rs, cada urna e 72o
rs. aduzia.
Papel azul para botica a 2,ooo a resma
Balaios para roupa suja, grandes e peque-
nos, por diversos precos.
Amendoas confeltadas a 6io rs. a libra.
Latas com fructas em calda: pera, pecego,
damasco, rainha Claudia e cereja, a 8oo
rs.
Vinagre de Lisboa a 2oo e 28o rs. a garra-
fa e a l,4oo e 2,ooo rs. a caada.
Azeite doce de Lisboa a 4,8oo rs. a caada
e 640 rs. a garrafa.
Vinagrebrancoj engarrafado a 5oo rs. a
garrafa.
Superiores cortes de moirs preto com barra, o qne ha de melhor gosto em
Pernambuco. ., _';
dem de gorguro preto adamascado com barra a imperatriz hogenia.
dem de gorguro de seda bordados com barra.
Superiores moirs pretos e largos 20100, 20600, 3$, 30500,40,50,60,
70 e 80 o covado.
Superior gorguro de seda preto, a melhor fazenda que ha para vestido.
Sarja preta de seda.
dem preta hespanhola.
dem idem lavrada a 20 o covado.
dem idem lavrada muito superior.
Completo sortimento de grosdenaple preto a 10500, 10800, 20,20500, 30,
30500, 4$, 40500 e 50. *
Pannos pretos de superior qualidade de 30 a 120 o covado.
Casemira preta de 10600 a 50 o covado.
Lindos chales, bournus, algeriennes e retoudes de hlo preto.
Mantas pretes de fil e los pretos. .
E muitas outras fazendas de superior qualidade na leja das Columuas
na ra do Crespo n. 13 de Antonio Correa de Vasconcelos & C. successores
de Jos Moreira Lopes.
GOMMA NOVA.
Em paneiros muito alva a 4,ooo rs. a arroba e 16o rs. libra e compran-
do de um paneiro para cima se far abatimento na ra do Imperador n. 40.
\nvldade.
A l#000.
Leques de osso, gosto moderno, pe'0 diminuto
preco de 1 : so na ra da Cadeia do Recife a. 5,
leja de mindezas de Silvestre Pereira da Caoba
& Companbia.
Farelo a 3$8O
aa ra da Imperalriz n. 6.
Chegaramos superiores
cortes de seda.
Superiores cortes de seda de cor, viodos pelo
ultimo vapor francei: na loja das columnas a ra
do Crespo n. 13, de Antonio Correia de Vascon-
cellos & C.
Agua florida e tnico orien-
tal de Kemp.
Continua-se a vender eui porcao e a retalho :
na ra do Qaeimado, loja d'aguia branca n. 8.
Chromacomo
A aguia branca, na ra do Queimado n. 8, acaba
de receber um novo sortimento de caixinhas com
chromacomo para tingir cabellos, e bem assim
frascos com hydroeallelrichina, agua para desen-
grasar os ditos, coloncomo para lustrar os ditos,
e onyebromanlina para limpar as unhas. Essa
tintara, cujo effeito rpido e efficaz, est bem co-
nhecida e apreciada para todos quantos della tem
usado, eos qoe de aovo a qunerem apreciar, po-
dem, assim como aquelles, dingir-se manidos de
dinheiro ra do Qaeimado, loja d'aguia branca
numero 8.
Ppele folias para rosas
Acabado chogar para a loja d'aguia branca, na
rna do Queimado n. 8, um bello sortimento de pa-
pel de cores para rosas, dito verde para folhas, e
dito tambera verde e mu fino par cobrtr e ra-
me, assim como folhas de panno e avelludadas
para ditas.
Aspas de baleia para vettidos
Vendem-se na ra do Qaeimado, loja d'agnia
branca n. 8.
Superiores penas d'ago ingle-
zas t francezas
A aguia branca alm do grande sortiraeato de
penas d'aco que constaatemente tem, acaba de
receber mais outro de superior qaalidade e dos
afamados fabricantes Perres & C, assim como as
verdadeiras Meo de lan?a n. 134 outras de pon-
a dourada, continuando porm a vendo-las por
precos comraodos, com tanto que ocompradorcom-
pareca munido de dinheiro: na roa do Queimado
loja da aguia branca n. 8, onde tambera acnar-se-
ha a venda pastas para papis.
A aguia branca na ra do
Queimado n. S, recebeu:
Bonitos e graudos aljofares de cores para vollas.
Pulseiras de ditos de igoaes e agradaveis cores.
Voltas pretas maiores e menores todas de com; s
grossas.
Pulceiras pretas tambem de contas.
Outras de differentes qualidades e gosto?.
Brincos de aljofares de cores e donrados.
Fivelas d'aco grandes e pequeas com cinto pre-
to e de madreperola.
Outras graudes de differentes qualidades e re-
dondas com pedras.
Bonitos leqaes de (madreperola redondos e de
outra forma.
Ditos de cndalo intericos e corredizos.
Gapellas brancas para meninas.
ATTENQO MEUS SENHORES
PARA
Fazendas baratisimas loja da roa do Crespo d. 17 de Jos Gomes
Villar.
A nova crise commercial permute qne o po*o era geral nao possa comprar farendas
caras. O proprietarlo deste establecimento, amigo qoe do povo em geral, attendendo a
essas circumslancias est vendando fazendas por precos que na realidade admira.
Correi, bom povo, a este eslabelecimento, e comprai fazenda?, porque alli se vende
por tenos do que em outra qnalqaer parle.
Cassas organdyzes a 280 rs. o covado.
Chitas francetas escuras matizadas a 260 rs. o covado.
Ollas escoras mnito floas a 140 o covado.
Utas dars dem a 240 o covado.
Dita escaras idem a 260 o covado.
Chitas para coberta muilo largas matizadas a 240 o covado.
Madapotoes tinos largos a 6*590, '$ e AJL
Cbales de fil prelo muito bons a 10j000 cada um.
Chales de merino estampados a 530, e 74.
E ontras muitas fazendas, que ludo se vender por precos que admirara.
\zeite doce refinadoem pequeas latas a S60 rs. a garrafa : no graude armazem
da Liga.
Saceos de 80,100 e 120 libras a U; 40500 e 50 ; no grande armazem da Liga.
PECffiNCHA SEM JIJA!
MadapolSo muito flno cora pequeBO toque do varia, por proco que admira : na
das columnas na roa do Ci*ejpo n. 13, de Antonio Correia de Vasconcellos & L.
as autoridades e ca^ilaes de campo a apprtheiiso
delle, e leva-lo a ra Dirata n. 30, que serio ge-
nerosamente recompensados.
llene ai
Fugio no dia 28 de abril prximo pascado o es-
cravo Joan, cabra escuno, eteravo de Antonia Fian-
cisca Cadaval Pinto, o qoal (oi comprado ao Sr.
Joaquim Felicio de Carvalho e Silva, mcrar'cr na
villa dos Tonros, Rio Grande do Norte, o dito es-
cravo tambero, lilho da oie?ma villa, e ti m o sp-
pellido que lodos o conhece por Joo Babaca, tem
os signaes seguintes : alto, secco do corpo, rara
feia, queixo flno, nariz afilado, em cima do piiio
do p tem urna costura, lem nos bracos marra de
cruz com tinta azul, j esl pintando, lem fai&i i'.
um denle na frente, costuma dizer que forro, e
muito rfgrista, coMuroa beber ; esle moliito ca-
sado e tem filhos em poder de sua senhora : ijuem
o pegar ou der nolicias na ra da Matriz da H. a-
Visla n. 28, segundo aodar, ser gratificado, pro-
testndole cnica qnem o liver rtcebido em ai
companhia.
Desappareceram ao dia 8 de maio de 1865, do
engenho Tomoaiamerim, situ na comarca de Sanio
Anto, os e?cravos seguintes: Marceliino, crioulo
tirando a fulo, iaade 25 a 30 annos, ertatura regu-
lar, seco do corpo, sem barba, perras Unas, manas
de chicle pelo lombo, levou vestido camina licu,
calca de brim branco, jauueta de brim pardo com
vivo branco, chapeo de massa aziilado, todava elle
sabe contrariar; e Feliciana, rabra, idade 16 annos,
estatura regular, teca do corpo, labios encarnados,
culis lustrosa,.km a falla um pouco arra.-uda a
maneira dos habitantes de Beztrros, levou 1 i-bales
novo, saia de alpaca de seda j usada e de quadios
verdes e encarnados, borzeguins noves, vestido de
chita em bome.-tado, eralim passam por livres para
quem nao os conhecer. lia presumpcao de ureiu
lomado para o lado de Nazartlh, e o escravo em
parentes forros e escravos de Nazareih ale Pedras
de Fogo; e foi comprado ao tenenle-corom I Ga^ao
do engenho Barra da Lagoa Sera; os e.-cravos hio
de Manuel Anlunes Coriea deQueirz Bairos, ren-
deiro do engeDlio cima: per lauto roga-?e as au-
toridades policiat s, e ans capltes de campos,.. ;r.
como aos senhores do engeonos, e proprictaricr,
bem como, com especialidade ao Sr. lenenb1 coronel
tiaiao, que sendo-lhes nossivelaapprehen.'ao, quei-
ram remllelos ao proprietario dos mesmos, m
nesta cidade ra do Imperador n. 77, segundar,
que pagara todas as despezas, assim como a quera
cenduzi-los.
Recife, 11 de maio de 18G5.
Fugio em principios do mez de fevereiro do
correte anno e consta estar acornado nesta cidado
o moleque Euzebio, escravo da viuva do Dr. Fer-
nando Affonsode Mello, de 12 annos de idade pou-
co mais oa menos, cor preta, secco do corpo? olhos
regulares e afumagados, cabeca um pouco grande
e meia chata, beigos Anos, denles bem alvos, pea
seceos e muito ladino : roga-se por lano a leda? as
autoridades policiaes e capitesde campo que o.ip-
prebendam e levem-o a ra da Mangueira sobrado
o. 6 que sero gratificados, proteslando-se usar aos
melos judiciaes contra qualquer pessoa que o icnba
em sea poder.
Aviso aos capltes de carnipo e a
polica.
2(10$ do gratifleaco por cada um.
Desappareceu em principios do mez de xiutubro
do anno prximo passado de bordo do palbabcie
nacional Arrow Malo, dous escravos de nome Ro-
berto, por appellido Macei, e Miguel; o Io de 4
annos de idade, pouco mais oa menos, crioulc, cor
fula, estatura baixa, barba serrada, um pouco tor-
io das pernas, e com alguns cabellos branco?, tan-
ta na barba como na cabeca. O 2o alto, cheio do
corpo, sem barba e falla grossa, representa ter de
25 a 30 annos ; cujos escravos desconfiase anda-
rem pelos arrabaldes desta cidade : quem os ap-
prehender queira levar a roa do Trapiche n. 4.
No dia 4 de Janeiro do anno de 1864, fugio do en-
genho Conceicao, comarca de Pc-d'Alho, o escra
vo Galdino, pertencente ao abaixo assignado, com
os signaes seguintes : idade 26 annos, pardo, claro,
coreo, figura e altara regulares, cabellos meios ca-
rapinbados, olbos pardos, sobranceras e palpebras
salientes, tem em cada braceo um sino de Salnm:,
sendo um delles mal feto, e junto a este nma cruz,
tem na cabeca urna cicatriz de orna polegada, e em
cima de nm qnarto ama Qulra cicatriz de tres po-
legadas, proveniente de ponta de pao e queda, tem
sobre as costas algumas marcas ou cicatrizos de re-
lhadas ou chicle; umfpouco desembarazado quan-
do falla, tem principio de carplna e car'reiro, toca
viola e barbado. Foi soldado do corpo do polica no
Recife, e levou comsigo a baixa do theor seguiote:
Secgao urbana, 2* companhia n. 50, Antonio Carta-
no de Oliveira, fllho de Agoslinho Ferreira de Bri-
to, naiural de ogazeira, cr parda, cabellos cara-
pinhos, olhos pardos, ofllcio nenhum, estado soltet-
ro, com 30 annos de idade, 60 polegadas de altura,
ao engajar-se. Engajou-se na fdrma do regula-
mento, em 17 de fevereiro de 1862, por offlcio do
Exm. Sr. presidente da provincia, datado de 28 de
abril do crreme, e publicado ao corpo em orden
do dia 1' de maio, tudo em 1862; teve baixa do
servco por ter dado em seu lugar o paisano Joto
Pedro Ferreira da Rocha. Foi escravo do capillo
Joo de Dos Barros, morador qoe foi na comarca
doBrejo da Madre de Dos, e hoje morador-na
Campia Grande da Parahyba do Norte, qoe o ven-
dea em das do mez de novembro de 1863 ao abai-
xo assignado, pelo costme de andar fgido e ti-
tule de forro com o nome mudado ; pelo que roga-
se a alinelo das autoridades civis e militares, nao
s desta provincia como das demais do imperio, a
1 apprehensio do dito escravo, que a titulo de forro,
1 nao*enha sido recrutado ou assentado praca en
alguns dos corpos de Volontarios da Patria, tam-
bem pede-se aos capitaes de campo e pes.soas par-
ticulares a mesraa apprehensao, e leva-lo ao sea
senhor no referido engenho ConceiQSn, ou nesta ci-
1 dade ao capitSo Mauricio Francisco de Lima ra
1 do Brom n. 56, que ser gratificado com 200,5.
1 Jos Maris dos Santos CavalcantL
ILEGTVEL


Diarlo de Peraanbue Qaarta letra if e Mal* de llift
LITTER ATURA.
uati:rloo
(Continuaco do conscripto de 1813.)
POR.
ERCKMANN CIJATRIAN
SEURDA PARTE.
( Continuaco. )
XVIH
0 sol inclnava-se cada vez raais para de-
va ao p. A aldeia, com os seus pequeos
teclos de colmo e mais longe o seu campa-
nario de lous3, erguia-se cima das searas.
Um hassaro a cavallo, de sentinella no meio
do caminho, tinlia o bacamarle pousado so-
bre a coxa.
E' tudo o que se va.
Esperei ah moito tempo, pensando, esca-
tando e caminbando. Tudo dorma, e a li-
nlia branca do co ia-se alargando.
Havia boa meia hora que isto durara. A
luz matinal acinzentava ao longe o paiz;
Haz dos trigos: alguns destacamentos iam
buscar lenha aldeia e tambem traziam ce-!"08'0D tres eodornizes chamavam-se eres-
bolas, albos, sal e mesmo grandes pedacos Vy^am urnas as outras em distancia. Eu
de vacca depeodurados em varas alravessa-. lmna Parado ,chei de melancola, porque
das sobre os hombros. i ou!Iado auelles canlos ''nbam-rae idea
De redor das fogueiras, quando as panel-1 s Cuatro Ventos, e Danne e as Barracas do
las comecavam a ferver e o fumo redemoi- bos1ae de carvalhos; e dizia commigo: L,
nhava para o co, que era para ver o as- nos nossos lr,?os> as codornizes tambem
bermos tinhamos vindo de alguma maneira
para o seu livramento. No paiz ninguem
sabia de nada, o que bem mostra a finara
do imperador, porque nesse canto do Sam-
bre e do Mease eramos j mais de mil bo-
rneas, sem que livesse chegado a mais leve
noticia aoinimigo. A trnico deBourmont
impediu-nos de os sorprehender dispersos
nos seus acampamentos. Todo (icaria feito
de urna vez s ; mas assim era muito mais
diflicil extermina-los.
Continuamos a marchar toda a tarde,
por om grande calor, no p dos caminhos.
h
ses, os nossos proprios e os da humanidade,
reconhecendo o progresso moral, qae o im-
perio tem feito nestes ltimos quinze annos,
acorocoando-o a perseverar na mesan car-
reira, tratanto-e com bondade e respeito, e
cultivando com elle relacoes amigaveis, em
vez de hostis ; sobretudo deixando de inter-
vir nos seus negocios intereos.
Deixa-lo socegado, entrega-lo aos seus
proprios recursos e responsabihdade, essa
a verdadeira poltica da Inglaterra.
Accrescentaremos anda qae este folheto
produziu o melhor effelo na Inglaterra, on-
i>i
mesmo jornal, funda-se toda as associa-
coes, cojos delegados osaram da pala?ra em
Francfort.
>!
pecio alegre de lodos: um fallava de Lut-
zen, outro de Austerlitz, outro de Wagram,
de lena, de Friedland, da Hespanha. de
Portugal, de todas as trras do mundo. To-
dos fallavam ao mesmo tempo, mas nao se
dava allenco seno aos soldados velhos, que
linham os bracos cobertos de divisas de ser-
vico, que fallavam melhor e que mostravam
cantam na ourela do bosque da Bonne-Fon-
taine.
Catharina estar a dormir ? E a tia Gre-
del, e o Sr. Goulden, e toda a cdade ? A-
gora renderam-nos as guardas nacionaes de
ancy!
E eu va as sentinellas dos paies e os
corpos de guarda das duas portas. Emfim
as psices na trra com o dedo, explicando acudiam-me ideas sem numero quando ao
os mov montos das tropas u'esta ou n'aquel- lon8e.8? ouyio o galope de um cavallo. Ao
Quanto mais avancayamos, mais regimentos de a discussao na imprensa assumiu depois
de cavallena e de infantera vamos diante delle carcter muito mais imparcial e por
de nos, E cada vez se amontoavam mais, consequencia mais justo a nosso respeito.
porque atraz de nos anda havia outros. | Tanto verdade que o que mais nos pre-
delas cinco hora ebegamos a lima aldeia judica na Europa a ignorancia das nossas
onde os batdhoes e os esquadres desfila- cousas, e o pouco que se faz para esclarecer
vam por urna ponte de lijlos. Atravessan- a opinio publica sobre tudo quando nos
Quem os ouvia julgava assistir
la batalha.
a tudo.
Cada um tinha a sua colher de esta-
nto mettida nss casas da farda e dizia com-
sigo:
O caldo vae bem ; a carne gorda e
excellente.
Tinha vindo a noite. Depois da distri-
buirs do rancho, houve ordem para apa-
gar as fogueiras e nao tocar a recollier o que
significava que o inimigo nao estava lon-
ge, e que nao se quera que fosse alvoro-
i;ado.
Comecava a fazer luar; Buche e eu co-
mamos da mesma tigella, e quando acaba-
mos de comer, estove mais de duas horas a
conlar-me a sua vida no Harberg, a sua gran-
de miseria quando tinha de puxar por cinco
ou seis esteres de lenha sobre urna carrosa,
em risco de ser esmagado principalmente no
tempo de derreterem as neves. A existen-
cia dos soldados, o bom rancho, o bom pao,
a rcao regular, o fardamento bem quente,
as camisas fortes de panno grosso, tudo isso
Ihe pareca admiravel. Nunca tinha imagi-
nado que se podesse vi ver to bem, e o que
llie dava mais cuidado era a maneira de fa-
zer saber aos seus dous irraos qual era a
sua posico, para os resolver a assentar pra-
ca logo que chegassem idade.
Sim, dizia-lhe eu, tudo isso assim ;
mas os Russos, os Inglezes e Prussianos, sa-
bes o que sao ?
E' cousa que nao me d cuidado, res-
ponda elle ; o meu sabr corta como um
trinchete, c a mnha baioneta p ca como urna
agulha. Elles que devem ter medo de me
enconirar.
Eramos os melhores amibos do mundo;
qucria-lhe quasi tanto como aos meus anti-
gos camaradas Klpfel, Furst e Zebedeu.
Eile tambem me tinha affeico ; e parece-
me que se deixaria fazer em pedacos para
me tirar de algum aperto.
Os velhos camaradas do cama nunca es-
quecem.
No meu tempo o velho Harwig, que co-
nbeci mais tarde em Plialsburgo, anda re-
cebia urna peoso do seu antgo camarada
Bernardoile, rei da Suecia. Se eu viesse a
ser re, tambem havia de dar urna penso a
Joo Buche, porque se nao era homem de
altos espiritos, tinha um bom corceo, que
ainda vale mais.
Emquanto estavamos a conversar Zebedeu
vcio bater-me no hombro :
Tu nao fumas, Jos ?
Nao tenho tabaco.
E deu-me logo metade de um maco.
Vi que continuava a ser meu amigo ape-
sar da dillerenca das graduaces, e isso com-
moveu-me. Elle n5o cabia em si de contente
pensando em irmos arremeter contra os
prussianos.
Que desforra! dizia elle. Nao se
da quartel a ninguem. Ho de pagar tu-
do o que fizeram desde Katzbach al Sois-
sons.
E dizia aquillo como se os prussianos e os
inglezes tivessem as mos atadas, e nos nao
corressemos o risco de levar com balas e
metralha como em Lutzen, em Gros-Bereo,
em Leipzig, em toda a parte. Mas que se
ha-de dizer a um homem que nao se lembra
do que j passou e v tudo cor de rosa ?
Eu fumava socegadamente no meu cachimbo
e responda:
E' verdade f... vamos dar urna boa li-
co a esses patifes!... ha-de custar-lhes ca-
ra ; podem contar comnosco.
Eu tinha deixado Joo Buche encher o ca-
chimbo, e como estavamos de guarda, Ze-
bedeu, s nove horas, foi render as primei-
i as sentinellas frente do piquete. Sahi do
nosso rancho, e fui estender-me, a alguns
passos retaguarda, com a cabeca sobre a
mochila, beira de um reg. O tempo es-
tava to quente que ainda muito depois do
sol se ouvia o canto da cigarra; brilhavam
no co algumas estrellas, e nem a mais leve
viraco corranos campos; as espigas esta-
vam iinmoveis, e ao longe os relogios das
aldeas deram nove, dez e onze horas. Por
fim adormec. Era a noite de 14 para 15 de
junho de 1815.
Das duas para as tres da raanha, abanou-
me Zebedeu.
A p, dizia elle, toca a marchar!
Buche tambem se tinha ido estender ao
p de mim. Levantamo-nos. Era a nossa
vez de render as sentoellas. Ainda era noi-
te, mas o dia eslendia j urna linha branea
pela orla do co, ao comprido dos trigos.
A trila passos de distancia, o lente Bre-
tonvlle esperava-nos no meio do piquete.
E' duro levantar-se a gente quando est a
dormir regaladamente depois de urna mar-
cha de dez horas. A duzr ntos passos rendi
a vedeta que estava detronte de Roly. A se-
nta era:Jemmapes e Fleurus.Lembra-
me agora isto. Como as cousas dormem na
nossa mente por annos e annos! Esta se-
nta nunca mais me tinha lembrado desde
1815.
Parece-me que estou a ver o piquete que
se mette no caminho cavado, emquanto eu
examino a minha pederneira luz das es-
trellas, e ouco ao longe as outras sentinellas
que se movem vagarosamente de om para
outro lado, e os passos do piquete que se
afastam para o interior da collina.
Puz-me a marchar tambem com a arca-
no braco ao comprido da sebe que me am
principie olhei sem ver nada. Esse galope,
ao cabo de alguns minutos, entrou na aldeia;
depois voltou o silencio, ouvindo-se apenas
um rumor confuso..
Que significava aquillo ? Um instanto de-
pois, o cavalleiro sabio de Roly pelo nosso
caminho, a todo o galope. Avancei para a
beira da sebe, com a arma preparada, gri-
tando :
Quem viva?
Franca I
Que regiment ?
O doze de capadores... postilho.
Passe.
Continuou a correr com dobrada veloci-
dade. Ouvi que parava no meio do nosso
acampamento e gritava :
O commandante ?
Trepei um pouco encosta da collina pa-
ra ver o que se passava. Houve um gran-
de movimento ; os officiaes ajuntaram-se ;
o i acador sempre a cavallo, fallava ao com-
mandante Gemeau; tambem iam chegando
soldados. Eu escuta va, mas estava muito
longe. O cacador relirou-se subindo a en-
costa. Tudo pareca revolto; tudo eram
gritos e movimenlos.
De repente comecou a tocar alvorada.
O piquete que rendia as sentinellas dobrava
o aagulo do caminho. Zebedeu de longe
pareceu-me paludo,
Olha aqui disse-me elle quando pas-
sava.
Duas sentinellas esta vam mais adiante,
esquerda. Nao se falla quando se est em
sevico, mas Zebedeu disse-me em voz baixo:
Jos, estamos trahidos. Bourmont,
o general da divisode vanguarda, com mais
cinco brigadas, passou para o inimigo.
Tremia-lhe a voz. O sangue parece que
se megelou, e olhando para (s outros do
piquete, vi que Ihes tremiam os -bigodes
grisalhos; olbavam para todos os lados com
olhos terriveis, como se procurassem alguem
que podessem matar, mas nao diziam nada.
Apertamos o passo para render s outras
duas sentinellas. Alguns minutos depois,
entrando no acampamento, adiamos o bata-
Iho j em armas, prompto para partir. O
furor e a indignacao estavam em todos os
semblantes. Os tambores locavam. En-
tramos as nossas fileiras. O commandan-
te e o capitao-ajudante. a cavallo, frente
do batalho, esperavam, amarellos como de-
funtos. Lembra-me que o commandante,
tirando de repente a espada para fazer cessar
o rufo, quiz dizer alguma cousa ; mas as
ideas baralhavam-se, e como doodo poz-se
a grilar:
Ah canalba I misera veis c5cs !..
Viva o imperador f Nao se d quartel a nin-
guem.
E gaguejou mais alguma cousa que nao
se percebeu nem elle saberia explicar; mas
todo o batalho acbava que elle fallava bem,
e todos juntos uivaram como lobos :
Para a frente!.. ao inimigo !.. quar-
tel a ninguem 1
Atravessou-se a aldeia a marche-marche.
O mais fraco soldado irritava-se por ainda
nao ver prussianos. S ao cabo de urna lib-
ra, depois de cada um ter feito as suas re-
flexes, que cada um comecou outra vez
a praguejar, a gritar, primeiro baixo, de
\>uu mais alto, de maneira que no fim o ba-
talho pareca um bando de revoltosos. Uns
diziam que era preciso dar cabo de todos os
officiaes de Luiz XVIII, outros que queriam
entregar-nos lodos, e al muitos grita vam
que os marechaes eram traidores, que de-
viam passar por um conselho de guerra pa-
ra serem fuzilados, e outras cousas no mes-
mo gsto.
Ento e commandante mandou fazer alto,
e passando diante de nos gritava :Que os
traidores tinham partido muito tarde : que
iamos atacar nesse mesmo dia, e que o ini-
migo nao teria tempo para tirar pn veito da
traico ; quefseria acommettido de improviso
e desbaratado.
Essas "palavras socegaram o furor de mui-
tos. Tudo se poz outra vez em marcha, e
todos repetiam que a entrega tinha sido
eiecutada mais tarde.
do essa aldeia, que a nossa vangarda tinha
tomado, vimos alguns prussianos estendidos
direita e esqrerda nos bcos. Eu disse a
Joo Buche:
Olha, sao prussianos. E' do que eu
vi mais em Lutzen, e Leipzig, e tu tambem
os vaes ver, Jlo !
Melhor / disse elle, o que eu
quero t
A aldeia que atravessavamos chamava-se
Chatelet; o rio era o Sambre; agua ama-
relia, cheia de barro, e profunda; os que
por desgraca l cahem, s com muito custo
podem sahir, porqne as margens sao a pi-
que. Reconhecemos isso mais tarde.
Do outro lado da ponte, acampamos ao
comprido do rio, Nos nao eramos bem a
vanguarda, porque tinham passado hussares
antes de nos; mas eramos a priraeira in-
fantera do corpo de Gerard.
Em todo o resto desse dia, o quarto cor-
po passou sobre a ponte, e soubemos nou-
te que o exercito tinha passado o Sambre.
e que tinha havido combate perto de Char-
leroi, em Marchiennes e Jumet.
(Continuar-se-ha).
toca.
DI POUCO DETUDB.
L-se no Jornal do Commercio, de P or-
to-Alegre o seguinte:
Existe no municipio de Passo-Fundo urna
familia, que ao menos na produeco lembra
os felizes e passados tempos dos patriar-
chas.
Conta essa familia nada menos de 134 in-
dividuos, que se distribuem da seguinte ma-
neira, oriundos de Joo Goncalves Martins e
Bernarda Maria da Silva.
Filhos......... 6
Netos.......... 65
Bisnetos........ 61
Tataranetos..... 2
Total,
134
As cartas do Hait do noticia de um gran*
de incendio, que destruiu um dos melhores
bairros do Porto Principe, no dia 28 de
fevereiro.
O fogo manfeslou-se no thealro estabele-
cido na ra Bonnefoi, onde devia haver um
baile de mascaras. Depois de terem devo-
rado o theatro, as chammas communicaram-
se rpidamente aos edificios prximos, im-
pellidas pelo vento do nordeste.
Por espaco de dez horas, de-de as sete
da tarde ate s cinco horas da mauha, o in-
cendio conservou-se na sua maior violencia.
A cidade baixa, e o chamado bairro do com-
mercio, estiveram ameacados de ficar com-
pletamente destruidos, porque o vento im-
pellia as chammas n'aquella direceo, e nao
se podem calcular as proporces do des-
astre, se o vento nao tivesse mudado para
oeste.
N'esta occasio o fogo tomou outra direc-
to, e alcanca a cidade alta, onde os arma-
zens de lquidos espirituosos deram novo ali-
mento ao incendio. Para maior infelicida-
de, as bombas deixaram por muito tempo
de funecionar, por falta d'agua
Aproveitando a confuso e o pnico' que
se espalhoa na populaco, ou malfeitores e
ladres percorreram as ras da cidade, e
praticaram muitos roubos.
As perdas sao consideraveis; calculam-se
em vinte milhes. Tresentas e cincoenla
a quatrocentas casas ficaram reduzidas a
cinzas.
car pallia n'aqoelle paiz, e muitas vezes os
mais bellos chapus, os mais finos, os de te-
cido mais regular adornam a cabeca das al-
deas qne os fizeram, e que por preco algum
ceder iam a sua obra.
PJepois do entrancado, a operaco de co- u'VSaS'S^S Vfm^T^B^
zer o chapen mui d.fficil e trabaihosa. d0 fa"ec'd Mathieu (de la Drome)
E' misler que o chapu pareca ser feito
de urna s peca, para o que se requer
muito cuidado, e infinita paciencia e des-
treza.
Fabricam-se cada anno em Florenca perto
de 530,000 chapus de palha.
Certas localidades, Empoli, por exemplo,
empregam n'estes trabalhos 4,000 mulhe-
res; Sesto, perto de 2,000 mulheres.
Le-se no Jornal do Commercio de Lisboa
o seguinte :
As correspondencias de Berlin, trazem
alguns pormenores da reunio que leve lu- r
gar em Francfort, debaixo dos auspicios da tfSLPSSJS s,mP,eraente T
mmmittdn rhimiiu *. .n,, ,J< t5o> ^hou o documento que cspiicava este
A proposito das predieces atmosphericas
fallecido Matbieu (de la Drome) e dos
seus collegas que Ihe sobrevivem, urna cor-
respondencia parisiense diz que o systema
de Ma hieu era idntico ao do marechal
Bugeaud.
Todava entre os dous melliodos havia
urna diferenca consideravel; e, efectivamen-
te, o systema de Mathiea (de la Drome) tem
principalmente por fim prognoslicar a lon-
go prazo, as chuvas, os ventos e os tmpo-
ra es.
O do marechal Bugeaud consista nica-
mente em observar os primeiros das da
ua, para saber como o tempo se regulara
durante toda a la.
Foi em Hespanha que, fotbeando velhos
raanuscriptos n'uma bibliotbeca.o marechal
J nao mu desenvolvimento.
Acaba de ter lugar, sob os auspicios de
Mr. Gladstone, e encerramento da expsi-
to industrial e artstica das classes opera-
ras do norte de Londres, aberta ha tres se-
manas em Agriculture Hall, Islington.
O primeiro ensaio d'este genero foi feito
ha alguns mezes no bairro de Lambeth, ao
sul de Londres.
O bom xito obtido levou os habitantes
do norte a organisar outra exposicao simi-
Ihante, e tudo faz presumir que o seu exem-
plo ser dentro em pouco seguido pelos ha-
bitantes de leste da metropole
O que distingue esta xposico das ex-
posices ordinarias, que se torna indispen-
savel ser operario, empregado, trabalhador
ou criado de servir para poder ahi figurar ;
o titulo de grande industrial, que geral-
mente urna patente de adopejo, aqu, pelo
contrario, considerado como um motivu
d'excluso.
Portanto, procurar-se-iam debalde, nesta
exposifo, grandes machinas ou elegantes
repartimentos envidracados: os objeclos ex-
postos sao pela maior parte resultado da
industria de trabalhadores durante as suas
pouca* horas de descanco, e as mais das
vezes deve-se attender mais s boas inten-
Ces e ao tempo consumido do que ao m-
rito da execugo.
O que n'esta collecco se torna mais cu-
rioso e digno de reparo, que muitos ex-
positores empenharam-se em produzir cou-
sas inteiramente alheias sua propria in-
dustria, aquelles que teem oceupaces se-
dentarias parecendo andar em busca de tra-
balhos activos durante as suas horas de re-
crek), e vice-versa.
Assim, por exemplo. notou-se, entre ou-
tros, um novo modelo de barco a vapor, in-
ventado por um sapateiro; um fogo eco-
nmico, por um pintor ; u calculador de-
cimal, por um cortador; um tunnel com
curvas, por um alfaiate; um systema de
communcaco entre os passageiros e o
conductor (le um trem do caminho de fer
No palacio de Windsor houve no dia 17
do corrente urna festa de enancas em honra
do anniversario natalicio da princeza Bea-
triz, que completou n'esse dia nove an-
nos.
Foram convidadas 27 criancas pertencen-
tes aos officiaes da casa real, e houve um
grande jantar, presidido pela rainha na sala
branca.
No dia 18, o rei da Blgica retirou-se do
palacio de Windsor.
Quando chegou estaco do caminho de
ferro, o Ilustre viajante despediu-se affec-
tuosamente da rainha e seguiu viagem n'um
comboio especial.
Em Douvres foi saa mageslade recebido
pelas autoridades da cidade e acompanhado
por urna guarda de honra at ao palacio de
lord Warden, onde passou a noute.
commisso chamaha dos trinta c seis, entre
os depulados prussianos, e os delegados das
associacoes do Schlewig-Hollein.
A Gazeta Nacional publica pormenores
complementares, que a gravidade da
que^to torna interessantes. A reunio em
Francfort era composta de 12 membros da
commisso permanente, de 12 membros da
commisso dos depulados do Prussia, dele-
gados pela opposco, e de 12 representan-
tes das associacoes do Schleswig-Holstein.
Estes ltimos foram os primeiros que toma-
rama palavra para expora situaco do seu
paiz. as opinioes que alli prevalecem, e o es-
tado dos partidos. Pela sua parte, os de-
pulados prussianos e os membros da com-
misso dos trinta e seis fizeram conhecer a
opinio que prevalece nos seus respectivos
paizes.
Tendo estas explicaces reciprocas mos-
trado que existem grandes divergencias na
questo dos ducados, os delegados do Sch-
leswig-Holstein declararam que estavam
promptos a fazer todas as concesses com-
pativeis cora a honra e independencia do seu
paiz, e a formular om termos precisos as ba-
ses em que seria possivel aos ducados en-
trar em accordo com a Prussia.
Tendo sido aceito este offerecimento, for-
mularam entre si, em commisso secr ta e
redigirara o segundo documento :
1." Os ducados do Sclewsig-Holsten
possuem o direito inatacavel de se consti-
tuirem em estado independentc e indivisivel
com o direito hereditario da linha masculina,
isto tendo o duque Frederico VIH, como
soberano, e com o direito de regular urna
maneira independente todos os negocios in-
ternos, como qualquer outro estado federal,
2. Ne possivel dispor, segundo o
direito, da sorte dos ducados, seno com o
assentimento do povo de Schleswig-Holstein
ou da sua representaco, convocada nos ter-
mos da constitu cao de 1848. Ha motivo
para por termo, to promptamente quanto
seja possivel, ao estado jw.ivisorio, incom-
patvel cornos interesses e com o direito do
paiz.
3. A esphera do direito dos ducados
Mas o que mudou a nossa colera em al -
gria foi que, pel.is dez horas, ouvimos de re-
pente o canho rugir esquerda, a cinco ou
seis leguas de distancia, do outro lado do
Sambre. Todos os soldados levantaramento
ao ar as barretinas, as pontas das baionetas
gritando:
= A vante Viva o imperador !
Muitos velhos choravam enternecidos.
Em toda aquella grande planicie era tudo
um gr to i inmenso ; quando acaba va em
de Oampierre.
ro, por um fabricante de escovas de den-i Giralda, 13,500, comprado por M. Char-
tes; um barco salva-vidas, por um p^a-'|es.
cartazes; urna nova machina photographica, Puebla II, 10,000, comprado por M. Des-
por um tanoeiro; e finalmente urna pndula vgnes
com despertador, que depois de se Ihe dar
corda e chegando a hora em que deve fune-
cionar, comeca por tocar urna harmoniosa
symphonia, accende urna alampada, Ilumina; francos e 50 c. por cavallo.
o mostrador, e faz aquecer o almoco, inven-
co muito engenhosa devida ao operarlo de
urna fabrica d'escumilhas.
est limitada pelo bem e interesse da Alle-
manha ; oeste o motivo porque os mem-
bros da commisso permanente protestam
enrgicamente contra a aecusaco de um
pretendido particularismo. Esto, pelo con-
trario, convencidos de que o doque e a re-
presentaco do paiz esto promptos a favor
da Allemanha,e como esta nx> possue h"
norte outro representante, to poderoso, dos
seus interes:es,faro a Prussia, as neces-
sarias conce soes para a seguranca da Alle-
manha, e para o seu bem estar material.
O projecto de accordo enumera depois,
nos seguidles termas, as instituices, em
que poderia haver motivo para se entender
com a Prussia, isto as concesses que os
ducados consentiran em fazer.
l.9 A formaco, instruecaoearmamen-
to, uniforme do exercito Schiesvrigo-holstai-
noscom o exerciio prussiano, admittindo
mesmo urna i specc3oeffectiva por parte da
Prussia.; o direito para a Prussia de dispor
das forcas militares do Schleswig-Holstein
em lempo de guerra ; a creaco pela Prus-
sia nos ducados, das fortalezas e portos de
guerra fortificados, etc., que forem neces-
arias para a. segurarla das fronteiras alle-
raas.
O direito da Prussia dispor dos ho-
rneas proprios para o servio do mar dos
ducados, segundo as leisexistentes, ea pres-
taco de urna somma pecuniaria proporcio-
nal da parte dos ducados para a manuten-
cao da marinba prussiana al a de urna
creaco da esquadra allema.
3. Entrada do Scheleswig na confede-
raco germnica, e dos ducados no Zollve-
rein, e concesso Prussia dos direito^ ne-
cessarios para a construeco e exploracO'
de um canal do mar do Norte al o Bltico.
i Por outro lado a commisso permanea-
te considera como absolutamente incompa-
tivel com a independencia dos ducados.
1. Que a tropa dos ducados preslem
juramento de bandeira ae rei da Prussia :
2. Que a Prussia levante soldados
para o seu exercito de trra, eque a orga-
nisacao, legislaco e jurisdiccao, militar da
Prussia sejam applicadas aos ducados, sem
que os poderes pblicos deste toraem par-
te ;
f 3. Que o servico das alfamlegas, dos
correios e dos telegraphos nao seja adminis-
1 trado pelas autoridades do paiz.
Os depulados prussianos reconheceram
que estas .bases de toluco eram aceita veis
L-se no Commercio do Porto o seguinte: i Por Parte da Prussia ; que a Prussia nao
Os cha: us de palha dTtalia, que em to-, tinha direito de exigir concesses mais con-
dos os paizes sao to cubicados pelo bello sideraveis, e obrigaram-se a sustentar este
ltimamente teve lugar em Pars um lei-
lo de cavallos, cujo producto total attingiu
urna somma fabulosa.
Eis a noticia que d'elle d um jornal es-
trangeiro :
Sabbado, 8, effectoou-se em hasta publica
a venda de 37 cavallos de carreira, pur
sang que faziam parte das cavallarigas do
duque de Morny.
Os principaes criadores de Franca e quasi
todos os turfisles do continente se achavam
presentes n'esta venda, podendo-se dizer
que assisiam a ella todas as illustracoes do
sport e do grande mundo.
O lote dos potros de tres annos era mag-
nifico.
Os dos potros de menos de tres annos
eram menos nota veis; comtudo Sioulet, um
d'elles, um cavallo magnifico.
Os leos subiam com incrivel ardor.
Eis as cifras mais elevadas que alguns at-
tingram :
Lelio, 50,000 francos, comprado pelo con-
de Echendroff.
Plulus, 41,000. comprado por M. Char-
les Laffitte.
Templier, 38,500, comprado por M. A.
Desvignes.
Bayard, 26,500, comprado por M. Lu-
nel.
Le Souilet, 18,500, comprado por M.
Lupin.
Ouaker, 17,000, comprado pelo mesmo.
Monitor, 15,200, comprado pelo viscon-
que espncav
systema de prediego.
Causou-lhe impresso o grande numero
de observaces que tinbam servido de base
a esta regra. Essas observaces abraegiam
um espaco de cincoenla annos, ou perto de
seiscenias las.
O marechal prometteu verificar esta le, e,
depois de repetidas observaces, depositou
plena coofianca na sua descolarla.
Tanto em exploraces agrcolas, como em
estrategia, seguia sempre esta regra, qae
elle preconisava com urna f inabalavel.
Eis aqui a explicado d'esta regra.
O lempo regula onze vezes em doze, du-
rante a la, pelo temp > que fez no quinto
dia d'essa la se, no sexto dia, o tempo re-
gula pelo do quinto.
O tenido regula nove vezes em doze pe-
lo do quarto dia se o sexto igual ao quar-
to. E portanto o sexto dia que serve de
regra para o prognostico.
Um agricultor distincto, G. de Gooiock,
que tem fe to numerosas observaces- sobre
este importante objecto, achou que a regra
do marechal Rogeaud verificava-se oito ve-
ves em dez.
A predieco do tempo nao poj- urna
chimera, e Matbieu (de la Drome) prestou
um grande servico chamando a attenco'do
mundo scientfico sobre a meteorologa.
-----------mi j ii ijfrr ii
O celebre casamenteiro francez, Mr. Faj"
a quem devem a ventura ou a desventura
mais de dez mil maridos e oulras tantas ca~
ras melades, est em vesperas de retirar-se
do commercio com urna fortuna colossal.
Pelo traspasso da sua agencia pede a ba-
gate.lla de 400 contos de reis f...
Conta-se a seguinte anedocta a respeito do
Sr, Foy:
Um dos redactores do Figar, Mr. Mon-
selet, recebeu ha tempos um cartel de desa-
fio, assignado por Mr. Foy, o qual tinha al-
guns resentimentos contra aquelle escrip-
lor.
O cartel continha apenas estas iBuas per-
gnntas :
A que hora ? Os seus padrinbos como
se chamam ?
Ao qual respondeu Mr. Monselet com a
maior conciso:
Nao brinque coramigo; eu noq.uero
casar-me !
O total das sommas obtidas pelos 37 ca-
vallos eleva-se a 337,950 francos.......
(60:83I?S000 rs.,) ou, termo medio, 50,000
Nunca a precos to elevados chegaram os
cavallos em Franca.
L-se no Jornal do Commercio o seguinte:
Publicou-seera Londres, debaixo do titu-
lo The Relations of ihe brilishand brazilian\seio, d'o lugar na Toscana a um movimen-! programma em Berln.
governments, um f lheto que nao deve pas-' to industrial, cujo algarismo os documentos Os membros do conselho dos trinta e seis
um regiment comecavaem outro. O canho sar desapercebido, tanto mais que o seu! officiaes avaliam em cerca de duzentos con- j Pe'a sua Parte proclamam que a Prussia fal-
trovejava sempre e alargava-mos o passo; autor, quem quer que elle seja, pois que'tos de ris. taria aos seus de veres de potencia allemi se
e havia sete horas que marchavamos com desinteressadamente nao quiz nomear-se, O solo toscano o nico que na Italia! recusasse tratar sobre aquellas bases, que
direceo a Charleroi quando chegou um cor- adquiriu um titulo a gratido brasilera. jproduz a palha de urna finura sufficiente e, satisfaz! m co pletamente tanto os seus
reio com ordem para obliquar sobre a di- O fim desta obra promover o eslabele-' como se requer para os chapus; e mesmo interesses como os interesse. dos ducados,
reila. cimento de boas relacoes permanentes en-' na Toscana, s os arredores de Florenca Eis aqui pois a questo dos ducados re-
Tambem me lembra que em todas as al- tre o Brasil e a Inglaterra, sobre a base de' que produzem essa materia de urna qualida- guiada sem a ingerencia do governo prus-
deas poroodepassavamos, homens, mulhe- nao ioterveoco desta nos nossos negocios! de superior. siano, esem que se revellasse nella a diplo-
res e creancas, s janellas e s portas, er-
guiam as mos com ar alegre e grita vam :
Sao francezes I... sao franceies.
internos. As experiencias feitas pelos agricultores macla ; por meio de um congresso improvi
Para isto remonta o autor origem de to- das Marcas, das Romanhas e do reino de ^ Q0 todava contm representantes
das as no sas qaestoescom o governo inglez,. aples jamis conseguiram completamente reaes de todos os interesses que esto nella
Bem se via que essa gente nos quera. e mostra como a razao tem estado do nosso o fim desojado. envolvidos.
bem, que era do mesmo sangue que nos, e lado. Esta palha provm do trigo de urna quali- A Allemanha, sema commisso dos trin-
mesmo em duas vezes que fizemos alto, vi- A concluso que tira da sua xposico dade particular, cujas hastes tem apenas a ta eseis, nao tem representaco, porque
nham a nos, com o seu bom pao caseiro, a seguinte: altura e 35 i 40 centmetros, e cujos graos, ninguem dir, escreve um jornal, que a
com a faca mettida na codea, e com os seus | O Brasil pode nao ser, e mesmo nao pouco numerosos, servem nicamente para confederaco germnica representa o povo
grandes cantaros de cerveja preta, e de tudo o que poderiamos desojar que elle fosse; reproduzr essa planta. allema.
aos davam sem pedirem nada. Sem o sa-' mas melhor promoveramos os seas inters-', Todas as mulheres do povo sabem entran-1 A vida poltica dos ducados, continua o
Segundo lemos n'um jornal hespanholv o
celebre mgico e magnetisador CagJios(r9
est reunindo urna magnifica collecco de
armas celebres e outras curiosidades,, que,
semduvida, ho de chamar a a attengo
de todos os amadores.
Entre as armas figuram a lanca com. que
Joab atravessou o corpo de Absalo-;. a da
Longuiuho; a de Sal;: a. espada desmu-
eles;: a de Alexandre Magno, que es.uheia
defrrugem desde quecortou o n gordio;
a espada com que Cato abri as propria
entranhas, vendo a repblica ir-se pelaiagua
abaixo; a de Achules ; as dos celebres Ar-
gonautas; a flecha quu-disparou Guilhermc
Te ; a estaca era que OEdipo einbalou a
seapaeLaio; todas a espadas de Bit Qaii-
cliote e dos demais cawalheiros que aqdavam
vadeando por ahi; as de alguns l-enoes de
novella, como Han de blanda, Pelte' Azul,
e mosqueteiros, etc. ;a do Deus Marte e
outros esforcados guerreiros do Olympo,
qjie se salvaram do nmfragio dos tempos;
a espada cora que S> Pedro cortou a.orellia
a um dos que prenderam Jesus-Caristo; i
massa de Hercules
Tembem incluc u'esta cathegoria-ou^es-
grupo do seu museu: a funda a pedra
com que David ferio o gigante Golias; a
quexada de que se servio Sanso para ma-
tar os seus inimigos philisteus; o alfinee
cora que picava as moscas nos .'us momen-
tos de ocio o imperador Diocleciano ; o pu-
nhal do godo:- a espada de Bernardo.; a
carabina de Ambrozio e o spado de Loja.
Entre os variados objectos,. figurara em
primeira linha, por sua antigoidade e impor-
tancia, os seguidles : o cavallo que o& gre-
cos inlroduziram em Troya, em cujo ventre
colossal estavam aquartelados dez mil solda-
dos com races para um anuo; a tyra de
Nfiro ; o flautim do Deus-Pao ;. a rebeca de
Orpheo ; a harpa de Davd ; a pipa de Dio-
genes ; as lagrimas de Heraclito ; o frango
que puzeram sobre a mesa de Plaljo os seus
discipulos, perfeitamente dissecado; urna
tranca dos cabellos do Cleopatra ; o acoite
com que foi fustigado Salustio ; a baca em
que Poncio Pilatos lav >u as maos ; a alavae-
ca de Archimedes as photographias do
valle de Josaphat, da rrupco dos barbaros,
da torre de Rabel, e o momento em que,
com a confuso das linguas, ninguem se en-
tenda : do diluvio universal eda arca de
No ; das cidades de Sodoma e Gomorra;
a sinet i do general Gutierr z e a bengala
do general de la Vega.
A Naeo publica o seguinte :
A populaco das cidades dos.K&iados-
Unidosem ISbOeraa seguinte :
Nova-York, 805,000.
Philadelphia, 562,000.
Boston, 177,800.
Ballimore, 212/ 00.
Cincunnati, 161,000.
Saint Luis, 160,700.
New-Orleaus, 168,600,
Chicago, 109,210.
Buffallo, 81,000.'
Louisville 68,000.
PER.NAMBCCO.-TYP. DE M. t D F. & NLiiO
;
<


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EQA43L76C_0DNWHH INGEST_TIME 2013-08-27T23:29:16Z PACKAGE AA00011611_10670
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES