Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:10665


This item is only available as the following downloads:


Full Text
u
44-
AWPIUHMERO IOS,
Pw qwrtel ptgMeutr* del!) lias 4t.. mez \ :
dem deitis das 1.a* 10 dius do couecoe deutro do quartel. .
Porte aocorreio por tres eres ,,,.,.,.,,,
51000
6$000
730
.
QUINTA FE1RA 11 DE MAJO DE 1865.
Por anuo pago dentro de i O dial dol.mcz,,,.,.. 191090
Porte at eorreio par bu aaaa ........,.,.,, 3J00

*-
ENCARRE6AD0S DA SUBSCRIBO DO NORTE
Parahyba, o Sr. Antonio Alejandrino de Lima;
Natal, o Sr. Antonio Marques da Silva; Aracaty, o
Sr. A. de Lentos Braga; Cear, o Sr. J. Jo9 de
Oliveira; Maranhao, o Sr. Joaquim Marques Ro-
drigues ; Para, os Srs. Geraldo Antonio Alves 4
Filhos; Amazonas, o Sr. Jeronymo da Costa.
ENCARREGADOS DA SUBSCRIPCAO. DO SUL.
Alagoas, o Sr. Clandino Falco Oas; Baha, o
Sr. Jos Martin* Alves; Rio de Janeiro, o Sr. Jos
Ribeiro Gasparinho.
PARTIDA DOS ESTAFETAS.
Oflfeda, Cabo, Escada e eslacoes da via frrea at
k"oa Preta, todos os dias. .
'ass Goyanna nassegundas e sextasfeiras.
".nlSo, Grvala, Bezerros, Bonito, Caruar,
, Garaohuns, Buique, S. Bento, Boni
___,ob Aguas Bella9 e Tacarat, as tergas
fel%
Pud'Alho, N'azareih. Limoeiro, Brejo, Pesqoeira,
Ing*zeira, Flores, Villa Bella, Cabrob, Boa Vis-
ta, Oaricury, Salgueiro e Exii, as quartas
feiras.
i__________.-----------------------------------------------------'
Segunda vara do civel:
bora da tarde.
quartas e sabbades a II AUDIENCIAS DOS TRIBUNAES DA CAPITAL.
Sernhem, Rio Formoso, Tamandar, Una, Bar-
reiros, Agua Preta e Pinrenteiras, as quintas
feiras.
EPHEMERIDES DO MEZ DE MAIO.
2 Quarto crese. a 1 h., 44 m. e 46 s. da t.
10 La cheia as 6 h., 3 ra. e 22 s. da t.
18 Quarto ming. as 4 h., 19 m. e 46 s. da m.
24 La nova as 8 h., 29 m. e 45 s. da t.
Tribunal do commereio : segundas e quintas.
Relago tercas e sbados s 10 horas.
Fazenda: quintas s 10 horas.
Jalz do commereio: segundas s 11 horas.
Dito dcorphaos: tercas e sextas s 10 horas.
Primetra vara do civel: tercas e sextas ao meio
dia.
Segunda vara do civil: quartas e sabbados al
hora da tarde.
DAS DA SEMANA.
8. Segunda. S. Heladio b.
9. Terifa. S. Gregorio Nazianzeno dout. da egr.
10. Qurta. Ss. Blaada e Pbiladelpho mu.
11. Quinta. Ss. Fabio, Auastacio e Sereno mm.
12. Sexta. S. Joanna princeza v.; S. Nereo m.
13. Sabbado. S. Pedio Regalado f.; S. Cliceria m
14. Domigo. S. Athanasio b.; S. Gil.
PREAMAR DE HOJE.
Primeira as 5 horas e 18 m. da manha.
'Segunda as 5 horas e 42 minutos da tarde.
PARTIDA DOS VAPORES COSTEIROS.
Para o sul at Alagoas a 14 e 30 para o norte
ata a Granja a 7 e 22 de cada mez; para Ferian-
do nos dias 14 dos mezes de Janeiro, margo, malo,
ulho, setembro e novembro.
ASSIGNA-SE
no Recife, na livraria da praca da Independencia
ns. 6 e 8, dos propietarios Manoel Figueiroa de
Faria & Filho.
I
PARTE QFFICIAL
G0YE8R0 DA PROVINCIA.
LE N. 613.
Antonio Borges Leal Castello Branco, presidente
da provincia de Pernambuco:
Facj saber todos os seus habitantes, que a as-
sembla legislativa provincial decretou e eu sane-
cionoi a resolugao seguiste :
Art. !. Ficam approvados e como taes fazendo
parte da lei do orgamento do exercicio de 1863 a
186i,'oscrditos supplementares abertos, deDtro to
trimestre addicional do dito exercicio, por porta-
rlas do presidente da provincia datadas de 4, 10 e
18 d j junho, 2,9, 18, 22, 23,20, 27 e 30 de julho.
27 de ago-lo, 16, 19 e 2i,de setembro ludo do
anno passado, destinados a occorrer as despezas
com as verbas especificadas nos seguintes para-
graphos.
| 1." Expediente e asseio da secreta-
ria da instruego publica........ 1665272
% 2." Ao servente do Gymnasio..... 10575
3." Mensalidades dos alumnos po-
bres do Gymnasio............... 153^000
4 Aluguel da casa e expediente
da bibliotheca provincial........ 232580 !
5. Reparos de pontes o estradas.. 24:840$I90
6." Expediente e asseio da thesou-
rara provincial................ 122^183,
7. Porcentagem da cobranca judi-
cial........................... 1:1801060
8. Empregados do consulado___ 13:9613*739!
9. Porcentagem dos procuradores
Qscae?, colleclores e escrives___ 1:I61?3708 ]
| 10. Porcentagem do- agente de II-
quJos espirituosos............. 8053995.
II. Aposentados.............. 3:7825529
12. Restituigoes................ 7285711
Art. 2o Ficam igualmente approvadas para fa-,
zerum parle do orgamento vigente os crditos sup- ]
plementares abertos por portaras da mesma pre-
sidencia de 20 de agosto, 2 de setembro, 12 de j
novembro, 5 e 24 de dezembro do anno passado,
e destinados a occorrer as verbas de despezas
seguintes :
1.* Expediente, movis e asscio do
Gymnasio..................... 7425957 i
2. Aluguel da casa e expediente
das escolas primarias............ 2:6795350 ,
3. Concert e pintura do theatro
de Santa Isabel................. 1:6305000
i." Expediente da casa de de-
tencao........................... 3OO50J0
5. Despezasjudiciaes............ 2:0005000
| 6." Restituicoes................. 2:1065000 .
f 7. Corpo d*e polica............ 1:0375600
Art. 3." Fica aberto um crdito supplemer.tarao
orgamento vigente oa imyoriangla de 9475200,
para occorrer as despezas com .erbaillumiua-
go da casa de detengo.
Art. 4.* Ficam rovogudas^Jas disposigoes env
contrario.
Mando, portanto, a todas as autoridades a quem
O conhecimento e execugiio da presente resolugao
perteacer, que a cumpram, e fagam cumprr to
inteiramente como nella se contm. O secretario
do governodesta provincia a faga imprimir, publi- \
car e correr.
. Palacio do governo do Pernambuco, os 2 de
malo de 1865,14 da independencia e do imperio.
L. S.
Antonio Borges Leal Castello Bronco.
Sellada e publicada a presente resolugao ne?la
secretarla do governo de Pernambuco, aos 2 de
maio de 1865. I
O secretario do governo.Dr. trancisco de Pau-
la Salles.
Registrada a folhas do livro 7o de leis provin-
caos. Secretaria do governo de Pernambuco,
2 de maio de 1865.
O escriplurario da 4a secgoTheoioro Jos To- \
vares.
Expediente do dia 8 de maio de 186o.
Offlcio ao coronel commandante das armas.D
V. S. as convenientes providencias, .-lim deque
sgara para a corte, no vapor forana, para o que
ficam expedidas ordens, os segundos cadetes Pe-,
dro Severo da Costa Leite e Joo Ferreira Lei te
que vo reunir-se ao Io corpo de voluntarios da
provincia do Maranhao.
Dito ao mesmo.Informe V. S. sobre o que pede
A? tnha Florencia de Souza no .incluso requeri-
mento.
Dito ao mesmo.Mande V. S. despedir do servi-
50 o medico contratado Dr. Estevo Cavalcantc de
Albuquerque, visto que o Dr. Joo Pedro Maduro
da Fonseca est disposto, como me declarou ver-
balmente, a fazer o servico de visitas das fortale-
zas. Fica deste modo respondido o seu ofllcio n.
803 de 6 do crreme.
Dito ao mesmo.Maja V. S. de mandar inspec-
cionar o 2o argento da secgo urbana Joo Fide
Jis Cavalcante enviando-me o parecer da junta de
sade.
Dito ao mesmo. Sirva se V. S. de mandar ins-
peccionar o soldado do corpo de polica Marino Fe-
loco de Oliveira, enviando-me o parecer da junta ,
de sade.
Dte ao mesmo.Sirva se V. S. de ordenar ao
tenenle coronel commandante do 2o corpo de vo-
luntarios da patria, que faga organisar um pret
que V. S. remetiera a thesourara de fazenda para
ser pago dos venclmentos a que lem direiio o vo-
luntario Manoel Monteiro de Siqueira, a contar do
da 5 de abril ultimo em que elle se alistou na vil-
la do Salgueiro perante o respectivo juiz municipal,
al o em que jurou handeira.Communicou-se a
thesourara de fazenda.
Dito ao mesmo.Sirva-se V. S. de mandar alis-
lar no 2 corpo de voluntarios da patria a Jos Joa-'
quim de Santa Anna. Faustino Antonio Joviu de
Barros Lima, Alfredo Pinto de Siquera Nanea e
Cosme Jos da Cruz.
Dito ao mesmo.Por nao haver commodos no
vapir Paran, segundo declarou-mo a agencia da
companhia braseira de paquetes, nao pode seguir j
hoje a tropa destinada a corte, para a qual j se '
havia expedido ordem.
Deixam de ir tambem pelo mesmo motivo os ci-
rurgioes do corpo de sade Drs. Joao Honorio Be-
zerra de Menezes, Francisco Gongalves de Moraes
e Ernesto Feliciano da Silva Tavares, os quaes
devem seguir no prximo vapor francez : o que
declaro a V.'S. para a expedigo das convenientes!
ordens.
Duo ao inspector da thesonraria- de fazenda.-
Transmiti a V. S. para o Ora conveniente a In-
clusa folha por duplcala que me remetteu o coro-
nel commandante das armas com ofBicio de hoje,
sob n. 807 e relativa aos vencimentos dos empre-
gados do hospital militar, a contar do Io a 6 do
corrente mez, dia em que foi extincto o mesmo hos-
pital.Commnnicou-se ao commandante das ar-
mas.
Dito ao mesmo.Declaro a V. S. para seu co-
nhecimento e fim conveniente que por avisa do
minblerio da fazenda de 20 de fevereiro ultimo,
mandou-se addir a alfandega desta provincia o aju-
dante do inspector da do Rio Grande do Norte Ale-
jan Jrino Christiaoo de Oliveira, a quem se abona-
rao os vencimentos do seu emprego.
Dito ao mesmo. Tomando em considerago o
que no incluso requerimento expoa o capillo re-
formado do exercito, Caetano Gaspar Lopes de
Azevedo Villas-Boas, recommendo V. S. que man-
de pagar sob Manga idnea o que se esliver a de-
ver ao snpplicanle, proveniente de saldo, visto nao
ter anda chegdo da corle a desigoago de sua re-
forma.
Dito ao mesmo. Aoloriso a V.. S., em vista de
sua niformagao de 6 do corrente, sob n. 209, dada
com referencia dacontadoria dessa thesoararia, a
mandar pagar a Jos Siraplic o de S Esteves, co-
mo pede no requerimento que devolvo, a quanlia
de 385240, proveniente d'agua potavel por elle for-
necida aos voluntarios da patria depositados na
fortaleza das Cinco-Pontas, a contar de 3 a 17 de
margo ultimo.
Dito ao mesmo. Annuindo ao que solicilou o
chefo de polica, em ofllcio de 3 do corrente sob
n. 619, recommendo V. S. que Simplicio Jos
de Mello, e nao Custodio Jos Alves, mande pa-
gar a quanlia de 1415250 constante de nieu ofllcio
de 31 de margo uliimo, proveniente dos venci-
mentos de urna escolta de guardas nacionaes, que
veio do termo do Brejo conduzindo 4 recrulas e 1
desertor do exercito, visto terso dado equivoco da
parte daquella reparligo, na designagao da pessoa
a quem devia ser entregue essa quaotia.
Dito ao inspector da thesourara provincial.
Declarndome o bacharel Felippe Jansen de Cas-
tro Albuquerquc renunciar em auxilio das despe-
zas da guerra, em quanto esta durar, o aluguel de
urna sua casa que serve de cadeia e quartel na vil-
la de logazeira, devendo ter principio semelhanle
ollerta no mez de Janeiro ultimo, se aiuda nao ti-
ver sido recebido por seu procurador nesta cidade
o respectivo aluguel, c no caso contrario da mez
que esliver por pagar; assim o communico a V. S.
para que, procedendo a arreca'lagao da ] na tilia o-
ferocda, a remella thesourara do fazenda para
dar-lba conveniente applieagj. Communicou-se
thesourara de fazenda.
\ Dito ao mesmo. Recommendo V. S. que, em
vista das clausulas e orgamento juntos por copia,
e a que se refere o offlcio do ebefe interino da re-
parligo das obras publicas de 4 do corrente, sob
n. 132, mande por em hasta publica a pintura das
diversas. pontes da estrada da Victoria, avaliada
em 5305000. Communicou-se ao chefo interino
da reparligo das obras publicas.
Dito ao commandante superior interino da guar
da nacional da comarca de Tacarat.Declaro
V. S., em rosposia ao seu ofllcio de 3 do abril pr-
ximo lindo, que os oflicaes da guarda nacional, de
que trata o meu ofllcio de 20 de fevereire ulttmo,
sero designados por esta presidencia, em vista da
relaco nominal de todos os olc-iaes da guarda na-
cional sob esse cominaudj superior, que Ihe re-
commendo me remeta com toda a urgencia, e or-
gahisada de cnformidade cm o dlsposto no art.
61 do decreto n. 722 de 25 de outubro de 1850,
com as declaragoes comidas nos j}j 1 a a do art.
121 da le n. 602 de 19 de setembro do mesmo
anno.
Dito ao Dr. Jos Joaquim de Moraes Sarment.
Declare V. S., em additamento ao moa offlcio
de 6 do corrente, e para o lim conveniente, que
acabo de designar o Dr. Sabino Olegario Ludgero
Pnho, para fazer parle da commissao de que trata
o citado offlcio, em substiluigao ao Dr. Joaquim de
Aquino Fonceca, que pedio despensa.
Dito ao tenente-coronel commandante do quinto
batalho de infaotaria.Remello por copia V.
S;, para seu conhecimento e direcrao, a informa-
cao que mimslrou o commandante superior da
guarda nacional deste municipio, em vista do seu
offlcio de 12 de abril ultimo, relativamente reu-
nio do. batalho sob seu commando para as revis-
tas e exercicios
Dito ao director do arsenal de gnorra.Faca V.
S. apromptar, para seren enviados ao Exm. presi-
dente do Maranhao, na primeira opporlunidade, 8
cornetas cora pontos e vollns e 4 caixas de guerra.
Dito ao director das obras militares. -Mande V.
S. fuer com urgencia os concert de que necessi-
la o quartel da Soledade, na parte relativa ao enea
menlo da iliuminago a gaz, como silieitou
o commandante das armas, em offlcio n. 801 do 6
do crreme.
Dilo ao mesmo.Recommendo V. S., que d
as providencias necessarias, para que sejam con-
certados com urgencia, os encanamentos d'agua e
de gaz do quartel do Hospicio, como solicilou o
commandante das armas, em offlcio de o do cor
rente, u. 794.
Dito ao tenente Thomaz Jos da Silva Gusmo.
LoQvando muilo os seus sentimeotos de patrio-
tismo, offerecendo-se para tomar parle na guerra
em que se acha empenhado o paiz, cbeme di
zer-lhe em rosposta ao sea offlcio de 28 de abril
ultimo, que opporlunamente tomarei em conside-
rago esse seu offerecimento.
Portara.O presidente da provincia, tomando
em considerago o que expoz o chefe interino da
reparligo das obras publicas em officos de 8 de
margo e 19 de abril ltimos e 3 do corrente, sob
ns. 61, 115 e 130, resolve encampar a obra do at-
ierro da ra do Lima, e bem assim multar o res-
pectivo arrematante Andr de Abren Porto e seus
fiadores, na decima parte do valor daquella obra,
que ser concluida por administragao, ludo de
cnformidade com o disposlo no art. 65 do regula-
menlo de 9 de julho do anno prximo passado : e
ordena que neste sentido s expegam as necessa-
rias communicacoes.Expediram-se as necessa-
rias communiragoes.
Dita.O Sr. gerente da companhia pernambu-
cana, mande dar transporto at o Cear, no vapor
Mamanguape, em lugares de. pra destinados a
passageiros de estado, a Antonio dos Santos Villaga
e sua mulher.
Dita.O Sr. gerente da companhia pernambu-
cana mande dar transporte al o Cear, no vapor
que segu para o norte, no dia 22 do corrente, em
lugar de r destinado a passageiro de estado, a
Emygdio de Lavor Paes Barreto.
Dita.Os Srs agentes da companhia braseira
de paquetes, fagam transportar para a cort-, por
coma do ministerio da guerra, no -vapor Paran,
os operarios serralheiros Manoel Luz da silva,
Jos Mara Pinto e Amonio Francisco da Silva.
Dita.O Sr. gerente da companhia pernambu-
cana mande por a disposigo de Lino da Silva
Bastos, orna passagem de estado a proa al Maco,
no vapor que segu boje para o norte.
Dita.O Sr. gerente da companhia pernambu-
cana, mande dar transporte ate s Cear, no vapor
que segu hoje para o norte, em lugar de r desti-
nado a passageiro de estado, ao Dr. Candido l-'ran-
klim do Amaral.
Dita.Os Srs. agentes da companhia hrasileira
de paquetes, fagam transportar para a corte, por
coma do ministerio da guerra, no vapor Paran,
os segundos cadetes Severo da Costa Leite e Joao
Ferreira Leite, que vo reunir-se ao primeiro cor-
po de voluntarios do Maranhao, a que perteocem.
Una.O Sr. gerente da companhia pernambuca-
na, mande dar transporte at o Rio Grande do
iNorte, no vapor'Mamanguape, em lugar de r des-
tinado a passageiro de estado, ao Dr. Joaquim Ger-
mano Ramos.
commandante superior da guarda nacional do Re-
cife.
Bellarmioo Ferreira Lima Guimares.-laforme
o Sr. commandante do corpo de voluntarios da Pa-
rahiba.
Francisco Alves de Miranda Varejo.Informe | fista o prego"porque poderfam
o Sr. engnheiro chefa interino da reparligo das dorante o anno
Attendendo a que a Iregnezia do Pogo da Pa-
nella um dos arrabaldes desta cidade bastante
poncorrioo pelo que sao as casas ahi alugadas por
grandes pregos, accrescendo que as pessoas que
as alugam nao duvidam pagar por tres mezes de
ellas ser alugadas
obras publicas.
Goncalo Jos de Santa Anna.Informe o Sr. te-
nente coronel recrutador.
Jos Velez de Abreu.Como reqner.
Attendendo anda que as casas ne.-sa localidade
ou sao espag*sas e entao nao so as pode alugar se
nao por,'um prego mals elevado, ou sao muito ac-
nhadas, e perianto nao se podem prestar aos exer-
soes.
escravo, Boa-Vista
Joao Carlos Augusto de Figueirdo.Passe por- cicos de urna escola bastante frequentada
tana concedendo a licenca que reqaer o sappli-1 E' a commisso de parecer que seja attendido o
c 1 -' ou .- o peticionario, remetindose copia deste parecer ao
Joao Hdehs Cavalcante.Apresente-se no qaar-, director geral de instruccao publica, encarregado
I do commando das armas para ser inspecciO- da distribuigao da 'quota marcada pela asamblea
portara aposen-
0 Sr. Dr.
nado.
Joao Soares Gui maraes.Passe
lando o suppjicante,
l.ui/.a Mara da Conceigo.Informe
chefe de polica.
Padre Manoel da Costa Honorato.Passe.
Manoel Ferreira Lima Jnior. Informe
inspector da thesourara de fazenda.
Raymundo Ildefonso Jos do Sacramento.Infor-
me o Sr. commandante do corpo de polica. '
Raymundo Rodrigues dos Santos.Em vista da
informago nao tem lugar a baixa pedida.
Thomaz Pompeo Lins "Wahderley.Informe o
Sr. inspector da thesourara de fazenda.
iQCCi
di:
001 i:rxo do msi- \no
ii:r\imiilo.
SEDE VACANTE
CONCURSO 'S FREGUEZIAS.VAGAS.
para tal fim.
Sala das commissOes, 7 de maio de 1855.Gon-
galves d Silva.-Rochael.
E' jdlgado objecto de deliberago e dispensado
da iitfpresso, a requerimento do'Sr. Rochael, o se-
guinte projeclo de lei :
Sr. a assembia legislativa provincial de Pernam-
buco. resolve :
Artigo" nico. Fica concedida urna lotera de
250:000^ a Santa Casa de Misericordia.
Rvogadas as disposigoes em contrario.
Pago da assembla legislativa provincial de Per-
nambuco, 9 de maio de 1865.Rochael.Ayres
Gama.Ramos.
Foram approvadas as redacgSes do projecto n.
29 deste anno, e das posturas das cmaras rauni-
cpaes d villa de B.irreiros e Salgueros.
prov^ a^ A,riea> 3 anaos,
^ArSil presidente autorisado a t SSa^SSSYi' S2T-
alterar a medida das distancias para a percepgo "nco mnambaco> anD0> s- *; den-
do pedagio, de forma que nao sejam destruidas as Jos Pernamhniv <* .nn~ o. v .
casas de barreiras actualmente existentes.. : Fm^pS^l^!,J!2:VSt; ielaD0-
Oram os Srs. Cunba Teixeira, S Pereira e G.; S PernanibuC0' 3 aDnos- ^; conval-
^ETerrada a discassao, approvada urna emen- *%& PerDambQC0' 9 ezes, Boa-Vista; convol-
da do Sr. S Pereira, supprimindo o artigo.
A discassao tica adiada pela hora.
O Sr. Presidente levanta a sesso s 4 horas da
tarde, dando para a ordem do dia seguinte, alm
das materias designadas, segunda discusso do pro-
jecto n. 86 do anno passado.
=see
iZVISTA DIARIA.
por mais 6 dias
CHRONICA JUDICIARIA
TRIBUNAL DA RELACO.
SESSO DE 9 DE MAIO DE 1865.
CONSELHEIRO
PRESIDENCIA DO EXM. SR.
. SOUZA.
As 10 horas da manha, presentes os Srs. des-
Fol prorogada por mais 6 das a assembla embargadores Santiago, Gitirana, Lourenco San-
provincial, tiago, Almeida Albuquerque, Assis, Doria Demin-
Acaba de ser augmentado o pessoal da cora- ues da Silva e Barros Vasconceltos faltando os
panhia dramtica do Santa Isabel com duas actrizes Srs. desembargadores Molla e Guerra procarador
e dous actores, que chegaram da corte pelo ultimo ] da cora, abrio-se a sesso.
vapor. Passados os feilos, deram-se os seguintes
Estes artistas sao os Srs. Bernardino Ferreira j julgamentos.
Cardoso e Augusto Cesar de Mendonga, as Sras.' Aggravo de pe rao.
Ds. Isabel Mara Candida e Dorothea Maria Candi- Aggravanle, Amonio Maia de'Brito ; aggravado
da; que devero em breve estrear, dando copia ao ojuizo.Relator oSr. desembargador Dona Sor-
publico do talento artstico, de que dispoem, e dos toados os Srs. desembargadores Assis e Santiago
esforgos da empreza que desejosa de satisfazer ao Negarara provimento. '
O Su,'Araujo Barros fundamenTa"e"manda me-' mesrao l,u,!ico. I,ri se poupa a empregar todos os Aggravanle, a irmandade de S. Benedicto ; ag-
sa um requerimento de urgencia, para que entre! recurs.?s> alim da conseguir o seu desidertum. gravado, o juno. Relator o Sr. desembargador
em discassao um parecer adiado da coramiaodc! 7" .Lonlinaam as queixas, que nos dizem, com Uomingues da Sil va.Sorteados os Srs. desembar-
negwios ecclesiasiicos sobre petigo do parocho de r,tlacao ao despejo de cisco que fazem na entrada gadores Dona e Santiago.Negaram provimento.
Tendo o governo de S. M. Imperial declarado Goyanna, relativamente intelligencia do compro-'da eslla(,a ^ Jo,ao oe Barros, sem embargo de ha- Appellaco civel.
utas as 17 propostas resumes do concurso a qe misso fl irmandade do Santssmo Sacramento' ^er *" habltaC"e|e familias, que sao incommoda- Appellante, Manoel Elias de Moura appellado,
em 30 de novembro de 1863 procedeu o Exm. bis-' erecta na mesma matriz. |das com as. halagos ftidas, que se derramam Joaquim trancisco Lavalcanti de Mello,
po fallecido, participo a quem convier que o Exm.: A assembla approva a urgencia pedida, oen-!DO ar "espiravel com prejmzo da sade publi- Desprezaram os embargos.
e Rvm. Sr. vigario capitular brevemente vai man-' trando em discusso. o parecer sem debate ap- i ?a" 'mPr,a> P0I>'. 'Iue respectivo fiscal olhe para .....Appellacues crimes.
dar afflxar os editaes para proceder ao concurso provado. r lil. a competente providencia
de todas as parochias, que se acham vagas nesta ; E' approvado depois uiri requerimento de ur- ~. y"" ca*)'la0 Jose Mariano d Albuquerqne,
diocese. gencia offerecdo pelo Sr. PaulaBaplsta, para que e5<;r,vao de protestos, que ach_ava-se anojado pe|o
Cidade de Olinda, 24 de abril de 1865.-Conego seja discutido o parecer da commisso do obras falecimento de sua presada mai foi por offlcio
Joaquim Ferreira dos Santos, secretario do bis-[publicas do anno passado sobre petigao de Joao d.a,ad0 de hontem ao Exm. presidente do tribunal
pado. Hvpollo de Meira Lima do cmmercio desanojado: e assim continua no
, SANTOS LEOS.. "Entrando em discusso o parecer, sem debate ".!'.c.l0d:! seu offlci01 es,ando de proraptido em
Exm. e Rvm. Sr. vigario capitular manda fa- rejeftada a sua conclusao e julgado objecto de de-
zer publico aos Revms. parochos desta diocese, que lberaco o projeclo offerecido como emenda, o'
lerittochcgado- da Bahia os 'santos leos que no qual, entrando em seguida em 1 discusso, ap-
crreme anno ecelesiaslico tem de servir na admi-
nistragao dos Sacramentos, devem os Revms. viga-
ros prover quanto antes as suas parochias de oleo
nove. O mesmo Exm. Sr. manda declarar igual-
seu cartorio.
Somos informados de fonle limpa, com rela-
go a morle do feitor do engenho Bonito, feila por
Appellante, Manoel Jos de Almeida Jnior 5 ap-
pellada, a juslica.A novo jury.
Appellante, o juizo; appellado, Silvino, es-
cravo.A novo jury.
Appellante, Lourenco Justiniano Pereira dos San-
; appellada, ajusliga.Conllrmada a sentenga.
appellada,
provaSo I um escrav0 da fabrica deste, que esta nao lomou
A requerimento do Sr. Sil-va Ramos 6 approva- -pwtealguma nesse triste acontecimento, sendo a
da a urgencia para a discusso do prqjfcto n 86
do anno passado, autonsando a recso do contra
mente, que esto em todo o seu vigor nao s i% to eelebrado com Jos Falque e Antonio Machado
deteYminago?s das eonstilulg5e* diocesanas, como Gomes da Silva para o esubelecimento de carros
asperjas impostas pelo -Exm. prelado de .gloriosa de oraca.
memoria quelles parochos que deixam de. refor-, Entra o mesmo projeclo em discusso, e de-
mar os santos olees"~nas.sas roairizes.no lempo poisde orar o Sr. Silva Ramos, apprpvado, sen-
competente; o quef sendo conveniente averiguar do concedida dispensa de intersticio,
se Igum par^ctio deixoa de camprir 00 est de- "" O Sr.Ci,h.v Teixeu requorje a cas approva
ver, on foi moroso no sea desempenbe, devem o urgencia; ^ar Aie cbtinue a aisousrao do pro-
portadores declarar ao Revm. cora da eathedral, jecto n. 32 oo anno passado relativamente in-
ou a quem suas vezes flzer, qual a matriz a que compaiibilidade de empregos provinciaes.
pertencem os vasos dos santos leos, bem como Vera mesa e entrara conjunctamenle em dis-
ser notado o dia, em que estes sao apresenlados cassao, dous requerimentos, um do Sr. Araujo Bar-
na cathodral. ros para que o projecto seja remettido s commis-
Cidade de Olinda, 8 de maio de 1865.Conego s5es de conslituigao e poderes e de legislagao, e
Joaquim
pado.
Ferreira dos Santos, secretario do bis-
PERNAMRUCO,
ASSEMBLA PROVINCIAL.
48" SESSAO EM 9 DE MAIO DE 1865.
PRESIDENCIA DO SR. DR. COSTA RIBEIRO
Ao meio dia, feila a chamada, acham-se presen -
tes os Srs. depulados J do fiego Barros, G. Cam-
outro do Sr. Gaspar Drummond, pedindo o adla-
mento da discusso por vinle e quatro horas.
Oramos Srs. Araujo Barrse Reg Barros.
1 Eucerrada a discusso, sao rejeitados os dous
, requerimeDtos, e approvado o projecto com as se-
guintes emendas :
Accrescenle-se depois das palavrascofres p-
blicos quer provinciaes, quer geraes e provin-
ciaes.Carvalho Moura.
evasao do delnqueme resultado dotorpr que oc-
casionou o seu acto de malvadez nos parceiros.
Chegou a esta cidade a interessante obra so-
bre o Syslhema legal de medidas, confeccionada
pelo Sr. chefe de divjso da real armada poriugue-
za Joaquim Jos da (Iraca, e approvad pelo conse-
Iho geral da instruccao publica de Lisboa.
A materia- desta prodaego, e o aflodo de sua
elaborago recommendam-n'a a leitor* publiea. e
Isto'tanto nnis qntt- eete systhema fosagrado
entre nos por lei, cojo" praso para a completa adop-
go delle est a expirar nestes quatro annos prxi-
mos.
O Sr. Graga neste trabalho trata de esclarec-
mentos importantes para a materia, adiantando
mutos pontos que se tem descurado de desenvol-
ver; e alem disto, aprsenla grande numero de
tabellas que expoem comparado o systhema de
] medidas dos estados, inclusive o Brasil, circums-
tancia esla que loma a obra de applicago a nos
outros Brasileiros anda por este lado.
Esta obra acha-se na livraria do Sr. Nogueira
de Souza.
Depois d'anranha, se extrahir a 2" parte
da 1" lotera, da matriz do Bonito (15*), sendo o
Depois das palavras'-provinciaes -diga-se-e T?iT5SfiSSffS
municipaes.Braulio.
Requerem que se menconem seus nomes na ac-
ta como lehdo volado couira o projecto e emendas
do Sr. Araujo Barros, contra o projecto e a favor
pello, Rochael, Goncalves da Silva, Francisco Pe- de um substitutivo rejeilado o Sr. Loureiro.
dro, Aquino Fouseca, Ayres Gama, Araujo Barros,
llego Barros, Vctor Correa, Loureiro, Buarque,
Drummond, Nabor, Ribeiro, myothas, Brando,
Teixeira de Mello, Bamos, Benedicto Franga e
Braulio.
O Sn. Pkesidentk abre a sesso.
E' lida e approvada a acia da sesso anterior.
Comparecem depois os Srs. Diodoro, Cunha Tei-
xeira, Baptisla, souio Lima e Brillo.
O Sr. Io seciibtario procede a leilura do se-
guinte
EXPEDIENTE :
Um Tjfflcio do secretario do governo, transmil-
tindo a copia do contrato feilo com o engnheiro
Henriqne Augusto Milet empreiteiro que foi da con-
clusao das obras do 14 lango da estrada do sul.
A quem (ez a requisigo.
O Sr. Solt Lima requer urgencia para que con-
tinu a discusso adiada do projecto n. 47 do auno
passado, e depois de orar o Sr. Braulio, rejeitado
o requerimenio.
I Conlinua a 2' discusso do arl. 44 do orgamento
provincialcom todas as emendas presentadas.
i Oram os Srs. Silva Ramos e Gervasio Cam-
pello.
1 Vem mesa c entra conjunctamenle em discus-
so um requerimento do Sr. Buarque para que con-
tinu a segunda discusso do orgamento provin-
cial, at que se termine.
Encerrada a discusso, approvado o artigo
com as seguintes emendas :
Em lugar de 100$ rs. por cas; de vender roupa
feita em pazes estraogeiros diga-se 200&000.
Ao 21 do art. 4i accrescente-se e por casa
Oulro do mesmo, declarando que hoje s 2 lio- em que se venderem sellins e arreios feitos em
ras da tarde S. Exc. o Sr. presidonle receber em pazes estraogeiros.
palacio a deputago da assembla, que lem dele-I Supprima-se o 36.
var alguus actos sanego.Inteirada. Ao 13 diga-se 205 por venda de escravo,
E' lido e lica addiado para ser tomado em con-; exceptuados os menores de 2 annos, quando forem
sideragao, quando se discutir o art. 9 do orgamen- i vendidos com as respectivas mis.
Despachos do dia S de maio de 1SG5.
Requerimentos.
Alves Hamburger & C D-se.
Antonio Avelino da Trindade.-Informe o
Sr.
to provinciano seguinte parecer
A commisso de instruego publica, apreciando
as vantagens que se observam as emendas offe-
recidas ao 1 do art. 9 do orgamento provincial,
e reconhecendo a necessidade urgente de ser a
instruego dissiminada quanto antes por quelles
lugares, cuja populago aprsente crescimemo no-
tavel de da para dia, de parecer que seja o dito
paragrapho substituido pelo seguinte:
Substitutivo ao 1 do art. 9 :Professores, in-
clusive as seguintes cadeiras criadas pelas leis n.
598, a saber:
Do sexo masculino. -
Urna em S. Jos do Recife.
Urna em Santo Amaro das Salinas.
Urna em Laga Secca.
Uina em Trombeta.
Urna em Gamileira.
Urna em Capoeiras.
Urna em Belmonte.
Do sexo feminino.
Duas na Ba-Visjado Recife.
Urna em Sanio Amaro das Salinas.
Urna em S. Jos do Recife.
Urna no Monteiro.
Urna em Santo Amaro Jaboatao.
Urna na Gloria de Goil.
Urna em Goyanna.
Urna em Tejecupapo.
Uma em Ponte de Pedr.s.
Urna em Bom Jardim.
Uma em Barreiros.
Uina em Buique.
Uma em Tacarat.
Uma em Villa Bella.
Urna no Brejo da Madre de Dos.
Uma em Ouricury.
Uma em Correntes.
Rs. 146:807;>000.
Sala das commissoes, 9 de maio de 186a.Ro-
chael. Gongalves da Silva.
E' lido e approvado o seguinte parecer :
A commisso de instruego publica, attendendo
ao que requereu o professor publico Dervino Jos
da Cmara em sua petigo, na qual pede que se
equipare a graulcago qoe o peticionario percebe
para aluguel de casa dos domis professores des-
ta eapiial;
Emenda ao 26 :
Diga-se e a casa de compra, venda e qnalquer
transaego sobre escravo.
Posto depois a votos, approvado o requerimen-
to do Sr. Buarque.
O Sr. Costa Ribeiro (pela ordem) diz que a
commisso encarregada do levar alguns actos da
a.-sembla sanego ib Exm. Sr presdeme da
provincia, dera conta da sua mis-o, e que S. Exc.
responder que os tomara na devida considera-
go.
Entra em discusso e sem debate aprrovado o
art. 45 do orgamento provincial, que 1 :
Continua em vigor a disposigo do art. 47 da le
n. 596, podeudo o presidente da provincia cobrar
por arrematago os in: postes a que ella se re-
fere.
Vem mesa, entra em discusso e posto a vo-
tos rejeitado, um requerimenlo do Sr. Amyntas,
atim de que, ames de discutirem-se as disposigoes
geraes do orgamento, sejam dadas para a discus-
so os arl. que foram adiados por deliberago da
assembla.
Entra em discusso o :
Art. 46. Conlinuam igualmente em vigor os ar
tigos 49, 50,52 e 54 da referida lei.
Vem mesa e sao apoiadas (res emendas.
Oram os Srs. Diodoro Ulpiano e Nabor.
Encerrada a discusso, o artigo approvado com
as seguintes emendas :
Seja supprimida da disposigo do art. 46 a parte
que manda vigorar a disposigo do art. 50 da lei do
orgamento do anno passado.Diodoro Ulpiano.
Depois das palavras arts. 49, 50,52 e 54 ac-
crescente-se 62, 63 e 65 da referida lei.Ayres
Gama.Silva Ramos.
Supprima-se a parte do arl. 46, que se refere ao
art. 52 da referida lei n. 5P6 por superflua. G.
Campello.Buarque.
Segue-se a discusso do :
Art. 47. Fica o presidente da provincia autorisa-
do a rever o regulamento das. obras publicas, na
parte relativa forma dos pagamentos que correm
por aquella reparligo, devendo quanto fr possl-
vel manter as disposigoes da lei n. 584.
Vem mesa a seguinte emenda :
. Sapprima-se o art 47.Cunha Teixeira.
Oram os Srs. Cunba Teixeira e Baarqae.
- n Associago Protectora das Familias, para a
creagao d'um asylo na corte, noma seus agentes
nesla provincia aos Srs. negociantes Araorim &
Irmos.
Em consequencia de alfluencia de materia
para a nossa oitava pagina, que mais de perto in-
teressam aos nossos leilores, suspendemos a publi-
go da Chromca Dramtica.
Hoje haver leilo na ra do Imperador
n. 37, da importante biblioteca do padre Jos An-
tonio, pelo agente Marlins, o qual convida aos se-
nhores acadmicos de aproveilarem o ensejo para
se proverem ue bons livro?.
llEPARTIQAO DA POLICA:
Extracto da parte do dia 10 de maio de 1865.
Foram recolhidos casa de detengo no dia 9
do corrente:
A' ordem do Illm. Sr. Dr. chefe de polica, Leo-
nardo Lourcngo Bezerra e Lourenco Francisco do
Nascimenio, por fenmenios; Jos Francisco de
Amorm, Luz Jos Pereira Braga, Antonio Carnelro
da Silva, e Francisco Antonio de Mello, sem decla-
rago do motivo, e po lo logo em liberdade.
A' ordem do subdelegado de Santo Antonio, Ma-
noel do Carmo, Joaquim Jerenyrno Torres, Marco-
lino, escravo de Francisco Quntino, e debaldo,
escravo de fre Joao de Amor Divino, todos para
correego.
A' ordem do de S. Jos, Lulz Jos Bertinp Hercu-
lano de Oiveira, c Raymunda Mara da Conceigo,
por brlga.
A' ordem do da Boa-Vista, Jos Mendes dos San-
tos, por embriaguez.
A' ordem do da Capunga, Jos Gongalves de Oli-
veira, para correcgo.
O chefe da 2". secgo,
J. G. deMesquita.
Passageiros do palhabote brasleiro Santa
Cruz, sahido para o Aracaty : Jos Joaquim Ozorio,
Marcelino Fernandes de Moura, Manoel Profiro
Pinheiro, Francisco Luiz de Franga, Jos Maria
de Carvalho, e 2 criados.
Cehiterio publico. Obituario do dia 8 de
maio de 1865.
Manoel, Pernambuco,4 dias, Boa-Vista; espasmo.
Amaro, Pernambuco. 5 dias, S. Jos; espasmo.
Joao, Pernambuco, 5 mezes, Recife; convulses.
Idalina, Pernambuco, 2 mezes, Recife; diarrhea.
Martinianna, Pernambuco, 2 mezes, Santo Antonio;
cenvulsoes.
Anna, Pernambuco, 2 annos, escrava, S. Jos; ma-
rasmo.
Eleodoro, Pernambuco, 2 annos, escravo, Santo
Antonio; dearrbea.
Elvira, Pernambuco, 11 mezes, escrava, Boa-Vista;
bronchites.
isabel, frica, 50 annos, solleira, escrava, Boa-Vis-
ta ; gastro hepatite.
Manoel, Pernambuco, 2 horas, escravo, Boa-Vista;
espasmo.
Francisco Jos Fornandes Pires, Portugal, 41 annos,
casado, Pogo da Panel la; pthysica laringia.
Mara Flozina Venancia da Conceigo, Pernambuco,
24 annes, solteira, Boa-Vista; tubrculos pul-
monares.
Thomaz Jos Meira, Pernambuco, 45 annos, casado,
Santo Antonio; gastro hepatite cephatite.
Maria Joaquinna da Conceigo Arruda e Mello,
Pernambuco, 85 annos, viuva, S. Jos; hydro-
pesia. .
- 9
Joo daVeiga, Pernambuco, 14 annos, solteiro,
Boa-Vista; anemia.
Vicente, Pernambuco, 30|das, S. Jos; uma in-
grinl.
Appellante, Manoel Mendes da Silva
a justiga.Viste a parle appellante.
Appellante, Dr. Pedro Pereira da Silva Gnima-
raes; appellada, a cmara municipal.Anovo jury.
DESIGNAgAO DE DA.
Assignou-se. dia para julgamento das seguin-
tes :
Appellacues crimes.
Appellante, o juizo ; appellado.yBento Roque da
Silva.
Appellante, Floreneio'Bispo dos Santos: appella-
da, a justiga.
DILIGENCIA CHIME.
Com vista ao Sr. desembargador promotor da
justiga :
As appeHa?9w crfme.v -
Appellante, o juizo; appellado, Jos Domingues
Correa.
Appellante, o juizo; appellados, Feliciano Ribei-
ro dos Santos e sua mulher.
Appellante, Antonio Francisco de Mello Baca-
marte ; appellada, justiga.
Appellante, o juizo ; appellado, Manoel Joaquim
do Espirito Santo.
PASSAGENS.
Do Sr. desembargador Santiago ao Sr. desembar-
gador Gitirana
A appellaco civel.
Appellantes, bacbarel Benjamn Pinto Nogueira
e outros ; appellados, D. Margarida Augusta Pinto
e seas filhos.
Do Sr. desembargador Gitirana ao Sr. desembar-
gador Lourengo Santiago
Aappellagocivel.
Appellante, Bernardino Joqum da Silva; ap-
pellado, Joo Pereira Cardoso Guimares.
A appeilago mine.
Appellante, o juizo ; appellado, Virissimo Xa-
vier de Barros.
Ao Sr. desembargador Doria
A appeilago civel.
Appellante, Mathias Lopes da Costa Maia ; ap-
pellada, D. Mara de Jess Cordeiro.
Do Sr. desembargador Lourengo Santiago ao Sr
desembargador Almeida e Albuquerque
As appellagoes crimes.
Appellante, Belarraino, escravo ; appellada, a
justiga.
Appellante, o juizo; appellados, Francisco Jos
da Silva Pereira e outros.
A appeilago civel.
Appellante, Dr. Manoel Carlos de Gouveia ; ap-
pellado, o vigario Jos Aotunes Brando.
Do Sr. desembargador Assis aoSr. desembarga-
dor Doria
As appellagoes civeis.
Appellante, D. Joanna Mana das Dores; appel-
lado, Antonio Alves de Miranda Guimares.
Appellante, D. Joanna da Silva Medeiros ; ap-
pellada, a fazenda.
Ao Sr. desembargador Motta
As appellagoes civeis.
Appellante, o brigadeiro Gaspar de Menezes Vas-
concellos de Drummond ; appellada, a Santa Casa
da Misericordia.
Appellante, o cnsul portuguez ; appellada, D.
Anna Lopes dos Beis.
Do Sr. desembargador Doria ao Sr. desembar-
gador Motta
A appeilago crime.
Appellante, Joaquim Gomes Camello ; appellada,
a jusliga.
Do Sr. desembargador Domingues da Silva ao
Sr. desembargador Barros Vasconcellos
Appellagoes crimes.
Appellante, o joizo; appellado, Zeferino Aure-
liano de Figueirdo Mello.
Appellante, o juizo ; appellados, Jeronymo Fer-
reira de Albuquerque e outros.
Appellante, Beolo Ferreira da Silva ; appellada,
a jasliga.
Appellante, o promotor; appellado, Claudiao Jo-
s de Souza.
Do Sr. desembargador Barros Vasconcellos ao
Sr. desembargador Caetano Santiago
A appeilago crime.
Appellante, o juizo ; appellado, Raymundo Alves
da Silveira.
A appeilago civel.
Appellante, o baro de Guararapes; appellado,
Jos Francisco de Farias Salles.
A' 1 hora encer'cu- mj a sesso.
COMHNiCADOS.
O bacharel L. B. Carnelro da
Cunba e a adminlstraeio*
I
Procurando saber qaem era o autor de uns com-
munldados publicados neste Diarto, sob a epigra-
pheA guerra, o espirito nacional e o partido
conservadorem que se faziam as mais inipstas
apreciag5es marcha desse partido na actual con-
junctura, ao mesmo tempo que se nao perda occa-
sio de fazer as mais graciosas cortezias ao presi-

'


Diario de Pfrnambnoo Quinta letra ti de Halo de 865.
denle da provincia, viemos saber que era o b_3-1 mes a que procedeu; entretanto, depois do desas- mesrao termo medio se a sna falla
-hart-l L. B. Cernciru da Cunha, quem os escrevia,
tlizendo-se-nos nessa occasiao que u que elle pre-
tenda era vitfgar-se de vlver aqu e*quecdo, jo-
pando no Mooieiro o gamao, e de o partido conser-
vador nao provenir o' se talento.
Nao conhecendo bim o talentoso joven, dava-lhe
toda a razo em seu desgosto, mas, uta va que nao
era a critica to mal dirigida o melhor mewqne
elle tinha para se facer attrahir; e, ao contrario,
para entreter urna tal ou qaal rejiotago de ratlli-
geule e habilidosa que livWse. nao devia mmra fa-
zer saber que era elle o antor daquelles curamnni-
cados embrulhedos e indigestos, abundantes soman-
te de banalidades o pequices. Fui, seno quando.
eorrtsspeifdtlitti
tre, reconheceu-se que esas trallcancias datavam a um, dous etc. trimestres.
de limito touip, e houve quem quizesse ver no E em seguida se expedio omtatot 9Jet
parecer da nltima commissio profa de corros- que vai abaixo transcripto, J
cao.
'Prosigamos.
No rea torio aprese ntado pelo Sr. Jos Pedro da
Silva em 31 de janeiro de 1837, disse eite o se-
guate :
f Devm tambem aqni dar conta de igual proce-
lmento que, no exerekio prximo lindo, teve o
coHeclur d> Rio Pormoso Joaquim Jos de Luna
Freir, e das providencias que foram dadas, mas
tendo-o feito no meu ultimo relalorio liraito-me a
informar a V. Btc. que o alcance desto collector,
soubemos que'havia sua ratao (e aquellas em que que depende das comas dos tres ltimos exercicios
bein quadra mu assevio afim de nofaNar lei nao esta era Ma totalidad*liquidado. Samaste o do
evanglica) para vivar esqnecido o dito bacharel : exercicio prximo rindo o foi definitivamente, elm
e usamos desla periphrasc, por que, quando no-lo portando em ris 1:860*331, inclusive n juro pela
indicaran), ful por um nuroe familiar que tem, e
contando se-nos certas particularidades a que se
uni um assuvio,como um et calera verbal de bas- condecido, e se promovera actualmente sua co-
lante express.o. .. branca, so o contador, depois de coacorrer em jun-
Enjoado dos taes communicados e dissipada en ta para o despacho de approvaco do examo das
da
dMwi*.
\, e pelo qne se declarou vermelho at que- voio: expondo esses verdadeiros miseraveis ao anatheraa nnira
aproveitado quando, a falta de melhores instru- que chamaran) sdbre si o seo corpo de delicio et m
logo no prmeiro periodo do famoso libello. A ia- *, Mnairne J.1? MC'0M*J- .
neira inslita e desabrida rom que sen o menor' J? aa"frLm 40 2"^ de """?'^ dit0
respeito se a presenta m ante o publico a^rova cRom^1 ^ nip.oca do Para ; a Mtnoel Duarte
indevida delengao, est se cobrando judicialmente.
O do exercicio de 1833 a 1834 tambera est
contas doi.se exeroicto, que foi dado de conformida-
de com as informacoes da contadoria, e sobre o
^nConha, que, em inanto todo este povo corra s que
oraw o deltas saliu iriumpbaute, negociava oom o
lagar de subdelegado, que nao ihe deram ento
qando era preciso conquistar a adhesao dos libs-
< Illustrissimo senhor. Toado > jSMSU defl
thesouraria em susto de hoje resolvide, qae o ex- mentas, foi mistor castigar os rebeldes e Insabor
collector do Rio Formoso Joaquina Jos de Luna dinados.
Freir em coosequencia de nao haver recomido os, O qne admira que si un t_ fJl
livros do exercicio prximo Indo, fosse responsa-. smente se lembrasse de tocar teto, m nada
bihsado pela arrecadagaodewe (RDBfticio segando cootesfcr, valendo-se do seu nstrament, que, so-
o termo medio da renda da mesan collectoria nos | mos capazes de jurar, nao da notita de ano val
tres exercicios anteriores, e qne no caso de ser este pelo erado, como nao dari 4**orresaondeaeia
termo medinfenor a qnantia que recolhen elle do Sr. Francisco Xavier se um amigo (o proprio
por coma do dito exercicio, se observara para fazer escrevenle tal vez) nao Ihe encarecesse a necesstda-
effectiva a dita responsabilidade a proporc^io em de de ruponder.
que deve estar o dito termo medio para o trimestre E' qae leda machina trrsrtor
ou trimestres em qne nao ffer elle recolHImento al-1 Urna ultima palavra para coneiur, e seja ella,
gum, ou em outros termos, que firasse elle nesta: que all hoje temos erapregado bem o nosso terapo,
WeSai.re?p0nSaVel 5?1" "m *'a,n,0vd1?as 1uintos m peraemos o que gastamos utas palavras, nao servimos ; e disto pedimos dese'ulpa ao publico.
f,L,' h ,'er,T m.ed'' Se .* S"VaUa fo-5se de I s.por *-ue diiea resPeit0 a Pedf0 da CuDha Ca- bollando a urna linguagem mais seria e 5f JS l:lmeslres' assim- fa 8Ciente a i 7alcaQ de Albuquerque, que nao cousa que va- d.da diremos ainda mais urna vez, que o descanten-
essa contadoria para, sna Moga, recomarendan-, llu a pena traur-se (e agora vemes que o direc- lamento e o divergencia existem entre os assoctados
d^0mLLl^'-^i^aa!i?rfuipaJ?que.^* ton? *2e razl) como Por1Qe orremos o risco de da Noca Uno: o capricho e a ignorancia ainda
prnmjrtamenje liquidada toda divida do dito collec- ouv.r dizer-que nao temos em que empregar-nos, alli se centralisam sem que alguem procure regu-
i no exerctem de II 3a, e^por sto sentamu de nos tornar cejebres, fa- lar usas cousas de maneira a ftzw imperar o res-
'" e a ordem que mlster : para mefftor pro-
10 calxas cha, 10 ditas machinas para descare-
altamente depSe desse grupo que se disse
A publicado porm de onKMUoaYMforioi '.".!' I T**aTtmKJH\ P .
serto np D de 9 do corrente, TSlIoca na SL S'i "fort-'" "^ W0 "'
obngacao de d.zerm a.gnm. eoosaae PoM^r\\%rZlS\Ti%i* de seda a L. A. Si-
mais |concludente do que lia di baim e vil em se-
melhante assurapto : o esqueleto marrado di um
corpo corrupto: a ignominia ea infamia de maos
dadas com esses miseraveis ; lina Inmole > orado
rouco e hediondo de almas pervertidor ero (friera a
f, a consciencia e a vi& nao actuara.
Nao pois urna refutacao que fazonms, nem urna
resposta que damoaaos antoras mino desse escrip-
to, nicamente um bradode Indigna^ao que nos
provoca a usar de termos de que raras vezes nos
nufo espirito a snpfiosi^o da stneefidffde que se
Ibes podesse atu ibuir. assenlames em ar ao pala-
vrorio impertinente do bacbarei a devida resposta. qual oenhuma euesio
Somos conservador e de orisla venuelha ; da-1 depois em dovida este
qnelles bem emperrados na f', e deste emperr ou l do das contas do exercic.n ,
lirmei, .come se queira chamar, tiramos a uiiima gando por isso-esse despacho, quando uliimamente 17 de abril de 185S.-Illm. Sr. Jos Maria da Cruz, i Vera assignado por-Pedro da Cunha, e tanto alli tivera lugarnoiESSTXEwmm^*
salisfacao da consciencia pela nobrexa do que se, me subst.tuiooo lugar de luspector por me achar, -Contador desta thesourarla.-O inspector Jos basta para valer urna sentenca, da qaal todava AebHkmMmXel^meataai^n^nr,, ros-
diz-probidade polticaqseo que hademais ra- cem assento *>a asseinblea provincial. Pedro da Silva. aooella o ,__^"_
elle suscitou, nao pozesse 1834. e no correnle se faca a respectiva escriptura- zendo chamar sobre nos a allencao publica de'um' peito
^e78n^ f*-.-l* a ge
ro uestes lempos. Sao os espiritos ligerrosque abju-
ran) facilm4e dos principios que rmo o nellrs
jretao o resultado das ckcumstancias e do nteres
se .(ue os governa : elles ento se admiran) e mes-
mo se irritan), quande vem n'outrem a perseve-
ra nea deijue nao teem sido cacaees, por que etta
nao dada seno as almas fortes, e qnando o
fruclo de-urna convicio sincera e reflectida.
Considerando nos a oppostcw que nesta provin-
cia se f ai presente siluago, oemo rnui cticuins-
pecta e razoavel, tanto que a lem desacreditado
completamente, pugnando sempre peloCompimen-
t da lei, profligando o vicio, demonstrando os er-
D'ahi partiremos para mostrar que o Sr. Jos Nao obstante a resolujao da junta da fazenda da
Vrra da Sirva nem sempre exacto em suas in-. ihesourafia provincial, que fica transcripta, nao
forma^oes, e procede como Ihe apraz, quando asobsunte haver-se expedido contadoria o offlcio,
questos se ligam a interesses de pessoas que Ihe que acaba de ser copiado, o Sr. Jos Pedro da Sil-
san affeetas ou Ihe desagradam. va mandn lavrar o seguinte despacho, e deu-o a
Tendo sido submettidas a exarne as cootas da assignar aos dous outros membros da junta que,
coilectoria do Jtio Formoso relativas ao exercicio tendo de assignar outros, nao procuraran) verificar
do ando de 1833 a 1854, reconheceu a secc.o en-1 se o que passamos a copiar eslava conforme com o
carregada desse trabalho nSo s que essas contas respectivo parecer, como se v de urna resposta,
se ackatan iitteiramenle irregulares e viciadas,, dada pelo procurador fiscal e datada de 9 de maio
denotando Islo desfalque de dinheiros, mas tambem t desse anno, que ser transcripta mais adianto, e o
que no potham ser examinadas, pisto que o respec-, assignaram. Eis a copia desse despacho, que me-
tico collector, Joaquim Jos de Luna Freir, nao rece seria reflexo, por quanto se dizia qne o collec
ros e funestos males qae temos soffrido dessa des- tinha anda recolhido as contas e ftoros do exerci- tor, de que se tratava, era quem no Rio Formoso
ordem em que actualmente rao os negocios publ- ci seguinte de 1834 a 1835, que se tornacam in- procurva votac,o, afim de que o Sr. Jos Pedro
eos de maior importancia ; e vendo que o partido dispensareis para certas confrontardes. Sendo da Silva conseguisse ser deputado provincial:
conservador ainda, e sera em todo o tempo, o par- disto informada a coutadoria, dingu-se esta ao t Approvadas na conformidade da informaco
tdo da razo e do bom senso ; que, estando fura inspector, e, transmittindo-lhe as referidas contas, da contadoria. Thesouraria provincial de Per-
do peder, ergue-s diahtedo governos com as ar-Ipediulhe que o ci Hctor fosse responsabilisado
mas da 'censura ; que, as angustias da patria pro-
jnovids pelos seus adversarios, impSe-se a resig-
elo e o silencio ; nao pedamos soffrer que viesse
ahi C. C. ou qualquer pedante fazer arguicSes a
marcha desse panino e ihe dar conselhos de mo-
dera^ao e de prudencia.
tas, quando nos resolvemos a responder-lhe, j
tinha elle araado a sene de seus artigos, em que
havia tanto nexo, que podiam ser lidos do diaote
para traz sem o menor inconveniente, por que C.
C. em todo que dize ucreve raostra-se to po-
bre de ideas e raciocinio quo db seus escriptos se
pode diierlia muita parra e pouca uva
Recolhido aos bastidores, pensando talvez qne
bnlhara nos seus communicados, pois andava a
dizor a todo mundo que erara da sua penna para
que outrem nao Ihe tomasse a gloria, p raemos,
arroz, 3 alqneires
a ordem de di-
ntrado do Ceara',
manifestou o se-
Malulo da Sena.
nambuco em sessao da junta da fazenda de 17 de
por esse novo crine ; e sendo esse negocio levado abril de 1856.-Silva.Cruz.Alcoforado.
a considerarlo da junta da fazenda provincial,
csolveu esta, em sua sessao de 17 d'abril de 1836,
que se procedesse de couformdade com o parecer
do procurador fiscal, datado de 6 desse mez ; mas,
nao obstante, o Sr. Jos Pedro da silva, por sen
despacho de 17 desse memo mez, considerou ap-
provadas as contas relativas ao exercicio de 1853
i 1854, e, nao satisfeito com isto, mandn no dia
seguinte que a contadoria lavrasse termo de appro-
vacuo e archivasse. Eis as copias desses dupa-
chos :
Approvadas na conformidade da informagao
da contadoria. Thesouraria provincial de Per-
nainbucu m sessao da juuta da fazenda de 17 de
abril de 1856. >
Remetlido ao Sr. contador, para mandar la-
CORRESPONDENCIAS
Sr. Jos Pedro da Silva perante a asscinbla
provincial.
Tinhamos dito, ao terminar o nosso ultimo arti-
go, que feriamos pausa e esperaramos que o Exru.
Sr. Ur. Castello Branco, presidente desta provincia,
apreciando o que haviamos escript) e se acha peo-
vado com documentos oIBciaes, se dignasse de pro-
ceder com rectido, cumprindo por este modo o
programma de sua administracao baseado so-
bre as palavras- moraUdade e jusiiea,que se tor-
naran) sacramentaes: mas, taes soas inexaclidoes,
que se nolam as informacoes que emaoam do Sr.
Jos Pedro da Silva, tao parcial se mostra elle,
quando qualquer negocio, que depende de decisao
sua, aflecia interesses de pessoa que entra no pe-
queo numero de seus amigos, ou compe o gran-
de cortejo de seus desaffeicoados, que, para que se
nao supponha que a fonte esgolou-se, iremos de
tempo6 a lempos nrogredindo na serie de nossos
artigos.
Corre que o Sr. Jos Pedro da Silva s aguarda
o eneerramento dos trabaIhos da assembla provin-
cial, para poder descarregar livreraente seus gol-
pes viogativs sobre os empregados da thesouraiia
proviocial, aos'quaes attribue as inrormacoes que
* temos tido.; mas, se o Sr. inspector interino est
persuadido que de sua Uiesouraria que nos tora
vindo o couhetimento dos fados apresentados, en-
gana-se completamente, porquanlo ss uossas In-
vestigagfies deveraqs o termo;! chegado ao resultado
que desejavamos. Se exacto o que temos ouvido
dizer, isto mostra que o Sr. Jos Pedro da Silva s
procura pretextos para tirar vioganea daquelles
empregados que nao se Ihe curvam, como escravos
submissos, e, nao podendo prejudicar-nos, porquan
lo delle nao dependemos e o conhecemos mais do
que suppoe, preparase para fazer pagar innocen-
tes por culpados. E' a serpente mordendo o ins-
trumento que a fere, na impotencia de morder a mo
que dirige esse instrumento I
Lastimaremos, se realisar-se o que prevemos e
dito, e isto se dever conservaco doSr. Jos Pe-
dro da Silva em urna reparlicao, na qual, segundo
temos ouvido dzer, conta poucos, uui poneos ami-
gos ; mas nao ser a primeira vez que o Sr. inspec-
tor tnzVnno recorrer a esses meios, que repulamos
j' ran) parte do pessoalide sua thesouraria, para attes-
ta-lo e a a posentador ia do Sr. Jos Mar ia da Cruz, no
lugar de contador, bem significativa.
Se o Sr. Jos Pedro da Silva nao" nos conhecesse,
provavelraente j teria dado mostra de sua arro-
gancia ; mas elle sabe cora quem luta, e prev que,
se nos oceuparmos seriamente de sua alta in-
diyidualidade, nao se satura muilo bem, polsque
nao fazemos parle do pessoal de sua reparlicao.
Todava, tal seu orgulho, que por vezes se v col-
locado em serias dtfflcaldades, como succedeu na
discuaso relativa deraudacao do corpo de poli-
ca. Prevemos que o Sr. Jos Pedro da Silva, em
suas frequentes entrevistas com o Exra. Sr. Dr.
Castello firanco, se ha de oceupar, se J o nao tem
/cito, largamente e a seu modo, de nossa pessoa;
mas, se assim fr, Ihe prometlemas que no tim Ihe
aremos o troco, e ento S. Exc. ouvir de nos o
qne sem dovida nao agradar muilo ao Sr. Jos
Pedro da Silva.
Estamu persuadidos que o Sr. Jos Pedro da Sil-
va espera pela approvaco do parecer da commis-
sao da assembla provincial eoearregada de proce-
der a exame em na thesouraria, allra de fazer seu
proprioelogio ecobrir-nos ento de baldoes; mas pa-
receres similhantu j nao illudem pessoa alguma,
porquanto depulados, que nao eeabecem os-*ci<-
nlios dessa reparlicao, nao podara fazer nella co
Iheta provetosa. Se essa coramissoesliTesgeauxila-
da por pessoa que conhecesse esses escaninhos, e
fosse direito ao que se deseja, ento as cou-as mu-
daran) de aspecto. Queira o Exm. presidente da
provincia nomear urna eommisio coinposia das
pessoas que Ihe indlcarmos, e adiarse presente
dorante as investigares que ti ver m de ser fe i tas,
para que o Sr. Jos Pedro da Silva, atemorisaodo
sens empregados, nao embarace as pesquiza?, e
estamos persuadidos que alguma cousa se conse-
guir. At descoberta das traficancias da
thesouraria provincial, em 1848, nenhurna com-
misso sabida da assembla provincial para exa-
mina-la bavia encontrado irregularidades nos exa-l
Em seu primeiro despacho dizia o Sr. Jos Pe-
como la dizem, o furor de ihe tirar as cataratas que vrar o competente termo de approvaco e archivar.
nao o deixavam ver a puvidade de suas produc-1 Thesouraria provincial de Pernambuco, 18 de
coes ; mas a vaidade de C. C, que uta sempre a ; abril de 1856
acotovella-lo para que se mostr como eserfptor
elegante, como um genio, sem que elle se aperceba
do que v.rdad iramente vale e do que medio-
cridade rasatrouxe-o mesmo como diz o rifo
bocea do lobo.
No Diario de hoje enectou elle nova serie de ar-
tigos intitulada O Constitucional e a Admimstra-
gao com um communicado que se divide em
Constitucional s nomeces do delegado de Pao-
d'Alho e do commandame do corpo de polica; e
a segunda sobre a forma ou reda.-cao de um pe-
riodo grammatical do artigo de fundo do mesmo
Constitucional que se oceupou de censurar aquellas
nomeacoes.
E' pois chegada a occasio de reduzirmos C. C
s suas justas proporefos: esta feilo o nosso
prembulo Em outro artigo promettemos fazer-
Ihe patente a ignorancia que revelou em sua cri-
tica pueril e insensata. Nao o fazemos desde j,
para que tenha poblicaco immediata este princi-
pio de entreteaimenlo que vamos ler com o nosso
Aristarcho.
Reclfe, 10 de ma-io de 1665.
L. L.
E nao satisfeito com ter mandado lavrar esse
despacho, que se achava em inteira contradiego
com a informaco da contadoria, como se vio dessa
informaco j transcripta, no da immediato expe-
dio a ordem seguinte, que ainda maior reflexo
merece :
Remetlido ao Sr. contador, para mandar la-
vrar o competente termo de approvaco e archivar.
Thesouraria provincial de Pernambuco, 18 de abril
de 1856.-Silva.
Senhores redactores Mais urna
prurido de ver meu nome era letra redonda recor-
ro ao seu jornal para pedir ao Tupy,que se tem
contas a ajustar comigo trate disto, porm de um
modo mais digno e cavalleiroso. /
RecoBBco a supremaca, que saa alta persona-
lidade concede a Pedro da Cunha, sobre mlm em
muitos pontos e em todos mesmo, visto qne assim
o declara.
E', como vulgarmente se diz, um pu para toda
obra, tem de mais a mais umCavalcam para
remate do seu nome, saosmiles cum simi libus
lodos os respeitos, e tanto basta.
Disfructem, pois, lio digno consorcio, mas dei-
xe-me en) paz.
Novo Monte Alegre, 27 de marco de 1865.
Joao Alves Camella Fretro de Lyra.
tumam frequentar aquella sala, tai urna deltas des-
: feiteadas por um desses socios sem que os demais
cendemnassem semelhante procedtmento e ao con-
I trario, nos consta, Ihe pediram para que conlinuas-
o se a fazer parte da sociedade I I Faotos desta or-
dem a ser exacto, dispensam qualquer commenta-
rio, pois o publico sensato e imqarclal Ibes dar o
valor necessario.
Al logo.
o Mananno.
Srs. redactores. O correspondente Ugueiro
d'aqui para o Jornal do Commercio, entre outras
fbulas e mentiras que manda dizer para a corte,
escreve o seguinle, para cujas escandalosas inexac-
lidoes chamamos a allencao publica. Ei-lo :
O Sr. commendador Domingos de Souza Leo,
que acha-se nesta cidade desde o fira do mez pas-
sado, nao a deixar em quanto nao embarcar-se
E'manifest que estes dous ltimos despachos P"a ahii o Io corpo de voluntarios da provincia,
susiavam todo e qualquer procedimento, que po- Par> enja creaco foi um dos que mais concorreu
desse ter a contadoria em relacao responsabili- Pr meio de suas extensas relacoes na mesma
dade do ex-collector do Rio-Formoso, vstoque o provincia e dos prmiimoeu amigu a quem se di-
Sr. Jos Pedro da Silva considerava approvadas as rigto e cora ouem conta.
comas desse funecionario, e mandava que se la- 'A casa de S. Exc. o ponto de reoniao de to-
vrasse o competente termo de approvagao e fosse dos os progcewistas qtae porflam em dar ao dis-
este archivado, sendo de notar que o ultimo despa- tincto pernamburano, e cada dia mais, todas as
cho era de data posterior nao s da resolucao da provas de profunda adheso e sympathias.
junta da fazenda, seno do offlcio do inspector, Pol* bem : interpellamos ao Sr. correspondente,
dro da Silva que considerava approvadas essas : em que este mandava, de conformidade com essa Qne declare quantos voluntarios se alistaran) por
contas na conformidade da informaco da conta- resoluto, que esse collector fosse responsabilisa- influencia immediata do Sr. commendador Domin-
doria ; entretanto o contador, em sua nformago, do, extrahindo-se as contas para serem remetlidas gos de Souza Leao, e qnaes as pessoas, que por
pedia que o referido collector fosse responsabili- ao juizo competente ; mas o contador reconhecen- cartas que delle recebessem mandaran) volunta-
ndo, e declarava que suas contas estavam irregu- do que a informagao da contadoria estava longe de | ros ? Faga-o, que s assim tirara da dovida o
taras e viciadas, baseando-se no exame que havia autonsar a approvaco das contas do referido col-
sido Jeito. Eis a copia dessa intormacao, e do ter-; lector, e que s por sorpresa ou por falta de allen-
rao de exame a que se procedeu nessas contas : co de sua parto poda elle ter prestado sua assig-
Vendo das informacoes juntas, dadas pela natura ao despacho de 17 d'abril, em que o Sr. Jo
primeira secoao desta thesouraria, que as contas s Pedro da Silva considerava approvadas essas
apresentadas pelo ex-coitoctor do Rio Formoso, contas, hesitou em cumprr a ordera recebida.
Continuaremos na exposigo desse faci, que nos
Joaquim Jos de Luna Freir, se acho tnteira-
mente irregulares, e viciados diversos ferredme1
parece que por esse faci, deve-se fazer effeettoa a
responsabilidade do referido ex-collector, sem que a
isso embarace o fado de j estar elle semlo submet-
lido a processo, por extravos dos dinheh i que re-
ceben, visto nao merecercm a menor f semelantes
contas, e mesmo para que da condescendencia de
to arrojados abusos, nao lirera os de mais ex-'
actores da fazenda provincial, a errada concluso '
de que podem impunemente desusar se da linha
de seus deveres.Contadoria provincial de Per-!
nambuco, 12 de fevereiro de 1856. O contador
Jos Mara da Cruz.i
t O collector do Rio Formoso Joaquim Jos de
LunaFreire arrecadou no exercicio de 1853 a 185i
a quantla do 8:6775962, que unida a de 38,5880
arrecadada no trimeslre addicional ao exercicio de
1852 a 1853 de que se nao tomou ronhecimento
no exame das comas daquelle exercicio, prefaz a
importancia de 8:71684z como ludo consta dos re-
feridos livros.
O referido collector fez entrega de 8:438^810,
haveudo assim a falta de 278032 e mais a de
i9200O, sendo do decima f00000 e de meia
ciza 92,3000, que deve restituir aos cofres desta
thesouraria.
O fado dutas duas ultimas differencas na im-
portancia de 192&0O0 consta dos respectivos li-
vros, vendse no de dcima a partida de receita
N. 85 de 18 d'agosto de 1854 lancadi por extenso
na importancia de 438,5480 que pagiran os her-
deros de D. Francisca Antonia Lins etc., e na co-
lumna dos Ns. 338&480, achando-se raspado o lu-
gar em que assenta a primeira letra dessa quantia
no valor de trezentos mostrando assim
parece muito importante por si e pelo que delle
seguiose; e ento se ver como a proteceo e par-
cialidade do Sr. Jos Pedro da Silva se foi mani-
festando neste negocio.
Zome.
HUMA VIDA SALVA i
Breve mas necessaria res-
posta.
Desde que o directorio do partido liberal desta
freguezia resolveu nao dar a menor resposta ao
que, sob a firma dePedro da Cunha Cavalcanti
de Albuquerque, escreveu e fez publicar alguem no
sqn Otario n. 13 de 10 de Janeiro, Atoo, livre a
qualquer faz lo por si, e, pois, releve-se-nos que
signan cousa digamos a respeito.
Seremos breves, pois nao nosso proposito con-
testar o histrico do facto narrado pelo Sr. Cunha
ou alguem por elle; todava diremos, que o corres-
pondente, frtil em sophismas, como o provou de-
fendendo-se de haver concorrido para a conquista
de algum engenho, o foi ainda oa pintura do qua-
dro que Ihe encommendaram.
Esquecido, entretanto, de que nao fallava por si,
ou querendo rani calculadamente sacrificar o seu
amigo, S. S. deu lugar que o ferissemos com a
mesma arrna, que contra nos dirigi.
Os termos de brulamonle, asquerosas gralhas,
energmenos e outras amenidades desta ordem
empregados por um Pedro da Cunha seno des-
pertam odio, por certo que inspiram compaixo. E'
natural que a tenhamos por mais de urna razo.
O publico nao conhece essa entidade, que aqui
consume ella s o grande partido do progresso;
se conhecesse pasmara tomado de assombro ao i
a mudanza
que soffrera de 400 para 300, e conseguintemente v-lo empregar esses termos, seno em relacao a
raspada a aimma total, e raspado o termo de en- outros, mas em relacao a ura sacerdote respeita-
cerramenlo nos lugares onde coinciden) os dizeres vl por muitos ttulos, e que o mesmo Pedro da
em relacao ao faci. Cunta o primeiro a notar, que nisto figure, mal
Quanto a differenca na meia-ciza provm ella ; comprehendendo assim o carcter sacerdotal, de
da circunstancia de baver o mesmo collector, no | que se acha revestido.
transporte da quantia da pag. 16 vers. para a png.
17 invertido os algansmos de maneira que, con-
tendo aquella pag. a importancia de 653&720, pas-
son-para a seguinte a de 3635720, havendo assim
adillerenca de 905000 contra a fazenda, que se
n remediou mais ; occorrendo ainda a circums
tancia de haver erro lambem centra a fazenda na
importancia de 25000 na somma da col. 3 vers.
que devendo eonter a quantia do 135000 contm
a de 135000. Encontram-se estes fados no livro
de continuagao de receita de meia-ciza onde se ob-
Pois quo I ha nada a notar em energmenos,
brutamente asquerosas gralhas, entidades, que sa-
hiram dos seus antros etc. etc. ?
Que conceito pode merecer quem tem a ousadia de
tocar nessa reputadlo celebre pelas falcatruas com
o proprio sogro, sobre questes de torras, e que nao
se pejou de lomar, como autoridaCe, um cavallo
alheio para fazer delle presente ao seu protegido?
E Pedro da Cunha, sob qualquer relacao pode
qualiiicar ninguem de bruto, de energmeno ?
Mas tenhamos compaixo desses pobres de espi
servara outros muilos de raspadellas que do logar rito, que s esto bem quando desempenham o pa-
a suppor-se ; nao podendo de forma alguma deter-; pe]_de instrumentos.
minar-se precisamente as causas que as occasio
naram.
Alm do que (lea expendido deve attender-se,
que a (alta de 2785032 relatada em primeiro lugar,
pode ainda ser justificada em face dos novos livros
que lem o referido collector de entregar, pelos
quaes se deve conhecer de quantias entregues,
cujo tempo de arreeadago se ignora ; e nesle ca-
bos econfuso em que se acho semelhantes con-
tas, s poderao ser ellas liquidadas conveniente-
mente em face dos referidos livros.
Quanto aos livros e conhecimentos nenhurna
duvida ha pela entrega que fez desses objectos
cora exactidao. Primeira secgo da contadoria
provincial de Pernambuco, 19 de dezembro de
1853. O 2o escripturario Joaquim Marinho Caval-
canti d'Albuquerque.
Tendo o Sr. Jos Pedro da Silva recebido a in-
formaco, que fica transcripta, por seu despacho
de 19 de fevereiro de 1836 mandou que ella fosse
com vista ao procurador fiscal, e este, em 6 de
abril desse anno, deu o seguinle parecer :
como parece ao Sr contador, devendo fazer-
se effeetivas as disposicoes do decreto de 5 de de-
zembio de 849, que Ihe sao applicaveis.Recife 6
de abril de 1856.G. Alcoforado.
A' vista desse despacho o negocio, de que se tra-
ta, nao podia deixar de ser submettido considera-
cao da junta da fazenda da thesouraria provincial,
e, tendo-o 6ido, e>la em sua sessao de 17 de abril
desse mesmo anno resolveu o seguinte :
O Sr. inspector submelteu decisao da junta
a responsabilidade do ex eollector do municipio do
Rio Forra'so Joaquim Jos de Luna Freir relativa
renda que arrecadou e nao enlregou no exercicio
prximo lindo, visto como nao era possivel co-
ohece-la por nao ter elle recolhido os livros desse
exercicio, nao obstante as deligencias que para isto
bavia empregado, e lerabrou que algum meio se
deria ad iplarpara fazer effectiva esta respons)bili-
dade no caso de ser a importancia da renda que o
dito collector recolheo por conta desse exercicio
maior do que o termo medio da arreeadago feila
nos tres anteriores, que devia servir de base para
a dita responsabilidade.
< A junta resolveu, que pelo dito termo medio
fosse calculada a renda do exereicio em questo, e
que caso se verifleasse a bypothese figurada pelo
Sr. inspector se observasse, para a responsabilida-
de, a proporcao em que devia estar o referido ter-
mo medio para o lempo em que o mencionado col-
lector nao fez recolhimeoto algum, isto que se
obrigasse a fazer um quinto, loas quintos etc., do,
Fixemos, porm, alguns dos pontos de sua cor-
respondencia. A ignorancia dos limites da subde-
legara, a declaraban previa feita ao delegado do
termo de que o Sr. Francisco Xavier nenhum fun-
damento linha para dizer (sera ainda o ter dito)
que o moleque fura insinuado, o depoimento deste
peranteo subdelegado de Cruangy, incumbido pos-
teriormente pelo chefe de polica de continuar nes-
sas averiguarles, depoimento do qual se conclue
que effeclivamente deu-se a insinuago, nao diz
ludo e muilo mais do que pode dizer toda essa his-
toria, que arranjada a 23 leguas de distancia (isto
dado e nao concedido qne Pedro da Cunba fosse'
capaz de arranja-la) foi publicada no seu Diario
de 19 de Janeiro, sendo datada de 16 do mesmo
mez?
Quanta inverosimilhanca I
O Sr. Francisco Xavier nunca se inculcou de
mostrado e sapiente: tem apenas consciencia do
que e do bom conceito que merece ; mas nem por
Isso era Pedro da Cunhao analpbabeto o mais
competente para dar aos outros o que smente Ihe
pertence.
Se foi em relcelo tanto peior, por que mais
analphabeto a autoridade que enva ao delegado
um feto, presumindo um aborto toreado, para pro-
ceder a vistoria em que se vio embaraeado apezar
de sua reconhecida proflelencia em todos os ramos
nos conhecimentos humanos.
Agora porque esse padre coroprehendeu mal o
seu carcter sacerdotal t
Por.que figurou nesse protesto ? J vemos, que o
escrevente do Sr. Cunha nao comprehende a ne-
cessidade das associacoes polticas que esto ad-
strictososraerabros deum partido.
Nao ha duvida: est de accordo com os seos
precedentes, S. S. daquelles que s admiltem se-
nhores e ucravos, aos quaes se ordene e seja obe-
decido. Nao tolera indisciplinados, e esta freguezia
que o diga.
NSo temos conhecimento algum de nenhum
caso que to perfeitamente mostr d'uma ma-
neira a mais clara e persuasiva o poder da
Sciencia Medica sobre a molestia; qual seja o
de Antonio Joaquim Peueiba, da Bahia.
Ejete homcm infeliz havia mais d'um anno qne
soffria as dores as mais atrozes e pungentes
proveniente de
Treze
Tcrrivcis Ckagas Abortas
espalliadae por sobre differentes partes de seu
corpo, sendo urna das quaes sobre o peito do p
urna funda e maligna chaga, a qual o priva va
de andar, cauzando-lhe as dores as mais agoni-
santee qner de dia quer de noute; continuada-
mente atormentado por taes affliccoes e dores,
e quasi que aborrecido da continuaco de sim-
ilhante vida, tendo posto de parte toda a fe' e
confianca enxinedocinns, e na realidade pareca
qu para elle nao Ihe restava mais esperanga
alguma; assmi pois resignado esperava com-
paciencia o termo final de seus mutiplicados
8offrimento9, eis que milagrosamente por for-
tuna sna llie receitarSo o grande purincador
do sangue
A Salsaparrilha
DE BRISTOL
e mediante r. sua grnndo clcacia e excellencia
elle se achou dentro de pouco tempo, livre do
seu irremcdiavul estado de desespero, e a doce
e risonha eaperanca tornou de novo reviver
em seu coracao; sob a poderoza e benvola in-
fluencia deste admiravel medicamento, as suas
chagas em breve principiar-So assumir um ca-
rcter favoravel diminuindo o aspecto de sua
malignidadc A nu.-sii do sangue e mais
humores, do syst;ma tornou adquirir urna
upparencia clara e saudavel, as dores ator-
mentadoras d'outro ora o deixaro, c urna dooa
e suave tranquillidade principiou precorrer
todo o seu systema, restaurando-lhe a desojada
paz e sacego d'espirito; as chagas urna urna
so forao fechando at que finalmente se cica-
trizarto d'um todo, e hoje acha-se perfeita-
mente sao, gosando d'um peifeito estado de
saude, depois do se ter visto privado d'este
grande gozo durante mais d'um anno. Elle
durante esta sua cura, apenas fez uso de
Desasis garrafas da Oenuina Salsaparrilha
de Brisiol, preparada exclusivamente por
LANMAN & KEMP,
De i\OVA YORK.
Recommenda-ee mui particularmente aos
Doentes d'ambos os sexos, que empreguem
toda a cautella na escolha d'este admiravel
remedio, afim que nao obtenho outra com-
posicao qualquer, que nao seja a Salsaparril-
ha Genuina de Bristol, pois qne todas as
mais preparasoes e imitacoes d'esta natureza
sao falsas nao possuindo virtude alguma.
Vende-se as boticas de Caors 4 Barbosa
e C. Bravo & C.
Sociedade Nova Unio.
Um importante curativo.
Nao tenros conhecimento algom de nenhum ca-
so, que to perfeitamente mostr de urna maneira
mais clara e persuasiva o poder da sciencia medi-
ca sobre a molestia, como o que se deu com o filho
do Sr. coronel Tibnrtno Pinto d'Almeida da cida-
de da Victoria. E, que ha ponco se acha-
va inutilisado, solfrendo as dores as mais atrozes e
pungentes, proveniente de excrescencia, ou exos-
tosis nos ossos, acha-se hoje restsbelecido e com
praca de lente no batalho de voluntarios da pa-
tria, qae segoio para o eampo da batalha em desa-
fronla dos nossos brio.. SolTria elle em diferentes
partes do corpo dores as mais agonisantes, qner
de da, qner de noite continuamente atormentado
por taes alicroes e dores, quas que aborrecido
da existencia, tendo posto de parte toda f e con-
fianza na medicina, porque experimentou todos os
remedios por elle conhecidos; e na realidade pa-
reca, que para elle nao restava esperanza algu-
ma : eis que se resolve a submetter-se ao uso do
xarope alchoolico de veame, e immediatamente
pela efficacla e excedencia deste xarope o mesmo
se achoo, dentro de pouco tempo, livre dos padeci-
mentos, e a risonha esperanca lornou de novo a
reviver em seu coracao sob a poderosa e benfica
influencia deste admiravel medicamento; o cresci-
mento da testa, e de outras partes do corpo em
breve principiaram assumir um carcter favoravel,
diminuindo o aspecto de sua maligoitade. Amas-
sado sangue, e mais humores do syslema, torna-
ra adquerir urna apparencia clara e sandavel;
as dores atormentadoras d'outr'ora o deixaram, e
urna doce e suave tranquillidade principiou a per-
correr todo o seu systema, restaurando Ihe a dese-
jada paz e socego de espirito ; os lagares cresci-
dos do seu corpo, regtilarisaram se, pondo se no
seu estado normal, e hoje se acha perfeitamente
sao, gosando de nm perfeito estado de sade, de-
pois de se ter visto privado desto grande gso du-
rante bastante tempo. Elle durante esta sua cora
apenas fez uso de oito garrafas do xarope alchoo-
lico de veame preparado pelo abaixo assignado
eslabelecido com botica na ra Direita n. 88. Re-
commenda-se mui particularmente aos doentes,
que empreguem toda cautella na escolha deste ad-
miravel remedio, allra de que nao obtenhara outra
composi$o, pois que todas as mais preparares e
iraitacSes desla natoresa sao falsas. Vende-se, co-
mo fica cima dito, na botica da ra Direita n. 88
de
Jos da Rocha Paranhos.
Rodrigues.
1,279 meios de sola, 30 sa
farinha secca, 1 csixao
versos.
RlatB krasi Itero OmmwaUa\
consignado a Tasso Irmas
guMMe :
9?5 conrintM corneal**, io saceos cora 100
arrobas e> cra-de carnarrba, 1 caixo com 4 arro-
bas e 20 libras de vellas, 390 alqueres de sal, 100
molhos de palha; aos consignatarios.
Vapor brasileiro Parnnn, entrado dos porras do
norte, manifestou o seguinle :
Do Maranho.
75 meios barrs manteiga de vacca ; a or-
dem.
Do Para.
30 meios barrs manteiga de vacca e 30 ditos
banha de porco, 2 caixas cora 696 chapeos do
Chuy; a ordem.
Brigue francez Aimable Celeste, entrado de Celle,
consignado a N. O. Bieber guinte :
113 pipas, 42 meias ditas,413 barris de quinto c
210 ditos de-dcimo vinho trato, 300 barris do
quinto vinho branco; aos consignatarios.
Barca ingleza Olmda, entrada de Terra-Nova,
manifestou o seguinte :
2,300 barricas e 2 caixas bacalho ; aos mes-
raos.
i: sport avo.
Brigue inglez Salinas, carregeu para Xew-
York :
3,000 saceos com 15,000 arrobas de assucar
mascavado.
Escuna hollandeza Elisabeth, carregou para o
Canal :
2,400 saceos cora 12,000 arrobas de assucar
mascavado.
Patacho brasileiro Jaboatao, carregou para New-
York por Macei :
2,864 couros seceos salgados com 78,890 li-
bras.
RECEBEDORIA DE RENDAS INTERNAS GE-
RAES DE PERNAMBUCO.
Rendiraenlo do dia 1 a 9...... 8:6615353
dem do dia 10................ 461*461
9:!2281i
Rendimento do da
fdera do dia 10.
CONSULADO PROVINCIAL.
1 a9
24:5905711
3:367*201
27:957*912
MOYIMENTO DO POETO
PRAQA DO RECIFE.
Cota^es ofQclaes.
10 de maio.
Algodao primeira sorlc12*300 por arroba.
Dubourcq Jnior,
Presidente.
Guimaraes,
Secretario.
Novo banco de pernaniboco.
Os administradores da raassa fallida de Joaquim
i Jos Silveira pagana o Io divideado de dita raassa
na razao de 9 0/0 sobre o valor des ttulos ad-
mellidos : no novo banco de Pernambuco ra
do Trapiche n. 34.
mwn ----
Cal va filial do banco do Brasil
em Pernambuco.
19 de abril de 1863.
Tendo-se desencaminhado do espolio de Bernar-
do Jos Pinto a cautela de 43 aeces das localisa-
das nesta calxa, sob ns. 1239 a 1281, a directora
faz publico a quem interessar possa, que por parte e hora cima designados,' pare"qnelenhalogar
de Antonio Jos Ramos de Oliveira, do Rio de Ja-' deligencia decretada.
neiro, autor dos herdeiros do dito Pinto, se vai ti para que chegue ao conhecimento de todos
aqu proceder transferencia das referidasacgies ser publicado e afllxado na forma da lei.
Navios entrados no da 10.
Liverpool38 dias, barca ingleza Eleonor, de 298
toneladas, capitao Thomaz Campbell, equipagem
14, carga carvo; a Phipps Brothers & (1
Navios saludos no mesmo dia.
Rio de Janeiro.Brigue nacional Superior, capitao
Joaquim Antonio Dias, carga assucar.
Rio-Grande do Sul.Patacha nacional Relmpago,
capitao Luiz Antonio Rodrigues, carga assucar.
Rio-Grande do Sul.Brigue nacional D. Mauricio,
capitao Francisco Xavier Gomes, carga farinha
de trigo e outros gneros.
Aracaty.Palhabote nacional Sanio Cruz, capitao
Jos Victorino das Neves, carga differentes g-
neros.
Rio-Grande do Norte.Escuna ingleza Commodore,
capitao M. P. Rowe, em lastro.
EDITAES.
O Dr. Tristao de Alencar Araripe, offlcial da im-
perial ordem da Rosa, juiz de direito especial do
commercio desla cidade do Recife de Pernambu-
co e seu termo, por Sua Magestade Imperial e
Constitucional o Sr. D. Pedro II a quem Dos
puarde, etc.
Fago saber aos que o presente edilal virem, que
a requerimento de Justino Martyr Correia de JJel-
lo, acha-se aberla a fallencia de Antonio Emigdio
Ribeiro, pela sentenga do theor seguinte :
Verificndose que Antonio Emigdio Ribeiro fez
cessacao de pagamentos, e acha-se insolvente, de-
claro em virtude da superior decisao afl. 77 v. o
dito Antonio Emigdio em estado de fallencia, e
mando que, postos sellos em seus bens, livros e
papis, proceda-se nos termos da arredaeao. Para
o cargo de curadores fiscaes da massa fallida no-
meio os curadores Justino Marlyr Correia de Mel-
lo e Manoel Joaquim Ramos e Silva & Genros, que
prestaro juramento ; sendo convocados os credo-
res para se nomear depositario no dia 12 do cor-
rete mez as 11 horas da manha, e publirando-se
a fallencia por editacs.
Recife, 8 de maio de 1865. Tristao de Alencar
Araripe.
Em tempo. E nos termos da referida superior
decisao fixo a data da fallencia no dia 30 de dezem-
bro de 1862, poca do venrimento do titulo mais
anlieo, d'entre os qne dos autos.consta. Era supra.
Tristao de Alentar Araripe.
E mais se nao conlinha em tal sentenca, e pelo
presente siio convocados os respectivos credores a
comparecerem na sala das audienciencias no dia
para o n)me dos mesmos herdeiros.
O guarda-livros,
Ignacio Nunes Correia.
.Voto banco de Pernam-
bnco.
O banco desconta letras sa presente semana a
10 por cento ao anno at o prazo de quatro me-
tes, e a 12 OjO at o de seis mezes, e toma dinhei-
ro a juros a praso nunca menor da tres mezes-
Caixa filial do itanco do Brasil em
Pernambuco.
A directora desta caixa saca sobro o banco do
Brasil no Rio de Janeiro e sobre a caixa filial do
mesmo banco na Bahi.
\ovobanco de Pernambnco.
O banco paga o 14 dividendo na razao de8*
dor aefao.
Os energmenos o sao porque pertencem a esse
numero: nao foram escravos, nao saoverbi gratia
um Pedro da Cunha. Em nosso communicado de 5 do correnle, cora
- Se os prelos da provincia teem sido por essa ra- referencia aquella sociedade, demonstramos que
zao atormentados, e muitos nomes coodemnados a; um grupo de mogos levianos, dispunham alli as
obscuridade teem se folio ver em leltra redonda, j cousas de maneira a desconceitnarem a associa-
entre os quaes o do Sr. Francisco Xavier, membro [ gao I I foi nosso ponto de partida a forma incon-
considerado do directorio liberal e eleltor indiscipli- i veniente porque procedern), occasionando a des-
nado, o que prova ter elle tomado parte activa na pedida de socios que alli mantinham o respeito e
poltica, e por consegrante incorrdo no mesmo cri- j decoro neeessarios.
me de rebelda, qne muito custa a homens livres Nosso proposito nao provocar discnsslo com
serem votados ao ostracismo na mesma poca apre- quem quer que seja, e menos anda cora pessoas a
goadado progresso, e sobsliluldos por um Pedro qnem nao damos importancia ; mas relatar fados
ALFANDEGA.
Rendimento do dia 1 a 9......
dem do dia 10...............
246:845*772
33:788*273
274:634*045
MOVIMEiSTO DA ALFADEGA.
Volumes entrados com fazendas___ 243
com gneros..... 463
------ 706
Volumes sabidos com fazendas..... 101
< c com gneros..... 1,052
-------1,153
Descarregam no da 11 do corrente.
Galera francezaAdele mercadorias.
Lugre portuguez;/iolagedo.
Brigue francezAmafcifevinhos.
Barca francezaRio Grandeo resto.
Barca ingleza- Ronald-mercadorias.
Barca dinama-qnezaZorafarinha de trigo.
Barca iBgleza0/indabacalho.
Brigue hollandezAguarlosfarinha de trigo.
Barca portoguezaS. Joito charque.
Kscona hanoveriana lezma idem.
Sumaca hespanholaMerceditadem.
Brigue nacionalCar diadem.
Barca inglezaCommodorecarvo.
Barca inglezaRelie Pouleiem.
Brigue inglezIzabellaidem.
Barca norueguense Tasmaniadem.
Brigue inglez Byzantrumidera.
ImportacSo.
Palhabote brasileiro Lindo Paquete, entrado do
Maranho, consignado a Antonio de Almeida Go.
mes, manifestou o seguinte :
Gneros estraogeiros.
18 barris bren; ao consignatario.
20 saceos cominhos ; a Thomaz Times.
6 caixas brim de linho e algodao ; a Henrique &
Azevedo.
Recife, 10 de maio de 1865.
Eu Manoel Maria Rodrigues do Nascimento, es-
crivao o subscrevi. _
Tristao de Alencar Araripe.
O Illm. Sr. inspector da thesouraria provin-
cial, em rumpriniento oa ordem do Exm. Sr. pre-
sidente da provincia, manda fazer publico que no
dia 24 do corrente, perante a junta de fazenda da
mesma thesouraria, se ha de arrematar a quem
por menos fizer, a pintura das pontes de Jaboatao,
Seraphira Pinto, Morenos. Bento Velho e Tapacura,-
todas na estrada da Victoria, avahadas ero. rs.
530*000 rs.
A arremalago ser feita na forma da lei pro-
vincial n. 343 de lo de maio de 1854, e sob as clau-
sulas especiaes abaixo declaradas.
As pessoas que se propozerem a essa arremata-
gao comparecam na sala das sessbes da referida
jnnta no dia cima mencionado, pelo meio dia, e
competentemente habilitados.
E para constar se mandou publicar o presente
pelo jornal.
Secretaria da thesouraria provincial de Pernam-
buco, 10 de maio de 1865.
O secretario,
A. F. d'Annunciago.
Clausulas especiaes para a arrematago.
1* A pintura das diversas pontos cima mencio-
nados serao feitas de conformidade com o orga-
mento na importancia de 530*000 rs.
2' O arremalante dar comego aos trabaihos no
prazo de 15 dias, e os concluir no de dous mezes,
ambos contados da data da arrematago.
3* 0_ pagamento ser effecluado em urna s
prestago, logo que tenha concluido todas as pin-
turas.
4a Para o mais que nestas clausulas se nao pre-
vine, observar-se-ha o que dispoe a lei 286.
Conforme,
A. F. d'Annunciago.
O Dr. Tristao de Alencar Araripe, offlcial da impe-
rial ordem da Rosa, e joiz de direito especial do
cornmerclo desla cidade do Reci/e de Pernam-
buco, e seu tormo por Sua Magestade Imperial
e Constitucional, o Sr. D. Pedro II a quem Dos
guarde, etc.
Fago saber pelo presento, que no da 5 de se tem-
hro do corrente anno, pelas 11 horas da manha,
na sala das audiencias, ter lugar a reunlo dos
credores da massa fallida de Guilherrae Carvalh
Si C-, de conformidade com o art. 133 do regula-
memo n. 737 de 25 de novembro de 1850, afim de
que, reunidos todos em minha presenga, verifiquen)
os seus crditos, concedam ou neguem a concorda-
ta, ou formem o contrato, e procedam nomeago
dos administradores dos bens da referida massa fal-
lida, advertindo que nenhum credor ser admillldo
por procarago, se esta nao tiver poderes especiaes
para o acto, e qne a proenrago nao pode ser dada
pessoa, qne seja devedora aos fallidos, e nem
um mesmo procurador pode representar por dous
ca mais diversos credores. Em observancia do
que lodos os credores da mesma massa fallida com-
i


>l

'
__



.*
oM 1**3
pareeam era dito da, bou e lugar designado, sob fizer, a obra da eedeia da cidade de Nazareih, T-
pena de so proceder s suas revelias. liada era 8:t93|900 rt.
AiTd, <,ae cne'1u* coftheeiraento de todos, A trremataca ser feitt na frtta dsial pro-
mandei fazer o presente edital, que ser affixado viadal n. 343 de 13 d* maie-.-de 4834,**s itiau-
nos lugares do slame e publicado pela imprnsa. Sulas especiaes ataixo^teclaftdas.
Dado e passado nesta cidade deileeife de Per-! As
pessoas que se propozerem essa arremata-
Si 1*
PAQUETES A VAPOR.
namba><, os 40 de tnaio do t*tf. Eu, Man de Camino Paes do Andrade, escrivao, o sulis- junta, no dia cima indicado,peto me dia,e coi.'p*?*"fl da coisfriSia Pemambucana de nave
crevi- petentemente habilitados.
Tristo de Alencar Araripe. i E para constar, se mandou publicar o presente
Q Dr. Tristao de Asnear Araripe, offfcial 9a 1m- pelo jornal.
Fat-se pblico que a co
mlnaado na -forra len_
aconafaohando o ed^tn i
"de imi, o ca-see, maches, <
COMPANHIA BBASIEIRA
perial ordem da llosa, juiz de direito especial do
coramercio desta cidade do Recite de Peroam-
buco e seu termo, por S. M. imperial e eoosli-
tocional o Sr. D. Pedro II, a qaem Deus guarde,
ce.
Faco saber pelo presente que no dia ii do
crreme mez, pela 1 hora da tarde, na sala das
audiencias, dever ter lugar a reomao dos credo-
res da massa fallida de Antonio Alves Vlllela, na'
forma do art. 94 do decreto do de maio de 1855,
para que, reunidos todos em minha presenga, deli-
beren) se devem ou nao entregar os bens da mes-
ma massa ao referido fallido, ou nomear adminis-j
- trador dita massa, sob pena de que ser tomada ;
Secretarin da tbesouraria provincial de Per
nambuco, 14 de marco de 1865.O secretario, A-
P. d'Aneunciaco.
Clausulas especiaes para a arrematado.
1." O editcio para a adeia do Nazareih, ser
feito de conformidade com a planta e ornamento
junto, na importancia de 18:093&00 rs.
2.' O arrematante ser obrigado a dar principio
aos trabalhos no prazo de 30 das, e concluidos
no de um anno, ambos a contar da data da assig-
natura do contrato.
3.' Os pagamentos serao feitos em 3 prestagSes
igoaes correspondentes a cada terco da obra liada.
4.* Nao ser em tempo algum attendida qualquer
objectos em es-
Pernarabu
e votada a deliberadlo pelos credores que compa-1 reclamagao por parte do arrematante tenden-
recerem, havendo-se como drenles votagao os te indemnisacao. quaesquer que sejam as allega-
ausentes, e que neuhum credor poera" ser reprc- efies em aue se bajara para ess* um, ainda mes-
sentado por procurador que sio tensa procuragao t mo por prejulzos provaflos.
com podares especiaes, e nem um mesmo procu- ] 5." Para tudo o que nao estiver especificado as
rador representar por dous ou raais diversos ere- prsenles clausulas, seguir-se-ha o que dipSe o re-
dores.
E para que chegue ao eohhecimento de todos,
mandei fazer o prsenle edital que sera' affltado
nos lugares do cosame e publicados pela im-
prnsa.
Dado e passado nesta cidade do Recite de Per-
nambu-''). aos 10 de maio de 1864.
Eu, Manool de Carvalho Paes de Andrade, es-
envo o subscrevi.
Tristao de Alencar Araripe.
O Dr. Virginio Carneiro da Cunta e Albuquerqne,
juiz e or|ihaos nesta cidade da Victoria e seu
termo da comarca de Santo Antao da provincia
de PiTnanbuco por S. M. I. e C o Senhor D. Pe-
dro II que Dos guarde etc.
Fago saber aos que o
gulamento de 9 de Janeiro de 1864.
Conforme.A F. d'Annuociago.
BECLABGOES.
gacao-costeira, acbeu todos estes
lado de poder o vapor navegar.
Inspecgo do arsenal de marinha d
co, 9 de maio de 1865.
O inspector,
H. A. Barbosa de Almeida.
Pelo juiz de orphos desta cidade vai era
praga na s.la das audiencias nos dias 13, 16 e 19
do correte (escrivao Brito) o escravo Antsnio, de
idade de 48 anuos, podreiro, pelo seu eslado de
embriaguez e pouca servico prestar, avaliado era
2005, a reqoerimento do inventarame Joo do
Prado Martins Ribeiro iunior.dos bens que licaram
por fallecimiento de seu av Luiz de Franca da
de atd o dia 26 do crreme o va-
por Cmteiro do Suf, comman-
dart'e Aleoforado,. o qnal dljpols
da demora do crtame seguir
para os polios do sal.
Des le j receben) se passageiros e engja-se a
carga que o vajior poder conduzir, a qual dever
ser embarcada no dia de sua chegsda, encom-
raendas e dinheiro a frete at e dia da anida as
2 horas : agencia ra da Cruz n. 1, eseriptorio de
Antogi* Luiz de Oliveira Azevedo & C.
Sociedtde CtjktmVM, i hospital portuguez
I De ordem do UJm. Sr. Dr. presidente. ..'Milleo DE
I aos Sr?. socios que foi marcado o da 20 paf. a HESEFICE-f 1.4 EM PER.VAM-
ptriida do i'Orrewe mez; e, ontro sim, qu '< j 11(4 0.
: forma do at. 29 dos estatutos, devem pro"Ofir. fl* ordem do Illm. Sr. pn.vedor convido a todos
! os seus bilhetesde entrada aW 1* em mi do Sr.'. o* senhores sirios da .Hospital Poriuguez a reuni-
i thesonreiro, a quem apresriitaro igualmente at rew-se noyestabelecimenn pelas 9 horas da ma-
118 as suas propala* i\' ceuvite, alim de obser i nbSa do dia 14 do corrcnie, para, nn amffibla
var-.>e o dispjsto no 4 do art. 17 dos mesou |geral, ser enmprido o tlispo^o no S dosiarl< 17
estatatos, nao recebendi* mals depois cesse dia o; e 9 dos eslalulos.
BSecretaria do Hospttal Portugwz de Beneficen-
cia em Pernamboco 10 de maio de 1865.
Joaquim Ferrira Mpndcs Gulmaraes
Io .erretario.
|io (le Janeiro.
O patacho Polycena, capno Francisco Jos Pra-
tos, segu cun rauita brevidade : para a pouca
Correio
porteiro.
ge ral
1EH0ES.
Pela adrainistragao do correio desta cidade se faz
poblico que, em viriude d-convengo postal oete- ________
brada pelos governos brasHeire e fraaeez, serio
expedidas malas para a Europa pelo vapor inglez T?TT \ f\
Paran. As cartas serao recebidaj at 3 horas AjLLji\.\J
antes da que for marcada para a sabida do vapor; De 1 mobilia de Jacaranda constando de um so-
e os jornaes at 4 horas aoles. f, 2 consolos, 1 aim de-maio de sala, 1-2 cadei-
Administrago do correio de Pernambuco 10 de ras de guarnicao, 6 cadoiras de braco-, 1 espellio
maio de-1865.O administrado',
Domingos dos Passos Miranda.
do
delle n' ticia tiverem, qne no da 20 do correte
mez das 9 as 12 horas da manha, se bao de arre-
matar era praga publica por via de venda a quem
mais der, petos escravos crioulos et nomes, Bene-
dicto de 20 annos de idado por 900&000, Florencio
Santa Gasa de Misericordia
Kecire.
Pela secretaria da Santa Casa de Misericordia
do Recife se faz publico que em maio crreme se
acham de mez os segninies Srs.: mordomos Dr.
Antonio Mara de FariaNeves, no hospital Pedro
II; tenente-coronel Acionio Carlos de Pinho Bor-
presente edital virem, e ges, no collegio de orphaos e casa dos exposlos;
e Antonio Jos Gomes do Correio, no hospital dos
lasaros, collegio das orphaas e hospicios de alie-
nados, e podern ser procurados para negocios re-
lativos aos ditos estabeleciraentos, o primeiro na
thesourarla provincial as horas do sea expedien-
te 20 annos do idade por 1:000^000, e Alexandre te, e fra deltas era seu sitio na estrada de Joao
de 20 annos de idade, sadios e de ptimas figuras, I de Barros ; o segundo em sua casa da ra da
os quaes . e Constantino, lilhos legitimas do fallecido lente- te ; e o terceiro em sua residencia na cidade nova
coronel Manuel Duarte da Costa, e vao a praga a de Santo Amaro.
requerimento do inior dos ditos orphaos, para o Secretaria da Santa Casa de Misericordia do
producto ser recolhido ao cofre dos orphaos, e dar- Recite 8 de maio de 1863.
f-e ao governo a juros na 'forma da le, devendo lee O ecrivao,
lugar as pragas de arreinalaco a porta da casa dr F. A. Cavalcanti Cousseiro.
residencia desie juizo. E para que chegue a noli- conselho de compras do arsenal c guerra
oia de todos fiz passar o presente, que se allixar precisa comprar o seguinte :
do lugar publico do coslume, e publicado pela im
prensa.
Dado e passado sob o sigoal e sello deste juizo
que ante u.im serve e valha sera sello ex causa.
Cidade da Victoria, 6 de maio de 1805.
Eu Antonio Ludgero da Silva Costa, escrivae o
escrevi.
Virginio C. Ja CunJta e Albuquerque.
20caixaz com folhas de Flandres charcoal, ten-
do cada urna 16 polegadas de cumprimenlo e 12
ditas de largura, proprias ao fabrico de marmitas :
As pessoas que quizerem vender dito artigo,
apresentem suas propostas em carta lechada, na
sala do consclho.as 11 horas da manhia do dia 12
do corrente.
Sala das sessoes do conselho de compras do ar-
0 Dr. Tristao de Alencar Araripe, oID ial seal de guerra 8 de maio de 1865.O encarre
da imperial ordem da Rosa, e juiz de Bado da escripturagao
direito esoecal do commercio nesta oda-; Pela oJ^S*.*pKSque
de do Recite de Pernambuco, por Sua a arrematago da obra dos reparos do empedra-
Mege>lade Imperial e Constitucional o Sr. ment > do tugar denominado =Areias do Giqnia
1). Pedro II, quem Deus cuarde etc. naestrada da Victoria, entre os marcos de tres a
I reaa e d'ee noticia tiverem, que Jos An-.j Secretaria da tbesouraria provincial dePernaro
tonio Moreira Dias, me dirigi a petico do .buco 5 de maiu de 1865.O secretario,
tlieor seguinte : A- F- d'Annunciago.
nim. Sr. Dr. juiz de direito especial do Arsenal de guerra.
commercio.Diz Jos Antonio Moreira Dias, 9 Sr' en,ente coronel director do mesmo arse-
mc tendo feito concordata nela fmi de nal manda faZMr pahllC0 1M no ,a 13 do curreD"
qut. lenuo leiH) contoruaia peid lirma ae !e as II horas da raanhaa recebe propostas para o
Jos Antonio Moreira Das d C., e sendo um fabrico de 300 mochilas de brira da Itussia desti-
dos credores pela quantia de ris oito ceios nadas ao segundo corpo de voluntarios, farnecen-
e oitenta e quatro mil e quarenta e quatro, do o arsenal a materia prima j cortada : os pre-
Paulrt Mncr AV cnmmprriantf phi AIIa. tondenles apresentarao nesta rcpartlgao na vespe-
i-ciuio niotie ftt., commerctante em Alie- rada arrematacaoas habilitacSes do cos'.ume.
manba de parte de quem nao a tem apresen- Directora do arsenal de guerra de Pernarabu-
tado nenlium procurador para receber a que es io de maio de 1865.
o supplican'e tem de pagar aos ditos Paulo ^ ,P e^cripitirario,
Moer & C, de conformidade com a sua Jos Alfredo de Carvalho.
concordata, isto a quantia de sessenta e. Consulado de Franca.
um mil oito centos e oitenta e tres ris, que, Conforme o art. 7 da convengao consular entre
vea a ser sete por cento, sobre o referido' Brfsj' e a Franca consul f^ncez faz publico,
supplicante recolher ao de- ffiffi'jf^ CrreD,e" '
TIISATKO
S.I
grande com moldura de Jacaranda, 6 cadeiras de
amarelto, i dita de brag.is, 2 raesas de amarello
, pequeas, 1 lavatorio, 1 armario, 1 secretaria de
amarello, 1 coinmoda, 1 guarda roupa, 3 e>laiites,
1 relogio de parede, mesas, candieiros, 1 lanlerna
de metal, tapete*, 2 escarradeiras, 1 oculo de al-
cance, li colheres de prata.
2 prelos o seus pertences com poreao do typos,
20 resmas depaoel hi.llanda liso de ns. I, 2 e 3.
Urna livraria completa conlendo obras impor-
tantes de dreito e litteratura, dos autores mais
modernos, bem como porgo de livros preprlos
para seminaristas.
Martins far letio por ordem dos credores do
bal)Oa-CLO 13 de IliaiO de 1865. bens cima existentes no armazera da^ua^do' Im-1
.1. recita da asignatura. perador n" *> ondejert^aro leilao.
ESTR.V DOS ARTISTAS D. ISABEL MARA CANDIDA. MMMwJ Eli
D. Dorotiiea Mara Candida. Augusto Ces-ar Comegar logo as 10 horas do dia, os preten-
de Mendonqa e BnNAnDiNO Fkrreira (ord)es. acotes podem examinar a relagao dos livros em
ltimamente contratados no Rio de Janeiro e mao do mesmo Martins, a ^rua da Cadeia do Re-
chegados no prximo pass do vapor. i cife n ^. primeiro andar.
Depois da ouvertura do costunn pela orchestra,
subir' a sceoa o drama era 5 actos e 6 quadns
original francez de Mra. DenHery e Mallian, ira j
duzidopelo artista Germn i Francisco de Oliveira
ronseihn director proposta aljama.
Secretaria da sociedade recreatira Corybantwa
9 de maio de 1865.
O I* secre'arlo,
___________Faustino Jos da Fonseca.
LOTEIUA
AOS 6:00#000.
Corre depois d'ananha.
Sabbado 13 do corrente mez, se extrahi-
r a 2* parte da Ia lotera (15a) a beneficio
da matriz do Bonito, no consistorio da igre-
ja de Nossa Senhora do Rosario da fregue-
zia de Santo Antonio.
Os bilhetes,meios e quartos esto a ren-
da narespectivathesouraria ra do Cres-
po n. 45.
Os premios de 6:00O#000 at iO^OOC
serao pagos una hora depois da extraerlo
at as i horas da tarde, e os outros depois
da distribuicaodas listas.
Alnga-seom escravo Arcor para rozinheiro
od copeiro, afianga-se o comp&rlamen.o : a tratar
na ra do Se)>o-n. Ii.
Preri6a-f alngar ama ama cajitiv ou forra pa-
ra comprar e eoziobar em casa de posea familia :
na ra de S. Francisco- n. 54.
Precisa-se df um paueirn para tierna dos
nlfimos viudos do Porto,sem (iratica, para ir par
a villa do Cano : no pateo-dn Terco n. I4F.
Precisa-sede urna ama para tolo serrico de
nma casa de pouca familia : na roa da Concordia
numero 65.
Prerisa-sede urna ama mre compre e cosi-
nhe para casa de pouca familia> na ra Nova e
Sania Rita n. 33.
Manoftl Joaquim Das relira-sc para osaerlSo
j desta provincia eVtxando por en prooradore.*
*L-*; Vi rao_gu1ar(,d,ilas &.- gundo logar aoSr.JoMiPranrico tom* Pnm.
e em t-reeiro logar ao Sr. Jos Bernardo da Molla.
EMPKEZA--UOIMBRA
mente al a uoite da vespera da extraeco
como de coslume.
O thesoureiro,
_____Antonio Jos Rodrigues de Soma.
- Maria da Conceigao Ferrira vai fiara o Rio
da Janeiro, levando em sua companhia 7 fllhos
menores.
crdito, quer o
psito publico dita quantia, pele que requer
V. S. sirva-se mandar passar o competen-
te mandado para esse fim, sendo citado por
carta deeditos na forma do estyllo, o dito
Paulo Moer A- C. visto ser incerlo e igno-
rado o lugar em que se acha.
Pede a V. S defirimento. E. R. M.
Pernambuco 9 de maio de 1865.
O consul de Franga,
Osmin Laporte.
Companhia de cavallara de Fernaiu-
buco.
Mediante autorisacao da presidencia tem esta
companhia no dia 15 do corrente de vender em
Jos Antonio Moreira Dias.Na qual dei o hasta publica no porto do quarlel 13 cavallos in-
despacho do theor seguinte. Sim. Recife 8 capazes do seryigo.
de abril de 1865.Aencar Araripe.
Por forga do mcu despacho o escrivao fez
passar o presente edital, pelo qual cito e
bei-for citado a Paulo Moer & C para to-
do contedo da petiejo aqui transcripta.
E pan que Chegue aoconhecimento de todos, ^a.e 470 caigas de dito panno, sinpela
ndet passar o presente que sera publi- quizer fornecer estes objectos aprsente a
e affixados
de
cadn pela imprensa
do costume.
R cife, 5 de maio
.Maria Rodrigues do
o subscrevi.
Tristao de Alencar Araripe.
' O Illm. Sr. inspector da thesouraria provin
,'Chl, cm cumprimenlo da ordem do Exm. Sr. pre
Quartel no Campo das Princezas 8 de maio de
1865.
Ifanoel Porfirio de Caslro Araujo,
Capitao commandante.
O corpo de polica compra 470 bonels re-
dondos de panno azul com tira encarnada, 470 so-
brecasacas do mesmo panno com vistas encarna-
: quem
mostra
nos lugares do panno, e suas propostas em carta fechada na
| secretaria do dito corpo ao meio dia de 12 do cor-
opu i?,, sii 'rente.O tenente-secretario,
186o. Ea Manoel, Lu2 Jernymo Ignacio dos Sant0f.
Nascimento, escrivao,
Pela inspectora de Pernambuco se faz pu-
: blico, que porta, no dia 13 do corrente 1 hora
da tarde, se ha de arrematar, livre de direitis, o
' seguinte : 185 Larris vastos avahados em 600 rs.
| cada um, os quaes continuara polvos era rao esla-
do, e foram abandonados aos respectivos direitos
sideote da provincia de 24 do corrente, mando fa-1
zer publico que no dia 11 de malo prximo vindou- \ P'^Aolon.o Lopes Braga & C.
ro, perante a junta da fazenda da mesma thesoura-
ria se ha de arrematar a qoem per menos flzer a'
pintura de qne precisa a ponte pensil do Caxang,
avallada em 3025500 reis.
A arrematago ser feita na forma da le provin-
cial u. 343 de 15 de maio de 1854, e sob as clau-
sulas especiaes abjixo declaradas.
As pessoas qne se propuzerem a essa arremara-
cao rompareenm na sala das sessSes da referida
jauta, no dia cima mencionado pelo meto dia, e
competentemente habilitados.
E para constar se mandou publicar o presente
pelo jornal.
Secretaria da thesouraria provincial de Pernam-
buco, 26 de abril de 1865.
O secretario,
Antonio Ferrira da Annunciagao.
Clausulas especiaes para a arrematago.
pintura da ponte do Caxang sera feita de
E para chegar ao conhecimento dos pretendemos
passo o presente.
Quarta secgao da alfandega de Pernambuco 10
de maio de 1865. O 4o escripturario, Joo de As-
sis Pereira Rocha.
Vai a praga sexta-feira, 12 do corrente, pe-
rante o Sr. Dr. juiz de orphos, s 11 horas do dia,
um sitio de trras proprias, bastante extenso, no
lugar denominado Afilelos, freguezia da Boa-Vista,
em aberto todo elle, somente com dous pilares de
tijollo o cal na frente onde tem um porto de ma-
deira, cora 1,288 palmos de frente e 2,255 de fun-
do, bastante frucL'iras, duas grandes baixas de
capim, serrando urna deltas pelo vero, urna gran-
de cocheira c estribara com duas mangedras, um
quarto para feilor, outros para pretos, um palli-
nheiro, nina cacimba d'agoa boa, um tanque para
! banhos, todas estas bemfeitorias de tijollo e cal, ura
repucho com baca de cimento, que vera da ca-
MARA JOANNA, MULHEfl
DO POVO
OU
A POBRE >I \ I.
DENOMINACAO DOS ACTOS.
I" Os dous casamentos.
2 O rouboe o engeitado.
3 Ella esta' loara I
4o A douda com juizo.
o O medicado desmascar.uio.
PERSONAGENS. ACTORES
Bertrand....................... Germano.
Bemy...................-----... Bernardino.
Tneobaldo, conde de Bussieres... Lisboa.
Appiani, medico.............. Augusto.
Um medico.................. Borges.
Guiiherme..................... Telxeira.
Berlengue....................... Santa Rosa.
Um enferrnsiro................. Manhonsa.
Sophia, condega de Bussieres____ D. Dorolhea.
Mana Joanna.................... D. Isabel.
Catharina...................... Jesuiua.
Margarida...................... D. Camilla.
Carlota................. ....... I). Leopoldina
Convidados, camponees, soldados etc.
Terminara'o espectculo com a'primeira re-
preseniagao da espirituosa comedia em 1 acto
Urna chavena de cha.
Leilao de 4 bahs cera rnopa inada,
relogios de prata, de ouro e diver-
sos objeclwe pMt,
Martins far leilao por ordem do Illm. Sr. Dr.
consul poriuguez dos objectos cima pertencentes
a diversos espolies.
IIOJE
No armazem da ra do Imperador n. 37, as 11
horas.
Theotonio Felii de Mello vai a Europa,, e
deixa por seus procuradores, em primeiro lugar
o Sr. Joao Fclx de Mello, em segundo o Sr. Joa-
quim Ferrira dos s-mos Colmtira Gnimaraes, e
em terceiro o Sr. Manoel Joaquim Ribeiro.
Antonio Fernandes de Almeida, scbd-ito por-
iuguez, vai ao Rio de Janeiro.
Eduardo Hotz, cidado suisso,
Europa.
vai para a
PERSONAGENS. A baroneza........ u baro............ Duarte Tinoco..... Gregorio, criado Os bilhetes acham turne. ACTOBK8. ............ D. Isaac!. ........... Augusto. .......... Bernardino. ............. Praias. -se desdi; j uo lugar do co Principiar s 8 horas.
AVISOS M1UTIM0S.
as i ojk:
Lcilo qointa-feira 11 de mnio as 11
liaras, a ra da Cadeia atiuazera
numero 53.
De 2 casas terreas ns. 48 e 50, sitas na seguu-
da travessa da ra da Concordia, edificadas ha |
pouco, sao defroote das do Sr. Bartholomeu e
rendem 205 por mez, chao foreiro.
Pelo agente Euzebio se vender as casas terreas
como cima descriptas, n'aquelle dia e hora p lo
maior prego que su achar, e para informago o !
referido agente as dar.
Letllio de esennos, maveis e livros.
No sobrado da ra das Cruzes nume o 34.
io.h;
O agente Pinto fara' leilao por eonta-de tima fa-
milla que retira-se dettU .provincia de todos os oti-
jectos abaixo declara ios existentes no Svbradoda '
ra das Crines n. 34.
A saber :
Urna escrava perfeita engommadeira e cosinhei- i
ra, com. 3 lilho-, Kf ndo'o 1 de 3 annos, o 2o de 3
annis e o 3 do 9 meses.
. Urna mobilia d Jacaranda, 1 piano, 1 candela-
bro, castigis com lanieruas, ramas (rancezas, me-
sas, caeiras, apparadores, guarda roupa, coturno-
das, toucador com espelho, costureira, estante,
louga, vidros, crystaes emuitos outros artigos de
uso de casa de familia.
Diversos livros.
Principiar as 10 horas era poulo do dia cima
dito.
Eslevao Rodrigues Fontes vai a Europa tra
lar de sua saude, e deixa por seus procuradores
Io Joao Manoel da Caoba Araujo, e 2o Amonio
Bento de Araujo.
Comingio Gagliano, subdito italiano, retira-
se para a Bahia.
Francisco Palany, subdito italiano, vai para
Europa.
Jos Fernandes Machado, cidado brasireiro.
vai a Europa tratar de sua saude.
Miguel da Foosec
ra-se para Europa.
.V.-urn flljiiiltt.
Ansentou^se honl-m 9, o negro Manwl. crenlo,
estatura regular, levando urna arg da no pe, ren-
' dido de nina das verilhas. residi algum i<>mpo em
Olinda como escravo de Jos Joaouim \c Carvalho
Sequeira, ultiman-ente era escravo em Gaarablra,
d'onde veio para ser vpndid : qoem o appreben-
der lcve-o a roa da Madre de Dos n. 32, q*e sera
bem gratificado.
O ahaixn asignado declara que ne*t* data
fo'a dissolvida a sociedade qne HtiMa entre fU>-,
Alfredo de Albuquerque Martins Pereira ,e Ffede-
rico Augusto Vello) da Siiveir, na prensa de- al-
godao sita no Forte do MMtns, e'qne gyrava-de-
baixo da firma s elal Alfredo dn Albuqnerqn
Martins Pereira t C, licand) como tal exonerado
os dous socios cima mencionados da resprnsabi-
Iidade do activo e passrra da mesma snoiedade. <*
o mesmo abaixo assipnado o nnico resuonsa-A^f-
por dito activo e paneiv.
Jos- Teivra da Costa.
subdito portuguez, reti-
lencao.
Fugio no dia 28 de abn prximo passado o es-
cravo Joo, cali a escuro, escravo de Antonia Fran-
cisca Cadaval Pinto, n quat toi comprado ao Sr.
Joaquim Felicio de Carvalho e Silva, mura lor na
villa dos Touros, Rio Gran cravo tamben) fttho di raeina villa, e tem o em-
pellido que todos o conhece-p-ir Joao Uibaca, tem
os signan* segatntes : alto,, sen-, do ciirpo, cara
feia, >iueixn lino, nariz afilado, en cima do peito
nos bracos marca de
cruz ron tmt i azul, ji est siiitan lo,'tem .,|t, (jP
am denfe na frente, estarna dizer que forro, e
nmito regrista, cosame beber ; este mulato ca-
sado e tem filho- em poder de ua senhora quem
o pegar ou der noticias na rna da Matriz da Itia-
Visia n. 28, segundo andar, scf gratificado, pro-
test mdo-se contra qaem o liver recebido em com pan "lia.
0
De mobilias completas, pianos, escravos df. am-
t'omp.-tnhlnils YIcnsBg-ri'i?* Ira- L ,< os sexos, camas francetas, commodas com
perlales. lampas de pedra marmore, cadeiras de balango
At o dia 144o ; com mola, lavatorios, 1 hora realejo, 1 bilhar cora
^ j* corrente nVz, es-1seus pertences, 1 cabriolet com arrcios, machina:-
pera-seda Euro-1rte costura, cadeiras a-valsas, candelabros, can-
oa os vapores! dieiros a gar, jarros de alabastros, toacdores de
francezesStoiwiW mogno, mesa para jantar, guarda louca, marque-
sahindo de Bor- \ 7-a?. rics quadros e outros artigos de goslo.
deaux. e Pelase
Irmanda e t'o Sanlissimo Sacramento
de S. Fre Pelro Goncalves do He-
cife.
De ordem do Illm. Sr. juiz da irmandade do1 do pe lem ama costura, tem
Santissimo Sacramento de S. Fre Pedro G ngal-
ves, convido aos ir naos da mese actual.bem ci mo
os irmaos designados, para comporein a mesa on-
juncta que (leve ter lugar no consistorio da me-
ma irmanlade as i horas da tarde dj dia 15 do
corrente, para tntar-se, de. Brtnsesses da irraanda-
de. Recito 10 de maio de IHG5.
O escrivao,
Antonio Gomes Miranda Leal.
Anemi riilorose, obstruir
da: viceras abdominaes, i|ii'>r conserituva a' in
BemniacSes amidas, qaer resaltante das febres in-
tTinitentesDyspepesia. emlim ein ledos os rasos
em que reclamar urna uipiragao lonjea, ou remo-
dio a algnm vicio de hematoe
Pilulas e emplasto dejurubeba cura em 15
dias.
Preparaos por J. F. Larenere
Villa do Bonito.
Aluga-se um pequeo arnazcm na ruada
Paz, proprio para qualquer estabelrciiii.-nio em
ponto pequeo : a tratar no paleo de S. Pedro t.u-
mero 4.
Precisa-se de um bomem para feilor d um
engenho,-prere-se sem familia e poriuguez : a
[Miar no armazem o. 43, ruada Praia
&U&i1 ^
Arreoda-se um enjrenho distante da preea cinc
legoas. noente e c irrenie, com moH4 boas trras
: para safrejar 2,000 paes, urna boa machina de v.i-
: por pelo sysiema medem que nao gasta muiu
i'-n ".a. p vende-se a safra existente : na ra da
Conceicn da Bia Vista n. i> so dir.
I'reci.sn-st de urna crala para o servio) !>
urna peana : ni ra esir-'ila do Rosario n. 18,
primeiro andar.
Desronlam-se nnias d
caixas filiaes : na praea da
banco do Brasil e das
Independencia n. 2z
AMJk
conr^aTe^Tor^;^ VSSSS l\*$* i^LZSS!LSiSSSl
.... ,..,. I cantflirns ft vasos de flores, tem mas dito sitio urna
O'l '-.)-)')U.
i.' O arrematante dever principiar a obra no
estaca de 8 dias e linalisa-la no de 30, ambos con-
Udos da data da arrematago.
3" O pagamento ser effecluado em urna s
pnslago, quando liver sido concluida toda a fac-
luia e entregue delioilivamenie.
'.1 Para tudo mais que nao estiver especificado
as presentes clausulas seguir-se-ha o que deter-
mina o regulamcnto da repartico das obras pu-
blicas.
i.oi.forme.A. ?. da Annunciagao.
O Illm. Sr. inspector da thesouraria provin-
cial, em cumprimenlo da ordem do Exm. Sr. presi-
ijeii'i; da provincia de 25 do corrente, manda fazer
canteiros e vasos de flores, tem mas dito sillo urna
grande casa de vivenda de tijollo e cal, com solo
era salo, contendo tres portas e seis janellas de
frenle, envidragadas, urna porla e tres janellas em
cada oito, tambera envidragadas, 135 palmos de
vo e 81 de fundo, cinco salas de diante todas for
.-ahindo de Mar-
sellle ^os quaes
deoois da demora do coslume segal rio para Baha
e Rio de Janeiro.
Os passageiros d Pernambuco para os portos
da Europa que .queiram segurar as suas passa-
gens a bordo dos paquetes Jdesta companhia nos
mezes de maior affluencia, tem a facnldade de os
tomar no dia que os vapores seguein para o sul,
pagando porra como se fosse do Rio de Janeiro.
Para condicges, fretes e passagens trata-so na
agencia ra do Trapiche n. 9.
Para o Rio de Janeiro.
Pretende seguir com muita brevidade a barca
Rio di Janeiro, tendo parte do seu carregamento
engajado: para o resto que Ihe falla e escravos a
fretes, para os quaes tem excellentes commodos
rata-se cora o seu consignatario Antonio Luiz de
Oliveira Azevedo, no seu eseriptorio na ra da
Cruz n. 1.
PARA LISBOA.
O patache pertuguez Maria da Gloria., capitao
Valenle, vai sahir breve, recebe carga e passagei-
res : trata-se com o consignatario E. R. Rabello,
ra do Trapiche n. 44.
Precisa-se de um feilor para um sitio de um
estrangeirn : na na da Cruz n. 4.
Qaem pre -arde 2UI),3 por hypitheca sobre
um psrravo annu-iei por e-ta folha para ser pro-
curado.
Precisa-se de urna ama para fazer o servico di-
urna casa de pouca familia : a tralar na ra do
Quemado n. 33 A, toja emeraoca.
Precisa-se de un menino poriuguez para
caixeiro : a tratar na ra ireita n. 54, toja.
COMPANHIv PSRNAMBUCANA
DE
Navegavao costelra por vapor.
Fernando de Noronha.
O vapor tParal)ibas, comman-
dante Martins, segu para Fer-
nando uo dia 13 do corrente ao
meio dia. Recebe carga e passa-
griros al o dia 12, s 4 horas da
tarde e nao ser permiltido a pessoa alguma o
embarque de quaesquer volumes de carga no dia
da sahida : eseriptorio no Forte do Mallos n. 1.
Rio de Janeiro
Para o indicado porto segu com brevidade o
vao e o oe lunuo, cinco saas ue u.aue iaaa ior- ve,eiro brigue brisHeiro knrtqHe capitao Lourei-
radas e guarnecidas de papel, inclusive o corredor, ro reCebendo ainda alguma carga : tratare com
duas salas atraz, seis quartos e urna dispensa, co- 0 con8ignaUr0 Antonio dei Almeida Gomes, ra
zmha bastante extensa interna com dous fogoes, da Cruz 23, primeiro andar.
umchaguao com canteiros altos para flores: divi- r ______________
de dito sitio pelo lado do norte com o sitio dos her-: jr~ a- in._.-----------
deiros do finado Joao Carol, pelo lado do sul com : Tara O n.10 de Janeiro.
o sitio do padre Jos Antonio dos Santos besas, Pretende seguir com muita brevidade o palha-
pelo lado do leste com o sitio de Augusto de Oli- bote Piedade, tem parte do seu carregamento a
veira, e peto do nascente com a estrada real que bordo, para o resto que Ihe falta e escravos a fre
segu para os Afflictos, a vista do eslado em que te para os quaes lem exoellentes commodos, tra-
puhheo, que no da 18 de mato prximo vindouro, 8e acna por ,7.2005, tendo urna parte de 1:1533111 ta se com os seus consignatarios Antonio Luiz de
pecante a junta da fazenda da mesma thesouraria, i 0 nerdeiro pedro guaci de Miranda, que, dedozi- Oliveira Azevedo & C, no seu eseriptorio ra da
vai novamente a praga para ser arrematado a da da mp0rlanca da avaliagao cima mencionada, Cruzo. 1.
quera por menos Bzer a obra do' reparos, de que fica pertencendo ao Dr. Francisco Gomes Velloso
,.ieci-a a estrada do Porto de Galinhas, avaliada
em 74S000.
A arremaiacao ser feila na forma da lei provin-
cial n 343 de* IS de maio de 1854 e sob as clau-
suas especiaes ja publicadas.
E pera constar se mandou publicar o prsenle
P'-io jornal.
S;rn-tarla da thesouraria provincial de Pernam-
baca, 20 de atril de 1865.
O secretario,
A. F. daJAnnunciago.
O Illm. Sr. i aspecto* da thesouraria provin
GOMPAMIA 8E4S1LEIR
DE
de Albuquerque, como consenhor da maior parte
do predio a quantia de 16:046889. Sitio que vai
a praga por venda por ezecugo que movem a viu-
va, fllhos e genros do finado tenente-coronel Ber- PAQUETES A VAPOR.
Dos portos do sul esperado
al o dia 16 do corrente o vapor
nardo Antonio de Miranda com o Dr. Francisco
Gomes Velloso de Albuquerque e sua mulher.
Recife, 10 de margo de 1865.O escrivao, Brito.
Vai a praga sexta-feira, 12 do corrente, pe-
rante o Sr. Dr. juiz municipal da primeira vara os
seguintes predios na freguezia dos Afogados, o so-
brado de um andar o. 1 da ra Direita, o de o. 7
Tocanlins, commandante o pri-
meiro lenle Pedro HyppoTrto
Duarte, o qual depois da demora
do costume s-guir pora 05 Dorios do aorto.
Desdej receben) se passagelros e engaja-ss a
ci.it, em cunipriinent" da ordem do Exm. Sr. pre- da mesma ra e a casa terrea o. 9, todo* nos Afo- carga que o vapor poder conduzir, a qaal iwer
si I ote da provincia de 10 do corrente, manda fa-
zer publica qne no da 14 de junho prximo vin-
d uro, perante a junta da fazenda da mesma the-
ioufaria, se ha de arrematar, a quem por menos
gados, quen nelles quizer langar comparece oo
dia e hora da audiencia cima as 13 horas da ma-
nha. acha-se o escripia edital na ma do respec-
tivo porteiro.
ser embarcada no da de sua chegada, t-ncommen
dase dinheiro a frele at o dia di sahida as 2 ho-
ras da tarde : agencia roa da Cruz n. V, eseripto-
rio de Antonio Luiz de Oliveira Azev#dt- & c.
Sexla feira \ 2 do corrente as 11 horas
NO GRANDE ARMAZEM DO AGENTE
OLYMPIO
36Rna da Cadcia--3i3
TeilIo
De I mobiWa Ae Jacaranda a Luiz XV, de guar-
da touga, 1 guarda roupa, 1 enmmoda de mogno,
1 dita de amarello, I mesa elstica, 1 cama de ja-
caranda, i dita de amarello, 1 santuario de jaca
randa, 12 cadeiras de dito, 12 ditas de faia, 1
aparelho de porcelana dourada, 1 dito de metal, 1
secretarla de amarello, 2 cadeiras de balango, 2
ditas de brago, 1 marqueza larga, 1 iavatorio, 1 re-
logio de parede, diversos quadros com estampas,;
1 toucador, 2apparadores, 2 retomas, candieiros ;
a gaz e eutros muitos objectos que e torna enfa
donho mencionar.
Cortleiro Simes
far leilao por conta de diversos dos objectos aci-
ma mencionados, tudo sem limites ao correr do
rnarteilo.
Sexta-feira 12 do corrente as 10 1|2 horas.
No armaz-'O) a rna da Cruz n. 57.
Leilao da aravga, gt-iicros edivid s
da taberna 6b ruados piros n. 1.
Martins far leilao a requerimenlo de Antonio
Jos Pereira Bastos e por mandado do Htm. Sr.
Dr. juiz especial do commercio, da armago. g-
neros e dividas da taberna cima, que foram
arestados a Joaquim Antjnio Lopes Gomes.
Os pretendentes podem examinar a relagao dos
gneros e dividas em mao do mesmo Martins.
Sabbado 13 do corrente.
O leilao tera lugar na mesma taberna as 11 ho-
ras do dia.
Este novo producto resultado de urna trplice combinagao de tres metalloides cujas proprie-
dades sao mui conhecidas, o Bromo, o Euxofre e o Iodo, oceupa hoje a primeira ordem de
entre todos os depurativos dos quaes o mais poderoso.
As experiencias dos mdicos mais noiaveis dos hospitaes de Paris, os senhores Cazcnave,
iche, Bazin, Blache, Guibout, Barosehet, Danet, Legroux, Vasse e Aub'ry,
etc., demonstraro
Puche.
sua poderosa cfficacia as afecedes seguientes:
Doeneaa de pelle,
Darlruj e knrbnlha* de toda a eaaacle,
Flarn* imieoim,
Obilrurruei 1 j tnphallco*,
Papel raa,
Eaerafalaa,
Abeeaaaa, poalemaa,
Caaeraa,
Ulerraa,
TlBfaa,
Eacarbnta,
Maa oh Boubaa (do Brtzil),
O Xarpe de Le Goux, de ama fcil digestao e de gosto delicioso, se emprega tambera
com muita vantagera e aconselhado pele doutor Barthe, do hospital dos meninos, para as
criancas debis, escrofulosas e rachiticas ou sobre a influencia de um vicio hereditario, e mui
superior neste emprego ao oleo de ligado de bacalho e aos xardpes depurativos e anti-escor-
buticos que se administravio at agora.
Deposito geral, em Paris, na botica Boullay, membro da Academia imferial de Medicina de
Paris, ofiexal da Legio de Honra, e em todas as boticas de Franga e dos paizes estrangeiros.
Frambeeala,
Huiuorea filo,
Raebltiama,
Ophthalmla eaerafulaaa. a hraalea,
Tsica eaerafnlaia,
Affccce sypbllHiena,
Elephaatlaala dea Greyaa,
E todas ai doencas occasionidas por un vicio do
sangue, e j tratadas sem neuhum successo pelas
preparacSes vegetaes, iodadas e o oleo de figado
de bacalho.
ezr t eir>
NO GRANDE ARMAZEM DE
DO AGENTE
semanal
LE I LOES
OLYMPIO
36-Rua da Cadcla do Reelfe--3<5
llavera leiloes todas as semauas
>*g*attrviaa.j'J.-ijg<
AVISOS DIVERSOS,
XAROPE D'ETHER
DE BOULLAY
Doutor da Faculdade de Sciencias, membro da Academia imperial de Mateme,
Official da Legio de Honra,
Ra des Fosss-Montmartre, 17, Paris.
Este xarpe composto i mais de vinte annos pelo sabio lente Bonllay, consiitue a melhor
maneira de administrar o Ether. He empregado com suocesso em todas as doencas qne tirio su
erigem de um erithismo nervoso, como sao as:
Enxaqnees,
Nevralglaa,
Espaaniaa,
AtlaqiK'K de nertas,
Veril rna,
Syneopea,
Calmbroa de r. loniago,
Indlgeatoea,
Convulara,
Aereaaea hyaterleaa e b;pa-
eandrlaean,
Callraa vealaaaa ou aerva-
aaa, hepatleaa aatulentaa,
Aeeesaaa le (ata e Se rbeu-
maUaaaa,
Caaoa Se envenralemeata,
le, etc., etc.
Deposito geral, em Part, na botica de Boullay, doutor em Sciencias, memoro da Academia
imperial de Medicina de Paris, official da Legio de Honra, ra des Fosss-Montmartre, 47, e
cm todas as boticas de Franca e dos paizes estrangeiros.
Institu Areheologico e Geograpliico Peraam-
bncano.
Havera' se;sao ordinaria .uinta-feira 11 do cor-
rente, as 11 horas da manbaa.
OnDF.M DO BIA.
rM*r-nssap do.orcamento para o anno social de
186.%-KJ
Trabalhos e pareceres d< c.i>nn}is?3e :
Secretaria do Instituto, 8 de maio de 13: i.
J. Soares de Aievedo;
Secretarin perpetuo.
ASTHME
ASTHMA ASTHMA ASTHMA
______ SFFOCgiO NERVOSA E OPPRESSlO
nico remedio cfticaz para combattir estas molestias, acalmar um attaqne d'asma e impedir a
volta o Xarpe aromtico de Succino (mbar amarello) do Dr Danet. Descoberta inleiramente
recente, este novo producto se tem propagado com extrema rapidez gracas aes adaravtts resul-
tados que tem sempre produzido.
Deposito geral, na botica Ghauveaud, 54, rna do Comercio, Paris-GreBelle, e enriadas aa
boticas de Franca e do cstrangeiro.

1
PeterBurn?, subdito
Inglaterra.
inglc, retiras? para-' Deposito geral em Pernambuco ra cb Crtra n, 2?, em casa Ce Caros & Rartosa.





Mario d Permambae* .- <*aia4
11 de
de !&.
Ama
Precisa-se de ama ama para casa de ponca fa-
milia : a tratar na praca do Corpo Santo n. 17,
terceiru andar.
Botica.
Precisa-se de um otficial eu caiieiro para botica,
que tenha praiica : na roa larga do Rosario n.
34, botica.______________________________
Na fabrica de cacados da ribeira de S. Jos
n. 23, precisa-se de artistas de sapatana.
fifi
o
B
2. a

O.
1S.
n
-t T O
3
2
H
O
a
>
3

Offerecese ama pessoa para ama de casa de
oouca familia ou de rapaz solteiro, a Java e engomma : a tratar na ra de Hortas n. jo.
Precisa-se de urna ama que saita cosinhar e
engommar para casa de pouca familia :
Cadeia do Recife n. 5, primeiro andar.
O Dr. Francisco Pires Ha
chadu Portella
Media operador
PELA
FACH.DADE DE PARS,
regressando a esta provincia artta-se
prompto para o exercicio de sua proBs-
so, qaer oesta cidade, quer fora delta,
especialmente em molestias de olhos {ca-
taractas te.) das vias orinaras (estreita-
mento de urethra etc.) e de pelie, pare
cujo curativo se julga habilitado, attentt
a pratlca que teve nos hospitaes de Pa-
rs, os modernos instrumentos que pes-
sue.
Pode ser procurado a quarquer hora
na casa de sua residencia no patee do
Ca-rmo n. 2, esquina da ra de Hortas.
Aenco
Hypolhacam-se tres escravos por 1:400*, dan-
4e~se o servico dos mesmos como paga des juros
desta quantia, o hypothecanle far negocio ainda
de mais vantagem, apparecendo quem queira: a
a pessoa a quem convier este negocio, pode deixar
o numero de sna casa e a ra na praca da lude,
pencia ns. 6 e 8. ______
eao da Silva Ramos, medico pela Un'
versidade de Coimbra, d consultas em
sua casa das 9 as 11 horas da manhaa, e
das 4 s 6 da tarde. Visita os doentes
em suas casas regularmente as horas
para isso designadas, salvo os casos ur-
gentes, qne serao soccorridos em qual-
qaer occasio. D consultas aos pobres
que o procurarem no hospital Pedro II,
aonde encontrado diariamente das 6
s 8 horas da manhaa.
Tem sua casa de sade regularmente
montada para receber qualquer doente,
ainda mesmo os alienados, para o que
tem commodes apropriados e nella pra-
tica qualquer operacao cirurgica.
Para a casa de sade.
Primeira classe 34000 diarios.
Segunda dita.... 24300 >
Terceira dita.... 24000
Este estabelecimento j bem acredi-
tado pelos bons servigos que tem pres-
tado.
O proprietario espera que elle conti-
nuo a merecer a confiane de que sem-
pro tem gozado.
I
m
m
i
O Dr. Cosme de S Pereira conti-
na a residir na ra da Cruz n. 53,
Io e 2o andar, onde pode ser procu-
rado para o exercicio de sua profls-
sao medica, e com especialidade
sobre o seguinte
Io molestias de olhos ;
2o de peito :
3o dos igaos geni-
ti urinarios.
Em seu escriptorio os doentes se-
rao examinados na ordem de suas
entradas comecando o trabalho pe-
los doentes de olhos.
Dar consultas todos os dias das
6 as 10 da manhaa, menos nos do-
mingos.
Praticar toda e qualquer opera-
cao que julgar conveniente para o
prompto restabelecimento dos seus
doentes.
s
GASA DA FORTOIH
Aos 6:0000000.
Bilhetes garantidos.
A' ma do Crespo n. 23 e casas do costusie.
O abaixoassignado venden nos seos muito feli
zes bilhetes garantidos da lotera que se acaben
de extrahir a beneficio da Santa Casa da Miserl
cordia, osseguintes premios :
O bilhele ioteiro n. 2236 cora a sortede 1:4004-
Obilhete inteiro n. 1641 com a sorte de 5005.
E outras militas sones de 1004. 404, 204 '
10*090.
Ospossuidores podem vir receber seus respec
ivospremiossera os descontosdas leis na Casa
da Fortuna ra do Crespo n. 23.
Acham-se a venda os da 2a parte da 1* lotera
(I51) beneficio da matriz do Bonita, que se ex
trahir a 13 do corrente.
PRECO.
Bilhetes.....74000
'Meios......34300
Quartos.....14900
Para as pessoas que comprarem de I00f>000
para cima.'
Bilhetes. 645O0
Meios......34230
Quartos.....14700
Manoel Martins Fktza.
Em casa do abaixo assigDado, ra ras Crn-
zes, bairro de Santo Antonio, n. 41, segundo an-
dar, acha-se urna crianca que foi encontrada sem
que houvesse pessoa que a acompanhasse : quem
poi a ella tiver direito, dinja-se a sobredia casa,
que dando os signaes certos Ihe ser entregue dita
crianga. Manoel Jos da Silva Neiva._________
Quem precisar de um moco com bastante
pralica de commercio, drija-se a ra larga do lio
sarjo n. 40, primeiro andar.
fferece se urna ama para casa de pouca fa-
milia ou casa estrangeira : quem pretender diri-
ja-se a ra do Palacio do Uispo n. 38.
Estando contratada com o Sr. Francelino de
Sonza Barros a venda da casa n. 23 da ra de Ma-
thias Ferreira na cidade de Olinda, que foi do fal-
lecido Dr. Manoel Fllippe da Fonseca, e ignorn-
dole se os chaos sao proprios ou foreiros, faz se o
presente annuncio para que quem se julgar com
direito aprsente dentro de 8 dias, contados des-
te, os seus ttulos a Antonio Nobre de Almeida, na
ra Augosta n. 39. Recife 4 de maio de 1865.
A 500 rs. a cuia de fe jao mulatiuho.
A 500 rs. a cuia de feijao mulatinho.
A 200 rs. a cuia do bom milho.
A 200 rs, a cuia de bom milho.
Cheguem depressa a esla pechincha at que se acaba o qual se uende por este pre-
co pela pron bicao que ha as ribeiras.
Agencia de passaporle.
Claudino do Reg Lima, despachante de passa-
porte, tira-os para dentro e fra do imperio por
commodo prego e presteza : na ra da Praia n. 47,
primeiro andar._____________________.
Na praca da Independencia n. 33, precisa-se
de urna ama para compran, cosinhar e fazer todo
o mais servico de casa de pouca familia.
Saceos grandes de milho novo a 4$.
Dito dito de feij5o mulatinho a 9(5.
Ra dos Quarteis n. 22 junto a loja de funileiro.
GRANDE ARMAZEM DA EXPSITO DE LONDRES
DE
THOMAZ TEIXEIRA BASTOS
N. 60-Bua da Cadeia do Kecife-N. 60
Todos os arligos abaixo mencionados, foram comprados recenlemente pelo dono do estabele-
O conselheiro Jos Rento da Cunha Figuei- cimento as principaes fabricas de l'aris, Londres, Birmingham, Manchester, e em diversas cidades
redo e o bacharel Jos Bento da Cuoha Figueiredo da Allemanlia, e tendo comprado ludo as melhores condices por ser a dDheiro, por isso vende todo
Jnior mudaram o seu escriptorio de advocacia e qualquer artigo barato, por menos do seu valor, e mu principalmente por querer inteiramente liqui-
para o sobrado da ruado Crespo n. I, esquina do dar e ter de partir muito breve para a Europa.
Passeto.________________________________: Ha neste vasto armazem ricos objectos com brilhantes, como botoes, anneis, rosetas etc., e
i rilo Correa tem bem assim> diversas obras de ouro, como tranceln, corrent5es, oculos, face-mains, anneis, e muitos
outros artigos, relogios de ouro, inglezes, do afamado fabricante Bennette ; completo sortimento de fa-
zendas finas e modernas ; miudezas, perfumes, perfumaras finas dos principaes fabricantes inglezes e
francezes, como L. T. PIVER, Lubin, L. Legrand, Ed. Pinaud & Mever, Deletlrez (Parfuraerie du
mond jgant), Violet, Societ Hygienique, Monpelas, Mailly, Regnier, I'. Gueland, e inginas de Eug.
Rimmel e outros ricas galantarias em marfim, mar de perola, etc., fabricadas na China e no Japao;
ricas pegas de cristal fino como ainda nao appareceraru nesla cidade, e bem a.-sim modernos lustres
para velas, ditos para gaz e para petrleo, serpentinas, casticaes, enfeites e adornos para cima de con-
em Londres, BirmiDgham
Na ato Antonio.
Estando prximo o festejo do glorioso Santo An-
tonio previne-se ao respeitavel publico que est a
venda a trezena do mesmo glorioso santo, muito
bem confeccionado, impressao ntida e broxada :
na ra do Imperador n. 13 defronte do convento
de S. Francisco.
O Sr. Jos Soares
urna carta na praca da Independencia hora-
ria n. 6 e 8.
Consultorio mediee-einirgico na ra larga do
Rosario n. 20.
O Dr. Joo Ferreira da Silva rogressando a sua
casa, continua em o exercicio de sua profisso nao i solos e para grande toillette, o que se tem feito de mais elegante em Pars
Casa de campo
Aluga-se emSani'Anna junto ao sitio do
Sr. Thomaz Harding, urna grando casa e
sitio com grandes commodos para familia,
tendo estribara e casa para escravos sepa-
radamente, tem cacimba com boa agua, ar-
voredose proporges para baixa de capim :
trala-se najua da Cruz n, 4.
Solicitador.
O solicitador Pedro Alexandrino da Costa Ma-
chado transfeno sua residencia da ra Imperial n.
36 para a ra do Rangel n. 38, primeiro andar,
onde pode ser procurado para os misleres de sua
proflssio, qur no foro desta cidade, qur nos do
Cabo, Ipojuca e Escada, para onde se encarrega de
cobranzas.
Alugam se dous grandes sobrados com com-
modos para numerosa familia, novos e aceiados,
cora jardim, cocheira, estribara e oulras commo-
didades, n travessa de Joao Fernandes Vieir :
a tratar na ra da Senzala Nova n. 42.
COMPSAS.
Compram-se libras sterlinas: no ar-
mazem de Ferr> ira & Matheus, na ra da
Cadeia do Recife n. 66.
Compra-se effectivamente ouro e prata em
0bras velhas, pagando-se bem: na ra larga dc-
Kosario n. 24, loja de ourives.
Compra-se um escravo cozinheiro que seja
moco robusto e sem vicios : a tratar no sobrado
n. .iz da ra da Aurora.
Comprara-se libras sterlinas
Crespo n. 16, primeiro andar.
na ra do
S3
Protesto.
A administra?o do patrimonio dos recolhimen-
tos de N. S. da Glora, N. S. da Concedo, SS. Co
rafao de*Jesus, protesto contra qualquer compra e
venda de terrenos do Campo Grande que aos mes-
raos forem pertencentes. Protesta especialmente
contra o Sr. Joo Antonio de Oliveira, que nao
pode vender o terreno que indevidamente chama
a seu dominio e posse o que pertence aos mesmos
recolhimentos, cuja administracao ja o chairou a
juizo afim de reconhecer a nullidade da visita de
demarcaco que irregularmente fez proceder, e
abrir mo desse terreno. E finalmente protesta
usar dos meios Iegaes contra qualqner pesaoa que
comprar ditos (errnos, e reivindica-los de qual-
quer possuidor.
^ Aluga-se a loja do sobrado n. 8 da na "da
Conccigao : quem a pretender dirija se ao mesmo
sobrado que achara com quem tra/ar,
so na parte medica como tambem na cirurgica.
mmwm wmmmmm mmm
| Compaiihia fidelidade de seguros
martimos e terrestres
estabelecida no Rio de Janeiro.
AGENTES EM PERNAMBUC0
Antonio LoJz de Oliveira Azevedo k C,
competentemente autorisados pela direc-
tora da companhia de seguros Fidelida-
de, tomam'seguros de navios, mercado-
ras e predios no seu escriptorio ra da
Crui n. 1.
etc. modernos apparelhos de metal fino inglez para cha e caf, os quaes nada tem de inferior prata,
e muitas outras pecas do mesmo metal, ricos nenies de tartaruga da ultima moda para trancas de se-
nhoras, excedentes' luvas de pellica do afamado Jouvin, apparelhos de porcelana fina para cha e caf,
ditos para jantar, e immensos arligesde porcelana fina dourada, como ricos vasos para flores, figuras,
etc. calcado dos principaes fabricantes de Paris e ditos de panno cera sola de borracha, pianos dos
celebres fabricantes Pleyel, Wolff & C, realejos modernos de Gavioli & C, para se tocar na ra, ditos
com figuras para saldes e dilos com figuras em movimento ; modernos e bonitos instrumentos de physi-
ca (mgica) para theatros ou saloes, ditos de phantasmagora ; lanternas mgicas, cosmoramas com
vistas novas, da e noite ; stereocopios de nova invenco e com bello sortimento de vistas das principaes
cidades da Europa ; grande sortimento do brinquedos tinos para changas, e bonecas fallando papai,
mami; grande sortimento de candieiros a gaz, os que se tem feito de mais elegante e que tem mere-
cido toda a aceitado na Europa, grande e magnifico sortimento de caixinhas, cestinhas e outras galan-
teras fetas de crina e seda proprios para presentes ; grande sortimento de estampas finas coloridas
com o fundo preto e de outras de todos os santos, ditas com figuras e ditas com novas paysagens para
cosmoramas, finos e bem graduados vidros para cosmoramas, um bello chafariz de christal, proprio
para meio de mesa de Jantar ou para jardim ; cutelaria fina, como lalheres com cabo de metal fino, co-
Iheres, thesouras tinas, ditas modernas para alfniates, navalhas finas, caivetes e outros artigos, diver
h^imTIu ^"l^T.T^Tt^^itT^hTn. sos '"rtiS'os feilos de rame; completo sortimento de mascaras de velludo, setim, cera, papelao e ara-
AQSit 11'1 "?,!sa"\ fS a ira mc'doces' confei,os e chocolate em caixinhas e em vidros camas de ferro de|todos os tamanhos, lava-
larTdioS5 ?"n? coSa e edo ela mfo ehlc" "" fl.uadros para Car,5es de VSItts e dilos prandes e peqnen0S para retra'CS; Ch3P -S
uneri, r a nn?- de MMi r devendr, "o abaixo de so1' benalas,^ch.cotes e ditos para carros; machinas para fazer caf, ditas para bater ovos proprias
uSdoi antia detsiV fe- entreeue de^u para <*am faz Pao-de-l, bolinhos, etc.; bellos cortinados arrendados, verdes, encarnados e brancos;
SuaSt ao S! laoel Prdro de Mello nafa elle dar paD,D0S Para C0Drir mesa?' bolcas Prands e pequeas para viagens, e outros arligos, como cobertores,
lrdrode Meno para eiieoar ma|aS)etC-. sortiraeDtode viol5es finos; goras flnas ejarros de a|abaslr0 galantarias e outras pecas
de charo para toillette ; machinas para varrer o chao, excellentes machinas para pholographia para
tirar retratos, grandes e pequeas; lindos baloes de papel fino transparente e lanternas coloridas para
illuminafoes moda de Paris, salva-vida de borracha, para homens e senhoras, proprios para quem
toma banhos em lugares fundos amexas novas em caixinhas, blscoitos inglezes em latas, graixa n-
gleza 97 ; cerveja em barricas das principaes marcas de Londres, queijos etc., e muitos outros artigos
que para enumera-los seria um nunca acabar, e todos se vendem barato e malta barato no grande ar-
mazem da Exposicao de Londres, na ra da Cadeia do Recife n. 60.
m
Cobre, lamo e chombo.
Comprase cobre, latao e chumbo : no armazem
da bola amart lia no oto da secretaria (de polica.
Silvino Guilherme de Barros compra e ven-
de effectivamente escravos de ambos os sexos :
ruado Imperadorn. 79, terceiro andar.
Compram-se libras sterlinas per fiOO
no largo do Corpo Sapto n. 4, primeiro andar.
--Compram-se libras sterlinas: na ra
da Cadeia do'Recife n. 22.
Ouro e prata
em obras velhas : compra-se na praca da Iude-
pendencia n. 22, loja de bilhetes.
Compra-se urna negra de meia idade que se-
ia sadia e sem v.cios e que saiba cosinhar e la-
var : na ra do llangel n. 7, segundo andar.
Compra-se una ou duas
em
a quem de direito perlencer. nao se respons
sando pelos erros que os livros apresent?m, e com-
provarei com os djcumentos que tenho. Recife 8
de abril de 1865. Joao de Souza Gongalves.
Precisa-se de urna ama que jaiba cosinhar o
diario de urna casa de pouca familia : na ra da
Cruz do Recife n. 29.
Precisase de urna ama para coznhar, en-
gommar e comprar para nal! pessoa : ua ra da
Mangueira n. \i, pagase bem.
Aluga-se urna escrava moga para o servico
intern? e mesmo para comprar na ra : na ra
da emperatriz n. 51, segundo andar.
Precisa-se de urna ama ou era I o, prefere se
preto : na ra dos Pires n. 34 se dir quem pre-
cisa.
Precisase de urna ama
pessoas preferindo-se escrava
n. 23, sesundo andar.
S io para alujar.
Continua a estar para alugar o si-
ktlo da travessa de Joao Fernandes
' Vi'-ira n. 6, no qual morou antiga-
I mente o .r. J. Gaeitz (correlor geral)
tem muito boa casa de moradia, co-
sinha fora, cocheira, estribara, quartos para fei-
tor e escravos, tem um rico jardim com chafariz
no meio, urna casiulia com um rico banheiro todo | O abaixo assignado faz scienie ao respeita-
forrado de azulejo, um bom copiar ac lado da casa vel corpo do commercio que deixou de fazer par-
para
: na
casa de duas
ra da Penha
1
suspenso por columnas de fer.o, um mirante na
frente da casa que d constantemente sombra a
tarde,o sitio todo murado, tem porlo e gradea-
mento de ferro, muito boa agua de beber com
muitas diversidades de fruett-iras, o sitio em
muito boa localidade por licar perto da praga, que
qualquer pessoa pude vir para seu negocio a p :
quem pretender dirja-ie ao mesmo que achara
com quem tratar.
Antonio Joaquim de Mello, amigo ad-
vocado nesla cidade, e procurador fiscal ?
aposentado da thesouraria de faz^nda, |
emprego que servio por mais de 22 an- ^
nos, continua a advogar era lodosos ra- 9
JK uios do civel e crine; com provisao do s8j
^ Exm. conselheiro presidente da relacao. ^
gJ Ra do Imperador n. 14.
Pede-se ao Sr. M. que haja de vir ou mandar
pagar os 305 que resta dos 40 que seu amigo Ihe
emprestou, contra suas circunstancias, que so-
mente o fez pela promessa que Vrac. Ihe fizera de
os restituir naqueiles tres ou quatro dias, e como
haja decorrido onze mezes sem que Vmc. os tenha
dado, apenas dando 45, sendo 25 de cada, vez, e
istopelas instantes cobrancas que se Ihe ho feito;
e como nilo haja mais outro meio senao o que ago-
ra emprgo, seja feita a sua vontade, certo de que
o deve fazer n-i.-tes tres dias, do contrario ver sen
nomo por extenso neste jornal, e contada toda a
historia que precedeu a este crapreslimo.
te da sociedade que tinha na prensa de Francisco
Al'es de Moraes Pires, cuja firma gyrava sob a
de Pires & Pinto, Picando e dito Sr. Pires na res-
ponsabilidade de todo o activo e passivo, visto ser
eile o gerente ; assim como scientificam tambem
que de hora em diante ser a firma social de Costa
& Pinto. Recife, 10 de maio de 1865.
Jos Pinto Ribeiro.
Antonio Joaqnlm de Senna Jnior, pungi-
do da mais cruenta dr, convida a seus col-
legas e amigos a asslsttrein a urna missa
que se ha de celebrar na matriz da Boa-Vis-
ta no( dial 1 do corrente mez. pelas 9 horas
da m'anha, pela alma de sua muito presada
e chorada irmaa D. Eliza Augusta de Senna,
fallecida em Taubat na provincia de s.
Paulo.
Precisa-se de offlciaes de charuleiro : na ra
das Orates n. 37.____________________^_
Tendo se ausentado desta cidade Jos Daniel |
da Costa, filho de Joo Antonio da Costa e de lia-
ra Antonia Das, natural de Portugal, freguezia de
S. Marlnho de Heivoaes, lugar de Frades, comar-
ca de Vieira, o desejando-se dar noticias delle e j
sua familia, portanto roca-se ao dito Sr. Daniel ou
a qualquer pessoa que delle souber, de annunciar i
por este Diario sua residencia ou dirigir-se a ra
da Madre de Dos n. 20, armazem, satisfazendo-se
qualquer despeza que se faga para este fim.
I
DIHEIRO FRANCEZ.
-_------rasas terreas tiu
boas ras, e que nao estejam arruinadas: quem as
tiver annuncie por este Diario para ser procurado.
Compra-se urna negra de 30 annos nouco
mais ou menos que seja robusta e saiba engom-
mar e cesinhar : no largo do Paraizo n 14
V EID1S.
Vende-fe um carro de conduzir gneros da
alfandega, faltando-lhe urna roda, muito forte, per
prego multo commodo : a tratar no pateo de S.
Pedro n. 4.
Vendem-se moedas de ouro e notas do Banco, e bem assim urna collecgo desde um centesimo
at rail francos : vende-se barato no Recife ra da Cadeia n. tO, no armazem da Exposicao de Londres.
M
m
m
O bacharel
Francisco A injusto da Costa
9
33
I*
o
o
w
H
^
a
6"
ADV6GAD0
Ra do Imperador numero 69.
!A' >xmi>ji6 wvum>.
m
Ama de leite.
Precsase de urna ama que tenha bom
na ra da Guia n. 44, primeiro andar.
leite
Precisase de urna ama livre ou captiva
para todo servico de urna casa de peque-
familia, menos o servido de cosinha : na
ra do Rangel *. 25, segundo andar.
ttencao.
Precha-se de 4005 sobre hypotlieca em urna es-
crava que vale ma s do duplo : quem qoizer fazer
esse n gocio deixe carta fechada na livrana n. 6
da Independencia sob as iniciaes
Z. .
O abaixo assignado vendo no Diario de Per-
nambuco n. 106 de 9 do o irrente um annuncio ao e 8 da praga
>r. Manoel Marlins deCarvalho em que diz ter y. "
justo c contratado com o Sr. J( o Antonio de 0i-' -----------------------.------------__
veira a compra de seu sitio no Campo Grande, e ~ rfeetM de io05 a juros por pouco tempo
sendo o mesmo abaixo assignado credor ao dito dando se por garanta um escravo mego e sadio, e
Sr. Oliveira da quantia de 5775506, importancia os fervigos do mesmo pelo juros : na ra da Cruz
d i principal e juros de ama letra vencida em 6 n- *, segundo andar, das 7 al as 9 lj2 heras da
de outubro de 1862, e nao tendo o mesmo senhor. manhaa ou das 4 as o horas da tarde.__________
effecloado o pagamento da dita letra por nao ter Um menino portugnez com 12 annos de ida-
ainda vendido o mesmo sitio, que segundo me' de e que d fiador a contento a sua c nducla,
consta, o nico bem que Ihe resta, e por onde o deseja arrumar se em urna loja de fazendas em-
abaixo assignado poder ser embolsado; vem pelo bor sirva de graga o tempo que se convenci-
presente declarar que deve ser embolsado da quan-
tia que credor, e que para esse Um passa o mes-
mo Sr. Oliveira a ser d:sdc j ajuizado para que
no futuro nao alleguem ignorancia.
Antonio Jachintho Borges.
m
um alfinete de senhora, sendo de ouro liso, com
urna flor sem esmalte, na noite de 8 do corrente,
da ra do Palacio do Rispo ao sahlr no Hospicio :
quem o achar leve a ra da Soledade n. 38, que serao bem recompensados ; protestando-se
ser gratificado.
Alugam-se o 3
bug n. 16.'
e 4o andares da ra do Ca-
Precisase de um caixeiro brasiieiro de 15a
16 annos de idade, para um armazem de sal na
ra Imperial n. 221.
Precisa-se de urna ama para lavare engommar:
na ra do Trapiche, sobrado n. 36, segundo andar
INJECCAO BROW.
Remedio infallivel contra as gnoirhbo-
antigas e recentes, nico deposito r a eas
ica franceza, ra da Cruz n. 22 pre
co3,J
nar : na travessa da Madre de Ueos n. 57.
No mez de abril do corrente anno fugio do
engenho Cordeiro o escravo Vicente, cabra, de
idade de 40 annos, pouco mais ou menos, bem fal- j
lanle, estatura regular, cabega grande, com duas
pequeas cicatrizes, urna na testa e outra no rosto!
do lado direito, beigos grossos, queixo comprido,
nariz grande e direito, maos e ps pequeos, cha-
peo de couro, carreiro, toca viola, e suppoe-se
que seguo para Agua Preta ou Caruaru', onde j
tem andado : roga-se as autoridades policiaes, ca-
ptes de campo e pessoas particulares que o fa-,
gam capturar e conduzi lo.ao engenho cima, que
proc-
Para completa liquidagao vende-se, por muito menos de seu valor, perfumaras muito finas e
novas chegadas recenlemente de Pars e de Londres dos mais afamados fabricantes seguintes : Eug.
Rimmel, R. Matheus & C, Lubin, Sociedade Hygienica, Piver, Violet, L. Legrand, Deletrez, Pinaud &
Meyer, Regnrer, Mailly, Gillet frere etc., etc., "dos quaes ha grande sortimento d'agua de colonia em
' vidros e garrafas, agua de lavande, agua para limpar denles, oleo babosa, extractos em ganafinhas e
; vidros de differentes modelos, pos para limpar denles, banha em potes e em vidros, pomadas, ricas
; caixinhas e balainhos com perfumaras para fazer presentes, e mullos outros arligos que se vende por
Precisa-se de um cozinheiro ou cozinheira, e menos de seu valor, bem como todos os arligos em geral existentes no grande armazem da Exposigo
tambem de um criado : na ra do Trapiche n. 5, e Londres, na ra da Cadeia do Recife n. 60.
hotel italiano.___________________ (_____________________________________________________________________________
Manoel Ribeiro de Carvatho durante sua au-
sencia deixa por seus procuradores os Srs. : em
primeiro lugar a Joo Bapti.-ia dos Guimaries Pci-
xoto, segundo Jos Joaquim ("-ngalves Bastos, ter-
ceiro Antonio Pereira de Carvalho Guimares.
O abaixo assignado, ex-gerente da casa do
Sr. Antonio Joaquim de Mello, vendo no Diario
de hoje um annuncio publicado pelo Sr. Joo de
Souza Guimares (e nao GoBgalves como por en-
gao sahio) estranlia tal procedimenlo por quanto
nao so se conforma com tal debito, levando-lhe
era conla duzentos e tantos rail rs., senao 1405 a
conta minlia, o que varias pessoas presenciaran!,
como ainda me couvidou para ir passar alguns
dras em sua propria casa ; em occasio oppertuna
provarei se elle ou nao responsavel pelos gene-
ros que verbalmente mandou dar a um seu amigo
de Goianna, eque o mesmo senhor levou em sna
companhia para sua casa na villa da Escada.
Joaquim Ferreira Coellio._____
Precisase de um caixeiro com pratica de ta
berna : quem estiver habilitado, dirjase a ra da
Senzala Nova n. 39, taberna da esquina.________
CASA DE BACHOS
Largo do Carino unmero26.
Este estabelecimento to bem montado na sua
origem, achavase de a muito em quasi completo
abandono pelo pouco interesse de -ua adminis-
tra cao.
Hoje que o novo proprietario emprega todos os
meies para restabelecer a grande ullidade deste
estabelecimento, pode assegurar ao publico que
qualquer que seja o numero dos concurrentes actia-
ro desde j prompbdo e aceio nos bonhos fros,
momos ou medicinaes, a casa dos banhos se acha-
ra aberta lodos os dias das 6 da manhaa as 11 da
noite.
Pregos.
1 banho fri ou momo......500
1 dito de farello........15000
t dito medicinal ser segundo a qualidade.
25cartoes.........105000
12 ditos..........55000
Vende-se urna caixade caraca para um bi
em bom estado, por prego muito" commodo : a
tratar no pateo de Pedro n. 4.
ALMANAK.
Acaba d saliir dos pe-
los de nossa typographia o
Almanak Administrativo e
Mercantil e Industrial desta
provincia, correcto at 31
de dezembro, e vende se a
1$; na livraria ns. 6. e 8
da praca da Independencia.
Para senhoras.
Ricos e modernos pentes de tartaruga paratranga de senhora, o que se tem feito de mais ele-
gante ateo presente: vende-se por menos de seu valor para se liquidar, no grande armazem da Ex-
posigo de Londres, na rna da Cadeia do Recife n. 60
Luvas novas de Jouvin.
VenJera-se excellentes luvas de pellica recenlemente chegadas de Paris, tanto para homem co-
mo para senhora por menos de seu valor, para se liquidar: no grande armazem da Exposigo de Lon
dres, na ra da Cadeia do Recife n. 60.
~ A NACIONAL"
Companhia geral hespanhola de seguros mutuos
sobre a vida
AUTORISADA PELO REAL DECRETO DE 21 DE DEZEMBRO DE 1859
UmaQanca em Mnlieiro, depositado ros cofres do estado, {tarante a boa ad
ministradlo da companhia.
BANQUEIROS DA COMPANHIA
O Baueo de llespanha
DIRECQAO GERAL
.11 ti riel: Ra do Prado n. IO
Vende-se. um ptimo boi manso e bonito pro-
prio para carroga : qnem o pretender dirjase a
ilha do Noguera, que achara coui quem tratar.
0 G1STELL0 DE GRASVILlT
Traduzido do francez por A. J. C. da Cruz.
Vende-se este bello romance era quati
tomos pelo baralissimo preco de 2<>50C
ua praca da Independencia, livraria ns.
6 e_8:_____________
A verdadeira massa ingleza preparada para
matar ratos e baratas, muito nova, acha-se a ven-
da no armazem de Duarte, Carvalho & C, na tra-
vessa da Madre de Dos n. 9 a 610 rs. o pote, cuja
efflcacia j bem conhecida.
Fardo "o" 3J8
na ra da Imperatriz n. 6.
Vende-se una escrava de nago, idade 35
annos, bonita figura, propria para servico de cam-
po uu quitanda do que tem bastante pratica : a
tratar na ra das Calgadas n. 14.
Vende-se urna armago e juntamente aluga-
se a mesma casa com bastantes commodos : a Ira-
lar na na Direita n. 49.
Vende-se por prego commodo um instrumen-
tal completo para urna banda de msica millar,
achando-se todos os instrumentos em per feito es-
lado e quasi novos : a tratar na ra do imperador
numero 12.
\ovl(l:i(lc.
A 15000.
Leques de osso, gosto moderno, pelo diminuto
prego de 15 : s na ra da Cadeia do Recife n. 5,
leja de mindezas de Silvestre Pereira da Cuoha
& Companhia.____
Vende-se
O bacharel Lourengo velino de Albu-
querque Mello continua a ter seu escrip-
torio de advogado nos auditorios e tribu
naes desta cidade : na ra do Imperador
n. 40.
AWliC
Esta companhia liga pelo systeraa mutuo todas as combinagoes de supervivencia dos seguro
obre a vida.
Nella j lo gurado se perca o capital nem os juroscorrespondentes a estes.
Sao i3,i>reh*ndentes os resultados que produzem as sociedades da ndole de A NACI
NAL,que.iinla mesmo lirainuindo urna terga parte do interesse produzdo cm recentes liquida-
goes eso nbinanlo-o ora i onrtalrlade da tabella de Depareieux que e adoptada |pela companhia
| para seus nlculos Iiquidac5es, em segurados de idade de 3 al9 annos, urna imporsigoannual
de 1005 produz em effectivo metlico:
No fim de 5 annos.......1:1195300
de 10 .......3:9425600 C
de 15........11:2085200
i de 20........30:2565000
de 25........80:3315000
Nis dales minores de 3 annose maiores de30, os productos o mais consideraveis.
Prospecta e mais informagoesserao prestadas pelo sub-director nesta provincia,
mo Joaquim Finza de Oliveira, ra da Cadeia n. 52, ou a Boa-Vista rna da Imperatriz;n.l2,eslabel
3mento dos Srs. Raymundo.Carlos, Leite & Irmo.
der judicialmente contra quem o ti ver acontado.
Joo Bernardo da Costa Reg Monlero e Her-
menegildo Fernandes de Souza Lobo participan) ao
corpo do commercio qu dissolveram desde 15 de
abril ultimo a sociedade que tnha nesla praga sob
a firma de Reg & Lobo, ficando o activo e passivo
da mesma sociedade a. cargo de Joao Bernardo da
Costa Reg Monteiro.
Precisa-se de om pequeo para caixeiro de
taberna, de 12 a 14 annos de idade : na ra do
Amorim n. 36.___________
Precisa-se alugar orna preta escrava que
saiba engommar com perfeigo e tratar de crian-
gas, e que seja do conducta aSangada, nao se du-
vida dar bom aloguel, agradando: aa ra do Pi-
lar n. 6, sobrade encarnado.
Aluga-se a casa terrea n. 44 da ra do as-
cenle : a tralar na ra do Quetmado m. J2, loja
de Azevedo <& Irmo.
Precisase de 1505: quem os tiver, querendo
dar a juros, annuncie por este jornal com brevida-
de para ser procurado. Ilypoiheca-se nma escra-
va ou faz-se qualqner outro negocio relativo a
mesma para esse fim. _________
nbo.
Aviso ao commercio.
Um rapaz portu;uez, casado, deseja-se arrumar
em urna casa de commercio nesta praga para co-
brangas ou outro qualquer servigo que nao esteja
sujeljo a balco, dando o mesmo fiador a sua con- ArretOS d carro para
duela : quem quizer, dirjase a ra Direita, loja
de cera n. 133, ou a ra Imperial n. 13.
Samuel Power Johnston k Gompanha
Ra da Senzala-Nova n. 4.
AGENCIA DA
FundicSo de Low lloor.
Machinas a vapor de 4 e 6 cavallos,
Moendas e meias rnoendas para engenho.
AVISO.
na ra da Ca-
aos devedores
Os abaixo assignados, moradores
deia do Recife n. 3, fazem scienie
da massa fallida de Joaquim Vieira Coelho & C,
que tendo arrematado as dividas pertencentes a
mesroa massa, sao elles os nicos autorisados a
_. ____,i e .___.i. l.-.i_____________i inesuj.i iii^sci, >rtu enea u> uirn.ua ainvi iMraya a
Taixas de ferro COadO e batido para enge- receber laes dividas, portanto tem marcado opra-
HOCMEETRISTIiZt
Poesas de Victoriano Palhares: assigoa-se na
livraria acadmica, ra do Imperador, a 35000 o
rol u me.
Aluga-se a casa terrea n. 105' da ra de San-
u fula : na ra da Aurora o. 36.
unf e dous cavallos.
Relogios de ouro patente inglez.
Arados americanos.
Machinas para descarocar algodo.
Motores para ditos.
Machinas de costura.
Na villa da Escada tem para vender-se duas
casas e urna taberna : quem quizer pode dirigir-
se ao becco dos Portos a tratar com a Sr" Alejan-
dra que dar as informagoes necessarias.
so de 30 dias para os senhores devedores virem ou
mandarem pagar seus dbitos, (indo o qual se pro-
mover a cohranga judicial.
Jos Joaquim de Castro Moura.
Joaquim Baptista de Araujo.
. O Dr. Vilella Tavares, lente eathedratico da
facnldade de direito e advogado, mudou a sua re-
sidencia para a ra do Queimado, primeiro andar
do sobrado n. 44.
Ama de leite.
Precisa-se de urna ama de leite forra ou escrava:
a ra da Cadeia do Recife n. 52, terceiro andar.
una casa em Olmda na ladeira da bca de S. Pe-
dro Novo : quem pretender dirija-se a ra das
Crnzes n. 33, que achara com quem tratar.
Vende-se uin piano proprio para aprender,
muito em conta : no largo da matriz de Santo An-
tonio n. 2.
Attciico ni cus seahores
PARA
ALiFORMA.
Fazendas baratissimas, loja da na do
Crespo n. 17, de Jos Gomes Villar.
A nova crise commercial permute que o povo
em geral nao possa comprar fazendas carss. O
proprietario deste estabejecimento, amigo que do
povo em geral, attendendo a essas circumstani-.is
est vendendo fazendas por pregos que na realida-
de admira.
Correi, bom povo, a este eslabeiecimento, e com-
prai fazendas, porque all se vende por menos de-
que em outra qualquer parle.
Cassas organdyzes a 280 rs. o covaio.
Chitas francezs escuras matizadas a 260 rs o
covado.
Ditas escuras muito finas a 240 o covado.
Ditas claras dem a 240 o covado.
Ditas escuras dem a 260 o covado.
Chitas para coberta muito largas matizadas .1
240 o covado.
MadapolSes finos largos a 65590, 75 e 85-
Chales de fil preto muito bons a lOjjOOO ca-
da um.
Chales de merino estampados a 55500,65 e 75.
E outras muitas fazendas, que ludo se vender
por pregos que admiram. _________
Vende se um cabnolet coberto com pou'-o
uso, bem feito, de eixo patente, proprio para me-
dico : no caes 22 de novembro n. 30 por cima do
bilhar dos arcos.
Vendem-se diversas escravas que s. bem co-
znhar, engommar, lavar, e fazer lodo o servigo de
urna casa, e tambem dous escravos. sendo um
bom carreiro : a tratar na ra das Crozes n. 18.


I*rl* de eraaMbuM PLELAS CATHARTICAS DI AYER.
Estas pilulas vegetaes
daptadas a todos 69*9*ik&*.
porgante as familias, pois s5
lperfeitamente innocentes, e en
qnanto milhares de pessoas cob-
fessam com gralid5o que foram
curadas por ellas de molestias
severas e perigosas;nao ha
um so caso em que baja suspei-
tas do mais leve resoltado inju-
rioso por seu uso.
Publicamos aqu alguns dos
attestados que temos de curas
notaveis feitas ltimamente.
Um caso notavel de
rVinhosdo Porto finos
afados embarris -ean-
Lagrimas do Douro.
Duque do Porto.
D. Luix.
Menezes.
Particular.
Vinbo real e muscaiel
19, pnmeiro andar.
na ra do Vigario n.
l-BBg-
2
9 I o. a P1 2
,i?- B ft.3'3 2
s
Afftcrio chronica de figado.
Illm. Sr-
Juiz de Fra, 17 de fevereiro de 1864.
Tendo feito uso das pilulas catharticas
de Ayer, que me fez favor de dar um vi-
dro, tendo tirado um resultado nao espera-
do ; padecendo ha mais de doze annos en-
fermidades do figado e baco, com o uso
das pilulas posso lhe assegurar que estou
bom, pois ten-lo desapparecido um granda!
engorgitamento que soffria, muitas dores
sobre a regiae do figado e costas, dores de
cabeca, inchaco do ventre, nao podendo
deitar-me seno do lado direito, isso mes-
mo procurando posicao para ter socego, bo-
je me acho livre d'esse padecimento ; como
por aqu anda as nao naja, eu como tenho
este proprio que de casa, lhe rogo man-
dar-me alguns vidros, e o custo elle lhe sa-
tisfar, assim bem como do charopc de
cereja, que Uve occasiao de experimentar;
em um ataque de guellas que leve uma
preta que com elle curei, faco uso d'elfes
as tosses em minha familia sempre em
bom resultado, e por isso que peco para
mandar alguns frasquinhos, e mesmo as pi-
lulas pode montar a doze, porque tenho
feito uso d'ellas para uso da familia e al-
gumas pessoas, ia d i ,mt e g e
resultado; sou btdoorojeandeoda
De V. S. attensgPs.ar
Francisco FERREArEtuit
Rheumatismo e ataques hcmorrhoidaes.
Illm. Su.
Ouro-Prete, 30 de marco de 1864.
Posso certificar-lhe que as pilulas ca-
tharticas do Dr. Ayer sao excellentes, pois
que soffrendo eu dores pelo corpo, e que
suppunha ser rheumatismo, (molestia esta
que j havia soffrido ha annos') e soffrendo
tambera de ataques hemcrrhoidaes, e de
um ouvido, pois que at j pouco ouvia, e
acompanhado de urna dr no queixo, con-
sultei a um dos nossos mdicos, e este me
disse que devia fazer uso da salsa ; porm
lendo eu o almanack do mesmo doutor,
coraprei em sua casa um vidrinho das mes-
mas pilulas e por minha conta principiei a
toma-las, e sem as finalisar acho-me sem as
drs peto corpo; e sera sentir, sarei do.
ouvido, e mesmo dos ataques hemorrhoi-.
daes: perianto s5o para mim as taes pilu-
las as melhores que tenho experimentado;
isto em abono da verosde. Sou
De V. S.
Amigo certo, venerador e obrigado,
O brigadeiro
Joo RoDiucr-ES Fi:u de Carvalho
Gaslrite.
&nro-Preto, 29 de marco de (864.
Atiesto que tendo feito uso, aconselhado
por um amigo, das pilulas do Dr. Ayer,
tiquei perfeitamente bom de urna gastrite
que -sofra e que privjrva-me de andar aper-
lada, heje felizmente nada sinlo.
Augusto Gollatino -de Mello.

g"? B, s g-'S
mmm
?5b"s" ?e-^
e 8 ca j "
~8 3 M
o ? 9 2."
un I
la
82?
D t
PRODUCTOS A.MIIH V VIIS
ENSIGNE CHIMICO
1
DO
RIO DE JANEIRO.
lxl
Um

m
m
GRAGEAS
GLISE CONT
ApprOYadaa pala Aeadamla de Medicina de Paria.
Reiulti pelos dou relatnos, adoptados pela dita
Academia era 18*0 e em 1858, que as GRAGEAS de
GLI8 e CONT sao o mclhor e mais eflicaz remedio
ferruginoso para curara chlorosis (alias fluor-albo), os
flvxot brancas, a fraqueza de compleixae nos dous
sexos, e tambem para ajudar a menstniato das mocas.
Estas Grageas nao sao vendidas senio em caixinhas
en vidros cobertos com rotulo e fechados com ama tira
levando a traa de depositario geni : labei.o.nye,
Sharmaceutico, rua Bomrbon-Villtneua, 1. Par.
Deposito geral em Pernambuce ra ('a
C-nz n.22 em casa de Caros Barboza
A LEGITIMA
MLSAFAREIL
Falla de apetite.
Qure-Preto, 24 de fevereiro de i 804.
Sendo eu afectado -do figado ha muitos
aanos.e ltimamente Qffri falta de apetite,
hoje dou gracas a Deus por achar-me sao
e perfeio com o uso des pilulas catharticas |
ds r. Ayer.
Antonio Bento Veira.
PEEP1EADA BICAMENTE POR
LAMAN k UIK,
Chutubador lehl.
: ou esmalte branco inalteravel, sem cheiro nem sabor e da mais
simples applicacjo para chumbar os dentes por si mesmo, ins-
tantneamente, sem chumbo nem dor, meio prompto e perfeita-
mente eflicaz. O chumbador lehl torna-se na bocea branco co-
mo os proprios dentes: acompanha urna guia .......
Cimento chinez
para concertar com a maior perfeifao ioufa, porcellana, crystaes,
vidros, marmore e qualquer objecto precioso......
Cimento de gntta percha
especialmente preparado para chumbar os dentes cariados. Acom-
panha urna guia............>
cosnaetieo Indiano epilatorio
para destruir quasi instantneamente os cabellos d qualquer par-
te do corpo, sem dor e sem alterar a pelle. Ac. urna guia. .
ilexir odontalglco vegetal
para curar instantneamente as dores dos dentes mais rebeldes, e
que tambem proprio para a conservacao dos mesmos, o en-
durecimento das gengivas e a suavidade da bocea. Acompanha
urna guia..................
Encrlvore
para tirar a tinta do papel e limpar as pennas de ac.....
llelstelh
pedra austraca para curar' os tumores,* infihaCes e feridas prove-
nientes derogdura decleira, selfim, canglha e oulros arreios
dos burros e avallos; adoptado as estribaras imperiaes da
Austria desde o anno de 1741. Affianca-se que nao preciso
mais de 24 horas para que a chaga esteja cicatrisada, e que nSo
exista mais inchaejo. Acompanha urna guia.......
Limas chlmlcas
extraccao dos callos e cura garantida sem dor nem perigo, em 30
minutos pelas afamadas limas chimicas de Pedro Mourth.
Acompanha urna guia. O par...........
.llassa dentarla Samakol
esta masa, pouco temp> depois de sua introdcelo na cavidade
dentaria, adquire urna dureza consideravel e nao atacada por
nenhuma das substancias alimenticias ou dentiOcias. Acompa-
nha urna guia................
llassa lustrosa
para limpar e abrilhantar instantneamente os trastes, pianos, ar-
magoes de loja, grades e corrimoes de escada, tirar o sujo das
moscas, ficando envernisados i orno novos. Ac. urna guia .
Papel cheiroso
inflammavel, queimando sem bulla, para perfumar casas e quar-
tos, produzir sensaces agradaveis e desinfectar o ar dos dentes:
Carteiras. .
dem.....
dem.....
pomada Itondesiciis
con/ra piolhos c lendeas; allantada sem mercurio.....
pos de prata
para pratear iosiantaneamenie o cobre, o latao, o bronze, ele, e
reparar os objeclos antigos prateados, como faqueiros, salvas,
castigaes, apparelhos de cha c oulros objectos semelhantes, af-
Gangados sem mercurio, para uso dos joalheiros, relojoeiros,
pticos, negociantes de ferragens, curiosos e casas de familia :
V:dros de 2 oitavas. .
dem de urna onga. .
liuis para par a prata tarrada
so affiangados infalliveis. Acompanha urna guia, vidro ....
pos purgativos
para curar e prevenir as molestias dos caes. Accmp. urna guia:
Carteira. .
dem
ftabo oriental .
para tirar *s tecidos como sejam: nodoas de vinbo*, licores, caf, frutas,
gordura, e limpar sgalas eparamentos dos vestidoscivise mi-
litares. Acompanha urna guia...........
Tinta Azul Indelevel para marear a roupa
azul no hora no sol, torna-se preta e nunca ma's sabe do panno as la-
vagens. iE" preciso esenever sobre panno encorpado ou engom-
mado. Afflanga-se que nao ha mehor na corte em qualidade,
Vidro de tres oncas -.
dem de urna onga. .
Tinto enea nada indelevel superfina
Duzia.
5000 40^000
1*500 12*000
2000 18*000
3*000 24*OC0
2*000
500
18*000
4*000
1*000 9*000
3*000 34*000
3*000 24*000
1*000 9*000
500
1*000
1*500
4*000
7*000
10*000
2*000 20*000
1*500
3*0(0
12*000
28*000
500 4*000
500
1*000
4*000
7*000
500 4*000
1*000
500
7*000
4*000
48*000
Constiparan, dra de caliera.
Oitro-Prelo, 28 demarco H864.
Atiesto que achando-me atacado de urna
forte constipago que trouxe-me dores por
todo o corpo e na cabeca, soffri horrivel-
mente por espago de quatro dias; entao
um amigo aconselhou-me que tornese pi-
lulas catharticas do Dr. A^fcr : com.etias fi-
quei So .e completamente restabelecido em
tres dias, de sorte que estou no Grme pro-
posito de acanselhar o uso -das ditas pilulas
a todas as pessoas que forem affectadas de
constipagoes.
Agostdh 'Jos da Silva, negociante de fa-
zendas.
iiarfio do estomaga.
Our-PMo, 29 de maros de *864.
Attesto e oes, se necessario fr, que. sof-
frendo ha muito tempo excesiva irritacSt)
^e estomago, pwico apetite e djffieil diges-,
ao, d'ella tento experimentado sensiveis
gnelhoras depois que tenho feito kso das pi-
ulas catharlieas da Dr Ayer.
Antonio Hbmkgenes Pereira iBiOsa.
IW1|I.
JOuro-Prcto, 28 demarco de 1834.
As, pilulas do Dr. Ayer (catharticas), fo-
ram empregadas com grande vantagem por
mim em urna raenrta de dez annos que
soffria e vermes ia-taslinaes, notndole
que os ymptomas que ento apresentava
eram de molestia bastante perigosa.
Bavmundo Nonato de S. Thiago, pharma-
ceutico.
Neualgia.
Uma carta do Illm, Sr. Fraoeisco Alva-
renga de Azevedo.
Ha mais de sete annos que soffria dores
no hombro e as costas, tomei uma infini-
dade de remedios sem achar alivio algum.
Dr, angustia, tormento sao palavra6 for-
tes, porm nao exprimen) o que tenho sof-
frido: ltimamente tomei as pilulas ea-
thartieas do Dr. Ayer. S faz oito dias, e e6-
NOVA YORK.
Composta de substancias, gozando de
ppopriedades eminentemente depurativss;
approvada pelas juntas e academias de-me-'
dicina; usada nos prinoipaes hospilaes,ci- para marcer a roupa,%mvid77deme"a"ca"""E*'T" ."*T".'. 2*000
vis militares e da marhilia as Antilbas e Ungenta i^hi
no continente americano ; receitada pelos remedio maravilboso o melhor at heje conhecido contra feridas
facultativos os mais distinctos do imperie-do novas e antigs, ulserosas e saniosas, Gstulas, frieiras, hemor-
Brasil e da America hespanhola rodas, lucengas, mordeduras, muas, panarigos, queimaduras,
CURA RADICALMENTE reumaiimos, supuragoes putredas, cabegas de prego, abeessos
escrophulas, rheumatismo, escorbuto, en-1 no seio das senhoras, tumores e ulceras em qualquer parte:
fermidades voaereas e mercuriaes, chagas Rolos. 4*000
dem. 2*000
nico deposito em Pernambco ein grosso e a retalho
EM CASA DE MANOEL i C.
8 RIJA DO CABITCA 8
antigs, moiphea e todas as molestias pro-
venientes d'um estado vicioso do sangue.
Emquanto existem varias imitages e
falsifkagos,.preciso a maior cautela para
evitar os engaos,
A legitima sasa de Bristol vende-se per
CAOftS & BARBOZA
JOO DA C. BRAVO & C.
Joo da C. Bravo & C.
Vendem-se no Recit em ctsa de Caors
Barboza e Joao da C. Bravo & C.
T----------------------------------------------------r~" Ceroulas de-roeia muito finas s tjJ500, ditas en-
Instme^oes para -o servido .*"?
30*000
17*000
PECHINCH
-. S, laja de miufiezas de Silvestre Pereira da Cu-
das guandas do exercito, exlrahidas do re-,nha& C.
gulamentu de infantaria e accommodadas ao | ~Zrvende-?e im piano forte em
No armazem de fazendas ba-
ratas de Santos Coellio,rua
do Quemiado n. 19, ven-
de-se o seguin te:
: Len;cs de panoo de luiho a 25'i00.
*>3tn estado e D't0S exercito hratsileiro: obra que moito convm! por prer;o Vomnicdo : na roa da Maagueira n. II, I r^^" ^ k. t~M. *na
aquellas pessoas que se alistam os corpos oa-vut, jO^Jj^jjj. wj^ ^ ^
bira, pelo ralo prego de ; de voluntarias.; vende-se na liviana n.
8 da praga da ml pendencia, a 1*.
Ge
Aviso aos r^verendissinios
sacerdotes.
-Na roa do Crespa n. S atilda luja de Guilherme
da Si Iva Guimarae*. hoje oXkf g( rio Paesdo Ama'
ral & C, receImmipelo paquete ullimairenle che
gado por conta de oa das melhores fabricas de
Lisboa, os seguate* bjrtos proprios para os
misteres reliRio?os, ^ue sero we.dds por pr3{es
razoavwis, a saber ;
1 lu.'llio de damasco branco de *eda multo rico.
i cselas com os competentes prepares.
Barretes de seda preta luvas.
Mer s ie seda roaxa, pretas c encarnadas, pro-
prias para as diversas dignidades eclesisticas.
Novidade.
.Na mesma loja tambem se vendem chilas de II-
obo rr departa com salpicos de cor a 320 rs. o
corado, sendo estas flxas, assim como contina a
ter ornis escohido sortimento de fazendas para
grande loilet e uso ordinario para todas as clatses.
Nova loja de miudezas
5 Ra da Cadeia do Recife-5
ra
Silvestre Pereira da Cunha A C.
Os donos deste novo estabelecimento abrindo-o
a concurrencia do respytavel publico, rsperam
merecer deste toda a protec$o, j pela delicaieza
c seriedade que empregarao em seus negocios, co
Barata a 280 rs o ao-
vado
Cfcmbraia organdys fazenda fina goete perfeito
a 28C rs. o covado : sa rna do Qaeimado ns. 43
e 45 esquina que volta para a Congregaba lejas
amareWas.
lande-se um cavallo castanlio, gordo mai
to manso para carro : aa cocheirado Ignacio, por
detraz d relacao.
Oleo de Florida
Composto de substancias vegetaes exticas, ette
contribue poderosamente, eom a agua de Flo-
rida a forca, a belleza e a esaservaco dos cabe]'
Jos.
Em Pars e*a de Guilaur n. 112 ra de Rechi-
lieu e 21 boulevard Montmartre,
Todos os fraecog nao tendo intacto e clare, e un-
cir praleado da oasa, reputado falso.
Deposito ra do imperador pharmacia n. 38.
Vende-se a taberna da ra dos Acouguinhos
n 20 : a tratar na mvsma.
GAZ GAZ GAZ
Vende-se gaz da melhor qualidade a
l'*5 a lata : nos armazensda ruado Im-
perador n.16 e ra do Trapiche Novon. 8.
tou completamente restabelecido; ha tres mo pelo completo sortimento de miudezas e per-
das que nao sinto a mais leve dr no hom- fumarias, coma sejam flvdas cpm cintos, agulhas
hrn npm as cnetac imperiaes as melhores que tem vlndo ao mercado,
uru nem as cosas. ditas eantofas, sapatos de tranca para homem e
Estas pilulas acham-se a venda as prm- senhora, rap do Rio, nmo de Herlebeck, can-
cipaes boticas e drogaras do imperio, e no dieiros para gaz, charutos mnito fino?, bilhetes de
Rio de Janeiro, ra Diroita n. 15.
Vende-se em Pernambuco:
na pharmaeia fraaceza de
P.MAURER & C.
RA NOVA N. 18.
lotera, tallagarca e muitos oulros objecto que se
ria enfadonho mencionar, sendo estes vendidos por
precos lo razoaveis que a pessoa que comprar a
primeira vez, ne deixar de continuar a vir sor-
lir-se neste novo estabelecimtnto.
- Milho novo em saceos grandes: no trapiche
de Cunha, a tratar eom Tassofrmos.
Era casa de Tisset Freres ra do Trapiche n.
9, tem para vender :
V'inho Bcrdeanxem barricas e em caixas.
Dito de Santerne fino.
Ditod- Champagne muito superior.
Cerveja franceza marca Ilube.
Toros de Jacaranda, madeira muito especial
para construir mobiltas: no largo do Corpo Santo
n. 4, primeiro andar.
Vende-se um escravo idade 25 annos ins'gne
offlcial de carplna e bon'ta figura ; najravessa do
Carrao n. t.
Cal de Lisboa
Na ruado Vjgario n. 19, primeiro andar.
Pecas de bretanlia de rolo com 10 varas a 3800
Ditas de eambraia para forro de vestido, com 8
varas, pelo Laratissimo prego de 25600.
Guardanapos adamascados pelo baratsimo preco
de WAUi a duzia.
Algodo eafeslado com 7 l|2 palmos de largura a
I1-200 a rara.
Cortes de lia de lindos costos com 15 covdos a
6,5000.
Pegas de cambria adamascada com 20 varas, pro-
pria para cortinado, pelo barato prego de llj.
Fil liso fino a 800 rs. a vara.
Dito rom salpicos a 15 a vara.
Tarlatana branca, fina a 800 rs. a vara.
Atoalhado de algodo adamascado a 2200 a vara.
Iliio de linho $i00 a vara.
Laazinhas lisas de todas as cores, pelo baralissimo
prego de 500 rs. o covado.
l'eas de cambria de salpicos brancos e de cores
com 8 Ii2 varas, pelo baratissimo preco de
tfSOO.
Bal6es de 20 arcos a 2J500, de 25 a 3*, de 30
3S300, de 35 45, de 40 45500.
Toalhas felpudas a 135 a duzia.
E-ii-iras da India de 4, o e 6 p.-.lmos por menos
prego do que em outra qualquer parte.
Neste armazem se encontrar um grande sorti-
mento de napa feita e por medida.
Uma familia que se retira vende uma mobilia
de amarello j usada, trem de cosinha, louga de
almogo c jamar azul, uma mesa de jamar de ama-
relio ps torniados, mesas pequeas, commodas,
cama de casal e muitos outros objectos o que tudo
se vender em conta : na ra dos fires n. 6.
proprio parTsenhorT"
Vende-se um excellenle cavallomuilo no-
vo e manso com todos os andares: na co-
cheira do Paulino, rua de Santo Amaro. .
Vende-se caixoes vazios proprios pa-
ra bahuleiros, e funileiros, a 2^000 cada
um : epara as pessoas que compraremde
i para cima lfJ800, ueste typographia.
Admirem
Admirein
Admirem Bem!!
As pechinchas que eslo a venda na loja e ama-
zens do Pavo, na ra da Imperatriz n. 60 de Ga-
ma i Silva, onde se vendein todas as fazendas,
tanto de luxo como de primeira necessidade por
precos muito rasoaveis, e com especialidade as se-
gmntes, dando-se amostras deuando licar penhor,
ou mando-se levar em casa das familias pelos
caizeiros da mesma loja.
Algodioziubo do Pavo.
Vendem-se pegas de algodozinho marca T, mui-
to largo, proprio para lenges e toalhas, tendo 24
jardas pelo baralissimo prego de 65 a pega ; dito
large com vinle jardas a 55, pechincha por ser
fazenda que se vende em outra qualquer parte
por 105 e 125, isto na loja do Pavo, ra da lm-
ratriz n. 60 de Gama & Silva.
Hadapolo entestado a 4, .jOO c o000.
Vendem-se pegas de madapolo eofesiado com
l jardas pelo baratissimo prego de 45, 45300 e
55, ditas sem serem entestados demarcas muito
acreditadas a 75, 35, 95, e 105, ditas, francez
multo encorpado proprios para saias a 480 ris a
vara, isto na loja do Pavo ra da Imperatriz n.
60 de Gama & Silva.
(irainlc pecliinrlia.
Chilas a-2 ru o covado.
Ou 75000 a pega s o Pavao.
Vendem-se chitas inglezas de superior qualida-
de, aflaegando-se as cures serem fixas, com muita
diversidade de padres, pelo baratissimo prego de
220 rs. o covado, ou 75600 a pega tendo 38 ce-
vados, sendo fazenda e.-ta que sempre se vendeu a
280 rs. o covado eu 10; a pega, chitas largas a
280, 320 e 360 rs, na loja du Pavo, ra da fnpe
ratriz n. 60 de Gama & Silva.
Corles de chita fraticcza na loja do Pavo.
Vendem-se cortes de chita franceza, cores lizas
com 10 covados a 35, ditos com 11 covdos a
3^300, ditos com 12 covados a 33600, ditos de chi-
ta ingleza a 25200, 25400 e 2s6(K), isto na loja do
Pavo ra da Imperatriz n. 60 de Gama tS Silva.
Cassas Franeezas a 30t>, 320 e 3tii> na loja do
Pavo.
Vendem-se casias francezas muito finas, de co-
res finas pelos baratos pregos de 300,320 e 360 rs.
o covado, pegas de cambria com salpicos de cor
tendo 8 l|l varas a 45, ditas salpicos brancos a
a 25500 e 35, ditas adamascadas para cortinadas
a 45, na loja do Pavo ra da Imperatriz n. 60 de
Gama & Silva.
Cortes a Mara Pia.
Giande pechincha a ii^OOO e 6000.
Vendem-se os mais bonitos cortes para vestidos,
sendo de cambria branca com as barras e enfeites
bordados, de cor crox, pelo baratissimo prego
de 55, ditos do mesmo goslo mais sendo de cores,
pelo baratissimo prego de 65 cada um, vaiendo
esta fazenda dobrado dinheiro por ser a mais mo-
derna que tem vindo ao mercado, isto na loja do
Pavao na ra da Imperatriz n. 60 de Gama &
Silva.
Grande prchincha a S000.
Vestidos de ia a Maria Pia.
Vende-se um bonilo sortimento de venidos de
Ia com barras bordadas Mara l'ia com as com-
petentes enfeites para o corpo, pelo baratissimo
prego de 85 cada um, c pechincha por ser fazenda
que sempre se vendeu a 125, e por ter chegado
uma nova e grande porco, resolveram-se a fazer
este grande abatimento na loja do Pavo, ra da
Imperatriz n. 60 de Gama & Silva.
Vestidos Brancos.
Vendem-se os mais ricos corles de vestidas de
cambria branca primorosamente bordados, pelo
barato prego de 125- 16 e 20j na loja do Pavo,
ra da Imperatriz n. 60 de Gama c Silva.
La lia riba I'(i n .i a 400 ris.
Vendem-se as mais modernas laazinhas transpa-
rentes, com listrinhas miudinhas, pelo baralissimo
prego de 400 rs. o covado, ditas entestadas, cor de
havana, cora listras differentes, sendo das mais mo-
d^nas e muito encorpadas a 500 rs. o covado : na
lja do Pavo, ra da Imperatriz n. 60, de Gama
, Silva.
Grande pechincha. vestidos a
30&OO.
Acaba de chegar um bonito sortimento dos mais
lindos vestidos transparentes, muo proprios para
passeios e bailes, por serem de primorosos dse-
nhos, sendo todos os padroes tecidos e nao pinta-
dos, e vendem-se pelo baratissimo prego de 35-500,
sendo fazenda que val muito mais dinheiro: islo na
loja do Pavo, ra da Imperatriz n. 60, de Gama i
Silva.
Laazinhas a 1 -io ris.
Vendem-se as mais modernas laazinhas trans-
parentes, proprias para vestidos, lamo de quadri-
nbos como de listras, com as cores muilo bonitas,
pelo baratissimo prego de 20 rs. o covado ; ditas
com palminhas de seda, padroes muito benitos, a
320 rs. : s na loja do Pavo, ra da Imperatriz
o. 60, de Gama & Silva.
fazendas prctas.
Vende-se gronsdenapies prelo a 1#280, 15600,
15800 e 25 al 45, superior metirantique prelo a
35, setim da China, nova fazenda loda de la, pro-
pria para luto, com 6 palmos de largura, a 500,
560, 600 e 800 rs. o covado, e outras muilas fa-
zendas proprias para luto : na loja do Pavo, ra
da Imperatriz n. 60, de Gama i Silva.
Grosdenaples de cor a lGOO.
Vende-se superior grosdenaples cor de caf, pro-
prio para vestido, sendo muito encorpado, a 15600
o covado : na loja do PavJo, ra da Imperatriz n.
60, de Gama & Silva. ..-
Casemirasa I $600.
Vemiem-se casemiras garibaldinas de quadn-
nbos e izas, proprias para caiga*, pautse coletes,
pelo barato prego de 15600 o covado, assim como
caigas, palitos e coleles j feilos das mesmas : na
loja do Pa^o, ra da Imperatriz n. 60, de Gama Silva.
Grande sortimento de roupa feita.
Vende-se na loja do Pavao um grande sortimen-
to de roupas feitas, con.-lando de palitos de panno
preto, sobrecasacos, ditcs saceos, ditos de casemi-
ra, saceos e sobrecasacos, ditos de hrim branco e
de cores, ditos de casineta, calcan de casemira pre-
ta de todas as qualidades, ditas de cor, ditas de
briol de linho branco e de todas as cores, coletes
de brim, casemiras, setim. gorguro, etc., etc., to
das tas obras vendem-se por preco mais barato
4o que em outra qualquer parte : na loja do Pa-
vo, ra da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
diales e manteletes de renda
Vendem-se os mais ric is e mais modernos cha-
les e manteletes de renda, chegados pelo uliimo va-
por da Europa, por prego muito razoavel : na loja
do Pavo, ra da Imperatriz n. 60, de Gama &
Silva.
Soutembarques de cor
Vendem-se os mais modernos soutembarques de
cor, ricamente enfeitados, e por baraio prego : na
leja do Pavo, ra da Imperatriz n. 60, de Gama 4
Silva.
Tapas pretas e soulembarques,
Vendem-se as mais modernas opas prctas lisas
e bordadas, os mal* bonitos soutembarques preos e
manteletes, tudo de seda preta e o que ha de mais
gosto no mercado, por pregos muito em conta :
na loja do Pavo, ra da Impera!riz n. 6<1, de Ga-
ma c Silva.
Enfeites para cabeca.
Vendem-se os mais lindos enfees para cabega,
a 35, 45, 55 e 65, os melhores baldes cronolinas :
oa loja do Pavo, ra 4a Imperatriz n. 60.
Francisco Jos Germano
RA NOVA X. ti,
acaba de receber um lindo e magnifico sortimento
de oculos, lunetose binculos, do ultimo e mais
apurado gesto da Europa.
Vendem-se
machinas americanas.de serrote para descarogar
algodo : na ra da Seozala aova o. 42.
Attencao.
Fazeudas pretas para a quareMita por
por baratissimo preco, oa loja e ar-
mazem da Arara,ruada Impcrairiz
a. 56.
LoHrenco Pereira .Vendes Ottimarea.
O proprietario deste esiabelecimeaiu reiira-se
para a Europa a tratar de sua sauJe. po: uTaule
ieretirar-se pretende fazer uma liqotdaeo de ba-
baratisslino prego para fechar cuntas agora fre-
guezes vender grusdcnaples prelo muilo bom
para vestidos, a 15000, 25 a *5oOO, dilo de 5 pal-
mos de largo, a 35 ua ra da Imperatriz loja da
Arara n. 56.
Meurantique preto n'J#.
Vende-se meuranuque pelo para vestido a ,"5 o
covado, grosdenaple muilo largo e escoriado a 3$.
25500, 25 e 15600 o covado, alpaca | rtl; paia
vestidos e palitos a 500,600, 700 e HJO rs. o cova-
do, sarja de la para vesiidos, calcas e paics a
oiO e 800 rs. o covado, la preta para vestidos a
640 rs., bombazina preta para vestidos a 180 o
covado : ra da Imperatriz loja da Arm n. 60.
Rios vestidos aMari Pian lij?.
Veadem-se ricos vesiidos a Maria lia a 105,
125,145,165: ruada Imperatriz Uja da Arara
o. 56.
Arara vende peca* de pannihl:o a e de
madaj olo a 4j.
Vendem-se pegas de panniuho ir.tiiic lr o de. ls
jardas a 55, vendem-se pegas de niaiiapc.'t >afcs-
Udo a 45 e 45500, vendem-se pegas de n.&aioliio
de 24 jardas bom a 65, 75, 75500,' t-. ','5. 104
iz, veniem-se pegas de algodosinho .. 5J, 6f-,
'5, e 85 : ra da Imperatriz n. 56.
Arara vende os bales a o Veode;n-se bales de arcos de todos os tamanjics
a 25o0J, 35, 35500 e.5: ra da Itupmir4
o. 00.
Laazinhas da Atara a 320 rs. o ceudo.
Vendem-se laazinhas pira vestidos de v.i iotas
e meninas a 320, 400 e 500 rs., ditas liipj -c to-
das as cores a 400, ouo e 560 rs. o corado cursis
finas para vestidos a 320, 360 c 400 rs. o covado
ra da Imperatriz u 56.
Chitas da Arara a 240 rs. o ctv.'.'o.
Vendem-se chitas de cores fixas a 2',l) t 80 r.>.
o covado, ditas francezas finas a 320. "!0, 406 e
500,preclara para vestidos a 500 < SCO rs. o cova-
do : ra da Impera ir i; loja da Araia n. .'
Liquidado de soutambaques e lai.ubii y
U, U e 10.
vendem-se soulambaques de lazinr.s? na se-
nhoras a 75, 85, dua de alpaca brai.ea a 105, 'dnas
muito linas degrosdenaple preto a 205, '-;:> e 3P5,
capas pretas de grosdenaple fino a 205, 255 '' 305,
manteletes preos de grosdenaple a 205 e i?5if0-
lindas para senhora a 240, 320 e S06 is., n ; npui-
tos com gola a 15, camizinhas para tintura, 25,
e 35, ditas muilo linas bordadas a -jM: : ra loja
do barateiro da Uoa-Vista ra da [roperairiz foja
la an,1 n. 56.
Cortes de ditas finas a 2400.
Vendem-se corles de ditas c-
25400, ditos de dita franceza a 35200, Hiles o.\
cassa franceza lina com 11 covados, por 35. vtn-
dem-se pegas de cambria branca h.-a n |#C0,
45500, 55500, 65 c ^ : roa da tapera ii n. 56..
Liquidagao de roupas feitas palitos a ?$.
Vendem-se palitos de brim de Hit f$.Z$k
35, jaqueloes de brim pardo a 35 e 35"t0 | al.
de casimira bem feito a 55, 65, 7*, P5 II .
0 t
Utos
di-
tos de panno preto bom a S fi(fj, ditos si rifa-
sacos de casimira de cor e preta e de panu 125.
145,165 e 205, caiga de brim de ci a 25 SUjOO,
ditas brancas de linho a 35500 e 5, ditas t'e ca-
simira de cor 15, 65 e 85, pretas a ;, i t F5.-
colletes de easimira de cr e pete, ;'e brln do tur
a 15500, brancos a 25 e 205(0, cercofas eitts a
15280, ditas linas a 15600 e 85, camisas fraoce-
zas a 25 e 25500, ditas inglezas de pregas largas a
35, de linho a 35 e 35500, coleriBhos eeoBi mire?
a 640 rs.a duzia, dito? de linho a 500 rs,'. m : na
ra da Imperatriz loja da Araja n. 6.
Arara vende as cobertas a 2.
Vendem-se cobertas de chila finas a 25 e ?55<0,
ditas de damasco a 45 : ra da Imperatrii i>, i.'li.
E' na Arara que. e vende cortes d? (.:: rcir,!
preta a 3^.
Vendem-se cortes de casimira pela rara ;;'c;) a
35, 35300, 45300, 65 e 85, ditos de ro a 35,
5500 e 6S : ra da Imperairiz'n. 56.
Com toda attenfao.
O proprielario da loja e armazem da faia, esta
resolvido a vender as lazendas de todas as quali-
dades por barato prego alim de se apurar dinlieira
na loja da Arara 11. 56, de Lourengo Pereira Jkfl-
des GoimarSes.
Madapolo lino. a
Vende-se madapolo cen 24 jardas n. X'" ''&<
n. 30 a 65, n. 2 a 75, n. 40 a 75'i0, n^ a P5,
n. 5 a 8*, marcas esm 85300, HOIt ''5,J&* pi.ante
105, ZZZ 115 : ra da Impcralriz,j. >u, leja de
Mendos Guiuiaraes.
Arara vende casemiras finas a 500 o co-
vado.
Vende-se casemira prela e azul com Ma? tende
duas targuras pelo baratissimo prego de 25310 o
covado : na rna da Imperatriz loja da Arara r. 56..
de MendesGuimares.
Cortes de ch'ta a 2-yi0O.
Vendcm-se cortes de chita com 10 ce vados, a
25400, ditos a 25^00, vende-se tambem ihllas !n-
glezas a 210 e 280 o covado, ditas franc(-:a> a 81,
300, 320, 360 e 400 rs. o covado: ? Araia. de
Mendes Guimaris.
Liquidaejao de soulembarques de cores
a 65, c5, 85 e 105. du s preos a 185, ',[&, 205
e 235, capas pretas de grofdenaple a 205, 2Sf e
305, manteletes a >85, 205, 225 : oa ra da !m-
peratri n. 56, de Mendos Guimares.
Cortes de cambraa de cores a ',l.
Vendem-se corles de cambria de coris rom 7
varas por 35, cambria branca a 35500, 45,
45300,55, 65 e 85 a pega, alpacas de corva a ou'.)
o covado. cambria de cores a 320, 360, '.00 r
440 o covado, lazii:has muilo finas lisas a 400,
500 e 560 o covado, longos de linho a 400, ffOO,
640 e 800 cada um, aberturas de esquiao de lii.;..'
finas a 15 cada una : isto s na loja e .rmaii m
da Arara, de Medies Guimaraes.
Vende-se chales de meri liso a 4500,
dilos csiaupados a 3j500, 65 e 75, golntiis | ar'.
senhora a 320, 400 e 500 rs. rada una, golas i
punhos a 800, manguito: e gola a tfVeada uma,
camisinhas para senhora a 25 45, Utas muito
linas bordadas com gravatlnhas a 455(:0 o ?5,
meias de seda para sc-nhera a 15500 o 1; r. v, i,-
de-se paninho com 12 jardas a 55, pega (! mada-
polo enfeslado a \&, 5500 : s Arara n. 56. loja
de Mendes Guimaies.
Ricos corles a Mana Pia
Vendem-se os mais bonitos cortos a Mana Pa a
85, 105, 125, 15 e 165, dilos muilo fines a !-,',.
na ra da Imperatriz n. 56, loja de Mvmlts Gm-
mares.
Corles de casemira finas
Vendem-se rcrles de casemira de (ores .1 35,
35300, 45. 55 e 75, casemira rara covados a
1*000, 45800, 25240 e 35, ditas de mais .ual,a-
des finas a 35200 o covado, cortos de Ricgede
cor a 15600 e !58G0,gangas para covadt s a '.'.i,
300 e 500, bnmzinhos a 280 o covado, biiQi pai;'r,
a 720, 800, !>00,15, 15^00 a vara, brimlranc. :e
linho al52tO, 15400, 15500, 15800 o 25 1 u-i
camisas francezas para homem a 25, ?524fl e
25500, ditas de pregas largas de linho a .-3"
258OO e 35 cada urna-
Grande sortimento de roupas fehas de e>-
das as qualidades,
Vendem-se paletots de brim de rore-s : .-':.
quei5es a 35 a 35500. paletots de casemira a i,
65, 75, 8 e 105, dilos de panno preto .. .".
dilos a 65, ditos linos a 85 e 105, dii i cea-
sacos panno pr?to a 125, dilos de cor a 143
to< preos a 165 e 2(5, dilos moilo finos .
caigas de brim branco de linho a 35 e : 'i-
tas de algodo a 25. ditas de ganga aril ie
256C0, 15800, cobertas de chia a 25. dil?s irnito
finas a 25500, ditas adaroas-cidas a 45, rrtaceza
preta de cordo a 800 o covado. dita de 'i-irinas
a 15 o covado, moreant'iiua prelo a 35 o ruvade,
grosdenaple prelo a 25500, 25200^25, i50 o
I5G00 o ce vado, chapeos de !l d^ seda par iio-
meni a 75 e 85. cassas prctas a 30O rs. o "tc,
chitas pretas a 340e 280 o covado, dias fraooctas
a 320 e 360 o covado : i-to na! .ja o ifiaatera da
Arara ra daJjnjeratrL' q^v. s Arara mais l:-
guem, de Mendes Guinirast.
'
ILE6VL


_



.,_-----, -_.. .......
-. -_. .. -
mm
.;-'- -. -* -- ~ ,.
tarfta 4e l*emaaln Ma felr fr e Hat de 18&

C.3
AURORA 6RILHANTE
'i.
GR4NDES ARH4ZENS
he
IGLHADOSi
\ M3
Largo da Santa'
VIMOS
Gru n. 84, es-f
U faina da ra doI_
3 ESPECI.&.ES
Largo da Santa
|Cruz n. 84, es-
jquina da ra Jo]
Sebo.
., R ",v'l,ri)jr'tlar'u do ja multo acreditado armaiem de mulhados denominado Au-
rora uriiiiaate. continua a ter o mesmo sortimento de gneros de primeira qualidade.
a ruinte tabella sirvira' a todos de base para ajuste de comas aos portadores,
oa l3"1 at^'na^,s", vender1 raais barato e melhores do que a Aurora Brilhante, ja''
peio gran.ie sortimento que tem, ja' mesmo porque sea dono so deseja tirar diminuto lu-
cro quaoto cnegue pura accumular as despezas do ostabelecimenlo por isso deixe se a-
,'M.eitar, o prspnetano ha de fazer toda a diligencia, aOm de servir bem os seus cons-
tates fre^uezes.
NSeLrnWW EW6(KHHJRGH]
orm/mQ
DR. PVOLO DE ATTAHYBE LOM MGSCSO,
MEDICO, PlRTEinO E OPERADOR.
3 Ra da Gloria, casa do Fundao 3
O Dr. Lobo Moscoso d consultas gratuitas aos pobres todos os dias das 7 s 1
ooras da manhaa, e das 6 e meia s 8 horas da noite, excepto dos dias santificado
s
Pharmacia especial homeopaihica.
No mesmo consultorio ta sempre e ruis appropriado sortimento de carteira;
tubos avulsos, assim como tinturas de varias dymnamisacoes e pelos preces seguintet
^Carteirasde 12 tubos grandes. 120000
de 24 tubosgraudes. 18(51000
de 36 tubos grandes. 240000
de 48 tubos ,'randes. 300060
de 60 tubos grandes. .350000
Prepara-se qualquer carteira conforme o pedido que se-feer, e com os remed
I lie se pedir.
nrtubo avtrlso ou frasco de tfnturade meia onca 10000.
Sendo para cima de 12, cnstarao >s precos estabelecdos para as carteiras.
Ha tubos mais pequeos cada um a 500 rere.
LITROS.
!
O
o
o
"1
DE
AZEVEBO f FLORES
Ba da. Cadeia 4o BccHV, csijoiua da Madre de Deus.
Prestem atienen* ao discurso do Balo.
A toja doJftalao todas as semanas reforma o seu annuncio em consequencia de
coBlarfleraente receber novas fazendas e novo sortimento de roupa feila, os seus precos-
fl/aascoin libras dechouricas muito novas.
:*j a 7*00.
" ( Ditts grandes com peine em postas i n tai ras,
maisle 12 rjualidades, a ijWOO, 14280 e
IriOO.
D t,is ..'oni ostras, excellente petisco para fri-
K'leira, a 720 rs.
[Oitaseoni ervilhas novas, ensopadas, a720 rs.
Ot is com favas, a 640 rs.
Da i- coro araeixas a 15200, 14800 e 3J500.
iDii.i- com mirraelada do afamado fabricante
Aiireu. a 720 rs.
iD.ta.seom massade tomate, a 500 rs.
Nfasoon figos ue comadre, novos, a 14500,
i Qit i .on oolachinha de soda muito novas, a
1 iJKJO.
OiUsconhiscoitinhos ingiezesde muitasqua-
li lides, a 14100.
Chocolate.
fjjtxiahas com ameiTas ofertadas proprias
I'iim mimo a 15*03, J8)9 e :<00.
Ctncolate superior muito aovo, a libra de
839 a 153 JO.
, \l i c irrSo, taihariam e aletria amarella, a libra
' i 410 rs.
i I i lito dita branca, a libra a 103 rs. '
Cu vis en n estreJinha, pevitle, e outras tnas-
**, a caixa 35533.
') i> lila e;n libras a 6V) rs.
,*i-"i. libra a 303 rs.
i i u'ia ;iara sopa a libra, a 2V3 rs.
E ns seeeas, a libra a 160 rs.
>Hh leicascalas, a iibraa 233 rs.
11" i .i > ;a ni i!t nova, a libra a 280 rs.
Pi-iili I r<,
' li MiranbSo, m saco, a arroba a
!Sil i a liora a 80 rs.
Vinho verde snperior.
A caada a 34000 e a garrafa a 400 rs.
Grapa.
Saccas de 4 arrobas, a verdadeira de sej
engommar, a arroba a 34000 e a libra
120 rs. ,
Sabo massa, a Iibraa 200, 240 e 280 rs. i
Farioha.
Saccasgrandescorafarinhade Goianna mui-
to nova, a 54000. 1
Caf.
Caf lo Rio multo superior, a arroba a 84,'
84500 e 94000. )
. Cha. ,
Ch.'emos uestes eneros o melhor possivel,'
hyson, a libra a 25600.
Dito parola a 33:>00.
Dito usina a 25700.
Dito livsoa muito Uno a 25800.
Dito redondo a 24500.
Dito preto de primeira ijualidade a 25500.
Dito mais bailo a 28000 e 15600.
Em ute.
Excellente cha medicinal, a libra a 240 rs.
Eipermacele.
O masso com 6 vellas de espermacete a 600,
640 e 720 rs.
Passas.
Giixas de 16 e 8 libras de passas novas pro^
prias para mimos a 45 e 25500.
Nozes, a libra 160 rs. e arroba a 45000.
Alpisla e patuco-
Alpista > mineo, a arroba 45000 e a libra a
160 rs.
Cartas.
A melhor obra da homeopata, o Manual de Medicina Homeopathico do Dr. Jahr i s;to.os ^^ moderadas como ja ninguem tgnora, as fazendas que nao levara prego marca-
dons grandes volumescam diccionario 205G00 Ido l)0r(lfi ,ia d,,versas Qul'dles e diversos precos, e em loja afguma encontrar o pu-
Medicina domesticado Dr Herins....... 100000 bJicoumOo completo sortimento de fazendas e roupas feitas, e*nao havendo a obra oue
Repertorio i o r. Mello Moraes. ......':'.'.'.' .' 60OO(;, ^^ procurar toma-se a media e em 24 horas estarao salisfeitas as exigencias do
Diccionario de termos de medicina aAnn ..,...,,.. 30000
Os remedios deste estabelecimento sao por demais conhecids e dispensam portan-
w de serem novamenterecommendados aspessoas que quizerem usar de remedios ver-
aaaeiros,energicos eduradores: ha ludo do melhor que se pode desejar, globos de ver-
,aaaeiroassucar deleite, notaves relasu boa conservado, tinturados mais acreditados
esiaDeiecimentos europeo*,a maisexacta e aecuradapreparaco, e portanto amaior ener-
! gia certeza em seus effeitos.
Q'it'd de saiid Recebe-sesscravos para trataT de jualquer enfermidade ou fazer-se-lhe qualquer
operaco, para o que oannunciantejulga-sesufficientemente habilitado.
ftiiu>o-n tratament0 o melbor possivel, tanto na parte alimentar, como na medica, e
KrZBiia C3Sa a maiS tte"9uatre annos> ha cuitas pessoas de cujo conceito se nSo
eeotos" q,le pdem ser consultados por aquelles que desejarem mandar seu?
Paga-se 20000 por da durante 60 dias e d'ahi em diante 10500.
.,f8 PeraCes serSo previamente ajustadas, se nSo se quizerem suieitar aos precos
azoarels | le (afn n. pedir o annunciante.
11 !a!n Java, a arroba a 35800 e a li- Cartas loas para logar, a dnzia a 25500.
i 100 rs. Caslanhas.
'.'i le Lisboa a 911300 a arroba : a 320 Castanhas novas vindas neste vapor, a arro-
' libra. : ba 45)00 e a libra a 200 rs.
i le Santos, a arroba 75030 e a libra a | Azeitonas.
Barris.-om azeitonas novas a 15500
Manteca.
Munteisa-uperior, a hra a 15200.
Dita mais abaixo a 15120.
Dita menos superior a 15 .
Dita framvza nova, a libra a 4512C
Dita dita em birris e meios ditos, a libra
15 rs.
Ditapara tempero a 400 rs.
Qiieijos.
Queijos novos vindos neste vapor a 2580O e^
35000.
Ditos lonlrinos muito novo?, a libra
15000.
Papel.
laboratorio eablowo-echimioo de F. P. Lebeuf e
rui Montmartre, 31, em Paris.
Fabrica em Argeiiteiiil. prs Parla (Franca).
BO.WIC \(AO E FAK\C O
Ds viahos, agurdenles e licores.
c
i.iO rs.
t>- con 125' ceblas grandes, 1$280.
urda franceza. caixa eom 2 doiiasa'
;'' i- Kim mostardapreparadanm vinagre,-
>n conservas malezas francizas, a
r\j ...' 800 rs.
i)m lie com sal refinado lino, a 640 e a 300 rs.
S< .>.i com a verdadeira genebra de laraoia, a
') 15330.
sg O:js de 2 garsafas de Ilollanda verdadeira,a
'' 'O rs.
.B>tiias cora dita propna para negocio, a
i i rs.
Girrafoes com 2 galops com dita, a 65-
VIXII05. Imiticio dos vinhos de todas as
qualidades.R! (tracto de Med, adose para 50
litros, 1 f.2*, le Bjrdax, 2 f., de Pomard" 3
!'.,de Lisboa, 11.,do Cataln, 2 f.,de Porto
Xerez, Moscatel, Malaga, dose para 23 ou 30 li-
tros, 4 f.
Substancia para fabricar com o alcool e
os vinttos cima e todos os outros-. A <\*t>
500 litros, 50 f.
GLACIFICACO.-Ps Ingieies, pos dos vinhos
da Hespanha, da Franca, etc.. A Irbra para 500
litros, 5 f.
lS" IS ';,?,SCa' a Sm rS' a !arrilfa e "Papel almaco pautado, a resma a45800.
i:izia a GjOOO.
' V: jIi- mnscatel deSotobal, a earrafa a 15.
Vlirraiqniaho veraadeiro. frascos a 80C rs. e
I i 15200.
(tlhi noacae, a duzia 235003, e a garrafa a
1 25000.
; \ lite refinado portuguez e fraacez, a garrafa
' 1 15000.
;a de viuho Bordeaai muito superior, a
">. 85,95 e 105 a caixa.
is cora lito branco, a 75 a eaixi.
) ;- com lito lagrimas 11 D juro verdadeiro,
^POitis eom duque do Porto verdadjro,"a
(./0 i s 55 JO.
lKlil 13 com charalsso superior, a 145.
ir>J: Us cora Porto vetho e outras muitas mar-
,% o i-, a 125.
HKVinliodo i'orDa pipa, a garrafa a 340, 720
300 rs.
~Z D i de Lisboa muito bom, acanita a 3$200,
': l{ ', V00 e 43, e a garrafa a 500 e 560 rs.
Cvtyfi 1 da Fisueira, das seguintes marcas (X.)
V 11. A. k.) (J. L. G.) (O. M.) a caada a
i 15300, e a garrafa a 560 e 640 rs., deste
t"'? qn(i ja pst engarrafado e lacrado com o
rsl rotulo do armazem.
MKDitos de marcas mais desconhecidas, a cana-
^3> da a 35500 e 45000. e a garrafa a 480 e
*f 520 rs.
r<%>Vinho branco fino, a prarrafa a 640rs.
!^S>r>ito de caj muito superior, a garrafa a
w 830 rs.
Dilo dito lizo de linho, a resma a 45500.
Dito le peso lizo e pautado, a resma
25500.
Dito de erabruiho, bom a 15 e 15200.
Vinho Miilfiira.
Garrafas com o verdadeirn vinho Xerez e Ma-^
deira a 15300 c 25000.
Temperos.
Follias de louro, pimeuta do reino, cominho'
e cravo. a libra a 400 rs. ,
Velas de carnauba. i
Massos com 6 velas de carnauba refinada a
430 rs. jn
Ameudoas.
Amendoas com casca, a libra a 320 rs.
Doce.
Caixoes de doca de goiaba, grandes a 15400fjl
e pequeos a 640 rs.
lijlos de liinpar.
Tijolos de arear facas a 140 rs.
Gran.
Duziasde boiSes degraxa n. 97 a 25000, e^
de latas a 15OOO, e os boiSes a 240 rs. ca-j
da um. e as latas a 100 rs.
Charutos finos.
Charutos finos dos melhores fabricantes da
Bahia por diversos presos, caixa e mettai
caixas.
agua
para
para^ colorear os
As' doas libras
AGUABDENTE3.Esseocla de cognac para dar
as aguardentes urdinarias o sabor e o aroma de
cognac. A garrafa para 100 litros, 5 f.
KIKSCHE ABSINTHO.-Esscnciade kirsch e
de absintho, para os fazer cora alrool e agua. A
garrafa para 100 litros, o f.
LICORES.Extractos para fabricar se lodos os
licores conhecids sem fogo iem alambique, (in-
dicar-se os que se desoja.) A dose para 20 ou 25
litros, 3 f.
PERFUMESpara fabricar-se os licores finos ou
communs a dose para 20 ou 25 litros, 1 f. 25.
TODOS os outros productos para o trabalho dos
vinhos,aguardentes, licores, vinagres, etc., sao
fabricados de encemmenda.
L'TENCILIOS de laboratorio e de chimica.
e engaado nossos
COLORACAO.-Purpirigine
vinhos brancos e vinhos claro
para 500 litros, 16 f.
Aigans de nossos agentes tendo falsificado e mUa'do
freguezes, leve-si exigir sobre as rolhas e roalos as inlciaes F. V. L. a Pars,
r-so das preparaeocs acha-se indicado no rotulo.
qualquer outra cida-
chimicos, ra
DI"*}
'ii Inci frauceza, rui do Imperador "38.'
Peder atten^ao.
Chapeos de sol com 16 asleas as!20.
dem i'lem com 42 asteas a80.
dem dem d-aiomarndos acadmicos, fa/enda inleiramente ora com I9 asleas a
120, por este preco s na teja dnB>lao.eencontra.
Bales de arces^ara senhoras, os melhores que lia a 30.
dem de arcos edemusse'ma para meninas a 20, 20500 e 30500
Vestidos gaos a Mara I'aj44.
dem dos us moderaos que la de flores matisadas a 180.
dem com barras, fa/enda anda nao \ista em Pemambuco a 210.
Pecas de cambraias que sempreise vendeu por 90, o halo vend or 70
Chitas prectarasmue tods vendem por 640 rs., o Balao vende a 580
dem da nv'sma qoalidade. ponm de outros pa Ires a 440ts.
dem escuras a 300 rs. estao-se acabando.
dem estreitas a 200 rs. s na loja do Balao.
L5as de accentnMiiro com flores matisadas denominada pelas senhoras aue i
compraram (15a economiA'a.) H J
Gambreia de cores as mais finas i 800 rs. a vara.
- dem de cores ora quadros brancos a 560 rs. a var \
MadapnHo a 80 a peca, que'ate 9e, tambem ha fino.
dem francez proprio para saia de sen hora a 560 rs. a vara.
Camisas de meia muito finas a 220 a duzia.
Meias cruas para homem de 60 a 80 a duzia.
Camisas de pregas largas a 20500 que todos vendem por 30
dem inglezas de IdIio muito finas a 480 ou 540 a duzia.
dem de flanella de cores muito finas.
Caigas de casemira pretas e de cores de 70 a 120.
Paletos de casemira de cores e pretos, a 100. H0 o 120.
Colletes de casemira e debrim branco os melhores que ba.
Caigas de brim braceo muito finas a 40800, 50 e 70.
Paletos de alpaca branco a 50 a duzia.
Mantas modernas para pescoco de homem.
Collarinhos de papel de cores a 800 rs.
dem brancos a 400 rs. a duzia.
La preta para luto e de todas as mais cores a 500 r.;. n corado.
Ceroulas de linho com doas costuras.
dem de algodo a 10600.
Cambraias para forro de vestido a 20600 a peca ou a 3G0 rs. a vara.
Chales de merino estampado que custaram 80,' vende-se por 50 em'razo de es-
Larem um p uco desmaiados por ter estado a mostra, por estes precos s na loja do
uto ae usar-so das ireparaeoes acha-se indicado no rotulo.
As encoramendas devem ser acompanhadasnorurai letra sobre Pars ou qualqi
iS?.' t ^l! >0r Uma cafV^^a-Diriir-se aosSrs. Lebeuf & C.
ni'tn, .1. 31, en Pin*, ou a sua fabrica em Ar^nteuil, prs Paris.


E grande quantidade de gneros tendentes
: estes estabelecimentos, qne deixam de an-
nunciar-se.
i ADMIRAVEL PECHINCH
a 10#000 cada um,
cassas orgaadlys de cores a 8 rs. o covado.
A' ra do Crespo numero 17,
LOJA
Jos Gomes Villa
GOMMA NOVA.
Em panoiros muito alva a 4,ooo rs. a arroba e 16o rs. libra e compran-
do de um paneiro para cima se far abatimento na ra do Imperador n. 40.
Superiores cortes de moirs preto com barra, o qne ha de melhor gosto em
Pei'uambnco.
dem de gorguro prelo adamascado com barra a mperatriz Eugenia,
dem de gorguro de seda bordados com barra.
Superiores moirs pretos e largos 20400, 20600, 30, 30300, 40, 50, 60,
70 e 80 o covado.
Superior gorguro de seda preto, a melhor fazenda que ha para vestido.
Sarja prela de seda.
dem preta hes, anhola.
dem idem lavrada a 20 o covado.
dem idem lavrada muito superior.
Completo sortimento de grosdenaple prelo a 10500, 10800, 20,20500 30
30500, 4S, 40500 e 50. ,
Pannos pretos de superi ir qualidade de 30 a 120 o covado.
Casemira preta de 10600 a 50 o covado.
Lindos chales, bournus, algeriennes e retoudes de fil prelo.
Mantas pretes de fil e los pretos.
E muitas outras fazendas de superior qualidade na 1. ja dasColumuas
na ra do Crespo n. 13 de Antonio Correa de Vasconcelos & C. successores
de Jos Morena Lopes.
^?
i
3UA
vi
DE
o r i d
a
PEGHINCH *M
Admiravel pechincha!
M 'caiubiqu! a 300 rs. o covado, na toja
do pa>ao.
Vendem-se os mais bonitos mocambiques de pu- para restabelecer e conservar a cor natural do ca-
ra laa proprios para vestidos e soutembarques, bellos.
sendo de quadrinhos de listras e lisos, fazenda in-; A afrua de Florida nao uma tintura, facto es-
teiraraente nova, em padres e muito proprias pa-! sencial a contestar, a mesma agua dando a cor
ra as seniioras que frequentara o mez Mariano,' primitiva de cabello. Compostas de plantas exoti-
porqne esta fazenda Ihes facilita fazerem por pou-; ras e de substancias inoffensiveis, ella tem a pro-
co dinheiro vestidos muito decentes para qoalquer priedade de restituir aos cabellos o principio co-
acto, advertindo-se que este baratissimo preco rante que elles tem perdido,
devido a grande compra que se fez desta nova'fa-1 De uma salubridade incontestavel, a agaa de
:nda, que se vende a freze tusloes o covado : na | Florida entrelem a limpeza da cabega,' destrocas
N. 11Ra do QaeimadoN. 11
Superiores ejrtesde seda preta com lindas barras.
S.ioenor seda faQonno que ha de melbor e mais g;sto.
Moreaotique preto multo bonito a 2800, 3, 3J300 e o covado.
Completo sortimento de grosdenaple preto de muitas qualidades.
Pannos pretos e casemiras de muitas qualidades.
Bournus, chales e los de renda pretos superiores.
Superiores pelisses e soutembarques de seda paras nhoras.
Bournus de iaa para senhoras a lii
Chapeos e chape, inas de paiha de Italia pira senhoras.
Cortas de laa de barras de 145 a 22} de muito gost*
E muitas outras tazendas de superior qualidade na loja de Augusto FreJenco
Santos Porto aonde tambem se vendem as melliores e mais baratas
Esteiras da India para forrar salas.
S. 11Roa do Queimado N. 11
Madapolao muito fino com pequeo toque de avaria, por preco que admira
das columnas na ra do Crespo n. 13, de Aitonn Corma de Vasconcellos & C.
na loja
dos
-i.'
CEBLAS
m
\ i armazem da viuvr Paula Lopes, deronte do
r ]i\e na escadinba, vendem-se ceblas as me-1
Inores do mercado, em caisa e canto, o mais bo-
rato possivel.
ca\6es vasios proprias para babulei-,
i)* e fuaileiros a 2,'k)0 rs.; a tratar.
Cata oilHoa,
avariado.
Francez barrica h$000
Poriland idem 80300
Eai perfeito estado:
Francez barrica 10000
Portland idem 124000
No armazem de Tasan Irmaos caes do Apollo.
Fio de algodo da Baha.
Venderse no escriplocio de Antonio Lulz de Oli-
CHEGI84M OS MODELOS CHILES DE
FILO PRETO.
Superiores chales de fil preto cliegados pelo ullimovapor francez a
loja das columnnsrua do Crespn. 13, de An'onio Correia de Vasconel-
los & C.
^@
loja do pavao. ra da
Silva.
mperatriz n. 60, de Gama ,-1 raspas e empede os cabellos de cahir.
Jumentos
Vende-se um linda casal de jumentos de bella
raga, grandes e covos, proprios para a conserva-
gao da mesma raga e cruzamento, do qut S9 colhe-
ra magnficos machos, mullas carro e carga ; cuja
jumenta esta' prenhe, assim como urna linda ju-
mentlnha com pouco menos de um anno : ver e
Vinho do Porto superior em caixa de duzia,
lem para vender Antonio Luiz de Oliveira Azeve-
do iS C, no seu esrriptoriorua da Cruz n. 1.
Barris vasios.
Vendem-se barris vasios de roanteiga a 120 rs.:
na ra da Cadeia do Recite n. 53.
Na ra da Cru7. n. 38, em casa de Mills Rat-
tratar com Jos Pereira Cesar no sitio Pirahuyra, ,eau & C, vende-se :
arrabalde da villa do Limoeiro.

.''"Vi
m
: ms 9mBS^B0%&B^^W 3
\zeite doce refinadoem pequeas latas a 5G0 rs. a garrafa : no graude armazem
da Liga.
ve ira Azevedo & C, ru da Cruz n.1.
Mez Mariano.
Ainda est venda na ra do Imperador n. 15,
defronte de S. Francisco, a rica edigiio do mez Ma- i
rano, ornada com estampas e vinhelas, eencader-!
nada, por i> e IjIoOO cada livro.
Catangas ioos Jt brin quedos
para meainos.
Chegaram para a loja de miudezas da roa dn
Queimado n. 69, os mais finos e lindos calunpas
tanto para brinquedo de meninos como para cima
de mesa : na mesma loja se encontrar bom sor-
timento de miudez;s.______
Pechincha
Vende-se amendoas confeitadas a 560 rs a li-
bra : defronte da matriz da Boa-Vista n. 88.
Vende-se tres carrogas para bni, dnas ditas
para cavatlo, dous carros para condurgao de ge-
Ch.
Oleo de linhaga.
Folhas deFlandre.
Sllins e silhoes inglezes.
Cerveja Aspinall.
Dita Bass.
Dita John Jeffres & C.
Um piano com pouco uso.
Bix-as hamborgnezas.
Vpnde-sena ra Nova n. 61.
Saceos de 80, 100e 120libras a *&4^500 e 50 ; no grande armazem da LigaJque,-parte
eros de estiva ou outro'qualquer miste-, tudo em
bom estado, e por prego commodo, por seu don-
querer acabar com esse negocio : a tratar na roa
do Sebo n.f, taberna
Na ra do Queimado n. 19 vende-se uma
machina americana para descarogar algodao, de
20 serras, por menos prego do que em ontra qual-
Atlenco.
Vendem-se pega? de esteiras para forro de sala,
tinta branca preparada a oleo, em latas de 25 li-
bras, para pintar casa, relogios para cima de me-
sa e para pendurar, arreios para 1 e 2 cavallos,
velas de spermacete, tudo de superior qualidade!
vindodos Estados-Unidos : no armazem da rna do
Trapiche n. 8.___________________
*f achlua* de serrotes para
algodo
Chegaram as desejadas machinas de serrles pa-
ra descarogar algodo, havendo um completo sor-
timento desde 13 ale" 40 serrotes, tambem ha mo-
tores americanos para as mesma machinas, ven-
dem-se o mais barato possivel : na rna da Cadeia
doRecifen. 56 A, Io| de ferragens de Joao Car-
los Bastos Oliveira.
v,
L-


.
Diarle ** Pernambneo %ninta Irtra 11 de alo de 18G&.
0
DO

ESTABELEOIDO A RA NOVA N. 60
tfSm 31DUM 3)1 8 IDQl^Ql
AO
HESFEITIVEL PUBLICO.
AO PUBLICO
en omenar
glmento se entregar
importe do genero que
nao agradar.
os prefo da seguate
tabella para todos, po-
dendo asslm servir de ba-
se para o ajaste de eontas
i os portadores;
A apreciado dos habitantes desta heroica provincia existe no grande arma-
zem da Liga estabelecido ra Nova n. 60 un magniGco sortimento de molhados,
que sendo em sua maxira.i parte mandados vir directamente do estrangtiro podem ser' o tra psrte.
vendidos por precos asss razoavei. Minteiga ingleza especialmente escoliada a
Sem a faluidade de querer que- este novo e interessante estabelecimento seja o l.ooo e 800 rs. a libra e em barril se faz
primeiro e-unieo em seu genero, pde-se porm ffiancar, com toda a seguranca de que; abatimento.
nenhum outro o exceder no restricto cumprimento das seguints promessas: ildemfrancezaa maisnova do mercado a 98o
1 TWK/>arflarr rt +~en / i a libra e 90\)-rs. em barril oumeios.
1. iWKJaeza n0 tratO. r Cbhysson de superior qualidade a 2,600
2. Fidelidade no peso. L*CSfi
t-na peroia o mais superior do mercado a
I 2,8oo rs. a libra.
dem bysson muito superior em latas de 15
libras muito proprio para negocio a 2,ooo
rs. a libra,
dem hysson nacional em latas de 1 e 2 li-
bras a l,6oors.
3/ Sjperidade nos precos.
As pessas que por sua posicao social gozam de certo tratamento, acharo nesta
casa os melhores queijos londrinos, ceneja, vinhos inissimos manteiga e cb sempre de
primeira qualidade. etc., etc.
Qualquer que seja a condicao do freguez, elle deve contar que ser sempre mui-
AqueUes que sao pouco favorecidos da sorte faro mnsalmente urna economa de J^J Se 2 2oo rs llbra Q6Sle g&~
muitas patacas, afreguezaudo-se nesta casa, onde se lhes vender earroz, o caf, aman- Lincuicas R ;..
teiga oassucar, etc., etc. de boa qualidade pelo preco que em algumas parles nao po- ^MsetaArtiMto
dem ou nao quewm vender. chouricas e nain< s m a lihra
Os senhores de fra da cidade, dos arrebaldes ou centro, que compram para ne- cSSJSrt Tala vi lihra serve
gocjar, devem vir, peto seu proprio inleresse, a este estabelecimento para se convence- ^r^aTpanel a ou" ^nX
rem do quanto se pode vender barato. Onone Hn .; j m uZT.
Para os senhores que compram para lomar a vender existe um sortimento fspe-1 ^ f ^ chegados nesteultimova-
cial, escolhido por pessoa entendida que certamente muito de?e agradar aos senhores ooo rs ailosae nav, ae^a a
MmpnmoSSB tem poupado sacriflcios, nem se deixar de fazer a diligencia para agr- "^S a'lE SUPerr
dem pratoa 8oo rs. a libra, e inteiro se faz
abatimento.
dem suisso o "mais superior que tem vindo
! o mercado a 64o rs. a libra.
Ervilhas e favas portuguezas j preparadas
em latas hermticamente lacradas a 64o.
MANTEIGA ingleza efranceza al*, 1120 Jeijo verde muito superior a 640 rs. a lata.
10280 e em barril faz-se grande abat- ^opos lapidados para agua a 5,ooo e 5,5oo
ment. I rs- a duzia-
MACARRO a 400 rs. de 8 libras para cima Idfim dem para vinho a 2io rs., e 2,4oo rs.
i Grande aroiazeni de tintas.
I RA DO 1MPEKADOR N. 22.
O armazera de untas um grande deposito de
| producios eiiimiuji uun*i& e o mai- entregados
; e usados na-pttarmaria, pintura. photo!raphia, tin-
turo, pyrotecbiuiaifogos de artllelo) cea outras
industrias.
Montado em grande escala, e suppriDdo-se di-
rectamente ivas priacipaesdroganas de Pars. Lon-
dres, Hamburgo, Anvcrs e Lisboa, pode olkrecrer
productos de plenaconflanra e satisfazte tjtialquer
encommenda a grosso trato e a relallio, per prtcos
razoaveis.
Prvidos de machinas appropriadas satisfar
com promptidio qualquer pedido de Untas moidas
a oleo.cuja qualidadee pureza de seus.ingredien-
tes poder* ser examinada pelo consumirter o que
nao fcil faxer com aquellas qne sao ropo: iadaf,
e que se encontram nomercado em latas .
Tem grande colleccao de vidns Cv difireme
formatos, desde urna oitava at diaseis ^nca de
capacidade ; de vidros para vidraras e diamantes
para corta-Ios; depinceispara fingir madeia com
propriedade e onuos; de papis deurados e pra-
teados e folhas de gelatina para ornamento; de
i papel grande e pequeo formato de varias rrps
I para embrulho, para forro de casa, para descube
com fundo j feita;de papel albumiuado e Hi:su.,
verdadeiro saxe para photographia psr?. Dltrsr,
e outros ; vernizes de essencia para nt)adrcc de
Senhores e senhoras, o aceto que presidio aos arranjos oeste novo estabelecimento, e. mais que tudo a promptidSo e inlei- esP'ril Pa" madeira, eopai para o lor eVx-
- que serJo tratados, convida a urna visita ao mesmo, certos de que sem dovida me darSo a proteccao e Dreferenria na rom- ^"i; ?,eo ?raxo' oleo stccliv. "ho d. linnaca
pra dos generes que precisarem, e quando n3o possam vir podero mandar ^portadoras, ainda que estes sejam pouco prados, ^S^m^^ll^l^S'^T
poisser2o Uobem servidos como seyiessem pessoalmente, havendo para.com estes toda recommendacao, afim .de que n5ovoem \ST^^JTun^%^ttX
vas proprlas para confeitarias; la derCtts. e
Aletria, raacacro e lalaim, a 4oo rs a li. Sal refinadn n fr, ?"i,os de vidr.os para '.ma8ens5 li,,,;ii ,tu tubos e
hra e (i.ooo a caixa ai refinado em frascos de vidro com tampa telas para retratos; tmtas em pastis e em |. pa-
>& lr%l Selinha, pevida.e rodi- ^XOSSZm mais acredi Jas ^^ "" ~ ^ *
Vinho do Porto muito fina.proptie para, zia i8' 6'000 e 6'000 a du-
SSfS; m aDCrfilaS' 4fl 0aDada8 SE*' de Franfa m* va, a 200 rs.
Porto Fi*i ,u Chr QIa S affamad0 fabri^nle Jos Furta-
PoxtoFifue1faeLiPboaai do de Simas, das seguintes qualidades:
RA DA CABEU BO RECPE If. 53
(l.ogo pas ando ara*, da Cescri\*o)
PABA BEM DE TQDQS,
reza com
Exposico Normal' de Havana/lmperiaes,
Londrinos, Guanabaras, Parisienses, Sus-
piros Delicias, a 4,ooo, 4,ooo, 5,ooo,
b^oo.e 7,ooo a caixa ouem meias.
Charutos nos de diversas marcas e fabri-
cantes, como sejam: Flor do Norte, Ma-
ntillas de Havana, intervaos,Vencedores,
Panatellas e Suspiros, a 2,ooo, 2,8oo e
3,ooo a caixa.
marcas, a 800 e
PELOS SEGUINTES PRECOS S SE VENDE
A DINHEIRO A VISTA:
H
ALPISTE E PAINQO a liO rs, a liba.
AMENDOAS novas a 28o rs. a libra.
AVELES a 240 rs. a libra.
ARROZ de 90 rs, a libra a,..
AME1XAS francezas em latas, potes, fras-
cos, bocetas, etc etc.
AZEITE doce a 600 rs. a garrafa, cadada a
a 360 rs. a libra.
MASSA DE TOMATE a 600 rs. a lata.
MOSTARDA ingleza a 800 rs. o frasco.
MARRASQUirsO de Zara.
Vinho em pipa:
32o, loo e 5oo rs. a garrafa, e mcaada
a 2,oo, 3,ooo e 3,8oo.
Vinho branca-de Lisboa de excellente quali-
dade a.4oo e 5oo rs. a garrafa e em cana-
da a 3^ooo e 3,5oo.
Vinho braneo para missa emaaixas de 1 du-
zia 8)000 e So rs. a garrafa.
Vinho doPorte das memores* marcas que
vem ao mercado como sejam: Lagrimas
doDouro,Duquedo Porto,Rainhada-Por- o nafl-inglwdae melhores
tugal, Duque genuino, D. Luiz 1, Madei-1 |i,2do a garrafa.
raSeeca, MalvazU. fina a ^ooojW.ooo, j Doce da casca de goiaba a 2,ooo a lata com
12,000 eitomm catM com i duzia c9oo, | 4 libras.
I;ooo e 1,5oo es. a garrara. Farjnha de araruta verdadeira a 32o rs. a
Vinho Lnerea de superior qualidade a 16,ooo libra.
o, ,dllzia e, WS rs< a ?arraf8- ^ Matte.excellente cha para os navegantes, a
Sardinhas de Nairtes a 4oo rs. os quartos e 1 2oo rs.
6*0 rs. as meias latas. Sebollas de Franca muito grandes e novas
Bolacninnas inglezas muito novas a 5,oo a^; a l,8ooocento e i,2oosoltas
barrica e 320 rs. a libra. Palhos do gaz a 2,2o a grosa.
Bolachinhas de soda em latas de diversas Toucinho de Lisboa-muito novo a 32o rs. a
qualidades a 1,3oo ra. libra e 8,5oo a arroba.
Cartees com bolo francezmuilo proprioapa- Banha de porco refinada a 600 rs. a libra.
BANHA de percoa600 rs. a libra, em por- MABMELLADA de diversos fabricantes e
diversos precos.
PE1XE em latas a 1,000 rs.
PERAS SECCAS a 500 rs. a libra.
Cao faz-se abate.
BOLACHNHAS do beato Antonio a
BOLACHINHAS de soda lata grande a 2,000
ris.
BISCOITOS inglezes em latas de 1,200 rs. a PASSAS muito novas a 320 rs. a libra.
BOLACHINHAS principe Alberto a 2,000 rs.! PRESUNTO para fiambre.
C Q
CHOURICAS mnito novas a 800 rs. a libra. QUEIJO do reino de 2,000 a
CAF de'260 rs. a libra. ,DEM londnno.
CHOCOLATE francez a 800 rs. a libra. iIDEM suisso a 800 rs. a libra.
CHAMPAGNE das marcas mais acreditadas DEM prato a 800 rs. a libra.
a 25,000 rs. o gigo. s
CHARUTOS de todas as qualidades, suissos, SABAO MASSA a 160 rs. a libra e grande
a duzia.
Chocolate francez hespanhol e suisso a 9oo,
1,000el,2oors.a libra.
I Espermacete superior a 600 e 64o rs. a li-
bra e em caixa se faz abatimento.
Peixe em posta em latas hermticamente la-
cradas e das melhores qualidades de pei-
xe a 800, l,ooo e l,2oo rs.
Vinho Bordeaux das marcas mais acredita-'
ra mimo a 64o rs.
Passas muito novas em caixinhas enfeitadas.
para mimo a 3,ooo rs.
Passas de carnada a 8,000 a caixa e 4oo rs.
a libra.
Figos de comadre a 24o rs. alibra.
Amendoas de casca mole a 4oo rs. a libra.
Milo de amendoas a 5oo rs.
Bolachinha d'agua e sal, da fabrica deJe2o
de Brito no Beato Antonio, emlata de 6 li-
bras por2,5oors.
I Ameixas francezas em fiasco de vidro com
tampa do mesmo, a ii55co.
Bolachinha Alberto, as melhores que pre-
sentemenletem vindo ao mercado, a 2,ooo
a lata.
Farinhado MaranhSomuito alva e cheirosa
a 2oo rs. a libra.
Frascos com fructas em calda de diversas
qualidades a 2,5oo e l,ooo o frasco.
I Caixinhas com fructas em doce secco de di-
versos tamanhos, muito proprias para
mimo, a 1,600,2,600 e3,5oo cada urna.
Ruibos, excellente peixe portuguez, em
barris pequeos ou aretalho, avista se
far o preco.
roly.jasmim, bergamota, aspice.pati-hi.u1-.. mbar,
bouquet.limo, alcaraWarmelissa, bridas pimtnia,
lonro, cereja, alfazwna, j.uiopero, Portugal, lima,
anis da Russia, canelja, cravo e muitos ootros ou-
jectos que s com a vista poderao ser mostrado!.
Joao Pedro dti? Nevrs,
Arente.
Chegarctm os superiores
cortes de seda
Superiores corles de seda de cor, viudo; pelo
ultimo vapor franco* : na loja das colamoa; roa
do Crespo n. i3, de Antonio corre ia de Ycon-
cellos* C.
Vinho
Madtira fino
tem para vender Juo do Reg Lima, na rea do
Apollo n. 4.
ATTENCO.
das que vem ao nosso mercado a 7,ooo e; Ameixas franazs em caixinhas de diversos Azeitonas de Rivasem ancoretas grandes de
amencan .s, bahiannos, fluminenses, etc.,
de 1,400 a 10,000 o cento;
CHA HYSSON de 2,200 a
COPOS l.sos ladidados de todos os tama-
nhos a
m
DOCES de todas as qualidades.
E
ERVILHAS seccas e em latas portuquezas e
francezas.
F
FARINHA de araruta verdadeira a 800 rs. a
libra.
FARINHA da Maranho ou tapioca a
FARELLO de Lisboa a 4 e 5,C00 rs. a sacca.
FAVAS portuguezas em lata a 600 rs.
O
GOMMA muito nova e alva a 140 rs. a libra.
GRAO DE B1C0 a 120 rs. a libra.
GENEBRA delaranja a 9 e 10,500rs.
CENEBBA de Hollanda tm botijas, frascos,
garrafas, etc.. etc.
abate em caixa.
SEVADINHA a 200 rs. a libra e 8 libras se
far grande abatimento.

VINHO tinto de 360 a.. garrafa.
VINHO tinto em caada de 2,5C0
VINHO branco em caada de 3,500 a
VINHO verde a 4 rs. a caada.
VINHO Bordeux em caixa a 6.C00, 7,000 e
VINHO de Grave a 6,000 rs. a caixa.
VINHO Cherry a 1,000 rs. a garrafa.
VINHO do Porto de todas as marcas e todos
os precos.
VINHO Collares a 800 rs. a garrafa.
VINHO tinto, neste genero' ha constantemen-
te 20 a 30 pipas ao torno de diversas
qualidades e diversos precos.
VINAGBE em ancoretas a 15,000 rs.
VINAGRE em pipa a 160, 200 e 240 rs.
VINAGRE branco a 400 rs. a garrafa.
VELLAS de carnauba a 13 e 13,500 rs. a
arroba.
MACHINAS bEPATENT
de rafoalhir uo jar;
descaroear algodao
FABRICADAS
Por Plant Brothers & 0.
OLDAM
Estas machina
podem descaroear
qualquer especii
de algodao sem
estragar o fie.
sendo bastante
duaspessoaspara
o trabalho; pode
descarolar urna
arroba de algo-
dao em earoec
em 40 minutos,
ou i8 arrobas
por dia ou 5 ar
robas de algodac
limpo.
Assim como machinas para serem movidas por
animaes, que deacarocam 18 arrobas de algodac
limpo, por dia; e motores para mover urna, duas,
eutns dessas machinas.
s raesmos tem para vender um bellissimo va-
por que pode fazer mover seis destas machina
mencionadas ; para o que convida-se aos Srs.
agricultores a virem ver e exarnina-lo, no arma-
tem de algodao, no largo da ponte nova n.47.
Saunders Brothers C.
X. II, praca do Corpo Santo
RECrFE.
Os aicos agentes neste paiz.
DROGARA.
31Ra! larga d Rosario34
Barlholomea Francisco deSouza t .
venden:
Acido actico pare para retratistas.
Esmaltes para ourives.
Papel para forrar casas.
Guarnieses avelludadas.
Tinta branca superior em lata.
Alvaiade Venera, fino, em pes.
da II a va na
Na ra da Cruz n. 4, vende-se charutos de Ha-
vana de diversas qualidades.
. B g "S g^ 3 3. o g S g W
93
8,000 a caixa cGio e 7oo ris agar-
rafa.
Genebra de Hollanda a 48o rs. a botija da
conta certa.
Frasqueirasde genebra de Hollanda a 6,8oo
e 64o rs. o frasco.
Genebra de laranja verdadeira em frascos
grandes a 1,000 e H.ooors. a frasqueira.
Caf do Rio de Ia qualidade a 28o rs. ali-
bra e 8,5oo rs. a arroba.
Cafdo Cearmuito superiora24o rs. ali-
bra e 7,5oo rs. a arroba.
Arroz do Maranho de Ia qualidade a loo
rs. a libra e 2,8o a arroba.
dem da India a loo rs. a libra e2,8oo a
arroba.
dem de Java
roba.
Paincoe alpisla a lio rs. a libra e4,oooa
arroba.
Massade tomatesde superior qualidade a 64o
rs. a lata de urna libra e56o rs. a reta-
mo.
tamanhos com bonitas estn pas na cai-
xa exterior, a l,4oo, l,6oo, l,8ooe 2,ooo
cada urna.
Azeite doce refinado hespanhol ou portuguez
a 9oo rs. a garrafa e lo:ooo a caixa.
Batatas muito novasa 80 rs. a libra e2,5oo
o gigo com 36 libras.
75o rs. o frasco e
Conservas inglezas a
8,5oo a duzia.
Vassouras de escova para esfregar casa a
loo rs.
Nozes muito novas a 16o rs. a libra.
Molho inglez em garrafa de vidro com rolha
do mesmo, a 16o rs.
Mostarda ingleza dos melhores fabricantes,
a 800 rs. o frasco.
80 rs. a libra e 2,4oo a ar- Mostarda franceza em potesj preparada a
4oo rs. o frasco.
Lentilhas francezas, excellente legume para
sopa, a 2oo rs. a libra.
Marrasquino de Zara propriamente dito a
M a garrafae 1 I.ooo a duzia.
Palitos de dente a lio rs. o maco. -.
8 garrafas por 600 e 800 rs. a garrafa.
Azeitonas portuguezas a 5oo rs. a garrafa e
l,5oo cada urna ancorela.
Champagne da melhor qualidade que vem
*o mercado, a 2,ooo e 3,5ooa garrafa, e
24,000 e 26,goo o gigo.
Gomma deengommarmuitoalva a 12o rs.
a libra.
Figosem sextinhas a 80 rs, cada urna e 72o
rs. a duzia.
Papel azul para botica a 2,000 a resma.
Balaios para roupa suja, grandes e peque-
nos, per diversos precos.
Amendoas confeitadas a 64o rs. a libra.
Latas com fructas em calda: pera, pecego,
damasco, rainha Claudia e cereja, a 800
rs.
Vinagre de Lisboa a 2oo e 28o rs. a garra-
fa e a l,4oo e 2,ooo rs. a caada.
Azeite doce de Lisboa a 4,8oo rs. a caada
e 640 rs. a garrafa.
Vinagre brancoj engarrafado a 000 rs. a
garrafa.
Chegaram livraria encyclopedica de Jc.-( par-
bosa de Mello, rua'da Cruz n. 52, a segnintw
obras do Dr. Chernoviz :
Formulario 011 guia medica,
qne conlmadescnpcodetodos os medicamento,
sexta edigo, com 121 figuras no lexto, qne 1 pre-
textan as plantas medjeinaes ; 1 volume de 820
paginas, encadernado. prjeo 64.
Diccionario de medicina popular
que conlm a dMrripcSo das molestias e o sen o-
tamento, terreira edfcao, com 31 paginas; 3 vi-
lumes encadenados, preco ttjL
Historia natural
para os meninos e meninas, ou conversado de
um pai com seus filhos sobre muitos animaes ve-
getaes ; 1 volume encadernado, com 154 Agora:,
preco ').
Tambem chegaram -mesma livraria a prawrua-
tica franceza de Bor&ajn, nova ei^ao, e o diccio-
nario do bom gosto.
120 e 600 rs.
Rival sem segundo.
Frascos com agua de :olooia 120
Duzia de ihmiras para Postura 60(1
Caitas de soldados de chumbo a 1-20 e 200
Na ra do Queimado n. 49.
iaas.i''.e iwcaw ..-j't.o
c

o Si o
g.BSi-8 !.?&&
5 o

3 O O eo
ce
m -T
2 g
o S-
en O
as
-1
-
"S*
1
o.
i
5
o
al
o
en
ce"
til?
If i
W5 o s o
03
?
M
O CB
OJ *
35?
II
o-J"
o
o
>

o
Brides e picadeiras d
Ipojuca.
Vendem-se as verdadeiras brides e picadeiras
de Ipojuca : na ru do Oaeimado n. 32, loja de
Azevedo & Irmao. ____
MEZ MARIANO.
Versos proprios para se cantarem na de-
voqSo do mez mariano, corrigidos e aug-
mentados, e mui bem impressos em folhetos
de 16 paginas, e que se vendem brochados
com suas capas pelo diminuto preco de 160
Agua florida e tnico orien-
tal de Eemp.
Continua-se a vender em porco e a retalho :
na ra do Queimado, loja d'aguia branca n. 8.
Chromacomo
A agui branca, na ra do Queimado n. 8, acaba
de receber um novo sortimento de caixinhas com
chromacomo para tingir cabellos, e bem assim
frascos com hydrocalletrichina, agua para desen
grasar os ditos, coloncomo para lustrar os ditos
e onyebromantina para limpar as onhas. Essa
tintura, cojo effeito rpido e efflcaz, est bem co-
nhecida e apreciada para todos quanos della tem
ris cada um, na ra do Imperador n. 15, usado, eos que de novo a quacrem apreciar, po-
I Grande Hqitidaco de
fazendas
na nova loja de fazendas e roupas feilas naci-
naes, na roa da Imperatriz n. 72. Os pronrota-
rios deste novo estabelecimento tem a honra de
participar ao respeitavel publico que estao resolv
dos a vender muito barato para liquidar, a saber:
chitas a 220 rs., ditas francezas largas a 260, 280,
320 e 400 rs. o covado, cassas francezas muito fi-
esen- Bas a 3C0> 320> 360 e m rs 0 covad0) organdv
aiios, francez de rianissimns naiirM a tifio in.n aa>
bscbatos" nmm.
Acha-se fgido desde o dia 4 rio eorrente
mezo escravo Trajano, com os signaes seguintes :
idade 20 annos pouco mais ou menos,e>tatrg re-
gular, com algumas marcas oe bex;as no rosto,
tem um dente de menos na frente, cor fula, e
crieulo, levando conmigo um cavtllo ru?o, magro,
e em dioheiro pouco rnais ou menos 1(;03 : ttt-
ga-se a todas as autoridades policiaes, capilaes de
campo e mais pessuas que delle liver noticii. de o
apprehender e leva-o a ra dos Pires u. '>',, que
serao generosamen:e recompensados.
Fugio o mulato escravo de nome f.uiz, co-
nhecido por Luiz Monteiro, idade 28 annos, pouco
mais ou menos, bastante alto, secco. bem pareci-
do, se.Ti barba, pernas compridas, cor clara, ca-
bellos cacheados, cfflcial de pedreiro, pintor e
caiador, eanhoto, e o rnaior signal que ta <
urna estrella as costas dasmos, iris pintas atoes
formando um triangulo em cada lado do rosto, e
urna grande cicatriz em um dos lime s cima do
sangradouro, escravo do major Antonio da Silva
Gnsmao, morador na ra Augusta n. 99 : portante
roga-se as autoridades policiaes e aos capitfitsde
carneo, assim como aos senhores do engento e
propietarios aonde elle for trabalhar, intitulndo-
se forro, tanto nesta provincia como fra della.
que o faca prender e remetter ao sooreditn senhor,
que pagar todas as despezas, assim como a quem
o conduzir.
ttenc
*t-
Qk
defronle do convento de S. Francisco.
MARA PA
Hara Pa
Hara Pia
Acaba de chegar pelo ultimo vapor inglez um
esplendido sortimento de enfeites de caneca a Ha-
ra Pia, os quaes pela sua elegancia e bom gosto
de cada qnal o mais bonito-nada deixam a desejar
sendo pretos, rdxos, cor de tonina e azulzinho
seus pregos a 2*500, 3*, 4, 6f, 8 e 10*: na
loja do novo.rival ra do Queimado n. 16.
Lam esta novldade.
Madapoles superfinos com 24 jardas a peca por
5*500 cem um pequeo toque de avaria, paletots
de brim a 1*, chi'as francezas escuras a 720 o eo-
vado, algodao muito largo da marca T por 6* a
peca de 24 jardas : na loja da ra da Madre de
Dos n. 16, defronte da guarda da alfandega.
Trastes com aso.
Vende-se 1 sof, 3 consolos, i mesa redonda, 9
cadeiras de amarello, 6 cadeiras americanas, 1
bea marqueza de Jacaranda, 2 carteiras de via-
gem e 1 cartelra grande propria para taberna :
quem pretender dirjase a ra das Cinco Pontas
n. 140 defronte da estacao.
Carta chorographica
DO
THEATRO DA GUERRA.
Acha-se exposta venda, as lojas abaixo men-
cionad is, a carta chorographica do theatro da guer-
ra nos Estados do Sul da America Meridional, con-
tendo as plantas do Paysand, e do bloqueio e cer-
co de Montevideo. Ella torna-se recommendavel
nao s pela lacuna que veio preenener, como pelo
esmero do trabalho lytbographico.
Vende-se pela mdica qoantia de 2#000 as livra-
rias dos Srs. Nogueira, ra do Crespo; e do Sr.
Cardoso Ayres, na da Cadeia do Recife, assim como
as lojas da Bxposicao de Londres e na lythogra-
phia do Sr. Carlos, a mesma ra n. 52, e na loja
do Sr. Cardozo de Almelda, roa da Cruz.
SiO:
Vende-se ou aluga-se um excellente sitio na es-
trada dos Afflictos o quarto depois da capel la, com
toa casa, duas grandes estribaras, quartos para
feitor, muitas arvores fructferas, poco d'agua po-
ta vel com bomba e banho de choque : tratase no
largo da ribeira de S. Jos sobrado de um andar 1
t. 19.

dem, assim como aquellos, dingir-se munidos de
dinbeiro ra do Queimado, loja d'aguia branca
numero 8;
Ppele folhas para rosas
Acaba de chegar para a loja d'aguia branca, na
ra do Queimado n. 8, um bello sortimento de pa
francez de riquissimos padroes a 360, 4C0 e 440
covado; pecas de cambraia branca a 3*, 3*500,
4*, 4*300, e 5* mullo fina, ditas de cores de apu-
rado gosto a 2*800 e 3* o erte, pecas de mada-
polo muito fino com 24 jardas a 6*, 6*500, 7*,
7j500 e 8*, ditas elefante muito superior a 8*800,
9*, 9*500 e 10*, dito francez com 12 jardas, sen-
do fazenda multo encorpade- e fina a 4* e 4*500 a
peca, cortes de laa a 4*, 4*500, 5* e 5*500, ditos
a Maria Pia com barra, sendo os mais modernos
ue tem vindo ao mercado a 10* e 13* o corte,
pechincha, lenco de cas^a com barrinha de cor
I
v ,, b pt-i,inui na, iriiuo uo taa'd tum tJitiiillllri Uc CUt
pe de cores para rosas, dito verde para folhas, e 100> ,60 e 200 r dtos com bco 2M) 320
dito tambem verde e mu fino para cobnr o ara-da7ia 2)9oo, crinolinas ou balSos de 30 arcosa
de panno e avelludadas 3fim ditos com 13 arcos a ^^ ljras de flna
cambraia bordadas a crox a 800 e 1*, ntremelos
a 880 rs. a pega, gravatinhas pretas e de cores
me, assim como folhas
para ditas.
Aspas de baleia para vestidos
Vendem-se na ra do Queimado, loja d'aguia
branca n. 8. '
Superiores penas a"ago ingle-
zas e francezas
A aguia branca alm do grande sortimento de
penas d'aco que constantemente tem, acaba de
receber mais outro de superior qualidade e dbs
afamados fabricantes Perres & C, asslm como as
verdadeiras bico de lanca n. 134 eoutras de pon-
a dourada, continuando porm a vende-las por
precos commodos, com tanto que ocomprador com-
pareca munido de dioheiro: na roa do Queimado
loja da aguia branca n. 8, onde tambem achar-se-
ha a venda pastas para papis.
A aguia branca na ra do
Queimado n 8, receben:
Bonitos e graudos aljofares de cores para voltas.
Pulseiras de titos de iguaes e agradareis cores.
Voltas pretas maiores e menores todas de conus
grossas.
Polceiras pretas tambem de contas.
Outras de diferentes qualidades e gostos.
Brincos de aljofares de cores e donrados.
Fi velas d'aco grandes e pequeas com cinto pre-
to e de madreperla.
Outras graudes de differentes qualidades e re-
dondas com pedras.
Bonitos leques de (madreperla redondos e de
outra forma.
Ditos de sndalo internos e corredizos.
Capellas brancas para meninas. .'
para senbora a 640, 800 e 1*, mantas de seda de
cores para pescoco a 1*400 e 1*600; isto s se
vende na. loja de Guimaraes & Irmo, roa da Im-
peratriz n. 72.
Goke do gaz.
pitch do gaz.
Alcatro do gaz.
Coke tonclladas rs. io000
Pitch 8O0OOO
Alcatrao caada..... 400
O coke reconhecidamente o carvao mais econ-
mico, torna-se por isso recommendavel, bem co-
mo pelo asseio que se nota as coziohas aonde
elle usado. Piten e alcatrao, alm das applicacoes
diversas a que se prestara, como para callafetar
erabarcacrjes,alcatroar roadetras, etc.,teem este a
propriedade de preservar do cupim, formigas, etc.
E' entregar na fabrica do gaz ou mandado por em
qualquer ponto da cidade, segundo a vontade do
comprador.
Fogo, fogo, fogo. "
Valdivino da plvora, vende bom fogo do ar,
por prego commodo : no seu armazem de sal, ra
Imperial i. 221.
No dia 4 de Janeiro do anno de 1864, fugio dr, en-
genho Conceigo, comarca de Pc-d'Ailio, o escra
vo Galdino, pertencente ao abaixo ai-signado, com
os signaes seguintes : idade 26 annos, pardo, elaro,
corpo, figura e altura regulares, cabellos meios ca-
rapinhados, olhos pardos, sobrancelhas e palpebras
salientes, tem em cada braco um sino de Saltn.ao,
sendo um delles mal feto, e junto a este urna cruz,
tem na cabeca urna cicatriz de urna polegada, e em
cima de um quarto urna outra cicatriz de tres po-
legadas, proveniente de ponta de pao e queda, em
sobre as costas algumas marcas on cicatrizes de te-
inadas ou chicote; um'pouco desembarazado quan-
do falla, tem principio de i arpia e carreiro, teca
viola e barbado. Foi soldado do corpo de polica no
Recife.'e levou comsigo a baixa do theor seguintc :
Ser-rao urbana, 2' companhia n. 50, Antonio Caeta-
no de Oliveira, filho de Agoslinho Ferrcira de Bri-
to, natural de Ingazeira, tr parda, cabellos cara-
pinhos, olhos pardos, offlcio nenhum, estado solt!-
ro, com 30 annos de idade, 60 pelegadas de altura,
ao engajar-se. Engajou-se na forma do repula-
mento, em 17 de fevereiro de 1862, por oflk-io do^
Exm. Sr. presidente da provincia, datado de 8 de
abril do eorrente, e publicado ao rorpo cm ordem
do dia l9 de maio, tudo em l862 teve baixa do
servico por ter dado em seu lugar o paisano Joo
Pedro Ferreira da Rocha. Foi escravo do rapitao
Joao de Dos Barros, morador que foi na comarca
do Brejo da Madre de Dos, e hoje morador na
Campia Grande da Parahyba do Norte, que o ven-
deu em dias do mez de novembro de 1863 ao abai-
xo assigoado, pelo costume de andar fgido e a ti-
tulo de forro com o nome mudado : pelo que roga-
se a attenco das autoridades civis e militares, nao
s desta provincia como das demais do imperio, a
apprehensio do din escravo, que a titulo de forre,
nao tenha sido recrulado ou assenlado praca em
alguos dos corpos de Voluntarios da Patri, tam-
bem pede-se aos capitaes de campo e pesjoas par-
ticulares a mesma apprebensao, e lvalo ao .-. ti
senhor no referido engenho Conceian, ou nesla ci-
dade ao capito Mauricio Francisco de Lima ra
do Brum n. 56, que ser gratificado com 200*.
Jos Maria dos Santos Cavaicanii.
Vaquetas
Vendem-se vaquetas proprias para cobertas de
carro etc.: em casa de F. Sopvage & C. ra da
Cruz n. 20.
Fugio em principios do mez de fevereiro do
eorrente anno e consta estar acontado nesta cidad*
o moleque Euzebio, escravo da viuva do Dr. Fer-
nando Affonsode Mello, de 12 annos de idade pou-
co mais ou menos, cor preta, s,ecco do corpo, olhos
regulares e afumac.ados, cabera um ponco grande
e meia chata, beicos finos, dentes bem alvos, ps
seceos e muito ladino: roga-se por tanto a todas as
autoridades policiaes e capitaes de campo que oap-
prehendam e levem-o a ra da Mangneira sobrado
n. 6 qne serao gratificados, protestando-se usar dos
raelos judiclaes contra qualquer pessoa que o tenba
em sen poder.


ILEGTVEL


Diarlo de rernanfcaeo Quinta llr 11 de Malo de 185
LITTERATDRA.
WATERLOO
fConlinuacao do conscripto de 1813.)
POR.
ERCKMANN CHATRIAN
ritlMEin.V PARTE.
XII
iContinuaco;
Nj dia seguidle, qi3 era din de feira,
nao se faliava em ouira cousa na cidade.
seria coronel ou general como outro qual-
quer; mas sempre fui, sou e serei at
morte pela repblica e pelos dirotos do ho-
rnera.
Depois voltou-se de repente para traz, e
medindo a lia Gredel de alto a baixo, e le-
vantando a voz, d!sse :
E por isso que quero mais a Napo-
leao Bonaparte do que ao conde de Artois,
ao.s emigrados, aos raissionarios e aos mila-
greiros. Elle ao menos obrigado i con-
servar alguma cousa da nossa revolucao,
fnrcado a respeilar os bens nacionaes, a ga-
rantir a cada um as suas propiedades, os
de trabalhar. Os recebedores, verificado-
res, os borneas de justica, o administrador
e subst'tutos, etc., mordiam-se de raiva e
nao sabiam para onde voltar-se. Ninguem
se atreva a declarar-se por Bonaparte nem
bandeira de Arcle, do Rivoli, de Alexan- posemos exhibir com esta pequea serie de o fftrmar ,., An TakBato am _
dra, de Chebreisse, das Pyramides, de figeiros captulos. i f.l2rm5P!ra?lg*??!e.em rawno-
Grandes magotes de campinos da Alsaeia e .
da Lorena, de blusa, de aqueta, de chapeos seus,cargos e ta,d? 2ue tem gan.hado se"
embicados, de carapucas, chegavam nos a-" gljndo as novas leis' ^ n3 fosse ISS0- 4ue
que
razo teria elle para ser imperador ? Se
l-,s outros nos seus carros, como qaemT -" r- ?r uuuwauor r kj
1 vender trigo, cevadaou aveia. roasiin5 sus_tentas.se principio da egualdade,
traz d
viui.a vender trigo, cevada ou aveia, nas s i
pira saberem o que havia de novo. Nao se qu, raz3 ,tena a Para ouvia as ras seno os gritos de: Upa, ru- Ttros' Pjo contrario, tecm atacado todo.
col upa, preto! e os carros que rodavam 9.uere ". destrmr ludo que temos feto.
e os chicotes que eslalavam. As mulheres
nao eram das ultimas; vinham da Eoupe,
o Dagsberg, de Ercheviller, de LuUelbur-
go, das Barraques, de saia curta arregacada
com os seus grandes cestos cabeca, apres-
sando o passo. Toda essa gente passava
por debaixo das nossas janellas, e o Sr.
Goulden dizia:
Como tudo se move como tudo cor-
re ... Parece que j por c anda por to-
da a parte o espirito do homem. Agora j
ninguem cuida em andar a passo grave com
s na mo e opa as costas.
Elle pareca contente, o que prova quanlo
o linham enojado todas essas ceremonias.
Emiini, pelas oito horas, fot preciso dar
por que quero ma s a este, en-
I chmou a tia Gredel, temos no-
tende ?
Ah
vi da de !
E ria com ar de dcsprso, e eu teria da-
do tudo para ve-la nos Quatro Ventos.
Em outro tempo faliava o senhor de
outro modo. Quando elle restabelecia os
bispos, os arcebispos e os cardeaes; quan-
d 1 se fazia coroar pelo papa, e ungir com
oleo roubado da santa rmbula ; quando
chamava os emi rados, e restitua as gran-
des familias os castellos e as florestas; quan-
do nomeava principes, duquees e bares s
duzias; quantas vezes nao lhe ouvi eo dizer
que era urna cousa abominavel, que antes
Aboukir, de Marengo, de Austerlitz, de lena,' Antes de* passarmos por cima de tudo is-
de Eylu, de Friedland, de Sommo-Sierra, to, seja-nos licito deixar cahir um rpido
! de Madrid, de Abensberg, de Eckmul, de olhar dentro do sanetoario, por assim dizer,
por Luiz XViii, excepto os telhaderes, pe-, Essling, de Wagram, de.Smolensk, deMos- domestico de nossa patria,
dreiros, carpmteiros e jornaleiros a quera cow, de Weissenfebz, de Lolten, de Bal-' O que vemos ?
ningoem poda destituir das suas fonccoes, zen, de Wurtschen, de Dresile, de Bhcho- O que vem todos que seacham reunidos
e que dancanam de conteutamento se vis-. fewarda, de Hanau, de Brienne, de S. Di- sombra do templo ?
sem os outros no seu lugar. Esses, de ma- zier, de Champaubert, de Chaleau-Thiery, I Fra,' lalvez, mais acertado ser diante
cbadrana metida nos cintos de couro, grita-, de Joinvillers, de Mery-sobre-o Sena, de d'este espectculo intimo um espectador ma-
vam cora a maior sem ceremonia: A baixo Montereau, de Monimirail. E' essa bandei- do e tmido.
os emigrados! e riam da desordem que ra que temos regado com o nosso sangue.... | Fra sem duvida mais conveniente chorar
crescia a olhos vistos. Un da dizia a gaze- e a que faz a nossa gloria com a alma no silencio de urna dr abalada,
ta : usurpador esta em Grenoble,no da O velho sargente tinha desenrolado a ban- do que commentar com solucos e gemidos
1 em Lyao,no outro : est deira tricolor esfarrapada. O commandante a agona de urna ferida que se nao pode ex-
taveis artigos sobre soccessos e costumes,
que viram a lu publica na tAmerica.
Parece qne o finado deixou escripias
urnas memorias sobre os acontecimentos
polticos que t veram lugar dorante a sua
vida, e em muitos dos quaes tomou parte
activa.
em Macn,e no outro: est em Aoxerre; ergueu-a.
e assim por diante. | -- A bandeira esta... Bem a conheceis;
O Sr. Goulden quando lia essas noticia; da naco; que os russos, prussianos,
noute, senta sangue novo as veas. austracos, e todos os que trabamos poupa-
Bem se v, dizia elle, que os france-' do cem vezes, nos liraram no dia da sua
zes s3o pela revolucao e que os oulros nao orimeira victoria, porque tinham medo
podero resistir. Todo o mundo grita: della.
labaixo os emigrados .'Que Iico para quem Muitos soldados velhos, ouvindo estas pa-
\ as cousas s direitas Os Borbes, que- lavras, voltavam a cabeca para o lado para
riam fazer-nos vendanos;' agora podem es-' escoderem as lagrimas; outros, muto pai-
tar satisfeitos porque estamos vndeahos. lidos, mostrara n terrivel aspecto.
Mas urna cousa o inquietava ainda, era a; Eu, bradou o commandante levantan-
principio ao trabalho. e Galharina sabiu,co-iqi"zera. os Borb5es- que esses ao menos
manteiffa 'na0 saDiam outra cousa> 1ue eram como os
semana' Ime,ros lue assbiam sempre a mesma aria
porque nao sabem outra, e porque pensam
que a mais bonita que ha. E dizia tam-
disse ella, tudo es-
mo costumava, para comprar a
o; ivos e alguas legumes para a
A's dez horas voltou.
Ai, Senhor Deus
ti mudado 1
E contou-nos que os officiaes em dispo-
mbiiidade passavamcom as grandes benga-
las ile gancho, o commandante Margarol no
mi j d'elles, e que na praca, na feira, por
meio dos bancos, de re Jor das barracas, em
loda a parle, os campinos, os borguezes,
ti lo o mundo se corresponda por apertar
!i mos, por offereciraento de piladas, e
qne todos dizam :
Agorasim; o commercio vae bem.
Tambera nos disse que na noute paspada
tinham silio pregadas proclamares de Bo-
naparle na casa da cmara, as tres portas
da igreja, e at nos pilares do mercado;
mas que a polica as tinha rasgado muto
cedo. Emfim, que tudo se punha em mo-
vimeoto.
O Sr. Goulden linha-se levantado da ban-
ca do trabalho para lhe dar atiendo, e eu
assenlado, mas voltado para ella, dizia com-
migo :
Sun, sim, isto vae bem muito
bem... mas a minba licenca vae acabar.
Visto que ludo se move, preciso que tam-
ben le movas, Jos I Em lugar de conti-
. tar a viver aqu tranquillamenlc com tua
mulher, vaes ter s costas a mochila, a pa-
r.ia, a arma e dous macos de cartuchos!
estavamos pensativos, S^^sar
bem que elle era filho da revolugo, que o
pae tinha tido algumas duzias de cabras as
monlanhas da Corsega, e que isso devia
mostrar-lhe desde a inlancia que os homens
sao iguaes, e que s o valor e o engenho
que os eleva : que deva despressar todos
os velhos farrapos da realeza, e que n5o de-
veria fazer a guerra seno para defender os
dreitos. as novas ideas que s5o justas, cuja
marcha nunca poder ningem suspender.
NSo era isto o que o sono dizia quando
conversava com Colin no nosso jardim, com
receio de ser preso se o ouvissem ? Nao
era isto o que diziam entre ambos e na mi-
nha presenga ?
O Sr. Goulden tinha empallidecido mu-
to. Olhava para o chao, dava vollas ca-
xa do rap entre os dedos como quando
scismava, e at moslrava no rosto urna es-
pecie de enternciraento.
E' verdade, disse-o, e digo ainda o
inesmo. J vejo que tem boa memoria,
Sra. Gredel. E' verdade ; durante dez an-
uos, Colin, e eu trabamos sido obrigados a
esconder-nos para podermos dizer cousas
justas que hao-de vir a realsar-se, e foi o
despotismo de um s homem que nasceu en-
tre nos, que tinbamos elevado com o nosso
sangue, que n obrigou a isso. Mas boje
E oleando para Catharina, que n3o pensa- a,s cousas ?sir, mudadas- Esse homem,
va uo lado feio das cousas que eslavam acn-!de ,quem nao s? pode dlfer (Jue na0 lem la"
icceiidu, passavam-me pela idea Weisseu- lent0', vm;se, abandonado e trali'do pelos
seus bajuladores; vio que a sua verdade-
ra raz est no povo, e que essas grandes al-
iancas, com que to loucamente se enso-
casaram a sua perda. Pois ago-
em livrar-nos dos outros, e
estou contente por isso.
Pois entao que coragera tem o senhor
e os seus para assim precisarem d'elle ? Se
as procisses os incommodavam e se os se-
nhores sao o povo, como diz, porque que
tem necessidade d'esse homem ?
Ento o Sr. Goulden sorriu e disse:
Se todo o mundo tivesse a franqueza
de obrar segundo a consciencia, se muita
gente nao comegasse a tratar d'essas procis-
soes, uns por vadade, para mostrarem os
seus fardalhes, outros por interesse, para
terem bons lugares ou para alcancarem li-
cengas, ento teria razao a Sra. Gredel, nin-
guem precisara de Bonaparte para deitar
tudo isso por trra. Havia de ver que sete
oitavos da nacHo temjuizo, e que at o con-
de de Artois gritara como os oulros: alto
l Mas como a hypocrisia e o interesse oc-
cultam e escurecem tudo, e fazem do dia
noute, preciso raios para que a gente ve-
ja bem claro. Vocemec e os que sao co-
mo vocemec s5o a causa de que eu, e os
que sao como eu, que nunca mudaram de
ideas, sejam obrigados a saltar de conienta-
menlo quando a febre substilue a clica.
O Sr. Goulden tinha-se levantado e pas-
seava de um para outro lado com grande
agitaco; e como va que 1 lia Gredel ainda
quera fallar mais, pegou no barrete e sabio
dizendo:
Disse-lue o que entenda. Agora con-
vers ah com Jos, que lhe ha de dar.sem-
pre razao.
E' um velho tonto, disse a lia Gredel
depois que elle sabio; foi sempre assim.
Agora, tu, se nao vaes para a Suissa, desde
j te previno de que irs brevemente sabe
Deus para onde. Mas tornaremos a fallar
n'isso, meus filhos; o principal estar pre-
venido. Agora esperar o que vae aconte-
cer. Pode ser que a polica prenda Napo-
leo, mas se elle chegar a por os ps em
Pariz, nos iremos d'aqui para fra.
Abracou-nos, pegou no acafate e sabio.
Alguns intanles depois, voltou o Sr. Goul-
den, e pz-se ao trabalho comraigo, sem
dizer urna palavra. Eslavamos todos abys-
mados em reflexes, e o que mais me sur-
prendeu foi odizer-me noute Catharina:
Havemos de dar sempre ouvidos ao
Sr. Goulden, porque elle tem razo. Sabe
mais d'estas cousas do que minba m5e, e
nunca nos dar conselhos que nao
bons : ...
Quando tal ouvi, disse commigo :
grande batalha que se annunciava entre Ney do a espada, nao conheco. Viva a Franca
e Napoleao. viva o imperador I
O marechal, dizia elle, beijou a mo \ Logo que deu este grito, tudo foi estron-
a Luiz XVIII, mas nao deixou de ser por is- do. De todas as janellas, na praca, as mas,
so um soldado velho da revoluco e nunca em toda a parte, sahiram como troves os
se me metter na cabeca que se bata contra gritos de: Viva o imperador! viva a Fran-
a vontade do povo... Nada, nao i> possivel. 'ca Paisanos e soldados abragavam-se. Pa-
rlado lembrar-se do velho tanoeiro de Sar- recia que tudo estava salvo e a Franca ti-
relonia, que lhe quebrara a cabeca com o, nha adiado tudo o que perder em 181 i.
seu maco, se ainda vivesse, quando soubes-i Era quasi noute. Todos seretiraram em
se que Miguel trahio a naci para dar jjosto dfferentes drecces, aos tres, aos seis, aos
ao seu rei. J vinte, gritando : Viva m imperador !quan-
E' o que dizia o Sr. Goulden; mas isso do, do lado do hospital, um relmpago ver-
no impeda que a gente ainda andasse in- melho atravessou o ar, e o canh5o trovejou !
quieta quando chegou a noticia qne Ney ti- atraz do arsenal, respondeu-lhe outro; e
nha seguido o exemplo do exercito, dos bur- continuou isto de segundo em segundo,
guezes, de todos os que queriam ver-se li-. O Sr. Goulden e eu atravessamos a praca
vres das penitencias, e que se tinha ajunta- de braco dado, gritando lambem: Viva o
do aNap3leo. Ento aconfianca foi maior, imperador !E como a cada tiro de peca o
mas o medo de um golpe extraordinario claro chegava praca, viraos Catharina que
obngava ainda a silencio os mais pruden- vinha ao nosso encontr com a velha Mag-
tes; dalena Schouler, coberta a cabeca com o
Lm 21 de marco, das cinco para as seis, capuz do manto e o nariz rosado bem aga-
da tarde, estava eu a trabalhar com o Sr. salhado contra o nevoeiro. Quando nos viu,
Goulden, e a noute ia cahindo; bata nos vi- disse :
dros urna chuva mui fina, e Catharina acen-; Elles ah vem, Magdalena I O impera-
dia o candieiro. Theodoro Beber, que di- dor quem governa, nao assim, Sr. Goul-
que
passavam-me pela idea Weisseu-
felz, Lutzen, Leipzig, e enchia-me de tris-
tez:!.
Lm quanlo assim
abriu-se a porta e entrn
tres de quem eslava tranq
Bons dias, Sr. Goulden ; bons das,
meus filaos, disse ella pousando o cesto ao
do fogo.
Contina a ter saude, nao assim, tia
Gredel ? perguntou o Sr. Goulden.
Ah, a saude !. a saude I..
Vi que ella apertava os dentes e que lhe
viobam cores s faces. Metteu de urna vez
s, debaixo do toucado, os cabellos que lhe
cahiam sobre as orelhas, e olhou para um
e para outro de todos para ver se percebia
o que pensavamos. Depois comecou com
voz aguda :
Ento, parece que o mellante fugu
da ilha.
De que metanle falla vocemec, ta
<.:'del?perguntou-!heo Sr. Goulden soce-
gadamente.
Ora, adeus! bem sabe de quem fal-
lo ; fallo do seu Bonaparte.
O Sr. Gonl en, que lhe senta a colera,
a>sentoii-se mesa do trabalho para tratar
de evitar urna disputa. Finga examinar at-
tentamenle um relogio e eu fazia o mesmo.
Sim, sim, disse elia, gritando cada vez
mais alto, ahi est elle a principiar outra
ve;: as suas tolices, qu ndo a gente cuida-
va que tudo estava acabado. Elle ahi est
anda pe or do que era. Que maldito ho-
rnera I
A voz iremia-lhe e o Sr. Goulden fingia
continuar o seu trabalho.
De quem a culpa, tia Gredel? disse
elle sem levantar a cabeca. Pensa que es-
sas procssoes, essas penitencias, esses ser-
mues contra os bens nacionaes e a rebellio
de vinte e cinco annos, esas ameacas conti-
nuadas de restabelecer-se o antigo regime,
a oidem de fechar as lojas durante as mis-
sas, ele, etc., pensa que tudo isso podia
continuar ? Ora diga : j se viu a'guma
cousa assim desde que o mundo mundo,
alguma cousa mais capaz de levantar urna
nai.'o contra aquelles que queriam esmaga-
la 1 Nao lhe parece que era mesmo Bona-
parte que assoprava aos ouvidos d'esses Bor-
bes todas asloucuias capazes de desgostar
o povo ? Diga: nao se devia esperar oque
est aconteceudo agora ?
E continuava a examinar o relogio cora a
lente para nao se inquietar ; e eu, emquin-
to elle falln, olhava para a tia Gredel por
cima do hombro Ella tinha mudado duas
ou tres vezes de cor, e Citharina, encosta-
da ao fogao, fazia-lhe signaos para que nao
comecasse a disparatar em nossu casa. Mas
aquella mulher teimosa nao fazia caso dos
signaes.
Ento o senhor est contente, nao
assim ? dizia elle. E' como os outros: Mu-
da de hoje para manha... Acha a rep-
blica muito boa quando lhe faz conla.
O Sr. Goulden, ouvindo, isto, tossiu de
leve, como se lhe tivesse entrado alguma
cousa na garganta, e durante mais de meio
miuulo pareceu reflectir. A ta Gredel,
por delraz de nos, olhava para elle. Por
fim, o Sr. Goulden, que tinha serenado, res-
pondeu vagarosamente:
Nao tem razo,. Sra. Gredel, para me
dizer urna cousa d'essas ; se eu quizesse
mudar, j teria mudado ha muito tempo.
rigia o telegrapho, passou a galope pela
nossa porta em um grande cavallo russo ro-
dado, la to depressa que o vento sacudia-
Ihe no ar a bluse; com um? mo segurava
o chapeo na cabeca, e com a outra ainda
bata com um pao no cavallo que voava co-
mo o vento. O Sr. Goulden, limpando os
vidros, debrucou-se para o ver melhor e
disse:
E' Beber que vem do telegrapho;
grande novidade chegou I
den?
E' verdade, minha filha ; est tudo
decidido, respondeu o Sr. Goulden.
Ento Catharina apegou-se ao meu braco,
e o Sr. Goulden, que ia diante de nos com
Magdalena, dizia, ao chegar a casa :
Esta noute hei de beber mais nmbom
copo. Suba, Magdalena, d-se j por con-
vidada.
Mas ella nao quiz edeixou-nos porta.
Tudo o que posso dizer que a alegra
As suas faces umpouco paludas coraram; era tamanha como quando chegou Luiz
eu senti o coraco bater com violencia. Ca-' XVIII, ou ainda maior.
tharina veio por o candieiro ao p de nos, e O Sr. Goulden lirou o capote e assentou-
eu abri a janella para fechar os postigos. \ se mesa, porque a ceiaj estava a espera.
Isto tinha-me levado alguns instantes porque Catharina correu adega a buscar urna boa
era preciso tirar do seu lugar a banca do: garrafa de vinho. Bebamos e riamos, e o
trabalho para abrir a janella e despendurar canho fazia-nos estremecer os vidros. Al-
os relogios. O Sa. Goulden reflecta. Quan- gomas vezes a gente perde a cabeca, mes-
do eu meta a ga/.ua, ouvimos o toque de j mo os que nao querem seno a paz ; os li-
tambores dos dous lados da cidade ao mes- ros de peca alegravam nos, porque de aigu-
mo tempo, a> p do baluarte de Mittelbrown | ma maneira voltavamos ao antigo viver.
e na de Bigelberg ; os ecos das murallas e' O Sr. Goulden dizia :
os do campo do tiro respondam, e esse! O commandante Gemeau falln bem;
zumbido surdo enchia toda a piafa na hora mas podia continuar a fallar at am.inha,
em que comecava a noute.
O Sr. Goulden linha-se levantado .
E t Indo decidido, disse elle com
urna voz que me gelou; ou ha combate as
linhas de Paris, ou o imperador est no seu
antigo palacio como em 1809.
Catharina foi logo a correr buscar-lhe o
capote, porque bem va que elle ia sahir,
apezar da chuva. Elle, fallando sempre, e
com os olhos muito abertos, deixava enfiar
coraecando por Valmy, Hu idscbOtt, Watlig-
nies, Arnon, Fleorus, Stockladi, Neuwiel,
Wkerath, Froeschwiller, Geisberg at Zu-
rich e Hohennden. Tambem eram grandes
victorias, e ateas mais bellas, porque salva-
va m a liberdade. Fallou s das ultimas ;
mas para agora quanlo basta. Venham
agora caos outros... venham! A naco quer
a paz ; mas se os alliados comecam a guer-
ra, ai delles Agora vae-se fallar outra vez
as mangas machinalmenle, scsmando com de liberdade, de egualdade, de fraternidade.
o que se estava passando. Depois sahio, e
Catharina batendo-me no hombro, porque
me via indeciso, disse-me:
Vae, Jos, vae atraz d'elle.
Cuegamos a praca no momento em que o
batalho sahia da ra principal, esquina da
casada cmara, alraz dos tambores que riam com as caixas atiradas para as costas.
Seguia-os urna grande multido. Debaixo
das velhas tilias comecou outra vez o toque
Dessa maneira toda a Franca se levantar,
fiquem certos disso ; tudo se levantar la
de haver guardas nacionaes; os velhos co-
mo eu e os homens casados defendero as
pracas ; os solteiros e novos faro marchas,
mas ninguem passar as fronteiras. O impe-
rador, instruido pela experiencia, armar os
operarios, os campinos e os burguezes.- Se
os outros vierem, ainda que seja um milho
delles, nao salar um de c com vida. O
mada tinha comecado.
O commandante atravessou a praca, e os
capites correram ao seu encontr. Dsse-
ram-lhe algumas palavras, e o commandante
passou em frente do batalho. emquanto
que atraz"d'elle corra um segund) sargen-
to velho com urna bandeira enrolada e co-
berta com encerado.
A multido era cada vez maior. Eu ti-
nha trepado, como o Sr. Goul len, ao mar-
co que ficava defronte da porta abobadada
do corpo de guarda. Depois da chamada,
no fim de poucos segundos, o commandante
empunhou a espada e deu ordem de formar
quadrado.
Cont estas cousas singelamente porque
eram simples e terriveis.
Era quasi noute fechada, mas bem se via
pela palidez do commandante que elle tinha
febre.
As linhas pardacentas do quadro, o com-
mandante a cavallo no meio, os officiaes de
redor d'elle, chuva, os burguezes em obser-
vaco, o alto silencio, as janella que se
sejam abriam, tudo est ainda presente mi-
nha imaginaco, e j l vae ha cincoenta an-
,nos!
Est pela parte do Sr. Goulden, por-| Ninguem faliava porque todos conheciam
que l a gazeta com elle. 0". a gazela diz sempre o que mais lhe agrada. Mas o peior BraO armas dsse o capito Vidal,
que se fr preciso pdr a mochila s costas DeP0ls o"0 rumor das armas nao se ouviu
e partir, ser urna cousa horrivel, e mair
valeiia estar na Suissa ou Genebra, ou raes
mo na fabrica da tia Bulle do que em Leip- do Rlien> em Lutzen e em Leipzig, a voz
zg ou em outra parte. ; que nos gritava: Unir fileiras! Entrava-
Eu nao quera contrariar Catharina, mas me ale a medula dos ossos.
de tambores; os soldados em tumulto cor- i tempo dos soldados acabo;i : os exercitos
reram s suas fileiras, e logo o commandan- j regulares sao bons para a conquista, mas
te Gemeau, que ainda soffria das suas feri- \ um povo que quer dofender-se nao leme os
das e havia dous raezes que nao sahia de melhores soldados do mundo. E' o que j fi-
casa, appareceu fardado a porta da casa
Minque. O sapador de planto segurava-
lhe o cavallo e ajudou-o a montar. A cha-
tinguir.
Mas a nossa consciencia exige e nao po-
demos deixar de ceder sua imposico.
Urna vez, na corte, no recincto da as-
sembla dos senhores depu lados, urna voz
respeitavel exprmiu-se mais ou menos as-
sim :
Senhores, preciso que o Brasil cure
um pouco mais de si, da sua seguranra, do
seu futuro ; que olhe para o sul e considere
que aquellas repblicas, pequeas em popu-
laco e territorio, mas grandes, inmensas,
no i instnctos de perturbaco e desordem,
podem um dia incommodar a sua tranquilli-
dade doce e deleitosa, a sua integridade, o
seu direilo.
Besponderam-lhe:
Para as repblicas do Prata o Brasil
tem smente o azorrague, e quanto basta.
A primera voz foi de um patriota que
ainda hoje concorre grandiosa communho
da representafao nacional.
A segunda.....
Queris saber de quem fui a segunda?
De Frederico Carneiro de Campos, hoje
aferrolhado as prises de Assompeao, es-
ta hora por ventura j victima da tortura e
da fome!
Que exemplo!
Que doloroso exemplo !
Frederico Carneiro de Campos deveria ter
dito ento:
Sim. Cuidemos quanto anteados meios
cabaes a assegarar a perfeita independencia
e soberana da patria. Creemos esercito e
armada, que nada dalo temos, e mande-se
desde j < ara as fronteiras do imperio um
pessoal equivalente a repellir e punir qual-
quer aclo menos justo com que pretendam
aggredir-nos essas repblicas.
Mas os negocios do Brasil liveram esse
curso e tem-n'o tido at hoje.
O soldado morro de fome e de nudez.
Una infinidade de reductos de que os
nossos maiores bordaram o nosso litlora,
tudo isso est soterrado e esquecido.
Havia em linda un d'esses, chamado
Forte do Montenegro, do qual, a despeito
de marcar urna era histrica para a provin-
cia, a cmara municipal fez ltimamente ma-
tadouro publico.
Quando cahe a crise da perturbaco ex-
terior, como urna procella de morte, a na-
Co anda ridiculamente encornmendando na-
vios a este e quelle, vergonhosamenle com-
prando a duzentos contos os vasos arruina-
dos, imperdoavelmente esmolando urna es-
pingarda, urna bayoneta aos seus arsenaes e
s suas olficinas, mas esmolando embalde,
porque ella nao tem nem olficinas-, nem ar-
senaes.
Os dinheiros, a riqueza da naco, nao e
ella, sao os seus mais bemaventurados filhos
quem se locuplta d'elles.
IX
Para um alomo de consolo, ha felizmente
um reverso a esta medalha negra.
O talento germina e pulila, o solo rico,
frtil, inextinguivel na sua f.rca fructfica-
dra, ha bravura nos coracoes, energa nos
espiritos, ha tudo quanto se pode reputar
conducente felicidade material e moral de
urna naco.
O paiz eminentemente industrioso, o
paiz grande, o paiz um mundo novo,
encantador, admiravel, abencoado.
Rocha Pitta diz que sem duvida foi o Bra-
sil o paraizo terrea!, de que falla o Ge-
nesis.-
E porque o Brasil nao caminhar a ser
um annel ominoso Ja grande cadeia de na-
coes que se prenden} perfeclibilidade so-
cial ?
S-lo-ha um dia. *
L-se no Commercio do Porto o se-
grate :
O celebre ministro hespanhol, que acaba
zemos ver aos prussianos, au tracos, ingle- de fallecer em Madrid, nasceu em Cdiz om
zes e russos desde 1792 at 1800 ; edepois 4/.91- ., ,_._ .
os hespanhes fizeram-no ver a nos, e j os' Uesconhecido ate 18-20, ajodoo entao com
americanos o tinham feito ver aos inglezes. Com certeza o imperador vae fallar-nos de se preparavarr
embarcar na ilha de
Swdad^ifc^ redigiu," segundo se diz, as procla-
na AllMwmha. mnioa aliamos sr3r> enm-'macoes do general Quiroga de sorlc que
procedendo este formaco de um
na Allemanha, muitos allemes sero com
nosco ; prometteram-lhes iberdades para
que marchassem em massa contra a Franca,
e agora os soberanos reunidos em Vieona
do que tratam menos de cumprirem as
suas promessas. Chegaram onde queriam,
e repartem entre si os povos como rebanhos.
Os que tiverem juzo, resistiro colligados,
e dessa maneira a paz se estabelecer pela
forca. S os res teem interesse na guerra
minis-
terio, nao esqueceu o seu secretario, que foi
nomeado chefe poltico de Cdiz.
Em 1821 foi eleito deputado, e nao tar-
dou a tornar-se notavel as fileiras dos exal-
tados.
Por occasio da ntervenco franceza, em
1823, votou que Fernando Vil seguisse a
assembla transferida para Sevilha e pediu
E' do Sr. Cyryllo de Lemos esta poesa:
PALUDA.
Nao s feliz l as cores da ventura
Da camelia nao tm.a lividez,
Nem to pouco desbota a formosura
Quando sent prazer, amor talvez!
Nao s feliz I s torva, impa desgraca
Cava soleos de as faces encovar ;
Um capricho da sorle logo passa,
S indmito mal faz definhar.
E t morres aos poucos I... O leu rosto
Claro mostra o signal do dissabor ;
Bem se v que padeces cr desgosto,
Sem um ai ou gemer, que traia a dor!
Besgnada te curvas, martyr santa,
E ao Calvario conduzes tua cruz ;
Mas a dor, que o viver pea e quebranta ;
No pallar do leu rosto se tradaz.
Eras linda florinha desbrochada
Espalhando perfume, essencia, amor,
Hoje vergas sem seiva e desbotada
A's rajadas do norte qu mador.
Sim, a morte snistra e impiedosa
Paira em torno ao leu ser todo do cu,
E na flor dos leus annos, to formosa,
J le envolve com branco, lgido vu!
Hoje em t se ha scentelha d'esta vida
S se trabe no brlhar dos olhos leus...
Doce archanjo, pareces de partida
Para abrigo buscar aos ps de Deus.
Dcu-se ha pouco urna especolaco atrevi-
da, que foi cornada de pleno exo, renden-
do mais de 7> 0:0000 aquellos que a em-
prehenderam.
Um ftlfaiate militar, natural de Limerick
(Irlanda), mandou cortar 80,000 uniformes
completos para soldados.
Comprou por 300,0003 um vapor pos-
suindo t dos os requisitos ir.dispensaveis
para affrontar os perigos de um porto blo-
queado, e nelle embarcou o carregamento
de uniformes.
O capito Burgogne, niarinheiro atrevido
e experimentado, foi nomeado para comman-
dar o vapor com o sold de l,CO0 libras
stcrlinas por mez, e com a promessa de
o o]0 sobre a venda, se conseguisse- desem-
barcar o seu earregamonte eWilmington,
e no caso de regressar a Liviqpool com um
carregamento de algodao, a cOHiiS9o de
2 I|2 0|o sobre esta ultima operaco.
Fizeram-se t-idos os preparativos, e- no
dia 15 defevereiroo vapor sahiu de Lne-
rick, para dar comeco a expedico avenui-
Fosa.
Ao aproximar-sedo porto do seu destino,
os federaes bombardeavam Wilmragriri; o
capito Burgogne penetrou no porto por en-
tre urna nuvera de fumo produzioo- pelo
combate, e desembarcou o seu carregamento
em troca de outro de algodo
Um telegramraa annunciou ha pouco a
chegada do vapor a Limerick sem ter. rece-
bido urna bala se quer por parto dos fede-
deraes.
os povos nao precisara de conquistar uns em seguida que elle fosse posto em estado
aos outros; o principal que facam bem ?IimJlfJ1!m^tomrJ* 'il e' "
commercio.
fi-
mutuamenle pela liberdade do commercio. Dll,dade de remar, e que urna regencia
Na sua exaltado o bora velho via tudo cor ,casso encarregada do poder execul.vo.
de rosa, e eu acbava lo natural o que elle! A d'SSOlucao das corles que foi urna das
dizia, que estava convencido de que o impe- consecuencias do combate de Trocadero, an-
rador nao procedera de outro modo. Ca-,n,t^'110? estas propostas extremas,
tharina tambera assim pensava, e todos da- DePlsde, dez annf der,e,x,l, ^ la-
vamos gracas ao Senhor pelo que acabava fou |m Inglaterra, voltou Gahano a Cad.z,
de acontecer. Pelas H horas, depois de ter- J depressa a morte do re fo. conhecida
mos rido, conversado e discutido vontade, v )
mais do que a voz do commandante, essa
fomos deitar-nos com as mais risonhas espe-
rancas. Toda a cidade estava Iluminada, e
e nos tambem tinbamos poslo lampeoes as
janellas. A cada instante se ouvia o canho,
e os rapazes que gritavam : Viva o impera-
No anno seguinle tomou outra vez as-
sento as cortes, continuando o seu papel de
tribuno popular ; e at 1836 foi considera-
do como um dos chefes mais influentes do
partido progressista, porm os acontec-
as indis w que a niiuu touiujaiiuanie, essa 1.1,,rn\P(lpmns aproximando do governo, at se tornar um
. voz clara que eu tinha ouvdo do outro lado ra deP '
nao me agradavam as suas palavras.
Desde ento a confuso eslava era loda a
parte; os officiaes em disponibilidade gri-
tavam : Viva o imperador I O commandan-
te da praca bem quizera dar ordem para os
Soldados, disse elle, o rei Luiz XVIII
relrou-se de Paris em 20 de marco, e o im-
perador Napoleao
mesmo dia.
Correu por lodos urna especie de estre-
dor e os soldados que sabiam das vendas menles de Granja, que trouxeram coms.go
cantarolando : Abaix os emigrados! a fe?encia de Espartero, modificaran! as suas
Isto durou at muito tarde, eso por urna BS- d
dos chefes do partido conservador.
Em 1851 o ministerio Bravo Murillo no-
meou-o embaixador em Lisboa, cargo que
exerceu por alguns annos.
UM POUCO OETUDO. O Sr, Alcal -Ga'iano era um orador dis-
continuamos a serie de artigos sob o li- tinelo, e representou a Hespanha era diffe-
na graca de Deus.
(Continuar-se-ha).
prender, mas o batalho eslava bandeado ;mecimento, mas nao durou mais do que um
com elles, e os soldados da polica faziam ou-1 segundo, e o commandante continuou :
enlrou na sua capital no tu|0
REFLEXES
a proposito da guerra entre o Brazil e a
repblica do Paraguay.
VIH
Em lugar de ser relojociro em Phalsburgo, I vidos demercador. Ninguem queria saber) Soldados I a bandeira da Franca a
rentes cortes estrangeiras.
Alm da sua distincta carreira poltica,
era ventajosamente fcconhecido pelos seus
trabalhos litlerarios e historeos, e nao obs-
tante a sua avancada eda 'e, pois contava
Approximamo-nos do fim que nos pro-'mais de 75 annos, oceupou-se pouco antes
m amador enlhusiasta de oslatisicacon
sagrou o seu ocio ao estado da monographia
dos corcundas.
Foi na zona temperada, na Europa, onde
maior numero delles enronlron, affirmando
haver em Hespanha una iiovoacao as fral-
das da Sierra Morena, onde por cada treze
habitantes se conla um corcunda.
Aqui ha corcovas de mais.
Observa, alm disso, o descubridor das
excrescencias, que as carcovas tem certa afli-
nidade com a coniguraco das comarcas,
onde se geram.
Assim, por exemplo, as corcovas dos que
vivem nos Pireneos, sao ponteagudas; as
dos que habitam beira dos rios formam de-
clive, e as dos que se achara as planicies
sao de forma achatada.
Como consequencia de lodos os seus cs-
tudos, deduzo amador de estalistica, que
ha no mundo um corcunda por cada mil ha-
bitantes.
Se isto assim suppondo nos que po-
voam o mundo mil milhoes de enles llma-
nos, diremos que as corcovas do milhau de
corcundas, postas urnas por cima d&s ou-
tras, alcmcam urna altura de 200,000 me-
troe, ou, o que vem a ser o mesmo,. com o
auxilio dellas poderiam escalar-se 10 cor-
dilheiras, 25 montes Brancos, as pyramides
e todas as torres das cathedraes a Europa
sobrepostas urnas s outras.
O Semaphore de Marselha, publica ;
O Mocambique trouxe-nos bem trfette
noticias de Ile-Soeur.
A cidade de Porto Luiz foi devastada por
urna innundaco, na noute de 12 do feverei-
ro, em virtude de urna tempestade.
Conlam-se numerosas victimas, entro as
quaes figura um engenheiro macbinisla,
muito lamentado ; as perdas soffridas pelos
particulares e pelas dokas e armazens sao
consideraveis.
Avalia-se em 7 milhoes de libras a quan-
lidade de assucares avadados nos deposites
pblicos.
Desde 1834 diz um jornal dalli, que
urna calamidade semelhante se nao tinha ret-
o sentir.
A ilha de Sania Maria (de Madagascar) foi
assolada a 12 de Janeiro por um violento
cyclone.
A passagem do terrivel meteoro na visi-
nhanca daBeunio apenas delerminou urna
baixa no barmetro, nao occasionando em
loda a costa mais do que urna subida de.
mar sem gravidade.
PERXAMBUU.-TYP. DE M F. DE F. & fII

<.

y


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EFIKBK1GP_TFWYXX INGEST_TIME 2013-08-27T23:19:41Z PACKAGE AA00011611_10665
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES