Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:10661


This item is only available as the following downloads:


Full Text
amo ni. nomo 104
> .1
Pt qnarfel pag dentre de 10 dias d 1. aez : t
dem depois dos l.0110 dias do comecoe dentro 4o qaa/tel. .
Porte ao correio oor tres Bezos *..... ,
SfOOO
750
SABBADO 6 D MAIO DE 1865.
Por aiao oago dentro de 1t as do \. mez ,,,... 491000
forte ao crrelo por un ano........... 3$000
DIARIO DE PERNAMBCO.
ENCARREGADOS DA SUBSCRIPTO DO NORTE,
PARTIDA DOS ESTAFETAS.
Parahyba, o 'r. Antonio Alejandrino de Lima; Olinda, Cabo, Escada e estafes da via frrea at
Natal, o Sr. Antonio Marques da Silva ; Aracaly, o Agoa Preta, lodos os dias.
Sr. A. debemos Braga; Ceara, o Sr. J. Jos de Iguarass e Goyanna as segundas e sextas feiras.
Oliveira-, Maranho, o Sr. Joaqun Marques Ro-Santo Anto, Gravat, Bezerros, Bonito, Caruar,
drignes; Har, os Srs. Geraldo Antonio Alves &
Filhos; Amazonas, o Sr. Jeronymo da Costa.
ENCARREGADOS DA SUBSCRIPCAO DO SL.
Alagoas, o Sr. Clandino Falco Dias; Bahfa, o
Sr. Jos Martin* Alves; Rio de Janeiro, e Sr. Jos
Hib.'iro Gasparinlio.
Altinho, Garandos, Buique, S. Bento, Bom
CouseIhok Aguas Bellas e Tacaral, as tercas
feiras.
Pod'Alho, Nazarelh, Limoeiro, Brejo, Pesqueira,
Ingazeira, Flores, Villa Bella, Cabrob, Boa Vis
ta, Ouricory, Salgueiro e Ex, as quartas
feiras.
Segunda vara do civel: quartas e sabbades a II AUDIENCIAS DOS TRIBUNAES DA CAPITAI
hora da tarde. I
Serinhaem, Rio Formoso, Tamandar, Una, Bar-Jrbu.n" a commercio : ^norias e quintas,
reros. Agua Preta e Pimenteiras, as quintas "e|aCo: tergase sbados s 10 horas.
feiras.
EPHEMERIDES DO MEZ DE MAIO.
2 Qnarto cresc. a 1 h., 44 m. e 46 s. da t.
10 La cheia as 6 h., 3 m. e 22 s. da t.
18 Quarto ming. as 4 h., 19 m. e 46 s. da m.
-24 La nova as 8 h., 29 m. e 45 s. da t.
Fazenda: quintas s 10 horas.
olzo do commercio: segundas s 4 i botas.
Uto de orphos: tercas e sextas s 10 horas,
i 'rimeira vara do civel: tercas e sextas ao meio
dia.
Segnnda vara do
hora da tarde.
civil: quartas e sabbados a 1
DIAS DA SEMANA.
1. Segunda. Ss. Fellppe e Thfago apps.
2. Terga. S. Mapha'da rainba de Portugal.
'!. Quarta. S. llodopiano ra ; S. Amaro ni.
4. Quinta. Ss. Floriano e Sacerdote mm
5. Sexta. S. Pi V p.; S. Angelo c. m.
6. Sabbado. S. Joo ameportw latinam.
7. Domingo. S. Estanislao b. .; S. Flavia.
PRFAMAR DE BOJE.
Primeira as I horas e 18 m. da tarde.
Segunda as 1 horas e 42 minutos da manha.
PARTIDA DOS VAPORES COSTEIR09.
Para o snl al Alago a 14 e 30; para o noria
lai a Granja a 7 e 22 de cada mez; para Fernan-
do nos dias 14 dos mezes de Janeiro, marco, maio,
Ijulho, setembro e novembro.
ASSIGXA-SE
Jno Recife, na livraria da praga da Independencia
Ins. 6 e 8, dos proprietarios Manoel Figueiroa de
(Faria & Filho.

PARTE QFFIGIAL
G0YERN0 DA PROVINCIA.
Expediente de dia 3 de maio de 186S.
Oflkio ao coronel coramandante das armas inte-
rino.D V. S. as suas orden*, para q/ jeja br-
7
dos guardas da secco uriana Jos Francisco de I Dito ao mesmo.Para serem presentes assem-
Faria, Galdino Pereira Tavares, e do cabo de es- bla legislativa provincial e era solugo ao sea
quadra da secco volante, Antonio Pedro da Silva,'' offlcio de 10 de abril ultimo, soh n. 68, passo s
a que alludem as informagdes desse commando maos de V. S., de ordom de S. Exc. o Sr.presiden-
ns. 275 e 278, de 2 do corrente, autoriso V. S. a te, as inclusas informagrJes ministradas pelo Dr.
dar baixa a essas pragas, visto que finasaram os chefe de polica, relativamente ao assassinato feilo
seus cngajamentos e nao querera continuar no na pessoa d, Mj.Q,oel Ferjpira. lj,v&a Pendo, no en-
servico. .._.., ----- gnho Coqoeiro.
Do ao mesmo.-Mando V. S. apresentar ao Dr. Dito ao director geral da instruegao publica.
gauisado o segn Jo corpo de V'wittntanos de vendo ictier" de. Poll(-"'a as 10 horas do dia da manha, 8 S. Exc.o Sr. presidente da provnzia, manda com-
ate ter em seu estaj&t'mpeta a forca constante pra?as corpo sob S0B commando, alim de escol- muuicar V. S., que pelo seu offlcio do 1. do cor-
do mapna mato tarem criminosos al o termo de Iguarass.-Com- rento, sob n. 136, ficou inteirado de haver V, S.,
flo ao mesmo.-MaBde ^ S. dar baixa ao Vo- "">"* ao chefe de Polcla- naquella dala, assumido o exercicio interino de di-
Uito ao inspector de. arsenal de mannha.Man- rector geral da instruegao publica. Communicou-
e V. S. fornecer os objectos mencionados no inclu- se ao inspector da ihesouraria provincial.
jttto.
S. dar baixa ao Vo-
luntario da Patria Avelino Jos dos Santos, que
soffre de epilepsia.
ilo ao inesino.Mande V. S. dar baixa ao cabo
de esquadra do primeiro corpo de Voluntarios ag-
gregado ao segundo Francisco Luiz Nogueira, vis-
to ter sido considerado incapaz do servigo em ins-
peegao de saude. como consta do parecer annexo
ao olcio de V. S. n. 773, de 2 do corrente.
Dito ao Dr. chefe de polica.Declarando-rae o
Exm. desembargador provedor da Sania Casa de
Misericordia, em data do i." do corrente, que expe-
dio ordom para serem receidos no Hospicio dos
alienados os do nomes Ignacio Pedro da. Silva e n"* L
Antonio Jos dos Santos e Silva, e no Hospital Pe- Cog*nt 1 Mmmaodante das armas,
dro II o enfermo Manoel Alvares Pereira, de que "p*"1 ,"r .ral te" da iMtruccao
tratara os offlcio* de V. n. 586, S57 e 384, de 19 S^'-g?. St^fTW df5sa d"Tr,a
e 24 de abril prximo Bodo: assim ih'o coramuni- ***' dre f.r' "rao sob n" ,2.7- au,or.lso. }mc- a
co em resposta aos seus cilados otarios. nf>m* &*** eomo
Ditoaomesmo.-Com a eopia da informacf.o 2*L,2"2 SSS^JP* h2f Vaga' e
ministrada em 2 do.corrent pelo inspector da sau- ?JJ Pr?mb, ZJ'mh* ff"?' ? Va?
de publica, respondo ao offlcio do V. S. n. 372 de t S Primo F'*iio, filho de Apoloma Mana
21 de abril prximo findo relativamente prepa- rC:,A m.m ,., .... .
ra.;.ao do pharmaceut.co Grimaoet. \ XSJSST&ZSi Mer deliberado
Dito ao mesmo. Em resposta ao seu oIBcio Jffl,anSS(f"ri a XTA Par,0V,nCl^ ~DstoB,e 1
n. 5s3 de 24 do passado, lenho a dizer-lhe que as J' "o n^-. v S|Cretano de 2 do correnle
averiguares a que em meu offlcio de 21 Ihe re-1 ~D- ^^8? teto
so pedido rubricado pelo administrador do correio Dilo ao director do arsenal de guerra.De ordem
desta provincia, os quaes sao necessarios ao tele- de S. Bus. o Sr. presidente da provincia, passo s
graplio da torre do collegio.Communicou-se ao mos de V. S., para seu conhecimenlo, dous exem-
administrador do crrelo.
Dito ao direclor das obras militares.Recom-
mendo a V. S. que mande com urgencia fazer os
concertes de que necessitam os bicos da illumina-
cao a gaz do hospital militar, especialmente os
que esto collocados na lalrina, os quaes tetn dei-
xado de dar \ut, como declarou me o coramandan-
te das armas em offlcio n. 769 de 2 do corrente.
piares do rpgulamento para o preidio de Fernan-
do, mandado observar por decreto n. 3403, de 11
de fevereiro ultimo, fleando. paren, dependentes
de approvaco da assembla geral legislativa, n.io
s os empregos novamenie creados, com o aug-
mento de despeza com as gratiflcacoes' marcadas
na tabella anoexa ao mesmo regula memo.
as informaces anlerior-
que se declare quantos
comraendei procedess para conhecimenioda ven-i;7n''' 7"""'' "":X^;r" OD ST""*" 'i""'""1'
da dos rectos e circuraslanciaTereridas pelo afri- aira?lforaT f2*5!J2?. ?* ann0 na' ma"
do gymnazio pro-
cano Antonio, no interrogatorio que Ihe toi feito | t*SSlf '*** ^^ *** ^"'^
*VZS ojuiz nrovedor de ceoellas e resl-! .^/jPJg^*!*.^9 e S Padi-
dos com esclaree meatos que bem o habilitem a vi ^m lenmcT d l S*1^ T T^tT
pronunciar sobre o destino que deve dar quelle Jd'L aar,S^PdleJ de abnl ull"no- olIere-
arr.cano,o que sera duvlda pela oalnreza e grav,- "K "nELE S"6 H gne7-a eaLQUe ?e
dade da queito que inters l.berdade indivi- acba. n>P"">do o pa.z, cabe-me d.zer-lhe qu
dual
pd
cumprimento, ineios que falla.n aojuiz provedor.
2. Verificar se nsse negocio do africano se
adp da questo que interessa liberdade indivi- 7%%^$Z, SSS4S Vquira Jos Coimbra de Andrad. Junior.-
lual, om ngorose dever de que a polica se nao : apresenr.sf nesla 521EEX2Z:f0Tme Sr MWnla superior da guarda
**g.*ggLTS ? 1,P"L!r i trazendo coraso o Sr nTrae de vSa- ^.al d!.''tca'.raaQdando Passaf a uia> de
acha envolvido o crime de reducir a escravidlo
pessoa livre, oa qualqner outro, como necesaria-
mente acontecer a ser. exacta a exposico feita no
dito interrogatorio ; o que tambem rigoroso de-
ver da polica, a quem incumbe a inw.-tigacfi > dos
criraes, descobriraemos das pr vas, e procediraen-
to criminal nos casos de sua competencia.
Cumprindo taes deveres, nao procede V. s.in-
curialmente, nao invade jurisdicco alheia, nao
rios da Patria que Ihe for possi vel conseg'ulr.
Dilo ao subdelegado do Altinho Basiliano de
Barros Corre i. -Para que se possa resolver acerca
do pagamento das quanlias por Vmc. abonadas
aos Voluntarios da Patria, de que falla era sea of-
flcio do 17 de abril ultimo, conven que rae eja
declarado o dia em que elles se Ihe apresenlaram,
e o em que raram felos esses abonos, sem o que
nao se pedora saber quanlo veuceram al o dia em
que juraram bandeira.
Jilo a subdelegado do di avoca causa pendente do jalzo da provedoria, como ,.; f^77:T u,^r, ae "g*f
declara em ^u ciado ^Bc.o pira reeasai-se ao '^^f" ^^*!* .co ,!?radec.,
que por mim me ro, e ae noo e recomiueiiuauu. auxj|jar 0 governo nasdelpezas cora" g"uerra em
Dilo aoajesHKXInteirado do conleudo do offl- que se acha empenhado o paiz, tenho a dizer-lhe
ci de V. S. n. 03 de 28 de abril prximo lindo, ,|ue r0raeiia.mo a importancia da subscripQo
tenho a dizer-lhe em resposta que mandei destacar agenrja(|a anj por VraC- para ser g^fga a ,heseu.
na villa de Iguarass det pravas e um inrenor da nm de fazenc|ai afira de dar Ihe o conveniente
guarda nacioual, e por isso deve regressar para ,iesino.
esia capital a torca de polica que all licou, logo | Cu|lfio do sen patriotismo, que nao arrefecer
que se aprsente aquello destacamento da guarda nesse |0imvel erapenho.
nacional. Dito ao consclho de compras navaes.Autoriso
Dito ao inspector da thesourana de razenda. o conselho de compras navaes a promover nos
Informe V. S. se as relacSes de mostra dos corpos termos do reglamento de 20 de fevereiro de 1838,
de voluntarios apTesentados nessa thesouraria eslo
comprehendidos os nomes de Jos Claudino Gomes
Ribeiro, Antonio Joaquina de Lemos, Marcolino
Joaquim de Oliveira e Manoel Francisco Soares.
Dito ao mesmo.Em vista dos inclusos docu-
mentos, e nao havendo inconveniente, mande V. S.
pagar os vencimenios relativos a segunda quinzena
do mez de abril prximo findo da torca do 3o ba-
talho de inrantana da guarda nacional desta ca-
pital, aquarlellada para coadjuvar a tropa de 1"
linha no servido da guarnido da praga.
Dito ao mesmo.Em vista do incluso requer-
ment documentado a que se retore o offlcio do
coronel coramandante das armas, n. 720, de 22 de
abril ultimo, e nao havendo inconveniente, mande
a compra o> objectos de material da armada de
que trata o seu offlcio de 22 de abril ultimo, que
flea assim respondido.
Dito a cmara municipal de Iguarass.Decla-
ro a cmara municipal da villa de Iguarass em
resposta ao seu offlcio de 4 de margo ultimo, que
Qcam approvadas as arrematares dos imposlos de
que trata o termo de contrato que acompanhou ao
seu citado offlcio, devendo essa cmara mandar
por novamente era praca os que por falta de lici-
tantes deixarain de ser arrematados.
Dilo ao juiz municipal da Boa Vista. -Julgando
aitendiveis as razoes produsidas por Vmc. em of-
flcio de o de abril prximo lindo para justificar a
falta do exacto cumprimento do disposto no artigo
Despachos de dia 3 de maio de 186:).
Requer intentos.
Adolpho Mara de Albuquer.jue Lins.Informe
o Sr. Dr. chefe de polica.
Abaixo assignado de proprlelarios
na ra do Lima. Drijam-se os supphcantes a
cmara municipal, a quem compete as providen-
cias tenientes ao tuelhoramento que recla-
i mam.
Apolonia Mariade Mello.Dirija-se ao Sr. direc-
tor geral interino da instruecao publica.
Berlino Lopes de Araujo.Sejam entregues.
Elizio Alves da Silva Figueira.Sellado volte
querendo.
Francisco Botelho de Andrade.Passe portara
prorogando o- praso de quinze dias.
Gongaio Jos de Sant'Anna. Informe o Sr. Dr.
chere de polica.
Bacharel Joaquina Ferreira Chaves.Pasw por-
tara concedendo tres mezes de licenca sem venc-
montos.
Joaquim Jos Coimbra de Andrad Jnior.lu-
na-
que
trata o supplicante.
Joao Carlos Augusto de Figueirdo.Informe
o Sr. inspector da thesouraria da fazenda.
Josephi Mara da Conceieo Alcntara.Soja
inspeccionado o fllho da supplicante.
Joaquim Tavares Rodovalho.-Sendo de eonfiao-
ca os empregos de noraeacao das cmaras raunici-
paes, e por consegrante o que exereja o supplican-
te na cmara muuicipal desla cidade, nao compete
a esia presidencia entrar ao oxamc da justca, com
que fui deraittdo. Nao julga dever providenciar
cousa algunu pela allegada nullidade da deisso,
ceder, nao \tova a existencia de tal nullidade,
lendo votado s outros cincos vereadores que for-
dam uUflMH legal para rJder fanecionar amesma
cmara,
Manoel Jfariins Fiuza.Informe o Sr. inspector
ma thesouraria da fazenda.
Manoel Jos da Molla Filho.Em vista da infor-
mado do commandante superior, concedo a
dispensa que requer o supplicante.
Manoel Ferreira Lima Jnior.Revalidado o
documdulo, volte.
Padre Manoel Jos de Oliveira Reg.Cerlifi-
que-se.
Petronilla Mara das Virgens.Pode seguir.
Silvino Malaquias Pacheco.Passe portara con-
cedendo a lienga pedida de contorniidade com o
art. 106 do regulameuto de 27 de outubro de
1860.
Tasso & Irmaos.Concedo o praso de dez dias.
devendo esle ser aprosentado ao capito do
porto.
Que conhecia que nem to los poderiara pensar da
mesma mineira, que respeitava a opiniao livre de
cada um, e que S)menti! linha nt-rvndo como
guarda da le quando essas opinloes foram contra-
rias a ordem e aos interesses bem entendidos da
paiz.
Qululli um uOS Srs.' iluVi!jQS.dis^e^v'o OU
sentir, sem curar da maior ou menor elegancia da
sua linguagem; que comprehendia que nenhum
delles fazia allardo de sua eloquencia como orador
mas que eslava cerlo do seu patriotismo e deeisao,
bastantes para a salvacao da patria, o que se nao
alcancava cora as simples pompas oratorias ou de-
licadeza e doeara da linguagsm. Fez ver os adian-
para tornar vitalicias as patentes militares e os si-
dos dos generaes.
O Sr. deputado Teltes disse que sendo necessa-
no augmentar o numero dos chefes superiores, j
por cansa da guerra, j pelo graude augmento que
tinliam lido as fileiras militares, Ihe pareca equi-
tativo o uuttK*-4e yaaw yqawAsAJBdia a.o
congresso o sanecionasse por lei.
Todos apoiaram.
O Sr. Urbieta expoz que sendo tantos e lamanhos
.ervicos prestados pelo Sr. presdeme da repbli-
ca, e esperando encontrar justiga no seo da repre-
seutagao nacional, pedia que se conferisse o posto
supremo de mareclial ao xm. Sr. teneral de'divi-
taraenios moraes e matenaes do pa.z, e ponderou sao Francisco Solano Lope
aos ST& deputados o lempo era que se tiihain con- Todos se pronunciaran! ce
pronunciaran! cora enthusiasmo a tavor
da mogao.
O Sr. Tajavera, deputado por Vlla-ltica, apre-
sentou enlao o seguinte projecto de le :
O soberano congresso nacional :
Tomando era considerado os mereciraentos
ajuiridos pelo Exm. Sr. general de diviso, cida-
do Francisco Solano Lpez, pela suadedicacao
consagrada carreira miliur desde sua mais ten-
ra idade, pelos grandes, ules e numerosos servi-
gus que lera preslado nago como tondador e or-
gaaisador dos seus exercilos, bem como pela sua
aplidao, illuslraeao e palriotismo, e usando das at-
iribuicoi's que Ihe compotera, e visto a le de 27 de
abril de 1818, decreta com torga de lei :
."- Ar.': i0. i*orae*Me o Exm. Sr. general de di-..
visao cidadao Francisco Solano Lpez, marechal va <:er[0 'l"e cada Paraguayo contribuira cora a
dos exercilos da Repblica com as isengoe*. pree- sui (flan l,ara fazela boa.
r, mraencias, prerogauvas, honras, privilegios e sol-, *odo? apoiaram calorosamente esta proposta, e
u sr. u. Larios Kiveros, deputado pelo distnc- dus inherentes a este supremo ooslo militar vlce"Presidenle fleoo encarregado de levar
seguido com mais obstculos, menos recursos e ca-
pacidades do que os com que contavam os povos
vstanos, e concluio que o patriotismo, a perseve-
ranga e a f que al agora linha manifestado o po-
vo trariain de futuro mu prsperos resultados.
O Sr. Frutas, deputado por Ibyterai, falln no
sentido de agradecer ao Sr. presidente o> importan-
tes servigos com que linha concorrido para os pro-
gressos e beneficios qne o paiz tinha aloangado.
O Sr. Burgos, debutado por Villeta, disse que pela
sua parte deixava a sabedsria e rectidao do Sr.
presidente as deliberagoes necess iras sobre as cir-
cunstancias da guerra por que o paiz passava.
O Sr. presidente replicou que tinha convocado o
e mnradnrK ICongresso para mviT a oP'i'ao do povo e inspirar-
5 se com as suas luzes.
O Sr. Fruas e .senador Urblela, deputado por
Ipao. fallarara no mesmo senlido do Sr. Burgos
que me confere o supremo posto militar dos exer-
cilos da repblica, e confessando me agradecido
por haver querido essa soberana congregago oc-
eupar-se do meu bem esiar pessoal, votando a sua
le de / do correnle sobre augmento do sold, ve-
nho pedir-lhe dispensa de aceita-.
-j As graves circunstancias em nne_ se ajBLt
repblica, l eDresl.rao nyd m?smo hnnrado
congresso nacional acaba de decretar, e o ofTereci-
raenlo ijue iodo o povo paraguayo raz patria da
sua vida e fortuna em apolo da poltica do sen go-
verno enm urna generosidade e abnegagao dignas
da naci, sao motivos que o honrado congresso
nacional me ha de permellir invoque como presi-
dente, como militar e como cidadao, para nao
aceitar esta grandiosa manifestagao do corpo legis-
lativo da nago, declinando tao generosa dotago a
favor das crescidas despezas geraes a que o erario
iem de fazer face.
A minha fortuna particular permttte-me man-
ter sem quebra de dignidad a minha alta poslgao
e contribuir com ella para o servico da patria.
Dos guarde ao Sr. vi ce-presiden te por raoitos
annos.Francisco S. Lpez.
O Sr. D. Venancio Urbiela disse qne a soberana
voniade do congresso nao poda revogar a sua re-
soluco sobre o aclo de justiga que tinha feilo, con-
cedendo esta somma como"dotago annual do ac-
lual presidente da repblica, e que se o erario
nao tivesse bstanle para cobrir esla somma, esta-
to da Encarnagao, chamou a considerago do con-
gresso sobre os gi aves pontos que se Ihe subraet-
liam. Fez comprehender que a quesiao actual em
que eslava empehenhida a repblica era para ella
de vida on morle. jue nao havia termo medio en-
tre houiens iodependenles e livres ou escravos bra-
sileros, que este raciocinio pesasse no animo d
Art. 2o Expega-se urna rpa authentica desta ao r.ahecimento do Sr. presidente o incidente que
le, cora o sello grande do eslado, e entregue-se ao se'mha dado.
nomeado como titulo. USr- rrancj disse que, penetrado das razoes ex-
Ar. 3- Communique-se ao poder executivo da P*':|s aa nota do Sr. presidente, nao tinha diffl-
nago. i culdade em annuir sua jUbta solicitude, mas que
t Assumpgo, 6 de margo de 1863. *lu<*ndo corresponder ao desinteresse e abnega-
Eui seguida fallou o Sr. Bazars para dzer que, ao do Sr- Presidente, propunha assembla que
cao um aos represent ntes, c que, respondendo conferindo a nacao esle titulo de honra ao Sr ore-1osse comprada pelo lhe?ouro nacional urna espa-
contlanga doa seus constituinles e s e governo, se tratasse de trocar ideas sobre os pon- sua propria posigo era harmona com a dignidade IsldenIe como "Prenda de gratdo.
los capitaes que se Ihes submetilam. da Repblica, conceder-lhe o ordenado de 50,0001 O Sr. Telles declarou-se contra a mogao do Sr.
us >rs. franco, deputado por Aregua, e Alva- pesos, sendo 44,000 destinados aos seus servigos dePuado por Aregu.
mesmo sentido, como presidente e o mais na qualidade de ma
no
renga, pelo Pilar; fallaram
(Mutos apoiados.)
Pedio-se leilnra do relatorio do ministro de re-
lagoea exteriores na parle relaliva s uossas rela-
gSescom o goverooargenlmo. Foi umitas vezes in-
terrumpida a leilura por um murmurio de impa-
ciencia e indignago. Terminada a leilura, o Sr.
D. Venancio Ubiet, deputado por Yagnaroo, disse
que a parle do relatorio que tinha ouvido exprima
um faelo de que o governo argentino era inmigo
do Paraguay, que era para sentir que aquello go-
verno se moslrasse assim quando o da repblica
nao si Ihe linha dado provas de perfeiia o cordial
amizad, mas al se tiuha mostrado cheio de pa-
ciencia cun a sua imprensa, que o eslava zurzmdo
e iosuJJHido constantemente sem o menor motivo.
V. S. pagar ao capito reformado do exercito Cae- 58 do cdigo do processo e 193 do regulamento n
tao Gaspar Lopesde Azevedo Villas Boas a quan- O de 31 de Janeiro de 1842, com excepgo da
ta de 33&120, por elle despendida com a conduc- ultima por Vine, apresentada, tenho a dizer-lhe
gao de diversos objectos para os Voluntarios da em resposta que a presumpgo de nada haver que
Patria do qoartel do Hospicio para o das Cinco requerer em audien'i nao motivo para que es
Ponas e do arsenal de guerra para o mesmo ta nao se laga; e recS.^mendo-lhe de nevo que to
miarte!.
Dito ao mesmo.Remello a V. S. para os con-
venientes exames o mappa nominal do movimento
que honve as enfermaras do hospital militar na
seguinle quinzena do mez de abril ultimo.
Dito ao mesmo.Informe V. S, com urgencia,
oual a razo por que tendo pago todos os vencimen-
das as vezes que nao se derem as nutras razoes
ponderadas, observe com regularidade o determi-
nado nos artigos cima cilados.
Dilo ao chefe interino da repartigo das obras
publicas.-Concedo a autorisago que Vmc. pedio
era seu offlcio de hoje, sob n. 128, para lavrar o
termo de recebimento defemtivo das obras de 14"
EXTERIOR.
Congresso
SKSSO DE
Paraguay.
3 DE MARQO.
tos do delegado do cirurgio-mr do exercito e do lango da estrada do norte (empreza Maraede) visto
Dr. Francisco AntoBk) Fernandes Jnior, assim co-
mo sold etape e gratificaban addicional aos ontros
mdicos militares, deixou de salisfzer estes a
gratificagao do exercicio que tiveram no mez de
abril, segundo a folha<>ue Ihe foi enviada.
Dito ao inspector da thesouraria provincial.
Tomaedo em considerago o que V. S. expoz em
sen offlcio de 26 de abril ultimo, sob n. 162, tenho
estar elle completamente concluido, segundo cons
ta de seu citado offlcio.Offlciou-se neste sentido
a thesouraria provincial.
Porlaria. O presidente da provincia resolve
conceder a exonerago que pedio o Dr. Aprigio
Jusliniano da Silva Guimares, do cargo de mem-
bro do conselho direclor da instruego publica.
Communicoa se ao director geral da instroeco
e o mais
rechal.
Todos.-Muilo digno.
nJlSr Url"e'a *sse que se xasse a somma em
00,000 pesos.
Todos apoiaram.
O Sr. Bazars, declarando-se deaccordo.com esta
ultima opiniao, fez comprehender que nao havia
com que pagar os servigos do Sr. presidente.
O Sr. Urbieta ponderou ento a necessidade de
definir-se o emprestimo anteriormente proposlo,
accrescentando que elle era de opiniao que se au-
torisasse o poder executivo para elevar esta somma
at 40 railhoes de duros.
O Sr. Franco oppoz-se designaco da quaotia,
*$^^^Se^^rr^: Wda *,-.. semlimiugoaacbitriodogo.
savel oslo territorio de Corrientes, mas que ltenla limilago por tercia tambera limites os recursos do
a necessidade se autorlsasse o governo a aorr es- paiz. Pela sua parte oplava por 23 milhoes de du-
ros que Ihe pareciara bastantes para a guerra e
mesmo para a paz, em que com oaior ardor em-
prehenderiam os cidados o trabalho. A Repblica
poderia sem grvame garantir esla somma com a
productiva renda da herva mate e dizimos das
trras.
Todos apoiaram.
O Sr. hispo, voltando proposta des sidos, ob-
servou que devia eulender-se pessoal ao actual
presidente.
Todos apoiaram.
O Sr. Urbiela foi encarregado de redigir o pro-
jecto de lei sobre a maleria.
se caminho e User justiga, se as circumstancias da
guerra o exigirero.
OSr. D Zenott Rodrigues, deputado pela cathe-
drai, disse qoe a mensagem do Sr. presidente e os
relatoras dos seus ministros a todos enchiam de sa-
tisfago. Que eram contantes os desvelos do go-
verno supremo para erguer a repblica altura
das nagoes mais cultas e poderosas, embera hoje
enconirasse desgracadamente embarago na carrei-
ra do progresso pela guerra que nos trouxe o Bra-
sil com a sua de>enfreada ambicio carcter! tica.
Comtudo, e anda mesmo tendo outro inmigo en-
coberlo, que o governo argentino, a repblica
a dizer em resposta qne epprovoo modelo qne veio publica
annexo ao seu itado offlcio para os ttulos de di-. D,ta.O presidente da provincias' attendendo ao
vida, que tem de dar essa ihesooraria ao arrema- requereu o jolz municipal e de orphos do
tante do calgamento das ras desta cidade, em ierro0 de logazeira bacharel Joaquim Ferreira Cha-
observancia do 4 artigo 1 da le provincial n. ves> reso|ve COncederlhe tres mezes de licenca sem
338 de 4 de maio de 1864. vencimenlos para tratar de sua sade.
Dito ao mesmo. A Antonio Jos de Miranda D,la__o presidente da provincia, attendendo
Falco. que foi empregado como srvenle na secre- aQ re,|Uereu Jos Feliciano Machado, resolve
taria da presidencia em 7 de abril ultimo, manae conceder.|he |jCOnga para ir ao presidio de Fer-
V. S. pagar es talarlos que Ihe competiremem vis- nando no priinero vapor qae para au seguir, le-
ta de attestado firmado pelo secretario do governo. vaQdo comsigo os generus constantes da relagao
Dito ao mesmo.Transmino a V. S. para seu ]Unlai assignada pelo secretario do governo, nao
conhecimento o devida execugao a inclusa cop podeDdo por(im effectuar o desembarque dos refe-
da lei provincial, datada de hontem e sob n. 612,
abrlndo nm crdito snpplemeetar na importancia
de"33208iS387, para oocorrer as despezas cons-
tante da mesma lei.
Dito ao mesmo.Ao Bel pagador da repartigo
das obras.publieas, mande V. S entregar em pres-
tagSes semanaes, conforme soliciten o respectivo
rtiefe em offlcio de hoje sob n. 129, a quantia de
7:100000, constante do luciese pedido para oc-
correr as despezas com as obras por administra-
cao a cargo -daquella repartigo no eon
mez.Communicou-se ao
ridos gneros, sem que poc parte do commandante
do mesmo presidio se proceda a exame, aflm de
verificar-se se ha agurdente ou outra qnalquer
bebida espirituosa.
Dita.Os Srs. agentos da Companhia Brasileira
de paquetes raandem dar transporte, por conta do
mini-terio da guerra, no vapor qae se espera do
norte, aos offlciaes do corpo de sade mencionados
na relagao inclusa, os quaes seguem para a corte
na frraa das orden- imperiaes.
do dia 3
K'tanodas'obrasj^^^ d "Uric p
caaie de lobo
PaDtto a memo.-Recommeodo a V. S. que em I Offlcio ao inspector da thesouraria de fazenda.-
visia do competento certificado, mande pagar ao S. Exc. o Sr presideole da provincia, manda trans-
arrematante dos reparos do erapedramento da es- milt.r a V. S. as 6 inclusas ordens sendo urna do
trada da Victoria entre os marcos de 8 a mil Iheoouro nacional ofcn. aC ,e 5 do' mimsterm d
bragas, a mporUncia da 2- prestagao a qne elle guerra datadas de 10, 11, 12 e 13 de abril ul-
tem dtreilo por haver execotado 350 bratjas de timos.
empedramentor qoantidade de obra equivalente-a
duas tercas parle do valor do respectivo orgamen-
to, segundo constode offlcio do chele interino da
repartigo das obras publicas, datado de hontem e
sob o. 126.Commanlcon-se ao chere interino da
repartigo das obras publicas.
Dilo ae commandante do corpo de polica.Em
vista da Informacio desse commando n. 977, de 2
do corrente, autoriso V. S. a dar baixa ao soldado
Francisco Carlos da Gama, que segando a citada
ioformago flnalisou o sea engajamento e nao quer
continuar no servirlo.
Dito ao mesmo.Defertndo os requeriraentos
Dito ao mesmo. S. Exc. o Sr. presidente da
provincia, manda transmittir a inclusa ordem do
thesonro nacional, sob n. 41.
Dito ao prlmeiro secretario da assembla legis-
lativa provincial.Passo por copia s maos de V.
S., de ordem de S. lxc. o Sr. presidente da pro-
vincia, para ser presente assembla legislativa
provincial, a inclusa informagio ministrada pelo
commandante soperior interino da guarda nacio-
nal deste municipio, relativamente aos guardas do
stimo batalho de infantana apresenlados peto
respectivo commandante para o batalho de Vo-
luntarios da Patria.
O Exm. Sr. presidente entrou na sala do con-
gresso as 10 horas da manha, entre as acclamagoes
e vivas dos -rs. representantes all chamados pela
convocago feta por decreto de 13 de fevereiro ul-
timo.
Em seguida o Sr. ministro do governo fez a leilu-
ra da mensagem de S. Exc. o Sr. presidente da Re-
publica.
Constituida a mesa leu-se o regulamento interno
do congresso, e em seguida foi lido o relatorio do
Sr. ministro do governo, e depois deste o apresen-
tajo pete Sr. ministro das religues exteriores que
causou prolunda impresso no animo dos Srs. re-
presentantes.
Finalmente leu-se o relatorio que anresentou o
Sr. ministro da guerra e mannha a respeito dos ele-
mentos de defeza com que contava o paiz, e por ul-
timo o do Sr. ministro da razenda.
Concluida a leilura elegeu-se urna commissao
dupla do seio do mesmo congresso, composta de
dezesseis pessoas que foram os Srs. conego D. Jus-
to Romn, Carlos Riveros, Manoel Jos Cabellero,
Domingos Arza, Jos Antonio Bazars, Isidro Aya-
la, Sebastian Jos Alvarenga, Libralo Rojas, Pedro
Burgos, Juan Manuel Beniez, Jos Carmelo Tala-
vera, Basilio A. Molinas, Pedro Lescano, Francisco
Espinosa, Domingos A. Gmez e Tnomaz Frutos,
e, entregando se-lhes a mansagera e os relatorios
com seus annexos recnmmendou-se-lhes que des-
sem parecer sobre os pontos nelles contidos para
dellberaco do congresso soberano.
Neste eslado se ievaulou a sesso as 12 e meia
horas.
da 6.
S. Exc. o presideote entrou na sala das sessSes,
as 9 horas da manha e dirigio-se a representago
nacional para dizer-lhe que somente vlnba recora-
mendar a concisSo necessarla sobre os graves e
urgentes assuroptos que tinha snbmettido a sua
considerago.
Apreseotou em qnadro succnlo a siluacao ex-
cepcional em que se achava o paiz e a neceseida-
de que em tal emergencia tinha lido de consallar a
vootade e as luzes da nacao. Que cada um dos
Srs. deputados passasse por um exame consciencio-
so e em harmona com as necessfdades e interesses
do paiz, as importantes deliberacdes que devessem
salvar os direitos e conservar st-m mancha a hon-
ra da patria; disse que o Brasil, inmigo do nosso
poder e do progresso, tinha oleado sempre com
olhos cobigosos o Paraguay, encravado no centro
desta parte da america, e que se linha dade ao paiz
i oler val los de tranijuillidade erasomosnte ama tre-
gua para votar com, as mesmas ameaeas e ignaes
pretengoes.
Era, peis, caso de aos coastiturraos fortes e afa-
gentar de ama vez para sempre o Inmigo do oosso
repoueo e porvir. Recommeodava toda a franqueza
aos Srs. representantes na manifestagao das suas
ideas e spinioes pois que da discusso livre devia
surgir a luz qae guiara o governo oos zeas treba-
Ib-os rutaros.
marchar avante. O governo argentino, que dea
passo livre esquadra brasileira em 1853 para ata-
car o Paraguay, hoje o nega as nossas torgas pelo
territorio de Corrientes para ir ao encontr do in-
migo da justa causa que a repblica sustenta con-
tra o imperio, e ao mesmo lempo pede perempto-
riamenle explicagoes sobre o augmento das guar-
nigdes paraguayas no territorio da repblica a es-
querda do Paran.
t A guerra est feita com o Brasil, e sou d e opi-
niao que as baionetas dos nossos sollados abran
a obslrucgo de qualquer caminho necessario para
levar avante essa guerra, rorapendo tambem cora
o governo argentino que nao guarda a neutralidade,
fazendo se parcial do nosso inimgo. E se fr ne-
cessario devemos, Srs. representantes da nago,
autorisar o poder executivo para isso, bem como
para esntrahir ro exterior um emprestimo com
que fazer face s exigencias desla guerra. (Mui-
lo bem I muilo bem I)
O Sr. Franco, n'um extenso e arrazoado discur-
so, pedio ao congresso que volasse urna le antori-
0 Sr. Molinas, deputado por Altos, chamou a at-
tengosobrea guerra, e foi de parecer que pela
conveniencia publica se nao consentisse ao Sr. pre-
sidente sahir do territorio da Repblica, podendo
O Sr. vicepresidente pedio que se puzessem de
p os que votavam pela ultima opiniao.
Todos se levantaram.
O Sr. Telles disse que sem prejuizo do sold
marcado se podam conceder a S. Exc. a espada e
condecorages de honra.
Leu-se em seguida o projecto da lei sobre serem
vitalicios os postos militares e os sidos dos offl-
ciaes generaes, e foi approvado por unanimidade
de votos.
Chegou S. Exc. o Sr. presidente e dirigise
representago nacional para dizer-lhe que, tendo
sabido que a assembla insista em tornar electi-
vo o sold que houvera por bem conceder-lhe, vi-
nha pedir-lhe reconsideraste as razoes que tinha
exposti na sua nota ; que agradeca profundan--*-.
correT Wm"ifcc>aa\S,p^S%sTefiragiSoLQTsrasii8-
cionai linham influido no seu animo para nao acei-
tar a solicitude da assembla.
O Sr. Carmen Urbieta expoz que as mesmas con-
siderag5es de circumstancias e sltoago do paiz
em que eram maiores e mais necessarios os tra-
balhos do Sr. presidente, requeran urna com-
pensago mais conforme com os seus penosos sa-
crificios.
O Sr. Franco felicltou a patria por ter encontra-
do nm homem magnnimo que cora desinteresse e
abnegagao servia a sua causa; disse qae esta mes-
ma abnegagao garanta o bem da nago, e que pe-
dia representago nacional que, annuin'o a soli-
citude do Sr. presidente, sali>zesse o seu desejo
ardenlemente manifestado de doar este dinheiro
aos cofres publicos, e que visto nao se poder com-
pensar devidaraente o valor dos seus servigos, nao
se insislisse, e que elle pela sua parte apoiava a
O Sr. conego Romn disse que, tendo cheres o present de honra. .....___
Sr. presidente, pedira a sua mraobil.dade. i Geral desapprovagao rebentou na assembla.
O Sr. Uveros pedio esclarec.mentes sobre a ma- O Sr. Molraas supp icou outra vez aUitM-
teria cedesse a vonlade do congresso, que era a exprs-
zsksa sstnMKU "!e,seo SrF* 5rt-"*
O Sr. Riveros disse que se deixasse ao Sr. presi- P'^S .,m
dente liberdade de acgo, que fosse quando se tor- !ram-
nasse necessario, mas que lizesse o possivel para
prejuizo do vota-
achava rasoavel o Sr.
ao Sr.
permanecer enlrenos.
O Sr. vicepresidente adiando a discusso para
o dia seguinte, levanlou a sesso s 2 1|2 horas da
tarde.
SESSXO DE 7 DK MARCO DE 1865.
A's 10 1/2 horas da manha abrio-se a sesso
:,audo o governo:
Io. A empregar lodos os elementos da repblica presidindo o Sr. Falcon, que pedio os projectos de
para defender o paiz contra a provocac > do Bra- lei sobre o sold concedido ao Sr. presidente da
sil, e de outro qualquer quequeira insultar-nos; repblica e sobre o emprestimo de que se fallara
2. A continuar ou transigir, segundo o sea ar- na sesso anterior. Amlios foram discutidos e ap-
bitro, na ardua empreza em que entrava o paiz, provados.
na certeza de que o governo da repblica, que tan- Uma commissao composta aos dous secretarios e
tas provas tem dado de patriotismo e energa, ra- mas ,res membros do congresso ro a palacio
r* o qae mais convier ass interesses do Paraguay ; apresenia|. ao Sr. presidente da repblica e titulo
3.' A contrahir o emprestimo necessario se os de n,arechal dos exercilos da repblica,
rundos do ihesouro nao forem bastantes para as q j, secretario voltoo encarregado de significar
despezas da guerra : I 0 SDmmo agradecimento de S. Exc. pelo elevado
4.a Sendo indispensavel para os interesses do, posIO m|ilar que a representago nacional Ihe
paiz o transito pelo territorio argentino que pode COnreria, e a satisfagan que tinha ao saber do en-
levar-nos ao solo Inmigo, e havendo exemplo de ihUS,asmo qUe reinava no congresso para salvar os
em 1833 e 1839 o governo argentino ter franquea- nteresses da patria.
do seu territorio fluvial s esquadras do Brasil e Todos agradecern), e lila a acta da sesso an-
dos Estados-Unidos, a levar a erTeiio esse transito, terJori fo approvada e assignada.
sem que isso importe declarago alguma de guer- Momentos antes de se abrir a sesso tinham pas-
ra quelle governo, mas sim uma justiga que o di- sado pt,ias maos dos deputados algumas produeges
reito das gentes autorisa. insultantes da imprensa de Buenos-Ayres, que
a ..i. i ~.. An exasperaram o animo de muitos delles. Assim
O conego Romn, deputado pela cathedral de- nSo ^receu eslranha a m0go que fez o Sr. Baza-
clarou estar conforme nos pontos a qae se reren- qaellas prodaccSes sujas e immeraes
ra o Sr. deputado por Arecoa. mas observou que qn o governo argentino pelo faci da sua denegagao J e overno da repblica, fossem
nosdeclarava aj guerra, v.sto conhecer perfeila- d" fLueira : outros dando a merecida
mente a necessidade em que se va o governo de ( tancia ao desenrreamento de alguns escripto-
iransitar pelos seos desertes. mercenarios disseram que o desprezo era a
O Sr. Franco disse enlao que se fizesse a gera, me,hor ge deviam condemnar por ago-
se assim o queria o governo argentino. raosdi s da imprensa portenha e queso-
O Sr Alvarenga observonao Sr. Franco a ne-1 /(J respon5er com as baionetas.
cessidade que havia de pedir venia ao Sr. vice- LeVaU[0U.se a sesso 1 hora da larde,
presidente para fazer nso da palavra. |)K g
O Sr. viee presidente, Sr. Falcon, disse que se j Q Sf vce.presidente abri a sesso s 9 1/2 ho-
fallasse livremenle sem offender uiuguem. ras da manha, e deu assembla a leilura das
O r. D. Manoel Cabarello, depatado por S. Ro- communicag5"s trocadas com o poder executivo a
qne, recordando a historia desde os temos col-1 respeta das^eis votadas
niaes, e observando qne a emanclpago desta par- lo dellas, re.ta pelo Sr presidente .reai.va-
te da America se ftzera qaando o governo de Ve- mente ao sold que se Ihe marcara, era concebida
laico linha a seu cargo o das Missdes, concluio nestes termos: Klcnmnn:n
que niogaem podra com melhor direito que o Pa- \ f O presidente da repblica. Assumpgo,
ratnay allegar propriedade sobre aqnelles terri- margo de 1865. ",
t Ao Sr. vicepresidente do honrado congresso
nacional extraordinario.
7 de
tonos.
O Sr. Riveros observou que aqnillo qoena dizer
que nSo havia necessidade de pedir ficenga para
passar por nosca propria casa.
Todos.Apelado !
Leu-se depois a parte do rotatorio do Sr. minis-
tro da guerra e marinha, em qoe se submettia
considerago do congresso a necessidade de uma
lei para elevar a 6 o naneero ios brlgadeiros limi-
tados a 3 peta lei de 27 de abril do 1848, ea3o
dos generaes de dtvtci naatao a 1, assim eomo
Entre as leis communlcadas ao poder executi-
vo apparecem duas de 6 e 7 do corrente, qae me
sao pessoaes; a primetra cooferiado-me o posto de
marechal dos exercilos da nacao, e a segunda vo-
tando a meu favor come presidente da repblica a
dotago annual de 60,000 pesos pagaveis no the-
souro nacional, motivada esla resologo por coosi-
deraces lio honrosas como hsongeiras para mim !
Aceitando com recouheeimento especial a lei
O Sr. presidente tornou a supplicar a assembla
que admiltisse a sua renuncia ; que em outras cir-
cumstancias nao oceuparia a altengo sobre este
ponto, mas que quena contribuir como todos pa-
ra o bem da patria. Mais uma vez manifestou o
seu agradecimento.; nao vinha tazer alardo peran-
le a representago nacional, nem se faria rogar se
o paiz estivesse em outras circumstancias ; tinha
aceitado o posto de marechal que tinham querido
confiar-lhe, por ser de honra, mas esses reeursos
materiaes que a patria careca nestes momentos,
nao poda recehe-los ; respeitava as deliberagoes
soberanas do congresso, mas appellava para a
conscienca de cada nm ; embora Bao fosse consi-
deravel a sua fortuna, tinha o preciso para repre-
sentar cora dignidade a alta posigo que oceupava,
e dos momentos solemnes para a patria nao de-
viara gravar-se as rendas publicas. \
O Sr. T. Caballero disse que respeitava os moti-
vos expostos pelo Sr. presidente, mas que nao con-
cordava com a deetsao de S. Exc.
O Sr. Carmen L'rbiela pedio que acceiasse esta
or i ta apezar de nao ser ella recompensa nenhu-
raa. i Muitos apoiados.)
Fallou o Sr. presidente no sentido de apreciar a
insistencia ; mas que era um servigo para elle a
acceitago da sua renuncia, e que reclamava para
si a mesma justiga que elles se linham feito depon-
do suas offerendas nos altares da patria.
O Sr. deputado por Ipan disse que considerava
a pessoa de S. Exc. o presidente da Repblica co-
mo a mesma patria, por denlificarem-se os seus
servigos com os grandes Interesses da nago, e que
em tal conceto e que se dava o Sr. presidente
nao se lirava nago, e accrescentando como uma
prova os auxilios qne os interesses particulares de
S. Exc. preslavam patria, pedia a sua acceitago.
Todos apoiaram.
O Sr. Riveros foi de parecer queneseinsistisse
mais, e que se pensasse com preterencia no valer
moral e material da mogo.
O Sr. deputado por Ipan insisti com novas ra-
zoes, e encontrou apoio n'uraa grande maioria de
deputados.
Disse o Sr. presidente:Crelo ter apresentado
razoes que teem tido resposta; a quantia qne se
me assigna pode ser mais utilmente empregada no
servigo da patria, e quero deixa-la s neces.-idades
publicas. Sinto qne a materia tenha absorvido o
lempo dos Srs. deputados, e rogo que nao se men-
cionem mais personalidades, qae nao sao necessa-
nas nem convenientes.
O padre Telles declarou que respeitava por um
lado as ra-5es expostas por S. Exc, mas que era
sensivel para o congresso nao se Ihe aceitar o pre-
sente que efferecia era nome do povo.
Todos apoiaram.
O Sr. Riveros pedio que S. Exc. se digoasse
aceitar as condecorages.
)

MELHOR EXEMPLAR ENCONTRADO I
\
I MUTILADO


1>larlo de Fernauabneo SabbaAa 6 de Malo de -865
a a
1 1 T f* 7 V
z
i?.
desi
n nadir Tellr-s dec larou aue Dla lurlTarte nao para qtfando ogaardsriam T que se a independen-, Sala daveommis>8es, 5 da malo de 1865.Soa-
u -lia So n K c"a e :* KUMnca dpa perigavam, era o caso de res Brandan. -Campello.
Re non ummomento de sllencWna assembla. correr saa defesa. A commissao do orcamento municipal reqaor
O SeTerTn apro>etoo- desu sitaaciooara.| O padre Tellee disse que poda fee-to por cflHrt, qae pelos, eanaes _competentes se peca cmara
lotcruetrala-voroo o contraste produzido no animo (e que erajiraplesawnte oslo a ido em que se
da assembla entro-as tariles-do Sr. presidente e a .tiirtu^fallauo.
18 mezes, escravo, Santo
i vonlade indeelmavel, mas qae as razSes de O Sr. Riveros observou que
SExc" nao Si seno fortificar a insistencia. | Sr. presidente temor que seguisse elle o seu exer- despezar de cada uro dos ditos annos; assim como
Todos Hpo^rtfii ** **'**
O Sr'DrBstJei te disse qae nha vinde pessoal-, O Sr. bispo disse qae o que se' tema era o sea
menlV jadiando poder convencer, mas que era elle | mesmo arrojo a resolugao, e que a saa conserva-
nue fliaiVa convencido de qoe uo tinha bastante rao era a primeira necessidade para a patria.
S. Bic. disse mais ou menos o segrate :
t Agradeco as provas do adheslo com que que-
rem honrar-me. Ser-me-hia fcil persuadir a re-
nio convinha! presentacao nacional com palavras de esperanza ; de Buique e do Cabo.
mas nao quero, preftro persuadi-la com as razSes O S*. Amynthas requer dispensa da i
municipal do Recife ura quadro demoosmtivo des! provar qae sou descendente dessa geracao baroict
arreealag5es das despezase receitasdos erercicios \ e patritica que lutnu ao lado de Vidal Negreiros,
za e eousas't3o preciosas, e em m 'Ihor j/isigao RstevSo, Pernambnco,
social do que eu, l vo em soccorro da pa.ta>o- Antonio, diarrha.
rendida 1T Apraz-rae, portante ser um dos defenso-1 Jos Antonio Pereira, frica, 60 annos, solteiro, S.
res da patria entre os Peroambucanos; aprwme Jos, Intente chro/iica.
era nao confiar no de 1855 a 1864, vtndo descriminadas as receitas e' Vieira, Camro e Das.
i Embora esteja no verdor dos annos -, com tu-
o competente movinolento de-fundos, dividas activas i do tenho bracos, tenho peito para defender aMiii-
e passivas de uns para ojtros ejercicios dos jnha patria, a minha querida patria, onde vi a prt-
pervrtso para chamar rato a assembla.
lulerpellado o Sr. Ayala disse que o eongresso
nsava do seu direito pedindo ao Sr. presidente a
sua aceilacao, S. Exc. replicn que
insistir neste diteito.
mencionados annos.
Sala das commlssoes, 5 de maio de i86o. Ayres
Gama.Amynthas.Reg Barros.
Sao approvadas as redaeces das postaras avddi-
cionaes das cmaras municipaes de Garaqhnns,
! indeciso em que o Sr.! que me assi-tiriam quando tivesse necessidade de das posturas da cmara municipal de Barreiros, e
bispo insisti a de iberacan do eongresso anotan partir. j consultada a casa, decide pela aflirmativ^
do-se em quo iulaava aue a fortuna particular do; Estou persuadido que o exercito nacional e O Sb. Aquino Ponsrca faz algumas renexoes so-
Sr presidente a fatenda publica nSe eram dis-! seus chefes sao bravos e decididos. Tenho inte- bre as iuforraagoes vindas hoje assembla relali-
iincia' viste tr elle aoservico da patria os seus; resse na sua gloria, por que sera a da minha patria, vamente a collecta do predio n. 12 da ra da Ira-
inieresses e sua pessoa I Miohas esperanzas sao grandes, embora nao sejam peralrlz.
S Exe repelle anntilidade de se perder tempe e"s urna garanta de bom xito. O Sr. Silva Ramos fundamenta e
nesta qoesto: que Ihe tinha sido penoso orco par | Nao me lisongeio de ter a pericia os talentos
urna questao pessoal por tanto lempo a atlencao do que um general requer, mas ao menos os meus
eongresso e dtsse que para a finerra nao necessi-' soldados estao acostumados a obedocer-me, e
tava tiotu'iro was tt3'lt QUinio h^>ta.
O Sr Falcon foi de oniao que se conservasse a | Nao men desejo brilhar, nem acarretar glo-
1ei para er applieavel em lempos normaes, ; ras sobre o meu noine ; a pouco mais posso aspi^
O padre Teies nao convelo nisto e replicn que rar depo.s das altas honras que me haveis dispen-
a gretido eliga esta demonstraco tornando a
apoiar o seu pensamfoio com phrases lucidas, a
que reepondendo o Sr. presidente, disse que "
rhetorica sao vinha bem quando se
algarismoi.
Houve depois algaua nminiscencia sobre a
prnposta do Sr. Falcon, mas S. Exc fallou da sui
renuncia.
Nao dcixou por isso de insistir anda o padre
T.'lles apoiado por quasi todos os debutados.
O Sr. presidente inanifestou a inulilidade da dis-
anto.
t E a poimlacao se conservar tranquilla, porqne tenho
lr< ta'va de! conlianca na saa unidade, ordem e patriotismo.
Nao sou obngado por lei escripta a acompanhar o
exercito, mas aconscienciae u dever me obrigariam
se fosse neoessario. A discus-ao sobre a materia
inconveniente porque poderia levar ao povo im-
pressoes que seriam prejudiciaes se tal caso se
oeste.
i ->'.',i paz lem i&a sempre recelos dos males
cusso, d.zen6 ^ue tinha querido vv,r os Srs. da guerra ; hoje nao o povo evantoo^e comoinm
representantes MMuzireinse era relago aos inte- so hornero para soltar o gnti de uorra.
resses vitaes a que os tinha chamado para decidir, urna re^eneracao, e seria
e que Ihe lioha sido sensivet ouvir fallar de ao P'ivo nos momentos do
assumpio que nao offerecia senao um interesse
pessoal, e relirouse.
O eongresso resol ven que se dirigisse urna nota
ao Sr. presidonte, communicando Ihe a sua resolu
seria damnoso inspirar receos
seu ardente pronuncia-
ment.
Sou muito obrigado aos desejos manifestados
pelos Srs. representantes, mas nao poderei ser es-
tranho a sorte da patria nem privar-me da salisfa-
levantou-se a sesso a i 1/2 hora depois
nada a acta do da anterior.
(Do Semanario.)
PERNAMRUCO.
po irrevogavel de que fleasse em todo o vigor a j ?o de estar l_ onde Jof ara m sorte.^ A
le sohre esta materia, e recommendando a S. Exc.
toda a consideracAp que merece a saucc/.o do corpo
legislativo.
Encerrou-se a sessao meia hora depois do meio
da.
SESSAO PE 9 DE MARCO DE 1865.
Abri a sessao o Sr. vicepresidente as 9 e meia
horas da maoha e leu-se a minuta da cuinmuni-
cago a S. Exc o Sr. presidente sobre nao declinar
o eongresso da sua lei votada sobre o sold, e
approvsd expe llo-sc a nota.
O Sr. Gil apresenlou urna mo^ao sobre a autori-
cJioque julgava opportuno darse ao poder execun-
vo, para qualqaer transacco tinanceira e emissiio
de bilhetes quando fr necessrrio.
Os Srs. Riveros e Franco, encarregados de apre-
senlar o projectn de lei sobre a espada e presente
de honra que a representaco concedeu ao Sr. pre-
sidente, o flzeram e ol convertido em lei por
approvacSo geral.
O Sr. Molina chamou a attenco do eongresso
sobre o que anteriormente mencionara a respeilo
da guerra, alim de se nao pcrmiltir que^. Exc. o
Sr. presidente atravesse o Paran, pois que em tal
caso haveria ama viuvez em todas as povon^oes
da repblica, e leriam todos de seguido na expe-
dicSo
Sr. Franco disse : se o eongresso assim dec-
disse, no considerara o mal que fazia a patria,
coarctando a liberdade do governo que deva fazer
O que mais conviesse aos interesses uacionae-.
Que entenda que o aelual eongresso nao poda
fazer innovc.d'ds na lei fundamental da repblica,
em que eslava-expressamente prevista a liberdade
qae lem o governante de c.ommandar ou nao por
si o- exercifos da repulrfiea. Apontou os servidos
pessoaes do Sr. presidente, a sua grande influen-
cia, e sympalhias entre os seus companlielros de
armas, e disse que nao quera privar a patria de
ura contingent io poderoso, retendo-o longe dos
exercitos da repblica nos momentos do penga
O Sr. Molina disse que poJia confiarse a uutro
o comniando do exercito.
O Sr. Bargas oi de parecer que nSo julgava in-
dispensavel a presenta do Sr. presidente no exer-
cilQ par.a.ve,nj^jftJlrasil. e al mesmo o governo
_ G" Sr. Riveros disse que Ihe eram summamente
lisnngeiras as manifestacoes do '.ongres.~o neste
sentido, e que elle seria o primeiro que rogara ao
Sr. presidente nao nos abaudonasse ; mas que li-
ga lo ptr urna lei nesias circumstaocias poda tra-
zer males; que nao Ihe parela bera que se Ihe
dissesse nao saia, nem tao pouco v, e que acredi-
tava mais vantajoso maolerem-se no terreno cons-
titucional.
OSr. Franco fallou no mesmo sentido.
Chegou S, Exc. o Sr. presidente e entrou na sala
das seseos entre vivas e urna expresso particular
de satisfago.
O Sr. Bazars agradeceu a S. Exc. em nome da
representaco nacional a sua annueucia, e pedi-
me descnlpa pelo desgosto que podesse ter Ihe cau-
sado a insistencia.
S. Exc. disse enla) que se linha submetlido
vontadedo povo, prescindido dos seus sentimen-
tos pessoaes para obedecer-lhe. (Prolongados p-
ptausos de todos).
O padre Romn disse qae pedindo a S. Exc. fl-
easse nao se fazia nenhuma inn6Vacao de lei, pois
que eslava previsto que podia mandar oulro.
O Sr. Pranco explicou qoe nao licava em vigor
a lei que a restringan! coarctando a idea do Sr.
presidente.
O Sr. Alvarenga sustenta que em casos extre-
mos se nao prive o poder executivo da autorisaco
qne lem.
O Sr. Fl ilas, deputado por Santa Maria, est
conforme.
O Sr. Telles nao admitte, dizendo que se nao in-
fringi o espirito da lei, pois que autorizando o
eongresso a nomeacao de generaes, nao era neces-
sario que o presidente em pessoa (izesse a eam-
panha.
O Sr. Riveros pedio a letura da lei constitucio-
nal relativa a este ponto.
manda a mesa
1 o seguinte requerimentj:
K'-queirt para qae se obtenham pelos eanaes
competentes e com urgencia as provas escripias
1 dos candidatos ao professorado de iostruccao pri-
maria do ultimo exame, que houve para o preen-
chimento de algumas vagas.Silva Ramos.
Oram os Srs. Rocbael e Jacobina, e vera a mesa
o seguiste additivo.
Acorescente-se ao requerimento e a copia do
parecer do conselho director da instruocc. publica.
Campello.
A discussao fica adiada por ter terminado a ho-
ra do expediente.
PRIMEIRA PARTE DA ORDEM DO DA.
Sao approvados diversos arligos das posturas
das cmaras maaicipaes de Ingazeira Salgueiro, S.
Sent e Bom-Gonselho.
Entra em i* ASscassao e (lea adiado depois de ter
orado o Sr. Loureiro, o projecto que deixou de ser
sanecionado relativamente ao contrato celebrado
em 23 de setembro de 1858 com Carlos Luiz Cam-
bronne.
Contina a discassae do art. ii do orcamento
provincial.
Vem mesa urna emenda que apoiada.
A dissao fica adiada, depois de ter orado o Sr.
Nabor.
2.* PARTE DA ORDEM DO B1A.
Sao sera debate approvadas as emendas offere-
cidas em terceira discussao aos prbjectos ns. 42 e
7 deste anno.
E' sem debate approvado em terceira discussao
meira lu do dia, tenho peito onde moram o eg-
thusiasroo, a coragera, o mor da patria e a bravu-
ra pernambncana. Quero mostrar que sou filho do
Leao do Norte, Pernambuco, nome que me brala
em amor.
t Nao imrrerei ; ao contrario, voltarei aos vos-
sos bracos ooberto de gloria, e honrado como bra-
sileiro digno da sua patria e da sua familia. E !i-
careis satisfeitos de haverdes tido um fillio que
soube sustentar o crdito do sea querido ernam-
baco. E ento quanto prazer I qnanta alegra I
que felioidade digna de Deus, digna da vossa tor-
nara 1 Quanto bello ouvir este pensamento do
celebre poeta latino (Horacio) que diz :
Dulce el decorum est pro patria mori.
E' agradavel e honroso morrer pela patria.
Quem nao ama a sua patria eu nao o colloco na
classe dos humanos; porque os irracionaes dafen-
dem a sua toca, o sou cubculo, a sua mata I Como
nao defenderemos nos a nossa patria ? 11
Pedindo ihe esta oermissaj, meu pai, proce-
do de um modo mais digno do que outros rapazas,
que precipitadamente, e sem consultarem aos seus
pais, correm, fardam-se arraam-se, etc. Entretan-
to, espero que Vmc. e minha querida mal, em vez
de contrariarem os meus nobres desejos, bao de
Silva, e Jos Octaviano Telles Saldanha, e levan-
toase a sessao.
En Francisco Canuto da Boaviagem, secretario o
snbscrevi.Sarment, presidente.Barros Reg
Gregorio, frica, 45 annos, solteiro, Boa-Vista, he- Reg. Pereira SlmoVs.Br. Mirand*-Santo>.
patite: Thomaz de Aqnino Fonceca.Antonio Jos Silva
Mara, Pernambuco, 2 horas, Boa-Vista, parto labo- do Brasil.
rioso.
Joaquina, Pernambuco,
gastro intente.
6 mezes, Santo Antonio,
s=S>*^ -L"
C4I4R4 MUNICIPAL
SESSAO EXTRAORDINARIA AOS 18 DE JANEE- :
110 DE 1865.
Presidencia do Sr. Dr. Jos Joaquim de Maraes
Sarment.
Presentes os Srs. Pereira Simoas, Thomaz de
Aquino, Gustavo do II go, Dr. Miranda, Santos o
Silva do Brasil, abre-sea sesso, e lida e appro-
vada a acta da anteceenie.
Leu-se o segrate
EXPEDIENTE:
Um offlco do Exm. presidente da provincia, de
II do corrente, dizendo que em vista do que Ihe
ponderoa a cmara municipal em Oficio de 7 do
mesmo, tem resolvido aatorisa-la a mandar fazer
a despeza oecessaria com a publicacao de editaes
do juiz de paz da frcguezia do S. Frei Pedro Gou-
5*1 ves do Recife, convocando os eleitores e sup-
pleutes para organisarem a respectiva junta de
qualilicacao, sendo a referida despeza levada a ver-
ba de jury e eleicoes.
Posto em discussao, resolveu-se officiar a S. Ex.
dizendo que a cmara licava em duvida se essa
autorisaco concedida, se esienderia, como parece,
com os editaes dos de mais juizes de paz das fre-
acquiescer ao meu pedido, e mesmo applauii-lo ; guezias do municipio, que segundo recorameuda a
porque certamente o mais elevado e respeitavel.
Negar-me sto, esmagar cora desdem o meu patrio-
tico evAvasiasmo, lerir-me no cora^ao .. tt\
nao me impegaos de tomar o meu modesto lugar
entre os briosos Peroambucanos, que compoem o
valoroso batalho de Voluntarios da Patria.
a Espero benigna resposta com toda a brevida-
de possivel, e crea Vmc. que fleo ancioso por ella.
mi-
nha eonscleneis nao estria tranquilla e qualquer
accidente dej-favoravel sem a miuha prsenos, me
faria parecer culpado a meus propnos olnos.
Nao quero persuadir-vos que nao irei, mas fa-
rei o possivel para isso. Se se effectuar a minha
ausencia, espero que cada deputado transmiltir ao o projecto n. 24 deste anno, creando diversas ca-
dstriclo que representa as razos que expuz Se o deiras de instruecao primaria,
exercito se aparta do centro um numero conside- Depois de orarem os Srs. G. Campello e Soares
ravel de legoas, nao o poderia eu o commandar da- Brando tambem approvado o projecto n. 29 des-
qui, porque emquanto se transmitlisse a ordem, te- te anno, decretando que os professores de instruc-
ria mu lado talvez completamente a situag1, e nao gao primaria, que em face do art. 53 da lei n. aJo
possivel prever os successos da guerra. Sem de 13 de maio de 1854, foram removidos para esta
embargo asseguro aos Srs. deputados que tomarei capital, percebero os raesraos vencimentos que os
deinais professores.
Sao depois approvados em terceira discussao,
cada um por sua vez, os seguiotes projectos deste
anno n. 25, concedendo licenga a diversos erapre -
' gados provinciaes, n. 47 mandando continuar um
acude em Nazareth e n. 37, concedendo reraisso
de divida a um arrematante de imposto.
Era primeira discussao tambem approvado o
projecto n. 36, restitaindo ao povoade de Alaga
de Baixo, na comarca do Brejo, a sede da fregue-
zia daquelle nome.
O Sa. Buarque requer dispensa de intersticio
29. Consultado a
em consideraco o seu desejo, c farei o possivel
para rurapri-fo, se me nao reelamarem indispensa-
veimente as neeessidades publicas.
O Sr. Molina disse que se o Sr. presidente se
ausontasse a populago em massa o seguira.
S. Exc. manifestou a sua satisfazlo e as suases-
perangas pelo correr dos suecessos, e disse que
esperava gloria e proveito para a patria que to
pouco se respeitava por nao ser couhecida. Que
se estivesse nassuas mos, nunca teria querido ver
o paz em guerra, mas que era provocada a sua
honra e ameagada a sua existencia, e e.umpria res-
ponder a estas injurias. Que o numero de inimigos para os projectos de ns. 36 e
podia ser grande, mas nao resistira nossa reso- casa, decide pela afirmaliva.
luco e patriotismo. Que os Srs. representantes O S. Gaspar Ducsimosd requer tambera a re-
rennidos para decidir de to grande materia, liga- tirada de urna emenda que offerecera ao projecto
riam os seus nomes grandeza futura da patria u. 78 do anno passado o que a assembla approva.
como os cidados que tinham subscripto a acta da Entra depois em primeira discussao e appro-
independeneia. vado, depois de orarem os Srs. Araujo Barros e
Houve eonformidade completa sobre a mate-ia e Costa Ribeiro, o projecto n. 46 deste anno, permit
lei, devem tambem ser publicados.
Outrodo mesmo, de l'do dito mez, responden-
ib M que cmara, era tt, tt 4Wlqo, sob n. 3,
tem a dizer que do seu olncio de 9 nao se coing;
que exigisse elle da mesma cmara o dispendio de
d inheiro algara com o desembarque de Sua Alteza
Imperial a Sra. D. Isabel e seu augusto esposo o Sr.
conde d'Eu, mas apenas que concorresse com as
Pego Vmc. e a minha querida mi que dei-1 8Uas pessoas e a dos respectivos empregados para
temme abengo, e accolhara os protestos do meu
respeito e profunda gralido, pois que sou seu li-
Iho muito obediente, reconhecido, e amigo fiel
Joaquim.
Pelo vapor Paraluba, chegado hontem de
Alagas, recebemos a seguinte raissiva de nosso
correspondente, com data de 3 do corrente :
t Ponco tenbo hoje a transmitttir aos leitores do
Diario de Pernambuco.
Comprehendendo mesmo a vanlagera do laco-
norma de meus
augmentar o numero de pessoas destinadas a as-
sistirem ao referido desembarque, entretanto acei-
ta o offerecimento que faz a predita cmara para a
illuminago das casas desta cidade.Iuteirada.
Oulro do mesmo, de 16 do corrente, diz que to-
mando em cooslderag) o que expoz a cmara cm
oQkiss de 27 de julho e 21 de setembro passados,
sob ns. 32 e 47, e toado em vista o que a este res-
[ peito informaran) a thesourana de fazenda em olli-
cio de 23 de dezembro ultimo, e a repartigo das
nismo e preciso, tomarei-os por norma ae meus obras publicas em 31 de agosto daquelle anuo, e
escriptos. em 11 do corrente, coucede a mesma cmara a
Ao escrever-lhe a presente contiuuo a annun-
ciar que a provincia marcha em perfeita modera-
gao dos espirites polticos, maniendo su a poltica
de justiga inaugurada pela esclarecida adminstra-
eao do Sr. desembargador Gongalves Campos.
Prosegue a actividade para os negocios da
aulorisago que pedio no primeiro de seus citados
officios para alterar, de eonformidade com a plan-
ta que devolve, a desia cidado na parte relativa a
ra da Concordia, e que fica entre esta e a casa de
detengo, o que declara a cmara para seu conhe-
cimento. e afim de que possa conceder as licencas:
guerra, isto alistamento de novos Voluntarios da! ped;das por Jo. dos S.iutes Ramos de Oliveira e
Patria, e designagao de guardas nacionaes para o jocCaetano de Carvalho." Inteirada, e que se
ASSEH8LE.4 PROVINCIAL.
45- SESSAO EM o DE MAIO DE 1865.
PRESIDENCIA DO SR. DR. PEREIRA DE BRITO.
ros
A's 11 horas e 50 minutos feita a chamada, mesmo projecto em segunda discussao, .*ero de-
>{> m-uicr-^i iiiesino r. liamos. ^*i*L-a-iu-
Um olio Brillo, Gongalves da Sirva, Reg Bar-' O Sr. G. Campello pede ao Sr. presidenta que
ros, Ijrandao, Aqnino Fon que, Ramos, Maranhao, Teixeira de Mello, Nabor, tos essencaes, para cuja discussao leve lugar a
Vctor Correa, Ayres (Jama, Loureiro e Francisco prorogago-orgamento provincial,orgamento mu-
1 e!'1"0- nicipal e forga publica.
O Sb. 1 residente abre a sessao. O Sa. Fresidente diz que tem dado para a dis-
h lula e approvada a acta da sessao antecedente.' cussao o que a assembla approv*u que se discu-
.omparecem depois os Srs. Baptisla, Araujo Bar'- j tisse, isto as postaras das cmaras municipaes,
i, niodoro tlpiano, Jos Mana e Lunha Teixeira. a lei do orgamento provincial e diversos projectos
0 sr. i secretario da conta do seguinte que tem sido dispensados do intersticio, e que por
n ,. SXPpl^BNTE: consequeneia sao considerados urgentes; e declara
1 m offlco do secretario do governo remettendo que tomar na devida consideraco o pedido do
as Infrmaseos ministradas pela Ihesourwia pro- nobre deputado.
vincial relativamenie petigao da viuva D. Maria Levanta-se a sesso s 4 horas e 5 minutos da
Theodora da Costa Alves Ferreira.-A quera fez a tarde, sendo a ordem do dia seguinte, alm das
reqnisicao. materias designadas, 1- discugao deprojecto n. 54,
Omro do me mo remetiendo as informages mi- 2-dos de ns. 36 e 46, 3- dos de ns. 28 e 29 e dis-
mstradas pelo chefe inierido da repartigo das cassao das posturas da
obras publicas, acerca da casa da ra da Imperatriz Barreiros.
n. 12 pertencenle a Manoel Antonio de Azevedo.
A' quem fez a requisigao. '------?*^*>
Oulro do mesmo, remettendo a informago mi-
nistrada pelo director da instruegao pubica tra sa-
tisfagao a requisigao da assembla constante do
offieio de 27 de abril ultimo.A' quera fez a requi-
sigao.
Outro do mesmo, remettendo as informagoes
prestadas pela thesouraria provincial relativamen- derados, e a consequente oceupagao dela pelos Fe-
te ao sello de herangas pagos por filhos naturaes deraes.
reconhecidos.A' quem fez a requisigao. A' vista do que, a paz deve estar agora imml-
Lmapetigaode Antonio Ludgero da Silva, escri- nenie; e soppoe-se que para este fim estavara
vaodo enme na cidade da Victoria, pedindo o pa- em conferencias all.
gamento da quantia de 6625628 de custas que Ihe | Esta noticia foi transmiltlda por lelegramma a
deve a cmara municipal daquella cidade.-A' S. Joao de Terra-Nova
cammisso de orcamento municipal. da do Qlinda.
E" lido e_vaj a imprimir o seguinte parecer: Falleceu hontem a Exma. Sra. D. Maria do
A.:f.nmifs. ? .aKr,cul,ura commercio e obras Amparo d'Assiz Carvalho, rai do nosso collega o
lindo abril nesta provincia escolas, collegios e cs-
tabelecmentos de instruegao primaria e secunda-
ria, independente de provade capacidade e de li-
cenga de qualquer autoridade ; e a requerimento
do Sr. Nabor, approva a assembla a dispensa do
intersticio:
Tendo dado a hora, requer o Sr. Silva Ramos e
a casa consenle que se prorogue a sesso, alim de
so discutir o projecto n. 28 deste anno, creando
mais um escrivo de crime no termo do Recife
liara servir exclusivamente peraale o Dr. chefe de
polica e delegado do Io dslricto ; e entrando o poucas nomeagfles ou exoneragoes. O pensamento
servigo da mesma guerra contra o Paraguay.
c Fieam alistados 180 cidados, sob o coramando
do eapito Alvino Ceso.
Delles grande parte sao indios. Aquartelados
no espagoso edificio da Inspecgo do algodo rece-
bem instruegoes diarias, instructor o alferts
da guarda nacional Isidoro Ribeiro Campos que
para isso offereceu-se gratis ao governo.
t O lenente-coronel Irabuzeiro, conrmandante da
forga da guarda nacional destacada era numero de
48i pragas, segu para ahi no vapor de hoje. Vai
buscar seus dous filhos que se achavam estudando
preparatorios para entrarem no curso jurdico, os
quaes devem acompanhar o pai, para o servigo da
campanha.
t Exemplos desta ordem s5o dignos de louvor, e
muito honram a seus autores.
c A pelicia dirigida pelo ilustrado juiz de direi-
to o Dr. Sebastio Cardoso, efflcaz na represso
dos abusos e justicelra por essencia.
t Vai sendo j urna realidade o cumprmento da
le e o culto da justiga.
t Algumas autoridades policiaes inertes, negli-
gentes, qae pactuavam com delictos e criminosos
vo sendo paulatinamente destituidas, assim como
outras em vista da lei.
Nao respira sentlmeulo algum poltico nessas
cmara municipal de
RBYISTA MARA.
Pela barca ingleza Olinda, que hontem aqui che-
gou de Terra-Nova com 27 das de viagem, e tra-
zendo datas de 7 de abril ultimo, veio a Irnjiortan-
te noticia da evacuagao de Richmond p^los Confe-
geral jlo governo mantido. Apenas d-se a subs
trteetlr, subsUoinST iYliMu'V)ela~apfiaao,
oa pelo que parece-se com estaullim' qualidade.
Os subdelegados do Porto-Calvo,.>ie Santa Lu-
zia do Norte e desta capiu' foram exonerados de
suas funcgdes. Tambem o foi o delegado deste
termo, mas a vista da lei sobre incompatibilidade
de cargos.
O Dr. Joo Vasco Cabral, foi oomeado para este
ultimo.
Hoje devena ter tido lugar a abertura da
2* sesso da presente legislatura provincial, de
qu-m licito esperar algum melhoramento, e Deus
quera que nao seja orna nova decepgo para os
progressos do liberalismo ou do systema represen
lativo entre nos.
Nao se reuni anda numero sufflciente de de
putados.
O Dr. Duarte, juiz de direito de Anadia
contina a promover com fervoi o alistamento de
voluntarios e subscripgoes a favor das familias dos
mesmos.
c Tem sido um campeo na presente conjuncta-
ra do paz.
A elle deve-se a importante acquisigo do te
nente-coronel Irabnzeiro, que acabranhado de des-
gostos pela persegoigo poltica de que tem sido
gratuitamente victima, eslava retirado e vivendo
de suas lavoras e trabalhos de sua intelligencia.
Nada mais ha de importante : portanto,
adeos.
O eognheiro Wilmer, subdito brtannico,
encarregado das obras do encanamento das agoas
potaveis para esta capital fez donativo de 3005,
pra acquisigo de voluntarios
publicas, a quem foi presente a petigao que dirig- Hlm. Sr. Dr. Innocencio Serfico d'Assiz Carvalho
ram a esta assembla os habitantes do povoad do a quem offerecemos a expresso do nosso pesar'' rs. e
OSr. Franco manifestou ao Sr. padre Telles que'.Campo Grande, situado na freguezia da Bea-vista acompanhando-o na justa dr qae
seguindo-se a soa opioio se impunha ao presiden- desta cidade, pedindo a consiruego de urna ponte
o oppnme.
te a obrigagao de flear.
O >r. Ortellado disse que sendo o eongresso
qne tinha feito a lei poda reforma-la oa revo-
.ga-Ia.
O Sr. Riveros replicou qae a nago tinha estabe-
lecido o modo de reformar as suas leis e que nao
podia um eongresso fazer mais do qae votar a ne-
cessidade da reforma.
O -Sr. Urbieta interpellou o Sr. Riveros sobre o
motivo por qoe quena arrastaro Sr. presidente por
desertes e perigos, tendo generaos que mandar.
(Varios apoiados.)
O Sr. Riveros rectificando a interpellago que
consideren directa, disse que tinha sido o primeiro
a manifestar que S. Exc. se nao movesse se fosse
possivel.
Fez-se a leitnra da eonslitnicao pedida pelos Srs.
Reveros, seguio-se urna discussao entre ello e o
Sr. Ortellado sobre o poder o eongresso modificar
qualquer lei.
Or. presidente disse que o Sr. Ortellado nao
Imha prestado a devida attengao ao caso. Qoe-
ou passadigo sobre a eamboa da Tacaruna, afim
de poder ser estabelecida directa communicago I
entre esse povoado e o de Santo Amannho: atten-
dendo s informagojs do engenheiro chefe da re-
partigo das obras publicas, a quem julgou conve-1
- da patria ou para
no da anterior ao da sahi- i as familias destes, segundo entender o presidente
da provincia.
a louvavel o proceder desse Dom estrangeiro,
amigo da causa brasileira.
- A alfandega rendeu em abril 41:642^439
rs. e o consulado provincial 27:868^994 rs.
Heparticao da polica .
Extracto das partes do dia 5 de maio de 1865.
Foram recolhidos a casa de detengo no dia 4
do corrente:
A' ordem do subdelegado do Recife, Jos Fran-
cisco Ramos, para correego.
A' ordem do de Santi Antonio, Maria, escrava
de Jos Maria, por fgida.
A' ordem do de S. Jos, Antonio Francisco Go-
. 5"..* 1fleumtr,a5aloo apuradoeconsciencloso,; mes, por disturbios, Cyrilo Leonidio da Fonceca e
Maria Cicilia de Albuquerque, por briga.
O chefe da 2*.secgo,
J. G. deMesquita.
lie una perda Irreparavel, sabemo-lo; mas a
religiSo de Christo aconselha nos a resignaeo.
Hoje se exlrahir a 3' parte da 4' lotera da
Santa Casa de Misericordia (14M, sendo o maior
premio 6:0005000.
Sabio quinta-feira scena no Santa Isafeol o
mente ouvir a proposta da materia da petigao de; excelleote drama A filha do lavrador, estreando
que se trata ; j nelle o sympathico e dislincto artista Amodo.
Considerando que ao passo qae o custo da obra
diminuto conorme essas raesmas informagoes, I que prende o expectador desd a primeira" at'sua
e ella de real necessidade e conveniencia para1 ultima scena, sempre com interesse e commoeo.
aquelles habitantes, por quanio, estabelecida a cora- A execugo foi boa em geral, primando Sr
municagao que dtsejam, a qual nao pode ter lugar Amodo e a Sra. D. Eugenia. Aquello mostrou ser
sema obra que pedera, por obsta-lo a referida um dos bnlhantes ornamentos da scena brasileira Casa de detengo.- Movimento do da 4 de
eamboa, que era suas enchentes s permute passa- e confirmou intelramente quanto dissemos seu maio de 1863-
gema nado, pouparo esses moradores grande ex-;respeito. E" ura artista,estudioso,de gostoapura-1 Existiam presos 360; entraram 8; sahiram 7;
tenso de eaminho para virem a esta cidade, evi- do e que possue conhecimentos vastos da arte dra- entera 361, a saber : nacionaes 269; mulheres 4,
lando o rodera que para isto fazer actualmente, o matica. A Sra. D. Eugenia reuni mais um dorio estrangeros 27; mulheres 2; escravos 52; escra-
qual avallam em mais de urna legua, no que nao sua cora de artista, na creacao do bello typo de vas 7 > tolal 361.
sao contrariados pelas informacoes citadas; Joanna Champloux. Alimentados custados cofres provinciaes 140.
Considerando que o obra solicitada, concorren-1 Em repetigao vai hoje esse drama scena e os Movimento da enfermarla do dia 6 de maio de
do para facilitar a esses moradores a communica-; amantes da arte nao devem perder urna to asada i863-
?o com esta cidade, onde se acha a sede de sua | oceasiao de ver o drama, e apreciar o artista' Teve baixa :
conimunicasse ao engenheiro cordeador para fazer
a nota na planta geral.
Outro do juiz de paz do segundo dslricto da frc-
guezia dos Afogados, Jo- Bernardiuo Pereira de
Brito, communicando ter fallecido no dia 2 di ou-
lubro do anno finio, o juiz de paz do primeiro an-
no Joo Carneiro itodrigues Campello, e por sso
achava-se elle em exerciciodo mesmo cargo por ser
o immediato em votes.Inteirada.
Outro do subdelegado da freguezia de S. Jos
dizendo constar-lhe pelo respectivo fiscal da ree-;
rida freguezia, que vanos atravessadores de gene-
ros de primeira necessidade tem licenga da cmara
para venderem ditos gneros dentro do mercado
PTJBLICICQIS A PEDIDO
Itlm e E\m. Sr.,conselheir Antonio
cinto Giicliorro da Gana.
O directorio do partido liberal da provincia de
Perminbueo, legitimo interprete dos sentimentos
deste partido, congratula-secom V. Exc. pelo jnsto
aprego. qae aos inexcediveis merec mentes de V.
Exc. acabam de dar os mu dignos eleitores da
corte e provincia do Rio de Janeiro, collocando o
respeitavel nome de V. Exc. no primeiro lugar da
lista trplice para preenchimento da vaga deixada
no senado pelo fallecido visconde de Maran-
guape.
O Ilustre corpo eleitoral da corle e provincia do
Rio de Janwro, fazendo to significativa elelcao do
nome de V. Exc, ganhou mais um titulo de bene-
merencia e patriotismo, pois qae V. Exc. um dos
Brasileiros, que mais desinteressadamente hao
prestado relevantes servigos ao paiz ; servigos (taes
sao as incoherencias do mundo poltico !) qae tal-
vez passassem a ser envoltos no veo de Ingrato es-
queci monto, se nao fosse o brado eloquente, que
acabam de soltar os eleitores do Rio de Janeiro I...
Os grandes predicados, porm, Sr. conselheiro,
teem sempre o sea da de triampho : o grande
partido liberal da corte e provincia do Rio de Ja-
neiro jienetrou o honesto retiro do cidado bene-
mrito, mostrando quo hava sabido ler na historia
contempornea do Brasil o nome de Antonio Pinto
Chichorro da Gama.
Se ^v^ feral, Sr. conselheiro, o Brasil deve imi-
to ao austero e V.'.wirado ex-ministro do imperio, ao
alegrrimo ministro do supwiino tribunal de justi-
ga, Peruambuco de.e qnasl indo ettelucecjda fir-
meza do seu ex-presi^ente, qae soube levantas so-
bre elle o sol da regenerago, para crestar a arvo-
re maldita de um feudalismo extico, dando seiva
arvoro bemdia da liberdade e da justiga.
Pernambuco pode fallar-vos esta llnguagem na
presente oceasiao, Sr. conselnelro. Se como que
v-se limitado hoje a colher os frnctos devldos aos
cuidados do corpo eleitoral do Rio de Janeiro,
certo, e Pernambuco o tem demonstrado sempre,
que onde o principio liberal pode fazer-se ouvir, o
nome de V. Exc. ha en'rado sempre as ornas per-
nambueanas.
O partido liberal de Pernambuco, fazendo votos
para que a sabedoria da cora preencha os desejos
do paiz, desvancese com a certeza, de que V. Exc.
aeolher a presente felicitago, como urna sincera
expresso dos sentimentos de adheso, alias muito
provados, do mesmo partido respeitavel pessoa de
V. Exc.
Recife, 2 de maio de 1865.
Luiz Cesario do Reg,
Vice-presidente.
Antonio Jos da Costa Ribeiro,
1 secretario.
Aprigio Justiniano da Silva Gaimares.
2o secretario.
Jeronymo Villela de Castro Tavares.
Manoel Pereira de Moraes Pinheiro.
Amonio Rangel de Torres Bandeira.
Jos Leandro Godoy e Vasconcellos.
Srs. Reductores. (1) Facam o obsequio
de informar-me o nome do jornal d'onde
Vinos, exlrahiram a noticia da batera in-
da ribeira, e bem assim que alguns delles debaixo ventada pelo soldado raso no Alabama, e
dVJ"Ls'',cen-a a^resernlam fZS^FZSJZS. que gastou 201,000 pesos para aperfeicoar
individuos para o mesmo fim, convindo pois que J '. r
a cmara o orientando, declare se continuam taes como se le no seu Diario
licengas, e se urna serve para mais de um indivi- abril prximo passado.
do dia 20 de
do.
Pondera ainda o subdelegado que muitos atra-
vessadores desses geoeros, era consequencia das
licengas que dizera ler, apresentam-se era qual-
quer I ligar deste municipio atravessando todos os
gneros para serein revendidos no mercado da
mesma ribeiro, nao obstante algumas providencias
tomadas por elle subdelegado.
Posto em discussao, o Sr. Gustavo do Reg, pe-
dindo a palavra, falln sobre a materia" e fez ver
dno possa vender no mercado os gneros que vai
procurar as feiras, e nos lugares onde os ha.
O Sr. Dr. Miranda, podio a palavra, e discutindo
largamente sobre o objecto em questao, concluio
dizendo que a disposigo do artigo 4. do titulo 11
das posturas de 30 de junho de 1819, devia ser res-
trictamente observada, e por isso compete a eama-
Seu venerador e criado.
J. Wetron.
Associaco Protectora das Famili.s dos Volunta-
rios da Patria.
Continuaco das pessoas qne tem subscripto pa-
ra a Asso lgo Protectora das Familias dos Volun-
tarios da Patria:
donativos. ,'
Heory Foster......i...............
Caixa Filial do Banco Inglez.....
Diogn Soares de Albuquerque......
Jos Eustaquio Ferreira Jacobina...
Francisco Antonio Cabral..........
Joo Severiano Carneiro da Cnnba..
Antonio Jos Alvares.
ra lomar neste sentido a providencia de ordenar ao ca(llta0 Manoel Gomes do Reg.....
fiscal que cagasse todas as licengas dadas de ma- i~s/<------... j- <- .... ~-_"-..
Joao Carneiro da Cunha Campello..
Tertuliano Carneiro da Cunda e Al-
buquerque.....................
Pedro da Cunha Albuquerque......
Manoel Mondes Carneiro Leao......
Antonia Mana de Jess...........
Florentino Jos de Mello..........
Antonio Felippe da Silva..........
Capito Manoel Severino deAlbu-
neira que os productores, e agricultores, possam
directamente vender no mercado os seus gneros. .
Os Srs. Silva Brasil e Thomaz de Aqnino pro
nunciaram-se logo a favor da idea emitlida pelo
Sr. Dr. Miranda.
Nao havendo quem mais fallasse, foi postea vo-
tos a mesma idea approvada ; votando contra o Sr.
Gustavo do Reg.
Em seguida mandou-se expedir ordem aos fis-
eaes das freguezias de S. Jos e Boa-Vista para ca- Capilo Manoel'Co'rri de' fji'rz
garem as licengas, e que se commuoicasse esta re- Monteiro
solacio ao subdelegado da primeira destas fre- ciirsie vo v'es dos Praz'rs'.'.'.'.'.
^it: a j_ -. j ... L,- Joo Correa de Queiroz Monteiro...
Outro do administrador do cemiteno publico da iz,dro us ,|a Silva.
freguezia de S. Lourengo, remetiendo os mappas Lmndo 'os Peres
dos enterramentos feitos no dito esiabelecimento do
1." a 10 do corrente. Ao procurador.
O Sr. Pereira Simoes fez os seguintes requer- j
mentes, que foram approvados, e em < isla dos mes-1
mos se flzeram as necessarias communicagoes.
Requeiro que pela contadoria ou quem com- j
pelir, se me d urna nota /'fceificada do total das
mullas impostas pelos Bscle
oOOSOOO
500000
200,5000
!55O0O
100000
50000
504000
504000
504000
SOiOOO
5(151100
504060
504000
504000
504000
204000
204000
as freguezias, e bem
assimjiela polica, qual a importancia arrecadada,
querfl|li
Alteres Rufino Jos da Cmara Pi-
mentel.......................
Alteres Joo de Dos e Mello..-.....
Alteres Amonio Marques Evange-
lista .........................
Alteres Joo Manoel de Mello......
Alteres Jos da Cmara Pimentel..
Alteres Jos de Barros Correa de
preciso respeitar as deliberagoes anteriores, se' ceguezia e d'onde por unto recebem o pasto es-: Amodo. r ....... Marcelino Gomes da Silva, febre.
oao que seria das leis ? Que como cidadao e co- pirilnal, eoncorrer tambem para o desenvolv-j Damos em seguida a carta que um joven col-' Teve alta :
mo presidente nao podia consentir que os Srs. de- ment da localidade ja bastante habitada efacilita-1 iegial do S. Bernardo dirigi sea pai abastado : Aneceto Nunes da Silva,
potados se expnmissem em sentido contrario ra a aego das autoridades publicas de parecer agricultor Sr. Jos Ferraz Daltro, pedindo-lhe per-' ~ Passageiros do vapor nacional Parahtda, en-
comrtituicao da repblica ; que as modificagoes nao : que sejam alteudidos os petici ooafo* > o que: mlsso para alistar-se como voluntario da patria trado de Maceio e portes intermedios :
se faziam d? improsriso, que era mister ver a ne- olferece o seguinte projecto de Jei: v0 ao que nao pode elle annuir, j pela pouca idade Auonsto Moreou Antonio Salvador a Maria das
cessldade de destruir ama le e ser ella reconbeci- A ssembla legislativa provincia,0. nam-1 j pela sua dbil constituy e mesmoTaca saude Neves tenente Tose Pereira dos Sanios e sa se-
da e recommendada pelo poder executivo. Qae buco resolve : p um bello rasgo de amor patrio, qae demonstra nZ'lTsmvc inac i SioSS Fortunato
en.daasem os Srs. representantes ero nao ser irre-, Art. 1. Fica o presidente da provincia autorisa- ainda se nao lertra extinguido os briosos coracS Arauio Almeida ana^^ma 2 obrrahok e 1 en
flectidos ero materias to graves e importantes. ; do a mandar construir no povoado Campo Grande, pernambueanos. COracM J^p {2 "enenTe coronel Jos F da Cu
O ir, Ortellado reconheceo o seu erro. O Sr. da freguezia da Boa-Vista desta cidade. urna ponte. Eis a carta: I h Fnhure.ro el eslavo Manoel i Mnn Jns
Bispo dedaroa que o eongresso nao tem nem teve sobre a eamboa da Tacaruna no ponto mais appro- Meu bom pai e senbor.-Nio sei men presado Sonta Machado JoaouTm Francisco dii ta
rmnea a idea de infringir a lei, e smente ti- priado para estabelecer-se directa communieago pai, em que lioguagem me expresse, para conven- fila Lnccta^Ferreira de Abreu N?teniel F
ha querido pedir que o Sr. presidente se nao desse povoado com o de Santo Amannho. ce-o de que defeza da patria o primeTro e o' de Aral MSmha^^AaSe
apariasse do cenu da populago durante o perigo Art. 2." Para a construegao da obra, a que pro- mais necessario dever de um bom cidado Quan" | vfveiros Sat&o K LeadroOlencio farva
OSr presidente reeomraendoa maita prudencia eeder planta e orgamento da repartigo compe-! do se falla deste nobre e grandioso objerlo.des Iba^ Pereira Sfls P^a^^M.lmUuiX^
?.a.del,e:ai5^_Pafa_*?__rePreseflla.r doamenie o tente-, fica o mosmo. presidente autorisado a despen- lembram-se todas as mais cous.deragSesfois q RS Josli t Fernandes padiqul! Fancco de
! a honra da patria importa a honra da familia e a Sonza Perny.
honra de Dos, o qual quem nos guia para as | Cemitirio publico. -Obituario do dia 3 de
grandes emprezas e sera Elle nada se taz. E* ele- maio de 1865.
vado por este honroso pensamento que venho sol- Clemerio, Pernambuco, 11 mezes, Santo Antonio,
licitar de Vmc. e de minha querida mi a permis-1 dentigaj.
povo. Fez compreheoder que as leis fandamen- der ate a qaantia d 2:5005.
taes se distloguiam das que podiam chamar-se pu- Art. 3. Revogam-se as disposicSes em contrario
ramente accidentaes, nicas que podiam soiTrer Sala das comraissoes, em 4 de'maio de 1865.
essa alteraco. Que agradeca ao eongresso o seu Soares Brando.Souto Lima.Campello.
desejo, mas que o nao aceita va seno como exprs- Sao approvados os seguiotes requerimentos :
s5o de aprego. Que apesar disso queria conversar A commissao de agricaltura, eommereio e obras
sobre a materia, e perguntou o qae se propunham publicas, para dar sem parecer sobre a peiijao que
os Srs. representantes com este desejo. Ihe foi presento, dirigida a este assembla pelo en-
0 padre Telles disse que a conservacao de saa genbelro Heorlque Augusto Milet, erapreiteiro que
Pessoa. tai da concluso das obras do 14 Jango da estrada
U sr. presidento rsplicou qne se as grandes do sul, precisa que pelos eanaes competentes se
circomslaucia da repblica nao precisavam delle peca copla do respectivo eoDtrato.
Tenente Joo Laurentlno Cavalcanli
de Albuquerque................
Aniceto Elias Soares de Mello......
Joaquina Ignacio Gongalves da Luz..
Jos Joaquim de Paiva............
Jos Tavares de Lima.............
Manoel Thomaz de Albuquerque___
Pedro Leile dos Santos......g___
- Antonio Serapio Lucano de Moura.
los mesmos fiscaes, quer pelo procurador ;: Antonio Jos de Faria. .
qua a importancia-por arrecadar, e finalmente Maximiano Jos dos Santos
qual a importancia de porcentagern que nveram os
mesmos tiscaes, alm da gralilirago ou ordenado
tudo por freguezias, e por annes desde Io de oulu-
bro de 1860 at o fim de setembro de 1864, e bem
assim o primeiro trimestre de outubro a dezembro
prximo lindo.
t Requeiro outro sim, urna outra nota do total
das multas impostas por eleicoes, com especifica-
gao das freguezias desde o Io de outubro de 1860 ipjrn7
ate o m de dezembro de 1864; declarando mais Ma*oe, Fe|j e de San
f Kpna,Ifr 3 f Ua' A ,A MaUOel Gmes da ASSUmpcO JU-
Requeiro mais una outra nota de todos os mor KV^
fflmTSa?.LSSSaem,fir n5 in?S a-lna a, ManoeiFer'reiradaSiKa.".'.'.'::::::
?.l m d"eiubr de m\eom deelaragao do es- Joaquira Manoel dos Santos........
todo em que se achara, e todos os mais esclarec- Joao' Dapti,a de Souza L .......
mentes a respeito. f io I JoaquimBezerra de Carvalho......
f^.2-a,DDa raumcip-al doRec,fe. 18 e joo' Francisco do Nascimento. .
laneiro de 186o.Pereira Simoes. ; Jos Gomes da s.|va
Mandou-se remetter ao engenheiro cordeador,! a.Wc Jostenacin da sii'vV......
afim de dar o sea parecer, urna petigao vnda da, wtoSnStt Na^SteS.......
presidencia, na qual Jos Klias Machado Freir pe- | fffff livwa '
deque se Ihe conceda licenga para fazer um te- S gJJ rZl
Ihero era um terreno da rua^ova de Santa Rita, Jos
e neiie guardar os objectos precisos ao sea cilicio
de carpinteiro.
O Sr. Silva Brasil requereu o segninte que fui
approvado :
l.-Qaeseordenasseaoliscal do Recife, para f^LTaiv^T^V V'
fazer com que o proprietario de diversas caldeiras F aac,SC0 Alves dos Santos
existentes na travessa da ra do B.-um para o caes
do Apollo, entre a fundigao do Mesquita as remo-
vesse, e o mesmo fiscal desse a razo por que lera
deixado que as mesmas all perraanecessera.
204000
204000
114000
10400o
iOffOOO
104000
10000
104000
104000
104000
104000
94000
84000
Jos Paz de Lyra..
, Joaquim Jos Vieira...............
Joo Marques de Sonza..........
, Joo Francisco dos Santos.........
Hilario Jos Maurillo.
sao de alistarme as flleiras dos bravos Pernam- Seenndino, Pernambnco, 10 mezes. S. Jos, den-
bucanos, que vo em defeza da patria como seas; tigo.
voluntarios defensores.
c Tomando na devida consideraco, o que pego,
Vmc. nao deixar de acceder ao meu patritico eu-
Justina Maria doJBapirto Santo, Pernambnco,
anuos, solteira, Boa-Vista, anemia.
-4
32
thusasmo do Brasleiro. Quantos mogos nao dei- Jos Joaquim de Oliveira, Pernambnco, 78 annos,
xaram mai, pai, flJbos, auliiere, fortonas, nqoe- casado Boa-Vista, coDgesto cerebral.
Manoel Francisco das Dores.......
Manoel Gomes da Silva............
Francisco Ferreira da Rocha.......
Antonio Manoel de Oliveira........
Vicente Ferreira da Silva..........
i." Que se recommendasse ao mesmo fiscal a Manoel de Oliveira Torres Gallindo..
respeito da lirapeza das ras da mesma freguezia. Bernardino Pedroza de Oliveira___
as quaes se acham immundas, e qoe aquellas onde Francisco Manoel Alves...........
existem estabelecimentos nao sao irrigadas como Cosme Jos Teixeira..............
manda a postura de 10 de novembro de 1855. Antonio Jos da Fonseca..........
3." Que Ihe fosse fornecida ama nota dos pre- Manoel Antonio Soares...........
gos por que esto alugados os predios raunici- Malhias Gomes de Amorim........
paes. Joaquim Manoel dos Santos........
A requerimento doSr. Thomaz de Aquino, man- Antonio Carneiro de Queiroz.......
dou-se tambem recemmendar ao fiscal da Boa- Francisco Corma de Andrade Lima.
Vista para acabar cora o costume em qoe esto as Manoel Soares da Silva............
pretas de fazerem praga nos passeios, prohibindo Manoel Beserra Sercondes.........
assim o transito publico. Miguel Ferreira de Lyra..........
Maodoo-se remetter a commissao de ediflcag5es Antonio Gomes Caldeira............
urna petigao do desembargador Alexandre Bernar- Joaquira de Urna.................
dio do Res e Silva, sobre a construegio de casas Joo Florentino de Almeida Monra.
no fundo de sea sobrado ra da Imperatriz.
Prestaran) juramento alguns juizes de paz das
freguezias deste municipio.
54000
54OOO
54000
54000
54OOO
54O0O
54000
54000
54000
5400O
54000
54000
54009
54000
54OOO
54000
54000
54OOO
5$000
5*000
54P0O
84000
54000
04OOO
54000
54000
54000
54OOO
54000
54OOO
54O0O
54000
540OO
54OOO
54OOO
54000
54000
54OOO
54000
54000
54000
54OOO
54000
54000
54000
(1) A transcripcao que demos foi copia-
, da de um dos iornaes de Portugal; mas nao
uespacharam-se as peligoes de Benlo dos Santos1 nntnmns nr Ramos, Eleodoro Candido Ferreira Rabello, como!Paem PreCISar SeU mm* Pr DS 0S
procurador da vlova e herdeiros de Pedro Ignacio recordar, e nem 0 termos archivado,
da Cunba, tenente coronel Joo Vieira de Mello e I O RR.



MELHOR EXEMPLAR ENCONTRADO 1
f MUTILADO]




Diarfo *e ITernarmhnvxi HaVbn de Safo te .fll
/
----------------*-.-m. un
.
RlOOO
1*000
Loureoco Antonio de Oliveira......
Alvaro L'clia Cavalcante de Albu-
querqoe .......................
Francisco Borges dos Sanios.......
Antonio Francisco da Sil va........
Thoraaz Jarge Villa-Nova..........
J-3oTelles dos Sanios.............
Manoel Muniz de S Pedro..........
Jos Francisco da Silva...........
Joao Simos de Souza'..............
Francisco Jos de Oliveira.........
Jos Pacheco Muniz...............
Feliciano Jos Gomes Gardoso___
Antonio Preir da Silva..........
Lourengo Uoines de Oliveira.......
Jos Gomes da Costa..............
lanoel da Silva Cosa............
os Cuines de Queiroz...........
Francisco Antonio dos Sanios.......
Antonio Jos Bento................
Carlos Jos dos Santos............
Mattiias Ferreira da Sil va..........
Manuel Victor de Barros...........
Joaquim Jos dos Santos............
.ntonio Jos i eixeira.............
os Gorgonio Corrcia Callado.....
Jos Joaqnim da Silva.............
Bento Jos Teixeira...............
Flix Gomes de Andrade..........
Antonio SimSes da Cunta.........
Joao Francisco de Carvalli i.......
Por mez e durante a guerra,
Conso'.heiro Antonio Coellio de Sa e
Albuquerque..................
Maaoel de Souza Leo.............
Antonio Pereira da Cmara Lima...
Joao Antonio de Souza <.-lirao \rau-
jo Preira....................
Jos Hendes Carneiro da Cunha...
Manoel Carneiro da Cunha e Albu-
querque .......................
Rufiuo Correia dos Prazeres.,......
Professor jubilado Joo Braulio Cor-
reia e Silva 10 por cento dos respectivos venc
meutos a eoraegar do Io de malo correte.
(Conlinuar-selia)
aiKBTu BO POBTO
3*000
3*000
3*000
3*000
2*000
3*000
2*000
20lK)
2*000
2*000
2*000
2*000
2*000
2*000
2*000
25000
-25000
2*000
2-3000
2*000
25000
-25000
15000
Nomos entrados no dia 6.
Maceio e pflf tos Intermedios20 oras, vapor bra
sileiro Parahiba, de 104 toneladas, commandan
te J. J. Monteiro, equipagem 31.
Havre30 dia=, galera Franceza Aisle, de 373.to-
neladas, capilo Fousnel, equipagem lo, carga
diferentes mercadorias; a Tisset frere.
Bahia7 dias, sumaca hespanhola Dolores, de 136
toneladas, capillo G. Marte, equipagem 11, etn
lastro ; a Tneodore Christiansen & C.
Navios sabidos no mesmo dia.
Rio da Pralapatacho brasileiro Beberibe, capilo
Jos Manoel Vieira, carga assucar.
Gibrallar brigue hanoveriano Leopld, capitao
Freerirks, carga assucar.
Havre pela Parahibagalera franceza Solferino,
capitao Gallier, carga couros.
HISPIDO DE PKRVIHUXO.
Pela secretaria deste pispado, se faz publico que
o Exin. e Rvm. Sr. vigario capitular para maior
jacilidade das pessoas que o procuram fra das
horas do despacho, para casos urgentes, principal-
mente neste lempo de invern, resolveu definitiva-
mente a sua residencia para o seminario episcopal
de Olinda, onde pode ser procurado na occasio do
expediente das 9 horas da mauliaa al as 2 da lar-
de ; e para os casos urgentes a qualquer hora do
Instmcces de 10 dcjulho de 1822.
Art. 6." Sao isentos d'> recruiamento os homeos
casados, o irrao de.orphos que liver a sen cargo
a subsistencia e educago dees ; o filho nico de
lavrador, ou um sua escolha quand) houver mais
de um, cultivando ierras ou proprias ou aforadas
ou arrendadas.
O artigo cima se estende do mesmo modo ao Q-
llio nico de viuvas.
Decreto n. 73 dc de abril de 184
'.05000
20*000
iaiinn uo *""' Y '
10*0001 dja ou da uoite
R./wj O secretario do bispado,
sxnnn Conego Jouquim Ferrara dos Sanios.
o#OOUj q i\\m. gr jnSpe(.lor jn thesouraria provin-
. nnn! cial, em cumprimento da ordem do Exm. Sr. pre-
HJcJJJ sidente da provincia de 10 do corrente, manda fa-
-*00 zer pQbiica qne no da 14 de junho prximo vin-
douro, perante a junta da fazenaa da mesma the-
souraria, se ha de arrematar, a quem por meuos
Azor, a obra da cadeia da cidade de Xazarelh, ava-
hada em 18:093*900 rs.
A arrematado ser feita na forma da lei pro-
vincial n. 343 de lo do maio de 1854, sob as clau-
sulas especiaos abaixo declaradas.
As pessoas que se propozerem essa arremata-
gao, comparceam na sala das sessoes da referida
junta, no dia cima indicado, pelo meio dia, e com-
petentemente habilitados.
E para constar, se mandou publicar o presente
pelo jornal.
Secretarin da thesouraria provincial de Per-
nambuco, 14 de margo de 185.O secretario, A-
F. d'Annuneiagao.
Clausulas especiaes para a arrematago.
L* O edificio para a cadeia de Nazareth, ser
feito de conformidad); com a plaa e orgamento

Art. 1." 0 recrulamento dever verificar-se en- junto, na importancia de 18:03*900 rs.
tro os cidadaos brasileiros de 18 a 3a annos de
idade, qne nao te.iham a rea favor algumas dasex-
cepgo -s designadas as ioslrucgoes de 10 de julho
de 822, em conformidade da caita de lei de C de
outub ro de 1835.
Pelo mizo de orphps djafU cidade e carlorio '
rivaa Guiares Lcn le Mr arrematada de,
g ja de sobra io de tres andares soio
p do nirr4o Reeife n. 13,-decons-
i, t prwisandorifljjr^lewioncjrtos |
ad. em 4:000*, fludas tres audiencias do oes-
mo. juizo, seudo a priraelra no dia 5 do corrente, a'
rlual casa perteneenle ao casal do finado Pedro '
Ignacio llaptisra,-evai a praga para pagamento dos
respectivos credores.
-gUelegcia de polica do primeiro dislriclo do' .
termo da cidade do Recite, 4 de maio de 1865. rafa 0 RlO de Jaiiei 0.
Por esta delegada foi apprehendido um cavallo' Pretende seguir com muita brevidade a barca
pedrez.quo foi deixado por um matuto, que dei- Rio de Janeiro, leudo parte do seu carregameuto
toua correr quando Ihe disseram que ra dito c*- engajado: para o resto que Ihe falta e escravos a
vallo fuado, quem se julgar com direito ao mes- frates, para os quaes tem exeelleoies commodos
Pao pra toda obra.
Os billietes acham-se desde j no logar do cos-
tme.
Prinei piar f 8'horas.
klim MlfilTIMGS.
mo cavallo apprega nesia raesma delegada para
ser-Ihe dito cavallo entregne.
O delegado,
L. A. Marlins Pereira.
Cmara Municipal do Reeife.
Matadouro publico da cidade do Reeife.
Mataram-se para o consumo desta cidade no
mez de abril do corrente auno 1,986 rezes, a
saber: ^
Libanio Candido Ribeiros C........ 507
Virgilio Horacio de Frailas..... 301
Joao Chrisostomo de Albuquerque. 325
Jos Lucia Lins................... 192
Wenceslao Machado Freir Pereira
da Silva........... 148
Francisco Candido da Paz..... 147
Bellarmino Al ves de Archa ....
Manoel de Souza Tavares........... 121
Manoel Paulo de Albuquerque 108
Manoel Francisco de Souza Lima 90
Geminiano Jos de Albuquerque 32
Ernesto Celestino de Mondonga ... 31
Bellarmino Constantino Costa Medeiros 7
1,980
Cmara municipal do Reeife, Io de maio
1864.
O contador.
Cnetann Si verio dt Silva.
Vai a praga terga-feira, 9 do correrte, perante o
Sr. Dr. juiz de orphaos, as 11 horas do dia, um si-
tio de trras proprias, bstanle extenso, no lugar
denominado Afilelos, freguezia da Boa-Vista, Wp
aborto todo elle, smente com dous pilares de ti-
rat.vso com o seu consignatario Antonio Luii de
Oliveira Azevedo, no seu escriptorio na ra "da
Cruz n. 1.
COMPANHIA PERNAMBl'CA.NA
DE
.\aveg;tco costeira por vapor.
Parahyba, Natal, Maco, Aracaty, Cear e
Acarac.
.. O vapor Mamanguape, com man-
*'- ATc3\ danle *'ura' segu no dia 8 do
SL/F^correnle As-5 horas da tarde para
2a^HHlos porus indicarlos. Recebe carga
V^jggg|Jat o dia 6, ao meio da : encom-
in m las, passageiros e dinlieiro a frele at o dia da
sahida as 2 horas : escriptorio no Forte do Mallos
n. 1.
IIha de Hlgnel
No dia 12 pretende seguir para o porto cima a
escuna portueueza Bmi: para passagt'iros trata-
se com o consignatario na roa do Apollo n. 4.
"ara o llio de iaueiro.
O hrtgoe eacana lacen Arilmr, pretende seguir I
com muita brevidade, lendo parle de seu carrega- j
ment prompio : para o resto que Ihe follae es i viaK(ma Europa, Tara leila> por
eravo>a fretes, para os quaes tem bou commodos, H inle piuta' de l""i,M u" ,,,,Jei''IJS
trata se com os sana consignatarios Antonio Luiz
de Oliveira A/.evedo & C.
lo que ter lugarterca-fcira 9 do corrente pelas
10 horas da manhj na roa larga do Rosario n.
40, segundo andar.__________________________ ]
l^ello de 4 casa en %pfpnoos. i
Terga-feira 9 de maio.
0 agente Pinto levar a leilo peii tereeira
ultima vez nfto s as duas cS^as edifleadas no alto
de Apipticos, ao lado dreit^ e peno da povoaro,
como as doas debaixo ao subir da ladeira, eom os
commodos desenptos dos aonunrios para os lei-
loes dos dias 11 do mez prximo pa&ado e 2 do
corrente.
Le/lio
De movis, ob>'as de prat e 1 escrava
a saber
Cm piano fo'te, 1 mobilia de Jacaranda com 1
sof e cousolos com lampos de pedra, 4 caueiras
de bragos, e 10 de gnarnicao, 1 mobiiia de mo..'-
no, 2 ricos espelhos com moldura de jacaran la, 4
jarros, 2 serpentinas, 1 grande lustre de crystal, 1
lampeo degazde peudurar com tres bicoo, i di-
tos de cima de mesa, e,earradeiras, tpales, 1 ca-
ma franela, 1 guarda vestido, i rica comuiotl, ''
meiasdilas, 1 secretaria, 1 Btanle, I loucador, 3
camas de ferro- sendo urna para casados, 1 bergo,
1 co.-tureira.
1 sof e cadeiras de aniarello, 1 quartinlieira, 1
mesa de jantar, 2 apparadores, 1 guarda louga,
aparellios para cha, copos, garrafas e outros ol)
jectos.
Oifferentes objectos le prata constando de sal-
vas, eolber.es e palileiros, assiin como l oculos, 1
binculo e 1 espingarda dodaus canos.
Una esclava Bel tem vicios e osinlic-ira de 23
a 28 annos de idade por nome Claudia i.
Do Norte.
com os pro-
e Iinperatiiz
i Sahio o 4" Minero e esta a renda
cedentes' ra do Imperador n G7
n. 59:
Precisa-se de vendederas dessa gazeta, e uieni-
nes melhor. .
ljis\ fif linos
Largo do Car oto numero 2*.
E-le estabeleciniento lo bem montado na sua
origi-in, achava-se de a milito ew quasi cumpbto
alianduiio pelo pouco inlere.-.-e de >ua admtnis-
Iragao.
Hoje que o novo proprietario empreg indos o
meies para relabelerer a grande ulilidade esie
e.-i.ibeleci)iii'ijio, pode assegur^r ao publico que
qualquer ipie seja o numerados coiicorr?1 ntes acha-
rao desde j piompl d5o e era nos bonhos frios,
ninrnos ou inedicinaes, a casa dos banhos se >c',a-
r .iberia todos os dias da 6 da manhaa as 11 da
noile.
Pregos.
1 banho fri ou morno......500
1 dito de farello........I*0IM>
l dito medicinal si-r s-gundo a qualidade.
23 carios.........10*000
12 ditos..........5*000
Na roa do Livrantetrion. l,oja de calcado,
precisa-se fallar cmn o Sr. Jos Colombriuo de
Araujo Lima, renden -i do eiiirenho Castor ou a
quem suas vezes li/.er uesla praga, a negocio de
inlere.-sc.
(jiiarta-lera 1l) fle lUUIO. O amaizo assi^nado lem ju.-to conlraiada
lina da Cadeia n. 29. terceiro -ndar. i com o Sr Joao Amorro de niiwr a compra de
Placido Jos do Reg Araujo leudo de fazer una i um ,-iti i no luga;' de Campy Gr.Kid'-, livre e desoin-
intervenco do haragalo : quem se julgar rom direito ao mesmo
SBat*a o Blinde fanefr.
Segu uestes oilo dias o brigue escuna Nao sel,
lendo dous tercos do seu carregaineiiio bordo :
para o resto que le falla e escravos a frete, para
jollo e cal na frente onde tem um purta de na-: os fIaes Wm |)0n! commodos, traia-se com os mus'
deira.com 1,288 palmos de frente e 2>34a de fun- (consignatario.- Antonio Luiz de Oliveira Azevedo
do, bastante fructeiras, duas grandes batas de ca- ^ ^ ^ m seu escrplur0 na rua da Cruz n. 1.
pim, seccando urna dellas pelo vero, urna grande (________
cochfira e estribara com duas mangedOras, um
quarlo para feitor, outros para preos, um galli-
nheiro, urna cacimba d'agua boa, um tanque para
Agua Florida de Slarray k Laman.
Na verdade cousa eslranha e para admirar
que este delicado e precioso perfume, lendo sido
manufacturado ha mais de vinte annos exclusiva-
mente para o* mercados da America do Sul e das
Antillus, e estimado por tola a populagaoda Ame-
rita hespanhola em preferencia a todas as mais
essenciaes aguas de cheiro, s a pouco viesse a ser
finalmente nlroduzida pela vez prlmeira neste paiz
depois de lao largos ana o de exlsteucia 1 O ailiuco
e louvavel promptiii qne as nossas bellas patri-
cias mostraram na adopgo da mesma, prova que
as senhoras hespanhola-, as quaes a prei-Tein a
propria Aeua de Colonia, nao do mais que um
justo aprego delicada pureza do artigo. Como
um meio preventivo contra quaesquer imposigoes
efraud-s, tornase necessario o peJir-se a agua
genuina de Murray e L minan, tendo-se o cuidado
'le examinar e ver que ditos nomos se achem ins-
criptos sol cada envoltorio, lelreiro e garrafa, pois
a falta dos meamos prova evidente de sua falsi-
dade.
Acha-se a venda as pharmacias de Caors &
Barbosa e J. C. Bravo.
CftMMSltlO.
PRAC\ DO RECIPE.
cotacoes offleiaes.
5 de maio.
Algodo priraeira sorte 12*000 por arroba.
Algo lao s 'gunda sorte -105000 por arroba.
Algodo de Macei 12*2oi) por arroba posto a
bordo.
Cambios sobre Londres 90 d(v. 25 e 33 1/4
d. por 1*H00.
uubourcq Jniorpresidente.
Guimaressecretario.
llitixa iilial do banco do Brasil em
i'eruaubuco.
A directora desta caisasaca sobro o banco do
Brasil no Rio de Janeiro e sobre a caixa filial do
mesmo banco na Bahi.
\ovo banco de Pcrnani-
buco.
0 banco desconta letras na presente semana a
40 por cento ao anno at o prazo de quatro me-
zes, e a 12 0|0 at o de seis mezes, e toma dinhei-
ro a juros a praso nunca menor dslres mezes.
Morobanco de Pcrnambuco.
O banco paga o 14 dividendo narazaodeS*
dor aegao.
Caixa filial do banco do Brasil
en Pernainbiico.
19 de abril de 1865.
Tendo-se desencarainhado do espolio de Bernar-
do Jes Pinto a cautela de 43 acgSes das locasa-
rtas nesta caixa, sob ns. 1239 a 1281, a directora
faz publico a quera inleressar possa, que por pane
d-t Antonio Jos Ramos de Oliveira, do Rio de Ja-
neiro, tulor dos herdeiros do dito Pinto, se vai
aqui proco ler a transferencia das referidas aegoes
para o nome dos mesmo.; herdeiros.
O guarda-livros,
Innacio Xunes Correia.
2.a O arrematante ser obligado a dar principio
aos tiabalhos no prazo de 30 dias, e concluidos
no de um anno, ambos a contar da data da assig-
natura do contrato.
3.' Os pagamentos sarao feitos em 3 prestagoes
iguaes correspondentes a cada terco da obra Boda.
4.* N.io ser em lempo algum altendida qualquer
reclamacao por parte do arrematante tenden-
j te indemnisago, quaesquer que sejam as allega-
goes em que se hajam para esse fin, ainda mes-
mo por prejuizos provados.
5.a Para ludo o que nao estival" especificado as
presentes clausulas, seguir-se-ha o que dipoe o re-
glamento de 9 de Janeiro de 1804.
Conforme.A ?. d'Aununciagao.
O Illm. Sr. inspector da thesouraria provin-
cial, em cumprimento da ordem do Exm. Sr. pre-
sidente da provincia de 24 do corrente, mando fa-
zer publico qne no dia 11 de maio prximo vindou-
ro, perante a junta da fazenda da mesma thesoura-
ria se ha'de arrematar a quem por menos flzer a
pintura de que precisa a ponte pensil do Caxang,
avallada em 302*500 res.
A arrematago ser feita na forma da lei provin-
cial n. 343 de 15 de maio de 1854, e sob as clau-
sulas especiaes abaixo declaradas.
As pessoas que se propuzerem a essa arremata-
cao comparecam na sala das sessoes da referida
junta, no da cima mencionado pelo meio dia, e
competentemente habilitados.
E para constar se mandou publicar o presente
pelo jornal.
Secretaria da thesouraria provincial de Pernam-
buco, 26 de abril de 186o.
O secretario,
Antonio Ferreira da Annuneiagao.
Clausulas especiaes para a arrematago.
1.a A piolura da ponte do Caxang ser feita de
conformidade com o orgamento na importancia de
302*500.
2.a O arrematante dever principiar a obra no
espago de 8 dias e finalisa-la no de 30, ambos con-
tados da data da arrematago.
3." O pagamento ser effectuado em urna s
prestago, quando liver sido concluida loJa a fac-
tura e entregu? definitivamente.
4.a Para tudo mais que nao estiver especificado
as presentes clausulas seguir-se-ha o que deter-
mina o regulamento da reparticao das obras pu-
blicas.
Conforme.A. F. da Annuneiagao.
O Illm. Sr. inspector da thesouraria provin-
cial, em cumprimento da ordem do Exm. Sr. presi-
dente da provincia de 25 do corrente, manda fazer
publico, que no da 18 de maio prximo vindouro,
perante a junta da fazenda da mesma thesouraria,
vai novamente a praga para ser arrematado a
quem por menos lizer a obra do- reparos, de que
precisa a estrada do Porto de Galinhas, avahada
em 7485000.
A arrematago ser feita na forma da lei provin-
cial n. 343 de 15 de maio de 1854 e sob as clau-
sulas especiaes |a publicadas.
E para constar se mandou publicar o presente
pelo jornal.
Secretaria da thesouraria provincial de Pernam-
buco, 26 de abril de 1865.
O secretario,
A. F. da Annuneiagao.
PARA LISBOA.
O patacho pertuguez Maria da Gloria, capitao
. Valenle, vai sabir breve, recebe carga p passagei-
banlios, todas estas bemfeilorias de tijollo e cal, um ros iraia-se rom o consignatario E. R. Rabeilo,
repucho com bacia de cimento, que v^.m da cacim- rua 0 Trapiche n. 44.
ba, collocado na frente da casa, circulando-o can-'--------i------------------------------~
teiros e vasos de flores, tem mais dito sitio urna i Ueve chegar dos porosido sul ate o d,a 8 do
grande casa de vivenda de l.jollo e cal, com soto trente o vpw nglez Hrt-**d, oqnal seguir no
em sallo, contendo tres portas e seis janellas de ; mesmo da para Liverpool com escala por Lisboa.
frente, envidracadas, urna porta e tres janellas en. Recebe-se d.riheiro a frele para Liverpool a 1|
Cada oitao, tambem envidragadas, 135 palmos de
a tratar cun os consignatarios Saunders
ti C. largo do Corpo Santo n. 11.
V
t
OH
Brothers
voe 81 de fundo, cinco salas de diante ludas for-
radas e guarnecidas de papel inclusive o corredor,
duas salas alraz, seis quartos e urna dispensa, co-
zinha bastante extensa interna com dous fugues, um
chaguao com canieiros altos para flores : divide
dito silio pelo lado do norte com o sitio dos her-
deiros do finado Joao Carol, pelo lado do sul com
o silio do padre Jos Antonio dos Santos Lessa,
pelo lado do leste com o .-to de Augusto de Oli-'
veira, e pelo do nascente com a estrada real que |
segu para os Afilelos, vista do astado em que
se acha por 17:200*000, lendo urna parte de.....j
1:153*111 o herdeiro Pedro Ignacio de Miranda,; far leilo de um.siiio.ua esiradados Afilelos, con-
que, deduzida da Iraporlancia da avaliago cima liguo ao da viuva do crurgio Peixoto, pouco alm
mencionada, fica.pertencendo ao Dr. Francisco Q>- da capella, cuja propriedade consta de terreno com
mes Velloso de Albuquerque, como consenhor da 380 palmos de (rente sobre 1,500 de fundo, cer-
maior parte do predio a quanlia de 16:016*889.' cado de boa cerca, com mais de, mil ps de diver-
Sitio que vai a praga por venda por execucio que sos arvoredos, arvores seculares e de saborosos
movem a viuva, filhos e genios do finado lente-; fructos, terreno propno para tudo, bOa casa terrea
coronel Bernardo Antonio de Miranda com o r. com soio para vivenda, de 34 palmos do frente e
DE
l'rn si io na eslra 1IO JE
O agente Pestaa, competentemente autorisado.
acuna meneo
nados perlencenles o osistMil sidencia rua da Cadma n. 39, lereeiro andar, mi-
de se effectuara o leilo as 10 boras do Oa acuna
dito.
a Mm.- i *
. .
Avisos mim
Aluga-se um pequeo arnazein na ruada
Paz, proprio para qualqner estabelecimculo era
ponto pequeo : a tratar uo pateo de S. Pedro tu-
mero 4.
LOTEE
prove no prazo de 8 dias ou dirija-se a rua da
Guia i!. 56.
____________Manuel Maitins C," Cava!ho.
Trenpe
Monde-
Al,i-a-se o s..!r.;iio -iun rua da
n. 7 : quem o pretemler dirija-se a um do
go sitio n. 38.
'-ZtlJ'iTS-.
AOS 5:0.00^000.
Sabbailo 13 ilo corrente mez, se exlrabi-
r a 2a parte da I" lotera (13a) a beneficio
da matriz do Bonito, no consistorio da gre-
ja de Nossa Senhora do Rosario da frague-
zia de Santo Antonio.
Os bilhetes.raeiose quartos estao a ven-
da na respectiva tliesourana rua do Cres-
po n. 15.
Os premios de :000uO at 10^000
sero pagos tuna hora depois da extraecjie
at as 4 horas da tarde, e os outros depois'
da distrihuigaodas listas.
As ejicoinrendas s rSo guardadas so-
mente al a noite da vespera da estraccSc
como de eostume.
O thesoureiro,
Antonio .los Rodrigues do Souza

O abaixo assigna
radii para com as p
o summnmente pnnhrh
'.soai que a.isi>tiam a
. exequias do sen mui pre-ado socio o linad.>
^ Joapiim Francisco dos Santos, vem pelopre-
' sent agradecer-lh^s e de novo P''dr a es-as
mesoas pessoas.que se dignaran) a seu cun-
viie assistirem e a tolos aqueles amigos do
finado par< as*isiirem a aBiMa do stimo da,
que lem de celebrarse terg feira 9- do cor-
renl-, as 6 horas da manMa, na i a reja m a
iriz do Cupo Santo, a* cuj' obsequin o
abaixo asignado desde ja antecipa ns pro-
testosdesna graiiJao e eterno reconheci-
menio.
Joaquim de Faria Machado.
f
EGLMvjQES.
ALFANDEGA.
I! mi lmenlo do dia 1 a 4......
i lem do dia 5...............
113:366*694
23:20oa675
136:5725369
MOVIMENTO DA ALFA.N'DEGA.
Voluraes entrados cora fazenda...
com gneros----- 524
------524
Volumes saludos com fazendas----- 141
t < eom gneros..... 1,871
------ 2,012
Oesarregara no dia 6 de malo de 1865.
Patacho hollandez Fewnechma --farinha de trigo
Brigue portuguezLaia //diversos generas.
Lugre portuguez Jnio diversos (gneros.
Escuna dinamarqueza Levante -idera.
Polaca hespanholaVemurjtavinhos.
Brigue hollandezAduano farinha de trigo.
Barca dinamarqueza Doraidem.
Logre iulianoLsrenzo Valerio -idem.
Brigue nacional -Henriqnes lagedo.
Barca porluguezai. Joocharque.
Escuna hanoverianaGezmaIdera.
Patacho nacionalCardiaidera.
Barca Inglesa -Belte Poule carvo.
tirca nglezaTrent -carvo.
Brigue inglez -Buzantium idera.
R-trea ingleza Commodoreidem.
Marca ingleza- Hnbella idem.
lirisjue inglezUseful idem.
iirca belgaSoji/ue Theodorine idem.
ttECEREDDiA DE RENDAS INTERNAS
GERAES DE PERNvMBUCO.
endiraento do dia t a 4 .. ..... 3:498*347
ilemdo dia5................. 701*230
Trlbn aal do commercio.
Pela secretaria do tribunal do commercio de
Pernambuco se faz publico, que nesta data Oca re-
gistrado o contrato de sociedade celebrado entre
Joaquim Fernandos dos Santos e Antonio Fernn-
des dos Sanios, Portugaezes. d inaicihados e estabe
lecidos ne-ta cidade s>b a firma de Joaquim Fer-
nandes dos Santos & Irmo; devendo dita socie-
dade durar por espago de tres auno;, contados de
31 de margo do crrante, com o capital de 3:900*,
fornecidos 3:400* pelo socio Joaquim, e 500$ pelo
socio Antonio, e todo consistentena armago, nten-
cilios, generas e dividas activas existenios no es-
tabelecimento social.
Secretaria do tribunal do commercio de Pernam-
buco 2 de maiol de 18G5.
Julio Guimares
otticial-maior.
Pela mesma secretaria se faz igualmente publi-
co que nesla data Oca registrado o contrato de so-
ciedade de Araojo Coelho Leite e Antonio de Al-
buquerque Mello, Brasileiros, esiabelecllos nesla
cidade sob a firma de Augusto Leite & Albuquer-
que, que deve gyrar por lempo indeterminado, e
com o capital de 20:000* foroecidos por ambas
em partes iguaes, e isio desde o 1 de junho do
anno prximo passado, ]uando comigou a vigorar
a sociodade.
Secretaria do tribunal do commercio de Per-
nambuco 3 de maio de 1865.
Julio Guimares,
OfBcial-maior
Francisco Gomes Velloso de Albuquerque e sua
mulher.
Reeife, 10 de margo de 1865.-0 escrivo,
Unto.
ARREMATACO.
No dia 10 do corrente mez" lem de ser arrema-
tado depois da audiencia do Illm. Sr. juiz de paz
do primeiro dislriclo da Boa-Visla o seguirte : 1
commoda de madeir de mog-no, urna dita de ma-
deira de oleo, urna mesa de madeira d-amarad',
urna dita dita mais pequea, cujas- otijeclos for*m
penhoradas por execugo de J 'S Al ves Lima eon
tra Manoel de GarvaMio Pros de AUrtcade.
Vai a praga terga-feira 9 de malo perante.
Sr. Dr. juiz inuuicipal da primeira vara os se-
guimos predios na freguezia dos Afogados, o sobra-
do de um andar n 1 da rua Direia, o de n. 7 da
mesma rua e a casa terrea n. 9 lodos nos A.fogados,
quem nelles quizer langar comparega.no dia e ho-
ra da audiencia cima as 12 horas da nviohia,
acha-se o escripto edilal na mao do respectivo por-
tel ro.
Reparticao das obros pnblicas.
Pela repartigao das obras publicas se faz publico
a quem possa mteressar, que de segunda-feira 8
do crranle em diante tica interrumpido o transito
de carros pela poni da Tacaruna. M.
RcparticSo das obras publicas 5 do roaio mP1)"
O secretario nterin,.**
Manoel Louronco i Mattsi
Pela thesuraria provincial se fnz pu'dfco que
a arrematago da obra dos reparos do empadra-
ment do lugar denominado = Areias do Ciquia -
na estrada da Victoria, entre os marcos de tres a
quatro mil bragas, foi trausferida para o uia 18 do
corrente.
Secretaria da thesouraria provincial de Pernam
buco 5 de maio de 1865.O secretario,
A. F. d'Annunciacao.
Arreniataca.
No dia 8 do corrente, depois da audiencia do
juiz de paz do 2" dislriclo da Boa-Vista tem de ser
arrematado o aluguel de um terreno com pequea
casa e taboas. sito rua de Joo Fernandos; Viei-
ra, por execugo de Eduardo Marques de Oliveira
coutra Luiz Manoel do Nasciiwnlo.
Arrema tacan
No dia 8 do crrante, linda a audiencia do Sr.
juiz de paz do 2o dislriclo da Boa-Vista, tem de
ser arrematado o aluguel da casa n. 50 da rua da
Soledade, par execugo de Peregrino Carneiro da
Cunha contra Arcenio Antonio Carneiro da Cdnha
Miranda.
N'a terga-feira 8 do eorrente, na sala das au-
diencias, e linda a audiencia do Illm. Sr. Dr. juiz
de orphaos se bao de arrematar os alnsueis da
casa de dous andares da rua Dircita u. 79, confor-
mo o escriplo em mao do porleiro.
o conseibo de compras do arsenal de guerra
precisa comprar o seguirte :
Provimeulo dos armazens.
20 toneladas de carvo de pedra.
30 duzias de taboas de pinlio de 3|4 de gros-
sura.
10 ditas de ditas de dito americano.
2 arrobas de pregos francezes de i l|2polle-
gadas.
Para o quarlel dos menoies.
20 galSes de gaz.
As pessoas que quizerem vender-dios artigos,
apresentem suas propostas em carta lechada, na
sala do conselho, as 11 horas da manhSa do dia 8
do corrente.
Sala das sessSes do conseiho de compras do ar-
senal de guerra 5 de maio de 1865.-0 encarre-
gado da escripturagao,
Manoel Jos de Azevedo Santos.
- Mmoel Rlbeiro do Carval
vao a Portugal.
io e sua ra::
Henrique Jos da Cunha retira se
tuca!.
para Por-
setenta de fundo, muilos quartos e salas, coznba
fra e bas accoinmodagoes no referido solio, co-
xeira fra c boa estribara para tres cavados O.-,
seohores pretenderte podera examina-lo desdi ja, i
para n (pie se acha a chave na mao do referido! ,, ,'-'
agente, rua do Vigario d. 41. {Para l'oriMl ______________________
0leilo terii lugar atose boras da manliaa do Victoriano Hathits Ferreir, subdito
da 6 de maioa porta di Associaoo Commercial guez, retira se p ra fra do imperio.
LeiliO das lvidas aeltvas que Bernardo Pereira do Valle-Porto r. lira-se
t'azcui pu-ae da luassa fallida para Enrapa.
Ferreira e sua familia retira-se
i'ortu-
de fraaciseo coates Castellao.
Em Ccr.seqneucia io mag-tompo rjj>o ffi no dia
para o qual estava aununciado o Mliodas dividas
activas de Francisco Gomes Castellao, por cujo
motivo nao se pode effecuiar o dito leilo pas im-
portmeias confirme as relacos de 15 880*310 e
de 6:208*416 s., cuja* relagoes acham se em
mao do agente Pestaa, para strem examinadas
e serao vendidas sabbado G do crrante pelas 12
lloras em ponto na porta da Associagao Commer-
cial. _____ _______
Leilo de uiohilia.
Segunda-feira 8 do corrente.
O agente Pestaa legalmeute autorisado por una
pessoaquese retirot para fora da provincia, far
leilo de tih a :,i; ;n '.',''- i : sognnia-feir 8 pe-
las 10 horas la mioMa ua rua da c-az n. 20. se-
gundo andar.
es' Fcir semanal
NO GRANDE ARMAZKM DE LE LOES
D AGENTE
g^UiftlMtt
ust > pedido
Pede-se a lilil-* assemblfi provincial a deelsa
do projecto que divide o officio de contador desta
comarca, vi-to se- esta dvisSo de. palpitarte ne-
Ci ssid.ide pura o importante foro desla MOMe,
ai m >!e proporcionar molos de -ul^u-tencia a dous
ou Ires pais de familias nece.-sit i l>n, livrar as
; artes da vmitadc e capricho de um s i'uncc!na-
ri'.O prejudicado.
i
s
Carlos Frederico Kristz.-elie sua senhora
Ernestina Prilisdio,-ublitos saxonicos seguem pa
ra Europi.
iwal acJi '. Miu-ill lian mu, rot ., ( ra
Europa.
Mni.'olda Costa Ferreira retira-se para.a
Babia, leva em .-ua companhia Jos Silveira
Kartins.
Antonio Jos Soares Jnior vai a Bahia.
CLUB il'ERNAMBUCANO.
Dominfro 7 do crrante (se o lempo
permitii hatera reuniao de familias.
A familia do fal.ecido commenda lor Jo~
)' i todos os seuaores se dijiaram na as-
m sisiir as exequias que se fizeram pelo mesmo
^ fallecido na capella do remiteno, e convida
,-a nova mente aos seus parantes e pessoas de
I sua anonade alim >le assistirem lambem a
^ missa qu-> se tem de rezar na mesma capel-
D la no dia 8 do correrte as 7 horas da ma-
I | nha.
.vtjk-fsreftrasaasr."
THE\TttO
S
DE
EMPREZ A- -COIMBRA.
11.a recita da asMigaaiiira.
4:1995577
CONSULADO PROVINCIAL
Rendimento do da 1 a 4
Ih:u do dia 5 .....
9:4948007
2:794*593
14:688^600
Pela mesma secretaria sa faz publico que nesta
data fica registrado o contrato de sociedade de
Jos de Castro Redondo e Jos Ribeiro da Cunta
Guimares, Portuguezes, estabeleeidos nesta cida-
de sob a firma de Castro & Gnimares, com o ca-
pital de 2:160*, para o qual entra cada um dos
socios com partes iguaes, sendo a do 1 em di-
nheiro e a do 2 em gneros e utencis ; devendo a
mesma sociedade durar por espaco de tres annos,'
contados de 18 de margo do correte.
Secretaria do tribunal do commercio de Per-
nambuco 3 de maio de 1865.
O offlcial-maior,
Julio otmaraes.
Sabbado 6 do corrente, perante o Dr. juiz
municipal da segunda vara,, se bao de arrematar,
por ser a ultima praga, natas casas terreas e sitio
no lugar Casa Forte, peahoradas a Rosendo Alves '
da Silva, por execnglo fto teuenle-coronel Jos Dar* ftm ao especuculo a graciosa cwnedia em
Antonio Lopes. acto ornada de msica.
3--Rua da Cadeia do Reeife--3'
Havcr leiles todas as semanas
AS
Seguuilas, (liarlas c sextas-feiras
UECEllBM-SB OBJECTOS AS
Tercas, quiutas-feiras e sabbados.
O referido ageute participa as pessoas que dse-
jam vender escravos.que far leilo todas asquar-
tas-feiras no seu arnuuem, aonde tem commodos :
propr.os para os receber.
Leilo
De urna casa com quatro salas, muitos e
grudes quarlos, cun janellas, calgada.
toda a roda, terraco na frente e copia atraz
cora sotao. quartos fra nao s para hos-1
pedes como para pelos, co>era c estri-
bara, cacimba e tanque, jai Jim e pomar
ao lado, sitio cun muitos arvoredos o fruc-
teiras de boas qualidades. .
Terca-fuira 9 de maio.
O agenie Pinto levar pela segunda voz a leilo
precedida a competente autorlsago, casa de cam-
po com os commodts cima descriptos sita no Cal-
derero, oulr'ora do lina lo Domingos Antonio Go-
mes Guimares em frente a casa do Dr. Jos Der-
nardo Alcoforado, as 10 horas do dia cima dito,
em seu escriptorio a rua da Cruz n. 38. Os pie-
tendentes poderAo obter do mesmo agente qualquer
iofornvacoare^peilj________________________
: LEILO
De duas casas juntas formando urna grande, edi-
ficada em chaos proprios na Capunga Velha, pe-
nltima a direita de quem vai para o porto do Las-
serre.com 4 salas, 7 quarlos, cosinlia fora, quartos
para pretos, eocheira e estribara, a qual fica en-
tre dous portes.
Tersa feira 9 de maio.
O agente Piulo levar a leilo pela segunda vez'
as 10 1|2 horas di dia supra dito, a casa cima ,
descripw, com aatorisagao de seu respectivo con-
senhor, o qual leilo dever ser effectuado no dia i
! horaactroa ditos em seu escriptorio a rna da |
Cruz n. 38.
XAROPE DEPURATIVO
Este novo producto resultado de urna trplice combinacao de tres mclalloides cujas propie-
dades sao mui conbecidas, o Bromo, o Euxofre e o iodo, oceupa boje a primeira ordem de
entre todos os depurativos dos quaes 6 o mais poderoso.
As experiencias dos mdicos mais nolaveis dos hospitaes de Pars, os senlioree Cazenave,
Puche, Bazin, Blachc, Guibout, Baroschct, Danet, Legroux, Vassc e Aubry, etc., demonstraro
sua poderosa efficacia as affecgoes seguientes :
Framboesla,
Uumorca fro,
DoenfM de prllc,
Uarti'oa e borhnlhaa de todo especie,
Placas mucosas,
Obatruccea lymphatlcaa,
Papel raa,
Eserofnlas,
Akeeasas, postemas,
Caeras,
Ulceras,
Tlstaa,
Escrbate,
Plaa OU Boabas (do Brizil.,
O Xarpe de Le Goux, de nma fcil digestlo e de gosto delicioso, se emprega tambem
com muita vantagem e aconselhado pelo doutor Barthe, do hospital dos meninos, para as
criangas debis, escrofulosas e rachicas ou sobre a influencia de um vicio hereditario, e mui
superior neste emprego ao oleo de figado de bacalho e aos xardpes depurativos e arti-escor-
bulicos qne se administravo at agora.
Deposito geral, em Paris, na botica Boullay, membro da Academia imperial de Medicina de
Paris, offictal da LegiSo de Honra, e em todas as boticas da Franga e dos pases estrangairos
nacbltlsma,
Ophlbalmla escrofulosa e cbraalca,
Tsica escrofulosa,
Affeecoes syphllltlras,
Elepbantlaala dos Greyos,
E todas as doencas occasionadas por um vicio do
sangue, e j tratadas sem neuhum successo pelas
prf paraees Tegetaes, iodadas e o oleo de gado
M bacalhio.
XAROPE D'ETHER
DE BOULLAY
Doutor da Faculdade de Sciencias, membro da Academia imperial de Medicina,
Official da Legio de Honra,
Rua des Fosss-Montmartre, 17, Parla.
Este xarpe composto mais de vinte annos pelo sabio lente Boullay, constitue a melhor
maneira de administrar o Ether. He empregado com successo em todas as doencas qne tirso sua
origcm de um erithismo nervoso, como sao as:
Bnxaqaeea,
Nvral|laa,
Espasmos,
Attaquea de ervos,
Vertleas,
Syneopcs,
CalBBferos de estomaso,
indlsestocs,
Coavulsoes,
Accessos brsterlcos e hipo-
condriacos,
Calleas ventosas OU era-
aaa, hepticas datalcatas.
Acerases ele gota ale rbeu-
matlsato,
Caaes de envenenlesscats,
te., etc., te.
Deposito geral, em Pori, na botica de Boullay, deuor em Stiencias, membro d>t Academia
imperial de Medicina de Paris, official da Legio de Honra, rua des Fosses-MortdWrtre, 7, e
em todas as boticas de Franga e dos paizes eslrangeiros.
Leilo de mobilta.
Terga-teira 9 do correrte.
O. ^nte Pestaa autorisado-por urna familia que
n 3 n J^IOK s^rcHruti para a Europa far leilo de toda a sua
OablO 0 0.6 IflllO UO OOD. i bito eonstando de mohHia de ^caranda a posto,
. .___ m;, *e tmtins de pedra com IScadeira*. 4
R-presertar-se-l pela segunda vez o muito ap- ^..^ 4 ^ halanB0.....I>0l0i niesil ,.
plaudido e inleressante drama em o actos
AIILIIA IlOLWR^ntiB
dilas d
bragos, 2 de balango. consol^, mesa d '
sala e sof, candelabros de crystal, espeino- ri-1
quissimos, qoadros, ab'SajUes figuras de maruaire,
jaspe etc., relogios, caaias de Jacaranda e aiutrel- i
lo, franceas, guarda vesti**, (narda loug^, appa-,
rdores, cadeiras utai q.i '.as. oommwias,. burgos,
mesas etc., e aiuitos otiifus ebjeetos que se aeha-1
rio patente*aos Srs.comiiradore? no acto do le-,
ASTHME
ASTHMA ASTHMA ASTHMA
SFFOCCO NERVOSA E 0PPRESS0
nico remedio efficaz para combattir estas molestias, acalmar nm attaqne d asma impedir a
volta o Xarpe aromtico dt Succino (mbar ajoarello) do D Danet. eeoberta nteiramenle
recente, este novo producto se tem propagado com extrema rapidez fragas aos aanuraveis rtsw-
^^J^^h&'&mvema, M, rua do Comercio, ParkvCronelle, e em todas u
boticas de Franca e do eslraageiro.
Deposit'! ijeral eru Pernatubuco rua Ja Cruz ti. eiu ca de Cw A Banosa.
ILGVEL


Mari* d Per ntbaco .. sabbado de pule de l S6.
/
-v
JO Dr. Francisca Pires Ha
cha do Portel la
Medio* *frat
PELA -^
FACLDADE 06 PARS, .
regressndo a esta provincia acha-se
prompto para o exercicio de sua profis
sua
sao, quer nestt cidade, quer tora della,
especialmente cm molestias de olbos (ca-
taradas etc.) das vas urinarias (estreita-
mentu de orethra etc.) e de pe le, para
cujo curativo se julga habilitado, atienta
a pratica que teve nos hospitaes de Pa-
rs, e os modernos instrumentos que pos-
sue
Pode ser procurado a quarquer hora
na casa de sua residencia no patee do
Carmo n. 2, esquina da ra de Hortas.
AMA
Precisa-se atttgar ama ama para cosinhar e
comprar.: na rna de S. Francisco n. 54.
Agencia #e passaporte.
Claedino do Reg Lima, despachante de passa-
porte, lira-os para dentro e fra do imperio por
comioodo prece presteza : na ra da Praia n. 47,
primeiro andar.
Na praca da Independencia n. 33, precisa-se
de urna ama para compran, cosinhar e fazer todo
o mais servico de casa de pouca familia._______
frontina da fesla do patriarcha S
Jos de Agona na igreja do convento
do Carmo, no lia 7 de correte.
No sabbado ao meio da, depois de haver tocado
diferentes pecas de mnslca a banda militar do 4*
AMA.
Precisa-se de urna ama que saiba corinhar bem
e comprar para casa de pouca familia ;. a tratar
na ra do Queimado, loja n. 5.
CASA DAFORTOIH
Aos 6:000,5(000.
Bilhetes garantidos.
A' ba doGrkspo n. 23 E casas do costlme.
O abaizoassignado vendeu nos seus muito feli-
res bilhetes garantidos da lotera que se acaben
de extrahir a beneflcio da matrii de Nazareth, os
segulntes premios :
O bilhete inteiro n. 607 com a sorte de 1:400$.
Um quarto o. 2722 com a sorte de 500*000.
Eoutrasrauitas sortes de 100*, 40*,20* e
OJHKK).
A200E500RS-
A 500 rs. a cuia de fe jo mulatinho.
A 500 rs. a cuia de feijSo mulatinho.
A 200 rs. a cuia do boro milho.
A 2C0 rs, a cuia de bom milho.
Chepuem depressa a esta pechincha at que se acaba o qual se uende por este pre-
SP pela proh bico que lia as ribeiras.
?
Domingos Rodrigues de Andradd saca sobre
& praca do Rio de Janeiro, a vista ou a prazo : ra
da Cruz n. 33.
tilolos vencidos ou por vencer no prazo de 8 das,
aa ra do Livramento n. 38.___________
Offjrecese um hornera para copeiro
de S. Francisco n. 36.
na ra
Precisa-se de um homem estrangeiro para
trabalhsr, plantar e deitar sentido cm um sitio :
quem pretender dirija-se a ra Nova n. 49, que se
dir quem precisa.
pe^as
batalhao de artilharia, ser basteado o estandarte 0s possuidorespodera vir receber seus-respec-
do Santo patriarcha, acompanhado per grande >vospremios sem os descontosdas leis na Casa
qnantidade de foguetes; as 6 horas da tarde do da Fortuna ra de Crespn.23.
Acham-se a venda os da 3* parte da 4* lotera-'-
(li"j beneficio da Santa Casa da Misericordia,
que se extrahir no dia 6 de maio.
PREGO.
Bilhetes.....7*000
Meios. 3*500
Quartos.....1*900
Para as pessoas que coniprarem de 100)91000
pan cima.
Bilhetes.....65500
Meios......3*250
Quartos.....1*700
Manoel Martins Fiuza.
mesrao dia achar-se-ha aherta a igreja, e depois
que a banda militar houver tocado as symphonias
do costume, dar-se-ha principio as vesperas solem-
nes em as quaes orar o Rvd. Fr. Pedro da Purifl-
cacao. Na madrugada do dia 7 ser rezada urna
missa, durante a qual tocar diversas ouverturas a
Saceos grandes de milho novo a i&.
Dito dito de feijo mulatinho a 90.
Ra dos Quarteis n. 22 junto a loja de funileiro.
Pede-se aos credores do capltao Antonio
.,-??lD."H d. Me"?*. 1u! f?"P'JE! Ja^.M Imica7uV"ra7nlici7nada7s fi lrs do da entra"
ra' a festa do Patriarcha em a qual orara' o Rvd.
conego Joaquim Ferreira dos Sanios, finalizando o
acto com urna salva de vinle e um tiros; s 6 ho-
l ras da tarde ser annunciada a entrada do Te-
I Deum por urna salva real, sendo orador no acto o
GRANDE ARMAZEM DA EXPOSIQAO DE LONDRES
Joao da Silva Ramos, medico pela Uni'
versidade de Coimera, d consultas em
sua casa das 9 s 11 horas da manhaa, e
das 4 s 6 da tarde. Visita os doentes
em suas casas regularmente as horas
para iese designadas, salvo os casos ur-
gentes, que sero soccorridos em qual-
quer osoasio. D consultas aos pobres
que o procurarem no hospital Pedro II,
aonde encontrado diariamente das 6
s 8 horas da manhaa.
Ttm sea casa de sade regularmente
montada para receber qualquer doente,
anda mesmo os alienados, para o que
tem commodos apropriados e nella pra-
tica qualquer operacao cirnrgica.
Para a casa de sade.
Primeira classe 3*000diarios.
Segunda dita.... 2*500 >
Terceira dita.... 2*000
Este estabelecimento j bem acredi-
tado pelos bons servicos que tem pres-
tado.
O proprietario espera que elle conti-
nu a merecer a conianca de que sem-
pre tem gozado.
OfTerece-se urna ama para casa de pouca fa-
milia ou casa estrangeira : quem pretender diri-
ja se a ra do Palacio do Bispo n. 138.
O abaixo assignado avisa para que nao seja sa-
tisfeita urna ordem a seu faver de 120* vinda da
Babia, em urna carta que se extraviou do correio.
Recite, 4 de maio de 1865.
______________Manoel Carig liara una._____
Precisa-se de urna ama que saiba cosinhar
o diario de urna casa de pouca familia : no Recife
ra da Cruz n. 29.
Rvd. prgador da capella imperial padre Lino do
Monte Carmello, cora cujo acto se fioalisaro os
festejos desse dia. No dia 8 pelas 8 horas da ma-
nhaa ser cantada urna missa ao Senhor B-un Je-
ss dos Passos, e s 9 horas da noite um balao an-
nunciar o principio de um bello fugo de vista,
DE
Descontam-se notas do banco do Brasil e das
caixas filiaes: na praca da Independencia n. 22.
Augusto Coelho Lete
THOMAZ TEIXEIBA BASTOS
N. 60-fiua da Cadeia do Eecife-N. 00
saodo pela subida de outro balo.
A confraria pedo aos moradores do largo do Car-
mo o favor de illuminarem suas janellas nos das 6
e 7, para maior brilho, e espera ser allendida.
O secretario da cwnfrara,
Manoel Pranctsco dos Sanios e Silva.
Todos os artigo? abaixo mencionados, foram romprados recentemente pelo dono do estabele-
b Francisco Antonio Jg, """^^L"^1.^". !.M!a? de ,!aris' '-^dres, Birmingham, Manchesler, e em diversas cldades
por ser a diuheiro, por isso vende iodo
todos aquellescom quem tem relac5es' 5,'V ? n2-Darai0/ Pr meDOS do seu vlor, e mu principalmente por querer integramente liqui-
i ter de partir muito breve para a Europa.
i'JK? *ast. arn)azen> ricos objectos com brilhantes
e
or nm artista ,om rAnh^iHn a0i de AltJ"'|uerque Mello declaram ao corno do cora- ,"".' e i'n C("I,l'rado tuil<> as melhores condices
!."'"..??. ClaiSfiSSL'iff conhectdo, finali-1 merclo e J to"dos eg coffl em ^ ^ e qoalqae artigo barato, por menos do seu valor, e mui pr.nci
comroerciaes, e a qoem possa interessar, que nes- aar e ue_pa.r.nr..m.u"0 breve Para a Europa.
ta data dissolveram amigavelmente a sociedade
socieuauu f,pm -----~i vi^sw mi uiluame*, iroinu uuiuo, anneis. rosetas etc.,
que tinham na prensa de algodao no Forte do J 'Sa,versas.obras de ouro, como Irancelins, correntoes, oculos. face-mains, anneis. e muitos
wmmmmmmmm mmmmm
0 Os Srs. Julio Colombio e Augusto Co- ^
^ lombi tenham abondadedo dirigirem-se ^
W< a loja da ra do Cre po n. 17, para de- 81
S|S cidirem certa duvida que existe entre os ag
S senhores e o proprietario deste estabe- ^
W< lecimento. ffe
Mat'os n. 9 sob a firma de Augusto Leile & Alves, Sil '% rel6'os de ouro, inglezes, do afamado fabricante Bennette com|iletosortimenlo de fa-
ficando encarregado da liquidaflo da casa o socio S^l *n mo.lle!rna*',.fniudezas. perfumes, perfumaras finas dos principaes fabricantes inglezes e
Augusto Coelho Leite. Recife 24 de abril de 1865. nnrt i' ^ v- o VE?'LubD' L Legrand, Ed. Plnaud & Mever, Delettrez rParfumerie du
-------^ tnond legant), Violet, Societ Hvgieni
Companhia fldelidade de seguros
martimos e terrestres
estabelecida no Rio de Jaueiro.
AGENTES EM PERNAMBUCO
Anlonie Luiz de Olive ir Aze vedo & C,
competentemente autorizados pela direc-
tora da cumpanina de seguros Fldelida-
de, tomam seguros de" navios, mercado-
ras e predios no sen escriptorio ra da
Cm; n. 1.
mmmmmmmm mi
m
1
1 c Si c -i e i y3 79 D K 8 -i c i C 6;- o. 5' i? M fi. c o > i 3 c-, < o o*
M D> w T C p
1 i C a, sr -1 9> n - o
D a g p c c o 9 a cr
-9 o 3 1 a c o V -1 -o ce e c ea a B o. o i? 1 s o-1 -o. o -i m fi. a c c c a V. -i O m > 4
- -
AMA
Jo
Precisa-se de urna ama : na ra da Cadeia
Recife n. 50, para cosinhar o comprar.
Atten$io.
Quem precisar de um menino de 12 a 14 annos
para caixeiro de taberna com alguma pratica oo
outro qualquer negocio dirija se a ra du Cabua
n. 18, Progresso
Precisa-se de urna ama
pessoas preferindo se escrava
n. 23, secundo andar.
para
: na
casa de duas Rimmel
Na Camboa do Carmo casa n. 5, lava-se Azevedo & Irmao.
chapeos de palha para senhoras e faz-se chapeos |
de seda, vestidos e capas, e prepara-se plumas,
ludo por pre^o commedo.
m
o
barharcl
Francisco Angosto jia Costa
ADVOCADO
Ra do Imperador numero 69.
Hygienique, Monpelas, Mailly, Regnier, P.Gueland, e inglezas de Eug.
i Pen ecas dP^is.^finP n'8raS ,6m -marfln mar de perola>Hc' ilb Da Ch'na no JaP5 >
nar/vPaiiff? lfinocomoa,'ldaDaoar,Pareceram nef,a cidadp. e bem a-sim modernas lustres
------------------------------i nine a ,,'. p*Rr? ^az e para Pelroleo. serpentinas, caslicaes, eneites e adornos para cima de con-
i Precisase alugar um esersvo moco ou de JS epara grande toillette, o que se tem feito de mais elegante em Pars, em Londres, Birmingharo
I meia idade para pequeo servico de urna casa : flX:,:.1modei;nos aPParelhos de metal fino inglez para cha e caf, os quaes nada tem de inferior prala,
; na ra Nova n. 36.________________________e muii"nutras pecas do mesmo metal, ricos nenies de tartaruga da ultima moda para trancas de se-
Aluga se a casa terrea n. 14 da ra do as- a ',' ', ,,','"es !uvas de ,p,ll(-a do afamado Jouvjn, apparelhos de porcelana fina para cha e caf,
! cente : a tratar na ra do Queimado n. 32, loja de Si 1jaJ, e imnie.nso--- ariigcsde porcelana fina dourada, como ricos vasos para flores, figuras,
Lrpri' f principies fabricantes de Paris e ditos de panno com sola de borracha, pianos dos
I c^m Hanrti^ t ,x leyel'.Wo111 F-, realejos modernos de Gavioli & C, para se tocar na ra, ditos
1 rOteStOS de letraS XS ISfS"! dl,S M fifr em movimenio modernos e bonitos instrumentos de pbysi-
vki ; 5a! ,hr;a,ros ou sal ll\L[,a. %diae nlle i stereocopiosde nova invenco e com bello sortimenlode vistas das principaes
IPa grande WtmentO de brinquedos finos para crian?as, e bonecas fallando papai,
r Jos Tei^pira nrimp'irn andar rn mrt', ., 22 sr[ime"l de candieiros a gaz, os que se tem feito de mais elegante e que tem mere-
, ur. Jost lesera, primetro andar. cdo oda a acettacao na Europa, grande e magnifico sorlimento de caixinhas, cestinhas e outras galan-
*Et para alugar-se urna casa terrea na ra '',? ae crma J seda propnos para presentes; grande sortimento de estampas finas coloridas
I da Gloria n. 14, um pnmeiro e segundo andares de -j0"1 runao Pjeto e de outras de todos os santos, ditas com figuras e ditas com novas paysagens para
j I um sobrado na ra do Rosario da Boa-Vista, qua- wsmoramas, unos e bem graduados vidros para cosmoramas, um bello chaariz de chrislal, proprio
O escrivao Interino Torres entra de semana, e
deve ser procurado no cartorio da ra estreita do
Rosario n. 12, rasa em que tem escriptorio o Sr lamn
Precisa se de urna ama para comprar e cosi-
nhar para pequea familia; na ra da Senzala
Nova a. 38, primeiro andar.
Estando contratada com o SrTFranceiino de
Souza Barros a venda da casa n. 23 da ru de Ma-
thas Ferreira na cidade de Olinda. que foi do fal-
lecido Dr. Manoel Filippe da Fonseca, e ignoran-
do-se se os chaos sao proprios ou foreiros, faz se o
presente annuncio para que quem se juigar com
direito aprsente dentro de 8 dias, contados des-
te, os seus mulos a Antonio Nobre de Almeida na
ra Augusta n. 59. Recife 4 de maio de 1865'.
Perdeu-se do poder du abaixoasxgnadoduas
letras da quantia de 400* cada urna sacadas no
da 26 de abril prximo passado urna a 4 e oulra
a 8 mezes, aceitas por Francisco Moreira da Costa
e o sacador eiu branco, ruga-ce a pessoa que as
tiver adiado o favor de as maniar eutregar ao
araixo assignado, pois que ellas a ninguem serve
visto que o aceitante foi logo prevenido para nao
paga-las e at mesmo j aceitou outras de igual
quantia para a falla daqueilas. Recife 4 de maio
de 1865.
________ Paulo Jos Gomes.
Na ra da Gloria n. 92 tem para se empr-
garem duas amas de bom e abundante leite.
AVISO.
Arrendase a propriedade de Santa nn na
comarca do Cabo : a tratar na praca da Boa-Vista
n.8j
O abaixo assignado, tenente do 2 batalhao
da guarda nacional do municipio do Recife, decla-
ra ao autor do communicado lacerto no Diario de
3 do correle, assignado pelo pvejudicmlo, que, pa-
ra responder-lhe convenientemente, baja de assig-
nar o seu nome por extenso, porque nao respondo
a anonymos.
____________Manoel Juvencio de Saboya.
O prejudiradn est informado qne o Sr. te-
nente Saboya faliou guarda de 30 de abril pr-
ximo passado por eslar doeute, e quanto a mensa-
lidades, nao se entende com elle; visto que ha
sempre cumprdo com os deveres dos cargos que
oceupa.O prejuaicado.
mdico : na ra Imperial
o c i.oyiuiid-ae
n.63.
porprefo
Os abaixo assignados, moradores na ra da Ca-
deia do Hecife n. 3, fazem scente aos devedores
da massa fallida de Joaquim Vieira Coelho C,
que tendo arrematado as dividas pertencentes a
mesroa massa, sao elles os nicos autorisados a
receber taes dividas, porlaBto tem marcado o pra-
so de 30 dias para os senhores devedores virem ou
mandarem pagar seus deblos, findo o qual se pro-
mover a cobranca judicial.
Jos Joaquim de Castro Moura.
Joaquim Baptista de Araujo.
pin mmmm mmmm
jjg| O bacharel Lourenfo Aveliuo de Albu-
querque Mello continua a ter seu escrip- H
torio de advogado nos auditorios e tribu
Snaes desta cidade : na ra do Imperador au,
n. '.o. m
si no pateo da Sania cruz, e urna mei-agua na es- R*" me, do mesa de jantar ou para jardm ; entelara lina, como talheres com cabo de metal fino, co-
trada de Joo de Barros, com arvoredos, agua de me/es?.1 "esourashnas, dius modernas para alfaiates, navallias finas, caivetes e oulros artigos, diver
beber, e portSo para o becco do Pombal : quem f '"'"Eos re tos de rame; completo sorlimento de mascaras de velludo, setim, cera, papelo e ara-
pretender falle na ra das Cruzes, sobrado n. 9, "Moces, confeitos e chocolate em caixinhas e em vidros; ramas de ferro de|todos os tamanhos, lava-
das 9 horas da manhaa at ao meio dia.________ "0y etc.; rico qnadros para candes de visitas e ditos grandes e pequeos para retratos; chapeos Aluga-se um quarto no sobrado da rna 7>
HAlAifoW------------------ Dar anemff T Lr k pa? Car,rf,; mth para fazer rf' dl,asPara baler ovos- prPrias Ran8el 6 : quem pretender' dirija se ao mesmo
oOllClTQOr. nnnnc n?r. Pa.-de-l*. bolinhos, etc.; bellos cortinados arrendados, verdes, encarnados e brancos ; I_7wrnTr 2S ~---------- ,
O solicitador P drino da Costa Ma-: M7 SSflT^ SC.C^&ff!"* *l <* *? >cobertores.! enao^r. 'M f. L!Zfo7^Z\Tat
Cadeia do Recife n.
chado iransferto sua residencia
36 para a ra do Rangel
onde pode ser procurado
proOssio, qur no foro
Cabo, Ipojuca e Escada, para onde s eearrega de
cobranzas.
euoininar : na
graixa
mu Sno'gran^ear-jnheTiKorir'M^ d-
S,l. cerveJa e barricas das principaes marcas de Londres, queijos etc.,
flllp fiara ohiimari le\n a,*;* ..__ ^_____ J
Aluga-se a casa terrea n. 105 da ra de San-
ta Rita : na rna da Aurora n. 36.
Casa para alugar.
Aluga-se um armazem n > ra das Flores n. 10,
proprio para officina : a tratar na roa Nova nu-
mero 31.
Previne-se todas as pessoas que tenham
transaegoes qur por crdito qur por debito com
o Sr. capito Antonio Joaquim de Mello, de s se
entenderem com Manoel Pedro de Mello, na ra do
Livramento n. 38.
Ama de leite
Precisa-se de urna aim de leite : na ra da Cai-
xa d'Agua da Boa-Vista n. 46.
FEST.l
Alem da msica do 4o batalhao que deve tecar
na occasio do fogo de vista em S. Jos d'Agonia,
foi convidada a sociedade de Bella Unio para bri-
Ihantismo do mesmo ac o.
Na ra dos Pires n. 54 ha orna ama para so
alugar, a qual fazo servio de urna casa, tanto
externo como interno.
abaixo assignalo comprou por coala do
Sr. Arlhur Souchois o bilbeie inteiro n. 2230 da
lotera que ha de correr no dia 6 de maio de 1865
da 3 parte da 4 lotera da Santa Casa da Miseri- i
cordia(14*)
________________Joio Gustavo Dutoy.
Pelos curadores fiscies da massa fallida de
Antonio Alves Vilella sao convidados os credores
da massa para resolverem sobre a entrega della
ao fallido na audiencia do Sr. Dr. juiz do com-
mercio, boje as 10 horas da manhaa.
~" auvertenclT
Eu abaixo assignado, autor do communicado in-
serto no Diauo do dia 3 do corren te mez, n. 101,
assignado pelo anonymo Elle, declaro que tal
artigo nao se entende com o Sr Antonio de Souza
Pinto, digno empregado do Gabinete Portuguez de
I.'Hura nesta cidade. _^'
Anda mesmo que al.-nma raz toe impellisse a
dirigir qualquer objhrgatona ao'nui'stre Sr. Pinto,
nao teria eu, por curto,- essa ousadia, visto as ma
neiras e delicadeza que o dito senhor sempre me
tem dispensado.
Recife, Ihte m'-io de 1863.
Jos Antonio Ribeiro.
O Sr. Jos Feliciano Machado, nSo deve reti-
rar-se ao presidio de Fernando sem que pnroejra-
mente emenda se com a pessoa que iridian/na
do Bartholomeu n. 43. que j o tem aOj cfiwado,
e que a pedido de um seu amigo se rh^ndou reti-
rar os annunclos deste Diario, por haver dito seu
amigo comprometido se quo o Sr. Jos Feliciano
Machado naquelles tres dias viria pessoa a quem
o cbamou, no entretanto .que sao passados muitos
dias sem que tenha o Sr. Jos Feliciano querido
saber para que fita o procurara ? Anda se Ihe pe-
de que v all a ce rio negocio, adra de se Ihe pou-
par desperas e desgostos, visto como tem sido df-
'-il encorara lo, e anda mais as casas que S. S.
indigta residir ou eslar habolotado.
Offerece-se urna mulher portugueza j de
idade para casa de mocos solteiros, para todo o
servico interno: a tratar na ra da Florentina nu-
mero 3..
Alugam se dous grandes sobrados com com-; mazem da Exposicao de Londres, na ra da Cadeia do Recife n 60
modos para numerosa familia, novos e aceiados, *
com jardim, cocheira, estribara e outras commo-'
didades, na travessa de Joao Fernandes Vieira :
a tratar na ra da Senzala Nova n. 42.
, DINHEIRO FRANCEZ.
---------- venaem-se moedas de ouro e notas do Banco, e bem assim urna colleccao desde um centesimo
bySteilia legal de medldaS, : veDde-se baral no , ou reforma do actual systema de pesos e medidas
para o systema francez, r digido por Joaquim Jos
da Graca, e approvado pelo conselho geral de ins-
truc^ao publica de Lisboa, o mais usado depois da.
reforma de medidas naquelle reino, e lambem o'
mais apropriado para reforma actual oeste knpe- j^; ^- rio ; pre^o 2* : na ra do Imperador, loja de II- ; s
vros dos Srs. Guimares & Oliveira, e "" "' -a
ce
<
O Dr. Cosme de S Pereira conti-
nua a residir na ra da Cruz n. 53,
| Io e 2o andar, onde pode ser procu-
; rado para o exercicio de sua profis-
: sao medica, e com especialidade
sobre e seguinte
Io molestias de olhos;
2o de peito :
3o dos igaos geni-
t urinarios.
Em seu escriptorio os doentes se-
rao examinados na ordem de suas
entradas comecando o trabalho pe-
los doentes de olhos.
Dar consultas todos os dias das
6 as 10 da manhaa, menos nos do-
mingos.
Praticar toda e qualquer opera-
Cao que juigar conveniente para o
prompto restabelecimento dos seus
doentes.
vros dos Srs. Guimares & Oliveira, e ra *o \
Crespo, loia.do Sr. NOyuoir*.._____- .- *', \|T "y
Precisase de Urna preta para o servieo de ,
casa e comprar : na-ra do Queimado n. 5.
g
3d
P
s
m
&S*&* JflaidC5o vende se, por muito menos de seu valor, perfumaras muito finas e
Sin?, r* V!.CeTret,leJe 5a".* e de LoDdres dos mais ahmadub fabricantes seguales : Eug.
- Uesappareceu no dia 27 de abril de 1863 um BSSTMWiff Sift Sociedade Hygienica, Piver, Violet, L. Legrand, Deletrez, Pinaud &
relogiodoprata patente inglez n. 41989. S.L.O.Y. "2 Te(r' Mailly, Gillet frere etc., etc., dos quaes ha grande sorlimento d'agua de colonia em
descoberte, mostrador de prala e letras de ouro, f e garrafas agua de lavande, agua para limpar dentes. oleo babosa, extractos em canafinhas e
cuja tampa da machina existe em meu poder: *-^sKde d'"erentes modelos, pos para limpar denles, banha em potes e em vidros, pomadas ricas
pede se aos senhores re joeiros ou parliculares, "'*'nn?s e balainhoscom perfumaras para fazer presentes, e muitos outros artigos que se vende por
no caso que Ihes seja offerec do de>apprehender, ?i?e seu valor>bem como todos os arligos em geral existentes no grande armazem da Exuosico
graiificando-se na enlrega : na pracaNl '
dencia ns. i e 3.
. idade 28 annos, pouco
mais ou menos, bastante alto, serco. bem pareci-
do, sea barba, pernas compridas, cor clara ca-
bellos cacheados, offlcial de pedreiro, pintor e
caiador, canhoto, e o maior sgnal que em
nma estrella as costas das maos, tres pintas azues
formando um f ngulo em cada lado do rosto a
urna grande cicatriz em nm dos brac s cima do
sangradouro, escravo do major Antonio da Silva
Gusmao, morador na ra Augusla n. 99 : portanto
roga-se as autoridades policiaes e aos capitaes de
cam|jo, assim como aos senhores de enfrente e
proprietarios aonde elle for trabalhar, intitulndo-
se forro, tanto nesta provincia como fra della
qne o faca prender eremetterao sobredto senhor*
que pagara todas a* despezas^ assim corad a quero
o conduzir.
na prasaNla indepen- de Londres. a roa da Cadeia do Recife n. 60.~
Alugam se dous moleques muito bons copei-
ros para criado : no corredor do Bispo n... a tra-
ar a qualquer hora.
Casa de campo
Aluga-se em Sant'Anna junto ao sitio do
Sr. Thomaz Harding, urna grando casa 6
sitio com grandes commodos para familia,
tendo estribara e casa para escravos sepa-
radamente, tem cacimba com boa agua, ar-
voredos e proporcoes para baixa de capim :
trala-se na ra da Cruz n, 4.
Para senhoras.
nt iCnLe.m0dern0S Penles de Ur,aro8a Para tranca de senhora.o que se tem feito de mais ele-
lSo5 *. E : vende-sejP!; menos de seu valor para se liquidar, no grande armazem da Ex-
posicao de Londres, na ra da Cadeia do Recife n. 60
A pessoa que hontem receben por encano
urna saca com milho, queira dirigir-se tsherna
na ruado Caldeireiro n. 60 para a entregar, rist*
ser para o abaixo assignado.
Jos dos Santos Moreira.
C0MPB1S.
Luvas novas de Jouvin.
mn nyendSra"Se xcel,enles luvas de pellica recentemente chegadas de Paris, tanto para homem co-
?r-n !! iora Por menos de seu valor, para se liquidar : no grande armazem da Exposicao de Lon-
dres, na ra da Cadeia do Recife n. 60.
Precisa-se de urna ama de
Palma n. 41, taberna,
leite : na ra da
Frontispicio do Carmo.
Os encarregados este atino da fesla de N. S. do
Frontispicio do Carmo convidara aos senhores pro-
curadores CaetanoCyriaco da Costa Moreira, Fran-
cisco de Sales de Andrade Luna, Antonio Theodo.
ro dos Santos Lima, Basilio Baptisla Purlado, Fran-
cisco Jos da Costa, Leonel de Moraese Silva, Jos
Joaquim Moreira, Hermenegildo Jos de Alcnta-
ra, Francisco Marcelino do Amaral, Remjamin VI-
res Dullra, Jos Joaquim da Silva Guimares e
Antonio Machado Pereira Vlanna comparecer em
o sobrado novo do principio da ru de Horias
que volta para o pateo de S. Pedro, as S botas da
tarde do dia 6 do correte para se tratar dos por
menores da mesma festa.
- O bacharel F. L. de Gnsme Lobo retirndo-
se por alguns dias para a comarca' de" Nazareth
previne aos ens ceBslituintes que em sua ausen-
cia podem entender-se com o Sr.. Dr. Francisco
Teixeira de S em seu escriptorio ra do Impe-
rador n. 73.
Ama de leite.
Na ra do Livramento n. 20, primeiro andar,
pode ser procurada nma ama com leite abundan-
te, de bom comportsmento. casada, mas sem filhos.
Samuel Power Johnston&Companha
Ruada Senzala Nova n. 4.
AGENCIA DA
Fnndicao de Low Noor.
Machinas a vapor de 4 e 6 cavados,
Moendas e meias moendas para engenho.
Taixas de ferro coado e batido para enge-
nho,
Arreios d carro para nm e dous cavallos.
Relogios de o-iro patente inglez.
Arados americanos.
Machinas para descarocar algodo.
Motores para ditos.
Machinas de costura.
AZEITEDOCE
| Ueite doce refinado em pequeas latas a 560 rs. a garrafa : no graude armazem
da Liga.
Compram-se libras sterlinas: no ar-
mazem de Ferreira Matlieus, na ra da
Cadeia do Recife n. 66.
Comprase effectvamente ouro e prata em
obras velhas, pagando-se -bem : na ra larga do
Rosario n. 24, loja de ourives.
Compra-se um escravo cezinbeiro que seja
moco, robusto e sem virios : a tratar no sobrado
n. 32 da ra da Aurora.
Compram-se libras sterlinas : na ra do
Crespo n. 16, primeiro andar.
Saceos de 80, 100 e 120 libras a 4, 44500
no grande armazem da Liga.
^m*
Precisa-se de nma ama para fazer lodo o servico
de cozinba de nma casa de pouca familia : a tra-
tar na ra Direita n. 91, prfoeiro indar.
Em vista do arl. 47 do compromjsso qua rege
esta confraria, faco constar a todos, os nossos ca-
rsimos irmos, que domingo 7 do correnle, pelas
9 horas da manhaa, depois da missa, se proceder
a eleico dos novos funecionarios que tem de re-
ger a mesma confraria nos annos de 1865 a 1866.
Consistorio da confraria de Santa Rila de Cas-
sia, 2 de maio de 1865.
Joo da Mata Beltro,
_________^_______Escrlvio.
Precisa-sede urna ama: na ra que Oca por
detraz da igreja de Santa Thereza n. 6, para coxi-
nhar e engommar para duas pessoas.
Precisa-se do urna ama para cozinhar e en-
gommar para duas pessoas, e que seja escrava :
na ra da Mangueira o. 12.
; nacional
Companhia geral hespanhola de seguros mutuos
sobre a vida
Joo Luiz Ferreira Ribeiro, pela sua par-
te agradece cordialmente a todas as pessoas
qne lizerum o favor d assislir aos olimos
suffragios de corro prsenle do seu muito
prezado amigo Joaquim Francisco dos San-
tos, na matriz do Corno Santo, no dia 3 do
crreme, vera por meio deste convidar a lo-
dos os seus amigos e aos do finado para fa-
zerem o favor de ir assislir a missa do sti-
mo dia, que se ha de celebrar na terca-feira
9 do correnle pelas 6 horas da manhaa na
mesma matriz do Corpa Sanio, protestando
desde j a todos o seu eterno agradec ment.
. AMA
I recisa-se da ama ama para faaer o servico de
nma casa de pouca familia : a tratar na fu do
Queimado n. 33 A, toja i* miudezas.
o primeiro anda.' do obrado da roa Precsa-se de ama ama para cozinbar
I pnm hacanlo n.Vlimdni > nrn~ nns A. ...___,___:,- "" '
ATOBISADA PELO REAL DECRETO DE 21
DE DEZEMBRO DE
Urna (anca en dinheiro, depositado nos cofres do estada, garaele
miDistraet da corapauhia.
1859
a boa ad
Cobre, laio e'chombo.
Compra se cobre, lato e chombo : no armazem
da bola aman Ha no oilao da secretaria fde poliria.
Silvino Guilherme de Barros compra e ven-
de effttotivamente escraves de ambos es sexos :
ra do Imperador n. 7, terceiro andar.
Compram-se libras sterlinas por 94O:
no largo do Corpo Santo n. 4, primeiro andar.
Ouro nacional amoedadV
Compra-se na praca da Independencia n. 22.
Compram-se libras sterlinas: na ra
da Cadeia do Recife n 22.
Libras sterlinas.
Compram-se na praca da Independencia nume-
ro 22.
Ouro e prata
em obras velhas : compra-se na praca
pendencia n. 22, loja de bilhetes.
da Inde-
Compra-se papel Biario a 140 rs. a libra
taberna da ra das Cruzes n. 22.
na
VENDAS.
O London & Brazillao Bank, saca por doos
os paqneles.sobre -- --
Lisboa.
Porto.
Braga.
Vianoa.
Guimares.
Villa Beal.
Coimbra.
Amarante.
Ama
BANQUEIROS DA COMPANBIA / DIRECgO GERAL
O Banco de Hespanha / Madrid : Rna do Prado n.l
Esta companhia liga pelo systema mutuo todasas combinacoes de supervivencia do< obre a yhU. "*
Nella 'i le gurado se perca o capital nem os juroscorrespondentes a estes.
Sao i>surenendentes os resultados que produzem as sociedades da ndole de A NACI
NAL,queinJa mjsm mlnuiado urna terca parte do intrsse produzido em recentesliquida-
55es e:o nbiuando-o -ora ira >rtali4ade da tabella de Depareieu que e adoptada Ipelacomnanhia
para seusialculos i liquidaces, em segurados de idade de 3 a!9 annos, urna imporsiconnual
det03* produzem effectivometlico: v
No fim de Sanios. .. 1:119*300
> de 10 i ...... 3:942*600
de 18........11:208*200
de SO .......30:256*000
de 25 ........ 80:331*000
as i'dades menores de 3 annos e maiores de 30, os productos sao mais consideraveis
Prospeeos e mais informales serao prestadas pelo sub-direelor nesta provincia
mo Joaquim Fiuza de-Oliveira, ra da Cadeia n. 52, ou a Boa-Vista rna da Iroperatrizl.12 estabel
intento dos irs. Raymando.Carlos, Leite A Irmio. r--------*^ -IM
Vende-se um carro de conduzir gneros da
alfandega, faltando-lhe urna roda, muito forte, per
preco multo commodo : a tratar no pateo de S.
Pedro n. 4. ______
Veode-se urna raixa de carroca para um boi,
em bnm estado, por prego muita commodo : a
tratar no pateo de 8. Pedro n. 4.
ImPnS "' 1M' Cm basun,e c<'HDIDodos a Preco casa de pouca familia : a ir^taf%a praca da !-
commodo.
depeedencii n. 1
Precisa-se de urna' ama para casa de pouca
milia : a tratar ca praca dn Corpo Santo n.
terceiro andar.
I':
Partlctpa-se aos pais de meninas entregue?
direecSe do callegio de N. S. da Conceigao, qne
este eeBegto se acha transferido para os Coelhos,
onde foi a casa de Alienados. Todas as pessoas que
tiverem relaeSes com dito eoUegio, all podero
dirigir-se : assim eomo all sanale nos domingos
i de tarde se reeebem visitas.
. ~PPr- V'W Tarares, lente eathedralico da
HcuJdade de direito e advogado, mudou a sua re-
sidencia para a roa do Queimado, primeiro andar
do sobrado n. 44.
a Preetaa-se de oes caixeiro que tenba pratica
de liberna ; na ruad* Aarora n. 54.
ALMANAK.
Acaba de sahir dos pr-
los de nossaUypographia o
Almanak AftininisiratiYO e
Mercantil e Industrial desta
provincia, correcto at 31
de dezembro, e vende se a
1$; na livraria ns. 6 e8
da praca da Independencia.
Vende-se caixes vazios proprios pa-
ra baliuleiros, e funileiros, a 2i$000 cada
um : e para as pessoas que comprarem do
4 para cima 1 800, nesta lypographia.
Vende-se urna carroca para cavallo, em boro
esudo : para tratar, na casa n. 4 da rna da Flo-
rentina._________________
Vende-se a fabrica de charutos da ra estrei-
tc do Rosario n. 45, com poneos fundos ou s a
arroacio, proprla para qualquer negocio -. a tratar
na mesma.
-
ILEGIVEL


:-
Diario de e
I

)
eo
-
^^ ****** *&.
*
PRODUCTOS
DO
ENSIGNE CHIMICO
Iehl
A molestia ou iofeccSo pecu-
lial conhecida pelo nome de Es-
crfula um des males ais
prevalecentes e universas ue
ha em toda a extensa lista das
enfermidades de que soffre o
genero humano : disse un cele-
bre escriptor da medicina qne
t jaais de urna terca parte de
todos aquelles que morrena antes
da velhice so victimas, ou dir*
ta ou indirectamente da Escrofu- Chimbador lelil.
te :por si n5e 13o des-iO esmalte branco inalteravel, sem cheiro nem sabor e da mis
tiva, porm a principal causa demolas simples aPPlicac3 para chumbar os denles por si mesmo, ins-
s
DO
RIO DE JANEIRO.
Um
Duzia.
CheMrRI9s superiores
wrie&tte fiti.
Superlores cenes de seda de cor, viudos pelo
iiltwno vapor fram-ez : na hija das columnas a ra
fe' C." ,3' ** ABt0B Orre* ** Vase Vinho Mudeira fino
tem para vender J. o do Reg Lima, na roa do
Apoll
NOVO GERENTE
DO

outras enfermidades que nao lhe sao geral-
mente attribuidas.
E' una causa directa da phthysica pul-
monar, das molestias do figado, do estoma-
go e affeccoes do cerebro:Entre os seus
numerosos symptomas acham-se os seguin-
les : falta de appetite ; o semblante pal-
udo e s vezes inchado, s vezes de urna
alvura transparente e outras corado e a-
marellento ao redor da bocea; fraqueza e
molleza nos msculos: disgesto fraca e
appetite irregular, falta de energa, venlre
inchado e evacuaco irregular; quando o
mal tem seu assento sobre os pulmes, urna
cor azulada mostra-se em roda dos olhos;
quando ataca os orgaos digestivos, os olhos
tornam-se avermelhados: o hlito ftido,
a lingua carregada, dores de cabeca, ton-
teiras etc.
as pessoas de disposico escrofulosa ap-
parecem frequentemente erupces na pelle
da cabeca e outras partes do corpo, sao pre-
dispostas s affeccoes dos pulmes, do figa-
do, dos rins e dos orgaos digestivos e ute-
rinos. Portanto, nao smente, aquelles
que padecem das formas ulcerosas e tuber-
culosas da escrfula que necessitam de. pro-
leccSo contra os seus estragos; todos as
(fuelles em cujo sangue existe o virus late-
le d'este lerrivel flagello (e s vezes heri-
ditario) eslo expostos tambem a soffrer das
enfermidades que elle causa, que sao:
A phthysica, uiceraedes do figado, do es-
tomago e dos rins: erupces e enfermida-
des eruptivas da culis ; rosa ou erysipela ;
iorbulhas. pstulas nascidas, tumores, rh-
cumacarbunculos, ulceras e chayas, rheu-
matismo, dores nos ossos, as costas e na
cabeca, debilidades femininas, flores bran-
cas causada pela ulceraco interior, e en-
fermidades uterinas, hydropesia, indiges-
tlo, enfraquecimenlo e debilidade ogral.
Aos pulmes a escrfula produz tubrcu-
los e finalmente consumpeo pulmonar :
as glanulas ella produz inchacoes e tornam-
se ulceras: nos orgaos digestivos causa
desarranjos que produzem indigestao, dis-
pepsia, molestias do figado e nos rins :
na pelle produz erupces e affeccoes cut-
neas.
Todos estes males tendo a mesma ori-
gem, carecem do mesmo remedio: a sa-
ber : purificar e fortalecer o sangue.
A salsa parrllba de Ayer
composta dos antdotos mais efficazes que
a sciencia medica tem podido descobrir,
para esta m lestia assoladora e para a cura
de todos os males provenientes d'ella que
contm virtudes verdaderamente extraordi-
narias provado incontestavelmente pelas
curas notaveis e bem eorWidas que tem
feito de tumores, erupces'cutneas, erysi-
peine, borbulhas, nacidas, -t/iagas antigs,
ulceras, rheuma, sarna, prelas, hydrope-
sia, tosse quando causada por depsitos tu-
berculosos nos pulmes. Debilidade ge-
ral:Indigestao, Syphilis constitucional e
molestias mercuriaes, molestias das mulhe-
res, ulceracoes do tero, a nevralgia e con-.
vulcoes epilpticas e em summa, toda serie'
de enfermidades que nascem da impureza;
do sangue. Vede as certidoes no A Ima-
nad: e Manual de sade do Dr. Ayer que
se distribue gratuitamente nos lugares onde
se vendem os remedios.
Este remedio o fructo de longas e labo-
riosas experiencias, e ha abundantes pravas I
das suas virtudes: posto que offerecido 1
ao publico sob o nome de Salsa parrilha, ,
compaslo de diversas plantas, algumas das'
qaaes sao superiores a melhor salsa parri-!
Iha no seu poder alterante.
rEITORAL DE CENEJA DE AVER.
Cura promptamenle a asthma, bronchite,
tosse, defluxo, angina, coqueluche,
phthysica primaria, tubrculos
pulmonares, e todas as
molestias pulmo-
nares.
Allivia os etlicos declarados.
Todas as molestias da garganta, do peito
e dos pulmes pdem ser curadas em pou-
co tempo pelo peitoral de cereja do dr,
AYER.
A' venda as principaes boticas e droga-
ras do imperio, e na agencia central do
Rio de Janeiro ra Direita n. 15.
Vende-se em Pernambuco:
a pharsaela f raaceza de
2,5000
500
tantaneamente, sem chumbo nem dor, meio prompto e perfeita-
mente eflicaz. O chumbador Iehl torna-se na bocea branco co-
mo os proprios dentes: acompanha urna guia......
Cimento cbinez
para concertar com a maior perfeicao iouca, porcellana, crystaes,
vidros., marmore e qualquer objecto precioso......
(ment de guita percha
especialmente preparado para chumbar os denles cariados. Acom-
panha urna guia..........., .
( osmelieo Indiano epilatorio
para destruir quasi instantneamente os cabellos de qualquer par-
te do corpo, sem dor e sem alterar a pelle. Ac. urna guia. .
Elexlr edontalgleo vegetal
para curar instantneamente as dores dos denles mais rebeldes, e
que tambem proprio para a conservacao dos mesmos, o en-
durecimenlo das gengivas e a suavidade da bocea. Acompanha
urna guia..................
Enerlvore
para tirar a tinta do papel e limpar as pennas de ac. ....
llelsteln
pedra austraca para curar os tumores, inchacoes e feridas prove-
nientes de rocadura decoleira, sellim, cangalha e outros rrios"
dos burros e cavados; adoptado as estribaras imperiaes'da
Austria desde o anno de 1741. Affianca-se que nao preciso
mais de 2i horas para que a chaga esteja cicatrisada, e que nao
exista mais indiano. Acompanha urna guia. ......
Limas chlinlcas
extraccao dos callos e cura garantida sem dor nem perigo, em 30
minutos pelas afamadas limas chimicas de Pedro Mourth.
Acompanha urna guia. O par.......... 3#OO0
Jlassa dentarla Samakol
esta mas a, pouco temp depois de sua introdueco na cavi jade
dentaria, adquire urna dureza.consideravel e nao atacada por
nenhuma das substancias alimenticias ou dentificias. Acompa-
nha urna guia............
Massa lustrosa
para limpar e abrilhantar instantneamente os trastes, pianos, ar-
maces de toja, grades e corrimoes de escada, tirar o sujo das
moscas, ficando envernisados como novos. Ac. urna guia .
Papel ehelroso
inflammavel, queimando sem bulla, para perfumar casas e quar-
tos, produzr sensacoes agradaveis e desinfectar o ar dos dentes:
Carteiras. .
dem.....
dem. ... .
Pomada Rondcslcus
conra piollios e tendeas; afianzada sem mercurio..... 2^000
pos de prata
para pratear instantneamente o cobre, o latiio, o bronze, etc., e
reparar os objeclos amigos prateados, como faqueiros,'salvas,
casticaes, apparelhos de cha e outros objectos semelhanies, ai-
flaneados sem mercurio, para uso dos joalheiros. relojoeiros,
pticos, negociantes de ferragens, curiosos e casas de familia:
Vidros de 2 oitavas. .
dem de urna onca. .
.*. sao amaneados infalliveis. Acompanha un a guia, vidro .
Pos purgativos
para curar e prevenir as molestias dos caes. Accmp. urna guia:
Carteirak .
. dem .
Na baooriental \'* -
para tirar todas as nodoas simples ou-composias sem alterar os
teculos como sejam: nodoas de vinho, licores, caf, frutas,
gordura, e limpar as golas e paramentos dos vestidos civs e mi-
litares. Acompanha urna guia........... 500
An, Tinta Azul Indelercl para marcara ronpa
e azul no escrever, e em 24 horas na sombra ou menos de una
ora no sol, tornase preta c nunca mais sahe do panno iras la-
vagens. E preciso escrever sobre panno encorpado ou engom-
mado. Afnanca-se que nito ha melhor na corte em qual dade,
Vidro de tres oncas .
dem de urna onca. .
*** enea nada indelevel sutierflna
para marcar a roupa, em vidros de meia onca ......
, Ungento Iehl
nevmarrVllhoS0,0raelhor atS heJe conhecido contra feridas
novas eant.gas, ulserosas e saniosas, fstulas, frieiras, hemor-
roidas lucencas, mordeduras, muas, panaricos, queimaduras,
nn SfnTc8' suKpurafoes Pulredas' calecas de prego, abeessos
no seio das senhoras, tumores e ulceras em qualquer parte:
Rolos. .
, dem. .
deposito em Pernambco em grosso e
EM CASI DE MANOEL i C.
8 RITA 1M> (ABlftA H
oAQOO 40,9000
U500 12*000,
2000 18*000
3*000 24*000
18*000
4*000
D'IODURETO DUPLO
de FERROeQUININA
O elementos que rompoem esta preparacSo, e
ferro, o iode e a quina, a collocSo no primeiro
grao das prenaracSes ferruginosas. Basta attestar
seas resallados obtidos pelos .Mdicos dos hospi-
taes, e os relatnos dos prcticos mais eminentes,
que confirmro sua poderosa efficacidade as
seguintes affecces:
3*000 24*000
1*000 9*000
500
1*000
i*5oe
4*000
7*000
10*000
20*000
1*500
3*0(0
500
SOO
1*000
-, l
12*000
28*000
4*000
4*000
7*000
4*000
1
[ ESTABELECIDO A RA NOVA N. 60
, AO
RESPEITAVEIi PUBLICO.
A apreciaco dos habitantes desla heroica provincia existe no grande arutg-
zem da l^lga estabelecido rus Nova n. CO un magnifico sortimento de molhadt s
que sendo em sua max mi parte mandados vir directamente do estrane ir rot'pm spr
vendidos por piecos asssrazoaveis.
Sem a fatuidade de querer que este novo e intorossante estabelermento seia o
primeiro e nico cm seu genero, pode-sc porm fliancar, com toda a segiuanca de que
nennum outro o exceder no restricto ca primento das segyit-s prometsas:
1. Delicadeza no trato.
2. Fidelidade no peso.
3 Sinceridade nos presos.
As pessoas que por sua posicao social gozam de certo ti atamento, acharao nest;
casa os melhores queijps londrinos, ceiveja, vinhos finissmos manteiga c cha semine de
pnmeira qualidade. etc., etc.
Qualquer que seja a cond^ao do freguez, elle deve contar que ser sempie mui-
to bem servido.
Aquelles que sio pouco favorecidos da sorte farao niecsalo-ente urna eccnon.ia de
Alte' das pilulasdeodureto duplo de firroetU militas patacas, afreguezando-se nesta casa, onde se lhes vender o arroz, o cal a mao-
jtttntna ie RebiUon, os_ Mdicos aconseihio teiga o assucar, ele, etc. de boa qualidade pelo preco que em algumas parles niio \w-
dem ou nio querem vender.
Os senhores de fra da cidade, dos arrebaldes ou centro, que compram para ne-
gociar, devem vir, p^lo seu proprio interesse, a este eslahelecimento para se convencer
rem do quanto se pode vender barato.
Para os senhors que compram para tornar a vender existe um sortimenio spe-
cial, escolhido por pessoa entendida que certamente muilo de;e agralar aos senhoie-
compradores
(a .
Fraque.
AtTmtm.
Chloro.r Ictericia.
MeBstra*.
Afleeeica^d* ater*.
Snapreaneii mm re-
ru c dcntrdct na
1*000 9*000 "*?*'"?
Afleeeaa pulmonar e
ahtalalc.
I Maleatlas a>at4aa(.
Gastralgias.
Perda d -appetite, ct.
Caavaleaceaca de laa-
(aa maleada.
Moleallaa eaerefala-
saa.
Papelra.
(rurri 4n gln-
dula*
Haaaarea fran
Humare brinco!
Raraltlaaia.
Affeccc eaaeereaaa
a ypbllllleaa.
Fehrr Ijpholde.
Varile, etc., etc.
34*000 Vejio se os bulUtins de therapeulica medica
t eirurgiea de 30 de novembre 4 860; a Gaxeta
ios hospitaes de 28 dejulho 1860, etc., etc.
igualmente o Xaropa d'iodure duplo de
tarro e de quinina do mesmo author para u
pessoas que nao gostio de medicamentos sob for-
ma pilular e os meninos. Este xarope Dio ten
como o xarope d'iodur* de ferro, o inconveniente
de alterar-se c de se nao poder conservar.
Peca-se o folheto qne se di de graca em cata
aofpharmacealieos depositarios.
Para-se evitarem falsitkaoSes, exija o com-
prador em cada frasco de Plalas on Xarope a aa-
signatura do inventor.
Depsito geral em Pars, pharmacia Rebillon,
411, rae da Bac, t em todas as boas pharmaciai
de Franga a dos putees ettrangeiros, etc.
GRANULOS
Ie BISMTHJ
DE CHEVRIER
Os granulos au bismuth de Chevrier bem
superiores a todas as outras preparaedes de
bismutk empregadas antes com o maior suecesso
pelos mdicos de todos os paites, para prevenir
curar as
dar a
Nao se tem poupado sacrificios, nem se deixar de fazer a diligencia para agr-
todos.
PELOS SEGUINTES PRECOS S SE VENDE
A DINHEIRO A VISTA:
Dlarrhea rhranlra.
D)enlerla.
Dre draliraigt
Dyapepala. <
Ka* dlSele
Gaatritca.
(ialtralslaa, ete.
ALPISTE E PAINCO a O rs, a iib a.
AMENOAS novas a 28o rs. a libra.
AVELES a 240 rs. a libra.
ARROZ de 80 rs, a libra a,..
AMEIXAS francezas em latas, potes, fias-
cos, bocetas, etc., etc.
AZEITE doce a 600 rs. a garrafa, cadada a
B
ingleza
11
e fi anceza
de (iO e-
1BANHA de porco a 6G0 rs a libra, em por-
Or prmeiros symptomas d'essas fonnidaveia i ^ ^az*se abate,
affeccoes se manifestio ordinariamente por iigtt- ( BOL.VGIIIISHAS do beato Antonio
ttos iaboriotas* omdumes, faiut d'appele, pesas
J~ comida, cambras es-
por espasmos nertmai
,, 4 estomago depo de cada comida, caimbras es- L ris.
a 2,000
.MANTEIGA
800 rs.
MACARRO a 400 rs. de 8 libras para emu
a 360 rs. a libra.
MASSA DE TOMATE a 6:0 rs. a lata.
MOSTARDA ingleza a 800 rs. o fratco.
MARRASQUINO de Zara.
MARMELLADA de diversos fabricantes t
diversos precos.-
1
PEIXE em latas a 1,000 rs.
PERAS SECCAS a 500 rs. a libra.
PASSAS muilo notas a 30 rs. a libra :
S5ce;.m^:^?'*" """ "^^ ^ISCOITOS ng'ezes eil latas de 1,200 rs: (y. r
Este estado mArbido, se o descuidao, tru ne- IBOLACIIDHAS principe Alberto a 2,000rs.' PnESl-NTO para fiambre.
vitavelmente, que seja: ^
1*000
500
7*000
4*000
2*000 18*000
Mole.lia de fleade.
A leler, la
ral pilara de caraca*
Drca ria.
Oppreaaoea.
Darra de eabeea.
irrllare de kealfa
da anatrla, ete.
Os granulos Chevrier sao ordenados pelas
sommidades medicaes para prevenir essas diver-
sas molestias e curt as quando sao tomados a
tempo.
0 preco de cada (rasco de i trancos.
Depsito geral em Pars, pharmacia Chevrier,
e em todas as pharmacias de Franca e dos ptiiM
estrangeires.
nico
4*000 30*000
2*000 17*000
a retalho
XAROPE
deLABELONYE
CHOURKAS m ito novas a 800 rs. a libra. WEIJO do re no de 2,000 a
CAF de 260 rs. a libra. I,DEM londnno.
CHOCOLATE francez a 800 rs. a libra. ')KM soisso a ',0 r?- a '*'
CHAMPAGNE das marcas mais acreditadas,1DEM PMt0 :1 Mp.**- 3 l,bra-
a 25,000 rs. o gigo. | *
CHARUTOS de todas as qualidades, suissos,. SADAP MASSA a ,(i0 r?-
americana s, habannos, fluminenses, etc., aba,e em C8'xa-
de 1,400 a 10,000 o cento.
CHA IIYSSON de 2,200 a
COPOS 1 sos ladidados de todos os tama-
nhos a
SEVADIMIA
far grandi
'1
a libra c grande
Lias se
Impretido coi
t Medicoi de toda o
iBrariavel succeuo desde 30 taaoa
feUt Medicoi de tdi o ftittt costra at moltiiiai
arjtnicti u ata ariaaica do coracmo, >i aiTersu kj-
dropmai t a matar partt feroaeaios (ptuumt+iat, taUrrki puttaenartt, eitkmas,
V''tfci rrai N>rMki, earrro,le..i)
O XABen de LABaXONYB ato vende teaio
arrafas eon rotulas de cor c fechadas cem ui tkaaa
taraado a Irma do imtnlor.
Ka PARU. roa BaarhanVIlIraeDTe, II
deposite geral em Pernamboce ra da
Cruz a.22 em casa de Caros & Barben
CHEGIRAH OS MODERNOS CH4LES DE
FIL PRETO.
P.MAURER & C.
No armazem de fazendas ba^
ratas' de Santos Coelho, ra
do Queimadon. 19, ven-
de-se o seguinte:
LnOQeec de panno de linho a 25400.
bramante de linho de um s panno a
Fareloa 3^800
tra ra da Imperatriz d. 6.
Vendem-se
Ditos de
3*500.
abenas de chita iia tedia a 2*308.
Leocos de earobraia brancos proprios para algi-
be-ira, pelo barato preco de jOO a duza.
Pecas de bretanha de roto com 10 varas a 3t8O0.
Ditas de eambraia para forro de vestido, com 8
varas, pelo baratsimo preco de 600.
machinas americanas de serrote para descarocar
I algodo : na roa da Seozala ova n. 42.
Milho a k$> o sac~coy
e lalascom 27 garrafas dega; de primeira quali-
dade a 11*700 e a retalho a 480 : no armazem da
Estrella largo do Paraizo n. 14.
Vaquetas
Vendem-se vaquetas proprias para coberias dn
deiSSlJo'i'T" pelo.barallssirno Preco carro ge.: m casa ae F. o.>Tage & C. ii roa da
Algodio enfasudo com 7 l|2 paleaos de largara a
Instruecoes p;ira o servido
das guardas do ezereito, cxirahidas do re-
gulamepto de infamara e accommodadas ao
exercito brasileiro; obra que muito convm
aquellas pessoas que se alistam nos corpos
de voluatarios; veode-se na livraria n. 6 e
8 da praca da lnd pendencia, a It$.
0 G1STELL0 DE GBASVILLE
Tradiuide do fraocez per A. J. C. da Cruz.
Vende-se este belln romance em quatr
tomos pelo baratissimo preco de 205OC
oa prafa dj Independencia, livraria ns.
6 e 8.
l
. DOCES de todas as qualidades.
E
j ERVILHAS seccas e em latas portuquezas e
I ,fi^ncezas.
F
! FARtNHA de araruta verdadeira a 800 rs. a
libra.
; F ARINIIA do Waranhao ou tapioca a
FARELLO de Lisboa a 4 e 5,( 00 rs. a sacea.
FAVAS portuguezas em lata a 600 rs.
f
GOMMA muito nova e alva a 120 rs. a libra.
GRAO DE DIGO a lO rs. a libra.
GENEBRa delaranja a 9 e 10,500 rs.
GENERRA de Hollanda i m botijas, frascos,
garrafas, etc.. etc.
a 200 rs. a libra e ft
abatimento.
V
VINHO tinto de 360 a. garrafa.
VINHO tinto em camda de 2,860
VINHO branco em caada de 3,300 5
VINHO verde a 40 rs. a caada.
VINHO Hordeux em caixa a 6.( 00. 7 f 00 e
VINHO de Grave a 6,000 rs. a caixa.
VINHO rherry a 1,000 rs. a garrafa.
VINHO do Porto de todas as marcas e lodos
os presos.
VINHO Collares a 800 rs. a garrafa.
VINHO tinto, neste genero ha constantemen-
te 20 a 30 pipas ao torno de disesas
qualidades e diversos precos.
VINAGRE em amolelas a 15.000 rs.
VINAGRE em pipa a 160, 200 e 240 rs,.
VINAGRE branco a 400 rs. a garrafa.
VELLAS de carnauba a 13 e 13,500 rs. a-
arreba.
Vende-se a taberna da roa dos Acouguinhos
"Til t 9 V" rl I a, vin annrfawii
Hachlnas de serrotes para
algodo
^negaram as desejadas machinas de serrotes pa-
tWZSSfSff ,od?t.l,avendo un completo sor-
iraenio desde 13 al 40 errles, tambem ha mo-
tores americanos para as mesmas machinas, ven-
dem-se o mais barato possivel na ra da Cadeia
tlattS^**"9" de JoaoCar- e^arrafadoserabams ean-
n 20 : a traiar na mesma
-- Vinhos do Porto finos
PROPRIO PAR iSENHOR'a:------
Vende-se uji excellenle cavallomuito no-:
vo e manso com todos os andares: na co-'
cheira do Paulino, rua de Santo-Amaro, i
coretas:
Efe casa de Tisset Freresrua do Trapiche n.
9, tem para vender :
Vinho B.rdeauxem barricas e em caixas.
Dito de Sanierne fino.
Ditod- Champagne moho superior.
Cerveja franceza marca Bobee.
Toros de Jacaranda, madeira muito especial
para construir mobilias : no largo do Corpo Santo
n. 4, primeiro andar.
Vende-se umescravo idade 25 annos ins'gne
offlefal de carplna e bon*ta figura : na travessa do
Carreo n. 1. ________
A ttengo.
VendeaSM n^ea a miiras para forro de sala,
4*S00. -?n,a brBca ^Pirada a oteo, en latas de K li'
bras, para pintar casa, relogios para cima de me-
sa e pira pendnrar, arreios para I e 2 cavallos
velas de spennacele, ludo de superior qualidade'
vindodos Estados-Unidos: no armazem da roa do
Trapiche n. 8.
' Vende-se o esUoeleciment i
tj-200 a vara.
Cortes de lia de lindos costos' com 15 covados a
6^000.
Pcas de cambria adamascada com 20 varas, pro-
pria para cortinado, pelo barato preco de 111.
Fil liso fino a 800 r. a vara.
Dito com lpicos alia vara.
Tarlatana branca fioa a 880 rs. a vara.
Atoalbado de algodio adamascado a 2J20O a vara.
D[to de linho a 31200 a vara.
Laazinhas lisas de todas as cores, pelo baratissimo
preco de 500 rs. o cavado.
Pecas de eambraia de salplcos brancos e de core
falL? *'* vari' fel baralissinlo preee de
4#500. i
Baldee de 20 arcos a 21500,
3#800, de 35 41, de 40
Toalhas felpudas a 131 a duzta.
Esteiras da India de 4, 5 e paliaos por menos
preco do que em ootra qoalqaer parte
Neste armazem se encontrar ora grande sorli-
mento de roupa feita e por medida.
*- Na roa de Qaeioado n. i vende-te ama Vende-se o eslabeleciment da ro
etabina ameneana para desearocar algedo, de 8, oa mesmo s a armaco, garantindose ao com-
ttfrae, por meaos preco do que em ootra qual- prador o aluguel: tratase na roa da Seozala Nova
flow parte. Damero 30.
Lagrimas do Douro.
i Duque di Kilo.
D. Lu,ii. .
Menetc?.
P.irtirn'ar.
Vinho real e mu.-ralel
(9, pnm< iro andar.
na ra do Yigario n.
MACHINAS bll'AUM
de trabalbar n-m |i;
desearocar algodo
FABRICADAS
Por Plant Brothers & C.
OLDAH
Eslan achica:
podem descarocaj
qualqu<-r especii
de algodo sen
estragar c fie
sendo bastante
duas pessoas par
o trabalho; pd<
descaroear umj
arroba de algo-
do em taroc
em 40 rninulo;
ou 18 arroba*
por dia on 5 ar-
robas de algodi*
limpc.
Francisco Jos Germano
RfJA WVA X. f I,
acaba de receber um lindo e magnifico sortimento
Vende se ires carreas para bni, ,|uas ius
para ravalln, dous carros paia condurtao de ge-
ner< s de estiva ou outro ,{u|qner mi^ic ludo em
bom e.-tado. p jw^r pD-co^ommiNlo, fm seu don-
querer acabar lum e.-se n,.KOi-ii'; a traiar na ra
do Sebo n. 54, Uberna
da II a va na
Na ra da Cruz n. 4, vende-se charutos de lla-
vana de diversas qualidades.

* v. u. o
V.
S-Cq.5
!*
c os t:- -,

cr B O Q, :
si" 3
C v. 03 O. 3
O. ?i re _.6 3; o
2 c a
c
" &
Si*
el
Plitiiiiificla
** r-
tC(D
de ocolos, lunetos e binculos,
apurado gosto da Europa.
t
o ultimo e mais
mwm
A ooo e 9$*QP
Na ra da Cadeia do Recite n. 5, joja de min-
dezas de bom goslo, vendem-se loques .de oseo a
11, e de madreperola a f, chegados pelo vapor DPSlH Ofli'UU,
inglez.
GAZ GAZ GAZ
Vende-se gaz da melhor qualidade
li^aiata: nos armazensda ruado Im-
perador o. 16 amado Trapirbe Novon. 8.
VE\D1M SK
caiioes vasios fr^i s para liahnlei-
ro> e fanileiros a 2,000 rs.; a traiar
. ---------.. I Vende-se doce fino de goiaba com 6 libras e
A verdadeira massa ingleza. preparada para meia a '.1500 e'syU caula : m roa da Cadeia
malar ratos e baratas, multo nova, acha-se a ven- de Recite d. 4, ter'eero indar
da no armazem de Doarte, Carvalho & C.f na tra- ------- .
vessa da Madre de Dos n. 9 a 40 rs. o pote, cuja I (i>l dft LUboa
efflcacia j bem conBecida. | Na mt do V.parlo n, 19, primeiro andar.
Assim como machinas para serem movidas por I
animaes, que descarocam 18 arrobas de algoda i
limpo, por dia; e molorcs para mover umt, duas.
eutns dessas marbinas.
Os mesmos tem para vender um bellissimo va-
por que pode fazer mover seis deslas machina]
mencionadas ; para o que convida-st aos Srs.
agricnltores a virem ver e eiamina-lo, no arma-
zem de algodo, uo largo da ponte nova n 47.
Sauaders Brothers & C.
N. II, prae do Corpo aoto
RECIFE.
Os aicos agentes neste paii.
Q a t
S "
SL2-SE I
f Wt
2.
09
'l-o.
rj' X? & ~>
0.2 5 3
M- 2 o
05 O S o
litro
c

O a:
t
O
o;
=.--
5
B
a
c-
p
->
C
B3
>
o
DROGARA.
34Rm| larga de Rosario34
Barlholtmei FraRcisca^tfeSooia
Teaadea:
Acido actico paro para retratistas.
Esmaltes para oarives.
Panel para torrar casas.
Gdlrnicoesavelludada?.
Tinu branca superior em lata.
AlvaiadeVenexa, Rae, em pie*.
4C.
MARA PJ
Marta Pa ,,
Mara Kt)
Acaba de ebegar pelo uiumo vapor inglt uo>
esplendido sonlmento de enfeHes de cahera a Me-
ria Pia.os quaes pela soa elegancia e tm ;..
de rada qual o mais benito nada deixam a rf sendo prelos, rozos, ror de nonina e aznl;itiho
mus preces a 21500, ti. 41. 61,81 e t(l ta
iota do novo rival roa do Queitnado a. 10.
j





i
Blar'e de *Vrnamh*o ftabbido 8 de Hniu de t5
V,
AURORA BRILHANTE
GNDES 4RM
DE
^OLHADG
mi ii ai
ESPECULES
Largo da SantaSS 3
Cruz n. 84, es-M 3
quina da ra doJU'
Sebo. 8 <
1 Largo da Santa
Ij-lruz -n-. 84, es-;
pinina da ra doi
:^S3bo.
O nova proprletan do j milito acreditado armazera de molhTdo* denominado Au-
rora urilnaate. continua a ter o mesmo sirtimento de genero? de primeira qualidade.
A segainte lubilla -irvira' a todos de ba i N;o!iain arnm >m ven lera' mala barato e melhores rt> que a Aurora Brilhante, ja'
?*. glande sortimenlo que tem, j,' mesmo porqu seu dono J >seja tirar diminuto lu-
cro (joanto caagoe para acrumamr as despezas do jslabelacimeato por isso deise se a-
proveitar, o prspnelario ha de fazer toda a diligencia, afim de servir bem os seus cons-
lantes fregueies.
(Latt* om S libras dechouricas muito novas,
' a 7>uJ.
Ditas randes com peixo em postas inteiras,
i oaaisdea -ualiJades, a l 000, l280e
1 IjiOl).
>
i D tas jo o ostras, exceileate petiscopara fri-
'I idei
las, a720 rs.
ira, a 720 rs.
i rff. Ditas om favas, a 6i0 rs.
;; k Ojtas com amellas a 3200, 13S00 s 33500.
~J> Ditas com m rmela la do afamado fabricante
T Abren, a "20 rs.
jaDjiasco o raassa de tomate, a 500 rs.
)itasco:n figos de comadre, novos, a 13500,
"r, **8 wm
j>ii i $ J000.
.;. i tascara biscoitjnhos inglezesde muitas qua-
.& uJades, a 13W0.
:'P ClDsnlat.
Ct/iinlias comameisa* enfeiladas proorias
para mimo a l$,)0, 1 j30J e 3J200.
-ncolate superior muito novo, a libra de
S80.i_ IJOOO.
i I oarro, alliariam e iletria amarella, a libra
i 400 r.
D i lito dita branca, a libra a iO ) rs.
Gaitas com estrellaba, pevlde, e outras mas-
as, a ;aixa 3*500.
istia tita em hSras a 610 rs.
.I ;i -;. i fibra .i toO rs.
p vcliaia para sOaaaliara, a 249 rs.
r S riinas teeoas, a libra a liV) rs.
5> us le 9 i io ra nt) nova, a libra a 230 rs.
~ 'iii I; araruta verdadeira, a libra a
| i'fH 1) Mirao'ii, em eco, a arroba a
I i\ > a i libra -i S> rs.
"i la I lia > lava, irrobi a 3JM09 e a II-
5 iii 100 rs.
* 11 ni io li Lisboa a 9>>00 i
i libra, i
i i imtos, a arroba 73000 e a libra a
i i) rs.
! 11 i h ej n 125 ceblas grande, i UtSSO.
'. Ii fraaeeza, caixa com 2 duziasa
- .mi.
is e 'O raostarda-preparada era vinagra,
i \ )) rs.
> n conservas Ingieras e 'mnc-zas, a
ii) i -iOO rs.
(il-js com >al refinado San, a 6iO e a 500 rs.
i Mtoseoma verdadeira gonebra delaranja, a
! i )00.
| titos de 3 garrafas de llollanda verdadeira,a
840 rs.
Jitijas com dita propria para negocio, a
[ Vi) rs.
lirrafje< com 2 galoes com dita, a 63-
stvj! b)i, marca, a 500 rs. a garrafa, e al
I luz i a a ')?000.
Vinh-i ^i iscatel dcS-tubal, a garrafa a 15.
Muras i Moho verdad:'iro,rrascos a 80C rs. e
\ 1*200.
I :n iirnroo, a dtBta 205000, e a garrata a
i .' I > >')
) ."'.;: 'loa lo aprtuguez e franeez,a garrafa
' a 13000.
*.i':-i di vinho Oirl-anx raaito supenor.a
i 7. %i 0"> 103 i calta.
J litas com i'o brao '. i 73 a caita.
S Ditas < i i lito lacrimas I> Doaro verdadoiro,
W. _
Ditas am duquo lo Porto verdadeiro, a
. K100.
k") tas com chimisso superior, a 1 \-).
> )itas com P rto relho e outras muita? mar-
cas, a W*j.
J'.'inho do Porto a pipa, a garrafa a 640, 720
gOOrs. .
f Dito d! Lisboa muito bom.acanada a 33200,
l, 3$500 e 45, e a garrafa a 500 e 560 rs.
^Ditiia Fi'iera, das segnintes marcas(N.)
j \ A) (J-L. G.) (O. M.) a caada a
s 'i3o)0, e a farrafa a 560 e 640 rs., desle
? que ja est engarrafado e lacrado com o
, rotulo do armazem.
Ditos de marcan mais desconhecidas, a cana-
B da a 3-3500 e 43000, e a garrafa a 480 e
520 rs.
i^Viao branco Bno, a garrafa a 640rs.
Boito de caj muito superior, a garrafa a
Viuho verde superior.
A caada a 35000 e a garrafa a 400 rs.
Gomma.
Saccas de 4 arrobas, a verdadeira de se a
engoramar, a arroba a 33000 e a libra
120 rs. i
Sabao raassa, a libra a 200, 240 e 280 rs.
t'arialia.
Saccasgrandes com arlnha le Goianna mu- j
to nova, a 53000.
Gaf.
Caf lo Rio muito -iierior. a arroba a 84, 1
83500 e '>3000. S
Cha. c
Ch.'omos estes .'eneros mellior possivel, .
bvson, a libra a 2300. 1
Dito parola a 33000.
Dito uxim a 23700. d
Dito hyson muito fino l 2-J300.
Dito redondo a 235'00. E
Dito prelo le primeira luolidade a 2$oOO. fl
Dito mais baixo a 23000 e 15600.
Erva mate. r
Excellente cha medicinal, a libra a 240 rs. I
O masso com 'i vellas le espermacete a 600,.
640 e 720 rs. i
Passas.
Caitas de 16 i S libra le pass novas pro-
prias para mimos a 43 e 23o00.
\ozs. ,
!ozos, a libra IftO rs. e irroba a 43000. {
llpiti e paine.
Alpistae pvaca, a arroba 43000 e a libra a
160 rs.
Cartas.
Cartas Haas liara lagar, a luzia a 235'0.
Ct*aha>.
irroha e a i 10j|Castanha< nova* .-inli- nene vapor,
ba 43000 ea libra a 200 rs.
a arro-
\7.i*itonas.
Barris to n iteitan '< oovas a 15500
VantMsa.
Manteiaa nnarinr, o '51ra i 13200.
Dita mai- abaitn a 15120.
Dita menos suparior a 13 .
Dita fro '".a nova, a libra a 45120
Dita lita en barr- e meis ditos, a libra
15 rs.
Dita para tempero a 400 rs.
Qups.
Queijos novas viodos ueste vapor a 25800 e
33000.
Ditos londrinos muito novo, a iiDra
15000.
Papel.
Papel almaeo paulado, a resma a43800.
Dito dito lizo de linho. a resma a i$oW.
Dito de pesi lizo e pautado, a resma
Dito de erabru'ho, Som a 13 e 13200.
filia Muleira.
Garrafas com o verladeiro vinho Xerez e kfa>i
daira a 13500 e 25000.
Tcrajifros.
Folhas de loara, pimenta do reino,
e cravo, a libra a 400 ts,
Velas de carnauba.
Masaos com 6 volas 1 aimaiiba refinada
480 rs.
\nendoas.
Ameodoas com casca, a libra a 320 rs.
Doce.
Caixoes de doce de goiaba, grandes a 15400 7
e pequeos a 640 re. f i
lijlos de lirapar. $
Tijolos de arear facas a 140 rs.
Graxa.
Duziasde boiSes de ;raxa n. 97 a 25000, e
de latas a 13000, e os boioes a 240 rs. ca-
da uro, e as latas a 100 rs.
Charutos unos.
Charutos finos dos raelhores fabricantes da
Babia por diversos presos, caixas e meias
caixas.
tendentes
800' E srande quantidade de gneros
estes estabeleeimentos, qne deixam de an-
nnnciar-se.
timkW*' MEDICO-CBftJRGICO
' DO
DR PEDRO DE A.TTAHYDE LOBO MOSOSO?
HEDICO, PAR IIIHO E OPERADOR.
3 Ra da Gloria, casa do Fundao 3
O Dr. Lobo Moscoso d consultas gratuitas aos pobres lodos os dias das 7 s I
aoras da iaanh5a, e das 6 e meias ^ huras da noile, excepeo dos dias santificado
Pharmacia especial homeopatilica.
No mesmo consultorio ba sempre o mais appropriado sortimento de .carteira.'
'.abosavulsos, assim como tinturas de varias dymnaraisaces e pelos precos seguinte^
Carteirasde 12 tubos grandes. l^OOO
de 24 tubosgrandes. 18^000
de 3i3 tubos grandes. 24)5000
de 48 tubosgrandes. 300000
de 60 tubos grandes. 350000
Prepara-se qualquer carteira conforme o pedido que se fizer, e com os remed
fie se pedir.
Ura tubo avulso ou frasco de tfntura le meia onga 10000.
Sendo para cima de 12, custaro is precos estabelecdos para as carteiras.
Ha ubos mais pequeos cada um a 500 ris.
f
LIVROS.
<
O
o
Q

DE
AZEVEDO FLORES
Ra da Odeia do Kecifc, esquina da H*rire le Deas.
Prestem attencao ao discurso do Balo.
Nesle estabelecimento todos os freguezes encontrarlo igualdade de direitos, o
agrado que fazemos ao rico fazemos ao pobre, ao menos empenaamos todos os exforfos
ao nosso alcance para agradarmos em geral.
Os nossos precos sao os mais mdicos como srjam:
Chitas largas escuras muito soffriveis a 280, 300 e 320 rs.
Ditas largas e linas padrOts novos de 400 500 rs
Ditas largas preclaras a 500 rs. s na loja do Balo.
Cambraias de cores com quadros, fazenda nova, a 5(50 rs. a vara.
dem lisas tapadas e transparente de todos os precos.
Madapolo de 8 a pera que em outras lojas se vende por 9.
Temos tambem muilos oulros madapolues dt diversos precos, assim como te-
A mellior obra da bomeopatliia, o Manual de Medicina,Homeopathicodo Dr. Jahr
donsgrafidesyoluinesuain diccionario.........','.- 2O0OOC
Medicina domesticado Dr. Hering,........... 100000
Repertorio Ja r. Melle Moraes........: 60000
Diccionario de termos de medicina......., 30000
Os remedios deste estabelecimento sao por deraais conhecidos e dispensam portan-
te de serem novaraente recommendados aspessoas que quizerem usar de remedios ver-
iadeiros,^nergcos e duradores: ha tudo do melhor que se pode desojar, globos de ver-
aadeiroassucar deleite, notaveisjeiasua boa conservaco, tiuturados mais acreditados | mos madapoies francezesde 14 e 100 a peca, inclusive tima qualidade espocial parasaia*
estabeleeimentos europos>a maise.iacta e aecurada preparado, e portanto a maior ener- | e senhora a 500 rs. a vara,
gias .-jrteza em seus effeitos.
^jim ds sctie pira escravas.
Recebe-sejscravos para tratar de [ualquerenfermidade ou fazer-se-lhe qualquer ilid de>
operacao, para o que o annunciantejulga-st.'suficientemente habilitado.
Otratameoto o melhor possivel, tanto na parte alimentar, como na medica, e
funcc-ionando a casa a mais de quatre annos, ha maltas pessoas de cujo conceito se nao
poae duvidar, que pdem ser consultados por aquelles que desejarem mandar seut i presos
Paga-se 20000 por dia durante 60 dias ed'ahiemdiante 10500.
As operacSes sero previamente ajustadas, s
izTaris i u ;mi i a i pe lr o annunciaste.
Gambraia para forro de vestidos.
La preta para luto, e de todas as mais cores.
Las com o asscntu escaro e flores matizadas fa/.enda muito moderna e fina qna-
LfflSfeitorl e.nlo^ico e ehimico de F. P. Lebeuf e C
ra lontmartre, 31, em Paris.
Fabrica em ArgentenI!, prs Paris (Franca).
0\IRCA(aO F.4BMCACI0
Djs vihos, agurdenles e licores.
Meias pretas para senhora e homem.
dem cruas inglezas pa a homem o melhor que lia de 75 e 80-aduzia.
Camisas de 20500 que valtm 3>, temos muitas outras qualidades de diversos
assim como camisas verdadeiras inglezas e muito Onas a o> ou 550a duza.
Camisas de meia muito finas de 200 0250 a duzia.
Collarinlios de papel de cores e brat.cos assim como oeltarienos de linho ingle-
e n3o se quizerem sujeitar aos preco zes a 500 rs.
Temos um completo sortimento de grvalas pretas e de cores.
Ceroulas francezas muito boas a 10GUO.
Ceroulas de linho com duas costuras superiores e temos um completo sortimen-
to de roupa feita de casimiras e de brins.
Camisas de flanclla de cores a 30500, 40500 e 60.
Bales de arcos a 30 e 350 a duzia as de panno e de arcos pora meninos da 20
AGL'ARDEXTES.Essencia de cognac para dar.
de
e'
A
cominno ?
V1NH03.Iraitacao dos viahos de todas as
qualidades,R'.relo de Mel^c, adose para 330
litros, 1 f.#, ieBordeax. 2 f., de Pjmard, 3
f.,Kie Lisboa, t f.,de GatahB, 2 f.,de Porto,
Xerez, Muscatel, Malaga, dose para 2o ou 30 li-
tros, 4 f.
Substancia para, fabricar com o alcool e agua
os vinhos"acima e todos os outras.
500 litros, 50 f.
CLACIFICAQO.-Ps inglezes, pos dos vinhos
da Hespnna, da Franca, etc. A libra para 500
litros, 5 f.
COLORACO.Purpiriglne jKra
viohos brancos e vinhos claros. As
para 500 litros, *6 f.
Alguns de nossos agentes endo falsificado e mita lo nossas nreparaijoes, e engaado nossos
freguezes, levse exigir sobre as ralba.** rtulos as iulciaes F. V. L. Paris,
0 modo de i*ar-so das prepararles acha-se indicado no roUlo.
A* encommendas deven> ser aeompanhadas por urna letra sobre Paris ou qualquer oulra c.ida-
F.'\vi. ou irarantidas por uiim casa -uilio^li.Oirs,'r-se aosSrs. Lebeuf ^ C. diimic
i-t:'i, n. 3t, e a ParU, oa sai fabrica *r Vr,"nieml, prs Paris.
i -' u lotica france'.a, ra di Imperador n. 38.
as agurdenles ^ruinaras o sabor e o aron
cognac. A garrafa para 100 litros, 5 f.
KIRSCH E ABINTUO.-Essencia de kirsch
de absintho, para os fazer com alcool e agua,
garrafa para 100 litros, 5 f.
LICORES.Extractos para fabricar se todos os i
A dose para 'licores conhecidos sem fogo ncm- alambique, (in-
' dicar-se os que se desoja.) A dose para 20 ou 251
litros, 3 f.
PERFUMESpara fabrcar-se os licores finos ou |
communs a Jos para 20 ou 2o litros, 1 f. 2o.
TODOS os outros produotos para o trabalho o<
viahos,agurdenles, licores, vinagres, etc., saw 4
fabricados de encemmenda.
LTEXCILIOS de laboratorio e de chimica.
imicos, ra
coiofqar os
duas' libras
Chapos de sol superiores com 16 asteas a 120.
Casemiras do ultimo gosto para se fazer calca e collete.
Vestidos i Mara Pia a 180 e sao matisados.
Ha muitas nutras fazendas assim como grosdenaples e moreantiqu.
Lencos brancos j banhados.
dem finos para rap.
Cortes de laa a 50300 com 15 covados.
Chales para as senhoras trazerem por casa a 30 e 4,-> cada um.
Brim branco a 10300, 1,500,20 e2500
Bramante de urna largura para lences e toallias.
Brim de Kamburgo fino e grosso.
Alpaka pretn e branca.
Brim pardo.
Casemira e panno preto fino, tudo isto por preco baratissimo na loja io
M*M
#gg^*

x
<*jj
\l Pili
FlBilCl ftS CH POS DE SOL

.V ti
N. 11Roa do QueimadoN. 11
Superiores cortes de seda preta cora lindas barras.
Siuenor seda faconno que ha de melhor e naais go>to.
iloreantique preto muito bonito a 2*800, 3, 3*560 e i* o oovado.
Completo sortimento de grosdenapl.- preto de muitas qua idades.
Pannos pretos e casemiras de mitas qaaliddes.
Bouraus, chales e los di renda pretoa superiores.
Superiores pelisses soutembarqaes de seda para s nlioras.
Bjurnas de la para senhoras a 42*.
Chapeos e chapeiinas de palha de Italia para senhoras.
Corfs de laa de barras de 145 a 11$ de muito gosto
E muitas outras tazendas de superior qualidade na loja de Augusto FreJer.co dos
Santos Porto aonde tambem se vendem as melhores e mais baratas
Esteiras da India para forrar salas.
H. liRa do Queimado X. II
Camas de ferro
YiimhiM grande sortimento destas camas na
ra Nova a. 33 ; na mesma loja vndese grandes
mrinoes de ferro forrado* de porcelana tendo
duas aza* e taime de ferro, recotnmen'dam-se a
.juom precisar.
\\\ \\rvx e*;|iilai da Caoiboa do (ai-rao c rna do
alHig n. H.
A 'irectorii lesse estabelefltmento o mais importante que existe neste ger.e-ro!
as provincias do norte do impirio. rjurendo que o publico desta provincia goze das:
vanlagens que troporcion flr'ji!afl&i) om grande escala e directa relaco com as mais-
importantes 'abricas da ltirrjpa, faz scienfe que resolveu-se a vendor ainda mais barato
do que do jjstum,3 como,demonstra a seguinte tabella :
Descont em duzia.
20
7o
7o
Chapeos de sjI de panno a 20000 .
ar.m;) de baleia a-20500 .... 10
de sea arrigo dea?) iii^Lez de 20 pollegadas
40, de 21 ">>, .1. ->^ 50500 e ,|e 2S 00-...... 15 /o
Chapos de sol n^lezes a Iwlo 12 vareta^, cabos muito ricos e
seda superior da i pollegadas 80, de 2G 90. e de 28 100. 15 /o
dem idem a balo de 1G varetas patent paragon de fox de 24
pollegadas 110, de 26 120, e de 28 10^...... 15 o/0
Alera de muitas outras [iialiJadea de chapeos de sol que existen na mesma casa
como sejam de alpaka, ditos debrim de linho, etc., etc. ha tambem de seda e de panno
de todos os tamanhos e feitios, os quaes sao to vantajososcomoosannunciados, ha
sempre um constante sortimento de bengalas, chicotes, cachimbos, cirtttaria fina e ar-
mas de :aga, os quaes vendera-se jua!mente em porco e a retalho, notando porm
que o comprador por atacado ter sempre um descont razoavel, afim de poder reta-
mar pelo preco que o estabelecimento retalha.
N. B. Os objectos comprados em menos de urna duzia soro considerados como
a retalho.
>4W
ADMIRAVEL PEGHINCHA
II1XES E Ui \IIA PRETOR
a 10^000 cada um,
Cassas orgaadys de cores a SOrs. o covado.
A' ra do Crespo numero 17,
m
GOMMA NOVA.
Em paneiros muito al va a 4,ooo rs. a arroba e 16o rs. libra e compran- r
do de um paneiro para cima se far abatimento na ra do Imperador n. 40. '
mmm
Vo araaazem da viuvr Paula Lopes, defronte do
etnoarquena escadintia, vendam-se cabolas as me-
mores do mercado, asa eaxa e ceotp, o mais bo-
rato po6?i*L .
avariado.
Franeez barrica 5*000
Portland dem 8*800
Em perfeito estado:
Franeez Iiarrfca 10*000
Pnland dem U*000
No arnuieffi do Taso Irmaps caes do Apollo.
Fio Vendefse no ascriptorio de Antonio l.ulz d Ol-
teira Azevedo 4* C, ra s Grt n. i.
^'' "seI mi
Superiores cortes de moirs preto eom barra, o qne ha de melhor gosto em
Pernambuco.
dem de gorgurao prelo adamascado com barra a imperatriz Eugenia,
dem de gorgurao de seda bordados eom barra.
Superiores moirs pelos e largos 2#400, 2#G00, 3$, 3?>o00, 40, 5(5, G,
)5> e 81 o covado.
Superior gorgurlo de seda proto, a melhor fazenda que ha para vestido.
Sarja preta de seda,
dem preta lies, anhola.
dem idem lavrada a 2.5 o covado.
dem idem lavrada muito superior. *
Completo sortimento de grosdenaple preto a )#*00,1800, 2, 2->o00, 3^,
3^500, 45, 45500 e 55. i
Pannos pretos de superior qualidade de 35 a 125 o covado.
Casemira preta de 15600 a 55 o covado.
Lindos chales, bournus, algeriennes e retoudes de lil prelo.
Mantas pretcs de fil e los pretos.
E muitas outras fazendas de superior qualidade na loja das Columuas
na ra do Crespo n. 13 de Antonio Correa de Vasconcellos & C. successores
de Jos Mor eir Lopes.


Cg^
Admiravel pechincha!
Mcambiqae a 300 rs. o covado, na toja
do paviio.
AGUA
DE
Florida
:
Vendem-se os mais bonitos mocarhbiques de pu- para restabelecer e conservar a cor natural uoaca-
ra la prpprios para vestidos e soutembarques,' bellos. ^^
sendo de qroadrinhos de listras e lisos, fazenda ib- | A agua de Florida cao e ama tintura, faci es-
teiramente nova, em padroes e muito proprlas pa-.sencial a contestar, a mesma anua dando a cor
ra as senlforas que frequentam o mez Mariano, primitiva de cabello. Roraposias de plantas bxo-
porqne ea|a fazenda Ibes facilita fazerem por pon- cas e de substancias inoflensiveis, ella tem a pro-
co dinheiro vestidos muito decentes para qualquer ; priedade de restituir aos cabellos o principio co-
acto, advertindo se que este baratissimo preco rante que elles tem perdido.
devido a trrande compra que se fez desta nova fa
leuda, que se vende a frezo tustoes o covado : na
loja do pavao, ra da Imperatriz n. 60, de Gama &
Silva.
Vende-se Ja exceliente propriedade da rna
Imperial n. 164, freguezia de S. Jas, tendo 330
De urna salubridade incontestavel, a agua de
Florida ntrete ni a limpeza da cabeca, destroe as
caspas e empede os cabellos de cahir.
Altettcioso
Vendem-se queijos do ultimo Vapor a 2*500 e
palmos de frente e mais de 1,200 de fundo, no! 2*600. manteiga ingleza flor a 960 libra, dita
centro do qnal ba urna grande casa terrea de pe-
dra e cal, com muitos bons conimodos e alguns
arvoredos de ructo, precisando metade do fundo
dealgnm aterro: o Sr. capitalista que fizer esta
acquisicao tem, alem do. predio, terreno para edi-
ficar um grande numer de casas, j com frente
para a referida roa, j em outras que passara por
dentro da mesma propriedade, que por ter embar-
que ofTerece a immensa vantagem de facilitar a
conclusao dos materiaes, que serao despejados em
cima das obras : quem a pretender dirija-se ao
mencionado predio, ou ra do Brum n. 57.
Jumentos
Vende-se um linde casal de jumentos de bella
raca, grandes e covos, proprios para a conserva-
gao da mesma raca e cruzamento, do que se colhe-
ra magnficos machos, mullas carro e carpa ; coja
jumenta esta' prenhe, assim como urna linda ju-
mentinha com pouco menos de um anno : ver e
tratar com Jos Pereira Cesar no sitio Pirahnyra,
arrabalde da villa do Llmoeiro.
Mez Mariano.
Ainda est venda na rna do Imperador i. 15,
defronte de S. Francisco, a rica edicao do roe Ma-
ri anv, ornada com estampas e vinhetas, eeocader-
nada, por CariuDgas fiaos e bi-luqucdos
para meninos.
63 Madapolo muito fino com pequea toqne de avaria, p^r preco que admira : na loja |S^ i Chegaram para a*loja de miudezas da ma do
j&i das columnas na ra do Crespo n. 13, de Aatoaii Corroa de Vasconcellos Si G. !i#$ I Queimado n. 69, os mais finos e lindos calnneas
1 li li lu ji'jnffil liil" ~l ffi irif~li ** f-^^iR^F^'^^^'^sr^^w^^ttw unt0 p,ra Dr,D(lue(l0 de meninos como para cima
fe^sSa -^w^^^ <''vH^^'^OT.*s.%,SRn^e'de mesa : na mesma ,0a se encontrar bom 9or-
*^$%'$!!$ &w!w^'!^$'&$$3&&^'Qw}tR tinmato de miudens.
franueza da safra nuva a 920, arroz do Maranhu
a 100 rs., aletria e macarr3o a 400 rs., vinho de
Lisbca a 320, iOe 480, da Figueira a 500 e 560,
branco a 50 rs., do Porto a 640 a garrafa, esper-
macete a 600 rs a libra, loucioho de Lisboa a
320. batatas a 100 rs., sabio raassa a 200 rs. a
libra, erva mate a 160 rs., urna machina de copiar
caria, urna batanea ingleza, om moinho de moer
caf, latas de gaz valias IZO, blscoatos, vinhos
engarrafados finos, temperos, chantos finos, al-
pista, figos e outros muitos gneros que se delxatu
de mencionar, todo per menos do que em oolra.
qualquer parle, nesta casa o freguez com ponco
gasto vai sonido para casa e quera qaizer e bom
genero vir aqoi qne o Jaeharo: na rna Diratta
u. 72, frente, amarella.
~^~Vinho do Porto superior Ma.caia de daia,
tem para vender Antonio tniz deOliveira Aaevt-
do i- C, do seu escriptorio roa da Croi i-
Barris vasios.
Vendem-se barris vasios de manleiga a 120 rs.:
na jua Ja Cadeia do Reclfe n. 53.______________
^TNa rna da Cruz n. 38. era casa de Mills Rat-
teaH* C., vndese :
Cha. '
Oleo de linhaca.
FothasdeFlandre.
Silfos e silhSes ingiere-.
Cerveja Aspinall.
Dita Bass.
Dita John Jeffres C.
Um piano com pouco* uso.
Bi\as hamburguc.as.
Vende-se na ra Nova q. 61
V
TCEGlVEL


Alarle de re
ftfct sabfcai de Salo de 1M5

. *
Admirem
Admirem
Admirem Bem!!
As pechinchas que estao venda na loja e araa-
rera do Pavo, na ra da Iraperatrte h. 60'd, Ga-
ma & Silva, onde se vendem ** as fazendas,
tanto deluxo. corno de prlmeira necessidade per
presos rauito r-asoaveis, e com especialidade as.se-
guales, dando-se amostras detxando Qcar penhor,
oa mandio-se- levar em casa das familias petos
caixeiros da mesma lo]a.
Alfdaozinho do PjtJo.
Vendem-se pecas de algodozlnho marca T, mtri-
lo largo, proprio para lences e toalhas, tendo 24
jardas pelo baratissimo prego de 6fi a peca ; dito
large cora vinte jardas a 5*, pechioeha por ser
fazenda que se vende em outra q_ualquer parte
por tO e 12*, isto na laja do Pavao, ra da lm-
ratriz n. 60 de Gama & Silva.
Madapolo enfeslado a 4<$, 4*300 e o000.
Vendem-se pegas de madapolo enfeslado cora
12 jardas pelo baratissimo prego de 44, 4*>00 e
5*, ditas em seren entestados- demarcas muito
acreditadas a 7*, 85, 94, e 104, ditas, francez
multo encorpado proprios para saias a 480 ris a
vara, isto na toja do l'avo ra da Iraperatriz n.
60 de Gama A Silva.
Grande pechioeha.
Chitas a -220 ris o cotado.
Ou 74600 a peca so o Pavo.
Vendem-se chitas inglezas de superior qualida-
de, aliaogando-se as cores serem lixas, com limita
div^rsidade de padres, pelo baratissimo preco de
220 rs. o covado, ou 760O a peca tendo 38 co
va los, sendo fazouda esta que sempre se vendeu a
28J rs. o covado ou lO) a peca, chitas largas a
280, 320.- 380 rs, na loja do Pavo, ra da Impe-
ratrJa n. 60 de Gama & Silva.
Caries de chita frauceza na loja do Paro.
Vendem-se cortes de chita franceza, cores lixas
con 10 covado* a 35, ditos com 11 covados a
35300, ditos cora 12 covados a 35600, ditos de cW-
ta ingleza a 25200, 25400 e 2J6O0, isto na loja do
Pavo ra da Iraperatriz n. 60 de Gama & Silva.
Gassas Fraucezas a 30'>, 320 e 360 na loja do
Pavo.
Vendem-se cassas francezas rauio finas, de co-
res finas pelos baratos precos de 300,320 e 360 rs.
o covado, pecas de cambraia com salpicos de cor
ten 11 8 l|2 varas a 45 ditas salpicos brancos a
a 2-3'i m e 3*, ditas adamascadas para cortinadas
a 45, na loja do Pavo ra da Iraperatriz n. 60 de
Gama & Silva.
Cortes a liara Pia.
Glande peehincha a 55000 e 6/1000.
Veudem-se os inals bonitos cortes para vestidos,
sendo de cambraia bran-.a com as barras e enfeites
bordados, de cor crox, pelo baratissimo prego
de 55, ditos do mesmo gosto mais sendo de cores,
pelo baratsimo prego de 65 cada ura, valeado
esta f izenda dobrado dinheiro por ser a raals mo-
derna que tem vindo ao mercado, isto na loja do
Pavo na ra da Imperatriz n. 60 de Gama &
Silva.
Grande peehincha a S.-jOO.
Vestidos de la a Mara Pia.
Vende-se um bonito sortimento de vestidos de
lia com barras bordad-.s Mara Pia com as com-
petentes enfeites para o corpo, pelo baratissimo
preco de 85 cada um, peehincha por ser fazenda
que sempre sevendeua 125, e por ter chegado
urna nova e grande parcas, resolveram-se a fajar
este grande batimento na loja do l'avo, roa da
Iraperatriz n. 60 de Gama & Silva.
Vestidos (trancos.
Veniera-se os mais ricos cortes de vestidas de
cambraia branca primorosamente bordados, pelo
barato preco de 125- '63 e 203 na loja do Pavo,
ra da Imperatriz n. 60 de Gama & Silva.
La sari lia Mi 11 a a 400 ris,
VonJem-se as mais modernas lazinhas transpa-
rentes, com lisirinhas miuJinhas, pelo baratissimo
prego de 400 rs. o covado, ditas enfestadas, cor de
havana, cora listras dilTerentes, sendo das mais mo-
d-rnas e muito encorpadas a 500 rs. o covado : na
toja do Pavo, ra da Imperatriz n. (50, de Gama
& Silva.
Grande pechlachi, vestidos a
30 OO.
Acaba de chegar um bonito sortimento dos mais
Attenc&o.
Pazcadas pretas para a {sarama por
por baratsimo preco, na loja e ar-
luazein da Arara, roa da Imperatriz
a. 50
Lottren$o Pereira .Vendes Guimares.
O proprietario deste estabeleclmeato retira-se
para a Europa a tratar de sna saade, porm antes
de retirar-so pretende fazer urna liquidacao de ba-
baratisslrao prego para fechar contas; agora fre-
guezes vende-se grosdenaples preto muito bom
para vestidos, a 15600, 25 e 25500, dito de 5 pal-
mos de largo, a 34 : na ra da Imperatriz loja da
Arara n. 31.
Heurantique preto a 30.
Vende-se meuraulique preto para vestido a 34 o
covado, grosdenple muito largo e encorpado a 34,
2,5-000, 25 e 14600 o covado, alpaca pret para
vestidos e palitos a 500,600, 700 e 800 rs. o cova-
RArtSarjande laa para vestids> caigas e palitos a
ia e rs-' covado> laa prea para vestidos a
0*0 rs., bombazina preta para vestidos a 14280 o
covado : ra da Imperatriz loja da Arara n. 56.
Ricos vestidos a Maria Pia a 120.
laYe1e,ra"sde ricos vestidos a Maria Pia a 104,
12*> ,4*il6*: ruada Imperatriz loja da Arara
u. 06. '
Arara vende peca; de panninho a 50 e de
mada olao a 4*.
Vendem-se pecas d panninho muito fino de 12
jardas a .;>'*, vendem-se pegas de madapolo infes-
tado a 45 B 45500, vendem-se pegas de madapolo
de 24 jardas bom a 65, 75, 75500, 85, 95, 105 6
i-5, veiiJem-se pegas de algodosinho a 55 4,
/*, e 85 : ra da Imperatriz n. 36.
Arara vende os bales a 2500.
Vondem se balSas de arcos de todos os tamahhos
a 25,00, 35, 35.300 ei*: ra da Imperatriz
n. ou.
Aopueuc
Sem o menor constraa
entregar o
genero qne
se
glmento
importe do
5o agradar.
ARMAZEM
os preeoo da seguate
tabella para todas, po-
dendo assla servir de ba-
se para o ajaste de costas
com os portadores.
indo* vestidos transparentes, muito- proprios para x 3W(Je "j> y,'* J*'
>asseiose bailes, por serem de primorosos dse- wsooV Bj' r A 1 ?' 4
ihos, sendo todos os padres tecidos e nao pinta- 'W(7' rua da Imperatriz n. 06.
Oo:n toda attentflo.
passeio
h .
dos, e vcalem-se pelo baratissimo prego de 35500,
sendo fazenda que val- muito mais dinheiro: isto na
loja do l'avo, rua da Imperatriz n. 60, de Gama &
Silva.
Lazinhas a 2 40 ris.
Vendem-se as mais modernas lazinhas trans-
parentes, proprias para vestidos, tanto de quadri-
nhos como de listras, com as cores muito bonitas,
pelo baratissimo pre^o de 240 rs. o covado ; ditas
com palminhas de seda, padroes muito baratos, a
320 rs. : s na loja do l'avo, rua da Imperatriz
n. 60, de Gama & Silva.
Fazendas prctas.
Vende-se jrronsdenaples preto a 1*280, 15600,
15800 e 25 at 45, superior m-Miranlique preto a
34, setim da China, nova fazenda toda de la, pro-
pria para luto, cora 6 palmos de la-gura, a 500,
560, 600 e 800 rs. o covado, e outras militas fa-
zendas^ proprias para luto : oa loja do Pavo, rua
da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Grosdenaples de cor a IS*M>.
. Veudese superiorgrosdeuaples cor de caf,pro-
prio jiara vestido, sendo muito encorpado, a 15600
o covado : na loja do Pavo, rua da Imperatriz n.
60, de Gama 4 Silva.
Caserairasa 1$6'0.
Vendem-se casemiras garibaldinas de quadri-
nhos e lizas, proprias para calcas, palitos e colotes,
pelo barato preco de 14600 o covado, assira como
calija*, palitos e coletes j feitos das mesmas : na
loja do Pavo, rua da Imperatriz n. 60, de Gama &
Silva.
Grande sortimento de ronpi feit.
Vndese na loja do Pavo ura grande sortimen-
to de roupas feitas, constando de palitos de panno
preto, sobrecasacos, ditos saceos, ditos de casemi
ra, saceos e sobrecasacos, ditos de brim branco e
de cores, ditos de casineta, caigas de casemira pre-
ta de todas as qualidades, ditas de brira de linho branco e de todas as cores, coletes
de brim, casemiras, setira. gorgaro, etc., etc., to
das estas obras vendem-se por preco mais barato
do que em outra qualquer parte : na loja do Pa-
vo, rua da Imperatriz. n. 60, de Gama & Silva.
Chales c manteletes de renda
Vendem-se os mais ric >s e mais modernos cha-
les e manteletes de reoda, ehegados pelo ultimo va-
por da Europa, por.preco muito razoavel : na loja
do Pvo, roa da Imperatriz n. 60, de Gama 4
Silva.
Soutfcmbarques de cor
Vendem-se os mais modernos souterabarques de
cor, ricamente nfhados, e por barato preco : na
loja 4o Pavao, rua da Imperatriz n. 60, de Gama 4
Suva.
('apa 9prete e soniembarqncs.
Vendem-se as mais modernas opas pretas lisas
e bordffe, m mal* bonitos soutembarques pretos e
maoteleH, todo de seda.preta o o que ha de mais
gosto no ercatfo, por precos muito em conta :
na loja do PavSo, rua da' Imperatriz n. 60, de Ga-
ma 4 Silva.
Enfeites para cabega.
Vendem-se-o maisTiQdoa efetes para cabeca,
a 35, 44, 5*4 o 65, os melbores baldes cronolinas :
na loja do-Hflg>itga da Igpgratriz n- 60.______
Laa/.inhasda Arara a 320 rs. o covado.
vendem-se lazinhas para vestidos de senhoras
e meninas a 320, 400 e 500 rs., ditas lizas de to-
jas as cores a 400, 500 e 560 rs. o covado. cassas
imas para vestidos a 320, 360 e 400 rs. o covado :
rua da Imperatriz n 06.
Chitas da Arara a 240 rs. o covado.
Vendem-se chitas de cores flxas a 240 e 280 rs.
-iinVa 'lilas francezas Anas a 320, 360, 400 e
oO,preclara para vestidos a 500 e 560 rs. o cova-
do : rua da Imperatriz loja da Arara n. 56.
Liquidado de soutambaques e lazinhas a
_ 70, 80 e 100.
venuera-se soutambaques de lazinhas para se-
Dooras a 75, 85, dita de alpaca branca a 105, ditas
muito linas de grosdenple preto a 205, 255 e 305,
eapas pretas de grosdenple fino a 205, 255 e 305,
manteletes pretos de grosdenple a 205 e 225, go-
innas para senhora a 240, 320 e 506 rs., mangui-
tos cora gola a 15, camizinhas para senhora, 25,
e 0, ditas muito linas bordadas a 40500 : na loja
do barateiro da Boa-Vista rua da Imperatriz loja
da Arara n. 56.
Cortes de ditas finas a 20400.
.iYeJ!'Je'n"se' cortes de ditas cora 10 covados por
-40U ditos -de dita franceza a 35200, cortes de
cassa franceza fina com H covados, por 35, ven-
< -.',ne I'^as de cambraia branca lisa a 35500,
*4300, o5500, 65 e 85 : rua da Imperatriz n. 56.
Liquidacao de roupas feitas palitos a 20.
Veudem-se palitos de brim de cor a 25, 255C0 e
<5, J iquetoes de brim pardo a 35 e 35500, palitos
de casimira bem feito a 55, 65, 75,85 e 105, di-
tos de panno preto bom a 85 e 105, ditos sobreca-
S^'.JS cai,nirade cor e preta e de panno a 125,
1*4, lo0 e 205, calca de brim dec- a 25 e 25500,
Jilas brancas de linho a 35500 e 45, ditas de ca-
simira de C0 -nn nas""ira de cor e preto, de brim de cor
u1 '"'a"cs a 25 e -205; 0, ceroulas feitas a
1-5281^ ditas linas a 15600 e 25, camisas france-
M
Sal refinado em frascos de vidro com tampa
do mesmo, a 000 rs.
Cerveja branca das marcas mais acreditadas
.que \em ao mercado, a 5oo, 50o e 64o
a garrala, e 0,800, 6,000 e 0,5oo a du-
RUA DA CADEIA DO RECIFE N. 53
(Logo passando o arco da Conceleo)
PARA BEM DE TODOS.
Senbores e senhoras, o aceio que presidio aos arranjos deste novo estabelecimento, e mais que tudo a promttid5o e inte-
reza com que sero tratados, convida a urna visita ao mesmo, certos de que sem duvida me daro a proleccao e preferencia na rom
pra dos generes que prec;sarem, e quando nao possam vir podero mandar seus portadores, anda que estes sejam douco orticos
pois sero tSo bem servidos como se viessem pessoalmente, havendo para com estes toda recommendacao, afim de que novao en
ntra parle. .
Aletria, macarro e talharim a 4oo rs. a li-
bra e ,ooo a caixa.
Massa para sopa : estrelinha, pevide e rodi-
nha branca ouamarella a 64o rs. a libra e
3,5oo a caixa com 8 libras.
Viuho do Pono muito fino proprio para
engarrafar, em ancoretas de 9 caadas a
3o,ooo rs.
Vinho em pipa : Porto, Figueira e Lisboa a
32o, 4oo e 5oo rs. a garrafa, e em caada
a 2,5oo, 3,ooo e 3,8oo.
Vinho branco de Lisboa de excellente qua-
dade a 4oo e 5oo rs. garrafa e em cana-
da a 3,000 e 3,5oo.
Vinbo branco para missa em caixas de i du-
zia a 8,000 e 680 rs. a garrafa.
Vinho do Porto das melbores marcas que
vemao mercado como sejam: Lagrimas
do Douro, Duque do Porto, Rainha de Por-
tugal, Duque genuino, D. Luiz 1, Madei-
ra Secca, Malvazia fina a 16,000,15,ooo,
t2,ooo e to,oooacaixacom I duzia e9oo,
t.ooo e l,5oo rs. a garrafa.
Vinho Cherexde superior qualidade a 16,000
a duzia e l,5oo rs. a garrafa.
Sardinhas de Nantes a 4oo rs. os quartos e
64o rs. as meias latas.
zas a 25 e 25500, ditas inglezas de pregas largas a
-4, de linho a35 e.34500, eolerinhos econmicos
i oto rs.a dazia, ditos de linho a 500 rs,um : na
rua da Imperatriz loja da Araja n. 56.
Arara rende as cobertas a 20.
Vealem-si.-obertas de chita finas a 2-3 e 25500,
ditas de damasco a 45 : rua da Imperatriz n, 56.
k na Arara que e ven !e cortes de casimira
vaa Prcta a 3)5-
ver m-se-ortes de casimira preta para caiga a
de cor a 34
Oleo, de Florida
Composto de substancias vegetaos exticas, elle
contribtie poderosamente, eom a apua de Flo-
rida a forca, a belleza e a conservado dos cabel-
los.
Era Paris casa de Guilaurn. 113 roa de Rechl-
lieu e 31 boulevard Montraarlre.
Todos os frascos nao tendo Intacto e clare, e Un-
cir prateado da casa, reputado falso.
Deposito riia do Imperador pnarmaeian. 30.
S<5a? t JL
ata<3&
I
Urna familia qne se retir vende urna naobia
de amarello j usada, trem de cosinia, loo,ca de
almoco e jaotar azu1, urna mesa de jamar de-ama-
relio ps torniados, mesas pequea^, coraraodas,
O propnetario da loja e armazem da \rara, est
resol vida a vender as fazendas de todas as quali-
dades pur barato preco afim de se apurar dinheire
na loja da Arara n. 56, de Lourengo Pereira Men-
dos Oui maraes.
Madapolo flno.
Vende-se madapolo com 24 jardas n. 3 a 55,
n. 30 a 65, n. 2 a 75, n. 10 a 70480, n. 6 a 84,
n. 5 a 8, marcas esm 80300, HUR 90, Elephanle
105, ZZZ 115 : rua da Imporatriz n. 56, loja de
Meudes Guim Arara vende casemiras finas a 20500 o co-
vado.
Vende-se casemira preta e azul cora listas tendo
duas larguras pelo baratissimo preco de 25500 o
covado : na rua da Inip ratriz loja da Arara n. 56,
de .Alendes Guimares.
Cortes de ch'ta a 2#400.
Vendem-se cortes de chita cora 10 covados a
24400, ditos a 24^00, vende se tambem chitas in
Kiezas a 20 e 280 o covado, ditas francezas a 280"
300, 320, 360 e 400 rs. o covado : s Arara, de'
Meudes Guimares.
Liquidacao de soutembarques de cores
a 64, .?5, 85 e 105, ditos pretos a 185, 194, 204
e 235, capas pretas de grosdenple a 205, 255 e
305, manteletes a 185, 205, 225 : na rua da Im-
peratri'. n. 56, de Mendes Guimares.
Cortes de cambraia de cores a 3$.
Vendem-se cortes de cambraia de cores com 7
varas por 35, cambraia branca a 355O0, 45,
453OO, 55, 65 e 85 a pega, alpacas de cores a 320
o covado, cambraia de cores a 320, 360, 400 e
440 o covado, lazirfhas muito finas lisas a 400,
500 e 560 o covado. lengas de linho a 400, 500,
640 e 800 cada um, aberturas de esquio de linho
linas a 15 cada urna : isto s na loja e armazem
da Arara, de Mendes Guimares.
Vende-se cbales.de meri liso a 4^500,
ditos estampados a 59300, 65 e 75, gol lionas para
senhora a 320, 400 e 500 rs. cada urna, golas e
punhos a 800, manguito: e gola a 14 cada urna,
cajnisiobas para senhora a 24 e 44, ditas muito
Anas bordadas cora gravatlnhas a 45500 e 55,
raeias de seda para senhora a 15500 o par, ven-
de-se paninho cora 12 jardas a 55, pega de mada-
polo entestado a 45, 45500 : s Arara n. 56, loja
de Mendes Guimares.
Ricos corles a Maria Pia.
Vendem-se os mais bonitos cortes a Maria Pia a
85, 105, 125, 145 e 165, ditos muito finos a 185:
na rua da Iraperatriz n. 56, loja de Mendes Gui-
mares.
Cortes de casemira finas
Vendem-se corles de casemira de cores a 35,
34500, 44, 54 e 74, casemira para covados a
14600, 45300, 25240 e 35, ditas de mais qualida-
des finas a 35200 o covado, cortes de ganga de
cor a 14600 e 14808, gangas para covados a 400,
500 e 560, brirazinnos a 280 o covado, torim pardo
a 720, 800, 900,14, 1400a vara, brim branco de
nleiga ingleza esi ecialn ente esedhida a
l,ooo e 800 rs. a libra e em barril sefa2
abatimento.
dem franceza a mais nova do mercado a 96o
rs. a libra e 900 rs. em barril ou meios.
Cha hysson de superior qualidade a 2,600
rs. a libra.
Cha perola o mais superior do mercado a
2,8oo rs. a libra,
dem hysson muito superior em latas de 15
libras, muitoproprio para negocio a 2,ooo
rs. a libra,
dem hysson nacional em latas de 1 e 2 li-
bras a l,6oors.
dem preto o que se pode desojar neste ge-
nero a 2,000 e 2,2oo rs. a libra.
Linguigas muito novas a 800 rs. a libra e em
barril se faz abatimento.
Chourigas e paios a 800 rs. a libra.
Costelletas inglezas a 64o rs. s libra, serve
para temperar panella ou para fiambre.
Queijos do reino ehegados neste ultimo va-
por a 2,2oo rs., ditos de navio devella a
2,000 rs.
dem londrinos muito frescos e de superior
qualidade a 800 rs. a libra,
dem prato a 800 rs. a libra, e inleiro se faz
abatimento.
dem suisso o mais superior que tem vindo
ao mercado a 64o rs. a libra.
Ervilhas e favas portuguezasj preparadas
em latas hermticamente lacradas a 64o.
Feij5o verde muito superior a 640 rs. a lata.
Copos lapidados para agua a 5,ooo e 3,5oo
rs. a duzia.
dem idem para vinho a24ors.,e 2,4oo rs.
a duzia.
Chocolate francez hespanhol e suisso a 9oo,
l.ooo e l,2oors. a libra.
Espermacete superior a 600 e 64o rs. a li-
bra e em caixa se faz abatimento.
Peixe em posta em latas hermticamente la-
cradas e das melbores qualidades de pei-
xe a 800, l.ooo e l,2oo rs.
Vinho Bordeaux das marcas mais acredita-
das que vem ao nosso morcado a 7,ooo~e
8,000 a caixa e64o e 7oo ris agar-
rafa.
Genebra de HoHariff a 48o rs. botija de
conta certa.
Frasqueirasde genebra de Hollanda a 6,800
e 04o rs. o frasco.
Genebra de laranja verdadeira em frascos
grandes a l,ooo e ll.ooors. a frasqueira.
Caf do Rio de Ia qualidade a 28o rs. a li-
bra e 8,5oo rs. a arroba.
Caf do Cear muito superior a 24o rs. a li-
bra e 7,5oo rs. a arroba.
Arroz do Maranhao de Ia qualidade a loo
rs. a libra e 2,8oo a arroba,
dem da India a loo rs. a libra e2,8oo a
arroba.
Bolachinhas inglezas muito novas a 5,ooo a
barrica e 320 rs. a libra.
Bolachinhas de soda em latas de diversas
qualidades a l,3oo rs.
Cartoes com bolo francezmuilo proprios pa-
ra mimo 64o rs.
Passas muito' novas em caixinhas enfeitadas
para mimoa3,ooo rs.
Passas de carnada a 8,000 a caixa e 4oo rs.
a libra.
Figos de comadre a 24o rs. alibra.
Amendoas de casca mole a 4oo rs. a libra.
Milo de amendoas a'Soo rs.
Bolacbinha d'agua e sal, da fabrica deJoo
de Brito no Beato Antonio, en: lata de 6 li-
bras por2,5oo rs.
Ameixas francezas em fiasco de viere com
tampa do mesmo, a !5co.
Ameixas franc'zas em caiimtas de diversos
tmanhes com bonilas estar pas na cai-
xa exterior, a1,400,1,600, l,8ooe 2,ooo Aaeitonas por'iugBeza? a Soorsagarrafa e
cada nma;< l,5oo cada urna anccrea.
Azeite doce refinado hespanhoiouportuguezi champagne da melhor qualidade que vem
a 9oo rs. a garrafa e lorooo a caixa. ao mercado, a 2,oo e 3,5ooa garrafa e
Batatas muito novas a 80 rs. a libra e2,ooo 24,000 e 26,ooo o gigo.
Cevadnha de Franca muito nova, a2oors.
Charutos do aflamado fabricante Jos Furla-
do de Simas, das seguintes qualidades:
Exposicao ;Normal de Havana, Imperiaes,
Londrinos, Gt.analaras, Parisienses, Sus-
piros Delicias, a 4,000, 4,000, 5,ooo,
6,000 e 7,ooo a caixa ou em meias.
Charutos finos de diversas marcas e fabri-
'canls- como sejam: Flor do Norte, Ma-
nunasde Havana, intervallos. Vencedores,
Panatellas e Suspiros, a 2,ooo, 2,5oo e
3,ooo a caixa.
o gnac inglez das melbores marcas, a 800 e
l,2oo a garrafa.
Doce da casca de goiaba a 2,ooo a lata com
4 libras.
Farinha de araruta verdadeira a 32o rs. a
libra.
Malte,excellente cha para os navegantes, a
2oo rs.
Sebollas de Franca muito grandese novas
a l,8oo o cento e l,2oosoltas.
Palitos do gaz a 2,2oo a grosa.
Toucmlio de Lisboa muito novo a 32o rs. a
libra c8,5oo a ancla.
Banba de porco refinada a Ooo rs. a libra.
Bolacbinha Alberto, as melhores que pre-
sentemenletem vindo ao mercado, a2,ooo
a lata.
Farinha do Maranhao muito alva e cheirosa
a 2oo rs. a libra.
Frascos com fructas em calda de diversas
qualidades a 2,5co e 1,3*0 o frasco.
Caixinhas com fi uc les em doce secco de di-
versos lmannos, muito proprias para
mimo, a l,6oo,2,6oo e3,5oo cada urna.
Buibos, excellente peixe portuguez, em
barris pequeos ou a relalho, a vista se
v.far o preco.
Azeitonas de Rivasem ancoretas grandes de
8 garrafas por 600 e8oors. a garrafa.
Carta chorographica
DO
THEATRO DAGUEPRA.
Aena-sa exposta a venda, ao, lejas ataixo men-
cionad is, a carta chorographica do iheairu da guer-
ra nos Estados do Salda America Mciiicoal, ron-
tendo as plantas do l'aysaod, e d Lluqucio e cer-
co de Montevideo. Ella tornase rtc. umic-udavel
nao s pela lactina que velo preeucher. cemo pelo
esmero do trabalholytbograpliieo.
Vende-se pela mdica qoanlia de 2J0C0 cas iivra-
rias dos Srs. Nogueira, rua do Crespi-; e u br.
Cardoso Ayres, uadaCadelado Renfc, assim cono
as lujas da Exposico de Londres e na Ivlbopra-
phla ao Sr. Carlos, a mesma roa n. 52. e na luja
do Sr. Cardozo de Almelda, roa da Cmz.
Fogo, fogo, bgcT
Valdivino da plvora, vende bom fogo do sr,
pwr preco commodo : no sea armazem uc ;ai, rua
Imperial n. 221.
1
Milho novo era saceos grandes: nu trapiche
da Cunba, a tratar com TassiJimnc -
Barato para acabar
Na praca da Independencia ns. .7 p 30. vnde-
se sapatosde borracha para horaem e -< uhor pe-
lo diminuto prero de l e 500 rs.
a -
1'echiDflia
Vende-se amendoas confeiladas a 360 rs
bra : dffronte da mairiz da Bua-Visia n. 88.
Vende-se urna carrooa esm um. boi nmo
novo, cordo e tonia figura por preco c..., cu
a iratar na cocheira n. 20 da rua do Catebouce
Velho,
raede nruiuzeiu de Un; s.
RUA DO IMPERADOR N. 22.
O armazem de tintas um grande deprsflo de
productos chimicos ulensis e os mi.is emprogados
e usados na pharmacia, pintura, pl^iiograpl ia. Mo-
turaria,pyrolechinia',fogosdeariificifieen- ouir;.s
industrias.
Monladoemgrar.de escala, e Spprincl0-se di-
rectamente as prlncpaesdrpgar:asdeParis.l oi<-
dres, Harnbnrgo, Anvers e Iflabctt, pode ofTeri-ieer
producios de plenacoolianga e satlsfazer qu^iqaer
encommenda a grosso trato e a retallu. 01 precos
razoaveis.
Prvidos de machinas appropriadas sati.-ara
com promplldo qualqner pedido de liuus anidas
a oleo,cuja qualidade e pureza de seus ngr. asti-
les poder ser examinada pelo consoo '..r. o qte
nao fcil fazer cem aqupllas que o Importadas,
e que se enconiram no mercado em talas r< criadas
Tem grande collecco de vidros de differentes
formatos, desde urna oilava al dezeseis QB^as capacidade ; de vidros para vidracas c nmanles
para corta-Ios; depir.ceispara.fng*r madeira rcm
propriedade e outros; de papis di orados pla-
teados e folhas de gelatina para urnatteolc ; de
papel grande e pequeo frmalo de varias cores
para embrulho, para forro de casa, para df ?pnh:>
com fundo j feito; do papel albun inadoe Dii--,.:.
verdadeiro saxe para photfgiapbia e para filtrar,
e outros ; vernizes de essencla para quadros, dt
espirito para madeira, copal para o interii r e ex-
terior ; oleo gpaxo, oko stecativo, oleo de lini aea
clarificado, clrode lolele, secitivo de Harlim, ouro
verdadeiro em p ; prata, euro, e estanho em fo-
lhas de varias cores ; tintas vegelaes, inolTensi-
vas pfbprias para confeitarias ; la de cotes, e
olhos de vidros para imagens ; limas em lobos e
telas para reiraios; tintas em pastis e em p pa-
ra aquarella ; essenria de rosa superfina, de nt-
roly, jasmim, bergamota, aspice, palchuuly, mbar.
bouquet.limo, alcaraiva, mellssa, orlela pimenia,
lonro, cereja, alfazema, joinpero, Portugal, lima,
anis da Russia, canella, cravo e muios eulrc* ut.-
jectos que s com a vista podeio ?er mostrados.
Joao Pedro das Neves,
Gerente.
rs. o frasco e
o gigo com 36 libras.
Conservas inglezas a "00
8,5oo a duzia.
Vassouras de escova para esfregar casa a
4oo rs.
Nozes muito novas a 16o rs. a libra.
Molho inglez em garrafa de vidro comrolha
do mesmo, a 16o rs.
Mostarda ingleza dos melhores fabricantes,
a 800 rs. o frasco.
dem de Java a 80 rs. a libra e 2,4oo a ar- Mostarda franceza em potes j preparada a
roba. 4oo rs. o frasco.
Painco e alpista a 14o rs. a libra e4,oooa Lentilhas francezas, excellente legume para
arroba. I sopa, a 2oo rs. a libra.
Massa de tomatesde superior qualidade a 64o Marrasquino de Zara propriamente dito a
rs. a lata de urna libra e56o rs. a reta- 1$ a garrafa e 11,000 a duzia.
loo. ... 1 Palitos de dente a 14o rs. o maco.
Gomma de engommar milito alva a 12o rs.
a libra.
Figosem sextinhas a 80 rs, cada urna e 72o
rs. a duzia.
Papel azul para botica a 2,000 a resma.
Balaios para roupa suja, grandes epeque-
nos, por diversos precos.
Amendoas confeiladas a 64o rs. a libra.
Latas com fruclas em calda: pera, pecego,
damasco, rainha Claudia e cereja, a 800
rs.
Vinagre de Lisboa a 2oo e 28o rs. a garra-
fa e a l,4oo e 2,ooo rs. a caada.
Azeite doce de Lisboa a 4,800 rs. a caada
e 640 rs. a garrafa.
Vinagre branco j engarrafado a Soo rs. a
garrafa.
Sitia.
BOTICA E DROGARA '"'
liaitliolomeu Francssco de Souza C.
3 iKoa larga do llosario34
Vendem:
PilulusHoHpvray.
Pilulas do Us. Laville.
Pilulasdo I)r. Alian.
Pilulas do Poore-homem
Pilulas americanas.
Pilulas vegetaes.
Pilulasvegetaes assucaradas de Kemp.
Salsa de llristol.
Remedios do Dr.Chable.
Elexir de Pepsina de Grimault.
Viubode Salsaparrilha deCh Albert.
InjecgoFeangas.
Agua deutilicade Desirabode.
Pape Ichimico, para tainos.
Xarope depurativo de Cbable.
Licor aromtico de Raspall.
Pos anii-epileticos de Brest.
AobL'Affecteur. .
Jarope do Bosque.
Ungento Holloway.
Agua florida e tnico orien-"
tal de Kemp.
Continua-se a vender era poreo e a relalho :
na rua do Queimado, loja d'aguia branca n. 8.
Chromacomo
Grande liquidacao de
fazendas
na nova loja de fazendas e roupas feilas nacio-
naes, na rua da Imperatriz n. 72. Os pronriea-
nos deste novo esubeleclmemo tem a honra de
participar ao respeitavel publico que esto resolv
dos a vender muito barato para liquidar, a saber
!5'las,a/.220 rs-. dilas francezas largas a 260, 280
J20 e 400 rs. o covado, cassas francezas muito fi-
nas a 3C0, 320, 360 e 400 rs. o covado, organdv
Vende-se ou aluga-se um excellente sitio oa es-
tradados Afilelos oquarto depois da capella, cora
boa casa, duas grandes estribaras, qoartos para
fetor, muitas arvores fructferas, poco d'aga pe-
tavclcom bomba e banho de choque : Iraia-se no
largo da ribeira de S. Jos sobrado de um andar
o. 19.
escbayos nmxi.
Fugio no dia ^9 do prximo psssado niez o
escravo de nome Fideles, preto, naiural desia rioa-
de, de idade de 45' afO annos, grosso do corpo,
barba ja pintando de branco, levon veslido (alca
de algodao azul ecamisa da mesma fazenda,sendo
de Hslra, anda muito vagaroso : o dito escraVo em
algum tempo pertencen aoSr. Manoel Camiflo Pi-
res Falcao : quem o pegar leve-o a rua do Cres-
po n. 7, loja da fazendas, que ser generesarrente
recompensado do seu irabalho._______
A 23 de abril fugio do engeBho Pidoba,
comarca de Nazarelh, a escrava Severina, conhe-
cida por Barbosa, nome do senhor que a venidera,
e conslater seguido para esta praca por ser en-
contrada depois do Carhang cora o nome de Vis-
torraa, e icm os sigoaes seguimos: alia, seeca,
rosto redondo e bem preto, nariz aliu.do, falla de
dous dentes. adiase pejada, e qu; ndo veste-se lor-
Ba-sesaliente o umhigo: recommenda-se as auto-
ridades policiaes, aos capitacs de campo e a qual-
quer pessoa que a prender pode enlrcga-la ao Sr.
Goilherme de Alahyde na rua Velha n. 15, ou i-
rija-se ao engenlio Pindoba, que sero bem recom-
pensados.
A aguia branca, na roa do Queimado n. 8, acaba
de receber um novo sortimento de caixinhas com
chromacomo para tingir cabellos, e bem assim
frascos com hydroealletrichina, agua para desen-
grasar os ditosj^oloricorao para lustrar os ditos, frailce2 rimissimns adrTU ^n T/n^'V/"-'
e onychromannT para l.mpar as unhas. Essa! 1 22 Z SSS t i ? %\%,
tintura, cujo effeito rpido e efflcaz, est bem co--4* a50Pf5 l'.^?br"a ,""5? J'! H35oUO-
nhecid e apreciada para todos quan.os del.a tem oToZ* 2&00' ^o'er.e ^Sm^
usado, eos que de novo a quizerem apreciar, po- polao muilo fino com 24 jardas MJ&fS
dem, assim como aquellos, dingir-se munidos de 78500 e 8, ditas elefante mu o snnmor a isAsm'
dmhe.ro rua-do Queimado, loja d'aguia branca JS^^iSKSSS!!SSSS'.

Uenefi
Brides picadeirds de
Ipojiica.
Vendcra-se as verdadeiras brides e picadeiras
de Ipojoca : na rua do Queimado n. 32, loja de
numero 8.
Papel e folias para rosas
do fazenda muilo encorpade e fina a ti e 4500 a
peca, cortes de laa a Ifi, 4lo00, S e 5*300, ditos
a Maria Pia com barra, sendo os mais modernos
Acaba de ebegar para a loja d'aguia branca, na Qnp ,_ vin(lo an m..j.
rua do Quemado n.P8, ura bello sortimento de *TtS^l!X'!!$L J^-
pe de cores para rosas, dito verde para folhas, e L |aa ifif, /^v, dito tambem verde e mui fino para cobrir o ara-1 LM&5 209_r?:-_d,,os c.om.blco.a ? e 320, e
Azevedo & Irmao.
MEZ MARIANO.
Versos proprios para se cantarera na de-
voSo do mez mariano, corrigidos e aug-
mentados, e mui bem irupressos em folhetos
linho a 15200, ifaoo, 1*500,1*800 e 25 a vara, l e 16 pagiqas, e rjue se* vendem brocbados
S^d^r^laSTe linS FSSoS, C"PM &*.***#**? ** 'i?
res cada ana, na rua do Imperador n. 15,
2*800 e 3* cada urna-
Grande sortimento de roupas feitas de to-
das as qualidades,
fiVendera-se paletots de brim de cores a 2*, ja
quetoes a 3* e 3*500, paletots de casemira a 5*,
defronte do convento de S. Francisco.
Lam esta Dorldade.
Madapoloes superfinos com 24 jardas a peca por
5*500 cem um pequeo toque de avaria, paletots
6*, 7*, 8* e 103, ditos de panno preto a 5*500,' de nrim a 1*. chitas francezas escuras a 720 o co
ditos a 6*, ditos finos a 8* e 10*, ditos sobreca-
sacos panno preto a 12*, ditos de cor a 14*, di-
tos pretos a 16* e 20*, ditos muito fios a 25*,
calcas de brira branco de linho a 3* e 3*500, di-
tas de algodao a 2*, ditas de ganga a 2*500 e
2*600, 1*800, cobertas de chita a 2*. ditas muito
finas a 2*300, ditas adamascadas a 4*, princeza
prela de cordo a 800 o covado. dita de lisirinhas
a i* o covado, moreantique preto a 3* o covado,
rosdenaple preto a 2*500, 2*200, 2*, 1*800 e
600 o covado, chapeos de sdl de seda para ho- i40defronte da estago.
mem a 7* e 8*, cassas pretas a 300 rs. o novado, I_______L_________1L_______r; _______
caitas pretas a 340 e 280 o covado, ditas francesas Vende-se uro optho boi raanoo proprio para
a 320 e 360 o covado : isto na loja e armazem da carroca : quemo pretender dirija se a rua da Ca-
vado, algodao muito largo da marca T por 6* a
peca de 24 jardas : na laja da rua da Madre de
Dos n. 10, defronie da guarda tfa alfaodega.
Trastes com aso.
Vende-se 1 sof, 3 copsotos, 1 mesa redonda, 9
cadeiras de amarello, 0 radeiras americanas, 1
bea raarqueza de Jacaranda, 2 carteiras de via-
gera e 1 earteira grande propria para taberna :
quera pretender dirija-se a rua da (Unco Ponas
t
cama de csale nra'ites outrosofcjeeSg o "qae todo, Arara rua dalmperatrien^Se, s'Arara mais nin- deia 40> priaiefr andar, a tratar, com Rocha |
se vender em conta : na rna dos Pires n. 0t. < gera, de Mendes Guimares. .Lima & Gaimaries.
me, assim como folhas de panno e avelludadas
para ditas.
Aspas de baleia para vertidos
Vendem-se na rua do Queimado, loja d'aguia
branca n. 8.
Superiores penas d'ago ingle-
zas e francezas
A aguia branca alm do grande sortimento de
penas d'aco que constantemente tem, acaba de
receber mais onlro de superior qualidade e dos
afamados fabricantes Perres .& C, assim como s
verdadeiras bico de lanoa n. 134 e outras de pon-
la dourada, continuando porm a vende-las por
precos comroodos, com tanto que o comprador com-
prela munido de dinheiro: na roa-do Queimado
loja da aguia branca n. 8, onde tambem acbarse-
ha a venda pastas para papis.
A aguia branca na rua do
Queimado n. 8, recebeu :
Bonitos e graudos aljofares de cores para voltas.
Pulseiras de dito* de iguaes o agradaveis cores.
Voltas pretas maiores'e menores todas de contas
grossas.
Polceiras pretas tambem de contas.
Outras da diSerentes qtadidades e gostos.
Brincos de aljofares de cores e dourados.
Fivelas d'ago grandes e pequeas com cuto pre-
to e de madreperola.
- Outras graudes de differentes qualidades e re-
dondas com podra?.. _
i Bonitos leones de madreperola redondos e de
outra forma.
Ditos de sndalo intericos e corredicos.
Capellas brancas para meninas.
duia 2*500, crinolinas ou balSos de 30 arcos a
3*500, ditos con 15 arcos a 2*200, tiras de fina
cambraia bordadas a crox atOO e 1*, entremeios
a 880 rs. a pe$a, gravaiinhas pretas e de cores
para senhora a 640, 800 e 1*. mantas de seda de
cores para pescoco a 1*400 e 1*600 ; isto s se
vende na loja de Guimares & Irmao, roa da Im-
peratriz n. 72.
Goke do gaz.
Pitcb do-gaz.
Alcatro do gaz.
Cok tonelladas rs. 10,5000
Pitch ...-. 80000
Alcatr3o caada..... 400
O coke reconheci da mente o carvo mais econ-
mico, torna-se por isso recommendavel, bem co-
No dia 4 de Janeiro do anno de 18C4. mgio rio en-
genho Conceicao, comarca de Pc-d'lho, o e^cra
vo Galdino, pertenrente ao abaixo a:-sigi;i(;o,.('cn.
os signaes segrales : idade 26 annos, jardo, duro.
corpo, figura e aliura regulares, cabellos muios ca-
rapinhados, olhos pardos, sobrancelhas e palpehras
salientes, lem em cada braco um sino de Salomac
sendo um delles mal feito, e junto a este urna cruz.
tem na cabeca urna cicatriz de urna polegada, e me
cima de om quarto urna outra cicatriz de tres- po-
legadas, proveniente dt pona de pao e queda, lem
sobre as cosas algoms ir arcas ou cicatrizes de re-
Ihadas ou chicote; um pouco desembarazado qan
do falla, tem principio de rarplna e carreiro, loca
viola e barbado. Foi soldado do corpo de pofici no
Recife, e levou romsigo a haixa do ihe.or segoirrte :
Sergao urbana, 2' companhia n. 50, Antonio Cana-
no de Oliveira, filho de Agoslinho Ferreira de Bri-
to, natural de ingazeira, cor parda, cabellos raia-
pinhos, olhos pardos, offlcio nenhum, estado soltei-
ro, com 30 annos de idade, 60 pc.Iegadas de allcra,
ao engajar-se. Engajou-se na forma do regnla-
menlo, em 17 de fevereiro de 1862, por oficio do
Exm. Sr. presidente da provincia, datado de 28 de
bril do rorrente, e publicado ao corpo em or.dfm
do dia i9 de maio, tudo em 1862; teve baixa,do
servico por ter dado- em seu lugar o paisano Mo
Pedro Ferreira da Rocha. Foi escravo do capilo
Joao de Dos Barros, morador que foi na comarca
do Brejo da Madre de Dos, e hoje morador na
CampiaGra.ide da Parahyba do Norte, qi.e ofen-
den em das do mez de novembro de 1863 ao abai-
xo assignado, pelo coslume de andar fngido e a ti-
tulo de forro coro o nome mudado ; pelo que roga-
se a attencaodas autoridades civis e militares, nao
s desta provincia como das demais do imperio, a
apprehensao do dito escravo, que a titulo de forro,
nao tenha sido recrnlado on assentado praca em
alguns dos oorpos de Voluntarios da Patria, tam-
mo pelo asseio que se nota as cozlnbas aonde ?,g 7 ,rpos ae.,-V0,UDW"os v*, -
elle usado. Pitch e aleatrao, alm das applicacoes I ,^?,^" *~ ?^"5'0 Pesf" ^
spplicagoe
diversas a que se prestara, como para callafetar
embarcagSes, aicatroar madeiras, etc., teem este a
propriedade de preservar do cnpim, formigas, etc.
E' entregar na fabrica do gaz ou mandado por era
qualquer ponto da cidade, segundo avontade.de
comprador. "
Veudo-se soulambarqne de llazinba flno,
muito bem eneitado a 3*. 6*, 7* e 8*, dito de
grosdenple preto ricamente enfeiado a 20 e 22*,
copas de grosdenple n ruto modernas a 20*000,
completo sortimento de roupa feta, e outras mui-
tas fazendas que ser enfadonho annunciar, e que
se vtadero mais barato do que em outra qualquer
parto : isto s na roa da Imperatriz n. 72, loja de
Guimares & Irmao.
I* a garrafa : no
' Vende se mel de pao a
patea da Saata Cruz n. 84.
ticnlares a mesma apprehensao, e leva-Io ao sn\
senbor no referido engenho Conceigo, ou nest ri
dade ao capitao Mauricio Francisco de Lima rpa
do Brum n. 56, que ser gratificado com 200*. '
Jos Mara dos Santos Cavalcanti.
Fogio em principios dtfmez de fevereiro do
corrente anno e consta estar acontado nesta c:dade
o moleque Euzebio, escravo da viuva do Dr. Fer-
1 nando Alfonso de Mello, de 12 annos de idade pou-
co mais oa menos, cor preta, secco do corpo, olbcs
regulares e afumacados, cabega um pouco grande
e meia chata, beieos finos, dentes bem alvos, ps
seceos e muilo ladino : roga-se pdr tanto a todas s
autoridades policiaes e capites de campo que o ai -
prehendam e le%em-o a rna da Mangueira sohraco
n. 6 que. serio gratificados, proleslando-se osar dos
meios judiclaes contra qualquer pessoa que o tenba
i em seofpier.



Diario de
mb de IMft
LITTERATRA.
\vti:rloo
{Conlinuaco do conscripto de 1813.)
POA.
ERCKMANN CHATRIAN
PRIMEIRA PARTE.
VIII
(Continuago)
Dous das depois verificou-sc o raeu ca-
samento com t.'atharraa, em casa da tia Gre-
del. nos Quatre Ventos. O Sr. Goulden
represeolava de meu pae, e cu tinlia esco-
lino lo Zebedeu para creado particular, eal-
guns antigos camaradas, que continaavam a
servir no batalhao, lambem assistiram
boda.
No dia seguinte Catharina ja habilava co-
ntigo em casa do Sr. Goulden, nos dous
juarlos pequeos por cima da sala do tra-
balho.
Quilos annos se passarara j depois disso.
O sr. Goulden, a tia Gredel e os camara-
das ja nao sao deste inundo ; Catharina
e-fli de cabellos brancos. Mas ainda assim
qu.indo olbo para ella, resuscitam militas
viv.es esses tempos remotos, e afigura-se-me
que a vejo como aos vinte annos, loira e ro-
Mda. Vejo-a dispor os nossos vasos de flo-
ns as janellas do ultimo andar, ouco-a
i; otar em vozbaixa, vejo o sol defronte, e
e ainda me parece que vou a descer com
sha a errada um pouco ingreme, e que dize-
mos ambos 38 mesmo lempo entrando na
oTicina :
Bons dias, 8r. Goulden.
K que elle se volla para dos rUonhn e res-
ponde :
Bons dias, meus filhos.
K que abraca Catharina que se pe a var-
re\ i limparos moves, a preparar o almo-
qo, em quanto que o Sr. Goulden e eu es-
tamos a ver qual ha de ser o trabalho que
su ha de fazer at uoute. De tempos a
lempos escutamos Catharina que canta por
leiraz de nos. Ai, que bom lempo aquel-
te!...que santa vida I que.alegra, que sa-
tisi'jgo por ser novo e ter urna mulher
-singolla, boa e laboriosa Comoludo ri na
lima !...como o futuro se alarga para lon-
go, bem longe I Nunca, seremos velhos ;
invenios de amar-nos sempre ; nunca nos
fallar o contenta ::ento. Iremos sempre
passear ao domingo, de brago dado, al
Bo-Foute l assenlar-nos-hemos sempre so-
bre a herva nos bosques, escutando as abe-
Ihas e os besoiros que zumbem de redor
das grandes arvores inundadas de luz!...
Teremos sempre surrisos !... Que exis-
tencia, meu Oeus, que existencia !
E depois, noute, entraremos de vaga-
rnho no nosso ninho ; eas grandes fitas
de luz doirada que se estendem no cu, de
"VY cliem al aos bosques de M'ulelbroun,
bavemos de ve-las por muito tempo em si-
lencio, apenando docemenle a mo um ao
oulro, quando a sineta de Phaisburgo co-
me^ a tocar a trindades, e todas as das
aldeias Ihe respondem nos campos j despi-
dos de luz... Ai, a mocidade... a vida !...
tudo ahi est ainda dianie de mim, hoje a
me-sma eousa qae era ha cincoenta annos ;
oulras colovias e oulras codornizes fazem
n nbo na primavera, oulras flores branque-
jam as macieiras... Para que mudamos!
para que envelheceraos como envelheceram
outros do nosso tempo S isso me faria
crer que tornaremos a ser novos, que ainda
aos amaremos, que tornaremos a encontrar
o Sr. Goulden, a tia Gredel e todos os ou-
tros que estimavamos. De oulro modo se-
ria urna desgraca envelhecer; Deus nao
quereria dar-nos essa dr sem esperance.
Gatliarina tambem assim pensa.
Emfim. eramos completamente felizes,
viamos todo cor de rosa, e nao havia nada
que perturbasse a nossa ventura.
Era no tempo em que os alliados, s cen-
tenas de railhar, infantera, cavallara, arti-
- Iberia, a p e a cavallo, com folhas de car-
valbo as barretinas, nos capacetes, as bo-
cas das espingardas e as pontas das lan-
gas, passavam nos arredores da cidade para
Toltarem s suas patrias. Davam gritos de
alegra que se ouviam distancia de urna
' legua, como se ouve o canto dos tintilhoes,
dos tordos, dos melros e de mil outros pas-
saros na estago dos fructos. Em oulro
tempo ter-me-hia isso affligido, porque era
o signal da nossa derrota ; mas ento eu
consolava-me dizendo coramigo :Que vio
que nao tornem I E quando Zebedeu vi-
nha dizer-me que todos os dias ofiiciaes ros-
sos, austracos, prussianos, bavaros atraves-
savam a cidade para irem visitar o nosso
commandante da praca, o Sr. De La Faisan-
derie, antigo emigrado que os enchia de
honras ; que um official do batalhao tinha
provocado um desses estrangeiros; que ou-
tro ofcial a meio sold tinha matado dois
i tres em duello, na Roleta, na Arvore
erde ou no Cesto Florido*, porque os ha-
via por toda a parte, porque os nossos nao
1podiam soffrer a vista dos inimigos, epor
Hoda a parte havia desordena e as macas do
hospital andavam sempre em holandas,
quando Zebedeu me cootava essas cousas
ou nos dizia que se tinham postos estes e
aquellos ofiiciaes a meio sold para subs-
titui-los por* outros de Coblentz, e que os
.soldados iam ser toreados a assistir de gran-
de uniforme missa, e que os padres eram
tudo e que as dragonas j n5o ajtm nada
em lugar de affligir-me, eu dizia com
migo:
E' o mesmo tudo ba de vir s boas..
O principal que lenhamos descanco para
pdennos trabalhar e viver em paz.
Eu nao pensava que para conservar a paz,
ni} basta que um homem esteja contente,
mas que preciso que tambem estejam con-
tentes os o; tros.
Era como a tia Gredel que achava tudo
muito bom desde o nosso casamento. Ella
vinlia muitas vezes ver-nos, com o seu ces-
linbo cheio de ovos frescos, de fraeta de
legumes e de bolos para ajudar-nos na des-
peza cazeira, e dizia:
Ora olhe, Sr Goulden: n5o preci-
so perguntar se a mocidade c por casa vae
de saude, porque basta olhar para as ca-
ras.
E vollando-se para mim :
Entio, Jos, nao muito melhor ser
casado do que andar l por Lutzen com mo-
chila e arma as costas ?
Isso nao ha duvida! respondia-lhe
eu rindo com a melhor vontade.
Ento ella assentava-se, punha as mios
nos joelhos e dizia:
ludo islo vem da paz, a paz d feli-
cidade a todo o mundo. E a gente a ver
que ainda ha urna sucia de g?iatos e ma!-
trapilbos que se atrevem a gritar contra o
rei 1
Ao principio o Sr. Goulden ia trabajan-
do e nao responda; mas se ella continua-
va, dizia :
Ora vamos, Sra. Gredel, que diabo!
nao falle assim. Bem sabe que as opinioes
agora sao livres, que temos duas cmaras,
temos urna constiluigo, e cada qual pode
' ter o seu parecer.
- Mas que eu digo a verdade, torna-
va a tia, olhando para mim de esguelha com
ar malicioso; no tempo do outro era preci-
so que a gente se calasse, e isso faz algu-
ma differenca.
O Sr. Goulden nao continuava porque
considerava a tia Gredel como urna boa mu-
lher, mas que nao vala a pena de ser con-
vertida,
At sorria quando ella nao griUva muito,
e as cousas iam passando assim sem azedu-
me, quando surgirajh novidades.
Primeiro, chegou urna ordem de Nancy
mandando fechar as portas das tojas durante
a missa do domingo, e os judeus e lute-
ranos eram obrigados a fechar como os ou-
tros.
Desde ento ninguem mas gritava as es-
talagens nem as tabernas; ludo eslava co-
mo morto na cidade durante a missa e as
vesperas. Ninguem dizia nada, e todos
olhavam uns para os outros com ares de
medo.
No domingo em qpe se fecheu pela pri-
meira vez a porta da nossa loja, estando nos
a jantar sombra, disse o Sr. GouldeD, que
pareca estar muito triste :
Eu tinha tido esperanzas, meas fi-
lhos, de que lud) tivesse acabado, de que
se respeitaria o bom senso, e teramoi sece-
go por alguns annos. Mas desgracadmen-
te vejo que estes borboes sao urna especie
de Dagobertos... Isto vae mal t
Nada mais disse n'esse domingo, e sahiu
depois do meio dia para 1er as gazetas. To-
dos os que sabiam ler, emquanto que os da
aldea ouviam missa, iam ler os peridicos,
| depois de terem fechado as lujas. E' desse
tempo que data o coslume que tem os bur-
gueses e industriaes de ler gazetas, e algum
tempo depois quizeram mesmo ter urna so-
ciedade respectiva.
Ainda me lembra que todo o mundo fal-
Kiva em Benjamn Constant e que punliam
ti' 'fe muita confianza.
O Sr. Goulden tinha-o em alta estima.
Como costumava sahir todas as noutes para
ler i ra casa do tio Coln o que se passa-
va, andavamos sempre bem informados de
tudo.
Elle dizia-nos:
O duque de Angouleme est em B,r-
deus; o conde de Artois est em Marselha;
prometleu isto; disseram aquillo.
Catharina era mais curiosa do que eu;
goslava de ouvir as noticias do paiz, e quan-
do o Sr. Gaulden dizia alguma cousa, eu
bem va em seus olhos que < lia Ihe dava ra-
zao. Urna noite elle disse-nos:
O duque deBerry vem a Phaisburgo
Ficemos muito admirados.
E que vem c lser, Sr. Goulden?
pergunlou Catharina.
Vem passar revista ao regiment, dis-
se elle son indo. Estou morto por o ver.
Dizem as folhas que se parece com Bonapar-
te, mas que tem muito mais engeuho. Nao
admira; um principe legitimo... Se nao
tivesse mais engenho do que o filho de um
aldeio, havia de ter que ver! Emfim, Jos,
como tu conheces o outro, peders avahar a
difieren^.
Imagina-se quanto esta noticia abalou
Phaisburgo. Desde esse dia nao se pensa-
va seoio em levantar arcos de triumpho e
em fezer bandeiras brancas; toda a gente
das aldeias dos arredores quera vir em
carros enramelhelados. Fez-se um arcode
triumpho na cidade e outro na encosta de
Saverne. Isto era no im do mez de selera-
bro. Todos os dias Catharina e eu, i noi-
te, depois da ceia, amos ver como corra o
trabalho do arco, que ficava entre a hospe-
dara da cidade de Metz e o coneiteiro Durr,
na estrada. Quem o levantava era o vellio
carpinleiro Ulrico e os seus fimos era co-
mo urna grande porta que se cobria de gri-
naldas de follia de carvalho, e as fachadas
desdobravam-se magnficas bandeiras bran-
cas.
En quanto se acabava aquelle trabalho,
Z ebedtu veio ver-nos duas ou tres vezes; o
principe havia de vir por Metz; recebiam-
se ca las no regiment, cartas que o apre-
sentavim tao severo como se tivesse ganha-
do cincuenta batalhas. Mas o que mais ir-
rilava Zebedeu era que o principe cha-
Cada brasileiro urna imagem viva, ani-
mada, soberana, em que esse principio est
encarnado, identificado, e manifesia-se na
palavra e nos actos, porque esses actos e es-
sas palavras sao inspiradas, sao as pulsa-.
c5es vehementes do coraco preci pite.
E o governo at a<> presento n8o tem
aproveilado essa manifestado fervorosa do
paiz em toda a sua amplitude !
A guerra com o Paraguay parece-nos ser a
expresso de um pensamento de alcance
maior do que se, talvez,- si pponha.
E' possivel que Lpez, aos sentimentos
degenerados que o tem impellido especie
ciaes.
mava aventuremos aos nossos aniiees ofli-:de ^enio ,de exlerminio arrend forga de
urna condemnafo eterna pratica de se-
melhantes delirios, allie tambem a qualidade
de instrumento dcil, as mos de algum
poltico de bastidor, mas poltico de vulto e
de calculo
O que faro as cmaras, que sao as tu-
bas immediatas, peranteas nagoes estranhas,
dos principios da liberdade e da indepen-
(Continuar-se-ha.)
01 POUCO DE TUPO.
Continuamos a serie de artigos sob o ti-
tulo
RBFLEXES
a proposito da guerra entre o Braz e a
repblica do Paraguay.
III
Nao sei que ignoto pensamento me augu-
dencia nacional ?
O que far o ministerio, aps o esludo
que deve ter applicado as cousas presentes
e futuras?
Como as entender Sua Magestade o Im-
perador, sob o influxo de sua razo escla-
ra que o Brasil caminha a atirar-se em urna reca -?
dessas hecatombes, a cajo impulso mais de Desle ou ff elle modo> 0 iz deve lra.
urna sociedade tem desapparec.do na lora- ter de tomar urna posicio menos fcil; o
gem, se o sen mundo de cousas nao gyrarlpaiz n0_0 governo em nome da nagii0i
sobre outros eixos e por um novo systema
de rotago.
Presinto-o e nao me dado explica-lo ;
mas eu o antevejo, eu quasi que o vejo to
junto de mim, como a sombra que se des-
prende do meu proprio corpo.
A marcha dos acontecim ntos intestinos.
E esta verdade paira evidente sobre todas
as inteligencias, de doutos e de ignorantes;
salta da bocea do povo como fagu ha, clara,
positiva, anciada, urgente
< O Brasil est mu o que ouvimos a
cada passo, emeada canto, as esquinas, nos
theatros, nos cafs, as ante-salas das as-
no seu desregramento de principios o con- semblas> nos comicios populares, nos bai-
ductas, e mais do que urna simples previsao |es dos andes nas reuni5es dos .
e um facto eloquente, orque e visivel, nos
tao eloquente como as verdades que se sen- inluitiva diiricuidade do preSente.
tem e se palpam. Mas ha um meio supremo de remove-Ia.
Na vida do individuo, como na vida da Ns eSclarece-lo-hemos.
sociedade, a conservaco da dignidade moral
o primeiro gozo da conscieocia e a forga
mais vigorosa e vehemente da existencia po-
ltica. Transcrevemos do Boudoir esla poesia da
Muitas occasies a benevolencia da digni- Exma. Sra. D. Mara Apolioar.a Amelia de
dade, e a generosidade, que sempre urna j Menezes Costa Falcj Cota Arago e Carva-
vrtude, arrasta por vezes o desconecto e a lhal:
queda do favor que derrama.
E vede. Figuro um caso mesmo entre
amigos.
Se a vossa affeico ou consideraejo por
alguem attingr ao extremo de condescender
a!m do que aconselha e permitte a vossa
elacao, esse alguem um dia se investir do
direilo de absorver-vos, como essencia mor-
ia, na sua vontade e fatalmente ser impel-
lido a querer fzer de vos mais do qu; um
amigoum servo, mais do que um servo
um authomato, amovivel a suas "cavilaces
e caprichos. a aberrago riada de foros
de le.
O Brasil para com as repblicas do sul
desceu trtconlpstavelmente at a esse zero
de condescendencia; deixou aquem os tr-
minos de sua espliera de tolerancia e re-
baixo"-se ; a mo de sua generosidade,
quando julgou apertar urna mo amiga, sen-
tiu a ponta de um punhal frr-lhe a palma ;
e, mais tarde, sobre a ferida aberta pelo
ac, cahiu corrosivo, como, braza ardendo
'sobre ulcera viva, o cuspa do desdem e do
opprobrio !
Este resultado era espedidolia\ ia muito
por quem do alto estudva", merc d me-
ditaces fundas, a siluaco; e era esperado
dolorosamente!
> Tenho lembranga de ha ver I ido por diffe-
rentes occasies e em diversos jornaes do
imperio naisde urna novella desangue, de
infamia, em que brasileirs nossos i maos
representavam o compngeme papel dos
marlyres que se torturan.
E de outro lado alg unas dessas repbli-
cas Impolitcas e desleaes o de protogonistas
do drama, porque acoutavam, esbofetea-
vam, chibateavam e, todava, conservavam-se
a modo de em triumpho, porque ninguem
Ibes ia increpar com a palavra robusta do I
amor proprio da nago offendido esse mar-
tyrologio ignobil,
Um dia o Brasil abalou-se a urna espe-
cie de forga, reaccionaria do seu orgulho, de
que parecia nao querer ou nao poder des-
pertar mais nunca ; poz-s de p, ainda in-
clinadas as palpebras aos resquicios de in-
dolencia da sua lelliargia mrbida.
Mas pelo tardo da roanifestaco soberana
desse sentimento tinha, por assim dizer,
autorsado os turbadores deshonestos a es-
cusarem-se reparaco solicitada. E elles
escusara i>se a ella de crto!
Sublime ligo foi essa para a nago que
principia a rasgar urna senda pelo mundo e-
a escrever a historia de sua vida t
Sublime de verdade, de morahdade, su-
blime para ti, Brasil que dorraes!...
Mas que porgSo de tnteresses nao tem j
custado e,no c star, talvez, ao imperio
para depnrar-se das miserias de sua- queda ?t
Ira urna verdade suprema, socialmente
fallando ; essa verdade ser a agua de nilro
e a herva de borith do Evangelho que lava-
ro as torpezas da moderna Jerusalem.
Se o governo jogou a naco por inapti-
do ou pela m f da cobarda l denJro
das carnadas de lodo em que jaaeu, ella res-
suscitar-se-ha a si mesma desse nadaappa-
rente que parecia starem reduzidos os
seus bros. Mixtas vezes as perolas, em ebu-
ligo- natural, sobem superficie das aguas
sem o soccorro de mo estrenua.
A virtude da diguidade de um paiz nem
sempre reside no pensament e na acgo do
governo delle; mas essa virtade reside sem-
pre no pensamento do paiz, e em essencia,
de que elle faz urna verdade' real e perfeita
logo que entenda dever vesti-la da acgSo,
que Ihe natural e propria.
E' que as massas tem o tacto do senti-
mento afinado pela grande fibra da sobera-
na, que, por ser immensa e estar em todas
as partes e em todos os individuos, percebe
toda, por forfa elctrica, a menor presso
pon entura, depista sobre o intimo dos ci-
cidaoos.
A salvacao immediata do Brasil assenta
sobre o Brasil mesmo ; est no povo, no
eoracao de todos, no espirito mais emper-
rado, no espirito mais livre.
Qua do o paiz soffre, todos dobram-se
seasag3o de sua dr, e naturalmente, em-
penham-se, em messa, em applicar-ltie o es-
pecifico, oue deve cura-la,
Isto qoer dizer qu cada brasileiro um
orgo, que eommunica, que .vibra o som agu-
do do patriotismo.
os CRTICOS.
Diz Bernardino Martins
Homem de sal e pilheria,
Que julga todos materia
Nao sei l para que lins!
Diz el'e, pois, que este mundo...
Mas di-lo sem ler desgosto,
Que lodo de puros asnos.
O dito mundo comporto.
Eu vaci'ei ao principio
Em abragar tal juizo...
Mas segundo o que diviso
Sou da suaopinio:
O homem que nao asno.
E' um grande toleiro.
E' tolo, o adonis pigas
Que extremece a namorada,
Que lira prega na bochecha
Fallando a outro na escada !
E' tolo, ou asno... o mesmo...
Aquelle parlapato
Que a mulber leva ao passeio,
Para a por em exposigo,
E' tolo, ou asno;est dito,
Todo o parvo peixe.frito,
Se poe luva do Barn,
Pensando que ser tido,
Pela copia de Cupido,
Ou lord do grande tom.
E' tolo, ou asno, j disse,
O penetra que a cavallo,
Julga fazer o regalo
Das donzellas janell:
E mais tolo o tagarella,
Sacripante de espavento,
Que quer passar em S. Bento
Por orador atilado.
E' asno e burro chapado
Provocando at rancor,
Todo o nescio que se julga
Um eonsummado escriptor.
Emfim que cheguei aos crticos,
Aos pdantinhos rachiticos
A quem desejo tocar,
Para a todos Ibes provar
Em estylo cortezo,
Que para mim cada um delles
E' um grande toleiro.
Sao toleires, j se.v,
Smente aquellos que o sao;
Porque l diz o dictado :
A regra tem excepcao.
Sao tolos s esses crticos...
Os que sem nada escrever,
N'aquees que escrefem muito
Nao fazem seno morder.
Ha quem alcunhe d'inveja.
Este modo de julgar,
Por isso que os seus artigos
Deixam todos... a nadar,
E s delles se conclue
Que os pobres rabiscadores
Sao de to fina esperteza,
Que matam nos seus perodos
A grammatica portngueza!
Palavra, que ado pilheria
Ver um, dous, ou tres, ou quatro,
Desconhecendo o theatro,
Comedias analysar,
Em tudo cravrem farpa,
E no fim escrevem harpa
Comegando A. R, ar.
E' pasmosa n'esta (erra
, A tal critica nacional f
Escreve Mendes Leal.
Biester, Rabello ou Latino,
Qualquer pega original:
Es surge logo um menino.
Sabido de qualquer tenda,
Ou por menos da escola,
E ahi comega o ra pazo la
Em folhinha semanal
A dar prova de que pato
Dizendo que a obra m.
Que em Pars urna assim ha
E por tanto plagalo.
Ora isto sao mosquitos
Que nao mordem, bem sabemos ;
Mas enojam quando os vemos
. A zumbir sem se lembrarem,
Que insectos de tal jaei,
Comura simples piparote
Morrem logo de urna vez.
Em mim nao me ferram elles,
E digo a razio agora :
E' que eu sou urna senhora
Com quem elles nada tem ;
E quando os ouco al'ar,
Sou a primeira a gritar:
c Meus meninos,-mulo bem !
Ha ainda uns outros crticos :
Sao esses amigalhacos.
Que se dio mutuos abragos.
Que uns aos outros dio a mo,
E depois ao voltar costas
Reduzem a cem mil postas
De qualquer a produegp.
Na presenga a abra boa,
Portugueza, verdadeira !
Mas nas costas da pessoa...
Que tremenda borratheira
Em summa, nao digo mais :
Diz Bernardino Martins,
Homem de sal e pilheria,
Que julga todos materia
Nao sei l para que lins !
Diz elle, pois, que este mundo...
Mas di-io sem ter desgosto,
Que todo de puros asnos
O dito mundo composto !
Da lista geral dos artistas lyrieos escrip-
turados actualmente nos differentes theatros
lyrieos italianos do mundo,extr. himos as s-
guintes noticias:
Esto em exercicio : 35i primeiras da-
mas, 203 tenores, 153 bartonos, 62 baixos
cmicos, 9 baixos 86 bailarinas, 38 baila-
rnos, 23 mmicas, 72 mmicos e coreogra-
phos : total 1,087.
Funccionm 117 theatros ; e destes 71
na Italia.
Ha theatros como os deL ndres e Vieanna,
que s funcicionam na primavera, e nao vo
incluidos na lista.
Alm dos 1,087 artistas, ha os que es-
to descansando e os aposentados, enjo nu-
mero crescido.
J se sabe que os artistas incluidos nesla
lista sao nicamente os que gosam da ca-
thegoria de primo cartello, e, portanto,
abrangendo todas as classes, sobe de ceno a
2,000 o numero delles.
Os diletanti gostarao de saber quacs os
theatros onde ora esto os principaes ar-
tistas.
Primeiras damas: Albertin, em Floren-
ga ; Bendazz, em Roma: De Giuli-Borsi,
em Odessa ; Galelti em Mi o ; Laborde, em
Moscowa ; Lotli, em Milo ; Peralta, em Ale-
xandri ; Fricci, em Moscowa ; Chai ton,
em Pars; Spizzia, em Madrid.
Tenores : Agresti, em Odessa ; Franchi-
n, em Madrid ; Landi, era Turn ; Livera-
ni, em Florenga ; jMalvezzi. em S. Peters-
burgo ; Mrate, em aples; Neri-Baraldi,
em Moscowa ; Prudenza, em Moscowa ;
Tamberlick, em S. Petersburgo ; Vllani,
em Nizza.
Bartonos: Bortolini, em Milo; Bene-
ventano, em Roma ; Cresci, em Bukareste;
Fagotti, em Madrid ; Guicciardi, em ap-
les ; Pandolfini, em Turn ; Saccomamo
(antigo tenor,) em Milo.
Baixos cmicos: Scolese, cm Madrid ;
Varezi (antigo bartono,) em Milo ; Zucchi-
ni, em Paris.
Baixos ; Antonnucci, era Paris; Benedit-
ti, em Messina ; Boucb, em Barcelona ;
Llor ns, em Genova ; Manfredi, era Turin ;
Medni, em Milo; Rocco. em Alexan-
d. ia do Egyto.
Bailarinas: Bellini, em Palermo ; Pitte-
ri, em Barcelena.
Coreographos: Borsi, em Cremona;
Vienna, em Turn.
Os 1,087 artistas esto espalhados pela
Europa, Asia, frica e America.
O principe japonez Nagato, com o qual se
bateu a esquadra ingleza no estreito de Si-
monosaki, erigiu um monumento memo-
ria de um dos seus antepassados, chamado
Nagain-Doh.
Este passa no Japo por ter sido o inven-
tor da plvora e das pegas, das quaes fez
uso no seculo XIII, defendendo a cidade da
Chine, Kai-Fun-Foo, contra os altaques dos
.miogoes.
tros e meio de altura e 9 meio de lar-
gura. ,
E>te projecto, apezar de m muito elegan
te, tem, segundo ouvimos, de passar por
algumas modificages antes de ser definiti-
vamente approvado para a construego.
As alteraeoes que ha a fazer sao na forma
do pedestal, nas palavras das inscripces e
no tamaito da estatua, que no dizer dos
entendidos pequea em relagio ao todo
do monumento.
Ouvimos que o autor deste projecto o
Sr. Reder, architecto de Paris,
Segundo a ultima estatistica apresenlada
ao parlamento inglez, esli na India 68,336
homens de tropas inglezas, e 115,000 de
tropas regulares indgenas.
Ha alm destas forcas mais 155,000 sol-
dados de polica, e 22,010 irregulares dos
contingentes indgenas; e finalmente, uns
69,000 europeos e 290,000 nos formando
regmentos e brigadas, j como tropa de
liaba, j como forga de polica, para ve-
lar pela tranquillidade da colonia ingleza.
Occorreu ba pouco, em Leus, districlo de
Pas de Calais, urna desgraga horrivel.
Estavam dobrando os sinos da egreja pa-
rochial, quando de repente se desprendeu
da turre o maior de todos, indo cahir no la-
gedo do adro do templo. Com o immenso
impulso adquirido arrastou o sino comsigo
a cupola da torre, e tres sineros dos sete
que ali se achavam.
Um delles morreu logo.
Os outros esto perigosamente doentes.
Foi tambem ferida por um lijlo urna mu-
lher que ia entrando na egreja na occasiio
em que cahiu o sioo.
Desde o cardeal Wolsey, ministro que foi
de Henrique VIH, s se tm enterrado em
Inglaterra dous cardeaes, Reinaldo Pole, ar-
cebispo de Canterbury, fallecido a 18 de
novembro de 1558, e o cardeal Wiseman
que morreu ltimamente.
A' commisso nomeada para tratar da ere-
gao do monumento de D. Pedro ooncluiu
os seus trabdhos, escolhendo os cinco pro-
jectos que julgou dignos de premio. Sao
elles os que na exposigo tem os ns. 6,
14, 28, 34 e 84; caliendo o premio de res
2:000,1000 ao n. 28. o de 1:000*000 rs.
ao n. 6, e o de 5006000 rs. aos ns. 14,
34 c 84.
Occupar-nos-hemos apenas do n. 28, por
ser este o que, por ha ver biido o primei-
ro premio, tem de ser escolhido para a cons-
truego.
Compoe-se de um pedestal com urna co-
lumna e es'atua, tendo envasamenlo de duas
partes, ambas quadradas e de ngulos chan-
frados; a primeira acompanhada de qui-
tro pequeos pedestaes rectangulares, nos
quaes se veem sentadas as figuras allegori-
cas da Prudencia, Justina, Fortaleza e Mo-
deraran ; a segunda parte adornada com
os seis escudos das seis principaes cidades
de Portugal,
O pedestal, lambem quadrado e de n-
gulos chanfrados, tem nas faces quatro al-
mofadas ornadas de coreas e festoes, com
Bscripges; os cbanfros sio ornados de gr-
naldas e palmas, rematando todos os lados
em fronto
O tergo inferior da columna circunda-
do por urna cora de louro, e tambem de-
corado de grinaldas, tendo quatro figuras
da Fama, em baixo relevo, ligadas por fes-
toes que Ihe pendem das mios. O resto do
fuste da columna em eanelluras, e as qua-
tro faces do capitel ornamentadas por ra-
zos de armas de Portugal.
Por cima do capitel eleva-se um pequeo
pedestal redondo e apeanhado, terminando
por um hemispherio, sobre o qual planta a
estatua do imperador coreado de louro, ves-
tido de general e com manto, tendo a cons-
tituico na mo direita e apoiandoa esquer-
da no ptmho da espada.
Tanto a estatua como o hemispherio e as
inscripSes sio de bronze datrado; o enva-
samento de granite, e o resto do monu-
mento de pedra.
O todo do monumento deve ter 27 me-
Parece que na capital do imperio morro-
quino toi agora collocada, com grande pom-
pa e solemnidad?, a primeira pedra do gran-
de edificio que vae ennstruir-se para theatro
italiano.
Os camarotes para as senhoras marroqui-
nas seri cobertos com persianas, ficando os
outros lugares para os homens.
Em Marrocos foi esta noticia recebida com
grande alegra e enlhusiasmo.
Transcrevemos do Jornal de Lisboa o so-
guinte:
Vo fundar-se tres jornaes polacos para de-
fenderem os interesses da emigrago ea cau-
sa da revolugo.
Estes jornaes publicar-se-hio, um em
Londres com o titulo de Glonswolny ; oulro
em Bruxellas com o titulo de Witzwolose;
e i utro em Zurich, com o titulo de Oje-
zuma.
Prepara-se na Allemanha verdadeira re-
volugo nas commodidades offerecdas aos
viajantes das vas frreas.
As carroagens de primeira classe terio
quartos para dormir. Nas demais carroa-
gens haver salo para ler jornaes, fumar,
jogar as cartas e comer sem necessdade de
esperar que o com oo chegue a determina-
das estages.
J funciona entre Paris e o Havre o tele-
grapho antographico.
D saltatorio resultado.
A transmissio mais fcil e rpida, e nao
podem existir os equvocos das copias, pois
o que enva o telegramma escreve-o em
urna lamina metlica e a machina do ponto
onde ha de receber-se transmute um fac-
cimile exactissimo.
Fizeram-se ha dias em Oviedo experien-
cias de urna nova plvora chamada mostacil-
la sulphtirosa.
Foi empregada na demoligio que se est
fazendo em tima das ras daque la cidade.
Parece que foi bom o resultado das expe-
riencias.
O inventor, o Sr. D. Jos Ortega y Bor-
nes obteve privilegio para a fahricago da
nova plvora.
O Sr. Alfredo Noel, residente era Paris,
pediu privilegio ao governo francez, por cin-
co annos, pelo, novo systema, de sua inven-
gao para em pregar a nitro-glicerraa e o tras
substancia anlogas em substitueio da plvo-
ra de artilheria.
O governo francez distribuiu durante o aji-
no passado mais de 100,000 volumes entre
as bibliothecas dos drstnetos municipaes,
das escolas primaria e de outros estawleci-
mentos pblicos.
MuKiplicam-se de um modo prodigioso a#
bibliothecas em Fraoga, e o miuistro de
instruego publica anima estas ir^
distribunido grande numero de obras entre
ellas.
Assim se dilunde a instruego por todas
as classes.
-------- m i
A polica franceza fez, ha dias, busca em
casa de Mauricio Joty, sdvogado em Pars,
acensado de ter escripto urna obra clandesti-
na contra o governo.
Foram-lhe, com efleito, encontrados e
apprehendidos aJguos exemplares di um li-
vro intitulado : yialogo no Infertio : Uto-.
chivel e Monteaquieu, impresso na Bl-
gica.
A autori'lade mandou instaurar o compe-
tente processo.
O ultimo filho de Mehomet-paebi, o prin-
cipe Hatim, mandou ae Sr. Len Bertrand
a quantia de 1,000 francos, como subscrip-
gio pessoal a favor da aocH mi de Julio
Gerard, o celebre matador de leOes
O principe Halim e muito hbil cactdor.
e as suas faganhas cynegeticas sao contien-
das em todo o Oriente.
PERNAMBUCO.-TYP. DE M. F. DE F. & KILMO

,
j
%



*


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EYFROTZ2P_G8V0AF INGEST_TIME 2013-08-27T21:24:22Z PACKAGE AA00011611_10661
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES