Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:10660


This item is only available as the following downloads:


Full Text
AMM XLI. UTUMERO 103
< i .*>

P*r fiarle] pago dentro 4e 10 dias do i. mez
Mea depois das i.0110 dias da comete deliro doquartel. 61000
Farteaeearfeieaartmaezes ........,.,,.:. '750

j~*
ENCARREGADOS DA SUBSCRIPTO DO NORTE
Parahyba, o Sr. Antonio Alejandrino de Lima;
Natal, o Sr. Antonio Marques da Silva; Aracaiy, o
Sr. A. de Lemos Braga; Cea'r, o Sr. J.Jos de
Oliveira ; Maranho, o Sr. Joaqoim Marques Ro-
drigues ; Har, os Srs. Geraldo Antonio Alves &
Filhos; Amazonas, o Sr. Jeronymo da Costa.
ENCARREGADOS DA SUBSCRIPTO DO SL.
Alagoas, o Sr. Claudino Falco Dias; Babia, o
Sr. Jos Mirtins Alves; Rio de Janeiro, e Sr. Jos
Ribeiro GasparinHo.
PARTIDA DOS ESTAFETAS.
Oimda, Cabo, Escada e estagfos da. via frrea at
Agoa Preta, lodos os dias.
Iguarass a Goyanna Das segundas e sextas feiras.
Santo Anto, Gravat, Bezerros, Bonito, Carusrd,
Altiobo, Garanhnns. Buique, S. Bento, Bom
Cooselho, Aguas Bellas e Tacarat, as tercas
feiras.
Pao d'Alho, Nazarelh, Limoeiro, Brejo, Pesqueira,
Ingazeira, Flores, Villa Baila, Cabrob, Boa Vis-
ta, Ouricury, Salgueiro e Ex, as quartas
feiras.
SEXTA FEIRA 5 DE MAJO DE 186S.
Par aana paga tetra de 10 dias da I.0 mez ,,,.... 19|000
Parte aa cerreie par un aaaa.........., S}000
Segunda vara do civel: quartas e sabbades a II AUDIENCIAS DOS TRIBUNAES DA CAPITAL
ora da tarde. I
Tribunal do commercio : segundas e quintas.
Relajo: tercas e sbados as 10 horas.
Serinhaem, Rio Formoso, Tamandar, Una, Bar-
reiros, Agua Preta e Pimenteiras, as quintas
feiras.
EPHEMERIDES DO MEZ DE MAIO.
2 Qnarto cresc. a 1 h., 44 m. e 46 s. da t.
10 La eheia as 6 h., 3 m. e 22 s. da t-, ,
18 Quarto ming. as 4 h., 19 m. e 46 s. da m.
24 La nova as 8 h., 29 ra. e 4o s. 4a t-
Fazenda: quintas s 10 horas.
Julio do commercio: segundas s II horas.
Dito de orphaos: tercas e sextas s 10 horas.
Primeira vara do civel: tercas e sextas ao meio
dia.
Segunda vara-do civil: quartas e sabbados al
hora da tarde.
DIAS DA SEMANA.
1. Segunda. Ss. Felippe e Thiagoapps.
2. Terca. S. Maphalda raioba de Portugal.
3. Qaarta. S. Rodopiano ra ; S. Amaro m.
4. Quinta. Ss. Floriano e Sacerdote mm.
5. Sexta. S. Pi V p.; S. Angelo c. m.
6. Sabbado. S. Joo anleportam latinam.
7. Domingo. S. Estanislao b. m.; S. Flavia.
PREAMAR DE HOJE.
Primeira as 0 horas e 30 m. da tarde.
Segunda as 0 horas e 5i minutos d manhaa.
PARTIDA DOS VAPORES COSTEIROS.
Para o sul al Afagoas a 14 e 30; para o norte
ata a Granja a 7 e 22 de cada mez; para Fernan-
do nos dias 14 dos mezes e Janeiro, marco, maio,
julho, setembro e nbverabro.
ASSIGXA-SE
no Recife, na linaria da praga da Independencia
ns. 6 e 8, dos proprietarios Manoel Figueiroa de
Faria & Filbo.
PARTE QFF1CIAL
GOVERNO DA PROVINCIA.
LEl N. 611.
Autonio Borges Leal Castello Branco, presidente
da provincia de Pernambuco.
Fago saber todos os seus habitantes, qoe a as-
sembla legislativa provincial decretou e eu saoc-
conei n resolugao seguate :
Artigo 1. Fica o presidente da provincia auto-
nsado a permittir que o corpo de polica v tomar
parte na guerra actual.
Art. 1 Neste caso o mesmo corpo ser conside-
rado era commissao ou diligencia extraordinaria,
sendo em seu lugar creado om corpo provisorio,
que far o seu servico.
nico. Esse corpo provisorio ser dissolvido
logo que volte provincia o de polica, depon de
terminada a gu-rra.
Art. 3." O mencionado corpo provisorio ser
composto de trezentas pragas, que formarlo tres
companhias, ter a organisagao da actual secgo
volante do corpo de polica, flear sugeilo aoregu-
lamento de 2 de dezerabro de 1833, e perceber
todos os vencimentos que presentemente recebe a
mesma secgo volante.
Art. 4. O capito da primeira companhia ter a
graduago de major e ser o commandante do cor-
po, sendo substituido no commando da dita compa-
nhia pelo respectivo tcneute.
Art. 5. Os offlciaes do corpo de polica em ex
o bacharel Joo Paulo Monteiro de Andrade reas-
sumi em II do mez prximo Ando, oexercicio do
cargo de juiz de direilo da comarca de Nazarelh-
Comrauolceu-se ao inspector da tfcesouraria de
fazenda.
Dito ao coronel commandante das armas.Em
resposta ao oficio de V. Exc. n. 762 de 29 de abril
ultimo, cabs-me dizer-lhe que, leado os mdicos
mencionados na relagio junta offerecldo os seos
serveos no hospital militar, no arsenal de guerra
e na vacciagao dos Voluntarios, entre ellas achara
v. Exc. os de que precisa para os depsitos de Vo-
luntarios e recrutas, sem ser preciso contratar um
facultativo especial para esse flm.
Dito ao mesmo. Remeti incluso por copia o
aviso de 11 de abril ultimo, em que o Exm. Sr'
ministro da guerra manda extinguir o hospital mi-
litar desta provincia, e crear em slh lugar urna en-
fermara permanente nos termos do regulamento
de 7 de margo de 1837.'e regiment especial de 31
de Janeiro de 1861, para que V. S. lhe d exeeugao
na parte que lhe toca, propondo o que fr necessa-
rio.allm de ser rostrictimente observado o disposto
em dito aviso.
Dito ao mesmo. Mande V. s. transferir para o
corpo n. 2 de Voluntarios da Patria, como effectivo,
o soldado do Io Manoel Teixeira de Camino, que
por offlcio de hontem mande! aggregar quelle
corpo. p
Dito ao inspector da thesouraria de fazenda.
A' vista do pret incluso, mande V. S. sob minha
responsabilidade e nos termos do decreto n. 2884
Dito ao commandante do batalbio n. 44 de infan-
tera da guarda nacional do Rio-Pormose Em so-
lugo ao olcio que Vmc. me dirigi em 16 de abril
ultimo, tenho a dizer-lhe que se o commandante
superior da guarda nacional desse municipio e de
Serinhaem, Jos Antonio Lopes, achar-se impedido,
deve Vmc. dirigir-se ao substituto legal que o
chefe do eslado-matar da mesma guarda na-
cional.
Dito ao 1 juiz de paz da fregnezia de Santo
Amaro de Jaboalao.Nao tendo sido remettidas .
presidencia at esta data as listas das qualficacoes
de votantes dessa freguezia, relativamente aos an-
nos prximo passado e. corrente, falta que so fas
reparavel por ser urna infraeco do art. 21 da le
n. 387 de 19 de agosto de 1846, recommendo a
Vmc. que faga exlrahir e me envi com brevidade
copias authenticas das referidas listas, informndo-
me sem demora se Vicente de Araujo Pinbeiro est
comprehendido em algnmas dellas.
Portara.O presidente da provincia, attendendo
ao que requereu Henrique Jos Vieira da Sil.a,
resolve conceder-lhe licenga para pder ir ao pre-
sidio de Fernando, no primeiro navio que para ali
seguir, levando corasigo os gneros constantes da
relagao junta, assignada pelo secrelario do govm-
no, nao podendo, porm, effectuar o desembarque
dos referidos gneros sera que por parle do com-
mandante do mesmo presidio se proceda exime,
aflm de se verificar se ha agurdente ou outra
qualquer bebida espirituosa.
Dita.O presidente da-provincia resolve, em
visla da informagao da thesouraria de fazenda, da
MINANDO DAS ARMAS.
do Io de fevereiro de 18S2, abonar a tres guardas
nacionaes, que vierain da Parahyba escoltando um tada de hontem, e sob ni'wofeonceder Joaquim
pedigo, alm dos vencimentos que lhes sao garan- criminoso desta provincia, 13 dias da sold e elapa i Teizelra Peixoto a demissao que pedio de recebe-
lidos pelos cofres geraes, percebero, pelos da pro- na importancia de 20j250, do que se far roengo I dor de rendas internas nesta provincia, ficando,
vincia, em quanto nao entrarem em campanha, o na guia que os acompanhou. Commuhicou-se ao | porm, a baxo da flanga com que servia o suppli-
que a cada um faltar para que nao soffram reduc- Dr. chefe.de polica. cante, dependente de resolugao da mesma thesou-
cao alguma em seus vencimentos acluaes. Dito ao mesmo.Mande V. S. ajustar contas at raria. Communcou-se thesouraria de a-j
Art. 6 Ficar garantida nos mesmos termos e o um do mez de abril e passar guia de soccorri-1 zenda.
circunstancias urna gratifleagao diaria aos inferi- ment companhia de Voluntario, de homens pre- i Dita.O presidente da provincia, conformando-'
Quarlel do commaulo das armas, de'Pernambuco
na cidade do Recife, 4 de maio de S65.
Orden do dia n. 62.
O coronel commandante das armas interino, faz
publico para conhecimenlo da guarnigio e devido
elieito que a presideocia noraeou por portara do 1
do corrente mez. para tenente coronel commandao
te interino do 2 corpo de Voluntarios da Patria
desta provincia ao Sr. major do corpo de
maior de 1 ciasse Apolonio Peres Campello Jaco
mo da Gama, e para major interino da mesmo cor-
po ao Sr. cptalo da companhia de artfices Traja-
no Alipio do Carvalho Mendoog*, que entram boje
no exercicio de suas funegoes devendo o Sr. ma-
jor Carvalho passar o commando da companhia com
os respectivos eucargos ao Sr. 2o teueule Honorio
Domiugues de Mouezes D.-ria, conforme se lhe
preyeoio ofib-ialrneute.
VAl!?ualmeut publico que o mencionado 2 cor-
po de Voluuiarios da Pataia ser de oito compa-
nhias, e ter no seu estado completo a orga em seguida vaj designada.
Estado maior e menor.
Tenente-coron.l commandante
Major
Ajudante
Quartel-mestre
Secretario
Sargento ajudanto
Sargento quartel-mestre
Espiugardeiro
Coronheiro
Corneta-mdr.
Mestrede msica.
Msicos.
rial, amanhaa, acerca da proposta bavara-saxona-1 Qutro dn mnm. r0motian^. -,
hessiana. LV a "nesmo, remettendo a informagao mi-
,Em Munich e Dresde nao se duvidou da aceita- aSi-E f? ?St Kf2' rela''vaa,ea,e ao
gao.em Berln se espera poder aluda ganhar esse maaS!o IfLTJu^ dt .^P^'.^rreiraLi-
ou aquelle voto da maioria do 27 de margo. Entre- lniffii0' B eagenh0 Co(Iue'ro.-A' quera fez a
tanto a volagao daquelie da j raostrou que as re- v
lages entre a Prussiaea Austria se aclum mais e
mais frouxas.
. e que a allianga austro-prussiana
tambera eiteriorraente j nao mais muito solida.
Desde o principio da questo SchleswigHolsteiue-
estado- za ei" noTembro de 1833, foi em 27 de margo ul-
timo a primeira vez que a Austria e a Prussia se
acharara como adversarios recprocos.
A luta interior na Prussia continua, e cresce ca-
da vez mais. Depois de umadiscusso dsete dias,
a cmara dos deputados approvou com grande
maioria todas as propostas do relatorio provisorio
de sua comnvssao de orgamento, tomando assim
Urna i.etigao de Joaauim Pereira de Barros, soli-
citando que se prosipa o sentido dos 8 6 e 30" do
art. 33 da lei n. 597 de 13 de maio de 1864.-A-
commisao de legislagao.
Outra do .yenriqne Augusto Milet, rapreiteiro
que ro da concluso das obras do 14o lance da es-
iraa&nS?1; Pedindo o pagamento da quantia de
I.788U00, importancia de trabalhos nao previstos
no orgameato. A' commissao de obras pu-
blicas.
Silo lidoseapprovados os seguintes pareceres:
A commissao de petigao a quem foi presente o
i
1
1
i
1
1
1
1
1
1
1
16
res do mesmo corpo.
Art. 7." As pragas de pret em expedigao, alm
dos vencimentos que lhes sao garantidos pelos co-
fres geraes, percebero pelos da provincia, o que a
cada urna faltar para completar a diaria de 1 400
res.
Art. 8." As pragas de pret que nao marcharem
para a guerra nao sero de novo engajadas, findo
o actual engajamento.
Art. 9. As mencionadas pragas que j se tive-
rem alistado no corpo de Voluntarios da Patria, e
que depois da guerra nao fkarem inhabilitadas pa-
ra o servico, Oearo com direilo a serem preferidas
a quaesquer cidados para as vagas que se derem
naquelie corpo.
Art. 10. Depois das mencionadas pragas, sero
do mesmo modo preferidos, as sobreditas vagas
os guardas nacionaes ouflcidadfios quaesquer que
honverem servido nos corpos de Voluntarios da
Patria.
Art. II. O corpo de polica constar desde j de
quinhentas pragas, as quaes tero a organisagao
da actual secgo."volante e um mesmo uniforme.
Art. 12 Os poetps qae vagarera no corpo de po-
lica, depois da guerra, sero preeacbidos por ac-
cesio, em oneaig bouverem offlciaes e pragas de
pret com habnitafes idneas que tiverem tomado
parlo na mesma guerra, devendo o presidente da
provincia conservar nos postos os offlciaes que
forem promovidos pelo governo geral, e que tenham
feito parte do corpo ou dos dg Voluntarios da Pa-
tria e da guarda nacional da provincia.
nico. Em igualdade de circumstancias sero
preferidos os offlciaes e pracas do pret, que honve-
rem praticados actos de dendo e bravura regular-
mente corapr vados.
Art. 13. O lempo de servigo fora da provincia
ser contado pelo duplo para o caso de aposenta-
doria.
Arl. 14. Os filhos menores, ou irmos orphaos
desvalidos, qnr dos offlciaes e pragas de.pret do
corpo de polica, qur de quaesquer cidados ou
guardas nacionaes, que se alistarem nos corpos de
Voluntarios da Patria, sero a requerimento de
seas pas ou de qualquer pessoa que por elles se
interesse, admittidos nos estabelecimentos pios de
educacao, e mantidos casta da provincia em
quanto durar a guerra.
1.' Esta disposigo se tornar permanente para
os filhos e Albas menores dos que morrerem ou
ficarem invlidos na campanha.
2. Para esse fim fica o presidente da provin-
cia autorisado a fazer as despezas necessarias,
aflm de dar aos mencionados estabelecimenlos as
proporgoes indispensavels.
Art. 15. As vaniagens pecuniarias concedidas
tos, que tem de seguir para a corte no vapor Pa- se com a proposla do procurador fiscal da thesou-
raiw. Coraraunicou se ao coronel commandante
das armas.
Dito ao mesmo. Recommendo a V. S. que, em
vista da conta junta em duplcala e nao havendo
inconveniente, mande pagar a Jos Rodrigues Fer-
reira, conforme solicitou o director das obras mili-
tares em offlco de 29 de abril ullimo, sob n. 18,
a quaniia de l00O era que importou urna cr-
reme, um cadeado, e um par de argolas, compra-
dos de ordem da presidencia, para segurar a ca-
noa ao servigo do forte do Buraco, e pertencente
fazenda nacional. -Communicou-se ao director das
obras militares.
Dito ao mesmo. Respondendo ao offlco que
V. S. me dirigi hontem sob n. 291, relativamente
ao abono da gratificacao aos Voluntarios da Patria
correspondente metade do respectivo sold, e
bem assira as consignagoes deixadas pelos mesmos
Voluntarios, tenho a dizer que a esse respeito cum-
pra as ordens expedidas pelo goveroo imperial.
Dito ao mesmo. Representando-me o major Se-
bastio do Reg Barros, que essa thesouraria nao
Ibe pagou os seus vencimentos, em vista da ordem
circular do ministerio da guerra de 8 de abril ulti-
mo, declaro V. S. que ao referido major nao foi
ainda expedida ordem
do
rana provincial, datada de 28 de abril ultimo, re
solve nomear o bacharel Jos Joaquim de Sonto Li-
ma para o lugar de ajudante do mesmo procurador
fiscal na comarca do Limoeiro, vago pelo falleci-
mento do respectivo proprietario, Jos Antonio da
Silva e Mello.
Dita.O presidente da provincia,
queTequereu Galdino Themistocles Cabra! de Vas-
concellos, Io escrivo de capellas, residuos e au-
sentes do termo do Recife, resolve conceder-Ibe 30
dias de licenga para ir provincia da Babia.
Dita. O presidente da provincia resolve exone-
rar o tenenie-coronel Sebaslio Lopes Guimares
do lugar de commandante do corpo de polica, por
assim o haver pedido, e promove ao posio de te-
nente-coronel commandante do mesmo corpo o ma-
jor Alexaodfe de Barros Albuquerque.Fizeram-
se as necessarias comraunicages.
Dita.O presidente da provincia, atlendendo ao
que requereu o 2o sargeuto do corpo de polica.
Bellarmino Ferreira da Silva, resolve conceder-lhe'
om mez de licenga com vencimientos para ir co-
marca do Rio-Formoso.
8 Cpiles.
8 Tenentes.
16 Alferes.
8 sargentos.
16 nditos.
8 Forrieis.
48 Cabos de esquadras.
48 anspegadas.
480 Soldados.
. 16 Cornetas,
allendendo ao___
"Companhias.
de novo de raaneira mu determinada sua a.ii.ude 5fi^a2E T^ EfTfe ,,Ul>
em Trente do governo e de suas exigencias pelo Z a,an,^Se'nblea' llie ,,iarca^ ' n lei
augmento do excreto. O Sr. de Bismark de propo- corresnS?* K*2 ',aearaen, da ..cacio
silo conservou-se longe da dscusso, alira de se- EMK.^SM' fifiS*^ ,,ntertM-
Rundosediz, nao irrtala intilmente por urna HuiS ,e ^f 7' *'? da *.
impetuoMdade eventual de sua parle. !i?2?. estabelec.da pela le u. 392 de 13
Era seu lugar o ministro da cuerra o Sr de ? :, a,lendendo a que a citada lei
Roon leve principalmente a palada em norae t Z^lYrlXjLVl^-0,me"o-^inent0 P0^
governo. Mas elle tambera dexou-se logo levar 1" n fi, ?i S f ,d rSfendo (!me,e e ,s, em
pelo seu leraperaraento cholerico, houverara as' 5o T'*d S" dos emolumentos opera-
scenas as mais violentas. Elle foi at a ameaga de, m ''?' J'TZt iT r C3r r,0;.aiteudeudo
ura golpe de estado, verdad, que mais tarde pro- 27 i^S *" ratiflcagao toda
curoudsfarcar essa ameaga, negando toda a inlen- Sf:?",'. -respe,t0 do Pe"c,onar"> mllam as
gao do governo de um golpe de liado. A' S- SITS^SMISC Ifffi ,?2?& a,K'8ar
sao sobre o relalorio geral da commissao de orga- Torres Banderln^^l0 V"a"C,10 JaolV,cen"! dl!
memo seguio um numero de projectos de leis so-S.? ,ra'(,por.f:ere,B ambl3 sobrecarrega-
bre camnaos de ferro propostos pelo goverqo, cora 2^JSSSSX& ,e &&#. IQal?L'n."''
a exigencia de a.provago de eraprestimos para 'PJ?n? ZJ Z"^"1 duc"n\^s nao so o
execjgao das respectivas estradas De parl do lV?P J a,'ead. cu,n<> diversos pare-
partido progressista fora feita a mcao de adiar a C S da llrourana e do Precurador fiscal favora-
scussao ^ssas propSs^'VS e elsado SMaSSftWjSS qU6 "^T
" mesmo peticionario : e de parecer que scia de-
secretario de geverno
maio de 186a.
do dia 2
para- seguir para o sul. e
que por Isso, nSo estando elle corhprehendido en- Expediente
tre os offlciaes de que trata aquelle aviso, deve
V. 8. mandar pagar-lhe os vencimentos a qoe liver |
dln!?".n .u ... .0fflc' ao Exm. conselheiro presidente da rela-
Dito ao inspector da thesouraria provincial.At- gao.De ordem de S. Exc. e Sr. presidente da
tendendo ao qne expoz o professor particular de provincia, remeti a V. Exc. um exemplar im-
instrucgao primaria Firmino de Farias Barroso e, presso da collecgo de leis geraes e decisoes do
aura, resolv nesta data releva-lo da mulla que lhe | governo imperial promulgadas no aono passa-
roi imposta, pela falta de apresentagao do raappa, do.-Iguaes ao desembargador presidente do tri-
de seus alumnos do 4 trimestre do anno passado, bunal do commercio, Dr. chefe de polica, ao Dr.
neo V. S. para seu conhecimenlo e | juiz especial do commercio, e ao Dr juiz dos feltos
683
' (Assignado.) Jos Marta Ildefonso Jacome da
Vciga Pessoa e Helio.
(Conforme)Antonio Francisco Duarte, 2o tenen-
te ajudante de ordens iuterino,encarregado do de-
talhe.
Ordem do da addicwnal a de n. 62.
O coronel commandante das armas interino, de-
termina que seja desligado da companhia de arti*
fices, a qual se acha addido o Sr. alferes do 2" ba-
talho de infamara Jeronymo Ignacio dos Santos,
qne na mesma qualidade de addido ir servir no
i- batalho de artilbaria a p.
. (Assignado.)Josi Alaria Ildefonso Jacome da
Veiga Pessoa de Mello.
(Conforme.) Antonio Frqnfitxco Duarte, 2" te-
nenie ajudante de ordens interino, encarrilado do
delalhe.
grande matar Tdesse oartido W"* a S55 d"
o os conservadores foram con- ^^i.0?8"?- e\muu.c.p.o,
exeeugao. Communicou-se ao director geral da
iostruego publica.
Dito ao commandante superior da guarda nacio-
nal de Vazaretn.Nao tendo ainda chegado ao meu
conhecimenlo a informagao, que por despacho de
10 de margo ultimo exig de V. S. acerca de um
requerimento em que Marcelino Cesar de Olinda
Campello solicita a patente de alferes do batalho
n. 18 de infamara da guarda nacional desse'muni-
cipio, compre qne V. S. ministre essa informagao
com a possivel brevidade.
Dito ao vice-consul do Uruguay Estando resla-
belecldas as relagdes de paz e nerfeito amizade en-
tre o imperio do Brasil e a repblica oriental do
Uruguay, resolveu o governo imperial, como me
foi declarado em aviso de 10 de abril ultimo, r-
integrar no exercicio das suas respectivas fune-
goes todos os vice-consules e agentes consulares
EXTERIOR.
CORRESPONDENCIAS DO DIA
RIO DE PERIAHDVCO
HlHHIHliO
:> de abril de 18(w.
aes oIPciaes e pragas de pret do corpo de polica, i daquella repblica, existentes no Imperio, enjo
sero pagas na provincia as familias dos mesmos Exequtur foi cassado em virtude do deereto, a
offlciaes, inferiores e mais pragas de pret, oa 4s que alinde o despacho circular de 16 de setembro
pessoas qoe elles designarem, on directamente de 1864 : o que ludo fago constar, para os devidos
aos mesmos em campanhapelos metas que o pre-1 effeitos, ao Sr. Autonio Valentim da Silva Barroca,
sidente da provincia jnlgar mais proprios. i vice-consul da referida repblica nesta provincia!
Art. 16. O presidente da provincia poder adan- Apreveito esta opportunidade para assegurar ao
tar s pragas de pret at dous mezes de gratifica- mesmo Sr. vice-consul os mens protestos de estima
gao, de qae trata o art. 7., descontndose mensal-, consideragao.Fizeramse as demais communi-
mente e de cada um a terga parte da respectiva caees.
gratificacao, al completa inderanisacao dos adan- Dito ao commandante do corpo de polica. Ex-
lamentos fertos. i pega V. S. suas ordens, para que de hoje era dian-
te, e em quanto durarem as sessoes do tribunal do
Art. 17. Pica o presidente da provincia autori-
sado a dar licenga para todo o lempo da guerra,
a quaesquer empregados pblicos provinciaes, que
a soliciiarem, para nella tomar parte.
S 1. Estas lioengas sero sem vencimentos.
I 2. Os mencionados empregados s poderao
ser demiuidos, se tres mezes depois da guerra
ne se apresentarem para entrar de novo no exer-
cicio dos seus respectivos empregos.
jury desta cidade, all se aprsente, disposigo
do respectivo presidente, a guarda do estylo.
Comraunicou se ao presidente do tribunal do jury.
Dito ao mesmo.Autor i so V. S. a fazer engajar
para o servico do corpo sob seo commando o pai-
sano JoSo Gregorio da Silva, que para isso foi jul
gado apto como consla do attestado junto ao seu
: offlco n. 276 desta data.
Art. 18. O lempo de servigo destes empregados Dito ao director geral interino da instrocgo pu-
em campanha ser tambem cootado pelo du- Wica.Devolvendo Vmc. as provas escripias que
po para os casos de apesentadoria. acompaoharam o offlco dessa directora de 28 de
Art. 19. Para occorrer s despezas creadas pela a"' Ando, sob n. 130, tenho a dizer-lhe qoe nao
prsenle ler, fica o presidente da provincia aulori- julgo habilitado nenhum dos candidatos que se
sado a despender at a quantia de cento e ci-' apresenlaram ao exame de habilitacao para o raa-
cornta cornos de res, podendo para esse fim fazer gisierio do sexe mascolino, nem tambem a Antonia
as operagees de crdito, que forem necessarias, se dos Aojos da Porciuncula, qae se propoe ao eosino
nos cofres provinciaes nao exislirem fundos suffl- primario do sexo feminno.
cenles e disponiveis. | Dito ao mesmo.Em vista da informagao dessa
Art. 20. Ficam revogadas as dlsposigdes em directora de 28 de abril ultimo, sob n. 133, aoto-
contrario. j riso Vmc. a mandar admlttir no Gyrana*io Provin-
Mando, portanlo, a todas as autoridades a quem cial, como alumno interno gratuito, quando hoover
o conhecimenlo e exeeugao da presente resolugao vaga, i sem prejuizo de outros qae a esperan, o
pertencer, qae a comprara, e facarn camprir lio menor Jos, nlho de Antonio Gon^alves dos Sanios,
nteiramente como nella se contera. O secretario depois de apresentar ceriido de idade e de vac-
do governo desta provincia a faca imprimir, pnbli-. clna.
are correr. I Dita a cmara municipal do Recife.Para satis-
Palacio dogovenn de Peroamboco, aos 3 de fazer a deliberagao da assembl legislativa pro-
abril de 1865,44" da independencia e do imperio. vincinl, contida em offlco do respectivo Io secrela-
L. S. ~ ri. de hoje datado, sob n. 100, compre que a ca-
Antonio Borges Leal Castello Branco. | niara municipal do Recife, remetta-me com nrgen-
Sellada e publicada a presente resolugao nesta ca as informagdes j exigidas em mens offleos de
secretarla do governo de PernMnfcuco, aos 2 de 10 e 26 de abril ultimo, acerca do requerimento
maio de 1863. i de Basilio Alves de Miranda Varejo.
O secretario do governoDr. francisco di Pan-! Dito ao major Alexandre de Barros Albuquer-
a Salles. qoe.Tendo por portara desta data nao s con-
Regstrada a folhas do lvro -7* de les provn- cedido a exoneragao qoe pedio do commando do
mata. Secretaria do governo de Pernambuco, aos corpo de polica o tenente-eoronel Sebaslio Lopes
3 de abril de 1865. Guimares, roas tambem promovido Vmc. ao posto
O escriturario da 4* secgoTlteodoro Jos Ta- de tenente-eoronel commandante do mesmo corpo :
ares.- >,-.; assim lh'o comrnonico para seu conhecimenlo, re-
. comm*ntlando-lhe qne apena assamlr o conjnian-
..., do trate de saber qoaes os offlciaes e pragas que
>tuAHl, a- i;, a, mtM i. toma I pcetendem seguir para o sul, aflm de servirem na
EiarttMie O da fe aaie de 18S. ,J^^ contra republica do Paraguay( como au.
Offlco ao Etm. conselheiro presidente do supre- torisa a lei provincial o. 611 desta dala, enviando-
mtflfibanal dejastiga.Comraunico V. Exc. que me Vmc. urna relagio delles.
da fazenda.
Dito ao inspecter da thesouraria de fazenda.O
Exm. Sr. presidente da provincia, manda trans-
mittir a V. S. as 8 inclusas ordens sondo 6 do
tribunal do tbesouro nacional sob ns. 42, 43 e 45
a 48, e 2 do ministerio da guerra datadas di 7 e
10 de abril ullimo.
N. 149.Dito ao Io secretario da assembla
legislativa provincial.De ordem de S. Exc. o Sr.
presidente da provincia, passo por copia as raaos
de V. S. para ser presente a assembla legislativa
provincial, a informagao ministrada pelo Dr. chefe
de polica relativamente ao processe instaurado
ao subdito bespanbel Epifenio Asladillo y Bus-
sons.
Fica assim salisfeita a exigencia da mesma
assembla constante de seu offlco de 24 de abril
ultimo, sob n. 94.
N. 130.Dito ao mesmo.Para ser presente a
assembla legislativo provincial, e em solugo ao
seu offlcio de 17 de abril ultimo n. 70, passo as
mos de S Exc. o Sr. presidente da provincia, o
offlcio incluso por copia em qae a cmara munici-,
pal do Recife, declara qae o art. 7 do titulo Io das
posturas de 30 de junho de 1849, sempre esteve I simplesmente urna per'gunta's anas grandes po-
em vigor nao lhe tendo constado o centrarlo.
N. J51.Dito ao mesme.Transmiti por copia
a V. b. de ordem de S. Exc. o Sr. presidente da
provincia, para ser presente a assembla legisla
liva provincial, a inclusa informagao prestada pela
thesouraria provincial, acerca da ultima arrema-
tagao da barreira da ponte da Magdalena, a que se
refere o offlcio de V. S. de 29 de abril ultimo, sob
legalmeote o orcainenlo ; s depois de haver-se
posto um termo ao estado sem orgamenlo, dizia-se,
que acamara podaapprovarao governo empres-
liuios, e nao antes, a nao querer tornar-se cmplice
desse estado.
Tambem moslravam-se de accordo cora essa
mago, alguns dos mais nolaveis membros do cen-
tro esquerdo, sobretodo o eu chefe, baro de
Bockura-Dolirs. A
portm. tanto como
cos.'e hem entendido
tra, e por isso a raocao nao obtove a maioria. Urna
proposla sabida do centro esquerdo recommendou
por contra de approvar as propostas de vas fr-
reas do governo, mas de nao lhe conceder nenhum
empreslimo, desgnando-lhe para as despezas ne-
cessarias os metas existentes da administrag pu-
blica das vas frreas.
Aflm de salvar suas propostas de algura modo,
o mini-tro do commercio conde Itzenplitz, decla-
routse finalmente de accordo. O goveruo soffreu
entretanto ura golpe sonsivel em urna terceira
questo.
Urna proposta do governo exiga urna alteragao
da legislacao acerca dos bancos prossianos, autori-
saodo esses estabelecimenlos a establecer filaos,
tambera fra da Prusia, em praga tllemes. O
primeiro fim era o estabelecimenio de filiaos em
Ilamburgo e nos ducados do Elba, e o motivo ne-
nhum ootro do que dar novo apoio aos esforgos
d'annexagao prussiana nesses ltimos.
O governo contava com tanta certeza com a ap-
provagao, que ja se achava tudo preparado para a
abertura de filiaes, em primeiro lugar em Ham-
burgo e em Kiel. Mas enganou-se; a cmara dos
deputados rejeitou a proposta com gran le maio-
ria.
Como muito de sentire incoraprehensivel
para o publico de frana Austria o conflicto en-
tre o governo e o reicbsrath toma cada vez raaio-
res proporgoes.
J fallamos do offerecimento do gabinete de di-
minuir o orgamento das despezas apresentado pa-
ra 1865 de um pouco mais de 20 railhes de llo-
rn.-, debaixo da condigo que livesse mo livre
para revramenios. Todo o mundo pensava que
As correspondencias da Allemanha deceno jase
tero tornado enfadonhas para os leiiores no-alle-
mas, tratando ellas sempre e sempre da queslo
do Schleswig-Holstein. E Infelizmente ninguem
pdelprever quando essa queslo ter finalmente
sua concluso
A principal novidade, que hoje tomos de referir i essa olferta seria aceita,
a esse respeito, e urna proposla apresentada na A commissao das finangas da cmara dos depu-
sesso da dieta em 27 de margo pela Baviera, Sa- Udos rejeitou-a porm, e apresentoa no pleno da
xonia e Hesse-Darmstadt. E>sa proposta o resul- casa suas exigencias excedendo ainda alguns tra-
tado final de onia negociago prolongada entre os IhSes, querendo ao mosmo lempo ver excluidos
estados secundarios e a Austria, de que j fizemos todos os reviramentos.
raenso em relatnos anteriores, e segando parece, A discusso do orgamento acha-se ainda pen-
no custou pouco para dar-lhe urna forma, corres- dente; mas as resolugdes at agora tomadas
pondendo tanto aos desejos dos estados secunda- acerca das differentes posicSes de orgamento, as
ros, como as exigencias da Austria. Esses insta- proposUs da commissao de finangas encontraram Chael'"Goncal'v
<* litara ria. nmtii cti'Iikvuinunln I m-iinrii o nTir. A An ilnu 1 '
n. 98 que assim fica respondido
ii i ..
inspector
era
cares.
Descaches do dia 2 de maio de 1865.
Requerimientos.
Alves Homburgez & C,Informe e Sr.
da thesouraria de fazenda.
Anselmo Francisco Santiago.Indeferido
vista da informagao.
Antonio Googal ves dos Sanios.Dirjase ao Sr.
director geral interino da instrucel pnbllca.
Antonio dos Sanios Falco.Entreguera-se.
Cypriana Maria Francisca.Concedo mais seis
dias.
Engenbeiro Domingos Jos Rodrigues.Remet-
tido ao Sr. inspector da thesoararia de fazenda
para mandar pagar ao supplicante a gratifleagao
qoe se lhe estiver a dever.
Frmino de Faria Barroso. -Seja relevado da
multa.
Henrique Jos Vieira da Silva.Passe portarla
concedendo a Hcenga que pede.
Irmiudade do senhor Rom Jesos das Dores, em
atiendida.
Jos Petioiaao Machado.Passe
deodo a licenga ue reqner o supplicante.
Joaquim Teixeira Peixoto.-Passe portarla con-
cedendo a demissao pendida, fleando a baixa da
nanga con que servia o snpplicante dependente
de resolugao da thesouraria de fazenda.
Jos Velloi de Abren. Informe o Sr. Dr. chefe
de pntieia, ouvndo o administrador da casa de
detengo.
Alferes Manoel Soares de Albergara.-Passe
portara concedendo a licenga que requer o sup-
plicante. '
Manoel Ignacio Gomes de Faria.Entregue-se a
parte.
Rafino Jos Maria.D-se.
vam n'um procedimeoto enrgico, essa quera de- j quasi exclusivamente a maioria, nao de duvi-
baixo de todas as circumstancias ver evitado om dar, que tambem o resultado final ser a derroto
rompmento com a Prussia, que lhe pareciam ainda do governo. Por isso j se falla da retirada do Sr.
prematuro. de Schmerlinc, e ltimamente j exisliam em
Esses queriam ama proposta, decretando sem I Vienna lisias completas de novos ministros. Al
mais nem menos a installago do duque de Augas-1 agora essas noticias sao entretanto ainda prematu-
temburgo no governo dos ducados; essa, segundo i ras.
pareca, teria preferido que a proposta se limilasse; A retirada de Scbraerling tambem nao mostrarla
um progresso para estado raelhor. Era todo o ca-
lendas allemaas acerca de suas intengoes finaes so, ceno, que sua heranga nao caberia a um
relativamente ao Schleswig-Holstein. O accordo, partido mais liberal e constitucional, e que pelo
conseguio-se por flm por meta de concessdes reci- contrario s o partido amigo absolutista colbena
procas, e o resultado fra a proposla seguinte :! os fruclos e as pastas roioisleriaes.
que a assembla da dila manifestasse ao governo | Na cmara dos deputados de Wurtemberg, o de-
imperial da Austria e ao governo real da Prussia,' pulado Hoelder apresentoa urna mogo de urna re-
sua esperanga cheia de confianga, que se decids- viso efflcaz da consliluigao.
sem com a possivel brevtdade.de entregar ao prin-1 Na Baviera a dieta novaraente rennida recebeu
cipe herdeifo d Auguslemburgo o ducado de Ho-. com prazer nm projeclo de lei, no qual o goveroo
Isteio em propria administrago, fazendo commo-: por propria iniciativa concede a mudanga dos ac-
nicago assembla da dila do accordo realisado tuaes periodos financeiros de seis annos em perio-
entre ellas relativamente Luxemlrarga. j dos de dous annos.
V se qae os autores da mogo tinham cedido Tambem no Hannover as cmaras se reooiram
ao
ferida a peigao do supplicante, sendo raneltid
commissao de orgamento, para marcar quota rela-
tiva ao teinpo de exercicio provado.
Sala das commissajs, 3 de maio de 1863.Ma-
noel ISello.G. de Drummond.
A commissao de agricultura, commercio e obras
publicas, tomn na devida considerago a petigao ou
repreientagiio que a cmara municipal de Nazarelh,
varias necessi-
. pedindo ao
mesmo lempo a salisfagao dellas.
Essas necessidades sao as seguintes: reparos
ou concertos das matrizes de Nazarelh e S. Vicen-
te, melhorameoto da estrada que atravessa a serra
de Mascarenhas, e a constrnego de urna casa de
mercado, de urna cadeia e de um agude.
Observa a commissao que de lodas essas neces-
sidades indicadas, a excepgao da casa de mercado
e reparos da matriz de *. Vicente, a assembla se
tem oceupado nesta legislatura : assim no orga-
mento vigente acha-se marcadas as quotas preci-
sas para os concertos da matriz de Nazarelh, para
a construegao de urna cadeia na cidade desse nome
e para a abertnra da serta de Mascarenhas.
' Quanto ao agude pedido, a commissao tambem
observa que existe na casa um projeclo j appro-
vado em 1" discusso, o qual traa da constrnego
dessa obra.
Restam, pois, nicamente para serem attendidas
duas necessidades dessas apontadas: a saber a
constrnego da casa de mercado, os reparos da
matriz de S. Vicente, necessidades que a commis-
sao jalga atteudiveis, principalmente esta ultima
que repula muito mais urgente.
A' visla do exposto, considerando a commissao
3ue o negocta mais proprlamente da attribuigo
a commissao de fazenda e orgamento, a mais apta
para avaliar dos recursos dos cofres pblicos pro-
vinciaes, de parecer que seja a p ticao de que se
trata remetiida a essa commissao para toma-la na
consideragao que entender.
Sala das commissoes, 3 de maio de 1865.Soares
Brando.Campello.
E' lido e fica adiado por ter pedido a palavra o
Sr. Costa Ribeiro; o seguinle parecer :
A commissao de iostroegao publica tendo em
vista o parecer do director geral da inslrucgo pu-
blica relativamente a petigao do professor particu-
lar Jos Mana Machado de Figueirede, pedindo
que esta assembla o relevasse da multa de 20J,
a qae fra condemnado por nao tercumprido com
o disposto no art. 186 1 da le de 14 de maio
de 1855, de parecer que seja inferida a mesma
petigao.
Sala das commissoes, 4 de maio de 1865.Ro-
' es da Silva.
Austria em tanto, que em lugar de exigir directa
e immediamente a installago do duque Auguslem-
burgo, se contentaran) de recomraeoda-la com es-
peranga eheia de confianga, s duas grandes poten-
cias allemes. A Austria, porm, tinba consentido,
que a proposta mencionasse especialmente a ques-
to de successao, pronunciando, ainda qne em for-
ma mui atteociosa, o ruconheclment do duque de
Auguslemburgo como pretndeme mais legal.
A primeira questo de que'se tratvaa era o modo
de tratament da mogao, segundo o regulamento.
A Austria tioha commuoicado a mesma Prussia
ainda antes da apresentagao na dila, propondo
ao mesmo lempo, qae a Prussia, juntamente com a
Austria se abslivesse da volagao seu respailo. A
Prussia rejeilou essa idea, declarando em ama no-
ta assas acerba, que devia combater a proposta da
maneira a mais decidida. Esse despacho fra si-
multaneameuta oommonicado a todos os governos
nos ltimos das.
O tratado de commercio enire a Austria e o
Zollverein finalmente realisado depois de oegocia-
ges sem fim, a^ha-se at o momento ainda sem a
assignatura definitiva de todos os estados do Zoll-
verein ; mas a maior parle desses acaba de parti-
cipar nos ltimos dias sua assignatura.
Desde o dia 29 de margo acha-se reunida em
Berln a conferencia geral do Zollverein para ter-
minar a redaccao final do novo tratado do Zoll-
verein.
S. Gongalo.Em vista da informado nio pod ser1 allemes ainda antas do dia 27 de margo, afim de
dele-Ios da volagao da proposla. A prussia exigir
portarla coate-' ao raesrao lempo qae a mesma fosse entregue
commissao holsteineza da dila para exame provi-
sorio, urna exigencia cojo flm era simplesmente,
de interna-la nos autos da dieta.
PERNAMBUCO.
ASSEMBLA PROVINCIAL
44* SESSAO EM 4 DE MAJO DE 1865.
PRESIDENCIA 00 SR. DR. PBRIIRA DE BRITO.
Ao meio dia, feita a chamada, acham-se presen-
tes os Srs. depntados Araujo Barros, J. do Rogo
Barros, Teixeira de Mello, Braulio, Buarque, G.
Campello, Rochael, Lourefro, Aqaino Foaseca,
Benedicto Franga^ Ayres Gama, Vctor Correia,
O* autores da proposla pelo contrario exigiram, Francisco Pedro Brillo, Ribeiro, Ramos, Brando,
a votagao_ inmediata no pleno na primeira sessao GoncaJves da Silva, A-ynthas, Diodoro, e Reg
da assembla da dieta.
Sobro 18*0 tai votado no da 27 de marco, e o re-
sultado foi qae a Prossia licou na minora com
suas exigencias, sendo a votagao da proposla fila-
da, com 9 votas contra 6, para a primeira sessao
regular da dieta no dia 6 de abril. A Austria vo-
tara com'a maioria, e qnando o enviado federal da
Prussia em ama deotarnoao bailaste irritada fliera
a resolugao tomada a reprovago de om proced-
menta precipitado, a Austria levaotou protesto em
nome dd-assembla.
Temos de esperar o resultado da votagao mate-
Barros.
O Sa. Presidente abre a sessao.
E' nda e approvada a acia da sessao antecedente.
OSr. I" secretario d conta do seguinte
EXPEDIENTE :
Uro offlcio do secretario do governo, remeneado
a informagao ministrada pelo commandante supe-
rior interino da guarda nacional deste municipio,
relativamente aos guardas do 7* batalho de rafes
Una, apresentadas pelo respectivo conwiaadanto
para o batalho de Voluntarlos da Patria.A' qnem
fez a reqoisigo.
O Sr. Araujo Barros fundamenta e manda a
mesa o seguiofe requenmeoto :
Requereraos que os irabalho- desta assembla
sejam prolongados at as cinco horas da larde, sen-
do destinadas duas horas, inclusive a do expedien-
te, para a discusso exclosiv a de postaras rauni-
cipaes; e que neste sentido seja consultada a casa.
S. R.Araujo Barros.Rochael.
Oram os Srs. Baptisla, Araujo Barros e Silva
Ramos.
Vem a mesa e entra conjuncumente em discus-
so o seguinte substutivo :
Requeiro que sejam prolongados os trabalhos
desta casa por cinco horas diarias.Silva Ramos.
Encerrada a discusso, depois de orarem os Srs.
Jacobina e Silvelra Lobo, sao ambos os requen-
raentos rejeitados.
Entra em discusso e sem dobate approvado o
seguinte:
Reqneiro que se destioe ama hora para a dis-
cusso de posturas municipaes depois da hora do
expediente.-s. R._Araujo Barros.
Sao em seguida approvadas as posturas da c-
mara municipal de Ouricury.
Vem a mesa e approvado, depois de orarem
os Srs. Araujo Barros e Nabor o seguinte requeri-
mento :
Requeiro, a bem da ordem e brevidade da dis-
cusso, que os artigo; posteriores ao primeiro ar-
tigo de cada titulo sejam considerados como para-
graphos ao dita primeiro artigo.Araujo Barros.
Entram em discusso e sao approvados diversos
arligos das posturas da cmara municipal de Igua-
rass, ficando a discusso adiada.
Sao mais approvadas tres emendas offerecidas
as posturas da cmara munieipal de Buique, trs
arligos additivos das posturas da de Garantaos,
diversos artigas das posturas da de Itacaral,. a os
addicionaes das postnras da do Cabo.
O Sr. Rochael pede qae seja dado para a dis-
cusso o projecto n. 24 deste anno.
O Sr. Presidente attender ao pedido.
PRIMEIRA PARTE DA ORDEM DO NA.
Entra em discusso o art. 44 do orcaewnto pro-
vincial qne diz :
RBCBltA.
< Art. 44. Para eOectaar a despera flxada no ti-
tulo 1 desta lei, o presidente da provincia fica au-
torisado a determinar a irrecadaejto da renda de
cooforraldado com os paragraphos seguintes :
| l.90rs. por arroba de assoear exportado.
i 1 20 rs. por caada de agurdente dem,
e 30 rs. por dita de alcool.
" 3. 5 por cento do algodo, dem.
4.* 7 por cento 9o mel de furo, dem.
5 8 por cento dos coaros, dem.
6.* 5 por eento dos demais gneros dem, ex-
ceptuandose palbas de coqueiro, froclas, aves, le-
nha e quaesquer ouiros gneros para gasto dos na-
vios e alimentago da tripolagao e passageiros.


7

-
Diario de irernambuoo -- Sexta Selva i de Malo de i 865.
=u
5=
M
A
0 Sr. Garnier corapreaeadc per-
ir contpreaeaae per- meiuno
lar ao digno commandante do 2. corpo de volun- leilamenie que, sendo homem cotnpM. 4a. 4nt* d glrario ao em que esl, visto que, estando o
tartos, o'Sr. teaente-cnronel Apollonio Peres Caev' natureza, preciso interessa-lo t untante arte
pello Jacomo da Gama, e ac major do mesrao cor-; duplo aspecto. Um livro intrinyanmuaeMe
Ura livro assim li-
% 7.* 305000 rs. por cada escravo exportado^
guardada a disposigo do 7o do art. 41 da le
n. 431.
|8.v a .
tOO rs. por libra de tabaco fabricado ;
600 rs. por arrobar do'nao atiricaito ; po o Sr. Trajano Allpio de Carvalho Mendonea, toroa-se extrnsecamente melhor,
2j por railhetro de charutos ; pelo facto de suas nomeagoes para tees lagares. presso, e bem encadernado.
Ij300 rs. por milhelro de cigarros; Esta Impulsao voluntaria de urna populago en- do com muito mais gosto.
800 rs. por amiba de sabo; thusiasia peto mrito epelo que elevado e gran-1 A turara Clasnca .dos irraaos -Gastilhos, este.
30 rs. por caada de bebidas espirituosas, .resti-' de, maito iisongeira para esses doas digaos per- senda lamben reimprassa eovjParis.,j vimos o
tuiodose o imposto quaodo o genero for Baaxpor: nara*aeanes,cuja escolha abona a quena a coosa- primeira tomo, e .desnecasaaoo anaarecermos o
jado; groa, dandodtie realidade em adheso honrosa mrito da edievao.
80 rs. por dita de genebtae licores dem. I vorneisona que Ihes deferia taes postos ; e tanto Nao kConhaoanos pessoalmeote o Sr. Garnier,
20 rs. por dita de vinagre, ttoando iscntas as fa-' mate lisoogetra ella, por certo, quasto esponta- j nem temos cam elle relacao-de quatidade alfnraa;
bricas da provincia. "a, Bina da occasiao, oriunda apenas da combina- o por lauto, applrtdindo oe relevantes servaos,
i 5 9. 20 por ecntoagurdenle de produccan do gao de um mesrao pensamento que era affagado quoaai elle .prestando s lettras patrias, damos
paiz consumida na provincia, cobrados por ada>i-1 por tados os espirites, exclue qnlqner idea do raais urna prava de que nos nao molestamos com
nistraco na cidade de Recito. I presso, que nao seja a da sympathia e do reco-l as glortaa-alheias, sendo pelo eontrarto prawr nosso
$ 10. 50 rs. por cada alquetre de sal no mu- nheoimento do ment. divulga-las, para que sejam bem conhecidas, e imi-
oicipio do Recife. Fra manifestar taes sentimentos quelles doas tedas.
o 8 il : cavalheiros, grande omero de mocos distinctos, Durante a noite de 3 para l do cor rente, ten-
25300 por cabeca de gado vaceura consumido pertencentes as differentes classes da nossa socie- tarara arrombar a porta da frente da pharmacia
na provincia, com excepgao des creadores as co- dade, reuniram-seem corporaco na referida noi- do Sr. Jos Alexaodre Ribeiro, na ruado Queima-
marcas do Bonito, Garantaos, Brejo, Flres, Taea-'te, na ruado Crespo;e d'ahi saturan) pouco depois do n. 18, procurando quebrara feichadura por
rat, Cabrob e Boa-vista, e dos que tamarem a i das 8 horas, precedidos da banda musical de cu- meio de algum ferro on alavancas.
carne para seu -aso as mesmas comarcas; | riosos Unio Permanente, que tocava bellas pecas, Por acto da presidencia de 2 do corrate, |foi
Dizimo do gado vaccom pago pelos criadores a cercados de um concurso uumeroso de pavo, em nullitcado o processo do examo de habilitago,
as referidas comarcas. j direceo ruada Imperatrz, onde reside o Sr, le- {tara o professerato primario do sexo masculino,
12. Decima dos predios urbanos, nenie-coronel Apollonio, a cuja porta parou todo o visto que nao juigou S. Exc. nenhum dos caodida-
13. 205000 por venda de escravos motores prestito, timo ama commisso. composta dos Srs. tos habilitados.
de dous annos de Idade. Drs. Witruvio Pinto Baadeira e Antonio Villela,! Por portaras de ignaes data fei concedida, a
14. 10 por cento de sello de legados, herangas commerdantes Ponitial Jnior, Augusto Higyoo de proprlo pedid), ao Sr. Joaqulm Teixeira Pejxoto a
e doagoes de qualiuer especie, na forma do 13 i Miranda e A. Pereira da Cunha, corretor geral Ber- deraisso de recebedor de rendas Internas nesta
do art. 41 dj lei n. 594 de 4 de maio de 1*03 nardine de Vasconcelos e proprietario Antonio Jos provincia e nomeado o Sr. Or.Jes toaqnim
S US. 3 por cento sobre os premios de loteras j Rodrigoes de Souza, destacando-se da massa da- Soulo Lima ajndante do procurador fiscal da the
conta em Paria, como mesan ewnatanci* tera influido para que o erro cam- jnstica os parabens, por contar em seu seio nm or
A C* (lirniur ffnmid.jM.l. H^nll. Jn ,__Al____. J .. .___r,-----___ 1 _._. ____. B : r _._ A______til__..-ml-_j.h
seu apparato, quanto de iigniflcatvo por sea ob pressas, por sna
jecto, consistlndo este am urna congratulagao popu- gosio, e esmero
nwtdo agora na direceo do caes, tosse em sea-
fflwa &nalmos alm do alinhamento da ra, a da-
vaodaserasta de 40 palmos, claro que nesse lu-
ua-idtarddietia flear ella com 43 palmos, contando cora
os 3 Decapados pelo muro.
Porm,. o contrario disto Pifl'^"'"" O caes
em lugar da afasiar-se para o UdOyOpposto do mu-
ra, eacosta-ae a este, e a ra, em va de ter-ahi 45
palmos, tem, creio, que 35 ou menos.
Faaendo esta declaraco, nao^aoho poeflm so-
nao maalFar que o erro no alinfeaawoio do muro
de miaa casa, nao foi commetiidopslo eaganhel
;ao que soooe eQlcazmente desagailboar a liberda-
de opprimida.
Com o resallado vortareaos. '
Qaelram, senhores redactores, dar pnblicldade
a estas toscas linhas que a bem da humamdade
Ihes inderecam os seos constantes leitores.Ter-
tuliano Jos Eliseu Ganara, Antonio Jos Bmmtc-
le Canuto.
Flores, 8 de abril-de 1865.
ro cordeador da cmara municipal, e-sim- palo pe-
dreiro que fez o dito muro, gnu aMi nr taaba-
Ibo nao eslava sob a inspei-gio ddito-engeQheiro.
Recife, 4 de maio de 1865.
Gustavo Jos do Reg.
Srs. redactores.-rtiqam o obsequio da infornur-
riae o nome do jornal d'onde Vracs. extratirara a
noticia da bateria.iaventada pelo^aoldado razo no
Alabamn, e que gaslou 201,000 ^asos para aper-
ficoar, como se l no seu Diario do dia 20 de
abril prximo passado.
Seu venerador e criado
J.Betron.
mwkmi i pedido
Sociftilade Xova L'niu.
fista saciedade qne, de sea principio pareca
criarse para sobresahir a todas as ouiras, fazendo
juncao de sen titulo aos sentimentos que predorai-1 ....
navam os associados,. acaba de soffrer ,um abalo [ 0s abaixo assignados.habHantes da comarcare
bem senslvel com a retirada da maior parte dos Nazareth desla provincia, vendo com indign3cao,
socios que all oonstUniam a otdem, o raspeito, a a raaneira porque alguera da povoacao de Timbau-
slnceridade e a base raais segura e conforme a as- **, no inlno de molestar ao Revd. Manoel Jos de
sociacao I I Motivos asss importantes cau^aram Oliveira Reg quizeram manchar a sua bem mere
maiores de 400>.
I *6:
10por cento de novos e velhosdreitos pela
nomeacao dos empregados provteciaess
90 por cento pela aposentadoria e jobilaco
dos mesmos.
< | 17. 40 por cento sobre a renda das casas em
qae se acharen esiabelecimeotos de commercio
fra da cidade do Recife, e as prensas de algndo.
pello Jacomo da Gama.Nao sao as vozes esteris
do favor as que, soltando-se neste momento dos
meas labios, vein feriros vossos ouvidos.
As palavras que vos dirijo, sao ao contrario a
typograpbias, cocheiras. boteqains, halis, casas de expressao-ingenua de coracoes, que a preciando-vos
pasto, cavallarices de aluguel e 'fabricas, fcnde na extensao divida s vossas qualidades pessoaes
isentos aijuelles cujos caixeiros'ferem todos nado- m ivicas, vos felicitara por meio de nosso orgao
aaes, e as fabricas roraes. pela nomeagao significativa, que merecestes
18. 8 por cento sobre a'renda das casas em Exm.Sr. presidente da pro incia.
quettosoidados, foi recebida pelo digno lente- s jurara provincial na comarca do Limoeiro.
coronel Apollonio ; ao qual o Sr. Dr. Witruvio Pin- Remellem-nos o seguate :
to Baadeira, como relator da commisso, dirigi Temos ouvido repetidas queixas palo despejo
estas palavras : que consentem fater no oito do traplehedo Vis-
Senhor lente coronel Apollonio Peres Cam- conde de Suassnna (junto a praca do Commercio)
semelhante desconchavo.
Vontades caprichosas e reolncoes estpidas de
gtua* grupo panca wma ' aind menos prudente e mais vmdoso, teriam dado
tugar a um serio conflicto se os ontros associados,
emltando aqullos, eswessem resolvaos a repelhr
i pitheria por pilherta, insulto por insulto, etc.
cartorios e escriplorios nao denominados.
< g 19. 10 por cento sobre a renda das casas
onde se acharem estabeleciroentos de cemmeroio
em grosso ca cidade do flecife; de commercio a
e para all chamamos a attenco do Sr. fiscal, que
j tem sido advertido porpeseoa lnteressada em
que limpe-se aqnelle lagar.
t Tal o estad de inmundicia em qne se acha
com a chava destes das, que para all chamamos
a attenco da commisso da salobridade publica.
Amanha seextrahir a teroeira parle da
do [ quarta lotera da Sania Casa da Misericordia. (14a)
ItBPARTtCAO 0A POLICA:
A vossa escolha apenas veio sancaionar a de- j Extraeto das partes do dia 4 de maio de 1863.
signaco geral, que vos apresentava para o com-1 Foram recolhidos casa de detenco ne dia 3
mando honroso do 2. corpo de voluntarios da pa-' do corrate:
tria desM provincia de Pernambuco, em que nasce-! A' ordem do lllm. Sr. Dr. ehefe de polica, Ma-
mos, e por cujo bom nome todos nos empenhando,' ra, escrava de Francisco de Oliveira Mello, sem
retalho dem ; armazeos de recolher e de oeposrte, nao podamos consequentemente deixar de vircon- declarago de motivo, e posta logo em liberdade.
idem; trapiches dem, Aeando isentos aqae+ies gralular-nos com vosco por um facto que tradnz A'ordem do Dr. delegado da capital, Ludgero,
cujos caixeiros forem todos nacionaes.
s 20.:o0000 por casa de biliiar e modas.
t 21. 1005000 por casa que vender roupa fe-
ta em paiz esirangeiro.
22. 1:000i000 per casa de operacoes ban-
carias cora eniissao e ontros prevlegios.
| 23. 6(X)#000 porcasa com emissao som ou-
tros previlegio.
c 24. 4005000 por casa sem emisso, compa-
uhia aoonyma e agencia.
25. 2005U0O por casa de cambio.
-t5. 1005000 por casa de compra e venda de
escravos.
-?7. 1005000 4)or corrector commercial e
agente de leiles.
28. 1 por ceato do producto de cada leilo,
pago pelo comprador, com excepcao das jndiciaes.
29. 305000 por escravo empregado no ser-
v{o de alvarengas e canoas aberus de que irata
o paragraphn siguite.
30. I5OOO por tonelada das alvarengas e
canoas abenas eoapregadas no trafega da carga e
descarga.
31. 105300 por bote ou saveiro empregado
no irafego do porto, e 155000 por cada balieira.
32. 550OO por escravo ganhader, ou empre-
gado no servico os tran- portes e aitaaens na ci-
dade do Recife, exceptuadas as escravas.
33 :
165000 por carro particular de 4 rodas frflHM
jf.
105000 por dito de duas rodas idem.
205000 por aito de quatro rodas idem.
12500O por dito de duas rodas dem.
255OOO por cada mnibus.
G5O0 por carroga e carro nao comprehendidos
esse zelo, e anda a susteotagao dos foros e brios [ escravo do Br. Jos dos Anjos Vieira de Amorim,
pernambucaoos. I a requerlmento desle.
isenhor tenente-coronel. A provincia folga: A' ordem do subdelegado do Recife, Thomaz, in-
com a vossa nomeagao, e nos lisongeamo-nos de glez, para correcgo ; Benedicto e Rayraundo, es-
dlze-lo. era vos, este de Jos Doarte das Neves e aquello
Espontanea, como fo ella,prendendo-se tao s- de Marianno da Silva, o primeiro por fgido, e o
mente ao ment que vos condecora, realisou urna segundo a requerimento do respectivo senhor.-
aspirago que eslava em todos os peitos, de ami- i A' ordem do de S. Jos, Quirino da Cosa e Mara
gos e de estranhos, ligando igualmente um no- Isabel da Conceigo, por disturbios,
me sympathico e leo de prestigio, que achavase. O chefe da2,,.secgao,
em todos os labios, aos filaos dedicados de Pernam-'. J. G. deMesqttita.
buco, qne aos reclamos da patria commum voam Movmeoto do hospital dos alienados n Mi-
ao campo da pugna, para vingar as affrontas feilas sencordia de Olinda do Io ao ultimo de abril de
cida reputago, em urna correspondencia publica-1
da no Otario n. 70, e sobre a assignaturaO/ni-
mij/odo crimeoads nao salisfeUos Iba querem
mancharalli sna repotacao, quizeram alada re-
montar a datas anteriores.
Os abaixo assgnados por honra e amor a ver-
! dade, e para desmentir a esseinimigo do crime
fia vista doi ex: posto claro est que," a sociedade; vn protesUr, que opadre Manoel Jes de Olivei-
Nova nto, actuaimeota eatregae aos que a aoar- ra Re8 a inem coohecera a muilos anuos porter
chsavam, precisa de um conforto capaz de derrn- aQU' residido desde que sa ordenoa, apresentou
bar as tntriautnhas que nella peinamtao mansa c, sempre urna conducta exemplar, taato civil como
sorratetraminte quaato mansmho t sorrateiro o \ moral e religiosa, exercendo ura aKo grao a cari-
inculcado genio pacifico de certo amigo ; servidor \ dade nao s a compatvel com o seu estado de sa-
perttnaz e qne unto trabalha para urna foiora cerdole, como com as suas torgas pecuoiarias, tor-
apnsentadoria : esse eonforte.-poa,* de appare- nando-se-por issocredor da estima oo s dos abai-
cer tarde ou cato, a despeilo mesmo da ferrenlia ** Ignados aarnede todas aquellas pessoas que
vontade do amigo Fetix e seus admiradores, enti- uverara. a torluaade o contecer.
dades tao iltustres que facera da ignorancia capn-' Cidade de Nazareth, 20 da abril de 4665.
cno e do caprtoko lei. I gario, Baiilio Gongalves da Lux.
Terminando o presente artigo occorre-nos lem- Capitao.Loureogo Bezerra Marinho Faloao
brar qne, as eleigeeszinhas esto batendo a porta
da Nova Unido, m a salvarem do ostracismo a
que parece condemnada pelo systema nervoso e
absoluta do ctese I est suspenso II... fot ilu-
mnalo I I systema este que a fallar a verdade,
nao se compadece eom o espinto da poca e me-
Capilao Lourehco Bezerra Cavalcanli.
Teneole Vicente-8e Hollanda Cavalcanli
querque.
Francisco Duarle Cavalcanli.
Jos.Marlinano de Souza.
CapUo Thom Correa de Araujo.
de Albu-
nacionalidade brasileira.
A mlsso melindrosa, porm, maior o co-
ragSo pernambucano nos grandes momentos das
provacoes.
E vos que o possais em todo o seu cavalhei-
rismo e elevagao, haveis de comprir essa incom-
bencia na altura do seu alcance, ensinando nos
campos do Paraguay aos briosos pernambucanos
que commandaes as ligoes gloriosas, que bebestes
as planicies do Prata, quando as armas do imperio
all foram levar a redempgao.
1865.
Eitistiam 18 homens e31 mulheres; entrou 1
mulher; sahio 1 homem ; morreram 1 homem e 1
mulher ; existem 16 homens e 31 mulheres ; total
existente 47.
nos anda coraos principios e -fias da sociedade,
mas que todava posto-ara v.)ga e apoiado estre-
pitosamente e ae .em das palawrismuito bem,
apelado cont com gente... ha- de haver o dia-
na. .. etc., etc., apetar de tuo e da boa vontade
Capitn Christovo de bkilanda Cavaloanli.
Tenente Ignacio Francisco Cavalcanli Wanderley.
Teueule Julo Francisco Cavalcanli de Vascon-
cellos.
Maniaho Jos de Andrade Lima.
com que all somos otoados, la nos acharemos no J/>ao Gon?l!ve_::de, A1*?!".6 il_va;:
dia dos votos para- forneerrmos um contingente af-
fectuoso ao Flix da Buena Vista e aos Nasamento
Pereira Bastos, e at logo.
O Mariano.
COBBESPONDENCIAS
Joaquim Alberto dos Passos Figueiredo.
Tenente Francisco de Araujo. Casar.
Altores Ladislao Rudolplio de Araujo Cesar.
Tenente Antonio Aureliano Lopes Coutinho
mor.
Altores Orlando Maquilino de AJmeida.
Jos Luiz da* Andrade Cont.
Dr. Krmirio Cesar Coutinho.
Ignacio Vieira de Mello Filho.
Altores Joaquira Nunes Machado Coutinho.
Ja-
Senhores redac.dores.-Hai difflcilmentese pode- K23Sfi3j52?
ri acreditar .. injnstigas, uas .trope.ias, nas| tSSSSSSSt
Padre Antonio Jaouano da Silva.
'Existem 8 empregados neste ^eoHnonto, Jjita.^^^ JlSS^^l^^S^ J^5^T^ TSiSa^dSSA.
^^""^Z^^^S^rS I ^pSSS^S^&i^^QZ CE ** "e AibaquerqueMello.
sac.iisiao, entormeiro, cozmheiro, barbeiro, enier- ....: > ."* n- ., nrnnPortoiovm,ifl Francisco de Paulo Brrelo Cavaloanli.
. .... u ( vm/iiijiyao, na ii.-|iauu u lUCOtllV waiwwww
Sois, por tanto, mais um filho de Pernambuco peclivo medico nos das 3, 12, 18, 21 e 23 s 1
qae se destaca a Ilustrar o seu nome ; Pernam
seu nome
buco, pois, sanda ao filhe, que tao credor se tem
toito das sympatbias dos outros seus Albos, os quaes
na nomeagao delle se crem honrados e di-vida-
mente apreciados, como folgamos de aununciar-
vo-lo neste momento solemne, em qae seiiilndo a
nossa iosufficiencia, reconhecemos flear a qaem do
nosso mandato na manifesiago, que acali irnos de
fazer-vos.
t Pernambuco folga com a vossa nomeacao, Sr.
tenente-coronel ;e isto vo-locomprova a nossa pre-
iberdade nao um dom, nao a propriedade mais
santa, mais sagrada e msis Inviolavel que foi da-
da ao homem. K' a injnstiga com capa rogagantel
Nosso exordio tem seos fundamentos, do em
horas, 11 e meia e 12 da manhaa, a"l e 1 e meiaj vaniloquios filauciosos; ms em recentes e quasi
da tarde. O mordorao de mez, A. J. Gomes do '
meira o Rodeira.
e 2 mulheres.
Foi visitado o mesmo
Tres serventes sendo 1 homem
eslabelecimento pelo ros-
nas designagoes precedentes, exceptuados os vehi-, senga aqui, a qual symbolisa essa satisfagao, que
culos empregados na agricultura. | tomos incumbidos de transmiltir-vos por entre os
34. 105000 por cavado'de sella de aluguel na votos mais ardentes de peitos pernambucanos.
cidade do Recife, e 65000 por dito particular ex-| A estas palavras gratulatorias respondeu o felici-
ceptuados os dos suburbios. lado com dignidade, sob o dominio de sua iopres-
S 35 Emolumentos do Curso Commcrcial e na-1 sao agradecida, que mais fazia-lhe sobresahir a no-
tnculas da E 36 2 0|0 do valor das flangas criraes, com ex-
cepgo das que houverera de prestar os senhores
pelos seos escravos.
37 5 0|0 sobre a venda do capim a cidade do
Recifa.
38 Padagio das ponles e estradas cobrado pela
tarifa existente.
8 39 Bens de evento.
f 40 Emolumentos e apprehensoes de polica.
I 41 mulla por infraccSes.
42 Restituigoes e reposigdefi.
13 Producto da venda e renda de gneros,
ute'nsis e proprios nacmaes, inclusivamente a fa-
brica do Monteiro.
4i Meladelda divida anterior ao 1 de judio
de 1836.
45 Divida activa.
I 46 Saldo do exercicio anterior.
47 Producto do imposto estabelecido pela lei
o. 250 e pelo art. 57 da lei n. 396.
48 30(0 sobre a renda dos bens de raa per-
tencentes as corporales de mae morta, com ex-
cepgo das que maotem estabele-cimentos ,pio6.
I 49 Producto das loierias do theatro de-Saeta
Isabel
I 30 Saldo dos premios das loteras prescrptas
conforme o art. 39 da lei n. 173.
SI Cusas arrecadadas pelo juUo dos fetos da
fazenda.
52 Juros de 8 0(0 pela indevida detenco da
renda. >
Vera mesa diversas emendas que entram con-
janttamente em discpsso.
Ora o Sr. Buarque.
A discussao liea adiada pela bor.
SEGUNDA PARTE.
Tereeif a discussao do projecto n. 7 deste anno,,
alterando a divjsao actual dos districtos de paz da
fregnezia de Nossa Senhora das Montanhasde Liiin-
bres.
Vero a mesa e apoiado o segointe addilivo :
Fica igualmente creado ura districlo de paz na
povoacao do Bello Montada freguezia da Serra Ta-
Ihada, e termo da Villa Bella, com os meamos Li-
mites da respectiva subdelegada. S. R.B. Frau-
$a. F. Pedro. Araujo Barros. S. Brando.
yres Gama. P.ego Barros. Braulio Drwn-
mond.Teixeca-de Mello.Arminio..Buarque.
Oram os SrsJ Cuofaa Teixeira, Buarque e Soulo
Lima.
Encerrada a discussao approvado o projecto e
o substitutivo.
'Continua a segante discussao do projecto n. ti.
deste anno, creando diversas cadierasde inslruc-
gao. primaria, comas emendas offerecidas pela res-
pectiva commisso.
Encerrada a discussao approvado o projecto
com a emendas.
O srJRoohakl requer.e 4 casa conceda dispensa
do intersticio. i
Entra.em primeira discussao e sem debate ap-
provado o prpjeclo n.l 29 desle anno, declarando
que os pcofessores de instrnefiao primaria, que.
em face do .art 23 da lei a. 398 de 13 de maio de
1864, forem removidos para esta capital, percebe-
rio os meamos venclmentos que os de mais pcofes-
sores.
O Su. Rochaibl reaner a dispensa do intersticio,
e, consultada a casa, decide pela aTrmaliva.
O SR.-Sbro Lima reaner que seja dado ipara a
discussao 9 proiecio n. 47 do anoo passado.
O Sh. PR-Esioorra declara qae atlender ap pe-
dido do nobre denotado.
Coolnua a'primeira discussao do projecto n.
47 do atan pasado, elevando, cataegoria da cida-
de a povoago de Padras de Fogo.
Oram os Srs. Cunha teixeira, e Buar^ne,
Vem mesa dous reqaerimentos sobre a proro-
gago da sesso, que dejxam de sr ornados em
consideraco por falta de nacteo.
O Sa. Pbkkidemte levanta a sessao s i, i& ho-
ras da tarde, e. d para ordem do dia apgeinie,
alm das materias ja desigaada, segunda discos-
sao do projecto a. 29 a terceira do de a. M, aadios
Correio.O regeute, Luiz do Reg Barros.
Casa de obtenco. Movimeolo do da 3 de
maio da 1863.
Existan) presos 358; entraram 8; sahram fi :
existem 36o, a saber: nacionaes 248; mulheres 4,
estrangeiros 27; muflieres 2; escravos 53 escra-
vas 6 ; total 360.
Alimentados custados cofres provinciaes 141.
Moviraeuto da enfermara do dia 2 de maio de
1865.
Tiveram baixa :
Maooel Domingues Bernardes, febre.
Aotonio Hartias Chaves, Iodlgestio.
Mathias Joaquim Bezerra, aslhma.
Jos, escrava sentenciado, frieira.
T-veram alta :
Antonio. Francisco Pereira.
Factos:
Provou Raymnndo por meio de ama jnsficagao,
produzida pertote o juizo municipal, com qnatro
Francisco de Paula Barreto e Albuquerque Mara-
nha
Teaeote Fraoklim Alvesde Souea Paiva.
Igoaeia Vieira de Mello, major-ajudaole.
Manoel de Macedo, advogado.
Alfares Antonio Claudico Alves Gomes.
Joaqun) Jos de Albuquerque Jlaranhao, raajor
reformado da guarda nacional.
testemuohas contestes, como gozava sem intrrup- Cap.lao Manoel daTnndade Bezerra.
I cao da posse de sua liberdade desde 1852 (mais de p,*dre **"> Dornellas Cmara.
1 dez annos). e que o seu titulo de altorria, tora con- r ranaseo Gomes de Araujo Vasconcelos.
hado a Jos Francisco da Costa, genro do liberta-
breza do carcter, entoando em seguida da varan-
da varios vivas correspondidos com cnthusiasmo,
e seguidos por outros eotoados da 10a pela com-- Cypriano Francisco do Espirito Santo.
misso S. M. o Imperador,^ nagao brasileira, ao
Exm. presidente da provincia, ao distincto lente-' ------ "' ------
eoronel commandante do i*orpo de voluntarios e
aos briosos pernambucanos, tocando a msica se-
guidamente a hymno nacional sob ovagoes estre-
pitosas.
Aps isto seguio o prestito, na mesma ordem,
para a ra da Matriz da Boa-Vista, em demanda
da residencia do Sr. major Trajano; e ahi foi elle
igualmente felicitado, sendo-lhe dirigido pelo
dote anno.

< w
,-...
IIIISTA DUIU.
aaiuiA viiui,
Preseaciau ante-hontem pela noite ea cidade c5*o 8r
um espectculo, que tanto leve da imponente per
L'iiiva filial do bauco 4 Brasil em Per-
nambuco
BALANCETE EM 29 DE ABRIL DE 1865.
AC11VO.
Letras descontadas.
Sr"' ^m duas assigna-
turas residentes
no lugar do des-
cont....... 261:2045727
Com urna s dita
dito_____... 3:9025420
113:07150C0
5
Dr. Antonio Villela o seguinte discurso, a que res-
pondeu com expressSes de "reconhecimento pela
provade consideraga, qne Ihe davam os seus con-
cidadaos, entoando cm seguiJa differentes vivas.
t Senhor.A commisso, de que eu son apeaas
um simples orgo, recoohecendo o mrito da esco-
lba que S-. Bc. o Sr. presideote foz da vossa pes-
soa para major do 2 corpo de Voluntarios da Pa-
tria -vem manifestar-vos o jubilo e o conteutamento
de que ella e seus companheiros se acham possui-
dos, por se haver realisado aquiilo que por quasi a
totilidade da popnlago era com ufauia almejado.
t_ O vosso nome, o vosso passado'honroso, a po-
sigio militar que oom distinegao occdpaes, a disci-
plina e o valor que haveis patenteade, slo garantes
para um futuro glorioso em vossa carreira ; e a
provincia de Pernambuco, certa desse infallivel
qao feliz scontecimento, enche-se de orgulho, e
confia qne jamis desmentiris b enaceito que faz
de vos.
t E, seriamesmo impossivel de erer-se qne vs,' Pelos seguintes va-
fllho desta heroica provincia, vos tornasseis sardo loYes:
aos reclamas da patria ultrajada por sicarios e vam-' Em moeda de ou-
piros Paraguayos, que pretendem loacamente ln- ro de 22 I0'1*- a-aoa
dibriar-nose manchar as cores do nosso pavilhao. tos........2,258:0305000
E, pos, todos nos. sandaraos a vossa nomea-' Em notas do the-
cao, por vermes que mais um Alho deste provin- souro dos valo-
oia que se desprende on desloca-se do seu seio, res de 105000 e
para pressnroso ir desaffrontar a iniegridade de | superiores. .
nosso paiz. Asstm aceitai esta manlfestaeSo como: Em notas menores
o symbolo de amlsade, sympathia, e consideraga' de 105000.....
de urna populagao qae vos aprecia, e vo-lo aemons-! Em moeda de tro-
ira om praier. co......
De novo repetiram-se vivas S. M. o Impera-: Em potaslt pro-
dor. nago brasileira, ao presidente da provincia,; pn* caixa. .
aos pernambucanos., do i? corpo da volntarios ; todos os qaaes foram
cobertos de sandaces, e seguidos do hymno na-
ciaaal.
JLetras caucionadas.
Por ouro, prata e
ttulos commer-
ciaes .......
Por oulros ttulos.
Letras a receber.
Saldo desta coate.
Gontas correntes.
Saldo desta conta.
Diversos.
Saldo de varias con
tas........ .
Caixa.
267:1075147
16:0715060
7,457.:3275971
736:6355322
3,038:5225821
genro
dor Luiz de Souza Macel, por mostrar ento mui-
to rateresse pela liberdade de Raymnodo. Isso feito
requeren por seu carador Antouio A. de S. Leite,
raaudado de manutengao em favor de sna liberda-
de, por quererem os herdeiros de Maciel reduzi-lo
a eseravido. Isso Ihe foi coucedido, salvndose o
dreilo de lereeiro.
Mas entrando em effeclivo exercicio das fue
goos muiiicipaes o Sr. Dr. Joo B. do A. e Mello,
reanimaram-se os herdeiros ou alguem por elles,
e requereram tosse tirado Rayraundo da casa de
Manoel Jos Cauto (nosso pai) para ser depositado
Sm Flres, para intentaren) contra elle a acgo de
scravide. Raymnndo ehegaado em Plores de
Manoel Jos de Oliveira Mello, senhor do eogonho
Moreja.
Manoel Barata de Oliveira Mello, estodante do 5
anno da Faculdade de Dreito.
Antonio Josde Oliveira Mello, capltao reformado.
Fernando Barate da Silva Jnaior, proprietario.
Manoel Thom de Oliveira Mello.
Manoel Josde Oliveira Jnior, proprietario.
Lourengo de Barros Vasconcellos, senhor do en-
genbo Conceigo.
Manoel Pereira Macel, negociante.
Jos Pereira Macel, negociante.
Goncalio Jos de Vasconcellos, lavrador doenge-
nho Macaco.
Manoel Pereira Maciel Jnior.
Pedro Francisco da Silva. Mello, altores da guarda
natlonal.
Manoel Rodrigues da Silva, proprietario.
Bento Franco Romelro.
Manoel Gomes de -Araujo.
Jos Gomes da Cunha Pedreira PimenU.
Joo Nunes de Souza.
Francisco Xavier de Moraes.
Antonio Joaqun) Alves de-MeHo.
Manoel Jos Rio de JordioChatos.
Joo de Andrade lama.
JosSnvares Peeaea de> Araujo.
Antonio Jos Lopes de Aibuquarqoe.
Antonio da Moraes Cmara.
Joaquim Francisearile MallaPluale.
Domingos Ramos-de AndtmMina.
Jas Jeroaymo 'Paeheco de>**wu,uerque Mara-
nhSo.
Jos Ignacio Pereira Torres.
Antonio Dimz de Albuquerque Mello.
Jos Ignacio da Andrade Lima.
Fabricio G. de Andrade Lima.
Bernardo Gomes da Cuqha Pedrosa.
Bellarrano Bezerra Negromonte.
Gemniano Alfredo Velloso da Silvera.
Manoel Antonio Bezerra.
Joo do Reg Gadelha de Abren.
Gervasio'Brotaste Badrigues da Sirva.
Joo da Costa Bibeiro Souza.
Francisco Xavier Carneiro de Albuquerque.
Jos Jacinilo Coelho da Silva.
Jos Belarmino Pereira Torres.
J- Ao Fraoeisco-Cabral.
Capillo de liona Antonio Alves de Paiva.
Bacharel Jos Cardse.
Joo Hyppolilo de Moraes, proprietario.
Manoel Pereira Magalhes.
Henrique Pereira de M.
Ignacio Xavier C. de Albuquerque.
Jos de Barros e Araujo.
Patricio Jos Ribeiro de Vasconcellos.
Goncalio Jos Lepes de Albuquerque.
Francisco Gomes Araujo Vasconcellos Jnior.
Manoel Jos Pinto de SouW Nunes.
Joo Antonio Pacheco.
Joaquim Francisco de Mello.
Padre Anlooio Joaquim Buarque.
Bernardino Jos-Sergio.
Joo Mara da Costa.
Manoel Canteante Chaves.
Vicente Gomes de Souza.
Francisco Sancho Ribeiro do Araaral.
Ignacio P. de Albuquerque Moreira.
Joe de Araujo Cesar.
Joaquim Jos* de Sonta Neves.
Domingos Jos da Costa Braga.
l Esteva 111 selladas e reconhacidas.)
J 11 ig >'L-< >'
Fez-sc urna- graitle e importante des-
coiwi'la.
as eminentes qualidades medicinaes da anaca-
huite, arvore este que cresce as immediagoes de
Tampico, no Mxico. O peitoral anacahuita de
Kemp, composto e preparado com o balsmico
sueco de dita arvore, lem ochido o mundo de es-
panto e admirago. Os proprios mdicos confes-
sam, qne nunca se Ihes havia entrado na ideia,
de que se nodesse extrabir de nenhum producto
da trra, um especifico tao maravilboso e comple-
to para a cura das enfermidades da garganta e dos
orgos da resprrago. A tosse d'um carcter o
mais confirmado e violento, desapparece sob a
sua mgica influencia, dentro em poneos das, e
s vezes mesmo dentro d'algaroas horas, depois,
de se haver tomado urna garrafa do mesmo. A
rouquido por mais cavernosa e profunda qne se-
ja promptamente desvanece e a voz dentro em
poueo recobra e adquire toda a sna costnmada
clareza e sonoridade. Os bronchites se alliviam
mediante o sen uso. Cora os pulmoes feridos e
inAammados. Os qae padecem de asthma prinri-
piam por respirar com desafego e regulandade,
logo depois de se>haver tomado as primeiras do-
zes. O catarrho declarado incuravel desapparece
de ordinariamente ao cabo d'uma semana. Emlim
a sua excedencia e grande efficacia nao teve, nao
lom, e neni lera igual por meio de todas as mais
medicinas tendentes para o mesmo fim. Acha-se
venda em as pharmacias de Caors A Barbosa e
J. C Bravo & C.
positado em casa de, Basilio Q. de S. Ferraz, que : Felippe Coelho da Silva lavrador
manifestando receios de fuga do liberto, requereu J<*f ,be"ro GanU',an?.4ar?anh^n, ,n onanhn
Um meio de seguranga, e o Sr. Dr. jmx monicipal, i ADtonio Ribeiro de Moura, senhor do engento
mandn t'n aeamMf passar mandado de priso', */af,*?v' ,_,_______1
contra Raymnndo, que foi logo recolhido a cadeia,: *** Cabral de O ivaira M., tenente-coronel.
Christovo de Holanda Cavalcanli.
Jos Cabral de Oliveira Vasconcellos, senhor do
engenho Aldea.
Antonio Cabral de Vasconcellos, propaietario.
Jos Francisco Lopes Lima, commandante supe-
rior.
Antonio Bernardo Lopes Lima, tenente da guarda
nacional.
no meto da admirago dos espectadores I Isso
teve logar no dia 27 de setembro do aono prximo
passado.
Este facto desanimon sobremaneira ao carador,
por ver assim tratada a liberdade e a pessoa do
miseravel, cujos iuteresses promova. Nao obstan-
te, requereu fosse removido Raymnndo daqoella
villa para a casa de Manoel Jos Canuto; por que P*0"
aquelle tinha felto com este o contrato de dar Ihe Joao Ai ves Qmello de Araujo, proprielar.10.
500 rs. diarios, d'onde tlrava os meios de subsisten- ^.[g^A^!S*LS!??
cia e de defeza, alm de all bemfellonsar um ro-
cadinho que tenha, sugeitando-se Canuto a dar con-
ta delle em qualquer lempo que por este juizo Ihe
fosse exigido.
Parece, Srs. redactores, que ef la reelamago sen-
do lito fundada nos principios de jusliga e de eqn-
dade, nao.pondo em risco a pretensa propriedade
desss herdeiros, oo poda deixar
Francisco Xavier Carneiro da Cunha.
Antonio Manoel Gao, capito da guarda nacio-
nal e proprietario do eogonho Barra.
Francisco de Paula Cavalcanli, proprietario.
Joo DiasCouiiBAO de Araujo Pereira, senbor do
engenho Camaveira e bacharel formada em di-
serto.
ser'ttendf; MaBoel Cabral de G,*vir* Mello, proprietario.
da. Mas qaal foi o despacho floal dessa petigo ? Amaro Gomes de Oliveira Coutinho, lente da
Depois de urna demora de 23 dias o Sr. Dr. Amaral' guarna nacional.
indeferio a pelioio do curador para effeito de con-, JodqaUnmdoD^nn0 d* S"** C*br*1' *P'ta dagUar'
tS^SSSS d.tpt comentarios. | Dom^oT Coutinho de Araujo Pereira, preprie-
Entrelanln contina o carador a farer novas pe- pJ,"'^- ., d 0witt iUtes da eauik
tigoes, sem que ao manos se dsse nellas os compe- j hQ*? a UWe'ra' "" aa Ba,raa
lente despacho, al que se conveacea de que erara nronrieterio
.nfr.iotibrn* n pn fnrR nm nmi dn dirflito de I r eiippe i,oeino ae amura, proprietario.
Francisco Jos de Souza Jnior, proprietario.
Manoel de Souza Fuado, negociante.
2:7605000
0:2835000
4348
394:4605000 2,G7o:o7353W
16j211:4375669
Passivo.
Banco do Bnuil contado capital,
Terminadas assim as congratulagoes espontaneas'
desta eidade aos seusdoos patricios oom manlfes- Volarfornenidope-
lagao do aprego em qae sao tidos pela opinie ge-' 1* eaixa matriz,
ral, regressoo o prestito ainda organisado e ao Emissao. .
som de bellas pecas da msica, a sede desta; e aW 'Valor em circular
,dissolveu-se a panetela por entre a eordialidade e! ?o........
a satis/agio mais complete de quantos a ella can-' Letras apagar.
corrern), qae-se santiam ea altura do cumprimen- Por dinlieiro toma-
1
lo de nm dever, tendo antes porm a commisso
ap*esentedo a expresso do sea reeonhecimento
distancio director e aos mogos qne compoem a
Uniio Permanente, pela cffleiosdade de presta-
rem-se a abrilluntar o acto com as harmonas, qae
sabem tirar de -seus instrumeotus, commungando
assfmdo prazer que Lnnnndava a todos os peitos.
Acha-se completa a uhimadieoap da Biblia
que o Sr. Garnier.-lvrero do Rio ce Janeiro, man-
dn tirar em Paris.
A mudez e tormosara desle traaalo, que tanto
honra e atiesta os primores da imprensa rranceza,
aos habMila a declarar qne, de lodas as ediegoes
qae se tem toito da Biblia em todo a orfce enristo,
atada neohuraa fra toiu cem tanto loio e magni-
ficencia I
E, pois, a Biblia que at boto tem sido a laz das
intelligencias, paasa tamaem a ser, graeas aos dis-
velos do Sr. Garnir, o mais bello ornamento das
estantes de todos os hornees de gosto pelo dimi-
nuto nr eco de trate mil res, fica-se com um livro
em que se encontrara reunidas o til e o agrada-
cel.
J es protstenles nSo podem rnetier
do a aramio.
Por saques. .
5
1,140:6255526
2^00:0005000
' 9(:j5:5405000
infructferos os seus esforcos em prol do dreito de
sea tutellado. Aqu licou Raymnndo delido. Preso
depois o curador, e metlido em processo, ningnem
mais de Rapando se.lembrou : entregue a fome' os de Hollanda Cavalcanti Lelfio, nroprietario.
a raais acerba, e ao mais cruel desamparo, segn- Jo ibeiro da Si,va Coatiaho. proprietario.
do ba pooco nos mformou o carcereiro, aguarda Jos da Costa Araujo Pereira, prVpretario.
receloso o momento de o eonverterem em objecto Joao Theaorio Pereira de Moxaes, p*apitoiaro do
deseusoppressores. engenho Genuino.
Quando pela primeira vez Rayraundo appareceu Francisco de PauJa e Albuqueraue, lenle da
era jnizo deendendo-se, om de nos na qnalidade! cmarda nacional
de seu carador aomeado, pedimos ao Sr Dr. Ama-1 Manoe, de Carvalho Pedroz^flagocjanie. -
ral houvesse deeonservar o rapaz am deposito, ao Joao Rodrigues, proprietero doTn^aho Pagi,
menos por 25 das era quaato laraosao Recife, ao AQre|jaqo Cavalcanli da Rocha wJTikrto*rcapito
que nos respondeu que nao, por Isso que essa de-1 ^ miara nacional
mora vinha prejudicar o diraito dos herdeiros, en-
tretanto sele mezes e lanos dias de nma priso ri-
gorosa tem qne hajam intentado a tal
nao prejudica o dreito de Raymundo
Alteada o publico.
1,149:6255526
Diversos. U
Saldode varias con
Me. .;. 1.1'. .
Lucros e pendas.
Lucros su jeitos a
fquidaeaa C

'
1
ti 6b
3,602:4975405
48:W45738
16,211:2375669
i O-gaarda livros,
gnacw Jfunes Oorra.
m
dos necios as suas Biblias falsificadas no texto, e
deslumbrantes na forma, cama essencial differenga
que noe livros protestantes a orno de encaderna-
go todo pfaaaphoriee por que resaltado de fr-
gil oaropel, ere naaato na edicglo Garnier o bH|bo
anido, por que verdadeiro.
SuphH ameote a Biblia, qae mereceu as alton-
GarWer. I
Ootras muitas obras porlnguezas tem sida nm-
Na informagao dada pe' Sr- director Interino
das obras publicas assembla provincial, a res-
peito da direegaff qne leva o caes do ranal da roa
'Aurora, diz S. S. que com effeito hoavera erro em
tal direcgo, e qne este 'tora eommettido pelo mes-
aos' ornas tro pedreiro do empreiteiro, e que nm dos motivos
alfares da guarda nado-
de Albuquerque La-
CQ EMERGI.
PRACA DO RECIPE.
Cota^oes oiflriaes
4 de maio.
Assucar mascavado americano25150 por arroba
Assucar mascavado Canal15880 por arroba.
Cambios sobre Londres 90 div. 25 e 25 1/4
d. por 15000.
Daboureq Jniorpresidente.
Guimaressecretario.
Caixa filial do bauco do Brasil em
Pernambuco.
A directora desla caixa saca sobro o banco do
Brasil no Rio de Janeiro e sobre a caixa filial do
mesmo banco na Bahi.
Vovo banco de Pernam-
buco.
O banco desconta letras na presente semana a
10 por ento ao anno at o prazo de qnatro me-
zes, e a 12 0)0 al o de seis mezes, e toma dinhet-
roa juros a praso nunca menor de tres mezes.
.\ovobanco de Pernambnco.
O banco paga o 14* dividendo narazaode85
dor acgo.
Caixa filial do banco do Brasil
em Pernambuco.
19 de abril de 1865.
Tendo-se desancaminnado do espolio de Bernar-
do Jes Pinto a can le la de 43 acedes das local isa-
das aasla caixa, sob ns. 1239 a 1281, a directora
faz publico a quem interessar possa, que por pane
de Antonio Jos Ramos de Oliveira, do Rio de Ja-
neiro, tutor dos herdeiros do dito Pinto, se vai
aqui proceder a transferencia das referidas aegoes
para o norae dos mesmos herdeiros.
O guarda-livros,
Innacio Nunes Correia.
ALFANDEGA.
Rendimenlo do dia 1 a 3....... 88:374*224
dem do dia 4............... 24:0924470
113:3665694
da guarda nacional.
Joaquim Jos Goojaives,
nal.
acedo, anda Manoel Carneiro Cavalcante
" cerda, tenente-coronel.
Serafim Barbosa da Silva, proprietario.
Agora somos informados de qae ha qnatro an- Thomaz da Motta Cavalcante e Albuquerque, teneu-
diencias que esses herdeiros por seu adv gado pro- te da guarda nacional.
pozeram a acgo de eseravido era juizo, daodo-se I Manoel Bezerra de Vasconcellos, alferes da guarda
como curador de Raymundo o capito Torqoalo J- nacional
s da Silva que nos asaeaerou nao tar sido intima-1 jos Fitomon Quintanjlio de.Abreu, proprietorio.
do nem juramentado, e era lo pouco ter assisildo francisco Xavier da Silva, Cavalcante, proprie-
as audiencias l E' assim qne corre em Flores a (ano.
causa santa da liberdade I... Tolhido assim era; jos patricio Bezerra de Mello, oroprieterio.
seus meios de defeza, mil ttulos e nao valiam! Antonio B*-roso de Moraes, oroprieterio.
Nao que o Sr. Dr. Joo Alves Mergulbao actual jos intonsa Ribeiro da Cunha, negociante,
promotor desta comarca se oanservasse mudo dian- joaqnjm Jps4 da Sanl'Anna, pxoprietarto.
te de taes scenas. Elle am carcter bastante rec- jeS(f Cavalcarile de Albuquque, proprelario.
to, imparcial e justiceiro, para nao consentir qne j0S Barbosa de Mello, sennor do engento Vicenoia
assim se jogue com as causas a seu cargo, como de cma
-curador geral (Ihe fazemos jusliga). Mas chegando Manoel Joa'qulm-Monteiro.
anda ha pouco ao ponto de sua jurifldieco, igno- Fraocisco Seabra ee Aodrade, tenente da guarda
rava sem duvida que o seu curatellado assim sof- nacional.
arte. Agora, porm, j Ihe fuemos soieate por maio padre in\t Jos de Aranjo. '''"
t de urna exposigo circumstanciada e documentoda' Manoel Barroso de Moraes, proprietario.
j2fea*s corridos, a nutrimos a einenoga ne qne j0s Pedro Carneiro de Alpuqaefque, proprie-
elle gabera dr de ora em d'antes a essa questeo 1 tarto.
oso rumo. Antonio Pereira de Moraes Carvalho.
. Sao immensos oso a aabem da exposto. Sao vi- Henriqua Pereira de Moraes e Vasconcellos.
vas as teslemunbas.do titulo de altorria, sao vivos, Francisco Gongalves Cardelfo, proprietario.
muitos que sempre caaneceram Rayniido.como.prancsco Xavier de Moraes e S.
JlVJto,,* a quem Jos Eranciscp declarara qoe tlnha FraDcsco Pereira de Moraes.
am sea poder o titulo de aitorna e nos ogerece-1 Antonio Tavares de Aranio Jnior, alferes da guar-
mos para indica-fas em qualquer lempo. da nacional.
Nao baja, pos. duvida sobre \ ejisieucia da car- Joao Joaquim de Moraes, proprietario.
de'mlnha casa que-ta; falta smenie qaem emjaizo tica valer seo Joaquim Manoel Perelr de Moraes, {jraprietario.
nto devido, e qae dreito. Abrigados a sombra de Urna constituicao Manoel Gomes de Araujo Pereira. propiieUriQ..','
I tao sabia e liberal, ainda que testeraunhemos des- Paulo Bezerra dos Anjos, agricultor.
pof qae tlw lngaf esse erro, lera o bavgj* toma-
do eomo pon d" apoto o mi
elle 6uppunha estar no alinh
airas est fra 4*elto.
' W: eontesto esta Hrcumstancla, QatqtU & dito'tes fados nao acreditaremos qne o reprovado e sor- j Joaquim Jos do Couto Bezerra.
maro est eom effeito avancado aa eitremidade d -dido tnteresse venba aqu 6upplaaiar a liberdade.' Antonio Gomes de Araujo Vasconce
oeate, pfawB fm d'WMhiroento; etro tam- l'jis, pois, o movel de nossas InteagSes. | rio do engenho Coqueiro
bem eommettido pelo pedreiro quando o eonstruio. I Aguardando as provldmcjis tomadas pelo S. Dr. Francisco Coelho da Sflveira, agricultor.
Mas, permita S. 8. qae me diga, qae esa or- promotor publico, nos reservamos para darmos a Antonio Coelho da Silva.
MOVIMBNTO DA ALKANDBGA.
Volumes entrados com fazendas... 30
i < cora gneros----- US
------377
Volumes sabidos com fazendas..... 100
, < oom gneros....... 1,114
r'.'Vii i#214
Desarregara no dia 5 de malo da 1865.
Brlgue argentino Kotonfcfarlnha de triga.
Brigue nacionalllenrianesidem.
Brigua portnguezLata- //diversos gneros.
Escuna dlnaraarquezaLevante -mercadorias.
Lugre portuguez-Jnfio-diversos gneros.
Pofaca italianaFbodem.
Brigue hujlandfzAduanasfarinha de trigo.
Lugre italiano--Lorenzo Valerto-liem.
Barca inglezaBonafcfmercodorias.
Polaca hespanholaFirrtadiversos gneros.
Barca portugnezaS. Joaocharque.
Escuna hanoveriaaa- GezmaIdem.
Patacho nacionalCnrdiadem.
Barca nglezaTrenl-carvo.
Barca ingleza-B^e/o^-roarvp. "^
/

/
Barca inglezaIzabellaidem.
J3arca belgaSopAfe Tftoiiorin-idem.
Barca nprueguease TatminiaWem.
Barca inglezaCowmoior Brigua ingjez-Jjaiefta-^idem.
Brigue inglezVsefulIdem.
Brigue mtez-Bi/zanUum-.d.y>a.
RECEBEDORIA DE RE
GERAES DE PER!
Rend ment do dia 1 a S
&AMBU
.....
idem do dia 4 .M...,.....,../.'
-
'.'..'I' "! '
NTERlfAS
' 5f
"162
3:4985347
endiro
tym.iofyA...............
'.
".....'... <,-7?*5l62
118S07


rio e Weramhtitti ffeifa fl (fe ff*.o rt*.
MOYIMElfTO D6 PORTO
JVamo entrado no dia 4.
Terra Nova-17 dias, barca Inglea Ob'tala le *33
toneladas, capito Samuel Prowoe, equipageai
i, carga 8,500 baraicjs cam baclhaa; or-
dem.
Natos sahidos no mesmo da.
PhiladelDhia-Barca ingiera Jaio, capito Wil
tiara Heard, carga assucar.
Parahiba-Patacho inglez Sarah Ellen, capillo
Rolland; em lastro.
Caaai Escao ingiera Zmavre, capttJo W. Tro-
veno, cara assueaf.
mwdei passar o present, que ser publicado pela fcello das divida
imprensa, e afiliado no logar do costme.
Dado e passado nesta ctdade do Hecie de Per-
nambuco aos 38 de abril de 1865.
Eu Manoel de Camino Paes de Aadrado, scri-
vao o sobscrevi.
Tristao de Alencar Araripe.
na
DECLARARES.
IDITAES.
IIIM1MDO BE PlIHMIlIIltO.
Pela secretarla deste pispado, se faz publico que
o Exm. e livm. Sr. vigario capitular para maior
jacilidade das pesseas que o procuran) fra das
oras do despacho, para casos urgentes, principal-
mente nesta lempo de invern, resolveo definitiva-
mente a sua residencia para o seminario episcopal
de Olinda, onde pode ser procurado na occasiao do
expediente das 9 horas da maaha at as i da tar-
de; e para os casos urgentes a qualquer hora do
dia ou da noile.
O secretario obispada,
Conego Joaqum Ferrara dos Santos.
O Illm. Sr. inspector da thesourana provin-
cial, em curaprimeoto da ardem do E*m, Sr. pre-
sidente da provincia-d 10 do correte, manda fa
zer publico qoe- no dia 14 de>uho prximo vin
douro, perante a juma da faoenaa da mesa the-
soararia, se ha de arrematar, a quem por menos
fuer, a obra da cadeia da cidade de Nazareth, ava-
llada em 18:0930900 rs.'
A arremataco ser feila na forma da lei pro-
vincial n. 343 de 15 de maio de 1834,sob as clau-
sulas especiaes abaixo declaradas.
As pessoas qoe se propozerem essa arremata-
co, cornpareCam na jala das sessSes da referida
junta, no dia cima indicado, pelo me o dia, e com-
petentemente habilitados.
E para constar, se mandou publicar o presente
pelo jornal.
Secretarin da ihesouraria provincial de Per-
nambuco, 14 de margo de 186o.O secretario, A-
1". d'Anaunciaco.
Clausulas especiaes p 1." O edificio para a cadeia de Nazareth, ser
feito de confornrrdtde com a planta e orcaniento
junto, na importancia de 18:093,5500 re.
2.a O arrematante ser obrigadd a dar principio
aos trabalhos no prazo de 30 dias, e concluidos
no de un anno, ambos a contar da data da assig-
natura do contrato.
3.' Os pagamentos serito feitos em 3 prestacoes
iguaes correspondentes a cada terco da obra (inda.
4.* Nao seri-em lempo algum altendida qualquer
reclamacao por parte do arrematante tenden-
te indemnisaco, quaesquer que sejam as allega-
res em que se hajam para esse fim, ainda mes-
mo por prejuizos provados.
5.* Para todo o que pao estiver especificado as
presentes clausulas, seguir-se-ha o que dipe o re-
glamento de 9 de Janeiro de 1864.
Conforme.A F. d'Annanciacao.
O Illm. Sr. inspector da thesonraria provin-
cial, em ciiTiipnmenlo da ordem do Exm. Sr. pre-
sidente da provincia de 24 do crreme, mando fa-
zer publico que no dia II de maio prximo vindou-
ro, perante a junta da fazenda da mesma thesonra-
ria se ha de arrematar a quem por menos firer a
pintora de qne precisa a ponte pensil do Caxang,
avallada em 3024500 res. .
A arrematado ser feita na forma da loi provin-
cial n. 343.de 15 de maio de 1834, e sob as clau-
sulas especiaes abaixo declaradas.
As pessoas que se propuzerem a essa arremata-
cao comparecsm na sala das sessSes da referida
junta, no dia cima mencionado pelo meio dia, e
competentemente habilitados.
E para consjar se mandou publicar o presente
pelo jornal.
Secretaria da thesonraria provincial de Pernam-
buco, 26 de abril de 1865.
O secretario,
Antonio Ferrelra da Annunciaco.
Clausulas especiaes para a arremataco.
L" A pintura da ponte do Caxang sera feita de
conformidade com o orgamento na importancia de
3025500.
2.* O arrematante devera principiar a obra no
espago de 8 dias e fiualisa-la no de 30, ambos cou-
tailos da data da arrematago.
3.a O pagamento ser effectuado em urna s
prestacao, quando tiver sido concluida toa a fac-
tura e entregas definitivamente.
4.* Para ludo mais que nao estiver especificado
as presentes clausulas seguir-se-ha o que deter-
mina o regulamcnto da reparticao das obras pu-
blicas.
Conforme.A. F. da Annunciago.
O Illm. Sr. inspector da ihesouraria provin-
cial, em cumprimenlo da ordem do Exm. Sr. presi-
dente da provincia de 25 do correte, manda fazer
publico, que no da 18 de maio prximo vindouro,
perante a junta da fazenda da mesma thesouraria,
vai novamente a praga para ser arrematado a
quem por menos fizer a obra do- reparos, de que
precisa a estrada do Porto de Galiuuas, avahada
em 7485000.
A arremaiagao ser feila na forma da lei provin-
cial n. 343 de 15 de maio de 1854 e sob as clau-
sulas especiaes j publicadas.
E para constar se mandou publicar, o prseme
pelo jornal.
Secretaria da thesouraria provincial de Pernam-
buco, 26 d-i abril de 1865.
O secretario,
A. F. da Annonciagao.
O Dr. Tristao de Alencar Araripe, oflicial da im-
perial ordem da Rosa e Juiz especiando commer-
cio desta cidade do Recife de Pernambuco e seu
termo, por Sua Magestade Imperial, que Deus
guarde, etc.
fago saber pelo presente, que no da 15 de mez
de maio do crreme anno se ba de arrematar por
venda a quem mais dr, em praga publica deste
Mizo, depois da audiencia respectiva, os bens se-
guimos : uin terreno de marinha situado ao lado
do Tlieairo novo, com 150 palmos de exteusao, co-
berto de telhas no centro, o dito terreno acha-se
rmrito falto de trra, occasionando este estrago
de dia em dia o rio que o rodeia, avallado em
2:2005000. A casa terrea slla por delraz doquar-
tel n. 20, com quintal, cacimba e sahida para iraz,
avahada em 2:5005000. Os quaes bens sao per-
tencentes aos hnrdeiros de Julio Beranger, e aos
mesmos penhorados por execugo de Jos Moreira
da silva.
E na falta de licitantes, ser a arrematago feita
pelo prego da adjndicaco com o abatimanto res-
pectivo da lei.
E para que chegue ao conhecimento de ledos,,
mandei fater o presente edita!, que ser afiliado
nos lugares do cosiume, e publicado pela imprensa.
Dado e passado nesta cidade do Recife de Per-
nambuco, aos 7 de abril de 1865. Eu Manoel Ma-
ra Rodrigues do Nascimento, escrivo, o escrevi
00 impedimento da escrivo companheiro.
Tristao de Alencar Araripe.
O Sr. Tristao de Alencar Araripe, oflicial da im-
perial ordem da Rosa, jniz de direito especial do
commercio desta cidade do Recife de Pernam-
buco e set (ermo pef Sta Magestade Imperial e
Constitucional o Senhor D. Pedro II, a quem
Dos guarde etc.
Fago safcer peto presente que no dia 15 do mez
de maio do corrale anno, se ha de arrematar por
venda a quera mais der em praga publica, depois
da audiencia respectiva os objectos segrate* :
1 solfa de amarello J azado avahado em 105000,
i banquinha de Jacaranda azada por 15000, 3 ca-
deiras quebradas, sendo 2 de amarello e 1 de Ja-
caranda por 35000, I dita de balango de pinho
sem valor, i linterna coro castical por 15000, 1
mwa de meio de sala com lampo de pedra por
fita). 1 catxa dd plnbo para deposito por
-2050, 1 dito dito ppr 200000, 12 barricas vazias
a 200res 25800, f tulanga grande com peso de
t5 arrobas por 209000, 1 dita pequea com pisos
at de 8 libras por 85000, 1 maceira de amarello
por 20*00, I tendeira.de leuro por 8J000, 1 bar-
fitt d tiritaa de triro sem valoc, t reJf de
pireda americano por 55000, 9 latas para depsi-
tos por 95000, cuj objectos sao pertencenlea a
Jlo Francisco da Costa, e ao mesmo penhorados
per e falta de licitantes ser a arrematago feita pelo
pr^ro da adjudicado cora o abatimento respectivo
da -ei.
1 para que chegue ao con&ecimento de todas
Ndia 8 do crreme, depois da audiencia do
Illm. Sr. Dr. juit municipal da 1' vara lem de ser
arrematada a preta Josepha, crioula' idade de 16
ateos, avallada por 9000, peohorada a D. Francis-
ca Maria dos Prazeres, escrivo Cunta.
Sabbado 6 do correnle, pecante o De. juiz
municipal da segunda vara, se bao de arrematar,
por ser a ultima praga, urnas casas terreas e sitio
de FraaclMo <*eg 0micli*0.
I Slbbaio 6 do cdtrenbR \. ]L,
1 Em coosequencia do mo te mpo qoe fez no da
; para o qual eslava annunciado o Mo das dividas
activas de Francisco Goales C^ifSo.MW .>4B)o
motivo nao se pJe elfcfctoar o &m--MeSTinaa-lm-
poriancas conforme as relagdes de 15.8805310 e
de_6:208*i!6 rs., cujas relac5e3 acham se oto
mo do agente Pestaa, para seretn examinadas
e sero vendidas sabbado 6 Jo correnle pelas 12
horas era ponto na porta da AssociagSo Commer-
cial.
LM de mobllfa.
Segunda-feira 8 do crreme.
O agente Pestaa legalmente autorlsado por urna
pessoaque se retirou para lora da provwda, far
leilo de toda a sua mohilia
^rtffiiti'l*-fi*im H fww
no lugar Casa Forte," penuoradas a Rosendo Al ves I js' j0 horas da'mihaa aroa da uns n. 20, se-
oa isilra, por exeengao do lenenle-coronel Jos gundo andar.
Antonio Lopes.
Pelojuizo deorphos desta cidade ecartorio
do escrivo Guimares lem de ser arrematada de
venda a casa de sobradp de tres andares e sotao
na ra da Lapa do. Dairro do Recife n. 13, de coas
truego amiga, e precisando de grandes coocertos
avaliade era 4:0005, Sodas tres audiencias do mes-
mo juizo, sendo a primeira no da 5 do correte, a
qual casa perlencenie ao casal do finado Pedro
Ignacio Baptista, e vai a praga para pagamento dos
respectivos credores.
Cmara Municipal do Recife.
Matadouro publico da cidade do Recife.
Mataram-se para o consumo desta cidade no
mez de margo do crreme auno 1,803 rezes, a
saber *
Libanio Candido Ribeiro & C........ 396
Joo Chrisostomo de Albuquerque. 249
Virgilio Horacio de Freitas..... 238
Jos Lucia Lins.................... 174
Wenceslao Machado Freir Pereira
da Silva........... 156
Bellarmino Alves de Archa .... 132
Manoel Paulo de Albuquerque 123
Francisco Candido da Paz..... 121
Manoel de Souza Tavares........... 114
Bellarmino Constantino Costa Medeiros 61
Ernesto Celestino de Mendonga ... 39
do Recife, 1* de
1,803
abril
Cmara municipal
1864.
O procurador,
Caetano Si verio da Silva.
Delegada de polica do primeiro districto do
termo da cidade do Recife, 4 de maio de 186$.
Pur esta delegacia foi apprehendido ura cavallo
pedrez.que foi deixado por um malulo, que dei-
toua correr quando Ihe disseram que -ra dito ca-
vallo furlado, quem se julgar com direito ao mes-
mo cavallo apparega nesta mesma delegacia para
ser-lhe dito cavallo entregue.
O delegado,
L. A. iarlins Pereira.
THG.vntO
DE
S. ISABEL
EMPREZA-GOIMBRA
11/ recita da asstgnatnra.
Sabbado 6 Represenlar-se-na pela segunda vez o muito ap-
plaudido e interessante drama em 5 actos
VI1LIIV BOIAVil I)i)R
Dar flm ao espectculo a graciosa comedia em
1 acto ornada de msica
Pao para toda obra.
Os bilhetes achara-se desde j no lugar do cos-
iume.
Principiar s 8 horas.
AVISOS MAMTIMQS.
Para o Rio <1e Janeiro.
Pretende seguir com muita brevidade a barca
Rio de Janeiro, tendo parte do seu carregamento
engajado: para o resto que Ihe falla e escravos a
freles, para os quaes lem excellentes comroodos
rata-se com o seu consignatario Antonio Luiz de
Oliveira Azevedo, no seu escriptorio na roa da
Cruz n. i.
COMPANHIA PERNAMUCANA
DE
por vapor.
"arahyba, Natal, Maco, Aracaty, Cear e
Acarac.
O vapor Mamnnguape, comrnan-
danle Moura, segu no dia 8 do
correnle s 5 horas da tarde para
os portas Indicados. Recebe carga
'at o dia 6, ao meio dia ; encom-
raendas, passagelros e dinheiro a frete at o dia da
sabida as 2 horas : escriptorio no Forte do Mallos
n. i.
Navegacao costeira
Feirn semanal
iO GRANDE ARMAZEM DE LSiLOES
DO AGENTE '.
OLYMPIO
36-Rua da Cadeia do Reeife- iii
llavera leilSes todas as semanas
has
Segaudas, qanrtas e sextasfeiras
RECKDEM-SE OBJECTOS HAS
Tercas, quiotas-feiras e sabbadas.
O referido agente participa as pessoas que dese-
jam vender escravo-,que far leilo todas as quar-
tas-feiras no seu arinazem, aonde lem commodos
propr.os para os receber.
Pfj>grmina da fot* do pnlriarcba S
Josde AjMia u i|refa de cinreiilo
do (krm, ie 41a 7 dt crrante.
No sabbado ao meio dia, depois de lia ver locado
diferentes peca* de mnsica a banda militar do 4*
rtiao de arMlnaria, ser basteado o estand irte
d* f>amo uatl"brchaj acompanhado por gran Je
qnantidade de foguetee; as 6 horas da larde do
mesmo dw acbar-se-ha..ajrla igreja, e depois
que a banda militar houver tocado as symplionias
do1 costante, ft-se-ha principio a vesperas solem-
nes em as quaes orar* o-Rvd. Fr. Pedro da Purifl-
cacao. Na madrugada do da 7 ser rezada urna
missa, durante a qual locar diversas euverturas a
msica supramencionada, as 11 horas do dia entra- ou ?3malte orafteo loaiterave.
FON ADMIRAYEIM
DO
ENSIGNE CHIMICO
lelil
DO
RIO DE JANEIRO.
Chumirador Iclil.
sem cheiro nem sabor e da mais
L'm
Oazia.
ra' a fesla do Palriarcha em a qual nrara' o Rvd.
conego Joaquim Ferreira dos Santos, Analizando o
['acR com orna salva de vinte e um tiros; s 6 ho-
ras da tarde ser annuociada a entrada do TV-
Devm por urna salva real, sendo orador no acto o :
Rvd. prtjvador da capella imperial padre Lino do
simples appcaQjo p.tra chumbar s dentes por si mesmo, ins-
tantneamente, sem chumbo nem dor, meio prompto e perfeila*
mente elficaz. O cliuiabador Iehl lorna-se na bocea blanco co-
mo os proprio dente: acompanha urna guia......
Cimento cblnez
Momo Carmeno, com cujo acto se Qnaiisaro os para concertar com maior perfeicao iouca, porcdlana, crvstaes,
&Jt&~JjF&Z\ vidro,, marmoreeiutalquerobjecte precioso .
sus dos Passos, e s 9 horas da uoite um balo an- Clmcnlo de guita perena
ounciar o prinotpio d um bello foso de vista, 'especialmente-preparado-para chumbar os denles cariados. Acora-
5A00O 4O50OO
UoO iOOO
eieeuiadtr por m artfsia j bem conheeiflo, flnali
sando pela subida de oulro balito.
A coofraria p^de aos moradores do largo do Car-
mo o favor de illumioarem suas janellas nos dias 6
e 7, para oaior brilbo, e espera ser altendida.
O secretario da confraria,
Manoel Prancuco dos Sanios e Silva.
AVISOS DITSBSQS.
LOTERA
AOS 6:090^000.
Corre amanhaa.
SabbadoG de maio do correnle a >no se ex-
trahir a 3a parte da 4a lotera (14-') a be-
neficio da Santa Casa de Misericordia, no
consistorio da igreja de Nossa Senhora do
Rosario da freguezia de Santo Antonio.
Os bilhetes,meios e ijuartos esto a ven-
da na respectiva Uiesouraria ra do Cres-
po n. 15.
Os premios de 6.000,5000 al 105000
serao pagos urna hora depois da extraccao
at as 4 horas da tarde, e os outros depois
da distribuicao das listas.
As encommendas s r5o guardadas so-
mente al a noite da vespera da extracto
como de costume.
O thesoureiro,
Antonio Jos Rodrigues de Sonza.
Manoel Ribeiro de Carualho e~~sua familia
vao a Portugal.
Henrtque Jos da Couha retir se para Por-
tugal.
Joao Jos Ferreira e sua familia relira-se
para Portugal ___________________________
Vicluruuo Mailnius Ferreu'a,- subilitu porlu-
gupz, retira se pira fra do imperio.
Rernardo Pereira dk Valle-Porto retira-se
para Europa.
Carlos Frederico Fristzsche e sua senhora
Ernestina Fritzsche subditos saxonicos seguem pa-
ra Europa.
Brazi Aceto, subdito italiano, reiirase para
Europa.
Manoel da Costa Ferreira retira-se para a
Itaiiin, leva em sua couiuauhia Jos Silveira'
Martin*. j.
Antonio Jos S tares Jnnior vai Rahia.
O abaixo assignado avi>* pam qoe n* seja sa-
lisfeita ama ordem a seo favar dv 1205 v n la da
Rahia, em urna caria qoe se extra^iou do coneio.
Recife, 4 de maio de *865;
Mnol Cariw R*rMin,
Precisa-se de um< ama qu- saea o-mhir
o diario de urna easa de peuca familia : ni Rec f
ra da Cruz n. -'.'. s
panha urna guia..........., 2r>0f'0
cosmtico indiano epilatorio
para destruir quasi instantneamente os cabellos de qualquer par-
le do corpo, sem flor e sem alterar a pelle. Ac. urna guia. .
Eftexlr odontalgico vegetal
para curar instantneamente as-dores dos dentes mais rebeldes, e
que latnbem proprio para a conservar dos mesmos, o en
durecimeolo das gengivas e a- suavidade da bocea. Acompanha
urna guia..................
laerivore
para tirar a tinta do papel elimpaT'as peonas de ago.....
lleltein
18,4000
3-iOOO i^tCO
Os olftciaes o eorp de polica abaixo-as-
-iiiad i, penhorados para corn o Illm. Sr. lente-
coronel chefe do estado-maior, SebasUo Lopes
Guimares pelas maaeiras delicadas e cavalleiro-
sas com que sempre os tralot durantit n seu coli-
mando do predno corpo desde 7 de margo de 1836,
al i de maio corrale, dia da sua exonoracao,
veem tributar-lhe ora vol de graiidao em reco
nhecimento do seo mereeimemo e das suas escel-- pedra austraca para curar os tumoresy incbacwes e feridas prove-
nientes de roadura de coleira, sellim.
25000
500
181000
Uooo
lentes qualidades, e de certeza na coniinuaco da
sua amisade e con.-iderago, enm que assaz s*.
homam. Uigwe-se o nobre cav?lleiro ex no commandante aceitar, em despedida, est; esponta-
neo voto*dos abaixo asshrnados.
Recife, 4 de maio de 1865.
Alexaiidre d Barros e Albuquerque.
CapitSo Kranci-co Antonio de S Marreto.
Capito Francisco Bordes Leal.
Capilo Jos Pereira Teixeira.
Tenente Jos Antonio de Albuquerque.
Tenente Joo Pereira Lago.
Tenente Manoel Germano de Miranda.
Tenente Luiz de Franca MWIo Jnior.
Secretario Luiz Jeronyino Ignacio dos Santos.
Tenente Joo Francisco da Conha.
Alferes Antonio MunlzTavares.
Carlos Jos de Si|ueira.
> Joaqun) Milito Alves Lima.
Joaquim Herculaoo Pereira Caldas J.
Leodepario Liberato Pereira Caldas.
Amador de Aranjn l'essoa.
Francisco Xavier Rodrigues de M.
jg| Os Srs. Julio Colombr e Aujrusto Co- M
B lorabi tenhain abondadede dirigirem-se S
JU a loja da ra do Cre po n. 17, para de-
Bj< cidirem certa duvida ijue existe entre os "^
^ senhores e o proprietario deste estabe- $
Wk lee i m en lo. 9R
mmm.m mmm mnmm
ggTBITi !! i I ill
Joo Luiz Ferreira Ribeiro, pela sua par-
te agradece cordialmente a todas "as pessoas
que fizeram o favor de assktir aos ultnios
sulfragios de corpo presente dt sen muito
prezado amigo Joa paira Krancisc.o dos San-
tos, na matriz di> Corpo Santo, no dia 3 do
oirrente, vem por meio de dos os seus amigos e aos do Uado para fa-
erem o favor de ir assi-tir a missa do sti-
mo dia, qne se ha de celebrar na lerra-feira
9 do corrate pelas 6 horas da inanha na
mesma matriz Jo Corpo Sant", protesland)
desdeja a tolos o seu eterno agradecimiento.
O abajxo assignado, passageiro qne veio de
Liboa para esta cidade no brigue Loa H, agra-
de, -e c irdi.lmente ao dignissimo capito o F Vianna o bom traia.nenlo que delle recebeu,
protestando desde j sen eterno reroah 'cimento.
Pernambuco 4 de malo de 1863'Manoel Cae-
tano Teixt'ra de Mello.
Una de *. Hlguel
No dia 12 pretende seguir para o porto cima a
escuna porlueaeza Erna : para passageiros trata-
se com o consignatario na ra do Apollo n, 4.
Para o Rio de Janeiro.
O brigue escuna Joven Arthur, pretenda seguir
com muita brevidade, tendo parte de seu carrega-
mento prompto : para o resto que Ihe falta e es
era vos a fretes, para os quaes tem bons commodos,
trata-se com o* seus consignatarios Antonio Luiz
de Oliveira Azevedo & C.
Para o Rio de Janeiro.
Segu nestes olio dias o brigue escuna Nao sei,
tendo dous tercos do sea carregamento bordo : '
para o resto que loe falla e escravos a frete, para
os quaes lem bons Commodos, trata-se com os seos ;
consignatarios Antonio Luiz de Oliveira Azevedo |
& C, no seu escriptorio na roa da Cruz n. 1.
PARA LISBOA.
O patacho pertuguez Mara .da doria, capilo
Valente, vai san ir breve, recebe cargra e passagpi-
res : trata-se com o consignatario E. R. Rabeilo,
ra du Trapiche n. 44.
XAROPE DEPURATIVO
JLiE GOUX
BR0M0-SULPH0-IODURADO
Este novo preduelo resultado de urna trplice cotnbinaco de tres mctalloides cujas propie-
dades sao mu conhecidas, o Bromo, o Euxofre e Iodo, oceupa boje a primeira ordem de
entre todos os depurativos doB.quaes o mais poderoso.
As experiencias dos mdicos mais notaveis dos hospitaes de Paris, os senhores Cazcnave,
Puche, Bazin, Blaclte, Guibout, Baroscliet, Danet, Legroux, Vasse e Aubry, etc., demonslraro
sna poderosa efficacia as affeccoes seguientes:
Botn de prlle,
Darlrn e borhalhaa de tada a espacie.
Placas mucosa,
Obstracees lymphateea,
Papel***,
Eseratnlas,
Aheeasas, postema*,
Caaeras,
Ulceras,
Tlaha,
Kacarbat*,
Pa OU Bsnbas (do Brasil),
O Xarpe de Lo Goux, de nma fcil digestlo e de costo delicioso, se emprega tambem
com muita vantagem aconselhado pelo doutor Barthe, do hospital dos meninos, para u
enancas debis, escrofulosas e rachiticas ou sobre a influencia de um vicio hereditario, mu
superior neste emprego ao oleo de figado de bacalho t aos xarpes depurativos anti-escor-
buticos que se administravo at agora.
Beposito geral, em P*rt na botica Boullay, memoro da Academia imperial de Medicina i*
Par, officuU de, LegiSo de Honra, e era todas as boticas da Franca e dos paizes estrangeiros.
Frambaesla,
Humares irlas,
Raetaltlsma,
Ophllialmla oerorulssa e rhraulra.
Tsica escrofulosa,
Aftcccs sTphlllllcas,
Elephamtlasls da* Greyes,
E todas as doencas occsiondi por um vicio do
singue, e j traladti sem neulwi succmso bcuu
prejMncSes regetaes, iodadss o oleo ds figado
de btcilht.
1EIL0ES.
Leilo de novis.
Sexta-feira 5 do crreme as 11 boras.
Cordeiro Simdes far leilo de ama mobilia d
mogno. cadeiras, lavatorios, santuarios, guarda-
roupa, machinas de costara e diversos movis no-
vse usados, cujo leilo ser elTectuado a ra da
Cruz n. 57.
DE
Um sitio na estrada dos ifflicios
Sabbado 6 de aaio.
O agenle Pestaa, competentemente autorizado,
far leilo de um sitio na estrada dos Afilie tos, con-
tiguo ao da viuva do cirurgio Peizoto, pouco alm
da capella, coja propriedade consta de terreno com
380 palmos de frente sobre 1,500 de. fundo, cer-
cado de boa cerca, com mais de mil ps de diver-
sos arTdredos, arvotes secutares e de saborosos
[rucios, terreno proprio para todo, boa easa terrea
com sollo para vi venda, da 34 palmus de fraaie e
setenta de fundo, mu tos qoarlos e sala, coztoh* i
fra e boas accommodacSes no referido sotao, co-
xeira fra e boa estribara para tres cavados. Os !
senhores pretenderles podem examiaa-lo desde j,
para o que se aeba a cbave na mi do referido
agente, ra do Vigario n. II.
O leilo ter lugar as onza horas da manhaa do
da 6 de maio \ porta da Associac,ao Commercial
; XAROPE D'ETHER
DE BOULLAY
Uautor da Faculdadede Sdenetae, memhr da Academia imperial de Mtdicina,
Oflicial da Legiio de Honra,
Ra da PosaoB-Montmartre, 17,Pari.
Este xardpe composto mais de vinte annos pelo sabio lente Boullay, consume a roelkor
raaneira de administrar o Ether. lie emprofado com succtwo en todas as dotncas qae tirio sa
origem de um erilhismo nervoso, como so as:
Calatbrss da eslassaso,
J"e*t ,.
Attasjaes de metras,
Verllceas,
8;
Aeeesiasbrs
.aeidiles
Galleas
am, aapatlaas aatnlerntaa,
te cala a de rcu-
la eareaealcaaeats,
ato., ic, etc.
Deposito feral, em Purk, na botiea de BomJJay, doutor em Scieneias, membro da Academia
imperial ie Medicina de Paris, oficial da Leeiio de Uenra, ra dea Posses-Montmartre, 17, e
em todas as boticas de Franca e dos paizes estrangeiros.
ASTHME
ASTHMAII ASTHtMA ASTHMA
8DTF0Cgi0 KERV0SA E 0PPRESS0
L'nico remedio efficaz para combatlir estas eaoleslias, acalmar ara aUaque d'asma e impedir a
volte o Xarri aromatice deSivciuo (mbaramarello) do Dr Danet. Deecoberla inleiramente
recenic, este novo producto se, tem propagado com extreraa.raptd'ez gra'Qaa aos adrairaveLs resul-
tados que tem sempre producido.
Deposito geral, na.botica Chaureaud, 54, ra do Comercio, Pars-Grcnellc, e era todas aa
boticas de tranca e do estrangeiro.
Deposite gertt em Pernambuco ra da Craz ni 22, em cas de Caros & Barbosa.
fcSOOO 9,5000
3O00 34^000
3A000 24(5000
i!^000 9A000
20000 28(5000
. cangalha e otilros arrotos
dos burros e cavallos; adoptado as estriburias itnperiaes da
Austria desde o anno de 1741. Allianga-se qe nao e preciso
mais de 24 horas para qae a chaga esteja cieatmada, e que nao
exista mais incliafo. Acompanha utua-guiai, .....
Lima ekiiuleas
extraccao dos callos e cura garantida sea-dor nem perigo, em 30
minutos pelas afamadas limas chimicas de Pedro Mourlh.
Acompanha urna guia. 0 par ........
.Ifassa dentaria ttamakol
esta masa, pouo temp depois de sua iatroduccao na cavidade
dentaria, adq.uire uina dureza consideravel e nao nenhuma das substancias alimenticias ou denuncias. Acompa-
nha urna guia................
llassa lastrla
para limpar e abiilbantar instantneamente os trastes, pianos, ar-
mages de loja, grades e corrimoes de escada, tirar o sujo das
moscas, Qcando envernisados como novos. Ac. urna guia .
Papel chclroflo
inflammavel, queimando sem bulla, para perfumar casas e quar-
tos, produzir sensacoes agradaveis e desinfectar o ar dos dentes:
Garteiras. ... 500 10060
\Idemt .... 1^)00 "000
Idem; .... i>50 10^000
pomada Kondesien
conra piolhos e lendcas ; afianzada sem mercurio.....
pos de prata
para pratear instan la neamenie o cobre, o lalao, o bronze, etc., e
reparar os objectos antigos oraleados, como faqueiios, salvas,
caslicaes, apparelhos de cha e outros objectos semelliantes, af-
flanfados sem mercurio, para uso dos joallieiros. relojoeiros,
pticos, negociantes de ferragens, curiosos e casas de familia:
V dros de 2 oitavas. loOO 12^000
dem Je urna oiiga. 300^0 28^000
potlms para par a prata lavrada
sao alBaiigados infalliveis. Acompanha urna guia, vidro 500 4,4000
pos purgativos
para curar e prevenir a* molestias dos caes. Acomp. urna guia:
Carteira. 500 4#t00
dem 1(5000 7^000
Sal>o oriental
para tirar todas as nodoas simples ou composias sem alterar os
tecidos como sejam: nodoas de vinho, licores, caf, frutas,
gordura, e limpar as golas e paramentos dos vestidos civis e mi-
litares. Acompanha urna guia........... 500 4(5000
Tinta Azul indelevel para marear a ronpa
azul no escrever, e em 24 horas na sombra ou menos de ama
hora no sol, torna-se preta e nunca mais sabe do panno as la-
vagens. E' preciso escrever sobre panno encorpado ou engom-
mado. AHianca-se que nao ha melhor na corte em qualidade,
Vidro de tres ongas I,>000
dem de urna onca. 500
Tima enea nada indelevel superfina
para marcar a roupa, emvidros de meia onca.......
1 "u>i.t- Iehl
remedio maravilhoso o mellior at heje conhecido contra feridas
novas e antigs, ulserosas e saniosas, fstulas, frieiras, hemor-
roidas, lucencas, mordeduras, muas, panaricos, queimaduras,
reumatismos, supuracoai putredas, cabecas de prego, abeessos
no seio das senhoras, tumores e ulceras em qualquer parte :
Rolos. 400O 30s50f'O
dem. *>000 17^000
luieo deposito em Pemaaibco em grosso e a retallio
EM CASA DE MANOEL 4 C.
$ RA jDO (1BI( 8
7^000
4^000
2^000 I880O

CHEG4R4M OS mmm CHALES DE
FIL PRET0.
Superiores ebales de fil preto chegados pelo ul'limo vapor francez,
loja das columnas ra do Crespo n. 13, de Anlonio Correia de Vasco: cel-
los & C.
TmcEmSaT
Compaitbia geral hespnk)ia de seguros mutuos
sobre a vida
AUTORISADA PELO REAL DECRE1 DE 21 DE DEZEMBRfrDE 1850
maliaucaem diahtiro, depositado kvis caires do estad, gvaBle \, ad
ministraro da conipanhia.
BAX(iOElHOS DA COMPANHIA
O itAnco le Hespanha
/
DIRECgO SEBAL
B.10
E&la coropaahia liga pelo systema msuua todsa$ cn^iafd de supervivencia ds seguro
obre a vkU.
Mella i I) >e %r a subscripto de- m in-'ir Qifi s\iibm cas, nsno pur erte du s
guradoe perca o capital neiii os jurosjorfespoade??<.
Sao i) siorehsndentes os resultados qae prodazei as sociedades da ndole de A NACI
VAL res o abiuai lo-o i^oin i m irtalidade da tabella de Depareiem qoa e adopUda l^ela con.,panbia
para soagstirulos e HqaiJacoes, ora segurados de idade 'de 3 al9 annos, unja iiuiiorsifaoaiiDnal
de I00J produi em effectivo metlico:
Nofirade S aunos.......1:119*30
de 10 .......:,:48*e00
dft 15, ......11:208*500
de........3*:2%(K)0
dd M........80:331*000

as tdades menores de 3 annos o alores da 30, os productos sao mais considera veis.
Prospectis e mais nformaedes sero prestadas palo subdirector nesta provincia.
mo Jaaqnira Fiuza de Oliveira, ra da Cadeia n. 55, ou a Boa-Yista rna da IropevatniiD.iTjeHai
cimento dos Srs. Raymundo,Carlos, Leite e IrilSo.
el


DIU e reuitae .. eita fcftr ft ?0 Dr. Francisco Pires Ma-
chado Portel la
Medico operader
PELA
FACULDADE DE PARS,
regressando a esta provincia acha-se
prompto para o ejercicio de sua profis-
so, quer nesta cidade, quer fora delta,
especialmente em molestias de olhos (ca- '
taradas rtc.) das vias orinaras (estreita-
mento de arethra etc ) e da pelle, para
cojo curativo se jalga habilitado, atienta
a prallca que teve nos hospitaes de Pa-
rs, e os modernos Instrumentos qoe pos-
sne.
Pode ser procurado a qoarquer hora
na casa de sna residencia no patea do
Carmo n. 2, esquina da ra de Horts.
Jeao da .silva Ramos, medico pela Un
versidade de Coimbra, d consultas em
sua casa das 9 s li horas da manha, e
das 4 s 6 da urde. Visita os doentes
em suas casas regularmente as horas
para isse designadas, salvo os casos ar-
gentes, que sero soccorridos em qual-
quer ocoasio. D consultas aos pobres
que o procurarem no hospital Pedro II,
aonde encontrado diariamente das 6
s 8 horas da manha.
Te m sea casa de sade regularmente
montada para receber qoalquer doente,
anda mesmo os alienados, para o que
tem commodos apropriados e nella pra-
tica qualquer operacao cirurgica.
Para a casa de sade.
Primeira classe 3,5000 diarios.
Segunda dita.... 2*500
Terceira dita.... 2*000
Este estabelecimento j bem acredi-
tado pelos bons servicos que tem pres-
tado.
O proprietario espera que elle conti-
nu a merecer a conianca de que sem-
pre tem gozado.
A 500 rs. a cuia de fe jo mulatinho.
A 500 rs. a cuia.de feijao mulatinho.
A 200 rs. a cuia do born milho.
A 200 rs, a cuia de bom milho.
Cheguem depressa a esta pechincha at que se acaba o qual se uende por esle pre-
co pela prohbicao qoe ha as ribeiras.
Saceos grandes de milho novo a 4$.
Dito dito de feijo mulatinho a 90.
Ra dos Quarteis n. 22 juftto.a loja de funileiro.
1
I
Offerece-se urna ama pira rasa de pouca fa-
milia ou casa estragara : quem pretender diri-
ja se a ra do Palacio do Bispo n. 8.
_, AMA.
Precisa-se de urna ama que saiba cozinhar bem
e comprar para casa de pouca familia : a tratar
na rua do Queimado, loja n. 5. ___________
GASA DA FORTOSi.
Aos 6:000,5(000.
itilhctes garantaos.
A' roa doCrkspo n. 23 B casas do costumb.
O a bai xo assignado vendeu o os seas moito (el i-
zes bilhetes garantidos da lotera que se acabou
de extrahir a beneficio da matriz de Nazarelh, os
segulntes premios :
O bilhete inteiro n. 607 cora a sorte de 1:400*.
Um quarto n. 2722 com a sorte de 300*000.
E outras muitas sortes de 100*. 40*. 20* e
,109000.
Ospossoidorespodem vir receber seus respec-
; i vos premios sem os descont*, das leis na Casa
da Fortuna ra de Crespo n. 23.
Acham-se a venda os da 3* parte da 4* lotera
(14) beneficio da Santa Casa da Misericordia,
I que se extrahir no dia 6 de maio.
PRECO.
Bilhetes.....7*000
Meios......3*300
Quartos.....1*900
Para as pessoas que compraren de 1000000
para cima.
Bilhetes.....6*500
Meios......3*250
Quartos.....1*700
Manoel Mabtins PlUZA.
Descontam-se notas do banco do Brasil e das
caixasfiliaes: na praca da Independencia n. 22. Todos os artigos abaxo mencionados, foram comprados recentemente pelo dono do estabele-
Augusto Coelho Leite c Francisco Antonio i S'm|?,t0 nas Pnocipaes fabricas de Pars, Londres, Birmingham, Manrhester, e em diversas cidades
de Albuqoerque Mello declaram ao corpo do com-1 a Aliemanna. e '?ndo comprado ludo as melhores eondicSes por ser a dnhero, por isso vende todo
mercio e a todos aquellescom qnem tem relacSes! 1uaiQuer artigo barato, por menos do seu valor, e mui principalmente por querer Inteiramenle lqui-
commerciaes, e a quem possa interessar, que nes-1aar e ,er,e Partir rau" breve Pa a Europa.
ta data dissolveram amigavelmente a sociedade! h._..Haneste T4S{ armazem ricos objectos com bnlhanles, como botoes, anneis, rosetas ele, e
que tinham na prensa de algodao no Forte do! asim>aiversas obras de ouro, como trancelins, correntes, oculos, face-mains, anneis, e muitos
Maros n. 9 sob a firma de Augusto Leite z Alves, 'i.sear g08' rel0810S de onro> ln8'es, do afamado/abrirante Bennetle ; completo sortimento de fa-
ficandoencarregadoda,liquidaco da casa o socio ;''.as e e~ an,;,,mlud,ezas' Perfume-S perfumaras finas dosprncipaes fabricantes inglezes e
Augusto Coelho Leite. Recfe24 de abril de 1865. *e??;' ?, ?r- ,? .*?Lubin' L- Legrand, Ed. Plnaud & Mever, Delettrez Parfumerie du
mond c gaot), Violel, Societ Hygjenique, Monpelas, Mailly, Regnier, P.Gueland, einglezas de Eug.
Rimmel e outros ; ricas galanlaras em marfin., mar de perola, etc., fabricadas na China e no Japflo;
ricas pecas de cristal fino como anda nao appareceram nesta cidade, e bem a-sim modernos lustres
para velas, ditos para gaz e para petrleo, serpentinas, castieaes, enfeiles e adornos para cima de con-
sotos e para grande toillette, o que se tem feito de mais elegante em Pars, em Londres, Birmingham
etc. modernos apparelhos de metal fino Dglez para cha e caf, os ques nada tem de inferior prata,
' "i Utn S .'e?aS d0 """.metal, ricos pentes de tartaruga da ultima moda para trancas de se-
GRANDE ARMAZEM DA EXPOSIQAO DE LONDRES
DE
THOMAZ TEIXEIRA BASTOS
N. 60Ra da Cadeia do Recife-N. 60
Precisase de urna ama
pessoas pn-ferindo-se escrava
n. 23, segundo andar.
Precisa-se alugar um eseravo
mea idade para pequeo servico de
na ra Nova n. 36.
para casa de duas
: na ra da Penha
OoisuWerio edko-eirirgie* m ru larga 4
Rosario n. 20.
0 Dr. Joo Ferrelra da Silva rogressando a sna
casa, contina em o ejercicio de sua profissso nao
e na parte medica como tambem na cirurgica.
Na praca da Independencia n. 33, precisa-te
de urna ama para compraD, cosinhar e fazer todo
o mais servlco de casa de pouca familia.________
CASA RE lHOS
Largo do Carmo numero 26.
Este estabelecimento tao bem montado na sua
origem, achava-se de a muito ero qoasi completo
abandono pelo pouco interesse de >ua adminis-
tra cao.
Hoje que o novo proprietario emprega todos os
meies para restabelecer a grande utildade desie
estabelecimento, pode assegurar ao publico que
qualquer que seja o numerados concorren tes acha-
rao desde j prompt-do e aceio nos bonhos frios,
momos ou medicinaes, a casa dos banhos se acha-
ra aberla todos os das das 6 da manha as i 1 da
noite.
Precos.
1 banho fri ou morno......500
1 dito de farello........|*000
l dito medicinal ser segundo a qualidade.
25 candes.........10*000
12 ditos..........5*000
Companbia fidelidade de seguros
maritirnos e terrestres
stabelecida no Rio de Jaueiro.
AGENTES EM PEHNAMBCCO
Antonio Luiz de Oliveira ixevedo k C,
competentemente autorisados pela direc-
tora da companhia de seguros Fidelida-
de, tomam seguros de navios, mercado-
rias e predios no seu escriptorio ra da
Crui n. i.
Vinhosdo Porto finos
engarrafados embarris ean-
coretas:
Lagrimas do Donro.
Duque do Porto.
D. Loit.
Menezes.
Parttenlar.
is^rtM a rua d v*> '-
- Vndese trescarrocas para boi, doa ditas
para cavallo dous carro para conduVcodte-
neres de estiva ou outro qualquer miste? ludo ero
bom estado, e por preco commodo, por sen ,1
dTaan^srnegoRio;a,faiarDa^
GAZ GAZ GAZ
Vende-se gaz da melhor qualidade a
lili a lata: nos armazensda roa do Im-
perador n.16 e raa do Trapiche Novon. 8.
VENDEN SE
caixes vasios proprios para bahitei-
ros e funilciros a 2,000 rs.; a tratar
oesta olhVina,
moco
urna
ou de
casa :
- Aluga se a casa terrea n. 14 da rua do as- h!""^"?!!',6"168 Iuvas de pelli.ca d" afaraado Jouvin, apparelhos 'de porcelana fina para cha e caf,
cente : a tratar na rua do Qneimado n. 32, loja de "," ,a\l,'J SS8?8, aru$csde porcejana fina doorada, como ricos vasos para flores, figuras,
Azevedo A Irmao.
It^hrJ ?hrL,S,Pmnc'^'1rf?r,'cann,es ** Paris e ditos de Pnnocrm sola de borracha, pianos dos
] m n n.?*,-,eyeL'50l, realeJs mdernos de Gavioli & C, para se tocar a rua, ditos
O escrivo interino Torres entra de semana, e I vistas novas, da e noite
deve ser procurado no cartorio da rua estreila do
Rosario n. 12, casa em que tem escriptorio o Sr
Dr. Jos Teixeira, primt-iro andar.
Est para alugar-^e urna casa terreana rua
?mi8iPara Sai5eS.e dU0S com-figuras em ""ovimento modernos e bonitos instrumentos de physi'-
ca (mgica) para thealros n c <* *\.~~>.______:. .
Em vista do art. 47 do compioiuisio que rege
esta contraria, fago constar a todos os nossos r.a-
rissimos irmaos, que domingo 7 do correle, pelas
!) horas da manha, depots da missa, se proceder
a eleicao dos novos funecionarios que tem de re-
per a mesma contraria nos annos de 186o a 1866.
Consistorio da coufraria de Santa Hita de Cas-
sia, 2 de maio de 186o.
Joo da Mata Beltro,
___________________Escrivo.
Precisase de urna ama: na rua que tica por
detraz da igreja de Santa Thereza n. 6, para coz-
cnar e engommar para duas pessoas.
Precisa-se de urna ama para cozinhar e en-
gommar para duas pessoas, e que seja escrava :
na rua da Jlangucira n. 12.
"os ou slpes, ditos de phantasmagoria;
. stereocopios de nova invenco e cora bello sortimento de vistas das prncipaes
mm!i .J P 5 grande sortimento de brinquedos finos para criancas, e nonecas fallando papal,
^SStiXSSKSSXSSt candie!ros a az. os loe se tem fe.lo de mais elegante e que tem mere'
%%%&! naErpa' grande e """gnifeo sortimento de caixinhas, ceslinhas e oulras galn-
~.....--------- rft'ller .eSed propnos para presentes; grande sortimento de estampas finas coloridas
da Gloria n. 14, um pnmeiro e segundo andares de """ rundo Pet0 e de outras de todos os santos, ditas com figuras e ditas com novas paysagens para
um sobrado na rua do Rosario da Boa-Vista, qua- cosmoramas, linos e bem graduados vidros para cosmoramas, um bello chafariz de chrislal, proprio
si no paleo da Santa cruz, e urna mei-agua na es- P,ra mei de raesa dejantar ou para jardim ; cuidarla fiua, come lalheres com cabo de metal fino, co-
tradadeJoao de Barros, com arvoredos, agua de '"eres, thesourashnas, ditas modernas para alfaiates, navalhas finas, caivetes e outros artigos, diver
beber, e pertao para o becco do Pombal : quem sos s.rtl80S eiios de rame; completo sortimento de mascaras de velludo, setim, cera, napelao e ara-
prelender falle na rua das Cruzes, sobrado n. 9, me> noces, confeitos e chocolite em caixinhas e em vidros; camas de ferro deltdos os lmannos, lava-
das 9 horas da manha al ao meio dia. "or'os> elc- i eos quadros para cartoes de visitas e ditos grandes e pequeos para retrates chapeos
llr, AiS'-Ch!,COrS l dl,0us para carros' raa'''""nas para fazer caf, ditas para baler ovos, proprias
nannnqK nTr!nT?;d'''boJl,hos'elo- ^llos corlindos arrendados, verdes, encarnados e brancas
o a S. a -3 -i O m -r. Vi 3 o -i -i B 0 a. a 3 o a. o o s c < O
M a S P -1 o V
-t S en p* -l V a t- V o m
E3 <** 1 O P O p '-3 s O CA "t J a. o H ? OB rr > 4 T

AMA
Precisa-se de uina ama : na na da Cadeia
Recife n. 50, para cosinhar e comprar.
Vende-se por 2:500* o sobradinho de n. 50
da rna Direiia dos Aogados, chao proprio e quin-
tal morado ; rende hoje 300J annuaes, e com al-
gum melhoramento dara cem farildade 400* : a
iralar com o Sr. Dr. Henrique do Reg Barros no
senesenpterio da roa da Aurora.______
Vndese urna escrava de meia idade : na
rna da Gloria n. 51.
Lean* esta novldade.
*'.adaPo|oes superfinos com 24 jardas a peca por
*''O com um pequeo toque de avaria, paletots
vado, algodao muito largo da marca T por 6* a
peca de 24 jardas : na loja da rua da Madre de
ueos n. 16, defronte da guarda da alfandega.
Vende-se urna escrava de idade" 28 annos,
insigne engommadeira e cozinheira, duas ditas de
meia idade, com hahlidade e sem virios, rima
mulalinha de idade 13 annos, mni tem educada :
na iravessa de Carmo n. I.
Vende-se a fabrica de charutos da rua estrei-
la do Rosario n. 45, com poucos fundo?, ou s a
armacao, propria para qualquer negocio : a tra-
tar na mesma.
do
Solicitador.
O solicitador Pedro Alexandrino da Costa Ma-
chado transfeno sua residencia da rua Imperial n.
3(i para a rua do Rangel n. 38, pnmeiro andar,
onde pode ser procurado para os misteres de sua
profisso, qor no foro desta cidade, qur nos do
Cabo, Ipojuca e Escada, para onde se encarrega de
cobrancas.
U 0 Dr. Cosme de S Pereira conti-
g na a residir na rua da Cruz n. 53,
g Io e 2o andar, onde pode ser procu-
| rado para o exercicio de sua profis-
S sao medica, e com especialidade
m sobre o seguinte
Io molestias de olhos;
2o de peito :
3o dos orgaos geni-
ti urinarios.
Em seu escriptorio os doentes se-
r5o examinados na ordem de suas
Wt entradas comecando otrabalhope-
g| los doentes de olhos.
S/t ^ Dar consultas todos os dias das
6 as 10 da manha, menos nos do-
mingos.
g Praticar toda e qualquer opera-
I cao que juigar conveniente para o
| prompto restabelecimento dos seus
8 doentes.
Frontispicio do Carmo.
Os encarregados este uno da festa de N. S. do
Frontispicio do Carmo convidam aos senhores pro-
curadores Caetano Cyriaco da Costa Moreira, Fran-
cisco de Sales de Andrade Luna, Antonio Theodo-
ro dos Santos Lima, Basilio Baptista Furlado, Fran-
cisco Jos da Costa, Leonel de MoraeseSilva, Jos
Jnaqnim Moreira, Hermenegildo Jos de Alcnta-
ra, Francisco Marcelino do Amaral, Bemjamin VI-
raes Dultra, Jos Joaquim da Silva Guimaraes e
Antonio Machado Pereira Vlanna comparecerem
no sibrado novo do principio da rua e Hortjs I
qoe volta para n pateo, de S Pedro, as 5 horas da
tarde do dia 6 do orrente para se tratar dos por-
menores da mesma festa.
Dimingos Rodrigues de Andradd sacTsobre
a praca do Rio de Janeiro, a vista ou a prazo : rua
da Cruz n. 83. ^________
Pede-se aos credore? do eapltao Antonio
Joaquim de Mello, que apresentem suas contas ou
ttulos vencidos ou p>r vencer no prazo de 8 das,
na roa doLivramento n. 38.
Off-recese um h>mem paracopeiro : narui
de S. Francisco n. 36._____________
Precisa-te de nm homem estrangeiro para
trabalhar, plantar e deilar sentido em um sitio :
quem pretender dirjanse a roa Nova n. 49, que se
dir quem precisa. i
Alugam se dous grandes sobrados com com-
modos para numerosa familia, novos e aceiados,
com jardim, cocheira, estribara e outras commo-
didades, na travessa de Joo Fernandes Vieira :
a tratar na rua da Senzala Nova n. 42.
Systema legal de medidas,
ou reforma do actual systema de pesos e medidas
para o systema francez, r. digldo por Joaquim Jos
da Graca, e approvado pelo conselho geral do ins-
trnecao publica de Lisboa, o mais usado depos da
reforma de medidas naquelle reino, e lambem o
mais apropriado para reforma actual nesle impe-
rio i preco 2* : na rua do Imperador, loja de li-
vros dus Srs. Guimaraes & Olveira, e rua do
Crespo, loja do Sr. Nogueira.
Precisase alagar urna ama que saiba bem
cozinhar, e urna para comprar, para urna casa de
duas pessoas: na rua da Imperatriz n. 34, pri-
me'ro andar.
522TJE? ^""JT3/' '?S *randes Pequeas para viagens, e onlros artigos, como cobertores,
EXAJ?S5Et* V'[-eS fiD0S; ngoras 0nas eJ*rros de alabastro alantarias e outras pecas
irarKSftOSS?. '' machmas P"r ""r o chao, excellenles machinas para photographia para
inminlorc'/ ", eeequena.s ^^ bii5es de PaPel fin0 transparente e lanternas coloridas para
Na rua do Livramenlo n. 15, loja de calcado
precisa-se fallar com o Sr. Jos Colombrno d
Araujo Lima, rendeir do engenho Castor ou a
quem suas vezes fizer nesta praca, a negocio de
interesse.
lmThS=LTda/e^rf,salva"v.idadeborracha' Para homens e senhoras, proprios para quem
Zl Q7 Hr5ae"u fa.ndosJ am^lxas novas em caixinhas, blscoitos inglezes em lats, graixa in-
n fu. 7 cerveJa fra barricas das prncipaes marca de Londres, queijos etc., e muitos onlros artigos
m e0Pa. h i?rnera"-0Ser,ia "i" nunca acabar- e todos se vendcm ba"to e "iu't3 barato no grande ar-
mazem da Erposicao de Londres, na rua da Cadeia do Recife n. 60.
Atten$io.
Quem precisar de uro menino de 12 a 14 annos
para caixeiro de taberna com alguma pratica ou
galantanas e outras pegas outro Qualquer negocio dirija se a rua do Cabug com suas capas pelo diminuto preco de 160
ris cada um, na rua do Imperador n. 15,
Brides e picadeiras de
Ipojuca.
Vendem-se as verdadeiras brides e picadeiras
de Ipojuca : na ru do Oueimado n. 32, loja de
Azevedo & Irmao.
MEZ MARIANO.
Versos proprios para se cantarem na de-
voco do mez mariano, corrigidos e aug-
mentados, e mui berrr impressos em follietos
16 paginas, e que se vendem brochados
de
Precisa-se de urna ama .para fazer o servlco de
orna casa de pouca familia : a tratar na rua do
Queimado n. 33 A, loja de miudezas.
O Sr. estudante Joao Rodrigues Freir de
Carvalho, de quem sa ignora a residencia, qneira
eetrezar a chave do segundo andar da casa da rna
da Matriz n. 33, e os alaguis que deve na rua da
Cadeia t. 12, ou na prtea do Corno anto n. 6,
segundo andar.
Preeisa-se de urna ama para cozinhar em
casa de pouca familia : a tratar na praca da In-
dependencia n. 2. -
GRAGEASqeCUBEBINA
mkCOPABAdeLABLONYI
Estes confeitos que tem por base o prin
Precisa-se de urna prela para o servco de
casa e comprar : na rua do Queimado n. 5.
Precisa se de um menino portuguez para
caixeiro no mato : a Iralar na Iravessa do Quei-
mado n i.
Desappareceu no dia 27 de abril de 1863 um
relogio do prata patente inglez n. 41989. S. L.O.Y.
descobert, mostrador de prata e letras de ouro,
cuja tampa da machina existe em meo poder :
pede se aos senhores re. joeiros ou particulares,
no caso que Ihes seja offerec do de o apprehender,
graiificando-se na enlrega : na praca da indepen-
dencia ns. 1 e 3.
Alugamse dous moleqnes muito bons copei-
ros para criado : no corredor do Bispo n... a tra-
ar a qnalquer hora.
Casa de campo
Aluga-se em Sanl'Anna junto ao sitio do
Sr. Thomaz Harding, urna grandO casa e
sitio com grandes commodos para familia,
tendo estribara e casa para escravos sepa- j
radamente, tem cacimba com boa agua, ar-
voredos e proporcoes para baixa de captm :'
trala-se na ru da Cruz n, 4.
Precisarse de um caixeiro que tenha pratica
de taberna : a tratar na rna da Concordia n. 62.
No dia 3 do crtente mez as 10 horas da
manha na poita do Sr. juiz de paz* da freyuezia
de S. Pedro Goncalves do Recife, tem de ir a pra-
ca urna cama franceza e duas bancas de madeira
ama'ello, penhoradas a Anna Francisca das Neves.
t DINHEIRO FRANCEZ.
vendem-se moedas de ouro e notas do Banco, e bem assim urna collecco desde um centesimo
ale mil francos: vende-se barato no Recife rua da Cadeia n. CO, no armazem da ExDosico de Londres.
<
I"
o33
o
o
m
5.a
a
n. 18, Progresso
Farelo a 3$8uu
na rua da Imperatriz n. 6.
Vendem-se
Paulo Jos Gomes.
^rp!laJ^5a.^nde-^?'0'rosdesen valor,, perfumaras mnito~nas eIS^TaKtSTSiS8S
Eug. de 1863.
Pinaud &
Vf/rll L8jr*fa's,.agui 1e.Iavade'" Para ^rlp^t'o^kbo^ln^ aOnhas
vidros de differentes modelos pos para limpar denles, banha em potes e em vidros, pomadas, ricas
caixinhas e balainhos com perfumaras para fazer presentes, e muitos outros artigos que se vende por
ffiL&T n,Va!rUber? todos 8 *"]* em geral existentes no grande armazem da Exposico
de Londres, na rua da Cadeia do Recife n. 60. ^
Precisa se de urna ama para comprar e cosi- defronte do convento de S. Franeison
otar para pequea familia na rua da Senzala --------T-;------------------- u '
Novan. 38, primeiro andar. vende se tima carroca com um boi muito
r. ,---------------------- novo, tordo e lionita figura por nreco commodn
w,Enland con,ra,ada com Sr. Franeelno de a Iratar na cocheira n. 20 da r 5do Souce
Souza Barros a venda da casan. 23 da rua de Ma- Velhe. ^aiaoouce
thias Ferrera na cidade de Olinda, que foi do fal-
lecido Dr. Manoel Filippe da Fonseca, e ignorn-
dole se os hos sao proprios ou foreiros, faz-se o
prsenle annunco para que quem se Juigar com
direto aprsente dentro de 8 dias, contados des-
te, os seus ttulos a Antonio Nobre de Almeida, na i
rua Augusta n. 59. Recife 4 de maio de 1863. machinas americanas de serrote para descarocar
Perdeu-se do peder do abaixo assignado duas algodao : na rua da Senzala ova n. 42.
letras da quantia de 4005 cada urna sacadas no T x ~
dia 26 de abril prximo passado urna a t e outra lUStrUCCOeS ai'a O S6FV1CO
a 8 mezes, aceitas por Francisco Moreira da Costa, a~- mtUa ,\f eXS\tn ***~lhiA~ a
e o sacador em branco, roga-se a pessoa que as b"""" O exeretto, extrahidas do re-
tiverachadoo favor de as maniar entregar ao gularnento de infantarta e accommodadas ao
ataxo assignado, pois que ellas a ninguem serve exercito brasileiro; obra que muito convm
AMA
Precsa-se alugar urna ama para cosinhar e
comprar : na rua de S. Francisco n. 34.
Na rua da Gloria n. 72 tem para se empre-
garem duas amas de bom e abundante leite.
Para SeilhOraS. ~ Arrenda-se a propriedade de Saota Cruz na
_ ,? SJ mdern0S P,en,es de ,ar,arDga para tra5a de senbora. o ine se tem feito de 'mais ele- T ^ : W ^ da Ba-V,S,a
gante ateo presente: venderse por menos de seu valor para se liquidar, no grande armazem da Ex-! ---------------------------____________.
posicao de Londres, na roa da Cadeia do Recife n. 60 Aluga se um quarto no sobrado da rua do
de voluntarios; vede-se na livraria n. 6 e
8 da praca da Ind pendencia, a \.
0 GASTELLO DE GRASYILLE
Traduzido do francez per A. J. C. da Cruz.
Vende-se este bello romance em quatr
tomos pelo baratissimo preco de 250C
ua praca da Independencia, livraria ns.
6 e8.
I Rangel n. 6 : quem pretender
da rua
dirija se ao mesmo
Em casa de Tisset Freres rua do Trapiche n.
9, tem para vender :
Vinh Bcrdeauxem barricas e em caixas.
Dito de Santerne fino.
Luvas
novas de Jouvin.
ra^cn;!?'50 excel,ente*luvas de Pellica receniemente chegadas de Paris, tanto para homem co-
?S2rnfd?CaPd0eiamdoRedcifeen.VSr' ^^ "qUdar: D *"* "mm da ElpoS*ao de ^
AZEITEDOClT^
Azeite doce refinado em pequeas latas a 560 rs. a garrafa : no graude. armazem
da Liga.
CREME.
Srvete de creme hoje ao m:io dia
Trapiche n. J8.
Dito d- Champagne muito superior.
_ Cerveja franceza marca Bobee. .
na rua do
, t m ......IHiSiO
Saceos de 80, 100 e 120 libras a 4&4#500 e 55 ; no grande armazem
Precisa-se comprar urna escrava que saiba
bem cozinhar, e entenda de engommado ; prefere-
se preta : a tratar no largo do Terco n. 29, pri-
meiro andar. Da mesma casa desappareceu urna ,
cabra (bicho) com filho, tendo os signaes seguin-
tes : cor flor de algod.io, com malhas brancas,
tendo dous bicos em um dos peitos ; e o cabrito
de cor preta, com malfns brancas : quem della ',
souber e der noticias, ser recompensado.
Quem precisar de urna ama forra que sabe
engommar, lavar, e fazer todo o mais ser vico de
urna casa, dirija-se rua da Cadeia do Recife n.
66, primeiro andar.
fferece-se urna ama para
roa Velha n. 33, taberna.
engommar : na
da Liga.
Precisase de urna ama de
Palma n. 41, taberna, '
leite : na rua da
Samuel Power Johnston & Compaolia
Rua da Vnzala Nova n. 4.
AGENCIA DA
I'undlcSo deLov Hoor.
Machinas a vapor de.4 e 6 cavallos.
Moendasemeias naoendas para engenho.
Taixas de ferro cado e batido para enge-
nho,
O bacharel Lonrenco Avelino de Albu-
| querque Mello continua a ler sea escrip
J68 torio,de advogado nos auditorios e tribu- |
Knaes desta cidade : na ua do imperador ^
n. 40.
mmwmmmmmmmmmmm
Aluga-se a casa terrea n. 103 da rua de San-
ta Rita : na rua da Aurora n. 36.
Ama
. Precisa-se do rima ama" para casa de
Arreios d
carro para um
Relogios de ouro patente inglez.
Arados americanos.
Machinas para descarocar algodao.
Motores para ditos.
Machinas de costura.,
i ricoisa-fc uo una aiim para casa ae p0UC3 fa
milia : a traur pfafa do CorpS Santo "
terceiro andr.-1;' *?.
e dous cavallos. ^-------------^
ti.Ji,
O London 4 Brazillan Bank, saca por doos
os paquetes.sobre
Lisboa.
Porto. Mt;
1 Braga.
Van na.
Guimaraes.
Villa Real.
' Coimbra.
Amarante.
COMPBiS.
Toros de Jacaranda, madeira muito especial
para construir mobilias: no largo do Corpo Santo
n. 4. primeiro andar.___________
Vende-se a taberna da rua dos Acouguhos
n_20 : a tratar na mesma.
Vende-se um eseravo idade 23 annos insigne
offlcial de carpina e bonita figura : na travessa do
Carmo n. 1.
Trastes com use
Vcnde-se I sof, 3 consjlos, 1 mesa redonda, 9
cadeiras de amarello, 6 cadeiras Americanas, t
bea marqueza de Jacaranda, 2 carteiras de va-
gem e 1 carteira grande propria para taberna :
quem pretender duija-se a rua das Cinco Ponas
n. 140 defronte da estago.____
rechincha
Vende-se araendoas confeitadas a 360 rs. a li-
bra : defronto da matriz da Boa-Vista n. 88.
.
A verdadeira massa ingleza preparada para
matar ralos e baratas, muito nova, acha-se a ven-
da no armazem de Duarle, Carvalho & C na tra-
vessa da Madre de Dos n. 9 a 640 rs. o pote, cuja
efflcacia j bem coDhecida.
Compram-se libras sterlinas: no ar-
mazem de Ferr. ira & Matheus, na rua da
Cadeia do Recife n. 66.
Compra-se efectivamente ouro e prata em ol'lO
SJ!!lh Rosario u. 24, loja de ourives.________________ lrada dos AIHicl0S % quart0 depois da capel|gj co%
Corapra-se um eseravo cozmheiro que seja boa casa, duas grandes estribaras, quartos para
moco, robusto e sem vicios : a tratar no sobrado feilor, muitas arvores fructferas, pogo d'agua pe-
- Na amtma- drj -Carmo casa
n. 32 da ruada Aurora.
v Pe
Os administradores,
Jos Jeroaymo Montetro.
Justino Jos: vJe Souza Campos.
..
eipio activo da nrimeira cubeba innln cr.m,ecapa--0 prejooicado._________
a cupahyba pora, n5o nausen 0 estomaga. "" Lava-se, engomma-se e cosinha-se por preco
Elle fazem pararimraediatamente asmis;"0^0 :paraaI,ppera' D-63-
, O abaixo assignado, lente do 2* batalhao
da guarda nacional do municipio do Recife, decla-
ra ao autor do communicado incerto no Diario de
3 do correte, assignado pelo prejHdtcado, que, pa-
ra responder-lhe convenientemente, baja de assig-
nar o sed Home por extenso, porque nao respondo
a anonymos.
''_______Manoel Jaencio de-Sattofo.
O prejudicado est informado qoe o Sr. te-
nente Saboya faltn guarda de 30 de abril pro-! do engenho Riachao.
ximo passado por estar doente, e quanto a mensa- _
lidades, nao se entende com elle; visto serapre cumprido com os deveres dos eargos que, Paz, proprio para qualquer estabelecimento em
pontd tiaioeno : a tralar ao pileo "de S. Pedro nu-
mero f.
Os senhores devedores a massa falli-
da de Amorim, Fragozo, Santos Jt- ?. s3o
jjonvidados a comparecerem no escriplorio
la admirfislrac5o rua do Vigario n. 21.
brimeiro andar, para tratar da Hqmdacao
de seus dbitos. ': -Muoa !
Pernambtfc 28 de abril de 1865.
direecao,do$ollegio de N. S. da Conceico", qne
este collego se acha transferido para os Cosios,
onde foi aeasft de Ali^neJos. Todas's pessoaiqne
tiverem relaeoes com dito collegio, all po&ro
dirifiHe : assim eonjo all somente nos domingos
de tarde, se rocebem visjias.
Jos Alfonso Ferrera priiieir conferente
la alfandega de Pernamhuco, declara que nao
titnde com elle as oorrespoodencias ^protestos
o Sr. Antonio Gomes de Macedo sobre as trras
rebeldes gonorrbas, mesmo as que res8ti-
ram a cubeba o a cupabyba isoladamente.
EVJECCAO BROW.
Remedio infallivel contra as gnorrhbo
antigs e recente, nico deposito r a eas
iea franeeza, roa da Cruz n. 22. pre
C0 3
Casa para alugar.
Aluga-se um armazem n i rua das Flores n. 10, _
proprio para offleina : a tratar na rua Nova nu-1 ~^T
mero 31.
^ftVrece-se orna moJherL portagneza j de
ilade para casa de mocos solteiros, para todo o
. sprvico ?*t*rno: a tratar na rua da Fiorenna nu-
mero.3..
de seda, vestidos e capas* prepara-se flamas,
' ___ rado por prego, coojroiodo. ____________
^ PJrrtfcipa-'se aos pfls'de^fnenlnas entregues
na rua do
tavi'lcom bomba e banho de choque ": trala-se no-
largo da ribeira de S. Jos sobrado de um andar
n. i 9.
,.:i
O
bskehr*&t->***aZ
francisco Angosto (
AOvfiADO
m Rua do Imperador numero 69.
Jos Joaquim Goncalves Bastos, e pr.
dor nesta cidade de Francisco Manoel da Silv
vares, residente em Lisboa. -i -,-----
Cobre, lato e'ciiuatbo. ,
Compra se cobre, lato e chumbo : no armazem
da bola aman lia no oito da secretaria fde polica.
Silvino Goilherme de Barros compra e ven-
de elTe.'tivamenje. estraves de-arabos os sexos :
rua do ImperadMr'n! 79, Tcrctrd andar.
Compram-se libias sterljnas por 9400
! no largo do Corpo Santo n. 4,, primeiro andar.
Ouro nacional aiuoedado.
Compra-se na praga da Independencia n. 28.
Compram-se libras sterlinas: na rua
da. Cadeia do Recife n -22.________________
LibfM-dtrfiftag,
Comprarn-se na praca da Independencia nume-
ro ai.__________\A___________
Ouro c prnta
en obras velhas : compra-se na praca da
pendencia n. 22, loja de bilhetes.
Vende-se um ptimo boi manco proprio para
carroca : quem o pretender dirija s a roa' da Ca-
deia n. 40, primeiro andar, a tratar- com Rocha
Lima cv Guimaraes.

i
J
Inde-

Previne-se todas as pessoas que tenhaoj
transaecSes qur por crdito qur por doliito com
0 Sr. oapiiio Antonio Joaqom da Mello, de s o
eateoderem com Mnoel Pedro de Mello, na roa do
LivrameDio n, 38,
Joaqatm TneopWlo A((ra da Silva roga a
afius collegas e as de mais pesseas que o honrm
cpm sua amfzade. o especial obsefraid de-as?istirem
a missa celebrada pelo eterno reponso de sua mui-
to prezada owi, qae ter limr sabhado do or-
rent^.iwlaa f fioras d.a mjni^a. pa matriz da
Boa-Visa.
Os abaxo assignados, moradores na roa da Ca-
deia do Recife n. 3, faierq scletile a,os evedores;
da massa fallida de Joaquim Vieira Coelho C,'
qoe tendo arrematado as dividas pertencentes a1
mesma massa, .sao elles os nnicos antorisados a
7 E UBIS.
Vende-se um carro de oondazir gneros da
alfandega, faltando-lhe ama roda, muito forte, per
preco multo commodo : a tratar no pateo de S.
- Pedro n. 4.
receber laesr dividas, portHto tem marcado o.pra- -vT-r-
> da 30 dias Dar os snrrores devfidorps virem nn ~~ Vende-.
so de 30 dias para os senhores devedores virem ou ~ VflDe-se ma ca'*le carrosa para um boi,
mandarem pagar seus'rfbito. flhdo o*qaal se pro-i em b,ra estailo> Pr P"Q0 muiH commodo : a
mover e*HHe judlert t' no pateo de ". Pedro n. 4.___
i- Jos Joaqwm de Castro Moura. Vende m mel de nao a i a garrafa
Joaqom Baptista de Araujo. pateo da Santa Cruz n. 64.
no
Milho a 4$ o sacco,
e lalascom 2? garrafas de ga; Jde prim-jir aua-
dade a 11*700 e a retalho a 4S0 : no anmemela
Estrella largo do Paraizon. 14. -________
Yquetas
Vendem-se vaquetas proprias para *onerta de
carro etc.: *ra casa de F. Souvage & C. rua da
Cruzn.O. ______
Vende-se doce uno de goiaba com 6 libras e
meia a 1*500 e H o caixae : ni rua da Cadeia
de Recife n. i, terceiro andar.
ALHANAK. "
Acaba de &ahir dos re-
los de nossa typograpliut o
Almaiiak Administrativo e
Mercantil e Industrial desta
provincia, correcto at 31
de dezembro, e vende se a
l; na livraria ns. 6 e8
da praca da Independencia.
/
-

.
-


iMarlo de eriutbico -. eili lelra 4e Malo de t *.
*
a iwLMTiA ou infecso pecu- ^gua florida e tnico orien-
lul conaeeida plo nome de Es- +,
crofula um des males nais Tul 0.6 Aeilp.
prevalecntes e universaes que Continaa-se a vender em por^o e a reulho :
tu e toda a extensa listl das na nu do Queimado, loja d'aguia branca n.8.
enfennidades de que soffrt. o ClirOIMlC01110
genero humano : djsse um cele- A agn|a brlnca na nt do QneJmado g> acaba
bre escriplor da medicina que de receber um novo sortimento decaixinhas com
mais de uma terca parle de chromacomo para ungir cabello?, e bem assim
todos aquellos que morrena antes fraseos com hydrocallelrichiM, agua para desen-
j i" \ a; grasar os ditos, coloneomo para lustrar os ditos,
da velhice sao victimas, ou aire- onycnromaDIina para limar as orinas_ Essa'
ta ou indirectamente da hscrofu- tintura, cujo effeito 6 rpido c eflkaz, est bem co-

la :por si ni 15o des-
tiva, porm a principal causa de muitas
outras enfermidades que n3o lbe sao geral-
mente attribuidas.
E' uma causa directa da phthysica pul-
monar, das molestias do figado, do estoma-
go e affeccSes do cerebro:Entre os seus
numerosos symptomas acham-se os seguin-
tes : falta de appetite ; o semblante pal-
udo e s vezes inchado, as vezes de uma
alvura transparente e outras corado e a-
marellento ao redor da bocea; fraquea e
molleza nos msculos: disgesto fraca i
appetite irregular, falta de energa, venlrt
inchado e evacuando irregular; quando o
mal tem seu assento sobre os pulmoes, uma
cor azulada mostra-se em roda dos olhos;
quando ataca os orgaos digestivos, os olhos
tornam-se avcrmelhados:o hlito ftido,
a lingua carregada, dores de cabera, ton-
teiras\etc.
as pessoas de disposicao escrofulosa ap-
parecem frequentemente erupcOes na pelle
da cabeca e outras parres do corpo, s3o pre-
dispostas s affeccoes dos pulmes, do ga-
do, dos rins e dos orgaos digestivos e ute-
rinos. Portento, nao smente, aquelles
que padecem das formas ulcerosas e tuber-
culosas da escrfula que necessitam de pro-
teceo contra os seus estragos; todos as
quelles em cujo sangue existe o virus laten-
te d'este terrivel flagello (e s vezes heri-
ditario) testo expostos tambem a soffrer das
enfermidades que elle causa, que sao:
A phthysica, ulceraedes do figado,\do es-
tomago e dos rins: ertipcoes e enfermida-
des eruptivas da culis; rosa ou erysipela;
borbulhas. pstulas nascidas, tumores, rh-
cnmacarbunculos, ulceras e chagas, rheu-
matismo, dores nos ossos, as costos e na
cabeca, debilidades femininas, lores bran-
cas causada pela ulceraco interior, e en-
fermidades uterinas, hy'dropesia, indiges-
to, enfraquecimento e debilidade geral.
Aos pulmes a escrfula produz tubrcu-
los e finalmente consumpcao pulmonar :
as glanulas ella produz incbacoes e tornam-
se ulceras: nos orgaos digestivos causa
desarranjos que produzem indigesto, dis-
pepsia, molestias do figado e nos rins :
na pelle produz erupcoes e affeccoes cut-
neas.
Todos estes males tendo a mesma ori-
gem, carecem do mesmo remedio: a sa-
ber : purificar e fortalecer o sangue.
A salsa parrilha de Ayer
composta dos antdotos mais eficazes que
a sciencia medica tem podido descobrir,
para esta molestia assoladora e para a cura
de todos os males provenientes d'ella que
coiitm virtudes verdaderamente extraordi-
narias provado incontestavelmente pelas
curas notaveis e bem conhecidas que tem
feito de tumores, erupcoes cutneas, erysi-
pelas, boi-bulhas, nascidas, chagas antigs,
ulceras, rheuma, sarna, parebas, hydrope-
sia, tosse quando causada por depsitos tu-
berculosos nos pulmoes. Debilidade ge-
ral :Indigesta", Syphilis constitucional e
molestias mercuriaes, molestias das mulhe-
res, ulceracocs do tero, a nevralgia e con-
vulcoes epilpticas e em summa, toda
aheeida e apreciada para todos quanlos della tem
usado, eos que de covo a qnizerem apreciar, po-
den, assim como aquelles, dirigirse munidos de
dinheiro ra do Queimado, loja d'aguia branca
numero 8.
Papel efolhas para rosas
Acaba de chegar para a loja d'aguia branca, na
ra do Qucimado n. 8, um bello sortimento de pa-
pel de cores para rosas, dito verde para tblhas, e
dilo tambem verde e mol fino para cobrir o ra-
me, assim coreo folhas de panno o avelludadas
para dita?.
Aspas de baleia para vertidos
Vendem-se na ra do Queimado, loja d'aguia
branca n. 8.
Superiores penas (Caco ingle'
zas e francezas
A aguia branca alm do grande sorlimento de
penas d'aco que constantemente tem, icaba de
receber mais outro de superior qualidade e dos
afamados fabricantes Perres A C, assim como as
verdadeiras blco de lanca n. 131 e outras de pon-
a doimcla, continuando' porm a vende-las por
precos comraodos, com tanto que o comprador com-
pareca munido de dinheiro : na ra do Quemado
loja da aguia branca n. 8, onde tambem achar se-
na a venda pastas para papis.
A aguia branca na ra do
Queimado n. 8, recebeu :
Ronilos egraudos aljofares Pulsciras de dilos de iguacs e agrailaveis cores.
Volias pretas miores e menores todas de cous
grossas.
Pulroiras prclas tambem de contas.
Outras de differenus qualidades e goslos.
Brincos de aljofares de cores e dourados.
Fivelas d'aco grandes e pequeas com cinto pre-
lo e de madroperola.
Outras grandes de dilltrentes cualidades e re-
dondas com pedras.
Bonitos leques de Jmadreperola redondos e de
oulra forma.
Ditos de sndalo intericos e corredizos.
Capellas brancas para meuinas.
5
o
J
O
a

O NOVO GERENTE

DA
DE
LIGA.
ESTABELECIDO A RA NOVA N. 60
jLuiujji
AZEVEDO FLORES
Hu da 0 Prestem attengao ao discurso do Balo.
AO
RESPEITAVEL PIBIHO.
A apreciaco dos habitantes desta heroica provincia existe no grande urni -
zem da Liga estabelecido ra Nova n. 60 um magnifico sortimento de molhsd's.
Nesle estabelecimeuto todos os freguezes encontrarao igualdade de direilos, o que sendo em sua maxm. parte mandados vir directamente do estranc- iro rodem sr
agrado que fazemos ao rico fazemos ao pobre, ao menos empenhamos todos os exforcos vendidos por precos asss razoaveis.
PASTILHASN'
miyffl^j
DE WASMAN
As pastilhas digestivas com a pepsina de Wat-
trian, empregao se com successo h j alguns
annos pelas celebridades medicaes de Pars,
Londres, Vienna, etc., em todas as incommodi-
dades em as quaes a digesUo difficil, penosa,
imperfecta ou mesmo impossivel: eis o melhor
remedio para curl as
Gantralslas.
Bl>pp|>ia.
Embaracoa (atrlcoa.
A a-lrll.-
Aa rfeceoea aricAnl-
oi ilo estmago.
DIarrfceaa e a canatl-
paeaa prodnelilaa
pelaa claboracoca
di-fcctuo do ali-
mentas.
Em todas as molestias empregio-se a miude as
a|pas alcalinas, especialmente a agua de Vichy,
e igualmente aspaftilhas de Vichy. Esse meio 6 w6
efiicaz quando se trate de dispepsias de curta du-
racao, mas o prolongado uso das aguas epastilhas
ie Vichy, lem grandes inconvenientes, por quanto
os alcMinos empobrecem o sangue e isso de tal
mancira que lhes arreblhSo a parle vivificante,
nutritiva e reparatrz. Com a pepsina, a contraro,
como ella uma substancia orgnica, albuminosa,
Iransforma-se ao mesmo tempo que se effectua a
transformacSo dos alimentos assimilhando-se
como elles e ajudo tabcm como elles a nutricio
Seral. Sua accao vivifica o sangue e os orgaos
e tal sortc que, alh as pessoas que sem soffrer as
affeccoes gstricas cima mencionadas s8o nica-
mente fracas ou d'um temperamento um pouco
dbil, < necessitao substancial alimento para for-
tificar se, acho no cmprOgo das pastilhas pep-
tina de Wasman, um poderoso meio para a isso
SClie! chegar.
ao nosso alcance para agradarmos em geral.
Os nossos precos sao os ma s mdicos como sfjam:1
Chitas largas escuras niuito soffriveis a 280, 300 e 320 rs.
Ditas largas e finas padres novos de 400 a 500 rs
Ditas largas preclaras a 300 rs. s na loja do Bal5o,
Cambraias de cores com quadros, fazenda nova, a SoO rs. a vara.
dem lisas lapadas e transparente de todos os precos.
Madapoiao de 8$ a peca que em outras lojas se vende por 9L
Temos tambem muitos oulros madapoloes de diversos precos, assim como te-
mos madapoioes fiancezes de i \ e 16j$ a pega, inclusive uma qualidade especial para saias
de senhora a 560 rs. a vara.
Gambraia para forro de vestidos.
La preta para luto, e de todas* as mais cores.
Las com o assenlo esoiro e flores matizadas fazendamiuito moderna e fina qua-
lid de.
Meias pretas para senhora e homem.
dem cruas inglezas pa-a homem o melhor que ha de 7 e 8d a duzia.
Camisas de 20500 que valem 3, temos muitas outras qualidades de diversos
precos, assim como camisas verdadeiras inglezas e muito finas a 5$ ou 550 a duzia.
Camisas de meia muito linas de 205 e25(S a duzia.
Collarinhos de papel de cores e braceos assim como collariDhos de linho ingle-
zes a 500 rs.
Temos um completo sortimento de grvalas pretas e de cores.
Ceroulas francezas muito boas a l(?t00.
Ceroulas de linho com duas costuras superiores e temos um completo sortimen-
to de roupa feita do casemiras e de brins.
Camisas de flanella de cores a 3:>500, 40500 e 60.
Bales de arcos a 30 e 350 a duzia as de panno e de arcos para meninos de 20
Chapeos de sol superiores com 16 asteas a 12$.
Casemiras do ultimo gosto para se fazer calca e collefe.
Vestidos a Alaria l'ia a 18> e sito matisados.
Ha muitas outras fazendas assim como grosdenaples e moreantique.
Lencos brancos j abanhados.
Mein tinos para rap.
Cortes de la a 50500 com 15 covados.
Chales para as senioras trazercm por casa a 30 e 40 cada um.
Brim branco a 10300, 1,500,20 e2 500
Bramante de urna largura para lences e toalhas.
Brim de Mamburgo fino e grosso.
Alpaka preta e branca.
Brim pardo.
Casemira e panno preto fino, tudo islo por prego baratissimo na loja do
Sem a fatuidade de querer que este novo e interessante estabelecimento >eja o
primeiro e nico em seu genero, pde-se porm IBancar, com toda a seguranca de que
nenhum outro o exceder no restricto cui primento das seguintes promessas:
1. Delicadeza no trato.
2. Fidelidade no peso.
3/ Sinceridade nos precos.
As pessoas que por sua posico social gozam de certo tratemento, acharo nesta
casa os melhores queijos londrinos, cerveja, vinhos inissimos manleiga c cha sempre de
primeira qualidade. etc., etc.
Qualquer que seja a condico do freguez, elle deve contar que ser semprr mui-
to bem servido.
Aquelles que sao pouco favorecidos da sorle faro mensahxente uma economa de
muitas patacas, afreguezando-se nesta casa, onde se lhes vender o arroz, o caf, a n< u-
leiga oassucar. etc., etc. de boa qualidade pelo prego que em algumas partes nao po-
dem ou n3o querem vender.
Os senhores de fra da cidade, dos arrebaldes ou centro, que comprara para ne-
gociar, devem vir, | elo seu proprio interesse, a esle estabelecimento para se conver.ee-
rem do quanto se pode vender barato.
Para os senhores que compram para tornar a vender existe um sortimento ispe-
cial, escolhido por pessoa entendida que certamente muito de".e agradar aos senhoie-
compradores
.Nao se tem poupado sacrificios, nem se deixar de fazer a diligencia para agra-
dar a todos.
PELOS SEGU1NTES PRECOS S SE VENDE
A DINHEIRO A VISTA.-
ALPISTE E PA1NCO a 10 rs, a lib a.
AMENDOAS novas a 28o rs. a libra.
AVELAESa240rs. a libra.
ARROZ de 80 rs, a libra a,..
AME1XAS francezas em latas, potes, fras-
cos, bocetas, etc., ele.
ingleza
e franceza
de C00 e
MANTEIGA
800 rs.
MACARRAO a 400 rs. de 8 libras para .
a 360 rs. a libra.
MASSA DE TOMATE a 6C0 rs. late.
MOSTARDA ingleza a 800 rs. o frasco.
un
AZEITE doce a 600 rs. a garrafa, cadada a MARRASQUINO de Zara.
B 8 MARMELLADA de divers
ibra, em por- diversos pregos.
ersos fabricante?
BANHA de porco a 660 rs. a
cao faz-se abale.
BOLACHIMIAS do beato Antonio a
BOLACHINHAS de soda lata grande a 2,000
ris.
P
PE1XE em lates a 1,000 rs.
PERAS SECCAS a 500 rs. a
ibra.
de enfermidades que nascem da impureza vu importante. o successo das pasthat
An conrma v&Aa ^ oa-iriiw, r. i a pepsina de Wasman diu causa a se fazerem fl-
lficacSes e imitacoes d'esse -producto que es
do sangue. Vede as certides no Alma-
nack e Manual de sade do Dr. Ayer que
se distribue gratuitamente nos lugares onde
se vendem os remedios.
Este remedio o fruclo de longas e labo-
riosas experiencias, e ha abundantes provas
das suas virtudes: posto que offerecido
composto de diversas plantes, algumas das'
qaaes sao superiores a melhor salsa parri-j
Iha no seu poder alterante.
PEITORAL li i; CEREJA DE AVER.
Cura promptamenle a asthma, bronchite,
tosse, defluxo, angina, coqueluche,
phthysica primaria, tubrculos
pulmonares, e todas as
molestias pulmo-
nares.
Allivia os etbicos declarados.
Todas as molestias da garganta, do peito
e dos pulmes pdem ser curadas em pou-
co tempo peto peitoiui. de cbrja do db.
AVER.
. A' venda as principaes boticas e droga-
ras do imperio, e na agencia central do
Rio de Janeiro ra Direita n. 15.
Vende-se em Pernambuco:
na pharmaela franceza de
P.MflURER i C.
RA NOVA N. 18.
PROPRIO PAR* SENHORA.
Veode-se um excellenle cavallomuito no-
va e manso com todos os andares; na co-
cheira do Paulino, rua de Santo Amaro.
Superiores cortes de moirs preto com barra, oqne ha de melhor gosto em
Peroambuco.
dem de go.rgurao preto adamascado com barra a imperatriz Eugenia.
dem de gorguro de seda bordados com barra.
, Superiores moirs prctos e largos 20400, 20600, 30, 30500, 40, 50, 60,
fcoa preparacio a pepsina que n'ella entra, jaz "% 7. fi, n rnvndn
alterada. Seremos ao abrigo d'este inconveniente, rS} o d,- ,L f
% Superior gorgurSo de seda preto, a melbor fazenda que ha para veslido.
Sarja preta de seda,
dem preta hes anhola.
dem idem lavrada a 20 o covado. r
dem idem lavrada muito superior.
Completo sortimento de grosdenaple preto a 10500, 10800, 20,20500, 30,
30500, 4, 40500 e 50.
Pannos pretos de superi -r qualidade de ?0 a 120 o covado.
Casemira preta de 10600 a 50 o covado.
Lindos chales, bournus, algeriennes e retoudes de fil prelo.
Mantas pretBS de fil e los pretos".
E muitas outras faendas de superior qualidrde na b ja dasColumuas
na ruado Crespo n. 13 de Antonio Correa de Vasconcellos & C. successores
de Jos Moreii a Lopes.
mulos se querem desfazer. Po'is por falta d urna
boa
alte
exigendo os compradores que as pastilhas tenhlo y3
as iniciaes B. P. e saio da pharmacia Chevrier.
Depsito geral em Pars, pharmacia Chevrier,
21, Faubourg-Hontmartre, e em todas as bou
pharmacias de Franc* e dos panes estrangeiros.
8 2.51 e
s
1 OS.-a= g a> 2 M
2.iS.P i* o-
n S S n o. a o g
l!ffil!g!
j s j ? 5 : 3
si
S 2.2-S

a. ">
3 s |
s n
I
Francisco Jos Germano
RA NOVA X. SI,
aeaba de receber am lindo e magnifico sortimento
de ocolos, lelos e binculos, do ultimo e mais
apurado gosto da Europa. ;.
NOVIDAflE'^-
A ?.
e fOOO
Na ra da Cadc o RecireJ. 5, loja de- rato-
dezas de bom gosto, vendem-ea lembs 14, e de madreperola a 2, chegados pelo vapor
ioglez.
achlatu de serrotes iara
algodo
Chegaram as desejaas machinas de serrotes pa-
ra deseerocar alRodSo harendo um complefo gor-
timenio desde 13 at W errotes, tambem ha uio-
tores-aroericauoi para as mesmas machloas. ven-
de-e o mais baratopos^ivel : na ra da'Cadcia
do Recife n. 56 .'loja de ferfagens de Jlo Car-
los Bastes Olivera.
GRAGEAS
GLS CONT
inmOa r*l> iudiali 1< Mediclm d> r.m.
lUsnlta pelo doui relttorios, adoptados pela dita
Academia em 1840 e am 1*5, que aa grageas da
lis e cont aio o melhor e mais efiicaz remeds
ferrugiaoso para curar a chlorotis (alias fluor-albo), oa
laxos branca, a Jttquei de compleiiio nos dona
sexo, a tambem pap ajudar a menstrurijio da mocas.
Estas Grageas alo sio Tendidas acoto em caixinhu
Tidros cobertos com roalo e fechados com ama tira
ando savia do aasittrio eral : LABELONYsi,
i, rus Bt^tton-VOWfiite, ij. Pars.
Deposito geral em Pernamnuce rna da
Cruz n.22 em casa de Caros 4 Barboza
-------hr.zrAs
. Admiravelpechincha!
H cambique a 300 rs. o covado, na loja
do pavo.
Vendem-se os mais bonitos mocambiques de pu-
ra la proprios para vestidos e sontembarqaes,
; sendo de i|undrinhos de listrs e lisos, fazenda in-
teiramente nova, em padres e muito proprias pa-
ra as senhoras que frequentam o mez Mariano,
porijne esta zenda lhes r.cilila fazerem por poa-
I co dinheiro vesdos moho decentes para qualquer
. acto, advertiodo-se que esle baratissimo preco
evido a grande compra que se'ft* desta nov/a-
zeuda, que se vende a freze tustoVs o covado : na
loja do pavo, ra da Imperatriz n. 60, de Gama &
Silva.-
______________ y u- C_______
, Vende-se |a exceliente propriedade da ra
Imperial o. 164, fregezia de S. Jes, tendo 360
palmos de frente e mais de (,200 de Tundo, no
centro do qual ha uma firande casa terreajd*..pe-
dra e cal, com muitos bfens corcmdds e aljfuns
arvortdos de fructo, precisando metade do fundo
dealgum aterro: o Sr. capitalista qne rVzer esta
acquisicao lem, alem do predio, terreno para edi-
ficar um grande numero de casas, j com frente
para a referida ra, j em outras que passap por
i dentro da mesma propriedade, que por ter embar-
que offere.ee a immensa vanlagem de' facilitar a
' conrluso do6 materiaes, que serio despejados em
. cima das obr* : quem a pretender dtrija-se "**
l mencionado predio, ou ama do Brbm n. 37.
AGUA
BISCOITOS ing'ezes em latas de 1,200 rs. a! J^-tT'10 naS l 3 rS- a lbra-
BOLACHINHAS principe Alberto a 2,000rs. j PRESUMO para fiambre.
CHORICAS m ito novas a 800 rs. a libra.! ffi"? d re" de 2>000 a
CAF de 2C0 rs. a libra. J lr'ndnno- nn
CHOCOLATE francez a 800 rs. a ibra. gfS S,)'S.S a S 3 'k1"3-
CHAMPAGNE das marcas mais acreditadas1DEM Piat a 800rs a libra.
a 25,000rs. o gigo. U.ntn \r\w\ ifln
CHARUTOS de todas as qualidades, suissos, k
american s, baliiannos, lluminenses, etc.,
de 1,400 a 10,000 o cento.
CHA HYSSON de 2,200 a
COPOS 1 s(s ladidados de todos os taa-
nnos a
DOCES
de
u
. DE
Florida.
para restabelecer e conservar a cor natural dos ca-
bellos.
A agua de Florida nao orna tintura, facto es-
sencial a contestar, a mesma agua dando a cor
primitiva de cabello. Compostas de plantas exti-
cas e de substancias inoffeosiveis, ella tem a pro-
priedade de restituir aos cabellos o principio co-
rante que elles tem perdido.'
De uma salnbridde ncontestavel, a agua de
Florida entreletn a limpeza da cabera, destroe as
caspas e empede os cabellos de cahir.

Attebtioso
Vendem-se queijos Jo nltimo vapor a 25500 e
2SG00, manleiga ingleza flor a 960 a libra, dita
franceza da &a(ra nova a 840. arroz do. MaraDhao
100 rs., aletna e macarrao a 400 rs., vinho de
Usbta a 320. \00 40, da Fzueira a SOOe 560,
I,raneo 500 rs., do Port a 640 a garrafa, esper-
.twicete a 600 rs a libra, loucinho de Lisboa a
320, batatas a 100 rs., sabSo massa a 200 rs. a
libra, erva mate a 160 rs., uma machina de copiar
caria, urna liaramja oploza, nm moinho de moer
caf, latas de gaz vazias a i20, biscoutos, vinhos
cngajrafados linos, temperos, charulps finos, al-
piste, figos e oulros nuikos gneros qoe se delxam
de mencionar, trido por'nwoos^do que em ootra
qualquer ^af't'iJlp'*1* caf.a freguez.com pouco
i jasto vai sdrtido para casa e quem quizer o bom
! genero Jr'aqui que 6 picbario:; na ra DtreiU
Cal de Lisboa
^araado Yijtarlo d. 19, prtairtre andar.
^
Vinho. JUtadeira fa\o
tem para TOnder JoSo a Reg Lima, na rna
Apollo n. 1
(Jhegarom os supriores
cortes de seda.
Superiores cortes de sed de cor, viudos pelo
ultimo vapor frtticec : na k>ja das columnas a ra
do Cftspo
cellos* C.
Jumentos
Vende-se um lindo casal de jumentos, de.boljain- 7i> f|^te marella.
rnc,*Bdes e covos, proprios para aongerW v^u i^.n c,
cao da mesma raga e
ra magnifico macho
jumenft esta' prenhe.
tnenilnha com pouco menos de um anno : ver e
tratar com Jos Pereira Cesar no silio Pirahuyra,
arrabalde da-villa do Limoelro. Vendem se larris vacS de manteiga a 120 rs.:
)s, proprios para a |eniecvpvl ~ Viba 4o>6o superior em caii
cruzamento, do que s coJne-|leip para vender Antonio Luiz deO|r
s, mollas carro e carga (raja Jo & c pQ seu efcrptor0 rua da j.
9, assim como amafiada fn-: : L
Vinha do Porto superior em caixa de duzia,
" ,iveira Aeeve-
ruz n: t.
Barris vastos.
Mez Mariano.
Anda esta venda na rna do Imperador n. 15,
do defroole de S. Francisco, % rica edicao do mez -Ma-
riano, ornada com estampas o vinhes, eencader-
nada, por if e l^'OO cada livro.
i i i
Malungas flaos e brlaqnedos
lAra nieoliKis.
Chegaram para a loja de miudezas da rua do
Queimado n. 69, os mais fios e lindos calongas
tanto para brinquedo de meninqs como para cima
encontrar bom sor-
na rua da Cadeia do Recife n. 53.
o. 13, d Aoop|o ulrreia de Yascop- de nreia : na mesma loja se encor
t'mei'o^emiudezj.
"' '
. i -
Na rua da Cruz o. 38, em casa de MillsKat-
teau A C, vende-se :
Ol..
ilftzes.
Oleo de nhca.
Folhas deFlandr
Silin? esllhCes il.
Cerveja As*inalJ."
ita Das?.
Dila John Jeffres & C..
Um plano com pouco uso.________
Bxas haniburaue/as.
Vende-e na roa Nova n. (T.
todas as qualidades.
12
ERVILHAS seccas e em latas portuquezas e
francezas.
F
FARINHA de araruta verdadeira a 800 rs. a
libra.
FARINHA do Maranhao ou tapioca a
FARELLO de Lisboa a 4 e 5,( 00 rs. a sacca.
FAVAS porltiguezas em lata a 600 rs.

GOMMA muito nova e alva a 120 rs. a libra.
GRAO DE RICO a 120 rs. a libra.
GENEBRA de laranja a 9 e 10,500 rs.
CENEBRA de Hollanda garrafas, etc.. etc.
HACHIMS EPATENT
de tralialLir a n :" o ai:
descaro^ar algodo
FABRICADAS
Por Plant Brothers & C.
OLDAM
Estas machina.'
podem descaroca;
^qualquer especie
de alpodao sen
estragar o o.
sendo bastante
duas pessoas pars
o trabalho; pdt
descarocar umi
arroba de algo
dao em earoa
em 40 minutoV
ou 18 arroba."'
por diacu 5 ar-
robas de algedc
limpo.
/
a libra e grande
abate em caixa.
SEVAD1M1A a 200 rs. a libra e 8 lil-ras se
far grande abatimento.
VINHO tinto de 300 a. garrafa.
VINIIO tinto em cnida de 2,5(0
VINHO branco em caada de 3.500 a
VINHO verde a 4> rs. a caada.
VINIIO Bordeux em caixa a 6.(00, 7,000 c
VINHO de Grave a 6,000 rs. a caixa.
VINHO Cherry a 1,000 rs. a gai rafa.
VINHO do Porto de todas as marcas e lodos
os precos.
VINHO Collares a 800 rs. a garrafa.
VINHO tinto, neste geneio ha constantt ner>- -
te 20 a 30 pipas ao torno de ive sas
qualidades e diversos precos.
VINAGRE em ancoretas a 15.CC0rs.
VINAGRE em pipa a 100, 200 e 240 rf.
VINAGRE branco a 400 rs. a garrafa.
VELLAS de carnauba a 13 e 13,500 rs. a
arroba.
(**
m
da liavana.
Na rua da Cruz n. 4, vende-se charutos de Ha-
vana de diversas qualidades.
3 g-ps
--: c 5; sr > >
_ r> g tS T! H 2
^- 5J a =" X*2
C V.
a
' i
Assim como machinas para serem movidas por
auimaes, que deseurocam 18 arrobas dealgodir
llmpo>'-?or di:.; : uiotores para mover ums, duas,
eutrjs desas machinas.
Os snegtnosero.para vender um bellissimo va-
por que pode" azer mover seis destas machinw
mencionadas ; para o que cnvida-se aos Srs.
agricultores a virem ver e examma-lo, no arma-
sen) de algodo, uo largo da ponte nova n.47.
SauBdm Bpoiliers & C.
X. II, praea do Corpo Saiso
RF.CIFE.
Os nicos agentes ueste paix.
2 S B
c3a?BS.I9
-gil0
- = 7. a o.
2 m T- f* a Ct
& 8 "3 '
o; ^
i'?seii<
) ~ ~ re. *
rl'C
t
c o -
c
^*
S".
I"-
iTBS
I5S
33
C3 t

M
a. -
E
-i
3
Da
oq C S
c !H
s 4
v.
ti
o
25
O A olO ff paa
O T C ; "o" -
o jr m
s % 5:
o c? r
os E
K3-

B
o
co
_'
'o?
E--
p
ti.
s
..

s
Q9
o
DROGARA.
34Rua! larga do Rosario34
BartlioiomoQ Francisco deSouza
Penden:
Acido actico puro p.-.ra retratistas.
Esmaltes para oorives.
Papel para forrar casas.
Guarmcoe a.vellndadas.
Tinta branca superior em lata.
AlvaiadeVecera, 6no,em pies.
&c.
MARA PA
Hara Pa
Mara Pia .
Acaba de chegar pelo ultimo vapor ioglez um
esplendido sortimento de enfetles de cabeca a Mu-
ra Pia, es quaes pela sna elegancia o bom posto
de rada qual o mais bonito nada deixam a desrjar
sendo ireto, rxos, rr de honin e atultinho
seas preces a 2,5500, S, 55, 65,85 e <05 : na
loja do novo rival roa do Queimado n. 16.



Mafd dP*lHJdj.fct^ iitf feini *Mo 4 ftfft-'
AURORA BRILHANTE
GRANDES UM4ZENS
0E
ESPECIAES
libra
Largo da Santa;
Cruz n. 81, es-j_
aina da ra doji
ebo.
9 Largo da Santa
graa n. 8i, es-
cuna da ra da
ssSibo.
O iiovj praprletano do j multo acreditado armazem de molhados denominado Au-
rora uniiianie, continua a ter o mesmo sortimento de gneros de prlmeira qualidade.
A seguate tabella sirrira' a todo* de base para ajuste de contas aos portadores.
Ninhum araz,>m vender" mals barato e mllhores do que a Aurora Brilbante, ja'
pea grande sortimento que tem, ja' mesmo porque seu dono s daseja tirar diminuto lu-
cr quanto clwgue-para accumular asdespezas do estabelecimeato por sso deixe se a-
proaiur, o preprietario ha de fam toda a diligencia, aflm de servir bem os seu* cons-
tantes tregeles.
Lata; com 8 libras dechooricas muito novas,
a 7o.
Oins grandes rom peixe em postas inteiras,
mais.le 12 .jualidades, a iOD0, 1,5280 e
lfiOv.
D.tas :om o | gi leira, a 720 rs.
Jilas con ervilhas novas, ensopadas, a 720 rs.
utas com favas, a 6Wts.
Sitas com araexas a U.200, 15800 e 33300.
Ditas o.ora mirmelada do afamado fabricante
Abreu, a 720 rs.
Oitascom massa de tomate, a 500 rs.
Ditas som figos de comadre, novos, a 15500.
25a25!)0. '
.Ditacom bolachinha desodarauito novas, a
%$ Oitis-iubiscoitinhos Inglezes de muitas qua-
liiades, a 15400.'
" ^ Ckocolate.
(nixinhas com ameias enfeiladas proprias
para mimo a IJdO, 3JJ80D e 3i00.
Chocolate superior muito novo, a libra de
8S0 a 15000.
'I inrr.o, talhariam e aletria amarella, a libra
a4>9rs.
Dito lito dita bra.ni\a, a libra a 109 rs.
jiixas com istralinha, pevide, e outras roas-
sas, a eai*a 3#>.)J.
iuas dita em lihr-; a 640 rs.
>Uu. libra a 330 rs.
ijv.tlin*ia para Ervilcns *aeaas, a libra a 160 rs.
fctas lascascadas, a libra a 200 rs.
'i !) a mait) nova, a libra a 280 rs.
* mi de aramia verdadeira; a libra a
> i r<.
' 11 Miranhii, ensaco, a arroba a
i Vil) -a libra a 80 rs.
> 11 u lo'.i i Iv.i, irrot>a a 3J )0 e a II-
'i 100 rs.
' < i i n de Lisboa a 91300 a arroba e a 320 .
i 'ibra.
1 : I! Santos, a arroba 75000 e a libra a i
! M.
o n 12 ceblas grandes, i USSO.
! : la fraoceza, caixa com 2 duzias a
' > > *0.
?' m c >'n mostarla preparada doi vinagre,
.: i tu r-.
'>> n inervas inglezas e franozas.a
>. i j SO) rs.
I.ios com sal refinado lino, a 640 e a-500 rs.
)itosBoina verJadeira genebra delaranja, a
tjOOO.
)'a>- de 2 garrafas de Hollanda verdadeira.a
640 rs.
Ritijts com dita proprla para negocio, a
WO rs.
iarrafoes r >m 2 galiies com dita, a 6$.
Vinho rerde snperior.
A caada a 35000 e a garrafa a 400 rs.
Gomma.
Saccas de 4 arrobas, a verdadelra de se
eneommar, a arroba a 35000
120 rs.
Sabio rnassa, a libra a 900, 240 e 280 rs.
Farioha.
Saccasgrandescomfarinhale Goianna mui-
to nova, a 55000.
Cafe.
Caf 1* Rio miio uperior, a arroba a 85, |
85300 e 95000.
Gh.
Ch.'emos nestcs gneros o raelhor possivei/
hyson, a libra a 25600.
Dito pe rol a a 35000.
Dito mira a 25700.
Dito hvson muito tino a 2J30O.
Dito redondo a 25300.
Ditopretode primeira qualidade a 25-300.
Dito mais baixo a 25900 e 15600.
Crva mate.
Excellente cha. medicinal, a liljra a 240 rs.
Esperncete.
O masso com 6 vellas le espormacete a 600,
640 e 720 rs.
Passas.
Caltas de 16 e s libras de passas novas pro-
prias para mimos a 4$ c 25300.
Nor.es.
Nozes, a libra 160 rs. e arroba a 45000.
Alpista f painco.
Alpista '. paingo, a arroba 45000 e a libra a
160 rs.
Cartas.
Cartas floas para logar, a duzia a 253'H).
Castanhas..
Castaohas novas -'inia- ne*ta vapor, a arro-
ba 45OOO ea libra a 200 rs.
\zei tonas.
Rarcis -on azaitmas novas a 15300
Mairteifla.
Hanteisa Dita mais alnixo a 15120.
Dita monos superior a 15
Dita fraileen nova, a libra a 4512C
Dita lita em barris e meios ditos, a
15 rs.
Dita para tempero a 400 rs.
Qneijos.
Queijos novos vindos neste vapor a 25800 e|
35000. \ 1
Ditos lonirinos muito novo*, a libra 1
15000.
Pape!.
stv,;, bw. marca, a 500 rs. a garrafa, eai^ ^^ ^^ & rfeBm> aVmoO.
lizo de linho, a resma a bfSOO.
*Oia a i i000.
Viah 1 n asente I JeSMabal, a garrafa a 15-
arrasa unho verdadeiro, frascos a 80C rs. e
a 152D0.
;ha-npa?ne, a duzia 205000, e a garrafa a
85000.
i Mita r'.dna lo portuguez e francez, a garrafa
a 15)00.
Caita d-vinho Borl'inx muito superior,a
75, 3.9$ o 105 a caixa.
Utas com dito hranco. a 75 a caix.
Ditas eomdito lagrimas do Douro verdadeiro,
a 2)5.
'Dita 'ni duque do Porto verdadeiro'a
185000.
1 )..a-i "om cbamisso superior, a 145.
Ditas com Porto velho eoutras muitas mar-
cas a 125-
rVinho do Porto da pipa, a garrafa a 640, 720
e 800 rs.
'Oi'o \p Lisboa muito bom.acanada a 35200,
35300 e 45, e a garrafa a 500 e 560 rs.- _
foitorta Figueira, das segulritCs marcas (.V.)
(J. A. A.) fl. L. G.) (O. M.)'a'caada a
45500, e a garrafa a 560 e 640 rs., (Teste
que jest engarrafado e lacradoeom o
rotulo do armazem.
LOitos dp marcas mais desconhecidas, a cana-
da a 35300 e 45000, e a garraa
520 rs.
.Vinho hranco fino, a garrafa a 640rs.
iDitn de caj mnifn superior '
800 rs.
a480
a garrafa a
Io e pautado, a resma a
Dito dito I
Dito de peso
25500.
Dito deembrulho, Viom a 15 e 15200.
Vinho Madfira.
Garrafas com o verdadeiro vinho Xerez e Ma-1
deira a 15300 e 25000.
Temperos.
Folhas de louro, pim'-nta do reino, cominho
e cravo, a libra a 400 rs.
Velan de carnauba.
Massos cora 6 velas dj carnauba reQnada a
480 rs.
Amen.loas.
Amendoas com casca, a libra a 320 rs. '
Doce.
CaixSes de doce de joiaba, grandes a 15400 |
e pequeos a 640 rs.
Tijolos de limpar.
Tijolos de arear facas a 140 rs.
jjrara.
Dazias de boi5es de grata n. 97 a 25000, e
fle latas a 15000, & os boioos a 240 rs. ca-
da ura, e as latas a 100 rs.
Charutos Gms.
Charutos finos dos melhores fabricantes da
Bahia por diversos precos, caixas e meiasj
caixas.
E grande qaantijade de gneros tendentes
estes estabeleciinentos, que deixam de an-
nunoiar-se.
s3Shi
N. ll--B.ua do QaeimadoN. 11 .
Superiores cortes de seda preta com lindas barras.
Suoerior seda fscobn o-que ba de meUftTr e mais gosto.
Moreantiqae preto muito bonito a 25800,35,35580 e 45 o covado.
Completo sortimeMb de grosdenapli pretb de raoitas quaRdades.
Pannos pretoe casemiras de amias qualidades.
Bournns, chales e los de "renda pretos superiores.
Superiores pelisses esoutembvques de seda para s nhoras.
Bournns de laa para senhoras a H5
Chapeos e chapelinas'de pallra de [talia para senhoras.
Cortos de laj de barras de 145 a 225 de muito gosto
E muitas outras razendas de superior qualidade na loja de Augusto FreJerico dos
Santos Porto aonde tambem se veadem as molhorese mais baratas
Esteiras da India para forrar salas.
K. 11 -Ra do Qaeimado H. 11
G0i\SULT0R16^liiilie0rGmtRGlG0
DR PEDRO
MEDICO,
3 Ra
klw
jmtBo

do Fuidao 3
O Dr. Lobo Moscoso di tmmtHm graw at pfbres todos os das* das "I s I
aoras da manha, e das 6 e Beias S-4ora* it ueile, otcoffio dos dias santificados
thica.
artimento d arteira?
e com os remed
Pharmaem&<
No mesmo cnsul..
tobos avulsos, assim como tintaraso^rjfrts *vaa*mmc5w apelos preces seguintef
Carteirr<'|gmands. 42$t)00
d*24:iateRgfaodtJS, *i00
> dertTforjTjraTrtes. 30^000
de 60 tubos grandes. 35^000
Prepara-so qualquercarteira conforme o pedido que se fizer.
I te se pedir.
m tubo avulso ou frasco de tfntura de meia ona 1/1000.
Sende para cima de 12', custarlo >s precos estabelecdos para as carteiras.
Ha tubos mais pequeos cada nm a 500 res.
LITROS.
A mellior obra da homeopathia, o Manual de Medicina Homenpathioo do Dr. Jahr
donsgraadesvolumescomdiccianapio .... ..... 200000
Medicina domesticado Dr. HVing, ...... .i 105000
Repertorio Jo r.Melio.Mofaes............. 6500('
Diccionario de termos de medicina........... 3#Wfl
^ Os remedios deste estabelecimento sao por demais conhecidos e dispensam portan-
io aeserem novamenttfrecommendadosaspessoasque quizerenvusar de remedios ver-
aartiros,energicos e duradores: ha tudo do inelhor que se pdedesejar, globos de ver-
tiahr|0aS8UCar de19it0' notaveis >ela sna boa conservacSo, tinturados mais acreditados
esiaoeiecimentos europeos,a maisexacta e aecuradapreparaco, e portanto amaior ener-
gas certeza em seuseffeitos. i
Ca% de sak'l*, pira escravos.
ftnora5eCebe"se)Scravos para tratar de (alquer enfermidade ou fazer-se-lhe qualquet
uperacao, para o que o.annunciantejnlga-sesuficientemente habilitado,
fnniv aJ^ameoto o telhor possivel, tanto na parte alimentar, como na medica, e
27?M!1fa c**fflai'de qitatre annos, ha muitas pessoas de cujo conceito se nc
laentes 9Ue p6deri,,scr insultados por aqnelles que desejarem mandar seu?
Paga-sa^OOO po* da dttrsnte'eo dias ed'ahiemdiante I/50.
., s Perac5es serao previamente ajustadas, se n5o se quizerem suieitar aos preco
oayeisiHOitmi pe.r- o anntnciate.
,1
0
NEM COROAS NEM MITRAS
i
GR1IDE 1RHAZE9I
RA DO IMPERADOR W. !
|j JibU a sebradoem qne mera eSr. Osbarne,
Daarte Alnelda da o mals lindo e variado aorUmento de moUbados, prc|iir*
da p rzsente estadio.
Ma^as brascas
Liboritorio eaolo^ico e chimico de F. P. Lebeuf e 0
ra Moutmartre, 31, em Pars.
Fabrica era Argenten!!, prs Pars (Franca).
00MFICA(\0 E FABKICACO
Dos viahos, aguardentes c licores.
VIXH05.Imiticio dos viahos de todas as
craalidades.Eitracto de Hed-te, dose para 230
litros, 1 f. 25,le Oordeax", 2 f., de Poniard 3
.,de Lisboa, f.,do Cataln, 2 f.,de Porto
Xerez, Muscatel, Malaga, dose para 23 ou 30 li-
tros, 4 f.
Substancia para fabricar com o alcool e agua
os vinhos cima e todos os outros. a dose para
500 litros, 50 f. p
CLACIFICACOPs Ingleaes, pos dos vinhos
da Hespanha, da Franca, ete. A libra para 500
litros. 5 f.
colorear
dua
AGL'ARDENTES.-Esseocia de cognac para dar
as aguardentes ordinarias o sabor eo aroma de
cognac. A garrafa para 100 litros, 5 f.
KIRSCH E ABsINTlO.-Essencia de kirsch e
de absintho, para os fazer coro alcoel e agua. A
garrafa para 100 litros, 3 f.
LICORES.^-Extractos para fabricar se lodos os
licores conhecidos sem fogo nem alambique, (in-
dicar-se os que se deseja.) A dose para 20 ou 25
litros, 3 f.
PERFUMES para fabricar-se os licores Bnos ou
communs a dose para 20 ou 25 lilro
, 1 f. 25.
TODOS os outros productos para o trabalho do<
: (.OLURAtAO.-Purpirigine para colorear os vinhos,agurdenles, heores, vinagres, etc., sao
vrnhosbrancos e vinhos claros. As dnas libras fabricados de encammenda.
para 500 litros 16 (. | UTENCIL10S de laboratorio e de chimica.
Alguns de nossos agentes teodo falsificado e nitado nossas preparacoes, e engaado nossos
fregaezes/leve-sj exigir sobre-as roljia* e rtulos as ioiciaes F. V. L. Pars
0 mulo de usar-s) das prepararles acfca-se indicado no rotalo.
As encomraendas devera ser acomnanhadas por urna letra sobre Pars on qualoner outra cida-
m2?2\ V, 'ara1",as Pr nms.eaW!-. inlie-ih.-Wrifrir-se aesSrs. Lebcof & C. chimicos, ra
n\fin, n. 11, e n Par*, om sa* fabiNc em V-^nteml, pros Paris.
i < i u boltea francesa, ra do Imperador n. 38.
Manteiga ingleza
da safra novavinda no ultimo vapor a l.ooo
rs. a libra eem barril a 8oo rs.
Manteiga franeeza
pa safra nova a60o rs. alibra, e em barril
Amendoas
twfeftadas de lindissimas cores a 800 rs. a
libra.
Ameixas
em frascos de vidro cm 3 libras liquido a
20400, muito propios para miraos,
0art5es
com bolos francezesa 500 rs. cadaum.
Latas
com bolachinhas de soda de todas as qua-
lidades a 1)51300.
Chocolates
detodasasqualidadesa 10000 alibra.
Presuntos inglezes
dos melhores fabricantes a 800 rs., tambem
teans velhos para 500 rs.
Queijos flamengos
chegados neste ultimo vapor a 206oo.
Qneijos
chegados no ultimo vapor a 20600 cada um.
qaeijn-
londrino o mais fresco que se pode esperar
e de excellante maree a 800 rs. a libra Charutos Thom Pinto,.
sendointeiro e a 900 rs, a-retaitao.
Conservas inglezas
as -bm novas que se pode esperar a 760 rs. I
o frasco.
Figos
em libras e caixinhas ricamente douradas,
proprias para mimos a 900 e 10200. i
Ch. uxim
o melbor que se pode desejar, que outro
qalquer n5o pode vender por menos de
35 a 20000.
dem perola
especial qualidade a 20700 rs. a libra.
Miin li vsson
o mis aromtico que tem vindo ao noso
mrcalo a 20600.
Sassas araarelias
para sopa, macarrlo, talbarim e aletria a
i80rs. alibra.
COGVIC
j o multo afamado cognacPal Brandy a i,8oo
para sopa a melhor qwe se pode dtttjti
macarlo, talhafim aleiria a 4(( n.
libra e 40500 a caixa.
Vinho
Figueira J A A e outras muilas vareas acre
ditadas a 50O rs. a garrafa.
He de Lisboa
e de outras marcas a 4t)0 rs. a garrafa, f
20800 a caada.
dem do Ferio
generosos engarrafado des melhores fs! ri
cantes da cidade do Porto a 10 e ii( i
a garrafa e de'fO^ *H20 a caia, ana
cas s3o as-seguntes: Chamisso d Fill ^
F. A M., Nctar oa vinio dos Ictn
lagrimas do Douro e outros muito>.
Latas
com iO'libraa de baeba a 40OCO.
Boiahinha ingleza
a 10800 a barrica damesmaque
vendem a 20000 e 20400.
Soaes
as mais novas-de mercado a 12Cr .* bra.
Cervejas
dos melhores febFieantes|e de todas as mai
cas de 40500 a60500 a duzia.
C&ARUTOS ^
Reis e outros en
meias caixinhas a 10500.
Arroz
do Maranh5o a 100 rs. a libra, e da Indis
a 80 rs. a libra, e 20500 a 30000 a ar-
_roBa desses que vendem por 30400.
CAF1
de 1.' e 2. sorte do Rio de Janeiro a 86f
e 80800 a arraba, e 28 a 300 rs. a libr
Garrafes
com 4 y garrafas com vinagre a 10000 tea
o g^rrafao.
m GENEBBA DE LARAKM
verdadeira a 10000 o frasco, e de 11^'
a caixa.
DEM
em frasqueiras de Hollanda a 508CO na.
12 frascos.
A k GENERRA
de Hollanda verdadeira em frasqueira a fo-
rs. cada urna.
PALITOS
os verdadeiros palitos de gaz a 2,2oo a gtei-
e 2o rs. cada caixinha.
LICORES
------------n....... j.v^uimi a i,non uviviics
rs. a garrafa e de ontras multas qualida-1finos de todas as qualidades, a lo,oco a raij.
V l
nm m m pos de sol
rs. a
des a l,ooo e 8oo rs'. a garrafa
3] COPOV
lapidados, para agua a 4,5oo e 3,ooo
duzia, e a 440 e 5oo rs. cada um.
PAPEL
ahnaco, grave, pew e de outras muitas qua-
idades de 2,*oo, a 4,5oo a resma do me-
mo r..
Papel de botica
de eaceilente qaalidado a 20200 a resma,
PAPKIi
Rna Sor* esqnlna da Camboa do Carnao e rua do
Cabng n. 8.
A lirastoria lase estabelecimento o mais importante que existe neste gerero
^niZn'J10135 'l0 nrle d i!"!>,e,'.i0- aprendo que o pablico d^sta provincia goze das azulepacdopara embrulhode 1 4oo a 2 So
vantagens que proporciona a fabricado em grande escala e directa relaco com as mais: rfik.a resma,
importantes rabncas da Europa, faz sciente que resoiveu-se a vender ainda mais barato1
(lo que do .turna como demonstra a seguinte tabella :
i?!
Camas de-ferro
v. | > grande sortimento destas camas na
rm > >va ;i. 33 ; na raasma toja raD*-se. grandes
aurinoO ie ferro forMdo* do paroesfaa tendo
ans ata* e tampr > ferro, rocoaanendam-se a
qn un precisar.
.-----_..
Descont em duzia.
20
%
7o
7o
Chapeos de sol de panno a 20000.......
armic'o de baleia a 20500 .... 10
lS a 0,\.,'le.seda armiCo de ac in?lez de 20 pollegadas
40 de i 50, le 26 30500 e de 2S 00 ..... 15
Chapeos de sol inglezes a balo 12 varetas, cabos muito ricos e
seda superior de i\ pollegadas 80, de 26 90. e de 28 100. 15
dem. dem a tanto de 16 varetas patent paragon de fox de 24
pollegadas 110, de 26 120. e de 28 130...... 15 o/0
Asm de muitas outras nulidades de chapeos de sol que existeaa,na.mesma casa
como sejam dealpalsa, ditos debrim de linho. etc., etc. ha tambem de seda e de panno
ae toaos os tamanhos e feitis, os quaes sao t3o vantajosos como o-arinoneiados, ha
sempre um constante sortimento de bengalas, chicotes, cachimbos, cutilaria fina aar-
masdecaca, os quaes vendem-se talmente em porcao e a relalho, notando porm
que o comprador por atacado ter sempre um descont razoavel, afim de poder reta-
lnarpeio preco que o estaoelecimento retalha.
N. R. Os objectos comprados era awnos de urna duaia serSo considerados como
a retalho.
Oriatiias
ADMIfiAVEl PECHINCHA
CHAldlS DE KEMDX PtiETO^
a 16^000 cada um,
Cassas or^andjs de eores a tSOrs. o covado.
A' roa de Crespo numero 17,
LOJAD
Jos Gomes Villar. "
*
GOMMA NOVA.
Em paaeiros muito rita 4;ooo rs. a arroba e 16o rs. libra e compren-
|jlo_(ejini.pineiro para cima se far abatimenlo na rua do Imperador o. 40.
cfcmts
No ariMitim da viuvr Paia Lopes, de fronte, do
embargue n escadiab^, vendam-se cetwlas as me-
Ihoii do m>.rado, aoi caita e canto, o mals bo-
rato possivel.
avariado.
Francez arriea 5JOO0
Portland dem 8#B00
Era perfeito estado! )
Francez barrica i 10J000
Portland dem 12*800
jPo arraazem de Tasso IrmSos caes do Apollo.
Fio de algodSo da Babia.
Vendis no escriptorio do Antanio Lult de Q|j
veira Azevedo 4 C, rua 44 Crnz n. 1,
mm\mk m igih
Madapolao muito fino com pequ*n.'t )r]ue de avaria, p>r prano ^
elumoa b raa da Crespo n. 13, Antonio Uorrea de Vasceneel
I
*#ralra : na toja
celos & C.
Pan^irlfhas muit0 aovas I"*! P"
poma a8oo rs. a libra.
Fama
^^afeamericai;oemch^a
Viaagre'
PISSS5?reta8de 9 caoadas a"'rs-
OeMas
aSeS^rroemX0?7^OJS-acafaa
. Alista e lnw
CtSOSJAS
mar^V'im? ec"**M raado^Qoe:-
ttfeOOE Mea
mu.to.oo,*30|<)8arroba140rs; ai-
boira wa oQutm^ ^ 7 raa 1
^^ I* dnrmoS. t.
?rUgfaaoX0'nU,a9dft,rBWad0rn":4*<
com urna duzia e a l,ooo a garrafa.
Marmelada
dos melhores fabricantes d Lisboa, coiro se-
jam Abreu e outros muitos a 6oo rs. *
libra.
Pregunto .
aeiidbrdaer pre7Unl deLaego a 52o rs.
u ARROZ
Maranbao, Java e India, a loo rs. a libr, r
de 3,000, a 3,2oo rs. a arroba.
VELAS
de espermacete de diversas marcas a 56o n
a libra e em caixa ter abatimenti-.
VELAS
JSIT1?em Caixas de rtlia a9,3<< ,
caixa e 34o rs. a libra.
aatas novas
*Yibra8 2 3rr0baS a 5 Pastas aiiit B0Ta(
eni quartos e inteiros a 20 o quarto e 6b( c
a caixa e 400 rs. a libra,
nn hoeolaie
a-Sscw o ei, i-.
outros muitos a 640 rs. a lata 8 J
a 600 e!0 ocaixt.
. GOMMA, MUITO 1Y0VA
em,atasdedeffereBesq0eLadeKai,2co
chegadosDQeai^^^
40 ^ JLtl^O* ta|n#r r.
Os fToprietario* o^ande armaren! o-YeSSEf .
fAlrSLEO DE Ll^OA
fsrnisilk'tt swnes a 500:
Marca l
na rua do Imperador o 40.
A---------1
______
I
y iB
VIG WE S ''- t* *>
OBaianwdto?^^ *^A DO IMPERADOR -!.*.
n SS^rSSS,Jbnttk S5.? h0je as^1 ^hecMS para qne seja wcassario sistr ka* a
^^t^tX^^^S^^^9^!"1 art?' compradores, qualidades estas !
teis que elles tem
L ?ainSo nai
tf-pla*. deS.rt.vmen,e conqnistado, sobre todos os que tem apparecido DeaU,ra.7od.
Vf.ih-n.nn. wcjifmsmo qne obedeoem todas as vontades e caprichs daa eianists m.
SosS r/iiLTi" ^3doa de mmito, e ter-w feko ltimamente melhorawantos impoSl
? l^n?.?" este.*'^ y Vnto s rozes sao melodiosas e flantada, e por ito awito-asnB>v
Tais aos ouvla?s dos apreciadores. 'r
Paaem^se conforme as enooiameadas, Unto nesta-fatrh como nado Sr, BtoneLd Pa*',. ,n, !f
omsponacnte de j. Vi|Tje,em cuja capital foram sempre premiados am todas *s exp*ier> '
No mesmo estabelecimento se acha sempre nm explendjdo e variado sortimento ^ a
elhores autores da Europa, assim como harmnicos 9 pianos harmnicos, sendo 'n "Lirtr nrf
grecos cotnmooi e raioaveia, r ua yeiioiac por
/
-.
/
iLEGrva]


\
/.
brk) de PfrnMihHC tterta letra e

Adndrem
Admirem
Admirem Bemll
As pechiaehaa que esto venda na loU ama-
zem do Pavlo, na ra da Imperatriz S, 60 de Ga-
ma Silva, ondff se veodem lodas aVlSteada?,
tanto de laxo cmo de prlmeira nnnettsldade por
precos multe raroveta e convaaptaliaaaa. as-se-
guimes, daodo-sa amostras detxando licar penhor,
ou mandao-se levar em casa das familias pelos]
caixeiros da mesma loja.
Mgodioziaho d ParSo.
Vendem-se pegas de algodozUrb marca T, rani-
to largo, proprio para lences e loaWtas, toado 24
jardas pelo baratissimo preco de 65 a peca ; dito
largo cora viole jardas a S, pechmcha por ser
fazenda que se vende em otra qaalquer pTrte
por 105 e 12, isto na toja do-Vao, -ra -da hn-
ratriz n. 60 de Gama 4 Silva.
Madapoln infestado a A&, 4#3M e itfftOO.
Vendem-se.pecas de madapoto entestado cora
12 jardas pelo baratissimo preco de 45, 45900 e
55, ditas sem serem entestados de marcas muito1
acredrtaaa* > 75, 85, 95, >e405, ditas, rancez
multo encornado proprios paranoias a*80pisa
vara, isto na laja do Pavo ra da Imperatriz n.
60 de Gama & Silva.
Grande peebineba.
CHHas a 210 ris o covado.
Os 75600 a peca t o Ptao.
Vendem-se chita* inglezas de superior qualida-
de, aflancando-se as cores aerern Qxas, cora omita
diversidade de padrdes, pelo baratissimo preco de
220 rs. o covado, ou 75600 a pega tendo 38 co-
vados, sendo fazeada estaque sempre se veadeu a
280 rs. o covado en 40j -a pega, chitas largas a
280, 320 e 360 rs, na loja do Pavo, ra da Impe-
ratriz o. .60 de Gama& Silva.
Corles de eWti franeeza na loja do Patio.
Veadera-se cortes de chita fraaceza, cores ti xas
com 10 covados a.85, ditos com 11 covados a
."55300, ditos com 12 covadosa 35600, ditos de chi-
ta iogleza a 25290,25400 29600, isto na loja do
Pavo ra da Imperatriz n. 60 de Gama & Silva.
Cassas Fraaeexas a 30O, 320 e 360 na loja do
Patio.
Veadem-se cassas franeezas mnito finas, de co-
res finas pelos baratos pregos.de 300,320 e 360 rs.
.) cavado, pegas de cambraia com saleicos de cor
teolo 8 l| varas a 45, ditas' salpicos brancos a
a 25500 e 35, ditas adamascadas para cortinadas
a 45, na loja do Pavo ra da Imperatriz n. 60 de
Gama & Silva.
orte* a Maria Pa,
Grande pechmeba a 50000 e 60000.
Vendem-se os mais bonitos cortes para vestidos,
sendo de cambraia branca com as barras e enfeites
bordados, de cor crox, pelo baratissimo prego
de 55, ditos do rnaeoo goslo mais sendo de cores,
pelo baratissimo prego de 65 cada um, valendo
esta fazenda dobrado dioheiro por ser a mais mo-
derna qne lenwiad'9 mereao, isto na loja do
Pavao na ra da Imperatriz n. 60 de Gama &
Silva.
Grande pichincha a 80000.
Vestidos de lia a Maria Pia.
Vende-se um bonito sortimento de vestidos de
la cora barras bordadas M-*ria Pia com as com-
petentes eafeites para orpo, pelo -*aratissimo
prego de 85 cada.am, ipatacha por ser fazeada
que sempre se vendena 125, e por ler chegado
urna nova e grande pergae, resolveram-sa a fazer
psie grande abatimento na loja do Pavo, ruada
Imperatriz n. 60^de Gama.& Silva.
Vestidos Brancos.
v*endem-se os mafe reos enres de vestidos de
cambraia branca pamanasamente botdados, pelo
barato preso de Li>. 16| e 20j*na loja do Pavao,
ra da Imperatriz n.60 de Gama & Silva.
La garibaUiaa a 400 ris.
Vendem-^a as mais modernas lazinhas transpa-
rentes, com listriBhas njlndinhas, pelo baratissimo
prego de 400 rs. o otm, ditas enfestadas, cor de
havana, com listras diferentes, sendo das mais mo-
d-rnas e milito encorpadas a 500 rs. o covado : na
lja do Pavo, ra da Imperatriz n. 60, de Gama
A Silva.
iraude pechlachi, vestidos a
30&OO.
Acaba de chegar um bonito sortimento dos mais
lindos vestidos transparentes, muito proprios para
passelos e bailes, por serem de primorosos dese-
nlio?, sendo todos a-padaoes tecidos e nao pinta-
dos, e vendem-se pelo baratissimo prego de 35300,
sendo razenda que val muito mais dinheiro: isto na
loja do Pavo, ra da Imperatriz a. 60, de Gama &
Silva.
Lazlahaa a 40 ris.
Veadem-se as aaais modernas lazinhas trans-
parentes, proprias para vestidos, tanto de,qnadri-
nhos como de listras, com as cores muito bouitas,
pelo baratissimo prego de 240 rs. o covado ; ditas
com palminhas de seda, padrdes mnito banitos, a
320 rs. : so na lojaA) Pavo, roa da Imperatriz
n. C0.de Gama Suva.
Fazeadas pretas.
Vende-se grensdeaaples preto a 1*280,15600,
15300 e 25 al 45, superior raearaalique prelo a
35, setim da Chioa, nova fazenda toda de la, pro-
pria para lato, com 6 palmos de largura, a 500,
560, 600 e 800 rs. covado, e nutras militas fa-
zeodas proprus para loto : na loja do Pavo, ra
da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Cirosdenaples de cor a IgSOO.
Vende-se superior grosdenaples cor de caf, pro-
prio para vestido, sendo multo encorpado, a 15600
o covado : na loja do Pavao, ra da Imperatriz n.
60, de Gama & Silva.
Casera i ras a &6O0.
Vendem-se casemiras garibaldinas de quadn-
nhos e lizas, proprias para caigas, palitos e coletes,
pelo barato prego da 1*600 o covado, assim como
calcas, palitos e coletes j feitos das mesmas: na
loja' do Pavo, ra da Imperatriz n. 60, de Gama &
Silva.
Grande soriimeat de roa feita.
Vndese na loja do Pavo um grande sortimen-
to de roupas feitas, constando de palitos de panno
preto, sobrepasados, ditos saceos, ditos de casemi-
ra, saceos e sobrecasacos, ditos de Jjrim branco e
de cores, ditos de casineta, caigas de casemira pre-
ta de todas as qaaWdades, ditas de cor, -ditas de
brira de linho braoco e..de todas as ores, coletes
de brira, casemiras, s das estas bras vendenvse por prego mais barato
do que em o*ir qulquer parte : na loja do Pa-
vo, rna da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Chales e manteletes de renda
Vendemae es itoHB>8al 4ederBes cha-
les e manteletes de renda, chegados pelo ultimo va-
por da Earopa, por preco muito razoavel : na loja
do Pavao, rna da Imperatriz n. 60, de Gama &
Silva. i*
Soulembarqws de,er
Vndemeos mato modernos soutembarques de
cor, eamanAe eoleilado^e por barajo prego.:., na
loja. do Pv*^-ua. da,Imperalriz.n, 60, de (Jama.*
Silva.
Capas pretas e s es.
Atten$o.
Baieait pretas para a quaresou por
-p#r aaratissima preca, ia laja e ar-
aaiem da Arara, roa da Imperatriz
a. 56.
'Lonrefipo Pereira Mendes Guimares.
O propnelario deste estabelecimeato retira-se
para a Earopa a tratar de sua saude, porm antes
de retirar-0 baratiasimo (eco para fechar comas; agora fre-
guezes vende-se grosdenaples preto muito bom
para vestidos, a ljROO, 25 e 25300, dito de 5 pal-
mos de largo, a 35 : na ra da Imperatriz loja da
Arara a. 56.
Meui-aatique preto a 30.
Vende-se meurantique preto para vestido a 35 o
covado, grosdenaple muilo largo e encorpado a 35,
25500, 95 e 15000 o covado, alpaca pret para
vestidos e palitos a 300,600, 700 e 800 rs. o cova-
do, sarja de la para vestidos, caigas e palitos a
640 aua-rs. o cov*do, la preta para vestidos a
640 rs., bourtaziaa preta para vestidos a 15280 o
covado : ra da Imperatriz loja da Arara n. 56.
Ricos vestidos a Mara Pia a 120.
Vendem-se ricos vestidos a Maria Pia a 105,
HfcJ*5,165 : rna da Imperatriz loja da Arara

M PUBLICO
l
Sem oueaof constran-
gimento se entregar o
Importe do genero que
5o agradar.
ATTENCAO
Os presos da seguate
tabella para todos, po-
denco aaslm aervir de ba-
ae para o ajuste de con tas
eom os portadores.
a. 56.
Arara vende pecas de panninuo a 50 e de
RA DA CADEIA DO RECIPE N. 53
(Logo passando o areo da C'onceice)
PARA BEM DE TODOS,
Senhores e senhoras, o aceio que presidio aos arratijos deste novo estabelecimento, e mais que ludo a promptido e intei-
, reia tUu. que sero tratados, convida a urna visita ao mesmo, certos de que sem duvida me daro a prolecco e preferencia na com-
Vendem-se pegaldi'^nnfnho muito f.no de 12 pra dos gneros -que precisaren), e quando n3o possarn vrr podero mandar seus portadores, anda que estes ejam-pouco praticos,
dapoio infes- pois sero tSobem servidos como se viessem pessoalmente, havendo para com estes toda recommendaco, afim de quenaovoem
Carta chorographica
DO
THEATAO DA GUERRA.
Acba-se exposu a veoda, u> K j,..- al>aixo men-
cionad is, a carta chorographica do thealruda guer-
ra dos Estados do Sul da America Mendiinal, ron-
lendo as plantas do Paysand, e do b!-jqucio e cer-
co de Montevideo. Ella tornae reccn nao s pela lacuna que veio preeurlier, como pelo
esmero do trabalbo lythograpbico.
Vende-se pela mdica quanlia de ;0f0 as livra-
rias dos Srs. Noguein, ra do Crespo; < do Sr.
Cardoso Ayres, na daCadelado Recile, assim como
as tojas da Bxposicao de Londres e na lyibogra-
phia do Sr. Carlos, a mesma ra u. 52, < na loja
do Sr. Cardozo de Almelda, rna da Crnz.
Irritado dos polmoes. angi-
nas, tosse, escarres de
sangue, crupo ou garro-
tilho, catarro, rouqnidno
e todas as innumeravei molestias que affec-
to aos orgos da respirarlo
DESAPPARECKH
mediante a accao da balsmica e rresislivel
reza com
jardas a 55, vendem-se pegas de ma__,
lado a 45 e 45500, vendem-se pecas de madapQlo
de 24 jardas tora a 65, 75, 75500, 85, 9#. 10*
i .*' vnentl,>m-se Pecas de algodosinhe a 55, 65,
'5, e 85 : ra da Imperatriz n. 56.
Arara vende os balees a 20500.
Vendem-se baldes de arcos de todos os lmannos
a 25300, 35, 35500 e 45: ra da Imperatriz
n. 56.
Lazinhas da Arara a 320 rs. o covado.
Vendem-se lazinhas para vestidos de senhoras
e meninas a 320, 400 e 500 rs., ditas lizas de to-
tas as cores a 400, 500 e 560 rs. o covado. cassas
finas para vestidos a 320", 360 e 400 rs. o covado :
ra da Imperatriz n. 56.
Chitas da Arara a 240 rs. o covado.
Vendem-se chitas decores Qxas a 240 e 280 rs.
o covado, ditas franeezas finas a 320, 360, 400 e
500, preclara para vestidos a 500 e 560 rs. o cova-
do : ra da Imperatriz loja da Arara n. 56.
Liquidago de soutambaques e 15azinhas a
70, 80 e 100.
vendem-se soutambaqnes de lazinhas para se-
nhoras a 75, 85, dita de alpaca branca a 105, ditas
muito finas degrosdenaple preto a 205, 255 e 305,
capas pretas de gresdenaple fino a 205,255 e 305,
manteletes pretos de grosdenaple a 205 e tlfc go-
liohas para seohora a 240, 320 e 500 rs., mangui-
tos com gola a 15, camizmbas para senhora, 25,
e 35, ditas muilo finas bordadas a 45500 : na loja
dobarateire-da Boa-Vista ra da Imperatriz loja
da Arara n. 56.
Cortes de .ditas Anas a 20400.
Vendem-se cortes de ditas com 10 covados por
25400, ditos de dita franeeza a 35200, corles de
cassa franeeza fina com 11 covados, por 35, ve"
dem-se pecas de cambraia branca lisa a 35500,
*5300, 55500, 65 e 85 : ra da Imperatriz n. 56.
Liquidaco de roupas feitas palitos a 20.
Vendem-se palitos de bnm de cor a 25, 255C0 e
35, jaquetoes de brim pardo a 35 e 35500, palitos
de casimira bera feito a 55, 65, 75,85 e 105. di-
tos de paono-prelo bom a 85 e 105, ditos sobreca-
sacos de casimira de c5r e preta e de panno a 125,
145,165 e 205, calca de brim decr a 25 e 25500,
ditas brancas de linho a 35500 e 45, ditas de ca-
simira de cor 45,65 e 85, pretas a 55, 65 e 85,
colletes de casimira de cor e preto, de brim de cor
a 15500, brancos a 25 e SOoiO, ceroulas feitas a
15280, ditas finas a 15600 e 25, camisas franee-
zas a 25 e 25500, ditas inglezas de pregas largas a
35, de linho a 35 e 35500, colerinhos econmicos
a 640 rs.a duzia, ditos de linho a 500 rs, um : na
ra da Imperatriz loja da Araja n. 56.
Arara vende as cobertas a 20.
Vendem-se cobertas de chita finas a 25 e 25500,
ditas de damasco a 45 : ra da Imperatriz n, 56.
E' na Arara que -e vende cortes de casimira
preta a 30.
vendem-se cortes de casimira preta para calca a
M. 35500, 45500, 65 e 85, ditos de cr a35,
45oOO e 6$ : ra dalmpcratriz n. 56.
Com toda attencao.
O propriotario da loja e armazem da Arara, est
resolvido a vender as fazendas de lodas as quali-
dades,por barato prego afim de se apurar dinheire
na loja da Arara n. 56, de Lourenco Pereira Men-
des Guimares.
MadapolSo fino.
Vende-se madapoto com 24 jardas n. 3 a 55,
n. 30 a 65, n. 2 a 75, n. 40 a 75400, n. 6 a 85,
n. 5 a 8a, marcas esm 85500. Rll 95, Blephaute
105, ZZZ 115 : ra da Imperatriz o. 56, loja de
Mendes Guimares.
Arana vende casemiras unas a 20500 o co-
rado.
Vende-se casemira preta e azul com listas tendo
duas larguras polo baratissimo preco de ,25500 o
covado : na ra da Imperatriz loja da Arara n. 56,
de Mendes Guimares.
Cortes de ch'ta a 20400.
Vendem-se cortes de chita com 10 covados a
25400, ditos a 25^00, vende-se tambem chitas in.
atezas a 210 e 280 o covado, ditas franeezas a 28U
300, 320, 360 e 400 rs. o covado : s Arara, de'
Mendes Guimares.
Liquidaco de soutembarquesde cores
a 65, 5, 85 e 105, ditos pretos a 185, 195, 205
e 235, capas prelas de grosdenaple a 205, 255 e
305, manteletes a 185, 205, 225 : na ra da Im-
peratri: n. 56, de Mendes Guimares.
Cortes de cambraia de cores a 30.
Vendem-se cortes de cambraia de cores com 7
varas por 35, cambraia branca a 35500/ 45,
455Q0,55, 65 e 85 a peca, alpacas de cores a 320
o covado, cambraia de cores a 320, 360, 400 e
440 o covado, lazinhas muito finas lisas a 400,
500 e 560 o covado, lenco; de linho a 400, 500,
640 e800 cada.um, aberturas de wquio de linho
linas a 15 cada urna : isto s na Loja e armazem
da Arara,, de Mendes Guimares.
Vende-se chales de merino liso a 40500,
ditos esiampados a 5)500, 65 e 75, g'ollinhas para
seohora a 320,400 e 500 re. cada urna, golas e
punhos a 800, manguitos e gola a 15 cada urna,
aamisinbas para senhora a 25 e 45, ditas muito
linas bordadas eo gtavattnhas a 45500 e 55,
meias de seda para seuhera a 15500 o par, ven-
derse faoialio com 12 jardas a 55, peca de mada-
polo enfesiado a 45,.45300 : s, Arara n. 56, loja
de Mendes Guimares.
R'rcs corts a Maria, Pia.
Tendem-se os mais bonitos cortes a Maria Pta a
85, 105,125, 145 e 165, ditos mnito finos a 185:
na rna da Imperatria n, 56, leja da Mendes 6ui-
maies. ,
Corles^ casemira Gnas
Vendem-se corles,da casemifa,de cores a 3>,
35500,45, 55 A. T> casemira gara covados^
^7TT^ r- .,,.__ m^iai, 0, ota a iit, cadenilla caa biimuj.
VenTJfem-s as mats modernas Mpaspretas lisas, JJJg- ^^^ ,#J40 e 3 dUas de mais qaa|iaa.
e bordadas, os mais bonjtelndBtemltaWfaes pretos e [ da>.fina6 t a^afo ovade, cortes oe ganga de
manteletes, tudo de sd*ipWia-e>*fBU de mais
gosto no mercado, por pwgas muito, em conta :
na loja do Pavo, roa da ttperatrjz n. 60, de Ga-
ma & Silva.
Enfeites #Mfa pabe^a.
Vendem-se os mais lindos enfeites para cabega,
'I II
ZOleo i& ^Uxiia -
Compoeto da substancias vegetes xpUcas, elle
contnbue poderosamente, cora a agua aa.. IflQ;
rida a torca, a belleza e a conservaco dos.cabel-
In, T C ,.'11
los.
Km Paria eaja.de Gnttanrm, ta rna de Redil-
lie n J4,*pale(M*d,'MQDJ'
XoiMM (tMtM nao H
clre prateado da casa.i
De^ealt rna fe Inteefafe plwu nica b. 38.
|>cW.9ll0'
cor a 1500 15800, gangas para ovados a 490,
50Q e 560, bnmziflhos.a 280 o cayado, brim pardo
a ^WQ, 9i*),J. UOOa vara^rim branco de
linho siftdOf, trMO, 1J500,15800 e 5 a vara,
camisas franeezas para hornera a *5, %'-40 e
25W0,ditas de pregas largas.de linho a 35fiO(U
utra fiUe.
Manteiga ingleza especialmente escclhida a
l.ooo e 800 rs. a libra e em barril se faz
abatimento.
dem franeeza a mais nova do mercado a 96o
rs. a libra e 900 rs. em barril ou meios.
Cha hysson de superior qualidade a 2,600
rs. a libra.
Cha perola o mais superior do mercado a
2,8oo rs. a libra.
dem hysson muito superior em latas de .5
libras muito proprio para negocio a 2,000
rs. a libra.
dem hysson nacional em latas de 1 e 2 li-
bras a l,6oors.
dem preto o que se pode desejar neste ge-
nero a 2,000 e 2,2oo rs. a libra.
Linguicas muito nova*a 800 rs. a libra e em
barril se faz abatimento.
Chovtricas e paios a 800 rs. a libra.
Costelletas inglezas a 64o rs. a libra, serve
para temperar panella ou para fiambre.
Queijos do reino chegados neste ultimo va-
por a 2,2oo rs., ditos de navio devella a
2,ooo rs.
dem (endrinos muito frescos e de superior
qualidade a 800 rs. a libra.
dem prato a 800 rs. a libra, e inleiro se faz
abatimento.
dem suisso o mais superior que tem vindo
ao mercado a 64o rs. a libra.
Ervilhas e favas portuguezas j preparadas
em latas hermetieamente lacradas a 64o.
Feijo verde mnito superior a 640 rs. a lata.
Copos lapidados para agua a 5,ooo e 5,Seo
rs. a duzia.
demidem para vinho a24ors.,e2,4oors.
a duzia.
Chocolate francez hespanhol e suisso a 9oo,
l.ooo e l,2oors. a libra.
Espermacete superior a 600 e 64o rs. a li-
bra e em eaixa se faz abatimento.
Peixe em posta em latas hermticamente la-
cradas e das melhores qualidades de pei-
xe a 800, l.ooo e l,2oo rs.
Vinho Bordeaux das marcas mais acredita-
ANACAH
Aletria, macarro e talharun a 4oo rs. a li-
bra e 6,000 a caixa.
Massa para sopa : estrellaba, pevide e rodi-
uha branca ou amarella a 64o rs. a libra e
3,5oo a caua com8 libras.
Vinho do Porto muito fino proprio para
engarrafar, em ancoretas de S caadas a
35,ooo rs.
Vinho em pipa: Porto, Figueira e Lisboa a
32o, 4oo, e 3oo rs. a garrafa, e emeanada
a i\ooo, 3,ooo e 3,8oo.
Vinho branco de Lisboa de excedente quali-
dade a 4oo e 5oo rs. a garrafa e em cana-
da a 3,000 e 3,5oo.
Vinho branco para missaemcaixasdel du-
zia a 8,000 e 680 rs. a garrafa.
Vinho do Porto das melhores marcas que
vem ao mercado orno sejam: Lagrimas
do DouroyDuquedo Porto, Rainha de Por-
tugal, Duque genuino, D. Luiz I, Madei-
ra Secca, Malvazia fina a 16,000,15,ooo,
12,ooo e ie,000ia caixa com 1 dnzia e9oo,
l.ooo e l,5oors. agarrafa.
Vinho Cherexde superior qualidade a 16>ooo
a duziae l,5oo rs. a garrafa.
Sardinhas de Nantes a 4oo rs. os qoartos e
64o rs. as meias latas.
Bolachinhas inglezas muito novas a .5,000 a
barrica e320rs. a libra.
Bolachinhas de soda em latas de diversas
qualidades al,800 rs.
CartOes com bolo francezimuito proprios pa-
ra mimo a 64o rs.
Passas muito novas em caixinhas enfeitadas
para mimo a 3,ooo rs.
Passas de carnada a 8,000 a caixa e 4oo rs.
a libra.
Figos de comadre a 24o rs. alibra.
Amendoas de casca mole a 4oo rs. a libra.
Milo de amendoas a 5oo rs.
BolacMoha d'agua e sal, da fabrica deJoao
de Brito no Beato Antonio, tm lata de6 li-
bras por % 5oors.
Ameixas francezis em fiafco de vidro com
lampa do mesmo, a l^Sco.
das que vem ao nosso mercado a 7,ooo e Ameixas franc< zas em caixinhas de diversos
8,000 a caixae6io e 7oo ris agar-
rafa.
Genebra de Hollanda a 48o rs. a botija de
conta certa.
Frasqueirasde genebra de Hollanda a 6,800
e 64o rs. o frasco.
Genebra de laranja verdadeira em frascos
tamanhes com bonitas estn pas na cai-
xa exterior, a l,4oo, 1,60o, l,8ooe 2,ooo
cada nma.
Sal refinado em frascos de vidro com lampa
do mesmo, a 5oo rs.
Cerveja branca das marcas mais acreditadas
que \cm ao mercado, a 5oo, 56o e 64o
a garrafa, e 5,800, 6,000 e 6,5oo a du-
zia.
Cevadinha de Franca muito nova, a2oors.
Charutos do alTamado fabricnte Jos Fua-
do de Simas, das seguintes qualidades:
Exposicao Normal de Havana, Imperiaes,
Londnnos, Guanbana, Parisienses, Sus-
piros Delicias, a 4,000, 4,5oo, 5,ooo,
6,000 e 7,000 a caixa ou em meias.
Charutos finos de diversas marcas e fabri-
cantes, como sejam: Flor do Norte, Ma-
nilbasde Havana, intervallos,Vencedores,
Panatellas e Suspiros, a 2,ooo, 2,oco e
3,ooo a caixa.
o gnac inglez das melhores marcas, a 800 e
l,2oo a garrafa.
Doce da casca de goiaba a 2,ooo a lata com
4 libras.
Farinha de araruta verdadeira a 32o rs. a
libra.
Matte.excellente cha para os navegantes, a
2oo rs.
Sebollas de Franca muito grandese novas
a l,8oo o cento e 1,2oosolas.
Palitos do gaz a 2,2oo a grosa.
Toucinho de Lisboa muito novo a 32o rs. a
libra e8,5oo a anoba.
Banha de porco reflnada a 600 rs. a libra.
Bolachinha Alberto, as melhores que pre-
sentemenletem vindo ao mercado, a 2,ooo
a lata.
Farinhado Maranho muito alva e cheirosa
a 2oo rs. a libra.
Frascos com fructas em calda de diversas
qualidades a 2,5'oo e |,8oo o frasco.
Caixinhas com hucia em doce secco de di-
versos tamanhos, muito proprias para
mimo, a l,Coo, 2,6oo e 3,ooo cada urna.
Ruibos, excellenle peixe portuguez, em
barris pequeos ou a retalho, a vista se
far o preco.
Azeitonas de Rivasem ancoretas grandes de
8 garrafas por 600 e 800 rs. a garrafa.
Azeitonas porluguezas a 5oo rs. a garrafa e
l,5oo cada urna ancorela.
PEITORAL de
a anacahuita mexicana que d o nomo es-
pecial este incomparavel remedio, una
arvore, cuja madeira por muito lempo se
ha usado no Tampico para a cura fermidades cima mencionadas. F< i lam-
bem ensaiada e approvada pela academia
medica deBerlim. Opeiloral deKemp
um xarope delicioso inleiramenlo livrede
opio, acido hydrocyanico c outros ingre-
dientes nocivos.
A' venda as drogaras de Caors & Bar-
boza, Bravo d- C. e em todos os eslaheleii-
mentos pharmaceuticos do imperio.
Vendem-se no Recite em casa de Caors &
Barboza e Jo3o da C. Bravo & C.
Azeite doce refinado hespanhol ou portuguez Champagne da melhor qualidade que vem
a Ooo rs. a garrafa e orooo a caixa. ao mercado, a 2,ooo e 3,5ooa garrafa, e
Batatas muito novas a 80 rs. a libra e2,5ooj. 24,000 e 26,eoo o gigo.
o gigo com 36 libras.
grandes a l.ooo el 1,000rs. a frasqueira. I Conservas inglezas a 75o rs. o frasco e
Caf do Rio de 1* qualidade a 28o rs. ali-
bra e 8,5oo rs. a arroba.
Caf do Cear muito superior a 24o rs. ali-
bra e 7,5oo rs. a arroba.
Arroz do Maranhlo de Ia qualidade a loo
rs. a libra e 2,8oo a arroba.
dem da India a loo rs. a Hbra e2,8oo a
arroba.
dem de Java a 80 rs. a libra e 2,4oo a ar-
roba.
Paincoe alpista a 14o rs. a libra e4,eooa
arroba.
Massa de tomates de superior qualidade a 64o
rs. a lata de urna libra e56o rs. a reta-
lho.
8,5oo a duzia.
Vassouras de esoova para esfregar casa a
4oo rs.
Nozes moito novas !6ors. alibra.
Molho inglez em garrafa de vidro com rolha
do mesmo, a 16ors.
Mostarda ingleza dos melhores fabricantes,
a 800 rs. o frasco.
Mostarda franeeza em potes j preparada a
4oo rs. o frasco.
Lentilhas franeezas, excedente Iegume para
sopa, a 2oo rs. a libra.
Marrasquino de Zara propriamente dito a
I La garrafa e 11,000 a duzia.
Palitos de dente a 14o rs. o maco.
Gomma de engommar muito alva a 12o rs.
a libra.
Figosem sextinhas a 80 rs, cada urna e 72o
rs. a duzia.
Papel azul para botica a 2,000 a resma.
Balaios para roupa suja, grandes epeque-
nos, per diversos precos.
Amendoas confeitadas a 64o rs. a libra.
Latas com fructas em calda: pera, pecego,
damasco, rainha Claudia e cereja, a 800
rs.
Vinagre de Lisboa a 2oo e 28o rs. a garra-
fa e a l,4oo e 2.000 rs. a caada.
Azeite doce de Lisboa a 4,8oo rs. a caada
e640 rs. a garrafa.
Vinagre branco j engarrafado a 000 rs. a
garrafa.
-"w
botica e drogara i fl0 armazem de fezendas ba-
Barluolorneu Franessco de bauza i t.
31Ra larga de Rosario3 i
1 35,'* r$jY6KM memores balSes'crnolmas : :%&800e 35 cada urna-
nai^Ta^rnadatmperatritn. 0. grande sorlimaate da.eot>aa& aUas de to-
das as qualidades,
;J5Vendem-se paletn de brim de cores a 15, |a-
,qaeiue a 35 o 3AJ00, paletats de casemira a 55,
65,75> e 10*, ditos de panno preto a 55500,
ditos a 65, ditos finos, a 85 e 105, ditos sobreca-
sacos panno pre a Vtf,: ditos de cor a 445, "t-
tos pretos a lo* e 405, ditos mnito Anos .* 215,
calcas de brim braayeo de liaho a 35 e 35500, di-
tas de aJgodo a 25, ditas de ganga a 25J00 e
256OO, 15800, cobertas de chita a 25, ditas mnito
Anas a 25-500, ditas adamascadas a 45, princea
preta do oordo a 800 o covado. dita de listrinhas
Vendem :
I'iluluslllloway.
Plalas doDr. Laville.
Pilulasdo Dr. Alian.
Pillas do Pobrehomem
Pilulas americanas.
Pilulasvegelaes.
Pilulasvegetaes assucaradas de Kemp.
salga de Brislol.
Remedios do Dr.hable.
Elexir de Pepsina de Griraaalt.
VinhodSalsaparrilhadeCh Albert.
Injec^oFeaugas. .1
Agua dentificade Desirabode.
' Papelchimico, para talhos.
Xarope depurativo de Chable.
Licor aromtico de Raapail.
Pos anti-epileticos de Bcast.
RobL'Affecteur.
Zarope do Bosque.
Ungento Ho I tnway.
perb.ineaaiiJ \alja de fondas
roapa feita nacional, rna da Impe-
ratria VL
Pechincfca a 240 rs. o raaa de hita.
Vendem-sa chitas de coras xas a 240,280 rs. o
covado, ditas ttancezaslangas. 300, 320,360,400
e 440 rs. covado ; pecas de raMapplao nnoa 65,
75, 84, 95 e 105 5 pecas de ajdlo a 8, 6*. 7
e 85Trda da Imperatru n. 7.
Roopa feita naeienal.
Vendem-se patU* de znraaU ee cures
a 35,65, 85 e 105, ditos sobrecazacos a 12, 14
et65. Palitos d \rt*4*t*mMim, U e350e
rs., calcas de .cateinira pr.et_a_a 6#r 7* e 8*, ditas
a 15 o cavad/-, moreantique preto a 35, cova%
1 grosdenaple preto a 255OO, 252OO, 25, 15800 e
SiSo e 5r azal, orna mesa de jantar de ama-1 reMops torniados, mesas pequeas, commodas, *mAmAfm^x:^g*ty*9UWW*jta
MM*iTsrf*T*OBijrps o^actoso qnetndo
se vender* em coala: na roa dos Pires n. 62.
Arara ra da Injperatrie u. 56, s6Arara.mais.nJa-
guem, de Mendes Guimare?.
-&aie1Wd o*r a 5, 57, .-***?
cazemira de cores e pretos e ditos de bnma lawoi
e 2*SWr3.,.scalQM1djbri da o4r)a>a#,a5flQO :
ryadamP6ratrizn.7J.
Sontambarqoe de cores a WA U e |W.
Vendem-s spntambarqne.de laa e seda para se-
nhoras a 73; 85 e 105 ; ditos de grosdenaple pre-
to a 20 e 255 ? capas pretas a 20 e 255 i "slU
dos de la a Haria *i*frlftfv **. 16 '* d
Imperatrjz.n. 78. .
Corts de eaiemira preta a 30.
Vender-sa cortes de cazeralr preta para calca
a 35, 607 5J 05 e 65, ditos de cazemira ig
cor a 35, 45,5, U, ditos de btim^de c^reaa
15aQ0, e 2*, ditoada chitas finas a 25400 e 3*200,
ditos da eassas (raneaza a 35 : ru da Imparatra,
loja do baratelrd n. 72.
: *,;:Bfflfctor para acabar
, Na praca da Independencia ns. 37 e 3*. vende
se sapatos de bomiaa a*aa liaiim e senhora pe--
lo diminuto preco de 15 e 500 rs.

ratas de Saatos & Colho
Rea da Uueiiuado n. 19.
Vende-se o seguate
Lences de panno de linho
pelo baratissim preco d 25^00.
Lences de bramante de linho
de um s- panno a 3*500.
Caberla de chita da india
pelo baratissimo prego de 2500.
. Leocos de cambraia braneos
pnprios para algibeira, a 25 a dnzia.
Fecas de hra^aoha.da rolo com 10 yaraa
proarja para saia,. 3*800. ,
Peijas de cambraia]
para forro com 8 li2 varas a 25610.
Guardanapos
de linlio-Daos dutia 35500.
Algodao enfeatado
com 7 1|2 palaaosde largura vara 1520-
Cqrtes de, ta
com 15 -covados a 65-"'
-Cambraia adamascada
com 20 varas propm,para cortinada peca 119-
Fito ide linbo
Hso fino vara 800 rs.
AtoaJhado adamascado de algodfio
com 8 palmos de largura vara 25200.
Atoalbado adama^oade. de linhe
com 8 palmos de largura vara 34200.
L5azltrbas carmeiim miudlnhas
prtpria para vestin de menina, covade- <00 n.
Lazinhas '
de come finas.c*vado 560 rs.
Fazejda!para,,qnaresma.
Srosdnnaple.nwreantiqije e ricas capas de gros-
d en apio bordadas.
Ba*Oira da India.
popia largura.por menos prego dQ Neste armaz'ein de fazendas se encontrara;.tun
grande seiilflWBW-dell'oapa feita e-pormedHra
I------!--------------'"* 8ft"----------- ", l|.1 ,"''
Milbo novo em saceos grandes: no trapiche
do ganga, a tratar com Tassotrmaos.
VriMifcn" fi1ilT-|tT"1"" de laazlnba fino.
Grande liquidaco de
fazendas
na nova loja de fazendas e roupas feitas nacio-
naes, na ra da Imperatriz n. 72. Os pronrieta-
rios deste novo esUbelecimeato tem a honra de
participar ao respeitavel publico que esiao resolv
dos a vender rnuHo barato para liquidar, a saber :
chitas a 220 rs., ditas franeezas largas a 260, 280,
320 e 400 rs. o covado, cassas franee?as mnito fl-
aaa3t0, 320, 360 e 400 rs. o covado, organdv
francez de riquissimos padrdes a 360,400 e 440
covado, pecas de cambraia branca a 35, 35300,
45,45600, e 55 mnito fina; ditas de cores de apu-
rado gosto a 25800 e 35 o erte, pecas de mada-
poln muilo fio o cura 2i jardas a 65,65500. 75,
"5500 ej$, ditas elefante multo superior a 85800,
95, 95500e 105, dito francez com 12 jardas, sen
do fazenda muito encorpade e fina a 45 e 45500 a
peca, cortes de laa a 45,45600, 55 e 55300, ditos
a Mafia Pia com barra, sendo os mais modernos
que tem vindo ao mercado a 105 e 135 o corte.
pechinrha. lenco de ca-a com barrinba de cor
a *09, 160 e 200 rs., ditos com bico a 240 e 320, e
dnzia 15500, crinolinas ou balos de 30 arcosa
3J900, dito com 15 arcos a 5*200. tiras de fina
cambraia bordadas a croi a*00 e 15, ntremelos
a 860 rs. a peca, eravatinhas pretas o de cores
para senhora a 640, 800 e 15, mantas de seda de
coro pata pescoco a 15400 e 15600; isto s se
vonde na ioja. de Guimarats & Irmao, rea da Im-
peratriz a. 72.
moiiobi feltado a 55,65,J$ e a^itojl
gresdonahlo pretorieamenle etKhHado a 20a 225
eaaas;iiraideMple b alto madatsas a 20#QiO,
oempleto saraaMn de ronpaarta, e oatnaa nHki-
tas fazeadas qne ser enadonno annnnclar. e jqne
se vesdm mais barato do que em ontra qnajqner
parte : hito s na-roa da ImperatttB b. 7f, loja 4*
Valdivinoda njfoora,,yena bom, logo do^ar,
por, preco, commodo : i)p sett^hrmazem fle sal, tna
!mpeTi4r: li
Goke do gaz.
, Pilch da, gaz.
Alra-a do gaz.
Cate Unelladas rs. ... 10000
1-Pitch a .... '80000
AJ-5o caada. ... 400
O coke reconhecidamente o carvao mais econ-
mico, torna-se por isso recommendavel, bem co-
mo pelo asseio que te Dola Das eoainbu aosde
ella asado. Pitch e alcalrSo; aldm das applicacoes
diversas a qne se prestam, como para callafetar
embarcacoes. alcatroar madeiras. etc.. teem este a
propetedade de preservar do onpra, formipas. etc.
E' entregar na fabricando gas on mandado p6r era
Majquer ponto da idade, segundo a vontade do
comprador.
Attencao.
Vendem-se pecas de esteiras para forro tf sata,
tinta branca preparada a oleo, em latas de ih li
bras, para pintar casa, relogios 1 ara cima d ii
sae para pendurar, arreios r>ar leScavalkis,
velas de spermacete, tud" de superior qualidade,
vindo dos Estados-Unidos : no armazem da rna do
Trapiche n. 8.
ESCBAYOS gjggOS.
Anda ausente de casa de seu senhor o preto
Justino, crioulo, de idade de mais de 30 annos,
bem condecido nesta (-idade por ter tido escravo
do tinado Jos Francisco de Lima, e ti-m sido.c-
cupado em ser vico de refinacao, com os signaes
seguintes : estatura baixa, gr(>sso do corpo, ps
grossos, com falla de denles na frente, cor lim
preta, levou vestido calca de trabalho e camisa do
mesmo, e chapeo do Chile usado, talve tenha an-
dado de roupa, tem sido visto no aterro dos Afo-
gados : rogase as autoridades pollciaes p capitaes
de campo a captura do mesmo, e lvalo a ra Di-
reita n. 8, que se gratificar generosaroenje._____
Fugio no da 9 do prximo paasado mez o
escravo de nome Fideles, preto, naiural desia eida-
de, de idade de 45 a iO annos, grosso do co/po,
baria ja pintando de branco, levou vestido calca
de algodao azul e camisa da mesma fazenda. sendo
de listra, anda muito vagaroso ; o dito escravo em
algam tempo pertenceu aoSr. Manoel Cimillo Ti-
res Falcao : quem o pegar leve-o a ra do Cres-
po n. 7, loja da fazendas, que ser genere amento
recompensado do sen trabalho.
A 23 de abril Oglu do engonho PindOha,
comarca de Nazarelh, a escrava Severina, conhr-
cida por Barbosa, nome do senhor que a vender,
e consta ler seguido para esta praca por sor en-
contrada depois do Cachanga com o uome de Vis-
torina, e tem os signaos seguintes valla, secca,
resto redondo e bem preto, nariz afilado, falta le
dous denles, achase pejada, e qundo veste-se tor-
na-te saliente o umbigo : reeommenda se s auto-
ridades policiaes, aos eapitaes de campo <: a qul-
quer pessoa que a prender pode onlrega-la .10 Sr:
Guilherme de Atahyde na ra Velha n. lo, ou d-
rija-se ao engenho Pindoba, que serao hem recom-
pensados.
i

llene
ti
9
No dia 4 de Janeiro do anno de 1864, fngio do eD-
genho Conceicao, comarca de Pc-d'Alho, o esrra
vo Galdino, pertencenle ao abaixo asslgoxdo, com
os signaes seguintes : idade 26 annos, pardo, claro,
corpo, figura e altura regalares, cabellos meios ca-
rapinhados, olhos pardos, sobrancelhas e palpebras
sa lenles, tem em esda l'iago um sino de Salomo,
sendo um delles mal feito, e Junto a este una crnz,
tem na cabeca nma cicatriz de urna polegada, e tm
cima de um qnarto urna outra cicatriz de tres po-
legadaa, proveniente de pona de pao e queda, tem
sobre as costas algumas n arcas ou cicairizes de rp-
Ihadas on chicote; um pouco desembarazado quan-
do falla, tem principio de rarplna e carreiro, toca
viola e barbado. Foi soldado do corpo de polica to
Recife, e levou corasigo a baixa do theor seguinte :
Secco urbana, 2' companhia n. 50, Antonio Cana-
no de Oliveira.lilhode Agoslinbo Ferreira de Bri-
to, natoral'de Ingazeira, cSr parda, cabellos tara-
pinhos, olhos pardos, offleio nenhnm. priado sollei-
to, com 30 annos de idade, 60 o engajar-p. Engajou-se na forma do n gula-
mento, em 17 de fevereiro de 1862, por rfficio.do
Exm. Sr. presidente da provincia,'datado de 28 de
abril do rorrente, e poblicado ao rorpo em ordfm
do dia 1* de maio, tudo em 1862; leve bsixado
servico por ter dado em seu logar o paisano J0S0
Pedro Ferreira da Rocha. Foi escravo do capilao
Jo3o de Dos Barros, morador que foi na comarca
do Brejo da Madre de Dos, e boje morador na
Campia Grande da Paratiybaao Norte, que o ven-
den em dias do roez de novembro de-1863 ao abai-
xo assignado, pelo costume de andar fgido e a ti-
tulo de forro com o nome mudado ; pelo que roga-
s-a attencao das aotoridades eivis e militares, nao
s desia provincia como das demais do imperio, a
apprehensaodadito escravo, que a Ululo de forre,
nao tenha sido recrotado ou assentado praca tm
alguns dos corpo? de Voluntarios da Patria, tam-
bem pedese aos capitSesde campo e pesoas par-
ticulares a mesma apprehensao, e leva-lo ao neu
senhor no referido engenho Conceigao, ou nesta ci-
dade ao capilao Mauricio Francisco de Lima roa
do Brum d. 36, que ser gratificado com 2005,
Jos Maria dos Santos C'valcanti.

r
.
MANUAL
*Q
.i Fogio em principios do mez de fevereiro do
correte atmo e consta estar acontado nesta cidade
otwleque Euipbio. escravo da viuva do Dr. Fr-
naodo Affonsode Mello, d II annos de idade pou-
co mais on menos, cor preta, secco do rorpo, olh"s
regulares e afumacados, cabeca nm pouco grande
e meia chita, beicos fino?, dentes Wm alvos, ps
fc*!Mift npU MMa seceos e muiM>Wdtao : roga-se per-tanto a todas as
m 1 a *? n i^atomdades.fflliciaaao-oapitesdecanpo.queoaf.-
l)r. J. C- F^PnaBdesflllaeirO. prehendam e levero-o a ra da Maogueisa sobrado
Acaba de chegar do Rio de Janeiro esta obra : n. qne serlo gratlffcadoSjprotestando-se nsardos
P A ROCHO.
vende-se na
Sonta' Antonio
Ifvfaria^coBomioaaop do areo de meios judiclaes contra qontqner pdssoa qpe o tenca
io. a 2500 9 exemplnr. em s poder.


~*.
Diario de
ei*a felra & de Halo 4c 18I
LITTERATRA.
WATERLOO
(Continuocao do conscripto de 1813.)
POR.
ERCKXANN CHATRIAN
pni.UBIRA PAllTK. .
VII
(Continuaclo)
N'esse dia, ao racio da, a nossa melhor
sala, no primeiro andar, aprsenla va-se
eom ai de alegra: o paviaionto bem estre-
gado, a mesa redonda no meio, coberta com
bella toallia de fillietes vermellios, seis gros-
so talherea de prata, os guardanapos do- ram-se scopos. Bebeu-se
I) OilOS
te deste jantar, nao teriamos cohido beira
da estrada.
Emflm. a alegra eo bom apetite trans-
pareciam em todos os semblantes, e o Sr.
Goulden, que tomara ares de gravidade,
' melleu a grande colher de prata na terri-
na, servia primeiro o velho coveiro, que
nao dizia nada e pareca es'ar commovido
com estas honraras,'depois seu fllho, de-
| pois Catharina e a ta, e por ultimo a mim
e a elle, E com cou o jantar com urna es-
ce de recolbinwnto de espirito.
Zebedeu piscava os olhos e olhava para
mim de tempos a te upos com ar de satisfa-
go. Abriu-se a primeira garrafa e enohe-
vinho que nao
bom, e como
as
de
>em triangulo sobre os pratos de es-!e.suPerL,or' masera muito
trinada alvura. o saleiro, as garrafas la-i a de haver melhor, "esperou-se para
ciadas, os copos faceados, tudo brilhava !saudes- Cojneu-se urna boa talhada
luz do sol, que secslendia por cima dos c
caxoes de lilazes collocados na beira das
paellas.
O Sr. Goulden linlia querido que tudo
Ora isto qm). que boa vacca !
E como tambem achava os frangos guiza-
dos muitobons, vi que Catharina era urna
fos>e feito com largueza e magnificencia, co i mulner de espirito, porque disse
mn para principes ou embajadores ; tinba! 7 *os Dem qmzeramos convidar sua
tr lo do cesto as suas pratas,cousa em ver-1 f'q"e fu vou verde lmP0S a temP0S'
d de extraordinaria, e exceptuando a sopa, I Sr. Zebedeu ; mas ella esta muilo velha, nao
eu mesmo tinha dirigido, em que ha-; P0lle sal'"' da cama- e Por 1SS0>
|IK>
se dio li-
tres libras de boa carne de vacca, olhos \ccn^>, vist0 m, n3 Pde ca vir> ha de c-
de couves, cenouras em abundancia, emrnn: mer. a,.uma cousa comigo e beber um co-
ludo o due era we-iso. exceptuando niP0 de vinuo a saude de seu neto. Que lhes
custa a gloria I Nio basta perder a Uber-, rlsado pelo motivo deibe serem desconheci-. Um peridico fraacez narra urna horrivel
dade, perder todos os direitos adquiridos dos aqujHes importantsimos attributos, es- scenapassada era Cezens.
com tanto casto; anda havemos de ser sa- senciaes ao que dirige um povoem commu-' Pedro Charapegnac, de edade de 30 ja-
queados, desiertos por bandos de eossacos, nho com o mando civilisado, entio lgico nos, matou seu pae, dando-lhe com omsa-
e ver o que naaca se tmha visto ba centenas e incontrastavel que na sua directo somente pato de pu.
de annos, salteadores aos. milhares a dar-nos predomina o impulso de ama alma especial-1 Ha urna duzia de annos contara-* e bot-
l V... continua... queremos ouvir mente talhada para vlvef e Ibtar com sel-'pital dos alienados no numero dsqtfeali
vagens. se achavam recolhidos.
Lm ambas as hypotheses nio pde deixar | Ficara elle eolio de um genio desigual:
de ser qualGcado segundo os preceitos da ora dava todas as demonstracQes affectuosas,
poliuca e da razio como indigno de occu-!ora tinha ac.essos de colera, parecendo es-
par a elevada posico de presidente de urna' tar ainda compungido do segundo matrimo-
sas desgracas j la vio... e nio bao de tor- repblica. I nio de seu pae com Catharina Vidalene,
narc,akv'r' _. I, LoPez' Prra' nn somente *considera-|conlra a qdal manifestava o seu res enti-
L bebamos I e Zebedeu comava como ti- do um funccionario intelligente, de tino, de ment. Habitava entretanto a casa pater-
Q GUIA nMAiOA pnnnrai* ninrl* ah(m h^ Knn f.\ .4 A J. J?___- i >
<
ludo.
Catharina, vendo a nossa tristeza, enchia
os co; os.
Vamos! saude
saude do Sr. Zebedeu I
do Sr. Goulden t
dizia ella. Todas es-
a pensar nisso,
n nunca se pde adiar bom em urna hos- Par*ce
piara, tudo o mais liana de vir da hos- ~ L.stava exactamente
ra dacidade da Metz, onde o Sr. ^K- r.!?m-
(ouidefl tinha ido em pessia encommendar Goulde" olhava Para Ca harina com
0 i,niar lagnm s nos olhos, e q ando ella e levan-
De sorle que s onze horas oleramos u n tou.pa ef)lher um boc.cado ?Pe con"
para o oulro, sorrindo, e esfregando as J"eme" e- abracou-a e ouv. que.lheShamava
mu >s, elle com a sua bella casaca cor de ,L ,. ...
avena, j no lio, cabelleira um pouco ruiva Caihar.na sah.u logo com urna garrafa e
em lugar do barrete de seda preta, callao: "m Prato. Emquanto ella anda va por fora,
cor decastanha afivellado sobre as grossas.Zebed?u d'sse-me:
meias de lia e sapatos de fivellas avantaja-' T Jose'a 1ue ,vae ser brevemente
das,eeucom a minha bonita casaca azul muluer, merece tod
pre-
a tua
as as consideraces; nao
s urna rapariga honesta, nao so digna de
ser amada, tambem digna de respeito por-
que tem o espirito que rem do coracao. Ade-
vinhou o que mcu pae e eu pensavamos a
vista deste bom jantar, e que muito maior
conlentamento teriamos se minha av esti-
ves'C presente, epor issohei de querer-lhe
sempre como a urna irmaa.
Ao mesmo tempo voltou a cabera para o
lado, e disse-me em voz baixa :
Jos, na alegra que se sent a dor
de ser pobre. Como se nao fosse bstanle
dar o sangue pela patria, ainda por causa
disso mesmo se lula em casa com a miseria,
e quando o soldado volta, apparece-lhe.o es-
pectculo da indigencia!
Eu comprchendendo que se ia deixar to-
ca, pura os hombros, e Zebedeu, que tinha ^L&;'SKnCta",to0^*iSb^,^,
mudado de camisa e feito a barba Vinh;.m!eafluellas,deasdlsslParam-se- Catharina che-
do lado ils muralhas, dando o braco um ao
caldle a ultima moda, lina camisa de
gas ealto .conlentamento no coracao.
NSo filtavam seno os convidados : Ca-
'h irina, a lia Gredel, o coveiro e Zel-cdeu.
Passeavamos de um para oulro lado, riso-
n'.oj e dizendocada um coinsigo mesmo :
Tudo est bem ; ludo e.-;t no seu u-
gar; agora s falta eucher a terrina.
E de lempos a tempos eu deilava um olha-
della para fra, para ver se vinha alguem.
Por finia ta Gredel e Catharina dobraram
a esquina de l'ouquet ; vinbam da mssa
;om o f.iclo domiiigucro o livro de oracoes
debaixo d,j braco, e a mais alguma distancia
vi ao mesmo lempo o velho coveiro com o
seu bello casado-de ampias mangas eantigo
chipen em'-iicado, atravessado
outro com ar grave, como homens enterne-
c .lo--, porque sao complelamente felizes.
Culao eu d sse :
Ah vem todos, Sr. Goulden !
S livemos tempo para deitar o caldo so-
b:o 0 po j torrado c para por a grande
terrina fumegante no meio da mesa, o que
so fez sem desastre. Immediatamente entra-
ram Catharina e a ta. Imagiiiem qual seria
a sua admirado quando viram aquella bella
mesa. Mal lindamos aperlado a mao uns
aos outros q lano a lia exclamou :
Entfio a boda hoje, Sr. Goulden ?
E' verdade, Sr. Gredel, repondeu o
bom homem, sorrindo, porque em dias de
cecemonia chamava-lhe Sra. Gredel, em lu-
gar de comadre ou de lia Gredel ; verda-
de. a boda dos bons amigos. Saber que
ch*gou Zebedeu e que janla ca com o co-
veiro.
Ah, disse a lia Grede', estimo isso
de veras.
E Catharina, que se fez muilo corada,
disse-me bai\inho :
Agota tudo vae bem. Ah est o que
nos fallava para e.-tarmos completamente sa-
tijfeilos.
Ella olhava para mim com a minha mao
aperlada entre as suas, quando alguem
abra a porta. O velho Loorenco, da cidade
de Metz, com dous altos cestos de azas, on-
de os pratos estavam dispostos em bonita
ordem uns por cima dis outros, gritou de
fra:
Sr. Goulden, aqu est o jantar.
Bom, bom, respondeu o Sr. Goulden,
arranje l tudo isso sobre a mesa.
Lourengo tirou dos acafates para a mesa
os rbos, os francos gaizados, um prato
bem gordo direita e esquerda a vacca,
que nos tinhamos disposto sobre salsa, um
bom prato com pequeas salchichas ao p
da terrina, de maneira que nunca a nossa
sala tinba visto um jantar assm.
No mesmo instante o'uvimos subir o ve-
lho coveiro e Zebedeu. O Sr. Goulden e eu
corremos ao sea encontr, e o Sr. Goulden,
abracando Zebedeu, disse-lhe :
Folgo de te ver. J sei que te mos-
traste bom cantarada com Jos, no meio dos
maiores perigos.
Depois apertou a mao ao velho coveiro,
dizendo-lhe :
Meu amigo, dou-lhe os parabens por
ter tao bom fllho.
E como Catharina se tinha chegado
detraz de nos, disse a Zebedeu :
Nio posso dar maior gosto a Jos do
que abracando o seu amigo. Sei que o ohz
levar a Hanau, nasqnelhe faltaram as Jor-
cas..... Por consegunte considero-o como
um rmao.
Zebedeu, muito paludo, dexou-se abra-
car por Catharina sem dizer nada, e entra-
mos todos silenciosos na sala, Catharina, Ze-
bedeu e eu, com o Sr. Goulden e o amigo
ferreiro atraz de nos* A tia Gredel anda
estava a por os pratos em ordem e disse:
Ora sejam bem viudos I Os compa-
nheiros na desgraca sao companheiros na.
alegra. O senhor tanca os seus olhos para
todo o mundo.
E abracou Zebedeu^ qu; Ibe disse, sor-
rindo :
Sempre fresca e chea de saude, Sra.
Gredel. E' um gosto ve-la assm.
E o Sr. Goulden dizia cheio de alegra
ao coveiro ;
. Ora ya, assente-se na cabeceira da
mesa. E tu, Zebedeu, ah. Quero um mi-
nha direita e outro minha esquerda, e mais
adiante Jqs, defronte de Catharina e ao p
do pae do seu amigo, e a Sr. Gredel do
outro lado para olhar para tudo.
Cada um estava contente com 0 seu lu-
gar ; Zebedeu olhava para mim sorrindo,
como quwendo dizer-rae:
Se tivessemos em Hanau a quarts par-
por
gou, dizendo que a velha ficra muito con
tente que agradeca ao Sr. Goulden, e que
era aqueile um bello dii para ella. Emfim
isto comecou a despertar a lodos, e o jantar
ainda nao tinha acabado quando a tia Gredel
sahiu por ouvr tocar a vesperas, mas Ca-
tharina licou e tendo comecado a animado
que inspira o bom vinho, comecaraos a fal-
lar da ultima campanha.
Foi entao que soubemos daquella grande
marcha em retirada desde o theno at Pars,
dos combates do batalhao emBrbelskircben
e em Sarrabruck, onde o tenente Baubin ti-
nha passado o Sarre a nado, com urna gea-
di de radiar pedras, para destruir algumas
barcas que ainda estaram ein poder do ini-
migo. Soubemos da passagem em Narbefon-
taine, em Courcelle, em Alelz, em Enzelvn,
em Champion, e em Verdun, sempre em re-
tirada, e da batalha de Briene. J nao ha-
via gente, mas em i de fevereiro recompoz-
se o batalhao com os restos do 5" lgeiro, e
desdo ento todos os dias havia fogo: em
5, O e 7 em Mere-sur-Seine. em 8 em Se-
zanne, onde os soldados morriam em lama,
porque j nao linham Ibrcaa para sahirem
dos atoleiros; em 9 e 10 em Man] onde
Zebedeu, noute, se linha mettido na es-
trumeira de urna bardad para aquecer ;
em i 1 a terrivel batalha de March, onde o
commaudante Philip; e foi ferido de urna
bayonetada ; em 12 e 13 a passagem em
Montmirail; em 14 a batalha de Beau-
champ ; em 15 e 16 a marcha para traz so-
bre Montmirail onde tinham voltado os prus-
sianos; os combates da Ferl-Gauch, de
Jouart, de Gu--Train,*de Neufcheltes, e as-
sim por dianle I Depois de derrotados os
prussianos, appareciam os russos ; depois
dos russos, os austracos, os bavaros, os sa-
x.juios, os de Wurtemberg, da Hesse e de
Bade.
Tenho ouvido contar muitas vezes esta
campanha da Franca, mas nunca como pea
bocea de Zebedeu. Quando elle fallava, tre-
mia-lhe todo o corpo descarnado, o compri-
do nariz cunava-se ainda mais sbreos qua-
tro cabellos de bigodes amarellos e os olhos
turvavam-se-lhe. Estendia o braco com a sua
velha manga da farda, e pareca que se va
o que elle dizia.
Viam-se os grandes plainos da Champagne
onde as aldeias fumegavam direita e es-
querda, as mulheres, crearlas e velhos que
fugiam em magotes, emeions, levando um
a sua velha. enxerga, outro alguns movis
velhos sobre, urna carreta, emquanto que a
nev descia do cu, e o canhlo rugia ao loo-
ge, e os eossacos corriam como o vento, le-
vando dependurados as sellas os utensilios
de cosinha e at os velhos relogios, e gri-
tando : Hurrah !
Viam-se aquellas ba tainas furiosas, de um
contra dez, os aldeaos desesperados que tam-
bem corriam lula com os seus forcados, e
noute o imperador no campo a cava'lo em
urna cadeira, com a barba sobre as mos
cruzadas e pousadas as costas da cadeira,
defronte de ama fogue ra e com os generaes
de redor. E' assim que elle dorma e me-
ditava I Deviam passar-Jhe pela cabeca ter-
riveis ideas depois deMrengo, Austerlitz e
Wagram!
nha sido preciso renovar ainda outra vez o boa f e at de dignidade, mas parece alm
batalhlo na-estrada de Soissons, com os sol-1 d'isso ser acompanhado pelo pensamento de
dados do 16 de lige'iros; como tinham che- algumas potencias europeas na marcha tres-
gado a Meaux, onde o hospital da Piedade loucada de sua poltica abstrusa.
vaporava a peste, apezar do invern, por Gomo querque seja, o palpavel, o ncon-
causa dos montes de feridos que nio podiam testavel que um grande numero de jor-
ser tratados. naes eslrangeiros applaude o seu proced-
Era norrivel I Mas o peior de tudo fui ment, por sis bastante a constituir con-
quando elle nos contou a clrgada a Paris, tra elle um treme ido corpo de delicio no
pela barreira de Charenton ; a imperatm, supremo tribunal de urna civitisaco bem
e o rei de Roma, os ministros, os novos prin- deflnida, em quanto que na razio directa,
cipes, os novos duques, toda essa nobreza estygmatisa a norma de accloque ha guia-
quefugiaem carros, para os Jados de Blois, do o Brasil nesta emergencia arriscada,
abandonando a capital aoinimigo, emquanto Fatalidade ou proposito, all os fados, ou
os pobres operarios de blusc, que nao ti- nao chegam na sua primitiva virgindade, eu
nham tido nada no imperio senSo o serem se dessemodo chegam, lavra por l algoma
forcados a dar-lhes seus filhos, se precipita- icja de immenso alcance, alguma paixao
vam aos milhares para as adminitracoes, loucamente exaltada, que leva ese pugillo
pedindo armas para defenderem a honra da de imprensa a cegamente receber como mu-
Franca, e eram repellidos bayoneta pela to conforme e esclarecida a conducta de-
velha guarda !... Entao o Sr. Goulden ca- lirosa, desvarada do presidente Solano Lo-
mou de repente : pez.
Basta I... basta, Zebedeu! Olha.... Ser que a causa do bem e da justica
deixemo-nos dessas causas... fallemos em deva ser posta em holocausto por predes-
outras quaesquer. tinaplo inevtavel ?
Tinha empalldecido. No mesmo instante Esperemos.
a tia Gredel, que voltava das vesperas, e Q
nos viu mudos e o Sr. Goulden agitado, per- A Franca, nossa' alliada por tratados so-
guntou : i lemnes, recnsou-se formalmente a conceder-
, Entao I que isto5? nos a sabida de urna corveta encouracada,
Eslavamos a fallar da imperatriz e dos cuja construedo o governo brasileiro con-
minislros do imperador, respondeu o Sr. tratara nos seus eslalteiros.
Goulden rindo com estranho aspecto. E o Brasil nao cuidou ainda de bater
Ah nao me admira que o vinho facaoatra porta (j que o seu destino s o
das suas, disse ella. Pois en, de cada vez d bater portas alheias) que mais gene-
que pens em tal, e que me vejo por acaso rosa Ibe fornecesse um pedaco de pao para
em um espelho, noto que isso me torna alimentar a guerra.
mocdade... Patifes I Felizmente l vio e Nio doeu-lhe na face a recusa pouco js-
nao voltario. ta dessa potencia amiga.
Zebedeu pareca de mu humor. O Sr. | Nio fez-lhe echo dentro do coracao a or-
Goulden percebeu isso e disse logo : chestra de gemidos e solucos sentidamente
Nao importa, a Franca sempre um solalos por aquellas virgens e senhoras e
paiz grande e glorioso. Se a nova nobreza velhos e creancas que a crueldade das sol-
nao vale mais do que a antiga, o povo, ao dadescas de Lpez cobriu de ludibrios e
menos, firme. Facam o que fizerem, os desgracas l nos longinquos e abandonados
operarios e os homens do campo esto jun- retiros do Matto Grosso.
tes, teem os mesmos interosses, nao larga' lo O governo est a modo de desatinado
e que lhes perlen'e, e nio consentido que com as conjuncturas da actual situado, que.
Ibes ponham o p no pesioco. E agora, entretanto, se nio pde ser de momento ra-
meas amigos, vamos tomar ar. E' tarde; a movida, pde, todava ser alliviada com re-
ta Gredel e Catharina teem que andar para medios mais promptos.
chegarem aos Quatro Ventos, e Josii Nos arsenaes da corte consta nao existir
acompan'ia-las. urna s arma de guerra, de que possa dis-
Nao, disse Catharina, Jos ficar hoje por um braco de voluntario.
com o meu amigo ; nos iremos sos., E, com tudo, a cadea dos horrores mais
Pois sim, sim ; Catharina tem razio, se aperta e approxima nos seus anneis dolo-
disse o Sr. Goulden; em um dia assim, os rosos e a nado, como o governo, compre-
amigos devem todos estar juntos. hende a altura da necessidade de ser parti-
Tinham sahido todos de bracos dados. A do, sem demora, esse lo de ferro que peza
noute comecava a cahr. Na praca de armas e de.
despedmo-nos de Catharina e da tia que to- E' mister que nao escapem ao governo a
maram o caminho da aldea e depois de ter- coragem e energa, correspondentes gra-
mos dado algumas vollas debaixo das altas vidada da posicio desabrigada do paiz, aban-
tilias, entramos na fabrica de cervejado Ho- donando-se frouxidio e desanimo de in-
mem Selvagem, onde nos refrescamos com cidentes transitorios,
boa verveja espumosa. O Sr. Goulden fallou E' mister que o governo volva olhos para
do bloqueio, do ataque da fabrica de le ha o norte do imperio e veja l sobranceiro
de Pernette, das sortidas a Bigelberg, s a todas essas miserias europeas o vulto
Barracas, e do bombardeamento. Foi entio sympalbico e venerando dos Estados-Unidos,
que eu soube pela primeira vez que elle ti- seu compatriota, porque e da America ; seu
nha sido chafe de peca, e que fra o que amigo, porque mais de urna vez tem procu-
dra a idea de se quebraran os fogoes de rado fazer eflectivas e reaes, a harmona e a
ferro fundido para fazer metralba.- Essas solidariedade, que devem naturalmente ligar
historias prolongaram-se at ao ataque de os povos de um s e mesmo continente,
recolher, s dez horas. Por fim Zebedeu E' preciso, absolutamente preciso que
deixou-nos para ir ao quartel, o ve ho co- o governo desterre dos dominios do seu es-
veiro voltou ra dos Capuchinhos, e nos pirito essa especie de idolatra cga, apal-
para a nossa cama, ond dormimos at s 8 xonada e por isso perniciosa, que o leva a
na, porque o seu genio incoherente e a sua
intelligencia, nio Ihe permittiam longa per-
manencia n'uma ofllcina, onde estava como
criado.
No dia 22 de marco ultimo, levantou-se
cedo contra o costme. Depois de passear
algumas horas noquarlo. chamou seus paes
com um modo imperativo. Perguntando-
lhe a madrasta o quedesejava, nio respon-
deu; depois appareceu o pae, trazendo na
mi um bocado de pau em que traba I ha va.
Pouco depois ouviu Catharina Vidalene o
motim da queda de um copo no sobrado ?
correu, e encontrou o velho sexagenario
lancado a trra por seu filho, que lhe dava
fortemente na cabeca, com ambas as mi s,
tendo n'uma deltas um sapato de pau, e na
oulra um pedaro de madeira.
Assim que sua madrasta appareceu toda
aira se voltou contra ella, e lhe deuuma
grande pancada na cabeca com o mesmo
sapato de pau. Quando ella fugiu para
chamar soccorro, chegaram os vizinhos at-
trahidos pelo motim ; os quaes prodigali-
saram ao offendido ancio, todos os soccor-
ros possiveis. Tudo foi intil, porque pou-
cas horas depois elle aspirara.
Foi o criminoso capturado, sem resistir,
no seu quarto, para onde se refugiara.
Achando se em Roma D. Sancho, filho
segundo de Affonso, rei de Castella, foi pro-
clamado pelo papa rei do Egypto.
Todos os corlezaes ap.laudiram no con-
sistorio esta eleido
Admirado o principe destes applausos,
perguntou ao interprete a causa delles.
Senhor, lhe disse este, o papa acaba
de vos acclamar rei do Egypto.
Sim ? replicou o principe com sorri-
so malicioso. E' preciso nio ser ingrato.
Levanta-te, e em meu nome acclama o papa
califa de Bagdad
da manhia.
(Continuar-se-ha).
UM POUCO DE TUPO.
Comecamos hoje urna serie de artgos,
cujo titulo determina-Ibes a importancia,
convidando a sua leitura.
Reflexes
a proposito da guerra entre o Brazil e a
repblica do Paraguay.
O espirito mends sensivel irrita-se ao
| collocar-se em attilude humilde e pouco digna
perante as cousas da Europa.
E' necessario que s o que vm d'ali nio
seja tido como o nico e verdadeiro modelo
a imitar-se e a seguir-se.
Abaixo esse amor de humilhacao, de que
s tm resultado em desfavor da naci um
como descrdito dos seus sentimentos, do
seu patriotismo, da sua poltica, do seu pro-
gresso, da sua industria.
Convenca-se o governo de S. Cnristovio
de que se por um lado a naco modelo
ex; oe ao ridiculo, ao menospreso e mais
pungente collisio os nossos direitos e re-
! cursos, podem chegar-nos, por outro lado.
contemplar os acontecimeotos praticades; do tos da Uni55 Americna, dentro de
ltimamente em Matto Grosso pelas tropas trin diaSj lodos qi,antos aprestos de guer-
Francisco Chalmel, conhecido em Troyes
pelo nome de Tio Croquignole, nasceu a 8
de julho de 1794 em urna aldea perto de
Alencon, de paes dotados de extraordinaria
forc muscular para a carreira.
Seu pae andava a p quarenta leguas por
dia ; seu av quarenta e cinco, e sua irmaa
trinta. Morreram todos sem chegar eda-
de avancada.
Frncisco Chalmel andou muitas vezes
quarenta legis n'um dia, e duas ou tres
veze^Jhe succedeu andar quare .ta e cinco.
Sendo correo do primeiro imperio, le-
vava despachos quer ao imperador da Rus-
sia quer ao commandante em chefe do exer-
cito de Hespanha, com rapidez inerivel.
Sendo portador de despachos importantes
foi perseguido e ferido em 1815, nos arre-
dores de Paris, por soldados de cavallaria
allemaa, que llios tiraram e o deixaram ir
a salvo. Corren, estacando com a mi o
saogue que lhe saia daferida, at Versailles,
onde foi tratado e proraptamente curado.
Termioaram entio as suas carreiras atra-
vs da Europa, mas nao de todo como, se
v do facto seguinte.
Em 1830 o prefeito de I'Aube tinha de
enviar a Paris um despacho confidencial
muilo urgente, e cuja respbsta devia .ser
immediata. Mandou chamar Francisco Chal-
mel, e eoeairegou-o da rhissio
Chalmel saiu das tres para as quatro ho-
ras da manhia, chegou a Paris s seis ho-
ras da tarde, eotregou o despacho, reeebeu
a resposta, deixou Paris nessa mesma nou-
te, passou algumas horas sob urna arvore,
e tornou a entrar em Troyes de madrugada
tendo satsfeito a commissio de que fra
encarregado.
Senhor, perguntou este, coneloiu j o
seu romance?
Sim, senhor, replicou o escriptor.
*- E o que acontece herona no des-
fecho?
'* Sr. marqaez, vejo que V. Exc. adop-
tou o costme dos rabes, comeca pelo fim
a leitura dos livros.
Tenho, replicou o elevado funccionario,
razies muito poderosas para allegar em de-
feza de min';a inconveniencia.
- Muilo bem; a pobre tsica morre no
final do romance.
E' preciso que nio morra, exclamou o
marquez.
Est concluida a novella.
Mude-lheaconclusio...
E' nella que reside todo o interesse
da minha obra.
Procure, senftor, outro desfecho, sei
que o achara se quizer.
Alexaadre Dumas ficou atnito, ornan-
do para o sen interlocutor, o disse-lhe
Com que direito vm o senhor pedir-
me a cura de um personagem imaginario?
' Porque a nica filha que tenho, sent
os mesmos symptomas que o senhor descre-
veu, e padece da mesma enfermidade que a
herona do seu romance ; se esta morre, a
organisacio da minha pobre filha, que todos
os dias le com avidez no folhetial as peripe-
cias da novella, receber um golpe tio gran-
de que certamentesuecumbir.
A'exandre Dumas apertou em seus bracos
aqueile pae, cuja affliccio era immensa;
mudou o desenlace do romance ; a herona
curava-se milagrosamente.
Ha poucos dias, viu Dumas nos sales do
conde de Montalivert, urna lindssima se-
nhora, corada por tal forma que fazia lem-
brar as mulheres de Rubens.
Era a filha do marquez de...
Entio este apresentou-a a Dumas, dizen-
do-lhe :
E* mi destes quatro meninos.
Senhora, disse o celebre escriptor
comprimentando-1 respeitosamente, o edi-
tor vendeu quatro edcoes do meu ro-
mance.
i
desenfrgadas do presidente Lpez.
E dobra-se irresistiveln\ente necessida-
de natural de definir-se a respeito de seme-
jante assumpto, e de definir-se estygma-
tisando, alto e bom som, quanto em si cou-
A conferencia telegraphica reunida em
Paris .terralnou j o exame do projeclo de
convendo internacional.
As principaes reformas que se devem in-
troduzrno rgimen actual slo : a suppres-
sao das zonas e a adopeo de urna taxa uni-
Ai, combatec, soflrer a fome, o fro, a
miseria, as marchas e contra-marchas, rjlo
nada, dizia Zebedeu ; mas ouvir chorar e
lastimar-se ea francez mulheres e creancas
no meie de todas essas rain, e saber a gen-
te que nio pode valer-lhes; que quanto
mais inimigos se raatam, mais inimigos ha ;
que preciso recuar, sempre recuar, apezar
das victorias, apezar do valor, apezar de
tudo... isso que deapedaca o coraejio, Sr.
Goulden l..
Escutando-o, olha vamos uns para os ou-
tros ; j ninguem tinba vontade de beber
mais, e o Sr. Goulden, de cabeca curvada e
ar pens tivo, dizia em voz baixa :
E' verdade... verdade... o que
ber, toda essa coarctada de fados espanto- e per0sa
SFm m S? arbaria- r, J tofo dia nos indica um novo destroc no
riv?.r Sin! ,arr/a .V,.5,,osde;sul, <*d* ns alumia um outro especta-
civi.isado, todos os actos des individuos e cub mas moment090 e horrivel.
principalmente do governo devem ser ins-
ra nos slo precisos para desaffrontarmos, | forme para cada urna da nacoes da Euro-
pelas armas contra o Paraguay, os bros e a
honra nacionaes ultrajados.
A crise aprsenla symptomas de urna
doenca, senio mortal, ao menos duradeura
pirados e meditados luz da razio.
Os instantes perdidos na tibieza sao jor-
ros de sangue que eseapam s nossas veas,
Apropr.edade parece dever ser garant- 0u tal vez a historia fatdica do nesso, se-
la, a velhice respeitada, a bonestidade pro- n3o aniquilamentq, certamente atrazo no fu-
tegida, a vfrgindade reverenciada.
Lpez proclama-se Ilustrado, apologista
das ideas redemptoras do seculo, realisador
do pensamento grandioso do progresso.
Mas Lpez determina o roubo; o estupro,
o incendio, o acoute, a tortura pela fome.
pela sede, pelos soffrimentos lentos e con-
sumptivos.
Na guerra que sustenta contra o imperio
brasileiro, o prisioneiro nio | o cidadio es-
trangeiro, rodeado das garantas que o di-
reito das nacoes cultas comprehende e pres-
creve que acwquem a critica poaifio do
soldado esgarrado^
E* a desgraca da victima da bofetadas,
do assassinio, do corte de orelbas, no meio
de urna pocma selvtica, aos sons da grita
de urna mullidlo desatinada, que ri, que
coape, que calca ao>s, por vjpendio e
vnganca bruta, a hostia desprotegjda.
Lpez, sa conbece a sciencia da adminis-
tracio e as mximas suhiimes da moral di-
vina, obrando d'ess'arte, apena revela pos*
suir un corapo de brbaro, que palpita de
satisface? i.ntimafi aensacoes que o espec-
tculos de singue em outro qualquer oora-
Clo fram surgir na qqiUdade de sensacbes
de d e commiseralo humana.
' S, ao coutrari, toda esse fanebre coi-
tejo de vexacoes e martyrios por elle auto-
turo.
A ctividade desenvolvida nenhuma em
face das peripieias aterradoras e dos episo-
dios de dor e morte, que, dia por dia,
vae representando em nosso sol a tyrannia
de presidente Lpez.
Oh ( absolutamente preciso que mude
esta phase de cousas I
Proseguiremos na materia.
pa ; o franco ser a nuidade monetaria para
as tarifas internacionaes ; prescrever-se-ha
a cifra secreta para a correspondencia ; e fi-
nalmente far-se-hio redceles considraveis
as tarifas internacionaes a tualmente em
vigor.
Trauscrevemos do Jornal de Lisboa o se-
guinte :
Ha poneos dias, os viznbos de umacasa
na ra de, la Recette (Paris) sentiram um
cheirb activo de carne queimada.
Correram o predio, e reconheceram que',
a causa estava no terceiro andar.
Viva- ahi urna septuageneria, solteira e
miseravel. .. Arrombarm a porta, e viram a
Fallecen em Millo ama ancii de 90 annos
chamada Francisca Scanaysta.
Na sua mocdade, inspirada por Clorinda
do Tasso, resolveu-se entrar na carreira mi-
litar.*
Acompanbada de seu pae em 1794, com
trajos de homem, entrou na academia mi-
litar em Vienna, com o nome de Francisco.
Distngoiu-:epara lognos estudos Em
1797 foi nomeada porta bandeira eperma-
neceu tres annos ao servico da Austria, sem
que ninguem reconhecesse o sexo.
Seu pae, a final, revelou osegredro, e foi
entio licenciada com urna penslo e todas
as honras que soube conquistar.
. Casou-se em 1804 com o capitio Spini.
.....I OU I
Ha dez annos, diz a Gaztta de Portugal,
pubiicou Alexandre Dumas um folbetim em
um dos principaes jornaes da Franca.
Pin lava a herona como tsica em segundo
gru suores, tosse, irritabilidade ; pensa-
"dgrafiad teiedi^l^cb^'OTmva'nbeca ?!nt0*.-a aleres f melcolico8, aspira-
dantro, deum fogareiro cheio de cnza, e^m\ms entuma palavra o completo
com o rosto quasi (arbonisado. dwgpostico.de tsica estava tracado com essa
SuppCe-se que, cnrvandoae para reme- cher o carvio, fra suffocada pelo fumo, e
caira sobre o fogareiro.
Chamava-se esta mulher Josephina Bru-
tee (Josephina Queimada).
sabe imprimir na sua tio bem aparada
penna.
Um dia de manhia, quando o celebre ro-
mancista escrevia o foliietim, annunciou-lhe
o criado a visita de um alto dignitario da cd%
te de LuizFilippe, o marqaez de...
E' do Sr. Cyrillo de Lemos esta poesa
SERENATA.
E' alta noute; em pallores
A' la brilha no cu ;
Tudo perfumes e flores
Sob seu lucido vn.
Ahlvm.faceira,
Vtnce o pudor;
Vm, feitceira,
Gozar amor.
As estrellinhas desmaiam
De volupia e languidez,
Como as rosas que se espraiam
Da tua face na tez.
Ah! vm; em paga
De tanta dor,
Meu peito affaga
Com teu amor.
Na re va branda e macia
A' meu lado vm pousar,
Em vez da calma do dia
Teremos froxo luar.
Ah I vm, fulgente
De almo frescor,
No labio ardente
Trazer-me amor.
Esta aragem suspirosa
Infiltra n'alma a paixao,
E a corda mais sonorosa
Faz vibrar no coraco.
Aht vm, nosseios
De ebrnea cor,
Quero os anceios
De immenso amor.
Quero dar-te mu tos beijos,
A' teu lado esmorecer,
Ver morrer os nieus desejos,
Morios, ve-Ios reoascer.
Da face em fogo
Fuja o rubor
Ao desafogo
De tanto amor.
Quero fallas'suspradas
Por tua anglica voz.
Doces phrases solucadas
Na campia noute s.
Ah! vm d'est'alma
Colher a flor;
A noute calma...
Tudo amor... '
Nio escutas meu delirio I ?
Da minha dor nio lens d!...
O' meu anjo, branco lyrio .'
Qijal vivi, vou morrer s.
\ Alm flucta
Do dia o albor...
Desmaia a la,
Cale-se amor.
No cbile acaba de pubiiear-se um folheto
que contem os seguintes dados estatisticos :
A populaco total da repblica, segundo
o censo de 1864, era a 34 de dezerabro de
1863, de 1,766,524 habitant s, dos quaes
883,388 do sexo masculino e 883.136 do
femino.
O numero de baptismos foi de 69.802.
O de morios 45,490.
O de casamentes 10,574.
Os hospitaes pblicos em ejercicio foram
27 e prestaram auxilio a 33,33 indivi-
duos.
Durante o anuo de 1863 houve nos qua-
tros tribunaes de justica 1,883 litigantes e
as accoes eutaboladas montaram a 1 223.
O numero de criminosos processados sn-
biu a 2,397: 2,208 homens e 189 mulhe-
res, isto 'm individuo p r cada 699 ha-
bitantes.
Os delictos mais communs no homem, fo-
ram : o furto simples que formou 25 0\>
do total, offensas pbvskas 18 OjG e ferimea-
to 16 0|0 ; as mulheres o furto simples,
o ferimento e o infaotecidio que formam o
primeiro 40 o 2* 13 e o 3o 6 OjO.
O numero de presos entrados nos caree-
res foi de 13,102, dosques M,193 do se-
xo masculino e 1,909 do feminino.
i

*

PERl?XMbutO.-WP. Bis s! t. b r>. & FLHO


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E8H2C8CGB_C5BIT0 INGEST_TIME 2013-08-27T20:29:40Z PACKAGE AA00011611_10660
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES