Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:10659


This item is only available as the following downloads:


Full Text
I. HOMERO 102
,&3".
dias 4t f. mez
cM(ttitrtfiirtel. ffQ
7W
Moao
ifoi
*-: uU oI<**
QUINTA FE1RA 4 D MAIO DE M.
Nr i*gt ieitrt elOiias 4o 1. un ,,;.... 191000
Porte m etrreit par ib idio ..,.....,.,.,. |$000
PARTIDA DOS ESTAFETAS.
BNCABBBGAD0S DA SUBSCBIPQO DO NORTE,
Parahyba, o Sr. Antonio AI ex and rio de Lima; O inda, Cabo, Escada e estafes da va frrea at
Natal, o Sr. Antonio Marques da Silva ; Aracaty, o Agoa Preta, todos os dias.
Sr. A. de Lentos Braga; Cear, o Sr. J. Jos de Iguarass e Goyanna as segundas e sextas feiras.
CMiveira; MaranhSo, o Sr. Joaquim Marques Ho-ISanto Anto. Grvala, Bezsrros, Bonito, Caruar,
drigues; Para, os Srs. Geraldo Antonio Alves & Allinho, Garanhnns, Buique, S. Bento, Bom
Filhos; Amazonas, o Sr. Jeronymo da Costa. Conselho, Aguas Bellas e Tacarat, as tercas
ENCARREGADOS DA SUBSCRIPCAO DO SUL. L/JVL, ,.
Pao i Alho, Nazareth, Limoeiro, Brejo, Pesqneira,
RIO DE PERNAMBUC0.
Alagoas, o Sr. Clandino Falcao Uias; Baha, o
Sr. Jos Martin* Alve; Rio de Janeiro, o Sr. Jos
Ribeiro Gasparinho.
Ingazeira, FkJres, Villa Bella, Cabrob, Boa Vis-
ta, Onricory, Salgaeiro e Ex, as qaartas
feiras.
Segunda vara do civel: quartas e sabbades a II AUDIENCIAS DOS TRIBUNAES DA CAPITAL. I DlAS DA SEMANA
Serinhem, Rio Formo, Tamandar, Una, Bar- Jrba1lwl commereio : segnndas e quintas. 1. Segunda. Ss. Fellppe e Thiago apps.
reros, Agua Preta e Plmenteiras, na* quintas 'agao:_ tercas e sbados s 10 horas. 2\ Terga. S. ffa-phalda rainba de Portugal,
feiras. |( Fazenda: quintas s 10 horas. 3. Qnarta. S. Rodopiano ra ; S. Amaro m.
Jalao do commercio: segundas s 11 bora I^AflT*I S4acerdote mm-
EPHEMERIDES DO MEZ DE MAIO. Dit0 de orpnios : J* wxtas fa J*,. *&* f JoVinpoSiti.
2 Quarto cresc. a 1 h., 44m. e 46 s. da t. [Primeira vara do civel: tercas e sextos ao meiof7- DomlBK- 8.Estanislao b. m.; S. Flavw.
10 La cheia as 6 h., 3 m. e 22 s. da t
48 Quarto ming. as 4 h., 19 m. e 46 s. da m.
24 Lna nova as 8 b., 29 m. e 48 s. da t.
da.
(Segunda vara do civfl: quinas e sabbados a 1
hora da tarde.
PREAMttR DE HOJE.
Primen-a as II horas e 42 m. da manhla.
Segunda as 12 horas 6 e minutos da tarde.
PARTIDA DOS VAPORES COSTEIRO.
Para o sal at Alagoas a 14 e 30; para o norte
lata a Granja a 7 e 22 de cada roet; para Pernan-
jdo nos dias 14 dos mezes de Janeiro, margo, roaio,
jjufho, setembro e novembro.
ASSIGNA-SE
no Recife, na livraria da praga da Independencia
ns. 6 e 8, dos proprietarlos Manoel Figueirca de
Faria "& Filho.
PARTE OFFICIAL
tOVERfiO DA PROVINCIA.
Conlinnacio de expediente do dia 29 de abril de
. 1865.
ODicio ao tenente-coronel Luiz Francisco de
Barros Reg.Mandei alistar no 2o corpo de Vo-
luntarios da Patria aos cidados Manoel Cavalcante
de Alhuquerqoe Lins l'cha e Domingos Jos da
Trindade, os qnaes me foram apresentados cora o
sea offlcio de 26 do corrente a que respondo, agra-
decendo muito o auxilio que V. S. contina a pres-
tarme na acquisigo de Voluntario.-.
Io de maio.
Olficio ao Exm. visconde de Camaragibe direc-
tor da Faculdade de Direito.-Para dar curopri-
ment ao aviso do ministerio do imperio de 20 de
abril ultimo, informe V. Exc. acerca do que pede
no incluso tequermento Leopoldino Antonio da
Fonseca.
Dito ao coronel commandante das armas.Pas-
so s mos de V. S. o incluso requerimento do Vo-
luntario da Patria Manoel Teixeira- de Camino,
am de que se sirva de tomar na devida conside-
raco o que elle pede.
Dito ao mesmo.Reitere V. S. as suas ordens
para que sejam vaccinados sem demora, como re-
ommendei em offlcio de 17 de abril ultimo, os
Voluntarios que forem sendo juramentados, pro
videuciando ao mesmo tempo para que o sejara
tambem os indios existentes no quartel das 5
ponas.
Dito ao mesmo.Sirva-se V. S. de informar
acerca do que pede no incluso requerimento o !
sargento de Voluntarios da Patria Jos Irino da
Silva Santos.
Dito ao mesmo.-Mande V. S. alistar no 2o bata-
ihao de Voluntarios da Patria a Agoslinho Rodri-
gues dos Santos, e na companhla de homens pre-
tos, sob o commando do alfrez Felippe Jos da
Exaltadlo Maniva, a Manoel Mnoieiro de Siqncira,
nma vez que sejam considerados aptos para isso
em inspeccao de sade.
Dito ao mesmo.Queira V. S. mandar inspeccio-
nar o Voluntario da Patria Antonio Alves da Cosa,
que assim o pode no requerimento incluso.
Dito ao inspector da thesouraria de fazenda.
Atlendendo ao que expoz o gerente da companhia
pernambucana em officio de 29 de abril ultimo,
recommendo a V. S. que, nao baveodo inconve-
niente, mande pagar Ihe a subvenci de 7:000*
relativa aquella mez com que o goverso imperial
auxilia measaluiente a pretina companhia, viste
ter ella cumprido com as Anas obrigagoes no mes-
mo mez, segundo consta do citado ofQeio.
Dito ao mesmo.Em vista da folln junta em du-
plcala e nao havendo tneonveniente, mande V. S.
pagar os veacimeatos relativos ao mez de abril ul-
timo dos offlciaes encarregados do reerntomeato
oeste municipio e no de Olinda.
Dtto so isessw. -M*odrt V. S. ajustar eonus al-
o tim do mex d abril pastado, oorao reesoMaesset
em offlcio de 22 do mesmo mez aos offlciaes do cor-
po de sauda que na forma das ordens imperiaes
devera recolber-se a corte, os qoaes nao seguiram
no vapor S. Francisco por falta de accommodac5es
Dito ao mesmo.Certo de quanto V. S. expoz em
seu offlcio de 29 de abril ultimo, sob n. 289. tenho
a dizer em resposta qne mande pagar integral-
mente com se recommendou em 20 daquelie mez,
a quantia de 235400 proveniente da etapa abona-
da a recrutas viudos do tenn> de Caruar para
esta capital, visto nao estar demonstrado que liou-
vo infracgo das prescripcoes do art. 12 do decreto
n. 2,171 do 1 de maio de' 18.'S, relativamente ao
recrula Antonio Joaquim dos Santos, que fot posto
em liberdade por incapaz do servico militar.
Dito ao mesmo.-Inteirado do conteudo do seu
oflloio de 29 de abril ultimo, sob n. 287, tenho a
dizer em resposta que deve V. S. considerar como
simples communicacoes os afOcios, que Ihe' foram
dirigidos pelo secretario desta presidencia relativa- i
mente ao estabeleciraeuto de destacamentos da
guarda nacional as villas da Escada c Iguarass,
rica porm autorisado por este meu offlcio a mandar
pagar nos devidos lempos e sob minha responsabi-
lidade nos termos do decreto n. 2,881 do 1 de fe-
vereiro de 1362, os vencimentos daquelles destaca-
mentos.
Dito ao mesmo.Remeti por copia V. S. para
es devidos effeitos os avisos da repartico da agri-
cultura, commercio e obras publicas datado de 29
de marco ultimo, e do ministerio da fazenda de 4
do mesmo mez, a respeito do modo porque deve
ser indemnlsada a fazenda publica dos vencimen-
tos, que o capilao do corpo de engenheiros Domin-
gos Jos Rodrigues receben indlvidamenle pelo mi-
nisterio da guerra, quando se acluva ao servico
daquella repartirlo como fiscal da ponte de ferro
desta cidade.
Dito ao inspector da tbesooraria provincial.
Em resposta ao offlcio de 28 de abril ultimo e sob
n. 166, em que V. S. me participoa haver Joo
Baptista Rodriguos de Sauza, sob garanta de seus
bens e dos de Jos Rodrigues de Souza, que dea por
fiador, arrematado o pedagio da ponte de Motoco-
lomb por 1:700*, e por 25 mezes a contar do 1*
de junbo prximo vindouro, tenho a dizer que ap-
prov essa arrematarlo.
Dito ao mesmo.Acenso recebido o offlcio de 28
do corrente, sob n. 165, em que V. S. me partici-
pou haver Jos Francisco do Reg Barros, dando
por dador o bario do Livramento, arremaledo a
obra dos reparos do empedramenlo da estrada de
Apiparos a partir da travessa da Trempe at o
Chora Menino, com o abale de 5 % do preeo do
respectivo orcamento, e em resposta tenho a dizer
que approvo essa arrematado.
Dito ao mesmo.De conformidade com a infor-
maco de director geral da instruccao publica, mi-
nistrada em 28 de abril ultimo, e sob u. 132, acer-
ca do requerimento sobre que versa o de V. S. n.
148 de 15 de citado mes de abril e no qual a pro-
fessora de instruccao elemeutar removida da ca-
deira da villa da Escada para a 3* da freguem de
Santo Antooio desta capital, D. Mara da Assump-
^io de Aodrade Losa, pede o pagamento nao s de
seus vencimentos relativos a ultima de toes cadei-
ras, a contar de 6 a 12 de Janeiro ultimo, mas
tambem do aluguel da casa em que funecionou a
sua aula durante o citado mez de Janeiro, autoriso
V. S. a mandar effecluar somente o pagamento
correspondente ao aluguel de que se trata.
Dito ao mesmo. Mande V. S. por novamente
mu praca a pintara da ponte de ferro por detraz
do thealro de Santo Isabel, a goal nao (o anda ar -
rematada por falta de licitantes, segundo consta de
seu offlcio de 29 do crreme, sob n. 167, a que
respondo.
Dtoo ao Dr. jnrz especial do commercio.Trans-
miti a V. 8. para seu conhecimento e flm conve-
niente, copia do aviso axpedldo pelo ministerio da
fazenda em 17 de marco ultimo, e bem assim um
impresso a que elle se refere, contendo a imperial
resoiaejto de 21 de dezembro do anno passado, to-
mada sobre consulta da scelo de fazenda do con-
seibo de estado, relativamente a suspensao e dis-
solueXo dos bancos por motivo de exceato de
emissio.
Dito ao inspector do arsenal de marinha.Re-
commendo a V. S. que forneqa por emprestimo a
reparticio de saade do porto, um dos escaleres
desse arsenal, mandando fazer com urgencia os
concertns de que necessita a ernbarca{ao da refe-
rida repartico. Communicou-se ao inspector da
saude do porto.
Dito ao director do arsenal de guerra.Mande
V. S. alistar na companhia d aprendizes desse ar-
senal, o menor Francisco de Assis Campos Cesdem,
de que trato a sua informagao desta data, depois
que estiverem satisfeilas as dlsposicoes do art. 4
do reguiamenlo de 3 de Janeiro de 1842.
Dito ao mesmo.Teodo Francelina Brgida Soa-
res de Mendonc,a se offerecido para costurar calcas
brancas, camisas, frdelas e bornaes qne por esse
arsenal tem de ser fornecidos aos corpos de volun-
tarios, com a condicao de ser paga somente do fei-
tio de metade das obras que fizer, pelos precos da
tabella, sendo a outra metade gratuitamente, assim
o commonico a V. S. afim de ser aproveitado esse
offerecimento como fr conveniente.
Dito Jos Francisco Tbomaz do Nascimento.
Respondo ao seu offlcio de 29 de abril ultimo, de-
clarando-lhe que devendo estar promptos para se-
guirem no primero vapor, como verbalmenie Ihe
dlsse, os voluntarios que Vmc. tem oblido torna-se
desnecessara a providencia que pede em dito offl-
cio sobre o aquartelamenlo.
Portara. presidente da provincia resolve no-
mear o major do corpo de estodo-maior de 1" das-
se Apokraio Peres Caropello Jacome da Gama e o
capilao da companhia de artfices Trajano Alipio
de Carvalho Mendonca, para oceuparem proviso-
riamente, esle o posto de majer e aquella o de te-
nente-coronel commandante do corpo n. 2 de vo-
luntarios da patria. -Fizeram-se as necessanas com-
municacoes.
Dita.O presidente da provincia tendo em con-
sideraco o que representou o director geral da
insirueeo publica em offlcio de 28 de abril ultimo,
sob n. 131, resolve nomear Manoel Moreira Borges
IViioa para reger interinamente e mediante a gra-
lieacao annual de oOOjOOO a cadeira de instruc-
cao primaria da oovoaco do Abreu que se acha
vaga. Fizeram-se as" necessarias communica-
Qes.
Dita.O presidente da provincia atiendendo ao
que requereu o professor publico de instruccao
primaria da povoacao de Ponta de Pedras Antooio
dos Santos Falcao e tendoem vista a informadlo do
director geral da instruccao publlea de 26 de abril
ultimo, sob u. 126, resolve conceder-lhe um mex de
licenr;a com vencimentos para poder efTectuar are-
mocao qin obteve da povoacao de Correntes para
daqualla.
a ii iq i^-_
Conliiiarao do expelente de secretarie de gever-
ne do dia 29 de abril de 1865.
Offlcio ao Dr. Luiz Antonio Pires juiz municipal
da Escada.De ordem de S. Exc. o Sr. presidente
da provincia aecuso recebido o offlcio de 27 deste
mez em que V. S. participou ter entrado no goso
da licenca de 3 mezes qoe Ibe foi concedido pelo
govdrno imperial.-Communicou-se a thesouraria
de fazenda.
Dito ao Dr- Antonio CnlumbMo 3oi<.jiiico Assis Carvalho juiz municipal do Bonito.De or-
dem de S. Exc. o Sr. presidente da provincia, ae-
cuso a recepcao do offlcio em que V. S. communira
ler reassumido o exercicio de seu cargo no dia 10
do correte.Coraraunicou-se a thesouraria de fa-
zenda.
Dito ao Dr. Piauhylino Mendes Magalhes.De
ordem de S. Exc. o Sr. presidente da provincia ae-
cuso recebido o offlcio de 7 do corrente, em que V.
S. communcou ter em 3 do mesmo e na qual.da
de de 1 supplente assuraido o exercicio do cargo
de jaiz municipal e de orphao do termo de Villa-.
Bella por ter o Dr. Estevo Beoedicto Franca vm-
do tomar assento na assembla legislativa provin-
cial.Communicou-se a thesouraria de fazenda.
zeuda.
Dito ao Dr. Miguel Bernardo Vieira de Amaran
juiz municipal dj CaruarDa ordem de S. Exc.
o Sr. presdeme da provincia aecuso recebido o
offlcio de lo do corrente em que V. S. commun-
cou que tendo o tribunal da relaco julg ado nullo o
processo e pronuncia contra V. S. proferida pelo
juiz de direito da commarca do Banito deixou de
rea-sumir o exercicio do seu cargo e entrou no
goso da liceaca de 2 mezes que obteve.Commu-
nicou-se a thesouraria de fazenda.
Io de maio.
N. 147.Offlcio ao 1* secretario da assembla
legislativa provincialPara ser presente a assem
bla legislativa provincial e em soluclo ao seu offl-
cio de 28 de abril ultimo, sob o. 96. passo por co-
pia as mos de V. S. de ordem d S. Exc. o Sr.
presidente da provincia a inclusa informaco que
mioislrou o director geral da instrucijao publica
acerca do requerimento que devolvo do professor
Jos Mara Machado de Figueiredo.
N. 148.Dito as mesmo.De ordem de S. Exc.
o Sr. presidente da provincia passo as mos de V.
S. em solucjio ao seu offlcio de 5 de abril ultimo,
sob n. 63, para ser presente a asssembla legislati-
va provincial o parecer incluso por copia que deu
o Exm. vigario capitular desta diocese acerca do
projecto n. 36 deste anno a que se refere o seu ci-
tado offlcio.
PERHAMRUCO.
Despachos do dia 1 de maio de (865.
Requer intentos.
Antonio dos Santos Falcao. Passe portara con-
cedendo a licenca pedida.
Amaro Nery dos Santos. -Informe o Sr. Dr. che-
fe de polica, ouvindo o administrador da casa de
detencSo.
Francelina Brgida Soares de Mendonca. Apre-
senle-se a supplcante ao Sr. director do arsenal de
guerra, a quem nesta dato se offlcla.
Francisco de Assis Campos Cosdem.Apresen!6
o menor ao Sr. director do arsenal de guerra.
Dr. Firmlno Jos Doria.-Atieste qnerendo.
Isidoro Camello Pessoa de Siqueira Cavalcante
Jnior.-Informe o Sr. commandante superior da
guarda nacional dos municipios do Cabo e Ipo-
juca.
Engengeiro Jos Carneiro da Rocha.Remetlldo
ao Sr. inspector da thesouraria de fazenda para
mandar pagar ao snpplicante o ordenado e gratn-
cacao que requer, as havendo inconveniente.
Jos Victorino da Silva.Informe com urgencia
o Sr. chele interino da reparticio das obras pu-
blicas *^
Liudolpho Jos Correa das Ne ves.Informe o
Sr. director geral da instruccao publica.
Manoel Ferreira Lima Jnior.Informe o Sr.
inspector da thesouraria de fazenda.
Manoel Rodrigues de ;ouza.Volte ao Sr. ins-
pector da thesouraria de fazenda para expor o mais
que Ihe occorrer.
' Mara d'4ssumpcio de Andrade Lima.A' the-
souraria provincial tem ordem para pagar somente
o aluguel da casa a snpplicante.
Tasso & Ir mos. Em vista da informaco do
' eapito do porto nao podem ser atlendidos os sup-
plicantes emquanto nao provarero que o individuo
cuja soltura pedem, lho nico de vi uva.
ASSEMILBA PROVINCIAL.
43a SESSAO EM 3 DE MAIO DE 1865.
PRESIDENCIA DO SR. DR. COSTA RIBEIRO
Ao meio dia, feito a chamada, acham-se presen-
tes os Srs. depntados Benedicto Franga, Vietor
Correia, Loureiro, Rochael, J. do Reg Barros,
Ribeiro, G. Campello, Aqnino Fonseca, Maralo,
Teixeira de Mello, Arrainio, Reg Barros, Araujo
Barros, Cnha Teixeira, Jos Mara, Ramos, Nelto,
Baptista, Francisco Pedro, Jacobina, Diodoro e
Drummond.
O Sr. Presidente abre a sesslo.
E' lida e approvada a acta da sesslo antecedente.
Comparecen) depois os Srs. Nabor, Sonto Lima,
Brando, Amlnthas.-Goncalves da Silva, Braulio,
Ayres Gama e Brto.
O Sr. 1 secretario da conla do seguinte
EXPEDIENTE:
Um offlcio do secretario do governo, remetiendo
a informa?So ministrada pelo Dr. chefe de polica
relativamente ao processo instaurado ao subdito
hespanhol Eplphanlo Astudillo y Bussams.A'
quem fez a requisicio.
Outro mesmo, remeltendo por copia o offlcio da
cmara manicipal do Recife, em que declara que
o art. 7 do lit. i* das posturas de 30 de junho di
1849 serapre estove em vigor.A' quem fez a re-
quisico.
Outro do mesmo, transmitiendo por copia a in-
formaco prestada pela thesouraria acerca da ulti-
ma arrematarlo da barreira da ponte da Magdale-
na, a que se refere o offlcio de 29 de abril ultimo,
sob n. 98.A' quem fez a requisico.
Um offlcio do "t. Dr. Manoel Buarque de Mace-
do, communicando a assembla que deixa d com-
parecer s suas sess&es por aehar-se anojado pelo
fallecimenlo de seu sogrp.Mandou-se desaflojar.
E' approvado o seguiste requerimento :
Reqoeiro qne se pecam de novo, eom a mxi-
ma urgencia, pelos canaes competentes, as provas
escripias dos concurrentes que ltimamente pres-
taran) exames para o preenenimento das cadeiras
vagas de instruccao primaria.Silva Ramos. >
Vem mais mesa o seguinte requerimento, o,
qual approvado depois de orarem os Srs Gerva-'
sio Campello, Aquino Fonceca e Silva Ramos :
< Requeiro que se pega ao Exm. presidente da
provincia, que se digne de mandar observar res-
trictamente a planto desta cidade, na parte relativa
ao canal da ra da Aurora, visto que se acha nesse
ponto illegalmeote alterada em eonsequencia do
alinhamento que se vai dando ao caes que se esto
edificando, segundo reconheceu e declarou em sua
informaco o engenheiro director interino da re-
partico das obras publicas, faxendo com que seja
devidamente responsabilisado quem a isto deu la-
gar ; sendo publicado o jornal que tranacceveos
trabalhos desta assembla a iaformaco dada pelo
respectivo eugenbero.S. H.Aquino Fonceca. >
O Sr. Aquino Fonceca pede que sejam de novo
solicitadas diversas rnfruii,-oes que pomo e que
ainda nao foram ministradas.
O Sr. Presidente diz que temar na devida con-
sideraco o pedido do nobre deputado.
Contina a discusso do parecer da comraissio
de agricultura, commercio e obras publicas sobre
pretencao de Joo Uyppolito de Meira Lima.
Oram os Srs. Gervasio Campello e Paula Bap-
tista.
Vem mesa a seguinte emenda, a qual foi
apoiada :
A assembla provincial de Pernambuco, re-
solve :
Art. 1.* A' Joo Uyppolito de Meira Lima se-
r restituida a quantia de 4:100&000 por indemni-
sacio dos prejuizos per elle solTridos no erro do
orgameato a respeito da distancia para transporte
da pedra para o empedramenlo da estrada da Vic-
toria, na parle por elle feito e acceila.Dr. Bap-
tista.
A discusso Qca adiada pela hora.
1.' parte da ordem do da.
Entra em discussaoe sem debate approvado o
art. 30 do orcamento provincial, que diz :
Coadjutores...................... 18:300JrOOO
Segue-se a discusso do :
Art. 31. Religiososcapuchinhos.... 86JO00
Vem mesa as seguintes emendas que sao
apoiadas :
Ao art. 31 :
Em vez de 8644, diga-se1:500#. Sonto Lima.
Drummond.-Cunha Teixeira.
Para guizamento e fabrica das matrizes, na ra-
zo de 50& por cada ama, 2:600#.Albuquerque
Mello.
Encerrada a discusso, depois de orarem os Srs.
Jos Mara, Aquino Fonceca e Soulo Lima, ap-
provado o artigo com a ultima das emendas, sendo
a primeira regeitada.
Segue-se. a discusso do :
Art. 32. Thesouraria provincial:
1. Empregados................... 33:386*)0O
2. 6 por cento da cobranza judi-
cial............................ 5:165*000
3. Despezas judiciaes........... 2:491*000
4.* Expediente e aceio da casa... 1:462*000
5.* Diaria de 2* a um servente, e
gralifleaco de 480$ a um car-
teiro.......................... 1:210*000
' J5S aco' saba. e'c. sendo seus vencimentos de
100|0 ; e ao,| 3 ditos de lquidos, espirituo-
sos e vinagre com os vencimentos de 10 0i0.
Aquino jonseca.Amyntas.
Depois de orar o Si> Aquino Fonseca, appro-
vado o artigo com as emendas.
Vem mesa e approvado depois de orar o Sr.
Araujo Barros, o seguinte :
Additivo para ser collocado depois do art 34 :
Para as despezas da organisaso
da inspeejao do algodo.........T. 1:500*000
Cira os empregados............. 3:600*0u0
expediente e diario para o ser-
ven,e.............................. 740*000
_ ,. Araujo Barros.
boira em discusso e sem debate approvado o:
t_ Art. 3o. Aluguel de barreiras... 336*000
E approvado, depois de orar o Sr. Araujo Bar-
ros, o seguinte :
Artigo substitutivo ao artigo 36 :
Aposentados.................. 21:706*702
4>ao depois sem debate approvado?, cada um por
sua vez, os seguintes :
Art. 37. Jubilados............ 16:873*588
Art. 38. Resgate das apolices da
quarta serie...................... 52:250*000
* -y* K* ,aros das mesmas..... 3:040*000
Art. 39. Exerceios flndos...... 12:000*000
Art. 41. ImpressOes dos traba- *
Ihos das repartfgoes, publicacoes do
expediente, etc................... 3:662*240
Art. 43. Evemuaes............ 10:000*000
O art. 40 Oca adiado por 2i horas a requerimen-
i to do br. Gervasio Campello.
I O art. 42, que diz restituiedes, 4:248>00O,
approvado com a seguinte emenda, depois de ora-
rem os Srs. Gervasio Campello e Costa Ribeiro :
"cA.cSSscen,e*se ~" inclusive a restituico de
l:o60*000devidas a Manoel Gamillo Pires Falcao
e proveniente de sobra dos tres por cento desti-
nadas ao pagamento do sello dos bilhetes da 4" e 5*
parles da 4- lotera em favor das obras doGymnaslo
Provincial, e ultima parte da primeira e primeira
da segunda loteria em favor do thealro de Santa
IsabeLS. R.-Costa Ribeiro.
A discusso fica adiada pela hora.
2.' PARTE DA ORDEM DO DIA.
Contina a segunda discusso do projecto n. 33
deste anno, mandando reformar a folha de jubila-
cao do padre Jlo Jos de Araujo.
Vem a mesa e apoiado o seguinte
1 memo:
I < Requeiro o adtamento-por tres dias.
Teixeira.
Ora o Sr. Cunha Teixeira.
Vem mesa e apoiado o seguinte substitu-
Em vez de tres dias, diga-se 24 horas.
Amynlhas. >
Encerrada a discusso, approvado o adamen-
to do projecto sor 24 horas.
Contina a segunda discusso do projecto n. 47
do anno passado, elevando a cathegoria de cidade
. a povoacao de Peoras de Fogo.
Vem a mesa o i ^p^raraao, "depois de terem
I orado os Srs. J. Reg Barros, Jos Mara e Silva
Ramos, o seguate requerimento :
Requeiro urgencia para ser logo discutido o
projecto da lixago da forca policial.J. Reg Bar-
ros.
Contina, portanto, a segunda discusso do arti-
2028
50*000
Rit
Desfolhando sobre sua eampa urna saudade de-
vida ao eoncdado, offereeemos os nossos psames
sua .xma. familia, a quera a resigoaco religiasa
atlenuar a impresso dolorosa desse golpe.
loformam-nes que o esenavo, que assassin*-
ra no engenho Bonito o respectivo feitor, j fr
preso.
. Depois d-'amanha se exlrabir a 3a parle da
4 lotera dt Santa Casa da Misericordia (1 i'),
sendo o maior premio |6:00*000.
B^lifS^rS mojiraento do hospital de Nossa Capital do banco ISjOOO accoes
Senhora da Conceicao dos Lazaros do Io ao ultimo v
de abril de 1865 :
Exisliam 10 homens e 14 mulheres, total 24
101:400*080
920:000*000
O guarda livroe,
Francum JoafHim Perrira Pmlo.
Londn* Brasflian Bank (U-
mnMmy
a 100.
Accoes emiltidas 13,000 a 100
Capital pago a 5? 40 por aefo.
13,333:333*330
11,555:555*550
STotai^^^^^
inora, roiai zj en. n np ard.ii i\d iqcs
O mordomo de .mez. Antonio Jos
Correio
ABRIL DE 1865.
3,866:133*910
PASStVOt
Capital fornecido pela eaixa ma-
"......... 888:888*890
Depsitos....... 1,132:809*510
Crditos diversos, ootros ban-
cos e caixas fiaes. .
requeri-
- Cunha
EM 29 DE
Gomes do; activo.
i Letras descontadas .
O regente do mesmo.-Dmii Ignacio P. dos Santos Crditos sobre diversos, oiHros
Keparticao da polica. bancos e caixas filiaes
Extracto das partes do dia 3 de maio de 1865.1 Cakxa '
Foram recoihidos casa de detengo no dia 2 Era monde corrente
1 do corrente:
A' ordem do delegado da capital.Venencio Fran-
l cisco Caetano, para correccao e Luiza Francelina,
por disturbio. /\
O chefe da 2*.secQo,
J. G. de Mesquita.
Cemiterio publico. Obituario dodia 2 de
I maio J de 1865.
Catliarina, frica, 40 annos, solteira, escrava, Re-
cite ; anemia.
i Mara Ignacia da Conceigo, frica, 40 annos, ca-
sada, Sanio Antonio ; enphalite.
| Maria do Carino, Pernambuco, 60 annos, viuva,
Santo Antonio; hepatite.
Maria Joseptia do Lago Braga, Pernambuco, 8 an-
nos, Boa-Vista ; convulsSes.
Mana, Pernambuco, 2 annos, Boa-Vista; inte-
nte.
| Manoel, Pernambuco, 15 dias, S. Jos ; angina.
Hermenegildo Jos de Almeida, Babia, 25 annos,
solteiro, Boa-Vista; tubrculos pulmonares.
Mana do Carmo, Pernambuco, 24 annos, solteiro,
ReCife ; tubrculos pulmonares.
Jos Jorge da Costa, frica, 56 annos, casado, S.
Jos ; apoplexia.
Um recem-nascido moro, encontrado na porta da
igreja da Madre de Deus.
Manoel, ,'ernambuco, 7 mezes, S. Jos i interite.
Corrigenda.
No folhetim Revista Dramtica, insert no Da-
2,169:017*390
1,377:146*660
319:969*860
3,866:133*910
43:714*000
Vem mesa a seguinte emenda :
Ao | Io do art. 32 accrescente-seinclusive.....
200* de gralifleaco ao continuo Jos Luiz Salga-
do Acciol y pelos ser vicos que presta, alheiosde
seu emprego.Silva Ramos.
Depois de orar o Sr. Silva Ramos, approvado o
artigo com a eireoda.
Segue-se depois :
Art. 33. Consolado provincial :
% 1* Empregados, sendo a porcen-
tagem da arrecadacao de 3 0|o ..... 49:577*500
S 2* Expediente e asseio da casa 1:445*000
f 3 Diaria de 2* a um servente.. 600*000
51:622*500
Vem mesa e apoiada a seguinte emenda :
O 1* seja substituido pelo seguinte :
Empregados, sendo a porcentagem da arrecada-
cao na razio de 3 0|0.Araujo Barros.
Depois de orarera os Srs. Araujo Barros, Cam-
pello e Paula Bapiista, approvado o artigo com a
emenda :
Kntra depois em discusso o :
Art 34. Conectaras a agencias :
1* Procuradores flseaes___.... 4:959*000
2* Collectores................ 8:082*000
3* Escrives dos ditos....... 5:388*000
4* Agente do fumo, tabaco, sa-
bio, etc., sendo seus vencimentos de
50|0............................ 1:741*500
% 5 Ditos de lquidos, espirituosos
e vinagre, com os vencimentos su-
pra.............................. 2:554*000
22:727*000
Vem a mesa e sao approvadas as seguales
mendas :
Ao 5 2* do art 34 diga-se finando rejtabelu-
cida a amiga porcentagem de 12 0|0 para os colec-
tores, e de 8 Oto para os escrivaes.Amymas,
Ao | i do art. 34, diga-se Ao agente do fu-
go Io do projecto que flxa a tarca policial para o
I exercicio de 1865 a 1866.
Vem mesa o seguinte projecto substitutivo, of-
I ferecido pela commisso respectiva :
A assembla legislativa provincial de Pernam-
I buco, resolve :
< Art. 1 A torga policial para o anno (maneei-
ro de 1865 a 1866 conservar o mesmo numero de
pragas, e organisaclo estabelecldos na iei n. 507
de 29 de maio de 1861. Em circunstancias extra-
ordinarias aquel le numero ser elevado a 500.
I Art. 2. Verificado esse augmento forraar-se-
ha urna nova companhla, que far parte da secgo
volante.
Art. 3. Os offlciaes e pracas de pret da secgo
urbana, a qual continuar inteiramenle disposi-
cao do chefe de polica, nos termos da iei n. 583
do anno prximo passado, tero os mesmis venci-
mentos que percebem os offlciaes e pracas de pret
da secgo volante.
t Art. 4. Os offlciaes e pragas de pret da sec-
go urbana ficaro na parte penal sujeitos ao reg.
de i de dezembro de 1853, continuando em vigor
o ref. de 2 de setembro de 1861 em tudo mais a
que nao se oppuzer esto Iei.
J^rt. 5. Esta Iei tara execugo somente, es-
tando na provincia o cotpo de que ella traa.
Ail. 6. Ficam revogads as disposig5es em
contrario.
O Sr. Presidente diz que havendo dous projectos
sobre o raesmo assurapto, vai consultar a casa so-
bre qual delles deve ter preferencia, afim de ser
discutido.
Oram pela ordem' os Srs. Jos Maria, Gervasio
Campello, Paula Baptista, Nabor e Reg Barros.
A discusso fica adiada por nao haver numero.
O Sr. Presidente levanta a sessao s tres horas e
tres-qoarios da tarde, dando para a ordem do dia
seguate alm das materias designadas, tercera
discusso dos paojeetos na. 25 e 37 deste anno.
RIfISTA MANA.
Urna carta de Flores diz o seguinte :
A desmora I i sacio das autoridades por aqu vai
em p);ogresto. Ha poneos deas, tendo o juiz de di-
reito da comarca encerrado a sessao do jury, seguio
no mesmo dia (sexta feira) para a povoaglo de Bai-
va verde, acompantiado do juiz municipal, do pro-
motor publico, alfares Longoinho, baelarel Car-
dim, e mais possoas armadas; ao chagarem ao lu-
gar de Carnauba, encontraran) dous irraaos do fi-
nado, Jos Antonio do Sacco dos Bois e outro indi-
viduo, todos tres armados. E sendo pergontados
pelo juiz municipal qual era o seu Qm, responde-
rn) que se propunhara dar urna mna no bacharel
Cardim. O juiz municipal, reconhecendo a dispo-
slgo dos homens, procurou dissuadi-los por bons
modos, allegando qne era sau correligionario, e
que por tonto nao commeltessem tal desacato na
presenga das autoridades. A final cnseguio des-
va-Ios do iotenlo, protestando elles qne, na pri-
meira occasio que encontrassem Cardim, Ihe da-
riam a projectada surra 1 Este fado nao precisa de
commenurios 1
Fallecen e hontem foi dado sepultura o Sr.
commendador Jos Joaquim d'Oiiveira, pessoa res-
peitavel, e que em diferentes posigdes prestou
bons servicos a esta provincia.
Depois de ter prestado relevantes servigos a seu
paiz, particularmente a esta provincia, onde nas-
ceu e em cujas erlses apresentouse sempre traba-
Ihando a favor da ordem e da liberd.de, o com-
mendador Olivera, cuja dade avangada e padec-
memos pbysicos nao Ihe permittiam mai^servir
activamente a seos eencidados, reeolheo-se ao
seio de sua numerosa familia.
At ento aos seus preprkts com modos e aos de
seus prenles elle preferir o servigo do estado, e
era lo robusto n'elle o germen de patriotismo,
qoe lastimava-ae na idade avangada de quas oi-
lenta annos de nao poder auxiliar pessoalmeate o
Brasil a desaffrootar-se das ultimas injurias que
tem recebido.
Recife, 3 de maio de 1865.
W. J. Ilaynes.
Accountant.
COMMUNICIDOS.
A guerra, e espirito nacional, e partid cen-
servader.
Ms artigos anteriores tenho eito algumas pou-
deragSes sobre o estado moral, intelectual, e poli-
tico de, nossa sociedade; indiqnei a necessldade
absoluta, nio de miseraveis coalisoes para erigir
em poder esse, ou aquello pessoal, mas a necessi-
dade de urna unio sincera, solida e permanente
no de hornera, escaparan) bastantes ^1.as typo- ^Ti&^^TSXSi^.
sitt^:sa^a ^gaoacrespiruos "sa MKuw
totoSf? S.e12 W'WVnl" ~' Reconhecendo os vicios radicaos da situaco, re-
leia-se .-attenua-lhe as faltas-Na linha 28 lease conheco igaalraente. aua s a marcha lentaXiem
Z Z ncZmdLBrvahry-^nma de Bo,va7- p A STA^dK?
, T Sa "*- ~ fm vex tajw as circunstancias criticas e complicadas em
SSa.corarana linha 19, em vez *\fiS3lSS^fSLS^M^
raciocinio amigare, lease o raciocinio ameiga-w. Jels orgnicas; nio ha ordem nos affazeres rpreci-
J&X*J2!S7Z i ,,nhf > *m V6Zve r6 k* saraos de forl,Bcar as administrag5es; de resolver
flfrj*** ~serla enfadar-vos Na linha oll qnes,5es financeiras, e internacionaes. Todas
ni r*l?rLCram r&0SK(mdtf.am^ e C' essas ('ues,6es sao de nma "lem muito superior
^Ti hJ nde T^3 ~Na ''" e ele-"; mas cima dellas est a grande ques-
nha 17, em vez de voluptuosidades, lea-sevo-, tj0 ao ati H
ERS&: ?! !Dha 39, em vez de maS A "So'acha-se em urna dessas condigoes mo-
a&. a,2"a0 ,etC.-' letiase-ni3S enme, mas; raes que descreve assim A. H. .Ha momentos em
or Armara FmJi '' emende-se ~ A Duvel i W* espirito se divide em machina, e consejen-
m u"va'- ... cia; a machina move-se pelo impulso das necessi-
/o,NaqT'?-C0lUmDa' i'nha4' eravd?.^*:' dadeamateriae,e o espirita absorve-se todo era
ter-M ele., Iea-se-Acoberta-se etc.- Na liaba 23, uroa dea, em um pensamento.. O espirito publico
onde diz e sent que as lagrimas da feliadade absorve-se todo em um s pensamento.~A naci
apaguem etc., lea-se e sent que as lagrimas da est ultrajada em sua honra; preciso apagar es-
felic.dade apagara et.... sa mancha negra, que subsistir em quanto nao
Ha mais algumas faltas que sarao fcilmente j tremular victorioso o nosso estandarte era Para-
correctas e comprehendidas pelos leitores, a quera gnay.
Nenhuma outra questo poltica tem lugar e ca-
bimento.
Nao nos faltara torcas nem meios, o que precisa-
mos reuni-las, e dispor tudo a esse fim.
As circunstancias mais criticas e arriscadas se
pedimos as devidas desculpas
NOVO BANCO DE PERNAlbTCO.
Galancete do Nove Banco de Pernambuco em 29 de transformara muitas vezes era felizes incidentes.
abril i865 A Baeni< esse lagello das nagoes, essa terrivel
ACTIV0 personiflcago de reuinas, estragos e dissolueSes,
Apolices da divida publica........ 708:672*481' p5e,mUli b ,m-ser para .nOS um PrinciPio tai-
Estrada de ferro de Pedro II...... 16t0-()00*000 E,a ProPoslcao Pecera a muitos um estranho
Estrada de ferro di Bahia........ 131074*706 Paradox.> mas ParaRelies que estudavam as
Deposito 72-OOOiOOO C4Usas do estado lethargico em que jauamos, nao.
Joi'as depositadas'. '. ". '. '. '. 5:735*280 elles ?uvem rnmores da guerra, como o medico,
Ttulos depositados...... 72:-682*274 qu? OD,erTando.aento o infermo cahido em deli-
Letras depositadas...... 7-355*750 qa'* uve ftinwn emido abafado que sahe de
io:-iiiannn sea Pe"! e ass,m como esse gemido para o me-
*V-',.'>V*WY Aten nm tvmnlnim A* ia-i m ,n..n. _
Letras caucionadas
Letras descontadas
Letras receber...... 49:736*153
Letras protestadas..... 220:483*547
Banco da Bahia N/C..... 217:809*125
Aluguel de casa...... 1:575*000
Pornecimento....... 5:000*000
Juros............................. 5:716*814
Despezas geraes....... ^iggj^1 de profondas e diversas emog5es correa'a abracar
U"IH.......................... J^*^ | com to vivas manifestagdes de enthusiasmo os fl-
r0 17Q7 i7iAW'lhos briosos da Pa,ria? Q"em s v'o partir,erguendo
15----- ',v i seus olhos umidos ao cu, e esteodendo os bragos
! para dizer talvez ura ultimd'adeus aos mais charos
i-fiifi'tiri$ni dico um syraptoma de vida, urna esperanga con-
w soladora assim para aquelles, que estudavam as
causas de nosso estado de completa insensibilidad^,
esse movimento da guerra todo animado pelo espi-
rito nacional, como, o priraeiro arfar de nossa
vida moral.
Quem contemplou no sempre memoravel dia 27
de abril o movimento de um povo inteiro, que cheio
ASS1VO.
Capital..........2,000:000*000
Em circula-
do..... 911:700*
Eracaixa.. 8:300*
Depsitos da direcgo ....
Letras por dtnheiro recebido a
juros .........................
Coolas correntes simples..........
Contas correntes com jaros ..
Fundo de reserva......
Ttulos era caugo.....
Knowles & Foster, ( e Loodret.i
Francisco de Figueiredo & C, do
Rio de Janeiro................
Banco da Bahia S/C .
Saques........................
Massas fallidas cargo do Banco.
Dividendos........
Premios de saques e remessas. .
Descont........................
920:000*000
72:000*000
56:381*500
60:566*581
152:7033875
117:237*650
85:773*301
15*270
penhores de seu coraco ; e voarera era defeza da
nago ultrajada: contemplou o primeiro dispertar
dessa nago adormecida.
Percebeu com indisivel prazer os primeiros symp-
mas de vida moral nesse corpo que jazia sem sen-
tir.
E qne hornera, que partido diante de nm to
grandioso espectculo pdde ficar insensivel? 1___
Como erara ardentes, espansivos, e tristes ao
mesmo tempo os diversos seutimentos, que tumul-
ta vam nessas massas immensas, compactas, se
movendo entre lagrimas e flores, qne cboviaro.
Quem pode contemplar com frieza, e ser inliffe-
rente ao despertar de urna nago em xtasis, pa-
triticos TI
6:370*440 QQein *io> pde-se assim dizer, a magestosa
156:698*853 inauguraclo do nosso espirito nacional nesta pro-
bo: 135*252 viada. Quem vio se confundlrem as lagrimas, es
2:185*553 sologo< com o mais estridente enthusiasmo publico;
5:700*000'nao Pde deixar de exclamar.
343*747 Hosanas Pernambucanos I Temo; amor de pa-
96362*373 ,ria- Nao somos urna nagio de deset tdost
Gniai-vos pelo brilhante fanal qee assoma no
Ris. 3,797:474*39V nw'sonte:
O espirito nacional
Estado da cana.
Km oure amoedado.....381:685*000
Ero cotas do thesouro de 10*000
etmiores.........
Em ditas menores de 10* .
Km notas da caixa filial do Ban-
co do Brasil.......
25:320*000
6:518*000
&ra notas do Novo
Banco de Per-
Bambuco, seodo
21 de 200* 4:200*
33 da 100* 3:300*
16 de 50* 800*
Em trata cobre.
61:810*000
aclara vossa marcha, como
aquella luz, que guiava os Hebreas. Atravessai com
os vossos frmaos do imperio o mar vermelho da
guerra; suas aguas abrera franca passagem a glo-
ria. Pedro nos condnx. A nago ser salva.
E' sempre ao espirito nacional qne as nages
tem devido a sua maior elevagao e grandeza.
A historia toda intoira, e a experiencia de cada
da, depde em favor desta verdade.
Esrodai dos Gregos a sna gloria as artes e na.
seieaeia, a na gnerra o sea valor, vede aquelle ge-
narai, xw arraacaado o dardo de sea peito. em
totmase sangae dnia: la leoho assaz vivido,
porque morro sem ser vencido. Vede corno Xer-
^ xes em seu lonco orgulho, agoutando es mares e
c^TTX a moma Athos, intimaed que se abala, v sna
0:675*119; f,.e,a aeslruida por Teralstocles, e retira-se diante
... nna, do valor de poneos. Fot o espirito nacional, que
490:308*11 animsndo nm pnnhado de Gregos vencen o maior
_ ... *--------~"~" exercito do mundor
Dtmenstragaa da emisso. Vede a Hespanha nessa Iota eterna! Pareca
2430 noiss de valor de 200*000 490:000*000! qne nada poda resistir ao poder de Musa ; o pro-
398i 100*000 328:600*0001 prio re bavia sucumbido; e a cimitarra dos ftlhos
Ris.
(<"
1,844:435*510

-
MUTILADO!



i AfltJJ M =
J IV
DUrU 4e Peraubaeo Hlate flr 4 e Malo de i &.
de Mahomet dfetave a te. Mas o espirito nacional Vwmpre precedida-naqaellfl
surgindo no genio ne Pellagio ressuscita a na$5o. Tnlretanto, afflaneou-Tne pessoa fidedigna, que t dores, e esforcos eoosideravois,
Os hei oes de Gavadooga assomam do alio das man- havia surgido mais um embarazo, ao Sr.commej-, nos, depois de atroces soffrim
unhat, t tremlila o fundarte fclonoso, tt o- Mor-Mn^s e Soasa fe** rM*M ** a urina sahir pelo escroto, i
ve o frito dapatria e religio; e a loto sao Anda jomo,- o pal era a apresentaioO de Sr. Dr. Joa- com pus e depois cada vei roais
- rjum -PirWadhado Porteiia, a ponto de que elle de entao at boje s urina por
Huera arque conkecia ser conteniente aproveitar Finalmente que ha om anno, mais
inais,"sSoscblos de peleja. E o espirito nacional
qoem oaerece um exemplo de herosmo sera igual
na historia da humanidad. ___
Ah tendes diante de vosaaa v**a* Albia^*_<-
berba Albionl E' um ponto ^tttsHper(PM
meio do mares; mas o sen poder se eswafle per
toda parte do o lie. E" o itopario downie,em sen
seio se guardam as riqueaWilas npoes. As saas
grandezas excdelo a toda* s grapaeras, nenhnm
poder excede ao seu poder, -E ao qae dwe a posl-
cao respeitavel Ao seu espirit naoaal.
Nos lambern teme amor O patrie ; e o espirito
nacional e movel que deve dirigir-nos. O novo,
esta occasiao, que se offerecia, a fin de repararse o
tramkn$,^ue soffrera o mesmo *r. Dr.Mmaum
PttWa. pela demusSo menos justa, de Orador da
iHttrucrao publica, fue Ihe fra comcmUi* pelo sen
antecessor, ^gx
V
Deixo de citar os nomes dessas pessoas com
quem ti ve taes conferencias, e assim se exprimi-
r ra, porqae i" per elles nao estoa para isso auto
a sentir no
escroto um corno duro, _e resis-
ando asina lo depara! ten com nn phi-
oeeaftavaaada a glande,
Pedido respeltoso.
Ao actual earonista do theatro de Santa Isabel
i8r. aaairmlco Guimaraes Jnior, peco que, por!
Cade, e em attenco ao seu pnvettoso mis-
!aja O iniciarme na escoto moderna, de que
a entaado, e da qual S. S. tem conbecimeatos
profundos^pomo bera demonstra em snas arr.
di .ui ftr.ui
Jcoosidajavel, que
rtoittia apatas o gotejar lealgaaapus por urna
cnmntissina abortara no peeaoeto.
Em muio pontos da parte inferior do penis, no
trajelo da uretra, etJatem nodoslda4es. Na uniao
ao oseante na urna flstula vinaria.
rofundocoi!
*5 %
risado; frflea-lhes o direito alvo de contradirs--me afgwaa perita 4*substancia. Na parte inferior o
sobre as referidas assercoes se por voatura foreai escroto,*) lado direito, existo um calculo, que por
inexactas; 3 os seusnomes nao influem para a urna das Astutas, dessemlnadas nesse lugar, pode
ciencia cora sto se* mngtum, aae 0
para faassHRie a vontade dispoe-se a deotl me-
Ihor os papis, e a seguir o meiboe de S. 8., urna.
vea qta se acha escoltado do* flafioi teydean,
Barritrt Sardou, Peltetan, e oertros com quew *
ve em tao nerfeita harmona.
No theafc* de Santa Isabel, hora que marcar,
espero-o, aim de'que com a tVaaqaata que ihe
propria, se digne apagar os ieWtos da trgica d*-'
clamacao banida pela escola de que S. S. hbil
professor.
que meconhecem, que wu incapaz, e nao tenho por extensao de urna pollegad. Essa pedra formada Peco-lhe nufe, que va munido de, jjalmatoria,
costume, de adulterar a verdade no proprio lugar em que s acha, dura, e de um porque sendo en* velho e rnde, talv'ez nao possa
A vista dess occorrencias, pareca qH* ademo- dimetro mui provavelmoate superior a urna polle- hem eomprehender a sabbatina, e enlio tenha de
ra para deferir-se aquelle meu requer ment pro- gada. servirme do instrnraento.
ceda da diCBculdade, em que se laborava para O corso das orinas, desde rerto lempo que o Cont que S. S. nio se negar a esta obra de mi-
desemfearacar-se da minha concorrenwasb certa doenle nao pode determinar, tem tido logar quasi sericordia, pois desejo ardentemente nstroir-me em
appareucia de henestidade, adra de se poder levar que exclusivamente por ama das fistolas, mais em! cousas de theatro.
entao a fleito a deliberacao previamente tomada contacto com a referida pedra, tendo-se por -isa*
deconceder-setodo transe-a preferenciadaquelle obliterado mais ou menos algumas das ontras.
contracto ao Sr. Dr. Prancifco de Paula Salles; Mesmo assim toda a parte inferior do escroto se
sendo que por isso fra ratster oavir-se os Areoptr acha consideravelmante cartasa.
gistes, que entao achavam-seassas atarefados sobre Nestas circumstancias pareceu-me que a primei- Os inferiores do corpa de polica abaixo as-
a consulto de negocios deiwaior magnitnde, se- ra icntativa^devla ser o catheterismo explorador, signados vem agradecer ao Illm. sr. tenent--coro-
gondo se dkia, e nao poderam indicar prompto" pera proseguir na deseaberta de certas lesoes pos- nel chefe do^stodo-maier, Sebastiao Lopes Gu+ma-
mente aquella decente sabida, que se desejava siveis e de outras provaveis. Todas as rainhas ten- raes, as maootras orbaoaa a delicada* com que se
attingir. ilativas, porm, foram baldadas, sendo absoluta- "
Vi mente rmpossiel a introduccao na uretra de qual-
Com tado, persnadi-me, que o Sr. commendador quer instrumento, por mais tenue que fosse.
Domingos de Souza Leo para manter illesos seus Resolv ento descobrir a.glande por meio de
crditos de cldado-honesto, e administrador im- urna incisa no prepucio, para memor" apreciar e
remover aquelle obstculo extraordinario. Como
era de esperar enoontrei a abertura da uretra com-
pletamente obliterada.
Sendo protavel qne essa obliteragao se estenda
muito alera da glande, como parecem indicar as
doreas existentes no trajete da uretra, e devendo
horas do despacho, para casos urgentes, principal-
ite oeste, lempo de iovernav^aaoheai daflailira-
te asna residencia para o seminarlo episcopal
le Olinda, onde pd* er procurada a oeaaitae do
expediente das 9 horas da manha ateas 2 da tar-
de; e para' os casos urgentes a qual quer hora, do
da oo da noite.
O aeerelario de bispado,
Conego Mnwrn Ferrpra ios Santo.
parcial, nao affrontar compromettimentos, sahir-
se-hia ptimamente de taes difflculdades, estrbele-
cende a concurrencia para celebrardo daqwlle con-
tracto, ou em ltimos apuros, adiando a olucao
delle al a sua destitnico, que apresentava symp-
omas de nao estar kingiqaa, e passanio o cum-
que^rpeoAra'dV'esprito'de'sua acionaldade exactido'da narrasao desses fados; y sabem os fcilmente ser tocado coa ama tenia, e seguido na
vence todos os bstaeolos que se possam oppr a -
sua grandeza, e prosperidad^.
Teos elementos de forca, de grandeza e de
prospeftdade dtssemieados pela tastto immensa
do oesso imperio.
\t preciso renni-los, dsenvotve-ios, o applica-
los-i para isso indispensavel orna uniao sincera e
permanente: prechtoases de proscrever a politica
mesquinha de pessoas. As cousas lem chegado a
em tal extremo, que a uniao, rneos bem nlensiooaoos, sera distincao de parti-
dos de urna oecessMade absoluta. O bem publi-
co exige, que se proscrev lodo o espirito de par-
culidade, toda -aonipathia,-eu affeioSo para uioa,
ou outra causa em Tace de urna s causa, a causa
nacional.
Pronunciando-me com os enrgicos acentos qne,
nascem da profunda convicfao em que estoo de
que nao lempo de oceupar-nos agora com rivali-
dades, polticas, e-as dissensoes, qne nos retalham,
nao DMdetxo fascinar por chmras, e pbantasti-
cas llusoes. uardo o fago sagrado de meus prin-
cipios, fago, que uuooa fo aleado por amor de
pessoas, e stm d'idsias, para abragar-me com a
bandeira nacional.
Que importa o pessoal do poder 1
O poder est representada pelo ihrono, e corro-
borar o tordno a primei ra necessidade do paiz
em todas as circomstancias, e mormefle agora.
E' preciso foriifica-lo para que sua aocao se de-
sembarace dos obstculos, que Ihe auscilam as
ambicoes devorantes ; do contrario permanecere-
mos sempre nesse estado de oscilacio que tende
smente ao edraquecimento completo de todas as
forcas do pa'tz>
Faco votos* portante para que se abrace-geraM-
menl nm-pensameoto cuja rea I isacao imperio;
smente reclamada pelas eircumstaocias actuaes
pensamenlo que sem duvida oceupa a suprema
rana o'eitado.
Nio preciso dar-lhe maior desenvolvimento,
ha ideas, que urna vez emiltidas 'sao recebidas
mais pela intuicao do que pelo exame da razio.
Temos orna guerra e com ella despoola o espiri-
to da naeo.
A providencia nes guia por camiones oceultos a
seus fins; o facto que maior embarasso nos devia
causar talvez um meio segara para se dar urna
formaregular, e um impulso de graodoza ao nosso
corpo social.
Reunam-se todos os elementos dispersos, e dece-
mnados; ocntrallzem-se todas as tercas oacionaes,
e bremos mudado a lace da uaco.
Quem ouve os clamores das provincias limiiro-
phes ao Paraguay; quem ouve a disrriprao dos
crraes horrorosos perpetrados pelos nossos inimi-
gss nio pode consultar outros seutiraenlos que
nioeejam o amor da patrii.
E" lempo de partir...
Abrassemo-nos todos a nma s bandeira, a ban-
deira nacional.
CORRESPONDENCIAS
(filarla correspondencia do Dr. Antonio de Vascon-
celos lezeaes de Drummoud aeerca do contrete
affectaado pelo e\-presidente des la provincia o
Sr. romiurudador Domingos de Stuza Leo para
eonfeecie do ndice alphaetko das leis pro-
vioeiaes.
I
Senhores redactores. Prosegundo na minha
la re fa de -analysar o luminoso parecer das Ilustres
"COmmiSJes de.iaglacao e orcamento, sobre a pe-
ticao, que dirig a assembla provincial, acerca do
contracto effectuado pelo Sr. commendador Domin-
gos de Souza Leo, para confeocie do ndice das
leis provinciacs, parece-me para isso mui acertado
aqu transcrever litteralmente o segundo funda-
mento desse parecer.
c Considerando, que nio se pode admittir ma f
da parte do governo, nao estando provada, e que
nao tendo o suppllcanle apreseulado a sua pro-
posta, como Ihe fo determinado por despacho de
, 41 de julho, devia a presidencia da provincia
< entender que elle tinba desistido de suapreten-
= cao, principalmente nao teodo liavido replica
allegando os motivos perqu nao ofazia, nem ao
menos a declaracio de que em lempo competen
te a apre.-entaria: entendem portante as com-
< missoes. qne da supposicao de ser Ilusoria pro-
< posta,nao se pode deduzif um motivo de nulldade
nem de censura. >
Para meltior orden da minha argumentacao, e
mais ajustada apreclacio das occorrencias havidas,
seja-me permiltido fazer exactamente o histrico
deltas.
II
Qu3do fo publicada a lei do ercamenlo provn
cial de.(864 a 186o, conversando eu com nm meu
dislincio collega e amigo, sobre a rosoluco, em
que eslava de requerer ao Sr. commendador Do
mingos de Souza Leio, eolio presidente desla
provincia, para elle fixar as bases, ou oodiedes
do conlraelo, qu fra aulorisado por aquella lei a
effectuar, para cenfeceo, classificafi, publicoQo
do ndice alphabetico das leis provinciaos, disse-me
aquelle eslimavel amigo, com a sua natural bon-
dad e, que tendo de ir brevemente a palacio, offere-
cia se para ser o portador desse meu requer-
ment.
Respond-Ihe, fue Ihe agradeca minio este seu
generoso offerecitnento, mas que o nao poda accei-
tar, por nao querer, que o Sr. Dtmmgot de Stu-
za Leao,nem de leve suppuzesse que, ende eu lber
ral, e elle de urna intolerancia politica pharisaica,
recorrer sua intervencao para amparar esta
minlta pretencedo; tanto mais quanio julgava-me
com pleno direito ao bom deferimento deUa, e por
eonseguinte nao me era preciso, e rocusava slli-
tar-lhe favor algum,
E anda insislindoo dito meu amigo, por dtversas
vezes, para que Ihe confiasse o dito meu requer-
ment, e asegurndome, que fallara ao Sr. com-
mendador Domingos de Souza Leao mu claramen-
te, e em brdem a fazer-lhe sentir, que eu o nao
constituir protector, mas sim portador detoa mi-
nha prettgio, resolvi-roe a entregar-lhe a dita
pelicao, anda com efficaz recommendacao uaaueJle
sentidoj sendo que constou-me baver elle assim
praticado prompta, e fielmente.
III
Tendo porm decorrido quasi um mea, sem
ser-me devolvida aquella ma lia pelillo com qual-
quer deferimento, passe i instar com aquelle man
amigo para qne o solliciasse, e a final ihe dsse,
aue, a viita teste :procedtmento4o Sr. commendador
Domingos de Souza Leao, sentinau fosse forcaao
recorrer imprenta para demonstrar he, que nao
Ihe era Hato por Jal modo demorar a admimttra-
cao dajustsca cabaiei cm suas attitbuicoes, sem elle
praticar um acto entumoso, e cowemnavel.
Poucos das antes de apparecer aquella decisao,
tendo tido occasiao deencontrar-me.com um amigo
velho do Sr. commendaoor Domingos de Souza
Leio, (e com quem tambera teobo reiacSesj, que-
xei me do seu\piecedimente para cemmtgo, e man-
festei-lhe a minha resolucao de provocado pela im-
prensa cutnprlto seu deoer~de despachar aquella
minha petico comutwsswel breoida.de.
Entao, respondeo-me aquelle nosso amigo com-
muujDr. Drummoud, toc para que pesua mais
nesse contracto, que, segundo tenho observado, j
est destinado para o Dr. Francisco de Paula
Salles 1 Todava, bom ser, que me entenda-u com
o Domingos, que i um catalheiio, eo acolher com
affabilidade.
Respond-Ihe quasi no supradito sentido, accres-
centando- que nao duvidava,e antes accieditaeam
cavallteirumo, e wbanidade, aue distmguiam a
petsa do Sr, commendador Domingos de Souza
Leo, mas que estaa acostumado nao ir ncotn-
modar aos presidente desta provincia, e anda
menos com quaesquer pretence* pioprias, ou
alhetos, como elles podo iara dizer; sendo que por
isso mesmo, e.por mais, algumas agulhnas^-mt
obzequiavam com o seu completo olvido.
3 de malo de 1865.
Germano Francisco de Olivetra.
pnmento desse legado no sen successor. na wilntia opinlio preceder ao restablecimento
Outro sim, em face destes precedentes, conside- deste canal a passagem de nma algalia at a bexi-
rei qoe o Sr. commendador Domingos de Souza ga pela flstula qne a isso melhor se prestasse, deli-
Leo, a nio querer assim proceder, cu a menos- berei coordenar, como convnba, a serie de pera-
presar o decoro proprio, bem poderia ter exigido coes indicadas pelo estado do doente, e nesie pro-
aquella minha preposta, para por-ella ser pautada psito pratiquei logo a circumeisio, empregando o
a qoe ulteriormente apresentarla o Sr. Dr. Salles, proeesso de Lisfranc, que rae parecen o mais ade-
e a lina i conceder Ihe com apparencias de jostiga qnado ao caso presente.
a preferencia daquelle contrato, que Ihe era desti- _Apesar de urna pequea ulceracao, que a abla-
nada. fio do prepucio poz a descobrto, e donde provincia
Nessa alternativa ache mais prudente deixar de a supurarlo cima mencionada, sararam era pou-
enviar ao Sr. commeBdador Domingos de Souza eos dias tanto essa nlceragio, como a ferida, feta
Leio, a proposta, que de mim exigir no deferi- no prepucio,
mente por elle proferido depois de 33 dias naqnella Acha-se pois o doente
minha policio, afim de mallograr aquelle bem pos
sivel calculo.
VII
Como, pois, consideraram aquellas nobrescom-
missoes da assembla, uue eu deveria ter submetti-
do ao Sr. oommendador Domingos de Souza Leao
sobre aquelle deferimento, ou alias urna petioo, de-
clarando, que em tempo a apresentarta ? O que
hoje livre de mais essa
encomnrodo, e radicalmente curado da phimosis.
Segaia-se a exploracio da uretra, alera das obli-
terae^es, por urna das fistolas; e como a urina s-
bisse em maior quantidade pela que ficava mais
junto a pedra, por essa eomecei as nunnas tentati-
vas. Ellas foram infructferas, por que a pedra
opptmha obstculo a passagem dos instrumentos.
Procure! entao pela fistola da regiao esponjosa da
aproveitana a pralica de qualqoer desses actos, uretra alcancar a bexiga, o que era tem duvida, a
quando o Sr. commendador Domingos de Souza eoodicio essenrial de cora pa o doente.
Leio ja tinba manifestado o seu firme proposito de No primeiro da pudo apenas percorrer a exten-
desattender-me, e apenas o seu espirito scfllava sao de meia potlegada, e isso por meio dos mais
ante aquella difflculdade, que Ihe surgir, com a delgados e flexiveis instrumentos,
apresenlacio para elle intempestiva, o vexato- A* cusa, porm, de maiores esforcose muita pa-
ra do Sr. Dr. Joaquim Portella 1 Era que ciencia, lu pouco a pouco vaneando obstculos,
tempo qoeriam aquellas nobres coramissoes, que eu gradualmente avangaodo, at que afina] pude al-
apresenlasse a minha proposta, urna vez qoe nao cancar a regiio prostratlca,e depois de novo em-
estavam anda estipuladas as bases desse contrac- baracos chegar a bexiga.
to ? Onde vio-se a celebragio de um contracto, sem
a previa fixacio das respectivas clausulas, ou con-
dioes, qne tendem a provocar a indispensavel
concurrencia, e fazer para elle preferir o concur-
rente, que tendo as precisas babilitacSes, se offere-
cesse para fazer esse servico, por mais commodo
prece e sob as mais solidas garantas ?
Gradualmente dilatada essa parte da uretra, tor-
nou-se possivel em poneos das a introdcelo de
urna algalia n. 6.
Preparadoofloentepelas doas operacSesjpra-
ticadas, seguir-se-ha a exlracjao da pedra, o que
ter lugar no da j designado, restando depois de
cicairisada a ferida em soa mxima extenso, o
Parece, que essas illustres commissoes quizeram restablecimento da uretra na sna parte ainda obli
ter sempre o gostlnho de dar me um conselho, ou
indicar-ine o remedio para sezoes depois de morto,
pelo que Ibes son, c lhes serei sempre muito
grato.
VIII
Melhoravisado andei (segundo me parece) guar-
dando aquella alternativade appetlar para a cir-
cumspeccao do Sr. commendador Domingos de
Souza Leaona crenca de qoe a elle nao consom-
maria esse contracto, pela impertinente superve-
niencia do Sr. Dr. Joaquim Portella, sem estabele-
cer as edndlses do estyllo para a concurrencia,
que Ihe servir ja de salvo-conducto, ou alias de es- i
perar a occasiao, em que elle porventura se des-
lisasse dessa verdadeira senda para fazer valer, I
peraute a assembla provincial, o meu direito lio j
flagraoteniente eoncnlcado, qoando ahi se Iratasse '
da approvaco de tal acto.
Mas, nao tendo sido nada publicado qur
acerca das cendigoes, qur a respeito da effec-
lividade do mesmo contracto al a destituifio,
do Sr. commendador Domingos de Souza Leao, e
entrada do Sr. desembargador Peretti para a v-
cepresidencia, entend, quesob a conflanga, qoe
inspirava este administradorpoderia a elle recor-;
rer, apfesentando-ine como proponente, e sera o
receto de que a minha proposta nestt occasiao fos-
se serwirde jogute para pantar-se a que necessa- i
riamente deveria apresentar o Sr. Dr. Francisco
de Paula Salles, secretario da presidencia, qoe era
o candidato apontado para a celebracio do mesmo
contracto.
IX
E si o meo proceder nio produzio aquelle effe-
lo por uiinj calculado, foi devdo a estar j con-
suramado aquelle contracto na ultima hora da ad-
ministracao do Sr. commendador Domingos de
Souza Leao, como declaran o Sr. desembargador
Peretti em seu primeiro despacho e nao qaerer
este annuUar o acto do seu antecessor..-.
Logo, deve-se concluir, que tambem sera em
Eura prda minha, ou bada eo adiantara, para o
om xito dessa minha prelenco, se porventura
tivesse seguido qoalquer daquelles conselbos,
qoe aquellas nobres commissoes dignaram-se dar-
me (ex tolo corde) naquelle seo respeitavel pare-
cer, pois que as mesmas causas produzera os mes-
aos effeilos.Cela reviendrit au mime.
X
Antes de tado, convm apreciar os fados com a
verdade, e pureza, qoe os acompaoha -, antes de
todo convm manter a honra pessoal, salvar a mo-
rahdade publica, e nunca prescrever as regras do
josto, e do honesto, ainda quando se tenha de julgar
e decidir/hegooios de adversarlos polticos.
Mal haja todo aquelle,que proscrever esses no-
bres seniimentos pelo ceg espirito de partido, co-
mo tem snecedido infelizmente entre nos, ne.-ta
minha ierra ; o que tanto a lem feito amesquinbar,
ante a elevada dignidade que por seus' elementes
na tu rae- outr'ora allingio, tem, e ter sempre in-
dlspotavel direito.
Refutado assini o segundo fundamento daquelle
parecer das nobres commissoesaqu pararei por
hoje para continuar brevementeorna vez qoe me-
reca a pnblicacio dos meus artigos, como tenho
solicitado, e confio.
Soo, Srs. redactores,
Seu letor e amigo,
Dr. A. de V. I. de Drummond.
Recito, 25 de abril de 1865.
lerada, e finalmente a orelroplastia contra a perda
de substancia qoe se apresentar.'
Desta arte provavel qne o doenta se restabeleca
em pouco tempo, tendo soffrido cinco operacoes,
que dever a soa cora radical.Recife, 2 de maio
de 1865.Soo, etc.Dr. Luciano de Muraos Sar-
ment.
dignou traalos, durante e tongo tempo que os
commandou desde 7 de mareo de 1836 at 2 de
malo do correte. Receba, portante, o Illm. Sr.
tenenle-coroftel as saadades de eterna memoria.
Recife, 3 de maio de 1863.
Antonio Henrique de Miranda.
Mximo Francisco da Silva.
Manoel I.uiz de Siqueira.
Theotonio de Barros e Silva.
Antonio Jos de Aadrade.
Francisco de Assis Campos.
Marcolino da Costo Raposo.
Basilio Rodrigues Selxas.
Amonio Jos de Sooza e Silva.
Srvalo Manoel de Jess.
Bellarmino Ferreira da Silva.
Domicio Barbosa dos Reis.
Antonio Saraiva de Axaujo.
Jos Francisco de Souza Magalhes.
Horacio Raymundo C.
Manoel gnacto Gongalves de Farias.
Jlo SoaresGuimaraes.
Jese Joaquim de Mesquita;
Jos Elias de Sooza.
Manoel .ftaynero de Barros.
Jos Urbano da Silva.
Claudno Fausticio da Paz.
Bellarmino Pinto de Paiva.
Laorentioo Flix de Oliveira Lima.
As pessoas
cao, eonaparet
junta, dia a
Dr. Eduardo guato Pinto de Oliveira, juiz petontoaaente
municipal e provedor do tormo de Olinda por
S. M. I. e C. ue Dos guarde te.
Fago saber ao qoe o preseate virem, qoe ton
do-me sido remeMdo peto subdelegado do carato
da S, o proeesso e apprehenpio e aposito de
um cavallo, com s sigoaes eguintos: foveiro.
Trente abena, os aoanu ps aaigKdos, qual tom
ferro no quario direito, e foi apprehendido no da
26 de margo a Quinlilo Antonio da Costa.
E para que chegue a noticia de quem direito li-
vor ao qsmo cavallo, mandei passar o presente
.que ser affixado e publicado pela imprensa, de
conformidade com o art. 90 do decreto de 15 de
jonhe de 1859.
Dado e passado nesta cidade de Olinda, aos 3
de maio de 1865.
Sob meu signal e sello deste joizo, valha sem sel-
lo ex causa.
En Francisco das Chagas Cavalcante Pessoa, es*
envao da provedoria a escreri.Eduardo Angoste
Pinto de Oliveira.
O Dr. Tristao de Alencar Araripe, offlcial da im-
perial ordem da Rosa e juiz especial do commer-
cio desta cidade do Recife de Pernambueo e seu
termo, por Sua Mageslade Imperial, que Deus
guarde, ele
Faco saber pelo presente, que por esse joizo e
co
ERCIO.
PBLICACQES A PEDIDO
CURA
Espantosa c Adiniravel
DE TJMA CHAGA
CARCROSA E ROEDORA
Gaixa filial do banct do Brasil em
rernao buco.
A directora desta caixa saca sobre o banco do
Brasil no Rio de Janeiro e sobre a caixa filial do
mesmo banco na Babia.
X9VQ bae* de Pernan-
hao*.
O banco dMseonta letrasna presente semana a
10 por cento ao anno at o praze de quatro me-
zes, e a 12 0|0 at o de seis mezes, e toma diobei-
ro a juros a praso nunca menor da tres mezes.
*'ovobanco de Pernambueo.
O banco paga o 14* dividendo narazode8J
dor accao.
Cala filial do banco do Brasil
en Pernambueo.
10 de abril de 1865.
Tendo-se desencamlnhado do espolio de Bernar-
do Jes Pinto a cautela de 43 acedes das localiza-
das nesta eaixa, sob n?. It39 a 1281, a directora
faz publico a qoem interessar possa, que por pane
da Antonio Jos Ramos de Oliveira, do Rie de Ja-
neiro, tutor dos herdeiros do dito Pinto, se vai
aqu preceder a transferencia das referidas acetes
para o norae dos mesmos nerdow-oo.
O guarda-livros, v
lonacio Nunes CorrOia. j
ou
POLYPO NO NARIZ.
rt. redactores. as enfermarlas do hospital Pe-
dro II de que me acbo incumbido, apresenta-se um
aso de cirorgia, que pelo complexo das ndicae3es
me parece, se nao de gamma importancia, ao me-
nos caro e curioso.
Desojando leva-lo ao conheciment dos ttieos col-
legas, qoe quizerera observa-lo pessoalmente. peco
a V. S. a publicajo destas linhas.
Sabbado (6 do corrente,) pelas 8 horas da ma-
nha, tenoouo praticar mais urna das operacoes,
que oeste caso se tornam necessarias.
ttretaoto, desde j drei do que se (rata, o que \
tenho fciio e pretendo fazer, nao s para esclarec-1
melos dos coilegas qoe nao tiverem teto casos
idootieoe, se nao tarabem para nao eneomraodar
sem proveito ou com aorpreza aquellos que por i
ataso tiverem j observado destes casos raros.
A 3 de abril prximo passado entroo. para nma
das minhas enfermaras, Antonio Marinho Falcio,
pardo, de 48 annnos de idade, vioyo. natural de
Goianna, de constituicao forte e temperamento san-
guneo. O doente declaren qoe nunca itvera dotra
molestia que orna blenorrhagia, qoe Ihe apparece-
ra ha 27 annos, e ailribue-lbe todos os seus soffri-
mentos posteriores. Confessa qoe por deleito tem
at o presento deixado a soa molestia correr ao
abandono, asm nanea ter seguido tratamento al-
gara.
Pergunlaodoeobre a data e marcha dos seus pa-
daeimentos actuaes, disco que i blenorringia ss-
faln-se grande diSaBldade na eaissao das nri-
l'ma creada de servir residente em Pernam
buco e pertencente Ex SeBr Viscoitdessa
DE Qoiahsa, fot attacada d'uma terrivel cha-
ga cancroea e roedoraou Polypo no Naris.
A meema inrolvia e tomara todo a parte In-
ferior do nariz, amentando j dietrur tanto a
^arte cartilaginosa como o mesmo oso ; Come-
cou primeiro por appareoer eob o beico supe-
rior e parte da face, extendendo-se por tal
forma e com tal rapidez, que em pouco amea-
cava transformar todo o roeto n'oma norme
eharga vira e asquerosa. Durante tado esta
terrivel estado, todos os recursos medicnaos
que em taes cazos se uzito forEo abundante-
mente empregadea, sem que de leve fizesse
parar a marcha lenta e distruidora de to hor-
rivel enfermidade, e todos os meioa e esforroB
forfio baldados, e no em tanto o mal cresca eis
que por milagrosa fortuna da infeliz estando
as coozas neste ponto, se experimentou pela
vez prlmeira a
SALSAPARRILHA
DE BRISTOL.
O effeito produallp, quasi que. instantneo
por este incstimavel remedio foi venladeira-
mente maravilaoso e sem igaal; este grande
purificador do aangve e doa liamores do stb-
tema, immediatamente poz um termo a mar-
cha disastroza e fatal da molestia, derramando-
ae e infiltrando-se atravs dos tecidos os mai
delicados do corpo, expellindo at ultima
proprledade ou vestiglo virulento da molestia,
e dentro d'um curto espaco de tempo produzio
una
CURA
Completa e RadicaL
ste feliz qoao admiravel resoltado foi obtt
do a] lenta eotn o simples uso
D'nma so nica larrafa!
d'eate iacomuaravel inapreciavel depuratorio,
reeonunendaaaos portento i todos os Doentea
que proenrem obter com o maior cuidado a
nica e verdadeir Salaanarzllba da Briatol,
nptcnnit L'ANM AN & KEKP,
Be NOVA 1ORK,
na certeaa de qae, todas aa mais preparacOes
imiUtiTas nBo ralem para couza lguma
Vende-se as boticas de Caors & Barbosa
e C. Bravo & C.
ALFANDEGA.
Rendimenlo do dia t a t.......
dem do dia 3...............
{ /~
50:324*071
38:0OOio3
88:37422i
MOVIMENTO DA ALFANDEGA.
Volumes entrados com fazendas... 67
i com gneros----- 345
-----412
Volamos sabidos com fazendas 152
t t com gneros..... 2,323
-----2,475
Desarregam no dia4 de malo de 1865.
Lugre portuguezJn/odiversos gneros.
Polaca italianaFebodem.
Escuna dlnaraarqueza~eanfemarcadorias. _
Brigue inglelByzantium dormentes e carvao.
Patacho hollandezFenneetona-farinha de trigo.
Logre italianoLerwizo Valerio dem.
Barca dinamarqueaDoraidem.
Patacho inglezJohn Byrisdiversos gneros.
Barca inglezaRonaldmercndorlas.
Barca Ingleza Bello Poutec&Tvio.
Barca nglezaTrentcarvao.
Barca ingleza Izabetladem.
Barca belgaSepfhe Tfteodorrne-idem.
Brigoe inglez Usefulidem.
Barca noruegueoseTasminiaidem.
Brigue Jofleztabelladem.
Barca inglezaCommodoreidem.
Brigue nacional Pallascharque.
Barca portuguezaS. Joaodem.
Escuna hanoveriana Gezmaidem.
RECEBEDORIA DE BENDAS INTERNAS
GERAES DE PERNAMBUCO,
Rendimento do dia 1 a t........ T :528#524
idem do dia 3................. 940*661
..........
:469*183
CONSULADO PROVINCIAL.
Rendimento do dia 1 a
dem do dia 3
4:054683
3:290479
7:345162
HOTIIIIHTO DO POMO
y anos entrados no dia 3.
Havre33 dias, baica franceza Rio Grande, de
204 toneladas, capitao Perrot, equipagem II,
carga fazendas e outros gneros : a K. A. Burle
4C.
Baha7 dias, lancha brasileira Linda Escolha,
de 58 toneladas, capitao Jos Hara Braz da
Fonseca, equipagem 7, carga 2,500 alqueires de
farinba de mandioca ; a Bailar & Oliveira.
Navios sahidos no mesmo da.
Rio Grande do SolBarca brasileira Thereza, ca-
pitao Joio Ignacio de Mello Jnior, carga assu-
car e outros gneros.
Rio de JaneireBrigue escuna brasileiro NSo Sei,
capitao Francisco de Sooza Velho, carga asso-
ear e outros gneros.
Rio de JaneiroBrigue escena "brasileiro Oliveira,
capitao Joo Baptista Pequi, carga assacar e
outros gneros, e 2 escravos a entregar.
Rio de JaneiroBarca ingleza O.Blonchard, capi-
tn Moegoan, em lastro.
MaceroPatacho inglez Florense, capitao Peter
Cnrrte, em lastro.
BarcelonaSumaca hespanhola Guadehipe, capi-
tao Joo Fontanelly, carga algodio.
B. MatheusHiato brasileiro Sania Rita, capitao
Leoncio Franclse o da Silva, em lastro.
EDITIS.
lia*1ae18:0U|MAn.a ,.
A arremataco sera feitov ffmi Ja lei pro-
vlncal 343 de 15 deaabdi &*,*<*> as clau-
sulas especiaos abaixo declaradas.
se propoferem. essa arremata-
3ato tnieaa.seto meio dia, e com-
_ tal*.
B paso consto, se apodoa |Mblicar o presente
peto Jornal.
Secretarin da theseaaaria provincial de Per-
nambueo, 14 de marco de lMV-0 secretario, A-
F. "Anaunciacao.
Clausulas especiaos para a arremaia(;3o.
4. 0 odHIcio para a eedeta^o Nazareth, ser
feito de conformidade com a planto o orcamento
junte, na importancia de i8;093J900 ra.
2." O arrematante ser obrigado a dar principio
aos trabalhos no prazo de 36 dias, e concluidos
no de um anno, ambos a costar da data da asig-
natura do contrato.
3.' Os pagamentos serio feitos em 3 presiagoes
igoaes correspondentes a cada terco da obra Onda.
4.* Nao ser em tempo algum attendida qualqoer
reclamadlo por parte do arrematante tenden-
te kidemnisacio, quaesquer que sejam aa allega-
(des em que se bajam para esse Om, ainda mes-
mo por prejoizos provados.
5.' Para todo o qoe nao esthrer especificado as
presentes clausulas, seguir-se-ha o que dipde o re-
gofamente de 9 de janeire de 1864.
Conforme.A F. d'Annanciacao.
O Illm. Sr. inspector da thesourara provin-
cial, em cumprimento da ordem do Exm. Sr. pre-
sidente da provincia de 19 do corrente, manda fa-
carloriodo escrivae, que este subscreveu cora urna ter pub|ico que a arrema.aca0 da obFa dos reparos
exaeucao de senlenga por mandado xecutivo, en- de que precisa 0 fmpedramenlo do logar denomi-
tre partes como exeqbente Antonio Jos Paulo de nado Areas do G j na es[rada da victoria, an-
Larvalho, e como execurado Manoel Soares de
Moura, e correndodila execuco seus devidos ter-
mos, procedeu-se a penbora em dinbeiro perlen-
cenle ao exeeutado, existente no deposito geral, em
virtude do que em audiencia publica do dia 1" de
maio do corrate anno, fora pelo solicitador Iler-
oardioo de Sena Dias procurador do exequente
feito o requerimento seguinte :
Ao primeiro dia do mez de maio de 1865 nesta
cidade do Recife de Pernambueo, em pnblica au-
diencia que aos feitos e as partes fazia o Dr. juiz
de direito especial do eommercio Tristao de Alen
Bernardino de
nunciada para o dia 4 de maio prximo vindooro,
ser feta de conformidade com o novo orcamento
no valor de 477.
Secretarle da thesouraria provincial de Pernam-
bueo,' 21 d abril de 1865.
0 secretario,
Antonio Ferreira da Annuncaco.
O Illm. Sr. inspector da thesouraria provin-
cial, em cumprimento da ordem do Exm. Sr. pre-
sidente da provincia de 24 do corrente, mando fa-
zer publico que no dia 11 de maio prximo vindou-
ro, perante a junta da fazenda da mesma thesoura-
ria se ha de arrematar a qoem por menos flzer a
car Araripe, oella pelo solicitador
Seoa Das, procarador do exequente Antonio Jos i piotQn de qQe prec|?a a 'me 'ensi{ do &~xaog~
" avallada em 301*500 res.
Paulo de Carvalho fra acensada a citcao em
nheiro na quanlia de 592*338, como tambem em
orna letra da quantia do 582)1470 rs. saccada pelo
exeeutado Manoel Soares de Moura, e acceita por
Joo Antonio Al ves, a vencor-se em 30 de-setem-
bro do corrente anno e mais na quantia de......
169*290 rs. em dinbeiro, pertencente tudo ao dito
exeeutado Manoel Soares de Moura e existente no
deposito geral, requerendo qne Qcassem assignados
os seis dias a penhora, e os dez das aos credores
ncertos sob pena de reveia, para que se desse os
editaos do estylo. O que oavido pelo juiz assim o
defero.
Extrahi o presente de protocollo de audiencia e
junto o mandado e a procoraco bastante do exe-
quente.
En Manoel Silvino de.Barros Falco, escrevente
juramentado o escrevi.
Eu Manoel Carvalho Paes de Andrade, escrlvo
o subscrevi.
Seguindo o qoe assim se continha em dito reque-
rimento de audiencia, depois do qual o respectivo
escrlvo que este subscreveo e fez passar o pre-
seate ediul com o prazo de dez dias, pelo theor do
qual chamo, cite e hei por citados a lodos os cre-
dores ncertos do referido execntado Mancel Soa-
res de Moora, para que dentro do mencionado pra-
zo de dez dias comparecam ante este joizo, alle-
gando e provando tudo qoanto for a bem de seu di-
reito e j us tira sob pena de proceder as suas re ve-
das.
E para que chegue ao conhecimento de todas
mandei passar o presente, que ser publicado pela
imprensa, e allixado no lugar do costume.
Dado e passado nesta cidade do Recife de Per-
nambueo aes 3 de maio de 1865.
Eu Manoalde Carvalho Paes de Andrade, escri-
vo o subscrevi.
Tristao de Aleocar Araripe.
O Dr. Tristao de Alencar Araripe, offlcial da im-
perial ordem da Rosa, joiz de direito especial do
eommercio desta cidade do Recife de Pernambu-
eo e sea termo, por Sna Magestade Imperial e
Constitucional o Sr. D. Pedro II a qoem Dos
guarde, etc.
Faco saber peto presente qa A ranaca Hijo i
C, por seu procurador me dirigi a petico do theor
se H inte :
Illm. Sr. Dr. juiz do eommercio.Dizem Arana-
ga Hijo 4 C, que Antonio de Holanda Cavalcanti
da Rocha Wanderley e Antonio Borges Galvo
rcha, lhes sao devedores da quantia de 1:5279134
rs., e seus joros, importancia de nma nota promis
soria devidamente protestada vencida a 6 de abril
de 1860, saccada a 6 de abril de 1859, com o pra-
zo de doze mezes, e porque os supplicados nao a ti-
nbam pago, e os supplicantes pretendam garantir
o son direito, afim de qne a dita nota premlssoria
RISPAD* DE Pi:it VVMHI t O.
Pela secretara deste pispado, se faz publico qne
o Exm-, e Rvm. Sr. vjgario capitular para maior |
jaeilidadfe' das pessoas qne o procurara fra das i
A arrerrrataco ser feta na forma da lei provin-
cial n. 343 de 15 de maio de 1854, o sob as clau-
sulas especiaes abaixo declaradas.
As pessoas qoe se propozerem a essa arremata-
cao comparecam na sala das sessoes da referida
junta, oo dia cima mencionado pelo meio dia, e
competentemente habilitados.
E para constar se mandn publicar o presente
pelo jornal.
Secretaria da thesoorara provincial de Pernam-
bueo, 26 de abril de 1865.
O secretario,
Antonio Ferreira da Annonciaco.
Ciansulas especiaes para a arremataban.
1.* A pintura da ponte do Caxang ser feta de
conformidade com o orcamento na importancia de
302*500.
2.* O arrematante dever principiar a obra no
espaco de 8 dias e finalisa-la no de 30, ambos con-
tados da data da arrematacao.
3.* O pagamento ser effectuado em nma s
prestarlo, quando tiver sido concluida toda a fac-
tura e entregoe definitivamente.
i.- Para tudo mais que nio estiver especificado
as presentes clausulas seguir-se-ha o qoe deter-
mina o regolaraento da repartigao das obras pu-
blicas.
Conforme.A. F. da AnnnnciacSo.
O Illm. Sr. inspector da thesouraria previn-
cial, em cumpriraenio da ordem do Exm. Sr. presi-
dente da provincia de 25 do corrente, manda fazer
publico, que no da 18 de maio prximo vndouro,
perante a junta da fazenda da mesma thesouraria,
vai novameote a praca para ser arrematado a
quem por menos rizer a obra dos reparos, de qne
precisa a estrada do Porto de Galiuhas, avahada
em 748*000.
A arrematacao ser feila na forma da lei provin-
cial n. 343 de 15 de maio de 1854 e sob as clau-
sulas especiaes j publicadas.
E para constar se mandou publicar o presente
pelo jornal.
Secretaria da thesouraria provincial de Pernam-
bueo, 26 de abril de 1865.
O secretario,
A. F. da Annonciaco.
DECLABASOES.
Santa Casa de Misericordia do
liecife.
A Illm* jonta administrativa da Santa Casa de
Misericordia do Recife manda fazer publico que
nao prescreva, qoerem por isso interpor o compe- j no da 4 de ma|0 prximo vindonro, pelas 4 horas
tente protesto judicial para qjie na forma da lei I da tarde, na sala de soas.sess5es, tem de ir pra-
seja intcrrompida a prescrip$ao, reqnerem a V. S. ca ^ rendas do sitio da Miruelra, pertencente ao
se digne manfar temar por termo o seo protesto,; patrimonio de orphios por tempo de 1 a 3 aonos,
e intima-ios aos sopplicados, e porque elles estejam ervmdo de base arrematacao a quantia de 100*
auzentes em lugar incerto e nao sabido, qnerem os pe|a renda anDual, cora a clausula especial de nao
supplicantes justificar a aozencia para qoe julgada | poder 0 arrematante fazer carvao nem tirar madei-
ra e leona as matas.
Secretaria da Santa Casa de Misericordia do
Recife 28 de abril de 1865.
O escrivao,
F. A. Cavalcanti Cousseiro.
Conselho de compras navaes.
0 conseibo contrata no dia 5 do corrento mes,
sob as condicoes do estylo o forneeimenlo de car-
vao de pedra para os navios da armada e estobe-
cimentos de marinha, por tempo a decorrer atoo
fim de dezembro prximamente vindonro ; e con-
vida a quem convenha o contrito a apresentar sua
proposta em carta fechada at aa 10 oras da
manha.
Sala do conselho de comoras navaes, Ia de maio
de 1865.
O secretario,
Alexandre Rodrigues dos Anjos.
0 conselho de compras do arsenal de guerra
precisa comprar o seguinte :
Para acompanhia de voluntarios.
80 bonets a cavan baque.
As pessoas que quizerem vender dito genero,
aprsentem suas propostas as 11 horas da manha
do dia 3 do corrente, na sala do conselho.
Sala das sessoes do conselho de compras do ar-
senal de guerra i* de malo de 1865.
O eocarregado da escriptaracao,
Manoel Jos de Azevedo Santos.
No dia 5 do corrente, depois da audiencia do
Illm. Sr. Dr. juiz municipal da i* vara tea de ser
arrematada a preia Josepba, crioula, idade de 16-
acnos, avahada por 900, penhorada a D. Francis-
ca Maria dos Prazeres, escrivao Caoba.
Fiaealisapis a frejiezia de Santo Antonio.
O abaixo assignado, fi-cal da fregnezia de Santo
Antonio desfa cidade, qoerendo con melhor acert
desempenhar restrictamente as fonc^oes inheren-
tes a son cargo; para que nenhum dos moradores
da mesma freguezla, oo qoem mais interessar,
allegoe ignorancia dos artigos t lei municipal,
que tem por dever fazer cumplir, usoo pedir
Illma. cmara que houvese por bem melhor o es-
clarecer cano se devia entender a execuco de al-
gons artigos das posturas municipaes, qoe abaixo
se vem transcriptas (I), o qoe Ibe foi respondido,
como se v dos offlcios abaixo igualmente trans-
criptos de 1 a 6 (3): o que faz publico para co-
nhecimento de todos aquellos, que Ihe dizem res-
peito as suas disposiedes.
FiscalisacSo de Santo Antonio do Reeife, 2 d
maio de 1865.
O fiscal
Caetane Pinto de Veras.
(1) TITULO HI.
DO ESGOTAHENTO DE AOVAS EMPOPADAS E UMPEZA
DAS RAS.
Ar. i." Os propietarios de terrenos, ra que fi-
carem represadas as agnas provenientes das en-
dientes da mar, sero obrigados a aterra-tos ou a
esgota-los, de modo que as aguas nao- fiquera es-
tagoadas : os infractores sero multados em...
25*000, e ficaro sujeites a, pagar as desperas que
a cmara municipal fizar com o esgotamento das
ditas aguas.
Arl. 2. Os proprielarios dos predios altanos de-,
vero dar expedico s aguas das chuvas que so
accumalarem em seus quintaes, fazendo sumldoa-
ros cobertos com ralos, mas nunca abrirao canos
que despejera para a roa; podando, para evitar
isto, fazer sumidouros as roas: os infractores sof-
pof'seMenca'je faca aintimaco por carta ediul
com o prazo da lei.
Pedem a V. S. deferimento esperam receber
mere.O procurador, Rodolpho Joo Barata de
Almeida.
Segundo o que assim se continha em dila peti-
co na qual dei o despacho do theor seguinte :
Sim, no dia 7 do corrente mez as onze horas da
manha.
Becife, 5 de abril de 1865.Alencar Araripe.
Seguindo o que se conlinha em dito despacho,
depois do qual fora fetta a distribuico ao escri-
vao desle meu juizo Manoel de Carvalho Paes de
Andrade, depois do que o mencionado escrivao la-
vron o termo de protesto seguinte :
Protesto.- Aos 5 de abril de 1865 nesta cidade
do Recife, em meu cartorio compareceram os sup-
plicantes por seu procurador Rodolpho Joo Bara-
ta de Almeida, e por este foi dito, que rednzia a
termo o contedo de sna peticao retro, a qual offe-
receu como parto do presente, no qual depois de
lido assignou com as ditas testemnnhas, do que fiz
este termo.
Eu Manoel Silvino de Barros Falco, escrevente
juramentado o escrevi.
En Manoel Maria Rodrigues do Nascimento, es-
crlvo o subscrevi no impedimento do escrivao
compaobejro.Aodelpho Joo Barata de Almaida.
Antonio Alves da Fonseca Jnior.Diogo Bap-
tista Fernandes.
Seguindo o que assim se continha em dte termo
de protesto, depois do qual produzindo os suppli-
cantes suas testemunbas qua depozeram convenien-
temente acerca da aozeacia dos supplicados, de-
pois do qne fazendo o respectivo escrlvo 'llar e
preparar os antes me os fez conclusos, os qoaes
sendo-me entregues elles dei a sentenca do theor
seguinte :
Hei por justificada a ausencia dos supplicados
que se rapstrou acharem-se em lugar incerto, pelo
qoe mando qoe sejam citados por edilos de trinta
dias para o fim requerido e tenas, pagas as castas
ex-cansa.
Recife, 29 de abril de 16G5.Trislao de Alencar
Araripe.
Seguindo o qne assim se continha m dita sen-
tenca, depois da qual o respectivo escrivao que es-
ta subscreveu e fez passar o presente edilal com o
prazo de trinta dias, pelo theor do qual chamo, ci-
to e hei por citado a todos supplicados ausentes
Antonio de Holanda Cavalcanti da Rocha Wander-
ley e Antonio Borges Galvo Uchoa, para que den-
tro do referido prazo comparecam ante esto, alle-
gando e provando tudo quanio for a bem de seu
direito e justica sob pena de revelia. Por tonto,
toda e qualquer pessoa prenle, amigo eu conhe-
cido dos referidos ausentes poder-lhe-bao fazer
scientes de todo o expendido.
E para qoe chegue ao conhecimento de todos
mandei fazer o presento edita! qne ser affixado
nos lagares do costume e publicado pela imprensa.
Dado e passado nesta cidade do Reeife de Per-
nambnco, aos 3 maio de 1865.
Eu, Manoel de Carvalho Paes de Andrade, es-
crivao o subscrevi.
Tritdo de Alencar Araripe.
O Illm. Sr. inspector da thesouraria provin-
cial, em cumprimento da ordem do Exm. Sr. pre-
sidente da provincia de 10 do corrente, manda fa-
zer publica qne no dia 14 de junho prximo vin-
dooro, perante a junta da fazenaa da mesma toe-
J
MUTILADO)


-
s
frqrio as panas o artigo Mtacadcsfs- A cam
maalcipar airear twi prazo em que dever sor
iita esu obra. (A cmara assim a fez por edita
3 de mareo de i, puerteado do Dtano de
Pernambnco o. 8 de 18.) (1)
Arl. 3.* Xeohum morador tancar, nem manda-
no serrare o que agora deetaro, espero qne en es-
claman e devo amU* lodo aquoi* falos
r ere ndos caaos eagalarera afoas para a roa qa o i
sejam plurlaes. ^. --*-r --,
Dos guarde a Vv. Ss. Fisoallsacao da fn
r lancar oas raas ou lagares patneos, oae nao' de Santo Aotonlo, 20 de marco de 186o.
forera para esto lim designados, lisos, Imrounlicies. '"i"- Srs. *- --------
presidente e vereadores da
oo qnalquer cousa que possa encommoaar, oo cao! municipal do Kecife.
sar damno ao publico: os infractores serio mulla-
dos em 2.
AtL S. Nioguem poder lanzar a#aa ftmpa as
OfiscaJ
Caelano Pinto te Veras.
Secretaria da cmara municipal do Recite, d
nas das varandas a baixo, da da, mesmo noi- marco de 1863.Ilim; Sr.Era vista do que pon-
te J o poder fazer depois de U horas: es infrac- 'aera. V. S. era seo offlcio de 20 do corrente, deter-
iores, alm do damno que causaren], serio mulla- mioa-lhe a Illma. cmara municipal que faca (a-
dos_ em 6J000, e, se a, agua for suja e Infecta, pa> ?w termo de infraegao as posturas municipaes
garo a multa de 12$. (Posturas municipaes de 30 contra todos aquellos propietarias e inquilinos das
de junho de 1849.) teasas existentes em sua freguezia, que tizerem es-
postura addcional ok 15 de outubro de 1835.' fotar pelos canos existentes as mesmas, agoas
Arl. I. O* proprietarios de terrenos partcula-] qQe naforem pluviaes, como mui positivamenie
res, em que Ocarem represadas aguas proveniente recramena"ain as citadas posturas.
-- Dos guarde a V. S. IUm. Sr. Caetaao Pioto de
IMA
MILU
phouc:to llllttiveik
DO
te iU/!iMAII
_ klil'
das eneheutes da mar, ou pluviaes, sao onrigados
a aterrarlos ou esgota-los, de modo que as aguas
nao Aqun estagnadas: os infractores sero mul-
tados em 25J00O, Sean lo alora disso obrigados a
pagar as despezas, que a cmara Qzer cora o esgo-
tamento das aguas.
Art. l. Pica riTOgado o art. I* do titulo 3 das
posturas de 30 de junho de 1849.
DA LIMPEZA PUBLICA E (ARTICULAR DA CIOADE DO
I1EQFK.
Das habitacoes.
Art. 1." Todos os propietarios de casas habita-
Teras, fiscal da fregaezia de Santo Antonio.
O secretario,
Francisco Canuto da Boa-Viagem.
Illms. Srs.Devendo eu na qualidade de fiscal
desta freguezia de- Santo Aateoio do Recife, fazer
1 ser curaprido o qaanto est determinada no | 2
do art. 5* das Destaras municipaes de 10 de no-
vembro de 1835, cojo cumprimento o quero fazer
I sem que haja para v. Ss. e qualquer pessoa do
; pova, a menor reclaraaco, por isso se faz misler
qne me sejara esclarecido por Vv. Ss. a quem cora-
das sao obrigados "a t las eiteriorwtente limpas, gete mJ.ndi)r varrer S irre8ar as estadas das casas
calando-s on pintando-as, logo que se acharan de- das*uf'encias, relaeao, da polica, dos esorlvaes e
negridas ou sojas, e a repararem todo e qnalquer ubel,iaes roa *> Imperador oo em oulra qual-
estrago era suas paredes : o proprietario que as- Suer ra qoe ,*a.hara seas cartorios, por que os
sim o nao lizer, sera advertido pelo fiscal de sua doooj dIos estabelecimentos existentes na sesma
freguezia, o qual Ihe marcar 15 dias para faz lo; I."3 dVmPerradr- d'zem Do s,erero ". obrigados
e, nao o f.tendo, ser multado em 10*000, e o con- a)oaaniJarem t*l odaa varredura ea irrigado co-
cerlo feito saa custa immediatamento imo qer mesmo I P?r ** considerara que as
Art. 5. Os proprwtarlos de trras devolntas den- "?T'ma ap0Qladas sao lara e,le3 nd como
tro da cidade, o mui prxima, delta, s5o obriga- gg'Sg't 1 que Jgf2 nega0,t oTJL.
dos a t-las muradas i e nos seus suburbios sao *tJ*" a d.spos.cao do mesmo 2- cima
obrigado*, nelo meios, a cerca-las : os infractores aP?niaao- ....
cleste rtico Art. 3. Todo o individuo, que se encoolrar oort- *St?fiJf' 2ZXIL*!.
nando ou descoraendo, as pracas, ras, beccos,' 'i1^-f.par?.,deBto e veMadores acamara
te, ou outro qoalqoer logar publico desta cidade! "W|" d ecifr.
oo borraudo as porta?, paredes e muros em qual-
quer parte deste manicipto, qur de dia, qur de
noite, ser multado em 2* on dous dias de prisao..
Leilao de massas e amendoos cnfei-
ladas,
JIOoIE
O agent PesUna far leilio per contade quem
perteocer de caixas cora massas de Nesvi e latas
com amendoas confeitadas: boje as 10 horas da
maohaa no armazem do Annes-em um ou mais
lotes.
hos
cora
I^eilo de I asaceos com crala
HOJE.
O agente Pestaa farf leilao de 16 saccas
excellentes cominhos desembarcados esta semana
os quaes sirio vendios por conta de quem per-
tencer : hoje pelas 11 horas da manhaa no arma-
zem do Annes defronte da alhndega. '< '
Leilao (re movis.
Sexta-feira 5 do corrente as 11 horas.
Cordeiro SimSes far leilao de ama roobilia de
mogno. cadeiras, lavatorios, santuarios, guarda-
roupa, machinas de cfstar e ditfrsos aovis oo-
vos e usados, cujo leilao ser elTeftuado a ra da
Cruz n. 57.
LEtLAlT
DE
O fiscal,
Caelano Pinto de Veras.
Illm. Sr.Communico a V. S. de orden da Illma.
Art. 4 E' expressamente prohibido langar de
cima das rasas sabr as ras lquidos quaesqoer,
cisco, ut.-n.-i- velhos, animaes morios, e bem aim
ajaotar em qualquer parte das ras vasos quebra-
dos, como garrafas, louca, etc.
DA LIMPEZA DAS RAS E PRACAS, E DE SUA IRRIGACO.
Art. 5. Todos os Honos de estabelecimenios de
portas abertas de qualquer natnreza qoe sejam, ar-
tistas de quaesquer ofBeios, sacristaes de igrejas,
etc., eslao sujeitos s seguiste disposicoes :
1. Nao lancarao, nem mandaro lanzar ra,
palha, cisco, estilhacos, aparas, ou, finalmente,
qnalquer residan, que embarace o transito, ou con-
com para o menor asseio das rua-, e diftlcalte a
4ivre e fcil circnla^o do ar atmospherico.
2.* Todas as mnhas, at as 7 horas, manda-
rao varrer as testadas dos seus estabelecimontos e
ofcinas at o meio da ra, se do lado opposto
bouver igual obrigarao, alias toda a largura delta ;
fazendo cooduzir o lixo e varrednras para os tuga-
res designados pela cmara, e a irrigar nos dias
da sol as mesmas testadas, immediatamente qoe
cmara municipal, para sua intelligencia e em res-
posta ao seu oficio de 10 do corrente, qoe segun-
do o parecera commisso de polica, approvado
nesta data, sao obrigados aquelles que estiverem
estabelecidos em frente da casa das audiencia-,
relaco, pollci e carteriosdeescrivaes e tabelliie?,
a varrer toda a largura da ra. visto como nao ha
disposicao era sentido contrario no art. 5o 1" e
2 da postura, addiciaal de 10 de novembro de
1833, nem a mesma legisla para taes edificios e
empregados da adninistra^ao dejustija.
Dos guarde a V. S. Secretaria da cmara mu-
nicipal do Recife, 28 de marco de 1863.
Illm. Sr. Caetano Pinto de Veras, fiscal da fre-
guezia de Santo Antonio.
O secretarlo,
Francisco Canuto da Boa-Viagem.
iospeccao do arsenal de mariika.
Faz-se publico qoe a commisso de peritos exa-
minando na forma determinada no regulamento
annexo ao decreto n. 1324 de 5 de fevereiro de
1864, o casco, machina, caldeira, apparalho, mas.
forem varridas : os infractores de qnalquer das dis-! treacao, veame, amarras e ancoras do vapor cMa-
posicoes deste, e do 1 pagarao a mulla de 5000 manguape da Comnanhia Pernarabncana do na-
e o duplo na reincidencia. A cmara municipal i regaco costeira, achou todos estes objectos em es-
inandar varrer as ras, onde nao hajam estabele-: tado de peder navegar,
cimento. Inspeccao doarsenal de marinha de Pernambu-
Art. 6.c Todos os moradores da cidade sao obn-' eo, 3 de maio de 1865.
gados a conservar limpos, sem lamae immundi-i O inspector,
ces, os quintaes das casas de suas residencias,' JJ. A. Barbosa de Almeida.
dando facii esgoto s aguas pluviaes, e cobrindo-as: Sabbado 6 do corrente, perante o. Dr. juiz
com urna carnada de areia limpa, cootiouaado em municipal da segunda vara, se h5o de arrematar,
vigor odi>posto no art. 2o til. 3o das posturas de por ser a ultima pra^ja. uous cajas terreas sitio
30 de junho de 1849. Os infractores incomrao no logar Csa Port, penooradas a Roseado Al veJ
oa mosma pena do artigo antecedente. (Postura de da Silva, por execuco do teueate-corooai Jos^
20 de novembro de 1855.)
postura de 14 de JULHO de 1838.
Art. 1. As casis, que se ediicarem ou reedifica-
ren), terao canos internados as paredes para as
aguas pluviaes vasarem sobre os passeios, fleando
as boceas dos canos sobre a superficie dos mes-
mo- passeios.
Art. 2." As existentes, e as que se honverem de
construir, terao canos por onde se esgotem para a
ra as aguas pluviaes, que se ajunlarem nos s;us!
quintaes.
Art. 3.* Os infractores de qualquer dos artigos
antecedentes soffrerao a multa de 20*000, a qual
ser debrada na reincidencia.
(2) DITAL.
A cmara municipal da cidade do Recife, etc.
Faz publico aos moradores da mesma, que em :
observancia do art. 5o do tit. 5o das postoras era ;
vigor, tem designado os lugares abaixo declarados,]
em que da data deste por dianle devem ser feos
os despejos da cidade, sob pena de incorrerem na
disposicao do citado artigo os que os ftzerem tora
Oeiles.
Bairro do Hectfe.
1 Era frente do becco largo ; junto ao trapi-
che.
2. No forte do Mattos entre a imprensa de Ma-
nuel Ignacio de Oliveira Lobo e Sebastin Braga.
3." Em Fora de Portas era frente do 2* becco,
lado da mar.
Dita de Sanio Antonio.
1. Era frente da ra de S. Francisco, no mundo
Novo.
2. No (ira do beora em que termina a
ftangel, pel lado do suL
3." No lira da roa de Pociobo.
Dito de S. Jos.
1." No fim da travessa deS. Jos, lado do mar.
2. No fira do becco da ra Augusta, lado da
mar.
Dito da Boa-Vista.
1." Junto a ponte da ra da Aurora.
2. No fim da ra Velha.
3. Nj cortume dos Colhos.
E para que chegue ao conheciment de todos se
anda publicar o presente.
Paco da cmara municipal do Recife, em seiso
ordinaria de 5 de marco de 1849.Manoel Joa-
quim do Reg e Albuquerque, presidente.Joo
Jos Ferreira de Aguiar, secretario.
(3) Illms. Srs.Deveodoaeu dar execuco o art.
2 do tit. 3 das posturas de 30 de junuo de 1849,
que determina,que os predios rnanos deverao dar
expedico as aguas pluviaes urna vez que tnham
suniido'oros nos quintaes cobertos e com ralos ; ro-
.go a Vv. Ss. que se dignem deelarar-me se deve
Aolonio Lopes.
THCITRO
S. ISABEL
EMPREZA--COIMBRA
I, recita da assignatara.
Quiuia-feiru 4 de maio de 1865.
ESTRA DO ARTISTA LUIZ CARLOS A.MOEDO.
Subir a scena pela primeira vez neste theatro
o magnifico e interessante drama em 5 actos, ori-
ginal francez de M. M. Aincet Bjurgeois e Ad*
D'Ennery.
4FILH4D0L4VRID0R
PEHSONAGEKS. ACTOtlES
Champloux................... Goimbra.
Aodr Saunel................. Araoedo.
Alberto de Slvry, seu irmao..... Borges.
O conde de Langeac........... Lisboa.
Nautier, notario............... Porto.
Medardo..................... Teneira.
It.cmocI..................... (iiuiparaes.
ra do Planchou, jardiotJro............ Pinto.
Manglorie-...............----- Sama Rosa.
Joanna Champloux............ D. Engenta.
Helena___.................. D.Camila.
Victorias..................... D. Leopoldina.
Convidados, ect.
Terminar o espectculo cora o ultimo acto do
drama.
Os bilhetes acham-se desde j no lugar do eos-
turne.
Dar fim ao espectculo o muito applandido
duelo
I) STluWTE E A LtY.4Eltti
Principiar s 8 heras.
liu sitio na estrada dos Aflictos,
DE BRISTOL,
itiaak' k KEP?
NOVA YORK.
Compoita de sttbsmcias, gozando de
propriedades eminentemente depuratrvas;
pprovada pelas sMas e academias de me-
dicina ; usada nos principaes hospitaes, ci-
vis militares e da marinha nasAntilbase
o continente americano ; receitada pelos
ENSIGNE CHrMICO
, : : .
DO
RO DE JANEIRO.
Um
Sabbado C de nuio. # ------ ;"' .wMf.w.Kv~-
O agente Pestaa, compeientemenie autorisado, culvos OS mais distinctos do imperio d
rara leilao de um sitio na estradados Afflictos, con- Brasil e da America bespanhola
ti crian H *! J- -?_____. ... m<_ ^ __ ^______r
ligoo ao da viova do ci'orgio Peiioto, pouco alm
da capella, coja propriedade consta de terreno com
CUBA RADICALMENTE
380 paliaos d freate sobre Y,m de "fod'T cer-1 scr?PhuIas rheumatismo, escorbuto, en-
cado de boa cerca, com mais le mil ps de dier-1 fernudades venreas e mercuriaes. chagas
f*2***rmm***l*ete de saborosos antigs, morphea e todas as molestias pro-
ctos, terreno proprio nar ludo. b6a ca ^a venientes d>um estado ^^ Q smgu^
propno para todo, boa casa terrea
cora sotao para vi venda, de 34 palmos de frente e
lenta de fundo, mmtos quartos e salas, counha
tora e boas accommodacoes no referido sotao, co.
xeira ora e boa estribara para tres ca val los Os
aeonores pretendemos podem amina-lo desde j,
paraoqneseacha a chave na mao do referido
agente, ra do Vigarlo n. 11.
O leilao ter lugar asooze horas da manhaa do
da 6 de maio porta da Associacao Comraercial
LellSo daa dividas activas que
fazcm parte da massa fallida
de Francisco Coins Castellao.
Sabbado 6 do eorrente.
Era cor.sequencia do mo lempo que fez no dia
para o qual eslava annnnciado o leilao das dividas
activas de Francisco Gomes Castellao, por cojo
motivo nao se pode efTectuar o dito leilao oas im-
portancias conforme as relaces de 15:8800310 e
de 0:2085446 rs., cuja? relacoes acham se em
mao do agente Pestaa, para serem examinadas
e sero vendidas sabbado 6 do correte pelas 13
horas em ponto na porta da Associaco Commer-
cial.______
Leilao de mobilia.
Segunda-feira 8 do corrente.
O agente Pestaa legal mate autorisado por urna
pessoa que se retirou para fura da provincia, far
leiJao de tala a sua mobilia : seguada-feira 8 pe-
as 10 Ooras da manbia ua ra da Uai a. SO, se-
gundo andar.
Emquanto existem varias imitaces e
falsificados, preciso a mator cautela para
evitar os engaos,
A legitima salsa de Bristol vende-se por
CAORS & BARBOZA
JOO DA C. BRAVO & C.
Jo5o da C. Bravo & C.
Vendem-se no Recife em casa de Caors &
Barbos* e Joo da C. Bravo & C.
\
99

AVISOS DIVERSOS.
LOTERA
AOS 6:000-^000.
Corre depols d'amanha.
Sabbado 6 de maio do corrente auno se ex-
traair a 3a parte da 4a lotera (14a). a be-
neficio da Saota Cas de Misericordia, oo|
consistorio da igreja (Je Bosta S^nh^ra o
Cbnaibador leal.
ou esmalte branco inalteravel, sem cheiro nem sabor e da mis
simples applicacao para ebumbar os dentes por si mesmo, ins-
tantneamente, sem chambo nem dor, meio prompto e perfeita-
mente eflicaz. O cliumbador lelil torna-se na bocea branco co-
mo os proprios dentes: acompanha urna guia...... 5OOO
Cimento chine/
para concertar cora a maior perfeicao iotna, porcellana, crystaes,
vtaros, marmore e qualquer objecto precioso...... 1A500
Cimento de gnttn nereha
especiabaeote preparado para cltumbar os dentes eariados. Acom-
paa urna guia............
cosmtico indiano epilatorio
para destruir quasi instantneamente os cabellos do qualquer par-
te do corpo, sem dor e sem alterar a pelle. Ac. urna guia.
levlr odontalgico vegetal
para curar instantneamente as dores dos denles mak< rebeldes, e
que Urabem proprio para a conservacfio dos mesmos, o en-
durecimento das gengivas e a suavidade la bocea. Acompanha
urna guia...............
Encrivore
para tirar a tinta do papel e liropar as pentias de ac.....
llelsteln
pedra amtriaca para curar os tumores, inchacoes e feridas prove-
nientes de roeadura decoleira, sellim. cangallia e outros arreios
dos burros e oavaiios; adoptado as estribaras imperiaes da
Austria desde o auno de 4741. Aflianca-se que nao preciso
mais de ^4 horas para que a cliaga esteja cicatrisada, e que nao
exista mais nchaeSo. Acompanha urna guia....... iooo
. Limas ehluilcas
extraccao dos callos e cura garantida sem dor nem perigo, em 30
minutos pelas afamadas limas chimicas de Pedro Mourlh
Acompanha urna guia. O par............ 3#000
Hassa dentaria Samakol
esta mas a, pouca temp. depois de sua iotrodueco na cavidade
dentaria, adquire urna dureza consideravel e nao atacada
nenhuma das substancias alimenticias ou dentificias.
aba urna guia ....
Dutia.
40000
12oOOO
25000 18^00iJ
300 24CC0
2J000
IBoOO
oOO 4*600
9o000
345000
por
Acompa-
SH")
4*000
I SO
lira vista do art. 47 do compromisso que rege
esta confrarla, faco eeostar a todos os nossos ca-
rssimos irmSos, que domino f do correte, pelas
9 horas da manhaa, depois damissa, se proceder
a eleicodos novos funecionarios que tem de re-
ger-ft oieMtta eonfraria nos annos dt? iHoO a lot>o.
Coosisioru) da contraria de Santa Rita de Cas-
lia, i de maio de 1815.
Joo da Mata Uellrao,
Escrivo.
Domingos Rodrigues de Andradd saca sobre
a pra^a do Rio de Janeiro, a vista ou a prato : ra
da Cruz n. 33.
^1^^
^
A7IS0S MilITIMOS.
Pat
Para o Rio de Janeiro.
Pretende seguir com mnita breridade a barca
er multado inqui lino que faz esgotar as agoas' te Janeiro, tendoi parte do seu carregamento
pa'a as mas, pelos canos existentes que dizem el les; JBJ*0: Para resl ,1ue lne fal,a e escravos a
serem futios antes da postura, e sera estar feito
como determina a mesma postura, e por isso in-
commoda a saude publica.
Dos guante a Vv. Ss. Plscaligacao da freguezia
de Santo Aotooto, 27 de fevereiro de 1863.
Illms. Srs. presienle e vereadores da cmara
municipal do Recife.
O flseal,
Caetano Pinto te Veras.
SeoreuriaaAMUua nMMictpal de Becife, 15 de
arcode IMS.IUm. Sr.-E vista o parecer
4a cooeaiHio de pelicia approvado oesta data, e
cora refereacia ao offlcio de V. S. de 27 de feverei-
ro ultimo, dirigido a Inraa. cmara municipal, de-
termina mesma que T. S. tomando eta censide-
raco as disposicoes do art. 2 da postara addieio-
al de 14 de jutas de 1858, fique desde ja certo
que, se pelos canos de que trata a referida postu-
ra, so eipedirem agoas que nao sejam pluviaes,
ou causem damno a salubridad* publica, deve com
toda actividad* representar a mesma Illma. cma-
ra para providenciar como lor conveniente.
Dos guarde a Y. S. Htm. Sr. Caetano Pinto de
Veras, flseal da refoezta de Santo Antonio.
O secretario.
Franatco Camu o da Boa-Viagem.
Illms. Srs.Tendo Vv. Ss. em resposla ao meu
eilici datado de 27 de fevereiro ando, pedindo es-
taredmeote a' detfmraaio no art t 4o tit. 3*
4as posturas de 30Me junho de 18, qoe me diz,
art-2* da poslora addcional de 14 de julho de
1858, Scaise certo, qoe se pelos caaos de que tra-
ta a referida postara, se expedHsom agoas que
o f**sB. placaos, oo daauficassem a saude pu-
blica, devaaia con toda a actiridade representar a
mmi Illma ^mura. par providenciar coma fos-
parelp desde'j a V*. Ss. nn toaos oeproprie-
tai ios o inejailinoi dis casas qos tea os .ditas ca-
po para esgoto das agoas pluviaes, deitam por alies
f. agoas de sua serventa, como tambem as qne
Ha o art. 5* do mesmo tu. 3* a qualquer hora do
* e "nolle, o qoe me parece contrario as dtspoH-
efies des mencionados artigos.
frotes, para os quaes tem ex-ellentes commodos
rata-se com o seu consignatario Antonio Luiz de
Oliveira Azevedo, no seu escriptore na ra da
Craz o. 1.
a
CO.WANHIA PERN'AMBOCANA '
DE
Mavegaeao costeira por vaoor.
Parahyba, Natal, Maco, Aracaty, Cear e
?cans.
O vapor Uatnanguape, comman-
dante Moura, segu oo dia 8 do
corrente as 8 horas da tarde para
os portas Indicados. Recebe carga
.t e dia 6, ao meio dia ; eocom-
mendas, passagelros e dinneiro a frete at o dia da
sabida as 2 horas : escriptorio no Forte do Mallos
n. 1.
lo Grande e Asan
Segu a barcaca Dous Amigos por estes das
recebe carga a frete coramodo : a tratar com o
mestre na eacadinha en no caes do Ramos n. 84
~" Una de T Klgnel '
No dia 12 pretende seguir para o porto cima a
escuna portaraen Erna : para passageiros trata-
se com o consignatario na ra de Apollo o, 4.
Para o Rio de Janeiro.
O brigue escuna. Joven Arlhur, pretende seguir
e#m muia brfivUtade, tendo parle de seo carrega-
mento prompto : para o resto que Ihe falta e es
era vos a trates, para es qoaes tem boas commodos,
trata-se com os seus consignatarios Antonio Lniz.
de Olveh-a Azevedo & C.
Par o Rio le Janeiro.
Segu uestes olio dias o brigue escuna Kiio te,
lendo dous reos do seo carregamento a' *ordo:
para o resto que Ihe falla e escravos a frete, par
os qaaes tem bous commodos, trata-s eora os sane
consignatario Anloaio Luiz de Oliveira Azevedo
4 ., o sou escriptorio na raa da Grtn o. 1-
Precisare de uina ama que saiba c.izinhar per-
Rosario da freguazia de Santo Antonio. feitameate para case de familia : a tratar ua ra
Os bilhetes,meios e quartos est_a ven- Nova n. 20.___________________________
da narespCtiva thesouraria rodo Gres-1 Oflferece-se urna ama para casa de pouca ra-
po n. 45. j radia ou casa estrangeira : quem pretender dtri-
Os premios de 6:000*000 at lOf^Oon!i*-** a raadoPa serSo pagOS uma hora depois da extraecoj ~ O abaixo a.-ignado, tenenle do 2* batalliao
at as 4 horas da tarda a oo nulrrw rlonma da 8uar(la nacional do municipio do Recife, Cecla-
Hs. tr h X 5 ii P ra autor d0 communicado incerlo no Diario de
aa aisirinuicao aas listas. 3 ,j0 corrente, assignado pelo prejudicado, que, pa-
As encommendas sro guardadas SO- ra responder-lbe convenientemente, haja de assig-
mente at a noite da vespera da extracto Dar sea Dome Por *ien porque nao respondo
como de costume.
0 thesoureiro,
Antonio Jos Rodrigues de Souza.
Jos Sella Pernandes, subdito hespanholTre-
tira-se para Europa.
Mnooel Ribeiro
vao a Portugal.
de Carvalho e su familia
Henrlque Jos da Cuuha retira se para Por-
tugal._________________________
Ferreira e sua familia retira-se
Jlo Jos
para Portugal.
Victoriano Mathens Ferreira, subdito portu-
guez, retira se para tora o Imperio.
Bernardo
para Europa.
Pereira da Valla-Porto retira-se
Carlos Frederico Fristtsehe sua sentiora
Ernestina Fritzschesobditos saioaicos seguem pa-
ra Europa.
A G AZET A
Do Norte.
Sabio o 3* numero e est a venda cora os pri-
meirs na ra do Imperador n. 67 e Imperatriz n.
59, loja de bilhetes.
s
paga-se a 20 |. servem mesmo meniaos.
Brazi Aceto, subdito itaUano, retira se para
Europa.
IIIlIIIMillIil
O Dr. Cosme de S Pereira conti-
I na a residir na rna da Cruz n. 53,
Io e 2o andar, onde pode ser procu-
rado para o eiereicio de saa profis-
s5o medica, e com especialidade
sobre o seguate
Io molestias de olhos;
V de paita:
3* dos ergios geoi-
t urinarios.
Em sea escriptorio os doentes se-
rao examinados na ordemdesuas
entradas comejando o trabalho pe-
los doentes de olhos.
Dar consultas todos os dias das
6 as 10 da manh5a, menos nos do-
mingos.
Praocara toda e qualquer opera-
c5o que julgar conveniente para o
prompto restabelecimento dos seus
doentej.
III
Carmo.
s encarregados este nno da festa de '"N. S. do
Proartspicio do Carmo envidara aosseohores pro-
curadores Caetaao Cjutaco da Costa Moreira, Pran-
eiseo de Sales de Andraee Lana, Antnk> Ttieodo-
ta dos Santos ion, Basilio Baptiau Furlado, Fran-
cisco Jos da Cosa,Leonel de Moraese Silva, Jos
Joaquim Joreira, Hermenegildo Jos de Alcnta-
ra, Francisco Marcelino de Amara!, Bemiamin Vi-
raes Dnltra, Jos Joaquim da Silva Gutmaraes e
Antonio atacaaae Poreira Vianoa O aonpancerem
aa soteada ova de priacipio da ra O Hortas
qoe vota para o pana dt S. Pedro, as S oras da
tarde do dia 6 do correte para se tratar dos por*
menores da mesma festa.
a anonvmos.
Maooel Juvencio de Saboya.
O prejudicado est informado qne o Sr. te-
nenle Saboya faltn a gnarda de 36 de abril pr-
ximo passado por estar doeule, e quanto a mensa-
tidades, nao se entende com elle: visto que ha
serapre curaprido com os deveres ios cargos que
oceupa. prejuaic^do._________________
Joao apiista Pinheiro faz sciente ao respei-
tavel publico, que se desencaminhou de seu poder
uma ordem da guarna de 96660, sacada por An-
tonio Jos .Gomes eeolra oSr. Antonio Cliraaco llo-
reira Temporal a favor do Sr. Jos de Almeida
Costa e por e>te cedida a miro, cuja ordem ficaj
sem elT-no algum para qualquer pessoa que se pos-
sa apresrntar com ella, cuja erdem se ignora a
data
-yLava-sa, eaguioaia-sa e cosintia-se pr preco
mdico : aa rualaperlal #.61____________^__
Casa para alugar.
Aluga-se um armazem ni ra das Flores n. 10,
propio para offiena : a tratar na ra Nova nu-
mero 31.
7
tiSOO
3*00
Massa lustrosa
para hmpar e abrilhantar instantneamente os trastes, pianos, ar-
maeoes de loja, grades e corrimoes de escada, tirar o sujo das
moscas, ficando envernisados como novos. Ac. uma guia .
Papel cheiroso
inflammavel, queimando sem bulla, para perfumar casas e quar-
tos, produzr sensaces agradaveis e desinfectar o ar dos dentes:
Carteiras. .
dem.....
dem.....
pomada Rondesicus
confra piolhos e lendeas; afiancada sem mercur.o..... 2^000
io.s de prata
para pratear instantneamente o cobre, o latan, o bronze, ele, e
reparar os objectos antigos orateados, como faqueitos, salvas,
casticaes, apparelhos de cha e outros objectos semelhanles, af-
fiancados sem mercurio, para uso dos joallieiros. relojoeiros,
pticos, negociantes de ferragens, curiosos e casas de familia :
V dros de oitavas. .
dem le uma onga. .
- ? Pa* par a prata lavrada
sao amaneados infalliveis. Acompanha uma guia, vidro ....
pos piirgatiros
para curar e prevenir as molestias dos caes. Acomp. uma guia:
Carteira. .
dem .
^alo oriental
para tirar todas as nodoas simples ou compostas sem alterar os
tecidos como sejam: nodoas de vinho, licores, caf, frutas,
gordura, e limpar as golas e paramentos dos vestidos civis e mi-
litares. Acompanha uma guia...........
Tinta .4znl Indelevel para marear a ron?
e azul no escrever, e em 24 horas na sombra ou menos de urna
hora no sol, torna-se preta e nunca ma s sahe do panno as la-
vagens. E' preciso escrever sobre panno encorpado ou engom-
mado. AOianca-se que nao lia melhor na corte em qualdade,
Vidro de tres oncas .
Idemde uma onga. .
T'"ia enea nada iudelevel superfina
para marcar a roupa, em vidros de meia orica.......
Unfucut Ihl
remedio maravhoso o melhor at heje conhecido contra feridas
novas e antigs, ulserosas e saniosas, fstulas, frieiras, hemor-
roidas, lucencas, mordeduras, muas, panaricos, queimaduras,
reumatismos, suptiragoes putredas, cabecas de prego, abeessos
no seio das senlioras, tumores e ulceras em qualquer parte:
Rolos. .
dem. .
34000 2'5000
1)5000 9*000
4*000
7->000
I000O
20*000
42*000
28*000
500 4*000
500
1*000
4*GOO
7*000
500 4*000
1*000
500
7*000
4*000
2*000 18*000
4*000
2*000
30*000
17*000
Unieo deposito em Pernambco em grosso % a retalh0
EM CASA DE MANOEL & C.
9 RA DO lllli;A 8
Joaquim Tneophilo Agr da Silva roga a
seus cotlegas e as de niais pesseas que o honrm
com sua amizade, o especial obseqoio de assistirem
a rr.issa celebrada pelo eterno repouso de sua mui-
Precisa-se de qoem venda ssa gazeta pela ra. P"d.a 9a6 ler lugar sabbado 6 do cor-
rente, pelas
Boa-Vista.
6 oras da manhaa, na matriz da
AVISO.
Os abaixo assignados, moradores aa raa da Ca-
deia do Recite n. 3, faiem scients aos devedores
da raassa fallida de Joaquim Vieira Coelho A C^
que tendo arrematado as dividas pertencentes a
mesma massa, sao altes os nicos autorisados a
receber taes dividas, portaalo tem marcado o pra-
to de 30 dias para os senbores devedores virem ou
mandaren) pagar seus dbitos, Ando o qual se pro-
mover a cobranga judicial._____________
CnT*roee-e oo mufher poriogaeza j de
Made para casa de naocos solteiros, para todo o
ser vico interno: a miar aa ra da Florealia nu-
mero 3.________________
AJuga-s un paqeoo armatem na roa da
Paz, propno para qoalquer estabelecimeato em
ponto peqnoao : a tratar 00 pateo de S. Pedro bu-
mero 4.
A 13 de aMlt fbfyo -do engeaho Pindoba,
comarea de Ka>area>, a escrava Se veri ca, conhe-
eida por tiarbasa, aame d* seokor que a vender,
e consta ler seguido para esta praca por ser en-
contrada depois do Cachaag com o nonae de Vig-
torina, 1- tea os signaos seguales ; aua, secca,.
rosto-redondo e bem preto, nariz afilado, falta de
dous doirtos; acba-se nejada, e qu;ndr> veste-se tor-
na-se saeae o tmalg: recommeodo-se s aokv
ridades policiaes, aos eapitaes de campo a a qu*l-
qner pessoa que-a prender pile witrega-la ac-Sr.
Guillarme de Alahyde na ra Velba n. 15, oo di-
rjjatso ao eogesbe Pradot, qne sero bem recom-
peqsa^ps,
Precisa-se de uma aun: na ra qoe nca por
daaraz da Igreja de Santa Tberoza n. 6, para cozi-
H^ir e engommar para dua pessoas.
Preeisa-se de uma ama para coeiobar e 00-
gommai' para duas pessoas, e que seja escrav ;
na ra da Jaagueira *. 11
Tin tur aria
CIIEG4R4.fl OS HOOElt.XOS CHALES DE
FILO PRETO.
Superiores chales de fil preto chegtdos pelo uliimo vapor franrez, a
leja das columnas roa do Crespo n. 13, de An'onio Correia- fe Vasco 1 cel-
los & C.

A NACIONAL
Companhia geral hespanhola de seguros mutuos
sobre a vida .
AUTOfUSDA PELO REAL DECRETO DE 21 DE DEZEMBRO DE 1859
ftanea em rlinheiro, rtepesitade ios cofres do esUo, garaite a ka ad
ministrar na companhia.
BA.VOl'BIROS DA GOMPANHIA
O Baaieo de Hespaaha
Dll'.ECCAO GERAL
Madrid : Ra dn Prado n. lt>
obre
Esta companuia liga polo sy&UMaa mutuo todas as combinares de supervivencia dos seguro
a vida.
Mella ivle set^zer a subscripeode mineira que emneonumoaso mesmo por mortedo s
gura,do se perca o capital nem os juros.orrespondentes a estes.
Sao is'iiiretiendentts os resaltados que produzco at> sociedades da iaole e A NACK)
N'AL,que nuda u^mo .1 iaii ouindo uma terca parte do.inoresse prpoiido em rpcjenjes^iMd?-
Cdes e-1 ni> aa para seus tiUsrno^e liq-jiJacSes, era segurados de idad de 3 al9 annos, uma imporsicaoaanual
de total produz em eflectivo metalice:
No im de o annos.......1:II9300
de 10 .......3:942*600
. de 15........it:208#200
. de ....... 30:M6oOOO
de 25
80:331*000
Tas dadesoien)resile 3 annos e maiores de 30, os productos sao mais coasideraveis.
ProspeoDs e mais rntorraaeSes serao prestadas pelo sob-direcior nesta proviaora.
NaruaDiroiUo. 116 contiaua-se atiogirparajoaoJoaqnim Fiuw deOliveiti, niadaCadeia n. 52, ou a Boa-Vista roa da ImperM?ii.BJ,e*atei
qualquer cor, e o mais barato possi val. \ cimento dos Srs. Haymunt, Garlos, Lcite 4 IrmSo.



',-?.

Saude dada a todo o mundo.
Pelas preciosas edfcameitas^dta Sra. firtaailt
C, pkarmacmlieM de S. i. I. #ri*KpNa.
ateo, ra de la FellaJe 7 Paria.
Parque as Srs.Micos e e pubHeo san de pre-
ferencia dos medicamentos especia** dos Srs. Gri-
mantt & &> pharmaceuticos em Parts, com os quaes
lies tem sempre obtido as caras as mais extraor-
dinarias T
i. Porque esta casa sendo sea ctatmotta a
otis aportante de Pars, honrada con a dienten*
da orna parte da corto, palomeada por S. A. I-
principe Napoleo s vende productos de urna *
cada reCenhecida.
Afi Porque -esses medicamentos representa^ as
ais recentes conquistas da medicina e da n-
trica.
3. Porqne tem todo um gosto agradavel, satis-
fazem a vista, e podem ser administrados sem pe-
rico, tanto as changas como s pessoas adulta?.
4. Porgue eites differem inteiramente desses re-
medios inglezes e americanos, preparados por In-
dustriaos esinmhos, tanto a medicina como a phar-
maeia, dos qaaes nao. tem nern a ciencia uem os
ttulos.
S> Porqne estes medicamentos so se applicam a
un nc:. todas, como os remedios da que acabamos de ral-
lar ; eratim cada producto tem sua applicacao par-
ticular.
Por isso pensamos prestar um servico a todo c
mundo, indicando aqu as importantes proprieda-
de dos [irincipaos medicamentos dos Srs. Gri-
mault C
\aropr de ralort i ociad*.
Empregado com successo certo em lugar do oleo
de ligado de bacalho, la o desagradavel, tao diffl-
cil a digerir. B' o especifico e mais certo contra
as escropMas, o lymphalismo, a moleza das car-
nes, os humores das enancas, a papeira, os rbea-
matisnios, o escorbuto, as affecgoes da pelle, as
molestias do peito.
Todos os mdicos de Paris o empregam como o
depurativo o mais poderoso, e o recommendam era
lodosos casos que preoisa-se corrigir a acrimonia
do sangue, e dar-lhe todos os principios vitaes que
perdeu, seja pelos excessos, pelas affeccSes lym-
pbaticas, escrofulosas, e venreas.
-liarope de quina vcrmelha fer-
rogiaoso.
Ou associacao dos dous poderosos remedios da
materia medica que sao : o ferro um dos princi-
paes elementos de nosso sangue e a quina que o
tnico e o febrfugo por excellencia.
Bate delicioso medicamento ag-adavel ao paladar
e a vista, tem um resultado admiravel as flores
brancas, dores de estomago, falta de appetite, po-
breta de sangue. Elle sobretudo til as senho-
rasfc as mocas delicadas, para desenvolver e re
guiarisar a menstoacao e suspender os effeltos
perniciosos das flores brancas, que sao a causa de
tantas doencas. Elle soberano depois das con-
valecencias de molestias graves, elle o reparado
das torgas e da saude para os doentes enfraqueci-
dos pelo trabalho, os excessos, as afleegoes escro-
phulosas ou veaereas.
As mais de familia acharao nesle xarope um mer
dicamenlo sem igual, para fortificar e desenvolves
a systema osseo das enancas e os preservar da-
offeccoes escrophulosas.
Elixir digestivo de pepsina.
Delicioso licor que ocenpa. o pnmeiro lugar en-
tre as aovas conquistas da sciencia, a pepsina pos-
sue com effeito a propriedade importante de fazer
digerir os alimentos quasi sem soceorro do esto-
mago, o remedio soberano das gaslrites, gastral-
gias, das inflammagSes do estomago, dos ligados e
dos Intestinos. Elle supprime os gazes, as nauseas,
as pituitas, o desgosto dos alimentos, e presta prin-
cipalmente um immenso servico as senheras n'uma
poslcao interessante da qual supprime os vmitos.
As pessoas que padecem de cancro no estoma-
go ou nos intestinos, verao sna vida prolongada
pelo uso do elixir de pepsina, e os velhos e conva-
iecentes o sustento de sua saude e o reparador de
suas forcas; porque com urna boa digestao sempre
se gosa de boa saude.
Xarope peltoral deH. Jorge.
Novo especilico, sem opio, reconnocido como o
melhor medicamento para curar a tosse. defluxo,
catarrho, grippa, irritacao do peito, anginas, dures
de garganta, coqueluxa, etc.
Este doiieloso xaropj popular em toda a Franca
foi descoberto pelos monges da abbadia de S. Jor-
ge, no Anjou, e actualmente preparado pelos Srs.
Grimault z C, nicos proprietanos da verdad eir
receita. Recommenda-se aos doentes que usem ao
raesmo tempo das deliciosas pastiUias peitoraes ao
sueco de alface de loureiro-cereja dos Srs. Gri-
numit 4 C, este excellente remedio composto
com as duas substancias as mais calmantes e ao
mesmo tempo as mais iuulTensivas da materia me-
dica, e nao contm opio.
lajeeeo e capsulas matlco.
Estes dous productos que constituem a mais re-
cente e a mais importante mediacao para curar os
corrimentos e as molestias veneraes do homem e
da mulhcr, sao exclusivamente vegetaes nao con
tm mercurio, e sao preparados com as folhas do
matico arvore do Pero*. Nao ha molestia conta
giosa anliga ou recente que resista ao uso desses
dous meios. Sua rapidez de acgo superior
ludo quaoto se tem feito are boje. As capsulas
nunca cansam o estomago nem os Intestinos como
as capsulas de copahyba, cubeba e outras;. a in-
jeccao nunca produz o estreitamento como aconte-
ce com as InjeccSes com base metlica aconseja-
das at hoje.
Todos estes productos vendem-se as principaes
pharmacias do Brasil, agente para vender por ata-
cado, no Rio de Janeiro, E. Chevolet, em Pernam-
huco, Caors & Barbosa, oa ra da Cruz n. 28, na
Baha, Lima & lrmaos em todas as boas phar-
macias do Brasil.
Deve-se exigir sempre i asignatura Grimault
C, por que ha falsiflcagoes perigosas.
Vende-se na botica franceza ra do Imperador
n. 38.
s. a cuia de fe j3o mulatinbo. -'
A 500 rs. a cuia de feijao mulatinho.
A 200rs. a cuia do bom milho. .- .
A 200 rs, a cuia de bom milho.
Cheguem depresit a esta pechincha at que se acaba o qoal se ende por este pre-
so pela proh bico queia oastibeiras.
'i i S '
Saceos grandes di milho novo a i.
Dito dito de feijio mulatinho 90.
Ra dos Quarteis o. 22 junto a loja de funiletfp.
Francisco Pires Ha-3
ehado Portella
Medico aperador
PBLA
FACULDAE DE PARS,
regres.-ando a esta provincia aeha-se
prompto para o exercicio de sua profis-
so, quer nesta cidade, quer fora della,
especialmente em molestias de olhos (ca-
taractas t-tc.) das vas urinarias (estreita-
mento de urethra etc) e de pelle, para
cojo curativo se julga habilitado, atienta
a pratlca que teve nos hospitaes de Pa-
ris, e os modernos instrumentos que pos-
sne.
Pode ser procurado a quarquer hora
na casa de sua residencia no patee do
Carmo n. 2, esquina da ra de Hortas.
ttj AMA.
Precisarse e nma ama que* saiba cozinhar beu
e comprar ara casa de pouca familia : a traur
na raa deQueimado, loja n. &___________^_^
GASA DA FORTOUl
Aos 6:000^000,
Bilbetes farautldos.
A* ua do Crespo n. 23 e casas bocostume.
O abaixoassignadovendes nes seas muiofeli-
zes bilbetes garantidos da lotera que se acabeu
de extrahir a beneficio damatrkde Nazareth, os
segulntes premios :
O bilhete inteiro n. 607 com a sorte de i:W0*.
Um quarto n. 2722 com a sorte de 500*800.
E outras muitas sortes de 100*, 40*, 20* e
iOfOOO.
Ospossuidorespodem vir receber seus respec-
ivospremiossem os descontos das leis na Casa
da Fortuna ra de Crespo n. 23.
Acham-se a venda os da 3' parle da 4* lotera
(14a) beneficio da Santa Casa da Misericordia,
que se extrahira no dia 6 de maio.
PBECO.
Bilbetes. .... 7*000
Meios...... 3*3(00
Quartos.....1*900
Para ai pessaas para cima.
Bilhetes.....6*500
Meios......3*250
Quartos.....1*700
Manoel Martins Fiuza.
Descontam-se notas do banco do Brasil e das
caixas fitiaes: na praca da Independencia n. 22.
Angusto Coelho Leite e Francisco
ecKrXs Slcscom arj^teu USE, 211~--">o barato, po> menos do seo valorVe mni:pnncipalmente por querer-lnteiramente liqui- tracao.
commerciaes e aXm oo inteesr SmS *" lerude parllr ra00 breve Pra a EaroPa- Ho ^ D0V0 ***#> Prea ^ os
** Ha nesle vasto armazem ricos objectos com bnlhantes, como botdes, anneis, rosetas etc., e, metes para restabelerer a grande utilidade desle
bem assim, diversas obras de ouro, como trancelins, correitdes, oculos, face-mains, anneis, e muitos estabelecimento, pode assegurar ao publico que
outros artigo, relogios de ouro, inglezes, do afamado fabricante Bennete ; completo sortimenlo de fa-! qualquer que seja o numero dos concorrentes acha-
zendas finas e modernas j miudezas, perfumes, perfumaras finas dos principaes fabricantes inglezes e i rao desde j prompt-do e aceio nos bonhos frios,
francezes, como L. T. PIVER, Lubin, L. Legrand, Ed. Pinand k Meyer. Delettrez (Parfumerie du momos ou medicinaes, a casa dos banhos se acha-
mond lgant), Violet, Societ Hygienique, Monpelas, Mailly, Regnier, P. Gueland, e inglezas de Eug. [ r aberta todos os dias das 6 da mauhiia as 11 da
-' e outros ; ricas galantarias em marfim, mar de perol, etc., fabricadas na China e no Japao; noite.
Preces.
GRANDE ARMAZEM OA EXPOSIQO DE LONDRES
DE
THOMAZ TEIXEIRA BASTOS
N. 60Ra da Cadeia do Recife-N. 60
Todos os artigos abaiio mencionados, foram comprados recentemenle pelo dono do estabele-
Consullorio medico-cirurgico na ra larga da
Raaaria n. 20.
O Dr. Joo Ferreira da Silva rogressando a sua
casa, contina em o exercicio de sua profisso nao
sena parte medica como tambem na cirurgica.
Na praca da Independencia n. 33, preclsa-se
de urna ama para compran, cosinhar e fazer todo
o mais servico de casa de pouca familia.
CASA DE HAMOS
Largo do Carmo numero (i.
Este estabelecimento to bem montado na sua
cimento as principaes fabricas de Pars, Londres, Binmn'gh?.m, Manehester, e" em diversas cidades origem, achava-se de a rouito em quasi completo
da Allemanha. e tendo comprado tudo as melhores condicoes por ser a dinheiro, por isso vende lodo abandono pelo pouco interesse de >ua-*adminis-
ta data dissolveram amigavelmente a sociedade
que tinham na prensa de algodao no Forte do
Maros n. 9 so* firma de Augusto Leite & Alves,
Brando encarregado da liqoidaco da casa o socio
Augusto Coelho Leite. Recife 24 de abril de 1865.
casa
Frecisa-se de urna ama para casa de duas ninime, 0 uuuvo ( (diauanas em marnn>, ciar ue peroia, eic, laoncaaas na i.mna e ou japau,
pessoas pr^feriadose escrava : na ra da Penha ricas pecas de crisUl fino como anda nao appareceram nela cida>, e bem a^sim modernos lostres
n. 23, segundo andar.
Na roa da Cruz n. 11 fornece-se comidas pa-
ra fora e em casa ; na mesma se precisa de um
moleque de 12 a 16 annos para todo o servico.
Manoel Antonio Monteiro dos Santas nao
podendo pela rapidez de sua viagem despedir-se
de todas as pessoas que o honraram com sua ami-
zade, o faz pelo presente, ofTerecendo Ihes o seu
dirninto prestimo em qualquer parte em que se
ache.
Na ra Novan. 6 precisase de urna ama para
o servigo de casa de homem solteiro.
O abaixo
para velas, ditos para paz e para petrleo, serpentinas, casticaes, enfeites e adornos para cima de con-1
solos e para grande toillette, o que se tem feito de mais elegante em Paris, em Londres, Birmingham
ele. modernos apparelhos de metal fino inglez para cha e caf, os qoaes nada lem de inferior prata,:
e muitas outras pegas do mesmo metal, ricos pentes de tartaruga da ultima moda para trancas de se-
nnoras, excellentes luvas de pellica do afamado Jouvin, apparelhos de porcelana fina para cha e caf, i
ditos para jamar, e immensos artigos de porcelana fina dourada, como ricos vasos para flores, figuras,
etc.; calcado dos principaes fabricantes de Paris e ditos de panno enm sola de borracha, pianos dos
celebres fabricantes Pleyel, Wolff & C, realejos modernos de avioli & C, para se tocar na ra, ditos
com figuras para saldes e ditos com figuras em movimento ; modernos e bonitos instrumentos de physi-
ca (mgica) para theatros ou saldes, ditos de phantasmagoria ; lanternas mgicas, cosmoramas com
vistas novas, dia e noite ; stereocopios de nova invencao e com bello sortimenlo de vistas das principaes
cidades da Europa ; grande sortimenlo de brinquedos finos para enancas, e nonecas fallando papai,
mami; grande sortimenlo de candieiros a gaz, os que se tem feito de mais elegante e que tem mere-
cido toda a aceitacao na Europa, grande e magnifico sortimenlo de caixinhas, ceslinhas e outras galn-
tenas feitas de crina e seda proprios para presentes; grande sortimenlo de estampas Anas coloridas
com o fundo preto e de outras de todos os santos, ditas com figuras e ditas com novas paysagens para
cosmoramas, finos e bem graduados vidros para cosmoramas, um bello chafariz de chrlstal, proprio
para meio de mesa dejantar ou para jardim ; cutelaria fina, come lalheres com cabo de metal fino, co-1
Hieres, thesouras linas, ditas modernas para alfaiates, navalhas finas, caivetes e outros artigos, di ver
1 banho fri ou momo......500
i dito de farello....... 1*000
l dito medicinal ser segundo a qualidade.
25 cartSes.........10*000
12 ditos..........5*000
assgnado. desconfiando que seu
escravo Gabriel que anda ha dias fgido, que tem
feito annunciar or este jornal esteia acoutado """'='> """', "' modernas para airaiaies, navainas nnas, caniveies e ouiros artigos, uiver-
por alguem ne la eidade, visto que tem sido per sos a.rll80s'e's de rame; completo sortimenlo de mascaras de velludo, selim, cera, papelo eara-.
muitas vezes encontrado por alcona de seus par- .T-' ,S' confeitos efhocolite em caixinhas e em vidros; camas de ferro dejtodos os lmannos laya-
ceiros as ras da mesma, protesta contra esse Lorios,' Jc-' cos 9uadrs Para candes de visitas e ditos grandes e pequeos para retratos chapeos,
alguem de leva-lo ao tribunal competente, se por ?! "' &MWlas,_chicoles e ditos para carros; machinas para faier caf, ditas para bater ovos, propnas
ventura realiar-se a sua decconfianca Antonio p pao-ae-io, bolinhos, etc.; bellos cortinados arrendados, verdes, encarnados e brancos ;
Joaguim Cavalcanti de Albuquerque. pai!nos para cobr.ir mesa!' bolcas grandes e pequeas para viagens, e ontros artigos, como cobertores,,
------- --------.----- 32----------------__ malas, etc.; sortimenlo de violoes finos; figoras finas e jarros de labastro ; galantarias e outras pecas
- O abaixo assignado faz sciente ao respeiU- de charao para toillette ; machinas para varrer o chao, excellentes machinas para photograpbla para i
vei publico e com especialidade aa corpo do com-: tirar retratos, grandes e pequeas ; lindos baloes de papel fino transparente e lanternas coloridas para
memo, que venden ao *T. Jos Antonio da Cosu illuminacoes moda de Pars, salva-vida de borracha, para bomens e senhoras, proprios para quem
Vleme o seu estabelecimento de molhados sito toma banhos em lugares fundos ; ameixas novas em caixinhas, blscoitos inglezes em latas, graixa in-
no largo do Paraizo n. 16, livre e dezemharacada: gleza 97 ; cerveja em barricas das principaes marcas de Londres, qneijos etc., e muitos outros artigos
que para enumera-los seria um nunca acabar, e todos se vendem barato e inuitj barato no grande ar-
Basen da Exposicao de Londres, na ra da Cadeia de Recife n. 60.
Companbia fidelidade de seguros
maritimos e terrestres
estatelecida no Rio de Janeiro.
AGENTES EM PBHNAMBUCO
Antonio Lnii de Oliveira Azevedo k C,
competentemente autorisados pela direc-
g loria da companhia de seguros Fidtlida-
I de, tomam seguros de navios, mercado-
S ras e predios no seu escriptorio ra da ^
mmmmmmmmm mmmm
Vinhos do Porto finos
engarrafados embarris ean-
coretas:
Lagrimas do Donro. '
Duque do Porto.
D. Lniz.
Menezes.
Particular.
Vinbo real e muscaiel: na ra do Vigarlo a.
19, pnmeiro andar.
Vende se tres carracas para boi, duas ditas
para eavallo, dous carros para conduecSo de ge-
neres de estiva ou outro-qualquer mister, ludo em
bom estado, e por prego commodo, por seu don-
querer acabar com esse negocio : a tratar na roa
do Sebo n.oi, taberna
- Vndese urna preta velha, por preco com-
modo: a tratar na roa do Livramento n. 25.
GAZ GAZ GAZ
Vende-se gaz da melhor qualidade a
li(5 a lata : nos armaxensda ruado Im-
perador n.16 e roa do Trapiche Nevn. 8.
VENDEM SE
caixes >asios proprios para bahnlci-
r e fnnileiros a 2,000 rs.; a tratar
aesta ofGciaa,
se alguem se julgar com direito a qualquer recia
magao, dirija-se ao dito estabelecimento no praso
de cinco dias.
Loiz Alves Vilella.______
Precisa-se de urna ama : na ra da Senzala
Velha n. 104, entrada pelo becco Largo.
Precisa-se alugar um escravo moco ou de
meia idade para pequeo servico de urna casa :
na ra Nova n. 36.
DINHEIRO FRANCEZ.
Precisa-se de urna ama para todo o servico
de urna casa de pouca familia : na ra Direita n,
66, segundo andar.
Na ra do Apollo n. 34, segundo andar, tem-
se para vender um escravo de bonita figura com a
idade de 18 annos proprio para um criado.
Aluga se a casa terrea n. li da rna do Nas-
cenle : a tratar na roa do Quelmado n. 32, loja de
Azevedo & Irmao.
Vendem-se moedas de ouro e notas do Banco, e bem assim nma colleccao desde um centesimo
al mil francos: vende-se barato no Recife ra da Cadeia n. C0.noarmazem da Exoosicao de Londres.
es
<
o
ata
COCE
*o
wS
a
Q
Para completa liquidacao vende-se, por muito manos de sen valor, perfumaras mnito finas e
j novas chegadas recentemente de Paris e de Londres dos mais afamados fabricantes segulntes : Eog.
Joaquim Ferreira Coelho faz ver ao respeita-1 R'mmel> R- Matheus 4 C., Lubio, Sociedade Hygienlca, Piver, Violet, L. Legrand, Deletrez, Pinaud & i
vel corpo do commercio qae deixou de ser caixel- eyer> Regnrer, Mailly, Gillet frere etc., etc., dos quaes ha grande sorlimento d'agua de colonia em |
ro gerente do Sr. Aotonio Joaquim d Mello desde v!^r8s J garrafas, agua de lavande, agua para liropar denles, oleo babosa, extractos em garrafinhas e
o dia 30 de abril do corrente mez, entregando a I V19r0s de difierentes modelos, pos para li m par dentes, banha em potes e em vidros, pomadas, ricas
casa na mesma data ao mesmo Sr. Mello com as I cai*'has e balainhos com perfumaras para fazer presentes, e muitos outros artigos que se vende por i
menos de seu valor, bem como todos os artigos em geral existentes no grande armazem da Exposicao
de Londres, na ra da Cadeia do Recife n. 60.
Vende-se por 2:500* o sobradinho de n. 50
da roa Direita dos a togados, chao proprio e quin-
tal morado; rendertoje 300J annuaes, e com al-
gum melhormento daa coro facilidade 400* : a
tratar com o Sr. Dr. Henrique do Reg Barros no
seu escriptorio da ra da Aurora.________
Grande fcquidago de
fazendas
na nova loja de fazendas e roupas feitas nacio-
naes na ra da Imperatnz n. 72. Os pronrieta-
nos desle novo euabelecimento tem a honra de
participar ao respeiuvel publico que esto resolv-
dos a vender muito barato para liquidar, a saber:
2! tJr rs' ditas france"s largas a 260, 280,
e ^ rs- covado, cassas francezas muito fi-
nas a 300, 320, 360 e 400 rs. o covado, organdy
franeez de riquissimos padtes a 360, 400 e 440 o
MifSkSS**. de carabra branca a 3*. 3*300,
**, ifiaOO, e oi muito fina, diUs de cores de apu-
rado gosto a 2*800 e 3* o erle, pecas de mada-
?2^raei0?"OCom.2iJardas a 6*. 6*500. 7*,
Jf3 ditas elefante muito superior a 8*800,
J*, 9*o00e 10*, dito franeez com 12 jardas, sen-
do fazenda muito encorpade e fina a 4* e 4*500 a
peca, cortes de aa a 4*, 4*500, 5* e 5*300, ditos
a Mana Pa com barra, sendo os mais moderno
que tem viudo ao mercado a 10* e 13* o corte.
pechincha, lenco de cassa com barrinha de cor
a 100, 160 e 200 rs., ditos com blco a 240 e 320, e
dozia 2*300, crinolinas ou balSas de 30 arcos a
3*500, ditos cort 13 arcos a 2*200, tiras de fina
cambraia bordadas a crox a 800 e I*, entremeos
a830rs. a peca, ravatinhas pretas e de cores
parasenhora a 640,800 e I*. mantas de seda de
core3 para nescoco a 1*400 e 1*600; isto s se
vende na loja de Guiraarfs & Irmo, roa da Im-
peratriz n 72.
Vende-se sontambarque de laazinha fino
muito bem enfeiudo a 5*. 6*, 7* e 8*, dito de
grosdenaple preto ricamente enfeitado a i& e 22*.
capas de grosdenaple n nlto modernas a 20*00o'
completo sorlimento de roupa feta, e outras mui-
tas fazendas que ser enfadonho annunciar, e que
se vendem mais barato do que em outra qualquer
parte : isto so na ra da Imperatriz n. 72, loja de
Guimaraes & Irmao.
Vndese urna escrava
ruada Gloria n.51.
de meia idade : na
condicoes de que tomou conta.
1
Joo da Silva Ramos, medico pela Un
versidade de Coimbra, d consultas em
sua casa das 9 s 11 horas da manhaa, e
das 4 s 6 da tarde. Visita os doentes
em suas casas regularmente as horas
para isso designadas, salvo os casos ur-.
gentes, que serio soccorridos em qual-
quer occasio. D consultas aos pobres
que o procuraren: no hospital Pedro II,
aonde encontrado diariamente das 6
s 8 horas da manhaa.
Tem sea casa de sande regularmente
mouda para receber qualquer doente,
ainda mesmo os alienados, para o que
tem commodes apropriados e nella pra-
tica qualquer operaco cirurgica.
Para a casa de saude.
Prime ira classe 3*000 diarios.
Segunda dita 2*800
Terceira dita.... 2*000
Este estabelecimento j bem acredi-
tado pelos bons servicos que tem pres-
tado.
O proprietario espera que elle conti-
nu a merecer a confianca de que sem-
pre tem gozado.
.No dia 5 do corrente mez as 10 horas da
maooaa na porta do Sr. Juz de paz da freguezia
de S. Pedro Gonealves do Recife, tesa de ir a pra-
ea urna eama franceza e duas bancas de madeira
amarello, penhoradas a Anna Francisca das Neves.
Protestos de letras
O escrivlo Interino Torres entra de semana, e
deve ser procurado no cartorio da ra estreiu do
Rosario n. 12, casa em que tem escriptorio o Sr
Dr. Jos Teueira, primeiro andar.
Est para alogar-se urna casa lene?, na ra
da Gloria n. 14, um pnmeiro e segundo andares de
um sobrado na ra do Rosario da Boa-Vista, qua-
si no pateo da Santa Cruz, e urna me i agua na es-
trada de Joao de Barros, com arvoredos, agua de
beber, e porto para o becco do Pombal
pretender falle na roa das Cruzes,
das 9 horas da manhaa at ao meio dia.
Para senhoras.
Ricos e modernos pentes de tartaruga para tranca de senhora, o qne se tem feito de mais ele-
gante ateo presente: vende-se por menos de seu valor para se liquidar, no grande armazem da Ex-
posicao de Londres, na ra da Cadeia do Recife n. 60
Luvas novas de Jouvin.
Vendem-se excellentes luvas de pellica recentemente chegadas de Paris, tanto para homem co-
.hradn'n n i0 para sennora Por raeBOS de seu valor, para se liquidar: no grande armazem da Exposicao de Lon-
1 9 dres, na rna da Cadeia do Recife n. 60. ^
quem
Solicitador.
O solicitador Pedio Alexandrino da Costa Ma-
chado transfeno sua residencia da ra Imperial n.
36 para a ra do Rangel n. 38, pnmeiro andar,
onde pode ser procurado para os misteres de sua'
profisso, qur no foro desta cidade, qur nos do ;
Cabo, Ipojuca e Escada, para onde se encarrega de
cobrancas.
Ama de leite.
Offeerece se urna excellente ama com muito bom
leite : a tratar na ra do Imperador, armazem nu-
mero 81.
Alugam se dous grandes sobrados com com-
modes para numerosa familia, novos e aceiados,
com jardirn, cocheira, estribara e ouiras commo-
didades na travessa de Joao Fernando? Vieira
a traur na roa da Senzala Nova n. 42.
AZEITE DOCE
\zeite doce refinado era pequeas latas a 580 rs. a garrafa : no graude armazem
da Liga.
Sala
Approvaia por rurxat Academiai e alltu
tummidada medica!.
O queoccaiiona cm gTjl as molestias abatas
designada* i a etla^iiatao do sangue em certas
partes do corno, a qual produiida pelos resfria-
mentos e muias unirs eauzas, eni.io deelarao-se
SS Rheumatismu, Cola, I'aralysia, Fraque:*
del mentiros, Conslipafieg, epkantituxi ou
Pernat luchadas, et oret Nervosat.
O uso da escova KLECTRO-MAGKE-
TICA ten successo certo para a cura de ludas
estas molestias, sem recorrer se a aenhuma outra
medieace. Ella Km urna forma mu manjate!
e produi, a vsnlade de quem d'ella usa, seos mal*
uteis c feliies resultados. Seo emprego preserva
das molestias cima. Para mais informa cues con-
sul-le-se a noticia que aceomBanaa cada Escora.
Davoairo oiiu
rt du Prime Buftu, 18, Parit.
Vende-se na
franceza n. 38.
ra do Imperador botica
Lean esta noTidade.
MadapolSes superfinos com 24 jardas a peca por
MHW com um pequeo toque de avarla, paletots
; de brim a 14. chitas francezas escuras a 720 o co-
; vado algodao muito largo da marea T por 65 a
peca de 24 jardas : na loja da ra da Madre de
Dos n. 16, defronte da guarda da alfandega.
Vende-se urna escrava de idade 28 annos
insigne engommadelra e cozinheira, duas ditas d
meia idade, com hahilidade e sem vicios, nma
mnlatinha de idade 13 annos, mui bem educada :
na travessa de Carmo n. 1.
Vende-se a fabrica de charutos da rna estrei-
ta do Rosario n. 45, com poneos fundos, ou s a
: armacao, propria para qualquer negocio : a tra-
tar na mesma.
lanteiga ingleza forT. {120 e ftOO,
franceza a 960, queijas do vapor a 24699, caf a
260 a libra, cha superior a 24600 e 24, arroz al-
! vo a 100 rs., toueinho alto a 320, stearlnas a 600
, rs.. de composicao a 400. alpista a 140, potes de
vidro com ameixas a 14600, ditos de sal refinado
440, latas de biscoutos a 14400, 1|4 de passas 24
1 em libra 400 rs., tjolos de llmpar facas a 140. vl-
\ nho do Porto muito fino a 720 a garrafa, de Lisboa
a 360 e em caada 24600, Fignelra 440 e 34200,
; gn a 500 rs. a garrafa : no armazem da Estrella
(largo do Paraizo n. 14.
Brides e picadeiras de
ipojuca.
Vendm-se as verdadeiras brides e picadeiras
de ipojuca : na ra do Ooeimado n. 32, loja de
Azevedo & Irmao.
COMPRAS.
Saceos de 80, 100 e 120 libras a 4, 40500 e 50
Compram-se libras sterlinas: no ar-
mazem de Fern ira Matheus, na ra da
Cadeia do Recife n. 66.______________
"Compra-se elfectivamente ouro e prata em
no grande armazem da Liga, obras velhas, pagando-se bem : na ra larga do
___________________ ^osario n. 24, loja de ourives._______________
Na praca da Independencia loja de ourives n.
33, compram-se obras de ouro e prata o pedras
preciosas, assim como se faz qualquer obra de en*
commenda e lodo e qualquer concert.
Systema legal de medidas, j
ou reforma do actual systema de pesos e medidas i
para o systema franeez, r. digido por Joaquim Jos ,
da Graja, o approvado pelo conseibo geral de ins-
tnircao publica de Lisboa, o mala usado depois da
reforma d medidas naquelle reino, e tambem o
mais apropriado para reforma actual nesle impe-
precq 24 : na ra do Imperador, loja de II-
mmmmmm lili HMLM< London ^azulan Bank, >aca por doos
: g ObaZ^I LoUrntoA7effo dTATTS os Pa<."etes,sobre
g nuerque Mello continua a ter seu escrip- H
:np-
JH torio de advogado nos auditorios e tribn j
naes desta cidade : na ra do Imperador na*,
o- 4o. m
mmmmmm mmmum mmm
Aluga-se a casa terrea n. 105 da ra de San-
ta Rita : na ra da Aurora n. 36.
A ma
Precisa-se de urna ama para casa de pouca
milia : a tratar na praca do Corpo Sanio n.
terceiro andar.
17.
no
vros duS Srs. Guimaraes 4
Crespo, loja do Sr. Nogueira.
Oliveira, e ra do
Quem precisar de um forneiro annuncie por
este jornal para ser procurado, sendo a padaria no
Recife ou em Santo Antonio.
Precisa se de um menino perttiguez para
caiieiro no mato : a tratar na travessa do Quei-
mado n 1.
Precisa se de urna ama de leite
Palman. 41, taberna,
pa roa da
Samad Pewer Jehnston & Comparta
Ra da -erzala Nova n. 4.
AGENCIA DA
FandMo de Low Noor.
Machinas a rapor de 4 e 6 cavallos.
Moendas e meias moendag para engenho.
Taixas de ferro coado e batido para enge-
nho.
Desappareeeu no dia 27 de abril de 1865 um
relogio do prata patente inglez n. 41989. S.L.O. Y.
descoberto, mostrador de prata e letras de ouro,
coja tampa da machina existe em mea poder :
pede se sos senhores relcjoeiros oa particulares,
no caso que Ihes seja offerec do de o apprehender,
gratificando-se na enlrega : na praca da indepen-
dencla ns. 1 e 3. ^________
Alugam se dous molerjues muito bons copei-
ros para criado : no corredor do Rispo o.- a tra-
bar a qualquer hora.
Os senhores devedores a raassa falli-
da de Amorim, Fragozo, Santos C. s5o
convidados a comparecerem no escriplorio
da adminisiraco i ra do Vigario n. 21.
primeiro andar, para tratar da liquidado
de seus dbitos.
Pernambueo 28 de abril de 1865.
Os administradores,
Jos Jeronymo Monteiro.
Justino Jos de Souza Campos.
O Sr. Antonio Gonealves GuimaraesT mora-
dor nos Remedios, tem urna carta de Portugal na
rna do Queimado n. 37, que pode mandar receber,
pagando o porte e este annonclo.
No primeiro andar da casa n. 50, na ra de
Aguas-Verdes, deseja-se fallar com o Sr. Manoel
Joaquim dos Prazeres, morador na ra do Pilar.
casa n. 87. ,
Compra-se um escravo cozinheiro que seja
moco, robusto e sem vicios : a tratar no sobrado
n. 32 da roa d Aurora.
Porto.
Rraga.
Vianna.
Guimaraes.
Villa Real.
Coimbra.
Amarante.
Compram-se libras sterlinas
Crespo n. 16, primeiro andar.
na ra do
Cobre, laie e chumbo.
Compra se cobre, latao e chumbo : no armazem
da bola aman Ha no oito da secretaria |de polica.
Attenqo.
Vendem-se pecas de esleirs para forro de sala,
tinta branca preparada a oleo, em latas de 25 li-
bras, para pintar casa, relogios para cima de me-
sa e para pendnrar, arreios para I e 2 cavallos
velas de spermacete, tudo de superior qualidade'
vindo dos Estados-Unidos : no armazem da roa d
Trapiche n. 8. _______
Em casa de Tisset Freres ra do Trapiche n.
9, tem para vender:
Vinbo Rcrdeanx em barricas e em caixas.
Dito de Santerne fino.
Ditod- Champagne muito superior.
Cerveja franceza marea Robe.
Na Cambia do Carmo casa n. o, lava-se
chapeos de palha para senhoras e faz-se chapeos
de seda, vestidos e capas, *prepara-se plumas,
tudo por prego commodo.
Participa-se aos pais de meninas entregues
drreccao do collegio de N. S. da Cooceicao, qne
este collegio se acha transferido para os Coelhes,
onde foi a casa de Alienados. Todas as pessoas que
jrercm relaeoes com dito collegio, all poderao
dirigir-se : assim como all somonte nos domingos
de tarde se recebem visitas.
Eseola particular.
Clara Olympia de Lona Freir, profesora parti-
cular de inslruccao primaria, competentemente ao.
torisada pela directora da inslrnceio poblica'
i o sua aula na ra Direita n. 60, segundo andar,
O bacharel
Francisco Angosto da Cosa
ADVOCADO
Roa do Imperador numero 69.
Silvino Guilherme de Barros compra e ven-
de efiuctivamente escraves de ambos os sexos :
rna do Imperador n. 79, terceiro andar._____
Compram-se libras sterlinas por 94400:
no largo do Corpo Santo u. 4, primeiro andar.
Ouro uacioual aiuoedado.
Compra-se na praca da Independencia n. 22.
Cqmpram-se libras sterlinas,
da Cadeia do Recife n 22.
na ra
VENDAS.
Precisa-se de urna ama forra ou captiva,
para casa de pouca familia : na roa da Crnz n.
Casa de campo
Aluga-se emSanl'Anna junto ao sUio do *, primeiro andar.
Sr. Thomaz Harding, orna grando casa e Precisa-se alugy um preto para o servieo
sitio com graneles commodos para familia,. *5asa'_le,_?i: na raa d0 ImPera<,or *.
Arreios de carro para um e dous cavallos.' tendo estribaria e casa para escravos sepa-1 **** marciDelro-
Relogios de ouro patente inglez. radamente, tem cacimba com boa agua, ar-' ~J>re"''
AradOg americanos. vnrpdns a nrnnnrmiug nan ImVs Ao u>m '' ar'
Machinas para descarocar algodao.
Motores para ditos.
Machinas de costara.
Precsase alocar urna ama qu saiba bem
e urna para comprar, para orna casa de
, voredos e proporcoes para baxa de capim : iaie q^^ D rua da imperatnz n. 34, pri-
traia-se na ra da Cruz n, 4. ; me'ro andar.______________}________
Pree-8 de um eaixeiro que tooha pratlca' Precisa-se de ama preta para o servico de
Jde taberna : a tratar oa roa da Concordia o, 62. casa e comprar : na roa do Queimado n. &.
Vende-se um carro de cooduzir gneros da
alfandega, faltando-lhe urna roda, multo forte, per
prego multo commodo : tratar no pateo de S.
Pedro n. 4. ____________
Vende-se urna catea de carroca para um boi,
em bjm estado, por pfeyo muite commodo,: a
tratar no pateo de ". Pedro n. 4.
" ALMANAK.
Acaba de sahir dos pre-
stos o nroeora! los de nossa typographia o
v^rreside^em 'SU* "l" ^T" AlniaQak Administrativo e
- Precisa-se de oro eaixeiro que tenha alguma Mercantil 6 Industrial deSta
P'atica de taberna : a tratar na rua da Senzala .o
Vova n. 26, on a travessa do Poc.nho n. 34, esqu- prOVlIlCia, COITeCtO W 01
na da Concordia. i i i -i
de dezembro, e vende se a
l'ijl; na livraria ns. 6 e8
da praca da Independencia
Fogo, bgo, fogo.
Valdivino da plvora, vende bom fogo do ar,
por prego commodo : no seu armazem de sal, rua
Imperial n. 221.
MEZ MARIANO.
Versos proprios para se cantarem na de-
voc5o do mez mariano, corrigidos e aug-
mentados, e mui bem impressos em folhetos
de 16 paginas, e que se vendem brochados
com suas capas pelo diminuto preco de 160
ris cada um, na rua do Imperador n. 15,
defronle do convento de S. Francisco.
. Jos Alfonso Ferreira primeiro eonferente
da alfandega de Pernambueo, declara que nio se
emende com elle as correspondencias e protestos
do Sr. Antonio Gomes de Macedo sbre as trras
i do engeuho Riachaa.
Vende se urna carroca com um boi muito
novo, gordo e bonita figura por prego commodo :
a tratar na cocheira u. 20 da rua do Calabouce
Velhe.__________________________________
Farelo a 8$
na rua da Imperatriz n. 6. i
Vendem-se
machinas americanas de serrote para descarocar
algodao : na ra da Senzala .\ova n. 42.
InsSc^es para o servido
das guardas do exercito, exiraliidas do re-
golamento de infantaria e accommodadas ao
exercito brasileiro; obra que muito conven
aquellas pessoas que se alistan nos corpos
de voluntarios; vende-se na livraria n. 6
8 da praca da Ind pendencia, a tf.
0 G1STELL0 DE GRASYILLE
Tradazide do francs par A. J. C. da Crnz.
Vende-se este bello romance em quatr
tomos pelo baratissimo preco de 205OC
ua praca da Independencia, livraria ns.
6 e8.


Diario 4c
4MI*Ultii4Jc
do !*.
*
salsa P.1UULHA m aye. Agua florifoe tnico orien-
Transcrevemos aqui alguns a i Jp T7-pTnn
dos amitos aitestados que temos iai uo ^-vuip.
reeebido das virtudes da salsa C^nija^e a vender em porcio e a retalhc
parrilba do Dr. Ayer.
RheuMatlsmo.
DE JOAO JOS DOS SANTOS.
Ouro Preto.
SoiTri rheumatismo por mul-
tas vezes, e vendo annunciado
em um jornal d'esta cidade a
Salsa parrilha de Dr. Ayer, re-
solvi-me a comprar nm frasco e fazer use
d'ella ; e anies de concluir o primeiro fras-
co, achei-me forte e sem sentir a mais leve
dr nos joelhos ; a parte do corpe que es-
tava alTectada d'esse terrivel encommode
que roubou-me tantas noites de somno.
Empees, horbulhas pstula.
leers, e todas as molestias
da pello.
DO SR. JOAO PAULA DE ABRE E SOUZA.
-.: 11
Da ra do Queimado, loja d'aguia branca n. 8.
k Chromacomo
A aguia branca, na ra do Queimado n. 8, acaba
de receber um novo sortiraeulo de caixinhas rom
chromacomo para tingir cabellos, e bem assim
frascos coni hydrocalietrichina, agua para desen-
grasar os ditos, coloricomo para lustrar os ditos,
e onychromantina para hmpar as nuhas. Essa
tintura, cujo effelto rpido e rfllcaz, est bcm co-
nbecida e apreciada para lodos quantos delta tem
usado, e os que de novo a quizcrcm apreciar, po-
dem, assim como aquelles, dirigirse nfunidos de
dmheiroa ra do Quemado, loja d'aguia branca
numero 8.
Papel efolhas para rosas
Acaba de chegar para a lija d'aguia branca, na
ra do Queimado n. 8, um bello sortimento de pa-
pel de cores para rosas, dito verde para folbas, e
dito tamben) verde e raoi fino para cobrir o ra-
me, assim como folhas de panno e avelludadas
para ditas.
Aspas de baleia para vertidos
Vendem-se na roa do Queimado, loja d'aguia
branca n. 8.
SOR DE MEDICINA Y CIRURJIA, SUBDELEGAD
EM AMBAS AS FACULTADES DEL SESTO DIS-,
tricto.Ha baa.
R".a Hit:m^fc tsTnnotde.ma Superiores penas d'ofo r>9te-
erupcifo sypuilica em todo o corpo, mosj zas e francezas
trando-se sempre com mais violencia na ca- A aguia branca alm do grande sortimento de
ra, provei muitos medicamentos e consultei Pena,s d',co qo constantemente tem, icaba de
muios mdicos, e estava quasi desanimado ^SSJSU& SriTc-^lSmo
quando vi os annuncios da Salsa parrilha verdadeiras blcode lanca n. 134 eoutras de pon-
do Dr. Ayer: comecei a fazer USO d'ella e ta doorada, continuando porm a vende-las por
BOSprimeiroS dias a erupeo aggravon-se, |Mcos commodo*. com unto que ocomprador com-
y ri fi____,. pareca munido de dmheiro: na ra do Queimado
porm antes de acabar o segundo frasco ti- foja da sgaia branca n 8 onde tambem acnar se.
nha o mal desapparecido completamente d ha a venda pacta* para papis.
todo o corpo. A aquia branca na ra do
Queimado n. 8, recebeu :
Bonitos e graudos aljofares de cores para voltas.
Pulseiras de ditos de igoaes e agradareis cores.
Voltas preusmaiores e meuores todas de couus
Certifico que he asado te zarzaparril- grossas.
la del Dr, Ayer, y como depurativo he ob- "'/** p,re'as ,a,mbera fe cdon,a?- ,
tenido de eu! los mas/eces resultados en attWjSS^ffl?"
les casos de ulcera crnica, asi mismo au-! Fivelas d'aco grandes e pequeas cora cinto pre-
tor y las considero como um porgante, cuya to e de madreperoia.
accioa ademas de ser segura, ha sido Diuy:do2a^aueddesasde dlirere
eficaz en el tratamento de las eufermidades
que xsigeu el uso de los porgantes, y no
vaoMo en recomendar estas preparaciones.
Y para los fines que puedan convenir doy
la presente en Regla a 7 de setembro de
1860.
Dr. ros V. Herrera.
Escropbula.
ATTESTADO DO 1LLM. SR, FRANCISCO FERRAZ
dos santos.OMro Preto,
Me acho ha quasi dons annos alectado
de escrfulas, e tendo SOffrido tanto que al- mon/emprcgSo'le cm "tucVeto^h j alguna
gumas vezes quasi que chegO a dest/limar aimos pelas celebridadea medicaea de Paria,
da vida e maldizer da minha infeliz sorte; SS^Kt^aSift mSTSEt
... -,___j-, jj__ oadea em as quaes a digesuo difncil, penosa,
tenho sido tratado por muitos medie os d es- mpcrfecu ou mesmo mpotsive: eis aS
ta cidade, e nenhum pode vencer i tenaci- remedio para curi as
dade de minha molestia, esiava sera espe-
O
o
a

o
0 NOVO GERENTE
DO

DE
AZEVEDO FLORES
Roa da Ort.eia do RecitY, esquina da ladre de Deas.
Prestem attencfio ao discurso do Bal&o.
LIGA.
ESTABELECIDO A RA NOVA N. 60
AO
KESPEITAYEL PUBLICO.
A apreciado dos habitantes desta heroica provincia existe no grande araia-
*" Liga estabelecido ra Nova n. 60 um magnifico sortimento de molhcdr-s,
Neste estabelecimento todos os freguezes encontrarao igualdade de direilos, o que sendo em sua maxm.i parte mandados vir directamente do esanc iro rodem ser
agrado que fazemos aonco fazemos ao pobre, ao menos empenhamos todos os exforcos vendidos por precos asssrazoaveis.
ao nosso alcance para agradarmos em geral.
Bonitos leques de {madreperola redondos e de
outra forma.
Ditos de sndalo lotricos e corredizos.
Cape Has brancas para me cias.
iom^
DE PEPSINA!
DL WASMAN
i
As pnstill,as digestiva cem a pepsina it Was-
Dlarrtaen T*aaU-
par* pfwmtmm
ra elshraf*
iMMNI all-
eilM.
rangas de recobrar a minha saude ; quando
ltimamente resolv fazer uso da salsa par-
rilha do Dr. Ayer. Completa n-se hoje
trinta e sete dias que comecei com este
santo remedio, e tantas melhcras tenho
sentido que tenho convicio de em breve
recobrar a minha saude, perdida ha tanto
tempo.
ttyphllls e molestias mereuriaes.
Do Illm. Sr. Dr. Jacksoi'.
Medico minio conhecido as provincias do
sul do Brasil.
* Tenho receitado a Salsa pandha do
Dr, Ayer nos casos mais inveterados de
Syphilis constitucional e sempre com os
mais felizesresultados; o melhor alteran-
te que conbeco.
Lenc4M-rha e flres brancas.
Temos cartas em que nos contam casos
inveterados que foram radicalmente curados chegar.
com um OU dous frascos d'esta Salsa par-, Aviso importante. 0 succeasodas pastilha*
rilhn. 4 pepsina de Watman din causa a se fazerem U.\-
Gastralgias.
Maaeaalaa.
Embaracen gstrico*.
A aatrlte.
Aa aJfeeees artani-
ca ala calruaga.
Em todas as molestias empregio-se a miude u
aguas alcalinas, especialmente a agua de Vicky,
e igualmente aspastilhas de Vichy. Este meio d ao*
tfticaz quando se trate de dispepsias de coru dv-
racio, mas o prolongado uso das aguas e pastiuu
de Vicky, tem grandes inconvenientes, por quanto
es alcalinos empobrecem o sangue isso de ul
maneira que lhes arreblhio a parte vivificanu,
utritiva e reparatriz. Com a pepsina, a contraro,
como ella una substancia orgnica, albuminosa,
transforma-fe ao mesmo tempo que se effectua a
transformaco dos alimentos atsimilbaiMlo-ae
como elles e ajudo tabcm como elles a nutricio
Sera). Sua acco vivifica o sangue e os drgios
e Ul sorte que, ath as pessoas que sem soffrer as
affeccoes gstricas cima mencionadas sao nica-
mente iracas ou d'um temperamento um potito
dbil, e necessilo substancial alimento para for-
tificar te, achao no empreo das pastilhas pep-
sina de Wasman, nm poderoso meio para a iaso
Os nossos precos sao os a ais mdicos como sejam:
Chitas largas escuras muito soffj veis a 280, 300 e 320 rs.
Ditas largas e finas padrees novps de 400 i 500 rs
Ditas largas preclaras a 500 rs. s na loja do Balo.
Gambraias de cores com qtiadros, fazenda nova, a 560 rs. a vara.
dem lisas tapadas e transparente de todos os precos.
Madapolao de 8o a peca que em outras tojas se vende por 9.
Temos tambem muitos uniros madapoloes de diversos precos, assim como te-
mos madapoioes francezes de 14 e 16)$ a peca, inclusive urna qualidade espocial para saias
de sen hora a 560 rs. a vara.
Gambraia para forro de vestidos.
La preta para luto, e de todas as mais cores.
Laas com o assento escuro e flores matizadas fazenda muito moderna e fina qna-
lid de.
Metas pre tas para senhora e homem.
dem cruas inglezas pa a bomem o melhor que ha de 70 e 8 a duzia.
Camisas de 20500 que valem 3o, temos muitas outras qualidades de diversos
precos, assim como camisas verdadeiras inglezas e muito finas a 5 ou 550 a duzia.
Camisas de meia muito finas do 200 e 2o> a duzia.
Collarinhos de papel de cores e braceos assim como collariobos de linbo ingle-
ses a 500 rs.
Temos um completo sortimento de grvalas pretas e de cores.
Ceroulas francezas muito boas a 10600.
Ceroulas de linho com duas costuras superiores e temos um completo sortimen-
to de roupa feita de casemiras e de brins.
Camisas de flanella de cores a 30500, 40500 e 60.
Baldes de arcos a 30 e 350 a duzia as de panno e de arcos para meninos de 20
Chapeos de sol superiores com 16 asteas a 120.
Casemiras do ultimo gosto para se fazer calca e collete.
Vestidos a Maria Fia a 180 e sao matisados.
Ha muitas outras fazendas assim como grosdenaples e moreantique.
Lencos brancos ja abanhados.
dem finos para rap.
Cortes de la a 50500 com 15 covados.
Chales para as senhoras trazerem por casa a 30 e 40 cada um.
_ Brim branco a 10300, 1,500, 20 e 2,5500
P Bramante de tima largura para lences e toalhas.
Brim de Mamburgo fino e grosso.
Alpaka preta e branca.
Brim pardo.
Casemira e panno preto fino, ludo isto por preco baralissimo na loja do
rilha.
O espaco nao nos permiUe transcrever
todps os attestados que possuimos Jas vir-
tudes desle extracto oomposto de Salsa
parrilha do Dr. Ayer. Basta declarar ao
publico que tem sido empregado ha mais,
de vinte annes pela profisso medica tanto
das Americas como da Europa, seui nunca,
desmentir a sua alta repuiacSo.
;Para a cura radical de escrfulas e iffeccoes
escrofulos, syphilis e molestias syphi-
liticas, ulceras, feridas, chagas, |
erupces cutneas e todo e I
qualquer incomrr..jdo que!
provm d'um estado;
impuro de sangue,
TOMEM A
MALSA PA1HILHA DE AYER.
A* venda na ra Direita, ns. 12. 26 e 76;
ra da Quitanda n. 51 ; praca da Consti-
tuic5o, n. 30 e Hospicio, n. 40. E na-
principaes pliarmacias e drogaras do im-
perio.
Vende-se em Pernambueo:
na pharmaela fraaceza de
P.MaURER & C.
_________RA NOVA N. 18.
PROPRJO PAR i SENHORA.
Vende-se um excellente cavallo muito no-
vo e manso com todos os andares: na co-
:Uei a do Paulino, rua de Santo Amaro.
pepsina
sineacoet cimitacoes d'etse producto que os
emnlos se querem desfazer. Pois por falta d'uma
koa preparacio a pepsina que n'ella entra, jaz
alterada. Seremos ao abrigo d'esle inconveniente,
exigendo os compradores que as paslhas tenhio
as iniciaes B. P. e saiio da phannacia Chevrior.
Depsito geral em Pars, pfaarmacia CUwvflar,
14, Fanbonrg-Montmartre, ecm todas m boas
pharmaciat de Frasca dos paiut ettrangeiroa.
I-vi
i -l Si-8?
ifi-a
- B]trii
i, B %* > O.T3
IHIt
2. 2^,2
Franeiseo Jos Germano
Rlt %*9\'\ > SI,
aba de receher um liado e magnifico sortimento
de ocolos. lunetoe e binculos, do ultimo e mais
Aperado gosto da Eurof*.
Na ra da Cadeia do Recife o. 5, loja de miu-
ein de bom gosto, vendem-se teaaes de osso a
1*, e de madreparola t H, chegaio. peto yapor
ingles. _______________
Maehlaas e serroe* para
algodSo
Chegaram as desejadas machinas de serrotes pa-
ra desearor.ir algodo, havendo om completo sor-
timento desde 13 al 40 e/Totes, lantwBi ht mo-
tores americanos para as mesmas machinas, ven-
dem-se o mais barato possivel : na roa da Cadeia
do Recite n. 56 A, loja de ferragens de Joao Car-
los Bastos Oliveira.
- s-ss
f lltf i,
t hllth
g =- S?
riu**
8 S- s 5
* -S3'
Pie-
S* 9 S.
gsff
H H
;iil
GRAGEAS
GELISE CONT
pU AM4ali < Meaielna d* Parte.
Reinita pelos doui relatoriot, adoptados pela dita
Academia amlSiO e em lflSS, que as GRAGEAS de
GSXIS e CONT lio o melhor e mais effica remedio
ferrugiaoio paca curar a cbloroiit (alias flor-albo), 01
laxos branca, a friquea de eoiapleixaa nos dout
sexee, lamtmn para ajudar a menttrnacio das mocas.
Setas Grageas aio sio Tendidas sent em caixinhas
ra vidros cobertos com raalo e (sbados om ama tira
Superiores cortes de moirs preto com barra, o qne ha de melhor gosto em
Percambuco.
dem de gorgurao preto adamascado com barra a imperatriz Eugenia.
dem de gorgorito de seda bordados oom barra.
Superiores moirs pretos e largos 2*100, 20600, 3*, 30500, 40,50,60,
70 e 80 o covado.
Superior gorgurao de seda preto, a melbor fazenda que ha para veslido.
Sarja preta de seda.
dem preta lies; anhela. v
dem idem lavrada a 20 o oovado.
dem idem lavrada muito superior.
Completo sortiaiento de grosdenaple prelo a 10500,1,5800, 20,2*500, 30,
30500, 40, 40500 e 50. *
Pannos pretos de superior qualidade de 30 a 120 o covado.
Casemira preta Je 10600 a 50 o ovado.
Lindos chales, bournus, algeriennes e retoudes de fil preto.
Mantas pretes de fil e los pretos.
E muitas outras fazendas de superior qualidade na lt ja dasColumuas
na ra do Crespo n. 13 de Antonio 'Corra de Vascoofellos & C successores
de Jos Moreii a Lopes.
Sem a fatuidade de querer que este novo e interessante estabelecimcnto seja o
primeiro e nico em seu genero, pde-se porm ffiancar, com toda a seguranca de que
nenhum outro o exceder no restricto con primen to das seguinUs promessas:
1/ Delicadeza no trato.
2. Fidelidade no peso.
3.' Sinceridade nos precos.
As pessoas que por sua posicao social gozam de certo tratamento, achanto nesta
casa os melhores queijos londrinos, cerveja, vinhos finissimos manteiga e cha sempre de
primeira qualidade. etc., etc.
Qualquer que seja a condicSo do freguez, elle deve contar que ser sempre mui-
to bem servido.
Aquelles que sao pouco favorecidos da sorte faro mensalmente na a economa de
multas patacas, afreguezando-se nesta casa, onde se lhes vender e arroz, o caf, a man-
teiga oassucar, etc., etc. de boa qualidade pelo prego que em algumas parles n3o po-
dem ou nao querem vender.
Os senhores de fra da cidade, dos arrebaldes ou centro, que cempram para ne-
gociar, devem vir, | elo seu proprio interesse, a esle estabelecmento para se conveuce-
rem do quanto se pode vender barato.
Para os senhores que compram para lomar a vender existe um sortimento spe-
cial, escolhido por pessoa entendida que certamente muito de;e agr lar aos senhores
compradores.
Nao se tem poupado sacrificios, nem se deixar de fazer a diligencia para agra-
dar a todos.
PELOS SEGUINTES PRECOS S SE VENDE
A DIMHEIRO A VISTA:
ALPISTE E PAINCO a 120 rs, a lib
AMENDOAS novas a 28o rs. a libra.
AVELAES a 240 rs. a libra.
ARROZ de 80 rs, a libra a,..
a.
ingleza
ti
e francesa
do 600 e
MANTEIGA
| 800 rs.
MACARRO a 400 rs. de 8 libras para cima
a 360 rs. a libra.
AME1XAS francezas em latas, potes, fras- MASSA DE TOMA! E a 6C0 rs. a lata.
eos, bocetas, etc., ele. MOSTARDA ingleza a 800 rs. o frasco.
AZEITE doce a 600 rs. a garrafa, cadada a MARRASQUINO de Zara.
II jMARMELLADA de diversos fabricantes
BANHA de porcoa660 rs. a libra, em por- diversos precos.
cao faz-se abate.
BOLACHINHAS do beato Antonio a
BOLACHINHAS de soda lata grande a 2,000
ris. "
BISC01TOS ing'ezesem latas de 1,200 rs. a
PEIXE em latas a 1,000 rs.
PEBAS SECCAS a 500 rs. a libra.
PASSAS muito novas a 320 rs. a libra.
BOLACHINHAS principe Alberto a'2,000rs. i PRESUNTO para fiambre.
*
00 rs. a libra. KVEfJO do reino de 2,000 a
IDEM londnno.
C
CHOBICAS m ito novas a
CAF de 260 rs. a libra.
CHOCOLATE francez a 800 rs. a libra. S su,f a $0 rs. a hbra.
CHAMPAGNE das marcas mais acreditadas iIDEM Prato a OOrs a hbra.
CO rs. a libra c grande
Admira vel pechincha!
11 ambique a 300 r&. o covad, aa toja
do pa>o.
Veodem-se 06 mais bonitos iiorambujuep de pu-
! ra 15a proprios para veelidos e soutembarqaes,
.-t-Edo de juadrkbos de listras e lisos, fazenda iti-
i teiramentc nova, m padres e moito proprias pa-
| raas senhoras que frequentam o mez Mariano,
I porqne esta fazenda lhes facilita fazerem por pou
1 co ilmhciro vestidos moito decetztes para qualquer
: acto, advertiodo-se qne este baratissimo preeo
devido a grande coaipra que s tez desta nova fa-
zenda, que se vende a freze tostSes o covado : na
loja do pavo, ra da imperatriz a. 60, de Gama &
Silva.
- Vende-se |a enciente propriedade da na
Imperial o. 164, fregneeia de S. los, leodo 330
palmos de trente e mais de 1,200 de fundo, no
| centro do dra e caL om muitos bons commodos e alguns
arvoredos de fructo, precisando melade do fundo
; de algum aterro : o Sr. capitalista que Bcer esta
a ficar um granee numero de casas, j com frente
; para a referida ra, j em outras que passaw por
j dentro da mesma propriedade, que por ler emtoar-
: que offerece a immensa vantagem de facilitar a
conclnso dos materiaes, que sero despejados em
cima das obras: quem a pretender dirija-sa *
mencionado predio, on ra do Bruai n. 57.
AGUA
DE
Florida.
para restabelecer e conservar a cor natural dos ca
bellos.
A agua de Florida nao nma tintura, tacto es-
seneial a contestar, a. mesma agua dando a cor
primitiva de cabello. Compostas de plantas exti-
cas e de substancias inoSensiveis, ella tem a pro-
priedade de restituir aos cabellos o principio co-
rante que elles tem perdido.
De urna salubridade incontestavel, a agua de
Florida entretem a limpeza da cabeca, destroe as
caspas e empede os cabellos de cahir.
a 25,000 rs. o gigo.
CHARUTOS de todas as qualidades, suissos,
american s, bahiannos, fluminenses, etc.,
de 1,400 a 10,000 o cento.
; CHA HYSSON de 2,200 a
COPOS I sos ladidados de lodos os tama-
nbos a
I
DOCES de todas as qualidades.
B
EBVILHAS seccas e em latas portnquezas e
. francezas.
F
FARINHA de araruta verdadeira a 800 rs. a
libra.
FARINHA de Maranho ou tapioca a
FARELLO de Lisboa a 4 e 5,100 rs. a sacca.
FAVAS portuguezas em lata a 600 rs.
tS
GOMMA muito nova e alva a 120 rs. a libra.
GRAO DE B1C0 a 120 rs. a libra.
GENEBRA delaranja a 9 e 10,500 rs.
CENEBRA de Hollando m botijas, frascos,
garrafas, etc.. etc.
SABAO MASSA a
abate em caixa.
SEVADIMIA a 200 rs. a libra e
8 titira
Inri: grande abatimento.
f*
\ /
VLNHO tinto de 360 a. garrafa.
VINI10 tinto em canuda de 2,5C0
VINHO branco em caada de 3,500 a
VINHO verde a 4$ rs. a caada.
VINHO Brdeos em caixa a 6.( 00, 7,(100 e
VINHO de Grave a 6,000 rs. a caixa.
VINHO Cherry a l ,000 rs. a garrafa.
VINHO do Porto de todas as marcas c lodos
os precos.
VINHO Collares a 800 rs. a garrafa.
VINHO tinto, neste genero ha constantemen-
te 20 a 30 pipas ao torne de divo sas
qualidades e diversos precos.
VINAGRE em ancoretas a 15,000 rs.
VINAGRE em pipa a 160, 200 e 240 rs.
VINAGRE branco a 40O rs. a garrafa.
VELLAS de carnauba a i3 e 13,500 rs. a
arroba.
Mendoso
Jumentos
Vende-se um lindQ cacal de jumentos de bella n- ?!, trente.amarella.
Vendem-se queijos do ultimo vapor a 500 e
26O0, manteiga ingleza flor a 960 a libra, dita
franceza da safra nova a 920, arroz do Maraaho
a 100 rs., aletria e macarrao a 400 rs., vmho de
Lisboa a 320 400e 480, da Figoeira a 500 e 360,
branco a Suo'rs., doPorfoa640 a garrafa, esper
mcete a 600 rs a libra, loucinho de Lisboa j
320. batatas a 100 rs., sabSo massa a 200 rs. a
libra, erva matea IfOrs.,urna machina de copiar
carta, urna batanea Ingleza, nm moinho de moer
caf, latas de gaz vaziasa i20, blscootos, vinhos
engarrafados tinos, temperos, charutos finos, al-
pistt, figos e outros muitos gneros que se delxam
; de mencionar, tudo por menos do qne em oatra
! qualquer parte, nesta casa o freguez com pouco
I gJ6to vai sonido para casa e quem qoizer e bom
genero vir aqu qne o Jacharlo: na ra Direita
lavando a Irma do depositarlo asral : labei.owe,
BtvrhQn-ViUmuuwt, t. Paris-
Jtaamactutieo, ra.
raca, grandes e covos, proprios para a eooserva- ~ yJoho do porfo superior em caixa de duzia,
rao da mesma raca e cnizamento, do que se eolhe- ,eD1 para vQder Antonio Luiz de Oliveira Aseve-
ra magnifico* macho*, mullas carro e carga ; coja do r no seu escritorio ra da Cruz n. 1.
jumenta esta prenhe, assim como urna linda ju-
Calde Liilwa
Na ruado Vigario n. 19, primeiro andar.
Tdros de Jacaranda, rnadeira moito especial
para construir moMliat: no largo do Corpo Santn
n. 4, primeiro andar.
assim como
meutlnha 'com pouco menos de um anno : ver e
Dei)08ito geral em Pernamboce rna da' traur com Jos Pereira Cesar no sitio Pirahuyra,
rruz d.2 em casa de Caros Barben arrabalde da v,"a fe Um<*,ro- ____
Mez Mariano.
Anda est venda na rna do Imperador n. 13,
defrnnle de S. Francisco, a rica edicSo do mez Ma-
Vinfio Made{ra fino
tem para vender J.io do Rege Lima, na rna dr:
Apolle n. 4.
Bartis vastos.
Vea. Ttt'-se It-rU vasios de manteiga a 120 rs.:
na ra Ja CadeiJ do Recife n. 5).
<]llegramos superiores
cortes de seda.
Superiores cortes de seda de cor, vindos pelo
ultimo vapor francez : na luja das columnas a ra
do Crespo n. 13, de Apipnlo
celloE 4C,
riano, ornada com e.-lampas e yinhetas, eencader- \
nada, por 14 e ij.500 cada llvro._____________i
Calnogas Anas e brinqiicdoa
ara ai colaos.
Chegaram para a loja de miudezas da ra do
Queimado n. 69, os mais finos e lindos catangas
: unto para bnnqoedo de meninos como para cima
Correia da Vascon- \ de mesa : na mesma loja se encontrar bom sor-
,.meBlt'de miudezs?.
Xa ra aa Croz a. 38, em casa de Mills Rat-
teau & C.,vende-se:
Cha.
Oleo de^inhaca,
Folbas de Flandre.
S.lin- esilboesioglezes.
Cer'veja Aspinall.
Dita Raes. *
Dita John JeTrc 4 C.
Um piano com pouco uso.
Bhas luiuburpe'as.
Venda-sf oa ra Nova a. o.
MACHINAS DEP41EM
de tfrabalhar So |a
deacaroear aigodSo
FABRICADAS
Pop Plant Brothers & C.
OLDAM
i ... ii ;.ri, l;-.
podemdescaroca;
quaiqoer espec
de algodao sen
estragar o fie.
sendo bastante
duaspessoaspara
o trabadlo; pdt
desea rocar uro i
arroba "de algo-
dao em carocc
?ai 40 minutos,
on E arroba;
por dia ou 6 ar
robas de alpodac
i ipe-.
Assim como machinas para sereno movidas por
auimaes, que descaro^aui > arrobas dealgodc
limpe,.por dia; e motores para mover un.i, duas,
eutr;s dessas machinas.
Os mesmos tem para vender um bcllissimo va-
por que pode fazer mover seis desias machina
mencionadas ; para o que convjda-se aos Srs.
agricultores a virem ver e examina-lo. no arma-
zem da algodao, no largo da ponte nova t 47.
Sauaders Brothers A C.
\'. II, |raea do Corpo taoto
RECIFE.
Os nicos agentes nesle t.i.
DROGARA.
31Ra larga daRaaario- '-i
Bartliolomen Francisca tSoo-.-. C.
Venden :
Acido actico poro p^raretmu 'a?.
Esmaltes para ourives. %k
Papeipara forrar casas.
Guarnic arejludada?.
Tipta branca superior em lata.
AlvaiadeVnea,flno,enj paes.
Air:
da II a vana.
Na ra da Cruz n. 4, vende-se tnaruKs de lia--
vana de diversas qualidades.
w cTr< c 5= S3 > >'n"g 55 t h se"""
B 5" sr S = -
."' S o= 3 < S*
O c; ~ -
B "S p. 3 -..
a> ^<
C ( O tD c
a $ o-r =3 o
a -j ss

su
,g 3 5
ce 65
^5
S.5
2 s
a C jr
a-2 S
B y
C 09
TI "
= = r
5.
ce
ta CC ^ -1
B*2 S 2
3 o o w
^ O OJ
2. CE
CD
C/r

iTBs
5 ct Y.
I

m
o. Lr
B
2,
'3.
CD
CA
L
esa
os
=3
s
w o 2 q
s
-^
o
-r>
a
c =
03 O!
N
o O
13 -I
? 3.
CT-.
O
>
O
MARA PA
arla Pa
Hara Pia
Acaba da cl.rgar paafBltimo vapor ingles um
esplendido soriirrtn^ datJuA^'' do caLc^a a Ma-
ra Pia. es quaes pete tn.ajpgaiK'ia e bcm gosro
de cada (nal o mais bnivflnida deiiam a esejar
sendo pretos, rxos, cor da bcnina e azolzioho
seos preces a 2S500. S#, *. i,8| e 10, : aa
io;a do novo rival roa do Qtteimtdjo f, 14..


MMi ****. M ata* Mr* m *r Mo M IWOtf
!
SN^-^aNMMHC
AURORA BRILHANTE


GRANDES AftM.lZENS
MOLHADOS
VINHOS
ESPECULES
Largo da Santa!
Cruz n. 84, es-'
juina da ra do
iSebo.
fj Largo da Santal
Cruz n. 8 i, es-|
fjriina da ra doj
**J*41XS lilil
.. mi?" Proprletano do ja muito acreditado arraazem Je molhados denominado Au-
rora ruante, conttona a ter o mesmo sortimento de gneros de primeira (inalidade.
A se?mnte tabella sirvira' a todos de base para ajuste de contar aos portadores,
n.i a?um JJMMeiB vender" mais barato e melhores do que a Aurora Brilbante, ja'
P?io irrinde sortimento que tem, ja" mesmo porque seu dono s deseja tirar diminuto lu-
cr quinto chegua para accumular as despezas do estabelecimento por isso deixe se a-
proveuar, o prspnetario ha de fazer toda a diligencia, aflm de servir bem os seas cons-
tantes fregnezes.
,a\< ;om s libras dechouricas muito novas,
, a 7 J300.
, Dius grandes rom peixe em postas inteiras,
\ tnAinel2 ,ualidades'a 1500' 15280e
l> tas com o-tras, excellente petisco para fri-
gileira, a 720 rs.
Oitiscom ervilhasnovas, ensopadas,a720rs.
Oit.is com favas, a 640 rs.
Ditas rom ameixas a 4*200, 15800 e 33500.
' Jilas com nrmelada do afamado fabricante
Abreu. a 720 rs.
lOitaseom massado tomate, a 500 rs.
. Jilas :om ligos de comadre, novos, a 15500
n e 25300. '
'Jila* com bolachinha de soda muito novas, a
[ 23000.
iuscimbiscoitinhos inglezes de muitas qua-
HlaJes, a 1500.
Chiealate.
Ciixiohas com ameixas enfeitaias proprias
para mimo a 15200,3)800 e 3}200.
A icjiate superior muito novo, a libra de
880 a 15000.
i WiearrJo, talhariara e aletria amarella, a libra
' a 400 rs.
Dilo uto dita branca, a libra a 100 rs.
laixas com estrelinha, pevide, e outras mas-
r sas, a caixa 3*500.
thta* lita em libras a 640 rs.
|tid, i libra a 3G0 rs.
mlinha para sopa a libra, a 21!) rs.
Brvilms ieccas, a libra a 160 rs.
> -.; lescasenJas, a libra a 200 rs.
1 r i M > sa mam nova, a libra a 280 rs.
'i-'vn de aramia verdadeira, a libra a
i 11 r*.
'. 11 >f iranha-t. em sacco, a arroba a
! '> n a iibraa 80 rs.
i i l'iin e Java, a arroba a 352)0 e a II-
i i 100 rs.
' 11 ai i le Lisboa a 9#3O0 a arroba e a 320
' i ubra.
i ti 1; S mos, a arroba 75000 a a libra a
i i) rs.
'I'I'im i n 123 ceblas grandes, IjiSO.
' la frauceza, caixa com 2 dalias a
T -100.
'. > :.h c. mi mostarda preparada em vinagre,
i vio .-..
j : ) i n mservas inglezas e franelas, a
5t) ;0) rs.
luis com sa! refinado tino, a 640 e a 500 rs.
titos eom a verdadeira genebra delaranja, a
L-5000.
)ii m le 2 garrafas de Hollanda verdadeira,a
610 rs.
(titilas cora dita proprla para negocio, a
40) rs.
iirrifoes com 2 galoes com dita, a G5:
Wveja bu. marca,
floxia a li^OOO.
Haba nseatel dp.S^tubal, a garrafa a 15.
Mtrrasqninlio verdadeiro, frascos a 80C rs. e
i 132J0.
i Ihimpagno, a duzia 205000, e a garrafa a
2-5000
Visite retnalo portuguex e francez, a garrafa
' a 13000.
Caixa d. vinhi Bordean x muito superior.a
75. 85.95 c 105 a caixa.
ii.a-; com dito branco. a 75 a caixa.
)i;as can dito lacrimas do Douro verdadeiro,
i 205.
Bitas com duque do. Porlo verdadeiro, a
185900.
litas i'om chamlssn superior, a 145-
Ditis com Porto velho e outras muilas mar-
cas a 123-
[ Vinh> do Porto da pipa, a garrafa a 640, 7TO
e 800 Ts. *
Ditn de Lisboa muito bom, aoanarta a 35200,
', 35300 e 45, e a garrafa a 500 e 560 rs.
'Ditoda Figueira, dasseguintes marcas(N.)
fi. A. A.) (I. L. G.) (O. M.) a caada a
> 43500, e a garrafa a 560 e 640 rs., deste
[ que ja est engarrafado elacradocomo
rotulo do armaren.
ID'tos de marcas mais desconhecidas, a cana-
da a 33500 e 43000, e a garraa a 480 e
520 rs.
vnho branco fino, a carrafa a 640 rs.
Dito de caja muito superior, a garrafa a
I 800 rs.
VinhA verde superiir.
A caada a 33000 e a garrafa a 400 rs.
Gorama.
Saccas de 4 arrobas, a verdadeira de se
engoramar, a arroba a 33000 e a libra
120 rs.
Sabo massa, a libra a 200, 240 e 280 rs.
Farinha.
Saccasgrandes com farinha le Goianna mili-
to nova, a 53000.
Caf.
Gaf lo Rio mu to -uperior, a arroba a 83,
83500 e 95000.
Cha.
Chacemos nestes generoso melhor possivel,
hyson, a libra a 23600.
Dito prola a 33000.
Dito uxim a 23700.
Dito hvson muito lino a 25800.
Dito redondo a 23500.
Dito preto de primeira qualidade a zow.
Dito mais baixo a 23000 e 13600.
Erva male.
Excellente cha medicinal, a libra a 240 rs.
Espprmacete.
O masso com 6 relias le osperraacete a 600,
640 e 720 rs.
Passas.
Cxas de 16 e 8 libras de passas novas pro-
prias para minos a 45 e 23300.
Nozes.
Nozes, a libra 160 rs. e arroba a 45000.
Alpista e pampo.
Alpista* painco. a arroba 43000 e a libra a
160 rs.
Cartas-
Cartas finas pan majar, a duzia a tioOO.
Castanhas.
iCastanha* nova* violas neue vapor, a arro-
ba 430)0 e a libra a 200 rs.
Azeitimas.
i P.arriscom azeiionas novas a 13300
Manleiga.
I Manteiga superior, a libra a 13200.
1 Dita mais abano a 181*0.
Dita menos suoiM-or a 15.
Dita franceza nova, a libra a 45120
Dita dita ora barra e meios ditos, a libra a
15 rs.
Dita para tempero a 400 rs.
Qucijos.
Qopos novos vinA ueste vapor a 23800ej
35000.
Ditos Inndrioos muito novos, a liwa
15000.
Papel.
a 500 rs. a garrafa, e a j ^^ watado> a resma a48800.
Hito dito lizo de linho, a resma a 450i>.
Dito d peso lizo e paulado, a resma
25500.
Dito de embrj'.ho, bom a 15 e 15^00.
Vi'ihn Madeira.
Garrafas cora o verdadeiro vinho Xerez e Ma-^
deira a 13300 e 25000.
Temperos.
Folhasdeiouro, pim-rnta do reino, cominho'
e cravo, a libra a 400 rs. .
Velas de carnauba. <
Massos com 6 velas de carnauba refinada a
480 rs.
Immmi.
Amendoas cora casca, a libra a 320 rs.
Doee.
Caixoes de doce de goiaba, grandes a I5'00^
e pequeos a t40 rs.
Tijolos de lirapar.
Tijolos de arear facas a 140 rs.
Grata.
Duziasde boMes de graxa n. 97 a 25080, 01
de latas a 15000, e os boidos a 240 ri. ca-
da um, e as laias a 100 rs.
Charutos finos.
Charutos finos dos melhores fabricantes da
Bahia por diversos presos, caixaj e meias?
caixas.
E grande quantidade de gneros tendentes
estes estabelecimentos, que deixam de an-
nunciar-se.
CONSULT
DR PEDRO D
BIC
CIRURG1C0
BO M09GQSO,
DOR.
Pharmacia

S Ra & BleiSt, ma & Fandao 3
O Dr. Lobo Moscoso fTff niiUfllM mf aos pihrw todos os das das 7 s 4
aoras da manliaa, e das 6 oxeia is, 8 faaras 4 noile, txcepcSo dos das santificados
thica.
No mesmo consultora ha teapp mM approfriaid sortimento de carteira-
tubos avulsos, assim coa4iatar*$4* vttmt dymaamisar^os pelos preces seguinte
GarfanrstfatattmaMiis. 190000
> Sk lutemaBttes. iSfooo
sJUtWsgra.des. tWOOO
de 5Ftnrjosnmdes. 300G0
de 60 tubos grandes. 350000
Prepara-sc qnalquercarteira conforme o pedido que se fizer, e com os remed
l no se pedir.
Um tubo avulso ou frasco de tintura de meia onga liJOOO.
Sende para cima de 12, custarac >s precos estabelecidos para as carteiras.
Ha'ubos mais pequeos cada um a 500 res.
LIVROi.
A melhor obra da homeopathia, Manual de Medicina HomeopathicodoDr. Jahr
dons grandes volumescom djcciaoario............ 20^000
Medicina domesticado Dr. Heriag,........... 10j5000
Repertorios Dr. Mello Moraes............./ 60OOC
Diccionario deiermos de mediciBa ...,...,,.. 3)5000
Os remedies deste estabeleciraento sao por demais eonhecictes e dispensan! portan-
to de seren novamentepecomnwndados aspessoas qne quizerem osar de remedios ver-
dadwfos^aergieos ednraderes: ha ludo do melhor que se pode desejar, globos de ver-
todsffoasjocar deleite, BOtaveis >ela saa boa conservafo, tintura dos mais acreditados
estabelecimentos europeos,a maisexacta e accorada preparaco, e portanto amaierener-
gia-j certeza em seus effeitos.
Casa de saiii'* p%ra escravos.
Recebe-seascravos para tratar de [ualquer enfermidade on fazer-se-lhe qualqoer
operacao, para o qne oannonciantejulga-sesufficientemente habilitado.
Otra tantelo o ethor possivel, tanto na parte alimentar, como na medica, e
funccionando a casa a mais de quatre annos, hamuitas pessoas de cojo coaceito se nao
e duvtdar, que pode ser consultados por aqnelles qne a"esejarem mandar seu?
NEM COROAS NEM MffRSS' m
0 VERDAD FU
GltUVDE
ARM1ZEM
DE
A
HU DO IMPERIDOB \. 40|
|j Junts a sebradoera qne mora Sr. Osbane,
Duarte Almelda A C, receberam de saa proprla estcia ei -
da o mala lindo c variado sortimento de molhados, pujiS.
da p rsente estaoo.
Macas brancas
. 11Ra do QaeimadoN. 11
Superiores cortes de seda preta com lindas barras.
SuBeriW seda tacoono que hade merhbr e mais gosto.
Moreaotique preto muito boaito a 15S0B, 35,35500 e 45 o covado.
Completo sorttteUto de grosdenaptt preto de mnitas qaa'idades.
Pannos pretos casetoiras de ainttas cualidades.
Bournoe, chales e los de renda prto*aperiores.
Superiores pelisses esoutembarques de seda para s ohoris.
Bournas de lia para senhoras a H5. .
Chapeos e chapelinas de palha de Italia para senhoras.
Cortas de taa de barras de 145 a 225 de muito gosto
E muitas outras lazendas de superior quatidade na loja de Augusto Frelerico das
Saritos Porto aonde tambem se vendem as melhores e mais baratas
Esteiras da India para forrar salas.
H. it Raa do Queimado-. 11
Camas de ferro
Vrfnd--=e grande sortimento dfl?t.i= camas n!
aa Nova n. 33 ;*ia rna !oa n. i ;majna^siii4f-ioK>ono< grandes
ourinoes de ferro YofYados fle pdrrellrtia tendo
duas azas e tampo d^'iwro, r%Wmendam-se a
quem precisar. i>
.- i, .
ii i '
Ne armazem da viovr Rw^Lope?, defronie do
embaf|ne,nav3ca#tBh, vndem-se ceblas as me-
Ihores do mercado, emxaia e eBlo, e mais bo-
rato possivel.
ioeates.
Paga-s2OOO por da durante 60dias ed'ahiem diante l^loOO.
As operacSes serao previamente ajustadas, se n5e se qnizerem sujeitar
>is [ae costa ni pedir o annnnciante.
aioaveis
aos prec!
Libor.itwio eaalo^ico e chimieo de F. P. Lebeuf e C
ra Montmartre, 31, em Pars.
Fabrica em Argentenll, prs Paria (Franca).
B0\IFICAC\0 E F4BSIG4C0
Das viohos, agua rilen tes e licores.
VINHOS. Imilago dos vinhos de todas as
nalidades,Eilraclo de Ifedic, a dose para 230
litros, i f. 23,le Borde^t, 2 f., de Pomard, 3
.,de Lisboa, i f., de Cataln, 2 f.,de Porto
Xerez, Muscatel, Malaga, dose para 2o ou 30 li-
res, 4 f.
Substancia para fabricar com o alcool e agua
s vinhos cima e todos os outros. A dose uara
500 litros, 50 f.
CLACIFICACAO.P6s Ingleses, pos dos vmhos
da Hespanha, da Franca, etc. A libra pan 500
litros. 5 f.
COLORACAOPurpirigise para colorear os
vinhos brancos e vinhos claros. As duas libras
para 500 litros, 16 f.
Algnns de nossos agentes tendo falsificado e mitad? nossas preparares,
freguezes,'leve-se exigir sobre as rolhas e rtulos as iniciaes F. V. L. Paris,
O modo de asar-so das freparaees acha-se indicaiio do rotulo.
AGUABDENTES.Esseoeia de cognac para dar
as agurdenles ordinarias o sabor e o aroma de
cognac. A garrafa para 100 litros, 5 f.
KIRSCH E ABSINTHO.-Esseocia de kirsch e
de absintho, para os azer com alcool agua,
garrafa para 100 litros, 5 f.
LICORES.-Extractospara fabricarse todos os
licores conhecidos sem fogo nem alambique, (n-
dicar-su os que se deseja.) A dose para 20 ou 25
litros, 3 f.
PERFUMES ,>ara fabricar-se os licores finos ou
communs a Jos para 20 ou 25 litros, 1 f. 25.
TODOS os ontros productos para o trabalho do>
vinhos,ifruardentes, licores, vinagres, etc., sao
fabricados le encemmenda.
UTEXCILIOS de laboratorio e de chimiea.
e engaado nossos
Manteiga ingleza
da safra novavinda no ultimo vapor a i ,ooo
rs. alibra eem barril a 8oo rs.
Htintelga franceza
pa safra nova a 60o rs. alibra, e em barril
5W>s.
Amendoas
<*ufeitadas de ndissimas cores a 800 rs. a
libra.
Ameixas
em frascos de vidro cem 3 libras liquido a
i$ i00, muito propios para mimos,
Cartees
oom bolos francezesa 500 rs. cadaum.
Latas
com belachinhas de soda de todas as qua-
lidades a l300.
Chocolates
detodasasqualidadesaljJOOO alibra.
Presuntos inglezes
dos melhores fabricantes a 800 rs., tambem |
tenns velhos para 500 rs.
Queijos flamengos
chegados neste ultimo vapor a 2j56oo.
Qneljos
ebegados no ultimo vapor a 2060 cada um
As encoromendas devem ser acompaadas por urna letra sobre Paris ou qo3tqoer outra cida-
Fraaca. ou gar.midas por urna casa : mUeci.ia.-Diriglr-se aos Srs. Lebenf 4 C. chimieos, ra
mirtri, n. tt, em Paris, oa su, fabrica m Vr^eateuil, prs Pars.
u botica franceza, ra do Imperador n. 3S.
ir.
n\\WA l)E CH-POS DE SOL
londriae nats fresco que se pd-e esperar
e de excellante maree a 800 rs. a libra
sonde atan e a 900 rs, aretalho.
Conservas inglezas
as mais novas que se pode esperar a 760 rs.
o frasco.
Figos
em libras e caixinaas ricamente donradas,
proprias para mimos a 900 e i#200.
Cha uxim
o melhor que se pode desejar, qne antro
qnalqtrr n5o pode vender por menos de
35 a 20600.
dem perofa
M 'especia qaalidade a 2700 rs. a libra.
Idea h vsson
o nis aromtico que tem viudo ao dosso
mercado a 2^00.
Massas amarellas
para sopa, macarra"o,alharin e aletria a
iSOrs. alibra.
, omoitoararnadocornacPal Brandy a l,8oo
rs. a garrafa e de outras murtas qualida-
desa l.ooo e 8oo rs. a garrafa.
COPO*
lapidados para agua a 4,5oo e 5,ooe rs a
duzia, e a 440 e 5oo rs. cada nm.
PAPEL
alinaco, greve, peso e de outras muitas qua-
idades de 2,2oo, a 4,5oo a resma do me-
lhor.
Papel de botlea
de expente qualidade a 2^200 a resma.
PtPEL
para sopa a melhor qoe se' gde defejar.
macarrlo, talharim aleiria a 4Ct rs.
libra e 4500 a caixa.
Vinto
Figueira J A A e otras mnitas Barcas acre-
ditadas a 500 rs. a garrafa.
ldn de Lisboa
e de outras marcas a 400 rs. a garrafa, <
2#800 a caada.
Idean do Porto
generosos engarrafado des melhores fal fi-
cantes da cidade do Porto a i6 e ii<
a garrafa e de 0 a 120 a ca.aa, asta
cas sao as seguintes: Chattisso d FiJl -
F. A M., Neaar ou vinho des lems
lagrimas do Douro e outros muitor.
Latas
com 10 libras de bauha a 4jfCfO. ,
Bolachinha inglezs
*al800 a barrica damesmaque
vendem a 2,5000 e 2^400.
Nozes
as mais novas do mercado a lCrt .# bT.
Cervejas
dos melhores fabricantes|e de todas as aa,
cas de 4500 a 6500 a duzia.
CHARUTOS
Charutos Thom Pinto,. Reis e outres em
meias caixinhas a 1^500.
Arroz
do MaranhSo a 100 rs. a libra, e da lDdi
a 80 rs. a libra, e 25500 a 3000 a ar-
joba desses que vendem por 30400.
CAF
de 1.a e 2.1 sorte do Rio de Janeiro a 8Sf
e 80800 a arroba, e 280 a 300 rs. a libr
Garrafdea
com 4 '/i garrafas com vinagre a 10000 too
ogarralao.
GENEBRA DE LARANJA
verdadeira a 10000 o frasco, e de UfCC*
a caixa.
DEM
em frasqueiras de Hollanda a 50800 com
12 frascos.
GENEBRA
de Hollanda verdadeira em frasaueira a Co-
ra, cada uma.
PALITOS
os verdadeirospalitos dogaz a 2,2oo a eiez
e2ors. cada caixinba.
LICORES
finos de todas as qnalidades, a lo,ooo a'if*
com urna duzra e a l,ooo a garraf:'.
Marmelada
dos melhores fabricantes de Lisboa, cor o se-
jam Abreu e ontros muitos a 6oe rs. *
libra.
tS fina %rn Cabiag a. 8.
AJiretoria desse ostabelecirnento o mais importante que existe neste genero'
as provincias do norte do imperio, querendo que o publico desta provincia goze das'azul e^utuiooaraVaibrulhode 1 ioa.2.2nn
vantagens que proporciona a fabricaco em grande escala e directa relacao com as mais! C.alesna. '
importantes fabricas da Europa, faz sciente que resolveu-se a vender ainda mais barato
do que doeosturae como demonstra a seguinte tabella :
_ Descont em duzia.
Chapeos de sol de panno a 2^000........ 20 /o
anmc5o de baleia a 2500 .... 10 %
de seda armifo de ac inglez de 20 poltegadas
40, de 21 5$, de 26 53500 e de 28 6;$...... 15 %
Chapeos de sol inglezes a bala"o 12 varetas, cabos muito ricos e
sedasaperior de t\ pollegadas 80, de 26 90. e de 28 100. 15 %
tdem dem a balo de 16 varetas patent paragon de fox de 24
pottegadas 110, de 26120, e de 28 130...... 15 o/
Alm de muitas'outras qualidades de chapeos de sol que existem na mesma casa
orno sejam dealpaka, ditos debrim de linho, etc., etc. ha tambem de seda e de panno
de todos os tamanhos efehs, os quaes s5o tao vantajososcomoosaonunciados, ha
sempre um constante sortimento de bengalas, chicotes, cachimbos, cutilaria fina e ar-
aws de caca, os quaes vendem-se?ualmente em porc5o e a retalho, notando porm
que o comprador por atacado ter sempre um descont razoavel, afina de poder reta-
Ihar pelo preco que o estabelecimento retalha.
N. B. Os objectoa comprados em meos de urna duzia serio considerados como
a retalho.
Pregunto
o verdadeiro preznnto de Lanego a
a hbra. ^
52o
rs.
MaranhSo, Java
ADMlRAVEl PECHINCHA
CUAliES DE 111 \llA PRETOR
a lOjjWOO cada um,
Camas organdys de cores a Ors. o corado.
V Toa da Crespo numero 17,
loja De
Jos Goms Villar.
m& GOMMA NOVA.
fem patteiros multo olva a 4,ooo rs. a arroba e 16o rs. libra e compran-
do de um paneiro para cima se far abatimento na ra do Imperador n. 40.
avfj$wdo. ... ai
Francez >*afffc 3J000
Porilarididefn 80500
Era perfeito estado:
Francez hrrleJi 10*060
Portland dem 110609
No armazem de Tasso IrmM*ee Oa Apelle.
Fio de algodSo tf taoU.
Venflefse ao escriptono de Antonio Lulz d~01in
veira Azevedo 4 C. raa da Crrft'fl. 1.
?m
;PECH1NCH4 SfiM IGU4U
Madapolao mnito fino com pequea loque de avria, pir oreeo que admira : na loja
das columna* na ra do Crespo n. 13, de Antean Corroa de Vas'cencelios & C.
ARROZ
e India, a loe rs. a Hit t
de J.ooo, a 3,2eo rs. a arrota-
VELAS
de espermacete dediversasarras a 5f o rs.
a libra e em caixa ter atatin.ei.io.
. t VELAS
de caraauba em caixas de arrota a ftJn
caixa e 34o rs. a libra.
Batatas novas
em caixas de 2 arrobas a 5# i eaixa e 60 r.
a libra.
Passas ailo eras
em quartos e inteiros a 2 o qnarto e 6,fS(o
a caixa e 400 rs. a Jibra,
Oitooolalc
portuguez o mais.especial que se pede de-
seiara800rs.aIibrael40rs.rpaV
Frats ca calda
chegadas ulmafflente, pera, pecego ciEia e
outros muitos a 640 rs. a lata g J
a 600 e 1,5 e eaixae.
. GOMMA .MJJTO KOVA
, : m BOLACHINHA S
em latas de defferentes qnalidades a I^CO
chandNMt ultime vawr\t^a ,. ,,
flo Ouoiaaado a. 7 m*
Coriatliias
passas coriathias muito novas proprias oara
podra a too rs. a libra. P ^
Fumo
o wndadeiro fumo americano em ehapa a
1,400 rs. alibra.
Viaagre *
PoarD^aCOretaSde 9 CaDadas a 15'eo rs-
Cebi/Mas
asmaisBovasde mercadoa 7,ooo rs.a cra
e4,ooo rs. o molho.
Alista e hiiafio
e-n^rOO a arroba.
CEBLAS
Ca.iOOE meo
H5 raa-aQuaimrdo a. 7, raa impapador 40* largo da Carmom. 9.
DtTBJO SU-S90
m on-2221 ?00 rs-a Bbra na a *
UrUgT^m6 ri>d*lapmdr 4^
^^^
tpularaiis mesmospre%s ^g^mTug^^Ttomm'^ etodr,
p-
fcft. rnacasal na da I.aeMdar n JA
VmWLm DE LISBOA
arca M va^aaaaa. *. ^ times moo: na ^ ^^
*.


fi
VIGNES.
m. as. ra do Mjnaajkmmm n. **.
TZSSEST* aBtira fsbrica s5 ne *ss,u ^Wos pra me seja luceseario insistir sn*,
m- 'STSu tlVT^Se Pranhasque offerecem ao EprXes, walkhdes OJtt^ScSS,!
?3E5JSE1 etoitivamente conquistado sobre todas os qne tem aparecido msumprS Vofe-
ataaa teetedo macbtnismo que ohedeeem todas as vontades e caprichos d niKs *.
aunca falhar, por serem fabricados de proposito, e ter-se n'""-""'- """^nmtnlfrt iMoriar-
tisimo para clima ^este paiz -, quanto s vozes sao melodiosas e flautadas, e per tato moitaamt.
reis aos ouvid Puetn-se ceaforme as encammendas, Unto nesta fabrica como na do Sr. Bkmiel de Paris, soc io
orresponoeato de J. Tipies, em cuja capital foram sempre premiados em todas as expicfies.
No mesmo estabelecimento so acha aempre um explendido e variado sortimeoto oansiooa
nolhoro8 autores da Europa, assim como harmnicos e phnos harmnico', sendo rod rendido po*
Breaos cft'mmodos e razoaveis. ^

[ILEGIVEL


J
9
Atoirem
Admirem
>*Hjl 1
Admirem Bem!!
ma Silva, on6> se tndem todas as hiendas,
tantoeloTo cerne de primal ssSMdta por
oreos uito rasoawis, e com especialidad* as se-
cuiuws, dando-se .amostras deuando ucar penhor,
ou maodio-se levar era casa das familias pelos
caixeiros da mesma toja.
llgimiahe do Pava.
Vendem-se pegas de algodozlnno marca T, mui-
to largo, proprio para lences e toalnas, teado 24
jardas pelo baratissimo proco de 6* a peca ; dito
large com vate jardas a#, pechracha por ser
fazenda que se vende era ootra qualqaer parte
por 10* e 12*, isto ta loja do Pavo, roa da Ira-
ratriz. n. 60 de Gama & Silva.
Madapolo infestado a 1$, .1*800 e 3,5000.
Vendem-se pecas de madapolo eofesjado cora
12jardas pelo baratissimo preco de 4*, 4*500 e
31, ditas sem serem entestados de mareas mnito
eretadas a 7*. 8*, 9*, e 10*, ditts, francez
multo eneerpado proprios para saias a 480 ris a
vara, isto na loja do Pavo ra da Imperatriz n.
60 de Gama & Silva.
Grande pecbincha.
Chitas o -240 ris o covado.
Ou 7*600 a peca s o Pavo.
Vendem-se cbius iDglezas de superior qualida-
da, aflancando-se as cores serem flxas, com mulU
diversidade de padres, pelo baratissimo preco de
220 rs. o covado, on 7*600 a peca tendo 38 co-
vados, sendo fasonda esta qae sempre se venden a
m rs. o covado ea 10* a peca, chitas largas a
280, 340 e 360 rs, na loja do Pavo, ra da Irape-
rairiz n. 60 de Gama & Silva.
Cortes de chita franceza na loja do Pavio.
Vendem-se cortes de chita franceza, cores Bxas
eora 10 covados a-3*, ditos com 11 covado a
3*300, ditos com 12 covados a 3*600, ditos de hi-
ta ingleza a 2*200,2*400 e 2)G00, isto na loja do
Pavao raa da Iraperatriz n. 60 de Gama & Silva.
Cassas Franeezas a 300, 320 e 360 na loja do
Pavio.
Vendem-se cassas franeezas mnito finas, de e-.
res Anas pelos baratos precos de 300,320 e 360 rs.
o covado, pecas de cambraia com salpicos de cor
leo lo 8 l|2 varas a 4*. dius salpicos brancas a
a 2*300 e 3*, ditas adamascadas para cortinadas
a 4*, na loja do Pavo raa da fmperatnz n. 60 de
Gama & Silva.
Cortea a Mara Pa.
Grande pecbincha a5*000 e 6(5000.
Vendem-se os mais bonitos cortes para vestidos,
sendo de cambraia branca com as barras e enfeites
bordados, de cor croi, pelo baratissimo preco
de 3*, ditos do mesmo gosto mais sendo de cures,
pelo baratissimo preco de 6* cada um, valendo
esta fazenda dobrado dinheiro por ser a mais mo-
derna que tem viudo ao aereado, isto na loja do
Pavo na ra da Iraperatriz n. 60 de Gama &
Silva.
Grande pecbincha a S#000.
Vestidos de ta a Mara Pia.
Vende-se um bonito sortimento de vestidos de
la com barras bordadas M tria Pia com as com-
petentes enfeites para o corpo, pelo baratissimo
preco de 8* cada um, pechlncha por ser fazenda
que serapre se vendeu a 12*, e por ter chegado
urna flov. e grande percas, resolreram-se a fazer
riste grande abatimento na loja do Pavo, ra da
Imperatriz n. 60 de Gama & Silva.
Vestidos Oraacos.
Vendera-se os mais ricos cortes de vestidos de
cambraia branca primorosamente bordados, pelo
barato preco de 12*. 16 e 20) na loja do Pavao,
ra da Iraperatriz n. 60 de Oatrra c Silva.
Laa garibaldina a 400 ris,
Vendem-se as mais modernas lazinhas transpa-
rentes, com listriahas mludinhas, pelo baratissimo
preco de 400 rs. o covado, ditas enfestadas, cor de
havana, csmlistras differeutes, sendo das mais mo-
dernas e muito encordadas a 500 rs. o covado : na
loja do Pavo, ra da Iraperatriz n. 60, de Gama
& Silva. ^
Grande pechineha, vestaos a
Acaba de chegar um bonito sortimento dos mais
lindos vestidos transparentes, muito proprios para
passeios e bailes, por serem de primorosos dese-
chos, sendo todos os padrees tecidos e nao pinta-
dos, e vendem-se pelo baratissimo prego de 3*500,
. sendo fazenda que val muito mais dinheiro: isto na
loja do Pavo, ra da Iraperatriz o. 60, de Gama &
Silya.
Laztdhas a 40 ris.
Vendem-se as mais modernas lazinhas trans-
parentes, proprias para vestidos, tanto de qoadri-
nhos como de listras, com as cores muito bonitas,
pelo baratissimo preco de 240 rs. o covado ; ditas
cora palminhas de seda, padrdes muito benitos, a
320 rs. : s na toja do Pavo, ra da Iraperatriz
n. 60, de Gama & Silva.
Fazeadas pretas.
Vende-se gronsdenaples prelo a 1S280, l*G00,
1*800 e 2* at 4*. superior meurantique prelo a
3*. setira da China, nova azenda toda de la, pro-
pria para lato, com 6 palmos de largura, a 300,
360, 600 e 800 rs. o covado, e outras muiUs fa-
zendas pronms para lato : na loja do Pavo, ra
da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
CroadcnapJes de cor a IgGOO.
Vendse superior grosdenaples cor de caf, pro-
prio para vestido, sendo muito encorpado, a 1*600
o covado : na loja do Pavao, ra da Imperatriz n.
60, de Gama k Silva.
(Remiras a 1$600.
Vendem-se casemiras garibaldiuas de quadn-
nhos e lizas, proprias para calcas, palitos e coletes,
pelo barato preco de 1*600 o covado, assim como
calcas, palitos e coletes'ja feitos das raesmas : na
loja' do Pavo, ra da Imperatriz n. 60, de Gama t
Silva.
Grande sortimento de rsosa feita.
Vndese na loja do Pavao um grande sortimen-
to de roupas feitas, cousUndo de palitos de panno
preto, sobrecasacos, ditos saceos, ditos de casemi-
ra, saceos e sobreeasacos, ditos de brim braoco e
de cores, ditos e casineta, calcas de easemira pre-
ta de todas as qoalidades, ditas de cor, ditas de
brim de linbo branco e de todas as cures, coletes
de brim, casemiras, setira. gorgoro, etc., etc., to
das esUs obras vendem-se por preco mais barato
do que envontra qualqner parte : na loja do Pa-
vio, roa da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Chales e manteletes de renda
Vendem-se os mais rrc e mats modernos cha-
les o manteletes de ronda, chegados pelo ultimo va-
por da Europa, por preco muito razoavel : na loja
do Pavo, raa da Imperatriz n. 60, de Gama &
Silva.
Soutembarques de cor
Vendem-se os mais mf"krnns soutembarques de
er, ricamente enfeiudos, e por barato preco : na
loja do Pavo, ra da Imperatriz n. 60, de Gama 4
Sflta.
Capas retas e soelembarqnes,
Vendem-se as mais modernas opas pretas lisas
e bordadas, os mais bonitos soutembarques pretos e
manteleles, todo de seda preta e o que ha de mais
gosto oo mercado, por precos muito ero conta :
na loja do Pavo, rna da Imperatriz n. 60, de Ga-
ma A Silva.
Enfeites para cabeca.
Vendem-se os mais lindos enfeites para cabeca,
a 3* 4* 5* 8*, os melhores balees cronolinas :
na Iota do PSvS,rada Imperatriz n. 0.
Atfcencfy
Fazeadas pretas para a qaare&aa por
por baratissimo prect, aa taja t ar-
luazem da Arara, raa da Ineratriz
*. 56.
Jjiurenco Pereira Mendes Guimares.
6 propnetario deste estabeleclmeato retira-se
para a Europa a tratar de raa sonde, perem antes
de retirar-se pretende fazer urna Uquidaofo de ba-
baratisslrao preco para fechar conus -, agora fre-
guezes vende-se grosdenaples preto muito bom
para vestidos, a 1*600, 2* e 2*500, dito de 5 pal-
mos de largo, a 3* : na rna da Imperatriz loja da
Arara n. 56. .
Jleurantiqne preto a80.
Vende-se meurantique preto para vestido a 3* o
covado, grosdenaple muito largo e encornado a 3*,
2*300, 2* e 1*600 o covado, alpaca preta para
vestidos e palitos a 500,600, 700 e 800 rs. o cova-
do, sarja de la para vestidos, calcas e palitos a
640 e 800 rs. o covado, la preta para vestidos a
640 rs., borabazina preta para vestidos a 1*280 o
covado : ra da Imperatriz loja da Aran a. 56.
Ricos vestidos a Mara Pia a I2i5.
Vendem-se ricos vestidos a Mara Pa a 10*,
12*, (4*, 16* : rna da Imperatriz loja da Arara
a. oo.
Arara vende pecas de panninho a 50 e-de

AOtmiCO
Sem o menor eoastraa-
gimento se entregar o
Importe do gomero que
So agradar. ,
ARMAZEM

H 4
ATTENCAO

a preeo da
tabella para todo* po-
dendo assim servir defca-
e para o ajuste de eomtas
eom os portadores:
MERCANTIL

RA DA CADEIA DO RECIFE N. 53
{Logo pasoamdo o orco -da comeeteao)
PARA BEM DE TODOS.
Sniores e senhoras, o aceio qne presidio aos arranjos 'Noarmazenide &zendasba-
rattde Santos & Goliio
Ra da Queiwals n. 19.
Voatde-oe o seguint c.
Lences de panno de linho
pelo baratissim preco de 2*400.
Lences de bramante 4e linho
de um s panno a 3*500.
Coberta de chita da India
pelo baratissimo preco de 2*500.
Lencos de cambraia brancos
proprios para algibelra, a 2* a duzia.
Pecas de bretanha de rolo com IC raras
propria para saia, a 3*800.
Pecas de cambraia j
para forro com 8 i|2 varas a 2*610.
Guardacabos
de linho finos duzia 3*500.
Algodo enfestado
com 7 1|2 palmos de largura vara 1*200.
Cortes de la
com lo covados a 6*.
Cambraia adamascada ,
com 20 varas propria para cortinado peca
Pil |de linho
liso fino vara 8(0 rs.
Atoalhadoadamascado de alpodso
11.
aennores e sennoras, o aceiu hu* r .:-----------------' ~:--------zZTT-ZSm-------* hu>^ "iu a fruuptiao e iniet- rnm naimns dp larpr vara reza com que serao tratados, convida a urna vwto ao mesmo, certos de qne em dunda me darSo a protecCo e preferencia na com- AToaihadof .damascado de ho
Vendem-se peTaTdroTnninhT'muito fino de 12 P dos generes que precisarem, e quando ti5o possam virpoerSo mandar seus portadores, anda que estes sejam pouco praticos, com 8 palmos de largura vara 3*200.
dapoiSiDfe" pois sero tao bem servidos como se viessem pessoalmente, havendo para com estes toda recommendatfo, afim de que nao v5o em azinhas ca"nezim "*
mad-ipolao a 4*.
Oleo de Florida

Composto de substancias vegetaes exticas, e le
contribae poderosamente, cora a agua de Flo-
rida a torea, a beltefla e a cosservaeio descabel-
los.
Ea Parts casa de Guilaur o. .112 roa de Rechi-
lieu.e 21 boulevard Montmartre.
Todos os frascos nlo tendo intacto e clare, e tru-
el rateado da easa, repntado falso.
Deposito ra A* tmpaaador pharnttcia n. 38.
;0^HHaS&
Urna familia qne se retira vende nraa mdbiha
de amareft j nsada, trem de cosirt, Iraca de
almoco e jantar azul, orna mesa de jamar de ama-
relio ps torniados, mesas pequeas, commodas,
cama de casal omites ostros objectos o qae tsdo
se vender em conta: na ra dos Pires n. 62.
jardas a o*, vendem-se pecas de ma__
Udo a 4* e 4*500, vendem-se pecas de roadapolo
de 24 jardas bom a 6*. 7*. 7*fK, 8*, 9*, 10* e
12*, vendem-se pegas de aJgodosinho a 5*, 6*,
7*, e 8* : ra da Iraperatriz n. 56.
Arara vende os balSes a 2/1500.
Vendem-se bal5es de arcos de todos os tamanhos
a 2*500, 35, 3*500 e.4*: ra da Imperatriz
n. 56.
Lazinhas da Arara a 320 rs. o covado.
Vendem-se lazinhas para vestidos de senhoras
e meninas a 320, 400 e 300 rs., ditas lizas de to-
das as cores a 400, 500 e 560 rs. o covado. cassas
Unas para vestidos a 320, 360 e 400 rs. o covado :
ra da Imperatriz n. 36.
Chitas da Arara a 240 rs. o covado.
Vendem-se chitas decores flxas a 240e280 rs.
o covado, ditas franeezas finas a 320, 360, 400 e
500, preclara para vestidos a 500 e 560 rs. o cova-
do : ra da Imperatriz loja da Arara n. 56.
Ltquidaco de soutambaques e 15azinhas a
v A n, M*m.
vendem-se soutambaqnes de lazinhas para se-
nhoras a 7*, 8*, dita de alpaca branca a 10*, ditas
mnito finas de grosdenaple preto a 20*. 25* e 30*,
capas pretas de grosdenaple fino a 20*, 25* e 30*,
manteletes pretos de grosdenaple a 20* e 22*, go-
Imhas para senhora a 240, 320 e 500 rs., mangui-
tos com gela a 1*, camizinhas para senhora, 2*,
e 3*. ditas muito finas bordadas a 4*500 : na loja
do barateiro da Boa-Vista ra da Imperatriz loja
da Arara n. 56.
Cortes de ditas finas a 2#400.
Vendem-se cortes de ditas com 10 covados por
2*400, ditos de dita franceza a 3*200, cortes de
cassa franceza fina com 11 covados, por 3*, ven-
Jem-se pecas de cambraia branca lisa a 3**00,
**o00, 5*,>00, 6* e 8*: ra da Imperatriz n. 56.
Liquidacao de roupas feitas palitos a 24-
Vendem-se palitos de brim de cor a 2*, 2*500 e
3*, jaquetoes de brim pardo a 3* e 3*500, palitos
de casimira bem feito a 5*, 6*, 7*, 8* e 10*, di-
tos de panno preto bom a 8* e 10*, ditos sobreca-
sacos de casimira de cor e preta e de panno a 12*,
14*, 16* e 20*. calca de brim decr a 2* e 2*500,
ditas brancas de linho a 3*500 e 4*, ditas de ca-
simira de cor 4*, 6* e 8*, pretas a 5*, 6* e 8*,
colletes de casimira de cor e prelo, de brim de cor
a 1*500, brancos a 2* e 20*1.0, ceroulas feitas a
1*280, ditas finas a 1*600 e 2*, camisas franee-
zas a 2* e 2*500, ditas Inglezas de pregas largas a
i*, de linho a 3* e 3*500, eolerinhos econmicos
a 640 rs.a duzia, ditos de linho a 500 rs, um : na
ra da Imperatriz loja da Araja n. 56.
Arara vende as cobertas a 2.
Vendem-se cobertas de chita finas a 2* e 2*300,
ditas de damasco a 4* : ra da Imperatriz n, 56.
E' na Arara que e vende cortes de casimira
preta a U.
vendem-se cortes de casimira preta para calca a
3*,^ 3*300, 4*500, 6* e 8*, ditos de cor a 3*,
i*300 e 6| : ra da Imperatriz n. 56.
Com toda atten^ao.
0 propnetario da loja e armazera da Arara, est
resolvido a vender, as fazeadas de todas as quali-
dades por barato prego afim de se apurar dinbeire
aa loja da Arara a. 56, de Loureuco Pereira Men-
des Guimares.
Madapolo fino.
Vende-se madapolo com 24 jardas n. 3 a 5*,
n. 30 a 6*, n. 2 a 7*, n. 40 a 7*400, n. 6 a 8*,
n. 5 a 83, marcas csra 8*300, KOK 9*, Elephante
10*, ZZZ 11* : ra da Iinporalriz n. 56, loja de
Mendes Guimares.
Arara vende casemiras finas a 21500 o co-
vado.-
Vende-se easemira preta e azul com listas tendo
duas targurs pelo baratissimo preco de 2*500 o
covado : na ra da Imperatriz loja da Arara n. 56,
de Mendes Guimares.
Cortes de ch'ta a 2400.
Vendem-se cortes de chita com 10 covados a
2*400, ditos a 2*^00, vende-se tambera chitas in.
glezas a 210 e 286 o covado, ditas franeezas a 280
300,320,360 e 400 rs. o covado: s Arara, de'
Mendes Guimares.
Liquidado de soutembarques de cores
a 6*, 9*, 8* e 10*, ditos pretos a 18*, 19*. 20*
e 23*, capas pretas de grosdenaple a 20*, 23* e
SO*, manteletes a 18*, 20*, 22* : na ra da Im-
peratriz n. 56, de Mendes Guimares.
Cortes de cambraia de cores a 3>.
Vendem-se cortes de cambraia de cores com 7
varas por 3*, cambraia branca a 3*500, 4*,
4*500, 5*, 6* e 8* a pega, alpacas de cores a 320
o covado, cambraia de cores a 320, 360, 400 e
440 o covado, lazinhas muito finas lisas a 400,
500 e 560 o covado, lengos de linho a 400, 500,
640 e 800 cada um, aberturas de esqaio de linbo
finas a 1* cada urna : isto s na loja e arraazem
da Arara, de Mendes Gnimares. .
Vende-se chales de merino liso a 4500,
ditos estampados a 53500, 6* e 7*, gol linhas para
senhora a 320,400 e 500 rs. cada urna, colas e
[mohos a 800, manguitos e gola a i* cada urna,
camisinbas para senhora a 2* e 4*, ditas muito
Gnas bordadas com gravatlnhas a 4*500 e 5*,
meias de seda para senhora a 4*600 o par, ven-
de-se paninho com 12 jardas a 5*, peca de mada-
polo entestado a 4*, 4*300 : s Arara n. 56, loja
de Mendes Guimares.
Ricos cortes a Mara Pia. '
Vendem-se os mais bonitos cortes a Maria Pa a
8*. 10*, 12*, 14* e 16*, ditos muito fios a 18*:
na ra da Iraperatriz n. 56, Jo-ja de Mendes Gui-
mares.
Corles de easemira finas
Vendem-se cortes de easemira de cores a 3*,
3*500, 4*, 5* e 7*, easemira para covados a
1*600, 4*800,2*240 e 3*, ditas de mais qualida-
des finas a 3*200 o covado, cortes de ganga de
cor a 1**00 1*800, gangas para covados a 400,
500 e 560, bnmziubos a 280 o covado, brim pardo
a 720,800, 900,1*, 1*200 a vara, brim branco de
linho a 1*200,1*400, 1*500,1*800 e 2* a vara,
camisas franeezas para hornero a 2*, 2*240 e
2*500, dius de pregas largas de linho a 2*500,
2*800 e 3* cada urna-
Grande sortimento de roupas feitas de to-
das asqnalidades,
BVendem-se paletotsde brim decores a 2*, ja-
quetoes a 3* e 3*500, paletots de easemira a 5*,
6*, 7*, 8* e 10*. ditos de panno preto a 5*500,
ditos a 6*, ditos finos a 8* e 10*, ditos sobreca-
sacos panno preto a 12*, ditos de cor a 14*, di-
tos pretos a 16* e 20*, ditos mnito finos a 2o*,
calcas de brim braoco de linho a 3* e 3*500, di-
tas de algodo a 2*, ditas de ganga a 2*500 e
2*600,1*800, cobertas de chita a 2*. ditas mnito
finas a 2*500, ditas adamascadas a 4*, princeza
preta de cordoa 800 o covado. dita de listrinhas
a 1* o corado, moreantique preto a 3* o covado,
grosdenaple preto a 2*500, 2*200, 2*, 1*800 e
1*600 o covado, chapeos de sdl de seda para ho-
rnera a 7* e 8*, cassas pretas a 300 rs. p ovado,
chitas pretas a 340 e 180 o covado, ditas franeezas
a 320 e 360 o covado : isto aa loja arraazem da
Arara ra da mperatrie n. 56, so Arara mais nin-
guem, de Mendes Guimares.
ulra parte.
Minleiga ingleza especialmente escclhida a
l.ooo e 800 rs. a libra e em barril se faz
abatimento.
dem franceza a mais nova do mercado a 96o
rs. a libra e 900 rs-em barril ou meios.
Cha hysson de superior qualidade a 2,600
rs. a libra.
Cha perola o mais superior do mercado a
2,800 rs. a libra.
dem bysson muito superior em latas de 15
libras muitoproprio para negocio a 2,ooo
rs. a libra.
dem hysson nacional em latas de 1 e 2 li-
bras a i,6oors.
dem preto o que se pode desejar neste ge-
nero a 2,000 e 2,2oo rs. a libra.
Linguicas muito novasa 800 rs. a libra e em
barril se faz abatimento.
Chouricas e paios a 800 rs. a libra.
Gostelletas inglezas a'64o re. a libra, serve
para temperar panella ou para fiambre.
Queijos do reino ehegados neste ultimo va-
por a 2,2oo rs., ditos de navio devella a
2,000 re.
dem londrinos muito frescos e de superior
qualidade a 800 rs. a libra.
dem pratoa 800 rs. a libra, e inteiro se faz
abatimento.
dem suisso o mais superior que tem vindo
ao mercado a-64o rs. a libra.
Ervilbas e favas portuguezasj preparadas
em latas hermticamente lacradas a 64o.
FeijSo verde muito superior a 640 rs. a lata.
Copos lapidados para agua a 5,ooo e 8,5oo
rs. a duzia.
dem idem para vinho a 24o rs., e 2,4oo rs.
a duzia.
Chocolate francez hespanhol e suisso a 9oo,
l.ooo el,2oors. a libra.
Jispermacete superior a 600 e 64o rs. a li-
wbra e em caixaefazabatimento.
feixe em posta em latas hermticamente la-
cradas e das melhores qualidades de pei-
xe a 800,1,00o e 1,2oo rs.
Vinho Bordeaux das marcas mais acredita-
das que vem ao nosso mercado a 7,ooo e
8,000 a caixa #640 e 7oo ris a gar-
rafa.
Genebra de Hollanda a 48o rs. a botija de
conta certa.
Frasqueirasde genebra de Hollanda a 6,800
e 64o rs. o frasco.
Genebra de laranja verdadeira em frascos
grandes a 1,ooo e'tt,000rs.a frasqoeira.
Caf do Rio de-4* qualidade a 28o rs. a li-
bra e 8,5oo rs. a arroba.
Caf do Cear muito superior a 24o rs. a li-
bra e 7,5oors. a arroba.
Arroz do Maranho de Ia qualidade a loo
rs. libra e 2,8oo a arroba.
dem da India a loo rs. a libra e2,8oo a
arroba.
dem de Java a 80 rs. a libra e 2,4qo a ar-
roba.
Paincoe alpista a 14o rs. a libra e 4,000 a
arroba. Z3
Massade tomatesde superior qualidade a 64o
rs. a lata de urna libra e56o rs. a reta-
mo.
Aletria, macarrSo e talharim a 4oo rs. a li-
bra e. 6,000 a caixa.
Massa para sopa: estrelinha, pevide e rodi-
nha branca ou amarella a 64o rs.,a.libra e
3,5oo a caixa com 8 libras.
Vinho do Porto muito fino proprio para
engarrafar, em ancorlas de S caadas a
35,ooo rs.
Vinho empipa : Porto, Figueira e Lisboa a
32o, 4oo e 5oo rs. agarrafa, e em caada
a 2,5oo, '3,ooo e 3,8oo.
Vinho branco de Lihoa-4e exceent quali-
dade a 4no e 5oo rs, a garrafa e em caa-
da a 3,000 o 3,boo.
Vinho branco para missa em caixas de i du-
zia a 8,000 e C80 rs. a .garrafa.
Vinho do Porto das melhores uarcu que
vem ao mercado como sejam : Lagrimas
doDouro.Duquedo Porto,BainbadePor-
tugal, Duque genuino, D. Luiz 1, Madei-
raSecca, Malvazia fina a 16,000,15*000,
12,ooo e lo.ooo a caixa com 1 duzia e9oo,
1,000 e 1, 5oo rs. a garrafa.
Vinho Cherexde superiorrqaaUdadeal6j00o
a duzia e l,5oo rs.s garnfa.
Sardiohas de Nantes a 400 rs. os quartos e
64o rs. as meias latas.
Bolachinhas inglesas muito.novas a 5,ooo a
barrica e320 ra. a libra.
Bolachinhas de soda em latas de diversas
qualidades a l,3oors.
Cartees com helo fransezmuilo proprios/pa-
ra mimo a 64o rs.
Passasmuito novas em caixmhas enfeitdas
para mimo a 3,000 rs.
Passas de carnada a 8,000 a caixa e 4oo rs.
a libra.
Figos de comadre a 24o rs. alibra.
Amendoas de casca mole a 4oo rs. a libra.
Milo de amendoas a 5oo rs.
Bolachinha d'agua e sal, da fabrica de'JoSo
de Brito no Beato Antonio, em lata de 6 li-
bras por2,5oo rs.
Ameixas franeezas em,fiasco de vidro com
tampa do mesmo, a'l#ico.
Ameixas franc zas em cixinbas de diversos
tamanhos com bonitas estn pas na cai-
ta xteiior, a l,4oo, l,6oo, l,8ooe2,ooo
cada urna.
Azeite doce refinado hespanholouportuguez
i a 9oo rs. a garrafa e 10:000 a caixa.
Batatas muito novasa 80 rs. a libra e^oo
o gigo com 36 libra?.
Conservas inglezas a 75o rs. o frasco e
8,5oo a duzia.
Vassouras de escova para esfregar casa a
4oo rs.
Nozes muito novas a 16o rs. a libra.
Molho inglez em garrafa de vidro com rolha
do mesmo, a 16o rs.
Mostarda ingleza dos melhores fabricantes,
a 800 rs. o. frasco.
Mostarda franceza em potesj preparada a
4oo ts. o frasco.
Lentilhas franeezas, excellente legume para
sopa, a 2oo rs. a libra.
Marrasquino de Zara propriamente dito
1# a garrafa e 11,000 a duzia.
Palitos de dente a 14o rs. o maco.
Sal refinado em frascos de vidro com totopa
do mesmo, a 5oo rs.
Cerveja branca das marcas mais acreditadas
que vem ao mercado, a 5oo, 56o e 64o
a garrafa, e 5,8oo, 6,000 e 6,5oo a du-
zia.
Cevadinha de Franca muito nova, a2oors;
Charutos do aflamado fabrcame JosFurta-
do de Simas, das seguintes qualidades:
Exposicao Normal de Havana, Imperiaes,
Londrinos, Guanabaras, Parisienses, Sus-
piros Delicias, a 4,000, 4,5oo, 5,ooo,
0,000 e 7,000 a caixa ou em meias.
Charutos finos de diversas marcas e fabri-
cantes, como sejam: Flor do Norte, Ma-
nilhasde Havana, intervallos,Vencedores,
Panatellas e Suspiros, a 2,ooo, 2,5oo e
3,000 a caixa.
o gnac inglez das melhores marcas, a 800 e
l,2oo a garrafa.
Doce da casca de goiaba a 2,000 a lata com
4 libras.
Farinha de araruta verdadeira a 32o rs. a
libra.
Matte^xcellente cha para os navegantes, a
2oo rs.
Sebols de Franca muito grandes e novas
a.l,8ooocentoel,2oooltas.
Palitos do gaz a 2,2oo a grosa.
Toucinhode Lisboa muito novo a 32o rs.
libra e8,5oo a arroba.
Banha de porco refinada a 600 rs. a libra.
Bolachinha Alberto, as melhores que pre-
sentementetem vindo ao mercado, a 2,000
a lata.
Fariabado MaranhSo muito alva e cherosa
a.2oors. a libra.
Fraseos com fructas em calda de diversas
qualidades a 2,5oo e 1,Seo o frasco.
Caixinhas com fructas em doce secco de di-
versos tamanhos, muito proprias para
mimo, a l,6oo, 2,6oo e 3,ooo cada urna.
Buibos, excellente peixe portugus, era
barns pequeos ou a retalho, a vista se
- far o prego.
Azeitonas de Rivasem ancoretas grandes de
8. garrafas por 600 e8oers. a garrafa.
Azeitonas porluguezas a 5oo rs. a garrafa e
l,5oo cada urna ancoreta.
Champagne da melhor qualidade que vem
ao mercado, a 2,000 e 3,5ooa garrafa, e
.24,000 e 26,000 o gigo.
Gomma deengommarmuitoalvaa 12o rs.
a libra.
Figosem sextinhas a 80 rs, cada urna e 72o
rs. a duzia.
Papel azul para botica a.2,ooo a resma.
Balaios para roupa suja, grandes epeque-
nos, per diversos precos.
Amendoas confeitadas a 64o rs. a libra.
Latas com fructas em calda: pera, pecego,
damasco, rainha Claudia e cereja, a 800
rs.
Vinagre de Lisboa a 2oo e 28o rs. a garra-
fa ea l,4oo e 2,ooo rs. a caada.
Azeite doce de Lisboa a 4,800 rs. a caada
e640 rs. agarrafa.
Vinagre branco j engarrafado a 5oo rs. a
garrafa.
prepria para vestido de menina, ci'vxc <0C rs.
Lazinhas
de cores finas covado 560 rs.'
Fazendas para a quaresnia.
Grosdenaple,moreantique e ricas capa? t pros-
denaple bordadas.
Esteira da India
propria para forrar salas, de 4, $ e C palni(-s de
largura,por menos preco do qne em cuir* (jutl.
quer parte.
Neste armazemde fazendas se encentrara .nm
grande sortimento de|roupa feita e por medid.
oke do gaz.
pitch do gaz.
Akatro do gaz.
tonelladas, rs. .
;!o
Coke
Pitch oro
Alcatro caada..... A(0
O coke reconliecidamente ocaivSe nais (fono-
mico, torna-se por isso rerommendavei. Icm'.-
mo pelo asseio que se ola as cozinhas ;.n'-c
elle usado. Pitch ealcajrao, alm > s: \.lirai.e*
diversas a que se prestare, como para rajtafetar
embarcacoes.alcatroar madeiras, etc., teem e>ie a
prepriedade de preservar do copio, formipas, ele.
E' entregar na fabrica do gaz ou mandad" por mi
qualquer ponto da cidade, segundo z vottat'e do
comprador.
MANUAL
o
120
100
80
30
100
20
160
110
M)0
ASO
200
640
600
RIVAL
Sem segundo,
Rna do (Jueimado, n. 49 e So. E' para admirar
Carretis de linha com 150 jardas......
Ditos cora 200 jardas de Alexandre de
12 a60..............................
Dito dito de 60 *OO..................
Novelios de linha grandes co 400 jar-
das ..............................
dem idem brancos e de cores de 100
jarda s.....................:.
Livros para assento 4e roupa lavada...
Cordao branco para espartllho (vara)
Varas de ranjabranca larga..........
Pares de botoes de punho todos decores
Tinteiros de barro com tinta...........
Tesouras para costuras Soase unhas
Ditas para coatoras comtoqoe d'avaria
Caixas com 100 envelopes das melnores
qualidades..........................
Dius cora 20 caderDOS, rapel pantaflo e
liso................................*..
Cadernos de papel pequeo (e a reta-
lho)....................-......
Meiadas de linha frouxa para bordar...
Pares de sapatos de tranca. ..'
Masso8 com superiores grampas para
seafiora.............o............
Frascos de macaca perola muito suerior
Ditos de verdadeiro oleo de babosa a
400 rs. e........................
Ditos e garrafinhas de agna de Colonia
raaito fina.......................
Pecas de fitas elsticas para vestidos a
melhor qualidade...............
Pares de ligas para senhora as melho-
res................... ;.........
Frascos de. aeoa dentifrice muito sope-
"lor......-........*....
Caixas com 4 papis de aguihas a balo
e Victoria.........................
Libras de laa sendo de todas as cores..,
Bonecos vestidos e tambera de choro-
Caixae com superiores obrdias........
Ditas de linha de gaz eom SO novelios.
Enfiadeiras de fita para espartilhos.....
Carretis de linha de cores com 100 jar-
das..............;..............
Pecas de cordo imperial............
Resmas de superior papel al mago a.
Duzias de superiores meias cruas para
homem a 35200 e.................
Duzias de superiores meias para senho-
ras a.............:............i--
Sabonetes de familia muito finos a 120 e
Meias garrafas de tintaa.............
Cartiihas da dontrina a melhor qualida-
de a..............:............;
Caivetes de cabo de marflm Se soperler 1
qnalidade........................ 1W00
Varas de cordlo branco de borracha... *
Vende-se a taberaa da ra dos Acoagninhos
n. 20 : a tratar na mesma.
20
20
1*800
30
200
500
400
240
320
800
200
6#oeo
160
40
800
60
BOTICA E DROGARA
Bartkoionen Fraileases d Soaza |C.
34Ra larga de Rosario34
Veodem:
PIulu*Bollo\*y.-
Pi lulas doDr. La vil le.
Pilotas do Dr. Alian.
Ptalas do Pobre-homem
Pilulas americanas.
Pillas vegetaes.
Pilulasvegetaes assucaradas de Kemp.
Salsa de Brjstol.
Remedios do Dr. Chable.
Elexir de Pepsina de Grimault.
ViohodeSalsaparrilhadeCh Albert."
[njecco Feaugas.
Agua dentifleade Desirabode.
Papelchimico, para talhos.
Xarope depurativo de Chable."
Licor aromtico de Raspail.
Pos aflti-epfljieos deBrest.
RobL'Affecteur.
Jarope de Bosque.
Ungento Holloway.
SEM
niVAL
SEGUNDO

20
10
2#500
3*600
SOOO
200
200
320
pechineha ua> \aioja de fazendas
roupa feita nacional, na da Impe-
ratriz 1.72.
reektaba a 240 rs. o covado de cfcil.
Vendem-se chitas de cures fizas a 240,280 rs. o
covado, ditas ff anceaslargas a 300,320, MO, 400
e i40 rs. o covado : pecas de madapolo Gao a 6S,
7$, 8#,0$e 10,1; pegas de algodo a 5, 6tf,7
e 8 : roa da Imperatriz a. 71.
Roaaa feita ueMl.
Vendem-se patitos de caremira preU e de cores
a M.U. 8#- W*. dHos MhNMigM.*%'*
el6. Palitos de brim deefir a 2*500, 3# e3i500
rs.,calcas de cazemira preta a 6$, 7}*8, sitas
de cazemira de eftr a 5, 64 7, e 8$ ; coteBsde
cazemira decoresepretoBedHoade brmai'liiOO,
2*800 rs.,; atcas.de brwa de cor a M, 2*S00 :
raa dalmperatria n. 72.
Soutambarque de cores a 7#, 85 e 105-
Vendem-se soutambarque de lia e seda para se-
nhoras a 7J, 83 e 10*; ditos de grosdenaple pre-
to a 20* e 25* ; capas prett a S e 23* ; stf-
dos de la a Mara Pa a 12*, it 16* : roa da
ImperalfU n. 71.
Cortes de cazemira preta a 3.
Vendem-secrtes de cazemira preta para caica
a3*,3I5O0, S* 6 e o*, ditos de' cazemira de
eAra3l.4aCsi.9T*, dito* le brlaiiie efijeea
1*000, 2*, tos de chitas finas a5**00 e 3*200,
ditos de cassas franceza a 3* : raa da Imperatriz
loja do barateiro n. 72.
Barato paira acabar
, Na praca Sa lad ependencia ns. 97 e 39. vnde-
se sapa tos de borracha para homem e senhora po-
lo diminuto pre$o de 1* e 500 rs.
Na roa do Qneimado n. 49 e 35 lojas de miade-
sm _de los 4 Aze'vedo Haia e Silva contina a
vender tudo por iwecos mais barato do ue em
outra qualquer parle, qoem qnizer ver oque ba
bom e barato venha a loja do Rival.
Duzias de phospbros de segoranca i ...
Francos com essencia d Sndalo muito
wperier..........................
Escovas de deotesmuito superiores a...
Latas eom superiores banha...........
Frascos-de vidro cora superior baDha..
Eileites do melhor gosto que tem vindo.
Garra/as d'agua de Florida, verdadeira.
Pnlceiras do melhor gosto e modernas.
Volta para pescoco do meifcor gosto....
BaraMios para voltarete, finas a 200 e..
Varas Seranja branca de Imba qne
MM Bita serventa.................
Dozj* de penuas d'aco muito superiores
Fraseos de oleo Bboza muito finos.....
Talheres para meninos a melhor quali- E2
dado.............................^^
Duzia de colheres de metal muito finos
,p*ra sopa..............,............
Duzia de colheres de metal multo finas
para cha........................
Grosa* de botoes de osso para calca.'.".
mita-..............................
Grasas de boiGes de louca praieados
muito Unos......................
Cartas de alfinetes francezes mnito su-
periores ..........................
CaiAs de clcheles francezes a 40 ris]
Dua............................
Golinhas para senhora a melhor quali-
dade.............................
Dastat-Se lapes diferentes qualidade a
j4gi#,......................><#
Qaaderaos de papel de peso muito fino.
Resma do mesmo papel.............
Duzia de facca e garfo mnito boas....
Cptenos compridos e redondos mnito
bons.............................
Ditos para of ......................
Pares de suspensorio mnito bons e para
acabar............................
Essencia oriental para tirar nodoas de
roupa............................
Pecas de fila de laa pare vestido com 40
varas a...........................
Varas de babados do Porto muijfi supe-
riores a 100, 120 e................
Livros com bonitas e finas estampas-----
-----------_____________________________,r '--- __
Venderse um escravo idade 25 nnos insigne
oficial de carpina e bonita agora : najravessa do
Carrno n. 1*
' 120
1*000
200
200
210
2*500
l;280
500
54O
2 O
060
060
20Q
240
2*400,
1*580
200
500
206
100
360
200.
DO
PAROCHO.
Composle pele conego
Dr, J. C- Fcrsuodes Pinheiro.
Acaba de chegar do Rio de Janeiro esta abra .
vende se na iivraria econmica an p do arc(> Ur
Santo Antonio, a 2*500 o exemplar.
Carta chwograiihiea
DO
THEATRO DA GUERRA.
Acba-se exporta venda, as kdae al.a.xo n en-
clonad s, a caria chorograthica dottoabiudagoef-
ra nos Estados do Sul da Amtrira Meridional, con-
tendo as plantas do Paysand, e do bloqueio e cer-
co de Montevideo. Ella torna-se recenmendavel
nao s pela lacuna que veio preenchtr. como pelo
esmero do trabalho lyibographico.
Vende-se pela mdica quantia de 2j;000 as livra-
rias dos Srs. ogueira, ra do Crc.-po ; e do !sr.
Cardoso Ayres, na da Cadeia do Reeie, assim f( mo
as lojas da Exposicao de Londres e na lyihogra-
phia do Sr. Carlos, a mesma ra d. 52. e na leja
do Sr. Cardozo de Almelda, ra da Ouz.
Vende-se mel de pao
patee da Santa Cruz n. 84.
a i* a garrafa : no
ESCBAVOS FGIDOS.
Anda ausente de casa de seu seohor o preto
Jusimo, crioulo, de idade de mais de :J0 onaos,
bem conbecido nesla cidade por ter -ido tsrravo
do finado Jos Francisco de Lima, e tem sido oe-
cupado em servico de refinagao, com os signaes
segnintes : estalura baixa, grosso do corpl, ps
grossos, com falta de denles na frente, cor bem
preta, levou vestido caifa de trabalho e cainita do
mesmo, e chapeo do Chile usado, tahez ter:ha mu-
dado de roupa, tem sido visto no aterro dos. Alo-
gados : rogase as autoridades pollciaes rapitaes
de campo a captura do mesme, e leva-lo a rna Di-
reila n. 8, que se gratificar seeros!, menje.
t'ugio no da 29 do proxituo passado mez o
escravo de nome Fideles, preto, natural desta cida-
de, de idade de 45 a 50 annos, grosso do n (..
barba ja pintando de branco, levou vestido talca
de algodo azul e camisa da mesma fa*er,da.fndo
de listra, anda muito vagaroso ; o dito escravo em
algum lempo pertenceu ao Sr. Manoel Camiilo Pi-
res Falcao : quem o pegar ev-o a ra do Cres-
po n. 7, loja da fazendas, que ser genorrariiente
recompensado do seu trabalho._______________
tienes
i
No da 4 de Janeiro do aaou de li-0 i. fug do en-
genho Conceico, comarca de Pc-d'Allu, o escra
vo Galdino, pertencente ao ahaixo ai-sigLi';. com
os signaes seguintes : idade 26 annos, pardot, cir.ii.,
corpo, figura e altura regulare?, cabellos mties ca-
rapinhados, olhos pardos, sobrancelhas .e palpfbras
salientes, tero em cada braco um sino de Saloiaao,
sendo um delles malfeito, e junto a este un^c cruz,
tem sa cabeca urna cicatriz de urna polegaoa.'e em
cima de um quarto urna ootra cicatriz de 1 e> po-
legadas, proveniente de ponta de pao e queda, tem
sobre as cosas algumas marcas ou cicatrizas de re-
Ihadas on chicote; um pouco desembaracade toan-
do falla, tem principio de carpina e car/eiroi tora
viola e barbado. Foi soldado de corpo de poliqia no
Recife, e levou comsigo a haixa do theor segujnte:
Seccao urbana, 2" companhia n. 50, Antonio Cana-
no de Oliveira, filho de Agoslinlio Ferreira VBn-
tc, natural de Iogaaeira, cr parda, cabellos cara-
pinbos, oihos pardos, oflicio nenbum, estado aoltei-
ro, com 30 annos de idade, 60 pelegadas de Itnra.
ao engajar-se. Engajou-se na forma do regula-
mento, em 17 de fevereiro de 1862, por oBelo do
Exm. Sr. presidente da provincia, datado de 28 de
abril do correte, e publicado ao corpo em ordem
do dia i' de maio, tudo em 1862; te ve La xa do
servico por ter dado em sen lugar o paisano "JoSo
Pedro Ferreira da Rocha. Foi escravo do r^iitao
Joo de Dos Barros, morador que foi na cc*arca
do Brejo da Madre de Dos, e hoje morada na
Campia Grande da Parahyba do Norte, que o ven-
den em dias do mez de novembro de t863 ao abai-
xo assigoado, poto costme de andar fgido e a ti-
tulo de forro com o nome mudado ; pelo que joga-
se a attengao das autoridades civls e militares, nao
s desta provincia como'das demais do rmpejio, a
400 apprehenso do dito escravo, que a titulo te S^rro.
0301 nao teiha sido recrulado ou. assentado pracji em
a qaq alguns dos rorpos de Voluntarios da Patria, tam-
a4oo i bem pede se aos capitaes de campo e pesoa* par-
| ticnlares a mesma apprebensSo, e levado a6 seu
senhor no referido engenho Conceicn, ou netta ci-
dade ao capito Mauricio Francisco de Lima, rna
do Brum n. 56, que ser, gratificado com 2004
Jos Maria dos Santos Gavaleanti.
Fngio em principios do"Tez de fevereiro do
corrente anno e eonsta estar acontado nesra 'dade
I o mnleqoe Euzebio, scrawo da viova do Da.'Fer-
nando Affonsode Mello, de t annos de idafeipoo-
co mais ou meos, cor preta, secco do coipq,^hos
regulares e afumagado?, cabeca um pouco grande
e meia chata, belcos finos, denles bem alo*ps
1 seceos e muito ladino : rota-se per tanto a MBa as
autoridades policiaes e capitaes de campo qoao ap-
preheodam e ievem-o a ruadaMangueira <> Irado
n. 6 qne serlo gratificados, protestando-se usar dos
500
2*000
100
500
600
160
320
" MUho novo em saceos grandes: no trapiche metes judiefaes contra qualquerpessoa que otenba
da Canha, a tratar com TassoJrmaos. *w PieT-
ILEGVEL


*t
MarU J
LITTER ATURA.
Pois a Franca j n5o a mesma ? Mo
fomos os que defendemos a sua honra ?
Mas o que ainda boje me alegra, depois
WATERLOO de vemo' a nwneira com- o 6 foi rece-
(Ctntinuaco do conscriptode 1813.) ?an^S;ct, M?bia ^ **
po ,hao tamboi eslava a cbegar de Hespanha,
ERCKMANN CHATRIAN e - pbimeira paute. fantern I igeira deviam formar o 6 rtji-
Yl menlo de Berry, de sorte qae toda a cidade
(ContinuacSo) se re808'Java pensando que iamos ter dois
Depois da veutura de casar com Catl.a- mi'home,!s de 8uarniCao1 em lugar de al-
ria, a minba maior alegra eslava em pen- 8"* *ldad (,e mar,n',a qae parecan
sa. que a ser cidado ; porque de corobater !el5anfs E.ra ama grande alegra, e todo
um liomem pelo rei de U a trabalhar por ?. mu d J" va: v,va 6' O rapazio
ana conla, vae urna grande differenca. O "nta corrido Jao seu encontr ate a en-
Sr. Gouldm linha me dito que me fazia seu ^sta de S; .{0*> e ktelnao nanea assim
o/.,i.-. o o.i 4 taurfMM w Dti,a 'ora receido era parle nenhuma desde
13. Muiles velbos choravam, gritando
socio, e eu j imaginava Jos Bertba a acom-
paubar sua mulher inissa ou ao passeio,
para os lados da Roche Piale ou de Bonne ^_ _asJ_~\lva a Frar)a !-rAPesar dis"
Fontaine. Estes pensamenlos fazia-me bem.
Entretanto ia todos os dias ver Catbarina,
qu3 me esperara no pomar, em quanto a
ta preparara os bolos e empatias para o noi-
vado. Passavamos horas interas a olhar
um para o outro. Ella eslava sempre vico-
sa o i isonba, e cada da me pareca mais
bonita.
0 Sr, Goulden dizia-me, vendo-me entrar
fiotite cada vez mais contente.
Enlo, Jos, parece que te vai por c
mellior do que em Leipzig.
Algumas vezes quera eu apegar-me ao
trabalho, mas elle n5o m'o permitla, e di-
7,: :
4- Ora adeus os dias de felicidade sao
to paros, Jos I. Vae, vae ver Catharina.
U.ii dia. se me der na cibera casar tambem,
ira!)albars para nos ambos.
E iia. oraens comoaquelledeviam vi-
ver cera annos. Que bom coraco, que ho-
rnera to justo e tao ngelo, que era para
n.-. um verdadeiropae I Ainda boje, quan-
do o vejo na imainac3o com o seu barrete
de seda prela puxado para as orelhas, a
barba grisalha por f-zer em oito dias, os
olbos franzidos com ar de contentamento
intimo e o surriso na bocea, ainda hoje, de-
pois de passados tantos annos, me parece
que ooco a sua voz, e veem-me as lagrimas
acs olbos.
Mas devo agora contar urna cousa que suc-
cedeu na ante vespera do nosso casamento,
e que nunca mais me sabir da memoria.
Era em G de ju'ho e o casamento avia de
verificar-se no dia 8. Eu linha passado to-
da a noule a scismar com isso. Pela ma-
ntona, das seis para as sete horas, levantei-
oi ; o Sr. Goulden j trabalbava com as
janellasabertas. Eslava eu a lavar-me, pen-
sando em ir logo para es Qualro Ventos,
quaodo um toque de corneta e um rufo de
tambor soaram debaixo da porta da Franca,
como se ebegasse algum regiment, assim
a modo de quem experimenta as cornetas
e os tambores que lera de tocar brevemen-
te. L'iStou-me ouvir aquillo para que se
me arripiassem os cabellos, e gritei :
Sr. Goulden, o 6o que vem shi!
Bem sei. Ha oilo dias que emtoda
a cidade se falla nisso, mas lu j nem sabes
nada do que por c se diz. E' o ramalhete
de nupcias, Jos Quiz cau?ar-te esta sur-
preza.
Nao quiz ouvir mais nada, atravessei o
quarto como uin raio e desci em dous sal-
tos. Padua, o nosso antigo tambor-mr,
j Livantava a sua macand debaixo da por-
ta escura, os tambores vinham atraz d'elle,
balancando-se as ilhargas, e mais atrazo
commandante Gemeau, ocirurgiao mor, o
capilao V.dal a cavallo ; os altos penachos
wrnielhos dos nossos granadeiros e as bayo-
jietas moviam-se de vagar. Era o 3bata-
Ibo. A marcha comecou e o meu sangue
ficou como gelado. Logo primeira vista
reconhecia os compridos capotes pardos que
tiuhamos recebido em 22 de outubro as
explanadas de Erfurt, e que estavam verdes
a torta de chuva, nev e ventos. Era peior
do qua depois de Leipzig. As barretinas
tinham buracos de balas, s a bandeira era
aova e vinha caberta com urna capa de en-
cerado, com a flor de liz cm urna ponta.
Ai, que os que nao sabem o que fazer
campanba, nunca sabero o que lomar um
Oomem a ver o seu regiment, a ouvir to-
ques de tambor como na frente do inmigo
e dizer comsigo :
Ahi esto os leus camaradas que che-
gara derrotados, hurailhados, reduzidos a
nada. V como curvam a cabeca com ou-
tro tope.
Nao, nunca senti nada assim. Depois de
W.iterloo, muitos d'esses homens do 6o,
meus ofliciaes e sargentos de outro tempo,
vieram estabelecer-se em Phalsburgo, onde
o sempre bem recebidos os soldados ve-
tas : Lafleche, Carabin, Lavergue, Aloyot,
Padua, Chazi e muitos outros. Os que ti-
bam sido meus superiores na guerra, fo-
ram meus serradores de madeira, meus jor-
nalemos, meus telhadores, carpioteiros e
?edreiros, Depois de me terem dado or-
de;is, tiveram de andar minhas ordens,
porque eu tinha um bom cilicio, tinha urna
industria, e elles eram simples trabalbado-
res Mas nao importara.
so os ofliciaes abaixavam a cabeca com ar
de desanimado, e s faziaro signal com a
m35o como para agradecerem 15o bom ga-
salho.
E'i, porta da nossa casa, via desfilar
esses tresentosouquatrocentos homens, to
esfarrapados qu nem podia reconhecer o
nosso nnmero. Mas de repente vi Zebedeu
que ia de serrafila, tao magro que o seu na-
riz adunco sahia-lhe da cabeca como um
bico. O capote velho cahia-lhe em dobras
pelas cestas abaixo, mas elle tinha as divi-
sas de sargento, e os largos hombros os-
suosos davam-lhe ar de grande solidez.
Quando o vi, dei um grito que seouviu por
cima do estrondo dos tambores :
Zebedeu !
Elle olhou para mim, pousou a coronha
no chao esquina de Fouquet, e atirei.me
aosseus bracos. Elle chorava como urna
creaoca e dizia-me :
E's tu, Jos ? Ah, que sirnos ao
menos dous que escapamos!
Sim, sou eu, e vou casar com Catha-
na : sers o meu creado particular.
inculcar a sua nova esposa, urnas vezes di bh'ca, e as ratificacbes trocadas en Madrid
zendo : Conhecer-se-ha qne sois meus dis- no praso de noventa dias.
cipulos si vos amardes uns aos outros : ou-
tras: O mandamento que voa^doude1 _
vos amardes uns aoe outros; e em outro
logar dizendo a seos ucipuk* qae eHes tos-
sem um, come seu Pae e Ble eran urna
mesma cousa.
Que de comparare! a esta vittode, que As flores d'amores, que sontio navida
e preferida a martyno, e a urna f capaz Do meu* coraeao I
de transportar Os montes ? | Oh I bella e singella florinha do cu,
ede-se urna alma pela grandeza de sua Da face o realce me mestra sera vu,
<*r.*de- Risonha expresso I
Urna alma que tem muita caridade
grande ; a que tempouca pequea ; a que As rosas mimozas que as faces teorno,
nlo ateca nada, segundo eatapalavra de ^ S5o flores d'amores que aromas entornara,
E' do Sr. X. a seguiote poesa :
ir
Era leu riso diviso, -donzella querida.
A fl,.rno ^>n ___ ___ .-_____
Ungidas de pejo ;
Na hora em que aurora com o dia se abraca,
Meu anjo ouarchanjo,"concede-me a graca,
A graca d'um beijo !
Paulo.
Si $u tifo tiver caridade, nada ton.
Por mais fraca qne seja a caridade de
urna pessoa que.se hma a amar a quem a
ama i- a saudar a seus irmaos e aos que a
saudar a seos irmaos e aos que a sandam. Que meu peito afeito amar-te constante
nao digo por isso que esta pessoa seja nada. Palpita, se agita, se abraca anhelante
pois que em razio do que ella d e do que Em febril paixao :
recebe, conserva ao menos esla caridade que Te tece urna prece de votos ardentes,
faz o bem da sociedade.
Ora, com diz Nosso Senhor, o que faz
ella de mais ?
Por consegrante eu a considero, nao gran-
de e generosa, porm estremamente estrei-
ta e pequea.
Porm se os progressos desta alma sao Que apora a docura nos favos doseio
taes que quebrando o circulo desta caridade Da virgemorigem de clico enleio,
estreita e servil, estende com plena liberda- De casto primor !
de de espirito os limites de urna bondade
perfeitamente desinteressada a ponto de Eu to amo e te chamo, vestal indolente,
querer abracar todos os homens no vasto Sonhando ou vellando te vejo innocente
Devidos, tao fidos, sinceros ecrentes
Da tua affeicao.
A lyra delira,sefere saudoza
A nota ignotamais pura e mimosa
De candido amor
seio de sua benevolencia, amando ao prxi-
mo como a si mes no, poder-se-ha ainda di-
zer a esta alma que se tornou tao grande.
Qu fazeis de mais ?
Deve-se dizer de urna alma assim dilata-
da p la caridade, que immensa, pois ella
encerra em si todos os homens, mesmo
Oh, Glha dos numes!
Amado ao teu lado, taes sao meus dse i os,
Vi vendo ou morrendo, sorveudo em leus beijos
Ducura e perfumes !
O pobre velho dizia com-
filho tambem ve-
deve favores.
de docura e bondade.
Porm se alm disto, piedoso conquista- Alguns dos seus amigos, dotados de genio' Scopin Nynp'ha "cca-
dor do reino da caridade, vs'estes resol- folgazao, tentaram ver at onde chegaria a dora...... i
vido a gahha-loem toda a sua estenco, se- sua paciencia, e, para esse m, recorreram L. Robe'rt Cabeca de
n3o fechaes o fundo do voss i coraco nem creada que servia o cavalheiro. Informa- mulber........... i
aos vossos inimigos; se fazeis bm mesmo! ram-se da mesma dos usos e costumes de
a quem vos odia ; se oraes pelos que vos seu amo, e graticando-a, ndicaram-lhe o xatal francos.
perseguem e calumniam ; se vos esforcaes! desejo que tiuham._________
em ser pacifico mesmo com aquelles que j E' impossivel, senhores, dsse a cria- Esta primeira serie de quadros, como
deteslam a paz: entlo vos seris tao gran-1 da; ha tnnta annos que estou ao servico de se vtj, pertence quasi escola moderna fran-
de, t i elevado, 13o be lo como o cu ; en- meu amo, e nunca a meetarda Ibe chegou ao ceza.
Eu tao continuamos a marcha. Mais adi- aquelles aos quaes n3o est unida pelos la-! Certo cavalheiro chamava a
ante, esquina de Houte, eslava o velho eos da carne e do sangue, aqnelles de quem sua imperturbavel serenidade.
Furst, com os olbos embaciados, espera n3 espera vantagem alguma, a quem nao visto impaciente, e citavam-n'o como modelo |
do que viesse.
sigo :
Pode ser que meu
nba agora!
E vendo Zebedeu aproxinar-se commigo.
acoheu-se a pressa para debaixo das arvo-
resquelhe ficavam junto da casa. Na pra-
Ca,"mais uns cinco ou seis, o velho Klippel
e sua mulber, e o lio Demesse tambera
olhavam para o batalbo que passava. E'
verdade qae tinham recebido os attestados
de bito, mas ainda esperavam, porque po-
dia ser que tivesse ha vido engao, e porque
seus filhos nunca se davam ao trabalho de
escrever. Olbarara, olharam, e depois foram
embora
Fez-se a chamada, e chegou entao o ve-
lho coveiro. Ainda trazia a sua jaqueta
curta de velludo amarello e o barrete pardo
de algodao. Olhou para a retaguarda do
batalhao, onde eu conversava com Zebedeu,
e Zebedeu, voltando-se e vendo-o, fez-me
muito plido, e ficaram os dous por um
momento a olharem um para o outro. Eu
pegue i na espingarda, e o velho abracou
seu filho, e esliveram abracados algum
tempo sem dizerem um palavra. Depois,
como o batalhao fazia hombros direitos fren-
te para ir para o quartel, Zebedeu pediu li-
cenca ao capito Vidal para ir com seu pai, e
entregou a arma a um soldado. P rlimos
todos tres para a ra dos Capuchinhos, O
pae dizia :
Saberes que la me est t3o velhinha
que j nao se levanta da cama. Se nao fos-
se isso, tambe u teria vindo.
Acorapanhei-os at porta e disse-lhe :
H3o de tazer-me o favor de virem
hoje jantar ambos commigo.
Pois. sim, sim, Jos ; iremos.
Entraram em casa e eu corri a previnir
o Sr. Goulden do meu convite, o qne so-
bremaneira o alegrou perqu Catharina e a
lia tambem eram esperadas para o jantar.
Eu nunca tinha sido mais feliz do
currencia com lord
Ward o qual Chegou o
oirecer o-linee de
100:000 francos.
Do mesmo Caneca de
molher............
H. VernetThamare ju-
das...............
Do mesmoUrna romana
P. DelarocheOcardeal
Bichelieu e o cardeal
Maasarin ..........
Adjudicado a M. Van
Cujck pr o banquei-
ro Rotiischild, contra
M. Gambord de Lon-
dres que chegoo ao
lance de 80,000 fran-
cos.
Do mesmoSanta Ceci-
lia................
Do mesmoTentacHo de
um phantasraa vendi-
do ao principe Desni-
doff..............
D > mesmo Urna don-
zelia..............
Ary Scheffer A joven
mae.............
Decamps Soldado do
Visir.............
MessonerA lapada de
S. Cloud vendida a M.
DemidofF...........
Rosa Bonheur Carnei-
ros vendido a M. Gam-
bard..............
isabeyRegressoda pes-
ca ...............
HamonA i qnaldade...
Bailly A modanca de
domicilio..........
CoypelRaparigas.....
DeshaisMulheres_____
attencao por Jos Vernet-Marinha..
Nunca fra Coignare Passagem de
um rio ... ;........
: SandelleUrna rapariga.
5:200
32SO0
4:000
80:200
21:000
10:200
4:000
6:400
8:000
12:600
9:100
3:000
2:600
1:800
3:400
2:300
1:100
1:100
500
310
180
392:250
to se cumpre para vossa alma esta palavra nariz.
de David. E quando soffre alguma contrarie-
Vs tendes estendido o cu como um pa-: dade ?
vilhao, e neste cu de urna grandeza, de Expoe tranquillamente a sua opraio.
urna elevacao, de urna belleza adrairaveis, o E quando est triste ?
Altissmo, olmmenso, o Deus de gloria Nao d palavra.
digna-se j habitar. Mas, de suppor que elle tenlia al-
gum gosto particular, e que lbe cusle renun-
ciar a elle.
Do Jornal do Comercio de Lisboa, tran- ^^Swk^JS^ **' ^ ^
C^\7eTCmdM Gnlre aHeH -Pofbetnaote facas a cama ama-
Artigo 1. Tendo o governo de S. M. cJ^e\?t^ Umadup,a grafica#
desapprovado o procedimento dos seus agen-1Se I criada deixou-se oersuadir :
lesnolitora. do Per, quando to-.arampos-! WmBTJ3m*m tata
mar-se do occorrdo.
E entao, que te disse elle ?
Disse: Susanna, nao te esquecas tam-
Brevemente daremos conla do resulta-
do que obteve a venda dos quadros das
famosas escolas, italiana, flamenga e hespa-
ubola.
o que devera ser lucia n'um mutuo fespei-
to de ambos os animaes, o n'uma victoria
do elephante. o que nlo leu atlracgao algu-
ma para i> espectador.
O elephante, coja graea nao comprehen-
demos nem poderiamos comprebender, por
mais que nos diga Piinio, ainda que o vis-
sernos dancar os boleros sobre a corda; o
elephante dizemos nos, confiado na sua for-
ca ou levado pelos seus instioctos pacficos,
n5o ataca; aguarda tranquillo abaixando a
cabeca, .
O tono invente cheio de brio eadmira-se,
permitla-se-nos a expresso, ao encontrar
as ponas que o delem suave mas irresisi-
veimente, ou aquella immensa massa contra
a qual em vao se estreia a sua forca sem
conseguir sequer imprimir-lhe um movi-
mento.
Na tarde de hentem o elepbanto nao fez
uso da tromba, como as antecedentes luc-
ias : havendo recebido urna ferida, em 23,
n'essa arma defensiva, a prudencia aconse-
Ihou Ihe que a potesse de reserva entre os
dous pode osos dentes de marfim.
Para aquelles que buscam ras lucias de
feras o espectculo sanguinolento que tanto
agradava aos romanos, e que ainda boje se
presenceia s vezes as margens do Tigris,
esse verdadeiro combate entre dous animaes
ferozes que anciosos tentam maUr o seu ad-
versario, que se fereme se despedacam, nao
cessando de luctar at que exbalam o ullimo
suspiro n'uma aonia cruel e agUda, nlo
esse o espectculo a que temos assistido na
praca de Madrid.
Mas notamos urna cousa inleiramente no-
va para nos: vimos um toiro lancado a urna
distancia de seis ou oito passos por um ra-
perceptivel movimenlo do elephante; o ver
rojer pelo chao o feroz animal que a levanta
ao ar e arroja para longe de si um cavallo e
o seu cavalleiro, surpretiende aquelle que
est acoslumado a assistir indomavel fero-
cidadee assombrosa forca do toiro nos dias
de tobada.
Porm o elephante para e toiro o que o
toiro para um tl.
A Naco publica o seguinte:
Cerlo millonario, a quem o ouro mudan-
do-!he tudo, Ihe nao tinha podido mudar o
rosto e corpo em que slavam escriptos os
seus ttulos genealgicos, foi ter com um
pintor para lbe tirar o retrato, feito o ajus-
te comee tu o trabalho e o retrato em breve
estar prompto, e tao exacto que para a tela
pareca o artista ter-lhe com a physionomia
passado a baixeza d'alma.
O milionaria avilado pelo pintor de que a
obra eslava completa foi buscar o retrato,
mas ao ver-se to parecido, exclamou cheio
de cholera.
Sr. F... esse nao o meu retrato!
Veja-se V. Exc. neste espelbo, Ihe res-
pondeu o artista apresentando-lhe um, com-
levantar-se, Bovamente recom- pare a sua physionomia com o retrato e ve-
di POCO DETUP8.
E de Lamartine este artigo :
A C0NSCIENC1A
Vos admittis que Deus, creou o homem,
e instituio a sociedade poltica para conservar
e melhorar o hornera, deu-lhe tambem urna
consciencia. urna luz interior que se achama
moralidade, para inspirar, julgar, corrigir,
aperfeicoarseus actos.
Sem sto a obra teria sido indigna do ar-
tfice ; o homem nao seria mais que urna
machina para respirar, soffrer e gozar, be-
ber e Comer, durante um impercepiiveJ mi-
nuto de tempo sobre um imperceptivel glo-
bosinbo de lama chamado trra.
O mundo social nao passaria de um tiro
QuandTfaiava' de|dados de n3o sei que jogode acaso, onde
se das ilhas Chinchas, a titulo de reivindica-
cao ; e tendo o governo peruano, em occa-
siao opportuna, reprovado, como o tinha
MT^lSlSSt 8-erDOdlS- em boje de me fazer a cama.
da sua honra; applanado dest^modo o prin- Depois de
SqttsISlias ^S^m'iZ^'?*" aS-sanna.(Iue sena0 enaecene deh. que o naoen ganeZ
EES^^oSioZn^R ffZer a Cama ;HP?" SuSanna' C,edend ain- ~ RePil Sr. F. que este mono n3o tem
S. M. C, e entregue pessoa en Sa fa aos r080S doftaes ami80S' I" 'a ^ "nbas feicoes, portanto nao o que-
pelo overno neruano oara as rereher I hav-,a uma aposta cons"1?^1 deixou Pela to, nem lh'o pago.
pe^overno peruano para as.jeceber te a cam desfeila. Todavia> Q. p ^ ^
n^nmle^Tj^StSZTT^im^Vim ^T' *pre-' -Faca *- euraandeifa-
crdo, e confirmando os seu sentimentis senlou,-se Pela ^anbaa no quarlo de seu amo zer o meu retrato e nao a minha carica-
amigaVeis paraToTa HespanhTtoXt ftfiSS* Prem 6Sle "*&* N- ,
que pas- um ministro junto de S. M G. ,tou-seem dizer-llie Nisso estamos correntes.
Nao se tendo n^nn or. ,. T Pel Jff8 veJ Susanna> eslaes dec'-1 Pois entr. passe muito bem.
o o governo perua-; dida a nao fazer mais a minha cama. Mas,] o artista vio o millonario sabir, esleve
afinal de contas, isso -me indifferente, pois am instante pensativo, depois chamou o cria-
panhol, e havendo o governo de S M Ij , Catholica oro amandoi! rirJnhrM S'' .Venc,da 39V tanta docura, a criada ca- elle foi officina do photograpl-o N... e
de novembro ultimo, que o ttulo de com-1
missario especial nao prejudica em cousa
sando o que meu melhor amigo e todas as! Art. 3.
pessoa>a quera mais queria n'esle mundo.no recusado nunca, de nunca, de-uma ma-
estariam todos juntos commigo debaixo do neira absoluta, admittir o commssario hes-
raesrao te do.
(Continua) -se-ha,)
com elles, nunca me esqueci do respeito|as80rtes ce8J8 senara t,radas peinada
devido a anligoschefes.e dsse sempre com Para nada Prm vos n5o julgaes
os meus botDes: Em Weissenfelz, em Lut- assim' nem em vossos templos, nem em
sen, em Leipzig, estes homens que aqui se vossas escholas, nem em vossas casas, nem
curvam obrigados ao trabalho para susten- iaiS conversaces com os velbos, nem sobre
taco das suas.famias, representavamfla!osoelhos de v06sas m3es' nem no silencio
vanguarda, a honra e o esforco da Franca, Ide vossas ProPnas refiexSes, nem nos vos-
Estas mudancas succederam depois, e o sos trabalhos, nem as vossas miserias, nem
nosso antigo ponta bandeira, Faizart, var-!nas vossas lofermidades, e intimidade com
algnma os direitos do Per e a independen-
cia, concordou-se entre as partes contratan-
tes que e governo de S. M. C poder man-
Vendeu-se ba pouco, em Franca, a af-
mala gallera de quadros do conde Pour-
dar a Lima, e que ser recebido pelo Per tales, considerado, com umdos maisenten-
um commissario especial, encarregado de didos amadores de bellas artes,
emprehender processos e reclamacoes que A venda efectuou-se em leilo publico
tocam o negocio pendente, no que diz res- perante uma multidao de amadores os quaes
peito ao negocio de Talambo. disputaram vivamente entre si a adjudicarlo
Art. 4. O Per autorisar por meio de! de algumas obras dos mestres de maior
plenos poderes, o seu ministro em Hespa-; nome.
nha, para negociar e concluir um tratado I Eis aqui quaes foram os resultados do pri-
de paz, amisade, navegacao .e commercio,! meiro leilao:
semelhante aos que foram coocluidos pelo Fauvelet Fais3o..... francos
Chili, ou outras repblicas americanas, queKockkock-Paisagem ..
S. M. C, e o governo do Per esto dis-! Le PrinceHonfleur..
520
I JalabertUrna donzella.
ser3o ao mes- GranetBeatrice Cenci.
reu quinze annos a ponte da porta da Alle-
manha. Nao bonito, nao ; a patria deve-
ri a ser mais grata 1
Era, pois, o 3o batalhao que voltava em
vossas mulheres, nem sobre o leito da dr
na vespera da mor te, nem em lugar algum
onde o homem falla serame i te do homem
e ao homem.
Tendes uma consciencia : esta conscien-
m miseria que punga o.coraco dos homens; ca e a wete&o do bem e do mal; ella
de bem. Zebedeu conton-me que tinham )V0S W|a> ^^1,^ pune ou recompensa ;
partido de Versalbes em 31 demarco de-1 vos fa2 temerou aperar no julgamento do
poisda capitulacao de Pars, e que osi tinham uiz SGpremo embora invisivel de vossos ac-
feto marchar Je Versalhes para Cbartres, tos se^ndo estes aclos ^ mais ^ menos
Cbateaudun, B)m, Orleans e assim or di- ^0^ a esta moralidade divina que ros-
ante, como verdadeiros sganos, durante 8a consciencia em voz baixa vos reveU como
aeis semanas, sem sold e sem armamento, uma confidente de Deus.
ue W finJS' Ru3t,nham reclb,d0 or' 1 O homem pois uma creatura dotada de
dem Un atr^essarem toda a .Franca e imoraUdade ; tem por lei uma consciencia,
arpbrem paja Phalsburgo, e que em to- de?er 0 exer&0 de mUS vrtudeS(
da a parte as ftissoes, as procissoes, osoffi-;n pode eximir-se desta obrigacao de vir-
^s fnebres tinham movido o novo contra lude^em cahir no embrutecimento.
^les, e que tinha sido preciso soffrer tudo
Jpesmo pernoitar nos campos, quando os
, *#ussos, austracos, prussianos e outros
tratantes viviam socegadamente nas nossas
aldeias.
Ecbedeu chorava de raiva quando. passa-
dos annos, me contava todas essas miserias
e dizia :
1 j i Wf
L-se na Estrella de Sul o seguinte :
A CARIDADE POR S. BERNARDO.
A primeira virtudequedevemospraticar
a caridade, virtude verdaderamente iocom-
paravel qne o ceierte esposo nao ceswvade M. C.7e por S, Eu. o presidente
postos a concluir.
Art. 5. No dito tratado
mo lempo estabelecidas as bases para a li- Len Cogniet Saliea-
quidacao, reconhecimento e pagamento das dor...............
sommas, que em consequencia das ap, re- Laurent Henriquetta de
hens5es, confiscos, emprestimos da guerra Franca............
da independencia ou.qualquer outra rasao,!GodinVista d'Escocia.
o governo do Pera dever ao subditos de S.! GerardM."e George...
M. C, uma vez que estas reunam as condi-' GirodetErigone.....
ces d'origem, conducta, e acta I dade hes-! Godin Tempestado.. .
panhola. ; BonchezO Artista____
Art. 6. As altas partes contratantes con- C.RoqueplanO Moinho
cordam em que a liquidacao e reconbecimen- BrudhonHelena de Pa-
to de qu se trata no aitigo antecedente, ris, desenho adjudica-
te;o lugar precisamente em virtude de pro-' do a lord Ward.... .
ras justificadas, authenticas e ofliciaes, e Laurent Mulheres ba-
nunca em virtude de provas testimunhaes,
nem de outra especie.
Art. 7. Seoccorrer algnma difficuldade
ou duvida para a liquidaco e recoubeci- Do mesmoA familia do
ment de uma ou de mui tas das sommas salteador...........
reclamadas, essas difficoldades serao resol- BoningtonMaria Basse.
vidas por uma commis5o de seis individuos, David Retrato de Pi
sendo tres nomeados por cada uma das al-, vil adjudicado a lord
tas partes contratantes. Ward.............
Art. 8. O Per indemnisar a Hespanha Do mesmo O Amor e
dos 13 mUlibes de duros fortes hesnanhes,' Psych............
que se viu forjado a desembolsar para Do mesmoPsych aban-
cobrir as despesas feilas desdeque o governo donada............
desta repblica regeitou os bons offioios de IngresBaphael e For-
um agente de outro governo amigo das duas narina..........
nacSes, recusando-se tratar com o agente Greuze A innocencia,
de S. M. C, nas suas aguas, demorando as- uma rapariga acare-
sim a restituirlo das ilhas Chinchas, que ciando um carneiro..
Ihe era espontneamente offerecida. Adjudicado a M. Van
O presente tratado ser ratificado por SJ Cuyck, paraobanquei-
da. repu-, ro Rothschild, em con-
nhando-se.
Leopoldo RobertoUma
joven mulber d'Ischia.
de copias em bilhetes de visita.
No outro dia recebeu a encommenda, ave-
riguou os nomes de todas as relacies do mi-
lionario e a lodos mandou uma copia pho-
tographica do retrato.
O resultado foi que os amigos do millo-
nario apenas o viam, Ihe agradeciam por
Ihe ter mandado o seu retrato.
Eu exclamava espantado.
Sim senhor, d'entro de um subs-
cripto.
O milionario nao podia desconbecer a
m3o que Ihe vibrava o golpe, jura vingar-
se ainda que despenda uma duzia de contos
de ris, e chama aos tribunaes o artista.
r. Sr. juiz, diz o milionario, este homem
lem commettido uma indignidade, tem man-
dado a todas as pessoas do meu conhecimen-
to bilhetes photographicos.
E que mal ha nisso, respoadeu o pin-
tor, nao sou senhor de fazer presentes a
quem quizer?
Porm o caso que os bilhetes s3o
com o meu retrato.
Nao ba tal...
Sim, senhor, tal, e quando nao que
o diga o Sr. juiz T
E ao mesmo tempo o milionario apresen-
tou ao juiz uma prova photographica.
Parece-se ? perguntou o artista.
Muilssimo respondeu o juiz.
Nesse caso que me pague o retrato
que lbe fiz, replicn o pintor, do qual esse
bilhete a copia, e que nlo quer receber,
dizendo que nlo est parecido.
O juiz achou o pedido justo, e assim o
milionario teve que pagar o retrato regei-
2-100 tado' ^ue e"e deP's reconh'cera pelo pnh
720
2:100!
25o
2:400
2:000
1:440!
2:120
2:700
1:500
7:000
1:030
4:900,
E' do Sr. Cyrillo de Lemos esla poesia :
A FELICIDADE.
(Recitativo.)
Felicidade como a floi que nasce
A' beira d'agua de sereno lago ;
Ou passe o sol, ou a bafagera passe,
Ella sorri-se em devaneio vago;
Mas sopre o vento queimador e forte,
Desbota e pende desmaiada a cor,
Curvase a haste, e pallidez de morte
Maucha-lhe as fblhas de celeste alvor
A flor mimosa, da ventura imagem,
E' a innocencia, que n3o sent amore* ;
O manso lago, a fugitiva aragem,
Teu lindo seio, o suspirar sem dores.
Bem vez; se ao sopro daspaixoes atrozes
Deres entrada noeH seio virgem,
As cores brancas fugirao velozes
Ao bafo impuro da voraz vertigem.
Felicidade, s ha uma inunda:
E' ter o peito de paixesbem ermo;
Dormir sonhando, e acordado ainda
Sonhar, scisraando, sem razio, nem termo.
Diz um jornal eslrangeiro que ha trinta
annos que na cidade de Conslantinopla, n3o
havia uma calamidade to terrivel, como a
que teve lugar no bairro de Galaia no dia
20 do mez passado.
A's 11 horas da noite rebentoo um fogo
no convemo catholico de S. Benedicto,.e
apezar de nao correr uma simples aragem
invadi o convento e todo o aggregado de
casas que Ihe estavam contiguas
Nao s pense porm, que por ser na Tur-
qua nao houve soccorros.
Tal nao succedeu.
Em menos de meia hora estavam na loca-
lidade doze machinas a vapor com uma suf-
ficiente guarnigao de gente de trabalho (to-
loumbajees) uma boa forca de polica e uma
companhia de marinbeiros.
As embarcaces estrangeiras surtas no
porto tambem envaram as suas bombas com
a gente precisa para trabalbar.
A m disposicao do edificio e ainda mais
a falta absoluta d'agua que tornaram o fo-
go impossivel de debellar.
Duas grandes paredes do convento desa-
baram por volta da meia noite em cima de
uns sessenla serventes de qoatro bombas,
d'um grande numero de polieias e de espec-
tadores.
Nao escapou uma s pessoa de quantas
aqui se acbavam, machinas e suas guarn-
cees policiaes c simples espectadores, tudo
ficou sepalado nas ruinas !
Quasi ao aesmo tempo cabio n'outro pon-
to outra parede, que sepoitou oito dos
moradores que estavam salvando os -trastes.
Excede a lO o numero das victimas. En-
tre os morios figura o inspector da polica
de Galata, Ibral hym Bey.
Alm do convento ficaram arrasadas 42
casas e 4 lojas.
7:300
I
4:100

6:500
prio.
17:300, Na praca de Toiros em Madrid acaba de
! ter lugar um curioso espectculo; a lucia
1:459 de um toiro com um elephante, e o resulta-
; do d'ella no-lo conla nos seguintes termos
650 um jornal hespaohol v
Hontem presenciamos segunda vez essa
9:500 chamada lucia entre o elephante e o toiro.
Pela segunda vez convencemo-nos de qae
tal lucia se torna impossivel.
100:3001 A superioridade do elephante em corpu-
lencia e forc?, a rijesa e elasticidade da gros-
sa pelle que o cobre, e a enormidade das
suas armas de defeza ou ponas, converlem.
L-se no Jornal da Baha o seguintesob
o tituloE' muito casar
Na freguezia do Brejo Grande, termo de
Santa Isabel do Paraguass, reside los Pin-
to de Carvalbo, que causou-se ero primeiras
nupcias com uma senbora, de quem teve 10
filhos.
Por fallecimento desta casoiKse con outra
senhor, da qual nao teve filbos.
Morrendo tambem esta segunda, casou-se
elle com uma senhorn, irmia de sua primei-
ra mulher, e j viuva de Angelo Barbosa da
SiKeir, de quem tinha tido 11 filhos!
Deste terceiro casamento houve mais dous
filhos, tendo afinal a senbora morrido de
parto.
Casou-se ainda pela quarla rez com uma
sen hora D. Anna Francisca de Novaes, a qual
tambem por sua vez se casa em quars nup-
cias, nunca tendo tido filhos de nenbum dos
seus tres fallecidos maridos, que foram
Jos Joaquim do Pilar, Jos Severiano da
Silva e Francisco Pereira da Silva, os quaes.
com o ultimo fazem 3. Joss e 2 Silvas.




-
PERNAMBUGO.-TYP.DE M. P. DE P. & FILHO
\.


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID ER2DGHX7M_2NQ5E3 INGEST_TIME 2013-08-28T03:25:51Z PACKAGE AA00011611_10659
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES