Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:10655


This item is only available as the following downloads:


Full Text
/

i
>>
AMO ILl HOMERO 98.

Por fiarte! pago dentro de 10 dios do 1. mez ...?!.. 5|000
fdemtfeptid8l.9M0dasdoMBecdedeiitrdoqMPtel. 61000
Porte aocorreio por tres mezes ,..,...,...,.:. 750
DIARIO DE
*
ENGARREGADOS DA SUBSCRIPCO DO NORTE
Parahyba, o 3r. Antonio Alejandrino de Lima;
Natal, o Sr. Amonio Marques da Silva ; Araeaty, o
Sr. A. de (.amos Braga; Cear, o Sr. J. Jos de
Oliveira; Maranhao, o Sr. Joaqoim -Marques Ro-
drigues ; Para, os Srs. Geraldo Antonio Alves 4
Filhos; Amazonas, o Sr. Jeronymo da Costa.
ENGARREGADOS DA SUBSCRIPCO DO SUL.
Alagoas, o Sr. Glaodino Falco Dias; Babia, o
Sr. Jos Marlins Alves; Rio de Janeiro, e Sr. Jos
Uibeiro Gaspariobo.
SABBADO 29 DE ABRIL DE 1868. '
fop anno pago dentro de \ Odias do 1. mez ... 191000
Porte ao correio por un anuo...... 31000
BUCO.
PARTIDA DOS ESTAFETAS.
Olinda, Cabo, Escada e estacdes da va frrea at
Agoa Preta, todos os dias.
Igaarass e Goyanna as segundas e sextas reirs.
Santo Antao, Grvate, Bezerros, Bonito, Caruar,
Altinho, Garanhuns, Buique, S. Bento, iiom
Conselbok Aguas Bellas e Tacarat, as tercas
(eiras.
P d'Alho, Nazareth, Limoeiro.Brejo, Pesqueira,
Ingazeira, Flores, Villa Bella, Cabrob, Boa Vis-
ta, Ouricury, Salgueiro e Ex, as quartas
(eiras.
Segunda vara do clvel: quartas e sabbades a 0 AUDIENCIAS DOS TRIBUNAES DA CAPITAL
hora da tarde.
Serinhaem, Rio Formoso, Tamandar, Una, Bar-
reros, Agoa Preta e Pimenteiras, as quintas
feiras.
.EPHEMERIDE8 DO MEZ DE ABRIL.
2 Qnarto cresc. as 10 h., 89 m. e 22 s. dat. '
11 La cheia as 2 h., 17 m. e 52 s. da m.
18 Quarto ming as 9h., e 16 m. da t.
25 Loa nova as 11 h., 53 m. e 46 s. da m.
Tribunal do comraercio : segundas e quintas.
Relacao: tercas e sbados s 10 horas.
Fazenda: quintas s 10 horas.
Julio docommercio: segundas s 11 horas,
ito de orpbos : tercas e sextas s 10 horas.
eir vara do civel: tercas e sextas ao meio
dia.
ganda vara do civil: quartas c sabbados a I
hora da tarde.
DIAS DA SEMANA.
24. Segunda. Ss. Honorio e Mileto bb.
25. Terca. S. Marcos evang.; 9. Hermino m.
26. Quarta. S. Pedio de Ralis b.; S. Cleto p. m.
27. Quinta. S. Tertuliano p.; S. Turybio are.
28. Sexta. S. Vital m.; Ss. Agapito e Acacio mm
29. Sabbado. S. Pedro m.; S. Tertulia v. m.
30. Domingo. S. Vicente Ferreira; S. Amador.
PREAMAR DE HOJE.
Primeira as 7 horas e 42 m. da manha.
Segunda as 8 horas 6 e minutos da tarde.
PARTIDA DOS VAPORES COSTEIROS.
Para o snl al Alagoas a 14 e 30; para o norte
ata a Granja a 7e 22 de cada mez; para Fernan-
do nos dias 14 dos mezes de Janeiro, marco, malo,
julho, setembro e novembro.
ASSIGNA-SE
no Recife, na livraria da praca da Independencia
ns. 6 e 8, dos propietarios Manoei Figueiroa de
Faria & Filbo.
PARTE OFFIGIAL
60YBRN0 DA PIOYMl'lA.
Expediente de dia 23 de abril de 1865.
Offlcio ao Exm. desembargador provedor da San-
ta Casa de Misericordia.Sirva-se V. Exc. de in-
formar se possivel ser admiitido no hospital de
Olinda, o alienado Ignacio Pedro da Silva, como
solicita o Dr. chefa de polica, no oficio incluso,
que me ser devolvido.
Du> ao coron-l commandante das armas. Ex-
pei;i V. S. as suas ordens, para que tenha passa-
gem do Io para o 2o corp de voluntarios desta
proviuda Barlholomeudo Xascimento e deste para
aquello corpo Jos Flix da Silva.
Dito ao mesmo.-Srvase V. S. de mandar alis-
tar como voluntarios da patria a Romo da Mater-
nidade Amazonas, Joo Rodrigues Duro, Manoei
Antonio de Souzao Jos Dionisio Vieira de Barros,
providenciando V. S outro slm, para que sejam
transferidos do Io para o 2o corpo de voluntarios
Josc Francisco do Xascimento e Antonio da Silva
Pinheiro.
Dito ao mesmo. Tendo-me o 2o cadete do lcor-
po de voluntarios Manoei de Franca Carvalho de-
clarado em 22 do crreme, que cede em beneficio
da patria e preparativos para a guerra, a gratifica-
Ci de 3005000 e o praso de trras a que Ihe d
direiio o decreto n. 3,371 de 7 de Janeiro ultime,
quando ti ver baixa do servigo; assim o communi-
co a V. S. para que mande fazer as convenientes
declaracoes nes assentamentos de referido cadete.
Communlcou-se a thesouraria de fazenda.
Dito ao mesmo.Queira V. s. informar acerca,
do que pede uo incluso requeriraento o soldado do ; P*r'or, Henrique Pereira de Lira,
4o lutalho deartilbaria a
Dantas.
Dito ao mesmo.Sirva-se
peccionar pela junta de saude a Basiliano Manse
de Almeida que assim o solicita.
Dito ao mesmo.D V. S. suas ordens, para qne
sejam conservados no 2g corpo de voluntarios da
vesseiros constantes do pedido junto por copia.
Communicuu-se ao Dr. chefe de polica.
Dito ao commandante do presidio de Fernando.
- Faca V. S. regressar a esta capital na 1* oppor-
tunidade o preso Benedicto Soares Pereira, como
requisitoa o Dr. chefe de polica em officio de 20
do correte.
Dito ao commandante superior da guarda nacio-
nal de Garanhuns.ScientedoqueV.S.me commu
nicou em offlcio n. 19 de 2 desle mez, rerommen-
do-lhe que faca constar aos guardas nacionaes
designados para o servico de destacamento e defe-
sa do imperio, por forca do decreto n. 3,383 de 21
de Janeiro, as penas em que incorrem se porven-
lura nao se apresentarem depois de designados para
aqnelle servico.
Recommeodo outro sim a V. S. que a lista dos
olliciaes de que trata o final de seu citado offlcio,
deve comprohender iodos os offlciaes dos baialhoes
da guarda nacional sob seu coramando superior, e
ser organisada de conformldade com o disposto no
art. 61 do decreto n. 722 de 25 de outubro de 1850.
addicionando-se-lhe as declaracoes comidas n s
1 a 5 do art. 121 da lei n. 602 de 19 de setembro
do mesmo anno, indicando V. S. de entre elles os
que estiverem no caso de que trata o meu offlcio de
20 de feverero deste anno.
Dito ao commandante superior do Limeeiro.
Remello a V. S. copia do offlcio que em dala de 10 thesouraria de faienda.
de marco ultimo Ihe dirig sobre a representagao
do tenente-coronel commandante do balalno n. 21
da guarda nacional sob seu commando superior, o
que V. S. em data de 16 do mesmo mez declarou
que inda nao Ihe havia chegado as roaos.
Dito ao commandante superior da guarda naci-
nal de Xazareth Remeti incluso o reqaeriment
que me dirigi o alteres do batalho n. 18 de in-
famarla da guarda nacional sob seu commando so-
para que V. S.,
das obras publicas acerca do re^uerimenlo, que er distribuido com as familias indigentes dos Vo-
devolvo dos moradores do Campd-Grande. Inntarios da Patria alistados nessa provincia.
Despachos do dia 25 de abril de 1865. Por tao relevante servico prestado causa da
Brasliano Mauro de Almeida Lelo. Aprsente- (*tria> cabe-me juntar os meus agradecimentos aos
se no quartel io commando das armas para ser 86 mol devidamente Ihe dirigi o Exm. desem-
inspeccionado. bargador presidente dessa provincia ; e accrescen-
Bernardina de Jess Monteiro. O provedor da, I00 V. Rvma. no seu zelo pela causa publica
Santa Casa de Misericordia expedio ordem para i >WHo bem soube comprehender que a religio e
ser recebido e tratado no hospital Pedro II o Qlho patria sao duas ideas como que associadas, que
da supplicante, que dever apresentar-se no refe-'. *veoi merecer todos os desvelos e attencoes das
rido hospital, I almas bem formadas.
Irmandade do Sr. Bom Jess das Dore3 da igreja ,_?sPer. poi*. que V.
Rvma., sem faltar gravi-
dade e circumspeccao que Ibe impoa o seu carc-
ter sacerdotal; sem omittir um s dos seus deve-
res parochiaes, continuar a fazer ver aos povos o
p Scve'ianno Vieira i seQdo exacto oque allega, Ihe mande passar a guia
de que trata o art. 45 do decreto n. 1,130 de 12 de
V. S. de mandar ios- marC de 1853, visto ter transferido a sua residen-
cia para o municipio do Pilar na provincia das
Alagoas.
Dito ao commandante superior da guarda nacio-
nal do Rio Formoso e Serinhaem.Ao alteres do
patria, os 14 soldados constante da relacao junta, i wnoadrio de cavallana n. 7 da guarda nacional
Dito ao mesmo.Mande V. alistar no 1 corpo | S0D sea commando superior, Antonio Bandeira de
de voluntarios da patria, o cidadao Francisco Xa- Mtfl,0> mande y. S., nao haveodo inconveniente,
vier de Athayde, qu9 se effereceu para servir era i Pausar a guia de que trata o art. 45 do decreto n.
dito corpo. ; *,130 de 12 de marco de 1853, visto ter MM offl-
Dito ao m^smo.-Qneira V. S. informar se exis- c',al transferido a sua residencia para o municipio
tera alistados no corpo de voluntarios as duas pra- d'Agoa-Preta.
cas de polica, mencionadas na relacao junta, que l)'' ao commandante superior da guarda naci-
me ser devolvida. nal do Pao d'Alho.A' vista da sua informagao de
Dito ao inspector da tho3ouraria de fazenda.D 3 do correte, autoriso V. S. a mandar dispeosar
V. S. suas ordens, para que seja entregue ao com-
mandante da companhia do aprendizes artfices do
arsenal de marinha, como solicita o respectivo ins-
pector, em ofllcio de 22 do corrate, por copia in-
cluso, a quaotia de 1465410, importancia dos pe-
culios pertenruntes aos avuUos da referida compa-
nhia Manoei Joaqucn de Almeida Alcuforado, Jo-
Correa Campello e Augusto Cesar de Oliveira.
Communicou.se ao inspector do arsenal de ma-
rinha.
Dito ao mesmo.Ao procurador do alfares do
corpo n. 1 dn voluntarios da patria Domingos de
Souza Leo Reg Barrios, mande V. S. abonar a
do servico, era quaoto estiver empregado no lugar
de inspector de quarteirSo, o goarda Luiz de
Franca Pereira do batalho n. 16 de infaotaria
desse municipioCommunicou-se ao Dr. chefe de
polica.
Dito ao tenente da guarda nacional Francisco
Pereira da Costa.Louvando o patritico offereci-
mento que em offlcio de 19 do correte er. V. S.
para ir tomar parle na guerra do sul, cabe-me
agradecer seus bons desejos que sero aproveita-
dos se del les houver uecessidade.
Dito ao procurador fiscal da thesouraria de fa-
zenda. Aos offlcios que Vmc. me dirigi em 22
de S. Goncalo desta cidade.Informe o Sr. thesou-
reiro das loterias. .
Joanna Joaquina de Santa Anna. Dirja-se ao
Sr. commandante das armas, que dar as precisas
ordens para que se effectue o casamento, a que al-
lude a supplicante. Ira.
Tenente Joaqoim Jos Moreira.Nao estando as-! 27
signada pelo supplicante a presente peticao, e sim Offlcio ao Exm. presideote desta provincia.
por outra pessoa, curapre que esta exhiba procura- JenDo presente o offlcio de V. Exc, datado de 20
Cao, pela qual se mostr habilitado para reqaerer o correte, e so hontera recebido, pelo qual V.
em nome da supplicante. Exc. solicita o meu parecer acerca do projecto n.'
Lourenco Jos da Silva Jnior. Informe o Sr. j44 des,e anno, que recebi incluso, e que crea urna
inspector da thesouraria provincial. B,ova freguezia tirada das de Cabrob, Fazenda
Manoei Francisco de Barros. Informe o Sr. ca-, brande e outras, afim de cora elle satisfazer a re-1
pito do porto. I quisicao da assembla legislativa provincial : e;
Mills Latbans & C. Informe o Sr. inspector da nesta passo a informarme dos respectivos viga-'
rios, allm de dar um parecer conscienciosj.
sos: ssrssss t ssfe ^rffr^svs* as t
Onim m Srs. SOn Bu G. Campillo. *!&!' ''"''t, ?W '"*,da
peticionario a gratificado requerida, fe.to o abat- no vaso redn desie mS ,5 iJfT*
consuladoSilva Ramns ae "nas almas naquelle momento solemne, e do
ss&rtsss., ,cvad0. ecer. es--ssssff sasc* s s
approvado o parecer,
oecessiiadas, cujos pareotes se sacriOcam pela pa- sideute or
Campello.
PRIMEIRA PARTE DA ORDEM DO DIA.
Entra em discusso e sem debate approvado o
art. 14 do orcamento provincial que diz :
taftte para substituidos os Sr^ Nabor eG. m^ragoar-daSo^h^gada S. n^ravos";
quando estes seaproximavam delle, sendo recebi-
dos com enthusiasmo pelos voluntarios maranhen-
ses, que de bordo os saudavam como bons irmaos,
corriam esses boles em dilTerentes direcces, sol-
tando foguetes, e sahizm a barra o Camaragibe e
o Parahiba. embanderados em arco e com musi-
1.
i.
Empregados
Expedlecte e serventes
26:1205000
2:0605000
Manoei Pereira do Canto. Remullido ao Sr. che-
fe interino da reparticlo. das obras publicas, para
mandar passT'as certidoes pedidas.
Pedro Banal da Costa Soares.Remettido ao Sr.
inspector do arsenal de marinha, para mandar ad-, B
raitlir o menor de qae se trata, quando houver va-: D0 Pazenda Grande, e outras, compre que V. Rvm.
ga, estando as condlcdes da lei. 'me informe circumstanciadamente quaes as con-
Sebastiao Accloly Santiago Ramos. Informe o' veniencias dessa nova creacao, com que extensao
Sr. inspector da thesouraria de fazenda, ouvindo o I <*a l-rreno fica a nova freguezia. qual o terreno ti-
Entra depois em discusso o
Art. 15 :
| I." Obrase conservaco de es-
tradas e nontcs, indurado se na
Dito ao gario de Cabrob.i'ara satisfazer despeza o producto do pedagio".
requisicao da assembla provincial, que, por nter-, 2." Conservaco e reparos de
medio Jo Exm. Sr. presdeme da provincia, pede caes inclusive a desobstruyo de
o meu parecer sobre o projecto n. 44 deste anno, todos.. .
2!?ep!*_?.nw.a tirada 4as de Cabro-. | 3. Ditos de edificios pubiieos
S." Calcamanto da cidade do
28:1805000
100:0005000
7:5605000
6:7215000
cas a bordo, que tocavam varias pecas, apresen-
lando este ultimo vapor em sua sabida e entrada
posterior o aspecto presenteiro de urna moca, jo-
ven pela belleza, c joven pela Idade, que se offe-
receem um salo consciente de seus encantos, e
de que a sua alegra a vida dos que a eerram.
As ras comprehendidas no itinerario do corpo,
eslavam todas ornadas.
, No centro da ra Nova havia um bello corama-
j nhcao de folhagem, que lemava loda a extensao da
mesma ra. Xa entrada e na sahida da ruado
I4A-M m i C,al)Uf fstavam dous arcos, tendo o primeiro no
c-v. :.. 120.00050001 a|l0 duas bandeiras auri-verdes com as
da aifandega.
OVEUNO DO BISPADO
PIUVIMIUCO
DE
rado a essa sua parochla, e qual o estado material,
a posicao o commodos, que offerece a capella de
X'ossa Senhora da Conceic-io na povoacao de Bo-
lera, que se qur erigir em matriz; bem como se
lem os necessarios paramentos e utencilios para
esse fin.
Incluso achara V. Rvma. o projeclo n. 14 a que
rqe refiro.
Igual ao vigario da fazenda Grande.
Dito ao vigario de S. Miguel de Taip.Nesta
data autoriao ao Rvd. vigario do Pilar para nume-
rar e rubricar o livro que tem de servir para lan- em discsse segun'te"quadro V
de marco prximo passido famentos de baotisados dessa freguezia, como pede 7. Obras novas, a saber :
embla dessa provincia, porl' .^m-no seu oficio de 21 do correte que fle Continuacao da estrada da Vic-
SKDE VACASTE
Expediente de dia 24 de abril.
Offlcio ao Exm. presidente de Sergipe. Tenho
a honra de aecusar recebido o offlcio de V. Rvm.
de 6 do corrente, transmittindo-me um exemplar
da falla que no dia 1
dirigi V. Exc. ass
o.' Para pagamento a empre-
zaMamede.......102:0005000
6." Malrizes, sendo res......
14:9595720 para a de S. Jos, do
que se dever prestar contas na
thesouraria provincial e 1:0005000
para cada urna Cas seguintes, a sa-
ber : Brejo, etc....... 24:9595720
7. Obras novas, a saber 138:7805000
Vem a mesa, apoiado e
500:0205720
entra conjunctamenle
occasiao de abrir a 2* seceo ordinaria da 14
gislatura.
Agradecendo a attengao que V. Exc.
quantia mensal de 255000, que este pretende con- de marco ultimo e o do corrente, respondo deca-
signar de seu sold nesta provincia, a conlar do 1" rando-lhe que nao pode ser-lhe ministrada a copia
de maioa 31 de agosto viadouros. Comnunicou- nue sollcia da caria de sismara passada a Andr
se ao coronel commandante das armas. Vidal de Negreiros e Antonio Curado Vital, por
^ Dito ao mesmo.Em os devidos tempos, nrande nao haver registro della nem mesmo existir na se-
V. S. abonar ao Dr. Ji>ao da Silva Ramos, a impor- cetaria da presidencia o livro 5/ por Vmc. indi-
tancia do sold do alteres do corpo de voluntarios cado.
da patria Joo Deociecio d Silva Paula, que e>te
<)uer consiguar Ihe como declara no incluso re-
querimento.Communicou-se ao commandante das
armas.
Dito ao raegmo.Mande V. S. abonar ao tenente-
coronel Fe iciano Joaqoim dos Santos, a contar do
Io de maio vindouro era diante, a quantia mensal
de 255000, quo pretende coasigoar-lb^ do respec-
tivo sold, como se v do requinmenlo incluso, o
alferes do corpo n. 1 de voluntarios Manoei Coriola-
no dos Santos.
Dito ao mesmo.Mande V. S. indemnisar o cor-
Dito ao tenente Tliomiz Rodrigues Pereira.
Mandei alistar no corpo de Voluntarios da Patria
a Joo Rodrigues Duro, mei Vmc. me apresentou
com o seu offlcio de honifln datado, a que respon-
do agradecendo os desejos de Vmc. em auxiliar o
goveroo na acquisico de Voluntarios.
Dito Joaqairn Elias de Moura Gondim. Man-
dando alistar como Voluntarios da Patria os seus
filhos Jos Pedro de Moura Goudim Francisco
Ignacio de Moura Goudim, que Vmc, cedendo aos
seus sentiraenios de patriotismo, olfereceu para o
servico da guerra em qm se acha empenhado o
parr., cabe-me agradecer-lhe essa prova de civismo
para comigo, aproveito a opportunidade para apre-
seniar V. Exc. os meus protestos de sincera es?
tima e coa-ideraco.
Dito ao padra Manoei Amancio das Dores Cha-
ves, residente em Macei. -Accuso recebido o offl-
cio de V. S. datado de 12 do corrente, acompa-,
nhando o resto da estatistica ecclesiastica dessa
provincia, confeccionada por V. S. a pedido meu, e'
publicada no Ijoio das Alagos.
Era primeiro lugar agradeco cordialmente V.
S. lao importante servico prestado a esta'diocese,
e com especialidade a essa provincia das Ala-
goas.
Dependeodo a estalisiica de um lugar da maior t
ou menor ex ictido dos dados sobre quo foi feta,
l(,. assim respondido.
L Dito ao ao vigario do Pilar. Autoriso a V. S.
quiz ter Pata oura ;rar e rubricar por esta vez o livro que
loria......... 30:0005(00
tem de servir Rara lancamentos de baptisados da;
freguezia de S. Migael de Taip, qua llie ser
apreseotado pelo Fspectivo vigario.
PERMMRUCO.
ASSEMBLA PROVINCIAL.
40- SESSAO EM 28 DE ABRIL DE 1865.
PRESIDENCIA DO SR. DR. PEREIRA DE BRITO.
Ao meio dia, feila a chamada, acham-se prsen-
los Srs. deputados Armoio, Buarque, Bran-
ao, Amynlhas, Tenera-de Mello, Ribuiro,
., J. do
e dndose alera disso continuas alteracoes. quede- Reg Barros, G. Campello, Gonealves da Silva,
vem ser cuidadosamente rejisiradas; lnda recom Aquino Ponseca, Brito, Loureiro, Braulio, Araujo
mendo V. S. que procure colher as melhores e
mais recentes informagoes com que v aperfece:'n-
'uminoso tra'balho, alias o mais co'mpleto,
que nesse genero ^ossue a dio-
poda polica da quantia da 955151, que estao a
dever de lardameutos, as 9 pfecas da mesmo corpo digna de louvores.
menciooadas na relacao inclu_a; as quaes tiveram Dito ao commandante do vapor S. Francisco. -
passagem para o corpo de valuotarios da pa- Communico Vmc. que a sahida do vapor do seu
tria. commando fica transferida para quinta feira vio-
Dito ao mesmo.Restituindo" a V. S. os papis doura (27), leudo lugar nesse dia o embarque do
que vieram annexos aoseu offlcio de hoje.sob n. 269 Io corpo de Voluntarios da Patria,
tenho a dizer-ihe em resposn, que o adiantamenio Dilo ao conselho de compras navaes. Ficam ap-
que por offlcio de bontem mandei fazer aos serra- provados os contratos que o conselho de compras
Iheiros Anibnio Francisco da Silva e Jos Maria navaes celebrou, como me participou em offlcio de
Pinto, contratados pelo inspector do arsenal de ma- 24 de marco ultimo, para lavagem da roupa dos es-
rinha desta provincia, para irem servir no de guer- tabelecimentos de marinha, e fornecimente de rti-
ra da corte, em vlrlude do aviso de 7 de marco gos de fardamento no trimestre que tem de lindar
nltimo, deve ser effectuado, sob minha responsabi- era juoho prximo vindouro. Communicou-se
lidade, visto nao haver crdito para esse flu, se- thesouraria de fazenda.
guudo consta de seu citado offlcio.
Dito ao mesmo.Approw a deliberaco que V.
S. lomou como ma pajiicipou em seu offlcio de 15
do corrale, da mandar adiantar ao director da co-
lonia de Pimouteiras, paraoccorrer as despezas da-
quellc estahelccimento, a quantia de 1:7005000,
em lugar da do 2:0005, aulorisada pelo meu offlcio
de i 1 deste mez
Dito ao mesmo.A vista da uoraeaco pas-ada
pela capitana do porto e da.guia da desembarque
que deve apresentar o pratico da costa do norte
Felippe Francisco Pereira, mande V. S. pagar-lhe
a quantia de800590), da soldada que vencen por
Dito ao juiz municipal da 1* vara do termo do
Recife. Remeti incluso Vmc. para os-flns con-
venientes, e auto do vistoria e identidade de pessoa
a que se proceden no sentenciado de justiga, Anto-
uio, escravo, que fallecen no presidio de Feroando,
iodo annexa ao referido auto a certido de obim.
Portara.O Sr. commandante do vapor S. Fran-
ctsco transporte para a curte, a disposico do Exn).
Sr. ministro da guerra, os voluntes que Ibe foi
rem apresentados por parte do director do arsenal
de guerra, contando os artigos de fardhnSento men-
cionados na "relacao por copia inclusa, os (fuaes
perleacem ao corpo de guarnico da .Parahyba.
Barros, Rochad, R.-go Barros, Ayres Gama, Soulo
Lima, Antonio Vctor, Ramos Maranhao e Drum-
moad.
O Sr. Presidente aore a sessu.
E' lida e approvada a acta da sesso antecdeme.
Comparecem depois os Srs. Xabor, Diodoro, Cu-
nh Teixera, Jacobina c Jos Maria.
OSr. ; secretario da conta do segrate
EXPEOIEXTE:
Um requerimeuto da irmandade de Xossa Se-
nhora do Amparo de Olinda, pedindo prefrrencia
para extraeco das loteras concedidas em favor
commissao de orea-

lidos e a,-,provados os seguintes pareceres e
requerimeolos:
A ccmmsso de legislacaa attendendo a peticao
dd*Francisco Antonio da Silva Cavalcanti, porteiro
do .consulado provincial, em que requer a esta as-
do o seu
seno o nico
cese.
Desejando eu acudir a urgente neeessidade do
urna estatistica ecclesiastica desia diorese, dirijo
aos Rvds. parochos a circular que aqu Ihe. envi,
ceno de que todas as informagoes que me forem
ministradas pelos Rvds. parochos da provincia das
Alaguas, as enviare a V. S. afim do aproveilar dol-
as o que julgar conveniente.
Dito vigario da freguezia de S. Miguel.-Accuso das obras d sua igreja A'
recebido o seu offlcio de 30 de marco prximo pas- meojlp provincia
sado, em que me participa que por portara de 6
do mesmo mez Ihe foram concedidos pelo Exm.
ministro do imperio seis mezes de licenca para
tartar de sua sade.
Fico scieute de que o Rvd. Salyro Jos Barbosa
entra na regencia dessa freguezia na qualidade de sembla providencias a cerca' da demora que tem
coadjuctor pro-parocho, ao que,presto a minha an- havido da parte da thesouraria provincial as in-
noencu. forraages pedidas por esta mesma a-sembla so-
Dito ao coadjuctor da fregu''* e s. Migua bre a pretoncao do suppicante, relativa a restitui-
Tendo \. Rvma de ir tomar asiento na assembla cao ae seus ordenadas ; requer que de novo e com
dessa proviucia, como seu digno membro, concor- instancias sejam pedidas as referidas inforraacoes
do era quedexe interinamenle.no lugar que exer quellareparlig pelos canaes competentes,
ce nessa freguezia de S. Miguel ao Rvd. Mathias'' Saladas commissoes, 28 de abril de 1865.-J.
Antonio de Mello, por M. Rvma. proposto era seu do Reg Barros.Costa Ribeiro.
offlcio de 3 do corrente, que flea assim respon- A commissao de instrurcio publica examinou
nido. cuidadosamente a peticao de Jos Maria Machado
25 i de Figueiredo, professor particular nesta cidade e
Offlcio ao vigario de S. Miguel de Taipu'. Con-; oWoeumeotos a ella annexos.
trista-me por certo a noticia que V. Rvma. me di' O peticionario solicita desta assembla a absolv
no seu offlcio de 21 do corrente, de ter havido um gao da multa de 205 que Ihe fofa imposta em vir-
mcendio no altar-mor dessa matriz, queimando-se lude d; art. 100 da lei n. 3C9 de 14 de maio de
as imagens e havendo outros estragos, e nao pe- 1855, a que est o peticionario sujeito como pro-
queno prejuizo. ; fessor particular, por nao ler enmprido com o dis-
Prosiga V. Rvma. no empenho ent que est de I posto na referida lei.
reparar esses. prejuizes, que hade continuar a ser Os documentos juntos nada aproveitam ao peti-
coadjuvado pelos seus parochianos, cujo zelo dig- cionario, pois que do recibo do Rvm. vigario reco-
no de todo o louvor, principalmente no vivo inte- nhece a commissao que o peticionario nao fez a
^resse quejtomaram pela renovago das Mhagens e entrega dos respectivos mappas nos tempos deter-
reedificaco do aliar. > minados; e do despacho da presidencia indefern-
Dilo o vigario de Santa Luzia do Norteas Ala-1 do o requeriraento do peticionario em vista da in
EslFada do Limoeiro.
dem de Pedras de Fogo. .
Casa de deteogo.....
Empedramento da estrada de
Olinda........
Ponte de Mondar! em Correntes
Canalisacao do rio Taquara no
Altinho precedendo orcamento .
Compra de urna casa para ca-
deia na villa deSilgueiro. .
Cadeia do Rio Formoso .
dem de Floresta.....
dem do Pao d'Alho. .
dem de Cimbres.....
Coostroccao de urna ponte era
Papacacinha.......
Construcgao^de urna ponte sobre
o rio Araripe na estrada de Pas-
mado a Tres Ladeiras ....
Conslrucgao, compra e reparos
de edificios que sirvam de cadeia.de-
vendo o presidente da provincia
enviar a esta assembla. no come-
en da prxima sesso, copia de to-
dos os documentos em que se ba-
sear para fazer a dstribuco da
verba.
15:000*000
10.0005000
30:0005000
10:0005000
6:0005000
2:0005000
6:0005000
5:0005000
5:0005000
805000
2:0005000
5005000
0OO5OOO
20:000501X1
Gymnasio .*..... 20 0005000
162:0805000
Gampello.Buarque.Reg Barros.
Vem mesa e sao apoiadas diversas emendas:
Sao lambem apoiad is e entram conjuntamente
em discusso tres requerimentos. um do Sr. Aqui-
no Ponseca, pedindo que a discusso fique adiada
para depois que forem mpressasjio jornal da ca-
sa as emendas; outro dos Srs. Araujo Barros e Ro-
chad para qn as mesmas emendas vo commis-
sao de orgamento: e outro do Sr. Cunha Teixera
para que vao s commisses de orcamento e obras
publicas.
Oram os Srs. Buarque, Jos Maria, Araujo Bar-
ros, Nabor, Cunta Teixeira e Souto Lima.
A discusso ffra adiada pela hora.
SEGUNDA PARTE.
. inscnp-
coesO sagrado amor da pabia abraza os leoes
do norteDos canhuts de vis escravos nao trement
Pernambucanos-e aos lados de urna figura, que
representava o Brasil, hasteando o estandarte na-
cional, e amagando com o conlo dola a cabega
de urna figura qu sob suas plantas svmbolisava o
Lpez, e o seguodo era adornado de figuras, repre-
sentativas das quatro parles do mundo, tinha as
faces interna* lateraes dous soldados, sentindlas
da liberdade, e no seu centro o sol radiava ani-
mando a esta. Na roa da Cadeia do Recife, logo
em principio, erguia-se outro arco de folbagem,
cujo cimo era adornado por um tropheo de armas
com as iniciaes Pe T e as duas faces liam-se es-
tes dous di.sthicos-Funm os voluntarios da patria
A 27 de abril de 1865 ;e no extremo da ra
da Cruz havia o ultimo arco, igualmente de fplha-
gem e com os mesmos disthicos, fechando assim
essa como concatenaco de abobadas de glorias
abenas a' passagem dos bravos.
Alm disto, as ras estayam juncadas de folhas,
e a do Crespo apresentava um tapete dellas to
compacto, que, pareca um lago coberto de gol-
phos.
Durante a passagem dos voluntarios, rectaram-
se em uns pontos dilTerentes poesas e n'outros,
por entre flores, lancavam-sesruasimpressos pa-
triticos, cuja leitura mais enthusiasraava a. todos,
que os apanhavam com ancia ; e destes aqu inse-
rimos um que foi distribuido na ra do Cabng :
Senhores Voluntarios Pernambucanos l'-Ides
partir para a guerra, isto para o campo da honra.
Ides, como dignos Brasileiros, castigar os ferozes
selvagens que em seu furor, hydrophobico mancha-
ram com a baba empeconhada o chao da nos^a pa-
tria ; ides lavar com o sangue vil de brolles para-
guayos as nodoas das affiontas feilas ao Brasil por
esses feros brutos Que a vossa forca se multi-
plique ; que ao vosso valor neohum se igua e ;
que o Senhor Dens dos exercitos faca acompaohar
vossas lileiras pelo anjo das victorias !
Sonhores Voluntarios I A provincia de Pcr-
nambuco est acostumada, desde as mais remotas
eras, a ver seus filhos vencerem, aonde quer que
se apresentem, e por isto, seuhores Voluntarios, o
soldado Pernambucano foi sempre respetado e le-
mido por todos os seus adversarios ainda os mais
fortes e ousados. Ah esto as paginas da historia
para dar-vos testemunlio do que vos digo ; mler-
rogai-as, e ellas vos respondero moslrando-vos La
Ravardire e o forte, de *. Luiz no Maranhao, Hen-
rique Loncq e a estrada de Olinda, Lourenco Reim-
hach eo Arraial, Henrique Huss e Tabocas, Segis-
mundo Van Scop e Guararapes, Brinck e a E-tan-
ca de Henrique Dias eJiuararapes, Vctor Hugucs
e Cayenna, Cayenna, aonde um punhado de Per-
namlmcanos, depois de urna viagom dolorosa c
, cruel feila em acnnhados e immundos navios, mor-
I tos fome, quasi ns e mal armados, baleram-c
com soldados franceses, que, gravando o nosso va-
lor, doloraram-se a renderam-se nossa intrepidez
e bravura ;
Votago sobre o projecto n. 37 desti, anno, con-1 tt*!Fg^*S^
cedendo nma remissao a Francisco Cavalcanti de \ Sa0 se;a por Vus susttin|a -
Albuquerque, c do .rti'go additivo que Ihe foi of- j esplendor.
ferecid0- Senhores Voluntarios
stenlado em todo o seu brilho o
dirigir o vapor S. Francisco de ida e volta do Ma- Communicou-se ao director do arsenal de guerra, jgas.-Nesta data autoriso o vigario de Macei formacao do director g'eral, da qual nao lem co
rinriin ilill __ A Wi< rrjranla<1i rfimnunKii Uii*nninl>ii I pihp *ii#a>.. _l__-____. .a i <* *. ."
r?nno. Dita. O Sr. gerente da Companhis Pernambu-
Uiio ao m ;smo.Declarando a V. S. que nova- cana mande transportar at Macei, no primeiro
por S. Francisco, seguem para a corte 36 offlciaes vapor que seguir para o sul, por conta do ministe-
e 101 cadetes e soldados particulares, ao todo 138, rio da guerra, a familia do tenenta quartel raestre
tenho a recoromendarlhe que mande abonar com do i corpo de Voluntarios da Patria, Francisco Jo-
argencia, ao.respectivo commandante, de confor- s da Silva, composta de sua mullter e duas fllhas
mdale com o aviso da repartico da guerra de 3 menores. Communicou se ao commandante das
de margo ultimo e de que ihe dei sciencia em offl armas.
ci do 23 do mesmo mez, o quautitativoequivalente Dita. 9 Sr. gerente da Companhia Pernambu-
a quinta parte das passagens que se pagam a com- cana m.ande dar transporte at Macei, no primeiro
panhia Brasileira de paquetes. vapor que seguir para o sal, em lagar de r desti-
ito ao mesmo.Raspondendo ao offlcio qua V. Jiado'a passageiro d'estado, a Ckicletico Americo
S. me dirigi boje, sob n. 270, tenho a diier que dos Santos.
mande effectuar, sob minha responsabilidade, nos Bv-j:.i. j. .. -x -- .,
termos do decreto n. 2,884 do 1- de feverero de Pedienle o seereUrKJ^ goTpnre da U 2o
1862, a despeza na importancia de 1:6025406, or-. abril de 186o
denada em meu offlcio deta data, com a- passa- Offlcio ao inspector da ibesBxaria ^e.fazenda.
gens a bordo do vapor S. Francisco, dos offlciaes e Constando, de pariicipacaoikrtof. JoaojIMTitfrei-'
cadetes do Io corpo-de voluntarios desta provincia, ro Coelho Cintra de 6 deste mez, que nesse da as-
on segaein para a corte. sumi elle o exercicio dr >u$rode juiz de rrphos
para numerar e rubrica/ o livro "que tem de|ser-1 nhecimento a commissao, s pod ella evidenciar
vir para||ancamentos de baptisados nessa fregu- que nenliuma rezo assisie ao peticionario.
Eafrerante a commissao desejando mais esclare-
zia.
Fica assim respondido o seu offlcio de 11 do cor
rente.
Dilo ao vigario de Macei.Autoriso V. Rvma.
para numerar o rubricar por esta vez'olivro qne
tem de servir para'langamentos de baptizados da
freguezia de Santa Luzia da Villa do Norte, que
Ihe ser apresentado pelo respectivo.vigario.
- 26 -
Offlcio ao Exm. presidente das Alagoas.Tenho
presente o offlcio de V. Exc. datado da 21 do
corrente, em qne me participa que o Rvd. Fran-
cisco Peixoto uarte, vigario encoraraendado de
Anadia, entregara V. Exc. a quantia de um con-
t de *ts, producto ja recolhido de urna subscrip-
to que elle promove entre os seus parochianos em
favor das familias dos Voluntarios da Patria.
Foi me grata a noticia d que este Rvd. sacer-
Dito ao inspector da thesouraria provincial. deste termo na qualidlde do oS^jnnien^ p0r se dote, por mim encarregado da regencia de urna
Era vi.-ta da couta junta em duplcala, e nao Jiaven- achar anojado o juiz effjctivo; aSpj^ o manda regueua, soubera imutir no animo dos seos pa-
do inconveniente, mande V. S. pagar a Joo Bap- S. Exc. o Sr. presidente da Provincia commrjtTJcarlroenlaoos, a par dos senlimentos da religio, dos
tista dos Guiraares Peixoto, conforme solicitou o
delegado do termo de Garanhuns em offlcio de 10 do
crranle, sob n. 5, a quantia de 101-JiOO, despendi-
da com o sustento dos presos pobres da cadeia
daquella villa, durante o mez de mareo ntlimo. -
^ommunicou-se ao delegado de Garanhuns.
Dito ao mesmo.Inteirado de quanto V. S. ma
? participou em seu offlcio de 20 do corrente, sob n.
155, tenho a dizer em resposta qne mande pdr no -
vamente em praca a obra dos reparos de que pre-
cisa a estrada do porto de Gillinhas, visto nao con-
V. S. para sua intdligoncia.
Dito ao mesmo. O Dr. Antonio Colombano Se-
raphico de Assls Carvalho participou qae, renun-
ciando o resto da licenca de 30 dias qne Ihe foi
concedida pelo Exra. presidente da relaglo, reas-
sumi em 8 de margo prximo (Indo o exercicio
do cargo de juiz municipal e de orphaos do termo
do Bonito: o qae a V.- S. communico para seu 00-
nheclmento, de ordem de S. Exc o Sr. presidente
da provincia.
N. 139. Dito ao Sr*. secretario da assembla le-
vir o offerecjmeolo feilo por Francisco Alves de Mi- gislaliva provincial. Para ser presente asse
rana Varejo, relativamente aquella obra. bla legislativa provincial, e em soloeuco ao seu
Ditoao mesmo,Mande V. S. fornecer ao admi- offlcio de 18 do corrente sob n. 74, passo s raaos
nistpador da casa de detengan, coma" solicitou o Dr. de V. S., de ordem de S. Hkc o Sr. presidente da
chefe de policia, os 50 colxoes e outros tantos Ira- provincia., a inform-cao qne ministrou a directora
deveres de cidados em face da patria ultrajada, e
os preceitos da caridade para com as familias indi-
gentes, cujos chefes, confiando-as protecco do co
e &o civismo dos seus coocidados, > attenderam
ao reclamo da patria que appellava para o sen de-
nodo, e exigia os seus sacrificios. Nesta dala me
dirijo a esse Rvd. sacerdote louvando o seu zelo,
exhortando-o a que, sem esquecer um s justante
o carcter de que se acha revestido, continu na
sua obra de dedicago e caridade para com as fa-
milias dos Voluntarios da Patria.
Dito ao vigario de AnadiaPor intermedio do
Exm. Sr. presidente dessa provincia chegon ao
mea conhecimento qae V. Rvma. agenciara entre
seus parochianos ama subscripgo cujo producto,
que ja monta a um cont de ris, entregara para
cimentas, em virtude dos quaes possa formar um
juizo seguro atim de roceder com toda a jusica,
de parecer que seja ouvido o director geral de
instrueco publica, com urna informaeo a res-
peito.
Sala das commissdas, 26 de abril de 1865.Ro-
chael. Gonealves da Silva.Armoio Tavares.
Reqaeiro que por intermedio do Etra. presiden-
te da provincia seja pedido o seguinte :
Se j foi instaurado novo processo ao subdito
hespaohol Euphanio Astudilo y Bussoni por uso de
litulo,iQdividoisio que foi migado nulloo primeiro
em cansequencia de ter nelle offlciado escrivo n-
compete.S. R.Aquino Fonseca.
Vai a imprimir o seguinte projecto de lei :
A asse-nbla legislativa provincial de'Pernam-
buco, resol ve:
Artigo nico. Ficam concedidas duas loterias
de 120:0005 cada urna para concluso das obras
da matriz da Boa-Vista desta capital.
Revogadas as disposigoes em contrario.
Reeife, 26 de abril de 1865.-Ferreira Jaco
bina.
Entra em discusso o parecer da commissao de
fazojyia sobre Colaimo dos Santos Lopes Castalio
Branco, com a parecer separado.
OrampsSrs. Casta Ribeiro. G. Campello e Reg
Barros.
Vem a mesa e apoiada a seguinte emenda :
Acctescente-se o seguinteque se remeta a pe-
tigSo de Colaimo dos Santos Lopes Castalio Branco
a commbsao de instruego publica e a de ordena-
dos.Casia Ribeiro.
JSacerrada a discussa > approvado, fleano em-
patada a vojaco da emenda e por consequenci
adiada OTlscusso-
\ t\TtV1 ni* 1 *i iip l'pr
VenUlon-se OOM queslode ordem-sea discos, j nambuco espera, qur, exige que o estandarte im-
sao est ou nao encerrada, visto terse retirado da, porial que desbaldarse aos euros da vicloria so-
rotacao na ultima sesso o Sr. Reg Barros, e, Dre os destrocados muros de Humait sejaalli fin-
consuliada a casa, decide pela afflrmatrva. Cado pelas raaos do um de seus filhos (pensai na
Procede-se a voftgio nominal do pr-.jecto o qual gloria que de tal feilo vos resultar): e tomai sen-
approvado volando a favor os Srs Cosa Ribeiro, ,a0j chores Voluntarios Pernambucanos, nao ha
Cunha Teixera, Loureiro, Soares Brandao Diodo- um 8 so|dado Brasileiro que nao ambicione u.na
ro lIpiano, Araujo Barros Gonealves da Silva, Ma- ta, .glora) e para consegui-la nao empenhe esfor-
ranhao, Jos Mana, Amynlhas, Ayres Gama, Ro- cos inauditos j-cumpre, pois a todos excederse e
chad, Braulio e Teixera de Mello; e contra os rs. sustentar bem alto a honra, s bros, e a digokiade
Sonto Lima, G. Campello. Silva Ramos Drummond, i e DOssa provincia
Francisco Pedro e Buarque. Viva S. M. o Imperador 1
Tem lugar em seguida a votaeao da emenda, a I Vivam os denodados e valentes Peroambuca-
qual tambem e approvada, vetando a favor os Srs.' n0s Voluntarios da Patria I
Loureiro, Soares Brandao Araujo Barros, Soulo Amanha 30 do corrente. comega a devocao
Lima, Gongalves da Silva, Nabor, Amynlhas, Ay- do Mez Mariano em varias creas
res Gama, Rorhael, G. Drummond. Braulio, Fran- Perante 0 Sr. Dr. juiz especial do commer-
cisco Pedro e Teixera de Mello ; e contra os Srs. co, tomou posse no dia 24 do correnie, o Sr. Jus-
Costa Ribeiro, Cunha Teixera, Diodoro Ulpiano, Uno Jos de Souza Campos, do lugar de admins-
Maranhao, Campello, Silva Ramos e Buarque. : trador da massa fallida de Araorim, Fragozo, San-
Entra finalmente em V discusso o projecto n. los-& C, para o qual foi eleito por maioi ia de vo-
.13 deste anno, mandando reformar a folha de ju-1 ios, e em virtude da lei, em reunio dos credores
bilacao do padre Joao Jos de Araujo. da mesma massa de que ja noticiamos aos nossos
idai
O art. 1 foi a|iprovado depois de orarem os Srs.
Cunha Teixeira e Amynlhas.
Segue-se a discusso do art. 2.
Vem mesa o apoiada a seguinte emenda :
Depois das palavras professores, dijp-so :
e lambem pmfe.inoras.Rochiel.
! Oram os Srs. Buarque, Amynlhas, Cunha Teixei-
ra e Araujo Barros.
( Vem mesa e apoiado o seguinte requeri-
mento:
t Requero o a llmenlo da discusso do pro-
jecto por tres dasBuarque.
A discusso fica adiada pela hora.
O Sr. presidente levanta a sesso s 4 horas da
tardo, dando para ordem do dia seguinte, alm das
.'materias ja designadas, 3* diseusso^Io projecto n.
42; 1* do de n. 55, ambos deste anno, e das tres
1 leis da sesso legislativa do anuo passado, que nao
foram sanecionadas.
RKV1STA DIAIU.
O vapor S. Francisco sahicHiontem por obra das
5 horas da manha a seu destino,, levando a seu
bordo o Io corpo de voluntarios da patria desta
provincia, de cujo embarqae ja demos em nosso
oamero anterior urna rpida descripgSo, que sera
diiviila asta' aqnem dos senlimentos que enlao do-
minaran quelles bravos, qae se aasentavam, e
nossa popnlago, que Ih6* diriga o adeos da des-
leitores.
Acha-se no exercicio do cargo de delegado
litterario da freguezia da Boa-Vista o Sr. Dr. Ade-
lino Antonio de Luna Freir, que pode ser procu-
rado na ra da l'nio n. 40.
Na poesa que hontem publicamos na oilava
pagina, dave-se fazer as seguintes emendas : Xo
vers) 22, em vez de vo torrar, lase rao torta-;
no verso 28, em vez de deveras, la-se dcvrzas :
no verso 44, era vez de enviam, la-se E viam se :
e no verso 47, em vez de farruscos, lase borras-
cosas.
Pede-se ao Sr. fiscal da freguezia de S. Fr.
Pedro Gongalves, que lance suas vistas para o es-
trello beceo que forraa-se entre as casas ns. 9 e 11
da ra do Vigario, pois ahi langam taa agoa p-
trida, ourina e migalhas de mesas, que inronmio-
dam horrivelmente aos respectivos moradores, fa-
zendo ludo isso um composto de lama, que alm
de prohibir constantemente o transito, cria grande
numero de morisoras e exhala um ftido nausea-
bundo, que nao pode deixar de damnificar a saude
publica.
Escrevem do Granito em data de 4 de abril
corrente o seguinte :
t O furlo por aqui vai em progsesso; e os maio-
res ladrSes sao os soldados do destacamento, que
nao tendo o que comer, langam mo das cabras,
ovelhas e gados alheios, matara, e veem cora o fur-
to de publico para dentro da villa, comem, ven-
dem, e fazem o que bem Ihes parece ; e o deleg,"
t
[WUTfL
S* *


/
iGf TY "i^n^n^H 1/T Al* fl/11 flti i r*1
mi ., i ..... ~---------'* ^ ii
Diarlo de Pemambnoo Sabbade 21 de Abril de 8tt&.
QA f T A

^

do Jos Agr, muito satiseitopar-i^nad lando
com que su|iprir descobrio este meio, e assim nao
tea aiai eaidados. >
Esta prestes a chegar a- esta cldade, trado' do
Cea**, onde ltimamente se acha, o Si'. J. R. (Je
Linski, celebre prestidigitador polaco conhecido
sob a denomirmgio de Cagliostro das Anttlhas.
O Sr. Linski em suaexcersao artstica ph> nor-
te do imperio tcm colindo os maiores parnasos,
em consequencia da pirMa qne aprsenla cu
trabalho e estamos que aqu eolher idnticos
(rucios, sendo acomido com oaathusiasmo que se
rear o talento entre os, acnoancendo que ae Sr.
Linski, alm do meri contenido -nomo aaafcta,
ha qualidades pessoaasave o recoawiendaai co-
mo hornero, conjtmcto-aoe o far aceitar baaevo-
lamonte pelo Desee pubiwo.
Amanba, alm do trem ordinario, ha diffe-
rentes trena typectaw para os Prawres, te-
seqaearia da esta qoe alli se celebra.
Tendo sido convocada a 2" sesso do tribu-
nal do jury para o da 27, anda nao-come^ sus
trabados fior falta de numero jufficieate de juizes
de facto.
Hoje ha espectculo no Santa Isabel, sendo
repetida a Lusbella, cojo pensameoto dramtico,
bem como a respectiva execugo artstica sao dig-
nos de ser apreciado?, e eonvidam a concurrencia
do publico ; pols que os actores que representan!
nosse drama, desempeoham-n'o petfeH3menle bem.
Alm dihto.-o espetfacalo -completado com
urna scena comico-palriotica do aotor Vasques,
que nesta sorte db produccoes litterarlo-ramatica
tem-se fQo urna especiaudade pelo engenho e es-
pirito, que arrelientam de qualquer incidente que
elle crea ou apropria ; e de urna comedia, notevel
pelo espirito de snas situacaes e pela phrasc da
versao, devida distincta e talentosa actriz D.Eu-
genia Cmara, cuja corda de gloria entretece-se
das flores da arte era harmona com s das le-
iras. .
Consta-tros que o Revm. Francisco Venssi-
mo Dandeira eflorecer-se para segnir como ca-
pellao do corpo de volratarios da patria, e que
nao fora aceito seu effererimento, por nao estar a
presidencia da proviucia autorisda sememaote
nomcago.
E' por sem duvida digno de encomios o proce-
der do Revm. Sr. Francisco Verissimo, tanto mais
''que elie professor de instrucgao primaria no in-
terior, e faria abnegado de tu.10 isso para accom-
panbar seus dignos comprovincianos.
i Amanhaa principia o exercicio do Mez Ma-
rlanno no seminario de OJinda ; tendo por intro-
dncgo urna mbssa oaulada s 6 horas da inanha.
O acto comeQa a 5 i|2 horas da larde : ser
presidido, durante todo o mez, pelo Sr. conago v-
ce-reib r, e acompanhado pela msica dos colle-
- giaes.
As praticas, nas respectivas urdes, seguem a or-
dem da nomencrlalnra, que darnos n'um dos n-
meros do nosso Diai-to da semana passada, acerca
dos seminaristas designados para lal lim.
ItEPARTIQAO DA POLICA.
Extracto das partes dos dias 27 e 28 de abril
de 1865.
Foram recolhidos casa de detepgao no dia 26
do correte:
A' oraem do Illm. Sr. Dr. chefe de polica, Fran-
cisco liaialha, e Manoel, escravo de Jos Leiio,
sem dt-claragao do motivo epostos logo em liberda-
de; Antonio llenrique de Miranda Filho, como
disertor do exercilo; Crndido Maximiauo dos
Sanios, Jos Jaaquim da Silva, Manoel Joaquim
das Mare?, como remitas; e Liberato, eseravode
Simnhronio Olympio de Queiroga, por fgido.
A' ordem do Dr. delegado da capital, Joaquim
Ignacio de Mello, para correccao; Lu, escravo
de Sebastiao Valeriano de Sonza, sem declarado
do motivo, e posto logo em liberdade; e Francisco,
escravo de Manoel Jos Machado, por infracfio de
posturas municipaes.
A' ordem do subdelegado de Santo Antonio,
Leonardo Jos Gomes, para correccao.
A' ordem do de S. Jos, Maria Antonada Con-
ceiffio, para correccao.
A' ordem do d Jaboato, Manoel, escravo de
tialdino Alvos de Maura, por fgido.
27
A' ordem do Dr. delegado da capital, Manoel
de Fre tas Barbosa, e Francisco dos Res, por in-
fraeco do regulamento da via frrea; c Anna
Maria da Conceicao, por haver dado urna navalha-
da na ppssoa de un Voluntario.
A' ordem do subdelegado do Recife, Antonio
Jos da Silva, para correccao.
O chefe da 2* seccao,
J. G. de esquila.
casa de detencao. Movimento do da 26 de
abril de 1865.
Ensliam presos .'170; entraram 13 ; sahiram 9;
exisiem 374, a saber : nacionaes 287; mulheres 4,
estrangeiros 25; mulheres 2; escravos 51; escra-
vas a ; lula I 374.
Alimentados costa dos cofres provinciaes lio.
Movimento da enfermara do dia 28 de abril de,
1-865.
Tiveram baixa :
Manoel Francisco da Trfodade; frieiras.
Manoel Antonio Rabello Seabra; frieiras.
Ignacio Pedro da Silva; chaga.
Fallecen :
Ignacio Jos de Moura Campos; gastro colitte.
Movimento da casa de detencao do dia 27 de
abril de 1865.
Existiam presos 374, entraram 4, sahiram 12,
falleceu ura, existem 364 : a saber : nacioBaes
276, mulheres 5, estrangeiros 23, estrangeiras
2, escravos 51, escravas 1.Total 363.
Alimentados a custa dos cofres pblicos 143.
Movimento da enfermara do da 28 de abril de
ISbo:
Tiveram baixa :
Marcelino Uapisia Alhuqnerqne.
Manoel Siiveno da Silva.
Francisco Gomes da Silva!
Teveram alta :
Manoel Franjeo da Trindade.
Manoel Antonio Ribeiro Seabra.
Francisco Goncalves Gomes.
Joao Manoel Frazao.
Passageiros do vapor nacional Mamanguape,
entrado de Acarac e portos intermedios: Ernesto
Deoclecianc. de Albuquerque, Jos Smiih de Vas-
conoellos e sua senhora, Antonio da Motta Jnior,
Gabriel Mariano, Francisco Rodrigues da Silva,
Manoel Porfiro S. P., Venancio Jos da Guerra,
Jos Maria de Carvalho, Francisco Luiz da Franca,
Adolpho de Castro Pagts, Malhias Carlos de Olivei-
ra, Manoel Martins V. Porto, D. Maria Queiroz e
sua tiiha, Antonio Jos de Mello eSouza, Benedicto
de A. Cezar, Joao Cassemiro de Souza, Vicente
Ferreira de Aranjo Canral, AfTonso de Paula AlUi-
querque Maranbae e sua senhora, Antonio Luiz
Rodrigues de Albuquerque, M. S..oo/re Pinlieiro
da Sirva, Joao Ferreira de Souza, Francisco de Piu-
la Rodrigues, Luiz Rodrigues de Albuquerque e
sua lha, Jos Paulino de Castro, Medeiros, Joao
Juvenal Barbosa Timoco, Francisco da F, Emecia-
no, Antonio liento de Moraes, Flix Ferreirad
Silva, Antonio Pedro da Costa, Julio Cesar Barre-
lbo, Dr. Alfredo Guilherme Roger e sua mana, Dr.
Jos da Costa Machado e 1 criado, Jos Anto-
nio Moreira Brandao e 1 criado, Amaro Brrelo
de A. Maranhao, Manoel Gomes,Moraes,Beluario
Pessoa Bandeira do Coel Nicolao Duarie, E. A.
Vasconcelios, Jo? Bevenuto da CosU, Anlonio.R.
da Bosta, Francisco de AJroeida.Braga.Dr. Jos
Antonio Baptista Joo Almos, Manoe] Aaiftaia Pi-
res, Dr. Lindolpho J. C. Neres 1 filho e i criado
padre Sebasliao Tablio O. Lima, Iremeu Juffet,
frei David da Nalividade, Samuel, A. Hwdmar,
Joo Otton de H., Salusliano C. C da.CunJia,.An-
tonio L. Leite, Francisco Jos ^uimates, Ignacio
L. de S. Raogel.
Passageiros da barca.porIflJBMU Cimtna,
ahida para o Porto : Antonio da Silva Ptivv Ma-
noel Antonio de Oliveira, Francisco Igfl*eio.da
Silva, Jos Maria Alve?, Cordoso EugeiaAug*-to
Alves e 3 fllhos menores, e Caadido Emilio da
Silva.
Cemiterio publico.Obiluario dodia 27 de
abril de 1865.
Manoel, Ptrnambuco, 3 metes, Boa-Vista'.ummo
Maria, Pernamcuco, 27 dias, Boa-Vista; interite
AL 1)0 RECIPE.
1 feita pelo Sr. lenle coroni*
i sao de 7 do correpte, de qiat o*vsuk>
SESSAO EXIRAUBDLNAIUA.AOS il DE.JA*EI- i e rubrica dos novos vereadorasMSdlM
m) DE 1965. pregados desta cmara, nao.
Pmidtmm-d': *r. hm. imrimt t* Mornes', nomeaco, era ratiflcacao
Sarment. I exe.rcic, das ^ribuisoes de
de hras que restavam dos exercicio^ religio-
M( que evtlm ser de descanso para uaus.vn-
SM,cam em pregadas pelo Rvd. missionaro no
i material da igreja matriz desta freguezia,
lempo principiada e anda nao acubada
pesac das grandes somraas recebidas dos cofres
Presentes os Srst oommendador Thomaz d'Aqni-
bo FoBseca, major Gustavo Jos do Reg, Dr. Joa-
.ojaim Jos de Miranda, tenente-coronel Feliciano
i*aquHD dos Santos, major Luiz Jos Ptreira Si-
tnoes, e capttM Antonio Jos Silva do Brasil, fai-
Undo nm caasa o Sr. tenente-coronel Luiz Fran-
cisco de Barros liego,bre se a seseio.
E' Nda a acia da antecedente, i qoal sendo porta
-dwetissao, o Sr. majur Simoes peda* paikwa,
edeelar* que cara manto consldacta aoaMa
a pouco de ser lida, que a cmara havia posto o
vo e ratificado nos ttulos dos empregados, elle
entende, que esse visto, asstgnaluras e rubricas
nos mesmos Mulos, d5o importavam urna nova
nomeayao, nem ratiicacao, era recondaco no
exercicio das allribuicdes de que al aqnelle dia
da posse da nova cmara estavam investidos os
ditos empregados, mas o conhecnente do pessoal
que funecionava perante a cmara transacta
pelo que requera nouvesse esta cmara de re-
solver.
-**m
ento estavam investidos, mas o conhecimanio do pnlM'""? para essa obra.
pessoal qae nesse carcter de empregados fonecior i O-RnJ.-missionaro cam*or.ncanio anaeu o-
nava parante aamara iwmsaauO Sr. Gastara dosaaAstaculos, obteve 9o paMifm gera4 (atan-
do Rega dactarou votar contra, por julgacdesne -te diakairo para dita ebra ; toda o material foicar-
cassana ettdeclaraco.Boa-togem idmlninl ijunfcii costas, destinguiado-se nodcnballMWles-
-^armatrta^raatente.-BBneian-Sinides. -dantos. Wvssoas mais nota ve i do luga c-at a alMnia
-ir. Mtraada Reg.Tnomnade AquioaAnse- p^mmlo povo, e em um instaata seh*iraiBMhse
.-Aalaaia.Jo6 Silvade Braari. leVaada/am nao s os alicercesdat doujcoraadres
i comjMaTia sacrista : seatueAjanatriado ti bmt d
i doutaaitos de ris, Daoiaando.-d;' um ejaailent
niHQMCi JLD1C1ARU i cre!ro Qae 'i levanlado com promptid
Bada aila a^fce w fet wm em
so Invern, e contina a ser feito com lal ere
TKlHI-* AJL U <> U n*H4 I meato ^ de9t ^ esperamos ter ?greja.
ACTA DA SESSAO ADMINISTRATIVA DE 27 DE O fervor que era mlm exciton a santa missao, e
o telo que sampre tive pela causa da religiao, me
ioduiram a dar eete testerauolio da obra ineroria
de nm distincio missionaro. cujos esiaroos tanto
ABRIL DE 1865.
PRESIDENCIA DO EXM. SR. DESEMBARCADOS
ANSELMO FRANCISCO PERBTTI.
1 aproveiiam ao povo dos nossos serloes.
As 10 horas da manhaa, estando reunidos os Srs. Quriciirv 7daimaroode 1865
desembasgadores Rosa e Bastos, o Exm. Sr. presi-
, denle declarou. abarla aeesao para .aawa-eipe-
Posto em discussao, o Sr. Gustavo do Reg pede' diente,
a paiavra, paondo-se ao que expoz o Sr. major, Foi lido o offlelo da junta dos corretores, de 24
Simoes, conclue pronuncindose conira a idea do correle, aaempanhando a cotaco dos preeos
pelo mesmo senhor emitlida. correles da praca na semana linda.
Foram distribuidos aos senhores deputados os
Srs.^Redactores.O Sr. Dr. Marns Pereira de
O Sn-tenenle-coronel Feliciano pede a palavra, e I
requer para que seraande lr^cuda posse da \i^s Diarios da-vrava e"jo5o Cardoso Ayre"s; e eIa^' ZT^to bote' "nM^cmiimom'eUe1'"
cmara antenor foi attendido o seu requenmento, Francisco Gomes de Mattos Jnior e de Jos de ZSLgjfiS? J^gSJL^'i^fy.a
clarou estar salisfeUo. SamDaio Coelho. eo Cnnadnr deste. i _J2f"Zl *S"^~,nousJrrogailas a SUipe9
e lida a acia declama
OSr. Dr..Mirandapedc a palawa e sustenta o
i requertmenlo do Sr. major Simdes.
O Sr. tenente-coronel Feliciano declara em se-
! guida que quando eugio a leHura da acta (O para
| couhecer se da meama consta va ter a cmara de
eoio peste o wistonos tdolos dos empregados.
Nao ha vendo qoem matspe>iisse a .palavra, foi
sa em puilicacs feias no Diario.
Fazendo jonca-ao^araoler de S. S., nao
___. despachos. razenao iu*uca,.ao*araoiert S., nao djss(
lonmnineiHj de Malhias Vespaz.ano Bran- crer que o Sr. DV. Mitins Pereira faCa refeaenoia
V^/..Dn0Sde,d,fdeAC^erhrDteera<5r0S" correspondencia, que fiz publicar ao Diario de
t. allSSf!: -aHV,"\da Assemblea provmcia 26 doco^le> e nJ uaI ^ ne3LU,e d.fal-
desemhXarto?K malr,cular-se : "Y,sla ao *' lar de sua pessoa porue, aueucioso nomo aarn si-
uesemnareanor nscai. dojjara commaio, nao o- #bsso suapOr capaz de
No^deVa^ncellosA Moraes, pedindooregis- falaVto abermenle s les da Srwtia. aUr*
osto a vetos pelo senhor presidente o requerimen- tro da nomeaco de seu caixeir Jos da Caha h^^^TS? "XZ^aTZSR.?.
que fosse lan?ado Coutinho Jnior Recislre-se i ,t meem DU0 lC0 mtencao oe o injuriar
posse, dopms do que foi esta lTaTawSLL. rSSSSTSi ~..i ----1 """ car calumnias. Isto seca lauto m
senta :Registre-se.
Nada mais havendo a tratar,
to, e approvado, mandando-se
no final da acta da
approvada.
O Sr. Gustavo do Rago votou coatra semelhante.
resolueao per entender que nao devia ser to-
mada.
Leu-se o segrate
EXPEDIENTE:
Unr oficio dos Exms. Srs. marquez de Olinda, dente declarou encer*ada" s'essao"
e bataodu Pirapama, communicando que em com- ja manhaa.
m.sso apresentaram a S. M. o Imperador por
parte da,camara, odiseurso de congralula^o pelo
feliz consorcio de Sua Alteza.Imperial a Sra. D.
babel cun Ma Abeza Real o Sr.'conde D'tSu, de
cujo discurso remeitiam copia, e na qual nao est
assignado o Sr. visconde de Suassuna, porque j
nao se achava na corle.loieirada.
ou
No de Francisco Candido do Amaral, pedindo o' ^^^^STr^S^JrSTZSMSf
A,No d'SSoe gSSde Oiiveira, pedindo o re- ^kT f^T^^r^^rZ
Sa ^ SaK1 Ufa ^ h> PlbeCa *" m- S^ofque j ^^^0^0 VV.?^
dero allii mar.
SESSAO
o Exm. Sr. presi-
as onz horas
27 DE ABRIL
JUD1CIARIA EM
DE 1865.
PRESIDENCIA DO EXM. SR. DESEMBARGADOR
ANSELMO FRANCISCO PERETTL
. Secretario, Julio Guimaies.
As onze horas e meia d manhaa o Exm. Sr.
Fiz quaniopude paraqueessa desgeacada rjuesiao
de varejos nas vendas c deposito nao viesse luz
da impiensa. Eulendia ue ludo se pedera ree-
diar sem que o nome do Sr. Dr. Martins Pereira
gurasse nos jornaesde.um raudoo pouco con-
veniente para S. S. Os meus conseinos foram to-
dos,nesie sentido, cwno o posso certifiear como
testemuoho de pessos iosuspeilas,e estou corlo de
que luda se acabara eewo eu Jioha p revisto, si
puta, em goe se envenena o motive da reuniao da
ra da Concordia, e se Unca o odioso epitheio de
corre
de
mesma empossada, approveaa a occasio para ma- Lida, foi approvada a acia da essao .anlece-
nifestai-llie os seus sedimentos de estima,* consi- dente
deraco, assegurando-ll^s que o encontrara nal 0 xm. Sr presidente inforraou a pelicao de c?DSp,radores ^*re os Mb,lllos J""^"*, que
meHior disposicio para cadjuva-la no desempenho kmSmhS^SSli^aS^B^ foi' aoos '-'tigawue Mperadowsdo engran-
de suas funcoel-^Dteirada. tSSSuTmfflbm SrTreKtomS aento do MWrat>ade,Mase-pa.
Outro do mesmo, duendo que tenoionaado Sua k^Ml nWbra o neeamaria er^eauerMo aTeo- N hoav*> *,sf ""^ parte, aem poda
Alteza imperial a >ra. D. Isabel, e MD^afMtol^rD0 |.SSiSSSS^SSSriSi^a h>verp proposito, de..inphw.-cada nalomniar o
espozo o^Sr. conde D'Eu, desembarcar nesu pro-1 2ESEl l^ZTnJll^L u,fff* 3 Sr. de egado, a qem alias procunei poapar o des-
vinca quando passarem por aqu na viagem que
vio fazer a Europa no paquete inglez, que deve (j
de appellacdes, aggravos e protestos de letras.
actos, que
como se
c mninfw;, dggravu e jiioiesiua ue icuas. onsto de ser nos inrnaps ------*- -
Foi apresentado ao Exm. Sr. presidente o offlelo Bo^Tnffia^^aereo^SS
r -- --- -- .i--------b--. i -- ue 2i do correte do br. desembargador A. B. dos m. amrm nn* Je.
vir do sul de 13 alSdo crranle, e tendo oalnral- Reis e Silva, actusando o recebimento da portara Nn"^lqn,n ~ShM* fr -bmi. f
mente de discancar no palac o da presidencia, nao relativa a reclamarn de anilonidade do desemhar- entrelant. Sl W.W Tartins F
s convida a camera para assislir ao desembarque n^S^^^JSe^s^MSA fkT^ta aartaspaadaocia, si 4ea ^ua S.
de suas al|ezas, que tora lugar na rampa em fn- ?| Guerra? ? provincia Agosiinho More s descot)rio as Wuriai c aa ^wzs, desejarei
o,Sr.-r>r.-1Bartns Pereira se
que me cotwenc* de-fjtw na rcatidade sou reo de
^:~^
Foi lido o offlcio de 26 do correle do Sr. depu-
sopplente Antonio Jos de Castro communicando
que por incommodado nao pode tomar parle no
julgamento para que foi convidado. E o Exm. Sr.
presidente ordenou que se convidaste o outro Sr.
supplente.
DESIGKACAO DB DIA. '
Appell.intes, os administradores da roassa fallida
de Bastos & Lemos ; appellado, Jesuino Machado
Malhuiros Braga.
Appellnte, o Dr. Felippe Nery Collajjo; appel-
lado, Geraldo Henriques de Mira.
para abriWiantar o desembarque dos augustos
visitantes.
Posto em discusso, resolveu se ofliciara S. Exc,
que no cofrejie que toinou a cmara cunta a pou-
cos dias, nao existe dinheiro algum disponivel,
nem tem a mesma autorisaoo para o go iar com
semelhanle olijecto; que-neslas circumslanc.ias ihe
nao de modo algum licito contribuir para que se
onsre anda mais o municipio, e que nao mandan-
do.S.,Eac. o contrario, se limitar a recoiniiieiilar
aos habitantes da cidade que illumlsem suas rasas
se entre nos pernoilar Sua Alteza Iraondll, o
apreslar-Jhe as devidas homenagens. Delibe-
rou-.se que se lizesseni edtaes pedindo aos habitan-
tos que illumnassem as frentes de suas casas.
Ouiro do Sr. tenente-coronel Luiz Francisco
de Barros Reg, communicando nao poder compa-
recer a sesso de hoje.Ioteirada.
Outro do juiz de paz do primeiro dlslricto da
freguezia do Poqo, Francisco uarte ColboJJre-
quisiindo a remessadu livro e mais objectos pre-
oisos para o processo da qualilicaco daquella
freguezia.Que se remettesse.
Outro do procurador, communicando que tendo
de proceder-se no da lo do correle, em.iodas as
matrizes das fregnozias dosle municipio a qualifi-
cncao dos votantes, solicitava as necessarias-rdens
para fazer as despezas precisas cen este servico,
taes como alugueres decadeiras, papel, peonas tin-
ta, etc., e mais objectos que por ventura forera
requisitados pelos respectivos juizes de paz.Au-
torisou-se.
Nesta occasio requereu o Sr. Silva do Brasil
que nao havendo mais lempo de contratar-se por
aluguel as cadeiras, que fossem precizas, se
EZSTSiSiZaquellrt que as tuizfssem; hh
... ir^C fussera necessanas, apresentarem miDiBtradores da massa fallida de Seve
suas .prqposlas indicando nellas o menor preco x, c
^Zr^'af^r^"1 Se reS0JVeDU- r ,! A Sr. desembargador Silva Gumaraes :
iirfe n ,il ^-tl^ ['T* Rec,fe'Manoel Appellantos, Sampaio, Silva & C. e outros
ZSSSJ! ? ^b0i comrauDieando Que: pellados, os administradores da massa
EfiS! "ma doeDte e emconnu0;Mauoel de Azevedo Puntes eoutroa.
iraiamento, como provava com o alle-slado que
reraetlia, nao Ihe era posivel comparecer como!
era de seu dever, e nem to pouco assumir as
funegues de seu cargo.Inteirada.
Outro .do administrador do cemiterio publico,!
informando a peligao de Jes.Mariano de Barros
Cavalcante, declara que os lancamentos de chitos
nos livros perlencenles aqnelle eslabelecimento
sao exactamente transcriptos vista das guias
emitlidas pelo procurador, que no Iiv.ro quarlo
acha se o lancamento de bito, a que allude a
citada peticao c-*m o nome de Jos Estevao de
Barros Reg, conforme a guia n. 1,441 de 15 de
marco do. anno prximo flndo, e nao o de Jos
Estevao de Barros Lobo, como "eclaraa o peticio-
nario, entretanto a cmara determine o que fr de
juslica.
Posto,em discusso, resnlven-se mandar fater s
alieraeao MQueiwla, e ueste sentido despaclioa-se
a petigao, e se expediram as canv-en^ntea
ordens.
Acoromiisao de polica apresaniou a seguinte
proposta :
Eslandu actualmanie extincUs as attribuifioes
de aiguns empregados desta cmara municipal,
fazenda des.a provincia acompanbado Xi&K*^^1~ZX*!*'*&
forneeda mesma thesourar.a pelo escrita* inte- ^^U^S^^SSiX&
Torras, para que S, Exc. se digne ordenar que o ainda n5o fui onvonc.dode ter calamniadoa pes^
S'S'sfdS'e^ano? E^ 2S&m'
Sr. ordenou que fosse dita relagao enviada ao men-,
cionado escrivao afim de curoprir cora brevidade a
exigencia da thesourana.
deve aos ou!ros.
Espero que ainda dasta vez nao rae ha de vir
essa conviego.
Sou, Srs. redactores, de VV. SS. collega e amigo
Dr. Joaqun Jos de Campos.
Srs. redactores. Julgo conveniente declarar,
para evitar reflex5es que me seriam desagradaveis,
que, quando proced a exame, em companhia do
roeu amigo e collega, o Sr. Dr. Alexandre de Souza
Pereira do Carino, no vinbo e azeite doce existentes
na taberna da ra das Cruzes n. 1, ignorava que
esse vinho linha sido vendido pela casa commer-
cial de, meu pai, como hoje se diz no Diario de
Pernambuco; mas, ainda mesmo que o soubesse,
Appellnte, Joaqaim Salvador Pessoa de Siqueira nao seria isto, que me faria faltar verdade. Fe-
Cavalcante ; appellados, o presidente e directores lizmeote o que eu e meu amigo e collega dssemos
da cixa filial do banco do Brasil nesta cidadO. foi confirmado por outros.
Appellantes, os administradores d massa fallida, Tendo de vir imprensa, para fazer esta decla-
de Amonm, Fragoso, Santos 4 C. ; appellado, raco, creip ser opportuno dzer que me parece
Francisco Jos Leite. I uma violencia o recorrer-se destruicao de certas
Appellnte, Antonio da Cruz Ribeiro; appellado,' substancias alimenticias, qnando eslas se acham
Luiz Antonio da Silva. | alteradas ; porquanlo a carne secca, bacalho, fei-
Primeiro da til. jo, milho, batatas, farinha, etc., que nao servem
DiSTRiBUigoES. para a alimentago do homem, podem servir para a
Ao Sr. desembargador Reis e Silva : Jie animaes, podendo o azeite e manteiga ser app-
Appellante, D. Maria Magdalena de Alraelda Ca-Ofeados ao fabrico de sabao, e o vinho convertido em
iho ; appeUada, D. Anna Josepha Pereira dos! vinagre.
taoho
Santos.
Appellantes, Leite & Irmiio
Josepha
appellados,
os ad-|
Filhos
vinagre
Sou com toda a consideragao, etc.
Dr. Joaquim de Agumo Fonceca.
28 de abril de 1865.
Manoel, Pernambuco,
pasmo.
Joio, Pernambuco, 3
hepalite.
Manoel, Pernambuco,
gastro interlle.
7 das,anto Monie; es-
mezes, Baa-Viaia; aaatro
8 annos, escravo, S. Jos,
Ignacio Jos de Moora Campos, Goyanna.AOiaanos
sollelro, Sanio Antonio; gastro cobte,
Michaella Francisca de Oliveira, frica, 46 annos,
Boa-Vista; anemia.
Geraldna, Pernambuco, i4 .ates, BoatVista,'
dlarrhea.
oue.em vista da le do id,onlubro de ,1828, art.
80 e ft't Clin miitrianapiAe mmmImX. Am .I:
Terceira eorrespsndencia do Dr. Antonio de Vas-
eoncellos Henezes de Drummond acerca do
contracto para confeccio do ndice alphabelico
das leis provinciaes.
I
Sr. redactores.A demorabem alheia de mnha
vontade, e para mira rani sensivelque lera havido
: na pnblicagao do* meus artigo*, acerca do parecer
ap-
faltyla de
Appellnte, Manoel Antonio de Azevedo ; appel-
lado, Jos Antonio Ah'es Neivas. .
CARTA TeSTBMNHAVEI. VINDA DO JlIZO ESPECIAL
DO COMHBRCIO.
Aggra\-ante, Antonio Fernandes de Azevedo ;
aggravado, o juizo.
O Exm. Sr. presidente nao tomn conheelmeuto. das commissoes de legislacao e orgamenlo provn
aggravo interposto do mesmo juizo do em I, relativa 'e ao contracto para confeegao
commercio. ; do ndice alphabelico das leis provinciaesobriga-
Aggravanle, Manoel do Reg Barros; aggrava- me iaterromper a ordem, que pretenda seguir
do, o bacharel Angelo Ifeni iques da Sil?a como*| na analyse do referido parecer, e adiantar a res
cessimarlo do bacharel Antonio Borges Leal. pe't algumas breves consderagSes por certo mais
O Exm. Sr. presidente deu proviniento. atlendivels agora, que elle se aeha em discusso.
Nada mais havendo a tratar-se o Exm. Sr. pre | P*ra e reconhecer devidamente o abuso de au-
sidente onoerrou a sesso ao meio dia. i tondade praticado pelo Sr. commendador Domin-
gos de Souza Lefio, na celebracao daquelle contrac-
to cora o nobre secretario da presidencia o Sr. Dr.
Franciseo de Paula Salles basta atlender-se para
o seo procedimeoto respeito.
A lei (do orgamenlo provincial) n. 596 de 13 de
raaio de 1864, art. 58, autorisando o presidente da
provincia, para effectuar aquelle contracto assim se
exprime :
Pica o -presidente da provincia autorisado
contratar a confeccao, classifteacao, e piiblicacao
do iniiee alpkabetice das leis provinciaes.
Ora, na mais simples, e perfuoctorfa leitura desia
As mlsses no Oiiricury.
Aqui chegou o Rvd. Fr. Casimiro de -Militeto : e
recebid cora applausos, comeos as santas mis-
s,oes.
E' preciso assislir a estos actos nesses remonta-
dos lugares,para cenbecer o imperio, que sobre o
e 83, sao quatrienarios, a commisso de poli-
ca, a bem do,d*sempenho das suas attribuigoes
jiropoe que esu cmara delibere defliniivamenie
acerca dos mesmos, no sentido de nonti nuarem ou
nao no exercicio das iunegoes d que at entio es-
tavam investidos peraute a cmara anterior, e
quer os mesmos conlinuem, ou nao no exercicio
das suasJuncgSes, se passem nevos ttulos de no-
meaco, ou raticagao, e sejam .novamente ya-
moaudns. Pago da cmara municipal itaRecife, .
11 de Janeiro da,186a.Thamaz de Aquino Eonse- *era.
ca, Dr. Joaquim-Jos de Miranda. >
Posl em discusso, o Sr. Gustavo do Reg pede
a palavra e requer que antes de lomar a amara
qualquer resolueao no sentido indicado na aropos-
la, a commisso trate de se informar obre o m-
rito e mocedimento dos empregados de que trata,
syndiqne mesmo dos facas de cada um, e d o
seu parecer, bem como sobre a redncc*potsivel
no pessoal, e nos ordenados.
A comtuisso declarou nao oppor-se, e que o
lim de sua proposta nao era outro seno acastoJiar
toda e auilquer respoosanehd&de de sua parte,
acerca de alguns empregados que por forga da lei
sao quatrienarios, e estar reconhecido nao torem
Gcado Horneados, nem recondotidos nos seus luga-
res desde o da da posse da nova cmara.
Fetta estoadeclaracao pela commisso, lieou ad-
diada, a proposla.
Resolvau-se raquenimento do r. Silva do Bra-
sil, que pela secretaria se fornecesse a cada um
dos Srs. vereadores urna relagao dos empregados,
meucionando-se nella quanto vence cada ura, e
sua oceupacao.
D0?ae,sPf c.aPln!"se .as P^,'?5.68 dS B,bina |'rna tomaram o santo baptsmo. Honve procissao "de ienda provincial, como tnho'penaraete prvdo
Se^ate'ftutaB^ >IIe excln.do para effectuar-se esse "contrae:
Jo** "
lour.-e a segao.
SS2S,elacia'Aae 9a6 s respeitaveismis- disposigo, e segundo a sua grammatical e lgica
""s SS2SS? ao lno!nens <> 'rtude, sa-' interpreugao se evidencia que aqaellenontrlcto
KlS^""'!,ev"'? d0 Senbor devia versar sobre uma s obra ; entretanto do
r2m?nBri0Procede5se "Jo qne inspi- despacho, que fo. proferido 15 de dezembro do
?"! 1 o?.POvo, que proveitos nao anno passado-pelo Exm. Sr. v.ce-presl*nte desta
S rS?2 "g,.a0 6 Para mi0 ? provincia-na replica que Ihe dirig a respeito do
?.LSKito e acaumento que o povo tributa aos mesmo contracte-acham-seconsagradas asseguin-
roissionar os capuchinhos manifest qnanto esse tes expressoes : 8
povo submisso a virtude, e qoo disposto ao no a. 30 (fe novembro prximo pastado (ora
?" ,. contraclado com o Dr. Joaquim Pires Machado Por-
Prosiganestes homens evanglicos na sua santa tella a confeccao da classifteacao das leu provin-
0 i f, Sennorabengoara o seu telo. lajoM e com Dr. Francisco ie Paula Salles o4o
J. -i2aT f" l'ro,mo P>mo leve princ- ndice alphahetico das leis provinciaes.... .
marco q '* 7 do """nte i Logo, o Sr. commendador Domingos de Souza
a-.liram i. ra, ~ a Le5 orbitoo d'aquella autorisagao, que ihe fra
E?a S,tJ?a ,fi" de tro da aia afnat ^Tfu "S"*-' ella clara, e positivamente ao contracto para uma
dor ns arivir^,in ^airerida *. Rvd prega-! s oora, elle celebrou dous contractos para duas
irinnS ?,8si0Ilfri<". f6 Jrde iobra8 dislDClas' e Pr cP^eguiute nullo de pleno
fuz oue nSernnnil,,0 0^dtpDtado Pedroiiireio esseacl0' **too os maiscomesinhos prin-
ra rX rS iT!I ^T1-r U(l Dlis a ludo quanto o mandatario pratica alm das
operarios da viaha do Senhor. Posso afflangar qae: forgas do maftato ultra vires maniati.
.todo o povo deste logar ptimamente percebia e 11 '
aprecava ludo quanto dizia o expllcava o respeita- Bastara este nnico facto doSr. commendador
vel missionaro, em seus bem dedozidos sermoes. Domingos de Souza Leo por certo mni contra-
as conflsses foram constantes, e o povo ellas
alia com incasaante fervor; e sahiara do con-
fissionario os penitentes aontrictos e chelos de ver-
dadeiro sentimento de emenda.
Grande numero de amancebados easa
rio a aotorisago, que recebra para uma as-
semblea imparclal, e esclarecida condemna-lo com
a sua reprovago ; tanto mais quanto paraaquelje
contracto nao houve a precisi estipulagao das res-
-*, por jUecUvas condigoes, e coocorrando pessoaque ,of-
mais inveterados qae estivessem no vicio. Tara-1 ferecia as precisas garantas, habiliUcSes, e vania-
bem o crescido numero de mais de 15%crancas! gens superiores a outro qualquer em o'ol da fa-
Inmaram n cinta Untiomn ITAn-H-----^_- "i. .*.. .. .' ^ K ** .
Silva Marcelino dor pelos seus peccados ; e em signa! de arropen- to com o proprio secretario da presidencia -
-To^i^ Pernandes da Cnnba, e teiun- dMnento cada ura trazia sua coroa de espiohos e pessoa ae sua immediata privanga, mediante toda
FuPrZw^,,,^. B v "*= ** peseoco. aquella clandestinldade, ou ravstero, por duplica-
. P^vf m da B8"Vi*d"' eerettrio Se emquaoto ao bem espiritual Io bons frwtos | do prego,.e com adiantamenlo de parte dellefcon-
naiurA am ., ~~ ..-.*, Pt0"01*0 a "'o, emqnanto ao bem terreno alia dicoes por cerio mais onerosas para a mesma fa-
Sr mat- ^f V^Z'TJaTTT ^ 'na, ,6,MB df Mr, proflcaa : a tado ^exiende o senda pVovincial-que final s6.qoem Jerdeu no
br, ajor iaunoes^ Jora o resoltado da declaracae zelo do respeitavel missionaro. M kJntmhn p
tal jogumho.
; Mas, esta esperanga eu nao posso ter, avista das
i tendencias da assemblea paaoMcial, qua par. certo
nio hade querer smente. por amor do trlumphoda
jUlga, que me aaeitle, arrostrar as iras -de Sr.
commendador Domingos de Souza Leao por quam
hoje bebe os ares, e de quera anda talvez pssa
muito esperar, ou. mesmo jiara nao desagradar ao
Sr. Dr. Francisco de Paula Salles, digno secretario
da presidencia.au a qual juer dos ostensivos, e of-
Qciosos patronos da -ana cansa, pessoas todas mui
elevadas, e prnaminaates na seila reiiunt* da no-
cissima olygaeeiia vti-mtka-
III
Que fataestoanseojatajciaoMP reMaoriMaKanc-
go de taes prioaUu r !
E osta italii. inr assa-praaaaado, o apr-
senla inculcar-se como predestinada mora-
44ear-e-p*ii, e a eorriair oj dunmi>ndoa oaa vormo
ihosjde pur sang ? Risum leneatis! I
Nao seu suspeito nesias minhas assergdes, por-
que todos aqui sabem, que seinpre fui, e sou libe-
ral genuino, e at membro do couselho desse parti-
doconsideradodos Ilutes, ou procriptossebastia-
nistasprincipalmente poraquelles/tfa'flos de fres-
ca data; ao que estou muito resignado porque
pouco ou nada aspiro, o viro satisfeito na minha
obscuridade smenle occupandome do enmpri-
mentodos meas deveres e da educagao de minha
lamdia.
Que'terrivel cokicidencial I I Tudo istovai pra-
ticar-sera prol do proprio secretorio da presiden-
cia, durante a adraiuistrago do Exm. Sr. Dr. An-
tonio Borges LealCaste'loBranco, queatem procu-
rado modelar pelos principios de moralidade e jus-
lica, por elle consagrados no seu relatorioa assem-
blea provincial, cujo trecho, mudo. rae ag/iidou, e
) nao posso deixar de apulica-lo ao caso vertente :
Actima dos-partidos estao a moral eajuslira,
.Mica forca real que reomliero no inundo : aqu>les
i qne reoorrem neios torluosos, perseguico e
violencias, que amparam criminoso?, empregara e
exaltara instrumentos vis, faDor&em aoibiroes Ule-
tjiiims, podecae vencer em urna luto dada ; mas
: abrumas portas exigencias sem m, inadmissi-
s e insaciayeis, criara oemplicagoes innias no
seu proprio seto, armam e forlificam traidores,
! perdem toda a for^a moral e debilitam-se para ao
| mais vencer.
E\ porque todos os partdostemempregado em
vasta escala um systema tao desastroso, que ne-
i nliura delles confia na torea prupria, e seinpra a
procura no poder ; erro fatal quo habita os ho-
mens a dependencia e servilismo, que aniqudla as
forgas sociaes, e oonvertei a autoridide, instituida
para proieger e Inspirar coDian^a a todos, em mi-
migo odioso e perseguidor, colloando assim a so-
ciedade era um estado de guerra permanente, ou
pelo meaos destrioinde o elemento essencial a sua
conserracao e prosperidade, porque, vale quasi
tanto nao ter aatoridade, como t-la caprichosa,
parcial, odiosa, e dedicada smenle aos infere&ses
legtimos ou illegitimos de uma parlo da popu-
lacao.
Inspirem-se, pos, os parlidosem melhores sen-
timenlos, celloquu-se aauloridade no centro delles,
sejam todos, justos* modinado etolerautes, e con-
veng^m-se de que t as iosUluiges livres lera por
< tnico ojelo o .aciiordo dos seuimenlos e das
'c voniades entre os cjdadaos, eriir o govierno em
ocgao.de uma seciedade honesta, industriosa,
< asolarecida e pacfica. Para consegu lo /< um
t iumco meio, taoaetho como o inundo, o qual con-
' siste em fazer remar a verdade em todos os espi-
| rilos, e a juttea em todos os coracoes.
IV
As nobres cenamissoes de legislagao, c orgamen-
: lo provincialconsagraram no seu oollendisshno
] parecersobre o referido contracto, (mutatis mutan-
ais), 1 que a rilada lei provinoial nao detemuinou
a forma porque deviaser efTectuadoomesm con-
tracto deu aogoverno todas bendade a respailo2
que os contractos.sobre productos da intelligencia
nao estao sugettos s condigoes dos de.nais3o
qae bem avisado andou o Exm. Sr. vice-presiden-
le deaembargador Perelliero desatlender a mi-
nha petigao, declarando que na poda annullar
aquelle acto pralicado pelo seu digno antecessor.
Como nao sei se poderei voltar carga,, avista
dos embaragos com que luto, e de estar-e tratan-
j do agora do indeferimenlo da-minha peligao naas-
i sembla provincial, que deve por termo a coda dis-
cusso, aprovetarei a occasio para responder aquel-
les argumentos das ditas commis>oesem poucas
palavras-por que maisnSo merecem.
Pospor nao haver aquella le eslabelecdo a
forma do referido contracto, e ter dado ao aresi-
denle plena liberdade para effeclua-lo, segu se
; que este ailofunccionario publicodeveria desusar-
secomo elle praticbudasregrasdojusto, e doho
nestoessenciaes em lodos os actos qur oficiaes,
i qur particulares? Poiaquella plena liberdade
j poder-se-bia e&lender ao ponto de coutractar com
I pessoa de sua privanga^ to clandestinamente, por
l maior prego, cora adiantamento de parte dolle; con-
dicoes mu onerosas para a fazenda provincial, que
ella nao supporlariasi ao contraolo precedesse o
, estabelecimento das respectivas ooodigoes, e liou-
vesse a precisa publicidade, a concurrencia I
Oh I incriyel, que uma assemblea provincial
; moralisadaconsagrasse taes principios, mas c
urna iriste raalidade ante o sobvadito parecer da-
{ que lias suas commissoes I...
Domis, quera ignoraque a publicidade da
| propria ndole do sarama representativo, que feliz-
: mente nos rege I Para que, pos, toda aoccuUagao,
e clandestinldade, que tem havido a respeito desse
, contracto, a ponto de al hoje nao ter apparecido
lume a respeito dellecousaalguma qur sobre a
estipulagao das condigoes para sua celebrago, qur
sobre a sua efTectiv.idade, nao sdpela imprensa,
como al nos relatorios apresentados depois delle
pelos Srs. commendador Souza Leao, Dr. Peretti, e
Dr. Castello-Braoco ? Quem .ignora, ,que s5 por
meio da estipulagao previa das condigoes, que
a presidencia poderia escolber-^d'enire os lidian-
teso mais habilitado, e que oflerecesse maiores
vanugens fazenda provincial T Como, pois, ne-
garle lado istoque e de primnira lolnigos
pelo ceg espirito de partido, eu por escandaloso
nepotismo, e patronato?!
V
Seo contracto versava sobre urna obra de intelli-
gencia, razo de mais nevera convergir para um
presidente honesto, imparcial, zelosodo-seu crdito,
injusto apreciadjr do mrito alheioao eolloear- j
i se em um aperlado circulo de Popilio, sraen- i
te dentro do seu palacio, jnelo do seu secretario
para fazer enlao aquella escolha, ou dar a prefe-
rancia a quem meihor dimito twesse ; antes pelo [
contrariodeveria abrir o circulo, franquear |
concureeneiapara mais acertadamente escolher.!
Si o contrario praticou o Sr. commendador Do-
mingos de Souza Leaofoi por suppr que nin-
tguem tem igual mrito (pelo menos) ao Sr. Dr.
Francisco de Paula Salles, que sem duvida o tem
suparior ella; foi ainda--pormenosprezar a lei, I
a moralidade publica e a justiga-para favorecer '.
aoseu proprio secretario, seu coulidenie, seu par- '
lcnlar amgio, seu correligionario emlim...
N'o que se praticou na corte do imperio sobre o
conlfaclo para o projectodo Cdigo Civil Brasileiro
com o Sr. Dr. Augusto Teixeira de Frailas, e em
Portugalcom o Sr. desembargador Seabra para
confecgo do projecto do Cod. Civ. dessa nagao,
e em outros muitos actos idnticos acharia o Sr.
commendador Domingos de Souza Leoptimos
modellos para o seu proceder naquella conjunc-,
tnra.
VI
Em summa para mim novo, e d'esconhecido
onde aquellas nobres commissoesforam buscar,
adistioeco, qne Ozeram de ser somante precisa a
concurrencia para os contractos sobre rendas ou
obras, quando em todas as leis flseaes, que tenho
lido, e conhego,senyjre ella foi recommendada'
para- todos e quaesqur contractos de Receita,
e Despeza, era cujo numero aqnelle por certo se de-
ve contemplar.Qutmmuui vive, mais aprende I
Muito agUidec tyuallas doutas commissoes por
mais esta ligad de jurisprudencia...
Quanto a lembi^uga das commiss5esde tor si-
do ajustado f -"focedimento do Exm. Sr. vice-pre-
sidanlede deoi.^que nao poda annullar aquel-
le acto do seu anteceSSsrapenas direi, Io que
prevalecer essa doulrinado mesmo Sr. vice-presi-
dentesubsistira sempre na sua governagao a in-
jusliga-por mais flagrante,que-ella fosseqnando
praticada pelo sea antecessor, o que admira, sendo
S. Exc. tao mame da jnslica *>que dar-seesse
principioi-nosei quando seriam applicaveisas dis-
posigoes das leis scaes, que mandara rescindiros
contractos feitos com a fazendadada ollera ulte-
, rlor -para ella mais vanlajosa-S' que ou o Exm.
,Sr. desembargador Perelli peceou naquella sua in-
jalligencia-isto andn menos bem avisado, ou
alis-o Exm. Sr. Dr. Casulla Branca, actual pre-
sidente desta provincia, quando no dia 19 do cr-
ranle raez revogou ura acto que o Sr. commenda-
dor Domingos de Souza Leao praticou na ante-ves-
pera de deixar a sua administragao, como se v do
expediente do governo jmbllcadono Diario de Per-
tumkuco da 2*deete jaez, qae abaixo transe re vo :
Mantel Lnn Coalhade, Aapeida. #- Revogando-
nesta data a deliberago tomada em 29 de novem-
bro do anno pasudo, determino qne fique em seo
inteiro vigor a ordem expedida no 1* de outubro-
daq'uelle auno, mandando (alentar aeco de cora-
misso contra Domiagps AnJones Villaga, por ter
subemphyteuticado sem conaentimcnlo da presi-
dencia os terrenos de inarinna, de que trata o sup-
pboante.
laaus queira, quaasse <'taje, ou leavor dado por
aguaitas coamii>oesao Bao) Sr. desembargador
Aaajltipoboauellaaeu najav-seja acompaubado
.palaoto de recontarimaato por haver feito elle
jestaajar o imperio daiei t dorante a sua adminis-
tragao de 55 das, como propoz assemblea, pro-
vincialo disiincio depufdo Sr. Dr. Jos da Cu-
nlia Teixeira; o que importara.uma verdadeira
amende honorableao Sr. commendador Domingos
e Souza Leao, e por isso mesmo duvido muito
que un acto Ul possa emanar dessa corporagao
que tonto o idolatra sobre todas as rousas.
VJ
Em conclusodirei, que nunca me sorprenden,
que a assemblea provincial assim prooedesse nesta
pretengo a vista desses seus precedentes.
Cabe-ine porm o-prazer de que nao iocommo-
dei a tal respeito membro algum della, sendo
que apenas ao Sr. Dr. Costa Ribeiro ped se logo o seu parecer, qualqu.r que elle fosse, pois
sempre confn no seu zelo pelos interesses da fa-
zenda provincial, e na justica, que ten* demons-
trado.
Satisfaz me muito consignar, qae duas pessoas
comigo relacionadas em parentesco, assim como
que um meu respeitavel collega, e particular amigo,
membros da assemblea provincialabstiveram-se
da discusso,-de dardurantejellaquaesquer
apartes, e abster-se-hao da volagao, retirndose da
honrada ala segando rae caosla.
E assim tem praticado os parantesdos dous con-
Iractaates, que tambera sw deputados aquella as-
tembtoa? Dii'-anl Pmluani...
Pacones, sefrbef es redactores, que ao menos por
esto vez se sirvam de publicar no seu conceituado
Diario estas linhas m defeza daquella minha pre-
tengo provavelmenlej indeferidaao lempo em
que ellas forem lidas, e ajuadas pelas pessoas im
panciaes e de espirito recto.
Seu ledor, e amigoib'. Antonio de V. Henezes
de Drvmmoad.
Recife, 27 de abril de 1865.
jggggjB A HBB8
Asseciaro Protclora das Familias dos VeiaoUriott
da Patria.
Na sesso de .liuntom > do corrate mez, matri-
cularam-se mais na associago suppra, com as pen-
soes mensae* abaixo declaradas, as familias dos se-
grales Voluntarios da Patria.
N. 171. Manoel Firmino de Souu... 12^000
N. 172. HeliodoroAveliuo Souza Mon-
teiro.................... 125090
N. 173. Luiz Antonio desouza...... 1200O
R. 174. Pudro Uchoa Cavalcanti Lins 12^000
X. 175. Manoel do Livramento Fer-
reira..................... 12000
N. I7G. Antonio Jos Alberto de San-
ta Anna, e seu irmo tara- ,
bem voluntario Joo Alber-
to Jos de Santa Anna..... 1800O
N. 177. Jos Jeremas dos Sanios___ 12^01)0
N. 178. Sebastiao Gualterio Rapozo
da Cmara............... la/jOOO
X. 179. Francolino Mouteiro...;.... 12^000
X. 180. MSnoel de Pontes Mariano.. 12*000
X. 181. Jos Sympiicio Xogaeira.... 12*000
X. 182. Autonio Rodrigues da Costa. 12*000
X. 183. Joo Pedro Ferreira da Rocha 12*000
X. f81 Luiz de Franga Pinheiro___ 12*000
N. 183. Jos Franeijco Pereira...... 12*000
X. 180. Manoel Peixolo do Rosario.. 12*000
X. 187. Joo Rodrigues de Carvalho. 12*000
X. 188. Gaudencio Jos da Silva.... 12*000
X. 189. Joo Francisco Evangelista. 12*000
X. 190. Manoel Severiano da Paixo. 12J000
X. '91. Pedro Exequiel da Fonceca. 12*000-
X. 102. Adolpho de Lyra Marques.. 12*000
X. 193. Daniel Jos dos Santos..... 12*000
X. i91. Pedro Correa da Maia...... 12*000
X. 195. Jos Maria Marques Cesar.. 12*000
X. 196. Manoel Juaquim Arvore de
Oliveira................. 12*000
X. 197. Clementino Joaquim Mame-
de de Albuquerque, e seu Ir-
mo tambera matriculado
Manoel Thoni de Albuquer-
que..................... 18*000
X. 198. Gamillo Gongalves de Olivei-
ra Mello................. 12*000
X. 199. Feliciano Luiz Antonio Apo-
llarlo................... 12*000
N. 200. Ootoviano Alfredo Gomes Pa-
dilha.................... 12*000
X. 201. Gregorio Tavares da Encar-
nago................... 12*000
X. 202. Arselino Jos de Mello..... 11*00
X. 203. Beato Antonio Baptista Fer-
reira.................... 12*000
X. 204. Sebastiao Manoel de Leis.... 12*000
X. 205. Manoel Marlins daSilva___ 12*OO
X. 206. Manoel Jos Monteiro da
Franca.................. 12*000
X. 207. Luiz de Carvalho Pimenla.. 12*000
X. 208 Autonio Ferreira da Peoha.. 12*000
X. 209. Manoel Eleuterio de Oliveira 12*000
X. 210. Manoel Joaquim Soares..... 12*000
X. 211. Joo Francisco de Paula Ma-
chado................... 12*000
X. 212. Joo de Souza Barros...... 12*000
X. 213. Marcelino Joao de Souza
Monteiro................. 12*000
X. 214. Adolpho [Bispo do Xasci-
raento................... 12*000
X. 215. Francisco Joaquim de Tor-
res Galindo.............. 12*000
N. 216. Joaquim Jos de Santo Ansa. 12*000
. 217. Joo de Deus Quintllianno... 12*000'
X. 218. Jos Xnnes do Valle........ 15*000
X. 219. Antonio Tavares da Silva... 12*000
N. i-2t. Antonio Figueira de Carva-
lho...................... 12*000
X. 221. Antonio Domingoes da Sil-
va, e sea irmo Policarpo
Domiogaes da Silva....... 18*000
X. 222. Manoel Loncengo da Sil va.. 12*000
X. 223. Mauoel Agosiinho Fernandes
Vieira................... 12*000
X. 224. Manoel Ferreira da Feaceca. 12*000
X. 225. Jos Amancio do Espirito
Sanio Jnior.............. 12*000
X. 226. Valeriano Joaquim Jos Eos-
quio...............e..... 123'00
X. 227. Firmino Carneirode Brto.. 12*000
X. 228. Joo Joaqmro de Carvalho.. 12*000
X. 229. Marcolino Peres Campello... 12*000
X. 230. Hyppolilo da Silva......... 14*000
X. 231. Gaudencio Pereira da Silva.. 12*000
X. 232. Qnintiliano llenrique da Sil-
va Primavera..... ...... 12*000
X. 233. Jos Pereira Brandao Jnior. 12*000
X. 234. Antonio Floriano de Mello.. 15)000
X. 235. Francisco Antonio Maria... 12*000
X. 236. Alexandre Jos Monteiro... 12*000
X. 237. Joaqoim Jos de Santo Anna 12*000
X. 238. Joaquim Francisco de Tor-
res Galindo............... 12*000
X. 239. Joaquim deJSonza Lima..... 12*000
N. 240. Joaquim Ramos daSHva Mo-
reira.................... 12*000
(Conttnuar-seha.)
r-4S
agua de florida de Murray e Laiinian.
Em conseqaencia da sua grande o vasta popula-
ridade e jusia celebridade em todos os mercados
d'America do Sol e das Antilhas, para o aso do
cujos paizes, ella foi exclasivamente manufactura-
da, ha mais de vinle asnos; a mesma tem sido
extensivamente imitada e contrafeita neste paii.
Porm presentemente o artigo original foi introdu-
zido, e em virtude do mesmo apreseotor a distinc-
liva marca commercial dos proprietarios, pode f-
cilmente ser disnguida pela sua apparencia exte-
rior dessas outras simuladas e fraudulentas compo-
sices. Os signaes internos de perfeita genuidade
sao muito menos fcil de engao, por quanto a
< Agua de Florida de Murra y e Lanraan, > tem e
dseuvolve o aroma proprio das frescas e flores-
oanies flores e plantos do trpico, das quaes ella
deriva a sua bella e exquisita coraposico, e a ex-
posigo ao ar, em lugar de diminuir, augmenta a
delicadeza dessen fino .art ma, em lugar de produ-
tir una emaaaeao acre ou urna certa effluvia deaa-
gradavel, como acontece, com esses perfumes a
u
/ i


K
/
aguas de chairo, as quaes s*j preparadas e compos-
tas cora oleo bratH e fctwitBs de essencias.
(Tenha-se pait todo o cirtfcia da.etamaar e ver
que os noraes de < Murray e Lauman, > se acham
inscriptos e gravados soto cada envoltorio, letreiro
* afee na falta #os.mesmos, fa*t iusps*ar
-da sua falsidade.)
Vende-se as pharmacias de Caors & Barbosa e
J. C Bravo & C.
CQMIEBCIO.
PRACA DO RECIFE.
cota^oe orfletaes.
38 de abril.
Algodo prioieira orte 13,5000 e 1230fJ- por
arroba.
Algodao segunda sorte -10,5500 por arroba.
Cambios sobre Londres 90 div. 25 1/2 d. or
1J000.
Desceios9 0(0 ao anno.
Frete de assucar da Parahiba para Liverpool
17/6 e 5 0|0 por tonelada.
Frea de aigodo da Parahrba para Liverpool
3/8 e a 0^ por libra.
ubourcq Junixtrpresidente.
Guimaressecretario.
Caka filial do banco do Brasil en
Periiam lineo.
A directora desta cana saca sobro o banco do
Brasil no I to de Jaoejfo e sobre a caixa filial do
nesmo banco na Bahi.
Moro banco de Pcnam-
O banco desconta letras toa presente semana a
10 por cenio ao anno at o prazo de quatro me-
zes, e a 12 0|0 at o de seis mezes, e toma dinhei-
ro a juros a praso nunca menor da tres tnezes.
Xivobanco de f^ernambuco.
O banco paga o 14 dividendo na razo de 8,5
dor aceo.
Cala ilial do banco do Brasil
en Pernambuco.
19 da abril de 186o.
Tendo-se deseneaminhado do espolio de Bernar-
do Jesc Pinto a cautela de 43 aegoes das localisa-
das nesta caixa, sob ns. 1239 a 1281, a directora
faz publico a quem interessar possa, que por parte
d-> Antonio Jos Hamos de Olivara, do Rio de Ja-
neiro, tutor dos herdeiros do dito Pinto, se vai
aqu proco W a transferencia das referidas aegoes
para o nome dos musmn bardeiros.
O guarda-livros,
lonacio Nuues Correia.
9ftaispnfeiV'tftlitMrTt4*, i dtta cas-
m, 3 *h livro%> a-dlta* rap, 1 eaitXo ea, 1
ditojundoasi, i dita maclw*, i peers de mnr-
mora,. aclames ara-cadorias, 8 dos obilia, 4
aanyieaa* e cmoda para rae, I arrice lian
f MM^auaixMuannfSes acra taiaa de ba-
lw, Umxm eolia, 17 barr azete>4a.*e*o, 90
canas sabo, 50 jacazes batutas. 330. naaus vela*,
64 saceos feijao, 416 rollos tamo, 1,677 saceos ca-
l, 418 ditos farioha de mandioca a' orden de
diversos.
Patacho Inglez John Byeret, entrado de New-
York, consignado a Jwhnstoo-Pater 4 C, manifes-:
tou o segu me :
200 caixas salsa parnai.i, 70 ditas agua da Fio-'
rida, 1 dita arreios, 10 ditas machinas para desea- Santos Callado"
rogar milho, 18 Totumes cadeiras, 9caixas relogios guinte
ehcw PM^hecimento de todos
presento' otk
iT 'Si
ALFALSDEGA.
Piendimenlo do dia i a 26......
dein do dia itl...............
592:1975365
2o:a258i0
617:250t205
MOVIMRXTO DA ALFANDEGA.
Volumes eutrados com fazendas... 92
com gneros----- 89o
------987
Volumes sabidos com fazendas.... 145
c i com gneros..... 659
------8041
Dosarregan no dia 29 de abril de 1865.
Patacho nacional- Jwi/ofarinha de trigo,
l.ugre italianoLorenzo Valerio dem,
lirigue inglezByzantntm-ferro em barra para
fra,
Escuna i nglezaComroorfow-merna dorias.
Patacho inglez Sarah E/i7n =mercadorias.
Barca ragleza-/?onM-idam.
Barca logleza -Belle Poale gigos com louea.
Patacho ingle(fcrtrifttobacalhao.
Patacho hesnaohol Virgem dtiontrwrai di-
< versos gneros.
tarca francezaSphere farinha de trigo.
Urigue nacional -Pallas-charque.
Baa portugueza-S. Joodem.
Escuna hanoveriana Gazinadem.
Barca nglezaTtentcarvo.
Barca inglezaCommodore idem.
Brigue ingez Usf/ui dem.
Brigne inglez tabellaidem.
Barca belgaSoplne Theodorine idem.
Brigue uacional -Ucnriqnes diversos genero.-.
Importacou
Bergantim inglez Gertrwles, entrado de Terra
Nova, consignado a Saunders Brothers A C, roa-
nifi-ton o seguinte :
1791 barricas, 87 meias ditas e 79 caixas baca-
Iho aos mesmos.
Brigue nacional Mensageiro, entrado do Rio Gran-
da manifestou o seguinte :
12,100 arrobas de charque, 50 ditas de graxa
e objectos para ditos, 10 caixas alvaiade de zinco,
10 ditas dito de chombo, 2 barris tinta, 1 caixa um
cairroho e tonca ; aos consignatarios.
1,361 barricas farinha de trigo, 300 barriquiohas
bolachinbas, 300 cateas gaz, 63 volme* fogo da
China, 4 caixas bToes, 17 barricas candieiros e
pertences, 24 caixas cha, 2 ditas objectos para ma-
chinas, 55 machinas para dfsearogar algodao ; a'
ordem de diversos.
Barca nacional Santa Harta Boa Sorte, entrada
do Rio Grande do Sul, consignada a Amorim Ir-
maos,/nanifestoa osegointe:
10,407 arrobas de charque, 60coaros seceos; aos
mesmos.
Patacho hespanhol Virgem de Monserrat, entrado
de Barcelona, consignado a Theod Chistiansen,
manifestou o seguinte:
20 caixas papel para cigarros, 200 barris vioho,
50 ditos azeitonas, 12 -volumes alpista, 52 caixas
figos, 100 ditas 200 meias e 200 ditas de qnartos
passas, 16 seras amendoas, 16 saceos cominos, 23
volumes anis, 10 saceos sevada, 134 cseos e 400
botijas azeite; aos consignatarios.
260 volumes passas; a Aranaga Hijo & C.
Patacho hollaodez Deni, entrado de Montevideo,
consignado a Amorim Irraaos, manifestou o se-
guinte:
4,037 qnintaes carne secca; aos mesmos.
Polaca hespanhola Ventunta, entrada de Barce-
lona, consignada a Tasso Irmaos, manifesen o
seguinte:
236 pipas, 22 meias, 260 quintos e 110 decimos
vioho aos mesmos.
Polaca italiana Tebo, entrada de Genova, consig-
nada a E. A. Burle & C, manifestou o se
guile:
I caixa Coraes trabalhados; a Francisco F.
Filhos.
1,100 caixas e 28 caixinhas massas, 340 barricas
farinha de trigo, 4 barris azeite doce, 4 ditos con-
serva de tomate 30 pipas vioho tinto,. 99 barris
dito baanco, 220 saceos farelo, 200 caixas figos, 41
caixas conserva de te mala, 1,188 ladrilhos de
marmore, 39 caixas- raaemore, 140 taboas, 30
barris cal hydrauhca, 99 balas papel de embrulho,
15 ditas dito Floretto, 40 sa julnhos pregos; ao
capilao.
II volumes chapeos de palha; a ordam.
KECEBEDORIA DE RENDAS INTERNAS
GERAES DE PERNAMBUCO.
Rendimento do dia 1 a 27........ 19:319,5456
idem do dia 28................. 1:831^133
para que c
mandei fazer" o pfesehte' fii que ser afflxado
no togares *esmae e pHbWcidd pe* rtigfBnsa.
Dd irtsaadoUeala Wdade do fledffSV Per-
nambuco, aos 28 de abril de 1865.
En, Maooel de Carvalo Paea de Aa4*ade, es-
envi o sabscM
O W. Tristio de- Alencar Araripe, offlcW da Impe-
rial ordem da Rosa, juiz de direito espeefart do
comraercio desta cidadedo Reclf de Pernambu-
co e sen termo, por S. M. imperial e con?titocio-
naioSr. D Pedro II a quwaDeaa guarde,
etc. ,
Faee-eeber pele presente, que Cosme Jos dos Terminando o speetacule me dirigi a petigao do theor se- sa cataedia em 1 adornada demustea, traduc-
gao da Sr.- D. Eugenia Cmara
siasmo, t pouco, para offerecer a to bravo cara-
P^CU|flafejitaes>ie/a(B qo a i*wto
^* BwraYom o'mesmb'vjorjem qnanio exislir
o OuraJ.o Ju Paraguay, o moderno degolador dos
innocentes. "
3t%ulr-se-h.i a.represen|a?5o do appjaodldo dra-
ma vm 4 actos e 1 prlogo
fsft.wr^sir;Man^W'^^^te*,n
objectpa >ino do mmaa
Lerfjto

IHm.Sr.Dr.jufz do commercro.-Diz Cosme
Jos dos Santos Callado, qoe teodo pago a Johnston
Pater A C, Braga Silva 4 C, tees letras jautas
por elle garanuda a Maooel Barbosa de Souza, na
mpoiiaacia de 3:618765, capital, aim do juros
vencidese^er veoee#, pelo que se cenetiluio su-
brog*ado#osdirelDS de eobrar a respemiva im-
portancia, como tambera raais tres klraa, eeado
urna do mesmo Barbosa, de 2.AS300 de Joai Caiv
dose de Mesquii, de 297J380 de Carme 4 Filtra,
de 2I8;3i6, por mercadorias que Ihes vend, ven
requerer a V. S. se digne admitr a protestar so-'
bre a prescripcao deltas, porque os supplicado !
acham se ausentes desta cidade em'lugar ignorado,
requer a V. S. admita a justificar a ausencia, sen-
do quanlo baste e juigue por sentmea, mandando
passar carta edilal^por trieta dias, afim de por ella
sarem os supplicados intimados do protesto.
Pede a V. S. Ihe defira como requer -E. R. M.
Cosme Jos dos Sanios Callado.
_Seguindo o que assim se,.conlinha em dita peti-
gp, na qual dei o despach do theor seguinte :
Justifique no dia 15 do correte raez, as 11 horas
da manhaa. Recife 13 de feyereiro de 1865.
Alencar Araripe.
Seguindo o que assim se continha em tal despa
cno, por forga do qual fra feila a distribuidlo ao
Pao pam toda obra.
PEKSONAGENS.
Angelo Dotteient.
Monl-Oochard.
Joao, criado.
Brailamanle.
Jterlta."
ACTORES,
Lisboa
Porlo.
Teixeira.
D. Eugenia.
I). Camilla.
ue daas casa junta formando orna grande,
edificadas em chaos proprioa ni ijpiipi feltw,
peatduma a direita de qfieBvvai pa o potto do
Lasserre com 4 salas, 7 quartos no-raierwr, an-
de copiar,.cosiuha fra, quatos para pxetas eo
cheira e estribara, a qu>I ica entre dous poriDee.
Tej;ca-feti 2 de dhho.
O agente Pinto faca le o a 10 4r2 horasdo
da acuna dito da casa supra menetonatja, om
autorisagao de seu respectivo senhor, o qual \ei\oo
doveri se efectuar no dia e hora cima ditos em
seu escriptono roa d*Crm b. 88.
Leiio
De urna grande ca&aeom 4 salas, mprto e (?rao-
de3 quarlos cora janella^, calcada toda a roda, ter-
rago na_frente e copia atraz, com solao, qualos
fra, nao s para hospedes coma para preies, co-
cheira e estribara, cacpba e tanque, jardira e
r_ra tratar de sua
da U-1 saude, e dena por seu proccradores durante ua
au^Mta m i 'Jim o-*. A*m* ie0i0i0 ^e(.
ra-Caalh, w*>Sr. J# Mot: da Coatai-
quttta, e Francisco Coelho da Paz.
Jo AolonfcFernandes Fradiqne vai a Ma-
rei.e durante sta ausencia r#, warregado de
sen aegeoio o Sr. Joo da Silva Leife.
Os ilhelM acbam-sa desde j no lugar do eos-1 Poinar a lado, sitio con* amitos arvortdos e frne-
m n J lAiri.i .l,i I. ..... I! !. 1 .
tome.
Principiar as 8 horas.
m
fILW MAUTlWtf.
GOKjmVHIA BEASILEIRA
DB
PAQUETES A VAPOR
Dos portos do sul esperado
; -U<\ at ^ 3 do arrele um dos
vaporis da couipanhia o qoal de-
pois da demora do costume se-
____ gira nara os portos do norte.
Desde ja roodeni-se passajgejrus* e-ngaja-^
esenvao deste mea juizo Maooel de Carvamo Paa carga que o vapor poder conduzir.a quaidever
de Andrade, a,qaalm ebservaeieio ao dito meu ser ambareada no dia de sua chgada s eneom-
desp^ioho lavre o lermo de protesto do theor *- mandase dinheiro a frete ateo diada sahida s 2'
teiras de boas qualidadef.
Terca-leira 2 de maio.
O agente Pinto fara Mio, precedida a compe-
tente autorisagao, da ca4a de campo com os com-
mcidii.' n 111 ni .) -. 1 .. -. l*^l_l ..
i i---------huiiim *t*~?^^^w& .na nrr Xjat joi rerrtT, otf-
jtr'ora do tinado Domingos Antonio Gom.s Guima-'
I raes, em freute a casa do Dr. Jos Bernardo Aleo
I forado, as y horas do ota.cima diio em sea es-
cnptorio a rm da Cruz a 3. Os pretendaos
poderS obfer do mesmo agente qualquer iufor-
oagao_a respeito da mesma casa.
Leilo de-i casos em Apipucos.
Tergiwfeira 2 de maio.
O agente Pinto levar novanwnte a leilao n.lo
s as duas casas edificadas no alio de Apipucos
aolado direito e.ptjnio da p^voarao, como as duas
de baxo ao subir da ladeira, com os e0mmodos
descriptos nos annuncios para o leTlao do dia 11
i do correte.
Flix Jos de tusmo Lira, sna mulher e
orna fllha meaorj retuam-ae pra t/ir^, do imperio.
Sacac-se B'obre Lisboa, Port', liba, Ue
S. .Miguel e>Riq ae Jimairo. no scptorio
de C*alho & -Jogueira, ra do ApHte nu-
ttero ao.
AMA. ~
Precisa-se de orna ama que saiba cozinhar bem
e comprar para casa de pouca familia : a tratar
na na do Qwimado, luja n.- 5.
O Sr. Jos Rodrigues Freir'de Carvalho
queira dirigirse a esrrlptorio de Marque*. Bar-
ros A C, para negocio que Ihe.iolereVsa.
i mmm mm mmm mmmm
O baeharej toorengo Aveluo de Xrpja^i
B* querque Mello confinna a ter seu etrp- S
lorio de advQgaa nw a.Biiitorios e tribu tt
naes desta cidade : na ra do Imperador -,
2r:150^o80
CONSULADO PROVINCIAL
Rendimento do da 1 a 27........ 68 8974741
Idem do dia 28 ................ 3:890,5266
72:7e85O07
POMO
era bexiya, oio ditas de Jsebo em pies, 70 saceos
Mrw'J entrado no dta 27.
Acaraone portos intermedios9 das, vapor na-
c.MmM lanungwtftif. de 337 toneladas, comman-
dante Manodl Rjd'rlpue* dos Passos Monta, equi
|iaem 21.
-28-
Rio Grande do Sul -14 dias, barca nacional Santa
Mana Boa Sorte, de 226 toneladas, capitao
Francisco de Assis Gogalves Peana, equipagem
12, carga 10,400 arrobas de carne ; a Amorim
& Irmao.
Rio Grande do Sul9 dtas, patacho Bacional
Cyro, de 236 toneladas, capitao Casimiro Bibeiro
Gomes, equipagem 11, carga 9,474 arrobas de
| carne ; a Bailar A Oliveira.
i Iquipe62 da*, barca ingleza Sprte ofthe Slym,
de 27 toneladas, capitao H. P. Shilstow, equipa-
gem 18, carga salitre ; ao capilao. Velo re-
frescar,
Ofeert-acao.
-Nao houveram sahidas. Fundeou no lamaro
urna bar'.a mirueguense, mas nao levo communi-
cago com a trra. Bordeja no lamarao o lugre
portugoez Julio.
Navios saludos no mesmo dia.
Rio de Janeiro e Bahia Transporte nacional S.
Francisco, commandante
o capitao-tenenie Vi
tal.
farinha de mandioca, 500 lingoas e 60 couros vac- Lisboa Barca portugueza Henriqurta, capitao
cuas seceos ; a ordem. i Joaquim Duarte da Silva, carga assucar.
Patacho nacional Satsipuedes, entrado do Rio BarcelonaBrigue hespanhol Themoteo, capilao
Grande do Sul, consisoado a Maia & Espirito San- i Antonio Cassale, carga algodao.
to, manif.'.-too o seguinte : .Porto-Barca porlugusza Claudina, capitao Joao
12,.jOU arrobas de charque, 302 ditis de graxa de Straza A., carga assucar e outros geaer-os.
m ittmgaa, #;#u sirfww ws aatM^s- BarcelonaSumaca hespanhola Cronometro, capi-
lao Antonio Jtfaristauv, carga algodao.
gittnte
Protesto. No mesmo dia supra, nesta cidade do
Recife, em meu cartorie compare^eu o suppcante
Cosme Jos dos Santos Callado, e peante mim e
as testemunhas abaixo assignadas disse que nos
termos de sua peticio retro, qoe fica sendo parto
do presente, protestava por todo o seu contedo, e
de como assim o disse e protestou, flz este termo
no qual se assignon com as ditas testemuuhas.
Ea Faustino Jos da Fonceca escrevente jura-
mentado o escrevi.
Eu Maooel de Carvalho Paes de Andrade escri-
vo o subscrevl.Cojmn Jos dos Santos Callado.
Antonio Al ves da Feaceea JniorFrancisco
Antonio de Carvalho.
Seguindo o que assim se continha era dito termo
de protesto, depo3 de qual produzindo o supli-
cante suas teslemuohas que depozeram convenien-
temente acerca da ausencia dos supplicados justifi-
cados, o mencionado esemao fazendo.sellar c pre-
parar os autos me os ez conclusos, os nuaes sa-
do-me eotregues nelles dei e pr.oQri a sentenga do
theor seguinte :
Hei por justificada a ausencia dos supplicados,
os mando sejam^citados por edilos de triota dias,
para o fim requerido a folhas 2.
Recife, 27 de feroreiro de 1868.Trislao de
Aleocar Araripe.
Seguindo o que assim se conliaha om dita sen-
tonga, em observancia da qual o respectivo escri-
vao Manoefde Carvalho Paes de Andrade que esto
subscreveu e Jez.,passar o <)Kesen*e, pelo qual e seu
theor chamo, cite e,bei por ciiados ans referido
supplicados justificados ausentes ManoelBarbosa de
Souza, Jos Carioso de Mesq*to e Carmo Filhn*.
para que dentro do mencionado cazo comparc^am
ante este juizo allegando e prowvanda o qne loi;*,
bem de seus direitos e justiga, sob .pena de suas
revelias.
Portanlo, toda e qoalquer pessoa, prenlo, amigo
oo coohecido dee ditos |nriiminn poder-lhes-hao
fazer selente de todo oexpjeadido.
K para que chegne ao conheeimento de todos,
mandei fawr o presente edital que ser afiliado
nos lugares do costme e publicados pela m-
prensa.
Dado e passado nesta cdadp do Recifa de Per-
nambuco, aos 3 de margo (H180S.
Eu Maaoel de Carvalho Paes da Andrade, escri-
vao o subscrevx
Tritao da-Aloacar Araripe.
horas, agencia ra da Cruz n l, escriptorio bo iLcilO lePCa-feira 2 (fe maio. 1 I ho-
ABtonio Luiz de Oliveina Azeveido & C.
LOMPANHIA BaASJXEIKA
PAQETESDEA VAPOR.
E .esperado dos portos do nor-
te ;at o da 2 de maio o vapor
Paran, commandaBte o capitao
de fragata Antonio Joaquim de
--------- Santa Barbara, o qual dupois da
demora do slame seguir para os portos do
l)*sda j, rosa-bem-se passag^iros e engaja-se a
carga que o v ipor wdar coaduzir, a quaidever
ser embarcada bj) dia de sua chegada, encom-
ntondas e linheiro a frete at o dia da sahida as
2Horas: ignota, ra da Cruz n. 1, escriptorio
de Vioho Unja de Oliveira Azevedo,& C.
ras, a ra da Gadciaarmazem n.53.
De um sobrado de 2 andares e sofao, n. 36, sito
ra da Imperatriz, t>em edificado, seu, rendi-
mento paga uiujuro razoawl.
Pelo agente Enzebio se vender naquelle da e
hora o predio orno cima descripto,.so convida-
dos os preieodeulej ao previo exame.
Compauhtad;is Ncnsagerles I.'n-
periales.
No dia 30 do
DSCUB0ES.
mos.
1'atacQOvoaeifl
Sul, con-tgftatfnA
segiiHl :
13,6MU
i*to-Graa**lo
A atidira^ iMBitata o
*+Kfmrm.mmm*mmim
raiod, .'2 oas de.-gi-xa em braigai, 20 brr*D-
con 130 arrobas de se**'8Dado, fMdos owir^fi
arrobas de garras, 80 coows seceos- de reftroo,
1,000 resteas de eeWla, e *5 cascos com 4.4S
lainhas salgadas.i. ordam,.
Brigue nacional lmm'*io>; entrada dOiBin .de
laneiro, consignado a Amorim & I finaos, uaai/ee*
tou o seguinte :
7,.r8 arrobas de ewne'>,clarque'; aos mes-
mos.
Vapor nacional Maflittpapc, entrado do Acax,a;-
<, consignada agencia peruambucana, manifes-
tou o seguinte :
Do Cear.
1 caixa com pennas de ago em caixinhas, 1 dita
r.->p imperial, 22 saceos com 99 arrobas e 29 li-
bras ignora-se ; ordem.
Do Acarao.
102 meios de sola ; a Joaquim Olalo Bastos.
3i meios de sola ; a Jos Rodrigues Ferreira.
32 meios de dita : a Joao Ferreira dos Saotos
Jodtor
200 meios de dita ; a ordem.
5 barricas gomma ; a Antonio da Silva FiaHio'
Jnior.
26-5 meios de sola; a Joao Jase de Carvalho
Moran.
220 meios de dila ; a Fonsoca & Silva.
2,190 meios de dita, 12 couros salgados, 2 magos
com 200 coariohos e 60 saceos com algodao; a j.
Jos de S Leilo Jnior.
Do Aracaty.
9 saceos carnauba ; a Francisco Vieira Per-
digo.
7 ditos com 23 arrobase f> libras de algodao ; a
L. A. Siqueira.
73 saccas com 336 arrobas e 16 libras de al-
godao.
23 saccas com 142 arrobas e 9 libras de dito ; a
Antonio Candido Aniones de Oliveira.
60 saccas com 231 arrobas de dito ; a Jos de
S^Leitao Jnior.
*iS meios de sola ; ao raesjao.
116 couros salgadoi, 24 saceos com 88 arrobas e
28 libras de algodao ; a Francisco Gomes de Mal-
lo Jnior.
23 saccas com 144 arrobas e 27 libras de dito ;
ordem.
Hiato nacional Exhalaroo, entrado do Aracaty,
consignado a Jos de S Leilo Jnior, manifestou
o seguinte :
62 couros com 50 arrobas, 290 meios de sola, 1
caixa, 39 libras de pennas deema, 15 saceos com
60 arrobas de carnauba i, a Manoel e V. Colares.
til saceos com 287 arrobas e 12 libras de cera
de carnauba,35 caixas com 56 arrobas 15 i\2 de
velas de dita, 57 inoliios com 925 esleirs ; ao
confutarte.
60 saceos com 232 arrobas e 9 libras de carnau-
ba, 50 d.tos com 212 arrobas e 13 libras de aago-*
da >, 133 caixas com 156 arrobas e 19 libras de
velas d carnauba ; b Parele Vianna & C.
16 saceos com 66 arrobas de carnauba, 47 mo-
mios 1,175-eslelras, 2 pacatos 1 arrolla e 9 libras de
imanase 10 caixa com 15 arrobas, 17 1|2 libras
,> vela d; carnauba ; a Ferreira 4 Loureiro.
Hi.Tte nacional Pledadt, entrado do Rio de 'Janel-
Rio Grande do Sul 18 das, patacho nacional
Salsipueiles, de 229 toneladas, capitao Manoel
Jos Machado, equipagem 12, carga 12,500 ar-
robas de carne ; a Maia 4 Espirito Sanio.
Rio Grande do Sul16 das, brigue nacional Men~
sageiro, de 221 toneladas, capitao Firmino Marta
Torclly, equipagem 12, carga 12.100 arrobas de
carne ; a Maia & Espirito Santo.
Trieste-r-90 dias, patacho hollandez Tennecliina,
de 130 toneladas, capitao Koetse, equipagem ,
carga. 1,880 barricas com farinha de trigo ; ,
ordem.
Rio Grande do Sul-30 das, patacho nacional
Vito, de 265 topeadas* capitao Jos Ignacio
Fernandes, equipagem 10", carga 13,600 arrobas
de carne secca; a,Bailar & Oliveira.
Terra-Nova25 das, patacho,inglez Grrlrude, dei
133 toneladas, capitao George BurseU equipa-
gem 8, carga 1,791 barrloas comlaealho ; a
Saunders Brothers & C.
Aracaty14 dia?, hiate nacional Exhala.^, de 37
toneladas, capitao Trajaoo Antunas, da Cqs13
equipagem 6, carga algodao e outros gneros ;
a Jos da Silva Lee Jnior.
1DITAES.
Tribunal do coaviaet'cto.
Pela secretaria do tribunal do cpiomereio de
Pernambuco se faz publico, que uesta data foi con-
cedida carta de cegi.tro ao hiato (racima, de 83
toneladas, proppiadade do Sr. Harihulouieu Louren-
go, e do.qual mestre Joao. Gnos-da Cesto.
Secretoria do tribunal do-comraarcw de rernam-
bucol-.deabril de.1865.
Julio Gqimares
ofQcial-matOir.
depois da demo-
ra do costume seguir, para Bordos, tocaudo em
S. Viceute e.Liiba.
Em. S. Vicente -lia u/u vapor em corresponden-
cia caro Gore.
Para condicgons, tretas e fassagens irata-sa
agencia ruji,dqTjapgJi>.Q,,9. ^
i.i:iio
OE
Um sitio na estrada dos AUticos,
SiiIiIj.iiIo C (le maio.
O ag*nte Pestaa, competentemente auiorsado,
far leilo de um sitio na estrada dos AflKotos, con-
tiguo ao da viuva do cirurgi;io Peixoto, pouto alm
da capella, cuja propriedade consta de terreno com
380 palmos de frente sobre 1,500 de fundo, cer-
cado de boa cerca, com mais de mil ps de diver-
sos arvoredos, arvores seculares e de saborosos .
frnclos, terreno proprio para ludo, boa casa terrea Junt0 ao ''miterio inglez.
com sotao para vivenda, de 34 palmos de frente e
setenta de fundo, muitos quartos e salas, cozmha
corrento mez es- fra e boas accomraodagoes no referido sotad, co-
pera-se das por-, seira fra e ba estriiiaria para Ires cavadlos O
tos do sul o va- i senhores prelenilenles poden examioa-lo desde j.
por francez Es, paiao queso acha a chave na mo do referido
tramadme, com-1 agente, ra d3 Vigaro n. II.
inanaanto t. dei O leilo ter lugar asonze horas da manhaa do
er, o qual | da 6 de maio porta da Associagao Cummercial.
Aluga-se a casa terrea i. 103*a ruadeSan-
ta Trta : na roa #a Aurora r>. "R.
Kugio ha lo dias urna pfeto Alrcana de no-
me Thereza, que rejre!uU 30 alios, ponco mais
ou meaos, baixa, fula, maira rotcs limados, boc-
ea graruJp, por baixo dos otbos Um urna sinta pre-
ta, algnns cabellos brancas, lauto legristt, dedo^
das mar,., e ps curtos, levando vestido de chita
amarello desbolado com tranga encarnada feito a
balaca, p; nne da Co la com franja encarnada com
bolas, cosrama a dizer que urra : quem a pegar
leve a ra da Cruz n. 35, segundo andar, on rna
da Guia n. ,16, que sera:graiitleneo.
O Sr.. Luiz de MesquHa Lourriro M, tem ma
caria nesta typographia.
Augusto Coelho Leite e Fraansco Antonio
de Albuquerque Mello declarara ao rorpo do.coa-
uircioc a todos aquellescora quem tem relacdoS
commerciaes, e a quem possa interessar, que ne.-
la data dissolverafli amigavelmento a sociedad
que tinham na prensa de algodao no Forto do
Mat'os n. 9 sob a firma de Augusto Leite & Alves,
fleando encarregado da liqnidago da casa o socio'
Augusto Coelho Leite. Recife24 a-.', ahril de 1865.
Manoel Ferreira Pinto faz publico que com-
pron a Manoel Paulino do Xasciniettfo- a laberna
sita ra Nova u. 53, e para consim faz o
sent annuncio.
pre-
Alugam-sfi dins escravas para servio ter-
no de casa de familia, as quaes eozem, co4nham
eengommam : a tratar em Santo Amaro obrado
na
DE
.\are5*$5 eostelra por vapor.
Macei e escalas,
No dia 29 do corrente, as 6
horas da larde, segoe o vapor
Parahuba, commandante Mariins
m^e: para os portos indicados. Recebe
SP?a
Proeisa-se de urna ama para casa de duas
pessoas pr-f-rlndoseescrava : na ra da Peoba
n. 23. segundo andar.
itlKPABO DE IMIt \ \t1UI 4 O.
Pela sexrelaria deste pispado, se faz publico que
o Exna eMvra. Sr. vigaro capitular pare maior
/acilidade das pesseas me- proeuram fra das
horas do despacho, para casos urgentes, principal-
mente nesle tewpo de invern, resolveu defioiUva-
mente,a,sua residencia para mseminarioeptsvppal
de Olinda, onde pode ser procurado aa occasiordo
expediente das 9 horas da manhaa at as 2 da lar-
de ; e para os casos, urgentes a qualquer hora dp
diatol) da noite.
O secretario do bispado,
Conego Joaquim Penetra dos Santos.
O Dr. Tristae de Alencar Araripe, oficial da im-
perial ordem da Rosa, juiz de direito especial do
commercio desta cidade do Recife de Pernam-
buco e seu termo per Sua Magestade Imperial e
Constitucional o Senhor D. Pedro II, a quem
Dos guarde etc.
Pela mesma secretaria se laz
co que nesta dala foi inscripto no ceinftetenielivro
o Sr. Joao i:-leves Al ves, cornotor geral da praca
de Macei, provincia do Alageas.
Secretaria do tribunal >do commercio de Per-
nambuco 20 de abril de 1863.
Julio Gufmares,
OJIic-iai-ataior
O conselho de compras do arsenaj de guerra
precisa dmprar o seguale :
Para o hospital milita/.
1 panno mortnario.
Para a corapanhia de volantaxios
300 covadosde panno azul.
420 ditos para capules.
210 covados de baeta.
120 varas de algodozinho.
20 amageos.
30 mantas de laa.
Para o eorpo de voluntarios do Cear-
%10 mantas de f*.
As pessoas que qnizerem vender ditos artigos,
apresentem suas prpostas em enra lechada, na
sala de cooeelho, a 11 horas da maun3a do dia 29
do corrente.
Sala das sessijesdo consetho de compras do ar-
senal de guerra 27 de abril de 1863.O encarre-
ade da escripturaco,
Manoel viese de Azevedo Santos.
Pela obdelegacia do Io districto de Jaboa-
tao se faz publico qae foi preso e acha-se recolbi-
do a casa de detengo o cabra Manoel, que diz ser
I escravo de Gldiuo Alves Barbosa, morador em
Capoeirasda comarca do Bonito; e que declaroa
aadar fugidedesde 6-de Janeiro do corrente atino.
Jaboatao 26 de abril de 1865.
O subdelegado suppipnte
Jos Feraaodes Monteiro.
LOTERA
A08 6:000(000.
Sabba+loS ili? maio do corrente a 'no se ex-
trahir a 3* parte da 4a lotera (lia) a be-
neficio da Santa Cai de Miseriowrdia, no
consistorio da igreja de Nossa Senhora do
carga at o das, passagetros e dinheiro a frete at 2 horas da Os btlhetes.nities e qtiartOS estao a ven-
rio do.iiia da slaa : escriptorio no Forte do! da na respectiva thesouraria ra do Cres-
po n. V.
Os premios de 6:O00S0O0 at iO^OOO
seriio pagos una tetra depois da extraegao
at as 4 horas da tarde, e os outros defins
da distribuiciiodas lisias.
As encominendas srae gaardadas so-
mente at a noite da vespera da extraegao
como de costume.
O thesoureiro,
Antonio Jos Rodrigues de Souza
"club peknambucano.-
Domingo 30 do corenle haver reunio
familiar,
esapparecettante honiem pelas ft horas da
tardo da praca do Corpo Sanio, um cavallo russo
pombo com cangalha e garajos e com os signaes
seguinies: intelro", tem um signal encoberto,
de bom tamanho, tem a cauda bastante grande :
qaem o pegar leve-o em S. Lourengo da Jlatta a
HercoJano Jos de Barros ou boto o no ecposju
geral.
Precisase de urna ama forra ou captiva, par
cosinhar e eomprar para casa de rapaz solleiro :
na ra do Imperador n. 40.
para todo servia
do Livraraenjo a
Precisa,^*,; de-tima ama
de urna casa : a tratar na ra
20. segundo andar.
A pessoa que annunciou precisar de 800
dando por garanta boas firmas dirjase ao eeroi-
terio publico para tratar com o capello do mesmo.
Matos
filio Grande e Asm
S>eue-a barcaga Dous Amigos por estes das,
recebe carga a frete commodo : a tratar com o
mestre na escadinha ou no caes do Ramos n. 24
Para t Ri* de Janeiro.
Pretende seguir com milita brevidade a barca
Rio de Janeiro, tendo parte do seu carregamento
eugajaito: para o roto que Ihe falta e escravos a
fretes, para os quaes tem excellentes-commodos,
tratare enm o seu wifi&iva.ario Antonio Luiz de
Oti.\teira Azevedo, no seu. escriptorio na ra'da
Cruz u. 1.
P*r* RNtle Janeiro.
O brigue escuna Joven Arthur, pretende seguir
igualmente .publi- [com mu.a brevfdade, tendo parte de seu carrega-
mento prompto : para o resto que Ihe falta e es-
cravos a fretes, para os quaes tem boas commodos,
trata-se com nc seos consignatarios Antonio Luiz
de Oliveira Azevedo & O.
Para o niodc Janeiro.
Segu nestes olto dias o brigue escuna Nao sei,
tendo dous tergos do seu carregamento bordo :
para g_resto que Ihe farra e escravos a frete, para
os quaes tem bons eonynodos, traia-sqcomos sew>
consiguatario Antonio..Luiz de Oliveira Azevedo
& C, no seu eserjmoro na rna da Cruz n. 1.
PAR A~ LISBOA.
O patacho pertuguez Mara da Glora, capitao
Valente, vai sahir breve, recebe carga e passagei-
res : trata-se com o consignatario EL Rabeilo,
ra do Trapiche n. 44.
Quem annunciou precisar do 8003 dando os
juros de 23-5 meosaes, garantido com, boas firmas
diiija se a ra Direita n. 39, das Tas 9 hora da
manhaa e das 3 as 3 da tarde.
t Precisa-se de um homem para tratoaihar era
um sitio e deitar sentido : na ra Nova n. 49.
Precisare de urna ama que-cosinhe e engora-
me para 2 pessoas : na ra dos Ossos n. o.
Joao Pereira I'edmsa Lima retira-se para
Portugal tcm'oraramente para tratar de sna sau-
de, e deixa por seus procuradores durante sua au-
sencia em 1 lagar o Sr. Domingos Jos da Cosa
Amorim.em 2 o Sr. Jos de Souza Braz, em 35 o
Sr Antonio Ignacio Pereira Coelho.
LEILllSi
m
s
tul vr lio
Fago saber palo p&soaie que no dia 13 do mez
di C, maoietku o seguate
de mato do cortante anno,
venda a qaem mais derem praca publica, depois
da audiencia respectiva os objectos seguintes:
1 soff de amarello j atado avahado em 10000,
1 banquinUa de Jacaranda uzada por 1SKJ0, 3 cv
deiras quebradas, sendo 2 de amarello el de, ja-
caranda por 3^000, 1 dita de balango de piano
sera valor, 1 lantorna com castigal por 15000, 1
mesa de meio de sala cora lampo de pedra por
10A900 1 caixo de pinho para deposito por
2i>M00, 1 dito dito por SOOOO, t* barricas razias
a ,200 res 2(5800, 1 balanga grande com peso de
8 ""ll"" f"~ ""'"^JjlTJl f~WK"" com pesos
al? de 8 libras por niflji f nniif|i de amarello
por 20*000, 1 tendira de jouro" por 8*000, 1 bar-
rica de farinha. do trjao sern vaJor, 1 /ajogio de
parede amertoano por 5JW0, 9'liia* pardepsi-
tos por 9500, culos objectos. sao prtencenies a
Joao Francisco da Costa, e ao mesmo penhorados
Br execncao de Sandrs Brethers & C. fi na
to
EMPREZA-COIMBRA
reela da assignatnra.
[^i*ie?a?! : Safebado 29 de abril de 1865.
Representarle ba pela orineiraz a mageelo-
sa Mena patritica, intitulada
BBASIL E 0 PARAGUAY.
Leilao de pissas.
SEGUNDA-FEIRA i' DE MAIO.
O agente Pestaa fara ieilae por, conla de quera
pertencer de 40 caixas com passas em om ou mais
totes para fechar factura, segunda-feira Io de maio
as 10 horas da manhaa na porta do armazem de-
froote da alfandijga._______ ____________
LEILA(T
DE
Di vidas perteuceotes a raassa fallida
dft Francisco Gomes Castellao.
SiMjiiinla-fe.ra Io de maio,
A requerimento dos admtnistradoie.s da massa
fallida de Francisco Gomes Castelle, e deepacho
do Illm. Sr. Dr. juzespecist do eooimercio,o ageny
le Pestaa far leilao das dividas que foram so-
mente, da massa fallida do me9mo Castellao, na im-
portancia de 13:880*310 rs., conforme a relagao
em mo do agente onde pode ser examinada, e se-
ro vendidas a porla da Assccaeip Commereial.1
segunda-feira 1 de maio prximo rindouro pela
doze horas da manhaa. x-
f^ Petra semanal
ile Djolilias, pcliwios, ebaratw, eolia-
riths de papel e oiirei muitos ar-
tices.
Segunda-feira 1 de maio s 11 horas ao armazem
do agento
OLYMPIO
CASA DA FORTIS
Aos 6.000$000.
i
I!

3 a -a a 1 -a -i O 39 VI ai 3 1 -i o i o n a -i w Q. sr a p a. W 5p s o a n I
O 9 tu - -1 S .
a 9 5' O c O v D >
O -O g 5 o a. Ib 'Ji a --> -3 o V) 3 o- a U3 -i c a & i Se a> a. o -i a 5. ro a Qi O
O
o-
ir
INJECCAO BROW- ,
Remedio infalliyel contra as gnon-Mr-
antigas e rcenles, nico deposito taeas
ica franceza, ra da Cruz n. 22 pre-
co 3J
3(5--na da 1 adela da Reelfe-36
Bllhetes garantido.
A' hl'a do Crespo n. 23 f. casas do costcms.
O abaizoassignado vendeu nos seus muito feli-
zes bilhetes garantidos da lotera qne se acaben
de eztrahir a beneficio da matriz de S'azarolh, os
saapiules premios :
ra quarto n. 272 com a sacie de akO#000.
E oatras raqitas sortes de W$, 40, 204 e
ICJtOOO. :
Ospossatderespodem virreceber sens respec- i
Ivospremiossem os descontosdas leis na Casa1
da Fortuna ra de Crespo o. 23.
Achara-se a venda os da 3" parte da 4* lotera
(I4"j beneficio da Santa Casa da Misericordia,
! que se extrahir no dia 6 de maio.
PRECO.
Bilhelas.....7*000
Meios......3o00
Quarlos. 1*900
Rara aa pessoas qae compraren) dflO#;>000
para cima.
Bilhetes.....65500
Meios......3*356
Quartos.....1*700
Manoju. Martins Fiza.
nBsnpr^nE^BM^jysi-jm....-/ ^i-fc'xgay
Oeonsalhelro Fr.ncisco de Paula Baptis-
ta e bacrurol Graciliaao de Paula Baptiza,
conviaam-a todos os seos amigos para assis-
tirenj no Io de maio s 8 horas da raanha,
orna missa na capella do cemitero por alma
de sen presado fllho e irmao Belino de Paa-
Ja Baptista; e ajrdcem a todos seos ami-
gos qoe assistiram os suffragios 9 acompa-
nharam os restos mortaes ao cemitero pa-
hliec.
O Dr. Cosme de S Pereira conti-
na a residir na ra da Cruz n. 53,
Io e 2o andar, onde pode ser proeu-
rado para o exaroieto de sua profis-
sao medica, e com especialidade
sobre o seguiole
Io moliti* de tlho.i;
2o <& pwo :
3 ilos>orgti06-gen-
ti urinarios.
Em sen escriptorio os doeates se-
rao examinados na ordem de suas
entradas comeeando o trabalho pe-
[ los doenles de olhos.
Dar consultas todos os dias das
|4 a 40.da rnaabaa,. menos nos de-
mingos.
Fraticar toda e qualquer operar
cao que julger conveniente para o
prompto resiabelecimento dos seas
doentes.
i'rocisa-se de Urna ama Jorra oh captiva, sen
| do boa cozinheira : na ra do Ilrum n. 34.
Precisarse de nmaaaia, fie- teite pa-
ga-se bem: na ra do Imperador (aniiga
ra do Gollegio)/n. '83 ierooiri> andar-.
ni
Os senhores devedores a massa falli-
da de Amorim, Fragozo, Santos & C. sao
convidados a cemparecerem do escriptorio
da administracao ra do Vigaro n 21.
primeiro andar, para tratar da liquidafao
de seus dbitos.
Pernambuco 28 de abril de 186.
Os administradores,
Jos Jeronymo Monteiro.
Jfititte!Jos_ de Souza Campos.
Michel Jtorat, francez, relira-se"para o Ma-
ranho.
de licirantes1 sera a arramataeao Wta peto
r,,; consignado a Antonio Luiz de Oliveira Azevedo pr.eco da adjudicarlo coa o ahalimeato reapeeTA
da le.
l'EBSOaXGEM U.N'MiA.
O St. Brasil. Lisboa.
Offerecida e dedicada peto sea autor a artista Lpilan (lf (liVPr^flS mnvtia nam moi~
Frataisco Cor^a V^ue, a^-DEldORESfLL170 UC Qy i ^#7^-
da-patria. a e |Mrle;ts dft sna Mdaria.
EM* linda scena alm de ser entreraeada del atartins fara teilo por ordem do illm. Sr. Dr _-lor ""es Pede de novo as pessoas que
poe*^fAeaatoe.coa musiea se acha a. eargo! consol potUfiuaz,fl> diversos movis, roopa usa- i.A. 1*,!d-m, Yw pai?*.r,e"l q*nto- aD,es
dorTSalfcl^^'lwdiaa* .Wiaic5o de Ua e oertoajces (fe ama qadarj, tqnswndo de um; do Trapiche n.H, .fotal de Frarvee, do
um quadro .alicorto,- ojua rresauu o PifRA- forno, teBderleJra,''irnact'lF3, um tolbeiro grande, 2.i" serao br,8a.(lovs. entregar ao.seu
GlUY KMAGi&O 9feUVBAL. i cera solio para guardar barricas, cylndro aS- car**?r para cobrar ^^tffleuie.
Eis a dedicaoriado autor : sha de trigo, barricas vazias e rauitos outros ob-
aos n*rNsoHEs da patria. jeelos de nao da nadara, nido peftencente ao es*
O gropo que taergue eerto um s* homew para- polio ao finado Firmino Pacheco Gomes,
viofar a.honra nactoaal, essa nmralha bra*lleira| Segunda-feira 1 de mato,
que desaba sofe/e os assassiuos. coma s paredes. O leilao ter lagar na praca da Boa-Vista a. 14,
pr-
jima
Precisa-?e de uma|ama par casa de pouca fa-
milia : a tratar na praca do. Corno, Santo n. 17.
terceiro andar.
Joao da Silva Ramos, medica pela U
| versidade de Cbimira, d coasiiltas em.
sua casa das 9 s 11 horas da manhn, e
das 4 s 6 da taide. Visita os doentes
em suas casas jegularmente nzs horas
para isso designadas, salvo os casos ur-
ges te$, que $e#ao soc^riidos em ouaJ-,
i quep procurarom no hospital Pedro iLi
aonde eHeeatoado diariamanto s a horas da manhaa.
- TsLsacasxde salido rejjubrmen\e
montada. p*a.re>ler qualquer doente,
anda masmo os aitoaados, para u ;u j
tem coaimodfts ^propriadoi, c oe!U pra-
tica-qtBl^ieT operagao cirurgica.
Para a asa de saddo.
Primen dasse.'1*000diarios.
Segunda dita.... 2800
Torceira dita.... 2*006
Este estabelecimento j bem acredi-
tado pelos bons serviros qae tem pres-
tado.
O proprietarlp espera Que elle bonti-
nne a merecer a conflaasa de qoe sem-
pre tem gozado.
isa
,




JL
[ILEGTVL

** +


*
i --

Dt \:
ESTRADA DE fRRO DO RECIFE AO S. FRANCISCO
de naia de i 865 at entre aviso, a partida d< s trena de aatsageire8 ser recriada pe tabella teffiate;;
2SrO00.
ESTAFES
MANHAA
Cinco Pontas
Afogados .
Boa Viagem .
Prazeres .
Una
Cabo .
Ipojuca. .
Olinda. .
Timb Ass
Escada .
Frexeiras .
Arpib. .
Ribeirao
Gamelleira
Cayambura
Agua Preta
Una. .
(Chegada
(Partida.
fABA 4> lftTEaelOB
Das de
amibo
Dumigoi
l 11
9
10
10
10
11
11
11
12
12
l*
i
l
M.
30
38
50
38
57
14
29
45
lo
33
52
15
30
48
6
30
TARBB
11.
u.
o

28
52
10
MANHAA
II.
7
7
7
7
8
8
8
9
9
9
10
10
10
11
11
11
11
12
M.
30
38
50
58
22
40
57
14
29
45
15
33
52
12
15
33
51
15
TAROC
H.
0
8
20
28
52
10
ESTACOES
*s#
una............
AguaiPrela..........
Cuyambuca..........
Gamdeira.J^"--.::::::
Ribeirao............
Aripib............ .
Frexeiras...........
Escada.............
Timb Ass.........
Olmda............
Ipojuca.............
Cabo..............
Ilha...............
Prazeres............
Boa Viagem.........
Afogados .. .........
Cinco Pontas........
B NTEBIOB
Da de tra-
balfao.
MANHAA
H.
50
8
32
40
52
0
M&NHAA.
II.
11
11
11
12
12
12
1
1
. 2
2
2
2
3
3
3
3
4
M
15
39
30
53
12
30
0
16
30
48
5
23
47
53
7
15
Bomlnftoa
das i
Atoga-se por 25* meneaos o segundo aojar flo
sobtado n 62 da ra da Gola : a tratar ,pri-
nieiw andar
MAHHAA
H.
0
18
42
50
2
10
TARDE
H
M. '
~0
25
42
57
0
23
42
0
30
45
0
18
35
53
17
25
37
45
ti. 0. Mann, engenbeiro e superintendente interino.
Na praca da Independencia loja de onrivesn. i
33, coropram-se obras de ouro e prala e pedras 3
preciosas, assim como se las qualquer obra de en
comineada todo e qualquer concert.
p O bacharel
Francisco Angosto da Costa tt
jaj| A0V6GAD0 J.
g Rua do Imperador numero 69. jg;
wmmm mmm mmmmmmm
Samuel Power Johnston & Gompanha
Ra da Senzala Nova n. 4.
AGBNCIA DA
Fundico de Low Moor.
Machinas a vapor de 4 e 6 cavallos.
Moendas e meias rnoendas para engenho.
Taixas de ferro coado e balido para enge-
nho.
GRANDE ARMAZEM DA EXPOSIQftO DE LONDRES
DE
Qnem precisar de tima ama de lefte Airija-
-ao--roa do Pilar, no fundo do^issoogoe n. 58.
Aluga-se o terceiro andar da ra da mpe-
ratii n. 31, com muitos commodos, tratase em.
baixo no estabelecimemo.
Na praca da Independencia n.'33, precisase
de -ama ama para compran, eosinhar e fazer lodo
o mais servico de rasa de pouca familia.
Aluga-se o segundo andar do sobrado n. 62
da ra da Guia, pintado de novo e com commodos
para grande familia* a tratar do primeiro andar
com sen proprietarlo o bacharel Francisco Luiz
Crrela de Andrade.
CASA DE BACHOS
Largo do Carao numero 26.
Este eslabelecimento ao bera montado na sua
origem, chava-ae d a multo em qnasi completo
abandono pelo ponco interesse de ,-ua adminis-
traeao.
woj que o novo preprietario emprega todos os
meios para restabelerer a grande utilidade deste
estabelecimenlo, pode assegurar ao publico qoe
qualq*rer que seja o numerodos concurrentes acna-
rao desde j prompt-dao e aceio nos bonhos frios,
mornos on medicinaes, a casa dos banhos se acha-
ra a berta todos os dias das 6 da manha as 11 da
noile.
Precos.
1 banno fro ou momo......500
TH0MA2 TE1XEIRA BASTOS
N. 60Hua da Cadeia do Recife-N. 60
Bento Crrela d Si dedo ae 9r. Antonio de
Brito o favor de vir m mamar oHimar o negocio,
que Smc. nao ignora, para desi'arte salisaxer o
que Ihe foi incumbido paracotn o Sr. eapilo La-
rra, ha ver muitos dias. Declara mais ao Sr.
Brito, que esse sogocio demanda malta urgencia e
que contina a residir na mesma cas* roa Nova
n. 19, segundo andar.
Precisa se de 8004 por espaco de ara anno,
pahando-se mensalraenie 2">5 pelos juros, dan-
do-so boas Armas: quera qujzer annuncle.
O abaixo assignado roga noticia e mais pessoas
e bem assim aos empregados das barcas de vigas
e das estaedes da estrada de ferro de mandarem
pegar ao meu escravo, abaixo declarado, que fa-
zendo-me umerime. fuglo de meu sitio da estrada
do Arraial no dia 25 de abril de 1865.
Marcelino, preto, crionlo, 30 anuos de idade,
baixe,gross, cara feia, nariz chalo, ps grandes
tem no braga urna grande cicatriz da queimadura,
de um buscap, gagueija algumas palabras, tem
pai de nome Manoel da Malta, meu escravo, fol
vestido de calca de casemira azul, camisa nova de
algodaosioho e chapeo de feltro com fila de conro
preto,lalvez mude roupa, foi escravo do engenho
d'Agua de Iguarass, do finado Henrique Poppe
Girao, e hoje do Dr. Francisco Jlo Garneiro da
Cunha. Protesto proceder contra quem o tiver asi-
lado : quemo pegar poder leva le a olaria a. 13,
na ra do Moodego da fregtiezia da Boa-Vista da
cidade do Becife, ou no dito sitio do Arraial, que
pagari o trabalho e despeza.
..,_____Marcelino Jos Lopes.______
Aluga-se a casa da ra Augusta n. 52.
VNDENSE
eaixes vasios prnpiis para bahulei-
res e fnnileiros a 1,760 rs.; a tratar
oesta officina,
No escriptorio de Claudio Uobeux vende m-
se foguetes com nova composicao de mistos para
matar formigas ; nova deseoberta, e mais evi-
dente que as amigas velas mistas : prego 500 rs,
cada um.
Vinhos do Porto finos
engarrafados em larris ean-
coretas:
Lagrimas do Douro.
Duque do Porto.
D. Luiz.
Menezes.
Particular.
Vinho real e muscalel
19, primeiro andar.
na ra do Vigario n.
1 ditodefarello........1*000
dito medicinal ser segundo a qualidade. 6 q"rtos, salas,, cozmha, quintal e cacimba
5 candes 100001,rMar na rua Direita n. 24, padana.
com
a
Arreios d carro para um e dous cavallos.
Relogios de oiro patente inglez.
Arados americanos.
Machinas para descarocar algodo.
Motores para ditos.
Machinas de costura.
II
Francisco Pires
eliado Portella
Todos os artigos abaixo mencionados, foram romprados recentemente pflo dono do estabele-
cimeoto as principaes fabricas de Paris, Londres, Birmingham, Manchester, e em diversas cidades
da Allemanha, e londo comprado ludo as melhores condenes por ser a dinheiro, por isso vende todo
e qualquer artigo barato, por menos do su valor, e mui principalmente por querer Inteiramente liqui-
dar e ter de partir muito breve para a Europa.
Ha neste vasto armazem ricos objectos com bnlhantes, como botoes, annels, rosetas etc., e^
bem assim, diversas obras de ouro, como irancelins, correntOes, oculos, fate-mains, anneis, e muitos.
outros artigos, relogios de ouro, inglezes, do afamado fabricante Bennette ; completo sortimento de fa- (mMZTmvz.XZm mmwi.M$i
sendas finas e modernas ; miudezas, perfumes, perfumaras Unas dos principaes fabricantes ingleses e Aluga-se urna casa terrea nos arrombados
francezes, como L. T. PIVER, Lubin, L. Legrand, Ed. Plnaud & Meyer, Delettrez Parfunierie du em Olinda, cort 2 salas, i quartos e urna grande
mond lgant), Viole!, Societ Hygienique, Monpelas.Mailly, Regnier, P. Gueland, e inglezas de Eug. cosinha cora porlao para o rio : a tratar
Rimmel e outros ; ricas galantaias em marflm, mar de perola,etc, fabricadas na China e no Japao; zem 0 Annes defronle da alandega.
ricas pe?as de cristal fino como ainda nao appareceram nesla cidade, e btm a sim modernjs lustres
para velas, ditos para gaz e para petrleo, serpentinas, casticaes, enfeites e adornos para cima de con-
solos e para grande toillelte, o que se tem feito de mais elegante em Paris, em Londres, Birmingham
etc. ; moderuos apparclhos de metal fino inglez para cha e caf, os quaes nada tem de inferior prata,
e umitas oulras pecas do mesmo metal, ricos nenies de tartaruga da- ultima moda para trancas de se-
nhoras, excedentes luvas de pellica do afamado Jouvin, apparelhos de porcelana fina para cha c caf,
ditos para jantar, e immensos arligosde porcelana lina dourada, como ricos vasos para flores, figuras,
etc. ; calcado dos principaes fabricanles de Paris e ditos de panno cem sola de borracha, pianos dos
celebres fabricantes Pleyel, WolU & C, realejos modernos de Gavioli & C, para se tocar na rua, ditos
com liguras para salss e ditos com figuras em movlmento ; modernos e bonitos instrumentos de physi-
ca (mgica) para iheatros ou s loes, ditos de phantasraagoria ; lanternas mgicas, cosmoramas com
vistas novas, dia e uoiie ; stereocopios de nova inveng.o e com bello sortimento de vistas das principaes
cidades da Europa ; grande sortimento de brinquedos unos para enancas, e bonecas fallando papai,"
mami ; grande sortimento de candiciros a gaz, os que se tem feito de mais elegante e que tem mere-
cido toda a aceitacSo na Europa, grande e magnifico sortimento de caixinhas, cestinhas e outras galan-
teras feitas de crina o seda proprios para presentes; grande sortimento de estampas unas coloridas
com o fundo preto e de outras de todos os santos, ditas com liguras e ditas com novas paysagens para
Alugam se dous grandes sobrados com cora- j cosmoramas, linos e bem graduados vidros para cosmoramas, um bello chafariz de christal, proprio
modos para numerosa familia novos e aceiados,! para meio de mesa dejtntar ou para jardim ; entelarla flua, como laiheres com rabo de metal fino, co-
com jardim, coiheira, estribara e entras comino- heres, thesouras linas, ditas modernas para alfaiales, navalhas finas, caivetes e outros artigos, diver-
didades, na travessa de Joao Femandes Vic-ira : sos artigos fe i tos de rame; completo sorlinic nto de mascaras de velludo, sellm, cera, papelo e ra-
me, doces, confeitos e chocol te em caixinhas e em vidros; camas de ferro deitodos os lamanhos, lava-
torios, etc.; ricos quadros para carioes de visitas e ditos grandes e ppquenos para retrates; chapeos
de sol, bengalas, chicotes e ditos para carros; machinas para fazer caf, ditas para baler ovos, proprias
para quem faz po-dc-l, bolinhos, etc.; bellos cortinados arrendados, verdes, encarnados e brancos ;
pannos para cebrir mesas, boleas grandes e pequeas para visgrns, e outros artigos, como cobertores,
malas, etc.; sortimento de vloloes finos: figuras finas e jarros de alabastro ; galantarias e outras pe^as rua da Matriz, o qoal tem commodos para grande
de charo para toillelte ; machinas para varrer o chao, excelletRes machinas para pbotograpbia para familia : a tratar cora o Sr. Ferreira Porto, na Pon-
tirar retratos, grandes e pequeas; lindos baloes de papel Ano transparente e lanternas coloridas para le Velha, ou cora Miguel Joaqnim da Cosa, na roa
Iluminac5es moda do Paris," salva-vida de borracha, para homens e senhoras, proprios para qnem da Cadeia n. 12.__________________________
toma banhos em lugares fundos; ameixas novas em caixinhas, blscoilos inglezes em latas, graixa in- fuin/lo
gleza 97 ; cerveja em barricas das principaes marcas de Londres, queijos etc., e muitos outros artigos vTloUOi
que para enumralos seria um nunca acabar, e todos se vendem barato e muito barato no grande ar- precisa-se de urna criada para o servico de casa
mazem da Exposieao de Londres, na rua da Cadeia do Recifc n. 60. e compras : na rua Augusta n. 5, primeiro an-
1111 dar.
'2 ditos..........oOOOl No largo da Asse mbla b. 16 precisa-sede
um moleque paraconduzlr laboleiros e mais ser-
vicos de casa de pasto,' e um caixeiro que tenha
prviica da mesma.
Mmmmmm mmm mm
| O bacharel Alvaro Caminha T. da
Js* tem seu escriptorio de advocada a
$| do Imperador n. 41, primeiro andar
Igs de pode ser procurado das 10 as 3 horas.
K Em qualquer outra occasiao sera' encon-
9g trado na casa de sua residencia a mesma
xm ran. 3, junto ao Gabinete Portugus. x
Vende-se tres carrocas para boi, doas ditas
para cavado, dous carros para condoccao de ge-
neres de estiva ou oulro qualquer miste', ludo em
bom estado, e por preeo commodo, por seu don-
querer acabar com esse negocio : a tratar na rua
do Sebo n. 54, taberna
COMPRAS.
[0 bacharel Jos Bautista Gitinuiai
advoga nos termos do Bonito e Caruar. S&
Pode ser procurado na villa do Bonito, g
rua Direita n. 16, defronte da cadeia.
a tratar na rua da Senzala Nova n. 42.
Est para alugar-se urna casa terrea na rua
da Gloria n. 14, um Io e 2- andar deUm sobrado
na rua do Rosario da Boa-Vista,quasi no pateo da
Santa Cruz, e urna mei agua na estrada de Joao
de Barros.com arvoredos, agua de beber,e portao
pvao becco do l'ombal: quem pretender falle
naruadasCruzes, sobrado n. 0. das 9 horas da
raanhaa at aemeio dia.
O London & Brazillan Bank, saca por doos
os paqueios,sobre
Lisboa.
Porto.
Braga.
Vianna.
Guimarles.
Villa Real.
Coimbra.
__________Amarante.___________________
Na Gamboa do Carmo casa n. 5, lava-se
chapos de palha para senhoras e faz-se chapeos
de seda, ve-tdos e capas, e prepara-se plumas,
tudo por preco commedo.
~800
Medico operador
PELA
FACULDADE DE PARS,
regressando a esta provincia arha-se
prompto para o exercicio de sua profis-
sao, quer nesta cidade, quer fora della,
especialmente em molestias de olhos (ca-
taraclas etc.) das vias urinarias (estreita-
menlo de urelhra ele ) e de pede, para
pujo curativo se julga habilitado, attenta
n pratica que teve nos hospitaes de Pa-
rs, e os modernos instrumentos que pos-
sue.
Pode ser procurado a quarquer hora
na casa de sua residencia no patee do
Carmo n. 2, esquina da rua de Hortas.
Compram-se libras sterlinas: no ar-
mazem de Ferr ira & Matheus, na rua da
Cadeia do Recife n. 66._________
. Compra-se ouru e prata em obras velhas, pa
no "arma-1 ga-sebem : na loja de bilhetes da Praca da lndc
tendencia n. 22.____________
Compra-se elfectivamcute ouro e prata em
obras velhas, pagaodo-se bem : na rua larga do
Rosario n. 24, loja de ourlves._______________
Compra-se um escravo cozinheiro que seja
mogo, robusto e sem vicios : a tratar no sobrado
n. 32 da ruada Aurora.
Compra-se cobre, bronze e ferro ruado ve
Iho: na fundicao da Aurora, em Santo Amaro.
Compram-se libras sterlinas : na rua do
Crespo n. 16, primeiro andar.
Alnga se o segundo andar da casa n. 33 da
Era casa de Tissel Freres roa do Trapiche n.
9, tem para vender :
Vinho Be rdeaox em barricas e em caixas.
Dito de Smeme fino.
Ditod^ Champagne muito superior.
Cerveja franceza marra Bobee.
GAZ GZ~GAZ
Vende-se gaz da melhor qnalidide a
tifj a lata : nos armazensda rua do Im-
perador n.l6 e rua do Trapiche Noven. 8.
Em botijas, garrafas e barril : rua do Trapiche
n. 14, escriptorio de Wilson S Helt.
Compra-se uina escrava de meia Idade, ro-
busla e sem vicios : quem a tiver dirija-se a rua
de Santa Cecilia, casa n. 17, qne se dir quem
compra. _____ _____
Garrafas razias.
Compram-se por todo preco meias garrafas de
champagne : na rua do Rosario n. 34._______^_
Compra-se um escravo de meia idade que se-
ja robusto e sem achaque algum : a tratar com o
agente Cordelro SimSes na rua da Crnz n. 57.
Cobre, latao e chambo.
Comprase cobre, lato e chumbo : no armazem
da bola amarlia na oito da secretaria fde polica.
Silvino Guilherme de Barros compra e ven-
de coactivamente escravef de ambos os sexos :
rua do Imperador n. 79, terceiro andar._______
Libras sterlinas,
Compram-se na pra^a da Independencia n. 22.
Iblhas
e lomas para resas
"legar para a loja d'aguia branca, na
DINHEIRO FRANCEZ.
Vendem se moedas de ouro e olas do Banco, e bem assim urna colleccio desde um centesimo
al mil francos: vende-se barato no Recife rua da Cadeia n. 10, no armazem da Exposicao de Londres.
Precisa-se da quantia de 8005 sobre hypo-
theea em um e-cravo moco e sadio, e a penca que
quizer fazer este negocio dirija-se a rua Nova n.
11, que ah ach.r com quera tratar.
<
o
5

Quem precisar de urna criada
dirija-se a rua do Apollo n. 4.
Pfeeisa-se de una ama que saiba lavar, en-
gommar e eosinhar para casa de pouca familia :
na rua do Caraaro n. 13.
Precisase alugar urna escrava para comprar,
eosinhar e engommar para duas pessoas : na rua
da Mangneira n. 12.
Precisa-se de um menino para caixei-
ro de pequeas cobranzas nesta praca e ao
mesmo tempo empregar-se as horas vagas
em um armazem de carne seca, prefere-se
aquelle que for de provincia eslranha : a
tratar na rua da Praia n. 34.
u
, Q
Para completa liquidadlo vende se, pof muito menos de seu valor, perfumaras muito finas e
portogueza Inovas chegadas recentemente de Paris e de Londres dos mais afamados fabricantes seguintes : Eug.
Rimmel, R. Matheus 4 C, Lubin, Sociedade Hygienica, Piver, Violet, L. Legrand, Deletrez, Pinaud &
Meyer, Regnrer, Mailly, Gillet frere ele, etc., dos quaes ha grande sorlimento d'agua de colonia em
vidros e garrafas, agua de lavande, agua para limpar denles, oleo babosa, extractos em ganafinhas e s :-----------------------------1--------------------
vidros de differentes modelos, pos para limpar denles, banham potes e era vidros, puadas, ricas Aluga-se o e 3 andar da casa da rua da
caixinhas e balainhos com perfumaras para fazer presentes, e muitos outros artigos que se vende por Moeda n. 11 : a tratar na rna da Cadeia n. 2 com
menos de seu valor, bem como lodos os nimos em geral existentes no grande armazem da Exposicao o Fon tes_______________-________________
de Londres, na rua da Cadeia do Recife n. 60.
Furto de cavallos.
Furtarara do engenho Soledade da freguezia de
Ipojuca na noite de 19 docorrente raez, dous ca-
vados, um alazao grande, castrado, and>dor baixo,
mos e ps grossos, sendo o esquerdo branco at
sobre o peador, tero visivel cicatriz de dentada de
l outro no pescoco e pequea estrella na testa ; an-
tro ruco-sujo, pequeo, castrado, tem baixa na
sarnelha deixada por cicatriz, cabeca carneirada
e conserva signaes do peitoral e correias de roda,
ha noticia de que foram encontrados no engenho
CbaquinlM era viagem a caminho de Serinnaem :
gratifica-se a quem os descobrir com probabilida-
de de serem apprehendidos a entender-se no re-
ferido engenho Soledade com Joviniano Antonio
Duarle Cunha e pede-se a polica a sua apprehen-
VENDAS.
Alnga-se urna meia-agua na rua do Alecrinr
a tratar na rua Direita n. 24, padaria.
ESTRADA. DE FERRO
DO
Recife a Silo Francisco.
Fusta dos Prazeres.
Domingo 30 de abril de 180o.
Alm do trem ordinario do dia cima haver os
segaintes especiaes que parariio as estacSes in-
termedias para tomar edeixar passageiros as ho-
ras abaixo designadas.
Para senhoras.
Bicos e modernos pentes de tarlaruga para tranca de senhora.o que se tem feito de mais ele
gante ateo presente : vebde-se por menos de seu valor para se liquidar, no grande armazem da Ex-, ser gratificado.^
posico de Londres, na rua da Cadeia do Recife n. 60. Offerece-se urna criada para o servico inter
ALMAAK.
Acaba de sahir dos pr-
los de nossa typograpliia o
Almaaak Administrativo e
Mercantil e Industrial desta
provincia, correcto at 31
de dezembro, e vende se a
Cerveja Bass.
;, garrafas e barril : rua
torio de Wilson & He.
Agua florida e tnico orien-
tal de Kemp.
Continua-se a vender em porgo e a retalho :
na rua do Queimado, loja d'aguia branca n. 8.
Cliromacomo
A agu ranea, na rua do Queimado n. 8, acaba
de receber um novo sortimento de caixinhas com
chromacomo para tingir cabellos, e bem as.-ira
frascos com hydrocalletrichioa, agua para desen-
grasar os ditos, coloncomo para lustrar os ditos,
e onychromantina para limpar as unhas. Essa
tintura, cujo effelto rpido e eieaz, est bem co-
nhecida e apreciada para todos quantos della tem
usado, eos que de tovo a quizerem apreciar, po-
dem, assim como aquelles, dingir-se munidos de
dinheiro a rua do Queimado, loja d'aguia branca
numero 8.
Papel
Acaba de <
rua do Queimado n. 8, um bello sortim-nto de.f>a-
pel de cores para rosas, dito v^rde para folhas, e
dito tambera verde e mui fino para cobrir o ra-
me, assim como folhas de panno e avelludadas
para ditas.
Aspas de baleia para vertidos.
Vendem-se na rua do Queimado, loja d'aguia
branca n. 8.
Superiores penas d'ogo ingle-
zas e francezas
A aguia branca alm do grande sortimento de
penas d'afo que cooslaniemmte tem, ;cabade
r> ceber mais oulro de superior qualidade e dos
afamado.- fabricanles Perres A C, assim como as
verdadeirat Lico de lauca n. 134 e outras de pon-
ta dourada, continuando porm a vndelas por
precos commodos, com tanto que oromprador com-
' parega munido de dinheiro : na rna do Queimado-
j loja da sguia branca n. 8, onde taaibem achar se-
ha a venda pastas para papis.
A ~agvia branca na rua do
Queimado n. 8, recebeu:
Bonitos e graudos aljofares de cores para voltas.
Pulseiras de ditos de ignaes e agradaveis cores.
Voltas pretas maiores e menores todas de conl; s
grossas.
Pnlceiras pretae tambem de conlas.
Outras de difl'erentes qualidades e gostos.
Brincos de aljofares de cores e dourados.
Fivelas d'aco grandes e pequeas com cinlo pre-
to e de. macreperola.
Outras graudes de differentes qualidades e re-
lia liVrai'ia nS. D 60 Bonitosleques deimadreperola
da praga da Independencia.;
InstrucgOes para o servico:
das guardas do exercito, cxiraliidas do re-,
gulamento de infantaria e accommodadas ao
Ausentou-se no dia 23 do crreme o escravo
pardo de nome Antonio, estatura alta, levou ca-
misa e caiga de algodazinho : quem o pegar le-
Ic-o a Santo Amaro em casa de Manoel Custodio
^}l?^a"'Loa D- praca d0 ^orpo Sanl0' que i exercito hrasileiro; obra que muito convm!
aquellas pessoas que se alistam nos corpos
"'de voluntarios; vende-se na livraria n. 6 e
redondos
outra forma.
Ditos de sndalo intericos e corredijos.
Capellas brancas para meninas.
XARPE
deLABELONYE
e de
Luvas novas de Jouvin.
.no de urna casa de homem-solteiro ou de pequea 0 > ', ,
familia: a rua Direitan. 17. .8 da PraCa da pendencia, a 10.
Precisase de urna ama forra
Vendera-se excedentes luvas de pellica recentemente chegadas de Paris, tanto para hornera co-l Mr^S^TM^X'^M^* Pna"
mo para senhora por menos de^eu valor, para se liquidar: no grande armazem da Exposicao de Lon-' ,, ^ nc-in n -ji cQn.,^ o^n,'
dres, na rua da Cadeia do Becife n. 60.
rua largado Rosario n. 31, segundo andar.
A t ten cao.
Vende-se superior vinho do Porto em caixas de
urna 'hua :em casa de Johnston Pater 4 C. rua
I do Vigario n. 3. _____
MUDANCA
ANTONIO JOREZ
Fundidor e torneiro em meta es.
parees que o mesmo Sr. Pedro Ferreira a despilo
naiua da Imperalriz em casa do m>>rcineiro Poirier i, 55, pre- dasentenc* execntiv que do juzo especial do
. cnmmreid dtl fi.lQiit Iho fui inlimarli nn iln -)7
Ao publico.
Para evitar-se duvidas futuras, previne-se a
quem possa o presente interessar, que o Sr. Pedro
! Ferreira de S Luna, rendeiro do engenho Morico-
1 ca do termo de Serinhem, desde o dia 27 de fe-, machinas americanas de serrote para
j vereiro do corrente anno, nao pode vender e nem algodao
fazer transaegao alguma com os 9 escravos seguin-
, tes : Benedicto, crioulo, Jos, crioulo, Sebastiana,
crioula, Benedicta, Angola, Cypriano, cabra, Jean- Valdivino da" plvora, vende bom" fogo do ar,
na, mulata, Helena, Ulna de Benedicta, Domingos, | por prPC0 commodo : no seu armazem de sal, rua
Angola, e Camarina, Angola visto sobre elles i imperial n. 221.
pender em juizo serias questoes judiciaes, e isto ------'-------------------------;-----z
em quanto ao forem estas liquidadas, se bem que MdCipOleS m (XVariaaOS
t*.________. i i.-a..._________*v,1rt .IJIa
Vendem-se
iericanas de serrote para descarocar
na rua da Senzala Aova n. 42.
Fogo, fogo, fogo.
Finos com 24 jardas a p^a por 5oOO, algodao
commercio desta cidade Ihe foi intimada no dia 27 muito largo com 24 jardas a peca por 69, cheguem
DO CABO A PRAZERE 9 horas da manha.
Da Ilha a Prazeres 9 horas e 19 m. da manha.
DE UNCO PONTAS A PRaZEKES 10 h. 30 n. da
manha.
De Afogados a Prazeres 10 h. 40 m. daBmanha.
De Boa-Viagem a Prazere 10 h. 50 m. da manha.
DE CISCO PONTAS A PRAZERES It horas da
manhia.
De Afogados a Prazeres 12 horas 10 m. da tarde.
De Boa-Viagem a Prateres 12 horas e 20 m. da
tarde.
da
DE PKAZEIIES A Cl-NCO PONTAS 4 b. 30 m.
Urde.
Da Boa-Viagem a Cinco Pontas i h. 40 m.
tarde.
De Afogados a Cinco Pontas 4 h 60 m. da tarde.
da
DE PRAZERES A CINCO PONTAS 7 h. 30 m. da
noite.
Deia-Viagem a Cinco Pontas 7 h. 40 ra. da noite.
De Afogados a Cinco PunUs 7 h. 30 m. da noite.
DB#HAZBKES A CINCO PONTAS 9 h. da noite.
u Boa-Viagem a Cinco Pontas 9 h. 10 m. da noite.
D Afogados a Cinco Pontas 9 h. SO m. da noite.
DE PRAZERES aO CaBO 10 horas da noite.
Da Ilha a Cabo 0 h. 25 m da noite.
G. O. Mann,
Eoirenheiro e superintendente interino.
OMsaiWrU iMilica-eirursic u rna larga i
Jtosai'io d. 20.
0 Dr. Jio Ferreira da Silva rogressaodo a sua
cai, contina em osercicio de sua proflssao nao
ta na parte medica eomo tambem na cirargica.
f '

A luga-ze
umacasa acabada agora, coa commodos pira fa-
milia, estriba ra, oeheira, qaartos para feitor e
escravos.com baoho na porta,w !otar do P050
laPnella.raado Bo: a tratar tova Taswir-
raaos,na rua do Anorta a. 3&
que mora va
:_. -_-,_. 1 1 j__.. r.., no.iioni. .u coinmereiuuesia ciaaae me 101 iniimaaa no oa z/,inum> largn cun jaiu a iiev |iui,:m-gurn.
VIBe aO respcilavel pallllCO e a t.dOS OS SeBS frepezesem particular, qoe de fevereiro do correte anno, adespeilo mesmo a elles antes que se acabem, visto avana ser mui-
lliudo Slia officioa Dar a IUI da m^lriZ da Ia-Vi>la" I. 36, Onde Se acha do protesto que pelo mesmo juizo Ihe foi intimado, o diminuta : na loja da rua da Madre de Dos n.
, < j. *_ j'j__. _.i.:: igualmente no dia 28 daquelle mesmo mez para al, defronte da guarda da alfandega, tambem
prompto para fazer o que compele a sua arte de tundidor e macniuista.
ha
nao vender e nem fazer transaccao algoma cora hitas francezas escuras e finas a 240 rs. o covado.
i taes bens, parece todava que teve elle a facilidade
AZEITEDOCE
izeite doce refinado em pequeas latas a 580 rs. a garrafa : no graude armazem
da Liga.
Saceos de 80,100 e 120 libras a U, 4500 e U
%%
%
Preeisa-se de urna ama que enteodabem de cos-
tura e alguns servicos de casa, para eaa de pou-
ca familia : na rua do Bangel u. 3.___________
Ama.
Precisa-se de orna ama para todo servieo ; na
travessa das Cruzes n. 2, primeiro andar. .
Ama de leite.
leite
Preeia-se de nina ama de
praca do Corpo Santo n<-J7.
a tratar na
Na roa da Cadeia do Becife loja de ferra-
g Feroaodee, a negocio de iqteresse.
Eteola particular.
Ciar OlymMa de Lona Freir, professor iarli-
eolardeiosIrureSo primaria, competentemente Su,
torisada pla ireetnria ca instruecSo pnbHca,
abri soaaula na ru!)irmian. 60, sefoado andar I
de depois de lado Isto vender o escravo Jos, on a
parte que nelle tinha, e que se suppde ser o mes-
mo Jos de que cima se faz mengo, ao seu pro-
prio filho Jos Elias de Sa Luna I como se eviden-
cia da respectiva escriptura de venda do escravo
Jos por elle Pedro Ferreira e outros, assignada
em 13 de marco do corrente anno as olas do
labelliao publico interino da villa da Escada Jos
Damasceno e Silva.
Aproveita-se igualmente esta occaso para pre-
venir questoes futuras ao Sr. Francisco Lins Gon
calves Chaves, lavrador do engento Triumpho,
tambem do termo de Sertahem, qae S. S. para
seu proprio bm deve lembrar-se e ter na devida
considerado, que S. S. o depositario judicial dos
9 escravos de jue cima se trata, e qae raai bre-
0 capito Jas Lniz Pereira ao reHrarse 'e talveI tenna de os a presentar todos 9 no juzo,
desta provincia, e nao podendo pessoalmenle des- peranle o qual o Sr Chaves responsavel por
pedirse d seos amigos por causa do servico mi-, todos, i
litar do 1" batalhio de voluntarios da patria, para
o qual foi nomeado pelo Exm. presidente, o faz
pelo presente, pedindo Ihes desculpa e prometien-
do nunca esqnecer as manifestarles de amteade e
apreco qne dos mesmos tem recabido, asseguran-
do Ihes qne far todo o possivel para toroar-se
dicmoda amizade qne immerecidamente Ihe de-
dicam.
no grande armazem da Liga.
. T
Aluga-se orna boa escrava a qual sabe fazer
lodo o servido de urna casa de familia : a tratar
as rua da Imperatriz o. 51, segundo andar.
Dseontam-se notas do banco do Brasil e das
caiaae'filiaes: na praga da Independencia n. 22.
Particrpa-!e aos pas de mealnas entregues a
diree^Sa do collpgio de N. S. da Coaceico, qne
este collegio se acba transferido para os Coelbo?,
ondefof aeasa de Alienados. Todas as pessoas que
ilvarem relaeies com dito collegio, alli .pflderao
dirigirse : assn como all ?otr.<'Bte aos donaos
de tardr se T&mm visitas.
Companhia fidelidade de seguros
marilimos e terrestres
dstabelecida no Rio de Janeiro.
AORNTES EM PERNAMBUCO
Antonio Luiz de Oliveira- Azevedo A G,
competentemente autorlsados pela direc-
tora da companhia de segnros Fidelida-
de, tomam seguros de navios, mercado-
rias e predios no seu escriptorio rua da
Crui n. i.
Preeisa-se de orna ama forra oo captiva pa-
ra cosiotur e comprar para casa de rapaz solteiro:
a rna do Queimado n. 7.
Precisa-sede urna ama para todo servico de
urna casa de. pouca familia : a tratar na rua Ve-
lha n. St
Cal singas Anos e brinquedos
para meninos.
Chegaram para a loja de miudezas da rna do
Queimado n. 69, os mais linos e lindos calungas
tanto para brinquedo de meninos como para cima
de mesa : na mesma loja se encontrar bom sor-
timento de miudezas. _________________
Cheg aram os superiores
cortes de .seda.
Superiores cortes de seda de cor, vindos pelo
ultimo vapor f-anrez : na loja das columnas a rua
do Crespo n. 13, de Antonio' Correia de Vascon-
cellos 4 C.
FARELO
de Lisboa.
Vendem-se saceos rom 90 libras de farelo, pelo
barato preco de 4500 : na roa da Madre de Dos
numero 9.________
Vende se nma preta moca que perfeita en
gomraadeira, cose e ensaboa perfeiumente, coz-
nha o diario de ura casa: na rua Nova n. 49 se
dir qnem vende.
Imprecado con invariavel succesio desda 30 anuos
pela Mdicos de todoi os pina contra is molestias
rganieae en ale orgnica do eoracie, as difersas ky-
dropisiaa e a maior parte daa molestias do peito e dos
bronckios (pneuowiuaj, atarrhoi puimona.ru, utkmu,
iajfassmacd'et nerroias dotbronckioi, atarrhras.ctc...)
O x Alien de labelonyb nle se vende sesto *m
carrafas com rotulas de cor e fechadas coa urna chapa
MTando a firma de inventor.
Basa FAniS, raa nrh.nHllr.fuvr, I .
Deposito geral em Pernambnce rna da
Crnz n.22 em casa de Caros & Barbea f
qae se est ;.i iIiikIo, vestides para
sciihoias,
Cortes de la indiana para vestido fazeoda de
gosto a 44800 o corte : s na rua do Queimado n.
43 e 45, esquina que volta para a. Congregacao.
Bitas hamburguesas.
Vende-sena rua Nova n. 61..
(Meias de ac poido para
relogios.
Chegaram loja da esperanza estas radeias, as
mais bem acabadas npste genero, qne se vendem
por 2& : ua rua do Queimado n. 33 A.
MANUAL
DO
iMRocno.
Caaposto pele eonego
Dr. i. C. Fereandes Piohciro.
Acaba de chegar do Rio de-Janclro esta abra :
vende-se na iivraria econmica ao p do arco de
Santo Antonio, a 54500 o exemplar.
Milito.
Vende-se milho muito bom a 5i o alqneire f31
cuiasl: no caes do Ramos n. 4.
Vende-se urna preta velha, por prpgo com-
modo: a-tratar na rua do Livramento n. 85.
Arthur Nnpoleao
Qu.tdrillia de coiitradansa?.
JOVEN HELlNA
Brllhante walsa.
Acham-se a venda estas duas exceUenles pe^as
de mostea para piano, comfosicaa do director" e
regente da orchestra do thealro de Sania Isabel,
Colas filho, na loja do Sr. Dumond rna Nova.
Cada exemplar 1500.
Atlengdo.
Vendem-se pecas de esteiras para forro de sala,
tinta branca preparada a oleo, em latas de Sfi li-
bras, para pintar casa, relogios para cima de me-
ii e pira pendurar, arreios para i e 2 cavallos, v
velas de sperraacete, tudo de superior qualidade,
vindodos Estados-Unidos : no armazem da rna do
Trapiche n. 8.
0 GASTELLO DE GfilSTILLE
Traduzido do-fraocet per A. J. C. da Crni.
Vende-se este bello romance em quatr
tomos felo haratissimo preco de 2ii()C
na praga a Independencia, livraria n*.
6 e 8.
\

;

i
I
V
.-
i



Diario de eraaiaJMMa .. aMatda Ja JkbvU t !*>*

Admirem
Admirem
Admirem Bem!!
As echinchas que esli a venda na loja e a ma-
rera r Pavito, na ra da Imperatriz n. 60 de Ga-
ma i SHva, oode se veodein todas as fazendasr
tanto de luxo como de primeira nocessidade por
presos rauio rasoaveis, e com especialidade as se-
guales, dando-se amostras deuando ticar penhor,
ou inando-se levar em casa das familias pelos
caneiros da mesma loja.
Alyodoziuo do Pt.
Vendem-se pecas de algodozlnho marca T, mui-
to largo, proprio para lenges e toalhas, leudo 2i
jardas pelo baratissinlo prego de 6 a peca; dito
large com violo jardas a 5, pechiacha por ser
fazeada que se vende em oulra rpialquer parle
por 105 e iti, islo na loja do Pavao, ra da im-
ratriz a. 60 de Gima & Silva.
Madapoln entestada a 4$, 4S00 e 30000.
Vendem-se pegas de madapolo entestado com
12 jardas pelo baratissimo prego de 'ti, 43O0 e
'ii, dilas sem serem entestados de marcas multo
. acreditadas a 7, 8, 9, e 105, ditas, francez
multo encorpado proprios para saias a 480 ris a
vara, isto aa loja do Pavo ra da Emperatriz n.
60 de Gama & Silva.
Grande lecliincha.
Chitas a 20 res o covado.
Ou 75600 a pega s o Pavo.
Vendem-se chitas ioglezas de superior qualida-
de, allanganio-se as cores serem lisas, com murta
diversidad de padrdes, pelo baratissimo prego de
220 rs. o covado, ou 75600 a pega leudo 38 co-
vados, sendo azcnda esta que sempre se ven leu a
280 rs. o covado ou IOS a peg?i, ciritas largas a
280, 3i0 e 360 rs, na loja do Pavo, ra da I upa-
ra tru n. 60 de Gama & Silva.
Corles de chita franeeia na loja do Pavo.
Vendem-se corles de chita franceza, cores fkas
com 10 covados a 35, ditos com 11 covados a
35300, ditos com 12 covados a 35600, ditos da chi-
ta iogleza a 25200, 2> 1) e 2jo00, isto aa loja do
Pavao ru 1 da Imperatriz n. 60 do Gama & Silva.
Cassas Francezas a 30 >, 320 e 360 na loja do
Pari.
Vendem-se cassas francezas muio finas, de co-
res linas pelo-; baratos pregos de 300,320 e 3G0 rs.
o covado, pegas de cambraia com salpicos de cor
tea lo 8 l|2 varas a ditas salpicos braacos a
a !S00 e 35. ditis adamascadas para cortinadas
a 45, na loja do Pavo ra da Imperatriz n. 60 de
Gama & Silva.
Cortes a Haria Pia.
Grande pecbincha a 50000 e GflOOO.
Vendem-se os raais bonitos cortes para vestidos,
sendo de cambraia branca com as barras e enfeiies
bardado*, de cor crox, pelo baratissimo prego
de Si, ditos do mesmo goslo mais sendo de cores,
pelo baratissimo prego de 65 cada um, valeodo
esta f.izeo la dobrado dinneiro por ser a mais mo-
derna que teni viudo ao mercado, isto na loja do
Pavo na ra da Imperatriz n. 60 de Gama &
Silva.
Grande pecbincha a S#000.
Vestidos de la a Mara Pia.
Vende-se um bonito sortimento de vestidas de
la com barras bordadis Maria Pia com as com-
petentes enfeites para o corno, pelo baratissimo
prego de 85 cada um, pechincha por ser fazeada
que sempre se vondeu a 425, e por ter chegado
urna nova e grande porca, resolveram-se a fazor
este grande abatnenlo "na loja do Pavo, ra da
Imperatriz n. 60 de Gama & Silva.
Vestidos Braacos.
Vendem-ie os mais ricos cortes de vestidas de
cambraia branca primorosamente bordados, pelo
barato prego de 125- 16J a 203 na loja do Pavo,
ra da Imperatriz n. 60 de Gama & Silva.
Laa garibiildian a 400 ris,
Vendem-se as mais modernas lazinhas transpa-
rentes, com listriiihas miuinhas, pelo baratissimo
prego de 400 rs. o covado, ditas enfestalas, cor de
havoa, cois listras differentes, sendo das mais mo-
O-rnas a iiioiio encorpadas a 500 rs. o covado : na
loja do Pavo, ra da Imperatriz n. 60, de Gama
A Silva.
r.uide pechiacha, vestidos a
Acaba de chegar um bonito sortimento dos mais
lindos vestidos transparentes, muito proprios para
passeios e bailes, por seren de primorosas dese-
nhos, seado todos os padrdes tecidos e nao pinta-
dlos, e vendem-se pelo baratissimo -prego de 35500,
sendo fazenda que val mttrto mais dinheiro: isto na
loja do Pavo, ra da Imperatriz o. 60, de Gama &
Silva.
Liaziahas a liO ris.
Vendem-se as~ mais modernas lazinhas trans-
parentes, proprias para vestidos, tanto de quairi-
uhos como de listras, com as cores muito bonitas,
pelo baratissimo prego de 240 rs. o covado ; ditas
com palminhas de se Ja, padrdes muito banilos, a
320 rs. : s na loja di Pavo, ra da Imperatriz
a. litf, de Gama 4 Silva.
i\izenil;is pretas.
Vende-se groasdenaples preta a 18280,15600,
15800 e 25 at 45, superior meurantique prelo a
35, setim da China, nova fazenda toda de la. pro-
pria para luto, cora 6 palmos de largura, a 300,
360, 680 e 800 rs. o ovado, e outras militas fa-
zendas proprias para hito : na loja do Pavo, ra
da Imperatriz u. 60, de Gama & Silva.
firasdenaples de cor a I0SOO.
Vndese superior grosdenaples cor de caf, pro-
prio para vestido, sendo muito encorpado, a 15600
o covado : na loja do Pavo, ra da Imperatriz n.
60, de Gama & Silva.
Casemirasa 1$6fl0.
Venem-se casemiras garibaldinas de quadn-
nhos e lizas, proprias para caigas, palitos e coletos,
pelo barato pcego de 15600 o covado, assim como
calcas, pililos e coleles j feitos das uesmas: na
loja* do Pavo, ra 4a Imperatriz n. 60, da Gama &
Silva.
Grande ssriimento de ronaa feita.
Vende se na loja do Pavo um grande sorUmea-
to de roupas lenas, constando de palitos de panno
prelo, sobreeasacos, ditos saceos, ditos de casemi-
ra, saceos e sohrecatacos, ditos de brim braneo e
de cores, dito- de casineta, caigas de-casimira pre-
:ta de todas as qualidades, ditas de cor, ditas de
irim de indo braneo e de todas as cores, coletos
e brim, casemiras, sella), gorgurao, etc., etc., to
das estas obras vendem-se por prego nlais barato
do fuo era outra qualquer parte : na loja do Pa-
vq, ra da Imperatriz n. 60, de Gama di Silva.
Chales e manteletes de renda
Vecdem-se os mais rieis e mais' modernos cha-
let e manteletes de renda, chega dos pelo ultimo va-
por da Europa, por prego muito razoavel : na toja
do Pavo, ra da Imperatriz n. 60, de Garaa &
Silva.
Soutembarques de cor
Vendeu-se os mais moderaos soutembarques de
cor, ricameate enfeitados, e por barato prego : na
loja do Parlo, raa da Imperatriz n. 60, de Gama Silva.
Capas arelas e soulembarques,
Vendem-se as mais modernas capas pretas lisas
e bordadas, os mais bonitos soutembarques pretos e
manteletes, tudo de seda preta e a une ta de mais
goslo no mercado, por pregos muio em eohta :
na loja do Pavo, ra da Imperatriz n. 60, de Ga-
ma & Silva.
Enfeites para cabega.
Vendem-se os mais lindos enfeites para cabega,
a 35, 45, 35 e 65, os melhores baldes cronelioas :
na loja do Pavo, ra da Imperatriz n. 60.
AO PUBLICO
em o menor coastraa-
giuicno se eatregav o
importe do genero qne
o agradar.
Attencfto.
tfazeuJas pretas para a quaresma par
por baraiisiiiio arft$ar aa laja e ar-
masen da Arara, ra da Imperatriz
Lottre*CQ Pereira Menes Guimare.
O propnelario deste esiabelecimeato retira-se
para a Europa a tratar de sua san Je, porm antes
de retirar-Be pretende azer urna liquidago de ba-
baratissimo prego para fechar coulas : agora fre-
goezes vende-se grosdenaples prelo muito bom
para vestidos, a 15600, 25 e 25300, di lo de o pal-
mos de largo, a 35 : na rna da Imperatriz loja da
Arara n. 36.
Meurantique preto a 3.
Vende-se roeuranlique preto para vestido a 35 o
covado, grosdenaple muio largo e encorpado a 35,'
5300, 25 e 15600 o covado, alpaca preta para
vestidos e palito a 300,600, 700 e 800 rs: o cova-
* sarJa de la para vestidos, caigas e palitos a
640 e 800 rs. o covado, la preta para vestidos a
640 rs., bombazina preta para vestidos a 15280 o
covado : ra da Imperatriz loja da Arara n. 36.
Ricos vestidos a Mara Pia a .
Vendem-se ricos vestidos a alaria Pia a 105,
125, 145,165: ruada Imperatriz loja da Arara
n. 56.
\rara vende peca* de paaninho a 5f$ e de
niad-ijiolao a 4$.
Vendem-se pegas de panninbo muito fino de 12
jardas a 05, vendem-se pegas de madapolo infes-
rado a 45 e 45300, vendem-se pegas de madapolo
de 24 jardas bom a 65, 75, 75500, 85, 95, 105 e m I'T ''.''".
125, vendern-se pegas de algodosmho a 35, 65, m-Oteiga mgleza especialn|Jlle escf linda
'5, e 85 : ra da Imperatriz n. 56. 1.000 e 800 rs. a libra e em barril sefa
Arara vende os bales a 2#00.
ATTENC&O
Os presos da seguate
tabella para todos, pu-
dendo assim servir de ba-
se para o ajuste de cantas
com os portadores.
ARMAZEM NIO
Vendem-se balis de arcos de todos os lamanhos
a 25 jOO, 35, .35300 e 45: ra da Imperatriz
n. 66.
Lazinhas da Arara a 320 rs. o covado.
Vendem-se lazinhas para vestidos de senhoras
8 raeumas a 320, 400 e 500 rs., ditas lizas de to-
las as cores a 400, 500 e 560 rs. o covado. cassas
unas para vestidos a 320, 360 e 400 rs. o covado :
ra da Imperatriz n. 56.
Chitas da Arara a 240 rs. o covado.
Vendem-se chitas de cores fixas a 240 e 280 rs.
o covado, ditas francezas finas a 320, 360, 400 e
00,preclara para vestidos a 500 e 360 rs. o cova-
do : ra da Imperatriz loja da Arara n. 56.
Lnjuidatjo de soutatabaques e lazinhas a
v 7*, 8 e 10.
venaem-se soutambaques de lazinhas para se-
ohoras a 75, 85, dita de alpaca branca a 105, ditas
muito linas de grosdenaple preto a 205, 255 e 305,
apas pretas de grosdenaple fino a 205, 235 e 305,
manteletes pretos de grosdenaple a 205 e 225, go-
nnnas para senhora a 240, 320 e 300 rs., mangui-
>'..ngola a l- camizinhas para senhora, 25,
e s$, ditas maito linas bordadas a 45500 : na loja
do barateiro da Ba-Vista ra da Imperatriz loja
da Arara n. 56.
Cortes de dilas finas a 2^400.
\enilem-se corles de dilas com 10 covados por
-5400, daos de dita franceza a 35200, cortes de
cassa franceza fina com 11 covados, por 35, ven-
dem-se pecas de cambraia brauca lisa a 35*> ii-MO, 55300, 65 o 85 : ra da Imperatriz n. 56.
Liqwdacao de roupas feitas palitos a 20.
\ enuem-se palits de brim de cor a 25, 253CO e
i, jaquetoes de brim pardo a 35 e 35500, palitos
de casimira bc.n feito a 55, 65, 75,85 e 105, di-
tos de panno preto bom a 85 e 105, ditos sobreca-
sacos de casimira de cor e preta e de panno a 125,
1*5, lb5 e 205, caiga de brim dec. a 25 e 25300,
ditas brancas de linho a 35500 e 45, filias de ca-
simira d cor 45, 65 e 85, pretas a 55, 63 e 8i,
Blleles de casimira de cor e prelo, de brim de cor
Jj 1*500, braacos a 25 e 205.0, ceroulas feitas a
5280 ditas linas a 15600 e 25, camisas fraoce-
U8 a -5 e 25300, dilas inglezas de pregas largas a
15,'le lindo a 35 e 35500, colerinhos econmicos
a bt rs.a duzia, ditos de linho a 500 rs, um : na
ra da Imperatriz luja da Araja 11. 56.
r Arara vende as cuberas a 25.
V eniem-se caberlas de chita linas a 25 e 25300,
ditas de damasco a 45 : ra da Imperatriz n, 56.
k na Arara que -e ven le cortes de casimira
preta a 3i5L
*..y^em-secortes de casimira rela para calca a
taJfSl **. 65 e 85, ditos de cor a 35,
t*pO e 6J : ra da Imperatriz n. 56.
Arara vende panno preto a 20.
Vende-se panno preto uara caiga e palito a 25,
35,2*500, 45. 45300 e 65 o covado, casimira pre-
ta ana a 25, 25300 e -35 o covado e outras mcutas
fatendas para liquidar: n* loja e armazem do
Arara, ra da Imperatriz n. 56.
PUQPUIO PARv SENHORA.
Ve.idd-se um excellcnte cavallomuito no-
vo e manso com todos os andares: na chei a do Paulino, rua de Santo Amaro.
Coke a gaL
Pilcli do gaz.
Alcatrao do gaz
Coke tonelladas rs. 10-jOOO
Pitch V '.'.. ; 80.^000
AlcUro caada..... 400
O coke reconhecidamente o carvao mais econ-
mico, tornfi-se por isso recommendsvel, bem co-
mo pelo asseio que; se nota as cozinhas aonde
elle usado. Pitch e alcatro, alm das applicagoes
diversas a que se prestara, como para callaietar
erabarca^iies, aleatroar madeira?, etc., teem este a
prapriedade de preservar do cupial, formigas, ele.
E' entregar na fabrica do gaz ou mandado- por em
qualquer ponto da cidade, segundo c vontade do
comprador.
* RA DA CADEIA DO RECIFE N. 53
(Lago passande o areo da ConceicSo)
PARA BEM DE TODOS
Senhores e senhoras, o aceio que presidio aos arranjos deste novo estabelecimento, e mais que ludo a |.rompiido e inte-
reza com que sero tratados, convida a urna visita ao mesmo, certos de que sera duvida me daro a pi otecf ao c preferencia na com-
pra dos generes que prec:sarem, e quando na"o possam virpodero mandar seus portadores, ainda que estps ehm pouco rraticos
pois sero to bem servidos como se viessem pessoalmente, havendo para com estes toda recommenda.ad, afirc "do que nao \5oeii
u Ira pilo.
na, macarro e lalharim a 4oo rs. a
a
faz
Oleo de Florida
Comoosto de substancias vegetaes exticas, elle
contribue poderosamente, cora a aua de Flo-
rida a forga, a belleza e a conservaglo dos cabel-
los.
Em Pars casa de Guilaur n. US ra de Rechi-
nen e 21 boulevard Montmarire.
Todos os frasees nao lendo intacto e clare, e tio-
clre prateado da easa, reoutado falso.
Deposito roa do Imperador oharmacia d. 38.
HXaH^,l
Urna familia qne se retira veOe ama mobilia
de amarello j osada, treno de co*mha, jooga de
almogo e janlar azul, ama mesa de antar de ama-
relio ps toraiados, mesas pequea^ eommodas,
cama de casal e mulles outros objectos 1 qae ludo
si vcaef4 ea coa: na roa dw res>. i.
Muita attenc'i.
a
Xa aova taja de fa/endas c roapas fei
tas nacioaaes na ra da Imperatriz
11. 72, de.Gaimaraes & Irmaa.
Acaba de chegar a este novo estabelecimento
um grande sortimento de soutembarques de cores
pelo barato prego de 55, 65, 7 e 85, ditos pretos
de grosdenaple de 195, 205 e 23: isto na ra
da Imperatriz n 7J. loja de Guimaraes & Irrao.
Vendem-se chitas muio Unas sendo de cores fl-
xas a 240 rs., ditas largas fraceczas a 260, 280,
320, 367 e 400 rs., ditas percales finas a 480 e
300 rs. : islo na ra da Imperatriz n. 72, loja de
Guimaraes 4 Irmo.
Grande sortimento de eortes de chitas a 25300
e 254OO, ditas Anas a 35 e 25200 : na rna da Im-
peratriz a. 72, loja de Guimaraes & Irmo.
Vendem-se madapoles finos a 45800, 55, 65,
75 e 85,dite muito (no a 95 e 105, dito francez
entestada a 45.45300 e 55: na rna da Imperatriz
n. 72, loja de Guimaraes & Irmo.
ROUPAS FEITAS.
Vendem-se paletots d alpaca a 35, 35300 45
e 35, ditas de casemira a 55, 65, 75, 85 a !#,
caigas de brim de todas asqualidades a 15. I38OO.
25 e 25300, brim pardo a 25. 25300 e 35, dilas
de casemira a 35500, 43, 45300, 35, 65 e 75 :
isto na loj de Guimaraes S Irmao, na ra da Im-
pertriz n. 72.______________________________
-i- Na ra da Cruz n, 3S, em casa de Mills Ral-
leau, 4 G_ vende-se : 1
Cha.
Oleo de linhaga.
Folhas de Flandre.
Sitios e silhdes inglezes.
Cerveja Aspinall.
Dtta Bass.
Dita John JefTres & C.
Um piano com pouco uso.________
Carta chorographiea
DO
THEATR8 DA GUEBflA.
.Acha-se exposta venda, as fojas abaixo meo-
cjeoad is. a carta choropraphica do theatro da guer-
ra nos Estados do Sul da America Meridional, con-
tendo as plantas do Paysand, e do bloqnein e cer-
co de Montevideo. Ella tornase recommendavel
nao s pe lacuna que veio preeneber, como pelo
esmero do trabalho Jythographieo.
Vende-se pela mdica quantia de 2#000 as livra-
rias dos 3fs. Nojraeira, ra do Crespo; e do Sr.
Cardoso Ayres, na daCadeiado Recife, assim como
as ljas da Exposlgo de Londres e na lythogra-
phi do Sr. Carlos, a mesma ra n., 52, e tu Joja
do Sr. Cardow de Almelda, roa da Crui.
abatimenlo.
dem franceza a mais nova do mercado a 96o
rs. a libra e 00 rs. em barril ou meios.
Cha hysson de supe/ior qualidatle a 2,690
i*s. a libra.
uh perola p mais superior do mercado a
2,800 rs. a libra.
dem hysson muito superior em latas de 15
libras muiloproprio para negocio a 2,ooo
rs. a libra.
dem hysson nacional em latas de 1 e 2 li-
bras a 1 ,Goo rs.
dem prelo o que se pdc desejar neste ge-
nero a 2,000 e 2,2oo rs a libra.
Linguicas muito novas a 800 rs. a libra e em
barril se faz abalimento.
Chouricas e paios a 800 rs. a libra.
Goslelletas inglezas a 64o rs. a libra, serve
para temperar panella ou para fiambre.
Queijos do reino chegados neste ultimo va-
por a 2,2oo rs., ditos de navio devella a
2,000 rs.
dem londrinos muito frescos e de superior
qualidade a 800 rs. a libra.
dem pratoa 800 rs. a libra, c inteiro se faz
abalimento.
dem snisso o mais superior que tem vindo
do mercado a 64o rs. a libra.
Ervilhas e favas porttiguczasj preparadas
em latas hermticamente lacradas a 64o.
Feijo verde muilo superior a 6i0rs. a lata.
Copos lapidados para agua a 3,000 e 5,5oo
rs. a duzia.
dem dem para vinho a 24o rs., e 2,4oo rs.
a duzia.
Chocolate francez hespanhol e suisso a 9oo,
I,oooe l,2oo rs. a libra.
Espermacele superior a 600 e64o rs. a li-
bra e em caixa se faz abalimento.
Peixe em posta em latas hermticamente la-
cradas e das melhores qualidades depei-
xe 800, l.ooo e l,2oo rs.
Vinho Bordeaux das marcas mais acredita-
das que vem ao nosso mercado a 7,ooo e
8,000 acg'ixae61o e 7oo ris agr-
rala.
Genebra e ollanda a 18o rs. a botija de
conla certa.
Frasqueirasde genebra de Hollanda a 6,800
e 64o rs. o frasco.
Genebra de laranja verdadeira em frascos
grandes a 1,000 e Il.onors. a frasqueira.
Caf do Rg de Ia qualidade a 28o rs. a li-
bra e8,5oo rs. a arroba.
Cafdo Cear muito superior a 2lo rs. ali-
' bra e 7,5oo rs. a arroba.
Arroz do Maranhao de Ia qualidade a loo
rs. a libra e 2,800 a arroba.
dem da Ind4a a loo rs. a libra e2,8oo a
arroba.
dem de Java a 80 rs. a libfa e 2,4oo a ar-
roba.
Paincoe alpisa a 14o rs. a libra e4,oooa
arroba.
bra e 6,000 a caixa.
Massa para sopa : estrelinha, pevide e rodi-
nha branca ouamarella a 64o rs. a libra e
3,5oo a caixa com 8 libras.
Vinho do Porto muito fino proprio para
engarrafar, em ancoretas de 9 caadas a
35,ooo rs.
Vinho em pipa: Porto, Figueira e Lisboa a
32o, 4oo e 5o rs. a garrafa, e em caada
a 2,5oo, 3,ooo e 3,8oo.
Vinho braneo de Lisboa de excellente quali-
dade a 4oo e 5oo rs. a garrafa e em cana-
da a 3,ooo e 3,5oo.
Vinho braneo para missa em caixas de 1 du-
zia a 8,000 e 680 rs. a garrafa.
Vinho do Porto das melhores marcas que
vem ao mercado como sejam Lagrimas
do Douro, Duque do Porto, Rainha de Por-
tugal, Duque genuino, D. Luiz l.Madei-
ra Secca, Malvazia fina a I6,ooo,15,ooo,
12,ooo e 10,000 a caixa com 1 duzia e 9oo,
l.ooo e l,5oo rs. a garrafa.
Vinho Cherexde superior qualidade al 6,000
a duzia el,5oo rs. a garrafa.
Sardinhas de Nantes a 4oo rs. os quartos e
64o rs. as meias latas.
Bolachinhas inglezas muito novas a 5,ooo a
barrica e 320 rs. a libra.
Bolachinhas de soda em latas de diversas
qualidades a l,3oors.
Cartoes com bolo /rancez muito proprios pa-
ra mimo a 64o rs.
Passas muito novas em caixinhas enfeitadas
para mimo a 3,ooors.
Passas de carnada a 8,000 a caixa e 4oo rs.
a libra.
Figos de comadre a 24o rs. alibra.
Amendoas de casca mole a 4oo rs. a libra.
Milo de amendoas a 5oo rs.
Bolacbinha d'agua e sal, da fabrica deJoo
deBrito no Beato Antonio, emlata de 6 li-
bras por2,5oors.
Ameixas francezas em fiaco de vidro com
lampa do mesmo, a lrico.
Ameixas franct zas em caixinhas de diversos
tamanhes com bonitas eslan pas na cai-
xa exterior, a l,4oo, l,6oo, t,8ooe 2,ooo
cada urna.
Azeite doce refinado*espanhol ou portuguez
a 9oo rs. a garrafa e lo:ooo a caixa.
Batatas muito novas a 80 rs. a librae2,5oo
o gigo com 36 libras.
Conservas inglezas a 75o rs. o frasco p
8,000 a duzia.
Vassouras de escova para esfregar casa a
4oo rs.
Nozes muito novas a 16o rs. a libra.
Molho inglez em garrafa de vidro com rolha
do mesmo, a 16o rs.
Moscarda inglesa dos melhores fabricantes,
a 800 rs. o frasco. v
Mostarda franceza em potes j preparada a
4oo rs. o frasco.
Lentilhas francezas, excellente legume para
sopa, a 2oo rs. a libra.
Massade tomatesde superior qualidade a 64o Marrasquino de Zara propriamente dito a
rs. a lata de urna
lho.
libra e56o rs. a rta-
la a garrafa e i 1,00o a duzia.
Palitos de dente a 1 io rs. o mago.
Sal refinado cm frascos de vidro com lampa
do mesmo, a 5oo rs.
Cerveja branca das marcas mais acreditadas
que \em ao Mercado, a 5oo, 56b e 64o
a garrafa, e 5,800, 6,000 e 6,000 a du-
zia.
Cevadinha de Franca nuiilo nova, a2oors.
Charutos do aflamado fabrcame Jos Finta-
do de Simas, das*seguintes qualidades:
Exposicao Normal de Havana, lmpeiiaes,
Londrinos, Guanaharas, Parisienses, Sus-
piros Delicias, a i,ooo, 4,000, 0,000,
0,000 e /,00o a caixa ou em meias.
Charutos finos de diversas marcas e fabri-
cantes como sejam: Flor do Norte, Ma-
nilhas de Havana, inlervallos. Vencedores,
Panatellas e Suspiro?, a 2,000, 2,ooo e
3,000 a caixa.
o gnac inglez das melhores marcas, a 800 e
I,2oo a garrafa.
Doce da casca de goiaba a 2.000 a lata com
4 libras.
Farinha de aramia verdadeira a 32o rs. a
libra.
Matte.exe.jllente cha para os navegantes, a
2oo rs.
Sebollas de Franca muito grandese novas
a l,8oooccnto e 1,2oosolas.
Palitos do gaz a 2,2oo a grosa.
Toucinho de Lisboa muito novo a 32o rs. a
libra e 8,800 a arroba.
Banha de porco refinada a 65o rs. a libra.
Bolacbinha Alberto, as melhores que pre-
sentementetem vindo ao mercado, a ,ooo
a lata.
Farinha do Maranho muito alva e cheirosa
a 2oo rs. a libra.
Frascos com fructas em calda de diversas
qualidades a 2,5oo e l,oto o frasco.
Caixinhas com fructas em doce secco de di-
versos tamahos, muilo. proprias para
mimo, a 1,60o, 2,600 e 3,5oo cada urna.
Ruibos, oxcellerite f eixe portuguez, em
barris pequeos ou a retallto, a vista se
far o preco.
Azeitonas de Rivasem ancoretas grandesde
8 garrafas por 600 e8oors. a garrafa.
Azeitonas porluguezac a5oo rs. a garrafa e
l,5oo cada urna 'irorea.
Champagne da melhor qualidade que vem
ao mercado, a 2,ooo e 3,5ooa garrafa, e
24,ooo e 26.eoo o gigo.
Gomma deengommarmuitoalva a 12o rs.
a libra.
Figosemsextinhas'a'8o rs,cada urna e 72o
rs. a duzia. ,
Papel azul para botica a 2,000 a resma.
Balaios para roupa suj3. grandes c peque-
os, por diversos pieo s.
Amendoas confeiladas a 64o rs. :i libra.
Latas com fniclas pm calda: pera, pecego,
damasco, rainha Claudia ecereja, a 800
rs.
Vinagre de Lisboa a 2oo e 28o rs. a garra-
fa e a 1 ,4oo e 2.000 rs. a caada.
Azeite doce de Lisboa a i,8oo r?. a caada
e 640 rs. a partafa.
Vinagre braneo j engarrafado a Roo rs. a
garrafa.
60
120
100
80
30
100
20
160
120
100
MO
200
640
600
20
I $500
3(J
200
300
too
240'
320
800
200
6*000
160
40
800
60
20
40
2*300
3*600
50000
2O0
200
320
1*000
v
BOTICA E DROGARA
Bai'llioioiiieii Fraacssco de Souza C.
34Una larga do Rosario34
Vendem:
Pilulusllolloway
Pilulas do Or. Laville.
Pilulasdo Ur. Alian.
Pilulas do Pobre-boiiiem.
Pilulas americanas.
Pilnlasvegetaes.
Pilulasvegetaes assucaradas de Kemp.
Salsa de Bristol.
Remedios do Dr. Cbable.
Blexir de Pepsina de Grimault.
Vinho de Salsaparrilha deCh Albert.'
InjecgaoFeaugas. .
Agua dentificade Desirabode.
Papelchimico, para talhos.
Xarope depurativo de Cha ble
Licor aromtico de Raspad.
Pos anti-epiletieos de Brest.
HobL'AITecleur.
.arope do Bosque.
Ungento HoHoway.________
RIVAL
Sem segundo,
Ra do Queimado, a. 49 e 00. E' para admirar.
Carretis de hnha com 130 jardas......
iios com 200 jardas de Alexandrc de
12 a60..............................
l>ito dito de 60 a 200..................
Vovellos delinha graodes com 400 jar-
das .................................
dem idem brancos e ae cores de 100
jard.s.............................
Livrospara assento de roupa lavada...
Cordo raneo para esuarUlho (vara)
Varas de franja branca larga..........
Pares debotoes de punhotodos decores
Tinteiros de barro com lima............
Tesouras para costuras finas e unhas
Hilas para costuras rom toque d'avaria
Caixas com 100 cnvelopes das melhores
qualidades...........................
Ditas com 20 cadernos, raptl pautado e
liso................".............:.....
Cadernos de papel pequeo > e a reta-
Iho)..............................
Meiadas de linha frcuxa para bordar...
Pares de sai alos Masscs com superiores grampas para
senhora.............o............
Frascos de macaga perola muito suerior
Ditos de verdadere oleo de babosa a
400 rs. o........................
Ditos e garrafinlias de agua de Colonia
muilo fina.......................
Pegas de litas elsticas para veslidos a
melhorqaalidade..................
Pares de ligas para senhora as incine-
res .......................' ....
Frascos de agua denlifrice muitoSnpe-
lor............................. :v .
Caixas com 4 papis de agulhas a balo
e Victo/la.............."..........
Libras de la sendo de todas as cores...
Boneeos vertidos elamhem de choro...
Caixa6 rom superiores obreias........
Dilas de linha de gaz com 30 novellos..
Enfiadeiras de lita para espartilnbs...:.
Carrelis delinha de eflres coro 100 jar-
las .............................
Pegas de ordo imperiil............
Resmas de superior papel almago a
Diuias de superiores meias ernas para
hornera a 3*200 e.................
Duiias de superiores meias para senho-
ras a.............................
Sxboneles de familia muilo finoi a 120 e
Meias garrafas da tinta a.............
Crliihas da dmurina a melhor qualida-
de a..............................
Caivetes de cabo de niarflm de superior
qualidade........................
Varas de cordSo braneo de borracha.... 10 j em saceos grandes com dous taminhos de oniros
Vendase a taberna da ra dos Acouguinhos; quaesquer a 4*800 ; na ra larga do Rosario n-
o 10 : a tratar na mesma 50, iberm i qn'Bi.
ni vIl
SEM SEGUNDO
Pechiaclia ni v,\>j;i de fazeodas
roopa feita nacional, rna da Impe-
ratriz n. 72. '
Pechincha a 240 rs. e covado de chita.
Vendepi-se chitas de cores flxas a 240,280 rs. o
covado, dilas francezas largas a 300, 320, 360, 400
e 440 rs.ocovado : pecas de madapolo fino a 6*,
7*, 8*, 9J e 10*; pegas de algodao a 5#, 6*. 7
e 8* : ra da Imperatriz o. 72.
Ilmipa feita nacional.
Vmdem-se patitos de cazemira preta e de cores
a 5*, 6*, 8* e 10, ditos" sobrecazacos a 12a, 14
el6* Palits de brim de cor a 2*300, 3* e3*300
rs., caigas de cazemira preu a 6, 7# e 8#, ditas
de cazemira de edr a 5a, 6* 7, e 8* eoletes de
cazemira decores e pretos e ditos de brim a 1*500,
e 2*M/./ ; -algas de brim de cor a 2*. 2*500 :
ra aSlrerarriz n. 72.
teatMgfcarirae > cres a 7/1, H e 10^.
Vendenvsesontambarque de la e seda para se-
nhoras a 7a, 8* e 10*; dito de grosdenaple pre-
to a 203 e 23* ; capas pretas a 20 e 25* ; vesti-
dos de la a liarla Pa a 12*, 140 e 16* : roa da
Imperatriz n. 72, '
Cortes de cazemira preta a 3.
' Vendem-se rtes de cazemira preta para calca
a 3*, 3*500, 33 61 e 6S, ditos de cazemira de
edr a 3*, 45,5, e 7*. ditos*de brim de cures a
1*000, e 2*. ditos de chitas finas a 3*400 e 3*100,
ditos de cassas rraneeza a 3* : na da Imperatriz
loja do barateiro n. 72.
Na ra do Queimado n. 49 e 35 lojas de miode-
zas de Jos 4 Azevedo Maia e Silva contina a
vender tudo por pregos mai? barato do qne em
outra qualquer partt quem quizer ver o que ha
bom e barato venha a loja i)-i Rival.
Duzias oe phosphros de segoranga a ...
Francos com essencia iie Samiaio n.uilo
superior..........................
Escovas dedentesmuito superiores a."."."
Latas com superiores banha...........
Frascos de vidro com superior banha.!
Enfeites do melhor gusto que lem vindo.
I Garrafas d'agua de Florida, verdadeira.
; Pulceiras do melhor goslo e modernas.
Volla parapescogo do mplr.or goslo. ..
Baralhos para voltarete, finas .n 200 p
1 Varas de franja branca de linha que
tem muita serventa.................
Duzia de peanas d'ago muito superiores
Frascos de oleo Bhoza mnito finos.....
Talheres para meninos a melbor qoalj-
dade.............................
Dutia de colhere? de metal muito finas
para sqpa
I2(
1*0C(
20t
2111
241
1*801
if28i
o*
34<
2 l
,06i
OfO
200
Farello
|.......................
Duzia dA'c0f|,eres ,je meIa| mu)[o fin"a's
liara cha........................
(irosas de botdes de osso para calca...
Grosas de boles madreperula para ca-"
raiza.............................."
Grojas de botSes de louca prateados
muilo linos......................
Cartas de allinetes francezes mnito su-|
perfores..........................
Caixas de clcheles francezes a 40 ri.-f
Duzia............................
Golinhas jiara senhora a melhor quali-
dade.............................
Duzias de lapes dilTerentes qualidade a
240..................:...........
Quadernos de papel de peso muito fino.
Resina do mesmo papel.............
Duzia de facca e garfo mnito boas____
Capachos corapridos e redondos muile
boas.............................
Ditos para -of......................
Pares da suspensorio muito hons e para
icabar...........................
Essencia oriental para tirar nodoas de
roupi............................
Pegas de fila do la para vestido com 10
varas a...........................
Vara de bahados do Porlo mullo supe-
riores a 100, 120 e...s...........
Llvros com bonitas c linas etamnas___
240
2*400
1*300
300
200
100
360
200
400
030
2*000
2*400
300
2*000
Vende-fiTia cxreliri.t<> propritdad da rn
Imperial n. 164, frrguezia de S. Ji-, iini'n TSI)
palmos de fenle e majs de 1,200 fe fundo, to
centro do (nal ha tima grande pasa ierrra de pe-
dra e cal, com muilos boos cou axm c algvos
arvoredos de fiucto, precisand" meitde do fcr.dt
de algum alerro : o Sr. rapifalisia i,ue irer fff;>
cqnisigo Um, altm dopreJio, Krni.o \ra *i-
icar um grande noirrro de rasa?, j cim frrete
ara a referida rus, j em outras que ja.-s; n- per
eolio da mesma proprledadc-, (|ue ptr ter tn-fc
ue offerecc a imircnsa v;.nigro de facilitara
incluso des niattriaes, que serlo d/fpfjao em
ma das. obras : quem a pretender tlinja-c to
' encinranrrprfdir, ou na Cu liuai n. 87.
A molestia ou infec(So i mi
lialoonhecida pelo Liff.c te ft-
crofula 6 um dos males incis
I revaletentes e nnl?er$aef>qiM)
ha em toda a extei.ta LjMa i!as
onfeimidalJes de qtic i'ic o
genero liuinand : disse i ni (fo-
bre escritor da medicira qne
mais de nma trra fai'e ^e
todos aquelles que morren r.itt?
da etlica sao victimas, tu di re-
ta ou indirectamente da Bsctfu-
la :por si nao 6 tSo 'es-
tiva, porm a principal causa de mr.it?
outras eufermidades que n?io Ihe s2o ..f ra-
mente atlriluidas. fe
E' urna causa directa da pkthy&iea fvi-
monar, das molestias do figado, do estoma-
go e affeirofs do cerelro : Ei.tie &(tit
numerosos s\mj tomas ailir.-te t; li-
tes .falta de oppetite ; o uwtletilt fal-
lido e s vezes inchado, s vezis de uva
altura tratispai tnle e outras tCfcio e. <'-
marellento ao redor da bocea; [icque/.a t
molleza nos msculos: disgesto roca
appeliteii regular, falta de energa, \tntrf
inchado e ecacuaco irregular ; (nardo o
mal tem sen asento sobre es j ulttTf?, tnta
cor azulada moslra-se cm reda dos rilioa ;
quando ataca os orgos digestivos, os oliwa
tornam-sc avermelhados:o Mito ftido,
a litigua entregada, dores de cabera, tok-
teiros etc.
Naspessoas de disposicr.o esercfulcsa ?[>-
parecem frequentemente eropcCcs na pella
da cabega e outras parles do cerro, sto pic-
disposlas s affecedes dos plmSe, do fga-
do, dos rins e dos orgos digesf\( s e fe-
rinos. Porlanto, nao smente, .'(uel'es
que padect ni das formas ulcerosas p tubtr-
culosas da escrfula que necessitetn i'e pro-
teccae contra os seus estrados; odesaj
quelles em cujo sangue existe o virus latea-
la d'esle lerrivel Oagello (e as vt2es f leri-
ditario) estao exposios tambe m a ECTrev daa
enfeimidades que elle causa, que sSo-:
A p/ithysica, ulceracoes do figat'o, do es-
tomago e dos rins: empales e evfaiti du-
des eruptivas da cutis; rosa cu irt/iifltla;
borbv.lhas. pstulas nascidas, tumores, rh-
ctnnacarbunculos, ulceras c chages, rhu-
matisuio, dures nos ossos, as usUs t na'
cabera, debilidades femininasjfores bren-
cas causada pela ulcerafo intericr, e en-
fermidadet uterinas, ky drope si a, i vse-
to, etjfrauccmfulo c dtbidcae ectef.
Aos pulimos a escrfula protloi til ti cu-
los e linalinente consumpro fulmovett :
as planillas ellaproduz inrb.iroe? e lornaia-
se ulceras: nos oijus digestiros avm
desairan jos que pruduzem iiidipesi.'o, dis-
pepsia, molestias do figade e nos r'rs :-
na pelle produz erupgoes c aftVqri es cfa-
neas. '.
Todos estes males leudo a afma ri-
gem, carecem do mesmo remedio: a s*-
ber : purificar e foitahcer o sangue..
A salsa pari'illt composta dos antdotos mais effica.es c,e
a sciencia medica lem jodido descchrii,
para esta molestia assoladoi e pora s na
de todos os males provenientes d'eila qte
conlm virtudes verdadeiranifnte extifcnt
narias provado inconlestavelmenfe pefas
curas nolaveis c bem condecidas (,1c tem
feilo de tumores, erupcis cutamas, eryti-
pelas. borbulhas, nascidas, cha gas ulicas,
ulceras, rheuma, sama, parebas, hydi(pe-
sia, tosse quando causada por deposites tu-
berculosos nos pulmes. Debilidrdc c,e-
ral: Indigestao, Syphilis constMimol *>
molestias mercuriaes, molestias das nu be-
res, otceices do ulero, a nevialf a c coh-
vulgoes epilpticas e em summa, leda seria
de enfeimidades que nascern da.iu<| un-a
do sangue. Vede as ceilidoes ro Aiva-
aack e Manual de sade do Dr. Ayer ijae-
se dislribue graluilamenle nos lugcies citfe
se vendem os n medios.
Este remedio o fruclo de lon|6f e ^ro-
osas experiencias, e ha al undantes pram
das suas virtudes: posto que i ITeieeo
ao publico sobo nonic ele Salsaptu.'ta,
composio de diversas plajtas, ilpiiri's drs
qaaes sao saperiorela melhor salsa fnri-
Iha no seu poder alterante.
PEITORAL HE CEIIEJA DE Al Ib
^iCura prompiamenle a astbma, binrl.itc,
tosse, delluxo, angina, coqueteehf,.
phthysica primaria, tubo a los
pulmonares, e loeVs es
molestias ru.'aia-
nareir.
Allivia os etlicos declarados.
Todas as molestias da garganta, dfprifo
e dos pulmes pdem ser curadas em ren-
co tempo pelo peitohal de cebeja i o ib.
ItER.
A' venda as principaes boticas e dii'f-
rias do imperio, e na agencia central eV
Rio de Janpirn raa.Direita n. 15.
Vende-se em Pernambuco
na pharnacla franeeza P.WiUPFR C.
RA NOVA N. 18.
|ior
300
600
160
320
V;;nie-se um ravo liado 25 annos insigne
offlcial de carplna e bonita lignra : na^travessa dor,
Carmo n> 1. '*
Milhn novo em saceos grandes: no trapicha
u Oqqhja. a tratar com Tasso Irmios.
Jumentos '
Vende-se um lindu casal de jumeni's (fe trifn
j raga, grandes e rovos, nrrprios para a c, nfrrva-
gao da mesma raga eciuaawrpto. lo qn' re r.ihtr
j ra magnficos machos, mullas rarro e ., i-a ; r-;a
I jmenla esta' prenhe, a?flm r-n-o un n IfarTs J-
i mentinha rom pouco menos de un inro : vero
tratar rom Jcs Pereira Cesar bo silic rirat.cyra,
! arrabalde da vjlla do Limceiro.
1
i Admira vel pecbiucba!
M caaibique a 300 rs. o co\ado, na teja
I do pa\ao.
Veodem-se, os mais bonitos mogamliiiurs ra laa prtpries para venidos c siuitn lsi(,ue>
sendo de (Juadrinhos de listras e Im ^, fmnda ft-
j leiraiKnte m.v, un fifl-t^ mu.lo | rci*ii;s ia->
Ira a*.seaho;as iiue re(viu-i,iani o i>.>Irftto. \
ponjuc i-tta luiUi Ibo tXvilii^aciyfT iXr rtO------
; co diulieiro vestidos niuito CTcTiSY-.ra i. j ue
i acto, advi-riibdu M- >|"; '.-ic baiaiiwiiro pr'ctfi i
devido a jratde con pra que se fi i ijiM.i buva ra-
fzeoa, qle se vend a frea lustoes o covado : c.i
lojado lavo^tua d Imperan 17. u. C. ueGina H
Silva.
]
1
\
y
1
ltGVEp


MMffMd*%
MMM4o M*iv*fttl do :IH
J
4
I-
AURORA BRILHAWTE
GRANDES ARHAZENS
DE


V10LHADO
*j Largo da Santal
g| Iruz n. 8 i, om"
I lina da ra do a
If
ESPECIAES
Largo da Santa
Cruz n. 84, es-
quina da ra do
ebo.
h.jvi proprloririo do j rauito acreditado armazem de molados denominado u
rara Mante, continua a ter o mesrao sortimento de gneros de primeira qualidade.
A ugaiale tabeJJa sirvira' a todos de base para ajuste di conta< aos portadores.
Naonum arraazem vender' mals barato e melhores do que a Aurora Brilhante, ja'
pelo grande sortimento.que tem, ja' mesmo porque seu dono s6 deseja.tirar diminuto lu-
cr.i quanto chegoe para accumular as despezas do estabelerimenlo por isso deixe se a-
proveiur, o prspnetario ha de fazer toda a diligencia, attm de servir bem os seus cons-
ta v.> fregitezes.
Lita- >;om 8 libras de chouricas muito novas,
a 7K890.
'Oitis^raades cora peixe em postas otarras,
rnas.irili.|ualidades, a 1*00, 1*280 6
uo.
Ditas ora ostras, excellente pelisco para fri-
gi ieira, a 720-rs.
OiUse&a ervllbasnovas, ensopadas,a720rs.
o is com favas, a 610 rs.
LDits com ameixas a 1*200, 1*800 e 33300.
Dit-iscon mermelada do afamado fabricante
Ahreu, a 720 rs.
jDiUsco n massado tomate, a 500 rs.
Ditas cora figos de comadre, novos, a 1*300,
Se 2*300
iDiU'eo-n bolachinha de soda rauito novas, a
? i 5 m.
Olase n biscoitinhos agieses de maitasqua-
li lides, al*iOO.
Chocolate.
CiUinhis com ameixas enfeitadas proprias
pira imwa 1*200,2J809 e 3*200.
f.iiijliie superior muito uoro, a libra de
USO a 1*000.
w, \I te irrlo, talhariara e aletria amarella, a libra
i 4)0 rs.
O 1 > dito dita branca, a libra a 400 rs.
Otilas com estreliwha. pe4e, e outras mas-
>.s, a caixa 33300.
'>.'>< Jita 3:n libras a 640 rs.
;>i.i. a libra a 360 rs.
Wtli.iha oara sopa a libra, a 240 rs.
Br/ilm- veas, a libra a 160rs.
* Lis UtcuealM, a libra a 200 rs.
i) iuit) nova, a libra a 280 rs.
i in i; araruta verdadeira, a libra a
' 'i 11 rs.
11 M \ranho. em ataco, a arroba a
CONSULTORIO MEDKM1RURG1C0
DR PEDRO DE ATTAHYDE LOBO MQS0SO,
MEDICO. PARTEIRO E OPERADOR.
3 Ra da Gloria* csum do FundUo 3
OUr- Lobo Mascse k ooflaVHteflMMlIfcr aos pobres lodos os das das 7 s 4
Horas da manh5a, e das 6 e meias 8 horas da norte, exeepcao dos dis santificados
Pharmacia especial mmeopatiica.
No- mesmo consultorio ha 8empre ma apf ropriado. sorlhnedl* de carteiras.
taboMiUies. assim como tiotuKi94le*rias dymnattisa$oes e pelos- pieces seguintes
Carteirasdei2 tubos grandes. 12,5000
da 24 tufcosgrandee. 180000
de36tubosgrandes. 240000
de4&Hnbos$ratdB8.> 300000
jj: de 60-tttbos grandes. 350000
Prepara-so qualqiiercarteira conforme o pedido que se fizer, e com os remed
f.ueise'pedr.
Uttttttb'O'afwteo'ou frasco de tinturare meiaonca 40000.
Sendo-para cima de 42, cnstaro s precos eetabelecdes para as carteiras.
Ha'.tibormais pequeos cada um a 500 rea.
6
KRM COROAS NEM MITRAS

GRltfSME ARSfAZElfi
lili II DO IMPERADOR V. 461
j: Junto ao sebradtem qne era .oSr. (tobme,
Diiarelmelda &.. receberam de sua preprla cictiiri-
da o mals lindo e Tarjado sortimento de molhado. f a|i-fc*
da p reseae estacSo.
Ma^as brancas
Vinho verde superior.
A caada a 3*000 e a garrafa a 400 rs.
Grana.
Saccas de 4 arrobas, a verdadeira de se
engoramar, a arroba a 3*000 e a libra
126 rs.
Sabaomassa, a libraa 200,240 e 280 rs.
arinha.
Sacca*randes com farinha Je Goianna mul-
to nova, a 5*000.
Caf.
Cafado Rio mirto superior, a arroba a 8*,
8*500 e 9*000.
Cha.
Gai,temos ueste, -eneros o melhor possivel,
hyson, a libraa 2*00.
Dito pcrola a 3*000.
Diio uxim a 2*700.
Dito hvson rauito floo a 2*300.
Dito redondo a 2*500.
Dito preto de primeira luahdade a zw.
Dito raais baixo a 2*000 e 1*600.
Erva.mstf.
Bscellente cha medicinal, a libra a. 240 rs.
Espermjcete.
O ma~so com 6 vallas de esperraacetc a 600,^
640 e 720 rs.
Passas.
Caitas de 16 e 9 liras re pagas otas pro-^
prias para mimos a 48 e 2500. j
Nozes.
Nozo?, a libra 160 rs. e arroba a 4*000.
Alpista e paiiif*.
Aloisias nainco. % mota 4*000 e a libra a
160 rs.
Cartas.
duzia a 2*5'H).
LIYROft.
A melor obra da> liomeopathia, o Manual de Mediciua.Homeopathioodo Dr. Jahr
dons fraudes volumesiHU'dicewnario............ 200000
Medicina domesticado'Br. Hering-,........... 100000
RepertorioJa Dr. Mello Movaes^...........* 60000
Diccionario de termos de medicina ........... 30000
Os remedios deste estabelecimentoao por demais conhecidos e dispensam portan-
to deserem novamentereoommendados asipessoas que quizerem usar de remedias ver-
dadeiFOS^energicos-e duradores ha tudo do melhor que- se pode desejar, globos de ver-
dadeiroassucar deleite,-nottveis iela>saa-boa conseFvaco, tinturados mais acreditados
esabelecimeatos europeos;a.masexacta e aecuradapreparagao, e portanto amaior eno-
,'iaj certeza-em seuselTeitos.
C%w d'e saile pira escravos.
Rcebe-sejscraves para tratar de jualquer enfermidade ou fazer-se-lhe qualquer
operaco. para o que oannunciantejulga-st^nfficientemente habilitado.
Otratamento o melbor possivel-, tanto na parte alimentar, como na medica, e
funccionatielo a casa a mais de quatreannos, ha umitas pessoas de cujo conecito se nac
pode davidar, que pdera ser consultados por aquelles que desejarem mandar seu
ioentes.
Pga-se2000 por dia.durante 60 das ed'ahiemdiante 10500.
As operaces serao previamente ajustadas, se nao se quizerem sujeitar aos preco?
azoaveis lue-cosltua pedir o anuutian.te.
'.>): a libra a 80 rs.
,:> o h Li'iae Java, a arrota a 3*200 e a li- Cartas linas para logar, a duna a
I .. rv) rs. i Caslanhas.
1 'i i- .i n le Lisboa 90500 a arroba-e a 320 j rv^taahas novasVala-! ne "- i i')ra. l ba 4*000 e a libra a 200 rs.
[.) hStatqs* a arroba 7*000 e a libra a t \:'>il>nas.
iBarrl-nom aTton:isnns a 1*500
Manleiga.
arro-
'I i- -mi 125 ceblas grandes, a 1*280.
I .-'irla franceza, caiKa com 2 Julias a
7-U).
>'< c mi mostarda preparadaem vinagre,
. i 10 rs
i):1 -- > ii mservas inglesas e fraoc^za.s, a
i e 800 rs. >
) c.is com sal refinado fluu, a 640 e a 500 rs.
Ortos cora a verdadeia ganebra delaranja, a
I-' 10.
Dito.' de 2 garrafas de Hollanda vcrdadeira.a
640 rs.
Ritiias oom dita propria para negocio,a
4')) rs.
iirrafjes cora 2 galoes com dita, a 6*.
Mrvej* boa, marca, a 500 rs. a garrafa, e a
-iinia a KOOO.
v'i.^hrt muscitel deSehibal. a jarrafa al*.
Krrasjuuho verJa-leiro,frascos a 80C rs. e
i 1*200.
;moru;.", a duzia 20*000, e a garrafa a
?;-)to.
Vi te refina lo porwguez e fraaeez, a garrafa
a 1*000.
ria'xa da rioho Bbrdemt rauito superior, a
''>, 8*, 93 e 103 a caixa.
H is col IIM braneo. a 7* a eMtfS.
', h; ora tolajrimas lo Dauro verdadeiro,
0*.
duque do Porto verdadeiro,"a
'Oilis com
'Alus o-n cirmiisso snjwrior, a!4*.
"Ditas com P->o velho e outras- muitas mar-
c*1;. a 12*. ... _#lt
mnkodo Porto da pipa, a garrafa a 640, 7W
!D,n t Lisboa mt(f*Mm.'*"arta4 3*20,
:) 35>0 e 4*, e a prrafo a4i0 e 560 rs.
0.t i 4a Figueira, dassffuiotcs marcas (.\j
n a 4.1 (I. L.6.) (0. M.) a canadaa
LVwd b a carrafa aSB0ft6W-S., desW
que -est ongarrMMo e iuiMoom>e
rotulo do armarem. ....
fntos de marcas mais tewonhecidas, a cana-
ria i 3*500 e 4*000, e a garrafa a 480 e
520 rs.
Vlnh tranc fino, a gwtfa a *"-.
Dito de caj muito superior, a garrafa a
8)0 rs
W*nte?a Oita mais ahaixo a 1*120.
Hita raens saper or a 1* .
Oita franeza novn. a libra a 45120
Dita dita era barris e meiosdltos, a
13 rs.
Dita para tempero a 400 rs.
Qneijos.
Queijos novo vtodoS ueste vapor a 2*SD0 e[
33000. ...
Ditos londriaos muito noros, a uora
1*000.
Papel.
Papel almaea pauuo, a resma a4*R00.
Dito dito lizo Je Itauo, a resma-a 4*i.U.
Dito -le pesj Ui: e pautado, a resm
2*500" .. I.90A
Dito deerabru.ho. nom a 1* e l'suw.
Viaho Madeira.
Garrafas com o v.:rl-1eiro vinho Xerez e Ma-'f
deira a 1*500 e 23000.
Temperos.
Folhasdelouro, piojenta do reino, corainho"
e cravo, a libra i 400 rs. .
Velas le carnauba. c
Massos cora 6 velas de carnauba reQuada a
480 rs.
iVoieniloas.
Amendoas cora casca, a libra a SO rs.
Doce. .
Caixes de doce oiaba, grandes a 1*4001
e pequeos a 640 rs. .
Tijolos de limpar.
Hjolos de arear facas a 140 rs.
Grata.
Duziasde boies d graxa n. 97 a 2*000, e]
de latas a 1*000, e os beioes a 240 rs. ca^
da um, e as latas a 100 rs.
CharuUs fiaos.
Charutos Anos dos melhores fabrioaateta
Babia por diversos precos,
Gaitas.
caixa e raea
a
E mande quautidade de gneros tendentes
estes estabelecimentos, que deixam de an-
m nunciar-se.

% 11'Raa do QueimadoN. 11
Su -eriores cortes de seda preta cora lindas barras.
SuewioT seda faeoan o que ha de melhor e mais gwto.
Moreantique preto multo bonito a 2*300, 3*. 33500 e 4* o ovado.
Completo sortimento de grosdenaple preto de muitas quaiidades. .
Paunos pretos e casemiras de muitas qualidades.
Bjuruus, chales els de renda pretos superiores.
Superiores pelisses e soutembarquosde seda para 5:nhir3.
Bouruus d la pafa shh'6ra? a"!!*.
Chapeos e cBip^ints de'p'SlfA d Italia para sentaras.
Corlsdelaa tartas de 14* a 2!S de milito Rosto
E muitas outras tazendas de superior qaalidade na loja de Augusto Freier.co dos
Sacos Porto sonde tarabem se vendem as melhores e mais baratas
Esteims da India para forrar salas.
R'. i iRa do Q\ieiinado---3. 11
Camas de ferro
Y -!' -i- grande sortimento destas cama? oa
na M a n. 3* ; na; mean* l^a ve.nde-se faadtts
ir n >\- de ferro forrados de porcelana tendo
ui atas e tarap de ferro, recommendam-se a
quetn precisar. ,
c
Laboratorio enolo#ico e chimico de F. P. Lebeuf e
ra JrfcnfoKirtre, 31, em Paris.
Fabrica- em Argenten!!, prs Paris (Franca).
D js vinhos, agurdenles e licores.
AGARDSNTE5.Essencia de cognac para dar
VINHO&-Imitafio dos vinhos de todas-a*
qualidades.Ettraeto de Medie, dose para 230;
Jjtros, 1 f. 25,JeBordeax, 2 f., de Pomand, 3
f.,de Lisboa, 2 f.,de Cataln, 2 r.,de Porto,
Xerez\ Mmcaol; Malaga, dose par 23 ou 30 li-
Jros, 4 f.
Sobstajtoiasparajiabricarsem oalnool e agua^
os vinliosaciiui e lodus us outrus. A dose para
500 litros, 50 f.
CLAC1FICAJCO.-PS lnglezas,i).dQS viohos
da Hespanha, da Franca, etc. A. libra para 500
litros, 5 f.
COLORACO.Purpirglne' para colorear os
vinho braticos e vinhes claros. As duas libras
as-aguardentesurdinarias o sabor eo aroma de
;, 5f.
kirsch
coj-Miar. A garra/a para 100 litros, 5 f.
KIRSCH E ABSIXT1TO. -Essencia do Kirsch e
de absintho, para os fazer com alcool e agua. A
garrafa para 100 litros..'; .
LICORES. Extractos paca fahricar se todos os
licores conhecidos sera fogo aera ajambique. (in-
dicar-se os que se deseja.) A dose para 20 ou 25
litros, 3 f.
PERFUMES para fabricar-se os licores finos ou
comamos-t dose. para20 ou 25-lilros, 1 f. 25.
TODOS os outros productos para o trabalbo dos
vinhos,gurdenles, licores, vinagres, etc., sao
fabricados le encommenda.
UTEXCIL10S de laboratorio ede chimica.
e engauado nossos
para 500 litros, 16 f.
Alguns de nossos agentes tendo falsificada e mitado nossis ore parar oes,
freguazs,-Ljve-s3 exigir solme ais r.oUt^roluJ8.as i nlciaes F. V. L. a Paris,
0 modo deosar-so das^Mparacesicha-seiHdicads-DO rotulo.
As encomiendas devem seracoapaahada.s.i)(rumi letra sobre Paris ou quaJquor outra cida-
Franc*i, ou garantidas por una casa vuihcl la.Diriir-se aos Srs. Lebeuf & C. chimicos, ra
rairtre, o. 31, em Par*, musnv fabrica ra Vrenji>wi, prs Paris.
, ii!i n botisii francia, rua-d) mpwador n. .38.
%.
FiBRICl DE CH POS BE SOL
9J Uu;i \ova c*>(iuina da C.jnboa do Carino c na do
Manteiga ingleza
da safra novavinda no ultimo vapor a i.ooo
rs. a libra e ero, barril a 8oors.
Wviteisa franceza
pa safra ova aOo rs. alibra, e em barril
5W;rs. flf
Amendoas
t&tifeitadas de lindissimas cores a 80$ rs. a
libra.
Ameixas
em frascos de vidro com 3 libras liquido a
2|J40Q, muito propios para mimos,
Cartoes
com bolos francezesa 50Grs. cadaum.
Latas
com bolachinhas de soda de todas as qua-
lidades a 15300.
Chocolates
detodasasqualidadesalSOOO a libra.
Presuntos inglezes
dos melhores fabricantes a 800 rs., tambem
temis velaos para 500 rs.
Queijos flamengos
chegados neste ultimo vapor a 256oo.
Qaeijos
chegados no ultimo vapor a 2(5600 cada um.
Qneijo
londrino o mais fresco que se pode esperar
e de escollante maree a 800 rs. a libra
sendo inteiro e a 900 rs, a retalho.
Conservas inglezas
as mais novas que se pode esperar a 760 rs.
o frasco.
Figos
em libras ecaixinbas ricamente douradas,
proprias para mimos a 900 e 10200.
Cha uxim
o melbor que se pode desejar, qu antro
qaalqaer n5o pode vender por menos de
35 a 25800.
dem perola
especial qualidade- a 25700 rs. a libra.
dem hysson
o mais aromtico que tem viada ao nosso
mrcalo a25600.
Massas aruarellas
para sopa, macarrao,talharra e aletria a
iSOrs. a libra.
COC .4 C
o muito afamado cognacPalBrandj a l,8oo
rs. a garrafa e de outras muitas qualida-
des a l,ooo e 8oo rs. a garrafa.
COPO*
lapidados para agua a 4,5oo e 5,ooo rs. a
duzia, e a 440 e 5oo rs. cada nm.
PAPEL
almaco, greve, peso e de outras mnitas qua-
lidades de 2,2oo, a i,5oo a resma dome-
mor.
Papel de botica
j de excellente qualidade a 2|$00
a resma.
Una \ova esquina da Cajnboa do Carino e
Calmg n. 8.
A lirafitoria lesse aUabeleeiraonto o mais importante qtiae.uste neste generoj .PAPEL
as provincias do norte do imperio, querendo que o publico desta provincia goza das; azule pardo para embrulbode l,4oo a 2 2oo
vaataflMttutttti oropoi cioaa u falwoac em grande esoala e directa relaco com as mais! rs. a resma,
importantes fabricas da Europa, faz setente que resolveu-se a vender anda mais barato
do que do;5o>tume como demonstra a seguate tabella :
Descont em dasia.
20 u/o

Chapos de ol de panno a 25000.......
armapao de baleia a 25300 .... 40
de seda armico deapo inglez de 20 pollegadas
45, de 24 H, de 26 35300 e de 28 65...... 15
Chapeos de sol inglezes a balao 12 varetas, cabos muito ricos e
seda superior de i\ pollegadas 85, de 26 95, e de 28 105- 13 7o
IdemMenra balso de 16 varetas patent paragon de fox de 24
pollegadas 115, de 26 12,5, e de 28 135........ *3 /
Alm de muitas outras juadades de chapeos de sol que exisiem Jia mesma casa
^como sejam dealpaka, ditos debrim de linbo, etc., etc. ha tambem de seda e de panno
de todos os tamanhos e feitios, os qoaes sao to vantajososcomoosannunciados, ha
Sempre um constante sortimento de bengalas, chicotes, cachimbos, outilaria fina e ar-
mas de caca, os quaes vendem-se ualnaente edrporco e a retalho, notando porm
que o comprador por atacado ter aempretrm descont razoavel, aflm de poder reta-
lhar pelo preco que o estabelechnentoretarha.
N. B. Os objectos comprados em menos de urna dusia seco considerados como
a retalho.
ADMIRAVEl PECHINCHA
C1I.VLES DE KGMDA PUESTOS
^a I^OOO cada um,
Cansas organdys de ores a !HO rs. o corado.
A' roa de Crespo namero 17,
LOJA DE
Jos Gomes Villar.
GOMAfA NOVA.
En pafieiros muito Ivaa 4,eeo r, a arroba e 16o rs, libra e compran-
drdt tMO paneiro para cima se far atotftimento na ra do Imperador n. 40.
CEB0L4S
lf > arrauem da rtnvr Paula Lope?, defront do
emiwr:! ie n esca^inis, vendem-se ceblas as me-
lhores do mualo, era oiia e cento, o mais bo-
~--4[aio possive!.
avariado.
Francez barrica' '|
Portland dem 8
firtl perfeito estado:
FraBcertiarrlca 105000
Porllan.1 idem 124000
No armazera de Tasso Irmaos caes do Apollo.
Fio de aljKodo da Baha.
VnndefB Bffeswipforio de Antdnlo -Ltitz de Oli-
veira Azevedo A C, raa da Cruz n. i.
Ooriutliias
passas corintbias muito novas proprias para
podim a 800 rs. a libra.
Euino
o erdadeiro fumo americano em chapa a
1.400 rs. alibra. v
Vinagre
PRRem aacoretasde 9 caadas a 15,ooo rs.
cada urna.
Cebollas
as mais novasdo mercadoa 7,000 rs.a caixa
e 1,000 rs. o molho.
Alpista o Laiuco
Ti!'ZV0 4 1frcad0 a *40 a "bra,
e *5i00 a arroba.
C8B0LAS
muitonovasa 15000 ocento na ruado Goe;-
mado n. 7, ra dolmperador n. 40 elar-
go do Carmo n. 9
GRO DE BIC0
muito novo a 35400a arroba e 140 rs. a li-
bra aa ra doQueimrdo n. 7, ra do-
Imperador m 40 e largo do Carino n. 9.
QEK2UO SljfsSO
muito fresco a 800 rs. a libra na rna do
Quatmadon. 7, ra dolmperador n. 40 e
largo do Carmo n.59
para sopa a melhor que se pte defrjnr, '
macarro, talharim aaleiria a 4tt ,.,
libra e 45500 a caixa.
VbIlo
Figueira J A A e outras muitas n oreas acre
ditadas a 500 rs. a garrafa.
dem de Lisboa
e de outras marcas a 400 rs. a garrafa, *
25800 a caada.
Idean do Porto
generosos engarrafado des melhores falr?
cantes da cidade do-Porto Hje f*ii
agarrafa ede 105 a 12^1 a caia, s* 1
cas si o asseguintes: Chan.isst. .ll.
F.AM., Nctar ou vinbo dos Ift7*s
lagrimas do Douro e outros nrnifot.
Latas
com 10 libras de baBha a 4|jero.
Bolachinaa iuglezs
a 15800 a barrica da mesma que
vendem a 25000 e 254C0.
Nozes
as mais novas da mercado" a i2Cr< .a br*
'Cerv^jas
dos melhores fabricanlesje- de todas as ir s<
cas de 45800 a 60500 a duzia.
ClARUTOS
Charutos Thom Pinto,. Reis e cutres en,
meias caixinhas a 15500.
Arroz.
do Maranh5o a 100 rs. a libra, e da Ie
a 80 rs. a libra, e 25500 a 35000 a ar-
roba desses que vendem por 30400.
CAF
de l.1 e 2.1 sorte do Rio de Janeiro a 955f
e 85800 a arroba, e 280 a 300 rs. a libr
I f-arrnfe.s
com 4 */ garrafa6am vinagje a 15CC0t
o garrafao.
GENEBRA DE LARAKJA
verdadeira a 15000o frasco, ede ll^ce
a caixa.
DEM
em frasqueiras de Hollanda a 58CO ce
12 frascos.
GENEBRA
de Hollanda verdadeira em frasqneira a f o
rs. cada orna.
PALITOS
os verdadeirospalitos dogaz a 2,2oo agro*.-
e 2o rs. cada caixilia,
LICOJIES
finos de todas as qnalidades, a lo,cco a fix;
com urna duzja e a l,ooo a garraf;.
Marmeada
dos melhores fabricantes de Lisla, ce o f e
jam Abreu eootros maitoe a 6oe rs. a
libra.
Preunto
o verdadeiro prezunto de Lamego a 52o rs.
a libra.
ARR0Z
Maranhao, Java e India, a loo rs. a lilia t
de 3,ooe, a 3,2oo rs. a arrola.
VELAS
de espermacete de diversas n:arras a 6(1 ra.
a libra e em caixa ter abati (ih.
VELAS
de carnauba em caixas de amia a 9,2t r-
catxa e 34o rs. a libra.
IBaiatas no* as
em caixas de 2 arrobas a 55 a caixa e rs.
a libra.
Panas milito oras
em quartoseinteires a 25 o qusrto fttjUC
a caixa e 400 rs. a libra.
Chocolate
portuguez o mais especial que se pede de-
sejar a 800rs. a libra e 140is. o rc
Frutas em calda
cnegarjas ltimamente, pera, pecego, ta
ootros muitos a 640 rs. a lata.
a 600el5ocix5e.
GOMMA
em paneiros de 1 e
robae 140rs. a
MUITO NOVA
2 arrobas a 3gff a ar-
libra na ra d Cci-
^c:?mo'nr.u9do,mperadorD40e,'I*6
. ; BOLACHINHAS
a la" d0fferentes qali'dades a t#STi
*>^a QUEJOs FLAMENCOS
ebegadosneste ultimo vapor a 9SHV u rna
seguios eamigos eao publico em geral, qoepara facilitar ,ZP Aechr Ml "**
jipnlaram og nomneos nos segaintes logares:" a """idade de todcs ea-
O Verdadeiro Procipal roa do Imperador B 40
%FARELLO DE LISBOA
Marca N verdadeiro em saccas novas e grandes a 45500: na ra do Imperador n. 40.
DE
DE
Jo VIGNES.
Madapolio maiM Ano rom pequea toqoe de avirl, por preco que admira ; na loja
dn colurarus ni ra do Crespo n. 13, de Antonio Correa de Vascancellos & C.
m
n V**- RA D ITIPIHADOR W. &h.
Oa.a&aoraww.aBt^a fatrca sadtje ssaz conhecidos f&n qoe sej neMsario>iariisffr srtir *
m snpwionawe, viniagcn e garantias qn'e efTerecem aos-compradores, qualidades e*tas inoealeil-
teisque enes tem definitivamente conquistado sobre todos os'^ne tem appar#cid neslpraca>f *
iuindo nm teclado e machinismo que obelecem todas as vontades eciprichi6 dr pinnJntnr. ni
ounea falhar, por serem fabricado3de proposito, e ter-se feito ultimamepte melhorameDts importao-
lissiraot para o clima deste paiz ; quanto s voses sao melodiosas e llamadas, e por isto muito afi.
veis aos onvidos dos apreciadores.
Fazem-se conforme as encommendas, Unto nesta fabrica como a do Sr. BlondeJ, de Pa*is,
espondente de J. Vignes, em cuja capital foram sempre premiado^ em todas as expesicdss.
^orrespond
No mesmo estabelecimento se acha sempre un explendido variado sortimecio dKBfiic0
melhores antores da Europa, assim como harmnicos e pianos armnicos, sendo tue vandido pe'
pregas commodos e razoaveis.


ILEGfVL


ttiU^abbfij iln*H*5.

O
*
moirs preto combarra, oqoe'ia demWIror gwrtem

taiz
DE
AZEVEDO FLORES
Sea da.fiadeia do Rccife, esqnina da Madre de Deas.
Prestem attenQao ao discurso do Balo.
Nesle estabelecimento todos os -fregueses encontraro jgualdade de direilos, o
agrado que fazemos ao rico fazemos ao pobre, ao menos empenhamos todos os exforcos
ao nosso alcance para agradarmos era geral.
Os ngssos precos sao os mas mdicos come sejam:
Chitas largas escuras muito soffriveisa280, 300e.320 rs.
Ditas largas e finas padrSes novos de 400 a 500 rs.
Ditas largas preclaras a 300 rs. s na loja do Balo.
Cambraias de cores cora quadros, fazenda nova, a 560 rs. a vara.
ldemlisas lapadas e transparente de. todos os precos.
Madapoiao oje 8$ a peca que em outras lojas se vende por 90.
Temos tambem muitos outros madapoles.de diversos precos, assim como te-
mos madapoles francezes de 14 e 160 a pega, inclusiva urna qoalidade espocial para saias
de senbora a 560 rs. a vara.
Gambraia para forro de vestidos.
Laa preta.para luto, e de todas as.mais cojjes.
L3as com o assento e&csro e flores matizadas fazenda muito moderna e floa qua-
lid de.
Metas, pretas para senhora e horaem.
dem cruas inglezas para bomem o elhor que ba de 7#,e 80 a duzia.
Camisas ,de 23500 que vajem 3& .temos nwias outras qualidades de diversos
prejos, assjm camp camisas verdadeiras inglesas e muito Gnas a 5$ ou 55)5 a duzia.
Camiaas.de meia muito "unas de 205,o2&> a duzia.
CoUacinbos de papel.de cores e branGOS assim como collarinhos de linbo ingle-
zes a 500 rs.
Temos .um compro sormento de gravatas pretas e de cores.
Ceroulas.canceas DuiUo boas a 40600.
CeronJas de linbo com duas costuras superiores e-. temos um completo sortimea-
to de roupa feita de.casemkas e de brins.
Camisas de flanelia de coces a $f50Q, 40500, eM-
Balaes,.de,arcftM U e 330 a duzia as de panno e de arcos para meninos de fy
a3(500.
Chapeos de sol superiores com 16 asteas a 12$.
Caserairas do ultimo gosto para se fazer .calca e collete.
Vestidos a Maria PiauaiSiJ e sao masados.
Ha. minias outras fazewlas assim como gcosdenaples e moreantique.
Lengos brancos j abanhados.
dem fino.s para rap.
Cortes de !a a 5#500 cora 15 covados.
Chales para as senhoras trazerem por casa a 3tf e K> cada um.
Brim braaco a 10300, 1,500,20 e2500
.Bramante..de urna largura para lences e toalhas.
Brira de flaraburgo fiao e grosso.
Alpaka preta e branca.
Brim pardo. rf ,.'
Caaeaiira e panno preto fino, tudo isto por preco baralissimo na loja do
Superiores cortes oe
. fernambueo.
(dem de gorgurio preto adamasosdo^cam-bmai a
dem de gorguro de seda;bordados com barra. i:
Superiores moirs pretos e lardos 20400, 20600, 30, 30500, 40, 50, 60,
70 e 80 o covado.
Superior gorguro desedapreto, a melhonMwnla peba'fua resudo.
Sarja prnia de--seda.
dem p* ei hsiuihola.
dem demlavcadaa 2*0 eoMfo.
dem idemlavrada muito superior.
Completo sorlimento de grosdenaple preto a 1^00,40800, 20,24500,
30500, 44, 40960 e 50. /
Pannos pretos Casfimir*,preta dei406OO a itf'O.covado.
Lindos chales, bournus, alge^enoes e retoues de filf reto.
Mantas pretes de fil e los pretos.
E muitas outras fazendas de sj^erwr,quabiJ!adft1ar.lW d#s,GeWuas.
aruado Crespo n. 13 de Antonio,Correa deVas,conceUos&^ sjuccess0r.es.
de Jos Moreia Lopes.
F lori dria.
i fwa Testibetecer e censurar acOr natural-dos ca-
I
AGUA
DE
403.
A agua de Florida nao ama tintura, facto es-
KiaJ a.contestar, a me*raa-a,'ua dando a cor
LpwBitiva.de cabello. Compostas de plantas exti-
cas ede substancias inoffensiveis, ella tem a pro-
paMB e restituir aos cabellos o principio eo-
LuDte.que elles tem perdido.
De nm salubridade incontestavel, a agua de
Gloria entreteni a iimpeza da cabeca, destroc as
caspas e.empede os cabellos de cabir.__________
Ha para veder
Pidw, pinito, nktk pinko, uiuU* pinho,
piuho, iui da Ri-ai. kje, toa Nova
deSaotu Rita n. 17.
7^8910e Ilpollegedas deJargura
De 10 a 35 palmos de comprido, cousa
muito boa e barata, e com todas as gros-
suras : cheguem roa Nova de Santa Rita
M^.&eEf aria,de Jos F .Coelho.______
Vpnie-e.um Ualco de amareilo, assifi co-
mo qm par de fltelros que serve para loja de fa-
odw ooutre eslabeleeTmwWo, tudonevo e-bem
Hito : para.ver e tratar deroute- do coovento do
Carmo, ofDcma de Manoel Halaqnias Camargo.
Aos c*pitaes de campo
Desappareces bo dia 21 do corrtnt-. da ma da
sea senhor, a eseravu de son Renmicto,""caLia
escuro, com.nkMet5 acut, leve u m .-iido cal-
ca de algedo de liftia, ranilla de.al|:(r5o tV nr-
ra, etiapo Jjde atoro de alias lira>,ii slicia
regular, cheio do corpo, rabtllo a efcovuta
olhospretoiBailoviTOe,.nariz e borra rfpn'iret,
muito pouca barba no queixo e um (((.n. le-
go, todos os dentes, ps regulares, cir : i'i r re-
sumir que seguisse a estrada de GolSLna ;' r trr
rindo da cidade de Soma, provirria da Parahba,
ha 13 dias, e foi comprado ao Sr. Jp Arcelo
Horges daquella cldade : roga-se portante acs f*-
nhores capites decampo a apprehri'sao r< rtf-
ridoescravo, e levarem-o.a ra i... In,| i. tr n.
83, segundo andar, que segratifir;.t n n Uji.

itnvh

de trabalbsr nao \at
descarocar algodio
.VBR1CADAS
PorPJantBrothefs & C.
OLAM
Betasanachinai
podeoidescarogar
qualquer .especia
de ~ algodao sea
estragar e fio.
~** sendo bastante
d u a,s pe *os s para
o trabalbo;, pode
descarocar nma
arroba de algo-
dao em. earocx
em 40 minutos,
ou 18 arrobar
por dia ou % vt-
poasde--alge limpo.
Assim como machinas para serern movidas por
animaes, que descarocam 18 arrobas de algod
limpe, por dia; e mecores para mover urna, duas,
eutr.js dessas machinas.
Os m.esmosiBn para veuer um be-llisstn'w va-
por que pode fazer mover seiestas.mac|iinaj
mepcwnadas; para o que conyida-.se .aos Srs.
agricultores a virem ver e examina-lo, no arma-
zemde algodao,no largo da ponte neva n.4'7.
Saundcps -Brothers & C.
X. II, praca do Corpo Santo
RECIFE.
s nicos agentes neste pala.
da lia va na.
Na raa daGruz n. 4,-vende-se chapute* de Ha-
vapa4e, divag* quuWades.
uaiacOO" sr^< i oo o
BJ
2 g
K H _
C

(O
Vendem-se duas casas terreas, contendo ca-
da ama 2 salas, 2 quartos, cozmha fra, quntale
cacimba, acabados ha pouco, muito bem construi-
das e por preco commodo: na travessa da ra
Augusta perto do .gasmetro : a traUr com Manoel
Firmiflo Ferrcira, na ra da Coacordin n. 73.
Hez Mariano.
Ainda est venda na ra do Imperador n. 15;
defronte de S. Francisco, a rica edicao do mez Ma-
riano, ornada com estampas e vinhetas, eencader-
nada, por 15 e 1 500 cada livro.
DROGARA.
34Ra'larga do Rosario3-i
Bartholomco Francisco deSonza &. C.
Veudem :
Acido actico puro para retratista?.
Esmalies para ourwes.
Papel para orrar <>ass.
Guarnigoes avelladadas.
Tinta brancasuperior em Jata.
AlvaiadeVeneza, fino.em pes.
MARA PA
liarla Pa
Mari a Pa
Acaba de chegar pelo ultimo vapor ingle?, um
esplendido sonimento de enfeiles de cabeca a.Ala-
ria Pia, os quaes pela sua, elegaacia e hora gosto
de cada qoal o mais bonito nada deixam a desejar
sendo pretos, rxos, cor de bonina e azulzinho
seus precos a 25500, US, 45, 65.85 e 105 : na
lojado novo.rival ra do Queimado n. 16.
a
o.
c
II
O
B a;
O...,,
ffi 3 y

"

p.
01
ai
re.
o.
ra
as
O.Q..S

o g.

No dia 18 do corrente aosenton-sej a escrava
.Koaaia^BuIaU, alta, corpulenta, reprssenia ter
.30 anuos, de idade, falta de deotes na frente e tem
em um dos brajos um siuo Salomao, levou ves-
iMlo.de abita cor>e ro.-a, e cbalecBcauado, gra-
tica-se a.quem a apprchender e leva la ao sitio
natravessa de Santo Amaro em direc^o a encru-
lilhaitU t Beim.
S. g *
a, o 9 n
S p.P-
STccCS
&m sms
sai'
o sre-
%2,,4>
:4#0'Pgj
** 5
B
w
as'
3.
B
i
3
o_
o.
CD
W
CD


m
OQ O
o


V >
Attendoso
""
ESCRAVOS FE1DPS.
Atiene

Vendm-sequaijosdo ulUruo vapor a .25500 e
25600. mantega ngleza flor a 960 a libra, dita seragratillcado
F.qgio da povoac/io de Pant-rflas de Miranda
desta provincia o escravo erloulo, de nome Ma-
theus, cujos stgnaes sao os segHues : statura al-
ta, 22 annos de idade, cer#a guiar, rosto com-
prido e principiando a barbar, cor preta, orelhas
wrqiaoae, tem todos os denles e sao limados, nariz
regular, olhos idem, cabellos bem carapinbados,
pernas um tanto linas, ps compiidos e seceos,
,lado...:uilo humilde. Un.-ia-nos que fe arha
homisiado no lugar denominado Pedrasbrancas,
-onde j'foi vio, do termo de Moriri, em Alagoas:
a pessoa que o apprthender ejeoMegar ao Sr.iMa-
noel Joaquim Duarte Guj maraes, em Mace o ; ao
Sr. Antonio de Moura Rotm, nesta cidade, ra
do Queimado n. 31; ou-ae Sr. Jos dos Sanios Sil-
va Jupier, na referida povoac.ao de Panellas, ser
generosamente gratificada.
AHra-se fgido o"~prto de nome Gabriel,
erioulo, de idade pouco mais ou menos 35 aonos,
baixo e corpolento, rosto cuito e barbado, pesco-
co curto, lhos vrros e sebra-aiceibas arqueadas,
bofa egolw, deDtes,;alvQs, RtMOiM) e largos :
roga-se as autoridades vigilancia por se desconfiar
delle querer asseotar pra^a-notorpo oes-volunta-
rios^iu. a ojuem a elle pegar coudiair iaongenlio
Tapugy de cima da comarca do Cabo a entregar a
seu -senhor Aalesio Joaquim Cavalcanti de Altu-
' HMMWrM a Jorge Clemente de.Borba Cavalcan-
ti, na ra de Apollo n. 34, segundo andar, que
ificado : descoofia-se tambem delle estar
rnacidadte de Olinda, visto ^oue dahi fol
ou
comprado a um preto forro de nome Guilhermino
Sebasttaodo Resano, a 17 annos, pouco mais ou
menos : pede-se, portanto, aos senhores capites
de campo, tanto dalli como de ontras partes, sua
captura as condic,5es cima ditas. Dito escravo
ja.fci. viste nesta idade e no aterro dos Afogados.
No dia 4 de janeiro do atino de lf 64, fijgiL ffo ea-
genho Conceijao, comarca de Pc-d'Alhr, n ttetk
vo Galdino, pertencente ao abaixo aignu com
os signaes seguinles : idade 26 annos. pardo, rlaro,
corpo, figura e altura regulares/cabellos iuhis ca-
rapinhatlos, olhos fardos, sobranrelha^ e palpen!
salientes, tem em cada bra^o um sinn,de>!an5o.
sendo um delles mal feto, e junto a e?* nma ci m.
tem ta cabera omawcauiz de una fdrfi I tu
cima de um quarto urna outra cicatnz de '\- po-
logadas, pmvcnieBte d-ponia de pao e rreeda, tim
sobre as.cosiasjilgumas.arcas cu rteaftices de pe-
rnadas oo Chicote; um pouco desembarcado qnan-
do falla, tem principio de carplna e rarrem. w^a
viola e barbado. Foi soldado do rori o de p( llcia uo
Recife, e levou romsigo a baixa do theor sepwnte :
Sec^ao urbana, 2* conrpanhia n. 50. Antonio Cana-
no de Oliveira,.tilhode Agostinho Ferrcira d" Bri-
to, natural de. Ingazeira, cor parda, cabello rara-
pinhos, ollios pardos, offlcio nenlmm, estado FOftet-
ro, com 30annos.de idade, 60-plegadas de attora,
ao engajar-se. Enpajou-se na forma de n enl-
menlo, em 17 de fevereiro de 186*. por rfflho oo
Exni. Sr. presidente da provincia, data .o .i- ib de
abril do corrente, e publicado ao corno em i rdem
do dia de maio, tudo om 1862: tev? t:,\\\ :<,
servico por ter dadoiem-seu lugar o paisano Jpao
Pedro Ferreira da Rocha. Foi escravo do rajiito
Joao de Dos Barros, morador que foi na comarca
do Brejo da Madre de Usos, e hojo mu-ador na
Campia Grande da Parahyba do Norte, one oven-
deu em dias'dthmei de novembro de 186-1 ao tbai-
xo assigoado,-pelo cotfJUiie tulo de forro com o neme mudado ; pele, que roga-
se a atlantao das aiMowtfades mis e Biiiitares, nao
s desta provincia como da deu,ais do iinterio. a
apprehensao do dito escravo, que a titulo de f< re
nao tenha ido reorutado ou assentado pisca b
alguns dos corpos de Voluntarios da Patria, laav
bem pede se aos capites de campo e pessoas pac-
ticulares a mesma apprehensao, e leva-lo ao ^e
.-CHhor na refondo.engaBJio.Conceijao, ou nesta ci-
dade ao capitao Mauricio Francisco de Lima ma
doBrum n. 56, que ser gratificado com :((-.
Jos Mar.ia dos sanios Cavuica1!:-
francez*da^afraovaa920, arroi da.Marabo
a 100 rs., aletria e macarrSo a 400 rs., vinho de i
.Lisbea j20, 400e ia^.^a branepa S00r&, dogoctoa.640.a.arrafa, esper-
mcete a 600 rs a libra, toucinho de Lisboa a
320 baiaus a-100 rs., sabio masut a 300. rs. a
libra, erva malea 160rs.,urna machina de copiat
carta, urna batanea.iogleza, nm moinho de moer 4 g gg do dia 9 ^ crreme niez desappa-
caf, latasdetgaz- vaxias a ISO, blscaolos, Mfchos rcCfiU da asa D 48 na travessa da ra da Concor-
engarra fados .fiups, temperos, charutos finqs, al- dja uma mulatinha captiva de nome Francisca,
pista, figos e outros muitos generes que se deixam ^ m gi-Daes seguinles : amarella, ps camba-
de mencionar, tudo por menos do pe em ootra )S cabe||0 cortado meio esloquiado, levou vesti-
qualquer parte, nesU casa o reguez com pouoo | do,de chlta =a usado e camsa de madapolao, tudc
gasto vai sortido para casa e qnem qoizer o bono j j,,maio,Ujo, ie.idade IQannos; .julga-se ter sido
Negro fngcio
Est fgido desde o dia 27 de fevereiro desi<
anuo o preto Joaquina de nacae Angola, <|ue ;.'
escravo doSr. capitao Francisco Joaquim Cavai-
eanti Galvo, morador em Maria Farinna (Prsi?;
o qual veudeu-o nestaciade em dtzemi'ro d. ai.
no.passadoao Sr^Manodl Francisco Marqu- con
armazemde assucar ra de Apollo; levou ,=
misa e calca de algodao braneo, ropresenta re o*
45 a 50 annos.de. idade, alto e de grossurareL -
lar,cor fula, cabeca comprld, queixos largos
olliosimorteridos, baico6 grosso?, sendo o Idi -
rior uro tanto defeituoso,. bastante barba, poric-
raspada, finalmente tem uma grande costnra entra
ospeitos provieaMBte deqoeimadnra, e oppne-M
ter-se dirigido para o norte, d'onde veio : psattfr
ca-sea quera o apprehender ou denunciar o' coi?c.
era queestiver : na'ruada Gadeia do R-e-if a-
mero 52.
genero vir aqui que o jjaobarao: na ra Dineita
n. 7j|,.jemeamarella._________________
"Vljnhodo Porto superior em caixa de duzia,
tem para vender AntoBio Luiz de Olweira Azeve-
I do C, ao sen escriptorio rea da Gsue n. 1.
"sedDZida de casa em razao de ter vindo do mato
ha dous mezes, pouco mais ou menos, e nao saber
trae alguma : roga-se s.autoridades policiaes a
appjenenso da dita mulatinha, e leva-la casa
cima mencionada.
Fugio em principios do mez de fevereiro rf<
corrente anno e consta estar acontado nesta rdade-
o moleque Euzebfo, escravo da viuva do flr. Fer-
nando Alfonso de Mello, de 12 annos de idade.pio-
co mais ou menos, cor preta, serco do corpo. plbca
regulares e afumagados, cabera um pouco grande
e meia chata, heleos finos, dentes bem alvos, | seceos e muito ladino : roga-se por tanto a todas a*
autoridades policiaes e capites de campo qne oap-
prehendam e levem-o a ra da Margneira sobrdo
n. 6 que serao gratificado?, protestando-se usa: dos
raetos judiclaes contra qualquer pessoa que n n n!ia
em seu poder.
DOS PREMIOS DA
i.
LISTA GERAL.
13!
\
PARTE DA 1. LOTERA, CONCEDIDA POR LE PROVINCIAL N. 402, A BENEFICIO DA 1GREJA MATRIZ DE NAIARE^H, EXTRAHIDA EM 28 DE ABRIL DE 1865.
105
105
65
405
05
NS. PREMS.
2 5
i
7
li
16 -
22 -
83 -
26
28
30
31
38
39
42
56
61
62
63
68
69
71
74
76
80
82
84
86
87
91
93
99
106
7
9 m
1S 6#
13 -
18 ~m
^1
25 -
M
31
34
37 4Q5
38 65
39 205
45 5
48 -
57
55
9 -
73
74
75 -
NS. PREMS.
185 8
87
88
91
92
93
95
97 -
m. BBEMS.
335 65
36
38
200
1
4
5
6
12
16
21
26
27
31
32
39
4J
42
45
46
47
49
50
54
36
56
m
i
66
70'
71
71
81
m
m
99
90
93
97
802
3
8
9
11
18
16
17
19
34
205
I
40
i
40
41
50
53
54
53
87
61
64
6
69
7*
75
77
78
81
84
86
91
99
401
7
10
11
17
18
19
22
.46
30
38
44
45
46
SI
54
m
3
2905
65
405
65
105
105
65
NS. PREMS.
65
105
65
m
65
496
97
99
503
6
7
8
9
12
14
49
20
23
*5
28
32
38
42
43
45
50
53
60
61
66
68
76
7
78
M
95
V
99
-"H60I i40O5
JSS. PREM. NS. PREJ1S.
682
84
85
66
89
701
3
6
7
9
10
13
20
22
.26
28
30
33
40
41
42
A3
46
50
51
52
53
54
m

i
Al
43
14
0
m
31
39
42
45
49
80
84
105
6#
71
7
74
81
S6
89
92
W
M
m
1D5
5

6
7
8
9
10
11
73
74
77
78
T9 84 i4
82 56 405 16
83 -. 59 .65
86 61 105
88-68 305
. ?9 9 6*
90 77
93 79
O escriTio, Jos Pedro da Ntve
18
19
20
23
2i
26
65 832 65
_ 34
^^ 43
afi 56 "
^_ 61 4
20f 62
"65 63 .
64 26
__ 66 65
73
i 74
76
_ 77 _
205 83.
65 6
__ 91
_ 92
_ 95
_ 98
_ 99
_ 901
3 105
_ 4 V
_ 5 .
_,. 10
105 14
65 15
16 105
__ 19 65
26 105
28 65
35
39
43
46
49
51
59
61
62
6
71
(16
78
81
82
83
87
90
91
205
65
_ 1001
4
6
7
105
NS. PREMS.
1008 65
9 -
1 -
18
19 -
23
24
26
28
48
50
52
58
54
89
63
64
66
71
73
74
76
85
88
90
93
97
99
1143
6
7
15
22
23
27
28
29
37
39
41
46
47"
48
49
50
52
57
58
59
65
66
68
70
105
105
65
105
.405
65
405
105
NS.
1173
74
75
77
79
83
84
86
87
88
89
94
95
98
99
1200
2
4
7
10
11
12
18
21
22
23
24
26
27
28
36
37
40
41
46
48
49
33
37
60
66
68
70
73
77
81
84
87
88
91
97
1303
7
10
13
PREMS.
65
65
405
65
NS.
1314
15
16
22
23
24
26
29
31
32
34
36
40
42
44
47
52
53
60
67
60
74
75
78
80
82
84
88
89
90
95
96
1400
7
9
11
12
16
17
19
21
23
26
27
31
34
43
45
46
49
53
55
57
64
65
PREMS.
65
l
1095
65
r.
10*
65
rNS. PREMS.
1467
74
81
82
84
85
91
94
97
NS. W'.EMS.
651632
33
1501
2
4
5
8
JO
J3
14
46
49
29
Jt
45
31
82
37
41
53
54
37
61
68
64
68
6
89
74
76
77
'
86
87
89
94
96
98
-3 1600
3
6
9
y
15
26
27
28
36
37
41
43
46
48
50
51
82
54
61
68
ti
71
33
.75
80
7
99
*1
3
4
7
ID
TI
14
n
30
22
31
n
37
43-
48
50
53
84
55
58
74
75
76
78
88
99
1801
3
7
8
M
i- i> 13
-i 14
- 17
105
651
W5
65
NS. PREMS. NS. PREMS.iS
fn
65 1818
22
23
2051 24
.65 32
41
.55
56
57
58
64
69
72
73
<86*
91
,98
1901
3
7
M
M
26
27
30
33
37
43
44
47
48
81
ota
'57
?59
*4
66
70
-1 M
73
76
80
81
89
97
1901
10
13
14
16
17
305 'M
_
PREMS.INS. PREMS.
195
.5
5
65
105
65
205
65

105
65
105
6*
_
V
32
33
2037
38
40
43
44
47
o
53
57
63
67
72
75
76
77
.81
m
86
*9
m
a
96
2105
6
K)
13
39
22
m
29
flO
$9
.88
40
42
44
47
46
^j
63
64
67
73
74
1
83
85
86
91
9
?3
95
3308
_ 9
65

205
5
65
3212
14
15
16
19
19
37
.28
29
30
34
36
37
38
40
45

48
52
86
W
3
m
67
9
70
73
71
m
90
93
98
3308
6
13
-m
*
29
31
36-
49
56
53
59
60
61
64
m
69
70
79
'80
'81
93
84
6;'
65
10*
65
105
65
5
65
165
*
2386
i 90
93
94
2402
3
6
8
9
12
18
n
28
3J.
32
47
52
95
i
64
65
66
69
77
78
79
80
1
87
89
96
7
2961)
4
5
11
18
17
18
19
21
23
34
28
'30
91
32
33
34
40
47
49
50
55
37
105
205
5
105
10*
' 65
405
65
NS. PREMS.
2559 65
62 -
63
67
68
70
71
76
77
79
105
405
65
5005
65
84
85
87
88
89
3
94
97
_ 260-2
6
7
11
13
48
19
20
25
37
33
34
36
38
33
55
57
1(05
65
61
65
69
70
71
73
80
84
88
90
93
96
97
2104
9
10
U
13
305
205
.3
NS. PREMS.
2714 65
19 -
21
22
28
29
31
33
35
36
43
50
53
55
57
59
71
72
74
75
76
78
97
99
3960
5
6
8
17
19
20
25
29
33
40
44
48
49
00
53
35
38
60
62
75
76
81
83
88
93
98
99
2900
6
405
105
65
100?
65
105
NS. PREMS.
2911 65
14 -
15
16
19
20
21
25
27
42
48
50
51
66
69
72
74
76
77
78
91
83
84
97
3004
8
9
10
18
21
22
35
40
43
47
55
56
59
66
68
71
73
77
60
85
91
93
94
95
98
3104
4
8
NS.
3112
16
20
24
30
32
36
39
41
43
43
47
49
50
52
56
57
58
59
69
70
71
75
77
78
89
93
96
98
3200
3
24
2o
28
34
36
39
40
41
42
44
49
58
0
53
- 70
77
78
81
87
89
93
94
- 95
PREMS.
61
105
105
5
105
65
105
65
105
65
NS. PREMS.
3297 65
98
3300 -
1 -
2 _
6 -
i _
10
12
16
19
58
34
36
38
39
40
33
54
60
64
63
73
81
82
87
94
95
98
3406
9
12
13
18
19
24
27
29
38
46
49
85
O
68
70
71
74
75
78
83
87 -
91. -
96
-98 -
105
65
205

1Q5
65
_ i
100*
65
105
m
65
- I
Pero.Typ. de M. F. de Faria Wto.i865.
i
J
I
.7
I
ILEGVEL
V



N->r
**
-*-
1M&
LlTTER ATORA.
W.ITKRLOO
(Connuaco do conscripto de 1813.)
poiv
EUCKMANN CHATRIAN
! feito muito mal, e a verdade era que tanto {e de librt sorradas, oom o guardanapo no
elles como os seus parentes tinham logrado braco.
os melhores lugares.

E esses homens, com as sulscasacas do dallle tambem ra.
Z" Como cheira bem T50. querid0 GarewM'A0l?e Peara| Depois desta ceremonia, durante a qual o
E'o Sr. GouWen, que se rollara para _?**?_ ^^^L10^ ?PA.c5,0..ln!ll*!wwopapa nSopde conter a sua emocao,
Dolhaoselheamolgou as costellas deu-lhe ficouemuma paz e um socego profundo!
PRIMABA parte.
1
(Continuacaoj
... t i ao meiM loros de immortalidade, tornando- nip, ^o ;r HosMnrar inmrnimm/.ianM'
Depois d1Sso tenhe reflecbdo que assim, ant.go reg.men, com o sea alegre e suasj Vs, Jos; ha sempre quem pense 0 digno de ser celebrado pela musa folgazaa' urna pequlnaconcoada f Seu"
do espirituoso escriptor das l''u^ *u -um quarto de hora anles ^ meii noule
irmos, que viviam
que se alcancam sempre boas collocacoes, naneiras cortezaes, nSo. deixavam de fazer j61* ti.
de todos os governos, mas eu teril vergo-.boa figura. Dizia-se d'elles:Ahi esto E riamos todas. Isto linha desvanecido nha_ erra.
nha de clamar contra quem nao podesse! francezes que voltam de longe; Gzeram mal lodo o meu resentimento, e dei um abraco ConUnuemos a descer, que de relance po-
responder-me e contra quem eu tivesse I-
songeado mil vezes. Antes quizera flcar
nos pobre trabalhando do que vir a ter riqueza
ardiawinhos, as mulberes, os velhos, lodo c
o meado cavava e lidava, tudo corra com
os tegadores.
tigo administrador e tres ou qualro
sclheiros nSo seguiam esse
em sabir da patria e excitar a Europa con-
tra nos.
os homens sao assim. desejamos.
Devo, porm, confessar que o nosso an:
demos ir rendo ras Ilustradas Iliteraria-
! mente, e cujas negras casas se douram com
Leve isto da minha parle a Catha- um reflexo da aur ola, que cinge a fronle
Mas o que passou, passou. Que sejam rina' d'um romancista, cuja fecunda e esplendida
felizes e tenbam sade todo o mal que- Ibes E i P01 lg 'amo cm urna jarra na ""agmacao se compraz em illumipar estes
que mes .^^ ^ ^ ^^^ ^ j___ ^ escuros rma{M do ?e,ho j,^^ senlo Q1S.
na lia Gredel e disse-lhe:
janella, ao p da minha cama.
Ola, Sr. Theobaldo, grilava ou da es-
trada : ola, ta Furst! loa a trabalhar!
Imaginando so mais gdDerosa ,j0 que a companhia do
Alguns desses emigrados rinham em car-! Zr bem 3s *'"' ^ ^ *"' qW S deXa *" ^ m "*
* ao '. preciso trabalhar. O maldito blo-
i}ueO alrazou tudo.
Iierder.
Agora nao ha lempo a
r, os carnnnos de mao, e os carros com
as violetas e as rosas, sen- tados em completa sombra, e que oulras ve-
PtPmnln ft rUagem P D0SS n0V0 pre" tia 9ue as tinha apanhado urna a urna no or-: zes derrama nelles a mentirosa luz d'uns
ios esses se ^T iT?' ^ "i t ^'!va,ho' airando-as tambem, de maneira que ?af ff' ^ me fizerara Perce^r. 5*"
os esses se cavalleiro de S. Luiz, e o Sr. abbade Lolhe 0 DerfUme me oarera mais p nsnfln feitaraente as irevas visiveis. em que falla o
e que os mal- e o novo commandante da praca, que era o I Ho^dET Canlr d P("'ai2 Perdido'
r' Sr. Roberto de la Faisanderie, de grande commigo:
Lerabra-me que um dia o administrador uniforme bordado, am espera-Ios palissa-
Sr Goulden dizia que ao menos esses se mMr0 de s. Luiz> e 0 Sr. abbade L(Jlhe
E verdade, e vcrdade, Sr. Jos ; tem' portavam como cavallieiros
dizentes Dao tiaham pundonor.
de Hacmait foi concertar um relegi a nos- da, e quando as chicotadas assobiavam as
sa casa, e comecou a fallar por tal modo muralhas, avancavam com cara de riso como
i: dos, telhas, taboas, vigas, barrotes, como I contra o imperador, que o Sr. Goulden, quem vae ao encontr de urna grande felici-
ta lo isso rodara cedo para a cidade, para erguendo-se de repente, disse-lhe : dade ; e quando acarruagem para va, o corn-
os coucertos das casas e para aeren levan-
tados os telhados destruidos pelas bombas!
Aqui tem, Sr. Miguel, aqui tem o seu maadante corria a aDr'r a portinbola, dando
, relogio. Nao quero trabalhar para o seohor. V,Vas de enthusiasm0' Al8umas vezes lam-
Cmo 03 chicotes estalavam e como os mar- 0ra essa pojs Q m[m nQ anno bem, cheios de respeilo, n3o se moviam, e
leiostoavam ao longe! Em toda a parte passado U,e chamava grande homem por >v que a^ue,les homens se compr i menta vara
ao se va seuao carp.oteiros e pedreiros de \ l0(I. nartn_ Z nilA n3n ea pnntan,ano ^m lenta e gravemente, urna, duas e tres vezes.
.(
lor das casas de recreio. O tio Ulrico e
toda a parte, e que nao sft contentava com \
o.seustresrapazes^eslaVam sobre o te-1 lta* Sj ^ **** ? ^ij^l-^lmfll^
.,adodoC/o Florido, arrasado pelas ba- i f". "S ^^ d' C0Dtodeni0J^Q M A
Ju da cidade, levantado o madeframento' elVf'Ca'e flnch,a a bocca COm ^* ^\^2^' ^ ^ *** V'drS'
,. v. uvia-osassobiar emarte.laracom-!df e'TS'gK g0'a *i tTJJPSA SSJ aquillo a gemma anata
,.WI, _Kra na v,,.A.Aa Iim lomn, Aa chama Luiz bem amada a Luiz XVIIII Ora! ulUd' iVW> aqu"10 e a Keran,a'a na
' SS^nTJS^rir^ii^*- se"hor devia envergonhar-sedeser,^ ^tigo rgimen. Sem fazermos mais do
^ae^uSSrSa, Rk ^ a -- ** to.osj ^ o.bar pela nossa .ane.la, podemos apren-
^ nUun a ,.,, .in n j u com gente desmemoriada ?
nos saoiain o que vale o socego no seio da
E o ou ro respoudeu :
-
familia, e nada desejava n mais do que re-
parar quinto fossc possivel todas as miserias
.'. usadas. Todos sabi m que um minuto
O?, trabalho da serra m da plaina vale m^is
0 >ju uai tiro de auh5o. Ninguem igno-
n quanto cusa em lagaimas e fadigas le-
. tar em de/, annos o que as bombas der-
ibam e-a deas minlos.
U como eu ento corria alegre I Nada
de maruias nem coiitrauaiclias: eu bem
^Voiaonde i a sem ter recebido a senha de
.-; euto Pialo. E aquellas coloras que se
.guUm para o ceu tremelbicando : como
j.ut ivaiu bem e as cordenizes e os pinta-
r.xos Oeus do cu, ninguem novo se
ititi urna vez E a ba frescura da ma-
ala o buin perfume das roseiras bravas
ag cj.ii ridu das sebes, e a cumidra do ve-
lutiihado dos Qualro Ventos, e a chamin
q ie despeja lumo. E* Caiharina que est
a aceender o lame e vae preparar o nosso
caf, Ai, como eu corria I Emfim, aqui
esiou ao p da aldeia, caminhando um poo-
DQ -u;iis devagar para tomar folego, olhando
paraasnossas janellinhas e rindo de con-
teatamanto. Abre-se a porta, e a lia Gre le
afolla em saia de laa, com orna grande ras-
sora ia mao, olba para fiara, e ooco-a gri-
fe: : Elle ahi vem, elle ahi vera fE lo-
go Guthai iiia apparece, cada vez mais boni-
ta, cuma sua louca azul:Ah: liara, bem:
?aj te espera va.Como ella feliz, e q e
fieidade a minha Viva a mocidade !
Anda estou a ver tudo isso. Parece que
Iro om casa com Catharina, e que a lia
2..del, levantando a vassoipa com enthu-
aiasmo, grito ; Acabou o recruiamenio !
icabou !
Uimos com a melhor vontade. Fazem-
m a as-eiilar, eem quauto Catliaiina olba
para mim, alia continoa :
Entiio! o palife do ministro anda
n3o te escreveu ? Nem le escrever ? Pen-
sar que somos al^un* tolos? O outro
a ;xia-se de mais, este mexe-se de menos.
Ai, quanto cusa andar -empre agente s
tudens de outros I Tu j nao es soldado,
poique te tinham deixado por morto. Fo-
m'Siis'que le salvamos, por conseguinte
eU^s nao tem nada comtigo.
E' a sim, ta Gredel, tem raz5o,
Cizia-lhe eu, mas o caso que nao podemos
GS&ar sem ir administrarlo, e se nao for-
aas administraco, o abbade nao nos casa
f.a egreja.
A tia tomava entSo um ar de gravidade,
eacabaya sempre por dizer :
Ora v tu, Jos ; todos os que n^s
governam. desde o primeiro at ao ultimo,
{em arraigado tudo como lhes convem.
QiiHm que pga polica e aos ju'zes ?
Qiiem que paga aos abbades 1 Quem
ti que-paga a todo o" mundo? Somos
js. E elles nem ao menos deixam casar
a ente.' E' urna cousa admiravel! Se
Mto continua assim, ser preciso ir casar
4uiss.
Estas palavras tranquillisavam-nos um
pouco, e passavamos o resto do dia a can-
tar e a rir.
II
' No meio dessa grande impaciencia, eu
va todos os das cou?as novas que me rem
Hgora idea como urna verdadeira comedia
que se reprsenla em praea publica. Via
OS administradores, os rededores, os conse-
Ibeiros municip es das aldpias, osn^gr>ci-
unles de cereaes e' de maaeiras, os coutei-
ros e guardas campestres, toda essa gente
(fue ha. dez annos era tida como os melbo-
ces amigos do imperador, e chegavam a ser
leidadeiramente severos quapdo se dizia
un palavra contra Sua Magostado ; via-os
d i pr^cas a gritarem contra o lyranno,
Contra o usurpador e o pap3o da Corsega.
Parecera a alguem que NapoleSolbes linha
Bem se v que o senhor um velho
jacobino.
der as maneiras de corte para quando for-
mos duques ou principes.
Outras vezes dizia:
Aquelles velhos, Jos, flzeram fogo
- O que en sou nio dacohta de nin- contra dos uas liabas de Wissemborgo. Erara
gera, tornou o Sr. Goulden ; mas o que bons cavalle'ros e baliam-se bem como se
nao sou bajulador. batem todos osfraHcezes. Mas nem por is-
Estava muito paludo e poz termo ques-,so *** de os fazer lomar as de Villa
tao com estas palavras : j ^l08-
Saia d'aqui, senhor, deixe-me. Os Piscara os olhos e asseotara-se muito ale-
bargantes sao bargantes com todos os go- gre banca do trabalho.
Emftm, sahi, dizendo
Posso senlir-lhes o cheiro toda a nou-
Confesso que depois d'um periodo des-
tes, me savia de ver embaracado para dizer
aos leitores o nome do romancista, a que al-
ludi na oraco principal, se os leitores nao
te; de manha deito-lhes agua fresca; de- tivessem jadeVinhado que se trata*, de
pois de amanbaa e domingo, vou ver Gatha-
rtna, e agradeco-lhe com um abraco.
(Continuar-se-ha.)
>-(gxw
UM POUCO DE TUDO.
Gamillo Castello Branco.
Passemos por conseguinte a Porta Nobre
ou Porta Nova, porque andam os archeolo-
gos em discusso formidavel sobre qual ser
o verdadeiro nome que dera competir a esta
porta. Esta discus-o felizmenteno pode
degenerar era luta, porque a fllarmos a
verdade, pela porta que Ihe serve de thema
nao podiam entrar a tira lempo dous dos
Damos em concluso.ofolhetim doSr. Pi-
nheiro Cbagas.;'
Em Lisboa o lerramoto, desmoronando;con,,ore!' ... 4S
completamente urna porco da cidade, ao- L mbos 0S parl,doS- all^gam razoes l3
liou a traosformacDo, e como que passou a lT^ Sf eu na0 8! realmente para que
esponja pelo desenlio das velhas ras, prc-.la f' de pender, de'forma que me pare-
parando a tela em que o vigoroso lapis do'cemelhJor darmos-lhe os dous nomes, ambos
marquez de Pombal esboCou rpidamente merecidos, o de Porta Nobre, por ser plebea
o plaDo, montono e uniforme da cidade bastan'.1 df Forla Nova' por ser velha
nova. O bairro de Alfama, respeilado pelo C0IH Matliosaleoi.
cataclysmo, ficou entalado no meio das ras j Vte"x comme le Pon'-*e"f>d,zem osfran- cop;a e como gegue .
reformadas, espantado do que via em lorno'ce^8' Approure aDeus, que exalta ehumi-
de si. como um cavalleiro da Palestina oue; ^amos. pois em Miragaya, se as miraias jnai ieVantar-me a minha insignificancia
dormisse um somno de seculos, e acordasse 'normaCws nao errara ; do lado esqaerdb
estupefacto n'uma sala, no meio de um bai-1V madeirameatov onde vao progre-
le moderno. Eu quena saber o que pensar'd>Bdo 'tamente as obras da nova alfande-
alguma daquellas paredes mauelas ou go-1 ^J3? Jf.do d.,rf,0-" "grt+&
ihM nm^A Zm**** a~~ .?-1 n iHna daqueHas viellas escuras, immundas,
urna carta a seus tres
em Snigaglia.
Passou a noute socegado.
Na manhJSa do seguinte, cetebrou a
santa missa como de costume, cora aquelle
recolhimento, que maravlhara todos aquel-
les que Ih'ariam celebrar.
Ma. todas as emocoes e toda* as aprehen-
s5es da vespera se repetirn quando se ap-
proximou a hora de receber a segunda ado-
raco, e princip dtente quando chegou o
momento era que devia ser appresentado
ao povo. (2)
Na vespera tinha-s espathado um falso
boato de que era um oulro cardeal, que
bavia sido eleito.
As sympathias tinbam-se voltado para
esse nome supposto, de modo que quando
se annunciou mulido a escotha do sacro
collego, houve um momento de desapon-
tamento ; mas quando o soberano pontfice
apparecea, eom os olhos arrazados de la-
grimas, e se ou io o sua voz to doce e 13o
paternal, todos se lembraram logo como o
cardeal Maslai era amado, como era cercado
de respeitos, e como desde muito tempo
se prognosticava a sua futura elevacao, e
succedendoento o enthusiasmo ao silencio
que at all reinara, de toda a parte sairaa
gritos de viva Pi IX. (3)
Aqui tendes, leitores, os, promenores
que pude alcangar acerca' das primeiras he-
ras do pontificado do nosso muito amado
Pi IX; mas vos ficareis mal comaoigo, se
eu vos nao d'sse conhecimenlo da carta que'
elle escreveu em a noute' da sua elec3o a
seus irmos, e de que tenho visla urna1
tilicas, ouv.ndo assobiarem a dous passos "T qu# a iL ben
as locomotivas fe San., Anninnin lu* a E a raa dos _Armenios, d onde ras.
dignidade mis sublime da Ierra. Seja feita
a sua vontade Sinto toda a immensidade
deste fardo e toda a fraqueza das minbas
forjas. Mandae fazer preces e rezae vs tam-
bem por mira. O conclave durou 48 ho-
vernos.
N'esse dia era tao profunda a sua indig-
Mas os criados e criadas do fio Vermelho
tendo dado a saber que essa gente dizia a-
naco que nem podia trabalhar, e levanta- berlamente as suas conversacoes: que
va-se a cada momento, bradando : nos tinham emfim vencido; que erara nos-
Jos, se eu me tivesse afTeicoado aos sos superiores; que o rei Luiz XVIII tinha
B)rboes, bastara esta canalha para me con- sempre reinado desde Luiz XVII, filho de
verler o affecto em odio. Os i dividuos des- Luiz XVI; que eramos rebeldes e que vi-
ta laia s5o os que deitam tudo a perder, por nham fazer-nos entrar na ordem, Sr.
que approvam tudo. acham ludobom, tudo Gouldendissemecom mau hojoor:
magnifico, e nao enxergam um defeito em I Igl0 ^ vae beittj ts stm que
cousa nenhuma: levantara asmaos aoceu estes homens v3o fazeraParis? Vo recla-
. com Diidos de admiraco quando oreitos-
se; emfim querem ter parte no bolo. E
quando, forca de os ouvir gritar com tal
enthusiasmo, os reis e os imperadores che-
gara a julgar-se deuses, e surgem revo4u?oes
eiito os taes bregeiros dao-lhes logo de
mao, e comeca n egual comedia com outros.
Desta raaueira esto sempre no poleiro, eos
homens de bem nao se levantara da lama t
Isto passava-se no principio do mez de
maio, no lempo em que se annunciava
mar os seus lagos, as suas florestas, as suas
tapadas, os seus castellos e as suas pensos
sem faltar nos altos cargos, as grandezas e
consideracoe> de toda a ordem. -Tu achas
os seus vestuarios e as suas cabelleiras mui-
to velhas; pois olha, as suas ideas ainda so
mais velhas do que as suas casacas e per*
cas. Esses homens sao mais perigosos para
nos do que os russos e os austracos, por>-^
que os russos e os austracos vo se embora
, e estes c ficam. Ho de querer destruir
porta da casa da cmara que o rei acabava^oque temos feito em rinte e cinco annos-.
defazerasua entrada solemne era Pars,-vsCG|nose moslram ^^? ^ _
no meio dos marecbaes do imperio : que a .. .. .
. ... ^ los d elles leem vivido em grande miseria
inaior parte do povo tinha corrido aoseu ,. ., .
. ., alera do Rbeno: porena'Cuidam que-n5o sao
encontr, que os velhos, as midieres e as' Jw .
, da nossa rafa, mas simple urna raca supe-
pior ; cuidam que o poro esta sempre promp-
entrra .
primeiro na egreja de Nossa Senhor. para i para de.xar tosquiar como em outro
dar gracas aoceu, eso depois no seu pala-1 "J* Mas enganam-se! Drz-se que Lu.z
XVHI lenr bom senso. E' o que lhe valera;
creaocas se tinham apinuado "nos
para gozarem a sua vista, e que
as locomotivas de Santa Apofona, sendo a
pouca distancia o edificio do arsenal do exer-
cito, espreilando por cima das suas sompa-
nbeiras, e descortinaido nao mu i lo longe as
arcadas do Terreiro do Poco a estatua de
D. Jos. Que mysteriosas conversacoes te-
rao entre si aquellas janellas e varandas,
noute, quando a kia brarajuear com pal-
uda luz os seus ennegrecidos lavores 1 Que
confidencias, que saudades, que espantos,
que reeordaces I
No Porto nao acontece aesi.n. A mopo- que,a0 ,mmens0 E2W aos *"?f\
derosada natureza nao veiu ajudar as Iran ef otherarji para scenano dos seos-dramas
formaeoes dos homens e do impo, e K fi2?SS;, Pa1receu-f d,v,sar e,,cofada
sefoifazendo por conseguinte a pouco e *nff4 fachada d urna dessas casas da ra
pouco. Deforma que a cidade velha ficou, ll0S,Arm'a,0S a l)allda P'.vs.onomiada Au-
Lservando o postl que ocupa, sem 3 Jft ^oT^ cS "Kr ~
ceber as innovafes que se iam-addicionar> sua4 s "eagoes ae cam no. por entre as
do,mas que a nao desojaran* nem se ItoJ^^ %ffgX
melliam>de permeio.. Apenas umn ou outra-'S oranco vulto ce inerexa, ven
ra nova ousa espreitar por entre o montao do Part,r Para destevw nav, ue lhe
de casas esguias, que se atropcllm urnas s
So a cidade quizer fazer alguna de-
saina a Augusa do-Onde esta afeitada- m0nslraCo por esta occasi5o, peco-vos, por
de ?-a Augusta;, cuja linda casa do Undalique 0 descj0t que e,[a seja feita de ^^
queridos
Monchique, onde iorreu,-abracada-as grades m5osr abrafo-vos de todo'o meu coraco-em
do mirante, a Thereza do Amor de perdido !: Jesu5 chrisl0_ mo T0S ensoberbecaes- por
. ensoberbecaes- iwr
Sentt a verdade do que diz Lopes de Meo-; serds jrm3o do, lamentae-me anes.
doea, as suas Recordacoesda Uaha, acer-' e petli por mm; ^.^ mMa b So
ca da influencia dos grandes esenptores, apostbca.
Que admiravel'carta f
roubava o amante, e com o amante- a vida.
Como ella pinta to bem a huaildade e o
desinieresse deste bondoso papa !
Gitarei anda desta carta algmmas pala-
vras que sua santidade disse a um joven ec-
clesiaslico aquem-elle honron com urna au-
diencia : as quaes, como ides ver, pintnm
d'uma maneira beta expressira a sua humil-
dade, o seu desinleresse e a sua f pro-
funda.
Este joven ec'lesiasticot estando para se
separar do soberano pontfice sob a impres-
veis, afiertando-se cada vez ma*, como'qe ttfr.ri'nPJ-,)U?s. 3S rengues e wuir
para o^porem o seu cerrado esquadro s in- f "'lencoes-folhel.n.slicas da ra.nha v,agem, como so.cu poda- dar, tinha acabado de
i cima das age, por-1 dizer a Pi IX que elle dava muiSas-grafas
a Deus por I be haver concedido ver Nosso
Senhor na sua augusta pessoa, e o bom, pa-
pa, fixando nelle os oHios com urna expras-
so de simplicidade j bondade incompafa-
vel, respondeu-lbe:
E' verdade, meu filho, eu seu'origa-
rio de Jess Christo. comquanto seja bem
indigao de o ser... foi elle quem o periait-
tiu... e ainda que nada.posso por mim ses-
mo, com elle posso tudo.
Iraaginae se este padre conserva; o* nao
est:s palavras com urna preciosa recorda-
Cao de sua visita. Conservae-as vos tambera
como urna lembranca.desta leituiai
n^SZS^ZS;to A chuva, que protesten decididamente in- ..
"erromper-aae todas as rellexoes, e uestruir | Sao d'um destes sentimentos de felicidade,
>s intenge3-folhetifiislL'3s da r.
vasoes doprogresso. O.ham dcsoslaio *wt* ^JSfmi
ponte pensil, e contara ao Domt>( seu som-; u>enseb- ADraouiaptu, -wr
ci das Tulherias.
Tambem se annunciava que o senado ti-
nha tido a honra de fazer-lhe um discurso
magnifico era que Ih i dizia que nao se as-
porque se cabe na dtesgraca de dar ouridos
a esta gente, se se chega a presentir que
capaz de seguir os seus cooselhos, est, tu-
do perdido. Ser, a guerra contra a naco.
11 un
baria
discurso.
sustasse cora as nossas desordens, que co-1 o povo tem refleclido durante rinte aiwos,
brasse animo e que os senadores o ajoda- conhece os seus dineitos, sabe que unvho-
para se livrar de embaracos. N5o|mem vale outro homem e que as ragas no-
ninguem que nao approvasse esse'bres sao espantalhos. Cada um quer guar-
' dar o seu camgo, cada um: quer ter a igual-
Mas pouco tempo depois lindamos de go-; dade dos direiies, e todos se defenderlo at
sar outro espectculo, que era o de ver rol- a morte!
tar os emigrados dos pontos mais remotos '___ ... I','-
, ,.. r, u E o que me disse o Sr. Goulden ; e co-
da Allemanna e da Bussw. Uns vinham ..., .
i rao a hcenca para o casamento n3o acabar
emcarruagem-caioeira, outns era simples ^ .. .. .
,,.,,. v de chegar, entend que o ministro nao tinha
cestos desalada, que sao uns carros de vime ,
de duas e qu *tro rodas. As senhoras Ira-1temp0 para respoader-nos, porque o perda
javam vestidos de granHes ramagens, e qua-;Com todos esses C0Qdes- condes, duques
si todos os homens usa vara a antiga casaca'e marqezes que reclamavam os seos lagos,
afranceza.com o cal cao curto e o colete,bosques e a,los car80s- rril^-me o ex-
compridoadebrucar-sesobreaspernas>co-|ClamaTa: ~ Qlie miseria 1 Senhor Deus,
mo sao representados, as eslampas do tem- ?uando uma des8raCa est passada, comeca
po da repblica. I g0 oulra' e s3 se.mpre as pessoas pacifi-
cas que soffrem por causa das oulras. Meu
Toda aquella gente pareca alegre e or- Deus, livrae-nos dos fidalgos velhos e dos i-
gulliosa ; iodos estavam contentissiraos por dalgos novos. Derramae sobre elles as vos-
voltarem patria. sas bencos, mas qae nos deixem em paz.
Na manbaa de uma sexta-feira veio ver-
Era dia.de feira. Trazia
Apesar das velhas cavalgaduras que os
traziam a reboque, apesar dos seus mise- D08 a lia Gredel.
raveis carros cheios de palha. <> dos aldeJos um acafatinho debaixo do braco e pareca
que elles mandavam montar na fivnte laia
de postilhes, apesar de tudovaquillo inter-
necia me ; lemhr tinha sentido, cinco mezes antes, quando
toruei a ver a Franca, e di '.ia commigo :
Pobre gente f pomo v5o chorsr qoando tor-
narem a ver^Paris V3o ser flizes I
Cerno apeavam no Boi Vermelho, hospe-
dara dos amigos embaixadores, dos mare-
chaes, dos principes, dos duques e de todos
esses rirasso que j nao appareciam, ria-os
nos quaitos a p-ntearem-se, a veslirem-se
e a faz rem a barb* por suas raaos. Aomeio
muito satisfeila. Eu olhara para a porta'
pensando que Caiharina v'raha atraz d'ella e
disse :
Bons das, tia Gredel. Caiharina est
na cidade e Vem c, rio assim ?
Nao vem, nio, Jos; Est nos qtiatro
Ventos. Nao lhe falta l que fazer pdr cau-
sa das sementeiras.
A tia de Caiharina vio que eu entristeca,
e que mesmo senta cerlo azedume interior,
pousou o apafate sobre a mesa e disse, levan-
tando o guardanapo que o c'obria :
Olha o que trago pata ti, Jos; Ca-
bro confidente, o rancor que Ibes inspira;
a arrojada fita, que ousa saltar d'uma ou- .
!rl"Sm;,Sn re!?nit0 a,8Hm Pela sua Transcrewmos da Estrella do torte O
veneranda catadora. O Douro, que tem tam- seeuinte
SHLnei!f ^r"06! 6 ',Ue "f V f^""I1" ALOUNS-rACTOS DA -,-mA DK PI IK.
pL n?[8u ?6la T"v aUdaC'a da! Para "Pregar os homens, nao basta a
SSt q naopedui hcenca para o nbecer os aconteciment.s da sua vida e as
traospot jura vingaoca, eruge, enfurecido, versas |>esicoes, que siles tem occupadoi
ameacindo sempre que pode soverter a in-;M mundo; sao os promenores da sua vida!
sensata egalgar pelas ribas penhascosas,par,clllar, Sa0asSuas accoes que os fazem I
para ir bramir as pracas amoderoadas da. reaimente oonhecer.
Si5r Th3A E'com esta idea que, hoje vou contar-
Mas a velha cidade nao sospeita sequer vos algQM felos nteressantissimos- da vida
aslousanas, em que a c.vihsagao se tem- do nosso wnenvP: poafice.
desentrenado, emquanto ella se conserva Comoamateria ampia, se n5o puder
immovet com as suas casas negras, espao* dizer tudo d'uma ye/., fa-lo-hei n'outrodia,
tando-se apenas cb nao ver pasar cavallir- tendo desdej a certeza de que ros conven-
ros.edonzeis pelas tortuosa*, ras, onde o i cidos como estaes de que ludo- o que tem
trabalho campea, onde seprojecta a cada relaco com o augusto pontifico merece a
instante a luz avermelhada da forja, ondemaior importancia, e-por isso a,maior pu-
se escuta o reunir do martello na oigoroa,; blicidade, nunca me acharis demasiado ex-
como succedia tambem no tempo em que a! tens0
linda filha do caldeireiro do Arco de Santa\ 0s' prmeiros pr;>menores we eu tenho
fZ ?.Vaha ^f*8 de Va^c?'10ladar.v.s, sao os que se referem propris.
elegante estudantmho. Mas, se, mais feliz eleigo de sua santidade Pi IX ; sao elles
do que Lisboa, pode conservar o terreno que | sunicQntes para vos fazer conhecer toda a
oceupava, e nao ceder um ponto so as mo-: sua f| e humildade.
f^, constroccB^ n.gp pode impedir! F como OSOtros cardeaes,.
a^nn.t^ Tr4-"1 conclav' obedecendo a um dos mais'ram lagrimas a todas as- testemunhas, ea
rAL Pr L PLtm! mperiosos deveres da sua alia dignidade, i contar dessa occasao ninguem lhe tornou a
jtras rSmmnm li Z nT I masera a menee pretendo, sem suspeitar, ouvir mais uma palavra, recusando sempre
qee nos sitios que deixava
no de si se l'ossem a
guendo nevas
Sis um exemplo raro do d vontade.
Argel Sevilla Puebla acaba de se fazer
morrer de foin na priso de Alcai (Hes-
panha).
Durante o tempo que estevena'segredo,
sua irma pedir baldadamente que Ih'o
[deixassem ver. Levantada, porm,finalmen-
te, a interdir-co, pode fallar-lhe e a entre-
vista foi cheia de transportes affottfuosos.
O ru mostrava-se extreraameate arrepen-
dido, porm, mc-nifestava um modo borrireti
ao garrote.
Os adeuses que fez a sua irmaa, arranca.--
'Iue! succeder ao papa Gregorio XVI.
o Porto se vae alaslando do rio v3o-se alar-1 Levou em s,a companhia o seu caaellao
as casas vao devxando essa i e foj morar paj.a a pral?a )Je Ara Coei^para
gando as ras,
S;,e" e*f.iaH qUe, meu- b.m ami8-;casa do seu correspondente, esperando que
Julio Cesar Machado notou espiriluosamen-1 se abrisse 0 conctev^
nnrS? qU a"30 f dCVa Per8u.ntar a um I As janenas da minha casa, diz uma pes-
- f n SeKhr mra nes a C3Sa I 9ue os conloo a .maior parte dtes
r?,t'i"p f^C m0ra nesta''a,? promenores, tinham defronte a casa do car-
ifiS.n h ed0f?ta.' que len um ^ideal bispo d'lmota, sem eu o saber. Um
qual Ponto de contacto com o bairro tisbo- f dia pe|a manhiia ri em uma das salas uma
neusedeIJoos-A)Tes,eperfeitamooteum'perSonagem desconhecida: pelo barrete
S2^ ,FtaVe1' C?S lrm? com .todas as encarnado que trazia na cabeca conhec logo
commodidades exigidas pelo espirito rao- que Wa um cardeal; pergirarei como se
^ n v c|iaraara e soube que era o cardeal Maslai
Aonde me arraslam as digressoes I Bem'Ferr tl> estar longe de pensar que viria a
e. caro leitor, que diflicil viajar com lo ser 0 nss0 papa. E||e com tudo prepara-
ve
gados para Ui'o1 fazer tomar.
Ae cabo de nove das, disse o medico da
priso que era mister administrar-lba a Eu-
charislia.
Recebeu-a com grande compuncco, mas
sem pronunciar urna palavra, nem-desistir
do proposito de nao tomar sustento.
A sua dolorosa agona durou. ainda tres
dias, no fim dos quaes a sua bocea se entre-
abriu, n5o para proferir alguroa piulase, mas
para exhalar o ultimo suspiro.
dia todos desciam, gritando e chamando tharina que te manda jsto.
com pacie ca: Jo3o! Claudio I Germano! Vi um grande ramo de.rosas de maio e
dando ordens como pessas de importan-: violetas, entre Ires grandes lilazes co n as
ca e asseoiando-se de redor das compridas suas folbas. Aquella rista encheu-me de
mesas, tendo na retaguarda os criados velhos alegra, eu ra de contente, dizende :

caprichoso guia como eu sou. Andavamos a va p^to silencio e pela humildade a escolha
procura do Douro, e afinaj doixo-o ficar no de Deus, Bemdito seja o eeu por no-lo 1.a-
meio das ratricadas ras da velba cidade, e ver a0 t*
doucoraigo emCodofeita, smmelembrar o cardeal entrou to modestamente no
que tenho quem me espere conclave, como havia entrado em Roma.
Varaos, pois, visitar o Douro, antes que, 0 escrutinio foi logo aberto,-e da quarta
elle nos visite, o que seria da sua parte mu- vez>. quero dizer vinle e quatro hor^ ape,
to delicado, mas muito desagradarel para nas depois da missa do Espirito Santo, eda
nos. Comtudo, o torvo rio esta dando mos- communho geral, j eslava eleito.
tras de nos querer fazer essa amabihdade, Quando vierara annuaciar esla grande
e, ou seja porque as chuvas torrentosas o nova a0 cardeal Maslai, 'estove a ponto de
tenbam engrossado, ou porque esteja deci- perder os entidos.
didaraente curioso de nos ver, vae-se levan-. a idea do immenso fardo que ia pesar
tmlonos bicos dospes, e erguendo cima whn el|e asSustou a sua humildade ; nao
do areial a sua fe.a catadura com grande des- qi]eria acceitar e pei|iu am& hom para
prazer dos alguma dessas visitas, como as que elle lhes ramete ou oilo horas da noute, eso-
era fe.to frequentemente, eem que toma a s dez horas consentu na primeira adora-! soberano pontfice eleito apreseutadoao
hberdadede se estirar por pracas e ras, $o:({y ^povo pelos cardeaes, e que elle deita asna
como v.llao em casa de seu sogro. ...------------J-*----------_ i^meVa bencio. M
Sabimos, pois. da ra das Flores, entre- i (I) Chama-fe assim a homenagem que os (3) O papa, que foi bispo de Imola, quiz
mos nf deFerreira Borges, e, deixando a cardeaes prestara ao papa depois da sai tomar o oome de Pi, era memoria do Vil,
direita a da lerrara, nao nos estocamos eleracSo. Esta expressao nao deve ser to- fallecido em 1823, o qual lamber havia sido
comtudo qu para os fins dessa ra existe o mada ao p da lettra, mas no sentido figu- bispo de Imola.
Do Commercio do Porto, transcrevenios
o seguinte :
Alm do prefeito senador, de todos os
que fhRdaram o Imperio, s esl em p o
imperador.
Todos teem morrido por ordem alpbabe-
tica: primeiro S. Arnaud, depois Carlici,
depois Mocquard, deJois.Morny.
Falta Maupas e*o imperador.
tanto de Deus, entre os homens.-A elicao
do papa seguida de tres adoraces, a ul-
tima tem lugar na Baslica de S. Pedro ; o
papa est sentado para a ceremonia, sobre
um throno levantado em cima do tmulo do
sanio apostlo.
(2). Na fachada do palacio aonde se reti-
era os cardeaes para o conclave ha um
1 grande terrado, que domina a celebre praca
de Monleicavallo. E' deste terr do que o
local, onde se ergua oulr'ora o Arco de
Sant'Anna, 15o' conhecido dos leitores do
rado, e significa a mais alta expressao de
respeito e-de veneracao como ao represen- PERNAMBGO.-TYP. de H. f. de f. 4 iut
i

";
yj
LEGVEL


SDPPLEMENTO AO HOMERO 98.
Pop qnartel pago dentro de 10 dias do 1. mez ...::.. 5$Q0O
dem depois dos 1.'10 dias do comecoe dentro do qnartel. 6J000
Porte ao eorreio por tres mezes............: 750
SABBADO 29 DE ABRIL DE 1865.
Por amo pago deatro de 1 Odias do 1. mez .191000
Porte ao eorreio por oh anuo ..,.,.......... 3$000
EXTERIOR.
CORRES POXlftEXCI AS DOBIA
RIO DE PKRXAMBICO
Londres, 8 de abril.
Desia vez recebemos juntas duas malas do Bra-
sil : a do paquete Bearn du cujo naufragio havia-
mos ja tido noticia pelo tclegrapho de Lisboa, e a
do paquete Paran eutrado era Southampton na
manha de 4 do rorrente. Causou aqui viva m-
presso a noticia do naufragio daquelle paquete,
embora esse incidente venha a converter-se tempo-
rariamente em proveilo da linha ingluza de paque-
tes entre Southampton e o Brasil. E' de esperar que
no futuro a rompanliia franceza cesse de autorisar
os commandantes dos seus vapores a navegarem
pelo roteiro do mar djs Abrolhos, visto como a
triste experiencia queacabade ter, llie custou para
cima de uin milbo de francos, prego da embarca
5ao perdida.
Paran trouxe-nos a confirmago das noticia-
polticas que j tinharaos, excepgao da circuns-
tancia inesperada de haver sido a praga de Monte-
video entregue a Flores, apezr da oceupago pos-
terior desse ponto pelo exercito brasileiro. Que
significa com elpilo o general Flores investido por
Villalba com a autoridade suprema provisoriamen-
te, quando ao Brasil vencedor somonte competa
deferir esse poder ? E' triste pensar que as nossas
autoridades bajam aceitado aquella situago, se
bem que a noticia aqui corrunle da exonerado do
plenipotenciario o Sr. Paraahos par. ga indicar um
protesto por parte do gabinete imperial em serae-
liante emergencia. Deus queira que qualquer ir
regularidade commeltida seja em lempo reparada,
para que o Brasil colha todas as vantagens a qcs
Ihe da direito o saogne de tautos de seus Cilios
vertido na Bauda Oriental.
O effeito aqui causado pela victoria das armas
imperiaes foi excellente, e hoje se acredita na sin-
ceridade cora quo o Brasil fez aquella guerra,
vista do respelto que o governo imperial mo.-lra
pela independencia da. repblica do Uruguay. A
mprensa deu noticia do tratado de allianca cele-
brado pelo Brasil com Flores, prevendo ao mesmo
lempo que dessa eombinago resultar para a re-
publica do Paraguay um formidavel e desastroso
golpe. So Mr. Christie contina a predizer pea
imprensa graves embarazos para o Brasil, ebegan-
do a ponto de publicar que urna parte da torga ar-
mada do Brasil no sul se compe de salteadores
commandados por Netto Rtsum Uneatis.
A opinio publica em Inglaterra manifesta sem-
pre a sua boa vontade em favor do restabeleci-
mento das relacoes polticas do imperio com a
Graa-Bretanha, espilhando actualmente que esse
successo ter lugar brevemente. O governo br-
tannico se apressaria em solicitar do gabinete do
Rio a cessago dessa inlerrupgo, assegurando ao
mesmo tempo o solicitado da sua boa vontade
no futuro ; tal seria a base da desejada reconcilia-
gao, qne se suppe ter brevemente lugar entre os
dous paizes. Ser, porra, esse expediente aceta-
vel ? A verdade que ello nao implica a satisfac-
cao de nenhum dos pontos do ultimtum do Bra
sil de 25 de maio de 18,63; mas poder talvez crear
para o Brasil urna nova situago cercada de garan-
tas, e nesse caso seriado alta poltica aceila-lo, es-
quecendo velhas queixas. O futura se encarregar
todava de nos explicar quaes sao exactamente
esses famosos termos, que lord Russell julgou to
aceitareis pelo governo imperial.
Nesla praga teve lugar asilenciada casa Brem-
ner cora commercio para o Brasil ; oseu passivo
excede a cento e cincoenta mil libras, affirmando-
se que o seo activo cobrir ao menos a metade da-
quelle desfalque. A liquidago dessa firma est ja
Banks em via de execugo.
O banco de Inglaterra baixou o seu descont a
4 Ojq, e a grande reserva cora que seacha Ihe per-
mittir provavelmente reduzir anda aquella taxa
antes de muito pouco tempo. Os o Joint Stock
tem descontado a 3 0|0 e a 3 1|2 Oo-
Em Liverpool o algodo superior de Pernambu-
co e do Maranho fica a 21 d. e 22 d. por lili, e o
da Babia a 20 d. por lib. Neste mercado diversos
gneros do Brasil se acham colados da maneira
seguinte :
Cacao do Brasil de 43 s. 59 s. per cwt.
Assucar branco de Pernambuco e da Parahiha
de SI s. 6 d. a 26 s. per cwt; e o da Bahia de 20
s. a 24 s. 6 d. per cwt.
Pao Brasil 75 s. por tonelada.
Couros seceos do-Rio de 7 d. a 9 d. por libra ; e
somonte ha. 15 dias. Succurabio a urna febre violen-
ta que sobreveo a languidez, em que desde ha me-
zes jazia o Ilustre enfermo; o seu estado, porra,
nao o impedir de comparecer no parlamento at
ha menos de um mez, e na discusso da defeza de
Canad tomou elle anda grande e importante par-
te. Ricardo Cubden nascera no condado de Dun-
ford filho de paes pobres.
almirante Pinzn recebesse provises de carvo nos
portos chilenos 1
As noticias do Mxico sao de natureza satisfac-
toria. Depois da tomada de Oajaca, o partido de
Jurez se considerara inteiramente desconcertado e
agora lula apenas em pontos insignificantes e com
pequeas forgas; de modo que se espera em breve
o completo deSappareclmento daquelle elemento de
Foi finalmente votado pelo congressodo Canad j desorden), que anda est impedindo a consolida-
o projecto de confederagao, que all se achava em gao da ordem publica naquelle novo imperio. O
discusso com o assenlmento de lord Monck, go- i raareclial Bazaine regressra a capital depois de
vernador geral daquella possessao. O governo da! haver tomado Oajaca, e essa circumstancia indica-
Metropole ter agora de dar a sua approvagao aquel- j va a confianga que elle tem nos successos obtidos,
le plano, a qual ter sem durida lugar a vista do! successos que deverao firmar o throno imperial
reforma a le ingleza conservara a pena de morte
para muitos casos secundarios, tendo depois desta
reforma havido muitis alteragoes, applicando-se
actualmente esta pena s por crimes de homi-
cidio.
Todas estas reformas serapre eneontraram forte
resistencia, dizendo que pena de morte tfao se
podiam sujeitar os malfeitores e que a seguranga
publica nao tem garantas; mas boje pensa-se de
outro modo. Os crimes tem diminuido propor-
Baleares ; a Inglaterra oflerece
Ragasa, e a Franga Avinbao.
dade.
O Spectator quer dar esta noticia um carcter, _
mas nos nao garantimos a sua veraci-
nando da sua intensi-
As ultimas noticias da Austria dizem que a
mtelligencias cora a maioria do parla-
apoio j prestado a essa idea pelo lugar-tenento da
ralnha. Ser por esse modo que a Gra Bretanha
ir emancipando gradualmente aquella colonia, at
que o da da sua completa liberago ebegar final-
que esse delegado da Franga tem por missao sus-
tentar.
O ministro de estado Velasques de Len e ra ra-
sennor Ramrez, haviam partido para a Europa,
mente; e sem que a mi patria haja de lamentar encarregados pelo imperador Maximiliano de ajus-
esse successo porque haver conseguido estabelecer tarem com a santa s a queslo da secularisagao
all as bases de importantes relacoes que sempre dos bens ecclesiasticos no Mxico, questao que traz Qucbec o mesmo que declarar que a Inglaterra
Ihe serao de grande vantagem commercial e mes- ali ameagada a paz entre a igreja e o estado. Esses st resolvida a defender o Canad, e como aquella
mo poltica. Por craquanto o governo britannico j plenipotenciarios chegaram j a Pars, d'onde se- r
est porm decidido a defender o Canad contra a guirao era breve para o destino que lhes foi mar-
invaso americana e esse parece ser o sentimento cadopelo seu soberano.
authentico, UU3 uau ^^.^ sua veraci., ,amara popu|ar> depQis de ^ ^~ ^^
OMonileuret publica urna nota desmen.in- S3f5Sffd222 ?Z&^ rqtmnt0 e qa
do a noticia de que o papa projecte abandonar Ro- *a ^Ltt wr T l?fm Se.-COm aS promes-"
ma, e df que na attilude da corte romana nada S SSSh&iSLfi STL*2 apezar
existe que autorise a acreditar que sua santidade Iwencias cora a mwi. a, ,.
nao se quer aproveitar das tncontes
gao qu a repressao era menos violenta, e o peque-! que se contm no convenio de 15
no* numero de execugoes, que, anda annualmente accrescenta que renunciar com ant
se fazia em Inglaterra, produzem grave impresso, em Roma, com seraelhantes condiges,'seria, se-,
e tem concorndo muito para o actual movimento gundo o Momteur, confessar a sua imuoteucia p n. Iar.u n uma n'uniao dos membros mais in-
esta confisso cncheria de alegra os ioimigos da SCi?. ,arlarrt'nl'V I* everno nao podia
igreja. O Momteur accrescenta anda que acredita mS^JSSST ,econ?m,as do 4Ut Ja li"ha conce-
e tem autorisados motivos para acreditar que S5"5?o-ISfl0 que sy. a "mar persis-
o papa longe de projectar sabir da sua capital, se ; r, *,T0?' os m,m?lros Proporam
oceupa activa e muito seriamente em augmentar o! fha'...' T^ que tbilae a conlinoacio de seme-
carpo da guarda civil, como o mais proprio para o euo.
A cmara dos communs votou por una grande
maioria o artigo do orgamento de guerra em que
se consigna um crdito de 50 mil libras para as
fertifleagoes de Qpebec. A imprensa ingleza acha
a somma insignificante, mas assevera que o voto da
cmara da maior importancia ; pois fortificar
nacional que siuceramente obrigou o ministerio a
pronuni'iar-se naqueiie sentido.
O parlamento britannico cncerrou hontem as
suas sessdes at depois dac ferias de paschoa como
costuma fazer. Continnaram ali as discussoes so-
bre diversos assumptos polticos, mas sem resulta-
do notavel, pelo que respeila guerra do partido
em opposigao. Mr. Gladstone conservou a pasta
da fazenda apesar da derrota que soffrera, e todo o
De Nova-York as noticias alcangam at 28 do
prximo passado. Um encontr Uvera lugar em
possessao nao pode ser atacada se nao pelos Ame-
ricanos, aceita a eventualidade da guerra contra
os Estados-Unidos, para inanter naquellas paragens
a supremaca britannica. O Times diz que' um
grande paz como a Inglaterra, nao poderia sem
Bentonville 19 entre as forcas de Sherman e as ^esconsideragao, annullar uma resolugao deste rao-
de Johnston, que obrigou o inimigo a ret.rar-se ; d0 Proclamada era face da Europa,
entretanto afflrmava-se ultima hora que Sherman ^s,e f?c.l e actualmente da maior sigmficagao,
conseguir entrar em Goldsborough, havendo feito e s P">pnos ministros nao dissimularam perante
junegao com Schefield, o que pareca ser de sum- Parlamento o alcance da medida proposta. O
raa importancia para o plano do general Grant.! "q?e-d'LHar,ID8ton. sob-secretano do esUdo na
Este official conservava-se defronte de Petersboorg, i rePar"?ao da guerra disse que se a cmara nao es-
ministeno nao se deu por abalado no meio daquella 0 nava recebido em Ctv-Point a visita do nresi- 'ava resolvida a defender o Canad, o dsse desde
!--------"-----I 4 I..I.I..... .-I. n^nn.HH BAMBEAS .1 <. ^ "I l'l t 'llll KlllLlH A 11 M .~. .-,... ^ .>. .1 ,1111 r..~ i ~* l .1 n .1 [ l 1 -
emergencia I A Inglaterra parlamentar comega a
desconhecer os seus homens de estado, e aquello
triste exemplo dado pelo distincto estadista Glads-
loue nao aproveitara de certo po^eridade. O
grande einpenho deste gabinete parece estar em
conservar o poder al o fin da presente sesso
legislativa, esperando servr-se posteriormente de
toda a sua influencia para ganhar a eleigo geral,
que ter lugar em julho ou agosto. A opposigao
porm trabalha deveras,, o espera derrotar o minis-
terio Palmeston por raeio de um?. grande maioria
que ter na prxima cmara electiva; essa espe-
ranga talvez fundada nos trumphos que ltima-
mente o partido conservador tem alcaugado contra
o liberal as eleigoes parciaes.
O espirito publico parece entretanto importar-se
pouco cora a denorainago dos partidos, o que exi-
gir provavelmente ha de ser que os seus procura-
dores se compromettam a advogar perante a repre-
sentagao nacional as suas verdadeiras e legitimas
necessidades entre as quaes ha de sem duvida figu-
rar a grande reforma eleiloral. Se os libejaes, dos
quaes chefe lord Palmreston, estiverem dispostos
quando eleltos pela nago a advogarem seriamente
aquella importante questao j to protrahida, a
prohabilidade de um triumpho eleiloral estar em
favor delles, porque reunem oulras qualidades hoje
era vpga; mas no caso contrario essa probabilida-
de passar para o lado dos conservadores, se estes
promeitterem romludo nao olvidar essa urgente
necessidade : u'urna seinelhante hypothese o paz
leria a ganhar, especulando com um partido que
ao menos anda nao faltou seus compromisos
naquelle particular, visto como at hoje os nao
celebrara com os whigs. Tal a feicao geral que
aqui aprsenla a questao eleiloral, da qual ter a
Inglaterra de oceupar-se brevemente com todo o
erapenho.
As importantes reduegoes no exercito e marrana
de que a imprens se oceupra em tempo, sao hoje
condecidas pelo que respeita s forgas de trra. A
economa realsada de oitocentas e tantas rail
libras, e coro esse presente a cmara pareceu con
lentar-se, havendo j approvado o orgamento da
guena apreseutado pelo^sub-secretaro -do esta-
do. Veremos o que far o primeiro lord do almi-
rantado, mas ninguera espera comtudo d'ali grandes
reduegoes, porque a Inglaterra nao se mostra dis-
posta a cessar com suas importantes construegoes
navaes.
Pelo que respeita poltica exterior desta impor-
tante nago, nao lera havido ltimamente assumpto
importante em discusso. A questao ailemaa dos
ducados poder todava fornecer em breve materia
para essa discusso, vi.-to como a PrusMa se dlspoe
a crear ditficuldades serias por motivo da insisten-
cia com que corabaleu o projecto das potencias se-
cundarias d'Allemanna em favor do duque d'Au-
gustembourg. Este expediente ter talvez por
cousequencia levar o gabinete de Bjrlira a dividir
os ducados entre a corda da Prussia e a d'Austria,
o que levantara aqui e em Franga uma ceieuma
infernal. A diplomacia ingleza protestara, e o
dente Lincoln, que ali fora para conferenciar, e IJa a cnhecer, e nao
segundo varias versoes para autorisar Grant a ne-! f5era a
esperasse que os Canadianos
trabalhos e levantassem al-
gociar a paz, qoando esta Ihe fqsse offerecida em
termos acceitaveis.
Corra em Nova-York que Mobile cahlra em po-
der dos federaes, mas essa noticia careca de con-
firmagao.
O presidente Davis pareca disposte a evacuar
Richmond, e nesse caso Cumberland seria a cdade
escolhida para a nova capital da confederagao.
Continuava no sul oallstamento dos negros, achan-
do-se j formados varios regimentos que iam en-
trar era campanha. O congresso confederado pro-
clamara com energa asustentagao da luta, de mo-
do que as vantagens obtidas pelo norte parecem
nao haver desanimado o sol. Entretanto esses
successos teem determinado em Nova-York uma
baixa favorav i no premio do ouro, que fica a
162.
DIARIO DE PERNAMBUCO
seceos salgados do Rio Grande 6 1|2 d. por libra.! parlamento denunciara noais uma vez e com vio-
As nossas emprezas frreas oontinuam aqui em ; iencia a ambigao da Prussia.
desfavor ; suas cotagoes sao as seguintes : acgpes O re da Prussia rejeitou efectivamente a pro-
do Recife 13 1|2 a S6& 14 ; ditas da Babia posta da Baviera tendente a confiar provisoria-
15 ; e asde S. Paulo a 17 1|2. | mente os ducados ao duque d'Augustembourg,
Os consolidados inglezes ficam a vista a 90 5|8. emquanto que a Austria a tem apoiado.. Se houver
Os fondos brasileiros de 5 0(0 de 99 a 101 j e os na dieta uma votago quelle respeito, o represen-
de 4 0(0 a 83 i|2. Os portugiiezes 3 0|0 a 47 1|1
Os hespanhoes 3 0|0 a 48. Os de Buenos-Ayres 6
C|0 a 96. Os sardos 5 0|0 a 76. Os italianos 50|0
a 64. Osgregos o OjOa 22 e 23. Os turcos 4
0|0 garantidos a 101 e 102.
Na ultima quinzena seguram da Inglaterra para
diversos portos do norte do BrasiJ os seguinles na
tante d'Austria votar com as potencias secunda-
rias, e nesse caso a Prussia ser vencida; mas;o
que fr em taes circumstancias ? Supp5e-se que
se retirar da confederagao, e que para logo dividi-
r os ducados com a Austria, que nao rejetara a
partilba pela necessidade de manter o seu equili-
brio na Allemaoha. Mas um seraelhante estado
vios : | de cousas poderia provocar da parte da Franga
De Liverpool Galeo (27) para a Bahia ; de Li- reclamagoes em favor do seu equilibrio, exigind
verpool Georgiana (28) para a Baha; de Liverpool talvez a cessao em seu favor das provincias rhena
Search (29) para a Bahia e de Cardiff Jason (Io as; e este expediente causara na Inglaterra um
do correte) para o Rio Grande. effeito profundo e desagradavel. Debaixo deste
Do Brasil chegaram a Inglaterra os seguin- ponto de vista que a questao dos ducados oceupa
tes : principalmente o espirito publico inglez, que por
Da Baha Newton (28) a Liverpool, e do Mar- muitos meios tem j manifestado aquelles re-
nho Orleabar (2) a Liverpool. : ceios.
S. M. a ratona continua a permanecer em Wind-1 Recebemos nesta capital noticias do Per at 28
sor, havendo comtudo celebrado a 29 do prximo de feverelro pr0ximo passado. O presidente Pczet
passado em Londres uma terceira recepcao offlcial, conseguir restabeiecer completamente a ordem, e
a qual assistio grande numero de pessoas da corte, 0 almirante Pareja havia aceitado como satisfacto-
com exepgo todava do corpo diplomtico que nao
havia sido convidado. As grandes ceremonias des-
ta corte sao actualmente imcompletas pela repug-;
nanciaque tem a rainba em mostrar-se, e a isso
somente se deve attribuir aquella falla.
Chegou a Wiodsor nos ltimos dias do mez de
margo ultimo, S. M. o rei Leopoldo, que como de
costume veio passar em Inglaterra algum tempo. |
.S. M. foi j a Claremoot visitar a princeza imperial
do Brasil, (cando all alguns dias em companhia
da ranha Amelia, sua sogra. A augusta princeza
do Brasil e seu marido continuam agosar boa sau-
de, devendo partir em breve para a sua viagem
da Allemanha ; suas altezas serao acompanhadas
pelo bario e baroneza de Lage, pelo Dr. Feij e
pelo Sr. Lisboa, secretario particular do conde
d'Eu.
A grande perda que a Inglaterra acaba de expe-
rimentar, tem encludo de luto o animo de todos os
boos inglezes; Ricardo u>bden, o celebre ec.ono-
rias (odas as diligencias feitas por aquella autori-
dade no intuito de salvar a vida e os intresses dos
subditos hespanhoes, que tiveram de soffrer por
occasio das scenas tumultuosas occorridas em Li-
ma e em Callao ; o governo peruano se prestar a
pagar algumas indemnisagoes, e por esse modo li-
car resolvida aquella dfficuldade que ameagra
gravemente a paz da repblica.
O gabinete de Lima tomou de mais a acertada
resolugao de conservar o general Castilla na prisa
de estado, e mostra-se disposto a insislir neste ex-
pediente at a abertura do congresso, que apenas
ter lugar d'aqui seis mezes. O general Castilla,
presidente do senado, foi sgm a menor duvida o
chefe da revolucao de fevereiro ; a sua priso ,
pois, considerada pelo governo peruano de neces-
sidade para o restabelecimento completo da tran-
quil! idade publica, e com este fundamento o ge-
neral Przei buscar justificar perante o parlamento
Temos a' vista cartas e jornaes da Europa, tra-
zdos pelo vapor Paran, alcangando: de Ham-
burgo a' 5, do Londres a' 8, de Paris a' 7, e de
Lisboa a' 14 do correte. Delles colheraos o que
segu.
Oj debates sobre a mensagera do discurso do im-
perador dos fraucezes tem prendido muito a opi-
nio publica. A opposigao apresentou muitas pro-
postas de emenda, que apezar de serem regeitadas
pela maioria, deram lugar a discursos muito ener-
i picos sobre differentes assumptos da poltica impe-
; rial, havendo por, vezes consideravel agitagao no
parlamento.
Mr. Thiers, amigo ministro de Luiz Felippe cen-
surou o rgimen seguido ^elo imperador, conside-
randos como uma bypocrisia ao abrigo do suffra-
gio universal; demonstrou que na Franga s ira-
' i pera a vontade de Napoleo ; disse que o sufTragio
universal estava falseado pela autoridade e que os
candidatos officiaes nao podiam ter a mener ini-
ciativa, e apenas erara consultados as questoes
j consuramadas ; disse que a imprensa peridica
era regida discricionariaraente, sustentando que
a expresso da opinio era impossivel, existrado
os communicados, as advertencias, suspensoes etc.
empregadas pela autoridade a respeito dos jornaes
que se .atreven) a fallar com alguma independen-
cia. Mr. Thiers queria combater as ideias apre-
sentadas pela fraegao governamental de que a
Franga anda nao est preparada para a concessao
das liberdades polticas; e disse que as liberdades
polticas deviam preceder as administrativas, pe-
dio a responsabilidade ministerial, c acrescentou
que a nago que d a liberdade ao mundo, nao
pode estar privada da sua.
A maioria di cmara protestou contra as pala-
vras do orador, mostrando, com o seu voto que es-
ta" satisfeta com o rgimen actual, que agrada a'
Franga, mas em quanto os deffensores do golpe de
estado de 2 de dezembro exaltavam aquelle acto,
Mr. Picaril, deputado da opposigao protestou con-
tra.a recordago desse faci; e no seu enthusias;
mo qualilicou de crime aquelle acto, e apesar d
excitago que taes frases produziram na assembla
recusou-se a retirar a expresso, quando uma par-
te da assembla o exiga.
Mr. Fabre na sepilile sessao fallou sobre uma
das emendas, que linha por tira conceder a' Fran-
ga a liberdade poltica, mas tendo produsido as
suas palavra.s um grande tumulto entre a maioria,
que declarou que taes ideias eram uma aecusagao
contra o imperador, e chegando ao maior excesso
a excitago da cmara, Mr. Fabre foi obrigado'a
sentar se renunciando a' palavra ; e sendo instado
pela presidencia para proseguir no seu discurso,
declarou que se abstinha de fallar porque a pala-
vra nao era livre I
A emenda proposta por Mr. Fabre foi regeitada ;
sendo regeitadas tambera as emendas relativas a'
liberdade de testar, a* aboligo da taxa forgada do
juro, e da cotago privilegiada.
Mr. Rouher demonstrou no senado a necessida-
de de um poder descricionario sobre a imprensa
e disse que o imperador Napoleo o primeiro a
approvar e reconbecimento do sentimento liberal,
mas que necessario moderar as expressoes.
As commissoes da cmara dos deputados antori-
sarara uma proposta de lei de junho de 1861- sobre
as incompatibilidades eleitoraes. O governo ap-
presentou um projecto de le que chama a's armas
35 mil homens. Mr. Rouher corabateu no corpo
legislativo o orador da opposigao a'cerca da orga-
nisago da municipalidade de Pars.
Foi nomeado ministro do interior Mr. Lavaletle,
em substtuigo de Mr. Bandel que foi nomeado
feta pelo governo
mista inglez e iniciador do grande principio da li- nacional aquella medida enrgica que tomou sem
berdade do commercio, falleceu nesta capital no da
2 do corrente I A sna morte tem sido chorada pe-
los estadistas da Gra-Bretanba, entre os quaes fi-
gura lord Palmerston que na sesso da cmara dos
guns soldados fiados no apoio que se lhes poderia
prestar.
Lord Palmerston disse que o governo nao queria
por obstculo algum se por ventura o Canad qui-
zesse coastituir-se independente, mas que se o Ca-
nad quizesse conservar-se unido coroa da Graa-
Bretanha, era um dever imperioso para a Inglater-
ra defender essa unio com todas as suas forgas.
O voto da cmara foi, pois, um contrato solemne
entre a metropole c a colonia, principalmente de-
pois de lord Palmerston haver manifestado o desejo
que linha de que a cmara se mostrasse unnime
n'um negocio em que julgava envolvida a "honra
nacional. O crdito foi votado por 275 volos con-
tra 40.
Falleceu o celebre economista inglez o Sr. Ri-
cardo Cebden; toda a mprensa ingleza annuncou
com sentimento a perda deste celebre hornera de
estado.
Em Franca todos os jornaes dedicaram artigos
memoria de Mr. Cobden. Ao mesmo tempo que
lord Palmerston expressavana cmara o sentimen-
to cora que em Inglaterra se soubera do fallec-
mente de Mr. Cobden, Mr. Forcade de la Roquette
por parte do governo francez manifestava em sen-
tidas phrases quanto aquelle acontecimento affec-
tava toda a Franga.
O Moniteur disse que o economista inglez tivera
a satlsfagao de ver a sua obra verdadeiramente
comprehendida por toda a Europa, e que se Mr.
Ricardo Cobden presara a Franga, a Franga nunca
o havia de esquecer. O imperador Napoleo re-
solveu que o busto de Cobden fosse collocado em
Versailles.
as cmaras italianas continua a discusso
da lei sobre os caminhos de ferro, e parece prolon-
garle. Esta lei enconlra grande opposigao da
parte dos Piemontezes e dos Napolitanos.
Os Piemontezes acham a venda dos caminhos de
ferro ruinosa, e dizem que essa venda s se justi-
ficara se dispensasse o empreslirao ; o partido na-
politano nao quer ouvir fallar da substituigo da
linha Je Benevento de Coma.
A regelgo desta lei seria um facto da maior im-
portancia, por que produziria uma crise ministe-
rial ; provavelmente esta circumstancia ha de pre-
valecer para a sua approvagao.
O governo italiano apreentou cmara um pro-
jecto de lei para a construego de muitos navios
blindados.
O senado approvou, contra a expectativa publica,
a lei sobre o casamento civil, lei que tem experi-
mentado muita opposigao do partido que procura
por obstculos regene'ragao italiana. Este novo
rgimen nao impedir os fiis de continuarem a
considerar'o asamento como um sacramento, mas
o sacramento facultativo, e nao imposto compro-
raisso civil.
Tem corrido que o rei Vctor Emmanuel pensa ha
tempos em abdicar em um filho a coroa da Italia ;
diz-se que a projectada entrevista entre Vctor Em-
manuel e o imperador Napoleo, que se espera bre-
vemente em Lyo tem um flm poltico que se liga
com a actual situago da Italia. Dizem de Paris
que o Imperador pretende mostrar ao rei da Italia,
que as actuaos circumstaacias a sua abdicago
poderia comprometter gravemente a unidade ita-
taliana, sendo o imperador de opinio que se de-
vem preparar os meiospara fazer face s eventua
iidades que podem surgir, uma vez que se trata
de por em pratica o pensamento da unificago.
s- Estes boato; sao propagados na imprensa, mas
com a maior reserva, e anda com maior reserva
os damos nos.
O Constituionel tlesmente os boatos que circula-
vara era Franga e na Italia da existencia de um
tratado secreto que faz parte do coavemo de 15 de
setembro, e em que se havia estipulado uma ces-
sao do territorio Franga.
O general La Marmora.interpellado as cmaras
por Mr. Mossari, declarou que esse pretendido tra-
tado era uma invengo de que at se linha chepa-
do a publicar um supposto texto. O Sr. Vlsconti-
Venosta, predecesor do general La Marmora no
ministerio dos negocios estrangeiros, confirmou
esta mesma declarado nao s como ministro des-
sa poca, mas como um dos negociadores da con-
vengo de 15 de setembro.
Os dous oradores mostraran) uma certa indigna-
r o contra boatos qne parecan) conter uma aecu-
sagao ao seu patriotismo e sua honra.
Falleceu em Florenga o general Fanti.
Em consequencia de uma convengo 'concluida
entre as autoridades militares francezas e italia-
nas, as tropas respectivas podero alravessar as
fronteiras para perseguir as guerrilhas.
j A commissao nacional de Veneza, por occasio
i do anniversario natalicio de Victor Eiumanuel.espa-
Ibou uma proclamago era que diz que nenhuma
communs de 3 do corrente pronuncioa o elogio po
utico do Ilustre fallecido.
Advogado daquelle grande priucipio econmico,
Ricardo Cobden o foi igualmente da liberdade po-
ltica e sempre defendeu a grande idea da paz per-
petua. A posteridade Ihe consagrar anda maior
fama, se bem qne a gerago presente o bonrasse j
do Ilustre nome do amigo da humanidade, e ella
chora devoras a perda de to distincto humani-
tario.
O Ilustre economista' representava Rocbdale na
cmara des communs, onde durante muitos annos
foi sempre incansavei em advogar os grandes prin-
cipios que prore.sava. Esse departamento, Liver-
pool, Manches ter, Birmingham e toda a Inglaterra,
emfim, tem manifestado immenso pesar por aquelle
triste successo; e a imprensa ingleza tem denomi-
nado de verdadeira calamidade publica a morte do
illustre Cobden, fallecido na idade 60 annos depois
de ama longa enfermidade qne todava se aggravra
autorisaglo do mesmo parlamento, mas que o salus
pnpuli Ibe prescrevia. Entretanto aquelle prisio-
nero de estadolancar mo da primeira opportu- wl.so
nidada que se Ihe offerecer para nterromper a paz dea| Antonelli e monsenhor Merodi.
publica, visto cono trama de ha muito tempo con- A Patrie ap(,ia a nomeago do marquez de La-
trae actual presidente, tendo-se servido da/oes-'lene para ministro do interior, e diz qne para
tao hespanhola como pretexto para conseguir seu -
fim.
senador ; apesar da declarago
\o'l! e iraperal^i ti^ nomeSno d^ixou'de: PW d Purera chamar italianos A op-
Kammandodse Tor se a S S?A ^ PeDSam em "" '^^ QUe bJe "S
por isso qne em quanto os liberaes veem no no-
vo ministro um apoio enrgico, o partido ultra-
montano considera a nomeago como um indicio
de qne a poltica do governo francez tende a aftas -
tar-se da que tem seguido, e seguem anda o car-
Parece-me portante que a tranqulllidade daquella
repblica apenas provisoria, ficando inteiramen-
te dependente da soltara de um hornero que tem
grande influencia no paiz e que sobreiudo nao tem
escrpulos quanto aos meios de guerrear o go-
verno.
O almirante Pareja conservava-se em Callao com
as fragatas Cidade de Madrid, Berenguela e Blan-
ca, havendo expedido o resto da esqnadra para di-
versos pontos do Pacifico, onde a Hespanha lem
intresses a proteger.
Suppoe-se que alguns desses vasos de guerra se
dirigiram a Valparaizo, aflm de reclamaren) da
repblica do Chile certas indemnisagoes devidas
Hespanha por prejuizos que o governo dessa re-
servico interno do paiz.
Diz-se que Francisco II de aples reunir con-
selho no seu palacio para decidir sobre a soa fu-
tura residencia, e dizem que se escolhera a Stiissa.
O Jornal de Roma publica a allocuco preferida
pelo summo pontfice no dia 27 de margo, em que
annunciaa abdicago feta pelopatriarchadaAmi.,-
chia, e a escolha do um novo patiiarcha : depois
de fazer raen^ao da morte do rei da Baviera Maxi-
miliano, expoo o pezar e sorpreza que Ihe causou
os incidentes occorridos no Mxico, manifestando
a esperanga que tem de que o aclual Imperador
abandonar a senda quo encetou, e satisfar os jus-
tos desejos da santa o s reclamagoes da nago,
levantando das suas ruinas a igreja mexicana* c
restabelecendo a boa harmona em que deve estar
com os bispos.
A allocugao conclue agradecendo aos bispos do
orbe catholco o zelo com que teem defendido a re-
ligue e aliberdadoda igreja, nao obstante os direi-
tos da autoridade civil, o faz um elogio aos prelados
italianos, que tanto tem soffrido para manter osi-
reilos da igreja da santa s.
O imperador do Mxico proraulgou um de-
creto sobre a religo do estado e outro em rola-
cao secularisagao dos bens da igreja.
O primeiro decreto diz que o imperio proteje a
religio calholica, apostlica romana como religiio
do estado; que se concede completa e leal tole-
rancia a todas as crengas que noforem contrariar
moral, civilisagao e bons coslumes; que ser ne-
cessaria porm a autorisagao previa do go venir
para se estabelecerem as ceremonias de qnalquer
culto publicc;que os regulamenlos de polica re-,
latiyos s ceremonias publicas de culto religioso
serao publicadas proporgo que as circumstancia:-
o exgirem ;-que o consclho de estado conhecer
de todos os abusos que as autoridades possam com-
metter contra o exercicio do culto publico, ou con-
tra a liberdade que a le garante aos seus minis-
tro*.
A questao entre a corte de Roma e Mxico, pro-
movida pela venda dos hens da igreja nao tem por
emquanto mudado de face, poste que se Bajam en
labolado negociages entre o imperador Maximilia-
no e o summo pontifiee. O imperador mandou a
Roma um delegado seu, devidamenteautorisado pa-
ra regular cssas relagoes.
Nao se conlirraam os boatos de crise ministerial
no Mxico, .penas se falla na sabida de Mr. Schest-
zenlechner do cargo de conselheiro interino do im-
perador e intendente da lista civil.
O governo mexicano prepara a promulgago de
uma nova lei sobre a imprensa. Diz-se que o gabi-
nete consultou os redactores de alguns jornaes so-
bre varios pontos deste projecto.
O pensamento do governo conceder impreusa
a faculda de avallar e discutiros actos do governo,
e que apenas (carao prohibidos os ataques aos prin-
cipios que servero de base ao imperio ; os ataques
vida particular e aos bons costumes tambera sao
considerados como um abuso, esujeilos acg5o da
justiga e s advertencias e suppressoes.
O presidente Jurez proclamou aopovo, chaman-
do usurpador ao imperador Maximiliano, traidores
aos que o acompanham, e appellando para a justiga
divina, para a vingauca popular e para a dedicaco
e patriotismo dos verdideiros Mexicanos. Entre-
tanto as tropas combinadas prosegoem as suas
operagoes; as guerrilhas sao batidas em differeutes
poutos.
O general Bazaine j tinba chegado ao Mxico,
e preparava-se para marchar cora as mesmas tro-
pas que compuzeram a expedigo de Oajaca, para
combater em Tabasco e Thnantepec, os ltimos
elementos de resistencia que anda se apresentam
com algumas Jorgas naquella parte do imperio.
A situago poltica da Grecia cada vez mais
melindrosa. Receiam-se novas desordens e que o
joven rei se venhaa encontrar n'uma posigodifli-
cil, se persistir em conservar junto de sua pessoa
o seu conselheiro particular o conde de Spomeck.
Os partidos julgara que seus conselhus e a falta de
tacto poltico tem sido funestos nago e a opinio
publica, attribuindo-lhe o descontentamente geral,
e considerando os males que Grecia podem re-
sultando conde de Spomeck se haver langado n'um
partido exclusivamente, pedem a sua retirada do
paiz.
A posigiio creada pelo conde junto do rei Jorge,
e o estado dos nimos em toda a Grecia deu moti-
vo a que o rei da Dinamarca mandasse Alhenas
seu irmoo principe Julio.tio do rei da Creca, com
o fim de verificar o que havia de verdade para se
prover de remedio conservagao da ordem e rua-
nutengo da dymnastia e do novo soberano.
O prncipe Julio, conferenciou em Alhenas com i
os representantes das potencias estrangeiras, o em !
seguida, sem consultar nem ouvir o joven rei, nem
o conde de Spomeck, convocou uma reunio no
sen palacio os principaes personagens polticos da
Grecia, chefes dos differentes partidos.
Nessa reunio foi profundamente apreciada a si-,
tuago poltica do reino, e todos reconbeceram que !
a presenga do conde de Spomeckjunto da corte,[se-
ria funesta ao paiz.
Os assumptos
questao dos ducados
regeitades to-
As opinioes da opposigao tem-se pronunciado
distintamente na discusso do orgamento
irincipalmente esoolhidos foram a
los, e a allianca com a Prussia.
nnniicT'TiaJ-f)0.,S de rensurar 'lgicamente a
poltica do gabinete austraco, com os gabinetes
estrangeiros, mamfesloo o desejo de ver reinar n-
imns relacaes de tmisade cora a Italia e pdi /que
se *m,n0issem as verbas destinadas para as em-
bajadas ira Roma eno Mxico. *
- A commissao militar da cmara dos denuta-
dos prassianos regeiton a omenda pnmSSi
gcncal S.avcnhagen. qne tinba por oRS
ciliar o goverm.com a cmara, e fixar era 180 mil
homens o mxima elfcriivo do exercito >
Foram tambera snecessivamente
dos os captulos da le militar, rew,
comm ssao de examinar posteriormente ar.
que d,zem respeito marrana, que nao nU z d icu
t.r na ausencia do commissaro do governo
h.c p)'ll,lirfa0 os do(,"*nentos relativos as pedi-
dos da Prussia no que diz respeito aos durado.
SoTSa*demons,ra5ao R* o 28
O partido nacional, representado pela respectiva
O general Roon, ministro da guerra declarou
que o gabinete se nao retirara, e que nao e tava
dlspesto a recorrer tima nova dissolocS ffe
mar, eqj. in.ulidade enhena ;-su emou que
o governo se tem mant.do, e se ha de sempre man-
eltDo,r0-d(!SK,imi!es da to-vao, e que se a
cmara nao he quzer prestar spoo para retbe-
Sedre"facVSptU;fa norma1--'"lao a qes.ao mudl
r 3 ,d J, Ce' e.-e "13 quPS,a2 ^ direito se forma-
ra urna questao de existencia.
A ameara do golpe de estado produzio uma forle
impresso que o ministro abrigado a explcar-se,
nao pode fazer desvanecer.
O governo liga a maior importancia discusso
do relatarte geral, e pretende com ameagas obter
urna votagao decisiva na cmara. No estado actual
dos irabalhos parlamentares, a adopeo das con-
clusoes da commissao, para o qne trabalha a malc-
riada cmara, imporlaria o desenvolvimento do
poder do parlamente, e a diminucao daquelle que
tem gosado sempre a coroa. E' este golpe que o
governo qur evitar.
As cartas de Alexandria dizem que rebentou
uma insurreigao no alto E^ypto prximo de Sam.
Alguns centenares de sellahs subditos do vice-rei
veixados pelos impostes lancadns pelos inten-
dentes, armaran) se e chamaram em seu auxilie
os beduinos das immediagoes. O numero dos in-
surgentes nao inferior a tres mil. Marcharam
contra elles algumas tropas commandadas pelo ge-
neral Sciaahem-paeh, e consta que os rebeldes
sotTreram no primeiro reconiro uma pequea der-
rota, mas parece que houve grandes perdas ; hou-
vepor ordem da autoridade alguns fuzilamentos, e
foi arrasada uma povoaco ; os insurgentes mata-
ram um mudir e roubaram as caravanas que
conduzam assucar para o vice-rei. Ismail-pach
tei ao lugar da insurreigao, acompanhado do in-
tendente em chefe do seu palacio, mas
guio restabeiecer a ordem.
nao conse-
O Memorial Diplomtico, dando algumas no-
ticias sobre o estado da guerra da America, diz
que alguns homens polticos importantes, tanto do
norte como do sul, >e reuniram as fronteiras do
Canad para confidencialmente traiarem, e depois
apresenlarem, ainda.que officosamente, aos dous
governos propostas no sentido da paz.
Segundo parece, o commissaro de governo fede-
ral partir para Washington, depois de longas con-
ferencias, levando um projecto de tratado, que se
fuuda nos segrales pontos : Reconstiluigo da
Unio; aboligo da escravido; convenio geral
de todos os estados para reformar a constituigo
no sentido do reconhecmento formal e explcito
dos direitos dos Estados: da prohibigo imposta ao
congresso de fazer leis relativas aos negros, depois
de abolida a escravido ; e do systema que se deve
seguir para a eleigo do presidente.
Attribuia-se a visita que o presidente Lincoln fez
ao general Grant projectos tendentes ao mesmo
flm; parece, porm,
. que nem federaes nem confe-
Diz-se que este conselheiro procurava sahir da ^ePfam feamente em negociages; pois
posigo delicada em que se achava, fazendo per- ?J2 TZL"t a uma0 a1mer'ana} e s"l
suadir ao joven re quehouvera ura ataque a dg- 1ue/ ver Proclama nidade real. *orara suspensas as sessoes do congresso confe-
0 principe Julio foi intimado para sahir imme- derad?; era Richmond trabalha-se activamente em
diatamente do reino, e o rei fez constar ao seu con-
selho de ministros, que contrariado pelo que se
passou sem o seu conheciment, nao poderia nun-
ca permiltir que um estrangeiro se envolvesse nos
negocios do paiz.
Esta resolugao irritou o partido exaltado de que
chefe Bulgaris, e este partido preparou urna de- ral> preparada para bombardear aquella praga.
monstrago ao principe Julio, quando sahisse da
Grecia, mas o principe calculando as consequen
organisar os rvgimentos de negros. Ha grande ac-
tividade nos exercitos confederados do commando
do general Lee, e as tropas federaes commanda-
das pelo general Grant.
Assegura-se que a praga de Mobile seria breve-
mente atacada. Estava reunida a esqua..ra fede-
0 Monde diz que o santo padre advertido mais
uma vez por Mr. de Sarlige da retirada das tro-
pas francezas Ihe responder : t Pois bem, retirae
M vossos soldados, retirae-os amanha, se assim o
publica Ihe causara, impedindo que a esqaadra de intentada por sir Roben Peel; mas apesar desta
isso bastara a lembranga porque elle proceder
como emba xador em Roma, mas alm desta cir-
cumstancia, tambera espera que o nomeado DoUha _
em pratica as ideias de raelhoramentos, enuncia* JS*2* ^TlS2S S a" i3"163'
dos nelo imnerador no seo discnr.n Saf-roe. Fazei ja o que haveis-de fazer depois. j
O Monde nao garante a authenticfdade desta noti-
cia, mas apresenta-a como uma expresso da si-
iuago em que se acha o papa em ralago ao go
verno francez. O mesmo jornal diz que o conve-
nio de 15 de setembro crea ao poder temporal dit-
ficuldades insuperaveis, e obriga o papa a emigrar
ontra vez de Roma, para reprimir por meio
da forca a desordens que o estrangeiro havia de
promover, ou para evitar que all Ihe lancera um
punbado de faccinorosos.
O jornal inglez Spectator diz que quatro estados
differentes disputaran) entre si a honra de offere-
cer sua santidade um asylo, se destinar sahir de
dos pelo imperador no seu discurso.
Em Inglaterra o movimento para a aboligo
da pena de morte toma notaveis proporgoes. O
governo inglez, depois de ama notavel discusso
na cmara dos communs, mandou proceder um
inquerito sobre este assumpto. A commissao em
que figurara muitos homens de estado, jurisconsul-
tos, e membros do parlamento, vai brevemente
apresenlar a' cmara o resultado das indagages
que se nao limitaran) ao exame das leis inglezas,
mas da legislarlo e cdigos penaes de todos os
paizes.
A primeira reforma das leis penaes foi ero 1821
cas que deste acto podenam provir, parti de
Alhenas na veSpera do dia em que se esperava
evitando deste modo que se alterasse a ordem.
te, sem querer arriscar forgas innuteis n'um pro- Os partidos coBservam-se na espectativa, espe-
jete aventuroso. rando-se" que o rei da Dinamarca, informado do
A imprensa franceza contina a oceupar-se que se passa, far retirar de Alhenas o conde de
da conferencia entre o embaixador de Franga era Spomeck, substituindo-o por um conselheiro mais
Roma, e sua santidade. A Patrie, o Pays, o Stele, hbil e prudente.
o Monde, esto de accordo em que o papa assegu-! Esta espectativa contm a irritagao dos partidas,
rara que nao pensava em formar exercito. o seu desengao poder produzir novos movimen-
tos insurgentes, cujos effeitos se nao pdem pre
ver.
O gabinete dnamarquez pedio a sua de-
mlsso.
A poltica da Russia comega a causar serias
preoecupagoes entre as nagoes occidentaes. A im-
prensa falla nos planos gigantescos do czar, e di?
que a Europa deve estar vigilante, e que Ihe cura-
pre olhar pela sua seguranga, e pela sustentago
dos principios constitucienaes, que tantos sacrifi-
cios tem custado.
Diz om jornal, fallando sobre este assumpto, que
a Turqua traa de fortificar as suas fronteiras, e
que para esse fim mandara uma commissao ins-
peccionar as pontes que convm fortificar -, que a
Inglaterra, que lamo interesse tem em qne o Im-
perio russo nao chegue at a India, est assustada
vendo a conquista que faz na Asia central.
Ero S. Petersburgo e ootros pontos da Russia ha
Roma. A Hespanha pe sua disposicao as ilhas uma epidemia que tem causado numerosas victi
Houve uma importante batalha em Pensbnrg. O
general Lee atacou o general Grant, e tendo ficado
primeramente victorioso, foi depois repellido com
grandes perdas reciprocas. O general Grant escre-
ve que dentro em poucos das seria evacuada Ri-
chmond.
Em Portugal tinham sido prorogadas as cor-
les at 18 de maio, e depois adiadas at 24 de abril.
O ministro das obras publicas pedir a demiss.
em consequencia das resistencias que linha encon-
trado na maioria da cmara electiva contra a lei
permanente dos cereaes que tencionava propor-
No dia 10 d'abril o ministerio todo tinha pedido a
exonerago, achando-se o marquez de S da Ban-
deira encarregado da organisago do novo gabi-
nete. Parece que, sendo baldados os sens esforgos,
ora chamado ao pago o conde d'Aviia, suppondo-
se com fundamento qne este estadista nao lograra
formar uma situaco perdorave.
Qualquer qne fsse o resultado poltico da com-
oosigo do novo ministerio, dava-se como cena a
dissolugao das cortes.
Eslava terminado o conflicto entre o governo
portuguez e o representante dos Estados Unidos na
corte de Lisboa, por causa dos tiros de baila que o
torre de Belm flzerafsobre a fragata federal Ni-
gara.
PERNAMBUCO.-TYP. DE M. F. DE F. i FILHO
< -


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EE5A6Z42X_T1M32D INGEST_TIME 2013-08-28T03:39:36Z PACKAGE AA00011611_10655
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES